Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11314


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Jb-
-

1
ANNO XLlll. NUMERO 157,
FAH.l A ClPIT-iX B LC&4RE9 OXDE SE NA.0J) PACA POmTIE.
Por tres bmw aihntiloj.,. *.............. fidKjOO*
Por seis Jilos Jen.. .1-i .] .! .. ., .;.!.!. 124000
Par os tu* Moa.. .; ,| .j ., ., ., .j #J ,, ,. ., 24(0000
Cali ri ere aTatso....................... 320


#
SEXTA FEIRA 12 DE JLHO DE 1867.
rAmA BKWTBO E FOBA DA PHOVIXCIA.
Por trw mezes adiantadeo.. rr v....... .-.-..
PcrMiituMea. r..............................
Por ve ditos idea.................... .. ,.........
Por ib afeito idea., en .. ...........
> ..
W750
500
28250
27*000
AfiSIlBBii-aa IID IPSlamiBlKD TQ ISU&li^VQMiD 2)2 IMfl&lija IHHUaaUDA 3)3 Jia & UH1SID3, 81113 P&QPMiVMftDfc
IENCARKK6ADOS DA SUBSCRIPTO.
Parahyba, o Sr. Antonio Alaxandrino de Lima;
Natal, o Sr. Amonio Marques da Silva Aracaty,
oSr. A. de Lemos Praga; Caar, o Sr. Joaquiin
Jos de Oliveira ; Para, os Srs. Gerardo Antonio
-Uves & Filaos; Amazonas, o Sr. Jeronyrao da
Costa; Alagoas, o Sr. Francioo lavares da Costa;
abia, o Sr. Jos Martn* Al ves; Rio de Janeiro,
o Sr. Josa tlbeiro Gasparinlio.
V
/
)
PARTIDA D( S STAKBTAS.
Olinda, Cabo, Escala e estagSes da vi frrea a'.
Agua Preta, todos es das. s
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas felras.
Saoto Anio, Grvala, Bezerros, Bonito, Caraar,
Altiabo, Garanhuos, Buique, S. tiento, Bom Cnn-
selho, Aguas Bellas e'Tacarat, oas tergas-feiras.
Pao d'Albo, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqoeira,
Isgazeira, Plores, Villa Bella, Cabrob, Boa-Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro e Ex, oas guanas feiras I
Sehobaera, Rio Forraoso, Taooaodar, Una, Bar-
reros, Agua Preta e Pimentotras. as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commereio : segundas e quintas.
Relago : tercas e sbados as 10 horas.
Fazenda: gumas as 10 boras.
Julzo do commereio : serondas as 11 boras.
Dito de orphaos: tercas e sextas a 10 boras.
Primeira vara do eivel: tergas e sextas ao mel
dia.
Segunda vara do civel : quartas e sabbades a
1 hora da tarde.
EPHEMER1DES DO MEZ DE JULHO
1 La nova as 6 h. e 36 m. da t.
8 Quarto cresc. as 2 h. e 39 m. da t.
16 La ebeia as 6 h. e i m. da t.
2i Quarto miug. as 14 h. e 34 ra. da m.
31 La nova a 1 ti. e ai m. da m.
DAS DA SEMANA.
8 Segunda. Ss. Procopio e Pryscilla do.
9 Terga. Ss. Cyrillo o Bricio bb., S. Anatolia v m.
10 Quarta. S. Silvaoo m., S. Biaoor b.
11 Quinta. S. Sabino m., S. Abnendie m.
12 Sexta. S. Joo Goalberto ab., S. Jansoo.
13 Sabbado. S. Anacleto p. m., S. Ellas m.
114 Domingo. S. Boa ventura b. card. dr. serapblco
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 10 boras e Si m. da manhia.
Segunda as 11 boras 18 minlos da tardo I
PARTIDA DCS VAPOPES COsTEIROS.
Para o sal at Alagoas a 14 e 30; para o nono
at a Granja a 15 e 30 de cada mez-, para Fer-
nando nos das 14 Jos inezes Janeiro, marco, maij
julho, setembro e novembro.
PARTE OFFIQAL
.O VlRXO DA PROVI.\'(.'I.V
Expediente do dia 1 de abril de IS67.
i* secgao.
N. !.Offlcio ao Exm. general commaodante das
armas.Sirva-se V. Exc. de mandar por em liber-
dade o recruta Jos Marcelino Barbosa Veloo, que
iirovou isengo legal.
N. 2.Dito ao raesmo.mande V. Exc. por em
hberdadeo recrata J.aaquim Lauriaoo d'Assump-
<;>o, vuto ter sido julgado incapaz do servigo mili-
ar em ia*pecco de sao.de.
N. 3.Dito ao mesfflo.-Mande V. Exc. por em
liberdaie o recruia Antonio Joaquim Barbosa, vis-
to ter sido julgado incapaz do servigo militar em
uispcgo de saude.
N. 4.Duoao mesmo.Mande V. Exc. por em
Cberdade o recrala Antonio Francisco Bandeira de
* .-'raga, visto ter sido julgado incapaz do servico mi-
litar em laspeegio de saude.
N. 5.Dito ao mesmo.Remeltendoa V. Exc. os
inclusos papis que me sero devolvidos,.acerca
dos recralas que foram jnlgados incapazes do ser-
vico do exercito em iospecgo de saude, recom-
rtendo a V. Exc. que mande vir os referidos
crinas a sua presenta, veriQque se naa po-
c'em ellas ou alguos delles ser aproveitado para-
o servico da armada.
N. 6.Dito ao mesmo.Mande V. Exc. por em
liberdadeo recruta Antonio Leandro do Nascimen-
lo, visto ter sido julgado incapaz do servico militar
em iospeccao de saude.
N. 7.Dito ao cnsul de Portugal.-Aecusando
recebJo o offlcio que o Sr. cnsul de Portugal di-
rigime em 22 de margo ultimo, cbeme dizer ao
Sr. cnsul que exped nova* ordens ao juiz muni-
cipal de Garanbuns para satisfazer o que o mesmo
Sr. cnsul solicita no offlcio a que se refere. Rei-
tero ao Sr. consul.de Portugal os protestos de esti-
ma econsideracao.
. 8.Dito ao director do arsenai de gnerra.
Autoriso Vmc. a comprar o papel que for preciso
para a factura do cartuxame iodependenteinenti
das formalidades do regnlamento, visto a urgencia
N. 9.Dito ao mesmo Mande Vmc. foroecer
ao commandante do batalho n. 43 de Serinhem
50 cintardes com bayonetas para a torca daqoelle
aatalho que tem de vir aquartellar tiesta ca-
. pital.
N. 10.Dito ao mesmo.Mande Vmc. fornecer
ao tenente-corooel commaodante do 7* batalbo da
guarda nacional que se acha aquartelado os rti-
cos de armamento e eqoipameoto couslaoies di re-
ugo junta.
Relago a que se refere o offlcio supra.
100 espingardas de 17 com bayonetas.
127 mochilas oleadas.
127 crrelas para ditas.
137 marmitas da fo/ha.
127 correias para as mesmas.
127 caotls de madeira.
127 correias para cantis.
1-7 bornaes de brim.
127 capotes de panno azul.
127 correias grandes para os mesmos.
25* ditas para ditas (pequeas).
too pederneiras.
19 bonets redondo?.
23 calcas de brim.
18 frdelas.
23 sapates (pares).
N. 11.Dito ao mesmo.Mande Vmc. inspeccio-
nar o menor Antonio Francisco do Espirito Santo,
como pede Fr. Joao Baptista do Espirito Santo no
incluso requerimento que me sera' devolvido com
o resultado da ospecgao.
N. 12.Dito ao mesmo.Mande Vmc. fornecer
ao capito Antonio Perelra oa Cmara Lima, com-
mandante interino do 2* esquadro da guarda na-
cional do municipio do Recife para 30 pragas da-
fuelle esquadro, que se acham aquarteladas os se-
guioies bjectos :
30 blusas de panno azul.
30 caigas dito.
30* bonets.
300 cartuxos embalados do adarme 12,
N. 14.Dito ao mesmo.Approvo a dtliberaeao
de brim para vveres e bem assim costura-Ios pelo
prego de 100 rs. cada um, certo de qae nesta data
autoriso o iospector da thesooraria de fazenda para
mandar pagar o feitio de laes bornaes.
2* secgao.
N. 13.Offlcio ao Ur. chefe de polica.Appro-
vo a deliberagao que tomou o delegado de polica.
desse termo de reonir urna porgo de paisanos pa-
ra auxiliar a forga que se acba nessa villa, segun-
do consta do offlcio que por copia veio annexo ao
de V. S. a i,ue respondo.
Nesta data expego ordem a thesooraria de fazen-
da para que hibillle a collectoria dessa villa a pa-
gar os venclmentos de toda a forga que abi.se acba
a disposigo de V. S. e por consegointe da forga
reunida por aquelle delegado.
. 16.Dito ao mesmo.Pelo sen offlcio de 30
de margo ultimo, fleo inleirado de ter chegado abi
o 3* batalh.io de infamarla da guarda nacional des-
la capital, sob o commando do tenente coronel
Francisco de Miranda Leal Seve que naqaella data
assumio o commando de tola a forga que existe
nessa villa.
N. 17.Dito ao commandante superior do Reci-
te.Nesta data e i pego ordem ao tenenle coronel
commandante do T batalbo de infamara da guar-
da nacional des le municipio para que siga quanto
antes com o seo baiaibao para a villa de Pao d A-
Iho a disposigo do Dr. ebefe le polica qne all se
acba, o que communico a V. S. para seo conbeci-
mento. _..
N. 18.Dito ao commandante snperior de Olin
la.Devolvo a V. S. os 4 lodosos preis que vie-
ram aonexos ao seo offlcio de 8 de fevereiro ul-
timo, e sao relativos aos vencimeotos correspon-
dentes aos metes de ootobro e oovembro do aooo
prximo passado e Janeiro e fevereiro deste anno
dos guardas oacionaes destacadas na tortaleza de
Pao Amarello visto que o 1" de taes prets ja foi pa-
go e os outros devem ser reformados de conformi-
dade com as emendas nelles (eilas, segundo indica
a cootadoria da thesooraria de (azenda ao parecer
i que se refere o offlcio do respectivo iospector da-
tado de 29 de margo prximo Ando o sob nume-
ro 171.
N. 19.Ditoao commandante superior de Goyan-
na. Recommendo a V. S. qoe logo qoe eaie rece-
bar, venba a esta capital fallar-me sobre objecto do
servico publico. ,
N. SO.-Dito ao commaBdanle sopenor do Li-
moeiro.-Nlo seachando completamente orgaoua-
Jj batalho n. 21 da guarda nacional sob sen
commando superior, resolv nomear para elle os
offleiaes constantes da inclusa relacao nos termos
dos.avisos do ministerio da jaslica de 4 de Janeiro
de 1835 e 15 de fevereiro de 1860.
O qoe communico o V. S. para seo conhecimento
e direegao.
N. 21.Dito ao mesmo.Tendo por portara
Oesta data privado do posto por se acbr compre-
bandido na segunda parto do g 1* do art. 68 da lei
o. 602 do 19 de setembro de 1850, o alteres da
ilava compaobia do batalbo o. 21 da guarda na-
cional desse municipio Paulino. Cabral de Arruda,
nameei para substitu-lo o cidadao Joao Cleofas de.
Lemos e Vasconeellos : o qoe communico a' V. S
para sea conhacimento e direegio.
U. 21Dito ao commandante superior do Boni-
to.Communico a' V. 5. para sea coobecimonto e
| adra de que faga constar ao agraciado, Aleixo Jos
i da Luz, qoe deve recolber a' repartigo competen-
te a importancia constante da nota junta por copia,
arlm de poder receber a sua patente de major com-
manlaote da secgao de batalbo- de reserva n. 5 da
guarda nacional dessa comarca.
N. 23 Dito ao coronel Manoel Jacome Bezerra
de Carmino.Remeti a' V. S. copia da nota da
quantia que deve fazer recolber a' repartigo com-
petente, afina de obter a sua patente de comman-
dante superior da guarda nacional dos municipios
da Boa-Vista e Ouricury.
N. 24.Dita ao tenente-coronel commandante do
segundo batalbo de nfaolaria deste municipio.
Mande V. S. entregar ao capito do corpo de poli-
ca Jos Tbeotooio Pereira de Carvlho, 4,000 car-
tuxos embalados, dos que se acham a' soa disposi-
go, bem como 2,000 ao terceiro batalbo de in-
famar a deste municipio.
N. 26.Dito ao delegado encarregado do expe-
diente da repartigo da polica. Um vista do
que me requereram varios negociantes desla
praga a'cerca do estrago que sorera' o armamen-
to qVie recolbarem ao arsenal de guerra, por causa
do cupim que all ba, recommenio a Vmc que
nao faga recolber o armamento daqoelles nego-
ciantes, que, como declararamme era saas peli-
gres, esiavam promptos a assigoar termos de obri-
jago de nao venderem as armas existentes era
seus armazens, sem ordem da polica, fazendo
Vmc. restituir as armas, que ja'se nbuverem reco-
Ibido a'qoelles que sislizerer-a a referida obri-
gago.
N. 27.Dito ao comnandaoie do terceiro bata-
lho de infanlarit deste municipio.Recebi o offl-
;io que Vmc. dingio-rae em 30 de margo prximo
rindo, e leo Inleirado de haver Vmc. chegado a
essa villa em a noile do da antecdeos.
N. 28.-Dito ao caramanhme do 7" batalho de
afamara de.-te municipio.Siga Vmc. quanto an
tes com o bu.lb.ao do seu commando par* a villa
do Pao d'Alho, a' disposigo do Dr. chefe de poli-
ca, que all se acha ; deveado Vmc. aotes de par-
tir ir receber na tbssoaraiia de fazeoda para eo-
tregar ao collector de Pao d'Alho os dioheiros qoe
aquella repartigo tem de remoller para o paga-
mento dos vencimeotos das torgas qoe se acbam
naqaella villa.
N. 29.Dito ao commandante do corpo proviso-
rio de polica.Mande Vmc. addir ao corpo sob
seu commando o segundo sargento Jos Francisco
Carneiro Mocteiro, que voltou da campaoba por
ter sido julgado Ineapaz do servigo da guerra, de-
vendo Vmc. proceder do mesmo modo a'cerca de
todas as pragas do cerpo de polica, que por igual
motivo regressarem da guerra.
N. 30.Dito ao mesmo.Mande Vmc. addir aa
batalbo do seu commando, emquonto esliver
aquarteiada aesta capital a' disposigo desla presi-
dencia, a forga de 120 paisanos remedida pelo de-
legado de polica de Santo Amaro de Jaboato.
N. 31.Dito ao mesmo.Mande Vmc. por I-
disposlco do tenente-coronel Mananno de Sa' e Al-
bodjwrqae, o capio Jos Thaoloaio Pereira de Car-
vaibo e lente Francisco Jos do Sacramenlo e
Silva, ambos do corpo sob seu commando.
N. 33.Dito ao juiz de direito do Bonito.Por
portara desta data nomeei o bacbarel Jos Baptista
Gyliranna para o lugar de promotor publico des-a
comarca : o qoe Ih'o communico para seu conbe-
cimeoto.
N. 33.Dito ao juiz de direito da Boa-Vista.
Teodo por portara desta data considerado sem
effeito a nomeago dckbacharel Joo M-nael Men-
des.da Cunta Atevedo para promotor publico dessa
comarca, visto nao ter elle solicitado o respectivo
ltalo ; e nomo para e;se cargo o bacharel Mano.-1
Jjaquim Ferreira Esteves Jnior, assim o commu-
nico a Vmc. para sea conbeeirneoto.
N. 34.Dito ao joiz municipal da segunda vara
desta cidade.Recommendo a' Vmc, que cora a
brevidade possvei remeta me a iaformagio exigi-
da por despacho de 9 de fevereiro ultimo langado
no offlcio do censal portoguez datado de 8 do mes-
mo mez.
N. 36.Portara.O presidente da provincia,
altendendo a que o bacbarel Joo Manoel Mendes
da Cunba Azevedo, oomeadopor portara de 23 de
ootubro do anno passado promotor publico da co-
marca da Roa-Vista nao lirn o respeciivo titulo,
alim de poder eotrar em exercico, resolve cooside-
rar sem elTeilo aquella portarla, e para oceupar o
referido cargo noma o bacbarel Manoel Joaquim
Ferreira Esteves Jnior.
N. 37.Dila.O presidente da provincia resolve
nomear o bacbarel Jos Baptista Gyiiranoa para o
cargo de promotor publico da comarca do Bonito.
N. 38.Dita.O presidente da provincia alten-
dendo ao qne requeren o promotor publico remo-
vido para a comarca de Goyanna, hachare^ Joo
Aives Mergolbo, resolve prorogar-lbe por lo dias
a licenga com vencimentos que Ibe (oi coacedida
em 21 de fevereiro ultimo.
x 39.Dita.O presidente da provincia alten-
dendo a que nao se acha completamente organiza-
do o batalbo n. 21 da guarda-nacional do munici-
pio do Limoeiro, resolve, de conformidade eom o
disposto nos avisos da repartigo da jostiga de 4
de Janeiro de 1833 15 de fevereiro de 1860, no-
mear para o referido batalbo os seguimos offl-
eiaes :
Esiado-msior.
Tenente quartel-meslre O alteres da quarta coa-
panhia Manoel Pereira de Moraes.
TeoentcirnrgioAmaro Brrelo Costa da Sil-
veira.
Aiferes poria-baadelra-0 alteres da 6.1 Jos Rufi-
no de Miranda.
1.* compaobia.
Alteres, Jos Clementioo Bezerra de Mello.
4.a compaobia.
Alferes, Jos Cortea de Mello.
Dito, Maadel Francisco de Barros No.
.' y" .6." compaobia.
Alferes, Virginio de Medeiros e Silva.
Diio, Migdel Francisco do Amaral.
7.* compaohia.
Alferes, Francisco FeUsmino Barbosa da Silva.
8.a compaohia.
Tenenle-O alferes da 4.- M.noel Guodes de Aran-
jo Pereira.
N. 40.Dita.O presidente da provincia, tendo
em vista o que represeolou o commandante supe-
rior do municipio do Limoeiro em offlcio de 23 de
margo ultimo, resolve privar do posto ao alferes da
8.' compaohia do batalbo n. 21 daquelle muoici-
pio; Paulino Cabral de Atevedo, visto achar-se com-
prebendido oa segunda parte do % 1.* do att. 65 da
lei o. 602 de 19 de setembro de 1850, e para subs-
titui-lo noma o cidadao Joo Cleofas de Lemos
Vasconeellos.
3' secgao.
N. 41.Offlcio ao inspector da thesooraria de
fazenda.Respoodendo ao offlcio qne V. S. me di-
rigi em 30 do correle, sob n. 175, tenho a dizor
que o alteres Gemlniano Alfredo Velloso da Silvet-
ra, cojos venclmentos mandn se pagar pela collec-
toria de Nazarelh, o mesmo qoe daqui marebou
commaodando a torga da gurda nacional desla
capital, qoe segulo par aquella cidade com desli-
no ao servigo do recroiameoto.
N. 43.Dito ao mesmo.Tendo nesta data ap-
provado a deliberagao qoe tomou o director interi-
no do arsenal de guerra, do mandar cortar mil
boroaes de brim para vveres, e bem assls- cast-
ridos pelo prego do 100 ris cada um; assim o
coromoajeo a V. S. para sea conhecimento e flm
coavenieote. m _
N. 44. -Dito ao mesmo.Faga T. S. arrecadar a
Importancia constan da uota#junla por copla, e
que esta' a dovor o tonento-coronol Maoool Jacome
Bezerra di Carvlho, pela sna patenta de coronel jeotregoo a administrago dessa provincia ao seu Fol nomeado o Sr. Manoel Mana Mendes da
commandante superior da guarda nacional, dos
municipios de Boa-Vista o Ouricury.
A. 45.Dito ao mesmo.De conformidade com
o aviso junto por copia, expendido pela repartigo
da agricultura em 18 de margo prximo fiado, o.
4, promova V. S. a compra de viole arroba* de
sement de algodo crioalo, da raelbor qualiJade
cultivado nesia provincia, aflm de ser enviado ao
Exm. presidente das Alagoas.
N. 46.Dito ao mesmo.Tendo por portara
desta data, nomeado o bacharel Jos Baptista Giti-
rana. para o logar de promotor publico da comarca
de Bonito, assim o communico a V. S. para seu
conhecimento.
N. 47.Dito ao mesmo.Por portara desta re-
solv considerar sera effeito a nomeago do hacha-
re! Joao Manoel Mendes da Caoba Azevedo, para
promotor publico da comarca da Boa-Vista, por
nio ter a nda tirado o respectivo litlo, e oomea
para exercer aquelle cargo o bacbarel Manoel Joa-
quim Ferreira Esteves Jnior, o qus commooico
a V. S. para sea coahecimeato.
N. 48.Dito ao mesmo__Em vista da folba e
pret juotos em duplcala, a' qoe se refere o offlcio
do brigadeiro commandante das arma*, datado de
boje e sob n. 475, mando V. S. sa nao bouver in-
conveniente, pagar es vencimeotos do offlcial e
pragas do deposito de voluntarios d*a patria, sendo
os daquelle relativo ao mez de margo oltimo a os
deslas a 2* quinzeoa do mesmo mez.
N. 49.Dito ao mesmo.Toado de ir ao 1* va-
por que seguir para o sul para a corte, o major
boaorario do exercito Caetano Pinto de Veras, re-
commendo a V. S. qoe mande ajastar coalas e
passar guia de soccorimeoto.
N. 50.Dito ao mesmo.Faga V. S. arrecadar a
importancia constante da nota juma por copia, e
que esta' a dever Aleixo Jos da Luz, pela sua pa-
lete de major commandante da secgao do batalbo
de reserva o. 5 da guarda nacional do Bodo.
| N. 51.Dito ao mesmo.Transmiti a V, S. as
Ifolhas e prets juotos em duplcala, que me remet-
leu o brigadelro commaodaote das armas, com of-
icios de boje, sob os. 473 e 474, afim de que se
oo bouver inconveniente, mande pagar os venc-
meatos dos offleiaes e pragas, dos depsitos de re-
crutas e de prisioneiros paraguayos, sendo os da-
qoelles relativos ao mez de margo ultimo e os des-
las a 2' quinzeoa do mesmo mez.
N. 52.-Dito ao nlesmo.Recommendo a V. S
que em vista da folha o prets juotos, em duplcala,
(joe me remenea o commandante superior deste
muoicipio, com offlcio de boje, sob n 137, mande
pagar se oo bouver inconveniente, os vencimeo-
tos dos offitiaes e pragas do 2* batalbo de iofaota-
ria, aquartelido oa fortaleza das Cinco Ponas,
sendo dos primeiros relativos ao mez de margo ul-
timo, e os des tas a 2* qaiozena do mesmo mez.
N. 53.Dito ao mesmo.Teodo de seguir para
a corte, segando me declarla em offlcio de aoje o
engenbeiro fiscal da estrada de ferro Dr. Manoel
lluarque de Maeedo. afim de tomar assento na as-
sembla geral legislativa como depntado eleito po-
lo 4* dlstricto desta provinela, designo nesta data
o reo ajudante o engenheiro Jos Carneiro da Ro-
cha, para o substituir dorante o sea impedimento ;
o que communico a V. S. para sea cooheclmeoto.
N. 54.Dito ao mesmo.Seoo bouver iocoo-
veoienie, mande V. S. pagar a empreza da illomi-
nago publica desta capital como pede nos inclu-
sos reqgerimeotos documentados, a quamia de
451*80, proveniente do gas consumido, dorante
os inezes de julho a dezembro do aooo prximo,
com a illumioago do palacio da presidencia e da
casa da guarda do mesmo palacio.
M. 55.Diloao mesmo.Provideocie V. S. para
que se nao bouver inconveoiente, seja pago ao
proprletarlo do hlate nacional Sergipan\ Henri-
qne Jos Vioira da Silva que o solicita no Incluso
requerimento documeotado, a quantia de D77J070,
provecieote de freas e passagens dadas por coma
do governo, sa ultima viagem que deu aquelle
hiate ao presidio de Fernando.
N. 36.Dito ao mesmo.Recommendo a V. S.
que se nao houver inconveniente mande pagar ao
gerente da compaobia pernambucana, que assim o
solicitoa em offlcio de hoja, a quantia de........
11:166)5666 proveniente da preslago mensal cor-
respondente ao moz de margo ultimo, com que o
goveroo imperial auxilia aquella compaohia, visto
ter ella cumprido as saas obrigacoes em todo esse
mez, segoodo consta do predilo offlcio.
N. 57.Dito ao mesmo.Para dar cumprlmeo-
to ao aviso da repartigo da agricultura de 20 de
margo prximo fiado, sob o. 10, informe V. S. a-
cerca do incluso requerimento em que dous emi-
grantes dos estados do sai da Uaio Americana,
estabelecidos em trras situadas perto da colonia
militar de Pimenteiras, pede por emparestimo parle
da somma de saas passageoss oa importancia de
5:2504000.
N. 58.Dito ao inspector da thesooraria provin-
cial.=e conformidade com o que soliciiou o che-
fe da reparigo das obras publicas em offlcio de
boje, sob o. 68, recommendo a V. S. qoe mande
entregar o thesoareiro daquella repartigo a quan-
tia de 1:9254000 para pagamento dos reparos, qae
se fazem precisos oa casa em qae faoccionoa o
Gymoazlo Provincial, perteoceote a Vicente Fer-
reira da Cosa,
N. 59Dito ao mesmo.Declaro a V. S. para
seo conhecimento e tras convenientes, qae acabo
de recommeadar ao collector provincial da villa
de Pao d'Alho, qoe eo regu ao Dr. chefe de poli-
ca, qoe presentemente all se acba, a quantia de
dous cornos de ris, ou o diobeiro qae Uver em
seu poder, seno ebegar para satisfazer aquella
qoaotia.
N. 60.Dito ao mesmo.Aceuso recebido o of-
flcio de 29 do correte, sob n. 134, em qoe V. S.
participou haver Tbomaz de Carvalbo Soares
Brando Sobrloho, offerecido 4 por ceoto de abale
no prego do orgameoto da obra de 1862 metros
correles de empedramenlo na estrada de Olinda
depositando para garanta de seo coolracto, litlos
da divida provincial, e era resposta leobo a duer
qae o autoriso a aceitar esse offereclmento.
N. 61.Dito ao mesmo.Com a Inclusa copia
da portara de boje, pela qoal resolv abrir dous
crditos sappJemeolares, sendo um oa importancia
de 6114308 para as deapezas "de qae traa o art.
4a | 2* da le do orgameoto regente, o outra na de
55:9384213 para as do art. 17 2* da mesma lei,
respondo ao offlcio qae V. S. me dirigi em 30 do
correte sob o. 130.
N. 61Dito ao mesmo.Respondendo ao offlcio
que V.S. me dirigi em 29 de margo ultimo, sob
n. 133,!communicando haver Tbomaz de Carvlho
Soares Brando Sobrloho depositando nessa thesoo-
raria para garanta do sea contrato, apoliess da
divida publica, arrematado eom o abate de 1 por
ceoto no prego do respectivo orgameoto, a obra da
bomba do Riacho Jacar, tenho a dizer qae appro-
vo essa arrematago.
N. 64.PortarlaO presidenta da provincia to-
mando em conslderago o que expoz o inspector
da thesooraria provincial em offlcio Je 30 de mar-
go oltimo, sob o. 130, resolve abrir dous crditos
sapplementares, sendo um na importancia de....
6114318 para as despezas, al o fim do correle
exercico, de qua trata o arl. 4o 2 da lei do or
garaento regente, e entro oa de 55:9389213 para
as do art 17 } 2" da mesaa ll, visto terem sido
iosofflcieotes as qotas votadas para taes desperas,
segundo coost das demoostragSes que vieran ao-
nexas 'o citado offlcio.
N. 67.Dito ao'Exra. presidente da provincia
fio Amazonas.Receb com o seitoffleio do 10 de
margo ultimo dous exemplres do relatorio com
que V. Exc. no dia 23 de juoho do anno passado
1* vicepresidente Dr. Gustavo Ramos Ferreira.
N. 68.Dito ao Eira presdeme da provincia
do Rio Grande do Nono.Com o c fflelo de V. Etc.
de 20 de margo prximo fiado receb am exemplar
do relatarla cora qae o antecessor de V. Exc. abri
a sesso ordinaria da assembla legislativa dessa
provincia no anno de 1863.
N. 69.Dito ao engenheiro fiscal da estrada de
ferro.Teado Vmo. seganio me'decUrou em seu
offlcio de h je, d seguir para a corte a tomar as-
qoalidade
Silva alferes do batalho o. 43 da guarda nacional
: do municipio de Serinhem.
1 Foi transferido para a fileira do corpo pro vi -
] sorio de polica o Sr. Joo Pereira Lago, que exer-
cia o logar de lente qaartel-mestre do mesmo
I corpo.
Sobre proposta da Sr. Dr. ebefe de polica,
' foram nomeados suppleqtes da subdelegada do
districto da Flores, freguezia do Bonito, os Srs.
Joo Manoel Pootoal Jnior, Antonio P. da Caoba
Fooseca,
sent na assembla seral legislativa oa umuuno
de depatado eleito pelo 4 disiricto doou provincia %A^'T%2*1 Antoni ,?arf-d'/! .
acarrado designar o sen ajudante Jos Carneiro da ^^Ilr^f/^T'^ Ml?"* Joao/ran,clsco
Rocha para o substituir as funcgSes do engenbei-;J'Fhaa3eca Me" e Jos Francisco de Moura
ro fiscal da estrada de ferro duraoie o seu imped-1 '
ment, o que Ih'o communico para seu conheci-: O Sr. fiscal da freguezia da Boa-vista comma-
menlo e em resposta ao seu citado offlcio. i nica-nos, que procedeodo com os competentes pe-
N. 70.Dito ao teoeote de eogenheiro Jos Car ritos s precisas averigaagSes no predio
neiro da Rocha.Communico a Vmc. para seo eo-;
ohecimeoto qoe nesta dala o desigoel para exercer j
interioameoie as funegoes de engenbeiro fiscal da
estrada de ferro, visto ter de segoir para a corte,
aflm de tomar assento na assembla geral legisla
tiva como deputado pelo 4* distncto desta provin-
cia o Dr. Manoel Buarque de Maeedo, segando me
declarou em offlcio de hoje. #
N. 71.Dito ao joiz de paz presidente e mem-
bros da junta de qualificago da freguezia do Bui-
ua Vo-
lita, de que tratamos nest /{Dista, fura verificado
nada Importar a fenda nelle existente, sendo alm
disto o mesmo predio de solida constraego, de
modo a oo fazer receiar desabameoto algara.
Folgamos de consignar a solicitado daquella auto-
ridade.
Pedemnos esta pablicago :
a Srs. redactores da Revista Diaria. Sendo
Vmcs. senlnelias vigilantes do ioteresse publico,
por Intermedio do sea importante orgo. o Diario,
qae.Nao teodo acompanhado a listados cidados:qaeiram, a beneficio dos habitantes prximos a'
qoafkados votaotes oessa freguezia no correte : matriz de Saoto Antooio, lerabrar aos carapaoolo-
anno que rae foi remellida com offlcio de 13 de I gos da mesma, quanto incommodalivo o al in-
margo prximo fiado as relago s de que trata o de-.j supportavel o badalejar de sinos dia e noito, como
relo o. 2,863 de 21 de dezembro de 1861, compre soecede oa referida matriz, com prejaizo at da-
que Vmcs. m'as eoviem com a possvei brevidade t qaelles que estadam. Vmcs. j flzeram esta adver-
e me declara em qae dia teve principio os traba teocia pelo Diario, pediado providencia para om
Ihos dessa junta em sua segaada munido. tal abuso, a quera de direito fosse; mas estas oo
N. 72.Dito ao superintendente da estrada de se deram, e aquella foi om iocenlivo para os hab-
ferro.Comniualeo aoSr. su per i mndente daestra- taoles do campanario loraarem-se mais abusivos e
da de ferro do Recito a S. Francisco qae Desta data' iotoleravels 1 Sirvam-se Vmcs. de fazer-oos este
desigoel o eogeoholro Jos Caroeiro da Rocha para | pedido, qae por elle Ihes sera' mui grato o sen as-
exercer interinamente as faocgSes de eogenheiro : signante e constante ieilor Simplicio.
fiscal da mesma estrada, visto ter de seguir para Hoje, 12 do crreme, effectua o ageote Pioto
a corte aflm de ir lomar asseoto na assembla ge-; 0 leilao de vergas, maslaros, paono, cabos, cor-
ral legislativa oa qualidade da depatado o Dr. Ma- rentes, paos e ma-s accessorios de navio, isto as 10
noel Baarque de Macado. horas em ponto, no Forte do Maltos, em frente ao
Expediente do secretario do gorerno do dia Io armazem da compaobia pernambucana.
de abril de 1867.
1 seceo.
N. 73.Offlcio ao general commandante das ar

mas.De ordem de S. Exc. o Sr. conselbeiro pre-
sidente da provincia, declaro a V. Exc. em respos-
ta ao seo offlcio de 30 de margo ultimo sob o. 467,
RKFARTIQAO DA POLICA
Extracto das parles ao da 11 do correte :
Foram recolhidos a casa de deleogo oo da 10
do correte :
A' ordem do Illra. Sr. Dr. ebefe de polica, Anto-
nio Barbosa de Souza e Mello e Antonio de Salles
qae nesta data se maadou satisfazer o pedido de Correa, viodos do termo da Escada, como pronun
armameoto qae velo annexo ao sea citado offlcio.', ciados oo termo de Pao d'Alho. A' ordem do sub-
N. 74.Offlcio ao bacbarel Joo Maooel Meodes delegado do Recife, Joaquim, escravo de Joo Fer-
da Caoha Azevedo.Pela secretaria do goveroo se : nandes Lopes, para averlguagoes em crirae de fur-
commoaica ao Sr.bacharel Joio M-ooel Mendes da! lo. A'ordem do de S. Jos, Mara Catharioa da
Caoba Azevedo qoe por portarla desta data -foi Conceigio, para correegac. A' ordena, do dos Ato-
considerado sem effeito a de 23 de oulabro do an-! gados, Jos Joaquim Nogueira, como indiciado em
no passado que o nomeou promotor publico da eo- crime de estelionatoO ebefe da 2' secgao, J. G.
marca da Boa-Vista por oo ler S. S. solicitado o. de Mtsquila.
respectivo ututo.
N. 75.Dito ad-bacharel Manoel Joa(alm Fer-
reira Estevas Juntar.-Pela secretaria do goveroo
se commuai'ea ao Sr. bacbarel Manoel Joaquim
Ferreira Esteves Jnior, para que solicite o respec-
tivo Ululo que por portara desta data (oi S. S. no-
meado promotor publico da comarca da Boa-Vista.
N. 76.Dita ao bacbarel Jos Biptista Gitiraaa.
Pela secretaria do goveroo se cammunica ao Sr.
bacharel Jos Baptista Gitiraoa, para que solicite o
respectivo titulo, que por portara desta data foi S.
S. nomeado promotor publico da comarca do Bo-
nito.
2.' secgao.
N. 77.Offlcio ao chefe da repartigo das obras
publicas.O Eira. Sr. conslhelro presidenta da
Passageiros da barca portagaeza Aurora,
sabida para Montevideo*:Felippe Santiago e Jos
do Reg Baldis.
Passageiros do biale brasileiro Harta Ame-
lia, sahido para o Aracaly : Jos Corlea dos San-
tos, Eduardo C. dos Santos, Lucio Ribeiro Guima-
res, Antonio Francisco de Moraes.
cbmitkrio publico. Obituario do dia 9 do
correte.
Ildefonso Eugenio Figueredo de Olivelra, Per-
nambnce, 16 anuos, soleiro, Boa-vista; desin-
torta.
Maximiaoo de Saol'Anna, Peroambuco, 30 an-
nos, solteiro. Boa-vista ; fractura as pernas.
Anna Alvos Barbosa, Pernambuco, 19 annos, sol-
provincia respondendo ao oflciode V. S. datado de telra, Recito ; fibra adynamica.
boje, esob n. 63, manda declarar que a thesoura-
ria provincial tem ordera pa a entregar ao tbesou-
reiro pagador dessa repartigo a quantia de.......
1:9254000 constante do seu citado offlcio.
OVEREO DO BISPADt.
SEDE VACANTE.
O Exm e Rvra. Sr. internuncio apostlico acaba
de autorisar ao Rvm. Sr. cooego governader do
bispado, em data de 25 do prximo passado para
dispensar os oradores constantes da relago abaixo
transcripta nos impedimentos de affloidade licita
em primeiro grao igual da lioba laite/al e do se-
gundo grao atliogente ao primeira de coasaogoiol-
dade da liaba latleril.
Estas pellgdes pdem ser procuradas na secreta-
ra do bispado, no palacio da Soledad?.
Joo Miguel Rodrigues e Anua Joaquina do Espiri-
to-Santo.
Antonio Gomes Pereira e Joaqaina Carolioa do
Amor Divino.
Joo Tavares de Araujo e Joaquina Mara do Espi-
rito-Santo.
Jos Barbosa de Freitas e Mana Joaquioa do Espi-
rita-Santo.
Manoel Soares da Silva e Clara Mara da Con-
ceigo.
Amonio Manoel dos Santos e Benvinda Mara da
Conceigo. v
Francisco Ignacio da Craz e Joscpha Mara de Sao-
ta Anoa. ,
Francisco Bezerra de Vascoocellos e.Thereza Mana
de Mello.
Jos Luis Dantas o Luiza Maria da Conceigo.
Joo Po de Seona e Porflra Maria da Soledade.
Agostinho Barbosa da Silva e Maria Xavier da
Cosa.
Damio Mathias de Souza o Joaqaina Mara da
Conceicao.
Joaquim Francisco de Souza e Maria Magdalena de
Josos.
Edoardo Pereira de Soma a Francisca Maria Ca-
valcanti.
Virginio Fortunato da Silva e Rita Honoria de Me-
deiros.
Joaqolm Ciemeotoo do Carvlho o Silva, o Gui-
Ibermioa Maria da Aoounciagao.
PERNAMBUCO
REVISTA DIARIA-
Pelo ministerio do imperio foi commonicado
ao Sr. Dr. Manoel Frmino de Mello, director do
pensinalo agrcola o industrial pelo mesmo seobor
Instituido nesta provincia, que se dignara S. M. a
lnaperatriz de aceitar a dedicatoria da grammatica
italiaoa-portogueza composta polo Sr. commeoda-
dor Jos Fachloetli, e cedida ao mesmo Dr. Maooel
Firraioo de Mello.
Foi nnlliflcada, sobre representagio do res-
peciivo commandante, a nomeago do alferes do 8*
batalbo da guarda nacional feilraa pessoa do Sr.
Dlol: Ferreira da Craz, sendo para o mesmo posto
nomeado o Sr. Francisco de Paula de Albuquerque
Maraoso.
Para capito da 5* compaohia do mesmo cor-
po mi nomeado o Sr. Jos Daciaoo Vieira de
Amorto.
Fol designado o dia 8 de agosto prximo,
para ler lagar a reuolo da junta, que deve jolgar
os processos de conselho de disciplina instaurados
contra os Srs. coronel Francisco Mizal de Siqaeira
o capites Espiridio do Siqaeira Campos o Urabe-
lioo de Paula Souza Leo.
Mana Candida de Jess, Peroambuco, 40 anoos,
casada, Santo Antonio ; tubrculos pulmonares.
Deolinda Paula da Graga, Pernambuco. 27 an-
nos, solleira. Boa-vista ; tubrculos pulmonares.
Manoel, Pernambuco, 8 mezes, \ Recife ; den-
tigo.
Manoel, Peroambuco, 8 mezes, S. Jos; deo-
tlgo.
Luiza, Pernambuco, 9 mezes, escrava, Recife ;
diarrha.
Ponciaoo, Peroambuco, 10 aooos, escravo, Re-
cife ; tubrculos pulmonares.
Laiz, Peroambuco, 40 aooos, escravo, Boa-vista;
bexigas.
Jos Rodrigues de Oliveira Lima, Pernambuco,
77 aooo?, viuvo, Afogados; coogesto cerebral.
GAHAKANUiNlclpAL DO pECIFE.
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 4 DE AURIL
DE 1867.
PRESIDENCIA DO SR. PEREIRA SIMOKS.
Proseles os Srs. Aqaioo Fooceca, Gastavo do
Reg, Silva do Brasil, Dr. Miranda, Saotos, Dr.
Villas-boas, Dr. Pilaoga e Pioto, abrio-se a sesso
e fot lida e approva a ^ acta da aotecedeote.
Continuando a apuracaa geral dos votos para os
tres deputados a assembla geral legislativa pelo
primeiro distrielo eleitoral desta provincia, a qoal
fora bODtem principiada, o teodo-se terminado, sa-
biram eleitos por maioria de votos os seguales se-
nboros: Exm. viga rio capitular Dr. Joaquim Fran-
cisco de Parias, conselbeiro Joaquim de Saldaoba
Mariobo e Dr. Joo Fraocisco Texeira.
Em seguida maodoo a cmara fazer a acta, em
que assigooo, ordenando por flm, qoe se tirassem
as copias determinadas por lei para terem o con-
veniente destino, e se expedissem os diplomas aos
eleilores.
Leo-se anda o seguinte
EXPEDIENTE. '
Um offlcio do solicitador, remetiendo a conla
das despezas qoe fez com castas jadiciarlas desde
23 de janeiro ultimo al 27 de margo prximo fin-
da, da qual consta baver nm saldo a seu favor de
244580; pede para o pagamento do mesmo e para
as despezas qne forem necessaras, a qoaotia de
2004000.Maodoa-se ordem ao procarador para
entregar.
Despacharam-se as petlges de Francisco Aoto-
nio de Albuquerque Mello, Geraldo Heorlqoe de
Mira, Maooel d'Alraeida Lima, Maooel Alves Viao-
oa, Maooel Jos dos Santos Ribeiro, Victorino Jos
Ca valcanti, e levaniou se a sesso.
Eu Fraocisco Canuto da Boa-viagem secretario
a e3crevi.Poreira SimSes pro-presidente.Dr.
Villas-boas.Santos.Dr. Pitonga.Silva do "Bra-
sil. Reg.Pinto.Fonceca.Or. Miranda.
sou com toda a consideraco e respeito
De V. S.
Maito atiento venerador e criado.
Frederico Lopes Guimares. .
13 de abril de 1S64. ,
Illm. Sr. coronel D. A. Nery Ferreira.
Remeti a V- S. os seis conlos de ris
de.....que hontem deixei de receber por
esquecimenlo da data, e que me foram
mandados entregar agora. A casa de.....
precisa tomar 40 contos de ris por 30 dias.
Como emprego excellente, creio que po-
der convir ao Exm. Sr. Baro, e espero
as ordens de V. S. para srvirem-me de
guia. Precisa-se a resposta hoje, e os ja-
ros sao os do costume 8 0|0.
Sou com todo o respeito.
De V. S.
Muito atteoto venerador e criada
Frederico Lopes Guimares.
27 deoutnbrodei86l.
Illm. Sr. coronel D. A. Nery Ferreira.
Sendo o 1" de novembro dia saoto e preci-
sando eu de effectuar o emprestimo de
46 contos para casa de..... aotes do dia 31
do crreme, rogo a V. S. que se digne
mandar-me dizer se possivel ao Exm. Sr.
Baro o dar a dila quantia no dia 31 pre-
dic'o antes das !0 horas da manha, porque
ento nao terei de procurar de outra pes-
soa.
Sou com a maior considerado e res*
peito
De V. S.
Muito atiento venerador e criado.
Frederico Lopes Guimares.
27 deoutubro de 1864.
Illm. Sr, coronel D A. Nery Ferreira.
Se V. S. tem o recibo dos 20 contos em-
prestados pelo Exm. Sr. Barao ao. ... pode
tal importancia ser hoje mesmo recebida.
Qnanto aos 20 contos do....., no dia 28
irei leva-Ios a V. S. para trocar pelo reci-
bo passado ao Sr. Baro.
Rogo V. S. se digne dizer o que de-
termina acerca deste negocio.
Sou com o maior respeito
De V. S.
Muito atteoto venerador e criado.
Frederico Lopes Guimares.
Recife, 26 de abril de 1865.
Correspondencias
Communicados
Cartas que se refere o communicado
assignado pelo Illm. Sr. cortanel Domingos
Affonsp Nery Ferreira e publicado do Diario
de hontem (10).
Illm. Sr. coronel D. A. Nery Ferreira.
Precisarei talvez descontar um saque a caixa
filial do valor de 38:0000 a favor de .-..a 10
dias de vista. N3o quero tomar delibera-
cao final acerca do que me foi incumbido a
tal respeito antes de V. S. me determinar
se convm tomar tal saque razo de 6
0(0 ao anno para o Exm. Sr. Bario. Se
V. S, o quizer rogo a V. S. se digne man-
dar-me dizer.
Senhons redactores.Detento no estado-maior do
corpo de polica como negociante fallido com colpa,
e fraude, li com atleogo a declarago qoe no
Diario de boje 9 de julho fez adreda publicar o
mea boro compadre Maooel Joaquim Baptista, como
curador da respectiva raassa. Firme em Deus,
pela tranquillidade de nainoa consciencia, nao pre-
teodia, aera preteado oceupar oprlo com uro faito
do qoal eu, e sement eu sou a innocente victima,
e o nico calpado oela boa f que desde o bergo
meos paes m: innocuiaram era meu corago, a
qnal o publico qoe roe coohece desde a infancia
sabe que a tenho demonsirado em toda mioba vida
publica, e particular.
Mas como esse meu compadre Baptista, essa
alma anglica disse era sua dita declarago :*Que
tu e meu irmdo Antonit Goncalvts dos Santos esta-
mos macomunados para faztrmos artificios afim de
subtrahirmes bens da massaIforgoso que eu
Ihe diga alguma cousa, e com ella faga reverter
em taeta, para o Sr. Baptista essa infamante pro-
posigo propria de .
Em primeiro lugar mister que o Sr. Baptista
salba que somos bera coohecidos Desta cidade em-
bora ea pobre e prese, e sua merc rico e solt;
isto posto direi, que meu irmo Antonio Googalves
dos Saotos oo trata de nenhum artificio, mas sira
pugna pela verdade, por isso qae o camprmeoto
do testamenta cora que fallecen mioha mulber
Joaooa Maria.Xavier Pereira, qae oNditoa com
certeza, com seleoela da razo, j v pois oSr.Bap-
tlsta qoe meu referido irmao como testamenteiro
so quer o qae justo, o qae verdadeiro, e tanto
assim qae miaba mulher oo acto de fazer sea
testamente tinba sciencia qae nada diviamos a esse
avareoio Sr. Baptista, e aotes ramos delle ere-
flor; ella certameote nao poda prever qoe depois
do sao morte o Sr. Baptista qae tanto inssou para
qoe eu fosse padnobo de um seo fllho cerno des-
bragadamente o fui, e qoe d'ahi parte minba infe-
licidade, Ozesse por si a transmisso de nossos
bens para soa posse I ella nao podia prever qae
meas padeclmeotos pbysicos.se jggravassen- e qae
por isso me entregasse exclusivamente a directo
desse coDscieocloso compadre Baptisllnba 1 ella
oo podia prever qae ea entregasse a esse saoto
bomem 9:0004 rosto dos 20:0009 qoe lire na lote-
ra do Rio de Janeiro, sem exigir documentos, afim
de por mim o por a jaros 1 ella nao poda prever,
que ea por conselbos desse seobor assigoasse es-
critura de fecticia venda de Dosso sobrado da
ra Nova afflrmando essa bomem refargado que
era para eo llvrar me da fazenda publica no dis-
falqae da alfaodega de cojo fiel*se dizla ser eu o
fiador I ella oo podia prever, qae ea me deix'ise
Iludir a ponto de a pedidos desse eompadro todas
lhe eolregasse diversas letras de meo commereio
ja pagas mas sem recibos afim, segando dizia elle,
de eu nao pagar sello da beranga qoe mioha mn-
Iher por nio ler herdeiros mo deixoo em testa-
meoto I ella nao pedia prever que esse compadre
seeco por ouro escolhesso algumas dessas letras
00 valor que lhe fez conta spresentasse como cre-
dor no Inventario o qnal foi iodo dltado por elle, e
d'abi com essas mesmas letras viesse no jolio do
commereio abrir-me em seo proprlo nomo a
fallencia, fazer-me carga pela qoal me acho pro-
nunciado o preso, sem nada dever a esse boorem
saga, e traigoeirol ella, em flm, nao poda prever
que sendo esse Sr. Baptista mea compadre e raoito
que nos devla, qne flzesse coraigo anda peior do
que bavia feito a Jos Borigues de O.'iveira Lima,
Jos Florencio do Olivelra e Silva, e ooiras rojeii-
z -s victimas; e portanlo nio podendo ella prever
taes fados qoe so depois do sua morte lem appa-
recido segue-se indobitavelmoole qoe seu testa-
mento logaLo por cooseqoeocia mea irmao como
sea testamenteiro pogoa pela verdade, e sem
artllelo III .,,
NSo posso como bomem soffror silencioso as
traigSes desse desalmado homam Maooel Joaqaim
Baptista sem soltar om brado de desespero! Sira
ronbe me a fazenda; porque Deas dar-me-ha ou-
ira; mas itm da fazeoda roobe-se a hoom, e a
libe'rdade, certamenie revoltante'. Que fcffaoga.-
fiz eu ao Sr. Baptista que lhe merega laota per*e
juigo? Sera m-.nha culpa o possuir pequsna
fortuna restj do qie legalmente leonebardada, a


w^


diario de Pernajttbc fitxta |c|ft 4* de Ja Ib o de 1867.
*


tad toa f I
Se os meas be os augmentan soa fortuna j
delles sna merc esli sa posse; as cobo a mioha
boora e tiberdade, de Dada Iba serve deixe-asem
tartas til-
Cooclufndo lembro ao Sr. Baptlsta o segaiote
verdelo de Caa5es:
f O mai bem ardido (rama
i Uaoar pJe ao inventor
t E a perfidia, mil vezes
Recai sobre sea antor. >
Recife, 9 de jalbo de 1367. -
Amaro Goncalves dos Santos.
^ublicacdes a pedido
que peiimjuha economa, que enea fui o tha- $ esteoder o mal por nao se ter a princi-
a^isrii s.*a!ai.?K;; r rabtid; r;isso'pois' brTs.
para ter seioecorabo, dessa forma diseartar se de jte mim, temeado-se de mais justas reclama'c5e> ? isso de tal mal, deve provocar a IranspiracSo
nao obtem-.^orqae Deas me conservar a vMa.e tomando- ao principio O ma COlhermha l
me aaiiliar como eu merecer Ihe. | l. tsrnriA alhnli<>/ da volamp dis-
Portaoto guerrei-me o Sr. Raplista como ibe i CQf .^ xaroPe COBOIiCO e veame ais
approuver, disfrote soa liberdade e soa riqaei; iwvido em ama chicara de intasao de flor
por Deas me deixe soflrer quieto os resultado de de sabugueiro quente, adocando-a CODQ mais
sua boa obra, de saa avaNDcia, e de mlotia iliimi- assucar, continuando nos tres dias nesse
tralaoaeo'o, no fim dos quaes usara' do xa-
rope de veame na forma proscripta no re-
eeituirio, teado todo o cuidado de se aba-
far, atina de soar convenientemente, alm
de conservar o ventre corrente., que conse-
guir tomando urna ou duas pilulas purga-
tivas do mesmo veame.
T dos quantos succumbera desta molestia,
se diz : fallecen de erysipella recolhida;
ao contrario, alguns expositores presumem
ser o desenvolvimento da pulrefccSo no
sangue, tanto que o lugar inflammado que,
entao a sua cor era encarnada, se troca
em lvida ou negra e termina em gangrena,
e por essa razo que conveniente o ja-
rope alcohlico de veame na infusao de
flor de sabugo, para se conseguir resolver
a inflammacao, ou pelo menos terminar pela
supporacao.. irapedindo assim a gangrena.
Os elTeitos do xarope alcohlico de vta-
me applicado na flor de sabugo ao doente,
nao so de vantagem por sua qualklade
diafortica, como pela ansi-septica para
imped a putrefacto n3s molestias.
Na erysipella. nao deve o enfermo nos
r rimeiros tres dias usar ecomidase bebi-
das que possam esqueotar e.inflammar o
sangue. m
A comida durante esse tmpo deve ser
do reino vegetal, como sag, fcrinha do Ma-
ranbo, pao topado, bolacha, etc.
Ainda n5o vi expositor de medicina que
acQUselhasse que nos primeiros tres das de
acammetmentos do mal, nao se usasse de
medicamentos ; o que elles inawiaai sao o i
ungente s, untqras que obstniem mais e
....
lllm. Sr. Joaqum de Almeida Pinto.
Padecendo um meu Gibo menor de urna in-
flammacao no Ggado, e tendo resistido a
arabos remedios, recorr as suas composi-
ces de jurubeba, e com tanta felicidade
que no fim da duas garrafas, que o dito
meu filbo tomou, e com um emplastro qoe
V. S. Ihe applicou, fice a elle completamen-
te reslabeletido.
Pelo que n5o s agradeco a V. S. este
feliz, curativo, como, lbe permuto que faca
o uso que Ihe convjer da presente.
Son
Ot V. S.
Amigo attento e venerador.
Manoel Alves Guerra.
Bolista, %i de junho de 1867.
D'l'JlA



Curada.

Tojos aquelles. que so jicao suiVitoa 4 eof
frer molestias scrofulosna, ulcerosas, ou gyplii-
liticns, anda meemo a reputadas de peioi
naturoza, apenas necussitao ile lr o seguinte
aso maraviftoeo, para que ps sintao inteira-
mente convencidos que sua propria cura.
cSo e meramente posjivel mas 6im abeola
tasaecte cerj*.
Jlo Jott Feuigwa Bakijqz>, Kwott
na Cidade de MaranhSo, tinta todo o seo
corpo coberto de cliagas ulcerosas, e durante
algunos annos eeacliava^eliaixodo tratamento
de mdicos os mais afumados, tendo oaaoo
durante todo este teuijo quasi toda a especie
de medranas que eiu taes casos empreada
pela faculdade medica, porcm debalde sera
obter o menor beneficio ou alivio : acbando-ee
pois em taes apuros elle finalmente resqlven-
e, depois de repetidos e baldados esforcos
fatr uso da]
Salsaparrilha
A senhora do-Sr. Antai^'fta^sca^iJMiaA.Woteslias, cuja base esseneial depende, Kiporiac.
norato foi desengaada pw^wfeei Hjodift 4a priac|c5o do sangue ; assim pois se Patacho boiiaoder. Krommenu, carregoa para o
desta cidade, estove prostea> e- o trfl>v w vanacado por muitas pessoas que se.Ri.* } S01,^[' hlc a ,. 1Ifc
mosparoxismos da morte,lTco*v*m MWOidesengaadas, as quaes ^m^l^^^i^i^^^.f"^-
reame salva, como se v da-carta impre* tra$ restablecidas com o referido xarope' ffdao Sawldoi
sa no Jornal do Recife de 9 de tevereiro de alcboolico de veame: entretanto que al- Patacho boliaodei Zeomans Hoop. carregoa para
guas, tndo usado do xarope de Cuiinier,! LiJl'p~'',se^*
1863.
O es:ravo Emilio, do Sr. tenente-coronel
B&Jolph Joo Barata de Almeida, foi tam-
ben] desengaado por habis mdicos, ecom
o xarope de veame acha-se completamente
restabelecido, como se \ lambem da carta
de rroy, de salsa parrh de ponaria', \ dlJ*slcw ,t,,rrobas ^ 20 libras *,,0"
oleo 4a-figado de bacalbao, e- outres agentes f Barci fraocea ftjrf, car^agoa pare o Havre o
desta ordem nada conseguiram. E' elle de segaiote:
fcil digestao, agradavel ao. paladar e ao ol-
phato. Alguns mdicos desta cidade e da
impressa do mesmo Sr. teaente-coronel no de Macei o teem recommendado para a cu-
mes rao Jornal do Recife. radas
Nio.deixarei de advertir ao publico^ que Impigao^. oha, espr.opbulas.
as mifthas preparaces de veame s5o reuni- Tumores, ulceras, esc rboto.
das com outros ingredientes, e -eom elles Cancros, samas degenerada, fluxo alvo,
tenbo obtido ptimos resultados : n5o se en- Todas essas affeccoes provm de urna cau-
gane o mesmo publico com oulros que por sa interna ; nSo ha pois razae alguma em
abi se annnnciam, cujas preparac^s i;i f, crer que ellas se podem curar com reme-
assim como o aproveitameoto aos t fennos, dios externos. Tambem se prescreve o xa-
a qoem porvenlura tenham sido applicados; rope alcboolico de veame para o tratamento
cada um responde por si, e eu-affirmo com das affece^s. do, systema nervoso e fibroso,
verdade o que aqui tenho relatado, cujos taes" como :
medicamentos Resta provincia s vendo em Gotta^rheumatismo, paralysia,
minha botica na. ra Direita n. 88.
Jos da Ratha Pacanhos.
Nazaretb do Cabo, 7 de setembro de 18d3.
Dores, impotencia, estenlidade.
ittarasmo, -hjpocondria, emmagrecjnaento.
O xaj-ope alcboolico de veame sobre
lUm. Sr. J. s da Rocha Paranhos.Gom tudo, dainaior ulilidade para tarar radt-
o maior prazer levo ao eonbecimento de V. clmente, e em pouco tempo o rhegmatis-
s., que o doente que V. S. acha-s adminis- mo.
tranao-Joe remedios, acha-se no todo res-
labelecdo, portante nada sent, tendo des-
apparecido no todo a tosse, tem moita dis-
de tomar os ltimos remedios que.V. S. n-
ceitou no dia 30 do paseado, resta agora a V.
S mandar-me dizer qoal a dieta que o doente
deve conservar e por quantos tempos, men-
cionando as comida qoe devera, usar daqui en
dian'e.
Resta-me agora agradecer a V. S. o cui-
dado que lomou no tratamento do mea so-
briolio abaixo de Dos, devido o seuresta-
belecimento a pericia de V. S., e por isso
repeliera do que prmovem a ev cuago da pode JV. S., sempre contar com os raeus di-
parle; oqueconvm trazer o lugaj ataca- ututos prestimos, e desejari em todo o
do e Dem agaalhad> para a transpiraco e 'lempo dar urna prova do meu recooheci
defender do ar. i menlq,
O verdadeiro xarope de veame vende se j "Dezejo a' V. S. todas as venturas, por ser
na Lolica da ra D reita n. 88, de Jo. da^.de V. S. muito rcspeitadoi e obrlgudissimo
Rocha Paranhos. criado.Francim Beringuer Cesare Me-
Tenho recebido cartas de algumas passoas' nezes.
de outras provincias que me commnnicam | --------->.--c---------
ter desta cidade sido remettido o meu xa- Xarope Inico refigerante .de veame e de
rape falsificado, que tem dado resultado ao; ferro preparado pelo pharmaceutico Jos
descrdito de minha preparado, cojo v
nhecimento se tem verificado depois dos ef-
feitos que taes' remedios apresentava ; as-;
sim, pois, tenho a declarar ao publico que
Adverte-se que o verdadeiro xarope s
se vende nesta cidade na botica cima indi-
cada, do abaixo assignado; e em outra qual
posicao comida e acha-se nutrido. Deixou quer parte que se tem aonunciado nao da
no leireiro que vai [iregado na garrafa do
xarope, sempre foi assigaado por meu pu-
nho, e daqoi em diante, alm desta assig-
natura o farei tambem no papel que cobre
a garrafa. Rogo ao mesmo publico que
quando forem assim engaados,, lomem te.-
tetnunhss, me remettam os rtulos falsifi-
cados e me participem para faz'-r elfectivo
o artigo 167 do cdigo caminal do Brasil.
Jos da Rocha Paranhos.

No todo elle aperen cliegou a tomar Oinc*
Uarrafas de Sasaparril/m > quatro frascos das
Pilidai Vegetaa Attuearadtu, e o resultado
foi elle obtor una completa e perfeita cora.
Os Sers. Feubeip.a & ("ia., Droguistas de
MarlmSo, foro quero supprirSo os medica-
mentos, e aclio-se perfoitamente ao (acto
d'este caso, e os meemos Senliores, nao e se
achac promptos confirmar o mesmo, como
tambem em fbrnecer o actual adresso do Sor.
Barboza, toda/e qualquer pessa que po
ventura, se dej jjifonnar da verdee.
Eecommendase mu) particularmente ao
Doentes que tenhao o aiiiior cuidado-na,eficollit
deste excellente remedio^no usando outro
n5p ser a Genuina Salsaparrilha de Bristol,
a qual t ezclusTamente preparada poi
LANMAN & KEMP,
De NOVA YORK,
todas as mais sao inefficuea de nen
preetimo
da Rocha Paranhos, estabelecido na cida-
de do Recife provincia de Pemambuco,
ra Direita n. 88.
Este xarope, que d tom ao rriovimento
muscalar por sua qualidade fere, ao
mesmo tempo purgativo pela parte do ve-
lame que encerra, e refrigerante pela parte
acida alem da precisa para perfeita solucSo
e combinacao de ferrp ; este aiacado pelo
acido fica em extrema divisao, e assim o
mais soluvel que possivel, de sorte que j
nSo lo dependente de ser digerico pelos
cidos fracos, que se acbam no suc *o gs-
trico durante a digestSo. Os expositores
de medicina sao de opini5o que o ferro
rbthysica
O xarope etberio de veame por mim pre- 'odas as suas preparaces gozam das virtu-
parado muilo tem aproveitado aos quesof- fQS emineutemrnte tnicas, que aproveita
frem desta rroiestia e de lamentar-se, que, em todas' as molestias quo slo caracterisa-
no obituario desta cidade a materia dos que das por fraqueza ; e com effe'.to ado exac-
suecumbem de tubrculos pulmonares, sem M essa opinio; n3o mas dado o ferro em
procurarem o recurso do pratico e do expe-1 substancia pelo mo resultado que tenho
rieote, que Ihes podejn encaminhar o meio observado, (e que j fiz pubhar) em certas
E^jsipella-
O medicamento que com mais influencia
e energa tem combatido essa terrivel en-
fermidade, tem sido o xarope alcohlico
de veame.
Urna escrava.da m5i do Sr. Francisco Fir-
mino Monteiro, pessoa bem cocheada nesta
cidade, achando-se de cama, e com as per-
nas bastante iocbadas, e cheia de tumores,
tomando, o xarope de veame, acha-se hoje
boa, gestando servicos.
A mana do Sr. Jos Francisco Pinto, mo-
rador na ra Direita d. 51, tendo sido ac-
commettida do mesmo mal, acha-se tambem
boa.
A Sra. D. Senhorinba Umbelina dos San-
tos, moradora na ra das Calcadas n. 38.
achando-se atacada deerysiptllanas cxas,
com quatro tumores bastante valumosos, do
estado indolente, que a privava de pr-se
de p ha muito tempo, com o uso do xaro-
pe alcohlico de veame e pilulas purgativas
do mesmo, acha-se restablecida, e no aso
dos medicamentos or tumores terminaram
pela suppuraco.
A Sra. D. Rita, moradora na ra de San-
ta Rita o. 13, primeiro and;r, solfrendo do
mesmo mal ba mu tos annos, poi&.que a
erysipella ataca va amiudadamente, depois
que tem tomada esse remedio uuoca mais
Ihe dea.
Outros moitos factos desta ordem deixo
de mencionar aqu para n3o ate tornar pro-
lixo e enfadonoo.
Sendo a ryspelia urna molestia que sem
duvida efleito de materia gerada bo cor-
po como expoem.alguns escriptores de me-
dicina, e em consequencia da febre lanca-J
da na peile, onde produz inflammac3o, e
que muitas pessoas, por d5o se terem con-
venientemente tratado, succumbera com o
pernicioso aso de qae, nos tres dias n5o
uevem usar de remedio algum, o qu% faz-
de sua salvacao.
O Sr. Br^gacom loja de ferragem na roa
Direita, foi desengaado por dous habis
mdicos, acha-se bom com o tratamento por
mim prescrito.
A Sra. Jeronyma Mara da Conceicao,
moradora da travo >sa do Monteiro n. 10,
achando-se desengaada, tambem mim
recorreu e acha-se restahelecida.
m sobrinho do Sr. professor de Naza-
reth do Cabo, acha-se bom, como se v de
sua carta abaixo transcripta, alm de outros
factos, que poderia aqu mencionar.
A phthysica a deslruico e a magreza
de todo corpo em consequencia de chag.s,
tubrculos e concrecco dos bofes e de em
pyema, arophia nervosa e outras molestias
que viciam os humores, como escorbuto,
alporcas, gallico, asthmi, bexiggs, ssram-
po, etc.
Na phthysica, chegando ao estado de gra-
vidade, o que mnito pode concorrer para a
salvacio do doente e ajudar os medicamentos
, o.ar do campo, exercicio conveniente-e
dieta, a qual nao deve.ser de nenhuma cou-
sa quente, ou de defficil digestao ; e a be-
bida cumpre que seja de natgreza branda e
fresca.
Todo o seu alimento se ha de dirigir a
moderar a acrimonia dos humores e a nutrir
e suster o doente, para o que preciso re-
duzi-lo ap uso de vegetaes e leite-
Toda comida e bebida, que se tomar ha
de ser em poucas porcoes, para evitar que
o excesso do chylo iresco opprime os bo-
fes e acelere muito a cnculacjio do singue-
Muitos doente desta molestia se teem en-
tregue ao uso do oleo de figado de bacalho,
e outras preparaces de resinas e blsamos,
sem que dellas tenham tirado proveito; e
alguns expositores de medicina combatem
com muita razo esse tratamento.
E' costme carregar o estomago do doen-
te com medicamentos oleosos e balsmicos;
porm estes em vez de tirar a causa aug-
mentam-na, esquentando o sangue, ao mes-
mo tempo que^tiram o apetite, relaxam os
solidos, e sao de toda sorte perniciosos.
Tudo que se fizer para extinguir a tosse,
alm do exercicio e rgimen apropriado de-
vem ser remedios de nalureza acida, deter-
gente e calmante.
Os cidos possuem a virtude de produzi-
que, nao s contribuem a apagar a sede
quando aceommettem a febre ethica, mas
tambem a refrescar o sangue.
Aos doentes desta eofermidade, quandeo
seu estado de gravidade tal que a febre
ethica o&< acMawMUe.. ptmmnrikma. suce
de um Um3o di^solvido em urna chicara
d'agua conr bastante assucarom um grande
copo para misturar com um papelinho dos
pos refrigerantes para tomar, com que ali-
viam no accommettimento da febre, e pela
manhSa o xarope etberico de veame. Tenho
aconselhado, qn: faeam uso de vegetees de
nat.qreza acida, como. laraojas, limes, p.
tangas, uvas, etc., e applicacoes de planeas
amargosas, que fortificara o estomago eser-
vemao mesmo tempo para destruir e miti-
gar a sede.
A Sra. D. Joaquina .de S Barreto, tendo
uma sua escrava fallecida, desta molestia,
submettida ao tratamento de seu medico,
resolveu procuradme para tratar de um ou-
tro escravo, que soffria da mesma enfermida-
e determinadas molestias : por exempu
anemia, e fetres intermiientes/ terminam
muitas vezes por anazarca, que Hccumu-
lacao de serosidade no tescido cellular (agua
quando est entre a pelle) e depois ascite
ou hydropesia do ventre, que accumula-
g5o de serosidaJe no peritoneo.
E' sabido que o ferro um dos agentes
mais importante p?ra que o sangue se pre-
pare e aperfeige devidamente, e por con-
seguinte o ma proprio para impedir o
desenvolvimento destas molestias: ma? sen-
do elle um efficaz excitante, sorbente ese-
cerneDte, claro que s associado como se
acha oeste xarope, pode dar o resultado
que se espera, e a experiencia me tem de-
mi nstrado sem risco de offender as entra-
ntes.
Os effeitos dos incitantes, sSo : promo-
ver as secreces, eabsorces, augmentar o
calor natural, e remover aqueHas dores qoe
nsscem da falta dos mevimentos irrilativos.
Os sorbentes sao tambem aquelles agentes,
os quaes angmenlam os movimentos irrila-
tivos, que formara absorcao, e. os secernen-
tes aquelles que aujmenta;n os movimentos
irritativos que coostituem as secreses. As-
sim, pois, v-se que sem a precisa combi-
nacao e modificaco nao pode ser elle ap-
plicado indistinctamente. Muitas vezes o
pratico deixa de fazer applica?ao do'ferro
por conhecer s'uspeitar que o figado, o
bofe ou pulmo. e org3o'essen ial da res-
pirarlo, ou outra entraoha est offendida ;
entretanto que, se se tivesse applicaio em
tempo se poderia ter evitado o desenvolvi-
mento da molestia.
Assim, pois, o xarope preparado como
fica exposto se pode usar sem risco por
nao offender as entranhas. As molestias
contra as quaes' o xarope*tonico refrige-
rante pode ser applicado com proveito, sao:
a amenorrheas, ou suspencjto do floxo
menstrual das mulheres, anemia, on dimi-
nuic3o da massa do sangue e sua coosis-
tencia alterada, dores de estomago, debili-
dad e do qrgaos digestivos, fastio, fluxos
mucosos, flores brancas, chlorose, molestias
do sexo femenino, caracterisada por lan-
guor geral, acclorisacao paluda da cor ou
esverdinhada, empobrecime to do sangue,
enfartes-ehronicos das visceras abdominaes,
alporcas ou escrfulas, escorbutos, opilacao,
mesma composico, e uem o abaixo aesigoa-
do s respoosabilisa.
Jos da Rocha Paranhos.
U-se aa tteferiue Heilicaie
A maior preocupacao do medico consiste
em saber se as suas receitas sao prepara-
das cora baos productos, pois que, quando
a receita preparada gom productos- inferio-
res, o que acontece nao raras vezes, os effei-
tos que querem alcancar os mdicos, mal-
lograrn. ou pelo menos, o medicamento nao
exerce a-plemtude de sua acc3o.
Para evitar este grave mcoaven^ente, os
phaiieacrioUcos devem tntar de erepregar
productos bem abricados, e entao nao po-
demos fazer melhor, seno assinala-lhes
os productos da casa Lamoureux Gendrot
fabricantes de productos chyraicos em Paris,
au somente, a inconiestavel superiori-
dade dos productos desta casa foi reconhe-
cida por todos, mas ainda a modicidade
dos seus precos os recomraenda aos Srs.
phancaeeulicos e droguistas
A casa Lamoureux e Gendrot conseguio
evitar a contrefarcao, inventando urna cap-
sula que n5o se pode imittar, e cujaexteu-
cao muilo dQcil, por exigir .um material
mui complicado e cusioso.
Lamauax e Geudr
fabricantes de proioeUs ebvaiKo, fornecedores da
casa do inperador e des bospitaes de Paris.
Todos os productos sahiodo desta casa s3 >
da primeira qualidade e fechados por urna
capsula inimitavel o que os pe m salvo da
conlrafaccSo.
732 saccas e 3546 do, 15 barrica e 7i arK.bas 3 libras d assucar
braaco, 181 saceos e 905 arwbas d dito masca-
vado, 90o cooros sacados asaceos com SS99 li
bris, e 3232 dito* erdes com 133194 libras.
Patacbo italiano Alaria, carregoa para Genova o
ef ote :
128 saccas e 701 a robas e 19 libras de aleo lo,
60 ditos i 300 ditos braoco, 395 ditos e 1975 ar-
ribas de dito mase&vado e 228 ditos e 1140 arro-
bas de caf.
Barca portO|uea Aurora, carregoa para o Rio
da Prata o seguate :
60 pipas e 10800 andidas de agurdente, 1080
barricas e 1712 arrobas e 13 libras de assucar
braoco, 100 ditas e 746 arrobas e 14 Fibras de dito
mascmdo.
KEGEBEDGRIA DR RENDAS INTERNAS
n GERAES.
Kendimento de -lia 1 a 10........ 13:321*044
dem do dia 11................. t:l53J644
14:474*688
CONSULADO PROVINCIAL."*
Reodimento do dia 1 a 10........ 4:481 801
dem do dia i 1................. 4:68062
69:167863
M8YIKEHT0 DO PORTO
Navios entrados no dia 11.
Rio-Grande do Sal15 das patacho nacional Re
lampago. de 240 tweladas, capito Maaoel Jos |
Hachado Filbo, eqoipagem 12, carga 12,300 ar-
robas de carne; a Francisco Jo; da Gsta
Araujo.
Rio de Janeiro i3dias, brigoe naeional Norma,
de 296 toneladas, capito Manoel Marttns oa
Cunha, enoipagem 10, carga 13,700 ariob de
cwoe ; a Maia & E>oirito Saot >.
dem13 diw, palnabole portugus Elisa, o> 110
tonalaiias, capito Manoel Lopes Picto, eqaipa-
g*m 7, carga caf e fumo; a Eusefcio Raubael
Rabello.
Navios saludos no mesmo rfig'
ilaUteviJo Bard porlogoea Aurora, capito
Jos Rodrigues Cooco, carga assnear e ontros
gneros.
Bahia-Patacho portuguez Destemido, capillo Mi-
guel Jos Brochado, carga sal e outros gneros.
Genova Patacho italiano loria, capito <;ero-
lamo Molenan, carga algodo e outros gneros.
Bahia Patacbo Inglez Lapwing, capitn Crmor,
carga parte da ijoe trouxe de New York.
Aracaty Hiate brasileiro Marta Amelia, capito
Francisco T. d Asis, carga diff-irenles gneros.
Rio de JaneiroVapor americano Rtgulator, capi-
. lo E, W. Philipps; em lastro.
Hte
EDITIS.
cidos yuros para rea-
ctivos.
cidos pyrogallieos e Chlorureto de ferro
tamlicos.
A troponia, codeina,
dtgitalina e todos
os alcaimos vege-
taes.
Bromuretos e odure-
tos.
Sulfate de quinina pu-
ro, valerianato e lo-
dos os saes de qui-
nina.
Pos impalpayeis, etc.,.
Calornel puro, e todos
os saes de mercurio.
(puro) neutro.
Carbonat< s, sclfatos e
todos os saes de
ferro.
Actalo, hydrochlo-
rato.
Sulfato e todos os saes
de morphina.
Ferro reduzido' pelo
hydrogeneo.
Essencias puras.
Exti actosglycernias
Fabrica em Paris ra de Paradis (au ma-
rais), deposito no Rio de Janeiro, E. Cheve-
lot, ra do Carteo.
Auacahuila Peitoral de Kemp.
De cujas virtudes especificas tantos an-
nuncios appareceram em nossos jornaes,
urna composigo de vegetaes peitoraes, e
nao contera nenbum adstringente venenoso
ou mortalmente narctico. E preparada em
forma de um xarope delicioso, etc., um
poderoso e efficaz remedio para irritagao dos
pulmes, anginas, catharro, tosse, resfria-
miento, rcuquidao, affeccoes catharraes, es-
carros de sangue, e todas as iniumeraveis
molestias que affectam os orgScs da respi-
rado. Cuidadosa e scientificamente prepa-
rada por Lanman e Kemp, em No-
va-York.
Acha-se venda as pharmacias de A.
Caors, J. da Conceicao Bravo A C, e P.
Maurer & C.
No dia 18 do 'correte as II boras da ma-
nhaa Hada a audiencia do Dr. juiz .dos feitos da fa-
zenda iro a praga pira seren veodicUs a qoem
mais dr as seguiotss casas, p6ob.ora.das por exe-
cuco da fajeada provincial :
Casa terrea de laipa oa estrada de Joo de Bar-
ros, avadad* por 60CjJ e peohorada a Antonio Fe
liciano Rodrigues Selle.
Casa terrea meia agua sita no becco do Caloa-
bouce o. 18, avallada por 5005, penborada a J- ao
do Rosario Azevedo.
Casa terrea de taipa na ra do Molocolomb
(Afogados) o. 47, avaliaia por 80JI, peohorada a
Tranqnino Manoel de Faria.
Casa terrea oa estrada de Luiz do Reg n. 12,
avallada por 800X, penborada a viuva de Ricardo
da Silva Lis toa.
Casa, terrea na Casa Forte n. 80, avallada por
6005 e peohorada a Jos Francisco Caraeiro pela
massa fallida de Nuop Maifa de Seitas.
Casa de taipa e sitio com arvores de tracto, na
estrada d'Agua Fra o. 7, avaliados .por 1:000$ e
peohorados aos herdeiros de Jeronyaia Mirla da
Cooceico.
Casa de taipa na Casa Forte n. 1, avaliada por
150J e peohorada a Cathariaa Jorge da Cuaba.
Sobrado de una an!ar oa Iravessa do Carino n.
10, avallado pot i:5C05 e penhorado aos berdei-
ros de Mara Joseplia de Mallos.
A possa do terreno oa iravessa do Frenas (S. Jo-
s) onde ezistlram as casas n. 12 e 14 avaliado por
505 e penhorado a vava de Jjrgd Ferreira.
ai bote denominadoPbiladelphia,avahado
por 3J5 e penberado a Balduino da Cruz Ribeiro
por Manoel Francisco Ferrar.
O sollicitador interino
Jos Nicaclo da Silva Jnior.
m
EOMMIECIO.
rem bons effeitos nessa enfermidade, por .atUMa^.aaa.iniafiiaeaiaiediiiidooi4paa.io-

lesti s syphiliticas: asthnia ou falta de for-
eas ? fraqueza geral: e ha hydropesia ana-
-zerca e-aseites ;;-4eedo-se o cuidado de ob-
servar nesMts duas ultimas malestias prin-
cipalmente, e em todas as outras, que um
dos effeitos saloJares deste xarope ter o
ventre torrente, e as urinas desembara-
oedas.
O modo de usar-se e regular-se-vai des-
cripto no letreiro pregado no frasco.
Vende-se anicamente na botica da cua
Direita n., 88 de
Jos da Rocha Paranhos.
Attento.
Xarope alcboolico devlame, preparado
pelo pharmaceutico Jos da Rocha Paambes,
estabelecido com botica na ra Direita n.
88 em Pernambuco.
Esie xarope inconlestavelmente supe-
rior a todos os xaropes depurativos, de cuja
composieao o seu maior elemento a salsa
PRAGA DO RECIFE 11 DE JULHO
DE 1867.
As 3 X boras da tarde.
(Hootm.)
Algodo 1 sorte135600 por arroba.
Algode Ce Macei 1* sorte 145500 por arroba
posto a bordo.
Aecoes da cempanhia de Beberibe 60 OjO de pre-
mio.
Cambio sobre hamburgo90 d|V 838 rs. por m. b.
(Hoje)
Cambio sobre Londres 90 d/v 21 e 21 l{4 d. por
15000.
Silveira.
Presidente.
"^ Macedo,
Scretario.,
Novo banco de Pernambuco
O noto banco suspende do ultimo deste
mez de junho em diante os juros s quantias
qoe por- conta corrente permanecem no
banco.
O Novo Banco desconli letras de 7 e 9 0/0
ao anne, coGforme os prasos.
ALfANDEGA.
Rendimentodo du 1 a 10.......
Mim do d 11...............
244:6685855
30-4415591
275:1105446
,M0VIMENTO. DA ALFANDEGA.
volamos entrados com fazeBdas..
c c gneros.... 263
Volme sahidoscom fazendas.
i c gneros..
263
u Dr. fristo de Alencar Araripe, offlcial da impe-
rial ordem da Rosa, Juiz de direilo especial do
commercio nesta cidade do Recife de Pernam-
I um e seo termo, por Sua Mageslade Imperial
e Constitucional o Sr. D. Pedro II, a quem Dos
gasrde, etc.
Faco saber pelo presente que no dia 1 do me?.
de agosto do corrate aono se ba de arrematar por
venda a quem mais der em araga publica deste
juizo depois da audiencia respectiva, os predios se-
guales :
Urna casa terrea o. 16, sita a' roa do Calderelro,
com porta e janella na frente, duas salas, dons
qnartos, cozinha Tora, quintal e cacimba, avaliada
por 2:4005-
Urna dita n. 18, sita a' mesma ra, com duas
portas de frente, duas sala--, dous qaartos, cozinha
fra, quintal e cacimba meeira, avaliada por .
2:4005-
Uma dita n. 48, tita a' ra da Gloria, na fregoe-
xia da Boa-Vista, com porta e janella na frente,
duas salas, doos qnartos, cczinba fra, quintal e
cacimba, avaliada por 2:4005-
Uma dita n. 273, sita a' ra Imperial, com ama
porta e duas janellas na frente, duas salas, quatro
qnartos, eozinba fra e mais quarenta palmos de
terreno ao lado e aonexo a' rae-ma casa, avaliada
por 2:5005, os quaes va o a' praga por execuc,o
de Antonio Sergio da Cro.'. Muniz, contra Horacio
Tiburcio da Cruz Muniz.
E na falla de Uocador que cubra a prego da
avaliaco, sera' a arrematarlo feita pelo prego da
adjndioago com o abatimento respectivo da lei.
E para que ebegue ao conbeeimeuto de todos,
msndei fazer o presente edita!, que sera' afiliado
nos logares do costme e publicado pela im-
prensa.
Dado e passado nesta eidad* do Recite de Per-
namnaco, aos 8 de jalbo de 1867.
Ea, Manoel Silvmo de Barros Falcao, escrivo
Interino o sabserevl.
Trasloo de Alencar Araripe.
suas propostas em caf.ta fechada com. as respecti-
vas amostras na sala do conseibo as 1 i boras do
da 11 do c> rrnte.
Conselho.de comjyw do a res* nal de gafrra 6 de
jolbo de 1867.Jos, Ma-a lldefqnso. Jacome da
Veiga Pessoa de Mello, presiaente.___________
O tribanal de coaamercio de Pernam-
buco em vista do que 4ispoe o art. 9, do
deereto n. 8*3 de 17 da opvembro de 1851
faz publica a vaga de um dos cilicios de in-
terprete de comraerio desia praca, e marca
o prazo de 60 dias eoatados desta data para
que aquelles.que se asbarem habilitados
apresenlem seus requerimenlos instruidos
com os documentos de que trata o art. 6.8
do mencionado deereto.
E para constar mandei passar o presente
que ser publicado nos jornaes de maior cir-
cu la cao, o quai vai por mim assignado nesta
secretaria do tribuaal do commercio de Per-
nambuco aos 4 djulhode 1867.
O secretario,
Jos Marcellino da Rosa.
A luma. junta administrativa da Bata Casa
de Misericordia do Recife, contrata eom quem por
menor prego fizer a poblicaco do seu expediente
e annancios.
O > pretendentes. devara apiesentar suas pro-
postas em cartas fechadas, qointa-feira 11 do cor-
rete pelas quatro hitas da taroe na sala de suas
sessoes.
Secretaria da Sasta Casa de Misericordia do Re-
cife, 22 de Junho de t867.
Oesorivo
_^______________Pedro Rodrigues de S. uza
Santa Casa de-Misericordia.
A Illma. jun:a alraioislrativa da Santa Casa do
Misericordia de Reeif,contrata com (joem por me-
nos fizer o fornecimento de pao e bolacha que pre-
cisarem o collegio das orphas o o hospicio de alie-
nados era Olinda : recebe para isto propostas na
sala de snas sessoes pelas quatro boras da tarde de
11 do correte.
Secretarla da Saota Casa de Misericordia do Re-
cife, 5 de jolho de 1867.
O escrivo
_____________Pedro Rodrigues de Sutiza.
'.Santa Gas -da Misericorda
do Reie,
:!i,. .; !.'.uti aihiuisi val va la Sania Casa da
Misericordia dQRecifftmanoJa fazer publico qae
na sala de suas sessoes. aojiia 11 do correte pe-'
las 4 horas da tarde lem. de ser arrematada.- a
oaem aidlz vaa; ig as ^U:rt-cer as.-fe i -' i'rj-
dios em seguida declralos :
EsUbeleftittealds de earidade.
Roa do Padre Eroriano.
Casa terrea o. 49......
dem dem n. 45......
Roa de X Jos.
Gasa Urrea a. ti......
Ra dos Pescadores.
Cssaterreaa.il.......2165CHO
Roa das Cacadas.
Casa tema n. 30...... 1755000
dem idem o. 34........1505000
Ra de Saota Thareza.
Casa terrea n. 7........ 19950OO
Roa larga do Rosario.
Sobrado de 3 aodares n. 24 (3* andar) 3015000
Becco do Quiabo.
Casa terrea n. 8.......1445COO
Ra do Encantamento.
Casa terrea n. 3.......40150CO
Roa do Amorim.
Sobrado da 2 andares 21. 1605GC0
Ra do Nogoeira.
Casa terrea n. 17........ 2415000
llua. do Padre oFlorian.
dem n. 17............ 1865C0O
Roa de Hortas.
Sobrado de um anlar e solio 24050CO
PatriiQmo de orphos.
Ra das Larangeiras.
Casa n. 17!......... 1925000
Roa Velha.
Casa o. 32.........2105000
Madre de Dos.
Casa n. 8.........3O200O
Becco das Botas.
Casa d. 18. ....... 5025OOO
Ra da Lapa.
Casan.il.........1965000
Ra da Moeda.
dem n. 47....... 3315000
Jiua do Encantamento.
Sobradodedousandaresn.lt. 9015000
Ra do Pilar.
Casa n. 99.........256500O
dem o. 103.........2005000
dem n. 94.........2015000
Sitio u. 5 no-Forno da Cal. 1505000
As arremalaoes sarao e-rtas pelo teropo de um
anoo, deveodo os licitantes virern acompanbados
de seus dadores ou manidos de cartas destes.
Secretaria da Santa (Jasa da Misericordia do
Recife 5 de jolbo de 1857.
O escrivo,
____________Pedro Rodrigues de Souza.
Inspec?2o do
182530O
16500O
1705000
de na-
DEGLABASfla.
Santa Casa de MiseFcordia
do Recife.
arseual
rinba.
A inspeegio do arseoal de marinba compra orna
vergootea de piotio que teoha 61 ps de- oom'pri-
meato, de lo a 16 poliegadas de dimetro.
. Iaspeccio do arsenal de raarlnna de Peroambo-
co 11 de jolbo de 1867.
O secretario,
__________Alezandre Rodrigues dos Adjos.
CORREIO EBAL
Pela adminlstragao-do eorreio desta cidade, so
faz publico que em vlrtule da conven? o postal
celebrada pelos goveraos brasileiro e fraocei se-
ro expedidas malas para Europa pelo vapor in-
glez Oneida.
As cartas s rao recebidas al 2boras antes da
em qoe fr maresda para a sabida do vapor, e os
jornaes at 3 horas antes.
AdmioistracSo do eorreio de Pernambuco 10 de
jnlno de 1867.
O administrador,
_________Domiogos dos Pasaos Miranda.
Arrematando,
Vai a terceira e ultima praga peraote o Ilim. Sr.
juiz dos orphos o sobrado n. 41 da roa da Matriz
da Boa-vista, pertencente aos berdelros da fallecida
1). Mari a da Assompao da Albaquerque Puta, 00
dia 12 do correte, pelo prego da avaliaco 14:0009;
quem preteoder pode enteodr-se com o porteiro
dos auditorios.
AVISOS MARTIMOS
C0MPAM4 BBASILEIBA
DR
Paquetes a vapor
E' esperado dos portos do norte
at o dia 29 do correte o vapor
Guar, commandanle o primeiro
teoente Pedro Hyppollto Doarte,
o qual depois da demora do eos-
jame segalra' para os portos do sal.
O lllm. Sr. commendador Jos Pires Ferr ira. D^e J recebera-sa passagwros e eogaja-se a
tbesoureiro da Sfnia Casa de Misericordia do Re-1 "rga i08 "Por poder cooduzir, a qual dever
cite no dia 22 do corrente pelas 10 boras maoaba s" !, !ad* D0 d, ,T HbV*' %Mm'
no salao da asa dos expostos fara" pagameutoadas ?ehndas "> a frete at o da da sahida as
measalidades de abril janbo fiado, as amas q e 2boras- PfWMe-se awSrs. passagelros que snas
' passagens s se recebem nesu agencia roa da
Cruz o. 1, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira.
Azevedo 4 C.
179
678
-----867
de, prescrevi-lhe o xarope de veame, tem I parrilha. pois que se tem conhecido ser o
melhorado conside'avelmente. relame mais onercrir.o nara a nrnmnta r.nra
: relame mais enrgico para a prompta cura
Descarregam boje 12 de jalbo.
Brigae porlngaez Relmpagomercdorlas.
BrigMe oor.toguez-CoHan/ IIdem.
Polaca iullanaPegliidem.
Polaca hespanbolaVenturttavlnbos.
Barca nacionalFavorita -charque.
Patacho banoverianoAtlanteidem.
Patacho nacionalFa'nf-idem.
Patacho nacionalGukermtnaIdem.
PataLho hollandezIFi/aermina Magdalenaidem
Snmaei hespanbolaPromptaidem.
Polaca nacionalS. PedroIdeo.
Brjgue portuguezN. S. da Concerno -idem -
se apresentarem com as crlangas qae tomaram pa
ra amameotar.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 8 de jolbo de 1867.
O esorivao
Pedro Rodrigues de Souza.
O conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o segointe :
2livrosem branco de papel holanda pautado
com 50 folbas. *
1 dito dito dito com 70 ditas.
4 ditos dito diUQ com 16 ditas.
2 ditos dito dito com 20 ditas.
2 ditos dito dito com 24 ditas.
2 ditos dito dito com 40 ditas.
1 dito dito dito cora SO ditas.
1 dito dito dito com 80 ditas.
1 c?lderrdas para 50 pracas (de ferro.)
2*garfos grandes de metal para cosinba.
2 facas ditas Jilas de dita.
20 lenges de*tatao de ('libras cada nm.
4 arrobas de estanto em vergalnba.
Qaem quizer vender ditos artigas apresenlem
COHPAMlll BB.lSILEIft.1
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado do portos do snl
at o da 22 do correte o vapor
Toeantins, commandanle Farias,
o qual depois da demra do eos-
lame seguir' para o p-rios do
norte.
Recebea-se deade j passageiros e engaja se a
carga que o vapor ooder coadoair a qual devera*
ser embarcada do dia de sua ebegada, encommen-
dts e dinhelro a frete at o dia da sabida i 2
boras. Previne-se aos Srs. passageiros que suas
nassagens s se recebera nesta agencia roa da
Craz d. 1, escriptorio de Antonio Luiz de Olive ir
Azevede & C.
.
:"' ."
"**r


PL- '"




I -
Diario de i*ernawne6 Sexta felra 1 f de Jiiiho de 1867*



WtAMU rElUllE&MA
DE
Ka vetead cosleira aoi* vapor.
1'jrab.ilw, Natal, Maco, Aracaty, Cear e
Acarac.
-No ii 13 as 8 horas da Urde
segu o vapor Pirapama, cora-
mandaoteTofres, para os portos
cima Indicado-. Reetbe carga
-_. ale o da 13. Eocomrnenda?, pas-
sageiros e dinheiro a freie al 3 hora da tanta do
da da sabida : esrripiorlo do Porte do Mam n.J.
pioho da viga de soperior qoalldade e o panno
no melor estado
H0J
DA
NO FORTE DO 1ATT0 EM FRENTE AO AHMCEM
C ilIPANHIA PEBNAHBUCANA.
O agenie Pinto fara* leilio por com e rlaeo d
quera pertencer dos objectos cima mencionad}?,
os qoaes podero desde ja' sprem examio-ades
lello devera' ter logar as 10 horas do dia aefina
dito era frente do armazem da Cornpanhia Per1
nambucaoa no Forte do Malo.
COJMPAff HIA
DAS
Messageries Imperiales
At o dia li do crrante mei espera-se dos por
Cjs da ElT jp3 o vapor fraacet Navarre, o qaal
desois da demora do.costume seguir' para a
Baha e Rio de Janeiro.
Para coodieoes, (rels e pajsagens trata-se na
agencia ra do Trapiche 0. 9. _______^
Lisboa.
Segoeem poacos dias o brlgae portoguei Cons-
tante U para Carga e passageiros trau-se eom
Oliveira Fimos & O, largo do Gorpo Santo n. 19,
ou con) o capitao na Prag.a do Commercio.
%^\*
Da orn cabriolet com arreios, urna carro?* oo
va, ara bol, ama cama franeeza de amarello, om
guarda looca, diversos marquezSa?, marqaetas
par ama so pessoa dormir, consolos, mesas para
sala de detrat e outros mullos objectos que serio
veudidos ao correr do martello.
Sabbado 13 do correte.
Pelo agente Martins no armazem da ra do Im-
perador r. i 6, as i 1 ber?.s do dia.
LEILO
De 200 saceos com farinha.
Segunda-feira 13. do correte.
O .geote Pestaa rara' leilo por conta e risco
de quera pertencer de 300 saceos com farinha de
mandioca viaia do Rio Grande do Norte na bar-
caja S. Jou Uikgente, ->ero vendidos en am oo
raais lotes no dia cima mencionado as 11 horas
da maoba no trapiche do bario do Livramento
no Forte, do Mato.
LE ao
Segu com a possivel brevidade o bngue escu-
na GRACIOSA, capitio Ralis, tocando no Mar-
ntio so em oliimo case, para algnma carga que
Iha falla trata se eom o respectivo consignatari'
Autoadtf Almeida Gjioe<, aJ|rua da Cruz n. 23,
1* andar.
Paro o Rio de Janeiro
pretende seguir com maltabrvidade o patacho na-
cional Beber tbc, te ai parte de sea carregamento a
bordo, e para o resto que Ihe falta e escravos a
frete, para os qaaes tem excellentes commodos,
traase com os seos consignatarios Antonio Luiz
de Oveira Azevedo & C-, no sea escriptorio ra
da Cruz n. I.
SOMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Nvegaco costeira por vapor.
Maeei e escala?, Peoedo e Aracaj.
No da 13as o hars da larde
wlS. segu o vapor-fpTrtnxi, comuan-
danta afatitis para os Jjortos ci-
ma indicados. Recebe carga at
o dia 12. Eocorameodas', passa-
:.' r > e dlabeiro a frea al 3 horas da urde do
dia da sahida : escrlptorio no Fcrte do Malos n. !.-
De
Telas.
boles, lo remos e
Segunda-feira 5 de julho
as 1I horas, no trapiche da alfaodega.
O agente Pinto fara' leilo a reqaerlmeoto de
Hussey capitao da galera americana Nillle Foger-
ly, incendiada na sua ultima viagem da N-.w-
Yo'ka S. Francisco com carregamento de car va o
d pedra, com lieenca do Sr. inspector da alfaode
ga em presenca de um empregado da mesma re-
particAo para o Ora nomeado com assisteucia do
consol dos Estadjs-Uqidos e pir conta e risco de
quem pertencer dos botes, remos e vela cima
mencionado, salvados da dita galera, o lello sera
efectuado as 11 horas no trapiche da alfandega.
LEILAT
Transferencia.
Pelo agftnt Eozebio.
Terca f escravo Mathias e de urna
mobilia de Jacaranda.
Por mandado do Illra. Sr. Dr. juiz especial do
commercio e a requerimento do curador fiscal ira'
novamenle a leilo a mobilU e o resto de alga os
movis que Scaram por vender e bem assim um ts-
cravo de nome. Matblas, ludo sera' entregue quem
maior preco der. naqueLe da e hora a ra estrella
do Rosario n. 45.
Do
AVISOS DIVERSOS.
Companhia americana e bra-
sileira de paquetes a vapor
At o dia 15 do crrenle esperado e New-
Yorlc pjr S. Ttiomai e Para'um dos vapores da
:.; n.-. 'i ia ) \ .al depji- da demora do costume
seguir' para os portos do toL Para freles e pas-
sigen? trata-se com os agentes Henry Forster &
G., rui do Trapiche n. 8.
Para o Aracaty
Segu era poacos dias o bem eonhecido e vellei-
ro palhabote nacional Doms Antifos, tem parte d<
seu carregamealj prompto, para o resto qae Ihe
falta trata-se com o seu consignatario Antonio Luiz
de O.'iveira Azevedo & C, no sea escrlptorio, ra
da Cruz 8. 1.___________________
TCOftiFAlHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
E' esperado^os portos do norte
at o dia 12 da julho o vapor
Santa Cruz, commandaate Gui-
Iherme Wa lJiogtj.i, o qual do-
pois da demora do costume se-
guir para os portos do sul.
Kecebem-se desde ja passageiros e eogaja-se a
carga qae o vapor podar cooduzir a qaal devera'
ser embarcada no dia de saa chegada, eocummen-
ds e diuheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
ras. Previnese ao3 Srs. passageiros que suas
parsageas s se recebem nesla ageucia raa da
Gru'. n. I, escriptirio da Aatonlo Laiz de Oveira
Arevedo i_C.___________________________
Para o Rio de Janeiro
achi-se proposto o pretende coro brevidade sahlr o
tiisae pirtuguez Relmpago por ter engajada al-
gutna carga: para o resto trata se cora os consig-
natarios Tnomaz de Aquioo Fonseca & C, raa do
Vigaiio n. 19, 1 solar. _____________,
Kio Grande do Sul
Vai sahir em poucos lias a barca portogueza
JVopi Manaana ; recebe carga a frete commodo,
para o u Corpo Santo n. 19, ou com o capitao na praca
do commercio.
Pedido.
Sendo a ponte, que liga o Campo das Princeazs
e paitis do goveroo ao bairro do Recita, urna das
ebras qae tinto formosam a cidadf, cono faeili-
tam o trattftr. de ama grande parte J populcao,
qor da eapiCal, qar do cnlm, 1" ruoilo con-
veni os ttati tioies do lad d-ru* da Aurora e
Santo Amro, qae todos iransiiam pela ponte de
ferrb; encontram o promoto transito para passar
ao Recife : esta ponte acna-e com algnmas esti-
vas podres, aperar dos ejwios, linhas, madres, e
todo, oo qua.-i t)do mad4ltamento de sea lastro,
estarem perfitos, que anda tfferecera langa dura-
cao. Estes reparos sao pequeao*, e nao moniaro a
cont de ris. Pedv-se, purtanto, ao4Um. Sr. Dr.
chefa das obras publicas lance as vistas para este
bem publico, com o qual muito tianbam os nabi-
uot's desta populosa ci-lade : assim'o espera
Un transilaw.
Anda esta' fgida, de-Je n da 23 do mez
pastado, a escrava de aome Felicidad*, crloula,
representa lar 22 anuos de idade; aliur* regular,
bem feita de corpo, levon ve-tiido da chita,, c&ale
amarello ; cooXa que foi seduzida. O abixo as-
signado protesia contra quem a tiver em sen po-
der. Roga- se a's autoridades policiaes a appre-
hendam e mandem a' ra. da Cadeia-Valha n. 1,
qae se pagario todas as despezas.
Precisa-se de am {jharmaceatioo de carta,
oo hbil offlcial, para lomar coala- de urna botica
por balango, em mailo bom local, a aleara negocio
faz, dando -se bom ordenado u iafresse, em ra-
zo do sea dono ter de retirar-se pira fra por
molestia :- quem esllver o'estas circnistmcias,
dirija- se a' roa do Crespo n. 18, prlmeiro andar.
No beeco do Lobato oatr'ora ra dos Copia-
res, na casa n. 3, se precisa de urna ama secca.
Padaria
Preci-a-se da um foroeiro e de
qae sejam perfeltos oeste servico :
do Rosario n. 16.
trabalhidore*
oa ra larga
Grande hotel central
Rna larga do Rosarlo mi mero 37
Alugtm-se e servem-se comedori-s a toda h^ra com apuradj
gosto e asseio a recebem-se pendonistas por pre-
co- commodos._____________
Mitita attenco

Pede-sa a daos adjvidujs das ras doQueimado
e Crespo que aao dtxem os seus afazeras que tem
para virera uairjorar fazeud j d: utis saus rjllegas
da ra da Cruz caanlas da palha, do contrario
passarao pela decepeo da verera os seas nomes
por extenso.
Um iiiimigo dos tolos.
Forro on escravu
Precisa-se alugar um escravo ou pe.-soa forra :
ia ra do Torres 2.
N,2 RUADOTOBKES N2.
Caf e lunch
Encontra sa a qualquer hora.
Aceitam-sa assignantes qae veDhara almocar e
jantar a este estabelecimeoto e igualmente se for-
necein para (ora cometarias sadia- o betn feitas.
Nao se tratara* bem os freguezes s nos pri-
meiros dias : o traiamento sera seo pre o quu se
cenvencionar no principioregularbouij ix-
cellenie, conforme o que cada um qui:r despen-
der, os precos serao razoaveis.
X. Raa do Torres.\- 9
Veole-se oloo de ricino em latas de 30 libras:
na raa da Cadaia velha n I, no segundo andar.
Veoda-se a casa ter Sa n. 41 da ra da lio-
tccolomb : a tratar oa me^raa casa.
-----------------------------------------------------------------------------------
Fraucisco Anasiaci) Pires Loureiro relira se
para Aracaj. ^__^
Attenguo.
Precisa-se de urna ama de engommado- qoa seja
desempedida : a tratartia roa do Moidego n *.
Fugio oa note da 9 da "correte "ez de julbo
de bordj do palacha oaejooal t A.'roio Grande, um
esenvo crioolo por nome A- aro, natural da pro-
vincia do Rio Grande do Sul, idade de 19 a 20 au-
nes, estatura baixa, cor fula, rosto co-< prido, hel-
eos eros alguns signaes da cicatrizes, levon vestido camisola
caiga de aliiodo braco, e am booet de brim
branco : quem o apprrheuder e entregar a boido
do dito patacho, ou ua ra do Trapiche n. 4, ST
oem recompensado. *______________
Joaquim Jos Gon\?alves
Beltrao
RIAOOT8\P1CHE r\. 17 Io ANDAR)
Sacra por todos os paquetes sebre o Banco
10 Mioho em Braga, e sobre os guiles luga-
em Portugal,
aber:
Lisboa.
Porto.
Valeoca.
Guimaraas
Coimbra
Chaves.
Viseo.
Viira do Gon.'e.
Arcos de Val do Vx.
Vianoa do Cauterio.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Vrtl*Nev* de FamellcJo.
Ijbmego. .
Latos;
Covilbaa.______________ ......
".JiBoei Piiwer Jo&aston & lamuanhi*
Ruada SenzalaNova n. 42.
A.GEHCU DA
FundicSo de C^ow Hoer.
(acttinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
vioenUs e meias moendas para engenho.
irisas de ferro coado e batido para enge-
oho.
DE
PREPARADAA FRI
por
AUCl^TK CAORS
Pharmaceutico pela escola de Pars e successor oesta cidads
0K
Aristide Saisset e J. Soum
22.-----Rna da Crua-
-22.
Ureios d carro para *in' e'doas cavalloi.
^.elogios de onro patente inglsz."
irados amerk^aos.
.iaohias ara- dotCArocar a/godo.
Motores pax-a ditos
Rebinas de costura..
V
n
Cear
S'gua em poacos dias a escuna Georgiana, tem
4ous l >.<-) da carga j a berdo : quera quizer
carregsr trate com o Sr. Quintal oa coffl o Sr.
Tasso Irraos oestes 3 dias.
Para a Baha
Pret.ode seguir com muita brevldale a vellelra
snraaca nacional Hortencia, tem parle de sea car
regtmenu prompto, para o resto qae Ihe falta tra-
tad-e din os seas consignatarios Antonio Luiz de
Oveira Aevedo & C.'na seu escriptorio, raa d?
Cruz o. 1.
55S
LEIL'OES.
De .urna tabe na,
IHMB.
O attenta Pontaal fara' leilo a requerimento do
Sr. i j5o Jlanins de Barros contra o Sr. Maooef
A; i-'inho S. da Fooseca e por mandado do Illm.
Sr. Dr. juiz especial do comm^reio, da taberna si-
ta a ro do Rosarlo da Boavisu u. 83, conteni
armaga > e mercadorias.
O leiii sera' effectoado oo dia cima ames-
rea taberna, as 12 horas.
Os Srs. pretndanles qaeiram ir ao escriptorio
do aeoip, rna da Cruz n. 6t,para verem o man-
dado onda existe l rehcSo das mercadorias qae
contara a dita taberna.
De 158 barricas com assecar a variad
no4i: *
Oageote Pestaa fai a' leilo por conta a ri-co
de quem oerteoeer de 158 barrica com a marca
a saber: L& C 32 Falco 17. Reg 11, Aflojante
C 13 m M U 7% M R 33, A G F 23, com assocar
variado u"agua Migada a bordo do brlgae braii-
leiro cAdelaide, em coosequencia do sioistro a
bordo do mesmo brig^ue abrlndo agua : o lello
era'effe;iindo sexU-felra 12 do correte as 11
ora? da raaonaa no trapiche do Cunoa no Forte
do Mato.
De verga, nastaros, pao de bojwrona e d co
lello, oseaos, massame, cabos para tro?a, cor
ren'es fiaaf,- potiicof, tanque de ferro, barme-
tro e aat* parteoces de navio, sendo os pies de
6:000^000 E 2;009000
Terca-feira 16 do corr.'ote mez no lu-
gar e boras do costume se extnhfr a 44*
parte da lotera a beneficio das familias dos
voluntarios da patria (28.a)
As encommendas sero guardadas somen-
le at a noite da vespera da extracto.
0 thesoureiro,
______Antonio Jos Rodrigues de Sona.
" CS Dfl FORTiJlA.
Aos 6:000^000.
Bllhetes garantidos
A RA DO CRESPO N. 23 E GASAS DO COSTUME
O abalxo assigoado venden nos seas maito feli
ees bilhetes garantidos da lotera que se acaboo
de extrabir a beueticio da Santa Casa da Miseri-
cordia, os seguales premios :
N. 1763 bllbele ioleiro com a sorte de 6:0.10,5.
N. 2001b1lbete iBteiro com a sorte de 2:000)5.
N. 3810 am raeio com a sorte de 6004.
N. 1331 djus quartos cora a sorte de 300,5.
E outras moitas sones de 1903, 40 e 20.
Os possoidores podem vir ruceber seas respec-
ivospremios sem os descontos das leis, oa casa
da Fortuna a' ruado Crespo n. 23.
Acbam-se a venda os* da 41* parte da lotera
das familias dos voluntarios da patria, qae se
extrahira' torga feira 16 do correnle.
Pretjo.
Bilbetes.......... 6*000
Meios............ 3*000
Quartos.......... 1*500
Para as pessoas que compraren! de 100*000
para cima.
Bilhetes.......... 5*300
Meios............ 2*760 y
Quartos.......... 1*373
Manoel Martins Fiuza.
Ofub do Recife
Domingo 14 do correte, haver reuniio
de familias.
Aviso para nos importante
No coroeco da administracao da anual mesa
regadora da irmandade de Nossa Senbora da Boa
Viagem, anonnciou o irmo thesonrelro qne os
negocios tendentes a irmandade oa povoaco da
Boa Viagem seriam tratados pelos respectivos pro-
curadores ah moradores (ignoramos quem Ibes
desse semeihante poder). Agora vimos que urca
casa edificada em ierra do patrimonio (que nao
tem pago foros e nem ltimamente hudemio por
incuria das adminlstracdes) fez-se-lhe quintal todo
cercado de madeira na exten^o de mais de cero
palmos de fondo excedeodo muito do aliohamento
dos demais qaintaes das casas do patrimonio da
igreja, tirando-se ni o camioho de transito amigo
que tiavja, ludo iste feito (segando dizem) por um
dos procaradores (factor ou administrador de cer-
cas e banbeiros). Perganta-se T o tal seohor pro-
curador esl autorisado a fazer semeihante con-
cessoese transformac5js? Parece-nos qae nao-,
porm cada am vai fazendo o quo Ihe parece. Pe-
dimos ao re?peitavel jnlz da irmandade, que por
soa recoobecida boodade e cavalherismo lem sido
tantas vezes Iludido, providencie para que o patri-
monio da igreja nao seja lesado, e casse os poderes
de alguem que se julga o todo da Irmandade ( o
resaltado de caballas). S as mesas reanidas rev
gedora, conjunta oa geral, conforme manda o com
promisso qae compete resolver os negocios da
irmandade, e nao cada am em particular.
Os 27 Irmaos ante-hontem-reunidos.
Precisa-se de 200* a juros dando-se garan-
ta a contento : quem quizer fazer tal negocio di-
rija-se a praca da lodepeadeneia n. 22, qae acha-
ra' com quem traa'.
Preclsa-se de 20O* a Joros, dando-se por ga-
raotia ama boa firma do commercio : a pessoa qae
quizer dirija-se a ro do Sebo, loja de barbeiro, que
achara' com qaem tratar._____________ .
Precisa-se de orna ama para coziohar, e eo
gommar; na roa das Crazas o. 21, 1* andar.
Na ra Nova 2." andar n. 65, aluga-so ame
casa terreana rna Aogoita n. 112.
O abatxo afsignado faz scienie ao publico,
qae tem contratado a compra da casa de drogas
na praca da Boa-Vlsu n. 24, livre e desembara-
zada de qaalquer onus a que esteja sajeiU, ao Sr.
Jos de Plnho Borges. Se alguem se jalgar com
direito a qualquer reclamacao, dirija-se a' mesma1
casa de drogas no prazo de tres das. Recife, 11
de julho de 1867.
________Aotoolo Mirla Marquas Ferraira.
Beoedicto das .Chagas Coelho, estabelecido
com lo:a de barbeiro na raa da Trempe o. 60,
faz poblico qne nao se re>ponsabilisa por annun-
cloal|om em qae Prancisc* Nones de Paola diga
poder ser proorado em soa loja.
JASDIH H4S D\M S
...,i..-' NOVA
"1 Loja de fazendas
^136 Raa da Iaperatriz 36
DE
Guimares Silva
^c$ proprietarios desta bello estabelecimenio,
partecipam ao respaila ve! puDIiu-, e a seus dic-
ni-sircos freguezes que encontrarao no elegante
jardim das damas fazendas lo.das r.'.va.s modernas
do diversas qaalidades e ricos desenhjs, tudo o
que ha da bom e barato a satitficao de todos oi
freguezes, que nos quelram h'nrar com sua pra-
senca, a sab^r : sadas, lia, lioho, algodo, vas-
qoinas, entremeios, babadlnhos, camisas francezas
de lioho e algodao, seroulas de linho, camisas fla-
nella de cor, tudo de diversas qoalidades e gostos;
assim coma am completo sortimeolo de roupas
faltas, unto francezas cuao da Ierra e por medida,
ludo com brevidade e perfeigao, com o proposito
da agradar a todos, tanto em agrados dosardinei-
ros como a melhor hda f possivel oa classiticaco
de nosas fazadus, por uso partecipamos a todos
em geral drigir-se ao elegante jardim das Damas,
verificarse da verdade.
Precisarse"de 4:000* a 9:000* a juros, dan-
do-se por garanta urna propriedade denonzioada
Tres Ladeiras ou um engenho : quera quizer fazer
este negocio aonuocie por este Diario, para ser
procurado, ou tratar na rna da Praia n. 37.
Precisa-se de ama preta escrava para casa
de poaca familia, pref.-re-se preta velha: na ra
do Jardim o. 2.
Companhia Sdclubde de seguros
mariUo8>e terrestres
estahelecida no Rio de Janeiro;
A!5HS EM PKKNAMBCO
Autcore La *e diveira Axeveao 4 C,
eoinpwleultmeote'ytitorisados pela dltec-
torla da companhia de seguros Fidelida-
de,to(oam segara de navios, raereado-
"ti*s e predros na seu escriptorio ruada
Cruz a. 1.
Aos Srs. fogueteiros
lia Mica da raa larga !o losaiio n.
YAdr-sc
Salitre refinado d-< Ia qua'dade.
Euxofre em cylindro dem.
Limalude fto.(uiuUo nova.)
dem de ago dem.
den de poeta e'agulha idem.
1
3i
Alnga-se o terceiro
ra do Rosario Estrella :
ras.
andar da casa n. 32 da
Da thesourana das lole-
Precisa-ee de ama ronlber capaz para fazer
cornpanhia a urna senbora : a tratar oa roa Direi-
ta o. 73, loja.
Precisase oe orna ama pata casa de um no
mem solleiro, ede um moltqoe de 10 a 12 anuos:
na ra de Hartas n. 17, armaiero.
Aluga-se a sala da frente do andar do so"
brado da rna da Cadeia n. 60, mnito proprla para
eseriptorio ou para morada de pessoa soltelra : a
tratar oo armazem do mesmo sobrado.
Precisa se de jira felor para um sitio : na
esquina da rna da Midre de Dos, loja o. lo.
Cozinheiro
Alnga-se om preto que cotlnht perfeitameote :
oa roa larga do Rosario o. 34.1* andar.
Preclsa-se alugar ama escrava que compre,
cozinhe e engomme, para casa de poaca familia :
oa roa de Hortas o. 1. _^___^^_
GRV\DE EXPOSCVO DE 1867
l\ iJ0P4GME LYONW SE
37,|BOULEVARD DES C\PUGINES, 37.
DE FRONTE DO GR\NDE HOTEL.
Estufes de seda, manteletes, visitas,
mantos; etc., cassas impressas. rendas,
chales da iuda e fraacezes, teedas do
gaste mais note, eftitvaes para ca-
samentas.
A Compagnie Lyonnaise tem a honra de
informar as senhoras brasilelras e portn-
guezas que acharo no sea estbelecimentoi
salos de costura para a confccSo Jos seos
vestidos eiecutados no rnelhor gosto, e so-
bre os mais elegantes padres.
VESTIDOS
PROMPTOS E POR MEDIDAS
Depois da saa fundaco, a Compagnie Ly-
onnaise nunca cesso de cuidar particalar-
meoto na escolba dos seo* artigos, todos
ds melhor gosto, e de primeira qualidades
por isso, nao ha nenhuma casa que pozas
rivalizar com este estabelecimeate, qne ago;
de aniver.-al rep\ltar;5o.
tabfilPdo cerveja nacional
|E
ttEERKHJE LEDEN
a. 35 rna lo Cebn. 3o
O proprietario deste estabelecimento, pri-
dmt iutrelaclar desle rano de industria uo
Brasil e ex-piuprictarios da Imperial c anliga fu-
blica de ce-reja nacioual. ra de Hala-cavallos
76 e 78, Rio de Janeiro, faz sciente ao respM-
tavel poblico desta capital, que, depois de
novse aturados estudos sobre oobjecto,
acompauhados de multplices e.prologac'as
experiencivs- cerca- da grand differenci
de clima, para cliegar a resultado idntico ao
jolhido rio Rio de Janeiro, islo obter
urna cerreja que se possa justamente com-
parar melhor para ayjai importada, acaba
de fundar urna grande faDrica de importan-
cia tal poder produzir, mais de 3000 gar-
rafas diariamente, pelo que, d^sta dala em
diaute, aeha-se hahilitado a fornecer, com a
maKim promptidio, qualquer qu ntidade
do cerveja branca e preta le superior qnali-
dade, ao3 seus numerosos fregnezes, qoer
para uso particular, quer para negocio.
Igualmente faz publico, ter um grande
sortiment de vinbos finos e ordinarios de
Allemanba e Franca por mdicos pre;os, ha-
vendo dos da ultima especie deste 360 reis
a garrafa, sem casco, at 15$, aduzia. To-
das as eGommendas Ver3o] entregues livres
de despezas, r.os domicilios dos senhores
compradores.
Prevalecendo-se da opportanidade previ-
ne o mesmo proprietario ao commercio de.
grosso e a retalho uo. tnrabem encarregar-
se-ha de fornecer-lnss urna escellente qna-
lidade de vinagre, por elle fabricado, o qual
revalisa com o melhor que se vende nesta
praca.
O estabelecimento do Sr. Leiden acaba de
ser honrado da visita do Illm. Sr. Dr. ins-
pector dasadepnblica, o qaal Sr. Dr. achou
as fablicas montadas ee^tabelecidas as me-
Ihores condicoes hygienieas e as qualidades
da cerveja, dos vinhs e do vinagre dos me-
Ihores que sa possa recommendar ao uso do
publico.
Achando-se o seu estabelecimento mon-
tado em uro dos mais amenos sitios desta
capital muito se recommenda concurren-
cia dos amadores dos reerdios honestos, qae
nelle encontrarao alm de ptima cerveja de
differentes sortes, caramacboes naturaes,
jogos lcitos, da bola e bilhar e finalmente
boa cornpanhia.
Um aviso anterior indicar os diversos de-
psitos que o Sr. Leiden prope-se a esta-
blecer em diversos pontos desta cidade,
para melhor attender a quem se dignar
honrado com sua confianca.
Tratamento puramente vegetal sem mercurio, iodo, ouro, nem outro qualqoe
Verdadeiro purificador do sague sem azougue.
Especial para a cura de todas as molestias que tem saa oruem na impureza do
sangae, como sejam as molestias boobaticas, syphiliticas, escrop!iulosas. darthrosas, (juer
venham ellas por hereditariedade, quer sejam adqueridas pela contado com pessoas in-
feccionadas dos diversos viras que contamirftm o sangue e os humores.
iA caro*a uia remedio .prodigioso, usado desde remotas eras pelos indios
do Brasil, e passando seu uso de gerago em geracao, hoje um dos remedios mais co-
nhecidoscomo propno para combater as molsUas mais hediondas, entrando aesse nume-
ro a morphea ou lephautiases, p^ra cujo curativo os nossos sertanejos consideram a
caroba como remedio especifico.
A maito.ti.mpo enlrou a caroba nos formularios como preparaco magistral
sot a rj-ma de eleictuario, ainda hoje le obrado as pharmacopas com o nome de seu
celebre autor Joao Aives Garueiro : nao ella portauto remedio novo nem descoqhecido.
O ungento de caroba da mesma sorte preconisado desde lempos immemo-
riaes como o mais apropnado para o curativo das boubas e ulceras syphiliticas srdidas,
ei empregado com proveito depois de improficua applica?ao de muitos outros acontes
therapeutieos enrgicos e de uso quotidiano.
Muitos dos nossos mdicos de consideracao e entre elles o muito distincto pratico
e observador o Sr. Drr Pedro d'Alhayde Lobo Hoscoso, tem confirmado por mei o de ex-
periencias repetidas, o que diz a fama das benficas propriedades da caroba no trata-
mento das boubas, das diversas formas sob que a syphilis se aprsenla e mailo especial-
mente as que teemaua sede napelle, e poderiamos relatar alguns casos de data muito
moderna observados pelo mesmoSr. Dr. Moscozo em que a caroba produzio admiraveis
efleitos, depois de inuteis e prolongadas applicacoes de salsaparrilha, mcurio, iodo, ou-
ro e seus preparados, etc., etc.
N3o era possive! qae urna plaa lao notavel por suas inappreciaveis virtudes- es-
capasse a perspicacia e investigaces dos mais abalisados praticos europeos, que se ap-
pheam com especialldade ao estudo e tratamento das molestias syphiliticas e berpe,icas
e para prova ah esiio os Srs. Drs. Casenave, Schurfer, Ricord e outros dando es mais
lisongeiras informaces sobre as propriedades curativas da caroba e preconisando-t como
remedio podffrosissimo para o tratamento das erupcoes cutneas, seccas ou suppuratfoas,
darthros de todas a qualidade, ec emas, nlceras de diverras naturezas, tumores, osseos
e outras murtas molestias de natoreza syph itica ou boobatica.-
Por ter-se generalisado muito uso da essencia da caroba que ea pre-
paro e pelas instancias de varios mdicos que desejam continuar em suas observacoes,
delibeaai-me a ter promp:a ama qnantidade da mesmn essencia, obtida sem a.accao do
ogo, para n5o prejudicar as propriedades medicamentosas; e d'ora em diante encon-
'*-ha na miaba pharmacia sempre e em porco sufficiente para lodos os pedidos a
tSsEN<-JA CONCENTRADA De CAROBA, e o ungento da mesma penla para qae an-
ca fallem aDs Srs. mdicos que quizerem experimentar t3o precbso agente medicina.
Recife de Parnambuco, 17 de outubro de 186et

AGOSTE CaOBS.
Gompanliia geral hespaniola de seguros sobre
a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
8ANQUEIR0S DA COMPANH1A DIRECgO GERAL
O anco de Hespaoha Madrid: Raa de H. Agostinlio
n.S
Uuaco da cornpanhia cm 15 de julbo de 1866.
Apolices 19:700 Capital Rs. 127:144(51670 oa moeda brasileira
R* 12,714:476*000
A Nacional abraca toaas as conbinaces do seguro de supervivencia e n'ella pode
fa?er-sesibv;rp;3) ls m)do que em nen-ium caso se perca o capital imposto nemos lu-
cros correspondentes.
Urna afianca depositada.aos cofres do^estado, garante a boa administrago da com
panhia
Os fundos da coaapanhia se invertem em ttulos do estado e se depositam no ban-
oc de Hespanha com isterva icao do delegado do governo e do conselho admhi-tralivo.
A compan.'iia estraabatoda a empreza ou jspiculaco perigosa,eos ttulos em
gue se invertem os fundos imp s na rmesma, nlo-s'e correm o m^nor risco, pois esto
qarantidos pelo governo, podeatonacao da a tor p.eizosd
NOVO DEPOSITO
DE
-
ACHINA
Paia DESCIROCAR ALGODO
Manoel Bento de Oliveira Braga.
53-RHa Dlreita u.53
Aleritrao do ga*;.
Os Gns a quu pode ser applcado, sao ainla poa-
co conhecidos no Brasil : na Europa, porm, as
vantagens do alcatro do gaz sarbem patntese
apreciadas. All, embregada orno agente pre-
servativo de madeiras, ferro, etc., quando expostas
a' aeco atmoipberiea, ou da agua doce oa salga-
da. E' usado, anda como preservativo da aeco
destraciiva da cupirn e outros insectos, e evita que
a bumidade penetre em qaalqeer corapartimento.
Serve, aOnal, nao s como veroit para ancoras de
navios, cor/entes", alvarengas e barcacas, madeiras
de construeco, mas ainda como poderoso e ex-
ce I lente vs infecta ote.
. A' venda por atacado, no escriptorio da empreza
do gato. 31, ruado Imperador, a retalbo smeot
no armaiem da Bolla-amarella, do Sr. Jeronymo
Gomes da Fonseca.
Aos Srs. consumidores do
gftz
A dlreeeo da emprexa do gtz convida respei-
osameste aos Srs. consomidores qne por acaso
poeta* ter qoeixas por falta de ga?, oa ontro la
doovttieaie qae posta stbrevir, qaeiram dirigir
som reelamtc5es ao escriptorio da empreza n. 3,
ma do Imperador, aonde reoeberao i mmedia 14
prompta aueniao.
Neste estabelecimento se encontrarlo as
verdadeiras machinas americanas chegadas ultima-
mente, as quaes s5o feitas pelo mais afamado fa-
bricante da America, por isso avisa a todas as pes-
soas que precisarem comprar, de se dirigir a este
estabelecimento que compraro das mais perfeitas
neste genero, assim como mais barato do que em
oatra qualrjuer parte, por isso que se recebe por
conta prop'-ia, bem como cannos de chumbo e moi-
nhos para moer milho, e grande sortimento defer-
ragens e miudezas em grosso e a retalho.
Machinas americanas para moer caf, de
svono systema, proprias para refinaco,
Hm Mlem para milho.
DE
DE
J. VTGNES.
X. 55. RIA DO IMPERADOR H. 55.
Os piaoosdesu antiga fabrica sao hoje asss coobecldos*para qne seja necessario insistir sobre
tna snperioridade, vantugense garantas qae offerecem aos compradores, qualidades estas mcontesta
veis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos
Quinao om teclado e mtcBInlsmo qae obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sea
Manca falbar, por serem fabricados de proposito, o ter-se feito ltimamente melkiramentos ImportaB-
vssimos para o clima deste pais ; quanto s voxes, tao melodiosas aflautadas, e por isao multo agrada
MlaM oBvidos dos apreciadores. ...-. _, ^.
Faaem-se contarme as acommendas, taa nesu fabrica como na do Sr. Blondel, de Pars, socio
lorvespondente de J. Vignes, em eoj capital foram sempre premiados em todas as exposicdes.
Nomestoo esUbelecimento sa ac&af sepre um eistonmdo e variado sortimento de musicis dea
j ttalhores antores da Europa, assim coma tormonicos. ^aaos harmonkas, sendo tudo Tendt poi
i prejos commodos 9 raxoavtls.
\
,


BV
I
tfMBHl
E^"*^f^'-i*,i ^
Alarlo de Fernambaco Sexta tetra lt de inlho de 1867.
PHOTOGRAPHIA
% IIEIjIA
BA DO CABDGA N. 18, ENTRADA PELO
PATEO DA MATRIZ.
0 nosso estabelecimeoto photogr?phico
est sempro em da com todos os melbora-
mentos e progressos qoe na America do
Norte, ou Da Europa se consegue na arte
pholograpbica, e para alcaogarmos tal fim
nunca poupamos despezas nem sacrificios,
de sorte que os dossos numerosos freguezes
podem ter a certeza de que sempre encon-
irarao em nossj estabelecimeoto tudo quan-
o a arte e a moda offerecer de bom, no
oovo e velbo mundo aos amantes da pho-
tograpbia.
NOVIDADE PHOTOGRAPH1CA.
Acabamos de receber todo o necessario
para fazer retratos chamados carte-album. j
Este genero de retratos ltimamente in-
ventado na America do Norte, rpidamente
se propagou na Inglaterra o Franca aonde
goza actualmente de todo o favor da moda.
A carte-album se faz por duzias como os
amigos cartOes de visita.
Na Inglaterra trocaram o nome de carte-.
A loja das Collumnas
Lidos manguitos com gollinbas.
Grande variedale de gonbas compnnbos, de cambraia.
De bretanha e de esguiao.
Gravatinbas de cambraia de muito g"sto para senbora.
Ricos peplum de grosdenaple preto enfeitado. o que ten viudo de melhor gesto
Pernambuco.
rna do Crespj n. 13 de Antonio Gorrea de Vasconcellos 4 C.
MUNDO ELEGANTE
l C.
46 RUI XOVA 46
THOMAZ FERREIRA DF CARVALHO
Com o proposito de satisfazer o respeilavel publico desta cidade, e em gera! a to-
dos, creamos o nosso estabelecimento com um complexo variado de todas as fazendas;
bem como, lia, seda, lindo e algodao.
Um variado sortimento de roupa feita, e por medida com toda brevidade e per-
feicSo.
Oa proprietarios deste estabelecimento protestando fazer suas transaccSes sempre
lbum pelo d retrato-galera e os ingleses"! na melhor boa f possivel, esperam concurrencia de namerosos freguezes. Convictos do
nsam encaixilhar estes retratos em Cuadros \ que yem de expor, convidam aos amantes do bom gosto e elegancia, para que apparefam
especiaes para com ellos formar galerias,
com que ornam seus gabinetes. Recebe-
mos urna certa quantidade de taes quadros,
os quaes cederemos por barato prego aos
nossos freguezes.
As pessoas que quizerem ver specimens
dos retratos chamados carte-album, ja fei-
tos em nossa officina s5o convidados a visi
tar o nosso estabelecimento.
CARTOES DE VISITA A 90000 A DUZIA.
Em consequencia do novo genero de re-
tratos chamados carte-album, diminuimos
o preco dos antigos caries de visita, os
quaes de boje em diante ficam reduzido's
ao preco de
9
pela primeira duzia, sem que por causa
desta dimirjuicio de preco,. oeixemos de es-
merar-nos no nosso trabalho, como sempre
loi nosso costume. Alm disto, continua-
mos a dar os candes de visita em cartoes
de luxo, Bristol, ou porcelana, dourados ou
lithographados para o que temos urna varie-
dade de 12 modelos, a escolha de quem se
retratar.
t3T VA GOMO PIlEVENCO.
Apezar do nosso trabalho ser muito co-
nhecido nesta cidade, aonde trabalbamos a
12 annos, com tudo'jbigamos de nosso de-
ver dizer hoje o seguinte:
Nos retratos fe.tos em nosso estabeleci-
mento emprega-se toda a cautela para of-
ferecer-se a par da belleza do trabalho, as
melhores condicoes de durado. Doura-
mos e fixamos os nossos retratos sem olhar-
mos a economas, e ltimamente para lhes
podermos dar urna lavagem mais ampia
e segura, contratamos com a companhia de
Bebiribe urna penna d'agua. Os nossos
cartoes de de visita sao verdadeiras photo-
grapliias, que nao precso de retoques do
pintor para Ih-i desfargarem os defeitos, e
convidamos a quem quizer a passar sobre
tiles urna e-ponja molhada em agua, ou a
deixa-VemerguIhados por espaco de horas
em agua, ou em espirito de vinho : se apre-
sentaretu alterado sero recebidos por nos
e pagos pelo duplo de que tiverern cus-
tado.
Continuamos a fazer retratos por todos os
systemas photographicos at hoje conheci-
dos em pbotograpbia. 0 nosso sortimento
de caixinls, quadros, passe-par-tauts, e
joias de ouro para a collocaeo de retratos
o mais completo, variado e abundante que
oxiste nesta cidade.
convencer-se da verdade.
No mesmo estabelecimento vende-se cb verde a
menda especial.
30 e preto a 21800, encom-
-r- Precisa-se de urna senbora que saiba
ensinar a ler, escrever, grammatica portu-
guesa, franceza, msica e piano, para en-
sinar a duas meninas em um engenho na
freguezia da Eescada, urna legua distante
da estaejio, paga-se bem : a tr. tar na ra
doCabugn- 11, 2o andar, com Francisco
Antonio de Britto.
Economa
Compra-se Din jago de diccionario Inglez e por-
logoei por Vieira formato grandp, prefere-se edi-
$o de Londres : roa Direita o. 79, 1* andar.
Rival sem segundo.
Rna do {ucluiauo n. 4L9.
Qoer acabar com as fazendas abaiu
mencionadas.
Queiram vir ver o que bom e Laratissimo.
Toalhas de labynotho com bico, fazenda boa a
34500.
Carreteis de liaba cora 100 jardas a 30 rs.
Grvalas pretas <- de coree muito finas a 500 rs
Caixas de obreias de massa muito novas a 40 rs.
onfiadores para espartilbo de cordio e fita a 6'
ris.
Carrrieis de liaba Alexandre com 400 jardas a 20*
ris.
Sesmas de papel almaco ronito bora a 24500.
Frasco de oleo babosa a 320 e 500 rs.
Ditos de dito bigienique verdadeiros a 14000.
Ditos dito falso a 800 rs.
Ditos de macacar perola a 200 rs.
Sabonetes muito fiaos a 60, 160, 200 e 320 rs.
Ditos de bolla muito finos a 20 e 320 rs.
Caixas para rap com bonitas estampas a 100 rs.
Miadas de linha froxa para bordar a 20 rs.
Varas do cordo para espartilbo a 20 rs.
Frascos com tinta rOxa multo boa a 240 e 320 t.
Pentes volteados para regacar cabello de menina
a 320.
Frascos de macaca' oleo rauit flao, a 120 rs.
Abotoaduras maito finas para coiletes a 500 rs.
Carioca de Iraha branca e de cores a 20 rs.
Libra de ara preta superior a 100 rs.
Carlas de ainetes francezes com 14 pentes
120 rs.
Escjvas para fato, fazenda boa, a 500 rs.
Varas de franja branca de linho para toalba a
100 rs.
Pecas de oico estrello com 20 varas muito bonito a
1*000.
Varas d' papalina de differentes larguras a 120,
160e 200 rs.
C.ua, de palito balao a 40 rs.
Caixas de palitos de seguranga sem eaehofre a
60 rs.
Sabonetes de familia a 100, 160 e 240.
Grosas de botoes de madreperola para camisa a
500 rs.
La para bordar de todas as cores e fina, a libra
6*000.
Carreieis com 4 ojiaras de retroz preto moito fino
a (000.
Caifa- ora soldados de chombo para meninos a
120 m.
Carniiia .le lioulrina chnstaa a 320 rs.
Latas cun superior banha a 200 rs.
Agencia de passaportes e
portaras.
C'audioo do Reg Lima, despichante de passa-
porte?, portaras, tira- ospSra dentro fra do ira-
peri", por coramodo j-reco ir fia : u ra da
Piaw, primtiro aodar, b 47.
B
5'
5
O
a
o
B
5'
o
c
u
-./
a>
ce
-c
a
a
5'
O.

vi
B
sL
c
o'
oa
3
H a;
o o O 5 ce a
s O

a
ct>
o o O
<*3 =-
O a
'/' &>
U3
w
s^l ce
9 S
3
09
' O
s

o
"g
c
3
09
a
a
o
o
i*
09
ja
c
ce-
s-
I
o

3
a>
V
09
a
a>

B
09
a.
a
B
a>
CO
09
c
ce
a
B
a.
o.
CE
ere
Cb
CE
09
09
a
03

O

O
os
o
o
09
B
5d

>
cd
I
co
m
m
fe
o
c
sa-
&
o
-
&

es

C
y.
-i
o
?!
&
C6-

-5
C6
O
6S
<3
C6
C*
c&
S
C
C6
c* \---------
ct
- V
Precisase alogar om escravo na ra da Cruz
n. 46, cojo trabalbo das 8 as o horas da tarde.
D-se 50$0U0
a quem pegar um cava lo, que roobaram na noite
do dia 6 do cerrente, da casa do caes de Lapiba-
ribe, perlencente a Theodoro Ramptk. 0 igoaes
do cavallo sao os seguiates : melado,crinase cao-
da preta, as mos calcadas de preto, os cabellos da
coxa direila sao arrepiado?, sendo por Isto desco-
nbeclda a marca de um ferro, castrado, anda de
baxo a meio esqaipar : a pessoa que dr noticia
verdadeira sera' tambera gratificada.
Advogacia na corte
O [ir. ristides de Paula Dias Hartios
tem o seu escriptorio.de advocada na ra do Hos
picio n. 1, t andar, onde pode ser consultado so
bre qoestoes jurdicas, das 9 horas da roanha as
3 da tarde. Eacarrega-se de qualquer causa ci-
vil, commercial, ecclesiasticc e criminal, inventa-
rios, aopellacdes, revistas e negocios pelas repar-
tieres. Os negocios fora da corte, a era das pro*
curaroes devem vir acompanbades das competen-
tes ordena.
Deseja-se alagar nm sitio com estribarla e
planta de capim, as proximidades da cidade :
quem o ti ver dirija-se ra do Crespo n. 16, 1*
andar.
Urna pessoa devidameote habituada, encar-
rega-se de preparar comida paracaixelros, promet-
Undo servir acontento: os senbores loglstasqoe
do sen prf stimo se quizerem nlilisar, podem tra-
tar a* travessa da Bomba, casa n. 1.
""^"o'ESTD'TE do 2.' anno Jeronymo Lon-
reoco de Araojo, venha a ra das Crozes n. 35, pri-
melro andar, a negocio que nao ignara._________
O professor de piano Claudio Ideburque Car-
neiro Leal, mndnu-se da ra das Cruws n. 30, 3*
nadar, para a ra da Camboa do Carino n. 21,
, primeiro andar. .
Fugio no sainado 6 do crreme da casa n
5 da roa da Mangoeira om xexa cantador em
casa : quera o pegn qnereadoo restituir leve-o a
mesma casa que alm de se dar o valor delle se
Acara' bastante agradecido.
Rega-ae ao Sr. Demetrio Jos Teixeira, estn-
dante do 3* anno, de vir ou n andar na taberna da
rna do Secego n. 56, negocio que n5 o ignora, des-
de o anno de 1865.
C4SA
de commisso de escravos.
Na casa de commissio de escravos roa do Im-
perador n. 45,3" andar, recebemse escravos pa-
- ra serem vendidos tanto da pra$a como do mato,
.nrn^.~n^.,r0.S d*nd-e V<* ;e os senbores de engenhj qe por qualquer moll-
aoem Sr iSnnnp? P '" pr,6t v0 ("aeiram ^"e'- > lam nao tem raais do
qoem uver annuncie.______.______________| qoe temeUe.,0 ao abaixo assigna)1(, qae KarantQ 0
Na praja da Independencia n. 33, loja de i bom tratamento e prompta venda, nao se poupan
oarives, compra-se onro, prata e pedras preciosas, i do exfer;os afim de em todo satisfazer as pessoas
e tambern se faz qualquer obra de encommenda e qoe o qnizerem honrar com a sua conanca. Nes
Urna senbora franceza da" IcSes de plano, de I
francez e italiano em casas particulares a tratar
a rna do Imperador 71 1* andar.
todo e qoalqner concert.
a oa
a casa ba sempre para vender escravos de ambos
os sexos.
Antonio Jos Vieira de Sonza.
Precsase de nma ama para servico intern
d compra ; na rna Direlta n. 175, segando andar
Precisa-se de ama ama livre ou escrava para o
servico interno e externo de ama casa de duas
pessoas : na roa das Crozes n. 28.
PBKM$KIMM**I
Ensino de msica
. 75, 2o andar, ru Imperador o.
75, 2 andar.
Lecciona-se per solfejo estocar va- .
[ ros instrumentos; dando-se as li- M
m ces das 5 boras da tarde as 10 da m
4g noite em casas oa em sms residen- tj
m cas.
**************
Precisa se de orna ama para o servico interno
de orna casa : a tratar na rna da Cadeia do Reclfe
armazem n. 8.
FEIOK
AVISO
ao eommercio
O abaixo assignado declara ao eommercio, e es"
pecialmente aos seos devedores desta praca e tam
bem os do mata (centro) qne da julho do corrate
ero diante o Sr. Antonio Valentim da Silva Barroca
I socio commanditario de sea estabelecimento, gv-
raodo a firma de Jos Gomes Villar & C, como do
contrato que ambos fizeram, e tea de ser regis-
trado no tribonal do eommercio desta cidade.
Approveita a occasio de pedir aos ditos seos
devedores qae pagaem qnanto antes os seas dbitos
pots muito se precisa de dinbeiro para eumprl-
menlo oe dbitos do dito estabelecimeoto: e ga-
rante continuar a vender aos seas boos freguezes
que at o presenta tem dado provas da verdadeiros
amigos, satlsfaiendo seraore os seas dbitos.
Jos Gomes Villar.
Precisa-se de um hornera qae tenba algnma pra-
tica de engenho para feitor de campo, prefenn-
do-se porlugaez : quem pretender dirjase ao pri-
meiro sobrado ao p da ponte dos Afogados qae
achara' com quem tratar.
Aluga-se um armazem grande na ro de
Prata d. 31, proprio pira carne oa ontroj^jaal-
'jtw nrxocio : i !s iir nj me?mr.
Escrava para comprar
ou a lugar
Precisa se de urna escrava que coziuhe, por
compra ou alogul : na rna da Cruz, rmateos n.
10, das 10 boras da macha as 4 da larde.
_____ N. 2 D ^ N. 2 D,
Pf* COR A CAO OE OITRO. ^J^
A loja n. 2 & intitulada Corceo de Ouro na rna do Cabuga, acba-se d'ora em diante offerecen-
do ao respeilavel publico com especlalldade as pessoas qae honram a moda os objectos do ultimo gos-
o (a Pars) por meaos 20 por cerno do que em oatra qualquer parte, garantindo-se a qaalidade e a so-
lidez da obras.
O respeilavel publico avaliando o desejo q.oe deve ter o propietario de um novo estabelecimen-
to qae qner progresso em sen negocio deve chegar imroediatameote ao coracao de ouro a comprar
aneis com perfeitos brilhaotes,esmeraldas, rabise perola -, verdadeiras em agarras, modernas pek
diminnto preco de 10f, brincos modernos de ouro e coral para menina pelo preco de 3, maracas de
prata com cabos de marfim e madreperola obra de moderno gosto (o qae o eocontraro no coraco de
ouro) voltas de onro com a competente crusiaha ricamente enfeitada pelo pequeo preco de 11$, brin-
cos de om trabalbo perfeito por um mdico prego, cassolelas, tranealras, polceiras, alfinetes para re-
tratos e outros modelos todo de alto gosto, aneis proprios para butar cabello e firma, dito para casa-
mento, no rtico roseta tem o Coracao de Ouro om completo e bem variado sortimento de diversos
gostos, butes para pnnbos com diamante, rabias e esmeraldas, obra esta importante ja' pelo seu va-
lor ja' por gosto ds desecho, brincos a forma da delicada moslnba de moca com piogeute contendo es-
meraldas, rubios, brilhantes, perolas, o gesto sublime, lfioete para gravata no mesmo gosto, relo-
gios para seahora cravados de pedras preciosas, ditos para bomem, diversas obras de brilhantes de
noito gosto, erusiohas de rubios, esmeraldas, perolas a brilhantes, aneis com letras, cazoletas de
erystai e onro descobem para retrato (a inglesa) brincos de franja, ditos a mpe.ratrize toda e qual-
quer joia, para secolocar retratos1^ obras de cabello, e outros rnuitos objectos qu os preteodentes en-
contrarlo no Corago de Ouro que se conserva com toda a araabilidade aos coocorrentes deixando-
se de aqu mencionar preces de certos (hjectos porque (desculpem a maneira de fallar) dizendo-'se o
preco tarvez algoem faca mo jmzo da obra, por ser to dimisota qaantia a vista do sea valor.
Na mesma loja compra-se, troca-se ouro, praia e pedras'preciosas.e tambera recebe se conctr-
tos, por menos do que em outra qualquer parte, e do-se obras a amostra com penbor, conservando-se
e Coraco de Ouro abertc at as 8 horas da noile.
Qaalqner pessoa que se dirigir ao Coracao de Oaro nao se podera' engaar com a casa, -pois
nota se na sua frente um coracao pendnrado pintado de amanillo, alem de outro qae se nota em um
rotulo (isto se adverte em consequencia de terera ja' algumas pessoas engaado com outra casa.
Vinho tnico e nutritivo
bB
QUINA E CACAO.
E>ta nova combioaco rene em urna bebida as-
ss agradavel e conveniente a indos os organis-
mos, a quina que um medicamento tnico por
excellencia, e o cacao que contem principios nn-
j tritivos asss recoobecidos.
Elle se emprega com o maior successo na cura
fias paludas cores, soffrimentos do estomago, per-
, d2 de 'De,iIe> d'esioes difflcaltosas, menstrua-
les difflceis etc., etc.
Deposite especial
NA
Pharmacia e drogara de Barthoiomeu & C.
34-Rna lurga dd Rosario-34
ALUGAM-SE
duas casas terreas ns. 32 e 34 sitas na Capun:%
ra da Ventora, junio ao porto denominado do Las-
ser, caiadas e pioladas da novo, e com commod s
para familia, tendo ca-imba,-seozala, estribarla,
alm de om grande quintal morado ; gera preten-
der dirija-se a rna do Trapiche n. :i, andar, que
achara' com qoem tratar.
Aluga-se
om criado escravo : a tratar no cscriptorio de Si-
queira, Irmos 4 d, largo do arseoel de guerra
numero 3.
Precisa se de urna ama para cozinhar para
tres pessoas : na roa de S. Francisco n. 22.
Na noite de domingo para seguoda-feira 7 c
eorrent6 desappareceu um cavallo alaso, pequen ,
nm pouco magro, com frente aberta, dou ps e a
mao esquerds calcados, e as orelaas acabaadas -,
quem o Uver achado dirija-se em Santo Amaro ao
sobrado junto do cerxriterio Inglez, quo sera' recom-
pensado.
Precisa se alagar um moleque ou negra para
vender : na roa de Aguas-verdes n. 46, segundo
andar.
Na ra do Sjcego a. 29,
|:OQ0f sobre bypotbeca.
se dir' qoem da
Aluga se urna escrava boa eogomraadelra e
cosinheira : quem'pretender dirjase a roa do
Qoeimado a. 13, loja de ferragens.
s: 3 A Ra do CabugaX. 3 A
Agostinno Jos dos Santos $ &
Acaba de chegar a este estabelecimento um esplendido sortimento de
joias do ultimo gost% perfeicao artstica e modellos eoteiramente novos; como
seguem: aderecos com rubim, esmeraldas e perolas finas, pulceras, broches
para retrato, anneis, botoes de punho, brincos e cassolelas com letras, etc.,
etc., etc. Salvas de prata to Porto, fagueiros, paliteiros, calix de mesa e
fructeiras, cujos precos s5oincompeiiveis, pois que os propri'tariosdesta casa,
recebendo seus artigo.> directamente da Europa, podem servir vantajosamente
aos seus freguezes. Corupram-se brilhantes, pedras tinas, ouro e prata^aga-
se bem, tambem se incumbem de fazer concertos.
D. Francisca Candida da Silveira Cardozo agra-
dece cordialmente a todas as pessoas que se dig-
naran) comparecer a matriz de s. Jos para oovi-
rem as missas e memento que por alma de seo
finado e sempre lembrado marido o roajor Joo
Antonio Cardozo, fallecido no acampamento contra
a repblica do Paratruay, fez celebrar no dia 8 do
correte.
Alaga se urna escrava para todo servicj
menos engommar : na ra do Vigario n. 23, ter-
ceiro andar.
PARA UZO INTERNO
PREPARADOS SIMPLES.
Xarope de jurubeba garrafa......... Mooo
Vinho de l6oo
Pillas de vidro......... l)$6oo
Tintura de 64o
.Extracto hydralcoolico de jurubeba 125oo
PREPARADOS COMPOSTOS.
Vinho de jurubeba ferruginoso garrafa. 25ooo
Xarope 156oo
Pilulas vdro... 2$ooo
Oleo de jurubeba vidros___ 64o
Pomada de pote...... 64o
Emplastro libra..... 25oo
PARA UZO EXTERNO
A eJCRUBEBJk.
Esta planla' hoje reconhecida como o mais poderoso tnico, como um excesl
lente desobstruente, e como tal applicada nos engor-gilamentos do figado e baco, na-
bepalites propriamente ditas, ou anda complicadas com anazarchas, as inflammaces
sobsequentes as febres intermitentes ou durezas, nos abeessos internos, nos tumores es-
pecialmente do tero e abdomen, nos tumores glandulosos, na anazarcha, as bydrope-
zias, erysipellas; e associada as preparacoes ferruginosas, anda de grande vantagem
as anemias, cbloroses, faltas de menstruacSo, leucorrheias, desarranjos atnicos do esto-
mago, debilidade orgnicas, e pobreza de sangue, etc.
O qae dizemos affirraam os mais distinctos mdicos desta cidade, entre os* quaes
podem os citar os lllms. Srs, Drs. Silva Ramos, Aquino Fonseca, Sarment. Seve, Pe-
reirado Carmo, Firmo Xavier, Silva etc. -Todos elles reconh cem a excellencia d'este po-
deroso medicamento sobre os demais at hoi? "muecidos para todos os casos citados,
tanto que todos os dias fazem d'elle applicac3'.
Apresentando aos mdicos e ao publico em geral diversos preparados da juru-
beba, ttvemos por m generalisar mais o uso d'este vegetal, fazendo desapparecer a
repugnancia que at hoje sentiam os doeutes de usar dos preparados empricos d'elle, o
mais das vezes repugnantes a tragarem-se, e qne tinham ainla a desva hgem de nao
ser calculada a dose conveniente a applicar-se, o que torna muitas vezes improficuo um
medicamento, que podena produzir ptimos resultados.
Os nossos prepados so foram apresentados depois de uaverraos convenientemente
estudido a jorubeba, fazendo as experiencias precisas para bem conhecer as propriedades
medicamentosas d'esta planta em suas raizes, folhas fructas ou bagas, e a dose convenlen-
ea applicacn, tendo alm d'isto procurado le'var os nossos preparados ao maior grao de
tperfeico possivel, para o que nao poupamos esforcos, nao nos importando o pouco lu-
crojqae possames tirar
Por tanto os que se dignarem recorrer aos nossos preparados podem ter a certeza
de que elles offerecem a garanta, de que se pode encontrar a prompta e infallivel cura
de qualque dos soffrimentos, que deiamos innumerados, se forem em.ttmpo applicados
tendo alm d'isso, medico ou doentea vantagem de escolher as nossaN variadas prepa-
racoes, aquella que melhor Ihe pode convir, j pela fcil applicagSo, e j pela compiicacjSo
das molestias, idide, sexo, ou anda natureza de cada individuo.
As nossas preparares ferruginosas sio feitas de forma que se tornam completa-
mente soluveis nos suecos gstricos, porque procuramos os composUw de ferro que como
taes esto hoje reconbecidos.
Para aquelles que mais minuciosamente queiram conhecer as propriedades da
jurubeba, e saberem a applicago de nossos preparados, destribuimos gratuitamente
em nosse deposito um folheto, onde tratamos mais extensamente d'esta planta e dos mes^
mos preparados,
Deeosito geral de todos os preparados
Botica e drogara
34Ra larga do Rozario34
t____________________'__________________________ ___________.
Noyoe grande deposito de superior carvao de Cardiffna
BftDia.
Cozlnheiro.
Piecisa-se de um b^m cozlnboiro para todo o
servico tendente a comedorlas para urna casa de
negocio : na ra Nova o. 28. Paga-se bem.
Alaga-se tima escrava para o servigo de muito
peq-iena familia, ou urna rea forra : na ruada
Conccrdia n. 34, sobrado do armazem do sol.
Trocam se
as notas do banco do Brasil e das caixas Alises,
com descont muito rasoavel, na praca da Inde-
pendencia n. 22.
Ao Sr. capito do 2 baialhao de infamarla
Ignacio Pinto dos Santos Sases pede-se o favor de
se dirigir a ra do Imperador n. 18, afim de con-
cluir negocios que o mesmo senhor d5o igoora
Igoal fvor pede-se ao Sr. Joaquim de Sonza Circe.
4M4
de urna ama que
Na ra Nova n. 60 precisa-se
saiba coiinhar.
^.^^
Precisa-se aiugar nm esciavo du reeia idade
para servico de urna casa de familia : quem o ti-
ver para alugar pode ir na roa larga do Rjsario n.
38, que se dir' quem precisa.
Qoera precisar de 5005 a juros annuncie por
este jornal ou delxe carta fecbada nesta typogra-
pbia, declaraudo a^sua moradia com as inlciaes J.
E. C. M. para ser procurado.
Na i na de Santo Anaro n. 6, precr^se d
um feitor que saiba tratar dejardim e pomar, pare
o lugar do Monleiro : a iratar das 9 s 10 ora.
da mmhaa.
Ama de leite.
Precisa se de urna ama de leite : na ra do
Apollo n. 20.
-- Precisa-se de urna ama para casa de pouca
amilia : na ra do Livramenlo n. 27.
Fredenco J. Ctrtitl .subdito de S. A. bntan-
Dica, retira-se para a Europa
"V~cal
Protesta-se contra o edital que sahio liontem 10
do corrente, cm que o Sr. Antonio Sergio da Cruz
Motil faz ir a' praca as casas da ra do Caldeirei-
ro ns. 16 e 18, Gloria n. 48, e Imperial n. 273, pois
o mesmo senhor ? pode ejecutar orna eava parle
em cada urna das tres primeiras e 1/15 na ultima ;
faz-se esse para nioguem se chamar a ignorancia.
_______Os que teem raaiores partes.
Offerece-se urna ama pa a compras e cosi-
nhar e para casa de homem solteiro : a tratar na
nova desceberta ao p do jogo da bolla.
O abaixo assguado faz scieote ao respeilavel
publico e com especialidade 10 corpo do eommer-
cio, qoe nesta data coraprou ao Sr. Joaqnim Lu i
Fe: reir Leal o estabelecimento de molhdos sitJJv'
ra d Imperatriz n. 23, denominado Ahbama, li-
vre e desembaracado de debitse de qualqu-r or.s:
se atguem se julgar com direilo a qualquer recla-
mago, dirija-se ao mesmo estabelecimento no pra-
so de tres dias. Recife 9 de albo de 1867.
Antonio Joaqaim Ferr ira Porto.
Jjs Rodrigues de Souza, seus Irmaos e sobri-
obos, como genro, irmaos e fllb,os da tinada vi uva
D. Anna Candna Rodrigues Autrao, agradecen!
cordialmente a todas as pessoas que se dignaram
assistir-lbe as exeqoias e acompanba la ao cemile
rio publico, e as convida para assistirem as missas
que por sua alma se celebrarlo oa ordem terceira
de Nossa Senbora do Ca-mo, pelas 7 horas dama-
nbaa de sabbado 13 do corrente mez, stimo dia
de seu failecimeoto.
l. iniaaMmMBaMTO,
''/V"V..
. Aluga se a meiae de orna casa, a
pasioa : a tratar oa ra do Cotovello n. 23.
Antonio Gomes dos Santos & C., roa Santa Barbara n. t, estip habilitados a snpprir de
algaoatc+mo em condlcfies mais favoraveis que em oun o qualquer deposito, a todoa os navios a vapor qoe
{ cerrero taoaeile porto. A contratar nesta com Domingos Alves Matheas.,
Salvador Hennque de Aibuqnerque ten lo d
mandar celebrar amanha 12 do crreme algumas
missas pela alma de seu sempre lembrad) lb >
Jos Joaqaim Fonseca da Albuquerqae, 1* cadete
qae foi do 7 batalhao de infamarla da linha, por
ser anniversario de sua morte em consequracia do
ferimento recebido na campanha do Paraguay,
aniecipadamente agradece a todos os seus paren-
tes e amigos que se digoarem de assistir a qne se
vai dizer no convento de S. Francisco desta cida-
de, onde* elle e sua familia se achara' pelas 7 ho-
ras da manba.
Rna Aurora
Aiuga-se e segundo andar do sobrado da roa da
Aurora o. 24, com 4 salas, 6 quartos, todos forra-
dos a papel e pintado, e sotao para cozioha, tendo
agua e despejo : a tratar na roa Formosa n. 15
com Candido C. G. Alcoforado,
~^- Precisa se de nma senhera que se queira en-
carregar da educacao de 4 meninas em um enge-
nho peno, com tamo que saiba o francez, poriu-
guez, msica e piano e trabalhos de agolha : qoem
se qnizer contratar dirija se ao eseriptorio de Do-
mingos Alves M trieos a roa do Vigario n. 14.



X

/
v
'.
/


-.
~-^\
^r


m
^


Diario de i'ernambuco Sexta felra 1S de fniho de 8b7.
A-pprovndo pela faeartdade
de Medicina., emprejcado no
liospitam de Parla.
ELIXIR DO DB THE
aproado pela faenldade
de medicina, empreada noa
ospllnes de Parla.
Occupa o primciro luf
1-Die
ugar entre as prepararles ferruginosas as mais assimilaveis. 0 Elixir do D' THEItMES empregado diariamente nos hospilaes de Paris e principalmente no
H6tel-)ieu (servico da Faculdade de Medicina de Parts). Administra se oom o maior xito as doenea de w)Bnip'.' resultantes da exhamtaro da ngnc, clilo-
rosis ou Are* paludas, flores firmaras, anemia depois das hemorrhagias, ou durante as convalescencias de i'ebres perniciosas, sufroeaeaeme pal pita coca das mul-
heres pejadas. Nao menos efficaz contra o racbltlama c obra poderosamente para oshomens cujap forjas estamesgotadas pelos trabalhosintellectuaes, abusos de todos os gneros, etc.
Tonm-se coui a del de ama coliicrlmia dcpols de cada refeleae. x
Deposito g eral na pharmacia, ra Reaumur 43,, e em casa de E. GALLOIS, pbarmaceutico do S. M. Imperador, place Vendme, 2, eni Paria.
Deposito em PERMHBICO, P. MAURER nO,en todu u Pharmacias no Brazil. ________________
0M00R0DEV
Ao respeitavel publico pernambncano pede-se
Attenco
Manteiga ngleza
320, 500, 800 e i& s no armazem se acna vista.
Manteiga franceza
era libras 360 e 640, em barris se far differenca.
Banha de parco
em libras 320 e 38"), em porcSo se far differenca.
Filelas
em calda Pera, Pecego, Rainha Claudia, Alperxe e outras muitas 500 e 040 a lata.
Ervflhas
Portuguezas 640, francezas 900.
Fafflo
em latas do Para e de albaneque, lata 1$ e 15200.
Gomuii de iui!ho
era pacotes 400 e 500, dita da trra 100 e 200 a libra.
Viuho
de Bordeaux em caixaa duzia U, garrafa 500, dito de 8 a duzia, 800 a garrafa, dito a
14 a duzia, 40203 a garrafa, dito do Porto a U, 420, 18|, 240, caixas de duzia, assim
como figueira caada 3,5500 e 40, puro J A A Lisboa 20800, H e 3*500 a qualidade
convida.
Caz
lata a 85 de o gales e mais pequeas a vontade do compra lor, em garrafa 360.
Alpiste
110 e 19 0 a libra, painco a 100 a libra.
Aztlie
em garrafas a 800 e 10.
CHARUTOS
em caixa de 50 por 10, ditos DelLias, Trovadores e
da Exposigo caixa 55, ditos de Uegalia caixas com \
que s na presenta dos compradores.
PREZUNTOS
de lamego em barril, ditos de fiambre o raelbor'que
admirar! !
DOCE DE G0IABA
caixes de 560 Ano, ditos d 15500 que parece mr.rmellada, dito em latas milito
qualidadea 10200.
R0CETAS
com doce secco a 15 e 25.
QUEIJOS
do Aiealejo em latas ebegado pelo vapor Oneida, ditos Fiamengos e Pratos do: mais nevos
que halio mercado.
AZEIT0NAS
de elvas como no mercado nao temos a 15 a lata, em barris do Porto a 15 como n.ojlia
melbor.
Atten^ao.
O abaixo assigoado declara ao publico qae desta
dala deixa de ser gerente da padaria da praca da
Boa-vista n. 14, pertenceote. ao Sr. Domingos An-
tonio da Silva Beiriz, e aproveila a occasio para
agradecer ao mesmo senbor o bom tratamento qae
recebea dorante o lempo qae esteve em sna
casa.
Recife, 1 de albo de 1867.
Bernardi.io G.imes de Paiva.
CASA DE BANHO w
COMPRAS
26 Pateo do Carato 26.
Neste estabelecimento to im-
portante para a saude e asseio
. do corpo, acbam-se motilados 20 jre\
Ws baol'elros, que sao servidos com v
a ordem e' asseio que para de- j^
sejar-se. Qualro destes banhei- *
ros sao especia'mente reserva
drs para senboras e por rsto
acham-se collocados em lugar re-
servado, aonde s tem entrada
as pessoas da urna mesma fami-
lia.
*P RUCOS DE BANHOS AVULSOS. 't*
Parisienses em caixas de 100, ditos
00 a 25300 e outras muitis marcas
ha no mercado por preco que faz
na



lo5ooo
io"ooo
5ooo
1ojooo
lojooo
Ostro e prata.
Em obras volhas : compra-se na praca 'da lu
dependencio o. 22 loja de bilhetes.
i Moedas de ouro.
N'aeionaes e eslrangeiras usta como libra-
I esterlinas: campram-se na ra do Crespo n. 16,
primelro andar. !______________
Compra-se moedas de ouro do 20, i6j, 10J
e 9t; a roa da Croz n. 3.________________
Moedas de prata
oacienaes, assim como pataco?- portugals e
hespanhes, compram-se com premio : na roa do
Crespo n. 16, primelro andar._______________
258500
praa moedas naclonaes'de 20J
n. 16. pnmeiro andar.
na ra do Crespo
Libras esterlinas?
na pra a da In
1 baubofrio, momo ou de
chovisco..... 5o
1 dito de choque. l'ooo
1 dito de farello. ITooo
1 dito aromalisado. 40ooo
f& PRESOS POR A&SIGNATURA.
30 banfios por mez Irio,
momo ou de chovisco.
25 banhos com canoas
para os mesmos. .
12 ditos ditos ditos. .
i 2 ditos ditos de choque.
12 ditos ditos de fare-
lo. ..... .
0 estabelecimento estar aber- %o> \
to nos das uleis das 6 horas da
manha as 10 da nouie, nos das
santificados das 5 as 5 horas da
tarde.
9*$t ifs-:*" % ** & '$*?* &H W-
VS'* ^v: A' vR '& v* V^AK ;^v!>. %A\
Precisase de urna ama para o ervjco inter-
no de urna casa : a tratar na roa do Livramenio
n. 21, 3' andar.
mmmmmmmm mmmmmm
%{. O advogado Amaro Joaqnim Fon-eca ^
f^ Alouqaerque lem sen escriplono a' ra
Sgj Cruzc-s d. 35, Io andar; reside a' travs-
3s sa do Veras n. 1. Eccarrega-s oe
fe'; quesloes em todas as comarcas na citen-
|i| cao da linda frrea.
Comprara se com bom premio
dependencia n. 2. _______________________
Compra m-sc escravos
Silvlno Guilherme de Barro, compra, vende e
troca effectivaraente escravos de ambos os seos
e de todas as idades : a' roa do Imperador n. 79,
erceiro andar.___________________________
Ouro e prat* amoedado
Compram-se libras sterlinas a 105300, moedas
de 20 a 22JoOO, ditas de IG a 175500, assim co-
mo toda e qualquer ontra qualidade, e tambem
prata nacional e estrangelra : na ra da Cadeia,
loja de faiendas n. 58. ___________________
Comprase urna escreva coiinheira e engom
madeira, que n5? tenha achaques nem vicio: na
roa da Senzala velh.-i n. 84.
KA'
w
s
m
Compra-se
Urna armac3o de armazem ou prateleiras
que nao seja de pinho, e que esteja em
muito bom estado : na companhia Pernam-
buca a._____________________
compra-se
libras esterlinas, ouro brasileiro e portoguez com
bom t r- >uio : na ra da Cruz n. 48, armazem de
E._A. Murle & C.__________________________
Libras esterlinas.
i-onipram-se no escriplorio de Antonio Luiz de
Oilvelra Azevedo & C, ra da Cruz n. 1.
Ouro e prata-
Satisfeilo o invencive Veado asitico, comasmaneiras attenciosas com que
foiacolhido pelo respeitavel publico desta briosa provincia, a poni de que muitos a por-
fa desputaram a satisfago deserem os primeiros a comprarera era s u importante arma-
zem, se desvanece em declarar com toda a lealdade de que capaz, que est cida vez
mais animado, n5o s pelo benigno acolhimento que tem recetado, como pelas torcas de
que dispe porque at hoje nao carece ainda dos preparados de jurubeba, nem do
xarope alcooltco de veame.
O Veado Braaeo, declara a quem arada o nao conhece que n5o um
desses bicharocos intrataveis que por ahi vivera cora figura hu nana ; domesticado no
ameno paiz onde a amavel Ajuia Branca vio a lu do astro bemfeilor, elle partidario
desse invejavel agrado e sinceridade que comanla gravidaie se desprende do seo
bico encantador.
O Veado raneo, como todo o hornera civilisado, ama a sociedade. dos
bons, goita do centro do mundo elegante, usa do tnico de Jayrae. para previoir qoelhe
ponham a calva ao sol, vai a companhia des Booffes Parisiens e no meio do partido de
madame Adelle, elle tambem atira-lhe o scu lindo bouquel.
Digne-se o benigno lettor de jurar as palavras sinceras do sincero Veado
Braaeo, e venha prover a sua dispensa do que meihor se pode encontrar n'ura estabe-
cimento de mol ha ios.
A modicidade dos precos, comparados com a boaqoalldade dos generse o
bom mojo com que se recebe os senhores compradores, deve certamente convidar as
pessoas que anda nao vieram nossa casa a fazer parte dos amigos e freguezes Jdo nosso
Na rqa do Imperador n.
cisa se de um criado fiel.
73, 1' andar, pre
Precia-se tallar cora
Dias Vitela no armazem da
raizo n. ii.
o Sr. Joao Valentina
estrella, largo'do Pa-
BELLISSIMO ARMAZEM
Atiendo.
W 2 i-Boa do Livrameut --N. 25
Deposito de tamance? e calcado nacionaes da fa-
brii'a da ra do Jardim n. 10, de Jos Vicente Go-
Jiuho, tanto no deposito como na fabrica se
aprom'tam todas as port5es de calcado o mais ba-
rato postvtl, e&ta fabrica tera todas as machinas
pr.iprias para os calcados ja' bem acreditados pelo
sraade numero de freguezes que daqul se for-
oecem.__________'_____________________
0 Sr. Jos Marques da Costa Soares,
(negociante no Recife) queira vir esta typo-
graphia i negocio.___________________
Obras venda na livraria
Universal, na do Impera-
dor n. 54.
ResolocSes do conselho de estado sobre a a-
telligencla do acto addicional na parle relativa as
assemblas provicciaes.
Grammatica porlugueza de Solero.
Dita pbilosophica de Duarte.
Dita fi anceza de Noel et Chapsal.
Catbecisrno da diocese do Maranho.
O Livro dos menino*.
Jesa Christo e a critica moderna.
Moedas de ouro e prata nacionaes, e.-trangeiras
e de todos os valores se compram na loja de oori-
res junto ao arco da Nossa Seotiora da Conceicn
ra aa Gadeia do Recife, assim como ojto e prata
em obfas velhas, brilhantes, diamantes, e se papa
bem.
Compra-se
urna escrava preta que tenha bonita ligara e com
habilidades : na praca da Independencia nmeros
13 e 13.________________' ________
Comprase
um calis mio mis em bom estado
Boa-v^ n. 6.
aa praca da
CONDECIDO PELO NOME
Compra-se urna casa terrea pequea em qual-
quer dos bairros desta cidade, e tambem se vende
um mulatinho cora 17 aonos, muito boa peca e ex-
celente conduela : na ra de Apo.lo n. I, pnmei-
ro andar, das 10 horas as 3 da tarde.
por moedas de 203000
n. 0, 3* andar.
2S02GO
brasilciras
n.t raa Nova
VENDAS
Vendem-se daas boas casas na povoael r"e
Beberibe, seodo uma de pedra e cal e cutra de t?i-
pa, em terrrnr.s proprtoi : a tratar na ra do lo;-
perador n. ti, 1* aodar, escriptorto do Dr. J.
Campos.
A^o de Milao
MARTIMOS
Estabeleciuo na Direita n. 16.
Esqulua da travesa de 8. Pedro.
ULULAS de BLAHCABD
M mocarro n mu dultoath.
Approvadaa pela Academia de Medecina de Paris
AvroaaiMi raui itbhlio hmcal m M llinaao
niHHTADAJ ROS HOSPITA1* DB IlAIlf, DA BLGICA, DA LAUDA, DA ICDOCA, 1TC
Mtnfoit konrtuu aai ExpotifOit Uni*rfai, d Ntw-York, 186, f i* PmU, 188*.
lata) Pflnlat volvidas i'nmi eaaadt ralno-balMunica da un* torafcMc excesava, asa
iTMUfem de erem inalierareif, um tabor, de am pequeo vokuK, e de Mi canaartai os
otaaos digedhos. Goundo das propiedades do loa* o Vaamo; ellu ama arinci-
pAUaeate aat affeccos CUorotittu, Bscrofutot, tuktcuUuu, Canerou; m Imuorrhta,
mmmurrkm, ataia, ele.; enfila, elU offerce 6i arteoi ana atedleafao dai ti aaei-
[ieaa aan aMdifiear m constiiui?oe tymplutict, frfm m dtHlitUm,.
X. B. O Munu de lem Impuro ou aHtrado wa aietiei-
eau iaflel. Irriuete. Gome prore at aarcu o do udMaeidaM dat
traa reactiva e aotsa flr
inleriet ao ubi ralata
a Bianeard, dee -* exifir aceto oeiM o
' eawaMCMBAaaraj
, aaoi reprodoiMe.oae te
. Dora -oo dooooaaaf dat
> at Paaramaelae.
loleHeieeai
aaraxeeaWeo,
i Soaaaarfe, M. Hi.
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabelect-
da nesta praca, toma seguros martimos Jb-
bre navios e seas carregamentos, e contra
ogo em edificios, mercadorias e mobilias:
na raa do Vigario n. 4, pavimento terreo
mmmmmmm-mmmmmmm
M Residencia e consultorio m
Medico cirurgico
DO
Di*, auteoie Ruarle
I Na praga da Boa-Vista n. 21 onde ^
| pode ser proenrado a qualquer
I hora.
| Especialidade
Ooencas do peito, e de meninos. \
| Da consullas das 7 s 10 boras da
o manba.
Nos armazens de Tasso Irmos, era cunhetes de
4 arrobas.
Farinha superior
Tem rara vender Antonio Laiz de Oveira Ate
vedo & C, no sea escriplorio, raa da Cruz n. t.
Vndese am sobrado de um andar na ra
do Amorlm n. 10, com chao proprio : quam pre-
tender dirija-se a ra da Crui n. 18, segundo
andar. _^_____ \~
Vende se a taberna da ra Direita n. 9o,
bem afreguezada para esta praga cobij para o
centro : os pretendentes.pode dirigirse ao mes-
mo estabelecimento.
Sevada.
vara 800
FAZiNDAS ^OVAS ':
para s feslasde S.Anlnio, eS. Jo
no aruiazem do PavSo na da
lojperatrlz u 63
DE
GAMA & SILVA
Receberao-se pelo ultimo vapor da Euro-
pa as mais noTas fazendas como sejam:
Bonitas cassas de listas gracia- \
i dies.
Ditas castelhauas.
Ditas da Italia.
Ditas transparentes com os mais moder-
nos e mais delicados gostos vara arsGlO.
D.tas de diversas qualidades com novos
gostos o covado a rs. 240, 280 e 320.
Cortes de medioa sendo urna bonita azen-
da tra-i'i-ii'^nte com lindas palmas e qua-
'los .' < a tendo cada corte 19 covados a
Ricos cortes de vestidos brancos com lin-
das barras bordadas em alto relevo a 24.
Ditos brancos tambem bordados a rs, 5> e
u.
Cortes de poil de chvre com 18 covados
a 150.
Modernissimas vareges tapadas e transpa-
rentes com as mais delicadas cores e com bo-
nitas listas de seda, covado a 640, 800 e l>.
Alpacas lizas enfestalas com as cores mais
modernas o covado a 640.
Ditas enfestadas com lindos avores gra-
dos e miudinbos covado 560.
Bonitas alpacas lavradas com os mais mo-
dernos dezennos covado a rs, 800 e 1.
Ricos cortes de vestidos de fil enfeitados
a 300.
Poupelina de quadriohos transparentes
com os mais apurados gostos e quaze a lar-
gura de chita franceza covado a rs, 640.
Ditas mais estrellas porm muito bonitas
covado 500.
Sedas de cores com 4 palmos de largura
covado 20.
Ditas estrellas lizas de listras covado 20.
Grande sor timen to de grosdenaple preto
covado a rs, 10600,10800, 20, 20500 e 30.
Ricas sedas lavradas.
Saias com qtiatro pannos ricamente bor-
dadas a rs, 50, 60, 70, 83, 100, e 110.
Tarlatanas brancas e de cores vara a rs.
800.
Fil branco lizo vara a rs. 8 0.
Dito de flores para vestido vara rs. 640.
Oatras muitas diversidades de fazendas
que se mandam tambem levar em casa das
Exmas, familbasparaescoluerem ou do-seas
amostras deixando ficar penhor no armaze-a
do Pavao ra da Imperatnz n. 60. de Gm
ma & Silva.
Bordados do Pavo
ntremelos largos
Babadiuhos estreitos
Babadinhos largos
Enlremeios estreitos
Tapad s e transparentes
Gama & Silva receberam urna grande por-
c3o dos mais finos babadinhos e entremeto!"
tanto largos como estreitos, sendo tapados
e transparentes com os verdadeiros borda-
dos a alto relevo tendo de todas as larguras
e desenbos, grande porcSo igual para qual-
quer obra, que assim possa ser preciso, e
garantem que podem vender por menfes 40
ou 50 por cento, do que eju outra qualquer
parte, atlendendo a grande porfSo que tem
no seu armazem do Pavao : ra da Impera-
triz n. 60, de Gama aVStlva
Utensilios typograpiicos,
Acabam de chegar'de Franca e eslo a ven-
da na ra do Imperador n. 15 defronte de
S. Francisco: ricas escovas para lavar for-
mas, ditas para tirar provas, componidores
de diversas largaras mui modernos, tinta
para impresso fina, linhas e entrelinhas de
differer.tes qualidades e ponas. A mesma
casa continua a ter testamentos de diferentes]
animaes; e folhetos de Porcina, Magalona
e te, assim como cidade de Deus, Horas da
Semana Santa, Manual Encyclopedico, Ripan-
sos, Caminho do Co, Horas Portuguezas,
Marianas, Imitarlo de Christo, Escudo Admi-
ravel etc.^_______________
Vende se am eabrtuha de 8 anoos, um mu'a-
t'rihode II, e sao bonitiatias pecas : na rna do Fj-
go n. 9. Na mesma casa ha escravos para Ven-
der-se. *.
Vende-se urna escrava
mi Bella n. 4o.
vinda d.i mato : na
Feij
o
Veade-se feijo mnlatioho por '& a sacca, ama-
relio, branco, preto e rajado por U : na ra do
CoCorniz n. 12 A.______________________
Novo rap
loja da Amera na raa larga do Kasa-
rioQ. -8 de Maecel Jos L^pS
k Irmo.
lieceberam rap grosso a imitarjo do fraoc^z
da fabriea de Meron C, do qaal se vende bara-
to, assim romo de ooiras moitas qualidades.
Vende-se sevada maito nova a 3J a arroba
ra Direita n. 30.
na
AUencao.
6
Vende-se um terreno sito na ra do Destino com
42 palmos do frente e cora 11) de fund, no prin-
cipio di rna no entrar pelo lado do Hospicio; a
tratar di ra do Cabula loU da esquaa com i.
C. de Lona Freir. (
Dois para earroea.
Hi para vender bouitos e possantes bois mansos
para cerroca : no sitio da ma do Mondego D. 2
Vende-se um preto de 35 aonos, boa condue-
la, malulo muito ladino, carreiro e tambera en-
t-i.ie deservidos do mar e de sitios : na ra do
F.'PQ n. 9. ____________
Btap Paulo Cordelro e viajado
A loja de mindezas a roa do Queim^d.* n. 16
recebea nova remessa do rap Paulo Cordeiro e
Viajado, e continua a receber orto os vaporespos,
"^TfVEftS
DE
N. S. do Carroo e SanfAiina,
Est3o a venda as novenas de N. S. do Car-
mo eda Senhora Sant'Anna; na ra do Impe-
rador n. 15 defronte de S. Francisco.
Vende-se
?a roa
Vcnde-se na roa Nova o. 25, pharmacia franceza de
. C MlURERCa C.
Colleglo da Cooceleio.
Era conseqnencia de se ter exonerado do pro-
fessorado primario aVste eollegio o Sr. Aareliano
de Pinho Borges, acha se boje encarregado de to-
do o en.-ino dos doos graos o Sr. major Sil'ador
Henrlqae de Aibuquei^qa*-
Com a escena desi9 senhor, ja bastante coohe-
cido do publico desti ldade e de outras provio-
cias, como professor pralico, roethndlco e pacifico,
e por seos escriplos adaptados a' iostruecSo dos
meninos ; o director julga ter feilo una digna e
aceruda substituicio, que girante snfficlenlemeote
'aos Sr. o*U de familia o en eosfao e Iratameoto
de seas Cirios.
travs de quaildde d- mais de 30 palmos
larga do Rosar.u n. 34, i andar.
Ps de coqueiros
500 rs., sea compn fr mus de 100 farse-ha
ora batimento
45-Rua Dlrei<<-45 ___
Loja da couscieneia
Roa das Cruze* n 90.
Neste estabelecimeoict encontraro os fregueses
nm completo sortimento de aviamentos proprlos
para calcado per procos moito corrmoos, bem
eomo nm variado e scolhido sortirrento de calca-
do para humeo como sejam :
Borzegalns francezes de lastre fin hornera a
rpw.
Ditos ditos de bezerro para dito a G JOO.
Elsticos de seda para bjrzeguios a vara por
forreas francezas c^ipeadas para horneo a 4j.
COIROS
Ythldi, de tarlaiBga e oalros de iLetal
A aguia branca : ra do Qeimado n. -8
acaba de receber algumas smosiras depen-
tes de tartaruga para senhoras, todos de no-
vo? moldes e bons gostos, sibresabiodo en-
tre ellus alguns cujas novidades em mol-
des, e perfeic3o de obra os tornam recom-
mendados para quem apre:ia o bom ; assim
como recebeu igualmente oulros mui forni-
dos e l em feitos para dse i baracar e outros
cons eixo para debrar e proprospara barba.
Tambera recebeu apiros de metal praiea-
dos e dourados, que de tal molde s5o os pri-
meiros que apixjjecein osquaes com o semi-
crculo que fazem sobre o coque torf_am-os
mu bonitos.
arapucs brauen
Vieram muito boas, epor isso vendem-se
a i #200 e 20 na loja da aguia branca : ra
do Queimado n. 6.
ljibaditihos crespos
O novo sortimento que acaba de ebegar
continua a ser vendido como dantes, 205O
e 3 a peca e sempre na roa do Queimado
loja da aguia branca n. 8.
Peales eafeitados para meninas
Vendem-se na loja da aguia branca: ra
do Queimado n. 8.
Bullas de ail
Vendem-se na loja da aguia branca : ra
do Queimado n. 8.
Bonitos porl-relogios
Vendem-se na loja da aguia branca : ra
do Queiaudo n. 8.
rara mesas
Galhetciras para azeite e vinagre.
Saleira de vidro e paliteiros de porce-
lana.
Veodem-se na loja da aguia branca: ra
do Queimado n. 8.
Luvas de pellica preta.
Cbegarain para a loja da Aguia Branca ;' a roa
do rjoeimado n. 8.
(tainos de flores para coqaes
A aguia brauca acaba de receber um nico
cart5o com ramos de flores para coques.
A perfeico e delicadeza dessas flores tem
satisfeilo a todos que as tem visto e com-
prado a 5(S cada ramoisso na ra do Q?,ei-
mado, loja da aguia branca n 8
Faca favor de 1er
para saber o que de novo ebegou na Agai*
branca a rna do Queimado n. 8.
Trancas pret-s de vidrinhos com pingen-
tes, e sem elies.
Botoes pretos o de cores, enfeitados com
vidrilbos tendo-com pingantes e sem ees.
Alamares pretos para basquines.
Novas o bonitas guarnices pretas para
ditas e vestidos.
Coques de bonitos moldes.
Ditos de sndalo e seda.
Ditos pretos para luto.
Enfeiles de flores obra de bom gosto.
Pentes de tartaruga obras^odernas, e
apurado gosto.
Pentes dourados e prateados, moldes no-
vos e bonitos. >-/
Bonitos e modernos gales de seda, de
cores para vestidos.
Bicos de seda e guipure.
Leques, todo de madeperola e sndalo.
Ditos de faia, os quaes fazem quatro
vistas.
. Ditos tojos de sndalo, e sndalo e eda
para meninas.
Bonitas cestinbas bordadas a froco para
meninas.
Escovas de cabo de marm, e madn pe-
rola para denles.
Aboloaduras bonitas para i Vetes.
Brincos de crreme de borracha, voHa t
pulseiras de dito.
Aderecos pretos para luto.
E muilos oulros objectos que sero pre-
sentes ao comprador que se dirigir a tlila
loja d'Agoa branca a ra do Queimado n. 8.
Agora sim
Acabam-se as moscas.
Porque a aguia branca acaba de receber
poroso de papel mala mosca e continua
a vndelo como d'antes a 40 rs. a fola,
comparegau pois os pretendentes e serio
servidos na loja d'Agua branca ra do
Queimado n. 8.
Nova remessa
De correles de boracha.
A agoia branca a ra do Que. recebeu nova remessa das desejadas coi ren-
tes pretaz de borracha, e continua a vnde-
las como d'antes a 35 a vara.
rritacao dospulmSer. angi-
nas, tosse, escarros de
sangue, crupo ou garro-
tilho, catarro, rouquidao
e todas as innumeravei molestias que affeo
lao aos orgos da respirado
DESAPPARECEH
ediante a accSo da balsmica e irrev
ANACAHUITA

Ferreira & Halbeus, na rua^da Cadeia do Re-
cife n. 62, vendem :
Cooros de vitelH, decavallo, de vaeca* de boi e
sola en?ernisada, proprias para calcada, coberta
de carros etc., ele. _________
Fogos.
de artificio da fabrica da estrada de Joo de B
ros da viuva Rufino, aproorietari# dr.-ta muito
conceltnada fabrica avisa ao respeitavel publico
qne em sea estabelecimento existe POi completo
sertimento de fogos para 8. Joo e S. pfff ? ^e
oulros artigo coDcernents a essa arle, as pessoas
poi qae quizerem comprar destes objeetas pcdin
doitar saas eneommendas no armazem ^la bola
amarella noollio da secretaria d polica onde
q^r.ri un portador qae os vai bascarcpm a maior
presteza possivel.
Vende-se a casa terrea a roa do Pilar n.
117 : os pretendentes podem tratar na mesma raa
casa HQ.
Fariaba de mandioca superiar.-^
A tratar com Tasso Irrnao, ou no trapiche Ba-
rao do Livramento no Forte do Mallos.
PEITORAL de KEMP.
aianacabuita mexicana que d o nome es-
pecial este incomparavel remedio, urna
arvore, coja madeira por muito temp se
ba usado no Tampico para a cura das en-
fermidades cima mencionadas. Foi tam-
bem ensaiada e approvada pela academia
media de Berlim O peiloral de Keinp
am xarope delicioso inteiramente liyre de
opio, acido hydrocyanico e outros ingre-
dientes nonvos.
Agua mineral
Jtrrnqiawt, jcWnJiaa, gizoza e carbotici-'
OHK//1.
O aso d'agua de Orezza mui particularmente
reeommendado pela escola de medicina de Pars,
para todas as affeccOes do tubo digestivo, ingorgita-
nento da* viceras abdomines, e geralmente todas
is molestias provenientes de fraqoeza orgnica, en
pobreza de sangue.
DKP0S1T0 K8PSCUL
|J4Roa larga de Rosario34
Pharmacia de Bartholonaen ti C

J


mm

hurlo de ernambueo ... sexta felra 19 de rfulho de 1867.
Ijii 111 VIV I; II 1/1 A A lili Kllll \\\ 1 |1 1 11; 11 '1 Lf" 1 ai al 11 t 1
RIJA SO BRl'll N. 38
0 proprietario deste eslabelecimeotodeseja chamar a attencSo dos senberes pr-
prioianos para os acreditados mechanismos que contina a fornecer ; os quaes garante
ser comosetopa'. Ja aelfaor.qiialidade po*ivel:
Machinas de vapor ;
torca de um cavallo para cima. As'menores slomui proprias para motores de desearo-|
.jamentDS de al >dao ; ellas viajam armadas e podem trabalhar dentro de 2i horas, depois
de caegarem no lagar. Elias le?am tudo qaanto preciso para o iraballio, e difersww>-;
brecellentes. As machinas miiores sao proprias para a moagem de canna, e ha deltas (
que podeafianta e separadamente moer canna e de>earocar. Ellas podem-se applicar a
qnalquer moenda j existente sem oatra mudaoca do que a substituido das rodas da alman-
jarra, ha tambemeom moenda juata. Ellas tem depsitos d'aga* e boetros de ferro, e (
oSo precisam para seu ssentaawnto de obra alguma, qur de cirapha, qur de alveoaria.
O tempo para assenta-las nSa excede de doze dias ao mais, e em casos de mortes de ani-
ones ou arrombamentos de acudes, etc., garante-se o assentament) eoroito dias. Todos
estes vapores sao simplissiaos na construeco, e se regem por qmlquer pessoa inteligente,
a factlidaje da conducho seodo especialmente considerada, tanto quenSbba logar em?ue
nS* se possam condueir, qur Lembra se aos senhores de eogenho que a venda des animos e o serv? da
ente oceupado o>seu trataoaeoto os h5o de recuperar da maior parte da despeza do
"vapor, deixaado-lhas a vantagem de ama moigeaijserta e aecelerada ; e acabando eom a
despeza da compra continuada de notos animaos, e com os desgostos do trabalno que e
tem com e'les.
Ser talvez desnecessario lembrar ao> compradores de vapores a vantagem que ibes
resulta de comprarem suas machinas garantidas em ama fabrica, tendo artistas compe-
tentes para assentar as mesmas e ensioar a maneira de trabalhar com ellas, e j prepa-
radas para arremediar qual juer desarraojo ; facilidades estas qae jamis podem encon-
trar comprando as aos simples negociantes, os quaes por falta de conhecimento1 na ma-
teria nem se qur podem garanli-los de que as maehinas que vendem'Sejam riroprias-oo
suficientes para o trbalho em que se queira emprega-las, e no caso de desastre nao-po-
dem prestar-Ihes soccorro algnm; sendo que anda quaodo ventara as fabricas para con-'
certar as machinas-alheias, torna-se-ha preciso fazer repentinamente moldes novos, etc.
para as pecas estragadas. J numerosas vezes estes vendedores tem representado seos
vapores como sendo de'frca mui superior saa actual e verdaderra forc*; equivoco
este que nao s engaa ao comprador acerca do trbalho que possa tirar do vapor, mas
tambem da lugar ao pagamentede um preco excessivo, vista da torca real da machn*
que compra.
Tambem ha sempre prompto rodas d'aga de ferro, sarrlhos com cruzetas para as
mesmas moendas de canna de todo o tamanho, rodas de ?spora e angmVes, paroesou
.ioch.es para receber o caldo, crivos e portas de fornalha, taixas de ferro batido, foodio e
de cobre, formas de ferro galvanisadas para porgar assncar; bomba- simples e de rtpu-
cho, alambiques de ferr; eixoserodas de carro, arados, grades, encbadas acavalto e-eu-
tros instrumentos de airricuitBra, molnhos e tornos para fazer farmhae hn^hiietite todd o
objeeto de mechanismo de que se costuma precisar.
Na fabrica se fazem obras novas encommenda e concertos, com1 mator presteza
e s- lidez. O grande deposito de pecas e objectos habflitam-aa muito para esti fim.
O proprietario ser sempre mui feliz de poder dar inforraacoes ou esctarecmwito
aos senhores que se servirem de seu prestimo.
D. W. Bowman, eogenhert'."
TRATAMENTO do d- CHABLE, d PARS
Medico especial, consultacoe*, 36, ra Vlvlenne
AVISO AOS DOENTES. M S!^ *
Whiii
rada, toast Ca-
beta, Copaafte
se* Mu M
fbnauea eeda-
te, talas,
caaMtaa, taaao
oestoaajo eer-
diilu ft ulo estoj curado? Usei e abusei dum grande numero de UMK(1MI| eos areaaaleai
curar em dias, e eslou anda mais docntes.

HA MAIS O A Y VOS
u euro radicalmente ssm manidas. CorrimcMos, Retaaaco do canal, Calarrho i laaffa,
eriai seminad, curando primara a causa virulenta inflammatoria d'essa
_ i'essas doeaeas saxaaes,
_.ums vidros do meu depurativo do j.\gi. para-parar essas affec^aes, aacear o
canal e Ihe tornar a dar sua regldci dou para aeabar meu exeeleate xilon ao citkat* di
Faaa et miuba injecca0. A cura radical, as sbnhoke* para os Ouaos branco, sefuom
o njesmo tratamento. [Veja-se a noticia eijri^caliva.)
40.000 DOENTES CURADOS
Terdaderro tratamento depuratiTo do sangae. ^-1 krpe$ asai m*ttraiu, mvfttt,
prurito; wim, chagat e affeceoet wnertas, humores, e todas asdoencas (rae altante panas
do sangae ato curadas em poaco lempa por meo XABora DircaATivo so sancub maas
bamius uisL'nAfc, mlBDas'n.tA aarcatibas ttiatu faaaaaaa ajfv
Veja-m a aaweira de- aiassaav A sMMa ane se da ims aepeaHa as
BMataa. Eaaa eieelenU tnlaaeta ata maesa mercarW, saa snaarisflaada a bata
oia ha aaaa aa casa ae pasas coaw a sartseasar tanlaa stleaUtocs da asna.
' As PmrU. asasiiftapaw do ioulor CkoW 1 por eorrttpond**c*U-
Vaporas.
ri b Biiifira?fi'T **?
S
DE
AZEYEDO FLORN
RA DA GADEIA N. 47
Madapolo do baldo, i
Superior madapolSo camiseiro que val 8^ a 6$.
Dito que val 70 a 50.
Chitas do balo
Bonitas chitas cores flxas e panno fino a 3oo e 32o r?. o cubado.
Baldes de canda.
Os mais modernos oales de arquinhos finos, que por isto se tornam recommen-
iaveis ao bello sexo.
- reioulas. e camisas.
Ceroulas de bramante francezas a 106oo.
Camisas de preg largas que valem 30 a 20
As metas inglezas do baldo.
Superiores meias cruas para hornera que valm 90 a 70. ^
Rou a feia do baldo.
Sortimento de calcas, paletos, coetes de brim, paano Snc de casemira, tudo por
preco commodo. _
O BALlO
en le muitos outros objectos e por insigntficantissimos pecros.
INJEGTION BROU
;ji prinoipte boUe aaaa: (KiH a asasuM >>- tas i
a ii'oiti isas, kasasraid afsaSa. Ht.
Vende-se na Botica^Eranceaa roa Nova n. 25.
i aaiT*. Veoe-M
l sc, aai aasa
Na ra do Trapich n 16.
aeham-se os seauintes dewsos j
De R. B-oaiaghanse Nni4s-
Boorgogoe.
Viajo Pommarfl tinto.
Cortn timo.
> Sanio GeorgesHnto.*
> Ciaaibertin tinto.
> RlcheuonrgriBto.
Clos da Vougflottino.
, Chablls braneo.
Oe I A. Wef e f ruetot:
Rhooo.
nheimer.
L ranmilch.
Karcubruoncr.
' __Em casa de Tnuod Christiansen, roa do Tria
-noven. 16,nnico ag*noORrAr.Bra3!i
indeobarg freas, Botetux, eoeflSWI-se t:
fec:ivamentedeposito di)S-artgo9efaltesa
Si. Jalin.
t. Pierre.
Lai ise.
CDaleau Loville.
.n^teau Margan-.
id vin Cbatean Lafltte-48M.
LaMe.
awrnes.
atn Saotetaea.
--'ji-.'atrLatanrBTiticn'.'
ateWl Yquru.
- ;aac cm tres qnalldades.
leuetioee. Precos de Bordead.
ra
1?,
M|-
- J'a iuin> Joi Gouealaes Beltrq tem
r o.) .--,u escriptorio, roa do Trapiche
s sgoiDt geoerc* :
ha de mandioca era .aecs, goal a de
ribeea.
Cxhs com v,na>do Pnrto.de oma.dozi.
Vioho rio s de > e 10
Panno de :\4.la \ Baha prfprio para isaocos de- vutrET.
abocar iLiiu do Br-
coaimeu
Fio de algao da mema fabrica.
Cigarr s 4o' Ro de Jaaetm
rande aimazem de tin-|
tas^medicametos etc.
Ra do Icipef-aJof d, 22.
Productos chimicos e pharma- j
ceuticos os mais embregados em 1
ledicina.
Tintas para todo o genero de"pin-
'tnra e para tinturara.
Productos industriaes e tintas
para fletes, como, botoes de flers
e modelas em gesso. para imitar
fructas e passaros com o compe^
tent desenho.
j Productos chimicos e indasiriaes
^para photefrapbi, tiniararia, pin-
tura, pirotecnia etc.
Montado em grande escala e sup-
pride directamanle de Pars, Lon-
dres, Hamborgo, Anvers a Lisboa
_ pode offerecer productos de plena
Sconfianfa e satisfaz^r qoalquer en-
commenda a grosso trato e a reta-
; Iho e por preco commodo.
Xarope de salsa parrilha do Para
0L"
DWURAIVO DO 6-U6U8 l!aAD0- AS JWI.KST1AS DK
PELLK, lVPI.XGeXS, DORES I.HElATieA* E ULCBIlAS
Deposito
Pharmacia do Piolo ra larga do Resaeio iiu-'
m3ro itr.
mt'
FREPARACOES FERREAS-IABGASICAs
APPROVADAS PELA ACAPBMIA DB MBDICIRA
DE BRIN DU BTSSON
namutaaca, laallaas ftli acaats as Isaten at Paru

O eminente professor Trousseau, aa nltima edico de sen 'Tratado di Tkn-
peutiea a Materia medica, jecoDhcce qae os ferruginosos simples so muras
veces neffica-7.es para curar as molestias que teem por causa o empabreeimeoto
do sangue. Muitos mdicos doa mais distinctos attribuem esse m o xito k tmscflcia,
n'essas preparacSes, do mangar ese, que se sena do sangae, como o tem recoufeccido
s chimicos os mais peritos, sempre intimamente unido com o ferro.
E' pois, presUr-se um verdadeiro sen ico aos Sr" Mdicos, o chamar-se saa attcncSs
sobre as preparacSes seguintes.
APPOc mntiancAS dando immediatamente orna agaa, acidulada,
ICHCUo UldUgUUILUO gazoia, sgradavel, subslktwjdo com vaatagets
o econamia as aguas mineraes ferruginosas.

Plalas e Xarope de iedareto c ferro e^nai^KM wuHerave
eontead eada-ama cinca-eeaalgramosdeioduretodeferromamjameoindioadM
Veade-seem casa de Sanaders BrotUars & C,
do largo do Corpo Santo n. 11, vapora patentes
com todos os pertences proprlos pra faxer mover
tres oa quatro maenmas para descarogar algodao.
les agricaltord
Saarteri Brotherg & G. actbam da receber d
Liverpool vapers de forga de 3 a i caaallos com
todos os pertncer,o mu proprios para-faier mo-
ver macbiaas de dascarocar algodSo, podendo cada
vapor trabaMiar ate com UO serras, tambes ser-
vetn para enfardar algodao oa para- outr qaaJtjaer
ervlco em qae asara-trabalhar cora animaos. Os
mesmos tambem tem a venda machinas america-
nas de 35 a 16 serras : o pretenderles dirljam-
se o -largo do Corpo Santo n. 11. ____
Verdadeiros
Collares Royer
Electro Magnelteos Anodiios
Ou Collares Anodino, para ftcitlar a den-
ti(?3o das criancas contra as convals5es
RIVAL SOI SEGINDO
Roa do QOetmdo n. 49, loja
anndezaa
DE
Jos Bigoatnno
das mesmas, a estes collares nos escozado t Carriteis de reteoifde todas as cores a 80 rs.
Francisco Jos liermaim-
IRUA NOVA N. 21,
.acaba de' rebeber nmndo a-magnifleo *
tinento de- oculos, luneto, binoeelos, do al
timo mais apurado gosto da Europa e oco
los de alcance para observacbes e para a
miritimos.
(ra a clilofsfs,- alifc-
ia, a lencorrleit, a ame-
oorrhea. A iudicacio de
parcalarmeate aas molestias Tympbaticas, escrofulosas, e oae.ohzmailaa a:
(rosaste tuberculosas.
V hraees dehetatodefem ^demanjaBcse '
4o Pilaas decarlrflmjtkm unginico
alternar estas dou preparacSes d os melborcs resaltado*.
0 9 amia da Buisson desejando obtrr a adbeso compku da publico, medea a
cerca do valor de suas preparacSes, previne qae elle as pSe gratuitamente t. saa
dispoaioao, dirigendo-se;
^ Ha Pernambuco, a sen agente geral, Moatror O, pharmaeeuiicos, na Nc r..
.tiuim:w*

Frascos d'agaa de Colonia maito aperior a 500 rs.
Frascos de 0 eo muile floo a 500 rs.
Baralbos franceies moito finos a 160 rs.
Pefias de tranca branca de Caracol a 00 rs.
Dutla de tesowas vqoanas-a 480 rs.
Frasco.- d'agaa para liropar dentes a SCO rs.
Caixas com colxeles francezes a 40 rs.
Re* pretas usas para Segttnreib0ttO a 3if rs.
Dazias de peonas de ayrmntwHua? rflOr?.
Caixas de linha do gaz da 30 novillos a 600 rs.
dem da palitos de seguraije* a 10 rs.
Lencos de assa cora barra 100 rs.
Duzia de facas e garfos de cabo, preto a 31600.
Garrafs de agua Florida vtrdideira UOliO.
Babador do Porto de todas as largaras e lodos "
precos.
Sylabarlos eom estampas para meninos a 320 j
Memento da ronpa de lavar a 100 rs.
Dozias de meias maito finas para senhora a 4 00
Agulhas francezas a balo (papel) a 60 rs.
Pares de sapatos de tranca e tapete a 15500.
Pecas de fitas de la de todas as cores a "10 ;
Grozas de bot5es de porcelana prateados a 160j
Vende-se na pharmicia de'P. Maarer & C, roa Nova.
Talleres para meninos a 240 rs.
Masso com superiores grampos a T.O rs.
Grosas de peonas de a$o maito finas a 320 rs.
Bonets para meninos a"l.
Pea-tes com costa de metal a 400 rs. .
Realejos para meninos a 180 re.
VERDAREIRO LE R6T
ie ie,TET, ioctur-MMecln
Ru de Seine, SI, A. PARS.
A' LOJft DE FAZEHOAS DE AUSJ3T0 PORTO C,
11Rita de* Qaeiniado 11
Angosto Porto <& C. aca'.am de receber da Euro?i superiores cortes de seta de ceres para
bailes e casamentos.
Ricos cortes de blond c*m manta e capelia para noivas.
Cortinados bordados para camis de nMva Colxas de seda e oatras de I5i e seda o Toalbinhas de croch para cadeiras'e sof*,' epartiln a sultdna para senhoras, camisinhas
com manguitos bordados e lindos eachovaes para baptzalos, e baldas de raassolina e de arcos para
senhoras e meninas.
Lavas de pellica para hornera e senhoras e superiores cnapis de sil d todas as qualidades.
Laa para vestidos baratsima benitos pairo-;.' > covado a 280.
Tapetes Rrande* pira sof, ditos p%ra pi\ \\ diti para cama e peimais para portas e janella?.
Moir brinco e'preto sitferrw para v3>dji .1^ lilos dManhoi, grosimaple da t)das as cores
seda de qaadrinbos. cambralas brancas de muitis qa^iiiles, ditas de ord3 e lilas percales.
Basqnines de sda preta-altlmi mil*, eniies rtOaiis d4 nuiouri. vanse barato.
Camisas para himens francezas e'ingle:' di linh-j e da alg)daj litts e seroulis de liaho su
periores.
Capas de borracha, sobretodos e perneiras as melhores e mais elegantes.
Malas grandes para vJagens, dita- oaqueo-.s asaceos de rpete e couro.
Bramante branco de 4 larguras a JSOO'a" vara, pnaos pretos e azaes, cisemiras preras e de
cores tudo bom e barato. I
Neste eslabelecimenlo ha sempre um completo sortioiento de boas fuendas tanto para a praga
como para o centro da provincia e superiores objectos proprios para casamentos como sejam capellas,
mantas, vestidos.de blondo e de raoire branco, cortinidos, colchas, veadendo-sa ludo mais barato e
tambem as melbores
Esteiras e alcatifas para forrar salas.
11- llin do Qtielmado11
O ARMAZEM DE MOLHADOS
INTITULADO
fazer qaalqoer recommendaoJo visto a
grande otHidade qae tem produzido quelles
pas qna os tem applicdo em taes circom-
stancias pois nos parece qoe nO hver nm1
s paV ot mWJqrje ;pan>-96a'ieioo2 qiwi-
ra por trao a tae sonmantos de seas
^lhinhos visto ser um mal qae tanto os
flagella, pois a ete3 collares acotapanba um
folheto que ensrna como se deve applicar, e
vende-se na loja do Gallo Vigilante, roa
do Crespo n. 7, pelo preco de 40OOO, H
e 6g000._________________
Loja do Gallo Yigilaate
DE
Gnimiraes& Freilas
RA DO CRESPO N. 7.
Os donos deste bem conhecido estabeleci-
ment, tem a honra de avisar ao respeitavel Caixas com aifineites irancezes a 80 rs-
public, e com especialidades aos sens ^'^^V^^S^XlS^
morosos fregnezes, que acabam ie receber t trrasc0 com supeiior trata a iOO rs.
um completo sortimento de objectos de mni-1 Grosas de pbosphoros de gaz a 2000
to gosto e de completa novidade neste mer- Pares de botoes de pnnho mallo bonitos 80
cado e que os tendo recebido mto^.<*:^J?^.W^*M novello(
podero vender por menos que outro -qual- ( 700 rs.
quer.
Requissimos leques de madreperola
branca.
Requissimos leques de madreperola preta.
Lindos leques de sndalos para senhona.
Ditos de sndalos para meninas.
Leques de fsias muito liados.
Ditos de ossos.
Lindos port-booquetcom cabo de madre-
perola proprios para casamentos e bailes.
Lindos cintos para senhoras com ellas
e fiveUas de differentes qualidades e gosto.
Reqoissimos eafeites com coques e sem
elle.
Luvas dejonvin. inteiramente nova?, bran-
cas, pretas e de cores.
Lavas de seda, fio da escocia, algodao e de
outras qualidades para senhora e homem.
Lindas trancas pretas e de cores om ve-
drilho e sem elle, assim como lindissimas
guarnc5es para enfeilar basquines e botoes
para os mesmos.
Lindas touquinhas e sapatinhos ricamen-
te enleitados proprios para baptizados.
Meias de seda para o mesmo fim.
Bengallinha para meni .os.
Linios pentes de tartaruga, massa e outras
muitas qualidades.
Muito boas escobas para de.otes, chapeos-
roupa, cabellos, unhas e para limpar pentes.
Superior linhas para crochet.
Agualhas para o mesmo fim.
Lindos agulheiros e dedar de madrepero-
la emarfim, assim coaw de metal.
Lindas guarnices de botoes, para colets,
panhos e colerinhos.
Ricas capellas para noivas.
Meias de seda para senhoras.
Superior thesouras para unhas, costura,
cortar cabello, etc., etc.
Finas oavalhas cabo de tartaruga, marfim
e outras qudidades.
Suspensorios de seda para bomem. .
Ditos de algodao para homem e meninos.
Requissimas caixas com msica contendo
o necessario para costara, proprias para um
, delicado presente..
t Requissimos livrinbos para missa.
Lindos indispensaveis para meninas das
escolas.
Tinos aderecos pretos para luto.
Grande sortimento de finas perfumaras
dos melhores fabricantes al boje conhe-
cidos.
E.muitos outros objectos que impossivel
seria meneiona-los e que se encontrarlo na
loja do Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Km cad.i garrafa, ral, mire i nffltf n pi.-l j/',il
quf l.-va o aitu t.H*l<, um rotula Imumin .;<< iaia-
rUo com o Sei.lu I n1 kial do Oavfukftti m\>c: z.
flf f. ni.l-
. Irli.l ..!" .-l-ttr
4r SMI Ii ., r., ..
brcCari<.]iria>'l
BU :': -: ruj
li 1I0I .1..
DOCTEIlfHHOcCIN
T pHARMACIEN
Situado as Cinco Pontase. 86.
Toma a subida honra de chamar a attenco dos amantes da economa para o seu
bello sortimento de novos e apetitosos gneros.
As Duas Americas muito se apraz em reciber cm qoalquer de seas pontos o
Viado Branco, fazendo-lhe as devidas corteztas em prosa e verso e envidando todos os
esforcos para congratular-se com elle o melhor possivel, desejando-lhe sempre rpida e
brilhante carreira.
Alerta grita o Baliza 1
Quem que junto a mim pisa ?
Res; onde as Duas Americas Eis-rae aqui lindo Veado,
Cora carcter puro e franco: Gomo sempre em boa liga,
Sou eu que venho audar Saudando-te como ordeno
Ao lindo Veado Branco. A lealdade de amigo.
As mas Auicrlc.is aproveila a occasiSo ,a a avilar aos asas Jimayia fre-
guezes que o seu grande ar;na/.ein aciia-se prvido de tun helio sortimetito de esygcia-
rias proprias para asTfesteS de S.it-j Antoio, S. Joo e S. Pedro. Uc.n caan mautiga
ingleza efraiceza, amer>d.oas, surtes eotums rauitus gneros.
As Duas Americas peJe que Ihe pou,.-e" o desgobtu do seu chefe mandar por
bandeird a uiew pao com o pedido de =fiado 11=
DEPftSIfO GERL
do assucar crys (alisado da fabrica a vapor da
povoaco do Monteiro
-^ o. 26 Caes 22 de Ka?embr n. 26
O noro proprietario deste grande estabelecimento convida ao respeitavel publico,
que se acha de novo lunecionando fabrica do Monteiro, e que no estabelecimento cima
encontrarlo sempre um sortimento de assacar crystalisado em pans e ralado que se ven-
der nao s a varejo (isto de meia arroba para cima) como por atacado para fra da
provincia.
J
j)
FAB IClSTf DE KNWIT03 DE ItHEJ*
Ba do Imperador JV. 23,
Defronte de S. Francisco, le andair.
Acaba de receber de Pars um rico sortimento de "ornamentos e objectos de
bronzQ, prateados e doufados, proprios., de igrejas e capellas, taes que : canaelabros,
casticaes, custodias, turbulos, lampadas e cruzes de diversos gostos e tamanhos. Os
precos desses gneros s5o commodos, e devem ser aproveitados.
CALLOS
PomadaGalopeanpara a extraccao e cara r-
pida e completa dos; callos duros,sem a menor dor,
vende se na
Pharmacia e drogara
DE
Bartholonaeu Campanilla.
34 -BA LARGADO ROSARIO34
nico deposito.
Collares Royer magnticos
Jledalhas epolseiras magoeticas.
A Aguia Braaca recebeu nova remessa dos pro-
veltosos collares Royer magnticos, ja sommaraen-
te conhecldos para preservar as convolsoes e faci-
litar a denticao das crianca?.
Com esses alis collares elctricos magnticos
tambem nao pequeas qaanlidades de medalbas-
e palseiras elctricas magnticas caja utilidada,,
tem sido aproveitada por quem soflre do nervoso
hypocondico. tremores as mos etc.
Assim como os collares Roye^esto geralmenle
conhecidos e acreditadas pelos efflcazes effeitos e
bons resultados que tem colbido as pessoas qae
delles tem usado ; assim tambem chegaram a ga-
nbar to alta repntacio essas apreciaveis medalhas
e pnlseiras magnticas, ama vez qne o aso dallas
for se estendendo a ledos qae deltas uecessitem- A
Agula Branca con Jada a receber por todos os va-
pores francezes urna determinada qantidade des-
ses sempre precisos e estimados collares Royer
magnticos e por isso Oque na lembranca de todos
qae os acbaro constantemente em dita loja da
Aguia Branca, ra do Qaeimado n. 8.
" Xarope e- pasta de Seiva
DO-
Plahclro mar Uta o
DR-
E. Lagass-
PreparagSes mu precoaieada*.pelos sabios mdi-
cos de Pars, com a* melbi ata^ boje discobettas
Eara a cora cerned todas ae-moieptias dopeito,
ronchHes agudos e ebrooieos, astbma e anda das
affeccesdas viae annanae.,
DWOSnO BSPBiaAL
31Rm larga do Rwtrfo31
iMiarnaac4a.d< Barttiolomca ft c.
Batatas, a 6Q0 rs. ogi^o
em libras a 49 rs., aaeUcitas novas a,.800 rs. a an-
coreta : a', roa djn Grjlift* arma, m d* porta
largis 41-A. ~ _____^
Deposito na pbarmacia de P. Maurer 9
C. em Pernambuco.
XA KPE l)1PU mT1 VO~
HE CASCA RE LA1IANJAS AMARGAS
COM IODURETO DE POTASSIO
DE
ti P. sLaroze.
pharmacmllcoi-m Paris
O ioduretodepotassio um verdadeiro al-
terante, um depurador de inconlestavel efi-
cacia; combinado com o xarope de casca de
laranjas ;margas, aturado sem pertubafo
alguma pelos temperamentos os mais fracos,
sem alterar as funches do estomago. As do-
se- matbmaticas que elle contem permittem
aos mediros de receital-o para todas as ct m-
pleicoes, as affecces escrofulosas, tubercu-
losas, cancerosas e nos accidentes intermit-
ientes e terceiros; alm d'isso, o agente o
mais poderoso contra as doen^as rheomaticas.
Deposito em todas as pharmacias e casas de
drogaras no Brasil.'
Expedirles, em casa de J. P. Laroze, rae
des Lions-St-Paul, 2, Paris.
A' venda na pharmacia de P. Maurer 4.
C.a, ra Nova n. 25.
Hotondas
Vendem-se rotondas de fil : na ra do Livr
ment o.-26, a jjJQjjg.
Paris, 36, Ra Vivienne. D*
CHABLE MDECINSPCIAL
DAS ENFERMIDADAS DES SEXUAES, AS AFFKC-
gOES CtrTANEAS. E ALTEBACOES DO SANGUE.
~ 30,000 curas dis impingeni,
pstulas, herpes, sarna,
comixoa, acrimonia, e al-
lercoes, viciosas do sangue;
virus, e alterares do san-
gue. (Xarope vegetal sem mercurio). Depurativas
Tcgetaea BANIIO JMINEHAES tomao-e dous
por semana, seguindo o tractament Oejjurativo .- i
em pregado as mesmas molestias.
Este XaropsCitractodeferro
de CHABLE, cura immedia-
tamenle qualquerfmrgaeao,
relaxacao, e deoiUaade,
igualmente os /lusos e flor
brancas das aminores. Esta njeccao benigna ent*
prega-se eom o Xarope de Citracto di Ferro.
ueaisrroidu. Pomada qna as cura aa tres das.
POMADA ANTIHERPETICA
Caatra: aaa affeccoes cutneas conucos*.
PILULAS VEGETAES DEPURATIVAS
Aoav CauAhia, cada frasea vai acceapahado de aa

V

DEPURATIF
du SAIVG
PLUS DE
COPAHU
Sirop du
DrPORGET
-i
in ^ ij. .i..
Ifilllll im
rbombo de munico a.14} o qainW : o*, ra Ico,
oal n. 247.
AVISO AOS SRS. WEDIC08.
Cor cfrrhoi, piste
coqueluches, irriSP&u
mneu dos-lpni-
chioi i lodos os dostifoi
do peiiojbatU ao doentt
um calhe rchdea duto arepa D Fosget.
Dr. mmj- Par, rurn Vlvleaae, BS.
A venda na pbaxmact da Pi Ifcurer o
e C.,,em Pernambuco. m
m GAZ GAZ ~
Cbesjoo ao aaUgo deposito de Heary Forster di
J., ra do Imperador, um caxregajmento de gai de
primeira qnalldade.o qual se vende em partidas e
reulbo por meaos pre^o do tjne eat ootr* qna \
iiw-parte,_________________________
Attenco,
Veode-seoma casa de taipa na fregueiia do
Barro, um sitio e commodos grandes : a tratar na
ra Angosta n. 9.


.
i


mivtla de rciaamlmco la flra. xt de a albo de {$67.
ni-
i
I
i i
H
II
m

. 4



V
PH4R!H4GI\
DE
RANDE SORTTMENTO
DE
FAZEYDA* BARATAS
NA
LOJA e armazem
DO
as.
Vapores de forca de 3 a 4 cavallos.
Serras avulsas para machinas.
Manc5ese todos osmais pertences para as
mesmas.
Joaquim de Almeida tinto
A jurubeba contra o ingorgi-
lamento do figado e do bago,
Em extracto alcoulJco. emplas-
tro, oleo, Untura, pllulas,
xarope e vinho
A jnrubeba orna das substancias medi-
camentosas que pertencem, ao reioo yege-' Carros de mSo para aterro.
tal, e pertence a cjasse dos. tnicos e desobs- Cylindro para padarias.
truentes, sendo empnegada com vaotagem Debulhadores para milho.
contra as febres otermiteotesacompapbadas' Arados imericanas.
deengo gitamemo de figado .e-de baco. Ella Carrinhos proprios para armazens.
tena sido apphcada cen' incoptestavel pro- Moinhos para refinacao.
veito contra a aqemia. ou colorse e hydro- dem para m-lho.
phesia, caparro da.bejMga, e mesmo para Escadas de madeira americanas."
combater. a meostruaco difficil, resultante '
da niesma anemia ou colorse.
Be psi tos geraes
Em Pernambuco, ra larga do. Rosario
n. 10, Rio de Janeiro, pharmacia; do Sr.
Deurado, Rio Grande 4o Sol, em casa dos
Srs, Caseo Claudino, no Havre, pharmacia de Mr. Ma-
rica], em Lisboa, na pharmacia do Sr. Feij.
.^/it^n^3??6 .T^TS da* t^,lh0T^ cachinas, ameriftnas^ara derrocar
AtLLV^^ l*' 20" 2i' 25' 3' 35' 4 e E ^^elecimentole'
Azeite de espermacete propria para macbi-
Caixas.com vidpo sonidos.
de todas as qualidades.
Bombas de japyz.
dem americanas.
Ferros para engommar. a. vapor.,
Vassouras americanas.
Baldes americanos para compras.
Tinas de madeira.
Ballaios e cesas, de verguiaba.
Guarda cornjda.
Peneiras d'arawe paca pagaras-e refinaeSes*
Correntes para almanjarra.
.Machados, e,fac5es amer.'canps.
Barricas com milho branco americano.
Ra da kperatrlz n. 6k
BE
AMA SILVA.
Os^prietarJostdB^gpaadeestab^eeMnentoacabaiftdereceber da Europa um
grande.soviimaoto .das melhor.es, fezendas de lia, lmbo, algodSo e seda, as quae* vendem
52ECC baral,ss"no8.-fim'*'towm dinheiro, dando a> todas ellas amostras,
SD5 ftcaF. mn Pwhwon mndamelas lew em casa das Eimas. familias pelos eus
H lssimc)mo as pessoag-qoeiegociam em pequea eseala,. neste estabelecimen-
to comprarao, pelos .mesos procos Casemos pReiasofestadas a |.6eo.
Na loja do Paveo vndese superior easemira
entestada preta paja, caifas e paletos pela barato
preso de 1*600 o covado ou a,208OO cada c rte
de calca, dita moito mais Boa, covado a'22U0
on o. corle a/SflSOO, ditas, amito floasisem serem
eo/esidas a.ysOB, 2000 e 2,5300 cada.covado :
na, loja e armazem do Pavo Da ra da Imperalriz
d. 60 de Gama & Silva.
As caserniras do Pava corte a 3#>t0.
Vndem-se bonitos cortes de caserniras de cores'
escoras proprios p^a o fcmpo de'ioveYflo; pelo
arjio preco de 3*500, oo o covado a 24000, sen-
.ras^sc.uras com. mezcla ,d,e seda a 640. rs. q covado,
ou 2t210 o corte de cal?a, serjeto fazen'da tmuito'
'PfO0rii-paf.os'meamos que' trequentaro a cola,
Uto-Da lola.e rairu n. 60, de Gama) S,SJsa.
CelaiUs para,.wi
s na foja do patio.
Vendem-.se.pegas..de,celezja de algodaq, sendo
achamalotada e multo propria para saias oaootra,
qual SodkitlQ rs!aipeca'Cora tfttwaias, oirietalhae
de
rna do t re po n, t A. equina da 4s U^evador
Custodio Jos* Alva.flhjau.ifa*
lendo recebido em direitura pelo vapor ranceZ:^rmJrf>
se
Para eaaiaa de nolvas.
Vende o PavSo.
a Bices^ cortinades bordados a 8*000,105,16*
20* e 25* o par ; assim como os mesmes tambera
servem para jaoelias ditos adamascados a< 10* e
12* ; bonitas petas de cseas adamascadas para o
mesmo effelto; bonitos damascos de la de urna
e duas-largura?, proprios para colchas, assim oo
mo bonitas colchas de croch : tofj isto se vende
mais barno do- qae em antra qnilfroer parte, na
lojt do .Pavo, ra, da topamlrit a. eO^d Gama
4 Silva.
Casia* decralo rs.
PIIJLLAS
Jaropee Ttabo ferroglooao de
jurubeba eena pyropbosphato
de ferro.
1 Colorse, anemia, escrfulas, racaitismo, blenoor-
rhagia, leaconba. febres mlermitenles e ame-
norrba (monstrnaco dolorosa e Irregoart
etc., etc.
Ha moitoque tinbamosem Tlsta assoclar o (erro
M nossas presaraSes deju/ubeba ; mas levamos
lempo a experimentar qual a preparago ferragt-
nosa, que mais convira ao orgausma humano,
vlDdopoffim a decidirnos p?lj pvrophosphato
ae rerro, com o qnaLpodmos prepara r c< nosses
aarope e viono de jurubeba (erruginoo^
Temos a observar, porm, que o uso dos medi-
camentos de jurubeba com o pyruph,i;phat.. i,
ferro nonca pode occasionar a. pbiysita as pf-
soas anda as mals delicada;, como motias vetes
tem a oo'ecido.aKa pessoas robufla?rqoe se ttko
servido do mesmo melicamenlo preparado cum
outras substancias ferruginosas, po. isso que o
pbospboro debalxo da frm de pyrophosphato
um relo prophylti:orconhecidO' inraltlvel" coa
tra esta terrivel affeceo.
As preparagoes de jarubeba, a que bavemos m-
sodado o pyrophosphato de ferro, sao mol provei-
tosas tjo tratameoto das molestias das ?enboras,
taes como a chlorose, anemia etc.
Estas molestias manifestam-se com os syaplo-
mas seguintes :~Descoramento geral da elle e
das membrana"? mucosas, magreza, nrbaco ds
faces e das pernas ; eicitagae nervosa, hystem
mo, melancola, defcilidade rancnlar, idtres ne
vralgicas, pulso mais fraquente do qoe no estado
de sade, calor febril, pelle secca, apnaliles de-
pravados, vmitos, pris de ventre, menstrucao
dolorosa, irregular, pooco abundante, derora nulla, flores brancas, amenorrbgia e infecund-'
dade.
Dsle estado espantoso, alias to ordinariamente
reconhecido entre dos em crescido numero de ?e-
Vefida-sq n/n bonito sorlimento de. cassas de Bhoras, desapparece s6 com o prudente n*o
coreg, pelos baratisf irnos precos de 240. 280 a preparagaas cima.
320 rs o covado assim como nm bonito sorti- nico deposito destes me lamentos -
ment da cassas ffancezas com listas largas a 800 nharmacia oVJ A Pintn ma lar^a ,1 un
rs, a vaj^flaissiroo organdys matisados a ,!*, na ~. in i g d' R*
loja e armazem do PavJo, ruada Imperalriz o. sano D' *0, em Pernambuco.
60, de Gama & Silya.
Organdy a 4#000.
Vendem-se bonitos cortes de organdy
sendo com listras todas braceas ou com lis-
eras de cores tendo otto varas cada corte,
lio armazem de fazendas
mulo n 19. i ?':o3' S> Pf?,e Sanl A.Bna Pr l apressarse em vir convidar o respeilavel publico, e Qs.a n"iraa,?,elL na EoroP> e vendem-se pelo i W3 i-i-t-f mJ -2^-.
Perfimar s finas,
INGLEZAS DE GOSNELL C.
E FRAKCEZAS DE E. l-EJA-UD.
A antiga e hem conhecida loja de miude-
440 r.. a vara :"a "lo.ia e"rmaiem""'da-. PaYi Pe'o barat) pre^o de W, pecbincha: r.a zas rua doQueimado n. 16, c ritint a
.raaja. lmpe.rni* n. 60.'de Gama &. Suva. ] loja a armazem do PavSo rw da laieratriz estar Provi saiAS- ECoxomcas a 3*oo. n/G00f G ^a Silva. P os fabricantes acediudos com, Uwnel e
M aa I0ja'd favao. fJiilasa 2(ld p 218 r% ,Penaud, endo deste, excellente extractos''
thfgptr om grande sortlmentodesti= orasajas ,, -> .. "~ *" Dar lenco* acnia ip fril/mia Ion h->nha
cur^proprifs para temi .averno ,e evita-, .^^ ^ JS?mJ,,e COf* fixaS SSJ^'r^ZSS0^^
remijue 5s<-isbrmcasi coxu.-qu uioijMtiuj peloLarato preco de 260 e^;rs
cosmetiquo para cabellos, opiata t .: p:ra
denles, sabonetes para mao's e barba, etc.,
mcuLpn 19.
Bob e barat*
Gambraia de cores matisadas finlssimas a
800 a vara.
uStssLisssrrsSsf0"*d8^ ndoscoriesde"^^6seda,Peios
0 a peca. baratissimos precos ie 25X 30,5 e 3U
Gorles.de blondparanoiva, trazendo.cada
e com especiabdade aos seus nomerosos"fre'gTez^rjue^^^^^ ^rato preco deoo"cada"u
moderno neste mercado. Gomo uZm "4 w m oqutfl88 mai&" *? ^"^ro* ** impewi)
Gomo sejam:
Riquissimos cortes de seda para vestido
a 503, 600, 700, 80& e 900.
corte aiasd'? setim, capellae veo.
Ditos de dito com pequeo toque a 400
e 500.
Moireantique branco, azul e preto.
Seda branca para vestidos de noivas.
Grosdenapojes de todas as cores.
Riquissimas ba?quines.de seda prela, ber-
Baloes de arcos; para senhora a 20500.
Id-tu lie arcos de cores, a 30500.
dem de arcos..brancos nesgados a 30 e
30500.
dem de mursulina a 50.
Id-m de mursulina para meninas a30e
30500. i
dem de arcos para meninas l680 e 20.
Cambrtia de salpicos branca- a 40500 a ,jada mm g()Qt0
Bond de fil a ftj. S*?!!8" m"il' fKW'"r "M,rm^
, tido de senhoras-tambem novidade.
Riquissimas gravatinhas para .:senbora.
! Ditos cortes de barege e deJSa para, ves-
tidos.
Lencos, de cassa. nissimos a 30200 e
306O a duzia.
Gambraia de flinho muito fina de 60 e 90 a
vara.
Madapoloes unos de 70, 80, 90,100,110
e 120 a peca.
dem enfestado muito fino a 90 a peca
com 20 varas.
Ditas de.algodo-,de dlferente qualida-
des e pFeccpara omem, senhora e criancas.
Luvas de tosjag as qualidades.
MadapolSo-rtoce^T^o que i. de.melhor
no mercado.
Urgaiidy araaca coaiifttif.
Dito de urna s cor elcum: listas da mes-
ma cor.
Chapeos de seda.para homem.
Ditos de phantasia para homem.
Gaaemira prela multo fina.
Ditas de cores inteiramentemoividades.
Ghapos deso com lindos castoes. i
ToaHias de labyriotho.muito ricas.
Ricas froohas de labyrinto.
Riquissimos lencos-rte dit u
va.
a) Mr loja e armazem
n. 60'de ansa & Sil-
Helas Inglezas a #000 a
duzla.
Vendem-se meias inglezas para homem a
-EsparulOS. S^00.0 a *- ditas para seBhora a 40000 :
Vendem-se magnficos espartilhos fraaewes e;naloa 6 armazem do Pavo: na rua da
wgJezes a lo. e,erawxem do Pa-vo, na-roa da Impeatriz n. 60 de Gama e Silva.
Imperatriz n. 60. de Gama & Silva. f halPS hlfllos
v pAJ,OS DE GROGHE'. |^, 305OO, 60 e 70000.
phs, cadeiras de balango, -para altcofadas e para a *^>l 0,tos l,sos a doOO, ditos estampados
cobrlr presentas, e vendem-se por precos baratos. finos a 50500, 60, 60500, ditos crepon
nalojaaafanien doPavao, rua dalmperatrit com listras de seda a 70500 e 80000,
pechincha : na loja e armazem do PavSo
ruu da Imperatriz n. 60 de Gama e Silva.
As 10 mil varas de cambraias
Covado 300 rs. vara 500 ts.
*o o pari
Vendem-se finissim cambraias france-
zas com listras miuda_ e graudas e com
lindos 'desenos de flo'es e palmas, sendo
saias a 30200 a pega com 10 varas.
Cobertas de chitas da India, muito grande:
a 20600,
Lences de bamburgo fino a 20400.
dem de bramante a 30OO.
Pannos adamascados para cobrir mesa a
40500, I
Guardanapos de linbo adamascados a... i
30500 a duzia.
Atualbado adamascado com 7 1/2 palmos'
de largura a 20 a vara.
dem adamascado de linbo com 7 1/2 pal-
mos de largura a 30 a vara.
dem trancado dealgodo a 10500 a vara.
Algodu enfestado com a mesma largura
a 10100 a vara.
Toalhas alcochoadas de linho a 110 a duzia.
dem com peHo a 130 e 140 a duzia.
Fil de linbo.liso a 800 a vara.
dem com salpicos a 900 a vara.
Grosdenaple preto superior de 10800,
20 e 20500 o covado.
Morantique preto superior a 20800 o co-
vado.
Flanella de todas as cores a 800 o covado.
dem branca a 600 o covado.
Bramante de linho com 10 palmos de lar-
gura a 20500 a vara.
dem de linbo com 5 palmos a 10200 a
vara.
Lindas chapeilinas de seda para senhoras.'
Ditas ditas desdifa para meninas.
Chapeos de palha para senhoras.
Riquissimos chapeos de sol parsitas.
Platilha de algodSo superior azenda para inl?SSSlmos e?SeiSes com C0(Jue e sacala"
;., o iaon ,-., -..!, j .,-.... .nleiramente novidade.
Riquissimos legues de madreperola.
Ditos ditos de sndalo.
Luvas de Jouvin preta, branca e de cores.
Chales de seda.
Ditos de cachemira.
Riquis=im:s manteletes de cores, inteira-
meote novidade.
Riquissimos cintos para senhoras.
Riquissimas fivellas para cielos.
Riquissimas cobertas de ponto de crochet.
Meias flt< laias para padres.
Ditas de 15a para padres.
Ditas de seda para senhoras.
Ditas de dita para creancas.
n. 60, oe Gama & Silva.
FAZENDAS para luto.
Loja Vene-8e setim. da Cbina preto saudo urna fa-
( zenda moito leve e sem lastro com 6 palmos de
largura proprio para vestidos e roopas psra ho-
mem pelo barato prego de 2*060 o forado meri-
no-preto eafestado mnito bou*a. 1*600, superiores
Rendas, tercos da ierra egradespara lencos, bombazinas. pealas a l*6U0,181K) e 2*ooo rs. o
Ufflarsqui&siffla tuajba-.loda aberta.de la- covado, superior canteo a l*i00, lanzloha preta
bvrmtho o que haidemelbor oeste genero llS3 a 4t0 e500rs!- ocovado, um grande sorti-t todas com as cores mais modernas emais
* Paitos-de linho bordauYs- rrara ramios d meDt0 de Sipa?s e PnnceMS Pret?8 lue! se ven" lindas que tem viodo ao mercado, pelo ba-
ruiwja ue jiui uuru(.s para camisas oe dem mais barato goa em outra qua qoer parte, na r9tn nroi.n a0 oaa n mj L,F "nn n
noiVOS. loja e armazem do Pavao, rua da Imperalrii, n r3t0 Prf de j00 n' ?Vado ou, a a
Cullarinhos.de linho inteiramente .novi-.6ed Gama i,Siva. i' o grande pecbincha attendeado a
dade. { Bramante de linho. 'graiide porc3o que tem, sen3o seria para
Ptinhos p ffnllinha'- nara Anhnra ^nde-se soperlbr bramante de linho com dei muilo maisdinheiro j istO na loja e armazem
KsAea^0Ia Pel0Sbra,9 Pre?os d2**(>0. do Pavao, rua da imperatriz n 60 de Gama
2*900e3*WM)a vara, superior panno de linbo civa
proprio para lences, toalbas e sereulas, pe-1 t .
lo barato preco de 6i0 700 e 800 rs. a vara, pe- Olales de renda a &.
5as de Hamturgo de linbo mnito sopenor a *, i Vendem-sa bonitos cbatas pretos de renda ebe-
II* e 12*, a^odoatnft iofastado liso mnito eu- Siios ltimamente pelojbaratd prego de 4* : na
cprpado proprio para lenges a vara a i*, dilaten- '"i3 e aftnazem do Pay|i, rua da Imperairlz n. 60
trancado muito superior fazenda com a mesma dfl ('*mi Silva. /,
Riquissimas saias bordadas.
Riquissimas camisinhas para senbora.
Cassas moito finas e inteiramente novida-
des.
Riquissimos veos e mantas de blond.
Ditos chales de toquim.
Fil de linho, liso e de salpicos.
Fil de seda, dito e de ditos.
I largura a 1*200 a vara, assim como mals urna in-
Ooidade de fazendas brancas que se vendem mais
baratas que em outra qualquer parte s com o tim
Espartilhos para -senhora inteiramente no- de apww diuheirtvoa toja e armazem do
vidade.
Lindos bale de la para senhora,
Ditos de dita paraurteninis.
Ditos de mucuiina para senhora.
Riquissimas vestimentas para baptizados
conlendo, cbapeosHiho, sapatinbo, meiainba
e camisinha ricamente bordadas.
Gieiros bordados mito fimos.
Urrrrico lencol de labyrilho, proprio para
casamento.
rua da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Leucos brancos
. a 20ooo/2^8oo e 302oo.
Motos vestidos a 6^000.
Na lo^ do PavSo.
Cbegaram os mais modernos e bonitos cortes
ravao, 6 organdys para vestidos, tendo 10 varas c.da
| corle, sendo 7 varas listadas para salas e 3 varas
, sem listas, mas com enfeite para o corpo (ou ca-
! saqoinbo) garante se neste genero ser o mais mo
Vende.se um grande sormeou de lencos de
carobraia branca pelos -baratos precos de 2*000 e
2*800 a duzia, assim como ditos com lista de co-
reo fixes em volta, tanto proprio para horneas co-
mo para meninos, que se vendem pea barato
prego de-3*200 a duzia, ditos grandes de cassa li-
za que se vendem a 500 rs. cada um, na loja e
armazem do Pavo, roa da' Imperatriz n. 60, de
Gama-dr "Sirva.
ladapalo pechinclia a 6$
Vendem-se pecas de madapoiao sendo fa-
derno que tem vindu ao mercado, tendo entre el-
les muitos brancos com listas e enfeites pretos, e
vendem-se pelo barato prego de 6*, nicamente
no armazem do Pavo rua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Proprietario'das lejas e armazens da
Arara, rua da Imperatriz
ns. 56 e 72.
Tendo recebido peios ltimos vapores da
Europa diversas qualidades de fazendas do
dem de linho com 3 1/2 palmos a 800 a que faz-ver ao respeitavel publico, vende
vara. barato s alim de apurar dinheiro, como
Assim como outras muitas fazendas que [ nenhum ootro.
se vende por menos que em outra qualquer
- Chitas, cambraias, madapoloes e muitos
outros objeetos, que se deixa- de mencionar.
O dono desteimportantissimoestabelecimento confma nos proposito de que-
rer vender muito e ganhaT pouco, para o que sugeita-se a ganhar nicamente o descont.' pea"pelo barato preeo" de /dito maiTo
' mais superior a 60300 e 70, assim como
Loureuco Pereira Meudes Guimar&es.
parte, e d-se amostras de tudo,
3*800
Sodr
14.
o sacco : no
da Malta na
Fannqa de mandioca a
armazem de Candido Alberto
travessa da Madre de Daos n
. Boias
Vende-se na fundieo da Aurora em Santo
Amaro, 2 boias de fo!ha de ferro de 3,8
grossura, com fundo semispherico e altura
cnico, tando 15 1[2 palmos de alto e/6 3|4
ditos de dimetro com olhaes manilhas e 2
balas de ferro fundido para amarracao, etc
femedies do Dr. J. C. Ajer, ex-Ieati
da Uaiversidado de pensylvaaia, iti
Estados-Unidos.
Extraeto comeosto de salsa-par
' rllha de Ayer.
Pe Uoral d e ere Ja.
Remedio parasczdes.
Plala catbarticas.
O depasito ceeral para as provincias
Peraambaco, Alagoas, Parahyba o Rio-
Grande do Norte, destes remedios t5o fa-
voravelatnte oonheeidos e acolbldns em
todas as parles da America do Sui e. do
Norte, aahaiam casa de Tbeod Carlc-
tlanseat, 16 roa do Trapiche en
PeraMHlNieo.
Osprecosde
330 por duzia;de estraeto.de saisa-pan-ilha-
70 por duzia de pe total de eereja.
270 por duzia de remedio paca sezoes.
70 por duzia de pilulas catharticas
se entendem a dlahelro vista, com
o descont de 5 por cento em qcantidadei
de 6 a 12 duzias, e de 10 por cento em
cantidades superiores a 12 duzias.
Attengo.
Chitas a 160 rs. o corado.
Veodem-se chitas em retamo a 160 rs. o
covado.
Ditas em pecK a-200 rs, o covado: rua
da Imperatriz tojas da Arara ns. 56 e 72.
Panno preto fino a 106OO.
Vende-se panno fino preto para caiga e
palitots a 10600, 20, 20500 e 30000 o co-
vado, cortes de casimira preta para caifas a
30, 30500 e 40000: rua da Imperatriz lojas
da Arara, as. 56 e 72.
. MQCAMBIQUE A 400 RS.
Venderse urna nova fazenda com palmas
de seda por nome mocambiqne para "vesti-
dosde senhora a 400 rs. o covado : rua da
Imperalriz lojas os. 56 e 72.
Baldes a 20000.
Vende-se bales de arcos de todos os ta-
manhos a 20, 30 e 305CO: rua da Impera-
triz lojas da Arara n. 56 e 72.
Laazinbas a 200 o' covado.
VENE-SE
Motores americanos para doos cavallos.
Dito dito para qoatro cavallos.
Machina:- para descarogar a'godo de 14, 16,
^J^il^^^S^^Sf J? 1 Wn^ e^fiSSSlftoMo faae.de os s.c
C09 com 6 palmos decoroprimento com o peso de
160, 180, 200, 250, do nltimo gosto: rua
da Imperatriz ns. 56 e 72.
Madapolo de 24 jardas a 40000.
Vende-se pecas de madapolo com 24 jar
das a 40, 50, 60, 70, 80 e 100000: por.
estes preeps s na Arara ns. 56 e 72.
AlgodaVsinho a 30 a peca.
Vende-se pecas de algodaosinho a 30, 40,
50, 60 e 70000 o mais barato que se pode
vender: na rua d Imperatriz ns. 56 e 72.
Cotim e castor para calcas a 800 o'
corte.
Vende-se cortes de cotim e castor para
caigas de bomem a 800 e 10, ditos de brim a
10i8O e 10600, ditos de brim pardo liso a
10200 *e 10400: rua da Imperatriz lojas da
Arara ns. 56 e 72.
Bareje com listas a 32o.
Vende-se bareje com listas para vestidos
de senbora a 280 e 320 o covado. <
Lasmha'escocesa a 280.
Vende-se ISasinbas escocezas para vestidos
de senhora a 280, 320 e 400 o covado: rua
da Imperatriz lja e armazem da Arara ns.
56 e 72.
Roupa eita nacional.
Vende-se palitots de panno.fino, saceos
fraques, a 50, 60, 80 e 100; ditos de
casimira de cores a 40, 50, 60, 80 e 100 ;
coletes'de casimira a 30, 34500; caicas de
Vende-se 15asinhaspara vestidos de se-.brim pardo a 10600, 20; ditas branca* de
nhora a 200, 240, 280, 320, 400 rs. o co- linho a 305O e 40; cerclas a 10, 106OO
vado: s na rna da Imperatrix ns. 56 e e 20; calcas de-oaster a 10280 e 10600.
72.
Chitas francezas finas a 240.
Vende-se chitas, fjancezas largas a 240,
280. e. 320 o covado: rua da Imperatriz
lojas da Arara n. 56 e 72.
Chales de. merm a 24ooo.
Vende-se chales de mirio estampados a
2, 20500; ditos de 13a a 10000, ditos de
phantasia a 10000: roa da Imperatriz lojas
da Arara n. 56 e 72.
Basquinas a 140000.
. Vende-se basquinas ou casaquinhos de
Grosdenapoles preto para senhora a 140,
Palitots de a)paca%ranca ede cores a 40,
40500. e pretos a 30, 04OO: e 40. Palitots
de brim 20, 20500' rna da Imperatriz
ns. 56 e 72.
Cobertas de chita da Arara.
Vende-se coberti8>de chita, a 10800, 20,
20500; ditas de damasco a 40; ditos de
fustSo a 60 e 60500: rua da.Imperatriz lo-,
jas'da Arara ns 56 e 72.
Vende-se bramantes para-lences* 20500
e 20800 o covado; e mattos outros. objeetos
qoe seria enfadonho mencionar.
Roa da Imperatriz ns. 56 e 72,
f
dito'finissrmoa 80, grande pechincha: na
loja e armazem do Pav5o rua da Imperatriz
n. 60 de Gama & Silva.
As chitas baratas
Na loja do Pavo a 240, 280, 320 e
360 rs.
Vendem-se urna grande porcao de chitas
Qnissimas com pequeo toque de mofo, ten-
do miudinbas e gradas, que se vendem pelo
barato preco de 280 rs o covado, sendo fa-
zenda que val muito mais dinheiro, ditas lar-
gas e escuras sem defeito a 240 rs. o cova-
do, ditas preclaras escurase alegres a 30 e
360 rs., tudo isto pechincha na loja e ar-
mazem do rvao: rua da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
. Para caigas
Vendem-se meia easemira muito eoeorpa
da e escura pelo barato preco de 320 reis o
covado ou a 10120 reis o corte de .calca,
sendo fazenda propria para calcas, paletos e
colotes, grande pecbincha na loja earma-
ze n do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Chitas p-etas a 160 e 200 rs.
Vendem-se chitas pretas inglezas com sal-
piqninbos a 200 rs. o covado, ditas lizas *
160 rs., no armazem do Pava"o : rua da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Atoalhado.
Vende-se superior atoalhado de algodio ada-
mascado com cito palmos de largura, vara a 2*,
dito trangado sam ser adamascado vara a 1*800,
dito superior de linbo adamascado vara 2*800 e
3*, guardanapos de linbo cr que sao os mais
econmicos a 3* a duzia, na loja e armazem do
Pavio, roa d Imperatrix n. 60, de Gama & Silva.
Chitas con mofo a 280 rs., aa I o ja do
Pavo
Vende-se ama cande porcao de hitas
francezas com mnitoshonilos desenos, pelo
barato preco de 280 rs. o. covado, por ter
um pequeo toque de mofo, sendo de cores
seguras -e garantindo-se que soltam o mofo
logo que selavem ean5o terem este pequeo
defeito seriam para 400 rs. o covado, esta
pechincha acha-se nicamente na loja e ar-
mazem do Pav5o : rua da Imperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
ISO e 200 horas, viadas ltimamente da America
no armazem de Henry Forster & C, no cae Pe
dro II n. 2 junto ao (iabinete Portugus.
Grrande reducto
NOS PRECOS DAS
Preparagoes
DE
Laminan & Kemp
;al#a parrllha de Bristol duzia 33*.
Agua Florida de Hurray A Lanmao 10*.
Anaeahnila peitoral de Kemp 22*.
E a quanto a agua florida preciso a maior ca
tela contra as falsiflcagSes frauiulenlas francezas :
as verdadeiras preparagoes se vendem do nico
deposito raa do Trapiche n. 8.
XAROPE
DE CASCAS DE LARANJAS AMARGAS
ie *. P. Laroze, pharoiaeentlco
ena Parla
3i> unes de snecessos attestaai a soa eflicacia,
coma:
tnico excitante, para ajudar as fune-
coes do^estomago, assim como dos intesti-
nos, e curar as doencas nervosas, agudas ou
ehroniots.
tnico anti-nervoso, para curar os incom-
modw percursorea da doencas assim evita-
das,- eparafacilitar a digesto.
anti-peridico, contra os calafrios, calo-
res, com ou sem intermittencias, e que teem
por especficos as substancias amargas; tam-
bem efficaz contra as gastrites e as gas-
tralgias.
tnico reparador, para combater a ex-
haustacao do sangue, dispepsia, anemia, es-
gotamento, inappetencia, langor etc.
Deposito em todas as pharmacias e casas
de drogaras no Brasil.
Expedicoes, am casa de J.P. Lazte, ru
des LiomvSt-Paal, 2, Pars.
Deposito em Pernambuco, pharmacia. de
n. Maorer & C. rua Nova n. 25.________
nOLESTUS DO PElfO
>A\tf Imporaaate.
Os aicos verdadeiros xaropes de hypopbosphl-
tos de soda, de cal e de ferro do Dr. Cburcalll tra-
zeai a firma quairo vezes repetida desie sabio me-
dico sobre o subscripto e a marca de fabrica da
pbarmacia wann, 12, roa Castiglione, Pars.
Acba-se a venda em frascos qoadrados coa e no-
me do Dr. Cburchill no vidro. Preco 4 francos em
Pars : Com ius:rucgo
Vende-se em casa de P. Maorer & C.
etc.; e daquelle, superior agua de Colonia,
opiata ingleza e pos para dentes. Alm dos
mencionados objeetos ba muitos outros que
por suas boas qualidades e bonitos vasos,
agradar5o completamente aos apreciadores
dobom.
Fivellas e fitas para cinto.
Na antiga loja de miudezas rua do Quei-
mado n. 16, encontrarlo os preiendeotes
nm bello sortimento de fivelas e'rilas para
cinto, sem que- esqueca os lindos pentes
pateados, com fitas pendentes e sem ellas,
sempre a contento do experiente freguez
que se dirigir dita loja de miudezas:
rua do Queimado n. 18.
Differentes objeetos
expostos a apreciacao dos esclarecidos fre-
guezes qoe os quizerem comprar; na rua
do Queimado n. 16.
Bonitas caixinhas de madeira com fecha-
dura, proprias para costura.
Outras das com.arranjos para costura,
Sapatinhos de setim e merinos para bap-
tisados.
Meias de seda para ditos
Tocas e chai eosinhos para ditos.
Tercos de madeira, osso, cornalinas, obras
mui perfeitas.
Alfinetes de osso com bonitos moldes,
obras de gosto para peito de senhoras.
Ditos pretos para luto.
Meios aderecos de madeperola.
Porte jupe ou suspende saias.
Lencos bordados para senhoras.
Brincos pretos, pulseiras e alfioetes com
camafeo, tudo para luto.
Froco grosso de la, para differentes fins.
Bonecas mansas e choronas para crean-
Cas.
Cestinhas proprias para creancas e no-
necas.
Bandejas pequeas para#copos.
Bonitas e mderu s cha*pelinasdese!a
para sci-hecas
Na loja de miudezas rua do.Queimado
n. 16 vendem-se bonitas chapinas de seda
mui bem errfeitadas e por precos rasoaveis.
Enfeites de floras a imitaba de chape-
linas
Vendem-se esses bonitos e modernos en-
feites de flores a imitado de cbapelinas: na
rua doQueimado, loja de miudezas n. 16.
Differentes objeetos
Vendem-se na rua do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
Grvalas brancas de cambraia para noivos.
Gravatas brancas de setim para ditos.
Bosas Camelias, ramos e caixos de flores.
Papel parajosase foihas para ditas.
Lencos de cambraia fina com barras de
cores, sendo
Para homens a 3,5600 a duzia.
Para meninos a 800 rs. a duzia.
Vendem-se-na roa do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
Oollerinhos de linho
obras de ultimo gosto.
Vendem-se na loja de miudezas; rua
do Queimado n. 16.
CABIDES P0BTATEIS
TORNEADOS B IRVSRNIXABOS.
Veadem-se na loja de miudezas: rua
doQueimado n. 16.
Caixinhas
com pastilhas de cheiro para
queimar-se em lugar
de incens.
Vendem-se na rua do Queimado ; loja de
miudezas n. 16.
PASTILHAS ODORIFUMANTES.
Essas cheirosas pastilhas sao sempre
apreciareis, e com especiabdade no correte
mez, porque servem para perfumar os ora-
torios o u altares em que se resam ou can-
tam louyavelmeote o Mez Mariano, es-
tas vendem-se na loja da Aguia Branca:
rua do Queimado n. 8.
Escravos ftigidos
Contina a esta/ fogido o escravo Loeiaao
crloulo de idade pouco mals on menos 29 a 30
annos, baixo a grosso do corpo, rosto aomprido e y
carnndo, nariz obtto, cafcaltoa carapiaboa, beicos
groaso,, narta4oas vezes usa s de bigode,olbos
pequeos; mno ladino, trabalba de sapatelro,
assim como no campo: coasta qoe transita em
Trorobeta, CoHooia d Pimenteiras Leopolpioa o
no eneafcos Caodato e-S. Benedicto : quero o
capturar leve-o ao san Sr. o capitao Jos Candido
das Neves no engenbo Papagalo, termo de Porto
Calvo, on no Retire na roa do Apollo n. 35, qoe
era generosamente gratificado.
/

'''





8
Diarlo de Peroamhaco Sexta felra lt de Julho de 1367.
LITTERITRA.
-~
THEATil DAfiUEMU.
De Curuz escrevcm-nos om dala de 6
de junho ultimo:
0 exercito de Curuz est de todo cer-
cado de inimigos: pelo rio Paraguay tem
os i mmeroiantes, galleteiros, gringos, ou
outros nomes que lhes queiram d?r, 03
11: es declararam urna guerra da morte ao
dmheiro do"pobre soldado brasileiro, ven-
ileado-ibes tudo e do peiur pelo melhor di-
nuoiro; pela vanguarda e flaneo direi lo, os
ftiiEintos e ns Paraguayos; o por todo o
! Que se far ? Prestarlo atlengao ao que riso de amabidade dos labios, e ao mesmo
dizem elles ? Veremos. tempo eitampar nessa physionomia o canbo
Foram nomeados alteres em ccramissSo da arrogancia e do poder, era umimpossivel 1
os cadetes e sargentos dos corpos e liaba c As cores todas da micha palbeta estavam
seguintes : esgotadas I
4. de infantaria A inspiragSo desse pintor notavel veio em
2. sargento ManoelEuzebo, l.9 dito An- mea auxilio,
tonio Lourengo Leal, 1. cadete 2. sargento
Ernesto de Carvalho de Andrade, 2. cadete
JoSo Joaquina da Rosa Monteiro, sargento
acampamento osbanhados, lagas, pantanos,
charcos, chuvas.'ca'or, fri, lama, etc., etc.,
Su*! *as moles,ias em todo eqaalquar 5E
Assim. nem mesmo a retaguarda tem
i ajcdante Franklin Benjamn Fernaodes Mene-
zes, -2." cadete I. sargento Braz Benjamn
da Silva Abrantcs, 1. sargento Jo5o Spa-
res Baptista Machado, 2. cadete Jos Lou-
tengo da Silva Milaoez. J
2. de infantaria
1. sargento Joaqum Manoel MartinNHo-
reira, 4." dito Jos Joaqum de Oliveira
3.* de infantaria
2. sargento Antonio Felippe Nery, 2. di-
t Si lli! Zl"S!" tJ5o da Costa-Marioho, 2. cadete sar-
gento ajudanie Carlos de Oliyeira Borbura,
do4 bravos, a quem ou o projeclil inimigo,
ou a molestia, |.or outra, ou o capricho,
tem feito tombar; portento, nao tem para
t nde se mecha, que nao encontr o ini-
migo.
Tvemos a 28 de maio urna grande en-
diente do rio Paraguay que tudo alagando,
quasi d mandado de despejo ao 2 corpo,
movendo-se mesmo assim mu tos corpos dej
infantaria; e a nossa gente de a cacallol
(cavaltaria sem cavallo) l se foi saudosa rio |
a baixo em busca do Passo da Patria.
O inimigo Paraguay solreu a 30 de
maio utn forte bombardeio da esquadra e
da trra; e a 31 respondeu-nos tambem
frrieaiente, loado nos 13 bravos tora de
ottatft, 3 gravemente, e entre estes um
amputado no braco lreilo e dous morios.
Nao pram aqui as cousas, temos hoje
um facto notavel oeste exercito, e vrm a
ser: o soldado raais destituido de gordura,
magro) adormece, e desperta gordo; po-
rm coitado mu signal este, pois pou-
i ida lhe re .-tal Neste estado, viram-se
muitos mdicos deste exercito na neces-
sidade de observaren!, e alguma cousa a
respeito dizerem, fazendo para tai urna con-
ferencia, cujo resultado consta da seguinte
a ti, que aqui junto:
f.Vosdous dias do mez de junho do auno
do nascimento de No'sso Senhor Jess Cbrs-
to de mil oitocentos e sessenta e sete, na
r.'partigSe de sade do 2 corpo de exerci-
to, acampado em Curuz, e presentes os
cirurgies-mres de brigada, Drs. Francisco
Joaqum de Souza Paraso, 20i ditos Dr. Al-
varo Moreira Sampaio, e acadmico Raimun-
do Caetapo, da Caoba, convocados pelo en-
irregado do servido de saudo o cirurgio-
mr de brigada Dr. Jos Joaquim dos San-
tos Correa, que propoz para serem discuti-
das as seguintes qoestoes:
1.a Qual a causa das edemacias que tem
reina lo de modo epidmico neste 2 corpo
de exercito ?
2.a Como preveni-las.
Tomando a palavra cada membro da com-
missan, descreveu o que tem observado nos
doentes em questao, e foi de opinio que as
cauzas das edimacias que tem reinado de
modo epidmico, e que sao quasi sempre
seguidas demorte, sao:
1 .a As emanaces exaladas das lagr-as ou
pan'anos que rodei5s este acampamento, que
uvadas a nossa economa de envolto com o
ar_respirado determnio estas febres inter-
mitentes, que tambem aqui reino epidmi-
camente, e urna alterago dos lquidos e so-
lidos do organismo humano, bem manifesta-
do pela cor paluda, e amarellada, especial
quem respira por rauito tempo aquelle ar
infecto.
2.a A constante vigilancia, e trabalhos in-
dispensaves seguraoca do acampamento
oo'jco distante do inimigo, enfraquecendo
as forcas da organisaco, respondo as torgas
a respirar o ar livre das noiles.e dasmadru-
gadas, que mais, saturado de elfluvios pa-
ludosos, por sua condnsalo
3.a A falia de completa tranquilidade em
um acampamento dominado pela grossa ar-
i loara do inimigo, que nao podendo deixar
de exaltar o sysjema nervoso, o torna mais
apto a ser impresionado pelas cauzas mr-
bidas.
4.a A alimentagao quasi constante; que
nao a mais propria para reparar as forcas
e sustentar ^robustez do corpo humano, re-
sentindo-se esta da falta de vegetaes, e de
outras substa/icias que fazio parte da tatri-
cjo de um exercito de recrutas, que dois
annos passao de privacoes inherentes a urna
campanba.
3.a A habitago de milhares de homens
em lugar circumscripto, onde n5o ha pas-
seios de recreio; lugar em que jazera se-
pultados para, cima de 30O0 cadveres.
Tal acampamento nao pode ser sen5o mui-
to prejudicial aos brav s de Curus.
Todos os n erabros da commissSo foram
onanimes em pensar que estas cousas; urnas
obrando directamente, e outras enfraque-
cendo as forcas da organisaco s5o mais que
suficientes para determinar nSo so as de-
macias, mais anda as hydr. pesias parcaes
to frequentes neste acampamento; assim,
percorrendo o oibtuario veris predomina-
rom as hydro pericardios, os hydrolhorax,
as ascites, acompanbado quasi sempre de
oostrucces do bago e flgado.
^ Tratando dos meios que se devi5o por em
pratica para minorar, ou acabar com tees fo-
cos pestilenctaes, e outras causas de enfer-
midades; ac^mmisso tambem foi acorde
emjulgar infructfera toda a tentativa por
ser o dessecamento dos pantanos e outros
trabalhos de omito" casto e despendi, im-
praticavel nasespeciaes eircumstancias em
que nos adiamos.
2. dito 1. sargento Felisbello JosFerreira
daFonseca, 2 "sargento Joo Baptista Reg.i,
2. cadete 2. sargento Jos Joaquim de Pau-
la Madeira, 1, sargento Miguel
ArchaDjo
Francisco
Freir da Silva, 2.'" dito Porflrio
da Rosa.
4." de infantaria
2. sargento Irino Barbalho Bezerra. 1.
cadete Elydio Fernandes da Silva, 1. sar-
gento Gelvasio servulo Alves de Araujo,
sargento ajudante Sebastiao Goncalves da
Costa.
5." de infantera
2 "sargento Maihias da Vera Cruz, 1."
dito Tiberio dos Santos Monteiro, 1. dito
Francisco Marcos Tuay Serejo. 2. cadete
Francisco de Paula da Silva Cutrin, 1. dito
Jo5o Rofioo Marques.
6." de infantera
1. sargento Theophilo Francisco da Silva
Vieira, i. cadete 2. sargento Anacleto de
Abren Carvalho Contreiras, 2. cadete 1.
sargento Till Cleto Nogueira Leal, 1. cidete
Silvestre Moreira da Silva.
7." de infantaria
2. sargento Antonio Ignacio JcrdSo. 1."
dito Antonio Julio da Boa Sorte, *. dito
Jo5o Braz da Silva Jnior, 2. dito Horacio
Vieira de Souza.
8. de infantaria
1. sargento JoSo Evangelista Leal 2. dito
Firmino Alves Doria.
9. de infantaria
2. sargento Manoel Martins da Silva
Barros.
10 de infantaria
Particular Manoel Muniz de Almeida, 2.
cadete Hygino Jos dos Anjos, 1.a sargento
Januaro da Silva Assumpco, 2.* cadete Jlo
Jos Sabino de Brito, 2." dito Jos Antonio
Leite Bastos, 1. sargento Francisco Ignacio
Meirelles.
-
A commissSo devendo relatar todo quaoto
lbe ocwrreu na presente discussao, maui-
festa aqu o temor de que as terriveis ema-
naces paludosas se exacerbam, quando pela
evaporzcao ftcarem em contacto do ar, o
lodo ou fundo destes charcos agora subraer-
, gidos pela inslita enchente ou inundaco
por que passamos.
Os membros da commissao sao ainda un-
nimes em pensar, que a estada deste 2." cor-
po de exercito, em Curuz, por mais algum
tempo, trar infallvelmente su aniquilacSo.
Taes as suas conviccoes, dopois de haver
attentameote considerado pelo espaco de 9
mezes as enfermtdades qoe infelizmente tem
n reinado neste pestfero lugar, tunaulo do
* grande numero de amigos e inimigos. E
nada mais havendo a descutir-se encerrou-se
a presente sess5o e eu Raymundo Caeteno da
Cuoha, secretario a escrevi e assigBei com
os de mais membros.Drs. Jos Joaquim
dos Santos Correa. 'Francisco Joaquim de
Souza ParaizoAyres de Otiveira famoi.
Alvaro Moreira Sampaio.Raymundo
Caet:no da Cunha.
E' do Correio Mercantil este folhetim :
Era um dia um pintor. Abrasava-lhe a
mente o figo da inspiraco, foi-lhe a palhe
ta urna serie nao interrompida de conquistas
e louros.
Em sua fronte transluzia a aureola do genio.
A admiraclo dos contemporneos deu-lhe
a immortalidade I
O dislincto emulo de Raphael desee, em
urna hora de descrenca, dos paramos azues, C
onde divagao os eleitos do Co, at o mundo
sinistro do mais negro realismo.
Sua imaginaco ardete oabava de con-
quistar m3is urna glora para o pincel. Dian-
t de urna tela em branco ella conceba um
quadro terrivel.A miseria de tima familial
Nao era o poema sublime do Calvario, a
face macilenta do Cbristo exhalando o ultimo
suspiro de agona no lenho da redempeo;
nao era urna scena sublime do Evabgelho
que o pincel a ali reproduzir.
Ali devia apparecer em fundo negro urna
scena da trra com todo o seu cortejo de
horrores.
Dispostos os planos, o quadro foi poucc a
pouco surgindo do nada. Aqui urna figu-
ra paluda, olhos de cadver, cabellos desgre-
nhados; na expressao de dr indefinivel que
Ihe obscurece o semblante, triompha a con-
cepto do artista.
Mais diante urna criancinha loura flor
ainda em botao, descorada pelas geadas do
invern, cavo-lhe j as faces aogelicas as
rugas do soffrimento. De seus olbos azues
perulera duas lagrimas.
Acola urna mulher quasi moribunda, os
tendida sobre um monte de palh s seccas,
que lhe serve de leito.
O sentimentoque transparece no semblan-
te daquella enanca, nlo o mesmo queoj
pincel estampou na physionomia abatida des-
sa mulher.
Caminhando por gradaces, o genio vigo-
roso do artista vai tragando em cada figura
o poema de urna paixao.
Cheio de enthusiasmo elle se rev em saa
obra maravillosa.
' O pincel ia escrever a ultima palavra des-
sa epopeia, e que seu poder se extingue e
desfallece-lhe a forca creadora.
O art:sta j n5o tinba rugas, face macera-
das, labios lvidos, cm riso amargo de des-
crenca, um trapo sequer para reduzir na tela
a expressao sublime de urna paixao nova.
E a figura do ultimo plano esbocada espe-
rava umfat.
-Era o ebefe dessa desventurada familia.
O que fazer ? I urna idea acode-lne mente.
Toma da palbeta, empunha o pincel, e es-
conde a cabeca dessa figura sob o braco.
# Esteva cortado o n gordio!
A historia deste quadro vem boje pro-
posito.
Como esse pintor, j djvaguei pete ether
puro das crencas as mais santas, j conceb
e sonhei grandes coasas.
Um dia cahi das nuvens.
Aparei o lapis e resolv esbocar, n5o o qua-
dro da miseria de urna familia, mas o cro-
quis da desgraca de om povo.
Tracei no primero plano sete figuras si-
nistras e c o mece i a obra.
Em urna pintei a vaidade ataviada de galas
abrangendo o vasto horizonte com um olhar
pretencioso de aguia.
Em outra a barriga dominando a cabeca.
Pintei no mesmo plano a nibilidade agalo-
ada.
Escond o rosto dessa figura, e pintei-lhe
apenas a casaca.
O mea triumpho foi completo 1
No dia seguinte expuz o quadro, e todos
conbeceram.
E desde entao comprehendi a verdade de
um grande principioa casaca o home'm.
Dizia um mathemaco notavel:Dai-me
urna alavanca e um ponto de apoio, e eu le-
vantare! o mundo.
Com sete casacas e urna sitoacSo progres-
sista, qualquer, hoje, levanta m ministerio
em dez minutos.
A alavanca solida, o ponto de apoio o me-
lbor possivel.
O progresso cada dia obra urna maravilba.
Oatr'ora os grandes homens sbiramao
I Oder pelas tradices de ser?icos reaes.
Hoje at os collarinhos s5o ttulos de me-
recimeoto!
Vede, por exemplo, um min'isiro de agri-
cultura, actual.
E' om collarinho e nada mais.
Apertam-lhe o pescoco dois homricos
espeques de panno, engommados a capri-
cho, e do alto deste duas velas S. Exc. pa-
rece tudo eoxergar desde o mais elevado ce-
dro at o mais pequeo grao de ara.
Engao!
Os collarinhrs obrgam-lbe a volver afron-
te para o Co, e emquanto S. Exc. basca
inspiracoes no reino da la, n3o sabe o que
se passa no misero planeta, onde a Divina
Providencia collocou o Brasil.
Seas companheiros fallam-lhe em vio de
cosas da trra.
De minimis non curat pretor.
No collarinho est a soluco dos proble-
mas sociaes os mais importantes, que nao de
apparecer no futuro.
Eile cheira progresso desde o prmeiro
posponio at o ultimo.
Questes de crdito, fioaacas, bem estar
do paiz, desenvolvimeoto "das industria?,
artes, scitacias, tudo parece querer sahir-
lhe das pontos, gracas inspiraco do co.
E o Brasil se nSo colhe j tantos bene-
ficios, dir entretanto ana da, cheio de re-
conhecimento : Tive um par de collarinhos
por ministro ; elle devo miaba salvago.
O collarinho como a casaca tambem o
bomem.
Percorrei a humanidade em toda a escala
social.
Vede a crianca nossa quadra feliz do col-
larinho de rendas. E' aborboleta descui-
dosa que vaguea pelos campos de flor em
flor.
Em um bello dia apertam-lhe o collari-
nho, retiram-lhe as rendas e es bordados,
e l vai o misero encetar na escola urna vida
de amargores e provanca.
Olhai paraovtlho, a procurar urna enan-
ca na trra, e o collarinho a suspende-lo
para a outra vida.
O elegante, que postico desde a ibeca
at os ps, traz sempre postigo o collari-
nho.
A mulher conquista-nos os foros e arvora
no collarinho a bandeira de sua emancipa-
carregue-a sem Sephora.Bella.
I Septilia.Numero sete.
Serapbina.Que ama a Deus.
Serena.Gentil.
Sextilia.Numero seis.
Sibella.Constlbo de Deus.
Soplia.Sabia.
santo amor do progresso,
osterrtacSo.
Morra como morrein os martyr$s, sem
vaidade, sem app rato.
Nao se enfade comigo; se assim lhe
fallo, porque sou seu amigo ex-corde.
Segunda orelha, t anda s muito crian-
za : a casaca com qoe subiste ao Capitolio do Sophronia.Modesta,
poder ainda a mesma com que tomaste o Steila.Estreita.
grao na Paulica. sosanna. Lyrib.
As crian??s devem ouvir aos velhos. Sybilla.Conselho de Deas.
Escuta-me pois: Tabitlia.Olhos de gazellr.
E' um fructo anda verde, qnemSos per- Thereza.Bella,
versas arranearam do arbusto. Thalia.Florescente.
Estaes amadurecendo em urna estufa. Tlieodora.Dadiva de Deus.
Ninguem pode avahar-te o perfume e o Theodosia.Dada a Deus.
sabor.
A Gazeta de Weser noticiou que o re
da Prussia resolveu offerecer ao salteo
Ornar, de Bournoa (frica central) como
recompensa dos ser vicos prestados ao falle-
cido viajante prussiano, Bouermann, nm
tbrono, urna carruagem e om relogio.
E* curioso e digno de men,5o este acto
de genensidade, praticado por um lobera-
no, que deslhronou tantos principe?.
----------- i ----------
E em cada urna das outras figuras fui en-
tornando um mundo de paixSes desencontra-
das.
Mais algomas pinceladas e o quadro este-
va completo.
Ai de mim I
A micha po're palheta esbarrou dame do
primeiro personagem desse plano I
Fazer resaltar de um rosto imberbe mi-
Ihires de pequeo sentimeotos; dar-lhe um
O collarinho modesto do sacerdote, define
o ministro de Deus.
O-grande collarinho do marinheroiex-
prime a nouchalance do homem do mafr.
Queris urna prova ainda mais cabal do
principio que avaneei ?
Vede o soldado. Este infeliz nao traz
collarinho.
O sida io alo homem. E' a eons-
tiluico quem o diz.
Mas, para onde vou eu ?
E ento! n3o estou entalado como um
progressista, que nao sabe donde veio, nem
para onde vai!
Pe di completamente o rumo, leitores.
Como continuar agora a viagem ?
Sea minan boa estrella...
Estou salvo
Urna vela no horisonte !
Ei-la : Januaro Garda, o Sete Ore-
Ihas, drama em 3 actos t cinco quadros,
composto por Martim Francisco Ribtiro de
Andrada.
Sete orelhas I
Que achado i!
O Sr. Martim Francisco hoje o meu
salvador.
Desea at mim, Exm. e d-me um abra-
co-
V. Exc. oeste momento para Osires
tudo o qoe elle mais presa sobre a trra,
o folhetim /
Itabo portento sete orelhas na minba
frente,
Guillotin, quaudo inventou o seu instru-
mento mortfero, nlo pensava talvez que
seria elle a primeira victima.
O autor das sete orelhas vai ter boje a
sorte de Gaillotm.
Vou apresenter aos leitores as sete ore-
lhas do paiz
Ia orelba.Sarda aos clamores da pa-
tria ; ouve mexericos e lisonjas.
2a orelha.Ouve todo, de todo entende
e nada faz.
3a orelha. So ouve o' que lhe faz
conta.
4a orelha.Tympano estragado.
5a orelha. Audico difficil, digestao
fcil.
8a orelha. Pavilbao volumoso, canal
auditivo acanbado.
7a orelha.Surda, completamente sarda.
Cada ama dellas um tropho do pro-
grestimo I
Vou apresenter aos apostlos do pro-
gresso urna idea altamente patriticaman-
dem embalsamar estas orelhas, e sejam ellas
guardadas cerno reliquias preciosas de urna
sitaaejio brihante.
Os egypcios conservavam em casa as
mumas de scus antepassados.
m segredo, baixinho, bem baixinho, de
modo que ninguem ouca, a cada urna des-
tas orelhas.
Chegoe para c a primeira e escute : nao
tenho receio, eu sei dizer um segredo co-
mo ama mulher.
Sua exceliencia julga-se, nao sei porque
ttulos, um ente necessario.
Faz mal em acreditar em caraminholat.
Tu mesmo nao sabes o que s.
Volta ao ninho verdejante donde sahiste,
e deixa as estufas que sao perigosas.
A terceira orelha com s ouve o que lhe
faz conta, ha de ouvir agora afgumas ver-
dades.
S. Exc, mesmo na adversidade feliz /
Todos sabem que S. Exc. deve a sua fe-
licidade poltica orna infelicidade.
Chama-se isto saber tirar partido das
eircumstancias.
Pompeu alcancava victorias: Cezar colhia
os resultados.
Mais que Cezar, S. Exc. (ira das derrotes
um partido sempre vantejoso.
Das.cinzas de cada destroco renasce co-
mo urna Phenix I
S. Exc. um hbil general.
A paste da guerra assenta-lhe como urna
lava de pellica letra P na m3o do seu colle-
ga da jusura.
Nao core: sei que modesto como urna
violeta.
A modestia'^ o mais bello esmalet do
verdadeiro merecimento.
A qaarta orelha nada escuta.
Os collarinhos tapam-lhe os ornados.
S. Exc. traz por systema esse enorme
aparelho de panno.
Dizer-lhe porlanto um segredo, soltar
palavras ao vento.
A' 5a orelha eu vou reproduzir um trecho
sublime de seu drama:
E' Januaro Garca quem falla:
Sim, Anna, os Paulistas de boje sao
degenerados filbos dos Paulistas de outr'ora.
Foram-se essas firmes crencas religiosas
que obravam prodigios. J nSo ha quem
record a lealdade de um Amador.Bueno, e
a valenta dos Tebyrics, porque ninguem
hoje capaz de imita-las ...
A esta opinio muita valiosa de Januaro
Garcia, eu accrescentarei a seguinte mxi-
ma, que j ali nao sei onde:
t Os grandes nomes para as pessoas que
os nao sabem sustentar, em vez de as ele -
varem as aba tem.
O nome, diz a grammatica, urna voz
com qoe se do a conbecer as cousas e
pessoas.
V. Exc, um desmentido solemne da
grammatica I
J leve occasio de ver, excellentissimo,
em dia de carnaval, um plebo vestido de
principe?
A espada se lhe enrosca pelas pernas, e
impede-lhe o menor movimento, o chapeo
de plomas danca-lhe na cabeca, todo aquelle
ouropel pesa-ihe como um fardo.
E' que nobless oblige, mesmo em car-
naval.
O nome de S. Exc. pesa-lhe muito;
torca coufessar.
Ouca-me a sexta orelha:
Esse ar imponente nao assenta em urna
casaca.
E' mais proprio para um cavalheiro au-
daote dos bellos tempos da idade media.
Stima orelba : respeito-te como urna
tradico.
Ta es ama sapucaia sem cocos.
E's um pbosphoro j riscado.
Follinha de anno lindo.
E's um coqueiro raurcho, que j figurou
na festa do arraial.
E's um cantor sem voz.

-

.
Theophila.Que ama Deas.
Thirza.Bella.
Thora.Consagrada a Thor.
ThorwaidChefe de Thor.
TiberioHome de lugar.
Tbim itheoQue respeita Deus.
TicianoVeneravel.
Tito------Veneravel.
ToossameTodo santo.
IrintolemoTres vezes bravo.
TristoTriste.
TrystanProclamador.
TycbinoFeliz.
UdolphoFeliz auxiliador.
UlricoFeliz governador.
UnaNumero nm.
UrbanoResidenie na cidade.
rsulaUrsa.
Ursinarsula pequea-
ValeriaForte.
VeronaQue venera.
VereniaVei dadeira.
Vernica --Vcrdadeira.
VictoriaVictoriosa.
Victofiana Victoriosa.
VincentinaInver.civel.
ViolanteGraga modesta.
ViolaGraga modesta.
VioletaGraga modesta.
VirginiaPura.
VirtudeVirtuosa.
ViviaVida.
ValentimForte.
ValerioVerdadeiro.
VeroVerdadeiro.
ViberloMuito santo.
Viciar Vencedor.
Vicenteluvencivel.
VirginioPuro.
VivianoVida.
WaldemarO mais poderoso.
Waltar (Gualterio)Chefe de exercito.
WalctieofChefe de exercito.
WilredoPaz de muitos.
WilhelmGuia de muitos.
WilhelminaSustentculo de muitos.
William(Guilberme) Guia de muitos.
WinfredoAmante da paz.
WislanO mais sabio.
WinifredoAmante de paz.
WolfricChefe lobo.
XantheDe cabello amarello.
XerxesRei leo.
ZacneoPino.
ZadocJusto.
ZachariasLembranga de Deus.
Zenao Vida.
ZaidaProspera.
ZaraBrilho excessivo.
ZenaideQue vive com modestia.
ZenobiaDadiva de mar.
ZipporabPassaro.
ZiU Urna mulher.
ZoVida.
ZoraPura.
ZuleikaDe rara lindeza.
YseultViso de belleza.
Segondo escreveram de aples ao Athe-
ooeom, jornal scientifico, fez-se ltimamen-
te em Pompeia a descoberta de um navio
cheio d'agua.
Esla agua foi analysada pelo Sr. Lucca,
lente de cbymica, o qual acboa que ella
continba a mesma proporgao de oxygenio e
de hydrogenio que a que actualmente bro-
ta das aasceates.
Pode-se afoitamenteaflirmar que esta agua
est depositada dentro do navio desde o rei-
nado de Tito.
Registim-se j uns peueos de casos an-
logos.
Em 186-2, descobrio-se no pateo de uma
casa uma cscala ornada de javalis, serpen-
tes e caes, todos de bronze
Estes aoimaes esto hoje depositados era
aples, no museu e na galera dos Bron-
zes.
No momento em que teve lugar a cates-
trophe, fecbou-se a torneira da cscate e a
agua conservou-se dentro dos corpos. dos
anim'aes de brorze transportados para o
museu ; ao serem all collocados em lugar
apropriado, om faro feito por casaalidade
no peito de um delles, fez com que d'alli
sabisse uma certa qanlidade de agua.
Todas as pessoas que tem visitado o mu-
seu nacional de aples viram sem duvida
uma enorme chave que pertenceu a om
aqueducto da praca de Tiberio, na ilha de
Caprea.
Na parte interior da chave acha-se uma
certa quantidade de agua.
Uma das sorpresas que o guarda reserva
ao visitante, sacudir com forga essa cha-
ve para fazer ouvir o ruido da agua agi-
tada.
Ainda nao se tinha achado vinho as mi
as de Pomoeia ; porm ha dias, descobrio-
se uma amphola de vidro contendo no fun-
do tres a quatro dedos de vinho, nao liqui-
do, mas condensado, gelatinoso. Este vi-
nho foi levado sem demora ao gabinete do
Sr. Luccas, e anima-nos^ esperanga de que
dentro em pouco, conheceremos uma das
qualidades de vioho que era servido as
mesas dos patricios romanos.
Eis as 7 orelhas do paiz.
Se elle podesse agarrar estas 7 orelhas,
com que gosto nao as puchara todas t
Osiris.
CM POICO DE TUDO.
Continuamos a dar a significara o de va-
rios nomes christSos.
Oliva.Paz.
Olivia. >
Ophelia.Que soccorre.
Orea.Pacificadora.
Othild.-Filha de chefe.
Ottilie. >
Pamela.Excessivamente doce.
Panarista.De todo a melhor.
Pandora.Altamente dotada.
Paulina.Pequea.
Penelope.Constante.
PerrineRoehedo.
Ptala.Menina.
PBilippraa.Que gosta de cavallos.
Phillina.Que ama e amado.
Philomela.Que gosta de eantoria.
PhBbe. Radiago pura.
Phyllis.Junco.
Placilla:-Gentil.
Porcia.Salvago.
Prudencia.Prudente. *
Psycb.A alma.
Rachl.Cordeiro.
Rebecca.Que desenha.
Rebekab. >
Rdente.Resgatada.
Regina.Rainha.
Reni.Rainba.
Reseda.Planta fragrant.
Robinnetta.Conselbeira brilhante.
Romelda.Senhora do poder.
Romola.Forca, poder.
Rhoda.Rosa.
Rhodocella.
Roimo.De rosea compleigo.
Rosa.
Rosalinda. Vrgem com a rosa.
Rosabel. Bella rosa.
Rosalba.Rosa branca.
Rosala.Rosa e lyrio.
Rosamunda.Rosa do mundo.
RosiBa.De rosea ctmpleigao.
Roweoa__De ptieogo branco.
Roxolina.EspVdor.
Ruth.Viso de bellesa.
Rulilia.Muito encarnada.
Sabina.Nome de lugar.
A sciencia tem feito grandes progressos
nos dezesseis annos decorridos entre a ex-
posigao de 1851 e a de 1867. Mas em que
sentido tem sido mais completos e mais as-
signalados os seos triumpbos ?
Numerosos problemas que pareciam estar
em vesperas de solugo, esto ainda a es-
pera delta.
Nao desGobrimos um motor mais barato
e mais dcil do que o vapor ; nao achamos
um ^ystema de illuminago superior ao gaz;
nem ao menrs descubrimos o meio de as-
segurar as communicages entre os passa-
geiros e o condoctor de um trem ; nao
aprendemos a dirigir os baloes ; apesar dos
progressos da chimica, dos barcos de sal-
vago e dos congressos mdicos, os incen-
dios, os naufragios e as pestes lancam um
pesado tributo sobre todos os povos.
Parece que estemos sempre a ponto de
fazermos grandes descobertas, mas a Natu-
reza tmida arreda-se de nos, e dexa-nos
muito encolhidnhos porta da verdade.
Mas ha uma sciencia em que tem sido
incessantes os nossos trabalhos," rpidos os
nossos progressos e completos os nossos
successos.
as artes que deliciara e prolongam a
existencia, muito pouco temos feito; mas
na de estropiar4e de aniquilar os nossos
semelhantes, os resultados obtidos nao
deixam nada a desejar.
S os nomes das novas a
encher um diccionario.
Taes tem sido os estudds philantrop
da Europa durante os ltimos dez annos, e
os iriamphos da sua industria e as bausas
da?aa civilisago !
"W-^.*"
Corre como
Nova-York ale
certo que j partiram para
_uns agentes prussianos, in-
cumbidos de comprar os navios couragado?
que o governo dos Estados-Unidos havia
mandado construir durante a ultima guerra
civil, e que se tornaram inuteis depois da
cessago das hostilidades.
Cila-se entre outros o monitor Onondaga,
e a bella fragata de 5,000 toneladas a Dun-
derberg.
E' destituido de fundamento o telegramma
que annunciou a compra deste ultimo navio
por coota da Fraoga.
y
Atienda que a poca de progresso, e
qae o nosso povo j nSo engole araras.
Deixe esse ar pretencioso de estadista, Saphira. Asaphira.
qae corapromette-o a cada momento, como Sarah.Princesa,
um traje domiogueiro em corpo .ope-
rario.
Se quer carregar a cruz, levado pelo Selina.
Secundilha.Numero dous.
Solena.Radiaglc- pura.
Diz uma correspondencia de Paris qoe ha
alguns dias figuram algumas caras enferru-
jadas no bosque de Bolonha, nos Campos
Elseos, e no jardim central ao palacio do
Campo de Marte. V
Ser5o mexicanas ou peruvianas ?
N5o.
Parece que essas mulheres de cor sao
simplesmente francezas de certa roda qae
traten de por em moda a cor mais ou me-
nos escura da pello.
Se as elegantes parisienses vierem a dop-
tar aquella nova maneira de se aformosea-
rem, ta nbem por c teremos de ver as nos-
sas elegantes mais oa menos besantedas
de bistre.
Nisto de modas, nada impossivel.
Rossim tem por costme, qaando est da
bom homor, chamar collega a toda gente.
Ha poneos dias um antigo banqoeiro
immensamente rico, eqoe boje vive'das suas
rendas, eslranhou que o illustre maestro o
qoalificasse daqoelle modo.
Bab disse Rossini, sornndo-se; nao
sei de que se admira : ha tanto tempo qoe
naotrabalho, qoechegoe a ser collega de
todos* os que n5o fazem nada.
O conselho superior do jury internacio-
nal, na exposigo de Paris, resolveu que o
numero das recompensas primitivamente fi-
xado, independente dos grandes premios,
em cem medalhas de ouro, mil medalbasde
prata, tres mil medalbas de bronze e cinco
mil menges honrosas, ser, elevado a :
Novecentas medalbas de ouro.
Tres mil medalbas de prata.
Quatro mil medalbas de bronze.
E cinco mil menges honrosas.
Nao se far menguo alguma das recom-
pensas anteriores.
Est affecto ha muitos annes aos t ibunaes
de Vienna um processo, que gragas aos va-
gares da justica austraca, pode durar eter-
namente.
Trata-se de dous coaecusados; um dos
quaes soldado e n3o pode por conseguate,
ser julgado seno pelos tribunaes militares, e
o outro julgado pelos tribunaes civis, por-
que paisano.
Depois de debates sem Um, o tribunal
militar emittio a opinio de que nao poder
formular o seu julgamento, emquanto nao
conhecer a decisSo d tribunal civil relativa
ao reo civil.
Quanto a es'e ullimov tribunal declarou
pela sua parte que para pronunciar a sua
sentenca -lhe indispen3avel saber previa-
mente qual foi a decis5o do tribunal mi-
litar.
Depois de terem emiltido estas douctas
opinies, os dous tribunaes suspenderam as
suas sesses.
N3o se sabe quando acabar este processo
nem qual ser a sua solugao: espera-se to-
dava que o zelo dos juizes, estimulado pela
publicidade, obriga-los-ha a sabirem deste
ddalo.
non
N'uma das enfermaras do hospital de S.
Joo, em Turin, achare um pobre diabo, o
qual ha muito tempo que dorme sem comer.
O doutor Timmermans fez a este respei-
to preleeges mu interessantes. Citou va-
rios lacios, e declarou qoe, segundo elle en-
tenda, este genero de enfermidade andava
quasi sempre acompanbado d uma especie
de mania.
Cravaram-se agulhas na pelle do dormen-
te, sem que elle revelasse o menor soffri-
mento.
Avenguou-se que a mesma insensibiltda-
de ex istia na planta dos ps.
Todava alguns choques da machina eletri-
ca provaram qoe nao esteva completamente
extinta a sensibildade no dormente.
Este enfermo, cuja doenca singular descre-
ve o jornal italiano Movimento, coota viote
quatro annos de idade; ha qoarenta e sete
dias que vive nicamente com o auxilio do
leite que pelo nariz lhe introduzem no eso-
phago. _______________
Fez-se ltimamente na China ama cariosa
descoberta
Trata-se nada menos do que de uma ci-
dade hebraica, que conta um milho de ha-
bitantes, goveroados pelas leis de Moyss,
gosando de privilegios especiaos, no meio
das povoaces cbinsas.
Um ofcial ioglez qae professa o caito
israelita, foi quem desconfo essa Jerusalem
descoohecida, a respeito da qual fornece
interessantes pormenores, o orgo^rincipal
da religio judaica em Londres.
TYP DO DIAR10.-RUA DAS CRZES N. U
S
"'. l11.". '.".
T
..' "l


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EG5DCRJSJ_FZ48MA INGEST_TIME 2013-09-05T01:59:26Z PACKAGE AA00011611_11314
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES