Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11308


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*

i

- s
ANNO XLII. NUMERO 151.
PIRA A CAPITAL E lilt.lRES ONDE SE NAO PAO A POTE.
Per fres oxea SiaaUdo.,. .......v ." ..-*- ft000
Por seis ditos Ideo.. .1
Por 11.1 auna idea.. )
a h minero Tais ."J
.1
1
1
1
.1 .1
.. .VI
.1 -.1 M ".1
.1 .i res .i
124000
240000
320
->*'

SEXTA FEIRA 5 DE JLHO DE 1867.
PABA DE.VTBO E FOBA DA PROVINCIA.
Por lrs meie idlintado;. rr. rv rr rw ... ir r, fv kt rv rr ..
Por seis ditos idem. rr ..
Por boto ditos idea.................................
Por w une i*., trj....., ____........A..........
63780
18)9500
280250
270000
332iisj2a im vjxBNmiM m aaaMPSPi)!!! m nmmn motmim m miia vadnos siis Q>M!PiiiiiFuiM(D&
*--
jENCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO.
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ; Aracaty ,
o Sr. A. de Leraos Braga; Cear, o Sr. Joaqaim
Jos de Oliveira ; Para, os Srs. Gerardo Antonio
Alvos & Pilhes ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da
Costa; Aligoas.o Sr. Franrino lavares da Costa;
Babia, o Sr. Jos Hartins Al ves;
o Sr. Jos aibero Gasparlnho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacSes da va frrea at
Agua Preta, todos os das.
Igaarass e -Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Gravis, Beierros, Bonito, Garuar,
Alimho, Garanbans, Buique, S. Bento, Bom Con-
seibo, Aguas Bellas e Tacaratff, as tercas-feiras.
Pao d'Albo, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqoeira,
Rio de Janeiro, | Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa-Vis-
ta, Onrieqry,Salgneiro e Ex, as guanas feiras
Serinbera, Rio Formoso, Tamaodar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commereio: segandas e quintas.
Relacao : tercas e sbados is 10 horas.
Fazenda: quintas s O boras.
Jnlzo do coraraeru/o : segandas as 11 horas.
Dita de orphos : tercas e sextas 310 horas.
tercas e sextas ao meio
; quartas e sabbadss a
Primeira vara do cite!:
dia.
Segunda vara do cvel
i hora da tarde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JLHO
1 La nova as 6 b. e 56 m. da I.
8 Quarto cresc. as 2 h. e 39 m. da t.
16 Loa cbeia as 6 h. e 4 ro. da t.
21 Quarto ming. as 14 b. e 54 m. da m.
31 La neva a 1 b. e 52 m. da ro.
DAS DA SEMANA.
1 Segond. S. Theodorico ab., S. Caslro b
2 Terca. S\ Isabel, S. Otbon b., Si Proeesso m
3 Quarta. S. Eulogio ro., S. Anathello m.
4 Quinta. S. Oseas prof., S. Aggeo prof.
5 Sexta. S-. Pbilomena v., S. Trifina ro.
6 Sabbado. S. Domingas v n>., S. halas prof.
7 Domingo. Ss. Claudio, Nicostrato e Papias mm.
I PREAMAR DE HOJE.
I Prhaeira as 5 boras e 19 ra. da manbaa.
Segunda as 5 horas a 42 niatos da tardo.
PARTIDA DOS VAPORES COsTEIROS.
Para o snl at Alagoas a 14 o 30; para o nortr
at a Granja a 15 e 30 de cada mez; par Fer-
nando nos dias 14 dos metes Janeiro, marco, mai>
julbo, setembr e novembro.

PARTE OFFIGIAL
UO VI5RXO DA PROVINCIA
Eipediente do dia 23 de marco de 1867.
1* secco.
N. 972.Offlcio ao Exm. general commandante
das armas.Qaeira V. Etc. mandar recolher ao
deposito, aQm de serera enviados para a corte na
primeira opportuotdade, os pardos Damio e Mau
ricio, a quem o Dr. Bernardo Pereira do Carmo J-
nior alforriou e oflerecea para o servico do exord-
io e da guerra contra o governo da repblica do
Paraguay.
N. 973.Dito ao mesmo.Por parte do alferes
retratador desta capital !he serao apreseotados os
recrutas Jos Alexandre Pereira e Joaquim Soriano
d'Assumpcao, afirn de que V. Exc. Ibes.d o conve-
niente destino depois de inspeccionados.
N. 974.Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de
mandar por em tlberdade o recruta Miguel Martina
do Sacramento Lins, visto ter sido considerado in-
capaz do servico em inspecco de sade, como
consta do termo annexo ao sen offlcio de 22 do
correte, sob n. 439.
N. 975.Dito ao mesmo.Slrva-se V. Exc. de
mandar-me apresentar o recruta Leocadio da Silva
Santa Clara.
N. 976:Dito ao mesmo.Pode V. Exc. conce-
der permisso ao cabo de esquadra invalido do
corpo n. 30 de voluntarios da patria Manoel Pinto
Ramalbo, para esperar decisodo governo imperial
sobre sua baixa on reforma na provincia do Cear,
onde tem elle sna familia. Deste modo rica deferi-
do o requerimento dessa praca a que allude o offl-
cio de V. Exc. n. 443 de 23 do corrente.
N. 977.Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de
mandar por em liberdade, visto terem sido juga-
dos incapazes do servico em inspeccao de sade,
cerno se v do termo annexo ao sea offlcio de 22
do correte, sob n. 439, os recrutas Flix de Can-
talice e Francisco Emilio Correia Barbosa.
N. 978.Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de
mandar pdr em liberdade o recruta Laurenlino An-
tonio do Nascimento, visto ter provado isenco
legal.
N. 979.-Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de
mandar por em liberdade o recruta Leocadio da
Silva Santa Clara, que provou isenco legal.
N. 980.Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de
mandar inspeccionar o recruta Joo Luiz Rabello,
de que tratara os inclusos papis que me serao de-
volvidos coro o resultado da inspeccao.
N. 981.Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de
mandar pdr em liberdade os recrutas Fabio Jos
de Sooza e Constantino Jos dos Santos, que pro va-
rara isengo legal.
N. 982.Dito o mesmo.Faco apresentar a V.
Exc. alim de que Ibe mande assentar praca e seja
conservado ero deposito al que tenha o convenien-
te destino, o pardo Liberato qne Joaquim Felippe
da Costa alforriou, e offereeeu para o servico da
guerra contra o governo da repblica do Pa-
raguay.
N. 983.Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de
mandar pir em liberdade o recruta Tbeotonio Jos
dos Santos, visto ter provado isenco legal.
N. 984 Dito ao mesmo.Sirva-se V. Ex-., de
mandar pdr em liberdade o recruta Manoel Nicacio
de Barros, visto ter provado ser casado.
N. 98o.Dilo ao mesmo.RespondeBdo ao offl-
cio que V. Exc. me dirigi hontera, sob n. 438, te-
cho a dizer, que depois de Inspeccionados pode
mandar assentar praca como voluntarios aos indi-
viduos de nomes Jos Baplista de Albuquerque, Ve-
nancio Baptista de Albuquerqae e Vicente Ferreira
Baptistade Albuquerqae, que foram apresentados
pelo vigario capitular, segando consta do predito
offlcio.
N. 985.Dito o mesmo.Com este serao apre-
sentados a V. Exc. os recrutas Jco Francisco da
Annunciacao e Victorino ttuflno e o guarda nacio-
nal do batalho n. 10 de infantarla do municipio
de Iguarass Conrado Manoel de Souza, designado
para o servico da guerra.
N. 987.Dito ao inspector do arsenal de roari-
nha.Fica V. S. autorisado a comprar no mercado
visto nao baver no almoxarifado deste arsenal, 3
vergonteas para serem fornecidas ao brigue-barca
Itamaracd, em substituirlo das que recolbea nesse
arsenal em mo estado, Gcando assim respondido o
sen offlcio de 21 do corrente, sob n. 1,260.
N. 988.Dito ao mesmo.Mande V. S. por em
liberdade os menores Laurenlino e Jos, que Ibes
mandel apresentar com o raen offlcio de 21 do cor-
rente, sendo o primeiro entregue sua mili Mara
Joaquina da Concedo, e o outro a Antonia Maris
da Coneeico.
N. 989.Dito ao director do arsenal de guerra.
Para o batalho n. 11 deinfantana da guarda
nacional de Igaarass, mande Vmc. entregar ao
tenente-coronel cora manda a te do batalbao n. 9 do
municipio de Olinda, Lachare! Jos Cardoso de
Qaeirox Fonseca, oa a quem por elle se mostrar
autorisado, como solicitoa o respectivo comman-
dante superior, cera granadeiras com as compe-
tentes bayonetas, correamos o a necessaria ma-
nicio.
N. 990.Dito ao mesmo.Mande Vmc. prepa-
rar com urgencia municao propria para o arma-
mento ltimamente vindo do Rio de Janeiro, e do
qual se dUlribuio por alguns batalbdes da guarda
nacional, e bem assim fabricar bainhas para as
bayonetas qne precisaren).
. 991.Dito ao alferes recrutador desta capi-
tal. Faca Vmc. apresentar ao general comman-
dante das armas, os recrutas Jos Alexandre P<-
reir e Joaqaim Soriano da Assumpcao, a que alia-
do o sea cfflcU desta data, que Gca assim respon-
dido.
N. 992.Uito ao-conselho do arsenal de guerra.
Promova o conseibo do arsenal de guerra a com-
pra dos objectos necessarlos para a aula de prime!
ras ltttras da companbia de aprendizes menores do
-mesmo arsenal, constante do pedido junto.
2* secco.
N. 993.-Offlcio ao Dr. chele de polica.Nao
senli a w las na lomes. os cidados Mslcbiades
Ferreira Lima e Francisco Ignacio de Miranda, de
gao trata o offlc'u de V. S. n. 1,225 de 22 de feve-
reim pro i mi Ha i., segundo se v da informacio
ministrada em 16 do corrente pelo commandante
superior inferido do municipio de Goyaona, junta
por copia, podem ser nemeados inspectores de
quarteiro, eomo solicitou o delegado de polica
d'alll.
N. 994__Dito ao mesmo.Com a copia da infor-
maco ministrada em 20 deste mez pelo Exm. con-
selbeiro presidente da relacao, respondo ao offlcio
de V. S. n. 1,287 de 27 de fevereiro prximo n-
do, sobre a appellaco do reo Francisco Jos Ri-
telro.
N. 995.Dito ao mesmo.Approvando que na
, ausencia de V. S. fique encarregadp do expediente
dessa repartico o delegado do 1* districto deste
termo, bacbarel Luiz de Albaquerque Martlns Pe-
reira ; assim lh'o eommunico em resposta ao sea
offlcio n. 1,966.
N. 996.Dito ao commandante superior de San-
to Aotao.Tendo lecebido eommunlcaco de que
V. S. anda nao prestou a forca de 50 homens, que
mandel seguir para Pao d'Alho, sob o commando
do capito Manoel Joaqaim de Castro Madeira, or-
deno-lbe que apenas este receber faca nio s se-
guir mmediatamente aquella forca, mas tamoem
reunir e pdr a disposico do major ajudante de or-
deas desta preildeocla no.prazo de 4 das, contados
da entrega deste 100 pracas e 2 offleiaes subalter-
nos de confianca ; o qae cumprira V. S. sob pena
de snspensao, que a farei effeetiva
lei.'
N. 997.Dito ao jaiz municipal da primeira va-
ra.Deelaro a V. S para sea conhecimenlo e di-
reccao, que o commandante do presidio de Fernan-
do partlcipou-me em offlcio de 12 do correte, sob
n. 21, que deixaram de vir para esta capital a ds-
posico desse juizo, visto terem termnalo as penas
a que foram condemnados os sentenciados Manoel
Aneceto Bezerra e Manoel Francisco dos Santos, por
terem elles sido indultados por decreto imperial de
8 de Janeiro ultimo, e seguido a 5 de fevereiro pr-
ximo Ando, para a corte no vapor Leopoldina. .
N. 998.Dito ao tenente coronel Epaminondas
Vieira da Cuaba.Nesta data dei o coavenieale
destino ao guarda nacional do batalho sob sea
commando, Conrado Manoel de Souza, destinado ao
servico da guerra, a qae se refere o seu offlcio de
bontem datado que fica assim respondido.
N. 999.Dito ao juiz de direito do Brejo.Mi
nistre Vmc. com urgencia a informacio exigida por
esta presidencia sobre o habeas eorpus concedido
ao sargento da guarda nacioaal Oslas Pergentino
dos Passos, que tora preso a ordem do commandan-
te superior, pelo subdelegado do Brejo, por nao se
prestar a priso de ara criminoso.
N. 1000.Dito ao jalz de direito do Pao d'Alho.
Tenho presente o offlcio de 22 do corrente, em
que Vmc. communica-me ter sido aceommetlida a
cadeia dessa villa s 3 horas da madrugada do dia
nos termos da cal a pagar os vencimentos constantes dos prets
em duplicata que vieram annexos au seas citados
efficios. /
N. 1018.Dito ao mesmo.S. Esc o Sr. conse-
Ibeiro presidente da provincia, mana communicar
a V. S. que o director do arsenal deoerra tem or
dem para entregar ao tenente-coronel do batilho
n. 9 de infamara ou a quem por elle se mostrar
autorisado, as cem granadeiras com bayonetas e
correamos por V. S. requisitados para o batalho
n. 11 de Iguarass, em data de 22 do correute,
bem come a necessaria muniQo.
Expediente do dia 24 de marco de 1867,
1* secco.
N. 1019.ufflcio ao inspector do arsenal de ma-
rinba.A forca da guarda nacional que por parte
do Dr. delegado encarregado do expediente da re
pnica i da polica, mande V. S. fornecer as em-
barcares qae forera precisas para leva-la a bordo
do hiato Sergipano, afirn de receber all e condazir
embarcados para a casa de datenco a vicie e
doas presos que vieram do presidio de Fernando.
2" secQo.
N. 1020. -Offlcio ao commandante superior do
Recie.Communico a V. S. qae nesta data orde
nei ao commandante do 5* batalho da guarda na-
cional, qne flzesse marchar para esta capital toda a
forca do sea baialbo, qae fosse rennindo sem pre-
jazo da que mandei seguir para Pao d'Albo.
N. 1021. Dito ao commandante superior de
de hontero, resultando do conflicto que se travou Santo Anto.Additando o meo offlcio de hontem,
entre os aggressores e a guarda da cadeia a morte
de 3 soldados e o ferimento de outros 3, e a sol-
tura de todos os recrutas e criminosos, a excepeo
de urna criminosa e 2 recrutas.
Communicando-mo Vmc. lacnicamente to gra-
ve attentado, convm qce preste me ioformacSes
mais minuciosas e eircumstauciadas aeerca do (ac-
to, e de qoaes sejam os seas autores, reconbecidos
ou indigitados pela opioio publica.
N. 1001.Dito aojulz municipal de Garanbnns.
Nao tendo recebido com o seu offlcio de 11 deste
mez, a copia do ediUI, pondo a concurso os offlcios
de justica creados pela le provincial de 30 de abril
de 1860, no termo de S. Beato, compre que Vmc.
o remeta para ser'reprodozido o mesmo edital.
N. 1002.Dito ao mesmo.Em vista do que al-
legara Antonia Mari a da Coneeigo e Maria Joa-
quina da Conceico, resolve nesta data mandar en-
tregar-lhes os menores Laurenlino e Jos, que Vmc.
me fez apresentar com o seu offlcio de 11 deste mez,
o que Ihe declaro para seu conbecimento e direc-
fiao- 1 lilil
N. 1003.Dito ao subdelegado de Itamb.Nesta
data le o conveniente destino aos recrutas Joo
Francisco de Annunciacao e Vitorino Rufino, a
que se refere o seu offlcio de hontem datado que
dea assim respondido.
N. 1004.Portara.O presidente da provincia,
attendendo ao que requereu o coronel commandan-
te superior da guarda nacional dos municipios do
B ejo e Cimbres, Candido Xavier Pereira de Brito,
resolve conceder-lhe 40 dias de licenfia.
3." secco.
N. 1005.-Offlcio ao Inspector da thesouraria de
fazenda.Tendo nesta data autorisado o conseibo
do arsenal de guerra a promover a compra dos
objectos necessarios para a aula de primeira lettras
da companbia dos aprendizes menores do mesmo
arsenal constantes do pedido junto por copia: assim
o commnnico a V. S. para sen conhecimento.
N. IOO.Dito ao mesmo.Tendo nesta data au.
torisado ao inspector do arsenal de marrana com-
prar 00 mercado, visto nao baver no almoxarifado
do mesmo arsenal, 3 vergontas para serem forne-
cidas ao brigue-barca ltamvac, em substituico
d-s que recolherem em mao estado : assim o com-
munco a V. S. para seu conbecimento.
N. 1007.Dito ao mesmo.Participando-me o
Dr. chefe de policia, em data de 22 do corrente,
te/ sido pronunciado como incurso as penas do
artigo 269 do cdigo criminal o estafeta Lourenco
Cordeiro dos Santos, por ter subtrahido a mala de
Villa-Bella, que era conduzida pelo estafeta Fran
cisco Jos dos Santos: assim o communico a V.
s. para seu conbecimento e flos convenientes.
N. 1008.Dito ao mesmo.Respoodendo ao offl-
cio que V. S. me dirigi boje, sob n. 159, tenho a
dizer, que segundo eonsta da secretaria desta pre-
sidencia o destacamento de guardas nacionaes exis-
tentes na comarca de Flores, aena-se pago at o
ultimo de Janeiro prximo Ando, e compSe-se de
41 pravas, commaodadas pelo capito Torquatb
Jos da Silva, bem como que o delegado em ejer-
cicio naquelle termo Joaquim Rodrigues Floren-
cio.
N. 1009.Dito ao mesmo. Tomando em consi-
derado o que no ocioso reqoerimento documen-
tado expoz o capito do corpo provisorio de policia
Jos Theotonio Pereira de Carvalho, recommendo
a V. S., que mande ajustar-lbe contas como encar-
regado do recrotamento na comarca do Brejo da
Madre de Deus, e pagar-lhe o sold de 1295-0 rs.
que se Ibe e:t a dever como se v dos doenmentos
annexos ao predlto requerimento.
4* seccio.
N. 1010.Offlcio ao Exm. desembargador pro-
vedor- da Santa Casa de Misericordia Pode V.
Exc. mandar admittir no coll-gio dos orphos nos
termos de sna informacio de 22 do eorrente, sob
n. 604, o finio de Antonio Maria Marques Ferreira,
de nome Marfanno.
N. 1011.Dito ao mesmo.Em vista de sua in-
formaco de 22 do corrente, sob n. 603, aatorlso
V. Exc. a mandar entregar a Candida Carolina do
Nascimento, seu fllho de nome Jos, educando do
coilegio dos orphos.
N. 1012Dito ?o mesmo.Concedo a autorisa-
cao, q.i v. Exc. pede em seu offlcio de 22 do eor-
rente, sob a. 60, para exceder a verba que se
acha esgotada para reparo dos predios e edificios
pertencentes aos estabelecimentos de caridade a
cargo desta Santa Casa.
N. 1013.Dito ao administrador do crrelo.
Participando-me o Dr. ebefe de policia em data de
22 do corrente, ter sido pronunciado como Incurso
as penas do art. 269 do cdigo criminal o estafe-
ta Lourenco Cordeiro dos Santos, por ter subtra-
hido a mala de Villa Bella, qae era conduzida pelo
estafeta Francisco Jos dos Santos : assim o com-
munico a Vmc. para sea conbecimento. .
N. 1014.Portara.Os Srs. agentes da compa-
nbia Braslleira de paquetes, mandem transportar
para a corte por coma do ministerio da marinba no
primeiro vapor que vier do norte aos tren apren-
dizes qae forem apresentados por parte do inspec-
tor, do arsenal de marinba.
expediente do secretario do governo do dia 23 de
margo de 1867.
! secco.
N. 1015.Offlcio ao inspector do arsenal de ma-
rinba.O Exm. Sr. conselheiro presidente da pro-'
vincia, manda declarar a V. S. em resposta ao sea
offlcio n. 1,261 desta data, que os agentes da com-
panhia Brasileira de paquetes tem ordem para da-
rero transporte at a corte no primeiro vapor que
vier do norte aos treze aprendizes da companbia
desse arsenal a qae se refere o sea citado offlcio.
2* secco.
N. 1016.Offlcio ao ]uz de direito da Boa-Vis-
ta.O Exm. Sr. conselheiro presidente da provin-
cia, manda declarar a V. s. em resposta ao sea of-
flcio de 10 de margo nltimo. que acaba de autori-
sar a tbesoarana provincial a pagar ao negociante
Manoel Ribeiro deCarvaiui, a quamiade 150200
constante do sea citado offlcio.
N. 1017. Dito ao commandante superior de
Olinda e Igaarass.S. Exc. o Sr. cooselbeiro pre-
sidente da provincia, manda declarar a V. S. em
resposta aos seas offlcios de 20 do corrente, que
acaba de aotorisar as tbesonrarias geral e pvovin-
em qne mandei prestar ao major ajudante de or-
dem desta presidencia cem pracas da guarda na-
cional do seu commando superior, recommenlo a
V. s. que preste ao sobredito major aquellas pra-
cas ou maior numero deltas, se fir possivel reunir
com promptido.
N. 1022.-Dito ao mesmo.Era 21 do corrente
offlciei a V. S. declarando Ihe que o eoverno im*
perial bavia determinado que fossem cassadas to-
das as licencas concedidas aos offleiaes e pracas
da guarda nacional.
Se V. S. nao ilver recebido ainda aquello meu
offlcio, recomrcendo-lhe que logo que este Ihe for
entregue, expeca sem demora as suas providencias
para ser cumprida aquella ordem do governo im-
perial, dando por Anda tolas as licencas, em cujo
gozo se acbam os offleiaes e pracas da guarda na-
cional do sea commando superior.
N. 1024.Dito ao commandante de batalho n.
2 da guarda nacional do Recite.Mande V. S. pdr
a dlsposico do delegado encarregado do expedien-
te da repartico da policia, urna forca sufflciente
para receber bordo do byate Sergipano e reco-
lher a casa de deteucao vinte e doas presos que
vieram do presidio de Fernando.
N. 1025 Dito ao commandante do batalbao n.
5 da guarda nacional do Recite.Recommendo a
Vmc. que nao poupe exforgos em dellgenciar para
fazer acuartelar seu batalho, como Ihe foi deter-
minado, e que seja qual for o numero de pracas
que ja tenba reunido, faca segui-las immediata-
mente para esta capital, sem prejoizo a qualquer
w que tenha falto seeuir uara Pao d'Alho.
N. 1026 Dito ao commandante do eerp-pre-
sono de polica.Mande Vmc. fornecer ao capito
Manoel Joaquim de Castro Madeira mil capsulas
fulminantes.
N. 1027.Dito ao delegado de polica da Escada.
Recommendo a V. S. que mande entregar com
seguranza e presteza o offlcio que a este acom-
panha.
N. I08.Dito ao delegado de policia de Santo
Anto.Recommendo a Vmc. que entregue ao ca-
pito Manoel Joaqaim de Castro Madeira, portador
deste, as vinte e sete armas com as suas compe-
tentes bayonetas e correamos que Ihe foram lti-
mamente fornecidas.
PERNAMBUCO
REVISTA DIARIA.
A assembla provincial unccionou bontem com
vinte e seis depntados.
Approvada a acta da antecedente o Sr. secretario
leu um offlcio do secretario do governo transmitan-
do por copia a portarla, pela qual o Etm. presiden-
te da provincia prorogou at o dia 6 do corrale,
a presente sesso da assembla.Inte.rada.
Era seguida fol approvado o parecer da com-
misso de obras publicas, que conclue por ama
reselaco, autorizando o presidente da provincia
a receber,. como propriedade da provincia, a ponte
construida sobre o rio Ipojuca, mediante urna in-
demnisaco ao respectivo proprtetario.
Approvoa mais a redaeco do projecto n. 105
substitutivo- do de n. 84 do anuo passado, que re-
gula a aposentadoria dos collectores e seas escri-
ves.
Passando a ordem do dia approvou em 2* ds-
cusso a emenda offerecida em 3* ao projecto 0.52
de 1863, que crea o imposto addiciooal de 3/. sobre
a renda provincial com applieaco a om asylo de
mendlcidade; e bem assim assim as offerecidas
em 3* ao projecto n. 4 de 1864, que crea a fregue-
sa de Gameleira; em 2* discasso o projecto n. 114
deste anoo, qne aatorisa o presidente da provincia
a contratar a collocaco de trilhos urbanos, desta
cidade ao povoado de Jaboato, sendo dispensado
o intersticio a requerimento do Sr. Ramos; em 3*
o de n. 100 de 1864, que manda periencer a fre-
guezia de Bszerros a propriedade denominada Ro-
sario sita no termo do Bonito, fallando acerca da
materia os Srs. Aroorim e Reg arro; em 2* o
de n. 111 que marca urna graticacao anu*?! d*
600$ ai desembargador procarador da corda e
soberana nacional, com urna emenda do Sr. Paes
Ge Andrade igualando os vencimenios dos escrives
e offleiaes de justica da fazenda provincial aos que
percebem < s da fazenda geral, fallando em favor
os Srs. Ramos e Druramond, e dispeensado o inters-
ticio a requenraenio daqaelle; em 3" o de a. 103,
que interpreta a le n. 550 de 1861, e bem assim o
de n. 91 qae extingue o 2* districto de paz da fre-
guesa de Jaboato; em 2* o de n. 81, qae equipa-
ra os vencimentos do colioborador darseeretaria do
governo ao dos amanuenses daquella repartico,
e nma emenda do Sr. Ramos igualando os venci-
mentos do portelro da tbesouraria provincial aos
dos amanuenses daquella repartico, e elevando a
600$ o ordnalo do portetro da Escola Normal;
tambera approvoa em 3' o de n. 61 qne concede
um abate ao arrematante dos lmpostos municipaes
de Pao d'Albo.
Approvoa em nica discasso as postaras addi-
cionaes da cmara municipal do Bonito; eregeitou
em 1* discasso o projecto n. 52 do anno passado
qae creava o lagar de contador e distribuidor dos
feitos da fazenda provincial.
Approvou em 3* discasso o projecto de n. 79,
que crea ama cadeira da lingaa franeeta para o
sexo feminino nesta cidade, fallando sobre elle os
Srs. Amyntbas, Cicero o Ramos; eml* o de o. 107,
qae manda fazer ama ponte sobre o rio Serinhem
no lagar denominado Po-Sangoe, e o de n. 73 qae
manda construir ama ponte nos Colbos do bairro
da Boa-Vista a reunir o de S. Jos.
Levantou se a sessao as 2 e meia horas da tarde,
designando para a ordem do dia seguinte a conti-
nuado da aBlerior, e mais a 2* discasso dos pro-
jectos ns. 73,107 e 108 e 3- dos deis. 31,111 e
114 todos deste anno. a
Reunio-se bontem o Instituto Arcbeologico e
Geograpfaico Pernambucana sob a presidencia do
Exm. conselheiro monsenbor Monis Tvares, e
com assisteocia dos Srs. Urs. Joaquim Portelia,
Nascimento Feitosa, WnraTio Pinto Bandeir, Soa-
res de Azevedo, Cunta Figneiredo Jnior, Rapozo
d'Almeida, Aprigio Guimares e major Salvador
Henriqnes.
O Sr. secretario perpetuo da' conta do seguinte:
Varios nmeros do Diario de Pernambuco, offer-
tados pelo consocio Dr. M. de Figueirda Faria.
Recebido eom
O primeiro
respectiva red
da-se archivar.
Doas nmeros
do, mandou-se archivar.
o do Mercantil, olTeriado pela
.Recebido com agrado, man-
do Oriente, offertad.os pela res-
pectiva redaccolManda-se archivar.
Tres nmeros da Qpmiao Nacional, offertados
pela respectiva redaeco. Recebido com agrado,
manda-se archivar.
Um numero da Faculdade e o Poro, offertado
pela respectiva redaego. Recebido com agrado, i seas desatinos em'JagaaroT
mandase archivar. _. j A loguagem fluente e elegante, e, bem que o
Seis retratosera canoas do marquez de Pombal, autor empregue a ayria particular dos matulos do
do principe MSnneio de Nassau, dos bispos D. Rio Grande, nao cabe elle todava no prosasmo
Jos Joaquim d Azeredo Continho e D. Joo da Po- que qaasi sempre accarreta o emprego de qualquer
nficacao Marques Perdigo, do padre Antonio ; gyria.
tura do i* acto de um drama de costomes em cu-
jo acabamento se esmera o Sr. Cesar de Lacerd a e
que, consia-nos, ser por elle dedicado e offerecido
ao nosso corpo commerelal, em prova de estima
e consideraco pelos obsequios qae de maitos njam-
bros desse Ilustre corpo reeebeu o dstincto dra-
maturgo portugus.
Pelo que se deprehende da parte qae oavimos
ler, esse drama ligam-se episodios histricos dos
principios da ultima guerra sustentada e ganha
pelo Brasil contra o Estado Oriental, e que certa-
mente ho de concorrer mnito para o bom xito
quer,<,e??e **ngoramos ao novo padro de glorias
do Sr. Cesar.
A acgSo do drama passa-se no Rio Grande do
Sal, em 1864, poca da invaso dos blancos e de
Vieira e de Joo Fernandos Vieira, offartados pelo
consocio o Sr-Tboraaz Co.bo Estima. Rece-
bidos com agrada, sao mandados guardar.
O mesmo Sr. secretario perpetuo declara existir
sobre a mesa o balaocete da receita e despeza, re-
lativo aos mezes de abril a junho, i* trimestre do
anno acadmico corrente, apresentado pelo Sr. the-
soureiro. A' commsso de fondos e ornamentos.
0 Sr. Dr. Witruvo Pialo Baodeira, relatando a
commsso de admisso de socios, faz a leitura
de um parecer; o qual entrando logo em votaco,
sao approvados socio effectivo o Sr. cnsul francez
n'esta cidade Osmio Ltporte, e socios correspon-
dentes os Srs. coosule^ortagoezes n'esta provin-
cia e na do Para' Dr*. Claudlno Guimares e Joa-
quim Baptista Moreira.
Vm a' mesa duas proponas para socios hono-
rario e correspondente. A' commsso de admis-
iSiO de socios.
L-se a seguinte proposta :
1 Tendo o novo banco de Pernambuco annun
ciado, que, do 1 de jnlho em diante, as quanlias
all depositadas 00 conta corrente nao veuceriam-
mais jaros, proponbo qae se aatorise ao tbesou-
reiro do Instituto a retirar para outro banco o ca-
pital que em deposito temos n'aquelle, ou a fazer
q .alquer transaeco com o mesmo novo banco, de
modo a continuar o referido capital a vencer os
juros respectivos.
^ c Sala das sessoes, 4 de julbo de 1867. Sal-
vador H. d'Albuqaerque. >
E' approvada.
O Sr. Dr. Witruvo Pinto Baodeira, relatando a
commisso de fundos e orcamentos, faz leitura do
seguinte parecer:
A commisso de fundos e orcamentos, em at-
lenco aos motivos expbstos no offlcio junto, do
Rvm. provincial deste convento do Carmo, sobre
cuja materia foi mandada consaltar a sua spiniao,
de parecer qae sejo concedida, pela verba 1* do
orcamento vigente, a qaantia de 505000 em adju-
torio das obras que ora se fazem na sala do mes-
mo convento, onde funceiona este Instituto.
"-. comumsso nao dnvidaria propor a' appro--
vaco do Instila lo ama qaaalia superior, mas
considerando que as foreas do cofre nao com-
portara maior concesso, restringe-se a' indicada;
< Sala das sessoes do Instituto Arcbeologico e
Geographico Pernambocaoo, 4 de julho de 1867.
Witruvo Pinto Bandeira.Faria Noves.
Posto em dlscusso, votado sem debate.
Em seguida o Srl Dr. Rapozo d'Almeida, toman-
do a palavra, conclue a leilara do Catlogo Hist-
rico e Biographico das Bispos de Pernambuco, leu-
do as biograpbias dos bispos D .Fr. Jos Mana
d'Araujo, D. Fr. Antonio de S. Jos Bastos, D. Jiao
da Purillcaco Marques Perdigo e D. Manoel do
Reg Medeiros.
Na transir) dos bispos nomeados pelos res de
Portugal e imperadores do Brasil, entrou o illas-
irado biographo em rpidas considerarles acerca
do modo por que se deve entender igreja brilan-
nica e igreja brasileira.
To importante trabalbo, que da' copia da iilus-
traco e do amor a's lettras do seu autor, ao mes-
mo lempo qae consagra um monumento a' nossa
historia, (echa se com ama espeeie de estatistica
acerca da historia e biograpbia dos bispos pernam-
bucanos; e dando ama llgeira noticia sobre o his-
po nomeado de Pernambuco o Sr. padre Francisco
Cardozo Ayres,
O Sa. Dr. Rapozo d'Almeida, especialmente na
bijgraphia do Sr. D. Joo da Punflcacao, offerece
ao leilor noticias novas, e apura multas datas, bem
como determina-qae Gregorio XVI, e nao Pi VIH,
ou Leo XII, como pretenden) alguns, o pontfice
que o confirmou.
O Iostitoto toma o trabalbo do Sr. Dr. Rapozo
d'Almeida na devida consideraco ; e, alm das fe-
licitacoes que em nome conectivo Ihe dirige o
Exm. S. conselheiro monsenhor presidente, o
mesmo senhor applandldo por cada nm de seus
cooiocios, ao terminar a leitura do catalogo hist-
rico e biographico dos bispos de Pernambuco.
Sao presentes offlcios da direcco do novo banco
de Pernambuco sobre a resoluco tomada de nao
contiBuarem a vencer jaros as qaantias all postas
em conta corrente.Inteirado.
Levanta-se a sesso.
Hoje e amanhaa tem lugar, perante a Facul-
dade de Direito desta cidade, a defesa das Ineses
offerecidas pelo doutorando bacbarel Jos Joaquim
lavares Beltort.
Tendo sido nomeado membro effectivo do con-
seibo director da instrueco publica o professor
Miguel Archanjo Mindello, que era membro sub-
stituto do mesmo conselho, tol n'este lugar substi-
tuido pelo professor publico Vicente Ferreira de
siqueira Varejo.
Domiogo prximo empossadada a nova jun-
ta administrativa do Hospital Portugaez de Bene-
cencia.
Sobre proposta do Sr. Dr. director-geral da
instrueco publica, foi nomeado para reger interi-
namente a cadeira de primeiras letras da Cachoei-
ra do Canboto o Sr. Joaqaim Freir Livor.
A sociedade recreativa Phil'harmmica, daCa-
punga, elegeu para a sua direcco os Srs. Epami-
nondas Pinto Bandeira e Aceioli de Visconcxlios,
director; Cosme d'Abrea Macedo, vice-Jirector;
Manoel d'Abreu Macedo e Jos Pereira Arantes J-
nior, secretarlos; Justino Miguel da Costa, tbesou-
reiro; e Julio Augusto Ferratra, procurador.
A empreza dos trilhos urbanos foi aatorisada
a prolongar o respectivo trafago at a bomba que
fica alm do Mooteiro, sem que dessa prolongado
possa a mesma empreza baver maior paga do que
a actualmente percebida paquella ultima esta
cao.
For molestia foi transferido para a reserva
o Sr. capito do 8* batalho da guarda nacional
Francisco Cavalcanti de Sooza Leo.
O movimenlo de entrada de algodo e assocar
00 mez prximo passado fol o seguinte: .
Algodo 3,501 saccas.
Assucar 1,169 saceos.
Foram nomeados para o batalho n. 27 da
gnarda nacional, de Caraar, os Srs. segulotes :
Mignel Archanjo de Mendonca, tenente-coronel;
Manoel de Souza Braga e Pedro Antonio d'Azevedo
Barros, capito; Manoel Francisco da Silva, Jea-
qaim de Barros Silva o L urlano Jos de Noguei-
ra Mello, tenantes; Aureliano de Barros Correa,
Antonio Gomes Rebollo, Manoel Marques d'Azeve-
do Galvo. Bazllano da Silva Souza e Joaqaim
d'Aguiar Ccrdoiro, alferes.
Tlvenws occasio do ouvir ante-uo:
O espectador eo leitor do drama do Sr. Lacerda,
que noconhecer essa gyria, acha logo aps o em-
prego de qualquer palavra on pbrase a sua respec-
tiva explicaco em llngoagem commum.
O titulo do drama o monarcha das coxiliias
nome dado pelos estancieiros do Rio Grande aos
ebefes das xarqueadas, qoe vem a ser o nosso
ftilor.
Dizem-nos que o drama ser levado i scena em
breve, e que se lo-ba talvez mefhona primeira noi-
te de espectculo da companbia dramtica aps a
nter/npgo de trabalhos que ella teve.
Chamamos a attengo de quem competir, pa-
ra a grande quantidade de marinheiros de todas
CATI.1RA MtXICIPAL DO RECIPE.
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 20 DE MARCO-
DE 1867.
PBESIDBNCIA DO SR. PSRBIRA-SImSkS.
Presentes os Srs. Gustavo do Reg, Aqaino Fon-
seca, Sr. Miranda, Dr. Pitanga, Dr. Vilias-Bdas e
Dr. Seve, faltando cem causa os mais senuores,
abriu-se a sesso, e lida e approvada a acta da
antecedente.
Leu-se o seguinte
EXPEDIENTE.
Um offlcio do Exm. presidente da provincia, de
14 do corrente, declarando que em vista doaquA
Ihe ponderara a cmara municipal em outro de 2=
do do mez, sob n. 11, relativamente a questao
proposta por Bazilio Alvaref de Miranda Varejo.
acerca da posse do terreno onde se acaam edifica-
dos o agougae.0 ribeira da freguezla da Boa-Vista,
do qaal. finalmente obteva o referido Bazilio sen-
ten?a_ rseu favor 00 tribunal da relacao, concede
a autojisayo, que a mesma cmara solicita para
pagar a qoantia de 19:9934490 em que foi con-
deranada.Posto em discusso, o Sr. Dr. Miranda
pede a palavra, e sendo-lhe concedida, diz que, se
para esse pagamento traba sido concedida a auto-
ri sacio solicitada pela maioria dos membros desta.
cmara, nao se segua que nao se podesse deixar
de usar da mesma para que Bazilio Alvares de Mi-
randa Varejo, antes prosegulsse em sna execu-
co, do que se fizesse esse pagamento, sem esgo-
lar-se os recursos legaes, qae anda poderiam.
acaulellar o direito municipal, especialmente se
altendesse-se que emboa f, no offlcio em qae se-
pedir a antorisaco para esse pagamento, esta
mesma cmara, referindo-se ao mandado da pi-
as nacoes, qaS se_acbam desembarcados, e iufes- 5?U" ^^^^^S^JJ^tZ
tam as ras do Forte do Maiws^ becco da Boia, e
becco do Campello. Neste ultimo na noite de S.
Pedro, houve um trovador, ou antes troador, que |
anda alm da 1 hora da noite incorarao los com
insulsas e obscenas trovas toda a visinhanca.
De dia proeuram as rampas, onde se a'gglome--
ram i pretexto de catraieiros, sem com tudo se-
rem muitos delles matriculados.
Nao serla mo qoe constantes rondas fossem
mandadas para esses lugares frequentados por es-
tes occiosos e turbulentos com o lira de evitar os
disturbios e encocara dos aos moradores.
O commandante do vapor americano Lady
/ano entrado bontem dos Estados-Unidos, coramu-
niea, qae a sua sabida do Cear no dia 29 do pr-
ximo passado, havia entrado do Acaracu', onde ha-
va fleado detido por falta d'agua, o vapor Pirapa-
aia, qoe ja inspirava serios cuidados quelles, que
esperando por elle gneros oa amigos, nao sabem
os inconvenientes &n nossas barras e portos.
Por ser bontem o dia anniversrio da inde-
pendencia dos Estados-Unidos, estlveram emban-
derados o consalado e os navios respectivos.
Pedem-nos reclamemos o concert do cami-
nhe qne d pissagem da estrada de Olinda para os
Arrombados, aflm de que nao flqaem os moradores
Mese povoado privados de se eommunicarem por
'-rwrra com aquella cidade.
No juizo do delegada do primeiro districto do
termo da cidade do tiecife, durante os anuos de
1864, 1865, 1666, e primeiro semestre do corrente
aoBo, foram instaurados noventa e oito processos,
sendo 26 por crime de roubo, comprebendendo 44
reos; 5 por crime de injurias verbaes, compreben-
dendo 5 reos, sendo dous por injurias dirigidas a
tunccioniros pblicos era actos de exercicio de
seo mprego; 12 por crlmes de fenmentos e offen-
sas physicas, comprehendendo 19 reo?, sendo 7 do
art. 201, 1 art. 202, 3 do art. 205, e 1 do art. 206;
7 por crime ae estupro, sendo 5 do art 219, 1 do
art. 220 e i do art. 222; 2 por crime de damno era
abjecto de propriedade particular ; 11 por crime
de estellionato, comprehendendo 12 reos, e destes
tres sao cmplices, i por crime de destruir edifi-
cio publico, coroprehendendi dous reos ; 2 por aso
de ltalo iodevido, comprebendo dous reos, sendo
I por se dizer e assigoar seu nome precedendo-o
do titulodoutorre o outro por usar e se dizer
tenente do exerclto; 7 por crime de furto, compre-
bendendo a sete reos, 2 por crime de dar dinhel-
ro a juros sob peohores, sem a licenca previamen-
te oblida para isso, comprebendendo a dous reos;
5 por crime de falsidade comprehendendo a sete
reos, 11 por crimes de morte, previstos nos arts.
192 e 193, comprehendendo quatorze reos ; 3 por
crime de uso de armas defecas, comprehendendo
tres reos; 2 pir crime de fuga de preso, previsto
na segunda parte do art. 125, compreheodo quatro
reos ; 1 por crime de teatativa de poligamia ; e 1
por crime de resistencia, previsto na segunda par-
te do art. 116, comprebendendo cada um destes
processos um uoico-re.
Pelo juizo da .mesma delegada e no decurso
do lempo referido, foram decretadas as seguintes
prisoes: 62 para averiguares em diversos crimes;
1 por complicidade em tentativa de estellionato; 2
de condemnados ; 247 para correceo por diversos
motivos; 13 para serem conservados em custodia ;
1 por daino em objecto de propriedade particu-
lar ; 2 por destruico de edificio publico; 1 por
desobediencia; 32 por disturbios ; 23 desertores ;
9 por embriaguez ; 76 escravos fgidos ; 43 escra-
vos a requisieo dos seohores ; 1 escravo a requi-
sico do depositario ; 8 por estupro ; 14 por estel-
lionato, 18 por ferlmentos graves e offensas da
me;ma natureza; 22 por ferimentos e oflensas phy-
sicas leves ; 17 por furtos; 4 por furto de escravos;
8 guardas nacionaes designados para a gnarra; 37
por infraccoes do regulamenio da policia das es-
tradas de ferro; 3 por InfraecSjs de reglamenos
militares ; 14 por injurias verbaes e insullus a par-
ticulares ; 2 por injurias verbaes a fuoccionario
publico; 1, iostramento para roubar; 5 por jogos
probibidos; 3 por moeda falsa ; 15 por crime de
morte e complicidade no mesmo crime ; 3 por cri-
me de peculato ; 7 pronunciados em diversos cri-
mes ; 35 por crime de roubo, sendo dons com in-
cendio, 15 em vlrtude de requisieo dos comman-
dantes dos corpos da guarda nacional; 1 porredu-
ztr pessoa livre a escravido ; 12 a requisieo dos
cnsules; 2 por crime de resistencia; 1 por tenta-
tiva de estellionato ; 7 por tentativa de morte ; 3
por tentativa de rapto; 1 por tentajva de polyga-
mia ; 4 por aso de armas defezas; e 3 por vaga
baodos.
O vapor ameriesno Lady Lang, de 600 tona
ladas, movido rodas, chafado bontem de New-
York pelo Cear, tem 300 de comprimento, 40
de largara e 32 de altura, demanda 7 ps d'agua,
e accommoda bem 86 passagelros em doas aceia-
das cmaras. A sna marcha regalar de 11 12
railbas por hora. Destina se a' navegaco entre o
Rio de Janeiro e Santa Camarina, para onde segui-
r', depois de tomar carvo.
Boje davem reunir-se os accionistas do Novo
Banco, para deliberar sobre o futuro destino do
banco.
RBPART1QA0 DA POLICA.
Extracto das parles do dia 4 de julho :
Foram recolbidos a casa de detenco no dia 3 do
corrente :
A' ordem do IHra. Sr. Dr. chefe de policia, Car-
los Antonio Wanderlino, Jos Joaqaim Rodrigues
Braga e Esperldio Barbosa da Silva, viudos do
districto de Doas Barras, como pronunciados em
crime de moeda falsa. A' ordem do subdelegado do
Recie, Joo, liberto, para correceo. A ordem do
de S. Jos, Hermino Marques Evangelista, como In-
dignado em crime de morte.-0 chefe da 2- seccio
/. G. deilesqiuta.

ra : que 1 nao pode todava privar, qae oatro so
< expedisse, logo depois de poneos das, e j nao
1 houve razoss que se allegassem, com o Ora da
evitar qoe fossem attendidos, e o mandado de
< pinbora, toreada, foi concedido ; e determinou-
se qae tivesse execaco. Entretanto, que, pe-
]n -Mrario, desde a penltima sessao ordinaria,
estava informada, que o mesmo com offlciaos de
justica, aprovixtjndc-se de um mandado, que dei
xra de recolber a o car torio, e ti car a sem effeilo ;
neste paco municipal, seTlpresealr* para pinho-
rar o respectivo cofre, sem qne pelo juizo munici-
pal da primeira vara, se tivesse passado nm ontro
mandado, ou restabelecldo o primeiro; avista do
que, antes da autorisacao desse pagamento, nao
se tendo resalvado aquella nexactldo, que antes
da penltima sesso, nao era enlo sabida ; e na
ultima sesso Acara a sen cargo, torna-la a verifi-
car ; tanto mais cpntinuava a votar contra esse
pagamento, quanlo haveodo ainda a mesma
inexaciido; tal vez que,, se antes ou depois da
concedida a autorisacao desse pagamento, fosse
resalvada aquella referida inexaciido, qae existia
no offlcio, que a mesma autorisacao se refere;
para qae no estado em qne so acbava a qaesto,
com pleno conbecimento de causa fosse concedida
essa autorisacao, ou reconsiderada ; a mesma dei*
xasse de ser concedida, ou subsistir ; actualmente
contra esta cmara nao existe mandado algum de
pinbora; antes ama appellaco, pela mesma in-
terposta desde a penltima sesso, se fosse dene-
gada ou recebido em um s efleito, ainda bavena
0 recurso de aggravo ; e como razo de mais para
i|U3 acerca dessa questao, nao deixasse de baver
todo o esclarecimento, acerescentava qae o terre-
no em qae estava situado o acoague e parte da
ribeira da Boa-Vista, tanto menos podia ainda per-
leocer ao proprio Bazilio Alvares de Miranda Va-
rejo, nara qae contra o mesmo podesse ser inten-
tada a aeco rescisoria, quanlo em ama soa peti-
Co ; qae aos 23 de agosto e 13 de setembr de
1854, fura despachada por ama das cmaras tran-
sactas, e se acbava junta aos autos da aeco prin-
cipal ; o mesmo por si, e em nome de sua mu*
Iber, que declara ter sido berdeira universal de
seus avs paternos; referindo-se a estes, consig-
nara o segrale : t Seohores directos, que foram
de om slo, entre a igreja da Santa Cruz, e a
< ra da Gloria, que por suas morles passou ao
c sogro do supplicaute, e pela deste ao sapplican-
te ; cujo slo se acha devoluto como iudo mos-
f tra o documento junio; e porque, conste ao
supplicante, que alguem quetra aforar a esta
< lllma. cmara, vem o supplicante ioteira-la do
< sea dominio, e por seus antepassados, por to
c longo e justo titulo, aflm de que a lllma. cama-
ra, reconhecendo-o, evite controversias a respei-
< to, por quanto, o slo possoido directamente,
1 sem oous algum. Entretanto, que, se a obra
do agougue e parte d'aquella ribeira, antes d'a-
queile anno j estava feita, quer em 1822, ou em
1824, claro estava, que o terreno em que fra si-
tuada essa edificad!o, pertencia antes ao munici-
pio, do que ao proprio Bazilio Alvares de Miranda
Varejo, porque nao estava devoluto, n'aquelle
anno de 1854, como declarava n'aquella sua peti-
co, qne fazia prova contra si ; e se apesar do
que ca ponderado, na existencia da autorisacao
para esse pagamento, contra o qual sempre vola-
ra ; quanto a forma para que nao deixasse de fl-
car garantido o direito municipal, entendase,
que, nessa parte apenas se devia ouvlr o advoga-
do; embra se oppozesse ao pagamento, approva
a garanta que se quera tomar a respeito, para
que ao menos nao se flzesse esse pagamento sem
previa seguranca e caatella, j qae a maioria opi-
nara pelo pagamento, e apenas exiga garantas
qaanto a forma.Ultimando o Sr. Dr. Miranda, o
Srs. Gustavo do Reg e ur. Pitanga, fallara sobre
a materia do offlcio em discusso, depois do que
resolveu se, votando contra o mesmo Sr. Dr. Mt-
ma, que se offlciaesse ao advogado para aconse-
jar a melhor maneira de se effeclaar o pagamen-
to, e, se cem flanea oa seo ella, oa por qualquer
outra forma qne offereca garaotia a cmara.
Urna peico com despacho da presidencia, de
18 do corrente, mandando Informar, na qaal Joa-
qaim Jos Bel'o, ex fiscal da freguezia dos Affoga-
dos, pede a S. Exc. para que o aposente, e allega
em seo favor os servicos por elle prestados no de-
curso de mais de trinta annos, qae estove em
exercicio do dito cargo.A commisso de petigoe*,
i requerimento do Sr. Dr. Miranda, acempanbau-
do os pareceres dados pela commisso de policia,
quando no principio do presente quatriennio veri-
ficou as contas do procarador do entao, em cojo
parecer tratou tambera acerca dos respectivos em-
preados municipaes, e o parecer dado sobre
igual pretenglo do supplicante, e bem assim o ex-
tracto da acta na parte em qae se tratou da exo-
neraco do referido fiscal Bello.
Um offlcio do Sr. vereador Feliciano Joaqaim
dos Santos, partecipando que por acbar-se eneora-
modado.no poda compareoer a sesso.Intei-
rada.
Ontro do secretario da mesa regadora da irman-
dae do Senhor Bom Jess dos Aflictos, srecta
na igreja de S. Jos de Ribamar, convidando a c-
mara, de ordem da mesma mesa, a acompanhar
a procissao qae preteode ella fazer a dita imagen,
em o da 84 do eorrente as tres e meia horas da
tarde, aflm de que o acto seja o mais solemne pos-
svel.lDteirada.
Oatro do flseal da freguena de S. Jos, pedndo
hoavesse a cmara de mandar pagar ao Dr. Igna-
cio Firmo Xavier a qoaniia de 12J0O0, de daas
corridas que proceder na mesma freguezia em os.
dias He 12 de Janeiro prximo passado.Qae se
passasse mandado de pagamento.
Outro do mesmo, representando contra o proco-
dimento do guarda municipal da freguezia de San-
io Antonio Galdino Franeisoo Galano, morador na
oa Imperial, qae de parceria eom o inspector de
oartelro de nome Joao Baptista, e mais doas la*
4
.-rs.


>$/"*"
-3"**i
^


"*"'
Mario He PerBambHM Sexia felra 6 4c *nlh de 1867.
diviauos, que & tlvtrte detondareni a noit>, ch-, l.ii de dador, ceatrrtira flferigar-o 4e prlacl-
maram a si o eae., e a tato e malta, eitort,ulram por vexes
dos almoeretea e viandantes, de um dona mil
reis, de conformidade com as leis munlcipaes, ca-
jo faci escandaloso, pratieado. sampre a noite,
cnegoa ao conheciroeato delle Bacal por Interme-
dio do inspector de quarwrao Amaro Jos dos
Prazeres, commerciaote estabelecldo na mesma
roa Imperta!, e se acba antbeniicado por oito tes-
temunbas, como veri a cmara da parte junta.
Declara anda j ler levado o occorrido ao cenhe-
imento do respectivo subdelegado para providen-
ciar, constaodo-lhe j ter sido exonerado o dito
Inspector Joao Baptista.Posto em discussao, re-
solvente exonerar o parda do servico.
Entren em discossao cm requerlmento adiado,
na sessio de 9 do correte; no qnal Jos dos Sao-
tos Ramos d'Oliveira, fiador de Francisco de Car-
valbo e Sooza, pede para ser exonerado da Banca.
O Sr. Dr. Miranda pede a palavra, qoe sendo-lbe
concedida, diz qoe, se na mesma pelico o supli-
cante como fiador de Francisco de Camino e Son-
ta, arrematante do arrendamenlo da ca.-a n. 20
da ribeira da tregoezia de S. Jos, pertencente a
esta comarca, pedio qoe fosse exonerado dessa
llanca, pagando a importancia do aloguel a a en-
trega da chave, em vez de ser attendido na exime
cao dessa referida anga, pelo contrario, antes de
expirar o tempo do contracto,- a mesma deveria
ser tanto mais conservada, qaante confessava qoe,
ba mais de seis mezes, se ausentara o seo afin-
cado, e dia casa se acbava todo esae tempo fe-
chada ; anda faltava mais de um anco para com-
pletarem-se os Ires iodos dessa arrematado, e
deixara, qnr fosse, qnr nao de proposito, de
mencionar que annuira a' cbngaco de principal
pagador; entretanto qoe do respectivo termo dessa
mesma ammatacao constava qoe : < Se respon-
< labllisava pelo dito debito, nao e como fiador,
< seoo tambem cerno principal pagador. O qoe
era bastante para qoe, tendo acceitado o contracto,
com tadts as condiedes qoe foram estipuladas,
nem tendo anda expirado o seo tempo, tanto mais
se delxasse de conceder a exoneracao dessa flan-
ea, qoanto esta cmara, aeaotelando apenas o di
reito municipal, nao devia privarse de orna foriis-
sima garanta, qoe fura estipulada ; e do seo in-
ferimenlo nenbum prejaizo resnltava paraqnem,
pal pagaqor, porque crtenle.: qoe o fiador, pa-
gando, Sea, jk# jure, subrogado ao direto a
ac(;2o do credor, sen necessidade de ontra ca-
dencia, pCde, pola, demandar odevedor, por tu
do o que por elle pagou com seos joroa, sem
i que elle ea desabrigue, anda que mostr ler ja
i pago parte da divida oa toda ella; porquaato, o
i devedor deve informar o seo fiador dos paga-
c montos qoe fez, para qoe este os nao" reitere, e
c pode tambera demanda lo pelo damno qne I he
i resultou, causado pela demor culpavel delle
f devedor em nao pagar a lempo. >
Fallando tambem en sentido contrarloao qae
exp5e o Sr. Dr. Miranda, e os Sri. Gustavo do Re-
g, Dr. Pitanga e Dr. Villas-boas, tai posto a votos
SE'cosame carregar o estomago do doeo- cida por todos, mas ainda a modicidade cansas qne nao so permanentes; existe um
; dos seos procos os recommenda aos Srs. defeito de organisacodeste banco, quetor-1

porn estes em vez de tirar a causa aug-! pbarmaceaticos e droguistas
se devia ser exonerado da llanca, picando o alo-
gnel da casa at a entrega da chave, n'este sentido,
passou votando contra os Srs. Dr. Miranda e Aqui-
no Fonceca.
O Sr. Dr. Pitanga fez o seguinie reqoerlmento,
qne, sendo posto em discossao, foi approvado:
f Requelro qoe se peca ao fiscal da Boa-Visla-
qoe informe se na constroegao do cano de esgote,
qoe se prepara no hospital de caridade, se tem ob,
servado o parecer dado pela commisso de laude
desta cmara. (Assignado)-Dr. Pitaoga. .
Mandoo-ae ordem ao solicitador para tirar copia
dos autos da questo cem Basilio Alvares de Mi-
randa Varejio, e fazer seguir a revista inlerposla
para c sopremo tribunal de justica.
Despacbaram-se as peticSes da mesa regedera
da irmaadade do Santisslmo Sacramento de S. Fr.
Pedro Goncalves, Alexandre Rodrigues de Alraei-
da, Dr. Apriglo Jostiniano da Silva Guimaraes,
Bernardioo Jos Moolelro, Bernardino Antonio Pe-
reira Bastos, Constanca Mara Velloso, Domingos
Jos Barboza, Guilberme Augusto R* bel te, Jos
Manoel do Nascimento, Jos dos Santos Ramos e
Oliveira, Jos Goncalves Beltro & SimSo, Jos
Francisco de Menezes Amnrm, Manoel Pereira
dos Santos, Manoel Martins Fiuza, Maooil Moreira
Campos, Miguel Candido de Medeiros Pinto (7),
Pedro Pereira de Lemos, Tbomaz Ferreira de Car
valho & C, e levantou-se a sesso.
Eu, Francisco Canato da Boa-viagem, secretario,
a subscrevi.Reg, pro presidente.Santos.Sil-
va do Brasil.Dr. Pitanga.Fonceca.- Dr F. Vil-
las-boas.Dr. Miranda.
TABELLA DO ItENUlliENTO DA ALFaNDECA DE PERNAMBUCO DO MEZ. DE JUNHO DO
CORRENTE ANNO PINANCE1RO, COMPARADO COM O DE IGUAES MEZES DOS DOUS ANNOS
LTIMOS.
Imporarao.
Bircitos de consumo.-.......
Ditos addicionaes de 3 %......
Ditos addicionaes de 2 %......
Ditos d" baleac,5o e reexportacao .
Ditos de diios e reexportacao para a Costa.
d'Africa...........
Expediente dos gneros estrangeiros nave-
gados por cabotagem ...-...,
Ditos dos gneros do paix......,
Ditos dos gneros livres........
Armazenagem..........
Premio dos assignados .....
Despacho martimo.
Ancoragem.............
Direitos de 15 % das embarcacSes estrangei-
ras qae passam a nacionaes.....
Ditos de 5 % na compra e venda das embar-
cac,oes.............
Exportacao.
Direilos de 15 % do pao Brasil .Jsi
Direitos de 7 % de exportacao ~s. .
Ditos de 2 % idem. -< .
Ditosjdei^ff^jeHe-eTlIbarra ....
DQgUe Va % dos diamantes ....
Expediente das capatazias. ... .
Interior.
Multas.............
Sello do papel fixo........
Dito do papel proporcional......
Emolumentos..........
Imposto dos despachantes......
Extraordinaria.
Receita eventual.........
1866 1867
V
321:718*382
41:530*504
177*285
218539!
*
173*080
1:230*781
194*358
2:558*958
1:701*480
1:650*000
*
186o 1866
Dizimos da provincia das Alagas. .
Ditos da provincia da Parahyba ....
Ditos da provincia do Rio Grande do Norte.
Contribuicao de caridade.......
*
46:663*710
*
768*840
988*153
400*400
91*680
43520o
420:109*402
2:169*542
1:288*415
148*731
525*080
424:2405970
48o:33J'*U3
63:609*761
19.1*79*
612*911
*
498*045
2:121*052
1:060*951
1:8185973
*
* 2:152*200
*
5*250
*
84:534*018
*
*
i
889*120
523*!65
452*'. 00
173*998
82*400
31*50
*
1861 1863
44:1145538
3:440*376
1:026*369
. 88*199
633*200
649:302*882
Alfandega de Pernambnco, 3 de julho de 1867.
O 2 escripturario,
Henrique Gomes de Oltvtira.
i Correspondencias
D. Aaoa Emilia de Souza Sanies.
D. Menervioa Julia Duarte Antunes.
i). Julia Moreira de Azevedo.
D. Balblna Carolina Padlha Lavra.
D. Carolina Francisca Msgalhes e Silva.
D. Ananezia Alexandrina Bastos Santos.
D. Josepba Moreira Peixoto.
D. Luiza Mara Pereira dos Santos.
D. Ermellnda Caetana da Fonseca Gondim.
D. Anna de Almeida Cardoso.
Senhores Redactores. Tendo sido demiltido de
V sopplente da subdelegada deste districtd sem
declarado de motivo, vou por este meio solemne
agradecer aos meas correligionarios e desafiados
particulares o beneficio que me proporcionaran),
livrando-me assim do constrangimenlo de andar
associado a' renegados qoe fingindo adherencia ao j ~' *nDa LSa?**
progresso, retrogradam a' olhos vistos por causa | l*an fliar"ns aol "
da obediencia servil, qae estupida oa acintemente
vo prestando aos mais ferrenbos dos nossos.ad-
versarios.
Nossa Senhora do O' de Goyaum 30 de junbo
de 1867.
O liberal progressista,
Francisco"Muniz Pereira Matta.
mentam-na, esquentando o sangue, ao mes-
o lempo que^tiram o apetite, relaxara os
solidos, e sao de toja sorte perniciosos.
Tudo qae se flzer para extinguir a tosse,
alm do exereicio e rgimen apropriadode-
vem ser^emedios de natureza acida, deter-
gente e calmante.
Os cidos possuanr a virtude de prodnzi-
rem bons effeitos nessa enfermidade, por
que, nao s coatribuem a apagar a sede
quando accommettem a febre elhica, mas
tambem a refrescar o sangue.
Aos doentes desta enfermidade, quando o
seu estado de gravidade tal que a febre
elhica os accommelte. prescrevo-lb.es o suco
de um limo dissolvido em nma chicara
d'agua com bastante assucar em um grande
copo para misturar com um papelinho dos
pos refrigerautes para tomar, com que ali-
viana no accommettimento da febre, e pela
manhaa o xarope etberico de veame. Tenho
aconselbado, qn j fa^am uso de vegetaes de
natureza acida, como laraDjas, lim5es, pi-
tangas,.uvas, etc., e applicaces de plantas
amargosas, quefortificam o estomago e ser-
reta ao mesmo tempo para destruir e miti-
gar a sede.
Sra. D. Joaquina de S Brrelo, tendo
urna sua escrava fallecida desta molestia,
submetlida ao tratamento de seu medico,
resolveu procurar-me para tratar de um ou-
tro escravo, que soffria da mesma enfermida-
de, prescrevilhe o xarofe de veame, tem
melborado consideraveltoente.
A senhora'do Sr. Antonio Francisco Ho-
norato foi desengaada por habis mdicos
desta cidade, esteve prostrada, e nos lti-
mos paroxismos damorte, foi comoxarope
de veame salva, como se v da caria impres-
sa no Jornal do Recite de 9 de tavereiro de
1863.
O escravo Emilio, do Sr. tenente-coronel
Rodolpho Joo Barala de Almeida, foi tam-
bem desengaado por habis medico.*, e com
o xarepe de veame acha-se completamente
restabeiecido, como se v tambem da carta
impressa do mesmo Sr. tenente-coronel no
msalo Jornal do Recife.
Nlo deixarei de advertir ao publico, que
as minhas preparares de veame sao reuni-
das com outros ingredientes, e com elles
tenho oblido ptimos resultados : nao se en-
gae o mesmo publico com oulros que por
abi se annnnciam, cujas preparacSes ignoro,
2:016*9901 assim como o aproveitamento aos enfermos,
j a quem porventura tenham sido applicados;
541*433 cada um responde por si, e eu afirmo com
terdade o que aqu tenho relatado, cujos
medicamentos nesta provincia s vendo em
uiinha botica na ra Direita n. 88.
Jas da Rocha Paranhos.
Nazareth do Cabo, 7 de setembro de-1863.
Illm. Sr. Jos da Rocha Paranhos.Com
1:535*860'o maior prazer levo aoconbecimento de V.
5., que o doente que V. S. acha-s adminis-
417*700 !trando"!fle remedios, acha-se no todo res-
141*9301 tabelecido, portanto nada sent, tendo des-
64*000 apparecido no todo a tosse, tem muita dis-
450*000 psito comida e acha-se nutrido. Deixou
de tomar os ltimos remedios que V. S. re-
ceitou no dia 30 do passado, resta agora a V.
417:299*568 S. mandar-me dizer qual a dieta que o doente
*-5'?*656 deve conservar e por quantos tempos. men-
985750 cionando as comida que dever usardaqui em
i93A99odiyiie. ;
-L Resta-me agora agradecer a V. S. o tui-
^ Jado qae toman no tratamento do mem%o-
brinho, abaixo de Dos, devMo o seu resta-
belecimento a pericia de V. S., e por isso
pode \\. S., sempre eontar com os rneus di-
minutos prestimos, e desejarei em todo o
tempo dar urna prova do meu recoheci-
mento.
Dezejo a V. S. todas as venturas, por ser
de V. S. muito respeitador e obrigadissimo
criado.Francisco Beringuer Cesar de Me-
nezes.
na impossivel a sua continuado com vanta-!
390:684*543
' 38:967*247
87*890
268*122
648*116
1:090*313
860*880
2:814*734
*
5*350
*
76:037*274
*
423:1665461
fubiieacoes a pedido
O abaixo assignado, mordomo do hospi-
cio dos alienados em nome dos mesmos e
dos pobres nao pode deixar de agradecer as
Exms. Srs. D. Alexandrina Leal, baroneza
do Livramento, Carolina Lias, Irmaa Su-
perara do Colegio das OrphSas, Regente
do Convento de Dossa Senhora da Concei(o
e aos Srs. conselheiro Antonio Ignacio de
Azevedo, D. Abbade de S Bento, Antonio
d'Almeida Gomes, Angelo Bjptista do Nas-
cimento, Antonio Ramos, Antonio Silveira
Luiz, tenente Braz Machado Pimeotel, Fra-
ga & Rocba, Dr. Francisco Caldas Lins,
Francisco das Chagas Salgueiro, cooego Fir-
TBlno de Mello Azevedo, guardiSo Fr. Anto-
nio de S. Gamillo de Lelies, Dr. Jos Car-
doso de Queiroz Fonceca, Joaquim Lopes
d'Almei )a, Jos Nunes tl'Qliveira, tenente-
coronel M noel Antonio dos Passos e-Silva,
Manoel Nunes de Mello, conego Marcelino
Antonio Dornellas, Dr. Quintino Jos de
Miranda, e Tbomaz Jos de Gusmao as of-
fertas que se dignaram fazer para- abrilhan-
taro jantar qoe no dia 1 do correte foi
offereciJo aos pobres, e alienados daqoelle
hospital, dando assim nao equivocas provas
dos sentimeotos de caridade de qae se nu-
trem os seus coracces em prol dos des vali-
des. O mesmo aoaixo assignado agradece
igualmente a todas aquellas Exms. Senho-
rase Senhores quede seu motu proprio
se dignaram tomar parte no servico da mesa
aquelles infeiizes, que mostrando-se eter-
namente agraiecidos, pedem a Deas der-
rame sobre elles toda a enchente de sua
graca.
Recife, 4 de julho de 1867.
Antonio Joz Gomes do Correio.
Eleicae por devoco das pe.*soas que
tem de festejaren S. Miguel Ar-
chaojo m matriz do Saotissino Sa-
craineilo da frepezia la Boa-Vista
bo aaao de 1867.
lalr.
O Illa). Sr. Manoel da Sirva Pontes.
Julia.
A Exma. Sra. D. Loria Candida Poggl e Silva.
Escrivo.
O Illm. Sr. Colsbiaoo de Aqaioo Fonieca.
EscrlvSa. #
A Exma. Sra. D. Joaona Golmaraes Medeiros.
MordooM.
As Exm." Sr.":
D. Zeferiaa Lopw da Silva. "^v-*'-
Oj Illm." Srs.
JoSo Francisca Antones.
Bernardioo de Sena Das.
Francisco Antonio de Albuquerque Mello.
Mauoel Isidoro de Oliveira Lobo
Juvencio Angosto de Atbayde.
Joaquim Cleraentlno Ribeiro de Brito.
Joao dos Santos Porlo.
Antonio Rodrigues Piolo.
Joaquim leado de Barros Lima.
Joo Baptista de Medeiros.
Jos Candido de Souza Castro.
Manoel Joaquim Dias.
Consistorio da irmandade das Almas na matriz
da Boa-Vista, 14 de outubro de 1866.
O vigario Manoel Joaquim Xavier Sobreira.
Plithyslca
O xarope etherio de veame por mim pre-
parado, muilo tem aproveitado aos que sof-
frem desta rrolestia e de lamentan-so, que
no obituario desta cidade a maioria dos que
suecumbem de tubrculos pulmonares, sem
procurarem o recurso do pratico e do expe-
rieote, que Ibes podem encaminhar o meio
de sua salvado.
O Sr, Braga com toja de ferragem oa roa
Direita, foi desengaado por dous habis
mdicos, acha-se bom com o tratamento por
mim prescrito.
A Sra. Jeronyma Mara da Conceico,
moradora da travossa do Monteiro n. 10,
achaado-se desengaada, tambem mim
recorten e acha-se restablecida.
Um sobrinho do Sr. professor de Naza-
reth do Cabo, acha-se bom, como se v de
sua carta abaixo transcripta, alm de outros
factos, que poderia aqui mencionar.
A pbthysica a desiruico e a magreza
de todo corpo em consequencia de chags,
tubrculos e eoncrecfJo dos bofes e de em-
pyema, atrophfa nervosa e ontras molestias
que viciam os humores, como escorbuto,
alporcas, gallico, asthma, bexigas, saram-
po, etc.
Na phthysica, chegando ao estado de gra-
vidade, o quemnito pode concorrer para a
salvac5o do doente e ajudar os' medicamentos
, o ar do campo, exereicio conveniente e
dieta, a qual nao deve ser de nenhnma cen-
sa quente, ou de defflcil digesto; e a be-
bida compre que seja de natureza branda e
fresca.
Todo o sen alimento se ha de dirigir a
moderar a acrimonia dos humores e a nutrir
e suster o doente, para o que preciso re-
duzi-lo ao uso de vegetaes e leite-
Toda comida e bebida, qae se tomar ba
de ser em poucas porcSes, para evitar que
o excesso do chylo fresco opprime os bo-
Attencao.
Xarope alchoolico de veame, preparado
pelo pharmaceutico Jos da Rocha Paranhos,
estabelecido com. botica na ra Direita n.
88 em Pernambuco.
Este xarope incontestavelmente supe-
rior a todos es xaropes depurativos, de cuja
composifo o seu maior elemento a salsa
parrilha. pois que se tem conhecido ser o
veame mais enrgico para a prompta cura
das molestias, cuja base essencial depende
da purificaco do sangue ; assim pois ae
tem verificado por muitas pessoas que se
acnavam desengaadas, as quaes acham-se
boje reslabelecidas com o referido xarope
alchoolico de veame: entretanto que al-
guns, tendo usado do xarope de Carinier,
de Larrey, de salsa parrilha, de saponaria,
oleo de ligado de bacalho, e outros agentes
desta ordem nada conseguiram. E' elle de
fcil digest5o, agradavel- ao paladar e ao ol-
phato. Alguns mdicos desta cidade e da
de Macelo o teem recommendado para a ca-
ra das
Impigens, tinha, escrophulas.
Tumores, ulceras, esc rbuto.
Cancros, sarnas degenerada, fluxo alvo.
Todas essas affeccoes provm de urna cau-
sa interna ; nao ha pois razao alguma em
crer qoe ellas se podem corar com reme-'
dios externos. Tambem se prescreve o xa-
rope alchoolico de veame para o tratamento
das affeccoes do systema nervoso e fibroso,
taes como :
Gotta.frheumatismo, paralysia,
Dores, impotencia, estenlidade.
Marasmo, bypocondriai emmagrecimento.
O xarope alchoolico de veame sobre
tudo, da maior utilidade para corar radi-
calmente, e em pouco tempo o rbeomatis-
mo.
Adverte-se qoe o verdadeiro xarope s
se vende nesta cidade na botica cima indi-
cada, do abaixo assignado; e em ontra qual
quer parte qae se tem annunciado nao da
mesma composicao, e nem o abaixo assigna-
do se responsabilisa.
Jos da Rocha Paranhos.
L-se a Reforme ledicale
A maior preocupado do medico consiste
em saber se as suas receitas sao prepara-
das com bons productos, pois que, quando
a receita preparada com productos inferio-
res, o que acontece n5o raras vezes, os effei-
tos que querem alcancar os mdicos, mal-
logram. ou pelo menos, o medicamento nlo
exerce a plenitude de sua accao.
MQYIMNTO DO POETO
^^^^ .^p.^
A casa Lamoureux e Gendrot conseguio gem para os accionistas. L Navios entrados noiiak.
evitar a eontrafaccSo, inventando ama cap-j Este banco foi instituido sob certas codi- G^?J* !l?,'to^r^J.!f"??,& LK?
sola qoe n5o se pode imiltar, e cuja ax^cu- coes onerosas, com o fim de obter dogover-| S'lft.rS SJSTTSro?{SST^
cao muito diuicil, por exigir um material no a faculdade da emissao; mas nao lhe sen- quim Jos Goncalves Beitrao.
mui complicado e cusioso. do possivel usar desta faculdade, em quan- Ne.T.".York por A Tnon>" Ceara43 das, e do
------Tmm~~m~mFZ--------? Va,0r/ Pape' m06da d g?ern3' 6 "& 5itoT^r?%a?5.
LamoarBX e Cendro das notas do baoCO do Brasil, de curso for- 23, em lastro; a Tneodor Cbrlstiansen
fabricantes de producas cbjmico, bmecedoras da C'do, estiver depreciado em relajo ao valor Parahyba i da, vapor brasileiro Moleque, de 42
casa da imperador e dos hospiiaes de Paria. I do ouro ; n5o pode elle auferir as vanta-' *?. *^ ?w* d.e. Sjui, equi-
Todos os productos sahiodo desta casa s2o 8eQS Que esperara, e para cuja realisaco
pagem#4, em lastro; ao baro do Livramento.
Navio sahid no mesmo dia.
da pnmeira qualtdade e fechados por urna *o sujeiton a empregar metade do seu cap- Liverpool-Patacbo boiiaudei Zeemanshop, caciio
capsula iniraitavel o qoe os poe em salvo da
contrafaeco.
cidos puros para rea-
ctivos.
cidos pyrogallicos e
tamnicos.
A troponia, codeina,
digitalina e todos
os alcalinos vege-
taes.
Bromuretos e odure-
tos.
Sulfate de quinina pu-
ro, valer ianato e to-
dos os saes de qui-
nina.
Psimpalpaveis.etc.,.
Calornel puro, e todos
os saes de mercurio.
Chlorureto de ferro
(poro) neotro.
Carbonates, olfatos e
todos os saes d
ferr.
Acetato, hydrochlo-
rato.
Sulfato e todos os saes
de morphina.
Ferro redozido pelo
bydrogeneo.
Essencias puras.
Extr actosglycernias
tal em apoiiees da divida publica e em ac-
coes de companhias garantidas.
Parece que nao preciso demonstrar qoe
em qnanto dorar este estado monetario nao
ser possivel ao novo banco fazer demorar.
em soa caixa qoalquer fundo metlico de
que se queira elle prover, ainda com gran-
de sacrificio, para poder resgatar as notas
de sua emisso. .
A commsao puca ou nenhuma espe-
C. P. Oekker, carga algodao.
Observa;io.
Fundeou no lamarao um brlgue hollandez mais
nao leve commuoica^ao com a ierra.
ED1TAES.
Fabrica em Pars'ra de Paradis (au rua-
rais), deposito no Rio de Janeiro, E. Cheve-
lot, roa do Carmo.
HUMA VIDA SALVA!
N5o temos conbecimento lguin de nenhum
caso qne tao perfeit&mente mostr d'uma m-
neira a mais clara e persuasiva e peder da
Seiencia Medica sobre a molestia; qnal seja o
de Aktohio Joaquim Peheisa, da BabJa.
Este Lomom infeliz havia mais d'um snno que
aofFria as dores as mais utrozee e pungente
proveniente de
Treze
TeiTiveis Clagas Abcrtas
espalhadae por sobre differentes partes de seo
corpo, sendo urna das quaes sobre o peito do p
urna funda e maligna chaga, a qual o privara
de andar, cauzano-lbe as dores as mais agoni-
aantee quer de dia quer de noute; continuada-
mente atormentado por taes aflliccdes e dores,
e quasi que aborrecido da contmacSo de sim-
ilhante vi A, tendo posto de parte toda a f e
oanfiaaca ommedecinas, e na realidade pareca
qu para elle n5o lbe resta va mais esperan ca
alguma; assim pois resignado esperava coa-
paciencia o termo final de sena mutiplicadoi
sofirimentos, eis quo milagrosamente por for-
tuna sua lhe receitarao o grande purificador
do sangue
A Salsaparrilha
DE BRISTOL
e mediante a sua grande efficacia e ezcellencis
elle se achou dentro de pouco tempo, livre de
eu irremediavel estado de desespero, e a doce
ti risonha esperanza tornou de novo revivar
em sen coracSo; sob a pode-roza e benvola in-
fluencia deste admiravel medicamento, as sua
chagas em breve principiarSo assumir um -
raetur Vroraret dlmlnuindo o aspecto de sua
malignidade. A maesa do sangue e mais
humores do systema tornou adquirir nma
apparencla clara e saudavel, as dores ator-
mentadoras d'outro ora o deixarao, e urna doce
t suave tranquillidade principiou precorrer
todo o seu systema, restanrando-lhe a desejada
paz e socego d'espirito; as chagas urna urna
se forao fechando at que finalmente se ciea-
trizarao d'um todo, e hoje acha-se perfeita-
mente sao, gosando d'um perfeito estado de
saude, depoia de se ter visto privado d'este
grande gozo durante mais d'um anno. Elle
durante esta sua cura, apwias fez nso de
Desasis garrafas da Qenuina Salsaparrilha
db Bristol, preparada exclusivamente por
LANMAN & EEMP
De NOVA YORK.
Recommenda-se mi particularmente aos
Doentes d'ambos os sexos, que empreguem
toda a cautella na escolha d'este admiravel
remedio, afim que nao obtenhio outra com-
posicao qualquer, que nao seja a Salsaparril-
ha Germina de Bristol, pois que todas aa
mais preparares e imita^oes d'esta naturew
"** falsas nio possuindo virtude alguma.
COMMEBCIO.
PRACADO RECIFE 4 DE JULHO
DE 1867.
As 3 } boras da tarde.
IHootem.)
Frote de assucar para o Canal-30[ e 5 0/0
(Hoja)
Algodao de Macei i* sorte lifSOO por arroba
posto a bordo,
dem idem 2* sorie 13480) por arroba posto a
bordo.
Acgoes do novo banco de Pernambnco 25 0(0 de
descont.
Frete de algodao para Liverpool5|8 d. por lib. e
S 0|0 de capa.
Silvetra.
Presidente.
Macado,
Secretarle.,
Novo banco de Pernambuco
O hoyo banco suspende do ultimo deste
mez de junbo em diante os juros s quantias
que por conta corrente permanecer no
banco.
O Novo Banco descoma letras e 7 e 9 0/0
jo asno, cosforme os prases.
O aovo banco paga o dcimo oitavo divi-
dendo de 60300 reis por acclo.
Para evitar este grave inconveniente, os
fes e acelere multo axirculaco do sangue. pharmaceuticos de?em tratar de empregar
luitos doente desta molestia se teem eu- j productos bem fabricados, e entao n5o ptf-
tregueao nso do oleo de ligado de bacalMo, demos fazer melhor, senio assioala-lbes
e oulras preparares de resinas e balsamos,|i)s productos da casa Lamoureux Gendrot
pi.gue dellas tenham tirado proveito; etfabricaules de productos chymicos em Paris,
s expositores de medicina combatem I MJWWBjente, a incontestavel saperiori-
com muita razio esse tratamento. I dade dos productos desta casa foi reeonhe-
Novo Banco de Pernambifo
Convoco de novo a asserabla geral dos
Srs. accionistas do banco para 5 de julho
prximo ao meio dia na casa do banco, re-
commendando o sou comparecimeoto por si
ou por procuradores, que devem ser accio-
nistas tambem, am de appreciar-se conve-
nientemente o parecer apresentado. que abai-
xo segu, sobre o destino do banco.
Recife 22 de junbo de 4867.
Visconde de Camaragibe,
Presideute da assembla geral.
^. PARECER
Pelas indagacSes a que procedemos, e in-
formaces que colhemos, nosso parecer que
9 novo banco nao pode continuar proveitosa-
' mente suas operacSes.
Sem fallar jia deficiencia dos descontcs,
para a qnal podem ter concorrido dirersas
Faculdade de Direto
ue ordem do Exm. Sr. director faco cons-
ranca tem de que" as circumstancias actuaes tar que nos dias 8 e 6 de julho prximo vin-
do depreciamento do papel moeda possam douro, ter lugar, parante esta Faculdade,
ser melhoradas proniptamente de um modo a defesa de theses ao bacbarel Jos Joaquim
permanente, que permitta ao novo banco' Tavares Belfort comecando o acto s 10 ho-
nsar da faculdade da emissao ; e entende ras da manha ; e que no dia 2 s 8 horas
que sem esta nao deve o banco continuar da raanh5a, dever o doutorando compdre-
com os encargos onerosos, a que sesub- cer nesta secretaria para tirar o ponto de
metteu conservando metade do seu capital dissertacSo.
fra do gyro das operaces bancadas.
Para que cada um dos iccionistas empre-
gue seus capitaes em apoiiees, nao preciso
jecorrer a estabelecimentos desta ordem.
Portanto nao podendo offerecer vantagens
a continuacao do banco nestas circumstan-
Secretarla da Faculdade de Diieito do
Recife 27 de junho de 1867.
O secretario,
Jos Honorio Bezerra de Menezes.
De ordem do Illm. Sr. inspector se
faz publico que no dia 6 do corrente, ao meio
cas, a commissSo prefere a sua liquidacao, i dia e a porta desta repartido, se bao de ar-
ainda com certeza de perda para os accio- j remaUr em hasta publica, os segointes ob-
nistas; afim de que estes recebam o que.jectosappreheudidos pelo sargento da com-
Ihes bouver de caber, ou tomem qualquer panbia dos guardas, Americo Vespucio de
providencia em ordem a estabelecer outro
banco sem emisso, mas sem os bices qae
sao consequen a della.
Hollanda Chacn a diversos pa ssageiros do
vapor franoez Borgognt, procedente de
Marselle em 26 de junho prximo lindo : a
Hesita, porm, a commisso sobre a con- safJer 67 lencos de fouslard pebai.do, 6 Ii-
veniencia da occasio em que se deve proce- bras avahadas a 13^333 a libra,
der a esta iiquidacSo, e vista da descon- j 44 pinolai de algibeiras avahadas a 1^(500
Iianca geral, e do estado deploravel de ere- cada urna.
dito, quer publico, quer particular, entende 6 duzias de caivetes de mola cem cabo
que se deve conceder alguin espacu, e pro- de osso avahados a 8 a duzia.
pe.
1." que seja adoptada a liqaidaco do
novo banco.
2. que seja posta em em effectividade no
tempo, e pela forma que entender conve-
niente o esclarecido criterio, experiencia e
zelo da actual direcejo, continuando as cou-
sas no estado em que se acham at a liqui-
dado.
Recife 21 de junho de 1867.
(Assignados.)Visconde de Camaragibe.
Jos Bernardo Galvao Alcoforado.
ALFANDEGA.
Rendimenlo do dia 1 a 3.......... 87:205*797
Idam do dia 1 ..........'....... 15:022*042
72:227*839
1175
MOVIMENTO DA ALFANDEGA.
Vlumes entrados com (azoadas.. 394
c c gneros.... 781
Ttlnmes sabidos com fazendas... 76
1 c i gneros.... 230
-----306
Descarregara boje 5 de julbo.
Barca frauceza- ColignymercaBerias.
Brigue porloguezRelmpagoroercadorla.
Barca fraucezaSanto Andridem.
Patacho \x\g\a.-Laperina-ldm.
rigue brasiielroBerma Remstorffdem.
Brigue porloguezConstara //:dem.
Patacho 'peruegueaseRjukan(arinha de trigo.
Barca nateionalFatwiracharque.
Patacho banoverianoAlianteidem.
Patache nacionalValenteidem.
Patacho nacionalGuilhermmaidem.
12- portas moedas avahadas por 3)5!.
1 Revolwer avaliado por 85.
3 duzias de thesouras de ferro poli.do at
6 pollegadas avahadas a b& a duzia, impor-
tando tudo em 171(5998.
Alfandega de Pernambuco 3 de julho de
1867.
O 3. escripturario,
_________Btttyahio Mondim Pestaa.
De ordem do Illm. Sr. inspector se
faz public que no dia 6 do corrente a i hor
da tarde, e a porta desta reparticSo serao
vendidos em basta publica, livre de direitos,
45 garrafoes vazios e quebrados que conti-
ena m gneros, vindos de Hamburgo no na-
vio Eltnira, entrado em 14 de junho prxi-
mo lindo, abandonados pelos direitos re-
querimento de Domingos Alves Matheus, e
avahados por 2$.
Alfandega de Pernambuco 4 de setembro
de 1867.
O 3. escripturario,
Eutychio Mondim Pestaa.
DECLlBAgO!
O tribunal do commercio de Pernam-
buco em vista do que dispe o art. 9, do-
decreto n. 863 de 17 de novembro de 1851
faz publica a vaga de um dos officios de in-
terprete de commercio desta praca, e marca
Patacho hollandezWtlhermtna Magdalenaidem. O prazo de 60 dias contados desta data para
Cnmonn I ai h a ai a* k m 1 n_ ..___ ?-1__ II ._.-..
Sumaca bespanbola-Promptaidgm.
Polaca nacionalS. Pedroidem.
rigue portuguezN. S. da Concetcao -idem.
Vapor inglezCassjnemercaderas.
Polaca bespaohola Ventunavihos.
ImportacSo
Brigue portuguez Constante II. vindo de
Lisboa, manifestou o seguinie :
1 barril vinho e 535 varas de lagedo; ao
bar5o do Livramento.
46 caixas e 35 barris vinho, 10 pipas e
75 barris vinagre, 40 barris azeite, 50 di-
tos-toucinbos, 259 caixas batatas e 125 di-
tas ceblas; a Oliveira Filiaos & C.
1 barril canela; a Joao Carlos Bastos
Oliveira.
40 barris azeite, 60 ditos toucinho. 15
barricas alpistas; a Luiz Jos da Costa Amo-
rim & C.
6 pipas, 2 meias ditas e 10 barris vinho,
5 ditas azeite; a Marques Barros & C.
25 pipas e 35 barris vinho, 3 pipas e 4
meias ditas vinagre, 26 barrieas alpistas;
a Tbomaz d'Aquino Fonceca & C.
91 ditas e 65 barris vinbo, 3 pipas e 4
meias ditas vinagre, 75 barris toucinho, 25
ditas de azeite, 20 barricas p de carvao
animal e 50 caixas cera em velas; a E. R.
Rabella.
19 pipas, 5 barris vinho, 3 caixas ervi-
lhas ; a Joaquim Jos Goncalves Beltro,
30 caixas vinho ; a Antonio Jos Leal
Reis.
5 barris presuntos, 25 ditos toucinho,
50 ditos ditos chouricos, 5 caixas massa de
tomates; a Antonio de Almeida Gomes.
2 barricas cera em grume ; a M. Joaquim
Ramos Silva & Genro.
50 caixa ceblas, 37 caixas e 200 meias
ditas batatas, 19 caixas massa de tomates ;
a Andr Mara Pinheiro.
1 barril vinho, 1 dito azeitonas; a Rocha
Lima & GuimarSes.
50 saceos farelos; a Antonio Muniz Ma-
chado.
10 barricas carvao animal; a Jo3o Perei-
ra Pedroso de Lima.
66 barris toucinho, 130 ditos choaricos;
a Jos Maree II i no da Rosa & Filhos.
13 caixas livros ; a monssnhor Pinto de
Campos.
que aquelles que se acharem habilitados
apresentem seus reqcerimentos instruidos
com os documentos de que trata o art. 6.*
do mencionado decreto.
E para constar mandei passar o presente
qne ser publicado nos jornaes de maior cir-
culado, o qual vai por mim assignado nesta
secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco aos 4 de julho de 1867.
O secretario,
Jos Marcellino da Rosa.
No dia 6 do corrente mez depois da audien-
cia do lilm. Sr. Dr. juiz municipal da segunda va-
ra, tem de ir em praga para ser arrematada por
quem mais der, urna mobllia de ama relio penbo-
rada a Candido de Albuquerque Maranuao, per
axecucao de Antonio Henrique Rodrigues.
A administracao do correio desta ci-
dade engaj? homens para o servido de cami-
nheiros as pessoas qae estiverem nestas con-
dices e quizerem se engajar : d irijam-se a
mesma com attesta.do que abon e sua con
duda. -
Arrematadlo.
Tendo-se de proceder aos reparoi e ontras obras
oo edificio da capitana do porto, convida-se a quem
se qneira encombir de taes obras, a examinar o
orcaraento na mesma repartido, e apresentar snas
propostas em carta fechada no dia 8 do corrente ao
meio dia.
Capitana do porto de Pernambnco 2 de julho de
1867.O secretario,
_______________Pecio de Aquino Fonseca.
Subdelegada da freguezia de" Santo~~Ato'o
do Recife 1* de julho de 1867.
ACHADO.
Nesta sobdelegacia entregou o inspector do qoar-
teiro 38 desta freguezia Paulino Onofre Nunes,
com Inja na ra do Livramento, a qnantia de 15*
em cdulas qne apprebenden a nm preto liberto de
nome Benedicto, que passando naqoella ra pelas
4 horas da tarde do dia 18 do mez de jnnho prxi-
mo Ando, o encontrn na calcada, sem que nessa
occasli se podesse descobrir quem fosse seu dono:
quen se julgar com direto a tal dinheiro apresen-
te-Fe, que dando os signaes e esclarecimenlos con-
venientes lhe sera' entregue.
O subdelegado,
Manoel Antonio de Jess Junios.
Arantes & Lyra.
de municSo ; a Joao
2 caixas calcado; a
12 caixas chumbo
Evangalista de S.
1 caixa urna lapide de pedra ; a Miguel
Jos Barbosa.
18acco semeotes de coentro; a Gregorio
Paes do Amaral & C,
1 caixa oleo de mendobi e H volomes
drogas e ervas medicinaos; a Bartholoneu
A c-
10 volumes drogas e ervas medicinaes:
a Jo3o de C. Bravo & C. (
3 caixas jarras de vidro ; a Antonio Fran-
cisco Paes de Mello Barreto. ,
RECEBEDOR1A DE RENDAS INTERNAS
GERAKS.
Rudimento do dia 1 a 3......... 5:380*793
dem dadla 4 ................. 845*912
6:226*705
CONSULADO PROVINCIAL.-
Rendimento do da 1 a 3......... 25:461*192
Idemdodiai................. 7:625*002
33:086*194
Santa Gasa de Misericordia de Re-
cife.
Pela secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife se convida as pessoas abaixo declaradaspara
que venham requerer a retirada do colegio das
orphas, das educandas tambera adianle menciona-
das, as quaes mostrando pouco desejo de continuar
no colegio, a Illma. junta administrativa detiberoa
que fossem entregues a' seus pareotes ou pessoas
que por ellas se interessam, na conformidade do
art. 48 3* e do au, 50 do regulamenta daquelte
tabelecimento :
Niomisia de Luna Costa, Irmaa de Manoel de Luna
Costt, morader a' roa da Cruz.
Samarian*. Alba de Rosa Clandina ;
Leocadia Marta da Conceico, fllha de Maria Leoca-
dia ja fallecida;
Francisca Izldra;
Isabel da Luz ;'
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, 28 de marco de 1867.
O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
Conselho de compras atavaes.
O conselho contrata no dia 5 do corrente
mez, sob as condices do estylo e vista de
propostas receidas at as 11 boras da ma-
nha, o fornecimento dos seguintes objectos
de fardameato no presente trimestre de
julho a setembro.
Para aprendizes artfices aqoartelados no
arsenal de manaba.
i

i
'1
i


\
i
-

I
i
i


<%



/




r

'-
>
>---__^__d
Alarlo de Jeraam*neo Mexa telra & de Jnlho de 1867*
gJColchas de algodo, lencos de seda preta,
gapalees, e saceos de guardar roopa.
Para imperiaes marinheiros e prendizes
ditos.
Lencos de seda preta, sapaloes e saceos
de lona de marinhagem.
Tambera o conseibo no mesmo da 5 do
corrente mez, e por igual forma, promove
a compra dos objectos do material da ar-
mada, segorates : 8 barris de alcatrao, 2
amarras de 918 de grossara, 40 cadernaes
bb de 4 a 12 pollegadas, plvora marca
tom, 6 ancoretas para bateloes, 60 pecas
de linba fina de barca, 50 moitoes bb de
4 a 12 pollegadas, e 200 vi tiros de 23 3[4
pollegadas inglesas de compriineato e 16 e
lr2de largara.
Sala do conselho de compras navaes, l4
de julho de 1867.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Santa Casa da Misericorda
do Recife,
Alllma.jaota administrativa da Santa
Para o Rio de Janeiro.
Pretende seguir com niuita brevidade o velelro
e bem coostruido briguo nacional Damio, tena par
te do sen carregamento prompto para o resto qne
Ihe falla trata-se com os sens consignatarios Anto-
nio Lnu de Oliveira Azevedo & C, no sea escrip-
torio ra da Craso. 1.
Lisboa.
Segu era poneos dias o brlgue portugus Cons-
tani 11 j para carga e passageiros trata-se coto
Olireira Flbos & C, largo do Corpo Santo n. 19,
on com o capilo na Praca do Cornmercio.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
E' esperado dos portos de norte
at o dia 12 de julho o vapor
Santa Cruz, commandante Gul-
Iberme Waddingtoo, o qnal de-
pois da demora do costme se-
guir para os portos de sol.
Recebem-se desde j passageiros e engaja-se a
carga qne o vapor poder conduzir a qnal devara'
ser embarcada no dia de sua ebegada, encomraen-
das e.dinbelro a rete at o dia da sabida as 2 ho-
Casad*raa- Previ ne-se aos Srs. passageiros qne suas
Misericordia do Reclfe manda fazer publico qne Dafsagens s se recebem nesu agencia roa da
na sala de suas sess&es, no_dia 8 do corrente pe-1CrHI n- \ escriptorio de Antonio Laiz de Oliveira
las 4 horas da tarde -tem de ser arrematada; a Azevedo di C. __ ________________
quem mais vaotageoe offerecer as rendas dos pre
dios em seguida declarados :
Estabeiecimeutos de caridade.
Roa do Padre Floriano.
Casa terrea n. 49.......1825300
dem idem n. 45. ...... 136O00
Roa de 8. Jos.
Casa terrea n. 5.......1700000
Rna dos Pescadores.
Casaterrean.il.......216J0C0
Roa das Calcadas.
Casa terrea n. 30.......1735000
dem idem n. 34........1505000
Rui de Santa Thereza.
Casa terrea n. 7.......1995000
Rna larga do Rosarlo.
Sobrado de 3 andares n. 24 (3* andar) 3015000
Becco do Qniabo.
Casa terrea n. 8.......1445000
Ra do Encantamento.
Casa terrea n. 3.......4015000
Ra do Amorira.
Sobrado de 2 andares d. 21. 1605000
Rna do Nogoeira.
Casa terrea n. 17. .......2415000
Iiua do Padre oFIorian. -*i
dem n. 17............ 1865000
Rui de Hortas.
Sobrado de um andar e.sotao 2405000
Patrinwnie de erphos.
Ra do Bargos.
Casa n. 21.........1445000
Roa das Larangeiras.
Casan. 17..........-1925000
Rna Velha.
Casa n. 32.........2105000
Madre de Dos.
Casa n. 8.........3025000
Becco das-Bolas.
Casa n. 18.........5025000
Roa da Lapa.
Casa n. 11.........1965000
Ra da Hoeda.
dem n. 47....... 3515000
Ra do Encantamento.
Sobrado de dous andares n. 11. 9015000
Ra do Pilar.
Casa n. 99.........2565000
dem n. 103.........2005000
dem o. 94.........2015000
Sitio n. 5 no Forno da Cal. 1505000
As arrematares serSo feitas pelo lempo de um
anno, devendo os licitantes virern acompanbados
de seas fiadores on munidos de tanas destes.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recite 2 de jolho de 1857.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Sooza.
w.j-5 Sabbado, 6 do corrente, s H horas
te o Illm. Sr. Dr. juiz do cornmercio, deve
ter lagar a reuniao de credores da massa
fallida de Sebastio Jos da Silva, afim de
tratar-se da nomeacSo dos administradores
ou de concordata se fr proposta, visto nada
se haver deliberado na reuniao convocada
para 28 do passado e que por justo motivo
ficou adiada para 6 do corrente.
Recife, 2 de julho de 1887.
Os curadores ficaes.
Alves Hambuger t C.
COni'AMIlA BB.VSILEIRA
paquetes a vapor
E' e-perado dos portos do sal
at o da 8 do .corrente o vapor
Guar, commandante o primeiro
tenente Pedro Hyppoldo Duarte,
o qual depuis da demora do eos-
turne seguir' para os portos do norte.
Desde ja recebem-se passageiros e engaja-se a
carga qne o vapor poder condnzir, a qnal dever
ser embarcada do dia de sua ebegada, encom
mendas e dinheiro a frete at 0 da da sahida as
2 horas. Previne-se aos Srs. passageiros que snas
passagens s se recebem nesta agencia rna da
Cruz n. 1, escriptorio de Antonio Luiz de liveira
Azevedo C.
^%^
Segu com a possivel brevidade o brigue escu-
na GRACIOSA, capilo Ratls, tocando no Mar-
nbo s em ultimo case, para alguma carga qne
Ibe falta trata-se com o respectivo consignatarl'
Antonio de Almeida Gomes, a'.rna da Cruz d. 23,
1* andar. ^^
Rio Grande do Sul"
Vai sabir em poneos dias a barca portugnera
Nova tariaana \ recebe carga a frete comraodo,
para o que trata-se com Oliveira Filhos & C, largo
do Corpo Santo n. 19, ou com o capito na praca
do cornmercio.
Porto
Pretende seguir com a maior brevidade possivel
a barca portngueza Oureuse por j ter parte do sea
carregamento prompto: para o resto a frete com-
modo e passageiros, aw quaes offerece excelentes
commodos, traia-se com Conba, Irmos & C, na
rna daMadre de Dos n. 3.
Annnncio.
LEIL'ES.i
LE
um
Santa Casa de Misericordia
do Kecife.
A Illma, junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife, contrata a factura da obra
que necessita o sobrado n... sito a rna de Matbias
Ferrelra na cidadede Olnda, com quem melhores
condicoes offerecer.
Os pretendentes apresentarao suas propostas em
artas fechada-, quinta feira 4 de julho pelas 4
horas da tarde na sala das suas sessdes.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cito, 28 d junbo de 1867.
O escrivo.
Pedro Rodrigues de Souza.
Os 30 dias uteis para o pagamente da deci-
oa dos predios urbanos sobre bens de mo morta,
e de 20 por cento do consamo de agurdente no
segando semestre de 1866 a 1867, findam-se no
dia 9 de julho vindonro, findo os quaes estaro os
centribaintes sugeitos a multa de que trata o art.
50 da le provincial n. 596 de 13 de maio de 1864.
Mesa do consulado provincial 28 de julho de
1867.
Servindo de administrador,
T. M. G. Pereira da Silva.
O conselho de compras do arsenal "de'guer-
ra precisa comprar o segninte :
2 livros de papel holanda pautado com 50 folhas.
1 dito dito dito 70 folhas.
4 ditos ditos ditos 16 ditas.
2 ditos ditos ditos 20 ditas.
2 ditos ditos ditos 24 ditas.
2 ditos ditos ditos de 40 ditas.
1 dito dito dito 50 ditas.
1 dito dito dito 80 ditas.
As pesssas qne quirerem vender ditos livros
sentem as suas propostas em carta fechada na
pbrsala do conselojll horas do da S do corrente.
Censelho de compras do arsenal de guerra 1*
de julho de 1867.Jos Maria Ildefonso Jacome
da Veiga Pessoa de Mello, coronel director.
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A Illma. junta da Santa Casa da Misericordia du
Becife, recebe propostas para arrendamento das
casas abaixo declaradas, qne achando-se armia-
das sarao arrendadas por qoalqaer prego, a quem
ne incumbir de as concertar:
Esubelecimentos de caridade..
Hua Direita n. 33.
Roa da Moeda n. 37.
Ra do Bargos n. 2.
Roa do Pbarot o 72.
Becco de Abren A. 2.
Patrimonio dos orphios
Raa da Cacimba a. It.
Os pretendentes para melhores esclarecimentoa
podero dirigir-se a esta secretaria.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do R-
cife, 28 de marco de 1867. "
O esciIvSo,
Pedro Rodrigues de Sonea.
Da armacao, gneros, gaz e pertences da taberna
da roa do Forte n. 2, bem afreguezada e com
poneos fondos, propna para qualqoer princi-
piante.
O agente Manas fara' leilio por conta e risco
de quem perlencer da taberna cima; o balando
pode ser examinado em mo do mesmo agente.
as II horas do dia.
Declaro que desde o da 3 do corrente mez che-
fou era minha casa o eseravo Joaqun) pertencente
a Illma. Sra. u. Umbelina Francisca de Jasas,
proprietaria do engeobo Alijados na comarca de
Nazaretb, a pretexto de procurar novo senhorio;
faco o presente annnncio para qne conste ao pu
bllco, e a todos os inferes'dos, e que nio me res-
ponsaliso por qnalquer eventualidade que possa
apparecer ao dito escrava. Recife 4 de julho de
1867.
Uenriqae Saraiva de Araujo Mello.
Tendo fallecido o meu presado amigo Ig-
nacio Ferreiro de Mello Lessa, no 1.* do
corrente mez, no seu engento Gravat, por
isso convida es seus amigos e parentes,
para aasistireni as missas e memento que
tem de ser celebradas na igreja do Carmo no
dia 8 do corrente pelas 7 horas da manha.
Quinteiros Agr.
tPergunta
Qua a razio por que o secretario interi-
no- (intirinidade exercida a mais de 3 me-
zes, sem haver'secretario effeclivo) da ir-
mandade de Nossa Senbora da Boa-Viagem,
fregoezia dos Afogados, convida somonte do
Jornal do Recife de hontem os irmos para
reuniSo de mesa geral domingo 7 do cor-
rente, e sem indicar a bora dessa reuniao,
ser para economisar despeza, parece-nos
que urna mandado que tem bom patrimonio,
e irmos bem dispostos (que gastaram na fes-
ta do auno prximo passado 1:300$) nao de-
ve por tao pouco deixar de cumprir a ulti-
ma-parte do art. 9. do compromisso que
diz cousidera-se mesa geral, a em que se de-
vem reunir todos os irmos da irmandade,
porm no caso de faltarem alguns, bastar
que se reuni 21, e para a sua reuniao se
far annuocio pelo sino grande, pelas folhas
publicas, ou por via de participado que o
secretario lhes far a vista do exposto, que-
rer fazer-se convocaplo pela mesa geral,
quasi clandisiina, como a que se pretendeu
para a discusso, reforma ou novo compro-
misso que afinal foi approvado pela mesa
regedora em sua menoria ; sirva portanto
esta pergunta, como de aviso aos irm5os da
irmandade para comparecerem nesse dia (o
cosame da bora 9 horas) afim de que na
passe o precedente de convidar-se para urna
mesa e constituir-se oulra.
Um irmao.
---M______M_n____a iiii
Traji.no Antonio Yaz Ferreira, sua senbora D.
Alexandrina Luiza de Albnqnerque, fllhas e neta
veem por este mel significar o profundo reco-
nhecimento de que se acbam possuidos, a aquel
las pessoas que dorante a longa eofermidade de
sua sempre lembrd* Giba, irma e mi D. Eoedi-
na Claudina de Araujo dispensaran! para com
ella os offlcios de amizade proprios das almas bem
formadas e bem assim as qne se dignara ai acom
panbar-lhe ao jazlgo os restos mortaes, a todas as
qnaes e mais parentes e amigos convidam a com-
parecer no cemlterio publico desta cfdade no dia
8 do corrente pelas 7 horas da manha aBm de
onvirem a missa do stimo da por alma da mes
ma sna lilha, irma e mai.
AMA. ;
Precisa-se de nma ama para cuidar de meninos, '
a roa da Cruz o. 62, 2 andar._______________
Precisa-se de 200j0u0 reis a jnros dndose
por nanga urna boa Arma do commerco, a peisoa
qne qoizer dirjase ao Chora Menino na segunda
garapelra fue achara' com quem tratar.
DO
DR. SEVIAL.
Os abaixos assigoado; socios da firma de
Silva 4 Braga declaramos ao corpo do cornmercio,
que dissolvemos a sociedaue que tinhamos, sobre i -
aquella flrm, fleando o socio Antonio Jos de Pw* & tratamento e cura rpida e completa das molestias syphiliticas, erisype-
Araujo Braga cora o estaireiecimento na ra do las, rheomtismo, bobas, gota, debilidade do estomago, inflammacSes chronicas do fleado
:^M:r^^,XZtZZ&5S Sl^JK^"^ u!ceras cbronicas> -^pesM. pieVi-
direito de contestar o prseme aanacio, fallo- sias, gonorrtieas chronicas e emgeialtodas as molestias em qne setenbaem vista apa-
a no praso de 4 dias. rincagao do systema sanguneo.
Recife 4 de jolho de 1867. loii.i(lera<>e geracs
__________Silolol'dt' 1'rSjn Braga. | f<>r_ft .kJ* um bem inaPreciavel, cuja importancia e valor s est reservado ao en-
Fabrica de Cerveja naCiOlial' incontestavel que o homem neste mundo constantemente, e por todos os lados
de i atacado por urna infinidade de agentes morbicos que todos tendero, dadas certas e deter-
t minadas circunstancias, a alterar o regular exercicio das funecoes orgnicas, resultando
. pesse desequilibrio o que se chamamolestia.
A molestia nao mais do que a desvirtuado das forcas vitaes, occasionada, se-
HEERIQE LEIDEN
b. 35 rna do Cebe n. 35
De 450 caixas de daas arrobas, e 97
ditas d 4 arrobas de batatas novas
e 175 caias com ceblas.
O agente Pestaa fara' leilao per conta e risco
de quem pertencer dos gneros cima menciona-
do;, os mais novos que exrstem no nosso mercado
desembarcados hontem de bordo do navio Con<-
tante P, o leilao tera* lugar no largo da escadinha
da alfandega as 11 horas da manha.
m
DE
Urna salva de prati, 12 colheres paVa sopa, om
par de castices e ama CGnxa de tirar sopa,
diversos movis, nma escrava cosinheira e um
importante cosmorama.
SABBADO 6 DO CORRENTE
Pelo agente Hartins, no armazem da ra do
Imperador n. 16 as 11 horas do da.
LEILAO
DA
armaro e gneros da taberna da roa
das Larangeiras n. 16.
SEGUNDA-FIRA 8 DE JULHO (1867.)
Ai 10 floraj em ponto.
O agente Pinto far leilao a requer mente doDr.
promotor publico como carador fiscal da massa
fallida de Vicente de Aquino Albuquerque e por
mandado do Ilim. Sr. Dr. juiz especial do commes-
cio da armagao e gneros da taberna da ra das
Larangeiras n. 16, pertencente a referida massa;
as 10 horas do dia cima dito na mesma taberna.
StS&Uki
DK
ama caixa com livros portognezes de
litteratara, religio, direito, edo-
caco e diccionaria.
(Com toque de avaria)
SEGUNDA-FEIRA 8 DE JULHO (1867.)
Ao meto-dia.
O agente Pinto far leilio por antorisacao.e em
presenta do Illm. Sr. Dr. cnsul de Portugal e por
conta e risco de quem pertencer de nma
caixa marca D L 4 C n. 5, com livros avari-dos, a
bordo do vapor inglez Oneida, na sna ultima via-
gem a esse porto; o leilao ser effeetnado ao
meio-dia do da cima dito no escriptorio do
referido agente a roa da Crnz n. 38.
AVISOS DIVERSOS.
AVISOS MARTIMOS
&0MPANHIA PERNAMBUCANA
w
Navegagdo costeira por vapor.
TrftBfferenela.
_ Pica transferida a sabida do
Im r4 vapor Mamangwpe, para o presi-
^. dio de Fernando de Noronha pa-
|bB| ra amanba 5 do corrente ao
q| ^ meto da em vlrtade de orden)
aperfr.
LOTERA
eooiouo e aooo^ooo
Qurta-feira .10 do corrente mez no a
? e horas do costme se ex*rabir a 12*
, parte k* tote?ia a beneficio da Santa Ca-
sa de Misericordia (27.a)
As^eocommeadaa serio gnardadas somon-
te at a noite da vespera da extraccJo.
. O tbesorifeiro,
Antonio^Rodrigues de Sooza.
EscraVo fgido,
Ansentoa-se na noite de 3 do crrante o preto
Antonio, erionlo, olbar espantado, andar lento, ten-
do diBcnldadft em exprimir-se, levo* alga e ca-
misa de algadozmho branco, e julga-se ter, af-i-
do caminho de
Iete^ a praga
tiBcado.
j ; qnem o eneona-ar
lton.,qte n'ft*
Na ra da Praia n. S3, segundo aodar, alu-
ga-se urna escrava para servico domestico^_____
Precisa-se de urna ama forra ou escrava pa
ra cosiohar: nos Quatro Cantos da Boa-Vista nu
mero 1.
Precisa-se de 2O0J a Juros dando-se garan
liaa contento : qnem qoizer fazer tal negocio di
rija-se a praca da Independencia n. 22, que acha-
ra' com quem trata'.
Irmandade do Divido Espirito Santo
O procurador geral da irmandade do Divrno Es-
plrilo Santo am obaarvanoia ao qa6 ibe mp5e O
art. 63 do compromiso, roga a todos os membros
do conselho riscal qne nao flzeram parte da adral-
oitracao, que terminoa seu mandato em 28 de ju-
nbo prximo passado a se reunirem 'em sessa or-
dinaria no domingo 7 do corrate' ai 10 horas da
manha no consistorio de sua igreja, para darem
campriraento ao disposto no art. 83.
consistorio da irmandade do Divino Espirito
Santo aos 4 de julho de 1867.
Jos de Mello Costa Oliveira,
Procurador geral.
Amaaha.
Ha nma ama de ielte dotada das melhores qua-
lidades: a tratar na ra do Jardim n. 3.______
Programis da festa do se.nlior Bom
Jesns das Chagas.
Sabbado 6 do corrente ao signal de meio dia sn-
biraoao3 ares diversas girndolas de fogo, annun-
ciando a vespera da festividad*, s 3 horas da tar-
de outras girndolas faro o mesmo aviso, s 7
horas da tarde tera' logar as vespera* qne ser
presidida pelo Rvm. vlgario o cavalheiro da ordem
de Cbristo Joo Jos da Costa Rbeiro, occapar a
tribuna sagrada o Rvm. Sr. Jos Est6ves Vianna,
na madrugada de domingo haver missa rezada,
ao toque d'alvorada soriar-se-ha nma salva real,
s 10 horas e meia ter lagar a testa, residindo
este acto o Rvm Sr. Jos Esteves Viaj. A or-
chestra ser regida pelo Rvm. Sr. cavalheiro da
ordem de Christo Candido Ferreira da Cunha, can-
tar-se-ha a missa intitulada Pernambucana, do
insigne mnstre Manoel Pereira da Silva Serzedello,
os solos sero cantados pelos professores, Lauda-
mos Tobas Calmelitano Barcellos, gralias Candido
Francisco Diniz, domine Dos e qui redes Bemja-
mira do Carmo Lopes, quitolles Joo Policarpo
Scares Rosas; a noite sera cantado pela segunda
vez o Te-Deum denominado S. Jos, no uro do mes-
mo sera' executado pelo professor Jos Flix da
Trindade ama fantazia no saxophono alto, sobre
motivos da' opera Nabuco Donozo. Sao oradores
ao Evaogeibo o Rvm. Manoel Cavalcante Bezerra
de Menezes e ao Te-Deum o Rvm. Antonio de Mello
Albuquerque, ser preenebidos todos os actos pela
banda de msica marcial do 1. batalbo da guar-
da nacional deste municipio.
O escrivo,
Climerio Rufino Alves de Sanl'Anna.
Precisa-se de ama ama para casa de ama pes-
soa; a tratar na rna das Trincheiras n. 28.
Alagase uro bom eseravo para tedo servico,
e nma negrinba de 10 annos, ra do Imperador
n.gQ.
= A pessoa que annunciou querer vender nma
taberna appareca na rna Direita n. 16, Viado
Branco._____________^___________________
Precisa-sede alagar ama escrava para todo
servico de ama casa de ponca familia ; a tratar na
roa do Hospicio n. 38^_________________'
Sr. Jos de Carvalho Cezario, estudante do
3.* anno; tenba a bondade de vlr pagar o qne deve
da comida no hotel Dous Amigos, do mez de no-
vembro de 1886 ; a' rna estrella do Rosario n. 10.
Aluga-se orna escrava para vender na
roa e um eseravo para todo o servico: quem
precisar dirija-se ao caes do Ramos n. 12 oa
ao aterro no sitio que foi do Campello.
me ro mtrodactor deste re de mdas na no yac3o dos humores eraeSj 0^^,^ da accao maligna desses mesmos agentes morbi-
Brasil e ei-propr.etanos da Imperiall e nUga a- ficos introdazido8 no organismo pelo acto da respirado, pela via digestiva, pelo contacto
Blica de eervea moiomI, rna de Mala-eavallw immediato etc. etc. etc. wuw,iu
; 76 e 78, Rio de Janeiro, faz sciente ao respei-j A syphilis infelizmente tem sido a partilha da humanidade, e como fon dedrJvi-
(tavel publico dosla capital, que, depms de da que esse terrivel Proteo da medicina urna molestia hereditaria, ella tem sido obser-
novose aturados estudos sobre oobjecto, vada em todas as idades, e debaixo de todas as suas formas tao variadas, enfraquecendo
acompaobados de multplices e prolongadas constituicoes robustas, produzindo mutilacoes, e cortando anda em flor da idade vidas
experiencias cerca da grande differenca
de clima, para chegar a resultado idntico ao
'j comido no Rio de Janeiro, isto obter
Juma cerveja que se possa justamente com-
parar melhor para aqu importada*, acaba
de fundar urna grande fabrica de importan-
cia tal poder produzir, mais de 3000 gar-
rafas diariamente, pelo que, desta data em
diante, acha-se hahilitado a fornecer, com a
maxim promptido, qualquer qusntidade
de cerveja branca e preta de superior qnali-
dade, aos seus numerosos fregnezes, qoer
para oso particular, qoer para negocio.
Igualmente faz publico, ter um grande
Isortimento de vinhos finos e ordinarios de
Allemanba e Franga por mdicos precos, ha-
vendo dos da ultima especie deste 360 reis
a garrafa, sem casco, at 15$, a duzia. To-
das as'encommendas sero] entregues livres
de despezas, tos domicilios dos senhores
compradores.
Prevalecendo-se da opportunidade previ-
ne o mesmo proprietario ao cornmercio de
grosso e a retalho que tambem ehcarregar-
se-ha de fornecer-lbes urna excellente qua-
lidade de vinagre, por elle fabricado, o qual
revalisa com o melhor que se vende nesta
pra O estabelecimento do Sr. Leiden acaba de
ser honrado da visita do Illm. Sr. Dr. ins-
Ipector da sade publica, o qual Sr. Dr. achou
as fablicas montadas e eetabelecidas as me-
lhores coudicoes hygienicas e as qualidades
da cerveja, dos vinhos e do vinagre dos me-
lhores que sa possa recommendar ao uso do
publico.
Achando-se o seo estabeleetmento mon-
tado em om dos mais amenos sitios desta
capital muito se recommenda concurren-
cia dos amadores dos recreios honestos, que
nelle- encontraro alm de ptima cerveja de
differeotes sortes, caramachoes naturaes,
jogos lcitos, da bola e buhar e Analmente
boa companhia.
Um aviso anterior indicar os diversos de-
psitos que o Sr. Leiden propoe-se a esta-
belecer em diversos pontos desta cidade,
ara melhor attender aqueffl-e
nra-lo com sua confianc.
i-
preciosas.
Eliminar da economa esses principios deleterios, e purificar a massa geral dos
bomores tem sido desde tempo immemorial o fim constante da medicina, e os purgati-
vos flgoram em primeiro logar para preencher esse desiteratum ou fim.
O Elixir depurativo do Dr. Sevial parece merecer a preferencia sobre todos: os
immensos successos obtidos pelo uso deste salutar ageole tanto na Allemanha, como em
Franca e Italia, o tornam o companheiro ioseparavel de qoasi todos os doentes;
Sendo as melestias, como cima dissemos, devidas s alteraces dos bomores, o
Elixir depurativo do Dr. Sevial pode serempregado vantajosamente na syphilis, erisy-
pelas, rheomatismos, bobas, gbta, debilidade do estomago, inflammaces chronicwdo
ngado e baco, dores sciaticas, cephalalgias, nevralgias, ulceras chronicas, hydropesias
pleurisias, gonorrheas chronicas etc. e em geral em todas as molestias em qae s tenh
em vista a purificado do systema sanguneo; pois que orna pratica constante te m feit
ver que elle indispensavel no3 casos gravissimos para minorar os soffrimento, e pre
parar o doente para medicaces superiores; e as menos graves a cura a rcohse
qoencia do seo oso, convenientemente repetido.
As substancias que entram na composigo do Elixir depurativo do Dr. Sevia
pertencem todas exclusivamente ao reino vegetal, e grande cathegoria das sabstan
cas depurativas e antisyphiliticas; assim, ao passo que este remedio depura o orga
nismo, eliminando os principios nocivos saude, pelo mecanismo natural dasevau
ac5es alvinas, neutralisa ao mesmo tempo o virus syphilitico quando este Viricm,
tem feito erupcSo no exterior debaixo de suas multiplicadas formas; o previne taui
bem os estragos dessa terrivel molestia, quando por ventura se ache ella anda no
estado de encubaco, isto sem se ter manifestado sob formas exlernas: beneficio
mmensp, tanto mais quanto neste estado os individuos ignorara completamente se es-
to contaminados por este terrivel inimigo.
O sabor agradavel d'este Elixir convem a todos os estmagos, a sua aecSo so-
bre o tobo intestinal soave e benigna, e de nenhoma forma produz molestias medi-
camentosas, como acontece ao purgante dito Le Roy, que na sua, qualidade de drs-
tico forte irrita a mucosa intestinal, e consecutivamente a seroza, resultando deste es
tado, moitas vezes, hydropesias, que quasi sempre terminam pela morte do doente.
Assim pois esperamos que o "c '""^ -~^;" ;n;fi/",o .Koi,.,, _. .,
sas asseveracSes, porque sendo um
pratica tem confirmado sua ulilidade.
nico deposito
uSu '""*e remedio justifique cabalmente as nos-
medicaienii !ao simples na sua composigo, a
em
Pernamin',
Na botica e drogara
DE
Bartothomeo Companhia.
34-RUA DO ROSARfO LARGA-3*
pedid*
Constando que hontem fdra remettido da
repartigao das obras publicas para a presi-
dencia o orgamento do impedramento da
estrada do Catanga, pede-se ao Exm. Sr.
presidente da provincia se digne mandarpara
a thesouraria o mesmo orcunento, vislo qae
differentes pessoas legalmente habiiitadas
e manidas de seos fiadores qaerem oon-
correr a arrematag2o da mencionada obra, o
que d grande conveooncra para os cob*e
pblicos. .
O abaixo asignado, 'declara o.pnhliw, e ts-
peclalmente ao resplto-el eorp o eom_wcto
qne nada deve nesta praca noca tora, poma, e
algem jolgtr-se sea credor pode a#reeW toas
centas para seren pagas tonmodalMBenl.
i\!5di*lde*868.
laeimbo imi e Mattt. ,
V
OJ&RDIMDASlAfflAS
nava loja de fazendas
b. 36 a rna da Imperatrlz a. 36
Guimarles & Silva.
Amaveis le tores! No proposito de offe-
recer-vos o mais variado e bem sortido re-
creio, decidimos abrir o nosso estabelecimen-
to, onde podemos assegurar-vos, que a par
da franquesa e dedcago dos jardineiros en-
contrareis tambem o que de melhor em
modas tudo disposto de modo a satisfazera
exigencias do mundo elegante.
Nao vos offerecemos as minas de nenhu-
ma Nova California, que, coitada j nao po-
de ser explorjda; nao vos'chamamos a ne-
nhuma Encyclopedica, (de brins, baetas e
algodo) nao temos as penas bellas e doura-
das do pavo, mas ein compensago, pode-
mos afianga-lo, temos ludo q que ha de me-
lhor porque temos boa f, lealdade e franque-
za na classificago das nossas fazendas.
Regeitamos as praticas da California, nlo
queremos a sciencia da Encyclopedica, nem
tambem os ps do pavao, o nada dlsso que-
remos porque contamos com a protecgo de
todas as mogas, que por certo virio bater as
grades do nosso jardim, e abi coluer urna
flor da ultima moda, captivando assim o jar-
dineiro que.
As damas se entregando.
Tudo espera.
Venham, pois, homens e meninos, velhos
e mofos, ricos e pobres, que aqui encontra-
ro de tudo e para todos a por. tal prego que
ficaro pasmados.
Esperam os jardineiros que sero prote-
gidos, e no meio da effuso de seus agra-
decimentos, beijao desde j as mos s suas
benignas freguezas^________________
GltAOEXPOSICiO DE 1867
LAC<>IPA6Mti-Y0iWaiSE
37JBOULEVARD DES CAPUGINES, 37.
- DE FRONTE DO GRANDE HOTEL.
Estofos de seda, manteletes, visitas,
maotos, etc., cassas impressas. rendas,
chales da india e francezes. teeidos do
gosto mais noy, enioyaes para ca-
samentes,
A Compagnie Lyonnaise tem a honra de
informar as senhoras brasileiras e portu-
guezas qae acharSo no sea estabelecimento
saldes de costura para a confec$5o dos seus
restados executados no melbor gosto, e so-
bre os mais elegantes padrSs.
VESTIDOS
PROMPTOS E POR MEDIDAS
Depois da sua fundaco, a Compagnie Ly-
onnaise nunca cessoo de cuidar particular-
mente na escoma dos seos artigos, todos
do melhor gosto, e de primeira qualidades
por isso, nao ba nenhoma casa qae poza;
rivalizar com esto estabelecimento, que agos
de universal reputagao.
Aos Srs. consumidores do
gas
A dirwcao da opten do git convida raspel
oUMeate os Srs. consumidores que per acaso
possasa ter ^ueias per falta de gax, on o atroja
donveniente qae possa sebrevir, queiram dirlftr
snas reclamacoes ao escriptorio da emp.reza n. 31,
rna do Imperador, aonde reoeberao maediatt
prompu attenjo. c.
..
A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros sobre
a vida
AOTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
BANQUEIROS DA COMPANHIA DIRECCAO GERAL
O Banco de Hespanha Madrid: Rna de s. Agotlnho
n.IO
Situar da companhia em 15 de julho de 1866.
Apolices 19:700 Capital Rs. 127:1440670 oa moeda brasileira
Rs 12,714:476,51000
A Nacional abraca toaas as conbinacoes do seguro de supervivencia e n'ella pode
fazer-sesubscrip?5) de modo qae emnenhum caso se perca o capital imposto nemos lu-
cros correspondentes.
Urna afianca depositadajnos cofres dojestado, garante a boa administraco da com
panhia,
Os fundos da companhia se invertem em ttulos do estado e se depositara no ban-
oc de Hespanha com iatervencao do delegado do governo e do conselho administrativo.
A companhia estranhatoda a empreza ou ispiculacao perigosa,eos ttulos em
gue se invertem os fundos imp s na rmesma, nao-se correm o menor risco, pois esto
qarantidos pelo governo, podeatonacao da a tor p.eizosd

NOVO DEPOSITO
DE
MACHINAS
Fkft. DESCAROCAR ALGODO
Manoel Bento de Oliveira Braga.
53Rna Dlreltfa n.53
Neste estabelecimento se encontrarlo as
verdadeiras machinas americanas chegadas ultima-
mente, as quaes s5o feitas pelo mais afamado fa-
bricante da America, por isso avisa a todas as pes-
soas que precisarem comprar, de se dirigir a este
estabelecimento qne comprarao das mais perfeitas
neste genero, assim como mais barato do'qae em
ootra qoalqaer parte, por isso que se recebe por
conta propria, bem como cannos de chambo e moi-
nbos para moer milho, e grande sortimento defer-
ragens e miudezas em grosso e a retalho..
Machinas americanas para moer'caf, 'do
vono systema, proprias para reQuaco,
Vvh >dem para milho.
^^%^%b
DE
, DE
h IGNES.
M. 55. RA DO IMPERADOR M.
55.
O pianos desta ntiga fabrica sao hoje-sss conhecldos para qne sej necessario insistir sobr#
uu anoeriorldade, vantugens e arantias que offerecem aos. compradorea, qualidades estas incontesU
i_i nna eUes tem deOnitivamente oonquisudo sobre todos os qne tem pparecido nesu praca ; pos .
-ntaionm teclado e machlnismo qaeobedecemi todas s vontades e caprichos das pianistas,sea
_Taln_T noc serem labriotdos de proposito, e ter-se feito nlmameMe melboramentos importtn-
SSos Pra o olima dwiepaii; a,o*-tt> s wes, sao melodiosas efUuHdas, e por isso nraito afrada-
"toS-_M'se^o-&2eseBcommendae, Unto mesta fabrtei como nado Sr.Bloadel,deP-ris,socio
asnondente te J. Times, em ta\x captu fonun sempre premate em totes as ipoMBes.
SSSSe^bJectoekto se acbtrAen-trtm eiplenditee tarte ^^1^*
eftores amores a Boropa, asaim orno bvrmolcos % pianos harmnicos, sendo todo "Haiite poi
preoos commodo e raxoavets. Plf
!
fi


V
Blario de r eraambuco Sexta letra te *alh de 1867.

MSUk
Precisase de ama ama para coxnbar e comprar
para ama casa de pouca familia > na ra da Lruz
n. 8, f andar._______|_______________
Na ra Nova 2. aBdar n. 65, aluga-se urna
casa terrea na roa Augusta n. 111
Aos Srs. fogueteiros
lia botica da ra larga da Rosario n. 34
Vende-se
Salitre refinado de Ia qaalidade.
Enzofre em cylindro dem.
Limalha de ferro (mnito nova.)
dem de ac idem.
dem de popta d'agulba idem.________________
- Precisa-se de"um feilor para trabalhar, qoe
saiba tratar de caplm, hortalice, etc.: quem esti-
ver nestas circamstancias e der conbecimento de
sua conducta, apparega na raa do Quelmado n. 26,
Manan___________________ .
Advogacia na corte
O Dr. Aristidcs de Panla Blas Marlins
tem o sea escriptorio de advocada na roa do Hos-
picio a. I, 1* andar, onde pode ser consultado so-
bre (fiesioas jurdicas, das 9 oras da manba as
3 da Urde. Eacarrega-se de qaalqaer cansa ci-
vil, commercial, ecclesiastica e criminal, inventa-
rios, aopellacdes, revistas e uegecios pelas repar-
tirles. Os negocios (ora da corte, aidm das pro-
caragCes devem vir tcompanbados das competen-
tes ordena.
Ateneo.
9
-Una pessoa competentemente habilitada para
occupar-se em qaalqaer genero de plan tagoes, ou
como destilador em qaalqaer destilacao, ou anda
como administrador de engenbos, offerece-se para
qaalqaer daqaelles misteres. O pretndeme j tem
irabalhado no interior da provincia, bem como na
Gutenna Ingleza, e director de planueSes na Trin-
dato na Jamaica ; coobecendo pertanto perfeila-
mente os diversos ramos de cultora do pan, acba-
se no 'caso de ser empregado : quera de sea pres-
umo se quzer atilisar ou obter melbores informa-
cees, dirija-se ao consulado inglet ou a' livraria
francea d. 9 raa do Crespo em carta fechada, sob
o adresse de A._________________^
O'Sr. Antonio Jos Domingues deixou de ser
aixeiro de Manoel Jos Lopes & C, da lo ja da
raa larga do Rosario n. 38, desde o dia 17 de jti-
ahodo correte anno. Recife 2 de [albo de 1867
'Oabinete Portuguez deLei-
tura.
De ordem do lilao. Sr. presidente sabstitoto do
-conselho deliberativo, convido aos Srs. conselbei-
ros a rennirem-se em sesso ordinaria sexta-feira
6 do correte pelas 6 horas da tarde.
Secretaria do constlbo deliberativo do Gabinete
Portuguei de Leitura 2 de julbo de 1866.
Jos Ribeiro da Fonsec,
Secretario.
Aviso
As pessoas que tiverem obras na ty>* .
ria da ra Direita casa n. II7j&dm a bon-
dade de tirarem asj^ss&as" at o dia lo
dp^nv "35 contrario serao vendi-
~das par, ou- jolco da sobredi ti tiotnraria.
83

Potographo da A. casa imperial do Brasil
Raa do Cabog n. i$x sobrado, entrada pelo jateo da Matriz.
Acabamos de receber de Franca pelo vapor Estremadure urna liada collec-
$o de
- ALFINETES DE OBRO PAB4 RETRATOS. ...
Ha alfinetes simplesinente de ouro, porm de bonitos feitios, e na jumeies
com pedras preciosas engastadas, perolas, rubios, esmeraldas etc. Os precos dos am-
ueles com os retratos das pessoas que os comprarem, variando 180 a 400000.
. "Tambera ha alflnetes de ouro para collocarem-se retratos e especies para gra-
vatas ou mantas ltimamente em uso para homens. Estes alfinetes com o retrato ustam
de 14,51 a 18,5(000.
RETRATOS POR TODOS OS SISTEMAS PHOTOGRAPHICOS.
Retratos em ambrotypo, para caixinbas ou quadros.
Retratos em porcelana.
Retratos em papel para diversos tamanbos.
Retratos em earides de visita.
vendem-se passe-par-touts e moldaras pretase douradas de todos os tamanbos,
asstm como vende-se tudo quanto preciso para trablhar em photographia ou am-
brotypo. ~
Ha nma bella variedade de vistas stereoscopicas representando paisagens, edi-
ncios e monumentos de diversos paizes da Europa, frica e America. Tambem existo
qoanbdade de academias coloridas e transparentes para stereoscopo, e tudo se vende
por barato preco. Stereoscopos de acaj, pallissandre e mogno de a 150000.
Albuns de diversos formatos e gostos para 20, 30, 36, 40, 50, 100 e 120 re-
tratos, de 30 a 180000.
A galera e oficina acham-se abortas todos os dias e a todas as horas.
_ N.2D w N. 2 Di
DOT* CORACAO DE OURO. ^M
A lojan. 3 D intitulada Corceo de Ouro na ra do Cabug, acba-se d'ora em diante orTerecen-
do ao respeitavel publico com especialldad as pessoas que bonram a moda os objectos do ultimo gos-
to (a Paris) por meaos 20 por cenio do que em outra qaalqaer parte, garantindo-se a qaalidade e a so-
ndea da obras.
O respeitavel publico avallando o desejo que deve ter o proprietario de nm novo estabeleeimen-
te qne quer progresso em sen negocio deve cbegar immedlatamente ao corado de ouro a comprar
neis com perfeitos brlbantes, esmeraldas, rubins e perola; verdadeiras em agarras, modernas pele
diminuto preco de 10$, brincos modernos de ouro e coral para menina pelo preco de 3J, maracas de
prata com cabos de mar&m e madreperola obra de moderno gosto (o que o encontrarlo no coragao de
ouro)"voltas de ouro com a competente cruslnba ricamente enfeitada pelo pequeo preco de 125, brin-
cos de nm trabalho perfeito por nm mdico prego, cassoletas, tranealtas, pulceiras, alflnetes para re-
tratos e outros modelos tudo de alto gosto, aneis proprios para bular cabello e Arma, dito para casa-
mento, no rtico roseta tem o Coragao de Ouro ura completo e bem variado sortimento de diversos
gostos, butSes para punbos com diamante, rubios e esmeraldas, obra esta importante ja' pelo sea va-
lor ja' por gosto ds desenbo, brincos a forma da delicada mosloba de moca com pingente contendo es-
meraldas, rubins, brlbantes, perolas, o gesto sublime, alflnete para gravata no mesmo gosto, relo-
gios para senbora cravados de pedras preciosas, ditos para homem, diversas obras de brlbantes de
nuio gosto, crusinhas de rabias, esmeraldas, perolas e brhantes, aneis com letras, cacoletas de
erystal e ouro descoberta para retrato (a ingleza) brincos de franja, ditos a imperatrize toda e qual-
quer joia, para secoltocar retratse obras de cabello, e outros muitos objectos que es pretendentes en-
contrado no Coragao de Ouro que se conserva com toda a amabilidade aos concorrentes deixandc-
se de aqui mencionar precos de certos objectos porque (desculpem a maneira de fallar) dizendo-se o
pre?o talvez alguem faca mo juizo da obra, por ser tSo diminuta quantia a vista do sen valor. .
Na mesraa ioja compra-se, troca-se ouro, prata e pedras preciosas, e tambem recebe se concer-
tos, por menos do que em outra qaalqaer parte, e dao-se obras a amostra com penhor, conservando-sa
e Coraco de Ouro aberto at as 8 horas da noile.
Quaiquer pessoa que s dirigir ao Coraco de Ouro nao se podera' engaar com a casa, pois
nota se na sua frente nm coracio pendurado pintado de amarello, alem de ontro qae se nota em um
rotulo (Isto se adverte em conseqnencia de terem ja' algamas pessoas engaado com outra casa.
fiS
Precisa-se de urna senhora que saiba
ensinar a ler, escrever, grammatica portu-
gueza, franceza, msica e piano, para en-
sinar a doas meninas em um engenho na
freguezia da Eescada, urna legua distante
da estacao, paga-se bem : a tratar na ra
do Cabog n. 11, 2 andar, com Francisco
Antonio de Britto._______________^^
Attengao.
O abaixo assigndo declara ao publico que desta
data deixa de ser gerente da padaria da praga da
Boa-vista n. li, pertencente ao Sr. Domingos An-
tonio da Silva Beiriz, e aproveita a occasiao para
agradecer ao mesmo senbor o bom tratamento que
recebea dorante o tempo qae esteve em sua
casa.
Recife, i de jullio de 1867.
Bernardino Gomes de Paiva.
Urna senhora franceza da' licoes de piano.de
francez e italiano era casas particulares : a tratar
a ra do Imperador 7' 1" andar.
O'Sr. Jos Marques da Costa Soares,
(negociante no Recife) queira vir esta typo-
grapbia negocio.
. Aloja das Collumnas
Lindos mapgpHoi com gollinhas.
Grande variedade de golinbas com punhos, de cambraia.
v""j De bretanha e de esgniao.
/-''Gravatinhas de cambraia de muito gosto para senhora.
Ricos peplum de grosdenaple preto enfeitado, o que tem vindo de melhor
Pernambuco.
ra do Crespn. 13de Antonio Correiade Vasconcellos A C.
gesto
Hospital JPo tuguez
Sao convidados os Srs. socios do Hospital Porta-
gaez de Beneficencia em Pernambnco a se reun
rem no edificio do estabelecimento domingo 7 do
correte pelas 10 horas da manba para em ses
sao da assembla geral assistir a posse da nova
administrado de conformidade com o que dispoe
o art. 29 dos estatntos.
Secretaria do Hospital Portuguez de Beneficen-
cia em Pernambnco aos 3 de junbo de 1867.
O 1" secretario,
J. J. Fioza de Oliveira.
ATI
DO
MUNDOELEGANTE
46 RUI \OVl 46
THOMAZ FERREIRA DF CARVALHO 1 C.
Com o proposito de satisfazer o resp^veTpublico desta cidade, e em geral-a> to-
dos, creamos o nosso estabelecimenio com*m-Mmplexo,Variado de todas as fazewks;
bem como, laa, seda, linho e algodao.
Um variado sortimento de roupa feita, e por medida com toda brevidade e per-
e ico.
Os proprietarios deste estabelecimento protestando fazer suas transaccoes sempre
na melhor boa f possivel, esperam concurrencia de numerosos freguezes. Convictos do
que vem de expor, convidam aos amantes do bom gosto e elegancia, para que apparecam
convencer-se da verdade.
No mesmo estabelecimento vende-se cha verde a 30 e preto a 20800, encom-
meoda especial.
NI 8 .1Ra do CabogW. 3 V
Agostinho Jos dos Santos $ C
Acaba de chegar a este estabelecimento um esplendido sortimento de
joias do ultimo gosto, perfeico artstica e modellos-entecamente novos; como
segaem: aderecos com rubim, esmeraldas e perolas finas, pulceiras, broches
para retrato, anneis, botoes de punho, brincos e cassoletas com letras, etc.,
etc., ele. Salvas de prata do Porto, faqueiros, paliteiros, calix de mesa e
fructeiras, cojos precos sao incompetiveis, pois que os proprietarios desta casa,
recebendo seus artigos directamente da Europa, podem servir vantajosamente
aos seus freguezes. Compram-se brhantes, pedras finas, ouro e prata, paga-
se bem, tambem se incumbem de fazer concertos.
ARJIAZE DE ROUPA FEITA
Reg & Moura
ra Nova n. 24
Os proprietarios deste estabelecimento, verdaderamente, penhorados para com seus
amigos e freguezes, pelas continuadas provas de acceitacao e confianca que delles h5o re-
cebido no espaco de tempo em que se acham estabelecidos; nutrindo, agora como sem-
pre, desejos de corresponderem suficientemente a esses ttulos que muito e muito apre-
ciam; resolveram augmentar o pessoal artstico da sua officina de alfaiate para assim sa-
tisfazerem com a presteza possivel quaiquer encommenda de roupa feita ou por medida.
As pessoas, a enjo Jargo se acha a direceo da officina, s5o os Sjs. Lauriano, Castello Bran-
co e Souza Couto, artistas de reconhecido mrito e incontestavel zello e solicitude por tu-
do quanto diz respeito a sua arte. Pelo pouco que fica dito e pelo muito que poderemos
accrescentar na presenca dos nossos freguezes, affiancamos desde j a mais restricta ob-
servancia e fidelidade no cumpri ment dos nossos de veres.
CASA DE HAMO
26 Pateo do t armo 26.
Neste estabelecimento tSo im-
portante para a saude e asseio
do corpo, acham-se montados 20
banheiros, que s3o servidos com
a ordem e asseio que para de-
sejar-se. Quatro destes banhei-
ros sao especia'mnte reserva
drs para sen horas e por isto
acham-se collocados em lugar re-
servado, aonde s tem entrada,
as pessoas de urna mesma fami-'
lia.
[PRECOS DE BANHOSAVULSOS.;
1 bauhofrio, momo ou de
chovisco..... Soo
i dito de choque. |0ooo
1 dito de farello. Ifooo
l dito aromatisado. 10ooo
PREgOS POR ASSIGNATRA.
30 banhos por mez fri,
momo ou de chovisco. io^ooo-
25 banhos com cartoes
para os mesmos. lojooo-
12 ditos ditos ditos. 5ooo
12 ditos ditos de choque. Io0ooo
12 ditos ditos de farel-
lo.......100000-
O estabelecimento estar aber-
to nos dias nteis das 6 horas da
manhiia as 10 da noute, nos dias
santificados das 5 as 5 horas da
tarde.
Alnga-se um armazem grande na roa de
Praia n. 33, proprlo para carne ou ouiro quai-
quer negocio : a fallarlo mesmo.
.



Mudanza
A assistente Mara Francisca da ConceicSo mu-
don a sua residencia da ra de Hortas n. 68 para
o primeiro andar do sobrado da rna Direita n. 45,
onde pode ser procurada a quaiquer hora do da
e noite.
Boga-se ao Sr. Demetrio Jos Teixeira, estu-
dante do 3* anno, de vir ou mandar na taberna da
ra do Secego n. 56, negocio que nao ignora, des-
de o anno de 1865.
Serventes.
Precisa-se de um ou dous moleques para ser-
ventes do hotel Pernambucano a' roa das Crazas
n. 39.
T
Perdeu-se o qnarto e bilbete n. 2565 da 43"
parte da lotera concedida a beneficio das familias
dos voluntarios da patria, tendo no verso o nome
do abaixo assigndo : previne-se portanto ao Sr.
thesoureiro das loteras no caso de sabir elle pre-
miado, nao pagne se nao ao annnnciante.
Jos da Silva Ferrera.
DE
Precisa-se de urna ama para casa de pouca
familia : na ra larga do Rosario n. 8.________
Na ra do Imperador n. 73, segundo andar,
preoisa-se alugar urna coznbeira j de Idade.
AMA
Precisa-se de nma ama forra ou escrava para
cosinbar para pouca familia : na raa io Crespo
n. 7, loja do Passo.________________^_^_
A. Dumont retirando-se temporariamente
para a Europa deixa por seus procuradores em 1*
lugar ao Sr. Torqoato Henriques da Silva e em 2*
ao Sr. J. 0*C. oyle.
CAROSA
PREPARDAA FRI
ROIjEEIRO
No caes do Apollo armazem n. 55, precisa-se
alugar nm bom beleeiro.____________________
Precisa-se de orna ama para cosinbar, la-
var e engommar para casa de homem solteiro :
no pateo da Rlbelra n. 13._________________
Precisa se de urna ama para o servco de
urna casa de familia : na Soledade casa da profes-
sora publica.___________*
Joaquim Buarie Pereira declara que ten
contratado com Antonio Duarte Pereira vender-
Ihe sna oocheira a ra do Calabouce n. 20.
ib
50, precisa-se de
Na ra da Gadeia do Recife n.
ama ama para cssinhar.______
Samuel Power JehasUn & lompanhia
Ruada SenzalaNovan. 42.
AGSNCIA DA
Fundl$9o deLow Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixa8 de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios de carro para um e doas cavallo.
Relogios de onro patente nglez.'
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costara.
I Companhia fidelidade de segaros S
martimos e terrestres
estabelecida ao Rio de Janeiro;
AGKHTIS EM PKKMAHBDCO
AiUii Liii it Oliviira kmtit k C,
competentemente autorlsados pela direc-
tora da companbla de segaros Fidelida-
de, tomamsefuros de navios, mercado-
I ras e predios no sea escriptorio raa da
Crai b. 1.
POR
AU&USTE CAORS
Pharmaceutico.pela escola de Paris esuccessor nesta cidade
DE
Aristide Saisset e J. Soum
22.------Roa da Croas-----22.
IIHIUMIIIII
Tratamentp puramente vegetal sem mercurio, iodo, onro, nem oatro qaalq'ae
mineral.
Verdadeiro porificador do sangue sem azougue.
Especial para a cura de todas as molestias que tem sua origem na impureza do
sangue, como sejam as molestias boubaticas, syphiliticas, escrophulosas, darthrosas, quer
venham ellas por hereditariedade, quer sejam adqueridas pelo contacto com pessoas in-
feccionadas dos diversos virus que contaminam o sangue e os humores.
A caroba um remedio prodigioso, (usado desde remotas eras pelos indios
do Brasil, e passando seu uso de gerago em geracSo, hoje um dos remedios mais co-
nhecidos como proprio para combater as molestias mais hediondas, entrando nesse nume-
ro a morpha ou elephantiases,- para cujo curativo os nossos sertaneios considerara a
caroba como remedio especifico.
A muito tempo entrou a caroba nos formularios como preparado magistral
sob a forma de eleictuario, anda hoje lembrado as pharmacopas com o nome de seu
celebre autor Joao Alves Carueiro: nSo ella portanto remedio novo nem desconhecidb.
O ungento de caroba da mesma sorte preconisdo desde tempos immemo-
naes como o mais apropriado para o curativa das boabas e ulceras syphiliticas srdidas,
e empregado.com proveito depois de improficaa applicacio de muitos outros agentes
tnerapeuticos enrgicos e de uso quotidiano.
Muitos dos nossos mdicos de considerado e entre elles o muito distincto pratico
e observador o Sr. Dr. Pedro d'Athayde Lobo Moscoso, tem confirmado por meio de ex-
periencias repetidas, o que diz a fama das benficas propriedades da caroba no trata-
mento das boubas, das diversas formas sob que a syphilis se apresenta e muito especial-
mente as que teem sua sede na pella, e poderiamos relatar alguns casos de data muito
moderna observados pelo mesmo Sr. Dr. Moscozo em que a caroba produzio admir-aveis
eneitos, depois de matis e prolongadas applicaces de salsaparrilha, mecurio, iodo, ou-
ro e seus preparados, etc., etc.
.NSo era possivel que urna planta tao notavel por .suas inappreciaveis virtades es-
capasse a perspicacia einvestigacoes dos mais abalisados praticos europeos, que se ap-
pncam com especialldad ao estudo e tratamento das molestias syphiliticas e herpeticas
e para prova ah esiSo os Srs. Drs. Casenave, Schurfer, Ricord e outros dando as mais
songeiras mformacoes sobre as propriedades curativas da caroba e preconisando-a como
Attencao.
V. 2 i -Raa do Liv ramate-N. 25
Deposito de tamancos e calcado nacionaes da fa-
brica da rna do Jardim n. 19, de Jos Vicente Go-
dinbo, tanto no deposito como na fabrica se
apromptam todas as porches de calgado o mais ba-
rato possivel, esta fabrica tem todas as machinas
proprias para os calcados ja' bem acreditados pelo
grande numero de freguezes que daqul se for-
necem._________________.__
Na praga da Independencia n. 33~ loja de
ourives, compra-se onro, prata e pedras preciosas,
e tambem se faz quaiquer obra de encommenda e
todo e quaiquer concert.
Vinho tnico e nutritivo
BE
QUINA E CACAO.
DE
BCORAMD*
Esta nova combinago rene em urna bebida as-
ss agradavel e conveniente a todos os organis-
mos, a quina que um medicamento tnico por
excellencia, e o cacao que contem principios nu-
tritivos assas reconbecidos.
Elle se emprega com o maior successo na cura
das paludas cores, soffrimentos do estomago, per-
da de appetite, digestoes difficultosas, menstrua-
g5es difflceis etc., etc.
Deposite especial
NA
Pharmacia e drogara de Bartholomeu & C.
34Rna larga do Rosario34.
Ria da Aurora r"
Aloga-se e segando andar do sobrado da raa da
Aurora n. 24, com 4 salas, 6 quartos, todos forra-
dos a papel e pintado, e soto para cozinba, tendo
agua e despejo: a tratar na roa Formosa n. 15
com Candido a G. Alcoforado,
Aos senhores de enge-
nho
Um caldeirelro desta praca se offerece para con-
tratarse em algam eogenbo para trabalbar pela
sua arte, ou lidar com a machina se o engenho for
movido a vapor, do que tem grande pratica por ter
sempre irabalhado em fabricas desta praca, o quai
apresenta seus altestados : quem pretender dirja-
se ra do Brnm, travessa do Cbafariz n. 47.
Publicado iliteraria.
ESTUDO
SOBRE
O recorso corda.
A* proposito do projecto de lei approvado pela
mar dos deputados na sesso de 1866, revogan-
n. 1,911 de 28 de margo de
CALCADO BARATO
Grande pechincha.
Botinas pretas para senhora a 3000.
Ditas ditas para meninas a 2500.
Na praga da Independencia ns. 13 e lo, loja de
Arantes & Lyra.
Obras venda na livraria
Universal, ra do Impera-
" dorn. 54.
Besolugdes do conselho de estado sobre a in-
teligencia do acto addieional na parte relativa as
assemblas proyiociaes.
Grammatica portugueza de Sotero.
Dita pbilosophica de Duarte.
Dita franceza de Noel et Chapsal.
Catbechmo da diocese do Maranhao.
-O Livro dos meninos.
Jesn-Christo a a critica moderna.
SEGURO
MARTIMOS
ioaqolm Bebiaoo de Barros
partieipa aos seus amigos e freguezes que mudoa
a sua offleina de marcenara da ra da Aorora o
25 para a ra Direita n. 112, e contina a fabricar
as ricas mobilias de Jacaranda' e amarello, santu-
arios de Jacaranda' e cedro, e outra quaiquer obra,
e eneanega-se de concertos e verniz de quaesqner
movis. Na mesma offleina encontrara se grosas e
limas de ago patentes, eoutres ferragens para mar-
cinaria, e tem alguns bancos desoecupados que
convida algum collega ao trabalho.
cal
do o art. 2* do decreto
1837.
PELO
Dr. Braz Florentino Henriques de Souza
Lente de direito civil na Faculdade do Recife.
Sabio a' luz esta interessante publicagao, e acba
se venda as livrarias de J. Nogueira de Souia, e
Garraux, de Laiibacar & C, ao prego de 3$ cada
exemplar. \
CONTRA FOGO.
A companhia Inderbnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre oavios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias:
na roa do Yigario n. 4, pavimento terreo
I Residencia e consultorio
Medico cirurgico
Dr. Antonio Duarte
M Na praca da Boa-Vista n. 2 i onde
m pode ser procurado a quaiquer
i hora.
Especialldad
Doenca do peito, e de meninos.
SD consultas das 7 s 10 horas da
ma nuca.
Precisase de urna ama para o ervigo inter-
no de urna casa : a tratar na ra do Livramento
n. 21, 3 andar.____________ ,
Precisase fallar com o Sr. Dr. JuvencioAl-
ves Ribeiro, na roa do Aragao n. 40.
Escrava para comprar on alHgar.
Precisa se de urna escrava que eozinhe, por com-
pra oa" aluguel : aa ra das Cruzes, armazem a.
54, das 10 horas da maoh3a as 4 da tarde.
U advogado Amaro Joaquim Fonseca
Aibuquerque tem seu escriptorio a' ra
Crmes n. 33, andar ; reside a* traves-
sa do Veras n. 15. Encarrega-se de
questSes em todas as comarcas na exten-
gao da linha frrea.
Quem tiver e quizer vender os volames da
Legislaglo Brasileira dos anuos de 1824, 1825,
1826, 1827, 1828, 1629,1839, 1850, 1851, 1852,
dirja-se a secretaria da polica aflm de iratar a
ta; respeito com o respectivo secretario.
Na roa do Imperador o.
cisa se de um criado fiel.
73, 2* andar, pre
Ama
Furtaram do poder do abaixo asignado nm
relogio de prata galvanisado, patente suisso, com
os seguintes signaes : descoberto, com vidro de
crystal, fallando o ponteiro dos minutos e ama-
china perfeita, assim como ama cada de cabello
com enfeites de ouro a balo tendo no gancho duas
cornalinas encastoadas em onro :
gratificar.
que se
Jos Bernardino C. de Barro s
pede-se as pes-
soasecom espeeiaiidadeaos Srs. relojoeiros a qaem
remedio poderossimo para o tratamento das eruDcoes cutneas darthros de todas a mialidarlP 1,7\LZ >rF outaneas; seccas ou suppurauvas, aprehenderem e mandar participar oa praga da
ZEIiSiU, i* fczomas, ulceras de dwerras naturezas, tumores, osseos independencia n. 12 oa a raa da Paz n. 40, qu<
e ootras muitas molestias de natnreza syphilitica oa boubatica
o /SL*.61";86 ?ener,ali8ad maito o uso da esseocia da earoba que eu pre-
SSSL -?!r m.stncias de vanos medicos qno desejam connuar em reas observacSes,
deliberei-me a ter prompt ama qaantidade da mesma essencia, obtida sem a aectod
ogo, para n5o prejadicar as propriedades medicamentosas; e d'ora em diante encon-
WtjNUA LiMCENTRADA De CAROBA, feo ungento da mesma pirata para qae aan-
ofaUem aosSrs.medicos^aequizorem esperimentar tao precioso agente medicinaj.
Recife ae Parnaabuco, 17 de oatabro de 1366. "
ACGSTK CaOUS,
Advogacia na corte.
O Dr. Arislides de Paula Dias Hartins, tem o sea
escriptorio de advocada na raa do Hospicio n. i
i* andar, onde pode ser consultado sobre questdes
Jurdicas, das 9 horas da manba as 3 da tarde.
Encarrega-se de qaalqaer caasa civel, commercial,
eclesistica, e criminal, inventarios, appellagoe3,
revistas, e negocios pelas repartieses.
Os negocios fra da edrte, alm das preearacSes
devem vir acompanhados das competentes ordens.
para o
duas
Precisa-se de ama ama livre oa escrava
servlgo interno e externo de urna casa de
pessoas: na raa das Cruzes n. 28.
Ensino de msica
n. 73, 2o andar, roa lo Imperador n.
75, 2 andar.
Lecciona-sepersolfejoeatocarva- |
ros instrumentos; dando-se as li- !
coes das 5 horas da tarde as 10 da fll
noite em casas oa em suas residen- M
cias.
Precisa-se de- urna ama para coziBhar, e en-
gommar ; na rna das Cruzes n. 21,1 andar.____.
Precisa-se de ama ama para e servigo intern
de compra : na rna Direita n. 175, segundo andar
Trocam se
as notas do banco do Brasil e das caixas Olfaes,
com descont muito rasoavel, na praga da inde-
pendencia n. 22.
mmmmm m bb** w
Advocacia
M O baeharel Olympio Marques da Silva W
B| tendo transferido sua residencia da cida- S
5 de do Bio Formoso para esta, contina no
SR exercicio de sua profisso de advogado
^ emseu escriptorio a' raa do Imperador
** n. 45, i andar, onde reside 9 pode ser
procurado,
Advoga no civel, commercio, erime e
ecclesiastico, e incumbe se de causas pa-
ra qualqner dos termos do sul da pro-
vincia, onde tem pessoas habilitadas qae
ibes deem o devido andamento e ira* sen-
do necessario.
****
Precisa-se de nma ama para o serv/go interno
de ama casa : a tratar na rna da Cadeia do Beeife
armazem n. 8.
Criado
Preelsa-se alogar nm criado forro oa escravo
at 25 anoos para eopeiro e mais servigo de casa
de pouca familia : na roa da Imperatriz n. 7, se-
tando andar.___________._________________
Precisa-se de nma ama par? todo o servigo
de casa; na raa de Hortas o. 1.
CASA
de commisso de escravos,
Na casa e coramissSo de escravos jaa do Im-
perador b. 45,3* andar, recebe rase escravos pa-
ra serem vendidos tanto da praga como do mato,
e u senhores de enganbo qne por quaiquer moti-
vo queiram desfazer-se de atgum nao tem mais do
que remette-lo ao abaixo assigndo que garante o
bom tratamento e prompta venda, nao se ponpan-
do exforgos aflm de em todo satisfazer as pessoas
qae o quiterem honrar com a sna conanga. Nes-
a casa ha sempre para vender escravos de ambos
os sexo*.
Antonio Jos Vlelra de Sonta.
Attencao
Um rapatlnho brasilelro de 15 anoos de idade
offerece-se para caixelro de algama casa de com-
mercio em grosso oa a reulbo, com tanto que nSo
seja taberna. Qaem se qaixer utilisar do presumo
qae elle pode offerecer equiter ter informagoes di-
riga-se ao 2a andar desta tvpegrapbia das 8 as 10
horas da manha e das i Vz s 6 da tarde.

. T
.
'
,-


'W
\f
fJPB^BJ
^
Diario de PemaBibac exea eira & 4c ulho de 18b7.

\A



i
>

X
i
*
'
t
f
/*
0M0UR0 DE VfiNBZA
Ao respeitavel publico pernambncano pede-se
Attenco
Hanteiga ingleza
320, 500, 800 e 10 s no armazem se acha vista.
Manteiga franceza
em libras 560 e 640, em barris se far differenca.
Banha de porco
em libras 320 e 380, em poroso se far differenca.
Fructas
em calda Pera, Pecego, Rainba Claudia, Alperxe e outras mu i tas 500 e 640 a lata.
I rvilas
Portuguezas 640, francezas 900.
Fumo
em latas do Para e de albaneque, lata 1(5 e 14200.
Ooiuma de milho
em pacotes 400 e 500, dita da trra 100 e 200 a libra.
Vlnho
de Bordeaux em caixa a duzia H, garrafa 500, dito de 84 a dazia, 800 a garrafa, [dito a
1>0 a duzia, 14200 agarrafa, dito do Porto a 84,124,184, 244, caixas de duzia, assim
como flgueira caada 34500 e 44, puro J A A. Lisboa 24800, 34 e 34500-a qualidade
convida.
ttu
lata a 84 de 5 galoes e mais pequeas a vontade do comprador, em garrafa 360.
Alpiste
140 e. 1.5. 0 a libra, pataco a 100 a libra.
Azelte
em garrafas a 800 e 14.
CHARUTOS
em caixa de 50 por 14, ditos Delicias, Trovadores e Parisienses em caixas de 100, ditos
da Exposicao caixa 54, ditos de Regala caixas com 100 a 24500 e outras maitas marcas
que s na presenca dos compradores.
PREZUNTOS
de lamego em barril, -ditos de fiambre o melhor .que ha no mercado, por preco que faz
admirar !!
DOCE DE GOIABA
caixes de 560 fino, ditos de 14500 que parece marmellada, qualidade a 14200.
BOCETAS
com doce secco a 14 e 24.
QUEIJOS
do Alentejo em latas chegado pelo vapor Oneida, ditos FlaraeBgos e Pratos dos mais novos
que na no mercado.
AZEITONAS
de elvas como no mercado nao temos a 14 a lat?., em barris do Porto a 14 como nao ba
melhor.
CASA DA FORTUNA.
Aos 6:000#000.
Itiihete* garantidos
A RA DO.CRESPO N. 23 E GASAS DO COSTUME
O abano assignado vendeu nos seas muito feli
es bilhetes garantidos da lotera que se acaboo
de extrabir a beoericio das familias dos volunta-
rios da patria, os seguales premios :
N. 327 dous quinos com a sorte de 2:0005.
N. 98 dous quartos cora a sorte de f00.
N. 3993 dous quartos com a sorte de 3005.
E outras muias sortes de 1005, 40 e 20.
Os possuidores podtm vir receber seus respec-
vos premios sem os descont? das leis, na casa
da Fortuna a' ruado Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da (2a parte da 3* lote-
ra da Sonta Casa da Misericordia, que se eztra-
bira' quarta-feira 10 do correte.
Preeo.
Bilhetes.......... 6*000
Meios............ 3*000
Quartos.......... t500
Para ai pessoas que compraren de 1004000
para cima.
Bilbetes.......... 33300
Meios............ 2*750
Quartos.......... 1*375
Manoel Martios Fiuza.
AVISO
Fernando Gomes da Silva teodo comprado alo-
ja de fazendas de Angosto Hygino de Miranda, sita
a ra do Crespo n. 8 B, declara ao respeitavel pu-
blico que, se alguem se acbar com direito a mea-
ma toja e que por esse motivo queira oppor-se a
esta transaccao, queira reclamar no prazo de 3
dias, findos os qoaes sera' julgada effectiva.
Lava-se com perfeicao tanto de sabo como
de varrella dando-se garanta, poendo-se tratar
na ra da Cruz n. 55, 3a andar.
Caixeiro.
Precisa-se de um caixeiro para taberna dos lti-
mamente ebegados do Porto ; na travessa da ra
Augusta n. 5.
Satisfeito o invencive Veado Brame, com as maneiras attenciosas com qne
oi acolhido pelo respeitavel publico desta briosa provincia, a ponto de que muitos a por-
fa desputaram a satisface de serem os primeiros a comprarem em seu importante arma-
zem, se desvanece em declarar com toda a tealdade de que capaz, que est cada vez
mais animado, nao s pelo benigno acolhimento que tem recebido, como pelas torgas de
que dispoe porque at aoje nao careceu atada dos preparados de j urubeba, nem do
xarope alcoolico de veame. ^---------'
- 0 Veado Ufane, declara a quem ainda o nooonhece que n5o um
desses bicharocos intrataveis que por abi vivem com figura humana ; domesticarlo no
ameno paiz onde a amavel Aguia-Branca vio a luz do astro bemfeitor,' elle partidario
desse tavejavel agrado e sinceridade que com tanta gravidade se desprende do seu
bico encantador.
. O Veado Branca, como todo o homem civilisado, ama a sociedade dos
bons, gosta do centro do mundo elegante, usa do tnico de Jayme, para previnir -que lhe
ponham a calva ao sol, vai a companbia des Boaffes Parisiens e no meio do partido de
madame Adelle, elle tambem aira-lhe o seu lindo bouquet.
Dignc-se o benigno leitor de jurar nas paiavras sinefiras do sincero Veado
Branca, e venha prover a sua dispensa do que melhor se pode encontrar n'um esiabe-
cimento d molhados.
A modicidade dos procos, comparados com a boa qualidade dos gneros e o
bom modo com que se recebe os senbores compradores, deve cortamente convidar as
pessoas que ainda nio vieram nossa casa a lazer parte dos amigos e fregoezes .do aosso
BELLISSIMO ARMAZEM
DE
OLHA
CONHECIDO PELO NOME
DE
VEADO fiRANCO
Estabelecido ra Direita n. 16.
Esquina da travessa de 8. Pedro.
> 4 m m m m ji^ijCi^Mlr.^i i.
FMPARACOES FERREAS-MANGANICAS
4P-R0VADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA
DE BRIN DU BUISSON
iixoKttx, Inrcdt ptla Academia de Itdjcici de Par
Na raa Nova u. 32, se
boas garantas a quantia de
de 2 por cento.
dir' quem
1:600^ com
da' sob
o juros
Jos Lopes de Oliveira retra-se para Europa
e sna senbora a trataren) de sua saude, levando
em sua companbia um criado, Qcando por seus
procuradores em Ia lugar o 8r. Francisco Jos Lo-
pes, em 2* o Sr. Albino Jos da silva, e em 3 o
Sr. Joaquim Ildefonso da Motta Siiveira.
Precisa-se de um criado para compras:
roa do Imperador n. 73, 2." andar.
COMPRAS
Rival sem segundo.
Ra do Que imano a. 4.
'iaer acabar com as fazeodas abaii
mencionadas./
Qneiram vir ver qne i aKe bariiissiOM.
Toalbas de labyrintho com bico, fazenda boa a
3*500.
Carretela de linba com 100 jardas a 30 rs.
Grvalas pretas e de coree mnito-Onas a 500 rs.
Caixas de obreias de massa muito novas a 40 rs.
onfladores para espartilbo de cordao e fita a 61
ris.
Carretels de linba Alexandre com 400 jardas a 201
ris.
Resmas de papel almaco muito bom a 2*500.
Frasco de oleo babosa a 320 e 800 rs.
Ditos de dito bigientque verdadeiros a 1*000.
Ditos dito falso a 800 rs.
Ditos de macacar perola a 200 rs.
Sabonetes mnito finos-a 60, 160, 200 e 320 rs.
Ditos de bolla muito finos a 240 e 320 rs.
Caixas para rap com bonitas estampas a 100 rs.
Miadas de linba froxa para bordar a 20 rs.
Varas de cordao para espartilbo a 20 rs.
Frascos com tinta rxa muito boa a 240 e 320 n
Pentes volteados para regacar cabello de menina:
a 320.
Frascos de macaca' oleo muita fino, a 120 rs.
Abotoaduras muito finas para col le tes a 500 rs.
Cartoes de lmha branca e de cores a 20 rs.
Libra de ara preta superior a 100 rs.
Cartas de aifinetes franceses com 14. nenies
120 rs.
Escovas para tato, fazenda boa, a 500 rs.
Varas de franja branca de linba para toalna a
100 rs.
Pe$as de bico estrello com 20 varas muito bonito a
1*000.
Viras de papafina de difluientes larguras a 120,
160e200rs.
Caixas de palito bailo a 40 rs.
Gaixas de palitos de segnranca sem enchofre a
60 rs.
Sabonetes de familia a IOOt 160 e 240.
Grosas de bot"es de madreperola para camisa a
500 rs.
La para bordar de todas as cores e Una, a libra
6*000.
Carreteis com 4 oitavas de retroz preto muito fino
a IJOOO.
Caixas com soldados de chumbo para meninos a
120 rs.
Camina fe doulrina christa a 320 rs.
Latas com snperlor banha a 200 rs.
FAZED4S NOVAS
para as testas de S. Antonia, eS. Joao
no armazem do Pavo roa da
Imperatrlz a. 60
DE
GA1A i SILVA
fteceberao-se pelo ultimo vapor da Euro-
pa as mais novas fazendas como sejam:
Bonitas cassas de listas grana-]
1 Ditas casteiharjas. JvaraSOO
Ditas da Italia. \
Ditas transparentes com os mais moder,-
inos e mais delicados gostos 13ra ats 040.
Djtas de diversas qnalidades com novos
gostos o mdo a rs. 240, 280 e 320.
~ ao-niTse-paga por^itav de prata 4e le Cortes de medina sendo ."urna bonita fazen-
marcaaa.na loja de oorrves no arco de N. S. da da transparente com lindas palmas e qua-
CoSoeicao, no Recite. i dros de seda tendo cada -corte 10 covados a
MOedaS de prata rjcoS cortes de vestidos brancos com lin-
nacienaes, assim como pataeges portugaeres e aaS barras bordadas em alto relevo a 244.
KSWBrliS.^0: "a rM1lol Ditos brancos tambem bordados a rs, 5* e
Cortes de poil de cbvre com 18 covados
a 15,?.
Modoroissimas vareges tapadas e transpa-
. i rentes eotn as mais delicadas cores e com bo-
na ra ao uespo .^^ ^^ de seda/COVado a64Qj 80q e ^
(Alpacas lizas entestadas com as cores mais
Ociro e prata.
Em obras veltras: compra-se na praca "da ln
dependencio n. 22 loia de bilbetes. ____
Moedasde ouro. "
Nacionaes e estrangelras assim como libras
esterlinas: campram-se na ra do Crespo
primeiro adar.____________
Compra-se moedas de ouro de 20*, 16*, 30*
e 9*; a -roa da Cru n. 3. "*""
n.
22S00
para moedas nacionaes de 20*
n-16, primeiro andar.
Libras esterlinas*
Comprara se com bom premio
dependencia n. 22.
na pra-a d 1 Id
Oompram-sc eseravos
Si'.rno Guilherme e Barros, compra, vende e
troca fiestivamente eseravos de ambos os sexos
e de odas as idades : a* roa do Imperador n. 79,
ercearo aadar.______________________
Ouro e prata amoedado
Cempram-se libras -sterlinas a 10*300, tnoedas
de 90** 22*500, ditas de 16* ai7500, assim co-
mo (oda e qaalqur outra qualidade, e tasibem
prata nacional e etraageira : na ra da Cadeia,
loja de faaendas n. 58. .\ ________
Compra-se ama screva oonheira e ngom
madeira, que na? teoha achaques nem vicio: na
ruada Secxala velhan.84. _______
Compra-se
Urna armacSo de armazem ou prateleiras
que nao soja de piano, e que es teja em
muito bom estado : na compar.hia Peroam-
booaoa.
Compra-se
libras esterlinas, ouro brasileiro e pertuguez coa
bom premio : na ra da-Cruz n. 48, armazem -de
E. A. Burle &C__________________________
Libras esterlinas.
compram-se no escrlptorio de Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo & C, ra da Cruz n. 1.
O eminente yrofessor Trou-sseau, na ultima edicSo de sen Tratad de Thera-
peutiea e Malaria medica, reconhece que es ferruginosos simples sSo mnilas
* vezes ineffica-zes para curar as molestias que tcem por causa o empebreei meato
o MOgue. Muitos mdicos dos mais distinctos attribucm esse m o xito a ausencia,
n'essas preparaoea, do ntanganese, que se acha no sangue, como o tem reeeobecido
us chiaicos os mak peritos, sempre intimamente unido com o ferro.
C peis. prestar-ee un verdad viro servlco aos S"' Mdicos, o chamar-se sua atiselo
sabr as preparaedes seguintes.
Io P fppPOQ imnifflicnfi dando mmediatamente urna agaa, acidalada,
I5 lWTWa aailgHlGt gazoia, agradavel, subslkumdo com vantagem
economa as aguas mineraes ferruginosas.
1 Plalas elarope de odareto k ferro e de nanganese iaaltcraveis
eonteado cada nota cinco centigramos de isdnreto de ferro manganico indicadas
jiarticuiarmente nas molestias Tymphatcas, /scrofalosas, e nas chamadas can-
croias e tuberculosas.
3o .Bracees de iacUto de ferro e e mangesc
Io Piluas de carbonato frreo mriganeo
alternar aatu duas preparaedes di os melbu.-es reactiados.
O S Barin da Bnissoo desejando ebter a adheOo inpett o pubKco meica a
cerca do yalor de nuu preparaves, previne pu ee ** pde grkuitaraente a sna
dispoticto, diri|endo-e;
Ko Ptrnambucs, a seo agente geral. Maarer O. pnarmuctortcei, n* Itova.
. 1111111 remmssgsxmgaa
para a cklorosis, a ane-
mia, a leucorrbea, a atae-
norrbea. A indicado de
Iilbeas esterllaas.
Compram-se libras esterlinas : na roa da Cadeia
loja n.irl.______________________________
Jornaes para eubrnlho
Comprase na fabrica a vapor de cigarros, na
aotiga rnados Qoarteis de polica n. 2.1.
CMtpra-se
um cofre que esteja perfetto : no armazem d) va-
do branco, ra Direita n. 16.
Uuro e prata.
Moedas de ouro e prata nacionaes, estrangeiras
e de todos os valores se compram na loja de oori-
ves junt ao arco de Nossa Senbora da ConeelQie dos a alto relevo tendo de todas as largaras
Jodernas o covado a 6-iO.
Ditas eofestadas com lindos iavores gra-
dose miudiahos covado 560.
Bonitas alpacas labradas com os mais mo-
dernos dezeDhos covado a rs, 800 e i^.
Ricos cortes de vestidos de fil enfeitados
a 30a.
Poupelina de quadrinhos transparentes
com os mais apurados gostos e quaze a lar-
gara de chita franceza covado a rs, 640.
Ditas mais estreitas porm muito bonitas
covado -500.
Sedas de cores com 4 palmos de largura
covado 20.
Ditas estreitas lizas de listras covado 2$.
Grande sortimenlo de .grosdenaple preto
covadoars, lj?600,1^1800, 2^, 2^500 e:3.
Ricas sedas lavradas.
Saias -com quatro pannos ricamente bor-
dadas a rs, 5, 60, 7^, 80, 100, e U
Taratanas brancas e de eres vara a rs,
800.
Fil braneo lizo vara a rs. 8 0.
Dito de flores para vestido vara rs. 640.
Outras maitas diversidades de fazendas
que se mandam tambem lavar em casa das
Exmas, familbasparaescolhexemou do-seas
amostras deixando ficar penfaor no armaze-a
do Pav5o ra da Imperatnz a. 60. da Gm
na dt Silva.
Bordados do Pavo
ntremelos largof
Babadinhos estreitos
Babadinhos largos
Entremeios estreitos
Tapados e transparentes
Gama & Silva rceberam urna grande por-
c3o dos mais finos babadinhos e entremeios,
tanto largos como estreitos, sendo tapados
transparentes com os verdadeiros borda
Perfumaras finas,
INGLEZAS DE GOSNEL C
E FRANCEZAS DE E. VENAUD.
A antiga e bem conhecla loja de miude-
zas ra do Queimado n. 16, entuma a
estar provida de finas perfumaras de diver-
sos fabricantes acreditados como Gosnel e,
Penaud, sendo deste, excellentes extractos'
para lencos, agua de Colonia, oleo, banha,
cosmetique para cabellos, opiata e pos para
dentes, sabonetes para muios e barba, etc.,
etc.; e daquelle, superior agua de Colonia,
opiata ingleza e pos para dentes. Alm dos
mencionados objectos ha muitos outros que
por suas boas qualidades e bonitos vasos,
agradarlo completamente aos apreciadores
do bom.
Fivellas e fitas para cinto.
Na antiga loja de miudezas ra do Quei-
mado ii. 16, encontrara o os pre tendentes
um bello sortimento de lvelas e fitas para
cinto, sem "yae esqueja os lindos pentes
prateados, con fitas pendentes e sem ellas,
sempre a contento do expedente freguez
que se dirigir dita loja. de miudezas:
ra do Queimado n. 16.
Diferentes objectos
expostos a apreciado dos esclarecidos fre-
guezes qne os quizerem comprar; na ra
do Queimado n. 16.
Bonitas caixinhas de madeira com fecha-
dura, proprias para costura.
Outras ditas com arranjos para costura,
Sapatinhos de setim e merinos para bap-
Usados,
Meias de seda para ditos.
Tocas e chapeosinhos para ditos.
Tercos de madeira, osso, cornalinas, obras
mui perfeitas.
Aifinetes de osso com bonitos molis,
obras de gosto para peito de senhoras.
Ditos n/etos para luto.
Meios aderecos de madeperola.
Porte jupe ou suspende saias.
Lencos bordados para senhoras.
Brincos pretos, pheiras e aifinetes com
camafeo, tudo oaraluto.
-Froco grosso de ISa, para iferentes fins.
nonecas mansas e choronas para crean
Cas.
Cestinhas proprias para creaDcas e bo-
necas.
Bandejas pequeas para copos. -
Btiitas c modernas chapelinasdeseda
para senhoras
Na loja de miudezas ra do Queimado
n. 16 vendem-se bonitas chapelinas de seda
mui bem enfeitadas e_ por j Jv.-^rasqaveis.
Enfeites deflwres" iuiitaco de wxtfr-
lioas
Vendem-se esses bonitos e modernos en-
feites de flores a imitac5o de chapelinas: na
ra do Queimado, loja de miudezas n. 16.
Difireme* objectos
Vendem-se na ra do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
Gravatas brancas de cambraia para noivos.
Gravatas brancas de setim para ditos.
Rosas Camelias, ramos e caixos de flores.
Papel para rosas e folhas para ditas.
Lesees de cambraia lina com barras de
cores, sendo
Para homens a 30600 a duzia.
Para meninos a 800 rs. a duzia.
Vendem-se na ra do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
Collerinhos de linho
obras de ultimo gosto.
Vendem-se na loja de miudezas; ra
do Queimado n. 16.
CABIDES PORTATEIS
TORNEADOS S ENVtRNIZADOS.
Vendem-se na loja de miudezas: ra
do Queimado n. 16.
Caixinhas
com pastilhas de cheiro para
queimar-se em lugar
de incens.
Veedem-se na ra do Queimado ; loja de
miudezas n. 16.
PASTILHAS ODORIFUMANTES.
Essas cheirosas pastilhas sao sempre
apreciaveis, e com especialidade no correte
mez, porque servem para perfumar os ora-
torios ou altares em que se resam ou can-
am louvavelmente o Mez Mariano, es-
tes vendem-se na loja da Aguia Branca:
una do Queimado n. 8.______________
Fogos.
de artificio da fabrica da estrada de Joo de Bar
ros da vio va RuBao, apronrietaria desta mnito
conceituada fabrica avisa ao respeitavel publico
qne em es estabelecimento existe um completo
sortimento de fogos para S. Joo e S. Pedro e de
ouiros artigos eonceroeUes a essa arte, as pessoas
pois que quizerem comprar destes objectos podem
deixar suas encommendas co armazem da bola
amarella no ofto da secretaria d polica onde
qaver nm portador qne os vaibu.'SGarcom ama'or
presteza possivel. _______________
Penles de tartaruga e outras de metal
A aguia branca : ra do Qeimado n. 8
acaba de reteber algumas amostras de pen-
tes de tartaruga para senhoras, todos de no-
vos moldes e boos gostos, sebresabindo en-
tre elles alguns cujas novidades em mol-
des, e perfeic5o de obra os tornam recom-
mendados para quem aprecia o bom ; assim
como recebeu -igualmente outros mui forni-
dos e bem feitos para desembaracar e outros
com eixo para dobrar e proprios para barba.
Tambem recebeu outros de metal pratea-
dos e dourados, que de tal molde s5o os pri-
meiros qae appurecem os quaes com o semi-
crculo que fazem sobre o coque tornam-os
mui bonitos.
(arapocas brancas
Vieram muito boas, e por isso vendem-se
a 1)5200 e 2$ na loja da aguia branca : ra
do Queimado n. 8.
Babadinhos crespos
0 novo- sortimento que acaba de chegar
continua a ser vendido como dantos 2"00
e 3 a peca e sempre ca roa do Queimado
leja da agnia branca n. 8.
Pentes enfeitados para meninas
Vendem-se na loja da aguia branca: ra
do Queimado n. 8.
Bollas de ail
Vendem-se na loja da aguia branca: ra
do Queimado n. 8. ,
Bonitos port-relogios
Vendem-se na loja da aguia branca: ra
do Queimado n. 8.
Para mesas
Galheteiras para azeite e vinagre.
Saleiras de vidro e paliteiros de porce-
lana.
Vendem-se na loja da aguia braDca: ra
do Queimado n. 8.
Lavas de pellica preta.
Cbegaram para a loja da Aguia Branca ;] a roa
do Uneimado n. 8.
Ramos de flores para coques
A aguia branca acaba de receber um nico
cartSo com ramos de flores para coques.
A perfeicSo e delicadeza dessas flores tem
satisfeito a todos que as tem visto e com-
prado a 5)5 cada ramoisso ha ra do Qnai-
mado, loja da aguia branca n. 8.
Faca favor de 1er
para saber o que de novo chegou na Aguia
branca a ra do Queimado n. 8.
Trancas pretas de vidrinhos com pingen-
tes, e sem elles.
Botes pretos e de cores, enfeitados com
vidrilhos tendo com pingentes e sem elles.
Alamares pretos para basquines.
-Novas a bonitas guarnicoes pretas para
dita? ejestidos.
CoqueVdL bonitos moldes.
Enfeites de "flores bra de bom gosto;
Penles de tartaruga i,. B2a> e
apurado gosto.
Pentes dourados e prateados, moldes no-
vos e bonitos.
Bonitos e modernos galoes de seda, de
cores para vestidos.
Bicos de seda e guipure.
Leques, todo de madeperola e sndalo.
Ditos de sndalo e seda.
Ditos pretos para luto.
Ditos de faia, os quaes fazem quatro
vistas.
Ditos todos de sndalo, e sndalo e seda
para meninas.
Bonitas cestinhas bordadas a freco para
meninas.
Escovas de cabo de marfim, e madrepe-
rola para dentes.
Aboloaduras bonitas para coletea.
Brincos de corrente de borracha, voltase
pnlseiras de dito.
Aderecos pretos para luto.
E muitos outros objectos que serao pre-
sentes ao comprador que se dirigir a dita
loja d'Agua branca a ra do Queimado n. 8.
Agora sim
^_^__Acabam-se as moscas.
Porque a aguia branca acaba de receber
porcao de papel mata mosca e continua
a vende-lo como d'antes a 40 rs, a folba,
comparegao pois os pretendemos e sero
servidos na loja d'Agua branca ra do
Queimado n. 8.
Nova remessa
De correntes de boracha.
A aguia branca a raa do Queimado n. 8
recebeu nova remessa das desejadas corren-
tes pretaz de borracha, e continua a vende-
las como d'antes a 3$ a vara.
roa da Cadeia do Recife, assim como onro e prata
em obras reinas, brilbantes, diamantes, e se paga
bem.____________________________
Compra-se nm santuario de Jacaranda
bom aso : ma raa do Queimado o. 33 A, ioja
Esperanca. ____
em
da
Compra-se
nma armario de madeira da trra, propria para
armazem de loja ; no largo da assemblea n. 1, es
criptorio da companbia Pernambucana.
GRANULOS ANTMONIAES
Da Docteur MVIMLLIID
More BMdkaeal para ewi{8 das molestias do corae*8, da tilica, elc
ANTIMONIO FERREOS
GRANULOS
Pan earafaolda anemia, dt
chlorotif, da amenorrhoa, daa Mmlgaa,
aacrofuloaaa, te.
amaos, daa Bolostiaa
GRANULOS ANTIMONIO FERREOS AO BISMUTH
Fita a arafao im aMlottiaa, Barros**, daa visa digestivas, dypapaiaa, ate.
wnMQJk t amada da E. mousnier, a Sanjon (Oiarata-Infrieiua).
I Km lio-de-Janeiro, Flix FARAUT. pharmacia, 77, roa Seto Soteno*.
tcBmPeraambaco, P. maurer et C*. pharmacia, roa Nora.
|BmMacek>. FALCO MAS, pharmacia imperial.
VENDAS
Vende-se nm sobrado de nm andar na roa
do Amorim d. 10, com chao proprio : quem pre-
tender dirija-se a roa da Cruz n. 18, segando
andar.
e desonhos, grande porc3o igual para qual-
qner obra, que assim possa ser preciso, e
garantem que podem vender por menas 40
ou SO por cento, do que em outra qualquer
parte, attendendo a gFande porcao que tem
no seu armazem do Pavo: ra da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva
do mato : na
Vende-se ama escrava vinda
raa Bella n. 45.
Vende-se a casa" terrea rna do Pilar n
117 : os pretendentes podem tratar na raesma raa
casa n. 129.
COUROS
Vende-se nma casa no Camioo Novo e am
terreno na Baiza-verde : quem o pretender dirija.
se a rna Direita n. 64.
Vcnde-se na raa Nova o. 25, pharmacia franceza de
P< MAURER C,
Vende-se ou permuta-se por um sitio,
o engenho Marianna, cito na freguezia de
Serinhem, bom d'agua, e urna legua do
porto de embarque: tratar com Leal 4
Irmo, na ma da Cadeia do Recife o. 59.
Vende-se orna bnrr ( cofre ) e tambem se
vende nma batanea romana e todo em bom estado
e por Pre^o com modo, a tratar na roa da Hoeda
D.M.
Xaropc de salsa parrilha i% para
ou
DEPURATIVO DO SANGUE USADO NAS MOLESTIAS DE
PELLE, IMPINGKNS, DORES RHEUMAT1CAS E ULCERAS
VENREAS.
Depasito
Pharmacia do Pinto ra larga do Rosario nu-
mero 10.
Vende-se a loja de calcado da
Craze* p. 12, com poneos fundos;
Deiffli.
travessa ii
a tratar na
Ferreira & Mathens, na ruajda Cadeia do Re-
cife n. 62, vendem :
Coaros de vitelU, de cavallo, de vaeca' de bol e
sola envernisada, proprias para caljado, coberta
de earros etc., etc.
Agua mineral
ferruginosa, acidulada, fwu e carbnica
DE
IOREZZ1.
O aso d'a^aa de Orezza mui particularmente
reeommendado pela escola de medicina de Paris,
para todas as affeoc-Oes do tobo digestivo, ingorgita-
ment das viceras abdominSes, e geralmente todas
as molestias proveniente de /riqueza orgnica, ou
pobreza de sangne.
DEPOSITO ESPECIAL
|34Rui larga da Rosario34
Phartaela de Bartholomcn afc C
BOTAS.
Novamente ebegada botas russianas, perneras
a .malas peroeiras da meJbor qualidade que temos
visto .' Nlamnm $9 vapor ru Nova o. 7.
ap Paulo Cordeiro c ^"lajado
A toja de roiodezas a raa do Queimad/ n* i6
reeebeu nova remessa do rap Paulo Corde.'*0
Viajado, e continoa areceber or to os vapores'po
NOVENAS I
DE
N. S. do Crmo e Sant'Anna,
Et5o a venda as novenas de N. S. do Car-
ino e da Senhora Sant'Anna; na ra do Impe-
rador n. 15 defronte de S. Francisco.
Utensilios typogrpicos.
Acabam de chegar de Franca e estSo a ven-
da na ra do Imperador n. l defronte de
S. Francisco: ricas escovas para lavar for-
mas, ditas para tirar provas, componidores
de diversas larguras mui modernos, tinta
para impress3o fina, liabas e entrelinhas de
diferentes qualidades e pontas. A mesm
casa continua a ter testamentos de differentes
animaos; e folheios de Porcina, Magalona
etc., assim como cidade de Deus, Horas da
Semana Santa, Manual Encyclopedico, Ripan-
sos, Caminho do Co, Horas Portuguezas,
Marianas, Imitacao de Chrislo, Escudo Admi-
ravel etc.
rritaco dos pnlmoer. angi-
nas, tosse, escarros de
sangue, crupo ou garro-
tilho, catarro, rouquido
e todas as innumeravei molestias que affeo
j5o aos orgSos da respiraco
di:^aipai:c eii
odiante a accao da balsmica e irrev
ANACAHUITA
PEITOML de KEIU
Attenco.
"Vende-se a armajo da taberna da travessa da
rna Aagqsta n. g; a tratar na mesma.
Novo rap
Loja da jurara na roa larga do losa-
rio d. 18 de Manoel Jts loitf
k Irmo.
Receberam rap grosso a imitacao do francez
aJabriea de Meron & C, do qnal se vende bara-
' Mo de outras maitas qualidades.
Atfo de lilao
No rmazens de Tasso Irnaaos, em connotes de
4 arrobas.
aaanacahuita mexicana que d o nome es-
pecial este incomparavel remedio, urna
arvore, cuja madeira por muito tempo se
ha usado no Tampicp para a cura das in-
formidades cima mencionadas. Foi tam-
bem eosaiada e approvada pela academia
medica de Berlim. O peitoral de Kemp
nm xarope delicioso inteiramente livre de
opio, acido hydrocyanico e outros ingre-
dientes nomos.
A' venda nas drogaras de A. Caors, Bra-
vo & C. e P. Maurer & C, e em todos os
estabelecimentospharmacenticos do imperio
- Joaqnim Jos Goncalves Bellro tem par
vender no son escrlptorio, roa do Trapiche o. 17,
a precos razoaveis, os seguintes gneros :
Farlnha de mandioca em saceos, goal a de Ma-
nbeea.
Caixas com vlnho do Porto de ama dazia.
Viho do Porto em barris de 3 e 10* .
Panno de llgodio da Babia proprio para saceos de
assocar e roana da eacravos 4a fabrica do Sr.
comnwndador Pedroso.
Fio de algodo da mesma fabrica. '
Cigarros do Rio de Janeiro ^^
MFfifvnl
MIITII Ano


<%
pt*
>r
lar lo de ernambue* .sexta felra 5 de Julhw de 867,
w



Bill DO BRUM S. 38
0 proprietano deste estabelecimento dse ja chamar a atlenc3o dos senhores pr-
priotarios para os acreditados mechanismos que contina a fornecer; os quaes garaote
ser comosempro. da melhor qualidade possivel:
Machinas de vapor
forca de um cavallo para cima. As menores sSo mu proprias para motores de descaro-
lamentos de algodSo ; ellas viajam armadas e podem trabalhar dentro de 24 horas, depois
de chegarem no lugar. Ellas levam todo qnanto preciso para o trabalho, e diversos so-
brecellentes. As machinas maiores s5o proprias para a moagem de canoa, e ha dellas
que podem junta e separadamente moer caona e descansar. Ellas podem-se applicar a
qualquer luoenda j existente sem ontra mudanca do que a substituido das rodas da almau-
jarra, ha tambemcom moenda juuta. Ellas tem depsitos d'agna e boeiros de ferro, e
no precisam para seu assentamento de obra alguma, qur de carapina, qar de alvenaria.
O tempo para assenta-las nao excede de doze dias ao mais, e em casos de mortes de ani-
maes ou arrombameotos de acudes, etc., garante-se o assentamento em oito dias. Todos
estes vapores sao simplissimos na construcco, e se regem por qualqaer pessoa intelligente,
a facilidade da conducho sendo especialmente considerada, tanto que nao ha lugar emque
n5o se possam conduzir, qur por trra, qur embarcado.
Lembrase aos senhores de engenho que a venda dos animaes e o servido da
gente oecupado no seu tratamento os hao de recuperar da maior parte da despeza do
vapor, deixando-lhes a vantagm de urna moagem certa e accelerada ; e acabando com a
despeza da compra continuada de novos animaes, e com os desgostos do trabalno que se
tem com elles.
Ser tal vez desnecessario lembrar aos compradores de vapores a vantagm que lhes
resulta de comprarem suas machinas garantidas em urna fabrica, tendo artistas compe-
tentes para assentar as meslas e nsinar a maneira de trabalhar com ellas, e j prepa-
radas para arremediar qualquer desarranjo; facilidades estas que jamis podem encon-
trar comprando-as aos simples negociantes, os quaes por falta de conhecimento na ma-
teria nem se qur podem garanti-los de que as machinas que vendem sciam proprias ou
suficientes para o trabalho em que se queira emprega-las, e no caso de desastre nao po-
dem prestar-lhes soccorro algum; sendo que ainda quando venham s fabricas para con-
certar as machinas alheias, torna-se-ha preciso fazer repentinamente moldes novos, etc.
para as pecas estragadas. J numerosas vezes estes vendedores tem representado seus
vapores como sendo de forca mui superior sua actual e verdadeira forca ; equivoco
este que alo s engaa ao comprador acerca do trabalho* que possa tirar do vapor, mas
tambad da lugar ao pagamento de um prego excessivo, vista da forca real da machina
que compram.
Tambem ha sempre prompto rodas d'agua de ferro, sarhos com crtizetas para as
mesmas moandas de canna de todo o tamanho, rodas de espora e angulares, paroes ou
joches para receber o cado, crivos e portas de fornalha, taixas de ferro balido, fundido e
de cobre, formas do ferro galvamsadas para purgar assucar, bombas simples e de repu-
cho, alambiques de ferro, eixose rodas de carro, arados, grades, enchadas a cavallo e ou-
tros instrumentos d agricultura, moinhos e tornos para fazer farinha e Jiaalmente todo o
objecto de mechanismo de que se costuma precisar.
Na fabrica se fazem obras novas, encommenda e concertos, com a maior presteza
e solidez. O grande -deposito de pegas o objectos habilitam-na muito para este fim.
O proprietano ser sempre mui feliz de poder dar iuformaces ou esclaiecwiento
aos senhores que se servirem de seu prestimo. .
D. W. Bowman, engenb,eire.
'
LOJA DE FAZENDAS DE AUGUSTO PORTO & C,
11Ra do'Qaeimado11
4e receber da Europa superiores cortes de seda da ceres para
Angosto- Porto drC. acabam
bailes e casamentes.
Ricos cortes de blond cara manta e capel! para noiva?.
Cortinados bordados para camas de noivas e janellas de 7* a 801 cada om.
Colxas de seda e oatras de lia e seda o que ha de melhor para camas de noivas.
Toalbinhas de croch para cadeiras e sofs, ejpartilbos a saltana para senhoras, eamisinbas
com manguitos bordados e lindes eocnovaes para baptisados, e batd~as de musselina e de reos para
senhoras e meninas.
Lavas de pellica para homem e senhoras e superiores chapeos de sol de todas as qaalidades.
L5a para restid03 baratiselma bonitos padrees o covado a 280.
Tapetes grandes para sof, ditos para piano, ditos para cama e pequeos para portas e janellas.
Moir branco e preto superior para vestidos de lindos desenhos, grosdnaple de todas as cores
seda de qoadrinhos. cambraias brancas de maitas qualidades, ditas de cores e lindas percales.
Basquiaes de sbJ preta ultima moda, chales e ralo a des da ipare, vea le-se barato.
Camisas para horneas francezas e inglezas de itabo e de algodao Qnas e seroulas de laho su-
periores.
Capas de borracha, sobretodos e perneiras as melhores e mais elegantes.
Malas grandes para viagens, ditas peqaenas e saceos de tapete e eouro.
Bramante branco de 4 largaras a 1J300 a vara, pannos pretos e atoes, casemiras pretas e de
cores todo bom e barato.
Neste estabeleciment ha sempre om completo sortimento de boas (azendas tanto para a praca
como para o centro da provincia e superiores objectos proprios para casamento? como sejam capellas,
mantas, vestidos de blonde e de moir branco, cortinados, colchas, vendendo-se todo mais barato
tambem as melhores
-i
As Duas America* aproveita a occasiao para avisar aos seus amaveis fre-
guezes que o seu grande armazem acha-se prvido de um bello sortimento de especia-
ras proprias para as festas de Santo Antonio, S. Joo e S. Pedro. B&at como manteiga
ingleza e fraoceza, amendoas, sortes e outros muitos gneros.
As Daas Americas pede que lhe poupem o desgosto de seu ebefe mandar por
bandira a meio pao com o pedido de =fiado I !=


DE
.

IZETEDO FLORES
RUADACADEIAN. 47
Sfadapoldo do baldo.
Superior madapolSo camiseiro que val 80 a 60.
Dito que val 70 a 50.
Chitas do balao.
Bonitas chitas cores fteas e panno fino a 3oo e 32o rs. o Curado.
Bales de canda.
Os mais modernos Dalas de arquinhos unos, que por isto se toraam recommen-
daveis ao bello sexo.
Ceroulas e camisas.
Ceroulas de bramante francezas a 106oo.
Camisas de pregas largas que valem 30 a 20.
As metas inglezas do baldo.
Superiores meias cruas para homem que valm 90 a 70.
Rouua feita do baldo.
Sortimento de caigas, paletos, colletes de brim, panno flno de casemira, trido por
prego commodo,
O BALlO
ende muitos outros objectos e por insignifleantissimos pegros.
JECTIO BRO
isif >al7rDaJmcl PrcscrvaU, abikilamcBi uoica que oui teta oMbuTaddiuto. Veude-M
ui priBcipst. boti-s de mundo. (Exlfit a uMnefM U *). (M mam I wMn*l \ MU, m M
s>iwcattu BftOS. bMkTMd > a.
Yende-se na BoticaJFranceza roa Nova n. 25.

n
B
D
O
B
5
D
C5
CU
o.
o
I
o
J
o
. I
09
en
O
o.

en
O.
(S
a
I
O
03
B
a
s
o
en
l
O


I
s
3.
B*
o
ot
o.
2.
8"
o
a s
Cu
a
a
1
o.
3
o.
a
B
Cu

O
o
3
CU
o
OQ
I'
?
O
2
*
B
~
s*
Cu
Cu
9
O
a
o
Cu
a>.
38*
8
o
O
a
h
o
o
i

a
3
r
o
3
s
"8
9
Vapores.
Vende-seea casa de Saunders Brothers & C,
no largo do CorpoSanto n. II, vapores patentes
com todos os pertences proprio? para fazer mover
tres oaquatro machinas para desearogar Igodao.
Aos asricaltorcs
Sauaders Brothers & C. aeabam de receber de
Liverpool vapores de torga de 3 a 4 caaallos com
todos os pertences, e mol proprios para fazer mo-
ver machinas de descarocar algodao, padeodo caaa
vapor trabalhar ate com 140 serras, tambem ser-
vara para enfardar algodao on para outro qualqaer
servico em que asara trabalhar com animaes. us
mesmos tambera tem a venda machinas america-
nas de 35 a 40 serras : os pretndanles dirijam-
se ao largo do Corpo Santo n. 11.
Yerdadeiros
Collares Royer
Electro Magnticos Anodinos
Ou Collares Anodinos, para facilitar a den-
tig5o das criangas contra as convuls&es
das mesmas, a estes collares nos escuzado
fazer qualquer recommendagSo, visto a
grande utilidade que tem produzido aquellos
pais que os tem applicado em taes circun-
stancias pois nos parece que nSo haver um
s pai ou mai que por este meio n5o quei-
ra por termo a taes soffrimentos de seas
visto ser um mal aue tanto os
filhinhos visto ser um mal que
Esteiras e alcatifas para forrar salas.] .SU K^S^.^^
Roa do de Crespo n. 7, pelo prego de 40000, 50
e 60000. ^^___^___
O ARMAZEM DE MOLHADQS
INTITULADO
MERICIS.
Loja do Gallo Vigilante
Situado as Claco Ponas a. 86.
Toma a subida honra de chamar a attengo dos amantes da economa para o seu
bello sortimento de novos e apetitosos gneros.
As Duas Americas muito se apraz em receber em qualquer de seus pontos o
Viado Branco, fazendo-lhe as devidas cortezias em prosa e verso e envidando todos os
esforgos para congratular-se com elle o melhor possivel, desejando-lhe sempre rpida e
brilhante carreira.
Alerta grita o Baliza
Quem que junto a mim pisa ?
Responde as Duas Americas
Com carcter puro e franco:
Sou eu que venho saudar
Ao lindo Veado Branco.
Eis-me aqoi lindo Veado,
Como sempre em boa liga,
Saudando-te como ordeno
A lealdade de amigo.
DE
- Joaquim simoes dos Santos
23 largo do Terco 23.
O proprietano deste esbabelecimento de seceos e molbados tendo de fazer ama via-
em, est resolvido a vender por menos de 10 a 30 por cento a dinheiro; para isso tem
uva grande a vantajoso sortimento para os amigos do bom e barato, que a maior parte
deste, vieram por canta, para o quei faz anauooio de alguns gneros, e a vista destes
regularlo os outros mais.
dinheiro avista
Saz americano a 8,800 a lata e a 380 rs. a garrafa.
Toucinho de Lisboa a 240 e 320 rs. a libra, e era barril ha grande abatimento.
Caf do Rio a 180 e 220 rs. a libra, eem arroba ha grande abatimento. .
Cerveja das mais bem acreditadas marcas a 5,ooo e 6,ooo rs. a duzia.
Vinho Figueira da melhor marca a 3,500 a caada, e 480 rs. a garrafa.
dem de Lisboa a 2,700 e 2,800 a caada, e a 360 e 400 rs. a garrafa.
Phosforos do gaz a 2,000 rs. a groza, ea 180 rs. o mago.
Manteiga fraoceza nova, a 560 rs. a libra, e em barril a 520 rs.
dem idem ingleza flor a l.ooo rs. e 800 rs. a libra.
Arroz pilado de India a 110 rs. a libra, e em arroba 3,400 rs. ou a sacca.
Sabao massa a 220, 200 e 240 rs. a libra, em caixo ba abatimento.
Papel marca martello a 5,500 rs. a resma e viado 4,ooo rs.
Ymho branco de Lisboa da melhor qualidade a 500 rs. a garrafa.
Banha de porco refinada a 500 rs. a libia, e em porg3o ter abatimento.
Alm desies gneros ba outros muitos que enfadonho menciona-los.
O proprietano deste armazem avisa aos seus freguezes que tem contas e letras ven-
cidas, o favor de as mandar pagar.

TRATAMENTO dod* CHABLE, de PARS

Medico especial* cnsul tacoea, 36, ra. Vlvlenne
ISO AOS D0ENTE& affiS^S?'"pakM *gran4e UMM
de
diii e
curar em
NI o atoi en-
rod, tonel Cu-
beba, Copablba
sob tojas ai
formasem opia-
to, capsulas,
confeitos, tenbo
o estomago ser-
nao estou curado? Usci c ahusci de um grande numero de injxcaqis, que pi
m 4 dios, c estou ainda mais docntes.
IIA MAIS ao 1WOS *
que coro radicalmente sem recahidas. Corrimentos, Rclaxafdo do canal, Catarrho d btaiga,
Per das teminaes, curando primeira a causa virulenta inOammatoria d'essas doentjas seiuaes,
com algunis vidros do meu depubativo do sangue, para parar essas affece,oes, seccar o
canale lhe tornar a dar sua regidea dou para acabar mcu excellente xarope ao citbato db
fkuro et minba injeccao. A cura radical, as sekhobbs para os uxus brincos, seguem
o mesmo tratamento. [Vejase a noticia explicativa.)
40.000 DOENTES CURADOS
Verdadelro tratamento depurativo do sangue. As herpes ai mais envetaradas, empeces,
pruridoi, virus, chaoas e affectes venreas, humores, e todas asdoencas que alterio a pwia
do sangue sio curadas em pouco tempo por meu xakofb depurativo do sajvgdb bmu
r.AMJ08 mimeraes, miiihas piLDLAS DEPURATIVAS e minha Pommada anti-datosa.
Vejt-se a maneira de tratar-se. A noticia que se da gratis no deposito de meu medica-
mentos. Esse excellente tratamento nao contem mercurio1, sua superioridade a sea centwcida c
nao ba urna so casa que possa como eu apresentar tantas attestaces i curas. -tssiv
Km Pmris. unsultagtes io ioutor Challe por torreipondenciai.
Veede-se na pharmacia.de P. Manrer & C, ra Nova.
J
Fabricante de ornamentos de igiej*
fua do Imperador N. 23,
Defronte de S. Francisco, le andar.
Acaba de receber de Pars um rico sortimento de ornamentos e objectos de
bronze, prateados e dourados, proprios de igrejas e capellas, taes que : candelabros,
casticaes, custodias, turbulos, lampadas e cruzas de diversos gostos e tamanhos. Os
presos desses eneros sao commodos, e devem ser aproveitados. _____
DEPOSITO GEUL
do assucar crystalisado da fabrica a vapor da
povoagao do Monteiro
i. 26 Cm 28 de Nmabr i. 26
O ovo proprietario deste grande estabeleclmento convida ao respeitavel publico,
que se acha 4enovo unecionando a Jabca do Monteiro, e que no eslabelecimento cima
encootr-aro sempre um sortimento de aisocar crystalisado em pans e ralado que se veo-
der nao s a yarejo (isto e de meia arroba para cima) comppor atacado para fora da
provincia.
DE
Gaimres Freitas
RA DO CRESPO N. 7.
Os donos deste bem conhecido estabeleci-
mento, tem a honra de avisar ao respeitav!
publico, e com especialidades aos seus nu-
merosos freguezes, que acabam de receber
um completo sortimento de objectos de mui-
to gosto e de completa novidade neste mer-
cado e que os tendo recebido em direitura, os
podero vender por menos que outro qual-
quer.
Requissimos leques de madreperola
branca.
Requissimos leques de madreperola preta.
Lindos leques de sndalos pasa senhora.
Ditos de sndalos para meninas.
Leques de faias muito lindos.
Ditos de ossos.
Lindos porl-bouquet com cabo de madre-
perola proprios para casamentos e bailes.
Lindos cintos para senhoras com fivellas
e fivellas de dilferentes qualidades e gosto.
Requissimos eofeites com coques e sem
elle.
Luvas de jouvin, inteiramente novas, bran-
cas, pretas e de cores.
Luvas de seda, Qo da escocia, algodSo e de
outras qualidades para senhora e homem.
Lindas trancas pretas e de cores om ve-
drilti 8 su ee, assim como indissiraas
guarnices para enfeitar basquines e botos
para os mesmos.
Lindas touquinhas e sapatinhos ricamen-
to enleitados proprios para baptisados.
Meias de seda para o mesmo fim.
Bengallinha para meninos.
Lindos pentes de tartaruga, massa e outras
muitas qualidades.
Moito boas escovas para dentes, chapos-
roupa, cabellos, uahas e para limpar pentes.
Superior liabas para crocnet.
Agualbas para o mesmo fim.
Lindos agulheiros e dedar de madrepero-
la emarfim, assim como de metal.
Lindas guamicoes de botos, para colets,
pnnhos e colorinos.
Ricas capellas para noivas.
Meias de seda para senhoras.
Superior thesouras para unhas, .costura,
cortar cabello, etc., etc.
Finas navalhas cabo de tartaruga, marfim
e outras qualidades.
Suspensorios de seda para homem.
Ditos de algodao para homem e meninos.
Requissimas caixas com msica contendo
o necessario para costura, proprias para um
delicado presente.
Requissimos livriobos para missa.
Lindos indispsnsaveis para meninas das
escolas.
Finos aderecos pretos para luto. _
Grande sortimento de finas perfumaras
dos melhores fabricantes at boje conhe-
cidos.
E muitos outros objectos que impossivel
seria menciona-los e que se encontrarao na
loja do Vigilante, ra do Crespo n. 7.
CALLOS
PomadGalopeaupara a extraego e cara r-
pida e completa dos^ callos duros, sem a menor dor,
vende-se na
Pharmacia e drogara
DB
Bartholemen & Compaahla.
34-BUA LABOADO B0SAB10 34
______________nico deposito.
Collares Royer magnticos
Medalhas e pulse iras magnticas.
A Agota Branca receben nova remessa dos pro-
veltosos collares Royer magnticos, ja saturnamen-
te conbecldos para preservar as convnlsSes e faci-
litar a dentigao das criangas.
Com esses ntels collares elctricos magnticos
tambem nao pequeas quantidades de medalbas
e pulseiras elctricas magnticas cuja utilidade
tem sido aproveitada por quem soffre do nervoso
bypocondlco, tremores as mios etc.
Assim como os collares Royer esto geralmente
conhecidos e acreditados pelos efflcazes effeitos e
bons resaltados que tem colbido as pessoas qae .
delles tem usado ; assim tambem chegaram a ga-1
nbar tilo alta reputajao essas apreciavels medalbas |
e pulseiras magnticas, nma vei que e uso dellas
fr se estendendo a todos que dellas necessltem. A
Aguia Branca contina a receber por todos os va-
pores fraucezes ama determinada qontidade des-
ses sempre precisos e estimados collares Royer
magnticos e por isso fique na lembranja de todos
que os acbaro constantemente em dita loja da
Aguia Branca, raa do Qaeimado n. 8.
Francisco Jos ermann
|RA NOVA N. 21,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul
timo e mais apurado gosto da Europa e ocu,
los de alcance para observares e para o
martimos.
RIVAL SEM SEGUNDO
Una d queiwado a. 49, Iojadt
mladezas
PE
Jos Bigouinno
Carriteis de reteoi. de todas as cores a 80 rs.
Frascos d'agaa de Colonia moito superior a 500 rs.
Frascos de o'eo muito fino a 300 rs.
Baralbos franceses muito finos a 160 rs.
Pecas de tranca branca de caracol a 60 rs.
Doza de tesouras pequeas a 480 rs.
Frascos d'agna para limpar dentes a 500 rs.
Caixas com colxetes francezes a 40 rs.
Redes pretas lisas para segurar cabello a 320 rs.
Dnzias de pennas de ac muito finas a DO rs.
Caixas de liaba do gaz de 30 aovellos a 600 rs.
dem de palitos de seguranca a 20 rs.
Lencos de cassa com barra a 100 rs.
Duzia de facas e garfos de cabo preto a 3J600.
Garrafas de agua Florida verdadeira i0b0.
Babados do Porto de todas as larguras e lodos ai
precos.
Sylabarlos eom estampas para menino? a 320p*
Memento da roupa de lavar a 100 rs.
Duzlas de meias multo finas para senbora a 4.00 <
Agalhas francezas a balo (papel) a 60 rs.
Pares de sapatos de tranca e tapete a 15500.
Pecas de fitas de la de todas as cores a oto rru
Grozas de botoes de porcelana prateados a 160 4
Caixas com alfineiles trnceles a 80 rs.
Caixas de 100 envelopes moito finos a 500 rs*
Resma de papel de peso branco liso a 2J.
Frasco com superior tinta a 100 rs.
Grosas de pbospboros de gaz a 2000
Pares de botdes de ponbo muito bonitos 80
Linbas em carto de 200 jardas a 100.
Caixa de superior linba do gaz com 50 ooveHoi
700 rs.
Talberes para meninos a 240 rs.
Masso com superiores grampos a 30 rs.
Grosas de pennas de ac muito finas a 320 rs.
Bonets para meninos a i}.
Pentes com costa de metal a 400 rs.
Realejos para meninos a 100 rs.
TERDDEIRO LE RUT
it I10.1SBET, Docteur-Mdeein
Ru de Saino, 51, PARS.
Em cada garrafa, ral. ortre rolha t > papl ail
que lc o oifu mnelt, um rululo tomrrdad na pio*-
rtlloeoui Sbcjm Ijiikial se c*er.NO mi\c
iV. It. : nnei- i
A----terdc-s'fi'val-.'ra
ir Seu tran-Bj w-
bri' H. acrlt*trl !
annrti.isi .- I
doalir.U.i.nl.i Jo J
guiar fttwat. I
Deposito na pbarmaca
C. em Pernambuco.
de P. Maurer 9
XAROPE DEPURATIVO
DE CASCA. DE LABANJAS AMARGAS
COM IODURETO DE POTASS10
DE
*.P. I iroze.
pharmaceullco em Pars
Oioduretodepotassio um verdadeiro al-
terante, um depurador de incontestavel efi-
cacia; combinado com o xarope de casca de
laranjas nmargas, aturado sem pertubacao
alguma pelos temperamentos os mais fracos,
sem alterar as funeges do estomago. As do-
se- mathematicas que elle contem permittem
aos mdicos de receital-o para todas as com-
pleicoes, as affecges escrofulosas, tubercu-
losas, cancerosas e nos accidentes intermit-
ientes e terceiros; alm d'isso, o agente o
mais poderoso contra as doencas rheumaticas.
Deposito em todas as pharmacias e casas de
drogaras no Brasil.
Expedices, em casa de J. P. Laroze, rae
des Lions-St-Paol, 2, Paris.
A' veo da na pharmacia de P. Maurer A,
G.a, ra Nova n. 25._________
Rotondas
Vendem-se rotondas de fil : na roa do Livra-
ment n. 26, a 2000.___________
Paris, 36, Ra Vivienne. i>
CHABLE MDECINSPCIAL
DAS ENFERMIDADAS DES SEXUAES, AS AFFEC-
gOES CUTNEAS. E ALTERAgOES DO SANGUE.
30,000 curas das impingent,
pstulas, herpes, tama,
comixoes, acrimonia, e al*
lercoet, viciosas do sangue;
. w'ru, e altsracoa do san
gue. (Xarope vegetal sem mercurio). Depurativas
TCRelac BAKUOS IIIMIIII tomao-se dons
por semana, segnindo o tractamento Depurativo:
em pregado as mesmas molestias. >..
Este XaropeCilractde ferro
de CHABLE, cura immedia-
DEPURATIF
iu SA1VG

*>-

Xarope e pasta de Seiva
DO
Pinheiro mrltlmo
D .
E. Lagasse
Preparares mu preconisadas pelos sabios mdi-
cos de Pars, eom as melhores at boje diseobertas
para a cora certa de todas as molestias do peito,
bronebites agudos e ebronicos, astbma e anda dai
aecQoes das vias urinarias.
DEPOSITO ESPIQAL
34Raa larga 4o Rm-xhJ4
Pharmacia de BarthoUmenttc.
Batatas a 800 rs. o gi^o
libras a 40 rs, aiajwas novas a 800 rs. a an-
ita : a' roa das Cruies, irmazetn da porta
COPAHU
Sirop du
DrFORGET
em
crela
larga n. A.

Vinho de caj'
de superior qualidade ; vndese na rna da Madre
de Peos o-3i, armaietn dw CnTitia|froraos ft C.
lamente qualquer purgacao,
relaxacao, e debilidade, e
igualmente os fluxos e floree
brancas das mulheres. Esta injeccao benigna eja-
prega-se com o Xarope de Citraoto de Ferro.
Hemorroida, Pomada que as cara em tres dias.
POMADA ANTIHERPETICA
Centra: bu afeccoet cutneas t comixoes.
PILULAS VEGETAES DEPURATIVAS
doin^cawwe, cada raace ni aceempaado da a
AVISO AOS SRS. MDICOS.
Cora taltrrkt*, totsu
coqueluches, irrUacet
mirmeai eos dos broit-
chiot toai a< sesmw
do pei; basta ao doenla
urna colhe rchdea deste xarope Dj Forcet.
Dr. ca>uem Paris, r titIcbbc, asu
A venda na pharmacia de P. Maurer p
0 C, em Peroambooo;___________
m GAZ GAZ
Cnegou ao antigo deposito de Hery Porster &
, ra do Imperador, um carregamento de gaz de
primeira qalilade,o qaal se venia a partidal a
a retalho por meos prego do qae em ontr* qrjal
^pn.....aA'^t-i
Fanaha de aMau#ca sipener:
A. tratar com Tasao Irmaoi, ou, no Uapiote la-
rlo do Liyrtmento no Porta (lo Mattos.
Farello novo ^ 4,400
em saceos grandes : a roa- do Apollo o, ?.
S
fc
x-
- J


"* "^
.-A
t

-
.


!
'^
s
*
t
t~
i

v
I

i
*
' --y
f

"*V.
r-
Url de Pemafetieo sexta feli-a 6 de Jnlho de (867.
\&ft> %* %%&%VI&%
PHARMACIA
DE
0 ara
a
0 .S
H

"O
tt B OS
^
* a
GRANDE SORTIMENTO
M
.FAZENDAS BARATAS
NA
LOJA e armazem
06
Joaquim de Almeida tinto
Ajurubeba contra o ingorgi-
tamento do figado e do bago,
Em extracto alcoollco, emplas-
tro, oleo, tintura, plalas,
xarope e vloho
A jurubeba orna das substancias medi-
camentosas que pertencem ao reio vege-
tal, e pertence a classe dos inicos e desobs-
trueotes, sendo empregada com vaotagem
contra as febres intermitentes acompanhadas
de engogitamento de figado e de baco. Ella
tem sido apphcadaccm incontestavel pro-JMoinhos pa'ra'refinacSo
veito contra a anemia ou cblorose, e hydro-! dem para m-lhe
phesia cacharro da bexiga e mesmo para | Escadas de made'ira americanas,
combater a menstruaco difficil, resultante
d^a mesma anemia ou cblorose.
Depesilos geraei
Em Pernamboco, ra larga do Rosar*
d. 10, Rio de Janeiro, pharmacia do Sr.
Dourado, Rio Grande do Sul, em casa dos
6rs, Casco & C, Macei, pharmacia do Sr.
Clandino, no Havre, pbarmacia de Mr. Ma-
rical.em Lisboa, na pbarmacia do Sr. Feij.
i Am.f .rande sortimento das melhores machinas, americanas para descarrocar
S& *. aS,!'-,8, *>22-3-*>35-w 5-Mr?
Azeite de espermacete propria para machi-
nas.
Vapores de forca de 3 a 4 cavallos.
Serras avulsas para machinas.
Manejes e todos os mais pertences para as
mesmas.
Carros de mo para aterro.
Cylindro para padarias.
Debulhadores para milho.
Arados americanas.
Carjrjones- proprios- para armazens.
4TTENC0
No armazem de fazendas de
Santos Coelho, ra do Quei-
madon 19.
Bou e barato
Gambraia de cores matisadas finissimas a
800 a vara.
dem brancas transparente finas de 4#,
S& U, 70, 80 e 80500 a peca.
Balos de arcos para senbora a 20500.
dem de arcos de cores a 30500.
dem de arcos brancos nesgados a 30 e
30300.
dem de mursulina a 50.
Id m de mursulina para meninas a 30 e
30500.
dem de arcos para meninas 10600 20.
Cambraia de salpicos branca a 40500 a
pega com 8 1/2 varas.
dem admascada para cortinado a 120 a
peca com 20 varas.
dem para forro a 30 a peca com 10 jar-
das;.
Retondes de fil a 60.
Chales de fil a 50.
Len?os de cambraia brancos finos a 10800,
20 e 20500 a duzia.
Lencos de eassa fimssimos a 30200 e
3060'j a duzia.
Cambraia de linho muito fina de 60 e 90 a
vara.
Madapoloes finos de 70, 80, 90,100,110
e 120 a peca.
dem entestado muito fino a 90 a peca
com 20 varas.
Platilha de algodo superior fazenda para
saias a 3200 a peca com 10 varas.
Cobertas de-chitas da India, muito grande
a 20600,
Lences de hamburgo fino a 20400.
dem de bramante a 30200.
Pannos adamascados para cobrir mesa a
40500.
Guardanapos de linho adamascados a...
30500 a dnzia.
Atualhado adamascado com 7 1/2 palmos
de largura a 20 a vara.
dem adamascado de linho com 7 1/2 pal-
mos de largura a 30 a vara.
dem trancado de algodo a 10500 a vara.
Algodo enfestado com a mesma largura
a 10100 a vara.
Toalhas alcochoadas de linho a 110 a duzia.
dem com pello a 130 e 140 a duzia.
Fil de linho liso a 800 a vara.
dem com salpicos a 900 a vara.
Grosdenaple preto superior de 10800,
20 e 20300 o covado.
Morantique preto superior a 20800 o co-
vado.
Flanella de todas as cores a 800 o covado.
dem branca a 600 o covado.
Bramante de linho com 10 palmos de lar-
gura a 20500 a vara.
dem de linho com 5 palmos a 10200 a
vara.
dem de linho com 3 1/2 palmos a 800 a
vara.
Assim como outras muitas fazendas que
se vende por menos que em outra qualquer
parte, e d-se amostras de tudo,
Caixas com vidro sonidos,
de todas as qnalidades.
Bombas de japyz.
dem americanas.
Ferros para engommar a vapor.
Vassouras americanas.
Baldes americanos para compras.
Tinas de madeira.
Ballaios e cestas de verguinba.
Guarda comidas.
Peneiras d'arame para padarias e refinacoes"
Correntes para almanjarra.
Machados e facoes americanos.
Barricas com milhc branco americano.
PAVO
Raa da Imperatriz b. 6h
DE
GAMA fe SILVA.
.a PrPrieta"os leste grande estabelecimento acabam de receber da Europa um
grande sortimento das melhores fazendas de lia, linho, algodao eseda, as quaes vendem
ELEW baral>ssimos, afim de apararon, dinheiro, dando de todas ellas amostras,
deixando flear um penhor ou mandam-nas levar em casa das Exmas. familias pelos seus
caixeiros, assim como as pessoas que negociam em pequea escala, nerte estabelecimen-
to comprarao pelos mesmos precos que se compram as casas inglezas, ganhando-se
NOVIDADBS
ra do Crespo n
Casemiras pretas enfestadas a 1 6oo.
Na loja do-Pavo vndese superior casemira
enfesiada preta para caigas e paletos pelo barato
prego de 1600 o covado ou a 2J800 cada c rte
de calca, dita muito mais fina, covado a 2J200
oa o corle a 3,8500, dltas"aiiito finas sem serem
enfestadas a 1J809, 2000 e 3,5500 cada covado :
oa loja e armazem do Pavo na ra da Emperatriz
n. 60 de Gama & Silva.
As casemiras do Pavo corte a 30500.
Vendem-se bonitos cortes de casemiras de cores
escoras proprios p?ra o tempo de Invern, pelo
barato preco de 3,8300, ou o covado a 2J00O, sen-
do entestadas, assim como bonitas meias casemi-
ras escoras com msela de seda a 640 rs. o covado,
oa 2}240 o corte de calca, sendo fatenda at mnito
propria para os meninos que freqnentam a escola,
isto na loja e armazem do Pavao na roa da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Celezias para saias
~~^~- f 6 na loja do pavo.
Vendem-sa, pecas de celezia de algodao, sendo
achamalotada e'TBCP propria para saias otrootra
qualquer especie de rodpa branca, pelo barato pre-
go de 4000 rs. a pega com lihyaras, on retalba-se
a 440 rs. a vara : na loja e armazem do PaveJ
raa da Imperatriz n. 60. de Gama & Suva.
SAIAS ECONMICAS AV33Q0,
S mi loja da Pava*. ;
Chegoa um grande sortimento destas novas saias
escoras proprias para tempo de Invern por evita-
ren) que as saias brancas com que n.aa senbora
vae composta nao se soje de lama ao mesmo tem
f A. c*finia a
Dr
Custodio Jos Alvos GulnwiX
Tsndo recebido em direitura pelo vapor francez Estremadure, um variadissimo
sortimento de fazendas finas e da ultima moda em Pars, e aproximando-se as festas de p sSo m~Di bonita por terem lindas barSs como
b. Joao, S. Pedro e Sant Asna, por isso apressa-se em vir convidar o respeivel nublico 52nsa al,imanieDte Europa e veodem-se pelo
e com especiahdade aos seus numerosos freguezes, que venham ver o aue ha de mais K?,-pwc'de* i cada ?n a' ".,oa e amaz9m
moderno neste mercado. Comosejam: ver ^ue na de mais, do Pavao, raa da Imperatriz, n.60 de Gama* Sil-
Ditas
sejam
para vestido
Boias
Yende-se na fundicao da Aurora em Santo
Amaro, 2 boias de folha de ferro de 3[8
gfossura, com fundo semispherico e altura
cnico, tendo 15 l\2 palmos de alto e 6 3(4
ditos de dimetro com olhaes manilhas o 2
balas de ferro fundido para amarrac5o, etc
lemedos de Dr. J. G. Ajer, ex-lente
da aiversidade de peosylvaiia, aos
Estados- Unidos.
Extracto composto de salsa-par
rilba de Ayer.
Peitoral de eereja.
Remedio paraaezes.
Pllula* catharticas.
0 deposito central para as provincias
Pernambuco, Alagoas, Parahyba e Rio-
Grande do Norte, destes remedio tSo fe-
voravelmente conhecidos e acolhidns em
todas as partes da America do Sul e do
Norte, acha-se em casa de Theod Chris-
tlansen, 16 roa do Trapiche a
Pernaaibaeo.
Os precos de
330 por duzia de estrado de salsa-parrllha.
70 por duzia de peitoral de eereja.
270 por duzia de remedio para sezoes.
70 por duzia de pilulas catharticas
se entendem dlahelro vista, con
o descont de 5 por cento em qnantidadei
de 6a 12 duzias, e de 10 por cento em
quantidades superiores a 12 duzias.
Venls-se ama casa terrea na roa dos Copia
res n. a tratar na ra estrella do Rosario na-
Riquissimos cortes de seda
a50,M0i$, 700, 800,6 90,5.
Lindos corles de foulard de seda, pelos
baratissimos precos de 250, 300 e 350.
Cortes de bload para noiva, trazendo cada
corte saias da setim, capella e veo.
Ditos de dito com pequeo toque a 400
e 500.
Moireantique branco, azul e preto.
Seda branca para vestidos de noivas.
Grosdenapoles de todas as cores.
Riquissimas basquines de seda preta, bor-
dadas com gosto.
Lindos cortes de laa com barra e de ulti-
ma moda tendo cada corte o seu figurino.
Riquissimos cortes de vizita. la com lis-
tas de seda para vestido, esta fazenda re-
commenda-se muito por ser inteiramente
novidade.
Diu da mesmaqualidade porm em pecas.
Requisstmo transparente de seda para ves-
tido de senhorastambem novidade.
Riquissimas gravatintias para senbora.
Ditos cortes de barege e de la para ves-
tidos.
Lindas chapellinas de seda para senhoras.
Ditas ditas de dita para meninas.
Chapeos de palba para senhoras.
Riquissimos chapeos de sol parsitas.
Requissimos nfeites com coque e sacata-
inteiramente novidade.
Riquissimos leques de madreperola.
Ditos ditos de sndalo.
Luvas de Jouvin preta, branca e de cores.
Chales de seda.
Ditos de cachemira.
Riquissimcs manteletes de cores, inteira-
mente novidade.
Riquissimos cintos para senhoras.
Riquissimas fvellas para ciclos.
Riquissimas cobertas de ponto de crochet.
Meias di' laias para padres.
Ditas de la para padres.
Ditas de seda para senhoras.
Ditas de dita para cranlas
de algodo de dlfferente3 qualida-
des e preco para horneo, senhora e criancas.
Luvas de todas as qualidades.
Wadapollo francezo que de melhor
o mercado.
Organdy brance com listas.
Dito de urna cor e com listas da mes-
ma cor.
Chapeos de seda para homem.
Ditos de pbantasia para homem.
Gasemira preta muito fina.
Ditas decores inteiramente novidades.
Chapeos de sol com lindos castoes.
Toalhas de labyriotbo muito ricas.
Ricas fronhas de iabyrinto.
Riquissimos lencos de dito.
Rendas, bicos da trra e grades para lencos.
Espartilhos.
Para camas de noivas.
Vende o Pavo.
Rices cortinados bordados a 8JQ00,10#, 16*,
205 e 2o o par ; assim como os mesmos tambem
servem para jaoelias; ditos adamascados a 10 e
12; bonitas pecas de cassas adamascadas para o
mesmo effeflo; bonitos damascos de la de ama
e dnas largaras, proprios para eolebas, assim co-
mo bonitas colchas de croch : tofu isto se vende
mais barato do que em aatra qualquer parte, na
loja do Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama
dt Silva.
Cascas de cr a 24o rs.
Vende-se um bonito sortimento de cassas de
cores, pelos baratissimos precos de 240, 280 e
320 rs. o covado, assim como um bonito sorti-
mento de cassas francesas com listas largas a 800
rs. a vaia, flnissimo organdys matisados a 12 na
loja e armazem do Pav3o, rna da Imperatriz o
60, de Gama & Silva.
Organdy a ItfOOO.
Veodem-se bonitos corles de organdy
sendo com listras todas brancas oo com lis-
tras de cores tendo oito varas cada corte,
pelo barato preco de 40, pecbincba: na
loja e armazem do Pavo rna i
n. 60 da G nra e Silva.
8
[Grande armazem de tin-1
tas medicamentos etc.
Ra de, Imperador a, 22.
Productos chimicos e pharma-
ceuticos os mais empregados em
medicina.
Tintas para todo o genero de pin-
tura e para tinturara.
Productos industriaes e tintas
para flores, como botoes de flores
e modelos em gesso para imitar
fructas e passaros com o compe-
tente desenho.
Productos chimicos e industriaes
para photographia, tinturara, pin-
tura, pyrotecnia etc.
Montado em grande escala e sup-
prida directamente de Pars, Lonr
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa
pode offerecer productos de plena
confianc'a e satisfazjr qualquer en-
eommenda a grosso trato e a reta-
lho e por preco commodo.

YENDE-SE
chumbo de munico a 24ft o quintal
erial n. 247.
na raa Im
XAROPE FERRUGINOSO
DE CASCAS DE LABANJAS E CASSIA AMARGA
Com iodureto de ferro inalteravel
De I. P. Laroze. pharmacentleo
ero Pars
E sob a forma liquida que mais fcilmente
se assemelha o ferro, e isto, sem produzir
iZprarS Perturbaco alguma; n'esta forma, tamben,
BM|ii' A nrflfarfoal s nilirin n:ntilli.v af~ : -!/
Vendem-se magniflcos espartilhos francezes e
mglezes na loja e armazem do Pavo, na raa da
Imperatriz n. 60. de Gama & Silva.
PANNOS DE CHROCHE'.
Vende-se um grande sortimento dos mais boni-
tos pannos de chrocbs proprios para cadeiras, so-
pbs, cadeiras de balanco, para almofadas e para
cobrir presentes, e vendem-se por precos baratos
na loja e armazem do Pavio, roa da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
FAZENDAS PARA LUTO.
Leja de Pavao.
Vende-se setim da China preto sendo orna fa-
zenda muito leve e sem lastro com 6 palmos de
largara proprio para vestidos e ronpas para ho-
mem pelo barato preco de 200O o covado meri-
no preto enfestado maito bom a 14600, superiores
{ bombazinas pretas a 1600, 15800 e 2*000 rs. o
Urna requissima toalha toda aberta de la- covado, superior canto a 1*200, lanzlnha preta
bynntho o que ha de melhor neste genero. Illsa -a 4.00 -e S(lrs- covado' am ^3ae sorU
preferivel s pilulas epastilhai ^^ : jos
os casos emquesaoprescriptosos terru^i-
nosos. E o melhor auxiliar do oleo de fi-
xaiope
a mente appreciado, para a cura das dores de
estomago, digestSes difflceis, inappetencia,
etc.
Deposito em todas ss phatmacias e casas
de drogaras no Brasil.
Expedicoes, em casa de J. P. Laroze, ru
des Lions-St-Paul. 2, Pars.
neposito em Pernambuco, pharmacia de
t 4 C. ra jjova n. 29.
de-figado de bajalbio desinfectado
Cuitas a 200 e &W n>
VendtB-se chitas inglesasi de cores Iblndo"W'babalhe.pocfflue^oaS*^
pelo barato pfeco de 200 e %4G n. o co?a-(de cascas de laraujas amargas, t*
do : na loja armazem do Pavr^ >
Imperatriz n. 60^ de Gama e Silva.
Helas inglezas a *ooo a
duzfa.
Vendem-se meias ingleza^ para homem a
5#OO0 a duzia, ditas para senhora 2- 40000 :
na loja e armazem do Pavao: na r da
Imperatriz n. 60 d Gama e Silva.
Clines barates
a U, 34500, 6.) e 70000.
Vendem-se chales de merino estampados de u. *ier, conserva as qualidades e pro-
a 20, ditos^lisos a 30500, ditos estampados | priedaes i-fcojhecidas ao oleo de figado de
'bacalho ordinario; ?u chairo- gosto
finos a 50500, 60, 60500, ditos crepon
com listras de seda a 70500 e 80000,,
pechincha : na loja e armazem do Pavo
ruu da Imperatriz n. 60 de Gama e Silva.
As 10 mil Yaras de cambraias
Covado 300 rs. vara 500 rs.
fi o pavo
Vendem-se finissim cambraias france-
sas com listras miudar e graudas e com
lindos deseohos de fio es e palmas, sendo
todas com as cores mais modernas e mais
^**irt*^yfc?rj:^'^
noivo3.
rCollarinhos de linho inteiramente novi-
dade.
Punhos 6 gollinhas para senhora.
Riquissimas saias bordadas.
Riquissimas camisinhas para senhora.
Cassas muito finas e inteiramente novida-
des.
Riquissimos veos e mantas de blond.
Ditos chales de toquim.
Fil de linho, liso e de salpicos.
Fil de seda, dito e de ditos.
Espartilhos para senhora inteiramente no-
vidade.
Lindos baloe de la para senhora,
Ditos de dita para meninas.
Ditos de muculina para senhora.
Riquissimas vestimentas para baptisados
contendo, cbapeosinho, sapalinho, meiasinha
e camisinha ricamente bordadas.
Ceeiros bordados muito finos.
Um rico lengol de labyritho, proprio'para
casamento.
Chitas, cambraias, madapoloes e muitos
outros objectos, que se deixa de mencionar.
O dono deste importantissimo estabelecimento contina nos proposito de que-
rer vender muito e ganhar pouco, para o que sugeita-se a ganhar nicamente o descont.
Lourenco Pereira Mendes Guimaraes.
Proprietario das lojas e armazens da
Arara, ra da Imperatriz
ns. 56 e 72.
Tendo recebido pelos ltimos vapores da
Europa diversas qualidades de lazendas do
que faz ver ao respeitavel publico, vende
barato s alim de apurar dinheiro, como
nenhum outro.
Attenfao.
Chitas a 460 rs. o covado.
Vendem-se chitas em retalho a 160 rs. o
covado.
Ditas em peca a 200 rs. o covado: roa
da Imperatriz lojas da Arara ns. 56 e 72.
Panno preto fino a 10600.
Vende-se panno fino preto para calca e
palitots a 10600, U, 20500 e 30000 o co-
vado, cortes de casimira prea para calcas a
30, 30500 e 40000: roa da Imperatriz lojas
da Arara, ns. 56 e 72.
MOZAMBIQUE A 400 RS.
Vende-se urna nova fazenda com palmas
de seda por nome mocambiqne para vesti-
dos de senhora a 400 rs. o covado : ra da
Imperahiz lojas ns. 56 e 72.
Baldes a 20000.
Vende-se baloes de arcos de todos os l-
mannos a 20, 30 e 30500: roa da Impera-
triz lojas da Arara n. 56 e 72.
Laazinhas a 200 o covado.
Vende-se lasinhas para vestidos de se-
nhora a 200, 240, 280, 320, 400 rs. o co-
vado : s na roa da Imperatria ns. 56 e
72.
Chitas francezas finas a 240.
Vende-se chitas francezas largas a 240,
280 e 320 o covado: rua^da Imperatriz
lojas da Arara n.6 e 72.
Chales de merino a 20ooo.
Vende-se chales de mirin estampados a
20, 20500; ditos de laa a 10000, ditos de
phantasia a 10000: roa da Imperatriz lojas
da Arara n. 56 e 72.
Rasquias a 140000.
Vende-se basquinas ou casaquinhos de
Grosdenapoles preto para senhora a 140,
160, 180, 200, 250, do ultimo gosto: ra
da Imperatriz ns. 56 e 72.
Madapolo de 24 jardas a 40000.
Vende-se pecas de madapolo com 24 jar-
das a 40, 50, 60, 70, 80 e 100000: por
estes precos s na Arara ns. 56 e 72.
AlgodSosinho a 30 a peca.
Vende-se pecas de algodosinho a 30, 40,
50, 60 e 70000 o mais barato que se pode
vender: na ra da Imperatriz ns. 56 e 72.
Cotim e castor para calcas a 800 o
corte.
Vende-se corles de cotim e castQr para
calcas de homem a 800 e 10, ditos de brim a
108O e 10500, ditos de brim pardo liso a
10200 e 104OO: ra da Imperatriz lojas da
Arara ns. 56 e 72.
Rareje com listas a 32o.
Vende-se bareje com Usas para vestidos
de senhora a 280 e 320 o covado.
Lasinha escocesa a 280.
Vende-se lasinhas escocezas para vestidos
de senhora a 280, 320 e 400 o covado: roa
da Imperatriz loja e armazem da Arara ns.
56 e 72.
Eoupa feita nacional.
Vende-se palitots de panno fino, saceos
fraques, a 50, 60, 80 e 100; ditos de
casimira de cores a 40, 50, 60, 80 e 100 ;
coletes de casimira a 30, 30500; caifas de
brim pardo a 10600, 20; ditas brancas de
linho a 30500 e 40; ceroulas a 10, 10600
e 20; calcas de castor a 10280 e 10600.
Palitots de alpaca branca e de cores a 40,
40500, e pretos a 30, 30500 e 40. Palitots
de brim a 20, 20500: ra da Imperatriz
ns. 56 e 72.
Cobertas de chita da Arara.
Vende-se cobertas de chita a 10800, 20,
20500; ditas de damasco a 40; ditos de
fusto a 60 e 60500: ra da Imceratriz lo-
jas da-Arara ns 56 e 72.
Vende-se bramantes para lences a 20500
e 2080) o covado; e muitos ontros objectos
que seria enfadonho mencionar.
Ra da Imperatriz ns. 56 e 72,
loja e armazem do Pavao, raa da Imperatriz. n
0,e d Gama & Silva.
j Bramante de linho.
- Venifc.se soperlor bramante de linho com, dez
palmOTde largura pelos baratos precos de 2400,
20600 e S08OO a vara, superior panno de linho
pruprio para lences, toalhas e serenlas, pe-
lo barato preco de 6i0, 700 e 800 rs. a vara, pe-
$as. de Hamburgo de liobo maito sapenora 0J,
Mi e 12, algodaozinho infestado liso multo en-
eorpado proprio para lences a vara a 10, dita en-
trancado muito superior fazenda com a mesma
largura a 10900 a vara, assim como mais ama n-
fiuidade de fazendas brancas que se vendem mais
baratas que em outra qualquer parte s com o Qm
de apurar dinheiro, na loja e armazem do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Lencos braceos
a 20ooo, *208oo o 302oo.
Vende-se um grande sortimento de lencos de
cambraia branca pelos baratos precos do 2000 e
2800 a duzia, assim como ditos com lista de co-
re fises em volta, tanto proprio para bomens co-
mo para meninos, que se vendem pelo barato
preco de 30200 duzia, ditos grandes de cassa li-
za que se vendem a 500 rs. cada nm, na loja e
armazem do Pavao, roa da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Madapolo pechincha a ft#
Vendem-se pecas de madapolo sendo fa-
zenda muito superior com 24 jardas cada
peca pelo barato prego de 60, dito muito
mais superior a 60500 e 70, assim como
dito finissimo a 80, grande pecbincba: na
loja e armazem do Pavo roa da Imperatriz
n. 60 de Gama & Silva.
As chitas baratas
Na loja do Pavo a 240, 280, 320 e
360 rs.
Vendem-se urna grande porco de chitas
finissimas com pequeo toque de mofo, ten-
do miudinbas e graudas, que se vendem pelo
barato preco de 280 rs. o covado, sendo fa-
zenda que val muito mais dinheiro, ditas-lar-
gas e escoras sem defeito a 240 rs. o cova-
do, ditas preclaras escuras e alegres a 30 e
360 rs., tudo isto pechincha na loja e ar-
mazem do Pavo: raa da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
Para caigas
Vendem-se meia ca sem ira muito encorpa
da e escora pelo barato preco de 320 res o
covado ou a 10120 reis o corte de calca,
sendo fazenda propria para calcas, paletos e
coletes, grande pechincha na loja e arma-
zem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Chitas pretas ai 60 e 200 rs.
Vendem-se chitas pretas inglezas com sal-
piquinhos a 200 rs. o covado, ditas lizas a
160 rs., no armazem do Pavo : ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Ateafhado.
Vende-se snperior atoalhado de algodo ada-
mascado com cito palmos de largara, vara a 20,
dito trancado sam ser adamascado vara a 14800,
dito snperior de linho adamascado vara 20800 e
3, guardanaDos de linho cr que sao os mais
econmicos a 30 a duzia, oa loja e armazem do
Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama-& Silva.
Chitas con mofea 280 rs., na loja do
Pavo
Vende-se urna grande porco de chitas
francezas com muitos bonitos desenhos, pelo
barato preco de 280 rs. o covado, por ter
um pequeo toque de mofo, sendo decores
seguras e garantindo-se que sollam o mofo
logo que se lavem e a nao terem este pequeo
defeito seriam para' 400 rs. o covado, esta
pecbincba acba-se nicamente na loja e ar-
mazem do Pavo : ra da Imperatriz n. 60,
de Gama d Silva.
rato preco de 30O rs. o covado ou" a 500 a
vara, grande pechincha attendendo a
f Te porco que tem, seno seria para
. J) mais dinheiro : isto na loja e armazem
do Pavo, ra da imperatriz n. 60 de Gama
Silva.
Chales de renda a 4.
Vendem-se bonitos cbales pretos de renda che-
gados tiltimamente pelo barato preco de 44 : na
loja e armazem do Pavo, roa da Imperairlz n. 60"
de Gama & Silva.
Notos vestidos a 6000.
Na loja do Pavao.
Cbegaram os mais modernos e bonitos cortes
de organdys para vestidos, tendo 10 varas c da
corte, sendo 7 varas listadas para saias e 3 varas
sem listas, mas com enfeite para o carpo (oa ca-
saqolnho) garntese neste genero ser o mais mo-
derno eae tem vindo ao mercado, tendo entre el
les mmtos brancos com listas e nfeites pretos, e
vendem-se pelo brato prego de 60, nicamente
no armazem do Pavao roa ua Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
VENDE-SE
Motores americanos para doas cavallos.
Dito dito para quatro cavalk/s.
Machinas para descarocar algodo de 14, 16,
18,20. 30, 33 e 40 serras.
Prencas para enfardar algodo fazendo os sac-
eos com 6 palmos de comprimento com o peso de
150 e 200 libras, viadas ltimamente da America
no armazem de Henry Forster & C, ne caes Pe-
dro II o. 2 junto ao Gabinete Portugaez.
Grande reducto
nos rasgos das
Prepara ges t
DB
Laminan & Kemp
Salsa parrilha de Brlstol dazla 330.
Agua Florida de Murray & Lanman 100.
Anaeabuita peitoral de Kemp 220.
En quanto aagna florida preciso a maior cn-
tela contra as falsificares fraudoleotas francezas :
as verdadeiras preparaedes se vendem no nico
deposito ra do Trapiche n. 8.
XAROPE
DE CASCAS DE LAR ANJAS AMARGAS
**e *. Laroze, pharniaceutico
en Pars
35 annes de successos attestam a su eflicacia,
coma:
tnico excitante, para ajudar as func-
coes do estomago, assim como dos intesti-
nos, e curar as doencas nervosas,agudas ou
chronicas.
tnico anti-nervoso, para curar os incom-
mods percui sores de doencas assm evita-
das, e para facilitar a digesto.
anti-pebiodico. contra os calofros, calo-
res, com oo sem intermitencias, e que teem
por especficos as substancias amargas; tam-
bem e efficaz contra as gastrites e as gas-
tralgias.
tnico reparador, para combater a ex-
haustaco do sangue, dispepsia, anemia, es-
gotamento, inappetencia, langor etc.
Deposito em todas as pharmacias e casas
de drogaras no Brasil.
Expedicoes, em casa de J. P. Lazore. ru
des Lions-St-Paul. 2, Paris.
Deposito em Pernambuco, pharmacia de
n. Maurer & G. ra Nova n. 25.
sao muiio agradaveis, e a digesto faz-se ?"
cilmente.
Deposito em Pernambuco, casa de P.-Mau-
rer & C. rna Nova n. 18. _________
Vendem-se dous boa3 escravos proprio para
servic de campo : a tratar na raa da Praia ar-
mazero n. 3.______
Venda-se nm escravo de meia idade, robus-
to, de boa conducta e proprio para qualquer ser-
vico : a ver e tratar na travessa do Carioca n. 2
caes do Ramos.
Vende-se ama taberna sortida e em multo
bom lugar qtfem qqizer annancie sna morada.
Na ra do frapich n 16"
acham-se os seauintes deposites
De R. Br oniBghaas em Naits.
Bourgogne.
Vinbo Pommard tinto.
> Cortn tinto.
Santo Georges tinto.
Chambertin tinto.
Rlcbebonrg tinto.
Clos de Vougeottino.
Cbablis branco.
De M A. Woef em Francfort;
Rheno.
Geisenheimer.
Liebfranmilcb.
Marcobrnnner.' ______
Em casa de Theod Christiansen,roa do"Tra
piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil
da Brandenburg frres, Bordeaux, encontra-sa sa
'6ctivamenedeposito dos artigos seguales:
St.Julien.
St. Pierre.
Larose.
Cnateau Lovilie.
Cbateaa Margaax.
Grand vin Chatean Lafitte 1858.
Cbateaa Lafite.
HautSauternes.

Cbatean Saaternes.
Chateraa Lataar Blanche.
Chateaa Yquem.
Cognac em tres qualidades.
Azeite doce. Precos de Bordeaux.
Joaquim Jos Goncalves
Beltro
RA DO TRAPICUE N. 17 4o ANDAR)
;;. Sacca por todos os paquetes sobre o Baneo
l Minho em Braga, e sobre os guintes loga-
' em Portugal,
aber:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Gal maraes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famelicao.
Lamego.
Lagos.
Covilhaa.
Escravos fgidos
MOLESTIAS DO PEITO
Aviso Importante.
Os aicos verdadelros xaropes de bypophospbl-
tos de soda, de cal e de ferro do Dr. Charchlll tra-
zem a firma quatro vezes repetida deste sabio me-
dico sobre o subscripto e a marca de fabrica da
pbarmacia Svrann, U, raa Castiglione, Paris.
Acba-se a venda em frascos quadrados com e no-
me do Dr. Churchill no vidro. Preco 4 francos em
Paris : Com lostrnccio
Vende-se em casa de P. Manrer & C
0$ de gratificact,
A quem tronxer ao conselbeir Flrmino Anto-
nio de Sooza, no Hospicio, o sea moleque Joaqun,
fgido desde o melado do mez de abril com os
signaes segainte: cor preta, cabera cpmprida,
test saliente, canella fina, secco do corpo, beicudo,
falla aprensado e atrapalhado, ps pequeos, sahio
vestido de calca atol nrta e camisa de riscado :
costuma andar sem chapeo e representa ter menos
de 16 annos, sappde-se ter-se dirigido para Pe
d'Alo. _________
Contina a esta/ fgido o escravo Luciano
cnoulo de idade pouco mais oa menos 29 a 30
annes, baixo e grosso do corpo, rosto oomprido e
camodo, nariz chato, cabellos carapinbos, beicos
grouos, barbado, as vezes osa ; de bigode, olnos
pequeos ; muito ladino, trabalha de sapaleiro,
assim como no campo: consta qae transita em
Trombeta, Collonia de Pimenteiras Leopolpina e
nos engenbos Cndalo e S. Benedicto : quem o
capturar leve-o ao sea Sr. o capito Jos Candido
das Neves no engenho Papagaio, termo de Porto
Calvo, oa no Reeife na raa do Apollo n. 31, que
era generosamente gratificado.______________
Fogio no dia 27 de junbo de 1867 o escravo
de nome Felippe, idade de 25 annos, cor fula,
erioolo, denles largos e alvos, ja teve bexiga, m os-
tra na pona do nariz, tem os ps grossos e os de-
dos curtos, mnito paixolla e quer entrar na po-
ltica, alto, com poaca barba ; quem o pegar le-
ve-o a Varjada, termo da villa do Limoeiro, que
ser bem gratificado.
<*
MT


w-*'
J
\,
**
Dlar* de Jrfiambaeo Hexi* flr 5 de Juila* de &7.
ASSEBLl GEIUL
-*.
.^-* '- -
CMARA DOS SEORES DEPUTADOS-
SESSAO EVI IIJUNHO DE 1887.
PRESIDENCIA DO SR. SILVSIRA DE SOLA ( VICE-PRg SI
DENTE).
( Contra uago. )
2.* Ainda na mesma tiypotoe-e, julijando o
foveroo ou necessario, oa indispensavel novo des.
ticamenu da guarda nacional para a selxjtgo da
guerra, e.sl aioda resolvldo a insistir na/pratica
que se aeba estabelecida 1 J. M. de Macedo.
Fol marcado o dia quaria-reira 19 do correle a
T bora da tarde.
SEGUNDA PARTE DA ORDEM DO DIA.
.ontinuago da discuti da resposta falla do
ibrooe.
tas
somente a responder no sentido de fazer calar no
animo da cmara a Inconveniencia do manifest
contraste que S. Exc. fez entre aqoillo que os altos
interesses do estado reclamaran) e o que se prati-
cou cora vistas de conquistar o Jiplo do lado li-
bera!.
O .Sr. Mkira di Vascoxcellos :E V. Etc. in-
commodou se muito com isto. (Risadas, e muitos
apoiados)
O Sr Sayao Lobato :Esto na lembranga da
cmara as palavras que S. Exc. profera era as-
a r. sayao Lobato:Sr. presidente, em urna sumpto tao grave. Foram ouvidas com toda a al-
te propo6icoes que o uobre presidente do coose-. tengio, e por certo, reproduzindo o que 8. Exc.
Ibo proferto em sen diseurso, reconbeceado por [disse, nao serej,cjniradicte como fui quando me
certo toda a situago, eucarregou-se de demons- diriga a S. Exc.
trar a verdade do fact a que asseverou : reflro-rae S. Exc. fez om pirallelo entro o dictador argn-
ao que S. Ex. proterio era relajo liberdade tino e o paraguayo : fez sobfesablr a torga ex-
iluminada da tribuna, dizendo que todos trabara o traordmaria deste dictador, cuja voutade nica
aireo de dizer o que foi e o que nao foi. | era automticamente satlsfeita por seus subditos,
-\ao icbo muito sustentavel asta proposico e a que o respellavam e obedeciam, como se elle fosse
tomo como significando essa liberdade illim.tada um Deus. (Muitos apoiados). S. Exc. apontou e en-
oa tribuna ao ponto mesmo de comprebender abu- carecen a circunstancia de nao ter o despola do
sos. s. Ex-, encarregou-se de, soperaliundantemeo- Paraguay, dentra do sen paiz, nm s opposicionis-
te, demonstrar que poda dixer o que foi e o que ta, um s dissidente, e conclue que nada valia o
nao ro; e indo aluda alem, foi assim que S. Ex., facto da guerra contra Rosas em relago a que o
da-se dirigirse rainba humilde pessoa, Brasil sustenta boje contra o Paraguay, que ex-
!Jri.cMae Ql Jos fel,'3s Pratlcados pelo ministerio tas, 8r. presidente, o nobre ministro emenden
ae 1818, quandj me refer ao facto glorioso, que que Bcava fe.'utido o qne u dissera e observava,
const tue urna das paginas mals brilbantss dos fef-1 em relacio a' falla de forca moral, a' falta de o-
tos naciooaesa guerra que o Brisil fez contra o pscidade constitucional em que *e achava S. Exc.
tyranno Rosassob a feliz condigio de.se nao ter para administrar o palz neslas circunstancias, em
onerado o paiz com penosos sacrificios ; S. Exc. ti- que mister um governo escoimado de todas as
rou datii motivos para entrar em nma discussio! pretenges partidarias, um governo forte e apoiado
que julguei da mais alta Inconvencia e em qne nao por toda a populaco, um governo qne levasse
icompanharel o nobre ministro, limitan Jo me to toda a populaco, justa apreciado das clr-
cumstancias climatricas do paiz, tornando-a ca-
paz, pela eonflauga dos sacrificios necessarios para
a salvaco publica, porque de nada menos se trata
do que da salvaco da honra nacional no eslran-l
gelro. ? '
Oorador discute largamente a poltica da si-
tuago, analysa detidamenle os actos da adraiois-
tracao do nobre presidente do conseibo, far multas;
oatras apreciages em referencia ao discurso de S. |
Exc. e termina do seguinte.moio :
Qne o nobre presidente do conseibo, antigo
atbleta que Bgaroa como um dos sustentculos do
ministerio de 29 de setmbro de 1848, e depdis do
mesmo ministerio reconstrnido pelos Srs. Itabora- le da asserabla provincial' de' Minas-Geras,
hy, Uruguay e Manoel Fellzardo, neo hesita em en- supprimio a comarca do Rio-Verde.
trar em estudo to espinboso, e como .um verda
reir, portuguez, morador no municipio de Nova-
Friburgo, provincia do Rio de Janeiro. Mace-
do.
Igual favor a Jos Pereira da Costa Maldona-
do, fazendelro na freguezia de Santa Tnereza de
Valenga, da provincia do Rio de Janeiro.Pereira
da Silva.
Igual favor ao .subdito italiano Henrique Con-
sio, residente em Ilapemirim, provincia do Espirito
Santo.Horta de Aranjo.
Ignal favor a Joo Lonreiro de Carvalho, ci-
dadao portogoez, residente na corte. Ratisbn-
na.
Igual favor se faca ao cidado portuguez Jos
Lniz de Araujo, residente na provincia de Minas-
Geraes.Lima Uarte.
Nioguem pedindo a palavra e poodo-se a votos
o projecio approvado, bem como tolas as emen-
das, e remettido a commisso de redacclo.
Revogago da lei que supprimio a comarca
dq Rio-Verde.
Entra em i* dlscusso o projecto que revoga a
que
asseverou que eu inexactamente baVia dito' que S
Ex. nSo quena o apoio do lado conservador.
Appellou para o testernuubo da casae entendeu
que me traba refutado, vito que nenbum dos hon-
rados membros se manifestou a tal respeito.
Senhores, o que notaver que o nobre presi-
dente do conseibo, nao acceitaodo'Squella explica-
cao que pareceu ao nobre depulada dar, e bem
revelava que elle tinha ouvido na proposlgo de S.
Ex. urna phrase escapada no correr da discussio,
e eu dissesse que relirava o reparo severo qne de-
via fazer s. Ex., retirando suas palavras, e dizen-
do que nio dispensara o apoio do partido conser-
vador, negasse-lhe principios, capacidades e direi-
tos para nao aspirar ao poder, seno nos tempos
em que urna faccio perturbasse a ordem publica,
porque, no entender do Sr. presidente do conseibo,
o partido conservador nao mais do que um ins-
trumento bellico que nao lera principios para go-
vernar o paiz.
s. Ex. disse, e fez mais anda : nao duvidou
2punhalar-se a si proprio, rejeitando todo quanto
devia a esse partido para cbegar a altura a que
cbegqa.
Senhores, bem triste fol este espectculo, bem
pouco edificante para o piiz, ou antes, muito es-
candaloso.
Ja.posi'cao do governo, nestas circumstannias
criticas e calamitosas do paiz, em que o governo
de ve ter toda a forca moral, toda a autoridaae,
para recorrer ao apoio de toda a populaco brasi-1
ieira, nunca houve ministro que se ostentasse tao
partidario, que chegasse a humilhar tanto a sua
pessoa.
E o qua disse o sobre presidente do conselbp
quanto a dontrlna e em relajo- aos principios de
urna poltica que elle mesmo exercera, foi tao exa-
gerado, quanto o foi as novas theorias, que, com
esquecimento de tojo o seu passado, adopton no
intuito de ageitar o apoio do partido liberal.
S. Ex. cbegou a volver aos tempos que si
ram, e professar os principio?, que o partido
ral professava, quando a priori, e systemayr./
te, declarava goerra a todos os gove. no*
S. Ex. disse que a autoridade constituida pala
le iualajueai.il do estado, era adversa a liberdade
JLZZ& que professava taes principios; a autori-
dade assim constituida, estava banida da escola da
liberdade.
Senhores, parece-me que trabamos-j chegado
o verdadeiro progresso a este respeito. (Apoia-
dos. ) E nao poda haver mais controversia nem
qoestao sobre este ponto, que os liberaes nio po
diam rejeitar estes principios de constituir.! >, que
sao os salulares principios consagrados, sagondo
a ndole e natureza do systema representativo que
estabelece este consorcio, esta allianc de princi-
pios da liberdade com a autoridade. (Muito bem.
. Apoiados.) Esta liberdade, que a forma pela
qaal se resol ve a grande questSo do governo do
paiz pelo paiz, nao pele ser mais condemoada,
nem ccntraditade, S. Ex. exagerou tanto, que bem
Gemonslroa que todo o seu afn era conseguir as
boas granas do partido liberal.
Reatar esta siiuar.no tao difllcil, desde qne os l-
lustres membros a repelliram, logo que ptica-
mente nao podiam resolver as questdes -, desde que
nao podiam cbegar ao Qm a qu aspiravam, nao
duvidando chegar ao liberalismo absoluto, que s
pode ter assento nos paizes dominados pelo despo-
tismo, e que tem o fea feo as sociedades secre-
w, e nunca em nm paiz regido pelo systema re-
presentativo, como o Brasil, onde ampio e pleno
o rgimen do governo do paiz pelo palz, e vigora o
principio da autoridade responsavel ; eis aqu,
quanto doutrina, nm dos pontos notaveis do dis-
curso do nobre presidente do conselbo.
E, senhores, quando se attenta que isto era tra-
:.: lo de plano, e declamado nesta casa com o fina
de dar arrhas aos depotados do partido liberal,
nc teria eu razo no que disse e fui contestado
quaudo affirmel que o presidente do conseibo linba
corvado aqoi o seu joelho, dizendo S. Exc, que
nunca curvou o joelno seno a Deus e a seus
santos?
S. Exc, porm, nio corvon aqu rnente o joe-
lho : rojou se por trra, deu as maiores arrhas ao
partido liberal, Jogava a ultima carta e j tinha pe-
la prlmeira vez defendido o direlto de revolucao,
e agora pela seguoda vez commettla nm snicidio
poltico, apunlialava-se, comprometa todo o seu
passado, e chegou ao poni, senhores, de levantar
a sua voz e de se acensar si proprio as admi-
BistracSes passadas.
A camya se lerar^-ara, quando S. Exc, respon-
dendo ao bistc-r'iC0 0 meu discurso, das aprecia-
C5es W*.'m do governo de 1850 e do segaiate no
qoA S. Exc. teve parte. O nobre **
seibo nao teve escrpulos kWj gg*
advogado do diabo conira si mesmo mmmmi
de bfrracas e liabas, em *!*X?*-'23L
ras referindo se ao sen proprio gabraete e a a
"straco a cargo do seu fallecido collega
canselheiro "Manoel Feliiardo.
O nobre presidente do conseibo traba
por essa occasio a suprema fMg
da marinha a cargo de seu ministerio, e foi noje
a rilado a discns'sio esse passado, quando eniao
erara motivo de grande escndalo os abusos am-
SeSdS pelos subalternos, porf!fflffify
olbavase seriamente.para a admimstracao r
. blica.
iraordinariamente ihe mqito mais honrosa ; e
que at nosso paiz fra aroerciado pela Divina Pro-
videncia com o rurapimento das hostilidades, por
parte deste tyranno, antes de se ter armado, como
se propunha, para provocar nma guerra contra o
Brasil.
E assim S. Exc. explicava que a missio do 9r.
ccnselhelro Saraiva, longe de ter provocado esta
guerra, e de ser, na pbrase de nm jornal, nma
bocela de Pandora, fra Qm acto qne assignala o
sen ministerio, que concebeu e realizon essa mis-
sao.
Senhores, vejamos em indo isto o que ha de ver-
dade.
A respeito de Rosas, era esse vulto gigante, que
traba arrastaJo e tornado ineffliazes as forcas da
Inglaterra e da Franca. Hornera de vontade forte,
altamente apoiado na sua repblica, e at na Ban-
da Oriental, onde traba seu partido enthosiasta.
(Gruzam-se apartes e conteslacoes).
Em todo o caso, o que fez o Brasil ? O que al-
cancn, a respeito dessa deposicao do tyranno Ro-
sas, e um facto altamente glorioso para o impe-
rio ; (apoiados) nma das joias mais preciosas do
thesouro de nossa patria, e nunca poderia caber a
ura governo do Brasil enoegree-lo com ama these
propna para desbotar o brilbo deste facto qua
tanto se recommenda em nossa historia/pela pro:
dencia e eficacia com que foi emprehenjuido.
O Sr. Presidente do Conselho ratestay em
mais de um aparte, que depreciaste de qualquer
forma a grandeza e a solemuidad**desse facto.
O Sr. Satao Lobato : Mas/vejamos quanto ao
Paraguay. Eu abstenbo-"m*^e entrar nessa apre-
ciaco, nao a acompanbo,' nem aceito as provoca-
coas do nobre ministro, que foi multo indiscreto
chamando a -qoestao para este ponto. E apenas
nso d.rv" do direilo de defesa do partido con-
,*" todosv os ministerios anteriores ao
i que SvEx-c. se refiri, entendendo
i* :e mxima na situado presente;
eraua sus mantenedores e autores, e aos
qoaes, eu digo com toda a conviccie, com toda a
exactidio, que nio pertence a responsabilidade da
questao com o Paraguay.
O velho Lpez morreu depois que sabimos da
administrado, depois do ministerio de 2 de mar-
co, de que fez parte a ultima opiniio conserva-
dora.
E note se que, anda em vida do velho Lpez,
ja a questao paraguaya nos mereca multa at-
liBCiO.
O Sr. Aristoes Lobo: Nao pareca. (Apoia-
dos).
O Sr. Sayao Lobato :Na escolha para presi-
dir a provincia de Matto-Grosso, o digno senador
o Sr. Herculano Ferreira Peana, teve instrnecoes
especiaos de aitender para- as coasas do Paraguay
e para o mais seno estado sobre o estado da fron-
teira d'aqoella provincia. S. Exc, com os talen-
tos, cuidadoso escrpulo e pericia, com que sem-
pre desempenhon suas funegoos, com a boa vonta-
de qne tem serapre, como digno servidor do estJK'
do, foi ao Paraguay, dirigia-se a Mallo Grosso,
esteve em Assumpco por uas poneos de das con-
ferenciando com o velho Lpez, qae o tratoa com
toda a distineco, bem demonstrando que, em re-
lario ao Brasil, nao tinha vistas sinistras. E' cer-
to que Lpez se armava, mas, nao deseonhecido
que o seu gran le cuidado era resguardar-se con-
tra a absorpcao da Repblica Argentina, com a
construeco ao Humaita e de ootras linhas de for-
Uficaces.
O velho Lpez confessava que devia muita gra-
tiiiao ao Brasil, e nao commettena o acto treslou-
cado desta guerra : que s om homem no verdor
dos aonos e dominado pela mais violenta paixao,
obsecado 'por sentimentos frenticos poderia eom-
metter.
Em vida do velho Lpez, o ministerio presidido
pelo illuslre marquez de Caxias tinha escolbido
nm administrador digno de toda a confianza para
Matto Grosso, e aguardava informacoes que esse
administrador den.
istorio casa o como ebegaram esias infor-
maces e as circumstancias qae se dorara. Sao
dignas de nota, e interessam morto maagaracao
da situago dominante.
O digno Sr. senador Herculano FBrretFa Penna
tinha investigado assas, e em um officio fazia to
das as observacoes nio smente ao Paragoay, mas
em relaco ao triste estado de-nossa lionteira, es-
. e
deiro mariyr estigmatisa o sea passado.
Referise s cmaras unnimes, e ao circnlo
de ferro qae eofendava a administraco publica,
dando os altos cargos a' orna familia privile-
giada. |
Crculos de ferro qae nio oppoz resistencia ao
Sr. presidente do conseibo ; circulo de ferro que
Ihe abri fcil caminbo s posic_oes onreraes; gr-
enlo de ferro tragado por aqaelles qae sonberam
apreciar os talentos de S. Exc. para eleva to a' ad-
ministraco ; circulo daJerro que nao poda ser
vituperado pelo nobre Wnistro que Ihe achou o
mais fcil accesso.
Cmara unnime TI Se S. Exc. a este respeito
refere-se ao p ocesso eleHSral da cmara, a qae se
aggregon em 18i9, porque 8. Exc. a media pela'
parte que leve n'eila. Lembroo-se que, cmo pre-
sidente de Sirgipe, pela infidencia da administra-
Ci, e contra as recommendaces do governo, que
obslava qae os presidentes fosse candidatos, S.
Exc. fez-se eleger por Sergipe, e dea tanto que
fallar, que a eleicio dessa provincia foi posta como
urna excepeo ; nio pode merecer immediata ap
provago, to ingada era ella de irregularidades.
E, suppde o orador, foi a prlmeira vez qae se ma-
nifestara o expediente das doplicatas.
y., quando se v um homem de espirito superior,
de intelligenci to culta, t9o conhecedor da Pfati-
cas do e3tylo representativo, qae anti8"ainte p'
sava como um disclpulo'de Gnioi, fazer transfor-
macas lio senslvers, nao at parece impossivei
que se combioem com a; cargo qne oceupa o nobre
ministro; qnando o orador observa nm tal pheno-
meno, enfetide que He por si s exprime ludo ;
que urna synthese da situicao.
Que- 'Tcito e outros historiadores da antiga
grandeza romana, muitas vezes em seus annaes
histricos assigoalam, como presagios de Saccessos
solemnes, eertos aeonteclmentos extraordinarios.
Ora era nm raio qne cabra no templo de tal
deas; ora, ama mnlher que pana em tal eidade 3
on 4 Albos.
Esses signaes. embora supersticiosos, segniodo as
creocas de entao, assignafarara suicessos lataes
naqaelle tempos, e naqoelles dovos, assim como
esta fatal sitmao em que o Brasil anecia, tem de
ser assignalada e marcada na historia' pelos'actos
do nobre presidente do conselho, coma urna aya-
tbese de todas as desgracas que pesam sobro o
paiz.
Levanta-fe o Sr* presidente d eonselbe.-
Declara qae o Sr. Sayio Lobato ouvlo mal as
snas palavras, e por isso fez a elle orador accsa-
C5es mais injustas, ftao aceita a pacha de ioteres-
seira qae foi laucada sobre a poltica doruinante-,
e qaem pede arrhas -y appella para o paiz, qae II
fara' jostfga.
Entra na historia dos diversos ministerios passa-^
doi para mostrar qoe o Sr. Sayao Lobato fazla op-
posico a todos esses aiaistenos, e qne eram eon-
servadores.
Declara qae a- imprensa conservador oceupe-se
hjje em at-car os caracteres e nio diseute proci--|
pios ; e qne elle orador tea> orgulho de bayer con
quistado o apoio do partido liberal peloe^ seus dis-
cursos e opinides en-Jtiic*> aa tribuna.
Fazenio outras coaeracCes em sustentagio ao
sea procedimento, espera que a camar>lhe far-
justiga.
A discussio Mea adtada pela bora.
Dada a ordem4o diar levan*oo-se a sese* is-*
horas da larde.
SESSAO EM 17 DE JtNHO DE 18677 1
" 'iMSUfeSGXV.DO SR^ AAVliCK-PKSIB.fr^^
Ao meio dia, feita a chamada, venca-se bavw
numero sutSciente, e abre-se a sessao.
L-se e approva se a acta da antecedente.
O Sr Io Skreeario da' conta do seguate
KXEDlETiTE.
Um officio do ministerio da jostica, rerasOleBe
informagao prestada pelo ehefe de polioia *a
corte eerc do motim qae se dea nest- eida-
de no dia ti do correlo mea.A quemfet>a-
quisigio_
Cinco- do secretario do senado, traDsmittmao,
por nao ter o mesrao senado podido dar o sen
consenimenlo, as proposisoes que disponsaa as
leis de amornsaco para qoe possam adquirir e
possuir beo de raz varios esubelecimeoftas pios,
rnatrzes, irmandades-e corporacoes.Integrada.
Outro-da presdetela, da provincia d>3anta Ga-
tharraa,. enviando as coplas das leis i as. 564 a
578, paaraolgadas a anao passado pela assembli
da mesma provincia.-A* couimissao de>ssembl-ie
provieoiaes.
Uca. reqaerimeaio. de Antonio Pedro Ferreira.
CarjapeJlot pedindi. ineamsagao do desfalque qoe
tem soBrido nos seus veaeimentos.A? commisso
de izeada.
Oatro de Joo Gomes dos Reis, pediado ser ad-
mittido a. fazer acto, do primeiro-anno do corso.
facoldade de dlreito de 9. Paulo.A1 mesma cotJ-
misso.
Oatro de Ignacio Rodrigues Vas, pediado fazer
acto do 2* anoo medico, a cujas ligues tem asisti-
do, na poca competente.A' mesma commisso.
Acba-se sobre a mesa e remettido a' corarais-
sio de poderes o diploma do Sr. Adolpbo de Bar-
ros Cavalcanie de Albuquerqae Licerda, depotado
pela provincia do Amazonas.
r-ENSOES A DIVERSOS.
Lm-se, julgam-se objecto de deliberacio, e vao
a imprimir para entrar na ordem dos trabalhos, os
projectos segointes:
- < A asserabla geral resolve :
Art Ia Ficam approvadas as pensoas concedi-
das pelos decretos, de 29 de dezembro de 1868, a
D. Maria Augusta Gaedes de Almeida, viuva do
capito do 3o corpo de volutarios da patria Manoel
Rio de Janeiro, referindo-se ao Sr. conselheiro
Sonta Franco, dissera que esse dsflncto liberal, sa-
bindo ao poder favoneara, como senrpre a opiniio
popular, procurando angaria-la e descotrbecendo os
verdadeiros principios econmicos.
Depois de mais algnns reparos, diz o orador que
depois do ministerio de 12 de malo de 186$, dous
ministerios se snecederam do partido prog-esslsta,
e nio se fas cargo de historiar os enfadonbos mo-
tivos pelos quaes appareceram as dlfflculdades da
organisagao ministerial, qoe fol resol vida finalmen-
te com a chamada do Sr. marquez de Girada.
O ministerio de 12 de maio fra por consegnin*
te, um ministerio de transigi. Jamis o Sr mar-
quez de Olinda se declaron progresista liberal, e
pelo contrario, lendo S. Etc. de dirigtr-se ao parla*
ment, Ihe declarara terminantemente queso tinba
por tira debeiiar a guerra, e nao realisar principios
G-ld.no.da Silva e Almeida, daquantiade 60*000 |lbara(!S- (Mail09 apoiados). O proprio Sr. ministro
mensaes; de 2 de janeiro deste anuo ao tenente do
12 corpo de voluntarios da palria Jos Lopes Fer-
reira; ao do20eorpD Zferino Vleira Soares, da
J relave*1 au niaio caiauu uw uu^ja *.w..-, *.------------------------ --- -- .... ^i;.
clarecendo o governo a este respeito em om oficio medico.-A cudidismo de inslrncg&o pawica.
que elle fez cheear em dupHeata ao rainisteno de| uolro Jde Silvio Pellieo Pereira Ferraz, pedindo
estrangeiros, entao oceupado pelo Sr. marquez de
o Sr.
tambera
do arsenal
foi boje
pu-
"Hoe, porra, nao se olba para isto. Hoje o modo
mesmo por que est organlsada i
administragao
Tpa^em que s aTtende ao personaosmo ^
nio'se inspira senio pelo amor_ p_roprlo do mures
se individual,
enao peiu mu' f*t-ijr._-
bem dever qoe nem se pode e=pe-
-r'es"se cuidado, essa Qscalisago caja ultima pa-
lavra P*e ootpn4er com .le oa com aqoi e inai
"ou-,,.-'a .-J Pelo principio caracienstico da
ePSe tossemo a revolver os contratos e tantos ou-
tros servicos dos arsenae3, tertamos bojo mullo
nue ver, e achariamos verdadeiro progresso em
abasos muito mais sensiveis do que os das invoca-
das linhas e barracas.
branles, e ao ministro da imperio, o Sr. marquez
de Olinda.
Este oficio teve nm simples, resposta em aviso
expedido pela reparligo de eslrangeiros, no qualft
se aecnsava o recebmento, e se loavva o zeU>
desie adaiinistrador. Foi levada esta resposta por
um vapor fretado por 28:0004000 para ir em via.-
?em a Matto-Grosso : e por esse vapor qcaia
ordem para a reeleigiq do Sr. Dalamare, anico
motivo dessa pressa, indo pela mesma occasio a
communicago da que o Sr. Herculano esusa. de-
mittido d'aquella commisso; commnnicacAo emit-
tida por intermedio de nm amigo procurador elel-
toral do Sr. Del amare.
Depois de continuar na apreciaco, qae faz so-
bre estes pontos, diz o orador qae sj depois dessa
quinquennio, que Solano Lpez wve a arrjala
pretengao de arcar a medir-se com o Brasil, qae
sustentava esse plano com a ousadia de um kouco
obsecado pelo exeas do podor, por essa tyran-
nia qne fax do tyranno a saa primelra victima.
E' qae s ao governo de entao cumpria cuidar dos
negocios do Paraguay com toda a solieil&de.
E por laso mesmo que r.s, cjra qs babi'o' pa-
cficos com qae ha longo tempa nos conserva-
mos, nao linhamos recorso para de prompto acu
fa-ser acto do prlmeiro auno da taculdade do duei-
, depois do- prestar o exarae que Ihe fah*.A
XMsma commisso.
Acha-se sobre a mesa e remottlda a tetceira
commisso de poderes, o diploma do Sr. An-
dr. Angosto de Padua Ftonry,. depntado eleito
pela provincia de Goyaz.
Pensas a diversos.
Leerj-se e vao a impriar para entrar na ordem
dos trabalhos, as redaccCes dos proioctos qae con-
cedem varias pensoes, qpe. se achara poblicadas na
Jornal de 18 do crreme.
Eleicio de Matto-frfosso.
L-se e val a imprimir para ser submetio a
votacio cinco das depois, na forma do regiment,
b. parecer da 3* commisso da poderes sobra, a elei-
gao aa provincia de Matto-Grosso, que se acfaa pu-
blicado no Jornal de 18 do correnle.
priubira parte da ordkm do BIA.
Eleigo de S. Pauto (1* disiricto).
Procede-se a vutagac do parecer da 2a commis-
so de poderes sobre a eletgo do Ia dlstrlcto da
provincia de S. Paulo, e approvado em todas as
suas conclosoe?, focando prejadkoada a emenda.
O Sr. PasiinsNTK declara deputados pelo refe-
rid j distrito e provincia os Srs. Americo Rrazi-
lenle de Almeida e Mello, Jos Boaifacio de An-
drada e Silva e Joo da Silva Carro.
que entao con-
Saraiva a Mon-
tevideo T
Nao previo S. F.xc. qae naquelle logar, tao rela-
cionada oom o Paraguay, poda apparecer sufflcien-
[te motivo para dar azo, seno determinar a iuler-
lervengao do tyranno Lpez T
Nio previo que, dada essa interferencia, o go-
verno do Brasil se chava inteiramente desar-
mado-'
Nao poda promtaraente desaggravar-se, susten-
tando a honra e a digmdade nacional ?
Erara azadas aquellas eireninstancias, mesrao em
relago a' repblica do Uruguay ?
Senhores I Se bonve falta de previsto ; se al-
altamente responsavel pelas trWissimas e
' K^lbt^i^M beralta^ e em | cenen mandar e sxecatou a m.ssan
arredar de si o espirito conservador; qoe elle aei-i
mo nao duvidou invocar essa accasagao a um mi-
nisterio de que faria parte, ou.antes a si proprio,
porque nao s era elle solidario, mas era tambarn
pela repartlgo da marinha que era grande escala
esses lempos se davam os abusos. .
O n bf* presidente do conselho (ex o qne nunca
M tei o' Px Temos visto defeigoe?, mudangas
Z3*, uasformagoes sensiveis, porem m bo^
mem n poslgo eminente do nobre ministro, cora
Zpassado como o sen com rtremeoda.respon-
Mbilidade de menabro do governo, wder qne
pode ati.n transformarse, que pode assim renegar
H a passa lo ; Isto, Sr. presidente, nao se tem vis-
to. Ist5 importa, como eu digo, arrbas a nms
quaUcaas,as mais comples qoe^o nobM presi
dente do conseibo pode dar aos nobres depntados
do partido liberal. _.. _
Na qnadra em qne nos achamos, quando o go
verno precisa de toda a torga- moral, o nobrei pre-
sidente do conseibo despoja-se da coherencia ae
seus sentimentos, sacrifica a melhor parte oe sen
passado, e isto smenie para pedir a aeeitagao dos
nobres depntados d > partido liberal.
Senhores, orna fineza extrema, e ea entendo
qae os nobres deputados a devm aceitar, Nao po-
de haver argumento mais convincente: vale mais
qae a melhor these do direlto de revoloco.
E, senhores, o nobre ministro nao se conttaloo,
nao se limitoni ser cruel com a sua propria pes-
soa : foi atai, e de nm modo anda mais. noiAvel e
digno Mieasuri.
O nobre ministro, respondendo me cerea do his-
dir a aualauer emergencia, cumpria a' sabedoria. --- -
de governo pedir a' cautela e a' pudenda os metes Achando-se na sala immediata o Pnmwro d*stos
de restuardar-nos, que tanto mals eram necessa- senhores, introduzdo com as formalidades do es-
fios, Sanio faliavara de improviso os meios fortes, Uto, presta juramento i> toma assento
.ue'alis as circamstancias So imperio pod.ampre- ^ ."S?' 'approVaffim.debate,
a redaego do projecto que concede pensao a D.
Romana Candida de Araripe, viuva do capitio Chil-
derico Cicero de Alencar Araripe, e as snas duas
fihas menores.
Matricula de estndanies.
Entra tambem em dlscusso, e igualmente ap-
prevada sem debate, a redaego de projecto qne
autorlsa o governo a mandar matricular os stu-
dac'es Durval de Menezes Fraga e Joio Yaz de
| Carvalho Sodr, este do 5* e aquellf do 2 anuo ja-
ridlco da facoldade do Recito.
Natarali&agoes.
Entra em prlmeira discussio o projecto que an-
torlsa o governo a mandar passar carta de cida-
dao brasilelro ao padre Nicolao Laz, subdito ita-
liano.
C5e_s. Cruiam-se apartes.)^^ ^ _^_u na concellos, subdito portuguez, com 60 unos de ida-
Faltou-lbe a prevlsio ; faltn Ihe a prudencia ne-
cessaria. S. Exc. mesmo pela consciencia que chtf-
gou a ter de que aquelle apoio incerlo e incapaz
de urna colligagio que nao ara um partido polilico,
oo podia afflangar ao governo a forga aecessaria
para proseguir na administragao, qmz, por nm acto
de arrojo, conqaistar tolos do verdadeiro apoio do
naiz oela dominagio de sens faites, e por Isso ca-
hio m commetter esse acto. Sem dnvida alguma,
se S. Exc. estivesse em ontras coidlgde?t^JLi
^^r.ts!rr?w Ki*= sasr ss-a
de, residente e estabeleotdo no commercio ha mals
de 40 annos, na eidade da Cachoeira, provincia do
Rio Grande do Sul, casado com brasileira de quera
tem Albos.F. Vianna. >
f Igual favor a Jos Catrina de Sonsa, portugus
residente na eidade do Ico, provincia do CearA; e
ao Dr. Francisco de Paula Cavalcanti de Albu-
qaerque, subdita prnsgiano, residente na supradita
eidade.Ratisbon. ,,,-
tonal favor ao subdito portognei Nicolao Tei-
*. ._- ^.^i..t. un Cr.rp.-1 nrAtnr9 llp
O Sa. Christiano Ottoji pronuncia-se contra a
revogago desta lei, qne passou unnimemente na
asserabla provincial de Minas.
Acba qne as duas turmas de deputados, que
aguardara em breve a decisao desta cmara na ve-
rificago de seos diplomas, devem tomar pane nss-
te debate, visto que a liveram mnito aetiva-na eoo-
fecgao e passagem desta lei.
O orador pede grande somma de documentos re'
lativos a esta questao, qne Ihe foram distrabidos
da secretaria da cmara; e, depois de oceopar a
tribuna por mais de urna bora, termina pedindo o
concurso do Sr. ministro da marinha, coja opi-
niio multo pronunciada esta' compromellida oeste
amanto.
A discussio fies adiada pela irora.
Acbando-se na sala rmmediata o Sr. Americi
Brasiliense, depntado eleito pelo 1 districlo de S.
Paqlo, Introdazido com as formalidades do eslylo,
presta juramento e toma assento.
O Sr. jtttxo Peixoto pede permisso para
substituir por outra a emenda que offereceraiao
projecto de proposia, a falla do tbrono quando ence-
lara este debate.
A cmara onseou, e S^xc. jaanda a-mesa a
emenda que os lellores encontraran boje no- artigo
qae se publica nesta Polba sob o titulo Chronica
Parlamentar.
Segunda parte.
Contina a discussio do projecto Ce resposta- a
falla do throno.
O Sr. ELrc-P.T Daiwe principia dizendo qoe
finalmente Ibe cbegou a occasio de apreeeniar o
seu pensamento poltico: nao pede tolerancla,-e
stm a benevolencia, a qae tem direita desde qae,
dirigiDdo se, ba das, em om'aparte, ao noVre pre
sfdentedo conseibo, censurara que o governo con-
ferisse aos gales de Fernando de Iforonha a- honra
de defender a Integridade nacional, nos campes da
guerra, S. Exc, voliando-se para o orador, toe di-
rigir as segointes palavras r-~r E respondrei
ao aparte do joven deputado. r
S. Exc. tratando-c de joven, esqueei-se de $ae
urna inteiltgencia disttaeta tinba dtto, que a moet-
dade nma molestia aoe o tenapo se esearrega de
cura-la.
Tem necewidade de explicar a sua pc?igo, poi-
que de ordinario se postan attribuir-" a poslgio po*
tilica a rnteresees offendrdos e esperangas mallo-
gradas ; e por esta occasio o orador pedo aos se-
nhores miorstrea que declarara se elle algam dia
soliciten algn cargo-f Tem o diroito de fazer
esta pergunta, e o governo te* o dever de- respon-
der.
Vai combeter voto de gragas, poraoe ende
qoe elle eacerra o proposito firme de roabar a
esta paiz toda a wparanga do seu restabeleeinen-
10. Que o voto de gragae- o exercito penBa-
neote do nobronsaistro da guerra, a mobthsago
da guarda naciooal do 'nobre ministro d jivsti-
ea,a morie des partidos, os estragameatos do to-
das as instilaiGoe, e as boeess-ios canfcoes do Sio
da Prata.
Depois de long spreciagoo'd politfca e dos'i-
Wsdv> governo,- o orador dfa- recwmecar a netes-
sidade de terminar este debate-,, pedind liceaca
para, antes de. sentar-se, diier qne nada tem de
commom, e nada qoer ter cata o actual governo<.
Que este governo tem compronettido a ordos
publica no iniertor do paiz, leu degradado a>ban>
deira brasleiFa, e qoe, desde- seaerganisagaOiien
adrado ao tapete da cmara dos-Srs. deputados
poder >rrespoQsave<>, como qoerend^ atiribuir-ihe-
os mates do patr,.
Q.u, se o ministerio actual' oontianar a-gerir, Argolojllvado^ D. Iteiwa
os o*>9 pabticoe, rasgara' todas as pagina' morim, p. lSoulia Augusta
do cdigo glorioso das libertades poltica e sa-
ciaes-
Vola contra o projeete, e deca solemnaraonlo
ao governo qae ba de oceopar. a.posigao do sea
nobre amigo e collega por Mloas-ffieraes, nsgamlo
ao ministerio o,seu voto enlodas as medidas, e
era sera' cora-o sea voto, qao -o gcwerno lepa' oj>
gamento, porque o orador o aonsldera incapac,,ia-
capacissimo 1:
A reqoerimentO' o. Sr. Tcscano de Brito, fica
Becerrada a dioussao, e -votado projecto-aomi^
MtaiMta.
Principia a votado pelas- seguosea emendas:.
*.t Ao .|'.4*accresceoi9.-seo se ainda (3r
adiado o termo da guerra, a caara espera que
o governo imperial, fortatecendo^e por seu pres-
tigio, e sendo acodado. pelo decidido apoio da oa-
gao, adopte sen demora as "medidas de que de-
pender a victoria.Tavares- Basles. .
i.', $ H saja substituido pelo seguate :
E' grato ver a prosperidade constante da
renda p*bllca as aeluaes cireurasunclas^ posto
que nao se teaa proseguido eom energa-nos me-
Itaorameatoa de que depende o seu maior desen -
volvimealo.
t A cmara deplora as oireomsianc*a& qae nao
permitiera aassembla, geral prover ao. desequili-
brio do orgamento ordinaria Ella empenhar-se-ha
em sali3fazer a esta necassidade, e s argentes
desposas da guerra,, requereodoos esetarecimen-
los de que precisa pira a sologo de tao graves
problemas e formando votos pela meJtoor arrecada-
gao da receita e severa, economa aa despeza.-
Tavares Bastos.
3 "-0 13. Soja substituido pot este:
A cmara tomara' em conskterago as m*i-
dae sobre a coloolsagio, a Instrucgo publica, o-re-
cj-utamento, a justiga militar, o quadro dos offl*
ciaes da armada, e a guarda nacional; nao esque
cendo tambem a reforma indiciara, que deve asse-
gurar garaatiasa liberdade individual, nem. ac,me-
Ihoramento argente de ontroi importantes ramos
da administraco. .. t ,,.
Senhor 1 A cmara repntar-se-ha feui se pu-
der corresponder plenamente ao sen dever, supe-
rando as dificuldades do presente e promovendo a
prosperidade do BrasH.Tavares Bastos.
O projecto de resposta falla do throno appro-
vado era toda a sua integra, sendo rejeitadas todas
as emendas.
O Sr. Presidente; d i a orden do da e levanta a
sessao.
SESSAO EM 19 DE JUNHO DE 1867.
PRESIDENCIA DO S. FAWA (VICK-PRES1DENTE.>
A's 11 horas e 3/i feita a chaiaaJa, vanont^B
haver numero suffletente e abre-se a sessao.
Lm-se e approvam-se as actas das anteceden-
tes.
O Sr, 1 Secretario d conta do segointe
expediente.
Dous oficios do ministerio do imperio, acensan-
do o recebmento do3 desta cmara, nos quaes se
communica ao governo as decisoes da mesma c.a
mar.acerca das eleiges a que se procederam l-
timamente na provincia do Rio-Grande do Norte e
no 2 districto da do Ceara'; e declarando qae se
expedir aUsos aflra de que aquellas decisoes ae
jam exaelaraeut a cumpridas.Intelrada.
Oatro do mes.no miaisterio, enviando a copia da
acta da apurarlo geral dos votos dos collegios da
provincia da oyai.A' 3* commisso de pode-
res.
Cinco do secretarlo do senado, transmittlndo,
per nao ter podido o mesmo senado dar o sea con-
sentim-nto as propoMges qne dispensam as leis
de amortisagao para que possam adquirir e possnlr
bens de raiz varios estabelecimentos pios, matntes,
irmandades e corpor?g3es. -Inteirada.
Um requerimento de Jos Celestino de Oliveira
Soares, pedindo matricular-se no 1' anno da esco-
la de medicina da corte, devendo fazer acto de al-
gebra antes dos exames do respectivo anno.A
commisso de instruegio publica.
Otftro de Joio Vax de Carvalho, padindo ser
matriculado no S anno medico da faculdade de
mellcina da Baha.A' mesma commisso.
Outro de Cassio de Avila Farinha, padindo ser
matriculado no 1* anno medico da facoldade de
medicina da corte, que wb freqnentado como ou-
vinte.A' mesma commisso.
Outro de Jos Gonsalves do Passo, pedindo ser
admittidoa exarae do 2" anno medico da faculda-
de da Babia, que tem frecuentado como ouvinte.
A' mesma commisso.
Oolro de Joio jjaptista Barbosa Goimaries, pe-
dindo que sejam aeeitos na faculdade de medicina
da jostiga de eotao, da mesma srte declarara no
senado, que s depois da guerra ajustara conta.
(Muitos apoiados). E a cmara nao se tera* anda
quanua da 41*000 mensaes; ao alteres do 17* ba- Uqoecldo do que Ihe dissera, de sua eadeira, o IK
tathao de .nfaniana Galdmo Canelo de Vascpncel- |Ustre consc1nejro Pa8fa e goaMj de saaaosa mo-
los Monteiro, de 18*000 mensaes; ao do 47" cor-
po de voluntarios da palria Candido Hermenegildo
de Carvalho, de 36*000"mensaes j ao do i" bata-
Iho de infantera Agostinbo Jos de Andrade, de
18*000 mensaes; ao do 11 corpo de volutarios
da palria Miguel Joaqolm do Reg Barros, de 36*
mensaes; ao do 3* corpo de voluntarios da patria
Antonio Marlioe Barbosa, de 36*000 mensaes; ao
I sargento do 7 corpo de eavallaria da guarda
nacional Florianb Fernandes da Silva, de 600 rs.
diarlos; ao cabo-de esquadra do 10 batalho de
infamara Joo Ribeiro de Andrade, de 300 rs.
diarios ; ao 3 cadete do 20 corpo de voluntarlos
da patria Aristides Jos de Sooza e Oliveira,. ds
400' rs. diarios; de 5 do mesmo mez a D. Eufra-
zia Gomes da Gama e Mello, vinva do capito do
4> baialbo de infantera Hortencio Mara da Gama
Souza e Mello, de 30*000 mensaes; a L>. Rosa Bal-
bina de Araujo e D. Mara da Gloria de Araujo
Costa, irms do 1 tenente da. armada Joo Bernar-
dno Moreira de-AraojOT de 8*00U meosaes ie-
parlidamente i.rol* tenente da armada Loiz Bar-
balbo Monlfiara, de 60*000 mensaes; e final-
mente pelo decreto de 9 do dito mez ao cabo de
esquadra do 1J batalho de infantera Antonio de
Lima Brandio, de 500 rs. diarios.
Art. 2 Estas-penses sero pagas desde a da-
ta dos respectivos decreto.
t Art. 3 Ficam- revogadas as disposices em
contrario:
c Sala dascomransoes.em 17 de junto de 1867.
Joao Francisco Teneira.*)io Carlos de Arau-
jo Moreira.
A asserabla geral reserve :
Art. 1' Fica approrada a pensio de 400 rs.
diarios, concedida por decreto de 3 de tbtil de
1867 ao soldado do 7 corpo de volntanos da pa
tria Custodio Antonio Barbosa.
do respectivo decreto.
Art: 3 Ficam revogadas as- disposigoes em
couirario.
Sala das commtesoes, em 17 de jnlho de 1867.
Joo Francisco Teixtira.Joio Carlos de Arau^
jo Moreira.
MATRICCUAi DE ESTANTB.
L-se,.julga-se objeeto de deliberagao,e vai a ic-
primir para entrar na ordera dos trabalhos, o se--
gninte projecto :
< A asserabla geral! resoive:
< Artigo anico. Flca o governo aulc-mado para
mandar matricular no I*anno medicada faculda-
de de msuicic-a da corte ao estudante Francisco
Caetano do Santos, visto- aio o Ser podido fazer
em lempo por Ihe faltar a idade legal- j e Igual-
mente ao estudute Joao Pedro de Almeida Lima,
depois do prestar o csarae de geometra qae Ihe
falte; revogadas para esse Ura as disposigoes em
contrario.
> Pago da cmara dos depntados, era'-i* de ju-
nho de 186?.liidoro iaese Pereira.ttaaeei Be-
nicio Fonteneiie.
Acbando-se na sala immediata os Srs. Jes Bo-
nifacio deAndrada e Sii^a Amaro Carne* Be-
zerra Cavalcanti, depntados eteitos, esie pe I pro"
vineia do Rio-Grande do Norte, e aquelle peta 1-
districto da provincia de S.- Paulo, sao iatrodurados
com as formalidades do es'.ylo, prestara juraoMsso,
e tonam assento.
MUaUOHA PARTE DA ORDEM DOsDJAu
KNSES DWBBSOS.
r.'lram era dlscusso successivament e sao ap-
provadas sera debate as redaeges dos- projeatos
J/que conceden pensos a U. UraDla Adelatde- Adol*da Afonde da
Bembausa de Lima,
D. Mrxia Antonia Alves de Garaargo, D. Mara Ger-
trudes-da Silva Pereira, D..Eulalia Candida da Sit-
veira Nienreyer, D. Mariacaa de Frenas, ). Anua
Carne;ro. Machado da Costa e a seus filho-menores*
bem como a D. Mathilde CiaeHao Machado da Cosa,
a D. Sabina Joanna do Espirite Santo, a vinva e -
Ihas do conselheiro de oslado Miguel de Soasa.
Mlico ALvim, a Julio Who menor do major JoJI
de Meuezes, ao capito Joao Vicente d Brito 6al>
vo, aos lenles Francisco Antonio de Seuza, Mb-
noel de Carvalho Paes de Andrade Goavira,.aos ca-
detes Braulluo Jos de Faria, Jeronymo Marques-
de Paiva e a Mauoel Amaro da Silva, e aos- alteres.
Horacio Pires Galvio e Joao Caroeiro Amerlco de
Freites, ao sargento Durval da Costa Pinto, aoans-
pegada Jos de Campos Arruda e aos soldados- La-
zara da Silva, Manoel Cyriaco, Joao Eyaogeltsla dd
Jess, Olyropio Moreira de Carvalho, Pedro A-OUv
nlo, Antonio Vicente Barrete, Joaquim da S.va Al-
ves e Jos Tpomaz dos Santos.
Approvam-se os provectos ns. 41, Vi, 44; w, Ui,
47 48, V e 50 de 67 conuedeodo varias pen-
soes.
Entra em discussio a proposta, sobro as torgas
de mar.
O Sa. Das da Cr.ui principia dizendo que, des-
de,; que os eslylos parlamentares teem consagrado
que as discussoes. da fixagio de torgas de mar e
ierra se possa diaer alguma oousa a respeito da
poltica geral, a' vista das ciicomstancias difflceis
da sHuago, nao serio as considerages de saa ini-
cias qne pouu ier oso f../ I H. Mi*. fiBrue Rabello. "^ao qua sejam aceuus u '"""" "=>"
do piz to temerariamente,tufarla o qn N?om, Minas' J.r, ""^r, Jos Miri, DjM pa,'.da corle, os exames d ?lex e francei (eiloi
a missSoSiralva. s i|u w r ... ^ .,

(nao apoiados), que o fario prescindir do enmpri-
rnoiito de um dever que a representado nacional
Ibe incumbe. E adiando provavel que nao s a
sua incompetencia na materia mas a falta de habi-
to da tribuna fagam nma qu outra vez sabir do in-
timo de seu eoragao exprsssoes inconvenientes, des-
de ja' pede ao Sr. presidente que Ibe faga todas as
necessarias advertencias, qua sero aceitas como
um favor, e um sigoa-l de respeito que o orador
consagra as vestes s* cerdotaos.
Antes de ocenpar-se do ministerio da marinha,
lera de comegar pela analyse da organisagao do ac-
tual ministerio, a&ra de examinar-se esse ministe-
rio pode merecer o, apoio do parlamento. Para es-
ladar essa organisagao ssr-lbe-hia necessano re-
montar-se a ajguns tactos anteriores; no enluto,
nao fatigara' a cmara (azendo o bistorieo dos par-
tidos do seo. paiz, porque dous nobres deputa-
dos pela Parabyba e. polo Rio de Janeiro, ja' o fl-
zeram.
Nao acompaniw o orador ao nobre depulado pelo
Rio de Janeiro em teda a tonca narrativa que fez da
anutos .fiu vanos, desue 1842, e maii-se a de-
monstrar a injusliga com qae se referi a cerros
tactos, alias coatestados. O uobre deputado pelo
Rio de Janeiro, fallando a respeito do partido, libe-
ral, depois de Ihe ter assigoalado desvos, e (*en-
do-o appellar para o juizo de Deas, spresentera
esse partido corno vencido. S. Exc. nao ira el
em seu histrico, e o orador pergonta-lbe desde
quando se ple consignar como um tacto que o
partido liberal pedir perdi do que tinha prati-
cado, rejeitara principios e doturinis qoe tinha ae-
ceitado ? (Muito apoiados), E quando, ainda ao
lado do proprio presidente do coosetho, que se an-
nuncia liberal e sustentando o sen gabinete, se ob-
serva a untos conservadores de oulr'ora, lgico
eonelur qae os vencidos e convencidos nao foram
os liberaes-. (Muito bem. Mullos apoiados).
E a propria lei de 3 de dezembro, serapre com-
batida pelos liberaes, repelida pelo paiz, e hoje pe-
los proprios conservadores, ainda um argumento
sem replica de qae, dos doas partidos, nao fot o li-
beral o vencido e convencido.
Danois de ter assslgnalado os memoraveis trinm-
phos de perseveranga com qne o nobre conselheiro
Bernardo de Sonza Franco, na mais brlibante po-
sigo sustentara os principios liberaes, no isoia,
menta do sen posto de honra, nota o orador qae-
passadosos teaipos.e chamado ao n)in,!,aterlo dajusii
cao nobre deputado pelo Rio de Janeiro, S. Exc- raes-
mo.pedindo a retrtna da lei de 3 de dezembro, mos-
trava-se vencido e convencido da justiga do partido
liberal. (Apoiados.)
Mas a injusliga com que S. Exc. proceder para
com esse partido, estenden-se tambem i pessoa do
iiiustre marquez de Paran' para qaem, no enten-
te, ja' comegou a posteridade.
A lei dos ciroolos era nma idea do partido libe-
ral, a a cantara aceitando-a nao era levada por
coasideragSes pessoaes, que por ventura esse fina-
do Ilustre estadista puzesse em jogo.
O orador, fazendo a appcagio histrica do fado
maravlihoso de Horacio Cocles, censura enrgica-
mente a. injusliga oom qae o nobre depata.de. pelo
'
moria, -assegorando que tomara a pasta como to-
mara urna espingarda. (Miito bem. Muitos Apoia-
dos.)
Extingoindo-se bem deprissa a esperanga de rpe-
nio era possiVel a esse mmisterlo debeiiar a guer-
ra, record:, o orador qne a maioria da cmara fra'
se fraccionando, lornando-se quai em minoria.
Qoe, cabindo finalmente o ministerio de 2 de
malo, elle proprio viera declarar a cmara que
daoca pudera cbegar a ura accordo entre si, e qae
nos proprios conselhos secretos do gabinete as opi-
nies de seos membros se eontradicte-vam. Esse
ministerio, pols, nio era liberal nem conservador,
mas sim nm ministerio de transigi. A materia
qae o snstentava, tendo por div)sa debeiiar a guer-
ra, nao se podra discriminar politicamente, oo es-
lava ligada por principios polticos, e effeetivamen>
te o p-=iz presencien liberaes genninos ao lado de'
exiremds" conservadores.
O ministerio actual foi tirado da materia d* en-
h&o ve se essa- maioria nio. daba lago- poltico- q'tte-
a ligasse, se s' susfsntava o ministerio de eat
para que elle dcrbellasse a guerra,concine o orador
que lgico dar ea mesmo pensamento como
predominando na orgaaisagio do actual mtnlsteri?-
(Muitos apoiados).
Corroborando anda'mais este juizo, aprsente o
orador eorao circumstancia de grande pesa a opi-
niio erarttida pelo nobre ministro da marinft, que.
positivamente declarara que a solidariedade minis-
terial, na organisagao des gabinetes, nao era objec-
to do interesse real para o paiz.
Contestado em apartes- pele nobre ministr da
marinha, o orador l ais annaes a parte da sessao
de 2o de maio de 1866, onde se- achara as palavras
do nobre ministro.
O Sn. C. Ot-toni : ministros de enlio di-
ziam na tribuna qoe era historia de solidariedade.
O Sn. Das da Cruz diz que oiwlra con toda a
atteDgo, a que tem sempre direlto, o nobre depa-
ta Jo por Pernambuco qae tem sido-considerado na
cmara como ebefe da materia.
Qae S. Exc sera dnvida alguma,. ora dos orna-
mento da cmara e do partido goveralsta, itera
urna losga historia em sea discurso, qaerendo de-
monstrar a incoherencia d diversos partidos, e
ebegara a' conclusao de que nao ha principios po-
lticos nesses partidos-
O Sr. Souza Ca?,"ai.ho : o parfeilamente
exacto.
' O Sr. Dias da Ctwz : AppToxima-se ?
O Sr. Sokza Carvalho : Btn parte.
O Sr. Das da Cave aproveita- a deelarago do
nobre depuiado para dtzer-lhe que, ae per ella fica
provado que a maioria nao tem principio.polticos,
o-raesmo do acontece em relago a minora,
9-Sr. Souza Cakv.*k: QSaloproflramma
da minora ?
O Sit Das da Cruz lembra ao- nobre depulado
por Pernambuco e a' cmara, que- elle orador ja'
apresentara um progratoma, e qu-o sustentara.
Om. Souza Carvalho: E"pregramea* sen,
ou do seu partido?
OSr. Das da Cruz pandera qoo-quande princi-
piara a fallar pedir indigencia ats nobres-depu-
lados, chegando at a faaer sentir a na incompe-
tencia e falta de habito na trrbnnav
O Sa C Ottoni :__Se nio quep ser interrom-
pido, nio bula cora o chefda materia. (Risadas).
0 S Duas da Cruz diaqoeo nobre- deputado por
Pernambuco chegou a caaclnlr tambera que- ne-
nhuro tviraem qua nao tenha as boas gragas- dos
ebefes dos partidos pode ser eleito depatado.por que
os mirtsiro* se inspira as informacoes desses
ebefes; de sorte que, o nobre depetado coofessou *
aioda raai--, tocando neste ponto, qne a intervengao
dos governos ura fact-a od -negocies eloitoraes.
Cr o orador que, a' vta das consideragSe ad-
d.izida;--, acamara compnebende, e parece-lhe que
tem razi, quando diz ojee oa organisagao do actual
ministerio, nao predomicoo principios nem doctri-
nas politlo-as.
Que o proprio digno presideste de coneelho,
aprese&tando o seu progfamma, deolarara- qae s
tratava de debeiiar a guerra e reorganisar as Unan-
gas, o que depois de f6teo, pratiearra entao seu
progrmala de 1864.
Nao podia ainda ler presidido a' organisagao do
actual ministerio pepsaeaenbas, principios e donlri-
as polticas, qne devera, ser suetenlados por um
ministerio solidario, sendo ch<*med.para o minis-
terio sotaal o Sr. ministro da raariDba> que tao
pooca importancia ligan a' idea de solidariedade.
E um ministerio as m organisao, sera ama idea .
poltica, sera nexo algum....
0 S^AiisTinEs Loso-: NSoapoiado. V. Etc.-.
acabos de dizer que o ministerio tem Ideas polfcv
cas do programma de 1864. ( Apelad os),
O Sh. Di.v.- da Cia-.rdu que a.nobre presidente-
do conselho declarara qqe a saa missio era debei-
iar a guerra e reorganisar as Guangas, e que de-.
pois.se houvesse lempo para mais, so de f.actc os-
st m debeilada a guerra ereorganisadas as fiabas,
tratara de realisar o programma do 1864.
losistiodo por algnns momentosn*sta ap'.eciagov
c orador passa depois- a. apreciar algnns dos actos
do ministerio notando que o- aoveroo. ordeaara a,
competencia, nem da obscurldade da sea nome, eertos presidentes de provincia eteitos depotedos, a.


:

s
--%
^
D
continuar as provincias,, o que sem davida ai-
gama importa mmiTesta iafrac^ao do preceUe cbns-s
titucional.
Qae o presidente do eonseiho, recoobocead a
illegalidade desia deliberago, pedir a' cmara om
bil de indemnidade; mas- nota o orador qna s
nos casos extraordinarios dado ao governo. re-
correr a. este expediente; e que, alea de l'jjpoli-
lica, a cooservagio das presidentes as. provincias
era desnecessarfa.
Como prava da neobUFua necessidade de .-se acto,
o orador cita a falta de cumprimento dessa ordem
por parta do prosidnapj de Pernambuco, retirndo-
se da provincia que administrava, quaudo o gover-
no acaba da iha ordenar qae ah se fioo&ervasse.
S. Exc. derxara a presidencia viodo, tonar assento
oa eadeira qae os eleitores do Minas lb reserva*.
rara nesta casa.
(U,i varios apartes e conte'tagoes).
0 que consta que o ministerio deu orden, a
esse conselheiro para Bear presidmdo a provincia
da Peraim'aaco, e S. ExjvaSln Poa.
No enlamo o orador acredita que, se a iwieef-
vaglo. dess digno presidente fosse de ordem, Que
inlerssasse a salvagao. publica, nico, casa qua
justificara o acto do ministerio, S. Exc. la' sa con-
servarte a despeito de. tudo. E se o goverao quizer
sustentar o seu acto como nma necessidade urgen-
te, claro e mtuiUr,o que langa nma eouuemnagao
sobre esse dgao, presidente, que abasdoQou a seu,
posto, quando mais all era preciso.
(Troeanvse. apartes).
O orador nota que a hora sa adianta e sent a
tteeessidado de concluir, voltando, opportunam#8H
a esses assamptos de qne tem tratado. s
A cmara onvira com pasmo, que o nobre. depu-
tado pela provincia de Minas, anuuncianda o facto
da existencia do escorbuto aa armada. S. Exc. o
Sr. ministro da marinha, oovindo que se iratava
de urna questao da rnalor importancia, nao se dig-
nara' de responder inmediatamente^ buscando
traoquillisar o espirite pnblieo.
O Sr. Aristim J*oao: Nao Haba os docu-
mentos na algibelra.
O Sr. Das da Chuz observa que o negocio
mnito importante : qne a commisso de inqueriio
do estado sanitario dos Estados-Unidos nomeara. os
mdicos mais notaveis para se oecuparem especial-
mente da escorbuto, declarando que esta molestia
no exercito, na armada, de sarama gravidade,
podendo vir a tornar-se epidmica.
Nota o orador que V falta de providencias e de
previso das nossas antoridades se deve a existen-
era desse mal pernicioso na esquadra em opera-
goss. E depois que S. Exc. o Sr. ministro da ma-
rinha tratar deste assurapto, o orador ver-se-ha
obrigado a replicar, apresentando em contraposi-
Sio os coabeolmentos que teca da scieneia qne pro-
essa.
(Contim)ar-sg-ha.


v*
TYP m DIARIO.-RUA DAS CRUZES N. 44



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E6NS02GVU_9TQW0N INGEST_TIME 2013-09-05T04:17:23Z PACKAGE AA00011611_11308
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES