Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11184


This item is only available as the following downloads:


Full Text
'





I
I

ANNOXLIII. NUMERO 27.
PARA A CAPITAL LltiABES ONDE SE NAO PAA l'OHTK.
Por tres aeies adiaotados...... ftAnn
ZZSiS:..... .... : : : : ES

222BM-23 30t IPMMIffiBf SEXTA FIRA 1 DE FEVEREIRO DE 1867.

V 'AA DKMBO E POMA A PllOVIX 1 A.
6750
13,5500
205250
27SOGO
lEtfCARREGADOg DA SUBSCR1PCAO.
..-mo Alexodrino de Lim
tal o Sr. Antonia Margues da Silva ;Aracaiy,
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrno deLim
ital o Sr. Antonia Marques da Silva ;Aracaiy,
Br. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. Joaqom
Jos de Jliveira ; Para, os Srs. Gerardo Antonio
Alves 4 robos ; Amazonas, Sr. Jeronymo da
Costa; Alagoas,o Sr. Franrino Tarares da Costa;
Babia, o Sr. Jos M^rlins Alvesj Rio de Janeiro
Sr. Jos Sibeiro Gasparinho.
PARTID. 0< S (TAPETAS.
Olinda, Cabo, Bscada e estaques da j frrea at
Agua Preta, lodos os das.
Igoarass e Goyaana as segundas e sextos feras.
Santo Anio, Gravati, Bezerros, Bonito, Caruar,
AltiBho, Garantios, Buique, S. Bento, Bom Con-
selho, Aguas Bellas e Tacaral, oas tergas-feiras.
Pao d'Alho, Nazaretb, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
logazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa-Vis-
Serinbiiem, Ri Pormoso, Tamaodar, of.1
reros, Agua Preta e Plmeoteiras, as qul
tetras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CA
Tnbanal do commereio: segundas e qu
Relagao : tercas e sbados as iO horas,
fazenda : quintas s 0 horas.
Julio do commereio ; segundas as II bor
IPr
la, Ourieury.Salgueiro e Ex.oas quartas feiras I Dito de orphos : tercas e sextas s 10 bar;
PARTE OFFICIAL
GOVERXO DA VRUVI.YC1A
Expediente do da 14 de dezembro de 1866.
N. 563.Offlcio ao Exm. presidente da provin-
cia da Parahyba. Solicito de V. Exc. providen-
cias, afltn da que seja enviado para esta provincia
um cavallo perteocente a extincta companbia de
eavallaria, e que o tenenle-coronei Jos Lucas Soa-
res Raposo da Cmara, maodou delxar por cauca-
do na fazeoda Garrapateira.de D. Bogenia Hodri
gues de Frenas, sita no Carirjr-Velb do termo de
S. Joao dessa provincia, nome.dawlar* e comman-
dante das armas no offlcio por copla Incluso.
N. 564.Dito ao Exm. prestanle deS. Paulo.
Solicito de V. Exc. prov-deoeias, aflm de ser en-
viado para esta provincia a guia do sentenciado
rosa, Antonio Romero, que existe sem ella no pre-
sidio de Fernando, como coosla da petico qoe aqui
a junto com copia do offlcio do commandante do
mesmo presidio, datado de 8 de novembro ultimo.
N. 563.Dito ao general commandante das ar-
mas.Sirva-se V. Exc. de mandar por em liber-
dade, urna vez que sao iocapazes para o servigo da
guerra, segundo os seus offlcios de bontem data-
dos sob os. 1372 e 1373, os guardas naciooaes do
segundo batalbo Cosme Hanoel do Nasclmento,
Joo de Freitas R ildflo e Joaquim Jos do Nasci-
mento, do quinto Emiliano Baptista da Silva e Leo-
bino Francisco de Sales, e do sexto Antonio Zicha-
rias do Carmo, todos desle monlcipio.
N. 566.Dito ao mesmo.Queira V. Exc. man-
dar por a disposigo do Dr. cbefe de polica, o
crioulo Sebastio que, segundo o offlcio do com-
mandante do depollo a que alinde o de V. Exc.
datado de 18 do correte, assentou praga volunta-
riamente na extincti companhia de cavallaria.com
o nome de Pedro Ferrelra de Araojo, e se acha no
mesmo deposito, afina de poder aquella magistrado
verificar a ideotidade de pessOa do mencionado
criouto, que reclmalo como escravo por Anto-
nio de Mello Calheiros.
N. 567.Dito ao mesmo.Srvase V. Exc. de
expedir as suas ordens, para serem inspeccionados
pela junta de saude, as cabos de esqoadra do corpo
de polica, Manoel Marqn*s dos Santos Jos Joa-
quim de Seuza Poates, que solicitan) aposentadori?,
allegando molestias, enviandome V. Exc. o resal-
, tado da inspeceo,aflm de resolver definitivamente
sobre as pretencoes destas pragas.
N. 56'.Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de
mandar inspeccionar o guarda do 1* batalhao de
artllharla do municipio jo Recife, Gregorio Fran-
cisco das Chagas, que esta' designado para o ser-
vigo da guerra, enviandome o termo de iospee-
cao.
N. 569.Dito ao mesmo.-Resp-mdeodo ao offl
ci de V. Exc. n. 1359 de 11 do corrente, tenbo
a declarar-lhe que os Individuos de nomes Viclali-
oo Lopes de Moraes, Manoel Joaquim Jos de San-
ta Anna, Gustavo Jos Fernandes, Joaquim Bap
tista de Oliveira e Manoel Vielra Frago, recru-
tas apurados no termo de Iguarass. *
N. 570.Dito ao mesmo -Sirva-se V. Exc. de
mandar por em l.berdade o guarda nacional do 2o
batalho oeste municipio, Joio Liberato Lopes, vis-
to ser Albo nico de mulher viuva, a quem serve
de arrimo.
N. 571.Dito ao Dr. chefe de polica.Recora-
mendu |V. S. ao administrador da casa de deten
gao, que remella ao gen ral commandanie das ar-
mas, conforme solicita este em ofDeio de 12 do cor-
rente sbb n. 1370, a guia de soccorrmento do sen-
tenciado da armada, Genuino Da* Favas, transfe-
rido olMnamenie d'aqaelle esfobelecimeni), pira a
fortaleza do Brum, aflm de que era vista da referi-
da guia se possa conhecer dos veneiraenlos e ves-
tuario, a que lera direilo o predito sentenciado.
N. 572.Diio ao inspector da ibesoararia pro-
vincial.Mande V. S. pag:ir, em visla do eompe-
t nte certificado, a importancia da primeira pres-
agao a que tem .direito c contratante do sexto
lauco da estrada, do Limoeiro, por haver ejecutado
a quarta parte das obras do seu contrato, segundo
consta de offlcio do chefe da repartieio das obras
publicas, datado de hoja s->h n. 495, deveodo esse
pagamento ser effectua;, uaetade em dioheiro e
metade ern apoIices,.de cooformidade com o mes-
mo contrato.
N, 573.Dito ao commandante do presidio de
Fernando.-Remeta V. S. para esta capital a dis
postgao dojulz municipal da primelra vara, os
reos Manoel Aniceto Bezerra e Manoel Francisco de
dos Santos, que flnalisaram as suas sentengas, se-
cundo declaron o mesmo iuiz em offlcio desta
dala.
N. 574.Dito ao commandante superior do Re-
cifr.Mandando dispensar do servigo
. da guerra,
??5 er!m*il10 C)I>sidoradjs incapaz?* em inspec- Fernando.- De ordem de S. Exc. oYr.consiheira
pilcante de nome Manoel Antonio Rodrigues Fer-
nandes, que tem isngo legal.
N. 582.Dito ao procurador fiscal da thesoora-
ria provincial.Com as informac5es jontas por
copias ministradas pelos cnsules de Franca era
23, de Portugal em 29 de novembro ultimo, da
Suissa em 5 do corrente, e pelo vice cnsul de
Hespanha em 23 do citado mez de novembro, res-
pondo ao offlcio que Vmc. me dirigi em 11 da-
quelle mez, acerca das harangas e legados arreca-
dados dos subditos de taes naeSes sem ioterveoco
dsjustigas territoriaes.
N. 583.Dito ao engeoheiro fiscal ta estrada de
ferro.Declaro a Vmc. em resposta ao seo offlcio
de 14 do corrente, sob n. 263, qoe nesta data pro-
videncio no sentido de regressarem para a estagao
das Cinco Pontas as 2 pragas do corpo de polica,
de que trata o seu offlcio.
K. 534.Dito ao mesmo.Respondendo ao sen
offlcio desta data, sob o. 266, tenbo a dizer-lhe, que
nio estando comprehendldo na pnmeira das con-
digo de 1832, o trabalbador da estrada de ferro Manoel
Jos de Paula que fra reclamado, nao pode ser
posto em liberdade, por isso que nao tem elle an-
da 3 mezes de effectivo servigo, como se v da lista
remellida a esta secretaria e do sea citado offlcio.
i>. 583.Dito aos agentes da companbia Brasi-
lera da paquetes.P,*lem Vmcs. fazer seguir pa-
ra os portos do norte o vapor Tocanlitu amanha a
hora indicada em seu offlcio de boj.
Portarla. O presidente da provin6ia, attenden-
do ao que requereu Claudino Rodrigaas de Olivei-
ra, resolve cooceder-lhe permisso, nao bavendo
da parte do coramaodanle do presidio de Fernan-
do inconveniente para transportar daquele presi
dio para MU capital no vapor Parahyba da com-
pauhia Pernambucma, o milho e fejo que all re-
ceber era pagameoto de suas roercadorias.
N. 589.Dita.O presidente da provincia, attan-
denlo aoque reqoereu Claudino Rodrigues de Oli-
veira, cesolve conceder-lbe licenga para embarcar
com destino ao presidio de Fernando no vaoor Pa-
rahyba, da companbia Peroambucana, os gneros
constantes da relagao muta asignada pelo secre-
tarlo do governo, nao podendo porm effectuar o
desembarque de taes gneros, sem que por parte
do commaodante do mesmo presidio se proceda a
exame, am de verificar sa ba aguardante ou ou-
tra qualquer bebida espirituosa.
N. 590.Dita.O presidente da provincia, ten-
do em vista o que requeren o 2* escrlpturario de
fazeoda Miguel da Puriflcago Gomes, e bem assim
o que a esse respeito informon o respectivo inspec-
tor em offlcio de hoja, sob n. 819, resolve conce-
der ao mencionado escriptorano 3 mezas de licen-
ga na forma da lei, para tratar de sua sa le, onde
Ihe convier.
N. 591Dita.Os Srs. agentes da companhia
Brasileira de paquetes, mandem dar urna passa-
gem de estado a r al o Para no vapor Tocantms,
a Candido Valeriano da Silva Freir.
N. 592 Dita.O Sr. gerente da companhia
Pernambucaoa de oavegago costeira, fac trans-
portar no Vipor Parahyba, por conta do ministe-
rio da guerra, o guarda Vicente Silvestre Ferreira
da Silva, que val destacar no presi ii > de Fernando.
xpedieole do secretario do governo do dia Ude
deiembro de 1866.
N. 593.Offlcio ao general commandante das
armas.O Exm. Sr. conselheiro presidente da pro-
vincia, providenciando para que seja enviado a V.
Exc. a guia de socorrlmento do sentenciado da ar-
mad, Genuino Das Favas, que ltimamente fra
iransferito da casa de detengao para a fortaleza
do Brum ; assim o manda declarar a V. Exc. em
resposta ao sea offlcio de 12 do crreme, sob n.
130, a que acorapaohou o requeriraento que devol-
vo, do mesmo sentenciad).
N. 398.Dito ao mesmo.De ordem do Exm.
Sr. conselheiro presidente da provincia, commuoi-
co a V. Exc. que offlcioa-se ao gerente da compa-
nhia Pernambucana para dar transporte ao guar-
da Vicente Silvestre Ferreira da Silva, que vai des-
tacar no presidio de Fernando, segundo V. Exc.
declarou em seu offlcio de 13 do correte.
N. 597Dito ao mesmo.De ordem de S. Exc.
0 v onselnelru presidente da provincia, declaro
a V. Etc., era rseosla ao seu offlci > do i i do cor-
rete, sob n. 1367, que nesta data se remeiteu ao
director do arsenal de goerra para satlsfazer o pe-
dido que veio annexo ao seu citado offlcio.
N. 598.Dito ao chefe da repartigao das obras
publicas.O Exm. Sr. conselheiro presidente da
provincia, respodendo ao offlcio de V. S., datado
hoje e sob n 49o, manda declarar que a the-
souraria provincial tem ordem para pagar, em vis-
ta do competente certificado, a importancia da pn-
meira pre. tagao, a que tem direito o contratante
do 6" laogo da estrada do Limoeiro.
N.^99.Dito ao commandanie do presidio de
dous palmos de altura reproduziose o faato
triste quiga igoomioioso de bavarem nesta cid
a mais opoleota do mundo, morrido de fome a
vanas pessoas desamparadas.
Urna tiestas potres victimas da philantropia
ingieza apres,ealara-se a pedir soccorro n'uma das
casas de baueficeocia que Wm aqui a obngagao
da recolher os desvalidos qoe a ellas recorre.
Era vez de bospeda-lo e fawece-lo como
seu dever, os esmoleres mandaran) oo em
com um pedaciaho da pao secco por lodo o
corro.
Nio tardou o desaventorado em deixar
sempre era paz a seus pedemidos protectora*,
pois antes de devorar a- pequea pitanga qu.i,
ihe laucaran] como a um cao eahio exnime ex- i
i a corapajxo tarda dos que pass^vam qaa.j
nao acbarm mais que um ca-.
WP" *;fMW* 819 MiDlPMlklllks,
DIA**A SEMANA
gas 6 sextas ao meio
qnarws esabbadae
l DE FEVEREIRO.
m. da U
48 m.4a I.
m da 1
28. Segon*. S. Gongalo da Amaranto dominicano
29 Terga. S. F-apci>co de Sal es b.; S^SartelloiJ
. Qoarta. S. Adelelmo ab.; S. MarJlnha v. m.
31. Quinta. S. Pedro Nolasco; S. Cyro m.
1. Sexta. S. Peonio presb. ; S. frem diac. m.
2. Sabbado. cgi A Pnrlflcagao de Mara Sant.
3. Doppmgo. S. Braz b., advogado da garganta
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 2 boras e 6 m. da urda!
Segunda as 2 horas e 30 minutos da manhaa.
PARTIDA DCS VAPORES COsTEIROS.

'ara o sul at Alagoas a 14 e 30; par .norte
i Granja a 7 e *2 s cjfia mez; para Pernan-
dias 14 dos mezes Janeiro, marco, maioj
Julbo.T|etembro e novembro.
gregos, corflotas, a garlbal
para,
ao levanta-lo
daver.

O palacio de christai, tasfrlebre por sui atrae-1;
iva belleza dos nnia.-M; li'rla Aa ln.tn .. iJirLa a.^l^^H
nSofl tense 4iO voluntarios
anos
Este estado de cousas fez eahir em desgraca Mos-
rfapha-Bach que se diz ser sabstituido por Omer-
tas o Bacha.
de A jBta de Ancosa, se acreditarmos i Patrie,
te da | mandou a Canda mais de 170) roluotarlos.
#ii h i *L. tDeJsmo oroal ,8r m,tivo P>" r hr
am fallar do o emtaixador torco coamuoicado
;ao das regras ms- Maosteer o cootedo da urna
dirigida a Alhenas pe'o govern) otomano.
ce qne nesta i He quexa com muita ve-
varaente, o oaverno ita-
, w wi. oo uucil. V1U UJUIld re-
^'AS i"*: ^LVLP"J><**** 0 governo do re
geral bem^nforraado acerca dos negocios d'Aus-
tna pode dar-sk crdito s suas assergdes no que
toca >real doenl que val gradualmente progr-
dindoparaaconvaiescencia. Os'terrlveis ataques
d* irascibilidade soVmeoos violentos e occorrem
com maiores interva-fes do qne soccedia algums
semanas antes.
O clima benigno de Mr
o marqaez de eos de sua magestade a proppr
inte da Lawoma, onde devia ir
clima de sua acta* residencia
favoravel angosta enferma.
Nao er anda boje o Memorial I
lodozira os med-
muda-la para a ilha
o invern se o
tornas-e menos
esar

r orna ldemoisa- j da Grecia em p^mH^ e recr em m"eas JW? a'Dd? l,e LMtr,aJ ^ ,eD?a 'i.'*"
dimita e sea posto dominios voluntarios oar Candil Z TJn*l do,. Par,s, w!0 ?e at>dlcaca torca, e qoe a esaua-conceatraco de o n> i5liJl rac1oa, J. millano. Isto talvez devidosls oilbas noticias
ibio 'aacioVal .ultano. l^^^^Sl&U^^JT^^ fh?a?" de Vera-Cru'' d,M,M,0 command.n-
as fellicmgSes da sa- Utlenlco. "*"^w conseqoencias o governo ie de fragata anstnaca, o Dndolo, qoe volton de
do novo anoo, dlsse o Assim que se soobe por tbeiegramma a derrota mltS?' d?e,*rtr* b?ver *? "Jdeflnidamenta adiada
l) )>ouroa pre :.osos jua all se incerram, ^ aoe m assisl, e me p0D,0 8 ^ ^^ffeWe froDO CJra _apo, dc parUdo clerlca1' <'ae se *
Sitan a epiniao doAiir Nacional,
Mi era parta' tonto ZiSM^nM&l riT^VZ^V^Z
mente con^mhi D'1J- """^ k BVa mente, consumido mais que o nobre departamento sar, m ft)osolacSo as oal-
tropical com seus compartim.Qtos dd gra0de. VkfSTrVri^t
Ninguem sabe a causa de to lamentavel confljj B9BW eilei 1,ara"
gragay, e provavelmante nunca chegar-se-h*l
descobri-la, bem qm a opinlo predominante a im- ioao,
puta ao hiver-sa auuecido demasiado os tubos que bi$
da vara calor as plantas tropicaes.
Ihe garantir vinta cinco mllbdes de duros para
nm tanto picante. Diz assim "....."' POr **]?* "Heiu^yFrma a.segnra qoe por neobum
O rnramanrtni. 1, t 7 motivo retractara o governo francez as ordens da-
ias"Tn,dl! 22 *S2*2PJl',& das P"a a completa evacugao do Mxico no b de
Acaba de i
tica da gli
ar-
eso
a oa bolia. Pre
gao de saude os guardas naciooaes do segundo ba-
talhao.Cosme Manoel do Nascimento.Joo de Freitas
RoldSo e Joaqom Jos do flascimenio, do quinto
Emiliano Baptista da Silva e Leobino Francisco de
Sales, e do sexto Antonio Zcarias do Carmo, is-
sim o communico a W 5. para que os faga substi-
tuir por ootros.
N. 575.Dito ao mesmo.Tando de cooformi-
dade com a soa informago de 12 do corrente sob
n 415, mandado dispensar do servigo da goerra,
para que fra designado o guarda do segundo ba-
talbo desta municipio Joo Liberato Lopes, visto
sero arrimo d8 soa mi viuva, assim o declaro a
V. y,*-attm de qua providencie no sentido de ser
substituido por ootro.
N. 576.Dito ao mesmo. Recommendo a V.
, que me remetta em cootinoago da que veio an-
ne" ao su offlcio de 30 de novembro ultimo sob
?' Ftr Dma re'a5ao ""mloal dos guardas, que pe-
los dillareotes corpos sob sen commando superior,
foroecidas para o servigo da goerra, a
presidente da provincia, solicito de V. S. providen
cas, aflm de ser enviado com a brevidale posslvel
um caixote de area preta, para o servieo desta re-
partigao.
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PER-
NAMBUCO.
Londres, 8 de jmeir* de 186'.
As noticias do Brasil trasidas pelo Douro nio
oflerecera inieresse de que os alarmistas possara
tirar partido para Jazer seu jogo de alta e baixa.
A pretendida intervengo ingieza e franceza na
guerra do Paraguay, de qoe os jornaes destas
duas nagoes fallaram tanto, por nao ter cousa rae-
Ihor que dizer, reconbece-se agora ler sido
motar rlanm.ii> taVJH'Z*',------T" ."" "--." huo '-'i i otuuiiete-so agora ler sino inven-
tos correspondentes no mez de outubro desle anno, \ 0,0 de 1860, 63-65 ; dito 1863 61 -63 os

dos guardas naciooaes destacados as povoaedes da
Palmeiras e Correles, aflm de que seja o mencio-
nado pret descrimioado, tirando-se om para cada
destacamento, conforme indica a contadoria da
tbesouraria provincial no parecer junto por copia,
qoe se refere o offlcio do inspector datado de 12
do correte e sob n. 640.
< N. 578.-Dito ao commandante do corpo provi-
sorio de polica.Ordene Vmc. aos ckbos de es-
quadra do corpo sob seu commando, Manoel Mar-
ques dos Santos e Jos Joajpim de Souza Paes,
que se apresentem no quartel general do comman-
do das armas, aflm de serem inspeccionados pela
juoia de saude, como se faz necessario para resol-
ver defloitivamente-iobre a aposenladona, qne so-
licitan). *\
N- 579.Dito ao mesmo. D Vmc. baixa ao
soldado do corpo sob seo commando, Lourenco Go-
mes de Lima, visto qu fioalisou o seu eagajamea-
Ud\ w^XmSn"1! 2o "rv,c. eModo cous- 4UO luo lu.lf,,imm U4rac,er particular, o qoe co-
tolifZiSaLn^T?' S d"3 Pra5 Uo)'frlo6xeessivo que congela o habito, qnando
srff^nntnf^J^ym al" e? >aSl0 inlorpece2! senl,dos' ,orna "PPO lavis as
coa oXSo fl if em W2 mY0mma0^calamidadesaffl'c!ivas qQ9 ai>0( contemplamos em
N 581g-!1, ao camZ dS,83,a?da,ai- lorno de n6?' e que n8 podem onar-se
aliwraei'- bii n^J vi ^'"Em vista das partir de ddr o coragao.
rt^fmliTZ&lSLV"*0 Mac)el Gedes' > Se fabulosa a riqueza o'esle palz, a pobreza ,
armada, para qoe aatava, designado o filbo do sup-1 Ne'stes nUimos dias em qae a nev cabio at
V
1(2
1865, 71 3(4 ; dito pequeo 71 3|4 72.'
Os consolidados ingiezes 3 0|0 Acara a 90 314 a
90 7|8.
O valor das acodes da liabas frreas nsste mer-
cado quasi sempra o mesmo. As da Babia e sao
Francisco Acara a S 12-13; as do Recife a S.
Francisco a S? 10-11 ; as da S.Panlo J 13-14;
as obrlgacdes de Recife e S. Francisc i a S 92-
94.
Logo chegada da mala Lisboa se telegraphou
pata aqu a noticia da prxima abertura do Ama-
zonas e seos princlpaes tributarios, e a publicagao
do decreto a esse respeito, logo aceolhido as fo-
Ihas Ingieza., prodazio o melbor effeito no mundo
mercantil, que nao tardou a perceber a grande
prospectiva de prospendade para o eommercio
eos geral e deste pala em particular.
Se o anno que acaba deixa aps sl tristes me-
morias pela multido de acontecimentos funestos
qne Ihe imprimara carcter particular, o
Foi em domingo, quando quasi todos os empe-
gados do palacio se ochavara fora dalle, que pelas
duas horas, so notou sahir fogos das visiohaocasll
a Sk '.8itara- *ar'4
a laoareJa esteodan-se logo com pasnnsa rapl- c
oez aps compartimentos inmediatos, anchando de l >sas
rumo o departamento tropical que eslava separado |
do resto do edificio por um immenso biombo dal
nln, ,. xedo gueyraf a-
ueu-sa immediatamenta parte pelo telegrapho J
companhia de bombeiros de Londres, que parti
sem demora urna grande forga a apag dio o que em breves horas conseguio, devido as
pr. cap to Sbord.
Fol urna grande feiicidade soprar o vento do
sudueste, impedindo que as chammas que come-
garam no norte se commuoicassem ao corpo do
eJiucio, limitaodo-se assim comparativamente
peauena rea onde o incendio teve principio.
rorem, o qoe mais prov.velraaote contribua a
salvar o palacio de mieira ruina foi o eu)rm
biombo que, como disse, separava o sitio da con-
nagragao do resto da grande nave.
Luicaranga-se contra esta biombo copiosos Jar-
ros d agoa que impediram de arder, cortando-se
com isto a corrente do ar que de ootro modo so
praria as chammas fazendo-as espalhar por todo
edificio.
Assim mesmo, a parle nordeste flcou qoaze in-
teiramente destruida, apresentanlo agora em
massa da ruinas o que ponco antes era nobre cen-
tro de objeeios d'arte e amostras di raras plantas
e lindos pasearos de todos os climas. fcT indes-
criptivel a conrusao e destroco qos apreseuUva
aquella bello deposito das nuravilbas do mundo,
veem-se ahi amontuadas e confodidas era desor-
dena banos relevos obliterados, estatuas quebra-
das, cornijas destruidas, friz.s desfiguradas, o
sarcfagos despedagados, tuda grotesearneote mis-
turado com loureiras de canf.ra do Japo, pal-
raoiras de vioho e cera da Columbia, arvores da
india e do Brasil, cedros das indias ocoideataes e
centenas de plantas tropicaes chammuscilas e
denegridas, com as folhas tao seccas que ao n*-
ca-ias cahiara em siseo. Os papaguaios exkitroz,
araras e varios passaros d'Aslralia, da explendida
plumagem, assim como quasi tolos os aniaues
pereceram, incluiode os macacos, chimpans. ca-
narios, abelhas, peixes o hippofoilamos e o bonito
urso do Japo.
O estrago causado as porgues mais atralivas
do palacio, taes como a Alhambra a os omparti-
meotos de Assyria Byzanci completo Todos
tres ttcaram desmantelados e ora deploravel es-
tado Dj Alhambra pouno mais qua as paredes
uminadas escapou de ser destruido que ainda
assim eslava det gridas pelo fago, e de toda sorte-
areladas. Os pilares dourados do pateo dos leda*
permanecen) todos em p, mas as frizas e arabis
eos tao primorosamente desenliados, esto despe-
dagados em varias partes. A fonla e marmofl
sustenlada por liSas nao foi damnificada, porera
o pateo e seu recreativo jirdim acham-se comple-
tamente destruidos.
Todas as dcmals partes deste rormoso modelo
da somptuosa morada dos Abeocerragens soffre-
rara damou consileravel. O compartimento da
India contiguo ao de Albsmbra de3aparecu total-
mente, acontecendo penco menos aos da Assyria
e Bizaneio.
a|4o parto de nos,
O temor outro padra da
'Vitan rtermm habetis 09-
^U |as ajumemos facas novo*.
ii a narrativa anten-
as suas ordeos urna esquadra e cincoebta mil ho-
rneas, tentou dar om golpe que ella esperava seria ;
ivo contra os insurgentes concentra lis perto f
vacugao
Margo proximoi
Escrevem de Chefoo como certa a noticia que
de Caros. """"" -""** v, correr de haverem os habitantes da Corda, quei-
t Den-sfl na ruiu^j. n .i 'mado navl General Sherenan com.toda a tripu-
diflareoc ^o1 ae? ii, US Cm Sf** la5 bord.,eDdo an"S a horr.velVecaugo de
Musapha recahlram 30bre amarra-Ios aos amasiros etc. A' esqoadra franceza
Teve sua alteza que reiirar-se mu descoocer- ^ ama-ffa-?ala-lr6S cor?ela8 e "" ""
alli soffreu o v7ga- lado. Vendo-re ago'ra ob i/a'd, a Z "do SSS ^T' SMS* P^S" "?*"% e
auidnir i.. nku.... i i.,,i;.. 6 "'Kuu a uaar uo eipeuiente Ib apoderou se da Rancho novnar-an rlA 10 m 1
ator, trese prebyteros lio familiar aos generaes mahometanos
. Um sacerdote que se
emaodar-nos estas
aqui nobre exemplos e
i em re'dada o que
recursos.
t Nao era j boa a condigao da Turqua em Can
Oa, mas agora realmente roa.
) governo ioglez, hbil
era navegar com o f0i
I que contmuam la- vento da opioio publica," comeca a"mostrarle"in"
'pocresia nos labios diciso^de syrapathia pelos candiotas; os Gregos.
os
nis
t
l cerUmenta grandes
Bis parte de nossosdireitos; mas
damo$..hea mesraa resposta que Jsus Cor, '
oo aodamoaioi ~*
no* da ierra.
c Sem dur da
sem compaiiveis
direilos invi*lav
lar ramo 4e>l oli
de iflj|^_
e>peM
pocha
falcidadaii
clpios de toa
* Nos,'pilo
e oa justiga,
basta para ,
mea: agno
na hora do
wi. E elle
e nesta coa
g5u : i t
Estas paiarr
vicca
s_
ando Iba offerecia lodos
retro Satanat.
Pcoposlas que nos fa'zem fos-
'ttossa digoidade e nossos
apregar-noshiamosem acei-
de paz, e, como vigiri.)
off.'receriamos repulsa aos
vem a eHe. Ja', porem, pauca
rrse a' ver Isso. Vivemos em
ca tem por base a hypocrisia
que esto pervertida* os prin-
e mor alidada.
ario, apolagvi-no'na verd.de
lito de Dos, a Daus
t 9 mnus protector vita
E' della Qm modo anl quii ioqua-
empre nessusiem e protene ;
no lovoco sobre v- sua ben-
fieis dfdever
que o patriotismo Ibes dita, apres-
sam-se intrpidos em ir soecorrer esforgados ir-
maos; a Italia, que precisa amigos ni* Oriente, a
que os andava buscando, encontrou-os nos insur-
gentes que favorece.
.Nunca esconden a Russia o seu Jogo: anima
a revolja, para nodisermos que aprgoa.'
Jca a Turqua em mais esteioque o Montleur
o qa em verdade nao grande ciusa.
Se o goveroo fraoeez deseja seriamente defen-
r a Porta, se4slo urna das ncessldade3 de sua
pohtica estraogeira cbegou-lhe o lempo de por
maos a obra.
Isso de 'Imguaqem de anuaie passou; oa
ooietins de iriompbo publicada *elo MoMteur ji
perdaram a virtude, a intimidara o menos p >s?ivel
aos Candiotas que esto defendendo seus lares, sua
religiao.e seu paiz.
aa nada deBcaz se tem feito para restabele-
cero prestigio dos torcj|'o que sera difflcultoso;
se, por ouiro lado, se
apoderou se de Kaoghoa. povoagao de 10 mil
esperar habitantes, os qoaes fugiram quasi todos ao aproxi-
marem-sa os Fraocezes.
_ A triste noticia de havereo) morte os misslona-
rios plenameme coajirmada, e um mandarim que
capturado e levado a bordo do Capitanea, pare-
. ce ter-se jactado do facto. Convidara o re ao al-
' mirante francez a ir capital para negociar, mais
Isto foi recasado por suspeitar-se sitada, enviando-
se era lugar d'isso um despacho im que se exiga o
castigo dos mndanos que instigaran) os assassl-
natos, e se nomeasse om plenipotenciario. Mais
tarde soube-se terem sido a fundados varios juncos
ebeios de pedra na parte do rio Saoul entre Kaog-
boa e a capital, e qoe o vice-rel despachara om
exerclto de 15 mil homens para attacar os Fran-
ceses.
Declararan) estes o rio em estado de bloqueio em
quanto espenvam interprete de Shanghai. Aceres
centa o Montteur der Sotr que as negoclagSas en-
tre o governo de Corda e o almirante Rose toma-
ran) aspecto mui favoiavel, deixando esperar qoe
obter a bandeira tricolar todas as reparagoes que
ae exlgem pela morte dos missiunarios martyri-
sados.
Prodozio aqui grande satisfagao a recepgo feta
pelo imperador Napoleo ao general Dirg, novo mi-
nistro dos Estados-Unidos. Sua magestade fallou


i a causa'da1!na^Idt"1Sa^ d'-aa^ -'rmos de grande considerago e
mete
amisada, dizeodo que estimava muilo as boas re-
ir o esplendido resultado de lagoes qoe existiam entre os dous pai.es, e cria
1 o rauodo Otste neg -
.o
vos poutificios serfu-provavelmata a cau~a
juda do throoo papal que esli encarregados
de defender.
Este corpo, composatfde carca de dous ml e
quinheotos borneo?, formado priocipalmeot de
mancebos nobres .la fc>anga e Blgica mas os lia-
lianas aw considerara afrogaote, contenciosos.
Quando os soldad! potram nos cafs, oshabi-
tautes esquivara sa #-ogem de sua convivencia;
em orna palavra, o po*dVtfata-os como se fazla com
os Austriaeos em Venera.
Para qoe haja um cefflicio s se raquer urna
occasiao, e este pode occplr de um a ootro mo
Foram tambera redozidos a cintas os aposentos
da ramha e a bibliolheca.
A Weling tortea Gigantea on aryore mamonth
e agr mo ale de carvam. N'uma palavra, toda
a parte nordeste do fannso palacio de crystai
acha-se destruido, exceptundose nraa pequen
porgao da corte de Bysantino Salyura mais de
Alhambro.
A massa de ruinas vista da borda do soalhoque
nao se queimou visiaha da que era departamen-
to tropical, faz soppor ser o resultado da um ter-
nvel terramoto. Raizes de arvores, pernas e
bragos de estatuas, travs grossas quebradas, ca-
begas, de touros assyrios, oarras de ferro retor-
cidas, trastes despedagados, passaros e gaiolas,
escudos e arp&js viara-sa confasameote jqVj^J
rados cora ruina de tijolos, pedeas, fet, vidro
e argamassa. 7
O capito Shorr, em sea reMlorio offlcll ao
ministro do obras publicas/disse : Parlo" de
JOO ps quadrados da parle norte do edeflcio
compreheodenda o apartamento tropical, a c
lecgao inteiW da. historia, natural, os comparw
minios da Alhambra e o de Byzanclo, as camandi
da rainha, a bibllotheca e a imprenta, as glef
raas de modelos archKntonicos e mamimos, nos
300 ps de longo das offlnas de carpintana, es-
to quasi todas destruidas. A torre septentrional
e o resodo paladfo emn sea eoweiMo, e a pn
n-rte do transverso (traftseptceatral) foram dam-
nificadas pelo fogd,' agoa e despeja. Parte dos
passaros macacos que consagoiram esoapar-ae,
foram vistos a' vagar pelas ras das visinhauas
do palacio. Este abrio-se ao poblico como de
cosame, sendo> visitado por roilbares d curio-
sos que desejavam ver o effette da conflagracio.*
E provavet qoe a Porta tenha que pagar car
a indiscripgo cometlida pelo commaodante de
om navio de guerra turco qoe fax parar a mala-
vapor italiaoa na aguas do Canda. V-se por
caria escripta em 9 de' dezembro a bordo do vapor
P/ineipe-TomwdMo, que no da anterior, quaode
u este vaso par* a liba de Goyo, foi encontrado
a' poaca distancia dalli por urna fragata ottoow.
oa, que Ihe disparoa tiro di bala sem maisfatJBji
lidades. Outro vapor le guerra turco tez aaa
diatamente sigoal a' fragata de cessar o I
pois, nao havia motivo plauivel para semeHrt
te conduela.
O capito Veccbini, do Principe-Tommauo,.io
aprespntar-se a bordo da fragata, sagaodo se Ihe
havia ordenado, queixou-se justamente de tal pro-
cedimiento. Mostroa sens papis que provavam
estar sua embarcagao fazendo o servigo de mala
de correio e pedio aos offlciaes turcos fossam eos
elle a bordo para ver por si mesroos se ene jo-
tra vi :n alguma cous suspeita. Dous delle, com
effeito. o acompaoftaram e eiamioarara manan-
Det Ommpotentis etc.
M padre santo suggerem a con- i haver se desagrdawi.
^uma parte recebldo senas' co: aos turcos do C Franca l^di mm- ?i,\J '0 e? ara""a ?e*ura de 1ue UM
s par tenta-lo a enlrar lo pouco para Impedir-ines de ceder asre^ol cZb\arbtio ta\at0 'wr avenga alguma.
ste apenas pode alludir ao porquanto Ihesmost ou ma voStade f?aca Tr ?,, MmteU* *ODDnC'i, ?Tn,e.r,0Imen'e
o cardeal Aotooalli dade, raas nao raeobs real tE-KL^X"^? d f 7'r-n,0 da Uo,ao e qtb
ae o Papa nada escutaria. Nao se pode contentar a todo o mundo diz o l h ScWrd de3 de D0VemllrJ0
j a assumptos eclesiaslicos.' proverbio; salisfaz-r a todos tambera mu to LZlX\T eaoa?,a* Pr haver sldo e-
Biie ottua do pontfice se re- d,ffkultoso, com todo i.| a Franca eTta mu o f J^abo atlaotico-nao fra apreseaiado por
fere,ou a carta qa-fo Sr. Touello Iha apresenlou perto d cosegoi-lo V C esta ramio M. B.genow. O facto que antes da ebegada d'es-
da parta do rei da Italia, ou por ventura a re- Por motivo de haver nm va cenes esforcsao//:oode de Sar.iges, bem quJrecolhido a bordo alguma?cent'as dii desvale. R0Ttroo.franc""elle cavalle.ro recebeu tao s
dis'paraca haver-sa apreseatado 'cretenses que mrrrlam ae Vme as montanha e
"dd Po iza de S. Martioo, que ; lelos levadapa Grecia, erta-se que o godmo' bri-
'Sa levaod) oovas proposias tanuico favoreca da modo oslnsivo a iddurreieaa
deve ser simplasmeote urna eua Ctndia.
o coade acaba de dirijir car- Aununcia-se agora, que este governo nao assu-
a 'ja^*a') haver accalu-1 me a responsabtlidade4os actos do capito que
... Mfia, a declarando ao mes- tomara aquella melidae que este foi mandado rom
^eoao-dequ seria intil intao-1 o seu uavio a Malta, sendo substllaido as aguas
tolyj.jliMiio cora a Italia ata da Pj res por outro vaso de guerra.
Diz se alera disso haver o governo ioglez feito
representagoas fortes ao da Grecia cora relagaa a
sua iuter,veugo nos assumptos de Candja; e qoe a
i-raog^oropz a Inglaterra, Austria e Italia um
projectj de allianga relativamente a queslo do
da parta do rei da
is esfjr#
nos nhiraos
outro enviado
se diz ir d
ir
no dysta 9qk*se largas concessoa-
los r^ljgioso, i concedesse aos ecie-
e aos secillares I,tardada de associagoe
negao.
carta da Floretea inserta na Liberl que"
!
ment.
Parecer extraordltario o querer indicar anl- bar8<', os revoilados Jazem como o
cipadameete o prpgrswdetwiaT-evolagao; porm,' reD SCfl das saas cinzas.
jiao aio na Italia aVefeprWft&M o resultado do! Era 6 do con eote escrevem de Berln que
acaso ou de qualqae dente Imprevista como VeQtl0 receoivmenie tido logar negociagS'S entre
era Fiorenga. i as governos de Frang e Inglatera em relago
Si, aim, a coasan^toociaiieconcerto-antecipado, ^*iU^.9_ue ^U'iio enlte a Gr|cia e a Turqua, e
e urna especie de .aoraras atrxtegida.
Preseateroeote at legio de Aotibes menos
odlosMopovoqua-oaoavos poatjflcios, pela razio
de que aqneiU protad* da cert* inodo do goveano
franeet, eoi iem os Hllanos dawjam cora aoeia
nao rompe 'passo qoe pblo contrario, os zaa-
vos seo-'farmac m de legila'mistas, qoe se cooside-
rara inimigos do impe'
ie'aa-1
VproaUmento previaraenle J* pel abinele d Fiorenga, o Sr. Ricasoli, cono
observa g7j0 dtf Aoiibas foi modificado, #*de sorpreza de alguns dos ministros francezes,
go
U
mais't
segttilta-o
urna e miV
robodlMaMUi
Iba: preundeai
Esforgam se
tentar a
com ente motivo
ao governo grego.
Asevaeait,.oim
ngu ir eredmstancia, de contr-
tate do Ratea em Roma relagSas
pelo mesmo jornal, sob a f de
asmis acreditadas, e at
i da nova capital da Italia.
lisfaclonas promessasde que o imperador retirara
as suas tropas doMexico.que julgou nao ser con-e-
nientemenls necessario apresenta-lo. Obrou com
muito senaja em exercer sua deseripgao o ministro
dos Estados-Uaidos, pois a ira da. mis-iva da M.
Sevrard houvera indubitavelmente ccnduzido sre-
criminagdes desagradavel-.
Acaba da publicarse um decreto imperial abo-
lindo os direc.os de tonelagem nos portos fraoce-
zes pelo principio de reciprccidade. O governo
raglez obhgou-se Imroduzir no parlamento igual
medida, reservando se a Fraoga o direito de resta-
belecer o imposto no caso de ser .aqui regeilada a
proposta. Nao tardn o governo da Washioglon
em tornar reciproca a gsnerosa iniciativa do das
Tulhenas como se v por telegt|mma de New-
Yoik pelo quai se participa que presidente John-'
son proclamou collocar no raesiflo p que as era-
barcages da Uoi) a lodos os navios ranceze3 nos
portos dos Estados-Unidos. Nesta cnformidade,
e em virtude do decreto do imperador cima cita-
do, a bandeira aroer'cana foi livre de direiDs de
entrada nos portos francezes. Fariam bem as do-
mis nagoes em imitar o exemplo dado por aquel-
las duas grandes potencias.
Sabio em New-York um prospeco annunciaodo
a formagao de urna compaohn de thelegrapbo
ocenico internacional, cora 1,500:000 doiars de ca-
pital em aegdes de 100 doUr> para estabelerer
coinrauojjagio entre os Esiados ("nidos (via Flori-
da) Cuba e as outras libas das Indias occideolaes,
umnd j-as por ejlensoas at o isthmo de Panam,
com a America central e meridionardos continen-
tes da Europa e frica. Representa os directores
haverem obtido dos Estados-Uoidos concessoes ex-
clusivas por 14annos,do estado de Fl rida por 20
e do goverap bespaohol (para Cuba e Porto Rico)
por 40 em addigo a concessio da repblica Do-
minica, cojo termo nao se descceve. O i cabo
ser langado de Key West a Havana, e acrescen-
la-se que empresarios responsaveis offereceram
sabmioistrar cabos da melbor constraecio sem re-
querer pagamente at verse funciooam bem por
um lempo razoavel.
Escrevem de ArpeliaVqne occorrera alli em a do
corrente om terremoto qoe destruio qoasi comple-
tamente os lugares de Chifla, el Affron, el Asiva-
Befl-Rasmi e Hoogaiaville, cansando mono estrago
- villa de Belidah.>Em MoDgaiaville nduvaram
pessoas mortas iOO feridas em conseqoencia
_. ta catastrophe. Neo se resentirn) do tremor
as provincias de Oran e Constantlna.
orna peregnnagao re- o ba muito que aqui mesmo na Inglaterra ex-
giosa, pelo que ambos escreveram a rt ">*"-
Oriente.
Chegou a Alhenas urna fragata russa com gran-
de numero de familias que deixiram Canda a
pegar do bloqueio da esquadra tuy:a.
As ultimas noticias recebidas daquella'llha dizem
|o ler havido por algum lempo novas eucontros
ntre os insurgentes e as tropas mulsumauas por
causa de mu lempo.
Segundo os ltimos telefcraramas turcos recebi-
os .qui hojf, paraca que.nao haver occasiao de
navos combates, pmaas tropas do sullo acabara de
aeitar, definitivamente, fofa de Candia os subleva
dos, fazeodo-se por toda a parte dooos do terre-
no. Isto lem j rauitas rezas succedido, e, sera em-
caraaleao qoe
ba-
que resolvern] aqnell.es governos nao intervir n'es-
ta negooio, a menos que a Russia nao tomasse par-
te na disputa, o que nao posslvel.
to nllima mmenlo renanciou a imperatriz Ea-
geaia idea de sja peregriuago a Roma. Na ves-
pera de Natal tudf estava preparado para essa via-
jera, mas loso hov motivo da cootra-mandala.
Qoaodo a noticia de sua projebtd'a visita foi sabi
a 0om e3ts corpo. screveu approvando o projedo por prever qoe po-
les italianos, a respeito d9na ser de granJe utilidada psra facilitar a recon-
r \Ao ba qne acreditar j eiliagao do Vaticano e a sorte de Fiorenga. Esta
> pois qae at deu se \ 'dta^oo desagradou imperatriz, palo contrario
toril flcou a mais no desojo de levar ao cabo sna n-
tenco. S o papa e o cardeal Antooelli haviam
aido consultad is sobre este objecto, dano-se-lhes a
entend| que era paramente urna peregnnagao re *
sua mages
Uta de Crati charairp, ,*da maaiesundo o prazor que Ihes causara a sua.
partido diNoa>A ajodar
Sahe-sepor
Bacb alaeot
t atMOgm. A Insurreigo, q^e
I' de Constantenopla foi
Wda, parece ganhar malar
Idos golpes que os Tarcos
) podem os Gregos em sus
e diz-se baver o sulto feito
enrgicas repraseatagoes
teos
Itdos.
d'Athenas qae Mastapha
o os itsnrgentes
ApocaronoB, mas que
pera*. retiraatdo-3e a
e|ecto de peoe-
'atansss com
do Apocoro-
Ij^Ktlotaaio taren
> p*ra Syrl-t
i lorio ere-
visita. A.vaagem fol ento decidida, e o impera-
dor annunci'.u a ao conselho ; Hzeram-se os prepa-
rativos necessarios, e o biate imperial estava promp-
to a partir.
Creu-se, sem embargo, prudente sondar antes o
gabinete pontificio quanto ao modo por qne
sanlidaie receberia a mensagem conciliadora que
ievia levar-lhe a imperatriz, para nao expo-la a
fia recepgo fra por parte" de Pao IX, em conse-
qoencia do carcter semt-politico qae asanmiria sna
visita. Nao se echando em Roma o embaixador
francs, foi o eoca regado de negocios que deu o
primeiros passos d&sia delicada materia. O pn-
meiro despacho qoe envin M. Armam a Compig-
te deu a desagradavel noticia de que nem o papa
nem o cardeal pareciam de modo algum inclina-
dos acceitar a nova razio da visita da sna mages
tade. ^
Sobre este ponto o sammo pontifica respondea
resolutamente quaodo se Ihe iosiauou o desejo de
eeobecer sua vootade. N'ena momento critico o
embaixador voltou para R.oma^e com^te^f-i^a
a uT*Bocla8?,-qQe"no leve melbor i tado. Por
mais agradavel que fosse ao papa vi a imperatriz
* implorando soa bencao ontiflcal, nio
tioha a menor lotengo de acceitar a mediagao Aa
itterpesico em seus negocios politujo. Assim fji
baldado o orejelo d'esu tao deeahtkda visita.
Declara o Memorial Dtplomalique Mo haver fun-
damento algum para crer-se qoe alaaperalnz do
Mxico, ser transferida a instlluigiof de Prefarijier
te caato de Nsutcbaatel. Como aqpelle jornal em


penmeniaram oscilago do terremoto, as c
bem que mano .leves e nenhum p'ejuiso eatreas-
sao, loandiram todava consideravel terror aoa
ingiezes e principalmente laglezas que eom isso
despertaram no meio da nolte. Nio isto para
admirar pela ausencia do phenomeno nestas ilbas.
j ultima oninzeoa chegaram de diversos portos
sua o Brasil a Inglaterra os se^urntel navios :-Do
Rio Grande, the Man*** (II) a Liverpool ; de
Pernambdci ihe Mmota. (tQ a *Hb ; do Ri de
;a,,6EL,i Uewlen 'W).,Palmooth ; de Mieei
the A**te katze e the LiM*M) amaos a Liverpool;
da Baha the Matia (W) a I alttolb ; de Mace. the
bymmetrt (29) a Liverpool. Th Augustine do
P-ra para; Lirerpool cbegb a Lisboa (19 de de-
zembro^ sanindo (30; eem Ir^cgao a sea destino.
Da Babia l/i* Ptantteed (3) a Liverpool; do Cesri
the Augusta (6j a Liverpool; do Rio Grande the
Medea () a dito.
Da Inglaterra segnlram para o imperio os je-'
gulnles navios :-De Gravesend (24) the Anechire
para o Rio de Janeiro ; d Liverpool (27) the Sa-
Uim para o Rio de Janeiro: de Liverpool (29)
the Calfpu para I Baha. The Um Bromn de
SQnum''J,'>d *ra a Babia passou (31) por D-al
The EclipsuX^ Naw-Caslle para o Rio Grande 40
das, tomou |inaa 17 4a "O'embro) 8 si. 24 a
The Locomatif" d* Swa Para e Rio Grande,
oraou lingual (i6 de noTenibro) 5 N. 24 O. Da
Liverpool (4f \ke Afmel P*1" RioGraflde ; de
Ularpool (4) c* d Aag.Morianaa para a Baha;
mutile oo 11?Tre (P"?*) Para Pernamboco, to-
ftiou liogua (; r de ''?'nbw) 49 N. II O. Da Lf-
Wrpool (6) /A,f Olinda para Pernambuco.
-1
--
MUTILADO!
ILEGIVEL
--------------UMt--------1-----------
--**>.
/
lWiiJ .i .-'.


tarto de reraanalrea HextA letra i de Fe^erelr 4c 18b7.
s:


HUB BE PEENiMBCQ
Recebemos pelo W "ff SfiSS JS
iornaes do Rio de Janeiro al *> e Daui* "
Jo corrate. Daejornaes .colhemcs a qu*. *
8URo db JAtamo.-Por decret do II de Mrente.
foi concedida- a demlssao qoopedtroj;Sr ceu.
ltaeiro Francisco Octaviano o Alolda Rosa do
arito de enviado extraordinario* tnttilstro pleoipo-
tocrio em missao especia im repblicas Argn-
lina e Oriental de Urogaay.
Por decreto da raesma dad* foi nomeade para
aquello cargo o Sr. Thomai Fortunato de Brllo, ue
xercia o de ministro reelenie na repobllcatfrteu-
U A legacodeMcoteviddo contina sob aiHrecclo
oo respectivo secretario, q Sr. Julio Hewjane de
Meti Alvim, que sera acreditado na qaaUdie de
ncarregado de negocios interino.
' S. M. o Imperador, acompanhados dos seos
semanarios e dos Srs. visconde de lamandare e
brvl'e''fea,*oommor-lle e dts, o poema dt
"m". rsten'eia bastado no mais stngeUos elemento*
** poesa : tittr tpenlo, amar tsptrau/b,
Mfrw sorrinSo.
* Tem lagar boje, por ser araanhia feriado, a
stima partida da sociedad Rerelo- Oltndense.
-K-amauhia afesta de Nossa Senhora da
Saldo oo Pop.
Tendo sido subtrablda a mala que cooloiui
o estafeta Justino Penara da Sitfa, para N*n.
foi ella encontrada pelo so/delegado de Pao de
Albo je uto a* una cacimba m torras do eninsii
Belem, em completo estado/e dilaeeraeio. O son-
delegado fe recolher a' ai6Aa.it estafeta, entregar
as malas do Bfejo e Pesqueira ao agente do correio
em Pi do Albo, e cofriuiir por um expresso a da
Limoeiro.
Cbamamos a'attetcio dos nossos leitores pa-
ra nm tolbetim yrue encelamos boje em a nossa 8*
pagina. /
Creado, derneaio e^setipto por nm Joven ac-
demlco, eot quem sobra iotelligencla e bom gosto,
apresenta'essa rls.nha pe$a da litteratora ro-
alieucias extremamibte encantadoras,
cantil e o tamal do Co-Amtrcio sfedout aponga-;eme saldados, com o que Carlos doudo leon fu
dos d* asoejrosas meotiras 1 rTOniceieoottna a bradar, que niio sae do Limoei-
ifXaatil i o norae do 1300 StsiimttH i*e.fazer a eleicao, custe o que cuUr
de Camaraftbe remetido a cada lostaae, de envotta lito, na reaildade, nao se snnnnrta l
oom embfflh too estapidos, que tGtim-n fl *; fcc a dlter, qoe manda r
sadet-.ne. eersbro de algnm poeto, < dr -
timpanes na estro 1 Ora gara-se o Sr. Ca
mamaibe a reo^rer ea*daoJ Mari* (no-
mo so fra isto nm mato paeoenwt -> I); ora
o Sr. de Camaragibe a mandar esewver centra-o
imperador (Intriga dosprtatvw!) ; ora ,6 o Sr. de
Camaragibe a fater-se elogiar pelos 10:008*8
qoe assigBQ{Jnvcao torolssima 1); ora o Sr.
de Camaragibe frafroaado por seas amigos, qoe
onda oannservadorealtio poderem vencer, se fa>
rlo-aoplioatas { embosto b proprio de oao%e"H*
renta t); ora, finalmente, o Sr. dar Camaragibe
censurado por nao ter feito alada neonurn dona- _
tivo para a guerra, nao obstante roenber 4:000*000 co armazem, que na mesma ra existe, Perlence
a. n.on.rin a ihumirn i o;i umku i5 >Ih- an sBhriAlpgada Manaei GoncaUes Nnaes Macnann,
t
ta""doAraaiooas,"visilo'o,"uo'dia, a corveta apre
^strnXoX'sVobras^dique imperial, e P^SSSS^^& a,yse. onde o
serrara a vapor e o vapor Porm. Losso amlM n tutor do folhetim, ganharia sempre,
Riachuelo. ,. / .
No dia 25 devia haver, no salao da pratft do
corameroio, urna reunas de todos os nacionaes e
slraoaeiros qne se interessara pela creacao do
asylo de invados da patria, a8ra de onvirem a lei-
lura do relatorio da commissao da pra^a e trata-
rem da organisacio da sociedade que deve presi-
dir a realisaco dessa patritica e humanitaria
O "relatorio qae a commissio, '*> de aprsente
est bastante desenvolvido o'tratado com esmero,
Teunindo era annexos tabellas e raals inforraaoes
coaeernentes a materia, i que dao pleno condec-
ment dos trabalhos da commissao^,
Delle consta que ha recebida e eomlxa a quan^
tia de 362:8474359, addiciooada a qual a ao
32:8|3* qae ha a arrecadar, conforme os avisos
remanidos a commlsoio, aprsenla o total de
3 Bao relatr ser distribuido boje naipraea,
por occasio da reaniao, a qual de esperar que
nao deixem de comparecer qoantos se mteressam
pelo fotpro dos nossos Irmos que U pelejam na
carapanha em pro dos bros nacionaes.
-/Pelo Sr. Joaqulm Gomes Lelte de Carvalho
OL/bfferecido W libertos, fardados a sna cusa,
ira servirem no exereito.
- Sulcldarase o subdito portugoex Horaingos
'joaqoim da Silva Bastos.
- Foi nomeado, em 21, director da cola cen
tral o mareehal do exereito reformado Jos alaria
da Silva Bittencoart. ____.
Espirito SAsm-Fallecera o major Raymundo
Tavares da Silva, Inspector da thesoarana de ta-
ML* Apresenlaram-se candidatos a depntago> ge-
ral, apelados pelo partido, os Srs. Dr. Jos Feli-
ciano Horta do Araujo e commendador Carlos
Pinto de F'gue redo.
BAHU.-locendiara-se completamente, na noute
de 27 uro predio de tres andares da travessa de &-
Julio, pertencente a casa pia dos orphaos1 de >.
Joaquim. Morreram qoeimadas nma seBhora e
sna fllhadeSannos. A casa achava-se segara
P-- Tomara posse, no dia 28, o novo conseibo de
direceo do Banco da Bahia. ,
-Arribara, no dia 27, por falta d agua, a gale-
ra boinndeza Tetanak, que ia de Amslerdam para
a Bilavia,

___ ________ sapporta
Hxer, que manda retirar toda a for^a,
pnTajajT-pw ah derramada ; que os recruiadores
' lo de ser tambera retirados da' palavra de que
anas ordoMJMste sentido nao awtartllu'lidaj i e
Cario: to.permaoectndo no-LUDOniro tora bando
I Oaerem raais claro T

gPKCULACAO POLICltD'
Acamara municipal de Goyannajeonio-se e_x-
IraordinarUmtnte para resolver qae o algodo,
qae vai qneila cidade, seja vendido, ou depesitado
sroente na roa Direita, muito iotpropr>a para isto-,
porqae nao ra de negocio, nem tem casis para
rmateos. Mas a ratao desta medida que o oni-
"""
ao tao des
1
PERHftMBUCO
REVISTA DiiA
Depois de aroanhaa o dia Mi*0 *
enverno imperial para as elelees grt|ig
de amaoha o dia em qoe o povo bras.leiro^deve,
compenetrndole de mffaatan, orrer uv
as aflm de exercer o roais nobre,oinaw eleva
do dos direltos qoe Ihe foram ortigados pela
no^sa carta constitucional- o direito d env ar
ao parlamento brasileiro os legtimos defensores
de suas prerogalivas e immunidades.
Toda prudencia e circomspe-cao, que aconse-
Ihar podemos aos oessos comprovincianos no llvre
exercieio d'esso direito, parece-nos pouca,sirn
parece nos pooca por isso que com. Prudenc1^
e circumspeccao que se pode ttaer, U*g'Jj
verdadeira ppinlio poltica que domioa o espirito
PUCada'vez qne o povo corre as urnas para eleger
seos representantes, a roo do destino marca1 essa
p: ca no livro syrobolico da nacao, com caracte-
res de oore, se o povo exerce o coon Mberaoit,
com os negros caracteres que Ido daoa peona
movida pela indlgoaQo, se o povo vota^*Wo;
Mas como ebegar a exercer, sem coaegao, esse
direito ?
Eis o difcil da causo. ,
E1 preci-o que o povo se compenetre bemfle
se seu direito de votar ; que se dirija t ajniirii
uro o espirito calmo, tranquillo e confiado na
orca d'esse sea mesmo direito. Amn,n
Kecommendamos, pois, aos nossos cjmpro-
vinciaoos que se nao furteo votor, que
derijam-se a' Igreja, com a eooseieoeii1 irn
quilla e animados de bons desejos, e prometto
mos-lhes qae a mao do destino estampara ero ca-
racteres de onra o dia 3 de everelro de 1867 no
livro symbolieo da nacao.
-O xm. Sr. conselbelro presidente da provin-
cia resolveu, por portara de boojem, ^lar parai5
de abril prximo a abertura da assembla pro-
vincial. ...
Ante bontem noile. tendo sido snbtrahidas
da loja de fazendas dos Srs. Jardim 4 G., nair na
Nova.duas pecas de chita, o Sr. Francisco da Silva
Cardoso, socio da ca.=a, correu atraz dos ladres.
que censegairam ganbar a ra estrena do osario.
Ahi chegados, nm gro|% de pessoas qae compt-
nbava o Sr. Dr. Borges da Fonceca nao 16. deixou
ooe lies penetrassem em seu circulo, como gnwu
e procurou esbordoar ao Sr. Silva Cardoso qoe lo-
groa livrar-e deitando a correr.
Hontem pnuco depois de roeiosdla o cabra
Jos, escravo da Exma. Sra. D. Clementma Gon-
calves da Silva, assassinoa com dez paohaladas Da
regio do tborax seu parceiro Isidoro, crioalo, no
3* andar da casa da roa da Cadera do Reclfe, onde
tem armazem o Sr. Silva Gomes.
O assassino fol preso era flagrante pelas pessoas
que acndiram, e recolhido a casa de deteo?ao,
mostrando serapre sangue-frlo e presenca de es-
pirito.
Em substitnieao revisto laso-brasileira Doze
le Anosto, veio orne em Lisboa na priraeira
ainiBoa do oet finio o Corre da Europa, caja
apparico saudamos com as nossas sinceras reii-
* AW da diflerenca de den >mlnacSo, nao jor-
nal novo. Resurge daquelle, dejae 8lho legiti-
mo, com a mesma direooo do Sr^albano Coulinbo
na seccao poltica, e do Sr. Francisco Serra na lit-
terari, com o mesmo* Bassado, com as mesroas
tradiQoes de independencia e liberdade, qae illas-:
ram-esfie passado. .
Com ser amplameote acucioso, o Correto da
Europa nao delxa de ser tambem sofflcientemente
poltico, sendo.nesle campe a sna bandelra a de-
fenso da causa do progresso.; de modo que com
a iraosmisso de neticias esoecaes as iodasirias,
s scieocias, litteratura, 4 agricultura, ao com-
mereio e m artes, eneonuara* o leiioHportagnei
dos diversos pontos da Europa* do Brasil aquellas
4oe se ilgam adaiuislracao do palz, Qcando as-
sim habilitado a apreciar o mootmento social e o
4eeenvolvimanlo dee prooreMOS morcas e mate-
riae d trra natal, coja sitaacao lhe por tal
modo eatoodida ante os olhos.
O Crrtm da Europa, como se chibe em >ua
prlmeira pnbi.'tacao, honra ao joraalismo perla-
Iuei, f.uja illastraco recoohecemas ; e dest nado
este imperi s s proviocias portogneeas do ul-
tramar, vem a Inz nos das 14 e 18 de cada soez, a
paesagem dos vapores transatlnticos, que delle
sao.poruderes paro o sea destino. nmM.
A su tssignaiara'nerto-tejperio de 9*000 por
tono,
A assoecM do Jro^ f- Pdrtugmn prece-
de a distribaicio dos respectivos dplonnas. ^
seos membroa.
Com o retrato do autor, oi rol
Porto o volume das Primavtrat de Ca
Abren.
A esto segunda edico acoropanha o
jnie critico do illustre eserisjor porl
Raraalbo Ortgo, que lateado Inteira jl
tooria e aos merecimenlos do nosso patr
toso, eJogia assaz a esto livro, pagims
de sDuuooio t amarguras da vida ioti
_ Passageiros do vapor brasilelro Parahyba,
sahidJipara o sal:
Jese Mara Goocalves Pereira, Dr. Francisco do
Borges Buarque, Aureliaoo Augusto de Olivetra,
Aotralo Maria da Rosa, Joaqmm Carvalho.
Navio sahido no da 30.
Macei e portos lotermediosVapor brasilelro Pa-
ra hyba, commandante T. da C. Mello.
A. MeBdes de Moraes, Alfreda Weber.l preso e
i praca, Francisco de Almeida Braga, Antonio No-
berlo de Souza Aguiar, tenente Manoel Pedro de
Alcntara e sua senhora, Crlos Crlete, BocK Han
gon, Jos da Silva Coelho, Vicente J. de Brito el
criado, FraociscaTG. M.da Fonceca, Dr. Jos A. de
Figueiredo, 7 filhos e 2 escravos,Jos da Costa Bor-
ges, Manoel Gomes do Reg, saa^eohora,2 filhos e
3 escravos, Biaglo Cicalese, Miguel Leopoldo Lima.
Rbpabticao da poucia.Extracto das partes
do dia 30 de janeiro de 1867.
Foram recolhides a casa de deteugo no dia 29 do
correte:
A' ordem do Dr. delegado da capital, Antonio da
Costa Ferreira, para correceo.O ebefe da 2* sec-
cao, 1. G. de Mcsquita.
Casa db DrrENgAO.-Movimento do dia 30 de
janeiro de 1867.
Exlstiam 361, entrarara 1, sahiram 49, existera
316. A saber : nacionae.< 230, mulheres 11, es
trangeiros 26, mulheres 1, escravos 43, escravas 5,
total 316. _.
Alimentados a' custa dos cofres provmciaes z-io.
Movimento da enfermara do da 31 de Janeiro
de 1867.
Teve baixa :
Pedro Jos de Oveira.
Teve alta :
Manoel Ignacio da Silva.
Movimento do Hospicio de alienados na Mi-
sericordia de Olinda, do 1* ao ultimo de janeiro
de 1867 :
Exlstiam 24 homens e 49 mulheres, entraram 2
horneas e 0 raulher, existem 26 homens e 49 mu-
Iberes.-Total 75.
Existem 8 empregados noste estabelecimento, b
homens e 2 molheres, sendo medico 1, capellao H,
poneiro e sachristo 1, enfermeiro 1, barbeiro
1, enfermeira jb cosinheira 1. Tem 2 mulheres
empregadas no servico do eslabeleciraenlo.
Foi visitado o mesmo eslabeleciraenlo pelo res-
pectivo medico nos das 10, 13.16,19, 23.25,27
e 30, as 9 horas, 9*, 10, 11 e 12 da manhia.
O mordomo de mesa,
A. 1. Gomes do Correio.
O agente,
J.uiz do Reg Barros.
Movimento do hospital de Nossa Senhora
da Conceio dos Lazaros, do a 31 de janeiro
de 1867 :
Existiam 12 homens e 12 mulheres; eolraram 1
homerr e 1 mulher; exislem 12 homens e 13 niu-
Iheres-Total 25.
Existem empreados no estabeleciment 8, a sa-
ber : capellao 1, medico 1, regente i, dita 1, bar-
beiro 1, cosioheiro 1, servente 2.
Foram visitadas as enfermarlas pelo medico
do estabelecimeoto o Sr. Dr. Ignacio Firmo Xa-
vier, nos dias seguintes : 10,12, 16, 19, 2, zu,
27 e 30.
O mordomo de mesa,
A. J. Gomes d$ Correio.
O regeDte,
Dimz JjMacio P. dos Sanios.
de ordenado do tbesourro (esta
tentada qoe mette nojo I ).
Eis aqu, era resumo, de qapfrivolidades rai-
seraveis se compoe a correspondencia do Mer-
cantil I
De modo qoe, se o Sr. viscoode de Camaragibe
instado pelos ministros do Imperador para
o lugar de director da Facaldade de Dlrt
Recife, ecom sacrificio de seus cemmodos o ecei-
ta, os scribas do progresso gritara, porque o Sr.
vlsconde nao da o seu ordenado s familias dos
voluntarios da patria, e nao angmeota assim as
somraas agenciadas pelo Sr. baro de Villa Bella
culdade I) k
Se o Ex o. Sr. consalheiro Silvera Lobo invoca
em carta especial o patriotismo do Sr. viscoode de
Camaragibe de ouiros, no sentido de se flearera
com apolicaaa geveroo, o Sr. Camaragibe cea-
urado'pcrqae, atoignando 10:0004000, nao assig-
nou ainda nada pira a guerra, como se a guerra
deva ser feita a cusa dos particulares, e nao do
estado, que 0 a feaelo de todos os particula-
res I
E porqae o Sr. bao de Villa Bella nostaouves-
se tomado apolices, ou porque no podesso oa nlo
qaizesse (por nenhama das cousas o censramos1,
maudam os scribas dizer para o4lircantil ( para
Sna Magestade lr): Consta qde o Sr. Joaquim
de Souza LeSo mandn assigoar 10:0004000 e o
Dr. Pelip e de Souza Leo 10:0001- >
Nao stbencos se estes doos cavilleiros assigna-
rara estas qoanlias. Sao capazes d assignar muito
maiores; roas aquella consta to dsacompanhado
de toro afirmativo d a eatender, qu as assigna-
luras nao estao realisadas. Entretanto, ja os scri-
bas consegu ramo seu firo, que foi fazer correr em
todo o imperio que doos Souzas Leoes, parentes d >
Sr. Villa Bella, assignaram 30:000*000.
Impostura ridicula, que anda mais riducuto tor-
na o personagem da comedia I
E o que diremos nos da correspondencia para o
Jornal do Commercio 1 As mesroas nientlras, os
mesmos embustes ahi se reproduzem I Diz se, por
exemplo. c O Sr. Pinto de Campos" aliaba da ebe-
gar de-Capoeiras, onde"foi conferenciar cota o Sr.
Camboim, e onde se diz que estivera o pe. Cata-
ndo Isto teraxausado serias apprebens5es etc. >
Neste trecho ba logo daas mentiras*: 1.* que ios-
se o Sr. Pinto de Campos conferenciar com o Sr.
Camboim, mas sim visitarera-se, como costumara
todos os annos; 2." qae se acbasse em Capoeiras o
Sr. Dr. Cataobo, como de tudo pode inforrar o
digno Sr. Galdino Alves Barbosa, eatjcaja casa es-
tiverara hospedados os dous amigos. O Sr. Galdi-
no tem aqu servido aos ioteresses da liga; a sua
palavra nao pode ser snspella aos scribas.
Essas apprehensoes suscitadas pela entrevista
dos Srs. Pinto de Campos e coronel Cam-oim co-
brem de ridiculo a quem ostenta alimenta-las.
Ellas soprovara as ioquietacdes era que sje acharo
as coas ieacias daqaelles qae, tendo aijmado os
seos sicarios para a prxima eleicau, jja se vo
mostraodo appreheosivos sobre resaltado de suas
perversas iosirucQ5es e manejos. A verdde nada-
oomo o azeite. Se houverem disturbios e desor-
lleos as elelcoes sera' o goveroo e seus agentes
os nicos responsaveis: sobre a sua propria face
ficara' eternamente irapresso o sangue qae se boa-
ver de derramar. Eslejam certos distol No ba
fugir responsabilidade.
ao snbdelegado Manael Gongalves Xuoes Hachado,
a quem a cmara qulz fazer o presente de quatro
ceatos ris por cada sacca, que entra em fina casa;
e nem urna deixa de entrar, por qae andana os
soldados do destacamento obrigando os matutos a
levarem suas cargas para 9 dito armazem e a pe-
s, anda que vo cidade cora destino de si
embarcadas para esta capital.
negocio reduz-se a isto : todo o algodo que
froeora a cidade de Goyanoa para all ser vendido,
ou como pooto de sahida para esta prasa, ha de
pagar ao subdelegado Nune* Machado o Imposto
qoe a cmara langoo, e que se cobra antes de ser
approvada provisoriamente pela presidencia da
provincia a nova posiura I
Deste facto resulta oulro, que preciso impedir
'era bem desta provioeta; e qae o algodo que
sabe do armazem do subdelegado, consegumteraen-
te todo o que entra em Goyaona, marcado cerno
producto da Parahyba nao c sendo alias; porqae
o agente dessa provlocia naqaella cidade tem par*
este nm conluio cora o dono do armazem, talvez
dando a este parte dos loeros, queasslm Ibe cres-
cem.
Contra este fact para, o qaal nao se pode acnar,
jastieaco nao dizeraosnam se qoer descolpa,
represenlam os negociantes da cidade de Goyanoa.
Vejamos o que reslve S. Exc. o Sr. presidente da
provincia.
Todo ha de explorar a gente do progresso, e tem
bom faro para descobrir excellentes comidas. Ha
dias em qae a especalagio do subdelegado da-lhe
qaatroceutos a mais cruzados; porque ha das em
qae as entradas sao de mais de duzentas cargas de
algodo I *
Bem dizia o Sr. Manoel Gon?alves Nones Macha-
do qoe nao entrara mais em eleico sem paga-
mento adiaotado. Foi depois do imposte lanzado
em seu favor, que elle resolveu-se a fazer com os
votantes o mesmo que esta axen'to com as cargas
de algodo. 0 matutos qae as conduzera, oa as
levara para o armazem privilegiado, ou vo para a
cadeia. Nao ha roeio termo I
O Sr, Araujo Barros ha de negar este faci eora
a mesma seren ade eom qae afirma que ba so-
brados" em Craangy, e que o subdelegado Monte-
negro mora em um delles...
18 Jjs Anselmo Gonzaga de Ollvelra, Ide.
19 Jos Antonio Candido da Lyca, negocio. .
20 Jos Esleves do Naseimento, dem. ,
21 Jos Francisco de Siuza Lima, dem.
22 Jos Tbeodoro Gomes, solicildor.'
23Juvencio Aureliaao da Con ha Cesar, artista- -
24 Landelioe Teixeira Lima, idem.
25 Manoel Antonio Rlheiro, negocio.
20 Manoel Cosme de Mi raes, artista.
27 Manoel Joaquim Baptisla, escrivio.
28 Redro Ralis de Borges, artista.
29 Pedro Tertuliano da Cunta, escrivo.
30 Pergentino Nelto de Aieredo Counho, ar-
tista.
31 Sebastiao Antonio da Silva Baixa, negocio.
31 Tiburcio Valeriano Baptisla, propietario.
Para e'eltares da freguezia de Saito
Antanio,
Partido brasilelro.
sico, opio oa outro quaesquer iogredientes
venenosos.
Aclia-s de venda em casa de A Caors,
d J. da C. Bravo 4'C. e P. Murer & C.
2TSR0
Nesle dia saudamos aos senhoresde Martapagipe.
J l se vao dote annos I
'"-'
Communieados
Partido cooservador.
t ex teoso
se, o Sr.
ia me-
1 desdi-
pastadas.
I do poet
F.LEiyA o.
A nacao, convocada para dar o seu saffragio,
move-se, e approxiroa-se dos templos, aonde deve
depr a expressSo da sua vontade.
E* a isto a qne a le nos chama ; mas funesta ex-
periencia nos na mostrado que, fiando o cldadao
se encaminha a's urnas, o governo machina os
meios de compresso, qoe fazem da eleicio croa
farca e um escndalo. _
cumpra todava o povo o seo dever, emoora o
governo abuse : a lucia contra o mal foi e sera
sempre tenaz, mas convem nao entibiar e delxar-
nes supplantar.
O actual presidente da provincia assegora por
palavras a lvre maoifesiacSo do voto popular. A
sua circular, dirigida a's autoridades subalternas,
recommenda inteira abstengo dallas na ffaawo
do povo.
O Eim. Sr. conselheiro Silvera Lobo diz, qoe
entrega Pernambnco aos seus propnos recursos,
para que veDja qaem tiver aioria.
Seri tudo isso dito de animo sincero* Buscara a
presidencia armar ama cilada, recomraendando
em publico a nbafenfo, e ordenando em secreto o
venc ment a lodo o transe T
Assegoram amigos do Exm. Sr. conselheiro sit-
veira Lobo, qoe elle declara qae ao seu partido da
as autoridades policiaes, e qne o mou faQa o mes-
mo partido, sem contar com a torga publica, nem
com as providencias e declsSes apropriadas ao
momento.
Veremos brevemente como desempenba o tira.
Sr. conselheiro a sua palavra, e o qae encerra esse
mysterioso au.
Como quer qae seja, o voto e exerelelo da so-
berana naelonal, e o acto mais grandioso da de-
moeracla no rgimen representativo. Base de to-
do o'systeraa. elle de suprema impa-iancia; por
isso, qaaesquer que sejam, poi, afdifflculdades
suscitadas pelos agentes do poder, compre a massa
dos cidadaos nio desprezar a pratlca de to an-
gosto direito. A ofJpbsico nao recaar.
Ella marchar para a eleico conscia de ir exer-*
eer um direito vital; e n'este protosito se mantera
com energa e dignidade.
Assoalham os governistas, qae levarao todo de
vencida. Nao vimos liogoagem mais desabrida.
Aoode nao se vencer por bem, vencer~se-ba por
mal (dizem os progr de violencia ; oes confiamos nos melos legaes.
Na rbita da lei, estar a opposico firme e sos-
tentar-se-ba.
Se a violencia das autoridades nos provocar,
nem por Isso nos acobardaremos: eom a forca do
direito resistiremos a' forca do arbitrio.
Vamos, pois, resolutos a's urnas de 3 de feve-
relro, e apparect a verdadeira expressio do voto
nacional.
Eis o nosso grande intento, e o aoMto do nosso
patriotismo.
< Da mentira farei o mea escodo;
Duer sempre a mentira meu estado.
(A.B.)
Un autor acreditado disse qoe quem mntt por
oficio falla sempre verdade. A razio ciara. Nos
mentirosos habituaes a nica verdade t men-
tira; logo ditera a verdade qnando mentem, por-
que nao sabana otra verdade seaio a mentra I
Isjo se applica precipuamente aos seribas da fao-
cao progressista. Esta pobre gente, nao tendo a
base dos principios e das ideas, qae o o nico
aliment das disoasades polticas, procura sapprir
esto falto coa t meo tira e o embosto. Al certa
|liiltfti|lMi SIiTtT" 'aiio. Boraue oda um da o qoe
em I Raxao, {.. m, nao teriamos ns, s. 09 dei^
Impunemente. E pora, desmas-
Idade indeclintvel.
ipoBdenoias ligueiras d'aqo
corte, atoo podo deixar de iba
icoairam-se abi romanees ou
qoe causaran i oveja ao
\ouro de Apolelo I Qoe fertli-
a tsaaginago de aro progres-
RMBAQAI.
Ao passo que o Exm. Sr. cooselnfirl Silvera
Lobo expede circalares, recommendajjlol a oao in-
i: rveogo das autoridades policiaes na oleigi, os
subdelegados de polica d'esta capital ejxcedem-se
no uso de meios reprovados de intimtdtBo contra
os votantes. p
S Da freguezia de S. Jos o subdelegpdo poz em
campo 95 inspectore; de quarteiro ; e-festes cora_
o subdelegado s lera linguagem
tra os votantes. >
A uos intimidam com o recf utaraento. Boda a
eleico, a outros declarara formalmente, que sero
presos como designados para o kerviso da guerra.
Estas aroeacas sao to publicas, e fazem-se com
tal alarde, que espanta ver o cinismo, com que oa
capital se procede.
Eis o calclo da liga : 95 inspectores e t sob-
(I-legado, sao 96; cada nm d'estes alera do proprio
voto arraoja 5 volantes : portanto tu temos 676
votos, e assim ganba a eleicso do S
Como calculista o Sr. Dr. Lopes I
PEDIDO DB INF0BMAQ0B8.
Era 29 de dezembro o Sr. Dr. chefe de polica
disse ao Dr. Alfredo qae S. Exc. o Exm. presiden-
te da provincia tinha combinado com elle mandar
nm expresso a Goyanna com o offlcio, em que se
pediam intormacoes a respeilo do snbdelegado
Montenegro, e aquelle doutor fea-Ihe a segrate
observacao : Veja qae o roez de jaueiro passa
muito rpidamente ; as loformac5es talvez s che-
guem depois da eleico. A isto respondeu o Sr.
Felinto, qoe eslava disposto a dar remedios promp-
tose enrgicos (ob I oh I).
Em 7 de Janeiro estando o mesmo Dr. Airreao
com o Exm. Sr. cooselheiro Silvera Lobo anda
nao tioba sido felio o ufflcio, que um expresso ia
levar s carreiras em 29 de drzembro. S. Exc.
exigi nessa occasio da secretoria o motivo, por-
que, apezar de suas terminantes recomroendacoes,
anda nao lima sido subraellido assigoatura o
encantado ufflcio.
Est acabado o mez de janeiro. OfBcio de necea-
dos I porqae aioda nao sahiste da secretaria do
governo I
O mais certo ter cansado o cavallo no cami-
nbo.
----------- 1 11 1 1 1
Srs. redactores__Sroente agora me chegou as
mos o Diario das Alagoas, em que foi publicada
a missiva, que se Ibe mandou de Peroambuco so-
bre negocios da erapreza dos trilhos urbanos, e no
qaal rae sao destinados varios periodos ero que, a
par de miseraveis calumnias a' roiuha reoutacSo
como capito qne fui do 3." corpo de voluntarios
organisado nesta provincia, sob o comraaodo do
finado te .ente-coronel Joo Paulo Ferreira, se me
faz a aecusaco de, na quahdade de conductor
d'aquella erapreza, insultar a" pessoas qae roe sao
superiores e nao guardar coro os passageiros a
delicadeza e urbanidade que Ibes sao devidas.
Se lodos conhecessem o autor d'essa missiva eomo
uro tresloacado qae de genio arrebatado, em-
peinoso e incapaz de medir a responsabilidade dos
seas actos, deixaria que o julgassem e a mira, urna
vez que pusso appellar para meus corapanheiros
d'arroas sobre o modo porque me bouve na com-
missio, a que fui chamado em servico do palz, e
Os Srs. .
i' AfTonso de Alboquerqae Mello, advogado.
2 Angelo Hmr|oe da Silva, idem.
3 A poli na rio Pejeira Baduem, artista.
4 Balbino Romo dos Santos, idem.
5 Bartholomeo Gnedes de Mello, negocio.
6 Beato Borges da Firoseea, advogado.
7 Casimiro dos Res Gomes e Silva, artista.
8 Domingos Suriano Cirdim, negocio.
9 Elias da Rocha Pereira, artista.
10 Francisco Dornell s Mondnry, dem.
11 Francisco da Rocha Passos Lins, negocio.
12 Geraldo Hennque de Myra, idem.
13 Goncalo Alves Tavares, idem.
14 Ignacio Bento de Lyela, idem.
15 Ignacio Gomes Porto, artista.
16 Joo Bernardo de Siqueira, dem.
17 Joao Bapti>ta de Paula Ozono, idem.
18 Joo Feroaodes da Cruz, Idem.
19 Joo Paulo de Souta, negocio.
20 Joaquim Bernardo de Castro Ros, artista.
21 Joaquim Bernardo de Figueiredo, brigadeiro.
22 Joaquim Gregorio dos Reis, artista.
13 Joaquim Jos de Sant'Aana, idem.
24 Joaquim da Silva Reg, escrivo.
25 James Eoeas Gomes da Silva, artista.
26 Jos Fran isco do Carmo, dem.
27 Jos Francisco Carnelro, idem.
28 Jos Joaquim do Reg MendonQa, idem.
29 Jos Narciso Camello, advogado.
30 Jesulno Bibiano Monleiro, artista.
Si Lolz Francisco Xavier Pires, idem.
32 Manoel Antonio Pereira, idem.
33 Marcolino Lopes da Costa, dem.
34 Numa Pompllio de Loyola e S, idem.
35 Rufino Jos da Costa Piolo, Idem.
36 Raymundo Pereira de Siqueira, negocio.
37 Salvador da Rocha Oiiveira, padre.
38 Severino Jos do Naseimento, artista.
Os liberaos e conservadores da freguezia de Sao
Frei Pedro Goncalves do Ricife, compenetrados da
necessidade em que esta' o palz de erguer-se do es-
tado de abjeegao em que jaz, accordaram em fa-
zer ama chapa de eleitores para a prxima eleico
de 3 de fevereiro, na qual fossem incluidos, cida-
daos bastante conbecidos por suas opmi5es polili
cas; porm bastante indepesdnles.
Neste intuito, Ozeraro, e apresentam a seus cora-
parochianos a chapa, que julgam recommen-
da-la.
Os homens sensatos e que lastimara a desgrasa
do paiz, que nnidos se levantem.
Para eleitores da freguezia de Sao FV Pedro
Goncalves do Rectfe.
Os Srs.:
l. Alexandre Rodrigaes dos Aojos, empregado
publico.
2 Antonio Raftao de Andrade Luna, professor.
3." Amonio Gomes de Miranda Leal, negociante.
4.* Anastacio Jo- da Cosa, comraerciante.
5. Antonio Henriqoes Mafra, proprietano.
6. Bruno Alvaro Barbosa da Silva, commer-
ciaate.
7. Cosme Jes dos Santos Callado, commer-
ciaote.
8 Candido Alfonso More 9 Estevo Jorge Baptista, artista.
10. Francisco Ignacio Pinto, Mloeiro.
11. Herculano Jos Rodrigues Plnhelro, pratico.
12. Capillo Jos de Sa Leito Jnior, nego-
ciante.
13. Joviniano Fernaades da Silva Manta, empre-
gado publico.
14. Jo= Raymopde da Natvidade Saldanha, pro-
pietario.
15. Jos de Aqalno Fonceca, corrector geral.
16. Jos Pedro das Neves, coraraerciaote.
17. Jos Marques da Costa Soares, commer-
ciante.
18. Joao Marques Correa, commerciante.
19. Dr Manoel Franci>co Texeira, medico.
20. Manoel Francisco Marques, negociante.
21. Man)el Estanislao da Costa, pralico.
22. Manoel Jos Baptisla, pralico.
23. Pedro Barral da Costa Soares, comroer-
cianle.
ILLES SIM, TEM LICENQA PARA t
Era AfogadosoSr.JoseRokrt.^r j pobich,
que ha de mandar al cortar orei. o as verme-
Ibos : qne o primeiro, que Ibe paga o ov* o ve-
Iho, o nosso prestlmoso amigo o Sr. lente co-
Tonel Manoel Joaqaim do Reg e Alboquerqae, a
quem o Sr. Jos Roberto era sua ira proclama que
responsabilisa pelo que soffrer Joo Grande. Jola
Grande, condecido faccinora, nm sicario, tendo co-
mo refens o respeilavel Sr. Manoel Joaquim do Reg
e Albuquerqne 1
Cortar orelhas I... S paragoayo I
Todava, tudo se ha de ver na anarchia em que
vamos.
Apando, porm, se promelle jasta represalia,
oh T que planos sinistros qne teosos verraelhos I...
Nao aggridam, nao ameacemp qae o mesmo fa-
rcinos nos* Mas a Situaco foi quem primeiro
disse, que-se hade trocar vida por vida I Nao
seja tai vez a de um sicario .pela de algum ho-
roem de bem.

IOJCA.
Ja' se sabe qaal o piano eleitoral, qne os pro-
gressistas preteodem executar em Ipojuca. Na rea-
hdade faz honra a' SituaeSo da' ama certo cele
brdale aos seus ejecutores. 1
Dizem que no dia da eiecao aprsentam-se na
matriz coro a acto da organisacao da mesa feita
em casa ; suscitam-se.reelamacoes, que a sorpreza
naturalmente causara',offlcios a presidencia,
intormages que esta ba de exigir ;talvez algum
adame te, por motivo de algnm tumulto, at que
veaba torca, qae preste garantas aos membros da
mesa ;e, era qaanto se faz isto, no terceiro ou no
qaarto da trazem a acta da tpuracao, e, /lait co-
ronnat opus.
E' ama nova edico, raais correcta e augmenta
dada eleico de 1863.
Ento, o qae boave fei iraocarera-se na matriz.
compare
m, one a tac-
;qoe lado
Mtoenu-
e abrirm as portas, dando por coo
sem forma nem figura de processo,
cimento dos eleitores etc. Agora di
tica anda mais fcil a terminant
ja' vera feito de casa, e o governo
cara' o que se fizer. a
- mid, senbores, assim que o progn
osla' de aceordo cora a raoralidado d
racter. O progresso nao oalra eoosa. Ea
qu ha correligionarios de bom cunho,,
tas as direilas :homens qoe soprosum.'a subi-
ere verem ama faUdade pobtlca eom Aio o des
plante, e que appareeem depois entro a gente eom
a mesma cara at eom garbo e vanggjria da proe-
ii que prttictrara.
Esto facto celebrava certo amias, dando gar-
galbadas as mais estrepitosas, nao/ mallo lempo,
atando eslava de humor de philofcpbo.
Mas, ato Ala o caso, o qae tontera, qae os
nosso amigos do Ipojaca se premum, que tornera
providencias contra a defraodacip de seos direitos,
dado que se pooba por obra o Irieio ; e que S.
Exc. o Sr. eontelBelro Slvetrt
com ante cadencia do planoy
fleugraa, total a moderacao
tora sao lestemunhas todos os passageiros dos.tri-
Jilos urbanos da delicadeza as vezes extrema, que
teoho por costume distribuir a' todos. Entretanto,
porque nem todos sabem que o autor d'essas liabas
jocorrectas um dos passageiros dos trilitos, a
qoem teoho sido obrlgado pelo regulameoto a ad-
vertir por vezes pelo sea proceder reprehensivel e
extranbavel em um moco ero que se deve suppor
urna certa eduiaco, jalgo de hora aviso respon-
der-lbe
k Sao calumniosos os factos qoe me arge, e as
palavras que poz na bocea do tenente coronel Joao
Paulo, a cuja memoria sou aqu testemunho de
gradae pelos desvelos quasi paternaes que sem-
pre me dedicoa. E' possvel que, entrando era
ama carreira nova e logo cora a responsabilidade
do commando de uroa companha, alguma vez me
mostrasse desaprendido nos meus deveres. Mas
o que posso afflrmar, e o que podem dizer todos
os meus compaaheiros, que nem por ordem do
dia, nem por entro qualquer meio se me fez ad-
vertencia. Sempre honrado pelos meus superio-
res, de nenhum tenbo queixas nem resenti-
mentos
Isto qae afflrmo, provoco o miseravel detractor
a qae negae, raediaote provas, e nao por actos de
memoria, em que se mortra frtil.
Sollicitei e obtive dispensa do servico, como o
flzeram muitos, e quasi todos os meus compaahei-
ros depois da dissoluco do corpo, a que perten-
eiamos. A morte do nosso commandante veio jan-
car entre os offlciaes a mais completa desolacao e
desanimo.
Qaanto ao que respeita ao modo; em que me te-
nbo conduzido na empreza de que sin empregado,
ahi esta' o publico inteiro de>ta cidade para dizer
de mim o qoe verdade.
Proearo camprir os meas deveres sera onensa a
qoem qoer que seja, e se urna oa outra vez tenho
sido obrigado a' fallar em nome do reanlamenlo e
eom a suraotorldade porque infeb-|iente nem
todos sabem am sea dever dobrar-se'as exigen-
'cias-yrego|amentdl aprovado pelo poder compe-
leote. Iolnaram-rae"4esde a Infancia a respailar
a qaem o merece, e como empregado que sou da
empreza, creio oi < haver neorrlda no desagrado
Para eleitores da freguezia de S. Fre
Pedro Goncalves.
Os Srs. : ,
1 ArminioPessoade Albuqaerque, coromerciante.
2 Andr Xavier Vlanna, idem.
3 Alexandre Americo de Caldas Padilha. Idem.
4 Antonio Jos Silva do Brasil, negociante.
5 Antonio Jos Pestaa, proprietario.
6 Antonio Manoel da Assuropco, vigano encom
mondado.
7 Antonia Texeira Pixoto, commercunte.
8 Antonio Theodoro dos Santos Lima, de-pa-
cha nte.
9 Antonio Reinaldo de Miranda, artista.
10 Felisberto Ignacio d'Oliveira. negociante.
11 Hermenegildo Aoton'o Barbosa d'AIraeida, ca-
pitao de mar e guerra.
12 Inooceocio Xavier Viaoaa, fiscal.
13 Joao Baptisla da Silva, artista.
14 Joao Gomes de Oiiveira, artista,
lo Jos Raymundo da Natvidade Saldanha, pro
prletario.
16 Joaquim Feiippe da Costa, negociante.
17 Lourenco de Albaqaerque Mello, coramer-
came.
18 Luiz Antonio Goncalves Penoa, dem.
19 Luiz Eloy de Miranda Durao, dem.
20 Luiz Francisco de Paula Ramos, idem.
21 Manoel da Suva Mendooca Vianna, proprie-
tario.
22 Manoel da Silva Neves, pratico.
21 Sabino Jos d'AIraeida, commerciante.
O oleo de figado de bacalho ferruginoso
de Chevrinr, pharmaceutico em Pars, subs-
tuue se com multa vantagem as pillas e ao
xarope de iodoreto de ferro mais fcil de
tolerar-se para as pessoas delicadas asseme-
lua-se muito mais bem e n5o provoca a cons-
.pc3o.
Deposito em Pernamboco, casa de P. Maa-
rer & C. roa Nova o. 18.
B. P L.
Pllolaa purgativas *> veame-
Este inestidhvei especifico, composto n-
teiramoDte da planta do nosso paiz denomi.
nada-yvelame e seus adjavantes, benigno a
mais teora infancia, e a compleigao mais de-
licada, Igualmente prompto e seguro pa-
ra desarraigar o mal na corxpleic. o mais
robusta; aleiramente innocente em sujs
operac5es e effeilos; pois busca e remove
as doencas de qualqoer especie e grao, por
mais antigs e tenazes que sejam.
Muitas pessoas curadas com estas pilla?,
conhecem s virtudes e effeitos lefias; algu-
mas, que estavam s portas da morte, pre-
servando seu uso, conseguirn) recobrar a
saude e forcas, depois de haver tentado ou-
tros remedios.
Os chefes das familias nao devem entrt;-
gar-se a desesperado ; facam u mensa 10
dos efficazes effeilos destas pilulas, c pres-
tes recuperado o proveito da saude. Ra-
zos bem ponderosas exislem, pelas quaes
devem ellas ser preferidas a outras mili-
tas, que s5o expostas a venda.
Primeira por ser do urna planta do lo-
ds que habitamos, e nao ser inferior os
atus effeitos as que nos vem de outros pai
zes; segunda, porqae deste modo qtn
se acoroca a nossa industria, e estisio \i-
alcance de todos. Ha bem poucos dias do
mos publicado neste Diario um discursode-
iUustrado Sr. Dr. Sarment em que nos cov
monstrou esta verdade; terceira, porque
uas at quatro pimas produz na mais rop-
busla natureza, o effeito urgativo semd
offensa e irritaco das entranhas e das ou-
tras sao precisas quatro e seis para esse
effeito, sendo que as caixas contm 36 pi-
lulas e as que veem de fra a maioria teein
24.
Qoando digo cima: benigno a mais tenra
infancia, porque podem ser applicadas aos
meninos de peilo; e explico como: cortai
urna pilula em duas partes, arredondai, que
a massa a isto se presta, abr a bocea da
creanga, (se fr de mezes e dias em 4 par-
tes) e botai urna das duas partes perto da gai -
gaota, dai em cima urna colher de sopa de
agua fria simples ou assucarada ou mais se
fr preciso, at que a pilula seja engolilla,
e dahi algumas horas applicai novas co-
lherinhas de agua, sem esfrco porque se
houver se le, ser recebida pela creanca
com agrado ; e continuai no espaco do dia
a esperimentardes se ha sede, para salisfa-
zerdes. Obscrvai a vossa creanca, vdese
pilula produzio effeito purgativo, para ver
se a tarde ou a noite preciso dar segunda,
continuai com este tralamento, sede perse-
verantes at o complc'.o.restabelecimento:
Um facto bem notavel de recente data me
tem convencido desia verdade. O meu ami-
go o Sr. Jos Lopes Roxa, asss conliecido
nesta cidade foi bastantemente atacado do
nervoso, apontoque o seu medico assisten-
te mandou-o sabir do Poco da Panclla, logar
de sua resHenca, para esta cidade ver su
com os banbos salgados poderiaobter favora-
vel resultado a sna doenca, vendo que os ba-
nhoss por si nodavam resultado satisfato-
rio, visto que de momento momento soffria
frequentes inquietaces, demodo a nao po-
der dormir, appliquei-lhe pela primeira vez
urna pilula purgativa de veame, e a noile
urna colher de xarope elhereo de veame
dissolvido em urna chicara de infuzo de a'.-
tha com o que se tem dado muito bem, e
todas as pessoas de sua familia, conhecem
grande melhora que senteed, pois dotesrco
nho tem elle usado pela manha urna pobt
la, e a noile a colher do xarope dissolvi d
na chicara de iuf.izao de altha com um
papelinho de pos refrigerantes.
E' j bem conhecido que em todos os ca-
sos sao as evacuaces um forte remedio con-
tra as infermidades; e em qualquer delles
necessario faze-las diminuir gradualmente,
para que o seu affeito n5o cesse de repente,
E' conveniente o exercicio moderado e com-
pleta abstinencia no uso de habidas espiri-
tuosas, salvo os que estiverem acostumados.
que poderao fazer uso de urna pequea quan-
tidade de vinho simples ou com agua.
Assim nao se perca tempo em tomar es-
las pillas para qualquer das segantes in-
fermidades. Podendo as que usarem ael-
las continuar em seus negocios, visto que
Do preciso resguardo.
OIPUIDM. LICIO un u'i '-""V'T- -" ~
dos meos ebefes aoe sio as prfineiras leftemonbas,
do qoe s vezes se soffre de pessoas loetmidera-
das e desrespeitadas, eomo entre ootros o aoter
dessa missiva.
Racifa 31 de Janeiro de 1867.
Vicente Silva.
O oleo de figado de baalho desinfectado
de Chevrier, conserva as qnalidades e pro-
priedades reconhecidas ao oleo de figado de
bacalbo ordinario; o seu chairo e gosto
sSo muito agradaveis, e a dtgesto faz-se fa-v
cilmente.
Deposito emernamboco, casa de P. Man
rer 4 C, ra Nova d. 18.
Bao* sabeno
o qaal toda a
OOCI.
J SR
onza
OBMemos
cara-los
Qoem ler as
pora osjornae*
cabir o qoeizo I
eoatos tio eof
proprio Burro
dada lasciva nao
sti tal
As daas nigua, correspondencias para o Mer-
ONDt
O tenenle-cor nel
guarda-nacional de Atojado
da presidencia, que Ibe fol'
mando superior, expedlo
mandado^oaas pracas do
destaearam se fetirasem;
Carlos, doudo, ~
orna soiemnissima
eabo qne la so aetaava
lie (ol dar parle da orden
ordenou, qoe nenbara olcf
era a' eitaMa nao ao bjhbmanda
qae elle nio faua caso alpe, q
Bbam de obedecer.
Era eonseqaeneia disto deizaraa
BMOl
kole do bataUioda
coeDOrtndo a ordem
ida pelo cem-
_ LiuoBiro,
ooe para all
lampn se, passando
lora aosaofeotoou
yraeas, qoando este
reeaUdo ; 0
d*alli; qoe
batalbio de
soldados ti-
[destacamento
Partido, liberal. ;
Pan eleitores da fregueiia de S. Jos do Re
cite.
Oft Srs '
i Adalberto Be lar mico da Silva, artista.
I Alexandre Joaquim Coelho da Silva, idem.
3 Antonio Carlos Pereira de Burgos Ponea.de
Len, solicitador.
4 Antonio Perciliaoo de Barros Marlnho, an
lista. i
i Beroardino de Senna Ferreira Lelte, nego-
cio.
6 Cielo da Costa Campello, idem.
7 Domingos Francisco Dares, artista.
8 Francisco Januario Nones e Silva, idem.
9 Francisco de Paila; Mariobo Falco, dem.
10 Francisco de Paula e Silva Los, idem.
II Francisco Pereira da Cnnba, offieial militar.
11 Fraoklin Netto de Azeredo Cootinbo, artista.
13 Galdino Ferreira Gomes (Dr.), advogado.
14 Joo Baptista do Reg, negocio.
15 Joe Paraphilloo Cavalcante, negocio.
16 Joio das Virgens Mola, artista.
17 Joaquim Januario Jfunes e Siva, idem.
Accidente epilpticos.
Alporcas.
Areias (mal de)
Asthma.
Clicas.
Gonvulse3.
Debilidade ou exte-
nuacao,
Dysenteria.
Dor de garganta.
Dor de barriga.
Dor nos rins.
Dnreza no ventre.
Dita no figado.
Ditas veneraes.
Enxaqoeca.
Erysipek.
Febre Biliosa.
Febre intermite
Febre de qualquer
especie.
Lottatne.
Vendem-se as caixas
1

Hemorroidas.
Hydropesia.
Ictericia.
Indigstio.
Inflammaces.
Irregularidades da
menstruaco.
Lombrigas de toda es-
pecie.
Manchas na cutis.
Obstrucc5o do ventre
lnflammac5o do pul-
mao.
RetencSo de ourinas.
Rheumatismo.
Symptoma secunda-
rio.
Tumores.
Tico doloroso ou ne-
vralgia.
Ulcera.
Vial venreo.
rs. na bo-
Anacahuila peitorai de. Rcmp.
A academia medica de Berlina tove per-
feitamente razio em seo jodicioso julgamen-
to em proounciar o sueco da balsmica ana-
cahoita moxicana, como om especifico posi-^
jjvo e infallivel para todas as irritacSes 00
inflammaces de garganta e dos vasos bron-
chios.
N5o ha penbom caso de ronquidio, tosse,
catarrho, excoriado da garganta 00 irrita-
c6o dos bronchios qoe possa resistir as suas
admiraveis qoalidades anti irritantes.
Ella restitae a voz quando perdida ou en-
flaquecida, pelas affeccoes ou sensaces de
aspereza no palato; faz cessar a expectora-
do sanguinia e impede a accumulacao de
mucosidades nos orgos da respiracSo que
partem dos pulmoes.
Inteiramente differente na sua composic^o
de todos os mais peitoraes manufacturados
de* fructas adstringenles, cascas, raizes, etc.,
o mesmo nao contm nenhum acido prus-
, a 15000
tica do abaixo asignado na ra Direita n.
88. e de urna duzia para cima a 800 rs. ca-
da caixa ; contm* ama instruccSo, para ex-
plicar o modo de usar-se destas pilulas, tra-
dando de cada urna das molestias de per si.
A instruccSo est assigoada por meo pu-
nhe, para evitar as rJUaces.
Jos di Jtocha Pranlos.
5S
V-
COMMEEGIO.
PRAGA DO RECIPE 31 DE JANEIRO
DE 1867.
As 3 }i bofas da Urde.
Algodo-1' sorte 10*300, 15*400 e 15*500 per
arroba.
Assucar uiascavade porgado 1*400 por arroba.
Silvera,
Presidente
Macedo,
Secretario^*

Novo Banca de PerianbDco.
O Novo Banco descoma letras de prasc at q,aa-
MUTILADO


t




\
wm


^n
" ""

tro meies a 8 0,0 ao
i0 0|0
Blarf de Perwtow >ft^ M I ** F^erelr* de 1867.

anno, e de malar praso a te* (fm se podem
NOVO B4\C0 DE PER
NAKO.
0 novo banco paga o se-
gundo dividendo de 4,4 QjO
da massa fallida de Joaquim
Jos Silveira.
Cnixa hlial do bane do Brasil em
Pernanauc. aos 10 de Janeiro d
1867.
De ordem di directora se faz seiente aos se-
chores accionistas que o tbesourero esta' autori-
sid) a pagar o 26 dividendo das aceias desta cal-
za a razo de 12*.
O guarda-livros
Ignacio Nones Crrela.
_ aprovertar, avallada em 1:0004 lampos CorJe Dr Prinoitm i^.a .. a.
I Ath.nasia de Jeso*4>ua
da D. Rita Mana Frani..-.
de 5:0004; sendo a avaliacio total
ALFANDEGA.
Rudimento de l a 30 do corrente.. 871:1384609
dem do da 31................. 29.0654633
900:2014242
MOVIMENTO DA ALFANDEGA.
124
43o
Voluntes entrados com fazendas..
< gneros....
Voluntes sabidos com fazendas...
* gneros....
-----359
189
288
-----477
Desearregaro hoje 1 de fevereiro.
B irca portuguezaSilvamercadorias.
Patacho ingleGeorgiana idem.
Birca InglezaImogene laem.
Patacho portuguez Fernandesidem.
Barca nacionalRato -idem.
Barca iogleza Isabella Harnell -idem.
Escuna hespaohola Vestal idem.
Polaca hespaoholaElegancia idem.
Brigue ioglez -Peoneerearvo.
Barca InglezaGraslang-idem.
Barca inglezaRanymonddem.
Brigue suecoJohantus idem.
Brigue holiaudezPsrseverancecharqoe.
Escuna hollandeza-0 Fr_charijue.
Brigue nacionalEsperan;*dem.
Patacho porluguez -Gnrret-idem.
Patacho banoveriaou 'oncordiaidem.
Bngurt argentino-Kootr-idem
HECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
GERAKS.
Hendimenlo de 1 a 30 do corrente 34:5331189
dem do dia 31 ............... 1:8174440
36:3504629
. das tres partes
&.?*" '4lUi ecu,d 3:0004, o qual
a peoborado por etecaco de Jos Aot-iatoWi-
reir ias contra as mencionadas ejecutadas. ,
a.ri.x h*Tend<> '"ncljf que cubra opreco'dt
^&-aarre.malai()S8ra'/'a Pelopreco da
adjudicacao na forma da le.
..3, qae che8ue o coohecimento de todos,
raandetpassar o presente dital, que aerifubli-
"0 pMa imprensa, e afflsado nos lugares do
costme.
Eo Manuel Maria Rodrigues do Nasclmenlo, es-
crivao, o subscrevl
TrtstSn de Alenear Araripe.
O Dr. Tristo de Aleucar Araripe, o Ble i al da impe
nal ordem da Rosa, e juiz espeoial do cotnmer-
cio nesta cidade do Reclfe de Pernambuco, por
S. M. L etc., etc.
Faco saber aos que a presente edital virem e
delle noticia tiveram que no dia 25 de fevereiro do
anno prximo viodoaro se ha de arrematar por
yenda a quera raais dar, em praga publica desle
juizo, as tres quintas partes do sobrado de tres an-
dares n. 47, da rna da Impera trix,fregaaxia da Boa
i isla, era chaos foreiros, com trila e qoatro palmos
de vo de largura e cenlo e cioco de fundo, duas
salas e qoarto qoartos em cada andar, coiioba f-
ra, no primeiro e segundo andar, e tambem no pa-
vimento terreo, com quintal grande e murado e
divide em roeio com mais um quarto, e estribara
em dito quintal, e cacimba, avaliadas ditas parles
por 12:0004000, seodo a avaliacao total do mesmo
predio de 20:0004000 Aos quaes foram penbo-
radasjtorexecuco de Southall Mellors& a con;
Ira Joo de Siqueira Ferrao. E nao havendo lan
gador qoe cubra o prego da avaliacio, a arremata-
gao ser felta pelo prego da adiudicagao na forma
da le.
E para que ebegue ao coohecimento de todos,
mandei passar o presente que sera publicado pela
imprensa e afiliado nos lugares do costme.. Re
cife, 19 de derembro de 1866.
Eo, Manoel Maria Rodrigues., do Nascimento
escrivao, o subscrevi.
Rodrigues de Souz, Lniz Amavel Dobourcq Ju
olor D. Mirjana RJbeiro daLapa.-Viceme Ferreira
Gosta.
MARTIMOS
ISPiHA BRS
DE
Paquetes a vapor
v Segunda edicao.
BSosSfln;'yf ,Ma ,DelrC deC,m:" 'l *
meros daos, pelos Quaes por urna imnlM mol i
ts c,rr&'mpoS a? oifisinis
iuDior. Esta otilissima ptiblicacao est' qoasi ra-
gufada, b o poneos exerottores que r'stam .e
,iM Ca<18'"' wrt wiwm-se em
\ aS a annaa. <> segundo andar da ca-
sa da praga do Corpo Santo n. 11, an> de com-

primaria dirigida pelos padres je uitas.
Os papres Bmlo Scbsmi,ri eHarlo Arclonl aulwados neio
:a a *r*rem urna aula de nstrocgaoelemenur* outra '
tinaannoncrasaao respeitarel puWico qoe estas anlas lero
paltica a *rJrem urna attfa de instruegaoelemenuV*"ui l'vT^v*
ro do correora uo.eePe'UTeJ S,0MK0 "" "'" aQ'a ,er n
Dos porto do sul esperado pr2!i?1,,?po riptono da compaithia. Peraambucaoa 1
fevereiro de W67.
Pelo gerente,
lostioo, Jos de Souza Campos.
at o dia 8 de fevereiro o vapor
Paran, commandante Santa Bar-
bara, o qual dep>ls da dentara do
costume segoira' para os pertos
do norte. w F
Desde ja' recebem-se passageiros e engajs-se a
carga que o vapor poder cocdozir, a qual deve-
ra ser embarcada no da de sua chegada; e en-
commendas e dinheiro a frete at o dia da sabida I por este Dmno "oa o mande a"r5a
de
J" Va d? rna (,a Fra,a no dia 30 de laaerre.
ora quartao alazao, castrado, com esplnhaco
ladb de sarna, sobre coja pelladra le+ava
: roga-se a quera o liver pegado
conwlb't de in-troceio Ttv-^
e luiiiua la- ^*
* de feverer- &-
**E>^^ ,or" **"- **
eh!;S^H2,^3M*6,a,,,ar a ,,,,roc5ao df os podero-
eurTlTJlZlTnlt^'09 *** "*- > a.me.0- dia.
Estas aulas fubeawnam na ra- dos Pires W.
que sera' recompensado.
pel-
eoxo-
que aoouncia
do Apollo n. 8
EECURAO-3.
Para Lisboa.
Vai sabir cora muita brevidade a v^le ra e bem
conhecida barca ponuguezi Gralidao por ter
grande parte da sua carga prompta : pjra o resto
9 passageiros trata-se com Ullveira, Filho, & C,
o capito, na
MOVIMENTO 90 PORTO
Navios entradas no dia 31.
Rio de Janeiro27 das, brigoe portuguez Laia I
le 270 toneladas, capilao Antonio Francisco,
Vieira, equip3gem 14, em Usiro ; a Euzebio Ra-
phael Habello.
Rio i Janeiro20 dias, brigue inglez Londisfarni,
i 445 toneladas, |capit.io G. Herd, equipagem
10. em lastro ; ordem.
R'o de Janeiro e BibiaVapor americano 0-
Iiihj Star, de 2,500 toneladas, commandante Slo
ciro, equipagem 80, carga differentes gneros:
i llmry Forster A C.
Navios saludos no mesmo da.
I.ha drt Fernando Corveta
leopoldina, commandante
Castro de Araojo.
Pjrus do norteVapor brasilelro Ipojuca, cora-
ra, ndaote I. 1. Manins.
Rio Grande do SulB--igui portuguez Rio Vouga
capito Francisco Pereira Coelho, carga as-
sucar.
Lisbu Brigue portuguez Soberano, capitio Ma-
noel Bernardo Bugimgao/a, carga assucar e ou-
[ros gneros.
BarcelonaSumaca liespanh 'la Travialm,
Geraldo Csale, carga aljodo.
a vapor transporte
o primeiro tdoente
Santa Gasa da Misericordia
do Recife,
A l lima, jnnta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife manda fazer publico qae
nojdia 7 do correte pelas 4 hoas da tarde na sala
desuas sessSes. tem de ir praga a renda das ca- largo do Corpo Santo n. 19, ou cora
sas abaixo mencionadas para serena arrematados Pra5*-
por alogoel pelo lempo de um a tres annos.
Os pretendenles deveao apresentar carta de Gan-
ga oo serem acompanbalos de seos fiadores oo
cora cartas dos mesmoes.
Es la heledme nlai 4e caridad e.
Roa dos Pescadores.
Casatarrean.il.......2164000
Roa da Gloria.
Casa terrea n. 5o.......1444000
Ra do Calabouce.
Casa terrea n. 20......1924000
i'alriniMno de erphos.
Ra da Cadeia do Recife.
Sobradcde dous andares o. 37. 1:2005000
Ra dos Burgos.
. 1015000
***f*: gencia rna da Cruz n. 1, escripto
no de Antonio Lniz de Olieira Azevedo A C.
Barca Silva
Pretende seguir para Lisboa e Porto cora a
maior hrevidade possivtl, trata-se com o? seus con-
signatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo 4
** no seo escriplonojoa da Cruz b. I.
Para o Rio Grande do Sal.
O veleiro patacho Sol, pretende seguir com mu'-
ia brevldade, tem parte de seu carrcgimento
prompto, para o resto que Ihe Ma trata se edm os
seus consignatarios Anton-o Luiz de Oliveira* Aze-
?eio & C, no seu escrlptorlo ra da Cruz n. 1 on
com o capito na praga
Para o Para.
A barca brasileira Raio, capito A. M. CoMa e
SU va, segu com brevidade para o Para, por isso, Joaquina AA^Jua^zT T^TXL^
que ja tem a bordo parle do carregament : o res-' Praga da Boa-Vista bo S ai l nim'L 7
to recebe o frete : e tratar no escritorio d'mo- RWeifo Jnior' Sr' JiquirD ,gQC0
nmlrraaos ,'rna da Cruz n. 3.______________Nos raesmos lugares se receb ra asignaturas
Para Lisboa segu cara brevidade o brigoe < *W 8 flueiram tomar para i CortiodaEu
portoguez Florinda : falta-lhe menos de um terco roPa-
de carga que recebe a frete : para tratar no es-
cnptsrio d'Arcorim Irraao', ra da Croz n. 3, ou
com o capito Jo^qim Augusto de Souza.
Crrelo da Europa.
E etta um novo jornal publicado em Lisbea
?.^r, ,2l0,nd0 aD, Jroal Doze *IW, K
llznllrtt ""i"0 mal0r n,ere-Se Para os Pa'"S *
e.lraBgeros pela ampiido das noticias, contraer-
*3..** s d'outra qualquer especie,
aquelie jornal coqtm.
j/L a"80S- Srs f*W>>t do jornal hoz
J^ZST06*?' P3ra que> a> che"* ^ pa-
SSn f f',ropa*; se slrvam ma" buscar
SnJl*' que ^btiiuioasuaassigoa-
tura, nos lugares seggiotes : *
memo X.,,c""'ffa,*.doCorP0 S010. estabeleci-
E .1,' Srs-J?a,,r5' 0lVBra & C o. 6. Em
cim ntDdaD,s7P,a-a da lQdePeo^ncia, estabele-
cimeoto do Sr Joao dos Santos V.eira n. 22.
' JW-Rua Direila, estabelecimento do Sr.
COLLEfiiO M CfflWEICAO
PARA EDCAVAO' D&SEXU MASCOUNO'
Estabelecido no bairro do Recife, rum da Madre
Deas, em o anno de 1860.
E DIRIGIDO POR
MANOEL AL VES VIANNA.
de-
3

\
^
: -SS :aJ G faZflm sc eo> loe nao
respoosabll sarta por conla alguma contrahida
capltao d, brigue fnfrl^z: Christianna
bojeem diaote. Recife 31
Casa terrea a. 19 h .
Madre de Deas.
Casa terrea 94 .......... 168g000
Roa de Pilar.
Gasa terrea n. 94. .....168fT0iX)
Sitio do Forno da Cal n. o. 1505000
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recite 31 de jaodiro de 1836.
O eserivo interino,
______________ Pe<,ro Rodrigues de Souza.
- A Illraa. junta administrativa" da'Sata Casa
I de Misericordia do Recife recebe propostas para
I arrendamento das casas abaixo declaradas, as
quaes achando-se armiadas, serna arrendada--
pelos pregos mdicos a quera se quizer incumbir
I de concerta las
Para L'sboa.
Segu em poucos dias o brigue portugusz Con-
eeirao de Mana, por ter parte de seu carregamen-
t prompto : para o restante e passageiros, trata-
se com Oliveira Filho dt C, largo do Corpo Santo
n. 19, ou com o capito na praga.
Vende-se a polaca nacional Plateme
de 136 toneladas ou cerca de 7,000 ar-
robas prompta de todo o necessario a um
navio bem equipado, excedente construyo
forrada de cobre e omito velleira. Os pre-
tendenles queiram examina-la no ancoradou-
ro da carne secca e para tratar com Fran-
cisco Ribeiro Piolo Guimares: ra do |
Apollo n. 24, 2o andar.
pelo
Carnel de
de jaoeiro de 1867.
Ele colleglo continua a
as aula,
pbilosophi, rhetorca, desenho e m'uVica'
.f2r6!,C",1.ept,faa magistral ja esi bem Armada, a o- "
bem desemoetiharoraron mu ih<> ..nri. ____ '., "
ueral de
os seos

Os e.Malutos, assim como o franco ingresso
empre das 6 '
milia e de qaem mais possa interessar.
-.Musa _st:^t5^^ Stts ^
etTdrdrDl(la5?e. atS gf'Dde S"i0 na ,ravesfa d
de sobrad, m^ *"* T an,a flSPa^a casa
oe sobrado e mullos arvoredos : quem pretender
d,r,ja.se ao mesmo lugar sitio que tem PK
ninln'** **? UBn d4 albores cas*as
filia nml,r l***9 ^em Pre,eQder
, ir maeas* ,uoto a Dro'assora publica
Silva! alfaDdega cora Aniooio Machado Gomes da
Domingos
n. 3lio -da 4*
ciedade Auxiliadora
PAISA'
Pretende seguir com brevidade para o indicado
porto o veleiro brigoe escuna nacional Graciosa,
capito Silva Ralis ; para a posea carga que tlia
falla trata-se com o respectivo consignatario Aoto-
ho de Almeida Gomes : a ra da Cruz n. 23 1
andar.
Alves Matheus comproa o bilht-
lolaria a beneficio da Imperial So-
das Artes Mecnicas 3/4 do
qual petleacem ao SrfcFrancisco Mamede Aimeida.
. ~~ f.rtclsa"fe ,dt uma ami para comprar a cozl-
D-?r-J?:'r_uada Gruzu.O*, segundo andar.
n5~h VfU 'o*, u,na easa delrai ,,a casa~dleien-
gao nootem .Jl de Janeiro uma arara candida mul-
to manga e falla bastante, com uma argola de la-
ao em um dos ps : qoem a pegan querendo res-
tituir a seu dono dirija-se a loja de charutos
ra larga do Rasarlo n. 30, que sera
sado.
. mionca de Mmmaa
61.-Palacete doces de Anollo i.

na
recompen-
AVISOS DIVERSOS.
capito I Estabelecimentos de candado,
ueraioo csale, carga al^odo. ua ?,rf,'ta .D- 33"_
NBW York e portos intermedios-Vapor americano | t SSS II
ij-.iidmh Star, commandante Scolum.
EDITAES.
O D'. Tristo de Alenear Araripe, offlcial da im-
perial ordem da Rosa, juiz de direlto especial do
Ciimnercio desta cidade do Recife de Pernam-
buco, seu termo, por S. M. Imperial e Constitu-
cional o Sr. D. Pedro II a quem Dos guarde,
etc.
Fago saber aos qae o prsenle edital virem, qoe
a r. uenmento de Joaquim Jos Gomes de Souza,
acha-sa aberta a sua faileocia, pela senteoca do
to-'or seguate :
Vi-tos estes autos raost
2 que o coraraerclante de .
Gjroes de Sooza apressnta-se e requer declara-
ga i de sua falleucia que tambem requerera o cre-
dor Thomaz de Aquiuo Fposeca nos termos da pe-
t '.ii a folha 3 ; e porque assim esteja verificada a
ms ilvencia do supplicante a folha 2; hei por decla-
rada a sua fallencia e mando que nos livros, pa-
pis e bens do fallido se ponham sellos na forma
da !ei e se prosiga nos frutos da arrecadagao. No-
ra ei o curador fiscal o credor supplicante a folha 3
e seam os credores convocados para o dia 6 do mez
prximo futuro as 11 horas da manhaa na sala das
au liencias servindo tambem como curadores os
ere ores Uuarte Braga & C.
Poblique-se a fallencia por aditaes e pague a
massa fallida as cusas.
Recita 30 de Janeiro de 1867.Tristao de Aleu-
car Araripe.
E tnais se nao contnha era dita sentenga aqui
mu bem e fielmente transcripti e copiaa, e para
que teiiha lugar a respectiva nomeaco de deposi-
tario sao pelo presente convocados os respectivos
credores a comparecerera no da, hora e lugar ci-
ma designados.
E para que o presente chegoe ao conhecimenlo
de ioios, sera' publicado pelalmpreasa e afflxados
na forma do estylo.
Recife 30 de Janeiro de 1867.
Eu Secundino Eliodoro da Cunba, escrevente ju-
ramentado o escrevi.
Eu Manoel Maria Rodrigues do as
crivao, o subscrevi.
Tristo de Alenear Araripe.
O rir. Tristo de Alenear Araripe, offlcial da irape-
nai ordem da Rosa, e juiz especial do commer-
co nesta cidade do Recife de Pernambuco, por
Saa Mgestade Imperial e Constitucional, etc.,
Fago saber aos que o presente edita! virem e
oene noticia tiverem, que no dia 25 de fevereiro
o) anm prximo vmdouro se ha de arrematar por
a quem mais dr. em praga publica deste
venda
i0'20'ai irs -nln,as Partes do sobrado de tres a-
dires n. ^7, da ra da Imperatriz, fregoezia da
l. >a-V-ta, era cbios foreiros, com trinta e qnatro
palmos de largura e cento e cinco de fondos, duas
salas e quatro quarto, em cada andar, cozioba f-
ra no primeiro e segundo andar, e tambem no pa-
vimento terreo, com quintal grande e murado, e
divide em mel cora mais nm qoarto e estribarla
va dito iointal e cacimba, avaliadas ditas partes
por 12:OOi)4O0O, sendo a avliacao total do mesmo
predio de 0:0004. As quaes foram peoheradis
por execugo de Southall Mellors 4 C. contra Joo
de Siqueira Ferrlo. E nao navendo langador qoe
cabra o prego da avaliagao, a arrematagao ser
feta pelo prego da adjudicago na forma da le.
E para qae chegoe ao coohecimento de lodos,
mandei passar o presente qoe ser publicado pela
imprensa e afiliado nos lugares do costurae.
Recife, 19 di dezembro de 1866. Ea Manoel
Maria Rodrigaes do Nascimento, escrivao, o sob-
screvi.
Trisiao|de Alenear Araripe.
O Dr. Tristo de Alenear Araripe, offlcial da impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direito especial do
commercio desta cidade do Recife de Pernambu-
CVe1VntD0' W S- M- Imperial econstitucional
' V ro u a 1uera Daas garde, etc.
fago saber aos que o presente edital vreme
elle ooiicia tiverem qoe no dia 18 de fevereiro do
*oui prximo v.odouro se ba de arrematar por
Um terreno b. 26, cora 33 palmos de largo, lito
na ra da Croa do Recife, qoe do predio iocen-
dn,1a1 T, "?} c&r"preheodida as meiagoes
dos oiids do referido predio e materiaes existen
Ra do Pharol n. 72.
Ra dos Ceelbos n. 9i.
Becco do Abreu n. 2.
Patrimonio dos orphaos.]
Ra do Burgos n. 19.
Ra da Cacimba n. 19.
Ra do A-norim n. 26.
Os pretendenles para melhores esclarecimcntos
podero dirigir se secretaria.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, 20 de dezembro de 1866.
O escrivao interino
___________ Pedro Rodrtgv.es de Souza.
A Illraa. junta da Santa Casa de Misericordia
do Recife na sala de snas sessSes pelas 4 horas da
tarde do dia 7 de fevereiro futuro, arremata a
quera mais vaotagens ofierecer as rendas das se-
sta cidade Joaquim Jos KULDles easas pertencentes ao patrimonio des or-
Rua da Madre de Deus.
Sobrado de dous andares e loja n. 1. 8484000
Roa da Cadeia.
Sobrado de um andar, sotao e loja.. 2:0004000
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, 2o de Janeiro de 1867.
O escrivao ioterino,
Pedro Rodrigues de Souza.
Santa Gasa da Misericordia dt Recife.
Ten do de Hadarse em 30 de junbo do corrente
anno o arrendamento do sitio da liba do Nogueira,
propriedada da Santa Casa de Misericordia, a
Illraa. junta administrativa manda fazer publico a
quem convier, para que com antecedencia o vo
examinar, afim de apresentarem sus propostas
qoe serio recebidas nesta secretaria, onde se da-
rao todos os esclarecimientos precisos aos interes-
sados.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, 17 de Janeiro de 1867.
O escrivao interino,
___ Pedro Rodrigues de Souza. -
Tribunal de Ommemcr
Pela secretaria do tribunal do comraercio de
Pernambuco se faz publico que nesta data Oca re-
gistrado o contrato de socledade de Antenio Do-
mingos de Aimeida Pogas, Bento Jos de Maeedo
Pogas e Antonio d'Azevedo Neves, estabelecidos
n'esta cidade sob a firma de Pogas, Azevedo & C.
que girar por esprgo de 3 annos a contar de 19
de novembro do anoo prximo liado, com o capital
de 23:1914676 foraeeido pelo socio Pegas, em
commaodita, e consistente era gneros e dividas
existentes as tabernas sitas a' rus estreita do Ro
sano ns. 1 e 9.
Secretaria 19 de Janeiro de 1867.
No impedimento do offlcial-maior,
Reg RaniteL
Precisa-se de uma pessoa que saiba
lr para distribuidor deste Diario, prefe-
re-se a quem j toaba servido noexerci to :
a tratar nesta typographia.
O Sr. Francisco Cornelia da Fonseca tem
uma carta na ra do Queimado n. 40.
iVa loja da ra do Crespo n. 16, se dir quem
da a quantia de o:0004 a premio com bypothera
em alSiim sitio peno da cidade sobre as condico-s
que sa convencional
Alnga sea luja da sobrado da ra das Cnt-
zes n 9 : a tratar ni primeiro andar do mesmo
sobrado.
....... wr caes de Apollo61.
trae iiMrfirTSf.!! C0"egi0 de Sam Amro- faz W*fc a quem possa intereasar
&S^.5fr*!: ^ Pa'aCCt9 d0 *"*> Apollo n\t bairro da^fe!
onae continua a a.lmitur alumnos internos semitertts e externos
linRualalio; iSSmS91?! ? dto!S_*> s5 as seguintesr instruefo elementar
O director,
J. F. hibeiro de Souza.
INTERNATO
DE
Criado.
Precisase de um criado : oa ra das Cruzes n.
61, hotel.
O abano assigoad-t vai ao. portos do norte e
(Jeixa por seu bastante procurador ao Sr. Aulonio
Joao Fuado com plenos poderes para tratar de
lodos os seas negnos.
Recife 31 dejauei o de 1867.
_______ Ai-ionio AffoDso Moreira.
fara casa de pouc familia ; a tratar na ra de
santo Amaro n. 48, paga se bem.
S. BEEN
Ama,
cimento, es-
AOS O.4M>0;>O00
Corre sexla-feira 8 de fevereiro.
Acham-se venda na respeetifa thesou-
rana, ra do Crespo n. 15, os bilhetes,
meios e quartos da 32a parte1 da ; lotera a
benecio das familias dos voluntarios da
patria (3) sendo a extraclo" no huar e hora
do costume.
Os premios de 6:0004000 at 10^)00
serao pagos uma hora defots da ortuacgao
at as 3 Horas da tarde, e o*oatfos depois
da distribuigao das listas.
As encommendas serlo guardabas someri-
te at a noite da vespera da jMtraccao.
O thesonreiro,
Antonio Jos Rodrigues, de Souza.
Precisa se de uma ama para cosnhar
doQueimaion 12, primeiro andar.
na ra
Precisa-se de amalan que coslnba e compre
na ra : na ra das Tnncheiras n. 40.
4TTE\(]40
Precisase de ura porluguez dos ltimos
dos para andar com outro com um boi :
lente guerreiro Cinco Footas n. 91.
chega-
no va-
A ttencao
Precisa-se de um ama de leite sem
Cinco Ponas n. 102.
filho : as
JOUIWAIJX
pour 4867.
Agence d'Abonnemenis tons jonrnaux d'Eo-
rope. Distribution gratuite de spcimens et cata-
logues.
RU DE CRESPO N. 9
Ubrairie Fraapaise.
Estabelecido u cidade de Reeife eni 18i2
Sob a proteccao do snmiuo Pootiflce Po IX
DIHECTOR 0 BACHAREL EM MATUEMATICAS
Bernardo Pereira do Garmo Jnior.
npm saprClr d nterna e S- Bernard0- "3o tendo evitado esforcos
SlJTSS ?nVallprt0p?rc,0D?r-30SSe.Salu,nD0S uma PerfeUa educagao
prica, moral intellectual e religiosa, < fferecendo-lhes uma habiUrao com
b stantes cond.fo3s de salubndade. habis professores que sao so tos eS
3 fin ,? c,mPreh?nlq': os preceuos da hygiene e Ihes cure das dbencas
e floalmeote um sicerdotejllastrado e honesto que lhes explique os princi-
rSLtUS a ChrSl?aj espera que assim constituido e em vista do ex-
S^T^Haeie^.ap-re,8,,,ad0' C0nlando mcrescidonuaero de
alumnos na Faculdade de Direito, que concloiram all vat tajusamente os es-
tudos preparatorios, nao deixar o seu estabelecimento de continuar a mere-
am lf sen,hores Paes de-familias o auxilio e confianza cora queja inultos o
tem honrado; e Ibes roga, bem como a todas as pessoas interessadas, que
se dignem de wsitar o mesmo seu estabelecimento, onde sempre encontra-
rao Iranao ingresso.
Gadeiras de ensino:-Primeiras lettras dividida em duas classes ten-
do cada uma o seu professor, latim, francez, inglez, arilhmetica, algebra e
geometra, geograpbia, philosophia, desenho e msica.
O collegio tem a sua sede nos espacosos edificios ns. 32 e 3i 5 ra
uj Aurors.
Nos estatutos do collegio, que estao disposico de quem os quizer
ler, se achara consignadas ascDudi?6es de entrada e matricula as diversas
aulas do eatabeiecimento.
Retratos
mmm mmi
Pela administrado do crrelo desta cidade se
faz publico para flos c#nveaientes, qae era virtnds
do disposto no art. 138 do regulameuto geral dos
correios de 21 de dezembro de 1814, e art. 9 do
decreto n. 183 de 15 de malo de 1831, se proceder
o cdosumo das cartas existentes na administraro,
pertencentes ao mez de Janeiro do anno pausado,
no dia 5 de ferereiro prximo, as 11 boras da raa-
nbaa, na porta do mesmo correio, e a respectiva
lista se acha desde j' exocsta aos interessados.
Adrainislraco da correio de Pernambuco, ti de
jaoeiro de 1867.
Domingos dos Passos Miraada
Administrador.
Correio geraT
Relieo das cartas segaras viadas do sul pelo
vapor americano, para os Srs. abaixo decla-
rados.
Dr. Joo Raptista Pinheiro Crte-Real, Dr. Joao
Felippe da Cunha Dandeira de MUo (Fortaleza),
Joo Pinto de Lemos, Joo Rodolpho de Miranda,
r. Jos Bernardo Galvio Alcoforido, Jos Fran-
cisco de Moraes, Londoo Rrasilian Bank.
mmm mu
Relacao das cartas seguras existentes na admlnis-
trago do correio desta cidade, para os senhores
abaixo declarados :
Anaeleto Jos dos Santos, Antonio Alves da Fon-
ceca, Antonio Joaquim de Vasconcelios & C, baro
de Villa-Bella, baro da Vera Crnz, Dr. Felippe
Menna Callado da Foaceca, Francisco de Assfs
americanos em cartSes para albuns.
Hf, 59 Rna Rtora w **
Annnnciando o novo systema de rectratos americanos em laminas esmalta-
das, e amanando serem elles muito duraveis, nao pretendemos Iludir os incautos ou
ignorantes, pois qae reconhecemos na populaco desta formosa cidade obom senso pre-
ciso parase acautelar contraes fcfsosannuncios e conhecimento sufficie:ite para apre-
ciar rtevidamente as provas pbotographicas que por ventura vissem em nosso estabele-
cimento, e porque tambem temos, e podemos ofierecer provas chimicas e razoes scien-
tificas do que havemos affirmado.
As laminas, alm.de serem leves, delgadas e flexiveis, s5o cobertas de um
esmalte nuci que as tornara inatacavets pelo ar ou agua, e at pelos fortes dissolvenles
cmmicos. Os retractos sao estampados, sobre uma brilhante superficie de finissima
prata adnerente por mejo de uma pellicula de colloiio, substancia perfectamente prova
a agua, for sobre essa superficie applica-se o verniz de esmalte, o que t5o transpa-
rente e quasi tao duro como o vidro. Deste modo, o retracto, nao cometido em si
materia alguma orgnica suiaita decomposicao, e Do sendo poroso nem absorvenle, est
inteiramente livre de humidade ou de qualquer outra influencia offensiva da atraospbera.
Assimpoispor e>ta tbeofia se v que os retractos offerecem provas de duracSo, oque
tem^sidoefficazmenteconermadopela experiencia relies doram effectivamente e nada
perdem do seu primor original.
N5o nos necessario repetir as suas quaiidades aTtrsticas, pois que muitas pes-
soas das pnncipaes familias desta provincia, pessoas de fina educado e gosto cultivado,
nos tem distinguido com a sua approvacjo e honrado at com o seu patrocinio ; outras
provas seriam superfinas. Entretanto lembraremos de passagem que os pintores antigos
nunca se serviram de materia porosa para as snas mais bellas pinturas, porm sim de
substancias duras de superficie macia, como a porcflan e o marfim ; e as nosss lami-
nas tem tqual qualidade de superficie dura e macia.
Finalmente con?idamos aquellos, que por qualquer causa nao tenham conse-
guido bons e exactos retractos por outros systemas, a viren experimentar o nosso ; em-
prearemos entao toda a nossa pericia e conhecimento wtistico aflm de lhes agradar,
qualquer que seja o numero pedido de retractos. ; .
oqdrlh tifc Hoagfi.
N. 52, Eua Nova K. 52, ,
Societlade portigueza de seguros mol ios sobre a vida, fun lada e
administrada pele
t BANCO ALLIANCA DO PORTO.
Todo o pai que desejar acautelar o futuro de seus filbos dev.e quanto antes
azer inscrever os seus nomes na lista dos socios d.a-Previdente-por que, com uma
pequea quantia que, todos os annos para alli forapplicando, tirada do fructo das suas
economas, no fim de 25 annos alcancar-lhes-ha uma fortuna, que por neahum outro
meio e com tao pequeo desembolso poder obter.
________Os exemplos praticos de outras sociedades anlogas tem mostrado que:
OOSUOU pagos anaualmenle pudem prodiizir.


Novo e grande deposito de superior corvSk) de Cardiffna
Baha.
, Antonio Gomes dos Santos 4 C, roa de Santa Barbara n. 1, estio habilitados a supprir de
oarvao, em condiQdes mais favoraveis qae em oatro qoalqaer deposito, a todos os navios a vapor que
ccarem naaqeiie porto. A contratar nesta com Domingos Alves Matheus.,
PorummeBino de 1 dia a 1 anno.
> > de 1 a 2 annos...
de 2 a 3 ____
de 3 a 4 ....
de 4 a 15 ____
Por urna pessoa de lo a 20 annos ..
de 20 a 30 ____
de 30 a 40 ____
de 40 a SO ....
Em o an-)Em 10
nos.
1:100$
900$
860*
8604
860
860*
860$
860$
900$
annos.
4:000$
3:000$
2:900$
:800$
:700$
2:700$
2:700$
:700#
3:000$
Em 15
annos.
9:000$
7:5uO$
7:200$
7:1000
7:000|
7:000$
7:100$
7:200$
7:500$
Em 20 an-
nos.
20:000$
17:000$
16:000$
15:600$
15:500$
15:400$
15:600$
*6:00$
18:000$
Em 25 an-
nos.
47:0005
37:000$
35:000$
34:000$
33:3CO$
33:300|
34:000$
37:000$
50:000$
N4MENT0> DE IGHEiA

Na rna da Cadeia n. SS ha para vender-se ornamentos de iirreja por menos preco que em on-
tra qualquer parte:
A SABER :
Ornamentos de damasco_ branco de 24* a 32*000
encarnado de 29* a 32*000
roso de 22* a 30*000
i prelo de 20* a 3 *000
i > verde de 20* a 29*000
de veiludo preto a 26*b00
A vista da boa procura qae tem havide destes objectos prevenimos ao publico que breve cha-
gara' de Paris urna nova remessa de ornamento de todas as cores, inclusiive oromeoios, sebastos, ea-
I
. \
31
pas de asperges, umbellas etc.
Recebe se toda e qnalgner encemmend relativa ao culto.
.

M
.


UUIHJLIBM -'"'i-



.


Blarto de 4*eraambeo ~r *e*i* lelra 1 de Fcverelre de t%7
----------
Calcado. |
So-imeftto magaifieo.
Pelos pj cos u mam penetrar do corpo a malo-
ri das molestias, i +i:
Resguarda i-os dirigiodo-vos
45.Ra WfreHa5.
Borseguios quasi Milli b-^erro----- 84500
Higienes qoebra tocos.u.. 0*100
i liespaohoes lustre......... SfOOO
t brasilelros becerro........ SJWOd
< para seohoras enfeitidoi
/............... ?*W
para seonoras............ *80O
............ 4*500
c c < preio- de..
mirin.................. 4*000
Sapalos iuglezes patente........... 5*,a
amencaoos..........*.... 4*800
fraocezes de salto para se-
Dtioras................... 3*200
Borseguios para roeoinas eufeita-
dosije................. 3*800
Sapalos aveludados para borneas e
seoboras................ i*WW
Borseguios coro laco para meninas. 31500
Sapalos de traoca peeres;..... 14600
Bolinas francezas para menina?..... 1*IM)
Chlneloes do Porto e uro perfeito sortlmenio, de
sola, couro, roarroqairo, bezerro trancez, vaqueta
e ecuro de lustre; como noget lera' do mer-
cado. _______' __ ^
"Xarope e pasta d Seiva
DO
1*1-he 1ro martimo
DE
E. Lagasse
Preparaces moi precooisada pelos sabios mdi-
cos de Pars, com as roellufres al boje discoberia
para a cora certa de todas as molestias do peito,
broocbites agudos e ebrooico*. aslbma e anda das
affeccSes das vas orinarla?.
DIPCS1T0 ISPKCIAL
34Ra larga da Resarie34
'harnearla df BartholfemtC,
Publicarlo jurdica.
Prelecfdes de Direito Internacional e de
Diplomacia com applicaco e refertncia de
seus principios as leu pattitularen, con-
vences, e aos tratados do Brasil at 1866
pelo Dr. Antonio de Vasconcellos Merje-
zes de Drommond, lente substituto da Fa-
culdade de Direito do Recile etc., 2 vol. in
8o broch. por 10^000 pagos entrega do
primeiro vleme, qne coostitoir a primei-
ra dessas obras.
A ultima dellas acompanhar um epilogo
das disposicees da legislado patria, relati-
vas aO' direitos e deveres do ebtrangeiro no
Brtsil, bem como aos do- Brasileiro tora do
Imperio;
Assigna-senas lejas delivros das ras do
Crespo n. 2 e 9; do Imperador n. 13; da
Cruz n. 52 na de encadernacao do caes de
21 de Novembro junto a typographia do
Jornal do Recife ; nos escriptorios das ty-
pographias do tono de Vtmambuco a ra
das Cruzes n. 44, e do Correio do Recife
ra do Imperador n. 79 e na loja da ra
da Imperalriz esquina da ra da Aurora n.
n. 2, loja de louca.
Depoisda publicacao da primeira obra
nao sero mais admittidas sssignaluias e
mbas ellas sero vendidas por maior prego.
mmmm mmmmmm mmmm
Gompanhia tidelidade de seguros
maritimos e terrestres
estabelecida no Rio de Janeiro;
AOCHTia KM PRKNAMBUGO
Antonio Lat ie Uretra Aievede A C,
competentemente antorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida- a
de,tomam seguros de navios, mercado- M
ras e predios no sen escriptorto roa da 5
Cruz n. V M
$***** mmmm
Joaquim Jos Goncalves
Beltrao
(A RU.I 00 TRAPICHE 47 Io ANDAR)
Saoca por todos es paquetes sobre o Banco
iC Minho era Braga, e sobre os segoiotes luga-
res, em Pg.""?(-
A saber:
sr*
Valen?.
Guimares.
Coimbra.
$?
Villa do Cor^e.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Caslello.
Ponte do Lima.
Villa Beal.
Villa-Nova de Famellcio.
Lamego.
Lagos.
Covilha.
J- FERRE1RA V1LLELA
Photographo da Augusta Casa Imperial do Brasil
: 18, Ra do Cabuya, 18,
Sobrado, entrada peto Pateo da Hatrls.
JOIAS
_ $M T N.2D,
H^T^ COBA CAO DE OI ll<>. ^J^|
A loja o. 2 D intitulada Coraco de Ouro na roa do Catinga, acba-se d'ora em diaote offereceo-
do aa reffieiovei publico con espeeialidade aa pesaoas que honrara a moda os objecloa do ultimo ios*.
i to (a Pars) per tenos 20 por'ceoto do que em outra qualquer parte, garantiodo-se a qoalidade e a sc-
! lides da obras.
O respi-iu vel publico avallando o desejo qne deve ter o proprietario de om doto estabeleciroen-
to que quer progresso em sen negocio deve chegar inmediatamente ao coraco de onro a comprar
_ .. 'j-j. CD htpm rptratns mais Dfrfpitos *neis com pefeitos brilhantes, esmeraldas, rubios e perola ; verdadeiras em agarras, modernas pek
Em nenhuma das photograpbias desta cidade se azem retratos mais peneitt dJm.ooio ^^ de ^ ^^moifD(i&^ our0 e c^ra, p;ra nmtm ^o ^ ^-^ ameif de
do que OS que se executam nesta offiC'na photograpntca. prata com cabos de marflm e madreperola ultra de modernogosto (o qne o encontrarlo do corceo de
Pede-se confroctacao e anaiyse entre OS nosiOS trabalnOS e os memores que ooro) voltaa de ouro com a competente crusiona ricamente enfeitada pelo pequeo preco de \ll, brin-
cos de um trabalho perfeito por um mdico preco, cassotetas, tranealins, pnlceira, alfloetes para re-
o este estabelecimento tratos a cutros modelos tudo de alto oslo, aoels proprios para bular eabello e 8rma, dito para casa-
Nao ha PHOTOGBAPHU AGMA dosta cidade.^n^^,?,r,5SfflV mente, no rtico roseta tem o Corado de Ouro um wmpleio e bem variado sortimenlo de diversos
photograpbico possuf um to vanado, escomido e aDunaaote sorumcuvg ue cauraud, m0il0Si butSes para punbos com dumaote, rubios e esmeraldas, obra esta importante ja' pelo sea va-
QUtdrOS molduras pre tas e de uradas e passe-par-touts. k>r ja' por goslods desenho, brincos a forma da delicada moslnha de moja com piogente cootendoes-
' Para serem collocados osfelfatos chamados cartes ie visita ha doze difieren- oeraMas. rubia, brilhantes, perola, o gosto soMime, alflnete para grvala no mesmo gosto, relo-
tes modelos de cartSes mimosamente lithograpltados e dourados, em carto briso! e em "
se fazem nesta cidade.
carto pocelana, os quaas sem alteraiao de precos, esto a escolha das pessoas que
rtlryt^rcm.
' Continuadamente se recebe aa Europa remessas de ludo quanto dii reapeito a
photocrapbia, e ainifo mez passafo pelo vajror Guienne, e este mez pelo brigue Belm
receberam-se de Franca quatro grju&s caixSes com Tima beUa vanedade de artetactoa
(irodjactos cbmieo e material para p'hotograpbia.
No mesmo estabelecimento vendem-?e :
Todos os productos cbimicos geralmeote usados em photograpnia e garante-se
o estado de pureza dos mesmos;
Machinas pbotographicas, cuvetu oe porcelana de diflerentea tamanhos e vi-
ejo* para senhora crvados de pedras preciosas, ditos para homem, diversas obras de
noito gosto, rrusinhas de rubios, esmeraldas, perolas e brilhanles, aneis com letras,
brilhantes
cac lelas
trysial e ouro descoberta para retrato (a ingiera) brincos de franja, ditos a imperatrlie toda e qaai
tjot-r Joia, para secolocar retratos e obras de cabello, e outros maitos.ebjectos que os preteodeotes en-
coniraro no Coracao de Uuro que se conserva com toda a amabilidad aos coneorrentes delxando-
se de aqu meneioBar precos de certos objectos porque (deseulpem a maneira de fallar) drzendo-se o
preco talvez alguem faca toao juno da obra, por ser tao diminuta quaolia i vista do seo valor.
Na mesma lo)a compra-se, troca.se ouro, prata e pedras preciosas, e tambera recebe se concer-
t?, por oteaos do que em oatra qualquer parte, e do-se obras a amostra cora peotaor, conservando-s
e Coraco de Ouro aberto al as 8 oras da noiie.
Qualquer pessoa que se dirigir ao Coraco de Ooro nao se podera' engaoar com a casa, pois
ola se na sua frente om coraco peodurado piolado de aroareilo, alem de outro que se nota em um
rotulo (isto se adverte em consequencia de terero ja' algoma pessoas engaado com oatra casa.

!-
dros para tirarem-se retratos;
Urna grande variedad* de lindas e nteressantes vistas transparentes para Cercas e gradeamentos de ierro para jardios,
stereof copos, e stereoscopos de madeira enverntsda com lentes prismticas que se ven- ros, de todas as grossuras e mudavets.
dem a 12 Tambera vende-se por 5O0KO um appareluo compl to p*ra fazerem-se peque-
as vistas ou retratos. Ao mesmo acompanham as expcaces precisas para eu uso.
Qualquer pessoa pode fazer vistos ou retratos com esse apparefco.
A oflBcina e galeria est3o abertas todos os das o a fcids as horas.
cercados para animaos, chiquei-
Porteiras de UilTeretites lamaohos para sitios, jardins, cercados, e-c.
5i
- o ;




' .

.
FABRIC
OR
0RW1EM0S DE IGREJA DE
.1 BliVIfl
.
.
Vestimenteiro e bordador de Pars.
93 RIJA DO I PtRlIiOR 3,
Defrentc 4a igreja
<


Ha ruado Trapich n 16.
acharase.os seauintes deoositos
De R, Bruniugkaiisein \uis.
Bjurgogoe.
Vinbo Pommard linio.
Cortn tinto.
Santo Georges Unto.
ChambertiD tinto.
Rlcbeboorg tinto.
> '".los de Vougeol tin o.
Chablis braoco.
De N A. Waef en Francfort:
.Mheoo.
Geiseobeimer.
Liebfraomilch.
Marccbronoer.
Em casa de Tbeod Cbristiansen, roa do Tr'a
piebe-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil
de Brandenburg frres, Bordeaos, encontra-se ea
lectivamente deposito dos artigos seguintes:
St. Julien.
St. Pierre.
Larose.
Cbateao Loville.
Cbateaa Mrgaos.
Grand vin Cbateaa Latu (868.
Cbateaa Lafitte.
Haat Saoteraes.
Cbateao Santernes.
Cbateaa Lataur Blancbe.
Cbateao Yqaem.
Cognac em tros qnalldades.
Azeitedoee. Precos de Bordeaos.
SEGUROS
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e sena carregameotos, e contra
fogo em edificios, mercadoriaa emobilias.
na roa do Vigario d. 4, pavimento terreo
~ Toaixo aeiifaado anlga nada dever nesta
prac, mas se alguem ae jolgar seu redor queira
aprrsfnur soas eontas no prata de tros das para
serem pagan, do contrario oio atteodera' a qoal-
quer reciamacia de divida feta at esta data.
Recife 29 de Janeiro de 1867.
Jos Affoiso Serdelra.
,. i, ------ *
Jos Pelix Hineiro de Carvatno perdeu dtl-
reolo' e trila e sel mil res, sendo orna nota de
dtenlos mil res e o mais aro rorados: a alma
bemfatejaqae o cboa compadeca-se desse hemem
pobre: fqoe-se im os trinta e sete fe loras e
entrene os dnientos, ua tratessa do Pocinho n.
i9, que D?os a rccjrT>!'cnara'.
de S. Francisco.
Concurrencia impossivel
justificada pela soppresso de Intermediarips, pela compra directa das materias primas, pela eie
cocao dos tnbalhos as ufflcinas da casa e pelo diminoto lucro com que se satisfar.
Animado pelos imuorlantes oegoclosqoe fax com grande parle do mondo calbolico da Eorcpa
resolveo o aonnncianle eslabelecer filiaes da casa oe Paris em diversos paites longinqoos que
offerecem vaotagens, e eio inaugurar o primeiro esmbelecimeoto nesta cidade, sem dovida nroa
das mais adianudas e commerciante da America do Sul, e que por i?so mesmo necessita d om
estabelecimento qoe nada deixe a desejar, quer em relacio as precisSes materiaes e quer Intel-
lectuaes. _
Os Srs. sacerdotes e demais pessoas, qoe se digoarero visitar o esubeleci melo, asi acbarao
sempre orna grande vamioadk de todos o objectos para Isreja e para o clero.
OURIVESARIA PARA IGREJA.
Novos modelos de custodias e de vasos sagrados.
ALFAIAS DA IDADE MEDIA, A1 LIZ !3.
Os precos variam segundo o tamaoho, o peso e a frma.
TAPETARAS E ARMACES PARA IGREJA.
Fornece toda a quaJidade de armaQSes, por precos mdicos, i vontade do
sempre orna pesoi oo estabelecimento para ir tomar as medidas oeeessarias para
facao da encommeoda. _____-.-tt, -
^ NUVAS MBELLAS PRIVILEGIADAS.
Brtli umbellas de molas, adoptadas p-r S. 8. Pi IX. tem por sua perfeicjk., novidade r
e riqoeza a dupla vaotagem de cobrir inteirameote o Saotissimo Sacrameoto e o padre, sem aira-;
ESCULPTRAS EM MARFIM E EM OSSO.
Jregaez ;
completa
teodo
satis-

Imagens de Cbristo*. caldeiriohas, crules, quadros e todos os objectos dvolos.
Objectos em argila, simples e prateadoe.
Todas as ioformacfos s*ro ministradas gratis, acerca dos ornatos de igreja.
Cooceder-se-ha (acilidade para os pagamentos.
Eis o cathalogo do que tem a venda :
ICASCLAS.
Dianas, de velodo, de crina e de
glo lustroso.
De damasco eem croa de ooro e
seda.
De damasco dobrado, cem diver
sos bordados em relevo na
croa.
De tecido de prata cu de ooro.
dem com diversos bordados em
relevo na cror.
dem idem moito ricas.
De velado de seda com cruz de
ooro oo em relevo.
De chamalote de seda bordado.
Geihicas e da idade media.
A cor da casula nao inOue no
preco.
CAPAS.
De veludo estofad.-.
De damasco.
0b tecido de prata e le ouro.
dem com emblemas em relevo
e ricas franjas na morca.
De veludo de-seda.
De tecido de prata e de ooro fino.
DALMTICAS.
O mesmo preco das caslas.
ESTOLAS PASrORAES.
De velodo estofado.
Ve dito de doas faces.
De damasco.
De dito de duas faces.
De tecido de prata ou de ooro.
dem dem, om emblemas em
relevo, franjas e berdidos de
torca!.
dem idem em releve moite ri-
cas.
De tecido de ooro e de prata fino.
De chamalote bordado de seda,
com duas faces.
VE'OS DE HOMBROS.
De tecido de Lyio.
De dito dobrado, de ooro fino.
De damasco, brrdado era relevo.
dem idim, milito rico.
VEOS PARA EXPOSICO.
De tecido de Lyo.
De cbamalote d.; prata com em-
blemas em relevo.
De dito dito, multo finos.
VE'OS DE SAL R A ROS
De todos os prego.
BANDE1BAS.
Da Sania Infamia.
De contrarias do Nossa Senhora.
Parochiaes, qualquer qoe seja a
tnvocacao.
Goioes com emblemas em relevo.
A collecao varia de 35*000
3:000*000.
PALLIOS.
Em veludo etldtada as quatro
pomas e no forro.
De tecido de Lyo, coro oa'o.
De dito de prata e de ooro lus-
troso.
De dito dito, com quatro emble-
mas bordados em relevo.
Muito ricos, inteirameme bor
dados em relevo co.d ouro Bao.
PANNOS MORTARIOS."
De laa.
De veiudo ingle preto verda-
deros
De damasco dobrado de brocado.
Estes pannos leo dros metros de
largura e tres de coroprimento.
ROUPAS DK IGREJA.
Alvas de panno de linho Bao.
t de cambreia Boa,
< de panno de linho, para
meninos do coro.
t guarnecidas de rendas finas.
de filo, de ras de-
sechos.
Roquetes em panno de linho sem
mangas,
t f com ditas.
A raidos.
Toalbas e saoguinhos.
Coraoraes de carabraia fin.
Toalbas para commonbao e alta-
ros
Guarnc,des de rendas para alvas.
Ditas para toalbas de altar, aos
metros.
Toda a qoalidade da roupa. ga-
rantida e perfeitamente ezeeo-
Uda.
DIVERSOS OBJECTOS.
Bolsas para tirar esrools.
Cordoes fios para alvas.
c para meninos do coro.
Voltas, as donas.
Cintos e cmtorde.
Sacras de altar, era cartio.
Ditas ero qoadros.
Marcas para missaet, eom
pernas, em chamalote.
Flores arlifkiaes, o ramo.
Rstofos e lodos os demais objec-
tos de igre(a.
BKONZES DE IGREJA.
Casticaes para altares, prateados,
de novos modelos :
325 milimetros (12 polcadas).
seis
379 (14 i
433 < (16 ).
487 c (18 .)
541 i (20 >
650 c (24 i )
812 30 * )
Guardas pars arvores, plantas e oulros objectos da ferro que s tndem por
preco mdico, no armazem de Tas^o Irtnos na praca do Caes de Apollo ao p da ponte
provisoria.
Crotes de altar, correspondentes <
aos casticaes, o par.
Tboribulos e navetas puteadas, j
Caldeinobas com bysoppe idem.'
Custodias dita* e douradas.
Lastres dito e correte feries
para os mesmos.
Cruzes para procisso, com ralos
ditas.
Vara, alabardas para soissos e
cadis para porteiros.
Estes objeclos todos sis em co-
bre e nao era materiaes de
composicao.
Superiores ca-sas francetas amito finss de cores Bus, matisadas e mludinhas a ^J
320 rs. o covado : na loja das columnas ra do Crespo n. 13, de Antonio Crrela de
Vascuncellos & C.
Aviso essencial para evitar qualquer erro ou mft.
Os Srs. compradores nao devem ignorar que o ouro uo pode ser fiado aem
tecido, e qoe por conseguinte os galoes dos ornamentos chamados de ouro fino sao de
prata dourada, os de ouno eio fino s5o de metal dourado eos de ooro falso sao de
cobre dourado, e como tal confundir os ttulos que se Ibes deu sempre, que sao mera-
mente commerciaes.
Os ornamentos que o annunciante tem i venda san o de galoes de ooro meio
finos, falsos ou de seda, so mandando vir os de ouro Gno por encommenda; e neohum
objecto sabe de seu estabelecimento sem ser acompaohado d'uma factura por elle firma-
da, especificando a qualidade do objecto, para poupar-se explicacoes sempre inecn-
venientes ao depois de realisada a venda.
Profes&or 4e piaao.
Coelh de Ara ajo, cominea a leer tonar, e pode
ser procurado na Sol iade, roa de Joio Fernan-
des Vieira n. 10, e na roa do Livramento s. SI
t. rceiro andar.
-^T E,i abaixo assigoado declaro qoe lenho |os*o
e coiitr'tao coro os Srs. Costa & Alve a taberna)
sita oo paleo d ribeira n. 11, llvre desembara-
da : qoem seacbPr com direjto ella ppar na prasode (res dii., a ecalar de hoje em diaote.
Recife 30 de Janeiro de 1867.
Joio Gomes da Croz.
mmm hotel central
ISA ESTREIT4 DO ROSARIO
N.4A
ENTRADA PARTICULAR
R'JA LAKGA DO BOSAttIO
' N. 37
ENTRADA GERAL
PROPRIETARIO,
FRANCISCO GARRIDO.
Agua mineral
ferniuMsa, acidulada, jateu e carteaiea
ORE/,/,4.
O oso d'agoa do Oreita moi-particularmente
reeommendado pela escola de medicina de Par,
para todas affeccoes do tubo digestivo, iogorgiu-
ment das vlceras abdomioSes, egeralmente leda
as molestias prevenientes de fraqoeza orgnica, oo
poreaa de saago.
NPOSliO ISfSCIAL
14Rm larga de Rsssrio-34
Pharmacia d Barthelomcii 4kC.
Da se iolieiro a joros:
Cia a. S
raa'.'d* Ccnccr
Ha qoartose salas
Preparad s cora asseio,
Para aqnelles ne vierem
A Vneta de passelo.
Tea coaoiodos exeelientes
Para soltetros e casados,
A' todos se prodiga Usara
Os mais sinceros eoidadcs.
Encontra-se para lunch
Fiambre qualqoer itera,
Tambero recebe assignantes
Ue com'da para fra.

Ssojuea sobre Lisboa
Oiiveira Pilhos di C saeam sobre Lisboa : no
largo do Corpo Santa n. 19, escriptorio.
' Alsga-se ama casa em Beberibe : a tratar
eom J. de M. Reg, roa doTrapiche o. 34.
A pbarmacia de P. Maurer & C. mo-
oon-se do n. R da ra Nova para o n. 29
e raesma xua esqnina da cirottoa do Carmo.
Trocam-8e
ea
as notas das caixaa filiaes do banco do Brasil
praca da Independencia n. SI ______
~ Precisase de orna mulher de mea Idade pa-
ra fazer companhia a urna senhora e bem essim
tedo o mais servico fnurno de casa, sendo de bous
costomes e dando iit poder* dirigir s a roa
Direilt loja o. 75, rra? se dir qotm ptec.isa
1I81K1I111I1IS
Anuncio
: O Dr. Carono Fraociiro de Lima Sai- M
|K tos, modou se para a roa do Imperador _
I o. 73, segundo ant=r. onde c.nliona no !
f exeriiu de soa pt.iisiodi tufdico. m
mmmm^mmmmmmmmm
Fundido da Aur>ra
A roais antlga desta provincia e eom todas as
perfei(5es em seos mftjln.5nios, oflerece a seos
oroerosos freguezes por razoaveis prefot soas
maoofacrraS, bem como qoe tem um boro pessoal
para com rapidez faztr qualqoer eoncerlo ou obra
nova. ____________' _______________
Da se bolos de veodagem a tunao a pataca
na roa Imperial n. 37.
i- Casa/ o oUrelro
Aloga-se orna casa na povoaco do Mooteiro
com boas commodos, aceiada e banh^s nos fon-
dos : a tratar na toa doCre0o. 83._______
Aos senhores padeiros.
E' geralraente conhecida a otilidade no err pre-
go das machinas, que tero por Om aperfelcoar o
irabalno com a economa de bracos- Nesle caso,,
pois, esli as machinas para corlar bolacha, coja
otilidade ja conhecida de algoos padeiros qoe
dellas fazem uzo por meio de manivelra^obtendo
o resoltado mais satisfactorio e perfeito.
Na padaria da rna Direita n. 81, ba sempre de-
posito destas machinas com corudeiras para lodos
os tananhos de bolachas aqu osadas, e tambero
para aramias, e qoe por virem em directora e de
propria conta dos Estados Unidos, se vendem por
preco moito barato, coro o flm de se Inlrodoiir to
reconbecido telhoraraento._____________
Maximino da Silva Gosmao, compra, veodo
e troca escravos, de ambos os sexos : na rea do
padre Floriinc-n. 71, segundo andar.__________
Precisase de ama ama para engoramar : na
ra da Madre de Dos 3S._________
Preclsa-se de orna perfeita eogommadeira r.
na roa do Trapiche o. 44, segondo andar.
Afctenc&o.
Precisa-se de om menino que qaeira aprender
o offlcio de imaginario, mais que d Haoca de sua
conducta : a tratar na ra do Cotovello n. 27 das
9 horas da manhaa as 3 da tardo ou so becco da
Bar re i ras n. 10.
Precia-se de ama ama que coslnhe e com-
pre para casa peuea familia: na roa Augusta
n. 1, primeiro andar._________________________
Aluga-se.
o segondo andar do sobrado da roa da Matriz n.
35, assirn como o armazem da roa da Ponte Velha-
a 8: a tratar na roa da Sensata Velna n. 4, re-
flnago._________________________ ______
Precisa-se de um escravo moco para o ser-
vicc domestico : na roa do Imperador n. 38.
Criad.
Preeisa-se para um anee solteire de om criado
qoe saiba eoslobar e miar de am cavado, quer
seja forro oo escravo :? a tratar na roa do Crespo
d. 16 loja, das 7 as 11 da maobla e das 3 as 6 da
Urde.
Aluga-se o armazem do sobrado n. 1 da ra
Imperial : a tratar no primeiro andar.
""" ESCRA\A.
Na roa da Madre de Dos o. 30, precisa-se alo-
gar ama escrava para servjco interno, paga so
bem.
Ama.
Na roa da Cadeia do Recife n. 66. precisa se de
orna ama forra oo captiva para comprar e cosi-
obar para casa de hornera s.lletro._____________
DEWARECEU
em 24 do correte, pelas 4 horas da tarde, na roa
do Aragae, aro crioatioho, levando ora canario pa-
ra entregar na roa de S. Goncalo, e al boje nao
ba feito a entrega : r.ga-se a pessoa qoe sobre o
mesmo liver algora poder o faca eotregar oa dita
casa qoe sera' graiiBeado.
Precisa se de orna, ama para casa de pooca
tamilia : a tratar oa ra do Torres u. 14, segundo
andar.______________________________
O hospicio de alienados era Olioda, precisa
de urna cozinheira -, quera seachar nestas circuns-
tancias dirjase ao mesmo hospicio para tratar
com n regente ou com o respectivo moraomo o Sr.
Antonio Jps Gsmes do Carrtio. ________
Precisa-se alogar ama sala anda que seja
com pooco coromod.' para om moco solteiro: qoem
fiverpara alogar dirjase a esta lypcgraghia.
Precisase alogar ama eserava qoe seja boa
cosioheira : na roa do (Juelmado n. 46, loja.
Monte Fio Popular Pea nam-
bucano.
A directora desta s-dedade participa aos Srs.
Socios que se achara alrazados eui .oas meosaUJa-
des, qoe venbam eraquaoto antes pagar os seus d-
bitos, para o que tem concedido o prazo -de .0 das
a contar desta data, e fiados os qaaes sero elimi-
nados "na fra a da le.
Secretaria da Mont Pi Popolar Pernambocano,
30 de jaoeiro de 1867.
Bernardo F.lcao de Sooza
Io steretaria.
Precisa :o de oos ou tres trabajadores pa
ra padaria qne sejam habilitados, e paga se bom
ordenado : ua ra do Qoartel de polica n. 16.
UM\
Aluga-se urna casa cora tres quarto?, duis salas,
cosinha fra, quintal murado e cacimba, na Sele-
dade, oo Om da roa da Conquista, coofronte as
mangueiras : a tratar na roa da Cadeia do Reeife
o. 3, ou na roa da Esperanza p. 83.
m
O Dr. Alexandre de Souza Pereira do
Carmo mudou a sua residencia para o 1*
andar do sobrado o. 12 da tua da (rape-
ratrz e contiooa a exircer a sua protls-
sao de medico.
mmmmm mmmmmmmmm
AVIA
Procisa-se de ama ama para casa de p )uea fa-
milia qoe cosinhe e ngomme, prefere>e -captiva ;
a tratar oa roa da Imperalriz n. 26, segando an-
dar, das 6 as 8 da aaooaa e das 5 as 7 da noite
Ama.
Precisa-se de urna ama qoe saiba cezinhar, para
casa de hornero solteiro : na roa da Cadeia do Re-
cife n. 53.________________________
Os infrascriptos eslabelecidos oesia pra?a,
debaixo da razo social de Antonio Lopn Braga 4
C, fazem publico o dslrato da sociedad* qae ti-
nham c>ro o Sr. Jj.-e Jj.quim da CmU Ferreira,
desde odia 3 do correle .mez, sahumo exonerado
o dito sucio de to a a r<:spousb;lidade, e fleando a
carga dos asnuociaolet o activo e passivo da casa,
que contina gyraod i cora a rnesma firma.
Recife. 30 de Janeiro de 1867.
Antonio Lopes Braga;
Francisco Jos Gomes.
-Na roa do Imperador o."t segoodo andar,
preelsa-se de un criado e! pr compras e mais
servi5o:_______________________________
"_ precisa se de um meaioo de 12 a 14 annos
para caixero de taberna, preferindo-se dos u!-
mos chegados : oas Qoej Ponas n. 86.________
Sanaet Power Johnston Conipanl-ia
Ruada SeoxalaNova n. 42.
AGENCIA DA
FaxadlfSo de Lew Hoor.
fachinas a vapor de 4 e Q.cavallos.
Mbendas e meias moendaa para engeobo,
Taixas de ferro coadp e badopara-eage-
nho,
4.rreios de carro para nzn e doos cavallbi.
Reiogios de oura patate icglez.'
irados americanos.
xfachiiuspara deecarocar algndo. -
Motores para dHos.
fachinas de costura-.


v -
u

&*


*-.
Diario de P-m mbuco Sexta fe Ira 1 4c Fevere.ro de lSc-7.


<




(
P
Fogio do balzo assignado ca noile do dia 19 do protimo pascado do sea sHio eon-
minado enipapo de-te termo, dous escravos de Doma Antonio e Florencio, de 38 a 30 si-
nos de idade iiooea maisou meos, rom os sisoacs seguiotes : o prin elro de c5r pr nao DaRo relilo, corpulento, devsUtara regular, espidas largas, lu nido, olhis prat
e salientes, ede um aspecto triste, e para melhar ser cooheeido leai o dedo' indkid
ana das toaos cortado pela junta do coniro (z* articular..) e me coa la que sabe Icr e es
crever, e o segundo da cor cabra, alto, magro, cabellos sollos crespos, pcuea barba,' !hps
grandes, tero ama cicatriz no qneixo, e multo fallante, lambem me consta que l e escreve.
Estes escravos nio teem sik-oal neohum de castigo, a sahiram bem vestidos e arma-
dos di espingarda faci, monrados a cavallo. cum nomes mudados : o priioeiro par Ma-
noel Jos dos Santo* e o segando por Beolo Jos dos S#olos.
Consta me qne estes eseraros tirio) encontrados no da 12 do correle, distante do
lio de S. Francisco 12 leguas, eom destino a povoacio do Jnaseiro da provincia da Baha.
Peco portanio as autoridades policiaes que deltas tiver cenbecimeoto de os mandar captu-
rar erete-los as prisdes publicas, dando disto parte ao abaixo assigaado, oo aos seus io-
teressados, advertindo uiais que as autoridades ou particulares qae os capturar, nao qui-
serem rata-Ios as prisdes pnbiicas, deverSo remelter para Caiias o Sr. Antonio Reman-
des uimares, par. o Maranho aos Srs. Rlbelro H:yer e Jos Prateiseo Lope*. & &.
e na Therezlna capital do Panhy ao Sr. tsente coronel Firmind Al ves dos S-uln. K
para certeza do qu, me obrjgo por toda a despeza qoe as aotoridados oa particulares
fkerem na captara e remessa dos mesmos escravos, tendo man de gratificado 100$, nos
pontos j iadicado>, oa emoutro qaaiqaeronde ebegue a? oniecimonio Jo nbiixo asslg-
nado, oa dos seus interessados.
Geoipapo, termo da cidade de Casias, 26 de deiembro de (66. '
Antonio Pereira Manulio.
io ao Eira vis-
do Aga Fra,
O abaiio asslgoadVlenioeom
'conde de8onssmi*"T> rtlio den
aanbenlie de baiz<>, e tt-nd i demarcado dito si-
to sendo ppprevada pela cmara municipal do
termo d< O ma a dotiarracao, rij pos-s legitima
a nao conle.-tada da '--fe'ferMo sitio ljo pfneode
dividir, convida a queqi rjueira comprar algum
lan*.oa entender-se cora o-uieso abaixo as igiu
do roa da Soledad* o. 34, ou o mesmo sio coa
o Sr. engenhelroStlte.
Pedro de SuUia Teoorlo.

DO
D. SEVIAL.
Para o tratamento e cort rpida e completa das molestia* syphiliticas, erisype-
hs, rheumatismo, bobas, gota, debilil.de to estomago, Dfiammav5es chronicas do figada
ebaco, dores sciaticas, cephalalgias, nevralpas, ulceras chronicas, bydropesias, pleari-
sias, gonorrheas chronicas e em ge al todas as molestias em que betauha em vista a pn-
rificaco do systema sanguneo.
Coaslderaees gerae
A saude i um bem ioapreciavel, cuja importancia e valor so est reservado ao en-
fermo o aralia-*o.
inconlestavel que o hornero nesle mundo constantemente, e por todos os lados
atacado por ama infinidade de agentes morbficos que todos teodein, dadas certas e deter-
minadas pesas desequilibrio o que se chanamolestia.
K molestia nio mais do que a desvirtuacio das orcas vitaos, ocasionada, se-
gundo as investigacoes e experiencias dos mais abalisado nuestros da sciencia, pela depra-
vaos dos humores geraes, consequencia da aceito maligna desses mesmos agentes morb-
ficos treduudos no organismo pelo acto da respiracao, pela via digestiva, pelo contado
mediato etc. etc. etc.
A sypln'lis infelizmente lem sido a partiltia da humaoidade, e como tora de dlvi-
da que esse terrive) Proteo da medicina unta molestia hereditaria, ella tem sido obser-
vada em todas as ida es, e debaixo de todis as suas formas tao variadas, enraquecendo
onstituicoes robustas, produzindo mutilacees, e cortando anda em Qr da idade vidas
preciosas.
Eliminar da economa esses principios deleterios. e purificar a massa geral dos
humores tem sido desde tempo iramemoriai o fim constante da medicina, e os purgati-
vos figuran em primeiro lugar para preencher esse desiteratum ou fim.
O Exir depurativo do Dr. Sevial parece merecer a preferencia sobre todos: os
rmmensos successos obtidos pelo uce deste salutar agen'e tanto na Allemanha. como em
Franca e talia, -o trname corapaolieiro iuseparavel dequasitodos os dientes.
Seodoas melestias, como cima dissemos, devidas salteraces dos humores, o
Elixir depurativo do Dr. Sevial pode ser empregado vantajosamente na syphilis, erisy-
pelas, rbenmaiismos, bebas, gota, debilidade do estomago, inlammaces chronicas do
ligado je baco, .dores citicas, cephalalgias, nevralgias, ulceras chronicas, hydropesias.
pleurisias, gonoprheas ehroniets etc. e em geral em todas as molestias em que te lenha
em Treta -a purificaco do systema sanguneo; pois que wna pratica constante tem feito
ver que elle indisposavel nos casos gravissimos para minorar os soffrimentos, e pre-
parar o doente para medicaces superiores; e as meaos graves a cura a coase-
queoci* d sen ase, convenientemente repelido.
As'strotfctas qoe entram na compostrao do Elixir depurativo do Dr. Swiai
pertencem tedas- exclusivamente ao reino vegetal, e grande cathegoria das substan-
cias depurativas e .aBii&ypaUiticas; ssim, ao passo que este remedio depura o orga-
nismo, elrmroandfl. "Os priocipios oclos saude,, pelo mecanismo natural das evacu-
ares ah'inas, neutral sa ae mesuio tempo o virus syphilitice quando este virus j
tem eito eroprfo no exterior rKt.aixe de suas multiplicadas formas ;e previne tatn-
bem os estragos dessa terrivel molestia, quando por ventura se ache ella ainda no
estarlo de encubapao, isto sem se ter manifestado sob formas exlernas: beneficio
immenso, tanto mais quanto neste estado os individuos igocram completamente se es-
tae contaminados por este terrivel inimige,
O sabor agradavel d'este Elixir convem a todos os estmagos, a sua aeco so-
bre o tubo intestinal suave e benigBa, e de nenhuma forma prpdoz molestias medi-
camentosas, como acontece ao purgante dito Le Roy, que na sua qualidade de drs-
tico forte irrita a mucosa intestinal, e consecutivamente a seroza, resultando 0>sle es-
tado, muitas vetes, hydropesias^ que quasi sempre .terminam pela morte >!o doente.
Assira pois esperamos que o uso deste remedio justifique cabalmente as nos-
sas asseveracoes, porque sendo om medicamento t3o simples na sua composice. a
pratica tem confirmado sua nlilidade.
i'lea deposito em Pernambuco
Na botiea e drogara
BE


Baroihorneo Compmihia.
31-RUA DO ROSARIO LARGA-Si


.
Para educado de meninas,
estabelecido na grande casa contigua
igreja de Nossa Senhora
da Soledade,
EDIRIfilDO
PELAS IRMAES DE SANTA DOROTHA
SOB A PHOTECCO
Ou
EXM E RVM. SR. DR. VIGARfO CAPITULAR DA DIOCESE.
X-.-tn collegio, coja abertura oeste aooo tera' logar tt do rorrele, recebem se
m*ninas de 6 a l? aonos para serem educadas e instruidas en) todas as materias oecei-
sanas a urna senhpra.
Havera* meninas Interna*, meio-pensionisias e externas.
A* Interoas pagarlo 33fO00 measaet, rario-pensionistas I5000, e a* tiernas
5400P. nao sendo pobre?.
Logo qoe o collegio contar oro numero aofflcienie de pensionistas, ira' admitiindo
gra io llmente para Interna* algamas meninas pi brea.
Para admtssao de alumoas e para qaaesqoer esclarecraentos trata se eofi) a eepe-
riura no me=mo tstabelecimento a qualqoer ora do dia.
t
VERDADERO LE ROY
de SIGNORET, Doctear-Mdeein
Ru de Seine, 61, PABIS.
CASA M FORTUNA.
Aos 6:000#00.
BUfaees carautldos.
A'r!l^ P CKESW N- 23 B CSASaB 008TME
u anaixo assignado vendeu nos seos amito folj-
:es bilnete* garantidos, da lotera qfle se acani|i
de "tralif reneiici, da coloaisaco polaca, $
fegaintea piatos:
2" ^Lammei0 fc,lnela C!n >*< 1:2004
H- **& bPW inteiro eom a orle de 300*.
g. 1588 d_n;quiri'j$ cjoi a orte de 5004.
E outras tnaitas sones de 1004, 404 e J04. '
's possuidores podetn vir receber seus respec-
tiTospremlossemosdesconlos das leis na casa
daFortuna a' roa do Crespo n. S3.
ACham-sea venda os da 3. orte da lotera
(o ; a beneficio das famillss dosvolootaros da pa-
tria qoe se extrabira* setta-feira 8 de te>ereir
Prec.
gjlhelea........ 64000
os.....,...... 3*000
Qurtos.......... 14S00
MMiai |N cwuprarem de lOO^OOf)
faracina.
Klhele.......... ajSOO
mmmmmmmmm
Para u
u
Jfelos............ J4750
Qawtis.......... 14375
Maooel Marlinc FluW.
Fm cada Eirrafi, ral, catre a rolhi *tpl
<|iw Irra o meu lincte, um rotulo ti peni a 1
rrlln eom o SELLO iMPHIll M (nui Ifffiri
'V. B. 1 tmellcndo-se iiia titira de &*0(l
-ble i'.ir.s, acrilavri a 60 dial it Ttota, a*
vr.i-tr do lialimciito e do malor daacMlo.
l'flH'sItn |iriuci|>at
'i> Ifitims |. Rof
"n a/a do nosto
ii ..f! agente pelo
>rlt a Ss AXTo-
mu Faixt: dt l.i-
n. na Baha c
iiivpruciuati pbar-
nacriitrr.i..

FERRO QUEVENNE
Approvaio ptU Academia de Mediana,
AucUritado ptr circular especial dt Himittri.
0 ferro pi evento se na em todos m ea-
oj para os quies as ferreo ato preacripWs; nU
fas oa diales Icarem retos; he a frtjUuM a
mais actita, a maii agradatet a maii teoio-
mica; muitas Ttiet um faaae* bd (McaaM para
corar ama chlorosit. *
A experiencia me pro ne aenauma pre-
paracio frrea M aupporUa maia facrlmenU
aut o ferro jubvenne, em obaerrawU u
limites de dose* amito refaadu.
Boccmasdat, AfMHMrw da tktfftutie*, IMS.
Fero liyss vmde-aa traaaai i*
thdid. Wm. rraaiit. .
Deposito geral em eaaa a EanUe Gemaarota,
114, rae dea leaiix-ArU, em P&rU, em tadaa a
I boticas. Sigir-o Sintlt Qtttin$ a taarca
I de Fabrict Mima.
.IfS d? *,eitl "8Us 9*** o* moito con-
eertoad* fabrica da viova Rufino : tratas no ar-
niaiem da bola amarella, por- baixo do sobrado n.
a roa do Imperador.
"La'?"0 Hn'0 de Veras tere de segaaf den
tro de I* horas para o presidio de Fernando, dondr
partir para a corte do Rio de Janeiro, coa a in-
tencao de passar se ao Paragoay, aflu de reour
nof ament seos debis aos possantes es (oreos dos
travos qoe estao empenhados na pon-ci dotyran-
00 rJSft rP0bllca. Em conseqoencia, io poo-
de despedir-se de cada om de seos amigse rel?.-
C1S*.*; Ped2rlbes. PO's, descalpa desta Jaita in-
Toiununa, e oflerece-lhes seus sericos tai qoal-
qoer paragem em qoe booter de acharse.
Recife Iilustrado.
A reddaccio desie peritdico, avisa ao respelu-
vel poblaco, qoe do mez de fevereiro em diaote re-
cebe assignataras para o terceiro trimestre, na ra-
iso de 2* para dentro da provincia.
randehainazem de tin-
tas medicamentos etc.
lia 4 ImnenJorD. tt,
'i Prodnetos chimicos e pharma-
feooticos os mais empregadoi em
medicina.
Tintas para todo o genero de pin*
tora e para tinturara.
Productos ioduslriaes e tintas
para flores, como b o toes de llores
e modelos em gesso para imitar
fructas e passaros eom o compe-
tente desenbo.
Productos chimicos e indostriaes
para pholographia, tinlararia, pin-
tara, pyrotecni"etc.
Montado em grande escala e sup-
prido directamente de Pars, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa
pode offerecer productos de plena
conSanca e satisfazer qualquer en-
eoamenda a grosso trato e a reta-
mo por prese eommodo.
mmm mmm-ixmmmm&
Fia dealgoda da Baha
Vndese oo eseript ario de Antonio Luii de 011-
VEira Aievedo c a, no seuescriptorip roa da Croi
n. 1.
mk
Na roa da Praia o. 35, segando andar, precisa-
se de ama ama para cosinhar e engommar.
l^fae lio .uuirt'cur aeta rnurmucii
A mdicos afamados, para o iralamento de muiai
molestias, mesmo para as ajoe ressteai as oolraa
aardicace*,
A elrciridade pradnaisfe pela friccaolem na
mi;:: r-r.dade irontestavcl, a tanlagem de nao
dar aba ios, e de poder ser (raaHisda pelo
A can a mais freqw.ote da* aaolesiias a
estagnaca do stugue oa dos ouira liquidas !
Iji'. Reslablecendo se a cfacula^a no orga-
""iho, cura^ao-sc as oirdeslias.
Qtraudo se seut' aiguom dr esa ajeolquer
parte-do carpo logo, eiastiuctivamenti-, seerfrega
o hasr einlolorUlo eom a ma, e isi allkia. Isto
riplica o ir-nliado inconteslavel que iteve pro-
duir uia ap^nreluo c rclrk. Por isso i. nos
'praiercniKununriaraaPolilicoqueoSiirBuissoB
de Bivilrrs re- dciKe, boulevarl du i'riiice-
Kupeiie, 18, efli Paria, dolou a medicina de uai
appa^ellio Eleetro-Kagnelieo, sob a forma de
iima cova, cum o paal os doemes se podero
aauarsem ncliuoiaoutra niedicaea. ODedica*
"fea tem eipcriitieiitado, alleslara que a
Eboot LEorao Maohbtic etaca para
curacasBbeumatKoios.aParalytia, Gottav
' *~r tebral. debilidad* geral, Wevralgiaa, eto.
Embjos ceno que arete cada faiailia pussuir
taeicova que prestan grandes senricos.
A pedida de *autaspessoas,u autor dccdio-sa
a eslUncer uat depaftfto de seos appareibas ne
iliv di Janeiro, em rasa do Sn Diuiaa Roma,
m nev do Outider, U.
Dr. Ignaeio Alcibiades Vel-
Moso
MEBICO.
Cofllioa a residir na roa da mperatriz n. 48,
** *aS?r> onde Potle ser procorado. D consaltas
das 6 is 8 horas da manhaa.
Joao Goilherme Romer, participa ao respei-
tavel publico que madoosoa officinade ferrador e
pintor da roa da ponte Velha para o caes de Ca-
pibaribe o. 18 e continua a trabalbar na -ua nu-s-
ma proisso.
MEMLHA OCRO. PREaioDEis.BMF:
auiNA
ferin^ie-Firtificjitte
H. II..O 101 MM iwn II Mili.
>pe>bjBentadi eom .pleoo suceesso aa.
Iiosfsnev a qulo^/Laaacae (ou extraalo
comHlrto *W quinal i urna preparacaa
(irrarJona!, por ser amada do amargo
daqaau. jtpaada poreonsrjuliiteaspcssoai
-* imaa tiridlerantes e aos palada re os mab
dccad -*,<>oii ai e mua doce Dea mullo
iwK-sii. anido de orna liaipidez eonslante.
Eii.prega-ee ara muito pcareito nos casos
de 6*MatgU. g,,epC, Tralgia, ane
_, na*a*n. cacbrxiu, magrez.,
-faitiofem cu,a...|.parcotr^oQvaleen-
Va d Tn.rarfai. Atorse e esrophulas
esp.'cilirn das aw>leMias fibri.
0(1111 (.MCrtC FEWHGNOU
Xvtht J*.'.-, ,t raKwfudM ix !. 4, ^j^
ti, .tu tfiSm.' j&&sj^es*J
*. iUATJIiER rk Ca
ra Nbva'ft.
... ,ii i
THLBOS UMARO8-
DO
RECIFE A APIPUCOS.
No dia 3 de feverer j bavero t eos a tioras io-
determinadas, partindo o primeiro do Recite as S
horas t^'i manhaa e o segando 40 minutos
depo1-. :dssim contiaoario todo o ia e noite,
uiindo para o Caldeireiro pooco depeis do trem
i- do fall.
O primeiro trem em cada viagem vo serapre
^ em direitara ao CUdeireiro e vire-vera o segun-
do parara, nos pontos do costurae.
PrevHae se aos Srs. eassa^eiros ^oe iMogoem
seguir*' para pooto al^m da IiqIw em que va"
mooiio do competeote<>ilbele.
AO LiDIOIIVH,
ILLU&A0AO i\ATCJRL.
Francois Meno, fax ver ao respeitavcl pnblico
queso dia 2 de fevereiro sero mudadas as vil-
las para secolioearem ontras e maeniflras, e o que
la de mais superlativo. ftttM por tfr. Berreog e
reconbecido o meiber artista m deseoho, seos
qoadrbs de baialba, sao como a realidade e es oo-
tros felo mesmo gosle, a detiaicae desles quadros
se aar^ntra-ao sobfe a u-meraeao dos uculos na
raaJaImperatrEn-3i, loja, a maoera de um
jirdim chinez, s e admitiera pessoas deceuie-
rneoe ve*ti4M
Homens e-enboras i*t000
Mebfuos : 500
Familias as.3 prwneras a '000
As qoe scederem ou meni-
nos 500
___
'stou macado
a^aov^ndo nwodeawiiodPdHii/itftHo n. 26.
deparei cora orna certa dse que nao me *gradou
muito, como fosse trocas ou brocas ou tetas, bu-
Mirad nao sei por quera porm agora trato de sa-
ber qrD fot o fntor ti* f.l paiosca;la 'se sonber
ai de>le, ai de mim poT^ue a minba dijoidade nao
deve ser abneanhada p<.r qo.ilqoer Vmjpajwuirrim
porqoe a minha bc*ra e a rainha htnfcjdade ah
ab ab *b etc., etc., e tai... esta' provada evi-
dencia, espero nao veltar a carga.
Seo Uiigo,
Jo.- Triatioario (indicador.)
Vende- e
Motores americanos para doos cavallos, dito dito
para qoatro cavallos, machinas para descarocar
algodao de 14,16,18, 20, 30,35 e 40 serras, pren
cas para enlardar algodo fazendo as saccas coa
seis palmos d coraprimi'nlo, eom o p'S3 de 150 e
200 libras, vindas ltimamente da america; no
armazem de Henry Forster di C. no ca Pedro ,
0. >, jonto ao gabinete portugoez.
Ttetv
r^p s-t o O
& = ' a C
K a- o 3. a. a> -i 2 53
a "* 2. s> E. c* i: i V I w ** SO 3
S S. o. o> % 5 *rs
8 8 so
I 11 i r
* S-3 3. .
S P e i es
t er. 6 2
" 2 Q o. 2.
a, o> es
Farello a 4,f0a novo.
A roa do Apollo n. 4
Vende se
Joao da Silva Faria & lrmo, oa roa da Croz o.
66 continuara ter a' venda vinhos de Bordeaox de.
boas qaahdades, sendo branco engarrafado, e tinto
era barri<. qoartolas e eogarrafado, assim como
champagne kirsc. ________
Atten*;So. "^
Na ra do Qoeimado n. 7 vende-se urna rica ar-
anatSo propria para goalgaer negocio.
Oleo de liiili.ica
Vende-se oleo de linhaca om pooce escuro, pro-
firi tara tinta escora, a l280 o galio : oa roa
larga do Rosario n. 34.
ufe
^_



NOVO DEPOSITO
jaira r
.
PARA DBSCROCAR ALGODAO
Manoel Bento de Oliveira Braga.
53-H DlrclU mu53
Neste estabelecimento se encontrarSo ai
verdadeiras machinas americanas chegadas nltima-
inenie, as qtiaes sao feitas pelo mais afamado fa-
bricante da America, por isso avisa a todas as pes-
soas que precisaren) comprar, de se dirigir a este
^estabelecimento que comprarlo das mais perfeila.
neste genero, assim como mais barato do que em
ouira qualquer parte, por isso que se recebe por
conta prop' ia, bca o>oio cannosde chumbo moi-
Enhos para aMer milho, t grande sortimento defer-1
figens e mAtejai em grosso e a r*ta!bo.
Proclaavaecle a ata ama para lavar nMm mar:
nt ra do Trapiche o. 36, 2* andar.
~^*Precisa-.sa>de au aaaa para'"
casa ale homem soheire
oiiobar para
oa roa da Aurora a. 54.
MMt&aibs
COMPRAS
Na roa da Cadeia do SeciCe b. SO, preclia-M de
orna ama para cosinhar.
Jos tapes Albeiro, teodo de seguir boje 00
vapsr Iraneez para Portugal, adra de tratar de
negocios de sua familia, e nio teodo tempo para
se despedir de seos amigos pede por esta falla In-
voluntaria drseulpa e Ibe offereee seo prestimo
naquelle Reino, assim como doraole o pooeo teni-
do que all tem de demorar-se deixa nesta cdide
por seos procaradores aos Srs. Manoel Jos tiae-
des de Magalbes, Franco Coelbo BraodSa a Ao-
lonio Goocatves Costa.
Monte Pi Portguez.
A directora provieria leva ao conher.imeoto
dos Srs. associados, que fci nomeado embregado
externo do Monte Po o sieb Sr. Joan Fernandos
da Silva Oiiveira ; e que p- r elle vai mandar pr#.
edn a d-tnlraica dos diplomas e cobracea das
raensai; 4Jes relativas ao semestre find.i em de-
xemriro p?.ss?.do, tendo eada-ocio de dar a quan-
tia de liOOi pelo re-nettvro diplomr, conforme
determina o g 1* #) art. 11 oos eutoto?.
S-icri-taiia do Meato po Fortogaez rm P.-rnam-
buco 28 de Janeiro de 1867.
lof da Sil? f^iyo,
Presidente.
J Secrtiarij.
Oompram-sc escravos
Silvino Gnilberme de Barro?, cosipr, vende e
troca efectivamente escravos de iiatio* o* sexos
e de Udas at idade- ; a' (ua do Imperador n. 79,
terceiro andar._____ _
uro e praia.
Ej obras wlbas: compra-se na praca da ln
dependenclo n. 22. foja de bithptes. .'
*? CotaVam-** ras lerlaaas: oa praca da
ndpendeocia 0.22. .. K ,, .
Corapra-se r.uro, praia pe-iras .replosas em
obras vellos : na ra da Cade do Recife loia
de oorives no arco da CuHcelcio.
cobre, lati e chumbo : no armazem da bola ama-
ren, por balxo do "sobrado n. 9 da roa dj Imoe-
jador.___________________________________
Compra-se om prelo : na ra da crui n. 6,
iraff**""
Xibrs
0 Antonio Uiiz de 01 i ve ir a Azevedo c C, roa da
fin 1.________________
Coeapra-se om escravo; oa roa da Cruz ou
mero t.________ ,
- Comprase urna escrava que saiba bem eosl-
nhar e engommar : a tratar oa 1 ai i, Cibngi o
1, loj.
XAROPE
DE CASCAS DE LARANJAS AMARGAS
K P. Eiaroze, pharmaceutleo
em Parla
35 anues le successos atie.-tam a sna e&lcaeia,
eom*:
tonk ExaTANTE, para ajudar as func-
coes do estomago, assim como des intesti-
nos, e curar as doencas nervosas, agudas on
chronicas.
tnico anti-nervoso, para cur?r os incom-
modos percu sores dedoeocas assim evita-
das, e para facilitar a digesto.
anti-periodico, contra os calofros, calo-
res, eom t.u sem intermittencas, e que teem
porospecificos as substancias amargas; tam-
bem eflicaz contra as gastrites e as gas-
tralgias.
tnico reparador, para combater a ex-
haustac3o do sangue, dispepsia, anemia, es-
goiamnto, inappetencia, langor etc.
Deposito em todas as pharmacias e casas
de drogaras no Brasil.
ExpedigSes. em casa de J. P. Lazore. roe
desLions-St-Paul, 2, Paris.
Deposito em Pernambuco, pbarmacia de
P. Maurer A C. roa Nova n. 48.
Calcado barato
Yendem-se na praca da Independencia os. 37 e
Bjrzegjlos de lastro para bomem a 5*.
Ditos de beierro para dito a 6t.
Ditos de pellica para dito a tifi.
Ditos para senbora a 'J e 44.
Ditos para menioos a 2500.
SipatSes inglezes para bomem a 3X600.
Ditos dilos para menino a 3.
i'itos de tranca a 14.280.
Campos df Sobrinbo, tem para vender en
porfi e a varejo : superior cal de Lisbo, por
menos preco do que en ouira qaa'qaer parte, v|.
nbo do Alto Dooro, especial para a estacao calmosa
per ser inteiramente pnro, ovas do serto rooito
frescas : a' roa do imperador n. 28, defroote da
reacio.
Veadeic
um cabriolet de 4 rodas e orna meia calessa pio-
lado e forrado de novo : no caes do Capibaribe.
Manteigajogleza flor por 800 rs. a libra, cba,
rotos delicias apraziveis a IX a caixlnba de 80 :
a roa da mperatriz n. 6.
Espartilhos.
QA agola branca, na roa do Qoeimado o. 8. rece
2S? r9mfS.* **" LWM esparlhos, e
continaa vende-los baratamente comod'ante*.
Argolas de borracha
para atar papis, segurar manguitos, etc., etc.: ai
N i'afiU fcr*oca, roa do Qoeimado a. t.
JioirvAi;.s
para 1867.
Asslgnatoras para toda* o* peridico da Euro-
pa e o Brasil.
Distrlbulcao gratuita dos catlogos respectivo*
ROA UO CRESPO N. 9
WAmrl* Fruaceza.
; Reqaifes ou baUiolios de cambraia.
I A aguia branca aeaba de receber um bello sor-
i 11SI10 ^e ['qatt*s ia babadlnbos de cambraia en-
eitados de branco e desceres, e moi pmprio* para
I vestaos de senh^ras e meninas,- e mesmo ooiras
otras a que as senhufas nS py||cam eom acert e
5^Aas ^ecioftas sao dt3 5 noeiros a vendeo.se a
do Q?eima*dof 8* '' M 'jl '*Baia braCa fU*
Albons'para retratos.
**.?'* braoc* recebeo novo sortimento de bo-
ac'!S08^*"r,,r;,O8eeoa,,Daa a vende-los
conw sempre por prreos commodos ; comparecam
agoU bKn 8." aM d Quemad l0,ad*
Novos enfeiles para vestidos.
A agoia branca a ra do Qoeimado reeebeu ne-
vos eufeliet para ve? idos troaado-se entre elles
as cascarrilbas eom fcico, obra nova e de gosto.
Bonitos chapeosinbos modernos e primoro-
samente enieitados para senlioras.
A loja de miudezas a roa do Quelmado o. 16,
recebeu pelo ollimo vapor esses booitos chapeosi-
nhos obra de moito gosto n elegancia e bem ne-
cessari'.s para as senboras que lem de dar algctn
passeio as estradas de ferro, assistir as kestas dos
aprastvels arrabaldes, fazer visiU etc., ele. A
quaotidade pequea e o preco eommodo por isso
quera nao se adiaotar 6 aniscado a nao acba-lo*
ma s em dita loia de miudezas a ra do Qoeima-
do o 16.
Carteiras de algibeira eom tesoura. ponte e
mais necesarios para viagem.
Vendem-se na loja de miudezas a roa do Quet
raado o. IS. .
Coques fiugindo cabello.
Lisos e crespos, siogelos e compostos, de gomes,
caados e redondos, cobertos eom fllet simples
de vidrinos, ornados eom flores e Atas, obra nova
e de goste..
Paca senhoras e ftuiuas.
Leqoes Anos de madreperola e osso, todo de sn-
dalo e de sndalo eom seda, eom unos e bonitos
desenhos.
Obras de madreierola.
Bonitos peotes de madreperola mui alvo para
coques, lindas flvellas de dita dita para cintos, de-
licados alneles e brincos, botdes para punbos, c-
bra prima.
Aderemos, pentes e v.-llas igoaes de dita, *
brincos. Pivellas e Otas para cintos, cintos mati-
sados, obra novissima e de gosto.
Lidos eufeites Boaoltoa para
senhoraa
A agola branca tem a atisfacao de noticiar a
sua boa freguezia que acaba de receber lindos en-
fetes i Bonoiton obras delicadas, de conta e ulti-
ma moda, o que sera devldameme apreciado pelas
excelleutissimas senboras de bom goslo. Os pro-
cos destes enfeiles rao commodos e is.-o verificar
quem se dirigir a roa do Qoeimado loja da agola
branca n. 8.
Ramos de florea floas.
Como geralmeote sabido, a loja da aguia bran-
ca o jardira das finas flores artiflciaes, e alera do
bom scitimento qoe sempre se acba em dita loja a
aguia acaba de receber novas flores as qoaes se
conhece o rigor d'arte imitando as flores naturaes.
Na loja da agola branca a rna de Quelmado n. 8
acbaro os apreciadores do bom e delicado caixo da
flores eom compridas ramas, rosas, etc., lado de
melbor gosto e primetra qualidade.
Beias prelas para padres.
A aguia branca a' roa do Qoeimado o. 8 rece-
beu novo sortiroeoto daqoellas boas meias pretas
de laia que continuara a ser vendidas a 5J000 o
par.
Visporas e dminos.
A aguia branca a' ra do Quelmado n. 8 rece-
beu novo sortimento de visporas em caixas de ma-
deira e papelo eom 24 e 36 cartSes, tendo entre
elles a'guns eom cbapa de metal para cobrir o nu-
mero ; assim como dminos em caizas de madetr
branca e enverninda.
Kap Paulo Cordeiro.
A loja de miudezas a' ra do Queimado n. 16,
recebeu nova remessa de rap Paulo Cordeiro, e
continua a recbelo por lodos os vapores, para
que os apreciadores aehero sempre boa pitada.
Bot5es grandes
e psqaenos, pret s ede -otras cores.
A agma branca receben um bello sortimeuto de
boloes de diversas qnalidades e gosios os ma^s
moderaos, a elles boa fregneiia da aguia branca,
comparecam a roa do Queimado p. 8.
Mtws aderemos do tirados
Na loja de miud.zas a roa do Queiui.ido n. 16,
vendem-se bonitos meto* aderegos doui^i.! nuo
obras rani bem acabadas e de novissimos n.ulde*
gostos agradaveis e precos ta'o commodos que ne-
nnum comprador objectar.
Amostras de obras douradas
A aguia branca a ra do Queimado n, 8, rece-
ben urna peqnena quactidade de melos aderefos
dourados, obras de moldes inteiramente novos e
agradaveis, e acabado^ eom peiteiqlo e mesmo as-
sim a aguia qu*r vende-las baratamente para aca-
ba-las at o fim desta semaca. por s?o os preten-
dentes compareg m manidos de dinheiro.
[rritacrio dos pulmSer. angT-
nas, tosse, escaros de
sangue, erupo ou garro-
tilho, catarro, rouquidao
a todas as innumeravei molestias que affec-
lao aos orgos da respirado
OESAPPARECEH
odiante a acc3o da balsmica e irrev
ANACAKUITA
s-w*
VENDAS
Vende-se
urna escrava moca mallo umita figura sem defel-
to e era achaques : a tratar oa Boa*Vista eom o
Ir. Aniooio Cirneiro da Cunlw.
Vinde-se uma escrava eom O annos de ida
le. perfeita eogomraadera e costurara, coslnha e
Li lodo servio d*oma ca?a eom asseiD par ser
iwit<4f!ijji; BJ roa Oireita c, Jfc. f dir'
Ijllt! \ ti.lt.
- Vender orna armcao qoe serve para anal.
4uer negocio, leudo a casa moradia independente :
as Cinco Ponas a. 68^ .
nrvRb DO POVO
ron
*olT"? nodrljines.
Cirrarecommendada e approvada neloTETrnt
cewapo* da Babia e bispo do MaTnbcTe adop"-'
m,,\!5 "d?U1 primari" *> Ama*onas, Pa7'
MarapMo.Piaoby,Ceari,Pirahiba e feroambo-
co; a edtecio eom estampas e ntidamente im-
eresso. i fok eartoBado. Preco II
Veofle-se na livraria Eoooomica defronte do ar-
co de Santo Antonio.
1 ,_______________________ __________________
fin roa dos Coelh n. ft, vende se om ca-
van., bom esqulpador e andador debaiio e vnde-
se por eommodo preco.
PEITORAL de KEMP.
a anacahuita mexicana qoe d o nome es-
pecial k este incomparavel remedio, urna
arvore, coja madeira por mnito tempo se
ha osado no Tampico para a cora das en-
fermtdades cima mencionadas. Foi tam-
bem ensatada e approvada pela-academia
medica de Berlina O peitoral de Kemp
om xarope delicioso inteiramente livre de
opal, acido hydrocyanico e outros incre-
oJeotes aonvoi.
A* venda as drogaras de Caors A Bar-
boza, Bravo 4 C. e em todos os estabeleci-
mentos pharmiceuticos do imperio.
Deposito geral em Pernamcaco roa da
jqi n.-att ea casa de Caros
A* precos redusido?.
Vende-se papel mabrado do melhor gosto, che-
gado altimamente de Paris, o i* tamanho 30 veis
* fclha e 640 a mi, o 2* a 40 a Mea e 800 a
mi, o 3* a 50 a folha e 1JOOO a mo, o 4* 60 a
folf' e I200 a mi ; dito aarroqoinado de dif-
ferenles cores, moito tneorpado a 100 reis a folha
e U000 a mi ; dito achamatclado a 160 a folha
e 34900 a n-o ; dito d'uma > cor, marca grande,
30 re a Mba e 600 a mi ; dito chagrn, rnuitu
Moda a 120 folha e 2*500 a mo; dito de peso
tarjado de pn-to, para lato, a 80 reis o qoaderoo
e 310 a mi de 25 'olhas; dito eom beira doura-
da, polo mesmo prreo ; oa ra do Imperador -
15 defroote de S. Francisco.
Folhinhas em .Uemao
PARA 1867.
Llorarla francesa
Roa do Crespo n. 9.

aalaa
'


Mi
BUrlo de rer0mo ^U/elra l sJe^eTwrepro de 1867.
O ARMEZJM
AHMA/KM HE PAZENDAS
hw
NIAO
53 RA DA CAOElfl 53 -
PAg^AXDO O ARCO DA COWDfilOlO.
Acaba de receber e tem por bartennos picos
lm de smi acostumdo e muito completo sortimfito
de gneros os seguintes abaixo declarados.
Queijos de Minas.
"negados pelo ultimo vapor a 10600 rs.
flomma de milho branco
americano.
OLYMPIO GONQALVES ROSA
Ra do Livramento n. 14.
i
MSGATEL DE SETUBAL
o muito excelleote vioho muscatel pW 200
a caixa de duzia e 2# a garrafa.
CHA :
hysson de primeira qualidade a 2*51808 rs.a
- libra, oxim o que ba de. raaisiao a II rs.,
melhorqoe ha para papa, po-do-l^DOio, a|m destas ha ^^ outras ^apjdes
angica, creme etc., maito substancial e
ondavel a 6*0 rs. cada pacote de t libra.
SALM0 E LAGOSTIN
shegado ltimamente em latas de 2 libras
10600 rs. cada ama.
HOCOLATE
irancez a 500 rs. o pacote, dito hespanhol
pedal, o me'hor que temvindo ao merca
4o a 10280 rs.
LATAS DE LINGUICAS
com 6 libras ermeticamente fechada a
U600, e de barril a 640 rs. a libra.
VELAS PARA CARRO
m pacotes de 8 velas a 900 rs.
VINHO DO RHENO
* BORDEAUX
4a* mais acreditadas marcas: S. Julien,
flant Brien, St. Emilion e St. Esteph a 800
rt. a garrafa e 80000 a dazia.
O EXCELLENTE E AFAMADO
COLLARES
engarrafado da bem conhecida casa deDe-
ant & C.a a 100000 rs. a duzia.
PORTO
diversas qualidades engarrafado, inclusive o
aais fino que ha n'este genero por 800,
10000,10200, 10*00 e!05oO rs.a gar-
rafa.
OLD CHERRY
o mais supeor do mercado a 10500 rs. a
garrafa e 150000 a duzia.
VINHO BRANCO
txcellente quatidade, de Lisboa, e proprio
para missa a 800 rs. a garrafa e 80000 rs. a
caixa de dazia.
VERMOUTH
(uperior qualidade em caixas de 12 meias
rarrafas por 120000 rs. e cada meia garra-
fa 10200 rs.
proprias para vender a retalho, que-se^reade
de 10000 rs. a 20 rs. a libra.
CfA PRETO-
o mais especial que tem vind
cado a 20600 rs. a libra.
a este mer-

MACAS j|
^'estrellinhaspara sopaem caixaroortioas de
8 libra por 40000 rs, palharim, ma^rrSo,
ttc.., a640rs. a libra. '
PREZUNTS
os verdadeiros de Lomgo a 640 rs. a libra 9
560 inteiro.
JALEIA DE MARMEELO
em latas a 800 rs. __
MOLHO INGLEZ
diversas qualidades a 720 rs. o fraseo.
MOSTaRDA INGLEZ A
maito nova a 800 rs. o franco.
MOSTARDA FRANCEZA
a 640 reis o frascos^
ARENQUES
em [atas a 600 rs. cada urna.
GARRAFAS
brancas para mesa superiores, a 50 rs. ea
60 o par.
COPOS
diversas qualidades e tamaobosa 30 rs., 4"0
50 e 60 a duzia.
CAPACHOS,
decores e difieren tos tamaitos a 500 rs.
640 e 800 reis.
BALAfOS
diversos feitios e para compras desde 500 rs.
at20 ; ditos grandes proprio para roupa
de 30 a 50.
GAZ
o mais superior gaz.liquido em latas grandes
com 5 galSespor preco de 100 rs.
propietario desta estabelecimento faz sciente ao respeitavel publico e aos seas amigos
freguezes, que tem augmentado a sua oflkioa de alfaiaie, e dirigida por ara hbil mostr, se encar-
rega de fazer com promptidao qoalquer encommenda, das pessoas que quizerem honrar seu esiabelo-
clmento por.pregos mais baratos. .. '
Assim como tem um completo sonimento de fazendas finas (as
corar as lojas do Livramento) espera que seas amigos e tsegiezaj r*
oois vende mais barato que oottq qualquer. 1 vil uT v J
es nao sendo cosame pro-
nrem eom suas presentas,
RA D4 G4DEIH3
GRAIOE LIQlTII>AAO
6

23 Largo 4o Terco 23.
Joaquim Simio dos Santos, dono deste bem sortido estabelecimento de seceos
molhados, faz sciente ao respeitavel publico, tanto desta praca como de ora, que ve-
abam fazer suas despensas a este esttbelecimento para verem a grande differenca qae faz
para meaos preco, caso fossem comprados em outra qualquer parte. E todo o freguez
que comprar de 1000000 para cima ter o descont de iO"/o pelo prompio -pagamento,
faz-se esta grande diferenca por estar-se em liquidacao.
Gaz americano a -loo rs. a gararfa, e 90 a lata.
Caf do Kio de 1.a e 2.* sorte a 24o e 2oo rs. a libra, e. a 60 e 70 a arroba.
Queijos de diversos vapores a 204oo, 208oo e 30ooo cada um.
Phosphoros do gaz a 402oo a grosa, e em porcao se faz abatimeolo.
Cerveja de diversas marcas, duzia 50, 505oo, 60 e 70
Arroz da me'hor qualidade a 12o e Uo rs. a libra e a 30oo e 302oo a arroba.
Papel de linho marca vado a 40ooo a resma, em porcao haablimento.
Ideai no de marca marte Uo a 505oo e 60 a resma.
Vinho das melhorese mais acreditadas marcas, a 207oo, 30 3#3oo e 40 a caada e
a 36o, 4oo. Seo e 56o rs. a garrafa.
dem branco superior qualidade a 40 a caada e a 56o a garrafa.
Cha mindinho e graudo da melhor qualidade a 20, 202oo, 25oooe 208oo a libra.
Manteiga ingleza fina, a 10100, 1012o e 102oo a libra, em Larris ha abatimento.
dem mais baixa a 720, 8oo e Ooors. a libra, em porco ha grande abatimento.
femfranceza muito nova a 64o rs. a libra, e em barril ha grande differenca.
dem mais baixa a 48o, 52o, 56o e 6oo rs. a libra, em porcao ha abaUmeto.
Vinho do Porto engarrafado e em barril a 64o, e a 10 a garrafa.
Alm destes gneros ha outros moitos assim como bolachinbas de soda a 101oo e
20 a lata, cbouricas egenebra'de todas as qualidades, massas para sopa, copos a 50 a
uzia, s no Conservativo largo do Terco n. 23.

B4SQIMSD1
Af lja de fazendas ce Aiiaslb| PfAo t% Gr
' 11Ra do Qwvado--Al*l ]
C. chqgarara as raelhores basquinas de seda
icos preces. | Ji
; para paitos e partidas.*
A' loja de
preta que se vi.
' Vestidos de
Reos vestio>sJife t$f]*}>m mak e espolia para,noivss,
CoVumes cmprelos de^asemirapara ho^eas^ faf eida especial, sendo
as calcase paltotsda uHima moda. CQ
Bonets de palha da Italia paraseqhoras e chapeos Se phanlasia para ho> ap
mens. Jt
Enxova,es^ vestidos bardados paia baptizados de 100000 a 3O0OOO. ^fi
Camisas inglezas para hemem, pato, punhos ecolarfnhos delinb* supe- tP
rior.
jteia^ Jims.-leudes
a,do jay senhoras.
le dovas.
ib janellas.
r pasaos para cobrir mesas.
Bramante, Brilbanna, Micinnes ou cambraias de pafos, fazenda muito
bella para vestidos^ sileajas, bretanh|s, e cambraias transparentes tapada e
de linho.
Moireantique brwco e preto, sedis branca^,-de cores e pretas, e gres-
denaple d|e todas as qaalidades. / *
Brins de Bnho branco e de cores flos nk^ores. ^ '
Neste estabelecimento ha sempre |ortimnto das-melhores e mais baratas.
Estehsas da India para for-r salas
11 Roa do iBeimadoU
Rias saias de liaho bordadas,
bordados, camisas, camisinhas, manj
Colias de seda, e de la e seda pa
Cortinados bordados para camas
Tapetes para sof, cama e piano

y hji

>

M

1
.

LOJA DA FRAGATA AMAZONAS

DE

-
Monteiro ft Gmmares.
. S Roa do Qaeimado n, g,
SMIm 08?8? n,V estelecimentocba.nam a altancio dasExmas. senhoras que
VSJt Z^T ? d ?odl8i Para fe se ,dignem vir a Passe, a seu establecimen-
to apreciar alguns destes arl.gos de novSade ltimamente cuegados pelo vapor 'rancez,
e que esperam merecerao a approva?o do bello sedxo.
A Fragata acaba de receber novo sortiraento de' sedas de cores, pretas, e bran-
cas, em cortes eem pecas, as quaes pelos s*is elegantes desenlias e boa qual.daie se
tornam recommendadas. -
Mqaes de madriperola de 18 a 800000
Lques de sndalo novos gostos.
Cbapeliohas de seda e palha para cok.
Chapeos de sol de seda para senhora.
Ricos cintos bella Helena (novo gsto)
Cortinad bordados para cama.
Colchas de seda para cama.
Cortes de blond para noivas.
B squines de seda bordados de 15 a 600000.
i enfad68 if6 Cambraia branca b3rdldos> o outros muitos arligos que mencio-
Cvitro sim, os donos deste novo estibleciment) se consideran gratos, para com
todas as Exraas. senhoras e seohores, quo ten frequentads seu estibelecimento e cada vez
comfuarpTeslcas01 FVra MfMUl^^ eslableamento
um.



-
-

MACHINAS AMERICANAS
Verdadelras da fabricante X. Y. catlongin & o.
Moinhos americanos pira neer milho.
Na ra Nova n. 20 e 22, grande deposito
das verdadeiras machinas americanas de todos
os fabricantes; se en;ontra neste deposito
grande porcSo de machinas, e se vendem por
menos preco do que em outra qualquer parte,
or se receber em difeitnra da America; se
ornece todas as explicarles aecessarias ao
comprador para ronservacao das mesmas;
neste grande estabelecimento se encontra mui-
tos artlgos americanos, que muito deve agra-
dar aos agricultores que usam de taes artigos,
encontra-se tambem todas as collecces de de-
senhos sobre os quaes se aceita qaalqoer ama
eneommenda, que cow promptidao *era execu-
tada; neste grande estabelecimento,'encon-
tra-se em grosso a-esta too, grande porclo
i(t ferragens, e.miudezas qao se veodem por preco commodo, pedindo-se a attencSo
de todos para este
ra Nova n. 20 Carneiro
PREPARACOES
-MAMAMAS
estabelecimento que maito lacrarSo em fazer suas compras: na
neiro Vianna. ^i ? ^, '
U'RfSJ^r?j^ds^jRrsjRrasRajiLr^aj-a


l; S a. 2
1
cJ
a
5 a.s-o 2. 9 o-
t|"*8 8a5rv=-B.5sa
J
1(1

lisa


APPROVADAS PtLk ACiBBUIA BE MBDINA
DE BRIN D BUISSON
NumueolK*, Iwreado pela Aodtmia de le&iu de Para
^^""i* professor Tbodssba, naltim edifo de sea Tratad* de Thera-
peunea e atera medica, reconhece qke s ferruginosos simpks s3o mollas
Teses tiefficazes para curar as moIesliasMjne feem por causa o empbreeBiem)
de sangne. Mutfs mdicos dos mais dislinetos allribuem esse m o exo ausencia,
n cssas preparabas,do mm^m** qae sacba no sangae, como o tem reaoaheoido
os cmmicos os mais pernos, sempre in-inamente unido ora o ferro.
t pms, prestarle um verdadciro servco*os Sr" Mdicos, o ohamar-se na attocie
sobre ai preparaeocs seguintes. ___I
PttS IftPrWiS IMHffHilK dando >ranediatamente nma agaa, acidulada,
1W ICIIH ldU^dRU! gazoz agradarel, snbslituindo com Taatagem
t econemia as aguas mineraes ferrugmesas.
Pilfllas e Xarope k iednrete d#rro e mnmt Mkmm
eoBtendo cada nma cinco centflramos de iadureto de ferro mantaaico indicadas
' parcularmente as molestias lymphaticas, escrafvioeas, as chamadas eaa-
fra e Uateercalesas.
reeeiadas espeeialmente
para ehloroais, a ase-
ma, a leucorrliea, i
1"
2
Brifw de hetato de ferr, t.^ lansaBese
flalas de carbonato ferr* gaiiee
serrlksa. A incacio de
Alternar esui duaa preparacSae d os memores rewjsdos.
i*?" d" BoM*n gw^o ebter a adhesflo sompleu 4o poWtw KVftM a
^fcfwmlSePrPa Pr"*0 ******* "
He Ptnxambuct, a sea agente gewl, Mamrer Os piMrmaeeatieM, ton.
-, -fi .- i. m .1-
^1 Vapores.
Vede-aeejn cssa de Saanders Brothers & C,
no largo do CorpoSanto n. II, vapores patentes
com lodosa perianees proprios ara faier mover
iresooqualro machinas para dascarocar algodao.
P0TASS4 DIRUSS14
VeBde-se potsw>a daHusMa mu qnslldade a mais apropriada para o fabrico de
assucar a prec.- rasuavri, no armaiem de Jos da
Silva toyo 4 C.
_" '
Aos agricultores
Saoider* Brothers S, C. araham de receber d
Liverpool vapores de for.;a de 3 4 casallos com
todos os pe, teoces, e mnl proprios para faxr mo-
ver macbioas de descaroear algodao, podendo cada
vapor trabalbar ate com 140 serras, umbem ser-
vera para enfardar algodo on para outro qaalqoer
serviro em que usara trabalhar com aoimae?. 0$
mesmos tambem tem a venda machinas america-
nas de 85 a 40 serras : os pretendentes dirijam-
se ao largo do Corpo Santo n. 11._____________
Loja do Gallo Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Grande e variado sortimeolo dos numero-
sos objectos de apurado goslo qae ltima-
mente acaba de chegar para este bem co-
nbecido estabelecimento, pois seu corres-
pondentf |m Paris o mais habilitado pa-
ra a escftkfi de taes objectos, pois os com-
I pradores fjoder5o aireeiar, camo sejam Ko>
dissimos enfeites de cabeea com ook da
cabello, e sem elle.
S no vigilante ra do Crespo n, 7.
EnfeltC
Koques com caixos e de novos penteia-
dos.
Trancas pretas e de cores, e de todas as
larguras, com vidrilho e sem elle, para en-
feite de vestidos.
Bicos de seda com vidrilho e sem elle.
Gravatinhas de velludo para senhoras.
Gravatas e mantinbas de seda para ho-
rnero.
Gravatas brancas maito finas.
S no vigilante ra do Crespo n. 7.
Voltlalias para meninas.
Voltinhas para meninas.
Pulseiras para as mesmas.
Correntes para relogios flngindo cabello.
Riquissimos siotos, flvellas e fita> para as
mesmas e de outras militas qualidades.
Riquissimos pentes de taataruga.
Fitas de velludo de todas as largaras.
Lindos enfeites para vestidos, chamados
Chrispianne 'Margarita.
Riqnissimas flores para vestidos e para
cabera.
Capellas coa canos flor de laranja, pro-
prias para noivas.
Meias de seda para senhoras.
Ditas para meninas.
Riquissimos chapeosinhos e toaquinhas
para meninos e meninas, meinhas e sapati-
nhos de seda para os mesmos.
Lindas sextinhas e bolcinhas para bracos
de meninas.
Metas pretas de laia.
Lindos aderecos e brincos.
Aderecos completos preprios para luto.
Lindos port joias e port relogios de dif-
ferentes t aman los proprios para um deli-
cado mimo.
Riquissimos livrinhos com capa de tarta-
ruga para missa.
Aderemos de florea.
Riquissimos aderecos completos, sendo:
voltas, polseiras, brincos, alfinetes, grampo
para cbelas; tudo rito [Vito de todas as
flores de ultima moda em Paris.
CJravatlahaa.
Tambem chegaram bonitas gravatinhas
com flores, e com alfinetes proprias para
meninas e senhoras.
Resetas e brincos.
Riquissimos brincos e rosetas inteiramente
novida le e tudo de muito gosto.
Touqulnbas.
Riqusimas touquinhas de liaho e seda,
porjto de corx ricamente enfeitados e de
muito gosto.
Fita.
Riquissimas fitas de chamalote, sendo: ver-
de e amarello, tecido na mesma fita.
Agnlhas de marflna.
Tambem chegaram as mui desejadas agu-
Ibas todas de marfim, para trabalhar em 13a
e sem corx.
Sextiuhas.
Tambem chegaram bonitas sextinhas de
palha fina, proprias para meninas.
S no Vigilante ra do Crespo n. 7.
Kspe I nos.
Riquissimos espelhos grandes e bonitas
molduras proprios para salas ou lejas assim
como outros de differenles tamauhosw
Admirem os presos m
RaarmaiM de lazea4s 4e Saetas
Goelho.
lina da Quelad a. 19
Vndese:
Madapolo enfestado flno a 91 a peca eom SO
varas.
Ditos de 11, 7#500, S#, 9#, 10# III a paca coa
20 varas.
Cambraia de lisia de doae cores para vestidos
SOO rs. a vara.
-Baes de arcos pin teahora a 1*500, 31 e3150
Ditos de reos encarnados de 3*500 e 4f.
Bitos de moreolina a 4*1800.
Ditos de arcos para creniias de 1*600 e 9J.
Toalhas de linho aloochoadas a 11* a duzia.
Mus de faltro (pello) a 13* a dazia.
Atoalhado damascado de alodio a 3* a vara.
Dito dito de litto illa vara.
Bratmaote de liaho com 10 palmos de largara a
2*500 a vara.
Dito de dito de 9 l|9 dilo a 2*400.
iio dito de 5 dito a 1*200.
Dito dito de 3 1|2 dito a 800.
Algodao enlistado eom 7 l|2 ditos a 1*100.
Retundes de fil preto a 7*.
Bonrnus de dito a 10*.
Chales de dito a 5*.
Cambraia adamascada para cortinado com $0 va-
ras a 13* a peca.
Lencos branco* de cambraia finos de 2*, 3*,
3*500 e 4* a duzia.
LSazinha eom floras amitf Ana a 400 o covado.
Dita lisa dta a 48* ofcovfoo.
Cambraia de Haba fia da 6*100 a 9* a vara.
Cambraia lisa mojto Boa de 5*, 6*, 6^500, 7* s
. 8* a peca. / Z a. I
Colxas de fustio alcochoadas brancas e de cores a
6*000.
Cobertas da chita da India de 2*400 e 2*800.
LeoeS deh-mborgo flno de 2*400 e 2*600.
Ditos de braoiaole de ou s paoao ai 35100.
Tarlatana da todas as cores 800 a vara.
Mortantiqoe preto superior a 2*600 o covado.
Grosdenaple de dte a 1*800 o eovado.
PlaoeHa de cores a 800 o covado.
Cambraia de salpicos branca com 8 1(2 varas pa-
ca 4*500.
Pil de linho liso floo a 800 a vara.
Dito dito com salpicos a 900 a dita.
Gnardaoapos de linho para mesa a 3*500 a dazia.
Assim. como tambera se encontra um completo
sonimento de roupa feita e per medida.
M
Francisco Jos Snoami
[RA NOVA N. 21,
acaba de receber nm lindo e magnifico aor*
timento de oculos, lunetos, binculos, do al'
timo e mais apurado gosto da Europa a oca
los de alcance para observacas e para o
maritimos.
PASTA X1R0PI e IAT ia A1A1IA
L **? *i "lS**Jtl>?f'"'*" H 1'ifcwirn
J F*nll*4 dt UtAimt, U frua, w M alOM im
pllM dtPirix, qu.Hcrti*UlM4llU
ri^JiHknl.tMuiiUii lrtirM
.Maiel Miln B*f
SWfSM <* rM* 4t
RACAHODT
u
DES RABES
Dale* iltaeite tnnnit |MUlcUak4i HtiMttt U
Pirtx. BU* riUbUc u fmfM fm ttOttm i |M*-
l|o Jm IiIhIImi ; l.rulm II irtlKll i u pud
MUHudu, iltn ti tm vfeta* swiNfftoa** m+
i**Um U o mtSku pimrvtBw tu ras*** nh
Cdt fruoo Mt Mhlaka 4Mm iriiinln is*
Itmgr itU t frmm Dlltnfrtntr, fu RlchtHto, M,
tn ttrtx. (Tiw wrliU iiitatS wat hMJHtm.)
(odtailM aa tmumitaw: aata a Barbarai Bar-
A venda as pharmacias de P. Maurer *
e G. A. Caora, em Pernambuco^__________
Doces
Grande sonimento de doces secos e crystalisa-
dos e em calda estrangeiros e naclonass : no ar
azem da Liga ra Nova n. 68.
Yendem-sc
dons armazens na ra de Apolle, e cojos fundos
vo ao caes do mesmo oom ns. 38 e 48.
Um subrado na roa dos Goararapes n. 26.
Um sitio eom casa de vivenda, 3 viveiros, mui-
tos arvoredos, e grande proporcao. ia estrada de
Belem para Santo Amaro, cooheeldo pelo silio da
Torre.
Todos estes predios acham-se em bom estado.
Os prelendedtes dirijam-se a rna da Senzaia-no-
va n. 42, em casa de S P. Johnston & C.
1 ttengo.
E' chegado a taberna em frente a rna do Viga-
rio a desojada ova do serto que se vende por
preco commodo.
Vi oh do Parto superior oin caixa de
una dazia.
Vende-se do escriptorio de Antonio Lnlz de
Oliveira Aaevedo & C, no seu escriptorio rna da
Crnz n. 1.
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
tlPara os pais de familia:

Vende-se^najpharmacia.de P. Marrfer & C, ra Nova.
* .'" mS7yarTT -------------------------------------------rr -....... i .
IN JECCAO E CAPSULAS
.VEGETAES A)^UT^COJ
G?JMAULT&G:ep.wrmac;icosmPARIS
He-re trataento preparado com as fbtkai i*
Matico, arwre do Per, para a cura rpida e in-
fallivel da Gonorrhea sea reccie aigum da con-
traccao do canal on da inflamma^ao dos intestinos.
0 celebre domtor rUooR, de Parte, ter reaVonciade,
desde sua apparico, ao emprgo de quakjuer
entro tratamento. Emprega-se a InjeceSo m
eemfico de fluxo; m eapiulat em todos os casos
coronices e Inveterados, qne resistir s prepa-
rtedes do copaaa, cnbeba e s injecooes com base
| A venda as pbarmaclas de P. Maurer &
C. e A- Caors, em Pernambuco.
n
Batatas baratas
Vendem se caixas com urna arroba de batatas
por 400 rs.; no armazem do Sr. Annes defronte
da porta da alfandega.
I Collares Rover
ou
Aaadnos electro-magnticos contra as con
vuls5es, e para facilitar a denticlo da
criaocas. A aguia-branca na ra do Qnei-
mado n. 8 recebe-os por todos os vapo-
res francezes. .
i esto to conhecidos, e tanto se tem espalhadr
a fama desses prodigiosos collares Royer, que si
torna desnecessario dizer mais algoma cousa ea
abono de sens bons e e efficazes effeltos: basta c
teslemunho de milbares de pessoas, qne tdm viste
e aproveijado o feliz resoltado desses to uteis.
qao necessarios cellares Royer. A quotidiana <
crescida eilraccao, qne vo tendo, raostra anda
jne ) numero dos prodieios se eleva como todo
os compradores. A aguia-branca, prm, des.
ando cencorrer para om flm de tanto aproveit*
ment, tem feito os necessaries pedidos, para qni
por lodos os vapores fraacezes Ihe seja remettida
certa qoantidade de ditos ollares, para assim tor-
nar-so iofallivel o sonimento delles, na loja dV
guia-branca, ru do Qoeimado n. 8.
Verdadeiros
Collares Royer L -
Electro Magnticos \nodiiios
Ou Collares Anodinos, para facilitar a den-
ticao das criancas contra as convolsoes
das mesmas, a estes collares nos escuzado
fazer qualquer recommendacao, visto a
grande utilidade que tem produzid aquellos
pais que os tem applicado em taes circum-
stancias pois nos parece que nao haver um
s pai ou mal que por este meio nao quei-
ra por termo a taes soffrimentos de seus
filhinhos visto ser um mal que tanto os
flagella, pois a estes collares acompanba um
rolheto que ensina como se deve applicar, e
vende-se na loja do Gallo Vigilante, ra
do Crespo n. 1, pelo preco de 40000, M
e 60000.
PHOSPHATODrFERRO
[de LERAS d'outor em scienci'sI
INSPECTOR DAACADEMlUrfAPir/c'
Vende-se
ma'hinas americanas de serrotes para descaroear
algodao : na rna da Senzatla Nova n. 42.'
.
Na existe mdicamente ferrnrinoso lio notavel
coma o PkespheAo de (erro de Ltriu; as snrami-
errufn
dele
inteiro aaiepuram-no
dados medicacs de ranc
eom soUicitadc sem ic
Ai coru p*lti/0d
penosas, anmtT,em
critica nos vnhoms.
Iruacie, pobresa lo sangue, lymphatiti
curados rpidamente ou modfiaadff-t ~
exceente composto. E' o conservador p
Iencia da sande, e dciaap> sBomittvp
taes e pelas academias a todos as fer
coahecidos, a iedoreto e ao eitrat* -d
porqae a maico aiie caavem aos estomagas de-
licados, aoe bSo provoca cenalipaco. o uko
tambem qae nlo enoegreae a bocea e os dente*.
Deposito as pbarmacias de P. Maore
C. e A. Caors. em Pernambuco.
--------------------------------- i i
DOCES
Grande sonimento de doces seceos, crystallsa'
dos e em calda, estrangeiros e nacionaes : no ar-
mazn) da Liga ra Nova n. (0. ^____
Vende se um silio na ra de Bem flea com
casa para familia, arvoredos algom terreno ;
trata se na ra do Queimado n. 18 A, com Garva-
Iho & Bastos.
SS1VAL SESI SEGADO
Ra do dtHeluiido n. 48, loja de
mludezas
DE
Jos Bigoutnno*
Continua a queimar tudo quanto lem em son es-
UibeleciQ.ento. -
Pares desapalo de t pete a 1^280.
Duziis de peonas de ac multo finas a 60 rs.
Caixas de lioha do gaz de 30 novellos a 600 rs.
dem de linhas do gaz de 40 rs. o novello a 700 rs.
dem de palitos de seguranca a 20 rs.
Lencos de cassa com barra a ICO rs.
Duzia de facas e garlos de cabo 'preto a 3J60O.
Mjsso de pal.tos tizado para denle* a 120 e 180 rs.
Pecas de enlremeios moito Anas a 300, 600. 800 a
1*000.
Livros das missoes abreviadas a 1*300.
Garrafas de agua Florida verdadelra 10!0.
Sbados do Porta de lods as larguras e todos os
pQOS.
Sylabarlos com estampas -para meninos a 31} rs.
Memento da roupa de lavar a 100 rs.
Novas cariilbas para meqinos a 160 rs.
Duzias de meias multo finas para sehora a 4$500.
Ditas brancas e cruas para homem a 3* e 3*800.
Agulhas francezas a bailo (papel) a 60 rs.
Pares de sapatos de tranca e tapete a 1*500.
Pegas de filas de laa de todas as cores a 600 rs.
Grozas de botSesoe porcelana prateades a 168rs.
Caitas eom lfineites francezes a 80 rs.
Caixas de 100 envelopes mullo finos a 800 rs-
Pregos francezes de todos os tamanbos (llbrr) 240
"rpX i, I 1
pesoSra* liso a 2*.;
lisfl aJW rs.
s dSgsfa 2*000
poo mnMo bonitos 80 rs.
Linhas em cario de 200 jardas a 100.
aha;ao nparfer linba do gaz com 50 novellos
aixM Wlpos de arroz mnilo fino a 800 rs.
1rt*nhfjsjf d oonla para meninas a 320 rs.
Talheres para meninos a 240 rs.
Caixa com superiores, iscas para chai%losa 20 rs.
Masso eom superiores grampos a 30 re.
Grosas de peonas de ago muito finas a 320 rs.
Bonets para meninos a i*.
Feotes com costa de metal a 400 rs.
Capachos oompridos e redondos a 500 rs.1
Caitas com superior papel amtsade a 600T.
Realejos para mepinoa a lfl| ra.
Papet pintado
. O mais completo e variado sortiraonla de papel
para forro de sala e gnarnicoes, eoconlra-se a
venda na
.2 2
...
Botlea4eBarthlHneii &
34-Ra larga do Rosaro--34
C.
latWaMMi


IPaaaWByigSatlMsaaa;

I
I


I II lili' I !
MMNnMMRMMMMPWPM
>_
.<*-*
Diarlo de rtrnaabuco Sexta fclra 1 de Feverclro de 1867.
H
I


i

I.

Renados do Dr. J. C. Ayer, ex-leaU
da Uiiversidade de fensvlvaaia, nos
Estados-Unidos,
E-Iraeto composto de aalsa-par
rll_ de Ayer.
Peltoral de ce reja.
Remedio para seze.
Plala* ca ha r ticas.
. 0 deposito ceHtral para as provincias
Pernambnco, Alagoas, Parahyba e Rio-
Grande do Norte, des tes remedios t3o fa-
voravektente condecidos e acolbidos en
toda as partes da America do Sul e do
Norte, acha-seem casa de Theoil Chrla-
tlausen, 16 ra do Trapiche en
Peraanliueo.
Os precos de
334 por duzia de estrado de salsa-parrilha.
27.) por duzia de peitoral decereja.
27 por duzia de remedio para sezoes.
74 por duzia de pillas catharticas
se en tendera dinheiro vista, con
o descont de 5 por cento em quantidades
de 6 a 12 duzias, e de 10 por cento em
quantidades superiores a 12 duzias.
Perfumaras novas.
A antiga loja de miudezss a roa do Qaeima j
b. 16, recebeu oovo sortimento de perfumaras
sendo fluos extractos e esseucia concentrada, chei-
ros agradaveis para lencos, leos surflne, philoco-
me, e babosa para cabellos, banhas e cosmetiques
tambem para os cabellos, poz de coral e bygienicos
para denles, opiata ingleza e franceza pan ditos,
jabonetes em barras quadradas, ootros em calxi-
nhas, e ouiros de bollas transparentes para mao, e
ootros mu finos em caixinbas de louca para bar-
ba, agua da colonia de superior qaalidade era fras-
cos de diversos tamaonos e.precos, agua ambreada
para banbar e refrescar o rosto, agua lio-ida ( da
verdadeira) tnico de Kemp, e mu as outras per-
fumarias que a vista da boa qualidade eeoromo-
didade de prego?, o comprador nao objectara'.
Meia* pretas de la e de laja.
Para padres.
'Vendem-se na loja de miodezas a' roa do Quei
mado n. 16.
la^a bapjtisados.
Bonitos chapensinhos enfeitados, sapatinhos de
setim e merm, bordados e enfeitados, meias de
seda, e So d'escocia paca ditos. Vendem-se na lo-
ja de miudesas a' roa do Qoeimado n. 16.
Bicos rendas dasilhas.
A loja de miadesas a' roa do Quei mado n. 16,
receben novameote outro sortimento daquelles bons
e bem conhecidos bicos e rendas das ilhas, coja
forlidao, e segoranca de tecido. Ibes da' immensa
duracao e os differeotes fies a qae acertadamente
sao applicados fazem a grande procura, e prompta
extraccao como constantemente tem acontecido ;
assim pois concorram os pretendentes, qae a vista
da commodidade dos precos nao objectarao era
comprar.
Graxa econmica.
Bm caixinhas, latas e barr-, a' loja de miodsas
a' r*a do Quei mado n. 16, receben aovo sortimeo-
to dessa bea graxa econmica.
La ara bordar.
A loja de miadesas a' ra do Queimado s. 16,
recebeu noto sortimento de Isa na de bonitas co-
res, e como sempre vende-a baratamente, e o sor-
ttmento a contento do comprador.
Bonitas caixia^as.
De madeira cor-.i eofeites dourados, e liras de
-raetal para guardar j .ias. Vendem-se -na roa do
Qaeimado loja de miodesas n. 16.
Entorte e trinaldas.
Na loja de miadesas a' rea do Quemado n. 16,
acharo os apreciadores do bom, om bello sorti-
mento de bonitos enfeites. para bailes, theatros e
casamentos; assim como delicadas grkialdas para
nolvas, earxos de flores fcaas para ooeitar os ves-
tidos de ditas, e moitos ootros objectos, e lodo se
vende por .precos toTasoaveis qoe o comprador
experiente, nao se atrave a pbjectar a respeito.
Babadiakos bordados, entreaeios ditos.
Todos de Boa cambra i a e delictd s bordados.
Vendem-se na loja de miudesas a' roa do Qoeiroa-
do n. 16.
Ptawas brancas e de res,
Vendem-se na loja de miodesas a' roa do Qoei-
mado o. "{6.
franjas
Conrearlas e sem ellas, para cortinados, toaifcas
etc. Vendem-se na loja de miudesas a' roa do
Queiroario n. 16.
Boas e iooitas fitas.
Lizas e lavradas, larga: e estrenas; vendem-se
na loja do miodesas a' roa do Qeeimado o. 16.
Benitos enfeites para vestidos, y
A loja de miadesas a' roa do Qoeimado n. 16,
esta' recntenteme.provida de m:i bonitos afeites
para vestidos, sendo bicos de seda tanto breoco
corno pretos, de diferentes larguras e com vidri-
lbos, ou sem elles.
Trancas e galoes de seda dos-elliroos gostos, di-
tas com vidnlbos, pretas e brancas e de diBerentes
largoras e gostos. Fitas de velludo pretas e de
cores, com lista as relas. E assim raoitas ootras
coasas de modaenovldade, e tildo por precos to
commodos, qoe o comprador Sea satisfeito e -nao
objecta a comprar.
Bollas de borracha.
De diversos tamanbos para brioqoedos. Ven-
dem-se na loja de miudesas a' roa do Qoeimado
* 16- ~ ______
Vende-se vioho de Bordean* em qnartolos
barris e-caixaa.: em casa de Tisset reres, roa jad
Trapiche n.O._____________^____
m m g\z
Cbegoo ao antigo deposito de Henry Forster ._
C, roa do Imperador, um carregamealo de gax de
primeira qualldade.o qual se vende em partidas e
a retalbo por meos prego do que em ontr* qoal
quer parte.

i

A


Rival sem segundo.
Hua do leimano a. 4B.
Quer acabar cen as fazendas abaix
meacionadas.
f3|Queiram vir ver qoe bom e bara_siM.
Libra de gomma de mllbo a 400 rs.
Toalbas de labynatho com bico, fazenda boa >
3*500.
Garreteis de liara com 100 jardas a 30 re.
Grvalas preta* e de edree muito tinas a 500 rs.
Barataos francotes mono Anos a 200 e 320 rs.
Caixas de obreias de maesa muito novas a 40 rs.
EnQadores para esparlilho de cordio e fita a 6*
ris.
Carreteos Haba Alexandre com 400 jardas a MK
ris.
Resmas de papel almaco muito bom a 2*500.
Fraseo da oleo babosa a 320 e 800 rs.
Diuw de dito digleniqoe verdadeiros a 1*000.
Ditos dito falsa a 800 rs.
Ditos de macaear perola a 200 rs.
Sabjnetes muito fios a 60, 160, 200 e 320 rs.
Ditos de bolla muito finos a J40 e 320 rs.
Caixas para rapa com bonitas estampas a 100
. Caixas de palitos a balo a 40 ra.
Miadas de lioba froxa para bordar a 20 rs.
Varas de eordo para esparlilho a 20 rs.
Frascos eem tinta rxa mallo boa a 240 e 320 n
Ditos de dita preta a melhor qae ba 320 rs.
Duzia de faceta para sobre-mesa a i*.
Varas de franja branca larga a SOO rs.
Pentes volteados para rezagar cabello de menina*
a 310:
Fraseos de masaba' oleo moito Gao, a 120 rs.
Abotoadaras multo Bn.as para collatee a 500 rs.
Candes de linda branca de cores a 20 rs.
Libra de ara preta aperiort 10* rs.
Cartas de alSaetes fraocexe com 14 pente
120 rs.
Escoras para tato, faieada boa, a 500 ri._____
Cal de Lisboa,
I
4s
Chegada no oltimo navio, mals barata que em
ootra qualqpar parte ; no aposito da roa do Apol-
lo n. 8.
3al _*r 4e I4_M_r~
No armatem da roa do Apollo o. 8, por mino*
*9Q rs, do qae en ootra qaalqaer parte.
Grauue e bem sortido armarcm de mwlliados
Rva Nova n. 60
Sabio ou nao sahio, ara abillismo freguezes? sabio sim ; e se demoramos tuto
em abrir a caixiaba do segredo, foi porque gostamosde sorpresa e dasconjeetnras. Ah!
Ah! Ah como o sahir deu nogto demuita gente de collarinbo empinado ebigode re-
torcido ?! Quaota iaterpretacio lidicula e ristvel soffreu o nosso pobre saldr ?! Muita
vez ti vemos frouxo de riso oocautiobo do nosse armazem, quando vamos quealguemse
encommodava com essas seis negras letras, que por alguns dias deram um certo ar de
mysterio a urna das columnas deste venerando Diario 1 E no entanto nada de mysterio-
so bavia, como vedes, no patusco sahir i sim; riamos a bom rir; mas nunca vimos rir
o cavalleiro da Liga porque
Serio e grave encara as eousas
Oeste mundo como sao ;
Verdaeiro, fiel vive
Do commercio a tradiccSo ~ -
Pois^ue o sahir se mosirou qual vinde admirar freguezes, co_o no armazem
da Liga se opera a mais fina liga do bom e barato. Lede e veris a verd-dfe vinde pois ;
ofnfiamos em que na tereis oocasi5o de dizer que o vosse dinheiro foi mal empregado,
nem o vosso bom gosto offeodido. Eis freguezes ...... la vai verso.
Faricia de miltao
eu gomma de milb franco preparado a America, vende-se 500 rs. libra, e o cida-
doque comprar dee libras veie-t-e-lbe-lia-lO.
BISCOTOS INGLEZES
Soda, Mized, Pic-mc, Francy CruCkeuel, Qenn, Osborne, Gila, Arrowrote outras muitas
qualidaes a 1000 a lata com 2 e 3 libras.
Bo4axinhas percales
em latas de diversos tamanhes 2, 3, K, 8 libras cada urna epelos segomtes precos: 1^200,
2,5400 e 3^000.
Bolinfeos coan atuendeas
grande quantidade de cartoes, bocetas, caixas forradas de chumbo, cem as mais ricas qut-
lidades de p5o-de-l, bolos, para champanha, bollinhos com amendoas, e ootros muitas
que se tornam eafadonho encionar.
MANTEIGA
manteiga ingleza, primeirt qualidade a 1*100 a libra, idem ingleza boa a *#)00 a libra
800,600 e 400. dem francesa a 643 rs. a libra.
Bocea cb calda
doces secos e em calda de todas as qualidades,em frascos, potes, caixas, etc-etc: por pro-
cos os mais razeaveis poseiveis, amendoas confortadas libra a.
CAF
caf do Rio i*orte 240 rs a libra, 2a sortea 200 rs a libra, 3* sorte a 46d rs a libra,
om arroba se fari grande abatimento.
Vinho
vinhos engarrafados de toas as quaidades, rainha Esiephania a 30000 a gafrafe, Porto
raalozia a 2^500 rs. a garrafa, lagrimas do Deuro a 10800 a garrafa, Pedro V, D. Leiz,
Maria Pia, carceveilos, bacanaes, boeugi a 10000 rs. a garrafa, idem eneres verdadeifo,
20300 a garrafa, idem cheroy cordial a 10000a garrafa, ollares o figuiraambos engar-
rafados a 500 rs. a garrafa, idem de Lisboa em pipas, barns, ancoretas e retalho a 300
e 400 rs. a garrafa, aneoreta com vinho Unto a 204OOa.allUJ^eW. --" -
Itortteaux .
vinho Sordeaux de todas as qualidades de 60500 a 250000 rs. a dua, e en igarra 4e
600 rs. a 20000 rs. Wermoath a 10500 rs. a garrafa Kenoc de waseer a 20000 rs. Ab-
symth.a 20000 re. a garrafa.
GAZ 4l ... ,t w,., .
gaz verdadeiro americano a 00200 a-lata grande, garantindorse 27 garrafas, e a '400 rs, a
garrafa.
Cerveja Gebda
cerveja gelada em garrafas e */ garrafas inglezasefranecza.
Paiaco e Alpista
pataco A 100 rs. a libra, alpiota 160 _auooo e aipisla misturada 140 rs. a libra: em
porco se far abatimento.
Cha verde e preto.
10000, 10500, 20000, :2020o. 20400, 20600, 20800, 30000, e 30200; .cha ver4e de
todas as qualidades, haxim, perola, aljfar etc.,
CHARUTOS n'HAVAMA.
regalia britannica 100 a caixa, londres 120 a cai&a, operas, catxa 100; outras mui-
tas marcas que se tornam enfadonhas meaciona-las.
CHARUTOS DA BAHA.
nperiaes, exposicSo, normas londrinos, guanabaras, suspiros, delicias, parsiences, vea-
cedores, guerreiros,lyricos, quem fumar saber, para os seguietes precos: 10ooo, 105o'
20ooo, 205(>o, 80000, 30Soo, 308oO, 40oeo. 402oo, 405oo, 408oo, 3|oob, 50Soo, 60ooo,
605oo, 70000, e 80ooo.
Vlas Stearisas.
spermacete 4 64o rs. o pacte, velas de carnauba de 6 por libra; k 36o [rs. de 14 em
libra, 44o rs. em porcao se far abatimento,.
GENEBRA unhlo ou victoria 72o rs. a-frasco. '
GENEBRA DC HOLLANDA em fraSCOB i156o Tg. 0 fraSCO.
_P_HFJi--TF B&SS
cerveja bass e lente e de todas as quadiades, as quaes se vendem o mais.razoave!, como
seja 5oo 600 e 7o rs. e em duzia faz-se-ha grande abatimento.
Arroz da Inia.
i lio rs. cada libra, emporio se far grande abatimento.
SABO E SABONETES. '
sabaa branco com veias cor de roza, idem branco com veias azues, sabonetes de urna libra
cada um, sao os sabonetes mais econmicos que tem vindo ao mercado 5oo rs. a libra.
Saga' e eradlaha.
sag' muito novo a 24o rs. a libra, cevadioha muito nova 16o rs. a libra.
cevada muito nova 12o rs. a libra.
gomma DSE.vcoMMAR 12o rs. a libra.
CEBLAS grandes e novas 10ooo o molbo.
Latas com conservas.
latas com ervilhas portuguezas e fraacezas. latas com carnes propaladas, passarinhos gni.
zados em latas, e salame em latas.
D*ce de golabai.
ba constantemente um grande deposito de doce de guiaba em caixes da todos os tamanbos,
Caaa, eett.
copos crystalisados, ditos lisos, ditos de cores, a 40ooo e 405co \ dnzia.
'-'- GARRAFAS DE CRSTAL.
garrafas d crystal de formatos do ultimo gosto.
AMEIXAS.
ameixas em latas, em bocetas a frascos.
Queijos Quejos
queijoi flamengos do penltimo vapor 2000% ditos do oltimo ....._
VUTACEHS
AO PUBLICO
NA LOJA E ARMAZEM
BO
Ra da Imperatriz n. 60
DE
GAMA &
O proprietartos deste grande esubelecimento
tenno do anuo prximo passado vendido graude
parle de mas aiondas como baviam dnnnnciado,
tem resolvido continuar a vender anda mals ba-
rato em virtnde do abatimento que Qieram em
suas fazendas por oceasiao de balaogo a que pro
Baldes baratos
Vende o Pav3o.
Cbegoo om grande sortimento de balees de ar
eos sendo aoaericanos qne sao os malhores e vei-
dem-se pelo baratsimo pre?o de 4500, 31 e
3^500: na loja do Pavo na rna da Imperatriz n.
^^^ 60, de Gama & Silva.
P \ \ i f\ *,M "' 'EJE* """'
/ m W / -a M Vendem-se lazmlias pretas proprias para lato
J a^. X_>r pelo karattssimo preco de 100 rs. o covado : na
'J* wmaaetn do Pavo roa da Imperatriz n. 60,
*e Gama Silva.
Creehs
Para cadeiras
Para sofs
Para camas
_. Para presentes,
tnegaram os mais ricos pannos bordados a ero-
ene proprios para enconos de cadeiras qoe se
vesrteai a 2*500 e 3*, ditos para encesto de sof
\h. 108 PrPrlos !>>" cobrir almofadas a
cederam em 31 de dezembro ult.mo"; por'm para K/^'p/^,,?^'^'656"1^ a 2fP,e 3*:
poderem sattsfazer e apresentar ao respeitavell po- Sf.Ts?t Imperatriz n. 60, de Ga-
blico os sens numerosos freguezes tanto desta pra- Ff e ,. -t\ n'"*''r
Ca cono do mato om neva e varrado sortimento de I INOVOS V6Stl(lOS I Ol fifi (;ll-
todas as qualidades de faiendas, desde as mais| WTVkJ /f
16#000.
xodeslas at as de mais apnrado laxo, nao se tem
acopado na escolba dellas, limitando seos lucros
apenas no descont. Ccntinuam a dar fazendas
amostra, com penhor, ou manda-las por Beos cai-
xe.ros em casa das fixmas. familias.
Grai^de pechincha
tres tastes.
Lanzinhas a 360 reis.
Lanzinhas a 300 res.
Lanzinhas a 300 reis.
So aa loja do Pavo.
Vende.se um variado sortimento das mais deli-
cadas lanzinhas, tanto com os mais primorosos
gostos em matiz, como miudiahas de urna s cor,
sendo e?ta fazenda la, pura, e vende-se pele ba-
ratissimo pre^o de 300 reis o covado, por ter feito
grande pechicna na compra, se nao serlam para
muito mais dinheiro, isto na loja e armazem do
Pavo na ra da Imperatriz n. 60 de Gama _
Silva. >
As sai&s do Pavo
pechitickt a
10000,10280 e 10600.
Chegou orna1 grande porcio de pecas de fazen-
da branca, proprias para saias, sendo de nm lado
bordadas, com moilas barras de pregas, leodo a
largura da fazenda a altura precisa para urna
saia. podendo fazer-se com tres e meia vara, e
vende-se pelo barato prego de 1 e i.5280 a vara,
sendo s com pregas, e a 1*600 tendtf pregas e
bordados, Isto s se vende na loja e armazem do
Pavo, na rna da Imperatriz n. 60 de Gama &
(Silva.
[Algodaozinho a 4$>00
Vende-se superiores pe;as de algodozinho com
ljB jardas, sendo muito boa fazenda, pelo barato
preco de 4*500, na loja e armazem do Pavo, na
na da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Novidade
Em esmbr-aias do cr.
Chegou p ra a loja do Pavo om grande sorti-
mento das mais modernas cambraias com lislras
largas, tanto ao comprldo como atravessadas com
as mis modernas e mais delicadas cores; assim
cerno os mais modernos orgaodys de listas largas
cbm lindas lores matizadas pelos centros, que se
vendero por preces moito razoavels, na loja e ar-
ma'cm do Pavo na roa da Imperatriz n. 60 de
Gama & Silva. .
Ricos vestidos traneos.
Cbegaram os maia modernos corles de fnissi-
mas cambraias om as mais lindas barras, borda
;da?, sendo estes vestidos muito proprios para bai
I les casamentos, e vendem-se por presos razoa-
vels na loja e armazem do Pavo, na ra da fin-
peratrit ti 60 de Gama Silva.
Cambraias lisas do ravo a 30500,
40000 e 40500.
Vende-se um grande sortimeoio das mettiores
cambraias transpjrentes, tendo 8 varas e meia ca-
da pega, pelos tralos precos de 3*300, i*000,
4*500, 5*000, 6*000 e 7*000 a peca ; ditas de es-
cossla com 1> varas cada pee, tendo mals de vara
de largura a 6*000, 7*080,8*000 e W*O0O ; ditas
Victoria a 6*000, 7*000 e 8*000 ; ditas largas coc
8 pahnos de largura a 1*009 e *280 a vara, sen-
do preciso apenas 4 varas para vestidos, atienden -
do a largura ; ditas para forro moito encorpadas
a 3*200 a peca:: na loja e armazem do Favao na
ra da Imperatriz n. 60, de-Gama & Silva.
Para cama de noivas vende o Pavo
Vendem-se ricos cortinados bordados e adamas
cados proprios pmesmas e janellas pelos baratos
precos de 8*, 8*000. 165, 000 e 2o*000 ; su
perior damasco de ra enfeitado a imitaco de seda
propno para colctias a 2*500 o covado; ricas col-
chas de.croch pelo baratisstmo preco de tO*000 e
139000 : isto na loja e armazem do Pavo na rna
da Imperatriz e.-OO, de Gama & Silva.
\s melpomenes do Pavao a 20SOO
Veade se superiores cortes de melpomeues, sen-
do fazenda transparente e muito bonita, teodo mui-
los padroes rxos com 7 varas e meias-cada corte
peloibaratlssNB preco de 2*500 ; isto para acabar
na loja e armazem do Pavo na ra da Imperatriz
a. 60, de Gama A Silva.
Grande peebmeha em chapeos a 500 rs.
Ysnd-se chapeos de palha a imitaco de man-
Iba proprios para horneas pelo baratsimo preco de
100 rs. a nm; teto para acatar na loja e arma-
zem do Pavao na rita da Imperatriz n. 00, de Gama
Je Silva.
Corpinhos para enhor? 9 -50, 80 e 100.
Cbegaram osmaie delicados corpinhos de tcam-
braia transparente, sendo ricamente enfeitados e
veKdem-se pelos baratissimos .procos de 5*000, 8*
e 10*t>001 ditos da grsdinaples preto, sendo fa-
zenda muito superior {telo barato .preco de 8*000 ;
isto na loja e armazem do Pavo a ra da impe-
riz n. 00, de Gama -Silva.
Grande pecbtnoha em bitas.
Vende se -om grande sortimento de chitas escu
ra- alfwa ftaiaenii peks baratos precos de 320,
369 e 400 rsM sendo com os padrdee mais bonitos
qoe tem vindo ao mercado com listas e lores etc..
te. 4 garantiado-ee seren ores fichas : aa loja e
armazem do Pavao na roa da Imperatriz a. 00, de
Gama & Silva.
As saias do Pavao
VeBdem se neas saias bordadas com 4 pannos
pelos baratissimos preces de 6*000 e 7*000, assim
como fazenda em pega com pregas proprias para o
mesmo Om a 1*200 a vara : oa loja e armazem do
Pavo na ra dalmperatrz n. 60, de Gama Silva.
Sedas novas
Cbegaram as maie modernas sedas com straf
para vestidos, sendo com as cores mais moderna
que tem viudo ao mercado, assim como grosdeija-
pies de diderentes cores como sejam cor de rosa.
azul, rxa, er de caf, cor de lirio etc etc. *
veodem-se por. prego muito em con(a na loja
armazem do Pavo n roa da Imperatriz n. 00, d*
Gana 9ilvt.>
.^hvQhpas a 3rf500, 4&3PO e 4050a
Cbegaram para a loja d Pavo as mais moder-
nas crinolinas on baldes verdaderamente ameri-
canos, qae sao os mais bem armados e mais leves
que,iem,viudo, sendo >in,o formato mais moder-
no qae actualmente se osa vendem-se pelos se-
guintes precos: sendo com 2Q.arcos por 3*500,
ditas com. *6 arcos per 4*000, ditos coas 35 arcos
a 4*500 ; isto s na Joja e armazem: do Pavo oa
roa da Imperatciz n. 60 de Gama Silva.
Sedas largas na loja do Pavao.
Cbegaram as mais bonitas sedas do cores conr 4
palmos de largor, sendo com as cores e desenos
mais brilbantes que tem vindo, facilitando faier-se
nm vestido com poneos covados era aitenco- a lar-
gura, e vende-se pelo barato prec ode 2*000 o co-
vado : na loja e armazem do Pavo na roa da Im-
peirii 60 de Gama 4 Silva. o
Oschales deporto a 2ooo e 25oo rs.
Vendem-se enatea de merino estampados a 2*
e*500ca4*om.
Ditos de merm liso a 3*500. '^
Ditos prptosDbrdados com franja de seda a 14*.
Na loja e armazem do Pavo na rna da Impera-
trrz n. 60 de Gama Silva.
Lencos brancos a 30000,30000 e 40000
Vetee-m om bonito sortimento de lencos de catn-
brata branca lisos pelos baratissimos precos de 2*,
3*000 e 4*000 a duzia : na leja e armazem do
Pavao na roa 4 Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
vre a
.\a loja do pavo.
Chegaram pelo vapor do da 15 do corrente, os
mais lindos cortes de poil da chvre para vfstidos,
sendo faieada inteiramente nova no mercado, ten-
do esta fazenda bastante lustre com os mais deli-
cados gostos tanto em listras como em flores soltas
e vendem-se pelo baratsimo preco de 16*000,
tendo cada corle 18 cotam, isto oa loja e arma-
zem do pavo na roa daroperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Para senlioras
Casaquiahas a 200000
Vendem-se as mais modernas casaqulnbas ou
basquinas de seda preta, muito bem enfeitadas, as
mais modernas que tem vindo ao mercado e pelo
baratissimo preco de 20* cada urna i na loja e ar-
mazem do Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Alpacas lisas
Chegou o mais lindo sortimento de alpacas de
urna s cor, preprias para vestidos, e- vendem-se
por precos em conta : na loja e armazem do Pa-
vo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama Silva.
Os espartilhos do Pav5o.
Vendem-se orna grande e variado sortimento de
espartilhos dos mais bem feitos qne tem ivindo ao
mercado, sendo de todos os tamanhos, vendendo-se
por um preco muito razoavel : isto na loja do Pa-
vo na roa da Imperatriz n. 60, de Gama Silva.
Grande pechincha cap. toalbas
para mao.
Vendem-se superiores toalbas da linbo proprias-
para mao pelo baratissimo preco de 660 rs.. ditas
a 640 rs ditas a imitaco das felpudas a 800 rs.,
ditas fe podas a 1* : pechincha na loja e arma-
zem do Pavao na ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Aiiaiiiiie a Sf
na loja do Pavo
Chegeram os mais lindos cortes desta nova fa-
zenda, sendo transparent, rom bonitas palmas, e
vende-se pelo baratissimo preco de 8* : na loja e
armazem do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Punhos e gonnhas a 10, 10280 e 10600.
Cbegaram os mais modernos punhos com goli-
?lias sendo de esguio de lioho ricamente borda-
dos tanto brancos como de cores e Vendem-se pelo;
baratissimos precos de 1*. 1*280 e 1*600, por ba-
ver grande porco, grande pecbincba : na loja
e armazem do Pavo ra da Imperatriz n. 60, dt
Gama & Silva.
Para baptizados.
Vende-se elegantes vestuarios bordados para
baptisados, pelos baratissimos precos de 15*000
20*000 e 25*000 : na loja e armazem do Pavo na
roa d* Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Babados bordados na loja do Pavo
Vendem-se babadinhus bordados com 2 varas
pelo barato proco de 1*000, ntremelos tapados e
transparentes, tendo 3 varas cada pega a 1*000: na
loja e armazem do Pavo 41a ra da imperatriz n.
60, de bama Silva.
Cambraias de cores
Vende se om bonito sortimento de camDraias de
cores para vestidos pelos baratissimos precos de
300 e 360 rs. o covado, ditas'a voluntarios da pa
tria a 800 rs. a vara, ditas listadas a 640 e 700 rs.
a vara ; pechincha Ba loja e armazem do Pavo
aa ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassa de urna cor s
Vende-se bonitas eassas de orna cor s com nm
pequeo toque de mofo pelo baratissimo preco de 240
rs. o covado -, para acabar na loja e armazem do
Pavao na rna da Imperatriz n. 60, de Gama _
Silva.
Chales de renda e retondas
Vende se um grande sortimento de chales de
renda e retondas, sendo as mais modernas que tem
vindo ?o mercado e vendem-se mais barato que
em outra qualquer parte ; isto na loja e armazem
do Pavo a ra da Imperatriz n. 60, de Gama _
Silva.
Retallios baratos
Vende-se porco de retalhos de chita, las, eas-
sas o chitas pretas por preco barato : na loja e ar-
mazem do Pavao na ra da Imperatriz o. 60, de
Gama & Iva.
Calcas brancas
Veode-ee um grande sortimento de calcas de
brim braBco de lioho trancado pelos baratissimos
precos de 3*500, 4*600 e 5*000, assim corai um
grande sortimento d palilols de panno preto fino,
gobrecasaecs e saceos forrados de seda, ditos de ca-
simira, sobrecasacos, saceos e fraques, ditos de me-
rino e caigas de casimira de cor e de todas as qua-
lidades, assim como um grande sortimento de col-
leites de todas as fazendas vendendo-se ludo or
preeos rourto baratos : na loja e armazem do Pa-
vo na roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Alpacas brilbantes a 640 rs.
Cbegaram as mals lindas alpacas entestadas com
3 e meio palmos de largura com oa mais delicados
desenos tanto de florsiBba como de listinhas as
selladas as mais delicadas ceres como sejam ly-
rio, siasento cor de carne, solferino e vendem-se
palo baratissimo preco de 640 rs. o covado ; ni-
camente na loja e armazem do Pavo na roa da
Imperatriz a. 00, de Gama O Suva.
PecbJncua para a testa na loja do Pavo.
Vestidos.
Vestidos.'
Vestidos.
A 80000
Vendem-se nm bonito sortimento dos mais lindos
vestidos com barras de seda, trazeado os compe
lentes enfeites para o corpo, sendo neste artigo o
mais moderno qae tem vindo ao mercado, e ven
dem se pelo baratsimo preco de 8000 cada nm,
ditos de cambraia branca com barras bordadas a
5*000 e 6*0Q0 ; na. loja e armazem do Pavo na
rqa da Imperatriz o. 60, de Gama Silva.
Cortes a 30000 s o Pavo
VeOdem s os ni ais Hodos cortes de eassas de
cores com os desenos mais moderaos vindo cada
um ara sea papel e garantiodo-se tere 7 varas
da om pelo baratissimo preco de 3*000 ; na loja e
armazem do Pavao na ra da Imperatriz n. 60, de
GamacVSlv. Bpi
Casaquinbos cu vasqoinas na loja do Pavfio
a 850000, 300000 e 350000.
Chegaram os mais rieos oa moderaos casaqoi-
nbqs vasquiaas de grosdinaples preto ricamente
enfeitados, sendo dos feltjos mais modernos e ele-
!;aotes que ltimamente ch*aram e vendem-se pe-
01 baratos precos de 5*000, 30*00 e 35*000; na
loja e armazem do Pa*> na rna da Imperatriz a. 60
Cosgaram os mais; ritos ortos t vestidos de fil
branco prioyssamenie bordados e enfeiudos de
cor, sendo uro bem proprios para casamentos e
vendem-se pelos baratos precos de 35*000 ouica-
meato ; na tote e armazem do Pavo na ra da Im-
peratriz n. 00, de Gama Silva.
Lencos bordados a 10000 e 10600 na loja do
. > P,*vQ.
Vende-se bonitos iencinbos bordados para mo
pelos baratissimas precos de 1*000 e 11600 cada
om ; lo} earmkem do Pavo na ra da Impera-
triz a. 60, de Gama & Silva.
Ao. varegoo do Pave.
Vea*e-se aa mais bonita* varetes com listas de
seda a imitaco de poil de chvre pelo baratissimo
preco de 800 rs. o covado : na loja armazem do
Pavo na roa da Imperatriz n. 00 de Gama &
Silva.

Vestidinhos para meninas
Vendem se elegantes vestidinhos para menina,
de lsinha muito bem enfeitados pelo baratissia*
preco de 2:500, ditos de gorgtrao d**eda a 3*000
na loja e armazem do Pavo na ra da Imperatru
0. 60. de Gami & Silva
Chales de merino
Vendem fe flnissimos chales de merino lisos a.
diversas cores, tendo as franjas de seda a 4*000.
tendo com as franjas de la a-3*500 rs., ditos tt-
tampados muito finos a 5*500, 64000 e 7*000, di-
tas de crpoo com listas de seda a 8*000, ditoi
mais ordinarios para acabar a 2*000 e 2*500 : na
loja e armazem do Pavao na ra da Imperatriz
60, de Gama Silva.
Sedinbas de listas a 400 rs.
Vende-se bonitas sedinbas oe listas preprias pan
vestidos com largura de chita iupleza pelo barate
preco de 400 rs. o covado : na loja e armazem 0.0
Pavio na ra da Imperalrim 0. 60 de Gama *
Silva.
Filos bordados a 800 rs. a vara na loja de
Pavo.
Vende se filos de liuho branco bordados propno*
para vestidas pelo baratissimo preco de 800 rs. 1
vara : na loja e armazem do Pavo na roa da im-
peratriz n. 60 d*> Gama & Silva.
Pannos de linbo.
Vende-se superior pannos de lioho proprio par*
lonces, toalhas e seroulas etc., peles baratissimo
preces de 640, 700 e ROO rs. a vaia : bramante >
'';hocc._ 10 palmos de largura a 2*-00, 2*500
2*W0 a vara; om grande sortimento de Hamburg
00 Lreguellas por baratos presos : na loja e arma-
zem do Pavo na ra da Impeairiz o. 60, de G*
ma <\ Silva.
Cambraias brancas de cordo a 80500.
Cnegaram as mais delicadas caabraias -branca
de cordao com delicadas "lista transparentes
vendtm-se pelo baratissimo preco de 8*500 a p-
Ca na loja e armazem do Pavo na ra da Impt-
ratrizfn. 60, de Gama & Silva.
____ra'~~
paitoral 0 dulcificante
ni
SAINT GEORGES
Prpir4o per
GRIMAl I.T e 0U
phiriculicoi de 8. A. L
* priaclpe NipoUlo
Cira rpida de iaa
molestias seguentes :
tost, catarrhes, pleu-
resa, eoqutlutiie-, an-
ginas, fortes etmtiftr
(oes, irritacSe dos
bronchos e de peito,
brenchile, phtisica pul-
monar, astma, pneu-
mona, anginas, amyg-
dalites, losseehronica,
rouquid&o. Os mdicos recommendSo ao mesmo
lempo o nao das eacellcntes pastilhas peito-
raea oom o anooo d'alnon o laureiro-
onrojo, oa* se prearlo na mesmo estabela-
na
A venda as pharmacias de Maurer
Caors.
Promptuario eleitoral 5$000
Livraria dance/;!
9.-Rna do Crespo9.
BOTAS
N-.iv.mente enejadas botas rubianas e perneiras
da melhor aualidade que temos visto : na loja do
vapor ra Nova n. 7.
EN 8. JOS
Manteiga ingleza perfeitamente boa a
560 rs, a libra e em porcao por menos, no
ex-propheta Cinco Pontas n. 86 esquina da
nova travessa de S. Joo.
Charutos da BhiaT
Superiores
Havaneiros a.......4*500 a caixa.
Flor de Havana......4*000 >
Delicias.........3*500
Lyricos em meias caixas 5*000 >
Americanos meias ditas. 5*000
Suspiros finos meias caixas 3*200 >
Regalia-Imperia!......3*0h0 >
Brasileros i.......3*000 >
Suspiros superiores .... 1*500 o cento.
Para acabar : na Liga, mi Nova o. 60.
CALCADOS B4MT0S
Vende-se na ra do Imperador n. 32 :
Borzegoins fnglezes de couro de rupia a 7*500.
Ditos de Nantes a 7*500.
Ditos para senhora enfeitados a 5*.
Ditos I izo a 4*.
Ditos de eores a 3*500.
Ditos para a mesma a 4*.
Ditos de cores a 2*500.
Sapaldes inglezes a 3*200.
Ditos francezes a 4*.
Ditos sola dobrada a 5*. __
Tinta nova superior
Vende-s em garrafas : no escriptorio de Anto-
nio Luiz de Oliveira Aze/edo C, ra da Cruz
n i.
Escravos fgidos
Contina ausente desde o dia ti de agosto
de 1866 o molatinno Raymoado, de 15 annos de
idade pouco man oa menos, corpo regalar, pes
peqoenos, cabellos castanbos, denl-s alvos e per-
feitos, com o dedo prximo ao potlegar cicatrizado
de sorte qae nem Ibe resta a unha i rogase as au-
toridades policiaes e eapities de campo a sua
apprehenso pelo que receberao paga generosa em
casa, de-seo senas/ na.roa do Imperador n. 32.
Tendo dwapparecido desde 26 do correte a
eterava Domingas, eriool. de 20 a 22 anuos;
quem a pegar, podera' leva-la a sea senhor Fran-
cisco M. de Soaza Oliveira, oa a' casa dos Srs. Ca-
oba Irmos, aa roa do Torres, qae sera' genero-
samente gratificado.______________________
Aeba-se fgido nesta cidade um escravo com
o braco direito cortado, preto, crioulo, de nome
Manoei, de A* annos de idade, balzo, com barba e
algumas racbaduras nos ps, e supp5e-se esteja
em algama otaria fazendo tijolo : pede-se a quem
o apprebender qne o leve ao Sr. Bernardino de
Sena Pntoal, na raa da Sanzala nova n. 38, oa
roa Nova v. 67, que sera' generosamente recom-
pensado._____________________________
100,000 ris,
Gratrflca-se com 100*000 a quem apprebender o
escravo Basilio, crioulo desta provincia, idade de
22 annos, estatura regalar e barbado, roarlabelro
do palhabele Principe, e pertenece ao casal do fi-
nado Joio Evangelista, consta qoe anda na Capun-
ga e Monteiro, por ter all prenles : quem o le-
var a Joio Francisco da Silva Novaei, travessa da
Madre de Beos o. 5, receberj a qoantia cima.
Fugio no dia SO do correte do engenbo Can-
to Escuro freguezia da Escada o eseravo prtio de
nome Rufino, idade SO a 28 aenos, com boeo de
barba, seco do corpo, estatura regalar, tem om
deleito em om braco por ter quebrado em peque-
no, cabellos nm penco solt e est nem rente, este
escravo sappde-se ter seguido para o Kecire onde
tem mil que velo eom elle ha penco de Paje de
Floros d'onde elle natural: portanto roga-se as
autoridades policiaes desse logar t deesa praca a
aprebenso de dito eseravo que se/o bem gratifi-
cados pooendo ser entregue ao SI. Francisco An-
tonio de Brlto dessa capital rna do Cabnga oa no
eogwho aetmal_______________'
Foglo no~dia 15 de noverobro de 18607~oTs-
cravo de aove Luciano, crenle, eom SO a naos de
Idado pouco mais oa menos, baiio e cheio do cor-
po, inusado, oom offlcio de sapaieiro: quem o
prender e levar ao engenbo Papagaio ao abaixo
assignado on no Recife em casa do Sr. Francisco
Xavier Oliveira, ser recompensado.
Jos C das Neves.
!

_j>_*#
anam_Mlan*-_UilMMAMlHtt_BVMriM_-Mrtfl


*


Diarlo de Pernambuco Sexta letra i de Feverelro de 1867.





LITTER1TRA.
Dlvagaeio sclcatlOca.
Samuel Hiunemiuo, foolalor da homeopathia
eom todo o caracterstico da doatnna, liltio d'um
pintor da porcelana da cidada de Meisseo, ahi
isseeu em abril de 178S.
Eulrou Da escoU superior dirigida pelo Ur. Mal
ler v e. como falla de recorsos da seu pai au
p^rmittissa qoe elle couilomssa iodo* os cursos,
D.\ Maller, que raoaha^r o ulenin de su jo-
ven discpulo, Ihe fraoqueju a freqiencia gratuita
0.6011".
En 1773, com a iJ*J- da viola aum, Hihoe
msun se d9dicou tos eiados da medido na ci-
dida deLeipsIrk, para onde bmvera ido com o Bnt
i)a applicar-se ao commerclo.
Como o oDivers Jide desta cidade nao hoovesse
a pralica clnica, elle tora completar seus estados
em Vienna, acompanhaodo a pratlca do profesor
Qiarln.
No Ara d'um anno, este o recommendoa, como
seu melhor discpulo, ao barao Bruckaotal, gover-
nador da Traasylvania ; o qaal o cbamou na qua
lijada de medico para juato de si, e Ihe cooQoa
ssn gabinete de aniiguldades e medalhas.
Em asrosto de 1779 Samas! Hthoematin obtuve
na uniTersidade de Erlangeen o diploma de don-
lor era medicina e cherorgia.
Casoo-se ponco lempo depois, e Bxra sna re
siJennia em Goromero, da qaal fra medico offl-
cial, cargo lucrativo.
A convite de amigos foi para Dresde, onda mere
eeu a considerado geral, e a estima dos homens
disttnclos ; lenio ah grande cllenlella.
Wagoer, cbefe do corpo medico, Ihe ofl.-receu a
direcgo do hospital, qae foi por elle aceita ; a a
Sociedade Econmica ie Leipsick, e a Acjdemia das
Sciencias, oabamaram a sea sele.
No raaio estas proroessas d'nm brirbante futa-
ro, Hahnemann abalado pela incerteza da pralica
medica, senta a davida penetrar em sea espillo,
e inquietarse sua conseiencia.
Dotado da immansa ertrU^io, familiarisado coi
o autores amigos e modernos, em vao se esto^ava
para descobrir a verdade no emmaranbado de tan-
tas opiniSes cootradttorlas e da praticas lio di-
versas.
Elle pesquisava fados qua josllflcaasem lels;
e s encontrava hypolheses e theorias dispertadas
por phenoraenos apreciados sob arlas e determi-
aidasioQueocias de creoga individual oo da pblto-
opina da poca.
Nao aehando fundamento nos prceltos de Sy-
denhau, de Hcffinano, de Boerrbave, de Gambins,
de Stholl, de Quarin, de Cuiten, de Debaen, reoua-
cioa completamente o exercielo da medicina ;
se dedicou ao estudo da chimica, em qure fez
notavel por seus trabalhos. Toz-se era relagaa i
Lavoiseer, e cora os homens raais eminentes de
euto neste ramo scieotiQco.
Naquee tinpo a chimica nao enriqueca a seos
pesquisadores, como snccede boje ; e Hahnemann
foi obrigado, para poder lar com qae satisfhesie
as necassidades de sna familia, a recorrer sna
hbil peona de traductor.
No meio desies trabalhos e da luta com (a mise-
ria, nao o abanionava a idea rt'uma reforma medi-
ca, que mais instigada era pelos padeclmentos de
seus Albos.
Eila esUva convicto e crente qtH% Ser infinita"
ra?nte bom, quando permitte qae chancas adoa-
gam, necessarlamenie tem diSposto meios de alli-
viar seus soffrimentos, e de salva las do funesto
effeilo das molestias. Muitas vezes elle excla-
mira : a. .
r Esta arte saiutar deve ser possira, fleve
existir.*
Um da occupado a traduzir a materia medica
de Culleu, no capitulo que trata daqutna, Ihe
imp esslonoo ver propiedades tberapeulicas nu-
merosas e contrad lorias altribuidas a este agente
me licaraentoo ; e bypoibeses to differenies emit-
tilas para explicar a sua ac^o'febrfuga.
Esla passagem da materia medica de Callen, at
eoto desapreciada, foi para Hahaemann um rene-
xo de luz d'uroa nova doulrina.
Elle experimenton em si os effeitos daurna
Fura a mo da Providencia quo o guiou oeste
bovo caminho pelo qual tinha da, cbegar a ama
importante verdade. Fra uaia corapensacao de
tantos sacriBcios a que se sujeitra pela pareza de
sua onscieucia que o obrigara a soflrer necessi-
dades antes do que permanecer no goso de deli-
cias, a cusa da creduldade daquelles que n'elle
esperavam lenitivo a seus pidecimentos quando
elle reconbecia a falla de valor dos meios tbera-
peulico. e das doulrioas medicas qae at enlo -
vam a sen alcance. ,
Foi o primeire- que bascoa conbecer os effeitos
do medicamento no homem sio.
Parece to natural que se deveria estpdar os
phenoraenos prodaiidos por am agente modificador
ou pe-turbador das funches physiologicas ou
pathologicas, no proprio bomem, e no homem em
coodigoes ttes que fcil se tornasse o discernir os
novos pbenomenbs dos que normaes fossem ou dos
que fossem effeitos de estado morboso ; e portanto
que vem a ser no bomem em goso de leo estado
pbysiologico, que" S de admirar nJo ter sido lem-
FOLHETIH
Historia impossivel.
i brado por tantos scalos este mel de estado auxiliar
ao deacobrlment* di veracidade das doutrioas e
das sellas levantadas em subuitqjgao de oolras
aniquiladas pelos resultados praiicos, sendo aquella
meio to simples em sua execucao. *
E' qae a verdade ordinariamente se acba emba-
clida pelos seductores sophlsmas e por brilhantes
hypotheses creadas pela phanlasia de ardentet ge-
nios, qua seperdem as alturas da sua imaginadlo.
A maior parte das vezas um. facto comraum enca-
rado d'am modo indepandeole dos caprichos don-
irinanos, qae a (orna maoltest, Incida brl-
Ibanle.
O mesmo se deu com a eleclrlcldade, com o mag-
ueiismo, com a forja do vapor, com a gravitagSo,
poder se-ha mesmo dizer seco receto de errar com
todas as grandes verdades que actnalmente se
acbam no dominio da huraanldade.
A Providencia, diz o professor Doma, tem semeado
em torno da nos militares de particularidades,
factos commnns qne se vdsem importancia, mas
qne o bomem de genio pode d'elles tirar sublimes
inspirares. Estes primeiros liniamenlos de todas
as grandes descobertas eiistem ao alcance da lo
dos, mas para os por em evidencia mister um
poderoso espirito ; se para manifestar as lels qae
dlngemoaoiverso (ora bastante a queda d'am pom-
mo, foi preciso porra qae am Newton fosse teste-
manha desla queda.
Hahn?mna verifieon pela experiencia em si, qua
aguiaprontla estando elle da sale, os mes-
mos symptomas qne haviam as molestias em qae
a-guina-era geralmealejjdlcada como capaz de
corar.
A quina prodazlo-lhe febre Intermitteole.
Eoto elle repetio suas experimenlacSes com
outros agentes medicamentosos, e veriflcon qae es-
tes corpos como a guia produziam effeitos ou
phenomenos bavldos as molestias contra as qnaes
erara indicados como mais proveitosos.
Deste modo se despertara em sea espirito a
grande lei da seroilitode.
Sea genio aprofaodador nao se coolentoa com
isto, compulsando ludo o que bavia a respeito da
acco das drogas simples, dos enveoenaaentos
agudos, das lentas intoxicagOes e as curas nota-
vais referidas pelos diversos autores, elle vio an-
da confirmada a mesma lei da semelbanca.
ene experimenton a doutrfna praticamente.
Aceitou a direceo do hospital dos alienados em
Georgenlal, qoj|ie offeraceo o daqne Emesia de
Golha ; e abi pjf em execucao a lei de semllitude'
e obteve os mais satifatorios resultados. Entro
outros alienados ele curou o secretario da ehan
cellaria de Banovre.
OanTHoa.

Instituto, 27 de Janeiro.
tera fundo o silencio. A' sombra da floresta
Delxra o oppressor coa mo da crueldade
Um lo em cada pulso, um sello em cada testa;
Sem bragos a sem vida a cruz e a hberdade.
O captivo choroa; do seu pranto de sangne
Uma golta talvez molhou a Divindade;
E o Seahor o fiton; no olhar sombro langne
Poude I4r nraa preca crai e liberdade.
Das palpebras azues dos oltios do infinito
O sol da redempgao transborda clarldada;
Treme fulo o Senhor da independencia ao grito,
Ab I um grito qua acelama a cruz e a liberdade.
Tudo se argueu I Do monta ao valle solitario
Rola (ero o escarceu do mar da andacidade;
Arran*a se'um pendi das dobras de um sodario,
t o bomem livre abraga a*croz e a liberdade.
Ba guerra ouvio-se a voz; travoo se o grande pleito;
Sobrepuja o direito a vil rapacdade.
De fronte em fronte cahe; recabe da paito em peito,
A bengo mais qnerida, a cruz e a liberdade.
A lula foi tremenda 1 A algema toda d'ago ;
Do escravo o peito n s veste a lealdade.
Emboral Ha sempre um raio acceso em cada brago
De toda a mao qne busca a cruz e a liberdade.
Em vao tenta d'Hollanda a borda desalmada
Oppr inda ao Brasil feroz tenacidade,
Porque de Deus no co que vai tomar a espada
Aqueile qnedefende a cruz e a liberdade.
Mas dos fortes (rente um grupo altivo avanga,
Sao quatro Bryareus de augusta magestade;
Gmpuobam todos quatro a inqnebranlavel langa
Do invencivel pendo da cruz e liberdade.
Vidal e Camarao; Heoriqne Dias, Vlelra ;
Sao elles quatro, sao; filando a elernidda
P'ra sempre ergaem de p na plaga braslleira
Aos olbos do universo, a cruz e a liberdade.
Agora, povo, o que fello '*
Da cioza dos tens avs T
Que do aliar? Que do preito
Mais que devido aos beresT
Silencio. Fraozes a testa I
E' que o remorso t'a cresta
Co'a braza da maldigo.
De nada mais te commoves I
Tu mesmo nao te absolves
Do crirae de ingralido.
i as.
(ORIGINAL BRASILEIRO).
: I
Seraphioa era uma alegante creatura de quinte
annos flexivel como anta piorna e transparente
como um pmcenez.
Possoia esse suave colorido das knagens flamen-
gas, to ldealisadas na celebre paiael le Rem-
brandt.
Era al va, d'uma airara inconcabivel, levemente
colorida por aqualie avelladado roseo das encanta-
doras fllhas de Bengala. ,jv.n -si
Pinta se acaso o doce alvorecer ffa aurora, o
mimoso aroma do Jambo, o tremlo braxolear das
estrelltnbas paludas ? E' impossivel deseubar o
perfil de Seraphina.
A pbicuuiugia entir-se-Ia in)'ptenie*na analyse
d'aqaella criago divina. Gail era nervoso. Se
visse Seraphina o mundo scientifleo poderla che-
rar a morte Instantnea d'am do? seas mais otea-
dos representantes.
Seraphina nascera n'oma noite de loar. Uma
grande noite de Abril, chea de perfumes a souhos,
ama pagina impressa peles aojos a propria p ra
ser lida por Shakspeare oa Petrarca.
Na noite em qae ella vio a luz... do kerosn
dava-se um estroadoso baile n'uma casa prxima
dos felizes pais. Nesse momento dangavam ama
walsa; consa notavel I a menina, vagiodo, poz-se
a marcar o compasso e a mover o carpiano acom-
pao^ ndo a mnsic
Uma professora de piano, amiga da ditosJsima
mal, entbusiagmon-se a ponto de.cor/er i jaoella
por sentir-se aepbyxiar de pasmo.

.
Para que mais ta candemnas T
P'ra qua asta eoxads na mi T
Dalles hoje resta apenas,
Nio ama ossada no chao,
Qae os annos a consumir; I
Mas am aanM qoe esculpirn),
Que eternamente se Id
No Paatbeon diamantino
Dis foros do leu destino
Dos templos de luaJ.
E* triste, meo Daos, triste
Que neste imperio tambera
Ondf tanta gloria existe,
Qoa tactos.hroes aontem;
u estraogeiro que passa
S veja alm, n'uma praga,
Erguida d'um sceplro a le,
Uma memoria sombri'a,
Um loxo de monarebia,
A uronzea estatua de um re.
Que dizem os Guararapes 7
Que dizem os Tabocaes T
fia victoria das tacapas
Ninguem se recorda mais.
E' triste nossa existaneia I
Qual sera' a omnipotencia
Une nobilite o Brasil I
Di xa-me a historia assustado:
Ou mentira o paseado,
Ou o presente bem vil I
Pernambaco nobre, heroico,
Quem to ingrato te (ex I
No chao desfolbas estoico
O rama dos teas laureis
Lauco I Tu pisas a gloria.*
Toa acgo drffamatoria
?ai le cobrir de labeus,
D'um analbema profundo.
Se podes zombar do mundo ;
Mao podes zombar de Deus.
Patria I... Patria I .t. Qae mentira I
O bomem, porque razio,
Se em toda a parle respira,
Se em toda a parte acha um pao,
Ha de uma trra ligar-se ;
Ha de por ella elevarse
Ao calvario de um Jasas I
Patria 1 A patria qualquer pouso
Onde o corpo acba um repouso,
Onde a alma acba ama las.
1
Mu Pernamboco, eu nio quero
Descrer do tea coragao.
Nao posso, que sempre espero
Pela tua contrigo.
Que venba tarae, que importa I
O arrependimento a porta
Qoe leva ao melhor dos cus,
Ao que tem a elernidade,
as beogios da humanidade,
E nos applaosos de Deus.
Sim, inda tempo, redime
Os tens olvidos fataes.
N&o senles a dor de um crime !
Nada deve doer mais.
Ah I Um estigma aponha la
Inda mesmo qoaodo estala
No peito de orna naga o :
Ralo de eterna pujanga
D'um s golpe (ere a langa
Tbronos e povos no ehio.
VtCTOBIANO PALHARES.
EiscomoaSra. deGravisse apossoa da-
quelle traste.
Depois da morle de Robespierre, foi a
Sra. de Gravis trasladada par. a prisSo de
Piessis, onda acabava a sua aeateoca urna
saboyana que assislio na qmlidade de cria-
da rainha de Franca, e-qe'eftre outros
oajectos vendeu a Sra. de Gravis a cdWror
pela quantia dt94 francos em papel.
Duraule o anno de I86fi, exporiaram-se
pelabarra do rio Douro 21,639:913 Htros
de vinho de diversas qualidades, ou 40,506
pipas pela antiga medida.
O Tioho expertado foi para :
Australia 465:803
Brasil 3,026:840
Bromea 62:017
Canad 315:876
Dinamarca 163:997
Diversos portos do reino 240:294
I
LM POLCO DE TODO.
as provincias do norte de Hespanha,
tem morrido algnmas pessoas com o fri
que tem feito.
aj
A Gazetle de Siode afrma que no pri-
meiro semestre de 1866, se mataram 319
tigres, 558 paotheras ou leopardos, e 298
byenas; ao todo 1,568 animaes ferozes,
nos quaes se comprebendem 9 tigres co-
medores de homens.
As recompensas 'distribuidas a titulo de
premios elevaram-se a 24:000 rupias.

Nao ama criaoga 1 grilava ella; um al-
legro] Miaba amiga, sna filba uma cavatina I
A msica tornou-se mais vertiginosa nos saldes
do baile. A crlaaga desprezoo os cubicados seios
e desprendeu uma gargalhada vibrante.
A professora tornou-se pallida.
Que gargalhada I Valba-me Sao Gregorio I
Esta menina est enfeitigada.
Um medico, chamado a toda a pressa, examinou
a innocente creatura e declaroo qae nio compre-
bendia aquella natureza excepcional.
Isto tudo servio de prologo a esaa eneantadora
existencia, que pssoa pelos raidos da (erra como
o anglico estribilho d'uma barcarolla de Rossinl.
No dia do baplisado passoa-se urna cena que,
at boje lembrada como am estroadoso milagre.
No momento, em qne o sacerdote mareava na
fronte da menina a cruz symbolica repetiodo o
oome com que la ella apresentar-se ao mundo, a
crianga ergueu se nos bracos de quem a su sien la-
va e (azeodo o signal da cruz, cortejos o padre
com a seriedade do ministro do imperio.
O reverendo abreviou a ceremonia a mais rapi-
damente qoe pJe.e dirigiu-se para a sacbristla l-
vido e contando ao peito enormes coatracgiJes ner-
vosas, das
adre mestrel o qae foi aqaillot pergan-
loo-lhe o sachriitSo trmulo como nm pennacho-
Calla-te 1 Mystenos da Providencia I Arca-
nos da natureza. Arcanos, ouviste T Nio me per-
g untes mais.
Voltaodo a casa a mysteriosa Seraphioa, eovol-
ta nos trages ondulantes do baptisado, (ol objeeto
da admlrago geral.
S am anjo, Sr. Dionisio I Sua liba no
aojo.
Doodon, lo s muito feliz I Teas uma meni-
na camo esta 1
A pessea intrpedda pelo gracioso apellido de
Doodon era a dltosa, a qoatro vasal ditosa ai da
minba heroina.
Era ama seahora alu, excessivamente gorda
Descubrio-se em Franca, segundo refere
um jornal, a ultima colher de que se servio
a infeliz rainba Mara Antonieta.
A senhora de Gravis, mulher de elevada
indiligencia, esposa de am medico militar,
de idade de noventa e nove annos, e que
gosade todas as suas faculdades, reside
hoje em Calais, e a proprietaria do dito
objeeto.
Encerrada em 1792 na Conciergerie ao
mesmo tempo que Mara Antonieta, conser-
va em um estojo a colher de que se servio
a rainha, em quanto permanecen na prisao
porm triste. Fitava na crianga os dous grandes
olho* melanclicos, affogados em lagrimas.
O que tens tu, Elisa T E' assim que agrade-
ces ao ceo o presente que nos envin T
Ab 1 parece-ms que ella marrera muito
creang I
E porque, minha sennora ? interrogou o
moco, tenente da marinba. ,
Porque nasceu no dia i. de abril. Esta
menina nma mentira.
Oh I
Tremer todos a (ez-sa am profundo silencio
na sala.
Dionisio curvou fronte e espirron. Dionisio
era urna natureza phreoetica. Espirra va qoaodo
seotia-se abalado por, ama grande dr ou por al-
gum facto extraordinario. Quando estar ende-
flaxado sologava.
A menina coraegou a chorar.
E* fome, exclamoa ama das senhors pre-
seotes. Coitadjnha I Miaba amiga, chame a ama I j
Talvez V. Bac. aao acredite, volveu a mil
da menina : desde qoe ella nasceu ; ba tinte e
dous dias que nao coma oem bebe 1
Oh I repetirn todos.
Qoe familia original I murmnroo nm em-
preado poblieo meio assustado.
E* verdade I responden ootro assustado com-
pleta mete.
O recto do dia poro, compre contestar, pas*
sou-se alegremente entre vivas, saldes a walsa.
A menina oa sala de daoga sympathisoa tanto
com am msico, qae o forgaram a te-ia no eolio
toda a noite.
Estados-Uoidos 387:226
Franca 23:915
Gr-Bretanha 16,266:788
Hamburgo 317:02
Hespanha 1,751
Hollauda 68:673
Hoag-Kong 1.388
Montevideo 51:257
Nova Escocia 27:341
Bussia 52:754
Suecia e Noruega Terra N*a 116:882
60:097
A Correspondencia Provincial de Ber-
ln, d as segointes informarles acerca do
numero dos deputados que bao de ser elei-
tos para o parlamento do Norte, em cada
provincia prussiana, na razao de 1 deputa-
do por 100:000 habitantes.
A provincia da Prussia dar 30 deputa
dos; o ducado de Posen, 15 ; ,Brandeburgo,
20 ; Pomerauia, 14 ; Silesia, 35 ; Saxonia,
20; Westphalia, 17 ; provincias Rhena-
nas, 35.
A cidade de Berln eleger 6 deputados
Diz o Star de Londres qne no n>esmo
dia em que era enterrada a vigsima quarta
esposa de Brghant Joung, chefe dos mor-
mons, se casava este com a vigessim
qunta.
Sua magestade catholica a rainha D. Ma-
ra Isabel II nasceu a 10 di outubro de
1830.
Succedeu a seu pai o re Fernando VII,
a 29 de setembro de 1837, em virtude da
urdem da successao* confirmada por decreto
ae29 de marco de 1830.
Foi proclamada rainha em Madrid a 2 de
outubro de 1833, e declarada a sua maio-
ridade pulas cortes em 8 de novembro de
1843.
Sua magestade conta 3S annos de idade.
E' senhora de boa esenca, goraa, de
maneiras affaveis e olbar insinuante.
Seu esposo e primo germano, o rei D.
Francisco de Assis Mara Fernando, nasceu
a 13 de maio de 1822 e tem portanto mais
8 annos de idade.
Casaram em 10 de outubro de 1816,
A infanta D. Maria Isabel Franc sea de
Assis Christina de Paulo Domingas nasceu
a 20 de dezembro de 1851.
O infante D. ABonso Francisco de Assis
Fernando Pie Jo5o Maria da Conceicjfo Cre-
gorlo, principe das Asturias, nascen a 28
de novembro de 1857.
^?<
A cora de ferro que acaba de ser en tre-
ge a.-Vctor Emmanuel, re da Italia, nao
tio somente uma joia digna de ser con-
servada eo|re as reliquias da congregacao
de Mouz ; mais : o symbolo da realesa
de Italia, d'essa realesa qae Vctor Em-
maeuel soobe restaurar.
Vamos historia d'esta reliquia.

Theodelioda, viuva de Anlhasis, rei dos j
lombardos, fez presente d'esta cor6a ao seu
outro esposo Aqlupbo, duque de Turim.
Serv* oo coroacao d'este rei.
A corda de oiro mass^, mas interior-
mente tem ufl<4egdo.clr**ilo de ferro ti-
rado de um dos cravds qoe servio para
crucificar a Jess Christo^-
E' este circulo que elUf deve o seu no-
mo de" cora de ferro.
m poeta republicano fallando d'trtla,
disse ao contraro, que este'eircalo era a
espada de um brbaro :
E setten trio nal spada di brbaro
Torta in corona,
Seja \ orm como fr, o corto que, de-
pois do ultimo rei lombardo, a cora foi
depositada na cathedral de Mouza, e fui abi
que em 774 Carlos Magno a recebeu das
m3os do papa Adriano I.
Por occasiSo da coroacSo de Frederico
IV (1452) foi levada para Roma, e em 153 >
para Bolonha para a sagradlo de Carlns V.
A cora servio tambem na fronte de Na -
poleo ((26 de maio de 1805), e foi cin-
gindo-a que o imperaior exclamou estas
palavras.
Deus m'a deu, mal do que n'ella to-
car /
Francisco I, e Fernando I, imperadores
de Austria, serviram-se d'esta cora na qua
lidade de soberanos da Lombardia.
Em 1859, a aproximadlo do exercito
franco italiano, os austracos carregaram
com a cora, que foi religiosamente guar-
dada em Vienna no thesouro imperial.
Restitundo hoje esta joia e reliquia, o
imperador da Austria renuncia implcita-
mente a graduaco que tinha de grao-mes-
tre da ordem da Cora de Ferro.
Esta ordem foi creada em 5 de j un lio de
1805 poi Napole5o, afim de recompensar
os servigos feitos a Italia, tanto na carreira
das armas como na magistratura e as le-
tras.
Francisco I em 1816, reconstituio esta
ordem para recompensar os servicos feitos
a Austria e os 500 cavalleiros, primitiva-
mente Gxados pelo fundador teem sido mul-
tiplicados ao infinito.
A cora de f Tro, de que o general Me-
nabra acaba de ser portador para o rei de
Italia, ser novameute confiada a guarda dos
monges da cathe Jral de Mouza, onde ou-
tr'ora se fazia o ceremonial da sagraco dos
reis lombardos.
Uma capella ricamente aderezada espe-
cialmente destinada a conter em sacrario a
preciosa reliquia, que como deixamos dito,
encerra no interior do circulo de otro um
dos cravos do Redemptor.
Por esta razio a verdadeira cora
ferro nunca sahe do seu sacrario.
Para satisfazer a curiosidade dos estran-
geiros e dos touristas mostra-se uma outra
'cora vermelba que a reprodueco exacta
do diadema lombardo.
Hontem, mea amigo, vi-a bontem. Fiquel
admirado. Cootam-me maravilbas dessa raeoina I
Entre ootras, mea amigo, afflaogo-lhe que
lia nao come.
Helo t Mo acredito I
E' o que Ihe diga. Alimenu-se de ar aquel-
la crianga qne ali v I
E' extraordinario 1 Poisjaiada ba boje quem
nao coma 7 .
E'um aojo. Adeus, vou almqgar. _y.
SAt essa poca isto : treze mezes depois do nas-
cimento de Seraphina, bonveram seis reunidas de
mdicos e boroeps sabios em easa de Dionisio pa-
ra examinarem aquella phenomeno filial.
E' uma naturesa excntrica 1 dizla um.
pomblnagSo heterognea ante cuja decitragao a,
scieocia vaciila e a medicina sente-sflfnjjik! j .
E ella vivir por muito tempo, Sr. doutor
pergunuva o consternado rjioaisio.
Eternamente, mea caro senhor I Eterna'
mente I
Sem comer, senhor I Sem alimentar-se I
E" verdade. Ella forma "o inverso de toda a
creatura humana.; Nos pairos morremos se nos
faltar o sustento; d-se o contrario com, su Jfcjja.
' Assim, se ella comer capas de morrer...
4 (orne T
Exactamente.
Posto que origtnallssima, os pas da Seraphina
acostumarara-se aquella existencia, qoe pareca
aturarse de luz, aromas e cbimeras.
No dia em que a meoloa centou quinze annos,
Dionisio cbamou-a tremolo e indeciso.
dos dous jovens, cujo casamento deve rea-
lisar-se em pouco.
O numero 1403 da lllmuntd hondn
News, traz o retrato do actual soberano per-
sa, com uma especia do biographia, qoe
o seguinte:
t S. M. Nasir-ud-Deen, shah kajar. es-
sulto el kbakn, cojo retrato damos em
gravura, subi ao throno da Persia em 1848,
tendo dezoito annos de idade, por morte de
seu pai o rei Mahomed-Sbab.
E' neto do famoso principe Abbas Mirza,
coja morte prematura em 1833, foi nma
grande perda para a Persia, e bisneto de
Fetteh Alt Shah.
Sua mai era uma das mais disiinctas
princezas da familia real.
Nasir-ud-Deen-Shab, tem uma bella pre-
senta, intelligente e muito liberal.
Toma parte mui activa nos negocios do
paiz, e muito benevolente para todas as
classes do povo.
Gonhece perfeitamente o idioma francer,
e tem muitos jornaes dos mais lidos na Eu-
ropa.
Seu reinado notavel pelas reformas que
tem sabido introduzir no paiz, o que atiesta
a sua cvilisac3o e seus sentimentos progres-
sistas, taes como a iotrodncco do telegra-
pbo, a in.ttuigao de uma academia real de
sciencias, construcc3o de estradas, etc.
Ha pouco fez um tratado para a commu-
nrcacao telegrapbica entre a India e a Eu-
ropa pela Persia, por influencia do embai-
xador inglez Sr. Alison, que o shah muito
estima. ,
C.mo prova da sua grande tolerancia,
vejam-se as importantes medidas que tem
adoptado para com os seus subditos nesto-
rianos, o que forma uma das mais brilhan-
tes paginas do seu reinado, porque Nasir-
ud-Deen-Shab, por conselho do Sr. Alison
nao consentio aos nestorianos a edificarlo de
uma igreja do seu culto, mas tambem ins-
creveu seu nome na lista dos subscriptores,
com o donativo de cem libras, exemplo
que foi seguido por todos os seus minis-
tros, e pelos principaes personagensda sua.
corre, assim como pelos etrangeiros que
all se achavam na sua capital.
S. M. acceitou o convite que lbe fez Na-
poleo III, para assistir em pessoa aber-
tura da grande festa industrial em Pars,
em 1867%
de
No correr da ultima epidemia que flagel-
lou Amens, diveros internos dos hospitaes
de Paris partiram para aquella cidade, afim
de prestar os seus cuidados aos accommet-
tidos; e um desses mocos fez verdadeiros
prodigios de valor.
Um dia foi chamado para a casa d? uma
familia opulenta, cojo chefe achava-se afec-
tado do mal. 8 mancebo prodigou-lhe os
seus cuidados, e, a forca de dedicaco, lo-
grou salva-lo.
Dias depois chamaram-no de novo: era
a dona da casa, que fra accommettlda.
Infaligavel como era, noite e da, nao
deixava o leito da doente, de sorte que os
seos esforcos foram ccroados de suc-
cessos.
Depois de ter salvo o pai, saltn igu J-
mente a mi.
Restava uma filba, joven e bella rapariga
de dezoito annos; a qual felizmente nao
ebegou a ser affectada da epidemia. Mas a
dedicado do mogo inspirou-lhe um reco
nhecim'nto profundo, que transformou-se
bem depressa em amor; ao qual nao foi
elle iosensivel.
Os pais devjam-lhe bastante, para pensa-
rem um momento em opporem-se aos votos
cousa T Nao sou sua filba ? Pitha que o ama, qae
idolatra e que seote-se a todo o momelo promp-
ta para satisfazer nao os seas desejos, mas as suas
ordensT Ordene-me, mea pai I
Nao orna ordem, meu aojo) E' ama sup-
plica que amentei quinze annos para vir boje
langar aos lats ps adorado;.
A menina fltava-o pasmo,
-i Come esle blscooto, murmurou elle'. -
Seraphioa entpallidecea como as figuras ldaes
do Olympo terrestre. ,
E' impossivel, meu pai I
Porque, miaba filba ? Um pedido tao sim-
ples I Um biscouto I
Esse biscouto seria a minba morle 1
., A tua morte, mea,*njo exclamoa Dionisio
i-.fiwipfl*
r? rou. Ouvist
aaVaite I J nao esta aqui quem (al-
Me VPica socegada. Faz de conla que
eu disse qualquer outra cousa I
. Nos olhos de Seraphina ergueu-se o hmido va-
por de urna ligrima. Dionisio iadigaoa se contra
io, presenciando o estado da Alba.
Oh I hoje causam-me horror todos o bis-
cootos do globo 1 disse elle com o ar somWio
d'upj tribuno romano.
Era uma Belia man ha de primavera. Os pas-
sarinbos cbilravam na sombra dos arvoredos e as
flores exalavam os myslicos perfuaes.,0 sol des-
pejava torrentes da ouro sobre a lerraJeSfcva. A
natureza era umacaugao, o co espratava' se azul
como os olhos de Gretche, a poelica allemaa.
Seraphioa chegoo se i jaoella a cbamou sea
pai com am doce gesto melanclico.


Acaba de ser dado estampa em Londres
uma magnifica edico do Paradtse lost de
Milton.
The illustratei hondn Netos, faz-Ihe a
este respeito um grande elogio.
As gravuras sao de Gustavo Dor, e a
impresso de Mrs. Caasell, Peter e Gaipin.
O jornal inglez faz a discripeo completa
do livro de Milton, dando ao mesmo tempo
uma gravura represeiitando Sataoaz s as
montanhas ; linda t
Esta edic5o do poema deMiitOu, Gizem
que a mais rica que ltimamente se tem
feito em Londres.
Desde Janeiro a novembro deste anno, o
numero dos emigrados que desembarcaran!
em Nova-York sobe a 20o,000, sendo destes
90.000 allemaes.
Se assim continuar, a populacSo dos Es-
tados-Unidos, dentro em pouco, maior do
que a da Europa I
'Hl|sl
A divida nacional nos Estados-Unidos, no
principio deste anno era de 2,685,000,000
(aproximadamente 2,587,600 contMNortes!)
Julga-se attendendo ao grande rendimen-
to deste poderoso estadoque em25annos
esta divida desapparecer.
Seraphina, voo pedir-te o maior ttvorqae- Como lindo tndo Isto, mea pai I Parece
tu me podes fazer oeste mundo. Ha quioze an-
TJm anno depois, Seraphina anSava fcilmente nos qne esta supplca esconde-se no (ando de mi-
sera o auxilio d'um pequeo carro e palha, coa- aba alma. Hoje/ que estas moca "a qoa a toa ra-
| prado ao capltao d'um oavio, qoe a elogiara tres sao desenvolvida eonbe e e distingue o bem e o
dias ad eondesoendenie Dionisio. mal na sociedade, de'crer que nao m'o negues.
Palos cafs, partidas, clobs, passelos a frmala Palle, mea pal.
sacramental dos cariosos era a seguiute : Nao me negar?, minba Alba T
Ja viste a Seraphina T j Oh I moa pai, en poderei negar-lha alguma
qoe eston sentlndo duas atas ofoiveis qoe me
condutem para o co.
Retrahio suaveraeole o corpo a a soa deslum-
brante cbega cahii oo hombro de Dionisio.
Seraphina eslava 'nesse momento foitnosa, or-
mosa, (ormosa I Era a Migoan da Gcatie. U m
acelro-^estido branco attogava-lha o talbe gentil
e esbelto eomo os cactos andaluzes.
O seu cabello negro, levemente erespo a ondu-
lado, cabia em tofos sobre o hombromal acari-
ciado pela ondulante gaza, uma rosa apenas, mal
desbrochada^ abra se como um peosaejealu de
amor oas cheirosas' traogas desses caballos. A
dolara de aberaa oroavase d'ama fila cor da pa-
lha que comprima sobtil o dessano dos ntido;
contornos.
As soas mios traospareotes desafiavara'omais
lmpido cristal, e tao alva e laminosa era a'sua
pelie, que pareca ganr os ratos do dia. Sem
exagerar : o sol despontava nella. Havia no sea
olhar como que urna ebuva de ratos e de lagrimas
celestes.
Felicidade I exclamoa ella com o bello en-
ibwiasoM doe qe.taa aunes,felicidade t& s mi-
nia I
Doce creatura I O co reflectia nelb^mW
riosos eocanms das primaveras eterna. Cada ora
dos seus o'hares era eomo o rail atildo da hmi-
da (aceta das estrellas...
Dionisio, que apesar de cidadio et* boa pessoa,
desalojon rapidamenl* o lenco da algibelra e en-
eostoo-o ao palpitante -naris. O espirro eslava
imminente.
Seraphina 1 tu seras feliz I Apesar...
Diga, mea pai I
. Apesar do tea... fasto, safaba Alba I do
leo form , Callara ai se ambos. Dionisio fita va a lentidora
eabega da menina. Ella dobrou levemeata a (ren-
te como a estatoeta de Vaos.
Que qaer, meu pal T Deas me (es assim I
Se en me siolo lio...
To leve, mea anjo T
Nao, tio (elis, meu pal I Alimento-me do
reverbero dos astros e do soro do orvalbo i
EmQm I Ser como ta quizares t Paciencia.!
(Conimuar-u-ha) ,
TYP- DO DIAR1Q-UUA DAS CRUZES N. 4a



je
^
I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EYDJ3787V_QGH5XI INGEST_TIME 2013-09-05T04:03:35Z PACKAGE AA00011611_11184
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES