Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11197


This item is only available as the following downloads:


Full Text
'&>
T







?


i
, -j
.
*
*
ANNO XLIII. NUMERO 40.
________________________
PARA A CAPITAL E I.IttBES 0\ SE NAO PACA PORTE,
PurlreBeie8HiBU4s.,.......,'. ...... 60000
Par m* ditas Um........, ....... moOO
Por aa aano iioM.................. 240000
Cali BIBJN BTJiS ..................... 320
SEGUNDA FIRA 18 DE FEVEREIRO DE 1867.
---------- ---------------,-------------------------------
PABA IMVTHO E POMA DI PROVINCIA.
Por tres B0zes idntadM.......j......... Qp780
Por seis diiM Idea...............................^ ,^5o0
*Por nev ditos dem.....-..............- ............ 200250
Por anana* idea., sr .. .. ...................... 270000
ssiKBBA-aa asi vwastiWWb m> iraorotaift id mssmaik mvnama m vzmsl & wniros, eaia iPii>iPM8!rAi&a ,ESCAKHE(AOS DA SUBSCRIPTA1.
Parariyba, o Sr. Amonio A!ex?ndnno deLiraa;
Natal, o Sr. Amonio Margues da Silva; Aracaty ,
oSr. A. da Lemos Braga; Gear, o Sr. Joaquim
Jos de Miveira ; Para, os Srs. Gerardo Antonio
Alves & Pilbos ; Amazonas, p Sr. Jeronymo da
Costo; Alagoas,o Sr. Fran-ino lavares da Cosa;
Baha, o Sr. Jos Martins Alvos; Rio de Janeiro,
o Sr. Jos llbefro Gasparnho. |
OAHfA ii.' S -:TaKh;tA-:
Oiinda, Cibn, Basada e estages da va frrea at
Agua Preta, lodos os das.
Iguarass e G'.yanna as segundas e sextss felras.
Santo Anto, Gravat?, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altiabo, Garanhuos, Bulque, S. Beoto, fi m Con-
selho, Aguas Bellas e Tacaral, as fercas-feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesquera,
Ingazeira, Flores, Villa B'lia, Cabron, Boa-Vis-
ta, Oricury.Salgoeiro e Exornas qoarlas feiras
I Serlobaem, Rio Pormoso, Tamaodar, Una, Bar-
reros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS
TRIBUNES DA CAPITAL.
Tribunald> eimmereLo : sobandas e quintas.
Relaeo : torgas e sbados as 1) horas.
Fazenda : quintas as 10 horas.
Julzo do commercio : segundas as II horas.
Dito de orpos : tercas e sextas ie 10 toaras.
t-rimeira vara do eivi:
dia.
Segunda vara do civil
1 dora da tarde.
tercas e senas ao meto
: qnarias e sabbadcs s
EPHEMERIDES DO MEZ DE FEVEREIRO.
4 Lna ndrva as 8 h., e 24 m. da t.
I i Qoartocre.se. as 10 h., e 48 m. da I.
IS Loa chai as 4 h., e 19 nwla t.
26 Quartomiog. as 8 h. e 40 01. da m.
--------------~
DAS DA SEMANA
18. Segunda. S. Smelo b. m.; S. Predigna v.
19. Terca. S. Onrado f.; R. Gabino m.
20. Quarta. Ss. Eieoteii m. Niio bb.
21. Quinta. Ss. Maximiano e Fortunato bb.
. Sexta. S. Marcarlda de Cortona f.
23 Sabbado. Ss. Lzaro Severrao e Primitivo rom
21. Domingo. S. Mantas ap.; S. Pretxtalo b.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 2 horas e 54 m. da tardo.
Segunda as 3 boras e 18 minutos da manbaa.
PARTIDA DOS VAPORES COsTEIROS.
Para c sttl at Alagoas a 14 e 30; para o norte
it a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14-.ios mezes Janeiro, mareo, maiol
Jilbo, setembro e novembro.
Aos nossos assifnantes, que ainia n3o
pagaram o presente trimestre, rogiruos o
queiraru fdzer ao dosso cobrador, afim de
evitaren! que les seja suspenda a remessa.
PARTE FFIGIAL
conselho de compras do arsenal de guerra, para a I guerra, o alteres secretario* do corp n. 38 de vo- rer o zlo e nimas*. da parte de V. R*ra e so-
militar, recbraraendo-lhe q ie, mande lactarios da oatria Krancisco de Assis Mioteiro. bre tudo as snortagd ..s iv. 850.-D la.-O:- Srs. ag-nt^s da.C-jmpanhia siao dr musa, e em fai:e l.!ssas mismas obras q\".
Bra gnm de estado a re ai Micei no vapor 6%ar. a Nao todo sido demolida toli a groja tornare
Jos Tavares de Lira. d-saecessarii n iva beo{o.
Iuaes a Pedro d- Aieaotar Vellos* ia'ilveira Dt ao vifario d Sin! Lnzla d^ Sibugy
1
faivi;nvo ia provi \n 1
Expediente do dia 20 de dcz'inbro de 4866.
N. 798.0B<;io ao kxm. vigtrio capitular.
Pelo offleio de V. Exe. d^ 18 do correte, quei la-
toirado de ter sido n^meado vicaria encommenda-
do da reguena do R^-cifa o Rvd. Antjnlo Manoel
ta Assompso, por ter fallc.ij o vigario collado
da oie.sma.iregu-'zia, Rvd. arcediag Placido Ao
Don da Silva Sabios.
N. 799 Dito o Exm. presidente do Ceara'.
Nosta oata offljio o direct ,t do arsenal de guerra
para mandar apromptar, afim de serem remanidos
para tssa provincia, os vinh mil canutos, sendo
tez mil embalados, que V. Exc. soliciton era seu
cBcio u. 16 de 27 de novembrw ultimo, a iju res-
pondo.
N. 800.-Dito ao Exm. presidente da Parabyba.
Ao directorio arsenal de guerra oflkio nesta
tota, pira mandar apromptar cora destino a' essa
proviacia os 300 far amentos completos para re
tratas, qoe V. Exc. solicitou em seu offlcio de 18
do correte, a que repoodo.
N. 801.Dito ao Exm. presidente do Para'.
Oportunamente vai ser enviad ao encarrejado
dos negocios do Brasil em Roma, o oicio que para
ter esse destino, V. Exc. rae remetl-:u cora o s-u de
22 de novembro prximo Dado.
N. 802.Diio ao Ex o. presidente do Amazonas.
Pelo seu offl;io di 7 de novembro prximo fia-
do, fiquei ioteirado de haver V. Exc. nessa data,
assnoiido a administrago dessa provincia na qua
i i- de seu p>esiente.
N. 803 Dito ao general commaolaote das ar-;
mas. Sirva se V. Exc. de mandar por em lder- i
dade o guarda nacional do 11 batalno de infui-
; 1 na do municipio de Iguarass, Simplicio B^zerra
de Figuetredo, que neMa data despeo^ei do servigo
da Kuorra, por ter provid-j isenjao legal.
N. 80i.Dito ao mesmo.Sirva s- V. Exc. de
maodar por em liberdade o recruta Mmoei Alves
da Suva Campos, visto ter provado enco legal. |
N. 8U5.Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. dj
Informar, acerca do que pele no inclusj reqiieri-
ineoto Jos J jaqui.n de Carvalbo.
^ N. 8iJti.DiD ao mesmo.Faco apresentar a\V.
Exc, am de Ibe dar o Convenieot- destino ddfois
de iospeccionado, o rei-rou Jiaqoui Gjines do!
nascimnoto, o qual me f.i re.Tttudo pelo recruta-!
dor de SmlO Amaro de Jaboatao.
N. '070119 ao ni-.-niii. Sirva-se de mandarj
por un liberdade o gnarda nacional do batalhao
11.10 de infantaria, Jjao d< Paz do O' Ribeiro, fi-!
Iho de Mara da P*z Serafina, e os recrutas Joao
Francisco Z-ca, S^venoo Jos Ferreira, viste terem
provado tseuco legal.
N. 803.Dito ao mesmo.Sirva se V. Exc. de
maodar por em nh-nlade o guarda nacional lli-
fiuo Tnemoteo da Fuica, que foi transferido para
bordo do brigue-barca Ilamnracay, visto ter pro a j
do i.ensioiegal.
N. 809.Dito ao mesmo.-Sirva-Fe V. Exc. de*!
expedir assuas ordens, aQin de que nao sig vapor Guar, os recrutas e guardas nacionaes Lau-
rian. Jos da Trindade, Jo.aqulm Uamasio, M rce-
lino Cancio, Joo Guedes e Cosme Jos Pedro, visto
que tem preteorS-s a dvcidir-se
N. 8i0. Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de
mandar por eoi liberdade o guarda nacional do 6."
batalno de infamara deste municipio, destinado
para o servigo da guerra, Antonio Jos de Santa
Aona, vi-tu ter provado seero legal.
N. 811. Dito ao mesmo.Visto que, segundo de-
clara V Exc. em seu offlcio de hontem datado,
sob n. 1,410, acba-se inutuisado para o servigo o
cavallo cania o o. 26 perteuceoto ao deposito espe-
cial de iustruc$o, antoriso V. Exc. a efleciaar a
veoda do referido cavallo pelos meios estabele-
cidi?.
W. 812.uito- ao mesmo.Respondo a nltima
parte do offlcao de V. Exc. de hontem datdo, sob
n. 1,408, izendo que o recruta Martinbo Gjftes
Vital, aire vai ser processado pelo juizo munt-ipal
de Ijjuarasso', deve ficar desligado do deposito.
W. 813.Dito ao mesmo.Providencie V. Ene,
afim d que nao sigam para a rrt- no vapor Gua-
r os guardas naci raaes H^rmino F.-lippe da Sao-
t'ago, J o Brato da Silva e Jos Antoni de Souza,
os quaes t^em pretengoes a decidir se.
N. 814.Dito o mesmo.Sirva-se V. Exc. de |
provi leociar, para qne nao siga para a corte no
vapor Guar, o guarda nacional do quinto bata
Iho desie municipio, Franceliao Beerra Caval-
caoti, o qual tom preteoeio a decidir se.
N. 81o.Dito ao mesmo. Haj* V. Exc. de man-
dar por em liberdade, visto que em iuspoccao de
sade foram consiJerados iucapazes do servigo,
como coosta dos termo; aooexos ao sen ofli-u
ii. 1,414 de ii dala, os 19 recrutas e o guarda na-
c ral neiciooados na relag) iuclasa.
N. 816Dito ao mesmo.Qieira V. Exc. man
dar apreseolar neste palacio amanba as 10 boras
do da, o sida o do corpo de voluutarios da pa ra
n 11 J s Simplicio Nogueira, a que allude o ofD
co de V. Exc. o. ,41idi 19 do correte.
N. 8t7Dio ao mesmo.Sirva se V. Exc. de
mandar por em liberdade os guardas nacioDaes do
6 baiaibo desto municipio, Automo Jos de San-
ta Anna, e do 26 do Bonito Joo da Silva Vascco-
cellos, o primeiro por ser o ulim > arrimo de soa
mi, e o segundo por ser incapaz para o servio
mimar, coof rrae declara V. Exc. em seu offleio de
18 oo co rente, sob n. 1,404.
N. 818. -Uii aomsmo.-O recrutado Antonio
Ceuiliano de Souza, a quem nesta mandet pdr em
liberdade por ter sido julgado incapaz do servigo
era in-pecoo de saie, criminoso no termo de
OiinJa, eguodo deciarou me o respectivo juiz mu-
nicipal suppleuto em esercicio, coovra portaoto
que V. Ex*. ^cluindo-o do nomero dos reerntas,
o mande enregar coro seguraoga ao Dr. ebefe de
polica.
N. 819.Dito ao mesmo.Convenbo em que
seja empregado na quabdade de sorveate da en-
fermara militar o ex-soldado do 9." baialho de
olaiitaria Hooorio Pereira da Silva, como pedio no
rrquenmenio, .-obre que V. Excf Informou era offi
co o. 1,413 de 19 do cor ente.
N. 820.Dito ao mesmo.-Sirva-se V. Exc. de
maodar por m liberdade os guardas nacionaes
designados para o servio da guerra Antonio Mar-
lios de Souza e Querino bernardo de Sena, este
do 7* bataneo de infaotana deste municipio,e
aqoelle do 43 de Seriohem, visto terem prova- do
iseoca legal.
N. 81'.Dito ao Dr. ebefe de polica.Por par
te do or^f adeiro commandante das armas, sera'
presentado a V. S, para ter o conveniente desli-
no o paisano Amonio C-ciliaoo de >ouza, que sen-
do requlsitado pelo juiz municipal supplente do ter-
mo de Oiinda, como criminoso, o mandei desligar
do numero dos recrutas, por tor sido julgado inca-
paz do servico.
N. 822.Dito ao inspector da thesouraria de fa-
renda.R-suturado a V. 8. o requenmento docu-
mentado, sobre que vet^a a sua ioformajio de 24
de novembro ultimo, n. 763; n > qual Harmino
Ernesto de L?mo< Amaral, "pede pagamento da
quantia de 800OOO, a qtte se julga cora dlreito por
ave; fornecdo e?. raappa3, qne contratou com c
ra
do ministerio da marinha ni vapor Guar 2 solda-
dos do batalhao naval, qu- o commandante do bn
gue barca IVmtrac, tem de remetier pira cor
te em lugar dos aprendizes marime ros Uballo
Aotooio do Carvalho e Jjaqoim de Albuquerque
Mebo, qae de-embarcara nesta provioca.
N 852.-Dita.0> Srs. ageules da Companba
Brasileira de Paquetes fagm transportar para a
cne no vapor Gutr, por coou do ministerio da
guerra, o clarira Araaocio Lopes Michadieos
soldados Jos Ramos Ferreira da C'uz Lins, Anto-
nio Ferreira e Aniceto Jos de Sant'Anoa, todos
gem do estado a proa do vapor Guar at Macei,
a Mana Josepha do Nissiraento, mulber do solda-
do do 4." batalhao de artilbaria a p Jastiuo Can-
dido da Cruz.
Expediente do secretario do joverno do dia 20
de dez*a ir de 1866.
effectuar esse pagamento, em vista do qoeezpBa o
mesmo conseibo *m sua ioforma<;ao junta por co-
pia d 15 deste mez, e dos dux amentos constantes
das cop as tambera jumas e a -qoe se refere o meo
: ciooado conselho. ....
N. 823.-Dito ao Inspector da thesoorarla pro-
vincial.Inteirado de qnanto V. S. expz em seu
offltio seb n. 64S, tenho a dizer-em reposta, qne
mande pagar a primeira pr-.-t reito o arr-m.it-.'ote do sexto Unco da estrada do
, Limoeiro, Manoel Tnomaz de'AlbuqoerquA M ra-
cha que cara' obrigado a pregar flanea quaoio
antes, de modo que nao possa receber mais pres
lafao aiguma, sem que temu cunpndo essa con
diyo de seu contrato.
D-claro oulro sin, a V. S., que importancia
dessa obra,Bem como dasdopriraeiro lango di es-
trada de Goianoa a Petras de Fogo,edo 10, II' o
112 da estrada da Escada, deve ser paga antecipa
! flamete em diuhjtro, conforme indica no seu cita-
do ofcio.
N. 824.Dito ao mesmo. Providencie V. S.,
para que estando em termos o pret junU em dupl-
cala, e nao havendo inconveniente, mande pagar
ao negociante Js Mana F. rreira da Cunba, coa
lorme solicitou o commandante superior da coraar
ca do L'mjeiro, em ufBcio de 12 do correte, a
Importaocia dos venciraentos relativos ao mez de
novembro ultimo, dos guardas nacraoaes destaca
d j.s ri;..|u-lla villa......
N. 825.Uito ao eogenheiro chelo da repartido
das obras publicas.Mande V. S. transferir os
ulenciiios e mais ob,ecios perieaceotes aj Gymna-
sio Pernambuciuu para, o ta\o estabeleclmento.
N. 8-'o\Dito ao commandante superior do Re-
cite. Tend > nsta dat mandado por em liberdade
o guarda do bataibo n. 7*d-j af.niana de.-te rau-
ni'ipi-', QdiriOj B-roardo dSfoa, designado pa
o serval da guerra : assfyfl fi cornraunico a V. S.
para su conheclmento e, pifin de que designe oo-
tio para subslilui-lo.
N. 827. Dito ao .commandante superior de
Oliuda e Iguarass Tendo uesta dati dispensado
do servigo da guerra, para qua f a designado o
guarda nacional do 11 batalhao de infamara do
municipio de Iguar ss, Sympiicio Bezerra de Fi-
guelido, por ter provado iseuQao |egal: asstm o
commumeo a V. S. para seu conhecimento, e afim
de que o fa;a substituir por outro.
N. 828.Dlio ao commandante superior do Rio-
Fornu.-o.Teodo nesta dala mandado pdr em li-
berdade o guarda nac mal do batalhao n. 43 de
Infamara oo municipio de Sennhaem, Antonio
Mariios da Silva, de-ignadJ parad s'ervico da guer-
ra : assim o communic V. S. para seu couhe-
cioiemo, e am de que des'igrie utro para substi-
tui-lo.
N. 829.Dito ao commandante superior do Bo-
nito.Sendo cousideradb incapaz para o servmo
da guerra, o guarda nacional do baubj n. 26
desse municipio, Joo da Silva Vascoucelio.-, a que
se refere o offlcio de V. S. de 7 de nove
mo, maodei-o prem liberdade; o que declaro a
V. S., afim de qoe qamto antes o faga substituir
por outro.
N 830. Dito ao commandau:e superior de
Goianna.Mande V. S dispon ar do servij- da
guerra, para que foram designados os guardas na
conaes da selima co uv rama do batalhao n. 12 de
infamara son seu comraaodo superior, J Ao B-nto
na Suva e Jos Antonio de Sou'a, visto terem pro-
vado ser o primeiro o arrimo deseuyalh pat e
umaos menjres e o segundo Blhn nico de mulber
viuva.
N. 831.-Dito ao director do arsenal de guerra.
Pe V. S. comprar iudependente de annuncios,
como pronta em seu offl io de 19 do correle, as
mantas qoe forem precisas para distribuir com
os recrutas e guardas, que tea de seguir breve-
mente para a cfte.
N. 832.Dito ao mesmo.Faga V. S. apromp-
tar para serem enviados ao Exm. presidente da
Parabyba, 300 fardaraentos completos para recra-
us.
N. 83 i.Dito ao mesmo.Faja V. S. apromp-
tar para serem remettidos ao Exm. presidente do
Ceara', vrate mil cartuxos, sendo dez mil embala-
dos:
N. 824 Dito ao juiz de direito do Pao d'Alho.
Nao tendo sido aioda remettidos os mappas, que
as autoridades dessa comarca devem ministrar pa-
ra formaeo da estatistica judiciaria, recommendo
a Vine, que baja de activa-las, afim de que sera
p.rda de tirapo, os enve por intermedio desse jui-
io, como exigi esta presidencia em circular de 19 ,,. ~a,h.S'"" wn*,n,w Presidente da
oe abril ultimo. Dri'v'nci. man!-a declarar a V. S., qu flea expe-
N. 835Dito aojult de direito do Cabo-HtalSXrL'ES'l"* pV.a ?erein ,ra(!iP.')r-
tendo esse julzo, al esta dat) remettido um -o
para a Babia, e a Amonio Pedro de Aienctro pa- respo-ta aoseu cfB 'io di 4 do prox7rri;"*'p'assado
o Rio de Jraeiro. ~* lenho a dizer-'"
Ihe, que tolo V. R/mt. se collado
N: 8)1.Dita.Os Srs. agentes da Compa'ahja, pelo sed procurador o revereddissl n) chantre Jos
Brasjjeira de Paquetes f.cam transportar por conla! J iaq lira Camello de Aolrad \ o qual f;'. nessa oe-
casiao a profsso da f e lev a imposieao do bir-
r o, desueoBssario se loroi qui V. Rv'rai. repila
atii p ofif-.So da f.
Quinto a'fcong.-ua coraba a p-tIh la dsl; o
da era quilftaioa posse da freguezia.
6
Offl'io ao vigario de 3 Jos de.-ta cidad.-.
A vista dos motivos expendidos no seu offlcio de
4 do correle, a qneTespondo, approvo a resolu-
gao, que V. Rvma. toana fl- transferir o Santlssi
mo Sacramento duuate as eleicSes para a igrrja
de Sama R la, e ni'fira a de S. Josa le Ribvmar,
Manoel Maris Freir.
J 'So Ferreira da Silva.
Cassiaoo Octaviano da Caoha Vasconeellos.
Adelino Cava'caoti da Cooha Reg.
Thwdoro Jos Pereira Tavares.
Maniel Pereira de Campos.
Simplicio J s Pereira.
Fregoezia de Limoeiro.
Vigario Manoel Ignacio de Lima.
Antonio Gomes da Silva Gumar.
Claodioo Corre i de Mello.
Amaro J s L.pes Coutinbo.
do deposito e-pecial de instruegao, bem como os como eu Ibe hivia Indicado, oa persuajai d.- ser
soldados volunlarios para o exercito, Juo felippe este templo mais Bproprialo para o exercicio paro-
da Silva e Mano<:l Hermenegildo Pereira I chial.
N. 853.-D.ta.-Or
B.asileira
Srs "ageotosda Companhia Dito ao vigario da freguezia da Lu. Approvo
de Paquetes mandera dar nra-pasa- !as medidas por V. Rvma |jq>adas com o tira de
odes?e succeder
a^sira respoo-
minorar qualquer des
na matri durante as ele
dido o seu offlcio de 3 do'colll
Dito ao'VIgano de MamanguiK- F.vendo
Rvd. Miguel Sjverioo da Silva obtfF)' do Rvd. pa-
ro-'bo seu antecessor licenga para assistlr ao rece-
N. 8o4.-Offlc,o ao general""commandante das'-TTa'^atT^TVfJVZn?'
ar.na-.-D, ,dem deS. Ec. o Sr. enhetro ft, f fc? ^X^\"Tnt
le: ssor eiercia nessa freguezia a Jarisdlccao
presidente, di provlmii djclaro a V. Exc,
P^.r despacho desto data se cracedeo 20 dias de
praso ao recruta Manoel Francisco Viaona, para
provar Isaaetj legal, q m diz ter era su tavor.
N. 835.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. coase-
Iheiro presidente da provincia manda comrooflicar
a V. Exc, que expediu-se ordem para seren
transportados para a corte no vapnr Gimr o alfe-
res secretario do corpo de voluntarios da patria n
38, Francisco de Assis Mont-iro, e as pracas de
pret, de que iratam os seus tfficlos nmeros 1,416,
1,417 e 1,419, de 20 do crrente.
N. 856.D to ao Dr. chre de polica__S. Exe.
0 Sr. conselheiro presidenta da provincia, tendo
concedido nesta data a Francisco B-ringoer Cesar
de Andrade a exoueragao, que pedio do cargo de
1 snppleote do delegado do termo do Brejo, e a
Joo Marmho Falcao, a que soliciton do de i
supplente do 1. ai-triclo da freguezia d'Muelle
norae : assim o manda commuoicar a VTS. m
resposta aos seos offl -ios nmeros 1,9JO 4,401
de 19 deste mez.
N. 837.Dito ao iospeetor da thesooraria de
fazenda.O jui; rnunicipal do ptrmo de Caruar
Dr. Paulino Ferreira da Silva, jarticifiou, quena
qoahdadu de sub-Ututo e em 3 do coir.ent", assu-
arta un n ,oit', pi-i^er ^m-'ro subsiitu-
to, nr. Aotooio Columbao SerapWco de Assis
Carvalho, dado parle de doente, o qoe a V. S. cora
munico de ordem de S. Ex* o >r. conselheiro pre-
sidente da provincia.
N. 858.Dito ao mesmo.De offlcio do juiz de
direito da comarca de Palmares, de 12 do corr-nte,!
consta, que por ter e Dr. Me.ndo doSaBirreto!
Sampaio, deixado o exerciciu em 3 de novembro:
proxim fiado, para r. lomar assento oa a-semb i
legislativa da provincia do Ceara, preslou juramen
to e tomou posse no dia 11 deste me*, do cargo de
promotor interino daqoella comarca, o bacharel
Pedro GiDdiaoo de Ralis e Silva Jjnior, o que a
V. S. commumeo de ordem de S. Exc. o Sr. conse-
lheiro presidente da provincia. ,
N. 859..:Dito ao cumraaodante, superior do Li-
moeiro.O Etra. Sr. conselheiro presidente oa
provincia, manda declarar:a V. S. em respo.-fA*o
sea offlcio de 12 de correte, que a thesoutana
provincial tem ordem pira pagar *..t Mara
Ferreira da Cuoha a importancia dos ven intratos
constantes do pret, que era duplcala vdio aouexo ^lu'ZfJl.,
ao citado offlcio. *. concedido ao Rvd
N. 860. -Dito ao juiz municipal de Ciruar in-
terino de direito da comirra doBrailo.De ordem
de S. Exc. o Sr. conselheiro presideqie da provin-
cia, aecuso recebido.ij offl:io,'e,n que V. S. partici-
pou ter assumido o ejercicio do cargo de juiz de
direito dessa comarca, por. ter o supplente dado
parte de doente.
parochial claro que isla valido o rasament) em-
bora feto era t mpo em qne baria e.iradoju-
nsdicgo do parodio qu- conced-u tl liceaca.-
A decUragaj do Rvd. Miguel Severid >, diz'endo
que nao leve noticia di posse de V. Rvraa. era Iho
chegou a paollcipago do amigo vicario deve me-
recer (oda ^f, e V. Rvma. deve Bear tranquillo
sobre a valtdade desse c smenlo.
7 -
Offlcio ao coadjoctor pro-parocho de Uoa.- Par-
ticipando toe o Exm. presi lente da provincia que
infelizmente houve derramamento de sangue na
mairiz dessa fregueiia, por occasio da eleigao a
que se esta procedendo, eurapre que V. Rvma.
declare Interdicta a Igrrj, e tran-B'a a sede da
matriz para a igreja oo capella mais prxima e
commoda que ah houver.al qoe seja recooclhadoo
templo.Prucure ouirosira V. Rvma., pelos melos
ao seu alcanee, acalmar os nimos desses povos, e
obstar a que'se reproduzam na casa de Deus lio
laaeniaveis escndalos.
Dito ao vigario de Serinhaem. Lamentando o
estado deploravel era que se acna ests matriz e a
falta de paramemos e utencilios para a celebraco
da mbsa e adainistrago dos Sacra ments, como
V. Rvma. relata oo sn.offlcio de 21 do passad .,
que respondo, esoero'que V. Rvma. procedendo
general Brauo Ihe confia o comraando de ora pe
queno corpo decavallaria da vanguarda do exerci-
to, e o ocumbe de previnir qualquer sorpreza das
iropas de Alviar.Arrastrtm-se asnoites de invern,
e o joven tenente vela zombando do fri, o tnum-
phaodo do s)moo, tristes de soffnmento sera bri
Jfio, e desperamos de-icombate bao realisadis I
bm manhaa, porra, o sol rompe os veos de cer- T.burcio de Souza Monteiro.
"ar,e de neve.e Ihe roostra em frente tres esqua- B>asmo Antonio Cord-irode Mello.
droes; de cavallaria argeotma : o bravo recebe or- J'SJ .aquim de Albuquerque Ucboa.
oem de entreter o inimigo anda com sacrificio de J io J .aquim de Oliveira.
seus soldados, al a ebegada das tropas de Brauu ;'Manoel Alves Moreira.
ooeoece, e nao conta n numero dos contrarios, a I Joo Fernandes Vieira de Mello.
quem espanta pela soa audacia; bate se, defeod'e-
se, mantera se no campo, efTctua oqie parece im-
possivel, e saodado oo flra de algomas horas pe
lo exercito qoe chega e v os e^qoadrdes argeoti-
nos disparando em retirada. Bello e romanesco
episodio de urna guerra infeliz, brilhaote Mto de j Francisco Olegario de Vasconcelos GalvJo.
que o oosso venerando consocio se (embrava sem-1 Luiz Fraucisco Brrelo de A|meida.
pre com orgolbo, lamentando que a historia patria Antonio Francisco da Cnnha,
o nao houvesse registrado. Jos Francisco Barbosa da Silva Cumar.
.o*.? bAtalna do Buzaingo, a 20 de f^vereiro da Bento Jo- Lopes Guimares.
1827, Antonio Manoel de Mello entrn as cargas Clandra Correa de M lio Jnior.
da cavallaria brasileira, vio cabir e morrer o seo
amigo o vahte graeral Abran, e recebeu a honro-
sa missao de proteger a retirada do exercito brasi-
lero nessa j >nnda cruenta em que seria diffl :ili-
mo decidir o que mais assombro caosou, se os er-
ros d alguns, se o herosmo de muitos.
A 2 de margo de 1828, por orden/ do dia do ex-
ercito do su I, fol o oosso consocio comeado vogal
do cooselno de guerra permanente.
CeleDrouse fioalmenl- a paz, paz firmada na
conveosSo preliminar de 27 de agosto de 1828, que
creou as bases generosas esabias da politca brazi-
leira oo Rio da prala, acto diplomtico iospirado
pela sabedona mal julgado eoto pelas preveoe5es
de partido, e qne em seu lgico deseovolviroento
o verdadeiro, o nico pbaoai que nos deve dirigir
em n ssas relagdes cora as repucas platinas.
Embaiobando a espada de guerreiro Antonio Ma-
noel de Mello volta ao seio da academia, e conquis-
tador das palmas da SCencia. vai marran. 1o iMm a
te

3


Agostiobo Corre i de Mello.
H-rmrao Deifioo do Nascimento Lima.
Manoel Giedesde Araojo Perer*.
Miguel Francisco do Amaral.
Virginio de Me.delros 8ilva.
Jeronymo Cezar de Va^concelles.
Antonio Brrelo Coolinho da Silveira.
Jos Clemeotino Bererra de Mello.
Manoel Pereira de Moraes.
Jos Francisco do Amaral.
Jos dos Sautos Silva Medeiros Jnior.
Manoel Candido Panas Leite.
Antonio de Inora Varejao.
Luiz Cyriacn Carne'ro de M era.
M n"I Jos do Amaral.
H-unque Vieira de M raes.
Jos Cesar de Mello Falcao.
Manoel Antonio Vieira.
Manoel Francisco de Barros No.
Manoel Bezerra de Menezes.



gloria do primeiro premio o seu exame de cada Joo Francisco do Amaral
anno lectivo. Capito desde 12 do outubru de 1827,
e nomeado a 21 de dezembro de 1831, e Qainda
antes de Coocluir o seu curso acadmico, primeiro
commandante da compaohia do corpo municipal
permanente da corle. Nessa nomeago radiava a
coufisgt; i cidade di Rio de Janeiro estremeca a
cada hora sob a ameaga de movimentos anircbcos,
e aqueile corpo policial era urna garanta de or-
d-m, nra dos poucos elementos de forga de que
dispunha o ministerio pat iotico e eaergico que por
ministro da justiga tinha o iQtegerrimo e impvido
padre Feijo. Os servigos que eoto presin o capi-
to Mello mcrecram ser lembrados e louvidos em
documentos offldaes do governo.
KUrolM|
N, 861.Dito ao commandante do brigue-barca
I'amarac O Eira. Sr. eraselheiro pr
dos mappas, qie Ihe cumpre ministrar e as auto-
ridades dessa comarca para formago da eslalisti
ca judiciarla, como dispo; o decreto o. 357;' de 30
de dezembru do 1865, e por diversas vezas tem si-
do recommendaio por esta presidencia, baj Vmc-
sem perda- de lempo, de dar cumprlmeolo a circo,
lar de 19 de abril ultimo, remetiendo os mappas,
qje por ella foram exigid s.
N. 837.D to aojuiz municipal do Ex.Gom
a copia do parecer da contadora a que se refere
o inspector da tbesourana de fazendaom offlcio n.
829 de 19 deste mez junto per copia, respondo ao
desse juizo de 8 do mez pissado sobre diobeiro e
cofre dos orpbos.
. 838.-Dito ao tenente coron-1 do batalhao n.
39 da villa do Cabo.-Mandando dispensar do ser-
vico da guerra, por ler sido considerado incapaz
para isso em inspecgo de sade, o guarda nacio-
nal de.-se batalh i Marcolino francisco Correa, a
qae alinde o seo offl lo de 17 do correte, assim o
declaro a Vmc para seu conhecim-rato e direego.
N. 840. Dito o capito do porto.Mande Vmc
pdr em liberdade os recratas J ,s Manoel do Espi
rito Santo e Francisco Cardoso Ribeiro, o 1 por
ter iseoro legal, visto ser casado e cora filhos, o
2 por ter sido consld irado incapaz do servico ero
in-peegao de sa le, como tolo Mnsta dos offl -.ios
dessa capitana nmeros 169 e 171, datados de 19
do correte.
N. 841.Dito ao mesmo.Mande Vm. por em
liberdade o recruta Juvencio Florencio de Pioho,
qoe foi remettido a essa repartigao com destino ao
servigo da armada.
N. 845 to ao director da Companhia de Be-
berib'.Respondendo ao seu offl lo de 19 do cor-
reate, tenho a dizer qoe a isengao, que tem do
servigo da guarda nacional na forma do art. 15 do
regula melo de 17 de agosto de 1844, o emprega-
do da Corapaobia de Beberibo Claodioo Nones, nio
para o recrutaraento, e por Isto nao pode ter
lugar a soa reqaisigio.
N. 846. D to aos agentes da Companbia Brasi-
lera.Podem Vmcs. (azer segor para os portos
do sal, o vapor Guar amaoba a bora indicada
em seu < tft -.o de boje.
N 847 Portarla.O presidente da provincia,
conformando se com a proposta do Dr. ch-fe de
polica o. 1,900 e 19 do crrente, resolve conce-
der a Francisco Bar nguer Cesar de Aodrade, a
exom>ragio qoe pedio do cargo de 1.* supplente do
delegado de polica do termo do Brejo.
N. 848.-Dita.O presidente da provincia, con-
fomando-se com a proposta do Dr. chefa de poli
cia, n. 1,901 de 19 do correte, resolv conceder
a Joo M .rinoo Falcao a exnnerago, que pedio do
cargo de 1.* supplente do 1." dlstricto da freguezia
do Brejo.
N. 849.-Dita.Us Srs. agentes da Cirapanhla
Brasileira de Paquete. fa?am transportar para a
erte no vapor Guor por conta do ministerio da
lados no vapor Guari os soldados dibaltlhio
naval, que V. S, segundo o seu offlcio desta data,
tem de remetter para a edrte.
N. 852Dilo ao secretario da captania do por-
too Kxm. Sr. conselheiro presidente da provin-
cia determina,queV. S. manle apr-seaur amanba
as 10 hiras do dia no palacio do goveroo o recruta
destinado para a marinha, Manoel do isciment
Mallos, ho de Beroarda de Mitins. O que Ihe
commonico para ter execugo.
COVER.\0 DO BKiPAD.
SEDE VACANTE.
Expediente do dia Io de ferereiro de 1866.
Offlcio ao reverendo fre Eydio Garrecio. A-
chaodo se com licenga nesta capital o reverendo
coadjuctor dessa fregueua de Papacaga Jos Ro-
berto da Silva, e sendo necessano haver quera se
encarregue da administragao do sacramento do
matrimonio, de que se acba privado o reverendo
parocho respectivo, antiriso a V. Rvma. para ad
ministrar osse sacramento, dorante a ausencia do
mesmo reverendo coadjUctor.
Dito ao vigario eocommendado de Uoa.Respon-
dendo ao sen offlcio de 31 do prximo passado,
concedo a licenga de dous mezes para vir oppor-se
a's freguezlas que se acham era concurso, e auto-
riso o Rvd. Joao de Franca C'mara, para reger
essa freguezia darante sua ausencia.
Offlcio ao conego Ignacio "Antonio Lobo. Por
portarla do governo imperial de 22 do prximo
pas-ado, foi concedida a V. S. dispensa da residen-
cia amara, a que pelos estatutos da cathedral de
Oiinda sao obngados os reverendsimos conegos
aovameote ooraeadisi o que Ihe communic para
soa ioieliigencia e Bos convenientes.-
Dito ao vigario da Alag'. Muio bera proce-
den V. Rvma. tomando a justificacao de.Idelfooso
J>slno de Vasconeellos, embora pra isio antorlsa-
do, visto ja' ter o peticionario |ost8odoo seu bap-
Usmo e tirado cerliddes dessa jnstincatao.
Este fado asss prova quinta vigilancia devem
ler os parocho- para nao se delxarem engaar em
materias alias de snmma importancia, e que ho-
raens sem principios reputara de bagalellas.
- 8 -
. Offlcio ao vigario do Inga'.Altendendo ao qoe
V. Rvma. me expde em offlcio datado de 18 do
prximo passado, e desojando prover a's nocessida-
des dos sen* paroebianos, concedo que sejam col-
locadas na capella-mr da igreja de'Nossa Senho-
ra do Terco, filia! dessa matriz as Imagens porten-
cenes a mesma igreja, e bem assim que ah se ce-
lebre o sacrificio da missa, e pos-am administrar
os sacramentos, havendo em tudo a necessaria de-
cencia! e asseo.
Fazendo asta coneessia, espero que os habitan
tes desse povoado se darao pressa em concluir as
obra- do templo, para o que multo hj do coaeor-
com zelo e dedicago, procurar remediar quaalo
fr possivel as faltas raiis essenciaes que ah se
dao.
Quanto ao archivo nao pode V. Rvma. fazer os
laueamntos em nadernos : deve comprar livros,
embora pequeoos, nos quaes djpois de competen-
tem-nto rubricados f,ga laogar por orden, chrooo-
logica os assentmentos coja aut oticidade for por
V. Rvuja veritcaJj ; e o autoriso para assignar
nio s estes assentamentos depois de lang'do-
como aqnelles que se acham nos livros do archivo
sem a competente assigoaiura do parocho
Teodo est bspao constantemente visitadores
qne a orar-parte do terop andav.im eni visila,
para est aohar que s quando mor re am paroeno
se venha oo cjobe;iraeoto d chaos em que se
acha o archivo de urna freguezia, e do abandono
e deleixoem que esta a matriz e sua-- alfaas.
- 8
JJflhio ai Exm. presidente das Algoas. Pelo
~ :io de 6 do correte, fico sciente* de haver V.
Saiyrio Jos Barbosa, vi-
garlo interino da freguezia de S. Miguel, d.ras
mezes de tcenos para tratar d >s seus ioteresses.
Dito ao vigario de Um. Tendo chegado hon-
tem ai meu conhecimento por iotermedra 'o Exm.
presidente da proviocia a'desagraiavel ocurren-
cia que teve em result do'' vlolago desse templo,
bootem mesmo offlciei a V. Rvraa. prTh^ue de
clarasse polluta 'a matriz.
Hoje recebo o seu offlcio de 3 da corrente rela-
tando o mesmo fado ; e s. roe re-sta autonsar a
V. IJvrBa. para, logo que lroVloar.am o processo
eleitoral, proceder reconclliic,no"'o> toatriz adra
de cootinoarem nella as funcg5:s parochiaes.
_ 9 '
Offlcio ao Exm. presidente de.-ta provincia
Em resposta ao offlcio de V. Exc. ditado do 1. do
crreme, cumpre-me dsclarar que os relig osos a
que se refere o juiz municipal de Ipojuca nao po
dem exilr pelos actos fnebres maior estipendio
do qoe o mareado na tabella que rege o Pispado, *
que ten lo sido approvada por decreto de 27 de ju-
mo de 1853, se atba em vigor em toda a diocese
Devolvo o offle.io do juiz municipal que acompa-
nhou o de V. Exc .
Dito ao vigario de Jaragn.Alorlso a V. Rvma.
para bemzer solemoememe a primeira pedra da
nova matriz dessa freguezia, como sollicita no sea
offlcio de 7 do correle, a que respondo.
Eocarrego a V. Rvma. de, era meu oome, agra-
decer ao 8r major Lu Jos de Birros Lene a ge
arusa doago que fez nova matriz, e esper^
que V. Rvma. eootiouara' a animar o fervor dos
eus parochlanos, am de que essa nova freguezia
possua em br#*e urna matriz decente e aprepriada.
importancia do lugar ero qae vai ser edificada
COMANDO DAS AtflAS.
Quartel general do eomnianilo das armas 4e Per-
nambueo na cidade do Recite, 15 de fevereira
de 1867.
ORDEM DO DIA N. 316.
O brigadeiro commandante das armas faz saber
a guarnleao para os fin- cravenieotes, qae segno
do consten de offlcio da presidencia datado de hon-
tem cora referencia ao aviso do ministerio da guer-
ra de 30 de Janeiro ultimo, o Mwroo boove por
bem por decreto de 5 do mesofraez mandar pas-
sar a aggregado a arma a que pertencia, nos ter-
mo do art. '2 11\ motivo b. i, do decreto n.
260 de 1* de dez-mbro de 1861, ao Sr. tenente do
9* batalhao de infamara Francisco Antonio de Sa*
Barrete Jnior, que se acba justa provincia.
(Assignado) H-nrique de ftaurepaire Roban.
JSsia' eooforme.Emiltttr Ernesto de Mello
Tamborira, tenente aiudaote de ordeos interino e
enearregado do detalbe.
INTERIOR
RIO DE JAWEIRD
ntSCRSO DO ORADOR 0 INSTITUTO HISTRICO E G0
ORAPHICO DO BRASIL O SR DR. J0AQIH MANOBL
DE MACEOO, KA SESSO SOLEMNE DE 15 DE DEZKM-
BR0 BE 1866.
' (Contiouagao.)
O tenente Antonio Manoel de Moldo scffrea pa-
ciente todos os rigores da campaoba, ardendo por
dlstinguir-se : ji desesperavj da tfluna quando o
PEHHflWBUCO
REVISTA D.Mn.A
Acharo-se concluidos os trabalhos eleitoraes as
seguimos localidades:
Freguezia do Brejo.
(Eleigao do l- Jufz de par.)
Rogerio Lucio da Sdva Mergulhao.
Manoel Cordeiri dusS.iotos.
Joaquim Jos Tavares de Souza.
Anionlo-Alves Campos..
I-i loro J ,- Oas dos Santos.
Padre Jos Procopio Pereira.
Francisco Cordeiro Iiias dos Santos.
Isidoro C Tdeiro ias dos Santos.
J .s Belarmlno Velloso.
Oraogel Leopoldo Accmlt
Francisco M ndes dis S ralos.
io'Gragalves deAraujo.
J.s da Rocha d^ Siqaeira Cavalcanti.
Antonio Magalhaes da Silva Porto.
Manoel Aleixo da Goncen'So.
Laurentiuo Ferreira de Aranjo.
Manoel Flix Coelho da Silva.
Antonio Cirios dos S.rato Mergulhao.
Lenidas Ferreira Patriota.
Sebastio Francisco de Araojo.
Francisco Xavier de Paula Cavalcanti Jon'.or.
Jio Francisco Xavier de Paula' Cavalcan.
Joiqmm Ludgero Ciliado.
Seobonoho Marques GalvSo,
Joo Baptista Cordeiro M*teni.
H raorio Honorino CordeiftfM sseno
Gandid.. Ladisla Cordeir? Mergulhao.
Manoel Tacares de Souza.
Com3 Lipes de Oliveira.
Mihias Soares de Alooeida.
Jos Tcixeira de Carvalho,
J.s Tavares da Silva L ma.
Antonio Tavares'de Souza.
Francisco Aleixo da Silva. .
Amonio Pereira Xavier. -
Francisco Ferreira de "Araujo.
FranceliooHonorio Bjzerra.
Napolea Accioti.
Freguezia de S Lnurenr;i da Malla.
Luiz Francisco de Barros Reg.
Amonio Jos Duarte.
Dr. Augusto de Souza Lao.
Dr. Aff raso Pires de Albuquerque Marauhao.
Jos Ferraz DalUo.
J.u.- Duatte flMiuquerque Miranbo.
Miguel J aquidMs Reg Birros.
Franceliao Francisco Paes Birrete.
JVntraio de BirrdirWanderley.
Gervasiu.jijy^ Reiorra Cavalcanti.
Joo Las Cavalcanti de Albuquerque.
Francisco JjcioUiu Pereira.
AOtooioSoriaijrdo Reg Barros.
Joo Ribeiro Teixeira de M-llo.
Antonio Candido de Oliveira.
Miguel Joaquira do Reg Barros Jnior.
Jiao Paulo de Souza.
Caetaoo Quintn i Galbardo.
J >s Vieira de Mello.
J ,o Marinbo Falcao.
Maaoel Cavalcanti de Albuquerque Lius Ucboa.
Joaquim Ribeiro de Brite.
Joo Francisco Saraiva de Menezes.
Antonio Manoel Ribeiro.
Jjaquim Cavalcanti le Albuquerque Lias.
Antonio Joaquim da Silva Pimentel.
J o Francisco de Mello Barrete
Toieotino Joaquim da Silva P.mentel.
J .s Rodrigue.- Bezerra.
Firmino Celestino de Sonta.
Maooel Joaquim de Vasconeellos.
A n relia oo nodolpho de Souza Migalbes.
Juliao Ferraz Daltro.
Maooel Francisco da Cruz.
Fregoezia de Iiamb.
Vigario Aotonlo Rufino Severiaoo da Cunta.
Mariaoo Ramos de Meodooga.
Raymondo de Araojo Lima.
Trujano Olympio da Caoba G ra vea.
Heoriqoe Luiz de Moronba Farlas.
Joaquim Velloso Freir.
Virginio Velloso Freir.
Franrklio Celestino de Mecdonga.
Paulino Velloso Fieire.
Jos Velloso da Sil'-eir.
H-nriqne Benigno da Silveira.
Jjaqoim Gomes Cavalcanti.
Jos Gimes Cavalcacti.
Ernesto Jastiniaao da Silva Freir Juaior.
Francisco de Araujo Lima.
Jos Henrique de Mendooga.
Adeno Celestino de Meado aga.




boje s
Amaro Pereira de Moraes.
Jos Ignacio de Figoeiredo.
Hennqoe Ferreira Rabello.
Aotonio Lu'. Jaclntho.
Mjo el Barnosa de Fontes.
Leandro G mos Santiago.
Jos Antonio Pereira de Barros.
Jos dos Santos Sil a Medeiros.
Joo Correa de Amorim Costa.
Francisco Antonio do Amaral. :
Manoel Pedro do Nasrimento Lima.
Antonio Ferreira de Mattos.
Francisco Antonio do Reg,
ufo Alves de Sonza.
A crvela de guerra Paraense tira,
II boras da manba, mala no crrelo para o Ma-
ranbo e Para.
Fulgaraos em publicar a carta infra, que de-
monstra claramente ter sido mal informada a pes-
soa que dirigi a carta que publicamos acerca da
companbia de vap.res americanos :
t Pernambuco, 16 de fevereiro de 1867.Srs.
redactores do Diario de Pernambuco. No seu
Dtano de boje deparamos com orna carta,d .tada de
15 de dezembro prximo passado da liba de S.
Th .maz, acensando ao capitao dos paquetes ame;i-
canos de estarem llludindo a rtpanico da saode
oos portos brasileiros de sua escala^&jrmeio de
cartas de saude falsificadas; em jo-t la: aja,) dos
mesmos capities pedimos a V. S. a puticagno d
s.'gninte:
O capillo do vapor South America na sua che-
gada aqu inf.rmou-nos que linha deoosrt.ido as
malas que (razia de N-wYnk para S. Thormz era
um bote da quarentena n'uma distancia de seis ou
sele anidas da mesma ilha e que seguio inirnediata-
mentepara o Para. Os capites do Guiling Star e
Norlk America informaram que tioh.im h'.o o
mesmo, tendo o ultimo alera disto tocado era Mar-
li'iique d'onde tra.ia carta desande limpa, a-signa-
da e sellada pelas autoridades francezas. E' verda-
de |e os vapores tocam em S. Thomaz indo daqui
para N-w York, porra oa> na viagem de New-
York para este porto era quanto durar a epidemia
na juella liba. Parece-nos que o seu corresponden-
te eslava um trato apressado, escrevendo oo mes-
mo dia da sua chegada oa ilha, e nao pote tomar
as loformacjf s necessarias antes de fazer urna ac-
cusago to grave contra os capitaes da compaohia
americana.
t Pedindo a VV. SS. desculpa de termos oceu-
pado cora isso,lempo,ta^i sart.^o pira.V.Y- SS Si-
mos com toda estima 'de VV. SS.ltenlos criados
eobrigados.Heory Foster&C.,agentes da compa-
nbia americana e brasileira de paquetes a vapor.
O eserivao Alves de Bruto, est de semana
nos protestos de letras; a ra do Imperador, n. 46
primeiro andar. .
Acabare de ser dadas estampa, sob a edigo
dos Srs. Lailbacar & C, as cartas sy'siema'lieas
pa a aprender a lr, confeccionadas pelo proessor
publico de instruego elementar b Sr. Joo Jos
Rodrgaos.
E sas cartas, cujo uso foi aatorisado as escolas
primarias da provincia pelo conselho director da
iostruegao, effetivamente presiam-se assas ao Ora
de sua composigo, urna vez qoe pelo melhodo
adiptadocom facilidade ap eole o menino o alpha
beto em todas as soas partes, devendo' por isso sej
prompto o aproveitamento delle. Recommeod-a
mo-las, por tanto, ao aprego publico. *
Commegaram no da 5 do .correata os exa-
mes preparatorios na nossa Faculdade de Direito ;
o segrate o resultado dos exames bavidos al o
dia 13 :
Dia 5France.
Plenamente .*
S.mplesmente 4
Reprovado 1
Da 6-Francex.
Plenamente 3
Simplesmente 4
Reprovado 2
demLatim.
Plenamente 3
Dia8-Francex.
Plenamente 8
Simplesmente 4 .
D.a 9 Prancez.
Plenaroeote 2
Simplesmente 7
Reprovados 3
Da ii-Ioglez.
Plenamente 9
Simplesmente 2
Leva moa se 1
Dia li-toglex.
Plenamente 6
Simplesmente 8
Levanteo-se 1
Dia 13 loglez.
Plenamente 3
Simplesmente 3
Reprovados 3
Levantaran)-se 3
ettem-Dos o legninte respailo da Gxma.
Sra. D. liarla Celina de Slqaeira, qne a' mote ar-
rebaten dos tragos de sen exposo. Um conjuncto
de distioctis qualidades e virtudes heroicas orna-
va essa bella alma que v ra ao seio do Eterno,
deixando inconsolavets todos quintos conbece-
rampa: -
Nio ttnsote digna de men'o a perda dos
hroes, que figo.'-anm ni rraede scena do mundo.

-




v

'

"S
.


w3L-~-
ftMtrio de Pernamb co -Seguida toira. 18 de Fevereiro de 1867.
25:




y


V
i
No remanso d familia, ti "vida ioHaia do & ba tanibgm Meneas heroicas. pela vriode do na. Todaj essas pessoas viutiam perfeiiaeaaie
padecer e pela constancia do bem obrar.
x Resistir com resigoi\ao a sfrimenlOR que s
tornaram a vida ordinaria no correr de annos-, que
forana seclos > acceitar cono sacrificio* xolaiOt
rios as alternativas dolorosas de urna sie cam-
biante e fugitiva ; almejar a proloogago da di
vasados oa dr, para ler a delicia de consagra-los
aos i frkios de caridade eslreBr-tal a copia e
trausumpto fiel de orna molber, que hootem, sol
los os vnculos da materia, subi regiao dos jas-
tos, como Justa, que era entre os escolhidos e
bemquistos do seu divino Creador.
< Esa mulher, que boje confunde saas cimas
no ossario commum dos finados, cbamou-se D.
Mana Celina de Siqueira. Este nome de si o
mais completo elogio I
Esposa de doos maridos, um qoe Ihe prece
Doraingues da Silva, P ;lya i roo l),> ratono os a9t
va e^Misael oraioges da Silv* ; otteolBmo que
desarmada e nao me consta que tivessem prnwrt- f **. dte { sargento do batalho 14 de vo
do ama so palavra de provocago. luotarios da patria, leve a infelicidad da mofrer
Era sua passagem pela roa Dreta vio essa de uma dterrnea de saogae em um doi ho#prtaes
D. AdXa-tde GandiJy Vielra de Amorim.
I>. Mafia Lotn a Cfcnha Miranda.
massa de votantes o deiMeibeDt reunido Re-
parado em frente do quartele moita gente armada
(em casa do sebdelegada Manoel Googalves Nones
Machado. Primeira e segunda vez erfactuon-se a
passagem em paz ; mas na terceira a torca de pal -
saoos, qoe liaba o subdeJntado, poston-se na ra
e preteodeu inpedir a tifRito dos votantes a qoe
me teolio referido.
t O resultado desta tentativa foi travar-so om
grande e loogo conflicto, do qoal teriam provindo
grandes desgranas, se e subdelegado nao fosse ex-
torvado por muitas pessoas, qoe Ihe entraram pela
casa dentro, de dar cumprimeoto araeaga, por
-'ella eita, de mandar descarregar as armas de fo-
de feorrieMe* ; o primeiro Antonio Dominte* *
Silva, 2* cadete e 2o sargento do btalhao ll*,aioda
la' sa aeha com > seos mpauawano altas
mentado Curuzs, tendo ttoiBBanaado ao seu ba-
talhlr-Mi todosos combates era qu elle se teta j A Elisa. Sra. D. Algemtra Doafte
acba***com tai feleciadte, que ainaase conser-1 reir.
va elleso; o segando, porero, Plvc*re-Dominfe> Escrivaa por devogle.
da Silva, 2 catate do referido balalaao 11, teadoi A Erma. Sra. D. Hermilla Lidia Moatelro de An
Escrlvao por eleigo.
O Uta. Sr. tenente Chrystovo Santiago
?eir.
Escrivo por devogo.
O Illm. sr. capno Henriqoe Edoardo da
Garaa.-
Escrivaa por eleigae.
da Silva
de Ol
Costa
Fer-
drade.
entrado em 3 acedes, sendo a ultima de 2 do
maio do anno prximo passado de 1866, depois da
qaal sdoaeeu e foi julgado inoapai de todoe sot- 4) Illm
vigo de goerra, em inspecgao de saade, chegando
a soa provincia no dia 14 de dezembro do aooo
prximo passado, nao pode mais continuar a pres-
fhesooreiro.
Sr. Janoario Constancio Moatelro de An-
deu na viagem eterna, ootro qoe Ihe sobrevive, j go, de que linham grande deposito; e se tambem tar os seos servicos, como era de miuha.veutate
deixa memorias saudosas entre os que admiraran!. nao tivesse acudido o Dr. juiz municipal,chegado a e como eslivesse sob os cuidados dos Ilustrados
suas virtudes, e mais aue ludo os que viviam ao; lempo de irapedlr.que o alferes Militao, collocado a mdicos os Drs. Zacaras, qae se achava encarre- Dr. Silvio Tarquinio Villas Boas.
drade.
Procurador peral.
O Illm. Sr. Dr. Manoel Ferreira da Silva.
Mesar ios.
Os Illms. Srs.
infloxo de sua'caridade I Caridade, que nunca es-
fnoo ero nos das fugazes de suas alegras, nem
nos transes angustiosos de sea continuo penar I
t Um* mulher assim urna escola viva de en-
sinos, fum thesooro bemavenlurado na ierra 1
Quem a viu, que a nao venerasse 1
Basla. A dr, que nao excessiva, rompe
em vozes; a excessiva emmudece.
Nuroersco dos bilhetes da lotera (Mere-
cidos pelo tnesoureiro das loteras para auxilio das
despezas da guerra :
Bilhetes o. 2026 a 2033.
Casa ob Detbncao. Movimento do dia 13
de (everelro :
Exlstiam 321, entraram 0, sahiram 4, existem
317. A saber: nacionae 231, molturase41, es-
trangeiros 22, mulber I, escravos 44, escravas 8,;
U 317.
frente do destacamento de guardas nacionaes, man- gado do hospital de Itapir no Passo da Patria e i Capilo Antonio Jos da Costa e Silva,
dasse faier fugo sobro o povo qu se defenda da | Azarabuja do de Montevideo, tendo delles recebi-1 Caprino Antonio Pereira de Farias.
aggressao, e queja'lendo repelido os aggressores,: do o mais delicado tratamento e toda especie de Luiz Pereira Rapnzo.
mostrava-se disposto a defender-se contra o desta-, cannbos, a pontos de dever a vida ao Dr. Azam-1 Procuradores.
ment; se este execotasse os designios do predito | buja, por quaoto sendo removido do hospital de Os Illms. Srs.:
Itapir para o de Corrientes, e desto para o Mon-! Firralno Pessa da Gama.
tevido era muito mu estado, visto que a sua en-! Herminio Augusto de FigaeiiJo.
alferes Millto.
a Urna cirenmstancia, Exm. Sr., pSa fra de do-
vida as intensos paciQcas desse povo, que se mos-
trou to valeotf na defeza ; e o ter-se retirado em
ordem do lugar do conflicto, logo que d'abi sahto
a for( aggressora e tambem o destacamento.
* Felizmente desse cuuflicto, que nao posso des
crever minuciosamente em om officio, resultaram
apeuas leves ccntosSes em poocos dos aggrtsso-
re.s,contandoesque sedefendiam tambem poucos fe-
rimentos, alguos verificados, com effeilo, de in tru-
meotos perfurantes e cortante, o que bem indica
que os puohaes e as facas de pona estavam do
^i,-"'-... ,...,, ,,. .irM ni.vinriaes i lado da policia ; e islo facto patente na hora em
Alimentados a .costa dos cofres prounciae que escrevo a y. Exc. perqu lecho testerauuhado
210.
Movimento da enfermara do dia 16 de fevereiro
de 1867.
Teve alta :
Antonio Rodrigues de Mendonca.
Cemitebio publico.Obituario do dia 11 de
fevereiro :
Adete Lopes, Rio de Janeiro, 55 annos, solleiro,
Boa-vista ; entente.
Anna Joaquina de Mtllo, Pernambuco, 48 annos,
viuva, Boa-vista; hepatlte.
Josepha Marcelina da Trindade.Pernamboco, casa-
da, Boa vista ; congesto cerebral.
Joaona, Pernambuco, 18 mezes, Santo Antonio ;
pbtysica.
Narciso,Pernambuco, 11 mezes,escravo, S. Jos-,
interne.
Eduvirges, Pernambuco, 3 mezes, escravo, S.
Jos: hepatlte.
12
Maria da Assurapco Munteiro, Pernambuco, 38
annos, solteira, Boa-vista ; metrite.
Manoel, Pernambuco, 4 das, S. Jos ; espasmo.
Anlceta, Pernamboco, 25 annos, escrava, Boa-vis-
ta : tubrculos pulmonares.

Y
Uommunicados
Partido 'onservador.
ESCNDALO.
A polica dv Exm. Sr. couselbeiro Silveira Lobo
vai sendo bem comprehendida e executada em
Goyanna. S. Exc. diz aqui em suas explosoes de
raiva, que nao admita empregado publico vulande
contra o governo. A cmara municipal de Goyan-
na reuni sede proposito para demitur o cirurglo
Joo Dumiugues da Silva, hornern honesto, mode-
rado, e de habilitar5es para exercer o cargo, s-
meote porque prefeno votar na matriz a ir votar
no Amparo ua duplcala da policia ; e nomeou em
substitolcao um alfaiate, conbecido por Divino Mes
ir, qae prega publicamente o.atheismo (tem as
icas do Sr. Firmino), e d o escndalo publico de
nao descobnr-se qoando pa^sa o SS. Sacramento I
Esse alfaiate cura homepathicamentA; mas nao
tero.titulo legal; o que impedimeoto para exer-
cer a medicina, e muito mais para a oomea^o de
facultativo da cmara municipal. O regulamenlo
que baixou com o decreto de 29 de setembro da
1951 uo s prohibe, mas pune o exercicio da me-
dicina por pessoas, que nao teem carta, repelindo a
disposicao da le de 3 de outubro de 1832.
Mas que importa isto ? A vontade do Sr. Firmi
no superior a ludo, e o Sr. Araojo Barros ha de
ir por dlale com o seu plano de colonisar Goyan-
na cjtn pessoas, entre as qoaes se ache bem-----
Como receber esta noticia o do Exm. Sr. Sil-
veira Lobo? Ha de fallar S.Exc. nosseus princi-
pios, e na sua reputadlo coohecida desde o Prata
at o Amazonas; ba de gritar que lera a consten-
ca tranquilla, e desafia a bumanid?de era peso.
Presumpco e agua benta...
FRBGUEZIA Mi CKUANGY.
Esl eonsummada a conquista que o governo
quera fazer. Concentraram-se em Cruangy as
forcas ligueiras de GoyaDDa e Naiareth. A oppo-
si(ao nao pode vitar. As armas da policafizeram
os eleitores, que bao de dar os seos votos aos can-
didalos do presidente.
E' muito feliz o Sr. Araujo Barros 1 Foi o presi-
dente de faci as administr gSes dos Sonso*, e
agora mostea ao mundo que nem os Cales resh-
tem ao seu magnetismo...
Como ha de eslar risonho e cheio de gloria o
sub-ebefe da liga I Como se jactar entre os nti-
mos de ser domador de ursos! E com etleito----
pode fazer fortuna por ah.
Digam embo.-a, como o Sr. S e Alboquerque,
quando foi derrotado pelo Sr. desembargador Ucha
Cavalcante, que nao ha mrito da parte de quero,
em possanie cavalgadora, corre mais do qae quem
vai a p... Sao historias de candidatos vencidos.
O essenciil ser vencedor, o Sr. Araojo Barros o
, pouco Iba importando que a besta da viagem
K-nha affrontado de cansaco, e at que morra.
ELEIQO DE COTANNA.
Dexando a historia circunstanciada da eleico
da cidade Goyanna e das fregoezias de lora para o
retropecto, qoe ba de ser publicado, de todas as
irregularidades o abusiva intervenco do governo
no pleito eleitoral, damos desde j a publicidade o
segrate officio, qoe o juiz de paz presidente d.
eleicao da, matriz dirigi ao Exm. Sr. conselheiro
Silveira Lobo:
Illm. e Exm. Sr.Ja' communiquei a V. Exe.
que 00 dia 31 de Janeiro prximo passado entrou
nesta cid&de urna forca de mais de 40 pragas, re-
qnisitadas directamente pelo delegado de polica ao
teneute-coronel commandanle do batlho Ga guar-
da nacional n. 14, da reguezia de S. Lourencn de
Tejocopapo; agora accrescentarei as oceurreacias
posteriores, e darei a V. Exc. conla do mu proce-
dimento como juiz de paz presidente da assembla
parochial.
Nc dia segointe ao da ebegada dessa forca
. presencloo esta cidade o facto ostentoso, da parte
da polica de oaodar-se destribuir armamento e
cartoxame a todos os soldados, fazendo se pobiiea
docUracao de qoe ellos vraham garantir a policia
no sea plano do vencer a eleieao a todo o casta;
e esta declaracao me foi trazida pessoalmenle por
mals de orna vez pelo proprio delegado supplente
em exercicio, o qual- no intuito de desviarme da
elelcao, lastimava a sorte qoe eo ia ter e assevera-
va qoe nao me sena possivel-sabir da igreja matriz
por meus proprios ps; araeaca esta, queme foi
repetida por muitas ootras pessoas que acompa-
nharo, oa antes qae dirigem a parciaiidade da
policia.
< No dia 2 do crreme ao amanhecer, foi essa
mesma forca empregada em cercar e correr as ca-
sas de moitos addios pacficos, e at de viuva.-
Inteirameote livres de qualqoer suspeita, a pretexto
de qoe exista armamento depositado em soas ca-
sas. O facto qae, o delegado dlngindo era pes-
sa essas diligencias, recolbeu-se sera nada desco-
bnr, consegulodo apenas o Om de ostentar forga,
e aterrar a popolacao, e demonstrando que outras
sao eram soas vistas, com o facto qae segaio-se de
ir toda a fi.rea fazer exerciclo de fogo jomo ao ma-
tadouro desta cidade, sob as ordens e direccao do
alferes commaadante do destacamento e do alfares
que escrevo a v. Kxc. perq
com os roeos proprios olhos, que os votantes da
ptrcialiadade policial estao todos armades de pu-
ohaes e ccele, havendo um pequeoo grupo arma-
do de bacamartes e pistolas era reforjo ao destaca-
mento.
< Nestas circumstancias julguei pradeate garan-
tir a uiiuha pessoa, to ameagada e tambem ama
grande raaioria do povo, a quem se pretenda im-
pedir a entrada da matriz e o livre exercicio do
seu direito de volar : para esle fim requisitei urna
forca da 30 pragas e mediante p seu apoio pude
franquear a raim e aos inesmos volante o iogresso
que nos era impedido na matriz, resultando d'isto
que os eleitores e snppleole da parcialidade da po-
lica convocassem o terceiro jniz de paz e fossem
fazer urna duplcala na igreja de NossaSenhora do
Amparo, acompanhados de toda a forga que tem a
policia, grande parte da qual esta' reunida Ilegal
mente, e outra parte Individualmente empregada
em -['liar os escndalos qoe e.-i-u referiodc.
Fico oa presidencia da assemo'a parochial
que reuni se na matriz; ja' mandei dispersar
a furca, que traba requisitadoe prosigo regularmen-
te nos trabalhoseleitoraes.dos quees oportunamente
darei coota a V. Exc, commuoicando durante elles
qualquer oceurrencia que se d.
c Cidade de Goyanna, 3 de fevereiro de 1867.
ueus guarde a V. ExcIllm e xm. Sr. Francisco
de Paula Silveira Lobo, presidenta da provincia
Padre Manoel Marques Barbosa, juiz de paz presi
denle da asssmbia parochial.
AFFOGADOS.
Pensavamos que o fcil triumpho oblido pelos
ligueiros desta freguezia, em virtude de ter
sido abandonada a eleico pelos adversarlos, os
deixasse to satisfeitos que o Sr. subdelegado do
Peres, nao pozesse em pratica as araeacas que fa
zia de perseguigao aos votantes que era sua chapa
nao votassera ; mas, enganamo-nos, cu antes es-
quejamos que este subdelegado liaba preteogdes
da influente, e que jaclando-se de cooduzir o povo
a' sua vontade, passou por dura prova, acnanlo-se
solado cabistaixo oa eieigo, contando s com
a generosidade dos adversarios. Agora principia o
hornera a chamar acontas aoscidados quetiveram
a coragera de resistir as suas araeagas, e seguir
o impulso de seos coragoes: desd- o dia 11 da
crreme foi preso, e retido no calabooc* do desta-
camento i-t o da 14 em que seguio para a cade
o pobre Theophilo Jos de Saiu'Aooa, que nao sa-
be por que, e para qae-o prenderam, a nao sor
por nao ter querido votar com o subdelegado.
Tanta vileza, tanto aboso de aotoridade, o retra-
to fiel do horneen mesqutabo que os ortica; mais
tarde Sr. Alexandrino, tambara o chamaremos a
comas; pode desenvolver as perseguigoes que ou-
ir'ora reza Pedro Antonio Varella, e oulros cujos
processos ahi estao para sua eterna vergonha, raas
fique certo tambera qae Ihe havemos ftw cahir a
mascara de hypocnsia com que se revest quan-
do pretende passar por anjo sendo o diabo em
carne e ossos. Qjal fji o disturbio qoe fez Theo-
philo, e cora quem? quanta miseria, quanta pro-
tervia.
SBQUSNCIA 00 CASO ESTUPENDO, SEGUNDO J0AO
FRANKLIN.
E-crevendo ha das as natas qae publicamos
nesle Diario sobre a oomea^o do Sr. bacharei
Joo Frauklia da Silveira Tavora, fo'nos apenas
simples chromsta da sorpreza e da iadigoago
com que foi receida tal noticia, que hoje a or-
dem do da em lodos os circuios, em todas as salas,
em todos os caf*, em todas as pragas da nossa
cidade.
Entretanto o Sr. Fraoklio Tavora, no Jornal do
Recife de 15 do correte, diz-nos qoe o acto de sua
nomeago procedeu da sabia e larga poltica do actual
administrador da provincia, que esta disposto a
extremar entre os (Unos do povo aquelles talentos
superiores que apparecerem, para os aproveitar
nos prmtlros cargos proviociaes.
Deveras ? Nao diz isso a opioiao publica, por
boca de ledos quantos vamos encontrando por essas
mas, sera destlncgo de credos nem de cores. A
opioio diz que o Sr. Frankm Tavora nao tem a
prudencia, nao tem a illustrago, nao tem os estu-
dos especiaos do cargo que oecupa, nao tem a ele-
vago de carcter nem a posigo adquerida qoe tal
cargo demanda, e cuja conveniencia mister man-
ter; nao teme esse o seu maior deffeitoo
trato fino e delicado oecessario ao cavalheiro qoe
bade tratar com horneas bem nascidos e bem edu-
cados. Tudo isto diz a opinio que falta ao novo
director.
Mas todo o estupor que causn semelhante no-
meaco porque o Mineado filho do povo e nao
/dalgo. Nao diz Is^o o nobre descendeole dos
marquezes da Tavora, de cujo parentesco elle se
gloria cada instante, segundo nos informara. Fi-
lho do povo I Pois ha abt no mundo paiz algum
em que mais sejam aproveltados os Albos do povo
do que no Brasil? D'onde tem sabido at hoje as
oossas eminencias sociaes '.magistrados, publicis-
ta?, senadores, mulares, bispos e at relenles? Se
o Sr. Franklin Tavora sahisse das rlteiras do povo,
e, legtimamente habilitado, fosse subindo um a um
os degrus da escada do funcciooarib at ser ele-
vado aos conselbos da corda oa a dha cadeira de
seoador, nao nos admiraramos; Jftfts sorpren-
deu-nos e espantoa a todos qoe leram a parte offl-
cial do dia 12, qae am talento de 23 anoos, mais
orgulhoso que promettedor, apenas trovado em
poesas coimbras, em arligos e romances cynlcos,
em traduegoss miseravelmente escripias, e em
revisor de provas de Jornal do Recife, tenha o di-
reito de dar tamanho salto; e, de J0S0 pequeo que
era em leltras, amohecer n'um bello da chefe de
ama reparligo qae tem a seu cargo um dos mais
moortaotes ramos da repblica.
E mais nao queremos aqoi fallar dos escanda-
losos mysterlos dos bastidores, pelos qaaes foi o Sr.
Franklin Tavora corrido e enxtado vergoosa-
mente da caixa do tbeatro da Santa Isabel.
A nomeago pois que o Exm. Sr. Silveira Lobo
acaba de fazer um acto de demencia rematada, e
um insulto affrontoso aos brfos da provincia de
Pernambuco.
E' esta a linguagern de rodos os horaens slzudos,
que protestara altamente contra semerbante homi-
liaeo qoe Ibes foi atiradas faces.
Deixemos porm passa por agora a Trindade
maldita em quinta-feira santa, e tiremos o chapeo
reverente ao Indio de Jaguaribt em lipoa
cassange.
fermidade se tmha consideravelmente augmenta-
do all, o mesmo Dr. Azanbuja prodigalisoo-ibe
os malores cuidados, jRtomaado oa mais seria
coosiderago a molestia de meu (Ujap, al se coos-
tituio seu pal, dizando-lhe qnandffue da.va o re-
medio, que era eu que all me achava ; era conse-
queocia de mea filho constantemente chamar por
mim.
Taolo zelo, tanta dedcago, taoto disve lo da-
quelles mdicos para com meu filho em pocha to
milindrosa e em logares to remotos e nhospilos,
os devem coosiderar beres e Ihes ao o mals dis-
lincto logar oa classe a' qae perteocem, plohcrao-
do-me a tal pooto, que nao encontr urna expres-
so, que possa bem tradusir o profundo e sincero
reconhecimento em qu me acho, para cora elles.
Na verdade quando o beneficio lio grande,
eomo o que acabo de receber de tao distinctos ca-
valleiros bem difficil, se nao imposstvel a recom-
pensa, mas como a gralido sincera e profunda
seja a malor prova do reconhecimento para as
glandes aego-ss, eu Ihes a offarego e rogando a
Deus pela preciosa saude de lo dignos Drs., espe-
ro que elles me darSo occasiao de Ihes mostrar
quaoto Ibes devo, e como sai appreciar as soas
eminentes quaiidades, tanto mals quaoto por espe-
rieacia propna, conhego quao difficil tratar-se
de um doente .erigoso e de urna molestia to gra-
ve e seria, como a de que foi victima o meu timo,
o qual certamente teria seceumbido a nao ser a
sollic'itude e pericia de to Illustres cavalleiros.
Quando o hooiem pelorseus actos e virtudes se
torna recomraenda*el principalmente era momen-
tos crticos de nosa vida, a sociedade em pe.s.) se
devo trguer para Ihe tecf oa. maiores encomios e
recommenda-lo a posterdadecomo uro bure.
A patria lera de ver nelle um fllho bemnemerito
e a sociedade um membro cbeio de prestigio e
gloria, digno de ser comparado a' esses grandes
vultos que dos apoata a historia-contempornea, e
que ahi estao para attestarem a grandesa de seu
corago, o qual s palpitando pela patria, por ella
daseja dar o ultimo suspiro.
Neste caso se acham os Srs. Drs. Zacaras e
Azomboja, os quaes nao poupando sacrificios e ex-
forgos dorara a saade ao meu filho e o fizeram vol-
lar aos meus bragos.
E' este um facto que pocha alguma de mioba
vida jamis olvidarei, e oo tendo outro rooio para
o fazer publico e notorio, se nao a imprensa a'ella
recorr, pela primeira vez em miaba vida, afim de
que isto Oque registrado em caracteres tndeleveis
e conbecido por lodos.
Agora que tenha cumprido ora imperioso dever
e satisfefto os gritos de miaba coosciencia, permi-
tan) os Srs. Drs. Zacaras e Azamboja, que de to
looge Ihes dirija as expressSas de meu profundo
reconhecimento e sincera estima.
Cidade de Goyoooa 8 da Janeiro de 1867.
Joo Domingues da Silva.
Publicatfoes a pedido
Mordomos.
O. Exm. Sr. dignatario Domingos A Bongo Nery
Ferreira.
Os Illms. Srs.:
Teneale coronel commeodador Rodolpho Joao Ba-
rata de Almeida.
Bal-ca hamborgaeas Ricardoidem.
Brtgae. iogtezPar -&ot meles.
Barca suecavehecarvio.
Barca ioglezaDoomidem.
Barca toglezaWi/tom-ndem.
BrlgueloglzCautws -idem..... .
Brigue nacional Esptranca charque.
Barca nacionalIdalma dem.
Brigue nacionalAureltanodem.
Patacho holsienseMarta Eizabeth\icm.
Polaca hespaoholaFlortsledem.
Escuna hollaudezaDe Fretifcharque.
Escuna austracaSuoerbedem.
Escuna austracaHelenedem.
Brigue bollandezCVumoHreadorias.
Patache inglezGeorgianaidem.
Barca portugoezaSilva lagedo.
PAUTA DOS PBEQOS DOS GNEROS SUJEITOS A D1BEIT0S
DB EXPORTAgfl. SEMANA DB 18 A 23 DO MEZ
DE FEVEREIRO DE 1867.
Mercadorias. Unidades. Valores.
Sera justiga todo o esforgo baldado as aecu-
sagoes, que sa laogam a este ou aquelle adividuo,
a e-te oa aquelle acto ; por que a razq, que as-
sim se vela aos olhos menos sejeotes uo motivo
actuante da censura, rompe afioal esse ro,e pa-
tentea-se em sua forma verdadeira e real a esses
mearnos olhos.
Este phecomeno a sanego da iojasliga, pri-
m- ira puaigao do injusto ceasor, e semelhante-
mente a nica resposta cabal d; aggredido sem
causa era motivo de ser.
E' o que dase para com a censura, que hootem
langou-se publieamente a' nomeago do Sr. Dr.
Franklim Tavora, para a directora da instruego
publica.
Balda de fundamentos, por certo que outro eSal
to oo poderla sentir della ; e anda os termos em
que formulada, sao taes que fazem para logo
transparecer o seu fim reservado, e qual o alvo
qu3 se busca attlogr em sus expressodesabrida,
apaixonada e menos digoa do cavalbero, que pug-
oa pela verdade.
Quem ana e s qoer justiga oa apreciago de si,
nao deve ter outro molde para vazar a qae for-
mular a respeilo d'outrem.
Mesmo como esta' laucada a censara, de parle
a sua forma atroz e pessoalmeate iosultuosa, pode
ella significar alguma cousa em soas captulagoes?
Significa apeuas ter sido o Sr. Dr. Fraoklim Ta-
vora victimado a' inteteresses maiores, sem se Ihe
presar a reput-go de homem, Bem se Ibe conce
deros foros a que tem jus, como ha classico oesta
trra.,aoode ba urna lente muito especial de apre-
ciago daquelles qae nos oo sao do pello.
A declioagao de Domes respeiuves, qoe servi-
ram o lagar de director gerai da instruego publi-
ca, oo constitue implcitamente f.lta de merec-
memo ao Sr. Dr. FraDklim Tavcra, para desem-
peoha-lo tambem agora qae um acto do governo.
em aprego de sua iotelligencii, foi bscalo a'
banca do trabalh \ aoode se esmera em cultivar
seo espirito pela applicago iotelleetoal; e nem
igual falta reso ta desses julzos e tnbuoaes que
fascinados e por isso sem competencia sentenciara
da indiligencia e illustrago albeia a* sea talante
e com o desembarago cynico de ir at contra a
opinio favoravel, que os sentenciados tem por si,
ero consequpncie de copias superiores, e brilbao-
lemeole prodasidos de am talento iodisputavel.
E o mais que all se escreveu, tem por ventura
classiflcago possivel ?
Estara' o qoe se disse, extreme de odio e inimi-
sades ?
Sara' o aventurado a forma da verdade apenas ?
Sem classiflcago, looge da verdade, todo foi dito
em odio e ipiroisade, sa nao p'esaoal, ao menos de
partido, o peior dos sentimentos; por que terna o
humera injusto e incapaz de deixar o antagonista
o que Ihe pertence em quaiidades o dotes d'alma.
Ao desabafo.poi, s restando o gosto de enamo-
rar-so de seus effeitos, oa melhor do, sua obra,
lera o desabafado conseguido este resultado, e
oo o de fazer desmerecer o cooceito de que gosa
o Sr. Dr. Frankrim Tavora, mm atnda aquelle
de desvirtuar a soa nomeago para o referido lu-
Recife, 14 de fevereiro de 1867.
Teoente-coronel
Silveira.
Dr. Francisco de Paola Sales.
Dr. Jos Eustaquio Ferreira Jacobina.
Dr. Joaqun Jos da Fonceca.
Dr. Joo Jos Pinto Jnior.
Mordomas.
As Exmas. onsortes:
Do Exm. Sr. ouselheiro Pedro Autran da Malta e
Alboquerque.
Do cjmraendador Francisco Accioli de Gouvea
Los.
Do Dr. Luiz Salazar da Veiga Pessa.
Do comrneudador Aotoaio Jo- de Castro.
Do Dr. Manoel Buarque de Macedo.
Do Sr. Vicente de Paola ulivetra Villas-Bas.
Do Sr. Luiz Va-ira Lima.
Abanos......... cento
Agurdente de caoa .... caoada
dem restilada ou do reino
Idem caxaca........
dem genebra i
dem aleool ou espirito de agua- i
ardente....... *
Algodo era carogo arroba
dem em rama ou em la *
Arroz com casca .
dem descascado ou pilado
Assucar masca vado .
dem branco
commeodador Jos Joaquina da j I(jem refmad0......
Azeite de amendoim ou raendo-

ELtiglo
Dos juizes, jnizas, mordomos e mordomas, que
teem de festejar Nossa Senhora da.Boa-Viagem
no anno de 4868.
Juizos.
O Exm. e Rvm. Sr. vigario capitular deo Dr.
Joaqaim Francisco de Faria.
O Illm. Sr. Joaqaim de Souza Leo.
Junas.
As Illmas. e Exmas. Sras.:
D. Filomeoa Candida Neves de Olivera, filba de
dosso irmo o Htm. Sr. Fraucisco Xavier de
Oliveira.
D. Feliciana Rita Peres de Lyra, Alba de nosso
irmo o Illm. Sr. Jos-Miguel de Lyra.
Escrivaes.
Os Illms. Srs.:;
Major Galdine dos'Saotos Nones de Oliveira.
Joaquim Candido da Cruz Siqueira.
Escrivaas.
As lmas. e Exmas. Sras: *
D. Emereooa mulber do Illm. Srs. Dr. Rufino
Augusta de Almeida.
D. Maria Emilia Sabina de Gusmo Lobo, mulher
do Illm. Sr. Dr. Francisco Leopoldino de GasmSo
Lobo.
Mordomos.
Os Illms. 8rs.:
Dr. Jos Carneiro da Rocha.
Antonio de Meara Rolim.
Antonio Luiz dos Santos.
Juveoeio AogoMo de Athayde.
Googalo Jos Alfonso.
Jos (Jaelano de Medeiros.
Joaquim Rapbael de Mello Reg.
Jos Eleutarlo de Azevedo.
Maooel Martins Fiuza.
Joo de Siqneira Farro.
Manoel Jos Machado.
Gervasio Costa.
Joo Baptista de Medeiros.
Francisco Antonio de Alboquerque Mello.
Major Antonio BernardoQoraleiro.
Major Miguel Bernardo Quinteiro.
Manoel Googalves Agr.
Policarpo Jos Layne.
Victorino de >ouza Travassos.
Mordomas.
As Illmas. e Er mas. Sras.:
D Maria, mulher do Illm. Sr. Dr. Jacintho Pereira
do Reg.
D. Mara das Mercas Cysneiro de AlDoqoerqne.
D. Marcolina, molber do Illm. Sr. caplto Vicente
de Paula de Oliveira Villasboas.
D. Maria Lybania de Oliveira Alves.
D. Rita de Cassia Ferreira de Cruz.
i). Aooa Joaquina da Silva Gulmaraes.
D. Emilia da Costa Poriella, mulher do Illm. Sr. Dr.
Joaquim Pires Machado Portella.
D. Francisca de Paula Ferreira Mendes, molher
do nosso irmo o Illm. Sr. Caetano Jos Men-
des.
D. Maria Francisca das Chagas Beltrio, molber
do film. Sr. Joo da Matta BeltrSo.
D. Lydia Candida de Oliveira Buarque, molher
do Illm. Sr. Dr. Manoel Buarque de Macedo.
D. Joaquina Anglica da Cosa Corte Real.
D. Mariaooa Augusta Ferreira.
D. Nympba Candida Neves Pontual.
D. Eteloioa, filha do Illm. Sr. teoente-coronel Justino
Pereira de Faria.
D. Fraocisca Carolina de Azevedo An drade.
D. Maria da Silva Campos Guimares.
D. Carolina da Silva Campos.
D. Ermina, mulber do Illm. Sr. commendador
Antonio Jos de Castro.
D. Joaona, molber do Illm. Sr. commendador Luiz
Jos Pereira Sirafies.
Fr. Feltx da Nattividade Ptmenlel,
Capello.
recruiadir Joaquim Militao Alves Lima, que apre-BfE pelo que respeita s allusSes, qoe se fazem
seotco-se fardado, comosoesiiveeie em algum ser- *e3?8 mxtiforio pessa dailiu
vico legal o aotorlsado por V. Exc.
t De euvolta com estes' fados e com ameaca?,
qoe se raziara a cada caoto, appareceu una tenta-
tiva de morte c ntra ama pessa da familia do ca-
pilao Antonio Pinbeiro de JVen 'onga.para quem era
destinado o pretendido mal-, e V. Exc comprehen-
de, que nesie estado o espirito publico eslava re-
celoso, ioqdleto e agitado espera das aonuneadas
scenas de compresso e de sangoe.
A esse recelo e tristes apprebeosBes veio tien-
ten! dar fundamento e comego de realidade o facto
qoe pasan a expor.
t Seriara 8 horas da ooite, qaando entrou oesta]
cidade ama massa de votantes, que tanho ouvido
calcular em 800 pessoas, pouco maisou menos, ten-
do a sua frente pessoas pacificas, e de posigo ele-
Faculdade
leviandade
buglana.
de Direito, elle nos nao desculparia a
de descr a rp^pender a semelhante
Correspondencias
Srs. fledacforj. Np pude ver impassivel que
o meu paiz se batesse com a repblica do Para-
guay o acudiado aos reclamos de meo corago,
suffoqoei os affeclos de pai, para dar lugar ao
amor da patria, a esse fogo sagrado e santo que
tem feto lautos hroes e enchido brilhantes pagi-
nas da historia tanto anliga, como moderna.
da
. Foi assim que fiz marchar para ojfleatro
vada e poz-se a percorrer as ras com ama musi- guerra, como voluntarios aos meas 3 Albos Amonio
EleicAo das pessas qae lea de fes-
tejar a Virgem . Soledade em sua igreja da fre-
jaezia da Baa-1'isla, oo anno de
4867 a \m.
Juiz por eieigo.
O Illm. Sr. teoente-coronel commendador Joao Va-
leotim Villela.
Juiz por de vogo.
O Exm. e Rvm. Sr. vigacio capitular Dr. JoaqaUa
Francisco de Farias. ,,
Juizes protectores.
Os Exms.- 8rs.:
Conde da Boa-Vista.
BarSo da Vera-Cruz. .-.,**
Barao do Llvranento.
Teoente coronel Francisco de Mlraada Leal Seve.
Negociante Maooel Ignacio d'Oliveira.
Dr. Maooel de Figueira Farias.
Juza por eleigap,
A Exroa. Sra. D. Harta' Be&edfefa Cario- de Car-
vaio.
Juza por devogo.
A Eima. Sra. D. Julia Dawlay Ferreira^,
Juizas protectoras.
As Exmas. Sras.:
Baronesa de Ci moros.
D. Isabel Ignacia de Gusmo Vilelia.
D. Leonor Araaatna Villas-Bas.
D. Maria Gangalv da Silva Pereira.
D. Sophia Heprlqaeta de Figaeira Farias.
PRACA DO RECIFE 16 DE FEVEREIRO
DE 1867.
As Z}i horas da tarde.
Algodo de Macei1" sorte loj por arroba pos-
to a bordo.
Cambio sobre Londres 90 d|v Si e 24 3|8 d.
por 1
Silveira,
Presidente.
Macado,
Secretario.
NOVO BANCO m PER-
uco.
0 novo banco paga o se-
gundo dividendo de 4,4 0i0
da massa fallida de Joaquim
Jos Silveira.
NOVO BANCO 0E PERNAMBUCO
O novo banco descoma letras de pras at qua-
tro mezes a 9 OO ao aooo, o de maior praso a
110(0
. ALFANDEGA.
Rendimento do da 1 a 13......... 422:7695310
dem do dia 16................. 33:535*378
bim ........ caada
dem de coco......
dem de mamona .... >
Batatas alimenticias .... arroba
Bolacha ai diara, propria para
embarque.......
dem fina........
Caf bom .......
dem escolha ou restolho.
dem torrado...... libra
Caibros........ nm
Cal.......... arroba
dem branca .... .
Carne secca (xarque) ...
Carneiros ........ um
Carvao vegetal..... arroba
Carvenas de sicupira urna
Cera de carnauba em bruto. libra
Idem idem em velas ...
Cha..........
Charutos ....... cento
Cevados (porcos)..... um
Cocos (seceos)..... cento
Colla........ libra
Couros de boi, salgados j.
dem idem seceos espichados
dem idem verdes.....
dem idem cabra cortidos um
dem idem de onga.....
Doces seceos...... libra
dem era gela 'ou massa.
(dem em calda.......
Espanadores grandes um
dem pequeos.....
Esteiras para forro de estivas
de navio........ cento
Estopa nacional..... arroba
Farinha de de mandioca alqueire
dem de aramia.....- arroba
Feijao de qualquer qudlidade
Frechaes........ um
Fumo em olha, bom .... arroba
dem ordinario ou restolho. >
dem em rolo bom..... >
dem ordinario ou restolho >
2500
900
800
360
680
900
3*700
141000
1*500
2*600
2*300
3*600
4*000
2*500
1*800
1*400
1*500
3*000
7*000
7*000
6*300
440
360
400
580
3*800
45000
1*600
3*500
320
500
2*000
3*000
135000
4*000
660
160
260
100
380
10*000
1*000
360
520
4*000
2*000
165000
2*000
3*000
5*000
4*000
5*000
13*000
1,000 barras de ferro, J caxas cooros do lt-
iro, 1 dita pedra ditas e 1 barrica ferrageoo, ibirimbao*, botos, es-
poletas e fitas; a Parete Vianna & C.
13 tooeladas carvao de pedra, 20 canas conser-
vas.. 10 ditas canelta, 5 ditas biscoutos, 190 ditas
velas, 100 barricas cimento, 300 saceos farelo, 10
fardos ferro, 100 saceos arroz, .10 ditos pimenla-
199 fardos papel de embromo, 300oaixas cer?fja,
500 ditas, 300 garrafoas, 1.800 frasqueiras e 250
I barricas geaebra, 6 ca xas bitlers, 1 dita charu-
tos, 1 dita chapeos de sol; a Tbeodoro Chrls-
tiansen.
10 fardos pao campeche, 3 caixas candieiros, 2
ditas, 5 fardos, 6 barricas, 2 pceles, 1 cexto dro-
gas, 1 caixa trocas o legamos em eoaserva ; a lia-
be Schmeitao & C.
3 caixas pelles de la-tro ; a Linden Weydmann
&C.
1 fardo fazenda de 15a, 1 caixa carne rumada : a
Schafheitlim A C.
3 calzas ferragens, 23 ditas adelas, obras de
metal, franja de algodo, litas de seda, bonecas,
etc.; a D. P. Wild 4 C.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
GERARS.
Rendimento do dia 1 a 15......... II :049*'62
dem do dia 16............... 659*172
10*000
850(i0
1*000
3*000
255000
25500
12*000
Gallinhas........ urna
Gomma......... arroba
Ipecacuanha (raiz)..... ,
Lenha em achas...... cento
Toros......... i
Linhas e esteios...... um
Mel ou melaco...... caada 160
Milho......... arroba 2*500
Papagaios....... um 3*000
Pao Brasil........ qunal 65000
dem de jangada...... um 5*000
Pedras de amolar..... urna 900
dem de filtrar...... t 800
dem de rebolo ...... 1*000
Piassava........ molho 160
Pontas, ou chifres de vaccas ou
novilhos....... cento 3*800
Pranches de amarello de dous
costados,....... um 20*000
dem de louro...... 10*000
Rap......... libra 1*000
Sabo......... i 160
Sal.......... alqueire 400
Salsa parrilha...... arroba 255000
Sebo em rama...... 5*000
dem em velas...... 7*000
Sola em vaqueta..... uma 2*009
Taboas de amarello .... duzia 140*000
diversas...... 87*000
Tapiocas ....... arroba 35000
Tatajuba ....... quintal 2*000
Travs......... ma 6*00C
nhas de boi...... cenio 380
Vassouras de de piassava >
Ditas de timb....... 8*000
Ditas de carnauba..... 6*400
Vinagre......... caada 800
Alfandega de Pernamuco, 16 de fevereiro de
1867.
ADITAMMEENTO.
Cera de carnauba arroba
Cassueiras de Jacaranda, duzia
Enchameis......nm
uma
arroba
molho
libra
par
6l400
95-5000
1,5500
160
240
800
20UOO
800
456:304*688
MOVIMENTO DA ALFANDEGA.
Volamos entrados com fazendas..
-f t gneros....
Volamos sahidos com fazendas...
t c c gneros....
1066
312
674
120
812
-----932
Descarregam boje 18 de fevereiro.
Barca nglezaAdttphotmercadorias.
Vapor inglezChrysocntei l ido
Barca inglesaSver Slreenidem.
Brigue inglezMay/ieldiaem.
Escuna inglezaMariadem.
Lugar Inglez- BrilhantIdem.
Barca bamburguezaCongoidem.
Brigue nacionalInfelizdem.
Patacho inglezPortta- bacalho.
Brigue inglezGreciandem.
Brigue inglez-ffu0A Blockfarinba de trigo.
Esteiras de carnauba. .
Ossos........
Palha de carnauba, .
Peana de ema ....
Sapatos de couro branco.
Era ut supra.
Approvo Afandega de Pernambuco 16 de fe-
vereiro de 1867.A. Eulalia.
Assignados. O 1. confereates, Manoel Caldas
Carreto.
0 2. conferente, Francisco Alfonso Ferreira.
Conforme. Eutuho Mondan Pestaa.
Importa fo.
Barca hamburguesa Longo, entrada de Ham-
borgo, consignada a Tbeodoro Cbristlansen mani
festou o seguinte :
9 barris, 4 barricas, 3 caixas, 2 cextos vtnho,
nozes, amortas, raagans, feijao branco, farinba de
centelo, presuntos, salsichas, carnes, arenques,
legamos, cevadinna e drogas, 1 sacco de viagem
com roupa usada; a Matherous Leoz.
6 caixas vidros, 1 dita ooro para doorar e dro
gas e 1 barrica tatajuba ; a Bartholoraeu & C.
1 dita drogas; a J. da1 CracVlgao Bravo & C.
2 ditas mludezas, 1 dita obras de barro, e 100
ditas velas stearinas ; a D. Alves Matbeus.
2 ditas mludezas ; a B. a Brandis.
*50 ditas velas stearinas, 1 dita bonecas, 1 dita
la, 1 dita fio, 3 volumes amostras; a Manoel J.
R. e Silva & Genros.
6 ditas cooros de lastro e de bezerro eograxa-
do, I dita rame de lato, 10 ditas espelbos; a Vaz
&Lel.
13 ditas telbas de vidro, 2 ditas couro de lustro,
1 dita e.-poletas; a Ladislao J. Ferreira.
7 ditas pedras etiquetas e utensilios de lithogra-
pbia ; a F. H. Caris.
2 ditas garrafas de barro ; a Manoel Jos dos
Santos.
1 dita sementes de dallas, 1 gaiolla pombos ; a
Odorico da Cmara.
8 ditas vidros; a ordem.
4 ditas meus, cord>s de viola, e botoes da ma-
dreperola ; a Ilenrique & Azevedo.
2 fardos e 1 lata drogas; a HenrI Leideo.
1 caixa miudezas; a Antonio da Silva Fa-
ria.
1 dita obras de metal; a Alves Hamburger.
&C.
4 ditas miudezas ; a Guimares & Luz.
2 ditas fazendas de algodo -, a Carneiro & No-
goeira.
'1 dita obras de madeira, 1 dita faco, 1 dita brin-
quedos; a Antonio Duarte Carneiro Vianna.
6 ditas raobilias e pedras ; a Rocha Lima &
Guimares.
16 ditas e 1 barrica espelhos, fitas, obras de
(landres e porcelanas ; a Silva & Cardoso.
2 ditas brlnquedos ; a Jos M. Palmeira.
800 frasqueiras, 100 caixas e 50 barricas gene-
bra ; a Joao Ignacio da Costa.
4 caixas vfdro?, 2 barricas pedra-bume, e 3 cai-
xas agua de seltz; a Augusto Caors.
1 fardo fio de vela, 7 caixas vidros, 1 dita tintas,
2 ditas couros, 1 dita papel, 16 ditas e 1 barrica
miudezas; a Otto Bobres & C.
2 ditas chapeos, 1 dita conservas; a Chnstiani
Irmo.
11:708*634
# PRACA DO RECIFL
16 E FEVEREIRO DE fl8C9.
A'S TRES HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios. Saccou-se sobre Londres a U, 24
)(, 24 V e 24 Vi d. por 1*000 ; sobre Paris a 394
rs. por fr.; e sobre Lisboa a UO rs. por cento de
premio ; sendo o valor dos saques effactoados nes-
ta semana de 30,000.
Algodo. Venden-se o de Peroambueo de
14*400 5600 por arroba; o de Macei^poste a
bordo, a 15*000 o de l sorte, 14*000 o de 2*
e a 12*300 o de refaga; e o da Parabvba a 16* o
de 1* son.
Assucar.Venden-se o branco de 33460 a 4*40
por arroba, o soraenos da 3*000 a 3*100, o mas-
cavado purgado de 2*400 a 2*600, o o-dilo bruto
de 2*050 a 2*300 a dita.
Agurdente.Vendeu-se a 66*860 a pipa.
Choros Os seceos e salgados venderam-so a
160 rs. por libra.
Arroz.O pilado da India vendeu-se a 3*000
a arroba, e o do Maranho a 3*200.
Azbite doce.Venden-se o de Lisboa a 2*650
o clao.
Bacalho.Em atacado venden-se a 17*000 a
barrica, e a retalho de 16* a 17*000 a dita.
Batatas.Venderam-se a 1*000 rs. a arraba.
Bolachinhas.dem a 3*000 a barriquinha.
Caf.Vendeu-se de 4*800 a 5*200 a arroba.
Cha.dem de 1*800 a 2*300 a libra.
CERVEJA.-Idem de 5*200 a 5*300 a duzia de
garrafas.
Farinha de trigo.Retalhon-se de 20*000 a
25*000 por barrica da de Ncw-York ; de 23J500O
a 25*000 a de Philad-lphia ; de 238000 a 24*000
a de Baltimore ; a 23&100 a hespaai>ola;-a 25*000
a franceza ; de 25*000 a 26*000 a de Trieste ; de
9* a 10* o sacco de 100 libr.s da Cbi|e; ficando
era deposito, inclusive dous carregamentos do Chi-
le, 8,000 barricas e- 24,000 saceos, sendo : l.COO
da primeira, 600 da segunda, 1.000 da terceira,
400 da quarta, 1,000 da quinta, 4,000 da sexta o
24,000 saceos.
Louoa.A ingleza ordinaria vendeu-se eom 3iO
por cento de premio sobre a factura.
Manteiga.Vendeu-se a ingleza a 800 rs. a li-
bra, e a franceza a 500 rs. a dita.
Massas.Venderam-se a 8*500 a caixa.
Passas.dem a ;*000 a caixa.
Presuntos.Venderam-se a 16*000 por arroba.
Queijos.Os flamengos venderam-se a 2*200
cada um.
Sarao.O inglez vendeu-se a 140 rs. a libra, e
o do Mediterrneo a 20 rs. a dita.
Toucinho.Vendeu-se o de Lisboa a 9*000 a
arroba.
Vinagre.O de Portus-J vendeu-se de 85*080 a
110* a pipa.
Vinhos. Venderam-se os de Lisboa de 180*
190* a pipa, e os de ornos pazes de 165* a 170*
a dita.
Velas.As de composigao venderam-se a 600
rs. por pacote de 6 velas.
Descontos.O rebate de letras regaln a 10
por cento ao anno.
Fretes.Para Liverpool, carregando aqoi, pelo
algodo, '/8d. por libraS ^a vapor, 9/6 d. por li-
bra a \ a vela ; carregando na Parahyba, Macei
e Rio Granda do Ni rte 5/i d. por libra 5 / 5 Pel
lastro de assucar 17/6 5 "/; Pa o Canal, carre-
gand aqoi, 32/6 pelo assucar, sem primagem.
MOVIMENTO DO PORTO
Navios entrados no Ass9 das, hiate brasileiro Nossa Senhora dos
Navegantes, de 65 tonelladas, capitao Antonio
do Souza Ca-tro, equipagem 7, carga algodo,
erares e oulros geueros; a B. Loureoco.
Barcelona e Malaga 47 dias do 1* porto o 23 do
2, brigue hespanbol Nuevo Vigilante, de 163
tooelladas, capitao Jos Merambell, equipagem
12, carga vraho e outrosgeaaros j a Raba Scha-
roettao & C.
Jersey35 d as, patacho ngoi Cornucopia, de
265 tonelladas, capitao Abraham Hacquoil, eqoi-
pagara 8, carga 2,022 barricas com bac albo ; a
Saonders Brthers & C.
Rio Grande do Sul26 das, brigoe ingles Catha-
rina, de 130 tonelladas, capitao J. Ingrahan,
eqoipagem 7, carga 10,288 arrobas de carne
seca ; a Maia & Espirito Santo.
Rio Grande do Sul-J3t das, palacho portognez
Novo Lima, de 213 tonelladas, capitao Joao Lo-
pes Martins, equipagem 10, carga 10,446 arro-
bas da caroe seca ; a Antonio Luii de Oliveira
Azevedo & C.
New-castie50 dias, barca ingleza Mat teawan, de
423 tonelladas. capitao C. P. Frlend, equipagem
15, carga- carvao ; a James Rayde & C.
Navio saludo no mesmo da.
CanalLogre prassiano Aleit, captto W. Appera,
carga assucar.
Observagio.
Suspenden do lamaro para Babia o brigue in-
glez Margarilh Redeley, capitao Carterr, carga a
mesroa que trooxe de Habor Graee.
Valparaizo burea ingleza Rosamond, capitao
Laob, carga assucar.
Navio entrado no dia 17;
Rio Grande do Sul-28 dias, brigue pcrtHonez
Adelino, de 345 tooeladas,capiloiMafloel Joaqun
da Silva, equipagem 11, carga 11,000 arrobas
de carne e 86 barricas decebo; a David Fer-
reira Bailar.
Xa nos sahidos no mesmo da.
LiverpoolBarca norueguense Alhance, eapilao
TeikeHen, carga assoear.
BahaBrigue naeioDal Maria & Alfredo-, capitao
Joaquim Sabino Gongalves, carga farinba de
trigo e cotros gneros.
EDITAES.
Faciildadc de direito
De ordem do Ezro. Sr. director fago publico que
eslo abenas-as aulas do curso preparatorio, sen-
do este servigo regulado pelaorma segainte : la-
ura das 8 as 10 ; fraocez dae 11 as 12; Inglez das
9 as 10 ; philosophia das 8 as 9 ; rhetorlca das O
as 10 ; geometra das 8 as 9 ; e geograpbla das 9
as 10. As matrioolas de sciensias- estar abortas
at o da 1 de abril, e os que as pretendereis de-
v-riio reqnerer ao Exm. Sr. director, Juntando do-
cumento era que provem ler aprendido latim e
fraocez, se a rnatricola for de philosophia ou rhe-
larica, e franoez -somente so a matricula for dr
geographia. As matriculas de liogoas padera ter
logar independente de requerimeoto at o da 36-
de Julbo.
Secretaria da faculdade de direito do Recife 31
de fevereiro de 1867.
Jos Honorio Bezerra de Meiezes
Secretarlo.
De ordem do Illm. Sr. inspector da allhndega
se faz publico que, no dia 19 do crrenle a uma
hora da tarde e a porta da mesma repattigao, ser
vendida em hasta poblica, livre de direitos ao
arrematante, ama caixa com a marca JASi
27o, vinda de Hambargo no navio Fortuna, eon-
teodo noventa duzias de caivetes ordinarios com
cabo de pao, avaliados a mil reis a dazia; os qoaes
roram abandonados aos direitos por Domingos A.
Mattreus, como se v* do termo a ft 86 do Brro
competente, i *:
Alfandega d Pernambaco, 15 de teveteiro do
1867.
O 3* escriptorario.
Eutyctiio Mondin Pertao*.
t



4
**
m
Mta...
v
V



J*r*v
iMPMVMMr
* '^.mm f
Diario de Pei-nauhiic segunda feira ide Fevereiro de 1867.
.



EEt!MR4G$S.
da
Santa Casa da llisricmiia d. Recife,
fondo de 0 liar se em 30 de juoho do correte
anuo o arreodamanto ) sitio da lina do Nogueira,
tiropnedada di Siala Cisa de Mrserieord, a
Hlma. jauta administrativa mnia fazer poblico a
quera coavier, pira qae cora antecedencia o vao
examinar, aflm de aumentaren! sus propostis
que serio reeebidas ncsia-secretaria, onde seda
rao todos os eselareeimentos precisos aos nteres-
sados.
Secretaria da Santa C*a de Misericordia do Ra-
die, 17 de Janeiro de 1867.
*^0 escrivSo,
_______________Pe Iro Rod; igues de Soma.
Santa Gasa da Misericordia
do Recife,
A lllma. j unta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Rscife manda fazer publico que
Do;dia 13 do correte pelas 4 hoas da larde oa sala
desuas sessoes, tem de ir a praga a renda das ca-
sas abaixo mencionadas para seren arrematado:
por aluguel pelo lempo de nm a tres annos.
Os pretendemos deveo apresentar carta de San
a oo serem acompaobados de seos fiadores c
eom cartas dos mesmoes.
Eslabelecimentea de caridade.
Ra dos Pescadores.
Casaterrean.il.......216$0C
Ra da Gloria.
Casa terrea n. 55.......liiJOOC
Ra da imperalriz.
Casa terrea n. 68.......301^000
Roa do Padre Floriano.
Casa terrea o. 17 J.....15J500
Ra da Lapa.
Sobrado de um andar n. 8.....- 120*600
PatPiH*iii de orphoj.
Roa da Cadeia do Recife.
Sobrado n. 63....... '. 2:000*000
Ra dos Burgos.
Casa terrea n. 19 h......101*000
Roa de Pilar.
Casa terrea d. 94. .....16811000
Sitio do Pomo da Cal n. 5. 150*000
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife 6 de fevereiro de 1856.
O escrivao,
Pedro Rodrigues de Soma.
N. B. Os passageiros dos vapores
compendia sero srnosle gaarentena.
IOHtUXUIi liaSILttIA
DE
PAQUETES A VAPOR
Real | o agente Peslaoi frrV laSi pir canta e ruco enNefoaif) a'vonfade dos licitantes em um ou mals!
de quera pertencer de c;;r.-a de 3J) birncas. 130 'otes ; o baJanco esta'em poder do ref.-ridj aaeu-
*ww* e 60 nnioi cora farinhi de trigo de ex- 'e a exime a ura' logar o meaconad!) leilo no
cuitante qual.dade e chegada all mmente em om
oo mais lotes a vontade : stMnla iira 18 do cr-
rante pelas 12 hjras da imahaa [no armazem do
Aenes ilefroote d alfandega.
a;
Dos Dorios di sul esperado'
at o dia 22 do corrtnte o vapor j
Cruzeiro do Sul, commaadaote i
Aleoforado, o qual depois da de-!
mora do costume seguir' para os Segunda-feira
portos do norte.
Recpbem-se desd J passageiros e engaa-se a
carga que o vapor poder cooduzir a qual devera'
ser em rcada oo da de sua chegada; eneom-
mendas e dinheiro a freta at o da da sahida as
2 hor^s. Previoe-se aos Srs. passageiros qae suas
pssagens s sao recebldas nesta agencia ra da
Cruz n. 1, escriptono de Asmis Luiz de Olivelra
Azevedo & C
O lllm. Sr. inspector da tbtsouraria de fa-
zeoda da provincia de Peroambjco manda fazer
publico qae a venda dis apolices do tbesouro de
que est encarregadaa thesouraria contioi a fa-
xar-sea noventa poroentj.
Secretarla da thesouraria da Pernamftoco 14 de
fevereiro de 1867.
Sirvilo de official maior
_________________Manoel Jo3 Pinto.
A directora do arsenal de guerra, manda
fazer publico que no da 21 do correte, recebera'
pelas 11 horas darmohaa, propostas para lavagem
da roupa e engoraroado da companbia de educan-
dos menores no raesrao arsenal, preferindo a pes-
soi qae por menos se comprometer a fazer todo
servico: outro sim, tambem cootrata com quera
siqueirasngeitar a encarr9gar-se dacosinh' da
mesma eompanhia, devendo comparecer das 9 ho-
ras da raanbaa as 3 da tarde, aa repartido para
se tratar do ajuste.
Qnartel da eompanhia dos aprasendizes menores
em 3 da favereiro de 1867.Francisco Manoel da
llosa, pedagogo.
Arsenal de guerra de 'ernambaco, em
i 4 de fe ver ei o ae 1867.
A directora do arsenal de guerra, mana faier
publico, qoe no dia 18 do corrale as 11 horas da
manha receber pruproslas para o fabrico de 50
blusas da brirn pardo para os prisioneiros para-
guayas, forneceudo o arsenal a materia prima- j
cortada.
Os proponentes apresentaro nesta repariicao
no dia declarado as suas propostas acorapauhadas
de cartas de seos fiadores.
O praso que se conceda para o costuramento
das blusas em questo de 10 dias tmprorogaveis
eootados da data do recebimeato dos objectos ar-
rematados, alem do favor concedido aos arrema
tantas pelo aviso do ministerio da guerra de 17
de margo de 1860.
O amanuense.
______________Joo Bernardo da Silva.
Sania Casa de Miseeieordla de Recife.
Pela secretarla da S.tuta Ca~a da Misericordia
do Recife se convida as pessoas abano declaradas
para que vennam re^uerer a retirada do collegio
das orpbas, das educandas tambera adiante men
tonadas, as quaes mostrando pouco desejo de con-
tiauar no collegio, a lllma. junta administrativa
delibsrou qoe fossera entregaos a seas prenles
ou pessoas que por ellas se ioteressam, na confor-
raidade do art. 48 g 3, e do arl. 50 do regula-
meato daquelle estabak'Clinento :
Alejandrina das Virgens, Alba de Aana Joaquioa
Soares de Meodooga, moradora na Capanga ;
Niomisia de Loni Cota, irma de Manoel de Luna
Costa, morador a' roa da Cruz.
Emilia Pereira, ama de Mara Heoriqueta Pereira
dos Santos Castro, moradora na Soledade;
Samaritana, film de Rosa Claadina;
Leocadia Maria da Cjuceico, Giba de Marta Leo-
cadia, j fallecida;
Josepha de Amorto, filba de Manoel de Araorim
e da Maria Rosa da Conceicao, ja fallecidos;
Malina Magalhes, filha de Maria Magalbes, j
fallecida;
Francisca hidra;
Oniteria dos Prazeres:
Isabel da Luz ;
Carolina de Brito, sobrinba de Paalioa Rabello
Soares.
Secretaria da Santa Casa de, Misericordia do Re-
cife, 14 de fevereiro de 1867
O e3crivo,
___________Pedro tiodrlgues de Souza._____
Santa Gasa de Misericordia do Recife.
Peta secretaria da Santa Casa de Misericordia
do Recife se convida as pessoas abaixo declaradas
para qoe veahara requerer a retirada do collegio
dos orphos, dos edacandos constantes da relao
abaixi publicada, os quae-, tendo attiogido a idade
tizada pela iSi para a sua educado, foram pela
lllma. junta mandados entregar a seu^parantes :
Pedro Carlos de Alcntara, neta de Bernardo de
tal.'empregado no cemlterlo publico;
Maximiliano de Lima Ribeiro, afilbado do i'r. Jos
Quintioo de Castro Leo;
Francisco Sevenno Brrelo;
Vctor Constantino de Meti, filbo de Eulalia Fran-
cisca Ferreira, moradora a' roa da Ssnzalia-
nova.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cite, 14 de favereiro de 1867.
O escrivSo,
Pedro Rodrigues de Souza.
OTIMMHA IIK ASI LE HA
DE
Paquetes a vapor
Dos portos do norte esperado
at o dia 27 de fevereiro o vapor
Paran, commandante Santa Bar-
bara, o qual depiis da demora do
cosiume seguir' para os portos
do sol.
Desde ja' recebem-se passageiros e eDgaja-se a
carga qae o vapor poder coduzir, a qual deve-
ra' ser embarcada no da de saa chegada; e en-
commendas e diobeiro a frele at o dia da sahida
as 2 boras: agencia rna da Cruz n. 1, escripto-
rio de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo i C.
COMPANHIA PERNAMBUANA *""""
DE
Navegaco cosleira por vapor.
PAHA
Fernn o de Noronha.
No da 7 demarco as 11 horas
da maoha seguir* para o pre-
sidio de Fernando Din dos vapo-
res da eompanhia. Recebe carga
at o da 6. Eacommendas, pas-
sageiros e diuheiro a frete at as 10 boras da ma-
nha do dia da sabida: escnpiorio no Forte do
Matos o. 1. _______
COMPANHIA PERNAMBCANA "
DE
costeira por vapor.
Macei e escalas.
No da 28 do corrente as 5
horas da tarde, seguir' para os
portos do sul o vapor Maman-
guape, commaodante Balmiro.
Recebe carga at o di i 27. En-
eommeudas, passageiros e dinheiro a frete at as
3 horas da tardo do dia da sahida : escriptorio no
Forte do Matos n. 1.
IifiSILrtA
de 200 saccas cotn algod5o,
i8 de fevereiro as 11 horas
em. ponto, a porta da associacjfo couamer
cial,
O agente Pialo fara' leilo
caradoras fiscaes da mssa
va R^go e pjr mandado do lllm. Sr. Dr. julz espe
cial do
tenceote
do largo
precedentes
sera' effectuado
logar
Quarta-feira 20 do correle
em pooto no mesan estabolecimento.
.'
AO
jamar, i ma ae Jacaranda, 1 banquii
io a r-aoprim oto tos Se"0' 6 cadei"s de marello. 1 dita
lllm. Sr. Dr. julz espe- i' Td.?"?d? com ?
Navegacao
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
costrira por vapor.
Aracaty, Cear e
acao
PARA
Paraliyba, Natal, Maco,
Acaracu'
No da 26 do corrente as 5
horas da tarde, seguir' para os
portos cima Indicados o vapor
Ipojuca, commandaote Martins.
Recebe carga at o dia 25. Eo-
commeodas, passageiros e dinheiro a frete al as
3 horas da larde do da da sahida : escriptorio no
Forte do Matos n. 1.
De 364 saceos com furoha de trigo.
HOfE.
O agente Pestaa fara* leilo por conta e risco
de quera pertencer da 364 saceos- com arinha de
trigo parte com avaria era nm ou raais lotes a
vontade ; sexta-faira 18 do corrente pelas 11 ho-
ras da manha no armaiem do Sr. Jjj Quirino
de Agmlar no caes do Apollo.
dos salvados do navio francez Marie cons-
tando de vellas, cimento, ferro, cabos e
pipas cora vinlio branco e tinto-
Terca-feira 49 de fevereiro as 10 horas, no
armazem do bar5o do Livramenlo caes
do Apollo,
O agente Pinto autorisado pelo lllm. Sr. cnsul
de Franca nesta cidade, levara' a leilo em presen-
ta d'um delegado de mesmo c nsulado, com li-
cenca dolllm. Sr. inspector da alfin Jega.com asis-
tencia de um empregado da mesma repartigo pa-
ra o fim n meado, e por coala e risco de qam
perteacer, pipa? com viudo braoco e tinto, cabos,
correles, e mais objectos salvados da barca fro-
ceza Marie, naufragada na Parahyba do Nprte, e
existentes uo armazem alfandegado do lni.; do
Livramento caes do Apollo, ende se effectaara' o
leilo as i i horas do dia cima dito.
LEILO
^ DE
Pechincha
De om par de jarros de alabastro, 1 cufra de
ferro, 2 collos de amarello, 1 re girv de cima i
da mesa com redomj, 1 mesa de amarello para'
jantar 1 dita de Jacaranda,. I banouinba da ama-
da balan^i,'
cama de jaca- j
de vidro, 1
de vidro,
amarel-
louro, 2
francez e
franceza por
(.nanos Andr, o medico do direilo, metbodo da
fran.:ei, grammitlca franceza da Moata Verde e
manual dos negociantes, 1 re!ogio de prata cora
corrente de onro, botS.'s, aneis.allnetes, bolsioh
de prata.

Cabug-X 3 A
Agostinfo Jos dos Santos, propietario deste antigo e^bel-cimento
tendo fcito urna reforma geral no sea negocio, apresenta-se a concorrencia
publica convicto que poder servir vantajosamente aos seus frej-uezes. Esti
casa acha-se completamente sortida de obra^ de uro, pratie brillantes, ca-
jos precos s5o o mais resumidopossive!. Gompram-seos me-mos objectos
cima declarados em obras velhas. Incumbe-se de qualquer encomrasnda
concernenle ao seu negocio.
Agostinho Jos dos Santos C
Cordeiro Simocs
a requerlraeuto dos depositarios da massa fallida
de Joaquim Jos Gomes dt'Sjuza [e mandado do
lllm. Sr. Dr. juiz de direilo espeeial do coramer-
ci, rara leilo dos objectos cima mencionados, os
qaaes sao pertencentes -referida massa, isto
/ta-felra'22 do correte
as 11 horasTO priraeiro aodar do sobrado da raa
do Imperador o. 26.
INTERNATO
DE
Ceai e Ma'oho
Segaira' para os indicados portos com a possi
vel brevidade o muito veleiro patacho VOLANTE,
capilo Antonio Travassos da Rosa, para carga
trata-se com o respectivo consignatario Antonio
de Almeida Gomes, a' ra da Cruz n. 3, primeiro
aodar.
Cear-
PreteDde seguir com brevidade o hiate Dous
lrmaos, tem parle da carga para o restaote Ira-
ta-se com Tasso Irmos.
O agente Pontaal veo-
lera' em leilo pelo maior
ireco, os objectos abaixo
lescriptos, visto para isso
oharse aulorisado p?lo
befe de urna familia que
elirou-se para a Europa :
12 cudeiras da guaroicao,
cadeiras de bra^o, 1 sof', 2 coosolos cora pe^ra,
1 mesa redonda, 4 espelhos grandes, 1 sof' pe-
queo genovez, 12 cadeiras de guarnico ditas, e
2 cadeiras de braco ditas, 1 sof' de Jacaranda', 1
secretarla com etaote, 1 dita, 1 lavatorio, 1 cabi-
de, 1 cadeira preguicosa, 1 dita de balando, 1
guarda roopa graode, 1 cama de ferro eom col-
chao, 1 aparador com pedra, 2 mesas de cosioha,
vidros, lou^a, um candieiro a gaz, 4 li tiras de
de porcelana, urna grande estante e urna caixa
com preparos e medicamentos para salvar afo-
sado-.
O leilo tera' lugar terca-feira 19 do corrente as
11 horas, na ra da Craz o. 62, primeiro andar.
casinhas terreas de po
dra e cal sitas na povoaco
desfogados ra do Moto
colomb
Cordeiro Simes
a' requerimento dos depositarios da massa fallida
de Joqom J.tf Gomes da Souza e mandado do I
lllm. Sr. Dr. juiz da direito especial do commercio '
fara leilo das tre* oasmhas terreas cima des-!
criptas, quaes fjzem parte da referida mas=a e i
pade-sedadeja serem examinadas por qoalquer i
prttendenft, rujo leilo fera' luaar no dia
a Sazta-fetra 22 do correte
no primeiro andar do sobrado a' rna do Impera
dar n. 26,^s II horas.
S. BEBNAiDO.
Estabelcf'nlo na cidade do fcfcife em i 8 52
Soh a proteceo doinnimo Pontiflce Pi l\
_
niRECTORO BACHAREL EM .VATHF.MAT1CAS
AVISOS DIVERSOS.
AVISOS MARTIMOS
Seal eompanhia de pipetes iagieies
a vanor.
A Real eompanhia de Paqoetos ingieres a Vapor,
tendo em vista offerecer superiores commodos ao
crAscido num-ro de passageiros qae afflairo a vi-
sitar a exposico internacional oe Pars, pretende
expedir de SoaUampton, para tal Bm, o sea maa-
fleo vapor SHannon, de 3479 toneladas e forca de
900 cavados, em lugar de alguos dos vapores
nsoaes.
O Sbanncn, chegar a este perto, vindo da Euro-
pa, at o dia 28 do corrente, e de volta do sal at
dia 17 do mez prximo.
Este bello vapor comporta am avallado numero
de passageiros, aos qaaes, quer por soas vastas
dimeosoas, qaer pela sua tooelagem, forca etc.,
proporciona o mais desejavel bem estar e plena
egnranja.
s pessoas qae oelle pretaederem seguir convida
a comoanhia a loscreverem seas aomes na agen-
cia, ra do Trapiche Ifovon. 40; sendo qae serio
servidas na ordem am qae o flzerem. Por ser de
anlogo inters, faz elta constar qae a companbia
Raal de Caminbos de ferro de Porttigal esta prestes
a ultimar ama eonveoeo, eom as eompankiaa de
vias frreas entre Lisboa e Parta, mediante a mal,
por mdicos pregos, naver irens directos de ama
a outra capital.
*io de Janeiro
Pretende sahir para o indicado parto com moita
brevidade o veleiro e bem conhecido brigae Ade-
laide por ter a maior parte dt seo carregamento
tratado ; e para o resto qoe Ihe falta e escravos a
frete, trala-se com o consiguatarlo Joaquina Jos
Gooc,alvos Beltro, ra do Trapiche o. 17.
Para o Porto
A barca portugueza Humildade, nova
ede primeiraviagem, pretend sabir para
o Porto com a maior brevidade possivel.
Recebe carga e passageiros para os quaes
tem excellentea commodos: a tratar com
Marques, Barros &C no largo do Gorpo
Santo n. 6 ou com o capito Carlos Ferrei-
ra Soares.
Para Lisboa
Pretende seguir com maita breviiade o patacho
Fernandes, tem parle de sua carga engajada, para
o r#to que Ibe falta trata-se com os seas coasig-
nataries Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
ao seu escriptorio rna da Cruz n. 1.
Para Lisboa.
Segoe em poucos das o brigue portogusz Con-
cetqao de Mana, por ter parte de seu carregameo-
to prompto : para o restaote e passageiros, trata-
se com Oliveira Filho & C., largo do Corpo Saoto
o. 19, ou com o capilo oa ^ragt.
Para Lisb a
obem conhecido brigue portnguez Relmpago pre-
tende sabir com presteza, para o que tem a maior
parte de saa carga prompta : qaem no m smo
qairer carregar ou ir de passagem, entenda se
cm| os consignatarios Tbomaz de Aquino Fonseca
& C., na roa do Vigario n. 19.
Para o Porlo
segu com a possivel brevidade o brigaa porta-
guez Vmao por ter a maior parte da carga eoga-
jada : para o resto e passageiros trata-se com os
coosigoatarios Thoraaz de Aquino Fonseca & C,
rna do Vigario n. 19.
Para Lisboa
O brigae peringaez Liia /, capito A. F. Vieira
vai sabir breve, recebe carga a frete e passagei
ros trata-se com E. R. Rabello roa do Trapiche n.
44, segunao andar, o i com o capito.
Para Lisboa segu cara brvMade o brigue
portuguez Florinda : falta-lbe menos de om terco
de carga qae recebe a frete : para tratar no es-
criptario d'Amorim (rmSo<, roa da Craz n. 3, oa
com o capito Joaquina Angosto de Souza.
Barca Silva
Freteode seguir para Lisboa e Porto com a
maior brevidade possivel, trata-se com os seas con-
signatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo &
C, no sea escriptorio raa da Craz n. 1.
Para o Para.
A barea brasileira R no, capito A. M. Costa e
Silva, segu com brevidade para o Para, por isso
qae j tem bordo parte do carregamento ; o res-
to recebe o frete : e tratar no escriptorio d'Amo-
rim Irmos ra da Craz o. 3.______________.
Para Lisboa.
Vai sabir com maita brandada a velelra e bem
condecida barca ponuuuezi rahdao. por ter
grande parte da saa earga prompta: para o resto
e passageiros trata-se com Oliveira, Fllho, & C,
largo do Corpo Saoto n. 19, oa com o capito, na
praga.
Para o Jraeaty.
Segu nestes dias o hiate Sobralence, para carga
e passageiros trata-se eom o consignatario Jos S
Leilo Jnior a ra da Madre de Dos.
Passageiros pira Liverpool.
A barca americana Adidie Decker, tem bnns
commodos, para passageiros de primeira elasse :
qaem prBlflHfleT qtreira dirigir-se aos cousignata-
rlos Haary, Forsier^A C-, roa do Traplcne n. 8.
De movis, 'eaca e outpjs arligos.
Cordeiro Simes
por conta e risco de quem pertencer fara' leilo
de movis novos e usado?, lauca, vidros e porcao
de objectos proprio para o carnaval.
Terga-felra 19 do corrente as 11 horas.
No armazem a ra da Cadeia do Recife n. 29.
LEILO
O agente Pontual fara' leilo por conta e riiea
de quem pertencer de 3 mesas de II palmos de
comprimeoto propras para rameos, 10 baocos
de 11 palmos de comprmanlo proprios para esco-
la de pnmeiras letras 1 mesinoa, 1 glob) com
candleiroa gaz para eteada. 1 raichioa pan tor-
rar caf i monos outros objectos.
Terga felra 19 do corrente
as 11 horas do dia, na roa da Cruz o. 62, primei-
ro andar.
De 100 accoes da eompanhia Pernambu-
cana de navegaco costeira no valur cada
urna de 100 i,
(i9Tflcii'0 Sim6s
por conta e risco de quem pwftaeer f ira' leilo
das 100 accoes mencionadas, isto
Terca-faira 19 do correte as H hiras.
N.Tarmazem anra da'CaaWa do Rscifa n. 29.
LEILOES.
Qaarta fura 2t) ite fevwiro as i i
Iroras.
Pelo agente Eazebio.
De bbi loja com fazeiMas na roa do
Caes do Passeio 'oblic n. 8*
Por mandado do lm. Sr. r aiz espacial do
commercio a requerimenlo do depositario da mas-
sa fallida deAmaro Googalves dos Santos se ven-
der em leilo a armago e fazendas, grande por-
cao de roupa felta comidas na loja n. 8 na ra do
Caes do Passeio Publico, o inventario se acha em
poder do referido agente, es oretendeotes podem
antecipar o exame. e assim effectaara venda.e em
seguida ir a casaterrea n. 40da ruada Conceicao
fregnezia da Boa Virti, tem nma porta e daas *ja-
nellas, 4 quartos. cosioha tora, quinta! bastante
grande, com arvoreos e poco com boa agua.
leilTo
De movis, lauca e obras de
prata c Um piano de armario, 1 mobllia de Jacaranda', 2
consolos com grandes espelhos de moldaras
de Jacaranda', 2 grandes espelhos para cima de
sof', cadeiras de batanea, 1 mobilia de eere-
geira com tampo< de pedra, 1 candelabro, 2
serpentinas d crystal, ricos qaadros com finas
gravaras, 2 caodieiros a gaz, 8 jarros fiaos doa-
rados, 4 jarros e 2 vasos de alabastro, 4 escar-
radeiras, 4 almofadas, 1 bom relogio com pia-
nha, 2 gofas de amarello, 12 cadeiras francezas,
i mesa de untar, tonca e vidros, guarda vesti-
do, 1 cama fraaceza, obras de prata, e oatros
objectos de casa de familia.
Qi ;ria feira 20 de fevereiro
O agente Pinto autorisado por ama familia qae
madoa de residencia fera' leilo dos movis e
mals objectos cima descriptor, que sarao removi-
dos para o primeiro aodar do sobrado da roa o*a
Craz n. 8, onde se effeetnara' o leilo as 10 horas
em ponto do dia cima dito..
LEILO
Do armazem de molhados a
ra do Imperador n. 57, in-
titulado illianga.
LEILAfJ
De 300 barricas, 150 saceos e 60 raeios
com arinha de trigo.
JE
Cordeiro Simes
a' requer ment dis depositarlos da massa fallida
de Joaqun Jos Gomes de Souza e mandado de
II m. Sr. Dr. juiz de direito espeeial do commer-
\ ci, fara' le>lao de grande sortimento de gneros
de primeira qualidade e a perfe to estado, toas
armaedes de amarello envidracadas, gaz e mala
pertaaces do estabelecimento cima mencionado, o
qoal torna se recommeodavel par ser moito afre-
gnezado e em excellente local, cafo leflio san'
AOS G.OOO.MOO
(orre >abhdo 23
Acham-se venda na respectiva thesou-
raria, raa do Crespo n. 13, os bilhees,
meios e quartos da 33* parte da lotera a
beneficio das familias dos voluntarios da
patria (7a) sendo a extracto no lugar e ho-
ra do cosiume.
Os premios de 6:0000000 at 100000
serao pagos urna.hora depois daextraccSo1
at as 3 horas da tarde, e os outros depois
da distribuicao das listas.
As encommendas seo guardadas somen-
te al a noite da ves pera da exiraccao.
O Ihesoureiro,
^Antonio Jos Rodrigues de Soaza.
Preclsa-se de urna ama para urna s pessoa:
oa roa do Vigario d. 17.
rAO LIDIORAMA
LLUSAO AO NATURAL.
rran'cois Meno laz ver ao publico que o ra da
I'Bperatriz n. 32 loja a maneira de um jardim
chlnez sero mudadas as vistas no domiogo 17 de
fevereiro e de>empenhadas por Mr. Laberre ; que
que nada tem a de Mr. espera concurrencia ao* bellos apreciadores.
EXPOglCO.
Vista lomada da ponte da Concordia (Pars).
Racbefr porto de mar Franca).Tuois (lialia)
Malta, fijloohe, Sarra do Pilar (Porto).Cidade de
Tullo, urande palacio de Vercalha. Angonhe, Tu-
lo vista de marchan, S. Mallo, tomada de Sebas-
topollo em 33, ao meio dia pelos francezas com-
randado pelo general Pelisslor ; gritando viva o
imperador, e se bateram corpo a corpo ; de repen-
te os rassos tiveram de abandonar, e aicit va
rara por tres vezes, da qn\\ Joram repelidos.
A caga de lio nab na Arabia. Vista de Bombay
(frica).Cidade de Rocliel, tora-ida da Paebla ca
Austria era 63, praga de Na^leSo, praca de Ha-
nqae IV, vista da ponte nova, Pars, Loodre?.
Vista de nonte Sevilh, a paz e a guerra, um pa-
lacio arruinado, Genova, Suissa, a esquadr bra-
siieiro na passagem de Cuevas.
ENTRADA.
Homens oa senhoras c;.da um 1J000
Meninos ou meninas te 500
Familias, as tres pnmeiras pes-
soas cada urna..... 1000
As que excederem da mesma 600
Bernardo Pereira do Oarmo Junior.
O director do intrnalo de S. Bernardo, nao tendo evilado es&iroos
nem sacrificios para proporcionar aos seus alumnos urna perfeita ;ducac3o
pLysica, moral, intellectual e religiosa, < fferecendo-lhes urna hahitacao com
bastantes condicojs de salobridade, Inbeis professores que sao solicitas em
prepara-los convenientemente ao fim a que se destiaam, medico pratico
que U)e3 faca comprehender os preceitos da hygiene e Ihes cure das doencas
e finalmente um steerdote Ilustrado e honesto que lhes explique os princi-
pios da religio christa, espera que assim constituido e em vista do ex-
cellente resultado, que tem apresentado, comando um crescido nuaoero de
alumnos na Faculdade de ireito, que concluiram all va ta.osamente os es-
tudos preparatorios, nao deixar o seu ebtabeleciment de continuar a mere-
cer dos senhores paes de familias o auxilio e confianca com queja mu i tos o
tem honrado; e Ibes roga, bem como a todas as pessoas interessadas, que
se dignem de visitar o mesmo seu estabelecimento, ond-; sempre encontra-
rao franao ingresso.
Cadeiras de ensino:Priraeiras lettras dividida em tinas classes, ten-
do cada urna o seu professor, latim, francez, inglez, arithmeiica, algebra e
geometra, geograpbia, rhetorici, philosopbia, desenho e rauMca.
O collegio tem a sua sede nos espacosos edificios ns 32 e 34 a ra
da Aurora.
Nos estatutos do collegio, que estao disposio de quera rs quizer tm
ler, se acham consignadas as cjudieSes de entrada e matricula as diversas M
aulas do estabelecimento.
.
v
3


~'--~
"-ast^
Novo e grande deposito de superior carvo de Oardiffna
Bahia.
Antonio Gomes dos Santos & C, ra da Santa Barbara n. 1, e=tao habilitados a sopprir de
oarvao, em condic5es mais favoraveis que era outro qnalquer deposito, a todos os navios a vapor que
coatratar nesta com Domingos Arres Matheds..
cerrera naouelle Dorto. A
por menos preco qae em oa-
N raa da Cadeia n. 53 ha para vender-se ernaraentos de igrej
tra qualquer parle :
A SABER :
Ornameatos de damasco branco de 2'3 a 32^000
> encarnado de 22* a 323000
> > rdzo de 223 a 303000
preto de 203 a 3 OTO
verde de 203 a 293000
de veilndo preto a 263000
vista da boa procura que tem havide de arej a Paris urna ova remessa de ornaraemo de todas as cores, inclasiive ornamentos, sebastos, ca-
dl, a oasperges, ombellas etc.
Recbese toda e qaalqaer encommend? relativa ao culto.
Precisa-se de canoeiros
Roano n. 16.
na roa larga do
Criado
Precisa-se de om criado quer escravo oa forro :
na ra das Crazes a. 41.
Beajamis Cobleott subdito fraocez vil para
a Europa.
Ra das Larangeiras n-
AVISOAO PUBLICO.
O proprietario do caf da raa das Laraogeiras
faz sciente ao respeitav-l publico que depois de
laclar com aigamas difflculdades, po le iaalmente
organisar um caf caotanle com as commodidades
precsas. Tendo chegadvpelo ultimo vapor a
actriz Belga qoe, tinha mandado contratar e reu-
nida com qaatro damas nacioQaes que j eslava a
ensaios, lera* lugar o primeiro concert
Terca feira 19 de fevereiro.
Principiara' as 6 horas da tarde.
Os bilbetes para entrada sero vendidos no es-
ciiptorio do mesmo caf e na roa Formosa.
A JllBEB\
Emplastro, oleo, tintura, pi-
huas xarope e vinho.
Preparados por J. de ilneida into.
nico deposito em Pernambuco,
Ra do Rosario n 40.
o* abano atsigotdbs com taberna cita na
roa do Rosario da Boa-vista o- 83, tem nesta data
dissolvido amigavelmente a dita sociedade, Son-
do com a dils taberna o socio Manoel Agostinbo
Senas da Fonseca encarregado do activo e pas-
srvo.
Recife II de fevereiro-de 1867.
Amonio Afostinho Seixas da r'oaseca.
________Manoe.1 _Agsjhjho,Seitas da Fonseca.
Precisa-e de cem travs da louro de 40 pal-
mos de coraprHo e 9 e 112 pollegadas de grossara
qaem as quizer vender enteada-se com o teaente
coronel Maooel JcaqaNn do Reg Albuquerque.
assienado o sea
idade 40 annos,
Tl-
Paglo do poder do abaixo
escravo crioulo de nome Luis de
levoa cal;a preta e jwjueta dita com golia de
lodo, sapatos aparelns ; tem aigamas marcas de
bexfgas no rosto, na dentro da cabega tem ama
calva, tem .toda barba, tem costume {agir para os
lados de Jaboatio, rogarse as pessoas que pega-
ran leva-lo ao hotel do aniverso ra do Trapiche
n. 2 qae serie f eaerosaanate recompensados.
Mederie Arnault.
^- Precfsa-sfl ds'amd aa pa raa da Prala
7 aro asea do bof, casa de bomem olteiro.
Q.
Ateocao
6
Tendo se-me dito que um filho do Sr. Jos de
Mello Cesar de Andrada, chamado Salvador Coelho
de Drommond, tem declarad) ter direito como pro-
prietario em urna morada de casa terrea sita na
roa do Amparo, em Olioda, o. 29, que agora esta'
f pagado, coj casa fra com outros bens hypotbe-
cida por escriptara publica ha mnitos annos pelo
pal do Sr. Salvador Coelho ao abaixo asslgnado,
que convida ao Sr. Salvador Coelho para qoe o
ir.ais breve que for possivel exhiba as provasdesse
direito que diz ter mencionada casa, sob pena de
ser tido e havido por ocapa? de provar urna cousa
que tanto interessa a honra do sea dito pai e
saa.
Olioda, 11 de fevereiro de 1867.
Salvador Coelho de Drummood Albuquerque.
Perda
Acha-se desencaminhado no Rio-Formoso ora
fardo de fazendas sem letreiro algnm : a quem
elle faltar, entenda-se com Custodio & Carvalho,
na ra do Qaeimado n. 27.
O padre Flix Barreto de Vasconcelos, pre-
cisa de ama casa terrea ou de um s andar paia
sua residencia no bairro de Santo Antonio : qoem
a tiver e quizer alagar, falle ao annunciante na
ra do Imperador n. 3o 2' andar.
XAROPE DEPURATIVO
DE CASCA DE LARANJAS AMARGAS
COM IODURETO DE POTASS10
DE
J P. Lareze.
pharmaceutico em Paris
Oioduretodepotassio um verdadeiro al-
terante, um deparador de incontestavel efi-
cacia; combinado com o xarope de casca de
laranjas margas, aturado sem pertubacao
alguma pelos temperamentos os mais fracos,
sem alterar as funecoes do estomago. As do-
se- mathemalicas que elle contem permittem
aos mdicos de receital-o para todas as c m-
pleicoes, as affcccoesescnfulosas, tubercu-
losas, cancerosas e nos accidentes intermit-
ientes e terceiros; alm d'isso, o agente o
maispod-roso contra as doencas rheumaticas.
Deposito em todas as pbarmacias e casas de
drogaras no Brasil.
Expedices, em casa de J. P. Laroze, ru
des Lions-St-Paul, 2, Paris.
A' veuda na pharmacia de P. Maurer 4.
C, ra Nova n. 29.
i
Precisa-se de um bom co.inbeiro
nova de Santa Rita n. 51. _____ .,-jff
oa roa
No pa( do Cirmo n. 5 armazem, deseja-se
fallar com aws. Bjrnardino de Miranda Albaquer-
qae Eugenio Constantino e Jos Francisco de Soa-
za Leao: engente o Grnja de Baixo.
Ama~
Precisare de ama ama qae compre e cozlnhe
para casa de pouca familia, na Capanga : a tratar
na roa Direita o. 68,1* aodar.
Quem precisar de ura criado para casa es-
traogeira, e o mesmo tratara' de jardim as horas
vagas, pode procurar na ra de Hortas n. 16.
Engenao arrendar
Traspassa-se a renda do englobo Machado, jun-
to a cidade do Rio-Formoso, com boas trras e em -
barqoe oa porta, negocia-se commq:amente a safra
e amtnaes, etc.: qaem pretender dirija- e ao mes-
mo eogenbo, oa no Recife, raa do Livramento
n. 19.
Precisa-se alagar doas escravas, ama cosi-
nhaira e outra engommadeira : qaem as tiver oo
aonuacie oa dirjase a rna Formosa n. 29, para
tratar do ajuste.
Ofaciaa de cntllelro. armelro
c serraihctro.
Concertas de bombas de todos os systemas, as-
sim como amolacoV todos os dias: a' roa do Ran-
ga! n. 17, P. A. Pradldes.
Cmertos de fewtton, listlas e espingardas.
coneertes de ejlindros de padaria.
RaadoRangefi W, _____________
Na ra da Imperatrlx n. 4 t. andar, vende-se
ama preta crioara muito moca, bonita figura : sa-
be perfeiumewa oler, ngoosmaf e cosinhar
alera de saber do inteiru arranjo de ama caa de
tratamaafo.
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A eompanhia Indemoisadora, estabeleci-
la nesta praca, toma seguros maritimos so-
are navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobias:
aa ra do Vigario n. 4, pavimento terreo
X
O ex-jniz de direito da comarca de Flores Joa-
quim Gonc.alves Lima, actualmente resnente nes-
ta cidade, tendo aborto sen escriptorio de advoga-
do, em commqn com o Dr, Joaqoim Jos de Cam-
pos, na raa do Imiierador n. 82, andar, avisas
pessoas qae quizerem atillsar se dos sen< servidos
a procura lo no dito escriptorio, das 9 horas da
maoha as 3 da tarde de todos os dias atis.
Avisa igualmente aos seus amigos do interior
desta e de outras provincias, que se acba proropto
a prestar-lhes nesta cidade todos os servieos pro-
prios de sua profissao.
Ou>rece-se ora rapaz com moita prtlta de
molhados e condneta afflancada: qaem delle pre-
cisar dirija se a esta tynographia em carta fechada
cem as iolciaes M. F. I. M.
m&
Precist-se de orna ama que compre e cosinb:
para cas de pouca familia na Capanga : a tratar
na rna Direita n. 68,f'ndar.
Precisa-se'de nrria ama para urna s pessoa:
na rna do Vigario n. 17. _
Precisa se alugar 6 eseravos para c servir
de ciara: a tratar na ra da Cro: o. 88.
Si
m "!'



!
F
F
I
r

i

.
1
i
t
I
t
i
*
Y
Bi&rto de ft*eraameo Seguida letra 18 de Feverelra de 18b7.
Xarope e pasta de Seiva
DO
Pialar 1ro luarltimo
DI
E. Lagasse
Preparares, mui precooifada- p^ns sabios mdi-
cos de Pars, cora-as meihr.re? at boje dicuberias
para a cora certa de todas as mo e?tias do peito,
broochiles agudos e cljroriicos, achuja e aiada das
afleccoes das vas urirmna*.
DEP. SITO ESPECIAL
31Rut larga da Rosario31
Pharmaela de Uariholainru A V.
Publicarlo jurdica.
Prelecces de Direito Internacional e de
Diplomacia com applicacao e refer tncia de
seus principios as lets particulares, con-
vences, e aos tratados do Brasil al 1866
pelo Dr. Antonio de Vascoceilos Mene-
zes de Drummond, lente substituto da Fa-
culdade de Diieito do R>cie ele 2 vol- in
S brocb. por !00U0 pagos entrega do
primeiro vleme, que con:tituir a primei-
ra dessas obras.
A ultima dellas acompanhara um epilogo
J. FERREIRA VILLEU
Pliotographo da Augusta Casa imperial do Brasil
18, HuaHo'abug, i 8,
obrado, entrada pelo Pateo da Matriz.
MAS
l____^ N. 2 D ^ N.2Di
|HP^ CURA CAO HE CURO. ^JfcS
A loja n.iD intitulada Coraco de Ouro na roa do Cabogi, acha-se d'ora em diante uflereceo-
j do ao respeitavel publico com e?peclalldade as pessoas que hooram a moda os enjertos do ultimo gos-
to (a Pars) por menos 20 por ceuio do que em ooira qoalquer parle, garantindo-se a qualidade e a so-
lidez das obra?. n
0 resjKiiavel publico aviando o desejo qoe deve ter o proprietario de um novo estabeleciraen-
to que quer progresso em seo negocio deve chegar irorredlatamente ao r.uracao de ouro a comprar
aoeis cora pe fwto* bnlhaoies, esmeraldas, rubios e perol; verdarteira? em agarras, modernas pele
diminuto preco de 10$, bancos modernos de ooro e coral para menina pelo prego de 3*, maracas de
A um i ocio
O Dr. CiMino Francisco rte Lima Sao- tt
'*" T'UdMi se para a roa do Imperador W
D- "> "tt e nnoa do B
i'Xerrieio .v su., puu, and* n.nliro. fBt
Elll
Em nenhuma das photographias desta cidade sefazem retratos mais perfeitos
do que os que se eiecutom tiesta offic na photographica. _
Pilft-<< -. crmfrnr.taclf o -na vZ ontra w nn-*n trahaihfw a mAlhnrPS nne P > ma,Bm e madre perola obra de moderno gosto (o que. o encontrarlo no coracao de
reue se a ConirOtaCJO e dna)St entre OS OOSJOS traDainos e OS memores que ouro) V0|tas de onro com a ,,,,,.,,, cr-,iaM ricamente afeitada pelo pequeo preco de \1i, brin-
se iazem nesta cidade. eos de um trabalho perfeito por ora mdico prego, cassuietas, trsnealins, pulcera, alnetes para re-
N30 ha PHOTOGRAPHlA ALGMA desta Cidade, que Como este eslabelecimenlO tratos e futro? a.dlos indo de alto gosto, aneis proprios para botar cabello e 8rm, dito para casa-
pbotographico Lossua um tao vanado, escomido e abundante sortimento de caixinbas, e"'"" D'""*"4rr,'SHa 'em Coraco de Ooro om completo e bem variado sortimento de diversos
dasdisposicSesda legislacao patr.a, relati- .qmdro. molduras pretas e d-urad. e passe-p-r-touts. > ISPpSSffd^ToOTolir^^
vas ao- direitos e deveres do estrangeiro no | Para serem collocados os relraus cbamados cartoes de visita na doze dineren- meraidas rubio?, briibantes, peroia?,o gosto soMime, aifinete para gravata no memo gosto, reo-
Brasil, bem c<>mo aus do Brasileiro fora do tes modelos de cartoes mimosamente lithograpbados e douradoa, em cart5o br.s ol e em R'* para senh'ora rravados de pedras preciosa?, anos para bomem, diversa? obras de briihantes de
Imperio; .carlao p.-rcelana, os qaaes sem altera.ao de precos, esto a escolha d^cessoas que se ^J^"^^ l?^\^Tx^V P^ias e Driihante?, aneis com letras, cae letas de
rysti e .uro docoherta para retrato (a iogleaj brincos de franja, ditos a imperatriie toda e qaal-
qn.r jota, para secnliocar retratos e obras de cabello, e outros maitns ohjectos que os preteodentes en-
a amabilidade aos. concurrentes deixando-
de fallar) dizendo-se o
vista do sea valor,
mbeni recebe se concer-
t?, por rreoos do que em ootraaualquer parte, e dao se obras a amjslra com penbor, consfcrvando-se
Fundito da Aur ra
A mais amiga (ie.-ia pr voria e rom Udas as
pert-icSes nmeros.:- fregnetes por ratoavris precos soa
nianufacior...-, I^m como que tero um bum pessoal
para com rapid f-z-, r qoalqor cotcerto ou obra
nova.
Da se boLs de veidagem a
na roa Imperial o. 37.
tutio a pataca -
0 l)r. Al. xandre de Souza Pereira do
Carmo rou'Jtu a fu resiileocia tara o 1*
andar do siLrdo d. 12a la da Impe-
ratriz e continua a eurcer a ;ua proGs-
sio rfe medico.
fora do
os quaes
Assigna-se as lojas de livros da ras do retratar em.
Crespo n. 2 e 9; do Imperador n. 13 ; da j Continuadamente se recebe aa Europa remessas de tudo qoanto diz respeito a r-ontrro'no CoraVao"Vuro "qVse w^serva'cotoda
Ciuzn. 52 na de encadernac3o do caes de photograph
21 de Novembro jut:to a typographia do receberam
Jornal do Recife ; nos escriptorios das ty- [ productos chimicos e material para photo^rapliia.
tiuuiiuuauameum st reteue ua cumpa remesada uc iuuu quanio aiz re^|JCllu a nunirarao no t,orayao ne uuro que se conserva com toda a amabilidade aos. co
ibia*, e ainda 0 mez passado pelo vai (T Guienne, e este mez pelo brigue Belm se d a?u' mencionar precos de eertos objectos porque (desculpem a maneira de
j-se deFrrica quatro grandes caix5es comnma bella variedade de artefactos Pr' ,li'p,*ll.era.^' "aojoizoda obra,porser io dim.nota qoantiaa vi?
,him a ^.fitiol nhn,n.,t,ni,, '_____N* mm* '"' o">pra-se, troca-?e ouro, prata e pedras preno Precisase de tima pes'ra para callero ce
drogara da ra do Imperador n. 2i, qoe d pro-
vas de sua habliitacio : a tratar r m o Dr. S Pe-
reira.
Aviso.
a tratar
ppgraphias do Diario de Vernambuco a ra
das Cruz es n. 44, e do Cor- eio do Recife
1"
No me*mo estabelecimento vendem-- e :
Todos os productos chimicos geralmente usados em photographia e garante-se
ra do lmpeador n. 79 e na loja da ra o estado de pureza ds mesan s;
da Imperatriz squina da ra da Aurora n. Machinas pbotoiraphicas, envetas de porcelana de diflerentes taroanhos
n. 2, loja de liuca. dros para tirarem-se retratos; '
Urna grande variedade de lindas e nteressantes vistas transparentes para
stereo: copos, e .-le eoscopos de madeira envernisada com "
e Coraco de Ouro abertc at as 8 oras da nnile.
Quslqner pessoa qne ?e dri.jir ao Coracao de Ooro nao se podera'engaar cora a casa, pois
nota se oa soa frente om rorago itendarado piolado de^marello, alera da oulro que se nota em um
rotulo (istijse adverte ero conseqoeoeia de terem ja' algumas pessoas engaado cora ootra casa.
De. cis da pul'licrcao da primeira obra
n5o serSo m^is arjmiitidas assignain as e
"mbas e las ser3o vendidas prr ntaior prego.
Joaquim Jos (ioucalves
Beltrao
(4 RA DO TliPICHB fl. \7 i ANDAR)
Sacca por todos os paquetes sobre o Banco
do Minho em Braga, e sobre os segaintes loga-
ntes, em Portogj).
i A saber:
Lisboa.
Porto.
Va lenca.
Guimares.
**Coiaibra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Coo. Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima:
Villa Real.
Villa-Nova de Famelicao.
Lamego.
Lagos.
Covilhaa._________________,_________
Na ra do Tropich n 16
acharase os sea imite* depsitos
De R. Bruninghaosea \nits.
Bourgogne.
Vlaho Pommard tinto.
Cortn tinto.
Santo Georges tinto.
Chambertio tinto.
Rlcbeboorg tinto,
i Co de Voogeottin o.
> Cbablis branco.
De .U i. Woef em Francfort:
Rheno.
Geisenheimer. ,
Liebfraumiich.
Marcobrunner.
dem a 12^000 cada um com urna duza de vistas transpiremos
Tambem vende-se por 50^0 O um apoarelho coinpl to pira fazerem-se peque
as vistas oo retratos. Ao mesmo ac< mpanham as explicacoes precisas para eu uso.
Qualquer pessoa pode fazer vistas ou retratos rom esse apparelho.
A offic na e galera esto abertas todos os tas e a tudas as horas.
Cercas e gradeamentos de ferro para jardins, cercados para animaes. chiquei-
nies prismticas que se ven- ros, de todas as grossuras e mudaveis.
Porteiras de diflerentes tamanhos para sitios, jardins, cercados, e-c.
Em casa Je Tneod Christiansen.rua do Tr'a,
piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil
de Sranleuburg frres, Bordeaux, encontrase es
fec.ivameqte deposito dos artigos seguales:
St. Julieo.
St. Pierre
Larose.
Chateau Leville.
Chateau Marga tu.
Grand vn Chateau La6e J83*J
Chateau LaStte.
Haut Sauteraes..
Chateao Saaisrnes.
Cfcateaa Latanr Bianche.
Chateau Yqaetn.
Cognac em tres qoalidades.
Aze-itedoce. Prec-)s de Bordeaux
Aloga-se a ca T4 a |i--'.ar na pr.Tca do Corpo S^nto D. 17, pii-
meiroao.lar.
Da se dnher '"jaros : na roa'da Concor
dia n. 8. >\ i!
Precis-se de urna ama forra ou escrava pa-
ra costphar e comprar, pngando-se cm genen si-
nade :'a rna da Cadeia do Recife n. 8 _______
Molla & Rbelro. em liqoidacao, pedem a to-
i?os os devedores da rresma firma, que deulro do
praso i!e 30 das, a.c; mar desla dala, veuham ou
manden satisfacer ?(ast dbitos na ra do lmpe-
TH'Kr n. f<3. e rlnlo o ref-rido pfrso os mesmos
entrrgaro os referidos rfehit/g ao seu pncorador
para serem cabrados jndicialmente. Recife 12 de
tev-reiro de 18h7.
- Perderaro serios bheies da lotera 11 con-
cedida a ben. flcio da casa de deftngSo da provin-
cia do Rio <"e Janeiro de n. 3305 e 3105, ass'g-
nad.is no versi por Jovencio Aogo-to de Alhayde
e Jus Mendes de Preitas. a quera pertencem.
0BM1TOS DE IGRUA I)E
Vesmenifir e bordador de Par.
23 RUI UO I FliHl IIOR 93,
Defroute da igrejgi de S. Frane-isco.
Concurrencia impossivel '
justificada pela soppresso de Infermeaiaru-s, pela compra directa da? materias prima?, pela exe
cuelo dos trabalhos na? i.fflcinas da casa e pelo diminuto lucro ci>m qoe se salisfaz.
Animado pelos importantes negocios que faz com grande parle do rrundo catbolco da Europa
resolveo o annunciante estabelecer iiaes da rasa oe Pars em diversos paites longinquos que
t fferecem vantagen?, e veio inaugurar o pritteiro estabtlecimenlo nesia cidade, sem tfuvida urna
das mais adiantadas e commerclsne da America do Sul, e que por \*t mesmo necessita d'am
esiabelecimenlo qne nada deixe a desejar, quer em relacao s precisoes materiaes e quer intel-
lectuaes. a
Os Srs. sacerdotes e (temis pessoas, que se dignarem visitar o estabeleclmento, abi achario
sempre urna gbande varikdadb de todos os objectos para lareja e para o clero.
RIVESARIA PARA GREJA..
Novos modelos de custodias e de vasos sagrados.
ALFAIAS DA IDaDE MEDIA, A' LIZ I3".
Os precos variara seguDdo o tamanho, o peso e a firma.
TA PCARI AS E ARMACOS PARA LGREJA.
Fornece t..da a qua'idade de armacSes, por precos mdicos, vonlade do freau ; tendo
sempre orna pessoa no estabelecimento para Ir tomar as medidas necessarias pan completa satis- i
faco da encommenda.
NUVAS MBELLAS PRIVILEGIADAS.
Estas umbellas de molas, adoptadas p r S. S. Pi IX, ter por sua perfeico, novidale I
e riqueza a dupla vantagem de cubrir inteiramente o Saotiisimq Sacramento e o padre, sem difS- >
collar o andar.
E^CULPTRAS EM MAP.FIM E EM OSSO.

Imaeens de Christos, ca'deirinhas, ernzes, quadros e todos os objectos devotos.
Objectos em argila, simples e prateados.
Precisa-se de doDs caixeiros de butica
na ra Nova n. 25.
A pharmacia de P. MaurTd C ma-
dou-se do n. 18 da ra Nova para o n. 29
da mesma ra esquina da c mboa do Carmo.
m^m mmm mmm mmmm
g( U bachartl Silveira, advogado, pode ser m
t2 pro< arado para os mlsteres de soa pro- 55
i flssao ero sen esrrlplorio, a' roa do Im- I
(-.- perador n. 71, pi imtiro andar, in 10
M horas da manhaa as 3 da tarde. Reside a
ra da Aurora o. 70.
Eotino.
Off^rece-se nir.a pessoa bastante habilitada para
leccionar portugnez: a tratar na ra do Qaeimado
n. 15, loja de i nr ves.
Ama.
Pr.cisa-se de orna ama par rasa de horcera sol-
teiro : na ra do Girdnnlt o. 8.
m
m
m
m
Aluga-se
Um sitio na Caponga Nova ra das
Pemambticanas n. -23, em cojo muro se
acba o chafanz, tendo gradeamento e 2
poriSes de ferro, casa assobrartada para
grande familia, cocheira, cacimba, ton-
que, agua de encan^mento e arvores
fructfera?; a tratar na roa da Impera-
triz n. 12, pnrteiro andar.
m
Ct'branca
Palmeira 4 BeltrSo em liqu'dscSn, fazem
sciente ao respeitavel publico e especial-
mente ao c rpo no comraercio que a nica
pessoa habilitada para proceder a cohranca
do actiro de sua ca?a o sr. Jos Antonio
Alves Bastos, Recifd de fevereiro do
1867.
m
.
rr
:.....r
Todas as informales serio miui.-tradas gratis, acerca dos ornatos de igreja.
Concederse-ha facilidade para os pagamentos.
Eis o cathak.go do que tem aAenda :
EsCVQVf s
Alogara-se alguos escravos debalio de coberf,
pagase 304 nreosaes: na ra do Brum d. I, fa-
brica de subao.
A'uga se o primeiro andar do sobrado H
roa do Vigario n. 26, sA para escritorio : a tratar
i armazem do n.esm >.
Precisase alogar omz escrava para cozmhar :
a tratar na rna da Cadi-ia, segundo andar do so-
brado n. 34.
$< oca cao pinara esecooderia
Na insinuicao de Jert.nymo Pereira
1 Villar na ra larga do Rosario n. 22, nao ,
s se ensinam.as materias qoe cun-li- i
j luem o curso regular de primejras letras
I romo as disciplinas pr. >aratjrias para a
[ faculdade de direito ; cujas aulas eslaro
i abenas do d'ia 7 do presente Janeiro por
' diante, e sero regidas pelos mesmos
orufessoresl
9
Ama.
a roa estrena do Rosario n. 17, preclsa-se de
oma ama de leite.
Precisa se alugar nm tscravo
servio doroesteo : a
moco para
ra do Imperador n. 38.
IC A SUL AS.
Diri3s, de velodo, de crina e d-
galio luslrc-o.
Ue damasco cem cruz de Airo *
da.
De damasco dobrado, com diver
sos bordados em relevo na
croz.
De tecido de prala cu de (uro.
dem cem diversos bordados en.
relevo na cruz,
dem idem moilo ricas.
De velado de seda com cruz di
ouro lino em relevo.
De i liamalte de seda bordado.
Goihicas e da idade media.
A cor da casla nao iuOue no
prego.
CAPAS.
De veludo esifado.
De damasco.
De tecido de prala e de ouro.
dem coro emblemas era relev
e ricas franjas na marga.
De lado de sia.
De tecido de prala e de ouro Ubi
DALMTICAS.
O mesmo prego, das casula?.
ESTOLAS PASrORAES.
De veludo estofado.
De dito de deas faces.
De damasco.
De dito de duas face?.
De tecido de prata ou de onro.
dem dem, com emblemas eo.
relevo, franjas e bordados de
lorgal.
dem idem em relevo moito ri-
cas.
De tecido de ooro e de prata fino.
De charoalote bordado de seda,
com dnas faces.
VE'OS DE HOMBROS.
De tecido de Lyo.
De dilo dobrado, de ouro fino.
De damasco, bordado em relevo.
Idem dem, moito rico.
VE'OS PARA EXPOSICAO.
De tecido d^ Lyoo.
De chamadle de prata com tm-
bl. mas em' reJevo.
De dito dito, n uito finos.
VE'OS DE SA RARIGS
De lodos os preco?.
tJANDEIRAS.
Da Scla Infancia.
De contrarias'. Parochlae?, qoalquer qoe seja a
invucaco.,
GoioVs com eaiblemas em relevo.
A ci'llegao varia de 35JOOO a
3:000*000.
PALLIOS.
Era veludo estofado as quatro
pomas e nd forro.
De b-cido de Lyo, com ouro.
De dito de prata e de caro
iroso.
De dito dito, cora quatro emble-
mas bordados em relevo.
Moito ricos, iateiramenie bor
dados im relevo ro:n ooro fino.
PANNOS MORTCARIOS.
alta-
Corporaes de cambraia fin?.
Toalhas para communho e
res
Guarnigdes de rendas para alvas.!
D.tas para toalhas de altar, aos i
metros.
Toda a qualidade da ronca ga-:
rantida e perfeitarneule ejecu-
tada.
DIVERSOS OBJECTOS.
Bl.-as para tirar esmol. s.
C'.TiJes finos para alvas.
c para meninos do coro.
Villas, s duza?.
Cintos e cinlurdes.
Sacras de altar, em cartao.
Ditas em quadros.
Marcas para missaes, com
perna?, era chamalote.
Flore? aniflciaes, o ramo.
lus- Esidfos e todos os demais objec-
tos de igreja.
BRONZES DE IGREJA.
Castiga es para aUans, prateados, >
de novos modelos :
325 mi! i metros (13
379
seis:
Cartas syskmalicas
jara pn-n-ier a Icr
POR
Joao Jos Rodrigues
A venda tm casa dos editores livraria franceza
roa do Crespo n. 9.
O bacharel Silvloo Cavalcanlfde Aii>a'-
qoerque tcmaberto o-eu escriptorij de
advocacia na roa estnita do Rosario o.
10, oo Je pode ser procurado a toda
hura Jo dia.
Aloga-se o armazem do sobrado n. I da ca
Imperial: a tratar no prirf eiro andar.
0 machinista
Francisca
clTerecr.se para qnalqner
a vapor : ra do Ran
alies Costa
concert de machinas
gel n. 17.
Ma ra das Laraoeins n. li. r*anar, precl-
sa-se de urna ama para cozinhir e eogomraar.
Prensa-fe de urna ama forra ou cap-
tiva que cosinhe perteitamenle, para casa
de pepena familia, ?gradando paga-se
bem: a tratar na ra do Apollo n. i, se-
gundo andar.
_.
JNR?lfAI29
para 1667.
Assignaiuras para tudS os periodia,? da Euro-
a' e do Brasil
Di.-inbuiga, trra.ti.iia dos ctalo?-*. r*peciivos
RA iJO CRESPN. 9
Lfv/raria Fcanceza.
0 i* i4? %~*'* H
De la. ;433
De veludo logl^z prelo venia- 487
deir.x o 11
Ue damasco dobrado de brocado. 650
E-tes pannos tem d us metros de 8
largura e tres de ccmprlroento.
ROPAS DE IGREJA.
Alvas de panno de Iinbo tino.
c de cambraia Qoa.
de panno de linho, para
meamos do edro.
< guarnecidas de rendas finas.
*l a de ril, de rices de-
s cutios.
Roquetes em p..nno de linbo sem
mangas.
< < com ditas.
Amicios.
Toalhas e sanguinho?.

<
e altar,
sligaes.
poesadas
11
16
18
20
24
30
correspon lentes
o iar.
Diaheii
ro a j)remi -
No largo da P.Lha o. 10 se d.ra' quera lem a!-
gum para '
dar.
Monte Pi !'(pu!ar Pe&nim-
bucauo..
1
i
<

*

v-
< Guardas para arvores, plantas e ou'ros objectos da ferro qoe se vendem por;bllJ3- P:raoque lera cooddi,
V preco mdico, no armazem de Tas^o Irmins na praca do Caes de Apollo ao p da nenie !.!2S,wI.d;f ""I."' ? ?ndos
preco mooicu.
provisoria.
Tburibuios e navetas praleadas.
Caldeinubas com hysoppe idem.
Custodias ditas e douradas.
Lustres citos e correles fortes
para os mesmo?.
Cmzes para procissSo, coro ralos
OiU?.
Vara?, alabardas para sofssos e
caceas para pnrteiro?.
Estes objeelos todos sao eo co-
bre e nao era materiaes da
coro posicio.
A directora desta sociedaje pr.i(iiipa aos Srs
Sucio.sHue. se acharo atrazados un .-uas mensalida-
de?, (ue veoham emqaanto antei pag^r o- seos de-
Jo o prazo de .'10 dias
os iju^es rerao elimi-
nados na farira d? In.
Secretarla M 30 de jantiro de 18(7.
^ %m^ %^%^^
Bernardo F.i.ai le Souza
i" sten t.m j.
Superiores ca-*sas fraocezas muito finas do cores fix?, t
3J0 rs. o rovado : na tija das colarnoas roa do Crespo n. 13,.
Vascc ncellos & C
malisadas e mladinhas a
de Atooio Correia de
Precisa-se de urna urna para comprar
sinh-.r e mais servico dornesiicj ; ua fa
B. 40.
e eo-
Bella
- Precisa se de. urna ama qae seja diligente pa-
ra lavar e engemmar e mais algons ser vicos de
casa : a tratar na roa do Trapiche d. 8, segundo
andar.
__ Preci?a-s de om menino de 11 a 14 annoo
para caixeiro de taberna e d eoobecimento de
prodacta : a tratar na roa Direlia n. 95
Aviso esseucial para evitar qualquer erro ou mf.
Os Srs. compradores n5o devem ignorar que o ouro nao pode ser fiado nem
tecido, e qae por conseguinte os galVs dos ornamentos ehamads de subo nm 83o de
prata dnurada, os de ouao meio fino s5o de metal dourado e os de ooro falso sSo de
cobre dourado, e como tal confundir os ttulos que se Ibes deu sempre, que s5o mera-
mente commerciaes.
Os ornamentos qoe o anouriciante tem venda s5o o de galoes de ouro meio
DE
DE
J. VIGNES.
J. 55. RU. OO IXPERADOa .V. 55.
J^^!IV.-lf5L!??-^L!f?.^ei,ss conb_eci(ios para que seja ncessario Insistir sobra
Eifeioe de mastci paiiim'ar.
Na ra do Imperador o. 75 segundo an-
dar, lercioua-se ?ofe|o e diverso? insira
mentns de musi-ea, da S horas da tarde
a? 10 da no i te.
finos, falsos oo de eda/s mandando vir os de ouro fino por enwmnjenda; e nenhnmjlu,nan^l4fa^ compradores, quaiidadesesTayirTco^sta.
.Pt,. 0..k ,i ., ..u-i-.!.. cam aar ^mnUu, v.-----e^.Z. .' n tivameote conquistado sobre todos os qne tero apparecido nesta praga ; pcT
objecto.sahe de seu estabelecimento sem ser aoompanhado d'uma factura por elle firma-
da, especificando a qualidade do objecto, para poupar-se explicacoes sempre incon-
venientes ao depois de realisadi a venda.
Frofes&or.de piano.
Coelbo de Araujo, contioua a leccionar, e pode
ser procurado na Solead*, roa de J->ao Fernan-
dos Vieira n. 20, e na roa do Livrameoto n. 21
terceiro andar.
Am,
Preci?a-e d ama ama para o wrvfcVi dimv ti-
eo oV ca-a 4> pequea familia : ni roa Cruze
a. 41 A vend?.
Agua mineral
ferrijinosa, acidulada, .aioia t carblica
aim.
O aso rt'agaa de rerza mol particularmente
recommeodado pela escola de medicina de Par?
para todas a? afTecgoe do tabo dljestlvrt. ingoraita-
mento das vlceras abdominae, e geralmente toda
ai molestias provenientes da friquen orgnica, oa
pobreza de sangoe.
DPOSilO ESPECTAL
34Ro Itrjja de Raaatia34
Pharmaela de lia rt btame a t^c.
A
Precisa-w de urna amt p*ri lavare engomaiar:
na ra do Trapiche n. 3*, i* aodir.
Precisase de om caiielro para labe ni, qae
ter.iia de 12 a 14 annos de idade e com prsiif.a, rt
ftafljr a soa condorn ra tra,Tsr na roa da. Cicira-
La com a frecte para a ra d Vigailp o. 2.
aoindoum teclado e machinismo qu obedecom a todas as vntades e capricho s niniVi
Uunca ralhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito altirnamen'te melhoramentos irnnr-fMT
aulBU para o clima desie paiz ; qoan e vozes, sao melodiosas e flautadas e por isso muito a7ri2"
na aos oovido do? apreciadores. w **raaa-
Fazem-?e onforme as encomrnenda, tanto nesta fabrica como oadoSr Blondel dePart. c~.i* ^
orrespondente de J. Vigna\ em cuja capiul foram sempre premiados em todas as eusIc&ML M
No mesmo estabelecimento se achara sempre om explendido e variado sortlmeoto de mosca doi Machinas" de costara.
- Compaohia fldelidade de segaros >
Prensa- ninas o francez, mostea e piano un um engenho
quem esijver oestas elrca'm.s'tanias pode dirwir se
ksCiuco Pontis nj segnlj anlar do sobrado
prophet, que achira cora quem tr, tar. piea-se
bjrn ordenado. *
POR METAPE DE SEU VLOR---------
Veodc-?e afjica arn-acao de amaieilo envi-
dragada e propria para qoalqoer n bem -e alnga por mdico prego o arn azem
ella existe largo do Cirmo o. 9 :
do Qusimado o. 7:
doodo
tratar na ra

Samuel Power Jobnston Gooipaahia
Raada -erzalaNova n. 42.
AGENCIA DA
Fundigao de Low Moer.
dachioas a vapor de 4 e 6 cava!los.
.'ifoendas e raeias oioendas para eugenho.
Taias de ferro coado e batido para euge-
nho.

Arreios de carro para um e dous ea vali
tlelogios de ouro patente inglez."
Arados americanos,
iachinaspara descarocar algodio.
Vfotores para ditos.
i
A tten$o
Preclsa-?e de urna roulher de twns costiime!', que
entenda algoma eoasa de eonaha, para casa de
duai pessoas. no CtiiDir: a tratar na roa do
*"" .^frt* ** de o preu"oo*o rauleqw! de
II a 13 armo, para vender na roa-: nt raa do
Trapiche n.3, % anda-.
Trocam-se
a? notas das caitas filiaes do banco do Brasi
praga da Independencia n. 21
oal
Alnga-se orna casa oa Capunjra-nova, porto
do Jacobina, com sillo margero do rio, teodo 9
qoarto?, 2 sala?, I cocheira, dirersos arvoredo
frnc iferos nmi haisa da camin : a tratr no
mesmo peratiiz n. til.
martimos e terrestres
stabelecida no Rio de Janeiro; 9k
AGBNrKS BH PERNAMBCCO |BJ
Aatonia Loli de Ollveira iievedo C, i
m competentemente autorisados pela dlrec- *
" toria da compaohia de segaros Fideda- m-
de,tomam seguros de aivjoa, mercaie- tt
ras e predio q>> seo escriplrlo ra da ff
Cruz o. 1. (
%
ILEGIVEL
*




#
Diario tic i*tr Hibuio c^inda efra IS *> .
y
8-
i'

I3I* SBVAL.
PaVa o tratatnento e cura rpida e comp'eia das molestia svphiliticas, erisy[-
tas, rbeumatismo, bobas, gota, debilidade do estomago, infiammactes tronicas do figado
abaco, dores sciaticas, cephalalgias, nevralgias, ulceras cbronicas, hy.Iropesia?, pleuri-
sias, gonorrheas cbronicas e em ge a! todas as molestias em que setena em vista a pu-
ncaeo do systema sanguneo.
Constderacdes geraes
A saude um t em inapreciavel, coja importancia e valor so est reservado ao en-
fermo o avalia-lo.
E incontestavel que o homem nesle mondo constantemente, e por todos os lados
atacado por umainfioidade de agentes morbficos que todos teodeV, dadas certas e deter-
minadas circumstcncas, a alterar o regular exercicio das funccQes orgnicas, resultando
pesse desequilibrio o que se chamamolestia.
A molestia nao mais do qne a desvirtoacao das forcas vitaes, occasiona la, se-
gando as investigacSes e experiencias dos-raais abalisado meslres da sciencia, pela depra-
ragao dos humores geraes, consequencia da acco maligna desses mesmos agentes morb-
ficos intraduzdos no organismo pelo acto da respirado, pela via digestiva, pelo contacte
immediato etc. etc. etc.
A syphilis infelizmente tem sido a partilha da humanidade, e-como fra de duvi-
da que essa terrivel Proteo da medicina urna molestia hereditaria, e la tem sido obser-
vada em todas as ida les, e debaixo de todis as suas formas tao variadas, enfraquecendo
constuu'coes robustas, produzindo mutilacoes, e cortando anda em flor da idade vidas
preciosas. *
Eliminar da economa esses principios deleterios. e.purificar amassa geral dos
humores tem sido desde tempo immemorU o fim constante da medicina, e os purgati-
vos flguram em primeiro lugar para pnencher essedesiteratumou fim.
O Elixir depurativo do Dr. Sevial parece merecer a preferencia sobre todos: os
miflensos successos obtidos pelo u o deste salutar agen e tanto na Allemanha, como em
Franca e tala, o tornamocompanheiro insei'anvel de quasi todos os doentes.
Sendo as melena*, como cima isaeiuos, devillas s alteraces dos humores, o
Elixir depurativo do Dr. Sevial pode ser empreado vantajosameute na syuhilis, erisy-
pelas, rheu'mnismos, bobas, gota, .febtlidade do estomago, infiammag5es chronicas do
agado e baco, dores sciaiica*, cephalalgias, nevralgias, ulceras chronicas, hydropesias.
pleuresas, gonorrheas chronicas etc. e em geral em todas as molestias em que :e lenha
em vista a purificacSo do systema sanguneo; pois que i-ma pratica constante tem feito
ver que elle inspensavel nos casos gravissimos para minorar os soffrimentos, e pre-
parar o doente para medicacoes superiores ; e as menos graves a cura a conse-
quencia do seu uso, convenientemente repetido.
As substancias que entram na composico do Elixir depurativo do Dr. Seviai
pertncem todas exclusivamente ao reino vegetal, e grande cathegoria das substan-
cias depurativas e antbyphiliticas; assim, ao passo que e*le remedio depura o orga-
nismo, eliminando os prinepios nocivos saude, pelo mecanismo natoral das evacu-
acBjs alvinas, neutralsa ao mesao tempo o virus syphilitico quando este virus ja
tem feito arupcJo no exterior dehaixo de suas multiplicadas formas; e previne tam-
bera os estragos dessa terrivel molestia, quando por ventura se ache ella anda no
esta lo de encubando, isto sem se ter manifestado sob formas exlernas: beneficio
immenso, tanto mais quanto neste estado os individuos ignr ram completamente se es-
to contaminados por este terrivel inmgo.
O sabor agradavet d'este Elixir couvera a todos os est< magos, a sua acc3o so-
bre o tubo intestinal suave e benigna, e de nenhuma forma produz molestias medi-
camentosas, como acontece ao purgante dito Le Roy, que na sua qualidade de drs-
tico forte irrita a mucosa intestinal, e consecutivamente a seroza, resultando dste es-
tado, muitas vezes, t'ydropesias, que quasi sempre terminam pela morte ''o doente.
Assimpois esperamos que o uso deste remedio justifique cabalmente as nos-
sas asse^eracoes, porque sendo um medicamento tao simples na sua comprJsicSo, a
pratica tem confirmado sua utilidade.
nico deposito em Pernambiico
Na botica e drogara
DE
Barloihomeo Companhia.
3i-P.UA DO ROSARIO LARGA3i
^
O
QA FORTUNA.
Aos (5:000#U00.
Btlhetes garantidos.
A'RA DO CRESPO N.13SQASAS DO C031TE
O liauo a>si!ado endeu nos seus mu:!o fai-
tes iibt-te.s garantidos da lotera que se acaba
de exirabir a beottlcio da Santa Cssa de Y,\s cordia. i>s S'guiej* premios :
N. I2C8 un meio cum a sorte de 6 0C05-
N. 1820 dous meio com a sorte le 1:2004
N. 8lg um meio cvto a sorte de 200#
E outras mditas sortes de tOOJ, 'iO e 205.
Os possniJori-s polrrn vir rebeber seus resppf-1
ttvospremios seca os leseontos das leis na casa '
da FortQaa a' roa do Crespo n. 23.
Acham-sea venda os da 33* parte da (**) l'
tena a beneficio das f.milias djs voluntan, s .la :
pama, que se eitrahira' sabbad.i 23 do correte.!
i*reeo.
Bilbetes......... 6000
Meios............ a090
Quartos.......... i300
pessoas fue comprarem de f 00^000
para cima.
Bilbetes.......... 5soo
M?ls............ 27so
Quartos....... H375
' Maooel Manas Piara.
Lun XV, una ol
""<'*" na oomexDo fenifl, s-ndo
'"" '*':' de,pnr.i
i'"'*; hmlm. ni.- -c v. [
ra cini- har, (.r m n r |,rec,. que f.n ou:.-a
qo.r pane; ..acau,l do Ctitu u. 1*1,1:1 de
iniie-m iro. .
un,a n bi/a de jataiaoila'
il^an.ar.jio do momo feilr>,
Para
-
VERD1DEIB0 LE ROY
S1GNORET, Docter-Mdecin
Ru de Seine, 51, PARS
Prwisa-e de uina ama pira o serv, o in-
terno do urna casa de pouca ramilla : a irst.r na
ra da Roda n. 3.
r
NOVO DEPOSITO
DE
MACHN

PARA DESGXROCAR ALGODO
Manoel Rento de Oliveira Braga.
33 Rna Dlrcltaa.53
Neste estabelecimetito se encontrarSo as
verdadeiras machinas ameriemas chegadas ultima-
monte, as quaes sao feita pelo mais afamado fa-
bricante da America, por isso avisa a toda's as pes-
soas que precisr.rem comprar, de se dirigir a este
^tahulecimento que compraro das mais per'eitas
nesto genero, assim como mais barato do que em
oulra qualquer parte, por isso que se recebe por
cunta propia, bem co.no cannos de chumbo e moi-
Ignhos para moer milho, e grande >ortimento defei-'
^=^13 agens e miudezas era groso e a retalho.
RILIIOS IKBAMIS.
DO
RECIFEAAP1PUCOS.
No luiuito de atender quanto lr p^siv^l as
razonveis reclamacSe- qoe se tem feito acerca das
parteas dos treos e determina-las por n odo que
baja toda regolandade no servio^ a ewprea
tera resolvido estabelece-las como da tab lia stai-
xo, que comecara" a vigorar para os domingos,
e das santos, no da 17 e para os das uleis na
segunda-feira 18 do correte inclusive em disnte.
das tes.
Do Caldeireiro para Rec f".
Manha. Tarde.
7 h. 45 m. 3 li.
9 b. 20 m.
Do Renfe para o CaldeiMro.
Manhia. Tarde.
8 b. 15 m. 4 h.
6 b.
DOMINGOS E DAS SANTIFICADOS.
Do Caidnrelro para o Recife.
ManhSa. Tardp.
I 4 b.
> h. 6 b.
8 h.
Do Renfe para o C*KMreir Mam I. Tard.
6 h. 3 h.
8 h. 3 h.
7 b.
9 .
Aos sabbados hiver mais am irem dj Caldei-
reiro para o Recite as 7 horas da ooite.
Os SL-nhores passageiro que tiverem de seguir
viagem dn R-cie para o interior no trem das 8
horas >o mjnv.t.js da manha deverao n barcaH
na ra F01 m.sa loto que o mesmo irem boover
chesudo do i^ld.-.inrj para .!epoi, .rguir.m da
ra t. Pires em direiiur.
Ni ra das Aguas-Verdes n. 22 indar pre-
cisa se de orna para urna moca, que contra cesi-
nhe e engome: a iriar na me.-ma casa.
COMPRAS
Compram-sc escravos
Silvino Guiiberme de Barros, compra, veod'- -
troca erTectivamenie escravos de ambos os sei...-
e de todus as idades : a' ra do Imperador p. 79,
tereeire aedar.-
Ouro e prata.
Em obras velhas: co^pra-se na pra^a da lo
dependencio n. 22. luja de bilbetes.
F-rn cada prrara, ral, entre a rollia o papel azul
m lera o meu ilnete, um rotulo Imprpwo em ama
" i? 'S" S,lL0 ''fcUAl. DO tOTISKO FUNCEZ.
rt\ B. remettendo-e urna lettra de 580 francoi
sobre Pana, aceitavd a CO diaa de vtaU, ao mximo
goza-e do aballmento e do mator deacanto.
Depoalto principal
lo legitimo U Roy
em Caza da noaio
unleo agento peto
Brazll a Ssa Airro-
10 Faanc: de La-
CEBDi na Baha a
no prlnelpaei phar-
maceutecea.
FERRO QUEVENNE
Apfrondopelt Academia de MUttintt,
Aucttwiiudt ftr circular upoiti do Minkln.
O ferro eUEVElNB se uia em lados aa ea-
aoa para aa quiea a ferreoa ato preacriptoa.; nio
laa oa deiles Icarem preloa; bi a prepaea4a a
naja activa, a maia agradavel e a mala eeoia-
mlca; maitaa vazea um fraaca h aufficienta para
earar ama chloroaia.
* A experiencia me provea cae nenhuma pre-
paneta frrea h supportaia maia facrlmenu
* $'. FERRO QL'EVE.WE, em obienuvde u
Baaitea de daaea mnite reguladas.
Bocciardit, ^anuario dt thtraptutict, lits.
*I^U Qcr,"" renden em frucw U
M -io. gento: aais;-?-!w
MmHUm*. lMir-r", I
1. ***"*?* P1*1 na eaa da Batalle 6emeviE,
*..raa daa ux-Arta, em Par, a am Mdu aa
^j^-^il"^ nata Qummm t a arca
Compram-se libras sterliuas: na praca da
ndepeodinna n. 52.
Compra se ruro, praia e pedras ?tkU sas em
obras velhas : n ra da Cidea do ecife
de ourives no arco da Ci-t.ceicao.
oja
c I)re.
C.H
It I

Cciapautiia geral iiespaaliola de seguros sobre
a vida
AUTORISrVDA i'ELO REAL OECRETO DE 24 DE DEZEMBRO DE 18S9
BUNQtU&ftOS DA COMPANH1A 1KECCO GERAL
9 Oaaco de BSespaaha adrld : Ra de H. vgstluho.
I a.EO
fiiiaiv-f da companlita em 13 dejnlho de 1806.
Apolices 19:700 Capital Rs. 1 7:1445670 ou raoeda brasileira
^ R< li,7I4:4765000
A .\3ci0nal abraca toaas as conbinaces do seguro de supervivencia e n'dla pode
fa/.er s:? i n< ;:->;! 1 13 ri)io que em oeahum caso se perca o capital imposto nemos !u
rros correspondentes.
* Umaafianca 'lepositada^nos cofres dojestado, garante a boa administrago da com
patihia.
Os fuios da conpjnhia se invertera em ttulos do estado e sedepositam no ban-
co de Ilespanha c-ra i3tervens8o do delegado do governo e do conseibo adminitrativo.
A companhia estranhatoda a e npreza ou ospiculago perigosa,eos titules em
que se nvertem os fundos imp s na rmesma, n>se correm o ra^nor risco, pois estao
garantidos pelo gverno, podeatooa^ao da a tor p.eizosd
KrWn
lati e chumbo : no iro^azem dA b>!a ama-
relia, p^r blxo do sobrado o. 59 da ra dj Impe-
rador. *
Compra-se Um prtto : na ra da uroi n. 6,
?rmarprn.
U!ii|'i-.-e um estro; ua la ::a Cru
mero 6.
u
A electricidad* e boje etnpr.gua por u'.i a
medico*afamudos. pura o Iraumento ,le umitas
moleslin, mesmopara as que resistem aaootm
edicaeSoii
A eleetridade prodiuida pela rrlecuolea urna
superiorKlade incoiiteaiavd, e a rantogeai de aua
dar abalos, e de poder ser graduada pelo doente,
causa a mais frequeme das molestias e a
* ;:oaca <\o sangue ou dos oiiirns lquidos fa<
'->. Bcslablecendo se a cii rul. cao no orga>
..1110, curacao-se as itK-.Icsrias.
Quando se seme asnina dr em quelquee
parte docorpo logo, e instiuctivamente, se erfroga
o lu^ar eudolorido com a ma, e slo allivia. Isto
- explica o resultado ncunlcslavcl que deve ro-
'.durfr um 3|>parclUo elecirico. Cor is-o tc'moi
praierem jnnuriciarao Pulilicr. qucoS:ir Ru-sob
de Bivillrs residciile, houlcvart >!u Criaee-
Eusene, 18, em Parlt, .lolou a n.cdioina apparellio Electro.Jff.6..et;ca, sob a forma de
suma escova, com o qual os doenles -c podera,
aurarsemni'humaniiiramedkacad. Os medicoa
que a tem experimentado, aitcslara que a
Sacov Electro Magkbtica iflica para
Curan a Rhoimatisroos, Parak h, Ootta,
Vraqnaxa dos membroi, e da Co'.'uiniia r.
tebral. debilidade geral, WevrBlgios, ele,
aEsraraoa certos que breve cada familia possuira
esta escova que prestara grandes semeos.
s A pedid* de muitas pessoas, o autor decidic-s*
a establecer Km deposito de seos appareihas 00
Bio di Janeiro, tm cata do Su Dioiua Roi/ra,
ra nova do Oueidor, SJ.
a
fino!.
Comprara se. bois m;0*01 para carrecas
tratar na traves-a do Carioca o. 2, caes do R
O'mpra-se moedas de ntita, pata 5 s uwxi>
cipos e fraacetes : na roa N..va n. 23. inj^.
Moedas de ouro.
Naricnafs e estrangeiras assim c, mo ;brac
esNiIInas : campram-se ra roa do Crespo n. 16
piirrjeiro aotar.
Conpra-se
em-sesou.-a mi om vii.lao qoe seja bt-m pe?.
soa que o ijiflzer vender deixe c-.rta fechada ue-ta
'yt' graphla, com as leitrss M. C. R. F.
Coicpram-se
moedas de oor.', naelenaes e estrapge'r.v 3 a,
cerno libr.-.s gp-rliDT.s na ra da Cadeia n. 22.
C;i,..iase um moleijue de idade de 12 a 13
ann,.s: ra livraria Ecouojc ao p do frc de
"amo Antonia.
VENOAS
h
y
Sociedade porlagaeza de secaros mutuos sobre a\i-la, fun lata e
aiiniiuistratla pelo
BANCO ALLl INCA DO PORTO.
Todo o pai que desejar acautelar o futuro de seus filaos dev,e quanto antes,
azer inscraver os seus nomes na listados socios da-Previdentepor que, com mm
pequea quaotia ajue, todos osannos para all fr applicando, tirada do fructo das suaf
economas, no fim le 25 anuos aicani;.ir-lhes-ha urna fortana, que por nenbum outn
meio e com tao ,iequeno desembolso poder obte-.
Os exemplos praticos de outras sociedades anlogas tem mostrado que:
^
101/JfUOU ps aonnaimeaLe p Por um menioo di
* \ de
da
de
de
ia a t anno..
a i aont s...
a 3 .....
a 4 .....
a 16 ..>.
Por ama pessoa de 15 a 20 unni
de 20 a 30 ..
de 30 a 40 a ..
9- de 40 a 50 a .
Em 3 au
nos.
f*
1 diaa i anno.. 1:1005 4:000,5 9:-00,J 20:00>'-4 V7:000
900^ 3:0m 7:5' O 17:0005 37OOO|J
SW i:00O$ 7:00 16:000 35:0005
S605 :8005 7:1005 15:6005 34:0005
8605 2:7005 7:;005 15:5005 33:3006
8605 2:7005 7:0005 15:4005 33:3005
8605 1:701$ 7:1005 13:60(-5 34:0005
8605 :70O5 7:Oi'5 16:0.05 37:0005
9005 3:0005 7:5005 18:0005 50:0005
Quen pretenl^.r suhscrever para a Previdentee desege qtiaegquer esrlarecimen-
tos ple dirigir-si. en Prna'nbujn ^o?Srs. Manoel Joaquim Ramos e Silva, roa do Vi-
gario n II ju- dtrj) tih? 04esdirs^l-Tjotos qie se iesejarem o prospecto? grat;.', a
quem os pe r.
Eiu 10
annos.
Bm 15
annos,
Em 20 an-
nos.
Em 25 an-
nos.
Vende-se ora bom molerjoe de idade de olto
annos : a tratar na ra do Quelmado, lc>ia de fcr-
ragem r. 4.
eneao,
Vende se nm esciavo de 20 ann.s pe feito C.6i-
uhelrp, na rtja do Ab-crim rasa tule murou o Sr
Pe noto.
3 500
Chpeos do cbile Unos e de abas largas, pelo
barato preeo cima por esUrem com avari na
praca da independencia, lojas ns. ti'e 16, e Da de
n. 40.
g| i29- Ua:4ts (coir.Blendas) m
^t Ven1p.se comeadas das orden< Roa,
-^ Chrisio, Avia e Cruzeiro : no Coraeo de
efl fOM n. 2 D rna dj Canoa.
imnts&inn
g| xu- Adi rrtos para menina a KVeode-se a der.gii.s conslan'to de tut-
srira, roletas, a.iinetes de ouro e coral
Q de bello s<-sto para meoioa : 00 Con.cSo 3
m de Ouro n. 2 D roa do Cnbog.
E-era va
Na roa do Hospicio Itlja do sobrado en que mo-
ra o Sr. Hyppolito Gadanl, endemse escravos a
rrinl-nio dos comprador, s.
Vende se urna armt,o e sdese a loa uuo-<
ella esla' por ser em loa localidade para joat.juer
ne irlo : na na da imperatrli n. 13 A, e dtraj,
quem vende.
MEDALHi DE OGHO, premiooeis.soof;
auiNA
ELIXIR Febrfugo e Fortificante
irpitioi ist Tiaios 1 umfb pi ociu.
Experimentad com pleno successo dos
hospitaes, a quina Laroche (on xlraeto
completo do quina) una preparacao
excriidoaal, por ser privada do amargo
Ja quina. Agrada por cou^y-iinte as pessoas
a mais Intolerantes e ao.s paladores 1 mais
delirad s, pois ncm amito doce nem muito
y;ccsa, sendo de uma mpidei constante.
Emprcpa e om muito prnveito nos casos
de gastralgia, dfspepui'a, nevralgia, ane-
mia, marasmo, cachexias, magreas,
fas to sem cauta n]>parcnti-, eoovaleieen-
oas demoradas, chlorose e escropbulaa
E o especifico das molestias febris.
90IM LAROCHE FERRUGINOSA
tsaaitis laiu 11 irtprstidu 10 hrrs t la ttiu.
EM PAPIZ,
15, nu Drauot.
P. MARER
ron Nnv9 n
&
8
ue se
Bolachinias em tat^s pe.'Uf-nas aovas mais bu a
to do.qae em uutr . nif nio de. cr.ni : em casa 'cV S luthall Mellor A C.
ra do Torres n. f.
VE\(Te:8E
Motores anirr^c. ."? pai lhs cavallo-.
Dito dito para qostro ditts.
Machio;i j^ard^sCrA5ar al;o.1o de 14, 16.
18,20, 30,33 uW ><((.
Vfr.eas ; .1", e:.f,.i.i ,i.,lj fi/rnlo os s c-
eos i;-ni sfi< tnhnx de e^m: rimento, r.jra o p#o
de 150 e 03 libra", Vin las U'ti'i a.'ii ule da> Ame
rica : noaima*em \r H n'j P.r-l 1 & :.. no cae
EMfb !l n. LjaJilj riijitin!te l;:no;n.''?.
Ti 11 t;i lio va superior
Vende S em \gtir\t>* : m -rripl.irla de Anto-
ni.. Lim dfijiveira A'-'-r i' ra da Cror
o. I.

Sradea.rrazem de tin-j
tas medicainetos etc.
Ra do liaperatlor n. 22.
Productos chirnicos e pharma- 3
ceticos os m-is erapretfados em
medicina.
Tintas para todo o genero de pin-
tura e para tinturara.
Productos iodustriaes e tintas
para lie res, como botoes de ores 5
e modelos em gesso para imitar *<
fructas e passiros com o compe- j
tente desenho. S
Pro 1 actos cbimicos eindustriaes S
para photograpnia, ninraria. pin- M
tura, pyrotecnia etc.
Montado em grande escala e sup- i
prido directamente de Paris, Lon- g
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa ?
pode oiTerecer productos de plena Jl
confianga e satisfazer qaalquer en- S
eommenda a groso trato e a reta- *
lho e por preco commodo.
ileqofes ou LabaditLos de camfcraia.
I A aguia branca acaba de recaer om betio sor-
, timetto de nrjoifes t babadmhos de Caa.brala m-
I reliados de branco e ce cores, e mu pr, pr S (.r
[ vestidos de seuhurs eaeufoa, e uesao entras
obras a (jae a<> setvhutai os supurar com an-noe
tost, as i -mbas t-Ao Je :> mHros e '>ndem -e a
SoOO e 3 cada uma ; na leja o'agoia brapca ra
do tjueimado n. 8.
Albuns'para rettatos.
A acuia-braiica rtobeo dovo sor tmenlo de bo-
nitos aboos para rur; tose eootinua a vndelo
como sempre por pr-cjs commudos ; eompar'C*ai
Pis_ os pretend-oles a ra do Qutimado lola da
afcuia branca n. 8.
Avosonfeilespara vestidos.
A gbia branca a roa doQorimado reetbra do-
vos eufeltes para v idos L..todo. e entre elles
as cascarrilhas com (ico. ibra nova e de jfto.
Carteiras de algifcoira com tescura. pento e
mais necessarios para viagem
Veudem te na loja de miadeasa ru* do Quei
madon.lfj.
Coques fingilo rabello.
Lisgs e crespos, singeios e composte, de gom-s,
caados e redondos, Cobertos com filet sia-ples
ae vidrmhos, ornados com flores e ritas, obra nota
e de gosto.
e m^siina*.
Har sevheras
rta^'iatr flnos.d madreperola e osso, todo "de sa
n-
fios
OLrs de madreaeroia.
Fio de algodo da Baha.
Vende-se no e.-cript,rio de Antoolo Luir de Oli-
veira Aie-vedo & C, no seuescript^rio ra da Cror
o. 1.
X.-IROPB
peitoral e da! ci fle anU
M
SAINT GEORGES
Prepind per
GRIMAUI.T e O
paarasacaatlcoa d 8. A. I
a prkeipe Ifspolafe
Cura rpida de laa
molestias segueniea:
tone, catarrhes, pleu-
resa, coqueluche, an-
ginas, fortes constipa-
edes, irritaedes ios
bronchas e do peito,
bronchite,phiica pul-
monar, anima, pneu-
mona, anginas, amyg-
dtiles, lone chronica,
rtuqutaio. Os mdicos recommendSo ao mesm
lempo o oso das eacellentes pastilhas peito-
nm oom o nwoo d'al&c* o laoreiro-
o^lo, q a* prapario p* a^^ Mubei,.
A venda as pharmacias
Oaors.
de Maurer e A.
01? ai uros da Bahia.
Superiores.
rlavanelrns a ...... 43500
Flor de Ha vana......43000
Oellcias
Ly ricos em me as rafeas .
Americanos meiss ditas. .
Suspiros flno meias canas
Hpgali3-Iirperial.....
Brasileiros.......
Sispiros supiriores
Para acabar : na Liga, rus ovaoTc.
Mstih
3|SO0
53'00
04OOO
:t300
3301.0
33000 >
. 135C0 o cento.
cana.
>
>
>
>
>
*J 1. ^D'8 de mdwP'roli mu M'-o par
Z V.* aeS avellSLS de dila d" P e'tos de-
ibranma e MaWl "^ P poobos, e-
I Aderegos, pentes e flvellas igoaes de dita
brmeos Flvellas e litas para cintos, cintos rntt-
sd(s. '.*- tovlfltna e de gosto
1 lits le flores finas.
. Como "feralmente sabid, a loja >U ;,..-..; i ;.q-
ca o jardim das Ooas llores artiViaes, e alm do
bom sutimeoto rjoe semp/e se .cha em dita Irji a
sguia acaba de receber novas flores as qnaes se
foohece y t;gor d'arte imitaud.) as flores naiaraes.
Na h-ja da aguia branca a rna do Qaeimado 0. 8
acharo os apreciadores do bom e delicado faixo de
Dores com compridas ramas, rosas, etc., tudo do
menor gosfo e prirrena <)ulidade.
Seias arelas para padres.
A g.na brenca a' ra do Queimado o. 3 rece-
be.i novo sortimeoio ."aquellas boas meias ir las
de ,ai. que cooliuuam a ser vendidas a f00u e
Yisporase dominas
A cguia branca a" roa do Quelmado d. 8 rece-
ben oovo sortimeoto de visprras em caixas de ma-
deira e papelo com H e 3fi ranSe, lendo cure
elles a'giirs com cbapa de mtlal para cobrlr o nu-
mero ; assim como dainos em caixas de madeirt
branr5,e envernisada. ^
Kap Paulo Cordeiro.
A loja de miudezas a* 10a do Qaeimado d. 16,
recb.u nova remes^a de rap Pao lo Cordeiro, e
continua a recebe lo por todos os vapores, p,ra
que os apreciadores arhcm sempre boa pitada.
Botes* grandes
e pequeos, prel s e a> outras cres.
A agina bracea reetbeo am bello suitimeuio'de
boloes de diversas quididades e go.-ios os mais
modernos, a elles hoa rY.-pnezia ia agma branca
comparecam a roa do Queimado d. 8.
Me ios o (teneos dourados
Xa loj de miud.zas a ra do Queimado n. 16,
vendeni-se bonitos meios aderecos doorsdu fino
obr;.s mni bem acabadas e de novissimos imildes
go>ios agradaveis e procos lio commodos ice ne-
nbnm comprador objectarS.
Amostras de obras douradng
A agoia branca a roa do "Qoeimad- n, 8, rece-
ben orna peqoena qoattidade de rci-ios aderecos
dourados, obras de moldes inteiramente novos e
agradavel, e acabados com pereigo e mesmo sg-
>im a aguia qner vende-las baratamente para aca-
ba-las al o fim desta sea ana. por is>o os prttea-
dentes comparecm munidos dedinheiro.
JEspartilhos.
A aguia branca, na roa do Qooimado d. 8, rece-
beu nova remessa daquelles bons esparti bos, e .
continua a vende-los baratamente ccmod'antes.
Argas de borracha
para atarpapris, segurar mangu :.is. etc.. ele.: na
loja d'aguia branca, ra do Queic. .* i n 8.
eus
Austiu ifc 0.
ra da Senzala Ve-
.?;
Vecde-seom cavallo cftr mellado cachu,
anda esta igualando a ultima muda, sem cha-
qnesalgnm, andador haixi, com arrelos. por pre-
cr eommodo :'tta cohelra d> roa do Snl o*. 3 e
l.'ia
^a Joo do Reg L ma saca .ore a K*S.
boa ; a toa dr. Apollo o. i.
de Lis-
I'r*r.i.a.>e aiiffar >;n piH "Sratii das 8
h.iras da manfiri Mi %**'i >** : 1 "n.vr na 'na
da lrn dn Her.'- n. i^ iri..,^i> 1 an-'*'.
% fu ui>-i r?a5/
por mernv >'.; j: 5 :-ui:: .i:..:j-..r parle, payel
itma'c" g''e, tjftt.i r t-rfii pn.ud 1, verd.!. in
de pnmeira o'^hda*", i.-o < >i. -. i.ip 1 alma^i
d-> liiiho rer'd'ilr.iro": na roa do Imperador t>. 15
d- frnnle de S P<"MtW*n*.-
-ventem ao scu armazein
Iha n. 106 :
Laias com gaz de qualidade.
arncas com farinba de milbo Uroilo aova.
Saceos grantUe con. fareilo novo para acabar
13500.
Itarrls oom pregas americanos.
A LEGITIMA
Atfcetc^o
DENTIFRICIOS LAROZE
CNSERVADOKLS los eentes e gen-
GIVAS.
ELi.xra dentifiucio, para a a'vora e conser-
varlo des (lentes, corando as dores cau-
sadas pela caria ou pruduridas pelo c n-
lacto do calor ou do fri,
p DENTRiFicio, com base de m.igbezia para
a alvura econserva--.no dos dentes, pie
venindo a descarnadura, provocando o
larlaro de que empede a reprodueco.
opiato fentifri- 10, para f. rtilicar as gengi-
va, e a? conservar bSas, prevenir as ne-
vralgias dentarias e as affecces escorb-
ticas.
ci'itATivo dentario hygien.'co, para chum-
bar os deitcs doentes, parar a caria e pre-
venir os abeesses e s dores que elles
provocara.
Deposito em todas as pharmacias e casas
de drogaras no Brasil.
Expedices em casa de J. P. Larose, ru
dt s Lions-St-Pan, 2 Paris.
Deposito em Pen ambuco, pharraacia de
P Maurer & C. roa Nova n. 29.
Carnaval
Crande e variado soiiimenio de ornamenios de
um i| de todas as cores para bordar vestuarios; a
el '^ue a porcao pequea, e o carnaval es'la'
a p-#U_: na bja francesa da roa Nova o. II.'
Dr. Ignacio Alcibiades Vel-
loso
MEDICO.
Ciotiiia a residir na roa da Imperatriz d. 48.
i' .ndar, onde ide ser procurado. Da consultas
d- > 6 s 8 horas da manha.
MolavMnka de leite.
N.i ra da Senzala velha d. 96, padaria de Ar>
u.iii Jos Pedro Gongalves, tera bolachlnha de
le' fell pelo verdadero abricante o Sr. Guilber-
ce l'arre, qm se vende em arroba e libra, a von
lad UVRO DO POVO
POR
% i: tonto Htrqiie Rodrigues.
1'ora recomrandada e ipprovada pelos Exms.
*r.-. tdspos da Sabia e bispo do Mar-nho, e adop-
ta I as escol.ts primarias do Amazonas. Para'
H-noho. Piaohy. Cear, Parabiba e rVrnamba-
ri ; 5 ediecSo cora estampas 0 ntidamente im
pr.- ,0. 1 v.i|. cartonadn. preco l.
V nae-se na Nrata Eeooomiea Jefronte do ar-
c.i .i- Sa ato Antonio.
Vende-so orna casa'na rna da Concordia a
u-v. sa do Gar, casa ova, beroedifleada-e airosa,
i moli fresca, s?la e quarto grandes, os repu ti
; mr-iito slo de lijlo de alreoaria, bom qalotal e
c.iinb*, dnus quartos 00 fundo para eommodo
da inosma cafa : quem a pretender dirija-se a rna
v'rnV-r' le-cr-'V na ra Jo Ai crim oafa
'nie in r. j n Sr. I'. x.i\ s:d iirp ds 30 fiino
da Ida* proprta pare 't'aj.i ervic", fitttu 30 l>n .ta a. 48. o.ue's dlra' qoem o dono.
""',","r-" '" "dmo di mes ni -n.-. t;> .- ,n..,.. ....f-.i. ...ni,er 1 <. 7trtvz de v> r.ueiros para forro ae salas
Aova a. ti.s-guiido andar .8B, .v ^ 1 ,u ,uMar, Ut e ursiei... V.ude-;e oa mi dt Cte.-po n..20 B.
PREPARADA WCAfflENTE POR
LAMIA & KEJIP,
NOVA YORK
Composta de substancias, gozando d?a
propriedades eminentemeote depurativas a
^pprovada pelas juntase academias de me-
licina; usada nos principaes hospitaes, ci-
is militares e da marinha as /ntilbas e
ao continente americano ; recei ada pelos
acultativosos mais distinctos do imperio do
Brasil e da America hespanhol
CURA RADICALMENTE
scrqphulas, rheumusmo, escorbuto, en-
ormidades venreas e mercuriaes. cbaga
mtigas, morphea e todas as molestias pro-
renientesd'um estado vicioso Jo sangue.
Emquanto existem varias imitaces o
'alsificacos. preciso a maior cautela para
evitar os engaaos.
A legitima salsa de Bristol vende-so por
CAORS 4 BARBOZA
JOO DA C. BRAVO 4 C.
Jo5o da C. Bravn & c.
Depo sito geral em Pernamouco rna 1.
>x n. 22 em casa de A. Caros, J. da C.
Bravo, e P. Maurer A C
BAZAR DOILIVBAIYIENTQ
Neste oovo eta! eleciroeuto o re>relael poboto
fi-cntrara' remp-ee por pre?os mdicos os se-
(uiot.'s ailigos :
Grande soriiineaioc'e ei^adis naiiooaes de to-
das as qualidade?.
Grande deposito de .viamentos para os mesmos
tanto Bacienacs como esiraegeiros.
: Calcados- francfz, Inglez, bamborunez, oortu-
fe.z para iiomen's, seohoras, meninos e menina?.
Gil liquide enralas e em garrafa.
-ndieiros par* o mesmo "te dilfereri s itoslos.
flliaml'*. Klobo, navios ele., etc., a valso*.
PerfDmarias de todas as qaalidadts e dos mella-
res fabricantes di Eurrpa.
Diversas qoiuquilhrias qne SO cora a lisia, ra-
ra evitar reala las. *
N. B. 0 proprielario desle oovo estal-elerim>-nt>
espera a coadjtivaQao bao > de seus a-, igos .j
fregneaes, como do publica em gf ral, gar.nuBla
loda a moWiraco nos oreos e sioct-rldade ot
tratos._______
Fareilo a 4#24 uevo. '
A' ra do Apollo n. i.
'i
,
*
4
a'

\
i
aaaaaaaaaaTaaBlBVaai


r-
-3..
Diarlo de Peraambneo seganda tela-a 18 de Fevereiro de 1867.
i
r
*



v
r

r

v

t


^
V


O ARMEZAM
O
53 RA DA CADE1A 53 _
PAS&ANDO O ARCO DA COWCEItfAO
Acaba de receber e tem por bartissimos precos fregueies;
i raa wmmi
DE
OLYMPIO GONQALVES ROSA
Ra do Livramento n. 14."
a
proprlelario deste estabelecimeuto faz sciente ao respeitavel publico e aos seus amigos
... que tem augmentado i-sua offleina de-alfaiate, e dirigida por ura hbil tnestre, se eoc.ir-
film de sen acostumado e milito completo sortimento en^
Assim como temum completo sortimento de fazeodas finas (as quaes nao sendo costume pro'
de geneim os se^uintes abaixo declarados.
Queijos de Minas.
tragados pelo ultimo vapor a 10600 rs.
Gtomma de milho branco
americano.
MUSCATEL DE SETUBAL
o mirto excelle'te vinho muscatel por 204
de duzia e 20 a garrafa.
CHA
corar as lojas do Livramento) espera que
sois vende mais barato que ontro qualquer.
seus amigos e fregueze; o honrara com suas presencas,
a caixa
hysson de primeira qualidade a 2^800 rs.a
libra, uxim o que ha de mais fino a 30 rs.,
melhorqae ha para papa, p3o-do-l, bolo, a,m destas ha maitas outras qualidades
proprias para vender a retalho, que se rende
de 10000 rs. a 2 rs. a libra.
igica, creme etc., muito substancial e
aadavel a 6t0 rs. cada pacote de 1 libra.
SALMiO E LAG0ST1N
ehegado altimamente em latas de 2 libras
i#600 rs. cada urna.
CHOCOLATE
CHA PRETO
o mais especial que tem vindo a este mer-
cado a 2#600 rs. a libra.
MACAS
francez a 500 rs. o pacote. dito hespanhol Mtrallnha8Dar. S0Bae caixas
pecial o melhor que tem viudo ao merca- "(SS^SSS^SSm.
4o a 1^280 rs.
LATAS DE LINGUIQAS
som 6 libras ermeticamente fechada a
44500, e de barril a 640 rs. a libra.
VELAS PARA CARRO
im pacotes de 8 velas ar900 rs.
VINHO DO RHENO
"edadeiro a 24000 a garrafa.
BORDEAUX
as mais acreditadas marcas: S. Julien,
flaut Brion. St. Emilion e St. Esteph a 800
ra. a garrafa e 8500o a dazia.
O EXCELLENTE E AFAMADO
COLLARES
engarrafado da bem conhecida casa de De-
ant & C.a a 104000 rs. a duzia.
PORTO
versas qualidades engarrafado, inclusive o
atis fino que ha n'este genero por 800,
14000,1^0, 14400 e!45o0 rs.a gar-
rafa. ^
OLD CHERRY
o mais superior do mercado a 14500 rs. a
garrafa e 154000 a duzto.
VINHO BRANCO
cellente qualidade, de Lisboa, e proprio
para missa a 800 rs. a garrafa e 84000 rs. a
caixa de duzia.
VERMOUTH
superior qualidade em caixas de 12 meis
garrafas por 124000 rs. e cada meia garra-
fa 14200 rs.
sortidas de
macar rao,
etc., a640rs. a libra.
PREZUNTOS
os verdadeiros de Lomgo a 640 rs. aHbraa
560 inteiro.
JALEIA DE MARMEELO
em latas a 800 rs.
MOLHO INGLEZ
diversas qualidades a 720 rs. o frasco.
MOSTvRDA INGLEZA
muito nova a 800 rs. o frasco.
MOSTARDA FRANGEZA
a 640 reis o frasco.
ARENQUES
em (atas a 600 rs. C3da urna.
GARRAFAS
brancas para mesa superiores a 54 rs. e a
64 o par.
COPOS
diversas qualidades e tamanhos a 34. rs., 4|
54 e 64 a duzia.
CAPACHOS
de cores o diforentes tamangos a 800 rs.
640 e 8U0 reis.
BALAiOS
diversos feitios e para cwBpra&desde 100 rs.
al24 rs; ditas grandes proprio para roupa
de 34 a 54-
GAZ
ornis superior giz liquido em latas grandes
com 5 galoes por preco de 104 rs.
mi DA G4UEIH3
Por menos de 10, e 20, e 30 por eeato,
NO
Joaqun Slmdes dos auto
23 Largo do Terco 23.
O propietario deste estabelecimento de seceos e moluados tendo de fazer ama via-
gem, est resolvido a vender por menos de 10 a 30 por cento a dinheiro; para isso tem
ud grande a vaotajo*o sortimeuto para os amigos do bom e barato, que a maior pane
deste, fiema par conta, para o que faz annuncio de alguns gneros, e a vista destes
regularo os outros mais.
dinheiro avista
Gaz americano a 8,800 a lata e a 380 rs. a garrafa.
Touwibo de L'sba a 240 e 320 rs. a libra, e em barril ha grande abatimento.
Caf do Rio a 180 e 20 rs. a libra, eem arroba ha gran le abatimento.
Cor veja das mais bem acredtalas marcas a 5,ooo e ft.ooo rs. a duzia.
Vinbo Figueira da melhor marea a 3,500 a caada, e 480 rs. a ?arrafa.
dem de Lisna a 2,70 i e 2,8u0 a caada, e a 360 e 400 rs. a garrafa.
Phosforos do gas a 2,000 rs. a groza, e a 180 rs. o maco.
Manteiga franceza nova, a 560 rs. a liDra, e em barril a 520 rs.
dem idem inJeza flor a 1 .ooo rs. e 800 rs. a libra.
Arroz pilado de la lia a 100 rs. a libra, e em arroba 3,400 rs. ou a sacca.
Sabao raassa a 220, 200 e 240 rs. a libra, em caixa > ha abatimento.
Papel marca martello a 5,500 rs. a resma e viad<> 4,ooo rs.
Vinho branco de Lisboa da melhor qualidade a 500 rs a garrafa.
Banha d-i porco refinada a 50 rs. a lib a, e em p.ircao ter abatimento.
Alm destes gneros ha outros muitos que enfadonho mencionaos
O propietario deste aruiazem avisa aos seus freguezes que tem contas e letras ven-
cidas, o favor de a% mandar pagar.
MACHINAS AMERICANAS
Verdadeiras do fabrleaate V V Caattoagia & c.
Moinbos amerieaQos pra nroer railho.
Na ra Nova n. 20 e 22, grande deposito
das verdadeiras machinas americanas de todos
os fibricantes; se en contra neste deposito
grande porcao de machinas, e se vendem por
menos prego do que em outra qualquer parte,
por se receber em direitura da America; se
fornece todas as explicacoes necessarias ao
comprador para coaservaco das mesmas;
neste grande estabelecimento se encontra mui-
tos arligos americanos, que muito deve agra-
dar aos agricultores que usam de taes artigos,
encontra-se lambem todas as colleccSes de de-
senhos sobre os quaes se aceita qualquer urna
encommenda, que coro promptidao ser ejecu-
tada; neste grande estabelecimento, encon-
tra-se em grosso e a retalho, grande por?3o
de ferragens, emiudezas que se vendem por preco cocamodo, pedindo-se a attencao
de todos para este estabelecimento que muito lucraro em fazer suas compras: na
rea Nova n. 20 Carnpi'n Vianm
gjr-lrJrJrJrJrJrJrir^rJrJrJnJnJ^L)
inill-twl.5i.fi
BASQUES DE SEI)\ PRETi.
A* loja de fazendas de Augusto Porto & 0.
11Ra do Queimado~i
A' oja de Angosta-Porto A-C. chegaram as melhores basquinas de seda
preta que se vendara por mdicos precos.
Vestidos de moia de cSrei para bailes e partidas.
Ricos vestidos de Biond com manta e capella para noivas.
Co9tumes eompletos de caiemira para homens, fazeada especial, sendo
as cagase palitotsda uHima moda.
Bonets de palua.da. Italia-para senhoras e chapeos da phantasia para ho-
mens.
Enxovaese vestidos bordados para baptizados de 104000 a 3*4000.
Camisas inglezas'para hornera, peito, punhos e colarinhos de liuho supe-
rior.
Ricas saias de linho bordadas, bales, espartilhos, meias finas, lenges
bordados, camisas, camisinhas, manguitos bordados para senboras.
Colxas dosada, e de la e sexla para camas de noivas.
CortnadOs bordados para camas e janellas.
Tapetes para sof, cama e piano e pannos para cobrir mesas.
Bramante, Brilnanna. Miciennes ou cambraias de pafos, fazeada muito
betta-pTtrvestidos, silewas, bretanhas, e cambraias transparentes tapada e
oe UBBO.
Moiroaatique branco e ^ceta, sedas brancas, de cores e pretas, e gres-
dempledp todas as quafidies.
Brios As bobo b/anoo da tures dos melhores.
Neste estatelecttientiMia-eaflipre sortimento das melhores e mais baratas.
Esteiuas t% Hidia para for ar salas
ll-Hua do Vapores.
Vende-seem *m de Sannders Brothers & C,
no largo do Corpo Santo n. lt, vaporas patente?
cem todos os perteoc.es proprlos para fazer move
tres en quaiiv maciiioas para descarogar algodio.
P0mS4'aRlSSl4
Vende-se petase a Rosara moto superior e de
qoalidade a mais propriau^ para o fabrico de
assucar a pre? i rasoav!, no. armaiem de Jos da
gilva Loyo 4 C.
LOJA DA FRAGATA AMAZONAS
DE
um.


Monteiro K. 5 Kaa do Queimado n, 5.
ancm h! 2S! S6 n.V esta,beleci,Ilectc camam a attengo das Esmas. senhoras que
KSJt lES25Ld! T^ Para Pse dJ?nwa vir a PasS313 a "o establecimen-
to apreciar alguns destes artigos de flon^de ullirnamantecliegados pelo vapor francez,
e que esperam merecerao approvaco do bello sedxo '
, A F,ragata aCaba de receber noto sortimenlo de" sedas de cores, pretas, e bran-
zsssssssyas quaes pelos sas *-*desenh3s e 9* *
Lques de madriperola de 18 a 804000
Lques de sndalo novos gestos.
Chapelinhas de seda e potha para cok.
Chapeos de sol de seda para senhora.
Ricos cintos bella Helena (novo gsto)
Cortinad s bordados para cama.
Colchas de seda para cama.
Gones de blond para noivas.
B isquines de seda bordados de 15 a 604000
nalos seria enSrnhoeCWH,W99 ^ **** e Utr0S mu0S arli^s ^ue meQCI0'
todas a ft^f ^ItS d,eSte n0" eslb'eci[aento se consideram gratos, para com
SPrm^5 e Motores, que tem frecuentado seu estibelecimsato e cada vez
ma.sseesmeramafimdebsnsemra todos que qaeiram honrar ssu eslablecim-fn
prcSciiyS.
com snas

*
39
IC
-O
4&Si8V
Ja *.' n
S o
3 S
?^3 _ I"o
8 crafc
w O C C ^3
3-53 g*B r
eSf-ilI
i i
Q.Q.
i?S9ftffI
KtfP|fHl|l
st= s&i ~sZ = s-o
?!
a
PREPARARES FERREAS-MNGAN1CAS
arPROVABAS HH.A ACABE1IIA BB MBDIC1NA
DE BURIN D BUISSON .
fliarMColic*, Itmt peh academia de ledkioi ds Par
J?.!?5ene,professo.-TROtSSB*' Ba Uima edicSo de sen Tratado dt Thtra-
peutica t Materia medica, reconhece aue es ferroeinosos ST mnitM
?e3r;tm^cos dos mi8 distin"os allribuem eVoeafMMMeS
MISnSTmSiS2ET22"' *'? ? 8cha B0 s^ fl0mo o ^ reelecto
F'^ li pernos sempre lolmamenle unido com o ferro.
! Pres,ar-se am-verdadifiro servico aos Sr Mdicos, o obanwr-se saa ttesoSe
sobre as preparaefics seguintes. VUOUM*"c a w"9
1* Fes ferreos Bianganicos
econeuia as aguas mineraes
Punas e Xarope de iedureto je ferro e k mandlese Mleraveis
2
ando mmediatmente nma agu, acidtkda,
gazoza, agradare!, substituido cem vaatagem
ferruginosas.
eontenda aa urna cinco eentgrames de iedureto de ferro maneanico indicada
pwucHlarmeirte as molestias Tyraphacas, escrefuJosas, e saa chanadas can-
creas e tuberculosas. ^^
receitadas espeeialmente
para a chloresis, a aoe-
ia, a leucorrhea, a aae-
norrhea. A indioaeio de
o urajees de lactato le ferro e de Migese
i Piiulas de eirkiato frrea asgamco
alternar esta* doas preparaoSes d ot mejores ren tdoi'
.JL^1? \ Bui,MB deMJ*a* dtoealo eonplcu do pnbHea medie* t
d^l&fd^ISieP^Pa^a*, *n m *** |nt"t,meBle m
e Pemambuce, a ara agente feral, Murer G*. pharmaeeMieM, m Keta.
Aos agricoUoi'Cs
Sannders Brothers & C. acabam de receber de
Liverpool vapores de forga de 3 a 4 caaallos com
todos os'pertences.e mu proprios para fazer mo-
ver machinas de descansar algodao, podendo cada
vapor trabalbar ate com 140 erras, ambem ser-
ven para enfardar algodao on para outro qualquer
servico em que osam trabalhar com aoimaes. Os
memos tambera tem a venda machinas america-
nas de 35 a 40 serra3 : os pretendentes dirijam-
se ao largo do Corpn Santo n. 11.___________
Loja do Gallo Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Grande e variado surtimento dos numero-
sos objectos de apurado gosto que ltima-
mente acaba de chegar para este bem co-
nhecido estabelecimento, pois seu corres-
pondente em Pars o mais habilitado pa-,
ra a escolha da taes objectos, pois oa com-
I pradores poderlo apreciar, como sejam lin-
dsimos enfeites de cabeca com cok de
cabello, e sem elle.
S no vigilante ra do Crespo n, 7.
Eafeites.
Roques com cteos e de novos penteia-
dos.
Trancas pretas e de cores, e de todas as
larguras, com vidrilho e sem elle, para en-
feite de vestidos.
Bicos de seda com vidrilho e sem elle.
Gravanhas de velludo para senhoras.
Gravatas e mantinhs de seda para to-
mem.
Gravatas brancas muito finas.
S no vigilante ra do Crespo n. 7.
Yoliiiiiiaft para meniBas.
Yoltinhas para meninas.
Pulseiras para as mesmas.
Correntes para relogios flngindo cabello.
Riquissimos sjotos, fiveas e fita-; para as
mesmas e de outras muit?s qualidades.
Riquissimos pentes de taataruga.
Fitas de velludo de todas as largaras.
Lindos enfeites para vestidos, chamados
Ghrispianne Margante.
Riquissimas flores para vestidos e para
cabega.
Capellas com canos flor de laranja, pro-
prias para noivas.
Meias de seda para senhoras.
Ditas para meninas.
Riquissimos chapeosiahos e touquinhas
para meninos e meninas, meinhas e sapati-1
nhos de seda para os mesmos.
Lindas sextinhas e bolcinhas para bracos
de meninas.
Meias pretas de laia.
Lindos aderecos e brincos.
Aderecos completos preprios para luto.
Lindos portjoias e port relogios de dif-
ferentes tamanhos proprios para um deli-
cado mimo.
Riquissimos livrinhos com capa de tarta-
ruga para missa.
Aderemos de flores.
Riquissimos aderecos completos, sendo:
voltas, po'seiras, brincos, alfinetes, grampo
para cabemos; tudo i-to feito de todas as
flores de ultima moda em Paris.
CJj'av;it tahas.
Tambero chegaram bonitas gravanhas
com flores, e com alfinetes proprias para
meninas e senhoras.
Rosetas e brincos,
Riquissimos brincos e rosetas inteiramente
novida le e tudo de mnito gosto.
Tonqnlahas.
Riquissimas touquinhas de liaho e seda,
ponto de corx ricamente enfeitados e de
muito gosto.
Fita.
Riquissimas fitas de chamalote, sendo: ver-
de e amare lio, tecido na mesma fita.
Agulha* de marflm.
Tambem chegaram as inui desojadas agu-
lbas todas de marfim, para trabalhar em 13a
e sem corx.
Sextinhas.
Tambem chegaram bonitas sextinhas de
palha fina, proprias para meninas.
S no Vigilante ra do Crespo n. 7.
Espelhos.
Riquissimos espelhos grandes e bonitas
molduras proprios para salas ou lojas assim
como outros de differentes tamanhos.
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Para os pais. de familia:
Verdadeiros
Collares Rover
Electro Magnticos Anodinos
Ou Collares Anodinos, para facilitar a den-
tic3o das enancas contra as convulsoes
das mesmas, a estes collares nos escuzado
fazer qualquer recommendaco, visto a
grande utilidade que tem produzido aquellos
pais que os tem applicado em taes circum-
stancias pois nos parece que nao haver um
s pai ou mi que por este meio nao quei-
ra por termo a taes soffn meatos de seas
filhinhos visto ser um mal que tanto os
flagelia, pois a estes collares acompaoha um
folheto que ensina como se deve applicar, e
vende-se na loja do Gallo Vigilante, ra
do Crespo n. 1, pelo preco de 4)51000, 50
e 60000.
Admirem os presos
Vo arraaieio de lazcodas de Santa*
f.oelho.
Roa doQnelmado n. 19
Vende se
Madapolao entestado fino a 95 a pe;* com tO
varas.
Ditos de li, 7*500,8, 9*, 10* e 113 a pega co
90vara?.
Cambraia de lista da dnas cores para vestidos
800 rs. a vara.
Balees de arco3 pan senhora a 23500, 33 e 33500
Ditos de arcos encarnados de 3*300 e 43.
Ditos de mnrcolina a 43800.
Ditos de arcos para meninas de 13600 e 2*.
Toalhas de linho atcochoadas a 123 a dazia.
Ditas de fettro (pello) a 133 a dazia.
Atoalhado adamascad; de alpodo a 23 a vara.
Dito dito de linho a 38 a vara.
Bramante de linho .cura 10 u^lrcos de lareura a
23500 a vara.
Dito de dito de 9 1|2 dito a 23400.
Dito dito de 5 dito a 13*00.
Dito dito de 3 1|3 dito a 800.
Algodao entestado com 7 l\t ditos a 13100.
Retundes de fil preto a 73.
Bonrnus de dio a 103.
Chales de dito a 53-
Cambrala adamascada para cortinado com 20 va-
ras a 133 a peca.
Lencos brancos de cambraia finos de 23. 33.
33500 e 43 a dazia. '
Lazinha com Hores muilo fina a 400 o covado.
Dita lisa d.ia a 480 c* covado.
Cambraia de linho lida 63500 a 93 a vara.
Cambraia lisa muito fina de 55, 03, 63500, 7 e
83 a peca.
Colzas de fustao alcochoadas brancas e de cores a
63000.
Cobertas de chita da India de 33100 e 23800.
Lences de b-mburgo fino de 25400 e 23600.
Ditos de bramante de nm s panno a 33*00.
Tarlatana de todas as ores a 800 a vara.
Moreantiqne preto superior a 23600 o covado.
Grosdenaple de dito a 13800 o covado.
Flanella .ie cores a 800 o covado.
Cambraia de salpicos branca com 8 Ii2 varas Da-
ca 43300.
Fil de linbo liso fino a 800 a vara.
Dito dito com salpicos a 990.a dita.
Guardaoapos de linho para mesa a 33503 a dazia.
Assim como tambem se encontra nm complete
sortimento de roupa feila e por medida.


Francisco Jos Germann
RA NOVA N. 21,
acaba de receber um lindo e ma-gnifico tor*
timen to de oculos, lunetos, binculos, do ni
timo e mais apurado gosto da Europa a oca
los de alcance para observarles e para o
martimos
PASTA XAROPE da I AT < ARABIA
de di;i.\\(;bi:>ihr
.' Sio lt onlc.i p.lioriM tffnnitt p.lM pnttmot.1 *
/Paeiltid dt M^ldo> di Pnifi.. por M mtikct n Ha*-
plUM d. Ptrii, el qai.i etrtttt tnM iu imri
ridtd. Mira uai u iowm p.luri.i > tu fniutrn
flcacli eooiri o B.fl.x.., lilpn, In-TUfi*. u
MH|li d. p.lte dt ||uta.
RACAHOT DES RABES
ne DiLumunn
dIco alimenta aprTdo f*\t AcadtMrid. Hadldra 4t
" lll
Pul. Bill r.slatxWi tf IIW5U fu. i^fr.m do
ao i dit latMttmMt [(irultM aa orlaacu u ptwSu
tbllludu, al.m alaio *m .Inud. da iu prtfriadadi aa
toptlM he o Bilkor prnuTiUti iu Fibra taurtll*
Oda insco ceda ctliliia daalu ariBirtflii ln*s
umpri t Kil. frmm Dtlmnfrnif, ni Richeliau, X,
un Paria. (Faur wrUto auntlo coa. u liltUcuHi.)
BiforittrlM io firwliii: BatfctM; ar-
fav
A venda as pharmacias de P. Maurer
G. A. Caors, em Pernambuco.
Doces

Vende-senapharmaciajde P. Manrer 4 C, ra Nova.
INJECCOe capsulas
TEGET AES aoMATIC^
GRIMAULT&CLepharmaceuticosemPARIS
Novo traumento preparado cem u foOuu dt
Matico, arvore do Per, para a cura rpida e 1- .
fallivel da Gonorrhea sem reccio alown da con-
tracelo de canal on da inflammaco dos intestino*.
0 clebre doutor Ricord, de Pars, ter renonciado,
desde esa apparicie, ao emprfo de qnalqoer
otro tratamento. Emprega-se Itijeecao n
eomco de flnxo; ot capsulas em todos os casos
ebronicos e inveterados, que resistirlo as prepa-
race* do copahn, cnbeba e injeccoea com kaa*
aaetaHiea.
i A venda as pharmaelas de P. Maurer &
C. e A. Caors, em Pernamhncti.
foi.
TZMWZMmMWZMWMWZMW^w
Veno>-se nm bol manso de carroca por preco
mnito cobdw-Io : oa roa da Imperatrlz n. 39, 3*
andar.
Collares Royer
OD
Anodinos electro-magnticos contra as con
valsos, e para facilitar a dentico da;
criancas. A aguia-branca na ra do Quei-
mado n. 8 recebe-os por todos os vapo-
res francezes.
I J estao to conhecidos, e tanto se tem espalhadt
a (ama desses prodigiosos collares Royer, que st
torna desnecessario dizer mais algoma consa en
abono de seos boas e e effleazes effeitos; basta <
testemanbo de milhares de pessoas, qne tm visir
e aprovel/ado o feliz resollado desses tao atis
qoo necessarios cellares Royer. A qnotidiana
crescida extraccao, qoe vo tendo, mostra aindi
qae numero dos prodieioa se eleva como todo:
os compradores. A agnia-branca, p->rm, dase
ando eoncorrer para um Im de tanto aproveita
ment, tem feito os necessarios pedidos, para qu>
por todos o vapores francezes Ibe seja remettida
certa qnantidade de ditos collares, para assim tor
nar-se infallivel o sortimento delles, na lo}a d'a
gnu-branca, ra do Queimado n. 8.
PHOSPHATOdeFERRO
[DE LERAS DOCTOR EM SOENCIA&
INSPECTOR DA ACADEMIA DEPARIZ te
Nao existe medicamento ferrnrinose to notavel
como o Phosphalo de ferro de Leras; as sammi-
dades medcaos de mando inteiro td&puram-no
com sollicitunle sem igual nos annaes da scieaeia.
As ocres paidas, dores de esiomaee, digesta
penosas, anemia, ctnvaleseeneias difceis, idade
critica nos senhoras, irregularidade no mens-
truofio, pobresa do sangue, lymphatismo, sao
curados rpidamente ou meixfcaies por este
excellente composto. E' o conservador por exeel-
lcncia da sande, e declarado superior aos hospt-
taes e petas asadvmias a todos es ferruginosos
coBhecidoB, a iodoreto e ao curato de ferro,
porone o anieo que osavem aos estmagos de-
licados, qne alo provoca constipacio, o anteo
tambem qne nilo ennegrece a bocea e os dente.
Deposito as pharmacias de P. Maure
C. e A. Caors. em Pernambuco.
IM): ES
Grande sortimento de doce* seceos, crystalisa
dos e em calda, estrangeh-os e nacionaas : no ar-
maiem da Liga roa Nova n. 00.
Vende-se oengenho Santo Elias n o termo do
Seriobem comarca do Rio Farnoso, por mnito
menos de sen josto valor : qoem pretender com-
pra-Io dirija-se a roa do Crespo o. 19.
Grande sortimento de doces secos e crystalisi-
dos e em rada e>trangeiros e nacionaes : no ar
mazem da Liea rna Nova o. 60. ________
TOTAS
Novaraente chegadas betas rassianas e peroeira3
da melhor qualidade qoe temos visto : na loja do
vapor roa Nova n. 7._______________________
Viuho do Porto suprior om caia de
mni dazia.
Vende-se no escriptorio de Antonio Laiz d
Oliveira Azevedo & C, no sea escriptorio roa da
Cruz n. 1.___________-__________________
TvaI sen seguido
Ra do <)Hcimado n. 49, loja da
mludezas
DE
Jos Bigoainno,
Continua a queimar tudo qoanto tem em seo es-
tabelecimento.
Pares de sapato de t pete a 13260.
Durits de peonas de a^o mal') Anas a .60 rs.
Caixas de liona do gaz de 30 novellos i 600 rs.
dem de linhas do gaz de 40 rs. o noveilo a 700 rs.
dem de palitos de seguranza a 20 rs.
Leos de cassa com barra a ItO rs.
Duria de facas e garlos de cabo preto a 3J6Q0.
Mhsso de palitos lixado para dente* a 120 a 160 rs.
Pecas de entreraeios muito Boas a SOO, 600, 800 J
laooo.
Liaros das missoes abreviadas a 1500.
Garrafas de agua Florida verisdeira UOIO.
Babados do Porto de lodis as larguras e todos os
pregas.
Sylabarlos com estampas para meninos a 330 rs.
Memento da rcupa de lavar a 100 rs.
Novas caminas para meninos a ISO rs.
Duzias de meias multo Boas para senhora a 49300
Ditas brancas e creas para horneo a 35 e 3f800
Agulhas francezas a balao (papel) a 60 rs.
Pares de sapatos de trinca e tapete a 1^500.
Pecas de fitas de la de todas as cores a 600 rs.
Grozas de botoesde porcelana prateados a 160r;.
Caixas cora alOneites trancezes a 80 rs.
Caixas de 100 envelopes mnito Bnos a 600 rs.
Pregos francezes de todos es tamanhos (libra) 240
ris.
Resma de papel de peso branco liso a 2]
Frasco com superior tinta a 100 rs.
Grosas de phosphoros de g3Z a 2J00O
Pares de botes de panno mnito bonitos 80 rt.
Linhas em cartn de 200 jardas a 100.
Caixa de superior linha do saz com 50 noveilo
700 rs.
Caixas de pos de arroz mnito fino a 800 rs.
Puleelras de conta para meninas a 320 rs.
Talheres para meninos a 240 rs.
Caixa com superiores fscas para charutos; >0 n.
Hasso com superiores grampos a 30 rs.
Grosas de pennas de ago mnito finas a 320 rs.
Bonets para meninos a 1.
Pentes com costa de metal a 400 rs.
Capachos compridos e redondos a SOO rs.J
Caixas com superior papel amisade a 600 rs.
Realejo: para meninos a 100 rs.
Papel pintado
O mais completo e variado sortimento de papoi
para forro de sala e guaroiedes, enecntra-se a
venda oa
Botica c BartholomeH d C.
34-Rua larga do Rosario-34


t
i
S. JOS
Manteiga ingleza perfeilamente boa a
560 rs, a libra e em porcSb por menos, no
ex-propheta Cinco Poutas-n. 86 esquina da
nova travessa de S. Jo3o. ,
Vede-se a cas3 terrea da travessa dos Pi-
ros d. 50: a tratar na rea de Rosario da Boa-V
ta d. 55.
tam^MnM


^^a^-
ttl&rio de Fcruambnco ~ segunda felra 18 t Fevereiro de 1867.
i.
!
I

l'

/T
i
tatito fe. Dtv J. C. Ayer, ei-lente
daaiversidadede Peosytyania, noi
Estados-11 nidos.
Extracto coaiposo de salsa-par^
rilba de Ayer.
Peltoraldeeercja.
Regedlo para aex5e.
i Hala catfaartfeaa.
0 deposito eeatral para as provincias
Pernambco, Alagoas, Parahyha e Rio-
Grande do Norte, des tes remedios ta"o fa
voravelmeote coohecidos e acolhidns en
todas as piFes da America do Sai e do
Norte, acha-se em casa de Thec-J cbrls-
tlanscu, 16 rna do Trapiche em
Pernamhueo.
Os presos de
33l por duzia de estrado de salsa-parrllha.
274 por duzia de peitoral decereja.
27)? por duzia de remedio para sezoes.
70 por duzia de pilulas catharticas
se entendem dinbeiro a vista, con
o descont de 5 por cento em quaotidadei
de 6 a 12 duzias, e de 10 por cento em
quantidades superiores a 12 duzias.
Perfumaras aovas,
. A amiga loja de mludezasa raa do Qaeima j
b. 16, recebea novo sortimento de perfumaras
sendo finos extractos e esseacia concentrada, ehei-
ros agradaveis para lengns, leos surline, philoco-
me, e babosa para cabellos, banhas e cosmetiques.
tambem para os cabellos, poz de coral e hygienicos
para denles, oputa Ingleza e franceza para altos,
saboneles em barras quadradas, outros em ealxi-
nhis, e oovros do bollas transparentes para mo, a
outros mm finos em catlsbisde louca para bar-
ba, agua da colonia de superior qaalidade em fras-
cas de diversos tamanhos e pregos, agua ambreada
para-banhar e refrescar o rosto, agua florida ( da
verfadelra) tnico de Kemp, e molas outraa per-
famarias que a vista da boa. qualM*d9>ecomroo-
didade de pregos, o comprador nao objectara'.
Meia^ pretas de IU e de laia.
Para padres.
Vendem-se na loja da roludezas a' roa do Qoei
mado o. 16.
nmmm
NA LOJA E ARMAZEM
BO
PAY
Ra da Imperatriz n. 60
DE
A14I SILVA.
wrsrf ksjss.-Sss
Bales baratos
Vende o.PavSo.
Chegoo nm grande sortimento do baldes daMr-
cossendo americanos que sao os tnelbores ij vea-
dem-se pelo bariiissimo prego de 2*500, 3* e
34500: na loja do Pavo aa roa da luiperstriz n.
60, da Gama 4 Silva.
A 100 rs. para luto, rende o
Pavo.
Vestidmhos para meninas
Vendem se elegantes vestidiofloa-para menina,
ce lasinha nuito,bem enfeitados pelo baratissintt
prego de 2:500, ditos dt gurgurao de teda a 3*000-
Daj2J*.e arma*era d0 Pavo na roa da Imperattu
a. 60.de Gamt & Silva
Cbales de merino
Vendtm se finissimos cbales de merino lisos d*
aiversas cores, leudo as franjas de seda a 4*000,
endo com as franjas de la a 3*300 rs., ditos w-
Vendera-se laazmhas pretas proprias para loto tampados mnlto finos a 5*500 W00O e 2*000
IOnf*tlSi;imn nrnon lia l\\ re n prwiiAn ni IJS (ls prAnnn .___i> .Til "
palo- baratissimo preco de 100 rs. o covado: na
loja armazem do Pavo ra da Imperatriz o. 66,
ie Gama & Silva.
Crochs
Para cadeiras
Para sofs
Para camas
Para presentes.
PARA UZO INTERNO
PREPARADOS SIMPLES,
Xarope de jurubeba garrafa.........
Vinho de
Pilulas de vidro.........
Tintura de >
Extracto hydralcoolrco de jnrubebas
tfiOOO
1)0oo
106oo
6io
I255oo
PREPARADOS C0MP0ST0S.
Vinho de jurubeba ferruginoso garrafa.
Xarope
Pilulas i vidro...
Oleo-de jurubeba vidros....
Pomada -de pote...... 6 lo
Emplasto libra..... 2fj5oo
20000
I46oo
25ooo
64o

PARA UZO EXTERNO
A-JTIIRlJlBRlIA'i

cn!.lnTQde 0 abanto que hzeram em veBfle">a 2^00 e 3^ ditos para encasto de sof
^L,~ ?orcccasia-ldoba,anffaqoe pro- !.S*A d'tos proprios para cobrir almofa* a!
nHr-*ein de desm*",o ult.mo ; porm para 2*r? ^'?1 para cobrir Pfenles a 2#00 a 3fi: '
hh>. sal,sfazflr e aPresentar ao respeitavel pu- n* TDd, Pavao rua da Imperatriz n. 60, de Ga-
blieoi os seos numerosos freguezes tanto desta ora-' Sl,-
?nrf mat0Jnm novo criado sortimento de
^^"'WiaMimliando sens lucros
f m^ ,deSCC,- Ccniinuam a dar fazendas
tri- a^m peJntwr'a manda-las por seus cal-
xetros em casa das Exrtras. famlfias.
Grande pechincha
tres tostf s,
Lanzinhas a 300 reis.
Lapzinhasa 300 res.
Lanzinhas a 300 reis.
So na Uft 4o Pavao.
-JPT? a? w*"* sortinwol das mais deli-
cadas lanz.nhas, tanto cora os mais pnnjor"",
gestos em matiz, como miudinhas de urna sTr
ll^VJU faZeDda ISa "> e 'Oe-sa pelo Z:
,\lltTJX^l de 30 reis C0V9d0- Poner felio
grande pecbcha na compra, se nao seriara para
pTv'ao nnaa'rntnSr,- Sl ^ e "^"emT
Pavao na rna da Imperatriz n. 60
Silva.
!?!,de "Pn eni listas de iei > 83000, o
mais ordinarios para acabar a 20 e S#>00 : o
6tdVGraiKvoDarada,mt'era,rii!>
Sedinhas de listas a 400 re
? e'ie bn,,assed"bas ce listas propriapan
e'"d0,s ?i5 ,arROra de ('bila lfa pelo bar;"
preco de 400 rs o covado: ca loja a Z*
Pavo na rua da Imperattim n. 60 de Gama
Lhegaram os mais ricos pannos bordados a ero- Silva. i ** "
SL^I^Kir^^.^L" ?oe !?RIS bordados a 800 rs. a vara na loja dr>
PavSo.
Vndese flls de lichobranco bordados proprioj
para vestidos pelo baratissmio preco de 800 rs. i
vara : na loja e armazem do Pavo na rua da Im-
peratriz n. 60 d* Gama & SlWa.
Pannos de Iinho.
Vende-se superior pannos de llnho-proprio-pari
IoD>$, toalhas e seroulas etc., pelos barailssiuioi
pre? Novos vestidos .Poil de Ch-
vre a 16000.
dM^^=r:acS^
caaos postos tanto em listras como era flores solas
m-se pelo baratsimo preco de 16000,
tendei cada corte 18 covados, islo na loja e arma-
zem do pavo na rua da Imperatriz n. 60, de Gama
m silva.
Para.senhoras
CasaquiOhas a 20^000
To8,m-e as mais modernas casaquinhas ou
Dasfiumas de seda preta, muilo bem enfeit)d*s, as
roa,s modernas que tem vmdo ao mercado e pelo
baratissimo pre^o de 205 cada u
Cambraias brancas de cordSo a 80500.
CneRaram as mais delitadas cambraias brinca*
/ff> fl^l>il -, rt n M ---
cordao com delicadas listas transparentes *
vendem-se pelo baratissimo prego de 850O a po-
ta : na leja e armazem do Pav3o na roa da Irane-
ratrizjn. 60, de Gama & Silva.
I'aooo preta a 2 000
Vende-se superior panno fino preto inglez, pro-
pno para calcas, paleiots ecollete?, pela brat.
preco de 2$ cada covado, dito muito cima
de Gama &
As saias do Pavo
pechijichi a
1.W00, l,580 e 10600.
dSSES Uma erande Pra de Pe5as d /en-
proprias para saias, sendo de om lado
iSatas'c?mmfiU8barmde pregas, tendo a
largura da fazenda a altura
tara baptisados.
Bonitos chapem?iBhos entelldos, sapatohos de
setim e merm, bordados a enfeitados, meias de
seda, e fio d'escocia para tios. VBdem-se na lo- m
ja de mladesas a' rua do Qneimado n. 16. Ax* ^-B*^i^BA sala, podendo fazer-se wm tres emea vara S
iJicos-e rendas dasilhas. !ien,pHp?n!S:hojerTecdf-T0^ tnico, como um excei- JS^^S^ti&]^nJtn'
A loja ae miojas a- rna do Qaeimado n. 16, Ef^IffSSL.! C^ *l!!& nos engorgitamentOS do figado e baco, as ^!>ad^llo!rean^T.;B|a2?d!
inflammaces Sjj> M raa da Imperatriz n. 60 de Garaa &
3 tumores es-, '.va; ^ ,
TmbYmp6-\Algoaaozinho a M500
pegas de algodaozinho com
barato
na
rua na iinnprain n Kt\ a~ n------- o...-
quaes
oantussimo prego de 203 cada uma 5 na lola e ar-l ftdm ",-. Ud ,OTaao. a muito cima a
mazem do Pavo roa da Imperatriz n. 60, de G- W"Si.?m'0 snPeriores a 4*' 500,53,
ma & Silva. *e ', finissimas casimiras pretas untolls-s
sao appiicados fczenva grande pSr?,""prmptt niS'jys-'peUs.' e ass^iada ai preparacoes ferruginosas,' aindade-grne" wntagem I VenMHntorM
extraccae como <"'>-"-"'--__' -*- iiuc h mi.n.i.n..: i-.,-....u--. j___ I .,
assim pois eoncor
da commodidad
comprar.
Graxa econmica.

podemos cita; os lilms. Srs, Drs, Silva Ramos, Aquino Fonseca, Sarment, Seve, Pe-
. reirajdo Carmo, Firmo Xavier, Svaetc. Todos elles reconh eem a excellenoia d'est po-
a^So?olOn&rt?^le rrrT''^ ?er.S med,camerit0 sobr os femis ate hoje conhecidos para todos os casos citados
ifflSTOa&SP"' flV-""itoto que todosos das fazem a'elle appcacio. casosctaaos,
La papa hotdaj* K*h APresenlan,Jo aos mdicos e ao publico em geral diversos .preparados da juru-
A loja de mite roa do Qaeimado n. 16,' ^SSi*rA-g8M,isar "f1 "> 'este vegetal, fazendo' desapparecer a
recebeu novo sortimento de laa fina de bonias co- BPu5nancia 1 ate no-e-sentiam os doentes de usar dos preparados empiiicos d-'elle, o
res a como sempra vende a baratamente, e o sor-,ma,s das vezes repugnantes a tragactm*se> e que tinham ainda a desvft.tagem d nao
timeoto a contento do .mprador: ser calculada a dose conveniente a applicar-se, o que torna,.multas vezes improcuo om
JOnitaS CaiXinP'aS.. med|camento, que poderia produzir ptimos resultados.
De madeira cora eofeites dourados, e outras de I Ps n.ossos prepados s foram aoresentados depois de baverraos convenientemente
on^Hra,Rua'dar j 'as- Veod8IU-se Da rua d est"dad0 a jurubeba, fazendo as experiencias precisas para bem conhecer as proprifdades' mas cfSas^afSSXi^h! do hD!,5i'
iw, ui. *ni"llLs "aiaas. ea app cacao, tendo alem d'islo piocurado levar os nossos preparados ao maiorgro de les,e ""rentos, e vendem-se por preces rana-
J&trfsss. EM.rx& t& ?rSryss'ff qoe n5mmms eso,tos' "50,10S imi,8rlaD<1<> pouco '" s*ft "*s t S0'"""aa io-
ment de bonitos enfeites- para bailes, theatros e i 4 D^ ,eS lliar ,. Cambraias iian tln p, -iakho
casameotos.; assim como deHcadus grinaidas para lA_____1 ato os iue se dl8narem recorrer aos nossos preparados podem ter a certeza, 45000 e45O0 ,,*ouu'
ar a prompta e infathvel cura Vende-se nm grande sortimeni'o das melhores
icados- ^braM^traospsreme, rendo 8 varas e mela ca-
prepa- da,^1ca^0So!anra,0S.2r,eei)S de 3*500, 45000,
NoMdade
Em cambraias i o tr.
Chegcn psra a loja do Pavao um grande sorti-
mento das mais modernas carobraias.cora listras.
largas, tanto ao comprldo como alravessadas com
as roais modernfs e mais delicadas cores; assim
como os-roai moderno* org.mdys de listas largas
com lindas flores mati?adas pelos centros, que se
vendem por precos moito rsjoaveis. na loja e ar-
mam do Pavo na roa a Imperatriz n. 60 de
tama & Silva.
Rices volidos trficos.
casamentes; assim como ileticadus grinaldas para k Ul tdUl os I06 se oignarem recorrer aos nOSSOS pr
SdM^Sf m5 *->"* enfetar 05 ves- jo que elles offerecem a garanta, de que se pode encontrai .. pron
ian^'israsss 'sus %^&"s% r* rr innTrados!sewrera em tempo f*k
experiente, nao se atrave a objectar a respeito. 1 "% aiem V, melC0 ou dueiilc a vantagem de e.se)llion as nossas ..variadas pr
do n. 16.
Plumas brancas e de cotes.
'moni 1 t"0H"vuca icuugujusiii >;,o tenas ae iorma que se tornam completa- victoria a 65000,75000e 85000; ditas" lari
! mente soiuveis nos suecos gstricos, porque procuramos os cotnpostos de ferro que como 5 palmos de ,areiira a 'ooe e 15280 a vai
i taes estao noje reconbecidos. i d0 Preciso apenas 4 varas para vestidos, al
larga
v.ira, sen-
,----nwi atienden'
Vendera-se na loja demiude.as a'rna do dpei,J Para aquelles que mais mlnucisaraetite quelram conhecer as propriedades da V^I^m^^^oTI^
jurubeba e saberem a apphcacao de nossos preparados, destribuimos gratuitamente a daimperaina!uR"aS 4 Sia.
I em nosso deposito um folhetp, onde traamos mais extensamente d'esta phnta e dos mes- Pafa cama de noivas vende o PavSo
mado n. 16.
Franjas
Com borlas e sem ellas, para cortinados, toalbas
etc. Vendem-se na loja de miudesas a' rua do
Queimado o. 16.
Boas c bonitas fitas.
Lizas e lavradas, larga e estrenas; vendem se
na loja do miudesas a' rua do Queimado n. 16.
Bonitos enfeiles para vestidos. Q
A loja de miudesas a' rua do Queimado n. 16,
esta reeentemente provida de mu bonitos eufeites
para vestidos, sendo bicos de soda tanto branco
?como pretos, de differentes larguras e com vidrt-
lbos, oa sem elles.
Trancas egaloes de seda dos ltimos gostos, di-
las com vidrilbos, pretas e brancas e de differentes
larguras e gostos. Fitas de velludo pretas e de
cores, com lista as relas. E assim multas ontras
cousas de moda e novidade, e todo por pregos to
commodos, que o comprador Oca satisfelto e nao
objecta a comprar.
Bollas de borracha.
De diversos tamanhos para brinqoedos. Ven-
dem-se na loja de mihdesas a' roa do Queimado
n. 16.
Vende-se vinho de Bordeaus era qnartolos
barris e caias : em casa de Tlsset reres, rna jad
Trapiche n. 9.___________
GIZ 64Z GAZ
Cbegon ao antigo deposito de Heory Porster &
C, rna do Imperador, um carregament de gaz de
primeira qualfdade.o qual se vende em partidas e
a retalbo por meos preco do que em outr qual
qner parte.
Eival sem segundo.
Rna do Qtielmano o. 49.
Quer acabar cem as fazendas abaixi
mencionadas.
QQaeiram vir ver o que bom e baratissio*.
Libra de gomma de roi'ho a 400 rs.
Toalbas de labyrratho com bico, fazenda boa i
35500.
Carreteis de linba com 100 jardas a 30 rs.
Grvalas pretas e da-cree muilo 8as a 500 rs.
Barataos francezes mallo Ooos a 200 e 320 rs.
Caixas de erratas de massa rauito novas a 40 rs.
Enfladores para espartitoo de cordao e fita a 6*
ris.
Carreteis de linba Alezandre com 400 jardas a 20C
ris.
Resmas de papel almac-o milito bom a 25500.
Frasco de oleo babosa a 320 6 500^8.
Ditos de dito btglniqne verdadlros a 12000
Ditos dito falso a 800 rs.
Ditos de macacar perola a 200 rs.
Sabonetes moito finos a 60, 160, 200 e 320 rs.
Ditos de bolla muitoflnos a 240 e 320 rs.
Caixas para rape com bonitas estampas a 100
Caixas de palitos a balio a 40 rs.
Miadas delioha froxa para bordar a 20 rs.
Varas de cordao para espartilho a 20 rs.
Frascos coa tinta rdxa muito boa a 240 e 320 r
Ditos de dita preta a melbor que ha a 320 rs.
Duzia de faCcas para sobre-mesa a 4. i
Varas de franja branca larga a 260 rs.
Pentes volteados para regacar cabello da meninai
a 320.
Frascos da macaca' oleo muito fino, a 120 rs.
Abotoaduras mido una para colleles a500 rs.
Candes de buha branca e de cores a 20 rs.
Librt de arda prela superior a 100 rs.
Canas da alflnetes franetzes com 14 pentes
itO re.
Escovas par* tato, fazenda-boa, a 500 rs.
mos preparados.
Dcnosito geral de todos es preparados
Botfea e drogara
34Rua larga do Rozario34
PREPAR&DAA FRO

POR
AUGUSTE CAOR8
Pharmacentico pela escola de Paris e successor nesta cidade
DE
Aristide Saisset e J. Soum
22.-----Roa da Cruz------2.
Cal de Lisboa,
Chegada no oliimo navio, mais barata que em
ontra qnalqaer parte; no deposito da roa do Apol-
lo n. 8.________________________
Cal uova de Lisboa. "
No armazem da rua do Apollo n. 8, por menos
$00 rs. do que em outra qualquer parte.
Tratamento puramente vegetal sem mercurio, iodo, ouro, era outro qualquer
mineral. ? '
Verdadeiro porificador do sarrgue sem azougue.
Especial para a cora de todas as molestias que tem sua origen na impureza do
sangue, como sejam as molestias boubaticas, syphiliticas, escropbulosas, darthrosas, quer
venham ellas por hereditariedade, quer sejam adqueridas pelo contacto com pessoas in-
feccionadas dos diversos viras que contaminara o sangue e os hnmores.
A caroba um remedio prodigioso, usado desde'remotas eras pelos radios
do Brasil, e passando seu uso de gerago em geracao, hoje om-dos remedios mais co-
nhecidos como propno para combater as molestias mais hediondas, entrando nesse nume-
ro a morpba ou elephantiases, para cujo curativo os nossos sertaneios consideram a
caroba como remedio especifico.
m A mjit0 ttmpo entrou a caroba nos formularios como preparado magistral
sop a forma de eleictuario, ainda hoje le-ubrado as pharrnacopas com o nome de sea
celebre autor Jo5o Alvos Carueiro : n5o ella portento remedio novo nem.descoeoido.
O ungento de caroba" da mesraa sorte preconisado desde tempos immemo-
naes como o mais apropriado parado curativo das boubas e ulceras syphiliticas srdidas,
e empregado com proveito depois^de imprbflcda appllcacao de' muitos outros agentes
therapeuticos enrgicos e de uso quot:diano.
Muitos dos nossos mdicos de consderacaoe entre elles o muitordistmotoipratico
e observador o Sr. Dr. Pedro d'Atmryde Lobo Moscoso, tem confirmado por mew. de ex-
perieacias repetidas, o que diz a fama das benficas propriedades da caroba no trata-
mento das boubas, das diversas formas sob que a syphihs se aprsente e muito especial-
Srnr ZS^n^t^i^ n Pderiaffl0s TCItar cm* d.e &*to | Vende se um banite eortimenio de lerdos de cam-
moaerna observados pelo mesmo Sr. Dr. Moseozo em que a carota produzto admtaiveis'1 braia branca lisos pelos baratsimos pVe^s de n,
eueuos, depois de tnuteis e prolongadas applicaces de salsaparrilba, mecorio, iodo, ou- 3000 e 4J5O0O a dozia : na loja e armazem do
ro e seus preparados, etc., etc.
N5o era posaivei que orna planta tab notevel por suas ioappreciaveto-virtudes-es-
capasse a perspicacia e investigacoes dos mais abalisados praticos europeos, que se ap-
pticam com-espeGialldade ao estado e tratamento das molestias syphiliticas eherbejicas
e para prova ato esjSo os Srs. Drs. Caeewive, Scburfer, Ricota /outrds- dnd- as mais
iisongeiras tnformacoes sobro as propriedades curatwas< da- caroba e preeoiiaando^ come
remedio poderosissimo para o tratamento das eropeoes Cutneas, seccas oa supparativas;
vnrnm*M*mm qualidade, ecemas.rtlceras de diverras naturezas, tumores, osseos
e outrae. muitos molestia* de Datare syphi'itica ou boubatica.
lk a Ilt-nr;se ?enei;alisado murtoo oso da escuela da caroba qde eapre-
S! L1S.J a i ncias varios BiWt,C03 1ue ^^^CODlSnua,, 'e" aas observacSes,
delibrenme a ter promp-a uma qaaflt*dade da meso, esseacia, obtida sem-a aetildo
ogo, para n5o prejudicar as propriedades medicamentosas; e d'ora em diante Incoa-
Ks^ Kc^^ em porc5SfficieDte para to,los-)s pedidos a
ESSENuIA CONCENTRADA De CAROBA, e o ungento da mesma plenta para que nun-
ca fallera aos Srs. mdicos-ququizerem esperimentat t3o precioso agente medicinal.
Recife de Pernambco, 17 de outubro de 1866.
Acgdste
Rua da Cruz n. 22,
Vendem-se ricos cortinados bordados e adamas
cacos proprlos para esmas e jaoellas pelos baratos
, precos de S, 10,5000. I6, 20*000 e 25*000 ; su
- perior damasco de la enlejiado a imitacao de seda
, propno para colcnas a 2*500 o covado ; ricas eol-
mwum cr0Gh Pel baratissimo pre^o de 10*900 e
1-*000 : isto na hja e armazem do Pavao na rua
da Imperatriz n. GO, de Gamadc Silva.
Grande pecbincha em chitas.
Vende se nm grande sortimento de cV.-.s e?co
5".e alegres franceas peles baratos precos de 320,
o60 e 400 rs., sendo com os padr5es mais bonitos
que lera vindo ao mercada com lisias e Dores etc..
etc.; garantmdo-se serem cores fiebas : na loja e
armazem do Pavo na rua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva. |
As saias do Pavo
\endem se ricas saias bordadas com 4 pannos
pelos baratsimos precos de 6*000 e 7*000, assim
cono fazenda em peca com pregas proprias para o
mesmo flm a 1200 a vara : na loja e armazem do
Pavaona roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Sedas novas
Cbegaram as mais madernas sedas com listras
para vestidos, sendo com as cores mais moderna?
qne tem vindo ao mercado, assim como grosdena-
pies de differentes cores como sejam cor de rosa,
azul, rxa, cor de caf, cor de lirio etc, etc. t
vendem-se por prefo muito em conla na loja *
armazem do Pavo na roa da Imperatriz n. 60, de
Gama 4 Silva.
Crinolinas a 30500, 40000 e 40500.
Chegaram para a loja do Pavo as mais moder-
nas crinolinas on baldes verdaderamente ameri-
canos, qoe sao os mais'bem armados e mais leves
que tem vindo, sendo com o formato mais moder-
no qne actualmente se usa e vendem-se pelos se-
guintes prQos: sendo coUMCO arcos por 3*500,
ditos com 25 arcos por 4*000, ditos com 35 arcos
a 45500: isto s na loja e armazem do Pavo na
rua da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Sedas largas na loja do Pavao.
Cbegaram as mais bonilas sedas de cores com 4
palmos de largnra, sendo com as tires e desenbes
mais brilbantes que tem vindo, facilitando fazer-se
um vestido com poneos covados em attencao a lar-
gura, e vende-se pelo barato prec ode 2*000 o co-
vado : na toja e armazem do Pavo na rua da Im
per>lriz o. 60 de Gama & Silva.
Oschales d pavo a 2ooo e 2ooo rs.
Vendem-se- cha les de merino estampados a 2*
e 250O cada um.
Ditos de merino liso a 3*500.
Ditos estampados de crepon a 6*, 7*, e 8*080.
Ditos pretos bordados com franja de seda a 14*.
Na loja e armazem do Pavao na rna da Impera-
triz n. 60 de Gama-& Silva.
Lencos braocos a 20000,30000 e 40000
Os espartilhos do Pav3o.
Vendem-se uma grande e vanado sortimento de
e^partilbos dos.mais bem feitos que tem 'vindo ao
mercado, sendo de todos os tamanbos, vendendo-se
por om proco, moito razoavel : isto na loja do Pa-
vao na rua da Imperatriz n. 60, de Gama Grande pechiocba em toalbas
para mo.
vendem-se superiores toalhasde Iinho proprias
parmao Pelo baratissimo preco de 560 rs.. ditas
a 640 rs ditas a imitacao das felpudas a 800 rs.,
ditas re podas a 1* : pecbincba na loja e arma-
zem _do Pavao oa rua da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma a Silva.
Chales de renda e retondas
Vndese nm grande sortimento de chales de
renda e retondas, sendo as mais modernas que tem
vindo ?o mercado e vendem-se mais barato que
em outra qualquer parte : isto na loja e armazem
do Pavo na roa da Imperatriz n. 60, de Gama &
ol Vil.
Cortes a 30000 s o Pavo
Vendem-se os mais lindos cortes de cassas de
cores oom os desechos mais moderaos vindo cada
um em seu papel e caraotiado-se terem 7 varas ca-
da um pelo baratissimo prego de 3*000 ; na loja e
arnr&zem do Pavo na roa da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Lencos bordados a 10000 e 10600 na loja do
Pavo.
Vende-se bonitos lenclnbos bordados para toao
pelos baratissiraos preces de 15000 e 1*600 cada
um ; loja e armazem do Pavao na rua da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
Algodaozinho entestado
Ven'e-se superior nlgcdvzioho enfestado, muito
encorpado, proprio para lences. por ter 8 palmos
de largura, pelo baratissimo preco de 1*1)00 a
vara. *
Dito com a mesma largura, sendo trancado e
mono encerpado, a 1*80 a vara, assim como pe-
gas de dito-de uma largura s, eom 18 Jardas, a
4*, grande pechincha : na loja e armazem do
pavao, na roa da Imperatriz n. 60, de Gama &
oliva.
na loja e armazem
in o na rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
din e
Casaquinlios ou vasqufeas na toja do Pavo
a 2308GO, 300000 e 850000.
Cbegaram os mais ricos oa modernos alaqui-
nos cu vasjulnas de grosdinaples preto ricamente
enfeitados, sendo dos feltios mais modernos'e ele-
gantes que plumamente chei?aram e vendem-se pe-
los baratos precos de 25O0O, 30*000 e 35000; na
toja ei armare do Pavo na rua da Iaperalm o. 60,
de Gama & Silva.
Para bailes a 35VJO00.
Chegaratffbs mais ricos branco primorosamente bordados e enfeitados de
cor, sendo tambem proprios para casamentos e
vendem-se pelos baratos precos de 35*000 unica-
ment i na loja e armazem do Pavo na rna da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Alpareas lisas
Chetno o ais lindo sorttmeni* de alpacas de
uma s cor, proprias para vestidos, e vendem-se
por pregos m conta : na loja e armazem do Pa-
vo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Bramantes
Venase superior bramante de linbo cera 10
palmos de largura, proprio para lenges, pelos ba-
ratissimns precos de 2*100 e 2*800 vara 5 su-
perior panBO de linbo com 4 palmos de largura,
sendo proprio para lenges, toalbas c e eroulss,
peles baratos pregos de 640, 709, 750 e 800 rs. a
vara, e um graode sortimento de Hamburgo de to-
dos os pregos e qualidades, que se vendem por
pregos lasoaveis: na loja e armazem do pavo,
na rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Clii'as pretas
Vendem-se superiores chitas pretas inglezas cem
salpicse florziobas brancas pelo barato prego de
200 rs. o covado ou a 7*500 a pega, tendo 33 co-
vados ; ditas lisas a 160 rs. o covaao ou a pega por
6*000, tendo 38 covados; ditas francezas larga-
moito boa fazenda a 320, 360 e 400 rs. o covado ;
cassas pretas muito finas a 560 rs. a vara 5 ditas
moito superiores com ramagens a 800 rs. a vara ;
laaziubas pretas lisas de todas as qualidades que se
vendem por pregos razoaveis: na loja e armazem
do pavao, oa rna da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Bri* pardo a 720 ris
Vende-se superior brim pardo trangado de Iinho,
senrto-escuro e alegre, pr>pn'o para calcas e pa-
letots, pelo barato prego de 720 rs. a vara, assim
como moito superior para 900, I* e 1*200 a vara ;
dito branco de Iinho trangado a 1*200, 1*400 e
1*600, e muito soperior a 2* a vara : na loja e
armazem do pavo, na rua da Imperatriz n. 60, de
Gama 4 Silva. .
Oasaqainhosa 16$0D0
Vendem-se os mis modernos casaqoinhos oo
basquinas de grosdenaple, proprlos para senhoras,
sendo ricamente enfeitados, pelos baratos pregos
de 16*. 20*, 25* e 30*. assim eomo ditos de ren-
da ou golpore, a mais novo que tem vindo ao mer-
cado, pelo barato prego de 20*. pecbincha : na
leja e armazem do pavao, na rua da Imperatriz n.
60, de Gama & 8ilva.
Pannos com gollinhas a i$ c. S280
Vende-se orna grande quantidade dos mais mo-
dernos pnnbos com golliohas, sendo bordados e
lisos e de cores, pelo harato prego de 1* e 1*280
sendo esta fazenda por menos de me:ade do que se
vende em outra qualquer parte, isto pechincha :
na loja e armazem do pavo.na roa da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Babadinhos
Chegon para a loja do pavo nm grande sorti-
mento- dos mais delicados babadiobos com tiras
bordadas, sendo tapados e transparentes, com os
mais delicados desenbos, e vendem-se por pregos
moito baralos : na loja e armazem do pavo, na
rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas francezas
Vendtem-se as mais bonitas csssas'francezas para
vestidos pelos baratiairaos pregos de 240, 280 e
320 rs. o covado, assim como bonito orgaody com
assento tranco e palmas cora listas de core?, pelo
barassiuiovprego de 390 M. o covado on>a 500 rs.
a vara : na loja e armazem do pavo, na roa da
ImperaifW b. 60de' Gatoa^ Sirva.
Cassas granadinas
Chegaram as mais bonita cassas francezas com
listas largas tanto ao comprldo como enviasadas,
sendo os padrOes mais bonitos qoe tem vlnd ac>
mercado,.e vendem-se a 800 rs. a vara : na loja e
armazem do pavao, na rna da Imperatriz n. 60, de
Gama&Sifv*
Organdy branco
Vende-se o mais fino orgaody branco om pa-
droes miudinbos proprio para vestidos, peto barato
prego de. 1*'a vara, assim eoma pecaste dHo
com'8 l/2i varas a 9*, finissimas pegas de eam-
braia branca daEscossia. com 9 varas, tendo 5
palmos d 'largura; a 7*, 8*,.10* e 12*, assim
como outras muito mais baratas ;;na loja arma-
zem do pivao, na roa da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma 4 silva.,
alpacas de cres
Chegon om,graode sor tunanta das mais.lindas
alpacas de uma s cor, tendo' entre ellas as cdre3
mro'liBaUnoeMto wadoj. a 040 rs.. Hitas tam-
bero s de uma cor porm lavradas a 800 r.Bdi-
tas brhantes com os mais lindos desenhos tanto
miudos coow grandes a 600 rs.. poitcbvre ou
lazinba transparent com .listas de seda, sendo o
como de cordao, ditas efesiadas de rres proprias
para caigas, paletots e collete?, que se vendem mais
barato qoe em outra qualquer pane : na leja o
GaraaTsivPaVa0'na '"* da ItDperalri 60. de
Lencinhos bordados
A 500, 640, 800 e 1*.
vende se nm grande sortimento dos mais lindes
lencinhos bordados para mo. sendo a 500 640
oo e jg, e mnilo ricos a 1$600 cada um. Donas
de ditos brancos lisos proprios para hornera a 23
Ja e 49, todo isto pechincha : na loja o arma-
zem do pavao, Da rua da Imperatriz n. 10, de Ga-
ma & Silva.
Madapolo
Mad.tpolo
Vendem-se pegas de madapolo muito fino com
12JardJs a 33*00, 3dOO e 4*, ditas com 24 jardas
a o, 7* e 8, ditas muito superiores a 9*, ditas
de 40 jardas a 560 e 640 rs. a jarda, ditos franoe-
zes de todos os preges e qualidades, pecas de algo-
daozinho com 18 jardas a 4*000, ditos com 20
jardas e mnito encorpado a 8*500, 6*, 65400 e
7*. Algodaozinho enfestado- liso vara a 1* dito
trangado vara 1*280, tudo isto pecbincb para
apurar dinbeiro : na loja e armazem do pavo. na
ruajja Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Vende-se
uma escrava moga multo bonita gura sem feftf
tos enera achaques : a tratar na Bua-Visla com o
br. Antonio Carneiro da Conha.
CALCADOS BUTaWS
Vende se na roa do Imperador n. 32 :
Borzeguins Inglezes de couro de rupia a 7*500.
DuosdeNantesa7*500.
Ditos para senhora enfeitados a 3*
Ditos lizos a 4*.
Dites de cores a 2500.
Ditos para a mesraa a 4*.
Ditos de cores a 2*500.
Sapatdes inglezes a 3*200.
I'itosfrancezes a 4*.
Ditos sola dobrada a 5*.
CANOS
vende-se canos vidrados e por vidrar de I a 10 pol-
legadas, fritas no Barbalho do Cabo, assim como
om grande sortimento de lougas para agua e fd-
go : no unicj deposito no pateo do Tergo n. 12.
Escravos fgidos
ssr
100$000
Fugio no dia 20 de Janeiro p. do engenho Can-
to Escuro freguezla da Escada o escravo prtto de
nome Rufino, i ade 20 a 25 anuos, com bugo de
barba, seco do corpo, estatura regular, tem um
defeito era um brago or ter quebrado em peque-
o, cabellos om pouco solt e est bem rente, este
escravo suppoe-se ter seguido para o R.-cife onde
lem mi que veio com elle ba pouco de Paje de
Flores d'onde elle natural: poi tanto roga-se as
autoridades policlaes dessa lugar e dessa praca a
aprebensao de dito escravo que sero graticados
com aquantia cima, podendo ser entregue ao Sr.
Francisco Antonio de Brlto nessa capital rna do
Catinga ou no engenho cima.
Na madrogada do dia H de fevereiro do Cor-
rente asno, furtaram 3 cavallos de uma estribarla
no povoado dos Montes, enjos cavallos com os Mg-
naes segointes: o primeiro de cor eastaoho ros-
silbo e fogoso, frente abena, os 4ps arregagados
at os quadris formando doos leogois na anca^en-
do o do lado esquerdo mtior do-qoe o do lado di-
reito, tem mais deste mesmo lado nma mancba
branca na barriga, os denles algnma consa que-
brados, mancando da mo direita ; foi a pouco quai-
roado no p do cabello com olio tanto qoe esta' al-
gnma cousa com o pello arripiado nesse lugar, an-
ua baixo. O segundo t mbetn castanho, anda'bai-
xo, todo topado, tendo apenas na anca 3 oo 4 sal-
picos brancos, signa! pelo croatae'torna bem cn-
nhecido, tem mais em cima da anca uma barro-
quinba na carne, qoe se passando a mo en se
reparando se vperfeitamente, dinas aparadas oa
arrancadas, caudas rapada. O terceiro finalmente,
decralaso, castrado, frente abena, 2 ps bran
eos, algnma oousa descarnado, anda baixo mancan-
do de um dos pos.
Por tanto pede se as autoridades policiaes a apre-
bensao dos mesmos.
Na noite de 31 de laneiro prximo passado,
fugio da casa de soa senbora, a escrava Lnzia,
cojos signaes sao: mulata, com 24 annos de idade
pouco mais on menos; bastaote fea, tem panos
escuros na face, e es cabellos caraplnhos. Roga-se
a's autoridades policlaes e capitaes de campo que
a preendam dita escrava, e fago entregar a soa
senbora D. Josepba Justina da Jess G. >n gal ves,
viuva de Manoel Alves Gongalves, a' rna do Caba-
ga' loja n. 3, on a' rua do Destino n. 7.
Hoje 15 do eorrente, desaparecen dede a
rua do Livramento at a toa Direita, uma neuri-
nba com 12 annos pouco mais on menos, cor bea
preta, de nome Mara, supon se ter-se perdido
porno saber as ras desta cidade, E' muito tfc.
cil conbecer-se por ter as orelbas apostemadas por
terem sido fnradas de fresco; levou trm lenco de
cbita nos hombros. Quera a' acbar leve-a 'roa
do imperador n. 45.
oOOOO
De gratificago pela apreueDgao do escravo Ma-
noel, do Sr. Marciooillo da Silvelra Lins, co>o es-
cravo tem o brago direito cortado junto ao cuto-
vello, de 46 annos de rdade, batto, grossora>re-
gotar, pouoa barba, tendo algunas radiadoras oes
ps: julga-se andar por algnma olarla fazendo li- .
jollo por sor esse seo offlcio, qne** o pegar levn'o
ao esgeobo Maganas on a rua da Seozala Non
n. 38, qoe recebert > gratifleagio cima.
mi
Gralifica-se com 300*000 a qoem apprehender o
escravo Basilio, crioulo desta provincia, de 2* an-
uos, estatura regular e barbado, marinheiro do
palbabote iPrincipei. e pertencen o casal do ft-
padro mais moderno que tem vindo ao mercado a' nado Joao Evangelista, cenata qoe anda na Captw-
19 cada covado, grande pechincha : na loja e' ga e Montelro, por ter all prenles : quem o le-
srmazem do pavao, na rua da lmpantrjz n. 60, de var a Joao Francisco da Silva Novaes, travessa da
Gara.a ct SIv. Madre de Des o. 5, recebera' a quaotia cima.
'
v
j

'V
/
V
t
-
X

jj

!


htt-tA.-





^^
Ufarlo de remanal neo eguada elra 18 de Feverelro de 1867..
TTERATORA.
?
r
i
5



'



!
-

&
!

sacao nao sao os msculos, as vea?, as arte-
rias que se tem de-cript) com tinta esac-
tido e cu lado. Ha fircas interiores nos
Divaglo seleatfAc. seres* orgaoisadTs qu) nao s-gueaiMn-
Hihiemian c invicto de ter discoberto a teirameute as leis d i rnechaoica grosseira a
verhleira le da therajeutica, regressou a que se te;n queido tu lo reduzir.
k, a fin -U elibirar o n >vo systeni Nj lionera alai d'estes phenomenos cora-
CDdico. muus a toJos os seres vivos se notan ou-
N'esta ctJude abri um curso, pr osegun- tros importante* por sua natureia, e subli-
do en seus esudos relativo;' ao effeito dos mis'por sua imoortancia : sao os actos da
m d:cam3nlos' expeimlatidos ni homem ceoscieoda laanifestaado a hberdtde, a
sao. sensioiliiaJe psjalgica e a vontade.
C >m'a liuirsvel pa ioucia veriicou irapor- E' in luLia.el que estes actos de to ex-
tant'S phenomenos p eduzidos petos age-iies celsa magnitu le n3o p dem ser effeitos da
m'.Ji;aaaeotos"os ; e pie at enlato erarn des- mesma turca huida em todos os entes vi
conhe:idos~~ -ventes ; pois que sao eltcs e.elusivos aohb-
Assim constituio a sua materia mlica- mein e Planlo devem ter como motor
pira em que gastou-defamo; de trabalno l
pratico e experimental.
Os resulta Jos de su i doutrina lhe adqui-
r am honrosos amigos entre os quaes figura
o djued'AnbaltHoetlien,quj o desti guio
com a oomeacao de seu medico offlcial e
consdiieiro de estado.
E' inab-davel a tripcidade dos elemen-
tos constitutivos do horma. Ela se acua
firma la na santa eslriptura. Escreveu o
apostlo dasnaces:
Ipse antea Deus pacis sanctificet vos
per omnia; ut integer spirittis vester et
Sendo vi.ivo ba tempo esposou em ja- anima el corpas, sine querela in advento
ero de 18 J5 a seab ra D'ervil.y-Sobicr Domlni l0Slri Jesu Girisii servetur (I Thess
ilion'ti por suas qualida les e por seu la- *:*)
lcUl0- | E o mesmo Deas de paz nos scientifi-
Foi propigar a nova doutrina em Pars e"*? em tud' Para ahi fui consultado eapplaulido por pessoas existe pi'rto a/ma e corpo: se conserve
de tojas as classjs. Os homens innuentes, Puro Para a vSnda de J^sus Chdsto Nosso
por sua nobreza, finrasas e iuteliigencia lhe,
dertm nao eqoiv cas provas da conGioca '
q.e elle Ibes mereca.
Ser Samuel Hahnemann um impostor,
na visionario, um charlatao, um mente-
capto ?
Sua doutrina sea um sonbo, urna allu-
c i riacho ?
Porque as notabilidades scientificas, as
corporales de sabios nao tem estucado com
ma lureza e imparcialiddde aquelles precei-
tos doutrinarios.
Nao acceitou-se o humorismo, o brownis-
io, o bruusseismo e tantas outras seilas ex-
tnvagantes com entluisiasrao at que o
juizo austero da experiencia mostrasse a
sua falsidade ?
Porque esta guerra dasabrila, sem que
se ter;; espera lo que os resalalos da pra-
tica fos>nm os primeiros detractores de se-
millante doutrina, como houvera succedido
a Biowj, a Broussnb, a Cullem e a todos
os .utros ?
D cortine-se aos homens intelligentes a
doutrina de Habnemann, j pelo seu lad >
phy-iologico, j pelo lado iberapeutico.
E;ia nao un dogma que exija afin
dividual; e repugne a analyse lgica.
En physiologia Hihnemann vitalista;
e em pbuVophia espritua'ista.
E:le considera o hojaem como o aggre-
gah de ma'eri., de espirito e de alma;
isto de substancias visiveis e poaderaveis,
di postas de modo a coastituir o seu pby-
si&j; d'um principio immaterial, motor do
movi ment necessario a vida e a reprodc-
elo, constiluinJo o dynauismo orgnico
l)ri:icipio vita! existente em todos os seres
uraoisa.los p.'esilmdo e regulando ofunc-
ciooaismo di economaquer animal quer
vegetal; e d'um outro principio gerente
dos phenomenos psicolgicos.
Ser este lado atacavel ? E quando o
sej), o seu aniquilamento poder abalar o
preceito tberapeutico fun Irlo por Hahne-
mana?
Sj a pratia coafirma a It-i da seme'ban-
i entre os symptomas m rbklos e os que
devem produzir o agente que ser capaz de
restabeleoer a sa le porque regeita-la ?
Ser mais uua d'estes importantes pheno-
menDS que o homem v todos os dias e n5o
teu podido explica-los.
Quem comprehende como um grao de
milb) mergulhado no seio da trra germi-
na '^envnke-se, c-esce e furnecc ^o agri-
cultor mii'iare? de graos a si semelbaites ?
Quem j expcon satisfactoriameate como
se eff' ctua o phenomeno da iguacao e da
combuslo ?
Quem j penetrou o como um ovo in-
cambado d nascimento a um ser que gosa
de movimenlo e de vida ?
Quemj comprehendeu o como os ele-
mentos diversos em sua quelidade podem
reparar partes to differentes que compoem
a economa animal e que foram gastos n i
goso da vida ?
Quem sabe como um vegetal tira da trra
principios saccarinos para adocar seus fruc-
tos?
Quem dar plausiva! explicacao do con-
portante pbe.iomeno do movimento espon-
taneo, e como os animaes mo?em a vootade
seus membroe ?
Quem ousar negar estes fados somente
porque sao eltes inexpbcaveis ?
Alm d'isto, o que ha de reoognavel na
dootnaa pbysioogica de Hahnemann ?
A existencia d'ttn princip o immaterial
em todos os seres organisados, animaes e
vegetaes nSo pode com fuadameuto ser con-
testado.
Este renovamento incessante das molcu-
las competentes dos corpos dos seres v vos
feitos sem violencia e sem tumulto por um
movimento perenne de nutricSo e de excre-
(3o que entretem a vida o calor e a sade ;
es es phenomeoos a Imiraveis de es penvoK
ment de ere-cimento por intussuccepc5o e
de reorod'icco quando a materia por sua
natureza inerte, dSo pod'm deixar de depen-
der d'uma forca pura, d'um principio capaz
de accao e por tanto immaterial.
Esta verdade tem sido proclamada por
muitos homens notaveis.
Diz Bubn :
As verdadeiras molas da nossa or^a'ii-
Senlior.
Jess Cbristo, diz S. Cyrillo resentlo-se
de tudo o que constitue a natureza humana
o corpo a alma e o spirito.*
Escreve S. Iriueo:
A carne por si nao o homem, mas so-
meQte urna parte do homem ; a alma so n5o
Cunst tue o homem ; por urna parte do ho-
mem, o espirito s por si tambem nSo o
homem: A mixtura e a reunio de corpo,
alma e spirito que constuue o homem
(Contra Hares lib V. Op. VI)
Origines diz expressamente que o homem
composto de um corpo, de urna alma e
de um spirito (Princ. Lib. III. Cap. IV)
Ensina S. Agostinbo:
S ha tres especies de creaturas: a
c-eatura espiritual que cons'itue o anjo, a
creatura animal que se manifesta na vida dos
animaes, e a creatura corprea que visivel
e tartgivel. Todas estas cr. aturas se acham
no homem por que o home n um compos-
to de spiilo, d'nlma e de corpo. (S. Agos-
tinho n. 53 Exp.)
Esta alia idea philosophica, to bem pro-
vada pela apreciaco da vida do homem se
cha consignada no mais bello himno da
creacSo nesta expressu:
Magnficat anima mea Dominnm. Et
exuitavit spiritos meus.
E' a alegra do spirito que toca, penetra,
e sobre-excita a furca vital represer.tada na
expresso anima -; e pe todo o organis-
mo Da consonancia do exiasi do amor ce-
leste. Nao vero inda em apoio desta dou-
trina as seguintes passagens da sana biolial
Anima enim omnis carnis in sangoine
est: unde dixi.... quia anima carnis in san-
guine est. (Levit. XVlI, 14,)
E a expresso de Tobas:
Eg*> et aDima mea. (XIII, 9.)
O que a alma de toda carne, senao este
elemento immaterial que ue modo algum se
poJer confundir com este outro principio
iivre e intelligente capaz dos phenomenos
de consc.eneia ? I
E' a crenca do dyoamismo orgnico mani-
fstado pelo phenomeno da circulatj do
sangue considerado como elemento vivifica-
dor ; em virtude do que escrevera o profes-
sor Amador.
O sapgue o vehculo de nossa exis-
tencia, o, thesouro inappreciavel de nossa
forca, o precioso germen do vigor e do cres-
cimento o licor org por essencia.
E arrastou Raspail a dizer:
O sangue o excitante ao pensameo-
to.
E' verdade qne o sangue como o fluido ner-
voso o vehculo da vida ou me'.hor da" vi-
vificarlo para todos os orgaos para todas as
moliculas da economa, e por que o seu gy-
ro de mais fcil percepeo que o do fluido
nervoso pareca ser-lhe exclusiva t5o imporr
tante pape).
Com) quer que seja nao passa elle de um
conductor desta vivificaco de que somente
ser capaz um principio immaterial activo
gerente de todo o funecionalismo orgnico e
nico para poder conservar a harmona ns
funecoes to diversas, em differeutes orgaos.
Nao se poder sem cahir no ridicul e na
blaspbemia sustentar a dualidade humana,
negando-se a existencia do principio vital.
A regularidade, a harmona, a ordem nos
phenomenos da vida repeliera a idea de ser
effeitos privamenle da materia, mas taes
phenomenos se notam nao s no homem
como em todos os animaes e em todos os
vegetaes. Se dep ndem elles do principio
que emanado de ueus constituem no homem
esta parte Dobre qoe o toma immortal o
que justifica S. Tnomaz, quando diz:
Deas creavit hominem inexterminabi-
lem (Sap. II, 23) ficar o homem equipa-
rado a todos estes outros s^res vivos; e ap-
parecendo a necessidade de graduaco de
perfeifJo do principio immaterial motor dos
actos orgnicos e que no homem 13o no-
bre que se considera como urna parte di-'
vina. ji
A pbysiologia de Hahnemam satisfaz o es-
pirito pensador e apoiada as san tas del-
iras
irietenom.
DI PODCO DE TUDO.
CoDtiouamas o seguiolearlgi do Sr. calo
coatcu d<;in:)'i em nosso numero 37.
A ELIICAO, O ILEITon R O DEPUTADO.
III
Exicuut'lu o plano trabado pelos nossos IegisU-
djre, o |)iz, necessari.imeul;, Ir ^s auf-rlr gran-
de vjuU0' m da reuuio das c.imar's; e realhar-
se-ba o pensameolo dos philjsophoa polticos: a
intjrveago, aiala que indirecia, do poro na di'
recri dos negocios e do goveroo da nago.
A i contrario jamis se vera ralisar a condicao
essoacial para a esbMSeia do vor-ladeir j goverQo
represen!alio ; des^ppareoera o equilibrio neces
sano para o eiercicio dos poderes do estado; e o
poder legislativo, d:scendo da altura em que o col-
loca a coQstiiuco, e d.sp uJo-se da digoidado e
do prestigio i que o revistem os bomens d) scien-
ciaeasnif's do mundo, representira nopal'
um papel seeuadario, e ser, em detrimento do po-
yo e em prejzo do paz, absorvido pelo p eicuiivo, ao qual onuca deye elle estar soj-ito,
para desenvolvimeoto das ideas pr-jveitosa-, para o
progresso e engrandecimento do pait, para a ga-
ranta dos direitos do povo, e digaidade e honra da
mel.
lufebz nenie nao censramos a queda do poder
legislativo por am temor li.lio de urna imagiuacao
apprthens'.va, ou de um espirito que, pessimista,
encare luJo pe;o lado do mal.
Os D.'Ssos parlamen'.os, composios, pela maior
ptrte, de bomens que representado a mri mas
que nao conhecem a parle do povo que os elegeu,
porque sua candidatura foi imposta pelo governo,
reunem se, e os nossos dignissimos; loage de se
oceuparem dos negocios Ce maior transcen lencia
e dos interesses vitaes io paiz, s tratam de de-
fender a poltica que os elegeo, de sustentar e (o-
verno que os patroclnou, de garantir a sua cadeira
para a seguiote legislator?, e de, manejanlo o di-
ploma, .segurar os seus interesses particulares, ea-
so nao se re.lisera a< saas pretencS -.
Isto mnito natnral entre deputados eleitos pelo
governo; porqn?, sem duvida algoma sao afilha-
dos deste, e os atllha los costumam sempre respel-
tar os padrinhos, em quanto estes os agradara e
prometiera fazer-lbes novos mimos.
Um deputado que nao eleite pela livre e es-
pontanea vontade do poro, nao pfle desempenhar
o sea mandato, como q 1er a nossa constituicao
e oem pode se chamar mandatario do povo, por-
que o mandatario deve ser pessoa de coofisnea e
de escolha do mandante; e este, que o povo, en-
tra as nossas perver idas eleigSes como Pilat >s no
credo.
Eleitos os depntados pelo goveroo; que se consu-
me interprete da vonlade do povo, nao podem elles
exercer o alto cargo de representante da nacao,
como seria para desajar, nao s porqua, em feral,
nao conhecem a parle do povo que os elege, como
porque nao receiam qu o povo os castigue com
urna repulsa em outra elm'go, caso elles nao de-
eodam seus interesses e nao proenrem o bem do
oait ; e Isto porque o governo os garante; sendo
portanto as necesidades e os Interesses deste in-
terprete da vontade do povo someule o que deve
occopar a attenca de Ss. Excs.
E' por isso que nos clamamos contra a Impnsl-
gao dos candidatos, e padimos aos eleilores que
conservem a sua dignidade, qoe despreiem a im-
pesicae do governo, que um ataque a' sua digni.
dude e a' sua turara.
Nao devem taoibem os eleitores acceitar, sem
rrfl ctir e de olhos fechados, os nomes qne lhes
apootarem os directorio?: porque os membros des-
le, como os du governo. quasi sempre, sao guia-
dos por interesse e conveniencias particulares -,
a luz qoe os alumia, quando apresentara es;es no
mes, nem sempre o a verdade, e as mos qoe
os escrevem nao se movem somente em favor dos
inlereses da nacao.
Demais, ura eleilor nao um Instrumento era
do governo e ero dos directorios; n5o um ho-
mem ceg", sem vontade e sera consciencla ; mas
um delegado do povo, ora deposijario do seu mus
sagrado direito, e que respoosavel, perante a
opinio publica, pera abuso qu delle 6zer. O elei
tor um homem aue deve manifestar livremenH
a sua voniade, que e a traduccao da do povo, que
o delega e que n'elle deposita a su ccnBanga.
Os eleitores, pois, eomprehenlendo a sua miado,
devero, seguindo os dictames de sua consciencia,
e.-colher para representantes da nacao cidadios de
illusttaco e de verdadeiro roereclmento, queco-
nhejm os interesses e as necessidades do povo
que os elege, e do paiz que representara, e que te
mam ser desprezados pela naco, seno desemp-
nharem perfeitameote o seu mandato.
m deputado nao deve ser um afllhad i do go-
verno, e nem um dos candatarios do m aarcha;
oorque se Ui afilhado do governo passa logo a" ser
*eu instrumento, e esquece-se dos interesses do
povo e das necesidades do paiz; e ss tu canda-
tario do monareba senta te nos degros do throno,
venda os olhos com o manto imperial, e deixa c*-
hir nos tapetes do paco o diploma que elle devia
conservar em suas mos levanlando-o o mais alto
qoe lhe f sse possivel.
Urna cmara constituida de individuos n'estas
condifes nao pode formar esse poder legislativa
com que sonh* a nossa coastituigo ; esse poder
que, iodopeudenie e conservando a sua autonomiai
deve manter com os oalros poderes do estado o
equilibrio necessario para o exercielo da forma de
go(verno que adoptamos; esse p der que tem de
vigiar e censurar o poder ex^cutivo, e de cortar
as suas azas quando esi^gizer transpor os limi-
tas tragados a espbera que Ih9 desuada para
seus v)s. Tal cmara nio representa a nacao;
uoa escaroeo lang moostruoso da corrupgo e roubo do mais sagra-
do dos direitos populares. Deve pois ser deputa
do aquella individuo qu fur capacaz de ser mem-
bro de nm corpo legislativo, tal como o pinta a
nossa constituido, e o jutz d'essa capacidade
somente o eleitor.
Asslm se a missao d'aquelle sublime e gran-
diosa, a deste tambem alta e importante ; e
quando elle a dse npenhar como deve, os nteres
es da nago sero vigiados, suas necessidades
satisfeitas, os direitos do povo garantidos, a dig-
nidade n3rional conservada era toda sua plenl-
tode, o plano da coostituicJo realzado ; e a patria
dar pm grande passo para o progresso, para a
civilisacio e para o engrandecimento.
O Herali, de Nova Yrk, publica urna
correspondencia, em que se resume a situa-
c3o de Maximiliano, e dos que o cercm :
t Mxico, 10 de dezembro.
O imperador publicoo, ha ponaos dias,
com o proposito de fazer conhecer os de-
sej'* que tem de convocar um conjresso
nacional, um manifest, de que provavd-
mentej tereis noticia.
Almd'isso, promulgoo j muilas leis
que tem por objecto prover s mais instan-
tes neceasi ladea do thesouro ; dea todas as
ordens necessarias para assegurar a organi-
sacao dos differentes corpos do exercito
Estes corpos auxiliados pelas tropas france-
zas qu i se acham ao 1 >ngo da lista; que
estas ulimis h5o de occapir at a sua eva-
cuacSo, dever) assejurar a pacifio^o do
paiz.
c O imperador recebeu n'estes oltim >s
da?, do general Baza qp, a mais solemne
certeza relativamente cooperacSo das tro-
pas francezas. O marechal ha de confor-
mar-se com as ordens do seo s > jerano, que
I e prescrevem concorrer para a consolida-
Cao da ordem e da paz; est pois disposto
a auxiliar o governo de S. M. em quanto o
exercito de occupacSo se conservar no p iiz.
t Acceitandoa coro do Mxico, o impe-
rador poz cotnj condic5o qui a vontade na-
cional fosse consultada, qne se lhe assegu-
ra se o concurso das furcas alliadas, e que
tambem que Ibe fosse perm'tt'do lancar
coutribuiedes extraordinarias, em presenca
da impossibibdade em que estava de prover
regularmente as necessi lades do thesouro
Para esse Gm assignaram-se tratados que
garantemo apo;o de urna forte e intima al-
lianca, capaz de assegurar a paz do paiz.
A guerra civil poru durou mais te n-
po do que se tinha julgaio, nao obstante a
mmeira de proceder do impera Jor para
com os dissideutes. Por outro lado, e em
consequenca de circumstanc as particulares
as leatativas de orgnisaco de um exercito
nacional encontraram gran les obstculos,
emqoanto que o gervico militar absorvia
lodos os recursos, o que forcava o thesou-
ro a recorrer: a custosos expedientes finan-
ceiros no estrangeiro, e a embaragar-se as-
sim cada vez nuis.
As cousas achavam-se ne^te estado
quando se soube que razes de estado im-
pediam o imperador Napoleo de continuar
por mais tempo a auxiliar o imperio com
as snas tropas e dinheiro. As tropas fran-
cezas come^ram quasi ao mesmo tempo a
concentrar-se, e evacuaram as principaes
cidades e districtos proporjao que o go
verno tem podido prover sua defjzi, em
consequeocia da falta abtoiata de forgas or-
ganisaas. A maior pirte das cidades,
deste modo evacuadas, foram oceupadas pe-
los liberaos.
A noticia da prxima partida das tro-
pas fraacezas deu nova coragem aos dissi-
dentes, e nos partidarios do governo teve
um effeito opposto. Foi enlai, no meio
de>tacrise, que se soube que os governos
de Franca e dos Estados-Unidos se dispu-
nhama iatervir, para por termo guerra
civil, estaoelecmo de accordo um governo
republicano.
As esperanzas que ogovenn tinha ba-
zeado no apoio firme e sincero da Franca
flearam ento destruidas ; e a luta intestina
que despedacava o paiz, contiuuou com vi-
gor novo. As cidades se n defeza fleavam
a merc dos dessilentes; o sangue dos me-
xicanos era iaulilmeute prodigalisado ; to-
dos os recarsos do governo trabara sido
empregados intilmente as despezas mili-
tares ; e as negociaces franco americanas
parecan incompaliveis com a cooservaco
do imperio.
Dspois de baver maduramente pensado
esta grave situacaj, julgou o imperador
que era do seu deve.- depor o poler su
premo qie lhe tiaha sido confiad, desde o
momento em que a pacific icio n5o estava de
accordo com a consoliJacJio damonarebia.
Nao queren lo ser um obstculo real sacao
deste prjjecto, o imperador propoz-se de-
mittir-se da sua croa. Mis antes de to-
mar esta resoluco, convocou o seu conse-
lho de ministros, e o ronseluo de estado
em Orizaba, onde entSo resida, por moti-
vos de smde.
Os seus conselheiros fizeram-lhe ob-
servar, que louge de por termo aos males
que sjffria o Mxico, a sua abdicado cau-
sara provavelmente, a ruina total do paiz,
a perda da sua independencia, e a extinc-
Cao da raca indgena. Fez-se comprehen-
der ao imperador que aquelle que susten-
tivam obstinadamente a luta, e que se op-
punhim aos interesses da sociedade e ao
bem estar da nacao, s elles eram respon-
saveis do sangue derramado.
Na defeza de interesses tao caros, im-
portava por em accao todos os recursos do
paiz, afim de organsar o exercito mexicano
n'urap estavel, de diminuir as excessivas
despeaas militares; e de empregar todos
os esforcos possiveis para salvar o paiz.
Emfim o imperador o3o deixa hesitar
em adoptar as medidas exigidas no receio
de prejudicar urna poltica estrangeira re-
lativa for na de governo, por isso que s
a naci podia determinar qual seria essa
forma.
Depois de baver ouvdo estas observa-
Coes, o imperador parecen convencido, e
perguntou a opiniSo dos ministros sobre
diversas queste pratica;, que tocam : po-
ltica interna, e a' administracao do paiz,
afim de qm o sacrificio a que se re^ignava,
o de ficar f- ente do governon5o fos-
se perdido e produzisse promptos resul-
tados
O as'nmpto que mais preoecupou a
attencao do imperador, foi a convocacao de
um con^russo nacional, no qual os cidadaos'
de todos os partidos e de todas as opioies
polticas poles em ter assento. Este con-
gresso decidir se o imperio deve conti-
nuar, e na negativa que forma de governo
seria prefertvel para o futuro ; tomar todas
as medidas proprias e vantajosas em pre-
senca da organisacSo futura do paiz, da
creado de recursos em relacSo com o or-
namento do governo, e da elaborado de
leis effisazes sobre a colnnisigao.
A necessidale de discutir maduramen-
te estas questes, t5o importantes para o
paiz, foi admittida pelos conselheiros do
imperador, e oconselho de estad) encarre-
go-se de as elucidar e de propor os decre-
tos necessarios. Quaoto ao nosso sobera-
no, est resolvido a c raservar o poder que
lhe foi condado pela nacjSo e provavel que
persista na sua resoluco
Pbfcou-se tambem urna circular do
ministro de estad de Maximiliano, na qual
aquelle unecioaario se exprime quasi nos
mesmos termos que o correspondente do
Herald.
A Patrie do Mjxco annuncia a hega la
de Maximiliano a Puebla. N-sga que 05 gri-
tos d i : morle aos francezes I morte aos
americanos tenham sido dado? em s'gui-
m^nto recente prochmacSo do prncipe
austraco.
O compositor Verdi ainlaconserva a hu-
milde casa onde nasceu, em Busetto. Para
ella se retirou depois do bom xito da sua
op^ra Nabuco e all com poz I Lemf>ardi.
Com^caram ento a invadir essa casa 08
empresarios pira pagar ao feliz compositor,
a preco de ooro, as suas partituras, e com
os productos destis foi comprando os tave-
n >s adjaceates. estando hojs convertida a
casa n'um majnifice palacio no meio de
grandes e ricas dependencias.
VSmtnme%=r~
Dous marinheiros, dous companheiros de viag^m
turnados Saaulers e Donald, que iraiiam mil e.
sessenta libras elerliaas, prolucto d'uma Mu
vtagoma' N->va Galles do Sul (Oceania) Je un
um desles dias n'uma estalagera do Wappin, com
a insignia Red Cap (o bouv verm-lbo).
O qoarieirj Wapjing, frequenlado qna clusivamente por marinheiros, e u,ra dos de peior
le.'n.ao de Lomrts, e a estala,em do bouv
vermelbo, "etjaixo da qual corre o Timisa, per-
lncente a um tal Tora H-ilsey. ura tratante de pri-
meira forja.
Os seus dous hospedes, tendo tido a impruden-
cia de mostrarlhe osen peculio, Hlsex os ?ssas-
-inou durante a noite a' machadadas, e os arou
as ondas do Tamisa.
Donald m >rreo.
B' este o primeiro ac o deste drama.
Saunders, >oli ule oas aguas sin.stras do rio in-
glex, mas rtsprar.do aiada, foi visto por um mari
oheiro d'um brigM fjud^ado na bada de Lime-
oouvre.
A equip'gem psscou e igou a' bordo esta espe-
cie de cadver.
O desajode viugar-se aniraava anda Saunders,
e apezir du suas profaodas feridas horrivais ao
v se, ella queria qoe o desembarcassero era Wap-
pmg para procurar Donald, raja m irte Igoirava, e
mata! naisey.
Oppozeram-s^ a ist >, mas tres das dep As, Saun-
ders, aiola mu;ti fraco para ira p, porm p>deo
do supportar o carainho de ferro, tomn seu bilb
te, voltea a' Lo idres, e ve ido n-n poUeemn, pe-
dlo4he que n ac mpaoh sse at Wapping.
O agente de polica CO oaauniou Ibe que Hilsey
tinha desapparecil i. Saunders conloo como elle
tinha escapado ao machado do bandido.
Decidiram-se a ir immediaiamente a' estaco de
polica, na volta d Wapping.
N i mesmo instante, o trem de passagelros do
caminbo de ferro da Extonsao enfava assobiando
na estica'. Sauolers, a quera sua recente f-rida
linha deixado em um estado de grande agiu:;i>
febril, lancou de repente ura grito de aniraal
feroz.
Hilsey I Halsey I
E ligeiro como o relmpago, saltn para baixo
da plalafjrraa, atravessou a lioha, dirigio-ss -para
um wigou, e agarrou pela golla ura viajante melti
do o'uma especie de capote, e arraucou-lhe o cha-
peo, exciamindo :
E'Hilsey I Prendam este assas-in) I
O viajante unha-se tornado lvido, e trema em
ioo o corpo. Era com effeito Htlsey.
Halsey tinli estalo escondido desde segunda at
quarta feira em casa d'um homem que empresta a
dinheiro sobre peahores, seu amigo.
Mas as autoridades teodo promettido a sirame
de 4 libras esterlinas, para sua prisao, e i-m n lo
que o amigo nio o vendase, liaba se decidid a
fugir de Londres, e giihar ora porto de mar, d'.ra-
de podesse partir para a America.
E-pera-se neste momento o seu julgamento na
priso de Newgate.
Siuoders esta' no hospital, com ura accedo de
febre terrivel, que anda nao o deixou, desde o da
era que teve a feieiJade de depora mao sobr.-
Tom Hilsey.
I) p us da felicitada do escapar dos golpes d'um
ladro e d'um assassino, que prazer nio deve ser
o de faz lo prender, e provavelmente entorcar I
O conselho federal suisso votou a somma de
45000 francos para o grande pavilho suisso, que
seconstrue em Pars no parque da Exposicao uni-
versal.
Do jornal La Patrie, transcrevemos o segninie
(acto :
Hi cerca deum mez o Sr. X...., livretro, ar-
rumando as suas estantes, deu por falta d'um vo-
lurae de sciencias. Jalgando ler sido roubado, re-
parou attentamente as pessoas, queparavam dian-
te de sua toja.
Segunda feira passada, pelas 8 horas da noite,
veto um mojo miseravelmeote vestido apoderar-se
d'um livro e esconde lo debaixo de sua capa.
O Sr. X... ia I lucir---8 sobre elle, quan lo sua
grande admirado, o ladrao substituto a obra, que
tinha tirado por outra quasi semelhaole.
U Sr. X... reconheceo o volme que Ibe falta-
va, e admirado acompaohou o mogo, que entrn
em urna casa u'uraa ra vlsinba.
Perguntou ao porteiro se elle era locatario da
casa ; quelle nao fe/.-se rogar, e contou o que sa-
bia a respeito do rapaz.
< E Id cbamava-se A..., estodante de medici-
na -, veio habitar aqu em ootubro.
Parece que sea pai qoe era viovo, morreu de
affl cao, depois de ter perdido toda sua fortuna na
Bolsa. E" un mog) de muita probidade, senb >r,
c mtiouou o porteiro. Eile lio infeliz I mora no
sexto andar ; nunca faz foo em sua casa. Dei-
ta-se a' noite ai eatrar, porjue nao tem com que
comprar luz.
O Sr X... asss informado,agradecen ao por-
teiro, e subi.
No dia seguiote, o joven eslodaote recebia orna
carta, acompanhada d'oos viole voluraes. E-u re-
messa inesperada o poz estupefacto. Rasgou a ca-
pa, eH'.ou aioda mais admirado encontrando n'ella
ama ola de cem francos.
A carta era concedida oestes termos :
t Seohor :
Acharis jontw os volumes necessari a os
vossos estados, tomo a liberdado de vo-ios ofl ir-
ceV vos me pagareis, quando qoizerdes. Os cem
francos oto v5* de minha parle, mas sira do don-
tor que um dos mtras freguezes, e ao qual
contei a vossa posi^io. Elle nos espera amaobaa
em sua casa..'
VossoaffeljoadoX...
Avalie-se a alegra do estunante ; elle Dio po'ia
acreditar em sius olhos. Foi agradecer ao livreiro-
e nao deixou de ir a' casa do dootor X- que
urna de nossas celebridades medicas. O estodante
acha se d'ora em diaote ao abriga da necessi-
dade.
Aanunca-yc, segundo dzem de Pars,
urna innovjca*) no onamento dos trajos fe-
minis; o amoar vai substituir o ateviche, e
d'aqui por di inte tudo ser mbar.
O mbar mus f io, mais mais caro,
e se urna gu&rnic5o de azeviche custa agora
quatro libras, a de mbar custar dose.
Eis a-pi a lgica da moda.
Ujta folha de Vienna, refere o segninte
fado:
A esposa de Teschenberg, director da
Gazetla de Vienna, urna d is mulheres mais
formosas di Austria, achava-se em um
ba.
Depois de ceia ia a retjrar-se com seu
esposo, mas ouvindo qoe se ia ainda dan-
sar urna \*alsa, deteve-sa, tirou a capa que
lhe cubra os hombro* us, e entrou nova-
mente na sala, oude foi convidada por um
individuo com quera principiou a valsar-
Momentos depois cahio morta nos bracos
do seu par.
O esposo da infeliz senhera enlouquecen
no momento em que lhe eniregaram o ca-
dver.
A municipalidade de Paris acaba de distri-
buir pelos b imbeiros e sap^dores trajes de
amiantho, dos quaes se fez previamente um
ensaio. que deu ptimos resultados.
Desde o anno de 1800 at 1861 foram
instigadas em Madrid 460 pessoas, condem-
nadas mo.ti pelos seguintes enmes :
Ura regicida. 2 parricidas, 19 homicidas,
14 por homicidio e furto, 11 por roubo em
espovoado, 4'J rouOos, 18 dtlictos polticos,
18 por suspetos, 1 por encubrir crimes, 6
por fabricar arm is, 6 propagadores dd no-
ticias falsas, e 333 por dbelos desconheci-
dos.
Desde lc61 a esta parte deve ttr aujmen-
tado notavelmeote esta cifra.
A Inglaterra tem ltimamente importado
quantidades enormes do algodSo.
S ds Estados-Unidos vieram desde fins
de setembro 15J a llO mlh5es de duros
em algodSo.
Os prelados ir'andezes aconselbam aos ca-
tholicos qu; se abstenham de bebidas espi-
rituosas aos domingos, porque ao abuso
deltas sao devidos quasi todos os crinvs.
Ha em todo o mnndo 867 dioceses catho-
licas, ten lo sido creadas 3 no correte an-
no, duas na repblica do Equador e urna
no Canad.
De todas estas dioceses sao 231 in par-
tbus infldelium.
Ha t3l dioceses vagas, das quaes 82 na
taha.
Os vicariatos c prefeituras apostlicas sao
129.
Era muitos p ralos da Alletmnha e do imperio
austraco os naturaes consomem cada dia nma
pequea quanlidude de arsnico antes das re-
fecO'S.
Pnocipiam por urna dse mnito diminuta, e
vao ebeganao gradualmente a dos s bstanle ele-
vadas,
As mulheres attribuem a esse regime a fres-
cura e morbidez de carnes qoe as distioeuera
Dizem os caladores que a sua respiracaa se
opera assim mais fcilmente e que se faz mais
supportavel a fadiga.
E-tes fados sao curiosos, roas nao tanto como o
qoe cita urna fulha de Boston.
Conta que om individuo atacado de phtysica
pulmonar, enfermidade hereditaria na sua familia,
enmecou em 4854 a tomar urna porco diaria de
arsnico em altas dses.
Passa los alguns annns, estava totalmente corado
cora excelente sade.
ltimamente toraoo na presenca de om medico
vinte ceolfgrammas de arsnico solido, e lancoo
diras centlgrammas em om cigarro, que fumon em
seguida.
Le-se n'omi folha de Pars :
Corren honfm de tarde que se tinha commetli-
do um crime horrivel em Passy.
Affir aa-^e qne um personagem russo de distlsc-
ci i tioha cortado sua molher ero pedacos e fizera
nm horrivel banquete com as carnes da vic-
tima.
E's aqni o que deu lugar esta narracio, fon-
dada at ceno poni.
N'uma casa da avenida oe Passy viviam em san-
ta paz os esposos K. de origem rossa,
O marido, professir de hebreo, aoseatava-se do-
raote todo o dia, e voltava ao anoitecer para
jaotar.
H mtero, logo qoe entrn na sala do jaotar,
precipit.in-se sobre *roulher, exclamando : Hei
d->. te cora-r ; e Kraqcou'a' desgracada, cem os
dentes, nma par- do tfariz, uraa o elha, nma parle
do hombro direito e cnollnuava a devorar litle-
ralraente a sua victima, quando aos gritos d'esla
acndiram vi*inh's que, com grande dilBcoldade,
poderam seBhr.rear-se do* furioso, dSo anda sem
terera sido mordidos por rito
Di exame a que procedea om facultativo na
pessoa do Sr. K... recooneeeo-se qn elle nao
tratno tio croelroeote a sna spoea senio sob a
influencia d'om accesso de alienago menl I.
A Sra. K... foi eooduzlda ao hosp'elo de Beao-
jon; a soas feridas aioda qoe graves, parece qae
nao p8era a sua vida em perigo.
O oleo de figado de bacalho ferruginoso
de Chevrier, pharmaceutico em Paris, subs-
titue se om mufta vantagem' as pillas e ao
xarope de todureto de ferro mais fcil de
tolerar-se para as pessoas delicadas asseme-
Iba-se muito mais bem e qao, provoca a cons-
. pac5o.
Deposito em Pernambuco, casa deP.Mai-
rer ct C, ra Nova n. 18.


. S
V
i
TYP DO DIARIO-RA DAS CRZES N 44.
*
V

aWl


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EA026ZKAT_HBBH41 INGEST_TIME 2013-09-04T23:35:39Z PACKAGE AA00011611_11197
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES