Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11320


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ft
Vr"
ANNO XLIJI. NUMERO 163.
.tj^< b odluk t
Per iras ames adTaataiej.
Par seis Par a a aoao
,--f>i
.T5 LIGARE O^fDE SE IfAO PACA POETE,
adJantadM.,. *...... 65000
.ge... :, .i jj -.i ... -., ; ; ; .; ; ; ; ; iUQ0Q
JJjMrf .1 .1 .i .: ;j .1 ;i ,i .1 & 24000
'Si
on Isop
j ob
oqeo I
:.:oi t'eiori
Delb '


H
i'r 3
t .iw* SEXTA FEIRA 19 DE JULHO DE 1867.
^ PIBA BEMBO E FOBA DA PROVINCIA.
Per tm mw6 tditBtadn;. rrmivi !, ., ..- v r.
-iPorsete ditos dem, rr ..........................
3Por aove ditos fdem.M ..
Por bb asno idea., fr* ..
S.V, I
. HrlOlf'.
* ......
i. .. .. ,.
..... *
f. ..
641750
13,91500
255250
270000

32an-33 2Q IP215!\m'JJ?BD > B3MP!I1>!IllKD IDX EAHD21 M^MiaD ID3 IfM 4 M11DS, 8313 IPRDMl&msa
afc
-
IENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO.
Parattob*, o Sr. Antorfio Alexanilj-lno de Lima:
Natal, Sr. Antonio Marines da Sjrva; Aracatv,
oSr. A.de Leaos Braga; Cear, o Se. J&aqoim
Jos de Oliveira ; Para, os Srs. Gerardo Antonio
Alves 4 Filhas; Amazonas, o Sr. Jeronymo da
Costa; Alagoas.o Sr. Franeino lavares da Costa; J Pao d'Albo, Nazaretb, Limoeiro, .Brejo, Pesqaelra,
Batia, o Sr. Jos Martlns Alves: Rio de Janeiro, 1 legazeira, Flore, Villa BeiJa. Cabrobo, Boa-Vis-
o Sr. Jos ftibeiro Gasparlnao. | ta, uricury.Salgueiro e Ex, as guaras eiras
PARTIDA DOS- ^TAPETAS.
Oliofla, Cabo, Escala e estac5es da va frrea at
Agua Preta, todos os das.
Ignarass e Goyauna as segundas e sextas fai'ras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Garuar,
Altinbo, Garantaos, Baique, S. Bento, Bom Con-
selho, Aguas Bellas e Tacarai, as tereas-feiras.
Sarnhera, Rio Vormoso, Tamaudar, Una, Bar-
reros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
felras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Ralacao : torcas e sbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Jnlzo do commercio : segundas as 11 horas.
Dito de orphos : tercas e sextas s 10 horas.
Prieira' van do civel: tercas e sexta* ao meio
da.
Segunda.vara do elvel : qnartas e sabbades a
- 1 hora da tarde.
EPHEMER1DE8 DO MEZ DE JULHO
1 La aova as 6 h. e 56 m. da t.
8 Quartocresc. as 2 h. e 39 m. da t.
l6Loaeheiaas6h.e4m.dat.
24 Quarto ming. as 14 h. e 51 m. da a.
31 La nova a 1. b. e 32 ni. da m.
PREAMAR DB HOJB.
DAS DA SEMANA. I Primeira as 3 horas e 42 m. da tardo.
j Segunda as 4 horas 6 minutos da manhia.
PARTIDA DOS VAPORES COsTEIROS.

x:i
m
-
.
13 Segunda. S. Camillo deLellis rondador.
1G Terca. Nossa Senbora do Carrao.
17 Quaria. S. Marinba v., S. Aleixo, S. Vertnla.
18 Quinta. S. Rufina b., S. Sympboreso.
19 Sexta. S. Vicente de Paalo fundador:
20 Sabbado. S. Elias prof., S. Margarida v. m.
1 Domingo. S. Henrlque imperador.
Para o sal at Alagoas a 14 o 30; para o norte
at a Granja a 13 e 30 de eada mez; para Fer-
nando nos das 14 dos mezes Janeiro, mareo, malo
Jnlho, setembro e novembro.

PARTE OFFGIAL
?
CiOYERXO DA PROVINCIA
Expediente do da 3 de abril de 1867.
Ktteco.
N. 171Offlclo ao Exm. general corornandante
das armas.Sirva-so V. Exc. de expedir as suas
ordens para que u destacamento de 40 pragas do
7 batalbo de iefantaria da guarda nacional deste
municipio, qne existe na fortaleza do Buraco, se
ro.iolha qnanto antes ao corpo a que pertence.
N. 173.-Dito ao mesrao.Expeca V. Exc. as
suas ordeas, para que o capio commandante do
deposito especial de Instrucco, entregue um selim
com-os competentes arreios, ao alteres do corpo de
polica Francisco Augusto da Costa Gaimaraes, ti-
cando este obrigado a restituir taes objeetos, logo
qne termine a commisso de qne foi incumbido.
N. 174.Dito ao mesmo _Sirva-se V. Exc. de
informar acerca do que pede Pedro Jos de Arrn-
da, no incluso requerimento coberto com informa-
;c do delegado eacarregado do expediente da re-
par tinao da polica, datado de 2 do corrente, sob
n. 2223.
N. 175.Dilo ao mesmo.Mande V.Exc. porem
liberdade o reernta Lniz Jos Valerio de Franca,
visto ter provado iseneao legal do recrimnenlo.
N. 176.Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de
mandar Inspeccionar de saode, o 2 sargento do
corpo provisorio de polica, Joaqnim do Reg Bar-
ros Brrelo, como este pede no ioclnso requeri-
mento, que me sera' devolvido eom o resoltado da
Qspeegao.
N. 177.Dito ao Sr. vlce-consal de Lnbeck Wl-
liam Otto.Em resposta ao olficio de 2 do corrente,
em que o Sr. Witiam Olio, vice-consul de Lubeclc
nesta proviocia, rae declarou qus tem de passar a
gerencia do vico-consulado ao Sr. gerente do con-
sulado da Prussa, por ser-lne necessario ir a Euro-
pa, tenho a dizer-lhe qne uesu data mandei passar
a portara que solicita em dito officio. Renov ao
mesmo Sr. vice-consnl os meus protestos de esti-
ma e considerado.
N. 178.Dito ao director do arsenal de guerra.
Em additamento ao meu officio de hornera, declaro
a Vmc. que devem ser foroecidos ao leaente-coro-
heNoo de Sa' e Albuquerque, cjrnaiandante do
batalbo n. 40 de Infamara da guarda nacional,
aquartelado nesta capital, duzemoa (ardameulos
completos e igual numere de capotes, mucnilas,
bornaes e cantis, visto ter aquella forca de mar-
char para a villa de Pao do Albo.
N. 179.Dilo ao director do arsenal de guerra.
Apprvo o contracto que Vmc.- celenrou com os con-
signatarios do palbabote tus Amigos, Aolonio
Luz de Oliveira Azeveo i'C, para a condcelo
de diversos objeetos o presidio de Fernando,
como consta do lermo annexo ao sen offleio de
22 de marco ultmo,-sot a. 76, visto estar, elle de
accordo com a tabella de 27 de oulubro de 1862.
N. 180.Portarla.O presidente da provincia
attendendo ao que reqnereu Antonio Pila Marnbo
raico, ajudanta do porteiro do arsenal de mari-
nba, e tendo em vista a lofurmacao do respectivo
inspector, datada do Io da corrente, sob n. 1269,
resolve conceder-lbe tres mezes de licenca com
sens veocimentos, para tratar de sua saude.
N. 181.Dua.r^O.presidente da provincia, at-
'.dendo ao que reqoereu o alfares do 6' batalbo
de voluntarlo da pama, addido ao 6o tfe infanta-
ra do exerclto, Antonio dos Santos Medeiros de
Aguiar, e teodo em vista a Intormaco do tinga-
deiro commandante das armas, datada de 2 do cor-
rente, sob o. 481, e parecer da junta de saude. re
solve de copiorruidade com o ari. 4 2o do decre-
to n. 3,579 de 3 da Janeiro do anuo passado, con-
ceder jres mezes de licenca com os veoclraentos
do ?rt. 5 1" do citado decreto, para tratar de sua
saude.
2" secsio.
N. 183.Ofcio ao commandante superior do
Recite.Em vista da intormaco do director da
escola normal, de 2 do crreme, slrva-se y. S. de
expedir suas orden, afim de ser dispeaso do ser-
vico da guarda nacional, emquanto estiver fre-
quemando aquella escola, onde se acba matricula-
do, o sargento do 1 batalbo de infantina Aque-
lino de Helio Carueiro.
N. 181.Circular a todos os commandantes su-
periores.De conformidade como que foi deter-
minado por aviso circular do ministerio da justtea,
de 7 de marco prximo lindo, remeito a V. S. para
serem adoptados nos corpos da guarda nacional,
sob seu commando superior, sempre que tiverem
de entrar em formatura, exemplares impressos das
modilicages feitas pelo commando das torcas em
operaces contra o Paraguay, as losirucces da
arma de i&faotarla.
N. i85.Officio ao jaiz municipal da vara des-
ta cidade.Transmuto a V. S. para seu conheci-
mento e fins convenientes, a inclusa copia ulo se-
da certido de bito mas tambem do amo de vis-
toria falta no cadver do sentenciado de justiga da
provincia das Alago?, Bernardo Moreira da Silva,
qoofcllecea na eafermaria do presidio de Feman-
do, amala 13 de marco ultimo, como me participo
o respectivo commandante em officio de 17 da-
quelle mez, sob a. 35.
N. 186.Circular aosjcitesde direito das co-
marcas do Bonito, Cabo, Brejo, Garanbuns, Boa-
Vista, Limoeiro e Cabrob.Naj tendo Vmc at
esta data satisfeitu na parte que Ihe loca, o decreto
a. 3,572 de 30 de dezembro de 1865, e a circular
desta presidencia da 19 de abril do auno prximo
passado, remetiendo os raappas, que loe cumpre
ministrar e as autoridades dessa comarca, para
formaeio da estatisftca judiciaria de 1865, recom-
mendo mais esia vez que o faca, sem perda de
tempo.
N. 187.Officio ao commandante do corpo pro-
visorio de polica.Nesta data expeco orem a
thesonraria provincial, para adianlir dous mezes
de vencimentos, ao alfares do corpo sob sea com-
mando Francisco Angosto da Costa Guimares,
que val em commisso do governo a comarca de
Flores.
O que declaro a Yon. para sea coubecimento e
fina convenientes.
N. I88.*.Do ab mesmo.Remeti a Vmc a
portara d sabstiinico dos dous vogaes, para o
conselho d fnlgamento do soldado Serarjblffl Fan-
cisco da Cnnha, d que trata o sen officio n. la2
desta data.
N. 189.-Wpao mesmo.Teodo resolvido qae
fique addidd wft omquantd ao corpo d polica, a
torca d pMsrt go hontem chegou de Santo ao-
to, por ordem desta presidencia; assim o declaro
a Vmc. para os lis convenientes. i
H. 190.Dito ao delegado de pulida deFiftre3
Pelo alteres do eorpb (e plleia Fraacisao Augusto
oa CosU Galmiris, rroette a thesoarana de fa-
zenda nesta occasio, a' colleetoria dessa villa, ae
quautia de qnatro costos de ris, para pagamento
dos vencimentos da guarda nacional destacada
uessa comarca, o que'communico a Vmc. em res-
posta ao sn oficio de li do rae fiado.
N. Wt.Portarla.Para o coaselho do jolga-
meato do soldado do coro provisorio de polica,
Serapbim Francisco da Canba, o em substltoico
dos alteres Tranquelmo Agnello Pessoa Dutra e
Francisco Angua|o da Costa Guimares, qua se
acbaai em deligeci^ nomeio o tinenta Manoel
JoWl!Tfttgo parretp o aliaras cirurgiao Joa-
qnim Jpt Alves de Alboauerque. .
; ." sec'jo.
N. W.frOfflcio ao inipeclor da tnewararia de
fazenda.Devolvendo o* documentos que vieran
aaaexos ao sea officio de hornera sob n. 180, rela-
tivos aos voucitqeutos de 116 pananos qae por or-1 Q3es a asta respailo.
dem desta presidencia se acbam addidos ao corpo
de polica, tenho a dizer em respesta ao citado of-
ficio que, bavendo sido esses paisanos chamados a
servico para auxlliarem a maauteocao da ordem
publica em conseqoencia das oceurrencias dadas
em Pao do Alho, devem. ser considerados como
empreados no servico do ministerio da guerra pe-
lo que curapra V. S. sob minba rasponsabilidade
a ordem coolida em meu officio da 2 dasle mez a
que junto, mandando effeetuar esse pagamento ao
lenle quartel-mestre d'aqoelte corpo Manoel Joa-
quim do Reg Barros.
N. 194Dito ao mesmo__Em vista da folba e
pret junto em duplcala a que se refere o officio do
commandante superior deste muoi:ipio datado de
hontem e sob n. 161, mande V. S. se o3o houver
inconveniente pagar os vencimentos relativos a 2.*
quinzeado mez de marco ultimo das pracas do
6. bataino de infamara, aquartelladas as fortale-
zas do Brum e Buraco, e bem assim ao alteres
Candido Augusto de Albuquerque Mello comman-
dante do 2. d'aquelles destacamentos correspon-
dentes ao predito mez de marco.
N. 195.Dito ao mesmo.zpega V. S. as suas
ordens para que em vista do prel junto em dupl-
cala que rae remelten o commandante superior
deste municipio com officio de hontem, sob n. 163,
sejam pagos se nao bouver inconveniente os ven-
cimentos a contar de 25 a 31 da marco ultimo dos
guardas naconaes do 3:
que ficaram aquartellados
Ponas.
N. 195.Dito ao mesmo.Tendo nesla data ap-
provado o contrato qae celebroa o director inferir
no do arsenal de guerra com os consignatarios do
palnabote nacional Dous Amtgos, Antonio Luiz de
Oliveira AtevJo & C. para a conduccao de diver-
sos objeetos ao presidio de Fernando, visto esta-
elle de accordo com a tabella da 27 da oulubro de
1&62, assim o commnnico a V. S. papa seu conhe-
cimento e direceo.
N. 197.Dilo ao mesmo.Approvo a demissao
que segundo consta do officio de V. S. datado do
1.* do correte e srb n. 176, dea o inspector da
alfaodega desta capital ao guarda da mesma alfan-
dega Francisco de Paula Machado. O que declaro
a V. S. para os fins convenientes em resposta ao
citado officio.
.V. 198Dito ao mesmo.Tendo nesta data re-
commeodado ao -director da repartico das obras
potilicas qua mande fazer com loda a orgeoeia os
concerlos de que nece Soledade, como solicitou o general commandante
das armas em officio de 30 de margo ultimo sob
o. 469, assim o commnnico a V. S. para seu co-
nbecimentd e lias .cou.venientes.
N. 199.Dito ao.mj3smQ..-Se.oao houver incon-
veniente mande V. S. pagar em vista da folba e
pret junto a que se refere o officio do commandan-
te superior deste municipio datado de hontem e
sob n. 160 es vencimentos relativos a 2.' quinzena
do mez de marco ultimo dos offlciaes e pracas do
1." batalbo de amibaria aquartallados no Hos-
picio.
N. 203.Dito ao mesmo.Declaro a V. 3. em
additamento ao meu rnelo de noBiem-qoe p*4e
niregar ao alteres do corpo de polica Francisco
Augusto da Costa Guimares afim da ser conduzi-
da a seu destino a quantia de 4 000000 que essa
thesonraria tem de r -metter ao collector da co-
marca de Flores para pagamento dos vencimentos
da guarda nacional all destacada.
N. 203.Dte ao inspector da thesonraria pro-
vincial.Transmiti a V. S. os Inclusos prets em
duplcala a que se refere o officio do commandan-
te superior da comarca da Santo Antio datado de
21 de marco ultimo afim deque se nao houver in-
conveniente mande pagar a Joo Francisco Mar-
tos, os vencimentos relativos aos mezes de Janei-
ro a favereiro deste anno dos guardas naconaes
destacados na villa da Escada.
N. 204Dito ao mesmo.-Mande V. S. abonar
dous metes da vencimentos ao alteres do corpo de
polica Francisco Augusto da Costa Guimares que
vai a comarca de Flores em commisso do go-
verno.
N. 205.Dito ao-raesmo.Constando de officio
do ebefe da repartico das obras publicas datado
da hontem e sob n. 72 haver o arremalaate da
obra do acule do Livrameoto execulado dous ter-
cos d'aquella obra, recomrnendo a V. S. qae em
vista do compe:ente certificado, mande pagar ao
mencionado arrematante a 1.* e 2.a prestado a
que tem direito.
N. 206.Dilo ao mesmo.Recomrnendo a V. S.
Deas goarde a V. ExcManoel Pinto de Sonza
DamasSr. presidente da provincia de Pernam-
bnco.
N. 213.Circular a todas as cmaras mameipaes
menos a do Recite e Ollnda.Tendo apparecldo
na nossa ultima exposicio ntreos productos phar-
macentieos pedaeos de cauies de algumas especies
de plantas sarmentuzas, conhecidas sob o nome de
bntua on abutua, e acontecendo que baja multa In-
certeza sobre a natnralldade e verdadeiro nom
deste vegetal, que conbecido as nossas pbar
macias pelo oome deparreira brava,recom-
rnendo a cmara municipal de.... de conformida-
de com o aviso do ministerio da agricultura, com-
mercio e obras publicas de 16 de margo prximo
fiado, qae me remella com as raizas e caoles des-
sa planta algnas ramos com olbas o flores para
serem enviados aquello ministerio, afim de serem
submeltldos aos exames necessarios.
N. 6.Aviso a que allude o officio cima.Di-
rectora centralSeccjioRio de Janeiro, ministe-
rio dos negocios da agricultura, commercio o obras
publicas em 16 de margo de 1867.Circular.
lllra. e Ezm. SrEntre os productos pharmaceu-
tieos da nossa ultima eiposigloappareeeram peda-
<} js da cauies de algumas especies de plantas sar-
meniosas, conhecidas sob o Dom de butaa ou
abutua.
Acontecendo, porm, qae baja mnila incerteza
batalbo de intantara sobre a naturalidade e verdadeiro nome deste ve-
na fortaleza das Cinco < getal, que conhecido as nossas pharmacias pe-
lo nome deparreira brava,recomrnendo a.V.
Exc. que faca recolher e remetter ao ministerio a
meu cargo com as railes e cauies dessa planta al-
guns ramos com folbas e flores, afim de que pos-
sam ser sjbmetildos aos exames necessarios.
Deus guarde a V. ExcManoel Pinlo de Souza
DantasSr. presidenta da provincia de Pernam-
buco.
N. 214.Officio ao Dr. inspector da saode pu-
blica.Para poder resolver sobre as providencias
solicitadas em seu officio desta data indlque-me
Vmc. os mdicos qae devem sor nomealos para
cada urna das freguezias desta capital.
N. 215.Portara.O presidente da provincia,
attendendo ao que requereu o professor publico da
cadeira de instrucco primaria da freguezia de Pa-
pacara Viceute Perreira da Cruz, e leado em vis-
ta a informaco dn director geral da instrucco pu-
blica do 1* de marco prximo fiado a. 69, resolve
conceder-lbe qninze das de licenca com ordenan-
do para tratar de sua saode.
N. ib.Dita.O presidente da provincia, tendo
em vista o resaltado do concurso a que se proc-
deu no da 30 de margo prximo fiado para preen-
chimento das cadeiras vagas do ensiao primario do
sexo feminino, e bem asstq o parecer do director
geral da inslrucco publica oovido o cooselho di-
rector, resolve nomear professoras as seguintes se-
nhoras :
Mara Francisca de Souza, para a cadeira de
Bezerros.
Anua Clandina de'Aguiar e Silva, para a de Ga-
rantaos.
rsula Cesilina de Aadrade e Lima, para a de
Cimbrn.
Amella Aogusta da Oliveira Quintal, para o 4o
Brejo.
Toereza Alejandrina de Barros Mello, para a da
Pedra Tapada.
Marcolma Faado da Suva Cabra!, para a da
Gloria de Goyl.
Mara Firmina da Silva Alcoforado, para a da
Buique. rj '
AonaTbereza de Seixase Silva.para a do Al-
tinbo.
Mara Salom des Santos Dacia, para i de Cor-
reales.
Femandioa Palatina de Jess, para a de S.
Bento.
Leopoldina Romana Mendes'Gongalves, para a
de Grvala.
Oiympia de Azeredo Continuo, para a de Villa
Bolla.
Mara Clara Soares de Mello, para a de Baixa
Verde.
Paulina Marcelina de Almeida, para a de Gra-
nito.
Mara Mareionila Rodrigues Pereira, para a de
Capoeiras.
Gandida Hermogenes de Mello Mascarenbas, pa-
ra a de Flores.
N. 217:Dita.O presidente da provincia, at-
tendendo ao qua requeren a sociedade BeneUcente
dos Artistas Aifaites instituida nesla cidade, e em
vista do que dispo s o 5o do arl. 29 do decreto n.
ru! em vista do competente certificado, mande
pagar ao arrematante da obra da ladelra do Li- 2,711 de 19 da dezembro de 1860, resolve nomear
vramento na villa do Pao do Alho a importancia' para o lugar de director da mesma sociedade a Ma
da 3.* preslagao a que tem direito, por haver exe-
culado 3 quartas partes d'aquella obra seguddo
consta de officio do chefe da repartico das obr*s
publicas datado de hontem e sob n. 73.
N. 207.Dito ao mesmo.Goacedo a autor i; i-
gao qne V. S. pedio em officio de hoatem sob n.
139, para mandar pagar pelas sobras das consig-
nagoes -da le do orgamento do exereicto prximo
Qodo a importancia da 1.a prestago, a que tam
direito o arrematante do 3. lauco da estrada da
Escada viste nao se haver marcado no crreme
exercicio quota para essa obra segundo consta do
citado officio que Oca assim respondido e a que
veio annexo o certificado que ineluso devolvo.
N. 208.Dito ao ebete da reparligo das obras
publicas.Mande V. S. fazer com loda a urgencia
os concerlos de que necessila o xadrex do quarlel
da Soledade, os quaes devem ser feitos com a so-
lidez que demanda o lira a qae destinado como
soleilou o general commandante das armas em
officio de 30 de margo ultimo sob n. 469.
N. 209.Dito ao mesmo.Rospondendo aos offl-
cios que V. S. me dirigi boffltem, sob Dameros
72 e 73, tenbo a dizer ao inspector da thesonraria provincial qae em vis-
ta do competente certificado, mande pagar aos ar-
rematantes da obra do agade do Limoeiro a im-
portancia da 1.* e 2.a prestaclo a qae tem elle
direito e ao da ladeira do Llvramento, na villa do
Pao do Albo, e a da 3.* prestago da sea contrato,
conoraae V. S. soUcKon em ditos offlcioe.
4- secglo.
N. 211.Offlclo.riExm. presidente da proviocia
das AlagOas.Pato s mos de V. Exc. para ter
o conveniente destino Dio so a ioclasa copia da
certido de nblio como tambem o auto de vistorla
feilo no cadver do sentenciado de jastiga dessa
provincia Bernardo Moreira da Silva, que fallecen
na enfermarla do presidio de Fernando no dia 13
de marco ultimo como participoa-me o reipeetlvo
coramaadante em officio a. 35 de 17 daquelle mez.
N. 212.Circular as cmaras municipaes de Ca-
brob, Oaricary, Saigueiro, Floresta, Plores, Boa-
Vista, Granito, Villa Bella, Garanhans, Burqoe, Ta-
carat, lngazeira, Bom Conseibo, S. Beoto, Brejo e
Cimbres.Para dar comprmanlo ao aviso circu-
lar d reparligo da agricultura, commercio e ebras
publicas de 16 de margo prximo Ando, sob n. 7,
rematla-me com urgencia a cmara municipal
de.....quaesqaer informagoes acerca do prego
porqae nesse municipio sao adqneridos os animaes
destinados a reprodocgo e transporte.
N. 7.Directora centralIa secgo.Rio de Ja-
neiro, ministerio dos negocios, da agricultura, com-
mercio e obras publicas em (6 de marco de 1807.
Circular a qae se refere o officio cima.Illm. e
Exm. Sr.Interessando ao ministerio a meu car-
go o conheclmenio do prego porqae oessa provin-
cia sSo adquiridos os aniones destinados a repro-
duego e transporte, compre qoa V. Bxo. pelos
meios ao seu alcance, cofha e remetta coto urgen-
cia a esta reparligo odas e quaesqoer Inforox'
noel Ignacio Gomes de Mello.
Espediente de secretario do goverao do dia 3 de
abril de 1867.
3.a seccao.
N. 218.Officio ao Exm. Sr. general comman-
dao(e das armas.-De ordem de Sua Exc. o Sr.
conselheiro presidente da provincia declaro a V.
Exc. em resposta ao sen officio de n. 469 de 30 de
margo ultimo, que nesla dan se expedio as con-
venientes ordens ao director da reparligo das
obras publicas para mandar fazer com loda a ur-
gencia os concertos do que neeessila o xadrez 4
qaartel da Soledade, como V. Exc. solicilou em
seu citado officio.
N'. 219.Officio ao commandante saperior de
Santo Anto.O Exm. Sr. conselheiro presidenta
da provincia manda declarar a V. S. em resposta
ao seu officio da-21 de margo aluno que acaba de
thesonraria provincial a pagar a Jlo
sais ero, produzir impedimento. Prescin-1D. Romualdo nos artigos explicativos do bre- j fterente3 nmeros do Diano de Pemnmbuco,
offertados pelo consocio Dr. Manoel de Figueiroa
com agrado, manda-se archi-
var
algumas festas que eram de preceitos neste i u'm dito da Pacaidadt e o Poro, offertado pela
Imperio. O mesmo se deve observar todas' jespectiva redacgso.Receido eom agrado, man-
ve pontificio da. 11 de junho de 1852, pelo ofertados pelo cons
qual o Sanlissimo Papa Pi IX supprimio F"li- ~ Recebld0
as vezes quefor impedida a dominga segutn- |aaTf "m*"
teaodiadoOrago. m do da Opm.a(,
dindo mesmo da le civil e nao attendendo,
se nao ao direito natural, para qae os es-
posais produzo os seus effeitos, cumpre
que sejam celebrados bem clara, explcita e
termtoatkemente, o que n5o se verifica no
caso presente, visto como tf fado de se apre-
goaremdois nubentes jamis se pode cha-
mar cotKrato esponsalicio propriamenle
dito.
Pela li civil entro nos, ainda qaerendo
admittir-se entre J... e a filha do
diente orna promessa reciproca de futuro
matrimonio, essa promessa nulla, como
distituida da. forma de urna escriptura pu-
blica, que a le de 6 de oulubro de 1784
ordena'. Ora dos esponsais nullos por qual tendo lugar o enterro, ao parodio dessa fre- j iioparagoaya.Manda-se archivar,
quer causa nao resulta impedimento algam guezia pertence dar a licenca e fazer aen- ...os^Dj; W'trovio Piato Bandeira, relatando a
Determinando outro sim o citado breve a
transferencia da festividade do Orago, -vis-
to que deve cantar-se, n5o a mssa cta do-
minga, mas sim a do Orago, qom rito e cor
impe- j proprias do mesmo, sem que para essa rau-
danca necessite o parocb.0 de licenca ex-
pressa do ordinario.
A' 3.* consulta respondo que, fallecendo
Nacional, offertado pela res-
pectiva redaegb.Recebido eom agrado, manda-se
archivar.
. DifTarentes ditos do Mercantil, offertados pela
respectiva redaeco, manda-se archivar.
m officio do Sr. consol portuguez nesta provin-
cia Dr. Claadiao de Araujo Guimares. aceitando
com reconhecimento a sua escolua de socio corres-
pondente.tateirado
Um ontro do Sr. Dr. Alfonso de Albuquerque
Mello cobriudo nm documento lacrado qae submel-
te a' guarda do Instituto, eom a clausula de somen-
um parochiano em freguezia albeia, e nella te ser aberto depois da'conclasa da guerra brasi-
e por Gohseguinte -nenhum embaraco ba
para o casamento de J... com M .. pelo facto
de ter o nubente corrido proclamasanterior-
mente para se casar com a filha do impe-
diente.
Devolvo-lhe pois os proclamas, o impe-
dimento e de mais documentos, afim Je
que V. Rvma. possa proceder ao casamento
dos nubentes, cojo impedimento julgo de
commendacao, percebendo os 2#360 reis,
que marca a tabella; e o parocho de quem
o fallecido era freguez tem direito ao officio
paroebial, se o mesmo fallecido est as cir-
camstancias que determina a constituico do
bispado. Em quanto s matrizes, s tem
direito esportula da cova aquella matriz
onde o corpo fr sepultado.
A' 4.a consulta respondo que, o parocho
nenhum effeito ; sendo que pode assistir ao do fallecido tem direito encommendacao
dito casamento ainda mesmo n5o lhe tendo rezada aos 20360 e ao officio parochial; o
chegado s maos este officio e os documen-
tos, uma> vez que pela publicacao do expe-
diente do bispado tenha conhecimento desta |
minha deliberado.
Julgo necessaria esta prevengSo attenta a
grande distancia em que est essa freguozia
a irreguliridad dos correios, e os males
que podem provir de urna prolongada de-
mora.
11
Officio ao conego Tranquil lino Cabral, la-
vares de Vasconcellos. Por aviso de 25 do
prximo passado me communica o Exm.
ministro de estado dos negocios do imperio
trem sido concedidos a V. S. por portara
da mesma data seis mezes do licenca da
cadeira de meia prebenda da cathedral de
Olinda com o vencimento da respectiva con-
grua, para tratar da sua saude onde lhe
convier.
Pelo que respeita a licenca que V. S;
pretende alcacar como lente do seminario
episcopal, declara o mesmo Exm. ministro
que dpva-observar-se o disposto nos artigos
lO-era do decreto n. 3,OT* do 2 de abril
de 18G3, isto deve V. S. requerer-me,
visto serem taes licengas da attribuicSo do
ordinario da diocese.
Dito ao apontador da cathedral,Por por-
tara imperial de 25 do passado, forano con-
cedidos ao Rvm. conego meo prebendado
dessa cathedral Tranquilino Cabral Tavares
de Vasconcellos seis mezes de licenca com
o vencimento da respectiva congrua, para
traiar de sua saud oude lhe convier; o que
participo a V. S. para os fins convenientes,
devendo o mesmo Rvm. conego communicar
a V. S. quando entrar no gozo da licenca
obtida.
15
Officio ao vigario da freguezia de Sabu-
gy.Tenho presente o seu officio de 25 do
prximo passado, em que V. Rma. me con-
sulta sobre as seguintes duvidas:
' 1.*Se eou lempo de quaresma ou do
advento podem ter lugar os casamientos de
viuvas, sem licenca expressa do Ordinario,
visto nao haver em taes casamentos heneaos
nopciaes.
2.aSe, quando a festividade do Orago
da freguezia for transferida para a dominga
seguate, e esta dominga for previlegiada
por ser no advento, a transferencia d di-
reito a usar do rito do Orago, ou se
prevalece o da dominga e se necessario
aulorisaco do Ordinario da diocese, para
se mudar o rito.
3.a Viado de passagem um parochiano
de urna freguezia, e acontecendo morrer
em outra, quantos e quaes sao os direitos
que pertencem ao parocho do morto e sua
matriz, e quaes e quantos pertencem ao do
lugar em que morreu.
4.*Quando um' parochiano morre em
sua propria freguezia, porm vai enterrar-se
autorlsar a thesouraria provincial a pagar a
Francisco Mooteiro os vencimentos consumes dos Um freguezia alheia, quaes e quantos devem
prets qae em duplcala viera annexos ao seu cr .a ne ^irQ;tn, Aa nm a lia nilrn ,rrt/.wn n
lado, officio.
N. 220.- Dito ao Dr. Luiz Gongalves da Silva.
De ordem de Sua Exc. o Sr. conselheiro presi-
denta da provincia accaso recebido os offlcios de
2 e 27 de margo em qae V. S. participou ter sido
o terina mente oomeado promotor publico da co
marca de Goyanna o entrado em exercicio no dia
28 de fevereiro ultim.
parocho da freguezia onde se sepulta n5o
tem direito a cousa alguma, salvo ha vendo
solemnidade na sua freguezia, pois qoaado
houver encommendapo solemne pertence-
r toda ao parocho onde ella tiver lugar.
Emquanto s matrizes, aquella onde mor-
commisso de admlsso de socios, faz a leltura de
um parecer cuja votago adiada para a prxima
sesso.
O Sr. Dr. Amaro de Albuquerque, thpsonreirodo
Instituto, aprsenla a quautia de 1:7840070 prin-
cipal e juros v cidos no Novo Banco de Pernam-
buco pelo capital all depositado, em conseqoencia
da deliberagao anteriormente lomada pelo Institu-
to, consultando entao o mesmo thesoureiro qual o
destino que deveria dar a referida importancia,
urna vez que no Banco Ioglez s se tomavam di-
nheiros a 4 %.Deliberou-se qne fosse recolbida
ao mesmo banco em conta correle por tres me-
zes.
O Sr. Dr. Witruvlo Pinto Bandeira, relatando a
commisso de fondos e orgamentos, faz a leilura do
seguinte parecer: ,i9>
< A commisso de fundos e orgamentos, apre-
ciando o balancete do 1* tremestre do anoo acad-
mico vigente de 1867 a 1858, a presen lado pela the-
sonraria deste Instillo, eoi camprimento do dis-
poslo no a;i. 18 dos estatuios, verincou o seguinte
t 1." Arrecadoo-se a quantia de 125^000 qae,
reunida ao saldo em cofre de 3200220, prefaz um
total de 46022O.
c 2.* Despenden-se a importancia de 2630020.
c 3.a Ha en caixa por saldo a somma de ris...
1820200.
< A commisso eulende que, na especialidade,
deve resiriogir-se apenas ae qua tica cima con-
signado, urna vez que os balancetes tnmensaes tem
reu Dad tem direito a COUSa alguma, aquella movimento do cofre no referido trimestre_:
onde se enterra tem direito cova. Se hou-
ver solemnidade pertence a cera aquella ma-
triz em que a solemnidade tiver lugar.
Passando agora ao 15. e ultimo quizito,
respondo que o parocho tem o restricto de-
ver de desobrigar os seus parochianos, e
por conseguinte de ir a todas as fazendas da
sua parochia, nao podendo de modo algumj por fim tai smente,dar conta do estado actual do
ficar ao seu arbitrio o escolher antes estas do
que aquellas ; e quanto aos 2 da tabella,
pode recebe-los ou deixar de os receber
como lhe parecer melhor. Sera na'verdade
mui fcil a admnistraco parochial se um pa-
rocho ficasse isento de cumprir os seus deve-
res pelo simples facto de nSo querer receber
os benezes a que o cumplimento desses
mesmos devares, lhe d direito.
E' isto o que tenho a responder s con-
sultas que V. Rvma. me faz pelo seu citado
officio.
cofre a mesa administrativa ; o que-Oca manifest
e resulta das suas capitulares.
t. Sala das sessoes do Instituto Arcbeologico e
Geoerapbleo Peraambucano, 18 de jnlho de 1867.
Witrwio Piulo Bandnra.=?arias Neves.i
t Anno acadmico de 1867 a 1858.Balance de
recolta e despeza, verificada no Ia trimestre de
abril a junho de 1867.
Rtceta.
Mensalidades ....
Rendimenio da revista.
Jolas de socios corresponles
Dflnnsitn nn Rinoo .
Saldo de 31 de margo. .
- *
..,
900000
50000
300000
i-.690#nvi
3200220
DIARIO SE PEBNAMBUCO
COVERNO DO BISPADO.
SED VACANTE.
Expediente de dia lOdejulhi de 1867.
Officio ao vigario do Ex. Com o seu
officio de 8 do prximo passado veio-me
as mos e impedimento opposto por F ..
ao casamento de J... cota M... impedimen-
to firmado em ter O mesmo J...,, por ,Qma
carta que tenho vista, pedido em casa-
mento a filha do impediente, ter corrido
banhos para com ella casar-se, haver apra
sado o dia do casamento, ter mesmo se en-
tendido com Y. Rvma. sobre os papis ne-
cessarios para o mesmo casamento, e depois
p'OrV $uggest5es estranhas, Uaver rescindido
o contrato, e posto outros proclamas para
se casar com a actualmente impedida, sem
que para tal fim se entendesse com o pai da
nubente repudiada. Entende V. Rvma. ser
isto impedimento,.e m'oremette para que
eu delibere cmo for dejusca ; ao que
passo a responder.
A carta que tenho vista pedindo em
casamento a filha do impediente, a primes-
sa do impedido, os proclamas corridos, na-
da diisopode ser consideld como espon-
sor os direitos de um e de outro parocho e
das respectivas matrizes.
5.aDizendo a tabella dosjiireitos paro-
chiaes que as freguezias do serto, indo o
parocho desobrigar s fazendas de gado,
ter por cada urna 2#000 rs., pergunta-se:
se o parocho tem restricta obrigacSo de ir a
todas as fazendas de sua freguezia, ou se
deixando de ir, tem por isso responsabilida-
de, urna vez que nao queira perceber os 20
rs. da tabella.
Passo agora a responder a cada urna des-
tas consultas.
Sobre o l. quezito respondo qne nem na
quaresma, nem no advento nem em tempo
algam do anno sao prohibidos os casamentos
quer de viuvas quer de solteiras. O qu a
igreja prohibe na quaresma e no advento s5o
as solemnidades, como declara a constitu-
cao do bispado, isto prohibo receberem as
bencos nupciaes ; e a dispensa do impedi-
mento do tempo que costume sollicitar-se
do ordinario da diocese, para poderem
os contraheotes receber as bencSos nopciaes,
e nao para se casarem.
Passando ao 2. quezito, compre em pri-
meiro lagar ter em lembranca qae das do-
mingas do advento, s a primeira se consi-
dera privilegiada; pelo que, se o da do Ora-
go can r na semana anterior primeira do-
minga do Advento, transfere-se a festivida-
de exterior, nao para essa dominga, mas
para^ seguinte, isto para a segunda domin-
ga do advento, como declarou o EiavSr.
Reeife, 19 de julho de 1867.
Chega-nos ao conhecimento, qae propalase ha-
vermo-nes negado a' publicagSes polticas, fechando
assim nossas columnas mesmo a' defazas particu-
lares, que se prendera todava a ideas de par-
tidos.
Taes argoicSes sao classicas entre nos, ja nao
desconhecido o como ellas se geram mas ainda
assim, na actaalidade, nos cumpre nao deixa-las
sem a devida recliScagio em seu correr absoluto
na opinio publica, afim de qne esta se nao des-
vair em seu aprego aos tactos occorrentes, e possa
por tal forma moralisa-los devidameote com cien-
cia da fonle originaria dos mesmos fado?.
Na posigo de imprensa livre e independente,
temo-nos collocado na altura de urna imparcialidade
completa era relagio s publicagoes que fazemos>
sem attengao a partidos, dando assim desenvolvi-
menlo e realidade pratica as raas que estabelece-
mos ao nosso vi ver jornallstico, segando deixmos
consignado em nosso artigo edictorial estampado
no Diario do comego deste anno.
Nesse campo de liberdade que em garanta ge
ral abrimos e seguimos em nossas columnas, nao
assumimos no entretanto a responsabilidade dsa
punlicagdes, e nem somos solidarios das suas
ideas; mas, sem embargo disto, flea-nos sempre a
responsabilidade moral resultante da publicacao ;
e assim, no intuito de que esta nao pese sobre nos
de modo fulminante, temo-nos feilo o direito de
no deixar cabirem as discussSes em terreno im-
proprio da digaidade pessoal dos contendores, po-
rfiado destes gravldade, decencia e respeito em
sens escriptos.
esta sem duvida a misso da imprensa civi-
lisadora, e da pratica d'ella nenhum mal pode re.
saltar, e menos a argulgao de achar-se (echada a
imprensa por este on aquello motive, mais ou me-
nos ignobil, conforme a pbantasia de quem qur
qae espalha o boato.
E sera' isto imposigao ou denegagao de dar es-
lampa artigos quaesqner que sejam ?
Nao o e nem isto temos praticado.
Seja a censara, seja o louvor em termos conve-
mentes, venba urna ou outra de quem qur ue
lor, e va' alcangar a quem qur que seja, tera' es-
pago em nossas columaas; pois o que at hoje
temos feto sem discrepancia.
As denegagoes, que correm a' nossa conta, nao
lem razio de ser; sao creagSes que nio podem
vingar em presenga mesm do nosso Diario, que
abi corre, e um protesto inequvoco da nossa ira"
parcialidade.
Despeza.
Expediente e objeclos para a secre-
taria..........
Ordenado ao amanuense ....
Gratificando ao continuo.....
Porcentagera ao dito. ......
Impressao da revista. .....
Deposito no Banco......
Saldo em caixa........
2:0630229
4400-20
730000
130000
230000
1040000
1:6300000
1820200
2:0650202
PEBNAMBUCO
REVISTA DIARIA.
Reunio-se hontem o Instituto Arcbeologico e
Georraphico Pernambucano, sob a presidencia do
Exm. conselheiro monsenhor Munz Tavares e com
asslstencia dos Srs. Drs. Soares de^evedo, Nasci-
ment Feitcsa, Cnnha Figueiredo Jnior, Cicero
Peregrino, Wltravio Pinto Bandeira e Amaro de
Araqaerque, padre mestre Lino e major Salvador
Henriqae, achando-se presente a sessao o soe*>
respndeme Rvm. vigario.Firmjno Jote de
redo. jE^
O Sr secretario perpetuo d coaja' do
guinte : '''-,
f
se-
-
.
Tbesouraria do Instituto, 30 de junhs de 1867.
U thesoureiro, Amaro Joaquim Fonseco de Albu-
querque.
A' imn/imir.
Em seguida o Sr. Dr. Nasciraento Feitosa manda
a mesa o seguinte requerimento :
c Requeiro que a commisso a quem competir, ou
outra qne for para esse fim nomeada, examine com
urgencia, as causas qne tem embaragado a publi-
cago da revista do Instituto, e indique os meios
de remover aquelles embaragos, em ordem a que
se cumpra esse importante devar para com a pro-
vincia, e para eom os socios.Dr. Feilota.
A comoiissao de revista.
O Sr. major Salvador Hearique obteve a palavra,
declarando que em investigagoes suas, procedidas
em varios archivos pblicos, encontrara por ultimo
alguns documentos de summa importancia histri-
ca ; e dos mesmos bavendo tirado copias para of-
ferta las ao Instituto, pedia permisso para t-las ;
a qual obtida, precede o mesmo Se. a leltura de
algumas dessas copias com as seguintes considera-
g5es philosopbicas em illuslragao da materia :
t Tive debaixo das vistas cinco copias do testa-
mento e dos 2 codicillos feitos por Andr Vil al de
Nagreiros; o testamento em 14 de maio de 1678, e
os codicillos um, em 9 de Janeiro de 1680, e outro
em 27 do mesmo mez e anno ; seodo a abertura
desse teslameuto e codicillos, efleciuada no sea ea-
genho Novo de Golanna no dia 13 de fevereiro do
dito anno de 1680, em qne elle fallecen.
c A primeira dess coplas encontrei no traslado
da seBlenga civel de appellagao qne a sea favor
obteva da relagao de Pernambuco a Santa Lasa da
Misericordia de Lisboa, relativamente a admnis-
traco da capella de Iiamb, e as ontras qualro en-
contrei em oertldSes passadas em differenles po-
cas, duas a requerimento da Santa Casa de Golan-
na, e duas requeridas pela Santa Casa de Lisboa,
entre as quaes bonve grande qaesto em jnizo,
sobre a administrago da referida capella.
c Todas esus coplas concordara em dizer qae
Vidal de Negreiros gavernira Perpamouco por
tres vezes, e que lora alcaide-mr das villas de Ma-
notea e Qeiras \ mas as oulras duas copias da es
crlptura de instituigao e dogo da capellada Ilam-
b feta pelo dilo Vidal, que tive entre raaos; eu
II qoe elle Haba sido alcaide-mr das' villas de
Marialva eMoreira, e tambem que tioha goberna-
do Pernambuco tres vezes.
< Jos Beroardes Fernanda! Gama, Tom. 4a de
suas memorias da' smente dous goveraos de Vi-
dal em Pernambuco, como se v nesse mesmo Tom.
pag. 16 e21, Vidal, saccedendo a Brrelo de Me-
nezes, em 26 de margo.de, T637, entregoa o gover-
no a Bfo Freir no dl 25 de Janeiro de 1661; e
entrando no segundo go'v'rdd em 24 de Janeiro de
1667, entregou a slo successot no dia 13 de junho
do mesmo anno ; governandd apenas cinco mezes
incompletos. -.,,
c Seghdo a ordem cbronologica era que as
Memorias Histricas se-aeham os governadores ;
nao poda Vidal de NeflWros gveroar Pernam-
buco terceira vez ; entreunto as cinco eeplis do
sen testamento a qoe ma reDro, e as Otilada es-
criptura de insutulcao, aalnnam .qua elle (Ora go-
Ternador de Pernambuco tres vezes.
k Tres govarno* foram-lne com efJetto concedidos
pelo ret de Portugal, cerno dlx o mesmo Fernandas
Gama e outros historiadores, os quaes eOectuaram
em Pernambuco, Angola e Mmriawo; sendo que
ntsia provincia, coeao j se vio, elle governa'ra
tegunda vez mais cinco nmes, com o interva-lo d*
seis nnos de nm a ontro goverao.
t A qnera devenios dar crdito, ao catfcatogo dos
govermdores sscripto ms Memorias Histricas da

3
a
v_




*
I
IJl
Pernamboco, oq ios copistas
Vidal f


do testaseato de
Destos pistas i o primeiro, qae fojo tobe I- Rrojia Mara o'segaiote:
lio Feli* Gomes Franco' na cidade da Paralrtba*
em *7i'8, to o proprios origfnaes qne Ihe foram
apreseotade or M ib I ai Vit da NgrMS, -re-
gistrando aquelle labelliao o referido testamento e
codicillos no sea lino de registre, d'oade ib ex
trahiram as cerliddes qae em do mencionados
actos de sentenea civel de appelhtelo de qae cima
falle; os mais cmgiram-M copia leste registro e
a cepias de copias.
c O testamento de Vidal (oi escrlpto por seo
proprio pnnbo, como di ella ao terminar o mesmo
testamento.
c Nao poda poli o tabeUiao enganar-se coa
palavra duas soppoado qae en tres ; at porque
oaqoelle tempo maltas pessoas escreviam a letrat,
com o corte na parte inferior da hasle T E' o qne
presnmo; pelo qae doa mais crdito ao cathaiogo
das Memorias Histricas de Pernaujbuco, organi-
sadnnvtsta iVdoeamentos da secretaria degover-
no e da thesouraria de lateada: osee sea autor po
de verificar as datas que all vem em orJem cbro-
nologica.
< Qaaaio a discrepancia das daas copias da os
criptura de insinuicjio, qae dem ter sido Vidal,
alcaiae-mr das villa de lisfialva e Moretra, e
das cinco copias do testament, qae todas fallam
das villas de Marmlva e Otiras ; parece- me qne
deveroos seguir antes estas, qae aquellas coplas ;
perqu neste caso mais fcil seria o engao do ta-
twiiiin qne lavrnn a escriptura de institaico, qae
odopiopno Andr Vidal deflegreiros fallando de
si; vt ubj (oi elle mesmo quera, escreveu o sea
teslamwite, .como cima disse.
i No refundo testamento e logo em principio An-
dr Vidal de Negreiros diz o seguate :
, < -Declaro que son natural da cidade da Para
rahyba, filbo de legitimo matrimonio de Francisco
Vidal natural da cidade de Lisboa, e de Calhartna
Ferreira natural jjo Potas Sacio, 05 qaaes sao fal-
lecidos da vida presente.
c Mais adianie, designando elle o lugar de sua
sepultura iit
Men cofpo sera' sepultado na miaa capella
deNos&a eohora do Destarro sita nos meas cur-
raes, ou na miaba do Eagenno Novo de Santo An-
tonio de Goyanoa. >
Dando outras disposlc5es diz mais :
Estando na Pambyba, meo corno sera' enter-
rado no convento de Nossa Senbora do Monta do
Carmo* oa epultura onde esta' enterrado mea pa
Francisco Vidal e minba irmia habel Ferreira de
Jess.
as dua* copias da escriptura de instituido da
capel,la d {jamb oocontra esta determinado :
1 E :i-.h! mais, ijuer e ordena elle doador qae
se diaam cinco capellas de missas, eraquanlo o
mando durar em cada uta acno, a saber, duas ca-
pillas alias duas pula alma de seu pai Francisco
Vidal, e duao pea alma de sua mai Isabel Ferreira
de G6 s, e t'\\ cincj capellas i? .o:-ss: 3 s? r>;i;-
tiro pelos tac :rcotes, ele.
* Temos p manto entre as copias da escriptura
e as copias do testamento, mas esta iacoobereacia
de nomos.
< No testamento, declara Vidal por saa mai a
Calnartna Ferreira, e por saa irmaa a habel Fer-
reira de Jess; na escriplara de institaico ordena
que, se digam daas capellas de retesas pela alma
de saa mai Isabel Ferreira de Ges.
Si attenderraos qae, o primeiro instrumento
- -. -- :'"
- fclari le Pfrunrt fUua
---&W*
Gommanicam-nos o seguinte :
* S.r" 8^*?1*1"' f***' faTor d* Pobliear em sua
wfe
ele luiko de 186?.
*h
pois qae iosapportavel o mofe piros?
mente se'esta lazando a illumiuaoao publica e par
uoelar. Todos clamam qae o gas ron lampari-
A abas das atravessando do Recito para o na; as reelamacSes neo sao attendida* senlo n
Cawpo-das Priocezas, pela pontenovg, nao repa- annunclos, e na reeepto dos compete*
raido neil urna peroa en om dos diversos bnra- competentes cum quibus. Queira o Bi supret
eos qae por fortuna, apenas sofJri daas conmines, llsfazer a esta verba testamentara em honra do
qne me privam aiada poder andar calcado, por progresso.
lsto para qae oalros casos nao aparecan; rogo a Por occas|5o de tratar-se oorcaaento a osee
qaem competir, qae atienda ao pabltoo e ao sea da honrada salla (qae, sendo mesa como as outras
bera estar, mandando facer os cooeertos do estiva-, coa tuda a qae mais emendas leva) assemetn
es
inome
ment, com que muilo ganham os milnares de in-
dividuos qae por elle transitara.O offendido.
RBPAETigA.0 DA POEHBA.
Extracto das parles do dia 18 de julho de 1867.
Foram reeoibldos i casa da detencao no dia 17
do corrate:
A' ordem do subdelegado do Recite, Candido Lo-
pes de Oiiveira, para reeruta ; Jaclnlba, enerara
de Alfonso de tal, para crretelo; e lobo Cran-
fsrd, ingles, a Feqoisicio do respeetivo consol.
O cnete da 2 secgao, 7. G. de Mesquila.
Casa di detenqao :
Movimento de dia 7 de jolbo de 4867.
Existiam 329, enlraram i, sahiram 9, exlstem
324; a saber: naclonaes 227, malberes 7, estran-
geiros 27, malheres 3, escravos 56, escravas 4.
Total 321.
Alimentados a casta dos cofres provinciaes
229.
Movimento da enfermarla do dia 18 de Jaiba.
Fallecea:
Manoei Basilio de Ohvelra.


a
-1
A tres ultimas semanas da as-
scmblea provincial ( 10.a. Ha
e 12.*)
Submettendo se imperiosa influencia daaetna-
lidade, o potUetro Itgou os trabamos das tres ulti-
mas semanas, e vai sobre etles, na forma do cos-
tura?, fazer algamas ligeiras considerares.
A pouca regularidad*, qne tem havido na publi-
cacao das semanas do ponieiro, tem naturalmente
dado lugar a supporem, uns que nao aerara corda
ao relogio, oatros que o ponieiro se acba ligado
com o mostrador, e tal vez que tenba tambem entra
do na cachola de dous articulistas, um do Jornal
do Reeife, e outro do Dtano, a idea de que os seas
arligos pozeram o ponieiro era coavolsoss, e Ote-
ram-no parar no seu costamado giro.
Mas, varredo do espirito dos iliastrissimos arti-
colittan ess idea engaadora, se qae a nutren,
o ponieiro declara a seas amaveis leitores que o
muiivo mais motivad' do sea retardamealo ten
tido a ie.:nnranca do prosimo encerramento da bon-
rada salioba.
Nu,: iem ;:t.; a d crao d; trhteii, e -mi s-r
acba possnido o pobre ponteiro pela infallivel au-
sencia de lo engranada rapa.iaJa, algans dos qaaes
flzeram agora o seu filamento deixaido as respec-
tivas cadeiras em legado ssintos mais feliies.
E' verdade que esses n5o vollarao, por qae a yii-
gem para o parimro cheia de dlfficuldadrs; mas
ninguem atiribuia isso falla de reputado e de
morit), por qaanto a meilior recommendacao, que
pode Ur qual^aer iadividao para ser depulado
ranstear-se baldo de faes qualidades e ebeio da pro-
w cia, a qoera deede maito aonos est eommettido o
oi escripto plb proprio Vidal, e o segundo por uccao da raurto alta 9 raoito poderosa *r.* D. PoH-
am nb-iliSo qae era mais fcil o engao deste e-
dos mais copistas, veremos a ratao pela qaai se'
apresenta seraelhaote inceberencia.
Deve-nos porlanto merecer mais crdito, o
que nos assevera o testamento da Vidal em todas
as 'anas copias qae neste ponto sio conformes, de
qne o qtrenoi diiern os doas copistas da escriptu-
ra de insilu"ao, que alm da troca dos oomes da
mi-de Vidal pelo da irmS, artera neste.onome
de Asas, iavertendo o para o nome de Get,
t Msstrarei agora ontra incoherencia acerea do
numero de capellas de missas qe no logar citado
da escriptura de instilulco, ordeooa Vidal que se
dissessem por alma de seos pais; pois qoe sendo
ellas cinco s all se fax a distribnicao de quatro
sem applipacSo da ultima.
t Na copia dessa escriptura qae li oos autos de
appallacio civil e no lugar citado, observa-se
alias duas adiante da palavra duas ; repello
occiosa, a nao ser para substituir a segnnda pela
palavra tres, completando asslm o numero de cin-
co capellas de missas qae-Vidal ordeoava; tres
pela alma de sea pai e dras pela alma de soa
m5i. Isto o que me paree mais exacto.
t Entre estes autos-e traslados de senteneas e
cerlidffes requeridas pelas partes litigantes, encon-
trei, alm dos inslramenlos ja' citados, outros do-
cumentos que me pareceram ue aitsom **ior his-
trico; e copindoos, aqoi os apresento e oflerto
ao Instituto, pedindo permisso para faier leitura
dnos.
t ao todo sao oito os documentos a que me re-
ro:
Eserintura de institaico do vincalt de Itam-
b, datada de 12 de maio- de 1678.
< Testamento e codicilbos de Andr Vidal de
Negreiros, aquelle feilo por sea proprio paoho em
li de maio de 1678, e estes arabos era Janeiro de
1680, feitos por tabelllo.-
Provlsao de 2 de Janeiro de 1679, pela qual o
! bisno de Pernarabuco O. Estevao brioso de Fi-
gnelredo, eleva a capella de Itamb a freguezia.
t E-criplura de revoga^ao qae fez Andr Vidal
de Negreiros, da nomea;ao de 2 administrador da
referida capella, substuniodo-o por ootro, em 9
de Janeiro de 1680.
t Carta regia de 6 de Janeiro de 1681, em qae o
rei de Purtugal, conbrma a elevagao de Iwmb a
freguezia.
t-Informaco de 11 de abril do 1751, dada pelo
provedor de residuos e capellas da Parabyba, ao
rei de Portugal, sobre a petico do-padre Manoel
Ferreira, qae pedia ser empossado na administra
cao do vtncaio de Itamb.
i Se a importancia deseo mea trabalbo, nao cor-
responder a esperanca do instituto, *irva-me de
desculpa'mlobas-boas intenijSBS. -f
Sala das sessoes do Iostitato, 18 do jolbo de
1867.Salvador Henrique de Alboqaerque.
O mesmo Sr. continua inscripto para proseguir
na leitura de tats documentos, d*pos de lr a es-
criptura de instttuicao e doaco S tinclo de
Ilamb por Andr Vidal de Negreiros, e aprovisSo
episcopal que eregio a capella desta deoominaeo
em freguezia independenle da de Goyanna.
E levanta-s a sessao.
O numero de recrulas e designados da guarda
nacional remanidos para o sal no vapor Sania Cruz
oi o do 99, a saber: para a armada 11, ezercito
0. designados 28.
S. Exc, o Sr. baro de Villa Bella tem feilo se-
guir com destino a guerra no corto prazo de dous
mezes 329 bumens entre recrutas, designados o
voluntarios, sem que para isto conseguir precisasse
empregar rigores escusados.
Foi exonerado a proprio pedido o Sr. Ge/aldo
Gomes dos Santos da subdelegada do 1." disiricto
de Ingazeira.
O Sr. Joaqoim Rabello Pessoa de Brito foi
nomeado 3 o sapplente do subdelegado durau
da S de Oimda.
Pot promovido capillo do batalbo n. 29 da
gasrda nacional do municipio do Garanbnne o Sr.
Pedro Ttieotortio de Sa Cavalcanti.
Hoje eetebra-se a restividado religiosa de S.
Vicente de Paulo, na capella do hospital Pe-
dro II.
Hoje ba tnspeco de sade do 2> batalhSo
da guara nacional deste municipio, no consistorio
da matriz de S. Jos.
Por ser boatem o da do 26. aniversario da
coroaco e sagragao de S. M. o Imperador, estive-
ram embandeTrados os navios de guerra e estagSes
publicas, salvando a fortaleza do Brum 1 boia da
tarde.
Hoje a companhla franceza des Btuffes leva %
scena no nosso 8anta Isabel pela 1,* vez opera
em 4 actos Orpbo nos infernos composijio
de .Hctor Grmleux o msica de Offenbacb.
Maltas vetes j tem o nosso publico apreciado
devidamente as melodas de Oflanbacb, qae agra-
dara a todos; e, pois,' de crer que bolo o nosso
Santa Isabel regorgite de povo qa Ta"ouir. ama
das mais bellas composigoes do'eximio maestro.
Amanba estar a disposicao dos interessados
urna porco de barros mansof, no largo da matriz
da Boa-Visu.
Amanhaa trabalba a eompanhla dramtica no
notao Santa Isabel em aeatficio da sympatica actriz
a Sra. D. Carolti* Paleo.
O emetaeMe escoibldo e variado, setB dn
vida ha de agradar. Consta elle do drama O
argim de fi|h *PPiandWo peio naeentwblieo, di seena-nornlca-
A vsdmio aetm peto aTtrtci, da comedia
jnVM9- *? f fogai- e flutoen-
l3uJrL0 terC8lro aeto*>ortt,aWaan
pela Sra. Falco.
E' espectculo este que per si mesmo s reoom-
monda, e, pois oem mais ama palavra aecrescen-
u renos.
trabaih.i de normar os representantes do povo buoj
hilena satisf'iqao da eorporacao eleitgraU
Se os dignissimos se lembrassem do3 sorTrimen-
tos do ponteiro, no caso de nao voltarem na pr-
xima legislatura, por certo qae iriam todos aos ps
d-i D. Poluta allegar o'eslud) nervoso do penliro
e manifestar cada ura soa. natural sensibllidade
para com esse oorapanhero fiel de suas vidas le-
gislativas e modo apreciador das Innocentes pa-
totas.
Se dependesso do ponteiro mudar o proposito dos
digatssimos, elle o faria com tanto melbor vontade
quaeto lbe parece imposstvei ver reunidos em um
s lagar 39 erealuras de qaalidades e aspectos tao
variados.
Poneos hornees, alguns rapazes o muitos meni-
nos ; calvos e cabelludos, grandes e pequenlnos ;
direitos e torios; falladores mudos -, formava todo
isso ama bella galera (re curiosidades, com que o
ponWro j eslava acostumado, e de qae realmeolo
se recordar cora iq isivsl saudade.
Em flra caa a pesad) mo do destino sobre o mi-
sero ponteiro ; mas permtam as caberas e cuiam
bacas do progresso que a honrada satioha concor-
ram na. fotura renmio os melbora especimens
para honra da provincia, e consolagao do ponteiro.
aioui a* primeira prorogagao de 13 das brave-
ra m mais duas, sendo uma ae quairo e ontra de
dous das. Em todas ellas correram as cousas a
mil maravilhas. Odignissimos aproveiuram tem
todo esse tempo.
Os compromissos de irmandades entraran na or-
dem dos irabaibos; e nea era de esperar ontra
cousa degenle tao eligiosa que nao larga va das
raaos o manuaf da nova rt\igwo cathokea, recente-
mente publicado, qti qual se ensina a abominar o
Deus velho e a acreditar em Dm moco, doctrina
que n5o est la mofto de accordo com a consti'.ci-
gao do Imperio,* meito menos com a crenca de
todos os povos chnstos, segundo parece.
O ponteiro nao desconhece a utidade das irman-
dades, por que isso seria negar a necessidade do
culto elterno, qae elle sustenta ; mas nao pode es
quecer-se de qae esssas irmandades proporcionara
telas a' gordos mamadores, que fazem com os san-
ios um contrato (bem entendido, presumlndo o
consentimento d'estes), e Acara tanto ou mais ri:os
do qoe as mesmas irmandades. Nota-se que as ir-
mtmdades pobres nio tem qaem olhe para ellas ;
as ricas porra, ob I essas agucam a piedade, e
desenvolvera o mier espirita religioso.
As irmandades das almas' do Reeife e de S. Loa-
renco, s ordens tereelras de S. Francisco o de
Nossa Senhora do Carmo, etc., etc., etc., quactos
procuradores nao dem ; guantes nao se interessam
pelo sea bem estar o prosperidad^ TI I Mas essas
tetas nao cabem em qnaesquef boceas ; sement
pdeos ser sugadas por labios gtossos e bem grossos.
Ora parece ineontestavel qoe esse eoslume de
subentender oa presumir a vontade dos santos para
eom elles celebrar contratos nao muito conforme
tora as eossas ideas religiosas e nem tao ponco
eorn o cdigo criminal, qae estigmitisa de algum
modo esses contratos de nova especie.
A lei do orcamento vio a luz do dia teodo para
spreciar-se o anidado, o dlseornimento, o criterio,
com que, procedern! os dignissimos a respeito ;
de molo que ja ha uma extraordinaria despropor-
c3o entre a recolta e a despeza ; ja' se sabe ; esta
viaja la' pelo Ourtenry, ao passo qoe aquella ape-
nas se acba as escodas da ussemblta 1
Bem dase o ponieiro na sua pnmeira semana
que d'esta feia cao Qcaria prente pobre e era
amigo necessitado. Todos os Interesses foram at-
tendidos. CreacSes de reparttcOes e de empregn?,
aogmeatos de ordenados, e de gratifleaces, abata,
indemnisacScs, etc., etc., nada ficoc uo es^ueci-
mento.
Abates e indemnisares I Ha quera diga qae em
face da lei a assembla provincial nao pode fazf r
d'eslas grabas ; sendo qae por essa razio sao nani-
tas vezas as resolucoes reenviadas pelo El-Sup-
premo ao honrado coogresso com a recamtnenda-
5S0 de qa deve tomar' jutze e nao continu a tom
se a orna verdodeira mesa de banquete; a qoal se
ebegam todos os digaissimos para trincharen! a
gorda carne do ibesoaro, tirando os mais expertos
o melbor podaeo. E" am gosto ver a dextreza, coa
qae ellas se movera, o a alegra, qae translaz em
sens semblantes I E at o ponteiro Sea tSo inters-
sado no banquete qae perde o modo de andar, e
m no pendro, disse-iue con ares ser fidlgo, anda que do caroco preto; e
W. t elS'ofaV. Bc em W<> ^ de PrPSto' Jra ^erU
&m nome dos empregados deatt casa, vinganfa como elle proprio tem a fraqueza
ajbo de ver em minba repariicao um confe?sar, (t2o besta .) Esta auloridaae
ola a ai- tire o atrivimento e a pitolanfa escrever
moradeira,
seclos antes da descoberta do Brasil.
Sr.; sendo o tronoo ttosta linaagim o
e II (*), que, rSW V. Exc. sabe, era
nenhuma outra odalgnto se pode con
parar con a de V. Eze. seno a qae procede dos
Srs. .rois, que derramaran) a rastaa pelas familias,
que aepiranm honras. E' de laaaeniar, senbor,
que V- Ble. nao tenba querido fazer valar os seu
mulos de benemerencia, publica a-do a saa etrvors
g.'nealoaiCM como lm feilo ot descendentes dos
reaes parados com grande regosijo e gloria da
valdade humana.
nao sabe si alrata-se ou adiant se, todo eogoldo 1 Uso, porra, nao obstoa ^ncfossom agora re-
no prazer de ver os convivas pnraTMlo-e eew*, coobeeidos os seas direitos e devldamenle aqulla-
urubus sobre crnica 1 lado os seas servig>s pelo progresso, qae feliz-
s dignissimos zeram o diabo cora o pensionato mente nos rege. E, como me compre conservar
agrcola. Prometieran) duas loteras do 120 cootos sempre no devido asocio a nobre habitacoo de V.
cada nma, flzeram passar o projecto em 2a discos-1 Exc. flz vir da heroica Olinda am fidatgo de orgem
tac, engaando assim ao bacharel Maaoel Firmino, eleiteral para oceupar-se do ser vico do sea pala
que ja' contava com a reatisaco do sea pensamen
to, e aflnal em am bello da oa 3a discossao, do-
rara com o projecto em vasa-botris, o la' se (orara
os castellos do doutor o as esperances da agricul-
tura 1 Qaanto nao seriam coherentes os dignissi-
mos se acabassem com todas as loteras 11
Creoa se ama cadoira de francez para o tozo fe-
minino. Pasto ano a respeito desta cadelra nada
dissesseo ponteiro, o* itiasli ssimo articulista do-
Jornal do Reeife, do qaem fallamos no principio
desta noticia, enlendea qae devia imaginar um
juizo do ponteiro contrario a essa cadelra, e Oln-
ee-lhe algunas chufas importaodo-se al com a
saa loneta. E' muii exsltaco da imagina$ao honrado articulista ligurar o ponteiro fallando con-
tra a cadelra de francez s para ter o gostlnh) de
dizer que Oagellou eom a sua censara a ara peda-
co de metal, qae enr^e giro nao mostra seoo a
verdade,- pelo que, como natural, desagrada aos
fabricantes de patotas, aos afllbados e aos qoe as-
pirara a posigao de padrinhos II
Anteclpou se o juizo do ponteiro porqae se acre-
dltava (e com razio) que elle seria contrario ao
provfraento da adeira em qnem nJo sobesse
francez. Mas deve-se reparar bem qae o psnlsvro
nao se cppoe a creagao de cadeiras qaando ellas
sao necesarias ; pelo contrario adopta e loova
raoito o desejo de derramar a instraego por ta^as
as cjasse da nossa sociedade; mas ao qoe elle se
opioe ao escndalo de se collocar em ama cadel-
ra ama pessoa, qoe nao techa conhecimento da
materia, qae vai ensinar; a elevaijo ao profes-
soraJo de geBte, que por mnitj favor podena sup-
portar-sa nos bancas do discpulo; o que elte quer
qae se compra a lei, que manda provar as ca-
deiras pessoas habilitadas, se que e-sa lei nao
oi revjyada ou n3o tenba cabido era prescripeo,
ttcamsJancu est;. qo^ o Lr- raadar le parecer,
e eolo dar' o dito por nao dito.
O Sr. Articulista deecobrlo o xarope do bosque
vendo que o ponteiro '.era luneta.
Ora, qa noviddel... Qem nao sabe que o
ponteiro tsra por luneta o Iraraenso vidro do nos-
irdr do relogio T...
Msrece am premio pela descoberta I...
Concederam-se Uceocas cora veacimenlos pro-
fessore- doentas e a alguos erapregados raals. Foi
ora acto de ju3tl{a ; porque tirar aos erapregados
os meios de subsistencia, uaodo ellos mais pre-
cisara para se corarera de molestias, maltas ve-
tes adquiridas bo gdrvico poblic-), e barbaridade
taoto mais insoportavel quanu sao (palores as des-
pezas e mais precarios oa recursos, com que no
estado de saade poderi&m contar. Isso porem nao
obsta a que o ponteiro estime muito qoe entre os
doentes nao passe tambem algum qoe este a sao
eom' ama maca, mas que tenba preleoeftes ao
mrbido estado.
Uta regulamento para a secretoria da assembla
mereceu o cuidado dos dignissimos.
B 10 seria que se .reformassa tambem o regi-
ment fazendo-se nelle aquellas alleracoes, que
dictasse a experiencia do presente, e as neeessl-
dades futuras. Por exemplo : seria bom admittir
aqoella tneoria do cdigo civil francs e do da Con-
chichina, em virtude da qual na leve assento na
casinha o Dr. Jacobina ; bom seria igualmente re-
formar o artigo do regiment qae prohibe conce-
der abates e xndemnisacoes as leis do orcamento,
etc. etc.
Authorison-se ao El supremo a reformar o coa-
trato celebrado com E. Mornay para construir os
tramwys ou tramitas.
O interior do provincia reclama esse melbora-
meato, tnto para mandar sera- grandes despezas
04 dinbeiro a da tantsu 03 >.aua urodurios ao gran-
de mercado, orno para haver eommuicacao mai
freqoente entre a capital e o centro, de que sera
duvi'ia resaltar immensas vantageos para a civi-
lisagao. Deus queira que ludo nao fique em tra-
mlas I 1
O orcamento municipal passou a galope ; e cor-
ra tanto o broto qoe nao bavia tempo de se Ihe
ver a pello; votarara-se os artigo at mesmo sera
serem lidos I Abl que est o proorase.
O negocio cambrone ebegou a coaciuir-se sem
ser necessarlo a subrogado tao ditejada por uns,
o tao rcpelltda por ootros. Achou-se a incgnita
no augmento da taza da dcima eom obriga;o de
pagar a (azeoda emprea. Ltgaram se desla feita
as piniu.-s ora beneficio do aeceio publico, neces-
sidade orgenlemeate reclamada pelo estado cres-
cente da civinsaqo desta capital.
Esta opioio nao abracada por om illostrlssi-
rao articulista do Diario de Pernambuco, qae em
seu zelo-pelos interesses dos proprtetarios atiroa-
se contra o pobre ponteiro e macbucou-o com o
peso das suas prepriedades conhecidas e por co-
nbecer. A macnucadela t>Io destruio completa-
meole o ponteiro porqae se poz oe-permeio o Sr.
Conservador, que tambem rlcoq.jbem maltratado,
dando todava gracas a Deus d0 JQ90 ier esmagado
por tao forinldavef desabamento.
U negocio cambione tem dado qae fazer a te
(oi narites I 1
Hia esquecendo dizer qae o Amaf cbaxou sempre
os seas unte conttnhos de reis para dar espectcu-
los gneos italianos ; e dizm qne desta vez a ma-
nala nao para bou/fes parisienses, mais sica
para bouffes macirrtms. Venbara pois os bouffes
enxugar o soor do povo e desobstruir as algibel-
ras dos papalvos.
floove trovoada forte antes de passar em ter-
coira discossao o projecto qae crea a treguezia de
Gameleira.
O dlgnissirao Ramos foi o hroe da festa; pro-
testou, contra protestou, coosuramio daas sessrjes
era dizer o que Ihe velo a cabera contra a crea-
cao da fregosle; allegando as belexas,fos encantos,
o mimo do seo patrio Stnnhanhen,t cojo territorio
se* tira va nm aparta para se formar a nova fregue-
zia. O djgnlssirao falln..., falloa..., e fallou taow
qoe j nm bavia na sala qaem poiesse coatar as
vezes qoe elle pegava no copo d'agaa, qoe rtnha
junto de si, para refrescar o calor do despert,
que lbe haviam excitado os prepnos amigos. E
aSaal de contas volon a favor do projecto, e pedio
qoe se declaraste nt acta o sea voto, como uro
signal da atan isqmstta docilidade I 1
Foi isso mais ama prava do anglico coracao
de S. Exc. e das boas in'eoc,es qoe tem a res-
peito rjo publico interesse, porque S. Ext. fallava
contra b projecto, qaando anda se aehava na doce
persas o de qae nio passar i, desde p rera qne
iter actos llegaos; roas a visto da insistencia e|Vl ane o projecto era.acceito, enlendea qae devia
reiterada remeasa de toes actos da parte do dlg-:'tfa.r.*iSlll(n!a.0 orn sentido negativo com a
nissimos parece ao ponteiro que essa lei esta re-
vogada ; e se nao esa', deve o ser, por qae o slalu ,
quo iocompatlvel com a coruscante loz do pro- digntssimo falln contra o projecto e
gresso, cojos raios deslombrara as vistas da le em j'WV >M.. .
qaanto passam as gracas e os contrabandos, isto Achaya ntilidado em n5o haver freguezia em
os saques contra, o thesour,, que, coitado I for-
c.a*o a aceitar todas as letras, que lbe apresentam
1 maloria era sentido afflrmatvo; e, como o resal-
tado das liga sempre a raadatica de opinioe?, o
votan ata-
os fflbos e aflloados heroeiros da casIOtia, ama ver
qoe tenham o pague-si friiintiel.
A cofflMwso de orcomnfoHiostica lbe seja fsKa)
qoeizava-se quo estavam estragando a saa obra ;
mas eram os seos gemidos semelbantes aos do rao-
ribnDdo, pot qae no ultimo aaao da legislatura o
depatado, si acanha de fazer e papel de gente mna.
Aehava atilidado em nSo
Gameleira mas a ctilidade era sement com re
lagao aos ootros nao cora relaglo si.
O progresso arraoja coasas I...
Aoabou-se afioal o maracal, em qae dansa o
dignissimo Hachado. A rapasiada do commerclo
fez do dignissimo batuque de cma. Cada vez qne
a aorora appareeia la vicha o Diarto de Pernam-
buco annanciado nova batucada.
O dignissimo vio-se condemnodo a arder e
O desejo de continuar a ser dignissimo' Ion ama' doas fogoi1: de ara lado a Faculdadi 10 Pow
infloeocto no orcamento I.... ^_ ^^ zoril-lo por parto doz acadmicos; do outro oe
SdTnnmas vonTades da honrada sal vao pr enr chistosos artigas do Diario S acsalo por parte do
apertos ao lestantnteko. Aotorlsoa-se a fazer eomraercio. E foi tal o eacommoo qoe eansa-
Unta despeza, tanta cocea, tonta tensa... qoe o vam 00 dignissimo, qne elte quasl Ac calvo peto
JW-flwppriiew porcra de otos se vera' toreado a qoaotidade de cabellos qoe arraaeva nos toomen-
recorrer aos crditos suppUmentares, se que as tos de desespero. Realmente pena- P0Cg>ipj|
Nio ba dovida qae, a par de moitas despezas
Inateis e at prejudclaes, algamas foram decreta-
das de verdadeiro Interesse publico, taes cono
melhoramentoi e novas facturas de eetradaa, cons-
trneco de ponte a algama coosa mais.
A eoostraceo de ama aova ponte, que ligue os
bairro da Boa-Vista e de Santo Antonio i ama aae-
dtda inoontestavelmente aecessarta ; porgan o ec-
tao Bsisnravel da qae existe apeis cennattvei
com o progresso dos Jovens, que all vao, noile
estndir li^io de francez para entender a empa-
nkta lyrica no tbeatro dos Bouffes.
A autorisago para rever o contrato da compa-
nhia ao gas tambem de argento oecessidnde;
ci, visto que oa alto posico de'V. Ezc s ihe
pode servir ara alto servidor.
O ponturo tremen, e comecou logo a preocca-
par-se das dJfncuidades, era qae o collocava o re-
ceobecimento da sua Odilguia.
Acostumado a' liberdade dos seas movlmentos
no gyro qaotidiano, sempre que ibe nao falta va o
elemento motriz, BMdjegni elle que essa liberdade
comegava a ser rncompativel com o rigor da ett-
queta. Antes de ser baiao, o ponteiro andava e
ouvia : atrasava-se ou adiantava-se sera erpor-se
a' severidade dos crticos, e nem mesmo se impar-
lava com a soa casinha; aepols de titular, fazem-
no parar para oavir os atrasos lbe sao Janeados
em rosto, e os adianlamentos dio muito as vistos
de todos. Antes, qualquer servente manido de ama
vassoura bastova para sacudir Ine o p por tora e
por dentro; agora ja lbe neeessaric nm servidor
armado de um pennaeno, alm das, frequentes visi-
tas do relojeiro para alimpar-lhe as pecas do ma-
chioism I E tanto o bao de limpar; qae o misero
chagara a nao ser mais nem barao e nem ponteiro I
Vadosa fiialguia, quinto s pesada liberdade I
Os grandes aconteclmenios sao fecundos em
resultados. O baronato do ponteiro fes des-
abrochar d'eotre es dignissimos ara estro, qae se
aehava em incubago, e qae promelte sabir ao
Piado com licenca do dignissimo Paes d'Andrade,
qae pareca o noico representante da poesa na
honra da saltona.
Era ara pedaco do papel e escripto a lapis, fo-
ram postas ne mostrador do relogio as seguales
sexlilbas :
< Ao baro do mostrador. >
e Por qae razo se mostra
c Entre ods, charo barao ?
t Naj sabe a soffreguido,
Cora qono uspera o Queirs ?
Ab I tenha pena de nos,
* Nao abandone o sato.

Veaha vr-nos pelo menos
Ura s dia em cada raez;
Muito embora as horas tres
A muito tenham soado,
Qaando o sen rosto alagado
A aparece cada vez.
- t Nao sabe quanta saudade
t O Gaspar de voc tem ?....
E Amynlhas! Olhe bera.
t Quede voce sa enamora ; '
Ao passo que o Emlgdlo chora,
< Sempre qoe voc nao vera. >
Disseram ao ponteiro qne o novo poeta, sendo
informado de qae na combanbla dos Bouffes havia
transporte para o Parnaso, elle estava resoivido a
fazer esla viagem eom escala por Pao d'Alko, a
rim de hablitar-se a coatestar ao dignissimo Paes
d'Andrade o direito de primada.
. A 8ra. Carlosiade ja' deve ver que nio fia bem
ao Barao do mostrador, aatigamente o ponteiro
do relogio, andar com brincadeiras e pilherias
com o dignissimo progresso e com este gracioso
mando poltico, posto qae o baro tivesse certeza
de ficar o machiojsmo, que o alimenta, eom cor-
da, mesmo depois de fechados os legislativos pacos
provinciaes.
Atteodendo, pois, a essas eziseneias do aristo-
crtico estado, o ponieiro recolhe-se aos bastido
res dos grandes, e despede-se*da Sra. Cariosidade,
que com elle s conversava depois que algum ti-
tulo de nobrea a vioba honrar.
O barSo, pois, pretendendo tomar assento na *-
semoio dos flo*lgos com" encerramento da as-
sembla provincial, qne elle assistia como sim-
ples apontodor das horas, offerece os seos presti-
mos aos qoe o apreciavam oa qoalidade de
Ponteiro do relotio.
Veneravel ordem terceira de
. S. do Carmo.
Tendo esta venoravel ordem de reedificar o sen
hospital, onde os seas irmos indigentes eocontrem
qaodo ferelos pelo sopro do infortunio, ora lugar
commodo e decente qae Ibes possa saavisar os pa-
deciraentos e alentar-Ibes o espirito na occasiao
mais attnbalada da vida.
Nao podendo, porra, ella terminar com aquella
breyidada que para (tosejar, em conseqaencta da
falta de recorsos da mesma ordem, sem que para
isso concorram todos os irmos com aquelle dona-
tivo que sea religioso coraflo Ibes dltar, certos de
qae qualquer qu elle seja sera' bem aceito, f ece-
bendo as incssantes preces feitas a' nossa roa
triarcha Santa Tbereza por aquellas qoe no leito
da dr nao ae esqoecerem dos qae promoveram e
contribuirn) para, o bem qae gosarem-
Becebendo nos ama carta da mesa ragedora des-
sa veuerave ordem na qual pedia qne eoucorres-
semos com o nosso pequeo bolo para om fira lo
po e justo, nao quitemos ficar alm daquelles ir-
mos qae ja' eom tanta espotaneidade tem para
isso concorrldo.
Estamos tambem convictos que nanhom irmo
drizara' de concorrer para ama obra to pa como
necessaria e desda ba' mito reclamada, e mor-
mente sabendo qne qual juer qae seja a esmola,
sera' ella inscripta era un quadro para isso desti-
nado.
Aquellas qae para isso esneorrerem rceberao
am agradecimento< Justo o merecido.
Assim e pensa o irmao
-
<
ama carta a unan seohora aqu
da qual nao lh*;g' resposta; ex-quando sab-
bado 6 do correte apresenla-se com mais
algans espoletas commelendo levarem a se-
nhora a forcorlo"; porm o dono da casa qoe
j tinha disso sciencia a no i te tomn as cn-
telas necessarias, e se aquelle valento de
Porto Calvo, delegado de proposito o5o mos-
tra com violencia os carcanhares tiremos orna
solfa de fi bordam bom cantada sem que
aqui se tivesse medo do sema'o Pinto, (en-
tunde-me Sr. delegado de proposito) e nem
das fumacas de V. S. que parra tenho fami-
lia sou delegado, bem sabem de proposito.
Yejam Srs. redactores que autoridades, que
bomens oceupam os logares publico, qoe por
esta forma vio sendo baratiados a qualquer
quido, salvo asooradas excepico. Breve
publiarei a chrooica deste flf?urao, como
hornern, como filbo, como marido.
Adeus meas redactores que breve volta-
rei ; do asignante
# # *
S. Jos da Cora Grande 12 de julho de
1867. .
COMMERCIO.
PRACADO RECIFE 18 DE JULHO
DE 1867.
As 3 % horas da lardf.
(Hontem.)
Assncar mascavado americano2<%300 por arroba.
Frete de algodo para Liverpool pelo vapor 3|i
d.o5 0iO
(Hoja)
Algodo 1* sorte13*00 por arroba.
Frete de algodo para Liverpool pelo vapor 3/i
d. por li e o 0/0
Slveira.
Presidente.
Macelo,
Secretario.,
ALFA.NDEGA.
Rendimenlodo da 1 a 17.......... 368:o6i956
dem do dia 18................. 16:^49^309
385:014J'
MOVIMENTO DA ALFANDEGA.
Volamos entrados com fazeedas..
* gneros....
Volamos sabidos com fawndas...
t c < gneros,...
673
673
356
-----482

Descarregam hoje 19 de jolbo.
Hiato ioglezOcenw mercaaorias.
Barca nacionalFflorif -charque.
Patacho banoveriooAllanteidem.
Patache nacionalVlemedem.
Patacho nacionalGuilherminaidem.
Patacho hollandez Whernuna Magdalenaidem
Brigne portugnezA'. S. daConcetcoiem.
Polaca nacionalS. Pedroidem.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS .
GERAES.
ReadmoDlo do dia i a 17........ 22:17*637
Idem do dia 18................. o87jo06


22:762*163
CONSULADO PROVINCIAL
Rendiraento do dia 1 a 17.
idem do dia 18..........
83:9845642
1:791566a
87:776*307
MOVIMENTO DG PORTO
dia 17.
Zenobia, capito
Navios sahidos no
Buenos-Ayresvaper americano
William Fraeraan, em lastro.
Ro da Pratapatacho brasileiro Invencivtl, capi-
to Antonio Albino de Souza, carga assncar.
Observaco.
Nao houve entrada.
A'anio saludo no dia 18.
Canal Brigue baooveriaoo Amelia, capito M.
Wilt, carga estocar.
Observaco.
Saspendeu do.lamaro para o Rio de Janeiro a
sumaca hespannbla A'itua Carlota, capito Gabriel
Pages, com a mesma carga que trooze de Barce-
lona.
Nao houveram entradas.
EDITAES.
Illm. Sr. Jnaquim de Almeida Pinto.Os
meus padecimentos do flgado e do baco, e
para os quaes de balde procrava lenitivo,
j tinham produzido em rnim e em todos
qae me viam acerba conviccSo de ser em
breve pasto dos vermes, quando por lem-
ibraoca de am.amigo flz uso das pjlulas de
Jorubeoa e do emplastro preparado por S.
S. e fui tao feliz com essa lembranca que
gracas a Deas me acbo bom, em vista pois
venho dar a V. S. os parabens por ter des-
coberto esse lenitivo a bomanida.de afflicta,
e oferecer-lbe o meo pooco prestimo.
Soa de V. S. attento venerador e criado
r-Jos Thomaz dfi^ Gavalcante.
Reeife 1- de joUio def| 1867. ^
Anacahuite feitoral de Reoip.
, ]De cojas vlrtades especificas tantos an-
poncios apparceram em nossos jornaes,
nma composifSo de vegetaes peitoraes, e
n5o contm nenham adstringente venenoso
oa mortalmente narctico, 5 preparada em
forma de um xarope delicioso; etc., um
podenoso e efcaz remedio para irritarlo dos
pulmSes, anginas, cathigrr mento, rouquid5o. affeccoes catbarraes, es-
carros de sangue, todas asinnumeraveis
molestias que affectam os orgSos da repi-
radto. Cuidadosa e scleptifiqmerrte prepa-
O Dr. Jos Ricardo Gorass de Carvalbo, jaiz mani-
cipal nesta cidade da YiQtoria, termo e comarca
de Saflto flntlo, rrrovfocia de Pernamb.pco, por
S. M. t. e G., qoe Dea* jptonje, etc.
. Faeo saber aos qoe o itoeaeato ediul de 20 di."
de pregOes e 3 de pracas viren, qne flndos os
mesmo* se bao de arrematar no dia 6 de agosto
do correte anno, a qnem attfder, os bens se-
gointee:
Um sobrado de um andar, tilos proprios, sito
o joa^dos Carraes o. 14, rallado por.....
Una caza de tijolio na mesma na dos Carrte?r
avahada por 400*.
Ura terreno sito na msate roa dos Curraos des-
ta eidade, ava liado por 1:300*.
Um earral para gado na^mesma rna, em chios
proprios, por 2:000$.
Uma casa junta ao sitio do finado Feliz, ens-
ebaos proprios, por 150*.
Uma salgadeira jonta a' matanca desta cidade
por 80*.
Uma parte no sitio Cariss deste termo, avallada
por 70*, os quaes bens vao a' praca por falleci-
mento do lente Antonio Genc.alves da Silva, paca
pagamento de sens credores.
E para qne ebegae ao conhecimento de todos,
raandei passar o presente, qoe sera' afiliado sos
lagares mais pblicos desta cidade o publicado
pela imprensa, sendo a presente arrematado na
,-rt deste joizo.
Cidade da Victoria, 10 de Jolbo de 1867.
Eo Betarraino-dos Santos Botcao Filtro, escrivaa
interino o escrevi.Jos Ricardo Gomes de Car-
valbo.
N. 10.Pagoa 800 rs. de selle. Victoria, 10 de
jnlho de 167.- Carneiro da Silva.Paes Bar-
reto.
Esta" conforme.O eserlvSo Interino, Belarainc
dos Santos Bolcao Filbo.
DECLUAOES.
rada por
va-Tork.
Ae!
lurer
cabellelra do dignissimo era tSo bonita qae nao
obstante os cabellos qae perdea anda se apr-
sente bem ef pasea 4oe olhos d'aqoelita qoe apre-
ciare pora pni toleecetio a ana parlameatar ea-
beta, qoa/tejde gigantesca*, e iaportanma
AfotnnHRttitett ibireeebdVj eom mniW^espe-
cial adrado pelas iliijbiisunu a ele vacio de :pon-
tro s alturas dos bardes. Uso '
Sara qoe elle leve at as lagri
ade em despedida de tao le
iaet semblantes; 'k satisf?!
foi conpartilbada por ara disUaeto cavalbetro
que, na soa maior effaso de prazer, dlrigio-sd
para o relogio, paron o pendnlo, e, filando alegre-! o scalo
6'
na
cJO-
- enfb-
vo
!
ap.
Srs.'Redactores. Veobo azer publica
iba praticada nesta povoacao pelo
iciadafrgqeziaaeS.Bento
Ivo, qne ^tandeado
are. II (antes de tabir ao
fl revezo dos relogios oecbanicos
De ordem do Illm. Sr. inspector se faz pnblico
qoe, no dia 19 do corrente, ao meio dia, e a' por-
ta desta repartieSo, se nao de arrematar, livre de
direitos, treze volamos cora fazendas abalso des-
criminadas, viadas do Havre em differentes navios
em rail oitocentos e sessanta e cinco, e abandona-
das pelos direitos, a reqaerlmento de Keller & C:
9 caizas ns. 343, 358, 389, 365, 375, 376, 377, 387
e 388, cootendo dazeotos e vate e tres dazias e
um chales de la bordados de 6|4, avali dos a 48*
rs. a data10:708*000 ; S canas ns. 352 e 353,
contendo cineoenta e tres dazias de cbales de la
estampados, de 54056 poiegadas com 1202 varas
qoadradas; i caiza n. 393. contendo vate e tres
duzias de ditos dito-, de 54 poiegadas por face,
568 varas qoadradas, tola! 1770 varas quadradas,
avallada a 1666 rs. a vara, 2:948*820 ; 1 fardo,
contendo o segointe: 22 pecas de brim de linho
entraocado, com 990 metros de 23 poiegadas, 517
varas qna;radas, avaliado a 900 rs. a vara
465*300 ; 36 ditas de dito, riscado Uso at 15 dos,
com 1507 metros de 22 poiegadas, 753 varas qua-
dradas, avaliadas a 100 rs. a vara, 301*200, total
da avaaglo rs. 14:423*320.
Alfandega de Pernambuco. 17 de julho de 1867.
escriturarlo.
Eutycuo Hondn Pestaa.
O Dr. Francisco de Carvalho Soares Brando, jaiz
de orphaos e tsenles da cidade do Reeife e sea
termo por Saa Magostada o Imperador, qae Deus
guarde, etc.
Faco saber aos qae este edita! virern e dalle ti-
verero conhecimento, qoe ante o mea antecessor,
Dr. tose Eustaquio Ferreira Jacobina, D. Luiza J
Maria Busterf, requeren para que, examinado o
estado de faculdade intelleetoal de sea Irmo
Francisco Feroandes da Silva Manta, se lbe no-
measse carador para administrar soa pessoa e
bens, pet:cao qae foi deferida pelo mea predi to ao-
teeeseor, nomeando peritos os Dr.-. PUaoga e
Villas-bas para examinar o predlto Francisco
Fernandas da Silva Manta \ feilo o qoe, sobiram
os mencionados actos a' saa conclasao, no qual dea
e proferio a sentenea do tbeor segaiote :
Vistos estes auto?, atteodendo a' petigao de
Os. 2 e exame de fls. 5-fls. 6, nenhnma oppo-
sico do reo', parecer do doutor carador geral,
algo desasisado o sapplicado Francisco Fer-
oandes da Silva Manta, e incapaz de reger saa
pessoa, e administrar seas bens na forma da or-
deoac,ao do iWro 4* { 103, pelo qae o privo de
cuntnuar na administrado de soa fazenda, o
c mando qoe se afflxem os competentes edliaes
f aos lagares do costurae, e se pnhllqnem pela.
< impreasa. Nomeio para carador do mencionado
< interdicto a Juviniano da Silva Manta, qoe pres-
< tara' juramento, procedendo a Inventario na fr-
c raa da le; prestando o curador a respectiva
< Banca e castas. Recite, 6 de julho de 1167.
c Jos Eustaquio Ferreira Jacobina. >
E para constar mandei passar o presente, qne
sera* publicedo pela imprensa e afiliado nos la-
gares do costme, aflm de qae qlngnem faca
transacJo algama com o predlcto interdicto Fran-
cisco Feroandes da Silva Manta, senio por inter-
medio- de sen carador Jnvinlanno da silva Manta,
cora previa aatorlsacao deste; o presente editoi
s podera' te,r o devido andamento depois de urr
transitado peto.cnaneeHari do superior trlbnnal
da relagao do' toiric'to.
Dado nassiSoL n'ezta cidade do Reeife de Per-
nambueo, itTWU Joino de 1867. En, Antonio
PereTra de ma, escrivio Interino, escrevi.
Francisco de Carvalho Soares Brtndio.
Estava sellado.
Consulado portuguez
Pelo presente sao chamaaos os credores do es-
polio do finado subdito portuguez joaquim Amaro
da Silva Passos para virern no consulado do Por-
tugal receberem o que lbe tocou em raleto da mas-
sa daquelle espolio.
Consolad* de Franca em Per
Bambuco.
Previ ne-se ao publico qoe a cocheira que per-
Uocea ao fallecido Eduardo B. urgeois, ata na
rea Nova o. 59, acha-se a venda.
CoinpSe>. de 32 cavailos, 10 carros, arreios e
todos os pertenees necessarlos ao serv.150 ,da
mesma.
As pfls'oas qae qrizere.rn fa7er a :cqv>iyio sao
informadas qae o cnsul de Franca recebera' as
snas propostas em carta fechada al o da 30 de
corrente e sobre o primeiro lanco de 10:COO*.
No dia 1 de agosto prozimo a aterlura das
cartas sera' feita no dito consulado era presenca
de todos os concurrentes, e a coebeira sera' ad-
judicada a aquelle d'eotre elles qae malor prego
ver offerecido.
O pagamento sera' futo a' visto em moeda cor-
rente e tem descont. ^^______
Santa Casa de Misericordia
do Reeife.
O Illm. Sr. eommendador Jos Pires Ferreira,
thesonrelro da Sima Casa de Misericordia do Re-
eife no dia 22 do corrente pelas 10 horas manaba
00 salao da casa dos ezpostos fara*'pagameotoadas
mensalidades de abril < jaobo Ando, as amas q e
se apresentarem com as crianzas qae tomaram pa-
ra araamentzr.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Reeife, 8 de julho de 1867.
O escrivao
Pedro Rodrigues de Sonsa. _
~ O tribuaal do commercio de Pernam-
bnco em vista do que dispe o art. 9, do
decreto n. 883 de 17 de novembro de 1851
faz publica a vaga de um dos ofQcios de in-
terprete de commercio desla praca, e marca
o prazo de 60 dias contados desta data para
que aquellos que se acharem habilitados
apresentem seus requerimenlos instruidos
com os documentos de que trata o art. 6.
do mencionado decreto.
E para constar mandei passar o presente
qoe ser publicado nos jornaes de maior cir-
culacao, o qual vai por mim assignado nesta
secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco aos 4 de julho de 1867.
O secretario,
_____________Jos Marcellino da Rosa.
Santa Gasa de Misericordia
do Reeife.
Pela secretara da Santa Casa de Misericordia do
Reeife, se faz sciente aos inquinos das casas abai-
xo declaradas, qoe se no prazo improrogavel de
15 dias nao vierem renovar o arrendamento das
mesmas casas, sero del!as despejados judicial-
mente, conforme deliberon a Illm.* junta adminis-
trativa.
Ra do Padre Floriano, asa n. 49.
Ra dos Pescadores, dils n. 11.
Ra das Calcadas, dita n. 30.
Becco do Quiabo, dita n. 8.
Ra do Encantamento, sobrado de 2 andares
n. 3.
Ra do Nogueira n. 17.
Ra das Larangeras, dita n. 17.
Roa Velba, dita n. 32.
Becco das Boias, dita o. 18.
Ba da Lapa, dita n. 11.
Ra da Moeda, dita 0. 47.
Ra do Pilar, ditas ns. 99, 9i e 103.
Sitio do Fumo da Cal, n. 5.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
eife 15 de julho de 1867.
. O eserfvJo,
Pedro Rodrigues de Sooza. ^







Pela subdelegada do-Ia dlstricto da fregne-
zia dos Afogados, (oi apprehendido e recolnnie a
deposito om cavailo earde pequeo : qnem se
julgar com direito ao mesmo compare? que pro-
vando lbe sera' entregue. Subdelegada da fre-
guezia dos Afogados le de jolbo de 1867.
O subdelegado,
Dr. Carneiro Montolro.
msmm
THEATRO
DE

COMPAGIIE
nns
BOUFFES PARISIERS
Aiijourd bul, veuJrcdH 19 jtiillet
lrj.eetdernire rpreseatatiode
ratoiDeneit.
Prmiere representation
ORPHE AX ENFERS,
opera booffon en qoatre actos, da Mrs. Hadar CreV
mieuz, uusique de Jacques Offeub.icb.
1 acto La mort a%atsiiia. t
3.. > Le bondoir (to Platn
Un roi de Beotie.
4,< Les entere.
PBltSOHNAQlS.
Japiter, roi des dieoz....... Mr. Nonry
Ariste, berger fAlbnesy..... pi
Pluton,rodeienfers )"" "
JolnStix.................... Salvado*
Orpbe, professear de TOr-
pbeon d'Alhees.......... Ferao ^
Eorrdice, sa femme.........at" A. Letwrraind
Dlane, desse de la ofaasse...
Janon, reine des dieox.......
Venas, desse de la beaat...
L'opioion publiqae..........
L'amour.....................
Mi norte, desse de la sifessn
Emphltrito, desse de lamer.
Flore, ws* des fleart......
Mercare, diea da corameroe.. Mr. BAiest
Gaoymede, cbansondesdieux Jean
I
1

'


1

-

Gollleraet
BlnesWBt'
MetbMePbppe
s
Adela
CThlerry
Albertine
Clalre -eut
HlVU


.
/


-i-.
J. .''*

>


"S
BUtU de Petnthneo flex< fIra 10 de ralba de 1867-
3
ephlre.................,...*~ Emile
Baccbus, (iiru des bavoari..<. > Goordon
Nsptoae, i dd lamer..... Salvador
Verlame, ds frairs...... Antolue
Pao, diea dercbrnesetde jar-
datt...................... Bsrtin
Eole, dieu dwft......... Lois
Vulcalo, dieu da largara*.. > Josepb
Mar?, dieade laguarr.*... > Luciere
Merpbe, dieu da soamwl... > Alred
Apollon, dieu da joar....... Valaire
Erebo, desse de i'enfer..... M^ Josepfclne
Sath a miel, demon........... M,le Valentina Po pe
Fdsphorlel, ........... Mr. P. Bamardelli
Gardas de l'opinioa publique > Meares
Demi-dieax, demons.
Dcorations eaiirseMat Bouvelles, a>(als par
Mr. Casanova, machjaas. de Mr. Antoiae, mise en
scoa regle, par Mn. Ptlva, eostumes dssints par
Mr. Noury, ballet regle, par M" Celestina Thi-
erry.
0 comtoencera 8 beures.
US* M.
Adfi 6:000

COMPANHIA DRAMTICA
EMPREZA-COIMBRA.
Sabbado 20 de julho.
Beneficie-ai iciineirt-- daa -
O CAROLW1 FALCO.
A comala drama em 4 actos tfe Mr. Jales San-
deaa, tradacetado ilustre academice o. Sr. Cal-
mara es Jnior o .
0 MtttQIJEZ DE L\ SEIGLIftE
representad* pelas Sras. Palco e Clelia, e pelos
Srs. C. de Ltnerda, Lisboa, Jordn!, Peregrino e
Goimares.
A arfa do 3* acto da opera
AFavoflim
cantada pela Sr.* Falco.
A scena cmica em verso do Sr. Faustino X. de
Novaos, representada pel Sr. Teixeira
Para o Araoaty CASA DA FOflfiUNA
Segu em p*qcos dles o bem conheeido e vellel-
ro palhabote nacional Dous Amigos, tem parle do
seo carregamento prompto, para o resto que Iba
falta tratase cora o sen consignatario Antonio Luiz arcA'MwKE *tfcPA**s?mrnSTnitfF
de Oliveira Aievedo J C, no sen escriptorio, roa *!?^?7V* ? #!IF
da Crnz a i U abalxo assignado venden nos seus multo feli
es bilbetes garantidos da lotera que se acaben
de extrahir a benecio das familias dos volunta-
rios da patria, oe seguiates premios :
N. M ammel com a sorte de 2:000,$.
N. M wmeio com a sorte de 600*%.
N. 2636 um mel com a sorte de 300. *
E outras nraJUs aorts de 1005, 405 e 20*.
"'Wtffc
Segu com a possivel bravMade o brigu* tsco-
na GRACIOSA, capitao Ralis, tocando no Mar-
nhao s em oliimo case, para algn* carga que
I be falta tratase com o respectivo consgnatark
Anto alo de Almeida Gomes, a'(roa dfc Con n. 13, ivo
! andar.
Ospoesa
ipremi
uilores pfdeta vir recebar seas respee-
os stm o* descontos das leis, na casa
Para o Araeaty
segu nestes das o palbabote Emilia : a tralar com
Jos Sa' Leito Jnior, na rui Madre de Dos.
da Fortuna a' ra do Crespo n. 23.
PHOTOCRARHI
VlJLKlMiA
U'UA m UotWS. i8, ENTRADA PELO
PAIKO pK MATRIZ.
1 nosso estabelecimento photographko
est semptoeTnda'com todos os melbora-
mento* e pro#ress que na America du
Norte* ou na Europa se consegu na arte
JOIAS
:*j
Aearacn' pelo Cear
a escuna Georgiana, pretende segnlr com bttrt-
dade, para carpa trat-se com Tasso Irm5os,a' roa
do Amerim n. 33, ou com o Sr. Quintal.
LEIL'OES.
- .
LEiLVO
.
Acham-se a venda os da 2- parte da 8' latera photograpbiea, e para alcancarmOS tal fim
nsv^tTniT'^seellrahi",er" rcapoS sjbpezas sacrificis.
"* Preco Borte qil3"oTfiD58os numerosos reguezes
BilhelesT!.......'. 6*000 POJ^-ter
Meies............. 3*000
Quartos.,........ 1*500
Para as pestoas que compraren
para cima
a certeza de que sempre encon-
ra em nosso estabele
to a arte e a moda offerecer de bor, e
it lOOtfMoWo e veb do
Bilhetes.......... 5*300
Malos............ 2*750
Quartos.......... 1*375
Manoel Martin Finia.

hoji:
SeiU-feira 16 as 11 horas.
De ama mobilia de jacaraod Dova.
Dos sobrados de ns. 4i e 44 na roa Augusta.
D j sobrado o. 27 do largo do Tergo ou roa das
Cinco Punas.
far codt"e drdem da diversos vender' nairael
le dia na roa estrena do Rosario n. 45 armatem
os predios e mobilia como cima.
O Sr. Jos Marques da Costa Soares,
(negociante no Recife) qaeira vir esta typp-
grapbia negocio.
aos anfintes da ph'o"
t'o^ttphiaj
ltoVlDADE PH0T0GRAPH1C1;. ^
Acabamos dereceber todo o necessario
ptra fazeT retratos chamados carie-album.
Este genero de retratos ltimamente in-
ventado na Americ*do Norte, rapidameste
'Spropauu us'fiTglaterra e Franja aonde
A VIDA DO ACTOR.
Terminara' o espectculo com a comedia-pro
verbio ornada de msica
JJ40' HA 1 MO SEM
FOGO.
Principiara' as 8 oras.
Para maior commodidade do publico nao se fa-
ro intervallo; do t ao 2* acto nem do 3" ao 4*.
A beneficiada ira' agradecer pessealmente aos
senbores que se dignaran) tomar camrrotes.
O resto das cadeiras e os camarotes da 3* or-
deno, podem ser desda ],* procurados no hotel
Central.
Por falta de lembrauQa ede apontameoto, igno-
ra-se se os camarotes ns. 11 e 13 de 2* ordem fo-
ram passados ou se se perderam.' Na pnmeira
bypotbese pede se as pessoas que se dlgnaram-
aceitar os ditos camarotes, o favor de o declarar
do hotel central at amanta a ao moio dia.
ass
AVISOS MARTIMOS
.
Liverpool. Hrasil and Rlver
Pate team KaTegatlon Comp.
llnted.
Segu em direitura para Liverpool no dia 20 de
tulho o vapor Cassim, commandaote Hudson, tem
excedentes cjmmodos para passageiros.
Para c 11 Iios e mais informacQes trata-se
cam os agentes Saunders Bro.hers & C, Cirpo
Santo n. 11.
MPMUV BRVSILEIUA
DE
Paquetes a vapor
Do deposito da ra do Codorniz a 14.
BOJE
O agente Pestaa legalmente aatorlsado (ara'
leillo para pagamento dos credores da armagao,
gneros e mais utensilios existentes no deposito
da roa doCordoniz n. 14, oo da cima menciona-
do e no mesmo deposito as 11 horas da manbaa.

LEILaO
DE
Hojc 19 de jniho
A. C. de A brea conttnoar o sea leilio de (alen-
das inglesas e (rancezas, por iutervengao do
agente Pestaa, hoje as 10 horas da manbaa em
seu arraazem ruada Cadeia.

LEILAO
DE

Fugio em 11 de julho urna esarava crioalag
de nome Deln, idad 23 a anos, com os signaos,
segolntes: um poaco baia, magra, rosto secto,
nmareladra no dedo grande d'p.' os olhos a mi I*^ Ine^aierra trotaram o tjome'de carto
tanto vesgm, aod'p& oteaos calor de fljfa-lo.o eou- [atbum pelo de retrato-galera e OS ingleses
ro um tanto lua*, levoa vastdo d chita cor de
caf asado, am cuales djk<. algod de quaIros
anda novo, esta escrava (o comprada
de eogenho de Paulista em t\ d .malo : roga-se
as autoridades ec4pitaes de campo a apreneocao
de dita escrava e leva-la a rea Direltt desta cida-
de d. 99.
lelo
E' emer%do dos portos do norte
at o dia 29 do correle o vapor
Guar, commandante o pri meiro
lente Pedro Hyppolito Duarte.
o qual depois da demora do cos-
tme seguir' para os portos do sul.
Desde ja recebem-se passageiros e engaji-se a
carga que o vaper poder couduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de soa cliegada, encom-
mendas e dinheiro a frete at o da da sahida as
2 horas. Pravine-se ao Srs. passageiros que suas
passagens s se recebem nesta agencia ra da
Cruz n. 1, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevsdo ,% C
Iompasbia ntauDuT
DE
AQUaTGS A VAPOR.
E' esperado dos portos do sol
at o dia 23 do crrante o vapor
Tocanttns, commandante Farias,
o qual depois da demora do cos-
ime seguir' para os. p rtos do
norte.
Recebem-se desde ja passageiros e engaja se a
carga que o vapor Doder couduzir a qual devera'
ser embarcada no dia de soa chegada, encommen-
das e dinheiro a (rete at o dia da sahida as 2
horas. Previne-se aos Srs. passageiros que snas
passagens s se recebem nesta agencia roa da
Cruz n. 1, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.
mtlMk PERMIBlifim
DE
Ka venci cosleira por vapor.
Parahyba, Natal, M3'Co, Aracaty, Cear e
Acarac.
O vapor Parahyba, com-
mandante Mello, segu para
os portos cima indicados no
da 30 do correte as o horas
da tarde. Recebe oarga at
o dia 29, encommendas, pas-
sageiros e dinheiro a (rete at as 3 horas da tarde
do dia da sahida : escriptorio ao Forte do Matos
SOMPANHIaPERNaMBUCANA
DE
Navegaco eosteira jtor vapor.
VenerJo 'oOLdireitura.
O vapor Marnangmpe, com-
mandante Costa, sean* para o
pata aama indicado ao dia 25
der.oatraite pelas 5 horas da tar-
de.- 3leeebe carga al o dia 24 ;
paj2gem>s, encomajepds e dinheiro a (rete at
as '3 toras da urde-doia da sahida : escriptorio
arEorie do .Matos 5-
OMf'AHHIA PERNAMByCANA
DK
SaYegaeo cosieira por vapor.
-iacet e Penedo. **~_____i
O vapor lpc&ea, conOnodante
Martin?, segas para os portos ci-
ma, indicados no dia 29 do cor-
rente pelas $ Horas da tarde. Re-
i| e dinheiro a frete at a 3 he-
d da sahM-: scriptoro ao Por-
te do Malos-.:!.
ParooH# 4t> Janeb
pretefje sefa eb otylfAuvMade o^UMo na-
cional Hktrib, tem part& de seo carregamento a
bordo, e par* a- rasto oca Iba falta e escravos a
trete, para os qqaw tem etcellentas commodos,
trata $ com.os seo owsfgmtarios Antonio Luiz
de Olpreira Azevedo & -C.,. M a'i escriptorio roa,
4 Craz n. L r -. .:
COMO SEA :
Vi pipas de vinbo tinto marea F R F.
2o barris de dito dito maro* F R F.
13 pipas de dito branco marca E rt E.
23 barris de dito dito marca E R E.
30 ditos de dito dito marca T A.
Cordelro lmes
por conta e risco de qnem perteocer (ara'
dos vinbos cima mencionados, isto
Seganda-(eira 22 do corrate
as 11 heras no largo da aKandega, no arraazem
do Sr. Anne?.
"TELAO
Be 10 barris eom vinho verde e 15 di-
tos com potassa aaciaaal.
Segunda-feira 22 do corrente.
O agente Pestaa (ara leilo por conta e risco
de quem perteocer dos gneros cima menciona-
dos com as marcas vinho J A R e potassa M, as 11
h> rae da maoba na porta o Annes defronte da
, ,al(andega.

verde, Yinagre,
100 saceos com
Escrava pura comprar
ou alwgar
Precisa se de ama escrava que cozlnhe, por
compra on aluguel : na roada Cruz, arraazem n.
10, das 10 horas da manfcJB-'s i da tarde.
Precisa- de amnrero para todo servio :
na roa da Saodade n. 13._________________T
Club Pernambucano
A partida do corrente mez, ter lugar na
noite de 25._______________________^
Atten^ao.
Elias Baptista da Silva declara qne Joaquina de
Souza P:nto, delxoa de ser spo caixelro desde esta
data. Recife 18 de jalbo de 1867.____________
Preclsa-se alagar orna ama do leite : a tra-
tar a ra do Hospicio o. 68
N. 2 D ?T N. 2 D,
g^F*" COKACAO DE Ol RO. ^^3
A loja n. 2 Tf intitulada CoracSo de Onro na roa do Cabngi, acba-se fon em diaste offerecen -
do ao respeiuvel publico com especialidade ai pessoas que honram a moda o objectos do Hisao gos-
to (a Pars) por meses 20 por cento do qoe em ootra qoalqaer parte, garantindo-se a rroalidada ea so
idez da obras.
O respeilavei publico avaliando o desejo que deve ler o propietario dona novo eslabeleeimen-
l to qne quer progresio em sea negocio deve chegar jarrcediatameie ao coracio *a curo a comprar
,m iO em nosso eotabelecimeflto redo quan- M2g cm peTeitos brilbantes, esieraldas, rubios e perqja ; rerdadeiras em agarjasv moderp
di mato preeo de 104, brincos modernos de onro e coral para menina pelo preco de 3#, mar
paTa eom cabos de marfim e madreperola obra de moderoogoslo (o qae o encontrario no eo
oaro) voltas de- ouro com a comptente cruslnba ricamente en(eitaa pelo peqoeno preco de 1
cot do um trabalho pereito por um mdico preco, essoleta, traoeaHns, pnlceira?, alfioetej
tratos e cutros modelos tudo de alio gosto, aneb proprios para botar cabello e firma, di*) par
ment, oo rtico roseta tem o Cocacao de. Oaro uto completo e bem variado sortimenic- de dnwso
gostos, butSes fiara pnnbos com diamante, rublos e esmeraldas, obra esta importante ja' peto sea va-
lor ja' por gosto ds desenho, bnneos a forma da delicada moatnba de moca eom piogente eonteadfies-
SMraidas. rubios, brilbantes, perdas, o gesto sobtime, alflnete para gravata no mesmo |OM<%jfeJo--
glos para senbora cravados de podras preciosas, ditos para homom, diversas obras de britM'MM de
vjoito gosto, ernsinhas de- rubios, esmeraldas, perolas e nrilhastes, aneis com letras, evmetasi do
goza actualmente da todo o favor ta moda.] eryslal e oaroaescoberta para retrato (*iogleza) brineos de franja, ditos a imperatze "te* Wnal-
A carle-albttn sa faz por duzias comoBfe tiffos cortiles du muta. ^ftff^,110 CoT,i^0 de uro*qa9 6 T'T* coSotfrL a?abi,t,ia,i<> aos coocorrentes *Wo-
m^ se de aqu meoclotiar presos de cCTtos objectos porque (descolpera a maneira de (aliar) dteend>ie o
presa talvez alguemagarmojnizo da obra, por ser tao dlminata qoantia a vista do sen vaMr.-.
Na mesma loja compra-se, troca-se ouro, prata e peffras predfosas.e tamben recebeltt*er-
tos, por menos do qae em ooira qnalqner parte, e dio-se obras a amostra com penbor, conser*annD-s<
e Coracao de Oaro aberto at as 8 horas da noile.
Qaalqaer pessoa que se dirigir ao Coracao de Oaro nao se podara* engaar C(Ah .aeM^ois
nota se na soa (rente am coracao pendnrado pintado de aroarello, alem de ontro qne se nota SH'um
rotlo (isto se adverte em consecuencia de terera ja' algomas pessoas engaado com ontra ots.'
' i-
_________________________________________;___________________________________________________________________________________________ .___________________________________________________________________________________
^_----------------------i -----------------------------------1......
antigm carines de nsita.
Preclsa-se alagar urna ama forra on escrava
para ca?a de pooea familia, para comprar e cozi-
nbar : a tratar na rna do Rango! n. 10, segundo
andar. _______________________________
N'2 RA DO TORRES N2.
Caf e lunch
Eacontra se a qualquer hora.
Aceitam-se assiguaotes que veabam almfar e
jaotar a esta estabelecimento e igtra'lmente se for-
necem para (ora comedorias sadias e bem feitas.
Nao se tratara' bem os (regoetes s nos pr-
meiros dias : o tratamento sera seo pre o que se
convencionar no principioregularbomou ex-
cellente, conforme o qae cada ara qutier despen-
der, os presos sero razoaveis.
X.t-Bna do TnrrenN' 2
s Ao Sr. capillo do 2 balalhSo de Inantaria
Ignacio Pinto dos Santos Sases pede-se o favor de
se dirigir a ra lo Imperador n. 18, afirn de con-
cluir negocios que o mesmo senhor nao ignora
Igual tavor pede se ao Sr. Francisco Rodrigues dos
Santos Carioca ______
Precisa se de urna seotnra que se queira en
carregar da educagao de 4 meninas em um engel
nho perto, com tamo qae saiba o francez, porta-
guez, msica a piano e irabalhos de agulha : quem
se quiler contratar dirija *e *i> criplorio de D>
mingos Alvos M-tbeus a, roa do Vigario n. IV
De vinho do porto,
bracos devimee
eijo brinco.
SeguDda-Ieira 22 do corrente.
O agente PesUna (ara' leilao por conta e risco j
de qnem perteocer de marca diamante SSS6 barris
com vinhq do Porto, S N 6 ditos de 8o com vinagre,'
JBSA 2i ditos com vinbo 10, 5 e4, MJAS 12ditos
dito.ie 3, A A C10 ditos, e dito de 10*. sera mar
ca 1677 lencas com viraes, X 100 saceos com ei
jo branco, tudo sera' vendido em lotes a vontade
segunda (eir 22 do corrente pehs 11 horas da
raanhaa na porta do arraazem do Annes defronte
da aKandega. .
O ESTUDANTE do 2. anuo Jeronyrao Lou-
reoco de Araajo, veaba a ra das Cruzes n. 33, pri-
meiro andar, a negocio que nao ignora.
Preclsa-se de 4:00QJ. a 3:0005 a juros, daa-
do se por garanta ama propnedade denorxinada
Tres Ladeiras ou um engenho : quem qnizer azer
este negocio annoocie por este Diarto, para ser
procurado, oo tratar na ra da Praia n. 37.______
Irmandade de Sant'Anna da
i^reja da Madre de Dos
Pelo presente sao convidados todos os irmos a
(ei- rc-unir-se oo consistorio ds referida igreja, domin-
go 21 do corrente, pelas 10 horas da manbaa, aim
us_am encaixilhar otes retratos em quadros
aoH8eBhor*8Pteiaes Para com eIle* formar galeras,
m que ornato seos gabinetes. Recebe-
ritos urna certa quantidade de taes quadros,
os quaes cederemos por barato prego aos
nosios fregu*
As pessoas que quizerem ver specimens
dos retratos chamados corte-album, j fei-
tos em nossa ofJBcina sao convidados a visi-
tar o nosso estabelecimento.
CARTES DE VISITA A 90000 A DDZIA.
Em consequaocia do novo geaero de re-
tratos chamacros* cd-aWum, dimlnQimos
o preco dos antigos caribes de visita, os
quaes de boje em diante ficam reduzidos
ao preco de
oMoo
pela primeira duzia4_ sem que por causa
desta diminuico de prego, euemos de es-
merar-nos no nosso.trabalbo, como sempre
foi nosso costume. Alm disto, continua-
mos a dar os cartdes de visita, em cartes
de luxo, Bristol, ou porcelana, dourados ou
iithographados para o que temos uroa varie-
dade de 12 modelos, a escolha de quem se
retratar.
CJ- VA GOMO PREVENfO.
Apezar do no9so trabalbo ser muito co-
nbecido nesta cidade, aonde irabalbamos a
12 aanos, com tudo j Bigamos de nosso de-
ver dizer hoje o seguinte :
Nos retratos fetos em nosso estabeleci-
mento emprega-se toda a cautela para of-
(ferecer-se a par da belleza do trabalho, as
tnelhores condlgSes de duraglo. Doura-
mos e Gxamos Os nossos retratos sem olhar-
mos a economas, e ltimamente para mes
podermos dar urna lavagem mais ampia
e segura, contratamos com a companbla de
Bebiribe M peana d'agna. Os nossos
cartoes de de visita sao verdadeiras photo-
graphias, que nao preciso de retoque? do
pintor para Ib o desfar^arem os defeitos, e
convidamos a quem quizera passar sobre
elles urna e-ponja mol hada em agua, ou a
deixa-los mergulh3dos por espago de horas
ejn agaa, ou eruespirito de vinho : seapre-
senarem alterago serao r^cebidos por nos
pagos pelo duplo d que tiverem cus-
Novo e grande deposito de superior carvao de Cardtftma
Babia.
. Antonio Gomes dos Santos & C, roa Santa Barbara n. 1, estn- habilitados a supprir da
owvao em condicSes mais favoraveis que em ont> j qualquer deposito, a todos os navios a vapor qae
cer-rem naoaeile oorto. A contratar nesta com Domingos Alvs Mtth^ns
i
AVISOS DIVERSOS.
de se.eleger a nova mesa regadora que tem de
fauccionar no anno administrativo de 1867 a 1868.
Joaqaim F. da Silva Jnior
Escrivo.
Cozinheiro
mendas,
fasdHarde
fiOOOOOO E 2000)?000
Terga-fetra 23 do corronte mez no lu-
gar e horas do costume se extrahir a 21
parte da 8a lotera a beneficio do theatro
de Santa Isabel (29.a)
As acommendas sero guardadas somen-
te at a noite da vespara da extraego.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Aotomo Frencisco de Oliveira Campes sao-
dito brasileiro, vai a Europa a tralar de sus saude.
Preeisa-se de ama ama de leita qae soja
forra e sadia : na roa Direita n. \o.
Preciaa.se de ama ama:
meato a. 36, sobrado.
na roa ao Llvr
Precisase de um cozinheiro, preferindose n.es-
panhoi ou portoguez : na roa das Laraogeiras nu-
mero 14, hotel.____________
Na roa de ianto Amaro u. 6 precisa se de
um feltor qae saiba tratar de jajdim e pomar, pa-
ra o lugar do Monteiro : a tratar das 9 as 10 bo-
ras do dia. i
Dinheiro a premio.
Na travessa da roa da Concordia n. 13, sobrado,
se dir' qaem da". __^______^_^^___-
Confiara de 8. Jos u'Agonia. ,
Por delibera?o do nosso irmao provedor convi-
do a todos os nossos irmos a comparecerem em
nosso consistorio, sabbado 20 do corrate, afirn de
encorporados, assistirmos a (esta e te-deam de
Santo lliu do convento da N. S. do Carmo.
Consistorio 17 de julbo de-1867.
Antonio de Azevedo Neves
Secretario.
Prscisa-se de am caixeiro de idade de 14 a
16 sdoos eom pratica de taberna : na ra das
Cruzes n. 1.
ATTEHeiO-
Antonio Daarte Pinto declara pelo presente qae
por haver am outro de igual nome, assigoar-se-ha
d'ora em diaote Antonio Daarte de Flgaeiredo.
Recife 18 de julho de 1867.______________^^
Precisa-se alagar amo ama livre ou escrava
de boa conducta que sirva para todo sarvica de
ama casa de poaca familia : trata-se roa da Ca-
deia do Recite n. 34, prlmeiro andar, das 9. as 4
horas da tarde, previne-se em teuM. qae pan ir
para Apipacos oade reside a familia qae precisa.
Offerece-se urna criada para casa de bomem
solteiro: a tratar na roa da S. Francisco n. 43.
Rud da Imperatz n. A, pri
meiro andwr.
-
Atteiico
*
N noite de i-doeerreote (arlaramdo Micro
do eogenho Bento-velho do Dr. Bellrio, am ca-
vallo castanbo novo, com duas mi e atn p
brancos, urna graad&aejrejltia twlfaiirtt&}hu 'Uiij -^-
do direlto am ferro (representando 4 dentes de um *"t'
garfa adireiU) e do esqaerdo algpm Oestes^^L. tf^.J*
ou ambos. Foi descangotado no* candin'BIW *
cavallo pertence ao Dr. Vicente Jansen de Castro
tado.
Continuamos a fazer retr.itos por todos os
systemas photographicos at hoje conhe:i-
dos em photographia. O nosso sortimeoto
de caixintns, quadros, passe-par-lauts, e
joias de ouro para a colloca;ao de retratos
o mais completo, variado e abundante que
existe n>jsta cidade.


W: 3 ARa de Cabog M. 3 A
Agostinko Jos dos Santos #* C
Acaba de chegar a este estabelecimento um esplendido sortmento de
joias do ultimo gosto, perfego artstica e modellos eoteiramente no?os; como
seguem: aderegos com rubim, esmeraldas e perolas finas, pulceiras, broches
para retrato, anneis, botos de punho, brincos e casso!eias com letras, etc.
etc., etc. Salvas de prata do Porto, faqueiros, paliteiros, calix de mesa e
fructeiras, gujos pregos sao incompetiveis, pois que os propri^tarios desta casa,
recebando sejas artigos directamente da Europa, podena servir vantajosamente
aos Seos freguezes* Compram-se brilhantes, peoras finas, ouro e prata, paga -
ae bem, tambem se incumben! de fazer conoertos.
.




a
o
ira
o
9
i lili
ej a t- o
i-, >-i o m
W rj) fl) O
lili
en "S
_ o w
3:111.15
~= S
"i"* O B IO U
* S12 V %
B bu S o T >
OT3 g

a
M
a
o
o
"S

sa
So
2
af a
9 S -S
. a
J "O
a o t-
5-2
73
o
eo
rr o
'3
a
ti
i&P1
O
!
O
.73 "
a-""
Um a
sun s
O.*- m
9> 2 *
9 O ex>
o S o
"2 "> 5
2 0-2
a a -'
6 -
a a
rt
>'\

Retratos a oleo.
DHos em Cenotypo.
Ditos em verdadeiro esmalto sobre por-
celana.
Leen Cbapelin, pintor e pbotograpbo, convida)
ao iliustrado publico a-vlaKaraana- gateria, onda
se acba ama collecco de retratos a oleo de algo-
mas pessoas desta cidade, adra de fazerem no
juizo impareil sobre a semeibaoQa e desempeabo
d"arte.
Outro slm, garante ser elle o nico artista nesta
provlncit, qae trabalha no systema de esmalte so-
bre porcelana, inaiteravel, por ser vitrificado ao
? fMtutos esses proijios mx. alnetes, bo-'
, cassoletas, aunis, ate., ees.
Acbaudo-se en) preparativos de viagem, Len-
Chapelim, raga as pessoas qt desejarem possair
aj pfcrfeitrreUfto per cpalqter dos systemas aei-i
ala ditos, aproveitarem esse pouco tempo qne pde|
dispOr, certas da que ficaro completamente satis
Jeitos.
o o :a
- o
.ro-al
C a >
-2 S a
. f f
Mira
a -
.-a 3
j en .3 2 .2 "S 3
9
cr
. Q
Sis-
i______
i*
m
fa fcr.S en
Q n ^ n
009 o. a-o
^ z i 1 -
Si
9
9
o
a
o
o
a>

a>g>2: es
00 So
PREPARADOS SIMPLES,
Xarope de jurubeba garrafa......... I 000
Vinho de l&6oo
Pilulas de vidro......... lj$6oo
Tintura de 64o
Extracto hydralcoolico de jurubeba I2j?5oo
PREPARADOS COMPOSTOS.


.



Vinho de jurubeba
Xarope i
Pilulas
ferruginoso

garrafa.
vidro
..
2looo
4,5600
25000
.


o
9
9*
Xarope de salsa parrilha do pera
ow .
DETOR.VTIVO DO SAK&UK USADO NA9 MOUCSTIAS DE
PELLE, BIPING8NS, DOSES HHEUMTICAS E ULCERAS
VENREAS. 4 ) f i _>
Qepaaito
Pharmacia do Pinfo fu larga do Rosario nu-
mero Mfc.
- Alagare nm ptimo wl&toho parevertade :
na roa do Araga'o n. 43.
MMHHIMWI9I
10^000 1
Barra^rTu51ra*tti di
que engomma e cozi-
ordinario de urna casa : na roa da Aurora
Para a Bahia
Preteoia stgtr os mnit* trfldde rtlelra
sumaca m**oqH florada, \emtm} 4 na m-
AMQflUMBfl pode ser >egne. na oidade de
OUodi ao Dr. EUtopt Jansen, 404 se recompaa- a qaem ti ver aehado am papagaio dMtt- p alei
sa.Ta'Aqjwn (Z$Kwt< k*39 e ama W'?*M'o mesmo p-no hMfio dos-jHa' comoS^Ma^.
K
Segu
tante II
ivaHa
oo com o
eom
Saato 19,
TOKltt 4e Blerifce.
A professor rWWidi- *> T^r^cfc prhWfto
fovoadoie BAartte-faopoWw qae t iia.lt *
correditi
10J000
^r
leo de jurubeba vidros....
Pomada de pote......
Emplastro libra------- 2 PARA UZO EXTERNO
A jriTRUBEBJU .
Esta plantaje hoje reconhecida como o mais poderoso tnico, como um excesi
lente desobstruente, e como tal applicada nos engorgitamentos do figado e baco, na-
hepatites propriaraente ditas, ou anda computadas com anazacchas, as inQammacoes
subsequentes as febres intermitentes ou durezas, nos abeessos internos, nos tumores es-
pecialmente do tero e abdomen, nos tumores glandutosos, na aoazarcha, as hydrope-
zias, erysipellas; e associada as preparaces ferruginosas, ainda de grande vantagem
as anemias, calorosas, faltas de menstraaejo, leucorrheias, desarranjos atnicos do esto-
mago, debilidade orgnicas, e pobreza de sangue, etc.
O que dizemos affirmam os mais'distiQCtes mdicos desta cidade, entre es quaes
podem os citar os Ulnas. Srs, Drs. Silva Ramos, Aquino Fonseca, Sarment. Seve, Pe-
rchado Carmo, Firmo Xavier, Silva etc. Todos ellas reoonh-'cem a e&cellencia d'este po-
deroso- medicamento sobre os deraais at hoi) 'onuecidos, para todos os casos citados,
tanto ^ todos os dias fazemd'elle applica?!'-.
" presentando aos mdicos e ao publico em geral diversos preparados da juru-
beba,-tivemos por fim generaiisar mais o uso d'este vegetal, fazendo desapparecer a
repugnancia que at hoje sentiam 03 doentee de uaaedos preparados empricos d'elle, o
mais das vezes repugnantes a tragarem-se, e que tinham ainda a desvaitagem de tifo
ser calculada oae coavemeote a applisar-Be, o que torna muitas vezes improfteuo um
medicamento, que poctena prodoif ptimos resultados.
Os noeos prepatios s6"foram apreseutados depois de haremos convenientemente
estudado a jarufeeba^ ft*e.ndo as expeneocias precisas para bem conhecer as propriedades
ama have
o Gabo^ n, 9-
Ssa-sSSffHi'de lette : na 1
aifc;P> ^ W*y.
r AgaioijUo.k;wasivrte coa..q Ro-
rinbo por %4 mensaes: a tratar na raa-f G-
... ji<
^Prae1-s aligar tmmor4-tia nera plk
er: ns ra de Aguas-verdes n. 46, segoaia
Precisa-ifl
de casa
^BWfs!
m se < -
alto moa-vs, m pra?'W l.tWe-
cro qne possames tirar j
Por tali> es que se dignare recorrer aos nossos preparados podem ter a certeza,
de que elles *er*em a garanta, de que se pod encontrar a prempta e irtHHfve cut
de qualque dos soffnmentes, qofe deitamos innumerados, se forem em tempo awucaaos
tendo alm dlsso, medico ou eUt'e a vantagem de escolher as nossas var2pPa"
racCes, aqdefa qie melhor Ihe pode ooavir, j pela fcil appticaijlo, e ji pela oflfcpflcacao
das molesta, iiioX sexo, oa anda naturam de cada iadwfda.
. ^ As tcfssas preparacSes ferruginosas sao feitas de forma quesetomamfiomptola-
mente soluveis nos suecos gstricos, porque procuramos os compasto* de ferro qae como
taes esfio hoje recoabeeidos. ^ / ^Lf, .
Para aquellas qae mais minuciosamente qoeiraai cooMoer as prOpriedaOj da
*, e saberem a applcac.5o de nossos pre^affdos, destrlbaimOS gratuitatoente
nosso deposito um U^% onda traamos mais extensamente d'eeta^fume des mea-
preparad *&^ mal 4a tttm n |reprt#8
*^ Bejatt frotarla
34Ru larga do Rozario34
1 m~3



m~


Mario de Termtwkuem -Helia te
Jtilho de 1867.
\
C4SA
de commissao' de escravos,
Na casa da commissio de esceavos ron 4o loa
perador n. 4o, 3* andar, rfcbej-ae cientos pa
ra sereno vendidos Uoto da prafi como 4o mal,
e os senhores de eDgenh > qae por qualqaef-amji
vo qneirara desfazer se de algum nao teto maij^l
qoe remetalo ao abaixo atstgnadv qae garante t
bom tratamento e prorapta Prenda, ao se poopan-
o exforcos afira de eco lodo satistazer as pessoas
qae quizerero honrar com a su coonanca. fies-
a casa ha sempre para vendar escravos de ambos
ossetw.
Antoiio Josa Vieira de Souza.
V
O

i
A directora do collegio de meoinas
de Nossa Senhora da Cooceicao, oatr'ora
establecido a' Tamarioeira, e a mais de
dons anuos transferido para a roa dos
Ccibos n. 13, laudo entrado do decimo-
qoarto nao de sua fandaco, garantido
a lodos os respeitos, ja' pelo pesso i de
"sea aagisterlo, ]a' pelo resultado de sens
esforcos; vena avivenur as honrosas a-
preciares dos pas de familias de Per-
nambuco, com que sempre brindaran)
este collegio, e sendo que em observan-
cia dos respectivos estatutos tem ensi-
aado doutrina christa, catbecismo de
[ Mootpelller, primeiras letlras, gramma-
tica portuguesa, aritbmetica pratica, lln-
gaa franceza, geograpbia, Historia Sagra-
da, Historia Universal, clironol >gia, pia-
no, desenbo, danca, bordados de todas as
qnalidades. A directora, em prova do
apreco em qoe considera o- proeresso das
ideas civilisadoras do paiz, offerece am-
pliar a instrnccSo das meninas com o en-
jjno da lingna ingleza, a ilngaa italiana,
o canto, a pintara, a aquarelle, a la gua-
che, estas subordinadas ao desecho, flo-
res, e demais obras de cera. A direc-
tora espera, sam vaidade, e despida de
estadado fanatismo e bypocrisia, segara
as garantas qne poesue, ser attendida e
acreditada. Recite, 20 de jalbo de 1867.

AVISO


b
liv
.,' 'fe
CAROSA
PREPARaDAA fro
Sociedade
Xa ra da Praia o. 31, te olerece mclade 4o*
iott-res ne secca a quem ss preste eom a scffieleate pra-
llca e fiador idneo de soa oeodocla. -
Deee|a-se a lugar uasrtiocom estribarla e
plaa de caplra, oai proximidades 4% cidade a
qoem o liver dirija' a roa d Crespo n. II, I-
andar. *
-a rtu da. Imperador'o. 73^ tegoade aadar,
precwse aJogar ama cozinheira ja* de,"

POR
93*
AlIttUSTE CAORS
Pharmacentico pela escola de Paris e successor nesta cidade
OflB41

U

DK
Aristide Saisset e J. Soum
22.------Ra da Cjtuz-----22.
EIiI
Preelsa-se de nm escravo de raeia idade, de boa
conduca e habilitado para too o servido de ama
casa de poaca familia, assim como de urna escra*
va que cosinhe e engomme bem, ensabe e faga
todo o mais servico proprio de orna criada : qoem
ver e quizer alugar dirija se V roa da Aurora n.
70, 2 andar.
GASA DE HAMO
26 Pateo do Carato 26.
Neste estabelecimento to im-
i portante para a saude e asseio
do corpo, acham-se montados 20
banbeiros, qne sao servidos com
a ordem e asseio que para de
sejar-se. Quatro destes banhei-
ros sao especialmente reserva
drs para senboras e por isto
acham-se collocados em lugar re-
servado, aonde s tem entrada
as pessoas de urna mesma fami-
lia.
iPREgOS DE BANHOS AVULSOS.:
1 banbo fri, morno ou de
chovisco. ..... >oo
i dito de choque. Itfooo
1 dito de farello. iffooo
i dito aroma tisado. ilooo
PREQOS POR AaSIGNATURA.
30 banhos por mez fri,
morno ou de chovisco. 105000
25 banhos com cartoes
para os rcesmos. lo.5ooo
i2 ditos ditos ditos. 5'ooo
4 2 ditos ditos de choque. 1 o 000
12 ditos ditos de farel-
lo. ...... InjnAn
O estabelecimento estar aber-
to nos das nteis das 6 horas da
manhaa as 10 da noute, nos das
santificados das 5 as 5 horas da
tarde.
-
nem outro q a al qae
,1 .-
!86S
Capunga
jo do Las-
ALUGAM
daas casas terreas ns. 32 e 34 sitas na
ra da Ventara, junio ao porto denominado
ser, caiadas e pintadas da novo, e com commodos
para familia, tendo casimba, senzala, estribarla,
alm de am grande quintal morado ; qoem preten-
der dirjase a roa do Trapiche n. 3,1* andar, qae
achara' com qoem tratar.
Ps de coqueiros
a 300 rs., se a compra fr mais de 100 far-se-ba
um abatimeoto
45-Riia Pirelta-45
Attenco.
o
As pessoas que tiverem relogios parados por fal-
ta de concertos, qaerendo aproveita-ios para sen
oso oo para vender, dinja-se a ra Direita loja
de relojoeiro n. 139, que concerta-se e doura-se
com perfeico e por menos do qoe em outra parte,
prometiendo camprir o qae diz por ser casa nova
e querer acreditar-se.
O abaizo assignado tem constituido sea pro-
carador na provincia do Rio Grande do Norte o ade
vogado Dr. Antonio Jas de Alcovli, en qoem ello
reconhece, alm de urna honradez a toda prova, r
zelo necessario para incumbir-se de quaesque-
questoes, sem sacrificar de modo algum os inters-
ses de seus coostituintes. Pazendo esta declarado
por certos motivos, o abaizo assignado jolga qae
ella podera' aproveitar aos seas amigos que o co-
ubecem de perto para comprebenderem que nao se-
ria feita esta mencao de um bomem qoe o mesmo
abaizo assignado nio podesse abonar, como faz
pelo presente, garantiodo as quantias enviadas ao
dito sea adyogado para o andamento de negocios
judiciaes ou admlnisirativo.
Reclfe 15 de jalbo de 1867.
Paoricio Gomes Pedrosa.
3T
RA DAS CINCO PONTAS N. 86
AO GEANDE ARMAZEM
DAS
DUS AMERICS.
Sempre barato
Hantelga
Ingleza flor a l&, a libra e a Seo rs. soffrivel e propriapara tempero.a 32 rs
dem franceza a 56o rs. a libra.
Cha
De primeira qualidade a 238oo e proprio para negocio l)Jf oo a libra.
Blscoltos
Inglezes pearl, nic-nac, oval, cracnel, e outros superiores a 1Jloo a lata.
Figos
A 24o reis a libra.
Geminas
De milbo branco a 4oo reis a libra, de araruta verdadeira propria para alimen-
tar criabas a Soo reis a libra e caxinhas com 4 libras por menos, gomma do Maranhfio
a 16o rs. e tapioca sag a 24o a libra.
Chocolate
Superior a 10, a libra.
Doces
De goiaba em latas a 105oo em caixa de 4 libras, muito fino a 108oo, em caixes
de 2 libras a Hoo e 32o.
Pelxe
Em latas a 10ooo reis a libra, sortido'em qnalidades.
Ostras
America'a 8oo rs. a lata.
Baldes e Vassouras
Americanas a 8oo Veis cada peca. %
Toucinho j .
De Lisboa a 320 reis a libra.
Tomates
Em la tas a 6oo rs.
sal
Refinado em lindos postes por ooo rs.
Rlrshs de Wasser
A 20ooo a garafa.
Vermouth e Abssutho *
A 10ooo a farrafa.
Bltter
A 10000 agarrafa.
De bordeaux superior, Saint Estephe, Saint Julien, Saint Emilie a 70ooo a duzia
e 64* rs. a garrafa.
Vlaho
Do Porto fino a 140ooo a duzia e 105oo a garrafa e magnifico tamhem em bar-
ril a 8oo a garrafa.
Duque do Porto
Adamado e outras marcas a 9oo rs. a garrafa e lo0 a duzia,
vloho da Flgueira
O que ha de melhor a 40, a caada de Lisboa a 30 e .40 a garrafa.
Vinagre
De Lisboa a 2oo e 28o rs. a garrafa.
Farello de Lisboa
Saceos com 9o libras a 405oo.
Cerveja
Franceza em gigos de urna duzia a 60.
Ingleza
Bass verdadeira a......T. e Victoria e Alssop a 5oo reis a garrafa.
Tratamento puramente vegetal sem mercurio, iodo, ooro,
mineral.
Verdadeiro purificador do sangue sem azougae.
Especial para a cora de todas as molestias qae tem sua origen na impureza do
sangue, como sejam as molestias boubaticas, sypbilrticas, escrophulosas, darthipsas, quer
venham ellas por hereditariedade, quer sejam adqueridas pelo contacto com pessoas in-
feccionadas dos diversos viras que contaminam o sangue e os humores.
A caroba om remedio prodigioso, [usado desde remotas eras pelos indios
do Brasil, e passando seu uso de geracSo em gerac3o, boje um dos remedios mais co-
nhecidoscomo proprio para combater as molestias mais hediondas, entrando nesse nume-
ro a morpha ou elephantiases, pra cujo curatbro os nossos sertanejos consideram -
carob A moilo ttmpo eotrou a caroba nos formularios como preparacSo magistral
sob i forma de eleictuario, ainda hoje lembrado as pharmacopas) com o nome de seu
celebre autor Joao Alves Garueiro: n2o ella portanto remedio novo nem desconhecido.
O ungento de caroba da mesma sorte preconisado desde tempos immemo-
riaes como o mais apropriado para o curativo das boubas e ulceras syphiticas srdidas,
e empregado com proveito depois de improficua applicacSo de muitos outros agentes
therapeuticos enrgicos e de uso quottdiano. /
Muitos dos nossos mdicos de considerado e/ontre elles o muito distincto pratico
e observador o Sr. Dr. Pedro d'Albayde Lobo MoscoSo, tem confirmado por meio de ex-
peneDcias repetidas, o que diz a fama das benficas propriadades da caroba no trata-
mento das boubas, das diversas formas sob qne a sypbilis se aprsenla e muito especial-
mente as que teem sua sede oa pelle,. e poderiamos relatar alguns casos de data muito
moderna ODsarvados pelo mesmo Sr. Dr. Moscozo em que a caroba produzio admir-aveis
efleitos, depois de inuteis e prolongadas applicacSes de salsaparrilha, mecurio, iodo, on-
ro e seas preparados, etc., etc.
NSo era possivel que urna planta, lo notavel por suas inappreciaveis virtudes es-
capasse a perspicacia e investigaces dos mais abalisados praticos europeos, que se ap-
plicam com especialldade ao estudo e tratamento das molestias syphiticas e herpejicas
e para prova abi esiao os Srs. Drs. Casenave, Scburfer, Ricord e outros dando as mais
lisongeiras informaces sobre as propiedades curativas da caroba e preconisando-i como
remedio poderossimo para o tratamento das erupejes cutneas, seccas ou suppurativas,
dartbros de todas a qualidade, ectemas, ulceras de diverras naturezas, tumores, osseos
e outras multas molestias de natureza sypbilitica ou boubatica.
Porter-se generalisado muilo o uso da essencla da caroba qae eu pre-
paro e pelas instancias de varios mdicos que desejam continuar em suas observacoes,
deliberei-me a ter prompta urna quantidade da mesma essencia, obtida sem a acc5o do
ogo, para n5o prejudicar as propiedades medicamentosas; e d'ora em diante encon-
'*llJ M mmha pbarmacia sempre e em porco suficiente para todos os pedidos a
ESSENCIA CONCENTRADA De CAROBA, e o ungento da mesma plenta para que nun-
ca fallera aos Srs. mdicos que quizerem esperimentar t5o precioso agente medicinal.
Recife de Parnambuco, 17 de outubro de 1866.
Acgoste Caohs.
Frecia-se saber ooticla de AMoaa Ahw,
naioral dePaco de Sooza, logar de S. Lmrco,
1m.o,gi!; que vel P*n o Brasil eStr*** aso
de 1828 a 1832, desconfla-u qoe ja' morto aeb
raitade noticias qae toen tt teas parales all c
roga-aapor isso a quemfossa dar alftotsaa iafor-
macSes o favor de dirigir-se a roa de Apolle a. JO,
seeriplorjoda Carvalho & Nogaeira.
&aasum
2 aSegS
?=
O 3
. M g O
-st q "o
e
9
NOSSA SENHORA DA (MCI(!lO
Para edneaeSo do sexo masculino
Director Manoel Alves Vianna
O collegio da ConceicSo, mudado ltimamente para o bairro de Santo Aa-
i tonio, ra de S. Francisco, casa n. 72, contigua estaco central dos trilbos Wft
urbanos dos Apipucos, contina a fanecionar regularmente, recebendo alum- 2
nos externos e internos, tanto para as aulas primarias, como para todos os (|^
preparatorios necessarios matricula de qualquer faculdade, sendo os seus
respectivos professores pessoas moralisadas e de um concito magistral j
bem firmado nesta cidade.
O director deste novo collegio contiuuando a empregar toda a solicitude no
desempenho de seu mandato, espera fazer-se mais digno da confianca com
qae o vo honrando os senhores pais de familia, confiando-lhe bondosamente
os seus filhos.
Os estatutos do collegio, assim como o franco ingresso em todas as suas
dependencias, esto sempre a disposicSo de quera possa interessar.
GRANDE HOTLL CENTRAL
Roa larga do Rosarlo n. 37
Alagam-se espacosas salas e quartos mobilaades, servem-se comedorias
rado gosto e asseio e recebem-se pendonistas por precos commodos.
a toda hora com apa-

-
Atten^ao.
do LivrameaU-K. 25
roa da Penna n. si, segundo andar, ala-
ga-se um, dons ou tre escravos para qualaaer
service, preferindo-se de sitio prximo, us alu-
gueis sao pago meiiMlroeote.
Na praca da lodepeodeacla n. 33, loja de
onrives, comprase ouro, prata e pedras preciosas,
e tambem se faz qualquer obra de encommenda e
todo e qualquer concert.
LOJA
DE
RELOJOEIRO
Vctor Grandin
N.2S--L
Deposito de tamancos e calcado nacionaes da fa
brica da roa do Jardim n. 19, de Jos Vicente Go-
dinbo, tanto no deposito' como na fabrica se
apromptam todas as porgos de calcado o mais ba-
rato possivel, esta fabrica tem todas as machinas
proprlas para os calcados ja' bem acreditados pelo
grande numero de freguezes que daqul se for-
oecem.
Urna pessoa com pratica de agricultura se
offerece com tres escravos mogos e praticos no
mesmo servico, a encajarse em algum engenoo oa
oatro qualquer estabelecimento : quem precisar
procure na roa das Crines, esiabelecimento do Sr.
Joaquim da Silva Costa.
,.~ Pecbaie de om caixeiro para padaria : ao
largo da Sanu Cruz n. 1.
Ensino de msica
i. 73, 2o andar, ra lo Impera dar n.
75, 2o andar.
Lecciona-se per solfejo e a tocar va-
rios instrumentos ; dando-se as li-
c5es das 5 horas da tarde as 10 da
noite em casas ou em suas residen
cias.
J
Ama
Precisa-se de nma ama ilvre oo eserava para o
servico interno e externo de urna casa de daas
^T!r**til*mm porconta e pe8SOa!..:..n!a.d>3.Sr"^l28:
ordem deHercolaao # AlbaaMMne IIaIIa d*
vUUde SanuLuzi 1liSTSV^LSt
N.40 Ivadauieia d Recife N.40
O proprieurio deste estabeleci-
mento, premiado com a medalha
da exposlcio universal de Paris no
anno de 1888, tem expalo a venda
em soa loja, am graode sortimento
i de relogios para algibeira como se-
"jam: deonro e prata.sendo dos me-
more fabricantes, de patentes ingleses, sulssos e
orlsontaes, Tambem tem ama graode quantida-
de de relogios para parede,* qoe batea beras, di
tos para embarcacoes, e pata cima M mesa, t-
dos estes retoflorslo dos mais bonitos modelos.
O mesa coaorta relogios de totas ai qaalMades
existentes, assim como tambem concerta ebrooo-
metros do algibeira e Daritiaaoa : raceb cajn
por todos os vapore?, nm completo 'sSrtfaeokTae
eorrentes e tranceln?, sendo todo de %_
e deoodelloj os mais modernos.
garantido da 2a parte da
nijbeta inteiro
be. n. m eo. US^ ^
do correte.
da
Precisa-se de am aileiro qoe teabaprailca
de venda e qued dador a sua eoaducti, de ti a
lannos de idade : oa roa Dlrelta n. 74.
Aloga-ae para ama da leite ama parda moca
com dous BMaas de parida, sem Albo e de bons
eostnmes : no pateo do Paralzp, segunda casa de-
poi do acoagoe.
" Om par* aB.r!-------''
Aluga-se o 3* andar de predio da ra da Cadeia
do Recife a. 27 : a tratar ao S'bdar.
Menciae
Mdico cirurgico
no
AIV ACIN AL
Oompanhia geral hespanhola de seguros sobre
a vida *
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
BANQUEIROS DA COMPANHIA DIREGfAO GERAL
O Banco de nespanha I Madrid: Roa de S. Agoatinho
m.IO
Nituaeo da com pan lila em 15 de Ja I ha de 1866.
Apolices 19:700 Capital Rs. 127:1440670 ou moeda brasileira
Rs 12,714:4764000
A Nacional abraca toaas as conbinagoes do seguro de supervivencia e n'ella pode
fazer-se sabscripS) de modo que em aenbum caso se perca o capital imposto nomos lu-
cros correspondentes.
Urna aflanca depositadanos cofres do.'estado, garante a boa administrado da com
panhia.
Os fundos da companhia se invertem em ttulos do estado e se depositam no barl-
oe de Hespanha com ioterveacao do delegado do governo e do conselho administrativo.
A companhia estranhatoda a empreza ou 3ospiculac5o perigosa,eos titbs em
guese invertem os fondos imp s na rmesma, n3o-se correm o menor risco, pois esto
garantidos pelo governo, podeatonacoo da a tor p.eizosd
-

NOVO DEPOSITO
DE
Precisa-se de rima senhora que saiba
ensinar a ler, escrt%:-grammalica, porjlu-
para en-
. engenbo na
umnegoa distante
da estacSo, ii09i\ bem : a tratar na ra!1
oKMaju* n. II, V andar, con Francisco1 5&
irtonio de flrftto.
Dr. iBttiit finarte
Na praca da Boa-Vista n. 21 onde
pode ser procurado a qualquer
hora.
Especialldade
Doencaa do peito, e de meninos.
D consultas das 7 s 10 horas da
manhaa.
Permuta
manas, Iol
MACHINAS
PnA i)ESCAROCAB ALGODO
Manoel Beato de Oliveira Braga,
..Sfc-Rwa Dlrelta .-53
Neste estabelecBento se encontrarJo as
verdadeiras machinas americanas etoegadas ultima'
mente, as quaes sao feitas pelo mais afamado fa-
bricante da America, por isso avisa a todas as pes-
soas que precisaren! comprar, de se dirigir a este
estabelecimeato que comprarao das mais perfeitas
neste genero, assim como mais barata do que en
outra qualquer parte, por iswqaa e recebe por
tonta propr, bem ednw faop,* chumbo e mo-
nhos para moer milbo, e grande fortioMBo de fer-
ragens e miudexas egtaiiwi* #. .
Machinas iJHmB^^ dfl
8P o = a > -a o i_ o
o
a Q
a =s*l
Q a #
iUl
r

I
50,5(000
Auseutou-se do sitio Coringa em Ierras do ea-
genho Jundi freguezia da Eseada o molatinbo
escravo de nome Flix, idade 12 anuos pooeo mais
ou menos, cor clara, grosso do carpo, cabello as
lego annellado e levou chapeo de palha de car-
nauba, camisa e calca de azolo, eujo desappare-
cimento teve lugar em o 1* de mareo prximo
passado : quem o pegar sera' gratificado no enge-
nbo Jundi no sobredi lo sitio a entregar a soa se-
nhora ClemenUaaPessoa de Oliveira oo eo Reeif;
a ra da Praia nT*3, estabelecimento de molha-
dos de Gepnino Jos da Rosa.
Aos Srs. bgueteiros
na botica da roa larga 4o KosaMa a. 34
vea^de-ae
Salitre reBnado da Ia qoal'dade.
Eoxolre em cylindro dem.
Limalba de farro (muito nova.)
dem de ac idem.
dem de pona d'agojna idem.
Dasappareceu do eogenbo Gatimbinna, no da
8 do correte, o escravo Luis, mulato, idada 12
annos, pouco mais oa menos, cajos tigaaes sao :
baixo, corpo ebeio, barbado, pro*ista, quer se in-
culcar de ferro, e ba descoofianea qne qoeira a
apresentar como voluntario da patria, e talvez qoe
na provincia da Parabyba, para onde ja fez ama
fgida quando pertenceu a outro senbor Jos Alves
Bezerra, &enbor do eogenbo Escavadiobo, alto na
comarca de Xazereth : rogase, poriaoto, as auto-
ridades po'iciaes ou qualquer caplt3o de ampo a
apprebensao do mesmo, pagndose generaamen!.'
a qoem o apresentar a sen senhor, o abaixo amtg-
nado, em sea eogjnbo Gatiobinba, sito na comarca
e (regqezia de Igoarass, oa nesta praca a Rocha
Lima & Guimaries.
qLuIz de Andrade de Albuquerque Maranhj-
JARDIM DAS D\M\S
36
NOVA
Loja de fezendas
Una da luaeralriz 36
DE
Guimares Sa
Ts propietarios deste .bello estabelecimento
partecipam ao re&peitavel publico, a a teas dig-
nissimos freguezes qae encoairaro no alegante
jardim das damas fazendas. todaa aovas modetaa
de diversas qnalidades e ricos desenbos, lodo o
qae ba de bom e barato a satisfarn de todos o-
freguezes, que nos quelram honrar com soa pre-
senta, a saber : sedas, las, liobo, algodo, vas-
quinas, ntremelos, babadlnhos, camisas francezas
de liobo e algodao, seronlas de lioho, camisas fla-
nella de cor, ludo de diversas qnalidades e goslos;
assim como um completo sortimento de roopas
feitas, tanto francezas como da trra e por medida,
todo com brevidade e perfelco, com o proposito
de agradar a todos, tanto em agrados dos Jardinei-
ros como a meibor boa f possivel oa elastitteaco
de nossas fazendas, por isso partecipamos a todos
em geral dirigir-se ao elegante jardim das Damas,
veriBcar-se da verdade.
Precisa se de urna ama para o servico interno
d urna casa : a tratar na roa da Cadeia do Reclfe
armazem n. 8.
-- fl m
oj t- O S
3 (- ea M 2
.2.2 -S
> je s 9
lela
a ..a
"3
*a
lS.
Q fa
i 2 ^
a
s
m
s
o.
s.
a
o
<
ca
<
ce
o
3
9
o
e
o
o
a
O)
o
*^
en o 5
D

9*
O
Z
ea
a
e
Cfe


"i-:

o


U
g."P
-s
oyete*a}i
iem idem para milho.
pira reioacao.
9 S -? -,
a has 2 3
sW"S .a q
Aaphalto
O fabricante Manoel Plrmmo Ferreira morador
na roa da Coacordia n. 73, offerece aea prettiroo
a qoem preciar de ladnlbar sega armanaa, ca-
sa de mora*a, terracos, ooetolraa ote, eom esta
material onioo preserntlvo da copia, ratos o bn-
mldade das casas e at bygianko. ; .
-ntraga-sema-irmaxem panda na uja da
Praia n. 33, propria pmr ame oa oatro qaal-
rteial He!
Peeiavse IV um offlcial de
aCroti. I
belro: oa roa
>
^ *


. a
i
J
Diarlo e pernambneo Sexta fefra 19 de ulho de 1867.
MffJBlM>
horas seo cooveocionadas, islo das 11 do dia
as 9 da noile. En casa oode tiouverett triis de
um discpulo o pre^o diminuir, l'odera ser pro-
carado oo oa roa do Socego (Oampo WrJe) u. 54,
ou na nu da CobcoM o. 18 A.
No da 19 do co reate as 10 hora* da manhJa
ba inspecg de saade ao consistorio da reja iua- ,
tris de S. Jos para os guardas que r<-qaereraio ao ,esmas ^pel almaco multo bora a 2*500.
cooselho de qualibcagiio da reviiodo batalluo "
Orna pessoa sufflclentemente habilitada, offarece-
' se para ensioar primeiras leltra?, riitiraellca, geor
SatISfeitQ O mveocivel Vead Braoco, COlll as maneiras attenciosas COffl que graphia e fraucei, era casas particulares, por pre-
foiaolbido pelo respeitavel publico de briosa provincia, a poni de que muitos a por- o rauiti fia desputaram a satisfago eleserem ospiimeiros a compraran era seu importante arm- meUe #la>^ve q exemoiMa seus deve-
zem, se desvanece era declarar edm toof a lea.dade de.qua capaz, que est cada yez Zfl^'^lSmZtf^X^
mais animado, nao. so pelo.benigno aeolhimento que tem receido, como pelas torcas de
que dispoe porque at boje nao areceu anda dos preparados de jurubeba, neaj do
xarope alcoolico de veame.
O Veado Braaeo, declara a quem anda o nao conhece que nao 6 um
desses bicharocos intrataveis que por ahi vivem com flgura ha nana ; domesticado no
ameno paiz onde a amavel Aguia Branca vio a luz do astro bemfeitor, elle partidario
desse invejavel agrado e sinceridade que com tanta gravidade se desprende do sea
bico encantador.'
O Veado Branco, como todo o bomem civilisado, ama a sociedade dos
bons, gosta do centro do mundo elegante, usa do tnico de Jayme, paraprevinir qoelbe
ponham a calva ao sol, vai a compaobia des BooiTes Parisiens e no meio do partido de
madame Adelle, elle tambem atira-lbe o seu lindo bouque'.
Digne-se o benigno leitor de jurar as palavrad sinceras do sincero Veado
Branco, e veaha prover a sua dispensa do qaemelhor se pode encontrar n'um estabe-
cimento de mjhados.
A modicidade dos precos, comparados com a boa qualidade dos gneros e o
bom modo com que se recebe ossenbores compradores, deve certamente convidaras
pessoas qne ainda nao vieram nossa casa a faer parte dos amigos e freguezes do nosso
BELLISSIMO ARMAZEM
DE
MOLHADOS
Eival sem segundo.
Una do QueIiuauo"T4.
Queracabar etm asfaiendas abaix*
Qaeiram vir rtr o qne tan e baralissimo.
Toalbas tie labyrntho com bico, faienda boa a
3*500.
eteis d liaba com 100 jardas a 30 rs.
fetas pretas e de coree moito finas a 500 rs.
Caixas de o'jreias de raassa muito novas a 40 rs.
aulladores para espartilbo de cordo e fita a 61
ris.
Carretels de liaba Alexandre com 400 jardas a SO
res.
da guarda nacional deste municipio. Os oleras*.
dos comparecen).
O major.
_________Miguel Bernardo Qu'uteiro.^______
Para escriptorio oa rapaz solteiro
Aluga-se orna excedente sala e alcova com mais
dons pequeos qaartos do 2 andar do sobrado
amarello oa esqmoa do pateo do Ccllegio, com ja-")
aellas para os dous lados : a tratar no 3* andar
oa na ra do Imperador n. 81. sjj I



CONBECIDO PELO NOME
VEADO BRNCO

Estabelecido ra Direita n. 16.
Esquina da travesea de 8. Pedro.


COMPRAS
?I
.
Lourenoo Pereira Meudes Guimaraes.

Froprietario das lojas e armazens da
Arara, ra da fmperatriz
ns. 56 e 72.
Tendo decebido peios ltimos vapores da
Europa diversas qualidades de fazendas do
que faz ver ao respeitavel publico, vende
barato s alim de apurar dinheiro, como
nenhum outro.
Attengao.
Chitas a 160 rs. o covado.
Vendem-se chitas em retalho a 160 rs. o
covado.
Ditas em pega a 200 rs. o covado : ra
da Imperatriz lojas da Arara ns. 56 e 72.
Panno preto fino a 10600.
Vende-se panno fino preto para calca e
palitots a 1^600, 20, 20500 e 30000 o co-
vado, cortes de casimira preta para calcas a
30, 30500 e 40000: ra da Imperatriz lojas
da Arara, ns. 56 e 72.
MOZAMBIQUE A 400 RS.
Vende-se urna nova fezenda com palmas
de seda por nome mocambiqne para vesti-
dos de senbora a 400 rs. o covado : ra da
Imperalriz lojas ns. 56 e 72.
Balees a 20000.
Vende-se bales de arcos de todos os l-
mannos a 20, 30 e 305CO: ra da Impera-
triz lojas da Arara n. 56 e 72.
Lazinhas a 200 o covado.
Vende-se lasinhas para vestidos de se-
nbora a 200, 240, 280, 320, 400 rs. o co-
vado : s na ra da Imperatriz ns. 56 e
72.
Chitas francezas finas a 240.
Vende-se chitas francezas largas a 240,
280 e 320 o cowdo: ra da Imperatriz
lojas da Arara n. 56 e 72.
Chales de merm a 20ooo.
Vende-se chales de mirin estampadas a
20, 20500; ditos de 13a a 10000, ditos de
phantasia a 10000 : roa da Imperatriz lojas
da Arara n. 56 e 72.
Basquinas a 140000.
Vende-se basquinas ou casaquinbos de
Grosdenapoles preto para senhora a 140,
ra
160, 180, 200, 250, do ultimo gosto :
da Imperatriz ns. 56 e 72.
Madapolao de 24 jardas a 40000.
Vende-se pecas de madapola"o com 24 jar-
das a 40, 50, 60, 70, 80 e 100000: por
estes presos s na Arara ns..56 e 72.
AlgodSc sinho a 30 a peca.
Vende-se pecas de algodaosinho a 30, 40,
50, 60 e 70000 o mais barato que se pode
vender: na ra da Imperatriz ns. 56 e 72.
Cotim e castor para calcas a 800 o
corte.
Vende-se cortes de cotim e castor para
calcas de homem a 800 e 10, ditos de brim a
10180 e 10600, ditos de brim pardo liso a
10200 e 10400: ra da Imperatriz lojas da
Arara ns. 56 e 72.
Bareje com listas a 32o.
Vende-se bareje com listas para vestidos
de senhora a 280 e 320 o covado.
Laasinha escocesa a 280.
Vende-se lasinhas escocezas para vestidos
de senbora a 280, 320 e 400 o covado: ra
da Imperatriz loja e armazem da Arara ns.
56 e 72.
Koupa feita nacional.
Vende-se palitots de panno fino, saceos
fraques, a 50, 60, 80 e 100; ditos de
casimira de cores a 40, 50, 60, 80 e 100 ;
coletes de casimira a 30, 30500; calcas de
brim pardo a 10600, 20; ditas brancas de
linbo a 30500 e 40; ceroulas a 10, 106OO
e 20; calcas de castor a 10280 e 10600.
Palitots de alpaca branca e de cores a 40,
40500. e pretos a 30, 30500 e 40. Palitots
de brim a 20, 20500: ra da Imperatriz
ns. 56 e 72.
Cobertas de chita da Arara.
Vende-se cobertas de chita a 10800, 20,
20500; ditas de damasco a 40; ditos de
fusto a 60 e 60500 : ra da Imperatriz lo-
jas da Arara os 56 e 72.
\Lende-se bramantes para lences a 20500
e 2080 J o covado ; e muitos outros objectos
que seria enfadonho mencionar.
Ra da Imperatriz ns. 56 e 72,

W**m
DE
Ouro e prata.
Em obras velhas : compra-sena praga ^da lo
dependencio o. 22 loia de'bilbete
Moedas de ouro.
Xacionaes e estrangeiras assim como libras
esterlinas: campram-se na raa do Crespo n. 1,
primelro andar._________^_______
Compra-se moedas de ouro de 20, 165, 10
e 9^; a roa da Cruz n. 3. ____________
Gompram se patacSas e prata brasilera li-
bras esterlinas moedas, de 9, de 10,5, de 160 e
20 por malor preco do qne em ootra qoalquer
parte : na ra da Gadeia loja de faienda; n. 58.
Moedas de prata
nacienae?, assim como pataedes portugueze? e
hespanbes, compram-se com premio : na roa do
Crespo d. 16, primeiro andar. ^_^_^___,
258000
fHWHCH
praa moedas nacionaes de 20$
n. 16, primeiro andar.
na ra do Crespo
Libras esterlinas
5
na praa da In
Comprara se com bom premio
dependencia n. 22. ____________^_^^___
Compram-sc escravos
Silvino Gnilberme de Barros, compra, vende e
troca efectivamente escravos de ambos os sexos
e de todas as idades : a' ra do Imperador n. 79,
creciro andar.
Compra-se
Urna armacao de armazem ou prateleiras
que nao seja de pin lio, e que es teja em
muito bom estado : na companhia Pernam-
bucaia.
Compra-se
libras esterlinas, ouro brasileiro e portogaez eom
bom premio: na roa da Cruz n. 48, armazem de
E. A. Burle & C.
Libras esterlinas.
compram-se no escriptorio de Antonio Luiz de
Ollveira Azevedo & C, roa da Cruz n. 1._______
Ouro e prata.
Moedas da ouro e prata naoionaes, estrangeiras
e de todos os valores se compram na loja de ouri-
ves jonto ao arco de Nossa Senhora da Concelgo
ra da Cadeia do Recite, assim como oaro e prata
nm obras velhas, brilhantes, diamantes, e se paga
bem. ___
Fiasco de cTo babosa "a 320 e 500 rs.
Ditos (le dito bigieoiqae verdadelros a 1,3000.
Djtos dUo falso a 800 rs.
Ditos de macajar perola a 200 rs. /
Sabonetes muito fiuos a 60, 160, 200 e 320 rs.
Ditos de bolla muito Gaos a 240 e 320 rs.
Caixas para rap com bonitas estampas a 100 rs.
Miadas de lioha froia para bordar a 20 rs
ife%uXXrL\^2rweW i Joaquim' de Almeida tinto
Penteyoiteidos tara regacar cabello de menina.. U jurubeba Contra O ingorgi
Frascos da macaca' oleo mnita iao, a 120 r$. ((Miento do fiqado C O bCLCQ
Abotoaduras mnito unas para colletes a 500 rs. I -
Cartoes .Je liaba branca e de cores a 20 rs.
Libra de ara preta sopertor a 100 rs.
Cartas de alfloetes francezes com 14 pentes
I rs.
Kscovas para faio, fueuda boa, a 500 rs. ,
Varas de franja branca de liebo para toalb a
100 rs.
Pegas de bico estrello com 20 varas mnito bonito a
1J0Q0.
Varas de papalina de dillerenles larguras a 120,
160 e 200 rs.
Caixas de palito balo a 40 rs.
Caixas de palitos de segnranca sem enclufre a
60 rs.
Sabonetes de familia a 100,160 e 240.
Grosas de botoes de madreperola para camisa a
500 rs.
La para bordar de todas as cores e flna, a libra
6#000.
(Jarretis eom 4 oitavas de retroz preto muito fino
a liooo.
Caixas com soldados de chambo para meninos a
120 rs
Carlilha de doutrina cbrisla a 320 rs
Latas com superior banba a 200 rs.
Verdadeiros
Collares Royr
Electro Magnticas Andinos
Ou Collares Anodinos, para facilitar a den-
ticao das enancas contra as convulsoe?
das mesmas, a estes collares nos escuzado
fazer qualquer recommendac3o, visto a
grande ntilidade que tem produzido aquellos
pas qne os tem applicado em taes circum-
stancias pois nos parece que nao baver um
s pai ou m3i que por este meio nlo quei-
ra por termo a taes soffrimentos de seus
filbinbos visto ser tsm mal que tanto os
Dagella, pois a estes collares acompanha nm
folheto que ensina como se deve applicar, e
vende-se na loja do Gallo Vigilante, ra
do Crespo n. 7, pelo preco de 40000, 80
e 60000.
Em extracto alcoolico, enapas
tro, oleo, tintara, plalas,
xarope e rinbo
A jurubeba urna das substancias medi-
camentosas que pertencem ao reino vege-
tal, e pertence a classe dos tnicos e desobs-
truentes, sendo empregada com vantagem
contra as febres intermitentes acompanhadas
de eDgo.-gitamemo de ligado e de baco. Ella
tem sido applicada cora incontestavel pro-
veito contra a anemia ou chlorose, e hydro-
phesia, catharro da besiga, e mesmo para
combater a menslruaco diflicil, resultante
da mesma anemia ou chlorose.
Depsitos geraes
Em Pernambuco, ra larga do Rosario
n. 10, Rio de Janfiro, pbarmacia do Sr.
Dourado, Rio Grande do Sul, em casa dos
Srs, Casco & C, Macei, pbarmacia do Sr.
Claudino, no Havre, pbarmacia de Mr. Ma-
rical, em Lisboa, oa pharmacia do Sr. Feij.
(Jompra-se
ama escrava preta que tenba bonita Ognra e com
habilidades : na praoa da Independencia nmeros
13 e 15.
Sitio e casa
m
Compra-se um pequeo sitio com boa casa de
vlvend* as immedac5es do balrro da Boa-vista,
oa mesmo ama casa terrea que tenba commodos
para familia e quintal espa^oso no referido bairro :
uem tiver annanele oa dirija-se a raa da Matriz
n. 0 para tratar._______________________________
Pataces
Compram-se patacoss hespanhes, portagnezes e
brasilelros de cnnbo antigo, em casa de Alamson,
Henry & C, ra do Trapiche-novo n. 40._________
Compra-se nm carro pa'a 4 pessoas que es-
teja om bom estado : a tratar com Oliveira Filhos
& C, largo do Corpo Santo escritorio n. 19.
4 LEALDADE
Neste estabelecimento a' ra da Imperatriz n.
70. encontrara' o respeitavel publico am lindo e
variado sortimento de mindezas, perfumaras da
sociedade hvgienica Labin, Piver e Condrai, lavas
de Jouvin, ehapelioas, coques e enfeltes para ca-
beca, objectos de modas de Pars, qne recebe de
sua conta e por esta razo vende por menos que
em outra qoalquer parte. Os Sr. consumidores
nao necessitam ter encommodo de irem ao bairro
de Santo Antonio e Becife para se proverem do
que precisaren), pois na Lealdade acbarlo tado
do melbor gosto e por precos maito commodos.
*m Vende--se ama casa terrea na ra dos Copio
rds n. 9 : a tratar na rna Estrella do Rosarai
n. e.
Compra-se cobre veiho e lalao
n. 23, ioja.
na raa Nova
VENDAS
DE
J. VIGNES.
X. 55. RA DO IMPERADOR X. 55.
Os pianosdestaanliga fabrica sao hoje asss conhecidos para que seja necessano insistir sobre
nta superioridade, vanlugeas e garantas qne offerecem aos compradores, qualidades estas incontesta
veis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos
auindo om teclado e machinismo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sen
(tonca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ulmamenta melhoramentos importan
vssimos para o clima deste paiz ; quanto is vozes, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-
seis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como aa do Sr. Blondel, de Pars, socic
sorrespondente de J. Vignes, em cuja capital fpram sempre premiados em todas as exposiedes.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um ezplendido e variado sortimento de msicas doa
albores amores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tado vendido por
precos coauncdoee raioave. ___
.______________ ------------------"--------- ---------------------------- '-- ~-------- .M------------------'----------------
Mili I II I II I I ]7
PREPARACES FERREAS-IAI6AIICAS
AWRJTADAS PILA ACADEHIA Bl MBDIC1RA
DE BURIN DU BUISSON
PWfMttilitt, batai* tila lcaiemia de lciu k Par*
O eaioente professor Troussba, na ultima edicSo de sea Trtate di Thtrn-
>(> V*Uria indica, reconbece ave a ferruginosos limpies sao mutas
tmamOesats para corar as molestias que teem por causa o eipebrecimento
? ""P6- Quitos mdicos do mais distinctos attribuem esse m o xiU k oeeoeit,
* ?reH*6cSj do mmgcume, que se acba no sangoe, emt o tesa reoaobecide
M a jan peritos, sempre intimamente unido com o tarro. '
Fii,prBir-*eum veidadciroservco aos Sr" Mdicos, o enamar-sesoasiunole
sotre presaneties tegainte.
i* Pf felTeiS lD2ReiaUUl iw v.ivw mmmm^mnm pzoM agradavel, subsUtuindo eom vaatagem
t eeeeaii as aguas mineraescrruginoas.
2 ffliltt e Xarope de iodnreto 4 ferro e de miBganese inalteraveis
eeaUadeeaia urna cinco centigramos de iedoreto de ferro manganico tadicedas
- p*rticolannste as molestias lympoatecas, ssntfiuiu, na* ttiiili oa*
rosas e tubercolosM. $
J* rMes de latalo de ferro e de ffl$e*e) Z^&Z&f?^
i# fMu de carbonato frreo Buagnieo 1 S^^sS7t
feriar estas iw prepaiacoes d os *eOres rentisdos
r toril di Baiam deesjando oktsr i io^ eoaplefe fe Mito *,,,
y*fe?riSf'd H t?*nfri, previne disposiole, dinfeado-e; y
""----....... i 'i "ITi'i---"---"".
Vende-se ama escrava mulata, de boas qua-
lidades, boa eogommadeira, cozinbeira e costarei-
ra : na ra da Cadeia n. 59.
Sabbado 20 do correte as 10 horas do dia se-
rao ezpostos a venda no pateo da matriz da Boa
Vista 20 barros viudos do sertio, sendo todos
crioulos e mansos.
Escravos
No armazem do Sr. Rufino na ra da Concei-
co na Boa-vista acbam-se expostos a venda 6 es-
cravos de ambos os sexos: quem pretender diri-
ja-se ao referido armazemas 10 horas do da que
achara' com quem tratar. _____________'
Vende-se urna pequea taberna na ra do
Correder do Bispo n. 9, e trata-se junto do becco
do fogoeteiro n. 44._________________^_^__
Vende-se parte ae orna armago de louro
com dous caixilbos : as Cinco Ponas n. 29.
Vende-se urna casa na ra do Ampara de
Olinda, na quina do becco da padeira n. 40, e ou-
tra na ra de Agoas-verdes do Recite n. 49 :
quem qnizer diri]a-se a ra de Santa Rita, sobra
do n. 27.______________________
Vende-se um escravo pardo claro, bonita fl
gura, de idade 17 a 18 anuos : quem pretender
dirfja-se a rna do Pilar p. 20, em Pora de Portas]
Cal de Lisboa
No armazem de materlaes da ra da Concorlia
n. 73, vende-se cal de Lisboa a retalho muito no-
va a 3*200 o alqueire. _^_
r*r**wsjaisjBj
m
VeBde pa phwmwia de P. Maorer A C, raa Nova.
Soaza Soam & Irmao
Rna Nova n. 28.
Vendem :
Gaz em latas de 5 galoes 9j.
Dito em latas de 2 1|2 gaiojs 5$.
Dito em garrafas 400 rs.
Pbospboros de seguranga em caixas, duzla 500
ris.
Ditos de cera em caixas de folba duzia 1*200.
Ditos de eera em caixas pequeas duzia 320.
Agua Florida verdadeir. em garrafas lj>.
Tnico oriental de Kemp frascos ly.
Oleo philocme veMadeiro, fraseos 1*.
Extractos ioglezes muito Anos, frasqolobo 1*500
Agua de colonia inglesa,' frascos 2*.
Linba Alexander carros de 200 jardas, duzia
1*150. '
Peneiras de rame para nadarla 3*500.
Vende-e a armacao sita a' rna das Cinco-
Pontas, n. 68, propria para qualquer negocio, a
qoal casa tem commodos pera familia, quintal e
portao, tudo Independente da loja: a tratar na
mesma das 10 horas da manba a's 3 da tarde.
Vendem-se os engenhos Timb e S. Pedro
ambos no Cear Mnirim freguezia de Estrems
no Rio Grande do Norte eom leg'ua e meia de tr-
ras proprias e frescas, boas obras de pednr e cal
com bois e bestas, e tudo o mais que mister :
Quem os pretender pode-se entender no Cear
Meirim com sea proprietario o tenente-coronel Jo-
s Flix da Rocha Falco e para informales as
terao nesta cidade de Oliveira Filhos & C, e no
Natal de Fabriclo & C, vende-se a dinheiro oo
a prazo, sendo firmas descontadas nesta praca, e
se faz oegocio commodo para os compradores
Vende-se a taberna sita a' ra do Forte-
outra nos Bairros-baixos, com poneos fundos, pro;
pria para principiante : a tratar na mesma, ou a
ra do Imperador n. 16.
NOVENAS
DE
N. S. do Carmo e Sant'Anna,
EstSo a venda as novenas de N. S. do Car-
mo e da Senhora Sant'Anna; na ra do Impe-
rador n. 15 defronte deS. Francisco.
Xarope e pasta de Seiva
DO
Plnbeiro Martimo
DI
E. Lagasse
Preparares mu preconisadas pelos sabios mdi-
cos de Pars, com as meihores at boje diseoberta:
para a cura certa de todas as molestias do peito,
brouebites agudos e enrmeos, asthma e ainda das
affeccoes das vas urinarias.
DEPOSITO ESPECIAL
34Roa larga do Rosario3 i
Pharmacia de Bartholomcn efe C.
Farinha superior
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze
vedo & C, no .>eu escriptorio, ra da Crnz n. 1.
Farinia
Nos armazens da Madre de Dos n. 22 o da es-
cadinha defrente do arco Oa Conceico veodem-se
saceos com farinha de mandioca de superior qua-
lidade, mais em conta do que em ootra qnalqoer
parte.
Na ra do Trapich n 16.
achani'se osseuuintes devositos
De U. BrBQifhaas em \m ts.
Boargogno.
Tinto Pommard tinto.
> Cortan tinto..
Santo Georges tinto,
i Chambefltn tinto.
i Ricbehourg tinto.
> Clos de Vongeot tin o.
Cbablis branco.
DeM.A.Woefem Francfert:
Rbeno.
Geisenbeimer.
Liebfraomiicb.
Barcobrunner.

Vende-se a me>bor casa- na Boa-vlsgtem': a
tratar na rna da Madre de Dos n. 14.
Vende-se a casa terrea n. -aS'ti'roa o Pa-
dre Floriano, com duas salas, tres qunos, cozinba
fra, quintal e cacimba : a tratar na roa dp Ira-
perador n- 69, das 9 horas as 3 da Urde.
Vendem-se dous barros mansos proprlospara
qoalqner servlco : a tratar na eoehelra de Claudio
Dabeux, Ba roa do Imperador 0. 43.
Em casa de Tueo Christiansen, roa do Tria
be-novo n. 16, anteo agente no norte do Brasil
Brandenburgfreres, Bordeaux, encontra-se ea
lectivamente deposito dos artigos seguales:
SI. Julieo.
St. Pierre.
La rose.
Oateaa'-Loville.
Cbateao Margaux.
Grand via;Gb|u} Lafitw 1858.
Chalean Lafiue.
BtSt&uSns.
Cbatean Sauternes.
latean Lattur Blanebe.
Cnateau Yquem.
Cognac em tres qualidades.
Azeite doce. Precos de Bordeaux.
ATTEXfiO
No armazem de fazendas de
Santos Coelho, ra do Quei-
mado n 19.
Bom e barato
Cambraia de cores matisadas Gnissimas a
800 a vara.
dem brancas transparente Gnas de 41,
5*9, U, 70, U e 8,>;jo a peca.
Bales de arcos para senbora a 2o00.
dem de arcos de cores a 30500.
dem de arcos brancos nesgados a 30 e
30500.
dem de mursulina a 50.
dem de mursnlina para meninas a 30 e
30500.
dem de arcos para meninas 10600 e 20.
Cambraia de salpicos branca a 40500 a
peca com 8 1/2 varas.
dem admascada pzra cortinado a 120 a
peca com 20 varas.
dem para forro a 30 a peca com 10 jar-
das.
Retondes de fil a 60.
Gbales de fil a 50.
Lencos de cambraia brancos finos a 10800,
20 e 20500 a dazia.
Lencos de cassa finissimos a 30200 e
306O a duzia.
Cambraia de linbo muito fina de 60 e 90 a
vara.
Madapoloes finos de 70, 80, 90,100,110
e 120 a peca.
dem enfestado muito fino a 90 a peca
com 20 varas.
Platilha de algoda"o superior fazenda para
saias a 30200 a peca com 10 varas.
Cobertas de cbitas da India, muito grande
a 20600,
Lences de hamburgo fino a 20400.
dem de bramante a 30200.
Pannos adamascados para cobrir mesa a
40500. ^^'^
Guardanapos de linbo adamascados a...
30500 a duzia.
Atualbado adamascado com 7 1/2 palmos
de largura a 20 a vara.
dem adamascado de linbo com 7 1/2 pal-
mos de largura a 30 a vara.
dem trancado de algodao a 10500 a vara.
AlgodSo enfestado com a mesma largura
a 10100 a vara.
Toalbas alcocboadas de linbo a 110 a duzia.
dem com pello a 130 e 140 a dnzia.
Fil de linbo liso a 800 a vara.
dem com salpicos a 900 a vara.
Grosdenaple preto superior de 10800,
20 e 20500 o covado.
Morantiqoe preto superior a 20800 o co-
vado.
Flanella de. todas as cores a 800 o covado.
dem branca a 600 o covado.
Bramaote de linbo com 10 palmos de lar-
gura a 20500 a vara.
Idem.de linbo com 5 palmos a 10200 a
vara. -
dem de linho com 31/2 palmos a 800 a
vara.
Assim como outras muitas fazendas que
se vende por menos que em outra qualquer
parte, e d-se amostras de tudo,
Fazendas boas e baratas
para acabar.
Ra do Crespo n. 8 B.
Osnovos propietarios deste estabeleeimento,
querendo aeabar com varias fazendas finas teem
resolvldo vender por precos moito mdicos, os
segulntes artigos : riqusimos cortes de seda
de cores com listas, pelerinas pretas de den-
telle e de cores, Oxs de gripuri, ntremelos
transparentes e babadinbos transparentes ; riqois-
simas mantas de 016 preto, punhos,' gollas para se-
nbora ; muito bom atualbado de linbo e de algodo,
pardo e branco, sediobas de quadros, vestidos de
la com barra, pelo baralissimo preco de 5J000 ;
camizlnhas de cambraia tapada, ditas transparente,
toalbas de linbo bordadas, retondas de renda, es-
partanos moito ricos e baratos, iuvas pretas de
torzal, pannos de crochet para mesa, ditos para
cadeiras, ditos para sof; riquissimas colchas de
crochet, ditas de damasco de seda, ditas de lia ;
riqusimos cortinados para janellas, ditos para ca-
ma, salas bordadas, pelo Laratissimo prego de 5 ;
muito ricas capas de cambraia branca bordada,
sactembaques e capas de gras preto, por preco
muito barato, tarlatana de todas as cores e muitos
boas cintos ajardlneira, pelos baratisslmos precos
de 43, 45500 e 3J; toalbas de atualbado de li-
nbo com trinta palmos de comprido, ga?e de seda
de muitos padroes, pelo baralissimo preco de 400
rs. o covado ; assim como multas ontras faxndas
que s coa a vista do freguez se podero encame
ar. Tudo islo, na loja da ra do Crespo, n. 6 B
e Fernando Gomes da Silva & C.
Perfuman, s finas,
INGLEZtVS DE GOSNELL & C.
F'ltAJXCEZAS LE E. PE.NAUD.
A antiga e bem conhecida loja de miude-
zas ra do Queimado n. 16, c Htinoa a
estir provida de finas perfumaras de diver-
sos fabricantes acreditados como Gosnel e
Penaud, sendo deste, excellenle.- extractos
para lencos, agua de Colonia, oleo, baaba,
eosmetique para cabellos, opiata e pos pata
dentes, sabonetes para m5os e barba, efe,
etc.; e daquelle, superior agua de Colonia,
opiata ingleza e pos para dentes. Alm dos
mencionados objectos ha muitos outros que
i por suas boas qualidades e bonitos vasos,
j agradarlo completamente aos apreciadores
do bom.
Fivellas e fUas para cinto,
Na antiga loja de miudezas ra do Quei-
mado n. 16, encontrado os pretendentes
nm bello sortimento de fivelas e fitas paja
cinto, sem qne esqueca os lindos ptUtes
J prateados, com fitas pendentes e sem ellas,
sempre a contento do experiente freguez
que se dirigir dita loja de miudezas:
ra do Queimado n. 16.
Differentes objectos
expostos a apreciado dos esclarecidos re-
guezes que os quizerem comprar ; na ra
do Queimado n. 16.
Bonitas caixinhas de madeira com fecba-
dura, proprias para costura.
Outras ditas com arranjos para costura,
Sapatiobos de setim e merinos para bap-
tisados.
Meias de seda para ditos.
Tocas e chai cosinos para ditos.
Tercos de madeira, osso, cornalinas, obras
mui perfeitas.
Alfinetes de osso com bonitos moldes,
obras de gusto para peito de senhoras.
Ditos pretos para luto.
Meios aderecos de madeperola.
Pone jope ou suspende saias.
Lencos bordados para senhoras.
Brincos pretos, pulseiras e alfiaeles com
camafeo, tudo para luto.
Froco grosso de laa, para differentes nos.
Bonecas mansas e choronas para crean-
cas.
Cestinhas proprias para crearlas e bo-
necas. ,
Bandejas pequeas para copos.
Benitas e modernas chapelinasdeseda
para senheras
Na loja de miudezas ra do Queimado
n. 16 vendem-se bonitas chapelinas de seda
mui bem enfeitadas e por precos rasoaveis.
Eofeites de flores a imitaco de ehape-
lioas
Vendem-se esses bonitos e modernos en-
feites de flores a imitaco de cbapelinas: na
rna do Queimado, loja de miudezas n. 16.
Differentes objectos
Veodem-se na ra do Queimado, loja do
miudezas n. 16.
Gravatas brancas de cambraia para noivos.
Gravatas brancas de setim para ditos.
Rosas Camelias, ramos e caixos de flores.
Papel para rosas e folhas para ditas.
Lencos de cambra i a lina com barras de
tores, sendo
Parahomensa 36600 a duzia.
Para meninos a 800 rs. a duzia.
Vendem-se na ra do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
Collerinhos de linho
obras de ultimo gosto.
Vendem-se na loja de miudezas; roa
do Queimado o. 16.
CAB1DES PORTATEIS
TORNEADOS E ENVErtNIZADOS.
Vendem-se na loja de miudezas: ra
do Queimado n. 16.
Caixinhas
com pastilbas de ebeiro para
queimar-se em lugar
de incens.
Vendem-se na ra do Queimado ; loja de
miudezas n. 16.
PASTILHAS ODORIFUMANTES.
Essas cheirosas pastilbas sao sempre
apreciaveis, e com especiaudade no correle
mez, porque servem para perfumar os ora-
torios ou altares em que se resam ou can-
tam louvavelmente o Mez Mariano, es-
tas vendem-se na loja da Aguia Branca:
ra do Queimado n. 8.
O aove preprtelaHO da-loja de calcado da rea da
Crui n. 21 rende a dinero vista superiores Dor-
zeguins afeitados e lisos para senbora, menina e
menino,! kjVaralo preco de 1**00, 2*000, 3* e
ijooo. ".
Lrritacao dospulmoer. angi-
nas, tosse, escarros de
sangue, crupo. ou garro-
tilho, catarro, rouquidao
e todas as innumeravei molestias que affec-
l5o aos org5os da respiraco
DESAPPARECEM
odiante a acc3o da balsmica e irrev
ANACAHUITA
I?2
PEITORAL de KEMP.
aaanacabuita mexicana que d o nome es-
pecial este incomparavel remedio, urna
arvore, coja madeira por muito tempo se
ha usado no Tampico para a cura das en-
fermedades cima mencionadas. Foi tam-
bem ensalada e approvada pela academia
medica deBerlim. Opeitoral de Kemp
nm xarope delicioso inteiramente liyre de
opio, acido hydrocyanico e outros ingre-
dientes nocivos.
A' venda has drogaras de A. Caors, Bra-
vo & C. e P. Maurer & C, e em todos os
estabelecimentospharmaceuticos do imperio
Loja da consciencia
Raa das Cruzea n. 80.
Neste estabelecimento encontrarlo os fregueses
um completo sortimento de aviamentos propfios
para calcado por precos mnito commodos, bem
como om variado e escolhido sortimento de calca-
do para borneo como sejam:
Berieguts franceses de lustre pa homem a
7*800.
Ditos ditos de beierro parado a C*S00.
Elsticos de seda para bonegutas a vara por
1*800.
Formas tranceas chapeadas para homem a 4#


man
Mi

mm
6
Blfttfo de Pernamlme* sexta lelra 19 de fulho de 1867.
BUJl DO BRU1M US. 38
0 proprietano deste estabelecimento deseja chamar a atiendo dos senhores pro-
priotanos para os acreditados mechanismos que contina a forneeer ; oa qnafe garante
ser como sempre. da melhor qualidade possivel:
Machinas de vapor
forca de um cavallo para cima. As menores sao mu proprias para motores de descaro-
camentos de algodao ; ellas ?iajam armadas e podem trabalhar dentro de 24 horas, depois
de chegarem no lagar. Ellas levam todo quanto preciso para o trabalho, e diversos so-
brecellentes. As machinas maiores sao proprias para a moagem de canoa, e nadellas
qne podem junta e separadamente moer caona e descerocar. EHas podem-se acucar a
quaiqoer moenda^a existente sem outra mudanca o qae a substituic3o das rodas da atinan-
jarra, ha tambem coa moenda jauta. Ellas tom depsitos d'agui e boeiros de ferro, e
nao precisam para sen assentamento de obra alguma, qur de carapisa, qur de alvenaria.
O lempo para asseata-las n5o eicede de doze das ao mais, e em casi de mortes de ani-
maes oa arromhameotos de acudes^ etc., garante-se o assentamento em oto dias. Todos
estes vapores slo simplsimos na construccSo, e se regem por qualquer pessoa intelligente,
a facidade da conduccSo seado especialmente considerada, tanto que nao ha lagar em qae
nao se possam conduzir, qur por trra, qur embarcado.
Lembra se aos senhores. de engenho que a venda dos animaos e o servico da
gente occupado no aeacalamento os hSo de recuperar da maior parte da despeza do
vapor, deixaadp-lhes a vantagen de urna moagen certa e aeeelrada; e- acabando com a
despeza da compra continuada de novos animaos, e com os desgostos do trabatoo que se
tem com elles.
Ser talvez deiaecessario lembrar ao? compradores de vapores a vantagem que Ibes
resulta de compraren* saas*machinas garantidas em urna fabrica, tendo artistas compe-
tettes para assentar as mesmas e ensioar a maneira de trabalbar com ellas, e j prepa-
radas para arremedar qoalquer desarranjo; facilidades estas que jamis podem encon-
trar comprando as aos simples negociantes, os qaaes por falta de coohecimento na1 ma-
teria nem se qar podem garanti-los de qae as machinas que vendemscjam propria* ou
suficientes para o trabalho em que se qneira emprega-las, e na caso de desastre o30 po-
dem prestar -Ihes soceorrrralgom; sendo que alada quando venham as fabricas para cOn-
Gertar as machinas atheias, torna-se-ha preciso fazer repentinamente moldes novos, etc.
para as pecas estragadas. J numerosas vezes estes vendedores tem representado seus
vapores como sendo de forca nwf superior sua actual e verdadeira forca; equivoco
este que nSo s engaa ao comprador acerca do trabalho que possa tirar do vapor, mas
tambem da lugar ao pagamento de um preco excessivo, vista da forca real da maohina
que compram.
Tambem-ha sempre prompto rodas d'agua de ferro, sarflhos com cruzetas para as
mesmas mdendas de canoa de todo o tamanho, rodas de espora e angulares, paroes ou
oches para recebar o ctMo, crivos e portas de fornalha, tainas de ferro batido, faadido e
de cobre, formas de ferro galvamsadas para purgar assucar, bomba* simples e de Tepa-
che, alambiques de ferro, eraos e rodas de carro, arados, grades, enchadas a cavallo e ou-
tros instrumentos de agricultura, moinbos e fornos para fazer farinha e finalmente todo o
objecto de mechanismo de que se costama precisar.
Na fabrica se fazem obras novas encommenda e concertos, com a-maior presteza
e solidez. O grande deposito de pecas e objectos habilitam-aa mailo para estefim.
O proprielario ser serapre mui feliz de poder dar nformacoes ou esclarecimento
aos senhores que se servirem de seu prestimo.
D. W. Bowman, etJgerAeiro.
0M0UR0DEV

ni i-iiirtiirniT i

Ao reepeitavel publico pernambncauo pederse
Attengo
kBteiga ingleza
320, 500, 800 e 13 s no armazem se acba vista.
Manteiga franceza
em liDras 560 e 640, em barris se far differen'ca.
Banha de porco
em libras 320 e 380, em porcao se far differenca.
Fructas
em calda Pera, Pecego, Rainha Claudia, Alperxe e outras muitas 500 e 040 a Jala.
Ervllhaa
Portuguezas 640, francezas 900.
Fumo
em latas do Para e de albaneque, lata 10 e 1^400.
omina de mllho
em pacotes, dita da trra 100 e 200 ajibra.
Vluho
de Bordeaos em caixa a duzia 55, garrafa 500, dito de 8$ a duzia, 800 a garrafa, [dito "a
140 a dozia, 10200 a garrafa, dito do Porto a 8#,120,1180, 240, caixas de duzia, assim
como flgueira caada 30500 e 40, puro J A A Lisboa 20800, 30 e 30500 a qualidade
convida.


-_l

az
enrate- de 5 gafos-e-mais-pequenas a vontade do compra Jor, em garrafa.
Alpiste
140 e le O a libr a, paioco a 100 a libra.
Aztlte
em garrafas a 800 e 10. M
CHARUTOS
em caixa de 50 por 10, ditos Delicias, Trovadores e Parisienses em caixas de 100, ditos
da Exposico caixa 50, ditos de Regala caixas com 100 a 20500 e outras muitas marcas
que s na presenta dos compradores.
PREZUNTOS
de lamego em barril, ditos de fiambre o melhor que ha no mercado por preco que faz
admirar f ;
DOCE DE GOIAM
caixes de 560 fino, ditos de 105UO que parece marmellad)Y dito enflatas muito fina
qualidade a 10200.
BOCETAS
com doce secco a 10 e 20;
QUEIJOS
do Alentejo em latas ebegadopelo vapor Oneida, ditosFlamengos e Pratos dos mais novos
qae na no mercado.
AZEfTONAS
' de elvas como no mercado n3o temos a 10 a lata, em barris-do Porto a 10 como nao ha
melhor.
B

DEPOSITO GEIUL
do assucar crysta Usado da fabrica a vapor da
povoaco do Monteiro



DE
.


IZEVEDO RUADAGADEIAN. 47
Madapolo do baldo.
Superior madapo!5o camiseiro que val 80 a 60.
Dito que val 70 a 50.
Chitas do balo.
Bonitas chitas cores fixas e panno fino a 3oo e 32o rs. o uado.
Hit-loes de canda.
Os mais modernos Daies de arquinhos finos, que por islo se toraam recommen-
daveis ao bello sexo.
Cerolas e omisas.
Ceroulas de bramante francezas a 106oo.
Camisas de pregas largas que valem 30 a 20.
A s meias inglczas do balo.
Superiores meias craas para homem que valm 90 a 70.
Roupa feita do balo.
Sortimento de caifas, paletos, colletes de brim, panno fino de casemira, tudo por
prco commodo. .*.
O BAIi.lU
onde muitos outros objectos e por insignifteantissimos pecros.
d. 26 C^es 22 de Xovembro n. 26
O novo proprietario deste grande estabelecimento convida ao respeitavel publico,
que se acha de novo iunccioriaBdo fabrica do Monteiro, e que no estabelecimento acinai
encontrar3o sempre um sortimento de assucar crystalisado em pans e ralado que se ven-
der n2o s a varejo (isto de meia arroba para cima) como por atacado para fra da
provincia.
-.

INJECTION BROU
bu prtwtpM beifaM *t *. (BU Imiii m\. (tMM fc MlUg
* ii'uw !, tmmmi Wjm, a.

\ende-se na BoticaJFranceza ra Nova n. 25.

. pii ix is
Xaropee Tlaho ferragiaoso de
Jarnbeba eom pyrophosphato
de ferro.
olorose, anemia, escrfulas, racnitismo, blennor-
rhagia, leocorrha. febres utermireDtes e ame-
norrha (menstraacao dolorosa irregular)
etc., etc.
Ha maito qae tinhamos em vista associar o ferro
as nossas prepara^Ses de jarabeba ; mas levamos
iempo a experimentar qaal a preparaflo ferrogi-
on?a,"qne mais convma ao organismo humano,
vindo por flm a decidir-nos peto pvrophospbato
de ferro, com o qaal podemos preparar r os nossos
iarope e vinbo de jarnbeba (errnginosos.
Temos a observar, porm, que o uso dos raedi-
caeentos de jarabeba com o pyrvpbospbito de
ierro nunca pode oocasiooar a pbtysica as pes-
3oas ama as mais delioada?, como atadas vezes
tem a ontecido atea pessoas robustas, qae. se bao
. ervido do mesmo mellcamento preparado com
i;Dtras,obstaneia9 farraginosas, por sso qae o
pbospnoro debaizo da frma de pyrophosphato,
um mel propbylato recoBbectdo ioallivei con-
tra esta terriveJ affecgao.
As preparacSes de jarabeba, a qtre aSvemos ag.
socrado o pfci*opDato 4* frro, slo 01 prevei-
tosas no tratamwtdu motottttf *as seahnrag,
raes como a oWorose, anemia etc.
Estas molestias manifestam-se com os syojpt-
mas segalntes:Descorametrt* geraf da peKe e
las membranas mucosas, magfm, id(*efc das
faces e da ptrfifts ; exctatao riervos bysterls.
mo. melancola, debilidad nwscular, .dores ne-
vralgieas, pulso ais frequente do qne no estado
de sade,eal6tfWbrll, pelle setca, ippatites de-
nravadw, vuiiflos, pvisvo de ventre*, tBpBnnt^iv1
dolorosa, irr|on,) pouco atrandantej descoradv
M(i5, flores brancas, amenorroagia e infecand
dade.
Bste estado pMrtoso, alias t3o ordioariac? M*>'


MWiMMHHi
Grande ai mazem de tin-
tas medicamentos etc.
Roa do Imperador a. 22.
Productos chimcos e pharma-
ceuticos os mais empregados em
medicina.
Tintas para tode o genero de pin-
tura e para tinturara.
Producios industriaos e tintas
para flore, como bot5es de flores
e modelos em ge sso para imitar
fructas e passaros con? o compe-
tente desenho.
Productos chimcos e indugtriaes
para photograpbia, tinluraria, pin-
tura, pyroteciria etc.
Montado em grande escala e sop-
prida directamente do Pars, Lon-
dres, Hamhargo, Anvers e Lisboa
pode offerecer productos de plena
confianza e satisfazr qualquer en-
eommenda a grosso trato e a reta*
lho e por'preco commodo.
WA (fatr"com Tasso rsT J no uajicbe Ba-
'9XSK%SF! $&^UJm*mm^WVj&
s
ulloras, MMMfWo
preparage aolma.
nico deposito deste me$eaneft[to:
ptiarmacia de J. A. Pinto, ra farja fe^Ba-
sario o. 40, em Pernambueo.
Ho a)MDs de Tmw kino, em cuobetes de
iaiwba.
i ..i
TRATAMENTO dod- CHABLE, de PARS
Medico especial, cnsultaedea, 30, ra Vlvlenne
AVISO AOS DOENTES. SL^Sl!jf" pataM --" e
, Nao HtM cu-
rado, tomei Cb-
keba, Copahlbi
sob todas as
formai em opia-
to, capsula*,
confeitos, tenho
o estomago per-
dido e ufto estou curado ? L'sei c abuse! de mu grande uuuiero de ujeccaou, que prtteadem
curar em 4 dias, e estou anda mais docntes.
HA MAES'ieO ANNOS *
e curo radicalmente sem Kcaliidas, Cbrrimentos, Relaxando do canal, Calarrko it bexiga,
erias teminaes, curando primeira a causa virulenta inflammatoria d'essas doencas sexuaes,
com algu.ms vtdros do meu decorativo do sa\gi;i para parar essas affeccoes, seccar o
canal e me tornar a dar sua regidez do j para acabar meu cxccllcnte xabope ao citmata de
fkrbo et minha iNJEcfAO. A cura radical, as senhores para os fluxos branedt, stgucm
o mesmo tratameuto. [Vejase a noticia explicativa.)
40.000 DOENTES CURADOS
Verdadetro tratamento depurativo do sangoe. As herpes as mais envetoraiae, errupeoet,
pruridot, virus, chaaas affeepes venreas, humores, e todas as doencas que altarlo a purera
do sangue slo curadas em pouco tompo por meu xabofb depurativo do sanodi meas
dan no mimeraes, mjnhas pillas depiirativas e minha Pommada auti-dasteosa
Ve]>-se a maneira de tratarle. A. noticia que se da gratis no deposito de meus SMdks-
mentos. Esse excellente tratamento alo cootem mercurio', sua superioridade a bem esesecida e
nao ka urna so casa que possa como eu apreseatar tantas aUestacoes it coras. *"-* """
Xm Parit. censMltacei s\o iomor Ckabk t vor corrtspondencisu.
%
Loja do .Gallo Vigilante
DE
Gaimares k freitas
, RA DO CRESPO N. 1.
Os donos deste bem coufaecido estabeleci-
mento, tem a honra de avisar ao respeitavel
publico, e com especialidades aos seas nu-
merosos fregueres, que acabam de receber
um completo sortimento de objectos de mai-
to goslo e de completa novidade Deste mer-
cado e que os tendo recebido em direitura, os
poderlo vender por menos queoutro qual-
quer.
Requissimos leques de madreperola
branca.
Requissimos leques de madreperola preta.
Lidos leques de sndalos para senhora.
Ditos de sndalos para meninas.
Leques de faias muito lindos.
Ditos de ossos. .
Lindos porl-bouquetcom cabo de madre-
perola proprios para casamentos e bailes.
Lindos cintos para senboras com ellas
e flvellas de diferentes qualidaJes e gosto.
Requissimos enfeites com coques e sem
elle.
Luvas de jouvin, inteiramente novas, bran-
cas, pretas e de cores.
Luvas de seda, fo da escocia, algodao e d
outras qualidades para senbora e homem.
Lindas trancas pretas e de eores om ve-
drilho e sem elle, assim como lindisslmas
guarnices para enfeitar basqaines a botoes
para os mesmos.
Lindas touquinhas e sapatinhos ricamen-
to enleitados proprios para baptizados.
Meias de seda para o mesmo fim.
Bengallinha para meninos.
Lio jos peales de tartaruga, massa e outras
muitas qualidades.
Muito boas escotas para deotes, chapos-
roupa, cabellos, nhas para limpar pentes,
Superior liabas para Crochet.
Agualbas para o mesmo flm.
Lindos agullieiros e de Jar de madrepero-
la emarfim, assim como de metal.
Liadas guaroicSes de botes, para colets,
punhos e colerinhos.
Ricas capellas para noivas.
Meias de seda para senhoras.
Superior thesouras para unhas, costura,
cortar cabello, etc., etc.
Finas Davalhas cabo de tartaruga, marm
e outra3 qualidades.
Suspensorios do seda para homem.
Ditos de algodao para homem e meninos.
Requissimas caixas com msica conteudo
o necessario para costura, proprias para um
delicado presente.
Requissimos livrinhos para missa.
Lindos iadispensaveis para meninas das
escolas.
Fiaos aderecos pretos para luto.
Grande sortimento de finas perfumaras
dos melhores fabricantes at hoje conhe-
cidos.
E muitos outros objectos que impossivel
seria menciona-los e que se encontrado na
oja do Vigilante, ra do Crespo n. 7.
para as festasde S. Antonio, eS. Joo
no armazem do Pavo ra da
Imperatrlz a. 60


Francisco Jos
[RA NOVA N. 21,
acaba de racebet um lindo-e mgme^mt*
timeoto de oculos, lonetos, binojcaloi, 4tlii
timo e mais apurado gosto da Europa e oen
los 41 alcance para obserracOea e/pari,
maritimos.

.
'" MTAL SU SECCNBO,
na do OsUiMtinfa m 4B, lo Ja d
niudezas
DE ., .
Jos Bigouinfio
Carrltels de rateo^de todas as cores a 80 rs.
Frasees dTagaa de Colonia mo*> superior a 500 rs.
Fraseos de o'eo maito floo a 500 rs.
Baralhos trnceles maito Saos a 160 rs.
Pecas de tranca branca de caraeol a 60 rs.
Dotfa de tesoaras pequeas a 480 rs.
Fraseos d'agua para limpar denles a 600 rs.
Caixas com colxetes (raocezes a 40 rs.
Redes pretas lisas para segurar cabello a 320 rs.
Dozias de peonas d ac muito finas a 60 rs.
Caixas de linha do gaz de 30 novellos a 600 rs.
Man de patitos de seguranca s 20 rs.
Lencos de cassa com barra a 100 rs.
Duzia de facas e garios de cabo preto a 3600.
Carrafas de agua Florida verdadeira i000.
Baados do Porto de todas as larguras e lodos o
precos.
Sylabarlos eom estampas para meninos a 320 rs
Memento da roupa de lavar a 100 rs.
Dozias de meias mallo finas para senbora a 4.00 )
Agulbas francezas a balo (papal) a 6C rs.
Pares de sapatos de tranca e tapete a i500.
Pegas de fitas de la de todas as Ures a SCO r?.
Orozas de botes de porcelana prateados a 160r |
Caixas com alfineites Irancezes a 80 rs.
Caixas de 100 envelopes mnito fios a 500 rs-
Resma de papel de peso brinco liso a 2.
Frasco com superior tinta a 100 rs.
Grosas de pbospboros-e gaz a 2J000
Pares de botoes de poobo maito bonitos 80
Lianas em carto de 200 jardas a 100.
Caixa de superior linha do gaz com 60 novellos
700 rs.
Tala eres para meolnos a 240 rs.
Masso com superiores grampos a 30 rs.
Gros as de peonas de ac maito finas a 320 rs.
Bonets para mecios a l. y
Pentes com costa de metal a 400 rs.
Realejos para meninos a 100 rs.
.
DE
ULULAS de BLANCARD
,40 MDUMTO BE PERRO I> ALTERAVKL
Approvadas pela Academia de Medecina de Pariz
avToaiSAMS mo eoireaao bidicil di u-nTissoBo
HBMTDASROS HOSP1TAS DE FRANCA, DA BLGICA, DA IRLANDA. DA TCSQI7IA, 1TC.
Mtncoit honrosas nos Sxposifois Univerfois de Sea-York, 1853, d* ParU, 1851.
Esta Pflalai eoTolvidas n'uma carnada resino-balsamio de ama lennidade ewsiva, tem
avantegeni de terem inalteravei!, sem sabor, de um pequeo rslume, e de nao cansasen! w
orgas digestiros. Gozando das propriedade* do Iodo e do Vaauao; lias cosTem princi-
palmente as aOeccos Chloroticas, Escrofulosas, tuberculosas, Canerosas, na leucorrhea,
amenorrhea, anemia, etc.; cufira, ellas oflerecem aos pralicos urna medicaca das Bateoer'
gica pan modificar as constuicoe* lymphlitos, frotas ou debilitadas.
A\ B. O iodurtto de (erro Impuro oa alterado um mediea-
ient iaflel, irritante. Como prora de purea*.e de autbencidade dai
vcrabidelraa Plalas de Blaucard, dere -e exigir nosso seils se
prata reactiva e nossa Crnii, aqu rcproduzida, queseacba na parle
inferior de um rollo verele. Dere -ee desconfiar du faliflcacoa.
lebas* -Se em toda* a PharmacUt. PAarmaeeulieo, rao Boaaparle, M. Parix.
GRANULOS ANTIMON1AES
n Ooctnir PsPUjsLAUD

Novo medicaeaS para eueca5 das molestias do coracaS, da asthma, do catanho, da coqueluche,
da tisiea, ele:
GRANULOS ANTIMONIO FERREOS
Pan a eavraeaVda anemia, da chiorosis, da amenorrhea, du nevralgias, e nevroses, das molestias
eecroiulosu, etc.
GRANULOS ANTIMONIO FERREOS AO B.SMUTH
Para a eoracao du molestias, nuriuu, du viu digestiyu, iypepeie, etc.
FRANCA i Pharmacia de E. MOUSNIER, i Saujon (Charente-Infrieure).
i Em Rio-de-Janeiro, FLIX FARAUT, pharmacia, 77, rus Sete Selembro.
i JEm Pernambueo, P. MAURER et C, pharmacia, roa Nova.
(EmMaceio. FALCO MAS, pharmacia imperiaL
Vtnde-se na ra Nova q. 2o, pharmacia franceaa de
P< MAURER & C.
CHEGAKAM
Aloja dasOottamnas
Lindos manguitos com gollinbas.
Grande variedade da golinhas eom puobos, de cambrala:
De brelanha e de esgoilo. _
GravatiofaM de mbraiade muito gosto para iStRnn.
Ricos peplum de grosdenaple preto eneitado, a qne tem rindo de melhor gosto i
Pernamboco.
ra do Geespo a. 13 de AntoQta-CtV-reia de Vascocelos C.
SILVA
Recebero-se pelo ultimo vapor da Euro-
pa as mais novas fazenJas como sejam:
Bonitas cassas de listas grana-j
Ditas castelhanas. varaw
Ditas da Italia. )
Ditas transparentes com os mais moder-
nos e mais delicados gostos vara ars6i0.
Ditas de diversas qualidades com novos
gostos o cavado a rs. 240,.280 e 320.
Cortes de raedioa sendo urna bonita fazen-
da transparente com lindas palmas e qua-
dros de seda tendo cada corte 19 covados a
rs, 240.
Ricos cortes de vestidos brancos com lin-
das barras bordadas em alto relevo a 245-
Ditos brancos tambem bordados a rs, 5# e
60.
Cortes de poil de cnvre com 18 covados
a m.
Modernissimas vareges tapadas e transpa-
rentes com as mais delicadas cores e com bo-
nitas listas de seda, covado a 640, 800 e 1$
Alpacas lizas entestadas com as cores mais
modernas o covado a 640.
Ditas enfestadas com lindos lavores grfi-
dos e miudinhos covado 560.
Bonitas alpacas lavradas com os mais mo-
dernos dezenhoscovado a rs, 800 e 10.
Ricos cortes de vestidos de fil enfeitados
a 300.
Poupelina de quadrinhos transparentes
com os mais apurados gostos e quaze a lar-
gura de chita franceza covado a rs, 640.
Ditas mais estreitas porm muito bonitas
covado 500.
Sedas de cores com 4 palmos de largura
covado 20.
Ditas estreitas lizas de listras covado 20.
Grande sortimento' de grosdenaple preto
covado a rs, 10600,10800, 20,20500 e 30.
Ricas sedas lavradas.
Saias com quatro pannos ricamente bor-
dadas a rs, 50, 60, 70, 80, 100, e 110.
Tarlatanas brancas e de cores vara a rs.
800. jm
Fil branco lizo vara a rs. 8.0.
Dito de flores para vestido vara rs. 640.
Ostras muitas diversidades de fazendas
que e mandara tambem levar em casa das
Eiraes, familhasparaescotheremou do-se as
ajBOlras deixanda ftcar penhor no armaze-a
do Pavo ra da Imperatnz n. 60. de Gm
roa. 4 Silva.
Bordados do Pavao
ntremelos largos
' Babadiuhos es'.retos
Babadinhos largos
ntremelos estreitos
Tapados e transparentes
Gama & Silva receberaa urna grande por-
cao dos mais fio os babadinhos e entrera eios
tanta largos como estreitos, sendo tapados
e transparentes com o* verdadeiros borda-
des a alto relavo tendo de todas as larguras
e desenhos, grande poreSa igual para qual-
quer obra, que assim possa ser preciso, e
garantem que podem vender por eae.*40
ou 50 por sent,, do que em outra qualquer
parta, attetvtate graade porcao ejae Vem
no seo armazem do Pav3#: rw da hepert-
rixn.eajdeGamAj h-x.
i.. _!. *'
VERDADEIRO LH ROY
it IIG1SIET, DscUur-Medeeln
Ru do Saino, 51, aV PARS.

\g
:,
Emcad.i garrafa, ral. rntr* a rolha t ,.,..,,-. astil
que leva o mu linde, uu minio ir.|ir.-vi <-m ama-
rellocom o SSLta lainiiL co Ctc:>.m> nUxcia.
iV /.'.-- nr.rt-
* ttn. f r,a i.-u ra
ir Si 0 IV.ii. m ,i>-
BVePans.ari :'.A a en iim > .3 k
SaSSaf :-!1.i.:.i:i *t /
So MMini- n*H r do i
autor aiui'i
Deposito na pharmacia
C. em Pernambueo.
de P. Maurer e

XAROPE'DEPURATIVO
DE CASCA DE LARANJAS AMARGAS
COM IODURETO DE POTASS10
DE
II*. sLaroze.
pharmaceulico em Pars
O ioduretodepotassio nm verdadero al-
teranta, um depurador de incontestavel eflB-
cacia; combinado com o xarope de casca de
laranjas 'margas, aturado sem pertubaco
alguma pelos temperamentos os mais fracos,
sem alterar as funeges do estomago. As do-
se- mathematicas que elle contem permiltem
aos mdicos de receital-o para todas as cem-
pleicoes, as affeccoes escrofulosas, tubercu-
losas, cancerosas e nos accidentes intermit-
ientes e terceiros; alm d'isso, o agente o
mais poderoso contra as doencas rheumaticas.
D psito em todas as pharmacias e casas de
drogarias no Brasil.
Expedices, em casa de J. P. Laroze, rae
des Lions-St-Paul, 2, Paris.
A' venda na pbrmacia de P. Maurer 4.
C.*, ra Nova n. 25.
Rotondas
Vendem-se rotondas de fil :ra roa do Livra-
ment n. 36. a 2000.
Paris, 36, Una Vivienne. l>
du SA1VG
DAS EiNFERMIDADAS DES SEXUAES, AS AFFEC-
CQES CUTNEAS, E ALTERACOES DO SANGUF.
30.000 curas das impingenr,
[a* ptwuta, herpes, sarna,
cornixoes, aertmonia, e ercoes,vieioeas do sanguti
virus, e alteracoes do sais
gue. (Xarope vegetal sem mercurio). Depurativas
cesases Baishsms WMMriKRAF.m tomao-se doaa
por semana, seguiodo o traclameuto Depurativo : 4
em pregado as mesmas molestias. <. i
, Este XaropaCitraetod ferro
e CHABLE, cura isimedia-
i Mote qualquer purga cao,
relaxacao, e debilidade, a
igualmente es flumt e /loras
brancas das malhers. Esta injeccao baaigaa ea*
prega-se com o Xarope de Oitracto de ftm^
easarroidas. Pomada qne u cura em tres das.
POMADA ANTIHERPETICVk
Csnlra: su affeetou cuMas e cotff.
PILULASVE0ETAE8 DPJR*tWAS
do o' Clwsto, cadatrasssMi asossapabasod* a
PLui DE
COPAHU
AVISO AOS 8R8. MDICOS.
LCors costrrhos, tette
I cofeluches,
Si2op du
srPORGET
ama colhe rebde* darte laffissijlf o
Dr. csupu em Isrl, ^ Wr:
ardMfss
nerrorai sai pJfhuiL''
fOGET.
Chassui m Pars, a 1
A veada na {rbarraaeia 4e 9. HasTer y
e C, em Peraami>eco- ________ .
_ Escravt
f**de-ee ama nefra moca,
engoma
uutaero
perteu coxtrOrtin,
M **t
GAZ GAZ GA
Cbegoa ao antigo deposito
C rna do rmperaffor, om <~
ptlnrefr fjBattiade.o qM i
'irrtaHio por meaos pre?r> i
luer parte.

\


Mi

m
( J
i*
tarto ie
BexJa felra t ie Julho 4e 1867.
i
-Y


fr


*
I
I
I
1
!

las ii\ J. C. ayar, ei-tartt
daaiversidade de pensylvmi, i#i
Brtats-Ciidas,
xlrae to codiposto de sa
rilhst de Ayer.
PeMoral e eereja.
fieme di o paraaezoe.
Malas catha*tiea.
0 deposito central para as proviociai
Pernambuco, Alagoas, 'Prahyba e Rio-
Grande do Norte, desles remedios t5o fa-
veravelmeate conhecidos e acolhidns en
todas as partes da America (Je Sol e do
Norte, na-seem casa de Theod chrle-
tiaiise-a, iS rua do Trapiche en
Pwi'Wiwl.
Os procos de
330 por auzia de estrado de salsa-parrilla.
27 por duzia de peitoral de cereja.
270 por duzia de remedio para sezoes.
70 por duzia de plalas catharticas
se entendem diultelro vista, coa
o descont de 5 por cento em qoantidadei
de 6 a 12 duzias, e de 10 por cento en
qoantidades snperiores a 12 dorias.
Pfiites A aguia branca: roa do Qeimado n. 8
acaba de receber algumas amostras de pen-
tes de tartaruga para senhoras, todos de no-
ves moldes e bons gostos, sobresahindo en-
tre elles algDDS cajas novidades em mol-
des, e perfeicao de obra os tornam recom-
mendados para quem aprecia o bom ; assim
como receben igualmente outros mni forni-
dos e bem feitos para desen baracar e ouiros
com eixo para dobrar e proprios para barba.
Tambera recebeu outros de metal pratea-
dos e dourados, que de tal molde s5o os pri-
meiros que app irecem osquaes eom o semi-
crculo que fazem sobre o coque tornam-os
mui bonitos.
fiarapacas brancas
Vieram muio boas, e por isso vendem-se
a 1-5200 e 25 na toja da aguia branca : roa
do Queimado n. 8.
liabadiuhos crespos
O novo sortimento qne acaba de chegar
continua a ser vendido como dantes 20500
e 3 i peca c sempre na rua do Queimado
leja da aguia branca n. 8.
Pestes enfeitadts para menioas
Yendem-se na loja da aguia branca: rua
do Queimado n. 8.
Bollas de aail
Vendem-se na loja da aguia branca: rua
do Queimado n. 8.
Bonitos port-relegios
Vendem-se na loja da aguia branca : rua
do Queiiuido n. 8.
Cara mesas
Galbeteiras para azeite e vinagre.
Saleiras de vidro e paliteiros de porce-
lana.
Vendem-se na loja da aguia branca: rua
do Queunido n. 8.
Lavas de pellica preta.
Cheparam para a loja da Aguia Branca ;' a roa
do Queimado o. 8.
Raaos de flores para coques
A aguia branca acaba de receber um nico
earto com ramos de flores para coques.
A perfeicao e delicadeza dessas flores tem
satisfeito a todos que as tem visto e com-
prado a 55 cada ramoisso na rua do Quei-
mado, loja da aguia branca n. 8.
Faca favor de 1er
para saber o que de novo chegou na Agui*
branca a rua do Queimado o. 8.
Trancas-pretas de vidrinbos com pingen-
tes, e sem elles.
Botes pretos e de cores, enfeitados com
vidrilhos tendo com pingentes e sem elles.
Alamares pretos para basquines.
Novas e bonitas guarnieses pretas para
ditas e vestidos.
Coques de bonitos moldes.
Ditos de sndalo e seda.
Ditos pretos para luto.
Enfeites de flores obra de bom gosto.
Pentes de tartaruga obras modernas, e
apurado gnsto.
Pentes dourados e praleados, moldes no-
vos e bonitos.
Bonitos e modernos gales de seda, de
cores para vestidos.
Bicos de seda e golpure.
Laques, todo d madeperola e sndalo.
Ditos de iaia, os quaes fazem quatro
vistas.
Ditos todos de sndalo, e sndalo e seda
para meninas.
Bonitas cestinhas bordadas a froco para
meninas.
Escovas de cabo de marfim, e madrepe-
rola para denles.
Abotoadoras bonitas para coletes.
Brincos de corrente de borracha, voltase
pulseiras de dito.
Aderecos pretos para luto.
E mui ios outros objectos que serSo pre-
sentes aocomprador que se dirigir a dita
loja o"Agua branca a rua do Queimado n. 8.
Agora sim
Acabam-se as moscas.
Porque a aguia branca acaba de receber
porc3o de papel mata mosca e contiaia
a vende lo como dantos a 40 rs, a folha,
comparecao pois os pretendentes e serao
servidos na loja d'Agua branca roa do
Queimado n. 8.
Nova remessa
De correoteg de boracha.
A ag; ia branca a rua do Queimado n. 8
recebeu nova remessa das desojadas corren-
tes pretaz de borracha, e continua a vende-
as como d'an tes a H avara.
-- < j ......
Agua mineral
fernflieta, MiMate, gazoo e carboaka
M
O uso Tagua de Orezta mui partrcniarmeirte
reeommendaflo pela escola de medicina de Pars,
para tudas as affeccoes do tubo digestivo, ingorgita-
meoto das viceras abdooiitraes, e geratmente todas
as molestias provenientes de traque orgnica, ou
pobreza de sangoe.
DP0SIT0 ESPECIAL
31Rut larga do Rasarlo34
Pharmacia deHarthoIoneudkc
Alm do grande sortimento das melhores machinas, americanas para descarrocar
algodao, de 10, 12,14,16, 18,20, 22, 25, 30,35, 40 e 50, neste estabelecimento se
entontra mais o segninte:
Azeite de espermacete propria para machi
as.
Vapores de forca de 3 a 4 cavallos.
Serras avulsas para machinas.
Mancaese todos os mais pertences para as
mesmas.
Carros de mo para aterro.
Cylindroparapadarias.
Debulhadores para milho.
Arados americanas.
Carrinbos proprios para armazens.
Moinhos para refinacao.
dem para milho.
Escadas de madeira americanas.
GRANDE SORTIMENTO
DK
FAZKVIHN BARATAS
-im "'
NA
LOJA E ARMAZEM
SO
Roa da 'Imperatriz 6a
CAMJL Os proprietarios deste grande estabelecimento acaban de receber da Europa um
Sedas largas
A 2* ocovado
S na laja d fava.
Vend a se modernsimas sedas com largara
de chita fraoceza, sendo cem padrSes modernos,
tendo entre ellas cores proprias para qoem est de
lato : rende-se pelo tiarato prego de 5 o ovado :
grande pechineb* : na loja e armazem do Pavo,
roa da Imperatriz a. 60, de Gama & Silva.
Certes areos
tr ., ASOOrs.
Vende-se bonitos cortes de cambraia branca com
bonitas barras bordadas e teodo lambern afgans
com bonitas barras de cores; vende se pelo bara-
to preco de S, na lo]a e armazem do Pavo, roa
da Imperatriz o. 60, de Gama & Silva
Alpacas de cores
A500rs.
grande sortimento das melhors fazendas de la, linho,^godao"eVedV;"squaes vendem veSdTc?ma^


Gaias com vidro sortidos.
de todas as qualidades.
Bombas de japyz.
dem americanas.
Ferros para engommar a vapor.
Vassouras americanas.
Baldes americanos para compras.
Tinas de madeira.
Ballaios e cestas de verguinha.
Guarda comidas.
Peneiras d'arame para padrinas e refinacoes*
Correntes para almanjarra.
Machados e faces americanos.
Barricas com milho brando americano.


NOVIDAD
rna do Crespo n, f A, sqniaa 4a 4tS imperador
.
D!
por precos baratissimos, am de apurarem dinheiro, dando de todas ellas amostras,
deixando ficaf um penhor ou mandam-nas levar em casa das Exmas. familias pelos seus
caixeiros, assim como as pessoas quenegociam em peqoena escala, neste estabelecimen-
to comprarao pelos mesmos precos que se compram as casas inglezas, ganhando-se
apenas o descont.
Caseniras pretas enfestadas a i6av.
Na toja do Pavo vende-se superior casemira
entestada preta para calcas e paletos pelo barato
preco de !600 o covado ou a 2*800 cada corte
de calca, dita mnito mais Bna, eovado a 2$200
oo. o corle a 3*500, ditas mnito finas sem serem
enfestadas a l809, 2*000 e 5*500 cada covado :
na loja e armazem do Pavao na rua da Imperatriz
n. 60 de Gama & Silva.
As casemiras do PavSo corte a 3$>00.
Vendem-se bonitos cortes de casemiras de cores
escaras proprios para o tempo de invern, pelo
barato preco de 3*500, on o covado a 3*000, sen-
do entestadas, assim como bonitas meias easeml-
ra%esnas com mescla de Mda a 64 rs- C0VSM?.' cores, petos ftaratlssimos precos de J40, 280 e' qae sempre se venderaro per muito mats dinheiro
i

ou 2s24 o corle de oalca, seodo lateada at muito
propria para os meninos qee frequentam a escota,
isto na lo)a e armasen do Pavo na rua da Impe-
ratriz d. 60, de Gama & Silva.
Ceteiias para saias
6 na loja do iavo.
Vendem-se pecas de celezia de algodao, sendo
acbamalotada e muito propria para safar od ontra
qaalqoer especie de ronpa branca, pelo birato pre-
co de 4000 rs. a pega com 10 varas, on retalba-se
a 440 rs. a vara: na loja e armazem do PavJ
na da Imperatriz n. SO. de Gnma & Silva.
SAIAS ECONMICAS A 3*200.
S na loja do PavSo.
Cbegea om grande sortimento destas aovas saias
eicuras propria para tempo de invern por evita-
rem qae a* saias tarabeas com que uuia eubura
I vae com posta nao se aoje de tama ao mesmo tem-
Custodia Jos Alves Saaaia^.
Tendo recebido em dreitura pelo vapor francea Estremadnre, um variadissimo D0 sa rooil bonils Pr ^rem lindas barras como
? i5nflnt *t!SSi!S %X moda em Paris'e ^TT^SS, as,festa^-de,KS SSo1?^SoSalS TSfSSrSJS
b. Joao, b. Fedro e Sant Anna, por isso apressa-se em vir convidar o respeitavel publico,' do Pavao, roa da imperatriz, n. 60 de Gama & su-
ecom especialidade aos seus numerosos freguezes, que venham ver o que ha de mais1
moderno neste mercado. Como sejam :
para vestido
pelos
Biquissimos cortes de seda
3 500,600, 70& 80A-, e 900.
Lindos cortes de foulard de seda,
baratissimos precos le 25?, 300e 350.
Cortes de Wood para noiva, trazendo cada
corte saias de setim, capella e veo.
Ditos de dito com pequeo toque a 400
e 500.
Moireantique braqco, azul e preto.
Seda branca para vestidos de noivas.
Grosdenapoles de todas as cores.
Riquissimas basquines de seda preta, bor-
dadas com gosto.
Lindos cortes de 15a com barra e de ulti-
ma moda tendo cada corte o seu figurino.
Riquissimos cortes de mita, la com lis-
tas de seda para vestido, esta fazenda re-
commenda-se muito por ser inteiramente
novidade.
Dita da mesmaqualidade porna em pecas.
Requissimo transparente de seda para ves-
tido de senhorastambem novidade.
Riquissimas gravatinbas para senliora.
Ditos corles de barege e de la para ves-
tidos.
Lindas chapellinas de seda para senhoras.
Ditas ditas de dita para meninas
Chapeos de palha parasenhoras.
Riquissimos chapeos, di sol parsitas.
Requissimosenfeites com coquee sacata-
inteiramente novidade.
Riquissimos leques de madreperola.
Ditos ditos de sndalo.
Luvas de Jouvin preta, branca e de cores.
Chales de seda.
Ditos de cachemira.
Riquissimos manteletes de cores, inteira-
mente novidade.
Riquissimos cintos para senhoras.
Riquissimas fivellas para cintos.
Riquissimas cobertas de ponto de crochet.
Meias de laias para padres.
Ditas de 15a para padres.
Ditas de seda para senhoras.
Ditas de dita para creancas


Ditas de algedp de dlfferentes qualida-
des e prego para hornern, senhora e criancas.
Luvas de todas as qualidades.
Madapolo francezo <|ue de melhor
no Bureada.
Organdy braaco com listas.
Dito de urna s cor e com listas da mes-
ma cor.
Chapeos de seda para homem.
Ditos de phantasia para hmem.
Casemira preta muito fina.
Ditas de cores inteiramente novidades.
Chapeos de sol com lindos castes.
Toalhas de labyrintho muito ricas.
Ricas fronhas de labyrinto.
Riquissimos lencos de dito.
Rendas, bicos da trra e grades para lencos.
Urna requissima toalha toda abarla de la-
byrintho o que ha de melhor neste genero.
Peitos de linho bordados para camisas de
noivos.
Collarinhos de 'linho inteiramente novi-
dade.
Pauhos e gollinhas para seohort;'
Riquissimas saias bordadas.
Riquissimas camisinhas para senhora.
Cassas muito finas e inteiramente novida-
des.
Riquissimos veos e mantas de blond.
Ditos chales de toquim.
Fil de liaho, liso e de salpicos.
Fil de seda, dito e de ditos.
Espartilhos para senhora inteiramente no-
vidade.
Lindos baloes de 15a para senhora,
Ditos de dua para meninas.
Ditos de auculina para senhora.
Riquissimas vestimentas p|ra baptisados
conten.lo, chapeosinho,sapanho, meiasinha
e camisinha ricamente bordadas.
Ceeiros bordados mnito finos.
Um rico lengol de labyritho, proprio para
casamento.
Chitas, cambraias, madapoloes e muitos
outros objectos, qesedeixa de mencionar.

Para camas de nolvaa.
Vende o PavSo.
- Rices cortinados bordados a 8*000,10*, 16*,
20* e 25* o par ; assim como os mesmos tambem
servem para jaoeiias; ditos adamascados a 10* e
12* ; bonitas pecas de cassas adamascadas para o
mesmo effeito; bonitos damascos de laa de ama
e dnas largaras, proprios para colchas, assim co-
mo bonitas colchas de croch : iu|o isto se vende
mais barato do que em antra qaalqoer parte, na
loja do Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama
di Silva.
Cascas de cor a 24o rs.
Vende-se nm bonito sortimento de cassas de
largara de cblta franceza, e vende-se pelo barate
preco de 500 rs. cada eovado ; grande pechln-
cha : na toja e armazem do Pavio, roa da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Bramante a 2$.
Vende-se superior bramante de iinbo alvo com
10 palmos de largara, pelo barato preco de 2*-a
vara : na loja e armazem do Pavo, roa da impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Alga la a variado
Vende-se pecas de algodao largo muito encorda-
do, pele barato preco de 5*800 a pe$a : na loja e
armazem do Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Retalhas
Vende-se ama porcao de retalbos de chitas e ca-
cas pretas, por preco barato, na loja e armazem do
Pavo, roa da Imperatriz u. 60, de Gama & Silva.
Sedas a 320 rs. o covado
Vende-se nm bonito sortimento de sedas de listas
320 rs. o covado, assim como nm bonito sorti-
mento de cassas francezas com listas largas a 800
rs. a vara, flnissimo organdys raatisados a i*, na
loja e armazem do Pavo, rna da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
rgandy a 4000.
Vendem-se bonitos cortes de organdy
sendo com listras todas brancas ou com lis-
tras de eres tendo oito varas cada corte,
pelo barato prego de 40, pechincha: na
loja e armazem do Pavao ou da Imperatriz
n. 00 de G. Ka e Silva.
Chitas a 200 e 240 n.
Vendem-se chitas inglesa* e ceros (has
e liqoidam-se pelo baratissimo preco de 320 rs. o
covado, s para acabar : na loja e armazem do Pa-
vao, rna da Imperatriz n. 60, de Garas & Silva.
Utensilios typogrphicos,
Acabara de chegar de Franca e*est5o a ven-
da na rua do Imperador1 n. i5 defronte de
S. Francisco: ricas escovas para, lavar for-
mas, ditas para tirar provas, compositores
de diversas largaras mui modp-nos, tita
para impressSo fina, linhas e enti ihaa de
differectes qualidades e pontas. i mesma
casa continua a ter testamentos dp duferantea
,aD;maes; e 'olbers r1? Porcina, V'gau-.ia
peloarato ^eoo de 2wu e %furs. oaova- etc aS8m como cidade de Deus, Horas da
do: na loja e armazem do Pav5o na da I
O dono deste importautissimo,ei(abelecimehto continua ^os proposito de que
rer vender muito e ganhar pouco, para o^gae sugeita-se a gaohar-laicamente o descont.
vrr
A'
Ht
LOJA DE FAZENDAS DE AUGUSTO PORTO & L
IIRua do Queimado11

seda de ceres para

Angosto Porto A C. acabara de receber da Earopa superiores cortes de
bailes e casamento?.
Ricos cortes de blond esm manta e capea para noivas.
Cortinados bordados para camas de noivas e janellas de 7* a 80* cada nm.
Colxas de seda e ontras de la e seda o qae ha de melhor para eamas de noivas.
Toalhlnbas de croch para cadeiras e sotas, espartilhos a sultana para senhoras, camisinhas
com mnganos bordados e lindos encuevaos para baptisados, e bal5es de masselina e de arcos para
senhoras e meninas.
Lavas de pellica para homem e senhorsrs e superiores chapeos de sol de todas as qualidades.
La para vestidos baratlsslma bonitos padr5es o covado a 280.
Tapetes grandes para sota, ditos para piano, ditos para cama e pequeos para portas e janellas.
Moir branco e preto saperior para vestidos de lindos desanos, grosden&ple de todas as cores
seda de qnadriohos. cambraias brancas de nanitas qtalldades, ditas de cores e lindas percales.
Basquines de seda preta ultima moda, chales e retoades de euipure, vende-se barato.
Camisas para horneas francezas e inglezas de linho e de algodao Boas e sroslas de linho sa -
periores.
Capas de borracha, sobretodos e perneiras as melhores e mais elegantes.
lalas grandes para viagens, ditas pequeas saceos de tapete e couro.
Bramante branco de 1 largaras a 2*300 a vara, pannos pretos e zoes, casemiras pretas e de
cores lodo bom e barato.
Neste estabelecimento ha sempre nm completo sortimento de bois fazendas tanto para a praea
como para o centro da provincia e superiores objectos proprios para casamentes como sejam capella,
mantas, vestidos de blonde e de moir branco, cortinados, colchas, vendendo-se lado mais barato e
tambem as melhoras
Esteiras e alcatifas para forrar salas.
*
Vende-se na fundieje 4a Aurora em Santa
Amaro, 2 botas de folha de ferro de 3r8
grossora, com fundo semi9pherico e altura
cnico, tendo 13 i|2 palmos de alto e 6 3{4
ditos de dimetro com olhaes maoilhas e 3
balas de ferro fundido para amarrado, etc
_ Lencos de labyrimtb*
Ctugaram a' roa Crespo 8, esquina, ne-
?o MndrWmos lesees de MbyHnOiov co-
mo rlqoiitaas fronbas tambem de labyrintho do
ideara e veidem-se por menos preco do que em
ooira qaalqoer parte.
e aicatiias para
il-Ra doQueloaado-ll
va.
Espartilhos.
Vendem-se magnficos espartilhos francezes e
inglezes na loja e armazem do Pavo, na roa da
Imperalria n. 60. de Gama & Sirva.
PANNOS DE CHROCHE*.
Vende-se um grande sonimeoto dos mais boni-
tos pannos de ehrocbs prcpTlos para cadeiras, so-
phs, cadeiras de bataneo, para alrcofadas e para
cobrir presentes, e vendem-se por preeos baratos
na loja e armazem do Pavo, rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
FAZENDAS PARA LUTO.
Leja da Pavo.
Vende-se setim da China preto sendo ama fa-
zenda mnito leve e sem lastro com 6 palmos de
largara proprio para vestidos e roapas pare ho-
mem pelo barato preco de 2*000 o eovado meri-
no preto entestado muito bom a 1*600, superiores
bombzinas pretas a 1*600, 1*800 e 2*000 rs. o
covado, superior canto a 1*200, lanzioba preta
isa a 400 e 300 rs. o covado, nm grande sorti-
mento de alpacas e princezas pretas que se ven-
den) mais barato qae em ontra qnalqner parte, na
loja e armazem do Pavo, rua da Imperatriz, n
60,e d Gama & Silva.
Bramante de linho.
Vende-se superior bramante de linho com tez muito mais dinheiro : isto na leja e armazem
lmn* ^r, tl*rtrt* nollto k**ltAI PPIMkM Aa 9 < J CU\ J_ T*___* '__-- -1 _' -----* f*f\ 3_ /-* _K,
Imperatriz n. 60 de Gama e Silva.
Beias inglezas a 5OOt> a
duxia.
Vendem-se meias inglezas para homem a
SjJOOO a duzia, ditas para senhora a 40000 :
na loja e armazem do Pavo : na rua da
Imperatriz n. 60 de Gama e Silva.
Citaos tara tos
U, 30500, 60 e 70000.
Vendem-se chales de merino estampados
a 20, ditos lisos a 3o00, ditos estampados
unos a 50500, 60, 60500, ditos crepon
com listras de seda a 70500 e 80000,
pechincha: na loja e armazem do Pavao
ruu da Imperatriz n. 60 de Gama e Silva.
As 10 mil Taras de cambraias
Covado 300 rs. vara 500 rs.
m o pavio
Vendem-se finissim cambraias france-
zas com listras miuda e graudas e com
lindos desenhos de fio' es e palmas, sendo
todas com as cores mais modernas e mais
lindas que tem vindo ao mercado, pelo ba-
rato preco de 300 rs. o covado ou a 500 a
vara, grande pecbincha attendendo a
grande porc2o que tem, sen3o seria para
Semana Santa, Manual Encyclorjedico, Ripan-
sos, Caminho do Co, Horas Portugueaas,
Marianas, Imitaco de Corista, Escudo Admi-
ravel etc.
Feii
f*
u
Vende-se feijSo mnlatinho por 7* a fice, ama-
relio, branco, preto e rajado por 5* : na roa do
Codorniz n. 12 A.
Veaae-se oleo de ricino em latas de 30 libras
na rua da Cadeia-velha n 1, no segundo andar.
Vapores.
Vende-se em casa de Saanders Brothers & C,
no largo do Corpo Santo n. 11, vapores patentes
com todos os pertences proprios para fazer mover
tres oa quatro machinas para descansar algodc-

Escravos fgidos

____

_______
'V

l


mumiummmmm
ftua do Imperador N. 23,
Jefronte de Francisco. le andar.
Acaba d receber de Paris um rico soriimento de ornamentos e objectos de
bronze, prateadose dourados, proprios de igrejaa ecapellas, taes qae : candelabros,
castceos, custodias, turbulos, lampadas e crazes de diversos gostos e tamanhos. Os
precos desses gneros sao comjnodos, e devem. ser aproveitados.
palmos de largura pelos baratos precos do 2*400,
2*600 e 2*800 a vara, superior panno de linho
proprjo para lences-, toalhas e serentes, pe-
lo barato preco de 640, 700 e 800 rs. a vara, pe-
cas de Hamburgn de linbo mnito snpenor a 10*,
ti* e 12*, algodaozlnho infestado liso mnito en-
corpado proprio para lences a vara a 1*, dlt en-
trancado mnito superior fazenda com a mesma
largara a 1*200 a vara, assim como mais ama in-
fnidade de fazeadas brancas que je vendem mais
baratas que em ontra qoalquer parte s com o Um
de apurar dinheiro, na loja e armazem do Pavao,
rua da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
lencos raucos
a 20000,*208oo e 302oo.
Vende-se om gnnde sortimeot} de lencos
cambraia branca pelos baratos precos.de 2*000 e
2*800 a dozia, assim como ditos eom lista de co-
res flxes em volta, tanto proprio para nomens co-
mo para meninos, qae se vendem pelo barato
preco de 3*200 a duzia, ditos grandes de cassa li-1
za que se vendem a 500 rs. cada om, na loja e
armazem do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Madapoln pechincha a G
Vendem-se pecas de madapolSo sendo fa-
zenda muito superior com 24 jardas cada
peca pelo barato preco de 60, dito muito
mais superior a 60300 e 70, assim como
dito finissimo a 80, grande pechincha: na
loja e armazem do Pavo roa da imperatriz
n. 60 de Gama 4 Silva.
As chitas baratas
Na loja do Pavo a 240, 280, 320 e
36O rs.
Vendem-se urna grande porcSo de chitas
rfinissimas com pequeo toque de mofo, ten-
do miudinbas e gratulas, que se vendem pelo
barato preco de 280 rs. o covado, sendo fa-
zenda que val muito mais dinheiro, 4itas lar-
gas e'escoras sem defeito a 240 rs. o cova-
do, ditas preclaras escuras e alegres a 320 e
360 rs., todo isto pecbincha na loja e ar-
mazem do Pav3o: rua da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
Vendem-se meia casemira mnito encorpa
da e escara pelo barato preco de 320 reis o
covado ou a 10120 reis o corte de calca,
sendo fazenda propria para carcas, paletos e
coletes, grande pechincha na loja e arma-
zn do Pavo, rua da Imperatrii n. 60, de
Gama & Silva.
Chitas pretas a 460 e 200 rs.
Vendem-se chitas pretas inglezas com sal-
piquinhos a 20O rs. o covado, ditas lizas a
160 rs., no armazem do PavSo: roa da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Itoalhafloi
Vende-se superior atoalhado de algodao ada-
mascado com oito palmos de largura, '***
dito transado sem ter adamascado vara ***>>
uto superior de linho adamascado vara 2*800 e
31. Roardanaoos de iinbo cr que sao os mais
oaoamwa'Jta. duzia, pa loja e armazem do
pavao, roa da Im#ratrU n, 60, de Gama & Silva.
Chitas coa mole a 280 rs., ia loja do
Pavo
Vende-se ama grande porco de chitas
francezas com maitos bonitot desenhos, pelo
barato preco de 280 rs. o corado, por ter
um pequeo toque de mofo, sendo de cores
seguras e garantindo-se que soltara o mofo
logo que se lavem e a nao terem este pequeo
defeito seriam para 400 rs. o covado, esta
pechincha acha-se nicamente na loja e ar-
mazem do PavSo : roa da Imperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
do Pavo, rua da imperatriz n. 60 de Gama
Silva.
Chales de renda a 4.
Vendem-se bonitos chales pretos de renda che-
gados ltimamente pelo barato prego de 4* : na
loja e armazem do Pavao, roa da Imperairlz n. 6#
de Gama & Suya.
Motos vestidos a 60000.
Na loja do Pavo.
Cheparam os mais modernos e'bonitos cortes
de organdys para vestidos, tendo iO var*s c da
corte, sendo 7 varas listadas para saias e 3 varas
sem listas, mas con enfeite para o corpo (oo ca-
saquinho) garante se oeste genero ser o mais mo-
(e i derno que tem vindo ao mercado, tendo entre el-
les mu.tos braocos com listas e enfeites pretos, e
vendem-se pelo barato preco de 6*, nicamente^
no armazem do Pavo roa da Imperatriz o. 60, de
Gama & Silva._______________
VENDE-SE
Motores americanos para dons cavallos.
Dito dito para qaatro cavallos.
Machinas para desearocar algodao de 14, 16,
18,20 30, 35 e 40 serras.
Prencas para enfardar algodao fazendo os sac-
eos com 6 palmos de comprimento com o peso de
150 e 200 libras, viadas ltimamente da America
no armazem de Henry Forster & C, no cae Pe-
dro II n. 2 junto ao uabmete Portnguez._______
Para calcas
Grande reducto
NOS PBEQOS DAS
Prepara ces
-
DE

Kemp
Salsa parrilba de Bristol duzia 33*.
Agua Florida de Murray & Lanman 10*.
Anacahuita peitoral de Kemp 22*.
En quantu a agaa florida preciso a maior cau-
tela costra as falsineacSes fraudulentas francezas :
as verdadeiras preparares se vendem no nico
deposito roa do Trapiche n. 8._______________
Collares Royer magnticos
Nedathas e pulseiras magnticas.
A Aguia Bcaaca receben nova remessa dos pro-
vellosos collares Royer magnticos, ja soturnamen-
te coobecldos para preservar as convulsoes e faci-
litar a dentico das criancas.
Com esses atis collares elctricos magnticos
tambem nao pequeas qaanUdades de medaLbas
e pulseiras elctrica; magnticas coja otilidade
tem sido aprovetada por qoem soBre do nervoso
bypocondico, tremores oas maos etc.
Assim como os collares Royer esto feralmente
conhecidos e acreditados pelos efflcazes effeitos e
bons resaltados qae tem colbido as pessoas qae
delles tem asado ; assim tambem chegaram a ga-
nbar tao alta reputacao essas apreciaveis ""'p*3
e pulseiras magnticas, urna vez que o oso aellas
fr se esieodeodo a lodos que dellas necessitem. A
Aguia Braaca con:inua a receber por todos os va-
pores francezes urna determinada qoantldade des-
ses sempre precisos e eslimados collares Rover
magnticos e por Isso Oque na lembranga de todos
que os acbarao constantemente* em dita loja da
Agola Branca, rua do Qaeimado n. 8._________
MOTsmS DO PEITO
Avise importaste.
O onieos verdadelros xaropes de hypophosphl-
tos de soda, de cal e de ferro do Dr. Ctwrehll! tr-
zem a Arma qqatro vetes repetida deste abU me-
dico sobre o subscripto e a marca de fabrica da
pharmacia Swann, 12, roa Castigtione, Paris.
Acba-se a venda em frascos qoadrados eom o Do-
me do Dr. Cborchill no vidro. Preco 4 fraooos en
Parts : Com Instmecao
Vende-se em casa de P. Maorer & C
CALLOS

Contina a estar fgido o escravo Ldano
crioulo de idade pouco mais oo menos 29 a 30
annos, baixo e grosso do cotpo, rosto oomprido <
camodo, nariz chato, cabellos carapinhos, beicos
grossos, barbado, as vezes usa s de bigode, olbos
pequeos ; mnito ladino, trabalba- de sapateiro,
assim como no campo: consta que transita om
Trombeta, Collonia de Pimenteiras Leopolpioa a
nos engenbos Cndalo e S. Benedicto : qoem o
capturar leve-o ao seo Sr. o capilo Jos Candido
das Neves no engeobo Papagaio, termo de Porto
Calvo, oa no Redfe na rua do Apollo o. 32, que
era generosamente gratificado.
Fugio no da 4 docorrenle do erige-
nho Macaco, o escravo Jos, crioulo, com 40
annos de idade ponco mais ou menos, c6r
fula, poaca barba, altara regular, o umbigo
muito grande, pernas acambetadas, e com
marcas de feridas, ps grossos e feios, quem
o pegar leve-o aoreferido engenho Macaco, da
freguezia de S. Lourenco deTijuctipapo a sen
Sr. Henrique Olympio Tavares da Rocha, pa
na cidade do Recife a seu correspondente o
Sr. JoSo Pereira Moatinho, qae ser gene-
rosamente recompensado.
GrratificfiCo.
Gratifica se a quem apresentar ao Dr. JGaqoim
Baptista Moreira, morador a' rua da Saudade, o
seu escravo, de nome Augusto, natural do Para',
idade de iS aBnos, estatura regular, cor fula, o
qual anda com roupa de servicocaiga, camisa e
chapeo de feliro usado, trazendo alm disto a ca-
beca atada com um lenco, por t-la raspada. In
culca-se forro, para andar ganbando dentro da ci-
dade ; pois desde sabbado, 13 do corrente, que se
ausenten, e (o visto no bairro de Santo Antonio a
faier carretos. Recommenda-se, oairosim, s's au-
toridades policiaes a sna captura, bem como pro-
testa-se proceder contra quem lbe prestar acoota-
mento._________________________________
Attenco.
Fugio no dia 5 do corrente mes' de jnlho do
sitio do Cajaeiro da Passagem da Magdalena, a
escrava Mara, crioola, idaoe 27 annos, cor fula,
altara regalar, ebeia do corpo, rosto redondo, pef-
to corrido, quando falla gagueja, levou vestido
de riscado encarnado, cbales branco com rama-
gem encarnado, costuma mudar de trajes, sabio
para vender fructas : roga-se as autoridades poli-
ciaes da capital como do centro oo qoalquer indi-
viduo do povo a prendam e leve a seu senbor Ma-
noel Aatomo da Silva Rios, no mesmo sitio de
Cajaeiro casa de azulejo qae sera' gratifleado ge-
oerosameote. .....
ititencao.
Continua andar fngido do poder do abaixo as-
slgoado, desde o dia 12 de mareo do correte no
o seo escravo pardo claro, de nome Cyriaco, eom
os signaes segorates : representa ter de idade 40
annos, rosto rodonde, e nm tanto envergado, olbos
empapocados e fundos, bocea grande, beicos gros-
sos, barba fechada e roiva, pos e mos grossos e
carnudos, peitos vermelbos e cabelludos, cabellos
crespos e avermelbados, costoma andar armado de
fado e orna bayoneta n'nm pi, gosta de tomar
cachaca, e quando oca bebado da' para poeta, e
regris a : roga-se, porunto, as autoridades poli-
ciaes e capites de campo a apprehenso do mes-
mo, 1evt-!o a sen senbor, o aballo assignado, no
engenbo Pedregulbo, em Nazretb, qne sera' bem
recompensado. .
Jos Ignacio Bareira Torres.
100$
PomadaGalopeanpara a extraccao e cora r-
pida e completa dos* callos daros, sem a menor dor,
vende-sena
pharmacia e dragara
DE *
Bartholomen & Coaipatalila.
34 ROA LARGA DO ROSARIO 34
nico deposito.
de gratificaco
Continua andar fgido o escravo do abaixo m-
sigoado, malxto, por nome Dtonlzio, com os hj
naes seguimos : idade 22 annos, estatura regnltr,
falla de doos dentes na frente do lado sflperior,
olbos nm ponco apenados, tendo os dedos mnimos
dos ps mais altos, eostuma a trazer o chapeo c-
nido sobre os olbos, tem om nome escrlpto em nm
dos bracos, e consta qae esta' trabalhaodo no offl-
cio de upateiro ; e o abaixo assignado protest a
quem tlver o mesmo acornado desde ja', conforme
a lei.-os Goncalves de Azevedo.

--


tmmmmmvttKm

y?,P"
n_
\
^ 4
^
ASSEBLl GER\L
estabelecer a crela de qae, com referencia as etei-
ces, adoptara a poltica geographica, logem.o por
Isso os dlstinctos cavalheires qae ioearaaente opi-
nara pela liberdade eleitoral, por essa pnmei'ra base
da verdade do systema monarcblco constitucional
representativo.
De feito, a reconbacer so a existencia de sema-
Ihante po/ifica, confessar-se-ba tambera que o, go-
(MIRA DOS SEMIOttES DEPUTMOS.
SES.-A EM 1 E JULHO DE 1867.
PRESIDENCIA DO SR. SILVUIBA LOBO
(ConUnnacao.) vBroo#poz timbre era respeltar as situacoes das -pro-
Ah! enbores I Parece qan-ha r> proposito de fa-
zer-cos retrogradar a" poca cartera terrenna
era que, na phrase brllhante do citado Paulo Vo-
taron, acreditava-se que o edificio -social ra er-
guido para oprimir o hornera e enfeuda-lo a' mal-
dada!.... Se o ha, teno que elle nao viugar.
(Mui los apoiados.)
A' censora queabl Mea apreciada se tr-ra pren-
di j, a qae se sopp6 caber ao governo por ler
perrditrldo qua algn? titurto se insirevan era
maso eiercito, e por ter alardeado os cladaos
benemritos que.lftoertando ascravoj. sen?, provi-
'.'.Dciam para que, de machinas ipertes que erara,
convertatn*e estes era operarlos da civilisago e
do progresar.
Diversos sao os ai-tos do governo citados pelo
distincto presidente do conselho, ja' n'est, ja' na,
outra casa do parlamento, aQm de demonstrar
quo aquillo, qae com relagi a' materia se tem
feito no presente, ao seoSo a repetigo do que
S3 pratlcoo no passado, e qae, prtanlo, a con-
ducta do gabinete, a coja frente merecida mente se
acba, encontra plena justiflcaeao nos precedentes
admiaistrativos, saoeoionados pelos poderes com-
petentes e pela acquiescencia geral do paiz.
A esses exemplos de bom cnnbo adduzirei eu,
seuhores, ura que devo a' raiaha memoria so
viucias no mesrao p era qae as acbou, e de nen
bum raido contribuio para'qae cada,wa dallas,
deixasse da pronunciar-se ante as amas sngondo as
fo^as de qae cada urna dispuant. (Apelados.)
Verdade que para pedra de toque do proced:-
menti do governo, quaotjao ponto era qneslo, ci-
toa-se o resultado das eleigoes prl daras na proviucia do Ra de Janeiro.; Wiif.e
que o Correio Mercantil, orgao offlelal db partido
c.n-ervador nesta corte, irrogou'a raals grave in-
juria aos membros do memo partido que tam as-
enlo nesta casa assegurand que ellas aqu nao
estaara sera o socc.rros das noraeages de algnns
delegados e subdelegados II...
alas qaem nao presente, senhores, que tan pro-
posicOes nao po-le:n ser aconselbadas se nao pelo
immoderado dasejo de empregar contfa adversarlos
leaos arma tanto menos offensiva a estes, qaanto
corto qoe nao pode feri-los de lev*, sem qae so
mesrao lempo e profundamente (ira aquelles que a
manejara ?...
Sujeitar-se-hiam por ventara os sobra caracte-
res que represantam a provincia do Rio de Janeiro
a rec-ber seos respectivos diplomas ornados com o
sello da polica?... '
Vozes r-Cartamente nlo.
OS*. Correa di Bmto :Son o prlmeiro a res-
mente : no exercito qne restaarou em Peraam- pooder negativamente perganta qae vos fli; mas
buco a paz publica, profuadamenta abalada pelajdeixal que eu continu na apreciado do infeliz as-
i Neves tentn ento invadir a residencia do mt--
aittfo oriental, ajkn de arrancar d'abi o Individuo,
que dula gao escrav, mis qae aquella diploman
insista em declarar lvre.
Dava-se iaeootestavelfluute a violago da resi-
djtfKift de aaiaijtro representante de orna nago in-
dependente.
Curopriodo, portanto, croa de sais mais religio-
sas obrigaces, o honrado Sr. ministro de estrao-
'geiros nada se demorou em dar a esse ministro as
salisfacoes qua Iha eram davidas e em praticar os
actos consignados era a noli Anal que se le a' pagi-
na 95 de ssff relatortasobfi. 73.
E' assira/Br; presidente, qua procedem os go-
cemos de aaizes civilisado, que, tendo consciencia
He sua torga, nao esquecem todava os seas deve-
res. (Acolados.)
Prosegua a causa em seas termos quando o Sr.
Aodr Lamas resolveu recolber-se a seu paize.pe-
dio passaportes, nao s para si, mas tambera
sua comitiva, Incialndo nesta o fallado M-
talas.
Todos vos sabis, senhores, qne, segando o di-
reito das gentes, toraam-se extensivas as comitivas
Nao ha motivo, senhores,
00 fli
a ar
eguas
ente independente, exerce
aledas.
Pedlram-se ao esclarecido Sr.
ia jjgareas nformagoes so
coff Pgaaes grandes el
\lX\*mr del la.
i p|0r)CBu llmtar-me, Sr.
qae, qianio se organison o
par qne se receiem
flptodo-maior
a 1,300
_0Mltt-
aquella as setas attri-
rerolaco de 1824, 'figurn um batalho de libe
raes, cojo comraando fra confiado a ama des mais
acreditadas pateles da eolo, e que a nenhum
dos outros, que com elle cooperaram para o resta-
balecimento da ioiegridade do imperio, pedio mes-
sas de valor e disciplina.
Quaoto ao galardo a qoe lludi, saja-me licito
ponderar que as linhas doaradas que a historia
consagren a Simo Bolvar por lar allomado seas
serlo de qoe rae eslava occopando.
Dado, e nao concedido, que os depotados flumi-
nenses hoavessera entrado no convenio iraraoral.'qae
parece atin'botr-se-lbes, seriara elles capazes de vol-
veren) contra a situado e o ministerio qae a sym-
bolisa os meios qae deste e daqaella hoavessera re-
cetado ?... Acredito tambera qoe nao-
Sao bypotbeses essas tao odiosas e tao poaco de-
centes, qae sraente podem ser saggeridas pelo
osefavos, aflm de voar com elles, como com outros odio e pelo rancor, em desespero de ganbo dei cansa
tantos caraaradas seus, em defasa da liberdade
de Venezuela,jjerpetuaram mais o nome do hroe
americano do qae a estatua qoe pretendern) eri-
pir-lbe, e qae elle teve o bom senso de rejeitar.
(Maitos apoiados.)
Em grave colpa incorreu o ministerio, na opi-
niao dos Ilustres oppostelonistas, por ter inserido
na falla do throno o tpico qae emende com a
ercancinagao do elemento servil.
Sao ellas, entretanto, os proprios qoe se encarre-
gam de ..itestar que a dea eminentemente civili-
udora, traduzda em seraelhante tnico, ja' tinha
sido apreciada e discutida, nao so n'esta e na ou-
ira cmara, mas tambera na imprena e as pra-
'or- pnblicas.
O que fez, pois, o gabinete actnral 1..... Cora-
pnndo nm de seus mais sagrados devere?, collo-
coa-se a' testa dessa maoifestacao de carcter emi-
nentemente nacional, e disse ao? pensadores que
se preoccapavam da grande medida:' Parai em
vossas luvestigacoes, suspeodel a voesa propa-
ganda : o governo esta', como vos, compenetrado
fias vantagens e da indeclinavel necessldade da
providencia, coja adopefio promovei?, e estoda os
meios de decreta-I sera abalos aem estremeci-
mentos no estado, 'sem prejnizos para o presente,
sam compromettiraento para o faturo.
Em veif portanto, de vituperio, cabam encomios
ao ministerio de 3 da agosto por ter noticiado no
discurso da cora os estados era qae esta' empe-
nbado para traduzir em lei urna das mais nobres
aspiragoes do scalo qae corre. (Apoiados.)
Tambera se qalz respcnsablltsar a situa?o pelas
aposentadorlas forjada?.
Sopponho que referiram-se a'quellas de taes
aposentadoras que forara aqni sancciODadas em
1864 os illastrados opposicionistas que pretende-
ram ferir-nos cora semelbanta arma, visto corao
nao posso, nao devo, nem quero attribair-lbes a
intenso de chamar nos a' antora por fados que
deram-sa sob o dominio da poltica conservadla.
Oade eslao, porra, senhores, os defensores e os
mpagaadores desse.acto, julgado ento arbitrario,
sira, mas altamente reclamado pelos interesses da
jastiQa, e nada criminoso por consegaiate ?
Com excepcSo apenas de nm os primeiros e
de outro dos segundos, nao podareis contestar que
os advogados do alvitre extremo esto com a oppo-
sico, e qne acham se comnosco os parlamentaras
que combatorara-o, ioclu^ve o Brasileiro disliocto
qua agora oceupa a cadeira da presidencia da ca-
sa, o qual mui terrolninte e claramente e atacou-
o no memoravel discurso da lo de abril de 1864,
que mais ora dos eternos padroes de sua illus-
tracao jurdica, de soa dedicaQao ao? dogmas de
nosso pacto fundamental, de sua independencia
de carcter. (Muitos apoiados.)
Accusou -se-nos igualmente, Sr. presidente, e se
ees accasoa com acrimonia desmedida, por trope-
ras a escndalos elettoraes,
Em miuha provincia, senhore?, correa por Ul
modo a eleicao a que uliianraeole se procedeu no
imperio, que posso asseverr-vos qua foi ella a
mais livre e a mais legal de todas qnantas all se
tm verificado : os partidos disputaram-sa as ur-
nas, sem que encontrassera o minimo bice da
parte dos agentes da autoridade publica, que, obe-
decendo a's iolruec,03s do actual gabinete, Bel-
mente tradnzidas por seu digno e leal delegado,
eram os primeiros a empenbar-se para que a-s di-
versas parcialidades nao falhasse orna s das ga-
rantas de que dependa o ejercicio pleno do inaa-
ferivel direito do voto. (Muitos apoiados..
. a ajuizar do qae se diz acerca das demais
-provincia?, pelo qje se allega sobre a qne tenho a
.inmerecida hona de representar fcao apoiados),
devo eonclair que lado qaaoto e tem allegado
com referencia a semelhante asfnmpto nao tam
por base a verdade, roas sm o prorldo de guer-
rear o governo e de desconceituar a situacao.
(Apoiados.) .
Mas quera que se aaima a itlrar-nos assim
pedra ?.... .
Sao exactamente os homens sob col dominio
funecionaram cmaras unnimes ; sendo que, para
ciae ama deltas o fosse tao completamente quan o
era de mister, recorren-se ao grande escndalo ae
excluir do selo desta casa, por urna deporacao poueo
honesta, o Sr. Bernardo de Sonza Franco, qae M
ora enlao ama das mais acreditadas capacidajies d-
nanceirasdo paiz; que, na sessao anterior, bavia
adquirido indispotavel direito repota?ao de parla-
mentar distlncto.'discntindo elle s contra todos os
oradores de entao, qae erara muitos e abaiisados,
as mais transcedentes questSes do dia ; mas que,
isso nao obstante, continaarla per muite tempo an-
da no ostracismo, e nlo estarla por ventura pres-
tando ao imparlo os servidos qa esie,rhe deve, se
poaco depols da iniquidade deqde 1% victima nao
houvesse fagado a senatoria de s'a.provlncia em
poca em que administravaa o Sr.' Sebastiao do
Reg Barros, esse meu comprovinciano de gloriosa
memoria (apoiados), que, maniendo se na esphera
de nentraiidade que Ibe impanba a le, e que ene
tanto soabe respailar sempra que foi governo (apoia-
dos), nada embaracou qae por -.votaao unnime
viesse a caber na lista trplice ao llusifado Paraea-
se o lagar gracas ao qaal pode dar-se a escoina
imperial, a qoe deve S. Etc. a cadeira-qoe tao bem
ocenpa na cmara vitalicia, e onde, abrasado sem-
pre com a bandeira do parlido liberal, se tem tor-
nado saliento pelos seas principios de raoderacao.
p9lo empenho com que condazse de modo a nao
levantar o minimo embarazo i administraejio pn
blica, cada vez que nao se aparta ella da senda do
dever. (Apoiados qnasl geraes.)
Sao exactamente es homens sob cajo dominio os
ministerios expediam circulares para todas as pro-
vincias, recommendando offlcialmente cenase deter-
minadas candidaturas, e raovendo guerra de morte
a oatras. (Apoiados.)
Sao exactameBte os bamens sob cojo oomlnic
ministros honve qae se elegeram oo tentarara fa-
zer-se eleger senadores e deputados por provincial
cnio solo ja mais tinbam pisado. (Apoiados.)
Sao exactamente os bomens sob cojo de minio de-
ram-se os escndalos a qae era" 1860 aervio de
tbeatrp todo o imperio, e notavelmenie mha pro-
vincia, qae enrama das fregaezias de sna capital
(a de S. los) vio praticarem-se tropelas a atroci-
dades qrj/WBttflsldft iniciadas pela arbitraria, Ile-
gal e acintosa ptlso do collega a amigo qoe agora
est i minh' JMu termh^raat pelo horroroso
assassinato de R# I (MoilOf apoiados.)
Mas, senh*t,Waceusic5es qfre neste terreno
tem pesado, j sobre nos, j sobre o ministerio qae
sustentemos, yarlam de motivo, como qae se repel-
lan! e contradism ;'Sr ntn lado afamase que boa-
ve intervenco indefcita' no prcesso eleitoral; de
oatro diz-se qne o governo commelteu o grande en-
me de nao imprimir sea peosameoto au raesmo prc-
cesso, e de consentir qae e erfgfse; no impeno
ama poltica de feic.5o geagraptiica.
Ji me occopai da prmeira parle da argaicao,
passarei i segunda rogando a Deas qoe me inspire
para qaesejaiio f,ilz- qMq*;sDpponbo bave-lo
sido at aqqi. (P^asa:),,
Senhore* fe ogovefno .roceden de maaeira a
sobre aquelles contra qaem excitam-se em desme
dido grao estas duas paixdet rains.
Fra, pois, mui fcil evita-las, confassando a ver-
dade, isto reconbecendo que o governo e seas
amigos nada impedirn) qae as opioloas se mani-
featassem livreaiente ante as orna?. (Mullos apoia-
dos.l
E andamos mal avisados f... Nao, por certo;
o paiz exiga sacrificios raaes de todos os seas habi-
tante ; era natural, era justo, qae a todos se facul-
tare a particlpafo dos gosos soclae?, o pacifico e
livre exerclrio da seus direitos. (Apoiados.)
O Sr. Presidente :Peco licencapara ponderar
ao oobre deputado qne esta terminada a ora des-
tinada para a discussao, era que S. Exc. tem toma-
do parte.
O Sr. Correa de Brito :Procararei, Sr. presi-
dente, circumscrever quanto me fr possivel as mi-
abas consideragoes, afirn de < bedeier a V. Exc.
Sr. presidente, grande e- !euma ergueu-se, j nes-
ta casa, ji na cmara vitalii la e ji na impren'a, por
se haver o honrado Sr. presi ente do conseibo de-
clarado franca e lealmente liberal ao disealir-se
aqui o voto de gratas.
Entretanto, senhores, o liberalismo da S. Exc.
nao data daqaella declaragio, vera da mais longe,
tanto queja em 1861 o reconhecia o nobre depu-
tado pelo 1. districto da Babia, como ides ver.
Vozes : Oocam oucam I
O Sr. Correa de Brito : No discurso, com
o qual por vezes m^ tanbo amparado, dizia S.
Exc. :
< As ideas, senhores, esto tao modificadas, que
o multo Ilustrado e distincto deputado pelo Paran,
orgao genuino das ideas conservadoras, e nm dos
mais brilbanies ornamentos desse partido, tem sido
o apostlo o mms ardente e incansavil do libera
lismo; foi elle quem gloriosamente levantou a qnes-
to da responsabllilade ministerial nos actos do
poder moderador, e que lem, por mais de urna
vez, mag'stralmente discutido; foi elle que, deno-
dado, nao receioa tao ponco agitar e resolver sa-
bia o nobremente a qaesto encandescente do di-
reito a' revoluto; tem sido elle em sarama a es
foreado campeao de todos es foros do homtm hvre,
de todos os dogmis do verdadeiro governo consti-
tucional representativo.
O Sr. Aracjo Barros : Foi doi bello achado.
O Sr. Fern.vndes da Ccnha : O presidente de
conselho da hoje corresponde ao deputado de en-
to ?
O Sr. Correa de Brito : Tem procedido de
modo a justificar sua adhesflo ao verdadeiro libe-
ralismo, ja entao reconhecido por V. Exc.; sua de-
clarado portanto nao devia ter excitado os raparos
que boje sargera por toda a parte, e que naquella
poca nao vieram a lome.
O Sr. Fernandes da Cunha da nm aparte.
O Sr. Correa de Brito : Mas eu nao sou se-
nao lib rar"da con;titui?o; creio que o honrado
presidente'do conselho nao seno liberal d cons-
tituicjio (apoiados); creio, finalmente, que todos
nos, que apoiaraps o gabinete, nao 9oraos seno li-
beraes da constitulcao. ( Muios apoiados.)
O Sr. Fkrnandes da Cunha : E agora os lac-
ios ?
O Sr. Correa de Brito : Qaanto aos do il-
lustrado, Sr. presidente do conselho, V. Exc. mes
mo 03 eonsignoo no trecho que ba porteo li-
0 Sr Aravio Barro* : Apoiado: ba outros
ouitos; mas hasta.n esses.
O Sr. Correa de Brito : Quanto aos nossos,
appellamos para o nosso passado e para o nosso
frsente, que eflorecemos como garanta do nosso
alaro.
O Sr. Ferna.m>e.s da Cunha :Podem VV. EKxc.
lazer as excavares qae quizerera ; maolenbo tudo
qaanto dsse ento, e ultimamenta reptli ; anda
nao madei de face.
O Sr. Correa de Brito : Nem en qoiz dar a
entender que o houvesse feito : teobo me soccorri-
do ao sen discurso corao a ama fonte de autoridade
para mira.
O Sr. Fernandes da Cunha d nm aparte.
O Sr. Presidente : Attengio 1 Pejo ao nobre
deputado qoe continua o sea discurso.
O Sr. Correa de Brito : Demals, senhores,
na declarado do nobre presidente do conselho es-
t a conflsso solemne de baver-se realisado nma
das hypotheses que em 1864 sabiamente previo
ara dos nobres depatados pelo 3." districto de
Minas.
f S. Exc. responda ao Sr. Dr. Lopes Netto, e
disse-ine o segointe :
i Como convier a' V. Exc.: se Ibe mais agra-
davel dizer qne absorvemos o partido conservador,
nao me opponho ao sea desejo ; se Ibe mais agra-
davel dizer que o partido conservador absorveu
o liberal dando era resaltado a aetoal sitoacao po-
ltica, nao flearei descontente oom este resaltado.
(Apoiados, muito bem 1)
Pois bem, senhores; a prmeira das oypotneses,
qne, como poltico fino e profando, havia previsto
o nobre deputado pelo terceiro districto de Minas,
esta" felizmente verificada. .
Entre os fasionistas sinceros ja* nao ha conser-
vadores : somos todos liberaos. (Apoiados ; i
bem L Pausa.) .
At aqui, Sr. presidente, as allegac5es velhas
contra o ministerio actual, e de qae alias me nao
oceuparia en por rainha vez se as hoavessera repe
tido, como ponderei em principio. Passemos agora
s allegacdes novas.
D'entre estas preferirei as qae se referem aos
honrados Srs. ministros de estrangelros e marinba,
vislo que esto previamente Iludidas as qae troa-
xeraai sobrescripto para os honrados Srs. presi-
dente do conselho a ministro da jostlga.
Censnron-se altamente o distincto Sr. mloistro
de estrangelros pelo modo corao se honve na qnes-
to Mathla?.
Examinemos a conducta de S. Exe. nesse nego-
cio, e vejamos se fundada a critica qoe se
Ibe fez.
O Sr. Andr Lamas, miaistro do governo orien-
tal nesta corte, reclamou ante o governo imperial
benevolencia com qoe ttoer onvinne a cmara,
one Ihe agradece com sinceridade. m
' A eieieo do 0* districto di Minas, teobores, nao
pode e ns/n deve ser apreciada e jalgada nica-
mente sob o ponto de vista de analyse applicada ao
I sea prcesso perante as parochias e perante os col-
ro da mari- eslos do districto. Tara esta parte de cerlo grande
cooracados, importancia em todas as eleicoes. Mas na especia-
aerara nes-J lidade de qae tratamos ba assumplos mais largos,
4apparecem ponderaeoes mais cabidas, e fulgurara
a observar arguraenlis soDJriores, logo que se a eleve, e se-
steia desque S. | Ihe presto a sua verdadelra physionomia.
s. encowaeados Um nonrado'rjembro da deputacao de Mioa=,
datos conservadores-, commungam com o governo,
afoia-o, dd-me o> seas votos. S ao o illaslnad>
Sr. Farnese, cujo carcter respailamos todo3. E o
onlrt o espWiracoso Sr. Baptlsta Pereira, cojos ti-
talos apreciamos todos. Se/iam elles iaflnencla-
dos palas paixoes de parlido, ou pelas suas cons-
cieafir-
Mas como consegnio a maioria de elnco BB-
bros da commisso elevar vencidos a feledofes,
e descer vencedores a vencidos ?
Nao achou fraudes, violenefas e nem Ilegalida-
des as eleicoes parochlaes gaohas pelos candida-
tos liberaos. Approvoa a de Jaguary, aonde na
Exe". digaamente faz parte, aqn
ja brv*conslrudi,-jai bayiam sMo recebidos e!um d^s chafes mais proeralnents d"o partido libe-. propriTacti samtMMim a decaracoes de qae a
havam na babu do Rio de Janeiro ; bom ral, o-r. Christiano Ottooi, afflrmou bontem, a e-iij,^ em raa(orii reCQ0Q so
ja se aeti
eorao qu, com relacao a elles, fira S. Exe. quanto devi> t-io, que como arrhas aos liberaos Ihe con
podae devia, nao s procurando verificar, por to*l ceder o presidente da proviucia o sacrificio do 3"
dos os meios a seu aicaoce, sa asseotavam era la- districto, considerado inteiramente balaarta dos
ses seguras as arguiedes a que se ailudio, seuo
tambera, provdaaolaodo para qoe viesse a osla cor-
te aflm de responder pelas fallas qae se Ihe fmpu-
tavam o affloJal que assstira a' constraccao de taes
vasos.
Dest'arte pozra eu bem a limpo o zelo e a sol
des qae aos "taesmos ministros cabera ; e portante,
reconhecereis qae o illastrado Sr. Sa* e Albuquer-
qae nao polla, nam devia de nenhara modo, negar
passaportes ao Sr. Andr Lamas palo simples mo-
tivo de ter de ser contemplado oestes o litigioso
Mathias : entretanto, zelador, como dos legtimos
interesses e dos direitos da seos eoneidados, S.
Exc. teve a cautela de declarar ao Sr. Andr La-
mas qae nao podia consentir qae Malbias sahisse
do territorio brasileiro, sem qae, por si e por seu
governo, se obrigasse elle a fazer apresentar na
me3mo territorio o indicado Malbias, logo que a
questo que sobre esta penda se resolvess de
maneira a exigir sua apresenUQo.
E, nao conteste com essa declaracao verbal,
passoa-lhe orna ola no mesmo sentido, a qaai
Bcoa sem replica, corao qae em prova de ter sido
bem acoibida a iotimacao qae por ella se fez.
Em vista de quanto bei exposto cabem ao mea
distincto comprovinciano as invectivas que laurea-
ra m-se-lha por semelhante feito ?... Creio qae nao.
(ApoiadosJ
Verdade qae o nobre depalado por Minas, qae
em taes invectivas se exceden, disse qae o lllastre
Peraambacano proceder d'aquH'arte arrastado
pelo desejo de dar arrhas s potencias estraagei-
ras ; mas, nesta parte, foi o nobre deputado qae se
encarregoa de responder a si mesmo, qnaodo acca-
soa o honrado ministro de descortez para com es-
sas mesraas potencias, tomando para base da sua
accnsa(o o faci de nao ter anda S. Exc. respon-
dido a certa nota qae recebra do governo do Pe-
r ; nota que alias esta' concebida em termos pon
co respeitosos, a qae o3o poda, nm devia ser res-
pondida, sem que sobra sen contexto fossem ouvl-
das as potencias alliadas.com os interesses das quaes
eotende ella de modo bem positivo. (Apoiados.)
E nesta censara foi tanto menos bem snecadido
o Ilustre representante da provincia de Minas,
qnacto certo qae o digno Sr. ministro de estran-
gelros nao disse em sea relatorio qua nao respon-
dera a' indicada nota, mas apenas que anda o nao
tinha feito. fApoiados. Pansa.)
Perguotoa-se ao -nonrado Sr. ministro da mari-
nba qua! a rata o porque tioba anorlsado novas e
repetidas construcc5es de nav03; qaal o destino
qae a estes pretenda dar, logo qae terminasse a
a guerra; porque preferir para as indicadas
construeces aos estaleires nacioaaes os estran-
geiros ?
Senhores, quando estamos em lata anerta e re-
nhida com ama potencia ectrangeira, qae nao po-
dera' ser completamente batida sem o soccorro da
armada nacional, e quando, terminada essa iuta,
ao podereraos furlar-nos a curar serlameate da
polica do Bio da Prata, e desse outro que, vastis-
simo, vai ser franqueado a todas as bandelras do
muudo civilizado, quasi qae ama fotilidade a
perguma a que teobo alludido. (Apocaos.)
Damai?, senhores, para sorprender que se ba-
rateen) censaras ao nosso governo por estar aug-
mentando o material da armada, quando- nao ba
potencia martima que o nao faea na mais vasta a
desenvolvida escala ; quando, segando o axioma
mais velbo do qae o humilde orador que agora
occopa a vossa aiteneo, mais probabilidades team
de viver em paz as naedes que raelfior sabara pre-
parar-so para a guerra.
Quanto a' preferencia dos estaleiros estraogeiros
aos nacioaaes, 0812* plenamente justificada, ja pala
demora de qae se recenten) todas as eonstruocoes
navaes entre nos, eia pela grande drfereoc> que
se nota entre o rusto destas e o das que se elec-
taam b'outros paizes ; diTerenc cajo motivo est
na gue iocootaslavelmante se d entre o preco das
materias primas em nossa araea e as exterior.
'Muitos apoiados.)
Mas, Sr. presidente, nao foi smeute cora .refe-
rencia a esse ponto qae a opposigSo aigaoo-se ae
distribuir reparos ao digno- Sr. ministro da man
nba : ella Ib'os-dispenson tambem pelos tesmos em
qae est redigido o arl. i" do projecto qae se dis-
cute, e que sao os raesraos de sua proposta *r sendo
qoe o fez por parecerlhe qae o governo tem em
mira arrogar-seo-arbitrio deelevaf descomedida-
mente a forca naval.
Eotretaoto, senhores, aquella de tal (orea que S.
Exc. houver de levaour no ejercicio futuro ter o
sen limite natural no respectivo oramento; e, se
a S. Exc. se deixa algum arbitrio, a:-.tes para re-
irahir-se do qne para excederse, a menos que se
d nm desses casos extraordinario a que seja ap-
plicavel o so/us popitlt lex twgrema est, e em que
todos os sacrificios serio poucos, quer para defen-
der a honra do paiz, quer para raanler a integrida-
de do imperio, (.vlmtos apoiados).
Disse-se tambera qua S. Bxc. violara a cons-
tituico creando urna reparlleo fiscal no Rio da
Prata.
Nao se coidon, porm, de indicar o artigo do
pacto fundamental ferido por semelhante Institu
gao; nem se o poderla fazer, visto qae a ter ida s-
mente se dara sa, de alvedrio proprlo, houvesse o
honrado ministro creado empregados novos para
aquella estacao, e vez de chamar, como-charaou,
para ella os dj outras^ usando de faculdade que Ihe
confere o 23 do art. 4 do orsamento vigente.
(Apoiado)
S. Exc. careca do antonsaeo, verdade, para
ouiorgar os voluntarios da armada os Savores que
Ibes conceden; mas, alm de la a ter solicitado
desta casa, nao procedea seno animado pela sanc-
go qne do eorpo legislativo nbtiveram ministerios
anteriores para todos os actos qae, semelhanies ao
de qoe me oceupo, bouveram de praticar com rea-
Qo aos voluntarios do exercito. (Mnitos apola-
dos>-
E dessa resola(o de Si Exc. resultoa o graed
beneficio de ter recebido a armada, sob saa esclare-
cida administraco, o reforco de cerca de s,000
volontarios, em poca em qua se aprega que os
recursos do paix esli exhaustos, e que arrefeceu o
entbnsiasmo popular pala guerra exlerna em qa9
nos acharaos empenhados I (Moitos apoiados).
O S*. Araio Barros :lite responda a todo.
O Sr. Cor*a de Brito :trB nem o nobre mi-
nistro poderte soiicltar. para, estas dua3 imporian
tes medidas autarisacao do parlamano, caso para
ambas fosse esta necessaria : dorpo legislativo
ao faoccionava qaaado se raanlfeslou a necessida-
de de taes previdancias, altamente reclamadas pelo
inesperado desastre de Curbpaity, que sem ellas
fra ponedora seguido de outros nao menos la-
raenlaveis.
Previnina-s, pois, por si mesrao, na ausencia
das cmaras e com a celerldade qae as circuns-
tancias exigiam, S. Exc. provoa anda ama vez que
sabe comprehender os compromisos qne re do eminente posto qae Ihe foi confiado, e curoprlr
religiosamente seus devares. (Maitos apoiados).
Estranhon-se qae S. Eic. Doavesse Diado a~
mero dos offkaes do estado-maior e definido
attrlbuiees.
O decreto peto qaal S.Exc. regalou es-a mate-
ria mn daquelles para coja expediQ&o nao ha mi-
nislro que nao teja autorisado, vlitb que parten-
ceta a classe dos de mero e 'WHaario expe-
dieate. .
Beferendando-o, porm, S. Exc. nip s fez rele-
dos ministros da paizes estraogeiros as immanida- citado de S. Exc.; entretanto, para tranqmllisaras
eonsciencias da nobre opposicio, que tao estreme-
cidas andam agora, accrescentarei que os enconra-
(ados, qae tao defeitdosos parecern ento, come-
Cam a ser liaos em conta de bons ; tanto que ara
delles, o Colombo, prestroa relevantissimos ser vi-
cos no nltimo bombardeio de Carapaity. (Apoia-
dos).
Segundo me consta, Sr. presidenta, o governo
esta' de posse de informaces que contrariam com-
pletamente aquellas a que referio-se o nobre depu-
tado pela provincia da S. Paulo qoe bontem ocen-
pou a attengo da casa, para assegnrar-oos era tora
catbegorioo qqa as maaicas e os prelechos bellicos
andavara esparramados pelas praias.
Desde que taes informaces existem, a quera
quer que tente ontraria las incumbe exhibir docu-
mentos que nuliiflquent-as. (Muitos apoiados).
Incorreu o ministerio da marinba no desagrado
da ilustrada opposico por ter proposte, Sr. presi-
dente, a suppresso dasecgo tecbnica do conselho
naval.
A's paginas 6* e 7* do laminoso relatorio desse
ministerio est' cabalmente demonstrado, de accor-
do com a autorizada e iosuspeita opinio de V.
Exc, qae semelhante sec;o inteiramente intil.
Gusta-rae, portante, a atinar com o motivo do des-
gosto opposicionists.
O Sr. Araujo Barros :Apoiado ; nenliura.
O Sr. Correa de Brito :Cabe-rae, Sr. presi-
dente, apreciar por minba vez o qae contra o hon-
rado Sr. ministro da marioia se lera dito com re-
lagoao recruta Evaristo Mana Teixeira.
. Aps as mais serias e minuciosas iovestigacoes;
aps os mais escrupulosos examas sanitarios, esta'
reconhecido e provado qoe Evaristo nem padeca
das enormidades qae se Ibe attribaiam..
O Sr. Das da Cruz :Nao apoiado.
O Sr. Macbdo :Nao esta' pro vado.
O Sr. Correa de Brito :... nem tambem ti-
nha em seu favor urna s das Isences legaes com
que se o pretaadea exclair do recratamento.
OSr. Jos Aveuno :Ura lllastre prole-sr da
faculdada da Babia provoa em um longo artigo qua
taes enferraidades nao existiam.
O Sr. Correa de Brito :E tanto isto o que
se reconheceu e provoa qae orequeriraeuto de Eva-
risto ja foi Indeferido.
Mas, Sr. presidente, faco to bom concelto do no-
bre deputado que pela vez prmeira se occnpou da
que.-to, qae nada hesito em acreditar qae foi na
maior boa f qae S. Exc. tratoa da materia (apoia-
dos), dominado principalmente pelo louvave! desejo
de defender a repulaco da Ilustrada classe a que
dignamente pertence.
Pdjo-lbe, eotretaoto, liceoga para observar que'
por mais autorizados que sejam os membros da
junta de sade, por man amostrados e consciencio-
sos que se ostenten), nao podem eseapar ao erro
commum aos bomens, a da que participara, por is-
so mesrao que o sao.
O Sr. Das da Cruz (jMem o jaiz disto?
O 8r. Correa de Barre: Podem eagaaar-
se, como ja' Ibas tem socceddo por mais de urna
vez.
Dos archivos da secretarla da marinaa consta,
por exemplo, qae esta mesma jauta declarou apto
para o servijo da armada a Sympliclo AJves, que
poucos Jras depeis, foi reconhecido incapaz da ral
srvfco, a dispensado delle, por se ter verificado
qae soffrla de hernia estrangulada I
(Groxam-se apartes.) J "i
O Sr. PnasiDENTB -.-Attenso r Quem leal a>Ra-
lavra c Sr. Correa da Brito.
O Sr. Cojh*a de Brito-:Mas aao admira, Sr.
presidente, qne por esse e ootros factos derramem-
se censaras a mos chalas sobra o honrado Sr. mi-
nistro da marina, quando at o sea estylo, ooe,
em mih kmmHih piniies 5 soblrroe,rff prelexto para ironas, qae profusamente! Sa-lbe'Jo-
garara.
Srva S. Ex*tt mi Jiesignacao ma,le esta golta
do liquido coudo no calix de amargara, a cuja-
libasorparecemcondemnados todos ejoaotos cha-'
gara a cooqotsrar a post^o eminente- em qae S.
Exc. merecidamente se aeba f...
O Sa. CorrsaimsNrves :Principakaente sen-
do sua pasta a da marinba, que todos lano desa-
jam. (Hilaridade.)
O Sr. Gorrea. de Brito :Ro terreno em que
agora bascam acomraei-lo, nem o proprio Sr. Ale-
jandra Hercnlano, que para mim, assim como pa-
ra pessoas mais autorisadas do que eo, -o princi-
pe dos actaaes prosadores porug_uezes, tem esca-
pado aos boles dbf-*oilos, que, nao podeodo acom-
pasha-lo em seu vos d'aguia, procurara vencer
a forca de apodos a immensa distancia qne delle
os separa. (Apoiados.)
Sr. presidente,, a hora vai sor demais- adianta-
da; V. Exc. ja' m'o observo... Ea devo, pois,
tratar de eonclair...
OSr. Arajo-Barros :Tambem nao- ha mais
aecasacoes a refutar.
O Sr. Corrb de Brito ^bu sentar-ae; mas,
antes de lxelo, deva pedir dasculpa a casa por
ter abusado por tanto lempo da sua benigna atten-
gio. (N'So apoiados.)
Vozes :Tem fallado mailo-bem. B '>---.
O Sr. Corma de Brito :S-me.* eoascieocia
que nao andei bem aasta minba primira tagem
(Nao apoiados>; mas outra causa se nao davia es-
perar do homer* qae, ao eocetar sea discurso, de-
clarou-se adsiricto a masaa popular, deixando
aperceber que- s tinha, como, efledivamente so.
tem, a sea lavara estima de numerosos e dedica-
dos amigos, provocada por alguns servicos, te-
nues sira, porm desinteressad03, a politica a que
Sincera e espontneamente se ilion, e a qual, espe-
ra em Deas, continuar filiado
conservadores, visto como S. Exc. precisava do
apoto da maioria liberal da asierabla da provin-
cia.
Nao admira, portante, qae se pagassem essas
arrhas, embora Se prejudicassera o crdito, a dig-
nidada o o prestigio da presidencia, embora se cal-
cassem aos ps os dictames da jastiQa, da morali-
dade, e da conveniencia publica. (Apoiados e re-
clamacas.)
Transformou se em menos dos seis raezes ante-
riores a eieieo o slo topographico do districto.
De 38 parochias que elle centava subram ellas a
41. Cortaram-e territorios a 26, desannexando-se
e aonexando-se povoacoes, conforme os interesses
da pretendida victoria eleitoral, raodiflcando-se-!hes
os limites e raetamorphoseando-lbes os habitantes.
Tratava-se assim de quebrar influencias coobaci-
das, de modificar e aplainar a opinio publica, des-
concertando a dos centros e combinaces antece-
dentes.
A lministracao de justiQa e guarda nacional nao
foram poupadas. Aqu novos torraos, acola sup-
presso de comarcas. Impanbam-se assim ao dis-
tricto autoridades novas judiciarias, qae preparas-
sera o terreno destinado ao cultivo da nova planta,
qae nao germinara all at ento. (Apoiados). Ura
s nommanJante superior do partido da opposigo
foi poupado, assim mesmo ficuu suspenso, posto sa
achasse no gozo de nma licenca. (Apoiados.) No-
vos offlciaes recebea aguarda nacional, modifican-
do se-lbe anda a orgaoisaco dos corpos e bata-
Ihoes, para que nao acompanhasse os raesraos che-
fes e sj nao sabordioasse a' mesma disciplina. (A-
poiados.)
Como poda o districto ser conservado ao p era
qae saacbava ; se Iba era destinada urna eleicao
de deputados diversa da que at eato as sympa-
tblas e a opinio politica da maioria dos seus ha-
bitantes eslava habituada a offerecer ao parla-
mento?
Nao parecendo anda bastante a applicaco e
sanceo de tantas leis provincias?, e tintos actos
do governo geral a da presidencia, tratou-se de re-
primir a expresso livre do vote, ou obrigaudo os
povos cora o terror a dar era suas cdalas confor-
me o queriam as autoridades, ou afugentando-os
das urna.
Pordous meges durante o prcesso eleitoral fl-
cam suspensos por lei os recraiamentos. Sopbis-
mou-sa esta medida reclamada pela liberdade do
voto. O ebefe de polica em circular aos seus dele-
gados de 59 da dezerabro de 1876 ordeoa-lhes qae
por si e pelos seus subdelegados reerutem os guar-
das uacionaes remissos ao servido e que nao te-
nnam por si as Iseocoes da le. No mea voto em
separado transcrevi por extenso esta celebrisada
portara, qua deve conservar-se na historia para
modelo da arbitrio e meto novo de espalhar o ter-
ror. (Apoiados.)
Como o recratamento nao compreheadla seno a
classe proletaria, porque applrca-se nicamente ao
povo miudo em geral, elevou-se elle a' guarda na-
cional, que por le esti dispensada, pelos servidos
particulares para que foi instituida, e cujas faltas
sao igualmente pela sna lei orgnica, punidas por
forma a castigos diversos. Apoiados.)
A designago da guarda nacional para o servido
de guerra brilhava de certo aos olhos ioteressados
como meio mais proprio de eleicao. O racrotaraen-
to nao chegava a moitos votantes. A designaco ia
la ler, porque a guarda nacloual comprebende
qaasi que exclusivamente os votantes das paro-
chias.
OrJeaara o governo qae continuas.se a designa-
Qo. O presidente de & fauo a de oatras provin-
cias declararan) em ordeos pesitivas, que dorante
a poca eleitoral suspensas ficavam a designado e
a captara dos designados anteriormente.' && Mi-
nas nao trepiden diante desla conveniencia publi-
ca. Era portarla da dezembro da 1866, que publi-
que! igualmente por extenso no voto em separado,
uispdz qua eontinuariam a designaco e a captura,
e mais que os designados daviam de ser coasidera-
dos desenore* o exrcitov detutore do ex-erclto,
senhores I (Apoiados a murmurios.)
Como uso e provelto, mais longe devia anda
de ir as autoridades subalternas na execuvo das-
sas ordeos ajaitrarias. Os comoiandsntes superio-
res organlsaram immedlalamenla as listas dos
designadoV~e mais afHa listas dos guardas na-
cioaaes, que estavam no caso de serem designados,
se sabe, exclusivamente de opposiciooistas. (Bi-
sadas.) Eaviaram-as aos delegados de polica, e es-
tes as traosiuiiiram s mesas paroebiaes, afim de
os nao dmiitirem a votar. Abi esto as actas de
Jagaary, Canopaoba e oatras para coraprovar o
faci. Guarda designado, guarda no caso de ser
designado, fleava privado do voto. Considerado
desertor pelo presidente, cumpru Ihe como paria
ssconder-se e desapparecer da Ierra ?
Reinoo, porwot, o dominio do terror e da pre-
potencia por sobre o infeliz districto eleisral, dado
em arrhas ao liberaos, (lleclamaces e risadas.)
Procedeu-se a"eleiQo no meio-desses preparativos
e providencia?, qae mostra a medida e- extioeco
da interferencia lodebita da autoridade ncarrega-
a antes de manter a nnutradade no pleito para
que o paiz exprimi8Se*$oa voziivremeote, ao que
de servir aos ioteresse de parcialidades e de can-
didatos. '
Todos os factos dessa interferencia da autorida-
de superior a dos subalterno?, que primavera no
zeta de servi-Ja, acnam-se eomprovaos plenamen-
'tflje-nem sao-contestados.. (Apoiadoa) Anda bon-
iato o Sr. Cbristiano Ottoai os expz com nudez, e
declarou qa* se maoifesara pela ida de annutlar
toda a eleicao, porque semelbante deliberacao da
oaraara iraportava ama aensura grave ao presiden-
te e urna demonstraQo de qae a eleigo nao fra
livre- .
Eu esposarla esta id ja, senhores, de annullar to-
da a eieieo primariasecundara, se om facto
raporlaniissimo, moito significativo, muito exprs-
siso, nopairasse por cima das occurreocias, e me ^
nao demoostrasse que-em vea de punir culpados.
em favor da liberdade de Malbias, que aqui se' vaotissimo servi?o a' armada, mas tambera provi-
acbava m urna casa de commisses, ana de ser' dencioa para que aos cofres pnbltcos se poupassem
vendido como escravo. // .valladas somntas. (Apoiadcs).
Jos Joaquim Pareira Nevs, qoe, se dlzla ,se-! Estavaem vogs.'Sr. presldeate, qoe cada omciai
ntwr da Mathias, dea-se pressa em faxer valioso' superior da armada, a quem eabialgoma commis-
seu direito ; e houve-se de modo a inclinar o nos- sao importante, tinha o direito de chamar para jun-
to governo a patrotinar-lhe a cans. ; to de si tantos ajfldanles de ordens e tantos secreta-
lado do Sr. Andr Lamas .llegava-se qoe, ros qaantos os que Ihe parecessem i
Do
tendo-se arrancado Mathias do territorio oriental,
e o redazlra a' escravido -, do outro lado proles-
lavase contra essa allegacao, exblbiado-se docu-
mentos, que pareciam procedentes.
Tonara essa pendencia nm carcter Inteira-
mente diplomtico, e assumlra umanha importan
cia que o governo oriental a Incluir na reconven-
ci com qae respondeu s teclamacoes brasileiras
qne em 1864 ibe apresentafa o Sr. conselbeiro Sa-
raiva. /'v.'
Estavam as eouas nesta p quando Mathias es-
capoa-se da casa em qne estava para ser veodido,
e fai nnmisiar-sa na do Sr. Andr Lamas, enlre ca-
jos cVMosa!istoa-s3.
nos e outros aboavam se, alero dos vencimentos
ordinarios, largas ajadas de coate. ,
Cora o censurado decreto, S. Exc. nao s estipu-
loa o namero de offlciaes subalternos de qae pede-
r circomdar-se cada patente sopartor na hypouiese
figurada, mas tambera dironaio-lnet os vencimen-
tos ; sendo qae inspiroa-se em tao rigorosos prin-
cipios de economa, qu da proprla armada ja vie-
ram reclamares contra a exlguldade dosnresmos
venolmento.
Nao passarei a otras coosideraees, Sr. presi-
dente', sera occopar-me da urna que naturalmente
se prende a assijmpto de que ja trati, e que alias
me ia escapando.'
Devo, entretanto, declarar, Sr.' presidente, que
desvaneco-me de ser am dos tomos componentes
da massa popular, propriaoeite dita; bem como
qae fago votos para que os meus irmos Dala clas-
se, comprebendendo devidaraanta sea papel, nao
se delxem sedozir pelos afagos daquelles que tanto
os acarician) boje, e que, anda ao ha moito
os tinbam em conta de elemento deleteno e
anarchco. (Moitos apoiados; multo heral maito
bom.)
(O orador compriraentado por quasi todos os
Srs. depatados presentes.)
O Sr. J. Madurkira raquer o.encerramento da
dlscnsso e sendo a cmara consultada, resolve
pela afflrmallta.
Procedendo-ip a votaco do art. 1* da proposta,
approvado.
Entra em discnsso o art. 2."
Pediado a palavra o Sr. Martinho Campes, Bca
a discusso adiada pela hora.
S EGUNDA PARTE DA ORDEM DO DIA.
Eleicao de Mioas-Geraes (# districto.)
Contina a discusso do parecer da 3* commis-
so de poderes, cora voto em separado, sobre as
ehicoes do 5o districto d provincia de Minas-Ge-
raes. (
Os Srs. Auerico Lobo e Verissimo de Mattos
cedem da palavra.
Vozes :Votos, votos.
O Sn. Presidente :lem enio a palavra o Sr.
Pereira da Silva.
Vozes :Votos, votos, votos.
U Sa. Pereira da Silva :-Se a cmara se con-
sidera ja' habilitada para votar na qaestao, eu pres-
cindo da palavra. Sa me deseja, porm, ouvir,
fallare!.
Mitas Vozes :Falle, falle, desojamos oavilo.
O Sr. Pereira da Silva (movlmento de attenQao
e silencio):Procararei ser o mais resi
en purria- Innocentes.
Qual este tacto vo-lo dirai com lealdade a
consciincia.
Corren a eleicao no meio da lula a mais encar-
ni(ada. Era todas as freguezias empeniam-se cora
todas as suas foras e reenrsos, com uso e abuso
das suas aliribuigoe?, os agentes administrativo,
offlciaes da guarda nacional, delegados, subdele-
gados, Inspectores de quarieiro, jaizes, cada um
procura mostrar mais desejos de vancer e viver dos
planos das autoridades supriores.
Era despeito, porem, da infiasBcia presidencial,
das providencias anteriormente lomadas pala as-
sembla provincial, da ordem a dchjs do gover-
no e do chafa da polica, dos ssforcos e trabaihos
das autoridades locaas, do recratamento das listas
dos guardas nacionaes designados e designaveis,
que se excluiam do salo da sociedade, em despei-
to, emflm, de tudo e de todos, era tal a torca do
partido conservador no SI districto de Minas, que
310 eleltores nomeou alie, e apenas 170 o sen ad-
versario I '
Annullar a eieieo nesse caso nao pamr o in-
nocente? Nodarganho da, cansa ao vencido ?
Nao dizer ao governo: -como nao podaste ven-
cer, annnuoT A opinio conservadora tinha mani-
festado saa victoria pelo numero, combateodo con-
tra todas as autoridades, sem excepeo de ama s.
Vencer, e nao sera injasliga flagrante desconhe-
cer-lbe o sea direito e a sua victoria esplendida,
annullando-lne a eleiclo ?
Escapara triampbaotes da lata os tres candi-
datos conservadores, gaohando o pleito sobre os
seas tres concurrentes apoiados pela presidencia,
era pagamento das famosas arrhas de qlirfallon o
Sr. Oltonl. (Risadas.) Apretentaram se perante a
3* commisso da inquerito com os seas diplomas.
Iotdlizmente alii (oratn compellidos a parar. Cinco
membros can^a qaatro desconheceram-lnes o di-
reito, negaram-lhes a Justina, annullaram Ihes os
i-sass w = sac=??i.fr
cmara. Comprehendo sua fadiga e soa ancieda-
de da votar, dpois de tres das da discusso, e
quando pela llUnra dos tres parecares difirante,
que prodozo a 3* commisso de inqaento acerca
da eleigo do 5" districto da Minas-fieraes, elucida-
da fra ja' anteriormeie, a moito elucidada a ma^
terla coniroverilda. (Apoiados.)
Conteotarme-hei, portento, com nm esboco ge-
ral da qoe3tao, encarando* nicamente nos seas
tragos os priocipaes, as grandes proprces qae
ella toma oo terreno da justica, e de qae resultara
as taaii gravas consequencias.
opinio um s dos cinco se fandoo, o Sr. Oltoni
as pira recoahecer depatados os seas concorrea-
res vencidos no numero dos votos, vencidos persa-
te a maioria do corpo eleitoral, mas qae se eleva-
ran) em vencedores perante a maioria da lllastre
comaisso.
Pomos nos os do voto em separado acensados
de Iludidos pelo espirito partidario. Mas, senhore3,
s doasde nqsperteneem aa-itfMo conservador, o
Sr. Tiberio e o humilde oradofMiue vos as.la fallan-
do } es dous outro sea collegaa eat laoria, que
_ sobra daas listas enva-
la? pelo delegado da polica receber os votos da
can de 300 individu i? qualificados, 'porque ana
eram guardas aacionaes ja designados e remissos
ao ser vico, a 167 perteueiara a classe -dos que so
achavam no caso de serem designados I Quando
este namero baslava para mudar a eleieio, qa
pelos liberaes foi ganh cora a differenea aaaaa
le 3 a & votosII
Approvoa a eleigo da Jaguary, apesar de serem
presentes documentos comprobatorios das fraudes
da maioria da mesa parocbfal, da osteotacao da
forra publica, qae ameaoava prioas e espalhava o
terror I Approvoa a eteicao de Jagaary qnaido
da propria acta se mo-lrava que se despresra e
se ao execotara ura acordSo do tribonal da rea-
gao mandaado iaclnir na qaallUcacio cerca de cem
votantes, porque apeo .s a mesa parochial decla-
rou que fra obse subrepticiamente consegaida
essa decso Jadlclaria, quauio a commisso nem
nma prova dessa talla (raeommanieada, e apenas
allegada pela mesa, e pesto mesmo o fosse, quando
era sentenga de nm tribunal qne deve ter todos os
seus f lenos, e nao est subm'etlido a vontade ou
capricho de orna mesa parochial. (Muitos apoia-
dos e reclamacoes.)
Approvou a eleicao da Campanha, quando le
provava td-ia adiado o 1* julz de paz, porque trft *
vespera estavam presos 38 votantes, nm snppleate
de eleitor, qae devia funecionar na mesa, avisados
e designados para levarem para o Onro-Preto 40
guardas nacionaes votantes, expedido ara mandado
de captara contra nm eleltor, e collocada a cidade
sob o dominio da Torga e do terror I Ua joiz de
paz de districto albeio, de municipio diverso, e nao
legal, porque nao era dos mais viziobos, formn,
sem o concurso e nem convocago dos eleltores,
nma mesa, despresaado o adrnenlo, e cturaoa
eieieo ama farra a qae all se procedeu para
nomeagio de eleitores da parocbla I
Approvou a eleigo de Aguap quando na prc-
pria acta se declarara qae fra feita a chamada
dos votantes pela lista de qualiricagao do correte
aono de 1867, qualiflcaco ainda nao concluida, e
que a lei expressamente prohibe 1
E ao passo que approvava taes eleiges, annulla-
va cinco de parochias, em qoe os conservadores
tinham triumpbado. Gambnhy, por motivos do
irregularidade costra qua nem protesto houvera
na localidade; de Capivary por baver o juiz de paz
chamado c povo s eleicoes para o da 24 de feve-
reiro, quando estava provado por documentos in-
concassos, qne s a i de Janeiro recebera ella as
ordens a livros de qualifloago, e a lista dos votan-
tes, qae de outra paroebia se ha iam passado para
a de Capivary, e nao pudera, portanto, convocar
para dia anterior, com o praso pela lei fixado; de
i. Joaquim, por mi redaego da acta a respelto do
dia em que fra feita a terceira chamada dos vo-
tantes, quando o parecer da propria commisso
declara que Uie parece mais vicio de redaego qne
inexecugo de lei I
De Sant'Anna de Sapneaby, eratim, e de- Lamba-
ry das Aguas Virtuosas, por fundamentos sobro
que me demorarev ara poaeo I Assim, seabores.
mutilndose o corpo eleitoral, cortando-se aos can-
didatos conservadores mais de 30 votos legrtrraos,
redozo-se o namero dos que elles coneegntram- a
menos 3,4 e o do que os sens coaenrrentes, o estes-
subram aos lugares de deputados!
ma vez : Annaltou-se Passos, qae era libsral.
U Sr. Pereira da Silva -.Qaem oasaria appro-
var a fantasmagora de Passos, obra da- violencia,
e do despotismo X Nem urna s voz se levantou
em sea favor. E eorao chamar eteico a larga de-
Passos ? (Apoiados.)
Passos fui o theacro dos escndalos no di 1* de
everalro, vespera da eleigo. Sabendo as autori-
dades qae perduro a eleicao, inventaram nm plano-
ou tentativa de sedi.io organlsado pelos conserva-
dores, e suspendern as garanta* da Irberdadu;
prendern) o vigarlo, ara depted) provincial &
varioseidados; araagaram os jalass de paz para.
os afugaotarem da eleigo e ao povo qoe qoizesse-
concorrer para ella;.abriram um prcesso como as
antigs devassas, de dolorosa recordacO; Senbo-
re* assim do campo,, no da segnints, com um im-
provisado juiz da paz de comarca diflareote, sem
eleitores; escreveram ama acta, a que denomina-
ran)-le eleigo, balda de todas as formalidades da
lei, alm de forjada adrede. Essa-larca ningaem.
oasanr, approvar I (Apoiados.)
O presos s acharara recurso no tribunal da
relaeao oue os raandou sellar, e res?onsabilsar as'
aatoridadas. (Apoiados.): Mas estas seenas barba-
ras sis plano de sel-fro, servio seipre,. senhores,
porque sa houvesse efelcSo regular en Passos Ven
eariam os conservadores. (Apo'rados a redama-
ges.)- B nao boa ve ateigo, e perder esses votos
es caodidaios conservadores. (Apoiados o recla-
mares.) Mais urna raio at en favor da justiga
e da cansa desles.
Pfgo lieeng, senhores, para, abasando da bene-
volancia cora qae me trata a cmara, dizer algumas
palavras sobre duas eleigoes anutilladas pela maio-
ria da commisso, e ijiie sao as pjiactpaes dielsivas
da questo, e de superior interesse.
Stltro-me as parochias de Saoa'Anna de Sapnea-
by e da Lambary das Aguas Virtuosa?.
Annullar estas duas eleigoes aos parecen a n?-
quatro da minora da commisso oraa Sagrante,
ama inmensa iejustiga. Sasteatamos as nossas
opinioes no voto em saparade. AprovoMo-me da.
paiavra para rebater algamas censuras qoeUonttm.
aqu nos foram dirigidas por osso voto.
A respeito de-Sapacaby, a. questo, posto mnjie>
coalrovertida pelos nossos adversarlos^ pareca-aos
de-prmeira iomigo e maito simples.
0 1 juiz de paz da paroobia Luiz Mariano..que
ba duas legislaturas exerce nm eroprego,. c-tem.
presidido varas mesas de; qualificac/K), reclanui-
G.03S a eleigo, que ofBxlal d suarda nasioaal,
qoe ha -ido oleitsr por moitas veza?, e passoa coa-
eeituada, canvocon eleitores, sapplentes c- po-vo
para a eleioio. Reanidos os convocados, turaoj a
presidencia da assembla e procedeu as focmalida-
des da lei. Doas mesarlos foram nomeados- polos
el-jitoros e dous pelos snplentes. OrgaalsaAa a
mesa- e lavrada a acta da sna lotaliagao quando
sa ia coraegar a chamada dos otantes, deas dos
msanos nomeados pelos sappeoles e ellas mesmos.
declararo retirar-se, por considerar iHeglilma a
presidencia do jai de par, contra, a qaal protesta-
vam, por ser elle praga de pret. Em prasenga da.
lei oomearam-se dous novos mesarios e conttnnoU)
a eleigo tranquilamente, terminando com aapu-
ragao de 352 cdalas receidas em ama qnalific&e^
de 710 votante?.. ., .
E' de certo a maioria da fregaeala. (Apota* e
nao apoiados.) Ora, senhores, quera nao sabo-que
ama qaaltficaqio feita on ana antes, nao pudo.
delxar de incluir horneas que morreram ou qne sa
mudaran), e asslra que 33l para 710 equivaler a
maioria dos qnilidcados ? (Apoiados.)
Aquelles doas mesarlos, esqnecendo-se de qae
para tomar essa carcter,e assim se denominaren),
tinbam como sapplentes a nomeados pos s e seas
companheiros, aceitado a legiliraidade do ;nz de par.
contra a qaal s tarde e a ms horas reclamaran}*
n qae prova qoe foi ama tctica de guerra.
Usa Viz :E quandb devia reclacnar T
O Sr. Perkira da Silta :Logo qua o Jala de
paz tomou a presidencia e quiz proceder nos pri-
meiros actos do prcesso. (Apoiados.) Se o eensi-
deravam lilegitinft nao deviam oara elle functionar
como sopplentes a nomear msanos. (Apoiados.)
Devia ser logo oppoeta a exc*paao de incompeten-
cia, a nao danpis de haverem, com o sea proced-
ment e seus proprics actos assentido presidencia.
do jaiz de paz. (Apoiado.)
Os dous mesarlos com la carcter arraajarm
am jaiz de paz de S. Googalo, qne ia all eslava, e
que pertencia nao a districto vislnno, mas a termo
albeio, e com elle procederam a ootra eleigo no
abandonado edificio, que fra outr'ora matriz e que
esta' em raina^deolaraado-einsaa acta "qae cora-
pireceram all O votana* '
Ja' se v qua isto nem merece as honras de du-
plcala... cr.
a Voz : Entao o qae T
OSr. Pireira pASn-Jx :Urna larga. (As
__*.) Nam om rnembro da commisso a accall
mnimamente a desprezaraa lodos.
Ora, se a' eleicao do i" iol I? paz conoorrau
V.
ioabasarei a.lceajelkareconbeceram aejyaudo.3 os tres **wc<
. *
lia-
ai
maioria. para qu dizer-se que nao hoava exprs"*
*o"d*o Voto dos habitantes ? Comparecesseni esses
180 qoe I6rmavam o partido das autoridades, esta-
vam vencidos de certo. (Apoiados.)
. (Continuar ie-a.)

S


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E1HVLPVIN_BA8PQX INGEST_TIME 2013-09-05T02:22:05Z PACKAGE AA00011611_11320
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES