Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11316


This item is only available as the following downloads:


Full Text
7
\
1
ANNO XLIU. MA1ERO 1
4
r IB 1 A ClPItlL E LltilBES 0>OE SE NAO PAA rOTE.
Par tres aeies aiantadM.,. ,.......-.".'. 6(5000*
Por seis Par um idea., .j .j .i .j .j .) ,, ,j #J ,, 240000
Cah maer Mis .J ..,.................,. 320
SEGUNDA FEIRA 15 DE JLHO DE 1867.
PAJEA DBIVTEO E FOBi DA PROVIXCIA.
Por tres mezes adiwUdM.. r* -.!............-. .. 6^750
Par seiditw idea................................ 1W500
Por nere ditos idea................................. yypm
Per u um idea., ra............................... 27000
afii^H-aj am paiaamiBHD hd aotimpviDiiiiKD idi manm Miramaii. idi u^san & mam** sais PMPiroBVMLiMft

r
I

)
jENCARKEGADOS DA SUBSCRIPTO.
Parabyba, o Sr. Antonio Aiexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ; Aracat y,
oSr. A. de Lemos Braga; Ceara, o Sr. Joaquim
i os de Olivelra; Para, os Srs. Gerardo Antonio
Alves 4 Pilhes ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da
Costa; Alagoas.o Sr. Prandno lavares da Costa;
ahu, o Sr. Jos Martins A i ves: Rio do Janeiro,
o Sr. Jos RJbeiro Gasparinbo.
PARTIDA CS G-TaFSTAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagoes da va terrea at
Agoa Preta, todos os das.
Igaarass e Goyaona oas segundas e sextas feiras.
Santo Aoto, Grvala, Rezerros, Bonito, Caruar,
Altiabo, Garanbuns, Buique, S. Bento, Bom Con-
selbo, Aguas Bellas e Tacarat, oas tergas-feiras.
Pao d'Albo, Nazaretb, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
lagazeira, Flore, Villa Bella, Cabrob, Boa-Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro e Ex, oas quarU eiras .
i Seriaban], Rio Formoso, Tamaudar, Una, Bar-
I raros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Rea?o : tercas e sbados as 10 horas.
Fazenda : qmolas s 10 horas.
Jalao do commerc/o : segundas as 11 boras.
Dito de orphos : tergas e sextas s 10 boras.
Primeira vara do cirel: tercas o sextas ao tneiol
dia.
Segunda rara do civel : qaartas e sabbades
1 hora da tarde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JULHO
1 La nova as 6 b. e 56 ni. da t.
8 Quarto cresc. as 2 h. e 39 m. da t.
16 La cbeia as 6 h. e 4 m. da t.
2a Quarto miog. as 14 b. e 54 m. da m.
31 La aova a i b. e 5 m. da m.
DAS da semana.
15 Segunda. S. Canillo de Leilis fundador.
1C Ter^a. Nossa Senbora do Carmo.
17 Quarta. S. Mariaba v., S. Aleixo, S. Vnula.
18 Quima. S. Rutioe b., S. Syraphoroso.
19 Sexta. S. Vicenta de Paulo fundador.
20 Sabbado. S. Elias prof., S. Margarlda v. m.
1 Domingo. S. Henrlque imperador.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 10 boras e 54 m. da manbiU.
Segunda as II boras 18 minutos da tarda |
PARTIDA DOS VAPORES COsTEIROS.
Para o ?ni at Alagoas a 141 30; para o nona
at a Granja a lo e 30 de cada mez; para Fer-
nando nos das 14 dos mezes Janeiro, marco, mai;
jolbo, setembro e uovernbro.
PARTE OFFIGIAL
CttMMMO DAS ARJIlS.
Quartel general do eoanando das armas nanibuco oa cidade do Reeife, 13 de julho
de 1867.
ORDEM DO DIA X. 363.
O brigadeiro commandante das armas faz saber
a' guarulgo, para os nos convenientes, que a pre-
sidencia coocedeu por portarla de 11 do correte
a demsso, que solicitoa o Sr. padre Vicente Mi-
na Ferrer d'Albuquerqne do lagar de capello
la colunia militar de Piuienteiras : Ekue constou
de offl :1o da mesma data.
(Assignado) -Joaquim Jos GonQilves Fontes.
Esta conforme. Emiliano Ernesto de Mello
lambonm, tenente-ajudante de ordeus encarregado
do detalbe.
EXTERIOR.
COBRESPOJEVCr.l
0 BIABIO DE PKV\HBrCO
LISBOA.
28 de juHbo.
Eocerraratn-se hontem pelas cinco lepras da tar-
de, as corles, com a solemnidade offlcial do estyllo.
O discurso pronunciado pelo ebefe do estado, re
sume os trabalbos mais importantes cupou o parlamento, nesta sesso legislativa.
Como de cosame, os ornamentos (oram deixados
para os ltimos dias e pooca discussao soffreram.
:''ama sesso nocturna forara, pela cmara electi-
va, votados os ornamentos de quatro ministerios.
Assim fui eom o cdigo civil, que aBnal passou
nos ltimos dias.
Pelo Sr. Rabello da Silva, foi proposto na cma-
ra a ta, ara voto de loavor ao autor do cdigo, a'
commisso que o coadjavou e ao governo que pro-
moveu o sea andamento. A cmara dea unnime
ste voto de loavor.
A alterago qae soffrea o cdigo civil portaguez
foi sobre o casamento civil. Segando a opinio de
respeitaves jurisconsultos, a redacgao proposta pelo
governo e approvada, em substituido da que se en-
'on ira va no projecto do Sr. visconde de Seabra e da
commisso, deixa a materia confusa e abre a porta
a abjuracao do catholicismo.
E' urna questo que trara' complicacoes foren-
ses, e que mais tarde, mas depois da muito en-
redo jurdico, mostrara' a necessidade de serem
alterados por oulra le os respectivos artigos do
cdigo.
Eotcetanto, diga-se a verdade, por ponco qae -
zesse o governo e as cmara?, muito os absolverla
o ter pas.'ado o cdigo civil.
Foi approvado as daas cmaras o projecto que
autorisa o governo a proceder as obras necessarias
para a extiucco dos pantanos e arrozaes.
Ao Sr. Corvo, ministro das obras publicas, que
o bons serviros tem prestado a' sciencia, e de
quem o substancioso reatorio sobre a cultura do
arroz em Portugal, em relaco a' salubridade pu-
blica se deve a ioiciativa desla lei.
Foram approvados em ambas as cmaras, em
sbssSps secretas, segando o estyllo, o tratado entre
Portugal e a Turqua, tornando extensivas a esta
naco as concessoes feitas por nos as aagoes mais
favorecidas em assumptos do commercio oa de na-
vegado ; e o accordo concluido entre Portugal e o
Brasil, para a execugo do artigo i3 da coaveogo
consular de 4 de abril de 1863, e o tratado de ami-
sado, commercio o oavegaco entre Portugal e a
repblica da Siberia.
Foi tambera approvada as daa3 casas do par-
lamento a reforma penal e de prises que vai junta
a esta lei e d'eila faz parte.
Por esta reforma, flcou abolida em Portugal a
pena de morte,
^ta conquista da civilisacao qae ja' eslava nos
cosiumes portuguezes, e era de facto um dos mais
valiosos ttulos de considerago para este paiz, foi
tnduzida em lei.
To 1* a imprensa poltica de Portugal coasagrou,
em helios artigos, a justa horaenagem de que os po-
deres pblicos sao merecedores pela Ilustrada
iniciativa com qae riscaram dos nsssos cdigos
aquella pagina de sangue.
A memoria do Sr. D. Pedro V, que nao quiz em
seu reinado to breve como desafortunado, confir-
mar urna nica sentenca de pena capital, nao pode
ser esquecida ja'mais.
O augusto successor d'aqaelle popnlarissimo so-
berano, o Sr. D. Lu7.I, nao quiz tambera renovar
urna pratica abolida pela docura da nossa ndole
nacional.
De modo que ha 22 anuos era o offlcio do exe-
cutor da alta jastica, ama completa sinecura, entre
tanto no orcamento que o grande inventario di
uaQo, ainda ligara a designacao daqjaelle terrivel
lunccionario, assislindo aos tribunaes> faculdade
tegal d'essa horrorosa conderanago. A civisacao
humanitaria e christa que entre nos trlumpbou por
oste modo, colloca este paiz na vanguarda das na-
<;oes em que o progreso tem gaono mais victorias.
Oxala' qae este nobre exemplo seja imitado por
aquellos povos, qae, mais adiaotados n'outros as-
sumptos, ainda em pleno secuto XIK se persuaden)
que o hornera tem direito de perpetrar o homicidio
tu nome da lei.
Foi lamber approvado pelas eortes o contra-
to celebrado em 27 de abril de 1867, entre o go-
verno e o visconde de Pono Covo da Baodeira,
'Jarlos Zeferino Piolo Coelho, o visconde dos Oll-
vaes, Francisco da Silva Mello Soares de Freltas,
Loiz Daily, Sebastiao Jos de Abroo e Possidonio
Augusto Possollo Piealoga, para o abastecimento o
lestribuicao das aguas da'capital.
Um outro projecto de le. sanccionado pelo
parlaraanto n'estes oltlmos dias, o qae declara li-
vre de todos os direitos na- quatro alfandegas dos
Acores e da Madeira a entrada de qaaesqaer ga-
do?, instrumentos agrarios, machinas e carros des-
loados ao arroteamento do terrenos incultos das
. mesraas libas.
Esta concesso peto tempo de 10 annos, e s
aproveltara' a qaaesqaer compaohlas ou sociedades
legtimamente consumidas. O governo fara' osre-
gulamentos ntieessarios para a execugo d'esta lei,
dessa outra, de iniciativa dsoatra sltnaco poltica,
Libertada a Ierra, e facultada esla salotar con-
cesso as sociedades agrcolas, moiiissimoj terre-
nos incoltos qae ha naqaellas ilhas, se tornaro
dentro em poneos annos, mananciaes fecundos de
vrosperidade, fazendo parar a torrente de emigra-
do que tem demorado notavelmente o progresso
d aquel les povos.
Semelbaote favor, nao seria desacertado, appii-
ca-lo ao Alemtejo, o mesmo a grande parte da
nossa exlremadara, onde se observara anda tao
extensos tratos de terreno desaproveitados e in-
coltos.
O sea arroteamento representarla em pouco tem-
po, importantlsslmo incremento de matarla collec-
lavel, e o estado, sem os fabulosos sacrificios de
esquiabas economias.qae sempreoccorrera, quan-
dosa falla no defBcit annual de oito mil conns que
nos sffligs e assusta, conseguira sabir dos apuros
Gaaoceiroe em que se v.
Foi Ixada pelo parlamento a forca militar
do exercito portugaez de 1867 a 188 em 30 mil
sra$as de pret, devoodo ser licenciada t? qoa poder ser dispensada, sem prejuizo do ser-
vico.
Foi o governo autorlsado a levantar at a
somma de tres mil e setecentos contos de res com
applicaco a despeja ordinaria e extraordinaria do
estado no prximo futuro anno econmico.
Esta operaco pode ser effectuada pela negocia-
cao de ltalos de 3 por cento de divida interna, ou
externa, pelo melbor prego que fr posslvel obter
no mercado.
Foi igualmente aotorisado, pelas cortes, o go-
verno, a consolidar a divida Quemante com penbor,
eontrabida fra do paiz, al a data desta le.
U governo fara' crear e evttiir pela janta do
crdito publico os ttulos necessarios para levar a
effelto estas operaces.
No caso de se verificaren! as operaces por ne-
0 Sr. Baltbazar Menezes foi director do collegio
artstico commercal, que hoje dirigido pelo Sr.
Aodrade Ferreira, e redigio algons jornaes de
litleratora e bellas, artes. Era um sympatbico
moco.
A opposico, que tao dbil e as vezes compl-
ceme se apresentou no parlamento, oomeca a to-,
mar alguma torga c fra. Extremamanta subdt- !
vidida pouco avoltaria sempre. A sna unio, tor- j
na-la-ha mais poderosa.
Realisoa-se, pois, a janecio entre o centro de
Lisboa, que fra acclamado no meetvng popnlar do ,
campo de Sant'Anna e o centro patritico do
Porto.
No dia 26 foi publicado nos jornaes um extenso .
manrfesto poltico (datado de 12 de. juobo) em que
se menciooam muitos dos pontos mais essenclaes
fcociaeio de Hielos, o encargo resultante d'ellas, de reforma de que esta' carecendo & admlaislrago
nao podara' ser superior a 3(4 por cento cima do: doi .negocios pblicos entre nos. Estes manifestos
que realmente corresponder ao prego dos fondos promettem muito. Assim ellas sejam cumpridos,
no mercado em que se tenba effecluado qualquer depels de chamados ao poder os representantes dos
das ditas operaedes. : principios qae neiles se coatm.
< Na sesso nocturna de 26 do corrate, diz a E' aqui que fere o ponto. E como a falta de con-.
Gazeta de Portugal, folha ministerial, apresentou o flanea contagiosa, nao sei se os uomes, alias res-
Sr. Casal Ribeiro o tratado de extradiQo com a | peitavels, qae formam aqaelle papel poltico, bas-
Hesyaoha, celebrado hoje mesmo em Lisboa (oote-se tarao para garantas pomposas promessas que all
bem) pelo qaal fica-em vigor o tratado de 18231 se fazem ao paiz.
que ptrmittia a entrada de tropas de um paiz n* O manifest assignado pelos Srs. baro de
ouro, em perseguicao dos facciosos. O negociador | Villa Nova de Fozca, Jos Mara Eagenio de Al-
do nosso tratado foi o Sr. Rabello da Silva, digoo
par do reino.
Os jornaes de bontam, dando conta da approva-
Qo do tratado, que passeu por uaanimidade na
casa electiva, e por maioria na cmara dos pares,
bradara contra este acto parlamentar, o iosinuam
que o Sr. Casal Ribeiro (ministro dos negocios es-
trangeiros) o apresentra em consaqueucia de pe-
remptorlas exigencias do governo hespanbol. s
Val entrar portanto em vigor o clebnr'tratado
celebrado eolre o Sr. D. Jeo VI de Portugal, a el-
rei D. Fernando VI de Castella.
A doutrina do arl. 4* a seguate :
* c Art. 4.* Sondo de recelar que partidas de
facciosos, passaBdo a raa de ara para outro reino,
pouhara em perigo a tranquillidade daquella mes-
mo paiz aonde procurara o asylo e a mpunidade,
convleram os dons governos em que a forca arma-
da de ama e outra banda seja licito perseguir taes
facciosos, separada oa conjuntamente com a torga
a-mada do paiz contiguo, sem que a entrada por
semelbaote motivo ss baja de considerar como vio-
laco de territorio ; antes as autoridades civis
militares de ambos os reinos se prestaro em tal
caso lodo o adjutorio qae preciso fr, para a des-
truico de semelhantes bandidos, inimigos com-
muns de ambos os estados.
A coasequeocla disto, que mais dia menos dia
veremos as tropas tussoannolas persegua Jo faccio-
sos daquella oaco em territorio portugaez, e por
facciosos, observa una jornal, eotendia-se em 1823,
e eatende-se anda hoje, todo o individuo que se
revolta contra o governo constituido.
N'outra parte, diz a mesma folba :
O Sr. Casal Ribeiro immortalisa se de todo se
meida (ambos pares do reino), Antonio de Olivelra
Marreca, Antonio Cabral de Sa Nogueira, e secre-
tarlos, conde de Penicbe (par do reino) e Jos Pe-
dro de Barros Lima. Sao estes os membros da
commisso popular de Lisboa.
Os membros ao centro eleiloral patritico que
formam o manifest, sao os dos Srs. Maooel Mara
da Costa Leite (presidente), Francisco Pinto Pas-
tos (vice-presideote), Jos Perelra de Loureiro
(thesoureiro), Antonio Ribeiro da Costa e Almeida
(Io secretario), Uelfim Mara de Ollveira Maia (2*
secretarlo), Antonio Augusto Vellozo fl* vicese-
cretario), Antonio Alves da Silveira (2* vicese-
cretario) e as dos Srs. Antonio Loiz Ferreira Gi-
ro, Eugenio Ferreira Pinto Basto, Augusto Carlos
Chaves de Oliveira, Joo Mendes Oiorio, Guiltierme
Augusto de Sooza, AntonioGoocalves da Costa Gui-
mares, Jos Moreira da Fonseca, Agostinbo Mo-
re ira dos Santos, Joo Antonio de Macedo, Henri-
que Carlos de Meirelles Kendall, Antonio Jos da
Souza, Joaquim Albino Dias de Castro, Dr. Tbomaz
Antonio de Oliveira Lobo, Antonio Ferreira .Mou-
linbo, visconde de Villanoho de S. Romao e An-
tonio Caroelro de Azevedo.
Naquelle documento falla-se da necessidade de
reformar a cmara dos pares, tirndose a 'hend-
larledade do paralo, na reforma do ensino popu-
lar (que lodos promettem e nlngaem compre), na
de fazenda e arrecadaco do imposto, na maior
igualdada do imposto de sangue na reforma do
exereito, na maior independencia do municipio, na
reforma eleiloral, no cdigo civil (isto esta' feto)
na maior independencia do poder judicial, na re-
gularisaco da suspensaq das garantas para que
no decreto respectivo se inclua a convoca cao das
consegue por o territorio e o exercito portaguez corles dentro de quareola dias tmprorogaveis, na
a' disposicio do governo nespanbol, para mandar inviotabiliilade do asylo domestico, oa llherdade de
aqui extermioar os facciosos uaqoelle paiz que emi-1 reunio, na mais ampia liberdade, na manifesia-
grarem, ao que, por se terem sublevado, forem cao do pensamento, as disposlges que assegurem
obrigados a passar a fronteira. a Independencia parlamentar em ordem a que os
Se nao houve restriegio no qae diz respeilo deputados sejam juites dos governos e nio soas
parte poltica do tratado de 1823, sao altamente creataras, na reduccao do numero dos depotados,
offeodidos os nosso.- bros de nago livre e gene-
rosa.
E' caso uoico, diz o Jornal do Commercio, redi-
gir-se, negociar-se, approvar-se, e ratiflcar-se um
tratado dentro de 8 dias I
< A approvagao do tratado de 1823 com a Has-
panha, contioa o mesmo jornal, e as emendas fei-
tas ao Cdigo Civil na parte relativa ao casamento,
sao de certo os mais ioiquos actos que bao de levar
os actaaes aeputados a' pesteridade.
< Se alguns mezes antes, este tratado estivesse
approvado, o general Prlm e os seus infelizes com-
paoheiros eslariam fuzilados.
Foi concedida pelo parlamento em virtude do
que dispoe o art. 77* da Carta Constitucional, a
autorisago para quo el-rei o Sr. D. Luiz possa sa-
bir do reino, assumiodo a regencia o augusto pai,
o Sr. D. Fernando.
Affirma-se que el-rei partir' a encontrarse com
sua esposa no da 3, segualo na corveta Basilio-
lomeu Dias para Genova. A esqnadrilba compos-
la daquella corveta, da Estephania, etc.
A Gazeta de Portugal ba dias disse que se al-
guma reforma houvesse o parlamento de fazer na
carta, devia ser abolida esta espectalidade portu-
gueza de pedir o ret licenga s cortes para sabir
do reino.
Respoopeu-lbe logo um jornal, e muitos outros
copiaram:
< Qua a necessidade desta'licenga era mais um
tastemuaho do qaanto os portuguezes presavam os
seus fllhos, e que no diaem qaa fsse supprimida
aquella autorisago, tambera o soberano deveria
viajar sem se empregarem no seu recreio particu-
lar as embareagoss do estado, nem de modo algura
se dispeoderem os recursos da nago, excepto
quando essas viagens fossem para bem do paiz e
em servico pobiieo.
E' pos'sivel qae algara dos qae escreveram, cu
dos que copiaram esta replica democrtica, mais
Urde oa mais cedo se aprsente em luzido beija-
mao com algam crochat rutilante sobre a farda.
IstJ apenas hypotbatico, porque nao conbego pes-
soaimeote nem oos nem outros; mas julgo que
tenho visto neste paiz, em que a democracia sobe
na iago dos quadros do fanecioaalismo e slm-
pllcago do servigo publico em todos os seus
ramos e muitos oolros assumptos importantes que
no sobredito manifest vo desalando como em lan-
lerna mgica, eogrossados pelo vigoroso da phrase,
pelo colorido das considaragoss, e pela energa das
apstrophes.
Oxala que, se estes grupos reunidos ebegarem
um da ao poder, possam aasempenbar-se dos seus
compromisos, sem attengo as contemplagoes pes-
soaes a a outras mesquinbanas que embaragara a
execugo dos mais patriticos propsitos e pro-
grammas polticos que temos visto cortejar a po-
pulandadp.
DIARIO BE PEMAMBCQ
Dos portos do norte do imperio, chegou hou-
tem o vapor Santa Cruz, trayendo as seguales
datas: Amazonas 29 de janbo. Para 4, Maraoho
6, Caar 10, Rio Grande 12 e Parabyba 13 do cor-
rete.
Amazonas.Nada occorren dgao de mengo.
Para.0 Exm. presidente da provincia raandou
collocar outra boia no balxo da Tijoca, cuja des-
cripgo :
< Foi collocada no dia 27 da junbo de 1867, no
baixo da Tijoca a leste, duas amarras do cabego
denominad) do Sal, em lo metros (9 bragas) de
fundo, areia Sna na baixa-mar de aguas monas,
urna boia de ferro de forma cnica pyramidal,
ointada de eocarnado, Hacinando na liaba d'agua,
de 2,572 metros de dimetro, de cojo vrtice se
eleva urna hasteacom urna pequea bandelrla de
ferro, farpada egiratoria, teudo sea extremo sape
rior 4,84 metros cima do nivel do mar.
c Acha-se a referida boia na lalitude SO. 25'.
13"e na longiiude oeste de Greenwich47*, 57'.
4", demorando-lhe a ponta doTaipaos 22*.
30'. SO, na distancia de 15,5 milbas e a boia bran-
ca situada jauto ao baixo deBragangaa late
na distancia de 4 milbas.
A alfandega rendeu no mez de junho
rana tem queimado incensos (a questo I de tempe)! 173:4124604 r.
Marahhao. A mesa administrativa do Alheen
Maranbense, no correte anno, compoe-se dos Srs.:
Fernando Luiz Ferreira, presidente; Frederlco A.
da Silva Guiraares e Jos Mariano da Costa No-
nes, secretarios.
' A alfandega renden de 1 a 4 do crreme
26:498723 rs.
Foi preso no dia 29 do passado o padre Joo
Tabosa da Silva Braga, como pronunciado uosarts.
110 e 207 do cdigo criminal.
Lemos no Pau :-' '
t No di i Io convocou o Sr. bario de Anatajuba,
como seu presidente, a commisso ltimamente no-
meada pelo governo da provincia, para dar intor-
migies ao governo geral sobre alguns dados esta-
tisticos qae coacorram para animar a immlgrago
estrangeira nesta provincia. Esllveram presentes
todos os membros a excepcao de dons, ura dos
qnaes esta' fra da cidade, o foi installada a com-
misso. Deliberou-se o segninte:
Que a commisso se denomioasse Conmissdo
auxiliadora da tmmtgracSo.
Que fosse comeado secretario o raembro da
commisso Tbemlstocles Aranba.
t Qae fossem pedidos ao governo os livros de
registro da extiocta repartigo das trras, e os qua
fervoroso evento. aoava o" mundo nem glo- j contivessem os relatnos das directoras da repar-
ria, nem interesses que o demovessem da tua f; tigo, se estes nao estiverftm Jangadas nos livros
poltica e da sua f religiosa. dos registros da correspondencia. Os Srs. Dr. A.
O Sr. Gomas de Abren aceitando o cargo de Henriques e tennte-coronel Baptista foram encar-
mestre dos fllhos do principe proscripto, foi gene- regados de colher destes livro3 o que fr mil para
roso e nobre. os trabalbos da commisso.
as aras da soberana momrctiica, adornando-se
eom as veneras offarecidas ou solicitadas, disfar-
gando os modestos nomes de baptismo coa ttulos
nobiliarios, ou comeado na primeira occasio
mesa dos aleos, com a mesma sem-ceremonia
com qae n'oatro tempo faziam devorar ao povo
metido, os seus pampbletos en: prosa e verso, onde
fdas as realezas da ierra, sem excepgo alguma,
eranr fulminadas pela declamago violenta, pelo
epltheto de dons gomes, oa pelos ridiculos e sar-
casmos da caricatura tllostrada.
Passemos adame, e desculpem-me a digresso'
que seja fella sem offensas Bem adosos. Quiz
apenas consignar um facto, que poda corroborar
com um rol de nomes proprio, mas que nao farei
por muitas razes.
Falleceu em Brombacb, a 15 do crrante o
Dr. Antonio Joaqoim Ribeiro Gomes de Abreu,
qae foi redactor da Nacao, e ltimamente era raes-
tre dos fllbosdo Sr. D. Miguel de Braganga.
Era o Sr.'Gemes de Abrea am homem de bem
en toda a ftnso da palavra. Firme as soas
erengas, era incapaz de apoiar orna craeldade.uma
offansa qualquer aos direitos sagrados da bumani
dade. Am'ava o sea. rei o atTacto de um subdito
leal; amava a sua rellgio com o extremo de um
As folbas liberaos prestara saudosa bomenagem
ao sea talento, a sna rigidez e lealdade de carc-
ter e ao seu desioteresse ededlcago.
Perdeu o partido legilimlsta um dos seus orna-
mentos mais distinctos, e a patria um cidado prs-
tame. ,
Em Angola fallecen, logo que la chegoo, u
Sr. Balthazar de Souza Menezes, gnarda-mr da
relagio de Loanda. Era Albo do ja fallecido coronel
Meoezes, de eogenneiros, virtuossimo e bravo
militar qae tatitos servigo* prestara 3 causa, da |j
ber44e,
Resolveu se Analmente que se solicitasse do
governo todos 03 dados offlcaes que forem neces-
sarios.
Cea.ua.No dia 4 do correte leve lugar a aber-
tura da asserabla. provincial, cuja mesa adminis-
trativa comp5a-se dos Srs : padre Antooinode Alen-
car, presidente; Drs. Antooio Pinto Nogueira a
Domingos Gerson de Saboia, seerelario>.
Falleceu na Imperatriz o Dr. Joaquim Aoto-
uio Alves Cirdeiro, dsputado provincial.
>t A alfandega renden no mi de juaho ...
182:8784951 rs,
Na villa de S. Fraocisco, foram assassinados
a tacadas, Jos de Souza Moreira e Jos Bernardo
deAraujo.
Amonio Jos Pereira assassinou, na villa de
Soures, sna malber e Theodosio Jos Pereira, por
lelos encoolrado em adulterio, iodo em seguida
tntregar-se a' prisao.
No dia 23 de junho, na serra da Tucunduba,
Maooel Mariins dos Santos assassinou a sua ma-
lber, por querer ella ir, contra sua vontade, a' um
samba.
Lemos no Ctartmsi:
< Jos Loiz Nuus, nasceu no aono de 1743 na
fazenda Joazelro, dlstricto de Boa-Viagem desla
provincia, e morrea a 25 de juaho de 18il com
118 annos : no entretanto oque ba de mais ea-
traordinario que esse cidado dos 7 Albos que so-
breviveram aos 16 que leve, contava quando raor-
reu urna descendencia de682 pessoas, todos mora-
vam ao p de si e viven sempre estimado por lo-
dos, tal era o seo genio pacifleo e ordeiro.
< S urna de snas Albas Thereza Mariade Jess,
tinba 14 Albos, 123 netos e 104 bisnetos.
Outra de nome Mara Jos, tioba 10 Albos, 92
netos e 35 bisnetos.
< Em um paiz em qae am facto destes, to el-
pantoso e fra do commom, fosse apreciado aevi-
damente, um tal bamem seria premiado.
c Connecemos nm individuo morador boje em
Santo'Antonio da Imperatriz, de nome Flix, com a
idade de 123 annos, filho do Paaby, e qae gosa de
soas fculdades intellectuaes; mas ao contrario de
Jos Nunes,em materia de gerago, nao possueum
s descedenla, e oos parece qae sempre repellio o
bello sexo, tanto assim que nanea cootrahio os la-
gos matrimomaes.
Lemos no Pedrt 11:
< Hontom (6) amaoheceu roubado o cofre da
ibesourana de fazenda, na importancia da ceoto
e cincoeota e oito contos e tamos mil ris em c-
dulas geraes.
c A tuesouraria esta' funceionando oa parte as-
sobradda do qaartel de 1" liaba, oode esto a-
guarletlados o destacamento da guarda nacional,
sob o commaado do Sr. coronel Jos Nunes, e os
guardas designados e officiaes empregados nesta
servigo, commandados pelo Sr. tenente-coronel
Baptista de Mallo.
Ha urna gnard3 no nico porto, que di en-
trada para o edificio; o que nao evitou, que o ron-
bo se Atesse pelo lado interior do mesmo edificio.
1 O autor do crime, urna vez dentro do quartel,
abri a porta da sala do thesoureiro, com chava
falsa oooulro Instrumento, penelroa nella, e abri-
do do mesmo modo o cofre, qoa tem 3 chates, le
vou a effaito o roubo, lando deixado algumas s-
dalas no pavimento, urna peqnena lanterna furta
fogo, vela e pbospboros.
c No quarto da lalrina. qae lem ama jane! la,
que deita para a ra da Misericordia, appareceram
algumas sedlas dispersas e urna corda, estando a
janella abarla ; o que nos leva a erar, qae fot por
all qae laogaram para fra o roubo.
O andar tem ama grande elevagd, e prova-
vel que o ladro nao se escapasse por all.
Pareen, 00 o en me foi perpetrado por mais
de um ad;4uo, pois qae sendo grande o volume
roubado, porque as sdalas eram em sua maior
parte de 15, 24 e 54, nao era possirel qae urna
s pessoa realtsasse a ennduego dallas.
Nao Acarara outros vestigios.
A polica preudeu os lenles da guarda na-
cional Francisco Luiz de Vasconcelos e J s Can-
dido Brrelo qae estavam de servigo no quartel, e
os soldados que estiveram da senlinella as proxi-
midades da porta da thesouraiia.
t Foram tambem presos dous serventes da re-
Dartigao.
1 Consta-nos, que se dar ama basca era casa
do lente Francisco Luiz de Vasceneellos, sem re-
sultado.
c O espirito publieo ainda se achava em comrao-
gao com o roubo da thesourana, quaodo outro a-
comecimento bstanle desagradavel velo agila-lo
mais.
< Hontem (8) s 8 horas do dia ao abrir-se urna
das prisdes da cadeia publica, para tirar-se os ga-
les que costumam trabalbr oas obras que se es-
tao fazendo no mesmo ediQcjo, estes se sublevaran]
e em numero de 10 forgaram a senlinella do por-
to e consegoiram gaobar a ra. O presos esta-
vam todos armados de facas, cacetes e outros ios-
irumentos.
< Na praca d'Ameiia deu-se eolo ama lata hor-
rivel entre alies e a guarda. Os soldados destlngui-
ram-se e em meaos de am quarto de hora eslavara
capturados 8 gales, faltando 2 que escapuliram-so,
senado um dalles o celebre faccinora Jos Vleira.
O Sr. Antonio Gongalves Vleme, escrivo do
jury, que na occasio da fuga ebegava a' cadeia,
receben um golpe de um dos gales, sobre o peito
direito e Acou gravemente ferido. Um soldado tam-
bera foi ferido, mas suppoa-se que nao foram gra
ves os seas feriraentos.
t O here do da f ii o artista, guarda nacional,
Marcos da Costa. Esse rapaz nao se achava de
servigo, porm acudi logo que ouvio o loque de
reunir; e a arma de que munio-se foi ama estaca.
Marcos livrou o capito Untervil de ser victima da
ferocidade do faccinoros Joaquim Mariano. Na
occasio em que o malvado accommetteu de bayo-
neta ao Sr. Dutervil, Marcos atirou Ibe um golpe
to certeiro que o prostrou por trra, sendo imme-
diataraente preso.
Joaquim Mariano umjdos criminosos mais atre-
vidos e perversos que existem na cadeia. E' a ter-
ceira vez qua tenia evadir-se. Dizem-nos que elle
Acara bastante maltratado.
Ro Gbandb do NoBTB.-Havia sido designado o
dia 15 da setemDro para a eleigo primaria seoa-
torial e igual da do mez sabsequente para a se-
cundaria, em consequencia da vaga deixada na
respectiva cmara pelo Aoado D. Manoel de Assis
Mascarenhas.
Pelo abastado negociante Domingos Heori-
que de Ollveira, vice-consal da Hespanha, fra
feita cesso gratuita de" urna porgo de terreno
seo, para constrnego de urna muralha mandada
effejiuar pela presidencia, dirigindo ao Exm. Sr.
Dr. Gustavo de Sa um offlcio, cujo ultimo periodo
era assim concebido: Cihendo-me nesta occa-
sio o prazer da concorrer para o afjrmoseamento
e grandeza desta capital, grandeza e aformosea-
mento que V. Exc. tanto tem tomado em conside-
rago, 'fago votos para que seja V. Exc. por muito
lempo conservado oa presidencia desta provincia,
na conviego de que de dia em da os nosses com-
provincianos, mais tero de louvar e agradecer a
bem acertada escolba que o governo de S. Mages-
tade fez na nomeago de V Exc. para governar a
provincia.
No dia 8 do correte S. Exc. havia regres-
sado capital, da viagem que no da 5 emprehen-
dera villa do Cear-mirm, a mais importante lo-
caudada da provincia por sua produego agrcola,
com o flm da examinar a obra da abertura do rio
do mesmo nome, cojas ioundagoes na astagao in-
vernosa accarretam grandes males lavoara. F-
ra all recebida com demonstrares de aprego a
sua visita, lendo-lbe a cmara municipal em cor-
porago dirigido eomprimentos e felicitages.
No dia 6 foi! he offarecido um baile, que esteva
concorrido a animado. Diversas commisses com-
postas dos principaes agricultores do lef mo, ba
viam sido logo nomeadas para se incumblrem de
subscripges e de auxiliar o engeobeiro da pro-
vincia nos trabalbos de qoa se acba encarregado,
quaoto a referida abertura e a oulros melhora-
ment03 qae a presidencia raconhece de necessida-
de na meaciooada villa.
W se tjo GorrfiQ Yqlatenw :
- No da 2 anniversano da rastauragao da Ra- roso, bordada ouro, que offerecida pela Sra
na o Exm. Sr. Dr. Gustavo dea em palacio urna D. Anoa Delflna "aes Barreto, da cidade de Per-
neia partida,_ como festejo aquella memoravei dia. 1 nambnco, a urna iraagem de Senhor dos Passo
A renmao foi numerosa e escoltida; houve de urna contraria d'aquella mesma cidade, mas
mima anlmagao e relnou entre lodos os convida- 1 Ignoramos qnal seja.
dos perfaita cordialidade. # a tnica grande 5 mede na roda 5,20m e
As onze horas servfo-se um proruso cha, a as de alto l,60m; a barra bordada 0,60ra.
duas horas da madrugada retiraram se todos era I c de veludo roxo, como dlssemos; o bordado
extremo penborados pelas maoeiras affaveis e at- em 'differentes pontos, e de alto relevo, e o corno
teoclosas com qae o Ezm. Sr. Dr. Gustavo e sua i semeado de martyrios, cbagas e lulipas, e a b4r-
Kxm. Sra. flzeram as honras da fasta, que recorda ra de lavores de phanlasla de muito bom gosto.
aos Bahnos urna poca memoravei na historia de | c Esllveram empregadas nesta obra oito pessoas,
sua provincia. alternativamente, correspondendo a 517 dias do
Parahtba.Nenbuma
jornaes.
PErlNANIBUCO
noticia encontramos nos; trabalbo.
v O sen cusi orga por 1:2004000 res tortas.
>^nBMaMHi.^.^.M ^ encoraraenda da taoica veio do Pono, onde
reside o correspondente da senhora Ue Pernamba-
co, que a offerece Imagem do Senbor dos Pas-
1,
REVISTA DIARIA.
Um tristissltno accidente, da ordem do que
ba bem poneos dias noticiamos, deu-se anle-hon-
tera, por volta das 7 horas da noite, no camioho
de ferro de Appipucos, entre a Ponte de Ucba e
o Maoguinho.
Urna pobre mulher de cor parda e em completo
estado de embrlagaaz, adormecer sobre os trilhos
no lugar de urna curva, e com taramba infelicida-
de que voltando o trem de cima aquella hora, pas-
sou-lbe sobre o corpo, fracturaudo-lbe as peroas
e ama das mos.
A autoridade policial procedeu competeote
vistorla, e tratando de enviar o macbinista que i
guiava a locomotiva do trem para a cada, verifl-
cou .ua ausencia. A mlher foi transportada
as hospital.
Sem querer fazer comentarios, diremos (odavia
qae coavm que se proceda "mioaciosas iadaga-
ges, aAm de se Acar sabendo se honve ou nao
culpabilidade da parte do referido raachioisla.
De Fernando de Noronha chegou hontem o
vapor Mamanguape, com datas at II do crreme.
Nosso corres non den te diz-oos o seguate :
< Depois da sabida do ultimo barco, nada ba
aqui occorrido que seja digno de mengo; apenas
a muda de parte do destacamento do 9* batalho
da guarda nacional que aqai se achava, por utras
tantas do 3.' da mesma arma, isto 1 capito, 1
subalterno e 4o pragas de pret, que maravilbosa-
mente se condunram nesle presidio no decurso de
quasi 2 annos, para o que muito coacorreu sea
dlgoo commandaote o Sr. capito Cbrlstovo Pe-
reira Pinto : bem merecidos loovores sao os que
devem ser prodlgalisados a esse 9.* batalho, pala
maueira honrosa com que aqui se houve este seu
contiogeote, retirando-se d'aqai sem teram aunca
dado motivos pa-a censaras qaaesqaer.
< O invern tem continuado, nao muito abun-
dante, e este presidio Ac tranquillo. >
Tira a mala hoje is 3 boras da tarde, para
os portos do sol do imperio, o vapor Santa Cruz.
Dos portos do norte trouxe o vapor Santa
Cruz 3:5435430 para a nossa praga e 93.9124685
para as do tal.
Acbam-se bordo do Santa Cruz, com des-
tioo ao tieatro da guerra, 152 pragas para o exer-
cito e 26 para a armada.
Vieram no Santa Cruz o capito, o !. piloto
e 6 marioheiros da barca iogleza Uomas Blyth,
qae noticiamos a semana passada ter-se perdido,
quando nosso porto chegou um bote com o reslo
da tripolago. Esses nufragos foram recolbidos
pelo Santa Cruz s 7 boras da nbote de sexta-fei-
ra na altura do Rio Grande do Norte.
Segundo declarago do commandaote naufraga-
do, pediram s ejorro escuna hollandeza Superb,
que nao os quiz receber seu bordo, sob pretexto
de ser seu navio pequeo, dando-Ibes algum man-
tmenlo, e tomando apenas um menino, qae fazla
parte da tripolago, a muitos rogos 1 I
Dos jornaes da Europa, viudos ante-bootem
pelo vapor Navarre, transcreveroos a segulnie des-
cripgo das ultimas modas :
c As modistas em Pars s tratara dos vestidos
de ve rao, e de toiletes campestres e cinegticos.
Estaraos no reinado da mosselina imprensada, do
organdi e do jaconas.
Ha pessoas qae poem era duvlda que essas
fazeodas sejam da moda ; mas a sua sincendade
toroa-se muito suspeita ; a economa que os faz
fallar, e nao o desejo de que as suas charas-meta
des andem no ultimo rigor da elegancia.
c Us vestidos d'essas fazeodas cortam-se nesga-
dos, com algumas pregas sobre os lados, e com um
pouco de fraozido por detraz.
t Nao se Ihes fazem corpos; porque geralmen>
te sao asados com corpetes de masselini oa de
nansok.
Nao s Ihes pem gnarnigSe algumas qaaa
do multo, deus ou (res viezes chatos por cima de
urna larga baiaba ; oa emo fazem-se-lbes largos
recortes em toda a roda inferior das saias.
c Usam-se com palelots direitos, de fazenda
igual do vestido, mais ou menos compridos, se-
gundo o goslo de quem os traz.
c Aos vestidos de mussellna nao se fazem cor-
pos decotados. Se, porem, bonverem pessoas que,
nao obstante este preceito, qaeiram usar os cor-
pos decotados, eolo fagaranos de mosselina bran-
ca, com Blas de veludo 00 de seda, com um largo
cioto de fita.
Passados os qaarenta annos, ou no caso de
haver gordura muito pronunciada, preciso usar
vestido atfogado, com ciato, semelbante ao ves-
tido.
As meninas e as senboras casadas, de pouca
idade, usam nos totleles de viagem ou de passeo,
cintos de couro amarello ou preto, com enfeites
d'ago. Alguns sao recortados.
c Ha em Pars este aono, urna novidade pelo
que respeita aos laques. A palha subsiitue a ma-
deira. Esses leques, comqaante sejam muito le-
ves, nao deixam aada a desejar pelo lado da so-
lidez. Abrem-se o fechara se sem estando e ran
gedoras. Leqoes quasi impo3Siveis para a gente
poder dormir socegadamente n'uma sala de con-
cert de amadores, ou durante um nocturno aba-
fadigo de poesa, as borboletas do mal, a' josephi-
nas, ou s candidas ceems.
< Tambem ha agora urna espeeialidade de en-
tenas, qoa sao muito engragados. Sao os cintos
com abas, golas e dragnos, feltos de passamanes
com azeviebe.
< Parece que mullipllcam-se os palelots de fou-
lard branca, eom bordados todos pretos ou de urna
s cor, mas muito viva, ou mesmo de mullas co-
res, no genero breto, de qae ainda nao ba mullo
tempo fallamos. A generalisago repentina desses
palelots, denota a ua otllidade. E, efectivamen-
te, vern eneber urna lacuna dos toiletes acioaes; o
paeto de foulard branco o mais leve da todos s
pardessus ou soretudos.
Sentimos ter que dar um nome to igoobil
entre nos, leve e corta chlamyde que, na idade
moderna, a belleza traz sobre os niveos hombros.
Aquellos sobretodos, pois, podem acompaabar lo
dos os vestidos, que se achara desherdados do sea
palHot congnere, desde o veMido de mosselina e
de organdi, at ao vestido de sed* ; sendo-lbe oais
fcil alliar-se a diversos toiletes, quando tiverem
os bordados todos pretos eu mullicares, do que
qoaodo forem todos feitos de mosselina de urna s
cor multo \iva.
No Jornal do Commercio de Llsb>, de 17
do passado, eocontramos-a segninte noticia :
Acabamos de var ua offleiua do Sr. Gomes,
bordador sos.
Foi concedida, pela presidencia da orovinca,
a exonerago pedida pelo Rvm. Vicente Maria Fer-
rer de Albuqaerque, de capello da colonia militar
de Pimenteiras.
Por portarla da presidencia de sachado foi
nomeado para major riscal do batalho de volnta-
nos em organisago, o Sr. major R r nardo Luiz
Ferreira Cezar Loureiro.
E'mais cmacto digoo de louvor, do Exm. Sr.
presidente da provincia, o aproveltameato do Sr.-
major Loureiro que, teudo viodo ver sua familia,
depois de importantes servigos prestados em 22
mezes nos acampamentos do exercito brasilelro, de-
ve agora para all voltar, condazindo <>ssvnova
pleiade de pernambucauos para eogrossar as titea -
ras do nosso exereito.
Damos nos.- amboras a ambos esses senhores,
a' um pela esc ua e ao outro pelo aprego qae ti ve-
rara seus seru.os.
Dizem-n m que ha na ra larga do Rosario
am botequim. rujo dono on caixeiro emprega um
novo systema da cobrar de seus (rognezes remissos
o pagamento que ellas ahi consouiem.
E' esse systema nada mais nada menos do que
esbordoar o freguez I
Ora, como nao acbamos acceitavel a creaqao,
recomendamos a' attengo da polica esse boteqaim,
aAm de que ella faga sciente o respectivo proprie-
tario de qae o esbordoadtr um passaro que nao
canta mal na galola da detengo.
Por ser sabbado o da do 20.* anniversario
de S. A. a Sra. duqueza de Saxe, estiveram em-
baodeirados os navios de guerra e estagoes publica';
salvando a fortaleza do Brum 1 hora da larde.
O campo das Prlacezas acba-se transformado
em pasto de aniones vaceuns. cavalares e ove.
Ibuos. Chamamos a attengo do respectivo Ascal-
Pedem-oos a segninte pnblicago :
c Pede-se a Exma. cmara municipal o nivela-
memo da ra das Parnambucanas, oa Capunga,
pois sendo esla urna das melbores roas daquelle
arrabalde, mal se pode nella passar, com o grande
lago que all existe d'agua das ebuvas que alraves-
sa de canto a canto. Com pequea despeza se re-
move aquelle defeito, tornando-a enlao iraositavel e
as condiges do regolamento da salobridade pu-
blica.
Ainda maJs ama vez, lembramos a quem com-
petir a iliurainago a aaz naquetla localidade, visto
que ba mais de um anno para all mandaran o eu-
canaraento e columnas.
O escrivo dos protestos Jos Mari anno esl
de semana.
10 horas se exlrahira' a 44"
beneflcio das familias dos vo-
(28*), sende o maior premio
Amanba s
parte da latera a
luntaros da patria
6:0004.
Pedem nss a pnblicago do seguiste :
< A praca da Boa-Vista ioconlestavelmente o
lugar publico e transitado desta cidade, no entre-
tanto, abi mora ama familia em um segundo an-
dar, que assenla que deve fazer da rna praia, lau-
gando todas as noites pela janella, nao smente
aguas ptridas, como tambem ourina em um es-
tado de decomposigo tal, que sofloca aos que tem
a iufelicidade de morar, oa passar por all pela
yolta das dez boras da noile.
f O Sr. Ascal faria um grande servigo ao pu-
blico e aos bons cosiumes, fazendo com que cesse
tal porcaria ; pois patebouly de semelbante grao
nao deve ser laogado a' ra, e sim conservado em
ricos vasos para ser applicado aos lengos de quem
gosta.
REPARTigAO da polica.Extracto das parles
do dia 13 de lolbo de 1867.
Foram recolbidos a casa de detengo no da 12 do
correte :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. ebefa de polica, Fran-
cisco Mendes da Rocha, para ser apresentado ao
tribunal da relago. A' ordem do Dr. juiz muni-
cipal da I vara. Manoel Flix Rarbosa, como sen-
tenciado. A' ordem do subdelegado do Recite, Vi-
cente Martins Ferreira B>rges, para correcgo;
Antonio Gomes de Miranda e Joaquim Leonardo
da Costa, por disturbios; Eslevo Ignacio da Silva
e Ludovico Bersoy, a requislgio do capito do
porto. A' ordem do da Boa-Vista, Luiz Amonio do
Nascimento, para correcgo. O ebefe da 2* aac-
go,/. G. de Mesquit*.
Casa de detengo.Movimento da easa de
detengo do dia 12 de jolbo :
Exisilam presos 323 ; entraram 8 ; sabiram 6 ;
existem 325 a saber : nacionaes235 ; mulberes 8;
estrangeiros 25; mulher 1 : escravos 52 ; escra-
vas 4total 325.
Alimentados a costa dos cofres proviociaes
229.
Movimeoto da eofermaria do dia 13 :
Tiveram baixa :
Laiz Adtonio do Nascimenlo.
Jos Correta Franco.
Joo, e3cravo de Jos Bento.
Fallecen :
Pedro Lope da Silva.
Passageiros da barca portugueza Sympalhta,
sahida para o Porto:
Antonio A. P. da Fonceca e Manoel Dias Riaha.
Pela admiolslrago do crrelo desta cidade se
faz publico qae hoje (15), a's tres horas da tarde,
fechar-se-ho as malas que o vapor Santa Cruz,
tem de conduzr para os portos do sul.
As cartas sero admititidas a registro at a duas
horas e os jornaes serio recebidos at o mel dia.
Passagelro do catar brasileiro Equador, viudo
de Maceio :
Jos Domingos Pereira. .
Passageiros do cter nacional Emma, vlndo
do Penedo :
Leopoldo Jos de Mello, Antonio Lucas de Olivei-
ra e Antooio de Jess.
Passageiros do vapor nacional Santa Cruz,
viudo dos portos do norte :
O Exm. Sr. senador Joo Pedro Das, JoaoAniu-
nes da Silveira, Joo Fernandes Carvalbo Chaves,
Bernardo Almeida Cardoso, Frederlco Oetbafon.
Joo Francisco Flix, Antooio Lourengo, Joao U M.
de Mallos. Balvioo Alves de Souza, Raymuudo M.
Norat, Je ronymo Jos Barbosa e 1 escrava, Alfredo
Garca, sua senbora, 2 Albos menores e 2 crtrdcs,
Jos Joaquim Carnalro, Bernardo Norat, Pedro Lo-
pes Mandonga, Jos Pereira de C Pinto, Amaneo J.
de Franca, Manoel R. de Mendooga, Hermenegildo
de S. Lobo, H. do Reg Barreto, Dr. Eparniuooda*
de S GouVi, Jos Marques Golmares, Carlos R.
p da Laeerda, Franco Alexandre da Costa Lima,
Jos da Silva Coeiho, Manoel Marqoes Camacho,
Roberto A. de Mallo, 8" mulragos de ora navio in-
gle; pllusi^e o cap? 5 ?^<


-
NUMERAGAO INCORRETA
1
**



Jarlo de Feriuip*c* S^unda feis* li de Julho de 1867
-

Scguem para o sut:
Dr..JoaoM?ue Ferris, sua senhora e 2 Oilios.
meneras, L/iedro, Belarmino Jacome Doria, Jero-
ymo Ablooio Cosa, Antonio teite' dos Santos,
Joo da Coala, Antonio Candida Calisto, Pedro An-
tonio Prlme^D. da CotU Pisto,- Francisco da Sil-
Ya Varella, Grlos Augusto Gentil, A. GuigSo,
Francisco Mariano Aievdo Perdigo, Lou Gaspar
F. Friburgo, Dr. D Amento de S. Silva, 106 gan-
das oacionaes, 24 recrutts, 19 menores imperiaes
njanobeiros.
Passageiros do por lanvmauap, tindo-a
ilba de Fernando 1
48 pravas da guarda. nantooal, 1 capillo, 1 alie-
res, a fan.ilia do aapllo, 8 sentenciados que-a
fcaram o tempe, AnWnia Maris da Coftcercio e E.
Thomai Anstides.
ITRAUSCSEVIMOS CNCVKKSttC DA IWWlM) NACIONAL,
periodido nspiemo pr.osas.t8.^Btdio-j.A
SILVA SBI11ARAE8, ANTONIO BANGRL E OMI;
BANDE1RA, SEGUlNT tBICKO
FaculiadedeDirtito.
A 5*6 .do crrante, detanden. tfceies .0*1* le* Wnttlhado, qn" facam uso tfe^eeWes
charel Jos Joaqnim Tavares Belfort. Em nossa
Communicados
0 jaiz iiicif. He orphaos de ter-
mo de "Boya una.
Acabo de ebegar da-cidade de Goyanna, rada
scffri os mais pnganles insultos do Sr. Dr. Jos
Joaquim Pirmino e dos sens amigos, taes como
nonca toppnt, que hoovessem de ser fetos a um
borne m qoalqoer, qnanto mais urna autondade,
qoe sempre proeoron curoprir os seos deberes, e
contra a qoal, dorante o longo espacp de cinco an-
bc-de efftctivo-eerloiornanea se Jewntou-ama
voi para aecusa la.
Forero as consenoencias do odio de individuos,
pira qutm e cocsiiuii em crime por nao ter sido
um joU submisto avsntens inter-esses ilkgilimos,
agora aatmadese exaltados como triumpbo,,qu
Ibes eu o Sr. presidente da provincia.
Podetei ser a'vicliaa immolada .a'imaunidade
dos crimes .d-ecrrwK) -Alaga, e .aoroalculo que
Trajaao Oiyinplo -4a Caoba iGoveia e seo trmo
Joo Paulino forrea raro'de nao pagar -as auas divi-
da?, e de flcarem anadrinhados pelos:meas substi-
tuto?, qne mam aos oreantes -tedo meio de aeco,
eu jarando suepeicSo^ou-dewdiadocoaUa a lei ex
pressa.
Poderei ser esmagado pelo peso do poder social
depositado as tdosde bornees, que antti Oero os
principies deinenwtidade erjoatiea aos inieresies
de partido.
Masennobraee mea.OB*eienoa (te meus actos,
e hei de levantar muito altamente nm protesto con-
tra a.per*gue .oiganis&da, qoe soffro Injusta-
mente, e que me apem por tsdos os lados, como
nm anoel de ferro. .
Peco ao publico, que espere a minba dleza, que
Dio poso.azei boje, .oem talvez amanilla, nao
tendoaiuda comigo os papis, qoe maistarde ebe-
faro. ,
A portara de sospensaoejpo^os laclo;, .que.me
sao aajputados. de.modo que-a veitiade essenoial-
. e-' iim-cU. iftijo, que boje e publicoo
em susteoiacao ciesse acto clamorosamente injusto,
decretado 6em audiencia do acensado, e por sim-
ples inforrD346e*4t nm scrlvao falsario, e exigen-
cia <\p Sr. Di Eir.mino, genro daqoelle eserivo,
tem o meamo deleito.
Declaro, desde ja, que a verdade sera fiel, e
jarovadameoie espo&u ao publico, para cojo juizo
appello, ceno deque me (ara' ajusca, que esporo
das tnbonaes superiores, cojo coohecimeolo e
decisao ctiegaro os meus erimsj.
Recife, 13 dejulbo de 1887.
Henrique Pereira de Lueena.
Publicacoes a-pedido
opiatio (oi nm dos mais bnlhantes actos, qoe ues-
te nltimos tempoe ten onvido a Facnldade. Iotel-
llgeocia pmmpta, dicfo elegante a correcta, fir-
meu de-raciocinio, apurado eavaIberismo-as for-
mas da argnmeuaco, eis as cratfenciaes com qu
recabera' o gran de duotor, o Sr. bacbarel Belfort.
Quiz o dattno qoeS. S. fosse exclusivameote argi-
do em mataras jurdicas, para qne mejores garan-
tas offarecasse como Offereceo, de qrw honrara' o
grao qae-tom de aer-lbeconrerido.
HUM
"WTJMA
Molestia Ulcerosa
Curada.
Recife 3 de jnlho de 1867.-xms. Illms. Srs.
accin 1.-i.i5 do novo baaco de Pernamboeo, no Re-
cife. Senbores.Fora a libardade de lear ao co-
nbecimento de Vs. Exes. eiSs. qne tie occasiao de
ler .pela primeir-a vez, estampado no Diario de
Pernambuco de. hontam, o convite que desded de
jonho prximo fiodo, o.Exm. Sr presidente e o
lilm. Sr. secretario da-assembla geral desta casa
dingiram aos Exra=. e lllms. Srs accionista?, para
se reunirem boje,'5 de jolbo, em asserr.bla geral
extraordinarla-em casa do dito novo banco, para
ser deliberado acerca a rnrmediata liqoldacodo
mesmo banco.
Lastimo que motivos de prejuizos os obriguem a
lanzar biae' destemeio,afim de evitar perdas maio-
res." Em coosequencia e a vista distv apresso^roo
em offerecer a Vs.-Exes. e Ss. meu exponianeo
sincero e bem inteBciwado concorse, para desde
logo Impr paradeiro aos prejoizos de sen banco.
Por ora pareee-me qoe basi& :
1.* A assembla eleger na sesso geral de boje;
tima >-c.ra,111 sean rio ^ nn 3 de seos inerabros .para
tratar desde j da llquidagao do novo bauco.
2.* O Exm. Sr. presidente desta assembla ge
ral, convocara' coro a'devida brevidade orna nova
reonio extraordioaria dos accionistas, para sub-
metter a' deliberagao dos mesmos, o convite que
tenho a honra de dirigir hoje a Vs. Excs. e-Ss..pa-
ra empregar parte on totalidade dos qndos neces-
sarios para a realisago da sociedade de expediQao
que desde 1860 trabalbo a' crganisar nesta praca;
o capital que julgo preciso ser de ?:GOO:OOU000
de ris. Na quadra actual, particularmente, est
ramo de industria, pela sua natureza, offerece e
offerecera' sempre aos capitalistas maior garanta
de seguran'ea de seus tapitaes do que empregados
em transaccoes de banco de depsitos e descontos
e mesmo de negocios de fmportaQdes e exporta-
rle?.
Na sociedade de edlfleac5js tero os fondos da
sociedade sempre representados por valores im-
moveis, ao sol, qoe -o vento n8o podera' carregar,
e que cada vez irao tomando maior valor e este
continuara' a escrever emquaoto o meio circulan-
te actual, em razo d na pregressia depreda-
{5o vai de cada vez vafeado menos. Esta verdade
nao podera ser sophismada. serla conveniente qae
o capital de 2:OCO:090000 de ri?, empreado at
boje em o novo banco, fosse empregado na socie-
dade de edilirato-'?, que eai todo o -lempo podera'
dar aos seus accionistas, dividendos annuaes maio-
res, do sobre ludo os que nao tem emisso ; aos Srs. ac-
cionistas perlence deliberar o qne memer ibes con
vier. Portado de novo convido a Vs. Exes. eSs.
acquiescer ao meu pedido, reunindo-se breve em
assembla geral, a qoal sendo en devldamenle
convidado, coroparecerei e offerecerei a appreeia-
eao da assembla extraordinaria, convocada ai
koc, meo plaao e resolugoes para realisar-mos o
mais breve possivel orna das eraprezas mais uteis
qoe o paiz precisa, e qae todas as elasses da so-
ciedade eaperam baannos ver realisar; mas, teja
dito de passagem todo o qae boro, cnsta muito a
realisar-se nesta capital u provincia.
A crise fioauceira existente laaio no .Brasil co-
mo na Europa de 1862, al, o principio de 1867
correte, tem ido cansa da demora havlda.na
reaco da sociedade de edificacoes para a encor-
poragao da qqal a le provincial o. 535 de 20 de
jonbo de 1862, coocedeu me previlegios por 40 e
por (0 anno?, para cujo gozo a ei provincial n.
752 de 21 de jonbo deste auno, publicada no Dia-
rio de Pernambuco de 3 do corrente, concdeme
prolongacao por 5 annos para encorporar a socie-
dade, e dar eomeco as edificacoes. ,
- Aproveito esu occasiao para renovar a Vs^Excs,
e S. os protestos de alia .estima e distiocta consi-
deracio que tributo as pessoas de Vs. Excs. e Ss.
e na espera de sua resposta, termo a qenr.-. de as-
sigoar-me sen mui atiento venerador criado e ami-
go ebrigado.
-F. M. Duprat.
iTodOB -aquella jrjue.*e-riio jiw4tffl> g*f
f"er '-uioleeMaB'screMasee, lceracM, on jphl-
litiwff inda racimo -aputadM ie -peto
oatnrea, -apenas necessHfio'e lr o segnlnM
caso .laaravillmon, jrnra ,que se aintio-inMim-
mme on**ae(lB tpue oa-prtprta ettra,
n5o 'g meramente poeBlvel'mas stm abaolo-
tameatfl oeMa.
Joao Jos Ferredu Barbozj, residente
-wa' OWafle -Hu "ItaTafcao.'-ttnlia todo -o -sen
corpo caberte ide.cbugea-iuteewaas, e durante
hlffurm.ifliinfiajeanliavB dabaUodo tratamente
de medicoe oe mate aYamadrx, teario usado
durante todo este teinpo quasi toda a especie
de medecinasque em taos cases ampregad*
pela tftcaldcrie mnllcn. portfm debalde in
abter o menor beneficio ou alivio: adiando**
po emBJana ap-rros (tHe 'finalmate resblveiQ-
ae, .a^pois de repetidos e baldados esoreos-
azer uso da '''
SalsaparriDia
DE BRISTffL.
No tsdo elle--Mauas ohegou a tomar Oitun
fiarraflis'di! SaitnpnrrUka -. fturoTraseos daa
Pilxdai Tegttaa AKuearadai,.-o resultada
foi elle obter ma ooarpleta eperfelta cura.
Os' Sere. FEnrcEinA & Cia., Droguistas de
Maranhao, ib rao qnam >8ur>prirao -os medica-
mentos, e acbto-se perfeitamente .ao fect
'd'estf tato, e os mesmos Senhores, n5o s se
achilo promptos confirmar o mesmo, como
tambem emiornejcer O'actual adresso do'Ser.
1.v:302A, toda e .qualquer puesda ,que ,po'
ventara se-deseje Informar ditrerdade.
Recommenda-se mui particularmente aoa
Doentesque tenliS o moior cuidado na^soolh*
deste excellente -remedio, nao usando outro i
aSo Esr a Genuina Salaaparrilha-tiG BrlstoJ,
-a.qual 6 exclusivamente preparada pm
LANMAN iStKElHT,
De NOVA VORIi.
todas as mais sSo Defflcaiee de aas
acaasom
copo para misturar com imuplK
pos refrigerantes para tomar,
Vtam no accommettimeDto
manbSa o xarope etherico de
natureza acida, como laraojas, limoes, pi-
tangas, uvas, etc., e appUcaces de plantas
amargosas, ijaTortificaiB o estomago e ser-
ven) ao me: lempo para destruir e miti- Lsoba^n aeas.
TTOB ..
Ltnhngwesteios.
Mel oumelaco
Milho------
Papaga*
PoBrsrSrl. .
dem de jangada.
Sal ... .
Salsa paTTilba
Sebo em rama
gara sede.
A Sra.'B.fojrjina de S"Brrelo, tendo
hnna soa eserava fallecida desta molestia,
^nbmettida ao tratamento 4e sen -medico,
rer31veu'fJT0ctirar-meTjara tratar denm mi-
tro escrav.flue aoffriajja mesms enfermida-
e, prescrevi4te o xatope de vlame, lem;
melborado coDsideravelmerite.
A senhora do Sr. ADtom'o Francisco Ha-[
norato foi desengaada por habis mdicos)
desta cidada, esteve prostrada^ e nos i.'.li-
mos paroxismos da morte, fui com e-xarrje
de veame salva, eomose veda carta impres-
sa no Jornal do Racife de 9 deievereiro fle"
1863.
O escrav Emilio, do Sr. tanente*-oon)nel
Rodolpbo Joao Barata de 'Almeida, foi tam-
hnm flpvHiiuBinrln jnir'TRtfap.TS iiimiIi'iis;^ i'.rin^ 4dem-Hi -velae
o xarope Je veame aclia-se completamente
restaeteeido, cerno -se v ambom da carta
mpressa do mesmo Sr. tenente-coronel no
mesmo lorpal do Reci/e. H
Nao deixarei de adsertir.ao publico, que.'
as minhas preparares de #elamesao reuai-
das oom oatros ingredientes, e com elles
teflbodJbUd.0 ptimos resoltados :ri5o se en-,
gane o mesmo publico com outros que.#or!
aiii se annnnciam, cujas^pcepflra^es.igeoro,
assim como o apreveitaaiento -aos enfermos,
a quem porventura tenham sido applicados;:
cada um responde por.si, verdade o que aqni tenho relatado, cujos
medicamentos nesta provincia s vendo era
mmba botica na ra Direita n. 88.
Jos .da .Rocha ,Paranhos.
Naearetb do Cabo, 74eeetembro>de 868.
Ulm. Sr. Jos da Rocha Paranhos.Gom
o maior prazer levo ao conbecimento de V.
S que odoente que V. S. acba-so.adminis-
trDtio-.toe remedies, acba*ee no (todo res-
itabelecido/porlanto nada sent, tendo des-
apparecio no todo a tosse, tem muitasdis-
pesico comida e aoha-se nutrido. Deixou
de tomaros ltimos remedios qoe V". S. re-
-e-aeita...... arroba
a*.jluer qndlldae.
nm
-, arroba
lo on restolho. .
em-rolo bom..... ,
dem ordinario on restolho .
Gallinhas......... ama
"fioBBan. ..... n*oba
rpecacnaofaa (raz). ?
... eanto
5000
4*000
amad
arroba
nm
qtmal
nm
10*000
84000
1*000
51080
5*000
2*800
12JR0
6*900
de carne; a' Francisco Ribeiro Pinto Goima-
rei.
Macei14 boras, vapor ingles Cimihi, de 687.
toneladas, eapito Hwdson, eqnirjagem 28; ara
lastro; V Siunders Brotbers 4 C.
Ass10 das, blata brasilerro Santa Rita, de -33
toneladas, capitio Trajano Theodomiro de Moura,
eqaipsgera 7, carga sal; a' Tasso Irruios.
Navto saktdo no mesmo Ha.
PortoBarca porWgQeia,S(/fjM Iberme S. de Sonta, carga madeira e algoo.
^SiSfr: : :: : T
2*000
3*600
9*000
5*000
El II Al S.
' I M
Becco o Qoiabo.
Casa terrean. '8. .^. ._ 144*000
Ru dn 'Bweadfaoenro.
Caga terrea n. 3. .. .
Roa do AaoriB.
Sobrado da andares a. 21. .
Roa do .Nogueirs.
Cau terrea n. 17........
Roaj doPare Metan. 17............
Roa de Httl.
wfcrado de nm andar -e-sotio .
Yalrhunlt de -erphos
t9m das -LaraaBjeiras.
* .......
dem de
dem de rebelo
Piassava -..... molho
Pontas, ou cbtfres e vaccas on
raynries....... ewtto 3*800
l'ranchoes de amarello de dons
cantados, .-... ,um 20*000
[dem de lonro...... 10*000
Rap i..... Ifbra 4#00tf
Sabao -....... <8
. -arrraeire 400
. arroba 16*000
... ew
,. ., 7*ooa
... urna ""2
... Mtuia '14O*e00
... 83*060
No da 18 aV?wrreate-as 11 boras da ma-
'ru i\inhaa Dda a aQdiencia do Dr- jais dos feitos da fa-
*: rteadario- a iraca para sarem andidas a quera
800
1*000
Sola em vaqueta ....
Taboas deamarello .
ifllversas ,
Tapiocas ....... rroba
Tatsjnba ...... qtfintal
Travs.--....... tuna
Unbasdebni...... cento
Vassouras de de piassava
Ditas de timb...... -
Ditas.de earnatiba..... *
Vinagre......... taada
Alfandega dtfPernamnco, 13 de jutbo de
ATJITAMMEBirrO.
Cera de carnauba arroba
Cassoeiras de Jacaranda, duzia
Enchameis. ..... nm
Esleirs de carnauba. ama
|Ossos. ... ... arroba
' Palia de carnauba molho
Penna de ema .... fibra
Sapatos de eonro braneo. par
Era ot supra.
: J#provo. Atindega de Pernanrtinco I3.de ja-;
lbo.de 8a7^-ua"0.
Asslgiados. O 1. conferente, Antonio Car
los de Pmho Borges.
O 2." caufe.-eiw.- . Cjnftrue.0 X"jecriptuMro, Eutyclio VonSin
Pestaa.
RECEBEDORIA.TJE J1ENDAS TERSAS
3*000
2*000
6*00
-seo
10*000
8*000
6*400
800
6^400.
;44500
10
246
BO
2)'-:00
ceiton no dia 3J;ao pasado, rest agora aV. IReDdinWD(o d0 diaff5f.fiS;
S. mandar-me dizer qual a dieta qneodoente iaem o,ttiA.i3.....
deve conservar e por quantosteoapos,.men-
cionando as comida que devesa nsaMiaqui em '
dian'e.
15:3125127
.1:3265501
16:638*6?8
O i\ovo Banco descoma
a o aono, coi forme os p rasos.
ALFANDEGA.
Rendircentn do da 1 a 12.......... 298:303*002
dem do dia-13................. 17-416*678
MOVIMENTO DA ALFANDEGA.
Volantes entrados com lateadas..
t gneros.... 13
Volnmes
sabidos com fatemtfas... 113
> > sr eneros... -'101
Descarregam boje 15 de (ulho.
Brigne porlogtreConstante //lagedo.
Brigue portnguezRelmpagoidem.
Barca nacionalFaconfa cftarqae.
Patacho banovemnoAtlanteidem.
Patacho nacionalGuithermmaIdem.
Patache nacionalValenteidem.
Pat'tho hollande?.Wilhermtna Magdalenaiiem.
Samaca bespanbolaPrompladem.
Polaca nacionalS. PedroHem.
Brigue portugaeziV. S. da Conceicaoiem
PAUTADOS PREQOS DOS GBNBROS SUJE1TOS A DIHBITOS
^K BTPOBTAgAO. SEMANA DB 15 A 20 DO JlKZ
DE JULHO TE 1867.
Mercadorias. Unidades. Valores.
O abano assigoado nao recela que o Sr. Jos.
Ferreira da Costa, as iodagacoes qoe precede
(jaanto ao viver de mesmo abano assignado, possa
descobrir coosa que o offunda e iavargonne perao-
te s publico, pote em appello qae laz a soa cons-
iiencia, pode assegurar ao Sr. Jos rerreira da
Coata, que nanea commettea crime de qoaiqner
ordetn qae seja
Se alguma violencia soffreu em sua pessoa, pode
^jseverar que em consa alguma coneorrea para
ijto, pois qae sempre procurando respeitar a le e
o direito de estranbo, paotou os das de saa vida
com um procedimento irrepreheosivel. Westa ter
r3 Sr. Jos Ferreira da Costa como S. S.'fcem'O sa-
be, paga o hornera justo e qae de mao praticon c
malvado e fiqrje S. S. sabeodo de ama vea para
-empre que oeoneelto qne merece o abafxo assig-
oado pata com os poneos 'Iromens "de.bem qoe ba
oonhecido, nao sera' desmentido pelas desafeicfos1
qne lbe vota o hornea despenado e quando'por
mentara o seja nao seremos julgadoj pelo julzo dos
nomens. Na ptatlea de '(osos acatar, nada tioba
espeite ptimelro aos dOiros para ser por elles
,-ualmente respeiratlo.
Com a pablieaeo destss liabas molto obrlgarao
s Srs.redactores aoaen constante leltor.
n Manoel Jos"de8iqo,eiraPllaDfa.
Recife 13 de jolbo de 1867.
/ Pithysiea
O xarope etberio de veame por mim pre-
parado muito tem aproveitado aos que so-
frem desta molestia e de lamentar-so, que
do obituario desta cidade a maioria dos que
suecumbem de tubrculos pulmonares, sem
procurarem o recurso do pratico e do expe-
rieote, que Ibes podem encaminhar o meio
de sua salvado.
O Sr. Braga com loja de ferragem na roa
Direita, foi desengaado por dous babeis
mdicos, acha-se bom com o tratamento,por
mim prescrito.
A Sra. Jeronyma Maria da Conceico,
moradora da travosa do Montotro n. 10,
acbando-se desengaada, tambem mim
recorreu e acna-se resta beleoida.
Um sobrinho do Sr. professor de Naaa-
reth do Cabo, acha-se bom, como se v de
sua carta abaixo transcripta, alm de outros
fados, que poderia aqui mencionar.
A phtbysica J a destrurejio e a magreza
de todo corpo em consequencia dechagas,
tubrculos e concreccJo dos bofes e de em-
pyema, atrophia nervosa e oulras molestias
que viciam os humores, como escorbuto,
alporcas, gallico, astbma, bexigas, saram-
po, etc.
Na phtbysica, chegando ao estado degra-
vidade, o-jque mnito pode concorrer para a
salvadlo do'doeme e-ajudaros* medicamentos
, o ar do campo, exercicio conveniente e
dieta, a qual nao deve ser de neuhuma cou-
sa quentq, ou de defficil digesto ; e a be-
bida cumpre que seja de natureza branda e
fresca.
Todo o seu alimento se ba de dirigir a
moderar a acrimonia dos humores e a nutrir
e'austero doente, pera o que preciso re-
dtrzi-lo ao uso de vegtaes e leite-
Toda comida e bebida, que se tomar ha
de ser em poucas porgues, paca evitar que
o excesso do chylo fresco opprime os be-
es e acelere muito a circulado do sangue.
Mui tos doente desta.molestia se teem.en-
tregue ao uso do oleo de ligado de bacalho, Pf nom
e outras preparares de resinase blsamos, J^ Sg ou restolho-
sem que dellas tenbam tirado tprovelto; e
alguns expositores de medicina combatem
com muitar-azao eese tratamento.
E'cotume carregar a estomagado doen-
te com medicamentos oleosos e balsmicos ;
porm estes em vez de tirar a causa aug-
menlam-na, esquentaodo o angue, ao mes-
mo-tempo qnetiram o apetite, reixam os {dm [te01 em Te"8
sbaos, e slo de 'toda sorte perniciosos.
Tudo que se fizer para extinguir a tosse,'
alm do exercicio e rgimen apropriado de-
vem ser remedios de natureza acida, deter-
gente e calmante.
Os cidos possuem a virtude deproduzi-
rom bons effeitos oessa enfermidade, por dem idem cabra 'ceidos'
que, fio s contrfbtrem a apagar a sede' l^em idem de 'nca. .
qaando accommettem a febre etbica, mas; E'^Sa -on 'mk
tambem a refrescar o sangue. j i om S ."T
Aos doeotasdest enfermidade, quando o Espanadores grandes .
seu estado de ijmidade tal que a fcbre: ,dem pequeos ....
ethic'a os accommelte. prescrevo-lhes anco' lEseiTas Para forro de 6S^^
Resta-me agora agradecer -a V. S. o cui-
dado que tomou no tratamento do mea so-
brinho, abaixo de Deus, devido o -sen resta-
beleci ment a pericia de V. S., e por isso
pdeJV. S., sempre contar com os meus di-
minutos prestimos, e desej*rai em iodo o
tempo dar tima prova do nieu reconbeci-
menlo.
Dezejo a V. S. todas as venturas, por ser
de V. S. muito respeilador e obrigadissimo
criado^Francisco Beringuer Cesar de Me-
nezes.
CONSULADO PRCrVIN^IAL
RendimentoJo dia 1a 12_______ 71:38ifi96
dem do dia'13.^_________..... 3:666co33
7otCal57l
COMMERCIO.
PHACA DO RECIFE 13 DE JULHO
DE 1867.
As 3 X horas da tarde.
Carfjblo sTbre hambargo90 d|v 8iS por m. b.
Cambio sobre i.ondfes90 d/7 i'd. por liOOO.
Cambio sobre Paris90 d/v 450 rs. por franco.
Sfrvira.
PreMpnle.
afaetafc
Secretario,
Novo banco de PemamUuoo"
O novo banco suspende do ultimo deste
mez dejunho emdiante os juros squjntias
que por conta corrente permanecen! no
banco.
letras de 7 e 9 0/0
313:719^680
13
PRA^JaV DO RECIFE
13 HE JIMIO be se?.
A'S TRESVHORAS DA'TARDE. ,
Revista semanal.
Caviios.Saccou-*e obre Londres de 21 a 21
1/4 d. por .1#Q0;-sobre Pars -435 ris por Ir.)
e sobre Hamborgo 848 porm/b ; sendo o valor
i dos sa y a< etl*c toados durante -a semana 40,000 S.
Algodao. O de Pernambuco vendeu se de
13600 a 13800 a arroba; o de Macei posl> a
bordo a lo^OOQ, aetes da ebegada do vapor ; e o
da Parahyba, a 154000.
Assugar.Sendo a existencia desse genero do
mercado muito diminuta, os possnidores pedem
precos altos.
AGUARDENTB.-Vendeu.se de 74^000 a 7500O a
pipa.
Counos Os seceos e .salgados venderam-se de
16'i a 16o rs. a Ubra.
i Abroz.-<>0 pilado da ludia vendeu-so do 3100
a WiOO a arroba, e o do M.raobSo a 3JI0OO.
Azeite doce.Vendeu-se u de Lisboa a 3^000
;'o galo.
Bacalho.Em atacado veadeo-se a 134500 a
barrioa e a retalho de 184000 a 20*000 Qcando em
deposito 330 barricas.
Batatas.Venderam se a 900 rs. a arroba.
Bolachinhas.dem a 44800 a arroba.
Cabe.Vendeu-se de 34400 a 34600 a arroba.
Cha.dem de 14800 a 24300 a libra.
Cerveja.A duzia de garralas vendeu-se de
44800 a 74000.
Loqa. A iogleza ordinaria veadeu-se com o
premio de 310 a 320 por cento sobre a factura.
Manteioa.Vendeu-se a ingleza a 930 rs. a li-
bra, e a franceza de 300 a 580 rs.
Massas.Venderam-se a 74300 a caaa.
Passas.dem a 44000 a caixa.
Presuntos.Venderam-se a 164000 a arroba.
Queijos.Os flaraengos venderam-se de 242JO
a 24500 cada-m.
Sabao.Vendan-te-o inglaz de liO a 143 rs. a
libra, e o do'Mediterrneo a 200 rs.
'Tofctnho.Venden-^e o de Lisboa de 4800 a
91 a arroba.
Vinao.be.Vendeu-sa o-de Portugal de 804000 a
1054 a pipa.
VnmoB.-Os deLisbea venderam-se de 1704 a
1904 a pipa do tinto, e de 1704 a 2204 do branco;
e us de outros pases de 1554900 a 1654000-
Veus.As de coraposico venderam-se a 560
ris o pacota de 6 velas.
Descont. O rebate de letras regulpu de 6
a 9 por cento ao anno.
Frbtbs.Para o Canal 30/ por tonelada 5 / pe-
lo assncar; para Liverpool, carregaado aqni 9/16
d. a 5/8 d. por libra 5 / pelo algodo 3/4 por li-
bra 6 /.. arregando na Parabyba, 3/4 por libra
5 / car regando em Macei.
Abanos......... cento
Agurdente de cana caada
dem restada ou do reino
dem cxaca.......
dem genebra ... a
dem aleool ou espirito de agua- t
ardeote .......
Algodao em caroco .... arrdba
dem em rama ou em laa
Arroz com casca.....
dem descascado ou pilado
Assuoar mascavado.....
Idemoranco........
dem refinado....... *
Azeite de amendoim on mendo-
Im ........ casada
dem de c5co......
i dem de mamona .... >
| Batatas alimenticias .... arroba
Bolacha er diara, propria para
embarque......
dem na........ >
24300
900
800
400
860
900
34250
134000
14500
24600
4200
34W0'
44000
24500
14800
14400
14500
34OOO
MOVIMENTO DO PORTO
dem torrado...... libra
Caibr6........ nm
Cal.......... arroba
dem branca .... >
Carne secca (xarqne) ...
Garneiros ....... um
Carvao vegetal..... arroba
Carvenas de sicupira urna
Cera de carnauba em bruto. libra
f
Cha. ~ ."'. .....
Charutos ....... cento
Cevauos (porees)..... nm
Cocos (seceos)..... cento
Colla........ libra
Couros de boi, sajgdos..
dem dem seceos esptefiados
dem idem verdes..... 1
. nm
libra '
>
, um
Estetras para forro
de um limao d.ssolvfdo em orna ebicara1^^^- ; ; ; ; ; ^
d agua com bastante assacaremum grande Farinha de de mandioca. alqueire 34000
7[
64500
440
30
400
580
34800
44000
14600
3450O
320
500
24000
34OOO
154080
440OO
660
165
'60
110
360
104000
I9OOO
360
330
44OOO
24000
164000
I4OOO
peoboradas por exo-
rnis dr as seminles casas
eoeo da fatenda provincial .
Casa terrea de taipa na estrada de Joo da Bar-
ros, avaliada por 6004 e penhorada a Antonio Fe-
liciano Rodrigoes Setie.
Casa lerrea meia agua -sita no becco do Calba- 1
bouceo. 18, avahada por 5004, penhorada a J-oao
do Resano Azevedo.
Casa terrea de taipa na roa do Mdtocolomb
(Afogados) n. 47, avallada por 804, penhorada a
Tranquilino Maooel de Farta.
Casa terrea na estrada de liaiz do Regon. 12,
avaliada>or80O4, penhorada ti'Vlava de Ricardo
da Silva Lisboa.
Casa terrea ira Casa-Porte u. 80, avaliada-por
6904 e penhorada a Jos Francisco Carnetro pela
massa fallida de Nono Maiia de Sellas.
Casa de taioa a sitio com arvoresde fraeto,-na
estrada o'Agua Pria n. 7,-avali3d08 por 1:0004 e
pen llorados-tes herdeires -e Jwronyma Marlaj da
Conceico.
Gasa de taipa na Casa Forte n. 1, avaliada por
1504 e penhorada a Gatharioa Jorge da Cunta.
Sobrado de um andar na travessa do -Carura o..
10, avallado por 1:5004 e penhorado aos berdei-
ras de Mara.Joiepha de Mallos.
A posse do terreno na>trave$sa do Fre tas (S. Ji-
s) onde existiram acasas o. 12 e 14 avallado por
304 e-penherado a^fcva de Jorge Ferreira.
Um bote denominadoPbiladelpbia,avahado
por 3J4 e penhorado a Baldniao da Cruz Ribeiro
P3r Manoel" Francisco Ferraz.
O sullicitador Interino
Jos Nicaetoda Silva Jnior.
4014000
1604000
2414000
1864000
2404000
1924000
RtMrtWlha.
Casa d. 32.........2104000
Madre de Dos.
Casa n. 8.........302*000
Becco das Boias.
UCasa u. 18. .--.... 5024000
Roa da Lapa.
Casa n. ti.........1964000
Aua da Moeda.
......... 3514000
Roa do Encantamento-
Sobrado de dons andares n. 11. 9014000
Boa do Pilar.
Casan. 99.........256400O
dem n. 103.........2OO4OOO
dem n. 94.........014000
Sio n. 5 ao Porto da Cal. 150*000
As~a*remta?e6e5-3eratj-fetras"pero tempo denm
anno, devendo os licitantes vlrem acompanbados
de.seus dadores 6G munidos de-cortas destes.
Secretaria da "Santa Gasa da Misericordia do
Recife ti dejolbo de 1857.
O eserivo,
_________ #eoro-Rodriges de Sooza.
O Dr. Jo'Rioarao Gomesde Carvalho, jniz nuni-
cipal nesta cidade da Victoria, termo e comarca
de Santo Aqtao, provincia de Pernambuco, por
S.'M. I. e C, qneTieas guarde, etc.
Fajo saber aos que o presente edital de 20 dia?
de pregdes e *3 de pracas virero, qne flndos os
mesmos se bao de arrematar no da 6 de agosto
do correte armo, a qoom mais der, os bens se-
%owt:s':
m sobrado de um andar, chaos proprlos, sitd
na roa dos Curraes n. '14, avallado por.....
4:0004000.
ma casa de tijollo na nresma ra dos Curraes,
avalr,da por 4004.
Um terreno sito na mesma ra dos Carnes des
ta cidade, avahado por 1:200*4.
Um curral para gado na4mesma roa, em chaos
proprio?, por S-.OOOj'.
Urna casa jauta ao sitio do Boado Flix, em
chios proprlos, por 1504-
Urna salgadeira /anta a' matanca desta cidade,
por 504.
ma parte no sitio Cariss ueste termo, avaliada
por 70$, os qoaes bens vao a' praga por fallec-
ment do lente Antonio Goncalves da Silva, para
pagamento de seus credores.
E para quo chegue ao cotrhecimento de todos,
mandet passar o presente, qne sera' afiliado nos
lugares mais pblicos desta cidade e publicado
pela imprensa, sendo a presente arrematadlo na
porta deste joizo.
Cidade da Victoria, 10 de "ultra de 1867.
Eu Belarmino dos Santos Bulco Filbo, escrivao
interino o escrevi.Jos Ricardo Gomes de Car-
valho.
N. 10.P*eou 200tt. de se!lo. Victoria, 10 de
julbo de 1867. Carneiro da Silva.Paes Bar-
reto.
Esta' conforme.O eserivo interino, Belarmloo
dos Santos Bolcao Filbo. ________
De ordem do "limT'sirInspector se faz publico
que no dia 15 do correte, a 1 hora da larde, e a
porta desta repartico, serao vendidas, em hasta
publica, livre de diremos, cinco pistolas' de algibei-
ra, sendo tras de dons canes e duas de nm, aban-
doaadas pelos donos e adiadas palo offkial de des-
carga, Silverio Joao Nepomuoao Bastee-, na.laocba
que conduzia de bordo do vapor francez Boor-
gogne, viudo de Maiseille em 26 de junbo prximo
Sndo.
Alfrndega de Pernambuco 12 de julbo de 1867.
O escriturario,
Eutychio Mondim Pestaa.
Santa ^aea 4e Mieerieordia.
A Tilma. Jauta administrativa oa "Santa Casa de
Misericordia de Recife, contrata com quem'pcr me-
cos flzer o fornecimento-ila^io e^olacba qoe pre-
cisarem o collegio das orplias e.o hospicio de alie-
nados em Ooda : recebe para isio proposvas na
sala de snas sessdes pelas quatro boras da Urde de
18 do crtente.
Secretoria da anta Casa ne Misef leonl do Re-
cife, 11 de jo de 1867.
O eserivo
Pedro Rodrigues de Sjnza.
aspeccao
de ata-
BECLARKOSS.
O conseibo de compras do arsenal de goerra
precisa comprar o seguinte :
30 resmas de papel almassoliso de superior qua-
lidade.
50 ditas de dito paulado dito dito.
30 caixas de penuas callygraphicas ( verda-
deiras.)
60 massos de obreias.
50 garrafas com tinta preta para escrever.
100 bezerros de lustre. '
2 (S) de secante.
4 @ fio de vella.
200 bonets a Cavaohaque.
300 di-os redondos.
1500 covados de panno azul.
3000 varas de brrm br-am.
1300 ditas de algod>zinrio.
52 pares de meias de algodo.
- 52 lencos encarnados com pintas brancas.
i ocnlo de alcanee.
As pessoas que quizerem vender ditos artigos,
apresentem suas propostas em carta fechada com
as respectivas amostras as 11 horas da manba do
dia 17 do corrente na sala do couselbo.
Sala do conseibo de compras do rsenald guer-
ra, 12 do julbo de 1867.Jos Maria Ildefonso
Jaeome da Veiga Pessoa e Mello, presidente.
Santa Oaaa.de Misericordia
do Recife.
O Ulm. Sr. commendador Jos Pires Ferreira,
thesoureiro da Santa Casa de Misericordia do Re-
cite no dia 22 do correnta pelas 10 horas mannbaa
no sallo-da casa dos expostos fara' pagameotoadas
mensalidades de abril i junbo liado, as amas q e
se apresentapem com as criancas qne tomaram pa-
ra amamantar.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 8 de jolbo de 1867.
O
Pedro Rodrigues de Souza.
arsenrl
rinha.
A inspecQao do arsenal de marinha compra orna
vergonfaUe-ptoho qae-tBDha'W'ps de compr-
manlo, de 15a 16 pollegadas a* dimetro.
Iospecgao'tloiflrsanal He.marlnha de'f'ernambo-
co 11 de jhrrro fle 1867.
X) secretario,
__________ Aialhta43'ao^coTre8ie piraste o Sr. Dr.
jniz municipal da segunda vaca na sala das au-
diencias se ha de arratnatar, por ser a ultima pra-
ca em grao de adjutrlcarjao, aignos objectos de pa-
daria penhosados a Jos C-jrrera'da Silv Colares
por execucao de D. Tnereza de Jess Azevedo.
E^crivao Atbaide. _______^^
coBHEio mu
Hela adminislraQo do correio desta c idade, se
faz publico que am virtude da convi-ue o postal
celebrada, palos -governos brasilano e frumcez se-
rao expedidas malas pan Europa pelo vapor In-
glez Oneida.
As cartas serao recebidas al 2 horas antes da
em que for marcada para a sabida do vapor, e os
jornaes at 3 boras antes.
Administrado do correio de Pernambuco 10 de
jaltio de 1867.
O administrador,
Domiogos dos Passos Miranda._______
eettfl!f)Efit
Relaco'tias cartas registradas existentes na admi-
nistrado do correio -desta cldaOe.'para os Srs.
abaixo declarados:
Antonio Goncalves de Anevedo,'D. Piancisca Br-
gida de Mello, b rancheo Vieira Perdrgio, Joaquim
Olyot) Basto?, Dr. Joo Capistrano B. de Mello Fi-
ltra, Joo Martms Goncalves, Joao Pedrode Sa' Perei-
ra, Jos de A. Lima, Jos Antonio de Oliveira, Le-
andra Joaquina do Sacramento, Mawnel Gomes dos
Santos, Manoel Joaquim de'Mrramla Sona, padre
Raymundo Joo de O.iveira, padre Vecancio Llns
Telles Brrelo. _____
mmrn mmi-.
Relacao das cartas registradas vindas do norte pelo
vapor Santa Cruz, para os senhores abaixo de-
clarados :
D. Anna Joaquina Ferreira, AH'Ufflce d'ell'
Uoiversi Ilustrado (Italia), r. Antonio Borges da
Fonceca, Antonio de Moura Roiim, Domingos Viei-
ra Perdigao, padre Galindo Firmo da Silva Caval-
canti (2)'(Caruar), Dr. Francisco Serfico de As-
sis Carvalho, Jos Flix de Sampaio (2), Luigi An-
tony.(Italia), Manoel Alves Guerra, Dr. Maooel Jo-
s Domingos Codeceira, viuva Rontier.
-
mmmmmmmmmmmmmmmmimmmmm
-- O tribunal do eommerco^ Pernam-
buco em vista do que dspe o art. 9, do
decreto n. 883 de 17 de novembro de 1851
faz publica a vaga de um dos oficios de in-
Navm entrados no dia 13.
Rio Grande do Sul-lii dias, brigue portuguez Ade-
lino, -de 196 toneladas, capitao Manoel Joaquim
da Silva, equipagem 11, carga 11,800 arrobas de
carne secca; a' David Ferreira Bailar.
Rio Grande do Sal16 dias. palbabote portognez
Pensamento, de 130 toneladas, eapito Antonio
Lopes Franco, equipagem 8, carga 7,000 arrobas
de carne secca; -a' Bailar & Oliveira.
Macei40 hora, entar brasileiro Equado.:, de 70
tooeladas, eapito Anselmo Peres, equipagem 5,
arfa caacos vasies, e lastro ; a' Amerim Ir-
mos.
Penedo4 dias, cter nacional Emma, de 53 tone-
ladas, capitao Joao M. dos Santos, equipagem 3,
carga pedras de amolar e esleirs; a' C. C. da C. j terprete de COmmercio desta praca, e marca
Valenda-38 d, aumao. bespanhola Preciosa, de I d 60 dias C0Dlad?s desta data para
40+ toneladas, capitao Amonio Pagos, equipagem: 1ue aquellos gue se acbarem habilitados
10, oarga vinho ; a' Maoryo Romaguera Hijo apresentem seus requerimentOS instruidos
& c. com os documentos de qu trata o art. 6.
.MOTO SahidO no Mesmo (fia. ,\n monrinnarin itoi-rPtn
Para'-Brigue brasileiro Berlte Reinstorff, c.pito %TS MMtal SSdei Dassar 0 Dresente
Amonio dos Santos Sarmanbo, carga differentes ** Para C01]?13^ manaei passar o presente
gneros. qae ser publicado nos jornaes de maior err-
Aracajn' e portes intermediosVapor brasileiro culacao, o qual vai por mim assignado nesta
rpojMM, commandante j. j. Martins secretaria do tribunal do commercio de .Per-
Ass-10diatnlaXSXAtlantes, 4 de 71 toneladas, capitao Joaqnim Feiippe de Mou-' u secretario,
ra Gaedes, eqoipjgem'8, carga sal e oatros ge-: Jos Marceliino da Rosa,
eros; a' Bartholomeu Locrenco. I j:------ s----------5-rz-.--------r~-------
Portos do Norte-8 dias, vapor nacional Sania Cru?, balite 'aSa ( JlUSeriCOraa
de 700 toneladas, commandante Guilberme Wad- j t i
do Recife,
THEAlTRE
DE
SaiNTE 1SBELLE
COMPAGNIE
\ DBS
BOOFFES PIRSIEHS
A si jou rd hu, lundi 15 ,j tiiile 1.
44.e iierseutalioH de 1'aboRnement.
Prmiere representatlon
LA CONSIGNE EST DE RONFLER,
vaudeville en un acte, de Mr*. Eugne Grang el
Lamben Tbiboust.
PBRSONNAG8S.
Landremol, soldat............ Mr. Pelva
Tavernier, capitaioe d'infaole-
rie....................... > Noury
Irma.tavernler.............. M-" Malhilde Poppe
Charlotte, lemme de chambre. > Bluetle
La scene se passe Paris, quatlier de la Pepi-
nito.
Quatricme representation.de
L VIOLON^EUX.
iotenmde de dan-e
LA DERNIRE ROSE D'T,
compos et daos ponr ra^premiare fois par M"*
Celestino Tbierry. n
Cinquieme reprsentation
LA CHANSON DE FORTUNIO,
opera comique en un acte, de Mrs. Hctor Cr-
mieax el Ludovic Halevy, musique de Jacqnes
Olenbach.
* PBRSONNAGKS.
Maitre Fortunlo, noiaire...... Mr. Pelva
Friqet, clerc............... Noory
Valentn, idem.............. M"e A. Lenormand
Laurette, femrae de Fortunic. > Goillemet
Babet, servante de Fortunlo... > Lucie Bluette
Guillaume, clerc............. Malhilde Poppo
Landry, idem............... > Emite
Saturnin.idem.............. C. Thierry
SylvaiD, dem.............. M"0 Claire
La scene se passe en 1760.
Ordre du spectacle.
1.' Le violonuenx.
'2.' La Chanson de Fortunlo.
3.* La dernire tose d't.
4.* La consigne est de ronfler.
On commencera 8 benres.
Mercredi, premire reprsentation de la dimoi-
SELLK EN L0TEBTE.
Vendredi, premire reprsentation orphe aux
I.VFERS.
AVISOS MiBITIMOS
dlgthon,eqnlpagem S6, carga dffferentes gneros;
a Antonio Lon de Oliveira Azevedo & C
liba de Fernando de Noronha60 horas, vapor na-
cional amamuape, de 337 toneladas, comman-
dante Maiimiano Jos da Costa, equipagem 23,
em lastro; a'agencia da companbla pernambu-
eina.
Barcelona 38 das, sumaca bespanhola Nueta
Carbta, de 120 toneladas, capitao Gabriel Pags,
equipagem 12, carga*Vioho e ontros gneros.; a'
Carneiro Pereira & C
Rio Grande do Sal18 dias, patacho brasileiro
Bemfia, de 207 toneladas, capitao Manoel Vieira
dos Santos, equipagem 11, carga 10,070 arrobas
de carne : a' Saltar & Oliveira.
Rio Grande do'Sol-18 dras, patacho brasileiro lro-
vaior, de 203 toneladas, capitio JeSo Aotonio de
Deu9 e Silva, equipagem 10, carga 8,830 arrobas
Ailhnawjata adaiuistrativada Santa Casa da
Miaerleerdra'doecife manda fiazer publico qni
na sala de suassessoes, no dia 18 do correte pe-
las 4-horas da tarde tem de ser arrematada! a
quem mais vantageos oferecer as rendas dos pre-
dios em seguida declarados :
Estabelecimentos e caridade.
Ra do Padre Floriano.
Casa terrea n. 49......- 1824300
dem idenm. 45.......156*000
Roa dos Pescadores. *
Casaterrean.il.......216J0C
Ra das Calcadas.
Casa terrea n. 30....... '17tyW00
Ra larga do Rosario.
Sobrado de 3 andares n. 24 (3> andar) 301*000
CidWkmtk BR\SILEIR4
DE
Paquetes a vaper
E' esperado dos portos do norte
at o dia 29 do corrente o vapor
Guard, commandante o pri meiro
teuente Pedro Hyppolito Doarte,
o qnal depois da demora do cos-
rome seguir' para os portos do rol.
Desde ja recebem-se passagiros e engaja-se a
carga que o v.ipor poder conduzir, a tjnal dever
ser embarcada no da de roa ebegada, encom-
mendas e dinbeirp a frete "at o-da da sabida as
2 boras. Previne-se aos Srs. passagefros que snas
passagens s se recebem nesta agencia ra da
Crui o. 1, escrlptorlo de Antonio Lai: de Oliveira
Arevedo 4 C.
I T
V
1


MBH^M
Jarlo de ^erusmfcaco 9egnnd& ffra f 3 d> tfulho tfe {867*

C0J1PAMI BRASILEIRl
DE
no da cima mencinnado as 12 horas da manba
no largo do Corpo Santo.
0 CAGADOR
PAQUETES A VAPOR lAIltAft **?e ^m soTtido.psito
11 *- 4er gneros alimenticios
fcjfr-Rtt? d* In*tlw*-M9
Thomaz de Flgaelredo.
Da DtD flieiro .sotado tro ura pequen* batatas
B espirad des portis do sol cem gavetas, ora repanimeoto te taboas dft-ptAk*
al o da 2J do correte o vapor com tres quartinboi, 8 cidelrai de palia**;**
Tocmtins, coromandaqte Faria?, lampeao grande de folrn com o ditieo botua
i o qual depow da dentera do eos- zitano, urna cama da vento velha, om banco dA
"lame seguir' par, os p-rtos do caraplna, dons pendentes com daas arendellas c?.-
da um, om regalador, seis bfcos de. lastre de gaz,
Keee&era-s desde-ja passageiros e eogaj* se a daas cabeceiras de mesa de jaatar, 4 cadelras
earft qoeo vapor poder cooduxir a qual devera' afencuias osadas.
aer embarcada no df de-sua ebegada, encomalo- o agente Martins fara' leUSodos- obiectos acia
das e dinheiro a frete at o da da sabida -
horas. PrevDS-saiaos Brs. passageiros qae
passagens s se recehsm nesta agencia roa
norte.
Ceno de que-o cespeiuvel poblieo e.especial-
mente seas amigos o hivia acoltier bem, o Cagador
abri este oovo estabelcimenlo onde sempre tem
A
Precisa-se de nma ama de.engommado que seja
acsempedda^|_a tranin^ru do Mondeyo n. ?.
. "~ Fugio na noite d*J4o ccrreDte u.t-z de jolho
ae bordo do patache nacional iA,rtio, Grande., um
escrvo crioalo por nome Ai aro, natural da pro-
vincia do Rio Grande do Sol, idide de 19 a 20 an-
no., estatura baia, cor fola, rosto con prido, bei-
cos grosso?; falla ruuilo de vagar, e tem cas costas
aigons signaes de cicatrices, levoo vestido camisola
e calca de algodao branco, e um beoet da erim
: qnem o appreheoder e e^tre^ac a. bordo
DE
lJSir308',
as s a requeriraeo do desembargador Alexaodre Ber
soas nardioo dosReis e Silva e por mandado do Mra.
da.Sr. Dr; uiz municipal da primeira. vara, cojos ob-
yuta, l. esciiptorlo. da Antonio. Lola, d Oliveira jeeios toram peoborados a Joio Adriano de Mello
Arevedo & C. Dolr*
QaarU-feira 17 do correte.
O leilao ter logr ua loja do sobrado o. 39, da
Segas em poneos dits o brlgae portaguet Cont- rM d* IPetrii, as 11 horas do da.
tante 11 \ para carga e passageiros trata-se com fd^^
Oliveira Fhos & C, largo do Corpo Santo 0.19, ailiAAi* niumAflA
oo com o capito na Praga de Commercio. AVIAOS Di VEROUS
Para o Araeaty -------- ,'-------~
Segaa em poucos-dlas o bem eonheeido e vellel-! A favor do Sr. Maooel Js Goncalves Perei-
ro paibabote nacional Dous Amigos, tem parte do ra se acha abena orna snbcripco : o qeal est
sea earregamsnto prompto, pira o resto-que I be gravemente enferme, e aeonselhado, pela scienela
/alta-trata-se com o seo cossigoatarip Antonio Loiz medica, para que quanto antes se retire au clima
de Oliveira Atev6da, da Croa o. 1. perdida sade;ecom) o mesmo senhor se acbe
Para-o BIo de Janeiro
acha-se proposto e^pretro* com brevidade sahir o'taploraf a benevolencia
OiigueporwguM.fletoMfl!W>. por ter. engajada al vei corpo de. commercio, e-do pubico em geral, e
Sm-^ "" .w-;res-ftMrtt'se-0?n0* onsiR- desde ja protesta nm eterno recoobeciuiento.
natanos Thomaz de Aqnino Fonsecs & C, ra J
oovos e.escolhidos gneros, a vontad*,di*.camt>ra- 2^'* P4tohor,,oa,na roa do Trapiche n. 4, ser 1
dore, por odic*M>recos, torna-aerreoofueada- compensado.
sera os necesearlos recargos para empreheoder
ama to argente viagem; vem por mel deste
. iu.i.iui.1 i oenevoleocia e proteceo do respaila
Vigarlo o. 19, adar^
Segu com a po^sivl- bravidad o bngne ewn-
fla GRACIOSA, c*pitaj Rail, tocando no Mara-
ohao so em*oltime-oe, para- arpumi carga qae
Ib falta tBMMI ctn o respeeTo conigotari'
Antoabde Almeid< Gjiojs, a'frua da Gru n. 23,
! andar.
Paro o It lo de Janeiro
pretende seguir com multabrividade o patacho na
cfonal Bebtrib, tem- parte de sen carregamento a
bordo, e para o resto qae Ibe falta e ecravos a
rete, para os qiues tem escellentus commodios,
trata-se com os seus consignatarios Aqtonio Lniz
de Oliveina Azevedp dt C, no sea escriptorio ra
da Cruz o. I.
aomPNHIAPERNMBCANA
DE
NavecfiQda GQstejrrq,*p.or vapor.
Macet e escalas, t*i nedo e AracajtV.
No dia 13 as 5 horas da tarde
seguro vaior Ipjjuca, comx^t-
dabte Mrtios para os portos aci-
,ma indicados- Recebe oarga at
o dia 11 Eocommendas, passa-
{eiros e dlobeiro a frele al 3 horaj da tarde do
dia da s luda : escritorio oo. Fcrte do Matos o. 1.
Companhia americana e bra-
sileira de paquetes a vapor
At-o dia 15 do oorrenteJ esperado de New-
York por S. Thomai e Para uin dos vapores da
companhia o qaal depois da demora do coslume
segora' para os portos do sal. Para fretes e pas-
sagens trata-se com os agentes Henry Forsler- &
G., ra do TrapicUis n. 8.
Rio Grande do 8ul
Vai sabir em poucoe- lias a barca porlagaera
Nova Mariaana ; recebe carga a frete commodo,
para o que trata-se com Oliyeira Filbes & C largo
do Cprpa Santo n. 19, ou com o capito na praca
do commercio.
OTIRIA
Corre amanhaa.
6:000#0u0 E 2;000^000
I Terga-feira 16 do {corrente mez no lu-
gar e horas do costume se extrahtr a 44a
parte da lotera a beneficio das familias dos
voluntarios da patria (8.a)
As eocommendas serao guardadas somen-
le at a noite fla vespera da extraeco.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Precisa-se de um pharmaceutico de carta,
ou hbil offioial, para tomar eenta de urna botica
por ba|anep, ero multo bom. local, e aijurn.npjror.lo
faz, danjo -se bom ordenado ou iotT-s-e. em ra-
zao do seu dono ter de retirar-se para fra por
molestia : quem estiver n'estas circoMtMMiai
dirija-se a' roadiCrespn v. 1S( prlraeiro anrjajc'
No becco do Lobato ou'.r'ora ra dos Copia-
vel, especialmente para as enturas mata de.fami-
lias amantes da economa, porque alem d empre-
garem seiw dioheiros no que bom e barato, po-
dara sem sasto meodarera- sea* portedoms, por
menores e mais ioexperieates que sejara-oa certeza
de nao seren lezados em pesos e medulas.
O Cagador ja conta numerosos fregueses tanto
da praca como do mato, e garante estar- habilitado
foroecer a grosso e a retalho, para o qae recabe
eoco der c a lo por lebre.
O Cagador nao deixa sabir diobeiro ama vez
que nao perca as mercadorias, paia o que o res-
peita el poblieo deve esperiraeutar.
O Cagador nao tem urna casa aparatosa, e ebeus
de caluogagesa para chamar a attenco dos encarj-
tos, limitpo.se apenas a desltogai-la das da mais.
com o nome de Cagador, que significa cagar gneros
boas e baratos, freguezia e dinheiro.
O Cagador conoa a wceber assuear, mal,
agoardeuie, laa, madelras, feijo, milho, etc., etc.,
pagando logo a diobeiro, ou trocando por- gneros
a vofltade,do remeteote, forneceodo aln> des mer-
eadorlas existentes em sea deposite, csr;, lena-
gens e fizendas.
O Cagador pede qae olhsm com aitengao para
essa avtso e derraajem, sobre ella sea* vaiimen-
tos.
Joaquim- Jm&m&bm
BelMo
RA DO TRAPICHE S. 17 1o ANDAR)
paquetes
sobre o
Sacca por todos
.o Minho em Braga;
em Portugal,
aber:
Lisbea.
P#rto.
uitomu
Guirruraas
L Counjir^
Chaves.
Villa do,GftBi?a.
Arcee Viann do Casteilo.
l*bnte \Ulla.Real.
YUlfp^vJe Faroelicj.
Lac^oa
f'QVJhJ|
sobre o Bancc
gaintes Inga-

res, na casa n. 3, se precisa de urna ama secca.
Aluga-se o terceiro andar da casa n. 3z da
roa do Rosario Estreita : na thesouraria das. lote-
ras.
i A tiotararia franceza admitte um menino
pzra discpulo de idade de 10 a 15 annos dndose
casa e comida.
?recisa-S3 de urna arna.que faca todo o servico,
de urna casa : na tinturara franceza ra da Im-
peratriz n. 5o.
Oear
Segu empoucos das a escuna Georgiana, tem
doas tergo; da carga j a tmd) : qaem quizar
carregar trate com o Sr. Quintal ou com o Sr.
Tsso Irmaos nost-^s 3 das.
^OMPiSHlA PESUAJiBlifiAT
DE
\Ta vegaco cosleira por vapor.
Parahiba, Natal, Maco, Aracaty, Gear e
Acarac.
No dia 15 as 5 horas da tarde
segu o vapor Pirapama, com-
mandante Torres, para os portos
cima Indicados. Recebe carga!
ate o dia 13. Eocommendas, pas-!
stiros e dinheiro a frete at 3 horas da larde de i
da da sabida : escriptorio no Forte do Matos n. 1.
Acha-sacntritad'. a taoarna d"a"po Direita
n. 9o, pertencante a-.J^ronyo Rnaewo de Saia
livre e desembarazada e que se jui^ar com di-
reltja mesma apresente-je oo prazo de 3 das.
Precisa-se deJ ura criaip jwr 'traiaTda uoa-
cavallo e urna vacqa: oo sitio daPajsagem passan-
do a poate grande o. 8.
Offerecesa um oriada Puriujaeza, para o
servido de um: oasa de familia manos de cos-
nia : a tratar na^ro.a_de S. F,faucisco a. 70.
Aluga-se um preta para vender oa roa : a
tratar nos Goejhos, casa em coneert defronte do
hospital de Pedro 1L
Preciased i. ama d* leT tra*a-'se."na
ra da Moeda o. 33.
D. Arceima. Xaviej Rodrigua* Cia^ellg com
suas lilbas, agradeeeBde da intimo d'alraa a> pes-
sas que so dignaran visitar sea presado marido.
JosGarneiro Rodfigues Campello, daraftte "a eo-
fermldade a que suecumma, e Gzeram a caridade
de acompanbar ao ultimo .ango o seu cadver, ro-
ga ibes o favor, assim como a todos os sus paren-
tes e amigos a qaem possa. ctiegar este aoouncio,
de assislirem as missas qae por sua alma pretende
mandar celebrar no dia 17 da oorreale pelas 6 bo-
ras da manha na igreja mairiz da Boa-Vista.
&ffwl^wieSe^fchnston & tiwnpanbia
i ______. Ruada Senta Nova n. 42.
Precsa-se aluear orna ama qae siha ftoznb,ar ^miicia da
e fazqr o mais servico de casa, da pequeqa- faoiilla : ructtleao <2e Low
na ra das Crnzas era Santo Antonio n. 41, segan-
PREF4R1DAA Fftfa
POR
AlUl NTE AOR^
Pharmaceatico pela escola de Paris a $uocsoff:nesa.cidad
Aristide Saisset e J. Sonm
22.-----Roa da Cri&-^-*.


do andar.
n
NOVA
Loja de fazead is-
36 Rn da Imperatriz: 36
DE
'". Guimares Silva
Cs rir.'prietarioi deste bello estabeleciraentp,
partecipam'ao respailave publico, e a seas dig-
nissimos fregaezes qae eocootraro no elegante
jardim das damas fazeodas todas aovas moderoas
de diversas qualidades e ricos deseobos, todo o
que ha de bom e barato a satisfacao de todos o?
fregueses, que nos qaelram honrar com sha pre-
senta, a saber : sidas, las, linbo, algodao, vas-
quinas, entramis, babadlnhns, camisas francezas
de lnho p-ahjndao, se^oolas de hnbo, camisas fla-
oella de cor, tudo de diversas qualidades o gestos;
assim com nm completo sortimento de roupas
fetas, taaw francezas oonio, datefra e por medida,
ludo, con) brevidade e perfeico, com o prepsito
de agradar a t^doa, tanto-em agrados dos jardinei-
ros como ; roeibor ba f possivel na classitcacao
de nossas fateqdas, pac sso partecipamos a todos
em geral difigr-se ao elegante jardim das Damas,
verifkar-se da' verade, k
Hoar.
ilachinas a wpor da 4 e 6 cavallos,
\4oo^8e.owiaft.aioendas para engenbo.
aJAf. de ferro-. coad& e batido para enge-
nho,
eiUlUfxi um e. dous cavallo*,
ios de onro pajete inglez.'
les aaw^MO<*&-.
*Iahi*afMr* 'i'es^arocar algodio.
V'otoifiAimajiits.
!fia<;hcas de costura.
.. mmmm
mpaania fidelidade de seguros ^
maritienjos e terrestres
fastabelecida no Rio de, Janeiro; m
ASBS.IS BM PERNAMBUOO ^
-UtiW li da Ou--iii-a iievdo A C, x
K competentemente autorisados peladlrec- **
toria da companhia de seguros Fidelida- SSf
K de,tomatn seguros de navios, mercado- ^t
m rias e predios no seu escriptorio roa da gr
:;,i Gruz a. 1. W
mmmmmm mmm
Aos fe. fo^ueteiros
na fciici ra ra larga 4^ ^osafio n.34
Vcade-se
Salitre teiinado de l qualMade.
Enxufre era cylindro idem.
Liraalha de ferro (muito nova.)
dem de a(o idem.
dem de poota d'agnlha idem.
7
s
Para a Babia
Pretende segoir cjm moita brevldale a vellelra
sumaca nacional ilorteneia, tem parte de seu car-
regamento prompto, para q resto qae Ibe falta tra-
ta-se c ira os seus consigoatarios Antonio Loiz de
Oliveira Azevedo <$C, o) seu escriptorio, ra d?.
Cruz n. 1.
EK
LEIL'OES.
De 200 saceos com farinha.
ii n,i i;
O agente Pestaa fara' leilio per conta e risco
de quem pertencer de 200 saceos com farinha de
mandioca vindos do Rio Grande do Norte oa bar-
caca S. Jote Diligente, sero veodidos em um ou
mais lotes o dia cima meucioaado as 11 horas
di raaaba no trapicee do baro do Livramento
oo Forte do Mato.________________
LE AO
De 9 botes, O remos e velas.
1IOJE
as 11 horas, no trapiche da alfaodega.
O agente Pinto fara' leiio a requermeuto de
Hassey capito da galera americana Mitlie Fogen-
ty, incendiada na sua ultima viagem de New-
Yoik. a S. Francisco com carregamento de carvao
de uedra, com lieeaea do Sr inspector da alfande
ga em preseoca de um empreado da mesma re-
partiQo para o fkn nome ni i cara assistencia do
cnsul dos Estados-Unidos e por conta e risco de
qaem perteocer dos botes, remos e vela cima
mencionados, salvados da dita galera, o leilao ser
effectuado as_U horas no trapiche da alfaodega.
LEILAO
Transferencia.
Pelo ageste Eazebio.
Tercaftiira 16 do correte.
Do escmvo Mathias e de umet
mobiiia de Jacaranda.
Por mandado de illm. Sr. Dr. juiz especial do
commercio e a requerlmento do curador fiscal ira'
aoramenle ajftlo a mobiiia e o reato de aJg.ua>
movis quff flearam por vender e bem asim om Sf
cravo de nooje Matas, todo se/p' eotregoe quera
maior pre^o der, naquele da e hora a ra estreit
4o Rosario n. iS.
O muito conhecido machinista do gaz Oliveira,
avisa a todos os seus freguezes que deve ser pro
curado ni roa das Trlncheiras d. 48, nem s para
concert e limpeza como para collocagao nova, e
se encarrega nao s de dar os eDcanamealos e co-
mo apparatos sem dar nenhum iocommodo aos
consumidores, mas sempre de acedrdo com a em-
preza a gaz.
No principio da ra do Apollo casa o. 7,loja
debaixo d um sobrade, cozipha-se para fra com
toda limpeza e actividade : quem quizer contratar
appare$a a qualqner bora que achara' com quem
tratar.______ ^^^
Em resposta ao aonuncio dos Srs. Fraoci-co
Gongalves Servlno e Joaqnira Francisco de Albu-
querque Santiago, publicado no Diario de sabbado
13 do correte procurando tornar davidosa ante a
opioio publica a lisura com que eompret a tinada
D. Mara Manoela da Incarnacao, cuouadae Hados
annunciantes a casa terrea do pateo da Paz que faz
esquina para a ra de S. Miguel da povoago dos
Afogados, dizeede ellos que a comprei com algum
sigilo a pessoa incompetente e por dimioato prego;
declaro em prlmelro lugar, que a compre por es-
critura publica lineada oas notas do tabellio Por-
to Carreiro, assigoada a rogo da vendedora seu so-
briobo Felippe de Santiago Cavalcaote de Albu-
querque Irmo do 2 annonciaote o como testemu-
nhas presentes Antonio Correia Cabral e o major
Manoel Cavalcante de Mello ; em seguodo lugar,
que a vendedora se achava em mabsa e pacifica
posse da dita casa, havia *.0 para 50 annos por ti-
tulo de date que Ihe flzera seu pai Lino Gomes de
Souza ; em terceiro logar Analmente que a com-
prei por 1:2004000 que era o maior prego que po-
da valer no estado em que se aebava : o quo tudo
provarel e o mais que for necessario erajaizo com-
peteote, onde aguardo os anuonciaotes e eolio se
reconhecera" de que lado esta* a ma' f.Jos de
Souza Nunes Draga.
Precisa-se aiogar urna casa com eommodos
para familia : quem liver aoouocie oa dirjase a
ra Bella o. 25.
O abaixo assjgdaia fafcscleote genlment a
todos commerciantes e a qpem, ra- is interessar tos-
sa, que pessea nanp,uma fa.ea transa.ci. .rom urna
letra.que te Maooel Telxeira Lima, cuja aceita
pelo supplicaote, porque dita letra ha nella com-
plicacao de ajastes de contas e qae o mesmo T.-i-
xeira Lima se tem negado, e. cansa querer negar
a tB.esma.letra ; e para, que oinguem se chame a
eogano faz se aprsente, declaragao.
Englobo Agoas-finas 1J d,ajulhode [867.
Joaqoi Jos Cavalcanti.
Desapparecau do engeuho atimbraha, no di
dp corratelo es.cra.vo Luiz, mulato, idade 22
annos, paueo mais oo meos, cajos signaes sao :
baxo, corpo ebep, barbado, prosista, quec se in-
culcar de forro, e ba desconfianza que queira se
apreseatar como voluntario da patria, e talvez qu*
aa.proviocia da Parahyba, para onde ji fez urna
fgida quando pertenceu a outro senhor Jos Alvos
Bezerra, senhor do eogenho Escavadioho, sito n>
comarca de Nasereth : rogase, portaoto-, as auto-
ridades policiaes ou qualquer capilao de ampq a
apprebensao do mesmo, pagndose generosamente
a quem. o apresentar a s?u sechor, o abiixo as.-ig-
nado, em seu eogoho GatiubiGha, sito na comarca
e freguezia de Igaarass, ou nesta praca a ftocba
Lima & Guimares.
- Loiz de Andrade de Albuquerque Maranhao.
Cozinheiro
Aluga-se um preto que cozinha perfeitamente :
aa ra larga do Rosario o. 31, andar. *
# Preeisa-se aiogar urna escrava que compre,
cozinbe e engomme, para casa de pouca familia :
oa ruiPde Hortas n. 1.
r0
HOTEL
DS
f. B. Cnedas Oliveira
34 Bloomsbury Street.
Bcdford Square
____________. LONDRES._______________
Quem precizar de om caixeiro, com pratica
de molbados em grosso e a retalho, padaria e fa-
briea de charutos, appareca na roa de Hartas n.
39, taberoa.
Di um eaxrro (le iioasUn)iopla.
Ter5a:feira 16 do correte.
O agente Pestaa fara' leilao ds om caxorro de
aparada raca o qaal se torna notavel pelo sea la-
laobo, boatlexa, grande cauda, praprio para.sitio
;la sua valenta, o qaal sera' vendida em leilao
Precisa-se de om escravo da raeia idade, da boa
codocta e habilitado para to4 o servico. de ama
casa de pouca familia, assim cotno de urna osera-
va que cosinhe e engomme bem, ensabe e faca
todo o mais servigo proprio de orna criada : quem
tiver e quizer alagar dirja-se a' roa da Aurora n.
70, 2* andar._________
Conreara de S.Jos d'AgM
Por deliberado do nosso irmao provedor convi-
ao a todos es nossos irmaos a comparecerem em
nosso consistorio segunda-fejrj. 15 do correaje pe-
las 6 l|t horas da lardee ( as 10 hora da ma-
nba aBm deeocorporados assistirmos ao Te-Deuro
e fesla de Nossa Seohora do Uarmo.
Consistorio 12 de juibo de 1867.
O secretario,
Antonio de Azevedo Naves.
XAROPE FERRUGINOSO
DE CASCAS DE LARA.NJAS E CASSIA AMARO A
Com iodureto de ferro inalteravel
De I. P. i, trozo, pharmaeeaiieo
em Pars
E sob a forma liquida que mais fcilmente
se assemelha o ferro, islo, sem produzir
perturbaco algama; n'estt forma, tambem,
preferivel s pilulas epastilhas ea todos
os casos eaa q^e s5o prescriptos os ferrugi-
nosos. E o melhor auxiliar do oleo da %
gado de babalbio, porque cootem o iari
de cascas de lararijas amargas, lao gen
mente appreciado, paraacura das dore* de
estomago, digestes difficeis, inappetoda,
etc.
Deposito em todas ss pha: macias e casas
de drogaras no Brasil.
ExpeJiges, em casa de J. P. Laroze, ru
des Lions-Sl-Paul. 2, Paris.
Deposito em Peraambuco, pharmacia de
P.'Maurer & G. ra .sjova n, 29.
O oleo de flgado de baalho desifectao
de Chevrier conserva as qualidades e pro-
priedades reconhecidas ao oleo de figado de
bacalbo ordinario; o seu cheirp goslo
sao muito agrada veis,, e a digestao faz-se f-
cilmente.
Deposito em Pernambuco, casa de P. Mao-
rer & C. roa Nova n. i8.
Gi.HDEEXP0Sig.i'l)Els67-
UCW4GXIELY0IW-SE
: 37,|BOLEVARD DES G^PUGINES, 37.
DE FRONTE DO GRANDE HOTEL.
Estofos de seda, manteletes, visitas
mantos, etc., cassas impressas. rendas,
chales da india efrancezes, tecidosdq
gasto e mais novo, eaiovaes para ca
smenles,
A Gompagnte Lyonoaise tem a honra de
informar as senboras brasileiras e portu-
guezas que acharo no seo estabelecimento
sales de costura para a confeceo ios seus
vestidos executados no melhor gasto, e so-
bre os mais elegantes padroes.
Fabrica de cerveja nacional
DE
HEERIQUE LE DEN
b. 35 ra do Ceba n. 35.
Q, prqprielario, deste estabelecioaento, pri-
mi'irn introdactor deste rano de industria ae
Brasil e ex-proprictarios da Imperial e aiiihj b-
blica de tU Teja q^pioual, ra de Mala-cava los
76 e 78, Rio de Janeiro, faz sciente ao respei-
tavel publica dcsta capital, que, depois de
novos e aturados estudos sobre o objecto,
ac*npahados de mullipliees e prolongadas
expleriencias cerca da grande differeoca
de cliiia, p^ra cliegar a resultado idntico ao
l CQlhido qo Rio de Japeiro,, i?tQ obte.r
urna cerveja que se possa justamente com-
parar melhor para aqui importada acaba
de fundar urna grande faDrica de importan-
cia tal poder produzir, mais de 30U0 gar-
rafas diariamente, pelo que, desta data em
diante, acha-se hahilitado a fornecer, com a
mxima promptido, qualquer quntidade
de cerveja branca e preta de superior quali-
dade, aos seus numerosos fregnezes, quer
para uso particular, quer para negocio.
Igualmente faz publico, tej ma. grande
sortimento de vinr-os finos e ordinarios de
Allemanha e Frang-i por mdicos procos, ha-
vendo dos da ultima especie deste 3C reis
a garrafa, sem casco, at 15#, a,duzia. To-
das as encommendas -ero entregues livres
de despezas, eos domicilios dos senhores
compradores.
Prevalecendo-se da opportupidade previ-
ne o mesmo propietario ao commercio de
grosso e a retalho que tambera epcarregar-
se-ha de fornecer-lhes urna excellente qua-
lidade de vinagre, por elle fabricado, o. qual
revalisa com o melhor que se vende nesta
praca.
O estabelecimento do Sr. Leiden acaba de
ser honrado da visita do Illm. Sr. Dr. ins-
pector dasade publica, q qual Sr. Dr. achoq
as fablicas montadas e e?tabelecidas as me-
lhores condigoes hygienicas e as qqadades
da cerveja, dos vinbQS e do vinagre dos me-
lhores que se possa recommeQdar ao uso do
publico.
Acuando-se o seu estabelecimento mon-
tado em um dos mais amenos sitios desta
capital muito se recommenda concurren-
cia dos amadores dos recreios honestos, que
nelle encontraro alm de ptima cerveja. 4e
differentes sortes, caramachss naturaes,
jogos lcitos, da bola e bilhar e finalmente
boa companhia..
Um aviso anterior indicar os diversos de-
psitos que o Sr. Leiden propoe-se a esta-
belecer em diversos pontos desta cidade,
pra melhor attender a quem se digoar
honra-lo com sua conQanca.
mineral. TratameD puramente vegetaI sm me9. iodo, oarq. nem.outro.qualqaa
Verdadeipo purifieador do saogue sen azgugue.
nnno ,Sf!al. para a crade todas as mplestias que tem sua origem oa imnareja do
!E S ejT as,moI?sas boubatkas, syphiliticas, escropljulas dtSS aue?
teccionadas dos diversos virus que contammam o sangue e os humores. ^^
do Rraaii A^frT m remedio prodigioso, usado desdftVremptas eras, pelos, indios
L&' JassaBd0 seu oso de ^C10 em o. hoja um dos remedios oaiiio-
SfKSB Prpr! Kpafa- cmb^r as *oe!*asVmais )Jk^i^tr^ SXZ.
MF^T&; P?ra CUJ 8 os nossos serfL^cS^Ta
onh fAri,1"!?'10.1^^ eDtrou a carba nos formularios como prenaxacS magblral
Sebr uTor&K*k ^da ht lmbrad(> nas P"a^cofias com^WmHe seu
ceienre autor Jo5o Alves Carneiro : n5o ella portaoto remedio novo nem desconocido.
riaes nZoTSS*"*?" ''** mm!> SOrle Preconisa^ clesd^tempos^emo-
I ?l^?r apropnado para o curativo das boubas e ulceras syphiliticas sSas
LZS T Prveit0 depois de B,ProfiW. PPil3o de muSkou^Ss
therapeuticos enrgicos ft de#uso quotidiano. p,ies
i fthOOrSt0Sis^0sl0s,m'edC0s de consderagap e entre elles o muito distincla ncaco
iSS3?2rit?f- DF- Pedro,.d'Alha^e Lobo Moscoso, tem conflrmadP, Sr 2C
nZS dasZS^r?06 d'Zra fama *? beDeficas wW dTcaSa^iaa-
mete mSS f dl.?rMS fTs sob que a sm$ se apreseDla e muito^pecial-
mSderna 32,?3L a *& poderiamos M Igow caSos de datTnTuito
efleito^ fitT t P,e' meST Sr-,Dr- Moscozo em a carona produzio admiraveis
S^?5!^0!T^id" m C"0eS ^ t*^*+~* K cu-
cana^ aNSreenl??SVe! (lue,.nma_P,an!a l*> notavel por suas ioappreciaveis virtudes es-
CtM2&!b!!!%^ d0S mai4abalisad^ praticos europeos, que se ap-
e ara aZ m8? S 1 fl5,do? tralameDto da> oiesttas syphilitkaT e barpiicas
fiSmS^nSSLM0S?ra'Dr8- CaSenaYe' ** Ricord e oulros danda.asmais
Sffi SS2H?8 Sbre 3S prePrieJads curavas da caroba e precouisatuio,! como
Shios^ 25 IT* tralament0 rfas eFPC^ cntaneas. saccas ou suppuravas,
autT t,Saii^dade' 6Ciemas' nlceras de diverras nalureza^ t^ore^ osseos
afutras muUai moleras de natureza syphilitica ouboubaiica.
uaro m!L nre't!LlenTISad muil, sa **s=l d caroba que ea pre-
SSarVfSfS; Van0S med'C^S W**** ** m ^s obsen-ac5es.
eco na n. EBS?" Qmi 9?antidade da mesma esseacia, obtida sem a acc d
trar ha SS x' as.pr0Pnedades medicamentosas; e d'ora em diante eaeon-
^Sci\mNrOT?ima,rf sPemp^femporcosufficiente para todos os pedidos a
VftK an*?r*^ ADA 6 CAR0BA e ague.Uo.da mesma penla para que nun-
ca emjwsbrs. medios que quizerem e^permeotar tao [wscioso agente medicina
Reci'fe de Paraambuco, 17 de outnbro

AGUS-TE CAORS.
N0SS4 SENH0H4 D4 CdNCElC O
Para edueaeo do sexo masenliuo
Director Manoel.Alves Vianna
O collegio da ConceicSo, mudado ltimamente para o bairro de Santo Aa-
nrh,(Ioa 4 Franc,sco' casa n. 72, contigua estag5o central dos trilhos
urrjanos dos Apipucos, contina a funecionar regularmente, recebendo alum- ,
SrfnS008 emlern08> tant0 Para aulas primarias, como para todos os |1
preparatorios necessanos a matricula de qualquer faculdade, sendo os seus W$t
moralisadas "" -----i:-- .-:-.--- >
e de um concito magistral j
respectivos professores pessoas
bem firmado nesta cidade.
O director deste rovo collegio contiuuando a empregar toda a solicitude no
desempenho de seu mandato, espera fazer-se mais digno da conanca com
SLus fflff3 S Senh0res paiS de familia' con6ando-lhe bondosamente
Os estatutos do collegio, assim como o franco Bgpesso em todas
dependencias, estao sempre a disposico de quem possa interessar.

i
- *
as suas

Curta
Roga-se a pessoa que troow de Macelo ama car-
ta-para Laiz Perelra Gongalves da Cuoha, o obse-
quio de ma-ia-la eotregar pa roa da Praia Di 12,
oa declarar oada reside para, ser procurado,
Deuisolier Huelfsverein in fernam
buco.
Der Id der Generalvers ammlung am O dieses
Mouats .varu,leKeade Baricht des Auscbasses Ist
vora 18 aa bel Harro W. Spieier oder bei dea o-
terzeicbaeceaza erhalteo. Im Aoflrage des Aas-
chasses teilt dy Ufttewaichnete dea Herrn Mit-
glieern ferae/ m\i, da| Abaend^ruog der Suto-
tea betreBend Aatraege bis inm t-5 von ihm ent-
gegeogeoommea.
PerDaabaco d. 13 ali 1867.
| B. NokUng
___________________________Secrettir.
Precisa-se de ama rpalher capaz para fazer
compaaita a una senhora : a tratar oa roa Direi-
ta o. 73, loja;__________________________
- Preelsa-se be uma ama' para casa de um no-
mem^olieiro, ede om moleqoe de 10 a 13 aooos:
na ra de Hortas n. 17, armaiem._______
Gil Braz de Santilhana
Este inimitavel romance de Lesege, tradu-
zido por Bocige, vende-se por 45 em bro-
xura, $$ encadernado : na livraria Econ-
mica, ra do Crespo n. 2 defronla do arco
de Santo Antonio.
Companhia- geral hespanhola de
a vida
seguros sobre
AUTORTSADA PELO REAL DECRETO DE U
BANQUE1R0S DA COMPANHIA
O naneo de Hespanha
DE DEZEMBRO DE
DIRECCO GEKAL
859
fazer-se s-ibs.irioc
SKadrid: Rna de Agostluho
kuaeo da companhia em lo de ju I lio de 1866.
Apohces 19:700 Capital Rs. 127:144^670 ou moeda brasileira
Rs 12,714:476,5000
Nacional abraca tonas as conbinces do seguro de supervivencia e n'ella pode
,a) d? mido que em nenhum caso se perca o capital imposto nemos lu-
iros correspondentes.
Umaafianca depositada.nos cofres do]estado, garante a boa administracao da com
panbia
Os fundos da companhia se invertem em ttulos do estado e se depositara no ban-
oc de Hespanha com intowencao do delegado do governo e do conselho admiii-trativo.
A companhia estranha toda a empreza ou ispiculago perigosa.eos ttulos em
gue se invertem os fundo* imp s na rmesma, no-se correm o menor risco, pois estao
qaraatidos pelo governo. podeatoaacao da a tor p.eizosd
NOVO DEPOSITO
DE
---.=mC
MACHINAS
__ fAnA DESCAROCAR ALGODO .
.Manoel Bento de Oliveira Braga.
S^-Rna Direita n__53
Neste estabelecimento se enconiraro as
verdadeiras machinas americanas chegadas ltima-
mente, as quaes sao feitas palo mais afamado fa-
bricante da America, por isso avisa a todas as pes-
soas que precisaren! comprar, de se dirigir a este
estabelecimento que comprar5o das mais perfeitas
neste genero, assim como mais barato do que em
outFa qualquer parte, por isso que se recebe por
conta propria, bem como caonos de chumbo e mt-
anos para moer milho, e grande sortimento de fer-
ragons e miudezas em grosso e a retalho.
Machinas americanas para moer caf, de
oao systema, proprias para refir\ac5o,
l'em >dem para milho.




ftlario ie Fernambnfto tenada telra 15 de Juiho de 1867.
PHQTOGRPHIA
% IliEIiliA
BA DO CABOOA N. i 8, ENTRADA PELO
PATEO DA MATRIZ.
O nosso estabelecimento ptaotograpbico
si sempre em dia com todos os melhora-1
meatos e progressos qae na America do
Norte, ou na Europa se coosegue na arte
photographica, e para alcancarmos tal fim
nunca poupamos despezas nem sacrificios,
de sor te qae os aussos numerosos freguezes
podem ter a certeza de qae sempre encon-
traro em nosso estabelecimento ludo qaan-
to a arte e a moda offerecer de bom, no
novo e veliio mundo aos amantes da pho-
tograpbia.
NOVIDADE PHOTOGRAPHICA.
Acabamos de receber todo o ncessario
para fazer retratos chamados carte-album.
Este genero de retratos ltimamente in-
ventado na America do Norte, rpidamente
se propagou na Inglaterra e Franca aonde
goza actualmente de todo o favor da moda.
A carte-album se faz por duzias como os
amigos car Ufes de visita.
Na Ioglaterra trocaram o nome de carte-
album pelo de reirato-galeria e os ingleses
osam encaixilbar estes retratos em qoadros
especiaos para com elles formar galeras,
com que ornam .os gabinetes. Recebe-
mos urna certa quantidade de taes quadros,
os quaes cederemos por barato preco aos
nossos freguezes.
As pessoas que quizerem ver specimens
dos retratos chamados carte-album, j fei-
tos em nossa oficina sao convidados a visi-
tar o nosso estabelecimento.
CARTOES DE VISITA A 90000 A DUZIA.
Em consequencia do novo genero de re-
tratos chamados carte-album, diminuimos
o preco dos antigos cartOes de visita, os
quaes de boje em diante ficam reduzidos
ao preco de
. 9O0O
pela primeira duzia, sem que por causa
desta diminuic5o de prego, oeixemos de es-
merar-nos no nosso trabalho, como sempre
oi nosso eos turne. Alm disto, continua-
mos a dar os cartOes de visita em cartoes
de luso, Bristol, ou porcelana, dourados ou
lithograpnados para o que temos urna varie-
dade de 12 modelos, a escolha de quem se
retratar.
SST" VA GOMO PREVENCAO.
Apezar do nosso trabalho ser muito co-
nhecido nesta cidade, aonde trabalbamos a
12 annos, com tudo joigamos de nosso de-
ver dizer hoje o seguinte:
Nos retratos fetos em nosso estabeleci-
mento emprega-se toda a cautela para of-
ferecer-se a par da belleza do trabalho, as
melbores condices de duracjfo. Doura-
mos e fixamos os nossos retratos sem olhar-
mos a economas, e ltimamente para lhes
pdennos dar urna lavagem mais ampia
e sf gura, contratamos com a companhia de
Bebiribe orna peona d'agua. Os nossos
cartoes de de visita sao verdadeiras photo-
grapbias, que nao preciso de retoques do
pintor para Ibe desfarcarem os defeitos, e
convidamos a quem quizer a passar sobre
elles urna e^ponja molhada em agua, ou a
deixa-losmergulhados por espaco de horas
em agua, ou em espirito de vinho : seapre-
sentarem alteraco sero recebidos por nos
e pagos pelo duplo de que tiverem cus-
Udo.
Continuamos a fazer retratos por todos os
sjstemas photugraphicos at boje conheci-
dos em pbotograpbia. O nosso sor timen to
de caixinhas, quadros, passe-par-tauts, e
joias de ouro para a collocagao de retratos
o mais completo, variado e abundante, que
existe ntsta cidade.
CHEGMM
Aloja dasOollumnas
Lindos manguitos com golinhas.
Grande variedade de golinbas com puohos, de cambraia.
De bretanba e de esgilo.
Gravatinbas de cambraia de muito gnsto para senbora.
Ricos peplum de grosdenaple prto enfeitado. o que tem vmdo de melhor gesto a
Prnamboco. *"
ra do Crespa n. 13 de Antonio Correa de Vasconcellos & L.
G
3
B'
f
D
s
O
B
v'
o
a
n
a>
S
a.
aa
s
O

Q.
a
2.
I
o
FEITOK
I'reeisa-se de un lioniem qae teara *iguma pra-
tka de eugenho para feitur de campo, prefera
o-'e portuguez : qaem preteoder dirjase ao pri-
ontiro sobrado ao p da ponte dos Afogados que
achara' com qaem tratar._______________^^
Rival sem segundo.
Roa dVetucf mano n. 4.
Quer acabar com as fazendas abaii
mencionadas.
U.ucrr*m vir tr que i bom e baratissimo.
Toaihas de labynolbo com tice, lateada boa a
3*500.
Carreteis de iinba com 100 jardas a 30 rs.
Grvalas pretas e de coree muito Boas a 500 rs
Cillas de o freas de massa muito novas a 40 rs.
oofiador-es para espartilbo de cordo e fita a 6'
reis.
Carretelsde liona Alexandra com 400 jardas a id
reis.
Resmas de papel aimaco muito bom a 2*500.
Fraco de oleo babosi a 320 e 500 rs.
Ditos de dito bigienique verdadeiros a 14000.
Ditos dito falso a 800 rs.
Ditos de macacar perola a 2C0 rs.
Sabooetes muito finos a 60, 160, 200 e 320 rs.
Ditos de bolla rouiio finos a 240 e 320 rs.
Catea* para rap com bonitas estampas a 100 rs.
Miadas de linha froxa para bordar a 20 rs.
Varas de cordo para espariilbo a 20 rs.
Frascos com tinta rdza muito boa a 240 e 320 h
Peries volteados para regacar cabello de menioa
a 320. -
Frascos de macaca' oleo mnite fiBo, a 120 rs.
Abotoaduras muito Boas para coiieles a 500 rs.
Cartes de linha branca e de Mres a 20 rs.
Libra de ara preta suoenor rOO rs.
Cartas de alneies francezes coro 14 penies
120 rs.
Sacovjn par tato, fazenda boa, a 500 rs.
Varas de franja branca de linho para toalha
100 rs.
Pecas de tico estrelto com 20 varas muito bonito a
1*000.
Varas de papalina de differentes larguras a 120,
160e 208rs.
i/.izas de palito balo a 40 rs.
Caitas de palitos de segnranea sem eocbofre a
60 rs.
S-lMieles' de familia a 100, 160 e 240.
Grosas de botec de madreperoia para camisa a
500 rs.
Laa para bordar de todas as core; e fina, a libra
fJOOO.
CarrMeti com 4 oitavas de retroz preto muito fino
a 14000.
Canas com soldados de chombo para meninos a
1-20 rs.
Carnlha de dootrina chrisla a 320 ra.
Laus com superior feaona a 200 rs.___________
CASA
de commisslU de escravos.
Na asa de commisso de seravos rna do Im
|M>radcr n. 45,3* andar,, rc*o se e^cravo pa-
ra ittrm rendidos tanto da p/aca como do mat?,
e os seohares de-fopenhj qae por qualquer moti-
vo qoeiraa desfaztr s de aigamfle tem mais do
joe remetie lo ao abano assifaado qite gsrante o
boro tratamenio e prompta esda, ao .e poupao-
do exforeps afim de em ludo satisfazer m pessoas
qae qoizerem honrar com t siia coofiaoca. Nes-
a caa na sempre para vender eccravn* d asbos
O sexos.
ACfOD? Joft Vieira 6e S.aii.
H
o
O
w
o
o*
Si
o
a>
B
a>
a
s

o
w
I
a
a
o
O
-
a>
a
o.

8
I
3
O.
a
B

su

,- o>
a.

O
3
Cu
a
3
o.
5
a.
o.
a>
n
B

a.
a
i
s
o.
a
as
2.
o
95.
o"
o>
o.
5
1
s
t
a
-t
m
a.
a
Cu
9
H
e3
O
i
s
t
O
S

3
c*

C6
O
O

Ci -4
O se a -*
SU S
o -4
^^ e^<
" O
t o
0 -i.
o
C
a 2
Cfe
S
o . <
v> t
5- 2
A.
~ ?i>.
C* ^
s. C6
-*
o Cfc
a
-* &
a- N
t* s

Vinho tnico e nutritivo
QUINA E CACAO.
Bl7CItAYI>.
Esta nova crmbinacau retine ero orna bebida as-
sis agradavel a conveniente a todos os organis-
mos, a quina que dio medica manto tnico por
excelleoca, e o cacao que conten principios nu-
tritivos assas reconbecidos.
Elle se emprega com o maior soccesso na enra
das paludas cores, sofTrimentos do estomago, per-
da de appetite, digesides difllcultosas, menstrua-
les dfflceis etc., etc.
Deposito esaerial
NA
*5
a
N.2D ^ N. 2 D
$jfl$> CORCEO DE OURO. ^^@
A loja n. 2 D intitulada Coraco de Ouro na ra do Cabuga, acha-se d'ora em dante offerecen-
do ao respeiuvel publico com especialldade as pessoas qne bonram a moda os objectos do ultimo gos- Pharmacia e drogara de Bartbolomeu C.
o (a Pars) por menos 20 por cenio do que em ontra qualquer parte,garantindo-se a qualidade e a so- 31_.Rn larsra do ftsari--3/4
tidez da obras. ~
O respeitavel publico avahando o desejo (Jue deve ter o propietario de um novo estabelecimen-
to que quer progresso em st u negocio deve chegar immedlatamente ao coracao de ouro a comprar
aneis com perfeitos brilbantes, esmeraldas, rubios e perola ; verdadeiras em agarras, modernas pele
diminuto preco de 101, brincos modernos de ouro e coral para menina pelo prego de 3f, maracas de
prata com cabos de marfim e madreperoia obra de moderno gosto (o que o encontrarlo no coracao de
onro) voltas de ouro coro a competente erosiona ricamente enfeitada pelo pequeo preco de 124, brin-
eos de um trabalho perfeito por um mdico preco, cassoletas, tranealkis, pulceiras, alfinetes para re-
tratos e outros modelos tudo de alto gosto, aneis proprios para botar cabello e firma, dito para casa-
mento, no rtico roseta tem o Coracao de Ouro um completo e bem variado sortimento de diversos
gostos, butSes para punbos com diamante, rubios e esmeraldas, obra esta importante ja' pelo sea va-
lor ja' por gosto ds deseo no, brincos a forma da delicada moslota de moca com piogente contendo es-
meraldas, rubios, brilhantes, perolas, o gosto sublime, alfinete para gravata no mesmo gosto, relo-
gios para senbora cravados de pedras preciosas, ditos para hornero, diversas obras de brilhantes de
noilo gosto, erosionas de rubios, esmeraldas, perolas e brilhantes, aneis eom letras, cacoletas de
trystal e ouro descoberta para retrato (a ingleza) brincos de franja, ditos a imperatrize toda e qual-
quer joia, para secoliocar retratos1^ obras de cabello, e outros milito* objectos que os pretendentes en-
contrario no Coracao de (Juro qae se conserva com toda a amabilidade aos eoocorrentes delxando-
se de aqu mencionar precos de certos objectos porque (desculpem a maneira de fallar) dizendo-se o
preco talvez alguem faca mao jmzo da obra, por ser tao diminuta qoantia a vista do sea valor.
Na mesma loja compra-se, troca-se ouro, prata e pedras preciosas, e tambem recebe se concer-
tos, por menos do que em ontra qnalquer parte, e do-se obras a amostra com penbor, conservando-se
e Coraco de Onro aberto at as 8 horas da noile.
Qqalqaer nessoa que se dirigir ao Coracao de Ouro rio se podera* engaar com a casa, pois
nota se na sua frente nm coracao pendarado pintado de amarello; alem de outro que se nota em um
rotulo fisto se adverte em consequencia de terem ja' algamas pessoas engaado com ontra casa.
'a para
segundo

RA DAS CINCO PONTAS N. 86
AO GRANDE AMAZEM
DAS
Sempre barato
A 24o reis a libra.
Manieiga
Ingleza flor a 15, a libra e a Soo rs. soffrivel e proprtapara tempero a 32o rs
dem franceza a 56o rs. a libra.
Cha
De primeira qualidade a 28oo e proprio para negocio 106oo a libra.
Biscoitos
Inglezes pearl, nic-nac, oval, cracnel, e ogtros superiores a llloo a lata.
Figos i
Gommas
De milho branco a 4oo reis a libra, de aramia verdadeira propria para alimen-
tar enancas a 5oo reis a libra e caxinhas com 4 libras por menos, gomma do MaHObfio
a 16o rs. e tapioca sag a 24o a libra.
Chocolate
Superior a !$, a libra.
Bocea
De goiaba em latas a l^Soo em caixa de 4 libras, mp^to fino a 158oo, em caixoes
de 2 libras a 5oo e 32o.
Pelxe
Em latas a yooo reis a libra, sortido.em qnalidades.
Ostras
America a 8oo rs. a lata.
Baldes e Vassoura
, Americanas a 8oo reis cada peca.
Tonelaho
De Lisboa a 320 reis a libra.
Tomates
Em latas a 6oo rs.
al
Refioado em lindos postes por ooo rs.
Rlrshs de Wasser
A 2000o a garafa. '
Vermoath e Abssntho
Aid5ooafarrafa.
Bltter
A l(Jooo a garrafa. '" ,. .
De bordeaux superior, Saiot Estephe. Saint Julien, Saint Emihe a l$ooo a duzia
e 64o rs. a garrafa.
Vinho
Do Porto fino a i4ooo a duzia e liJSoo a garrafa e magnifico tamhem em bar-
ril a 8oo a garrafa.
Baque do Porto
Adamado e outras marcas a 9oo rs. a garrafa e lo0 a dazia.
Vinho da Flgnelra
O que ha de melhor a 40, a caada de Lisboa a 30 e 40 a garrafa.
Vinagre
De Lisboa a 2oo e 28o rs. a garrafa.
Farello de Lisboa
Sfeos com 9o libras a 405oo
Cerreja
Franceza em gigos de urna dazia a 60.
Ingleza
Bass verdadeira a......T. e Yictoria e Alssop a Soo reis a garrafa
&* $#** *
Ensiiio de msica
b. 75, 2o andar, roa do Imperador n.
75, 2 andar.
Lecciona-se per solfejo e a tocar va-
rios instrumentos ; dando-se as li-
coes das 5 horas da tarde as 10 da
noite em casas ou em suas residen-
cias.
-Ra do CabugaX.
Agostinho Jos dos Santos # G
Acaba de chegar a este estabelecimento um esplendido sortimento de
joias do ultimo gosf\ perfeico artstica e modeilos enteiramente noros; como
seguem: aderecos com rubim, esmeraldas e perolas finas, pulceiras, broches
para retrato, anneis, bot5es de punho, brincos e cassoletas com letras, etc.,
etc., etc. Salvas de prata do Porto, faqneiros, paliteiros, cax de mesa e
frncteiras, cojos precos s3o incompetiveis, pois que os proprii tarios desta casa,
recebendo seus artigo> directamnite da Europa, podem servir vantajosamente
aos seus freguezes. Compram-se brilbantes, pedrs finas, ouro e prata, paga-
se bem, tambem se inenmuem de fazer concertos.
^\-moA
34-Rbh larga do gos?trio--34
ALIIGAH-SE
doas casas terreas ns. 32 e 34 sitas na Cipunga,
ra da Ventura, junto ao porto denominado do Las-
sere, caiadas e pintadas da novo, e com commodos
para familia, tendo caMmba, senzala, estribarla,
aloro de nm grande quintal murado ; qoem preten-
der dirija-se a ra do Trapiche n. 3, f andar, qae
achara' com qoem tratar.
Precisa se alogar nm moleqoe ou
vender : na roa de Aguas-verdes n. 46,
andar._________
Trocam se
as notas do banco do Brasil e das calas Bliaes,
com descont muito rasoavel, na prac> da Inde-
pendencia n. ii.
Ao Sr. capillo do 2* balalbao/de Infaotaria
Ignacio Pinto dos Santos Sases pede-se o favor de
se dirigir a roa do Imperador n. 18, aOm de con-
cluir negocios que o mesmo senhor nao ignora
Igual fvor pede-se ao Sr. Joaqnlm de Sjuta Cirne
Ra da Aurora
Aluga-se 6 segundo andar do sobrado da rna da
Aurora n. 24, com 4 salas, 6 qnartos, todos forra
dos a papel e pintado, e sotao para colinda, tendo
agua e despejo : a tratar na ra Pormosa n. 15
com Candido C. G. Alcoforado,
Precisa se de nma senhera que se qoeira en-
carregar da educacao de 4 meninas em um enge,
nbo perto, com tanto que saiba o fraocez, porta,
gnez, msica e piano e trabalhos de agnlba : quem
se quizer contratar dirija se ao eseriptono de Do-
mingos Alves M teos a roa do Vlgario n. 14.
- O ESTUDANTE do 2.* anno Jeronyrao Lou-
reoco de Araujo, venha a roa das Cruzes n. 35, pri-
meiro andar, a negocio que nao ignora.
Forro ou escravo
Precisase alugar um escravo ou pessoa forra :
na ra do Torres n. 2.
.

Pedido.
(
S

Ama
Precisa-sede ama ama llvre on estrava para o
servlco interno e externo de nma casa de doas
pessoas : na ra das Cruies n. 28.
Collcglo da c onceieao.
Ropa-e ao Sr. Demetrio Jos Teixejra, esta- Em consequencia de se ter exonerado do pro-
dante do 3* anno, de vir ou mandar na taberna da {fessorado primario deste collegio o Sr. Aoreliaoo
de Pinho Borges, acha-se toje encarregado de to-
do o enslno dos doas graos o Sr. major Slvador
enrlque de Aiuuquerque.
Com a escolha deste senhor, ja bastante cunhe-
cido do publico desta cidade e de outras provin-
cias, comotrofessor pralieo, roetbodico e paclaco,
e por seos escriplos adaptados a' iostroeco dos
meninos; o director julga ter feilo urna digna e
awrtada sobsttolcJo, que garante snfflcienteraente
.11, | ao &ri. pti e familia o bom ensino e tratimento
de sea? Cltios.
rna do Seeego n. 56, negocio qae n* o ignora, des
do o anno de 1865.
iAHl\Ei1C
O protessor de piano Claudio Ideborqae Car.
oeiro Leal, mndoo-se da-roa das Cruies a. 30, 3
nadar, para a roa da Carabea do Careno a.
primefro intr.
PARA ZO INTERNO
PREPARADOS SIMPLES
Xarope de jurubeba garrafa......... I0ooo
Vinho de lCoo
Plalas de vidro......... I06oo
Tintura de 64o
Extracto hydralcoolico de jurubeba i 120900
PREPARADOS COMPOSTOS.
Vinho de jnrubeba ferruginoso, garrafa. 20ooo
Xarope l'06oo
Pilulas vidro... 20ooo
Oleo de jurubafca vidros.... 64o
Pomada de pote...... 6io
Emplastro libra..... 20ooo
PARA UZO EXTERNO
A JujJUJBEBJU
Esta plantaje hoje reconhecida como o mais poderoso tnico, como um excesl
lente desobstruente, e como tal applicada nos engorgitamentos do figado e baco, na-
hepatites propriamente ditas, ou ainda complicadas com anazarchas, as inQammacSes
subsequentes as febres inermltentes ou durezas, nos abeessos internos, nos.tumores es-
pecialmente do otero e abdomen, nos tumores glaodulosos, na anazarcha, as hydrope-
zias, erysipellas; e associada as preparaces ferruginosas, ainda de grande vantagem
as anemias, chloroses, faltas de menstruacao, leucorrheias, desarranjos atnicos do esto-
mago, debilidade orgnicas, e pobreza de sangue, etc.
O qae dizemos affirmam os mais distinctos mdicos desta cidade, entre os quaes
podem os citar os lllms. Srs, Drs. Silva Ramos, Aquino Fonseca, Sarment, Seve, Pe-
reira^do Carmo, Firm Xavier, Silva etc. Todos elles reconh cem a excellencia d'este po-
deroso medicamento sobre os demais at ho: 'onhecidos para todos os casos citados,
tanto que todos os das fazem d'elle applicac3r.
Apresentando aos mdicos e ao publico em geral diversos preparados da jora-
beba, tivmos por fim generalisar mais o uso d'este vegetal, fazeudo desapparecer a
repugnancia qae at hoje sentiara os doentes de asar doi preparados empricos d'elle, o
mais das. vezes repugnantes a tragarem-se, e qne tinham ainda a desva itngem de n5o
ser calculada a-dose conveniente a applicar-se, o que torna muitas vezes improficuo um
medicamento, que podena produzir ptimos resultados.
Os nossos prepados so foram apreseniados depois de havermos convenientemente
estudado a jorabeba, fazendo as experiencias precisas para bem conhecer as propriedades
medicamentosas d'est planta em saas raizes, folhas fructas ou bagas, e a dose convenieo-
ea appficaco, tendo alera d'isto procurado levar os nossos .preparados ao maior grao de
tperfeic3o possivel, para o que n5o potipamoa esforcos, olo nos importando o pouco lu-
cro|qne posames tirar /
Por tanto os que se dignaremrecorrer aos nossos preparados podem ter a certeza
de que elles offerecem a garanta, de que se pode encontrar a prompta e.tnfalltvel cura
de quaique dos soffnraentos, que deixamos innumerados, se forem em lempo applicados
tendo alm d'isso, medico ou doente a vantagem de escolher as nossas variadas prepa-
racSes, aquella que melhor Ibe pode convir, j pela.fcil applicacao, e ja pela complicaco
das molestias, idide, sexo, ou ainda natureza de cada individuo.
As nossas preparaces ferruginosas s5o feitas de forma que se tornam completa-
mente soluveis nos suecos gstricos, porque procuramos os compostos de ferro que como
taes estao hoje reconbecidos.
Para aquelles que mais minuciosamente queiram conhecer as propriedades da
jurubeba, e saberem a applicacSo de nossos preparados, destribuimos gratuitamente
em nosso deposito um foibeto, onde tratamos mais extensamente d'esta planta e dos mes
mos preparados,
DetAsiU geral de todos os preparados
Botica e drogara
34Ra larga do Rozario34
Sendo a cute, qne liga o Campo das Princeais
e palaeio do governo ao bairro do Recite, nma das
obras que tanto formosam a cidade, como facili-
tara o transito de urna grande parte da popolacao,
qur da capital, qur do centro, e qae muito con-
vera aos habitantes do lado da roa da Aurora e
Saoto Amaro, que todos transitara pela ponte da
ferro ; encontrara o prompto transito para passar
ao Recife : esta ponte acba-se com alpuraas esir-
vas podres, apezar dos esleios, linhas, madres, e
todo, ou qoasi todo madeiramento de sen lastro,
estaremnerleitos, que ainda offerecem longa dura-
gao. Esffs reparos sao pequeos, e nao roontaro a
contos de ris. Pede -se, portante, ao Illm. Sr. Dr.
chefe das obras publicas lance as vistas para este
bem publico, com o quat muito panbam os habi-
tantes desta populosa cidade: assim o espera
_______________________Um tiansaM.
Anda esta' fgida, desde o dia 23 do mez
passado, a escrava de nome FelicidadT'crlaula,
representa ter 22 annos de idade; altara regular,
bem feita de corpo, levou vestido de chita, chale
amarello -, con.-ta que foi sedozida. O abaixo as-
signado protesia eootra quem a liver em seu po-
der. Roga- se a's autoridades policiaes a appre-
hendam e mandem a' ra da Cadeia-Velba n. 1,
qae se pagarao todas as despezas.
XIS4 DA FORTAr
Aos 6:000$000.
Bilhetes garantidos
A RA DO CRESPO N. 23 ECASAS DOCOSTUME
O abado assignado venden nos seus muito feli-
es bilhetes garantidos da lotera que se acabou
de eurabir a benelicio da Santa Casa da Miseri-
cordia, os seguales premios :
N. 1763 bllbete inteiro com a sorte de 6:000,5.
N. 2001 bilhete inteiro com a sorte de 2:000.
N. 3810 um meio com a sorte de COOA.
N. 13fl dous qaartos com a sorte de 3005.
E outras muitas sorles de 1005, 40 e 20.
Ospossuidores podem vir receber seus respec-
ivospremios sem os descontos das leis, na casa
da Fortuna a'ruado Crespo n. 23.
Acbam-se a venda os da 41* parte da
das familias dos voluntarios da patria,
extrahra' terca eira 16 do crreme.
Preco.
Bilhetes......... ej'HK)
Meios............ 3*000
Quartos.......... 14500
Para as pessoas que compraren tie 100,5000
para cima.
Bilhetes.......... 8*500
Meios............ 2750
Quartos.......... 1*375
___________Manoel Mrtir" Fiuza.____
O abaixo assignado hi sciei/ ao publico,
que tem contratado a compra da casa de drogas-
na praca da Boa-Vista n. 24, livre e desembara-
zada de qualqaer cnus a qae esteja sujeita, ao Sr.
Jos de Plnbo Borges. Se alguem se julgar com
direito a qualquer reclamaco, dirija-se a' mesma
casa de drogas no prazo de tres das. Recife, 11
de julho de 1867.
Antonio Mara Marques Ferreira.
lotera
qoe se
Grande hotel central
/
Ra larga do Rosarlo numero 37
Alugam-se espacosas salas e quartos mobilbades,
ser ve m se comedorias a toda hora com aparad
gosto e asseio e recebem-se pencionislas por pre-
cos commodos.
Francisco Anastaci) Pires
para Aracaj.
Loureiro retira-se
Novo e grande deposito de superior carvUo de Carditfna
B^bia.
Antonio Gomes dos Santos & C., rna Santa Barbara n. !. esto habilitados a snpprir de
omo em condiees mais favoraveis qne em oa^ j qualquer deposito, a todos os navios a vapor qnt
eerrem nacoeiie porto. A contratar nesta coro Dorntocos A'es Matheus.,
Preclsa-se de 4:000* a 5:000* a juros, dn-
dose por garanta urna propnedade denominada
Tres Udeiras oo um engenbo : quem quizer fazer
este negocio annuocie por este Diario, para ser
procurado, on tratar na ra da Praia n. 37.______
Precisa i de urna preta escrava para casa
de poaca familia, pretre-se preta velha: na rna
jo Jirdira o. 2.
Alnga-se um armazem granle na rua~d
Praia n. 33, proprio para carne ou outro qual-
quer negocio : a fallar no mesme.
N.2 RIJA DO TORRES N 2.
Cat e lunch
Eocontra se a qualquer hora.
Aceitam-se assigoautes que venham almocar e
jamar a este estabelecimento e igualmente se for-
necem para fora comedorias sadias e bem feitas.
Nao se tratara' bem os freguezes so nos pri-
meiros das : o tratamento sera sen pre o que se
convenciooar no principionguiarbomou ex-
celleute, conforme o que cada ara quier despen-
der, os precos s,erio razoaveis.
- M. Rna do Torrea^* 2
Aluga-se a Ma da frente do Iwndar do so-
brade da roa da Cadeia n. 60, mnito propria para
escriptorio ou para morada de pessoa solteira : a
tratar no armaaem do mesmo sobrado.
Escrava para comprar
ou alugar
Precisa se de urna escrava que coxiohe, por
compra ou alague! : na rna da Cruz, armazem n.
10, das 10 horas da manbaa as 4 da tarde._______
Precisase de orna ama para o servlco interno
de orna casa : a tratar na rna da Cadeia do Recife
armazem n. 8.______________________________
Ka praca da Independencia o. 33, loja de
ounves, compra-se onro, prata e pedras preciosas,
e tambem se faz qualquer obra de encommenda e
todo e qualquer concert.
Procisa-se de nm' feltor para nm sitio :
esquina da raa da Madre de Dos, loja n. 43.
1
MUT


Hi'Wi
m**'
Diario fe Pern-mbueo Kegnnda fcira 15 de ulho de I8t>7.
L/
>


*

\

Approvado pela fucnldade
de Hedidas, tmprttuo noa
hospllata de Pftrla.
ELIXIR DO DB THERMES
Aaaravado pela faculdndr
de r.edleina, empreada noa
hoapltaea de Parla.
Occupa o primeiro lugar entre as preparaces ferruginosas as mais assimilaveis. 0 Euxia do aV THER1HES empregado diariamente nos heapitaes de Paris e principalmente no
Htel-Dieu fservico da Faculdade de Medicina de Pans). Administra se com o maior xito as doencas de eensampeao resultantes- da eihaaitnrae lo Mngne. cialo-
rola ou cArea pailtdaa, Hnorct hrancaa, anemia depois das hemorrhagias, ou durante as convalescencias detebres perniciosas,,. aalToeacoa, e palpftaeo* das mul-
heres pejadas. Nao menos efficaz contra o ruchitUmo o obra poderosamente para os homens cujas forcas estam esgotadas pelos trabalhosintellectues, abasos de todos os gneros, etc.
ToniM-se com a deale de ama colberlnlm dcpola de cada refclea*.
Deposito eral na pharmacia, roa Reaumur 43 e em casa de E. GALLOIS, pharmaceutico do S. M. Imperador, place Vendme, 2, ena Paria.
Dcp.alto em PERNAHBCCO, P. MARER r O, e em todas u Pharmacias no Braiil.
rtZS

0M0R0 D
Ao respeitavel publico pernambiicaiio pede-se
.4 llencao
Maoteiga ingleza
320, 500, 800 e lij s no armazem se acha vista.
Manteiga franceza
era libras 560 e 640, em barris se far differenca.
Banha de %orco
em libras 320 e 380, em porcao se far differenca.
Fruclas
em calda Pera, Pecego, Rainba Claudia, Alperxe e ouiras militas 500 e 640 a lata.
Errllhas
Porluguezas 640, francezas 900.
Fono
em latas do Para e de albaneque, lata 10 e 1(51200.
Homila de n5fho
em pacotes 400 e 500, dita da trra 100 e 200 a libra.
Viuho
de Bordeaux em caixa a duzi 55, garrafa 500, dito de 8-5 aduzia, 800 a garrafa, dito a
140 a duzia, 1#200 a garrafa, dito do Porto a 8$, 120, 185, 244, caixas de dozia, assim
como figueira caada 30500 e 40, pufo J A A Lisboa 20800, 30 e 30500 a qualidade
convida.
Caz
lata a 80 de 5 galoes e mais pequeas a vontade do compra lor, em garrafa 360.
Alpiste i
1 10 a 13 0 a libra, painco a 100 a libra.
Azclte
em garrafas a 800 e 10. *.
CHARUTOS
em caixa de 50 por 10, ditos Delicias, Trovadores e Parisienes em caixas de 100, ditos
da Exposico caixa 50, ditos de Regala caixas com 100 a 20500 e ootras mutas marcas
que s na presenca dos compradores.
PREZUNTOS
de lamego em barril, ditos de fiambre o melhor jue ha no mercado por precoqoefaz
admirar !
DOCE DE G0IABA
caixes de 560 fino, ditos de 10500 que parece marmeliada, dito era latas milito fina
qualidade a 10200.
B0CETAS
com doce secco a 10 e 20. '
QUEIJOS
de leatejo em latas chegado pelo vapor Oneida, ditos Flamengos e Pratos dos mais nevos*
que ba no mercado.
AZEIT0NAS
de elvas como no mercado nao-temos a 10 a lata, em barris do Porto a 10 como n5o ba
melhor.
S
s<
1
m
83
--------;-----
CASA DE BAMO
26 Pateo do Carato 26.
Neste estabelecimento to im-
portante para a saude e asseio
Jo corpo, acbam-se montados 20
banheiros, que sao servidos com
a ordera e asseio que para de-
sejar-se. Quatro destes banhei-
ros sao especia'mente reserva
drs para senhoras e por isto
acham-se collocados em lugar re-
servado, aonde s tem entrada
as pessoas de urna mesma fami-
lia.
PREQOS DE BANHOS AVULSOS.
1 baubo fri, morno ou de
chovisco....., 5oo
1 dito de choque. 10ooo
1 dito de farello. looo
1 dito aromalisado. 10ooo
PRECOS POR ASIGNATURA.
30 banhos por mez (rio,
momo ou de chovisco. Io0ooo
25 banhos com cartoes
para os mesmos. lo>oo
lt ditos ditos-ditos. -'iOOO
12 ditosditos de choque, lofooo
12 ditos ditos de farel-
lo........io'ooo
0 estabelecimento estar aber-
to nos das uteis das 6 horas da
raanhSa as 10 da noui, nos dias
sar,tificados das 5 as 5 horas da
tarde.


&*
>JL<
0 advogaoo Amrro Jo^quini Pouseca
Alooqoerque lera seu eseriptono 3' raa
Cruies n. 35, 1* andar ; reside a' iraves-
sa do Veras n. li. ncarrega-se de
queslSes em todas as comarcas na exten-
di da linha frrea.
m
Satisfeito o invencivel Veado rauco, cora as maneiras attenciosas com que
foiacolhido pelo respeitavel publico desta briosa provincia, a ponto de que muitos a por-
fa desputaram a satisfacSo deserem os primeiros a comprarem em scu importante arma-
zem, se desvanece em declarar com toda a lealdade de que capaz, que est cada vez I
mais animado, nao s pelo benigno acolbimento que tem recebido, como pelas forcas de j
quedispe porque at hoje n5o careceu ainda dos preparados de jurubeba, nem do.
xarbpe alcoolco de veame. f 1
O Veado Braaeo, declara a quem ainda o nao conhece que nao um
desses bicharocos intrataveis que por ahi vivem cora figura hunana; domesticado no-
ameno pa|z onde aamavel Agut Branca vio a luz do astro bemfeitor, elle partidario
desse invejavel agrado e sinceridade que com tanta gravidade se desprende do seu
bico encantador.
0 Veado Braneo, como lodo o hornera civiUsado, ama a sociedade dos
bons, goita do centro do mundo elegante, usa do tnico de Jayme. para previnir que Ihe
ponham a calva ao sol, vai a eompanhia des Bouffes Parisiens e no meio do partido de
madame Adelle, elle tambem atira-lhe o seu lindo bouquei.
Digne-se o benigno leitor de jurar as palavras sinceras do sincero Veado
Braneo, e venha prover a sua dispensa do que melhor se pode encontrar n'um estabe-
ciraento de molbalos. 1
A modicidade dos presos, cemparados com a boa qualidade dos generse o
bom modo com que se recebe os senhores compradores, deve certamente convidar as |
pessoas que ainda nao vieram nossa casa a fazer parte dos amigos e freguezes |do nosso
Aula publica do sexo feuiinino. na po-
voircao da Casa-Forte.
A professora pobllca de instrnecao primaria di
povoago da Casa-Forle, faz publico que, no dia
do correte mei, abre a respectiva matricula na
casa de .na re.videncia na mefrta pvcacao.
Precisa-se fallar com o Sr. Joo Valenta
Das Vuela no,armazem da estrella, largo do Pa-
raizo n. 14.
Attencao.
S. 2 -Hua do LivrameRt -fi. 2o
Deposito de tamancos e calgado nanor.aes da fa
brica da roa, do Jardlm n. 19, de Jos Vjcenie 6o-
dinho, tamo no deposito como na fabrica se
aprompiam todas as norcSes de calcado o mais ba-
rato possivel, esta fabrica tei todas as macbioas
proprlss para os raleados ja' bem acreditados pelo
Rrartde numero (>- freyuezes que oaqul se for-
necem.
O Sr. Jos Marques da Costa Soares,
(negociante no Recife) queira vir es ta typo-
graphia negocio.
Obras venda na livraria
Universal, ra do Impera-
dor n. 54.
ResolocSes do conseibo de estado sobre a in-
teligencia do acto addicioBal na parte relativa as
assemblas proviociaes.
Gramiutica porlogneta de Solero.
dita pbilosophica de Doa/t.
Dita franceza de Noel et Chapsal.
Cathecsmo da diocese do Maraohao.
O Livro dos meninos.
Jesu Chrisio a critica moderna.
Precisa-se de urna senhora que saibi
ensinar a ler, escrever, grararaatica porlu-
gueza, franceza, msica e piano, para en-
sinar a doas meninas em um engenho na
freguezia da Eescada, urna legua distante
da estacao, paga-se bem : a tr tar na ra
doCabugn 11, 2o andar, com Francisco
Antonio de Britto._________
Dese|a-s_e alogar um sitio com estribarla'e
planta de capinj, as proximidades da cidade :
qnem o tiver dirija .-e rua.do Crespo n. 16, !
andarr
COMPRAS
uro e prafa.
Km obras velhas: canpra-se na prag 'da Id
dependencio n. 22 loja de bilhetes.
Moedas de*ouro.
Nacionaes e estrangeiras assim como libras
esterlinas : campram-se na roa do Crespo o. 16,
primeiro andar.
Compra-se moedas de ooro de 20, 16#, iO}
e9f; a roa da Cruz n.g.__________________
Comprara se patatSes e praia braslleita li-
bras esterlinas moedas, de 9J, de ld, de 164 e
20 por malor preco do qoe em ontra qualqaer
parte: na ra da Cadeia loja de fazenCa* n. 58.
Moedas de prata
nacienaes, assim como paiacdes portugaezes e
tiespanbes, compram-se com premio : na roa do
Crespo n. 16, primeiro andar.
258560
praa moedas nacionaes de 204 : na roa do Crespo
d. 16. primeiro andar.
Libras esterlinasg
Compram se com boro premio : na pra a da ln
dependencia n. 22.
-------------------------1-------------------:----
Compra m-sc escravos
Silvino Gnilberme de Barros, compra, vende e
troca efectivamente escravos de ambos os sexos
e de todas as idades : a' roa do Imperador n. 79,
erceiro andar.
Ompra-se ama escreva cozinheira e engom
m.' .... que d3i techa achaques nem vicio: na
roa na Senzala velba n. 84.
Comp
BELLISSIMO ARMAZEM
DS
MOLHADOS
CONHECIDO PELO NOME
DK
DO BRINCO
Estabeleciuo ra. Direita n. 16.
Esqnlaa da traveasa de S. Pedro.
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A eompanhia Indemoisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercaderas e mobilias:
na ra do Vigario n. 4, pavimenta terreo
ra-se
Urna armarn de armazem ou prateleiras
que nao seja de pinho, e que es teja em
muito bom estado : na companliia Pernam-
buca.a.
Com pra-se
libras esterlinas, ouro brasileiro e portoguez com
bom premio : na roa da Cruz o. 48, armazem de
E. A. Burle & C._________________________
Libras esterlinas.
compram-se no eferiptorio de Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo & C, roa da Cruz n. 1.
Ouro e prata-
Moedas de ouro e prata nacionaes, estrangeiras
e de iodos os valores se comprara na loja de oari-
ves junto ao arco de N'ossa Seohor da Conceigo
ra da Cadeia do Recife, assim como ooro e prata
em obras velhas, brilhaotes, diaraaDtes. e . hgm-_________________________
Compra-se
orna escrava preta que tcntu bonita figura e com
habilidades: na praca da Independencia nmeros
13 e 13.
Compra-se urna casa terrea pequea em qual-
qoer dos bairros desta cidade, e tambem se vende
um ranlatinbo com 17 anoos, moito boa peca e ex
relenle conducta : na rua^de Apollo n. 1, pnmei
ro andar, das 10 horas as 3 da tarde.
230200
por moedas de 264000 brasileiras : oa ra Nova
n. 60, 3 andar.
Sitio
e casa
m
Comprase um pequeo sitio coro boa casa de
vlvendt na&immediacoes do bairro da Boa-vista,
oa mesmo orna casa terrea que teoha commodos
para familia e quintal espaQoso no referido bairro :
queiu tiver auLuncie ou dinja-se a ra da Matriz
. '.i para tratar.
PiLULAS de BLANCARD
, aa Masuro n mo inaxtibatil
Approradas pela Academia de Medecina de Paris
imtwMinu wwui uacti m _g mmntm
nmniTADA* noa io4MT*s di anc na bbuiica, d* lauda, da tcia, i
MmfoU konroMU aai KxpMifoi* Bnivtrfalt 4* Iftw-Terk, 18M, t af Pfi$, 4IW.
ErtM Palai envolvidas a*nM eamadt reetao-bMaiea de ni taacUadc cxeeaava, lea
tvaatatea da lerrm ioalteraveis, teas tater, dea p^oeao veame, e de neo eenterem as
otmo dJfesfhos. Gotaado du propriedade do Iodo e do Vanmo, ellas eoaveva prlad-
paLaeale aas ifacoet CUerotiau, EurofnlMMs, laeerealeeas, flavwiii M leaeswaaa,
wsasrrase, tntmi; etc.; enflm, ellas offerecem io antieo m Bedleacao das satis eaev-
km para aaitear m coMtaitoei IfnplutUM, fumi M aeNsadas.
Jf. *. O MhiU i fsm hapur oa aHersae en *-
*MMo laM, arlUBU. Con* pmi as aareu e e aaikeadaaie des
varaaaora* raaias t aiaaeara, orre -o* etica-a pose iMI
arau raacUva e aots* irsaa, qoi roorodasieo^aaeMacbsih pttu
,tvsa *<, a>. faros.
Vt nde-e na roa Nova d. 215, phanijacia franceza de

P. MUURERI* C,
Kesidenciae consultorio I
Medico cirurqieo
DO
Di'. AiiUuh I,uarte
Na praca da Boa-Vista n. 21 onde
pode ser procurado a qualquer
hora.
Espeelalidade
Doeocas do peito, e de meninos.
D consultas das 7 s 10 boras da
manba.
Criado
Precisa-se de om forro ou escravo para lodo o
sfrvico de orna casa :;a'tralar na ra do Crespo
n. 16, ligadas 7 as ll|e 3 as 6 da tarde.
aluga-se urna escrava moca b* a qoal sabe fazer lodj servico de ama casa :
qnem precisar dirija se no Corredor do Bispo casa
sem numero defronie da do n. 12.
Fugio do dia 4 do corrente do eDge-
nho Macaco, o escravo Jos, crioula, com 40
annos de idade ppnco mais ou men.is, cor
fula, pouca barba, altura regular, o umbigo
moito grande, pernas acambetadas, e com
marcas de feridas, ps grossos e feios, quem
o pegar leve-o ao referido engenho Macaco, da
fregueaia de S.Lourenco deTijucupapo a seo
Sr. Henrique OlyBpio Tarares da Rocha, oo
na cidade do Recife a seu correspondente o
Sr. Jo5o Pereira Moetinho, qae ser gene-
rosamente recompensado.
Compra-se
O Diario de Pernambuco n. 147 do i."
do mez corrente nesta lypographia.______
Pataces
Compram-se pataces hespanhes, porluguezes e
brasileiros de cnnbo aoligo, em casa de Aiamson,
Henry & C, roa do Trapiche-novo n. 40.
Vacca de leite
Compra-se ama boa vacca de raga turma : na
ponte de IL-hoa sitio de Caroll-
FAZENA8 i\0VAS
para as feslas de S.abIooo, es. Joo
no armazem do ParSo rna da
Imperatriz o. 60
DE
, GAIA i SILVA
Receber5o-se pelo ultimo vapor da Euro-
pa as mais novas fazenlas como sejam:
Bonitas cassas de lisias grana-)
dies. I aft
Ditas castelhanas. jvarawu
Ditas da Italia. \
Ditas transparentes com os mais moder-
nos e mais delicados gostos vara a rs 6i0.
Ditas de diversas qualidades cora novos
gostos o covado a rs. 240, 280 e 320.
Cortes de medinasendoluma bonita tezen-
da trinronte com lindas palmas e qua-
M-os -1 seda tendo cada corte 19 covados a
VENDAS
Vende-se oleo de ricino em talas de 30 libras:
na roa da Cadeia-velha n 1, no segando andar.
Loja da consciencia
Ra das Cruzet n. 80.
Nesle estabeleci memo encontrarao os fregoe/es
um completo soriimecto de aviamem^s proprios
para calcado per precos moito commodos, bem
como um variado e escolbido sortlmento de caiga-
do para borne.'.", como sejam :
Burieguios rancezes de lastre para bomem a
7*500.
Ditos di|os de beierro para dito a 6J600.
Elsticos de seda para bonegulns a vara or
i 800. v
Formas franceas chapeadas para bemetn a 4*.
Agua mineral
tferrigiMsa, aridulada, gama e carblica
db '
IOREZZA. fl
O uso d'agua de Oreiia mui particnlarmente
reeommendado pela escola de medicina de Paris,
para todas as affecees do tubo digestivo, IngorgiU-
memo das viceras abdominiSes, e geraloente todas
ts molestias provenientes de fraqneza orgnica, oo
pofcrua de sangue.
DBOBITO BSPICIAt
\URoa larga de Rosario34
Pbarmacla de Bartholomen r>, 24i.
Ricos cortes de vestidos brancos com lin-
das barras bordadas em alto relevo a 240.
Ditos brancos tambem bordados a rs, 5 e
Re-
cortes de poil de chvre com 18 covados
a U.
Modernissimas vareges tapadas e transpa-
rentes com as mais delicadas cores e com bo-
nitas listas de seda, covado a 640, 800 e i?>.
Alpacas lizas enfestadas com as cores mais
modernas o covado a 640.
Ditas enfestadas com lindos lavores grvi-
dos e miudinhos covado 560.
Bonitas alpacas lavradas com os mais mo-
dernos dezenhos covado a rs, 800 e 10.
Ricos cortes de vestidos de fil enfeitados
a 300.
Poopena de quadriohos transparentes
com os mais apurados gostos e quaze a lar-
gura de chita franceza covado a rs, 640.
Ditas mais estreitas porm muito bonitas
covado 500.
Sedas de cores com 4 palmos de largura
covado 20.
Ditas estreitas lizas de listras covado 20.
Grande sorlimento de grosdenaple preto
covado a rs, 10600,10800, 20, 20500 e 30.
Ricas sedas lavradas.
Saias com quatro pannos ricamente bor-
dadas a rs, 50, 60, 70, 85, 100, e 110.
Tarlaunas brancas e de cores vara a rs.
800.
Fil braneo lizo vara a rs. 8 0.
Dito de flores para vestido vara rs. 640.
Ootras mnitas diversidades'de fazendas
qne se mandam tambem levar em casa das
Exmas, famtlbasparaescolberemou do-seas
amostras deixando fcar penbor no armaze-a
do Pa'vao ra da Imperatnz n. 60. de Gm
raa A Silva.
Bordados do Pavita
Entremeios largos
Babadiubos estreitos
Babadinhos largos
Entremeios estreitos
Tapad's e transparetes
Gama & Silva receberam ama grande por-
g5o dos mais Anos babadinhos e entremeios,
tanto largos como estreitos, sendo tapados
e transparentes com os verdadeiros borda-
dos "a alto relevo tendo de todas as largaras
e desenhos, grande por$o igual para qual-
quer obra, que assim possa ser preciso, e
garantem que podem vender por menas 40
ou 50 por cento, do que m outra qualqaer
parje, attendendo a grande porejo que tem
no seu armazem do Pavao : ra da mpera-
triz n. 60, de Gama & Silva
Utensilios typogrptiicos.
Acabam de ebegar de Franca e esto a ven-
da na ra do Imperador n. 15 defronte de
S. Fcancisco: ricas escovas para lavar for-
mas, ditas para tirar provas, componidores
de diversas largaras mui modernos, tinta j sentes ao comprador "que se dirigir a dita
para impresso fina, linbas e entrelinhas de'loja d'Agoa branca a ra doQueimado n. 8.
differentes qualidades e pontas. A mesma i %0*ori s Vil
Acabam-se as moscas.
Porque a aguia branca acaba de reetber
porcjSo de papel mata mosca e continua
a vende lo como d'antes a 40 rs. folna,
comparecSo pois os pretendentes e sera\>
servidos na loja d'Agua branca ra do
Queiraado o. 8.
Nova remessa
De correles de boracha.
A aguia branca a raa do Queimado n. 8
receben nova remessa das desejadas corren-
tes pretaz de borracha, e continua a vende-
las como d'antes a 30 a va ra-
fales de tartaruga e eolros de metai
A aguia branca : roa do Qeiraado n. 8
acaba de receber algumas amostras de pea-
les de tartaruga para senhora, todos de no-
vos moldes e bons gostos, stbresahindo en-
tre elies alguns cuja* novidades era mol-
des, e perfeicJo de obra os tornam recom-
mendados para quem apresa o bom ; assim
como recebeu igualmente outros mui forni-
dos e bem feitos ppra desen baracare outros
com eixo para debrar e proprios para b.irba.
Tambem recebeu oulros de metal pratea-
dos e dourados, qae de tal molde s5o os pri-
meiros qoe app;irecem os quaes com o semi-
crculo que fazem sobre o coque torrsam-os
mui bonitos.
(arapucas brancas
Vieram muito boas, epor isso vendem-se
a 10200 e 20 na loja da aguia branca : roa
do Queimado n. 8.
KabadHhos crespos
O novo sortimento que acaba de ebegar
continua a ser vendido como daotes 20500
e 30 a pe?a e sempre na roa do Queimado
loja da aguia branca n. 8.
Peoles enfeitados para meninas
Vendem-se na loja da agaia branca: ra
do Queimado n. 8.
Bollas de ail
Vendem-se na loja da aguia branca : tu*
do Queimado n. 8.
Bonitos poi-t-relogios
Vendem-se na loja da aguia branca: ra
do Queiuiiido n. 8.
rara mesas
Galheteiras para azeite e vinagre.
Saleras de vidro e>paliteiros de porce-
lana.
Vendem-se na loja da aguia branca: roa
do Queimado n. 8.
Lavas de pellica preta.
Cbegaram para a loja da Aguia Branca ;' a rna
do Uneimado n. 8.
Ramos de flores para coques
A aguia branca acaba de receber um un:co
cafto com ramos de llores para coques.
A poafeico e delicadeza dessas flores tem
satisfeilo a todos que as tem visto e com-
prado a 50 cada ramoisso na ra do Qnei-
mado, loja da aguia branca n. 8.
Faga favor de ler
para saber o que de novo chegou na Agu
branca a na do Queimado n. 8.
Trancas pretas de vidrinhos com pingan-
tes, e sem elles. \
Botes pretos e de cores, enfeitados com
vidrilhos tendo com pingentes e sem elles.
Alamares pretos para basquines.
Novas e bonitas guarnieses pretas para
ditas e vestidos.
Coques de bonitos moldes.
Ditos de sndalo e seda.
Ditos pretos para luto.
Enfeites de flores obra de bom gosto.
Pentes de tartaruga obras modernas, e
apurado gosto.
Pentes dourados e prateados, moldes no-
vos e bonitos.
Bonitos e modernos gales de seda, de
cores para vestidos.
Bicos de seda.eguipure.
Leques, todo de madeperola e sndalo.
Ditos de faia, os quaes fazem quatro
vistas.
Ditos todos de sndalo, e sndalo e seda
para meninas.
Bonitas cestinhas
froco
para
bordadas a
meninas.
Escovas de cabo de marfira, e madrepe-
rola para dentes.
Abotoaduras bonitas para colotes.
Brincos de corrente de bonacha, voitase
polseiras de dito.
Adereces pretos para luto.
E muitos oulros objectos que sero pre-
casa continua a ter testamentos de differentes
animaes; e folhetos de Porcina, Magalona
e te, assim como cidade de Deus, Horas da
Semana Santa, Manual Encyclopedico, Hipan-
sos, Gaminbo do Co, Horas Portuguezas,
Marianas, Imitado de Christo, Escudo Admi-
ravel etc.
Vende-se urna escrava vinda
iu Baila o. 45.
do mato : na
Feij
o
Vende-se feijo mulatinbo por ~& i sacca, ama-
relio, braneo, preto e rajado por '6> : na rna do
Codorniz n. 1S A.
Novo rap
Loja da a di ora oa ra larga do .osa-
rio n. 18 de Maooel Jos Lopes
& Irmo.
Receberam rap grosso a imlta^o do francez
da fabrica de Meron & C, do qual se vende bara-
to, assim como de ootras muitas qualidades. -.,,,
*- Vende-se nm preto de 33 annos, boa condua-
la, matulo mullo ladino, carreiro e tambem en-
tende de servicos do mar e de sidos : na rna do
Fogo o. 9.
i*:ip Paulo Cordelro c Viajado
Aloja demindezasa rna do Qneimada n. 16
recebeu nova remessa do rap Paulo Gordeiro e
Viajado, e continua a receber orlo os vapcrefpos,
NOVENAS
, DE
N. 8. do Carino e Sant'Anna,
Estao a venda as novenas de N. S. do Car-
ino e da Senhora Sant'Anna; na ra do Impe-
rador n. 15 defronte deS. Francisco.
.-
AGUA FLORIDA
cornos
Perreira & Maibens, na rua|da Cadeia do Re-
cite n. 62, vendern :
Coaros de vitell, decavallo, de vaeca' de boi e
sola envernisada, proprias para calcado*, coberta
de carros ele, etc.
MURRAY & LANMAN
Fog*os.
de artificio da fabrica da estrada de Joo de BJj
ros da vjwra Rofloo, aproorietaria desta muito
conceiluada fabrica avisa ao respeitavel publico
qne em sea estabeleoimenio existe nm completo
scrumento de rogos para & Joo e S. Pedro e de
ootros artigos concernenles a essa arte, as pessoas
pois qne qaizerem comprar destes objectos podem
deltar sna9 encommeodas no armazem da bola
amarella do oito da secretaria d polica onde
qawr nm portador qne os vai bnscarcom a malor
presteza possivel.
Ac de Milao
Nos armaren de Tasso rmos, em ennbetes de
i arrobas._________
Farinha superior
Tea para vender Antonio Luiz de Oliveira A:e
tro & C, no jen escriptorio, roa da Cruz n. i.
A agua florida de Murray 4 LanmaLd
olhada como um artigo de perfume, nao
tem podido ser igualada pelas preparaces
as mais custosas: conserva sea aroma, co-
mo se formasse parte da prenda a que ella
se apphca.
Sua eficacia to delicada, como elegan-
tes s5o seus multiplicados usos, qur seja
empregada como artigo de toucador, qur
no uso do banho, oa como uavisador ct
pello, depois que se tenba feito a ia, ba;
| para limpar as gengivas ou aromatizar o
hlito.
D suavidade, brilho e elasticidade as
compleices, depois de se baver lavado; al-
livia a irritacSo de erupcSes ordinarias; tez
desapparecer o desagradavel aspecto dos
pannos, das sardas, do rosto, rugas e toda a
casta de ebulicSes, e d vigor e frescura
parte onde quer que se appliqt'e. Sua efi-
ciencia e elegancia sao igualmente infalli-
veis nos casos em que seja preciso appiica-
la como estimulante e antisptico, nos con-
cursos e assemblas numerosas, as loca-
lidades infeccionadas, na alcova de nm en-
fermo, assim como om antidoto encllen-
te para os desmaios causados por cansaco
ou suflocacSo. Preparada nicamente por
Lanman a Kemp, Nova York, o a venda por
Caors 4 Barbosa.
JoSo da C. Bravo & C.
A venda as drogaras de A. Caors, Bra-
vo C. e P. Maurer & C, e em todos os
estabelecimentospharmaceuticos do imperio


tarto de emambue ... egunda elra 15 de Julho de 48ft7.
*
RUJl HO BROI Jf. 38
' 0 proncietarto (Teste eslabelecimanto deseja cfeaftairatteaco dos genitores prc-
ptiowoQs.Jara.o* acretadoa mecbanismoa que. continuara foraeeer.; oyqfltfes garante
ser comoseaure. da mejhoj; qnalidade possivel:
Machinas de vapor !
forca de um cavallo pukvciwu A*enores sio mui. proprias para motores de decaro-
cameutos-de algod&o ; ellas viajata armadas- e podem trabalbar dentro de 2* noras^dajais
de cnegarem no lugar. Ella* tetam todo-qnanto preciso para o trbame* .e brecaliente. As machinas maioressiO'proprias para a raoagem de canna,-, etbaieiias
que podem junta e separadamente moeroaona extecawcar. Hilas pofcpd&awlwar a
qualquer moeoda j existente sen oatra mudanca do.-qaeasabstitmcaodasrodasdaalman-
lafrai ba tambemcom moenda, junta.. Ellas tem depsitos Ugoi e boetros doferco, e
nao Drecisam para seu asieaaoaeot* dttflbra agama, qur-tte carapm, qur de alvenana;
O tempo para assenta-las.oa eee*Bde die!dia*ao-,ias, rom caws'da mortes de api-
maes ou arrombmeato'Cto.attdes, etc., garante-s&o assettameataeBrotto das Todos
estes vapores sao.siaiBliswaws-na constroccao, e se regem por quilquer pessoa otelligente,
a facidadelda cooducco ^adaespeaalmeotecooBideradajtatoqueoSoihailttgar-einiqae
oase pbssamconduzir,.qus,porrterra,;qar. embarcado;
Lembra-se aos senkeresi de engeoho qua a venda!do3>3oiae< o,'sepwoi da
ente oci*padiAne sojitrata-ment os-blo de recuperar da'maior parte da despezando
vapor, deixaado-lb.es a vantagem,de urna moagem certa e^aecelerada -; e auabaad* com a
despeza da compra continuada denovos animaes,e cornos desgostos do trabalno.qm se
tem com ellesv
Ser talvez desnecessano lembrar aos-oompradore^d vapores avaatagem^ae-laes
resulta de comprarem suas machraas garantidas e-.umafabriea, tenia-artista* cotnpe-
tentes para asseotar as mesmasVe ensinar a maneira de trabalhar oom ellas, e j prepa-
radas para arremediar qualquer-'desarranja; facilidades estas que.jamis podemleneon-
trar comprando as- aos- .simples negociantes, os qoaetfpor fatta deoobesimento.aa teria nem se qar podem garantt-lo*de-queas machinas que-veodems^ampropra^-ou
suficientes pawo-tratelho em que se qoeira-empregariags e no aso1 de desastre naoipo-
j. ;n prestar4hes soccorro algo; sendo que ainda quandcrvenltaui as fabricas, para con-
sertar as machinas alheias toraa*se-b*fprectee fa*w repentinamente moldes^amietc.
para as pecas estragadas. J numerosas vezes estes vendedores tem representada seas
vapores como senda.da forca mui superior sua-actual e verdadeira^forca ) equivoco
este que n3o.s engaa ao comprador acerca- do 4rabalbo>quft possa tirar da tambem da lugar aapagamefttode um prego exceesivo, vista da forca real da machina
que compram.
Tambem ha sempre-prompto rodas- d'agua de ferro, sariihos com cruietas para as
resmas moenda de1 canoa de1 todoio tamanho, rodas d esporas angulares^ paroec ou
coches para recebar o-cado, crivoae portas de fornalha, taixas de ferro batido/uodide e
de cobre, fPmas'deierro galvacasadas-paca purgar aaueaiv bomba*, simples; e de repu-
cbo, alambiques d reros eixeaaradasfde carro, araiteav-gcadess erwbadas a.>caaik)te ou-
tros instrumentos objecto de mecbaoistna de que se costana precisar.
Na fabrica se fazem obras novas a eocommenda e coneartos, coraia maior presteza
e solides O grande -deposito de pegas e objeetos babilitam-na muito paraestam.
O proprietario sersemp.re mui feliz de poder dar informaooes oro entereciBiente
tos senhore que saservirenr de seo prestmo.
D. W. Bowman, engeobreiv
i .1. i j .......i iifi

Tfr^TlENTdDOD' mam rarPAMS
Medico especial, conaultacea, SO* rta Vlvlenne
AVISO AOS DOENTES. HZ'ZmS? M ,thM ""**""" u
RWftK
V
*>
a
DE
1ZETEDO FLORES
R\ DA' GADEIA N. T
Madwpolo do balao.
Superior madapolSo camiseiro que val 85 a 6.
Dito que val 7 a 55. .
Chitas do lialo.
Bonitas chitas cores fixas e panno fino a 3oo e 32o rs. o luvado.
Bales de amia.
Osmais modernos Daloes de arquinhos finos, que por isto se toraam recommen-
iaveis ao bello sexo.
Ceroulas e c-.misas.
Geroulas.de bramante franceaas a liJKoo.
Camisas de pregas largas que vatom:30 a H-
As meiasinglczas do baldo.
Superiores roetes croas para bomem que valm 9)5 a 7jJ".
Routa feita do baldo.
SortmwBtode cal$as,r paletos, colletes de brim, panno fino de casernirai todo por
preco commodo> .
O BAIiiO
ende muitos outros objeetos epor iosigoificantissimos pegros.
NJEHTION BRO
^tfJ'GUER
tote u
"."SS3S
dMo do estotr cuftflo ? Usei e ibtt Ji unr-grimle' o6er de iKWC5*0 fU ..
cwr-em iiu, etfUou anda mais doenWr- -
DA MAIS a W\0*
coro radicalmente sem recahidas, Corrimios, thumdo do canat, Catarrho i*
trias Mnunaet, curando primeira a causa ^IrulenU inUmmatoria 'esgasH tftiju nuca,
con alburas vidros do nteu depurativo doingsi, para parar esaas aiaec^w, Mccar o
canal < lhe tornar a dar soa regida dou para acabar, meu excetente xabopi ao citsat* di
riABO et minha injegca.0. A cura radical, as (ENHOMfrpftftau luos brancM. aeguwi
b mm ti tlMauHyff^Wli noticia txplicativa.)
40.000 D0EN-TES CURADOS
Tirtalair tranoto dpuraTo doMaigM. Atkttfet a*m*k n i Um *>t,|i i >|glil,
prmridoi, tinu, chaaai $ affeoptt v*mrs; inmom, e toda iMMa. a panu
do mbim ale earadas eaa poaco team por mea xakom bpcativo do ajicb bmm
as**
Vapores.
Vde-se em cas de Saaoders Brother & C
do larga o Corpo Santo n. 11, vapores patentes
c&Hodos'os pfcrtences proprios para faier movdr
tras, ott qnatrb machinas para descaros algodao.
Aos igricattWBs
Scmidrs Brothers 4 C. aabam dav9Ceber d8
Liverp^dl vapars de-foc* de 3 a A, ca a lia* com-
tttdos o vtAetftHt., e rW- propridTSpaMTfzer mo-
VerTMfthiia** decarogar atgodao, podendo cada
wlpbrtrtbalhAf ate efl lAOseWas, tambcTser*"
?wrpafa enfardar algoTo^on para outro-qvalqiai^
sertlcaemqaensaftrabalhar com aniroats. O
mesmos tambenteni a venda inacSiiaa america-
nas d 3$ a O serras : os pretenoTteies dirija
t aWarfa-do Qorpo Santo n. 11.
U IW
PREPARADOR. FERRES-1A16A1ICAS
APPROVDA PBLA ACADEMIA MI MBDICIHA .
DE BRIN' D BUISSON
PaarMKitic, limad* pela academia de ItAeiaa Para
2
%
O eminente profesaor TaeraSBAD, na ultima edifb de' sen Tratad &> Thiro-
ptuliea. e Mntrfta medica, reconhece que e* ferruginoso* simples slc ratlas
veies ineifica-es pgra corar as molestias qae teem por causa o.eanpabcemmeeto
do sangne. Muitos mdicos dos mais distinctos attribuem esse m o xito 4 auaencia,
c'essu preparayoe, do manganete, que se-ache no sangne, como o tem recenhecido
es chimicos os mais peritos; semprtiotimamenteumdo como frTO.- '
E'pis,prestar-5eumvOTdadfi^erv5oaoiSrMMMiMs,ocatniaMflaaaatteaclo:
sobre- aa preparacScs segaintes.
i* Ffc ferris maugaaieos $Z.irZ'2S2?S.1
aeaMaia aa aguas mineraes ferrugiacsas.
Punas e Xarope deiedureto de ferro e de manganesfi iaaiteravBis
eontendo o>da una cinco ejiticramos de iodureto de ferro manganico indicadas i
partJeulaxmeBte as jnole*tia* Tymphacas,xactofuiosupr-naa chanada*, ea^
troaare tuberculosas. >
\%mm k laeato kkm e de mangese 1 ^TmSSSS-
i PBis de carkMte fwreomangafe ) ^i^SSSSu.
alternar estas dnas preparacOerdi da mclaores retallados?
1> Barin du Buisson desejando obter a adhesio ooaapeta do publica m*ca a
cerca do valor de saaa pjaparacoes, previae que elle as pee gratuitamente e sua
disptictt, diEigeaakhtc;
:to Pernanbuco, a tea agente geni, Mavnxer O*, pharraaceotico, rea N^va.
"t n ii i a na b u m
Verdadeiros-
Collares RoTcr
Electro MageHcoy \w*mt
Ou CollaresAoodios,- pa faitlitata den-
ticSo das crianzas contra as convulses
das masmas,a-esteicoHre norfr'escasdO
fazer qaalqaer recommaD4lao20 vista a
Fraaaisco Jtt
JRA NO*la 2*,
aa6*.cte rfeceber oAItffl^e-BiftgDffico wat-
tinlentMl ocnlos, liiihiii, btoocalos, do*al
timo e mais apurado gosto d*Earopa e oca
los de alcance para obserr^5es e par* o
tftaritimos. t
" FUVA1 m SEGUNDO
Roa d*> unelmatio n.. 41, lo ja ala
DE
Jos Biqpuvnno
Gatriteisdoreteoi'de todas, a* corea a, 80 rs.
Fraico&d-'agftauJfeClonia-oaaUo superior a50fJrt.
grrade^tilidado qoe48m prododoqiMlle $**<* ^'o "<> *>^ DO*r.
parrqHe os*tem*-api)l!tedfj (nn-^'oirww*- pew d trk0Qa branck ^"atitori go .
stancias pors-no^paTecB qtwrib hver*aw>
te s4/pii.au.rjr-iqiurp*^e*^mat.aaa-iu**
TJtfTa rj% tewunrs* pptnrenas a 480 r.. _
Frasco d'agua para liropar deotes a 500 rs..
xas o. taa; a-taaa. sofiomefits de-sW ?!"3 com colaetes Iraaeeie a 40-r*.
*!??,*T^ T ..... ~wa w< aaB*a**a^*B*Btka nin camtrsr^ttatl
fllbmhos visto- ser uta mal- que tanto os-
flagella? pois a estes,eollares acompanha um
folheto que ensina como se deve applicar, e
vende-se na loja do Gallo Vigilaute, roa
do Crespo b. 7, pelo preco dB 45000, 54
e 65000:
a
Vnde-se.na.pharmacia.de Pl'Maurer & C, raNove?/.
LOJfi Df FftZEfDAS OE JUGUSJtt POSTO 1 G.
IIEua do Queimado~ll
Loja- do Sallo Vigilante
DE
Goimares & Freilas
-RA DO CRESPO N. 7.
Os donos deste bem conhecido estabeleci-
mento, tem a honra de avisar ao respeitavel
publico, e com especialidades aos seos nu-
merosos freguezes, que acabam de recebar
um completo sortimento de objeetos de mili-
to gosto e de completa novidade neste mer0
cado e que os tendo recebido em direitura, os
poderlo vender por menos que outro qual-
quer.
Reqaissimos leques de madreperola
branca.
Requissimos leques de madreperola prela..
Lindos leques de sndalos para senhoru
Ditos de sndalos para meninas.
Leques de faias muito lindos.
Ditos de ossos.
Lindos pori-bouquet com cabo de madre-
perola proprios- para casamentas e bailes.
Lindos cintos para senhoras- com.fi ellas
e fivellas de differentes qaalidades e gosto.
Requissimos enfeites com coques e sern?
elle.
Luvas dejouvin. interarnentenova,biaa-:
cas, pretas e de cores.
Luvas de seda, fio da escocia, algodao. e de
outras qualidades para sejihora ahornan.
Lindas trancas pretas e de cores cjiu ve-
dcilbo e sem elle, assim como -lindissimas
guarnieres para enfeitar basquines e botos,
para os mesmos.
Lindas touquinhas e sapatinhos ricamen-
to enfeitados proprios i para baptisadfcs.
Meias de seda para o mesmo fim.
Bengallinha para meninos.
Lin los peales de tartaruga, massa e outras
muitas qualidades.
Muito boas e$covas para deotes, chaposi-
roupa, cabellos, unhas e para limpar pentes.
Superior liabas para crochet.
Agualba* para- o mesmo fim.
Lindos agalheiros e dedar de madrepero-
isas para segnrsrcaBetl a Z10 rs.
Duziis d peonas diariorrnrTto'ffraTa 60 rs.
Gaixas4klioba.doide 3aovllo> afiOOra.
fdem de palitos de seRoratapi* 20 rs.
Leacep daicassa coa barrapaiCG**
DuziaJe facas e garfos dcal preto a :A60O.
Garratasrde agua Khrida wr4detra?4*fXtU
Babados do Porto de todaas largaras-e todas c*
precos.
K(abarlos rom estarafas paratmeninos a 320 rs
imento da roupa de iavap a 100 rs.
Dozias de meias multo Anas para senbora a 4 00
Agnlbas fraocezas a balo (papel) a CO rs.
Pares de sapatos de tranca e tapete a 1 500.
Pegas de fitas de lia de todas as edres a 5C0 ::.
Grozas de boloes de porcelana prateados a i60i |
Gaixas com. ainneiles Iraocezes a 80 rs.
Caixas de 100 eoveopes moito linos a 500 rs.
Resma de papel de peso branco liso a 2*%.
Frasco com superior tiala a 100 rs.
Grosas de pbosphoros de gaz a 2JOO0
Pares de'botoes de punha mnito bonitos 80
Linkas etacarto de.500 jardas,a 100.
Caixa de superior linba do gaz com 50 noveHoa
700 rs.
ftlhecea pararjaHataos i-SWts.;.
tMaaao com superiores grampos a 30 rs.
Grosas de pennas de ago mnito Anas a 320 rs.
Bonets para meninos a 15.
Mentes com costa de metal a 400 rs. .
kleaiejos par meninoaia 10O rsi.
Aogusto Eorto A G. aca'iamde receber da Europa superiores cortes de seda, da coras para
bailes e casamentes.
Ricos cortes da blood cjbi manta e cplia p*,ra noiva?.
Cortinados bordados para castade bvas a ianeilas.de 7* a 80* cada um.
Colxas.deedae,outras,de.Ia.e seda o que-tw-de melner-para eamas,denoivas;
Toalhinbas. da croch paratcaieiras e sotas, e*oartilb.es>.a sottaaa paa senhoras, caaistnhas
com manguitos bordados e liados eachavaes Para baptizados, e baldas de. masselina e de arcos par,-.
senhoras e meninas.
Luvas de pellica,para h^rnern e senhoras e superiores chapeas de La para vestidosbaratiesima bonitos padr5es o covado a 280.
Tapetea$rande5-pra s^ii, dito pardipiaq^ dito* para ena po Muir.brinco e preio sjparior paravastilu- de lindos d^saohos, rosd-reaple da todas as cores la emarfim, assim COQ10 de metal,
seda de qnadrinbos. catobraias branpas^la muitas qualidades.. ditas de rese liodas percales. Lindas guarnices de botoes para COletS
Basqnines de seda preta ultima mola, chales-e reDaias da gtiipure, vndese barato. nnnhn* fl r/ilprinhn'? '
Camisas para homens Trancezas e iovlezas da llana e de aleadas 8aas e seroulis da liaba sa rr coiennuob.
periores. Ricas capellas para nolvas.
Capas de borracha, sobretuJas e perneiras as melhoras e maja elegantes. Meias de seda para senhoras.
Malas grandes para viagen*. ditas pequeas e sacco.de tapete e couro. Suoerior tbesouras para unhas, costura,
Bramante branco de i lacguras a 25509a vara, pannos pratoseazues, casamiras pretas e de .-k-ii/ nn *i
cores tndo bom e barato. coriar caDeilp, etc., etc.
Netle.esBibelaoimeBthaempre um completo^arlimento de boas (azendas tanto, para a praca i Finas navalhas cabo de tartaruga, marum
como para o eentro da. provineiaie suoeriores:objeetos proprios para casaraentos como sejam capellas, # outras qualidades.
YERDiDEIHO L RO
* ICit^aiKT, Doeteur-Hdtcln
, Ru. do Saino, S1,A PARS..
Km ca.i garrafa, val, rp're i rnllu mmI jZ)1j
que leu o iinvi :ntlt, um rululo improw <: nina-
rellocom o sE^Lu-lnisaiJ. MHmm WV**,
A'. II. nurl.
<__. trntl..:11.a r"Ilra
*V4i^ lr.:..-, ,1,.
*r%f 11 '.-.-m .>.- ,'j
O *ll.:t M........1/ |HM
a*.a. .Ilm.;ij.1f.ja.i
Maior TafiMWlw
DOCTER-MECECIM
VET PHAMACiEN
mantas, vestidos de blonde e/de meir branco, cortinados, colchas,
tambem as melbores
vendenda-sa tuda mais barato e
Esteiras e alcatifas para forrar salas.
11 Ra lo Queiutado11
"^T----
------------------!-------1------
UmaMo unic qu ow i
MMMaMk
bu rmoMei boou *m Baado. (Ki%ir a
* *wnii. u+*u !. 11a.
Yende-se na Roticatf ranceza ra Nova n. 25.
1 Mhiiiri adiro. Yead*rM
.--------
Na ra do Trapich n 16.
acham-seosseauintes devosit
De R. Brnniughans em Noits.
Bourgogne.
"inho Pommard tiMt>. -
> Cortn tinto.
Samo Georges tuto.
Chambertin'.iito.
RIchehourg tinto.
Cloe de Yoogeottin o.
Cbablis branco.
Del .WeefeuFraawferi:
Eono.
ieiienheimer.
-Liebfranmilch.
arc-jbrunner.
Em casa de iWod dhristianseB.raa do Tra
aovo n. 16, nico agente no norte do Brasil
intenhargffres, Borei*, eoceatra-se aa^
mente deposito dos artigossef ahites:
S.Julien.
S:. Pierre.
Larose.
rlnateau L*6viBe.
tean Margan*. .
id vin Cbateaa LM* <8W.
Cciteaa Lafitte.
alai Sauternes.
anSaateraes.
^tean Lataar Blancte.
teaa Y(joenr.
nac em tres qaalidade.
te doce. Pfecos de Bordeanx.
para
a 17
- Joqami ju.-e tio_icalvet Btitrao to
oo soa escriplori, roa do Trapiche
a pr rs razoavti, es spgulnte's ge'Oeros :
ha de rirwiw.xa em saceos, ig'tal a de Ha-
r.beet.
Caixis coro vinha P.,rto da ua dazia.
Vinho do Pdrto m barns da o* e t8
'Panno de aifjfodfo &t Babia proprio para sac
assncar a raupa de icravo*, da-fabrica
commendador Pedroso.
Fio da algodao da mesaia fabrica.
ros do Rio de Janeiro
rande Mm&zem de tin-j
tas meioaiiaentos etc,
Ra do Imperador n, 22.
ProdoctOs cbimicos e pharma-
ceuticos os mais empregados em
medicina.
Tintaa-para todo-ogenero de pin-
tura e para tiniararia.
Productos i3titslB3s e tintas
para flores, com* botfes de Aeres
i o awdelos em. gesso para imitar
- fructas e passaroscom o compe-
tentr desenbo.
Productos cbimicos e industriaos
para phetograftfaia,; Ufl4urwia, pin-
tura, pyrotecnia etc.
Montado em grande esealae sup-
pr direetama de Paris, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa
pode offerecer productos de plena
confianca e sat$fazr qualquer en-
commenda a grosso -trato e a reta-
mo e por preco oommodo.
mmm m\t
do assucar crystaladoda fabrica a vapor da
povoaqau da MouUirc*
u. 26 Caes 22 de Kovembr.i 26
0 novo proprietario de^te grande estabelecimento convida ao respeitavel pflblico,
que se acba de-novo unecionando fabrica do Monteiro, e que no estabelecimento acims
encontrarao sempre um sortimento de assucar crystalisado em paos e ralado que se ven-
der nao s a yarejo (isto de meia arroba para cima) como por alacayo para fra da
provincia.
_*-,-------------^~""'
l
m K\m m mimos m ig
Hita do Imperador N. t$;
:j4
Defwmte de S. Hraacisco, 1
Acaba de receber de Paris um rico sortimento de ornw.euios o ohject >s de
bronze, pratesdos edourad'-s, [Toprios de.-iyejaa eeapeHas, taes'que : c.-ntielabros,
castiga-'s cu.-tedias, turbulos, lampadas e crozes de dirersos gostos e tamaitos. Os
precos liesst gneros s5o commodos, e devena ser aproveitados.
Suspensorios de seda para bomem.
Ditos de algodao para bomem e meninos.
Requissimos caixas com msica eontendo
o necessario para costura, proprias para um
delicado presente.
Requissimos livrinbos para missa.
Lindos indispensaveis para meninas das
escolas.
Finos aderegos pretos para luto.
Grande sortimento de finas perfumarlas
dos melhores fabricantes at hoje conhe-
cidos.
E muitos outros objeetos que impossivel
seria menciona-los e que se encontrarlo na
loja do Vigilante, ra do Crespo n. 7.
CALLOS
Gentro
ao
HUNDO EUGANIE
46 VA ]\OV 1 46
THOMAZ FERREtRA DF CARVALH'3 l C-
Os proprieiarios domundo eleganteconvidam, e solicitara os amaates do bom
gosto, da elegancia e bello sexo um passeio no seu estabelecimento, onde encontrarlo
um sortimento variado de fazendas finas, de seda, 15aJ linbo, algodao, etc. etc. proprias
para o invern, ver5o, bailes, reunies familiares, visitas, passeios na cidade, nos campos,
mimos e por preco commodos, e que s com vista os incrdulos espancarao as dun-
das e receios de seos espirites I
Venham a concurrencia. Venha a concurrencia que encontrar boa f, e a verdade
do que se annoncia e as melhores tbesouras para preparar tollletes mascolinos.
No mesmo estabelecimento contina vender cha verde a libra 3.-?000 e preto a
2)5(800 a Ubra.
Iho e pe
Vapjde-se a ca terrea a roa do Pilar a.
117; as pretende we' podem tratar o a luesma rom
ca=a o. 129.
Parlaba do niuifikca saperiur.
A traur com Tasso Iroiau.'j on no trapiche Ba-
Tio do Livramew oo-Forte do Manos;
Yeade-se a casa ttr ea n. 44 da fU* de lie-
tocolomb : a tratar oa mesas oasa.
Bl para carrosa.
Ha para vender bonitos e posaaotes bois mansos
pjra cerroca : do sitio da ra do Mondego n. 2.
Vende-se
travs de qualldade de mais de 30 palmos
,sifa do Boaario b. 34.1 andar._________
Ps de coqueiTes
a 500 rs., se a compra fr mais de 100
um abitio eoio
45-Mua PireiU-45
Attenco.
Pomada-Gaiopeaupara a extraccao e cura r-
pida e completa dos'callos duros, sem a menor dor,
venae.WO?
Pharmacia e drogara
DE
Kartholoineu & Conipanhla.
34 -BA LARGADO ROSARIO34
________________nico deposito. __________
Collares Royer magnticos
lledalhas e palseiras magoeticas.
A Aguia Branca receben nova remessa dos pro-
vellosos collares Boyar magnticos, ja sommamen-
le conhecldos para preservar as coovulsdes e faci-
litar a denticao das crianca?.
Com esses atis collares elctricos magnticos
tambem nao pequeas qnantidades de medalbas
pnlseiras elctricas magnticas cuja utilidade
tem sido aproveitada por qnem soffre do nervoso
bypocondico, tremores os maos etc.
Assim como os collares Royer esto (oralmente
conbecidos e acreditados pelos efficazes efleitos e
bons resultados que tem colbido as pessoas que
delles tem usado ; assim tambem chegaram a ga-
nhar to alta reputaco essas apreciaveis medalbas
e pnlseiras magnticas, orna vez qne o aso dells
fr se estendendo a iodos qne della.3 necessitem. A
Aguia Branca contina a receber por todos os va-
pores (rancezes nma determinada qontidade des-
ses sempre precisos e estimados collares Boyar
magnticos e por isso fique na lembranca de todos
qne os acbaro constantemente em dita loja da
Aguia Branca, rea 4o Qaeimado n. 8.
Xawp e ffisfe-ft-Sem..
pipbcir* martMmq
aisadw Bajfts.sabjas mpdi
Vende-se ora terreno sito na roa do Destino com
M 42 palmos de frente e com 110 de fonda, no prio-
.cipi da roa ao entrar pelo lado do Hospicio; a
tratar na roa do Cabng loja da esquina com J.
[C. de LonaPreirp._________________________
far-ae-baf Na roa da Pilar o'.'61 vende-se' afea ierras
n. 64 da mesma roa, e om preto de naci de 90
laanas.
Pr8Barac5esjaa^
eos da Paris, com as mefp/ej, aj& fie disgjfrtas
para; a.aira^r^.de^c^ as-tnplesJws dopelt",
broafitMiiiaMt*^tiJc, asthw.e anda das
*ffecfNJ*S 'II urinarias.
nappprrn bs>bsiil
asWftna. iaraa da Bawrin U
Batatas a 600 rs. "o^50
em lljras a 4$ rs., azeltaaas. novaba rs, a.ap-
tapfa 4iL*
O
Craz n. 21 vende dlnneiro i vista superiores bor
zeguins enfeitados e lisos fiara seaborjjmenlu e
menino, palo barato preco de 11560, 2fOOO( $fr$
4*000,
Deposito na pbarmacia de P. Maurer e
C. em Pernamboco.
XAROPE DEPtlKAflVQ-'
DE CASCA DE LARA.NJAS AMARGAS
COM IQDURETO DE POTASSK)
BE
9 P. Laroze.
pharoDacemic.Q em Paris
O iodureto de potassio um. verdadeiro al-
terante, um depurador de. incontestavel efli-
cacia;. combinado com o xarope de casca de
laranjas :margas, atujado sem pertobacao
alguma pelos temperamentos os, mais fracos,
sem alterar as funccoe do est(.mago. As do-
se matbematjcas que elle contera permittem
aos mdicos de receital-o para todas,as cem-
plei?es, as affeccoes escrofulosas, tubercu-
losas, cancerosas e nos accidentes intermit-
ientes e terceiros; alm d'issp, o agente o
maispoderoso contra as doencas rheumaticas.
Deposito, em todas as pharmacias e casas de
drogarias, no Brasil.
Expedicpes, em casa de, J. P. Laroze, me
des Lions-St-Paul, 2, Paris.
A' venda, na pharmacia de P. Maurer 4.
C.a, ra Nova n. 25.
Rotondas
v>odem-se ro|ondas de fil : na ra do Livrc
ment n. 26, a 000.
Paris, 36. Rna Vivienne. D-
CHABLE MDECIN SPCAL
DAS ENFERMIDADAS DES SEXAES, AS AFFEC-
LlTAItRAS, E ALTERACQES DO SANGUK.
30,000 curas tsimpingens,
pstulas, herpes, sarna,
comixoes, acrimonia, e a-
lercoes,viciosas dosangue;
__virus, e alteracoes do san-
gne. (Xarope vegetal sem mercurio). Depurativa*
rrgetae* BAfVlIO* MINEnaES tomao-Se dOOS
por semana, saguindo o tractamento Depurativo .- 4
em pregado as mesma* molestias.
gsu Xarope Curado de ferro
de CHABLE, cura immedia
tamen te qualquer purga cao,
relaaacao, e debilidade,
igualmente os fluxos e flor*
brancas das mulhere*. Esta injeccao benigna eat-
pr*ga-s* cosa.o Xjrope da Curado de Ferro.
Hemorroida*. Pomada que u cora em tres das.
POMADA ANTIHERPETICA
Centra: as affeccoes cutneas t comixoes.
DEPURATIF
du SAIVG
PLUS DE
COPAHU
MflSfl AP 8HS> MEDIOS.
msarrhat, tossst
_ ifleaM, Miucss
neritas sai da) bron-
Mqf i todas asftoencu
hpeito; buta M doenta
ma eoifctwaa* a*te xarope l> Foasar.
Dr. amajanatea Pus*, w. wmiia, ata.
A'va^jt na pharmac^ & P. Maurer p
C.,' om Pernamiucx).
Dfi'RGET
'!*
m m m
GbagPU ao antigo deposito daJaprj porster A
&, rna da Imaeradar, *irawnimom de gu da
arimeira qaalldade.o qaal sa tanda esa. partidas a
i retalho por meaos preco do qae em qjntr* qaal
qaar parte.
Sevada.
Vaade-se sevada mnito ao'ta a 3 a arroba: na
ruaOirelta n. 30,

L^L^sisa -:^:^Mm
'! '
-
wwwwr*


MHMMflpB
a
Jarle e reruMMhBco segunda (elraift de Julii de 1867.
i
I
I '
1
ir


\

\M^ %^ mw*%^%

g
re
w
es
5
as
PHABMtt
encontra mais o seguinte :
Azeite de espermacee propria para machi-
nas.
Vapores de forca de 3 a 4 cavallos.
Serras avulsas para machinas.
Mandes e todos os mais pertences para as
mesmas.
Carros de m5o para aterro.
DE
Joaquim de Almeida tinto,
A jurubba contra o ingorgi-
tammto o fgado do bagn.
En extracto alcor Ileo, emplas-
tro, oleo, Hartara, plalas,
sarape yIdtio
A jurubba ama das substancias medi-
camentosas que pertencem ao reino vege-
tal, e pertence a classe dos tnicos e desobs-' Cylindro para padarias.
truentes, sendo empregada com vantagem Debulhadoree-para mimo,
contra as febres "intermitentes acarapachadas' Arados americanas,
de engo gitamento de figado e-de bacp. Ella Garrinhos proprios para armazns.
tem sido apphcada com ncontestavel pro- Moiobos para rena^So.
veito contra a anemia ou chlorose, e hydro- dem para m'ltw.
phesia, catharro da bexijja, e mesmo para Escadas de madeira americanas,
combater a menslrua'cao difficil, resultante
da mesma anemia ou chlorose.
\Ijeposilos geraes
Em Pernambuse, ra larga do Rosario
n. 10, Rio de Janeiro, pharmatia do Sr.
Dourado, Rio Grande do iul, em casa dos
Srs, Cascao & C.IHatei.-pbarmacia do Sr.
Claudino, no Havre, pliarmacia de Mr. Ma-
rica!, em Lisboa, na pharraacia do Sr. Feij.
ANDE SORTIMENTO
......... .....___ DE
FAZEITDA BIRITS
A
LOJA e armazem
DO
i-^i* Am. ff ^de sortimento das melhores machinas, americanas ara desearroca
T
se
Roa da kiperatrh n. 6k
JAMA 4: SILVA.
!_~ ^^'Pwpri^^^^^^P^^eeflableelmttito'aeabam'de receber da Europa tro
grande sortimento 4 melhorw fazendas de 15a, mfto, algodSo eseda, as quaes vendem
por precos .banliuimos, afim-de apararon dinheiro, dando de todas -ellas amostras,
deixanaoficar um penhor ou mandam-nas levar em casa das Exmas. familias peles seas
caixeiros, assim ooaao >siessoas que negocianyem -pequea escala, ueste estabelecimen-
to comprarlo pelos mesmos precos que se^eempram as casas inglezas, ganhaado-se
apenas o descont.
Caixas com vidro sortdos.
de todas as qualSades.
Bombas de japyz.
dem americanas.
Ferros para engommar a rapar.
Vassouras americanas.
Baldes americanos para compras,
Tinas de madeira.
Ballaios e cestas de verguinba.
Guarda comidas.
Peneiras d'arame para padarias e refinacer
Correntes para almanjarra.
Machados e faces americanos.
Barricas com mi loo branco americano.
No aruhazem de fnztnda dt
ra do Crespo n, A. esquina da va lsi#erador
Castodio Jos* Uva Ouimais^
Caemlm pretas enTestada a I 6eo.
Na laja do "Pavo vende se superior casemifa
ewesiada preta "para caicas < paletos elo borato-
pre?o da 1*800 o covado ou a 8*800.cada e rte
de calja, dit iiioitD mais Boa, covado a 30
o o corte a 3*500, ditas muito ftnas sem seren
entestadas a 1*809, 2,5000 e 23500 cada covado :
na toja e'-*rmasmm roa da Imperatriz
o. 60 de Gama & Silva.
As casemiras do PavSo corte a 35500.
Vendeto-fe boortet cortes de case mira* de cores
escuras itroprios i;ra . barato preco de 3*500, o.a o covado a SJOO, sea-
no entestadas, asim orno benitas meias eximi-
rs escaras com msela de seda a 640 rs. o cavado,
oiea0'0 cottt decapa, sendo fazewia at'Bnito
proprja.para es.meoiQQs ,que frecuentan) a escola,
isto na Iota e armazem do Favao na roa da Impe-
ratriz n. 60, de'Gataa & 9ita.
CtlffzfM parabalas
" so na lo ja do pnvSo.
VeDdem-se 'peras de celeiis de algodo, sendo
ahsmaletada e;reuito propria para saias oa oulra
qualqu?r espeoa de roupa braeca, telo barato pre-
?o de 4OC0 rs. a peja com 10 var*s, on retalba-se
Para cama* de nolvae.
Vende o Pavao.
Rie*5 cortinados bordados a 8J00Q, iO*, 16*
>iQ> e'25* o par; assim como os me.-mos tambem
servern -para janelias; ditos adamascados a 10 e
125; bonitas pecas de cassas adamascadas para o
meemo effeito; 'benitos damascos Ae lia de ama
e daa larguras, preprios para colchas, assim no-
mo bonitas colchas de croch : ta|u i.-to se vende
mais barato'do 'qoe -em tntra qnaiqneT parte, na
loja do Pavio, roa da tmperatrir n. O.-de Osraa
wNmu
Caas de cor a 24e rs.
Vttude-sa um bonito sortimento de cassas de
cre, pelas .bacatissios .praees de 240, 280 e
.0 rs. o covado, astim como nm bonito sorii-
imento de cassas fraoeetas com listas largas a 800 nharmar-Ja de J A
rs a vja,'fimssBo oreandys mausados a i, na l
loja e armaaem do ParSo, roa da Impetatrii d.
60, de Gama ;& Silva. .
Orgaddy a 40OOO.
Veudem-se bonitos cortes de organdy
sendo com listras todas brancas ou com lis-
tras de cores tendo oito varas cada corte,
Jaropee vlMho ferrnglaoso de
jnrabeba eottipyrophosphate
de ferro.
Chlorose, anemia, escrfulas, rachitismo, blennor-
rbagia, leacorrba. febres intermitentes a ame-
mrrha (men^ruacio idolorosa e irrega.ar-
etc, te.
Ha muito qae tinbamosem vista associar o .'erro
as nossas preparaedes flejorubeba mas levamos
tempo a esperiroentar qoal a preparucAo ferrog>-
nssa, que mais conviria .ao organismo humane,
vindo por nm a decidir nos pelo pvrcphos(.nato
de ierro, com o qnal pdeteos prepara r o> n
xarope e vinbo de jnrobeba ferruginosos.
Temos A observar, 'porro, que xoso dos medi-
camentos de jarabeba com o pyrophospnaio de
ferro nunca pode occasionar a pbtysica nas pes-
soas anda as mais delicadas, como umitas Veaes
tem a ontectdo atea pesseas robustas, qoe se nao
servido do mesmo medicamento -preparado eom
outras substancias farraginosas, po. isso qoe o
phusphoro debaixo da ferina-de pyrophusphatc e
um Tnelo prophylatrto reconbecdo iniallivel con
ira esta terrtvel afleccio.
Ae preparacoes -de jurubba, a-que bavemos ae-
soeiado o pyropbospbato de ferro, o urai provei-
tosas.no tratamento das molestias das senboras,
taes como a chlorose, anemia etc.
Estas molesQas'manffestam-se com -es symplo-
mas seguimos :)estt>rameDto eral da ipelie e
Jas membranas mucosas, magreza, mchaoo das
faces e das pernas ; ejeitacio nervosa, hysleris
roo, melancola, fleblltdade mnseclar, dores ce-
vrelgieas^nlso mais freqoente do qoe no estado
de sde, aler febril, pelle secca, appatites de-
pravados, vmitos, prisao de veeue, aeostroaeao
dolorosa, Irregular, pouco abundante, descorada,
nulla, flores brancas, amenorrhagia e infecondi-
(Me.
Dsie estado espantoso,'a Ms to 'Ordioariaa? ote
reconhecidoBtre tos em crescido numero i se-
nhoras, desapparece s com o prudente riso das
preparacoes cima.
nico deposito destes medicamentos:
Pinto, ra larga do Ro-
sario n. 10. em Pernambuco.
a 440 rs.a v3ra:' na id}a o aTmaiem do 'Pavj pelo barato preco de k&, pecbincha: na
ra da -impentficii. 60. am^ silva. loja a armazem do Pavo uta da Iaperatriz
saias econmicas a 3*200.
S na leja de-Ravso.
Chetee e grande 'sorumeoto destas novas aiu
^'escuras preprlas para tempo de invern por evita-
n. 60 de G ma e Silva.
Chitas a.200 e 240 rs.
Tendem-se chitas inglam de eori fixa
Sant S Coe(hoyrua do Qwi- sortimento defazendas finas e da ultima moda em Paris,
mudo n 19. I 'A-0:.-'. _??!,e SaDt'ABna Por isso apressa-se em
Han e barato
para vestido
Tendo recehidn wirfirpit'np3^"in~^/frnTIl"T. j i- Tm ^a< "^"bMnoas'cpm que umas.-nuora'peloba#aio trfco dt ift& e %U} n ...ova
""#"-[_!: -. alren Ta P*l T^P "aneez Etircma&re, uto variadsimo vae wmptisia no se soje de lama aomwmo tetn- do: na loja e armazem
e com e?pecialidade aos seus numerosos freguezes, <
, moderno neste mercado. Como sejam :
Cambra.a de edres matisadas fln.ssimas a; Riquissimos cortes de seda
Ideo brancas transparente finas de 4, Lindos cortes de ^,3^^
5q, Cd, >, ou e ofioOO a peca.
Bales de arcos para senhora a 25500.
dem de arcos de cores a 3500.
dem de arcos brancos nesgados a 3.j e
3,5500.
dem de mursulina a 5$.
Id m de mursnlina para meninas a 3$ e
30500.
dem de arcos para meninas 10600 e 20.
Cambraia de salpicos branca a 45500 a
pe?a com 8 1/2 varas.
dem admascada para cortinada a 125 a
peca com '20 varas.
dem para forro a 35 a peca com 10 jar-
das.
Retondes de fil a 65.
Chales de fil a 55.
Lencos de cambraia brancos finos a 15800,
25 e 25500 a duzia.
Lencos de cassa fimssimos a 35200 e
3560j a duzia.
Cambraia de linho mnito fina de 65 e 95 a
vara.
Madapoles finos de 75, 85, 95,105,115
e 125 a peca.
dem enfestado muito fino a 95 a peca
com 20 varas.
seda, pelos
baratissimos pregos ie 255, 305 e 355.
Cortes de blond para noiva, trazendo cada
corte saias .*, etim, capella e veo.
Ditos de dito" com pequeo toque a 405
e 505.
Moireantique branco, azul e preto.
Seda branca para vestidos denoivas.
Grosd .-aples de todas as cores.
Riquissimas basquines de seda preta, bor-
dadas com gosto.'
Lindos cortes de la com barra e de ulti-
ma moda tendo cada corte o seu taurino.
Riquissimas cortes de vizita. laa cora lis-
tas de seda para vestido, esta fazenda re-
commenda-se muito por ser inteiramente
novidad'1
Ditf da mesma qu^lidade form em pecas.
Requissimo transparent de seda para ves-
tido de senhorastambem novidade.
Riquissimas gravatinhas para senbora.
Ditos cortes de barege e de 15a para ves-
tidos.
Lindas chapellinas de seda para senhoras.
Ditas ditas dedita-para meninas.
Chapeos de palha para senhoras.
Riquissimos chapeos de sol parsitas.
Ditas de algedo de dlfferentes qualida-
des e pre?o para honiem, senhora e enancas.
Luvas de todas as qualidades.
Madapolo francex'O fue de mlhor
no Btfrcade.
Orgadv ** vmmt.
Dito de urna cor e com listas da mes-
ma cor.
Chapeos de seda para homem.
Ditos de phaDtasia para homem.
Casemira preta ioito fina.
Ditas de cores inteiramente novidades.
Chapeos de sol com lindos castoes.
Toalhasde labyrintho muito ricas.
Ricas froribas de labjTinto.
Riquissimos lencos de dit.
Espartilios.
Vendem-se magnficos espartilhos francezes e
Ingieres na loja eTTnraifem do Pavao, na roa da
Imperatrk n. 60. de Gama & Silva.
PANNOS DE HROOE*.
Veade.se um grande sortimento dos mais beni-
tos pannos de ebroeb- proprios para cadeiras, so-
Vendem-se meias inglesas para homem a
Perfuman finas,
INGLEZAS DE GOSNELL & C.
E FRANCESAS DB E. PENAD.
A antiga e bem conhecida loja de miude-
zas ra do Queimado n. 1, c ntinu.- a
estar provida de finas perranarias de diver-
sos fabricantes acreditados conv snel e
Penaud, sendo deste, excellenta- extractos
para lencos, agua de GoJonie, oleo, bna,
tcosmetique para cabellos, opiatc ^s Jn
T, dentes, sabonetes para m5os e terba, ele.,
a etc.; e daquelle, superior agua de Colonia,
opiata ingleza e pos para dentes. Alm dos
mencionados objectos ha muitos outros qae
por suas boas qualidades e bonitos vasos,
55000 a duzia, ditas para senhora a 45000 :! aVhnm
na loja e armazem do Pavao : na ra da ,?:
agradarlo completamente aos apreciadores
Imperatriz n. 60 de Gama e Silva.
Chafes baratos
125, H10,'05 e 75000.
Vendem-se chales de merino estampados
pbs, cadeiras de balaco, para alicoradas, e."para |a 2*> *tos li808 a 35500, ditos estampados
por precos baratos
roa da Imperatriz
cobrir presentes, e vendem-se
na loja e trnuiuai -do Pavo,
n. 60, de Gama & Silva.
FAZEXDAS PARA LUTO.
Loja do favo.
Veoe-se setim da Cbina preto seudo nma a-
Lenda muito leve e sem lostro com 6 palmo*de
largura proprio para vestidos e rotrpas pra ho-~
mem pelo barato preco de 2000 o covado men-
n preto enfestado muito bom a 15600, superiores
finos a 55500, 6& 65500, ditos crepon
com listras de seda a 75500 e 5000,
pecbincha : na loja e armazem do Pavo
ru da Imperatriz n. 60 de Gama e Silva.
As 10 mil varas de cambraias
Covado 300 rs. vara 500 rs.
So o PavSo
Vendem-se finissim cambraias france-
Platilha de algodio superior fazeada para 'JSjS!iS^f ^ CqUe e SaC3ta'
saias a 35200 apeca co 10 varas "trmente nov.dade.
Cobertas de chitas da India, muito grande!
a 25600,
Lences de hamburgo fino a 25400.
dem de bramante a 35200.
Pannos adamascados para cobrir mesa a
45500.
Guardanapos de linho adamascados a...
35500 a duzia.
Atualhado adamascado com 7 1/2 palmos
de largura a 25 a vara.
dem adamascado de linho com 7 1/2 pal-
mos de largura a 35 a vara.
dem trancado de algodo a 15500 a vara.
Algodo enfestado com a mesma largura
a 15100 a vara.
Toalhasalcochoadas de linho a 115 a duzia.
dem com pello a 135 e 145 a duzia.
Fil de linho liso a 800 a vara.
dem com sarpieos a $00 *a rara.
Grosdenaple preto superior de 15800,
25 e.2550O o covado.
Morantiqoe preto superior a 25800 o co-
vado.
Flanella de todas as cores a 800 o covado.
dem branca a 600 o covado.
Rramante de linho com 10 palmos de lar-
gura a 25500 a vara.
dem de linho com 5 palmos a 15200 a
?ara.
dem de linho com 3 1/2 palmos a 800 a
vara.
Assim como outras muitas fazendas que
se vende por menos que em ootra qualquer
parte, e d-se amostras de tudo,_____.
Panha de mandioca a 380 o sacco : no
armazem de Candido Alberto Sodr da Molla na
travessa da Madre de Dos n. 14.
Riquissimos leques de madreperola.
Ditos dito/de sndalo.
Luvas de Jouvin preta, branca e de cores.
Chales de seda.
Ditos de cachemira.
Riquissimcs manteletes de cores, inteira-
mente novidade.
Riquissimos cintos para senhoras.
Riquissimas fivellas para ciertos.
Riquissimas cobertas de ponto de crochet.
Meias di1 laias para padres.
Ditas-de la para padres.
Ditas de seda para senhoras.
Ditas de dita para creancas.
Rendas.bicos da trra egrades para lencos, bombazioas pretas a 15600, i800 2*000 rs. o;?.", m mm2 e 8raa<*as e com
Urna requissima toalha -toda aberta de la-' covado, superior cantao a 15*00, lanzinba preta "Daos desenos de fio es e palmas, sendo.
bvrtntho o que ha demelhor neste eenero lisa a 4C0 e500rs- o covado, om grande sort-1 todas com as cores mats modernas eraais
Peitos de nbo bordados para'camLs de o?;l2;& P^l3"
noivos. 1 s?H5X^0tSSTSSXSSSStrat0Rde?rsv^^oaAa fa
Collarinhos de linho inteiramente nevi- co.e d Gama & Silva. jvara grande pecbmeba attendeado a
dade. Rramante de linho. j grande porco, que tem, sen5o seria para
Dr,h a it:k. ,k- Vende-se superior bramante de linho com dez. muito mais dinheiro : rsto na loja e armazem
punnos v, gonintias para senhora. p^os deiargora petos baratos pre?os de 2500, 'do Pavo, ra da imperatriz n. 60 de Gama
Riquissimas saias bordadas. 25 Riquissimns cimisinhas para senhora. b^nM1 paia enges, toalhas e sereoias, pe-
Cassas muito finas e inteiramente novida- Z^L^^l^^d00 eJ^l JLIHg
des.
Riquissimos veos e mantas de blond.
Ditos chales de toquim.
Fil de liaho, liso e de salpicos.
' Fil de seda, dito e de ditos.
Espartilhos para senhora inteiramente no-
vidade.
Lindos bales'4e la para senhora,
Ditos de dia para.meninas.
Ditos de muculina para senhora.
Riquissimas vestimentas para baptisados
conlendo, chapeosinho. sapatiaho, meiasinba
e camisinha ricamente bordadas.
Ceeiros bordados muito finos. ,
Um rico lencol de labyritlio, proprio para
casamento.
Chitas, cambraias, madapoles e muitos
, gas de Hamburgo de linbo muito
rs. a
superior a
Chales de renda a g.
Vendem-se benitos chales pretos de rente ene-
115 e i?5, afgodaozitrtio infestado liso muito eu- ^a(los ltimamente pelo barau preco de 45 : na
i corpado proprio para lences a vara a 15, dita en
! trancado muito superior fazenda com a mesma
largura a 15-00 a vara, assim como mais umi n-
finidide de fazendas brancas que se vendem mais
baratas que em outra qualquer parte s com o m
de apurar dinheiro, na loja e armazem do Pavie,
ra da Imperatrizn. 60 de Gama & Silva.
Lencas brascos
a 25ooo/258oo e 35200.
laja-e armazem do Pavo, ra da Imperairlz n.
de Gama & Silva.
\'ovos vestidos a 6000.
Na lojb do Pavo.
Chegaram os mais modernos e bonitos cortes
de organdys para vestidos, tendo 10 varas c da
corte, sendo 7 varas listadas para saias e 3 varas
sem listas, mas com enfeite para o orpo (ou ca-
saquinbo) garante se neste genero ser o mais mo-
Vende-se um grande sortimento de lencos de! derno 9ue **m vnli ao mercado, tendo entre el-
cambraia branca pelos baratos pregos de 2000 e les ?u,tos br"s com listas e enfeites pretos, e
25800 a duzia, assim como ditos com lista de cd- vendem"se P^0 baraw prego de 65, otucameote
re, flxes em rolla, tanto proprio para borneas eo- "'J ao paVa0 r da Imperatriz n. 60, de
mo para meninos^ que se vendem pelo barato va*
pre^o de 35200 a duzia. ditos grandes de cassa li-
za que se vendem a 500 rs. cada um, na loja e
armazem do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Hiidapolo pecbincha a 6
Vende,m-se pecas de madapolo sendo fa-
Rl
Lourenco JPereira Meudes Guimares.
Boias
Vende-se na fundico da Aurora em Santo
Amaro, 2 boias de folha de ierro de 3 [8
grossura, com fundo semispberico e altura
cnico, tendo 15 1[2 palmos de alto e 6 3f4
ditos de dimetro com olhaes manilhas e .2
balas de ferro fundido para amarraco, etc
|emekds do Br. J. C Ayer, ei-lento
ia Usiversidade de Peosylvania, nos
Estados-Huidos.
Exir?)eto comporto de salsa-par-
rllha de Ayer.
Pello ral de cerej*.
Remedio para sezoes.
Pilo i as eatbar ticas.
O deposito central para as provincias
Pernambuco, Alagoas, Parahyba e Rio.
Grande do Norte, des les remedios Ufo fa-
voravelmente conbecidos e acohidos em
todas as partes da America do Sul e do
Norte, acha-se em casa de Theod Chrl-
tiansea, 16 ra do Trapiche en
Pernanboeo.
Os precos de
335 por duzia de astracto de salsa-parfllha.
275 por duzia de peitoral de cereja.
275 por duzia de remedio para sezes.
75 por duzia de pilulas catharticas
te entendem dtoheiro Tlata, coa
o descont de^5 por cento em qnantidadei
de 6 a 12 duztas, e de 10 por cento em
qoantidades superiores a 12 duzias.
outros objectos, qu se deixa de mencionar.
O dono' -deste mtportantissimo estabelecimento contina nos proposito de que- zenda muito superior com 24 jardas cada
rer vender muito e ganhar pouco, para o que sugeita-se a ganhar nicamente o descont.. peca peto barato preco de 65, dito muo
mais superior a 65-J00 e 75, assim como
dito Onissimo a 85, grande pechincba : na
loja e armazem do Pavo ra da Imperatriz
n. 60 de Gama & Silva.
As chifcis baratas
Na loja do Pavo a 240, 280, 320 e
360 rs.
Vendem-se-urna grande porcao de chitas
finissimas com pequeo toque de mofo, ten-
do miudintias e gradas, que se vendem pelo
barato preeo de 280 rs o covado, sendo fa-
zenda que val muito mais dinheiro, ditas lar-
gas e escaras sem defeito a 240 rs. o cova-
do, ditas preclaras escuras e alegres a 320 e
360 rs., tudo isto pechiocha' na loja e ar-
mazem do Pavo: ra da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
Para calcas
Vendem-se meia casemira muftoenaorpa
da e escara pelo barato preco de 320 res o
covado on a 15*20 /rei o corte de calca,
sendo fazenda propria para calcas, paletos e
coletos, grande pecbincha na loja earma-
zer, do PavSo,_rua da Imjeratriz n. 60, de
Gama & Silva.
Chitas p'-etas a 160 e 200 rs.
'Vendem-ae chitas pretas inglezas com.sal-,
piquiohos-a 200 rs. o covado, ditas lizas a
160 rs., no armazem do Pavao: roa da Im-
peratriz n. 60, e Gama di Silva.
io,
Proprietario das lojas e armazns da
Arara, ra da Imperatriz
ns. 56 e 72.
Tendo recebido pelos ltimos vapores da
Europa diversas qualidades de fazendas do
que faz ver ao respeitavel publico, vende
barato s afim de aparar dinheiro, como
nenbum outro.
Attengo.
Chitas a 160 rs o corado.
Vendem-se chitas em retamo .a 160 rs. o
covado.
Ditas em peca a 2O0 rs. o covado: roa
da Imperatriz lojas da Arara ns. 56 e 72.
Panno preto fino a 15600.
Vende-se panno Jincpreto para calca e
palitots a 15600, 25, 25500 e 35000 o co-
vado, cortes de casimira preta para calcas a
35, 35500 e'45000: ra da Imperatriz lojas
da Arara, os. 56 e 72.
MOCAMBIQUE A 400 RS.
Vende-se ama nova fazenda com palmas
de seda por nome mocambiqne para vesti-
dos de enhora a 4Q0 rs. o covado : roa da
Imperatriz lojas ns. 5G e 72.
Baldea a 25000.
Vende-se bales de arcos de todos os ta-
annos a ,25, 35 e 355CQ: ra da Impera-
triz lojas da Arara n 56 e 72.
L5azinhas a 200 o covado.
165, 185, 205, 255, do tf.timo gosto: ra
da Imperatriz ns. 56 e~72.
Madapolo de 24jardas a 45000.
Vende-se pecas ido madapolo com 24 jar-
das a 45, 55, 64, 75, 85 e 105000: por
estes precos s na Arara ns. 56 e 72.
Algodosinbo a 35 a peca.
Vende-se pecas de algodosinbo a 35, '45,
55, 65 e 75000 o mais barato que se pode
vender: na ra da Imperatriz ns.. 56 e 72.
Gotim e castor para calcas a 800 o
corte.
Vende-se corte* de cotim e castor para
calcas de homem a 800 e 15, ditos de brtm a
15280 e 15600, ditos de brim pardo liso a
15200 e 15400: ra da Imperatriz lojas da
Arara ns. 56 e 72.
Bareje com listas a 32o.
Vende-se bareje com listas para vestidos
de senhora 280 e 320 o covado.
Jjasinha escocesa a 280.
Vende-se lasinhas escocezas para vestidos
de senhora a 280, 320 e 400 o covado: raa
da fmperatriz loja e armazem da Arara ns.
56 e 72.
Roupa feita nacional.
Vende-se palitots de panno fino, saceos
fraques, a 55, 65, 85 e 105; ditos de
casimira de cores a 45, 55,65, 85 e 105
72.
coletes de casimira a 35, 35500; calcas de
Vende-se'lasinhas para vestidos de se- brim pardo a 15600, 25; ditas brancas de
nhora a 200, 240, 280, 320, 400 rs. o co-ltate a 3580T>e-i5; ceroulas;ati5, H(5600
vado: s na ra da ImperatrU ns. 6 e e25; calcas de castora40280 45600.
' Palitots de alpaca branca e de cores a 40, j0''
45500, e pretos a 35, 35500 e 45. Palitots ""las
de brim a 25, 25500: ra da Jmperatz
ns. 56 e 72.
Cobertas de chita da Arara.
Vende-se cobertas de chita a 44800, 25,
25500; ditas de 'damasco a 45; ditas de
fnsto a 65 e 65500: ra dataporatriz to-
jas da Arara os 56 e72. ,
Vende-se'bremantes -para teacea-a 853(80
e 25801 o covado ; e muitos outros objectos
que seria enfadonho mencionar.
Ra da Imperatriz ns. 56 e 72,
-Chitas rancezas finas a 240.
Vende-se chitas francezas largas a 240,
280 e 320 o covado: ra da Imperatriz
lojas da Arara n. 56 e 72.
Chales de merino a 25ooo.
Vende-ee chales de mir'm estampadas a
25, 25500; ditos de la a 15000, ditos de
phantasia a 15000 : ra da Imperatriz lojas
da Arara n. 56 e 72.
Basquinas a 145000.
Vende-se basquinas ou casaquinhos de
Grosdenapoles preto para senhora a 145,
Atoalhado.
Vende-se superior atoalhado de algodio ada-
mascado com Pito palmoi de largura, vara 2J,
dito traneadosem-er adamescado vara a 1#800,
dito superior de linbo adamascado vara 2800 e
35, guardanaaos M linho cr que slo os mais
econmicos a 34 a duzia, na loja e armazem do
Pavao, ra da Imperatrii n.0, de Gama & Silva.
eom mofea 280 rs., m laja do
Pifio
Vende-se ama grande porco de chitas
francezas com muitos bonitos desenhos, pelo
barato preco de 280 rs. o covado, por ter
um pequeo toque de mofo, sendo decores
seguras e garantindo-se que soltam o 'mofo
logo que se lavem e a nao teiem este pequeo
defeito seriam para 400 rs. o eovado, esta
pecbincha acha-se nicamente na toja ear-
mazem, do Pavo : ra da Imperatrizn. 60,
de Gama & Silva.
VENDE-SE
Motores americano^ para dous cavalto?.
Dito dito para quatro cavallos.
Machina? para descarocar algodo de 14,
*8,20 30, 38 e 40 serras.
Prendas para enfardar algodo fazendo os sac-
eos com 6 palmo de cempriroento com o peso de
130 e 200 libras, viudas u!timamente da America
no armazem de fenry Forster & C, no caee Pe
dro II o. 2 junto ao abineie Portuguez._______
Grande reduccao
NOS PRESOS DAS
Preparages
DE

Laminan \ Kemp
Salsa parrilha de Brlslol duzia 335.
Agua Florida de Murray & Lanman 105-
Anacahulta peitoral d9 Kemp 22#.
En qoant a agua florida preciso a maior cau-
tela contra as faisicacdes fraudulentas franeexas
as verdadeiras preparacoes se vendem no nico
deposito ma do Trapicne n. 8.
XAROPE
DE CASCAS DE LARANJAS AMARGAS
e P.P. Laroze, pbarnaaoeutlen
em Parla
35 annos de sncrfsses attestam a saa editada,
como:
tonteo excitante, para ajudar asfuBc-
{5es do estomago, assim cmodos intesti-
nos, e curar as doencas nervosas, agadas -en
ebronicas.
Torteo anti-wwvoso, para curar os incom-
modos percursores de doencas assim evita-
"das, epara facilitar a>digestao.
antihpwiobico, contta os calafrtot, oalo-
res, com ou sen mtermittenci as, eqaeteem
nofespeciflcos as substancias amargas; tam-
bem lefficaz contra asgaatrites-easigas-
tralgtos.
tontco reparador, para combater aex-
'haustaco do sangue,'dispepsia, anemia, es-
gotamento, inappetencia, tanger etc.
Deposito em todas as pharmacias e casas
de drogaras ao Brasil.
Expedic5es, em casa de J.P. Lazore. ru
des'LTons-St'Paiil, 2, Paris.
Deposito em Pernamboco, pbarmaciaSe
n. Ulaarer &. rae Nora n. f8.
DO PEITO
AtI importante
Os nicos verdadelips carones de bypophospnl-
ios de soda, de cal e de ferro do Dr. CborehtiPtra-
Sm a fir quatro vezes repetida deste saWo me- famtono >uo cawo: (COsta qnetransita
dicosobreoiabserlpte abarca de fabricada Trombeta^CoIloniaJfc Ptmentefras Leopolpi
Pharmacia Swann, 12, ma Castiglione, Paris.
Acha-se a yenda em frascos cuaadrados com o no-
me do Dr. Courqhill no vidro. Preeo 4 francos em
Paris : Com csfrnr?o
Yende-se em casa de P. Hanrer a C
Fwellas e fitas para cinto,
Na antiga loja de miudezas ra do Quei-
mado n. 16, encontrarao os pretor-'sotes
nm bello sortimento de velas e fitas para
cinto, sem que esqueca os lindos pentes
prateados, com fitas pendentes e sem ellas,
sempre a contento do experieote freguez
que se dirigir dita loja de miudezas:
fa do Queimado n. 16.
Diferentes objectos
expostos a apreciaco dos esclarecidos fre-
guezes qae os quizerem comprar; na ra
do Queimado n. 46.
Bonitas caixinhas de madeira cora fecha-
dora, proprias para costura.
Outras ditas com arranjos para costura,
Sapatinhos de setim e merinos para bap-
tisados.
Meias de seda para ditos
Tocas e chajieosinhos para ditos.
Tercos de madeira, osso, cornalinas, obras
mui perfeitas.
Alfinetes de osso com bonitos moldes,
obras de gosto para peito de senhoras.
Ditos pretos para luto.
-Meios aderecos de madeperola.
Porte jupe ou suspende saias.
Lencos bordados para senhoras.
Brincos pretos, pulseiras e alneles com
camafeo, tudo para lato.
Froco grosso de la, para differentes os.
Bouecas mansas e choronas para crean-
cas.
Gestinhas proprias para cranlas e no-
necas.
Bandejas pequeas para copos. -
Bonitas e modero chapelinas deseda
para seobaras
Na loja de miudezas ra do Queimado
n. 16 vendem-se bonitas chapelioas de seda
mui bem enfeitadas e por precos rasoaveis.
Enfeites de flor s a imitaco de chape-
Unas
Vendem-se esses bonitos e modernos en-
feites de flores a imitacSo de chapelinas: aa
ra do Queimado, loja de miudezas n. 16.
Differentes objectos
Veudem-se na ra do Queimado, loja.de
miudezas n. 16.
Gravatas brancas de cambraia para noivos.
Gravatas brancas de setim para ditos.
Besas Camelias, ramos e caixos de flores.
Papel para rosas e folhas para ditas.
Lencfls de cambraia fina com barras de
ores, sendo
Para homensa 3*600 a duzia.
Para meninos a 800 rs. a duzia.
Vendem-se na roa do Queimado, loja de
miodezas n. 16.
CUerrohos- de linho
obras de ultimo gosto.
Vendem-se na loja de miudezas; ra
do Queimado n. 16. "
CABIDES POBTATEIS
TORNEADOS K BNVERNIZADOS.
Vendem-se na loja de miudezas:
do Queimado n. 16.
raa
Caixinhas
loja de
com pastilbas de cheiro para
queimar-se em lagar
de incens.
Vendem-se na roa do Queimado
miudezas n. 16.
PASTILH AS ODOBIFUMANTES,
Essas cheirosas pastilbas sao sempre
apreciareis, e com especiahdade no corren te
mez, porque servem para perfumar os ora-
torios ou altares em qoe se resam ou can-
tam loavavelmente o Mez Mariano, es-
tas vendem-se na loja da Aguia Branca: a
roa do Queimado n. 8.
Escrayos ugidos
Contina a estar fngido o escravo Leciami
enoulo de idade pouco mais on menos 29 a 30
aunos, baixo e grosso do corpo, rosto omprido e
carnudo, nariz cbato, cabellos carapinbos, beieos
grossos, barba*), ae vetea- a 9-jde'#lfode,olbos
peqoenes; muito Jadino, irabalha de sapateiro,
transita em
" wna e
nos engetos Candati\ e S. Benedicto :" capturar leve-o ao seo Sr. o capitio Jas Candido
'das Neves no engenbo Papagaio, termo de Porto
Calvo, ou no Reeife na rna do Apollo o. 32, qae
era generosamente gratificado.


Diarlo de Peroambuco Sexuada Iclra 15 de Julho de 1867.
-
LITTERATOBA.
queja naquelle lempo existia alii o tal fuoc-milia. N5o tarda que a justica venba le-
cionario, visto que j o hayia nos demais vantar'os sellos, e vocemec nao deve fazer
coQselhos da Franca, anteriormente o mo
Tres paglaas
Da historia de urna familia.
(Conclusao)
Eitavamos em setembro, e nos aiegretes
dos Srs. de Arthus. Assim mesmo resta-nos
ajnda o testamento.
esper/r os seus empregados.
Quanto a isso, Sr. Paulo, pode flar-se
em mim. As taes cataplasmas vermelhas.
A este tempo foi Dalbert ter commigo ;' nao servera seno para sujar as portas! Quan-
repeti-!he sem demora ,o que ouvira. do as vejo logo de manbSa, fleo desesperado.
Tenho urna idea, disse-me elle, e vou' Alm disso se ahi vier o Sr. Verconrt.
As borbdletas voejavam executa-la immediatamenle, porque nos pode nao se esqoeca de Ihe dizer que fomos para
At vista; e
para o fim da
e n'um ino-
n'M ainda flores. .
mu bandos em torno dallas, abertas todas alfar a todos i
aos uliimosraios do sol do oulorano. Que queres fazer .
Era tu Jo paz em torno de mim ; a nata- -- Em breve o saberas.
rea responda mioha tristeza cora' canti- na^3 de desanimar-
ees festivos- : Act0 continuo drigio-se
Aquel le contraste produzio-iue foriissiraa praca alugou .urna carroagem
impressao, e anebeu-me a Ima de amargu- ^ento perdi-o de vista. a-flnitivn
ra Desejava ver a copa do arvoredo nou- u Approx.mava-se o J^^^f^^
da pela tempestado, e arrancar-Ibes as M.nha avo tranquila, come semprnao se
filtm sinda ver** ,esqnecia de nenhum dos seu, cuidados or-
Apezarde contar's dezoito oonos.acha- amar* sem testemunbar impacenca nem
va -me doente e fatigado da vida. A V SL. disse-me
gera de Vercourt t5o invariavelmen^ cora-, ^^^JZJuS
passado e senhor de persegu-me J ^ d J^ vuva \ QS Mog> N5o
cessar ; eeu Dio poclia jmgoar^ue ^ ,ha neste mPundo lribunal ^ poderoso que
S^vXrVmHur^^
Lhauiaio, e de'screvera-mo constantemente' acreditar, ao cabo^ de^cinjoenta amu
como um bomem fraco e irresoluto. Insen-
sivelmente cheguei supposicao dequef-
1 a o primo Vercoun quem o incitara a fa-
zer o que fizera, reservando com ludo para
si a entrada da casa, para reivindicar parte
la heranca no caso de bom xito.
Nao toro 'i a entrar para casa senSo ao
abo de urna bora. filiaba av estava es-
.:revendo custosameute urna carta, porque
trema muito ; e minha irma conversiva
em voz baixa com Dalbert. Quiz ir buscar
um ivro livrana, abra de nao estar sem
fazer nada, e dei alguns passos para a porta.
No momento em que ia a por a mo na al-
oraba da porta prxima da da sala, atteotei
nos sellos dos quaes nem j me lembrava.
Recuei voluntariamente, e a senhora de
Artbus qoe me seguir com os olbos, fez
um gesto de resignacao.
Teos qoe passar esta noute sem leitu-
ra, e resignar-te a servir-me de secretario.
!Senta-te aqoi; vou ditar-te um apontamen-
fc que has de levar amaoba ao advogado
Beirieux.
Mas, mioha avosinha, repliquei ea,
sontando-me ao p della, porque se nao di-
'.uge ao Sr. Balibard, que at agora lhe tem
tratado de todos os negocios ?
Porque Vercourt me observou que
Daiibard tst muito velho, e que para orna
csus como esta, conviria recorrer a um
hornera mais acti-o e enrgico. Foi elle
qoem me recommendou muito esse tal Sr.
Beirieux.
As miabas suspeitas despertaram-se to-
das com forca nova; mas ento expressei-as
em voz alta. Minha av ouvio-me com ex-
d.e
vida commuin, e de sentimentos comparti-
dos, que nao sou mulher ligitima de meu
marido.
Em seguida, prosegnio em t m quasi
alegre.
Se um dia acordamos no que perten-
ce ao Sr. de Cbaulain e companhia, sahire-
mos da cidade, iremos residir no campo,
naquelle casalinho que ha pouco mandei
mobilar. Tu entreter-te-has em plantar
couves. Helena servir de cosinheira, e eu
presidir-lhes-hei ao trabalho
Pobre av! com o corceo devorado de
pezares, e trasbordando de angustia dili-
gencia va aioda consolar-nos, e inspirar-nos
T pura e serena!
Um dia de manhaa dirige-me, como cos-
tumava ao tribunal. Chovia, o tempo esta-
va carrancudo, as ras cobertas de lama;
os corredores que conduziara as differentes
salas de audiencia estavam atulhadas de
gente. Quando cheguei acbava-se Vercourt
a conversar mui animadamente com o advo-
gado do Sr. Cbaulain. *
Mal me avistou, veio direito a mim.
Vai-se proferir a sentenca, disse-me
elle.
- Encarei-o. Estava medonho; e os labios
nervosamente agitados, tremiam-lhe con-
tahindo-se sem cessar. <
Pode-se prever a deciso dos juizes ?
repliquei, esforcando-me em nao pateniear
a propria commoco.
Ah! temo que lhe seja contrario...
Que faria o senbor em tal caso ?
Gonfessj lhe que nao sei. E' fra de
duvida que desejava ver sahir sua av
o campo.
Que quer dreer-isso>Paulo? observou
a Sra de Arthus-.
Hei de contar-lfio um dia, minha av;
agora nlo.Nporque co quero neste momen-
to odiar ninguem.
Pouco tempo aps esta scena, j eu linha
de novo accesso na livraria, e a salinha os-
tentava numerosos ramalbetes de flore?. Ce-
lebrara-se, emfim, o casamento de minha
irma Helena, com Luiz Dalbert.
FIM. ,
Em principios de julho ir o rei da Sue-
cia a Vicby.
S. M. demorar-se-ha alguns das em Pa-
riz, quando regressar a stokolmo.
Algumas folbas estranjeiras annunciarara
que o papi e o cardeal Antonelli fariam urna
viagem a Paris dorante o mez de setembro.
A Independencia belga diz que esta no-
ticia nao tem fundamento algum.
UM POICO DE TllDO.
Os olnos dos que visitam a Exposico uni-
versal de Pars, entrando pela porta fronteira
escola militar, dirigem-se logodiz urna
folba estraogeirapara urna obracollossal de
esculptura, que est no jardim da seceso
prussiana.
Essa obra a estatua equestre, em bron-
ze dourado do actoal soberano da Prussia.
E' de proporcoes collossaes, e est dest-
nada para ser collocada entrada da ponte
da Colooia, sobre o Rheno, em frente da do '
ultimo rei da Prussia, que est no outro
extremo.
Altiva e marcial, a postura de Guilherme
I. a de hroe victorioso, e se a cora de
louro, collocada em 21 de marco pelos sol-
dados prussianos sobre o capacete do ven-
cedor de Sadowa, por accasio do aniver-
sario natalicio, nao viesse exactamente recor-
dar qoe o monarcha tem 69 annos, estar-se-
bia longe de soppor que o hroe que assim
se aprsenla direito e firme nos estribos, 6
um veterano que se vai acercando dos se-
tenta anuos.
O rosto do rei est muito parecido, e par-
ticipa, pela sua expresslo, da rigidez do
bronze.
O casaco involve e debuxa se dureza- o
busto vigoroso, coberto com urna couraca;
agregas do manto fluctuara cor elegancia.
S cavalleiro est bem posto, e o cavallo,
apezar das suas gigantescas propercoes,
e modelo fino, nervoso, e reveia no e>culp-
tr bons conhecimentos da anatoma bippica.
aba precipitacSo em aecusar um prente,
mas accendeu ainda assim a reconsiderar,
acerca da sua r^solugo, e a confiar os seus
iuteresses ao Sr. Daiibard.
Escrevi rpidamente algumas palavras a
este ultimo, e, depois de assignada e fecha-
da a carta, disse-me a Sr. de Artbus era voz
baixa.
Falta-me agora conversar com Dal-
bert ; leva daqui tua irma, e deixa-nos a
sos por um instante.
Approximei-rae pretexto ftil, flz com que ella sahisse co-
m go da sala.
Quando voltaraos, ao cabo de meia hora,
j l nao estava Dalbert, e minha av re-
trara-seao seu quarto. Minha irma, cujo
susto rae causava deveras d, iraitou-a na
mesmo instante.
Naquella mesma tarde recebi urna carta
,io meu amigo Dalbert Dizia-me elle, que
a Sra. de Arthus, por urna exagerado de
delicadez, qoe elle deplorava, 'he pedir
que saspendesse as suas visitas. Debalde
e.le DalOert lbe supplicara que reconside-
rasse sobre tal determnac3o ; a Sra. de
Arthus conservara-se ioflexivel.
c Era quanto a nossa prsigao nao estiver
definida perante a sociedade. dissera a Sra.
de ArthUS, coavm meu charo Dalbert, que
vivamos o mais incommunicaveis possivel.
O senhor gozar-se-ba de ioteira liberdade;
om quanto se nao obtiver a resoluco dos
juizes. Em saben-lo qual ella, fr, tomara
ento a determinaco que lhe convier.
Decorreram omitas semanas, e nao bou-
ve a menor raudanca na nossa situaco. A.
nossa causa passava vagarosamente pela
Qeira judicial. Entretanto encontrava-me
frequentemente com Dalbert, a quera infor-
mava de quanto se pissava. E/ excusado
dizer que o achava cada vez mais desespe-
ra Este processo, pelo que vou yendo,
node durar dez annos, repetia-me elle sem
cessar ; e na verdade, nao sei a razio por
que a Sra. de Arthus se recusa .a consentir
Jo meu casamento com tua irmaa!
se ella se sahir mal, nlo terei remedio seno
cuidar tambam de mim. NSo seria justo
que Chaulaia osse o nico a aproveitar-se
de urna heranca, a que tem direito todos os
her leiros do Sr. de Arthus.
Nao, de certo; rigorosa a sua l-
gica. *
Havia j muito tempo, meu caro Sr.
Vercourt, que eu o suppunha inclinado a
encarar por fim o assumpto desse modo. O
Sr. um homem sem preconceitos...
Mas, enteodamo-nos...
E sem coosciencia 1 accrescentei eo,
vollando-lhe costas.
Eotrei na sala, que estava cheia. Assen-
tei-me junto da porta n'um banco que all
bavia, encostado parede,. com a cabera
pendida, e g cotovello apoiado no joelbo.
Foi assim que esperei a sentenca.
N3o me tinham engaado os presentiroen-
tos ; as nossas concluses eram todas re-
je'' tadas, e o Sr. de Chaulain, ganhava a
causa. ..
Esta deciso, com quanto prevista, fulmi-
nou-rae como se fra um raio. Como havia
de ir para a casa sendo portador de 13o raa
Um despacho de Nova*ork do dia 8 diz
com referencia as noticias do Mxico- que o
general Lpez tinha atrai?oado o imperador
Maximiliano.
Na nossa poca cahiram, porm, j dnas
victimas a golpes de assassinos: una rol o
duque de Parma, morto com ama punhala-
da na barriga em 1854; foi a outra Abraho
Lincoln, que morreu victima de Booth, no
tueatro de Washington, em 14 de abril de
1865.
Entre os objectos que foram enviados de
Vienna a Pestb para servirem na coroacio do
rei da Hungra figurara a carroagem de gala
em que o imperador Fernando fez ootr'ora
a sua entrada como re de Italia em Millo.
Esta carruagem toda de ouro
As paredes tem-nas cobertas interior-
mente de pintaras de Rapbael.
Este esplendido vehculo era tirado por
L-se ao E/my and Savy Journal: O oilo cavallos brancos de rara belteza.
relatorio da expedico fi anceza ua Corea ,
como historia militar, bastaote instructivo.
Refere o Times de Nova-York que a-vo-
taco da legislatura de Nova-York em favor
do estabelecimento de um cabo transatlnti-
co franco-americano foi approvada pelo go-
vernador Feotn-
Urna copia ofBcial desse-acto vai ser expe-
dida para Franca onde o governo imperial
est perfeitamente dsposto- para approvar a
nova empreza.
O cabo ligar directamente- as cidades de
Brest e de Nova-York.
A votaco da legislatura concede acertos
empresarios, por um praso- de vinte annos,
o direito exclusivo do estabelecimebtede
cabos transatlnticos entre-a Franca eos-ljs-
tados-Unidos, assim como- o direito de dx-
plorarem esses cabos, s'.com a condiflo de
serem concloidos em dous- annos os tnaba-
Ihoe do estabelecimento de cada cabo que
dever, no fim desse praso,. funeciooar per-
feitamente.
Segando- diz o Bullelin de la societ fran-
caise de Photographie-, que se publica, em
Paris, o pbotographo Poitevn acaba de re-
solver o famoso problema que ba. tempo,
preoecupava os amantes da arte.
Poitevin encontrn o meio de reproduar
rico, independente, enlo ha nada que pos-
sa modificar-me os projectos.
Eu entlo esforcava-me em consola-lo;
mas nem por. isso deixava de andar tambera
afflictissimo por tamanba delonga.
A final recebi urna carta do delegado Da-
libart, na qual me diziadever ser no da
seguinte o julgamento No outro da, pois
co?ri ao tribunal, e voltei de l comi .a\m
despedacada. O advogado da parte adver-
sa, homem mui corpulento e de ditfto
massuda, fallara pelo espaco de quatro horas
-prodigalisando a minha pobre av innme-
ros ultrages e insultos. Apresentava-a co-
mo tendo abusado do seu imperio no espin-
rito de um pobre velho enfermo, para o le-
var aassignar um testamento-do qual lhe
ditara os termos-e que despojava os her-
eiros naturaes, os nico que lhe didica-
vam affeicSo real e verdadeira. O Sr. Chan-
iain nao comparecer na audiencia ; mas o
primo Vercourt l estava, todo ouvidos e
nova?
Tomei pelo caminho mais comprido, e rui
demorando o passo proporco que me ap-
proximava de casa. A minha energa des-
amparara-me inleiramente; nlo sabia qoe
lizesse Afiluiam-me ao espirito differentes | as imagens coloridas, pela luz com os seus
meios de communicar a minha av a tremen-] proprios matizes, eesta_noU?el dcecobetta
da noticia, mais repellia-os todos, uns aps
outros, porque os acbava todos igualmente
maus. ....
E', com tudo, indispensavel, dizia eu
para comigo, que descubra um meio; mas a
miaba perplexidade augmentava cada vez
mais.
Afinal cheguei a casa ; foi o idoso Baptis-
ta quem me abri a porta. Mal entrei ouyi
vozes na sala, e logo me occorreu a ideia de
ter sido precedido por algum mensageiro
oflicioso.
Qutm est na sala ? perguntei eu ao
Baplista. .
O Sr. Dalbert e o advogado da senhora.
J sabe ludo! disse eu para comigo.
Mas talvez lbo tenham dito, pelo menos, com
precaucao.
E abrindo a porta, lancei olbos espanta-
dos para dentro da sala. Era inesperada a
scena que vi. Minha av estava assentada
n'uma grande poltrona, tenho ao lado de si
Helena e Dalbert, e papecia radiante. Pou-
co distante deste grupa estava sentado o Sr.
Daiibard, com urna pitada entre os dedos, e
meio risonho. '
Ento, Paulo, disse-me minha av,
perdeu-se tudo ?
Eu limitei-me a encaral-os successivamen-
te uos aps outros, e como se Uvera sido ata-
cado de paralysia.
Maa appellamos, accresceotou o advo-
cado, mostraudo-me um papel sellado.
Sem mais demora apoderei me do papel
sellado, para opercorrer com a nsta, e te-
mar coobecimeoto do seu coatheudo.
far ao que parece urna grande tevolncao- na
photographia.
O photographo-Poitevin, aothpr tambem
da pnotolythograpbia, j apresentou socie-
dade de que ergio aquello cBultet',um
lbum com algumas provas que anda espe-
ra aperfeicoar.
O imperador Alexandre da Russia visitn
emParisoquartel dos invlidos, e ao ver
ali um dos chapeos do imperador aple!
I. a espada de Austerlitz e as condecoraces
que usava o grande capillo, depois de deter-
se alguns momentos a examinar estes o jec-
tos, disse ao general Leboeuf que o acompa-
nhaf a, que tinha em S. Petersburgo ama
espada de NapoleSo I e que quera offere-
ce-la Franca para ser reunida s suas pre-
ciosas recordacoes.
O sulto depois da sua viagem a Pars ira
a Londres onde por esse motivo se preparam
magnificas festas: haver representacoes de
gala na Opera italiana e no palacio de crys-
tal, um grande baile em Guild-Hall olereci-
do a S. A. pela municipalidade, urna revista
em Hyde-Park e outra esquadra u'um dos
priocipaes poutos militares.
A viagem de S. A. adiantou-se alguns
das; partir de Constantinopla no dia 17
em lugar de dia 22.
Era
A emigracao polaca em Paris" assignou
urna copia aothentica do auto de nstallaclo i uma mensagemaoimperador Napoleo para
nrm*irn >s do primeiro officiaL de administrac3o*ivil, \ protestar contra o attentado de 6 do oorren-
oibos, sentado no pnmeiro ban^' com as, ^1^0 em Senlis. Fra Dalbert quem fe> e manfestar o sent.mento de reprovacao
dXr^^Srtaque\^^J?^'& *-! Crmelhe8DSPir0a-
Selot=^ Cbegavara diariamente aParisgrande nu-
Sttr*A- ^ -rio para SR-^&*.^ ^T^^S^ S
n7o8PDaEd sabio do tribuna, foi
agradecer-lhe
contestago; estava ganha a nossa imperador por causa
I junbo.
menor
causa. .
-7ossolfnanCar-|he ^^'^\^^S^^^^ Emflnsdo crrente mez deve chegar a
z quanto pude; mas devo confessar-Uie do, se ^t me^n o p ^ .^ da 6 ^ D
que me parece muito arriscada a nossa ,003 ^naa ^Tcobri-lbe as mSos]Damarca, acompanhado do conde Trus pre-
ausa |C^r"r" U,IUUa a "' v L, 4_. A~ nncolhn At> mifllStrOS dll
J -Realmente! repliquei eu, mais morto, de be.)^ ^^ brandamente
1ue v,y: or porta; era Baplista, que a abri e deitou
namarca, du igidente do conselho deminislros dmamar
A le formal; e 'se em Senlins,
poca do casamento, havia j o fuaccionan .J^.^TS de algama cousa?
civil, flpearrgadv.^ contractos matr,ma.; A bora pr^^ ^ ^ ^
niaes, deviam ter:se apresentado a elle. aisse en. raic ^
Mandei j'proceder a investigares nos archi- mado. velb0)
vos, e nao pude por emquanto saber nada El;/{ nJ" elle. auaSi da fa-
wm exactido. Tcdavia, ludo leva a crer, disse eu c-rrendo para ene, e owm
quez.
Os gran-duqoas de Badn chegaro a Pa-
riz.de 13 a 20 do corrente e alojar-se-bao
no hotel Bristo.
No dia l" cbvgara o principe herdeiro da
Saxonia e sua esposa.
Um escriplor distincto, Mr. Loul, apon-
ta pela seguinte ordem os regicidios que
a historia de Franca resenha :
Smente contra Henrique IV cideo ten-
tativas de regicidio : a tentativa dequees-
teve a ponto de ser victima seu pai Anto-
nio de Borbon rei de Navarra, e o attenta-
do que costn a jrtda a seu predecessor
Henrique'III.
Francisco ll, envenenado por insiigaces
do prncipe de Conde, com grande satisfa-
caodos huguenotes, pelo sea barbeirn, que
calvinista em segredo e recemso de ter que
assignar uma profissSo de f da que se fal-
lava no paco, inoculou veneno n'um abeesse^
que o joven rei tinha na orelha: o proprio
Francisco II, armado um dia de um punbal
para asesinar o rei de Navarra, e o duque
de Guise dizendo em tom de despreso
quando quelle lbe faltn o valor na occa-
sio de esgrimir a arma ; Que cobarde rei
temos I
As teolalivas de enveneoamento de Luiz
XI, sendo ainda Delphim, conlra seu pai
Carlos VIII.
O duplo assassnato de Luiz de Orlee*,
por Joaosem Pavor, e deste pelo Delpbira,
levados a efleito era circunstancias- e com
pormenores quasi idnticos.
A tentativa contra Carlos VI no bosque
de Maas(1393).
Um dos netos deste mesmo Carlos VI, o
duque de Berry, dando uma punhalada 00
conde de Flandres.
A irmSa de Carlos II assassinando seu
marido Eduardo II, rei de Inglaterra.
No seculo de Carlos Magoo : o duque- de
Aquitaoia, Waifre, assassioado por Warao-
ton.
O frtho de Carlos-Magno, Luiz o Fiai?,
passando amaior parte da sua vida a <>e-
fender-se dos seus propnos filbos.
O duque de Sepiknaaia e Aquitaoia, Ber-
nardo, asssassinado n'uma entrevista de re-
eonciliac5o, no moeleiro de Siiat-Cerv,
por seu inimigo Carlos o Calvo, que lhe es-
tendeu aoMg.velmeote a mo esquerda e
quanto que com' a direila lhe dava uma pu-
obalada no peito.
0 mesmo Carlos, expiraodo ao p ds
Monte-Ceais eovenenado pelo seu- medico
judeu Sedecias.
Dous filbos de Cartas Magoo : um morto
o'uma cagada,, e outro>. Carlos o Simples-
assassioado pelo coode de Vermandois do
castello de Perrone.
LoihariSj finalmente envenenado por Em-
ma, sua mulber ; o uitimo re< dadynasti
Carloviogia envenenado- tamben* por su
mulherBranca deAqoitania; e se se quizer
fechara lista com fados nao Ido antigos,
vede-uauiens porta de Veasalhes feriado
cora-uma panbalada Laiz XV ae>subir papa-
a carruagem..
Vejamos agora os- regicidios- que bouvo
em Italia :
Berenger deixaod ceg o- Imperador
Luiz III (903).
Bereoger, imperador e rei. envenenado
em Verona (924).
Luchiao Viscooti,. duque de Milo, em
1349.
Matheus- Visconti em 135o.
Carlos III, rei de aples, assassiaado
em 138S.
E Joo Maria .Visconli, assassinado em
1476.
Na Allemanba:
O imperador Otho Ul, envenenado pela
viuva do cnsul de Roma* Crescencio.
Henrique VL filno ds Frederico Bar-
baroxa e pai de Frederico II envenenado em
1197.
Filippe de Suabia, assassioado em 1208,
porto de Wittelsbacb.
Henrique VII de Lusemburgo imperador
da Allemanba, envenenado n'uma hostia.
Em Inglaterra :
Guilherme o Yermelbo, morto n'uma
cacada por W. Tyrrel (1100).
Ricardo II, assassinado pelo duque de
Hereford (1399)*
Henrique VI envenenado (1471):
Edaardo V, morto peto duque de Glo-
cester (1483).
Na Russia :
PedroIII, estrangulado (1762).
Paulo I, assassinado (1801).
E na Hungra:
Andr, assassinado em 1345.
Seis tentativas de assassinato tem sido
dirigidas contra o imperador Napoleo.
Em ootabro de 1852 devia rebentar em
Marselha uma machina infernal no momen-
to em que passassera em uma ra o prin-
cipe e o seu squito.
Era o de julho de 1833, houve nova ten-
tativa em Paria qoando sua magestade se
dingia o iheatro da opera cmica.
Em 28 de abril de 1855, Joo Liveram
atirou dous tiros ao imperador no passeio
dos campos Eiyseos. ,
Em 1857, Thibaldi, tSrtoloUi e Gnlli
sabiram de Inglaterra para Pars com a 10-
tenco de assassinarem o imperador. Fo-
ram presos. _
Em 14 de julho de 1858, Orsrai, Go-
tne?, Pierio e Rudio laocaram bombas em
sitio por onde passou o imperador.
Emm, em 24 de dezembro de 1863,
Greco, Frabuceo, Imperatore e Seaglioni,
que liobam sabido de Londres com a n-
teoQo de atientarem cootra a vida do im-
perador foram presos em Par. _
Um esiudaote de direito de Leipzig,
chamado Osear Bseker, airou um tiro em
Bade ao rei da Prussia; em 14 de julbo de
1861. Quera desculpar esta tentativa de
regicidio dizendo que o rei Guilherme era
incapaz de levar a cabo a unidade da Alle-
manba. ". .
O seu ministro, o conde de Bismark, es-
capon no anno passado faca do assassino i
Blind. .
Em 18 de fevereiro de 1853, o hngaro
Lybeny den uma facada no pescoco do im-
perador da Austria. #. .
Em 1858, o rei Vltfor Manoel foi objecto
da uma tentativa de assassinato.
O mesmo succedeu j duas vezes ra-
iba de Hespanha.
Um fado digno de cotar-se e que estes
borriveis attenUdos iein sido todos bal-
dados.
A expedico compunha-se de uma fragata,
uma corveta, tres canboneiras e um atuso ;
a bordo destes vasos, alm da forca naval
ordinaria, havia Gu bomens de desembar-
que. Chegados ao lugar da acejio tornou-se
evidente que os coreanos nao antecipavam
um ataque esie anno e por isso nao trahara
neohuma das baterias do rio armadas. Su-
bi pois a esquadra al Kaoghoa sem dispa-
rar um s tiro.
Appareatemeole era esta a segnoda ci-
dade do reino, porm foi abaudooada depois
de mui pouca resisteocia. Graade quaoti-
dade de petrecbos be i lieos cahio em poder
da expedico iacluindo. 250 tonelladas de
plvora.
t Os muitos preparativos para a gaar
courmam o boato de que a cidade era uma
das pracas fortes em que o rei confia em
tempo de osurreico ou invasSo.
c Pouco depois de se acharen ali os frao-
cezes estabelecidos, veio ama deputaco ro-
gar ao aluiir.aote que fosse em pessoa cu
maodasse algem tratar com o rei, porm,
o almiraote receiaudu alguma traieao, expli-
ecu que era elle que devia receber os com-
missarios do rei. Nao obtendo resposta,
mais se confirmo u o receio de uma cilada.
No entretanto fizeram-se reconbeci-
meotos em diversas direeges- na visinbanca
de Kangbos, que se achou despida de tropas.
Porm gradualmente comecaram a vollar os
coreanos e a baver escaramucas em villa,
que pouco autes nao- tioham soldado algums
fim iodos estes conflictos foram victo-
riosos os rancezes; porm teotando o ioimi-
go colfocar-se entre as tropas na eidade e os
navios, e aind.i que repellido pelo fogo da
esquadra o almirante francez resolveu des-
truir os^ depsitos militares em Kanghoa, e
queimou uma graode frota de unto no rio
Um cor|io de 150 bomens foi mandado
tomar uma posigao forlilioada no lado op-
posto diario; approximaram-se sem ser mo-
lestados at 30 passos da fortibcacor quan-
do receberam uma descargaque laes pz 25
horneas tra de combate, porm contioua-
ram a avancar e bateram o inimigo.
Ne dia seguinte marebou numero igual
contra um forte que se sabta estar occapado
pelas forcas coreanas; chegados a 100 bra-
cas de disiaucia receberam o fogo do. ioimigo
que Ibes fez perder mais 35 borneas, ap-
pareceodO 500 coroaoos sobre as muralbas
da forlificaco. Nao teodo os fraacezes ar-
tilharia de campanha, forant obrigados a re-
t rar-se.
Este movimeoto aoimoa os coreanos a
fazer uma sortida, porm, em campo desco-
berto, nSo foram iguaes aos estraogeiros
disciplinados, apezar de receberem o-fogo
com firmeza.
Desta forma perder ro, os rancezes 00
bomeas>.em doua dias, de um total de- 600
pracas e por esta ve gaahou o ioimigo-uma
vaoiagem animadora.
ttesolveu entSe o almirante destruir a
cidade e relirar-se para o sul, abandonando a
campanha durante o invern. Com o. ver-
dadero espirito de um conquistador francez,
levoucomsigo a livraria ioteira de Kanghoa
como presente- para a 'bibliotbeca de-Paris.
* Os coreanos mostraran pertences arama
raga muito superior chineza
' As armas que se acharam na, cidade
provaui que sao bons artiflees em metaes.
c Entre a colleccjo ba; espingardas, espa-
das, punhaas, arcos e sellas, capacetes,, cou-
racas e artilharia. ,
c Uma das pecas (te carregar pela cu-
lalra, ainda que do uma forma muito. pri-
mitiva.
. c O resultado desta campante, morara i
loucura de mandar-se uma expedico a paiz
longiquo, tendo de subir um rio, desconbe-
cido, coro to pequea forca e tao prximo
do invern que as.operac5es por pouco que
sejam demoradas, oecessariameole. devem
ser interrompidas
Aununcia uma correspondencia de Vienna
que a arebiduqueza Sophia, mi do impera^
dor da Austria e do imperador Miximiliaoo,
est em quotidiana correspondencia telegra1-
phica com o embajador da Austria era Was-
hington para saber novas do infeliz ex-impe-
rador do Mxico.
O magnifico cavallo preto que o rei da
Prussia monta va por oecasiSo da revista do
bosque de Bolonha o mesmo de qoe se
servio na batalhi de Sadowa; o seu ca-
vallo favorito e o mesmo que servio de mo-
delo para a estatua equestre do rei, que se
v figurar oa exposico noiversal.

O Diario de Parts annuncia que no quin-
to districto daquella capital se est* asignan-
do uma mensagem ao imperador da Russia
felicitando-opor ter escapado befa deBe-
rezowski.
O vjce-rei do Egypio receben ura> despa-
cho de Constantinopla annunciando-me a sna
nomeagSo de Rideovi-el-Maser (soberano do
Egypto).
A sociedade de pbarmaceuticos de Slkdrid!
reraetteu c^mmissSo organisadora do con-
gresso internacional de pharmacenticos- d
Paris uma luminosa memoria sobre a veniencia de estabelecer orna pharmacopa
universal, assumpto de grande importancia
para as scieocias mediea e especialmente
para a pbarmacia.
E' preciso ir aos Estados-Unidos para ver.
um sacerdote pregando a palavra de Deus
com um revolver no bolso
E' o que acaba de acontecer em Bradfort
(Massacbusetis)..
Alguns mancebos tinbam invalido uma
capella onde se celebrava, uma festa reli-
giosa.
0> sacerdote eslava no pulpito; tira um
revolwr do bolso e faz fogo sobre os hu-
ilientos.
Cabe morto um mancebo.
O sacerdote, como s tal cousa dSo tivesse
acontecido, acabou o sermo e depois foi en-
tregarse priso, sendo solt-pouco depois
fianca.
Comparecer- mais tarde no tribunal e
ninguem dav'bda que seja absoivido.
Que texto teria escolbidopara o sermo ?
Provavelmeota este : Deus- nao quer a
mor te do pescador.
/
Tm-se notado que um dos sitios de Pa-
ris mai* visitados pelos estrangeros o
cemiterio de-Pre-Lacbaise. t
A reuoie de tmulos- Ilustres que ali.sa
acham a a Gausa desla preferencia.
Acaboa de ihtaurar-se o processo relativo
o attentado d bosque do Bolonha.
Berezowski ser, julgado as proximae-au-
dieocias do Sena.
Ao contrario do. que tinham assewado
alguns jomaes de-Paris, o criminoso ainda
nao escolneu advogado.
No dia 6 do corrente pousou sobre uma
das varandasda fabrica de tabacos de Dippe
um pombo viajinte.
Trazia na aza direita, em letras amarelas,
a seguinte inscripeo : Sociel l'Hirondelle,
Lige n. 50, e uma estampilha verde cujos
caracteres sao ilsiveis; na aza esquerda ti-
nha ama estampilha azul com a assigoatura
Belleau, e um pouco cima viam-se os -se-
ouintes caracteres, marcados a tinta verme-
fba: B.-N. 1842.
Este mensageiro aliado foi agarrado por
um dependente do estabelecimento que o
pz em liberdade no dia seguinte.
O pombo tomou logo a directo .de Pars.
Afim de que o proprietario deste passaro
soubesse que se tinha demorado era Dieppe,
o referido empregado prendeu-lhe na perna
direita um pedaco de pergaminho com estas
palavras : Apanbado na fabrica de taba-
cos de Dieppe em 6 dejunho de 1807, s
10 horas da manh ; posto em liberdade em
7 de jnlbo s 9 horas da maoha.
Chegaram a Paris doas selvagens. roque-
zes -y j foram instllados no Campo i\s
Marte.
O parque do palacio da industria, univer-
sal j possuia cabanas de cortica e uma ca-
bana de ebefe selvagem, feita de estofo ; es-
tas cabanas vio ser habitadas peles seus ver-
dadeiros donos, qoe se lornaro. sem davi-
da os leoes da exposico universak
rrg Estamos no norte da Inglaterra.
Um pobre mineiro est no leito da morte ;
o cura da sua aldeia apresentava-lhe as con-
solaces da religiao-
E' certo que ire para o ceu, sr. cura r
pergunta o moribundo.
Sim, Johnny, nlo tenho sobre isso
duvida nenhuma, porque tu nunca foste
mo homem e ests arrependido dos teus
peccados. .
Isso verdade -Jfai sempre um pobre
diabo e estou arrependido de algnm mal que
fiz. Hei de ser um anjo, naq_ verdade,
Sr. cura ?
De certo, Johnny.
_ E hei de ter azas, n5o assim?
Sim, Johnny, has de ter azas.
E vocemec tambem ha de ir para o
co ?
Pelo menos, assim o espero.
E ha de ter azas ? ha de ser um anjo ?
Sim, se isso aprouver a Deus,
Sr. cura,clamou o moribundo, as-
sentando se inesperadamente oa cama-urna
fibra a quem la chegar primeiro \
Segundo diz um diario j est, muito
adiantada a obra que como titulo de (.His-
toria da lilteratura portugueza se pfroe
publicar o Sr. Romero Ortiz, cavalbeiro.que
como se sabe, residi algum tempo em Por-
tugal.
TurBam-se dignos de admiragao os magnilcos
mosaicos de Florenga em veladores mesas, qua-
se ecbam cobertas de rosas de Bengala Uo pecfel-
las como se fossem naturaes. Aquellas flores sao
Inalieraveis, e o preeo flxo qoe se Ibes maree
de dei a 20 mil francos (ris 2:800* a 5:6004000;
porque laes Ihesouros sao inapreclaveis.
Mas a Italia ltunbra-se principalmente da sna
oobre orieera, qnanio maneja e trabalbi o mar-
more de Garrara. H& ama galera reseuad> para
as soas excellentes obras. Os bellos buslos de
Btanca Capello. largueada do Fausto* Harte An-
toinette e tantos outros com a assignatora > Mar-
celto-, sio, segundo se affli/na, execntados por uma
senbora da alta sociedade. __. ,
Uma outra artista, mademoiselle Dupr, tam-
bem mostra ao mundo artstico qoe so belhpaiz
da Italia o marmora nio resiste, &' doce presso da
mao da mulher.
A estatua do imperador Napoleo l, em saata
Helena, sentado e moribundo, de Vela, ama so-
bre e espantosa verade. Aquella grande obi foi
comprada pelo goterno franeei, par ser collocada
n'uma das margees do Sena.
Ao lado da morte angustiosa, o artista poi a mo-
cidade folgaza, com toda a graca e esperanca
de tao bella idade. E' a Primavera. Mais longe o
espectador delm-se em presenta de uma encanta-
dora figura deitda, de Argenti. E' a innocencia
quedorme. Ao v-4a, o silencio apode.ra-se do
espectador. Que de graga qoe de abandono na
posicao I que de flexibilidade a. bella innoceat^
qae dorme to desca!dosame*te, tem apenas MZ
annos: e foi comprada pelo dono do castello 4a
Limencb na Escossia, para onde ira depois da ex-
Dosico Argenti de certo chorara com pen,
So" 'ir transportar a bella ulna de seus se-
nhos oara os nebulosos climas da Esoossia.
A esutua da Modestia, (ella pela mesmo autor,
igualmrnu admiravel; o marmore parece estre-
VE+r a corar auando o olbar investigaoor o flxa.
A ora! de Magu, esta' em Melosa u.nral
poslsso; divisa-se-lh no mbUnte a commocao
,Ui6JS^i!3f opimo de Mr. de Sainv
|a?-arles da exposltao.
"TYP. DO D1AB10-RA DAS tKUll N. W.
V
^'- J '< !


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E209L3B95_1K7IQ0 INGEST_TIME 2013-09-05T00:24:12Z PACKAGE AA00011611_11316
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES