Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11212


This item is only available as the following downloads:


Full Text
mgg/m
.
wmmt
tmm
- ijn ii ^m

>

.
!'
i
i
.
I

#i


I
t ,
ANISO XL1. NUMERO 55.
'ARA A CAPITAL E LUGARES OXDE SE NAO PACA POBTE,
Perores aew adiaatadei.,.............. 6)50)0
Par seis ditos idea.. .; .. ....... 120000
Por na aaai> idea.. ., _,. .. .. ..*. 240000
CaJa numere arulso .J ............. ........ 320
DIARIO DE
OUINTA FEIRA 7 DE MARCO DE 1867.
PARA DENTRO B PORA DA l'ROVI\CI V.
Por tresmezes diablados.. ............ ., ,
Por seis ditos idea................................
Por nove ditos dem................................
Por u ame idea...................
#70
iSdMO
200250
270000
! '
S2I^J33 m S>3ianmi3'513) H IfiBMlPflfDailtD D3 MIKI miKElVDlV D2 v\ma\ &
|ENCAliEGAUOS DA SUBSCKlPgAO.
Fafabyba, Sr. Auiuuio Alexaudrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ;Aracaty,
oSr. A. de Lentos Braga; Cear, o Sr. Joaquim
Jos de )livelr Para, os Srs. Gerardo Antonio
Alves & FilhOWr Amazonas, o Sr. Jeronymo 4a
Costa; Alagoas.o Sr. Praocino Tavarcs da Costa;
3abia, o Sr. Jos Martius Al ves; Rio de Janeiro,
o Sr. Jos aibelro Gasparinho.
PAHTIOA* Di s KSTAFBTAS.
Oiinda, Cabo, Escada e estafes da va frrea at
Agua Preta, todos os das.
Igoarass e Goyanna aas' segandas e sextas fairas.
Santo Antp, Gravis, Bezerros, Bonito, Caraar,
Allinho, Garanhons, Buiqoe, S. Bento, Bom Con-
selho, Aguas Bellas e Taearal, as tercas-eiras.
Pao d'Alho, Nizaretb, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
iDgazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa-Vis-
ta, Ouricur y, Salgoeiro e Ex, as quarta feiras
Serinhem, Rio Forraoso, Tamandar, Una, Bar-
reiros. Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commereio : segundas e quintas.
Relago : aereas e sbados s 10 horas.
Faxenda : quiaias s 10 horas.
Jnfzo do commere/o : segundas as 11 horas.
Dito de orphos : tercas e sextas s 10 bocas.
Primeira vara do
dia.
Segunda vara diiarvei
i
IHIIDS, 81218 JPMIPaMJMIDa,
el: lercas e sextas ao mea
1 hora da tare
qcartas e sabbades a
JW
EPHEMEUI1JES-D0 MEZ DE MARCO.
6 La nova as fi:, e 46 m. da m.
13 Quarto esc.m| b., e 55 rn. da m.
20 Loa cheia as Me 3 m. da ra. *
'28 Qoarto ming. a\5 h. e"54 'm. da m.
, I DAS DA SEMANA.
IdtSegunda. S. Casimiro rei ; S. Lucio p
5. Terga. Ss, Focas .^palatino mm.
6. Quarta de Cima. S. Victoriano m.
7. Quinta. S. Thbnjaz de Aqnino dout. anglico
8. SBxta. S. Quhlill b.; S. Pondo diac.
9. Sabbado. S, Francisca Romana vlova.
JO. Domingo: 5. Millto m.; S. Drothoveo ab.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 4 horas e 30 m. da tarde.
Segunda as 4 horas e 54 mi natos da manbia.
PARTIDA DOS VAPORES COsTEIROS.
Para o sal at Alagoas a 14 e 30; para o norta
at a Granja a 7 e 22 e cada raez; para Fernan-
do nos dias 14 4os motes Janeiro, marco, malo]
'alho. setembro e noverabro.
fFSfl
'
'/
Espediente do dia 2 de jaotiro de 1867.
1.* Secgo.
N. 1.Offlcio ao commandante das armas.Sir-
va-se V. Exc. de mandar por em liberdade os
guardas nncionaes designados para o servigo da
.gnerra Antonio G. og ilves da Silva e Joao Bernardo
do Espirito Sanl, bem como os seis reerutas men-
cionados na relago Junta que forano considerados
como aqaelles guardas Incapazes, ero iospecgo de
saude, segando V. Exc. declaroo em seu offlcio n.
1459 le 31 de dezembro ultimo.
Itelago dos reerutas a que altarte o offlejo cima :
Isi loro Dias dos Santos.
Manoel T-ixeira da Silva.
SeraGm Gomes da Silva.
Joo leixeira de Lima.
Feliciano Francisco Maior.
Antooio Pereira Alexandre.
N. 2.Dito ao mesmo.Hija V. Exc. de man-
dar por em liberdade os reerutas Manoel Rodrigues
Pinto e Jesuino Freir Beserril que provarara isen-
ooes legaes.
N. 2.-I)i!o ao mesmo.-Sirva-se V. Exc. de in-
-formar sobre o que pede o guarda nacional Silves-
tre Nominando de Oliveira Antuoes no incluso re
quenmento, fazendo inspeccionar o paisano Jos
Gomes da Silva, que elle offerece para subslitui-lo
o servigo da guerra.
N. 3.D lo ao mesmo Ao offluo de V. Exc. de
24 de dezembro ultimo, sobn. 1431, respondo dizen-
do que o guarda nacional do 7. batalho Q.iirino
Bernardo de Sana, a quera mandei por em libar-
dade por offlcio de 20 do mez passado. ( mesmo
qae se acha no deposito com o-noxe de Quinao
eroardioo de Sena.
N. 4.Dito ao mesmo.Qaeira V. Exc. infor-
mar sobre e que pedero Anna Mara da Conceigo
; Mara de Nazarelh nos requerimenlos que aqui
ajuuto com offleios do Dr. chefe de poliria, de
os. 1970 e 1990 de 28 e 31 de dezembro prximo
Corlo.
N. 5.Dito ao mesmoQaeira V. Exc. maular
apresentar-me o stfldado invalido do batalho n. 51
de voluntarios da patria Mgu-l Lopes Panasco a
que anude o seu offlcio n. 3 desta data.
N. 6Dito ao mesmo.Sirva se V. Exc. de
mandar por em liberdade o recrata Joao Francisco
da Silva, visto ser trabalhador da e'slradS de ferro
e estar compreheodido na condigao 10.* ao decreto
n. 1030 de 7 de agosto de 1852.
N. 7.Dito ao mesmo. -Queira V. Exc. infor-
mar sobre o que pede no incluso reqaerimeoto o
soldado do 2." batalho de infautaria Manoel Joa-
rjuim Cavaleanti.
N. 7.Dito ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de
mandar inspeccionar pela jama de saude o recrota
Manoel (ornes de Sou'za, fjlho de Jos GCmS aT*"0
Sonza.
N. 8.Dito ao mesmo.Fago apresentar a V.
Exc. para o servigo da guerra o* guardas naci
Exi\, em resposta ao seu offlcio desta data seb n.
i, que a thesourarla de fazenda tem orem para
pagar o pret, das pragas do deposito de reerutas
relativo ao mez de dezembro prximo fiado, con-
forme V. Etc. solicitou DO citado offlcio.
N. 25.Dito ao coronel Francisco Joaqaim Pe-
reira Lobo__Da ordem do Exm. Sr. conselheiro
presidente da proviacia remetto-lhe a inclusa co-
pia da portara iocumbind V. S. do alistameoto
de voluntarios da patria afim de orgaoisar-se um
corpo do qual V. S. commandante interino.
N. 26.Dito ao inspector do arsenal de roarlnha.
O Exm. Sr. conselheiro presidente da proviuca
mauda communicar a V. S. que em aviso de 19 de
dezembro ultimo declaroa o E*ui Sr. ministro da
marinha nao julgar conveniente a proposta apre-
sentada por Joo Estevo de Araujo A C. para
abastecerem es.-e arsenal de madeira de cons-
traego.
N. 27.-Dito a Joao Eluardo de Araojo & C
De orde.n de S. Exc. o Sr. conselheiro presidente
da provincia communico a VV. SS. que o Exm. Sr.
roioistro da marinha declarou em aviso de 19 de
dezembro do aauo prximo fiado nao jnlgar con-
veniente a proposta por VV. SS. apresentada para
abastecerem de madeiras de eoQstiucgao o arsenal
de marinha desla provincia.
2.' secgo.
N.28. OUcioao chefe de polica.Para for-
mago da estalistica criminal haja V S. de remet-
ler a esta presidencia, como preccita o decreto
n. 3572 de 30 de dezembro de 1865, *rt. 11 1.,
o mapoa dos julgamentos de sua coropeteocia-
N. 29.Dito ao mesmo.Ao juiz manicipal da
I." vara recoramendo nesta data, qae faga seguir
para o presidio de Fernn o, na 1." opporlunida-
de, os 18 sentenciados, de que trata u offlcio.de
V. S. n. 1986 de 29 do mez que acabou.
N. 30 Dito ao juiz de direito de Flores.Al-
ten lendo ao qae poaderou a cmara municipal da
villa de Floreo, em offlcio de LJ de dezembro pr-
ximo fiado, acerca do estado de ruina, em que se
acha a respectiva cadeia, recommeado a Vmc, que
leudo em vista o offlcio di director das obras pu-
blicas de 31 d'aquelle me/, sob o. 511, contrate,
cora pessna Idnea, os reparos, de que precisa a
referida cadeia, ficando o mesmo coolralo depen-
dente de approvago desta presidencia.
N. 31.Dito ao Juiz municipal da 1." vara.
Participndome o Dr. cuele de polica ter posto a
diiposic.io d-sse juizo, acompanhados das respecti-
vas guias, 18 sentenciados, que vieram da'corle,
com destino ao presidio de Fernando, recommea-
do a Vine, que os faga para all seguir na 1." op-
porlunidade.
N. 32.Dito circular ao juiz de paz do 3.' dis-
tricto da Bo -Vista, ao do 4." dus Afogados, ao do
1." e 2 da Varzea, ao do 1." e 2 de Sanio Amaro
de Jaboato, e ao do 1." e 2.0 de Muribeca.N*>
lendo esse juizo reraetiido, at luje, os mtppas,
que 11)8 curapre ministrar para a formago ta es-
lalistica judiaana, como dispoe o decreto u. 3572,
de dezembro de 1863, haja de remeta I
u.
2008
data, e de cooformidade com a proposta
de 31 de dezembro prximo flodo.
N. 46.Dito, ao mesmo. D ordem de S. Bxt.
o Sr. conselheiro presidente da provincia, remetto
a V, S. o titulo do 1 supplente do subdelegado da
fregaezia de S. CaMano1 da Raposa, nomeado por
portarla desta data, e de cooformidade com a pro-
posta n. 1993 de 31 do mez lindo.
. 47.Dito ao mesmo.De ordem de St Exc.
o Sr. consellieiro presidente da proviacia, remetto
a V. S. o mulo de 1 soppleate do subdelegado da
frezuezia de Papacaga, nomeado por portarla desta
data, e de cooformidade com a proposta n. 2006
de 31 do mez fiodo.
N. 48 Dito ao mesmo.Da ordem de S. Eso<
o Sr. conselheiro presidente da provincia, remetto"
a V. S. o titulo do subdelegado do 2o districto da
freguezia de Quipap, nomeado por portan desti
data, e de cooformidade com a proposta n. 20D7 de
31 do mez findo.
N. 49.Dilo ao mesmo.Da ordem de s. Exc-
o Sr. conselheiro presidente da provlneia, remello
a V. S. os ttulos para subdelegado e 2, 3", 4o e 5
suppleotas da freguezia de Gravat, nomeados por
portara desia data, e de cooformidade com a pro-
posta n. 1992de31 do mez Iludo
N 50.Dito ao mesmo.D.Wdera de S. Ene. o
Sr. conselheiro presidente do proviacia, remello a
V. S. o titulo do i sapiente do subdelegado do
districto de S. Bento, naneado por portarla desla
data, e de conlormidade com a proposta n. 2003 de
31 do mez finoo..
N. 51. Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. cmse-
Iheiro presidenta, da provincia, manda declarar a
V.S, em resposta ao seu offlio Sr& de dezera-
b o ultimo sob n. 1983, quetraosmittio a thesoara-
tprovincial para o fim indicado no citado- offi-
a como a que elle se refere na Importancia de
84*800.
N. 52.Dito ao commandante superior do Reci-
te.S. Exc. o Sr. cooseiheiro presdeme da provin-
cia, manda communicar a V. S. que expedio-se or-
dem para serem pagos os veaeimentos constantes
do pret e folha do 4o batalha de infamara aquarte-
lado, a que allude o sea offlcio n. 1 desta dala.
3*. secgo.
N. 53.Offlcio ao inspector da ihesouraria de fa-
zenda.Avista do prel e folba que aqu ajunto,
mande V. .*, pagar os vencimentos dos uffhiaes do
V batalho de infamara da guarda nacionalaquar-
telado, relativas ao mez de de'embro prximo.(in-
do, e das pragas de prel d mesmo batalho con-
sernenuis a 2* quiuzena daquella mez.
. 54Dito ao mesmo.Mande V. S. pagar, em
vista do iucluso pref por duplican, e nao havendo
incoo veniente, os venoimenlos relativos a 2* quio-
zeoa do mez de dezembro prximo findo, das pra-
gas do deposito de recrQlas, conforme spliciiouo
general cumraanaante das armas em offlcio desta
data, sobn. 1.
m N. 55. Dito ao mesmo.-Communico a V. S. pa-
ra seu conheciiflwU. qua_oeia data ufficiei ao tia-
CaTOmoSo
didas para todo o-jmperio. e que convm qiuoto
antes seja elle admmido como tem recommendado
o..governo imperial.
N. 63. Dito a mesra
que me dirigi a camar,
res em 11 de dezembro
zer qae em vista do qae
panigo das obras pub
le mez, auturi-iei o jui
Respondendo ao ofDcio
nicipal da villa de Fio-
ximo fiado, leaho a di-
aforra 'U o chefe da re-
s ni dala de 31 daquel-
de direito da comarca da
paros deque necesstta a-'catia Jes*i villaaflcanlo
me!horar a condigao do soldado, e langar os fun-
damentos "d'um efflciome exercito de reserva. Isto
presuppoa augmento nos orgamentos que nao sao
tao moderados,,como o discurso quer inculcar.
A terceira parte da allocugo versa sobre mate-
rias de polica mema, sendo a primeira a queslo
de reforma. K'
assim : .
PERNAMBUCO
REVISTA DiAifl
Al bontem larde era conhecido o resultado
Cbamar-se-ha de novo vossa attenco para o
Flores a contratar oompessea iJonej i ,dos o re- estado d -..... v
o referido contrato flepindeinte da approvago dessa UoJadas pelo OBnirito de modrago'e motaa indu-
presidencia glcia, cooduzirfo a se adootarem medidas nn.
x. 04. Uito ao presidente da cmara municipal
de Floresta.-Constiodo de offlcio que em 18 de
e tenh

goacia, conduzrtn a se adoptrem medidas que,
sem pertdrbarem iodevidanrtmte o equilibrio da
-------autoridad poltica, estendam ilberalmeate a frau-
dezembro prximo indo o- vareadores de-sa ea- .quia eleitoriil^.i
raara J^ao Gomestle Renezes e Jos Alexandre Go- Conclue o dlscjjrso recommendando a cuidadosa
mes de S, diri((ir%ai ao Dr. secrenrio desra pre- considerago das cmaras essas e ootras medidas
si iencia nao tam Vc. querido reunir ess cmara que Ibes serao apfesentadas, rogando a Providen-
nara dar cumpnmjmo a alguos offloios destarre- cia 1ae abeng-j os trabalhos doscorpos legislativos
sideocia, recomrBo-l o mui terminantemente, j para a maior prteperidade do paiz e f-liiTidada do
qa% quanlo antes' convo|u os vareadores pira povo.
aquella fim; curaptindo que me declare com ur-1 Acabada a ceredtooia da abertura, as cmaras
gencia o motivo dat sen proceJimeuto. se reuoiram a tarde para discutir em suas respoc-
N. 65.Dito ao pro presdeme da cmara muui- Uvas salas a resposta a talla do throno. Na cama-
cipal da FlorestaConstando detifflclo que em 18 ra alta o conde Russell criticn os pontos princi-
de dezembro prximo flodo, os vereadores Joo Go- paes do discurso. Referindoso ao de refirma
raes de Menezes e Jos Alexandre Gomes de Si, embora manifestasse coofianga de que a medida,'
curioso este paragrapho; diz elle A me Don'em "r1ae e,ra. connec
H K dos seguimos collegios eleitoraes:
1* districto.
Collegio do Recife.
representago do povo no parlamenta ;
a coofianga de que vossas dellheracoa.
aln AiinUliA A, -. .a_____- .* .*
213
211
211
2
2
l
ctrarrt Francisco da
lares Braadao, para
Teodo nesia data mandado por em liberdada o re-
naes do batalho 25 do municlpioda Escada Ma- jeruta Joo Francisco da Silva p r ser trabalhador
sem pprda de tempo. indepeudeote da apreseotago de titulo, assomir o
N. 33.Dito ao delegado do termo do Cabo.cargo de juiz de orphos do termo do Recite, para
noel Victorino e Jos Rufino d Parias.
N. 9. -Doao mesmo.Queira V. Exc. infor-
mar sobre o que. pede o segundo sargento Manoel
Ignacio de lasas, no incluso requermenlo.
N. 10.Dito ao itkMmo.A vista da sua infor-
mago n. 1453 de 29 de dezembro prximo flodo,
auloriso V. Exc. a mandar por ern liberdade o re-
crota Vitalioo Lopes de Moraes, que tem isengao
legal.
N. II.Dito ao mesmo.Fago apresentar a V.
Exc. para terera o conveniente destino depois de
inspeccionados, 03 reerutas Vicente Ferreira e Flo-
riano de Tal, apurados na freguezia de Jaboato.
N. 12.Dito ao mesmo.Queira V. Bic. man-
da estrada de ferro, e estar compreheodido na
condigao 10.* do decreto n. 1030 de 7 de agosto de
1862, assim oeommuoico a Vmc. para seu conhe-
ci.rento.
N. 34.Dito ao bactiarel Francisco de Carvallo
Soares Brando.Constaodo-roe, qua por decreto
da 12 de daz-mbro findo houve S. M. o lraperador
, por bem noaear a Vmc. para o lugar de juiz de
orphos do termo desla capital, assim in'o com
I momeo para seu coohecimenlo, e afim de que
-comparega a prestar o juramento do estyto para
entrar em exercicio indepndete de apreseutago
, de seu titulo, que deve'exbibi-lo no praso de 3
mezes contados desta data.
dar por era liberdade o recrota Manoel Joaquim de | N. 3o.D1io ao bacharel Ernesto de Aquino
Araujo que provon isengo legal. i Fonseca. Offlciando nesta data ao bacharel Fran-
N. 13.Dito ae mesmo.A V. Exc. serao apre- cisco de Carvalho Soares Brandan, afim de assu-
mir independente da apresentago do titulo, o car-
sentados, para terem o conveniente destino depois
da inspeccionados, os recralas Mamen- Soares, An-
tonio Dias dos Santos e Jos Francisco do O', apu-
rado o prime.ro no termo de Oiinda e aos de mais
no de Iguarass.
N. 14.Dito ao mesmo.Tendo por portarla
desta data incumbido ao coronel da guarda nacio-
nal Francisco J< luntarias da patria para a orcanisago de u.a cor-
po destinado ao servigo da guerra, sendo comman-
dado interinamente por elle ; assim o communico
a V. Exc. para seu conhecimento e afim de que se
sirva de expedir ordem no sentido de ser o mesmo
corpo aflojado no quartel do Hasplclo.
N. 15.Dito ao mesmo.Dando execagao ao
d-posto no aviso da repartigo da guerra de 18 de -
go de juiz de orphos do lerm desta capital, para
o qual foi nomeado por decreto de 12, segundo
constou-me da parlicipago da ja liga de 21, ludo
do mez de dezembro prximo fiado, assim o com
munico a V. S. para seu conhecimento.
N. 26.Parlara. O presidente da provincia,
cooformando-se com a proposta do Dr. chefe de
pmicia n. 1992, da 31 do mez fiado, resolve nomear
para subdelegado da freguezia de Gravat, e-para
2, 3o, 4o e 5 supplentes do me3mo os cidados se-
grales :
Subdelegado.
Josino Bezerra de Vasconce.los.
Supplentes
2o Jos Paulino Pereira da Costa.
dezembro prximo flodo, remetto incluso por copia |,3 Joaquim Luir de Araujo.
o requerimento do capilo do 8 batalho de m- i" Manoel Baptista das Naves.
fantaria Joaqaim Jos Pereira da Silva, afim de! 5o Alexandre Francisco dos Santos.
que V. Exc. se sirva de manar passar certidoes| N. 37 Dita.O presidente da provincia,confor-
do que constar nesse quartel general acerca da | mandse com a proposta do Dr. chefe de polica
praga do supplicante, ficando V. Exc. certo de que 2005, de 21 do mez findo, resolve conceder a
nesta data fago igual exigencia ao inspector da the-1 Francisco Alves Macil a exonerago, que pedio do
souraria de fazeoaa.
N. 16.Dilo ao capito do porto.Mande Vmc.
por em liberdade o recrula Ciciliano Luiz de Ma-
deira, visto ter provado ser o nico arrimo de sua
mi viuva e de avangada dade.
N. 17.Dito ao mesmo.Mande Vmc. por era
liberdade o recruta de marinha Joao da Pat do O'
Uibeirn, que se acha a bordo do brigae barca Un-
marac com o nome de Joo do O' Ribeiro, o qaal
cargo de supplente do subdelegado do districto
da S. B-nio, e para o substituir ooraela o cidado
Joo Pereira de Gouveia Torres Galludo.
N- 33.Dita.O presidente da provincia, con-
formando-se com a proposta do Dr. chefe de polica
n. 1993, de 31 do mez fiodo, resolve exonerar a Jo-
s Clemente dos Santos do cargo de 1 supplente
do subdelegado da freguezia de S. Caetano da Ra-
posa, no termo de Caroar, por assim convir ao
servigo publico, e para o substituir nomeia o clda-
ja provou isengo legal e em visia della foi dispea
sado do servigo da guerra como guarda naeional, j da0 Luciano Jos Nogueira Mello,
em 20 do crreme. N. 39.Dita.O presidente da provincia, con-
N. i*.Dito ao major ajadante de ordens.De, formando-se com a proposta do Dr. chefe de polica
posse do sea offlcio de 31 de dezembro ultimo e, n. 2008, de 31 da deembro prximo fiado, resolve
scieote do qaanlo Vmc. commonicame acerca dasjdemlttir a Joaj Gualberto de Lyra do cargo de 2*
oceurrencias que se deram ahi approvo a delibera-'. supplente dT subdelegado do districto de Palmeira,
gao que tomoa de seguir para Bom Jardim de em-! 3o da freguezia de Garanhuos, e-para o substituir,
pregarse na captura dos gaardas oacipnaes desig- noraea o cidado Raymundo Ferreira de Moraes.
drigiram ao Dr. secretario- de-ta presidmcla nao
tem o presidente desla cmara reunido-a para dar
cumpfimento a abnos offlcios dirigidos por esta
presidencia, curapre quj, no caso de negliganciar
anda o predito presdeme reunir a cmara, como
nesta data Ihe recoramendo o faca Vrac. como seu
qae tencionavam propr sena franca e clara, pas
sou $m revista cora certa aspereza a conducta do
partido tory desde 1859, e mormeote no anao pr-
ximo passado, relativamente a queslo de re-
forma.
Queixou-SB lord Derby do tom de seu anlagonis-
Vigarlo capitular.
Dr. JooTexeira.....
Conselheiro Saldanha Mfrinho.
Viscoode de Camaragibe. .
Dr. Sonza Reis.....
Dr. Sabino Olegario. .
Houve urna doplicaia, feita na sacrista da ma-
triz sob a presidencia do Sr. Dr. Jeronymo Vilella
composta dos eleitores das frenuezlas de Santo An-
tonio, Pogo, Varzea, S. Lourengo o Muribeca e ai-
guns deoutrasem namerc-de 139. A aparaclo
dos 78 eleitores liquida, :
Dr. Urbano Sabino. .
Visconde de Camaragibe. .
Dr. Souza Res ....
Dr. Godoy......
Dr. Sabino Olegario. .
Collegio de Pao d'Alho.
Visconde de Camaragibe. .
Dr. Urbauo Sabino .
Dr. Souza Res ....
Dr. Joo Teixeira. .
Tambera bouve urna duplicata neste
76
72
69
3
4
82
82
81
6
collegio.
Iraraedialo em votos o m'o communique inmediata-1 ta, e declarara que nao podena haver esperanga de
mente. arranjar essa queslo a nao se fazerem concessoes
Expediente do secretario de gorerno do dia 2 de Ja-
neiro de 1867.
N. 66.Offlcio ao eugaoiairo tiscal 11 estrada de
ferro.S. Exc. o Sr. toosett presidente da pro-
vincia manda declarnr a V.S expedida a conveniente ordena para ser posto era
te ambos os lados, u fado que achando-se ago-
ra 00 poder, 0 chefe fory prega a doutrina que ple-
namente condamnva quando estava na opposigo.
Moralidade dos partidos I I
Ha cmara balxa Mr. Gladstooe pedio informa-
gao explcita sobre as intengSes do governo no to-
liberdade o irahilhador.-da estrtda de ferro Joo ;Q a r^Iorrna. esperando que fizesse aquella co-
Francisco da Silva deqiie't^au o seu offlcio de 2"e??:??.*r,a.so?su? PfPria raspoosabilida-
hoje.
N. 67.Dito aos varea lores da cam.ua munici-
pal de Floresta Joo 'Jomes da.jeaezes a J s Ale-
xaodre Gomes de Sa.Em vidi do que me cora-
municaram Vv. Ss. em ollioio ie 18 -la dezembro
prximo fiodo, S. Exc. o Sr. conselheiro presdeme
da provincia, maoda declarar-Ibes, que nesta dala
determina ao presidente da cmara dessa vIHa que
a rena para tomar coutie.cimeuto dos fficios de-
que tratam Vv. Ss. e lflcio ao m^mo tempo ao
substituto daquelle presidente para que no caso de
negligencia da pane Ueste reunir a referida cmara
para o Um cima deciarado.
EXTERIOR.
de que tenciooava tratar dessa qoestao de ora rao
do ingenuo
nados e de aceordo com n delegado de polica res-
peciivo na prlsao dos criminosos.
. 19.Dito ao recrutador da capital.Mande
Vme. por em liberdade o recrota Leobino Joaquim
de Lima.
jf# 20.Dilo ao de Jaboalo. -Teno nesta data
resolvldo por em liberdade o recrota Manoel Ne-
mesio Justo dos Saotos; assim o communico a
Vmc/para sen conhecimento.
N. 21.Dito ao da Victoria.Mando Vmc. por
em liberdade Jos Anastaclo Pereira da Costa, vis-
to que tendo sido recrotado em dezembro ultimo,
foi em data de 7 daqaelle mez, posto em liberdade
por ter sido julgado iocapaz em inspecgSo de saode
e bem assim o recrota Manoel Jos do Nascinlento
que provon ser casado e viver com a mnlber.
N. 22.-0 presidente d provincia, resolve in-
cnrabir o coronel francisco Joaquim Pereira Lobo
do alistameoto de voluntarios da patria com as
vantagens concedidas pelo decreto 0. 3371 de 7 de
Janeiro do anoo passado, afim de organnar se um
corpo, para cojo commando Sea interinamente no-
meado, e bem assim designar o quartel do Hospi-
cio para nelle serem aqaarteliados os referidos vo-
luntarios
1.a secgo.
Expediente de secretario do jeverne de dia i de
jzieire de 1867.
"N. 23.Offlcio ao general commandante das ar-
mas.-Declaro a V Exc. de ordem do Exm. Sr. ..
eoaselheiro presidente da provincia, e em resposta! ria desta data, e de coDformia
ao sea offlcio de boje, sob n. 2, qae a thesourar-a o. 1998 de 3l*do mez flodo.
N. 40. Dita.O pre.sidenie da proviocia, con-
formaodo-se com a proposia do Dr. chefe de poli-
ca n. 2007, de 31 de dezembro prximo findo, e
a bem do servigo publico, resolve exonerar a Joo
Maooel de Sonza do cargo de subdelegado do
2* districto da freguezja de Qaipap, e para o subs-
tituir oeraea o cidado Izidora Ferreira Botelho.
N 41.Dita.O presidente da provincia, con-
formando-se com a proposta do Dr. ebefe de poli-
cia n. 2008 de 31 de dezembro findo, resolve co-
mear a Adno Tenorio de Aibuquerque para o car-
go 1 supplente do subdelegado da fregoezia de
Papacaga.
N. 42.Dita.O presidente da provincia, con-
formando-so com a proposta do Dr. chefe de poli
eia o. 1998, de 31 do mez findo, e a bem do servi-
go publico, resolve exonerar a Manoel Peitosa da
Silva do cargo de 1* suppleJte do delegado do ter-
mo de Papacaga, e para o sub-tiiuir nomeia a Pe-
dro Theotonio da Silva Cavaleanti.
N. 43.Dita.O presidente da provincia, atten-
dendo ao que requeren o 2 sargento da 1* compa-
nbla do corpo provisorio da polica, Hermogenes
Rodrigues Pereira, resolve conceder-lbe um mez
de liceoga com sold para tratar de sua saude.
Expediente de weretario de governo.
N. 44.Offlcio ao chefe de polica.Do ordem
de S Exc. o Sr. conselheiro presidente da provin-
cia, remetto a V. o titulo do 1 supplente do de-
legado do termo de Papacaaa, nomeado por porta-
- a proposta
de fazenda tem ordem para pagar a importancia
da folha e pret que alinde o citado offlcio.
N. 14.Dilo ao mesmoO Exm. 8r. conselhei-
ro presidnte da provi tela manda declarar a V.
N 45.Dita ao mesmo.Da ordem de S. Exc.
o Sr. conselheiro presidente da provincia, remello
a V s o litlo do 2 supplente do subdelegado do
districto da PalcHra, nomeado por portara dem
o qual foi numeado por decreto de 12 segundo
coastou-me de partieipagoei da repartigo dajus-
tiga de 2L ludo de dezembro rindo, cando obriga-
do a exM)ir o referido titulo no pr so da 3 mezes'
contado desta data.
N. 56.Dito ao mesmo.Em vista da folha e
pret junios em duplicata que me remetleu o com-
uaaada^ta das armas com offlcio n. 2, datado de
hoje, e nao havendo incovenieota. mande V. S. pa-
gar os vencimeotos do lente commandante do de-
posito dos presioneiros de guerra paraguayos rela-
tivos ao mez de. dezembro ultimo, e os dos mesmos
presionaros correspondente a segunda quiozeaa,
daquelle mez.
N. 57.Dito ao inspector da thesonraria provin-
cial.Aonuindo ao que solicitou o chefe da polica
em oicio de 29 da dezembro ultimo, sob n. 1983,
recoramendo a V. S., que em vista da inclusa con-
ta a ~oo havendo inconveniente, mande pagar ao
subdelegado do districto o Parea ou ao seu procu-
rador, aquamia de 64*8u reis despendida duran
le o i semestre do anuo prximo passado, cora o
alugual da ca*a que serve de quartel ao destaca-
mento daquelle districto o com o foroecimento de
luz e atua para o raasmo quartel.
N. 58.Dito as chefe da repartieo das obras pu-
blicas.Mande V. S. examinar e orgar os estragos
falto no predio em qua funecionoao gymaisio pro-
viocial, como pede o respectivo proprietano Vicen-
te Farreara da Costa, 00 incluso requerimento do-
cumentado, que rae sera' devolvido,
N. 59.Dito ao mesmo.Remetto incluso por
copia o aviso do ministerio da guerra de 7 de de-
zembro do anno prximo fiado, para que V. S. de
cooformidade com as respectivas desposigoes, me
aprsente com possivel brevidade, os orcameuto8
detalhados das obras e reparos da que mais necessi-
tarem os estabelecimeotos militares desta provincia,
copia.N. 116.Directora central.2* secgo
Rio de Janeiro, ministerio dos negocios da guerra
7 de dezembro de 1866.Illra. e Exm. Sr. De-
prebeodeado-se do reiatorio do estado dos estabele-
cimenios militares dessa provincia, relativamente
ao anno pj-oxirau passado, qae acompaobou o seu
offlcio o. 77 de S -de fesereiro do correte anno,
que aquelles estabelecimentos precisa), uns de
mais oa menos reparos e outros, de obras mais
consideraveis para os tornar utis aos fios a que
sao destinados eno sendo possivet attender ao
mesmo tempo a to variadas despezas, e somante a
aquellas das .obras mais necessarias nos mesmos
estabelecimentos, eompre que V. Exc. envi a esta
secretarla de estado, orgaraeotos detalhados detaes
obras afim "de que o governo Imperial com mais
exacto conhecimento, possa resolver a semelhaote
respeito.
Deus guarde a V. ExcJoo Lnsiosa da Caoba
Paraoagu.Sr. presidente da provincia de Per
nambuco. Cumpra-se. Palacio do governo de
Pernambuco, 2 de Janeiro de 1867.Silveira Lobo.
N. 60.Portara. O presidente da provincia,
tendo em vista o que requeren o baro do Livra-
ment, resolve de cooformidade com o decreto 0.
3631 de 27 de margo do anno prximo fiado, con-
ceder Ihe permisso para embarcar no hiato Inglez
Suipe, com destino ao porto da Par ah ba, materiaes
perteoceotes as obras daquella provincia, das qaaes
o supplicante Imprelteiro, servindo esta liceoga -aaaysava
para tO viagens qae tem de lazar o referido hiate.
Esta sera' apresentada ao inspector da alfandega
e a quem mais compatir, para que tenha a divida
execagao.
4a secgo.
N. 61.Offlcio ao Exm. presidente da proviocia
de Santa Catharioa.Com o offlcio de V. Exc. de
de dezembro prximo fiado, recebi daas collec-
edes das leis da assembla dessa provincia promul-
gadas no anno prximo passado.
N. 62Dito a cmara manicipal de Plores.
Em resposta ao offlcio de 12 de detembro prximo
findo, em qae a cmara municipal da villa de Fio*
res me commumea haver em sessio extraordina-
ria de 22 de ontnbro ultimo, transferido a feira
dessa villa do da de sabbado para segunda-feira.de
cada semama, bem como ter rebaixado a medida
de legames do maoicipio de 10 tijellas para 8, te-
nno a diter-tbe, qae nio podeodo essa mndaoga
ser
da pela assembia provincial ou provisor!
por esta presidencia, em v>sta de raoiivos plausi-
veis e ja'tiflcados por interesses superiores, dave
essa cmara raanter aquella feira at que seja
transferida pelo modo cima indicado. Qoanto ao
rebaixameuto das medidas, deve essa cmara ter
em vista as disp3l'~.i da lei n. 1157 de26 de ju-
nto Ofl 1863, qo Mabelece COJ s padrio de re-
DO MAHIO DE F*! IUMHTCO.
Londres, 8 defevereiro de 1867.
As noticias trazidas do Brasil pelo Oneida, se
nao sao animadoras, ambara nao desalentara, pois
com a ehegad da mala e conhecimento dos prepa
rativos para continuar a guerra sob a hbil direa-
go do novo commandante em chefe, d quem tan-
to se espera, saairara os fundos brasleiros (1865 )
a 1/2 por cento e hoja 1/4 mais. sen lo as presen-
tes cotagOes: de 5 por canto (1865) 73 1/2, 1/i,
3/4 ; e os da 4 1/2 por canto (l5, 185* 3 1860)
6i 3/4. Os consolidados ioglezes 3 por cento -
cam a 90 3/4, 7/8. O banco de Inglaterra reduzio
bontem sau descont a 3 por cento era conse
ca da graode abundaocia de numerarla
mente no mercado.
Asacgtes das tres linhas frreas ficam Racife
e S. Francisco a 9 Q 10; Baha e S. Francisco
a f 12; (f 13; S. Pauto a S 13 @ 14.
reoo.'i'i
Mr. Disraely, n'uma arenga mais renbida que
de costme, respondeu que manifestara na prxi-
ma segunda feira as leogSes do governot Quaes
estas sajam breve se descobrira'; porm pode as-
segurar-se de ante-mo que um projecto dessa na-
lureza, emanado de um partido que tem provado
bem sua opposigo a reforma, corre muito perigo
de sahir mo-lo do cerebro conservativo, pela sim-
ples razo de que a ninguem satisfar'.
Para fazer-se urna idea exaota do que pode es-
perar-so nessa materia*do governo tory, tragarei
brevemente a historia da carreira do "chefe desse
partido na cmara baixa, segundo se dedoz da col- f"
leago de seus decursos parlamentares que acaba
de sabir a luz. *
Era 1848 Mr. Disraely, sendo do id#as mui libe-
raos como se infere de suas obras Iliterarias, crys-
latisouse em completo estadista td>y. j\a nova car-
reira aspirou com ancla a sepultar em esqueci-
mento a lembraoga de sna mocidade, d'aquelles
fogosos dias em que se mostrara deffeosor acrri-
mo de Ilimitada democracia, descrevendo se adep-
to apaixonado da revolugo.
*
O primeiro acto de seo novo erado foi um dis-
curso contra a proposta de Mr. Hume que advoga-
va o suffragio dos docos do casa, o voto por escru-
tinio secreto e a duraco raais curta dos parlamen-
tos. Pretenda Disraely que o suffragio uo era
um direilo nem um encargo, mas sim um privile-
gio. E-ta sua douj/ina favorita; e como os que
outborgro es que delle fazr-ra monopolio, sguftse que um tal
principio directamente opposto em theoria a ero
prstlca a fuodago da verdadeira liberdade dos que
contribuem para as despezas do estado.
No mesmo disca.-so fez oro quadro da capacida
O mercado do algodo esteve nos ltimos dias;
sem graode animago. F.ca o do Pernambuco a | fa }!3S^^J^!SSS!^tJ?V^SL
16 l/ d. por libra; o de Maranho a 18 da dito
e o da Macei e Baha a 1314 de dito.
A crescente prosperidade de que o Brasil est
gozando prumatte ainda augmentar muit mais, se
judiclosamente souberem fomeotar-se as emprezas
de estraogeiros que s pe Jera que se Ihes permuta
reclamar a' cultura os immensos terrenos to fer-
iis que ainda hoje ahi se eneootram n'um estado
virgem.
Parece qua urna partida de americanos do sul
dos Estados-Uoidos, dirigidos por um M. Aubertm'
I a aboligo da escravatnra, o passar o prmeiro
projecto de leforma, e a abrogago das leis dos ce-
reaes.
Declaran que cada urna destas medidas impos-
tas ao palz foram desastrosas ao bem estar de seos
habitantes. Estas assergdes, que os tactos mais
que tudo desmentero, foram sustentada pelo actual
roioistro da fazenda com Incrivd cyrjismo em face
do parlamento em 20 de jaoha d ISi.
Em 9 de julho de 1850, este Migo corypben da
revologo combaten a nogo lelia na assembia
composta dos eleitores da duplicata da Luz e d
alguos da Gloria do Goita', cujo resaltado nao
conhecido.
O resumo da votagao, comprehendendo a dopli-
cata da sacrista da matriz de Santo Antonio :
Dr. Urbano Sabino. ... 138
Visconde de Camaragibe. 154
Dr. Souza Reis.....147*
2* districto.
Collegio de Oiinda.
Dr. Joaquim F. de Mello C. 59
Dr. Araujo Barros .... 44
Dr. Souza Carvalho. ... 44
Dr. Silvioo Cavaleanti ... 15
Dr. Joaqaim T. de M. Barreto. 15
Collegio de Iguarass.
Dr. Mello Cavaleanti. ... 74
Dr. Araujo Barros 74
Dr. Souza Carvalho. i 74
Collegio de Goyanna.
Compareceram 77 eleitores deNossa Seohora do
O', Itamb e Tejacupapo, sendo votados :
Dr. Araojo Barros .... 77
Dr. Souza Carvalho. ... 75
Dr. Mello Cavaleanti. ... 75
Dr. Lu? GoDgalves da Silva. 4
Eleigo do Amparo (Goyanna).

Dr- Soaza Carvalho.
Dr. Araojo Barros. ....
Dr. Mello Cavaleanti. .* .
Eleigo da matriz (Goyanna).
Dr, Joaquim Ta vires. .
Dr. omiogos Vaz Curado. .
Dr. Sil vi no Cavaleanti. .
Contemplando a eleigo do Amparo
do :
Dr. Mello Cavaleanti. .
Dr. Araujo Barros .
Dr. Souza Carvalho. .
Contemplando a da matriz :
Dr. Mello Cavaleanti. .
Dr. Araujo Barros .
Dr. Souza Ca'valho. .
4o districto.
Collegio do Bonito.
Dr. Buarqae de Macedo. .
Floriaoo Correia da Brito .
Dr. Nabor C. Bezerra C. .
Dr. Joo Alfredo. .
Amanba devero principiar os serm5es qua-
resmaes era Gameleira- E' um povoado pequeo
e de pouco commereio, mas que os seos habitan-
tes nao se recuzam a prestarse conforme as soas
posses, para a ceiebrago dos actos religiosos, pelo
que se tornam dignos de todo o elogio. Os ser-
radas serao failos pelo padre Jos Esleves Vianoa.
O Sr. Dr. director geralda instrncgo publica,
00 loieresse do exacto cumprimento da lei, acaba
de dirigir aos delegados Iliterarios da provincia, as
duas circulares, que aqui Inserimos; as quaes ira-
duzmdo urna boa voniade em materia to eminen-
te, e um louvavel zelo no publico servigo commet-
ti'do a' soa solicitude, sao por Isso dlgoas de serem
abragadas em sua materia com goal cuidado por
42
59
38
36
34
32
o resnlia-
246
244
235
208
193
193
135
112
23
i
^TdTKT^^^ ^f-o^alp^ .quenas, a quero .mmediatToente mcumbe aVes-
I dia que se concedesse aos que pagam 10 libras
' mnUeVaUVe'^veu-ta': sterlioas prwilegio' como chama D'srae|y- de vo'
la- tar nos condados. Este encontrn ahi nova occa-
sio de louvar sna theoria predilecta, com cujo ob-
jeto deoomlnou o projecto dos iiberaes um projec-
to de ieqradacao nacional,
cia da S. Paulo, para jalgar da suacapacidade pro
ductora, e da
Achaam qae toda aquella .provincia, arroteada por
roaos habis, poderia fcilmente loroar-se um ver-
dadeiro jardim de caf, algodo, assucar e ce
reaes; e especialmente quanto ao algodo decla-
rara ser extraordinaria a capaeldade do terreno, e
que a cultura desse artigo, que com rapidez se val 1 Em favereiro de 1832 oppi-se a proposta que
esteodeodo, lera' por necessidade de ser perma-' fez lord Russell de introdozir outro projecto de re-
neote. i forma, cujas clausulas tinham por objecto redazl-
Esta idea acaba de ser expendida aqui n'um im- rem a 20 o numero das libras de eontribuigo nos
presso que Ihe remetto. Apreciara' por si mesmo. candados, de cinco as povoagSes para o direito
a importancia do assumpto. \ de votar.
O Shanon, que leva a presente mala, o maior. Quaodo pela primeira vez fei nomeado para a
vaso a vapor que tem visitado os partos desse im- pasta da fazenda em 1852, Disraely mostrease
contrario aos projectos de Mr. Hume e Mr. Locke
Kiog em favor do suffragio. Condemnou outra pro-
posta de lord Russell sobre o mesmo assumpto em
1854 : e em 1858, quando era pela segunda vez
chance er do tbesouro, comoateu um novo bil de
Locke Klog para augmentar os votantes as villas
e aldeias. Todos conbeeem o motivo que o fez su-
bir ao poder e a parte que leve em baldar o mo-
derado proiecto de reforma de Mr. Gladstone no*
decurso da nltima sesso.
Tal a historia dos sarvigos prestados a cansa
da reforma por um estadista qae sea i apalxoaados
perio ; foi agora de proposito transferido da liohi
das ladias Occidentaes, a que perlencia, para a do
Brasil, afim da tomar mais commoda a viagem a'
Europa do maior numero de pessoas que desejera
visitar a prxima exposigo de Pars. Sera' isto
grande vantagajD, pois esse navio pode bem ac-
commodar 400 passageiros.
Dizem que o ministro do Brasil junto a esta or-
te, o baro do Penedo, deve voltar a' Europa 00
mez prximo, e qae sera' encarregado de exami-
nar e estudar a exposigo em Pars, para della re
olher as observagoes qua po.-sam interessar ao
imperio. Se Isto se verificar, procede sem dovida
da completa satisfago que prodazio o graode re- c'cagffleram como grande reformista do actoa go-
latorio, oa aotes a collecgo de relatnos, qae elle verD0. Disraely dlsse nma e mil vezes a lodos os
fez compilar aqui sobre a exposigo logleza de, qQe qazerem ouvi-lo, que a salvago do oait de-
1862. I pende nicamente daquelles que elle chama os ca-
Esta trabalho, precedido de orna brilhaote iotro- ( yjibeiros da Inglaterra, isto os qae posaem ter-
duegao ao propno panho de S. Exc, descre 'ia e rM# Todos os demais da classe media e para bai-
ero soas diUereflles secgdes o mu ola- j so 8j0 enj soa opmo elementos de disturbio, e
val e apreciado compartimento hrasilairo. A ex-: a0 aeve Conflar-se Ibes o privilegio de nomear
perlencia ento adquirida faz esperar novo traba- seus representantes, seno quando o partido agora
bo de nao menos mrito e ntiudade, qur para si, j floaBjoaate julgar dever conceder-lha como remu-
qur para o palz qae dignamente representa. neraQo de sea bom comportamento sem perigar
Km 5 do correte a raioha abri em pessoa a ; a ntlaeocia tory. Esses sao os principios encor
segunda sessao do aetoal parlamento. Era cha- porados 00 mallogrado projecto de reforma qae em
voso o tempo, mas nem por isso deixou agente ^59 0 actual ministro da fazenda apreseutou ao
de amontoar-se as roas por onde o real cortejo pariamento; e assim toroaram sem dnvda a ser
devia passar. os que contlver o novo projecto que se indica sem
O iscorso da corda documento mais longo | qU8 oteiramente seja esperado.
para os limites de urna correspondencia. Refere
so o primeiro paragrapho a' ultima guerra bavlda
na Europa, da qaal espera qae sortira' paz dura-
doura. Era seguida faz meoco das difflcQldades
existentes entre a Inglaterra e os Estados-Unidos,
das quaes espeta' todava solugao amigavel. Falla
de baverem se baldado as nagociagas para por fim
Assignalo estes factos s para mostrar quo
grande engao haveria m esperar cou'a algama
digoa de acceitar-se d'umagoverno exclusivo o do-
minante, onde Disraely 4 considerado o primeiro,
seno o nico reformista.
Nada se pode esperar de qae s nada emdispos
irm.
to a dar a nao ser em proveito
Qaem
a' gnerra entre a Hespanua e as repblicas ral- i raaUo abarca pouco aoer^a p p
americanas; da .osurreicao da Creta ; da questao ( 0 pJr(jdo l0 quer7ndo lad, para vr.se.na
erTactuadase nao por meio de postura approv. dos principados danubianos;; da confederagao das, obrj(jado a dar conUa gQa vonU(fe mai*t0 maig do
ala assembia Drovincial ou orovisori.meote colonias britannicas no. le-alaricanas; qM ihe lo faeil coneeder da bom grado. O pro-
na India; do decrescimento dos tenanos do cho ^i(008 de|Ja,flS r ae ^aar|as re^on.
lera e epidemia do gado; e da haver providau- veDgi5,s, qae o huooor actaal das f^JioprO"
ciado-acarca da formago da orna coramissao para mel^ ^ procararei ler seud i|o cor,
investigar os rae.os de provr de agua pura e. sa- reole da$Vperip,cias que a sesso ?< S^aber-
lubre Londres e oulras grandes cidades do reino. >#a 003 Dr0aee
Segu anis 'o pedido convencional dos recursos
qecoHarios para soparlr as despezas do estado.
(Continuarse ha.)
pectiva satisfago.
A lei provideoe em objecto lo poderoso para
a sociedade ; e corando ella com o seu dispesto,
como v se, de firmar ura melhor futuro par a
rnosma sociedade, por meio da diffuso da instrac-
gao entre lodos os sens membros porviodouros,
consume um dever a' todos os membres presentes
de cooperaren), afim de que seja conseguido esse
desidertum, cujo alcance social e moral in-
menso.
Com a instruego que assim se geoeralisa, der-
riba-s a ignorancia, formam-se cidados snscepti-
veis de conhecerem seus deveres e direitos, e por
cooseguinte tem-se o melhoramento efiVctivo das
relaeoes sociaes, de qae resalta a felicidade do po-
vo e o engranaecimento da oago.
< Directora geral da iostraego publica da pro-
vincia de Peroambaco, 2 de margo de 1867.Illro.
Sr. Determinando o art. 64 da iei qie dea nova
orgaotsago a' Instruego publica da provincia, qae
os pas, tutores, curadores ou protactores, que tive-
rem em sua compaobla meninos maiores de 7 an-
uos, sem impedimento pbysico oa moral, e Ihes
nao derem ensino pelo menos do primeiro grao, in-
correro na multa de 20* a 10050.0, conforme as
snas circunstancias; recoramendo a V. S. que
trate da haver das autoridades locaes as listas das
familias, contendo os nomss e Idades dos meninos
pertencentes a cada urna, segundo praecreve o art.
65 da citada lei, afim de que possa velar eficaz-
mente na execucao dessas disposlg5es. Das listas
oblidad, correspondentes ao sea districto Iliterario ,
me enviara' V. S. copia autbentiea.
Tudo me communtcara' V. S., qua possa en-
tender mais on menos com a effectiva observamu
das minbas recomntendagSes.
Deas guarde a V. S.-O director, Joo Pran-
klin da Silveira Tavura.Hlm. Sr. delegado lute-
rano de.......
c Directora geral da instruego poblica da pro-
viacia de Peroambnco,4 de margo de 1867.Illm.
Sr. Ha todo o intere-se para, a publica instrue-
go, bem como para o fiel cumprimento da le, qua
existam orgamsados os conselhos de dlstrictos Ili-
terarios, e fonecionem com a de vida regularidade.
sempre qae assim o exigir o bem da instroccao da
districto, e em geral. .
V. S. portanto informe a esta directora se os
daos pas de familias, nomeados para membros do
conselho do sea districto existem-anda, e dao fiet
copla dos sens deveres, afim de qpe no caso de va-
Sas sejam eaias preeochldas. e no oatro substitu-
os elles por qaem melhor core dos proreltos do
ensino publico.
1 Desde Ja' recommendo a V. S. qae pelo sea
zelo, pelas suas.. diligencias, pelos seas asios esfor-
c/.s veja se oonsegue dar vida a esse censalbe,
convocande-o quaedo o julgar conveniente e faieo-.
ii) iolir do animo desses pais de familias qua
ha dffl elevado alcance moral e social era que coa*
parem para o raelhoraroenio e desenvolvimento da*.
elucagao dessa mocidade, de qaem a patria tem
ludo 3 esperar. Pelo rnerws ama vez ca^ 1 rn|

yv*"
atoa
'i 11 fui fu inajjBfc


'""' umm

~
\m I
^i\srr-
triarlo de Peraraaa0 ... enlata felra de Mareo de 1867.
> *
I
i

tagajo reunir 8 fuoceionar, 0 de todo me tornee
minuciosas loformagdes.
Acredito que V. S. sera' solicito era bem cu m-
prir esta manas recoramendacoes, rjue Ihe fago
com a inelhor siacendade e intsresse. -
t Deus guarde a V. &.O rector, Joao Frao-
"klinda SiwetrTaVora (l(m. Sr. delegado lilla.
rario de......
Era aossa 8 .
lente composicao poelte, dna^ajir aoSr. mou-
seobor Pinto de Campos. O seu autor, bem que
incgnito, se revela ura talento potica de subido
nerecimeoto.
Durante o roet passado .viemao gpgso raer
O escrivo AlbaoueraiiB registrou o.ultimo pro- V. S. tem sido bem aquilatada por
i\n de letra to crrente mea ob o o. 1,375; as petacas que tanto na cidade d*
testo
e Altes
1,341.
de Brito a M .de feverwrp b .o*. Jo Rechfe (em assistido as predicas t!
[sempre feitas de Improvisos e
TOtdAartitTs. i Quanto a capacidad pan p go; ^
Appellente o teneole-coronel Jos* de Mores Go- \ mostra os conventos de S Franciscom*
0s Petrelra, appellado Domingos Fraocicode i.Keotfe, ode V. S. deixou indeleveis iapreasdfoa a
Sonta Leao.- Adiado as sessdet de 21 e 28 do duradouro monumento da toa aptidao qoer mate
pagina publicamos uum aaeal-4 taja jiassade, Bqaeftemm" oe mbaaifle ecm W,.qanr moral, para dirigir qaalqaar esiabelecl
voto do Eam. Sr. presideote, sendo votas eacidos m|p.
o Srs. desambarnadoresdjiva Guimaries a Accio-
li; a eotrands se no .mrito da queslao jalfou-se
procedente a acoio.
Embargante Luli AptoHk) de Soma Ribeiro, em-
bargado Manoal Joaqun) Rodrigues de Soma.
cado por trra e mar, 2%0# saco** de afeodao a Adgg0 ^f^^ ^ e ^"gj, \|W9._p.,
79,914 saceos de acucar.
Os preces do astoear regulara : o M*,?^i
3*400 a" 5400 rs. por arroto, o somnoos de 3***>
a* 3*200, o mascavado puraado de 2*100 a 2#0tt
e o bruto de 8*050 2#4O0 rs.
O ao algodo de Pernambuco de i* torte, foi de
14*000 a' 15*500 por arroba.
Depois de araaoba as 11 horas.se extrabira'
a* 3*' parte da lotera beneflelo das familias dos
voluntarlos da patria (9*), sendo o maior premio
6:001*000.
Repartiqo da polica. Extracte da parle
4o dia 6 de marco.
No dia 8 do correte forana recoibidos a casa de
deteocao os seguales individuos : .
A ordem do subdelegado do Recite, Apollaario
rav juigadoe nao provajos os..
Appellante Luit Jos Piuto daXosV, ppeado*
es administradores da massa fallida de Amoriro,
Fragoso, Santos A C.Desarezaram-se os em-
bargos.
Appellante Joao Casimiro da Silva Hachado, ap-
pellado Inooceoclo Salostiano da. Silva.
Appellante Thomax Jefferles, como administra-
dor d massa fallida de Ronrn Rorker & C, ap-
pellado Thoraat Oulton, comp liquidalario da dita
massa fallida.
Appellaole Francisco Xislo dos Aojos, appellltfc
Lolz Francisco Pereira Braga e ontros.Adiados
a pedido dos Srs. deputados.
PASSAGKM.
Do Sr. desembargador Accioli ae Sr. deserabar-
Francisco Gomes, Rodolpho Alves da Silva. Joo gador Res e Silva.
Francisco dos Aojos e Laurmdo Francisco Gomes, Appeliante Joao Pinto de Lemos Jnior, tftpel-
para correceo, eFelix, escravo da Simio de Leao lado Manoel Alves Ferreira!
Ploega, a requeriu,eulo deste. A ordem do de nisTRiBUigSss.
Santo Antonio, Mar Dama.-ia da Cooceico, por ao Sr. desembargador Silva Guimaraes *ela
embriaguez. A ordem do da Caponga, Vicente, suspeigao jurada pelo Sr. desembargador Res e
escravo de Manoel Francisco Paredes G ebefe da
S* seccao J.G. it Uttqua.
Casa db dbtkncjao.Movimento do dia 5 de
marco de 1867.
Exisliam 332, entraram y. sabiram 6, existen)
335. A saber: nacionaes 23i, mulheres 12, es-
traogeiros 3i, mulner i, ascravos 53, escravas 4,
total 335.
Alimentados a' cusa dos cofres provraciaes
216.
Movimento da enfermara do dia 6 de margo de
1867.
Teve baixa, Lucio Gomes Barbosa.
GHA0MC4 JliDIChlUA.
RIBUMAL D4 KEL.4C0.
SESSAO DE 5'0K MAhCO
DE 1867.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSBLHEIRO S0UZA.
As 10 oras da roanba, presentes os senbo-
res desembargadores Santiago, Gitiraoa, Almeida
Aibuquerque, Motta, Assis e Domingues da Silva,
faltando os Srs. desembargadores Guerra procura-
dor da curda, Loureoco Santiago e UchOa Caval-
canti, abri-se a sessao.
Passados osteitos, deram-se os seguintes jalga-
meotos :
Carla tstemuobavel. Afgravante, Chnspim
Doarte da Costa : aggravado, o joito.Relator 6-
Sr. desembargador Domingues da Silva.Sorteados
os Srs. desembargadores Santiago e Molla.Deram
provimento.
Appellaeao crime Appeliante, o juizo; appel-
lado, Manoel Francisco de Carvalho. Improce-
dente.
Habeas corpas. Concedeu-se soltura pedida por
Umbelino Francisco Nogoeira de Canralbo.
Diligeocia crime.Cora vista ae Sr. desembarga-
dor. promotor da joslica :
Aopellaote, Luit Ferreira de SaofABna; appel-
lada, a jusilla.
Appellante, Francisco Jos da Costa Barros ; ap-
pellado, Jos Secundioo Pereira Pacheco.
Assignoa-se dia para julgameoio dos seguintes
feitet :
As appellaci's crime?.Appeliante, o joito; ap-
pellado, Jos Moreno do Nasoimento.
Appellante, o juito ; appellado, Casemiro Rodri-
gues dos Sanios.
Appellaole, o juizo ; appellado, Francisco Alves
de Sooza.
PASSAGBNS.
Do Sr. desembargador Gitiraoa ao Sr.desembar
gador Guerra :A appellaeao civel.Appellante,
Jos Barroso de Araojo; appellado, Frao isco Ro-
gerio Correa.
Ao Sr. desembargador Loureoco Saotiago.A
app<-llacSo crime.Valanle, Amaro Francisco
da Cosa ; appellado, o Jnizo.
Do Sr. desembarga4or Almeida Aibuquerque ao
Sr.desembargador Motta.Asappellacos crime?.
Appellante, Jos Negro Villela; appellado, o
juizo.
Appellante, o juizo ; appellado, Jo.quim Pereira
de Mello.
Appellaote, o juizo; appellado, Francisco Xavier
de Sonta.
Appellante, o juizo ; appellado, Joo Ferreira de
Oliveira.
Appellaole, Manoel Cimello do N'ascimento; ap-
pellada, a jostica.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembarga-
dor Atsis :As appellacSes crimes.Appellante, o
juizo; appellado, Miguel Barbosa de Lira.
A appellaeao civel.Appellante, Silva & Pereira
appellada, a fateoda.
Do Sr. desembargador Assis ao Sr. desembarga-
dor Domingues da Silva.A appellaeao crime.
Appellaole, Tertuliano Nasario da Rocha ; appel-
lada, a justica.
Do Sr. desembargada Domingues da Silva ao
Sr. desembargador Ucha Cavalcaoli.As appeila
(des civeis.Appellante, Antonio de Siquetra Ca-
valcann ; appellado, Jos Flix Pereira' de Burgos.
Appellante, Franc seo Jos de Campos Pamplo-
na ; appellada. Henrlquea Elisa Banks.
Ao meio di eocerrou-se a sessao.
fMIBU.WL DO COHMERCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 4 DE
MARCO DE 1867.
BBSJDEKCIA DO EtM. SR DES.E1IBABGAD0R
ANSELMO FRANCISCO PERETH.
As dez boras do da, reunidos os Srs. deputados
Ros, Basio, Miranda Leal e F. Oliveira, presente
o Sr. desembargador fiscal, S. Exc. o Sr. presiden-
te auno a sessao.
Lida, foi approvada a acta da sessao aotece
denle, com a alteraco que Claudio Jj.- de San-
to Anna e nao Claudino Jos de Santa Aooa,Vi-
cente Ferreira da Costa & gribo e ole Viceote
Ferreira da Cunba & Filho. ,
EXPEDIENTE.
Offlcio, com data de boje, do presdeate e secre
torio da junta dos eorru|on-s, cobriodo o boletim
dos procos curretes da pr* prxima fiudaArchlve-se.
Aos Srs. depotado* furam distribuidos os aeguio-
tes livros .'Diario da casa commercial de Domin-
gos Teixeira Bastos.Entradas e sabidas do trapi-
cheBaro do Livrameoto Loyo.
DESPACHOS.
Requer.'menio de Joo Frederico George Kladt,
por seu bastante procurador Tbeodoro KdlesseD,
pedindo o registro de urna sqa pracurago basiau-
te que jonla.Registre se.
Dito de Bernardo Jos d Silva Guimaraes, para
tambera ser registrada a procuraco bastante, que
junta Registre se.
Coa ioformacio do Sr. desembargador fiscal :
De Antonio Joaquina Ferreira Porto e Felippe
Manoel Jorge da -Uva,dijsolugo de sociedad
commercjal.Sffacm o paaacer flscaL
De Claudio Jos de Santa Adu-,matricula de
commerciante.Adlouse, votando coaira o adu-
nenlo o Exra. Ir. presidente. -
De Joio Luit de Aojo e Joao Marlios Rodri-
gues de Mattos,contrato de capital e industria.
Beglttre-se.
De Lniz Antonio Seqaeira, Guilherae Augusto
Rodrigues Selle e Francisco Vieira Perdigan, -
tambera contrato de captol e industria.Regis-
tre se. ""
De Lniz Poecb e Augu-to Cretoo,soctedade es-
iabelecida na hotel da Europa sito i roa do Trapi-
che. Salisfacam o parecer fiscal.
De Maooel Rodrigues da Silva e Antonio Jos
Barbosa Viaooa,registro da escriptura de com-
pra da loja de ferrageos n. 37 da rna do Queima-
do.Rugistre-ae.
Nada roais riaveado a tratar, o xm. Sr. prrfsi-
deote encerrou a sessao hora e meia depois de soa
abertura.
Silva.
Appellaole Aotooio Paes da Cunba Meodonca,
appellado Joo Severiaoo de Sonta.
Ao r. desembargador Accioli.
Appellaotes a viova e berdeiros de Jos Higioo
de Miranda, appellado Joo Bqssoo, como admi-
njstrador de sua mnlher.
AGGRAVOS BO JUIZO ESPECIAL DO C0MMEUCI0.
Aggravanie Apiobio Garca, aggravado Pedro
Cbnsologo Cavalcaole Wanderley.-^/f|gravantesA
viuva e berdeiros de Jo^ Baptista da onseca Ju
pior, aggravado Jos Doarte das Neves.
O Exm. Sr. presideote deu provimento.
Aggravanie J*o Deodato Bowmaf, aggravado
Maooel Alves Ferreira.
O Exm. Sr. presideote negou puvimeoto.
Nada mais bonve, e fol por s. Etc. o Sr. presi-
deote encerrada a sessao a 1 hora da tarde.
Perdfte-rne V. ,8, se too .4 perto, .offeodo a so
PKidestis ; porm eu devi responder a carta que
V. S. Aoje me dirigi, fi np laMajto fim q V. S.
me enjlocou.preciso me era eMua^r os raeus
aenbjMntos; a ontra nao podj r a minha res-
aotkL
*WH5jto torco de 1867.
So&jam estima de V. S. .amina, tteoto venera-
dor e criado conego Joadjnlm Ferreira dos
Santo?.
HCTJ
CASO 10
D'CIttA
Molestia
Curada.
facha
Gonimunicados
Partido eoaserf ador. (*)
O Sr. Araujo Barros eom o desplante, qoe Ihe
proverbial, nao tem cessado de repetir as suas ca-
lumniosas e mentirosas correspondencias d'agui
para osfornaes da corte, qoe os Srs. Pinto de Cam-
pos, Camboim e Dr. Catsoho estiveram eia Janei-
ro desie anoo o povoaco de Capoeiras, oode
combioaram grandes planos de desordem para as
elei(es. Pois bem I em n-futagao a esse.embuste,
lo' descarado como quem o iovenlou, hoje publica-
mos orna declaracao do Sr. Galdioo Alves Barbosa,
protji eista, em cuja cia estiveram hospedados os
Srs. Camboim e Pinto, pela qoal mostra, nao s
que estes dous senbores nao se oceuparam dos
coocbavos ridiculos sonhados pela frtil ima-
gmaco do Sr. Araujo Barros, como qoe l nao es-
leve o Sr. Dr. Catanbo, que, segundo o tesiemuobo
do Sr. Galdino,.passou em Capoeiras em 1861 I
E o certo qoe os alvitreiros do progresso com
as suas mentiras o novellas van impalmando todo!
Mlotam, embusteirop, qoe nem empre com a
mentira se ha de fazer fortuna I Miotom I
Conslando-me qoe se tem dito e repetido oas lo-
Ihas publicas, qoe em priocipio de jaoeiro deste
anoo se reooiram cesta poveacao os Iilms. Srs. co-
ronel Francisco Alves Cavalcanti Cambeim, mon-
seobor Piolo de Campos e Dr. Loureoco Francis-
co de Almeida Calanho, e aqui combinaran) pianos
tenebrosos em relago ao processo eleiloral de 3 do
correte : apresso me em declarar que seraeibaole
historia v falsa.
E' verdade que coube-me a hoora de ter como
hospedes, por 48 horas os dous prineiros cidados,
f*>ijs distintos amigos, e o Sr. Dr. Fraociseo Alves
da gilva, sobrioho do Sr. coronel Camboim, e na
Sr. Dr. Caucho, que -abenas aqat passou oesU
povbago em 1S611
Declaro mafs, que durante aquellas 48 boras os
Srs. Pinto de Campos e Camboim nao conferencia-
rara em segredo, e que nao fallaram oas quesioes
do dia, se nao de passagem, e muilo vagameols nao
passaodo suas conversas de coosas proprias de
doos amigos que a muio se nao eocouiravam, e
circumscrfpUs a mutua amizade que os preod*.
Tudo qoe assim se nao disser puramente falso,
Como o podem atlestar lodos os habitantes desta
iiiesma povoaco. que tanto se lisoogearam com a
visita de pessoas respeiuveis que com tanto deli-
cadeza os tratara m.
Declaro anda qoe os mesmos doos amigos sa-
bendo que sou progressisto, e que sempre acompa-
nbo o governo, nada me fallaram sobre o flm dr
transtoroar o meo peosamento com relaco ao
pleito eleitoral. ^^
Povoag.io d Capoeiras, 28 de fevereiro de 1867.
Galdino Alves Barbos*.
Correspondencias
Srs. redactores.No dia 9 de abril do aoao pr-
ximo passado foi assassinado meu infelu-irmo o
capito Francisco da Molla Cavalcanli, morador oo
lugar S Pedro, termo de Pao d'Albo, guando se
encamitihara para suas plaotacoes, com um tiro
de emboscada, qoe loe dlsparou Aulouio, caneci-
do por caboclo, e escravo do coronel Loureoco Ca-
valcanli de Aibuquerque, com mais tres parceiros
da n.me Rayiuundo Bude, Joaqun) Aovo e Joo
Caogaco, que curo elle eslavam na. emboscada, a os
quaes a' diligencias da polica se conseguir eap
turar.
Para que nao Qque impune to atroz alternado, e
de que se lem jactado os dellnqueotes peraole Val-
devino Jos de Moura, Maooel Flor, padre Jos
Gomes, Joo de Barros Piolo Francisco G rria e
o capao Antonio de Barros Correia, espero que o
film. Sr. Dr. ebefe de polica f-ga ioierrogar em
sua preseoga aos couipliees, assim como a essas
pessoas cima ditas qoe ouviram da bocea dos pro-
prlos deoqnentes a eoBflsso de lo horroroso
atientado, e assim poder obter-se orna prova ro-
busta e io>balavel de tomaobo crime, assim como
se foi elle pralicado de proprio datgolo dos assas-
sloes oa se boove algom maodaote aflm de sobre
este tombem recaa acoso da juslica, e ooOquem
Impunes aquelles que rouoaram a vida a um clda-
do pacifico, pai de urna numerosa familia, sendo
o mais velbo dos seis Albos ceg de ambos os
olhos.
Techo toda a cooffaoea que o Illra. Sr. Dr, chefe
de polica proceder aos precisos interrogatorios
que devam formar a base do processo, e protesto
auxiliar quauto em mira eouber a justlga publica1
oo deseobrimenlo e pooigo dos cnroioosos.
Alewanre a Motta Cont.
Publicares a pedido
Todos aqaelles que TacUo jeitos wat
frer molestias gcrofulosag, ulcerosas, ou syphl-
liticas, aluda mesmo as 'neputadas de peior
nauu-eza, apenas neceeaMo da lr o aegaiat
tase maravilhoeo, para qua so sinti iateira-
mente cenvenddos que a aaa propria cura,
nfo s meramente posslval bus atm absola-
tai ente certa.
Joio Josf. FuRuentA Barbou, reaideto
mi Cidade de Maraahb, tiaaa todo o m
eorpo coberto de chagas nlcnpaae, dorante
algunos airnos se achava debsixo do t ratamente
de mdicos os mais afamados, tendo usado
durante todo este tempo quasi toda a eepecie
de medeeinas que em taea casos i emprega
pela faculdade medica, poro'm debalde sem
obter o menor beneficio on alivio: achando-se
po: em taes apuros ella finalmente reaolTea-
, ctepois de repetidos e baldados esforc i
faaer uso da]
Salsaparrilha
DE BRISTOL.
No todo elle apena ehegou a tomar CKrm
Garrafas de SaltapmrrUha e qiuro frsecos da
Pulai Vcgetae Atfuearadas, e o resaltad*
foi elle obter una completa e perfeita cura.
O Sers. FSBaiaHA & Cia., Droguistas de
ManinhSo, forSo quem suppriro os medica-
mentos, e achSo-se perfeitamente ao faeto
d'este caso, e os meemos Senbores, nao s ae
achao promptos i confirmar o mesmo, como
tambem em fornecer o actual adresso do Ser.
Bahbo2^i, i toda e qualquer pessSa qne por
ventura se deseje informar da verdade.
Rocouimenda-ee mu particularmente se
Doentes que tenhao o maior cuidado na oacolka
deste encllente remedio, no uando ostro i
nao ser a Germina Salsaparrilha de Briatol,
i qual oxclueivameiite preparada poi
LANMAN&KEMP,
De NOVA YORK,
oois que todas as mais sao ineflicase de aaa
tom pnstlmo
i Ferreir.
i Cordeiro.
Pessoa Baodeira do Cael.
erreira Lima.
Uodido de Oliveira Campos.
j Tarcino de Frenas Pessoa.
i Lopes Pessoa da Costa.
Jao Flix Teixeira da Costo.
Silverio Pereira Guimare.
Cftttie Jos Fortado.
LaftWioo Teixeira de Mendoog.
Joo Alvares da silveira.
Vldouio Htrmogeoes da SHveira.
DfdjbjM Gopgalves do Nascimeoto.
Loto Geminiano de Frenas.
PadjM Manoel Correa de Sou*Um.
Manual Jos Coelbo.
Manoal Joaqoim de Farias Barbosa.
Maooel Jubao de Barres.
Antonio Lopes Pessoa da Costa.
Joaquina Barbosa de Farias.
AU-xaodre de Sonta Barbosa.
Joo Barbosa de Farias.
Aolomo Barbosa de Farias-
Francisco de Paul Ferreira Grillo,
Miguel Arcbaojo de Soma
Anstides Gongalves do Nascimeoto.
Aotooio Candido Taumaturgo de Farias.
Aoolioo de Andrade Frellas Copaba.
Vicente Candido de Oliveira.
Manoel Alvares Fernaudes Borborema.
Club do Recife
Esta distiocia e fforesceole soctedade deu duas
partidas carnavalescas. Domingo, 3 do vigente
me?, pelas 8 boras da noito, urna baoda de msica
auasl, postada oo primeiro salo, aoouociava de
espago e pago a entrada de illnstres familias no
lollete.
A's iO hras, orna bem regida orphsstra dav
sifcnal aos dancaotes que a danga.arofisse de
Terpsicore ia principiar. Foi orna verdadeira
fesia de familias. Daogoc-se al 2 1/2 horas da
madrugada. A confraternidad?, ordem e harmo-
na que se observa n'esto sociedade, entre duas
nacionalidades de igual idioma, alil digoa de se
apreciar. Prximo de ceato e cocoeota senhoras,
de diversos gostos e elegantetoilete= abrilhanto-
rajn aquelles .aloes de quatro lustres a gax.
O servigo foi b.m e profuso. O soire de terga-
feira de eotrodo oaq deixoo oada a desejar. Ob
servon-s mesmo que cima fica exposto, a' i-
cepgo da msica marcial Vlam-se alli matronas
de reeonhecldo quilate com soas joveos e elegan-
tes demoiselies, sem so Ibes notar o menor vislum-
bre de altivez.
Fagamos votos, pois, para qoe o Club do Recife
prospere, e s conserve aa altura de sua digolda e
prsenle. Respeilesameate traosmitlimos o oosso
laus ao Sr. Lucio de Castro, hornera Ilustre e
magnnimo; e as anteas felicitagoes ao Sr. direc-
tor do mer, pelo bom esempeolio de sua raisso, e
maoeiras com que sabe captivar.
Recife, 6 de marco de 1867.
aoabnosta Afata, arvio do campo, bom traba-
Ibador de excelleple conduela, o qnal val a Ma-
ca pela avallado de -tOOf, quem o pretender di-
rija-se no di indicado.
nal ordeai d R^^, jaiz du dirouo espoeial do
commercio desta cidade do Recife de Pernam-
buco seo tecmo,.por S. M. imperial e consti-
tucional o Sr. D. Pedro ti, a quem Deus guarde,
ele.
Paco saber ads qne o presente edital treme Santa Casa da !S3rCo"flia fja KfCle.
delle noticia tiwraa qae no dia 7 de margo do Teddo de fladar-ae em 50 de juabo do correlato
.m'E.i.T, -.* ",ur por venda a ,nao 0 ,rrendameoto do sil.o da Una do Nogaer
era mais der em pra* publtea Oesiejoiao o ae- proBfed.de da Santa Casa s MiMriMrdto! a
Tarraag, d, amaroMn M,ideada, b.ido re- i"P--J"-*-*
doodo a seus perteoces por 504MH).
. |k
1 burra de fexr 3 carleirrs da amaraliq, soao 1 da duas faces
e 3 moxos a 50W0e cada um.
50 pegas de atoodotioho a 3M00 fiad peca.
15 di|s de madjwotoo 5*4X16 cada ama.
15 ditos de chitos surtidas W*(XK) e?da urna.
6 relalbos de cassas pioladas por 20OOO.
Um pp/co de reUJhos de chita por 50*000
40 corto* de sestidcu de ra a 4#080 oada um.
8 toalbas de lioho a 15000 cada urna.
1 rollo de baela com 30 varas a 500 reis a vara.
1] pega e meia de e.-toupa com 152 varas a 40
re- a vara.
14 chales de la a 1:000 cada um.
6 lencos de seda a 2*000 cada um.
25 covados de panno preto a 2*000 o covado.
20 ditos de casemira de cor a 2*000 o covado.
6 grvalas a 00 reis cada urna.
20 covados de damasco de la a 500 reis o co-
vado.
20 ditos de brim de cores a 400 reis o covado.
Os quaes foram penborados por execugJo de Sou-
thal Mellors & (J. contra Joo de Siqueira Ferro.
E nao baveodo langador que cubra o prego da
avallago, a arreraalago sera feta pelo prego da
adjudicago na forma da lei.
K para que chegue ao coobecimento de todos
maodel fazer o prosele edital, que sera' affixado
nos lagares do coi turne e publicados pela im
prensa.
Dado e passado nesu cidade do Recife de Per-
nambuco, -ios 19 de fevereiro de 1867- Eu Secuu-
dio Eleodoro da Cunta, escrevente juramentado,
o eserivi.Eu Manoel Mana Rodrigues do Nasci
ment, escrivo o subscrevi.
Tnsio de Alencar Ararlpe.
qqaiooverl>:nara que coa apleeedeaea o vt
exaottaar, aflm de apreseotojumi sos proposu
que ario receidas acato seejntoria, end sa da-
rlo todos os esclarecateasos afpoisos aos inleres-
fl.
COMMERCIO.
Protesto.
MSSAO
Mea compadre a amigo Fr. Joo Baptista de Es-
pinio-Saoto.Olinda, 27 da fevereiro de 1867.
Como estoja cada ves mais doeate, e mesmo era
eminente perigo de vida o meu Oibo o sen afilhado,
e eu desejo que se Ihe prestem os devidos seccorros
espintuaes, o quti nao me parecendo bom declarar*
Iba irancamente, abm de que isso cao iba peiore
mais pelo eleito que mais ou menos produx em
todos os doentos urna semeihante declaracao, pego-
loe a carecMameou qae teooa a ooodade de vir
at ca' para a titulo de visita aeonselhar-lhe a ne-
cessidade da cenias.-ar-se a tomar o SS. Sacramen-
to. Por especial obsequio ao se demore, porque
o astado em qae se aob multo assuslador; sao
ciaco e meia boras, a segundo a epiatie do medico
elleoo pode dorar seseo muito ponco temo.
Do seu eorapadre, amigo affeciussoLuiz Jos
Piato da Costa. ,
lttra. a Rvm. sr. conego o secretario.-Ningoem
meinor a V. S. pode conaacor a rainba capaci-
? l9f|BClaal e aplidao para goveraar. Aoho-
me (aridcu mioba rapotaco n'um corpo moral, e
, careeendo desfazer as citadas qoe me armam, peco
a V. 8. qoeira dizer ao p desto a mu, a*n,a -...,
a que sent a meu
JUDICIABJA EM 4 DE MAR? DB
186T.
FUSIBINCIA Da BXM. SR. DESMBARGABOR
a. f. tiutTTi. respelto.
Vcrtoro, Juho Guimaraes. Sou eom em e gratidao
A s onte boras a meia d maaha, achando-se servo ebrigadlssimoFr. Joo Baptista do Espi'
reunidos os Srs. desembargadores Silva Gaima- rilo-Saalaaj|M|ptor.
raes, Reis e Silva e Accioli, e os Srs. depptados CulJefai Hrpbos, 5 de margo de 1867.
Sosa, Basto, Miranda Leal e F. de Oliveira, o Exm. Ulm, a Rtm SrPediodo-me V. S. qoe en de-
Sr. presidente declarou abena a saseo. clare qual o jalao qae faco sobre a sna eapaeidade,
Lida, fot approvad* a anta da sessao aatece- intellectual, aplido para o governo, do men de-
"enle- ver responder-lhe qae a eapaeidade Intellectual de
Os abaixo assignados, membros do partido libe*
ral, residentes na villa de Banaoeiras nao querco
do com o seu silencio approvar o procedimepto do
Sr. Dr. Pellzardo Toscano de Brito oa dircgao que
ulinnameate tem dado ao partido da qae ch"fe
oa provincia, nem tomar a tespoosabilidade de seas
actos, protestara da manelra mais solemne qae nao
reconhecem ao mesmo Dr. Felizardo como ebefe do
partido liberal, e declarara que se acham desliga-
dos do partido que elle anda actualmente dirige.
O Sr. Dr. Pelizardo achando-se na admlnislrago
da provincia na qualidade de vice-presldente, quan-
do oo parlamento levanloa-se o partido liberal his-
trico, dirigido por seas antigos e respeitavels che-
fes era opposlg ao gabinete de 12 de maio, a elle
conliouoa, aaxiliando-o deulro da rbita de soas
aunbtic**.
Foram demittidos todos es presidentes liberaos
e o Sp. Dr. Fehzardo anda continaoa oa airarais-
trago da previncia.
Foram mandados para as provincias os novos
presidenlescom a commissode hostilisar a candi-
datura dos liberaeg, e especialmente daquelles qae
(miara dado seus votos contra os doos ltimos mi-
nisterios, e o Sr. Dr. Felizardo apoia e sustenta o
ministerio que procura exiermiuar o partido li-
beral.
Da depotagio da provincia o nico depotado qa
se juatou a oppo>icao liberal foi o Sr. Dr, Jos da
Costa Machado ; em ama piovincia em que predo-
mioasse o partido liberal seria elle tocootostavel e
epibusiasljcameate reelello ; na Parabvba o Sr.
Dr. Felizardo, pretenso ebefe do|partido liberal de-
creta a excluso do Sr. Dr. Costa Machado com o
emprego de sua influencia pessoal, e de recursos
offtciaas de que faz alarde de dispdr, a em vista
dos factos effectivameole dispOe.
O Sr. Dr. Felizardo, pois, separando-se dos che-
es do partido liberal, sustentando os ministerios de
12 de maio 3 de agosto, nao neur pode mais
ser coosiderado liberal; e arada menos chefe na
provincia do partido liberal.
Hesta provincia a nica localldade em que os
conservadores adherir.m aligase nao fundi-
rn no partido liberal foi a villa de Baoaneiras,
onda claramente se dtsenharam tres partidos.
O Sr. Dr. Fellz< rdo, ingrato para cora seas anti-
gos correlieioaarios. que joigav seas sabstrvien-
tes, abandonando-os, e den toda a influencia, todo o
poder ao tercelro partido representado por orna
familia; e ainda ltimamente, para fazer as el?ieoes
primarias fez nemear delegado o membro mais
imprtame dessa familia.
Os liberaes foram desconsiderados em suas pes-
soas, oas de seus amigos e protegidos.
E certo que o Sr. Dr. Felizardo ainda ebefe
de um grande partido na provincia, e auxiliado ef-
Ocazmeoie pelo governo se fara eleger a si a a sea
georo, e a outros qae em ama alaico llvre nem
sa quer toriam a lembranga de procurar a sna re-
eleigo ; certo que com esses meios conseguir
tirar a reeleico ao Dr. Costa Machado ; todos po-
rm, Bcaram coobecendo que o Sr. Dr. Felizardo
desertoa das flleiras hberaes, renegn os princi-
pios e dogmas do partido iluerai, a em vlrtude dos
quaes era considerado dentro e fra da provincia,
e pelo goio epheme'o do podar, a perspectiva
de vantogens bem controversas, e talvez incoofas
saveis deimoralisou ao presente, e sacnOcou no
futuro o partido liberal da provlocla-
Os aba.jo assicnados em vista do qne llgeira
mete expdem, apressam-s em lavrar 3 sen pro-
testo ; e resignados esperam pelo termo aatural da
sua proscnagSo cam asseoi;o aotodet do parti-
da v.Rvma. migo do liberal histrico capitaneado por seas veaeran-
dos ebefe.;, e aspirados dos verdadlros principios
Hberaes.
Villa do Baoaoeiras, 7 da fevereiro da 1867.
Joio de Andrade Freltas da Cupaba.
Mlwiel Gerldo Monteiro e Silva.
Jos Lopes Pessoa da Costa.
Joo Ferreira P%ssoj a Silva.
PBACA DO RECIFE 6 DE MARCO
DE 1867.
As 3}i boras da tarde.
(Hoje)
Algod I* sorte13*800 por arroba.
Silvelra,
Presidente.
Macado,
Secretario.
NOVO BANCO DE PERNAMBUCO.
O Novo Banco descoata letras de praso al seis
metes pela laxa da 12% ao anuo.
NOVO BANCO DE PERNAMhUCO
O novo banco descea letras de praso al qu-a
tro mezes a 10 0|0 ae anoo, a de maior praso al
seis mezes 120|0
NOVO BANCO DE PER-
MICO.
O novo banco paga o se-
gundo dividendo de 4,4 00
da massa fallida deJoaquim
Jos Sveiiu
_____
Bank
O l.omlou *& Brazillaa
limite
desconta letras a II e 11 por cerno confor-
me o prazo.
Ficul.iHiie de UireiU.
De ordem do Exm. Sr. director fago novamente
publico o edital que em 5 de setembro do anoo
passado foi publicado relativamente ao concurso
da cadeira de geometra, e outro sim que, por ter
expirado em ferias o praso da ioscripgo est espa-
gado o eucerra ment para o dia 9, as 2 horas da
tarde, de cooformidade com o dispo-ato do arl. 114
do regolamenlo complementar.
EU1TAL
De ordem do Exm. Sr. director se faz pablico,
que est posto a concorso, eom o praso de qualro
mezes, a contar da data desle, a cadeira de geome-
tra ds aulas preparatorias annexas a esta Ka cu -
dadei vaga poi virtude de ter sido concedida, por
decreto de 10 de agosto proiimo lindo, a exonera-
gao que pedio o respectivo proprletario Jos Pedro
da Silva, como foi declarado a esta directora por
cumrauoicaga da secretaria de estado dos negocios
do Imperio de 13 do passado.
O candidato que se quizer inserever dentro do
referido praso devera previamente juslicar parante
o Exm. Sr. director: 1,ser cidad brasileiro; 2,
. maioridade legal; 3*, moralidade por meio de
attesiados dos parochos e de foltias corridas nos
lagares pode hoover residido oos eioco ltimos
annos; 4', eapaeidade profesional. Os que, po-
rm, iiverem sido em algum lempo eoademnados a
gales oo soffrido accusaio-s judicial de furto, roa
bo, eslelliooato, banca rola, rapio, oa oatro qual-
quer crime qoe offeoda a moral publica ou religio
do estado nao se podero locrever excepto se a
aceusago judicial tiver sido argida de falsa pelo
candidato, e nao bouver provocado cendemnago
judicial, e assim o dlcidir a congregacao por via de
recurso, ioierposlo dentro de 10 das.
Para a eapaeidade prnfessiooal devera exhibir o
candidato algtras dos documentos seguintes: i*,
titulo de eapaeidade na materia em concurso, con-
ferido pelo cooselho director da lostrucco pr roa
ria e secundri da cite; 2, titulo de professor
publica, tambem da materia em concurso concedi-
do pelo governo imperial; 3a, diploma de hacharas
ou doolur as faculdades do imperio ou academial
esiraogeira*, oa baclure em leitras, salvo as
pessoas notaveis por seu talento e rrcoobecidaraen-
to habilitadas, que forem despensadas desla prova
pelo -governo, ou que se r^uizerem prestar a um
prio, ludo da cuofurioidade eiba o capilu-.
lov do regulamento de S de maip de 1856.
Secretarla da Faculdade de D reiio do Recife, $
de setorobro de 1866.O secretario Jos Honorio
Bezerrado Menezes.
Secretaria da Faculdade de Direito do Recife, 2
de margo de 1867.
O secretario,
Jos Honorio B. de Menezes.
ALFANDEGA.
Readimeoto do da 1 a 8 de margo
dem do da 6 .................
133:973*602
28.506*936
162:480*538
MOVIMENTO DA ALFANDEGA.
Volumes estrados com fazeodas.. 196
c i t gneros.... 4tl
------- 657
Desea rregam boje 7 de margo.
Patacho dinaraarquez-Politicemertadorias.
Barca iaglezaAdttphoidem.
Barca inglezaCarlota -dem.
Barca noroeguenaeAi/aam-farioha de triga.
Brigue BgleBerihabacalhao.
Patacho ioglezMartibacalhao.
Brigue IoglezCautoescaro
Barca ioglezaDoomidem.
Barca irglezaWi/famdem.
Barca ingleza -Matlearam Mera
Barca inglezaSilver Streenidem.
Barca ioglezaOtinda-idem.
Barca sueoAvekidem.
Barca nacionalIdalma charque.
Brigue nacionalAurelianodem.
Patacho bolsleoseMarta Elizabelhidem.
Polaca hespanholaFlores! dem.
Sumaca be.'panholaOndina -ioem.
Escuna austracaStmerbeidem.
Escuna austraca Helrneidem.
Escuna bollandezaDe VredtIdem.
Importar*.
Brigue nacional Imperial Martnheiro, entrado da
Rio Grande do Sol, consignado a Marques Barros
& C, inanifeslou o seguinto:
9400 arrobas de charque, 50 coaros vaccans,
1000 resteas de ceblas e 1000 peixes seceos; a
ordem.
Brigue inglet Runnymede, entrado de Terra-No-
va, coosigoaao a Sauaders Brothers & C, maoifes-
lou o seguiote :
250-' barricas bacalhao ; aos mesn -.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
GERAGS.
Rendimeato do dia i a 5 de margo. 9.456*449
dem do dia 6 ,.............. 2:096*793
11:553*242
0 Dr. Tristo de Alt-ncar Araripe, official da
imperial ordem da Rosa, e juiz especial
do commercio desta cidade do Recife de
Pernambuco, por Sua Magesiado Impe-
rador, etc.
Fa^o saber aos que o presente edital vi-
rem e delle noticia tiverem, que no dia 7 de
marco do corrente auno se ba de arrematar
por venda a quem mais dr em praca pu-
blica deste juizo o seguinte: a parle do si-
tio no lugar do Gajueiro na pasagera da Mag-
dalena i'eguezia da Boa-vista, com grande
casa de vivenda de sobrado de um andar
onde hoje existe o Hospital Portuguez, com
grandes sales, grade de ferro, e mais pos-
sesses, cerniendo mais cinco casas ao lado
da casa grande, copiar puxado para fora,
tendo tudo em bom estada, jardim grande,
casa para banbos, algrete de flor e urna
capella ao do, com arvoredos de fructos
avaliada a dita parte por 5:0010032 sendo
avaliaco total de todo o predio de 45:000^.
A qual fra peohorada por execuco de Ma-
thias Lopes da Costa Maii contra D. Mara
de Jess Cordeiro, viuva de Joo Raphael
Cordeiro.
E nao havendo lancador que cubra o pre-
co d avalia,3o a arremata? -o ser fela pelo
preco da adjudica cao na formada lei.
E para que chegue ao conhecimento de to-
dos mande passar o presente que ser pu-
blicado pela imprensa e affixados nos luga-
res do costume.
Recife, 7 de fevereiro de 1867.
Eu Secundioo Eleodoro da Cunta, escre-
vente juramentado o escrevi
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimen-
to, escrivo o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
'EEGLABACQ2S.
MOVIMENTO DO PORTO
Natos entrados no dta 6.
Rio de Janeiro26 dias, oarca portuguesa Despi-
que II, de 380 toneladas, capito Faustino Joo
de Carvalbo, equiprgem 13, em lastro; a Fer-
reira Looreiro.
Santos23 dias, brigue inglez Emerali, de 313 to
neladas, capito D. Robun, equipagem 12, era
lastra; a* ordem.
Idem23 das, barca iogleza Meridiana, de 391 to-
neladas, capito Edward Gardener, equipagem
11, em lastro ; a N. O, Bieber & C.
Navios saludos no mesmo da.
Barcelona Sumaca hesnanhola Vestal, capito
Paotaleao Marti, carga algodo.
Para'Bares braslleira Rato, eapito Antonio Ma-
ra da Casta e silva.
Liverpool por Macul Brigue inglet Selina la,
eapitio Perchard ; em latro.
Lisboa- Brlgne portuguez Relmpago, capito Jlo
Epifaueo da Silvelra, carga assuear.
OkstrvacAo.
Suspenden do laraaro para a Parahyba a barca-
Iogleza Saltasen, capito Predank Seott, com o
mesmo lastro que trome do Rio de Janeiro.
EDITAES.
Santa Casa da Misericordia
do Recife,
A Illma. junta administrativa da Sania Casada
Misericordia do Recife maada fazer publico que
oo dia 7do correte palas 4 boas di tarde na sala
desuassessoes. tem de ir a praca a renda das ca-
sas abaixo mencionadas para seren arrematados
por aloguel pelo tempo de um a tres annos.
Os pretendentes deveo anresentar carta de fian
ca oa serum acompanbados de seas fiadores os
eom cartas dos mesmoes.
EsUiuelecinentwA de caridade.
Ra dos Pescadores.
Casaterrean.il.......216J0C
Ra da Gloria.
Cata tarrea n. S8.......1444WK
Ra do Padre Ploriaao.
Casa terrea o. 17 JJ.....15#300
Ptri*mim de crni*.
Roa dos Burgos.
Casa terrea 1.19 h...... 101*000
Roa de Pilar.
Roa do Encantamento.
Sobrado de dous aaJares n. ti. MIJO
Casa terrea n. 94. .....16811006
Sitio do Pomo da Cal n. 5. IWJOOu
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife 28 de fevereiro de 1836.
O escrivo,
Pedro Rodrigoes.de Sooza.
Saereuma d Santa Casa da Misericordia do Re-
te#17iajauirdeaa3.
O ser i vio,
Pedro Rodi igues de Souaa.
Cooselho de cumpas oavaes,
O cooselho contrata oo da 9 do crrante aez,
ob as eeadiedes do e.-iylo, a vista de praaostas
recebidas at as 11 horas da maoba o foratei-
menio oo trimestre prximo de abril a junbo. aos
navios da armada e outros cujeaos de consom-,
seguintes:
Arrot da JHaraahao, azeite doce de Lisboa, azeiie
inferior, assuear braoco grosso, agaardeaie de 20
graos, assuear branco refloado, alitrra, aramia,
bacalhao, bolacha, bolachinba americana, caf era
grao, carnauba em velas cha, carne verde, carao
8ecca do Rio-Grande do Sol, ce oha de mao.ioca da trra, galianas, leoba, mantei-
ga ingleza, malte, manteiga trncela, pao, sanio,
sal, toucioho de Lisbua, njolo de alveoaria grossa,
vinho de Lisboa, velas stearioas e viuagre de
Lisboa.
Tambem contrata o cooselho do dia 11 do cor-
rete raez, por dito tempo e igual forma, o (orotei-
mento aos aprendizes artfices, imperUes manobei-
res, aprendizes ditos e fuzileiros navaes, d j$ objecios
da fardameoto abaixo declarados.
Para aprendizes arlioces.
Boneis do aoiforrae, bonets do servieo, btnsas de
brim branco, blusas de algodo azul, ealca de brim
branco, caigas de algodo azul, camisas de algo-
diozobo, cobertores de la, colchas de algodo,
caigas de panno azul, eolebdes de linbo ebeios de
palha, froobas da algodozioho, frdelas de pano
azul, lencos de s 'a rela para gravatas, leo(6es de
algodozioho, sapatdJS feto no paiz, saceos de
guardar roupa e iravisselros de lioho ebeios de
|Talha.
Para impenaes marioheiros e aprendizes dilos.
Bonets de panno azol, camisas de brim braoeo,
caigas de algodo azul, camisas de algodo azol,
lencos de seda prela para grvalas, sapaioes folies
no paiz e saceos de lona de mariuhsgera.
Para fuzileiros navaes.
Boneis de chapa e palha, caigas de brim braceo,
caigas de algodo azul, camisas de brim praneo,
caigas de panno azul, fardas de brim branco, gr-
valas de couro de lustre, polainas de pauoo preio,
sapatoes feito no paiz e sobrecasacos de panno
azol.
Sala das sessSes do cooselho de corapr as navaes
2 de margo de 1867.
O secretario,
Alexandre Rodrigues ios Aojos.
Santa Oasa da Misericordia
do Recite.
A Illma. junta da Sania Casa da Misericordia v
Recife, recebe propostas par armadamemo das
casas abaixo declaradas, que achando-se arroma-
das se'o arrendadas por qualquer preco, a quem
se incumbir de as concertar:
Estabelecimentos de caridade.
Ba Direita o. 33,
Cioco-Pontas n. 110.
Ra da Mueda a 37..
Ra do Burgos n. 2.
Ba do Pbarol u. 72.
Ra doe-Coelhos n. 94.
Becco de Abreu n. 2.
Patrimonio dos erpboe.
Ra dos Burgos n. 19.
Ra da Cacimba o. 19.
Ra do Amonra o. 26.
Os pretendentes para melhores esc lareetmentos
poderlo dingir-se a esta secretaria.
Secretaria da Sania Casa da Misericordia do Re-
cife, 27 de fevereirj de 1867.
G escrivo,
__^_________Pedro Rodrigues de Sowa.
Pela secretaria da cmara muBieipai testa
cidade se faz publico, que a mesraa cmara princi-
pia a sua primelra sessao ordioaria deste anoo ae
dia 7 do corrente, e nos que se seguem.
Secretaria da cmara muoicipal do Recife, 6 de
margo de 1867.
O secretario,
____________Francisco Canuto da Boaviagtni.
Trbada! de cemmerci.
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Pernambuco se faz pablico qae oesta dala fien
matriculada a firma social bollandeza de VonSobs-
ten & C, e-tabeltcida gesta cidade e composta dos
Srs. Pedro Cornelio Von Sobsten e Geraldo Ale-
xam BreDder a Brandis.
Secretaria 1* de margo de 1867.
O official-malor,
Julio Guimaraes.
Pela mesma secretaria se faz igualmente pabli-
co qae nesta data fica registrado o contrato de so-
ciedade de Antonia dernardo Vaz de Carvaike e
Miguel Pereira Leal, estabeleeidos nesla cidade
cun negocio de fazendas e geoeros nacinaes e es-
trangeiros, sob a firma de Vaz & Leal, e eom o ca-
pital de 200:000$ fornecide por ambos em partes
igaaes.
Secretaria 1* de margo de 1867.
O jfaVial-maior,
^^^^^^^^^^^ Juiio Guimaraes.
Tributa! 3acammercii.
Pela secretaria do tribunal da cammeraio de
Pernambuco se faz publico nue oesta dala o Sr.
Gaiiherme Girret preslou juramento por sea efe-
curador, para exercer u ofJkio de orretor da pr
ca de Macei capital das Alagoas, para o qual fot
nomeadopelo mesmo tribunal.
Secretaria 28 de fevereiro de 1867.
O offlcial-maior,
Julio ftaimares.
Vire -consulado de E>paria S fHMMk
buce.
Em virtud de lo que dispone la inslrneeioa de
23 de diciembre de 1S49, los subditos de S. 11.
Catlica residentes en esta provincia, son convi-
dados a presentar-se en esta cancillera para ser
matriculados.
Siendo, eludida coa demasiada frecuencia, esta
disposicin, especialmente por los que habitando
eo el exlraogero, no quieren declarar nacionali-
dad determinada a fin de poder elegir, segu las
circunstancias, la que mejor convenga sus inte-
reses, el infrascripto, v ice-coosul de Eipana ca
esta previnsia, de cooformidade con la real orden
de 1* de marzo de 1852, fija el plazo de enalro
mezes, a contar de esta fecha, dentro del enal de-
bern presentar-se en esta cancillera para ser
matriculados, todos los subditos espaoles ac re-
sidentes qoe qaii-leran conservar so nacionalidad;
la han perdida por tanto iodos los que no le hicie-
ron, siempre que n prueben causa 6 iaaped-
menta legitimo de sa inobediencia.
_ Pernambuco de marzo de 1867.El vJe*-eD-
sul de Espam-Juan Busoo.
AWS~MARflMa
No dia 7 do correte depois da audiencia do
jalza de orondos do termo de Oliod, se ba de ar-
rematar por venda um escravo da ame Flix, da
O Dr. Trlstio de Alencar Araripe, official da impe- Naci, com Idade puuco mais de 40 annos, sadio
Real ceneanbia de paqatt s agieses
a vapor entre o Panam, lleva Ze-
landia e ostralia.
I O- vapores desta coropanhi, oa sjaaes viajata
mensslroenta entre o Panam', Nova Zelandia a
Sydney em combinago com os da real cpmaaaeae
de paquetes ingleses a vapor, recebem passageicos
a carga para iodos., os partos da Nuva Z^laad
Sydoey e Melbowne. Em casa de Adamson'
Huwie & C, roa du Trapicbe Novo n. 40, forae-
ce-se prospectos da mesma contendo as daejavais
nf.rmjgSes. _______
Fara o Aracatj
Segu com brevidade o palbaboto Emilia, para
carg e passageiros tratase com- o con-igealajk
Jk Sa Lelto Jnior, a ra da Madre de Deas*.


1
v-
I
i
--A-r. t."' ...



I
'*
I

r


Y

V
tari lUtiiMiw ~ Iota tefe* 9 e Mar0 e t867
CMP4NIM FI^41BUfA\A
Transferencia.
_ Fernando.
wea1 transferida para o da 10 do crrante ai 11
ara a maohaa a sabida de vapor Parakyba, pa-
Wfwtdto de Prtrando d* Noronh.
im: Bivio
DE
6}
JSi
A batea portagoeza Oetpique II, a chogar do
aun de Janeiro, acha-se com a maior parle tfo sea
rref aaaeoio engajado para o mencionado porto,
para onde deve seguir com pouca domora, e para
reato qoe iha falla iraia-se cora Ferreira & Lou-
rearo- ata lia UP i \fl 14^BJ ASI LElSX
PAQUETES* A VAPOR
o*
Dos partos do porta 'esperado
at o dia H do corrate o vapor
Crnifo doSul, coramandante
.Alcoforado, oqual depois da de-
-------mora do costume seguir' para os
portn tfo sol.
Drtsde ja recebara-se passage'iros e engaja-se a
carga que o vap.-r poder couduiir a qtist devera
ser embarcada no da. da sua chegada, encom
mandas e din tnico a frote at o dia da sabida, as
i horas. Previoe-se bs Srs. passagelros qae soas
passafewssfr recebem nesca agencia roa da
a eseriptono de Aotoolo Luis de Oliveira
Aieveda C.
Seguada-fra ti do coprenta.
A reqaerlmenio de Cnnstoaio Reaeira C
como tesiaoeeatBiro e tioventariaote do falleca-
Francisco Gongalves da Silva Porelra e por des
!* 'Ilra Dr; J^de rphi* e ausentes
o agente Pestaoa far*1 leif) da diversos movis
como sejam : 1 mobllia da jacaraoda', 1 relogio
de ocroeeorreou,S salvas- e 1 pal 1 tetro d* prata,
IX cadelras da amarello, nwqu-zae, r oomw>-
yas, T^eeretanas, 1 reogio da parede, J pare* de
laotaraas, 1 Idito mais pequea etc., todo sera'
vendido, em lotes na dia cima- mencionado as 11
lwada.maaha.naruada.adaii do Recife n.
12, priraeiro andar.
AOS SRS. ASAD MICOS
por cento de abale.
.. *?r sen dono se retirar pan tora da provincia, vendem-se os setmnM irata
diratojurisprudenci^a arparte dos qaaes cora poco\ ?m+Stol^'
600000
COIMOU UISILEIU
Paquetes a vapor
B' esperado dos porto db sol
al o, da 8 do carrete o va-
por tuari,. coramandaou Pedro
Hyppolito Dliarte, o qaat depois
da demora deicoslume. seguir'
para as portoe-do norte.
Recbera-se desde Ja passageiros e eogaja-se a
carga qae o vapor poder eonduzir a qaal devera'
ser era jareada oo da de sub chegada; encom
mandas e diobeiro a frea al o da da sabida as
2,bjr. s. Previoe-se aos Srs. passageiros qae suis
pas Crat b.41, eseriptono de Aatonio Luiz de Olivelra
Ate ve do & G.______________
Para Lisboa.
Vai sahlf. cora mana brevidade a veie.ra. e bem
conheeida barc portugaezt Gralidao. p ter
gran le parte da sua carga prompta ; parro resto
e pusageiros trata-se com ollveiray. Filao,,& G.,
largo doCorpo SaDio o. 19, oo com o capio, na
prafa.
Hio de Janeiro -
Prateade sabir para o indicado parlo com malta
brevidade o veleiro a bem conhecido bngae Ade
laid- por ler a miior parte di sen carregameoto
tratado; e para o resto qoe>lhe falta e esrravos a
frete, trata-sa om o coosiguatario Joaquim Jos
GMealvos Be 11 rao, roa do Trapiche n. 17.
Para~o Prto~
Abarca portuguesa Humildade, nova
ede primeira viagern, pretenda sabir para
o Porlo cora a miior brevidade possivel.
Receba carga e pisssgeiros para os quaes
Uta eicefle'ites commodos: a tratar com
Marques, Barros &C.#S|i)o largo do Corpo
Santo a. 6 a com o capilao Garlos Ferrei-
r Soares. ______
Para Lisboa
Preteade seguir com maila brevidade a patacho
Anteado; tem patte da soa carga engajada, para
o resto que Ibe falta trata-se com os seas consig.
Batanes Antonio Luiz de Oveira Azevedo & C.,
no sea eseriptono ra da Cruz n. i.
Para Lib a
barra Mananna I, acha-se .a carga e pretende
sahir eo'ti brevilade por l^r a maior parte de sua
earga prompta, para o re-uo o pissageiros -trata se
com os consignatarios F. de A-juin) Ponseca 4 C.,
raa do Vigano n 19, prlmeiro andar. I
AVISOS DIVERSOS.
LOTERA
Corre depois tfamanha
Acbam-se venda na respectiva ihesoa-
raria, ra do Crespo n. 15, os bilbetes,
meios e quartos da 341 parte da lotera a*
beneficio das familias dos voluntarios da
patria, (9a) sendo a extracSo no logar &
bora do costume.
Os premios de 6:000^1000 al 100000
ser5o pagos urna hora depois da extracto
at as 3 doras da tarde, e os outros depois
da distribuido das listas.
As eacommendas sero guardadas somon-
te at a noite da vespera da extracto.
O tbesoureiro,
____Antonio Jos Rodrigues de Soaza.
Pedro Tinoco vai a Eurppa.~
Aoloolo Pedro de Souta Soares vai e Europa
e deixa como seos procuradores era lugar o Sr.'
Francisco Gongalves Netto e em 2* o Sr. Jos" Joa-
quim M/relra.
*i ?"?Melde5gsicJ(l, doirina e jurisprudencia, porWtez,
n vol. em wande folio, que ousta 804, por ~^
Diccionario da conversaglo, Dor urna reuniSo de sabios ifi al "pV
foUo. qpo cus 400), por. ..."....... .
Diccionarw do contencio MWnorcial, por Maoso, 1 vl. em folifVil
Diccionario de direito criminal, por A. Morin, 2 ?ol. em folio
/..., iJSSSn*riode Economia Pottica- Pr Goque'n, 2 rol. em foli rW
cusa io0uuu por. .........t t ^
Jurisprudencia das successoes, por Confiaos, I vol. .'*. .*
Elementos de dirett romano, por C. Maynz, i vol.
Ditos dito,dito, por Mackeldey, 1 rol. '
Espirito do direito, por Fritol, I. vol. -...,..." '
Direito pabliGo, por Foucart, l vol. .*"'.,.,*?." ,* *
Tratado sobre fallencias, por Geotlroy, 1 rol. "".
Cdigo predial portuiuez, por Silva Ferrao, 1 vt'".'
Legislags do tbesouro em materia conteaciosa, por Dumesml,4 rol'
Espirito das. lais, |por Montesquieu, 1 vol. ....... 34000
Economia poltica, por Forjas de Sampaio, 1 vol. ...".'.' 35000
Co&trainte par curps, por Duverdy, 1 vol. .....'' 44000
Desapropriac5opor causa de utiiidade poblnai p|rtioa'. i Vor 3UU0
Quem sa quizer muoir de bons Jivros, por ppecoa conmodos, aproveitar a oc-
casic3o na ra do Crespo n. 4 fabrica de cbapos^d tfol. v
LVROS DE DIREITO
7y" LIVRAMA FRANCEZA
RIJA DO CRESPO f. 9.
uifa 0s"B*10res Acadmicos encontrarSo teste establcimento e dot PBKTiV?mu
gp^ a KMuMidde Direito: o cathalogo respectivo distribuido gratuitamete?
1289
B9000
SJOOO
4WW,
40OO'
44.00 i
14500
44000
collegio m cmm^u
PARA EDUGAAO' DO SEXu MASCULINO
EHabelecido no frairro do Recife, ra da Madre de
Dees, em o anno de 1866.
EDIRI1DOPOR
MANUEL AL VES VIANNA.
para as artas pnrt..4pt^r^a,DM" *^. pensio.i?taa e externos
Ele co
S,LilSp6ra po?er' ?e,\las c'rcamstancas, proporcioaar aos
sen coHeglae orna edacaeia
S?c^:rr*rc'
ressir.

paes ae familia e de qaera mais possa me-
CAEOBA
PREPARADAA FRO
POR
A PREVIO
Precisa-sede ama senhora qae saiba ensi-
aar a ler, escrever. grammatica portogueza, fran-
ecz, masica e piaoo, para eaaioar a rtaas meni-
nas em ara engaito o fregaezia da E legua distante da estacio. pagando-se bem : a tra-
I lar na ra do Cabag n. II, segundo andar com
Francisco Antonio de Bnlo.
PrecIsa-sedtOOJ a Juros paga se a i por
cento e d-se segaraoca : quem o tiver para esta
oegoclo aonuncie por esta folha para ser procu-
rado.
Para o porto.
Pretende sahir o mais breva possivel a galera
portugueza^ < Nova Fama II, > da primeira mar-
cha, j> r ja' ler parle di seu carregaraeoto engaia-
do: para o ra-to e passa^-iros, aos qaaes oB*reee
neo? coraovidos, traase a roa da Madre de Deus
O. 3, --U com o capito a birdo.
Barca Silva
Fre.'.n !( seguir para L'sboa e Porto com a
maior brevidade possivel, trata-sa com os seus con-
sigaaianos Aomoi > Laiz de OH eir Azevedo &
C, ao sea eseriptono roa da Cruz a. 1,
Para Monlevide
O navio ha'panhol da primara clas'se ELEGAN-
CIA, eaoitio Minoel Pages, tinaa frete a pregos
cjmmidjs : trata-si cira s consigaatari js Tisset
Frures ra do Trapiche n. 9.
LEILOES.
liEILAO
DE
Quem precisar de ara bom cozinhairo porta-
guez, dirjase a' raa Nova n. 56.
m O-ADvbGADO j5
af)i- Antonio de Vascuncelos Hh-S
uezp.sdenruinm n)
j|Escriptorio a ra do Imperador n. 43a
^ Domicilio ra da Aurora n. 26. f
**.* mm mtiK
Jis Leopoldo Boargard, subiiu braseiro,
vai a Europa.
i T Jm Antonio da-Costa e S manda sea filbe
Jos AtTmso de Liaia a Sa a Europa para estadar.
DENTIFRIOIOS LAROZE
CNSERVADOkLS DOS DENTtS E GEN-
GIVAS
elexir dentifricio, para a alvora e conser-
vaco des denles, curando as dores cau-
sadas pela caria ou produzidas pelo c n-
tacto do calor ou do fri.
p DENTRiFicio, com base de magDezia para
a alvura e conservado dos dentes, pie-
venindo a descarnadura, provoeando o
trtaro de que empede a reprodcelo.
flPIiTft FKNTIFm ID. para f. rtifi.-ar 9i gpriai-
va<, e as conservar s5as, prevenir as ne-
miaeral.
_ Pharmaceutico pela escola de Pars e successor nesta cidade
DE
Aristide Saisset e J. Soum
22.-------Raa da Craaa-2.
! 000 Tratamento puramente vegetal sera mercurio, iodo ouno, era, outro qualquer
Verdadeiro porfleador do sangue sem azougue.
, ?pecia! Para a c"ra de todas as molestias que tem soa oriem na impureza da
2 ?* ^Tl?T! boubaticas- sypbiliticas, escropdulosas, dartbrosas, quer
Snrlri ai h ered,lanedade' quer sejam ^^'^ P^o contacto com pessoas in-
feccionadas dos diversos viras que contaminan, o sangue e os humores.
An nMO-i earo*!? e ura remedi0 Prodigioso, usado desde remotas eras pelos indios
n^S; P'SSand0 Seu US0 de?erac3 emgeracao, boje um dos remedios mais co-
S. 2S? P'T0^<,0B,taler as moleslias ma1s hedionias.entrando ne SrohT^rn rlUa?epba,lt,afS' P cujo Curativo os "ossos serlaneJ0S consideram a
caroba como remedio especifico. i
ck a A m"it01ttmP0 .eQ'rVi a caroba nos formularios como preparado magistral
celebre autor Joao Al ves Carue.ro: n3o ella portanto remedio novo nem desconbecido.
ra*e JSllTPS e Car?ba da mesma sorle Preconisado desde lempos immeoio-
l ?lTJn T* aProP.r'ado1 Para o curatlV0 das boubas e ulceras sypbiliticas srdidas,
fhiS S m prVeil0J depois de "nP^ficoa applicacao de muitos oulros agentes
therapeuticos enrgicos e de uso quotidiano. ^
wl ^U,t0i dos nossos mdicos de coasidencao e entre elles o muilo distincto eratico
e observador o Sr. Dr. Pedro d'Alhayde Lobo Moscoso, toa conflrmad por me o de e^-
JSSfSSSSt ,qUe d'Z / fama das beneficas Propriedades da caroba no ?.S-
ZT iXSSZl f38 dT3aS for,!na3 m que a syPhilis se ?PreStnta e m^ esPecal-
2L SI ee? sua fe,le na Pe'lt- poderiamos relatar alguns esos de Jala monto
mvS^SSSy P. meST Sr-,Dr' M0SC0Z0 em qae a caroba Produzio admir-aveis
roTs^Te^^ apP"Cac5es de salsaParri,b3' ** -do, c
SfeMid portagaeza do sepros motaos sofcre ajida, fon iaa c
administrada pelo
RANGO ALLIAJVCA DO PORTO.
azer inscrever
pequea qaantia
Todo o pai que desejar acautelar oTuturo de seos filaos dev e auaru,. atA,
osseusnomes- na lista dos &*-**M!&gB&
quey todos
_ Os ejemplos prafeos de outras sociedades anlogas tem mostrado que:
outro
10U8UOU pagos apoiialniente p.dem produzir.
as ua carooa e picctnnadnuu-i uim
ticas.
curativo dentario hygien'co, para chum-
bar os de-ites doente*. parar a caria e pre-
venir os abeesses e as dores que elles
provocam.
Deposito em todas as pharmacias e casas
de drugarias no Brasil.
Espedices em casa de J. P. Larose, ru
des Lions-St-Pan, 2 Paris.
Deposito em Penambuco, pnarmacia re
P. Maurer & C. roa Nova n. 29.
vral^ias dentarias e as affeccoes escerbu- remedio poderosisstmo para o tratamento das erupcoes cutneas, seccas ou suppurativas
aartnros de todas a qualidade, ec emas, ulceras de diverras naturezas, tumores, osseos
e outras muitas molestias de naturza syphi tica ou boubatica.
Por ter-se generalisado muilo o uso da essencl i da caroba que eu pre-
paro e pelas instancias de varios mdicos que desejam continuar em suas observages,
deliberei-me a ter promp.a urna quantidade da mesma essencia, obtida olbi a accao do
t>go, para nio prejudicar as propriedades medicamento'sas; e d'ora em diante e-icon-
trar-se-ha na miaba pharmacia se.npre e em porc3o sutSciente para todos os pedidos a
ESsEN JA CONCENTRADA De CAROBA, e o ungento da mesma penla para que nun-
ca fallem a >s Srs. mdicos (pie-'juiwrera esperient^r tSo precioso geme'medicinal.
Recife de Poruamouco, tT de outubro de 1866.
O agente Poutual vender'era leilo por eonta
4e quem perteocer os objectos ssguintes: 1 mo-
biiia de Jacaranda contendo 1! cadelras de goar-
Dicao, 2 ditas de brag is, i consolos, tampo de pe-
dra, 1 ra^sa de meio de saU dito de dito e um so-
f, i cadeira de Dalango americana, 1 guarda rou-
pade amarello, I marqaezao de dito, 1 cama para
atoca, 1 meMnha, 1 toucador, 2 aparadurel de
amarello, 1 ma para jantar, 2 cadeiras, i sexta
para n upa, 2 canas de vento, 1 cadeira para pia-
no, idros e muitos outros nbjectss.
HOJE
No primeiro andar do s.brado o. 82, a raa da
Cruz, as 11 horas.
De 366 saceos com familia de trigo
co ii -toqui; de avaria.
Hoje as 11 horas no arm izem do Tawo,
praca do caes da A p jilo,
Q ageaie Hiato faz lenj bo|e as 11 horas por
oau a risco de quera perteacar da 366 saceos
com fariaha de tngo avarladas a horda da barca
fcamburgmza Ricardo, aa sua aitima viagem do
Vipiraisi a este porto, do arraizem do fasso do
aes do Apello.
LEU, 4 ft
DE
?arlada*.
Sexta-feira 8 de fevereiro as 10 horas
em ponto.
O age ata Piot (ara* letHi pir eaata a risco la.
quem perteoeer de aigjdS^s. pliUlaaa a oaasaa.ll^ aaenta aooreciado ti7a a cura daa HrJ^" A.
as, (uaadu avariadas a bordo sas jktMUtSatiaa, J*m a Mirvut Ha Ha, a aii -
tentej a. arnaazem naval da raa do Vigario n. 1,
oda a efeaiaara' lailo.
LEILAO
Kacoatiaaac.
De una armacio da amarello" envarnisada, daas
Idra? para ponas.
W ealtas envernisadas para fazeodas.
i taboleta, 2 jarros, 1 tanqoa, JL arandelas para
gat, S raa eitanho, 1 ftfll da oadeiras, I
9*r*4n e oolfo ohfectoa.
Segunda-feira 11 dnur?oas 10 horas em
ponto.
O afate Piata antorisado pala Sr. Bnesiard Mi
loeiua (f oa raUraa-sa para Boropa> (ara' lao da
arataaio a rastt dos bjaetot aaa .acieoll *
siateotes na loja da raa da Imparatr o. 1, onda
m rfeetoar o leilio.
Cajeado.
Sorfimeu^r inagniGct.*
Pelos ps cosiumanf penetrar no corpo a maio-
ria das aioleslias.
Resguarda i-os dirigindo-vos
45 Rui 19 Ir ella45.
Borseguios qua&i Milit bozerro.... 85360
c loglezes quebra tocos..... 65500
< bespanboes lu.lre......... 35000
brasileiros beznrro........ 55o0i)
para senhoras ei fe lados
no tom.................. 35000
para senhoras............ 45800
.....,..'.... 45300
< i preios de..
mirm.................. 45000
Sapatos iuglezes patente........... 550r0
americanos............. 45500
francezes de salto para sa*
nhoras................... 3*200
Borsegains para meninas enfeita-
dos4.Se................. 35800
Sapatos aveludados para hornees e
seDhoras................ 15500
Borsegains com laco para meninas. 35300
Sapatos de tranca soperieres...... 156U0
Bolinas fraocezas para raen mas..... 1530
Sapams de borracha para senhoras. .. 15400
ChioelSes do Porlo e um perfeito sortimento, de
sola, coaros, marroqaim, bezerro franrez, vaqueta
e conro de lastre ; como aioguem lera" oo mer-
cado.
XAROPE FERRUGINOSO
DE CASCAS DB LARANJAS BCASSU AMABGA
Com iodureto de ferro inalt-ravel
De J. P. I.aroze pbarmacenliee
em Pars
E sob a forma liquida que mais fcilmente
se assemelha o frrro, e isto, sem pmduzir
perturbacao alguma; o'esta forma, tambera,
preferivel s pi'ulas e pistiihas em todos
os. casos em q ie sao proscriptos os ferrugi-
nosos. E o melnor auzdiar do ele) de fi-
Sado de babalbo, porque cuntem o xarope
0: cascas de laranjas amarifas, 15o gerai-
AGSTE CAORS.
c
a
3
S'
-*
ce
D
O
I
5?
o.
M
03
at
>Q
O
fil
Q
D>
O.
T
C*
a.
a
o
o
a
a
o.

B
Cu
I I
H
o
o,
g
o
o
OQ
S'
ce
9
v>
Si
o
E3
O
2
Q.
O
1
H
g T9
3
O.
<9
O.
a
-->
o
O.
a o
o =
% 5
V3
CD
O.
o
a
O,
o
e.
S"
ca
O.

O.
o
a
--
Q>
Q.
a>
o.
CD
s
o.
CD
O,
Bt
c
o
Q.
ce
estomago, oigestoes difficeis, inappetenei,
etc.
Deposito em todas ss pharmacias e casas
le drogaras no Brasil.
Expelic5es. en casa de J. P. Laroie, ru
des Lios St-Paul. 2, Pars.
Deposito em Pernambuco, pharmacia de
P. aiaur-w t C. roa >jova d. <.
11 .'' lu
Ateiicito.
9 ____
Perdeose desda a roa da Roda at a d. Piala,
do daaaiogo ajusto, orna polseira a om alloaite da
ooro com camaajMos: a pessaa a* aoboa qaaraa-
do restituir datos objeelos poda lavar a ra da Piaia
p. 2, qoa te gratiflear com 305000.____________
Praciaa sa da Dovecantoa mil rls a Jaraa,
asado se por segoraoca umaescrava eogommadeira,
cosinheiu a laradaira: qaea Uva raooaaets.
>
ID
Por um menino de 1
de 1
de 2
de 3
de 4
Por urna pessoa de 15
de 20 a 30
t de 30 a 40
* de 40 a 50
dia a 1 anno.
a 2 annos...
a 3 ..,.,
a 4 .....
a 15 .....
a 20 anno ...
Em 5 an-
nos.
1:10041
9000
86')|J
8600
8600
8603
8605
8600
9000
Em 10
annos.
4:0000
3:0000
2:9000
2:8000
2:7000
2:7000
2:7'M>0
*:7OO0
3:0000
Em 15
annos,
9:''OO0
7:5-/O0
7:2000
7:100/1
7:('OO0
7:000
7:1000
7:000
7:5000
Em 20 an-
nos.
20:00^0
17:0000
16:0000
15:6005
15:5000
1S:4uO0
15:6iX'0
16:0 iO0
18:0000
nos.
47:000#
37:0000
35:006f
34:0db||
33:3000
33:3000
34:0000
37^0Q:
50:000*,
^r?ffreIenrpSU,1SCreKVer paraca Previdente 6 desege qiaesqer esclarecimen:
r'gir-se.em Pernambuco aos Srs. Manoel Joaquim Ra
las darao todosjjos esclarecimentos que se desejarem e prospectos gratis,
va, ra do Vi-
COLLEGIO DE SANTO AMARO
BAIRRO DO RECIFE
N. 61-Caes do Apollo-N. 61
DIRIGIDO POR
-OS III 1 VMsrO RIRRIRO DR MaaI7K.
n.Acow C0,|PR ,Dda4 em San, Am,ro fos Salinas no "no de 1863 acha-se de
5L222 1foofcclonaDaf,. o ba.rro do Recife, caes do Apollo u 61, onde eonUn, a rec. ber
tmumVZffscszr aelpeDsioQis,as e nwua para as *
ttoiJfc^^ZST"^"'*"* dVddaem ,reS Sec5es
s5n^i)^fi^nenC|MS,eC0ll,'K'0,u-lB'1,! oon^nienta abrir dous cursos nocturnos, os qoaes
t* dmeaDh S"13 y*tm:eem "0*6 Para o eomoarcio co.ro Coi bem para qualque oa-
L2.K* "? : i' de iDglei e francflI e o 2 de grammatica da liogua nacional,
antbmetica, calligraphia etc., como se v abis) : u.iuu*i,
Auh de lostineco primaria.
Professor Jo> Fraocisco Ribeiro de Suia.
--------__-----
Monte Pi Popular Peaiam-
bucano.
A directora desu sociedad* arUripa aos Srs.
socios qua sa achara atrasados em satas mnnaalidi
des, qae veo ha m emqoaoto antea pagar aa atas d-
bitos, para o que tem concedido o praio de 3 das
a coalar dsta data, a ttadot os qasas serio elimi-
nados na fin a da tai.
Secretaria i Mote Pi Papular Pernambacano.
30 de jaoeJro da 1867, '
Beraarda Paleta a Sonaa
! secreurio.
aooel da Costa Pereira, alumno de 2 auno da escola normal.
Kvm. padre mpsjra Aotnnio Manuel da Assumpgo.
,. Instmceo seca a darla.
Lingua latina a/ofessor-Jos Fausiioo Marioho P^lr*
francea e iagleza Fortunato Raphael dos Santos, acadmico do 3 anno.
Rhetonca e potica, geographU e historia Ur. Antonio KaDgel de Torres Bandeira.
beomeina Rvm padre mesire Francisco Joo de Azevedo.
Pbilosophia Tobas Brrelo de Meoeres, acadmico do 3 anno.
Instrnccio recreativa.
Deseoho Eduardo Claudioo Currla Cafetal.
Muica voc.l 11 instrumental TrajanoFlIippe Nery de Barcelfes.
Dansa Mnoel BaptUia de Souza.
carao ooctaroo das 9 aa 9 horas da noite.
! ingles e francei, ler, escrever, contar e fallar correrla mente.
V grammatica da liogna oacionai, aoalyse e orthographia, contabilidade
prebendendo systema melrologico decimal, caliigrapbia etc., etc.
om-
A NACIONAL
anhia gerai kespaaliola de seguros sobre
a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 2**DE DEZEMBRO DE 1859
BANQUEIROS DA C0MPANH1A D1BECCAO GERAL
aneo de Hespanha Madrid: Roa de 8. Agostinho
a. IO
Itaaco da campanhla em 5 dejalho de 4866.
Apohces 19:700 Capital Rs. I 7:1440670 ou moeda brasileira
* R< i,714:4760000
* A Nacional abraca leoas as conbinacoes do seguro de supervivencia e n'ella pode
fozer-ses n^nug i de m>do qua em nentium caso se perca o capital imposto nemos Ul-
eros eorrespondentes. #
Urna aflianca depositada, nos cofres dojestado, garante a boa administraco da com
Os fuodos da companha se invertem em ttulos do estado e se depositam no ban-
co de Hespanha com ielerveicjado delegado do governo e do conseibo admini>trativo.
A comoanhia estrannatoda a empreza ou iospiculacjio perigosa.eos ttulos em
que se invertem, os fundos imp s na. rmesma, nSii-seArrem o menor risco, pois estao
garaBtidos pelo governo, pddeatopacao da a tor p.eizsl
Alugft-w '
a taroalra anlar do preSo a ron da CadWa da Ra-
tfe o. 19 cota commodos para granea fioHta a
tratar ao araatao.
Precisase da ama ama, para lavar e engommar
Da roa do trapiche a. 36 segaado apdar.______
' Praolja-ia'a ama enab otra grmar a
otianar: aa aa daj Cm* D.M. nrioairo aadaa.
w PraaisaHW asacar ab urato, oo preta J* de
idaaa, oo om woleqoe para comprar a tratar alaao-
C l*or a qma cas^ oa ru do Trapicha
D. M.
imm
u da Coocordi casa o. oreisa-e"dfl
rr r i
JIORIfABS
ara 1867-
Assifutares para totas os peridicos da Euro-
pa a da Brasil.
DE
J. VIGNES.
*.W% vm RA BO IMPERADOR W. 65.
1 .Mito,,fafqi,aiftl)p)f) asss coobaaidos para qae saja neeessanoinsistir sobra %
,vao
OtpiajMidc.
raa si
eiaciMeilaataal_______
anindo am teclado a macbais
ica,miW,pa*i
asaaiiu-
Paaam-sa eoaforme aa aneooimeBdas, uoto nesla, fabrica como na do Sr. Bloodei, de Paris, sodo
aarnapondaola da J. Vitaos am coja capital foram sempre premiados em todas as. exaoscoes.
" rnoamo ealabalaoiaMnto sa aaaari seaapre ara expieodido e variado ^ortJaaae daoaaioas fta>
amores da Earosa, assim como oarmonicos a pianos barmooieos, teode tndo vendido per
as qae oAVreeam aos compradoras, qoalidades estas incoolesta-
joudo sobre todos os que tem apparaqido oel praca ; pos-
aoa oaedecea 4 todas as vontades e capriebos das pianUtaa, sana
osito, taM feto ultmamecta melaorajsentos lapomn-
w*. so melodiosas e naouqn, e por sso minio afrada-
fvaooa
*'
"TT



BsaBaBsaasasi


Ua
aaHBBP"






-.
DUrlo de Peraaailme* vlnta eira 9 4c ar de 1867.
Joaquinf Jos Goncalves
Beltrao
(4 tUI DO TI4P1CBB 1F 4 ASDAR)4
Sacea por todos os paquetes sobre o Banco
o Minti em Braga, e sobre os seguinies luga-
les, em Portugal.
A saber:
Llsbpa.
Porto.
. Valenca. W
Guimaraes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Con*e.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Caslello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famlica.
Lamego.
Lagos.
Covilhia.
Na ra do Trapich n 16.
acham-seosseauintes depsitos
De B. Brunighaiseu NaiU.
Bourgogue.
Vinbo Pommard tinto.
Cortn tinto,
a Santo Georgas tinto.
Cbambertm tinto.
Ricbebonrg tinto.
Clos de Vougeottino.
Cbablis branco.
Del A.Woefem Francfort:
Rbeno.
Geisenheimer.
Liebfraamllcb.
Marcobruoner.
Em casa de Tbeod Christiansen, ra do Tria
piche-novo n. 16, anieo agente no norte do Brasil
deBrandenburgfrres, Bordeaux, encontra-seea
I jctivamente deposito dos artigos segantes:
St. Julieo.
St. Pierre.
Larose. m
Cbatean Loville.
Cbatean Hargaax.
Grand vin Chateau Lafltte 1858.
Chateaa Lafitte.
Haat Sauternes.
Cbatean Sauternes.
Chateaa Lataur Blanebe.
- Chateati Yquem.
Cognac em tres qaalldades.
Azmte doce. Precos de Bordean!. ij-
~1L Precisase de.om caixeiro de idade ade 12
li anuos para uro estabelecimento de molhades:
ao becooda Cacimba o 2 ero (rente a ra do vi-
gario.
/.".** V
Photographo da A* casa imperial do Brasil
Roa de Cabug n. 18, sobrado, estrada pela late* da Matriz.
Pela seguate deelaracSo dos
5
mmmwmm
* O Dr. J. Campos participa a seus clien-
Stes e ao publico que o lllm. Sr. Dr. Joa-
quim Goocalves Lima, ex-jotz de direito
da comarca de Flores, Ilustrado e distiic-
Ito jorisccpselte, d gnoo-se da o ajndar na 3M
exercicio da advocacia e se acha Insuflado **
em sen acriptorio, onde pode ser procu- g
rado para todos os negocies forenses de |j
_ qoa se acba encarregado o mesmo Dr. j
Campos, ou que Ibe beoverem de ser en- |
jm, carregados. Sj?
llilHlilllMli
Mobilins de alugaer
Alogam se raobilias completas ou qualquer tras-
te separado e tambem se alugam cadeiras em
grande porco para officios (oiebres e festas
^8nicnirs: na ra Nova armaiem de mobilias
do Pinto.
Edsdo de msica particular.
Na roa do Imperador n. 75 segundo an-
dar, lecciona-se solt>)o e diversos instro
meotos de msica, das 5 horas da tarde
as 10 da noite.
Na ra da Imperatrli n. 4 1* andar, veode-se
urna preta crioola rouito moca, bonita Bgura : sa-
fca^J.flttWW"W ..JWvG- ftfSfWw& C-SST^E
Ul>l\.~U\C> iMi.jirr -_________ -
^Tiaga-fe um sitio na Capnoga Nova, a roar-
gein do r0 oro arvoredos e casa coro commodos
para urna familia : a traur oa ra da Imperatriz
n. 6i cu no memo sitio. _____
Precisa-se de urna
o rr.ree para duas p.ssoas
3,;uimeiro indar.
ama que cozinhe e eo-
: na roa da Peoha d.
Agencia de passnportfes e porta-
rlas.
Clacdino do Reg Lima, despachante de passa-
portes e portarlas pela repartido da polica, llram
o para dentro, e fora do imperio, por coromodo
preco, e presteza : na ra da Praia* 1.* andar
n. 47.
Claudino do Reg Lima.
c\s\
de commisselo descravos
Na casa de cororalsso de escravos, ra do Impe-
rador n. 45 tercelro andar, recebem se escravos
tanto do matto, como da prica para serem vendi-
dos. O ahaixo assipnado afianza o hom tratamento
e seguranga. NesU casa ha sempre para vender
escravos de ambos os sexos.
_________________Antonio Jote Vuira deSouza.
Alagase a casa da ra do Jasmirn n. 16 : a
tratar na das'Plores d. 37 segundo jindar.______
A loga-se por iSfOOO mensaes, urna sala cero
df us quartrs : a tratar na ra o Quelmado h. 13
primeara andar. ___ _______________
Na padaria da ra do Rangel precisa.se de
om b escrava que cosinhe e eogcmm9._
Custodio Moutlnho da Silva, subdito porto-
guez va i a Europa.
luga-se
Um sitio na Capnnga Nova rna das
Pernarobucanas n. 23, em cujo muro se
acha o chafan, tendo gradeamenlo e 2
portees de ierro, casa assobradada para
grande familia, coebeira, cacimba, tan-
que, agua de eBcanamento e arvores ,
fructferas; a tratar na rna da Impera- <
inz n. 12, priroeird andar.
Samuel Power Johaston & Conipaohia
Ruada vnzala Nova n. 42.
AQKNcu na.
Fundlco deLow Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Hoendas e metas moendas para e&genuo.
Taixas de ferro coado e batido para enge
TIO.

-------------
Arreios de carYo para om e dous cavallo
Relogios de ouro patente ingla.* ^t
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costara.
m^mm ****** mmm*
Compnnhia idelidade de seguros m
maritimos e terrestres 5
stabelecida ao Rio de Jaueiro.
iHTH EM PMHA.M9UC0
4aleiU Liii de Oliveira Axereda & C,
competentemente aatorhados pela dlr*6-
i toria da computad de segaros Fldelida-
> de,wmamseforode navios, mercado-
j rias e predios nj san eacriptor4o roa da
s Crax n. 1.
mmmmmwm* mmm
i
ver o respeitavel publico que compramos aos mesmos senbores o material de sua pbo-
tograpbia:
Declaramos ter vendido ao ir. Joo Ferreira Villela o material do nosso estabele-
cimento pbotographico, que seacuava montado na ra No?a n. 25, esquina da Camboa
do Carmo. Igualmente declaramos que lo mesmo Sr. Villela vendemos a propriedade
de todas as nossas chapas, ou clichs das quaes elle poder fazer as reproducios que
quizer ou lhe forem pedidas. Recife 20 de fevereiro de 1867.
Eugenio & Mauricio.
Pedimos pois a todas as pessoas que se flzeram retratar na casa dos Srs. Euge-
nio- & Mauricio, e que quizerem reprodueces de seus retratos, tanto d08 de grande for-
mato, como dos de cartoes de visita, que se dignem vir fallar-nos. Faremos a duza das
reprodueces dos cartoes de visita a 6#000, sendo porm a encommenda de cincoenta
cartoes custara'apenas 205000.
No nosso estabelecimento conlinua-se a tirar retratos por todos os systemas pno-
tograpbicos athoje conbecidos e em uso. Temos um variado e abundante sortimento
de qoadros, passe-par-louts, caixintias e albuns para a collocaco dos retratos, e tudo da
melbor qualidade.
Acabamos de receber de Paris unra bella collecco de alfinetes de -ouro de lei pa-
ra retratos, tanto para e uso de senioras, como para grvalas de homens.
Temos grande qaantidade de cartSes com retratos de reisn rainhas, imperadores,
imperatrizes, bispos, cardeaes e notabilidades europeas,que vendemos a duzia de 4 a 5^.
Igualmente temos slereoscopos de Jacaranda, mogno e outras madeiras que vende-
mos a diversos precos, assim como temos urna graode variedade de vistas stereoscopicas
depaysagens e edificios de. Franca, Inglaterra, Roma, Suissa e Algeria ao prego de
4000 a duzia.
A officiaa e galera esto abortas todos os das e a todas as horas.
______ N.2D ^ N. 2 D
PF*> COltJLCAO DE OURO. ^jfcS
A loja n. 2 D intitulada Corceo de Ouro na roa do Cabogi, acba-se d'ora em diante offerecen-
do ao respeitavel publico com especialldade as pestoas qne bonram a moda os objectos do ultimo gos-
to (a Paris) por raeuos 20 por cento do que em outra qnalqaer parle, garantindo-se a qualidade e a so-
lidez da* obras.
O respeitavel publico avallando o desejo qne deve ter o proprietario de um novo estabelecimen-
to qne quer progresso ero sen negocio deve chegar imroediataroente ae curasao de ouro a comprar
aneiscom perfeitos'brilbantes, esmeraldas, rubina e perola ; verdadeiras em agarras, modernas pele
diminato preco de 10*. brinees moderos de ouro e coral para menina pelo prego de 3#, maracas de
prata com cabos de marSm e madreperola obra de moderno gosto (o que o eocontrario no cora$5o de
ouro) voltas de ouro com a competente erosiona ricamente enfeitada pelo pequeo preco de 12J, brin-
cos de um trabalbo perfeito por uro mdico prego, eassolelas, traoealins, pulceira?, alfloetes para re-
tratos e outros modelos todo de alto gosto, aneis proprios para botar cabello e Srma, dito para casa-
mento, no rtico roseta tero o Corceo de Ouro um completo e bem variado sortimento de diversos
gostos, botSs para punbos com diamante, rabias e esmeraldas, obra esta importante ja' pelo sen va-
lor ja' por gosto ds deseoho, brincos a forma da delicada moslnha de moca com pingente contendo es-
meraldas, rubios, brilbantes, perolas, o gosto sublime, alnete para grvala no mesmo gosto, relo-
gios para senhora cravados de pedras preciosas, ditos para bomem, diversas obras de brilhantes de
xioito gosto, erosionas de rubios, esmeraldas, perolas e brilbantes, aneis com letras, cacoletas de
erystal e'ooro descoberta para retrate (a ingleza) brincos de franja, ditos a imperatrize toda e qoal-
quVr jota, para secelocar retratos e obras de cabello, e ootros rooitos objectos que os pretenderes en-
contrario no Coraco de Duro qae se conserva com toda a amabilidade aos concurrentes deixando-
se de aqu mencionar precos de certos objectos porque (desculpem a maneira de fallar) dizendo-se o
preco talvez algnem faca mao juizo da obra, por ser tito diminuta qnanlia a vista do sea valor.
Na raesma loja compra-se, troca-se ooro, prau e pedras preciosas, e tambem recebe se eoncer-
tos, por menos do qne em ootra qualquer parte, e do-se obras a amostra com penbor, conservando-se
e Coracao de Ooro aberto at as 8 horas da aoiie.
Qualquer pessoa que se dirigir ao Cnracao de Ooro nao se podera' engaar com a casa, pois
nota se ua sua frente um coracao pendorado pintado de amarello, alem de ontro que se nota em nal
rotlo (isto se adverte em consequencia de terem ja' algomas pessoas engaado com ouira casa.
Xarope pasta de Seiva
DO
Plahclro luarUimo
DS
E. Lagasse
PreparacOes mui preconiadas pelos sabios mdi-
cos de Pars, com as melhores al boje discobertas
para a enra certa de todas as molestias do peito
broocbites agudos e cbjronicos, astbma e anda das
affecedes das vias onnarias.
DEPOSITO ESPECIAL
31Ra larga do Rasark34
Pharmacia de Harholomea A C-
Cercas e gradeamentos de ferro para jardins, cercados para animaos, chiquei-
ros, de todas as grossuras e mudaveis.
Porteiras de differentes tamanhos para sitios, jardins, cercados, e-c.


OBWWOS DE IGREJA DE
JT. BIUIE
Veslimentfiro e bordador e Paris.
23 RIJA DO I
3,
Defrente a igreja de S. Fraacisce.
Concurrencia impossivel
joslifleada pela soppressao de intermediarios, pela compra directa das materias primas, pela exe
coci dos trahalhos as uflicinas da casa e pelo diminuto lucro com que se satisfaz.
Animado pelos importantes negocios qoe faz com grande parle do mondo catholico da Eoropa
resolveu o annonciantrt estabelecer flliaes da casa oe Paris em diversos paizes longinqoos que
offerecem vanlagens, e veio inaugurar o primeiro estabelecimento nesta cidade, sem duvida urna
das mas adiautadas e commerciaote da America do Sul, e que por isso mesmo necesslta d ora
estabelecimento que nada deixe a desejar, quer em relaco as precisos maleriaes e quer inlel-
lectoaes.
Os Srs. sacerdotes e demais pessoas, que se dignarem visitar o estabelecimento, abi acbarao
semre urna gianor vriki *-
ORIVESARIA PARA GREJA.
Novos modelos de custodias e de vasos sagrados.
ALFA1AS DA IDADE HEDA, A' LUIZ 13*.
Os presos variara segundo o taroanho, o peso e a forma.
TAPETARAS e armaces para igreja.
Fornece toda a qualidade de armaces, por precos mdicos, vontade do
sempre urna pessoa no estabelecimento para ir temar as medidas necessarias para
facao da encommenda.
NOVAS UMBELLAS PRIVILEGIADAS.
fregnez ;
completa
tendo
satis-
Estas umbellas de molas, adoptadas per S. S. Pi IX, tero por sua perfeieao, novidade
e riqaeza a dopla vantagem de cobrir ioteiramente o Santissimo Sacramento e o padre, sem diffl-
cnliar o andar.
ESCLPTURAS EM MARFIM E EM OSSO.
Imagens de Cbristos, caldelrinhas, cruzes, quadros e todos os objectos devotos.
Objectos em argila, simples e prateados.
Todas as inormagoes sero ministradas gratis, acerca dos ornatos de igreja.
Conceder-se-ba faclidade para os pagamentos.
Eis o catbalogo do que tem a venda :
ICASULAS.
de
Dianas, de veludo, de crina e
galio lustroso.
De damasco com cruz de ooro e
seda.
Be damasco dobrado, com diver-
sos bordados, em relevo na
croz.
De lecido de prata oo de ouro.
dem com diversos bordados em
relevo na cruz.
dem dem mnito ricas.
De velado de seda com cruz de
ooro Uno em relevo.
De cbamalote de seda bordado.
Golhicas e da idade media.
A er da casla nao infloe no
preco.
CAPAS.
De veludo estofado.
De damasco
De teeido de prata e de ooro.
dem com emblemas em relevo
e ricas franjas na morca.
De veludo d seda.
De teeido de prata e de ooro fino.
DALMTICAS.
O memo preco das casulas.
ESTOLAS PASrORAES.
De veludo estofado.
De dito de doas faces.
De damasco.
De dito de duas faces.
e teeido de prata ti de ouro.
dem dem, com emulemas en
relevo, franjas e bordados de
torcal. -------
dem dem em relevo moito ri-
cas. .. -~
De teeido de ouro e de prata fino.
De cbamalote bordado de seda,
com duas faces.
VE'OS DE HOMBROS.
Be teeido de Lyao.
Be dito dobrado, de ooro bao.
as quatro
De damasco, bordado em relevo.
dem dem, umita rfeo.
VE'OS PARA EXPOSICAO.
De teeido de Lyo.
De charaalote de prata cora em-
blemas em relevo.
De di le dito, minio Anos.
VE'OS DE SAi.RARIOS
De todos os precos.
BANDEIRAS.
Da Saota lofancia.
De contrarias de Nossa Senhora
Parochlaes, qualqoer que seja ;
invoca cao.
Guioes com emblemas em relevo.
A collecao varia de 3o000
3:0000000.
PALLIOS.
Em nto estofado
ponas e no forro.
De teeido de Lyo, coro ooo.
De dito de prata e de ooro lus
treo.
De dito dito, coro quatro emble-
mas bordados em relevo.
Muito ricos, inteirameme bor
dados ero relevo com ooro fleo.
PANNOS MORTAR40S.
De lia.
De veludo inglez preto verda
' dtairoa
Oe damasco nobrado de brocado.
Estts pannos tem d us metros de
. largura e tres de cemprimeoto.
ROUPAS DE IGREJA.
Alvas de panno de linbo One.
c de cambraia Boa.
de panno de; linho, para
meninos do c4ro.
guarnecidas de rendas finas,
a c de fil, de rices de-
senos.
Roquetes em panno de trabo
mangas.
com das.
Amielos.
Toalhas e saogoinhos.
Corporaes de cambraia rio?.
Toalhas para commuubo e alta-
res
Guarnieses de rendas para alvas.;
Ditas para toalhas de altar, aos'
metros.
Toda a qualidade da roupa ga-1
raulida e perfeitamente execo-
tada.
XaHOPE DEPURATIVO
DE CASCA DE I.ARANMS AMARGAS
COM IODURETO DE POTASSIO
DE
*P. Laroze.
pharmaceatieo em Paria
Oioduretodepotassio um verdadeiro al-
terante, um depurador de incontestavel effi-
cacia; combinado com o xarope de casca de
laranjas amargas, aturado sem pertubaco
alguma pelos temperamentos os mais fracos,
sem alterar as funeces do estomago. As do-
se raatbematicas que elle contom permittern
aos mdicos de receital-o para todas as com-
pleicoes, as affeccoesescrofulosas, tubercur
losas, cancerosas e nos accidentes intermit-
ientes e terceiros; alm d'isso, o agente o
mais poderoso contra as doengas rheumaticas.
Deposito em todas as pharmacias e casas de
drogaras no Brasil.
Expedicoes em casa de J. P. Laroze, ru
des Lions-St-Paol, 2, Paris.
A' venda na pharmacia de P. Maurer dr.
CSjuaNovan. 29.
Dr. Ignacio "Alcibiades-Vel-
loso
MEDICO.
Contina a residir na roa da Imperatriz n. 48,
2* andar, onde pode ser procurado. D consultas
das 6 s 8 horas da manba.
Albino Rapista da Rocha, relo-
joeiro e doorador na praca da In-
dependencia n. 12, tem sempre um
sortimento de relogios de algibeira,
de ooro e prata donrados e braa-
cos, cobertoe e descobertos, oadeias
de ouro de diverses gostes, assim
coma tambem faz qnalqoer canearte perlencente a
sua arte com perfeieao e mals barate que em ou-
ira parle. Compra- se obras deooro e raaia asadas
Precsale de nm cotelro : na roa do Broas
n. 74.
PILULAS
Xarope eviiht ferros Dttstdrjarabeva
Ce pjrophasphat* di frrro
Chlerose, anemia, escrfulas, racbltismo, bten-
norrbagla, lencorrba, febret intermitentes e
amenorrha (menstruaco dolorosa e irregular),
etc., etc.
Ha moiie qoe fichamos em vista astociar
ferro as nossas preparaefes de nrnbtba ; mas le-
vamos teropo a experimentar qual a preparaco
ferroginosa, qne mals canviri ao organismo hu-
mano, vlndo por tiro a decidir-no? pelo pyrophos-
pbato de ferro, com o qual podemos preparar os
nossos xarope eNvinho de Jurubeba ferruginosos..
Temos a observar, porm, que o uso dos medi-
camentos de jorubeba com o pyropbospbato de
ferro nunca pode occasiopar a pbtyjiea as pes-
soas ainda as mals delicadas, como moilas vezes
tem acontecido ai a pessoas robustas, que se hao
servido do mesmo medicamento preparado com
outras substancias ferruginosas, por isso qoe o
phosphoro, debaixo da formado pyrophospbato,
um meio propbylatico recoohecido infallivel con-
tra esta terrivel affeccao.
As preparaccs de jnrnbeba, a que bavemos as-
sociado o pyrepbosphato de ferro, sao mui provei-
tosas do tratamento das molestias das seoboras,
taes como a cblorose, aoeroia, ele.
Estas mole.-tias manifestam-ee coro os syropto-
mas segoiotes : descoramento geral da pelle e
das membranas mocosas, maereza, incbaco das
faces e das peroas ;exctacao nervosa, hysteris-
roo, melancola, debiiidade moscnlar, dores ne-
vralgicas, pulso mais frequente do qoe no estade
dcaade, calor fcbl, pelle secea, appelites de-
pravados, vmitos, prisao de ventre, menslruagao
dolorosa, irregular, pooco abundante, descorada,
oulla, flores brancas, aroenorrhugia e lofecun-
didade.
Este estado espantoso, alias to ordinariamente
reconbecido entre nos era crescido numero de se-
nhoras, desapparece s cora o prudente uso das
preparares cima.
nico deposlio dosies medicamentos : pharma-
cia de J A. Prnto & C, ra larga do Rosario n.
10, em Pernambuco.
. i
Guardas par arvores, plantas e outros objectos da ferro que se venden, por
preco mdico, no armazem de Tasso Irm^s na praja do Caes de Apollo ao p da ponte
provisoria.
DIVERSOS OBJECTOS.
Bolsas para tirar esroolas.
Cordoes tinos para alvas.
para meninos do coro.
Voltas, s dazias.
Ciatos e cinturoes.
Sacras de altar, em carlao.
Ditas ero quadros.
Marcas para missaes, com
pernas, era chamalote. -n j j a
Flores artiBciaes, o ramo. t aiKllO^lO 3. AllTra
Es1ldfLei ,0d"S S deinais obj"ec" A mais antiga desta previncia e com todas
' perfei(des era seus ajachloisraos, -oflereee a
Trocam-se !.-
i as notas das caixas filiaos do banco do Brasi
seis l'raca da Independencia n. 22.
Da
BRONZES DE IGREJA.
as
.seus
nflroerosas frecneze* por razoaveis pregos suas
1 *"',!!"""' Prateados. i mannfacloras, bem como que tem um bom pessoal
para cora rapidez ater qualquer coocerlo oa ebra
uova.
lusiaoj pataca
de novos modelos:
325 milmetros (15
379
Precisa-se de urna pessoa para caixeiro de
drogara da ra do imperador n. 22, que d pro-
vas de sua babililaco : a tratar com o Dr. S Pe-
reira. .
Aluga-se o armazem do sobrado n. 1 da ra
Imperial: a tratar no primeiro andar.
Pablictflo jurdica.
Prelec0es de Direilo Internacional e de
Diplomacia com a pp l i cacao e refermeia de
seus principios as leis particulares, con-
vences, e aos tratados do Brasil at 1866
pelo Dr. Antonio de Vasconcellos Mene-
zes de Drummond, lente substituto da Fa-
culdade de Direito do Recife ele 2 vol in
S brocb. por 105000 pagos entrega do
primeiro volme, que constituir a primei-
ra dessas obras.
A ultima dellas acompanhar um epilogo-
das disposices da legislado patria, relati-
vas ao i direitos e deveres do eslrangeiro no
Brasil, bam como aos do Brasileiro fora do
Imperio;
Assigna-se as lojas de livros das ras do-
Crespo n. 2 e 9 ; do Imperador n. 13 ; da-
Cruz a. 52 na de encademaco do caes de
21 de Novembro junto a typographia do
Jornal d Recife ; nos escriptorios das ty-
pographias do Diario de Yernambuco a/na
das Cruzesn. 44, e do Cor'eio do Recife
ra do Imperador n. 79 e n loja da ra
da Imperatriz esquina da ra da Aurora n.
n. 2, loja de louca.
Depoisda publicaco da primeira obra,
nao serao mais admittidas assignatuias e
mbas ellas sero vendidas por ftiaior preco.
433
487
541
650
812
(1*
(16
(18
(20
(24
(30
poilegadas).
).
Gimes
Croxes de altar, correspondentes
aos oasticaes, o par.
Tboribulos e navetas prateadas.
Caldeirtahas com hyaoppe idem.
Custodias ditas e doeadas.
Lastres ditos e correles fortes
para os mesmo?.
Crozes para procissio, com ralos
dius.
sem| Varar, alabardas para suissos e
cadas para porteiro.
Estes objectos todos sao em ce-
bra e nao em roateriaes de
composicio.
Ba se bolas de veodagem a
oa roa Imperial o. 37.
WMKMtt mm a um*
O Dr. Alexandre debouja Pereira do i
Carme rrradou sua residencia para o
MK andar do sobrado o. 12 da ra da Impe- |
Z ratriz e continua a exercer a sua profis- ^
I sao de medico.
Aviso efesecial para evitar qualquer erro ou mf.
0 Srs. compradores nao devem ignorar qoe o ouro uSo pode ser fiado netn
teeido, e que por consegointe os gaBes dos ornamentos chamados de orjuo fino s3o de
prata dnurada, os de ouro nao rno s2o de mena dourado e as de ouro falso sao de
cobre doorado, e como tal coBfuadir os tituJos que se Ibes deu sempre, qne sao mera-
mente commerciaea.
O oraamentoqii o annunMftjMU venda sio o de gaffies'de ouro meio
finos, falsos en de ?Ma, ftfnpndaflij ou fian por encomiaenda; e neohum
objecto sahe de sea aOabeJnctmento sm mpaonado d'uma factura por e1 Grma-
4a, especificando a qaaiidade do objectiU'J|ara papvH explkafei sampre incoa-
taiopjw aodepois de reamada a imtM .
O hospilal dos lazaros precisa de aro serven-
te para o servido do estabelecimento : a tratar
com* respectivo regente ou com o Sr. mordomo.
Antonio Joe Gomes do Curris. -------.
Precisa-se de nina ama para eoztnhar e la"
var roopafroa roa Imperial n. 97._______'
Comedorias, *
Contina-se a fornecer comedorias com aselo e
por coromodo preco : na roa estreita do Rosario
n. 21, segando andar.'_____________
AMA
Precisa-se de urna ama qne saiba cosmbar para
casa de bomem soileiro : na roa da Cadeia n. 53.

IA
P' io-Qaimt4m..t.
1 rea
MARTIMOS
Alerta
CONTRA FOGO.
A companbia Indemaisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros maritimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e raobilias:
oaTna do Vi gario n. 4,
Para evitar.llovidas.
Em alguns nmeros de Diario de Pernambuco
do mez de Janeiro, que so agora li-os, por andar
pelo sertao qoando foraro publicados ; depara! cem
nm aununcio cbamando ao pateo do Carmo n. 4,
o Sr. Joapoim redro Brrelo do Reg. Como a
semelbanca de nome possa fazer crer, que coraigo
se entede tal annuncio, julgo convealente decla-
rar qae a ontro diz respailo, visto como Joaqaim
Pedro Barreto do Reg nm prente meo, que
ha pouca mudou se da freguezia do Cabo para a
cidade da Parahiba. Alera de nunca ter lido ne-
gocios no pateo do Carao n. 4, chamo-me
* Joaqoim Pedro Barreto de Mello neg.
Acha-se fgido o escravu de nome Ignacio, mu-
alo escaro, idade 33 aonos mais oa menos, alta-
ra regular, pun.-a barba, com signaes de bexigas,
esta com calca de algodo azul e camisa de chita
rdxa, consta ter andado no bairro do Recife e S.
Jos : grat'lica-se a quem o pegar ou delle der no-
ticias na rus da Aurora n. AS oa 20 da mesma
rna.
Saques sobr. Lisboa
Oilveira Fuo* & C, larg J Corpo Sanio n
9. saccam s bre a pra;. da Lisbja.______
O abano assignado, solicitador nos andiiono
desta capital e outros termos, enearrega-se de qnal-
qoer questo civil, conimerciai, ecclesiaslica e cri-
minal, proprtndo-se a lleudar amigavelmeote to-
oavimervto termo rfl,s. I06 estejaro nos limites de ser concluidas Id
' i dependentes de litigio jodlcial enearregaodo se-
! tambem d> trabalbar no fro por partido anmul-e
razovet paga.
as horas vagas, o abaixo assignado accelta e*'
eriptoraedes commerciaes pelo systtma de parti-
das dobradas, eiercendo esla proQseie des 7 l|:
*'s 10 oras da roanhaa, das 3 as 6 on Urde?
ncarregandose tambem deensinar auaalqoer ma-
co ou meninas a escrever perfeilamenlfrbemem se*-
seota dias, com todas as rtgras cagunnicas, com
podera' o abaixo assigoado provar com o tesierou-
oho do Sr. Joio da Malta Beliro, a caja irma te-
ve a boora de leccionar.
Recife, 21 de fevereiro de IS67.
Juao dmcio Gomes da Silva.
Alnga-se o primeiro andar do sobrado da
roa do Vigario n. 56, so para escripiorio : a tratar
no arnuzem do mesma.
Alagn-se o sitio do Monteiro becco do Onla-
bo : a fallar cera Zeerino Fernandei da Silva
Manta, rpa das Carrocas n. 88, fregnezi de &.-
JtseT.

cm-

Amo,
Precisa-se de orna ama para cosinhar para
co pesiows : na ra do Imperador o. li.
~~^ Precisarse de"omTamagara ted" servlf* e
ama casa: na ra de Aortas n. til, prtmelre
andar*.
-H-
.*
.


r^1


.**


Diario de l'eru ni>uco L pulula leira i de narco de loo 7.


.'
ELIXIR DEPUKATIVO
DO
lili. SEVIAL.
Para o tratamento e cura rpida e completa das molestias syphiliticas, erisype-
tas, rnumatismo, bobas, gota, debilidade do estomago, infiammacSes ebrooicas do figado
ebaco, dores sciaticas, cephalalgias, nevralgias, ulceras chronicas, hydropesias, pleuri-
sias, gonorrheas chronicas e em ge al todas as molestias em que se tenha em vista a pu-
rificado do systema sanguneo.
Coaalderacea ge raes
A saude um bem inapreciavel, cuja importancia e valor s est reservado ao en-
emooavalia-lo.
CASA DA FORTUNA.
Aos 6:0000000.
Hllhecs garantidos.
A' RA DO CRBSPON. 23 ECASAS DO COSTUME
O ab^ixo assignado ?eudeu aos seus muiio feli-
es bilht-tes garantidos da loleria que se acabos
de exlrahir a beneficio da irtnaodade de ossa Se-
uara di Paz ous Afugidos, os seguales premios :
N. 1618 no meio coto a sorte N. 792 dous iaarios com a sorle de 500
N. 749 um qoaio com a sorte de 2001.
E ouiras multas sones de 1005, 40* e 20*V
Os possuidores pudem vr receber seus respec-
tivos premios sem os deseuotos das leis, na casa
da Fortuna' ruado Crespn. 23.
Acbam-se a venda os da 3i" parte da lotera
(9*) a beneficio das fimitias dos voluntario* da
iQcontestave que o homem neste mundo e constantemente, e por todos os lados; patria, que se eitranira' sabbado 9 do corrate.
Preco.
Bilheles........ 6u0
Meios............ 34000
Quartos.......... 1J500
as pessoas qe eoraprarem de 100^600
para cima.
Bilheles.......... 84300
Helos............ 750
Quarlos.......... 14375
Manoel Manios Pinta.
r,
Offerece-se ama seobora porUignea par cas
de ponca familia, cose e eogooma : ra Ni-
va_de SaoU Rita n, 7,'lanera

tacado por urna inflnidade de agentes morbficos qoe todos tendero, dadas certas e deter-
minadas crcumstancas, a alterar o regular exercicio das funeces orgnicas, resultando
pesse desequilibrio o que se chamamolestia.
A molestia nao mais do que a desvirtuado das forjas vitaes, occasionada, se- ptrj
gundo as investigacoes e experiencias dos mais abausado meslres da scieocia, pela depra-
vado dos humores geraes, consequencia da accSo maligna desses mesmos agentes morb-
ficos intreduzdos no organismo pelo acto da respiraclo, pela va digestiva, pelo contacto
uamediato etc. etc. etc.
A syphilis infelizmente tem sido a partilha da humanidade, e como fra de duvi-
fe qoe esse terrivel Proteo da medicina urna molestia hereditaria, ella tem sido obser-
vada em todas as idades, e debaixo de todas as suas formas tao variadas, enfraquecendo
constituc5es robustas, produzindo mutilacoes, e cortando ainda em flor da idade vidas
preciosas.
Eliminar da economa esses principios deleterios. e purificar a massa geral dos!
humores tem sido desde tempo immemorial o fim constante da medicina, e os purgati-
vos figurara em primeiro lugar para preencher esse desteratum ou fim.
O Elixir depurativo do Dr. Sevial parece merecer a preferencia sobre todos: os
immensos successos obtidos pelo uso deste salutar agen e tanto na Allemanha, como em
Franca e Italia, o tornam o companbeiro inseparavel de quasi todos os doentes.
Sendo as melestias, como cima disseraos,, devidas s alteraces dos humores, o
Elixir depurativo do Dr. Sevial pode ser empregdo vantajosamente na syphilis, erisy-
pelas, rbeumatismos, bebas, gota, debilidade do estomago, inflammages chronicas do
figado e baco, dores sciaticas, cephalalgias, nevralgias, ulceras chronicas, hydropesias.
pleurisias, gonorrheas chronicas etc. e em geral em todas as molestias em que se tenha
em vista a purificaco do systema sanguneo; pois que orna pratica constante tem feito
ver que elle inspensavel nos casos gravissimos para minorar os soflrimentos, e pre-
parar o doente para medicaces superiores ; o as menos graves a cura a conse-
quencia do seu tjso, convenientemente repetido.
As substancias que entram na composico do Elixir depurativo do Dr. Seviai
pertencem todas exclusivamente ao reino vegetal, e grande cathegoria das substan-
cias depurativas e antisyphitioas; assim, ao passo que este remedio depura o orga-
nismo, eliminando os principios nocivos saude, pelo mecanismo natural das evacu-
ares alvinas, neutral:sa ao mesmo tempo o virus syphiilitico quando este virus ja
tem feito erupcao no exterior debaixo de suas multiplicadas formas; e previne tam-
bera es estragos dessa terrivel molestia, quando por ventura se ache ella ainda no
estado e encubando, isto sem se ter manifestado sob formas externas: beneficio
immenso, tanto mais quanto neste estado os individuos ignoram completamente se es-
tilo contaminados por este terrivel inimigo,
O sabor agradavel d'este Elixir convem a todos os estmagos, a sua accSo so-
bre o tubo intestinal suave e benigna, e de nenhuma forma produz molestias medi-
camentosas, como acontece ao purgante dito Le Roy, que na sua qualidade de drs-
tico forte irrita a mucosa intestinal, e consecutivamente a seroza, resultando dVjste es-
tado, umitas veees, hydropesias, que quasi sempre terminam pela morte do doente.
Assim .pois esperamos que o uso deste remedio justifique cabalmente as nos-
sas asseveracoes, porque sendo um medicamento tao simples na sua oomposicao, a
pratica tem confirmado sua ulilidade.
Pule depasito en Pernaaabaie*
Na botica e drogara
DE
Bartohomeo Companhia.
84BA DO ROSARIO LARGA34
Precisare de ama ama para andar com um me-
nino e tratar da roupa dj mesmo : a tratar na
praca do Corpo Santo n. !7,*ereeiro anftr.$
YERDADEIRO LE ROY
de SKNORET, Doctenr-Mdeein
Ru de Saine, 5i, PARS.
F.m cada garrafa, ral, emtit a rotha e pe aiyt
que lera o meu (ltete, um rotlo imprmo em ana-
relio cem Su.lo Ihpiul do cotikno fiakcfz.
N. B. Kemcltendo-se ama Ultra de 560 frascos
sobre Pars, aceitare! a 60 dias de vista, ao mximo,
goza-se do abaltmento e do autor
Deposito principal
lo legitimo Le Roy
em Caza do aoiso
nico arrale pele
Brajil a Sn> Anto-
nio Fninc : de La-
ceiba na Baha
no* pi-Kelpae pkar-
maceu leos.
W: 3 ARa do Cabug-N.
Agostiaho Jos dos Santos, proprietario deste antigo estabelecimento,
tendo feito urna reforma geral no seu negocio, apresenta-se a concorrencia
publica convicto que poder* servir vantajosamente aos seus freguezes. Esta
casa acha-se completamente sortija de obras de i.uro, prata e briluantes, cu-
jos precos sao o mais resumido possivel. Gompram-seos mesmos objectos
acinaa declarados em obras vellias. Incumbe-se de qualquer encommenda
concernente ao seu negocio.

Agostiako Jos dos Santos $ G
INTERNATO
DE
Estabetecide na fijarle do Rreife em 18 i2
Sob a proteceao do Innno Pontfice Po IX
DIRECTORO B*CHAREL EM MATHEMATICAS
Bernardo Pereira do Oarmo Jnior.
O director, do intemato de S. Bernardo, nao tendo evitado esbrcos
nem .icrificiof; para proporcionar aos seus alumnos urna perfeita educacao
physica, moral, intellectual e religiosa, i fferecendo-lhes urna habitaco com
bastantes condics de salubndade, habis professores que sao solcitos em
prepralos conve^Lenieraente ae fim a que se destinara, medico pratico
que lhes faca c imprehender os preceitos da hygiene e Ibes cure das doencas
e finalmente um sacerdote llisirad^p e honesto que lhes explique os princi-
pas da religij chrislaa, espera que assim constituido e em vista do ex-
peliente resultado, que tem apresentado, contando um crescido numero de
alumnos na Faculdade de Direito, que conclairam all vaotajosamente os es-
tudos preparatorios, tSo deixar o seu estabelecimento de continuar a mere-
cer dos senhores paes de familias o auxilio e confianza com que j rauitos o
tem honrado; e lhes roga, bem como a todas as pessoas interessadas, que
se dignem de visitar o mesmo seu estabelecimento, onde sempre encontra-
rlo franao ingresso.
Cadeiras de ensino:Primeiras lettras dividida em duas clssses, ten-
do cada urna o seu professor, latim, francez, inglez," arithmetica, algebra e
geomelria, geographia, rhetorici, philosophia, desenho e msica.
O collegio tem a sua sede nos espacosos edificios ns. 32 e 34 5 ra
da Aurora.
? Nos estatutos do collegio, que estao disposicao de quem os quizer
ler/ se aclara consignadas s coudices de entrada e matricula as diversas
aulas do estabelecimento.
4BI
Deposito
14. IM
kouc. tugir-o
i* FtkrUt ictasa
*
\V4 lunissi
FERRO QUEVENNE
Aperotado pote catasta it Midicitsa,
ttcierttado fw eircuar tiftcial do Minklr.
0 FSRBO OUKvepve ae usa em todos m ca-
sos para os quies os ferreos sto prescritos.; uto
(aa oa denles Icarom pretos; be a pre^araeAo a
taia activa, a mais agradard e a mala ecoio-
mica; muitss rszes um frasco k sufficieate para
curar ama calores.
* A experiencia me proToa aae neabuma pra-
paraeie frrea he sapportaaa mais facmeito
eme o ferro QDBVBNNE, em ebierraado aa
limites de dosos muito reguladas. .
BeoesuaDAT, nnuario da tKtrapmtict, IMS.
O Faaao Qnirprai readooo om frascos do
10. CBNT1Q. ^H,"^1, | f
JfsdMadodM*.
lito feral em casa do Estille Geaierolx,
!
HEDALHA DE Ol'RO, me-iodeis.mof:
auiNA
ELIXIR Febrfugo
e Frtificuti
rentioi ioimisil moru 11 ni.
Eiperimeotada com pleno saccetso nos
hospitaes, a quii Larocbe (oa astraeto
completo do quina) tuna preparacao
excepcional, por ser privada do amargo
da quina. Agrada por consetrulnte as pessoas
as mais intolerantes e aos paladares os mais
delicad.s, pois nem muito doce nem multo
riscosa, sendo de ama limpidez constante.
Emprega-se com muito prorcito nos casos
de^gaalralga, dj-tpepoia, nevralgia, ane-
mia, marasmo, cachexiai, magreza,
Sastio sem eausa auparente, conv ale ceo-
fas drmorada, ehloroiu e eiorophulai
K o especiCco Oas molestias febril,
Otiill* UR0CHE FERRU6IN0S
Isuises Isiss ss srssristMso H torro s a ssiu.
Bal PAHIZ,
15, m* Drouot.
P. MATJRER
ra Nova n.
&
18.

i^>^
'- n
les, diamantes, oura e prata emj
obras vellics. m
Corapra-se toda e qualquer obra g
que outtolia brilliautes e diaman- wm
tes em obras vellias, e mesmo pe-
dra< solas, bem assi .i onro e [ra-
ta : no coracio de ouro n. 2 O, ra
_do_Caong Ijja de joias.
rmas de ferro
para piugar -nrar, cheffoa urna pequea en-
connui'M i.i a tatac.1 de (lardoso f Irmio, na ra
do Brun'.
Precisaba iin uma ama pira casa de pique-
na familia : na ra do Ottovelio n. 49.
Traspassase or quatm a a os "o arreada-
renlo du cn^ntio Novo du term-i de Srriuha-rn,
moenle (d'aKua), e crrente tero dua leguas de
dilaocia da estafio de Gameli.-a (via ferreia),
oegocia-ie (amorro t safra nova d.) mesmo enge-
nbo, a tmiada, cavalljse siguas escravos : ((nem
jlier far e-te negocio [iodo dugr.?e tu mesmo
enp'nbo 00 entender se na ra B-lla o i3 com o
|r. Miguel Lucio.
PrtcL-a fe de nm r-aiTeiro pequeo prefere-se
poriuue? : ua ra das'Grates n. 41.
DE
..
DE IGREJA
Hhi da Cadela n. A&
Chegou de Pars, como se esperava, pm lind e variado sortirjaento de ornamen-
tos de greja de damasco baco, encarnado, roxo, verde, preto, branco sebasto-e en-
earnado enasto de muito boa qualidPSe e bandados de galio de seda ; capas de asper-
ges e umbeilag: tudo conforme o rito portuguez.
o obstante a melhor qualidade da fazenda e meihor gosto dos objectos que ago-
M recbenlos, nenhuma alteracao fizemos nos precos, coja extraordinaria reducSo j
connecirw de nossos freguezes.
- Os Rvms Srs. sacerdotes e raembros de confrarias que DOS deranvsuas ondeos
lerao a bondide minear receber as suag encommendas.
1- L'Ji da Silva, so'idrto
para Cumpa.
pwrtagnei,
re ra-?e
A Henead.
Fugio na imite de 3 de feverjrir do correte an-
ho, ti mulat 1 Ago.-tintiu, e-cravo da lj> Marques
de Oliveira mirador na povjaeo de Agua* Bellas,'
coto os Mgnaes seguinies : tiaisg e *eee rr m-)-
rena, rah lio iret >s estira lo.*, ro.D magro e
com m-ucs harPa, (alia de llantas ealgoos podres
na frente, farra tim tuna, ps e raaos ppqnenos
liassx pur forro d manelr11 qne .iup|)de-s |ra
asseniar praca, levando cnapo e bao de couro
e cerca dt< tOOiu iuem 6 p*r*r oa delle der no-
lela eflla a sw ennor ser' recnnipeniado.
Preisa se de nm portnioe2 pan MtT de
"" J>rec'sa-J de um catxeiro com algurjm pra-
tica de tabeina de 12 a 16 anuos e^jtie fi cjtV
cimenlo de sua condacta : na ra do Brnm n. 35.
previne-se a tempe
Furtaram do domingo 3 do correle, do tercelro t
andar do sobrado da roa do Trapiche 44, um '
relogto de ooro patente, com correnie (an.bem de
ouro do feitiode uu.a redea. tetado dh pona urna
chave em toma de om chicotej partido om puti-
co nalponia : a quem fo.- presedte taesubjcios ro-
ga-se d appreltende.los e levar a' dita casa (fue
ser recompensado, a polica j se fet tcienie des-
la roobo. R
iuscptia Heoriqueta de Miranda Barro pro-
fessora particular dofiairro da Boa-Visia,{az sciou-
te ao respeitavel publico que reudou a sua re.-i-
Pra o bairro de S. Jos, onde preteorte
abrir a aa aula, prometiendo todo cuidarlo e iX no adlaoiameoto de suas alomnas, poi* jue ja
oxerce esle magisterio a 20 aooos. Tan|bfm es-
la prompia para receber alnmuas petsidni.'ta"" e
meio pensionistas : nuem de seu prestlmo se qoi-
ter llsardirija-se a rna da Aswtnpco n. 18,
qae acbara com qtremjraiar._____________
A rendase
Nm sido distante de Oltnda poseo mais de nm 1
jjuarto de legna, Ionio ae sitio oa Peixlubo, coto
banheiro no rio Beberibe, com laraogeiras, jaquei-
ras, coqueiros, mangoeiras, mangabeiras. e rosei-<
ras, com boa rasa de residencia para familia ; no '
aterro do Varadouro o. i acbara1 com quem tratar
ou com o Sr.{J..aqoim Lopes de Almeida.
Precisase cora brevidade de 3:000* seodo
dous em fatendas e um em dwrteiro a premio.dao-
do se por garante da lirma orna propriedade e tr-
ras coberta de malla virgem, sendo um qua lo de
legna de frente e jneia de (ando, dase at mais
predios se possivel fdr, de raizes e movis para
garante do mesmo : roga-se a quem qoizer fater
o negocio deizar carta fechada nesle eseriptono
com as ioiciaes A. F. S. L,deixando sua morada
para ser procurado.
Precisa-se de nm correspondente que t sop.
primenlo par factura de madelras, sendo este
prelertdor das mesmas com diminuicao das po-
cenugeos, conforme sepossaajusUr.erogase leda
brevidade, dase garante da firma cem urna pro-
prtedade de Ierras coberta : regase a quera con-
vter titer este negocio deixe carta fechada oeste
escriptorlo com as iniciaos A. F. S. L. declara**!*
soa morada e nome para ter procurado.
Aluga-se nasa peesoa para andar com boi e
carroca, (ambem aloga se orna cotra para vender
leile: quero precisar falle rom o Sr. Seraptaim
Leja Pereira morador nos Remedios.
frecisa-se de ama criada fiel para law e
engammar, e qualquer oetro servico de casa : a
.tratar na rna do Trapiche a. I segondj andar.
Precisase le urna criada Del para lavar e
engommar e ouiro qualquer servico da mesma
casa : a tratar na rna do Trapiche n. 8, segando
andar.
limaiaadedrTEspirito Saute Coi-
legie.
A mesa regedora desta irmandade cenvida aos
irroos e ae publico para assistir aoe seta oes d
presente quaresma, os quaes tero lugar lodos os
sabbados as 7 horas da larda, sendo oradores os
Bvmds. padres mesl'ei Antonio Manoel da As-
sumpeo. Lino do Monte Carmello Lona e Leonar
do Joao Grego, stndo sabbado o padre Lioo.
Precisa-se de orna ama : a tratar na ra da
Concordia na casa nova confronte a refioaejie.
Grande aiznazem de tin-
tas medicamentos etc.
Rna do Imperador n, 22.
Productos chimicos e pharma- i
ceticos os mais empregados em
medicina.
Tintas para todo o genero de pin-
tura e para tinturara.
Productos industriaos e tintas
para flores, como botes de flores
e modelos em gesso para imitar
fructas. e passaros com o compe-
tente desenlio.
Productos chimicos e industriaes
?|j para pbolograpbia, tinturara, pin-
|S tura, pyrotecnia etc.
M Montado em grande escala e sup-
I prido directamente de Paris, Lon-
S dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa :
I pode ofiferecer. productos de plena S
W{ confianca e satisfazer qualquer en- fS
jg commenda a grosso trato e a reta- ^
x.% lho e por prego commodo. mk
mam mmm-mmmwmmm
XIROPE
peitoral dnlcifloanta
SAINT- GEORGES
taparais par
GRIMAUI.T e Cu
phsraacsutlcos ds S. A. L
a prlaslps Napolala
Cora rpida de las
melestias seguentea:
tote, catarrhes, pltu-
resia, coqueluche, an-
ginas, fortes eonskpa-
(oes, irritaedes ios
brontkes e do peito,
bronehite,phk*ica pul-
monar, astma, pneu-
monia,anginas,amyg-
dalites, teste chronica,
i*. Os mdicos recoaimeado ao meama
po o mo das excelleates pastilhas peito-
m oom o aaooo d'alnto* lanreiro
owJo, jm h pr^trlo h Mano tatabete-
A venda
Gaors.
as pharmacias de Maurer e A.
CALADOS BARATOS
Vndese na rna do Imperador d. 32 :
Berzegnins Inglezes de ceuro da rupia a
Bitos de Nenies a 7,5300.
Uilos para senhora eafellados a o&.
Sites rizos a $.
Dltes de cores a 34500.
Ditos para a mesma a 4.
Di (os decores a 22300.
Sapaides Inglezes a 3?200.
I'ites fraBcezes a i.
Ditos sola dobrada a 5j.
7WQ-
COMPRAS
Compram-sc escravos
Stlvino Gnilherme de Barros, compra, vende e
troca efteciivamente escravos de ambos os sexo;
e de todas as dades : a' ra do Imperador n. 79,
terceiro andar.
Ouro e wrata.
Em obras velbas : compra-se na praga da ln
dependencio n. 22. foja de bilhetes.
Compram-se libras
udependeucia o. 22.
sterliuas : na praga da
Compra-se ouro, praia e pedras preciosas em
obras velhas : na ra da Cideta do liedle lja
de ourives no arco da CoBcefco.
Moedas de ouro.
Nanonaes e e.strangetras assirr; c.mo libras
esterlinas: campram-sc ca ra do Cn-spo n. 16.
prtmero sudar.
Es era va
Compra-se urna escrava cosjnheira na ra da
eozala N>va u. 38 : na mesma cata prteisa-se
alogar urna preta para o mismo misler.
ggj Compra-se tima molatloba de O a lJ2
*J annos quo saiba er<;ommar" e r^ser : **
fe quem tiver para vrndcr prc-rure o !.ea- ^g
.aj, te-roronei Salles oo segando andar do so- _,.
iit brad > Propti-ta.
Na praca da Iodpp3nd:ncia n. 33, loja de
runvfcs, comprase onro, prata e podras preciosas,
e (ambem se faz qualquer obra do entuitimenda e
todo e qualquer concert.
VNDESE
Terrenos a U o palmo, com 800 de fundo, cuj
terreno pertencente ao sitio do floado Plmentel,
na (ri.vessa do Loca, (na Passagem): a tratar nu
mesmo__________________________
Aos Srs. oleiros.
Wacamboa dos Remedios vende-se barro dote
ja amassado, para toda e qoalquer obra, a visla
das canoas se ar (o preco : a tratar na mesn a
camboa com o cauitao Deltim._________
Vendero se ettellentes pudras do amolar, (a
rlnha eru saceos grandes e toitho mah barato du
que era outra qualquer parle : tiu caes du Hamos
n;_4;__________________________
Cera de carnauba
yende-se na roa do Queimado o. 77, loja de
en._________________________*___________
Vende-so uma armac3o nova de ama-
rello para loja de fazendas ou outro qual-
quer negocio : na ra di [mperattiz n. 86,
tambetn se aluga a casa a quem comprar a
armaco, a tratar na mesma ra loja da Ara*
ra n. 5t>.
XAROPE
BE CASCAS DE LARANJAS AMARGAS
*te I. P. Laroze, pharmaceutlco
em Parts
3j annos de successos attestam a sua eflieaeia,
como:
_tnico excitante, para ajudar as func-
toes do estomago, assim como dos intesti-
nos, e curar as doencas nervosas, agudas ou
chronicas.
tnico anti-nervoso, para curar os incom-
modos percursores de doencas assim evita-
das, e para facilitar a digestao.
anti-pebiodico, contra os calafrios, calo-
res, com ou sem intermittencias, e que leem
por especinuu aa auuitduas amargas; iaui-
bem eDcaz contra as gastrites e as gas-
tralgias.
tnico reparador, para combater a ex-
haustac3o do sangue, dispepsia, anemia, es-
gotamento, inappetencia, langor etc.
Depsito em todas as pharmacias e casas
de drogaras no Brasil.
Expedi(,5es. em casa de J. P. Lizorc. rae
des Lions-St-Psul. i, Paris.
Deposito em Pernambuco, pbarmacia de
n. Maurer A C ra Nova n. 29.
i Na ra do Vigario n. 8, vende-se saccas
de farinha de Santa Camarina, com pequeo toque
de mofo ao prego de 5 barato, s o saccj vale
6V rs., tambera vende-se ora escravu moco, sadto
e possaote para tod i servido.
Matlieus" Austin & 0.
Vender., uo s>eu aruiazeui a ra
da Seuzala Venha n. 106:
Litas com gaz de i* qualidade.
IJarricas com farinha a mnno muito nova.
Saceos grandes corn farello novo, para acabar, a
3O0. *
lltrris com pregos americanos.
Vende se u'ii raoleque com 7 annos'de ida-
de, sadio e bem esporto : na roa de liarlas so-
brado o. 10?.
ftequifes ou babadiaLos de cambraia.
A aguia brapca acaba de receber nm bello sor-
(imeoto de nqolfes ou babadiobos de cambraia en-
lejiados de branco e de cores, e mof proprlos para
vestidos de senheras e tnenioa?, e mesmo outras
obras a qoe as stnboras es apnllcam cara acert e
gosto, as peciobas sao de 5 metros e veodem se a
2500 e 3 cada ama : oa loja o'aguia branca rua-
do Qoelmado n. 8. ..
vUbuns'para retratos.
A aguia branca recebeu novo sorllmento de bo-
nitos aibuos para rer;tose conlinoa a vende-los
como sempre por precos commodos : comparecam
Si,,'LPre,ei",eoles a ru 00 Queimado loja da-
aguia branca n. 8.
Novos enfeites para vestidos.
A aguia branca a ra doQueimado receben no-
vos enfeites para ves idos noiando-se entre elles
as cascarnlhas com bico, obra nova e de gosto
Carteiras de algibeira com tesoura. pente e..
mais necessarios para viagem-/
Vendem-se na loja de miudezas a ra do Qnei
ra^do n. 16. *
Coques Gugiodo cabello.
Lises e crespos, singeins e composlos, de goairs,
canudos e redondos, cobertos com fllet simples
dei vid rios, ornados com flores e flus, obra nova
e de gosio.
Har scahoras e meninas.
Leqaes Anos de madreperola e osso, todo de sn-
dalo e de sndalo com seda, com Anos e boaiiVs
deseobos.
Otos de madreperola.
Bonitos penles de madreperola mui alvo para
coques, lindas flvellas de dita dita para cintos, de-
licados alneles e brincos, botes para ponbos. &
bra prima.
Adereces penles e flvellas ignaes de dita, a.
brincos. Fivellas e Otas para cintos, cintos mar.-
sados, obra novissima e de gosto.
Ramos de flores urnas.
Como geralmente sabido, a loja da aguia bran-
ca o jardim darfloas flores artificiaos, e alm do
bom sortimeoto qne sempre se acha em dita loja a
aguia acaba de receber novas flores as quaes se
conbece rigor d'arle imiUndo as flores natura-?.
Na laja oa agola branca a roa do Qaeimado n. 8
acharo os apreciadores do bom e delicado oojxp de
flores com compridas ramas, rosas, etc., tnlo do
melbor gosto e prtmeira qualidade.
Jteias pelas para padre.
A aguia branca a* ra do Queiroado n. 8 rece-
beu novo sortimento daquellas boas metas pretas
de lata que eonliouam a ser vendidas a 090 o
Vsperas e dminos.
A aguia branca a' roa do Quelraado a. 8 rece-
beu novo sorllmento de vsporas em caixas de ma-
deira e paptlo eora 24 e 36 candes, tendo entra
elles alguos cem chapa de met.tl para cobrlr o nu-
mero ; assim como dminos em caixas de madeira
brauc? o enveroisada.
Rap Paulo Cordeiro.
A loja de miudezas a' ra do Queimado n. 16,
recebeu nova remesa de rap Paulo Cordeiro, e
continua a tecebe-lo por lados os vapores, para
qoe os apretadores aebem sempre boa pilada.
Botes grandes
e peleaos, pret s e de entras cres.
A aguia branca recebeu um bello sortimeuto de
botoes de diversas qoaltdades e gostos os mais
modernos, a elles boa freguezia da aguia branca,
comparecam a ra do Queimado o. 8.
tws aderecos dourados
Na loja de miudezas a ra do Qoeimado n. 16,
vendem-se bonitos meios aderecos dourado fino
obras mni bem acabadas e de novissimos moldes
gostos agradaveis e preces to cemmodos que ne-
nbum comprador objeciara.
Amostras de obras douradas
A aguia branca a ra dj Queta*** n, 8, rece-
beu urna pequea quactidade de meios adereeos
dourados, obras de moldes inteiramente novos e
agradaveis, e acabados com perfeicao e mesmo as-
sim a aguia quer vende-las baratamente para aca-
ba-las al o flm desta semana, por Isso os preten-
denles comparec-m munidos dedinheiro.
Espartilhos.
A aguia branca, na ra do Quoiroado n. 8, rece-
ben nova remessa daquelles bons espariiihos, e
conlma a vende-los'baraiamente comod'antes.
Argolas de borracha
papis, segurar manguil >!, e|i
ja branca, roa do Oueinuo i i
A LEGITIMA
para atar papis, segurar manguil >=;, etc., etc.: na
loJjagftia branca, roa do Oueim:i n. *
INJECCAOe CAPSULAS
1TCGET AES aoIVUTICO
GSIMAULT&CpharmaceuticosemPARIS
Novo tratamento preparado com as folhas it
Matico, arvore do Per, para a cura rpida e in-
fallivel da Gonorrhea sem reccio algum da con- <
trcelo do canal ou da inammacSo dos intestinos. '.
0 clebre dontor K icord, de Pars, ler renonciado,
desde sua apparicio, ao emprgo de qualquer
otro tratamento. Emprega-se a Injeicao M ,
com eco de fluxo; as capsulas em todos os caaos
chronicos e inveterados; qae resistirlo as prepav- '
rac6es do copabu, cubeba e s injeccdei eora baat
meullica. 1
A venda as pbarmaclas de P. Maurer d
G. e A. Gaors, em Pernambuco.
VINHOS
Superiores vnhos Clfre Hibal-jo e Carca-
vellos, em calas da duas yjias do garrafas: a
roa da Cadeia eseriptono ti. 19.
Vende se
Um raoinbo m fcom estad para moer caf, na
ra du Kosatio estrella tda*e9W para o Qoeimado
o. 18 I! loja de M.ii A Lsudrlino.
Ciiarutos delicias e pari
/sieaces.
g*0& o tent.

Vende-Se ebarnlos Delicia* e Parisiences Oa
fabrica df /-j Portado de Simas em perlino tt;
lado a 'l'M o canto : nos rmateos os. 39 e 0
da rna d>i Anori-n e o. 11 A da roa d > Colorni/.
------r

Em caw
ngeobo ; b ra Utreiia o. HH>.
n. t,
lpr*gu.
a tPlNt-.SidsMa*i-C. ra da Cdela
vfitde# iLna< P'.ir coi>ra->di>
Coliares Roycr
ou
AdoJdos electro-magnticos contra as con
v:lsoes, e para facilitar a tlenticao dai
(i ancas. A aguia-branca na ra do Qoei-
mado n. 8 recebe-os por todos os vapo-
res francezes.
J esto to conhecidus, e tanto se tem espalnadc
a fama desses prodigiosos collares foyer, qae si
birria desnecessario dfzer mais atgoma coQsa en
alio de seus bous e e efflcazes eOellos : basta c
testemanho de milhares de pessoas, qoe tra viste
e aproveifado o feliz resoltado desses to ntek
quo necessarios cellares Royer. a qaolidiana i
crsrlda extraccJo, que vo tendo, mostrt aioi
quj numero dos prodigios se eleva como todo)
os c.Tipradores. A aguia-branca, p->rm, dese-
ando coocorrer para um flm de tanto aproveita
riien'-, tera fjito os necessarios pedidos, gara qni
Mr talos os vapores franceses Ibe seja remettid'i
certa qoaoiidadfi de ditos collares, para assim ter-
nar-sa nfallivel o sortimento delles, na loja sTa-
K"i- 'ranea, rqa do Qoeimado n. g.
CAL m LISBOA
ra nt^:s nova que ha ni mercado : vende-se rio
armaiera de David Ferreira Balur, ra do Brum
n, 66; tarris de 4 arrobas, toda em pedr, por Sf,
latas Je 2 ditas, Hermticamente fechadas por
J3 -i _______________
frende-se nma esYJti frnda do serlo pro-
pri frtrii casa de familia : o w DtreiU n. 106.
- Vende se uro molato de 18 annos, caraplna,
eca.eiro: oa ra dol*i>eradoro.*0.
PREPARADA NICAMENTE POR
LANMAN k KEMP,
NOVA YORK.
Composta de substancias, gozando da
propriedades eminentemente depurativas a
*pprovada pelas juntase academias de me-
iicina; usada nos principaes hospitaes, ci-
vis jlitares e da marinha as >ntilhas e
no continente americano ; recei ada polos
facultativosos mais distinctos do imperio do
Brasil e da America hespanltol
m CUBA EADICALMENLE
ascrophulas, rheumatismo, escorbuto, en-
erraidades venreas e mercuriaes. chagai
intigas, morpbea e todas as molestias pro-
^enientesd'um estado vicioso do sangue.
Emquanto existem varias imitacocs
falsiflcacos, preciso a raaior cautela para
evitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
A. CAORS
JOAO DA C. BRAVO A C.
P. MAURER & C.
Depo sito geral em PernamjiacQ roa da
Gnu n. 22 em casa de A. Caros, J. da C.
Bravo e P. Maurer & C.
artas*systematics
ar aprender a ler
POR
Joao Jos Rodrigues
A venda em casajos editores livraria franceza
ra do Crespo n. 9r
Agua mineral
IfcrrifitM, acidulada, gueu e earfttiiea
ORBZZA.
0 uso d'aguade Orezta mol particnlarmente
reeommendado pela escola de medicina de Paris,
para todas as affecedes do lobo digestivo, ingorgiu-
mento das viceras abdomioaes, e geralmente todas
as molestias provenientes de fraquea orgnica, ou
pobreu de sango*.
DEPOSITO ESPECIAL
34Rm larf a t Rturk34
(Phartaacla de Bartholonea dke.
Tinta rmn superior
Vende-se em garrafas: ns escriptorio de Anto-
nio Luii de OUvelra Aieedo & roa da Cruz

T
"-
ILEGIVEL
...I : -r.Xivm*.


,
~'- "-
Blarl<> de reiraiaT-baet. ... Quista felra 9 de Marco de 1867.


O ARMEZAM
UNIO MERCANTIL
53 RA DA CADEIA 53
PASSAtfDO O ARCO DA COMCEIOlO.
Acaba de receber e tem por bartissimos precos
alm de sea aeostumado e milito completo sortimento
4e gneros os searuintes abaixo declarados.
lueijos de Minas.
Qi
'negados pelo ultimo vapor a 10600 rs.
Qomma de mho branot
americano.
melhor qne ha para papa, p3o-do-l, bolo,
MUSCATEL DE SETUBAL
o mu:to excelle >te vinho rauscatel por 200
a caiza de duiia e 25 a garrafa.
CHA
hysson de primeira qualidade 2,5800 rs.a
libra, oxim o que ba de mais fino a 35 rs.,
alm destas ha multas outras qoalidades
angica, creme etc., muito sabsuacial e .asparavenderarelalbo, que se vende
audavel a 6*0 rs. cada pacote de i libra. n.inn.. a -, uhr_

SALMiO E LAG0STIN
bogado ltimamente em latas de 2 libras
!600 rs. cada ama.
CHOCOLATE
rancez a 500 rs. o pacote. dito hespanhol
tapecial, o me'hor que temvindo ao mrca-
lo a 1*280 rs.
LATAS DE LINGUICAS
som 6 libras er mlica mente fechada
40500, e de barril a 640 rs. a libra.
VELAS PARA CARRO
m pacotes de 8 velas a 900 rs.
VINHO DO RHENO
Madeiro a 20000 a garrafa.
BORDEAUX
as mais acreditadas marcas: S. Julien,
JSaat Brion. St. Emilion e St. Esteph a 800
rs. a garrafa e 8#00u a dazia.
O EXCELLENTE E AFAMADO
COLLARES
ngarrafado dabem condecida casa deDe-
nt 4 C.a a 105000 rs. a dazia.
PORTO
diversas qualidades engarrafado, inclusive o
mais no que ha n'este genero por 800,
15000,15200, 10100 e145.0 rs.a gar-
rafa.
OLB CHERRY
9 mais superior do mercado a 15500 rs. a
garrafa e 155000 a duzia.
VINHO BRANCO
ixcellente quilidade, de Lisboa, e proprio
para missa a 800 rs. a garrafa e 85000 rsa
caka de duzia. >
VERMOUTH
superior qualidade em caixas de 12 meias
garris por 1201)00 rs. e cada meia garra-
fa 15200 rs.
de 15000 rs. a 25 rs. a libra.
CHA PRETO
o mais especial que tem vindo a este mer-
cado a 25600 rs. a bra.
MACAS
estrellinhaspara sopaem caixas sortidas de
8 libras por 45000 rs, palharim, macar rio,
etc., a6i0rs. aJibra.
pREznrrros
o verdadeiros de Lomgo a 6%drs. aHbraa
560 inteiro.
JALETA DE MARMEEL0
em latas a 800 rs.
MOLHO INGLEZ
diversas qualidades a 720 rs. o frasco
MOSTvRDA INGLEZA
maito nova a 800 rs. o frasco.
MOSTARDA FRANCEZA
a 640 reis o frasco.
ARENQUES
em [atas a 600 rs. cada ama.
GARRAFAS
brancas para mesa superiores a 55 rs. e a
5 o par.
COPOS
diversas qualidades e tamanhos a 35. n., 45
55 e 65 a-duzia.
CAPACHOS
de cores e differentes tamanhos a 500 rs.
640 e 800 reis.
BALA'OS
FAZEM.l PRETA PARA A QlHRESiltt
A1 loja de fazendas de Augusto Porto & C.
11Ra do Qucimado11
Angosto Porto & C. reeeberana pelo ultimo paquete os mais superiores
vestidos pretos ricamente bordados a agultia.
Lin ios cortes de moreantique preto para vestidos.
Basquines e polowaises de seda prea enfeitados com o melhor gosto.
Sedas pretas de flores muito superiores, moireantique preto e grosdena,-
ple preto de muitas qualidades e mdicos precoa. _. ..
Rotondei e chales de guipare de seda e de algodao.
Pannos e casera ras pretas de diversas qualidides.
Ricos- Vestidos de blood com manta e capella para noiva.
Enxovaes e vestidos bordados para baptisidos do 105 a 305.
Colchas de seda e de la e seda para camas de noivas.
Cortes de seda e moireantique de cores para vestidos superiores.
Moireantique branco, sedas brancas e grosdenapoles branco e de cores
para vestidos.
Chapeos de castor brancos e de seda pretos para horaem, senhora e me-
ninos.
Baloes, espartilhos, eamlsinhas com manguitos bordados e lindos chapeos
de sol para senhora.
Malas para viagem nos vapores, malotes e saesos de viagem e om bello
sortimento de
Alcatifas para for.ar salas
11Una do lueimado11
LOJA DA FRAGATA AMAZONAS
DE

Monteiro & Guimaraes.
N. & lina 4o Queim ','r

rinmrwi enara enronras rs !S donosdesleno,voestabeieeim.oloc'.amuii aattengaodasExmas.senhorasque
diversos remos epara compras desoe sw rs. goslam de usar oDjeetos de modas. p.ra que se di-Miera *r a
at25rs;d.tos grandes proprio para roapa l0 apreciar algunsdestes artigos de novfudeolTi.Q.SE
H14 DA CiOEIA
a
de 35 a 55.
GAZ
o mais superior giz liquido em latas grandes
com 5 ga!5es por preco de 105 rs.
O
d
Por menos de 10.
e 20,
NO
e 30 por cento.





Joaquina Sitndes d.-s S >ut >
23 Largo de Terco 23.
O proprietario deste estabelecimento de seceos e moldados tundo de fazer ama via-
gem. est resolvido a vender por menos de 10 a 30 por cento a dinheiro; para isso tem
on grande a vaotajo^o sortimento para os .amigos do bom e barato, que a maiar pane
desle, vieram p >r conta, para o que faz snnuncio de alguns gneros, e a vista destes
regularo os outros mais.
A dlnhvlro a VlSia '
G iz americano a 8.8W) a lata e a 380 rs. a garrafa.
Ton inho de L's-hi a 210 e 320 rs. a libra, e era barril ha grande abatimento.
Caf do Rio a 180 e 2O rs. a libra, eem arroba ba grao le aoatimento.
Cerveja das mais b)tn acre lita las marcas a S.ooo e 6.0.10 rs. a duzia.
Vin'D Fis? oira da aMlhar m Mera le Lisoi a 2.70 e 2,8 jO a caada, e. a 36 J e 400 rs. a garrafa.
Phosforos do ga: a 2,003 rs. a groza, ea 180 rs. o mago.
Minteiga franceza nova, a 560 rs. a liora, e em barril a 520 rs.
dem idem in: leza flor a l.ooo rs. e 800 rs. a libra.
Arroz pila lo de In lia a 110 rs. a libra, e em arroba 3,400 rs. ou a sacca.
Sab) massa a 220, 200 e 240 rs. a libra, em cdx ha abitimentj.
Papel marca martello a 5,500 rs. a resma e fiado 4,000 rs.
Vinho branco de Lisboa da melhor qualidade a 500 rs. a garrafa.
Baaln de perco refinada a 5 O rs. a lib a, e em p.ircao lera abatimento.
Alm desies gneros ha oatros muitos que eofadonho menciona-los.
O proprietario desle arraazem avisa aos seas freguezes que tem contss e letras ven-
cidas, o favor de as mandar pagar.
p.i>suioa seu establecimen-
- Jidzados pelo vapor rancez,
e quo esperara merecerao approvacao do bello sedxt.
A Fragata acaba de receber domo sortiiaeniode sv*m de cores, pretas, e bran-
cas, em cortes e em pecas, as quaaspel.isii legantes ffestjriB d boa qualidade se
tornam recommendad is. *
Lques de midri|i'r.ila d ISa 8 i-m) io tm.
Loques e sf| i.ii(,v,lS gosios
Ctiapelinhas dj saJa o pllu iaiia ik."
Chapeos .de sol de sed i u.ra soublra.
Ricos cintos bel a Helena (novo gosto)
Cortinadas borda lo 3 pira cama.
Colchas de seda para cama.
Cortes de blond para noivas.
B isquines de seia bordados de 15 a 605000.
Cortes de cambraia branca bordados, e outros muitos arligos que menci-
nalos seria enfadonho.
O tro sim, os donos deste novo eslablecimento se consideram gratos, para com
todas as Lxmas senhoras e seoliortjs, que ienfraqudnt:doseueitiiiildmentoeca(k vez
mais se esmeram a fim debem servir a todos qu^ qaeiram honrar eea eslableoimento
com suas preseneas.
-
T
ULX
rnr
LX

PREPARACES FRREAS-MANGANICAS
APPROVADAS ttlk ACADEMIA DB MBDiaHA
DE BURIN D BUISSON
Phrmactntitt, Inreadt pela Academia dt IdBeiu Je Par
MACHINAS AMEKCAVAS
Verdadelras da foftrleaate X. V* Caiattoagii
Mointios americaaos pacj m icr milhe.
Na ra Nova a. 20 e 2,
&C.
grande deposito
das verdadeiras machinas americanas de todos
os fabricantes; se enmntra neste deposito
grande porcSo de machinas, e se vendem por
menos preco do que em outra qualqaer arte,
por se receber em direitnra da America; se
Jornece todas as explicares necessarias' ao
"comprador para iaserva;o das mesmas;
neste grande estabelecimeato se encontra mui-
tos artigos americanos, que maito dee agra-
aos agricultores que usam de taes artigos,
intra-se tambera todas as colleccSes de de-
senhos sobre os quaes se aceita qaalqaer urna
encommenda, que com proraptidSo ser* execu-
tada; ueste grande estahelecimento, encon-
tra-se em grosso e a retalho, grande perc5o
de fnrrageos, e miudezas que se vendem por preco commodo, pedindo-se a attencSo
de todos para este estabelecimento que muito lucraro em fazer saas* compras: na
ra Nova n. 20 Carneiro Vianna.
dar ;
eocor

dando immediatamente urna apa, aeidslaa,
gazoza, agradavel, substituiado coa vaatagem
i7?n0rf, *' reconhece ^e w ferruginosos simples so mnias
XJZPSSLZZJOZ M *!*** *>" teem ?M causa o empotjrad.ent*
EZHSFZtdos ma,s d,&lme,os aUribuem esse &xi' a SSI
2+ET2%&22aZZ'qa? ?8Cha B0 san?"e>oomo tBi recread
M cBiraicoa os mais pantos, empre numameme unido com o ferro.
MkJ! presUr-8e um verdadeiro servco aos S' Mdicos, o ohsroar-se sia atteneso
sobre as preparacoes seguintes. u-oc mpw
Io Pos ferreos manganicos
t economa as aguas mineraes ferruginosas.
2 Pillas e Xarope de iodureto de ferro e de manganese iBalleraveis
eontendo cada orna cinco centigramos de iedareto de ferro manganico iadioada
particularmente as molestias Iymphtticas, escrofdosu, nas chamadas ca-
V Draffes de actat de ferr e lie maigaticsc) JSi^WS
4 Piilas de carbonato frreo manganico ) L^TTSSJ^
tkaraar estas dnas preparacioa d oa meftores resahadoa. ." "
Jfa?2 dl *"""* *"***<> *> dheolo ompeu do pubHoo madM a
aiiluXSSmT"^^ ftVn *"* ** "^vSSm a su
No Pern*mbua>, a sen agente geni, Mauror O, plurmaeeaticaa,
1
T
MUe a u b
, raartaya. C
Vende-seJnalpharmaciaide^P. Maorer C., ra Nova.
INJECTION BRO
a-'SI^" !'.!,U!;e, '"*"". b~^l0- ., K IKUI.UIU IdlUfK. V.-l.il

NOVO DEPOSITO
MACHINAS
Faija i)ESG\RQCAR ALGODlO
Manoel Bento de Oitveira Bra/ra.
"53Raa Itlr^K. __ki
Blreltaat.53
^^ Neste estabelecimento se encontrarlo as
Twroaneiras machinas americanas chegadas ultima-
mente, as quaes Wofeitas pelo mais afamado fa-
bricante da America, por isv> avisa a tedas as pes-
soas que preeisarem comprar, de se dirigir a este
estabelecimento que comprarlo das mais perfeitas
oeste genero, assim como mis barato do que em
entra qaalqaer parte, por isso que ae recebe por
conta prop"ia, bem como eannea de chumbo e moi-
nhos para moer railho, e fraude sortimento de^n-
tagea miudezas em grosso e a retabo.
Machinas americanas para moer caf, de
systedM, propnas part refinacao,
A .v"-i Mem pira mho.
rmm
:Hk
-LLaz'^s,
Tinta Inalteravel
Para escrever
de P. 1IADRER i C*.
I'KBWMK'CO
Esta tinta recommenda-ee pela sua com-
poeioad e fluidez como a melhor e a mais
segura de todas as tintas at hoje conheci-
das. Nao ataca as peanas de ac, d at
tres excellentes copias, xnesmo muitos dias
depois de escrever, e preferivel a qual-
quer outras tintas particularxueute para
livros de oommeroio, documentos eto de
que se care9a longa conservacad.
Yendesje na Livraria Franceza ra do Crespo n. 9 e na Botica Franceza ra Nova n. 18

irr
I---------------------------------
Novo e grande deposito de superior carv&o de Cardiffna
Babia.
Antonio Gomes dos SmHos & C^rot de Saou Barbara o. 1, esli habiiitado4As|jsj|rj||
Oarvao/.eca condasSes
ecrveni
^ipaaV iiiis.sJB'11
ootro qaaiqaer deposito, a todos os ov
nesUeom Domingos Aivea Mttheos^
rapar m
Tapares.
Vende-se era asa, de Saanders Brothers & C>
oo largo do fjorpo Sanio b. II, vaporas patentes
coro todos os [lerteoces proprios para taer mover
tres oa quairo macbnas para descarocar alRodao.
P0T4SS4 l)\ RISSI4
Vende-se potassa da Russia maito superior e de
qaa>idade a mais apropriada para o (abrfeo da
asaltear a preeu rasoavel, no armaiem de Jos da
Sll"a Loyo A C_________________^_.__
Aos a|ncBlteres
Saonders Brolhere & C. acabara de receber d
Liverpool vapores de torga de 3 a 4 casarlos coro
iodos os perUmces.o soui proprios para faxer mo-
ver roacbirts de descarocar algodao, podando cada
vapor trabalbar ale com 140 serras, iambem ser-
vem para enfardar algodao oo para outro qaalqoer
servico em que usam trabalbar com animaos. Os
mesmos tambem tem a venda machinas america-
nas de 35 a 40 serras : os pretndanles dirijam-
sa ao largo do Corpo Santo n. 11._____________
Loja do Gallo Vigilante
KUA DO CRESPO N. 7.
Grande e variado sortimento dos numero-
sos objectos de apurado goslo que ultima-
mente acaba de cliegar para este bem co-
ndecido eatabeleciioento, pois seu corres-
pondente em Pars o mais habilitado pa-
ra a escolha de taes objectos, pois os com-
pradores poderao apreciar, como sejam lin-
dissimos enfeites de caneca com cok. de
cabello, e sam elle. .
S6 no vigilante ra do Crespo n, 7.
E afeites
Roques com cakos "e de novos penteia-
dos.
Trancas pretas e de ceres, e de todas as
larguras, com vidrilho e sem elle, paia en-
feile de vestidos.
Bicos de seda com vidrilho e sem elle.
Gravalinhas de velludo para senhoras.
Gravatas e mantinhas de seda para ho-
rneen.
Gravatas brancas maito unas.
S no vigilante ra do Crespo n. 7.
Volt i altas para menia s.
Voltinhas para meninas.
Pulseiras para as mesmas.
Correntes para relo^ios fingindo cabello.
Riquissimos sintos, fivellas e fita- para as
mesmas e de outras muilas qualidades.
Riquissimos pentes de taataruga.
Fitas de velludo de todas as largaras.
Lindos enfeites para vestidos, chamados
Cbrispianne Margar i te.
Riquissimas flores
cabeca.
Capailas com canos flor de laranja, pro-
prias para noivas. ?
Meias de seda para senhoras.
Ditas para meninas.
Riquissimos chapeosibos e touquinhas
para meninos e meninas, meinhas e sapati-
nhos de seda para os mesmos.
Lindas sextinhas e bolcinhas para bracos |
de meninas.
Meias pretas de laia.
Lindos aderecos e brincos.
Aderecos completos preprios para luto.
Lindos porl joias e port relogios de dif- i
ferentes tamanhos proprios para um deli-
cado mimo.
Riquissimos livrinhos com capa-de tarta-
ruga para missa.
Aderecos de flores.
Riquissimos aderecos completos, sendo:
voltas, polseiras, brincos, alQnetes, grampo
para cabel[ns; tudo isto feito de todas as
flores de ultima moda em Paris.
GraviUlrthas.
Tambem chegaram bonitas gravalinhas
com flores, e com alQnetes proprias para
meninas e senhoras.
Rosetas e brlucos.
Riquissimos brincos e rosetas inteiramente
novicia le e tolo de moito goslo.
Ten quita has.
Riquissimas touquinhas de lioho e seda,
ppnto de corx ricamente enfeitados e de
muito gosto.
Fita.
Riquissimas fitas de chamalote, sendo: ver-
de e amarello, tecido na mesma fita.
Agcihas de luailiiu
Tambem chegaram as mui desejadas agu-
ibas todas de marficn, para trabalbar em la
e sem corx.
Sextinhas.
Tambem chegaram bonitas sexlinhas de
palha fina, proprias para meninas.
S no Vigilante ra do Crespo n. 7.
JCspelhos.
Riquissimos espetos grandes e bonitas
molduras proprios para salas ou lojas assim
como outros de differentes tamanhos.
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Para os pais de familia:
Verdadeiros
Collares Royer
Electro Magnticos Anodinos
Ou Collares Anodinos, para facilitar a den-
tculo das. enancas contra as convulses
das mesmas, a estes collares nos escuzado
fazer qualqaer recommendacio, visto a
grande utilidade que tem produzido aquellos
pais que os tem applicado em taes circum-
stancias pois nos parece que nao haver um
s pai ou mi que por este meio nao quei-
ra por termo a taes soffnmentos de seus
ftlhinhos visto ser om mal que tanto os
tlapelia, pois a estes collares acompanba om
folheto que ensina como se deve applicar, e
vende-se na loja do Gallo Vigilante, ra
do Crespo n. 1, pelo preco de 4)5000, 54
e 65000.
. Admirem- os presos
S armaiem de hiendas de Santei
Coelhp.
lina de!nelMado n. 19
VeDde-se:
Madapolao entestado fino a 9J a peca com *0
varas. _
Ditos de 7J, 7*500, 8, 9J, 10* e ii a pe^a coa
SOva**
Cambraia lista de doas cores par* resuden
800 rs. a wwa.
Baloes de arcos para senhora a 2*800, 3* e 3*808
Ditos de arcos eo-amados de 3*900 e 4*.
Ditos de roorcalioa a 4*800.
Ditos de reos para treoioas de 1*600 e 2*.
Toalhas da lioho aleochoadas a li a duzia.
Ditas de Miro (pello) a 13* a duiia.
Aloalhado adamascado de algodao a 2* a vara.
Dlin dita de lioho a 3 a vara.
Bramante de lioho cum 10 palmos de- largara a
2*800 a vara.
Dlio de dito de 9 1|2 dito a 2*400.
uno dito de 8 dito a 1*200.
Dito dito de 3 V|t dito a 800.
Algodao enfesiado com 7 i|2 ditos a 1*100.
Retodes de filo preto a 7*.
Boortios H do a 10*.
Chales d: dito a 8*.
Cambraia adamascada para cortinado com SO va-
ras a (3* a peea. ?
Lencos braocos de cambraia fieos de 2*, 3JL
3*500 e 4* a diu-a. -
LSailoha com ores muito fina a 400 o corada
Dita lisa d.ta a 180 o corado.
Cambraia de lioho finade 6*500 a 95 a rara.
Cambraia lisa muito Boa de 5*, 6*, 6*500, 7*
8* a peca.
Colxas de (ustao aleochoadas brancas e de corea a
6*000.
Cobertas da cbita da Iodia de 2*400 e 2*800.
Leoces de b mburgo fino de 2*400 e 2*600.
Ditos de bramante de om s paono a 3*200.
Tarlataoa de todas as cores a 800 a vara.
Moreantique preto superior a 2*600 o eovado.
Grosdenaple de dito a 1*800 o eovado.
Piaoella ie cores a 800 o eovado.
Cambraia de lpicos branca com 8 Ii2 varas pa-
ca 4*500. .
Fil de lioho Uso 8oo a 800 a rara.
Dito dito com salpico? a 900 a dita.
Guardaoapos de lioho para mesa a 3*500 a dazia.
Assim como tambem se eoeoolra om completo
sortimeoto de ronpa feita e per medida.
Francisco Jos Germann
{RA NOVA N. U,
acaba de receber nm lindo e magnifico ior>
para vestidos e para tuaento de oculoa.lunetos, binculos, do al*
timo e mais apurado gosto da Europa e oca
los de alcance para observares e para o
mritimo
PASTA XAROPE d UTt fa ARABIA
Slo m uIcm Mlurma* i^nnlM palas rofaaaara* i
IMaa 4 r.(.,
Iuai da Parla, oa qui eanMcarla taaw a aua aa|
, oto aa actcaa aaiteraaa aaara.aaaa aaiaa praiaaaaraa as
Pical taa ala H a< id aa aa f naca. a aar M >wl c.i 4o.
rUadaaaara laaaa aa aoiraa aaltar.a-
aWiaala eaalra aa ..j.i, naya,
aal|ln da alto a aa |.r(uu.
RACAHODT DES RABES
Ualca allaiaata appaaaaa* pato Ac.da.rt 4a H aalcjaa a a
Parla. Ella raalabalaea u aaaalil au. aaAkam do arta-
trnaa daa lataaataaa; tanaliaa aa erlaawa a aa aaaadaa
aHIIUada, alan alaao aa Tinuaa da aaa praa>rlfldada aaat-
laaaMM a e aitlaor anaarvallaa lu Fabra a aaara Ha
twaaalda.
Cada (raaao a cada aalilaka daaua r.rrf l.i iaaJa
aaiara saUa a .. Dalaaaraaaar, ra Rkaatlaa, H,
am Parla. (Paaar aarlsaa auaaata caai aa lala.icac*aa.)
alapoalurlaa no Pnaawla.a ;
A veud nas pbarmacias de P. Maurer *
e G. A. Caors.em Pernambuco.
Doces
Grande sortimento de doces secos e crystalisa-
dos e em calda estrauReiros e naclonass : oo ar
mazpm da Lisa r \ Nova n. 60.
Botr
Novameoie rheg^das botas russianas e peroeiras
da melhor qoahdade que temos visto : na loja da
vapor roa N iva n. 7.
Vi 11 lio do Corto superior om caiade
u ni 1 riozia.
Vende-se no escriptorio de Antonio Loiz de
Oliveira Atevedo & C, no seo escriptorio roa da
Cruz d. 1._______________________________
sival oti mim
Ra do Queimado n. 49, loja de
miudezas
DE
PHOSPHATOdeFERRO
[DE LERAS DOCTOR EM SCIENC1AS J
INSPECTOR OA ACADEMIA 3ZPASIZ u
NI* existe medicaraeaw (erni|BOss to oourel
eaaaa o Pkmpfuu de ftrro ie Lsr$u; aa smmmi-
dadaa medica** de miada iamr adaptaraav-tia)
eam sollicitade sem ifnal naa aanaes da scieneia.
ia dwras pmUidtu,- deru da cs(oimm, iignOet
pnaj, tmtmU, etm*mU$emeu iiffict, idad
erim **u ianaarau, irrafMteridadU w matu-
IruafU, fttre i MifiM, Ivmrhttum, sia
curados ntiiamtmu tm *Wcaw par ata
txccllnu amputo. V o eoaiervador por axeaa-
lenoia da saude, e declarado superfar aos boapt-
taes e pela* academias a toaos a* taogmooM
eoahecidoe, a Marido o ao trf de ferro,
poraoe o nice roe oanrem aoa estomago de-
Ucadoa, que alo provoca eBatpaolo, o ako
tambem qoa nao oaavegroeo a bocea a oa
Deposito nas pbarmacias de P. Mauro
C A. Gaora. em Pernambac.
Tesouras para encrespar tra-
badas
Vendem e tesooras do doas, tres a eiooo per
nas de todag as rossoras para encrespar baados
na ra do Qaeimado, loja de Aieredo di Irmio.
Na loja do miodocaa do laeae ^Oaro, n*
ttoObOprin ICjonl ao coragio de oa-*, est
se rendendo agua florida verdadeira a 1* cada
orna.
Jos Bigoamno,
Contiooa a queimar tudo qoanlo tem em sen es-
tabelecimento.
Pare3 de sapalo de t pete a 1*280.
D.i7.i s de peonas de aro mniio finas a 60 rs.
Caixas de lioha do gaz de 30 novellos a 600 rs.
I'1-in de liuhas do gaz de 40 rs. o oovello a 700 rs.
dem de palitos de seguranza a 20 rs.
Lencos de cassa com barra a U<0 rs.
Dii'ia de facas e garfos de cabo preto a 3*600.
Mnsso.de pal.los Miado para dente* a 120 e 160 rs.
Pegas d- entremeios moito finas a 500, 600, 800 o
U000.
Liros das missoes abreviadas a 1*500.
Garrafas de agaa Florida verdadeira KOfO.
Biliados do Porto de t.od.s as largaras e todos os
precos.
Syiabarlos eom estampas para meninos a 320 rs.
Memento da roopa de lavar a 100 rs.
\ iv.,s camillas para meninos a 160 rs.
Ouzlas de meias multo ty>as para senhora 1.4*1500.
Ditas brancas e croas para homem a 3* e 3*800.
Agulhas fraocezas a balo (papel) a 60 rs.
Paros de sapatos de tranca e tapete a 1*500.
Pecas de filas de la de todas as cores a 600 rs.
ilrozas de botdesoe porcelana prateados a 160rs.
Caixas com alfioeites traocezes a 80 rs.
Caixas de 100 eovelopes maito Baos a 600 rs-
Pregos francezes de lodos os tamanhos (libra) HO
ris.
Resma de papel de pe. frasco com superior bota a 100 rs.
Grosas de pbosphoros de gaz a 2*000
Pares de botoes de pnolto mallo bonitos 80
Liabas em eartao de 200 jardas a 100.
Calza de superior liaba do gas eom 00 novellos
700 rs.
Caixas de pos de arrox muito fino a 800 rs.
Puh-eiras de conta para meninas a 320 rs.
ralheres para meninos a 240 rs.
Caixa com superiores iscas para rharotesra 20 n
Vasso com superiores grampos a 30 rs.*
Grosas de peonas de ac mallo finas a 3*0 rs.
Booeis para meninos a I*.
Pentes com costa de metal a 400 rs.
Capachos compridos e redrndos a 500 rsj
(lanas com superior papel anisado a 600 rs.
Realejos para meninos a 100 rs.
YENDE-SE
Motores americanos para doos cavallos.
Dito dito para qnatro ditos.
Machioas para descarocar algodao do 14, 16,
18.20,30,35 6 40ierras.
Proocas para enfardar algodao fazendo os
eos eem seis palmos de eomprimenlo, cosa o
de 150 e 200 libras, vlndas altlmaawote da
rica : oo armazem de H-ory Forster & C, no
Podre II o. 2 junto ao Gabinete Porlugoex.


1,
S
.:>!
ttlachini/ia de lexte.
N^ raa da Senzala-raloa o. M, ptrfarla da %.
tolo Jos Peoro Goec*iM, tasa beli>aj lene frita pelo verdadeiro fabrlcaatta o Sr. (Mfeer-
me Porcol, qoe se vende em arroba e librM t(sfr
Wde dos Qoeapradore,_____________________
Camares
Vande-se na roa da alafa, de Dos a. |8.
MLEGIVEL
I


I
w-w-xi',1. [
.rfo
Blarlo de Perunbiet luala lelra f de Marco de 4867.
j *
X
I
1


i

I
A '
}
femedios do Dr. J. C Ayer, ex-leiU
da Odiveraidade de peisylvaeia, ii
B&Uaas-DUs.
Eilraeto eoaaposto de salaa-par-
rllna de Ayer.
Peltora 1 de cereja.
Remedio para sezea.
Plalas eattaarticas.
0 deposito central para- as provincias
Pernambnco, Alagoas, Parabyba Rio-
Grande do Norte, destes remedios uto fa-
voravelmente condecidos e acolhidns em
todas as partes da America do Sul e do
Norte, acha-seem casa de Theod tur Is-
tlaasea, 16 ra do Trapiche em
Peraanbueo.
Os precos de
33* por duzia de estrado de salsa-parrllha.
27 por duzia de peitoral de cereja.
27(5 por duzia de remedio para sez5es.
74 por duzia de pitillas catharticas
se entendis dlnhelro wAuta, con
o descont de 5 por cento em qoantidadei
de 6 a 12 dazias, e de 10 por cento en
quantidades superiores a 12 dnzias.
Perfainarilis novas,
A amiga luja de miuJezas a ra do Qaeima j
b. 16. receben nevo sortimento de perfumaras
seodo Saos extractos e-essencia concentrada, chei-
ros agradaveis para lencos, leos surtine, pbileeo-
me, e babosa para cabellos, banhas e cosmetiques
tambem para os cabellos, poz de coral e bygieDicos
para denles, opiata Inglesa e Jranceza para ditos,
sabonetes em barras quadradas, oulros em calxi-
nbas, e ouiroj de bollas transparentes para mo, e
otros mu finos em calxinbts de louca para bar-
ba, agua da colonia de superior qualidade em fras-
cos de diversos tamaitos e precos, agua ambreada
para banoar refrescado rosto, agua florida ( da
verdadeira) tnico de Kemp, e iai as ontras per-
famarias que a vista da boa qualidade e commo-
didade de presos, o comprador nao objeetara'.
Meia pretas de lfta e de laia.
Para padres.
Yendem-sena loja de miudezas a' roa do Quei-
mado n. 16.
tara baptisados.
Bonitos chapeosinhos enfeilados, sapatiohss de
setim e merm, bordados e enfeilados, meias de
seda, e fio d'escocia para ditas. Vendem-se na Io-
ta de miudesas a' roa do Qaeimado a. 16.
Bicos e rendas dasilhas.
A loja de miudesas a' roa do Queimado o. 16,
receben novameote outro sorliroeoto daqoelles bons
e bem conbecldos bicos e rendas das ilbas, caja
forlido, e segoranga de lecido, Ibes da' immensa,
durago e os differentes Qas a que acertadamente
sao applieados fazem a grande procura, e prompta
extracco como constantemente tem acontecido;
assim pois eoncorrara os pretenden tes, que a vista
da commodidade dos precos nao objectarao esa
comprar.
Graxa econmica.
^ Em eaixinhas, latas e ba*ri.% a' loja de miudsas
a* rna do Queimado n. 16, recebea novo gorlimen-
to dessa boa graxa econmica.
Laavp&Ri bordar*
A loja de miudesas a' rna do Queimado n. 16,
receben novo sortimento de la fina de bonitas co-
res, e como scropre vende a baratamente, e o sor-
timento a eontento do .comprador.
Bonitas caixinnas.
De madeira cora enfeites dourados, e ontras de
metal para guardar j as. Vendeui-se na ra do
Queimado loja.de miudesas n. 16.
Enfeite e griualdas.
Na toja de miudesas a' ra do Queimado n. 16,
acharo os apreciadores do bom, um bello sorti-
mento de bonitos enfeites para bailes, tbeatros e
casamentas; assim como delicadas grinaldas para
noivas, eaixos de flores Anas para enfeitar os ves-
tidos de ditas, e moitos outros objectos, e ludo se
vende por pregos to rascareis que o comprador
experiente, nao se atrave a objectar a respeito.
Babadiuaos bordadas, eutreineios ditos.
Todos de fina cambraia e delicad s bordados.
Vendem-se na loja de miudesas a' ra do Queima-
do B. 16.
Plumas brancas e de eres.
Vendem-se na loja de miudesas a' rna do Quei-
mado n. 16.
Franjas
Com borlas e sem ellas, para cortiflados, toalbas
etc. Vendem-se na loja de miudesas a' ra do
Queimado o. 16.
Boas e bonitas fitas.
Lizas e lavradas, larga- e estrellas; vender se
na loja do miudesas a' ra do Queimado o. 16.
Bonitos enfeites para vestidos.
A loja de miudesas a' ra do Queimado n. 16,
esta' reeenlemente provida de mni bonitos enfeites
para vestidos, sendo bicos de seda tanto branco
como pretos, de differeoies larguras e com vtdri
Ibos, oo sem elles.
Trancas e galdes de seda dos ult'roos gostos, di
tas com vidnluos, pretas e bracease de differentes
larguras e gostos. Filas t velludo pretas e de
tores, com lista as relas. E assim muitas oulras
cousas de moda e novidade, e todo por oreos tao
oomraodos, que o comprador flca satisfeito e nao
objecta a comprar.
Bullas de borracha.
De diversos tamanhos para brinquedos. Ven-
dem-se na loja de miudesas a' ra do Queimado
n. 16.
-4ai
IOA
Giaucie e
bem sortido armazem
Rna Nova n. (O
de molaados
F RI\H\ UE fllLHO
?ende-se farinha de milbo ou gomma de milbo branco, a 400 o masso de orna libra. S no ar.
mazem da Liga rna Nova n. 60.
Manteiga ingleza 400 ris.
S no armazem da Liga, a' rna Nova se vende mantelga ingleza superior por tai prego.
Conservas.
Frascos com conservas muito aovas o de todas as qnal dades, a' 320 ris cada frascos.
Gaz
Gaz americano de primeira qualidade a' 386 ris a garrafa, e 8*300 a lata, com 26 a 27 garrafas
So no armazem da Liga ra Nova n. 60.
Painco.
Muito novo a 100 ris a libra; no armazem da Liga, ra Nova n. 60.
Vende-se viaao de Bordeaux em quartolos
barris e caixas : em casa de Tissgt reres, rna jad
Trapiche n. 9. ________
m GAZ GAZ
- Chegou ae aetigo deposito de Henry Forster <&
C, ra do Imperador, um carregamento de gaz de
primeira qualfdade.o qoal se vende em partidas e
a retalbo por menos prega do que ero outr* qual
qner parte.____________________
Rival sem segundo.
lina do Quelmaao u. 49.
Qner acabar com as foseadas abaii
meacionadas.
Queiraa vir ver que bou e baratissima.
Libra de gomma de milho a 400 rs.
Toalbas de labyrinlno com bico, fazenda boa a
3*500.
arreteis de liaba com 100 jardas a 30 rs.
ravatas pretas e de caree raaito inas a 506 rs.
aralQi francezes nimio daos a 200 e 320 rs.
aixas de ebreias de massa mnito novas a 40 rs.
ofiadores para espartilbo de cordao e fila a 6f
ris.
Carreteis da liaba Alexandre com 400 jardas a 201
ris.
Sesmas de papel almico mnito boa a 2*509.
Fraseo de oleo babosa a 320 e 500 rs.
Ditos de dito higiemqoe verdadeiros a 1*000.
Ditos dito falso a 800 rs.
Ditos de maeacar perola a 200 rs.
Sabooetes mnito fios a 60, 160, 200 e 310 rr
Ditos do-bolla muito Saos a 140 t 320 rs.>
Caixas para rap eom booitas estampas 100
Caixas de palito* a balo a 40 rs.
Miadas de liaba froxa para bordar a 20 rs.
Varas de cordao para espartilbo a 20 rs.
Frascos eom tinta rdxa raoito boa a 240 o 320 ri,
Ditos da dita pata a mamar qn ha a 320 rs.
Duzia de faccas para sobre-mesa a 4*. 1
Varas de franja branca larga a 200 rs.
Pentes volteados para regacar cabello de meninai
a 320,
Frascos de macaba' oleo muito liso, a 120 rs. -
Abotoaduras ranito.flqas par cpllete a 500 rs.
Candes de hoba branca e de cores a 20 rs.
Libra de arda rela apenar a 100 rs.
Cartas de alQneles fraaceaes com 14 pentes
fteotas para (ata, faaaada boa, rttX) rs.
Sal do Assu!
Vndese a bordo do pslhabote fhu$ Amigos a
trata-se no escriptorlo de Antonio Luiz de Oliveir
Azevedo.
r
Cal nova de Lisboa.
Me armazem da ra do Apollo a. g, iot saauofl
flO ts, io que em outra qaalquer parte.


Loureneo Pereira leudes Guimaraes.
Proprieta rio das lujas e armazens da Arara,
ra da Iraperatriz os. 56 e Ti,
tend concluido os balances de snas ca-as de ne-
gocio, resolveu fazer um grande abalimento nos
preeos de suas fazendas, isto para maior vantagem
dos compradores.
Principia a AraraChitas a 160.
Veode-se chitas em relalhos a 160 rs. o covado,
ditas em pegas com 38 covados a 7*, e em covados
tirados das pegas a 200 rs. : na ra da Imperatriz
lojas da Arara ns. 56 e 72.
Cassas da Arara a 240 o covado.
Vende-se cassas fiancezas Anas a 240 e 320 rs.
o covado : na ra da Imperatriz armazens da Ara-
ra ns. 56 e 72.
Arara vende, laazinhas a 240 o covado.
^ Roupa feita nacional.
Vnde-se paletols de alpaca pretos e de cores a
3*, 4j) e 4*500; ditos de panno preto saceos fra-
ques a 5*. 64500 8* e 104; caigas de casimira
prcta e de cores a 5*6.0, & e 8* ; collet-s de
cautil ra prttos e de cores a 3*500,3 e 4*; cal-
gas de hnm a 2*500 e 2*, de meias casisiiras a
3* e 34500 ; palelotsde casimira de lores a 5*.
6*, 8* e 10*, chambres de dito para aBdar por
cas a 5 : as lojas do Arara, rna da Imperatriz
ns. 56 e 72.
Fazendas pretas para a cuaresma, pa no
preto a 2j Vende-se panno prelo para algas e paletols a
2*, 2*500, 3*. 4*, e 5* o covado, casimira .preta a
24, 2*300, 3* e 4*50-i : na ra da Imperatriz, lo-
Vende-se laazinhas para vestidas de euuora a', 3as da Arara ns. 5b" e 72.
240, 280, 320 e 400 rs. o covado : as lojas da
Arar, ra da Imperatriz ns. 56 e 72.
Riscados para calca a 200 rs. o covado.
Vende-se riscados para caigas de bomens ou
menloas a 200, 240 e 320 rs. o covado : na roa
da Imperatriz, nos armazens da Arara ns. Si
e72.
Arara vende as &ias a 3,600.
Vende-se saias bordadas para seaboras a 3*600,
4* e 6* ; na ra da Imperatriz, lojas da Arara
ns. 56 e 72.
Cortes de cambraia a 3).
Vende-se corles de cambraia em papel a 3*. di-
tos de cambraia bordados para senhoras a 3*, 4* e
5* : na ra da Imperatriz ns. 56 e 72.
Arara vende chitas francezas a 280 o co-
vado.
Vende-se chitas francezas Boas a 280, 320, 360,
400 e 500 rs. o covado : Das hjas e armazens da
Arara, roa da Imperatriz ns. 56 e 71.
Cassas organdys a 640 a vara.
Veode-se cassas organdys muito Anas e de lin-
d >s gostos para vestidos de senhoras a 640, 720 e
800 rs. a vara ; qas lojas da Arara, ra da Impe-
ratriz ns. 56 e 72.
Bramante para lences a 2,400 a vara.
Vende-se bramante coro 10 palmos de largura,
proprio para lences a 2*460, 2*600 e 2*800 rs.
var>; panno de linbo a 640 e 720 rs. a vara :
na roa da Imperatriz, tojas e amaleas do Arara,
Qs. 56 e 72.
casimira preta e
Grosdenaple pretc a 1,600.
Vender grosdenaple preto para vestidos a
1*600, IfSOO.j*, Hl3 o corado; morian-
tique preto para vestidos a 2*500, 2*800 e 3* o
covado : as lojas e armazens da Arara, ra da
Imperatriz os. S6 e 72.
Arara vende cortes de
3,500.
Vende-se cortes de casimira preta para caiga a
3*500, 4*. 50 e 6* ; corte de brim para calca de
bomem a 1*, 1*2b0 e 1*600 : na ra da Impera-
triz, lojas da Arara ns. 56 e 72.
Chales de merino a 2$.
Vende-se chales de merino estampados a 2* e
2*500 ; titos de la a l*e 1*300 : as lojas e ar-
mazeos da Arara, rna da Imperatriz ns. 56 e 72.
Vende-se retondas de fil de inho a 6,200.
Vende-se retondas de fli de Jlnbo a 6**00,
64500 e 7*, chales de fil de linbo a 44600 e 5* :
a roa da Imperatriz, lojas e armazens da Arara
ns. 56 e 72.
Lencos trancos con barras de cores a
1,600.
Vende-se lengos de cassas com barras de cores
a i*6u0,1*800 e 2* a duzia ; capas de grnsdena-
ple ou vasquioas para senhora ? 16*, 18*, 25 e
30* ; goiuiiias para senhora a 200 rs., manguitos
a gola a i*-
Para se acabar estas faiendas que se vender
assim barato, para liquidar, as- lojas e armazens
da Arara
Ra da Imperatriz as. 56 e 72.
I MJfc laWTO %%w*%&
Superiores cassas fraueetas muito finas de cores Oas, matisadas e mludinhas a
320 rs. o covado : na loja das columnas rna do Crespo n 13, de Antonio Crrela de
VKTAGEWS
PUBLICO
NA LOJA JE ARMAZEM
PAYAD
ftua da Imperatriz n. 60
DE
, ... SILV4.
Op piw^ktawos df fte grande -estabeleotaento
tenoo no anno prximo passado andido raude
parte de tuas fazendas como baviam dnnunciado,
tem resolvido cott.nuar a veoder anda mais ba-
rato em virtude do abatimeoto que lizeram em
suas fazendas por occasia > do balaogo a que pro-
oederam-em 31 de deaembr #timo ; porm para
poderem satisfazer e apresentar ae respeitavel pu-
blico os sens numerosos freguezes tanto desta pre-
ga con o do mato om novti e .variado 6ortimeolo de
todas as qoalidades de fazendas, d. sde as mais
modestas at as de mais apurado loxo, nao se tem
poupado na escolba dellas, limitando seos lucros
apenas no descont. Continuara a dar fazendas
amoslra.com pehbor, oo maada-las por seus cai-
xeiros^m casa das.Exmas. familias.
Grande peehincha
tres tosteK
Lanzinhas a 800 reis.
Lanzinhas a 300 reis.
Lanzinhas a 300 reis.
So na loja do Pavo.
Vende-se um variado sortimento das mais deli-
cadas lanashas, laoto com os mais primorosos
gastos-eoi maiir, como,miudinhas de urna s cor,
sendo^ta razeoda la pura, e vende-se pelo ba-
ratsimo prego de 300 reis o covado, por ter frito
grande pechictia, na compra, se nao seriam para
muito mais Blnheiro, Isto na loja e armazem do
Pato a raa. da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
-*
Baldes baratos
Vendo o Pava.
Chegou um grande sortimento de alees de ar-
cos seodo americanos que sao os melbores e vea-
dem-se pelo iiaratissimo prego de 2*500, 3*
3*500: na loja do Pavo na roa da Imperatriz n.
), de. Gama A Silva.
A 100 rs. para lu o, rende o
Pavo.
Vendem-se laazinhas pretas proprias para luto
Pw.Aaratissimo prego de 100 rs. o covado: na
l0J* armazem do Pavlo roa da Imperatriz n. 60,
de Gama A Sirva.
Crochs
Para cadeiras
Para sofs
Para camas
Para presentes.
Cbegaram os mais ricos pannos bordados a cro-
ch propros para encostos de cadeiras que se
vendern a 2*800 e 3*, ditos para encasto de sof
a 6*, ditos proprios para cobrir almofadas a
2*508 e ditos para cobrir presentes a 2*500 e 3*:
na loja do Pavo rna da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Notos vestidos Poil de Che-
Vestidinbos para meninas
Vendera se elegantes veslidiobos para menina,
de lsinba muito bem enfeitados pelo baratissiaat
prego de 0800, dito de gurguiao deseda a 3*000-
na loja e armazem do Pavo na ra da Imperatf
o. 60. de Gama Silva>
CbaJes de merino
.Vendem se flnissimos cbales de merino llsoa Os
versas cores, tendo as franjas de seda a 4*000,
tendo com as franjas de 13 a 3*500 rs.; ditos *-
f Wdo W* Dos a 8*500, 64000 e 7*000, di-
mtl CJfPI COa> "8US d6 Se 000. ditO
mais ordinarios para acabar a 2*000 e 2*500 : na
loja e armazem do Pavao na ra da Impertirte l
MI, de Gama & Silva.
Sedinhas de listas a 400 rs.
Vfcnde-se bonitas sedmbas Je listas proprias pan
vestidos com largura de chita ingleza pelo bar
prego de 400 rs. o covado : na loja e armazemi'
Pavio na roa da lmperalrim n. 60 de Gama*
Silva.
Filos bordados a 800 rs. a vara na loja do
Pavio.
Vende se filos de linbo branco bordados propno
para vestidos pelo baratissimo prego de 800 rs. a
vara : na loja e armazem do Pavo na roa da I
peratriz n. 60 d* Gama A Silva.
precos : na loja e arma-
Imperatriz n. 60, de Ga
saias da Pavo
peehiuclii a
1^000,1^80 e 15600.
hegou ama grande porgo de pegas de fazen-
da branca, .proprias ara isaias, seodo de om lado
bordadas, cora ailas jbatras de pregas, lando a
largura da fazenda a altura precisa para urna
sala, pudendo fazer-se com tres e meia vara, e
, vende-se pelo barato prego de i* e 1*280 a vara,
sendo so com pregas, e a 1*600 tendo pregas e
bordados, Isto s se vende na loja e armazem do
Pavao, na roa da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva. w
Algodozinho a 4$50O
Veade 18 jardas, sendo muito boa fazenda, pelo barato
prego de 4*500,,na loja e armazem do Pavo, na-
roa da Imperatriz n. 60de Gama A Silva.
Novidade
Em eambraias de er.
Chegou para a loja do Pavo um grande sorli-
me^to das mais modernas eambraias com lutras
largas, tanto ao coroprido como atravessadas com
a6.mismoderBfse mais delicadas cores; assim
como os mais modernos organdys de listas largas
com lindas iores matizadas pelos centro?, qoe se
vendem por pr^gos muilo razoaveis, na loja e ar-
maem do Pavo na ra da Imperatriz n. 60 de
Gama & Silva. .
Rico vestidos trancos.
Chegaram os mais modernos cortes de flnissi-
mas eambraias com as mais lindas barras borda
das, sendo estes vestidos mnito .proprios para bai-
les e casameotos, e vendem-se por pregos razoa-
veis na leja e armazem do Pavo na rna da Im-
peratrizja 60 de Gama & Silva.
Cambraias lisas do Pavo a 30500,
4*000 e 45500. .
Venderse um grande sortimenio das melhores
cambraia- tranapareoiec, lando 8 varas a meia na-
da pega, pelos baratos pregos de 3*500, 4*000,
4*500, 5*000, 6*000 e T*000 a pega ; ditas de es-
cossia com 9 varas cada pega, tendo mais de vara
de largura a 6*000. 7*000, 8*000 e 10*000 ; ditas
Victoria a #000. 7*000 e-8*000 : ditas largas com
8 palmos de largura a 1*000 e 1*280 a vara, .sen-
do precise apenas 4 varas para vestidos, atienden-,
do a largura ; dffas para forro muito encorpadas
a 3*200 a pega : na loja e armazem do Pavao na
roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Para cama de noivas vende o Pav5o
Vendem-se ricos cortinados feordados e adamas
cados proprios para camas e janellas pelos baratos
pregos de 8*. 10*000, 16, 204000 e 25*000 ; so
perior damasco de la entenado imitago de seda
proprio para colchas a 2*500 o covado ; ricas col-
chas de croch pelo baraussimo prego de 10*000 e
12*000 : isto na rota e armazem do Pavo na ra
da Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
Grande peehincha em chitas.
Vende se um grande sortimento de chitis escu
ras e alegres frascetas peics baratos pregos de 320,
360 e 400 rs., sendo com os padroes mais bonitos
que tem vindo ao mercado com listas e flores etc..
etc.; {tJrautiBdo-se serem cores fichas : na loja e
armazem do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
As saias do Pavo
Vendem se ricas saias bordadas com 4 pannos
pelos baratissimes pregos de 6*000 e 7*000. assim
cono fazenda em pega com pregas proprias para o
mesoio fim a 1;20Q a vara : o luja e armazem do
Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Sedas novas
Cbegaram as mais madernaa sedas com istra;
para vestidos, sendo com as cores mais moderna.'
que tem vindo ao mercado, assim como grosdena-
pies de differentes cores como sejam cor de rosa,
azul, rxa, cor de caf, cor de lirio etc, etc. e
vendem-se por prego muito em coma na loja *
armazem do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, d
Gama &Silva.
Crinolinas a 3#5O0, 44000 e 4*500.
Cbegaram para a loja do Pavo as mais moder-
nas crinolinas oo bales verdaderamente ameri-
canos, que sao os mais bem armados e mais leves
que tem vindo, sendo com o formato mais moder-
no que actualmente se osa e vendem-se pelos se-
guales pregos: sendo com 20 arcos por 3*500,
ditos com 25 arcos por 4*000, ditos com 35 arcos
a 41500: Uto s na loja e armazem do Pavio na
roa da Imperatriz a. 60 de Gama & Silva.
Sedas largas na loja do Pavio.
Chegaram as mais bonitas sedas de cores com 4
palmos de largura, sendo com as cores e desenos
mais brilbantes qoe tem vindo, facilitando fazer-se
um vestido com poneos covados em atteogo a lar-
gura, e vende-ie pelo barato preg ode 2*000 o co-
vado : na loja e armazem do Pavo na roa da Im
pertriz o. 60 de Gama & Silva.
Pannos de linbo.
VT'A l IftflnOA .^eDde;se1?nperlor pannos de llnhoproprio para
VI ti a 1O0UUV. longes toalbas e seronlas etc., pelos baratissimes
Na loia Cbegaram pelo va^or do dia 15 do correte, os tmmTJLrS^&B&*&.**
mais ,i?das cortes de poil de chvre para vistidos, c^\3.Vp?fiSS 5^WrK
sendo fazenda inteiramente nova no mercado, ten -
do esta fazenda. bastante lustre com os mais deli-
cados gQMos tanto em lislras como em flores soltas
e vendem-se pelo baraitssimo preco de 16*000,
teodocada corte 18 covados, isto na loja e arma-
zem do pavo na roa da imperatriz n. 60, de Gama
4 Silva.
Os espartilhos do Pav5o.
Vendem-se urna grande e variado sortimento de
espartilhos dos mais bem feites que tem 'vindo ao
mercado, sendo de todos os lmannos, vendendo-se
por um prego muito razoavel : isto na loja do Pa-
vio na roa da Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
Cbales de renda e retondas
Vene se um grande sortimento de chales de
zem do Pavo na roa da
ma & Silva.
Lenci>hos bordados
A 500, 640, 800 e 1*.
[ vende se um grande sortimento dos mais lindos
lencinhos bordados para mo, sendo a 500, 640,
800 e 1*, e muito ricos a 1J>600 cada um. Duuas
de ditos branco.' lisos proprios para homem a 2ji,
30 e tt, todo isto pe hincha : na loja e arma-
zem do pave, na ra da Imperatriz n. liO, de Ga-
ma & Silva.
8*000 e 105000.
Vende-se nm elegante sorlimento dos mais boni-
tos demiods para o carnaval, -eodo differentes fa-
renda e retondas.-sendo as mais modernas que tem 2fi V2*?***+* d ?* e ,0* **
-j._______7. ____-- na loja e armazem do Pavao, ruada Im-
vindo ?o mercado e vendem-se mais barato que i r irii n e
em outra qoalquer parte : isto na loja e armazem I "? *** 8,|va-
do Pavio na roa da Imperatriz o. 60, de Gama &
Silva.
Vasconcelos & C.
CARNAVAL
20 Ra da Florentina 20
lYessa abrica encontrar3o os amantes dos baile i mascarados, cerveja branca e
prela, de primeira qualidade ; sempre pelo commodo preco de 400 rs. a garrafe.
Oschales do pavo a 2ooo o 23oo rs.
Vendem-se cbales de merino estampados a 2*
e 2*500 cada um.
Ditos de merino liso a 8*500.
Ditos estampados de crepon a 6*. 7*. e 8*060.
Rales pretos bordados com franja de seda a 14*.
IfsMoja e armazem do Pavao na roa da Imoera-
tn'z n. 60 de Gama z Silva:
Lencos braocos a 2*( 00,3*000 e 4*000.
Vende-se nm bonito si riimento deteneos de cam-
braia branca lisos pelos baratsimos precos de 2*,
3*000 e 4*000 a duzia : na loja e armazem do
In io na roa da imperatriz n. 60, de Gama &
dille
Alpseas lisas
Chegou o. mais lindo sortimente de alpacas de
urna s cor, prrprias para vestidos, e vendem-se
por preeos m conta : na loja e armazem do Pa-
vao, raa da Iro*ieratnz n. 60, de Gama & Silva.
Punuos con o lianas alie 15280
Vende-se orna grande qoaotidade dos mais mo-
dernos ponto* eom goltinhas, sande bordados e
lisos e de cores, pelo oarato prego de I* e 1*200
sendo esta fazenda por menos de raelade do qoe se
veade em entra quajwier parte, Isto peehincha :
na leja e araatum di pavio, na roa, da Imperalrix
o, 60, le Gama & Silva.
Bibadinhos
Chegott para leja do pavao nm grande" sorti-
mento dos mais delicados baoadiuboe com tira*
bordadas, sendo tapados e transparentes, eom os
mais delicado desenos, vendem-se por precos
mnito baratos : na loja e armazem do pavo, na
I roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cortes a 3*000 s o Pavao
Vendem-se os mais lidos cortes de cassas de
cares cora os desenhos mais modernos vindo cada
um em seu papel e garaotindo-se lerero 7 varas ca-
da um pelo baratissimo prego de 3*000 ; na loja e
armazem do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de
Gama t Silva.
Lencos bordados a 10000 e i*600 na loja do
PavSo.
Vende-se bonitos lencinhos bordados para mo
pelos baratissimos pregos de 1*000 e 1*600 cada
um ; loja e armazem do Pavo na ra da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
AlsjO'iao/inlii) infestado
* Ven'e-se soperiur algcduzinho entestado, muito
encerpadn, proprta para lenges. por ter 8 naraios
de largura, pelo baratissimo prego de 1*<00 a
vara.
Dito com a mesma largura, sendo Irangado e
mono encorpado. a 1*280 a vara, assim como pe-
gas de dito de urna largura s, cora 18 jardas, a
4*, grande peehincha : na loja e armazem do
pavo, na.roa da Imperatriz n. 60, de Gama 4
Silva.
Bramantes
Venrfe-se superior bramante de litbo com 10
palmos de largura, proprio para lenges, pelos ba-
ralissimos pregos. de 2*400 e 2*800 a vara ; su-
perior panno de finho com 4 palmos de largura,
sendo proprio para lenges, toalbas c e eroulas,
pelos baratos pregos de 640, 700, 750 e 800 rs. a
vara, e nm grande sortimento de Hamburgo de to-
dos os pregos e qualidades, que se vendem por
pregos .rasoavels : na loja e armazem do pavo,
na ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chitas pretas
Vendem-se superiores chitas pretas inglezas coro
salpicos e ftorzinbas brancas pelo barato prego de
200 rs. o covado oo a 7*500 a peca, tendo 38 co-
vados ; oiias Usas a 100 rs. o covaao oo a pega por
6*000, tendo 38 covados ; dita! francezas larga-
muito boa fazenda a 3:0, 360 e 400 rs. o covado;
cassas pretas muito finas a 560 rs. a vara ; ditas
muito superiores com ramagens a 800 rs. a vara ;
laazinhas prela- lisas de todas as qualidades que se
vendem per pregos razoaveis: na loja e armazem
do pavo, na ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Brim pardo a 720 ris
Vende-se superior brim pardo trangado de linbo,
sendo escuro e alegre, pr >prio para caigas e pa-
letols, pelo barato prego de 720 rs. a vara, assim
como muito superior para 900, l*e 1*200 a vara ;
dito branco de linbo trangado a 1*200, 1*400 e
1*600, e muito superior a :'* a vara : na loja e
armazem do pavo, na roa da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Cassas francezas
Vendem-se as mais bonitas cassas francezas para
vestidos pelos baratissimos pregos ^ j40 2i0
320 rs. o covado, assim como bon0 orRaud'y com
assento branco e palmas com listas oe *r _,
baraiissiuio prego de 300 rs. o covaQ9 0( # ggy fS
a vara : na loia e armazem do pavo. na ra da
Imperatriz b. 60, de Gama & Slva
Cassas graoadiuas
Cbegaram as mais boDitas cassag fraDCeZas com
listas largas un ao comprido Como env.asadas.
sendo os padrSes mais bonitos que ,era vlDdc) ao
mercado, e vendem se s 800 rs. a vara : na loja e
armazem do pavao, na ra da Imperatriz n. 60, de
Gama 4 Silva. '
Organdv ortico
Vndese o mais flno organdv brauco com pa-
droes miudinhos proprio para vesiidos, pele barato
prego ?!* a 'ara assin> como P^s *> dito
com 8 l/f varas a 9*. fiuissimas pegas de cam-
hraia branca da Escossia com 9 varas, tendo 5
palmos de largura, a 7*. 8*. 10* e 12*, assim
coma ontras muito mais baratas : na loja e arma
zem do pivao. na roa da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma 4 Silva. '
Grande pechinha em maiapolo com mofo a
8*000 s o Pavio.
Vende se flnissimas pegas de madapoln largo,
tendo 24 jardas, pelo barsiissimo prego de 8* a pe-
ga por ter om peqoeoo toqae de mofo, que logo
que se lave solta, e a nao ser assim seria para
muito mafs dinbeiro, pecbinrha : na loja e arma-
zem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama 4
Silva.
Organdy a 4O00 s o Pavao.
Vendem-se pecas de cambraia organdy de listas
brancas tendo 8 e meia vara3 pelo Sarato prego de
4*000 a pega ou coi te de vestido, isto na loja e
armazem do Pavo : ra da Imperatriz n. 60, de
Gama 4 Silva.
Peehincha a 4,5000 e 5OO0.
Meias da Escocia
Meias da Escocia
Meias da Escocia
Cb?gou'para*a loja do Pavao orna grande por-
go de meias da Escocia, sendo de cor escora e
muito elsticas pn pria- para hnmens que se ven-
dem pelo barato prego de 4*000 e ditas da mesma
cor, sendo ramio mais encorpadas a 5*000 e se-
riam para muito mais dinheiro a nao ser urna pe-
chincha ; na loja e armazem do Pavio : ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Charutos da Bhia.
Superiores.
Havaneiros a.......4*500 a caixa.
Flor de Havana......4*000 i
Delicias.........3*500 >
Lyricos em meias caixas 5*000
Americanos meias ditas 55000
Suspiros finos meias canas 3*200
Jlegalia-Imperial......3*0h0
Brasilerros........3*000 >
Suspiros superiores .... 1*500 o cento.
Para acabar : na Liga, ra Nova n.
60.
Telhados de
Vende-se na ra do Queimado,
4 Irmo.
f>rro galvanisa-
dos.
oja de Azevedo
Farello a 4?SOO doto.
8A' roa do Apollo n. 4. ___________
LVRO DO POVO
POB
Antonio marques Rodrigues.
Obra recommendada e approvada pelos Exms.
arceblspos da Babia e bispo do Mar.nhao, e adop-
tada as escolas primarias do Amazonas, Para*
Maraobo, Piaohy, Cear, Parabiba e Peroambu-
co; 5* edicgSo com estampas e ntidamente im-
presso. 1 vol. cartonado. Prego i*.
Vende-sena livraria Econmica defronte do ar-
co de Santo Antonio.
um-hi
urna mobilia de Jacaranda' a Luiz XV, urna dita
de atnarello do mesrao fetlo, sendo obra muito
bem feita, de apurado bom gosto e reconhecid* so-
lidez. Igualmente se vende palha apparelhada pa-
ra empalhar, por menor prego que em outra qual-
qoer parte; na cambfla do Carrao n. 12, loja de
marceneiro
Luyas novas
Alpacas de cores
Chegou um grande sortimento das mais lindas
alpacas de urna s cor, tendo entre ellas as cores
maw lindas que tem vindo, a 640 rs., ditas tam-
bero s de urna cor porm lavradas a 800 re., di-
las bri.bantes com os mafs lindos desenhos tanto
miudos como graudos a 600 rs.. poit cbvre ou
laazinha transparente com listas de soda, sendo o
padro mais moderno que tem vindo ao mercado a
1J cada covado, grande peehincha : na loja e
armazem do pavo, na ra da Imperatriz n. 60, de
Gama 4 Silva.
ao
Hadapolo
Vendem-se pegas de madapolio mnito flno eom
12 jardas a 3200, 3500 e 4*. ditas eom 24 jardas
a 6, 7* e 8*. ditas muito superiores a 9*, ditas
de 40 jardas a 560 e 640 rs. a jarda, ditos fraoce-
zes de todos os preges e qualidades, pegas de algo-
dozinho com 18 jardas a 4*000, ditos com 20
jardas e muito encorpado a 5*500, 6*, 6*400 e
7*. Algodaojinhn entestado liso vara a I*, dito
trangado vara 1*280, lodo isto pechlnchi para
apurar dinbeiro : na loja e armazem roa-da Imperatriz o. 60, de Gima & Silva.
fanio prett a 2 000
Vende-se superior panno uno preto iaglez, pro-
prio para cal as, paletols ecolletes, pelo barato
prego de 2* cada covado, dito muito cima a
2*400, ditos muito superiores a 4*, 4*500, 5*J
6* e 7*, flnissimas casimiras pretas tanto lisTs
aproo de cordao, dias enfestadas de cores proprias
para caigas, paletols ecolleiB, que se vendem mais
barato que em ontra qualquer parte : na loja o
armazem do pavo, na roa da Imperatriz o. 60, de
Gama 4 Silva.
Cambrataabrancas de cordao a 8*500.
Cneearam as mais delicadas eambraias branca'
de cordao com delicadas listas transparentes
vendem-se pelo baratissimo prego de 8*500 a pe-
ca na loja e armazem do Pavao na ra da Impe*
ratrit n. 60. de Gama ft Silva.
Boleas para 8*000 e lOOOO.
Vende se maneiras bolgas de tapete com caixa
de euro, proprias para roupa engommada e mul-
Luvas de pellica de Jouvin, brancas, pretas e de
nutras diversas cores da anima moda, chegadas
palo nltimo vapor : aj rmar?qi do vaoor r; va n< 7.
Kscravs fgidos
Bk.

Fugio na maoha de dia 23 de dezembro pr-
ximo passado, do lugdr da Casa-Porte da fregaezla
do Pogo de Paoelta, o mulato Luiz, escravo de 18
asnos pooco mais ou menos claro, de coi po e alia-
ra regular, rosto redondo, pea bastantes largos da
mullos blxos que teve ; tem em um dos bragos as
seguidles inici.es: L. S. M. escripias com tinta
a -ul entranbada ha cutis; denles alvos e largos na
frente: tem genio dcil e humilde, emende :ffri-
velmente de cozinba.
Desconfla-se (er nido em algom comboto para
centro da provincia, por serem esses os ?eo< inten-
tos tal vez para Grvala' d nde fliho e tem pare-
les. Vero para e.-ta cldade com idade de 6 abues
para pagamento do fallecido Joie Jos Gomes Pi-
neiro, qoe o comprou em Taqnarelioga a Antonio
de Castro Pereira e Antonio Jos do Nasolmenus,
sendo vendido ao aonancaante por aquelle Ptohei-
ro de qtUm o hoove. Levou apenas a roupa do
cirpo, caifa de eassemira cmsenta ciar* de li-tras,
e camisa de algodiosiobo, costama algumas vezes
embebedar se, nos priroeiros das de sua fgida foi
ene otrado no bairro do Recite desta cidade por
pessdas que ignoravam esta ciroomslancia. Cons-
ta que se intitula forro com dinbeiro qoe tirou na
lotera, e bastante Indino e astucioso. Reeom-
menda-se as autoridades noliciaes e capites de
campo a sua captura e entrega a seu senbor o
ataixo ass'goado naCaea-Ferte.oa n> roa do Quei-
mado nesta cidade, as lojas da Boa-Fama, Aguia
Branca, ou na de Guimaraes & Bastos, da mesma
roa, que aera' recompensado eom 100*000.
Recife, 19 de fevereiro de 1867.
PYan:lsco JosAlves Goiararles. __
Fagio. no dia 16 de janeito do cori'eble an-
uo do Sacce da Peona, ao p da Serra de Human,
o escravo Thomax com os sJgoaes seguiotes : ca-
bra, bailo, pooca barba, rosie redoBdo, tem done
dedos n'uraa das raaos feridas de uih-i de macla-
do : ioiea-se ter vindo assentat praga de volunta-
rlo orno dala : la***e tdayas antoridade
Bolcwe e.pitaes dacarapa a appaeheueao do di-
to escravo e o eotregar-se a seo done Antonio Al-
Te da Los, en oo Reeife, caes do Apollo, a lien*
riqea Saraiva 'Araujo Mello, qoe se recompen-
s,raj
.'Wo dia 19 de fevereiro prximo passadoau-
seeteU-se de casa de sua senhora o preto crioulo
\7o;ri.s7n^mava>7m"c^aho"oe'fer"ra de norae Braulio, Idade 30 anoos pouco mais oa
pelo barato prego ele 8* 10*, aesim como ditas menos, este escravo catraeiro : querai o pegar
sem caixa oara barato oreco : na loja arraaxera pode conduz-lo a sua seohera ao becco das Cnoa
do hZ ,m *? opmtrii n 60,' de Gama &, las da freguezla de S. Frej Pedro Gongalves do Re
Silva. '
! cafe que gratificar com 20*.
^
-?
rntm
~; -
ilV < '


8
Diario de Peruubnco Quinta felra 9 de Marco de
1867.

.

LITERATURA.
Mauricio de Treull,
" POR AMKDKE ACHARD.
Segunda parte.
IX.
(Coniinuago.)
M?s porque nao. Deixe-me gosar do
limi Jo acanhamento deste conquistador des-
atascando....
Peco eu... 0 Sr. du Tailli um amigo
desta .casa... Ser ju.skiqueoafflijamos p >i
causa de um peccadilho? Oh fra sermos
pouco generosos I A minha amiga na"o ba-de
recusar-me o favor que lhe peco de guardar
segredo.
=*- Ah! minha amiga, se o exige, farei o
sacrificio... mas prm-mede um grande pra-
zer. Oh! quo agradavel me seria observar
a confusao que havia de apoderar-se do Sr.
du Tailli, quando elle se visse apanhado em
flagranle delicio.
Agatha apertou entre as suas asmaos da
Sr.a de Vitteaux, dizendo-lhe com ar meigo:
Pois sim, sim; percibe e supplico-lhc
queseja discreta; nSo diga nada, nao?....
Termo motivas muito fortes para desejar que
nada disto transpire... algum dia os saber.
Por agora, peco-lbe que volte para junto de.
minrra filha; triste como ella esta, carece tan-
to que a sua amisade a consol 1 Nao lhe djga
nada do que presencesu; eu iocumbo-me de
arranjar tudo isso... Promette fazerme o que
lhe pego, nao ass'm?
J que assira preciso, prometi; mas
i lhe que me olriga grande sacrificio 1 O Sr.
Closeau du Tailli arvorado em seductor! Tan-
ta maldade acobertada com tao enormes sois-
sas! Ninguem tal dira I...
E quasi que arrastada por Agatha, sahiu da
sala s gafgalhadas.
Apenas a Sr.a Sorbier se viu scom o ma-
rido e o genro, dirigiu-se a Mauricio, dizen-
do-lhe:
Sinto muito que dissesse o que disse
diante da Sr.1 de Vitteaux.
Foi a senhora que me obrigon res-
ponden Mauricio.
Devia callar-se, inventar, fallar-me ao
ouvido; emfim tudo, menos dizer o que disse.
Mas a senhora fallava bem alto e com
toda a sem ceremonia.
Que importan isso ? O seu dever era
nao fallar no Sr. Closeau du Tailli.
Poupa-lo a elle, ao autor de ludo, ao
culpado, porque?
Agatha fez um movimento de impaciencia.
E'singular replicou ellaque nao
me tenba entendido!
Na verdade que nao a entendo.
Pois muito bom de eotender. O Sr.
Closeau du Tailli padrino de Sophia. Pa*
rcce-me que sabe.
Sei
E rico, mais rico do que se pensa.
,N5o lem filhos nem soorinhos; muito ami-
go da afilbada e conta deixar-lhe tudo oque
; possue.
E que tem isso ?
Agatha olhou espantada para o genro. Se
visse succeder sem transicao o ifliotism
mais absoluto mais viu inteligencia, nao
se espantara lano.
Como, que tem isso ? replicn ella.
Se qner que eu a entenda, explique-se
com clareza. Eu nao sei que a riqueza do
Sr. du Tailli, padrinho de minha mulher
tenba a mais leve relaco com toda a histo-
ria da carta.
Agatha Sorbier, desesperada de poder fa-
zer-se entender de um espirito to obtuso
como o do genro, limitou-se a erguer as mos
e por os olhos em branco.
Izdoro Sorbier julgou ser chegada a occa-
si5o de iotervir, e, virando-se para a mulher,
disse lhe com modos concitadores:
O nosso genro nao lem colpa ; ar-
tista, e como tal n5o admira que nao saiba
comprehender como tu fodo o alcance econ-
seqnencias que pode ter o negocio de que
se trata: ignora a lioguagem dos interesses
materiaes; porm vou fazer diligencia por
ser comprehendido.
Recitado que foi este exordio, virou-se
para Mauricio, e, com ares djj advogado que
pretende convencer o seu adversario, embu-
tiu-lbe o seguinte discurso:
Disseram-lhe, meu genro, que o meu
amigo o Sr. CloseauduTaill, muito rico, e
nao Ibe ment ram. eu posso dizer alguma
coosa a esse respeito, porque elle viyia no
Havre. Se se lhe meltesse em cabera com-
prar toda a planicie de S. D'iniz tinha dinhei-
ropara a adquirir. Oque, porm, n5o lbe
disseram que elle 'tnuitosusceptrfgl eque
nao perdga nunca a quem urna vez o offen-
deu, por mui levemente que seja. Emen-
de bem isto, nao entende? Mas ba algaem
qne nao tenh defeitos, pequeos oa gran-
des ? Ora, se meu genro for dizer a Sophia
on Sr. de Vitteaux que a carta de que se
trata era para o Sr. Closeau du Tailli, era o
mesmo que ir apregoa-lo portada a cidade
de Paris. Todos ririam, todos zombariam,
e o nosso amigo viria a ser victima de cente-
nares de chufas e sarcasmos, dos quaes,
como eu, acabou de ouviruma amostra. En-
tende, n2o entende ? Ora o Sr da Tailli nao
deixaria de saber qne o causador de todo
tinha sido o Sr. de Treuil, que, como muito
bem sabe mea genro, e por conseqoencia
quem pagara o reaentimento delle seria sna
mulber, e Deus sabe onde iria ter a be-
raoca !... Pens que o meu genro nao ca-
paz de atirar pela janella fra dous milbSes
de francos-porquc o charo padrinho de sua
mulher no tem menos de dous mh5ess
pelo ftil prazr de contar os peccadilhos do!
bom%> hornea a todo o fiel patife que os tas do meu amigo ama loucnra da dezasada
quizes^e ouvir. Nao; eu, apezar de saber Agla; beoj sabe de quena fallo: aquella
que artisfc, nao faco to mo conceilo do, trigueirinha que r sempre... Mas bem v
seu juizo! Basta-nos termos'a prova de qne! que os imigos devem ajadar-se nos aos ou-
nSo culpado, e do m$$ n3o faca casu. tros... e, se d'ahi resaltar algoma coosa, eu
Ha-de perraillir-me qae faca algum caso arranjarei isso.
da opinio Je sua filha. OIW nao tem duvida, jarranjou mui-
Oh! minha filha, passados quatro cfucin- t00610' As suas loucaras teem-me causj- sioes,eat porque ella tinha suas semelhan-
codias, nem disso se lembra. Se ell se mos- d, mais des80Sl0S do que tena de cabellos ?as com Macella, a quem elle tanto amara,
trar anotada, compre-lhe alguma bagatela, n'es8a ^eca...respondeu Mauricio com A' proporcSo que fallava, ia-se animando e
um cbaile, um brace'Hete... Oueo dizer que 'modos S(ICC0S- jfazia promessas que, se as cumprisse, fra
nao ha desesprelo feraiVil que resista! Sr* du Tai,li oIhou P3ra o artista eom o mesmo que arrancar-lhe as entranhas.
- Vou escrever ama carta e volto aqui
j.
Logo que Mauricio saiu, aprasentau-o Sr.
du -Tailli um curso completo de sedcelo.
O amor que tinha a Mimi-Soleil era tanto
mais viv quanta era a crueldade que ella
demonstrava poF elle em todas as occa*
a urna dadiva deslas. Se necessario for,
minha mulher diz-lhe que se enganou e que
seu marido tfio innocente como o mais in-
nocente que Herodes mandou matar.
Mauricio agitou a cabeca, replicando com
calor:
-a Mas Sopbia, por mais que eu faca,
sempre ha de conservar resentimento contra
raim.
Ab! ah Um bocadito de resentimen-
to de mais^u de menos entre casados nao
faz nada ao caso; a questo esseacial que
se nao percam os dous milhoesj
Cbegou a vez de Mauricio ficar pasmado*
Levantou-se, e, st ffreando a indignado que
senta, disse:
Senhor, eu bem quizera n5o fazer cou-
sa que contrariasse os seus projectov mas
dever meu preveni-lo que a menor mostra
que Sophia me d de que desconfiando meu
bom proced uento,digo-lhe com verdade tu-
do o que se passou: nem dous nem vinte
milhoes me bao de tapar a bocea!
Dito isto, saiu, deixando o sogro e a so-
gra abys'narios de espanto.
Eu bem lh'o tinha dito! exclamou
por fim Agalha, quebrando o silencio em
que ambos ficaram.Este pintor|ba-de ser
a causa de nossa desgracal
E por culpa minha?redarguiu Izi-
doro, com modos de creanca a quem Uves-
sem ralbado.Tu "bem sabes que, se o Sr.
Closeau du Tailli se n3o Uvera mettido nisto,
nunca elle casara com nossa filha.
E' verdade, mas foste muito promptoj
em ceder. O genro que nos convmha era
o Sr. de Courtalm. Este sim ; hei de lamen-
ta-lotodaa minha vida, h! que homem!
E' um homem que nos hvia de fazer hon-
ra, em quantoque Mauricio um artista...
Mas o que est feito, feito est; o que
resta dar-se remedio ao que pode reme-
diar-se... Bem sabes o adagio : Quem bem
fizer a cama, bem se deitar nella. A ca-
ma esl mal feita, mas facaoros por dormir
cumo podermos... Mauricio est novo., at
boje tem vivido como a cigarra .. nos lhe
ensinaremos o que viver com familia, e
com o lempo bade vir a aprender.
Quem? elle !redarguiu a mulher com
violencia.Tu nao vsquanio elle abusa das
nossas bondades ? Trata-nos como seus cria-
dos, comtanto q^e elle coma bem e tenna
que vestir, de onde o dinheiro vem nao o
quer saber... Mostrar sempre enfastiado
de nos, foge-nos sempre que pode... At pa-
rece que se envergonha de se ter enlacado
coma nossa familia... Eu porim aborre-
CO-o !-.
E pensas que eu o estimo ?
Os dous esposos acabavam de se compre
hender. Desde ent5o, ficou sabendo Aga.
tha que era mais forte contri Mauricio,
porque o che fe da casa havia de a apoiar.
Noyos incidentes, nascidos uns do acaso,
outros de combinaooes bem calculadas, mais
complicaram esta situaco, j de si lo di-
fcil.
Sophia nao fallava abertamente na carta
que sua mi havia achado na officina; mai,
orgulhosa com a sua mocidade e com os
triumphos oblidos as reunioas em que a
Sra. de Vitteaux tinha-a apresentado.nlo po-
da perdoar a Mauricio o bave-la esquecido,
ainda que momentaneamente.Este crimeno
era urna ferida feita no* seu coracao; era
um ultrage feito sua belleza. O seu amor
proprio resentira-se edemonstrava ao ma;
rido as repetidas alluses que a conversaco
lhe proporciona va.
Se, por exemplo, se fallava de traices:
Oh!dizia Sophiaa traico nao vale
Qada, comlanto que seja bem oceulta !
E outras vezes :
Cartas! Oh 1 deviam ser queimadas,
apenas lidas. Caitem dos bolsos tantas ve-
zes!..
Estas alluses eram setas que rasgavam o
coracao de Mauricio. Poucas palavras que
elle proferisse o livrariam de t5o repetido
supplicio, masa sua delicadeza celia va-lhe
os labios. Porm as constantes recrimina-
Ces de Sophia e as perseverantes e aborre-
recidas visitas do padrinho della podiam,
de nm momento a outro, faze-lo esquecej
a sua prudencia e delicadeza, e o que vea
a succeder.
O Sr. Closeau da Tailli, qae, havia dias,
deura de apparecer ao artista, entrou uaa
manha na officina, fazendo um ruido des*
propositado.
Sou eu 1exclamou elle.Venho de
Chaillot... Oh! mea charo, havemos de l ir
Ijantar ambos!... S esculpieres que po-
dem ter habilidade para descobrir caca lao
fina como a que por l ha!... Hade vert*
Faca d modo que possa por alli apparecer: xa de ser
um destes dias... Espere; janto c hoje e lado I
dire que. o meu amigo me conviaou.
Eu?!
- Sim, pois porque nSo ? Para outra
vez, eq ibe farei o mesmo servico... Se Mi-
mi-Soleil qaizer tomar parte na sacia, leva?
a comsigo... Bjjicom urna cata dep.sto que
tem vinho de Pomardcomo ha em par
te nenhuma, neto nos IrmSos Provencaes...
petecesse. A cada nova promessa respon-.
dia Mimi-Soleil com am novo movimento
(Contina.)
UM POUCO DE TUDO.
A segalDte poesa dedicada ao E*ra. monse-
nborJoaqaia) Piolo de Campos por uro seu incgni-
to admirador, que nos solicita a respectiva publi-
cado.
ar de pasmaceira e replicou : Mimi-Soleil nao tinha mais que dispor
Ent'ada-secomigo?... Est galantebrin- delle em tudo e por tudo. C^sa posta e
cadeira!,. Ah! percebo! Disseram-me que jttagniticantente mobilada, ricos vestidos,
[lvenlo sei que desaguizado oom suasogra... \ deslumbrantes joias; tudo, qnanto ella ap-
0 meu amigo sempre muilo creanca! Se.
como deve, lhe aptivasse as graca, tudo
correra s milsnravilas! Falle-lhe'das suas de cabeca.
fitas cor de junquilho e jure-lhe que nunca
as viu tao lindas; louve-lhe a sua peregrina
distingan de senhora e a exquizita delica-
deza do espirito. A boa mnlher nunca
foi inimiga de lisonjas, faca-se-lhe essa jns-
tica- D-ihe bem mel, que, por muito que
seja-, ella engole* todo! Em caso de neces-
sidade, um bocjdinho do galanteria tambem
nao faz mal. Ella teoisido virtuosa que ou L8vantai a cabeCa' epitbeio maldito
tra cousa poda ella ser em Pittaiviers* Fa-iS"6 'nsultuosa ma0 ,eDt>a dePr Bm vi>
. iu ii rilHI>Urs f a E' o fnebre raivar da gorja da um prescito,
Ca-lhecrerque,Seella qmm&, havia de Na facedaionoceuciao iaiegodoalgo,
dar brado em todos os saloes de Paris e
seus suburbios... Apenas ti ver a me do
sea lado, toda a casa lhe obedecer. sse-
veram-me que o meu amigo tem muita in-
telligencia : em aue diabo a emprega? Te-
nho d de si, meu pobre amigo; semelba a,
arte na infancia! Logo qae consiga ter a
maido seu lado, > filha confessar que tem
o melhor dos maridos. Se aquella disser:
amen, dir esta: assim seja 1 E entao que
nos Of podemos divertir I.. Est tratado ;
amanha vamos jantar como rapazes de bom
go'sto!,
fJTT" prepar,d0S bos,,nfl pe, C,ab Pergnntava-M ba tempe, a certo sogei.o Ye e7
aos Patinadores apreseniim todas as commodidads oa alo certo casarse elle eom designada menina,
e todo o conforto desejaneis. Estes, aposentos com
prehendem ara resuuranie, am escriptorio, daas
salas de vestir, ama sala de recep;io, qaarlos para
tomar, cavallaricas, etc.
No qaarto reservado do imperador acbam-se tres
trenes guaraecidps de velludo verde cravejado, og
quaes trenos servem para os pass803 da suas
raagestades e do principe imperial em cima do
goto.
Aonoaciam-se alada outras [estas do mesmo
genero,"sendo a malbor no m?iado de fecereiro.
A patinago esj na ordem do dia em Par?, o
continuar a estar al o principio de abril, em cuja
poca principimm os ezarcicios da Uro as pom-
bas, pelos quaes tanto se apaixonou o mundo ele-
gante parisiea.se durante o verao pssado.
Nada, nao cabio o'essa.
Por qne naoT
Por qae. nao goato d'ella ; no pbyslco
am mooslru, e no moral nao lem dea ieis.
Mauricio tinha pegado nos pinceis e ne-
nhnma attenc5o prestou ao Sr. du Tailli:
porm, no fim do jantar, o cancioneiro do
Havre declarou qae n3o pndia acompanhar
a Sra. Sorbier opera no seguinte dia,'por-
que Mauricio o havia convidado para urna
partida ao campo.
Qqfim? Eu ?1 perguntou Mauricio.
Bom! Ahi o temos que j se esque-
ceu de me ter convidado a jantar com elle I..
Algum jantar de rapazes-?!-observou
Atratha. ja azedada.
Desconfio que nao ser nenhum jantar
de patriachas, mas eu aceitei. E aceitei
por interesse ten, minha pequea: quero
ter conta em leu marido !
---Oh! elle'j nao carece disso!res-
Dondeu Sophia.
Muito bem; disse Mauricio vere-
mos a manha.
A's quatro horas venho procura-lo
redarguiu o capitalista.
Ao levantar da mesa, metteu du Tailli
o braco a Mauricio e disse lbe:
Enlo nao v ? Eogoliram-na como
man!
No dia seguinte, pouco antes das quatro
horas, entraram Sophia e a Sra. de Vitte-
aux na officina de Mauricio.
Mimi Soleil eslava servindo deaodelo,
trajando brilhantes pedacos.de estofo3.
A minba amiga Mathilde veiu procur-
rar-me para irinos ver urna exposico agr-
cola que muito linda ; quer acompanhar-
nos? perguntou Sophia.
Agora nao me possivel respondeu
Mauricio, voltando-se um pouco. Descul-
pe-me, Sra. de Vitteaux, porm a cabeca
que desenlio est muito bem apanbada, nao
quero d ixa-la es:apar.
E, demls, ha urna partida, de que
esctlsado fallar, e cuja hora est prestes a
bater! redarguiu Sophia. Vamos, mi-
nba chara MatuilHe; nao incommodemos nin-
guem !
Mauricio arremessou com o pincel para a
lado.
Entao disse elle, tomando a mo da
mulher, ainda acredita n'essas loucuras
que lhe co.iuram T
Oh! nao fallemos mais n'isso; bem
sabe que a minha convieco est bem for-
mada!
A este tempo, ouviram-se passos na es-
cada e o ruido de urna bengala batendo
nos degros.
Pois bem 1 Entrem para alli! disse
Mauricio, impellindo "as duas senhoras para
um gabinete e correndo depois o repo*teiro.
Tornou a sentar-se diante do quadro e
entrou Closeau du Tailli.
Ol.Mimi-Solei!..exclamou elle, to-
do alegre. *
Mimi Soleil fez am movimento para le-
vantar-so, mas reteve-a um gesto significa-
tivo de Mauricio, e que ella bem compre-
hendeu.
Bom disse ella comsigo.Temos
scena de vaudeville I
A minena Mimi-Soleil querer vircom-
nosco ? perguntou Closeau.
Comvosco bom de dizer; mas quem
forma parte do tal comnosco ?
Oh! as pessoas com quem vae encon-
trar-se so-lhe inferiores, bem o sei; mas
anda assim, orna que eu escolbi nao dei-
linda, mesmo sentada a seu
O mando sempre assim : aquipompaste lotos.
All o riso e o pranto; almo joco e a dr:
Uns saodando Satn c'os labios prostitato-,
Outros soltando o canto em honra do sknhor.
O peitoda honradezcoberlo da feridas,
O homem que se elevou -cercado de baldd ;
Vestes sacerdotes da inveja poliuldas,
E o torpe, o infame, o vil marchando otra ovagoes I
Mas tema-se a calumnia I A infamia qaa dejaba
Sobre a froate do justo... ba de esconder-se luz t
Nao vos pode offender to peconhenta baba
Que a feia.hediondez a morte em si conduz I
Um dia ergueu-se a voz da injuria a da insolencia
Calcando sem rubor a vossa honra aos ps...
Fallas'os.....(*) e depois do arrojo da eloquencia
Dobrouse confundida a trmula dobrez I
Deus recuropaosa o justo I A mo da divindade
Colma de immensos bens a quem predestinou___
A innocencia do reo voou pela cidade,
E em cada corago o jubilo pousou I
Deas vos recompensa I Segui*te3 vossa rota
Da patria fostes vos distincto lidador;
Subistes como se subir um patriota:
Colmeou-vos de dons a mfto do Imperador!
Lan^aram-vos baldoes... quebrou-se o lasulto rude,
Surgistes innocente... ellesQcaram vis!
Trabalno, probidade, amor, genio, virtude,
Eis lodo o vosso enme... ais o qae possuis I
Agora que, de novo, estendesea procella,
E cospe a falsldade as faces da honradez,
Qlhai para o passado... a vossa vida baila !
Os insultos dos vis podis calcar aos ps I
Julga, s vezes, o mo quando % dardo arremessa
Ferir, matar o justo... e a vida lhe vem dar !....
Reuaseestfls, senbor, revaatai a cabeca.
Por entre as raultidoes podis, feliz, marchar!
Os chins, cabelleiras, euias e outras frandula
gens de cabellos, sao hoje objecto de importante
commercio.
No anao de 1863 expedio a Franga para Ingla-
terra 11:9* daquelles objectos, a mais cabellos
para fabricar 7 mil.
A totalidade de cabslleiras, chinos, etc., sabio a
1,203,000.
----------ooo----------
Ha na Inglaterra 15 corapanhias de vapores
transatlnticos entre a Europa e os Estados-Unidos,
cajos vapores fazem 420 viagans por dia.
Realiou se em Paris auounclada festa das
lozes orgaoisada no lago do Bois deBoulogne pelo
Club dos Patinadores.
Dizem as folhas francezas que foi urna fasta
magnifica e am esplendido especUculo.
Desde as 8 horas da noute que principiaran! a
desusar as carruageus pelos grandes armamentos
do bosque.
Em volta do lago estava agrupada ama grande
multido de curiosos maravillados dos esplendores
da illumioago que guarnecia o lago.
A commisso eocarregada^ dos arraojotda festa
tinha conseguido dar-lhe o aspecto mais raro emais
original. Era ama festa veueziaoa debaixo de um
cea bollandez.
Em volta do lago estava disposta urna dupla lilei-
ra de mastros ligados entre si por festoes de copos
de cores reflectiodo os seas milhoes de lames
sobre o gelo espelhado e brilbante.
Na ilha, qae oca no centro do lago, havia o mes-
mo mmenlo, ardendo ahi, aim disso os mais
vistosos rogos de Bengnela.
Quioze phares da luz elctrica illaminavam o
lago com maior claro do qae o mais esplendido
loar.
Tudo quanto havia de elegante em Paris estava
no bosque ao principiar.da festa.
Abi se viam, enire outras pessoas, am saeco
chamado B-.ngain, que passa por ser boje um dos
horneas mais ricos do mundo; o principe e a prio-
ceza da. Nariskine, os principes de Mettemicb, o
marqaez du Lao, o marque: Aguado, o embaiaador
dTarquia, e maitis estraogeiros Ilustres. O*
mssos eslavam em grande maioria, bavendo tam-
bem muitos inglezes.
Cada am dos patinadores trazia ama pequea
lanieroa segura ao chapeo ou na ca>a do casaco.
Nao se imagina nada mais fantstico do aspecto de centenares de lazas cmzando-se em
todas as direcedas cora a rapidez de relmpagos.
A proposito: ha dias qne efc-ancei s es- levantando-se, disse:
Sem duvida, ha de ser Agla.... Sem-
pre A'gla !
Nao ; essa j tem aninze dias de da-
ta, e eu nao rendo t9o-'fM|o culto fldeli-
dade! respondeu o capitalista com ar le-
viano Mas se urna pesso que eu conheco
qoizesse dar-rae onvidos..
Mauricio fez um signa! a Mimi-Soleil, e,
s na ilha, tocaram durante este tempo as
mais em voga.
nfelizmente aueve comecou a derrotar por volta
das 10 horas, tornanda-sa o lago quasi impralica-
vel. Chateu tambem alguma cousa, mas esta dr-
ogadas
edhs m
Inteliz
Depois da morte do cardeal Villeeoun, ultima,
mente realisada, fleam de volulos na curia romana
quatorze chapos cardinaliclos.
Espera-s que alguns delles sejam muito prxi-
mamente distribuidos por S. Santidade.
Lord Grey, que fallecea ltimamente em Paris,
no sea palacio aos Campos Eiyslos, era par de In-
glaterra e perlencia a prlmaira aristocracia da G a-
Bretanha.
A urna extrema affabilidade, lord Grey juotava
qualidades immineotes que fazia sobresahir uina
originalidade de bom gosto.
Uuia noite, regressaudo a p do seu club paxa
casa, o fldalgo britannico perdau urna carleira que
ccaliuba quarenta mil francos em notas, a s deu
por isso ao approximar se de sua residencia.
| Lor: Grey com toda a pachorra deu busca as al-
gibeiras para se veriQcar do desapparecimento
da sua carteira, e entrou tranquiliamente era
casa.
No dia seguate pela manha, as dez horas, um
criado foi dizer ao uobrelord, que urna joven dama
vestida de lulo desejava fallar-lhe.
Lord Grey, como^verdeiro gentleman que era,
dirigise immediatameale para urna salla, oude
enoontrou efleenvameute urna mulher vestida de
loto e com o rosto ciberto por am denso veo.
Milord, disse urna voz doce juvenil, perdes-
tes hontem a noite, urna carteira que encerrava
quarenta notas de mil francos; eu acbei-a e vu-la
trago.
E dizenJa islo, urna mosinba apresentou a car-
teira verde em que o lord pegou com alguma e-
sitago.
Minha senhora, disse elle, o vosso proceder
cheio de honradez e amabittdade, me record* ago-
ra a perda que hontem fiz. Acceltai os meus agra-
decimentos; quizera,'porm, saber se poderia sera
oflensa, otlerecer-vos urna prova da miaba gratido
e da minha estima.
Em poucas palavras, a joven dama coofessou
que lazara tenazmente contra o pensamento de
guardar a carteira, que para ella constitua ama
fortuna.
Vivera ontr'ora no meio da abundancia ; a mor-
te de seu marido a enchera de dor, deiando a ao
desamparo. Ficavam-lhe a cargo tres filhos me
ores para educar, e a quarta parte da quantla por
ella acbada bouvera sido mais do que sufflciente
para arraojar todos os seos,negocios.
O leitor adiyinha o desfecho.
Lord Grey restituio a joven viuva a carteira por
ella achada, dizendo-lhe :
Quero ser vosso credor.
E, como ella besitava em acceita-la. accresceo-
too :
Restituir me-beis mais tarde.
Cinco aonos depois, a joven viuva apro.-entava a
lord Grey quarenta notas de mil francos fechadas
n'uma magnifica bolsa bordada por ella, e lhe pe
da licenga para conservar a carteira verde como
ama lembranga da sua nobre generosidade.
Est-se actualmente concertando a famesa torre
da Copenhague, um dos mooumeotos mais curio-
sos que a Dinamarca possue.
Esta torre foi construida ns fins do undcimo
seculo, durante o reinado de Canuto VL i
Mede 60 metros de altura sobre 20 de dimetro;
por meio de um carainho que val subiodo insensl-
velmente, pode-se ebegar ao cimo desta torre, mon-
tado a cavallo ou at mesmo de carruagem.
Do alto da sua plataforma, que nao protegida
por nenhum parapeito, a vista domina toda a ci Ja
de e abrange at cinco leguas em redor.
Urna das mais celebres recordares e das mais
conhecldas no norte, que dizem respeito a torre
redond*, a da visita qae alli fez Pedro o Grande no
comeco do scalo XVIII, e sobretodo do incidente
dramtico qae alli teve lugar nesse dia.
O rei da Dinamarca Frederico IV, do qaal era
hospede Pedro da Russia, acompaotoava-o nesta ex-
curso.
Us dous soberanos tinham ebegado ao cimo da
torre ; um panorama magnifico desenrolava-se de-
baixo dos seus olhos.
Pedro explicava a Frederico o sea systema po
Utico.'
Queris, disse elle de repente, que vos d
ama idea da forga da mioba aatoridade?
E, sem aguardar a resposta de Frederico, o fu-
dador da monarchia rassa faz um signal a um eos-
saco do sea seqaito, e apoatando-lbe com a ded"b
abysmo qae se ?.bria debaixo de seas ps.
Salta 1 disse elle.
O cossaco olhou para o czar, curvou a cabega, e,
sem hesitar, atiroa-se para o abysmo.
Que vos parece isU? disse Pedro Atando os
olbos do re da Dinamarca; leudes subditos iguaes
a este cissaco?
Os meas sabditos felizmente nao se parecem
com o vosso cossaco, respondeu Frederico.
Um novo ensato 4e laz elctrica se effectuoa em
Pars, ao dia 1* do correte mez, secdo collocados
dous instrumentos regaladores nos ngulos occi-
dentes da plataforma do arco do Carroussel.
A praga toda, a grande fachada oriental do pala
O fri tem-se feito sentir intensamente, em Ara-
gao.
O rio Gillego petoa em alguns pontos, sendo tSo
grosso o gelo, que se p le passar a >alvo por cima.
Tambem gelaram ero parte as margens do Ebto,
nos pontos ondea forga da correnle se torna u-
os si-o si vel.
Dia a poca, de Madrid, que no dia 18 do cor-
rcute o trem que sahio da estago do norte ficou
parado no kilmetro 87, por causa da nevo que o
nao deixoa continuar ; e all ficou em descampado
por espago de 3 horas, at qne orna machios qae
sahio de Avila ; com o appareibo guarda nev para
desetopir" a via, a'li chpgou com grande dlfflcul-
dade ; apenas pode soccorrer o trem que eslava
parado, mas que teve de volur, por que o vento
era to forte que nao deixou continuar a marcha.
No ojesroo dia, e timbera por causa de nev que
cobria a via,%o trem n. i, que cliega a Madrid s
8 horas e meia da noitj, descarrilou era Valaijos,
havendD que lamentar a desgraga do fuguelro dtie
rjtrdeu urna nido, au%ohada entre o galo e a ma-
china no aelo de a engatar.
Em alguns pontos da. va a nev tinha metro e
meio de altura.
Se ha agora soberao j acariciado, acolhido
por seus.... eu ia dizer collegas: ni verda-
de. por que n5o ?... emflm pelos outros so-
beaaaos, sem duvida o vice-rei do Egypto.
A Inglaterra enviou-lbe a ordem do Banho
por um almirante a- testa de toda sua eiqua-
dra. O rei da Italia envia-1 ie a seu turno a
ordem da Annunciada por intermedio do
conde Castiglione, que*dve embarcar em
Brindise am destes dias.
O vice-rei deve dizer com certo senlimec-
to de desconflanca : Que me querem?.. .
Qual o esDinho que se oceulta sob estas
rosas cobertas de brilhantes ?
Eu pergunto tambem a mim mesmo qual
pode ser o Gm dessas demonstraces.... que
significara todas essas bajulaces?.. .
O povo ovetense passa o tempo manejar
a penna para assignar peticoes, em quanto
nao maneja o fuzil..... A Porta tem-no por
tal modo habituado salisfazer seus capri-
chos," que como crianga adorada que elle
se encolerisa logo que se lhe resiste.
Durante minha estada nessa ilha, assis
um singular espectculo. Os Cretenses de-
ram-se a scenha.... n5o gagar o imposto
deixarem-se sequestrar. O governador forga-
do as suas trincheiras, decidio-se essa
triste extremidade; os. homens da polica
iam de porta em porta e conflscavam tudo o
que podiam. Yendia-se os movis em pre-
ges, mas nenhum Cretense comprava; des-
se modo o governador em pouco tempo se
acho possuidor de duas ou tre mil mezas
e camas, de quioze ou vinte mil cadeiras, de
um numero iocdculivel de utensilios deco-
sinha.... Grande entao foi seu embaraco.
Que fazer disso, nao podendo vender cou-
sa algulha na ilha?... Envia-lo Consianti-
nopla ?... O governo teria enorme trabalho
em aproveitar-se d'esse novo genero de im-
posto ; ver-se-bia forjado pagar o sold de
seus soldados com urna cadeira ou uma
mesa!...
O governador suspendeu as penhoras, fez
depositar todos os movis r.a praca, e cada
qual veio buscar o que lhe perlencia.
Foi assim que acabou a demonstrado,
mas nada foi pago Porta.
Pois bem! duvido que esses bravos cre-
tenses achem jamis um soberano que pos-
sa convir nesse modo de pagar pu antes de
nao pagar imposto!
Olympe Andoard.
As duaiyirimeiras bandas de msica de Paris' *10 das TolDerias, e demais edificios, appareceram
alomiados pelos focos de ama luz clanssima e per-
manente. '
O imperador, qae estava no pavilbo do relogio,
manifeston a sua satisfacao pelo bom xito do in-
vento, que vai deseropenhar am papel imprtante
curastaueia nao esfrioa o enthasiasmo dos patina, na exposigo, aos espectculos, nos lugares pabli-
dores, qae lbe resistirn denodadamente.
A essa hora accenderam-se os fogos de Bengaella
em toda a redoodeza do lago.
A concurrencia comegou ento a agglotnerar-sa
em volta dos ckau/fotrs e das mesas da caia.
Uma hora depois, as 11, deu-sa o grande fogo de
artificio armado no meio da ilha terminando por
am enorme ramalbele de fogueies.
Imraediatamente depois aproximaran se as car-
ruagens, que recondutirara os convidados debaixo
de nma grande carga de chava.
eos, e as grandes testas que se celebraren).
(*) Aiiada-se, aos ditcorsos do Sr. finio it Cam-
pos na assembla proviucial em resposta ao Sr.
Dr. Britto.
Todos sabem a quanUs exigencias e oppresssdes
tem estado sujeita a imprensa peridica em
nata.
Uix-se qae pelo tuvo projecto de le da imprensa
acabar a pena de priso por aboso ia manifesta-
cao do pensamento; porm qae se alargar o alga-
rlsmo das multas qae se podero impr por taes
telictos.

O sulto um decreto prohibindo a exportado de ce.
reaes e legamffs pir tod os.portps seceos
e molhados, ficando exceptuados os cereaes
e legumes que j estejam comprados pelos
negociantes europeos na data da dito de-
creto.
A cansa que deu lugar a esta medida fot
a grande escassez dis ultimas colbeitas que,
segundo as informacoes obtidas pelo Gibral-
ta Chronicle, foram deficientes de cincoen-
ta por cento. *
Publicaram-se ltimamente os seguintes
dados estatisticos.1 relativamente aos dous
palacios da exposico de Londres e de Paris.
O Chrystal Palace de Londres, construi-
do em 1851. oceupavauma rea de 71,090
varas quadradas, e custou 7,800:000 fran-
cos; o de Paris, em 1855, oceupava 115,000
varas quadradas, e custou U milhoes de
francos; o de 1862, em Londres, oceupava
120,000 varas quadradas e coslou'fS mi-
lhoes de francos: e o palacio da exposico de
Pars oceupar este anno uma rea de
146,588 varas quadradas, e costar pouco
menos de 20 milhoes de francos (3,600 con-
t* de ris.)
H
Keyworth, na Inglaterra, ama aldeia
que merece ser citada pela salubridade do
seu clima. O Nottingham Journal nos faz
saber que, dos-900 habitantes qae ella con-
ta, s morreram dous desde o primeiro dia
de Janeiro rft 1866, isto no espago de 13
mezes.
i
TYP JDO DIARIU-RUA DAS CRZTu
i

m

'
j


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2ML2N4LP_5V2T7F INGEST_TIME 2013-09-05T00:15:16Z PACKAGE AA00011611_11212
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES