Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11192


This item is only available as the following downloads:


Full Text


ANNO XLIII. NUMERO 35,
PABA A CAPITAL E tlVBE O.XOE SE WAO PAA POBTE.
Por tres eies aiuwudos
i
l *
I.

"

i
/
r

/
I
Por umaono Me*.. ......... SS
TER^A FEIftA 12 DE FEVEREIRO DE 1867.
ABA DEIVTBO E FOBA DA PROVINCIA.
Por tres mrzes idiintados........
Por seis ditos dem.............. ......
Por nove di los dem.......... .. .; .'_ ['_..........
Por ura auno idea.

=
A8sasr-ai
6750
13,5500
204250
270000
EXCARMEGADOS
miiwi mu w mflTOia nmnM m van* mm m neniiMUM
DA Subscripto.
I'arahyoa, u Sr. Awomo AiauoQr.no de Lima:
nkr / ,AQtuni Marques da SIva; Aracaty.
J^'d'6 'emos *ra*1 'Mr, o Sr. Joaqun,
\i, iv-u'ra ; Fara> Srs- Gerardo Antonio
Alves '-.Ojia; A!acnn> n Sr tVinUn^T.....,_ .... n..
Baha, o &
o ~
MAttTlUA O S >7aO.TAS.
Olinda, Cabo, Escada e esiagoes da vi frrea al
Agua Pruia, lodos os das.
Iguarass e Goyaapa as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerrus, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom Con-
selhn, Aguas Bellas e Tacarat, as tergas-feiras.
Seiiobem, Rio Formoso, Tamaodar, Una, Bar-
eTris' ASUa PfeU 6 P,,nen,eira?> Las lumias
AUDIENCIAS DOS
Tribuna
TRIBNAES DA CAPITAL.
do commercio : segundas e quintas.
Keiagao: torcas e sbados as lu horas.
.> =
. Pao d'AlhJ, Nazareth Limoeiro, Brejo, Fesquei-a.'l faienda*: quintas as7oToras
Sr. Jos iibPiro GasMrfnfio n'eira> "rf' Vi"a Be,',a G,"rot, 8oaVJ* Julio do cominera"; segundas
la, Ooncnry,Salgue.ro e Ei, as quarlas feiras I Dito de orphos : tercas e sex.fs as > boras.'
Pn'meira vara do civot:
da.
Segunda vara do dtol
1 hora da tarde. -
le. fas e sextas ao meio I
: qtisrtas e sabbades
EPHEMEftlDES DO MEZ DE FEVEREIRO.
4 La nova as 8 h., e 24 m. da i.
II Quarto cresc. as 40 h., e 48 m. da t.
IS La cbeia as 4 h., e 59 m. da t.
2 Quarto nping. as 8 b. e 40 m. da m.
ART OFFIG AL
DAS DA SEMANA
II. Sejmoda. S. Lzaro b.; S. Cor-ero b.
n <**.: c J?.*rcel10 *J&- Eulalia"v.*m.
14. Quinta. S. Valenlim m.; S. Aoxencio.
15. fcexta. Ss. Faustino e Jovi.a rain,
ib. Sahbado. S. flaymundode PeEafort c.
17. Domingo. S. Potycrouio b.-, S Romnlo ro.
>VEKn> |>A PROVINCIA
Expediente do dia 18 de Janeiro de 1867.
N. 7aO.-umc.io ao Exm. presidente das Alagas.
Kogo a V. Exc, que se digae de expedir soas
ordeas, para que saja remanida a ihesourana de
fazeDda desta provioc^a a guia do priraeiro sargen-
to ref.rmado do exercito, Canuto Cau lido Ramos
que asslm o solicita no ioclu?o roqoeriment, sobre'
que lolormoo a roesma thesouraria, em offlslo de
13 do rorrete o 816.
N. 7I.-i)ito ao provedjr da Santa Casa da Mi-
encoidia.Km visti do que me represeolou o ma-
;r lurnraao'lanle di corpo de polica, eo> offloio de
; do correnle sobre qoe v^:t a sui informaeo de
14, sob n. 46, tmuda V. Ex-, admutir no respec-
to ho ajiha recolht*) no q .artel de polica, Arando V
xc.certo de que esia dala, e em vista do qu
pouderon em sua citad; informacao, me dirijo ao
txm. Sr. ministrlo imperio, rogando-lbe qu se
sirva ds providenciar no spotido de serem admili-
dos no hospicio ae Pedro II, alguos dos alienados
exisl-ntes no hospital de Olinda.
N. 721-Duoao presidente do lnboo.il do CODJ-
mercio.Com o offlcio de V Exc. de 13 do corren-
te, recebl as copias da> actas da eleifo, a que se
f.roceden no dia 7, para deputados e s'noplentes dos
mesmos ni-sse tribuual.
N. 723.Dito ao general commandante das ar-
mas.A V. Exc. sera i apresentados para o ser-
vigo da guerra, os guardas naciooaes do 9.' b-.ta-
inao de o inda Francisco Pedro do Cirmo e Ma-
BOffl Anlouio Ribeiro.
H. 724.D.io ao mesmj.Srva-sn V. Exc. de
mandar por em liberdade, o recruta Elias Jos Ro
urlgues, visto ter provado isenco legal.
N. 725.Dito ao mesmo.Por parte do Dr. che-
lo de polica serao ^presentados a V. Exc, para
mencloaados na relaco inclusa.
N. 726.Dito ao mesmo.Com o offlcio do Dr.
chele de polliiu de 17 do correte, remello incluso
v requerimenio, quj me dirigi Francisco Jos do
fcacrawentD e Silva, afim de que V. Exc. se sirva
deuif.ircuar acerca Uo Damero dos recrutas ?pre-
sentados pelo snpplicante, de:laraodo quaotos fj-
rain auroveitados.
N. 727.Dito ao mesmo. Sirva-sa V. Exc. de
mandar por a disposico do Dr. chele do polica, o
recruta Baroab Antouio dos Santo-, que recla-
mado como escravo por Manoel Antonio da Silva
Moreira, afim de que possa aqoelie magistrado ve-
ndcar a idenudade de pe>soado recrutapo.
N. 728. -Dito ao raesnfc*Sirva se V. Exc. de
mandar por em bardada ps baialho o. 11 d^ iofaolaria designadas para o ser-
VV) da guerra, Joaqtiim Das tima e Joaqo.m
francisco do E-pinto Santo, visto que firam con-
_ sidrfados incapaces em .osnecco de saude, como
V. Exc. declara em seu offlcio de 17 do correle,
A* n. 1397, qu.e fica assim respondido.
N. 729.-Dito ao mesmi.Faco apresntar a V.
Exc. afim de que Ins d o cooveoleole destino de-
pois de inspeccionados o> refirma* Frmcisco Bor-
ges Pereira Birn-ib Antonio dos Santos, que me
oram remetnd.is pelo tenenta recrutadcr d) Olin-
crutas, diz ser escravo de Manoel Moreira da Silva
morador as Ciaco-Pontas.
N. 730.Uito ao mesmo. -Faco apresentar a V.
Esc. aOm de t^rem o eavealente destino o> re-
crutas Aotonio Ciciliaoo de Souza, Damiao Vietra
de Aranjo, Amaro Vicente Pamir, Lourenco Pe-
reir de Alcanura, Manoel Monteiro de Mello, Ma-
noel Marcellmo da Co-la e Mmoel Severino dos
Santos, aparados no termo de Igoar.aBS.
N. 731.Dito ao-Br. chefe de polica.Mande
V. S. ayreseoiar ao brigadeira cimmandante das
armas os 13 recrutas, cujos mmj's constam da rea-
cao annexa ao seu office- n. 1871 de 17 do correle,
que_ tica assim re-poadido.
N. 732.Dito ao rsosmo.RenTetto incluso o re-
querimenio, em que Maooel Aotmio da Silva Mo-<
reir, reclama corno seu "^ivo o pardo Baroafi,
que foi reerulacio no ten.;...de Olinda cora o nome
de Baroab Antonio dos Santos, para que V. S
mande verificar a denudarte depessoa, ficandocr-
to da que o commandante das armas, tem ordem
para pdr a sua ditposlcSo o recrutado.
N. 733.Dito ao n-pi ctor da thesouraria de fa-
zenda.-Commuoico a V. S. para seu coohecimon-
l>, que nesla data expeco ordem para cu t do aviso circular do miolstsrio da jvtstiga de 3
do correle, junto por copia, sobre hypotFiecas le-
gaes da fazenda nacional.
N. 734.Dito ao mesmo.-PdeV. S. entregar
a.o lente do corpo de polica Joo Pereira Lag >s,
afim de condotir ao sea destino os 2:6005')00, qu
l essa thesouraria tem de re.netter ao coilector do
muncipio de Flores, para pagamento era 3 mezjs,
dos veacimentos dos guardas nacionaes destacados
ua villa de Ingazeira, segando consta da seu oflhi >
yendo abonar-se ao mencionado tenante o puantua
tivo necessarie para urna bestade bagagem na sua
ida e volta aquella comarca!
N. 73o.Dito ao mesmo.-Auteriso a V. S. de
cooformidade com a sua informaca) de 15 do cor-
rete, n. 826, dada acerca do reqaer.menio, qoe
inclaso devolvo, a mandar dispender sob mioha
respoosamiidade, nos >armos do decreto ri. 2884 d >
i de fevereiro de S62, at a quantia de 3864327
-eis, com o pagamento da porceoUizem peneocenie
ao exercic.o em llquidaco de 1865 a 866, e qas
.: venceraiD no corrente mez, os empregados do juizo
dos fmos desu provincia, visto nao haver crdito
para psse Om.
N#- 7.U\TDil ao insPector da tbesjwtaria pro-
vincial Respondeodo ;o seu offlcio do 15 do cor-
Frente, sc-b n. 645, a que veip anpexo# certificado
que incluso devolvo, relativo asegunda presiaco
. da obra da ponte sobre o rio Aranpe, tenho a di-
zer, que pode V. S. conforme indica no citado offl-
cio, mandar pagara impoitancia da prestacao de
que cima se trata pelas sobras das consiguacSes
da le do ornamento do exercicio prximo fiado, le-
vando-se essa despeza ao 7." do artigo 14 da le do
ornamento vigente, visto nao haver-se marcado ere-
dit" para a cootinaaclo da pred.ta obra.
N. 737.Dito ao mesmo.Mande V. S., se nao
tioaver tocoaveaiente, pagar a Marcolioo Fcrreira
da Luz, conforme soliclou o commandante supe-
rior da comarca de Santo Anto, em offlcio de 13
do corrente, os venc melos relativos ao mez de no-
vembro oltimo, do destacamento existente na Esca-
cada, os quaes constam do prel jaolo em dupl-
cala. K '
u 7a8'^'"iao director id arsenal de guerra.
Mande V. S. foropcer o cartuxame de mosqueta-
ria, que Ihe or. requisitado por parte do comman-
dante snpenor da guarda .iiacional do Recife para
7 lTou^Tf f?ne!?re* eslylo ao finado cone-
dem da Roa &'ms' fefflc,al da or'
r ?' 79'7Dit0 ao cmraandante superior do Re-
c.fe -Tendo por porlaria desta data, de .onformi-
d.de com a sua informac30.de 24 de ootobro ultl-
mo, sob n. 335 transferido para o servigo da re-
serva, fleaodo aggregado ao respectivo 3. corpo o
talleres da 3.' corapapbia do 6. batalhao deste ma-
niclpio, Ignacio Xivier d Costa j assim o commn-
v \Yn S Xara sea CODhcimeoto e direceo.
N 740.Dito ao mesaio.-Mande V. apostar
em frente da igreja do Coruo Santo, boje s 4 b
'ras da tarde a forga qoe for praciz? para fazer as
onras fnebres do eslylo ao Girado con*go Placido
| Antonio da Silva Santos, offlcial da ordem da R>
I si, Bcando V. S. ceno de qoe o director do ar>e-
I nal de guerra esta autorisadjo a fornecer o carla-
i xame, que para semelhante fioi Iba for requisita-
do por essa commando superior.
A. 741.rr-.Diio ao commandante superior de Na-
zareib. Cooceendo nesta data, de cooformidade
com a sua mformago de 3 do corrente, a passa-
geinque pedio o capitao da 2.' companhia do ba-
talhao n. 18 Francisco Lourenco Bezerra Miriobo
Fa:cao para o de n. 20, ambos desse municipio,
assim o comraunico a V. S para seu coohecimeu-
lo, e aum de que loe tnaode passar a competente
N. 742.Dito ao commandante superior de Olin-
da o Iguanss. Tendo sido considerados ncapi-
zes do servigo militar em inspeccao de saiile, os
guardas naciooaes do batalhao n. 11 de infamara
do municipio de Iraarassfi, Joaquim Das de Lima
e Joaquim Francisco do Espirito-Santo, segundo
deeiaruo-me o general commindanto das armas
em offlcio de 17 do corrente, sob n. 1,397. assim
o conimuolco a v. S. para seu coohecimeoto, e
anm de que expeca as suas oreos, para serem
quanto antes substituidos.
N. 743.-Dito ao juiz dos feitos da fazenda.
Oommunico a Vrac. para seu cooheciraento. que
n^sia dan eipeco ordem para cumorimHDto do
aviyj circular do raioistario da justica de 3 deste
raez, junta por copia, sobre tiypothecas legaes da
iizenda nacional. .
i' 7,ii--Dit0 a jai* de direito de Nazaretb.-
acnando-se lucomplea a collecco de mappas, que
se reere aos irabalhos d jury desse termo e com-
marca oo anoo prximo passado. devolvo-a para
que Vmc. supra o qoe Ihe falta, reraelteodo-a com
o mappa, que menciona a naturalidade dos ro.
ecommen1o-ihi ia*lmont-, que mioisfre o
mappa das hyjothecas inscnpias, n. 27 e das ale-
oagos de immoveis, n. 28, que ihe cabe remeiter
5%ff* deCi"e'o n. 3,572 de 30 de dezerabro
de 186j.
N. 715.Dilo ao juiz de direito de Palmares.
leudo o juiz municipal do termo de Barr.-iros des-
si comarca ministrado por intermedio desse juizo,
emi otBmp de 7 do correte, o mappa do movimeo-
m oas prisoes simples pa'a a eslalistica peoiten-
uan, c ja fcrniagao incumbe ao chefo de polica,
devolvo-o incluso, arim de que o mesmo ittlx o re-
roe"a_que|ia autondade. %
-Circular aos juizes de direito.-^-Be
PREAMAii DE HOJE.
Primeira as 9 horas e 18 m. da mioha.
Segunda as 9 boras e 42 minutos da larde.
PARTIDA DCS VAPOhES COsTEIROS.
Para o sal at Alagoas a 14 e 30; para o norte
a.c a oraoja a 7 o 22 de cada mezj para Feroao-
do nidias 14 des mezos Janeiro, marco, maio!
jalho. setetbroe novembro.
armas.O Exm. Sr. conselheiro presidente da pro-
vincia, manda declarara V. Exc, que em vista do
seu offlcio n. 1391 de 15 do crreme, offleou se ao
commandante do brigue barca- llamar ac para
mandar apresentar no qoartel general o cuarda
nacional Joo S'lvesire Lopes.
N. 761.Dito ao Dr. chefe de polica.S. Exc.
oSr. conselheiro presidente da provincia tendo por
portara desta daia concedido a Maooel Jo- Fioa
Lima, a exoneragao que pedio do cargo de 2 sua-
pleote do disiriclo de Pedias de Fogo era Goianoa :
ass m o manda communicar a V. S., alim de que
proponm quera o substaa.
N. 762.Oao ao coramandaote superior da co-
marca de S. Anto.o Exm. Sr. conselheiro pre-
sidente da provincia, re-pondendo ao offlcio de V.
lado de 25 do corrente, em que V. Rvma. me de-
clara nao haver prxima a essa matriz lugar de-
cente em que pos-a depositar o S*olissirao Sacra-
mento durante o lempo das elei;oes, a vendo cu
que essa resposta j ua chegue a lempo, descanco
na persuado de qa V livraa. provavelmeole ha
de ter cousumido as Sgralas Formas, ama vez
que nao pule ter em lempo tolucao.
Espero que em eccald.-s d-stas se anticipar a
consultir-me, alim de ter a resposta em terapo.
Concedo a licenga que Bmesm> citado afflcio
pede para vir tratar de ngqcius tendiles a
matriz.
sua
giao olfidal para os brasilelros;
1* Admissao a' matricula graluitamente e
todas as aulas de lostrucgo secundaria e acade-
mias, escolas ou facaldades scient Ocas do imperio,
dos pobres que comprovarem tal estado; admissao
do ensino livre de todas as materias, desde as pri-
meiras lauras, orna vez que os profesores-nao exi-
Fago publico que o Exm. e Rvm. Sr. in-
. datado de 13 do convnte, manda declarar que a teununciO apostlico em d ita de 25 de ianei-
E^b"^'^1 nm or,,era para pasHr a ro d0 eorreQteanoo autorisou o Exm vi2a-
tfftS^^ SSJ^^Sr^^^\o capitular para d.SBensar o. Skrtifi
fflra suspenso do exrciolo de
juiz de paz do l-.distncto, sobo fundamento de nao
ser a sua residencia efectiva e permanente nesta
ireguezia, mas sim em Nazaretb, onde constante-
mente habita com sua familia, e cuja localidade
sendo um dos arrebaldes da.capful, pertencenie
ao 3" divnelo, fr^guezia da Triadade.
Forgoso o confessar qoe embora o Dr. Mach-r
jara retnb ligio ; iostraeVao"nnm7ria"obri7ato'rifa" 'mnJieoCaaSlnJhPAmC'r,,:ilWc,0 .Dde de dia per"
Aot MalolftbeiOT. ^ "" qU4rt91 sen8Ml d0 commando
iralisag
^s^fisa&s^ss^^

nrativa, Cer que a
lant-s do pret que em
citado offlcio.
duplcala veio annexo ao
Ocio
da hypoiheca
bens immove
proceder a inscnpgo
legal da fazenda nacional sobre os
sis de seos responsaveis, declare na
columna do livro D. 2 destinada polo art 218 do
reulamento de 26 de abril dp anoo passado >os
Zll ef,,pla<,3. dae os mesmos beos fleam su-
jeitos tambera ao juro annu. I e 9 /. na coufor-
de 1848. "'" M d3 le' m da d- ol{ihro.
N. 747.Dito ao juiz municipal da 1.' vara.
l0' Vm=; loclcsa guia do sentenciado
Luiz de Frauga Ventana, que se acba sera ella na
esa ae d|tengo, como consta ri i r oueriraeulo,
qUv nlo da? ratDeWo a esse in-
nf' 7i8-_,D,1 ao corara-iolanta do corpo provi-
p1pdePollt'ia--D^.goe Vmc. ao tenante Joo
freir Lagos, ora ad lido ao corpo sob seu cura
A?in!?ra ir a """re* de Pl-v-". cooluzindo,-
-.UW9UUU, que inspector da thesoiirarla de f
z-nda lein de remetier ao collectr'o*aq]-|lo mu-
nicipio para pigamento dos venc:mentos dos cruar-
uas naciooaes destacados na villa de Ingazeira/ de-,
veudo fizer constir ao meociooado ten-ote, que
masma thesouraria lera ord-m para abonar Ihe o*
ijuaniitativo neces^arfo para urna besta de
g6N %nm n a 8 volta a fnliU comarca,
i.fi i ~ ao mo.Por portara desta
uaia resolv. apozentar com os venciraentos corres-
ponientes ao lempo, que contara de servlcd os ca-
nos da esqoadra do corpo soo seu commando Ma-
nuel Marques do< Santos e Jos Joaquim de Soma
Puntes, que forao) considerados neapazes em in=-
peegao e sanie. O que commuuico a Vrac. para
seo coobecimeoto.
JL '--B0 ao m3sm.j.^_Respoodendo ao seu
Til m d0 c:rreD[e. fnbo-a dizer-lha que nes-
,, rl?. li? aj desembrgador provedor da San-
ta ws de Miz'jricordia, para mandar admittr no
respectivo hospicio o alienado Pedro Jos da Cruz,
de que (mu o ,en ctalo offlcio.
-V /al.Dita ao capitao do porto.-Manie Vmc.
por em liberdade o recruta Juveoal Rodrigues de
za, visto que, segundo consta de seu offlcio de
OVEREO DO BISPADO.
SEDE VACANTE.
Expediente do dia 26 de Janeiro de 18 57.
Offi io ao vilano de Santa Luna do Sabugy.-
Pelo seu offl ;io de 9 do prximo passado Qco scien-
te de b .ver V. Rvma. oesse mesmo da tomado pos-
se e eotrado Da regencia de>sa freguezia na qnli-
dade de vigano collado da roesma. Espero qoe V.
Rvma. administrara essa piro/mia com o zelo e
candade que devem caractensar o pastor cathol.co
, D to ao mesmo Neia data auloriso o Rvd. Ma-
noel Cordero da Craz, vigan i da freguezia de Pa-
tos, para por esta vez numerar e rubricar os livros
que lem de servir para o u>o dessa matriz.
Fica asslm respondido o seu offlcio de 12 de de-
zerabro lindo.
Dito ao vgarlo da freguezia de Patos.Autoriso
a V. rtvma. para, por esla vez someote, numerar a
rubricar os livros que tem de servir para o a matriz de Santa Luza do Sabugy, os quaes Ihe se-
rao apresent.dos pelo respectivo pancho.
28
Offlcio ao vigario de Alagoa Nova.Pelo seu o-
do 22 do correle me consulta V. Rvma. sobre
o segninie caso, acontecido oe>sa parochia :
Un parodio qoerendo receber em matrimonio
vagabundo re si-
para esse fim
estar informado do
. e desempedi lo, na
forma da Const. Tnd., sesso 24 e Cnst. do ar-
cebispado, liv. lu. 70 no mero 209 -e enran do
S. Exc. Rvma. mandado de casamentd para o
dito parocho se receber em Matrimonio, acoate-
lo parocho para asslslir aoSacramento do matri-
< momo de seus parochianos adepeodeDle de l-
* cenga por escripto recebe rrandado que aotori-
sava o vigario para fazer aquella casamento ; e :
seui qoe ih-o comraanlque, assj, tu, apresentaudo somente depoi o mandado ao
vigario.
E pergunta V. Rvm., Io se e?l valido esse casa
meato : 2o se o p.trecho, tendo recebido o manda-
do p da dar licenga a qualquer outro sacerdote
para o mesmi fion, nao obstante ter vinlo no man-
dado aqtorlsagao s para elle.
Em re-posta t-nhm declarar-lhe, qoe est val-,
du o casamento, por que o coadjutor se achava au-
tnsado pelo parocho para assistir ao sacramento
do matriinoiio dos seus parochianos tndependente '
capitular para dispensar os oradores
constantes da rehop abaixa.tra iscripta, nos
mpeiimentos de ajgntdade licita em pri-
meiro grao igual ija linlia lateral e dj se-
giimio grao attingeai^ aoprimeiro de consan-
guinidade na linta lateral.-
As pessoas portmto qtie tixerem de pro-
curar alguns destes -d'equerinientos, podem
dingir-se a secretaria do bispado no palacio
da Soledade.
Recife, 9 de fevereiro de
arapliando-se os poderes^ "das" a^eraa provn' TLTZLZf^-* mv*d,a CPID a sua famila
class o das eimaras muoicipaes; ^ ludo quinto seu, o em,Naareih; por este lado
4 Tem)orariedade do senado, suietando so'm^fif';"c5mHb,ter os m.0,ivu3 ogoverno para
metade de seus membros a' novl eeigao de 8 em^f"'* \"iS*W?'' p0,i <,e,POr rao,-
annos: soSnsaami d.i aumII mnon.i ... J I "os 'u,ies Ia denaram de votar em urna Iraguezia,
substituida pelas malcras das votaefias ;
o." Subdlvlsao dos actuaes disirictos elelto-
raes, de maoeira qoe cada um nao ri mais do
nm deputado geral e proporcionalraente os n
ae I "
mudado para
provinciaes
6. R^vo^ago do decreto n. 1096 de 10 de se-
tembro de 1860
t-forma da guarda nacional, dividida por
votantes que ha pouco se haviara
ostra.
M3s erabora actos taes sejam justificaveis, sem-
i sao mal vistos ou antes mal comprehendidos
os opposicionislas, e rouilo mais sendo a sqs-
uas vesperas, por assim dizer do da da
|pensao
i eleigao.
Os jomaes ah vo, e por este lado apreciar o
Diario, como as coasas por aqu cerrera; en-
S&K *&itZ^^$?% I \
eleigao dos

e Generosa Mara d
bagas
e Joanua Maria da
de.hcenca inliviJual
>12 O parocho poda dar licenga a qualquer sa-
cerdote, cmtiora o mam) ido de casamento o auto-
risasse sa elle; porque os parochos admistram os
sacramentos por si ou por ouirem; e alm disso
nao poda o mandado ser passado desaira forma.
E' islo o que tenho a responder, devndo V.
Rvma. ficardescaogado sobre a validada do cala-
mento era questao.
Duo ao vigario da Upanema.Atlenlendo ao
que expoe no seu offlcio de 17 do corrente, nesta
data oscedo licenga ao Rvd. vigario de Aguas-
Bellas, Antonio Eustaquio Alves da Silva, para por
esta vez numerar e rubricar os livros que V. Rvm.
ine apresentar para uso dessa matriz.
Dito ao vigario de Aguas Be!las.-Pde V. Rvma.
numerar e rubricar os livros que oesta occasio
be forem aprentados pelo Rvd. vigario de pano-
map.ira. uso da respectiva aatnz.
__29__
Offlcio ao vigario de Taquaratinga.Pelo seo of-
1 do correte Bso scieate de baver V.
17 do corrente, sob o. 164, foi juigado incapaz'em rZSaJ1
icspecca de saiiB. ., dado exscagao ao que Ihe reommendei em
N 752.Dito ao coramanlaote do brigue barca
I'amaraca.-Mmde Vmc. apresentar no quartet-
snerai do commando dos armas, aflra de tr o
conveniente destino, o guarda nacional Joo Sil-
ve.-tre Lopes, que se t&t a bjrd) ^ ^ uar_
i ?ZaCa sob seu commando.
. 7o3.Portara.-O presidente da provioca
resolve conceder Manoel Jos Plaza Lima, a exo
oeragao que pedio do cargo de 2 supplentrdo
subdelegado do distncto de Pedras de Fogo Wk
N. 754.Dita.O presidente da provincia, at-
teodeodo ao que requeren o joiz municipal e de
orphaos do termo d* Cimbres, bacharel Joao Viei-
ra de Araojo, resolve cooceder Ihe 30 das de li-
cenga com vencimentos na forma da le, para tra-
"v 7-a f aQ'19' f'jra d'a1U9lle termo.
JN 7o5Dita.O presdeme da provincia, leu-
do era vista o que requerea David Ferreira Baltar,
consignatario da barca portugneza Arminda, re-
solve, de cooformidade cora o decreto n. 3,631 de
27 de margo desie anno, conceder-lhe p6rraisso
para que dita barca coodaza deste porto para o do
Rio Graode do Sul mrcadonas de qualquer or
gem, que seja.
Esta ser apresentada ao inspector da alfande-
ga, e a quem raai competir, aura de ter a devida
execugo.
N. 756.Dita.O presidente da provincia at-
teodendo ao que reqoereram os cabos de esqoadra
do corpo de policia, Maooel Marques dos Santos e
Jos Joaquim de Soma Pontes, qae em inspecgSo
de saude foram julgados incapazes, resolve poseota-
los com os vencimeoios correspondente* ao lempo
qoe conlam de fervicc.
N. 757.Dita.O presidente da provincia, ten-
do era vista o que requeren o aiferes da 3' corana-
obla do b batalbao deste municipio, Igoaclo Xa-
vier da Costa, e a ioformago mioistrada pelo res-
pectivo commandante saperior em offlcio de 24 de
novembro oltimo, sob n. 335, e atteadeodo a que
esle offlcial, foi, em lospecgao de sade considera-
do mcapaz do servigo acim.,. resolve transfer lo
a o de reserva, fleaodo aggregado ao 2 corpo.
7otJ.Dita.-O presideote da provincia, al
1867.
Conego Joaquim Ferreira dos Santos,
Secrdhrio do bispado.
LISTA A QUE SE REFERE A DEGLAltACO
STJPRA.
Joo Correa de Mello e Josepha Maria dos
Prazeres.
Jos Luiz de Souza
Gonceicao.
Antonio do Carmo e Maria Pmheiro de Je.
sus.
Antonio Francisco do Paula e Felippa Maria
de Jess. r 1 .
Joao Pereira dos Smtose Joaquina Tberezi
de Jess.
Jos Paulo des Santos
Conceico.
Jos Flix Ribeiro d Carvalho' Carolina
Militana d Carvalho Lima.
Bento Jos Aoselmo Riceiro e Maria Josepha
da Annunciacao.
Francisco Xavier da, Costa e Jjan-ia Maris
daCnn^eicao.
Izidoro Jos da Si'va^e Maria Joaquina da
Conceip..
Jos Joaquim de Sant'Anna e Joanna do Ro-
sario.
Antonio J-^s de Barros
da Cooceico.
Felippe de SanagoMaior e Joanna Galdina
di Silva.
Miaoel Ferreira dos Santos e Antonia Vale-
ria da Costa.
Joao Raptista de Lima e Maria Francisca da
Conceicao.
Jos Felippe de Santiago e Anna Joaquina
da Conceicao.
Franci-co Barbr.-a da Silva e Rita Clementi-
ua Evendinadi Silva.
Chrisp.m Gomes Ferraz e Joiepha Maria da
Conceicao.
Manoel-Damiao da Rocha e Antonia Fran-
cisca de Lima.
Angelo 'la Costa Mello Rosal e Fesmina
Malina 3as Barreto.
Tiburcio Gomes de.Saat'Anna e Isabel Ma-
ria da Conceicao.
Jos Nunes Cabral e Justina Maria da Con-
ceigo.
Francisco Coelbo Meirelles e Antonia Maria
do Espirito Santo.
Luiz Melchiades Nobre de Gouva e Maria
Marcionilla dos Prazeres.
Germano Antonio da Silva e Helena Antonia
da Silva.
guardas, por lempo determinado, e | SfS^ TTT "'"'^
uaicamente os comrnandantes genes de comarcas,! epDdo peq0Ba mm
que so existimo em lempo de rebelliao ou guerra,
peio governo; e alistados oo servigo activo todos
daos de 18 a 30 annos, sera outra excepgiia
alera dos qaa forera phy-;icamnte incapazes;
o.a Tornar a polica electiva, e crear iribu-
naes correcciaes corapostos de jurados:
' J" 1 J_uar iocompativeis com o luitar de ageo-
les d) poder legislativo todos os empregos de dj-
meag.ao do governo, Lem como vedar aos magis-
mas qne a .
pequea maioria oa provincia,
eleitos os seus casdidatos: Drs Ambrosio
Leuao da Cuoha, Jo> Coiho da Gama e Abrea, e
Antonio Francisco Pinbelro.
emos as eleigoes, para ibe contar depois
aqu correr
dellas, cojjo grande successo o qae por
e passemos a outros pontos.
A prov.ncia, felizmente est por ora era pt; a
epidemia da bexiga esla por assim dizer exmela,
-au, Wm como veaar aos m^s-ZTllmtTLS0?*,""*; ,,E' ""^ qu9
irados o exercicio de qualquer outro lugar estra- Sor-nai.,^l fnte iurap.in/ada, prova de que
nho ao seu privativo ,cr; "elleu uraa parle da populagao, especialmente
Or I (Tumi ra i.\ .-
parecer da comrnisso especial, .,
examinar essas reformas, concias n'estes termos :
e Mari i de Barros*
, gente de cdr.
Zltrms^6 0cpQS^-^qaehadias.tanto a prag* do cora-
lo sao ^fSirkSSr^SMSm do con%|CnormnCO/PO T*** *tH 'T**"*
necess.lam ser estuladas e desenvolvidas pelos nos- IrJS!ao J- ,n' a re-nn,d0' aB-m d6 *?
sos leis aderes. A coofeegao de um cdigo civil Sm ed.ia na KT. W?5 em V,r,Ude de
que estabelega de um modo certo e ev.deole os U-\ tJ\ S"?T- da d,b!la' 3ue prc,ande
renos dos cd.daos e as garantas que rtierecera. 'dZ. 'a tn'aS Jd,c'ae. "W o>amigaveis
a abo|Jfao da pena do morte e cals. a sua susbs-, ,Z 3ZfJZl L^T adld,c,Q1B. <** em
dega denoade cobrar dos negcianles,
e as garantas qae rtierecera,' ous
a pena do morte e gales, easuasusbs- |g62
u uigaa pelo systeraa penitenciario; um cdigo mi-
llar que proteja e garanta o direito dos soldados,
nvrandos das.peoas corporaes, e que ao mesmo
lempo conserve a disciplina; a descenlralissgao
administrativa; a subsuiuigo das leis do recruta-
memo por futras que garantam o direilo indivi-
dual, sendo igual, proporcional e sera vexame para
o povu; o derraooaroealo da instruego pelas c^
madassuciaes; a sepirgo da polica "administra-
uva da judi'ciarla ; a revogago.de ura-aot'qae
coosidera urna paite da nossa povdigao comb'cou-
sa, daodo-lhe a liberdade a' que tem direito lodo 0
humera ; a assrm n'ontras martas reforma'.
Mrs compre observar que para tudo isso
tuister rnuieo estudo e reflexao. Em negocios de
tama importancia,

oo acto do despacho de productos naciooaes expor-
tados para o esiraogeiro.
i?:lQ negocio ja linha aqu sido ventilada em
co,r" cdsular, porra, representa para
tairS Jineiro ao seus agentes diplomticos, '
ludo cou sem oroseguimenlo.
. Agora o thesouro nacional ordena a cobraoca
judicial, flodo 30 das, de um negocio t-trmioado e
?^,L?ns ?S;jclanSS oo pagaram enio os com-
peientes dlreitqs no acto do despacho dos genero,
M porque a alfandega oo ibes exigi, fuaflada
ii urna dacisao da ihesourata de fazenda.
ae nouva culpa ou fa.ta foi das repartig5as fis-
caes, e embora diam que o erro do emprega-
aos Lao pode aprovetar as partes, com tudo nesta
questao -
. qu3 affectam os m'eresses mais,,,
vnaes da sociedade, e que podem causar pertur- K^,. T}"** ef*"os Mfos. Por aue
bagSes no sea regimeo. malta circumspecgo ne-1 hidiekr m l T/ f sa0 mui mPr,aD|es a pre-
- ponderagSes crescem de valor, at- ^m Ouv do..,nesoru ""'nal for por
cessaria. E-tas
lendendo-ss ao
na gao, a braco
offlcio datado de 6 da dezerabro prximo -passado.,
Quanto a' segunda parte do mesmo offlcio, te- j
nbo a dizer-!he, que, tomando era coosideragSo ol
le V. Rtroa. expfij sobre a necessidade de cele-
brar-se o santo sacrificio da ini-sa na amiga sa-'.,
cnstia da nutriz, vino acbar-.-e esta em obras, j *iliar'e' general do commando das armas 1c Per-
concedo a licenga pedida, bavendo toaos os prepa-; nimbaco na cidade do Recife, i de fevereiro
ros, aliar decente o commodo e asseio nadita sa- de 1867,
Crlollfla
Dito
estado especial 'em que se leba a
com urna crise tioauceira, e cora
urna luta no estraogeiro. Coovem, pois, deixar
para mais tarde aquellas que dependenrda maior
exame, de nuis aceurado estudo, e q.e nada sof-
frem com sua demora.
E entre
posta.
A 1 encerra
esas se achara a I", 4J e 8* da pro
do o careo deseoid.r vilalicio, nam iuterviod
escoma da corta,os Interesses sociaes serao mell
OMMNDO DAS ARIAS.
ao offidal-malor da
ORDEM DO DIA N. 310.
. cmara dos d=pula-; 0 brigadeiro commandante das armas faz sa-
caraa'ra rtv Zut 'T0llee5a0 d-S TTtJ* ber a R^rnlgo para os fins convenienles
15 de"atmAi*!^ relallTa S6SSa 8 ^ L Qae a Podenca conceden era portarla de
o omcTZ v dal8f./comamesmacollegao!6 do CdrrtQte datada, ao Sr alferes do corp, o
o pauto de V. S. de 12 do correte, a que res- i 30 de v0|untarios da patria j>io Cavalcante Barr
.. |to Chaves liceflga por tres mezas para iraur de
nm.:, 3 ,T ,. 'suasale nesta provincia em pror,sacad da uue
JiIrlH d8 S- J'ia d8 A?a,a- ~ C ''obllvera d0 0" Para nlsmo fira nos tT-
cfn 1 in i 8 d0us """qae pede D0 S? offl' i raos dos 1 e 4, n. 2, do decreto 0. 3 379 de
S!?.2" S? PrO'mo passado, a que respondo, po- 3 de Janeiro do anoo prximo passa.. cora refe-
regencia da parochia o ttvd. Fr. | renci ao artigo 106 do regulameuto de 27 de ou
tnbro de 1860.
N.
tendendo ao qoe requeren o capito da 2 compa-
gina do batalhao o. 18 da guarda nacional do mo-
oicipio de Nazaretb, Loureogo Bezerra Mariobo
Falcao, e tendo em vista a nlormagao ministrada
pe|. respectivo commaodante superior era offlcio
de 3 do corrente, resolve conceder-ihe passagem
para o batalhao n. 20 do referido- municipio, e or-
dena que 06Sle sentido se Iba passa a competente
guia.
N. 789.O Sr gerebte da companhia Pernam-
bocana mande dar urna pass;;gera de estado a r
at Macau,. no prlmeiio vapor que seguir para o
norte ao bacbarel Francisco Jos Alves de Albu-
querque filho.
Expediente do secretario do governo do dia 18
dezembro de 1SGG.
N. 760.Offlcio ao
deado deixar
Luiz da Divina Pastora, afim de livremente poder
V. Rvma. entrar no concurso, cojo prazo esla cor-
rendo.
Dito ao vigario da fregaezja de S. Fr. Pedro Goo
gal ves.Era resposta ao seu offlcio datado de non-
tem, tenho a dizer-lhe que conveoho em qu,~du-
raote o lempo das eleigdes, seja collocado o Santis-
simo Sacramento na sacnstao do lado do sul, visto
sfr logar mais
niente decencia.
2.* Qae a mesma presidencia por oflbio de 9
do corrente, resoleu que fos^e empregado no de-
posito dos recrutas para nelle fazer o servigo qne
Ibe competir, o Sr. alfere da guarda nacional per-
tencente ao batalhao n. 43 de Serlobem Jos fri-
n> da Silva Santos, visto haver falla de offlciaes.
3. Que
w_. se apreseotaram vindos da corte com
reservado, e haver n elle a conve- licenga para tratarem de sua sade nesta provin-
cia, no dia 8, os Srs. capito em commi^so Leo-
de?ta cdL g" a da ^e*' de Santo Antonio ;p)|doBorges(ialvo eha eom trinta dias, o al-
de. Approvo a resolugao que, pelo seu *
offlcio de 29 do corrente, me participa haver toma-
do, de mudar o Santissimo Sacramento para a ca-
pel! do consistorio de>sa matriz drame o tempo
das elelgods, e bem assim as demats medidas pre-
veaiivas que adoptou com o om de atenuar qual-
quer desacato, qae por infellcidade possa dar-se
dentro do templo.
feies do 9." batalbao de iofantaria Alvaro Coorado
Ferreira de Aguiar, cora tres mezes ; e no dia 9
os Srs., capitn do batalbao, o. 11 de infamara
Manoel Joaquim Bello com qu\tro mezas, e alferes
honorario do exerclto Mariano dos Res Espiodola
para residir nesta provincia.
{Asignad) Henrique de Beaurepalre Roban.
Esta' conforme.Emiliano Ernesto de Mello
cidade HSndnaifregr'adl0a^ aQda* de ordeos interino J
v..?? T Z a imi "i9 pai d0 bilrro da Boa- encarregado do delalbe.
Vista me oficiado, a8 a de qoe no dia 3 de feve-1 ____
reiro prximo, pdas 9 horas da manbas, tenha lu-'
gar o essa matriz a missa do Espirito Santo, antes
do proeesso eleitoral, como de lei, asslm O com-
mucico a V. Rvma. para que no dia e hora indi-
cada celebre a missa, como Ibe cumpre.
Dito ao mesmo Nao tendo V. Rvma. at esta
dala pedido providencia algama, afim de evitar
SSftS. W2B. t ci^^t^ d,z 8egni?le M" J w*
simo Sacramento, na occasio das prximas elaiy ,^--,1, ^ deT haver jfc capilar fr pro.
INTERIOR
los, a pagad muito lucr-.rr. ; visto como tremos a
enugracao estr2njeira e:n maior escala e com ella
o progreso.
t Terra: abundantes e ubrrimas temos, mas
faltam-nos os bracos.
A i1 do inejroo iroJo ot, porque, nao Bao-
> a
.. melhor
curados e desenvolvidos; as necessidades que ap-
parecem serao melhor re,: mhecidas ; a vontade
pupaiar sera melhor manifestada ; emflm se evi-
tara que os senadores se esquegam de suas provin-
cias.
t A 8" sobre policia electiva e creagao de trbn-
oaes correecionaes ama necessidade que1 todos
rec-mnecem ; mas depende, para seu integral des-
.rovoiviraent,'.(de urna-reforma fuilelaria completa.
Quunto a's outras ideas da proposta, sao moi-
lo uteis, e os abaixo assiguados oensam que de-
vem ser admittidas, para serem recommendadas
aos futuros aepuiados pelo 1 districto.
Admitsio a' matricula gratuitamente em to-
das as aulas de nsiruegao socan dara e academi,
cas, escolas ou faculdades scientiftjay.do imperio,
dos pobres que comprovarem lal eslado;
Admissao do ensino livre de todas as mate-
rias desde prmeiras ledras, urna vez que os pro-
fessores nao exijam retribuigoes;
lostrucgo primaria obngatoria}
Ngugo dos direiics polticos aos analpha-
belos fi
Com lata descentralisagao admioistraTi, am-
pliando se os poderes das assemblas provioclaes,
e cmaras raonicipaes ;
t Subdivisao dos actuaes districtos eleitoraes, de
maneira que cada um nao d mais do que um de-
pulado geral e proporcionalraeair os provinciaes :
Rvngagao da lei das convebgSes consolares;
R^-forma da le da guarda nacional por comar-
cas, termos e freguezlas, sendo os offlciaes de, filei-
ras e comrnandantes de corpos eleitos pelos solda-
dos, por tempo d-terminado, a os coraraandanos-
aeraes pelo governo.
locompaiibiiisar os agentes do poder legisla-
tivo com os cargos de nomeago do governo; .
< Vedar aos magistrados o exercicio de qual
quer outro lagar ssiranho ao seo privativo.
qae a presidencia ti-
cuna o corpo consu-
porro, di7er
nha tido ura intento cordia
lar, remetteudo o negocio para ulterior rasoloco
do overeo central.
este m memo que Ibe escrevo estas linhas.
embarca effeciivameute para essa provincia o Dr.
i B. Moreira, cnsul portugus. O Dr. M reraw '
mullo relacionado nesta
sympathias de amisade
provincia, deixi catas
reeprdacoVs
.a uraa Idea vasta e de umita bUU^T^^V "" e excellentes
Jado, porque, estabelecendo se a liberdadl de cul- ma administrado consular toda jusiieeira, de
RIO DE J A VllllO
nl?Tff Ll? r Sacr/m6Dl0 n esse ,em": Rie' da S, afim de disciipa a conveniencia
P n.f i!8'L"'nao sDfferaaesaco algum. \ de exigir-se dos eleitores qQe'commetam aos'de-
d r.h2r a qU8 aBra ac%b0 Pu,ad05 d0 l dl'lrkslo a sustentarlo das ideas, que
nrJ./ln^' li qQ8 nac.e8ar'? ,omar al*am por ventura convenba fazer truraphar, tanto na
ra? ni?, P.h !1 Prvenir qualquer irrevereo- asserabla geral como oa provincial, dentro de dons
SeMmA *., P6'110 Qoe mude o Sanssimo annos, a contar da aberiura da primefa sesso or
fimt a" -pa.ra igrej* 8U Cr01' Pr V- diara da prxima legislatura. ,
Thiri'!?'.,":A0 r cHkn ffln0io- Essas. Wis, formuladas era Om tomtiemn-
CORRESPOMOEIVCIA.
DO DIARIO DE IP" W %.JIBIJCO-
* IV HA.
Beln, Io de fevereiro de 4867.
Abi esta desde quarta-feira o Tocanlins, e eu a
fazer motivos de razo para Ihe escrever estas
linhas; verdade que poaco ha a dizer; todo boje
sao eleigSes, as vistas d > Para s convergem para
e dia do suffragio universal!
Deus ao menos permita qae a lula seja pacifica
como costuma ser nesta provincia; dnvido porm
qae as cousas desta vez corram tao plcida-
mente.
Pelo menos na capital, em Igaapmirim, os ne-
gocios eleitoraes apresoBtam urna face de maior
t-ffervascencla; por isso que os nimos e as in-
fluencias esto empenhados em vencer ou derrotar
nos aos outros.
O governo conta com o concurso, nao s das
autoridades, mas de grande parte do plido con-
servador; os denominados liberaes-historices boje Entre a inspectora da alfandega desta cidadee
opposigio, anda lera grande influencia, pelas'posi associaco commercial aseotou se em qaei-
groes que ha pooco^lceupavam e porque o partida sccas de aleodio, cojo peso ebegae
esiava-bem montado, alm de nma grande maiofW
na capital ser libera'.
A' vista .disto, dos meios posto era aegao, e pela
bom oras e de protego aos seus concidd3os.
O Eitm. presideote Dr. Leo Velloso, graade nu-
mero d^ amigos e compairiutas foram assistir to
e.nb.arque, na ponte da alfandega, s;ndo coadtuzdo
a bordo do vapor pelos escaleres desta reparlicao
e pelos dos navios porioguezes, em que lam diie-
rentes amigos, bastando finalmente para Ine mo-
farqaanlo e^te Dr. era aqu considerado, quer
como paiiicnlar, quer como funecionario publico
transcrevo o que a sea respailo disse hoje o Diario
do Grdi-Pw, jornal iodo affecto aos interesses
portuguezes. ( Vide Diario de liontem ).
Um awniecjmento irap> rante qut |a trazando
muitas lagrimas aba de ter lugar nesta cidade ;
nada menos foi do que o envennenlo propinado
no acto do jamar n'um collegio de mininas, coja
directora tima senhora dislincia, e ba pouco vu-
va do inspector da the;ourar a de fazenda do Ma
naos, o fallecido Bmjamin.
O ficto rea! que as meninas no ?.cto de jantar
comegaram logo a seotir-se incommodadas e a vo-
mitar, a tal ponto qae nao s as pessoas d fami-
lia Bcaram todas de cama, como tambem as colle-
glaes.
Acal 1 rara logo difireme* ebefes de familias e a
polica, ao saborem do fac'.o; procedeuse ao corpo
deudo, inter.-ogaionos, ex a mes e trascas no cotia-
gio, e p ir tira ciigou se ao eonhecimeoto da que a
ama cosinlieira, encontrando na dispensa urna lata
com poz braoco.julgou ser ca imn, ou farinha
de trtoo, e que delio. servio-se para eogrossar a
sopa e parte da comida, quando era veneno. Ou-
tros duem, que o acto era premeditado, por
certas coiocidencias que se do e anteriormente
se trabara dado, pois qae a cosinbeira mulher
de maos instinctos e preced*ntes.
Em nm ha quem acredite qae a lata do pos
braoco, nao propriaraente veneno ; que abi foi
denada nessa casa por moradores aotehores e
qae a esta oda da cosinhelra laogou mo desse
enaredieni-, n'uma lal. de d ze libras persuadida
que era_ chiman oh farmha de trigo; o certo
que oao obstante, todos os que voraitaram e eati-
veram doentes, neQhum fallecen, antes ia* sa
achara reslabeleeidos, sem maior novidade ou alte-
ragao no organismo.
Do commercio nada ba de saliente, tudo marcha
progresivamente, por que o futuro desta provin-
cia e da do Amainas sao de elevada importancia.
Os navios no porto sao os segointas:
Navios a descarga.
Berlh Reinstorff-bngoe brasileirov .
Liodo Paquete-hlata braslleiro.
salinasPatacho inglez.
Navios a carga.
hmprezabarca icgleza.
Porto Rico-barca francezs. M
8. Luiz-barca franceza.
Ligeirabarca portugneza.
lioiao-barca portagneza.
Jeune-Idbrigue fraocez.
Ijabellapatacho ioglez.
William Nask-patacbo ioglez.
PERNAMBUCO




REVISTA Dini
predisposigao da imprensa na discasso das eleigoes,
vejo a lula nm penco serla e renhida especialmente,
como Ibe disse, na capital e np dlstricto de Igara-
pmlnm.
Ja Iba noticiei a sospensao do Dr. Jos da Gima
Malcher, om dos prlnctpae^ch-fes do partid-/Auto-
rico liberal, que linha s>do suspenso de comman-
a8 arroba,,
tenbamiaiara de 6 libras.
A; saccas arranjadas em prensas hydrulica?,
com aperlos de.arcos de ferro, devem Iraur atara
iosenpta no respectivo eovoltorio de modo visivel;
o qae ser representado as notas de despacho em
frente de cada volme, adra de proceder-se com la-
cllidade competente verifleacao.
Em sesso de 7 do correle foi filada, por
votao umrim?, pelo meretissimo tribunal do
commercio, a niellinencia dos nrts. 66. 663 e 664
om
danta superior da guarda nacional; boje acabo de! do reguhmeto n. 737 de 2o de novaibro de 18
----------1
te
ILEGIVEL

|fc.


" -'.....
"*
*.
'ftiarto d PrRtinb c Terca Ifcl** i* de Feyereiro de 1867.





1
Qa cooforr-..idade do disposlo no aviso de 14 de de-
zcmdrn do aono Iludo.
Por (orea deasa reolugo, est assenlado qoe s
devem ser receidos documentos na occasio da
apresentago dos eraba rgos,'vsto como sao preflxos
e faues os prases estabelecidos nos Bsenos ac-
tigos.
Por engao do nosso paglnador o segundo ca-
pitulo do fonelim-A tragedia do amorfol ligado
ao primeiro j deven, pois, o nossos leitores consi-
derar como principio delle o paragrapbo que co-
mer : As eme horas, etc.
Acham se concluidos os Irabalbos eleiioraes
as segninte freguesas :
Freguezia de Itamarac.
Alejandrino Ferreira de Alcntara Miranda.
Aogosto Vleira da Cunba.
Guihermino Ferreira de Alcntara.
Manoel Lopes de Albuquerque,
Francisco Theodoro de Macedc.
Joao Henriqnesde Miranda.
Antonio Theodoro Nunes Madoreira.
Theojhilo Lopes de Albuquerque.
Herminio Marques Ferreira.
Albino Manoel de Paiva.
Daniel de Almeida Fortuna.
Antonio Xavier Das.
Franklin Manoel de Amorim.
Jos Pedro da Cosa.
Tito Gomes d* Costa.
Marcolino Barbosa da Costa.
Manoel Joaquim de Soma.
Manoel Jos de Siqueira.
Antonio Theodoro de Albuquerque.
Antonia JoaquTm de Mello.
Coriolano Joaquim de Mello.
Freguezia de Iguarass.
Epaminondas Vi-ira da Cunba.
Manoel Francisco de Soma Leo.
Jos Tavares Dornellas de Araojo.
Manoel do Nascimeato Vieira da Cucha.
Hermano Jos da Silva.
Joao Vieira da r.uoba.
Padre Florencio Xavier Das de Alboquerque.
Ildefonso Viera da Cunha.
Antonio Fernandes Velloso da Silveira.
Francisco das Chagas Ferreira Duro.
Lniz Carlos Pereira de Araujo.
Luiz Ferreira Baudelra de Mello.
Francisco Xavier Das de Albuquerque Janlor.
Francisco das Chagas Cordeiro Campos.
Marttolano Jos Ribeiro Pessoa.
Antonio da Cunha Vieira de Moraes.
Vicente Ferrer de Mello.
Francisco Das de Albuquerque.
Hermenegildo das Virgens Lima.
Anionto Gomes Cordeiro de Mello.
Bernardo Dornellas da Cunha Bandeira.
Antonio Rodrigues Campello de Mello.
Joao jurado da Cunha Aievedo.
Henrique do Valle Pereira Magalhes.
Euproprio ttosaliuo do Espirito Santo. *
Joaqun Candido Bezerra de Mello.
Ismael Clementino Bezerra.
Salustiano Duarle da Silva.
Jos Vieira da Cunha.
Joo Vieira de Alboqaerque.
Joao da Silva Monteiro.
Pedro Antonio de Mello.
Cosme Damiao dos Santos.
Joo Vi aira Magalhes.
Antonio Vleira Magalhes.
Francisco Rodrigues Campello.
Columbo Pereira d.- Moraes.
Trajano Ouarie da Silva Fraga.
Pedro Duarle do Nascimento
Domingos Theoionis do Nascimento.
Joo Marques de Souza.
Joaquim Bernardo de Sant'Anna.
AmericoJos deOliveira.
Manoel Gualberlo Freir.
Joo Manoel Vieira.
Antonio Joaqaim Je Albuquerque.
Jos Ribeiro Pessoa.
Manoel Igoacio da Luz.
Antonio Rodrigues da Silva.
Traoquelioo Marques de Soma.
Jos Marcelino da Costa.
Antonio Gustavo de Lyra Flores.
Damio Jos Martins de Oliveira.
Antoni i Jos de Oliveira Cabral.
Joo Francisco Dmaso. ,
Tertuliano Jote dos Santos.
Cosme Correa do Livrameoto.
Freguezia de Ipojuca (matriz),
.los Feliz da Cmara Pimeotel.
Joo de Sa e Albuquerque.
Francisco Manoel de Siqueira.
Francisco Aotooio de Oliveira.
Dr. Victoriano de S e Albuquerque.
Theotonio da Silva Vleira.
Perminio Francisco de Paula Mosquita.
Felippe de S e Alboquerque.
Francisco Manoel de Siqueira Cavalcante.
Lourenco Becerra Alves da Silva.
Vigario Firmino Jos de Figueiredo.
Thomaz Marques da Costa Soares.
Prancisco de S e Albuquerque.
Dr. Lourenco de Sa' e Albuquerque.
Lulz Cesar Piolo de Farias.
Pedro Goncalves da Rocba.
Francisco Xavier Goncalves da Rocha.
Juveocio Antonio Duarle Cunha.
Bernardo de Allemo Cysneiro.
Padre Telesphoro de Paula Augusto.
Joaquim da Silva Costa.
Manoel Marques Ferreira Lins.
Antonio dos Santos Pioneiro.
Manoel Heraclito de Alboquerque.
Dr. Francisco Brando Cavalcante de Albuquer-
que.
Manoel Joaquim Gomes.
Mauoel Fernandos de Albuquerque Cmara.
Pedro Joaquim Gomes Jnior.
Francisco da Rocba Vieira.
Jos Barbosa da Silva.
Verlduno da Rocha Vieira.
Minervlno Bandeira de Mello.
Ignacio Gomes da Cmara.
Joo Antonio da Cunha Ferreira.
Henrique de S e Albuquerque.
Egidio Francisco de Paola.
Pedro Pinto de Miranda Farias.
Domingos Manas de Brito.
Como nica mas eloquente resposta ao br.
Dr. Carolino Francisco de Lima Santos, que em
un avulso bontem destrlbuido nesta cidade, pre-
endeu ter defendido ae Sr. Carolino Santos, do que
a proposito de nm revolwer dissemos; aposenta-
mos o segninte documento que prova mais urna
facaoba desse Sr. Carolino Santos, que tanto se tem
distinguido nos ltimos lempos :
t .Nos abaizo assignados attestamos ter visto o
Sr. Carolino Santos, no dia 10 do corrento, com un
pnnhal no adro da Igreja matriz de S. Jos.
Recife, 11 de fevereiro de 1867.
Ivo Antonio de Araujo Larangeira Leite.
Francisco Pereira da Cunba.
Flrmino Jos do Reg Cont.
Alexandre Joaquim Coelho da Silva.
(Estava sellado e reconbecldo pelo tabelliao Al-
meida.) i
Deixaram de eentinnar bontem os trabalbos
eleiiorfes na freguezia de S. Jos, por ter sido pos
to a for$a a' disposicio do subdelegado em vez de
ser do juiz de par, como tinha sido an-
teriormente ; o que deu causa a apparecerem pro-
vocaedes a* mesa da parle da propria polica da
fregnezia, que foram repellidas con energa pela
populacao.
Foi transferida para boje a sabida do vapor
Tocantins, por ordm da presidencia. A mala ser
fechada ato correio ao meio dia.
Na prala de Fra de Portas apparecea no
dia 8 do correte o cadver do preto Candido, es-
cravo do Sr. Manoel Caslodio Peixoto Soares, que
falleceu de aapbyiia.
Lista de baptisados do mez de Janeiro prozimo
findo, feilos na freguezia de Santo Antonio:
Julia, branca, filba legitima de Jos Antonio de
Souaa.
Josefa branca, Qlba legitima de Fortunato Ribeiro
Bastos.
Joaona, crioula, ilba natural de claudina Mara
da Conceico.
Amelia, branca, fllha legitima de Joaqnim Manoel
de Castro Santos.
Antonia, criooTa, filba natural de Perpetua Maria
da Concedi..
Laodelino, b'ranco, Albo natural de Antonio de
Paiva Ferreira.
Manoel, pardo, filbo nataral de Maria Genoveva
do Espirito-Santo.
Horacio, branco, flibo legitimo de Francisco
Ferreira da Rocba Lea.
Jos, branco, filno legitimo de Joao Landelino
Dornellas Cmara.
Antonio, pardo, flibo natural de Joanna Maria da
Costa.
Amaro, erioulo, flibo natural de Paola Maria do
Livramento.
Cecilia, crionla, filba de Barbara, escrava de Jos
Das da Silva Guimares.
Micbaela, parda, filba de Rufina, escrava de For-
innato Ribeiro Bastos.
Joaquim, branco, lliu natur! de Candida Be la-
"Marc-ia de'Addrade.
Candida, parda, Qlba de Cosma, escrava d Joa-
quim Ferreira da Silva. ,
Jerga, pardo, filho natural de Alezandrlna Maria
de Jesu?.
Alfredo, pardo, filho legitimo de Francisco de
Barros Araujo. _
Maria, branca, filha legitima de Irino Cavalcante
Filgoeira de Mello.
ES ere ven nes do foco da Pau.-ila :
Urna recliticacao relativa ao qu na Diario de
hontem, 8 do corrente, se dissn acera do Sr.
Breves.
Este Sr. dSo seacba exonerado fio cargo de sub
delegado, croo inexactamente se deelaroo; elle
esta com parte de doente ; e islo devuo nlo lan-
o a soffilroentos que padeca, quanto a couviega-
da sua Impotencia para entrar no pleito eleitoral.
O Sr. Breves antes das eleicfles reuna todas as
Maria, parda, filba legitima de Lanrindo de Pau- nones em sua casa om conclave de inspectores de
la Menezes de Lima. qoarteiro, orava, dava Ihes iostrucefies, e diclava-
Aona, branca, filba legitima de Jos Joaqnim hetakilW De Ara cavalgava nm rabeca, que di
Ribeiro.
Joanna, branca, filha natural de Clandina de
Araujo Candida.
Mara, branca, filha natural de Ludovina Maria
do Carmo.
Maria, branca, filba legitima do Dr. Jos Antonio
de Figuuredo.
Eliodoro, pardo, filho natural de Antonia Mara
do Rosario.
Luiz, pardo, filho de Liurentina, esvrava de Ga-
briel Antonio.
Jalla, branca, filba legitima de Theotonio de
Barros e Silva.
Manoel, branco, filho legitimo de Manool Romo
de 'lamino.
Foram lidos no dia 10 do correte, na m a
triz da freguezia de Santo Antonio, os segnintes
proclamas:
1.* denunciado.
Bacbarel Jos Rufino Pessoa de Mello, viuvo de
Virginia Amalla de Andrade Brederodes, com
Joanna Joaquina Pires Machado Portella.
Joo Alves da Silva Brasileiro de Alencar, viuvo
de Lozia Maria da Ressorreico, com Mara Fran-
cisca Santiago.
Thomaz Payne de Jess, com Maria da Gloria
Costa.
v 2.* deoonciacSo.
Jalio Cesar Maciel Monteiro, com Isabel Zacaras
do Espirito Santo. e
Joo Sibino da Silva Jnior, com Angela Custo-
dia dos Res.
3." denunciado.
Jos Caetano de Medeiros Jnior, com Anna
Amalia Pereira da Costa.
Eugenio Gabriel Bello, eom Damiana Landelina
Pereira.
Jos Narciso da Costa eSilva.com Clara Maria
da Conceico Carvalbo.
Luiz de Franca Araojo, com Miria Aquilina de
Paula.
Pedro da Hora Santiago, com Anna Ricarda
Freir Pedrosa.
Francisco Pereira da Cunha, com Guilhermina
Alejandrina de Sacramento.
Manoel do Nascimento Accio, com Anna
Monteiro do Nascimenlo.
Bacharel Joaquim Jos Ferreira da Rocba Jnior,
com Emilia Aucust Llns da Silva.
Repabticao da poLiciA-Extracto das partes
dos dias 8, 9, 10 e 11 de fevereiro :
Foram recomidos a'casa de detenco no dia 7 do
corrente :
A'orden do lllm. Sr. Dr. chele de polica, Lean-
dra Felicia dos Santos, para ser transportada para
o hospicio dos alienados; a ordem do subdelegado
do Recife, A. Johaosen, a requisito do cnsul da
Soissa, e Jorge Francisco, para correceo ; a or-
dem do de S. Jos, Fraocisco Jos de Abreo, e seu
escravo de noce Ignacio por ferimeBtos*, a ordem
da Boa-Vista, Jos Ferreira do Espirito-Santo, para
eorrecgo.
A' ordem do subdelegado do Recife, os martimos
T. W. Waslonreke, Andr Christian, P. G. Peslher*
son, Henricb Lopes e Carlos Lorts, a requlsico do
cnsul argentino, e Gregorio escravo de Lurudalo
Gomes Lyra, por desorden) e andar fgido.
9
A ordem do subdelegado de Santo Antonio. Do
mingos Alves de Souza por embriaguez, e Maria
da Conceico Leocadia, por disturbios; a ordem do
de S. Jos, Manoel Procopio do Nascimento, por
injurias.
10
A' ordem do subdelegado de S. Jos, Maria The-
reza Juliana da Conceico, por disturbios.O ebefe
da 2*_ seceso, J. G. de Mezquita.
Casa dk Detenqao. Movimenlo do dia 10
de fevereiro de 1867.
Existan 3z9 entraran 1, sabiram 2, ezistem
328. A saber : naclonae: 23o, mulheres 12, es-
trangeiros 29, mulheres 1, escravos 46, escravas 5,
total 328.
Alimentados a' custa dos cofres provinciae9
210.
MovimenM da enfermara do da 11 de fevereiro
de 1867.
Tiveram baiza:
Joaquim Marinho Falco.
Vicente da Costa Soares,
Teve alia :
Francisco Pereira da Luz.
Passageiro da barca hamburgueza Congo,
entrada de Hamburgo : Henriella Bank.
Passageiro do hiate brasileiro Nicolao I,
gahido para o Aracaty : Hermenegildo Barbosa de
de Almeida.
ziam pertencer a vfova ou herdefros do finado Pe-
dro Allemao, eia mendigar votos pelos quarteirdes
mais remotos, acompaohado sempre de algn des-
ses catangas do conclave, porque elle nao gesta de
andar so.
Finalmente no dia 1* do corrente i tarde fez
prender por um seu inspector conheci Jo, por ala-
noel Padre, e immediaiamnte cnduzir pata o Re-
cife sob o neme supposto de Francisco de Paula
Cavalcaoti, guarda designado para o servico da
guerra a Victenno de Souza Res, furriel do 4* ba
lalho da guarda nacional, e morador no Ferraz,
pela simples razo de ter esse pobre hornera certa
ascendencia sobre os seus (-.amaradas, moradores
daquella localidade, e haver declarado ao Sr. Bre-
ves que nao votava com a polica I
Anda fez mais o Sr. Breves. Reclamando-se
contra esse sen procedimento manifestameu'e vio-
leuto e criminoso, deelaroo, que nao havia manda-
do fazer tal priso.
Requerendose-lhe no da 2, que declarasse, qual
o motivo da priso de Victorino, que havia sido pre-
so sob o supposlo nome de Francisco de Panla Ca-
valcaoti (note-se que nao Ibe fui requlstada a pri-
so denenhum guarda nacional com tal nome), de-
clarou que o faria em tempo opportuno, o qual cor-
tamente seria depois das eieicdeg; e se nao logrou
o seu intento ou nao satisfaz plenamente a ordem
que de alguem recebeu, foi por que ordem supe
rior mandou por aquella victima em liberdade. Is
to um tributo verdad?. Quem nao
que o compre.
mais la ir; e que concluirla a eleicio raesmo
fra delta, e em casa particular sen baver mais
volaco nem chamadas, ao qne me oppaz mostran-
do a incooviniencia de om tal proceder.
Indo eu a casa de minba residencia, urna legua
distante da cidade, voliei nos das seguimos para
continuar tegalmente a eleico; mas nada se ten-
do feito em algons dias, achel boje lavrada as ac-
tas em casa particular, islo as da pnmeira e
segunda chamadas, sem se ter a ellas procedido ;
repognei assignar semelhaale farga, como V. Exc.
poder*' verificar da copia junta, qo tendo ellas a
minba assignatura nem de dous mesarlos.
indignado ouun a a maneira irregular de fazer-se
semelliaute eleiQo, lancei mo do livro das actas
como do da qna'llficacan, pelo qual se devia fazer
a chamad* e os condnzi para nm logar seguro,
1 aGm de ficarem ao abrigo de qnalquer Yalsific*ac3o,
em quanlo eu ottlciava a V. Exe., como agora o
fago, pediodo providencias qne sanassew lanas ir-
regularidades, e islo flz na qualdade de presidente
actual da cmara municipal, e primeiro iuiz de
paz presidente da mesa parocbial, e com annuen-
cia de mais dous mesarlos, que comlgo aisiRoem
o presente offlcio. "
Pode.Exm. Sr.,ter-se concluido clandestinamente
a eleico com outro juiz de paz e novos msanos
sdrede nomeados; porm, declaro a V. Exc. que
isto nao pa>sa de um embuste ridiculo que desvir-
tuara'^ eleico, visto que nem eu nem os dous
mesarlos demos parte de doente?, emuilo menos
nos esquivamos de comparecer para continoarmos
o trabalho eleitoral.
Invoco para prov> do que cima fica dito o teste-
mu nho da pnmeira antoridade da comarca, o lllm.
Sr. Dr. juiz de direito Joo Paulo M mteiro de An-
drade, que foi neutro ao pleito eleitoral.
Deus guarde a V. ExcCidade de Nazareth aos
8 de fevereiro de 1867.lllm. Exm. Sr. conselhei
ro Francisco ule Paula da Silveira Lobo, dignissimo
presidente da provincia de Pernambuco.Hercu-
lao Cavalcante de Sa' e Albuquerque, Io juiz de
paz e presidente da mesa parochial.Luiz Ignacio
^h/op de Andrad* Lima, Gervasio Protasio Rodrigues da
r Silva, mesaris.
Communicados
Partido cooservador.
Estamos em presenca de ezercitos permanentes!
A nossa capital talada de minuto em minuto por
pelotoes de soldados de todas as armas I Nem qoe
tiveramos avisas de que Lpez do Paraguay abi
vinha atacar-nos pela recta-goarda 1
Que movimenlo de tropa esle ? Que quer di-
zer este etranboa|voroto?
Queris saber?Escutai : o governo quer a to-
do o transe, cnste o que custar, chore quera chorar,
vencer as eleicoes de S. Jos e Boa-vista. Mas, re-
conhecendo que a torrentera opinioassoberba e se
torna mais caudalosa, proporco que as violencias
do poder recrescem, julga indispensavel fazer que
o (error actu forte no animo da popnlacio, por
isso que se mostra superior a' venahdade e deso-
bediente aos e.- forros da poiicia 1 E dabi o aporra-
to da forga publica em frente das duas matrzes,
como se foram dous Humayts, que se devessem
escalar I
Anda nao basta isto; preciso que venha tam-
ben tomar parte no prestito fnebre da liberdade
o Sr. Antonio Borges da Fonseea, com os seus fun-
dibularlos; preciso que esses agentes irresapn-
savefs da pulicia do Sr. Felioto executem, a seu
modo, os pianos da eovernanc* ; qoe provoquen
tumultos, que insulten os membros da opposlco,
que ezeilem odios contra os Portuguezes, que po-
nnam, erafim, em coaeco moral toda esta cidade;
porque o que se quer 6 pela coaeco supplantar as
manifestacoes da consueocia publica, e derramar
o desanimo as fileiras da opposiclo I Eoganam-
se os agitadores goveroistas I O povo, que tem sa-
bido manter-se na altura de sua civilisaco e mo-
ralidade, despresando de um lado as vezacoes da
poiicia e de outros os incitamentos da anarcba, ba
de coroar a sua obra de independencia, resistindo
a todos os excessos do governo 1
E, pois, pode o Exm. Sr. conselbeiro Silveira
Lobo mandar reunir nesta cidade todos os bata-
Iboes de dentro e de fra ; pode mandar vir os
perntlongos de Guararapes, essas aguias, que s
nao sabem voar para o Paraguay; pode, em urna
palavra, mandar vir o here de S. Lourenco, o
mesmo que escarnecen dos despachos convenci-
nados de S. Exc.; nada disto aterrar a opoosico
nem far este grande povo perder o equiliBrlo da
honra, e da bonestidade poltica.
Sao tristes e repugnantes as convulsoes de um
governo ; mas nao amedrontam, nem intimidan.
POCO DA PASKLI.A.
10 de fevereiro
Logo pela manba chegou orna forra de dezeseis
pragas de polica commaodadas por um alteres, e
juntamente o Dr. delegado.
As dez horas e rafia comrcou a terceira chama-
da ; os trabalhos tem corrido sem alteraco ; e
de esperar, que boje se concloa e>sa ultima chama-
da, a qual mnl pouca gente tem comparecido, e es-
sa mesma quasi toda da opposico, qoe a tem
mais de duzentas cednlas na urna, entretanto que
dos inculcados governislas podem ter sido recebi-
das sessenta cdulas pouco mais ou menos.
Os capangas e invisiveis, cora que contava o Sr.
Aristides Duarle, aluda nao:appareceram : os pn-
meiros qoe vieram mandados pelo Sr. procurador
da amara, como elles o declararan), sendo tres
delles guardas fiscaes, e nao dous como dissemos,
convenceram-se por factos bem demonslrativos,
que nao podiam cantar no nosso terreiro, e por ls'
so tomaram a acertada resolugo de nao tornaren),
o que tem causado saudades a maita gente.
Sao quatro horas da tarde ; 'fiadoo-se a terceira
chamada; mas o juiz de paz recusou-se a conta-
gem das cdulas : a superioridade da opposigao
de mais do triplo das cdulas recebidas. Tudo cor-
ren regularmente ; de crer.que assim concloa.
CONQOWTA DE CRUANGY.
Debalde se tem representado ao governo contra
osjageotes policaes de Cruangy ; debalde se Ibe
tem dito que o'aquella freguezia os progressistas
ua podeu vencer a eleiQo sem grande violencia,
sem o emprego de tanta coago quant seja neces-
saria para suHocar a quasi unanimidade dos vo-
tantes, que sao opposicionistas.* '
As reolamages n'este sentido sao avisos de que
o governo se serve para proseguir com mais se-
guranga no seu plano de conquista. Est catoni-
comente resolvido que Cruangy seja do S Araujo
Barros, e dos amigos da mesma l?la, que elle l
lera ; e se esta a resolugo, b Sr. Feljnto ba de
motsrar que sabe ser execulor ceg.
De feito que se passa em Cruangy bem moslra
que est irrevogavelmente decretada a victoria da
liga progresssia, e o anniqolamento do brioso
povo d'aqueila localidade, que foi em todos os lem-
pos muito livre e iodependeote, e que se acba ago-
ra disposlo a empregar o ultimo esforgo contra
esta .-iluago, que lamo- male% tem causada geral
mente.
J temos dito quem o subdelegado de Cruan
gy, e quaes os seus crimes. As provas foram
aprevenalas ao Exm. Sr. couselbeiro Silveira
Lobo; eutretaolo o hornera foi e conservado. In-
felizmente para elle u~a queda, de que resultou-
Ihe perigo de vida, arredou-o da lula no dia 3 de
fevereiro ; mas o qoe fizeram os progressistas?
Diga-o urna caria, que se acba em nosso poder,
escripia pelo subdelegado sapplente a um amigo de
Goyanna.
< Cbego da elelglo as 10 horas da ooute, mu-
tos vexames, o velho Montenegro (o subde egado)
mullo doente de urna queda de cavallo ; julga-se
nao escapar; ludo isto sao vezames, e aqu o che-
fe de bosso partido, a eleigao Unhamos j por per-
dida, porm adiamos para domingo. *
O adiameoto foi resolvido pelo juiz de paz Bellar-
ramo Jos Fetosa, o Ferrabraz, o potentado do
Sr. Araujo Barros, porque este senbor toma as
dores, servindo-se de testa de ferro, que Ihe assig-
ne as insolencias, quando se diz como foi eleito, e
que pessoa A caria transcripta diz para que
tira. Os facios posteriores mostrara com que em-
penho se quer conseguir esse mesmo fin.
Foi para Cruangy parte do destacamento de
Goyana, levando a sua frente o alteres Montenegro,
sobrioho do subdelegado d'aquelle districto. De
Goyaoioha foi o subdelegrdo Silvino Moreira de
Moraes, levando gente armada, pera o qoe chamou
illegalmeote ajgUArda nacional, prendeo, espancou,
meiieu no tronco, e mandou depois para a cadeia
da cidade de Goyanna quem nao qulz acompanha-
lo. Isto succedeu com o guarda Joaquim Alves
da Freias e com outros.
De Nossa Seohora do O' a polica tambem man-
dou o seu coniingente, e tem ido de ootras partes
gente armada e disposta a expellir da matriz os
verdadeiros volantes.
E' cora estes meios que se ha de conquistar a
freguezia de Cruangy, sendo presidente da pro-
vnola o Exm. Sr. conselbeiro Francisco de Paula
da Silveira Lobo 111
Bera avisados andan os que dizem qoe presen-
temente s ha catees do verbo catar. Catam po-
sieSes, honras e proveito.
chapa do go-
por i mrme-
os recorsos
FREGUEZIA DO RECIFE.
Na freguezia do Recife venceu a
verno, e como nao vencera, se este,
dio de seus agentes, empregou todos
da poiicia, e espargio o dinbeiro dos cofres pbli-
cos para obter votos?
Em todo o caso, o triumpbo moral da eleigo da-
quella freguezia da opposigao, e a prova est em
que, nao obstante, todos os recursos do governo, a
difierenca de votos de nina para ootra chapa mui
diminuta.
Foi 4o arsenal de marinha que sabiram grandes
recursos para o triumpbo da chapa progressista na
fregnezia do Recife, 6 desse arsenal que sah'ram
para o da mesma cbapa da Boa-vista, e vo sabin-
do para a de S. Jos; e desse meneo arsenal sahi-
riam para a de S. Antonio, se na mesa desta ti ves-
so estado gente progressista, on sa tolerassem as
escandalosas intervervenedes da polica, como se
tem vIMo na de S. Jos, figurando all como subde-
legado a frente de noventa e cinco inspectores de
quarteiro o bem condecido Sr. Lopes Machado I
Bella, por certo, ser a coroa de gloria qae da
administraco desia provincia levar o Exm. Sr.
Silveira Lobo; e, depois das eleiedes ter todo o
direito de apregoar-ie eomo o primeiro liberal do
imperio.
Publicares a pedido
Que atrevimentol
O Sr. Dr. Carolino Francisco de Lima Santos, fez
publicar nm avulso com o fin de defender seu fi-
lho, mas com particular) Jade de envolver nelle
faUidades e calumnias dirigidas aos Srs. padre
Piolo de Campos e Dr. Urbano.
Nao esperavamoi que S. S. osasse de nma lin-
uagem to rasteira, quando reconbecemos que
possue um pergamiobo, nao obstante acbar-se elle
crivado de RRRRRRRRRRR, segundo se diz.
Qoe resposta, pois, devemos dar a S. S. senao o
desprezo ?
Com o avnlso de S. S. Qcamos convencidos, e o.
publico, de qoe perteoce a propaganda do Sr. Dr.
Borges da Fonseea, fazendo tambem que seu filbo
seja om dos tribunos-iueinm.
Se falso o que ditera e foi publicado, competa
S. S. defender a sen filbo eom termos comedidos,
e nao com insnltos e calumnias; da maneira por
que a fez, nenhoma considera gao merece, pelo
contrario subsiste o fac:o qae S. S qoiz alten na r.
Poderlamos invocar o testemnnbo do Sr. Florla-
no Correia de Brilo em quaoto ao genio colrico
de S. S., relativamente ao carinboso uatameoto
qae prodigalisa a seu filhff, e mesmo aos Irs.\ da
I >j.-. Uu -. e Benef.-. que podero dizer que S. S.
feriil em insultos.
Consta-nos agora mesmo qae o r. padre Pinto
de Campos vai chamar S. S. resfonsabilidade, e
ento veremos .qual deva/ ser o resultado desse
processo.
A sombrado Ab^elKaier.
Ao corpo eleitoral do 4. districto.
Em face da ebulligo poltica e social, porque
vai passando o palz; em face dos enormes compro-
missos, que a guerra o ba ezposto, e obrigado;
em frente do retalho mltiplo e odenlo, qne os
interesses (accionarios e ambigoes individuaes o
ho reduzido; e finalmente ao encontr de tenden-
cias rivaes entre sul e norte, nm de emancipar se
razoavelmente do padrastismo, e outro de c nser-
var a' todo o transe as prerogativas e o senhorio
do jugo; ser iramensa, grave, e indecllnavel a
respoosabilidade, que pezar sobre cada deputado,
seoo tambem sobre cada partido, n? prxima le-
gislatura I
Tudo anouncia no Brasil que orna Babel esta eri-
gida e prestes a desabar; e que dessas lgubres
ramas, taivez sobre ossadas humana?, duas babilo-
nias tero de ser construidas para duas Semlramis
do mesmo tronco dyoastico; tendo ambas a' seu
cargo mutuo a iudlssolubilidade da oago, e cada
nma a' su* goarda edefeza urna fronieira do im-
perio !
E as finangas do paiz?....
Continuaran por v;nturanicamentesobre
a base do Imposto mltiplo, pezado, e desmedida-
mente acabrunhador das torgas productoras do
jS>raiteiro, sem crdito, e sem favor; oa, ao con-
trario, sero reerguidas "sobre o bello principio do
protectorado^ em modicago conveniente do
taissez faire e reanimadas pelo vivificador ba-
fejo do crdito territorial, que tenha de libertar de
urna vez o agricultor, o creador, o fazendeiro, e
at mesmo indirectamente o artista Brasileiro,
desse jugo iniquo da usura arbitraria com o nome
de convencional, de que privilegiadamente s
dispoe hoje o commerclo, a' sombra de um s
banco, e esie mesmo posto em liquidagao pela ulti-
ma legislatura?...
E a industria do paiz ?...
Continuara', sem estmulos, esquecida por mais
tempo da mente dos idneos; ou antes refundi-
da toda na profisso de funecionano publico,
oada apenas se aprende a vi ver na Intriga, na bai-
zeza, na dependencia, e sempre as privag5es e
oa miseria ??..
Mas sero remediaveis esses males por toda a
nossa gerago?...
Eu enteudo que em grande parle siml... e
que da prxima legislatura, e nao s de um.
toas de todos os partidos em francas discus-
Mea, e largos e patriticos debates, depende a sal-
vago, ou abismagam e naufragio do paiz 11... -
Nao ser, por certo, enviando-se nicamente
para a cmara quairlenal cantaroleiros e dana
rinos de corte cu submissos cabos de guer-
ra de um so partido, arvorados em genraes, que
islo se d : mas ha de se-lo delegando se com u-
depencia e firmeza poderes largos em nome da na-
gao a' homeos francos de ideas e de carcter, que
s tracem a sua linba de conducta pelo seu dever
de bem servir ao paiz II...
Sou progressista de creogas sinceras, e de f ;
en anutbese aos que o sao por conveniencias e
inleresse II... mas por isso mesmo que almej,
que anhelo coro fervor e anciedade o progresso
do meu paiz, que oo quero praticamente exemir
do grande concelho, era que se tem de delinear
e estender as bases da obra delle nenbura ope
ra .o hbil, neohuma idea grandiosa ; que possa
coocorrer para sua solidez e brilhantismo I...
Foi este o magnifico programma, que se offere-
ceu ao povo brasileiro, qu.ndo se Ibe fez convite
de fundir as snas ideas e os seas principios
era urna s bandeira, que a' lodos cobrisse, que
a' todos eucorajasse, offerecendo premios ao
mrito do cidado, e sementes de prosperidade ao
palz II...
Foi assim, qae me enthusiasraei, e abracei a
vsrdejante bastea d'aqueila bandeira, inscrevendo
em meu corago o seu distico seductor, ao qual rae
devolei em corpo e alma, como em face de audito-
rio immenso de povo o disse I. -. sendo qoe ja' de
a' muito eram estas as minhas ideas, e o meu mo-
do de sentir e de entender poltico 1... e a razo,
portanto, de rainbas derrotas constantes, de meu
abengoado ostracismo, e de minha inalleravel e
bem querida obscurldade I..
Nunca recoabeci por chele poltico, seno o
meu dever em relagoa' liberdide a' sorte e con-
diges sociaes de meas concidados I.. Anda bo-
je nao recoohego, senao a minha consciencia, lim-
pa, sem nodoa, i> sera eivas de corrupgo, e qne s
d'aquelle rec9be leis e diciames na prtica de mea
direito poltico I
Com estas reflex5es, e sem pretengao alguma de
preterir annimos de commanditas apresen-
lo-me candidato a" depotago geral, snbmeiteodo
particularmente a minha candidatura ao joizo col-
lectivo, recto, maduro, Imparclal, e independente
dos Ilustres e destnelos eleitores, qoe vo ser do
4.* districto eleitoral da provincia.
Se nao tenho a' meo favor o nao ser candida-
to de algnm chefinbo conventicular, nao deizo de
te lo, por algum modo honroso, na absleogo, que
se tem nobremente imposto o Ezm. presidente da
provincia de proteger esle ou aqoelle oatro can-
didato, quaiquer que elle seja, contra a consciente'
e esponlaneidade dos eleitores do clicu o.
Recife 27 de Janeiro de 1867.
Nabor Carneiro Bezerra Cavalcante.
aaos publicado oeste Mario om discursode-
il lustrado Sr. Dr. Sarroeoto em que dos cov
j moostro esta verdade; terceira, porqqe
I uas at quatro pimas produz oa mais rop-
busta Datureza* o .effejto urgayo semji
j offeosa e irritacSo das eotranhas e das ou-
tras sao precisas quatro e seis para esse
effeito, seodo que as caixas conten 36 pi-
lulas e as que veem de fra a maioria teem
24.
Quando digo cima: beoipo a mais tenra
infancia, porque podem. ser applicadas aos
meninos de perito; e explico como: cortai
urna pilula em duas partes, arredondai, que
a massa a isto se presta, abr a bocea da
i creanca, (se fr de mezes e dias em 4 par-
tes) e botai urna das duas partes perto da gar-
j gaota, dai em cima urna coltaer de sopa de
; agua fria simples ou assucarada ou mais se
I fr preciso, at que a pilula seja engolilla,
' e dabi algumas horas applicai novas co-
Iherinhas^de agua, sem esforco porque se
houver se le, ser recebida pela creanca
com agrado; e continuai no espago do dia
| a esperimentardes se ha sede, para salisfa-
zerdes. Obscrvai a vossa creanca, vede se
pilula produzio effeito purgativo, para ver
f se a tarde ou a noite preciso dar segunda,
\ continuai com este tratamento, sede perse-
! verantes at o completo restabelecimento!
Um fado bem notavel de recente dala me
tem convencido desta verdade. O meu ami-
| go o Sr. Jos Lopes Roxa, asss conhecido
nesta cidade foi bastantemente atacado do
nervoso, apontoque o seu medico assisten-
te mandou-o sabir do Poco da Panella, lugar
de sua resitencia, para esta cidade ver se
com os banhos salgados poderia obter favora-
vel resultado a sua doeoca, vendo que os ba-
nhos s por s nao (lavara resultadosatisfato-
rio, visto que de momento momento soffria
frequentes inquielacoes, de modo a n5o po-
der dormir, appliquei-lhe pela primeira vez
urna pilula purgativa de veame, e a noite
urna colher de sarape ethereo de veame
dissolvido em urna chicara de infuzao de al-
tha com o que se tem dado muito bem, e
todas as pessas de sua familia, conhecem
grande melbora que senteed, pois doiesrce
nho tem elle usado pela manilla urna pobt
la, e a noite a colher do xarope dissolvi d
na chicara de infuzo e altha com um
papelinho de pos refrigerantes.
E' j bem conhecido que em todos os ca-
sos sao as evacuaces um forte remedio con-
tra as infermidades; e em quaiquer delles
necessario faze-las diminuir gradualmente,
para que o seu affeito nSo cesse de repente,
E' conveniente o exercicio moderado e com-
pleta abstinencia no uso de habidas espiri-
tuosas, salvo os que estiverem acostumados.
que poder"o fazer uso de urna peqneoa quan-
tidade de vioho simples ou com agua.
Assim nao se perca tempo em tomar es-
tas pilulas para quaiquer das seguintes in-
fermidades. Podendo as que usarem dol-
as continuar em seus negocios, visto que
nao preciso resguardo.
da
Accidente epilpticos.
Alporcas.
Areias (mal de)
Asthma.
Clicas.
Convulsoes.
Debilidade ou exte-
nuaco,
Dysenteria.
Dor de gargant a.
Dor de barriga.
Dor nos rins.
Dureza no ventre.
Dita noGgado.
Ditas veneraos.
Enxaqueca.
Erysipela.
Febre Biliosa. -
Febre intermite
Febre de quaiquer
especie
Lotta tne.
Vendem-se as caixas a 1)5000 rs. na bo
tica do abaixo assignado na ra Direita n
88, e de urna duzia para cima a 800 rs. ca-
da caixa; contm urna instrueco, para ex
plicar o modo de usar-se destas pilulas, tra-
ciando de cada urna das molestias de per si
A instrueco est assignada por meu pu-
nho, para evitar as imilacoes.
Jos da Rocha Paranhos.
Hemorroidas.
Hydropesia.
Ictericia.
Indigesto.
Inflammaces.
Irregularidades
menstruago.
Lombrigas de toda es-
pecie.
Manchas na cutis.
Obstruccao do ventre
Inflammago do pul-
mao.
Retengo de ourinas.
Rheumatismo.
Symptoma secunda-
rio.
Tumores.
Tico doloroso ou ne-
vralgia.
Ulcera.
Vial venreo.
Brigue nacional^w/toiioileiD.
Dngue argentino-Fota*< Patacho Uanoveriaou' oncoriaidemv
Patacho HolstensHara Eiliabet-ldero-
Polaca hespanbolanorestedem.
Barca nacionalMalina-idom.
Importaban-.
Vapor brasileiro Paran, entrado dos portos So
sul, manifestoo o segninte :
Da Baha
Gneros naelenjes :
1 caizo nma cadeira d' arruar e o brap> da
mesan.
t caixSes charutos a Lino de Faria & C.
2 parris azeile d pene ; a Jos Cordeiro Reg
Ponte?.
TlSizas charutos; a W. W. B. ..
30 fardos patino de algodo; Bailar a Oli-
veira.
8 caizBes cbarntos ; a Jos Mara Palmeira.
Do Rio de Janeiro :
1 caixap chapeos; a A. C. de Abreo.
1 dito charutos ; a Jos L. Bourgard-
1 dito charooe ; a J. da C. Bravcv
1 dito i-'ip ; a Marcelino D. Cmara'.
i ditos livros impressos ; a J. X. de Sooza.
134 rolos fumo; a A. L. de Oliveira Azevedo'
&C.
1 caizote livros impressos; a Lailbacar & C
1 caizo cha ; a Jes Vicente Toorinhe.
1 dito nm retrato ; a Marques Barros & t
1 caizinba cigarros; a Garrauz de Lailhacar.
Gneros eslrangeiros :
1 caizo chapeos ; a A. C. A.
1 dito diversas raercadorias; a Jos Joaquina
Goncalves Bellrao.
1 erabrulbos camisas; ao conde de Boa-Vista.
1 caixa fazeoda ; a Henrique & Azevedo.
i alacho holsteinez Afana Elisa, entrado
Boenos-Ayres, consignado a Amorira iruiaos, >*-
nifestou o" seguinte :
2:843 quinlaes de charque e 30 couros seceos ;
aos mesmos,
Barca nacional idalina, entrda de Montevi-
deo, consignada a Bailar & Oliveira, manifest &
seguinte :
3:931 quintaes de carne secca e 60 couros sac-
eos ; aos mesmos.
Hiate nacional Sobralense, e&trado do Ara-
caty, consignado a Jos de Sa Leito, roanilesloe o
seguinte :
270 saccas com 1:127 arrobas e 28 libras desl-
godao, 2:>61 meios de sola, 14 couros.salga&., 8fc
caizas com 84 arrobas de velas de carnauba, 11
saceos oro 44 arobas de cera de dita ; a' ordtm
de diversos.
Polaca hespanbola Florist, entrada ii Babia,
consianada a Francisco Ribeiro Rinto G., Bailes-"
tou o seguinle : *
3:600 quiptaes de carne secca ; ao mesmo.
Barca prusstana Juno, entrada do Rio de Ja-
neiro, consignada a Amorim Irmos, manifesiou o
egunte :
2C0 pipas vasias, 230 volumes barricas vastas ;
aos mesmos.
Palhaboto portoguez Pensamento, entrado do
Rio-Grande do Sul, consignado a Bailar & Oliveira,
manifestou o seguinte:
8:762 arrobas de carne secca, 35 cooros seews,
22i arrobas de graiza, 9 barris 2:000 lainhas, 206
resleas ceblas e 700 liogoas; aos mesmos.
Galera porlugneza Nova Fama U, entrada do
Rio de Janeiro, consignada a Cunha Irraaos, ciaci-
festoo o seguinte :
26 pipas, 50 quintos e 40 decimos vinhoi, 20O>
saceos faroha de mandioca, 229 dilos e 1 barrica
caf, 230 caizas sabao, 260 barriqutnhas, 200 pi-
pas, 3(0 meias barricas e loo volumes com barri-
cas vasias e abatidas; a' ordem de diversos.
i:\poi -tavo.
Do dia 8.
Patacho portuguez Georgense carregon para Uro-
guayana : 80 pipas com 14:400 medidas de agur-
dente, 225 barricas com 1:684 arrooas e 8 libras-
de assucar branco e.25 dius com 190arrobas e 19
libras de oilo mascavado.
Escuna norueguense Hierdal carregon para.
o Caoal : 3:08u saceos com 13:400 arrobas de as-
sucar mascavado.
Patacho brasileiro Palma carregon para o-
Rio-Grande do Sul : 45 > barricas e 1:200 saceos
com 8.768 arrobas e 6 libras de assucar branco.
uCRJ^EBEDORlA DE RENDAS INTERNAS
GERAfiS.
Rendimento do dia 1 a 9......... 5:2493*
dem do dia 11............... S:8847

8:131*774
MOVIMENTO DO POETO
CQMHERCIO.
RACA DO RECIFE II DE FEVEREIRO
DE 1867.
As 3,' horas da tarde.
Algodo 1* serte. 155 por arroba.
Cambio sobre Londres90 d/v 23 3/4 d. por l&
Cambio sobre Paris90 d|v 400 rs. por franco.
Silveira,
Presidente.
Macedo,
Secretario.
gualas purgativas de veame-
Este inestimavei especifico, composto in-
teiramente da planta do nosso paiz denemi.
oadavelame e seus adjuvantes, benigno
mais teora infancia, e a compleigio mais de-
licada, Igualmente prompto e seguro pa-
ra desarraigar o mal na corxpleig o mais
robusta; inleiramenie innocente em suas
operagoes e effeilos; pois busca e rsmove
as doengas de quaiquer especie e grao, por
mais antigs e tenazes que sejam.
Muitas pessoas curadas com estas pilulas,
conhecem s virtudes e effeitos deltas; algu-
mas, que estavam s portas da morte, pre-
servando seu uso, conseguiram recobrar a
saude e forgas, depois de haver tentado ou-
tros remedios.
Os chefes das familias n3o. devem.entre-
gar-se a desesperago ; fagam u mensaio
dos efficazes effeitos destas pilulas, e pres-
tes recuperarao o proveito da saude. Ra-
zies bem ponderosas existem, pelas quaes
devem ellas ser preferidas a outras mui-
. lllm. e Ezm. Sr. Von levar ao conhecimento de
V. Eje. o occorrido na eleico qae se dea princi-
pio no dia 3 do correte. Orgaoisada.a mesa pa-
rocbial sem nenhuns destorbio, den-se principio
no da seguinte a fazer-se a primeira chamada;
fundo o da foram levantados os trabalbos, toado se _
reeoibido a urna cento e oitenta e duas sdalas, ^ que 3o exposla8 a venda.
logo as 3 horas a Urde do mesmo da apparecea, pJfmftira noll da __. Dla 1D.
a Idea de que os partdof qoe pleitiavam eleicio rnmeira por ser a una pian id uu iu
eram eoncordea em dar nm os eleitores; e o on- ds que habitamos, e nao ser iDierior os
tro os suplientes, e desta sorte a cabar-se em pac abUS effeitos as que nos vea) de outros pai
a eleico ao que annoi; porm, logo no da Imme- zes; segun(ia porque deste modo qua
ctnuroa^os'^eiSsna SS^JS?,-? acorogda a'no'ssa industria, e estaistoV
a isto se oppozeraro, dizendo que nao era preciso alcance de todos. Ha bem poneos das do
NOVO BANCO OE PERNAM UCO
O nQVo banco descoma letras de praso at qua-
tro mezes a 8 0i0 ae anuo, e de maior praso a
10 9fi
Caixa filial do banco do Brasil em Pernam-
buco 9 de Janeiro de 1867,
De ordem da directora se faz publico a'quellas
pessoa que tem objectos de ouro, prala e diaman-
tes depositados sob cancao nesta casa, cujas letras
se achara vencidas, que fica marcado o praso im-
prorogvel de o to dias, a contar desla data, pira
virem pagar ditas letras e seus respectivos juros-
sob pena de serem postos em basta publica os re-
feridos depsitos findo o praso marcado.
O gnarda-livros
Ignacio Nones Correia.
NOVO BANCO DE PER-
mico.
0 noy banco paga o se-
gundo dividendo de 4,4 0[0
da massa fallida de Joaquim
Jos Silveira,
Navio entrad* no dia 10.
Rio de Janeiro14 dias, barca hamhnrgoezaiftcar-
do, de 370 toneladas, capito B. V. Diedereckses,
eqopagem 14, carga 6,000 saceos com lancha,
de trigo ; a Saonders Brothers A C.
Navios entrados no da II.
Rio de Janeiro18 dias, brigue ingtez El/znbetk
Brown, de 234 toneladas, capito I. S. Perrean,
equipagem 9, em lastro; a ordem.
Rio de Janeiro16 das, barca inpleza Cumula, de
383 toneladas, capito William Xagartb, eqopa-
gem 13, em lastro ; a ordem.
Assii5 dias, hiate brasileiro Ganbaldi, de 109
toneladas, capito Custodio .1 ;- Vianua, equipa-
gem 8, car^a 324 saceos com algodo ; a Tasso-
lrmao.
Hamburgo36 dis, barca hamburpueza Longo,
de 186 toneladas, capito I A. F. Jachiman,
equipagem il, carga diferentes mercadorias ; a
Tlioodore Cbrisliansem.
Cardiff por Plymoulb70 dias do primeiro porto
e 40 do segundo, barca sueca Avik, de 962
toneladas, capito K. Ablborg, eqopagem 12,
carga alcatro, carvo e outros gneros ; a Bro-
thers & C.
Liverpool43 dias, Lii^ue Ingtez Mayfleld, de 1S6-
toneladas, capito Thoma;. Rae, eqopagem 9,
carga varios gneros; a Patn Nash & C
Liverpool-41 das, barea io^Wia. Adelphot, de 38
toneladas, capito Watkius, equipagem 12.cariia
ditferenies seeros; a Johnsioo Pater &
Navio sahido no mesmo da.
AracalyHlaie brasileiro Nicolao /, capito Joao
Vieira de Mello, carga differenles gneros.
EDITAES.
ALPANDEGA.
Rendimento do da 1 a 9 ........
dem do dia 11................
235:849*466
32:6544907
268:5044373
MOV1MENTO DA ALFANDEGA.
Volumes entrados com fazendas.. 478
c t c gneros.... 1241
-----1719
Volumes sabidos com fazendas... 129
ce gneros.... 368
Desearregam boje 12 de fevereiro.
Vapor inglezO/indamercadorias.
Barca inglezaImogene-\aem.
Brigue hollandezOrionmercadorias.
E-cona inglesaMarisdem.
Barca inglezaStlver Streeniiem.
Patacho portoguezFernandasidem.
Barca franc-zaSanto AnaY<5idem.
Barca InglezaGra(a*)carvo.
Brlgne nacionalEsptrancacharque.
O capilo Luiz Cosario do Reg, juiz de paz dmu
volado e presidente da mesa parocbial da fre-
guezia doS. Sacramento do bairro de Santo An-
tonio da cidade do Recife de Pernamboeo, em
virtude da le etc.
Fago saber pelo prsenle que, lendo-se findo boje
a apuraco das cdulas dos volantes desta fregne-
zia para a eleico de eleitores da mesma, ene eon-
sequencia de ordera da presidencia que> me foi
comraunicado pela cmara muuicipal desta cidade,
ofetlveram votos os seguintes cidados :
Joo Bernardo de Siqueira............ 311
Jos Francisco Carneiro.............. 310
Dr. Antonio Jos da Costa Ribeiro...... 305
Dr. Deodoro Oipiano Coelho Catanho... 30::
Dr. Jos Flix de BrJto Macedo........ 303
Genuino Jos sa Rosa................ 303
Joaquim Salvador de Siqueira Cavalcante 302
Dr. Antonio Jos Alves Ferreira........ 302
Francisco Antonio de Brito............ 3C8
Dr. Antonio Rangel de Torres Bandeira. 302
Luiz de Franca Sonto............... 30
Prancisco de Souza Reg Monteiro..... 302
Flix Antonio Alves Mascaranhas.....- 301
Emilio Americano do Reg Casnmba... 3 1
Manoel Antouio de Alcntara.......... 300
Manoel Antonio Viegas................ 300
Antonio Augusto da Fonseea........;-. 299
Lulz Pereira de Parlas................ 2 Jernimo Emeliano de Miranda Castro.. 2*K>
Manoel Raymundo Peoaforto......... 399
Jos Fraocisco de Panla.............. 299
Manoel do Na-cimento dos Santos....._ 299
Dr. Jernimo V>llela de Castro Tavares. 29R
joo da Cunha Soares Golmares........ 298-
Joaqom Manoel de Castre Santos.. ... 9S
Prancisco da Silva Reg............,. 297
Jos Barbosa de Miranda Santiago...... 297
Jos Ribeiro de Vasconcellos........._ 297
Joo Baptlta da Silva Praebedes........ 297
Francisco Xavier Pereira de Brito..... 296
Jos Mana de Alencar.......*........ 295
Pedro Mrtir de Sooza.'..............* 295
Jos Maria Accyoli................... 293.
Pedro Manoel da ConceicSo............ 295
Lanrindo de Panla Alves Lima_______. 295-
J s da Fonseea e Silva.............. 293
Balbino Jos de Andrade............... 293
Flix Francisco de Sooza Magalhes____ 292
E para constar fiz o presente de orden do ies-
Bbcivo juiz, o qual vai pregada na porta da igrejm
[atriz desta fregueziaz e publicado pela impreasaw



- i;

m
L



<>

mmmmm
I
Diarl de Pe mam Hoco Terca felra i* de Fverei>o de 8G>.
>
,'







'


Rieifa 8 de ferireiro da 1867. Eu Joaqaim da | Roa de Pilar.
Slia llego, HscnvSo que o escrevi.O juiz de par Casa tarrea n. 9i. .....168(1000
presidente, Luiz C-mno do Reg. ________ (Sitio do Pomo da Ca! n. 5. 160*080
Dr. rr7iTo~dTAIeacar Araripe, offlcUI da nape- L^.T^3r^irn'^Mfi da M,serieordi do
Jiai orto d RJ5a, e juiz especial do coramer- 8C,fl de ^tereiro de 1856.
<* aesta eiiaJe do Recife de Peraambuco, por, Ba,",!"",v"
Sua Mgestade Imperial e Constitucional, etc.,
etc.
*Fa<;o saber aos que o presente ediul virera e
dile noticia tiverero, qae no dia 21 de fevereiro
4o aove prjimo viodoaro se ha de arrematar por
vcada a quem mais dr, em pra$a publica deste
jairo, astros qaistas partes do sobrado de tres an-
dares o. 47, da roa da Imperatriz, freguezia da
Pedro Rodrigues de Souza.
Conreino de compras do arsenal da guerra 9
de fevereiro de 1867.
O cooselbo da compras anda precisa comprar
630 telbas de 9 palmos icglezes de comprimeato e
3 de largara, ou 486 ditas de 11 palmos inglezes
de comprimento e 3 de largara.
Para o Aracay.
S-'gae oestes das o hlale Sobralence, para carga
e pissageiros trata-se eom o consignatario lo* S
Leito Jnior a roa da Madre de Dos.
LEILOES.
(Juera quizer vender ditas -telbas aprsenteos as
Boa-Vista, em chaos foreiros, com irinta e quatro suas propostas no dia 14 do corrate, as 11 horas
palmos de largara e cento e cinco de fondos, daas da tnanbaa.
salas e quatro quarios em cada andar, coziaha lo-
ra ao primeiro e segando andar, e tambera no pa-
vimento terreo com quintal grande e murado, e
divide em mel com mais um quarto e estribara
ra dte -juintal e cacimba, avalladas ditas partes
por I2:00u4>00. sendo a avliaco total do raesmo
predio de 0:0005. As qaaes oram penheradas
por eieeucao de Sunthall Mellors & C. contra Joo
4e Siqueira Perro. E nao navf>ndo lanzador que s
cabra o prego da avliaco, a arrematado ser
feita pelo preco da adjudicado na forma da leu
E para que chegue ao conbecimento de lodos, ~~
aiaadei passar o presente qae ser publicado pela
impreasa e anisado nos lugares do costme.
Recite, 19 di dezembro de 1866. Eu Maooel
Harta Rodrigues do Nascimento, escrivao, o sub
screvL
Tristao de Alencar Araripe.
Prancisco de Paula Goncalves da Silva,
Secretario.
Pela administrado do crrelo desta cidad8
se faz pnblico qae o fechamento Jas malas qae
vapor tTocantins tea de conduzir para os porto8
di sal, fui transferido para boje (12) ao meio da
em ponto.
LEILAO
De 20 pipas cm viuho tinto.
HOJE
O agente Pestaa fara' letlo por conu e risco
de qaem jmrlencer de 20 pipas com vinho tinto
em um ou mais lotes a vontade dos compradores :
terga-felra 12 do correte pelas 11 horas da ma-
nha no armazem ido barao da Livramento caes
do Apollo.
AVISOS MARTIMOS
G0HP4NU1A ratltlNIGm
DE
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, offlclal da impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direito especial do
commereio desta cicde do Recita de Pernambn-
co, sea termo, por S. M. Imperial e constituciona
o Sr. D. Pedro II, a quem Deus guarde, etc.
Fago saber aos que
Navegado costeira por vapor
Parabyba, Natil. Maco, Aracaty e
Ceara*
O vapor Parahyba, comman-
dante Mallo, sahira' para os por-
tos cima indicados bo dia 15 do
crrante as S h iras da tarde. Re-
cebe carga somente at' o dia 14;
o presente edital virera e
deile noticia tiveretn que no dia 21 de fevereiro do passagelros e dioh87rVa"freV7oraeVe"aVaV"2
iiao prximo vmdoure se ha de arrematar por boras da tarde do dia da. sabida; escriptorto no
de arrematar
venda a qaem mais dr, em praca publica deste
alzo o segainte:
Um terreno n. 26, com 33 palmos de largo, sito
na ra da Croa do Reo fe, qae do predio incen-
diado na mesma ra eoraprehendida as roeiagSes
Jos oites do referido predio e matenaes existen
Forte do Matos n. 1.
GOMPANHIA PERNAMBUCANA
DR
Navegago costeira por vapor.
tes qae se podem aproveitar, avallada em 1:0005 Tamandar, Barra Grande, Porto de Pedras,
Camaragipe, Macei, Pene lo e Aracaju'
O vapor Mamanguape, cora-
mandante Beimiro, satura' para
os portos cima indicados no dia
14 do correte as 5 horas da
tarde. Receba carga at o dia
passageuo.', encomraendas e dinhalro a frete
cada ama parte, sendo a parle partencente a exe-
utada D. Manoela da Conceigo Reis Duarte de
4:9115207, da executada Triana Filomena1
Ath masa de Jess Duarte 5:9805807 e da executa- >
da O. Rita Mana Francisca de Santa Ritt Duarte
Ib 5:0D0 i sen lo a avallarn total das tras partes '
perteocentes as ditas executadas de 3:0005/ o qual
fra peahorado por execoco de Jos Antonio Mo-
reir Oas contra as mencionadas executadas. i** ?'8 as"**n.d* ""S '
E nao havend laocador qae cabra o prego da escriptorio no Forte do Matos n. i.
valiaco a arrematado sera' falta pelo prego da
adjudicacSo na forma da le.
B para qae chegae ao conhecimenlo de todos,
oaandei passar o presente edital, que ser publi-
cado pela irapreosa, e afiliado nos lugares do
costume.
Eu Manuel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
crivao, o sabscrevi
Tristao de Alencar Ararine.
U Dr. Tristao da Aleucar Araripe, fflcial da Impe-
rial crdem da Rosa, juiz de direito especial do
co^mercio desta cidada d Recife de Peroambu-
co. seu termo, por Sua Magostada Imperial c
Constitucional o Senhor D. Pedro II a qaem
Deas guarde etc. etc.
Fago saber pelo prosete que Hanriqoe Guibson
tumo testameoteiro de sao pai, por seu advogado,
use dirigi a peiigo do theor segainte :
lllm. Sr. Dr. juiz de direito e especial do com-
mercio.Diz Manrique Guibson como testamentei-
ro de sea fallecido pai, que sendo o Dr. Bernardo
Antonio de Mendonga BtSttla Branco devedor de
ama i-tra da quantia de 1:5145900, ja vencida ;
jaer o supplicante iterromper prescrlpgao, para
ajo im requer a V. S. se sirva mandar passar o
respectivo termo, e como o sopplicado se acha au
sent em lugar nao sabido quer justificar dita au-
sencia e jalgada por seuteaca para que seja citado
par edicaes designando V. S. da e hora para a io
rjmncio de suas testemunhas. Pede a V. S. assim
4ne delira.E. R. M.G. Alcoforado
& oa peticao del o desuacao seguida :Sim,
juscicaado na pnmsira audiencia.Recife, 2i de
Janeiro de 1867.Alencar Araripe.
Em observancia a esta meu despacho foi felta a
di.-tnbuigso ao escrivao do meu jaizo Maooel de
Carvalho Paes de Aodrade, que logo fez lavrar o
oompeteato termo de protesto do theor seguate :
Protssto.Aos 2* de Janeiro da 1867, nesta ci-
dada do Rscife, em meu cartorio, peranle mlm e
as testemunhas infra assignadas, comparecen o
supplicaBte por sea procurador bastante Flix
francisco de Souza Migaihaes, e pir este fol dijo
jiie re tazia a termo todo o comeado da sua petigao
retro quooerecla como parte do presente, em que
Jepois de Iido seassigaou com as indicadas teste-
uiunhas. Do que fago o prestte.
Eu Maooel SiWerio da Barros Falco, escrivao
juramentado o escrevi.
Su Maooel de Carvafho Paes de Aodrade, escri-
bi o subscrevi.Flix Praocisco de Son a Maga-
ihes, Maooel Correa Macial dos Sanios.Manoel
'/UytHiiado Penaforte.
Oepms do que prodaziodo o sapplicaate saas
testemunhas que depoieram convenientemente
jcerca da ausencia do suplicado, o re crivao fazeodo sellar e preparar os autos m'os fe,
conclusos, nos quaes del a venteara do theor se-
a-mote :
Hel por justificada a ausencia, do sopplicado, e
mnrlo que a citago se faga nos termos requeri-
dos, pagas a' cusas ex causa Recife, 8 de feve-
reiro da 1867.Tristao da Alecar Araripe.
Em cumprimento desta minha sentunga o res-
pectivo escrivao fez passar o presente edital com o
prazo de 30 das pelo tneor do qual chamo, cito e
oei por citado ao referido sopplicado, para que
dentro do dito praz) conaparega por si ou por seu
procurador, allegando e provaodo ante este jaizo o
-que for a bem de seu direito e jastiga. Portanto
toda e qualquer pessoa, prente, amigo ou conhe-
.-.ido do dito justificado ausente poder-IOe-ho fazer
sci.'iiii de todo o expendido.
E pira que cbegue ao conbecimento de todos
aadei fazer o presente edital que ser afiliado
aos lagares do costume e publicados pela Impreasa.
Dado e passado nesta cldade do Recife de Per-
aambneo, os 9 de fevereiro de 1867.
Eu Minoel Silverio de Barros Falco, escrivao
nterin > o sabscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
DAS
Messageries Imperiales
At o dia 14
do corrate mez
espera se dos per-
tos da Europa, o
vapor fraocez
Gutenn;, o qual
depols da demo-
ra do costume
seguir' para a
Babia e Rio de Jaoeiro.
Paracondigoss fretes e passagans tratase oa
agencia raa do fraplehe n. 9.___________
mn\\\w BAsiLM
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do uorte esperado
at o dialOdo corrtnte o vapor To-
canltns, commandanteocapitote-
oeote Farias, o qual depois da de-
mora do costume seguir para os
portos do sol.
Recebem-se desde j passageiros e engaja-se a
carga qae o vapor poder conduzir a qaal devera'
ser era oreada no dia de sua chegada; encor-
mandas e dinheiro a frete at o da da sahida as
2 hor.s. Pravinese aos Srs. passageiro; qae suas
passagens so sao receblas nesta agencia ra da
Cruz n. 1, escriptono de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C. ^^ __________
CoiHpaahia americaa* e brasileira de
paqae es a vapor entre os Estados-
l idose o Brasil.
At o dia 15 do
cerrante espe-
rado de Nw-
York por S. Tho-
maz e Para' o
vapor americano
Ncrth Amrica, o
qual depois da
demora do cos-
tume segaira' para os portos do sul. Para fretes e
passagens trata-se com os agentes Henry Forstar
& C, ra do Trapiche o. 8.
Ifr5i*dfti
DE
32 barris de 8* de vinho verde do
rorte marca p. S.
21 itas de viaagre marca A. P. S
v Cordeiro Simes
por coota e risco da qaem perteocer fara' leile
dos barris de vinbo e vinagre cima mencionado,
isto
;[:- 23
Terga-feira 12 do correte as 11 horas.
"io armazem do Annes.
a
Do tkp'siid da ra do pilar rt. 82,
Qaarta-feira 13 do correte.
O agente Pestaa fara' leilo por coota e risco
de qaem pertencer da armago, gaz, gneros e
mais otencilns existeotes no deposito cima
quarta-feira 13 do corrente as 11 horas da manhaa
no raesmo deposito.
u
El AO
Sevta-feira <5 de fevereiro as 11 boras
Pdlo agente Euzebio.
De urna loja cora fazeadSs na ra do Caes
do Passeio Publico
Por mandado do IHm. Sr. Or. juiz do comraercio
a requerlraento do depositario da massa fallida de
Amaro Goncalves dos Santos, se vendara' em lei-
lo a armago e fazendas contidas na loja n 8 na
ra do Caes do Passeio Publico, o inventario se
acba era podar do referido agente, o> pretendeotes
poderao anteclpar o exame para naqaelle da e
hora se eflecluar a venda.
AVISOS DIVERSOS.
Para Lisboa.
Segu em poucos das o brigue portugusz Con-
cacao de Mana, por ter parte de sea carregameo-
to prompto : para o restante e passageiros, trata-
se cora Oliveira Pilho & C, largo do Corpo Santo
n. 19, ou eom o capito na praga.
EECL1R1C0.
Para Lisb -a
bem conheciio brigue portoguez Relmpago pre-
tende sahir com presteza, para o que tem a maior
parte de sna carga prompta : quem oo mismo
quirer carregar ou ir de passagem, enteola se
com os consignatarios Thomaz de Aquino Fonseca
& C, na raa do Vigario o. 19.
Para o Porto
segu com a possivel brevidade o brigae porto-
guez l'niao por ter a maior parte da carga enga-
jada : para o resto e p issagairos trata-se com os
consignatarios Thomaz de Aqaina Fonseca (t C,
roa do Vigario n. 19.____________________
IVilll O PORTO
A barca portugueza Humildade, nova, e de 1*
viagem, pretende sabir para o Porto com a maior
brevidade possivel. Recebe carga e passageiros,
para os quaes tem excedentes coramodos : a tra-
tar com Marques, Barros & C, oo largo do Corpo
Saoto o. 6, oa com o capito Carlos Perreira S ja-
res.
Os Drs. Manoel de Figueiroa Faria, Mi-
guel de Figueira Faria e Filippe de Fi-
gueira Faria convidam aos seus amigo
para assistir urna nmsa pelo descanso
eterno do Sr. Pedro de Alcntara Leite, pae
do seu amigo e colaborador deste Diario o
Sr. Luiz Filippe Leite, amanha s 8 horas
da manha, no convento de S. Fraucisco,
trigesim de seu oassamento.___________
Maooel Francisco Punios, ruga aos .--eus amigos
e aos da sen fallecido primo Manoel Jos Martins
da Silva, o caridoso obsequio da assistiram a raissa
que manda celebrar por alma do raesmo fallecido,
n dia 13 do correnta as 7 horas da manhaa na
matriz do Corpo Santo pelo qu antecipa seus sin
ceros errlppim,">=.
Curre sexta-felra 15.
Acham-se venda ha respectiva thesou-
raria, ra do Crespo n* 15, os bilbetes,
meios e quartos da 10a parte da 5* lotera
a beneficio da Santa Casa de Misericordia
(6a) sendo a extracto no lagar e hora do
cosime.
Os premios de 6:0000000 at i0300
sero pagos urna hora depois da extraccSo
at as 3 oras da tarde, e os ootros depois
da distribuiQo das listas.
As encommendas sero guardadas smen-
le al a noite da vespera da exv-acejio.
O tnesotireiro,
______Antonio Jos Rodrigues de Soaza.
Jos Duarte, retira-se para Lisboa, o que faz
publico em cumprimento da iei.
Santa Casa da Mis incordia do Kecife,
Tendo de Andarse em 30 de junbo do torrente
inno o arrendamento do sitio da lina do Nogueira,
iiropriedade da Santa Casa de Misericordia, a
Jllma. junta administrativa manda fazer publico a
.zuem coavier, para que cora antecedencia o vo
examinar, afim de apresentarem su^s propostas
}u. serio recebidas nesta secretaria, onde se da-
jo todos'os esclarecimeotos precises aos ioteres-
=ados.'
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
:', 17 de janek-o de 1867.
O escnvo,
Pero Rodrigues de Souza.
Saiit.i Gasa da Misericordia
do Recife,
A Illrna. janta administrativa da Santa Casa f
liisericordia do Recife manda fazer publico qae
ooj.lia 13 do corrate pelas 4 boas da tarde na sala
4csuas sessoes, tem de Ir praca a randa das ca-
-sas abaixo meacionadas para serem arrematados
por aluguel palo lempo de um a tres annos.
Os pretendeotes devaao apresenur carta delao
-.;a oa serem acompaabados de seos fiadoras oc
om cartas dos mesmoes.
aUbetCHiett de caridade.
Raa dos Pescadores.
Osa terraa q. 11.......UfO
Raa da Gloria.
:asa terrea n. 55.......44#OOC
Raa do Calatoace.
Osa terrea n. 10......192J00O
Raa da Ioaperatriz.
Casa terrea n. 68 ....... 3014000
Ru do Padre Fiorano.
asa terral 1.17 J.....18J0OO
Raa da Lapa.
obrado de ara andar n. 8.....1104600
r?atriati de er
Roa da Cadela do Recife.
obradrdq doas andares n. 57. 1:2004000
Roa dos Burgos.
Osa terrea t. !f h......1014000
Madre 6* Deas.
Barca Silva
Pretende seguir para Lisboa e Porto com a
maior brevidade possivel, trata-se com os seus con-
signatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo &
C, no sea escriptono raa da Cruz a. 1.
PAHV
Pretende seguir com brevidade para o indicado
porto o veleiro brigae escuna nacional Graciosa,
capito Silva Ratis; para a poaca carga qae tlie
falta trata-se com o respectivo consignatario Anto-
nio de Almeida Gomes a ra da Cruz n. 23, 1*
andar.
Casa terrea 94
I WfOOO
Para o Para.
A barca brasileira Rato, capito A. M. Costa e
Silva, segne com brevidade para o Para, por isso
qae j tem bordo parte do carregameoto ; o res-
to recebe o a frete : -e tratar oo escriptorio d'Amo-
rim Irmos. ra da Crqz o. 3._____________
Para Lishoa segu esm brevidade o brigae
portoguez Florinda : talta-lbe menos de um terco
de carga qae receba a frete : para tratar oo es-
criptario n'Anorim Irmas*, raa da Cruz o. 3, oa
com o capito Joaquina Augusto de Soaza.
Cear
Pretende seguir com brevidade o hiate Dous Ir-
mos, e tem parte da carga : para o restante tra-
ta-e cora Tasso Ir mi;.______
Har Lisbi
O brigae poriogaez Laia /, capito A. F. Vieira
ra sahir breve, recebe carga a frete e passagei -
ros trata-se eom E. R. Rabello roa do Trapiche o.
44, segonao andar, ou com o capito.
Cear
Pretende seguir eom brevidade o biate Dous
Itnaot, tem panada carga para o restante ira-
ta-se com Tasso frmaos.
Fagio aa noite do dia 30 de Janeiro prximo
passado a escrava Agostioha, erioflls, idade 38
40 annos, estatura regalar, cabeca um pouco cha
ta, ama marca de panno de nm lado do qaeixo,
falla bem e desembaracada ; foi escrava do fi-
nado Jacintho da Sapacaa, e consta ter urna filha
casada em Panllsta : roga-se a quera a pegar de
leva la a seu senhor Francisco Severino da Costa,
priraeira casa terrea lepois da doca do Sr. barao
do Livrameoto, em Fora de Portas.
TRIIIIOS UKBANOS.
DO
RECIFE A API PUCOS.
Era cooseqoeneia de algons damnos que as cbo-
[ vas tem causado na liona, fioim as partidas dos
trens regaladas pela (aballa seguate de hoje'em
diante :
NOS DAS OTIS.
Do Caldeiro para o Recife.
De manba. De tarde.
7 b. 00 4 h. 30 n,
9 b. 00
Do Recife para o Caldeiro.
De manba. De Urde.
8 h. 00 3 h. 30 ra.
5 b. 30 m.
Para o; dimlngos e dias santos publicar-se-ha a
tabella em tem po._________________
Passageiros para Liverpool.
A barca americana Adidie Decker, lera boas
Gommodos, para, passtgeiros de prmeira classe :
qoem pretender queira dirigir-se aos coosigaata-
rlos_Haory, Forjter & C, raa do Trapiche o. 8.
Precisa-se lugar um preto de meia
idade: nesta lypographia.________^_
Precisa-se ue um caneiro qae tenha pratica
de taberna a d coohecimanto a saa conducta : na
ra do firum o. 81
Aluga-se a casa terrea n. 94 da fu de Agoas
Verdes : a iratir naj^oa Direita n. 73 loja.
D. Cesara Candida Nobre de Gusmo faz ver
ao publico que teodo proposto ac(o de prodigali-
dade contra seu marido, o raajor Antonio da Silva
Gusmo, deixou de fazer chegar ao conbecimento
do publico palo jornal, porque a acgo qae ella
propoz, s pela imperiosa Iei do dever o faria, para
sen marido nao reduii-la a miseria, como quer, e
nao com o fin de injuria-lo ; mas como seu mari-
do exigi de seu geuro, Jo.- Augnsto de Araojo,
que aceitasse por ello uraa letra, ella ve-se fjrcada
por isso a fater chegar-ao conhecimenlo do publico
no* a mais da dous me/es propoz a acedo.
O ex-juiz de direito da comarca de Flores Joi-
quim Goncalves Lima, actaalmeate resnente nes-
ta cidade, lando abjrto sea escriptorio da advoga-
do, era commura com o Dr. Joaquim Jos de Cam-
pos, na roa do Imperador n. 23, i* andar, avisa s
pessoas que quizerem atilisar se dos seas servidos
a procura-lo no dito escriptono, das 9 horas da
maoha as 3 da tarde de todos os dias atis.
Avisa igualmente aos seas amigos do ioterior
desta e da outras provincias, que se acha prompto
a prestar-Ibes oesta cidade todos os servidos pro-
prios da sua pr<>f)ss3 Motti $ Ribelro, em liquidado, pedera a to-i
do* os devedures da mesma rraa, que dentro dd;
praso de 30 das, a coutar dasta data, venham on
mandem satisfa.er seus dbitos na ra do Imie-
radar n. 83, e odo o referido praso os mesmos
eotregaro os referidos dbitos ao seu procurador
para cerera cobrados jodiciilraeute. Recifj 12 de '
feverairo da 18K7.
Aiu/:iai--.' u 24 e 3 andaras a casa n. 2 da
roa estrena do Rosario, coafrooto ao offlcioa do
Sr. Ozorio : a tratar na.rua do Quaimado a. 1.
Perderam se dous bilhetes da lotera 11 con- |
cedida a beneficio da casa de daiengo-da provin-
cia do Rio de .ha-no da Bs. 330o e 5105, assig-
nadas no verso por J.i -vnc > Augusto de Athayde
e Jas Mandes d* Frenas, a quera pertencem.
No dia 2o Je Janeiro prximo passado ausentou-
se da casa da seu senhor e escravo Martioho, de
idade 12 auno, pouco mais ou manos, pardo claro,
levou camisa de algoiio arul e calca de e-topa.
Este pardioho a priraeira vsz que foge, por isso
presume-se qae ande nesta cidade e seus subur-
bios, raesmo porque uraa pessoa que ha dias veio
de Baberibe, diz te lo visto no caminho. Fcil-
mente poda sor conhecido porque quando anda
tera o defeito da metter os ps para dentro ; quam
o pegar queira lvalo a' casa de Francisco Anili-
nas Perreira, em Santo Amaro, ao p do cem terio
publico, on a' loja dos Sr. Casco & Pontual, na
ra do Cabnga', que se gratificara'.
Ao publico
0 4 numero do peridico denominado Kossuth
esta' sublime e vende-se ao meio dia na lypogra-
phia tepublican Felerativa Uaiversal-ra do
Imperador n. 33, e nos dias seguales o Ia, V, 3*
o i' nmeros nos luzaies annuaciado;.
Precisa-se de urna ama para o serviyO io-
teroo do urna casa de pouca familia : a tratir na
ra da Roda n. 2.
Palana
Precisa-se de um caiieiro que eatenJa de
dara : aa ra de Santa Cruz n. 3.
pa-
Perdea-sc ama peticao com o oome de Ber-
nardinoJos da Silva : quem a tiver achado en-
tregue na ra do Rangel n. 75, que sera' recom-
pensado. _____________________
Precisa-se alagar om raulatinho eu rroleque
forro oa captivo, qae tenha at 20 anus, para
servir de copeiro e preparar ama casa, para casa
de peqaena familia, paga-se bem : na roa do Hos-
picio 4* casa terrea de azulejo, confronte ao gym
nasio^_________ ______
Lazjaro Faustino Bartholomeo. subdito ita-
liano, vai para Europa.___________
Precisa-se de ama ama : na ra das Crozes
a. 38,2 andar.
Au*eciai*o Coounercial Be.
nefleente.
A di recelo desta assoclacSo faz sciente ao corpe gel n. 17, P. A. Pradioes.
de commercio desta praca, que em virtude de
Precisa-se de uma raulher forra da boa* cos-
tumes, que seja diligente e saiba cozinhar e fazer
mais aiguns servicos da casa ; tambera um rapaz
forro ou captivo, da boa conducta, para compras e
recados : a tratar na Soledade, rna da Esperanca,
defroote da ultima manguaira, sitio com casa aeso-
bradada._________________________^^__
J. F. G. Kladt e sua familia vo para a Euro-
pa, levando em sua companbia urna criada.
O abaixo assignado faz sciente aos credores
do fallecido Antonio Jos Teixeira para apresenta-
rem suas contas documentadas no praso de 15 dias,
na Boa-vista, ra da Iraperatnz o. 46, ficaodo sem
effeito aiguma coota que possa apparecer desde
esta data em diante. Recife 12 de fevereiro de
1867.Luiz da Silva Ferreira._______________
Gratis.

Atmanak para o anno de 1867 ; distribne-se na
raa larga do Rosario b. 34. botica.____________
Deseocaminhou-se hoje 8 do correte do
porto das canoas em Sacto Aalonio, ama trouxa
de roupa lavada viada n'uma-cauoa, de Apipucos!
cosida em um panno de riscado de eolxio, cuj
roupa de homeos e meninos bs maior parte com a
marca D. I. F.; pedese a qaem por engao a te
cha recebido ou soubcr aonde ella existe de dar
parte na ra Nova n. 1, que se gratificara' e se
Ibe ficara' obrigado. _____________
^"RaphaeFabie, subdito italiano, ret'ira-se para
para Enropa.__________________________
Aloga-se o primeiro andar do sobrado da
roa do Vigario n. 26, so para escrtptorie : a tratar
no armazem do raesmo.
f flclaa de catelro. a rase Ir
e serralheiro.
Concertos de bombas de todos os syslemss, as-
sim eorao amolacSes lodos os dias : a' roa do Pan-
Sara Lisboa.
Vai sabir cam muita brevidade a vlera e bem
conheeida barca pornfeext Ontiito por ter
grande parte da saa caria pronpta: para o resto
e passageiros trata-ss com .illreira, Fjlho, 4 C-
largo do Corpa Saato n.19, ca com ocapitle, na
praca.
praga, que em
cousderagoas por ella apresentadas perante o
lllm. Sr. inspector d alfandega sobre a influencia
da taxa que se dava as saccas eom algodo, o
mesmo lllm. Sr. Inspector por eommunicagio falta
em ofnelo datado de 7 do corrate mez, concordo
em qae aa saccas com o peso al 8 arrobas tenham
a taxa de 6 libras, e as qae forera feUs as pren-
sas hidrulicas aperladas com arcos de ferro, de-
ve rao ter escripia a com pe w ota tara no envoltorio
de modo visivel alera da saa repeticao oas res-
pectivas notas de despacho em frente a cada vo-
lme afim de se proceder com facilidade a sos
verlflcaco.
Sala das sessdes da Associacio Commercial Re-
nefleente 8 de ferereire de 1867.
PblippT. Needbam,
Presidente.
Candido C Goedes Alcoforada
Secretarlo.
Eqsqo de mgica particular.
Na roa do imaarador o, 73 segundo andar, lee-
ciooa-se soif-jo e diversos instrumentos de msi-
ca, das 5 boras da tarde as 10 daaoite._______
Aloga-se o tercefro endar coa grande solio
do sobrado a. 42 da raa do Imperador: a tratar
no segundo sndsr do mesmo sobrado oa aa roa
do Queimado n. II._______ _
Precisarse de ama ama rae eotspre, cotiphe
e eogomrM : a na da Senzala-velha o. 1H, t*
andar.
Coacerlos de rewelrers, pistolas e espingardas,
aceras de efundios de padaria.
Roa do Raagel o. 17,
0 machinista
Iranclwo de alies Costa
offerece-se para qaal juer concert de machinas
a vapor: roa do Rangel n. 17. ____
Commercio
effereca-se um mogo para caixeiro de saolba-
dos, com bastale ortica dos mesmos a d fiador
de saa conducta, e tambem entra com alguna fon-
dos, bavendo quem queira dar algara interesse :
qaem precisar difTS caria fechada aesta typo^
graphia tata as imeiaes P C, qae ser proeq-
rada.
2
Na rea dwLaiauBsrM H,-f andar, preci
sa-se de cmsWma para coznharip afgoaaiwr.
mrama para coznharje goa
1867.
Assifeatoras paira todts os peridicos da Euro-
pa e rastl.
otsMMflo frssolti_tos_)_k>ro /ejpectvss
ROA DO CH9K N. 9
Urrarta Praaeeva,
Para educagao de meninas,
estabelecido na grande casa contigua
igreja de Nossa Senhora
da Soledade,
E DIRIGIDO
PELAS IRIHiES DE SANTA DOROTHA
SOB A PROTECpO
Do'
EXM E RVM. SR. DR. VIGARIO CAPITULAR DA DIOCESE.
NelecoU.efio*cuja aber,ara nes,e aDno ,era' lagar a 21 do corrente, recefeem edi
meninas de 6 a 12 annas para serem educadas e instrnidas em todas as materias n ea
sanas a uma senhora. '
Havera' meninas internas, meio-pensionistas e externas.
Mn As_ Dleroas pagano 35*000 raensaes, as meio-pensionistas 15*000, e as exte,.
P000. nao sendo pobres. roas
Logo qae o collegio contar um numero iofflciente de pensionistas, ira' admunn^
gratuitamente para internas algamas meninas pobres. 00
Para admlssao de alumnas e para qaaesquer esclarecimenlos trata se eom a- "hid*
riora no mesmo tstabelecimento a qualqoer hora do da. y

3 ARa do Cabiig 9- 9 k
Agostinho Jos dos Santos, proprietario deste anttgo estabelecimeolo
tendo fcito ama reforma geral no sea negocio, apresenta-se a concorreo.;
publica convicto que poder servir ventajosamente aos seus freguezes. Esti
casa acha-se completamente sortida de obras de curo, prata e brillantes, cu-
jos pregos sao o mais resumido possivel. Gompram-se os mesmos objcios
cima declarados em obras velhas. Incumbe-se de qualauer encommenda
concernente ao seu negocio.
Agostinho Jos dos Santos $ C.
S.
INTERNATO
DE
Estabelecido mi cidade de Reeife em 18S2 -
%nh a proteceo do Summo PontiQee Pi IX
DIRECTORO BACHA.REL EM MATHEMATiCAS
Bernardo Pereira do Oarmo Jnior.
O
0 director do internato de S. Bernardo, nao tendo evitado esforcos
nem sacrificios para noporciooar aos seus alumnos uma perfeita educar;ao
pbysica, moral, intellectual e religiosa, cfferecendo-lhes uma habitaco com
bastantes condiges de salubridade, habis professores que sao solcitos era
preparados convenientemente ao fim a que se destioam, medico pratico
que lhes faca comprehender os preceitos da hygiene e Ibes cure das doen^as
e finalmeote um sicerdote.Ilustrado e honesto que lhes explique os princi-
pios da religiSo christa, espera que assim constituido e ern vista do ex-
cellente resultado, que tem apresentado, contando uai crescido nuaero de
alumnos na FacuMade de Direito, que conclairam all vattaiosamente os es-
tudos preparatorios, nao deixar o seu estabelecimento de continuar a mere-
cer dos senhores paes de familias o auxilio e confianca com que j muitos o
tem honrado; e lhes roga, bem como a todas as pessoas interessadas, que
se dignem de visitar o mesmo seu estabelecimento, onde sempre encontra-
ro franao ingresso.
Cadeiras de ensino:Primeiras lettras dividida em duas classes, ten-
do cada ama o seu professor, latim, francez, inglez, arilhmetica, algebra e
geometra, peograpbia, philosophia, deseoho e msica.
0 collegio tem a sua sede nos espactfsos edificios ns. 32 e 34 a ra
da Aurora.
Nos estatutos do collegio, que esl?5o disposigao de quem os quizer
Ier, se acham consignadas as coudicoes de entrada e matricula as diversas
aulas do estabelecimento.

CAROBA
PREPARADA A FRI



POR
AUCrUSTE CJAORS
Pharmaceutico pela escola de Pars e successor nesta cidade
DE
Aristide Saisset e J. Souni
22.------Roa da Cruz------22.
mineral.
Tratamento puramente vegetal sem mercurio, iodo,
Yerdadeiro purificador do sangue sem azougue.
owo, iem^ui-a-qualqoei-
Ka iiat.-, e ': ,
Especial para a cura de todas as molestias que tem sna ormea .aaitonMure a do
sangue, como sejam as molestias boubaticas, sypfailiticas, escroptateBM.-rtbrosas, quei
venham ellas por oereditariedade, quer sejam adqueridas.pelo contacto coni'pessoas in-
feccionadas dos diversos virus que contaminara o sangue e os humores.
A caro ha um remedio prodigioso, usado desde remotsf ras Dlos, indios
do Brasil, e passando seu uso de gerago em geraco, boje um dos remedios mats co-
nhecidos como propno para combater as molestias mais hediondas, entrando nesse nume-
ro a morpha oo elepbantiases, para cojo curativo os nossos sertanejos consideram a
caroba como remedio especifico.
A muito ttmpo entrn a earoba dos formularios como prepararlo magistral
sob a forma de eleictnarin, anda hoje lembrado as pbarmacopas com o nome de seu
celebre autor Jlo Aives Cameiro: n5o ella portanto remedio novo nem descobecido.
0 ungento de caroba da mesma sorte preconisado desde tempos unmemo-
riaes como o mais apropriado para o curativo das boubas e ulceras syphiliticas srdidas,
e e upregado com proveito depois de improficaa applicacSo de muitos ootros agentes
tberapeuticos enrgicos e de aso quotidiano.
Muitos dos nossos mdicos de consideracao e entre elles o muito distincto pratico
e observador o Sr. Dr. Pedro d'Atbayde Lobo Moscosp, tem confir_wda por meio a> es-
perte icias repetidas, o que diz a fama das benficas propriedades da caroba do trata-
mento das boobas. das diversas formas sob que a syphilis se aprsenla "ianito espeial-
mente as que leem sua sede na pelle, e poderiamos relatar alguns cisos de data muito
moderna obsarados pelo mesmo Sr. Dr. Moscozo em que a caroba prodazio admiraveis
efeitos, depois de imitis e prolongadas applicacSs de saAsaparrilha, inecurio, iodo, on-
ro eos preparados, etc., etc.
Por ter-se generalisadomuilo o uso dae*eela da aroPaa que ea
paro e oclas instancias de varios mdicos qne desejam continua/ era suas observa
deliberei-cae a ter promp** una qaantidade da mesma essencia, obtida sem a ac$3c
ogo, para n5o prejodicar as propriedades nMdcameotosis; e dfora em diaate en<
trar-seha na miaba pbarmacia sempre e em porc3o sutficiente para todos os pedidos a
ESSBN JA CONCENTRADA De CAROBA, e#arairuento da raesmap|wta para que nan-
ea fallera a Srs. mdicos nM qoreerem enperi^iitar to preoaso jpalefwdec^al.
x\9cHeff farruco, U de outobro de 1866.
,._-:. Al'GUSTE CaO*s. '
HaadaTrnzh.^
i
,__J
.

2.
M
**
-

K^_M*aaU>HMimmlmm**mm



~ ,-
Blirh dt -n&nbivO ferea feira I de Fevereiro de 18b7.





Calcado.
Sor irneuto magnifico.
Pelos ps costumam penetrar q corpo a mtlo-
ria das mikslia?.
Resguard i-os dirigindo-vos
45.Ra jplreita45.
Borseguid quasi Min beierifi
qehra loros.....
t bespanbos lu.-lre.........
c brasilero* bMetro........
< para senhoras enfeitidos
no tom..................
para senbora*............
82360
ejsbo
350(11)
5*0O)
o^OOO
44800
45500
1 1 < preios de..
mirin.................. 45000
Sapatos iuglezes patente........... fiiOcO
americanos.......!..... ?J.'OO
franceies de salto para se-
nhoras................... 35200
Borseguins para meninas entena-
dos (fe................. 3*800
Sapatos avelodados para horneas e
senboras................ 15300
Borsegeifts coin laco para meninas. 34500
Sapatos de trauma soperi6res...... lotH>0
Bolinas francezas para meninas..... 159 0
Sapatos de borracha para senboras. .. 15'*00
Chineldes do Porto e ura perfeilo sorli
sola, couros, marroquim, beterro francez
e couro de lastre ; como aiogaem lera' no mer
cado. __________ ^^^^^
Xarope e pasta de Seiva
DO
Pitilieiro martimo
DK
E. Lagasse
Preparares moi precenisada5 pelos sabios mdi-
cos de Par, coa as melhores at hoje discobertas
para a cura certa de todas as molestias do peito,
bronchites agudos e clfonicos, asthma e anda das
aflfecedes das vas urinarias.
" DEPOSITO ESPECIAL
31Roa larga da Rosario34
Pharmacia de Bartholomf u &V.
J. FERRE.RJL VILLELA
Photographo da Augusta Casa Imperial do Brasil
18, Ra do Cabug, 18,
obrado, entrada pelo Pateo da Matriz.
JOUS
s
m^
N.' 2 D T N. 2 D.
CUBiCAO DE OlRt. ^Jfc^
"i
A toja ti. i D intitulada Coraco de Ouro na roa do Caboga,acha-se d'ora em diante offerecen-
do ao respeitavel publico cuta e^pecialldade as pesioas qoe bonram a moda os cbjeclos do ultimo gos-
to (a Pars) por meaos 20 por cenio do qoe em outra qualqoer parte, garanlindo-se a qoalidade e a so-
lidez da obras.
O respeitavel publico nvaliando o.desejo qne deve ter o proprietario de um novo estabelecimen-
to que quer prngresso era seu negocio deve c.hegar imroediatameote ao coracao de onro a comprar
aneis com pe fettos brilbantes, esmeraldas, rubios e perola ; verdadeiras en agarras, modernas peh
diminuto preco de 105. brincos modernos de ouro h coral para menina pelo preco de 35 maracas de
Era nenhuma das photo"'apliias desta cidade se fazem retratos mais perfeitos'
' do que os que se ejecutora tiesta oEcina photographca.
Pede-se a _
1 se fazem nesia cidade.
Nao ha mmm alooma desta cidad. > c,eJMMIM ^X^g,%2$&Sl S? S'
prata cena cabos e isarflai raadreperola obra de moderno go'to (o que o encontrarao no coraco de
COnfrontacSo e aoaiysa entre OS DOSJOS trabalnOS e OS melhores que > onro) voltas cos de um trabalao pejfeilopor uin mdico preco, cassoletas, traoealins, polceira0, alfiactes [ara re-
firma, dito para casa-
sor tmenlo de diversos
. -"-----. ._ ,, .__.___,____. -_:_i.n meuiu, o arueu rusel* iwii u wirncau ue uuiu um cuiupieiu e uem vauauu aj uuiruw uo i-h
rtimento.de photographtco possua um tao vanado, escomido e abundante sortimento de caixronas, gosl0fl) Wl5es pm puQS com (IiamaDti rubiQS e esmeraidas, obra esta importante ja'pelo seu va-
:ez, vaqueta qUadrOS, molduras pretas e d'. liradas e passe-p^r-touts. lor ja' por goslcds deseoho, brincos a forma da delicada moslnha de moca com pogente contendo es-
Para serem collocados os retratos chamados carldes de visita ha doze difieren-
tes modelos de cartoes mimosamente lithographados e dourados, em cartSo bris'ol e em
raeralda?, rubins, brilbantes, perolas, o gosto sublime, alflnete para gravata no mesrao gosto, relo-
glos jjarn sentora rravados de podras preciosas, ditos para bornee, diversas obras de brilbantes de
muito gosto, crumhas de rnbins, esmeraldas, perolas e brilhantes, aneis com letras, cae' lelas de
cartao pt.rcelana, os quaes sem alierai,ao de preos> estao a cscolha das pessoas qne se -rysla, e ouro de.CPbla para retral0 (a 3Ri?ia) brincos de franja, ditos a iraperatrize toda e qoa
retratar em.
Continuadamente se recebe ua Europa remessas de tudo quanto diz respeito a
photograpbia, e ainda o mez passado pelo vaj or Gueme, e este mez pelo b-igue Belm
receberam-se de Franca quatro grandes caixes com nma bella variedade de artefactos
productos cbimicos e material para photograpuia.
No meMno estabelecimento vendem-?e :
Todos os productos chimicos geralmente usados em photograpbia e garante-se
o estado de pureza dos mesmts;
Machioa3 pbotographicas, envetas oe porcelana de diflerentes tamanhos e vi-
dros para tirarem-se retratos;
Urna grande variedade de lindas e interessantes vistas transparentes para
stereof copos, e f-tereoscopos de madeira envcmisada com kntes prismticas que se ven-
den, a 2#00 cada um com urna dtrzia de vistas transparentes
Tambem vende-se por 5050 0 um apparelho cotnpl to para fazerem-se peque-
Ao mesmo acompanbam as explicaces precisas para teu uso.
Publicado jurdica.
Preleccdes de Direilo Internacional e. de
Diplomacia com applicaco e referencia de ms vislas V0reratoL
seus prmctpws as lets particulares wn- Qua!quer pessoa pode fazer vistas 0ll retratos com esse apparelho.
A (ficina e galena esto abertas todos os das e a todas as horas.
venedes, e aos tratados do Brasil al 4866
pelo Dr. Antonio de Vasconceilos Mene-
> zes de Drummond, lente substituto da Fa-
cnldade de Diieito do Recite etc., 2 vol- in
S brocb. por lOOtiO pagos entrega do
primeiro velme, que conituir a primei-
ra dessas obras.
A ultima dellas acompanher um epilogo
das diposicoes da legislado patria, relati-
vas ao direitos e deveres do eslrangeiro no
Brasil, bem como aos do Brasileiro fora do
Imperio;
Assigna-senas lojas de livros das ras do
Crespo n. 2 e 9 ; do Imperador n. 13; da
Cruzn 52 na de encadernac5o do caes de
21 de Novembro junto a typographia do
Jornal do Becife ; nos escripiorios das ty-
pograplnas do Diario ae Pernambuco a ra
das Crines n. 44.. e do Cor' eio do Becife
ruado Impeador n. 79 e na loja da ra
da Imperalriz esquina da ra da Aurora n.
n. 2, loja de louca.
De, os da publicac3o da primeira obra
naoserao mais atmiitidas assignaluias e
mbas elas seio vendidas per maior preco.


5
M IGRKJA l)E
quer joia, para seeol/ocar retratos e obras de cabello, e outros muito objectos que es pretendeotes en-
oontrarao no Coragao de duro qoe se conserva com toda a amabilidade aos coocorrenter. delxando-
se de aqui mencionar presos de eertos objectos porque (desculpem a maneira de fallar) dizendo-se o
preco talvez algnem faga mo juizo da obra, por ser lao diminua quanlia a vista do seu valor.
Na mesnia loja compra-se, treca-se ouro, prata e pedras preciosas, e tambem recebe se concer-
tos, por wenos do quo-em outra qualquer parte, e do-se obras a amostra com penhor, coaservDdo-se
e Corago de Qhro abrto at as 8 horas da noile.
Qualqnr pesso qne se dirigir ao Coraejo de Ouro nao se podera' engaar com a casa, pois-
nota se ua sua frente um coracao pendurado piolado de amarello, alem de outro que se-nota em um
rotulo (isfj se adverte em consequencia de terem ja' algurnas pessoas engaado com outra casa.
Cercas e gradamelos de ferro para jardins, cercados para animaes. chiquei-
ros, de todas as grossuras e mudaveis.
Porteiras de dilereiites tamanhos para sitios, jardins, cercados, e-c.
2& RA
BiiUm
Veslimenteiro e bordador de Pars.
I P&RAHOR 3,
Joaquim Jos (iou^aives
Beltro
{4 RA DO TRAPICHE \. 17 Io ANDAR)

Sscca por todos os
do Minho em Braga, e
res, em Portugal.
A saber:
Lisboa. .
Porto.
Valen?a.
Guiraaraes.
Ootoibra.
(llaves.
Viseo.
Villa do CoQ.ie.
Arcos de Val de V!.
Viaun* do ('astello.
Poaie do Lid a.
Villa Real.
V.lia-pva de Fame'teao.
La mego.
Lagos.
CovilhSa.
paquetes sobre o Banco
sobre os seguiates luga-
Na ra do Tropch n 10
acham-se os seauintes deuositoi
e [{. Bruningitanscm \uits.
Bourgogne.
Vinbo Pocsmard tinto.
i Cortn tinto.
> Santo Georges tinto.
' Cliambertin tinto.
P.icheboura tinto.
Clos de Voogeottin o.
Chbs braoco.
il A, VVoefem Fraacfori:
Rhcax
Gaisenbimer. y I
Liebfraomilch.
Marcobruaner.
D
E;n casa de Tbeod Christiausen, ra do Tr'a
pirbe-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil
de Braudenhurg freres, Bordetux, enecntra-se sa
lectivamente deposito dos artigos segniates:
St. Jalieo.
St. Pierre
La rose.
Cnateau Lovilie. v -*
Cbateau Margaux.
Grand vin Chateau Lafitte 183S.
Chotean Lafitte.
Haut Sauterues.
Gbatean Sauteraes.
Cbateau Latanr Blaucbe.
Chateau Yqumu.
Cognac em tres qaaldades.
Azeite doce. Precos d Bordeui
Defrente da groja de S. Francisco.
Concurrencia impossivel
justIGeada pela suppressio de iniermeniarios, pel2 compra directa das materias prima?, pela exe
cucSo dos trabalhos as ufficinas da casa e pelo diminuto lucro com qoe se satisfaz.
Animado pelos importantes negocios que faz cot grande parte do mondo calboiico da Europa
resolveu o anounciante estahelecer Oliaes da casa ae Pars em diversos paizes looginquos que
offerecem vantagens, e velo inaugurar o primeiro estabelecimento peala cidade, sem dnvida urna
das mais adiantadas e commerciante da America do Sul, e que por iss > mesmo necessita d'nm
eslabelecimento qoe nada d^ixe a rfesejar, quer em relago s precisoes materiaes e quer iotel-
lectuaes.
Os Srs. sacerdotes e demais pe;soas, qoe se dignarem visitar o estabelecimento, abi acbarao
sempre nma grande variedade de todos os objectos para lareja e para o clero.
OURIVESARIA PARA GREJA.
Novos modelos de custodias e de vasos sagrados.
ALFAIAS DA IDADE MEDIA, A' LUIZ 13*.
Os presos variam segundo o lamanho, o peso e a forma.
TAPETARAS E ARMACES PARA IGREJA.
Fcrncce toda a qua'idade de armacoes, por precos mdicos, vontade do fregeez;. tendo
sempre nma pessoa no estabelecimento para Ir tomar as medidas neeessarias para completa sas-
faco da encommenda.
NOVAS UMBELLAS PRIVILEGIADAS.
Estas umbellas da molas, adoptadas D-r S. S. Pi IX, tem por sua perfeilo, novidade*
e riqueza a dupla vantagem de cobrir inteiramente o Santitsimo Sacramento e o padre, sem diffi-;
cnltar o anar.
E3CULPTRAS EM MARFIM E EM OSSO.
Imagens de Christos, caldeirinhas, cruzes; qoadros e lodos os objectos devotos.
- Objectos em argila, simples e prateados.
Todas as informacoes seao mini.-lradas gratis, acerca dos ornatos de igreja.
Conceder-se-ba facihdade para os pagamentos.
Eis o calhaiogo do que tem a venda :
titliicio
I O Dr. Carolino Pianciiro de Lima Saa-
mt tos^ mudou se para a ra do Imperador
jS o. 73* secundo aodir. onde c ntinna ao
Sjg exercicio de so:i (,: asfao da itinlico.
Fundido da Aur ra
A mais aatga desta pnviocia e com todas as
perfeiedes em seos niachir.i-mos, (tlerece a seus
numerosos freguezes por razoaveis p'recos suas
dianufaciur^s, bem como qne tem um boro pessoa)
para com rapidez fatt-r qualqoer concert onebra
nova._______________________
Da se bolos de vcdsgem a tuslo a patata
na roa Imperial o. 37.
fe
m
O Ur. Airxandre de Sooza Pereira do
Carmo modou a qi residencia rara o Io
andar do sobrado ti. 12 Ja ra da Impe-
ralriz e contioua a eitrcer a sua profis-
>o de medico.
Precisase de urna pessoa para caixFro de
drogara da ra do Imperador d. 22. que d pro-
vas de sua babililaeio : a tratar c<.-ra" o Dr. S Pe-
reira.
Aviso.
a tratar
Precisa-se de dous calxelros de botica
na ra Nova o. 2o.
A pharreacia de P. Maurer~& C mu-
dou-se do n. 18 da roa No*a para o n. 29
da mesma ra esquinada c*mboa doCarmo.
Ama,
Na roa da Cadeia do Rfcife d. SO, precsase
de cima ama para co-inhar.
Precisa se de um menino para aprender o
ulli. io deourives no arco da Couueicao, loja de
ourves.
Aluea-se urna casa na Capuoga-nova, porto
do Jacobina, com sitio a' margena do ro, tendo 9
quaitos, 2 salas, 1 cocheira, dn'eisos rvoredos
fruc ift-ros e urna baixa de capim : a tratar no
mesmo silio on na ra da Imperatriz n. Oi.
C0HPAKBI4 PElH^miMr
De ordem do ccnselho da dlrecco sao convida-
das os sennores accionistas da companbia pernam-
bocana de navegago costeira, para rennlrem-s^
em assembla geral no da 15 de feveroiro cr-
reme, as 12 horas da manhaa, no segundo andar
da casa da praca do Corpo Santo n. 11, afira de
cumprir-se o disposto no ariigo 19 dos estatutos.
Escnptorio da companbia peraa.-nbucana Io de
fevereiro de 1867.
Pelo gerente,
Justino Jos de SouzaCampos.
Ama.
Precisa se alngar urna escrava que saiba cozi-
ta ra do Queimado n. 46, loja.
O bacharel Silveira, advogado, pode ser i
procurado para os misteres de sua pro- 5
M fisso ero seu escrlptorio, a' ra do Im-
i;, perador n. 71, primeiro andar, ds 10 y
her^s da manha as S da tarde. Reside a
ra da Aurora d. 70.
"MaWi
nhar bem
lgl-!;e
ES_BDBnia
''--.'i __St
HKB**
*-l Ivl
sgfljfMgluaSBSie,' \{'s!r^,
^-tT jtB-^adl
Alj
Um sitio na Cspunga Nova ra das
Pernambucanas n. 3, em cujo muro se
acha o rhafanz, tendo gradeamento e i
ponoes de ferro, casa assobradada para
grande fi-miiia, coebeira, cacimba, tan-
que, agua de encanamento e arvores
fructferas; a tratar na ra da Impera-
triz o. 12, primeiro andar.
/-
M
ieocao
5
Alugase a casa lerea a ra Forraba n.
1 i a tratar na prtf iW!brpo Santo n. 17, pri-
meiro andar.
Precisase alngar nma ama que saiba bem
cosiM|iI|iMafMia/>Ma>oinpra.s, preferiodo se
'gami liWiat:^^^ lp^ralr;; n. 34, pri-
a!Lr_fiHB?rft ni-vlrirv-
ICASLAS.
Diarias, de velndo, de crina e d
(talo lustroso.
Da damasco com cruz de ouro e
>da.
Le damasco dobrado, com diver
sos bordados em relevo na
ernz.
De tecido de prata ou de ouro.
dem cum diversos botda-los ei
felevo na cruz.
dem idem mu ricas.
De velado de eda'ecrn cruz de
ouro tino em relevo.
De hamalote de seda bordado.
Golhicas e da idade media.
A cor da capola nao influe no
proco.
CAPAS.
De veludo estofado.
Oe damasco.
De" tecido de prata e de ouro.
dem com 'emblemas em relevo
e ricas franjas na murca.
De velado de sua.
De tecido de prata e de ouro fino.
DALMTICAS.
O mesmo preco das casulas.
De damasco, bordado em relevo.
dem idem, muito rico.
VE'OS l'ARA EXPOS1CAO.
De tecido de Lyo.
De chamalte de prata com em-
blemas em relevo.
De dito dito, muito finos.
VE'OS DE SA RARIOS '
De todos es preco?.
GA.VDEIRAS.
Da Santa Infancia.
De confrara de.Nossa Senbora.
Pjrochiaes, qualquer que seja a
invocaco.
Goi5es com emblemas em relevo.
A collecao varia de 35,5000
3:000*000.
PALLIOS.
Em veludo flotado as quairo
ponas e nd forro.
De tecido de Lyo, cora ouro
De dito de praia e de ourr> lus-
troso.
De dito dito, com quatro emble-
mas bordados em relevo.
Mmto ricos, inielramenie bor-
Corporaes de cmbrala fina.
Toaibas para communbao e alta-
res
Guarnieses de rendas para alvas.
Ditas para toalhas de altar, aos
metros.
Toda a qoalidade da rour a ga-
rantida e perfeilameote execo-
tada.
DIVERSOS OBJECTOS.
Bolsas para tirar esrnoUs.
CordSes finos para alvas.
para meninos do coro.
Voltas, s duzas.
Cintos e ciniuroes.
Sacras de ltar, em cartao.
Ditas em quadros.
Marcas para mStaes, com seis
peroas, em chamalote.
Flores anifciaes, o ramo.
Estdfos e todoa os amis objec-
tos da igrea.
BRONZES DE IGREJA.
Casticies para altares, prateados,
de novos modelos
-.
o segondo andir do obrado da ra Velha n.
com BMktafbtfVtio'ftodos : i tratar
*bo-n.;i.
20,
na roa do
Dase dinneire a joros: na ra da Concor
oa d. 5.
Precisa-ae de urna ama forra ou captiva qoe
eosinle perfeltameole, pra casa de pequea la-
roma, agradando pag-se bem : a tratar roa do
Apollo n. 24, segando andar.
Na roa do Imperador d~737V andar, prec.
ea-se de ama criada para cosinhar on engommaa
Precisa se downa preta qoe salba coronar
d engommar para o diario de ama casa ; na roa
eo Apollo n. 4.
ESTOLAS PASrORAES.
De veludo estofado.
De dito deduas faces.
De damasco.
De dito de duas faces.
De tecido de prata ou de onro.
dem dem, com emblemas em
relevo, franjas bordados de
- lorcal.
dem idem em relevo maito ri-
cas.
De tecido de ouro e de prata fino.
De chamalote bordado de seda,
com duas faces.
VE'OS DE HOMBROS.
De tecido de Lyo.
De dito dobrado, de onro fino.
dados em relevo com onro fino.:325 milmetros (12 pollegadas).
li
(16
(W
(20
(21
(30
PANNOS MORTAR10S. ;379
De laa. 433
De veludo Inj^ez preto verda-!i87
deiroa '541
Ue damasco adorado de brocado. 630
Estes pannos tem dios metros de 812
largura e tres de coroprlroento. Crbies de altar, corresponlentes
ROPAS DE IGREJA. aos castigues, o par.
Alvas de panno de linbo Cao.
c de camhraia fina.
de panno de linho,
1 meninos do edro.
f guarnecidas de rendas fina.
da tile, de rices de-
. sunhos.
Roqaetes em panno de Hnho sed
mangas,
t c com ditas.
Amictos.
Toaibas e saoguinbos.


= :__)
=3




Guardas par5 arvores, plantas e oulros objectos da ferro que se vemlem por
preco mdico, no armazem de Tasso Icmaos na praga do Caes de Apollo ao p da ponte
provisoria.
para
Francisco Vicenta Godiabo, portognez, vai
para Liiboa.___________________________I
J-s da Silva Santos vai para Portugal.
(Josa familia estraogera que se retir* paran
fiorop, precisa de nma pessoa para cuidar o,
meninos etc. dorante a viagem. Quero estiver na
cirromstancias pode dirlgir-se a ra da Croz n. 4
aonde achara com qaem trafar.
ffimjai SflB
Ma d Cadeia i indar,
ende pode ser procurado o agente
W POmUAL.
mmmmwmmmmmmmm
Aloga-e o arroazera do sobrada n. 1 da ra
Imperi!: a tratar rr pi|r>eiro andar.
Thuribulos e navetas prateadas.
CildeiriDhas com hysoppe idem.
Custodias ditas e dourodas.
Lustres ditos e corremos fortes
para o mesmos.
Cruzes para procissao, com ralos
dt3S.
Varas, alabardas para sufssos e
cadas para porieiros.
Estes objectos todos sao em co-
bre e cao em materiaes da
composlcao.
Aviso essencial para evitar qualquer erro ou uf.
Os Srs. compradores n5o devem ignorar que o ouro uio pode ser fiado neta
tecido, e que por conseguate os gales dos ornamentos chamados de oato fin s3o de
prata dnurat/a, os d ocho meio fino sao de metal doorado eos de ourd falso sao de
cobre doorado, e como tal confundir os ttulos que se Ibes deu'Sempre, que s3o mera-
mente commerciaes.
Os ornamentos que o annunciante tem venda sao o de gales de ouro meio
finos, falsos ou de teda, so mandando vir os de onro Sao por encommenda; e nenhum
objecto sabe de seu estabelecimento sem ser acompanhado d'uma factura por elle firma
da, especificando a qualidade do objecto, para poupar-se expiieaedes sempre incon-
venientes ao depos de realisada a venda.
Superiores cassa's francezas muito finas de cOres flxas, matisalas e miudiuhas a
320 rs. o covado : na loja das columnas roa do Crespo o. 13, da Anwclo Correia de
Vafccncell.'s A C
O abaixo assignado tendo comprado ao Exro. vis-
conde de Soassuna o sitio denominado Agua-Fra,
de Beberibe de baiao, e lendo demarcado dito si-
tio sendo spprevada pela cmara municipal do
termo de O nda a demarcaco, de posse legitima
e nao contestada do referido sitio que pretende
dividir, convida a quera queira comprar algum
lancta entenderse coro o mesmo abaixo asigna-
du ra da Soledade n. 34, oa no mesmo sino cora
o Sr. engenheiroSette.
____________ Pedro de Souza Tenorio.
Co branca
.i
Palmeira & lieltro em liqaidaco, fazem
sciente ao respeilavel publico e especial-
mente ao cerpo u comniercio que a nica
pessoa habilitada para proceder cobranca
do activo de sua casa o Sf. Jos Antonio
Al ves Bastos, Recife o" de fevereiro de
1S67.______________
Ima de lee.
Na rna Nova n 39, segando aniar, rrecisa-se
de urna ima ama de leile.
Jos Jjaqotm i'iuio Martios fiz sciente ao
respeitavel publico e ero partirnlar ao corpo com-
mercia!, que a-retnaiju era lilao a taberna n. 33
da roa da Concordia com os geni ros e dividas que
pertenciam ao espolio do o-.-do subdito portogutz
Amonio Jos Teixeira, cuja arremalsgao foi fett
livre e dcsembsracada de qmlquer tcos. E cujo
eslabelecimento couiina a gyrar de5ia data em
dame sobre a razfu social oe Pinto Marlios &
Fuho.
Recife 6 de fevereiro de 1867._________
Quera precisar alogar urna escrava boa co-
zmheira, dirija se a loja Ce trabes na iua estrella
do Rosario,n 43, qoe achara' com quero tralar.
Precisase de urna ama que. coziohe e en-
gomte, e dirija casa de tocinera soi'eiro : na ra
Direila <\o> A/ogadts, ^idaria n. G A.
DE

Agu* mineral
, ferroginosa, aeidnUda, 9aun e carbeaiea
nt
n.st%.
. ? "i'J*?* d* ?***; > ** Picolarmente
reeommondado pela escola de medicraa de Paris,
para todas a afftccfles do tobo digestivo, iogorgita-
mento das vieeras abdoninaes, e geralmedfe das
as rooJesrlas pravsnieotes ds fraflneza orgawca, on
pobreza de uagae.
OWO^. S6PBC1AL
JlRoa larai io Raurio34
Pharaaaria de Barthlaea A t.
Professor de pian#.
Coelho de Araujo, continua a leccionar, e pode
ser procurado na Soleade, rna de Joao Fernn-
des Vieira o. 20, JpMH
(erceiro andar.
I
do Litramento n. 21
Atteiavcao.
at*
SsnbarioaA te*raaaa dn Eiptrito Saut avisa ao
senliores qoe compraram trras am ana ^roprie-
daris Beberibeda b*lx* qoe quaaio ates van
DE
J. VIGNES.
W. 55. RA DO IMPERADOR f. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje asss conbecidos para que seja neeessario insistir sobra a
raa snpenondade, vantugens e garantas que offerecem aos compradores, qoalidades estas iBcnnt*_
nHs qne elles tern definitivamente conquistado sobre todos os que ten apnrecS iw rae? S"
mundo am teclado e macbinismo qaeobedecem todas as vontades e caorichos i__! niK.'^
dnnea falbar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ultimalnenX^^^
vssimos para o elima deste paiz : quanto s vozes, sao melodiosa* eflawaoas.TwS alaria
ais aes onvidos dos apreciadores. ua9, e por isso muito atrada-
-P?zele.co.nr?easMComra.9n,,as>.tnf0 ne(,t* fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris soo
los em todas as expusieres. '
variado sortlmento de msicas dos
pianos tiajTDouicos, sendo todo venlMo w
orrespondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as
-iwLme!r M?b*Ieciment?sa afihara sempre am explendido e variado sorflmenK mScas dos
albores aaioras da Euro, a, assim como harmnicos e pianos: harmonirnTi^1^ 2252! 2!
oreos conimodose raxoaveJs.
Calxelre
Precisa-se de om caixeiro para taberna, de 14 a
13 amos, e qoe teoba pratica da mesma, dando
conhecimentd de sn conduca : a tratar na roa
da Moedao. 19.
:
-------
= Pr.clsa-se urna ama forra ou eapiiya* ime
f)as"p a^nas m*mn<*4<*0* o* mesmoi ailta coiiohar bem: na roa da C-'-eladaReaifr.
.. ..^,._. ^|i|mj1j|<,nMitjWm y armarera n. 8. '
Troeam-se
as sotas das caixas fiiiaes do basco do Brasil; oa
praca da Independencia n. S.
QUE
Aloga-M oro|ioleqoe le Crotis d. 30, i* andar.
CONTRA FOGO.
A companbia Indemuisadora, estabeleci-
Ja nesta praca, toma seguros martimos so-
ore navios e seus cartegamentos, e contra
togo em edificios, raercadorias e mobilias:
aa ra do Vigario n. 4, pavimento terreo
m'mmmmm* mmmm
LompaoQia udelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Janeiro; JR
AGBNTtS EM PBRRSKBOCO f|
4itni Lali de Oliveira zeved A C, mt
competentemente anforfsados pela direc- S
toria da companhla de seguros Fidelida- m
de,tomam seguros de navios, mercado- jtj
rtas e predios no sec escrlptorio raa da S
wmmimmMwmmmmmm
Samuel Power JohDstoi k Ctnaaoliia
Ruada -'enzaiaNova n. 42.
AGENCIA DA
Faadlcio deLow loor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavailos.
Moendas e metas moendas para engenho.
raizas de ferro coado e batido para enge-
nho,
-
Arreiosdc carro para oa e dons cavailos
Relogios de ouro patente loglez."
Arados americanos,
.achinas para descarocr-aigodc.
na raa das [ Motores para ditos. "
' Vfautmas de costura. .
^
_^b
aaaaam
.faces*



safe*


Wiafltf fe rrn m>*<* Terca letra t de FeTere\ro de 5
V>



I l
r~
Saques
JoSo do Reg l.ima saca sobre a praei
boa ; a ruu do Aceito o. 4.
de Lis
MEDICO.
Gontii.ua a residir na ra da rmperafriz o. iP,
2 ailar, onde 6re sVr procurado. D consultas
das 6 as 8 h ir*s da manhaa.
YERDADEIRO LE ROY
de SIGNORET, Doctear-Mdeein
Ru de Seine, 5i, PARS.

-------------




NOVO DEPOSITO

PARA DESCAROCAR ALGODAO
Manoel Rento de Oliveira Braga.
53Rna Direlea bu53
Neste estabelecimento se encontrarlo as
verdadeiras machinas americanas chegadas ultima-
mente, as quaes sao feitas pelo mais afmalo fa-
bricante da America, por isso avisa a todas as pes-
soas que precisnrem comprar, de se dirigir a este
estabelecimento que compraro das mais perfeitas
neste genero, assim como mais barato do que cm
onlra qualquer parte, por isso que se recebe por
conta prop"ia> bem como cannos de chumbo e mn-
|nhos para moer mho, e grande srtimehto dfer*
gsragens e miudezas era grosso e a retalho.

Gompauiiia gerai hespanhola de segaros sobre
a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 2i
BANQE1HOS DA CGJjPA^KA
O Banco de BJespaaba
DE DEZEMBRO DE 859
DlflECOa GERAL
Sladrld: Roa de S. Agostluho
D.IO
Sitisaco da cmpaahla ein 15 de jnlho de 1866.
Apolices 19:700 Capital Rs. 127:1445670 ou moeda brasileira
R< 12,714:4763000
A Nacional abraca taaas as conbinaces do seguro de supervivencia e n'ella pode
fazer-se i!jm stF$3 da ando que em nenhum caso se perca o capital imposto nemos !u
cros correspondentes.
Urna afianca depositadanos cofres do'estado, garante a boa administrado da com
panhia.
Os fundos da wmpinhia se invertera em titulo^ do estado e settepositam no ban-
co de Ifespanha com ip.tervo'to do delegado do govern e do conselho administrativo
A companhia eslranha todi a empreza ou aispicalacjo perigosa.eos- ttulos em
que se invertero os fundos imp s fia rmesma, n<1>s3 correm o menor risco, pois esto
garaotidos pelo governo, podeatonacao da a'tor p.eizosd
PREVIO
SoeiHatfe portigueza de seguros mataos sobre a.'vida, fun lada e
adiuiuislrada pelo
BANCO ALLIANCA DO PORTO.
Todo o pai que desojar acautekr o futuro de seus gibes dv, quasto antes,
azer inserever os sews aom pequea quantia que, todos usannos para alli frauplicando, tirada do frdeto das soas
economas, ne fina de 25 annos aican^ar-lbes-ha urna fortuna, que por neabm outro
meio e com t5o peqnenodesembotso poder oble:-.
Os exemplos prat'cos de nutras sociedades anlogas tem mostrado que:

Precisa-se alug;.r ura prelo escravo dis 8
Koran d-. manhg.rs. 4 da larda : a tratar ua ra
L>U =* l>'i( do Recita ii. 4*5. primeirn andar.
. O.K. SEVIAL Dr. Ignacio Aleibiaes Vel-
Para o tratamento e cura rpida e completa das molestia syphiliticas, erisype- ]1CA
las, rheumatismo, bobas, gota, debihdade do estomag, infiammacoes chronicas do figado
e baco, ddres sciaticas, cephalalgias, nevralgias, ulceras chronicas, hydropesiar-, pleuri-
sias, gonorrheas chronicas e em ge al todas as molestias em que setenha em vista a p-
rificacao do systema sanguneo.
Considera ces geraes
A saude um bem inapreciavel, cuja importancia e valor s est reservado ao en-
fermo o avalia-lo.
incontestavel que o homem neste mundo constantemente, e por todos os lados
atacado pornmainfinidade de agentes morbficos que todos tenden, dadas certas edeter-
minadas circunstancias, a alterar o regular exercicio das funeces orgnicas, resultando
pesse desequilibrio o que se chamamolestia.
A molestia nao mais do qae a desvirtuaco das forjas vitaes, occasiooada, se-
gundo as investigarles e experiencias dos mais abalisado mpstres da soieocia, pela depra-
vacSo dos bumores geraes, conseqntncia da acc5o maligna desses mesmos agentes morb-
ficos intrwduzdos no organismo pelo acto da respirado, pela via digestiva, pelo contacto
inmediato etc. etc. etc.
A syphilis intelizmente tem sido a partiltia da humanidade, e como fra deduvi-
da que esse terrivel Proteo da medicina urna molestia hereditaria, ella tem sido obser-
vada em todas as idades, e debaixo de tod^s as suas formas tao variadas, enfraquecendo
constilu'coes robustas, produzindo mutilaces, e cortando ainda em flor da idade vidas
preciosas.
Eliminar da economa esses principios deleterios. e purificar amassa geral dos
humores tem sido desde tempo immemorial o fim constante da medicina, e os purgati-
vos flguram em primeiro lugar para preencher esse desitralum ou fim.
O Elixir depurativo do Dr. Sevial parece merecer a preferencia sobre todos: os
immenss successos obtidos pelo u.-o deste salutar agen e tanto na Allemanha. como em
Franca e Italia, o tornam c companheiro in?eiaravel de quasi todos os doentes.
Sendo as melenas, como cima tiissemos, devidas s alterares dos humores, o
Elixir depurativo do Dr. Sevial pode ser empreado vantajosamente na syohilis, erisy-
pelas, rheunytismos, babas, gota, debilidade do estomago, infiammacoes chronicas do
figado e bago, dores sciacas, cephalalgias, nevralgias, ulceras chronicas, hydropesias.
pleonsias, gonorrheas chronicas ele. e em geral em todas as molestias em que fe tenha
em vista a purificado do systema sanguneo; pois que urna pratica constante tem feito
ver que elle iniispensavel nos casos gravsimos para minorar os soffrimentos, e pre-
parar o doente para medicacoes superiores; e as menos graves a cura a conse-
quenca do seu uso, convenientemente repelido.
As substancias que entram na composirao do Elixir depurativo do Dr. Seviai
pertencem todas exclusivamente ao reino vegetal, e grande cathegoria das substan-
cias depurativas e antit-yphiliticas; assim, ao passo que e;>te remedio depura o orga-
nismo, elimioando os principios nocivos a saude, pelo mecanismo nataral das evacu-
acos alvinas, neutralisa ao mesao tempo o virus syphilitico quando este virus j
tem feito erupcao no exterior debaixo de suas multiplicadas formas; e previne tam-
bem os estragos dessa terrivel molestia, quando por ventura se ache ella ainda no
estado de encubaco, isto sem se jter manifestado sob formas exlernas: beneficio
immenso, tanto mais quanto neste estndo os individuos igneram completamente se es-
to contaminados por este terrivel inimgo.
O sabor agradavel d'este Elixir convera a iodos os estmagos, a sua accSo so-
bre o tubo intesiioal suave e benigna, e de nenhuma forma produz molestias medi-
camentosas, como acontece ao purgante dito Le Roy, que na sua qualidade de drs-
tico forte irrita a mucosa intestinal, e consecutivamente a seroza, resultando dste es-
tado, muitas vezes, hydropesias, que quasi sempre terminam pela morle i.'o doente.
Assim pois esperamos que o uso deste remedio justifique cabalmente as nos-
sas asseveracees, porque sendo um raedicamenio to simples na sua composic3o, e
pratica tem confirmado sua ulilidade.
L'nieo deposito em Pei'naaibuco
Bft botica e drogara
DE
Btfrtolhomeo Companhia,
34-RUA DO ROSARIO LARGA3i
C4SA 04 FORTUNA, f"!
Aos 6:000^000,
. Ollhetes garantidas
n k P CREsPu :i E UA3AS DO COS
u hallo asfisnadovtndeu a sCus rcuito C-.ii-
'eb ""leles garantidos da lotera que, se acatv
aa eztraur a beoellcio das familias ios votoria-1
r'v iltatria' seguintes premios-;
k iKn '" n'8i0 Cjm a S3rtB lU G 0DO5.
x -i?-o <5Q*rl* cora a son de :i005
v l?, quarios com a jjrie de 00.
.'J. Jiau u ii meio com a serie de SC0#.
& ouiras moilas cortes Je 1004, 40* e iO.
us possuidores podem vir recaber seus respoc-
V^-retBIOS,sein os "lscenlos das leis na UN
ia Fortuna a" roa do Crespo n. *3.
ru /,-.a1m"sf a *e,,da os da 'O* P"l da b' tole-.
fia (o) a beneficio da Santa Qua di MisericouMa !
qae se extrahira" sexta-feira lo do corrale.
Preeo.
Bilhetes.... ....
Jfews............
Quartos..........
pessoas
Par as
Em cada garrafa, ral, entre a rolha e o papel azul
que leva o mcu tete, um rotulo impresso em ama-
relio eom o Sillo Imperial do coverno fincez.
N. B. ; emeltendo-se urna lettra de 580 francos
sobre Paris, aceilarel a 60 diat de Tbta, ao mximo,
goza-se do alialiment e do malor deaeoato.
Depnsllo principal
ta legitimo Le Roy
em Caza do nosso
nnico agente pelo
Rrazll a Sni Anto-
nio Frino : de La-
cero* na Babia
nos principis pbar-
maceutcot.
63000
300
15500
?ue compraren t 100^000 I
paraeiua.
Rilhetes.......... b300
Jfeis............ 24750
aartos.......... 137o
Maooel Martins Plaza.
AO LIDIORAIA:
ii. DA
o lllu^ao ao natura).
nU.T1* Me,", iil ver ao fesptitavel nblic.!
?.isi 2"* as semaDas sfiao randadas as vi-us, n i
nrn?,;araaKda'mper8trIn- 32 (a "H'" "'
?aS'a e!"ce,:' cootendo este ragi iBco Udi<
gtadeiumazem de tin-
tas medicamenx)s etc.
Roa do imperador n. 22.
Productos chimicos e pharma-
ceuticos os m.is empregados em
medicina.
Tintas para todo o genero de pin-
tora e para tintoraria.
Productos adusiriaes e tintas
para Acres, como botes de flores
e modelos em gesso para imitar
fructas e passiros com o compe-
tente desenlio.
Prouctos chimicos e industriaes
para puotograpma, iinluraria, pin-
tura, pyrotecnia etc.
Montado em grande escala e sup-
prido directamente de Paris, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa
pode offerecer productos de plena
confianza e satisfazer qualqaer en-
commenda a grosso trato e a reta-
mo o por preco commodo.
- pessoss q
^ '"Has e o mesmo Sr. Meoa capera a
coadjuvaeao de tedos os aprerisdoie?.
FERRO QUEVENNE
Apvrovado pela Academia de Medicina.
Auctoritado por circular especial de Mimntr*.
O FERRO Qvevenne se uta em todos m ca-
aos para s quaes os ferreos ato preicxiplos.; nio
fas oa denles ficarem pretos; ha a preparaeio a
mais activa, a mais agradavel e a mais econ-
mica; muitas vezes um frasca a suficiente para
curar urna chlorosis.
t A experiencia me provou que nenhuma pre-
parante frrea he supportada mais fcilmente
que o FERRO QUEVENNE, em observaada m
limites de doses multo reguladas. >
BoccauBDAT, Annuario da Ikerapeutica, IMS.
O Fir.ro Qi'bvesnz vende-se em frascos da
Tu 1 nrj inill isa
i ^:io. cp-NTifi. ^.^^Tl ;"
Medida dmdMt. Utpwttm, l *
Deposito geral em casa de Estile- Gev*li,
li, rae dea Beaux-Arta, em Paris, e em toda* as
boiic&s. Exigir-o Swti* Qimmmm e a mura
de Fabrica cima.
A exposlco.
A pas=agem da efqnaara bra.siieira forrando a>
barreiras da ftrossa artilharia parsguaya em Cc<;-
,Vwaf'j'Gwe de s- Janes, pono de Uvirpcol. bata
*.*'&'la em 59 Pel eneral Pelissur, Ale-
jandra, Barcfllena, combate de Ttbtruaia em G
de agosto de 55 pelos russes sendo 4S.0O homens
contra ,2,000 adiados da Sardanha e Franca,
commandados pelo general Peiissier, ioUrior do
caf concert (em Lio), b^ialha de Solferino dada
do Doite em Vianna d Austria, o naufrasio da fta-
gala Meduza na Nova Orleanp, interior da igreia
| de notre dame de Paris, palacio do par.jue de S.
tlu, entrada do grande caf em Paris construido
por Carlos Duval, a esqaadra enct.ur;cada fazeDdo
exercicio no mar fm 63, Cenias tomada de Ma-
draga. Rio de Janeiro, caga do orco na Turqua,
Havre de Graca, um navio oalieiro ^occorrendo a
l iripolaco de urna batea ja' virada ptr urna baleia,
entrada da torre do Bonji S. Jnliao em Lisboa.
Porlo, caja do viado, Diepe cidade de Mil5o, Cadis,
ENTRADAS.
Homens tu 8--nhoras f^OOO
Meninos ou meninas 500
As'familias'al tres pes.-oa? C3da urna lj>000
As que eicederem da me-ma a 200
Kugiu do engenbo Mocambiijue da freguezia
de S. L .urenco da Matta o escravo de norae Do-
mingos com os signaes seguinles : representa ier
24 annos de idade, cor fula, bem feito ce .se
pernas, tem em um dos bracos urna cicatriz de
urna queimadura qoe sollreu em pequeo ; preso-
me-se que elle esteja em Garanbuns vi-to ter vin-
do deste lugar quando aqu nesta pr?ca foi vendi-
do, eportaolo se rogaa todas as autoridades poli-
: ciaes e capiles de campo prendam o o levem ao
! referido engenbo a seu senhor o Sr. Antonio (1 n-
Saltes da Siva, oa cesta pra$a em casa do Sr. Dr.
I f.-auga no aterro da Bua-visia, que sero geni ro-
ament'recompensados.
Fio de algodo da Babia
Vndese no escnpiorio de Antonio Luit de Oli-
veira Azevedo & C, no seu escriptorio roa da Croz
n. 1.
^ 'US ~\'^I-i b ^
'mLJm f*5 P-w o
Kk W
XMS
a. a n D ce
1 s. =r o 2 i 00 V| !S
a -i o ai 1 3 3"
M a 3 i.- 5* a. 88
3 ce 1 a. 5 a> -i >9
C5 i. O o 3 9 o CB D.
8 9 o. a, a -1 P3
X3 o o -i s O >S
te a. o. O Q Ui v. < D 5"
n o C- ro
a o rt v
i A eleciricidodo lioje einprvgada por tn mdicos afamados, para o (rutamento de muitas
molestias, mesmo para as que resisten, as oulras
medicafSea,
A cliclridde prodniida pela fricrac tea ama
suptriuridade incontestavel, ea vautageni de ua
.darabaloa, ede poder ser graduada pelo oente,
A oausa a mais frcqucnle das molestias a
.estagnoeat) do sangue ou dos ouiros lquidos tt-
taes. Etestableeendo se a c-rubfa no org.
nismo, curacao-sc as nirlestias.
Quando c ser.!? atguoia rlflr em tiequct
parte do eerpo logo, e in-.lificlivamcnto, o lu^ar endolorido com a ruad, e isto allivia. Isto
explica o resaltada incontestavel que deve pro-
duzir um ar-parellio e'ecliico. Por isso !c:no
.praicrcmaidiunciarao P;l;lcoqueoSnr f5uion
de Bivilliurs residente, uoulcvarl do Priaee>
Engine, tS, em Parla, doton a medicina de am
appsrelho Klcctro-filaguetics, ib a forma de
a.ama escova, com o qual os docoies se pedetai
aeurar sem neliuma mura medicacao. Os mdicos
que a tem expci mentado, a'.'testarad que a
Escova lectkc iwaohetica cfiica para
curar: os B.heumatisn>os, al?drnlya, Got,
Trnqueza dos uicmbroi ,e da Columna ver*
tebra) debilidade ge re, Nevralgias, etc,
Estamos certos que breve cada familia possuira
esta escova que prestara grandes servicos.
> A pedido de muitas pessoas, o autor decidio-sa
a piublecer um deposito de seos apparelhos ua
efio de Janeiro, em cata do Sn Didiii liorna,
raa nova dn Ouvidor, SS.
COMPRAS
HEBALH1 DE Ol'RO. premiode ib.boof."
GtU IN A
ELIXIR Febrfngo e FortiiicaDie
ir;ho ios unos uuin si Qtiu.
Experimentada com pleno luccesso no*
hospitaes, a qoio Laroche (oa extracto
completo de quina) urna preparacao
excepcional, por ter privada do amargo
da quina. Agrada por consrftiinteaspessoas
as mais intolerantes e aos paladares oe mais
delirad s, pois nem e multo doce nem multo
viscosa, sendo de urna limpidez constante.
E:n prega-se com omito proveito nos casos
de guitralgia, dytpepeia, nevralgia, ana
ma, (aaratmo, cacbexias. magrexa,
fattioicm eaaaaa|iparentr, convalocca-
ea demoradas, ehloroie e eicropbnlaa
E O especifico das molestias febris.
QIH LAROCHE FERRUGINOSA
Ic.iiii*. Mn ii fr.|ditau itlmteh eiisi.
EM PAPIZ,
i 3, ru Drauot.
MAREB
roa Noya p.
&
'8
Uompram-sc escravos
<.ivino Gnilberme de Barro?, compra, vendo e
.oca etTectivamenie escravos do ambos os sexos
de lodjs as idades : a' roa do Imperador n. 79.
t^rceiro andar.
O uro e praa.
Km obras velbas : compra-sc na pra-;a da Ir.
dependencio n. 22, luja de bilhetes.
Compram-st libras steriuas: n'prTca^da
ndependencia o. 22.
Coropra-se curo,'praa~e pedras Frecisa"s em
obras veiias : na roa da Cadea do Hecife loja
de ourives no arco da CoEcelgao.
cobr, lati e chumbo : no aresazem da bola ama-
relia, por balzo do sobrado o. 9 da la dj Impe-
rador.
Compra-se uro prelo : na roa
arnwpip.
da i/-iiz d. fi.
XAROPE
pe toral e dulc Acanta
DI
SAINT-GEORGES
Preparado por
GMMAULT e O1*
pharBicautlcos de 8. A. L
a principe Napolelo
Cura rpida de !m
molestias segnentet:
tosse, catarrhos, pleu-,
resia, coqueluche, an-
ginas, fortes covitipa-
coes, irritaedet dn
bronehot e do peito,
bronchile,ph'>.ica. pul-
monar, astma, pneu-
monia,an dalius, tosseehromea,
rouquddo. Os mdicos recoinmeadSo ao mesmo
tempo o oso das eacellentes pastilhas peito-
rae oom o naooo d'alace e lauroiro-
crlo, qa m prapuio no oaesmo esubel*-
A veDda as pharmacias de Maorer e A.
Caors,
Coipia-.-e um escravo ; na na da Cruz nu
mero 6.
C;r.va.-e moed'.s de ooro ; na ruV Nova
n. 23, lo;a.
Comprara se boj? osansca para carrijas : a
traur na traves do Carioca a.^caes do tamo?.
raaas
_
Vendee nma caleca na ra da Florentina i
o. 14 : rin?rn pretender (neira dirisi'-se. a'oiiclla !
aj, B&if un C .ii isrr cara qoem e^sar,
lodo Tiv*t!Trar;adc<, ttm nrui'.o bons araWl ludo
quasi novo.
Vende-se oleo de rlciuo em ia:as d~30liiiras
por preco commodo : na ra da Odeia do R.cife
o. I, i' andar.
VENBK-N
10(^m> pagos aiiuualmeite fiem yrriuiir.

Poros OQiao de 4 rj a i 4iMt#*
de I a i annes...
T I de 2 a 3 .....
tf 3 a 4 .....
*i de 4 a 13 .....
Por ma pessoa de 18 a 20 atina* .,.
do 30 a 30 .....
*t> de '3 a 40 .....
de 40 a 50 .....
Eij an-
nos.
1-10OJ
900*
<8m
850$
860;?
8604
8604
8694
9004
Em 10 Em 15
annos.
4:0004
3:01)04
2:9004
2:8004
2:7004
2:7004
2:7()04
annos.
9:<-004
7:5t;04
7:2004
7:JOO,-5
7:0004
7:10Q4
:7004l7:24X.'4
toQQWT.MUt
Em 20an-Em25an-
nos.
t-------------
20:0004
17.-OW4
16:0004
15:6004
'IR4004
15:6004
I6:0.0|
18:0004
nos.
.. .
i7:000>
37:0004
33:0004
3i:0Q0
33:3004
33:3004
3:0QO
37:0004
30:0004
on orfajatsado al^abaticamaaw aiwtad<> pelo se-
RUBda) escripturarij da recebedona de Pernara-
bua,aVran:i5co Augusto de AlinaMa^e.>m
tracto-de.to*ts 8s ordfln postnore-- wi
reto al o anuo de I86t.
!?te trahalho inlelrameote differeDte A^ joe
exHteaa mprfisos facilita o? mel- obter
com ra^fdez 05 conheciraeotos relaiivus 4 jual-
quer assumpto conceroente ao imposto do sello.
Preco da assi;o..!ara 25-
Aiga-e na* lujas : de livros das rna* do
Crespo ri. j! e 9, do Irapervlpr a*. Si >. 79, da
Cruz n. 5t; os< de fa/.eudas das'mas do Q inma
do o. 30, do Livraiiwen'.o n. I i ; na d* nvoaezas da
rxza da Cadu u. 7 ti de chp4*! ft ra Direi-
la n. ii e a* Je lerrigeaf da mesina rui u. .33 e
na {yponraphia Cocaraeruial a," ra e.-tr*iu do Ro-
sario n. 12. .
mmwmwMmm&mwm
HEomjicao piinari secun4Hnaj|
|L Xa iusniuii; de Jaron yulo Per^ir BL.
J Viiar c* roa larga do tlo?aio a. 22, nao *
g s te ensiuain as materia que on-ti
lue: o curso remojar de iiri.neir.s letras
a
BAZAR DOILIVMMENTO
Neste novo estabelecimento o respeilavel publico
encontrara' sempre e por precos mdicos os se-
(umtes artigos :
Grande sorlimeatode calgados nacionaes de lo-
dr.s as qualidade?.
Grande deposito de aviamentos para os mesmos
i^nto nacionaes cono esirangiros.
Calcados francez, inglez, h-mbnrguez, portu-
gnei para hoaen?, senhoras meninos o m;ninas.
Gaz liquido em Islas e em garrafas
Candleiros para o mesmo da diSerente 3 gostos.
'".haniies, globo?, pavioa etc., etc., avnlos;
Perfumaras de toda? as qaalidades e dos raelbo-
res fabricantes da Eur.pa.
Diversas quiuquilharias que s com a vista, pa-
ra evar relata la*-.
N. B. O proprieiario desle novo elabe!ecimento
espera a coadjuvatao nao ? de seos arigos e
fr> ineze?, como do publico em geral, garantlnio
io'i a modificajao nos precos e sinceriddo nos
ir tos.
Charutos da Baha.
Superiores.
Ilavaneiros a.......4S00 a caixa.
Flor de Havana......400 a
Delicias.........3dO0 1
Lyricos em meias caixas 5V!00
Americanos meiss dita?. 3*000 >
Suspiros anos meias caixas 3J200
Kegatfa-Iinperiai......340ii0
Brasileiros........3,8000 .
Suspiros superiores .... JJ300 o cento.
Para acabar : na Liga, ra Nova o. 60.
VENDE-SE
Motores americanos para dous cavallos.
Hito dito para qnalro dltcs.
Machinas para tlescarocar algodo* de 14, 16,
18. 0,30,33 e 40 > erras.
Prencas para eufardar algodao fazendo os se-
cos com sei? palmos is coroprimento, cora o peso
de IfJO e 200 nbra?, viudas ltimamente da Ame
nra : no armazem de Henry Forster & C, no caes
P.:ro II n. 2 junto ao Gabinete Porlugaez.
Tinta nova superior
Vende-S em garrafas : no fscriptono de Anto-
nioLnlz de Oliveira Aze?edo &r C, ra da Cruz
urna mobilia de Jacaranda' a Luis XV, ama dita
de amareilo do mesmo feitio, sendo obra muilo
bem feta, de apurado boro goslo e nscontoecida so-
lidez. Igualmente se vende palo* anp.Tehada pa-
ra empalhar, por m^nnr preco qaer parte ; na camti do Carmo n. 1?, loja de
marceoeiro.
.......i 1 >m 1 .....-------
Vende-se oengenho aoto Elias n o termo de
SerinhSem comarca'do Rio Fjr'rr.oso, por muito
men-)s de sea fasto vjIlT : fjaein pretenier-' com-
pra lo dirijas?a raa do"Crespn. 19.
Esleirs para forro de salas
Veode-ne na ijia do Crespu n.J20 B.
- Vendos uma escrav* de mu.io liaTq.iaii- Vende se um piano de um dos fabri-
daJei de i-jada ds30;.nik..ma r..adaStiedade ^o'.esmais afamados: a tratar na. roa da
3. 33: v, akaaf
n. i.
Cruz n. "4.
Livros em.branco deflQi-
burg
fc ViAlliJi- e
na linaria a*eyclo?ai<:a de J. B. de Sa.lo na ra
da Croz u. 32 completo Batimento e por niveas
maiio comm'jjj?.
|
------
Farello a I* a' rna do Apollo n. .
Campo? & Sobrtnho, lem para vender em
pe*}** e a varejo : superior ca de Lisboa, por
menos preco do qae em outra rfna'qoer part, vi-
nio do AltoDooro, especial para a tsiacio calmosa
'ir er inteirarcen'-e puro, ovas do serio muito
r>-paa : a" ra do imperador 28, defronte da
re a ci. !! "
lequifes ou Labodirjhos de camlraia.
A aguia brinca ai aK d.' reeVbi r um b-- lo sor-
a rlimetto d- nqu f.s iu babadiubos de canitraU en-
I i fciiadcs de brai cu e ie rort-.--. e raui pa pr os rara
: ve;tidos de se:hjrps e mooias, e 11 eso o oitras
(obras a que as senhora- os applicaoi con acerloa
, gest, t? 1 scinhas sao de .5 roeiro e v nJtm se a
2J500 e 3 cada orna ; na loja d'aguia branca ra
do (Jjeimadoj. ft.
AiLns'para retrsto?.
I A aguia b?ai,ca rccibeu novo :or ment de bo-
I nitos alLuns para rernos e coetitiua a Viune-lo
;Comj sempre por precos rommodo? ; conjparfC'm
Pflis pretendenti-s a .ua do Queituado loja da
aguia branca n. 8.
Novos cnfeiles para vestidos,,
A aguia braLca a ra co Qoetmado rt-cf beu oo-
vos eufeites para ves idas n.iaudo-.-e entre elles
as cascarrilbas cem tico, oiira nova e de gostft
(Carteiras de a'gibeira com tesoura. peuto e
mais necesarios para viagem
Vendem-se na loja de miudezas a rut do Quei
raado n. 10.
Gnqees fiogiado oaoeilo.
Lises e crespo?, Bfpgstag e compo--tos, de gom_s,
canudos e redondos, c.berios com iet simples a
de vidrinhos, ornados com flores e fitas, obra nova
e de goslo.
{'ara senhoras e nenioas.
Leqo.es finos de madreperola e osso, todo de sn-
dalo p do sndalo era seda, coro Unos e bonitas
desechos.
Obr.>s de madreperola.
Bonitos pentes de madreperola mui alvo par
coques, lio-las fivellas de dita dita para cintos, de-
licados alfinetes e brincos, bolSes para puobos, 0-
bra prima.
Aderecos, pentes e fivellas iguaes de dita,
brincos. Fivellas e fitas para cintos, ciutos mal-
sades, ohra novi?sma e de gosto
Renos de llores finas.
Como geralmente sabido, a loja da aguia bran-
ca o jardini das finas flores arliViaes, e alm do
bom sortimento que sempre se arha om aita loja a
aguia acaba de receber novas, flores as quaes se
coobece o rigor d'arte IfMrtatfdj as fl-Tes naiurae*.
Na loja da aguia branca a roa Oo Queimado a. 8
acharo os apreciadores do brm e delicado caixode
flores cora compridas rama-, rosas, etc., ludo do
melbor gosto e primeira qualidade.
SJeias pelas para padres.
A aguia branca a' ra do Queimado n. 8 rece-
beu novo sortimenlo daquellas boas meias pr<-tas
de laia que contiuam a ser vendida.; a 5C00 e
par.
Visporas e dminos
A ?.guia branca a' ra do Queimado n. 8 recc-
beu novo sortimenlo de visporas em caixas de ma-
deira e papelo com 24 e 36 canoes, leudo tlre
elles a'guns com chapa de metal para cubrir o nu-
mero ; a??im como demins em caixas de madeira
brano.. e envernisada.
iap Paulo Cordeiro.
Aloja de miodezas a' rt'.a.do Qurirrado n. 16,
recebeu uova reme?-a de rap Paulo Cordero, e
continua a recbelo por todos qoe os apreciadores acharo sempre boa pitada.
Botoes gandes
e peqoeaos, pret s e de outras cores.
A aguia branca receben um bello scrtiireiito de
; botoes de diversas qoahdades e gostos os mais
: modernos, a elles boa fruiuezia da aiiuia Crasca,
comparecam a rna do Queimado c. 8.
Me ios aderreos dourados
Naloj* riemindezas a ra do Qaeimado n. !6,
i vendem-se bonitos melos aderegos dnorado lino
I obras mni bem aesbadas o do novisslmos moldes
gostos agrsdaveis e precos to commodos que ne-
nhum comprador cbjcctar.
i4musirs de obras dowadns
A aguia branca a ra d > Queimad n, 8, rece-
ben uma ptqoena qoaendade de rm-ios adeu-gos
dourado?, obras de moldes inteiramente novos e
agradaveis, e acabado? coro perfeici e mesmo as-
sim a agoia qner vende-las baratamente para aca-
ba-las al o fim desta sercac3. por is-o os prebn-
denles compare? ra munido? dedinheiro.
Espartilhos.
A agoia branca, na ra do Quoircado n. 8, jece-
beu nova remessa dsqnellesbnos espariiihos, e
contina a veude-los baratamente comoo'anles.
Arbolas de borracha
para alar papis, segurar mangn'f.?, etc.. etc.: na
loja d'agQla branca, ra do Qaein;; .)t a 8.
j nii'-iU
J ornauentos de
Tamnas *
V^ndero so talabas de Alagoas, em barns
raa da Praia n. 61,

aa
s
romo as disciplina? preparatorias yara a
Umtftde J, rtiro.i./;, gjis *l e-uro
abenas do di. 7 d.i preente wei/o puf
dUnt, e ?ero regidas pelos nnj^mos
profe.-?ore-l
Qaeaa preteaJeir surjscrever para a PreviderMe e desege quaesquer esfliarecimen-
tospde (lirigfr-se. ea Pdrnambu;oao8rs. f&rd'LJ^iffl Ramos eSilva, roa do Vi-
gario n lfijos at* toioi: os ?ir-MB'Bffos re se destj^eni e prospectos grati?, a
q-oem o* pe?;r. #
Comihercio.
OrTereee-se am moca &m prat ca de nalhaaos
pira uaixeir.1 de fr.idlibe 00 mwn %rn caixelro
>e raa: ipem ^roiser'tttlMinse de sia p'bU
d*i^e r.A'U f-ehal) />. xn ** Ini.-ip; \. 1 Qatfi
1 &*&( 09 l. r.v, rj Qoeirnad; o. 1.
Vende-re a alia i pasto da roa da Lapa r.
!, lvre. e dese.T^ara.;.Ja do qolquer caos :
luero a pret-oJer dirija so a mesma.
Carnava
Grajide e varalo sorrofnio Je ornauenlo de
metal de todas as cores pan bordar ve.-luarioa; a
elle, que a por.'o pquciia, o o a: naval esta"
a'pona : na ) - Vos*tvt%wima *tci ciue saso Aeai.atsMtor feti, /os P^roGoncaTves",' t-ra ^Shinha
e evar, mu.to ,di, : a tratar na roa do Raaojel mt Mtt pe.0 verdudeiro rabrloSta S S!
^SflSafi^"--.- I"3. Pa?'' qae se,reDde ens arroba e "ora,'toT
l^*gft3lBT.4rig DESKU V.-iLQR. '|g>- UJe *> compradores.
y dr#JS^^rl'pfa'aAral5aer negbcfb, t,m-: QrelO
bem se aluga pjr moiico pleco o armazem d ade se farelo de Lisboa or or-eo rmaaanodn
Wl^11' G*"W 9 : UtU Ba ra a r '* ^ Pr*1* "i!-
olachinha de leite.
* raa d Seozaja valha d. 96, padaria de An-

Mi.
VBWS-SE
Mattieus Austin & C.
Vendis no sea arnuzam ro* da Senzala V-
h v n. 104 :
por menos do jupero ouira qaataaer parte, papel i L'*taj awAiax^a 1' aualidada.
*lawt!9 pe*; Uaio iio .;.imo paotai, verdadero BBlli hiSl l mil
da primeira qaalidaJe, bem camrt pap^l almaeo i *4mSk\kmkTmkrt]to novo parTTObar a
d'tnb) eiMrlIro : ntrua do Irrpsrador d. 15 .U'w.
j '.,-j|coYS !t>pu.-cj. u.rrU com prrjoa americanos.
DE KEMP,
JVOVA YORK.
DE COR CHEIRO E SABOR AGRADAVEIS
Infinitamente mais efficazes do que todos
os mais remedios per i gosos enauseabundos
que existem para a expulslo daslooibrigas.
tN5o causam dores e produzem seu effeo
sem precisar logodepoisde purgante ne-
nhum e toincitantes em apparencia e deli-
ciosas em gosto, que as criaogas estao
promptasa tomar mais do que marca a re-
ceita.
Uteis como um excellenle meio de Cazer
remover as obstrueges do ventre, mesmo
no caso de nao exist,-era verme algum, as
PASTILHAS VERMFUGAS DE KKMPS SO pil Tlp-
tas einfalltveisnasuaoperago e por todos
os respeitos dignas deconfianca e approva-
?5o de todos os paes de familias. Prepa-
radas nicamente por Lanman 4 d,
Nova York.
uepo sito geral em Pernamoaco rea da
Iraxn. Vt em casa de A. Caros. J. da C."
Bravo e P. Manrer C.
(]*LU0S BtBVTGS
Vndese na roa do Imperador n. 32 :
Borzegoins Ingleze? de couro de rupia a 7500.
Dos de Naales a 7*500.
Ditos para sentara eufeitados a 5'4
Ditos lizoa a 4J.
Dites de cores a 34500.
Ditos para a mesma a %5>.
Ditos de cores a 4500.
Sapatoes iaglezes a 34200.
I'tos franjees a 44.
Ditos sola dobrada a 34.
-Manieigajinglea flor por 880 rs. a libra, ratos delicias apra?ive3 a i} a caiilotia de 50 :
aa raa da Imperatriz n. 6.
UVRO DO POVO
POR
Aoiooio Marques Uorl&t?<9.
' OBra'rficomtDPBtlada e appfo*ada pelos Exm?.
irceolspos da OaBla e bi'po do Mar^nhao, e adop-
tada nasescolas primarias do Amazonas, Para'
SarB*,^Piadlif, Cear, ParlMka e p^rnamba-
o j 5" edccSo oom esUmpas,a ntidamente Iffl-
firtwso. i L eartonado. Pre|a> 14
faatfe-se_na vraria Bcoooica defrente do ar-
mo.
Yende-se
ama escrava moca mullo bonita fgura em d-f-t-
tos e nem achaque? : a tratar na Boa-Vista ion 9
Sr. Antonio Carneiro da Coaba.
ILEGIVEL



1
4
1 _______.__


~~
%
HPf!
.
-

Blarlo de Pernambaco ... Terca fetra lf de JFeverelro de 1867.


-
O ARMEZAM
I0
AKI1AZEM llE-VAZEaDAS
53 RA OA CADEiA 53 .
JL A33..NDO O ARCO DA COWCEIlO.
Acaba de reeeber e tem por bartissiraos presos
aim de seu acostumado e muito completo sortimento
de gneros os seguintes abaixo declarados,
iiios de Minas.
E
mi FOTfil
Queiji
'fcegados pelo ultimo vapor a 1)5600 rs.
Gomma de milho branco
americano.
O
tangica, creme etc., muito substancial e
audavel a 6*0 rs. cada pacote de 1 libra.
SALMlO E LAGOSTIN
chegado ltimamente em latas de 2 libras
ttOO rs. cada urna.
MUSCATEL DE SETUBAL
o muto excelleite vinho muscatel por 200
a caixa de duzia e 25 a garrafa.
CHA
hysson de primeira qualidade a 20800 rs.a
proprias para veader a retalho, que se vende
de 10000 rs. a 20 rs. a libra.
CHA PRETO
o mais especial que tem vindo a este mer-
cado a 20600 rs. a libra.
MACAS
(H0CQL1TE
meez a 500 rs. o pacote. dito hespanhol estrelIiahaSDara SGDla7m'caxas sortidas de
?rCtftTeh0r qUe temVad amerCa" SSSSS^TfflS. macarrso,
0 a iazoU rs. ... .mn ik
10280
LATAS DE LINGICAS
som 6 libras ermeticamente fechada a
445O0, e de barril a 640 rs. a libra.
VELAS PARA CARRO
m paco tes de 8 velas a 900 rs.
VINHO DO RHEN0
^'iadeiro a 20000 a garrafa.
B0RDEAUX
tu mais acreditadas marcas: S. Julien,
laut Brion. St. Emilion e St. Esteph a 800
rs. agarrafa e 8000o a duzia.
O EXCELLENTE E AFAMADO
COLLARES
agarrafado da bem conhecida casa de De-
jant i C.a a 100000 rs. a duzia.
PORTO
irarsas qualidades engarrafado, inclusive o
Etais no que ha n'este genero por 800,
10000,10200, 10400 e!0SoO rs.a gar-
rafa.
OLD CHERRY
o mais superi ir do mercado a 10500 rs. a
garrafa e 150000 a duzia.
VINHO BRANCO
aliente qualidade, de Lisboa, e proprio
para missa a 800 rs. a garrafa e 80000 rs. a
xa de duzia.
VERMOUTH
superior qualidade em caixas de 12 meias
garrafas por 120000 rs. e cada meia garra-
fa 10200 rs.
etc., a 640 rs. a libra.
PREZUNTOS
os verdadeiros de Lomgo a 640rs. a libra o
560 inteiro.
JALEIA DE MARMEELO
em latas a 800 rs.
MOLHO INGLEZ
diversas qualidades a 720 rs. o frasco.
MOSTvRDA INGLEZA
muito nova a 800 rs. o frasco.
MOSTARDA FRANGEZA
a 640 reis o frasco.
ARENQUES
em [atas a 600 rs. cada urna.
GARRAFAS
brancas para mesa superiores a 50 rs. e a
60 o par.
COPOS
diversas qualidadese taannos a 30 rs., 40
50 e 60 a duzia.
CAPACHOS
de cores e differentes tmaaMm 608*r,
640 e 800 reis.
BALA10S
diversos feitios epara compras desfe 500*rs.
at20-rs; ditos grandes proprio para roupa
de 30 a 50.
GAZ
o mais superior gaz liquido em lafeas grandes
com 5 gaioes por preco de lOfrps.
ftUA D4 G4EIH3
Por menos de 10, e 20, e 30 por cento.
NO
DE
OLYMPIO GONCALVES ROSA
Ra do Livramento n. 14.
O proprietario deste estabelecimento faz sciente ao respeitavel publico e acs seus amigos
freguezes, qae lem augmentado a soa offlcina de alfaiale, e dirigida por am hbil mestre, se encar-
rega de fazer com proraptidao qualquer eneommend, das pessoas qae quizerem honrar sea esiabele-
cimenlo por precos mais baratos.
Assfm como tem am completo soriimenlo de fazeadas Boas (as quaes d3o sendo costme pro-
curar as lujas do Livramento) espera que seus amigos e fregueza o bonrem com suas presentas,
nois vende mais barato qae nutro qaalquer.
BASQUINAS DE SE\ P81TA.
A' loja de fazendas de Augusto Porto & C.
11ua do Quetmado11
A' loja de Augusto Porto & C. chegaram as melhores basquinas de seda
preta que se venciera por mdicos precos.
Vestidos de moin de cores para bailes e partidas.
Ricos vestidos de Blond cora manta e capaila para noivas.
Costumes completos de casemira para homns, fazeada especial, sendo
as calcase palitotsda ultima moda.
Bonets depalha da Italia parasenhoras e chapeos de phantasia para ho-
mns.
Eoxovaes e vestidos bordados para baptizados de 1G0OOO a 300000.
Camisas inglezas para hornera, peito, punhos e colarinhos de linhe supe-
rior.
Ricas saias de lioho bordadas, bales, espartilhos, meias finas, lences
bordados, camisas, camisinhas, manguitos bordados para senhoras.
Colxas de seda,, e de la e seda para camas de noivas.
Cortinados bordados para camas e janellas.
Tapetes para sof, cama e piaao e pannos para cobrir mesas.
Bramante, Brilhantina, Miciennes ou cambraias de pafos, fazenda muito
bella para vestidos, silesias, bretanhas, e cambraias transparentes tapada e
de linho.
Moireantique branco e preto, ssdasbrancas, decores e'pretas, e gres-
denaple dje todas as qualidades.
Brins de linbo branco e de cores dos melhores.
Nste estabelecimento ha sempre sortimento das melhores e mais baratas.
Esteiras da India para for a? safes
HRa do (intimadoti
S c^carTg lo'pod "nd *! ^itas de el.ro (pello) a 13* a do....
ir ate com 140 serras,' "amboin ser- oaIhado adamascado de algodio a 24 a
.*.. u~ax~ ..i n,in0r Dito dito de llnhr. a 3 a vara.
Joaqun Niiues dos Santo
23 Largo de Terco 23.
0 proprietario deste estabelecimento de seceos e molhados tendo de fazer urna via-
gam, est resolviio a vender por menos de 10 a 30 por cento a dinheiro; para isso tem
um grande a vantajo*o sortimento para os amigos do borne barato, que a maior -parte
deste, vieram p >r conta, para o que faz annuncio de alguns gneros, e a viste testes
regularo os outros mais.
dinheiro avista
Gaz americano a 8,800 a lata e a 380 rs. a garrafa.
Touciiiho de L*sba a 240 e 320 rs. a libra, e em barril ha grande abatimento..
Caf do Rio a 180 e 220 rs. a libra, eem arroba ha granie ahaiimento.
Cerveja das mais bem acreditadas marcas a 5,ooo e 6 ooo rs. a duzia.
Vinhii Figueira da melhor mirca a 3,500 a caada, e 480 rs. a garrafa.
dem de Lisr>a a 2,70 i e 2,800 a caada, e a 360 e 400 rs. a garrafa.
Piosforos do gaz a 2,000 rs. a groza, ea 180 rs. o maco.
Manteiga trancen nova, a 560 rs. a liDra, e em barrd a 520 rs.
dem dem raheza flor a l.ooo rs. e 800 rs. a libra.
Arroz pilado de Intia a 100 rs. a libra, e em arroba 3,400 rs. uu a sacca..
Sabo massa a 220, 200 e 240 rs. a libra, em caixa i ha abHimento.
Papel marca martello a 5,500 rs. a resma e viado 4,000 rs.
Vinho branco de Lisboa da melhor qualidade a 500 rs a garrafa.
Banda d porco refinada a 5^0 rs. a lib a, e em porcao ter abatimemo.
Alm desies gneros ha outros muitos que enfadonho mencionlos.
0 proprietario deste armazem avisa aos seus freguezes que tem contss e letras ven-
cidas, o favor de as mandar pagar.
LOJA DA FRAGATA AMAZONAS
DE
Honteiro & Guimarfies.
K. 5 Bna do Qaeimart n, S.
Os donosdesie novo estabelecimento ciiamam a attencaodasEsmas. senhoras que
gostam de usar objectos de modas, para que se dignem vira passeio a sea estableciraen-
to apreciar alguns destes artigos de novidade ultimimjotechegados pelo vapor francez.
e que esperam merecerao approvacao do bello ssdxo.
A Fragata acaba de reeeber novo soriimenio de sedas e- cores-, prelas. e bran-
cas, em cortes eem pecas, as quaes pelossus elegantes desenos e b&a qualidade se
tornara recommendad^s.
Loques de madriperola de 18 a 800000 um.
Lques de sndalo novos goslos.
Chapelinhas de seda e palha para cok.
Chapeos de sol de seda para senhora.
. Ricos cintos bel'a Helena (novo gsto)
Cortioad -s bordados para cama.
Colchas de seda para cama.
Cortes de blond para noivas.
B isquines de seda bordados de 15 a 600000.
Cortes de cambraia branca bordados, e outres nuiles artigos que menci-
nalos sena enfadonho.
0_itro sim, os donos deste novo esliblecimento se considerara gralos, para com
todas as Exmas. senhoras e senhores, que te n frequentado seu estibaleciment e cada vez
mais se esmeram a fim de bem servir a todos que queiram honrar seu eshblecimento
com suas presencas.
MACHINAS AMERICANAS
Verdadeirart do fabrleante X. lf. Oaattongln & C.
Hoiabos americaaos pura moer mi I he.
Na rea Nova n. 2 e 22, grande deposito
das verdadeiras machinas americanas de todos
os fabricantes; se en:ontra neste deposito
grande porcSo de machinas, e se vendem por
menos preco do que em outra qualqoer parte,
por se reeeber em direitura da America; se
fomece todas as explicacSes necessarias ao
comprador para conservado das mesmas;
neste grande estabelecimenio se encontra mui-
tos artigos americanos, que muito deve agra-
dar aos agricultores que usam de taes artigos,
eneontra-se tambem todas as collecces de de-
senhos sobre os quaes se aceita qualquer urna
encommenda, que coro promptidao seri execn-
tada; neste grande estabelecimento,. eneon-
tra-se em grosso e a retalho, grande porcao
da farrageas, e miodezas que se vendem por preco coajmodo, pedido^se a attencao
de todos para este estabelecimento que muito lucrarSo em fazer suas compras: na
ra Nova n. 20 Carneiro Viann.

o
SO"
4'
c->
J-JrJrJt-JrJrJrJrJrJrJrJrJrJJ
alHiHfti'lltn?
:?
3>i" 5

K
3-
5-- a 2
S O.'
o-o."
m
-~2
1 .73 S'B s
3 <.
S3?i'*.rs-sIi
jtl!i?|
llffl?

iflf
ron
JLL

PREPARACOES FERREAS-IAHGAHICAS
APPROVADAS PELA ACADEMIA BE MBBICrNA
DE BURIN D BUISSON
PtamaceaSw, bma pela kiimii de Metn le h
6 eminente profesar Tr6ssbad, a ultima edicSe de sen Tratad 4 Tkara-
peutua e Materta medica, reconhece que es ferruginosos simples O nimias
vetes mefhca do sangue. Muiros medieos dos mais distincto aUribuem esse m o e*ii usencia
n essas preparacSes, do manganese, que se acha no sangne, como o tem recMbecida
M chiraicos os mais peritos, sempre intimamente unido com o ferro.
E poiB, prestar-seum verdaduiro servico aos S Mdicos, o cbamar-se sua aUenoia
sohre as preparacoes seguintes.
1 Ps ferreos mngameos ^t/aSSSLS^^'^S^
economa 86 aguas mineraes ferruginosas.
2 Plalas e Xarope de iodurcto de ferro e de nanganese iialleraveis
atondo cada tuna cinco centiaramos de iedureto de ferro manfanieo iadioadas
particularmente as molestias Tymphacas, esciofotows, o as cnamadas ou-
orosM e tuberculosas.
l* Pullas de cartoaate forre naogaoleo j
ktyfcs de lactato de ferw e de masganese \ %*%!??.
iwa, a leucorrhea, a ame-
Nn Mu *m preparaoio. ii o. >%hom mitoto* "*'**0 *
JL j1*? *1B*""* ****** *" *"*> Maniota do pablto moiM a
Jjy^g^JJjy^*^ prerke qi. elle 1 ne fratnitamente na
Wo NriMiimii, a m ayote pul, I

poe fratnitamente
G*", pnarmacentico, na Hora.
1T1
TT
JLL
Vende-se^aajpharmaciajde P. Maorer & C, ra Nova.

-------
INJECCAOe capsulas
rVEGETAES aoM4TICO:
'GRIMAULT&C'pharmaccuticosemPARIS
Roto tratamento preparado com u folhai it
Maliea, aore do Per, pora a cura rpida e in-
Wlifol da Genorrbea soa reccio algnm da con-
trae^doconaloudainiammacodosinteanos.
0 cteore dontor RtoORD, de Pana, ter rononeiado,
desde na apparicio, ao emprigo de qualquer
owro traUmento. Emprega-se a fnjetcao no
oomco do fimo; si aamtula* am todos o* caaos
enromos e Inveterados, qne resistirlo s propo-
cSesdoeopahn.entek^esinjecooosoomkeoe
A venda as pharmaclas de P. Maorer 4
C. e A. Caors, em Pernambnco.________
Batetas hernias
Vendem-se caixas com urna arroba de bataU6
por 400 rs.; no armazem do Sr. Aloes detronte
da porta da al/andega.
CoHares Roycr
ou
Anodinos electro-magnticos contra as con
vulsdes, e para facilitar a denticio dai
criancas. A aguia-branca na ra do Qnei-
mado n 8 recebe-os* por todos os vapo
res franceres.
J estao tio conhecidos, e tanto se tem espalhad<
a tama desses prodigiosos collares Royer, que u
torna desnecessario dizer mais algoma coosa en
abono de seas boas e e effleazes effeitos; basta <
testemanho de militares de pessoas, qne tm vist<
aprovelrado o feliz resoltado desses tao utei-
qno Beees8arios cellares Royer. A qootidiana <
enscida extraccao, qne vo teodo, mostra aind>
que numero dos prodieioj se eleva como todc
Q3 compradores. A agoia-branca, p->rtn, des
ando concorrer para om fim de tanto aproveii-.
ment, tem feito os necessaries pedidos, para qni
por todos os vapores francezes Ibe seja remettid
certa qnantidade do ditos collares, para anHn tor
nar-se infalvel o sortimento delles, na loja d'a
faia-branca. roa do Qaeimadon. 8.
Vapores.
Vende-se em casa de Saanders Brothers & C,
no largo do Corpo Santo 11, vapores patentes
eonri todos os pertences proprios para fazer mver
tresoaquatro machinas para descarogar algodao.
P0TAS84 DaBliSSU
Vende-se pou??;i da Russia muito superior e de
qualidade a roai apropriada para o fabrico de
assucar a prec- rasoaref, no armazem de Jos da
Silva Loyo & C
Aos agricultores
Sannders Brothers & C. arabam de reeeber de
Liverpool vapores de (orea de 3 a 4 ca al los com
todos os pertences, e mu proprios para fazer mo-
ver machinas 1
vapor trabalha
vem para enfardar algodo on para nutro qaalquer
servico em qae osam trabalhar com animaos. Os
mesmos tambem tem a venda machinas america-
nas de 35 a 40 serras : 03 pretendemos dirijam-
se ao largo do Corpo Santo n. H.
Loja do Gallo Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Grande e variado sortimento dos numero-
sos objectos de apurado gosto qne ultima-
mente acaba de chegar para este bem co-
nhecido estabelecimento, pois seu corres-
pondente em Paris o mais habilitado pa-
ra a escolha de taes objectos, pois os com-
Ipradores podero apreciar, como sejam lin-
dissituos enfeites de cabeca com cok de
cabello, e sem elle.
S no vigilante roa do Crespo n, 7.
Enfeites
Koques com caixos e de novos penteia-
dos.
Trancas pretas e de ceres, e de todas as
larguras, com vidrilho e sem elle, para en-
feite de vestidos.
Bicos de seda com vidrilho e sem elle.
Gravatinhas de velludo para senhoras.
Gravatas e mantinhas de seda para ho-
mem.
Gravatas brancas muito finas.
S no vigilante ra do Crespo n. 7.
vollinhas para naenlBas.
Voltinhas para meninas.
Pulseiras para as mesmas.
Correntes para relogios flngindo cabello.
Riqnissimos siotosr fivellas e fita< para as
mesmas e de outras muiUs qualidades,
Riqusimos peotes de taataruga.
Fitas de velludo de todas as larguras.
Lindos enfeites para vestidos, chamados
Chrispianne Margante.
Riquissimas flores para vestidos e para
cabeca.
Capellas com canos flor de laranja, pro-
prias para noivas.
Meias de seda para senhoras.
Ditas para meninas.
Riquissimos chapeosinhos e touquinhas
para meninos e meninas, meinhas e sapati-
nhos -de seda para os mesmos.
Lindas sextinhas e bolciohas para bracos
de meninas.
Metas pretas de laia.
Lindos aderecos e brincos.
Aderecos completos preprios para luto.
Lindos port jotas e port relogios de dif-
ferentes tamanhos proprios para um deli-
cado mimo.
Riquissimos livrinhos com capa de tarta-
ruga para missa.
Aderecos de flores.
Riquissimos aderecos completos, sendo:
voltas, polseiras, brincos, alfinetes, grampo
para cabeljos ; tudo isto feito de todas as
flores de ultima moda em Paris.
Cravatlahas.
Tambem chegaram bonitas gravatinhas
com flores, e com alQnetes proprias para
meninas e senhoras.
Rosetas e brincos.
Riquissimos brincos e rosetas inteiramente
novida le e tudo de mnito gosto.
Touquinhas.
Riquissimas touquinhas de liaho e seda,
ponto de corx ricamente enfeitados e de
muito gosto.
Fita.
Riquissimas litas de chamalote, sendo: ver-
de e amarello, tecido na mesma Gta.
Agulhas de marflm.
Tambem chegaram as mui desojadas agu-
Ibas todas de marfim, para trabalhar em 13a
e sem corx.
Sextinhas.
Tambem chegaram bonitas sextinhas de
palha fina, proprias para meninas.
S no Vigilante ra do Crespo n. 7.
Espelhos.
Riquissimos espelhos grandes e bonitas
molduras proprios para salas ou lojas assim
como outros de differentes tamauhos.
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Para os pais de familia >
Verdadeiros
Collares Royer
Electro Magnticos Anodinos
Ou Collares Anodinos, para facilitar a den-
ticao das criancas contra as convulsoes
das mesmas, a estes collares nos escuzado
fazer qualquer recommendacSo, visto a
grande utilidade que tem produzido aquellos
pais que os tem applicado em taes ctreum-
stancias pois nos-parece que nao haver um
s pai ou mai que por este meio nao quei-
ra por termo a taes soffrimentos de seus
filhinhos visto ser um mal que tanto os
flagelia, pois a estes collares acompanha um
folheto que ensina como se deve applicar, e
vende-se na loja do Gallo Vigilante, roa
do Crespo n. 7, pelo preco de 40000, 50
e 60000.
Admiren!
os precos
No armaiem de lazendas de SaiU*
Cocino.
Roa do Quelllndo n. 1
Vende-se:
Madapolo entestado flno i 9) a pee: com SO
varas.
Ditos de 74, 7430O, 84, 94, 104 e li a pega co
20 vara.
Cambraia de lina de daas cores para vestidos
800 rs d Ydr3.
Baloes de arcos para senhora a 14500, 34 34800
Ditos de arcos encarnados de 34900 e 44-
Ditos de nnurculin a 44800.
Ditos de arcos para meninas de 14600 e it.
Toalhas de linho alcocboadas a 124 a duzia.
?ara.
Bramante de linbo com 10 palmo de largor
2#f>00avara.
Dito de dito de 9 1(2 dilo a 24400.
uno dito de 5 dito a 1200.
Dito dito de 3 1|2 dito a 800.
Algodo entestado com 7 i|2 ditos a 14100.
Retundes de fil preto a 74-
Boarnus de dito a t0.
Chales de dito a 54.
Cambraia adamascada para cortinado com 20 va-
ras a 134 peca.
Lencos braceos de cambraia finos da 24, 3#.
34500 e 44 a dnzia.
LSatinha com dores mnito lioa a 400 o covado.
Dita lisa dita a 480 o covado.
Cambraia de linbo fina de 64500 a 94 a vara.
Cambraia lisa omito fina de 54, 64, 64300, 74 t
84 a peca.
Colxas de fustao alcochoadas brancas e de coree a
64000.
Cobertas de chita da India de 24400 e 24800.
Lences de h.mburgo fine de 24400 e 24600.
Ditos de bramante de nm s panno a 342OO.
Tarlatana de todas as cores a 800 a vara.
Moreantiqne preto superior a 24600 o covado.
Grosdenaple de dito a 14800 o covado.
Planella i>e cores a 800 o covado.
Cambraia de salpicos branca con 8 Ii2 varas pe-
ca 44500.
Fil de linbo liso fino a 800 a vara.
Dito dito com salpicos a 990 a dita.
Gnardaoapos de linbo para mesa a 34503 a dozia
Assim como tambem se encontra um completo
sortimento de roupa feita e por medida.
Francisco Jos Germaim
[RA NOVA N. 21,
acaba de reeeber um lindo e magnifico tor*
timen to de oculos, lunetos, binculos, do ni*
timo e mais apurado gosto da Europa e oca
los de alcance para observares e.'para o
martimos.
PASTA IAR8PE lirt a AlAKA
BKI.WCmFIVTER
.' 8lo m vv\ct ftUont tftf yUMfM protMort* fa
F*colu4 di H*d>> i, Prt.t*,
plUM Ptriz, oiquni urtwcarl* UU m loa
> rrmm, ft Moai tm Ho
ridde lobra ndci u ulre ptluraw c
Katcit cintri o* *, rl,
RACAHODT DBS RABES
Be tiM
Unlc tlluento ipprrdt f*\t inliiti i' MWlelnt <
Ptrii. BU* rt(Ub*l*e* u finlM (H irlktm de -
m*o e des tatMUao*; faruUt* u erltMM U ptuSu
hiuda, iIhii iluo ra vtita4* 4* ni procrleuiU
laptioi he o ulbor pmnHr tu Vram
Omi truco c4 ediliks IMIII prm mhti frmm 0ttmtfrml4r, IW RlcheDaa, M,
a Ftrii. (PJtr MflK* MwMM M u hWtc^iti.)
epoilurlai no
brkori *w
A venda as pbarmacias de F. Maurer
G. A. Caors, em Pernambuco.
Doces
PHOSPHATOdeFERKG
[DE LERAS DOTJTOR EM SCIENClfej
INSPECTOR DA ACADEMIA DE PARIZ'Et-
Nto existe medicamto fo-rafiMM tio nouvel
cama o Photfhato de ferro de Leras; as sommi-
iaia mtaietm te modo iateiru adopuram-no
com tafliciunie sem iffaal nos aanats da scieneia.
s coret poUidot, dores de estomago, digestoes
penosas, anemia, ctnvaleseeneiat diffieeis, idadt
critica nat senhoras, regularidade tu mens-
truacao, pobreta do tanfu, lymphatmo, H
curadot rapidamente tu modificadas -par ene
exceUonte eompoete. V o conservador par excel-
leneia da saade, e deelarao saperiar aos hospi-
taes e jtjm academias a tadoe ts ferrngiiHMn
coflheeido, a iadareto a ao curato de ferro,
Pne anico roe caivem aos estmagos de-
06, rae alo provoca constipacio, o uko
tambem qne no ennegrece a bocea os denlas.
Deposito as pharmacias de P. Maure
C. e A. Caors. en Pernambuco.
IMS
Grande sortimento de doces seceos, crystalisa-
dos e em calda, estrangeiros e naeionaes : no ar-
maiem da Ua roa NovapuM.
llo oiW
Vndese om sillo
casa para familia, arvoredos
traa se na ras do Queimsdojn. 18 A, lom-Uarvs-
Itw 4 Basto.
4e Bpi tioa cora
al?um terreno ;
Grande sortimento de doces secos e crystalisa-
dos e em calda estrangeiros e naeionaes : no ar
mazem da Liga roa Nova n. 60.___________
TOTAS
Novamente chegadas botas russianas e pereeira "
da melhor qualidade que temos visto : na loja do
vapor roa Nova n. 7.
Viuho do Porto superior om caixa de
ima difzia.
Vende-se no escriptorio de Antonio Laiz do
Oliveira Azevedo & C, no sea escriptorio roa da
Croa p. i.______________________________
kival sem mmm
Ra do luelnido u 49, loja de
mludexas
DE
Jos Bigoinno,
Condona a queimar ludo qoanto tem em seu se-
ta belecimento.
Pares de sapato de t pete a 14280.
Dazs de pennas de ac muito finas a 60 rs.
Caixas de huta do gaz de 30 novellos a 600 rs.
dem de linhas do gaz de 40 rs. o novello a 700 rs.
dem de palitos de seguranca a 20 rs.
Lencos de cassa com barra a 1(0 rs.
Duzia de facas e garlos de cabo preto a 34600.
Masso de palitos lirado para dente* a 120 e 160 rs.
Pecas de ntremelos moit.i Anas a 300, 600, 800 e
14000.
Livros das missoes abreviadas a 143C J.
Garrafas de agna Florida verdfdeira ilO'.O.
Babados do Porto de tods as larguras e lodos os
precos.
Sylabarlos com estampas para meninos a 320 rs.
Uemento da roupa de lavar a 100 rs.
Novas cartilhas para meninos a 160 rs.
Duzias de meias multo finas para senhora a 4*500
Ditas brancas e cruas para hornee? a 34 e 34800.
Agnlhas francezas a balSo (papel) a CO rs.
Pares de sapatos de tranca e tapete a 14500.
Pecas de fitas de la de todas as cores a 600 rs.
Grozas de botdesde porcelana prateados a 160 rs.
Calas com alfineites trancezes a 80 rs.
Caixas de 100 envelopes mallo Baos a 600 rs*
Pregos francezes de todos os tamanhos (libra) 240
res.
Resma de papel de peso branco liso a 24.
Irasco com superior tinta a 100 rs.
Grosas de phosphoros do gaz a 24000
Pares de toldos de pun mnito bonitos 80 rs.
Linhas em earto de 200 jardas a 100.
Caixa de superior liona do gaz eom 50 novellos
700 rs.
Caixas de pos de arroz muito fino a 800 rs.
Puk-elras de conta para meninas a 320 rs.
Talheres para meninos a 240 rs.
Caixa com superiores iscas para charutos'a 20 n.
Masso com superiores grampos a 30 rs.
Grosas de pennas de ac muito finas a 320 rs.
Bonets para meninos a 14-
Pentes com costa de metal a 400 rs.
Capachos compridos e redondos a 400 tsA
Caixas com superior papel amisade a 600 rs.
Realejos para meninos a 100 rs.
Papel pintado
O mais completo e variado sortimento de panel
para forro de sala e guarnicoes, encoc'ra-so a
venda na
Botica de artholoM c.
34-Roatarga do Rosario-34
EM 8. JOS
Manteiga ingleza perfectamente boa 4
560 rs, a libra e em porcS j por menos, 00
ex-propheta Cinco Pootas 86 esquina ja
nova travessa de S. Joap.
-f- Vende se o hotel Daos Amigos, stte oa roa
estreita do Rosario n. 10, livrs e deswnbaracao 4
qualquer negocie ; a 'ratar no meaoo hotel.
? 1

'..



****
>
Diario de / eruautbiuo Tcrea fcira 1* de veverelro de 1867.
*?
/


L'


h
Remedios do Dr. i. C. Ayer, ex-leito
4afniveisidade de pensylvaaia, ho
Estados- Unidos.
Extracte conposto de salsa-par-
rllba de Ayer.
Peltoral de cereja.
*eedlo para sezes.
Pllalaa cathartleaa.
0 deposito ceatral para as provincias
Pernanabuco, Alagoas, Parahyba e Rio-
Grande do NOrte, destes remedios t5o fa-
voravelmente conhecidos e acolhidf.s en
todas as partes da America do Sul e do
Norte, acha-se em casa de Theod Cbrla-
tlausea, 16 na do Trapiche.em
Peroamlmco. .
Os precos de
334 por duzia de estrado de saisa-parrllha.
27A por duzia de peitoral de cereja.
27(5 por duzia de remedio para sezoes.
7(5 por duzia de pilulas catharticas
se entender dlnbeiro vista, coa
o descont de 5 por cento em quantidades
de 6 a 4.2 duzias, e de 10 por cento em
quantidades superiores a 12 duzias..
Perfumaras novas,
A antiga ioja de raludezas a ra do Queima >
3. 16, recebeu doto soriimenio de perfumaras
sendo fiaos extractos e esseacia concentrada, cbei-
ros agradaveis para lencos, leos surtine, philoco-
me, e babosa para cabellos, banhas o eosmetiques
tambera para os cabellos, poz da coral e hygienicos
para denles, opUia Ingleza e franceza para ditos,
sabonetas em barras quadradas, outros era calxi-
nhas, e ou'iros de bollas transparentes para mo, e
ontros rnui finos em calxinhas de louca para bar-
ba, agoa da colonia de superior qoalidade em fras-
cos de diversos tmanbos e precos, agua ambreada
para banbar e refrescar o rosto, agua do-ida ( da
verdadelra) tnico de Keu.p, e muras oulras per-
famarias que a vista da boa qualidade ecommo-
didade de precos, o comprador nao objectara'.
Meia> pretas de la e de laia.
Para padres.
Vendem-se na Ioja de raiudeas a' ra do Que i
mado n. J6. '
Irr baptisados.
Bonitos cn.ipeusiQlios eofeilados, sapatiuhos de
setira e merm, bordados e enfeitados, meias de
seda, e fio d'escocia para ditos. Vendem-se na Io-
ja de mlndesas a' roa do Qaeimado n. 16.
Bicos e rendas dasilhas.
A Ioja de niiodesas a' ra do Queimado n. 16,
receben novamente outro sortiroeoto daauelles bons
e bem connecidos bicos e rendas das ilbas, cnja
fortido, e segoranga de tecido, Ihes da' immensa
dnracao e os differentes fias a que acertadamente
sao applicados fazem a graude procura, e prompta
exlracgo como constantemente tem acooteido;
assim pois concorram os pretndentes, que a vista
da commodidade dos precos nao objeclarao em
comprar. ^ .
Graxa econmica.
Era caixinbas, latas e bsrris, a' Ioja de miudsas
a' roa do Queimado u. 16; receben aovo sortimen-
to dessa boa graxa econmica.
La para bordar.
A Ioja de miadesas a' roa d Queimado d. 16,
receben aovo sortimento de a tina de bonitas co-
res, ecomo sempre vende a baratamente, e o sor-
timento a contento do comprador.
Bonitas caixinnas.
De madeira cora eofeites dourados, e outras de
metal para guardar joiaj, Vendem-se na ra de
Queimado Ioja de miadesas n. 16.
ufeite e griaaldas.
Na toja de miadesas a' ra do Queimado n. t6,
acbaro os apreciadores do boro, ara bello sorti-
mento de bonitos enfeites para bailes, theatres e
casamentes; assim como delicadas grinaldas para
noivas, eaixos de flores finas para enfeitar os ves-
tidos de ditas, e muios outros objectos, e lado se
vende por precos to rasoaveis que o comprador
xperiente, nao se atrave a ubjectar a respeto.
Babadinhos bordados, euiremeios ditos.
Todos de fina carabraia e elicad s bordados.
Vendem-se na ioja de miadesas a' roa do Queima-
do a. 16.
Planas trancas e de eres.
Vendem-se na leja de miudesas a' roa do Qaei-
roado n. 16.
Franjas
Gom borlas e era ellas, para cortinados, toalbas
etc. Vendem-se oa Ioja de miadesas a" ra do
Queimado o. 16.
Boase bonitas fitas.
Lizas e lavradas, larga: e estrellas; vendem-se
na ioja do miadesas a' ra do Queimado o. 16.
Bonitos enfeites para vestidos.
A Ioja de miadesas a' ra do Queimado n. f
esta' recntemele provida de mui bonitos enfeites
para vestido;, sendo bicos de seda tasto braoco
como preto-, de differentes larguras e cora vidri-
lbos, ou sem elles.
Trancas e galles de seda dos ltimos gostos, di-
tas cora vidrilbos, pretas e brancas e de differentes
largaras e gostos. Pitas de velludd pretas e de
cores, com lista as relas. E assim militas outras
coasas de moda e oovidade, e todo por precos to
commodos, que o comprador fica satisfeito e ne
objecta a comprar.
Bollas de borracha.
De diversos tmanbos para brinqoedos. Ven-
dem-se na Ioja de miadesas a' rna de Queimado
n. 16. __
Vende-se vtaho de Bordeaux era quartolos
fcarris e caixas: em casa de Tisset reres, roa jad
Trapiche n. 9.___________________________
fi\Z G\Z GAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry Forsler &
C, roa do Imperador, um carregameoto de gaz de
primeira qualidade.o qaal se vende em partidas e
a retalbo por menos prego do qae em oatr* qaal
quer parte.
mnmm
lO Pl BLICO
NA LQJA E ARMAZEM
BO
PAVAO
Ra da Imperatriz n. 60
Eival sem segundo.
Ra do Qnelmano n. 49.
Quer acabar can as fazendas aaaii*
mencionadas.
Qeiram vir ver o qae bom e baratissinte.
Libra de gomma de mllho a 400 rs.
Toalbas de labvnnibo com bico, fazenda boa j
3*500.
Carreteig de lioba com 100 jardas a 30 rs.
Grvalas pretas e de coree multo finas a 500 rs.
Baralnos fraocezes multo fios a 200 e 320 rs.
Caixas de obrejas de raassa muito novas a 40 rs.
Bufiadores para espartilbo de cordo e fita a 6
ris.
Carreteis de liaba Alexandre com 400 jardas a 20
ris.
Resmas de papel almaeo muito bom a 25500.
Frasco de oleo babosa a 320 e 500 rs.
Ditos de dito biglemqae verdadeiros a 14000.
Ditos dito falso a 800 rs.
Ditos de macacar perola a 200 rs.
Sabooetes muito fiaos a 60, 160, 200 e 320 rs.
Ditos de bolla muito finos a 240 e 320 rs.
Cainas para rap com bonitas estampas a 100
Caixas de patitos a balo a 40 rs.
Miadas de liaba froxa para bordar a 20 rs.
Varas de cordo para espartiiho a 20 rs.
Frasco* com Unta rxa muito boa a 246 e 320 n
Ditos de dita preta a melbor qae ha a 320 rs.
Duzia de faecas para sobre-mesa a 45.;
Varas de franja branca larga a 200 rs.
Pautes volteados para regacar cabello de menina
a 320.
Frascos de macaca' oloo muito fino, a 120 rs.
Abotoaduras muito boas para cohetes a 500 rs. '
Candes de iiulia braaea e de cores a 20 rs.
Libra de arda preta superior a 100 rs.
Cartas de alflnetes fraocezes com 14 peales
120 rs.
Eseovas para falo, fazenda boa, a 500 rs.
Cal de Lisboa,
r
i
Chegada ao ultimo navio, mais barata que em
ontra qaalquer parle; ao deposito da roa da Apol
Ion. 8._____________________
Cal ora de Lisboa
No armazera da na do Apollo n. 8, por meaos
500 rs, do qae em ouira qaalquer parle.
Grauue c bem sortido armazem de nioiliados
Rna .\ova n. 60 ,
Sahio ou nao sahio, am abillismo freguees ? sahio sim ; e se demoramos tanto
em abrir a caixinha do segredo,' foi porque gostamos de sorpreza e dasconjeetnras. Abl
Ah! Ah I,como o sahir deu no gto de muita gente de collarinho empinado ebigode re-
torcido?! Quanta interpretacSo lidicula e risivel soffreu o nosso pobre sahirtx Muita
veztivemos frouxo de riso nocantinho do nosso armazem, quando vamos queaigaenvse
encommodava com essas seis negras letras, que por alguns dias deraia um certo-ar de
mysterio a urna das columnas deste venerando Otario! E no entonto nada de misterio-
so havia, como vedes, no patusco sahir 1 sim; riamos a bom rir; mas nunca vimos, rir
o cavalleiro da Liga porque
Serio e grave encara as cousas
Deste mundo como sao ;
Verdadeiro, fiel vive
Do commeixio a tradicejo J
Pois que o sahir se mostroo qual vinde admirar freguezes, como no armazem
da Liga se opera a mais fina liga do bom e barato. Lede e veris a verdad* vinde pois;
confiamos em que nao tereis occasiSo de dizer que o vosso dinheiro foi mal empregado,
nem o vosso bom gosto offeodido, Eis freguezes e.....la vai verso.
Parlona de mllho
ou gomma de milho braaco preparado na America, vende-se 500 rs. a libra, e o cida-
doque comprar dezlibras vende-se-lhe-hai50.
BISCOUTOS 1NGLEZES
Soda, Mized, Pic-nic, Francy Cruckeuel, Qenn, Osborn, Gala, Arrowrote outras muitas
quadades a i000 a lata com 2 e 3 libras.. r.
Bolaxianas percales
em latas de-diversos tmanbos 2, 3, o, 8 imras cada urna e pelos seguintes precos: 40200,;
2^400 e 3*000.
Bollnhoa om anieudoas
grande quantidade de cartoes, bocetos, csixas forradas de chumbo, com as mais ricas qua-
dades de pao-de-l, bolos, para champanba, bollinbos com -amendoas, e outros muitas
que se toraam enfadonbo mencionar.
MANTEIGA
manteiga ingleza, primeira qualidade a 1^100 a libra, idem ingleza boa a 1(5000-a libra
800, 600 e4O0. dem francesa a 640 rs, a libra.
Doces em calda
doces secos e em calda de todas as quaUdades, em irascos, potes, careas, etc etc: por pre-
cos os mais razoaweis posslveis, amendoas confeitadas libra a.
CAF
cafie do Rio 1 sorte 240 rs a libra, 21 sorte a 200 rs a libra, 3a sorte a 160 rs a -libra,
em arroba se far grande batimento.
Vinhe
vinhos engarrafados de todas as qualiades, rainba Estephaaia a 3(jf00 a garrafa, Porto
malodaa 2(?500 rs. a garrafa, lagrimas do Douro a 1)5800 a garrafa, Pedro V, B. Luiz,
Maria Pia, carcoveilos, bacaoaes, boeugi a 1,5000 rs. a garrafa, de cheres verdadeiro,
2,5500 a garrafa, idem cherny cordial a 1(5000 a .garrafa, collares e figuira ambos agar-
rafados a 500 rs. a garrafa, idem de Lisboa em pipas, barris, ancoretas e a retalbo 360
e 400 rs. a garrafa, anooreta com vinho. tinto a 2)5400 a ancoreta.
lioriieaai
vinho Bordeaux de todas as qualidades de 60500 a 250000 rs. a duaia, e en garrafa de
600 rs. a 20000 rs. Wermoath a 10500 rs. a garrafa Kenoch de wasser a 20000-rs. Ab-
symth a 20000 rs. a garrafa.
GAZ
gaz verdadeiro americano a 90200 a lata grande, garantindo-se 27 garrafas, e a 400rs, a
garrafa.
Ceneja Gelada
cerveja gelada em garrafas e '/s garrafas inglezas efranecza.
Painco e-Alpeta
paioco k 100 rs. a libra, alpista 160 ; pinco e alpiste mistarado 140 rs. a Hbra: m
porco se far abatimento.
Cha verde e preto.
10000, 10500, 20000, '20200, 20400, 206O0 20800, 30000, e 30200; cha ver4e de
todas as qualidades, buxim, perola., aljfar etc.,
CHARUTOS D'HAVANA.
regala britennica 100 a caixa, londres 120 a caita, operas, caixa 100; e outras ami-
tos marcas que se tornam enfadonhas menciona-las. -
CHARUTOS DA BAHA,
imperiaes, exposic5o, normas londrinos, guanabaras, suspiros, delicias, parisiences, ven-
cedores, guerreiros, lyricos, quem fumar saber, para os seguintes precos; 10ooo, 105oo*
20ooo, 205ro, 30000, 305oo, 308oo, 40ooo. 402oo, 405oo, 408oo, 50000,505oo, 60000,
605oo, 70ooo, e 80ooo.
Velas Stearinas.
spermacete 64b rs. o pacte, velas de carnauba de 6 por libra; 36o ;ra. de 14 em
libra, 44o rs. em porco se far abatimento.
GENEBRA vdnbo ou victoria 72o rs. o frasco.
genebra de hollanda em frascos 56ots. o frasco.
CERVEJ& -T-E BASS,
cerveja bass e tenente e de todas as qualdiades, as quaes se vendem o mais razoavel, como
seja 5oo 6oo e 7oo rs. e em duzia faz-se-ha grande abatimento.
Arrea da ludia,
lio rs. cada libra, em porc3o se far grande abatimento.
SABO E SABONETES.
sabSo branco com veias cor de roza, idem braoco com veias zoes, sabonetes de urna libra
cada um, sao os sabonetes mais econmicos que tem vindo ao mercado ooo rs. a libra.
Sagn' e sevadlnha.
sag' multo novo a 24o rs. a hbra, cevadinha muito nova 16o rs. a libra.
cevada muito nova 12o rs. a libra.
gomma de bncommar 12o rs. a libra.
CEBLAS grandes e novas 10ooo o molho.
Latas com conservas.
lates com emitas portuguezas e francezas, latas com carnes preparadas, passarinhos gui.
zados em tetes, e salame em lates.
Doce de colaba,
ha constantemente om grande deposito de doce de goiaba em caixes de todos os tamanhos.
Copes, copos.
copos crystolisados, ditos lisos, ditos de cores, a 40ooo e 405co \ duzia.
GARRAFAS DE CRISTAL.
garrafas de crystel de formatos do ultimo gosto.
AMEIXAS.
ameixas em lates, em hocetes e frascos.
Queijos Queijos,
queijos flamengos do penltimo vapor 20ooo, ditos do ultimo .... .j
GAM4 I SILV4.
Os proprietanos deste grar,de eslabelecimento
tendo no anuo prximo pasjado vendido graude j
parte de mas faiendas como haviam dnnonciado,
tem resolvido continuar a vender ajnda mais ba-
rato em vinade do abatimento que Gzeram. em
suas fazendas por occasiai do balanco a que pro-
cederam em 31 de dezembro. ultimo ; porm para
poaerem satisfaier e apresenlar ao resoeitavel pu-
blico os seas numerosos freguezes tanto desta pra-
ca coa o do mato um novo e variado sortimenu de
todas as qualidades de fazendas, dt-sde as mais
modestas at as de mais aparado lua, nao se tem
poupado na escolba dellas, limitando sns lucros
apenas no descanto. Continuara a dar fazendas
amostra, com peohor, ou manda-las por seus cai-
xeiros em casa das Exmas.mfamllias.
Grande pechincha
tres testoes.
Lanzinhas a 300 reis.
Lanzmhas a 300 rets.
Lanzinhas a 300 reis.
So na Ioja do Pavo.
Veode-se ara variado sortimenlo das mais deli-
cadas lanzinhas, tanto oom o.v trrais primorosos
gostos era.matiz, como miudinbas de urna s edr,
sendo esta fazenda Iaa pura, e vende-se pelo ba-
ratissiroo preco de 300 reis o covado, por ter fetto
grande pecbicha na compra, se nao seriam para
muito mais dinbeiro, isto na Ioja e armazem do
Pavo na ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
As saias do Pavo
pechincha a
10000,10z8Q e 10600.
Chegou orna grande porco de pecas ce fazen-
da branca, propnas para saias, seodo de nm lado
bordadas, com maitas barras de pregas, tendo a
largara da fazenda a altara, precisa para urna
saia. podendo fazer-se com tres e meta vara, e
vende-se pelo barato prego de 15 e 15280 a vara,
sendo s com pregas, e a IJ600 tendo pregas e
bordados, islo s se vende na Ioja e armazera do
Pavo, na roa da Imperatriz o. 60 de Gama &
Silva.
Algodozinho a 4$500
Vende-se superiores pe?as de algodozinho com
i&jwdas, sendo rouito boa fazenda, pelo barato
preeo de 45S00, na ioja e armazem do Pavo, na
ra da Imperatriz n. 60 de Gama Silva.
Novidade
Em cambraias de cor.
Chegco pra a Ioja do Pavo um grande sorti-
meoto das mais modernas cambraias com lislras
largas, tanto ao comprido como atravessadas com
as miie modero* s-e''mais delicadas cores; assim
como os mais modernos orgaodys de listas largas
com lindas flores matizadas pelos centro?, qae se
veodero por precos muito rijoaveis, na Ioja e ar-
mazem do Pavao na roa da Imperatriz n. 60 de
Gama & Silva.
Ricos vtfetidos urancos.
Gt'.egaram os mais modernos cortes de finissi-
mas cambraias com as mais liadas barras borda
das, sendo estes vestidos muito proprkM para bai-
les e casamentes, p vendem-se por precos razoa-
veis na Ioja e armazem do Pavo, na ra da Im-
peratriz n 60 de Gama & Silva.
Cambraias lisa do Pavao a 30500,
40000 e 40500.
Vende-se um grande sortimenie das melboxes
cambraias transparentes, tendo 8 varas e raeia ca-
da pees,- petos baratos precos de 35o00, 40000,
45500, 55000, 65008 e 75000 a peca ; ditas de es-
cossia cora 9 varas cada t>ec, leudo mais de vara
de largura a 65000,75000. 85000 e 105000 ; ditas
Victoria a 65000,75000 e 85000 ; ditas largas cora
8 palmos de largura a 15000 a 15280 a vara, sen-
do preciso apenas 4 varas para vestidos, atienden^
db a largura ; ditas para forro mullo encorpadas
a 35260 a peca : na Ioja e armazem do Pavao na
raa Va Imperatrizu. 60, de Gama 4 Silva.
Para cama e noivas vende o PavSo
Vendem-se ricos cortinados tordados e adamas
cados proprlos para camas e'janellas pelos baratos
precos de 85, IO5OOO. 16, 36500 e 255600 ; su-
perior damasco de la enfeitado a imitac.o de seda
prepno para coienas a 25500 o covado ; ricas col-
chas de croch pelo baratisslmo preco de O50OO e
125090 : isto na I ja e armazem do Pavao na raa
da imperatriz n.-60, de Gama 4 Silva.
Grande pechincha em chites.
Veode-se om^rande sortimento de curtas escu
ras e alegres francezas peles baratos precos de 320,
-360 e 400 rs., seodo com os padrdes mats bonitos
que tem. viudo o mercado cera listas e flores ele.
etc.:; garantindo-se serera oores fichas : oa Ioja e
arflaazemdo Pavo na ra da Imperatrtt o. 60, de
Gama & Silva.
As saias do Pavao
Vendem-se rtcas saias Dordadas com 4 pannos
pelos baratissimes pregos de 65000 e 75000, assim
como fazenda em peca com-pregas proprias para o
meemo.um.a I9SOO a vara : na Ioja e armazem do
Pavo na ra damperatriz o. 60, de Gama & Silva.
edas Brevas
Gbegaram as-mais modernas sedas com listras
para vestidos, seodo com as cores mais modernas
que tem viodo ao mercado, assim como grosdta-
pies de diflereates cores como sejam cor de rosa,
azul, rxa, cor de caf, edr-de lirio etc, etc. e
vendem-se por -preco muito em conla na Ioja t
armazem do Pavo na roa da imperatriz o. 60, de
Gama & Silva.
Crinolinas a 30500, 40000 e 40900.
Cbegaram para a Ioja do Pavo as mais moder-
nas crinolinas ou ibalSes verdaderamente ameri-
canos, qae sao os mais bem armados e mais leves
qae tem viodo, seao com o formato mais moder-
no qae actualmente se osa e vendem-se pelo se-
guales precos: seodo com 20 arcos por 35500,
ditos com 25 arcos por 45000, ditos com 35 arcos
a 45500 : isto s na Ioja e armazem do Pavao na
roa da Imperatriz n. 0 de Gama Silva.
Sedas largas na Ioja do Pavao.
Cbegaram as mais bonitas sedas de cores com 4
palmos de largara, seodo com as cores e desenbos
mais brillantes que tem vindo, facilitando fazer-se
om vestido com poneos covados era attencao a lar-
gura, e veode-se pelo barato prec ode 25OOO o co-
vado : na Ioja e armazem do Pavo na raa dalm
per'triz n. 60 de Gama & Silva.
(tahales do pavo a 2ooo e 2ooo rs.
Veodem-se chales de merino estampados a 35
a 25500 cada um.
Ditos de merm liso a 35500.
Dlto6 estampados de crepon a 65, 7. e 83090.
Ditos preos bordados com franja de seda a 145.
Na ioja e armazem do Pavo na roa da Impera-
triz o. 60 de Gama & Silva.
Lencos brancos a 20000,30000 e 40000.
Vende se om bonito sortimento de lencos de cam-
braia branca lisos pelos baratsimos pregos de 25,
35000 e 45000 a duzia : na Ioja e armazera do
in o oa roa da Imperatriz n. 60, de Gama &
d,u e I r. -
Casaquinhos cu vasquinas na Ioja do Pavao
a 230000, 300000 e 350000.
Cbegaram os mais ricos ou modernos casaqui-
nhos ou vasqainas de grosdinaples prelo ricameale
enfeitados, sendo dos feltios mais modernos e ele-
cantes aue ollimameole ebeearam e veodem-se pe-
los baratos precos de 25*000,305000 e 355000 ;,pa
Ioja earmasem do Pavo na ra da Imperatriz 0. 60,
de Gama 4 Silva.
Para bailes a 350000.
Cbegaram os mais ricos cortes de vestidos de fil
branco primorosamente bordados e enfeitados de
cor sendo tambem proprios para casatoantos., e
vendem-se pelos baratos precos de 355000 nica-
mente ; na leja e armazem do Pavo na roa da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Alpaca* llsaa
Chegou o mais lindo sortimento de alpacas de
urna s cc, proprias para vestidos, e vendem-se
por precos m conta : na Ioja e armazem do Pa-
vo, raa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Bales baratos
Vende o Pavio.
Cbegoa um grande sortimenlo de baldes de ar-
cos sendo americanos que sao 01 memores e ven-
dem-se pelo baralissimo preco de 25500, 35
35500: na Ioja do Pavo na raa da imperatriz n.
60, de Gama Silva.
A 100 rs. para lato, vende o
Pavio.
Vendem-se lazinbas pretas proprias para luto
pelo baratsimo preco de 100 rs. o, covado : na
Ioja a armazem do Pavo raa da imperatriz n. 60,
Je Gama & Silva.
Crochs
Para cadeiras
Para sofs
Para camas
Para presentes.
Cbegaram os mais ricos pannos bordados a cro-
ch proprios para encestes de cadeiras que se
vendem a 25500 e 35, ditos para encasto de sof
a 65, ditos propuos para cobrir almeladas a
25506e ditos para cobrir presentes a 25500 e 35:
na Ioja do Pavo ra da imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silvav
Novos vestidos Poil de Ch-
vre a 16*000.
.\a Ioja do pavo.
Cbegaram pelo vapor do da 15 do correte, os
mais lindos cortes de poil de chvre para vistidos,
sendo fazenda inteiramente nova no mercado, ten-
do esta fazenda bastante lostre com os mais deli-
cados gostos tanto em lislras como em flores solas
e vendem-se pelo baratissimo preco de 165000,
lendo cada corte 18 covados, isto na Ioja e arma-
zem do pavo oa raa da Imperatriz n.60, de Gama
& Silva.
Para senhoras
Gasargiiiuhas a 200000
Veodem-se as mais modernas casaqnlnbas ou
basquinas de seda preta, muilo bem entenadas, as
mais modernas que tem vindo ao mercado e pelo
baralissimo preco de 205-cada urna i na Ioja e ar-
mazem do Pavo rna da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Os espartiiho do Pavao.
Vendem-se urna grande e variado sortimento de
espartilhos dos mais bem feitos que tem !vindo ao
mercado, sendo de todos os tmanbos, vendendo-se
por nm preco muilo razoavel : isto na Ioja do Pa-
vo na ra da Imperatriz 0.60, de Gama & Silva.
Cirande pechincha em toalbas
para mo.
Vendem-se superiores toalbas de linho proprias
para mo pelo baratissimo prego de 560 r... ditas
a 640 rs dilasa imitaco das felpudas a 800 rs.,
ditas fepudas a 15 : pecbincha na Ioja e arma-
zem do Pavo oa roa da Imperatriz n. 60,- de Ga-
ma & Silva.
Chales de renda e retondas
Vende se um grande sortimento de chales de
renda e retondas, seodo as mais modernas que tem
viodo ;o mercado e veodem-se mais barato que
em outra qualqaer parte ; isto na ioja e armazem
do Pavo oa roa da Imperatriz o. 60, de Gama <&
Silva.
Corles a 30000 s o PavSo
Veodem-se os ir.ais lidos cortes de cassas de
cores com os desechos mais moderaos viodo cada
om em seo papel e garantindo-se terem 7 varas ca-
da-um pelo baratissimo prego de 35000 na Ioja e
armazem do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Lencos bordados a 10000 e 10600 na ioja do
Pavo.
Vende-se bonitos leoclobos bordados para mo
pelos baratissimes pregos de 15000 e 15600 cada
um ; Ioja e armazem do Pavo na ra da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
Algodozinho e.nestado
Vene-se superior algoduzioho entestado, muito
ebeorpado, proprio para lenges. por ter 8 palmos
de largura, pelo baratissimo prego de 15000 a
vara.
Dito com a mesma largura, seodo trangado e
mano encorpado, a 15280 vara, assim como pe-
gas de dito de urna largura s, com 18 jardas, a
45. grande pechincba : oa Ioja e armazem do
pavo, na roa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Bramantes
Ven^e-se soperior bramante de linho cera 10
palmos de largara, proprio para lenge?, pelos ba-
ralissimos pregos de 25i00 e 25800 > vara ; su-
perior panoo d liado com 4 palmos de largara,
sendo proprio para lenges, toalbas c e eroulzs,
pelos baratos pregos da 640, :00, 730 e 800 rs. a
vara, e um grande sortimento de Hamburgo de to-
dos os pregos e qualidades, qae se vendem por
pregos rasoaveis : na Ioja e armazem do pavo,
na ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chitas pretas
Vendem-e superiores chitas pretas iDglezas cem
saipicos e florziotas braocas pelo barato prego de
200 rs. o novado ou a 75300 a pega, tendo 38 co-
vados ; ditas lisas a 160 rs. o covaao oa a pega por
65000, tendo 38 covados ; ditas francezas larga-
mullo boa fazeoda a 320, 360 e 400 rs. o covado ;
cassas pretas mimo finas a 560 rs. a vara ; ditas
muito superiores com ramageos a 800 rs. a vara ;
lazinhas pretas lisas de todas as qualidades qoe se
vendem per precos razoaveis: na Ioja e armazem
do pavo, oa raa da Imperatriz n. 60, de Gama &
*iiva.
Brim pardo a 720 ris
Veode-se superior brim pardo trancado de iinbo,
sendo escuro e aegre, proprio para caigas e pa-
letots, pelo barato prego de 720 rs. a vara, assim
como muito superior para 900,15 e 15*00 a vara ;
dito braneo de linho trancado a 15200.15400 e
15600, e murto superior a 25 a vara : na Ioja e
armazem do pavao, oa ra da Imperatriz o. 60, de
Gama & Silva.
Casaquinhos a 16$000
Vendem-se os mais modernos casaquinhos oo
basquinas de grosdenaple, proprios para senhoras,
seodo ricamente eofeilados, pelos baratos pregos
de 165, 205, 255 e 305, assim como ditos de ren-
da ou gnipure, o mais oovo que tem vindo ao mer-
cado, pelo barato prego de 205, pecbineba : na
Ioja e armazem do pavo, oa ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
PubIis com goHinhas a 1$ e U"280
Vende-se urna grande quaotidade dos mais mo-
dernos puchos com ^olliohas, sen Jo bordados e
lisos e de cores, pelo barato prego de 15 e 15280
sendo esta fazeoda por menos de meiade do que se
vende em outra qualqaer parte, isto pechincha :
na Ioja e armazem do pavo, na roa da Imperatriz
o. 60, de Gama & Silva.
Babadinhos
Cbegoa para a Ioja do pavo am grande sorti-
mento dos mais delicados babadiobos com tiras
bordadas, seodo tapados e transparentes, com os
mais delicados deseobos, e vendem-se por pregos
muito baratos : oa Ioja e armazem do pavo, na
raa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas francezas
, Veodem-se as mais bonitas cassas francezas para
vestidos pelos baratissimes pregos de 2-'i0, 280 e
320 rs. o covado, assim com bonito orgaody com
assenlo branco e palmas cora listas de cores, pelo
baratissimo prego de 300 rs. o covado oo a 500 rs.
a vara : na ioja d armazem do pavo, na roa da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas granadinas
Cbegaram as mais bonitas cassas ,'raneezas com
lisias largas lauto ao comprido como eoviasadas,
sendo os padroes roais bonitos qae tem vindo ao
mercado, e veodem-se a 800 rs. a vara : na Ioja e
armazem do pavo, na roa da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Orgaady branco
Vende-se o mais Boa orgao4y braoco com pa-
drdes miudinhos proprio para vestidos, pelo barato
prego de 15 a vara, assim como pegas de dito
com 8 f/> varis a 95, fluissimas pegas de cm-
braia braoca da iiscossia com 9 varas, teodo 5
palmos de largura, a 75, 85, 105 e 125, as6im
como outras maitu mais baratas : oa Ioja e arma-
zem do pivo, na ra 0a Imperatriz n. 60, de Ga-
ma A Silva.
Alpacas de cres
Chegou nm grande sortimento das mais lindas
alpacas de urna s cor, teodo entre lias as cores
mais lindas que tem viodo, a 640 rs., ditas tam-
bera.s de ama cor porm lavradas a 800 rs., di-
tas brbantes com os mais lindos desenos tanto
miudos como graodos a 600 rs.. poit cbvre ou
latinba transparente com ilisias de seda, sendo o
ipadro mal moderno qoe tem vindo ao mercado a
lia cada covado, graode pecbiacba : na loj,e
armazem do pavo, na roa da Imperatw n. 60, de
Gama & Silva.
Vestidmhos para meninas
Veodem se elegaotes vesiidiohos para meara,
ae isinna ionito bem enfeitados pelo barat.3s.in
prego de 2:500, ditos de gorgurio de seda a 35000-
oa Ioja e armatera do Pavo na ra da Imperan;
o. 60. de Gama de Silva
Chafes de merino ,
Vendem se floissimoi chales re merino lisos d
diversas cores, lendo as franjas de seda a 45000.
tendo com as franjas d la a 35500 rs., ditos m- r
taropados mallo Anos a 55300, 65000 e 75000, di-
tas de crpon com listas de eda a 85000, dito
mais ordinarios para acabar a 25000 25500 : na
lJ srmazem do PavS na roa da Imperatrii >
60, de Gama & Silva.
Sedinhas de listas a iO rs.
Vende-se bonitas sedinbas te listas propriaspar
vestidos com largura de cbita inaJeja uto barate
prego de 400 rs. o covado: na lojV e armazem do
Pavo na roa da Imperan im n. 0 de Gama &
Silva.
Filos bordados a 800 rs. a vara oa ioja de
Pav5o.
vndese flls de Iinbo braneo bordados proprio
para vestidos pelo baratissimo prego de 800 rs.
vara : na Ioja e armazem do Pavo na ra da im-
peratriz n. 60 de Gama & Silva.
Pannos de linho.
Vende-se soperior paoDos de liobo prdprio par
looges, toalbas e seroolas ele, peks baratissim-.K.
prec/s de 640, 700 e 800 rs. a vara : bramante a
linho com 10 palmos de largura a 25 00, 255C0 t
25800 a vara; om graode*ortimeBt'i de Hlmburgv
oo Creguellas por baratos pregos : oa Ioja e arma-
zem do Pavo na roa da Imperatriz u. 60, de Ga-
ma & Silva.
Cambraias brancas decordSo a 805GG.
Cnegararn as mais delicadas cambraias brancas
de cordo com delicadas listas transparentes
veodem-se pelo baratissimo prego de 85500 a p-
ga na Ioja e armazem do Pavo na ra da Impa-
ralrlzjo. 60, de Gama & Silva.
Panno trelo a 2 OOO
Veode-se soperior panoo Sno preto ingiez, pro-
prio para caigas, paletols e coleles, pelo buato
prego de if cada covado, dito mnito cima a
25400. ditos muito superiores-; 4>, 45500, 55,
65 e 75, fioissiraas casimiras.pretas lano lisrs
como de cordo, ditas eofestadi* de odn;s proprias
para caigas, palelols e colletes, que st- veonera mais
barato qae em ontra qualquer parle : na leja o
armazem do pavo, oa roa da Imperatriz o. 60, de
Gama & Silva.
Lencii'hos borlados
A 300, 640, 800 e 15-
veode se om graode sortimeoto dos mais lidos
lencinhos bordados para mo, sendo a 500. 640,
800 e 15, e ranilo ricos a 1J600 cada am. Dutias
de ditos braocos lisos proprios para hornera a 2$,
3a e 4a, ludo isto pecbincha : oa Ioja arma-
zem do pavo, na ra da Imperatriz o. tO, de Ga-
ma & Silva.
Madapolo
9adpolo
Vendem-se pegas de madapolo multo Ono cora
12-jardas a 3&200, 3ziOO e 45, ditas com 24 jardas
a 69. 75 e 8, ditas muito superiores a 95, ditas
de 40 jardas a 560 e 640 rs. a jarda, ditos france-
zes de todos os preges e qualidades, pecas de algo-
dozinho com 18 jardas a 45000, ditos com 20
jardas e muilo encorpado a 05500, 65- 65400 e
75- AlgodoziDho eofestado liso vara a 15, dito
Irangado vara 15280, todo isto pcohlocha para
apurar diohelro : na Ioja e armazem do pavo, na
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.___
~DEHTIFRI0IOS LAEOZE
CiNSER VADORS DOS DENTES E GEN-
GIVAS.
elexir dentifricio, para a alvtira e conser-
vaejo des dentes, curando as dores cau-
sadas pela caria ou produzidas pelo Con-
tacto do calor ou do fri.
p dentkificio, com base de magDezia para
a alvnra c conservado dos dentes, pre-
venindo a descarnadura, provocando o
trtaro de que empede a reprodcelo.
opiato fentifricio, para fortificar as gengi-
vas, e as conservar sas, prevenir as ne-
vralgias dentarias e as affecces escorb-
ticas.
CURATIVO DENTARIO HYGIENICO, para ChIB-
bar os deutes doentes, parar a caria epre-
' venir os abeesses 3 as dores qae elles
provocara.
Deposito em todas as pharmacias e casas
de drogaras no Brasil.
Expedices em casa de J. P. Larose, ru
des Lions-St-Pan, 2 Paris.
Deposito em Pemambuco, pharmacia de
P. Maurer & C, rna Nova n. 29.
enea*.
Vende-se ura escravo de 20 annos perfeilo cosi-
nhelro, na ra do Alecrim casa onde moroa o Sr.
Peixoto.
Escravos fgidos
Contina ausente desde o dia 23 de agosto
de 1866 o mulatinbo Raymoodo, de 15 aooos de
idade poaco man oa meos, corpo regalar, pos
pequeos, cabellos castanbos, dentes alvos e per-
feios, com o dedo prximo ao pollgar cicatrizado
de son que nem Ibe resta a unha : roga-se as au-
toridades peliciaes e capites de campo a sna
apprehenso pelo que recebero paga g> uerosa em
casa de sea senher oa roa. do Imperador n. 32.
100$000
Fugio no da 20 de Janeiro p. do engcnbo Cau-
to Escoro freguezla da Escada o escravo prtto de
nome R0600, oade 20 a 25 aooos, com bogo de
barba, seco do corpo, estatura -regular, tem um
defeito em om brago por ter quebrado em peque-
no, cabellos ara pooco sollo e est bem rente, este
escravo soppoe-se ter seguido para o tVcife oode
tem mi que veio com elle ba pooco de Pajeo de
Flores d'oode elle natural: portanto roga-se as
aotoridades policiaes desse logar e dessa praga a
aprebenso de dito escravo que sera gratificados
com a qaaolia cima, podendo ser entregue ao Sr.
Francisco Antonio de Brito nessa capital roa do
Cabuga ou no engenbo cima._____________
50S000
Na tarde do dio 5 do corrate desaparecen da
roa do Queimado o crioolo Casemiro, de cor fula,
idade 16 annos; lera urna cicatriz no rosto lado
esquerdo, bastante obelo do corpo, ar simplorio e
sempre risonho, muito amigo de gaohar na rna
pelo qoe se suppoe ter sido sedoside ; levoo futi-
do caiga de brim pardo, camisa de madapolo,
jaquelo de riscadiobo de chita. Veio do Cariry
perte d villa do Jardim.
Roa se as autoridades e mais pessoas qae o
possam encontrar, o favor de o mandar entregar
a Antonio Pereira de Camino Goimares, na raa
do Queimado n. 18 A, qoe pagara' 505000,
Atten$to!! I
Acha-se fgida a escrava Victorina, crioula, de
idsde pooco mais ou menos de 30 annos, muito
Msonba^yn o andar aprestado, foi escrava da
Exma.m D. Maria Candida Salasar da Veiga
Pessoa, moradora oa roa do Hospicio, est fgida
desde fins de abril do anno prximo passado; cons-
ta estar por Santo Amaro, ou Sotedade. Descoo-
Qa-ae que esteja como ama Zorra em altruma casa
onde pouco sala : roga-se a peasoa em coja casa
esteja, ou a qoem della tiver noticia de se enten-
der com o senbor da mesma sera va Sebastiao Jos
Gomes Peooa Juoior na Capooga a ra da Veo-
lora oa oa otaca da IndepndDc ns. 37 e 39
Ioja de calcado do Sr. Aolooio Augusto dos Santos
Porto._____________________________.
Do engenbo Lobo o fregoezia de Serrana ra
fasirara os segrales escravos : no da 20 de de-
rembro prximo passado o negro de nome Anto-
nio, oacao Congo, idade 45 aaooe pooco mais oo
menos, baixoe tem o p e mo esquerda Tovel-
[ ro; no da 20 de Janeiro frrente omoleqoecrloa-
lo de nome Meosseo, Idade de 17 a 18 aooos, al-
to e levoa camisae seroola de algodo azol. assim
1 como chapeo de palha ; qaem os pegar pode diri-
' gir-se a Albino Jos Ferreira da Cunha large de
! S. Pedro n. 17 oa a Jos Antonio da Rocha no re-
ferido engenoo Lobo.


l
I
1


W
8
fclso de fl ctu;.u,l i co cica tclja ti de Fcvertirc de
lc6

*
I
HanrJclode Wreii!!,
por A\i::ri!:.K achar.
Primeira garle.
I!
(C QtilUMcao.j
sem a seu mando, e ella pagou a bm elei- soturna esta bastante para collocar a sua .lean?, quando visitn a docese N5) ha-
cao com um jantar, para o qual coividou casa na freote das que maisgastavam em via roem.rh de eleitore; que cora tao rie-
llas as autoridades da eidade. Agatha Pithiviers. Tioha um carro de um cavallo, I gra ingratidao nonvessem jaraa.s pago o-
. poz de parte, n'esta occasia"., a costomada uma crala de cosinbi, outra de-sala, um b:)nsofficios de t3o prestente cidadao. E
c;onomn. Ojantar que apxesentou des- cocheiro e um criado de todo o servico.
lumbrou o sub-pr^feito e o administrador. Da va de jantar urna vez por semana .e tres
Aex-araiga de Heloisa Bonin, a inimiga da bailes no carnaval. A quiaze de setembro,
mulher de Sabuier, levantou ento urna da di annos de Sophia, bavia grande gala!
No tribunal da Deux Svres (Franga) fui julga-
3o do mez de dozembro Itimo, Marti ra Reao, la-
vrador abastado, de 40 annos d^id^e, acr.osado
de ler envennalo seo-cuohado, Pedro Reao, em
E, com effeito, fot dcilido entre os dOllSj IfJ*i su;. pnrue:ra raulhar, Joauoa Rean,ein 1856
\s;a etucaeiorr. *~m- i-,*. ...^..aUU pW Agama, e queprocaJcnam quinto antes liquidado soa ****** oauher Jui.a Boniemos, e'm 1863, e
que a de l^t^^ Se S?'""- ^^ ^ ? l5^0** habilitar o LLs necios,eahandonariam ptimas ** -.?ji*> -* chamado am
s J^a^luu d V"^0U '"' n SMd' ?! do v^e deuou transp,recer a razao Este .uso, tao pouco aado em ci.ades pe-
prestante cid idSo. E
ters ainda anim:) perguntava ella ao ara-
ridode viver em uma''cidade qae recom-
pensa dJst.' m 'do os leus serviros ? Oh nao
possivel !conclua ella I
Durante dezenove mezes qae esteva na Amerie j
atravessou a p aquelie continente, visitando viole
e tras estados e territorios.
) ^Z"! Eff1^ !?? nSp,rad>r A^atba' e qUeproceJrm'.,mh antes bquidiSo
Lgatna arranca .a? cous.ts de marido completamente perante a opinio para todo e sempre
1 Apenas Agatha se vio senhora do Ierre-
no, apressou os.preparativos da partida, e
ganua relativa das a- raanfflras o hngua-
*___. .. m.jjo, qae ti.o ioi convjido, e tirou dos publica. Depois de ele ter excitado treral
gem, matsfuim redear as suas virtudes armarios nnd tinha f^w,^ u .. muuuo erdi
La, i -. a aruJdria> nad unna fechada a sete chaves, aversao-, ebegou a excitar nveia, e oor fim
eeosQ cas-c me pnnlvarai a am.sade do Uma magnifica baixella, comprada, ou antes
P.an, em 1866, teudo anuo o meio
Eihoraaljs os e^daveres, as aoalyse chimicis
foil:s aa ultima victima c n s rest is das outras
demonstraran que tolas haviam sid envenena-
BS|veioa ser o bomem mais importare da lo- m^T que' de"sevokeo^ij^ do!rt 0'sal m9rcari"' ^^n^o sobltmado
ia ;ca!idade. nQ fl|
r-'| Antes de partir para Paris, mister era m|j
-1 liquidar os negocios da casa e acabar os esti<5
Unta babdidade se bouve, que no tira de lechar ma/ptrq^TsL.loS^ve ESS^^^^^^*!1^'*
marilo, que pouco e pouco foi reconhecen- obt.da a peso, e cujo brlllio e valor devia 'cadade
do a SUper.on.ia,ie M mulher. convonCHl. H^M de a j^ du _,
Bna, conhecedora da su a influencia, de lai, .,,,, ripa ..... .,, ;.. rt"iei,u
no fim de quatro ou cinco mezes toda a fa-
jde partir para Pars, mister era mili, havia abandonado a provincia, parase
' ro abrir,Va pmairav^ntaK acabar os estabeltCer na capital famosa, onde Agatha
trosannojde caaada; Sorbier nao decida
m'! co algum sema consultar.
marcou dias para chas e receptes, o que
acatou da transformar a opiniao publica:
s!0^mentode Iz.do-o n3o M deu S.rbier o Lobo chamou-se desde ento Sor-
em-resuita lo os beneficios c >m que 'le con- 5er 0 rco
tava para ganhar os proceros, deu-lbe a
vanlagem de ganha'p o apoo de uma mulher, Entra-Va Agatha no sexto anno do seu ca-
cujos cooselnos, dictados menos por bondade sa(Deit0 e contava viole e nove annos,
le coracao do que por um tacto n.ais Boi e quando um aconlecioiento inexperado des-
do raaior alca ice para compreliender os ver- viou curso dos seus pensamentos : deu
da le ros iateresses sociaes, de modo que, luz uma me3ina' e nelia conoentrou desde
sem adquirir inimigos, podesse obter os e. loduS os seus cuidados, toda a sua
mearos ou matares reioltados, conc rre- amb:C3o Sembrados estaroos le toresdove-
ram pj lerosamente para attenuar ou occul- 'ho negociante do H ivre,em quem a viva ima-
tar uiilhor 03 ferozes instinctos qu elle 8maCo do Sr. du Portad fundava parte das
alentao claro demonstrava as usuras que suas esPeraigas. O Sr. Closeau du Taibi,
pralicava, e de^te molo fez que o bmqueiro!cora 9ae,B ^ ,rt)'er ^3lV,i entrado em rela-
o'ilivesse maiores relaces eoporasse nego-'^es commerciaes para compras de farinhas
ac finn mn.iniflA'llo flOS RstAnO^.TTnilnc (ni aubaIKkAa mro i\a.
biertratou de fazer, porm faza-o com Heloisa offusca-la c,m o seu brilho.
morosidade t5o calculada, que bem dava a
o mani d
t: de
tos em maior escalla. ;ds E^tados-Uudos, foi escolhiio para pa-
d. r,^ ii drinho, e deisou o Havre s para assistir
Pouco a pouco consmela convenir L re(1Q5o dad ,oSr_ ^J ^
lo d-qne uma bondade estudada e si5odo ba tgadiJ dl m^ Em ^ -ao
vez em quando certa generos.dade dc uina menjaa fl g ^
bem clculada, senam o modo de engaar falltC1(Ja em creanc3j .
oov .s freguezes, que podessem dar-lhe va-1 nascida 0 nome de '
liosas interesses, caso este que nao poderia
dar-se, se elle cominaasse como antigol A Sra" Sorb'ier^ fend)-s com urna rique-
sysieTia, que s servia para os assustar e za que s ella e mar'do .sabiam a quanto
fazer ftigir. Agatha, nao querendo desani im0llUva' ,nai de a^ ''ha nasc la mudo a
mar o miri lo com reformas muito decisivas, |piPsit0 W8 promeitia vir a ser formosa,
foi o predispondo lentamente, fazendo-lhe!I)e'lso.uentao em executar um projectoque
vor que era mister verter al?urnas golas deella s0 havia COCebitlo e desde muito loe
Meita oa machina para que ella podesse germi"ava namen,-e- Fallou, pois, ao ma-
f'unc^ionar, e veio a adquirir tal imperio so- jncloein se '"em ostabelecer para Paris, a
sobre o marido, qae cinco annos depois do fi!D dt llar a Sl)P,lia a elucafao que exiga
Tmha Sjpiia ento oi-
a posigao dos pas,
lo amaos.
seu casameoto fez que elle cedesse por acto
que pa eaa espontaneo, uma somma, cojo
pagan-ente arruinava uma familia de lavra- j Sorbier, tendo apreciado a notayeJ aptido
dor, se a seutenca fosse executada.
Perde md escudos, disse ella
ao
marido,-porm ganba um concelho.
da mulher para tuda, submettia-se opinio
della se a discutir bem objectar. Agatha
e sua casa dava sentemos to positivas,
E.ta restitu ) leve um resultado im- cora) seu Pai as dava seotado nacadeira de
menso. Ensma-nos o Evangclho que o pa-
raizo mostia mas aiegria por um peccador
que se arropenda, do que por dez justos que
Buraca se apariar.>m da senda da virtude. A
verdaledesia propdsicSo, coasa^rada pela
observaco pliilosophica, manifestou-se nes-
ta occasiao. Deram mais loavores a Sor-
bier (>or este acto d) munificencia, nico na
sua vida, d) que ha>'iam lestemunhadoa
outros por milhares de actos de dedicaco e
beneficencia. Seu n>me foi prunuaciado
por to las .as baccas, e assentaram que elle
havia si io victima de negras calumrdas. A
Sra, S irbier nao se contentou com este pri-
mftira riumpho: adquirir para seu marido
o reconhecimento dealguns centos de pes-
soas, te tou assegurar-lhc ?. estima e consi-
deraco de numero mais elvalo. E con-
seguio-o por grand i quanlidade de servaos
jui/.. Porm a idea de abandonar Pithi-
vie-s, berr;o da sua fjrtuoa, e a casa onde
tantas riquezas accumitlra pou. a pouco,
assustou o marido e deu-lhe animo para
cometer o projecto da mulher, se bem
que cam certa timidez. Agatha com pou-
c>s palavras venceu a resistencia do ma-
rido.
O Sr. Closeau du Taillilisse ella
vive em Paris; possue um milhao de seu e
nao tena filhos.
Izidoro comprehendeu o pensamento da
mulher e deu-se por convencido.
Mas Agatha oceultou ao m real que a levava a desojar tanto habitar em
pris. Nao llie disse que o seu mais ar-
dente d^sejo era mostrar a Heloisa que nn
era menos do que ella, e ver se o acaso pro-
picio Ihe permittia sdpca-la tambera de
de pouea monta, jjue prestava em nome de,lama cora um rico trem, cojos cavallos ru-
S oier, e por uraa habilid ule de viver, que
nunca desmenio em nenauma das suas ac-
foes.'
O >teve deste modo que as portas da c-
mara municipal de Pitiuviers se franqueas-
A TRAGEDIA DO AMOR
ORIGINAL BRASILEIRO
pon

Guimaraes Jnior
eos e coeiaeiro com libr cor de azeitona j
p jantasiava na i lea.
Sorbier gosava por este tempo de mais
de cem md francos de renda, e nao gastava
annualmenie cima de dez oa doze mil,
conhecer d"desejo que tioha de prolongar
quanto podesse asui estada em Pithiviers.
E nao seria possjvel persuadir a mudar
para all oSr. Closeau du Tailli, e fazer so-
lidarios os interesses por meio de uma so-
ciedade ?
Este projecto, emittido por Sorbier no
m de um jantar, em quanto Sophia anda-
va all brincando, assustou Agatha.
Se se bavia sugeitado a sacrificar mocilade
e gosos n'uma pequea cidade, longe de p-
renles e amigas ; se cuidadosa se havia con-
sagrado a accumular, mestno custa de
orivacoes, uma fortuna immensa, nao foi
com a idea de a gosar um da em theatro
mais vasto ? Efatal duvidaque favora-
vel acaso guiara Heloisa a Pithiviers ?
Po m objectou ella ao marido
querer meu primo trocar Paris por um er-
mo como este ?
A este respeito j eu o sondei res-
poadeu Sarbier, e elle nao se bota fora de
aceitar. Se isto se realisar, se-vier viver
eomnosco, temo-lo seguro. Quanto edu-
cic5o de nossa filua, mandaremos vir de
Paris uma mestra de piano, outra de ioglez,
ficar muito bem educada e gastamos muito
menos.
Veremos replicou Agatha, disposta
a combater e resistir, at a ultima, o tal
projecto.
Um acontecimento imprevisto auxiliou-a
poderosamente a vencer sem c >mbate.
Chegra a poca aa eleicSo da cambra de
Pithiviers ; Sorbier n5o foi reeleito. Aga-
iha indignou-se contra semelhante ingrati-
tidao, e nao Ihe foi Afficil convencer o
m irido de que elle esteva sendo victima de
uma intriga iufame-e odiosa, e istosabendo
ella muito bem o que dracausa nao re
eleicjio do marida. Ura par da obrigacoes
reformadas, meia duziade emprestimos,
com juros mais mdicos, doaa ou tres jan
tare; dados a tem)0, teriam evitado aquella
derrota.
Agatha bom o sabia, mas aconselhou o
contrario, afim -dizia ella ao maridode o
por fra da tutela de uns poucos de intri-
gantes, que o que queriam era tirar-lhe a
camisa do corpo.
Logo que *ie fez a eleigo e o marido
ficou de fra, nao cessou ella de formular
recriminacoes,
Nao. te reelegerem, dizia ella ao
mando a ti, o mais rico capitalista de
Pithivers: a ti, que tens de dia ede noute
trabalhado na boa administraco dos di-
nheiros pblicos; a ti, o cidado generoso
que deu treze.atos francas para reparos da
escola municipal e cem escudos para afor-
moseamento da igreja; a ti, emfim, que
hospedastes o prefeito de Loiret, quando
inspejcionou o districto, e o bi^po deOr-
{Continuar se-ha.)
''
UM POUCO de ruoo.
No terceiro trimestre de 1886 os nasci-
mentos foram em todo o Reino-Uoido, de
239,748,03 bitos era numero de 151,054,
e os casamentos de 54,512.
No mesmo espaco de tempo o cholera fez
19,935 victimas.
A coofrontacao das grandes cidades sob o
ponto de vista sanitario mostra que Londres
oceupa o nono lugar, sendo Birmingham a
cidade mais sadia e Liverpool a mais insalu-
bre.
O mercarlo exista as materias aoimaes e na
trra que as eotol'ia.
T0J03 os Indicios se renniam para Indicar Mar-
tin R'.in orno autor deste crimes.
'Maftio Rean negociava em cavalgaluras, e para
coralivo dos aoimaes doonles comprava freiuentes
vetes camposIgSs mercurlaes, em que entrara o
suLlmiado corrosivo
Foi Ihe encontrado em casa um livro de med
cia com as folbos por corlar, excepto nos logares
quo traiava dos venenos merenaaes.
O aecusado obleve de suas duas molheres lesla-
meoio?, que o inslituiam berdeiro.
Na pnsao tealou corroaipar duus mlseraveis para
declararen] que os culpados eram dous pareles de
Julia B ,nii'D;>si.
Foram inquiridas ISOlestemnnhas.
A discus.-ao durou seis dias, iocluindo um do-
mingo, come$ou no dia 6 de dezembro, e aeaboo
no da 11.
O jury deu por provados os tres en7ent-naaen-
tos, estando o primeiro proscripto, e admitlindo
cncumslancias atlennantes.
O reo fji condemnado a trabalbos pblicos por
toda a vida.
Ju;4i pnm irp que um macaco, mas
remani para trra eexam-nando-o melhor,
reoonbeca que uai bomam um calaver ao
qual todo o soccorro motil.
O pescador foi eaa seguida provenir a au-
tondade, proeeiendo-se em seguida ao au-
to competente.
Alui da su i pelle de macaco, o afeado
linha uns calpSes ue malba, e oa algibeira
am bilhete em que dizia assim :
D.-scendo do uma grande familia cujo no-
me tenho deshonrado com as miohas lou-
edras.
Te .ho vinte e oito annos e nada me res-
ta j do patrimonio que me deixaram jneus
pais.
Prefirt, o suicidio miseria.
A'.s que dizem, que pr ciso grande
valor para o suicidio, ooserro que o absin-
tno faz s vezes o effeito da coragera.
Eu estou bebado.
E' assim que devo morrer.
Chamavam-.ne o Caoulchouc.
Eoterrem-me com este n *me, e possa a
minha mone ser.ir de exemplo aos rapazes
que me eooheceram e mocidade extra-
viada I
Caoulchouc,
-------
O vapor Suvance sahio clandestinamente
do porto de Nova-York para o de Brazos de
Sautiago com uma carregac5o de 8,000 re-
volwers, 2,000 espingardas de novo mode-
lo, 5 toneladas de plvora, e 1 pecas de
arlilheria ligeira para o governo de Ju-
rez.
O navio foi a pique, causando uma perda
de 670,ol)0 duros, sunjondo-se alm disso
que tero perecido 15 pessoas de tripula-
cao.
O orcamento da receita da cidade de Pa-
ris para o prximo anno de 18(57 de.....
43..49:O8O0OOO.
o dobro da despeza do reino de Por-
tugal.
A rainba dos belgas nao tioha al ba pouco
corda.
O joalheiro de Sua Magestade acaba da fazer-lhe
uma, que uma verdadeira obra d'arte de grande
riqueza.
Compe-se de 42 parolas floa?, vinie d'eas
exirao dmanamenle grossas, de quarenta bri-
Ihante grande e perto de quinze mil pequeos.
Todas at peJras esto BagasUdas era ouro.
E^ta joia, cuja elegancia muito encarecida
pela imprensa estraogaira, nao pesa seuao 230
grammas.
Por occasia do anno novo o rei de Italia tez
presente de um magnifico cavallo ao baro Ricasoli,
presidente do conselho de ministros.
II
Ele contemplava-a sem pe-tanejar, como nma
estatua.
O que me qaer pois o senhor ? Por que pro-
nnncioa o meu nome com tanlesegredoecom uma
voz tao limida, meu Dens?
Por que te amo. Margarida, e por qne quero
morrer.
Ora vamo?. Eu Ja' deixei cahir a roinh
mascara; deixe cabir lambem a sua que tempo
Mare-.ridH I mrganda I exclaroaram os pia-
nistas impacientes; estaraos pregando no deserto
ba um annr.
Alguos dirigiam''se a' sacada. Ella debrugou o
eorpo com a ftlgancia de uma prioceta :
Chiion I murmaroa encestando ao labio o
dedo cor ae rosa: estou sondando a alma do am
criminoso I *
Nesse caso nao te demores e s compassiva,
Nicon I
fc|rade$o o ltalo.
Nao um titulo : .um nome.
Perdo; conlinuou ella dando a' pbrase o
jume intencional: am ltalo para a Moa dos
senhores I ^*
Volioa ao sea interlocutor, continuando com
ama voz sbitamente metamorpboseada:
V f A tninha miseria tal qae ate no gra-
cejo o insulto morde-mesobacapa de ama caricia I
E por esse malivo que a senb. insulta aquel-
tes qae nao Ibe latero mal f Triste consolaco/
E a quem insaltei eu ? Diga-me por pieda-
de I
A mm I
Ao sennor ?
A miro, mandando me arrancar ama masca-
ra cora que nao costamo envergonhar as mlnhas
faces: lancaodo-me ao rosto a Idea de bvpocrlsla e
de falsidade, odiosa a todo aqnelle qae pode olbar
iareno para a sociedado e esmagar qualquer ca-
lumnia com a ponta do p.
E tenia o senhor afBan{ar-rae alla que me
ama? 'Um humero que pode esmagar a calumnia
com a pouta do p e olhar sereno para a sociedade
entregarle aos bracos de uma mulhar sem briol
Forja-me a dize-lo aioda e eu digo : amo-a.
Ella sentio-se tremer at a ponta dos cabellos, e
suffocando nos labios lamidos a lojaria prestes a
rebeiitar:
On I eu quizera arrancar o sea coraco como
o de todos os hjmens para saber se encontrara
nelle sangue ou poeira, lagrimas ou cinzas I Que
louca eu sou I Os horneas causam me piedado,
por qae ellas nao conhecem a angustia e nem se
quer re.-pitam as feridas que^zeram com as suas
proprias garras.
No meu coraQo a senhora vera escriplo
todo o que a minha bocea tem pronunciado esta
ooiie. Crea oa oj crea; amo-a com todas as
torgas de miaba alma.
Ella curvara a cabega possuida de ama commo-
go iaexpnmivet e elle sealio o calor de uma la-
grima resvalar sobre as suas mos trias.
Margarida !
Cllete por quem ; nao me afunde mais no
abysmi em que eu calii, e luja, foja de mim I
i\o I (oando todos esses Importunos se retira-
ren), fique qae ea quero contr-lbe a historia da
Ogueira amaldicoada.
E, rlsonba, convidon o com am gesto a approxi-
mar-se ao salo:
Bravo, Margarida I exciamou a cohorte en-
tbusiasmada.
Ella curvou-se gr crasamente e voltando-se para
o raoc) qae accompannava-a como uma sombr. :
Ouvira' a miaba historia. Ea soa a figuelra salvos, creio eu.
que Cnnsto ameldlgoon.
E correoao ao piano execatoa magistralmente
ama pbantrsia de Ketlerer.
III "
Tem animo de flear inda T Olae : sao daas,
horas da madrugada.
Se permute.... fleo.
E ter coragem de oovlr me T
Ea deixei cahir no dospreso o qae Deas me
conceder bom e generoso. Qaiz ler cor&as, era-
bon. essas coris lossem di nuveas e'ds cham
mas. Troquei a grinalda de larangeira pelo diade-
ma do anjo rebalde. Olba bem para mim : se ose-
ulmr fosse pintor poderia nesta momento copiar o
retrato do anjo maldito.
Ella esta va em p, levemente pallida, com a boc-
ea entreaberta e os labios bura-decidos nao sei
por que volapluosidade desconhecida. Os grandes
olhos negros chamejavam entre as pestaas, e o
pescogo alvo e marmreo retrabira-se como se
sustentasse a corda d'uma rainba,oa o clice de
u i-a sen itiva.
Satisfaz a sua curiosidada de artista ? Pode
dizer a H Tinana que teve ao p de si Licifer na
h'gura de ama mulher....
Formosa, exciamou elle degollando a pbrase
comD o ennucho a fronte d'am condemnado. Nada
dira a Hermann ; elle vive no mondo dos espiri-
tos, e eugragas ao co 1 esloo no mundo das
realidades. Entre nos ba o iofiaito. E demaistao
rara a preseoca d'uma mulher como a senhora, que
qae ea poderia apregoar a miaba fortuna aos qua-
tro pontos cardeaes e ninguem dara crdito s mi-
abas palavras.
Se o senhor nao Tosse leal e bom, ea feria
medo da sua pessoa nesle momento.
Dir-me-ha porque.
Porque depois de meia noite nao se mente.
E' a bora em qae os mos espritos adej-m em re-
dor dos que dorm em.
Ah I dos que dormem. Nesse caso estamos
A cmara municipal de Liverpool decid.o lavan-
lar uma estatua equasfe da raiotia Victoria, em
frente da S. Jorge Hall, e prxima a' dj pnacipe
AlOerto, seu defuoto esposo.
A estaiua foi encarregnda ao esculptor Tnorn-
gerolft.
mi.iii Lilm
O celebre viajante C G. Sahoefer que.se proooz
fazer uma viagem a' volta do mundo, a p, esta'
actualmente em Londres, d'oa e tenciona ir ao
Mteteo, Amerca central e America do Sul at
o Chile e d'alli ao Japa e outfas partes do
Orianie.
Ja' percorreu a p am granda parte da Europa,
frica e Asia.
E' a hora dos morios.
scinlillagoas e fitou Jorge Mauricio por um momen-
io qae resuma um seeolo.
Tanha pena da mim I Mereco-o I Elle sorrio
amargamente.
Vive ainda sua mai ? perguntou ella mais
tremola.
Nao, respondsu J>rge curvando a fronte pal-
uda de emogao e de tristeza.
Pois a minha existe, e a esta hora esta' co*
berta de vergonha.
Veja como fundo o abysmo que ha entre nos
ambos I
Margarida, eu te amo I
Ella uni o lengo aos olhos a lodo o seu corpo
estremeca n'ura cnoro coavulsivo.
Elle ahstou-IIn uma das roaos hmidas e fras
b beijou-a e m silencio.
i O relogio marcou duas horas e meia da madru-
gada.
Adeas.
Oaae vai ?
Vou denar te.
Fique se rae quer ouvr. Eu ja' nao cboro.
E ma oavir3 tu' lambem ?
Ha sempra lempo de ser desgrgado, roeu
amigo. Espere alada.
Ella erguen-se rpida como ama ave que desfe
re o vj, e eslendendo-lbe a mo n'um sorriso
que mal qaebreva o divino coatarno dos labios gra-
Acaba de fallecer em Paris um rapaz no-
ta vel pelas s'uas rauias extravagancias e so-
bretodo pelo modo aimimvel porque dan-
s iva nos bailes da opera.
Era o herdeiro de chicard, cantado por
Nadanp chamavam-lhe finalmente Caoulchouc
e era conliecido de um cabo de Paris ao ou-
tro.
Eis como a Opinin Nationale refere a
maneira porque desappareceu da sceoa pa-
risiense esia celebndade quasi europea:
Donde vinba e quem era em verdade
este rapaz?
Ninguem o sabia; esse era o seu segredo
que elle guardou sempre.
O baile era o seu elemento, a opera o
reino.
Os estrangeiros nunca iam de Paris sem
o terem visto dmsar uma dessas quadrilhas
que faziam a sua reputarlo.
Nao era um born^m, era uma mola.
Caouichouc, (o borracha) era um excelente
nojue que Ihe haviam dado os seus admira-
dores, que por mais. de uma vez o levaram
da sala no meio do triumpbo mais enthu-
siaslico.
Ninguem o igualava na arte da dansa em
que elle era incomparavel.
As suas asas de pombo eram maravilhas
de giaca, de equilibrio e de audacia.
A facilidade dos seus movimeotos caosava
verdadeiro pasmo, a sua agilidade era um
milag e, o seu nome em um cartaz era a
endiente de uma noite de baile.
O bonito, o miraculuso Gaouicbouc deixou
de existir.
No sabbalo ultimo ainda figurava ello
em um baile da opera vestido de orango
tango.
Foi superior a si mesmo as mar vi Ibas
d'essa noite, e.n que elle quiz colher pela ul-
tima vei os mais entusisticos applausos
da multid5o.
Ao romper do dia vio-se adiantar um vul-
to na ponte do> Invlidos, ene >star-se por
um nstame ao parapeito, e em seguida pas-
sar-lhe uma perna por cima e precipitar-se
no rio.
Um pescador que vio cahir o vulto apro-
ximara o sor^barco do ponto em que elle se
afundara e procurou enconlra-lo sondando a
agua com a vara.
uepois de um longo trabalho, o pescador
conseguio trazer o vulto superficie da agua
e depl-o no barco, passando a examinar
aitentamente a presa que arrancara da
agua.
Um jornal de Milo coota o seguinia caso :
A criada de nm dos nossos amigos levou ao for-
no do vlsidu padeiro, como costume aqu fazer-
se, um per' i,irr.aesar.
Um esperi*lb3o esfomeado, o qual qoeria feste-
jar o da de Natal corriendo um per' a' casia de
outrem, tinha seguido de longe a criada.
Um qaarto de bora depois d'e loja do padeiro, ella ah entrn trazendo na mo
nielo klogramma da manteiga.
A criada que aqo veio trazer ha pouco o pa-
dellotto, disse elle ao padeiro, encarregou-me de
vos pedir qu* ah accrescenlasseis esta tnauterga.
aura de evitar que'o pera' se queime.
Muito bem, disse e padeiro lomando conla
da mant"jga.
Pala volta das tres horas voltarei, accrescen-
centn o palifei
Fica entendido, replicn opadeiro, que esla-
va bem longe de sospeltar o trama ardido e^proxi-
mo de ura desenlace.
O ladrao regressou de faito s tres horas, rece-
beu das raaos do padnira o padeliollo (cagarola)
com o pera', e foi regallar-se com elle rindo, co-
mo fcil de Imaginar, a' costa do padeiro e da
criada.
Esta chorou de raiva quando foi Informada da
pega que Ihe tinham pregado.
Gritou, protesiou e caj-eu a' casa para contar
este fatal acoott-ciraenft a seu amo.
Porm este qoe homem de espirito, sollou uma
esfrondosa gargalhada, aunando chistoso o ardil
inventado pelo espertalhao.
Durante a erise violenta de crdito qae ultima-
menta affligio a Inglaterra, conservou-se a Escocia
sampre n'um estado comparativamente socegado e
bonaogoso.
Esta differeoca attribulda pela imprensa eseo-
Cfza a' pruJencia mais que vulgar com que os
bancos procederam
Cnmprovando a Mtoacao dos 8 prncipaes baBCos
da E-cocia com a de 8 dos mais importantes Jotnt
stock bancos de Londres, acha-se o seguinte : o
passiro (Itabilities) dos bancos escocezes montn a
10. 64,179,189, e a sua reserva em calxa Ib.....
20,920,033; o; bancos de Londres tlnbam : passi-
vo 81,987.593 lio.; resarvaeo caixa libras.....
17,385,728
As noticias flnaoceiras de Inglaterra dizem que
ludo fz prever a reaegao da crise que flodou, e
que o dioeiro estara' em breve por iuflmo juro.
Por ora a iudusiria ndo procura capitaea.
Nao'ha crediu, ninguem se aventura a em-
prestar.
As reservas metlicas dos bancos de Inglaterra
esto elevadas como ouoca.
------------ ni iin-a-i ai **" _______
Chamase Olympo a uma celebre monlanna da
Grecia, situada entre a MaseffoDl e Thessalia, hoja
designada pelo nome de Murea.
Dizlam as antipas leudas qua um dos reis tita-
nidos havia construido u'ella uma cidadella fortifl-
cada, onde costumava residir.
Com o andar dos lempos velo a chamar se Olim-
po ao me-mo co, e em virtude de uns malvados
haverem tentado subir s muralhas para se apo-
derar da anliga fortaleza, fingi a fbula que e les
baviam procurado aqaelle caminho no proposito
de escalar o co.
cosos
Tenha paciencia. Abra um lbum e fiqae s
por dous mioulos. Nao o farei esperar I
Rpida como uma sombra fugio da sala.
Jorge Mauricio era uma natureza drairavel.
O mesmo poder creador que o enchera de tantos
-Usurperaos-lhesaproprledadcOsmorlosso ionros e cor6as, gravou-lhe na face o cunuo de
- Se ea lenbo coragem de ama-la ainda apezar e penetrante.
bons.
Nao se ria. A mone nma cousa triste.
Ella voliara mel perfil, e a soa imagem bateu
no espelbo como o pbaniasma de Margarida Gao-
lier, antes da soa ultima queda.
Jorge Mauricio coolmploa-a com a vista vida
de
- Perdo, replicou ella impacientando se mo
grado sea; n*o d peso s miabas palavras. Eu
deswuo todo em qoe toco I
Tomou entre os dedos nervosos um ramo de flj.
res admira vel, e e'ncbeu o tapete de cofollas des
pedacadas.
A senhora nao destn e, divinisa : Deas po
as suas mos um poder fatal.
Toda aquella mulher expelha de si am aroma
inebriante como as pallidas rosas do Orieote, qae a
sultn* dita cahir da fronte ionuodada de beijos
e de amor.
Fet-se sileoelo entre ambos. Na lastrosa calxa
lo piano vmba morrer nm timido raio de loa e a
"riza precursora da madrugada troaxe ara Ion-
o bafejo perfaraaio pelas emanagaes noelarna?.
Margarida deixou cahir unwmar'cheio de vagas
ama saudade eterna e d'uma angustia insupe-
ravel.
Desde a morte de sea pai Jorge dobrara-se
adante da realidade sombra, mas as suas lagri-
mas eram recebidas n'um regago de ma I, nesse novo
borisonte qae Dens formn para a trra, mais or contrlcgo no rosta'Nao
santo do que o outro, porqjie nao conhece orna
tempestada, nma ouvem, um nevoeiro desolador.
Quando ede vio na cmara funeraria aquelle
corpo birlo e sem articulares, aquella cabega l-
vida e fra, aquella bocea silenciota onde a agona
nao arrancara mais do qoe um sorriso, qoando
elle approimou-se e trmulo e osclllante ao cada-
ver de sua mi, o desespero concentrou-lhs as la-
seu quarto e levaotou al a fronte o canno da uma
pistola.
Traba vinte anuos; era cedo para morrer.
Jjrge I Ouvio o seu noma proferido entre
dous solugos, e voliaado-se vio de joalhos uma ir-
ma de trese annos.
ElU estendia-lha os bragos, com os labios geia-
des como os de uma mora, o seio arquean-
te e os olhos sem lagrimas filos na arma destru
dora.
Elle cuidau sentir a trra faltar-lhe ao mov-
manto, pensou cahir ferdopor uma dr daseooha-
cida, vio nos olhos daquella menina moribunda
ergUT-sg como uma sombra a alma de sua mal, e
reuoindo as torgas que o abaodonavam, daixou ca-
hir a pistola aos pee langoa-se chorando nos bra-
gas de soa irraaa. Estava salvo.
A desgraga, porm, cootiouou a destruir. O
resto de sua familia, duas irraaas e entre essas
aqielle anjo da salvagao, que o prendera a' belra
do tmulo, cahlram a desapparecer-m oa voragem
da morte..
Jorge Mauricio encontrn ante si a solidao infi.
nits, e pedindo a' alma de sua mi a fe a reli-
gio, releve no peito o seoliraento desolado e atra-
vessou s m mascaras e sem risos os bumbraes da
soeiadade.
Soffren enlao dores lancinantes e crois. Quiz
amare notaram-lhe rindo qae elle eslava n'um bai-
le de carnaval sem mascara ; quiz amar ainda e
perguntaram Ihe com todo o despreso se era
poeta elegiaco.
A poucas almas qua o eniendiam, Jorge repela
tristemente a sua protlssao de f. No horsonts de
sua vida ergueu-se fiaalmenle o vulto de Margari-
da e ille sentio que la ama-la.
Alguos amigos adevinharara o novo seatimenlo
e saodram no entre gargalbadas :
Queres regenerar a homaoidade, Jorge T
E - Uma coneza, eu sel, repetio elle sem a me-
hei do ser condem-
nado seno... pelos condemnados ; deapreso-os.
Amando aquella mulher salvo a sua alma da des-
crenca e a minha do suicidio. O isolameoio
mata.
-- Est romntico I
Podera I Levou toda a noite a lr Masset.
Jorge Mauricio sorrio coaa ama suave loliffe-
renca.
grimas geladas no coraglo ; baijou a mo qae Masset nao ensina a amar, meas amigos,
taoias veies o abaogoira, e louco de dr,correa ao I Seria descrer do co. Amar respirar, a cnaa-
ga sabiodo aioda palpitante das entranhas mater-
nas resoira antes do pnmelro vagido. O amor
como a respirarlo ; sente-se a ausencia d'e'le ce-
rno se sentina a falta do ar, e nesse caso serla a
morte. Eu quero amar, porque quero viver.
Essa mulhar sera" capaz de comprehen-
der-le t
E'.
Urna malher sem alma.
Eoganas-te; uma mnlher sem corpo ; as
moadas nao pagam uma hora de alma, pagara uma
hora de materia.
N'essecaso a alma de Margarida esta' para ?
iNo, esta' doente. Quem vai cura-la o
amor.
Bonito paradoxo I Segues a corrente da so-.
ciedade, mau amigo ; estas sceptico.
Perdote porque queres disentir. Mas com
a alma nao se discute. Ha duas estradas para o
crime uma, cneia da lagrimas e de espinhos; ou-
tra, cheia de mascaras e miserias. Na ta o espirito
enerva-se, coutrabe se, paralysa-se at o fim ; esse
fim a morte. Naquella a alma padace, dilacera-
se, saenfica-se al o fim, e esse fim Deus.
E a sociedade ?
On Eis abi a grande palavra finalmente t
A sociedade I
Poucas syllabas que pesam omaconsclenciat
Calla le, calla-te em nome do* teas vate e
cinco anoos I Ue que seciedade me fallas lu', enor-
me moralista 7
Creio que ba s uma, caro mo I Jtefiro-me a
essa.
Ha daas, cem, mil, tres mil sociedades na
Ierra, como ha enumeras opinies e luoitos con-
celtos da mesma ordem. Cada qual assume o ar
grave e medonno d'ura tribunal absoluto. Todos
sao grandes, todos ordenam, ea todos nos nevemos
curvar, porque cima de nossas canecas paira o
amostro da opiolo publica, abutre social qae $o
pode existir e viogar no meio do sangue e das
fluidas.
Jorge Mauricio I a nm esiylista mona-
mental.
Ea despreso essas sociedades oa melhor:
abomino a essas viboras legaes, que rastejaa o
mordem aeobertadas com a bella eplgrapbe so-
cial. Ha alguem qne me aponta o caminho a se.
gor na vida. Nem a traigao, nem a intriga oa a
calumnia me faro parar em meio da viagem.
(Continuar-te-ha.)
TYP.DO DIARIO-RA DAS CRZESlTS
1
V


\
U


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ENJF57IEU_QYJAW7 INGEST_TIME 2013-09-05T02:43:30Z PACKAGE AA00011611_11192
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES