Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11182


This item is only available as the following downloads:


Full Text
** ******

ANNO XLIII. NUMERO 25.
I 9b oj1o.- tU u
I
I
i
i
r
. -
PARA A CAPITAL E LIGASES OXDE SE XAO PAGA PORTE,
Par tres eiM iiiU4g.;............... eooo
Pr Mil titos idea,. .i ......'.: ..... IWOOO
ParuMMMea.. ..-.;. .........:., Vi t; 24^000
Cada naatra arriso .1 ............... _, 320
QUARTA FEIRA 30 DE JANEIRO DE 1867.
PARA UKXIHO E PORA DA PROVINCIA.
Par tres mete* idiuMoi..............
Pw seis ditos iden. .
Por nove ditis idea...
Ptr oa anos idea., en

ti
60750
130500
204250
27fJOO
DE PERNAMBUGO.
a8bb m munmuid i maiDi OTanaaacDA idi mua & mm& sais iPiamaiiMiaMs.

jENCARREAOOS DA SIJBSCRIPgAO.
Parahyoa, u Sr. Antonio Alaxaudrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonia Marqoesda Sil*/a;Aracaty,
oSr. A. de Lemos Braga ;JCear, o Sr. Joaquim
Jos de Oliveira ; Par os Srs. Gerardo Antonio
Alves & Filtros; Amazonas, o 8r. Jeronymo da
Costa; Alagoas.o Sr. Franrino lavares da Costa;
Babia, o Sr. Jos M.mins Alves; Rio de Janeiro,
o Sr. Jos libeiro Gasparinho.
PARTIDA D( S ESTAFETAS. '
Olinda, Cabo, Bscada e eslgSes da vii frrea al
Agua Prela, 4odos os dias. "
Igaarassu e Goyaona as segundas e sextas reirs
Santo Anto, Gravatz, Bezerros,. Bonito, Caruar
Altiabo, Garanhans, Buiqae, S. Bento, Bom Con-
selho, Aguas Bellas e Tacarat, as tereas-feira
Pso d'Alho, Nazaretb, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa-Vis-
ta, Oarieufy.Salguero e Ez, as quartas feiras
Seriobaem, Rio Formoso, Taroaodar, Una, Bar- I Primara vara d'civel: tercas e sextas ao meto
reros, Agua Preta e Pimeuteiras, as quintas i di?.
ejras- I Segunda var* do civel : qaartas e sat-ioadea a
. 1 bora da tarde.
AUDIENCIAS DOS TRIBNAES DA CAPITAL
Tnbnnaldo commereio : secundas e quintas.
Relago : tercas e sbados as 10 horas.
t'azenda : quintas as 10 horas.
Jufzo do commercio : segundas as 11 horas.
Dito de orphos : tercas e sextas s 10 tWas.
EPHEMErtlDES DO MEZ DE JANEIRO.
B La nova as i) h., e 38 m. da t.
13 Quarto eres- a 1 h., e 42 m. da t.
20 La clieia.<*.4 h., e 44 m. da m.
27 Ouarto minft.to.-ll h. e 55 ib. da 1.1.
DAS DA SEMANA
28. Segunda. S. Goncalo de Amaranto dominicano
18. Terca. S. F-ancco de Sal.es b. S. Sarbelho.
30. Quarla. S. Adelelmo ab.; S. Marimba v. m.
31. Quinu. S. Pedro Nolasco; S. Cyro m.
1. Sexta. S. Peonio presb. ; S. Erem diac. m.
2. Sabbado. ca A Purlficagao de Mara Sant.
3. Domingo. S. Braz b., advogado da garganta
PREAMAR DE HOJE.
[ Primeira as 0 horas e 30 ni. da tarde
Segunda as 0 horas e 54 minutos da manea.
PARTIDA DOS VAPORES COaTEIROS.
Para o sul at Alagoas alie 30; para o norte
at a Granja a 7 e 22 J2 cuda mes; para Fernan-
do nos dias 14 .os mezes Janeiro, margo, mao|
jalbo, setembro e novembro.
PARTE OFFICIAL
neiro de 1867. Affonso Celso de Assis Figaei-
redo.
Attendendo aos relevantes servido prostados
, pelo pratico da esqaaira em operagdes contra o
Paraguay, segundo leaaute graduada Fernando
Etcbnara, hei por bem conceder-lh a effaetividade
do roesmo posto, sem dirsito a accesso.
Alfonso Celso da Assis Flgueiredo, do mea con-
MINISTERIO A MARIVI! A
Hai por bem promover no carpo da armada os
offlciaes mencionados na relago que cora e;le bal-
xa, a-signada per Alfonso Celso de Assis Figueire-.
do, do mea cooselho, ministro e secretario de es- selho, ministro e secretario de estado dos oegeoos
tado dos negecios da marinba, que assim o tenha da marinba, assim o tenha entendido e faca exe-
r ni. inliili) e fura pivcuiaf' CUtar.
Palacio do Rie de Janeiro, 22 de
entendido e faca exeeutaf.'
Palacio do Rio de Jiaeiro, em 21 de janeko de
18G7, 46* da independencia a do imperio.Cid a
rubrica de Sua Magestade o Imperador. Alfonso
Celso de Assis Flgueiredo Comprasee regs-
trele. Rio 1 e Janeiro 22 luneirs de 1867.Con-
forme. Antonio Carlos C. de Mello Andrade.
CORPO PA ARMADA.
Relago dos offlciaes promovidos por decreto
' desta data.
A almirante, o vice almirante conselheiro de
guerra, viseonde de Tamandar.
A vicealmirantes, os chefes de esquadra conse-
Iheiros de guerra Joaqaim Jos Ignacio e Joaqaim
Kaymando de Limare.
A vice almirante graduado, o chele de esquadra
conselheiro Diogo Ijpacij Tavares.
A chefes de esquadra, o chefe de esqoadre gra-
duado J0S0 Maria Waudenkolk os chefes da di vi
bao baro do Amazonas e Jesuioo Lamego Costa-
A ebefe de esquadra gradaado, o chefe de divj
sao conselheiro Joaqaim Manoel de Oliveira Fi
gueiredo.
A chefes de dtvjsSo, 0' capitaes de mar e guerra esqhadra em opkraoos. partes officiaes.
Anlinio Flix Corre de Mello,' Eljsiario Antonio Cnnmando era chefe d* esquadra em operacoes
dos Santos; Jos Miria Rodrigues, Francisco Cor- routra a repblica do Paraguay.
deiro Torres e Alvim. Bordo do vapor Isabel, era frente ao Curuz, no
A capitaes de mar e guerra, os capitaes de fra-1 rio Paraguay, ero 22 de dezembro de 186<5.
gaU Victorio Jos Barbosa da Lomba, Antonio Lo- OROEM DO DA.
pes de Mesqaita, Pedro Antonio Luiz Ferreira, An- j S. Etc. o Sr. viscoole de Tamandar, vice almi-
tonio Affjoso Lima, Joaqule Rodrigues da Costa, rante, comtnandanle em chefe da esqaadra brasi-
Jos AotOQio de Faria, DelQm Carlos de Car- letra em operagdis no Paraguay, tendo obtido li-
.aneirode 1867,
46' da independencia e do imperio.Coro a rubri-
ca de S. M. o Imperador.Afobso Celso de Assis
I Flgueiredo.
Attendendo aos servicos prestados pelos praticos
da esquadra ero operacS contra a repblica do
Paraguay, B'rnardlno Gustavino e Luii Repeto,
hei por bem cooferir-lbes as honras do posfo de 2.
tenante da armada.
Affjnso Celso de Assis Flgueiredo, do mea con-
selho, ministro e secretario de estado dos negocios
da marinba, assim o tenha entendido e faja exe-
cutar.
Palacio do Rio de Janeiro, em 21 de Janeiro de
1867,46 da independencia e do imperioCora a
rubrica, de S. M- o Imperador. Affraso Celso de
Assis Flgueiredo.Cumpra-se e registre-se.Rio
de Janeiro, 22 de Janeiro de 1867.Conforme.
Antonio Carlos C. de Melto An irada.
valho.
A capitaes de fragata : os capitaes tenentes Pe-
dro Tnora da Castro Araajo, Lutz Mina Piquet,
Mamede SimSisda Silva e Esiario Jos Barbosa :
pjr servaos de guerra, lei de 18 de julho de 1865 :
' jo j Alvares Pereira de Mello Cardoso, Luiz da
Cunba Moreira, Antonio Claudio Sido,* Jos da
Costa e Azevedo, Francisco Jos de Oliveira, Anto-
nio Joaqaim Corvello d'Avih, Ludgero de Sales e
cenga para retirar-se a corte, aflni de tratar de sna
saude, acaba de passarme esse cromando para
cujo exercicio interino fui nomeado por aviso de 3
do correte.
S. Eic. vai partir para seu destino, acompanha-
do do reconheclroenlo e admiradlo de lodos os que
liveram a fortuna de estar sob as soas ordeus, pe-
los bri hantes e Dio desmentidos servicos que du-
rante^ mais de dous annos prestou patria, na com-
Oliveira e Afanoel Bentcio Furtado de Mendonc.a, I missao ardua entregue a sua inteligencia dlstiac-
por anuguidade, segaodoa iejislagio ordiaaria ; j ta, ao seu alto patriotismo, a saa bravura tautas ve-
Siiviao Jos de Cir?alhoRocn*;HDriqae Antonio zes provada, e as suas proverbiaes lealdade e hon-
Baptista e Manoel Antonio Vital de Oliveira, por
inerecimento, dem.
A capitaes tsenles, os primeiros tenentes Bal-
duioo Jos Ferreira de Aguiar, Igoacio Jjaqoim da
Fonteca, Euzebio Jos Amanes, Tn or.; Pedro de
lttencourt Colrim, Carlos Braconuot, Guilherme
Jos Pereira dos Santos, J080 Gomes de Faria J-
nior, Joe Mandes Salgado. Fortunato Foster Vi-
dal, Manoel Caroeiro da Richa, Augato Nello de
Meadooca, Jerooymo Franciscj Ganeaives, Joo
Aotonio Alves Nogaeira, Autonio Luiz Hiooboltz,
lulo (oncalves Doarte. Lucio Joaqaim de Oliveira,
Aagnsta Cesar Pires do Mi anda, Jacintho Fernan-
des Pinbeiro. Joaquim Candido dos Res, Manual
Ricardo da Caaha Couto,
Mallo Tamborim, Francisco
Marques Gomarles, Franci co Jos de Freitas, Ar-
ihur Silvelra da Molta. Por servidos de guerra, lei
de 8 de jmlno de 1865.
A primairos teneutes, os segondos tenentes Tell
Jos Feno (coro a clausula de nao obler accesso
sem apresentar carta i* exame de piloto), Pedro
Nolasco Pereira da Cuuha, Manoel Leurengde
Castro Rocha, Jos Ignacio Borges Machado, Au-
gusto Cesar da|S;lva, ManoelTerencio Cunea da S.
radez.
Subslituindo nm tao importante hornera do mar
e de guerra, conhego qaanta responsabilidade vai
sobre raim pesar, responsabilidade doplieada, pois
importa, alm do cumprimento dos deveres arduos
do m:U cargo, o de sustentar a reputado bem me-
recida que subo illastrdo"commando de sea ami-
go e prezado chef* tao heroicamente alcan^ou a
grande forga ni.val do imperio que o governo impe-
perlal lera aqni erapregadopara terminar coro hon-
ra a guerra justissima que sustenta.
A esquadra conhece perfeitamec'* sea novo che-
fe. Nella occopam elevadas posiyO s aotigos com-
panheiros seas de trabalhos, alguns de seus anii-
Anionio Joquim de jgos subordinados, nao poucos de seus amigos pes-
Goulart Rolim. Jos soaes. Menos penosa se tornara a tarefa do com-
mando se, como espero, todos elles coucorrerem
com o contingente de soas lazes e boa vontade,
coadjavando-me em bem da causa nacional que
pleiteamos.
Chefes benemritos, commandantes valentes e
Ilustrado?, offlciaes cheios de generosas asplra^oes,
guarni;5es as mais valeotes, tao valente quaoto
humanamente possivel s-lo ; a gloria da nossa
bandeira, o brilho do nome brasileiro, a lermioa
Magno A'bXandrmn de Oliveira Brito, Joaquim An- cao prompta desta guerra sanguinolenta, sao os
tomo Co-dovli Maurltv, Antonio Pedro"Alves de
Barros, Dionisio Manhes Brrelo, Saturnino Viei-
ra de Camino. Bonifacio Gil Praheiro, Jos Do-
miogne* Ba,-bo-a, Joo Rodrlaues Gircia, Joo
Jos Lopes Ferraz e Castre, Francisco de Paula
Sarmanbo, Liberato Lins Cavalcanti de Oliveira,
Joaquim Domragues de Carvalho, Faustino Martins
Bastos, Luiz Felippe Saldanha da Canba, Euzebio
de Paiva Legey, Elieier f! -traho Tavares, Affonso
Henriqu s da Fonseca, .^quim Rayraundo de La-
mare Sobrinho, Jos Vidr de Lamare, loto Justi-
no de Proeofa, Quintino Francisco da Costa, Jos
Dorolho da Silva, Carlos Miguel Conrado, Gre-
gorio Ferreira de Paiva, Joo Goraensoro Wan-
deoko k.
A segundos tenentes,\om a clausula de presta-
rera exame das materias do primairo anno depois
de Boda a guerra, os gnardas-roarinha Manoel
Jos Alves Barbosa, Rodrigo Jis da Rjcha, Fran-
cisco Augusto de Paula Bueno B aodo, Rodrigo
Antonio de Limare, Manoel do Nascimeoto Castro
e Silva, Jos Ignacio da Silva Coutinho, Antonio
(Juioiiano de Castro e Silva, Antonio Jos Laite
Lobo, Joiquim Marques Baptista de Lea Luiz de
Paula Mascarenhas, Jo3o Mana da Silva uoutioho,
Harman Ladwig Gade, Maooal Pereira Pinto Bra-
vo, Hennque Hellery, Adolpho Paulo do Boaisue-
teiso Galhardo, Joo Candido Brasil, Flix Jos da
Silva, Jos Antonio de Oliveira Frenas, Jos Mar-
ques Mancebo.
O pillo Antonio Joaquim. Rio de Janeiro, 21
de Janeiro de 1867.Affonso Celso de Assis Fi-
gueiiedo.
Attaodeoao a que o; guard^s-roarioha das tar-
mas de 18 >4 a 1865 deixaram de fater a viagem
de iustrucgo do quarto anno, exigida palo regula-
raento da escola respectiva, por se acbarem em
-servieo de guerra contra o Paraguay, e de confor-
midade com o disposto no art. 6 da lei 0. 1,2-50 de
3 de julho de 1865, hei por bem promover os ditos
guardas-marinha a segundos lenles, com a clau-
sula de nao pqderem otilar accosso, terminada a
guerra, seoo depois de satisfazerem o exame a
que se refere o art. 52 do decreto o. 2,163 do 1*
de maio de 1858.
Aff raso C-ho de Assis Flgueiredo" do meu con-
seibo, ministro e secretario de cstad'o des negocios
da marinba, assim o tenha entendido e faga exe-
caur.
Palacio do Rio de Jaieiro, em 21 de Janeiro de
18*7, 48* da independencia e do imperio.Com a
rubrica de S. M. o Imperador.Affons Celso de
A-sis Pigoeiredo. Cooforme. Antonio Carlos
Cesar de Mello Andrada.
Hei por bem promover os officiaes do corpo de
saie da armada nacional e impenaes menciona-
dos da re'iajo qne coro este baixa, assignala por
Affonso C^flrde Assis Figaeiredo, do mea cara se-
ibo, minisir e secretario de estado dos negocios da
nmlnha, que assim o tenha entendido e faga exe-
cnlar.
Palaeio do Rio de Janeiro em 21 de Janeiro de
1867, 49* da independencia e do imperio.Com a
rubrica de S M. o Imperador. AffoOM C-lso de
A-sis Pigoeiredo.-Curaorase e regstrese. Rio
de Janeiro 21 de Janeiro de 1887.Affonse Celso.
Conforme.Antonio Cario* C. Mello Andrada.
CORPO Dt SACO!.
Cilscio dos oflfcues promovidos por decreto des-
la data.
Aclrareo de dfviio, o prlmeiro cirargiio Dr.
Jos do Nascimento Garca de Mendooga.
A clrurgiao de dlvisSo graduado o primeiro ci-
rargiio Dr. Propicio Pedroso Brrelo de Albu
querque. *
A priraeiro8 clrargides, os segundos cirurgides
Dr. H>racio Cesiir, Dr. Joaqaim Mootelro Cami-
nhoa, L'r. J>< t.tetan; da Costa e Dr. Minoel
Baptista Valiadio. Rio de Janeiro, em 21 de ja-
minutos aviste! um grande acampamento dentro de leste navio seu offlcial immediato o 1* tenente
ora cercado de vigas, um grande e alto mirante Ignacio Joaquim da Fonseca, e reforgado sua gaar-
deniro e algamas easas fra. jtolgo com o 1* teneote Oiymo'Jos Chavantes.
Ahm;d aproxiraar-me mais, entrei em um ou- Para o Brasil mandara por *rflvenco o Dr. Pro-
tro arroio, onde encontrei urna casinha na margem picio Pedroso Birrete d'AiDuqaerqie, do Isabel.
urna chalana e alguns objeetos mais, e ahi fez-se Segu as a'guas da divlsao e colloqaei-me tres
urna descarga de fuzlaria, e encostando o navio a 'warras cima do Brasil, chefe da avangada den-
margem o amarrei. ffc^podia observar todos os movim?nios e dar as
bailn o destacamento de navaes para ierra, cer-TlWeos que fossem precisas,
eou a casa e trouxe a chalana para bordo desfeita.^O marechal ATgolio, coromandante do 2* corpo
por torero os Paraguayos pouco antes dado uro cor-; 0* exercito, eslava prevenido, cora a devida ante-
Je triangular em cada urna das bordas da dita cba- cedencia, do movimento que tamos execolar.
lina, para inolllisa-la. 1 A's 5 horas e 40 minutos, o Baha, collocado em
Gastei 14 bombas no bombardeamenlo do acaro- nina posigo com muito criterio escolhida^rompen
pamento, distante uro qnarlo de legua, e em segui- foifffsobre o inimlgo qoe guarneca Curupaity;
da salteu para tera o segundo lente Manoel Lou-'segnio Ibe as manobras toda a divisSo, nulrindo iCibral.
rengo de Castro Rocha com os dous deslacSmentos,' nm vivo -fego quasi todo bem aproveilado. Os
ahai de reconbecer o lugar. Nao en'controu uin- garibaldino.que vieram pelo laao do Chaco, laziam
golrn, por se leremem tei^po retirado, b a pro'va repelidas descargas sobre as trincheirasque tinham
e a existencia de cavallos, plantacfles, o corte fres- j pela frente das fortificagoes; do 2 corpo de exer-
co da chalana, e baver urna praga diloque vira um eito partia orna cnuva de balas e bombas, qual
cavalleiro. jos Paraguayos respondlam com algoma tibieza
As casas foram entregues s chammas, e bem as- ao principio, mas com um quasi frenes depois,
sim o acmparoedtu; troaxese para bordo urna voltaado contra o
serra, nm serrote, om-ferro de-calafate, 41 remos 'esforgos.
2() langas, tendo anda ticado dous molhns, com 40,' A' bombardeira Pedro Afronto, commandaote o
por ser multo distante e preciso para lichegar pas-,' 1 tinenta Joao Gomes de Faria, e as duas chatas
sar com agua pelo ombigo. ; cimmandadas pelos offlciaes de commissao R. J.
A s 4 horas e 30 minutos deixei este arroio, en-! Rice e F. C. Patrick, foram auxilio poderoso. Seus
i 00 primeiro e comecei a navegar aguas cima Uros, que coraecaram quasi em principio do com-
bate, eram de muita certeza e effkacia.
Sendo este ataque iotantado somente como apoio
ao da Iag3, e estando preenchido o Ara a que me
diriga, mandei pelas 7 horas eccupar a formatura
ltimamente ordenada, dando a diviso fondo
lioha dit
Braaf.
avante
! batalbo de infaotaria.Cabo Jo- Leopoldo
Polaco, soldado Manoel Flix.
5* batalbo dito.Auspegada Antonio Francisco
da Costa, soldado Jos Soares Correa.
7* batalao dito.Soldado Joao Francisco da
Silva.
8 batalbo dito. Soldado Hilario Gimes Pe-
reira.
10* batalb o dito. Cabo Antonio dos Santos
Porto, soldado Igoacio Antonio dos Santos.
11 batalho dito. Cabo Manoel Bazerra da
Silva.
13* batalbo dito.Soldado Manoel Ignacio de
Sanl'Anoa.
li* batalbo dito.Auspegada Antonio Francisco
exercito grande parte dos seus
pontos a que devem mirar vosso patriotismo, vo?sa
dedicago, vusso indmito valor. E'a patria que
vos estis servindo, e continuis :a servir, e a hon-
ra de tal servgo, resultante ser vossa, fomente
vossa : anathema ao que, nao tendo para ella con-
corrido, tente rouba-li ero proveito proprio.
Resigoago nos trabalhos da vida, meus camara-
das, dedl:ago ao servgo publico, observancia da
disciplina e de todas as outras ragras salutares
prescriptas pehs nossos regularoeotos; amor as
inslituigoes patrias e ao inclyto soberano que nos
rege, obediencia s ordens de vossos chefes natu-
raes, e confanga naquelle que o sabio governo do
imperador collocou a vossa frente, o que recom-
mendo com toda a instancia.
Viva sua roagestade o imperador e sua augusta
familia I Vlvamas heroicas nafi alliadas, seus bravos exercitose brilhaBtes chefes I
Vivam nossos estimaveis camaradasdo exercito im-
perial e seus gl iriosos chefes I Viva-a esquadra
imperial I Viva o querido da victoria, o primeiro
dos Brasileiros entre nos, o nobre general marquez
de Caxias IJoaquim Jos Ignacio, commandaote
em chefe interino.
Commaodo da tercelra diviso da esquadra do
Brasil em operacSes contra o Paraguay.
Bordo da caohoneira lieanm, no Itaty. Alto Pa-
rana, 23 de dezembro de 1866.
Illm. e Exm. Sr.Tenho a honra de passar s
mos de V. Etc., em original, a parte que me en-
vin o commandaote do vapor Henriqve Martttu,
relativa excursao que por ordem e autonsago de
V. Etc. fez nos arrotos Caraj e ontros sobre a cos-
ta paraguaya, e da qual resultou o incendio de om
acampamento Inlmigo em frente a esta povoaga >, e
o apnsionamento de duas chalanas, viBte langas,
quarenta e urna ps de canoas e varios outros ob-
jeetos.
Juigo do meu dever recommendar a V. Exc. o
comportamento desse commandante, seus offlciaes
e de mais pragas.
Daus gu-rde a V. Etc.Illm. e Etm. Sr. vlsc^n-
de de Tamandar, vice-almlrante, commandante da
torga nav.l do Brail ero operagdes contra o Para-
guay.-Francisco Cordeiro Torres e Alvim, com-
mandaote da larceira divi-o.
Bordo do vapor Henrique Marnns, no Itaty. Alto
Paran, 2z da dezembro de 1866.
Illm. Sr.Era virtude das ordens que recebi de
S. Exc. o Sr. viscoode de Tamandar, commandan-
te em chefe da esquadra, part s 2 horas e 15 mi-
nutos da tarde de 20 do corrente, do Curuz, para
reunir-rae ao colimando da diviso de V. S to
cando no Cerrito, onde recebeu-se bolacha do en
eouragado Colombo, para ser entregue Belmonle,
que se achaa Tundeada cima da liba de Santa
Anoa, onde p-rnoitei.
A's 4 horas da manba de 21, em viitude da aa-
tortagio do me-mo Exm. Sr. commandante em
chefe da esqaadra, entrei no arrolo do Acaraj, en-
contrando as 8 horas urna chalana ( cinco leguas
cima da bocea do arroio ), e, como fhesse algoma
agua pelo rondo, aocorei, mandei calafeta-la, e s
9 horas e 15 minutos suspend e segoi viagem pelo
mesmo arrolo.
Pooeo depois de entrar avlstei doos piqaetes de
mallaria, que suppoohi serem nossos, ou adiados:
nm eslava Arme, e o da dlreita ou de cima corra
o campo.
A's 11 horas avistel urna guarda, que jalgo er a
de Coroll, e por nao ter vi-to pessoa algoma a
jalgo abandonada, pelo qae nao mandei recoobece-
I, como mesmo por que eslava multo distante da
bosta
Aperar de haver algomas sabidas para o Alto
Paran, cootinuel a navegar pelo mesmo arroio,
junto margem paraguaya, ierra Qrms, a vista
sempre de uro confio de montes qoe parte do Pas-
so da Patria, uro pouco distante, e as 11 horas e 30
nao tendo conseiencia da lugar em que me acba-
va. Feluroente s 5 horas entrei no alto Paran
mesmo em frente do Itaty, de onde conclu que o
acampamento a guarda desta nome. Aqui dei
fundo s 5 horas e 15 minutos do lado de ierra da
Menm.
O arroto tem bastante agua, mais de duas bragas,
s tendo dado daas pramadas seguidas em. bfaga
d agua, talvez por nao lar passado pelo canal, t
tem divetsas sahidas para o Alto Paran, por onde
nao qoiz seguir, oro o flm de correr a costa para
guaya.
Os offlciaes e pmcas portaram-se perfeitamente
bem.
E' o que me'>cumnre levar.'Bo eonhestmento de
V. S. abm de que dd scienci*/i aotoridade compe-
tente, se assim julgar preciso.
Dos guarde a V. S.Ill n Sr. Francisco Cordei-
ro Torres e Alvim, capito de mar e guerra, com-
mandante da terceira divisio da. esquadra.Jero-
nymo Francisco Gongalves, priaetro lente, com-
mandante. -. -
uommando em ebefe da torga naval do Brasil em
operagoes contra o governo do Paraguay.
Bordo do vapor hbil no rio Paraguay, 24 de de-
zembro de 1866.-IlJm. e Etm. Sr.-O bombardea-
mento que esta raanha dirigi o inimigo ao nosso
acampamento, seodujra do seu costume, nao so
pela bora, como peta intensidade delle dando la-
gar a recHiar-se um ataque s nossas forlidcageas
do Carui, merece ser mencionado, e por- ao conbecimentode V- Exc. que pelas 2 1/2 horas
da madrugada principiaran! os tiros do Inlffllgo,
sendo precedidos e seguidos intervalladameote -de
foguetas a congreve, expellides mesmo da beirida
do mato, os quaes foram immediatamente respon-
didos pelas raesmas forlifieagoas e navios da van-
guarda, os encouragados Brasil. Barroso e Taman-
dar, e a canhoneira Iguatemy.
Pelas 3 3/4 horas cessou o fogo inimigo, conti-
nuando o o-so por mais algum lempo.
Nasta birabardeamento despenden o Brasil
tiros de balas d;as; o Barroso II semelhantes
ros, e o Tamandar 2 de balas ocas de 70 e 6
6S ; e a Ijualemy 53 de balas has de 68, 17
balas de 32 e I de pyramida de 68.
No Barroso foi gravemente ferido na cabeg, pela
caixa de urna bomba, qj fornecimeoto da bateria,
o soldado do balalhao naval Jos Barroso dos Sao-
tos ; e no Tamandar abateu urna taboa do convez
dentro da casamata.
O receio de que to3sem atacadas as nossas forti-
fleagoes fez que se raandasse aceoder os fogos do-
outros navios e estivessem promptos para operat
nos pontos que Ibes forem indicados.
Daus guarde a V. Etc. IHra. e Exrn. Sr. coose
l&eiro Joaquim Jo.- K'oacio. commaodinte em ebe-
fe da esquadra brasilaira.-Elisiario Antuoi) dos
Sanio, chefe doestaJomaior.
Commando em chefe da torga naval do Brasil em
operagras contra o eoverno do Paraguay.
Bordo .10 vapor Isabel no rio Paraguay, 30 de
dezembro de 1866.
Illm. e Exm. Sr. Passo as mos de V. Exc. os
inclusos offbios dos commaniantes dos navios da
vanguarda, dando pane dos tiros dados hoatem je-
I03 mqsmos navios respondeodo ao bombardeamen-
lo feto pelos Paraguayes, o qual prracipiou s 2
horas e 48 minutos da tarde e terroraou as 3 e 3o.
O eucouragado Brn/ deu 12 tiros de balas cas
de 68, o Tamandar 14, o Bairoso 9, e 5 de 120, a
bombardeira Pedro Affonso U b rabas de 13 polle-
gadas, a Forte de Coimbra 10, e a canhoneira Igua-
temy M balas ocas de 68, 18 de 32 e 1 de pyrami
de. Urna bala i ai miga parti a verga do traquele
da canhoneira Ijualemy.
eus guarde a V. Exc. -Illm. e Etm. Sr. conse-
lheiro de guerra Joaquim Jos Ignacio, comman-
daote em chefe da esquadra.Eiisiario Antonio dos
Santos, chefe do eslado-maior.
Coramaudo em chefe da torga naval do Brasil
em operagoes contra o governo do Paragnay.
Bordo do vapor Isabel, em frenie ao Curuz*, 9 de
Janeiro de 1867.
Illm. e Etm. Sr. De accordo com S. Exc. o
Sr. marecbal de exercito marquez de Cixias, com-
mandante em ebefe de todas as torgas do imperio
em operagSes contra o Paraguay, tentei bontero,
com o roelbor resultado, e com pequea perda,
nm recooheciment em forca sebre a batera de
Curopaity, e um borobardearoento regalar pela la-
gi Pires sobre a parte do exercito inimigo qoe n-
ca em freole ao nosso primeiro corpo.
De ante mo tinha feito proceder a ro nudosos
exmes sobre a lago, trabalho de que foram in-
cumbidos os primeiros lenles Manoel Ricardo da
Cunba Couto, commandante do Iguass, e Fran-
cisco Jos de Freitas, commandante do Ypiranga,
que o d-'sempeobaram satisfactoriamente ; e veri-
ticando aue ali podiam entrar alguns dos mais pe
queoos vapores, preparei urna diviso coraposta da
Iguatemy, commandante o 1* lente Joio Amonio
Alves Nogaeira; Araguay, 1. tenante Jacintho
Fernandos Ploheiro; bombardeira Forte de Coim-
bra, 1* lente Joaquim Candido dos Res; orna
chata, l8 teneote Manoel Soare Pinto, e lancha a
vapor Joao das Botas, guarda marrana Miguel Ri-
beiro Lisboa, debalxo do commando geral do ca
pitio-tenente Mamede Simoes da Silva. coTiman-
dante do Mag, a quero del, come auxiliar, o 1*
lente Manoel Ricardo da Canba Couto, e por
ajudante o l." lenle Cirios Balthazar da Sil-
veira.
Urna outra diviso de encouragados, com pos la
do Babia, commandante o capito de fragata Joa
qairo Rodrigues da Costa : Tamandar, eapitio-
leoeqte Eiizurio Jos Barbosa : Barroso, interina
mente o l^ lente Manoel Ernesto de Soma Frao-
ga; Colomo, 1* tenente Bernardino Jos da Qoei-
ror., debaixo todos das ordens do capito de fraga
la Cosa, foi de-tinada ao Carupaity.
A's 4 horas da maohaa largou para o seu desti-
no a diviso Mamede, a qual foi tomar as, posigSjs
precedentemente estudadas com exaclido qae se
pode chamar mathematica.
Ao clarear do da suspenden a diviso Costa, e
sequo rio cima. Tinaa-me eu passado par o
Mag, com o meu estado-maior e seo respectivo
obsto, encarregaodo interinamente do commaodo
em
escarpa quatro amarras para cima do
ficando a3slm a avangada duas amarras
da que antas ecupava. O fogo, porm,
principalmente entre o 2 corpo e o inimigo, cooti
ouou coa mais ou menos torga at depois do
meio-dia.
Pelas 8 horas observou se no campo Paraguayo
urna grande explosao acompanhada de detoago
de bombas. Acredita o marechal \* Argjllo que
fra ella produzida por um tiro da suas batera?,
ouiros peosam qoe parida de urna das chatas.
Saja como fdr, deve ter produzido grandes estra-
gos entre o inimigo, \ae tambero soffrea um inceu-
dio ao meio-da.
O BiAia, Tamandar e Colombo tlveram as ava-
ras qae V. Exc. encontrara' descriptas as partes
juata's, e nem um so raerlo nem ferido. No 2
corpo de exercito, onda rebenlaram e cahiram
centenas de projecls, bouva apenas olto feriaos e
am morto.
Palo lado da laga Pires foi o ataque pila forma
seguate :
A estreiteza da entrada deu occasio a que as
canhoneiras e a bombardeira encalhassero. Sof-
rano, porm, sem difflculdade, e s 7 hras e 40
ihinntos ocenpavam suas posicSes escolhidas en
frente e de Hinco s bateras inimigas, as quaes
para logo conheceu-s8 crafusoe rooviraento de
retirada, chegando a prudencia ao ponto de eseon-
derem a artilbaria por detraz das trincheiras.
A's 8 horas e 35 rainuto? rornoea nosso fogo,
coadjuvaado pela batera P.trero do Io corpo
de exercito, e eontinuou cm toda a torga al per-
todas 11 horas, roas a bombardeira sustentoa-o
ainda at 1 hora e 30 minutos.
A agua di lagdscrescia rpidamente, nao po-
da, portanto, ccniinalr o bom'jardeio, e torga foi
sahlr para livrar os navios dafi Dcarem at nova
enrheote.
O meu chefe de eslado-maior desceu de Curn-
paily logo que i a diviso Cosa fuodear, e diri-
gio-se laga, onde vio qna tud) se passava om
regularidade. Partlcipa-inaelle qua as trincheiras
inimigas foram arrazadas em todas as partes em
que nossas bombas tocarara, do qae resultou des
cobrirem-se algunas easas, logo em seguida abati-
das ou incendiadas. Langamos 283 bambas, o ini-
migo nam um s tiro nos raandou ; nenbuma ava-
ria tivemos.
Taes foram os trabalhos dista da, qaa nio qua-
liBcarei de acgo brilhan'e, ou combat reunido,
mis que iaconiestavalmeota o de um feito im-
prtame, e d)s mais proveitiso que teui n)ssa
marraba praticalo ne;ta campanha. Miis orna
vez esta bella esquadra deu provas da seu deaodo,
e de sua inteligencia em frenie do iamigo
Permilta-me agora V. Esc. qaa recommende a
alta coosideragao do goverao imperial, palos DM8
servicos prestados neste dia, o capito de mar e
guerra Eliziario Antonio dos Santos, o capito de
fragata Joaquim Rodrigues da Costa, o capito-
tenente^ Mamede Simoas da Silva e Io ieaente Mi-
noel Ricardo da Cunba Coo'o.
Os commandantes dos navio; que entraram em
fogo sao offlciaes de reconbecido merecimento que
sustenlaram anda mais esta vrt seu bera Armado
crdito. Dos offlciaes c guarnigoas nada aceres-
ceniarel ao que dizem seus c&mminlanles.
Os primeiros tenantes Maooal Ernesto da Sraza
Franga, commandante interino do Barroso, e Be*
nardino Jos de Qoeiroz, commandante do Colom-
bo, qae receberam beja seu bapti^mo de sangue,
portaram se como se fosssro ja' vataraoos as lides
da guerra.
Congratulo me com V. Etc. pela gloria das ar-
mas do imperio, e com o mais profundo respeito
rogo a V. Etc. o favor de em man nome e no dos
meus commandados beijar as mos aogaslas de
S. M. o Imperador.
Daus guarde a V. ExcIllm. e Etm. Sr. conse-
lheiro Dr. Affonso Celso de Assis Flgueiredo, mi-
?i-tro e secretario de estado dos r .,. ..s da ma-
rinba. Joaquim Jos Ignacio, commandante em
chefe interino.
HINISTERIO DA (IKKR.i
REFORMA DE 0FFIC AL.
Na conformidade das disposias do 1> do art.
9* da le o. 648 de 18 de agosto da 1832, e por de-
creto de 17 do corrente, foi reformado o capito
do 20* baialno de iofantaria Joaquim de Santa-
Anua Xavier da Barros, visto soffrer molestia io-
cnravel que o torna incapaz de conilnoar no ser-
vieo.
HONRAS DE POSTOS MILITASES.
Attendendo aus relevantes servicos prestados na
guerra actual contra o Paraguay pelos individuos
abaixo mencionados, houva por bem S. M. o Ira
perador, por decretos de 12 e 17 do corrente, con-
ceder-Ibes as seguimos bonras nos postos militares
do exercito :
Ue lente.Ao lenle do 47 corpo de voln-
tanos da patria Francisco Xavier Cavalcanti de
Albuquerqne.
De altores.Ao alferes do ll corpo dito Maria-
no dos Res Spindola.
dem do 5* dito Matbias Carlos de Araajo Mi-
M.
DBMISSAO DO SERVIQO DO KXRCITO.
Por decreio de 17 do correte conceden-se ao
capellao teneote da repartigio ecclesiast|ca do
exercito padre Joo Cyrillo de Lima a demisso
qae pedio do sirv'fo d i me*rao exercito.
REFORMA DI PRAQAS DE PRBT.
Na cooformidade das disposigd s do 3* do pla-
no qoe baixoo com o decreto de II de dezembro
de 1815, foram reformadas cora o respectivo sold
por inteiro, por decretos de 12 e 17 do correte,
as pragas do: diffareotes eorpos do exercito abai-
xo mencionadas, visto aeha'ero-se impossibililadas
para o servgo do mesmo exercito, ero cooseqaeu
cia de ferimentos recebidos ero cmbala.
12* batalbo de infamarla.2* cadete 1* sargen
to Manoel Aotonio da Silva.
Batalho da eogenheiros.2' sargento Manoe!
Gong? ves do Cuto.
da
Aogusto Ciau-
Corapaohia de operarios ir Hitares. Soldado
Henrique Francisco de Mallo.
Foram reformados por decreto da 17 do correo-
te, vencendo sold dobrado de voluntario da pa
tria, na conformidade das disposlgSes da ultima
parte do an. 10 do decreto n. 3,371 da 7 de Janei-
ro, e artigo nico do de n. 3,505 de 4 de agosto,
ludo de 1863, as pragas dos diffarenles eorpos de
voluntarlos da patria e da guarda nacional aballo
mencionada-, visto acharem-se inutlisadas para o
servgo do exercito em consequencia de feri lien-
tos recebidos em combato.
2* corpo de voluntarios da patria.Soldado Joa-
quim Manoel Ferreira, dito Jos Francisco Vi-
eira.
5* corpo ditoCabo Geraldo Belera.
6* corpo dito. Soldado Joaquim Candido
Costa.
7 corpo dito.Soldado Antonio
dio.
IIo corpo dito.Soldado Bento Antonio Ferreira
Baptista.
15* corpo dito.Auspegada Januario Lino Alves
da Rocha.
17 corpo dito.2* sargento Luiz Masset.
19 corpo dito.Soldado Jos Aotonio do Nasci-
meoto.
2 eorpo dito.- 2* sargento .Joaqaim Jos de
Azevedo, cabo Jos Vicente de Miranla Netto.
21* corpo dito.Soldadc Francisco Ferreira do
Nascimento.
26* corpo dito.Soldado Joao Siraao Barbosa.
29* corpo dito.Soldado Antonio Jos Birbosa.
34* corpo dito.Furriel Antonio Guimares Bas-
tos.
38* eorpo dito.2* sargento Joo Valentim Ta-
vares.
46-corpo dito.-Cabo Valeotira Jos de Santa
Anna.
47* corpo dito. Auspogada Cypriano barbosa
dos Santos.
51* corpo dito.Soldado Joaquim Jos de Santa
Anoa.
i> corpo de cavallaria da gmrda nacional.2
sargento Joo Henrtqoe Rike. --
11 corpo de voluntarios da patria. 2 cadet-
1* sargento Joaquim Ramos da Silva Moreira, fi-
cando alterado o decreto de 14 de nivembro do
anno prximo passado, que o reformou na praga
de soldado do deposito provisorio de 1" lioha.
a i > s^
fiVER\0 IA PROViVIiA
Expediente do dia 12 de dezembro de (855.
N.459.Offl:io ao Etm. vgario capitular. Ten-
do-s-e ito proceder no dia 6 de Janeiro protimo vin-
douro na igreja matriz da freguazia de Santo An-
tonio, a eleigo de um deppiado proviunial pelo 2*
districto, afim de preencher-se a vaga deixada pelo
bacharel Jos Paulino da Cmara, rogo a V. Etc.
se sirva de providencar, jara que teuha lugar no
da da reuuio do cllegio a missa votiva do Divi
no E-piriio Santo.
N. 460 Dito ao Exm. presidente da Parabvba.
Recib com o offleio da V. Exc. de 6 do correte,
sob n. 55^6, dous exampiares da collecgo das leis
promulgadas pela assarabla dessa proviocia no
corrent? anno.
N. 461Dito ao Etjj. presidente do suprero
tribunal da jasliea.-Commaolco a V. Exc. que o
juiz de dirello da comarca de Goyanna, bacharel
Francisco Gongalves da Rocha, esteva por molestia
fora do exercicio de 15 a 25 de outubro ultimo.
N.462.Dito aogeneral comandante das armas
Sirva-se V. Etc. de mandar por em liberdade, o
guarda nacional do batalbo n. II de Iguarass,
Cosme Jos de Lima, visto ter isengio legal.
N. 463.Dito ao mesmo.Ao offlcio que V. E*c
me dirigi em II do corrente, respondo declaran-
do Ihe, qoe nesta dala offlcio ao capito do porto,
para mandar desembarcar e apresentar ao com-
mandaote do corpo de polica, am de ter o con-
veuienie deslino, o recruta Joo Cancio, qua se
acba a bordo do brigue barca Itimarac.
N. 464.Dito ao mesmo.Srvase V. Exc. de
mandar por a disposigo do Dr. chefe de noticia,
aflm de ser processado, o recruta Gabriel Matosos
Evangelista, qae foi apurado na freguezia dos Af-
togados.
N. 465.-Dito ao masmo.A V. Etc. fago apre-
sentar a n de ter o conveniente destino, nao s os
desertores do 4* bataloo de art'lhana a p Joo
Lopes Lima, que o seu v-nia leiro nome Joo
Pereira Borges do Nascimento e Jos Vicente dos
Anjos, os quaes foram presos pelo teneote recruta-
dor da cidao de Nazarttb, mas tarabem os recru-
las de oomes Antonio Francisco da Silva, Jo
Lui Das da Silva, Jos Gongalves dos Santos, La-
cas Evaogelista dos Santos e Luiz Dionisio da Cos-
a, apurados naquelle lermo.
N 466Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. da
mandar por em liberdade o guarda nacional do 10
Daialhao de Iguarass, Flix Jos de Mello, qae se
acba no deposito com o noma de Flix Jos Morei-
ra, vi-t'.i ser o arrimo de seo pai sexagenario.
N. 467.Dito ao mesmo.Manda V. Etc. por
em lib rdade o cabo de esquadra do 3* batalho
da guarda nacional do municipio do rtecife, Mioer-
vino da Mola Silveira, qne foi recrulado no termo
de Oiioda.
N. 468 Dito ao mesmoSrvase V. Etc. de
mandar iospecciouar noramanie o recruta Maooal
Fraaclsco Viaaaa, como pala no incluso reqaeri-
raeuio, que me era' devolvido coro o resoltado da
iospeego.
N. 469.-Dito ao masmo.Sirva-se V. Etc. de
aflm de s. r remeiMtta a quaotia de 46J666 res, pa-
ra pagameolo das dispezas (eitas nesta provincia
com o transporte e condecgo de presos.
N. 474. Dito ao mesmo.De conformidade com
a sua iotormago de hoolem, sob o. 808, resolv
abrir um crdito sob rainlia respoasabllidade nos
termos do dec'reto n. 2884 do 1 de fevereiro de
1862, na importa cia de 1:000*000 rs., para centi-
uuago do pagameato das dispezas relativas ao
exercicio em liquidago de 1865 a 1866, e qae tem
de correr pela rubricie..lag5's de arrecadagao,
ali n de que possa ser paga aos erapregados da re-
cchedoria de reodas iotarnas desla proviocia, a
porcentagera fue venceram oo mez de novembro
ultimo, e liveram de vencer em dezembro corrente,
correspondente aquello exercicio. O que declaro a
V. S. para seu coobecimento e fias convenientes.
N. 475Dito ao mesmo.Autorisando nesta da-
ta o Inspector do arsenal de marraba, a mandar
retirar do novo banco por intermedio do comman-
daote da compadhiade aprendizes artfices, a quan-
tla de 186*817 res, e respectivos juros perteocen-
tes ao aprendiz avulso Joo Flix Mirtios Meodon-
ga, e que esio compreheodidos no peculio deposi-
tado no referido banco; assim ocommanico a V. S.
para seu conheelmento
N. 476Dito ao mesmo.Intairado de quaoto
V. s. expoz em seo offlcio de 10 do corrente, sob
n. 807, relativamente ao pagamento que por offlcio
de 4 desta mez e sob minha responsabilidade, man-
dei fazer a' Aotonio Hennque de Miranda, ex pra-
ga do exercito, na importancia de 38*284 ris, e
proveniente de fardameoto qae se Ihe ficou a de-
ver do exercicio de 1865 a 1866 em liquidago, te-
nho a dizer em resposta, que ao mencionado Mi-
ranla, s deve ser paga a quantia a que justamen-
te liver direito, em Vista das provas que exhibir.
N. 477.Dito ao inspector da thasouraria pro-
vin aLAo negociante Francisco de Paula Min-
delio mande V. S. pagar, se nao houver Inconve-
ni-nte, os vencimenios relativos ao mez de novem-
bro ultimo, dos guardas naciooaes destacados na
cidade de Nazaretb, como se v do pret junto em
duplicata, qae para es>e flm, remetteu o comman-
dante superior d'aquella comarc com offl no de 6
do corrente, sob n. 279.
N. 478.Dito ao mesmo.Restlturado a V. S.
convenientemente reformado', e ebsftos com ofi-
cios dos respectivos subdelegados, os inrlusos prets
em duplcala, relativos aos veocimentos dos desta-
camentos de guardas nacionaes-exisientes as po-
voagoes de Correntes e Palmeiras, sendo os do 1.*
de taes destacamentos correspondentes a 2* quin
zena do mei de setembro ulnmo, e os do 2. a
contar do 11 a 30 do mesmo mez, recomroendo-
Ihe, que, se nao houver mais inconveniente, man-
de pagar a imponancia de taes vencimentos a
Claudino d Reg Lima Jnior, conforme solicitoo
o commaadaue superior da comarca de Garanhuns
em offlcio de 3 do corrente, sob n. 45
N. 479.Uiio ao vice consol de Haspanha.Re-
metiendo ao Sr. D. Juan Bassooe vice consol de S.
M. catholica, copia da informaguo ministrada-pelo
administrador do correio era 11 do corrente, res-
pondo ao offlcio de 6 desle mez, em que o mesmo
Sr. vce-consul etigiu esclarecimentos relativos a
importancia do porte, qae pagano os offlcios deri-
gidos a esse consolado.
Renov ao Sr. vice-coosul de Hespanha os meas
protestos de-esiima e distincta considerago.
N. 480.Dito ao iospector do arsenal de mari-
nha.-Deferindo o requenroento do artfices aval-
so, Joao Flix Martins Mendonga, sobre que versa
a sua inforraago n. 1,215 de 10 do rorrele, au-
torlso V. S. a mandar retirar do Novo Banco, afim
da ser entregue ao sapplicanle a quaolia de.....
186*867, e respectivos jaros prtencentes ao mes-
mo snpplicant-, e esto comprehendidos do pecu-
lio dos referidos aprendizes rec#loido ao dito
banco.
N.fcSI.Dito ao commandante do presidio de
Fernando.Declaro a V. S. para o fater constar
ao capellao desse presidio frei David da Nativlda-
de de Nossa Seohora, qoe em visia do regulamen-
to que baixou com o deertto n. 3,403 de II de fe-
vereiro do anno prximo passado, nao ser deferi-
do o requerimiento sonre que versa o oficio de V.
S. de 15 da outubro ultimo, sib n 467, e no qual
pede o abono de urna gratifi 'ago por achar-se en-
earregado da respectiva escola de priaaeiras letras.
N. 482.Dito ao commandaote superior de Olin-
da.Defenndo, de acord com a saa inforraago
de 7 do corrente, o reqaerimento do guarda do
II.* batalho sob seu coramandosuperior Cosme
Jor de Lima, recommendo a Y. Si a expedigo da
suas ordens, para qae sej elle dispensado do ser-
vgo da guerra para que fra designado, visto ser
o nico arrimo de sua familia, confiado que o
commandante d'aquelle batalbo o faga substituir
per oo tro.
N. 483 Dito ao commandaote superior de fla-
zareih. Allegando me o major commandante d>
secgo da reserva n. i sob s-ra commando supa
rior, ter transferido a sna residencia para o Pau
d'Albo, resolv por portara desta data, ero depr-
manlo ao seu requerimento conceder-Ib passa-
gera para o ultimo dasses municipios: o que de-
claro a V. S. para seu coohecimento, e afim de
qua ibe mande passar a competeole guia nos ter-
mos da lei.
N. 485.Dito ao capilo do porto Mande Vmc.
desembarcar e apresentar ao commaudanto do
corpo provisorio de polica, afim de ter o conve-
niente destino o recrutado Joao Cancio, que se
acha abordo do brigue barca ltamarac.
N. 483. -Dito ao commandaote do corpo provi-
sorio de p .cia.Pode Vmc. fazer eogajar para o
servgo do corpo sob sen commaodo, visto ler sido
jolgado para isso apto, o paisano Aotonio Francis-
co Ribeiro, apresentado era o sea cfflci n. 284
desta data.
N. 487.Dito ao teneote-corooel commandante
do batalbo n. 10 de Ignarass.Mando por em
liberdade o guarda nacional desse batalbo, desig-
nado para o servgo da gu-rra. F^llx Josj tjr<8i-
ra, a que aliude o seu offlcio da 27 de oovqjbro
n-timn, visto ter isengio legal; ass m o combaubi-
co a Vmc. aflm de que o faga substituir por outro.
N. 488.Dito a cmara municipal'do Recife.
Teado de reuoir se no dia 6 de Janeiro prximo
violoo.ro na igreja matriz da freguezia de Santo
Amonio, os eleitores das fnguezias do municipio
de Recife para a eleigo de u* de preencher
pelo Mleclmento do bacharel Jos
Paulino da Cmara, recommeodo a cmara muni-
cipal desta cMade, q o para esse Bm d as conve-
nientes providencias de conformidade com a dis-
posto no- arligos 58 72 da lei de 19 da^sT de
1845. "p
N. 489.Dito a cmara municipal de Olinda.
Fica approvada a arrematado dos mpostos de que
' Iratam os termos de contrato, que me remenea a
cmara municipal de Olinda com o sea offlcio de
mandar Bovamente inspeccionar o reernta Joaquim i"", ^ .'. / a e,815a, ae am
Jos, de Saoi'Aona Jnior, de qae trata o incluso ic,Jl pel^ V d'3tnct0 elettoral, aflm
reqoenmeaio que me sera' devolvido com o resal- vag
lado da iuspecgJo.
N. 470.Uito ao mesmo.Mande V. Etc. por
ero liberdade, visto que foram considerados incapa-
zes do servgo em mspacgiio de saude, segu 1o
consta dos termos aooexos aa sea offlcio o. 1358
de 11 do crreme, os recratis mencionados na re-
lago inclusa.
N. 471.Dito ao Dr. chefe de polica.Com a
inclusa copia da inforraago ministrada pelo iospec-
tor da tbesoararia provincial oo l do corrente, sob 7 do corrente, o qual ica assim rejpoodido.
n. 627, respondo ao offlcio de V- S., o. 1563 de 8 N. 490Dito a cmara municipal do Graoit\
de novembro altmo, sobre o fornecimrato de agua Remello por copia cmara municipal da villa
e luz para o qaartel do destacamento da Ipojuca. do Graoito para seu conhecimanto, o offlcio qne
i. 472.Dito ao inspector da thesouraria da fa- nasta dala dirijo ao jniz da paz mais votado da
zenda.Tendo, em vista de saa Inforraago datada freguezia de sea roaoicipio, declarando a organi-
de hootem, e sob n. 810, considerado abonadas as safio nnlla da janta de qaalifleagao da roesma fre-
faltas, que por doente segando consta do requer- gazia oo crreme anno.
manto, que incluso devolvo, dea o jaiz municipal N. 491.-Dito ao juiz de paz mais Trotado da Ire-
e de orpnos do lermo de fpojaca, bacharel Frao guezla do Et.Veriflcando-se da acta da jaula
cuco Brando Cavalcante de Albaqoerque, acontar de qoaliflcago da freguezia do Ex, rastillada no
de 10 a 15 de setembro ultimo ; assim o comraaoi- da 15 de abril do corrente anno, qae fanocionam
co para seu cenhaciment e devidos effailos. como merabros da mesma jaula os ciiados Snte-
N. 473.Dito ao mesmo.Transmuto a V. S a rio Rodrigues de Carvalho Filho, David de Souza
copia do aviso expedido pelo ministerio da justiga, Rege, Eizebio Gongalves Sohreira, Raymaado
em 30,de ontacro ultimo, e commaoicaodo ter se Ferreira da Cruz e Manoal Mandes de Figoeirrl:,
solicitado do da fazeoda a expedige de*ordens, os quaes nao foram qualiucades nc aune passado,


"^mMi\mm rttiBuiirai 'n i'/i twiiifiiiTrriinii-iw>w*i'"

BMataaaapa* "




f
vftlarlo de re> nnrO felra 3O de Janeiro de 1867.
como consta di respectiva i|**tflA?fc'*Mr**at'
na secretoria do goveroo, e nao pqdendo como ex-
pressamoot dentara o % i.* do aviso 506 de 8 de
mam Be 1861, e multas mitras decUSes donover-
no, 'faeer 'parte das juntas de-qualiflcagoea de me-
sas prc^rras, o cidadqque,, embra eleito, pao
se acbar alistado votante na oltlraa qualificagn,
declaro de confurmidide cora o.J 9 do aviso n. 380
de 25 de novembro de 1S64, Bttlla a oqranisacao
da predrta juota, e por conseguiute os seus traba-
mos, que nSo todera produzfr os devtdos efleitos.
O que commuoico a Veac para ara cooheciraeuto.
N. 49i.Dito ao eagt)heifo 'Oscal da estrada
de trro.En vista do qae reqaereume Antonio
Feitosa de Mello, furaaeedor d roaaeiras para
a corveta, que se est fabricando no
maana, recomtneado a Vmc, que eo
se com o saperlnieodeote da estrada de ferro.
:. .*a casa
Correapondencla do Jemal de
CeeieMPele
Repblica Paraguay. Aeaamnto em Thjoij,
7 de jMro 4e 1867.
No da Ia do corrate boove cortejo ao quartl
general dj 3r. roarqoez de Gaxlas; o aebra (ene-
ral, com urna aceotoaco de voz que revelava coa-
vitgo segura.declaroo -aos seuseoromandados cae
no raes de malo elle estara ao sanado, e a campa
nha concluida. Esta nova agradou gera mente,
arsenal de perqu ningaem na que -ao sieta apoderado 4e | |rga qual'rflceda ao i* distrcfo dacapHal, e dos
utendeodo- fadiga ecawaeo; mas urna noticia desta ordem, Goajara-Ass, Jaodiahy, Taiassahy, Carapar, B
IcIirerieo^lejbdilaMiMM,^ fcafc/.* 'a do
fe tmeWEcdes da liba do Cerrito, paviota Cor-
enda da corta. -|wm.?aer*ia de hospital a ceri
Foi declarado vago o offlewe'QTJrWie, fMa>attftrv"te offlciaes noisos.
f naos e ausentes do termo ili'tfaiMIa.aTi a" Mttanenle esta noticia, qoe tambera eorten em
TiWfi do Rio-Grande do Sul, (to^nf-aa*a*aei-v ^Bftft|,\!omo se ver da caria do aso corres
toarlo vitalicio francisco Teixeira de Almeida, por
se aeliar-esie foragiJo deae 4*69, preeemdo e
pronunciado par runa de MUlia da norte.
18
Por decreto de 2 doeorreota deu-se nova orga-
alsaco goarda nacional da capital da aravtacia
do Para, elevando-se a seis oaaaiero 4a eeeapa-
nbias do l'oatalho de Infantarla da guara* na-
enal da provincia do Par, qae ser composto da
de
Boa-
dada pelo mais pratico de nossos generaos, alegren vista e Itapicur; extiogoindo-se o batalbo o. 21
providencie no sentido de serem de preferencia a todos, e todos contara estarem de volta em maio ,da mesma guarda, sendo os respectivos offlciaes
transportados para esta capital as madeira?, que para o seto de mas familias
aquella fornecedor apresentar na estago de Agua A actlvidade, o telo o a dedicago pelo servigo
Preta para aqoelle m. publico coostitaem o programma da vida do illus-
N. 494.-Dito ao gerente da companhia Per- tre marquez.
namtmcana.-Em os lugares de estado de que E' assim que todos os dias pela Diabla monta a
dispde esta presidencia, mande Vmcs. dar passa- cavallo e vanea o campo, iad* observar especial-
gem para o porto da ilha de Fernando a Mara mente os nossos pontos avanzados,
de Jesns. mulher do sentenciado Ignacio Jos dos Outros dias inspecciona S. Exe. os deposites mi
addides ao 1 balalho; ficaodo tambera extracta a
companhia a valsa de Ilapicar, passando a sua for
ca a fa;er parte do 2 Batalbo de Infamarla, cojo
numero de companhias elevado a seis.
Por decreto de 15 do correle foi reformado, no
posto e com o sold de almlraut*. o vice- almirante
Guilherme Parker, visto contar 34 anoos e 8 me-
Saotos e a urna lha menor, cujas comedorias sao litares do Passo da Patria, nao desviando sua alteo-, es de servico, e assim o ha ver requerido.
pagas por ella. cao do transporte, onde achamse guardadas nossas
M. 496.Portara.O presidente da provincia, munigdes de guerra,
tendo em vista o que requeren, o arn-nutaote da s no-pitaes teem-lhe merecido os mais estrenuos
estrada de Bebenbe, Jos Augusto de Araujo, cuidados. E-tes estabelecimentos sao de das em
resolv- de conlormidade com a loorraagio do diu visitados por S. Esc; refiro-mo aos hospitaes
ehefe da repartico das obras publicas, datada de do campo.
10 do correte, e sob n. 490,prorogar por 3 raezes O fornecimento do exercTlo lem-se flto reg-
o prazo concedido ao mencionado arrematante lamiente, sendo a earneagio feta diariamente com
para concloso das obras do sea contracto, a con- assistencia de um facultativo, cnefe da repartigo
lar da tota era que se fiodar amelle prazo. | fiscal, o intendente, um judante de ordens do
N. 497.Dita.-6 presidente da provincia, at- quartel-geoeral em chefe, eos assistemes do depu-
tendendo ao que reqoerea o major coramaodante udo do qnartel-mestre general; ja v qne os inte-
da seceo n. 3 do municipio de Nazaretb, Joo An- resses da fazenda sao devidamente fiscalisados,
tcnio ta S Iva "Cabral, a tendo em vista que se' assim como que o ejercito recebe ao menos a rae-
acba elle modado 'para o de Pao d'Alho, resolve | ifeur alimentago que i possivel nascircurast*ncias
conceder-lbe passagem para este ultimo municipio,; em que aos achamos.
e ordena que nesse sentido se Ibe passe a eompe-i Os acampamentos estao bem llmpos, seodo vigia
tente guia. dos por um chafe que o-encarregad.o d mandar
N. 498.Dita. O presidente da provincia, de impar e conserva-Ios asseiados.
conlormidade com o disposto no art. 1.' do decreto Afora pequeas guerntlias que temos tido as
n. 1294 de 16 de dezembro de 1853, e no aviso, lionas, nada ba de mais noUvel.
da repartico da asllca de 27 de seterabro de $0 momento em que Ibe asertiva, ouco um forte
1865, resol ve nonear o cidadao Augusto Cesar da bombardearaento la para as bandas do Curupai-
Cunba, para exercer temporariamente o offlcio de ty; suppomos que a e.qudra estar* bombardean-
escrivo de appeliacoes aggravos do Iribuaal da I do o Inimige.
relaco em substiiuiQo ao servenluano vitalicio! Noticias do 2* corpo do exercito dae o Rponina
do relerido offlcio, Jo Pires Campellj de Almei- devorado pelas chammas. Este vapor era um nos-
da, qoe obteve licenQa para tfatar-se, visto que Bim volante ; nada, porm, anda se sabe a res-
pelo a voUado expediente nao podemos escrives' paito desta desgraea, sendo desconhecidos por mim
cempanheiros, segundo declarou o presidente do #5 pormenores.
me-ino tribunal, desampenbar os trabalbos do g Brasil tem sido infeliz nesta campanha com os
cartono daquelle serventuarlo, em offlcio de 11 doj seus naVios. sraente por este lado es prejuizos
crrente. I teem sido enormes.
N. 499.Dita.O presidente da povincia, ten- a acgodo governc mostra-se activa e enrgica
do em vista o que requereu o arrematante d> ul- Da remessa de contingentes para eogrossar as fliei-
timo lanco da "estrada de Pao d'Alho a Nazareih,
Jos Aogu>to de Araujo, e bem assim o que a este
respeiio infurmou o chefe da repartico das obras
publicas em cilicio de 7 do correte, sob n. 483,
resolve prorogar por 60 dias, a contar de 22 de
novemiKO ultimo, o prazo marcado ao sopplicante
para a concluso das obras do seu coutracto.
Expediente da secretario do gorerno do dia 12
dezeaibro de 1S66.
N. 500.Offlcio ao general commandante das
armas.Manda o Exm. Sr. coaselheiro presidente
da provincia, communicar a V. Exc, que por des-
pacho desta data autorisou-seo director do arsenal
de guerra a satislazer o pedido do commandante
do deposito dos pnsioneiros de guerra Paraguayos,
a que allude o seu offlcio n. 1368.
N. 501.Dito ao inspector da thesouraria de
fazeoda.O joiz municipal e de orphos do termo
do Cabo, Dr. Joo Gonzaga B^cellar participou em
25 de novembro prximo fiudo, que por ter cesa-
do o incommodo que ha 2 dias liara soffrido,
reassumio naquella data o exerccio do cargo de
juiz de direilo da comarca do mesmo nome: o que
a V. S. commnnico de ordem de S. Exc. o Sr. con
selbeiro presidente da provincia.
N. 502.Dito ao mesmo.-O Dr. Francisco Gon
calves da Rocha delxoo per molestia o ex-rcicio
do cargo de juiz de direitoda comarca de Goiaoua
em 15 de novembro ultimo, e o reassumio em 26
do mesmo mez: o que a V. S. commuoico de or
dem de S. Exc o Sr. conselheiro presideute da pro-
vincia.
N. 503. Dito ao mesmo. Participando
Dr. Joo Carlos Angosto Cavalcanle Vellez, que
por ter sido reconduzdo por decreto de 24 de ou
tobro ultimo, assumira o exercicio do cargo de
joiz municipal e de orphos do termo de Igaarass
no l.'do correte : assim o commuoico a V. S. de
ordem de S. Exc. o Sr. coaselneiro presidente da
provincia.
N. 5-4.Dito ao mesmo O juiz municipal do
termo o limito Dr. Aot nio Columbano Seraphico
de Assls Carvalho, assumb cm 10 de novembro
ultimo o exercicio do cargo de joiz de direito da
comarca do mesmo nome : o que a V. S. commu
nico de ordem de S. Exc. o Sr. conselbeiro presi
dente da provincia.
N. 505.Dito ao mesmo.Participando Pedro
Alves d'Oliveira Castro, qoe na qualidade de sup-
plente em 20 de outubro ultimo, assumira o exer-
cicio do cargo de juiz municipal e de orphos do
termo do Et : assim o commuoico a V. Sde or-
dem de S. Exc. o Sr. conselbeiro presidente da
provincia.
N. 506.Dito ao mesmo. Participando Autooio
Raymuodo Bngido dos Santos, queseado nomedo
pelo respectivo joiz de direito, entrara no exerci-
cio de cargo de promotor publico interino da co-
marca da Boa-Vista no da 12 de novembro prxi-
mo Godo : assim o commuoico a 'V. S. de ordem
de S. Exc. o Sr. conselbeiro presidente da pro-
vincia.
N. 507.Dito o mesmo.O Dr. Antonio Co
lombano Seraphico de Assis Carvalho, juiz-uiunl
clpal o de orphos, do termo do Bonito, e interino
de direito d* comarca do mesmo nome. eutrou o
1* do correle no gozo da licenca, de 30 das que
obteve : o que a V. S. communlco de ordem de
S. Exc. n Sr. cooselheiro presidente da provincia.
N. 508.Dito ao mesmo.Participando o Dr.
Joao Frauklin de Aleesr Lfma, que por ter sido
removido para a comarca do Brejo, denou em 12
de nevembro uliimo o exercicio do cargo de pro-
motor publico da comarca da Boa-vhta: assim o
commuoico a V. S. de ordem de S. Exc. o Sr. con-
selbeiro presidente da provincia.
N. 509.Dito ao mesmo.Participando o joiz
de direito da comarca de Flores em 26 de novem-
Lro prximo Ando, ter em 17 do mesmo mez no-
meauo o cidado Jos Aureliano de S uta, para
exercer Interinamente all o cargo de promotor pu-
blico : assim o commuuico a V. S. de erdera de S.
Exc. o Sr. conselbeiro presidenla da provincia.
N. 510.Dito ao mesmo.-Partidpando o Dr.
Henrique Pereira de Lacena, que em"26 de ou
tubro ultimo deixon o exercicio do cargo de juiz
de direito interino da comarca de Goyanna, e re-
assomio o de juiz municipal e de orphos do termo
do mesmo nome: assim o commuoico a V. S. de
ordem de S. Exc. o Sr. conselbeiro presidente da
proviocla.
N. 311.- Dito a!o cnmraaodaiite sopertor do Re-
eife.-De ordem' de S.'Bkc. o Sr, cone'heiro presi-
dente da provincia, cottmoaico a V. S. que nesta
data se raandou por eoj liberdade, como V. S. fo-
lteitou em sea offleioa. 410 de II do crreme, o
cabo do 3* batalhao de infamara da guarda nacio-
nal, sob seu commando superior, Mlnerviooda
Molla Siiveira.
N. 512.Dito ao edmajodante soperior de Na-
xareth.O &xm.flS. conselbeiro presidente da pro-
viocla manda declarar a"V. S. em regosta ao sen
offlcio de 6 do crreme, sob n.'479, qae nesta data
auloris u-se a tbesooraria provrncial a pagar a
Francisco de Paula Mindello os veocimentos cons-
tantes do pret, qne em doplicta veio noexo ao
eiudo i fuere.
N, 513.Dito ao cotmaaodante superior ule Ga-
ranhuns.O Exm. Sr. conselheiro presidente da
provincia Qcando Inteirado do cooteudo do offlcio,
que V. S. Ine'dirigio ero i do eorreote, sob a. 65*
manda declarar em resposta que aeaaa de autorisar
a thesouraria provincial a pagar a Gau-iiuo do Be-
ras do nosso exercicito
INTERIOR
RIO DE v\i:ino
17 de Janeiro de 1S67.
Por decretos de 16 do correte :
Foi concedida ao 1. batalbo de infantaria de
lir.ha, pelos brilhaotes rvicos que tem prestado
na guerra contra o Paraguay, a insignia de caval-
leiro da ordem imperial do Cruzeiro, que trar e
conservara na baste de sua bandeira, emquanto
exist- em suas fileiras alguos dos offlciaes ou pra-
r,i- qoe tomaram parte era seu- feitos de armas.
Foram condecorados, pelos relevantes servicos
que na. provincia do Rio de Janeiro prestaran* a
bem da integndade do imperio e hoora nacional, o
ceramandante supe ior da guarda nacin! Joo
Alvares de Azevedo Macedo, com a commeiuia da
Rosa; e os tenentts coronis Joaquim Maritnno
lvares de Castro e Ignacio Billhaiar de Abreu
Cardoso Sodr, com o ifflcialato da me:-ma ordem.
Foi nomeado cavalleiro da ordem de S. Bento I
de Aviz e capito do corpo de eogenheiros Antonio
da Costa Barros Belleza.
Fot nomeado cavalleiro da ordem de Ghrislo,
pelos relevantes servidos que prestou em relaco
guerra actual contra o Paraguay, o major grada
do do corpo de avallara da guarda nacional da
corte Joo de Souza Ribelro.
Teve meri das honras de grandeza o baro de
Loreoa, pelo relevante servido que prestou, liber-
tan o seis escravos, que offereceu para assenia-
rera praga no exercilo.
Foi nomeado cavalleiro da ordem da Rosa Anto-
nio Jo servigo que prestou libertando um escravo que of-
fereceu para assentar praca no exercito.
Foi condecora jo com a commeoda da Rosa Jos
Luiz Alves, pelos relevantes servaos yue prestou
em rdaco a guerra contra o Paraguay, nao s fa-
zendo dooativos pocuniarirs, como larobera promo-
vendo urna subscripto cora destino ao estabeleci-
ment do asylo dos mvalidos da patria.
io podendo vonficar-se na pessoa do teneote-
coronel Thorcaz'Rodrigues Ferreira a merc de
cavalleiro da ordem de Christo, por j ter essa
merca, e sendo tarabem offlcial da ordem da Rosa,
foi nomeado commendador desta ordem.
Foram approvados os estatutos que a sociedad
denominada Caixa de Soccorros de D. Pedro V
apreseolou em substuuigo dos que j haviam si-
do approvados pelo decreto n. 3,165 de 21 de ou-
tubro de 1863.
1 Foi concedida a pensSo de 40,5000 mensaes a
D. Maria Maihilde Franciscoui de Azevedo, viuva
do major do 8. batalhao de infantaria do exercito
Joaquim Luiz de Azevedo, morto etn Combate, sem
prejaizo do meio sold qoe por lei Ihe competir,
dependando essa merc de approvago da assem-
bla geral legislativa.
Foram apresentados:
O conego da cathedfal da dicesi do Maranbo
Antonio Mauricio da Costa Leite na dignidade de
arcipreste, que se acba vaga na referida cathe-
dral;
O padre Januario Daniel Gomes de Castro em
ura canonicato, qoe se aeha vago na catt.edral da
diocese do Maranhao;
O conego de'mea pretenda da cathedral da dio
eese de Pernambuco Antonio Jos de S oza Gomes
era um canonicato de prebenda inteira, que se
aeha vago na mesma cathedral.
O padre Angosto Adolpho Soares Kursewetter
na cu!-ir i de conego de meia prebenda, qoe se
acba vaga na caihedral da diocese de Pernambuco.
n>r,-a ii W
Por decreto de ldo correte concedeu-se a Jo-
Por ontro da mesma data, foram transferidos da
1 para a 2* classe do respectivo quadro os 1" te-
neotes Ricardo Greeohalgh e Maooel Joaquim da
Cosa Jnior, por estarem comprcbendidos na dis-
posico do art. 7 da le o. 1,204 de 13 de maio de
1864.
Na confurmidade das disposigoe.s do $ 1* do art.
9 da le o. 648 de 18 de agosto ae 1852, e por de-
creto de 16 do correle, foi reformado o capito do
18" batalbo de lafaotaria Antonio Alexandrino
Keweira da Silva, visto soffrer molestia iocoravel
que o torna incapaz de cootinuar no*servigo.
S. A. o Sr. conde d'Eu, acorapanhado do Sr. vis-
conde de Lages, visitn hoatera o estabelecimeato
de ferrarla e fuodigao di Sr. Miguel Como dos San-
tos, onde demorouse dus horas, examinandos
das as o'fficinas, e assi-lindo a moldar e fundir dif-
ferentes pgas de ferro.
Sua Alteza visitou tambera os estabelecimenlo
de fumligao da Vluva Hargreaves & C., examinan
do com minuciosa atteoco as balas de diversos
systemas que all se fizerara e esto fazendo por
encommenda do-arsenal de guerra.
- 20
Por decretos de 16, 17 e 19 do corrente :
Foi reconduzdo o bacnarel Raymundo Ribeiro
Soares no lugar de juiz municipal e de orphos
dos termos reunidos de S. Goncalo e Geromenba,
ua provincia do Piauhy.
Foram nomeados:
O promotor publico bacbarel Thoraaz Garcez Pa-
ranhos Montenegro juiz de direilo da comarca de
S. Francisco, de 1* entrela, na provincia da
Baha.
O lenente-coronel Joaquim Egydio de Souza Ara-
nha coronel commandanle-superior da guarda na-
cional dos municipios de Campias e aonexos, da
provincia de S. Paulo.
Foi aceita a desistencia qne Jos Joaquim de Al-
meida faz da serventa vitalicia dos offlcios de la-
belli.lo do publico, judicial e netas, e escrivao de
orphos dos torraos de Beneveote e Guaraparv, na
provincia do Espirito Santo.
Por aviso de 16 de Janeiro de 1867 agradecen o
goveroo imperi! ao Dr. Mreos Antelo Monteiro
de Barros a offdrla que Hiera de dous libertos de
ndmes Baroardino e Francisco para o servir.) da
armada.
Por aviso da mesma data mandn o msmo go-
veroo agradecer ao negociante da praga de Santos,
Manoel J laquim Ferreira Netlo, a cierta qu fue-
ra de i00 como gratiflcago a cada um dos 20 ou
mais individuo que a capitana do porto engajar
para o servigo da armada.
Por aviso do 18 agradecen o governo imperial a
offerta que Bzera Jos da Rocha Parauhos do par-
do liberto Ambrosio para o servigo da armada.
oceodio dovapor Eponina,
. aotlote '
de hospital a cerca d30tl decntes,
pois
s Bernardo Teixeira permisso por 30 aaoes para
lavar minas -de caro, soda, chumbo e rmtros noi-
neraes na comarca do Ip, da pruvlocia do Cezr.
-------' niii i a
Os Srs. Francisco Telles Cosme dos Res, Jos
Hamos da Silva e Aalonlo dos Santos Mooteiro
Costa, offereceram cada um um liberto pRra as-
sentar praga no exercito, para servirem ncara
panba actual.
18-
S. M. o imperador, acompanhado dos seos se
manarlos e das pessoas do costume, visitn non
tem as < (Boinas do arsenal de marinba, o labora-
torio pyroiechnico. a serrana a vapor e as canho-
neiras rm coostruceo na ilha das Cobras, e em-
barcando depois na galeota a vapor dirigise
fortaleza de Villegaignon, onde-asslstio a exerci-
cos de infantaria.
Soa Magestade- deserobarcou as 4 boras da tar-
de no arsenal de guerra.
Por decreto-de 13 do correte
Concedeu-se ao bacbarel Americo Loto.Leite
Perora a deroissao- que pedio do lugar de juiz mu-
nicipal e de orphos do -termo do Rio-Pardo, da
proviocia de Mioas-Genaae...
Furam recoaduaMos:
O bacbarel Joo Capistrano Ribeiro do Al< kmira,
no Uigar de juiz innnicipal ede rtihos'd lermo
da Christiaa, na, provincia de Minas-Gentes.
.0 bacbarel Jos do.Patroomio Pereira e Sllv,
no Iqgar de juiz municipal e de orphos do lermo
da Ba-Vista,.na .provincia de Pernambuco.
Foram oomeados :
O bacbarel Jo.- Francisco de A'auju Liaia, juiz
municpal_ e de opbos dos termos reunidoide
go Lima Junlcr, imparlancla do* veacimentos, Ubidos e Faro, na provincia do Para,
consuntos, dos prets queem duplcala aootupnha-| O coronel Miguel Archaojo dos Santos, cora-
ran) ao citado offlcio. j mandante superior da guarda nacional des moni-
N. 814.Dito ao Dr. Juao Carlos Aoflosto C*va.- ,iplos de Poxim e Palmeira, da.provincia das Ali-
cante VellexS. Exc. o Sr. eooseiheiro pesidemegas.
da provincia, manda
aecusar recebido o offlcio m
que V. S. participoa ter asiumido no 1" do corren-
te o exercicio do cargo de juiz municipal e de or-
phos do termo d> lguaras>u, no qaal foi receodu
do por decreto de 24 de outubro ultimo.
u capito Antonio Correa Lima, major comman-
dante da sicgo oa baUlbo 4o servigo activo n. 1
da guarda oa.ctonal da mesma provincia.
O capito Clememioo Jo^ Pereira Gniauref
: major commaodaota da secgo de batalhD de ar-
N. 515.Dito ao commaodinle provisorio de po-, lilbarla n. 1 da guarda nicional da provincia do
lieia.De ordem de S. Esc. o Sr. couselheiro pre- AaJazonas.
siente da provincia, develvo a V. S. o prccePso. a O capito Joo Coelho de Miranda Leo, teen-
qae foram submelidos o sargento Beojamio de Li- te-coronel comioaadaote do 1.a batalhao de iofau-
ma Pimeniel e os Mdalos Jos Tavares de Souza, tana da guarda nacional da mesma provincia.
a Damio Vieira da Silva, afim de cuoiprir se a O major reformado Joo Maroellino Teixeira! rni
seotenga nelle proerila pelo eonselho de jolga- Pao Jkasil, major comraodante da seccao de ba- A'ultima hora chegou a Baenos-Ayres orna -
menlo. lalho da reserva D. 1 da dita proviocia. ticia, que as folbas dizem ira zida pelo transporte
Falleceu ante-hontem, era Petropolis, em conse-
queccia de prulmgada enlermidade. o Sr. conse-
ineiro Angelo Moniz da Silva Ferraz, baro de ru-
guayana.
O Sr. conselbeiro Ferraz nascea na villa de Va-
lenga da provincia da Bahia, encelou a carreira
poltica aos 22 annes de idade, como promotor pu-
blico da capital daquella provincia, pela qbal foi
eleito deputado assembla provincial. Foi depois
juiz de direilo da comtrca de Jacobina e deputado
assembla geral. Occupou os cargos de Inspector
da alfanlega da corte, presidente da provincia do
Rio Grande do sul e procurador fiscal do ihesouro.
Foi presidente do cooselho do gabinete de 10 de
agosto de 1839, fez parte como ministro da guerra
dos gabinetes de 12 de maio de 1865 e do actual.
Acompanhou S. M. o Imperador provincia do Rio
Grande do Sul quando achava-se esta invadida
pelos Paraguayos.
Sr. barSo de Uruguayana conta 54 annes ; era
senador do imperio pela provincia da Babia, con-
selhro de estado effectivo, veador de S. arfa Im-
peratriz, commendador da ordem de Christo, dig-
nilano da da Rosa e gra-cruz da de Christo de
Portugal.
U paiz perdeu no conselbeiro Ferraz nm dos seus
estadistas mais inteligentes, Ilustrados e activos.
O corpo do fallecido baro de Uruguayana velo
hontem de Petropolis na galeota imperial e adia-
se depositado na casa de sua residencia, na praia
de Botafogo, d'onde ser condnzido hoje, s 9 ho-
ras da manba, ao cemite.no de S. Francisco Xa-
vier.
- 21 -
Eolfou hontem do Rio da Prata o paquete fran-
cez Carmel com folhas de Buenos-Ayres at 13, e
Montevideo al 15 do correle.
As folhas que temos vista acensara datas de
Tuyuty al 9, e nenhum acooteciraento refernm.
Entretanto, por cartas particulares, sabemos que
uo da 8 do crreme a esquadra emprehendeu um
recinhecimento do forte de Corupaity, acompanha-
do de um bombardeamento regular t-eia lagoa Pi-
res sobra a parle de exordio inimigo quo faz fren-
te ao nosso primeiro corpo.
Urna diviso corapostadascanbooeiras Iqualemy
e Araguay, bombardeira Forte de Cotmbra, urna
chata e a laocha do vapor Joao das Botas peoetroo
na lagna, sob o commando do capito-lenente Ma-
mede SimSes da Silva. Ao mesmo lempo uutra di-
visan composta dos encouragados Baha, Taman-
dar, Barres e Colombo, s ordens do capno de
fragata Cosa, sabio o rio, at defronte de Coru-
paity, postando se o Sr. ebefe de esquadra Joaquim
Jos Ignacio com o seu estado-maior a bordo do
May, tres amarras cima do Brasil, chefe da avau-
gada.
A's 5 hars da manha a diviso Costa rompen
fogo, fazendo os Garibaldinos, qae 7leram pelo la-
do do Chaco, repelidas descargas sobre as trinchel-
ras ioimigas, emquanto do nosso 2 corpo de exer-
cito parta um chuveiro de balas e granadas Se-
cundavara este fogo a bombardeira Pedro Affonso
e doas chatas.
Peras 8 horasonvio e no campo ininrfgo orna
delooago forte'como de exploso de multas bom-
bas. Romperam nesta oceasio fogo os navios qne
nnlum entrado oa tagoa,e eoatiauaTanr-O'at de-
pois do meio dia, seodo-lbea^eniao forgoso retirar,
por naver baixado muito a agua.
As inncheiras ioimigas ticaram arrasadas em
mnilos pontos, descebriodo se airaz deltas algumas
casas, que logo foram abatidas e incendiadas.
Foi sem duvida urna aceao bnlhaote da nossa
armada, qne pode ioscrever nos seos aouaes mais
este feito glorioso. O bravo chefe de esquadra.iaau-
gurou assim auapioiosameale oeu oamraaado.
As perdas do inimigo devera ter sido grandes.
Pela nossi parle uvemosalgumas averias- nos eo-
oonragados Babia, Tamaniar e Colombo, mas oem
nm so mono, e no 2* corpo do exereit* contam-se
apenas oilo fehdos e um,morio, apezar do sem nu-
mero de projectis qoe sobre ellos cahiram.
Eolre os alitados bavia grande aotividade de
pr*i*arativos, e Tribuna da Montevideo julpa poder
affirmar que por todo o mez de Janeiro eo'megarao
as operages decisivas, tomaodo-se a of.;nslva con-
tra os Paraguayos com 50,000 homens palo menos.
Calcula esta fuiha que esia actualmente em Tuy-
uty 34,375 Brasileiros, pertencendo 23,375 *> i,
e 12,000-ao.2 Akirpo da exercito, 11,500 Arg-nti-
nos e 510 Orientaos, -fazendo um total de 46,373
pracas, e ouasi diariamente ebegavam reforgos
brasileiros e alguns argentinos, entre os quaes 200
Belgas alistados ua Europa. Pacificadas as provin-
cias argentinas de Mendoza e S. mensde-llnha alli empregados inam retorgar ira-
mediatamenie. e exercito de operagoes contra o Pa-
raguay. A Nacin Argentina diz que na grande
parada que oo-.diadn Auno Bom houve em Tuyuty
formaran 14,000 Argentinos, alguma exagerago.
O Sj/o-tambem de opioio que oi tardarla
as operaco-8 decisivas, invocando como prova a
ord'im do (arada, que diz terse dado ao cammer-
clo da vanguarda e aos navios mercantes de Cu-
pondeule, nenhuns visos tem de. verdade,
aaaaaavaverno receben luuiaaaaltigdes da
ata-^6 II do correte, e aellaa aada ran a se
aelhaoee respelto. Nem mesa o lne se des
prendae da esquadra.
O vaaor Julia anda va tratrspertando de Cnrrien-
le aera Iiapir os feridos de Cerupaity, que ti-
ahanilMo alia no hospital e iam encorporarse ao
exercito. Ja tioba feito tres viaaens.
Recaaamos ^s segu nas araaa do dia do caaa-
manaaate das forgas bruflelras:
COMMANiO BU CHKFE DS TODAS AS V0RQAS MMitU-
las aa opERAigocs coam* o aovaaaa i a*
RAOAT,
Quarielgeneral em Tuffvty, 26 de dezembro 4t
1866.
Ordm do da n. 18.
Manda o Exra. Sr. marechal do exercito mar-
quez de Caxias, commandante em chefe, publicar,
para conbecimeato d*s torgas sob seu commando,
as seguales disposigdes :
Nomeacdet.
Foram nomeados netta data :
Para a ioteadeoeia. Amanuenses : o aleres
era commissa i Joaquim Fellclsslmo do Reg Bar-
ros, jo s>rgento Pauloo Goncalves de Oliveira
Freiue?
Para a reprtigao flscl :Vedor : o terceiro
cfflcial da pagadoria Joaquim Rodrigues da Cnoha.
Amanuenses : os altores em coramisso Antonio
Carlos Burlamique, Umbelioo Cesar Rosado e Ca-
simiro Ferreira Chaves e o sargento Joao Rodri-
gues de Araujo e Sirva
Para a pagadoria militar : Terceiros offlciaes,
o amanuense da mesma Francisco de Burja de Al-
meida Corte Real, o amanuense da intendencia
Pedro Carlos da Silva, e o tenente,da guarda-na-
cional Angelo Gomes Ferreira Soares.
Amanuenses : os alteres em commi-so Valen-
ta Ramn Miaon, Frauklin Fraoclsco Brrelo,
Marcolino Sudario do Araaral, Candido Carvalho
de Souza Jooior e Hygino Rodrigues Chaves; os
feriores Manoel Augusto Re, Oliverio de Carva-
lho Prates e Augu-to Eugenio Wildt.
Os Srs. : teoente-coronel de artilharia Garlos
Felippe da Silva Mumz a Ab-eu. director do bos-
uital militar do Cerrito, para flear tambem efcar-
regado dos depsitos de artigos bellicos existentes
na mesma liba, (cando a sna disposicao para coad-
juva lo oeste strvigo o alteres Jos Joaquim do Pa-
trocinio.
Alferes do 16 batarbSo d* infamarla Jos Vicen-
te Luiz da Silva, para servir como addido ao Io da
mesma arma; nesta oata.
Dispensas do servigo do exercito.
Aos Srs.. major do 41* corpo de voluotarios Jos
Antonio Marrano de Qaeiroz, por nao serem neces-
sarios es sens ervtgos; nssta dala.
Capito do 5* corpa .provisorio de cava'tari i Jos
Propicio da Fooionra por ter sido julgado incapaz
do servigo; em 25 do coTrenie.
Capito do 12 corpo provisorio de cavallaria Jos
da Sonza Silva e Aqorno, palo raesmo motivo, e
baver pedido; na mesma data.
Capno do 32* corpo de voluntarios Jos Gomes
Ribeiro, por ter sido julgado incapaz do servigo ;
oa mesma dala.
Capito do 38* corpo de voluntarios Antonio da
Costa Serra, pelo mesmo motivo ; na mesma data.
Aif-res do 5* corpo de voluntarios Francisco da
Costa Leite, p*lo mesmo motivo; na mesma dala.
O coronel Joo de Souza da Fonceca Costa.
Cnefe do estado maior.
utJotrdsfa'dtornllila omesmoExm. Sr.:
Qae os offlciae* qne estuerem doeotos por mais
dediasdevem ser, como taes, considerados nos
mappas, a o neos ames reraettidos mradiala-
mente a esle tommao enl cbeTe, dar 'serete fai-
tes a coB>peienie comnaica|5e a'pagadoria.
Que os recibos dos offlciaes que nao perlencera
a cornos arreganwaeados everao ser rarteados
P u Cereas ** estiverem servlndo.
manda, QnaUeoto.o mesaw.fcxm.Sr., eablicar
as seguales coucurranetas:
1866.
Ordtm do dia n. 19.
Determina o Exm. Sr. marechal do exercito,
marquez de Caxias, commandante em chefe; que
o 43" corpo de votetarios de ligado da 7* brigada,
e reunido ao 43a tambem de voluntario?, forme a
9*, que sera' commandada pelo Sr. coronel Antonio
Joaquim Alvares Pinto de Almeida, Bcando perten-
cendo a 4" diviso, e destacada no Passo da Patria,
devendo, em quaoto estivernesse servigo, 6car su-
jeita ao commando do Exm. Sr. brigadeiro Jos
Luiz Menna Barreto, commandante da diviso do
cavallaria. ,
Lieencas concedidas.
Aos Srs.: capito de em;euheiros Francico Xa-
vier Lops de Araujo, 3 mez'es com venciment03
geraes, para tratar de saa saude no Brasil.
Por aviso do ministerio da euerra de 6 do cor-
rente, foi prorogado por mais 60 dias a llceoga cora
qae se aeha na.provincia no Rio Grande do Sul o
Sr. major em commisso Eugenio Luiz Franco.
Dispensa do servico do exercito
Acs Srs.: padre Aotooio Eustaquio Alves da Sil-
va, por baver pedido, e nao pertencer ao quadro do
exercito.
Alteres do exlincto 24* corpo de voluntarios Jus-
tino Pereira de Brilo, por ter sido julgado incapaz
do servigo.
Dtsposicaa revogada.
O Sr. capito de voluntarios Jos Antonio da
Costa Filbo, que com o come de Jos Antonio de
Castro Fllho, foi dispensado do servigo pela ordem
do dia n. 13, continua no mesmo servigo em que
se achava no deposito provisorio da Corrientes.
O coronel Joo de Souza da Fonseca Costa.
Chefe do estado maior.
-----acin. *
Dos Srs.: faiwnte-cr^nel de cavallaria Aavjsti-
nho Mana Piqnet, para depotado do ajudaate-ge-
neral, junto a asie commando em chele.
! lenle o arpo de eageoheires LuJ Fran-
cisco Monteiro le Barros, para servir na coamis-J
sao de eogeobeiros do 2 corpo de exercito.
Alteres Amonio Henriques d Fonseca Janior
para ser ernprigado aatwtiela do acarapemento. '
Dispensas do servico do exercito.
Aos Srs: capito do 9* corpo previsorio de ca-
vallaria da suarda nacional Joo Xavier de Azam-
buja Jnior, como requeren, por ter sido julgadO
Incapaz do servigo.
Capito do 15 corpo provisorio de cavallaria
Lniz Jos Ferreira Continuo e lente do 36* corpo
de voluntarios Joo Barduino de Almeida, por le-
rem sido julgaoos incapazes do servigo.
Teneote do 34a corpo de voluntarlos Joao Pablo
Lins Lustoza ; aviso do ministerio da guerra de 5
de dezembro do auno prximo lindo.
O coronel Joo de Souza da Fonseca Costa.
Cnefe do estado matar.
QUAHTEL-GENBRAL BU TUrUTY, 4 DS JANEIRO DE 1867.
Ordem do dia n. 22.
Determina S. Exc. o Sr. marquez, mareenal e
commandante em cnefe, que nos das 1 e 15 de ca-
da mez os seahures commaudantes de compatfhias
procedam, na frente de suas espeetivas cumpa-
nbias, a leitura dos arls. de guerra, promulgados
era 1763, que foram novamente impressos, e ora
sao distribuidos.
Outrosim, ordena S. Exc. qae seja dispensado do
servigo de chefe. da repartigo fiscal e dt coromis-
sS. de coronel o Sr. Pduardo Carlos Cabra I Des-
champs que, quanto ames, devera' se retirar para
o Brasil.
O coronel Joao de Souza da Fonceca Costa,
Chefe no estado-maior.
QUABTEL GENERAL EM TUrUTY, 6 DE JANEIRO DE
1867.
Ordem do dia n. 23.
S. Exc. o marquez, marechal e commandante era
chefe, tendo encoutrado boje um soldado do 30*
corpo de voluntarios da patria de sentmella na
vanguarda, descaigo e com o fardamento roto, no
mesmo lugar era que ja' encontrou outro desse ba-
talhao em estado semelhante, a despello das recom-
raeuflagees e ordens qno lera dado sobre esse ramo
da servigo, o que prova pouco zelo da parte do
respectivo commandante, ordena que seja preso o
Sr. lenente-coronel Apolonio Peres Campello Jacome
da Gama, commandante do referido corpo.
O coronel Joo de S> uia da Fonceca Costa,
Cheto do esiado-malor.
CUARTEL-GENERAL EM TTUTY, 9 DE JANEIRO DE
1867.
Ordem do dia tu 2o.
Tendo S.Exc. o Sr. marquez, marechal e com-
mandante em chele, passado revista hontem, s 6
horas da larde, a 1" brigada de infantarla, com-
maBdada pelo Sr. coronel D. Jis Ballbarar da Sil-
veira, composta do 8 e 16 batalhes de infantaria,
este commaodado pelo Sr. major Amonio Traurcio
Ferreira de Sonta, e aquello palo Sr. teoente-coro-
nel Hermes Ernesto da Fonceca, e do 40* corpo de
voluntarios da patria, commandado pelo Sr. teoen-
te-coronel Francisco Vieira de Faria Rocha, noton
que, nao s as manobras deixaram de ter a boa
publican, sem one se abone porceotagam aos e-
Taregadosdo-jQrro.Tnma ji odeWaroVo avise da
18 de. Janeiro te dfltlf totltefcseNftlMtregoe sera
habilUag, (.ffldo. oa-depravad, nuaao caso eoa-
ber, nos termos do oiiwo aejaUraeoto, arts. 58,
*o9'e 61.
Compre, pcis, qoe os Srs. inspectores d'ora era
dame procedan nos tenaos expastos.Z icarias
de Gees e VasconceMos.
--------- --------
Montera as f 1 haras-d* waha sanio da casa
de rasideneia do finado, napn>ia do Botafogo. o
cadver do eaneelheira de 'estado baro da Uru-
gvayaaa, para ser sepultado no camiterio de S.
Francisco Xavier. Os Srs. presidentes do senado
eao eonselho damfalstros, *eas Srs. ministros da
instiga, guerra, marraba e da agricultura pegaran
as azas do caixao para colloea-lo no coche da casa
imperial, que traba de condnzi-lo.
Acbava se tambem prseme o Sr. ministro de
estrangeiros, qoe com mullas das notabilidades
politieas de lodos es partidos, militaras, emprega-
dos pulicos, negociantes e grande concurso de pes-
soas da todas as caihegorias, formaran) o prestito
fnebre, sendo o carro funerario escoltado por nm
esquadro de cavallaria.
A sahida nm batalbo da guarda nacional dea
as descargas do esiylo, que no largo da Upa fo-
ram repetidas por ura parque de artilharia alli
postad .
Cbegado ao cemilerio. foi o ferelro depositado na
capaila, emquanto nao recalhido ao tan oltinio
jazigo.
No semblante de todos os assiftoates ae lia a
dor pela perda que o paiz em geral, e rauito* dal-
les em articular acabavam de soflrer, e o Sr. Dr.
Pires Ferrao recitou com voi visivelraeote com-
mu ida o segulute soneto :
Hontem, na egregia posigo soMa,
Serviado ao povo, seu paiz vingando ;
H je o suspiro ultimo exalaodo,
b.1 lo cadver, sem valor, sem vida t
Homem nos campos da mavorcia lida,
De paisano-gaerreiro oxemplos dando ;
Huje submiaso do sen Deus ao mando,
A campa desse com a missao cumprida.

Brasileiros I um praoto, orna saudade,
Ao vulto, ao genio, que para merece-la
Trocou a vida pala tternidade I
Do martyr ofiertai-lhe hoje a capella,
Que a patria chora afflicia e com verdade
Qu'j tambem combateu, morrea por ella.
Oartel-general m^dtoct, 27 de dbzembro H,jumq& qw era de esperar, como tambem, que,
nao oh-tanto apresentar a brigada um aspecto ge-
ral do asseio, comtudo o corpo e balalbSes de que
se compoe, resenuam-se de faltas de algumas pecas
de equipamenlo e de limpeza neslas, e no arma
memo, sendo taes fallas mais salientes no 8' bata-
lhao, commandado pelo Sr. teoeme-coronel
Hermes.
E, para que nao se reproduzam taes inconve-
nientes, que, co.-npromeltondo a disciplina, depdem
ao mesmo lempo contra o zelo dos Srs. enraman-
dantes, determina o mesmo Exm. Sr. que, estes
nao repitam com mais freqaeocia os exercir.ios
de manobras e revi.-das nos seus corpos e baUlboes,
mas tambem or ranisem, quanm antes, os pedidos
do que faltar para as pragis suas commaodadas,
remellendo-os, pelos trasmites legaes, repartigo
competente, para serem la listel loa com urgencia.
Manda, fiualmeuta, o mesmo Exm. Sr. declarar
que, tendo de passar revista a' diviso do cavalla-
ria commaodada pelo Sr. brigadeiro Jos Luiz Me-
na Barreto, amauba, pelas 6 horas da manha,
devora' a esta hora achar-se a mesma diviso I or-
inada em (rente ao seu acampamento.
O coronel Joo de Souza da Fonceca Cosa,
Chele do estado-malor.
O general Ashbcttr, ministro dos Esudos-Uoidos
em Buenos-Ayres, ollereceu ao governo argentino
os seus bons offlcios como mediador, para quando
o mesmo governo os considerar opportunos.
A nota em iju-; se faz este olferecimento abunda,
dizemas folhas de Buenos-Ayrs, em considralos
de amizade da parle do gab oeie da Washington e
do seu represealante para com o povo e governo
argentinos.
Os revolucionarios de Mendoza conlinuavam a
trar se resolvidos a resistir ao coramissario do
quartel-general em tuyuty, 2 de Janeiro de 1867. guVer0 cemral> 0 gentr,l Paunero, que eslava
Ordf S. Exc. o Sr. marechal do exercito marquez de
Caxias, commandante em chefe, manda fazer pu-
blico as rtisposigSes da lei n. 631 de 18 de setem-
bro de 1851, abaixo transcriptas, postas era vigor
ogeules das provincias vizinhas
para chamar a razo os sublevados. Na provincia
de S. Juan tambem ainda Untura sido batidos os
gaernlheiros de Pnilippe Vrela. As demais pro- no servige.
Indo hoolem o Sr, teoente-coronel Francisco Ma-
ria dos Goiraares Peixolo despedir-se de S. M. o
Imperador para Tegressar para oiheatro da guer-
ra, Sua Magostado dignoa-se cortar da Ota em que
trazia ao peito a venera da ordem da Cruzeiro en-
tregando-a ao Sf tenehtecoronel para uso do ba-
Ulbo sob seu commando, o 4 de infamara, que
tinba sido condecorado com aquella insignia. O
Sr. teoente-coronel respondeu, cheio de emoco,
qoe recoobecia, a responsadilidade que ia pesar
sobre o 1* batalb'o, mas qoe aceilava aquella ve-
nera como um deposito sagrado que qaaodo nao
podesse ser elle mesmo, algum dos seas eludis
restituira ao Imperador, concluida a guerra.
- 22 -"
Por decretos de 12 do correle mez:
Fui nomeado o bacbarel Jos Joaquim de Sorna,
para o lugar de procurador oscal da thesouraria
de fazenda de Goyaz.
Foi demUitoo Jos Joaquim do Reg Barros, o
logar de ibesoureiro da alfaudega d* Pernam-
buco.
Por decreto de 16 do corrente foram nomea-
dcs :
0 1' eseriplorario da thesouraria de Mato-Grcs-
so Jo.- Vicente Cortea, chefe de secgo da mesma
thesooaaria.
O 2* escriturario da thesouraria de Mato-Gros-
so Mi noel Kosciusto Pereira da Silva, para o lugar
de l*da mesma renarligo.
Por portara de 8 do corrente :
Fui normado-o pralicante da alfandega o Bio
deJaneiio Jos de Sonza Araujo Munleiro, para o
lugar de ajudume do administrador das capatazas-
da mesma repartigo.
Por caria impenai de 21 do corrente toram no-
meados senadures pela provincia do Hio de Janeiro
os Srs. conselheiro de estado Luiz Pedreira do
Couto Ferraz e conselheiro Francisco Ociaviano.de
Almeida Rosa.
= 23
S. M, o Imperactor acompanbado dos sens sema-
narios e das pessoas do costume, visitou hontem as
cfflcinas de machloas do arsenal de marinba, o di-
que imperial e os encouragados em con.-irucgao
na ilha dal Cobras.
Sua Magetade eh-gou ao arsenal de marinba s
9 1|2 horas da manha e desembarcou no arsenal
de guerra a 12 hora da larde.
- 24 -
Por decretos de 21 do corrente :
Foram concedidas as honras do poslo de tenente
do exercito ao tenente do 40* corpo de volnntarios
da patria Fernando Braz, e as do posto de alferes
ao alferes do 11* corpo dito Antonio Jos de Cer-
a.ueira Torres, em attengo aos relevantes serricos
prestados na guerra actual ronlra o governo do
Paraguay.
Foi reformado, ni canforraidade das disposig5es
do J i* do art. 9* da lei n. 648 de 18 de agosto de
18o, o 1* cirurgio do corpo de sailde do exercito
Dr. Jos Coelho Moreira de Souza, vtsto soffrer mo-
lestia incuravel que o torna incapaz de continuar
vincias argentinas ficavam tranquillas. O carainho
de ferro central nao lardarla a chegar a Vlllaune-
va. A commis.-o central embarcou no Carmel as
suas u limas remessas para a e-xposigo da Pars.
Os priucipaes objecios o las, viohos, amostras
de madeira, earne, couros, urna riea coilecgj mi-
neralgica, e caslos de bicho de seda.
' Do Estado Oriental nao ha nolicia de iraper-
lancia.
A 13 sahin de Montevideo para esta corte o Sr.
bem assim em territorio ailiado ou Inimigo, sea- Vice-almirante Taraaudar bordo da corveta i-
pado pelo mesmo exercito: i; osospioes? 2*. os | theroity acampanhado dos vapores ^mozona* e
que as guardas, quarteis, arsenaes, fortalezas e\ragnary
acampamento, postos militares e hospitaes tenia-1 na Sait'o arderara o banco italiano e a grande
rem seduzir as pragas de I' linha, polica e guarda J CMa commeri.a| de Gonceico 4 G Nesla ullima
nacional, ou quaesqoer outras que fagam parte das lQdo absoimamente se perdeo, do banco salvaram-
pelo decreto'n. 3,499 de 8 de julho de 1865, visto
ler em breve de funecionar a junta de justiga mili-
tar que tem de julgar em uitima instancia os cri-
mes commettidos no territorio oceupado pelo exer-
cito.
Disposicpes.
Art. 1*. No caso de -guerra extema sero puni-
dos com a peo de raorle, oa provincia era que ti-
verera logar as operagoes do exeteito imperial, e
torgas do governo, tanto de mar carao de larra, afim
deque desertem para o inimigo; 3 os que, nos
owsmos lugares cima mencionados, t*najrem se-
duzir as roesmas pragas, afim de qoe se levanten)
contra o governo ou seus superiores; 4" os que
atacaren) sentiaellas; o* os que entrarem as for-
talezas sem ser polas portas e lugares ordinarios.
$ 1*. Os crimes de ns. 2 e 3, sendo commettidos
no dito caso de guerra externa, na provincia em
qne tiverem logar as operagoes do exercito, e as
guardas, quarteis, fortalezas, acampamentos,postos
militares e hospitaes, nao sendo, porm, a deser-
gao para o inimigo, ou sendo os referidos crimes
commettidos na dita provlo ia, fra dos menciona-
dos lugares, ou em qnalqner outra do Imperio, no
mesmo caso de guerra extero, ser" ponidos com
a pena de gales-perpetaas no grao in -urao, 20 an-
uos no medio e 12 no mnimo.
I 2. Se os ditos crimes forera commettidos em
se os livros, dinheiro, ele.
Segundo a Nacin Argentina as repblicas do
Pacitico legeiiaram agora aelinilivameote a media-
gio aoglo-franceza na sua quesio com a llespa-
uha, tendo assim a conten Ja de ser resolvida pela
guerra.
Cora dala de 2 do correte, expedto se aviso
directora das rendas, declarando, para sua iotelli-
gencia, e para o fazer constar a quem convier, que
as cartas de alfandegameolo" em qu< se toua au-
torlsado o deposito de gneros estrangeiros ou de
importacao, sem outra explicago, reerem se lo
someote aos gneros da tabella n. 7 do regula-
meato das alfaadegis, e que aquellas em que se
tiver iutorisado o de gneros de exportago refe-
rem-se aos de produego e manufactura nacional ;
coaviado que d'ora rm diaole oas informagSes e
pareceres sobre taes coocessoas se indique poslli-
tempo de paa, era quaiquer provincia e I ajares, a Taa)eDt quae8 os ga0dt(u cuja deposito se emenda
pena sera' de 2 a 6 anoos d prlsao cora trabalho ; qQe deva ser facU|W(Jo aos oa(^ ou locatarios dos
mas se a dssergo (r para paiz estrangeiro a pena j ,rnu2eDS qoe requererem esse favor, sem empre-
sera de 4 a 12 anuos de prisao com irabalho. gar.E9 a eipresso aga-de importaci
3*. O crime de dar asylo ou transporte a deser-1 |a?ao.
expresso vaga de importaeo ou expor-
lores, conhecende-os come taes, sera' punido, em
tempo de guerra, com a pena de 6 a 12 aonos d
priso com trabalho, e em tempo de paz com a de
priso simples por 6 a 18 metes.
.Expedio-se tambem a seguiote circular :
Ministerio dos negocios ua fazenda. Rio de Ja-
neiro, em 5 de Janeiro de 1867.Ztcarias de Gees
e Vascoocellos, preBdeate do-lribuaal do thesuuro
4*. Cora a mesma pena de 6 a J8 raezes de .nacional, declara aos r5rs. inspectores das Ihesou-. ra?as dos drfferemes corpds do exercito ajraixo
ranas de faz- nda qoe o Bm principal ido systema
adoptado pelo tnesauro o -s avisos de 18 de jaueiro
, da 1859, 7 de raatge de 186i, 3 de dezembro de
! 1863 e ouiroi, que por oceasio do fdllecimealo dos
oi'uhBos mandan; considerar odianeiro emprestado
ao Ihesouro aomo de dtfaotos-e-aaseotes .-recomido
aos cofres pobiicos, foi fazer eessar osjuros>ila-
prifo simples, e com a de multa do decuplo do
valor dos obj-ctos comprados sera' punido o crime
de comprar a's prtgas do eserwto, polica, e guar-
da nacional e quaiquer outras que acao parle das
forgas do goveroa iega do armamento, fardamen-
to, equipamenio ou monicoes de guerra, se taes
ebjectos tiverem sido forneoidospeio viverno.
. $ 5. Os crimes ds que tratam os 1, 2, 3 e 4; quella dala em diaote.
da presente le, bem como os de que tratam os Nao tiveram, era podiam ler por fim, sem
i arts. 70, 71, 72, 73 e 76 do cdigo criminal, sera, grande vexame dos interessados, sujiur as quan-
quando commetiidos por paisanos, processados e lias assim recolhidas a'arrecadagio.judicial, por-
julgados na forma da lei n. 562 de Sdejulbode ceatageo, babilit. gao de berdeiws e deprecadas
1,850. Sendo, porm, commettidos por militares, ao Ihesouro ou Ihesouraria, na forma de regula-
serao estes jujgados palos oonselhes de guerra, e monto de lo do junho de is-"9.
punidos col as penas eslabelecidas. por esta lei,*; Falleeendooorphao.se nao for cro de arrees-
pelo cdigo criminal, se as nao houver aspeciaes^ dagao, r.uf.rme o citado reaularar.nloi.por exist-
aos, reglamentos e leis militares. rom herdiros asceoduotes ou descendeatts. ou ou-
j 6*. Os crimes de que trata o principio desle tra circumstancia que a exc ua, cu mesmo se pro-
art. em todos os sous nmeros floam tonsideradas eder-se a arrecadago provv.ona tlt outros bes?,
militares, e aquellas que os cororaetterein ficam e esta eessar logo pelas juiik'aoes onaess'aria?,
sujeitos ao ujlgamento dos conselhos de gu.rra, as*ommas depositidas sero enire^ues, a re.iui-i-
arada quando militares nao sejam. cae do juiz de orphos, meJiauto limple-i >fllclo,
7*. Sero tambem considerados militares todos; precedeodo, porcra, descnpoo no loveutarlo oa
i s crimes commettidos por militares nai provincias outra eauteila precisa para resguardrem-se -
Foi reformado, na conformidade das diposig5e
do 3" do plano que baixou cora o decreto de 11
de uezembr > de t8l5. o soldado do 2* batalhao de
infantaria, adido ao asylo de invlidos, Francisco
da Assis do Rosario, visto aehar-se impor-sibililado
para o servigo do exercito, em conseqnencia de'fe-
rlmento receb'do em combale.
Foram reformadas, vencendo sold dobrad) de
volaoiario da patria, na aonforraidade das disposi-
gdds da ullima parte do arl. 10 da decreto n. 3,371
de 7 di Janeiro e artigo nico do de n. 3,505 de i
de apo-i >, uido de 1865, visto afcaaresn-se Innii-
sadas para o servigo do exercito, em consequencia
de tonmeotos recebldos em combale, as pragas eos
uiler iilts corpos de voluntarios da patria e da
guarda nacional abaixo designados:
O soldado do 1 corpo de voluntarlos da patria
Franciico'Teixeira de Preitas.
O 2* cadete 2* sargento do 4* eorpo dito Mano, i
Hamos da Fontoura.
o anspegada do 7* corpo dito Josa de Campos
Arroda.
O soldado do mesmo corpo Jos Benedicto do
Prado.
O soldado do 9o eorpo dito Jo5e Evangelista de
Jesas.
O 1* cadete 1" sargento do 11* corpo ito Jote
Ignacio Pereira da Rocba Sobnnbo.
O I* cadete do 18* corpo dito Pedro Timctheo da
Silva Brando.
O soldado Marqnez,
O 2* sargento do 36" carpo dito Dorival da Cos-
ta Pinto.
O soldado do 41* corpo Manoel Cyriaeo.
Os soldados'do 2* carpo de'cavallaria da guarda
nacional Joo Felippe Kell e- Joaquim da Silva Al-
ves.
Foram Tfiformadas, na conformidade das disposl-
goes do 3* do plano que baixon com o decreto
de 11 de dezembro de t'15, visto acharem-se im-
possibilitados para o servigo do exercito ero conse-
quencia de fenmjots receidos em combate, per-
cebeodo tudas qjrespeellvo sold por ioieiro, as
em que o governo mandar observar as leis para
o esta o de guerra, e bem assim os commettidos
por militares em territorio inimigo, ou de alijados,
oceupado pelo exercito imperial, sendo, poriu, ap-
plieadas as peuas do cdigo criminal nos crimes
meramente civis.
05
inti-ressas de terceiros, -e depoi. da pagos os di-
reitos que foroj) davidus a Jileada geral ou pro-
vincial.
Se, porem, for caso de arrecadagao, ou sea pro-
visoria subsistir, nasla hypoihese as sominas de-
positadas conlinuaro em arrocadiglo nos cofres
raenc;onadas:
Soldado do batalbo de emrenbeirs Pedra Vic-
toriano de Souza-
Dito do i* batalbo de infantaria :Jos Gregorio
dos Santos.
Dito do 6* bntalhso dito Luiz Flix Piedade.
Dito do 7* batalbo dito Giympio Moreira da Car-
valho.
"Dito do 10* batalhao dito Pedro Antonio.
Cabo do i* batalbo dito Alexanre Jos* Mo-
Sodado do 16* bauho. dito Antonio Vicente
'Barreto. m
Por eirtto 4e 19 do correla foi demilido do
lligar da caixada eslrada de ferro de D. Ptdro il7
Maaoel ljeibo da Bocha.
Embarcaram honteta no arsenal da marinha, pa-
ra bordo do transporte Anno, cerca de 50O pragas
que vao reonir-se ato nosso exercito em opera-
COi-S.
Sua Megestade o Imperador, acompanbado do
seus semanarios e do Sr. ministro da guerra, as-
ststlo ao embarque, terailoado o qnal estero a tor-
do do Arino, onde almogau cora a Sua comitiva e>
em coaipanhia dos Srs. viseonde de Taraaodare
baro de Amazona*, qoe alli o tinbarn ida-somorv
mentar.
9 ..

*
V
o
*i
ja
\i

m
-


B,tt"f te VMmmkafi**. W Je afajaflro dp *atf.
H
A bordo da corveta, i vapor Nttheroh. qu en-
Croa hontem do Rio da Praia, vi'am os. Srs. almi-
rante viscoode de Tamandar a chefe da esqaadra
fcaeao do Amatouaa.
-. qi"
b*&m buje para a.Europa, no paquata (raocei,
o Sr. oorameoJador Lagos, uu dos membia* 4a
missao enearregada da reareseotar c Brasil na
ipoi$ao uoivarsal da Parts. Alm do miado que
tea tasar da quanto posea loieressar ao pwi, o
Sr. Lagos (oi especaloieaie iuouuiJjIJo da ciassi
cacao e eoocacio do oro Joca beasileiros. Da*
te* vo embarcados 564 eauas, alen de ora de
JWQ toros de madeiras da gcaade dimea-ao. No
Continuamos o 81 pagina a publlcagio dos
discursos pronunciados no asttluto, dando mm
do Sr. 2secretarlo.
Uccupaodo a e>le discurso d > heroico Ii)B[
Das raconioeaikmo* a aa laiiura, qaali
interessa pela lico 4e pa(riotsmjua Bailesa
acba.
O vapor
em praia roiuda para part-
Coniniiinicados
IMtlJWai|rn4ir,
L PAlTIDCa K UOVM
ISo ragiaaea cotumtiwional m>i
teacia, dos parados: orna con
w.Has?2,,.'!aSai
culares.
Sihiram do Rio*par.a,o qosso port) : a 17 a
galera porlugueza Nova Fama il; a a 22, a barca
Juno o pataebo Maa Elisabelh, ambos pros-
nesmo- vapor sequera tambara es Srs. Dr. Sal4a-' Un0--
iba da.Gama Coates l'iaheiro, qoe ifualineate Seguio uooaem para Fernando 4 Norooha o
evo proceder a vario estados. ; lrmtmto4* guerra Leopoldina, atlm Je conduzir
j para a odrie os seojVfnciafys ijua abiivarao perdi
Teodo o director da estrada, de ferro do. D. Pe- penal Foram o'alle osSrs.coronfll PraaciscoJoa-
dro il convidado oanearregado da eaiu da mesma, QQlfQ Pereira Lobo, mjoj Caetano Pinto da Veras
errada Maooel Coolbo da Rocha, para eiamiua-ia- capitao Antonio Gradlo de Gusmac L)bo e alfeYej
in sua presonca, racusqo-sa elle, allegando, pre- J^s^ Serg" Ferreira, qae, tando concluido tais l"
textos iaadmusveis qoe provocaran naturalmente cencas, rollara para a exercito.
as mais graves suspeuas. Igualmente seguiram .8 voluntarios, 7 guardas
A coDsequeocia da semelhante proceder f t a nacioaaes, 31 raoruias para o eierclto e 2 ditos
deroissin deate fui>pcioBario(ljMrad> ara decreto de para a armada.
19 do correte. Logo apos o Sr. ministro da agn-j O traasnorte Leopoldina deve seguir directa-
cultura ordeoou que aon presen;* daquelie dlreclar ( mente para o lito de Jioeiro.
ou do sen subptiiuto, do secretario da directora e t- Palo Guar remenea a ooasa thesooraria de
- de um empegado do Ibesouro nacional se proce- (aienda 43.000 liar** esterna*, paite do fundo
oesa a solemne abertora do-cofre, qae, por pre-
cauco, fdra opportuoamente sellade.
Davia o eiame venficar-ss no dia 21, ns Goe-
Ibo da Rocha, latimado para comparecer uo acto,
O.,
spootaveja exis-
m isseccui do
.rt\ fob v oouie
a\ipKdi,s revela a vida e'seiva Sa uacHT
S**P partidos es vigilantes guardas da eieco-
(fy. das lais, e o (oifr apoio' do governe em sua
marcha.
Sem a existencia dos partidos contrarios prepon-
derara, urna, tnica (oca; o* abusos 5nduuo-
ciarB i pqbliaidaajiuet embargi-stefc^odea-
putismodo poder, que, vendo someole drlpoTtos >
lolera-lo, nada recatarla dos seus d-.-mandos.
Musir professor e conselhrir de eslado Ma-
's*lte&Tr0,re8P00DOE,m'Sr'e0D,elh8ro f,wl amedronl con> o Exm. e Hvro. Sr. rlgarlo
^ar'Oamni <>... hu- ,nh capitular, que. melhor do que ningoam n'esia pro-
Aguarftmu. o seu de.pacbo. fl*cla,; Mfceee de perto des te crianca da dez
n> tn'n*' %l*al da-.tormos sido estodantes, a compa-
Amh d. ... i fB ootann*, res. aaultai. Irmpo no seminarlo, e al mesmo
?r ordenada a subsutoipao do AasU
cameuto, qoe ba na cldade de Goyanoa, por guar-
das oacionaes do batalhiio de Tt-jucupapo, cuio
commanoante progresslsta. ^^
o grande bataihio n. 12 nao encontrou a poli-
ca gauta da sua couBanga I E dizem que tem a
maioria por si essas falsas InBuencia* da co>
marca I
Duse qne os guardas naclonaes, que vao de Te-
jucupano, sao escolbidos.a dado pan manterev\ a
ttbtrdaldo tmt... Assirp.deva fer.
l>ix-se tambem qua o Sr. Militad, que ainda se
conserva na mesma cidade, ier no oa da eleigo
o commandaule do desUcamentoj porqua, a aliaras
Tidal &.,V,?0,W"pm'mc^s: Os par- Montenegro ao mowoT\n^V*$T&iC*m-
utos oservamse, rontuai se mutuamente, serven pos do sui, on e o trm.el rte c,
defreto a autoridad, e de antemural hberdade. i] no acau.paCo.o alC^L^
metlico da us.-a oaiaa filial do banco do Brasil,
Felizmente o antagonismo das ideas as socieda
oes polticas de reginieo livre levanta dous parll-
dos, que sempre exercam benfica influencia, quan-
oo os nao desnatura o egosmo, quando se nao for-
ma o faegao para substituir o partido.
Se um partido preponJera pela Torga da'bpioiab,
a assuma a gereucia do3 negocios publico?, ese
partido auxilia o goveroe, d-lhe o vigor preciso
para marctiar desemaaragadameoie:
nao sa apreseotou, seado imitado por FraocJsco, ^T. .. n ? M ap,pare5a DiS
Perretra Soares, que tamainloara ttier all as ".lic,a3 qM ao* ^"m, publ.camo-la sem re.
suas veaes; *"! Pra que o publico avahe devidamente a
Agrviram-se assim anda mais as suspeitas que
se iiaviam formado, a eoto cqmo medida de pru-
dencia, foram po.-to- um e otro em cusiodia ata
ulterior deliberago.
Etlectueu-se, liualme.nle, hontem a abertura da
cait4, na forma presenpta, e fleou recouheciJo o
desfalque da cerca de 6.030*000, couj os quaes
entrou iasmediaiaaiaote o Sr. cooselhciro C. B. Oi-
tooi (reeresentado por seu procurador), como 0a*
dor de Maaoel Coeino da Rjeba, dando-se oesta
occasio baixa da lianga.
Foi nomeado o Sr. Joao Viceota Estoves para
substituir o Sr. bacharal Garlas Augusto da.Sil-
veira Lob>, que ectrou uo gusa de urna licenga.
qoe Iba foi coucedida.
do entretan-
Eis o grande myster dos partidos constituclo-
aaes.
abano publicada
' qualqoer duvida qae
DIABIO DE PERNAMBUCO
Recebemos, peto vapor fraocez Noaarre, joroa s
do Rio de Jaoeiro at 24 e da Babia at 27 do cor-
nete.
Damos ax Parte offitial. Exterior e Inlerwr, por
ex!!u?b;o'quede ruis importante occorreu.,
B'* Janeiro.Palo ministerio a\agricultura
foi accetto o ulTereciraanto do baharel em mathe-
imiicas Joo Nery Ferreira; 'para.jtadiuvax.os tra-
brloos da coramissio que duve assislir a' exposi-
qlo nacional da Pars,
Pedir eposeaiadorla, no logar que oceupa
na relagao da eflrte, o Sr. desembargador U. Ma-
aoel de Assiz Masearenba-.
Aatuvam-sa no porto da corlo: a fragata
russa Siweilana em vii-m a- osU-ucgo, e a fra-
gata boilaodeza Kuwsmar era viagein para o Ja-
pao, e a fragata brasileira Amazona!, a heroa. de
Riachnela
Leuios no Correto Mercantil :
O Parahyba toraoii-se gigantesco ante-hoo-
(em :
i g. i praca de Paes Leme e deu crigem a bem
fondados temores de uina inusdago perigosa.
Eis as noticias comioerciaes, em 23 do cr-
reme :
Cambio lurluindo pequeas traosaegoes ef-
fectuadas hoja sobre Londres a 23 1/4 d. para o
papel bancario e 23 3/8 e 23 '/2 d. para o parti-
cular ; sobre Fraoga a 400, 403 e 406 rs e sobre
iiamburgo a 158 rs., sommam os saques para o
paquete francs Navarre :
< Sobre Londres cerca de 270,000 a 23, 23
1/i e 23 l/i d. para o papal xucario, e a 23 i/8,
3 l/i, 23 3/8,23 1/2 e 23 5/8 d. para o particular.
t jiS f ranga cerca de frs. 1,800,000 aos ex
tramos de 397 a 410 rs.
Sobre HatiibuFKO cerca de m. b. 200,000 do
756 a 761 rs.
Sobrd Lisboa e Fdfto regaln ainda a (aballa
seguiute :
129 a 131 v a vista.
128 a 13J) u a 30 djv
12" a: 19 i. a 60 d|v
U6 a lt8 i, a 90 d[V
Puados pTMcos.Nada se fez.
descoutos.A laxa dos bancos contina a ser
de 9 (. Na praga as melhores lettras ubtaem di-
nbeiro de 9 a II por *
Mataos. Coostanos ama pequea traosacgSo
em M.b-ranos a K)300 cada um.
S. Paulo. -No aia 13 do correte o Exm. e
Rvn. Sr. bisjjrf conferio Ortfns da presbytero ans
duciuos : Fr, Gongat da Ceutelhas Jo* Evang -
hsu F'raoeo, Joaquim Theodoro da Araujo Tav ros.
Joao R'pttsta Gomo?, Jos de Godoy Moreira e Cos-
ta, juo U^ptisu da Oliveira Salgado, Luciano
Francisco Pacheco, Francisco Gtlvo Paes de Bar-
ros, Francisco Candido Corii, Joaqun) Pereira
da Fooceca, Einigdio J,s da Rocha Piulo, Jos
AiV'S parrara.
Fnlleeera, na capital, o Or. Joaqun) Avw
Marhaj de Vasconcelios,
Baha.M banco da Bihia proceden no dia 24,
el-igio da nova directora e do cooselho director
qae devem fuacciouar al margo prximo, ficando
C(iuiO'itos : a primalra dos Srs. Antonio Ferreira
da Silva Juoior, Cinlido Pareira de Castro, Joa-
quim Jos de Souza Guimaraes, J laqulm Victorino
da Rocha, Jos Lopes Pareira de Carvalh >, Joa-
qnim Elisio Peroira Mtnnho, Manoel Praricisco
de Aimeida Brandan, Jos Antonio de Freitas e
Jos Cieuno Fa reir Espinheira, e o seuuodo ds
Srs. Jiaqoim Pereira Marinho, Antonio"Frauciscy
de Lacerda e Dr. Francisco Jos da Rocha.
Paitecea o aoligo negociante Toomaz de
A.'juiu) Gaspar.
Pelo Navain segu'ram 178 oitavas a 14
graos de diamaoies.
O '-amio regultva : sobre Londres 23 3|4
24 d., sohre Paris 400 r-is. sobre Hamburgo 740
res a sobre Portugal 120 0|0.
-* No recoocavo comagava a sentir-se o rlgoro
so vrao : continuando a deseuvolver-se a moles-
tia da canna
Lamos no Jornal :
No dia 17 do corrate veriOeoa a th^s^nraria
gerai um novo d*sMque, no valor de 14:5005000
anterior ao balanco utiiiuameote dada.
No saldo apresemado nao traba sido compre-
hrodida a importancia das nota; de 58000 da 4*
estampa, substituidas pelo ex-lbesoureiro, e lan-
zadas em despeza ao paso qae nao c-ra-u na th -
s urarla lar sido aquella importancia enviada ao
ti-sii.ro nacional.
< A in-pei-toria intlmou logo ao ex-thesoureiro
para eo(rr cora ella para os cofres da thesoora
na, ou provar que fez a-remessa. Consta-nos qae
ja fui recolhido o esfalque.
Por acto de hontem foi suspenso e mandado
re>9oasabilisar o inipaetor, devando b >je comagar
ara aovo balaogo na thesourana em presenga de
Etc. o Sr presidenta da provincia.
cavados solios noute
4a.fejdc mo nervoso, que atacou o Sr. Firroino, qoando foi
preso o leueiiie-corou.el Mariiho em. urna das
e1eigd>3 piaieiras. "'
O Sr. Firmino diz qne ouvira do Ewo. Sf. cpn-
semeiro Stls^fa.Loap^fMaMwMj^pwiivaa.
[uzei a elet(a, que quer a victoria dos progressis-
las, que nao da soldados de linha, porque os mo
tem ; mas que a polica pode levantar a forga, que
toe parecer necessana.
Se ouvio isto nao sabemos; mas a,vardade
que se prepara, como.flgem lem.plenjis poderes e
ou com a maior seguranga que a elel.gao
Uta perla pragresaista maito eloqueote, qae ba
S*r ontiii.rfac nn* .= i !Da luesma cidjde. sa camisas para demon trar
sao auss entidades, que buscam nvalisar em z- ue aolisicaaa n him rt^iuuin n a^ meihn-
la pela execugo das lels, e pela ortica do eran- ?Y L.r'i*," .* 'iT u p a^;ms!l',0
des orincinins wia f-a"c4 "as gran rei.. 41 yetes raostra se locado de bons sentmien-
art. 7 da earta de fretameato-o navio sera con- ponderaote do goveroo Isto lereis o dasootismo
s.gnado por entrada a ordam do af,-etador.-Se o do poder, e a eferavido do novo des^"smo
armador depoi, ue freudo o navio em .a. condigo | o qaa'cumpeTo^rVo em frente dos part-
dos T
Hit Bae t Peraanhue*.
O Novo Banco deseonta letras de praso at qaa-
fro metes a 8 0,0 ao ano, de maior praso a
10 0|0
ALFANDEGA,
Randimento d 1 a 28 do corr;ote..
dem do da 29.................
783:0S4K<
23:914*884
- J*QViMNTO DA .,
Volumes entrados coa fazepdas.
ganaras...
Volumes
t
sabidos coa fazeqdaa...
geae*....
8o6:99Pl69
ALFANDEGA.
213^*^
476
------80
46
391
quasi de- casa. E! na idade da poberdade e na vi-
da esuolasiiea, qua melhor se pode saber e conhe-
cer da ndole e coodu ta do iodfvjduo para justa-
menta cosoecer se boje, que estou na Idade de 57
annes, e ha 20 revesiido da autoridade de parocbo
sem nota, serei capaz de commetter accSas impro-
prias da aeu carcter, ftlm de qua nao a Sita-
f*> mals eawpateote e habilitada para atirar a pe-
dra, quando tem era seu grem o mui dignos mens
cullegas quq Ihe tem prestado muito bons. servi-
gos politices, seado aluo$ destes aj acensados
pelas folhas publicas de pocedimento ponco dig-
nos, que nao posso e nem devo crer.
Pedera tambwj dizer que esta cuidado e xalo
qoe tem a
da criminosos
ama oilada
do ba das em _.
vespetas das eleicoes para se extorquir o voto livre ingleaimogne-tata.
como se propala; mas bSoofareH pnjne ogovern ,a-'chc inglez-firori/iona-idem.
tem bastante uo a criterio para coohecer estas '^aoi hollandezaSpeenlantidi-m.
manejos, e obrar como Ibecoovirr alacho americanoJoAunufariaba de Irigo.
Bom-Jardim, 25 da ian-uo de 1867. ,r,'a 'ogleza- Qiwm -haralbo.
O padre Antonio Hygino d'BoUanda. Cavalcante {jr".lgtaf--wMfcj BantU r-.dormewa*.
Chaoon ^'"Tiu Ingla-Ponirearvo. "*
Barca ingleza-GriM/onj-idem.
Deaprregam hoje 30 do,eorreote.
poriugoezaSUvamereadbrias.
-------437
queste; eis a earta :
-illa. Sr. redactor da evista Diaria.Nao foi
V. & mal informado rectiflcaado em sua eonceitua-
da Revista Diaria de 28 do correle a entrada da !
Publieacte. a pedido
*mr
v
tem direito de o coasignar a quam quizar, nao tem
o publico direito de ajuitar orno se viva d appa
reacias oeste mundo de realidades? onacipalmea-
te emendaudo-se as pootes legaes dadas pelo
capito-----,
Peraarabuco, 29 de jaoeiro de 1867. >
Pessoa de coufing deltamaraca diz-nosd'a'i
que os damnos da ierra amaagam lodos e
ludo; que aneam de ccele e faca, fjz-m se acora-
panbar por capangas armados de ponto em bronco
e dizem de bocea cheia que bao de vencer as elei-
gSes custe o que cu-tar. Nao seria mu que se
iodagasse da veracidada do qae nos affirmam e
que se procurasse dar algum remedio que conse-1
i
VOTO LIVKE I
De Gqyanna, n^s escrevep ;
Hoje, VI de jalttero, as 9 horas da manha en-
traran) nesla cidade dons cavallos carregados de
Nao pcriamenia k-j~z____v i.Lj. j ; estacionaram por mais de meia ora aeironte aa
Da apVicaciod'easas regras resulta, qoa o go- !djs'7um^rJlnTr^Jr^ V" ^"^
Dasde que o parhdo opposieiun'tia se eontam aa' U "*-* Bm Sr" ^nstneir Mlvalra Lobo ?
guisse apasigoar a colera daqualles se'nhores de rbita legal, dVwdo* goVara" fraBqTea"re' os i mlZjS? r 'l"PrJa$aber se es,e ,U i"611*.0
llamiraoa- I recursos le^.Mmos ana eiouenho"do aoveroo P1r"iaea,tt' "Ponaeo um progressiaia com ar de
-Seguio no vapor francez, para Paris, a com-! ;. foTifi VeTm^ruao^ro ^&^^W "^ d9
missao que deve aSs,sr a expone nacin *&Stt
5JTSS. WS^ri"^" "o- conhlct S h"' mt V** d *"
"SEmSEi orna-se i-aaA. iioediodo a ple^ *^^^^C^o
de Pao
A
- Sao agentes do Bnglk Bank of Rio de Jane* AV^Zll
ro (outr ora The Branlian and Porgese Bank) oe-ta X J
provincia, os Srs. Jonoston Patur & C, ra do Vi- nr '
gario.
Flcavam carga no Rio para o oosso por-
io : barca logleza Oawifu, barca porlugueza Des-
pique II.
O vapor americano Qiudmg Starr devia d'ali
partir no dia 23. Hoja deve cnegar ao bosso
porto.
A festa de Nossa Senhora do Bom Parlo, da
S. Sebasi.aode OliaJj, foi transferida de 2 para 17
do correte.
Hoja as 11 horas se extrahiro, a 4" parte
da 1" lotera benedeio da colonisagao polaca (4), ,nZTu>
sendo o maior premio 6:000.
. Ora se os
i ssun torna-se faccioso, impediodo a p|ell|
i.u'21,![S da V?!.ad8 *be'?a* a Da,ya0' UDCa Lra"e,ro na" se mandn guarda naciooa
legitima e rasoavel directora dos negocios sociaes. o'Aiho?
O goveruo, que presla-se aos manejos do partiao
dominante pea oosse da antoridada. para obstar
Foram lelos nn dia 27 do corrale, na ma-
triz da freguezia de Sanio Antonio, o seguinies
proclamas : ^ -.'
1." denunciagao. *
Manoal Pedro de Alcaotra, eom 'Antonia Opia
do Sacramento.
Paulo Biptlsia Cafner^, viavo da Fdicliade
Marina da Cuoha, coin Tusraza Mara do Silva
Avila.
Jos Antonio dos Aajos, com Perpetua Maria da
Conceigo.
Autouio AfTonso Perreira, com Ernestina Scuq-
dina F-rrnra.
Manoel Lour ngo, com Mara Joaquina da Cou-
ceigo.
Francisca Rosa da Luna Leite, qaer se mostrar
livre e de-empedida.
Jo- Gailherme Alfredo, com Adelina Ribelro
K Boso.
Jos E-tevao, Vieira dos Santos, com Francisca
Umbalina das Dores.
Manotl Alejandra Ruerra de Meaaze?, com
Paula Ananias dos Santos.
Pedro Joaqun) Gomes Jnior, com Francisca
Luua Freir >amos.
Luiz Cornelio de Sou'.a, com Luiza Analia
Wauiver.
pela posse da autoridade,
que o partido contrario use dos recursos legtimos
e na lua cora o seo contendor mostr estar era
maiona, usurpador, tyranpiqo.
Baercer o poder pela valencia, e nao pelo assen-
nenio Daciohal, o qu& oonslitue a tyraonia ou
! goveroo ao puro faci.
Estamos era quadi tleitoral, e ebega o momen-
to solemne da. uago fallar.
.En que priiica o goveroo cooscio da crime, e
*ecetoo ^a prestar cuntas da pessima gerencia da
aansa pubaaaf ^.-.
A um partido JJa'aiitoNdade>. policiaes, armas,
O terror do reyTjiIraeuD, arue'aga da desigDgao
para o servigo da KU^rra, os processos injuslos, e
as pri-oes acioiosas, adicionando-se a proraessa
das gragas : ao ouiro desaiteude uas reclaiuag5>-s
mais justas, repella oa allegago do mais patente dizem-me
diielto, intimida oo presante, e ameaga para o fu-
turo.
A' ora ludo; ao oul'0 itajla. E assimSse diz que-
rer a lib-rdae do voto 1
Compre relevar, que o partido governisia nao
j tem direito aos favores do goveruo, porque o sus-
i tenia ; mas sim, porque exprime a maiona oa vol
nacional, que como tal oomina os recursos so-
; ciats.
Para coohecer-se, porm, at quan Jo essa partido !
representa essa raaiori-, Jumpre deixai- livres to-
i dos os nietos de pronuaciago; cump'e delxar, que
medida devia ser geral: para ca vina
genie sem affeicoes e dependencias no lunar fazer
o que se manda\e. Que grande difflcaldada I Eu
quera ver o Silveira drt Souza e o Abilio fazendo *
eiaigo; elies mosirariara se o goveruo tem ou nao
soldaaos quaudo quer.
Os seohores oo teern motivo de qaeixa,
dlsse um conservador inlw.vindo na discusso; tro-
pa regular e disciuJiuada, ubedecendo a voz de nm
cnefe rosponsavel pelo sangu que derramasse,
oo causarla a opposigo o terror, que causara os
capangas eleitoraes denguados pela policia para os
destacamentos, os desertores a criminosos qoeasio
s-jodo armados para a conqoisia de 3 de feve-
reiro.
E a circular 7 perguDtou um hornera de boa
It, quem ri-sponder.m com outr^ p,ergunla:E
o ediial de 1863?
Neste ponto cahram-se os interlocatores; mas
que fall?ndo-se no caso parante
j utn eloquenta doutor, progrossista al ver se
o elegem, como elle mesmo diz, o Ilustre
orador, desfralJando as velas soa verbosidade
' demosthenica, dissertou lougamente, mostrando
que o povo lera razo quaodo diz que nnda melhor
do que um dia depon do antro, e concluindo que <>
Sf. Siiveira de Siura na de viogar-se, para o que
,j toma i!-.-m.-iriu-!.t .s.
Nao sei para onde vo as armas. Para Cruan-
gy? Montenegro quem mais preciso tem
dellas.
Partido, liberal.
Para elellores da freguezia. da S. Jos do Ro-
cife.
Os Srs. 3
1 Adalberto Balarroino da Silva, arlist.
fJ Aiex,aadre Joaqmrp, Coelbo da Silva, idem.
3 Antonio Cartos Pereira de Burgos Poace de
Leoo, solicitador.
4 Antonio Perciliano de Barros Mirlubo, ar-
tista?
5 Bernardino de SeQ.oa Ferreifa, Lei^ oegOf
6 Cleto da Costa Campello, dem.
7 Domiagos Francisco Daro), artista.
8 Fraocisco Januario aues e Silva. dem.
9 Francisco de Pa la Marinho Falco, idem.
10 Francisco de Paola e Silva Lius, dem.
11 Prancisco Pereira da uonba, offlrral militar.
12 Franklin Netio de AzeredoCooimno, artista.
13 Gutldjno Ferreira Gomes Dr.> advogado.
14 Joo Baptista do Bego, negocio.
15 Ji ao Pamohioo Cavalcante, oegocio.
16 Joo das Virjjeos Motta, artista.
17 Joaquim aaarioNuoese Si va, idem.
18 Jos Anselmo Gonzaga de Oliveira, idem.
19 Jo- Antonio Candido de Lyra, negocio.
20 Jos B-ieves do Nascimento, dem.
21 Jos Francisco de Souza Lima, idem.
22 Jos Theodoro Gomes, solicitador..
23 Ju-.vncio Aoreliana da Cuaba Cesar, artista.
24 Landeliao Teixeira Lima, idem.
2o Maooel Antonio Ribeiro, negocio.
26 M i noel Cosme de M raes, artista.
27 -Manoel Joaqura Baptista, escrivSo.
28 Pedro Rilis de Borges, artista.
29 Pedro Terlollato da Cunha, escrivao.
30 Pergentino Nello de Azeredo Coutinho, ar-
tiga.
31 S-ba.-tiao Antonio da Silva Baixa, negocio.
32 Tiburcio Vajeriaoo Baptista, proprietario.

i partido nao veja d.ao de s. senao out.o par- e-r.eVieB,en,e iat'erc^iPara 0Cl3e e Para ^
tido.
Em igualdade de coodi>5es. e s era igualdade
de cudigdes possivel verificar a desiguaidade:
Luiz de Franga e Silva, com floreocia Mina da das forgas.
Dar ao partido dominante os mei
---------
PEHNAMBUCO
__
Lu
REVISTA Drmnifl
Pranle a thesoarana provinelal procede-se
hoje a arremaugo do segainie :
Padagio da barraira da Capuana a Manguinho,
orgado oa quaotia annaal da 4:9644.
Obra da oomba do Jacar, orgada oa importancia
de t:068#-
A repartigo das obras publicas tara marca
do, de conformidade com a legislagao a respailo, o
i'r.*i4a 30 4t** para a construegio dos pastel o
iafrte da* wa Dirsita, Crr;casvdlA|Ki4la o pbael Blanco.
a deoornar do dia 23 do
Concngao.
Maooel Joaquim G ragalves da Luz, viuvo de
Isabel Felippiua Googlves da Luz, com Aooa Cle-
memiua Oliveira Carvalbo.
2.a denanciacao.
Joao de onza Raogel Fiino, com Francisca
Cavalcante Paes Brrelo.
lanoel Raymando da Cmara Pimeotel, viuvo manietado c
da Auua Francisca da Cmara Plinentel, com Maria
do Patrocinio Aives Pimental.
Silverio da Silva Co.ho, com AgoiAa Maria da
Conceigo.
Bacharel Ignacio T.vares da Silva, qaer se
mostrar livre e derapsdido.
J -a-juim Lopes Michado, com Jaita Hirminia da
Co ta.
Liuriano Jos Joaquim de Saof Auna, com Leo-
poldina Julia de S.
Meiquiades Pessoa M;n1es, qaer S9 mostrar
livre e desempedido.
Carlos Adulfo de Avelar Alchorne, com Maria
Candida Lopes de Miranda.
3.* denunciagao.
Felismindo Marques da Suva, com Bernardina
Badina da Sena.
Jis do Reg Mello, com Josefa Rosa d'Araujo
Machado.
G niberroe Ridrgo Braokield, com Argemira
Guilhenmoa doNascimento Feito Jo~ Maria da Conceigo, com Isabel Mana da
C'ioeeigo.
Jos Uetavio Vieira, com Joanna Teraira da
Costa.
LIMOElllO.
Taraos carta dessa froguezia, qae nos diz em da-
29 he im\m
Nesle da saudamos aos senbores de Martapagipe
J vao doze anuos I.
B. P L.
------
os da acgo di-
recla.da autoridade, qua sao munensos, entregan-
do a sua dlSpusicao os diubeiros pblicos e a for-
ga armada, e negar ao parudo opposic onlsta as
regalas mais invKias, pOr em ConfiOOtsCio a
forga individual do cidadaocom a forga conectiva
da sociedade; por em lula o t.oinem raerme e
o nomein armado e deserapedido.
GjVcrnar o estado om encargo: es u/yrdns
h' neslos e conscienciesos por nevar asif'i*)em a
direcgo social; por isso jamis travadi li*f) para
conservar o goveruia qaaada a ojjjnaupojt ana for
ga nao suavisa esse cucara;o, e uAo Ib bai^ esse
dever.
ta de 27 :
O Cirios doudo est fazenilo fagaohas. Porque
as pragas do dasticamento esto se ausentaado,
elle enteodeu devar langar i responsabilidade des-
te fac.to a uiu cou-arvador, chamado Draralo, e
foi ter-se com file, armado com um chicle de es-
tnrju.i', e o maliraloo de palavras.
I Mudou agora da botica; nao bravateia mais.
: Diz que nao vai a' eleigo, que a sua misso
prender criminosos I U i s nao preodeu anda,
nem diligencias faz p-ira isto.
I c Foi una boa dscoberla, esta de prender cri-
I roinosns em vesperas da eleico I
Mas diz Carlos doudo, muito ebeio de si : Se
en fosse a eleigo, nao consentira que vernHho
Antonio Jo= Ribeiro da Costa, cem Alexandrina
Soaras de Brillo.
Tertuliano Jo- R idriguos de Abreu Cootreira,
viuvo de Francisca Mana da Conceigo, com Euie-
bia Maria dos Prazeres.
Pdssag-lros qne seguiram para os porlos do
sal oo vapor Guar.
SarrolHJP. da silva. Antonio Joaquim da Souza,
Williara P. G, t08ie Jos A. Ridrigues, dito
Anastacio da C. A. C >utran >, GuilOerrae F J onior.
I policial da corta, 10 pravas par-o exercito, 2
-scravos a entregar, Joo Giraes L-ite, Antonio
Das da Silva, Le .polde de Freitas Co?la, l? pra
gas para o exercita, 2 escravos para ent egar, D.
Maria da Cmceigo Freir e I escravo, D. Mtna
Ciaopatra da Araojo Lima, Cherohino Bradei'a,
aiferes Aoionio d Oliveira Bornes Jnior, duo
Maaoal Victorloo Marques, 156 guardas designa-
dos, 2 voluoiarw* do ex-srcito. 88 re'cruia-i de ano,
II ditos par armada. 3 escravos a eatregar, Eu-
genio Jos da Silva Braga, xip seohrfn e -2 riitus
menores, Carlos Meyar, Dr. Vtttorioo do R-go T,
Barrete, 10 reciutas para o exeraito, 12 rocrutas
para marraba, 12 ditos para o exareno
Passageiros chegados da Europa no vapor
Hhone.
B W. London, saa senhora a t criado, Joio M.
de Ba ros Graut, Joao B'ang^isu de 8a e 1 cria
do, Antonio Lipas Rulnguas e 2 sobriuhoij lAta-
I C-rlem, JtsCirrt Braga, e I sibimbo Jo-
M. I'iot Jiaquim d'AIraaida a 1 lho, Amonio fl<
Silva Kara s, sua senhora, 3 Ulnas o 3 aadas.
Joo da (1 Bravo, Mariano da Souza Madeiros, Ra-
Maniec-se np poder a todo o transe, trisar 'uta ,
de mora, qua.do .o ba elementos para aTinum- i ?0M? t Da 'W i a5s,ra >ue s? d^ve r^'
pho sana* na (rauda, ua viulnaa, < mfUfe'siar,
praga do forte ao Matto.
Este espago comagou
crrante.
a\os patsaios coi coostruega est ataraoada,
sao de vara ser assentada- pedras qoa ola leahara _
as.difiaasda* estabelacidas pala repartigo coojpe- Lopes Aibeiro
tente.
- O Esas, aurqaez da ORada saiuio hootem a
bordo do Gui tara a edita.
Amannaa d ao tbaatro da SaaU IsaM o san
ultimo eoacarto (ostraratotal o distioctoctariaetis-
ta portagaaz Croosr, qae tambem sa fargouvlr no
saxopbunn.
-~Condmndaa Dravinoia* 4a oeata para a R4o
d Jaqeire t apar Star* Mi aaiv^o q ao
coaadasMw aoteritoa a martaba.
E*ae noMr* aivldfra aaaMi: IM fnardaa aa-
eiaoaes deslgaado; '107 rurtati para azafel*
to; e 23 dtot para a aariaba.
Passageiro sahido no vapor Rhone.
. Augusto Francisco u'Odveira
Passageiros do vapor (ranee: Noaarre, sabido
para Europa: Rotino Antonio de Mello, Stlvad.ir
Drao M .reir, Louis Margal, Edoaard Metller. Jos
o, J. M. Saroax.
Cam di DgTSNg.vo.-Mov manto do dia 27 da
janatro a* t8d7.
Bxistiam 361, entraran 1, saturara, existam
312. A saber: naas-aa|dWt-aialheras 13. es-
traugeirs 30, muineres i, eteravu 44, escrava S,
toti7362.
Alimentados a' casta dos cofres proviaeiaes 227.
MViawalo da afarmarta do da 24 da raoaira
da 1817.
Tiveram alta :
PraMise Xavier de CarvaKio frtla Real.
Palia Correa da Oliveira.
qua adquire-se, o goveroo cou.o meio de V|tagens:
0 que sO praeaiu s facgSis.
E' o que vimos aa 1863; i o qitt agora se pre-
para para 1867, soft o aunuorado pro^rci*
O pleiio ap,.r "lima-s: Na pro'.oucia locrs vi to
collocar-ga uas cargos policiaas os Ojo roaos mais
violeuios, quaaJo .-O davatzuut procorar-sa ps mais
honestos e cordatos. Nisso niuga*ui .dt*ia' de
ver ura prodomo assusiador.
Porque ceguena sa nao pratioa o ggveroo da
coostiiuigo f
Di-io-Bemos. E' porque do goveroo fax a Itgi
ura meio de proveito particular, e nao uoj encargo
penosaem beaetioiu geral.
A uas aproveita a rpida devgo poltica; a
ouirudUocam Os privilegios, e as coocessftrr"**''0-
tros cabe a faculdade de abusar as aldeus contra
os seus desafeigoados. <
A tata chama o progresso rgimen coDstitacio-
nal 1
K sob esse manto augusto, que e':e tem enxova-
Ihado e dilacerado, ousa arada apreseniar-ae.
KtP.OUKXU DR S. L0VBKNQ8 DA MATTA.
Quando ura ludividuo quai.juer se divorcia da
h oie-udade e do podar, uo lia yaam o copleaba
na ca reir da mleceucia.
No da em qoe linftr'de reunlr-se oaqoella fre-
gurza a juuti revisra da qualificago, aprese
1 iu .-a ua u,atriz o lente curoo-l Luiz Fraucisco,
Io juiz de paz, duendo, todo trmulo e paludo, aos
cidados elaitores, que alli se aehavam r.-uuolos,
que, tendo se esquecido do livro dt qualitica^-o.
uo poda presidir,a junta. A isto re.spond.-u o 3*
juiz oe paz, capiio Presciliano Peres Campello, uf-
ferecando Iba um livre em branco da que ella po-
da servir se, oreenenidas as i>rescripi5s da le.
A'oda::porm, accedan 0 leoeot*-coroo'-l Luiz
"Francisco,qoe em c mudante pdz se fra d matriz,
sera marcar novo da para reunido da juoia.
B porque- j 2* juiz la paz Augusto da Sonta Leo
se acnava de pagi.de na Jjegu^zu, de Santo Amaro
J.ooaiao, o 3 juiz da pat Iginouassanto na obe-
ceira da masa; e, curaurida* as formalidades le
gaas, comegou a fuuccioatr reguianueule, lio m-
ruuieiou o laneuie-coroel Lui Francisco iraasup
pueba Cuntiuuar impunamania a por e dispdr das
cou-as daquriu f re otala, como de faitoru sua.
Para logo fez assigaan orna representagao por
quatro de seus eleii.,iv., ao'presidenie da provincia,
era que arga da illegal a sobredua junta, sob 0
Aiiua ldi-ida de Uuri'ay & Lau-
raao.
As senhoras que eslao acostumadas
usar pos de arroz que s faz iniumecer o
rosto, fecuanio os poros da pelK privando
a evaporarlo da superficie; obrariara com
juizo em por inteivamente di parte seme-
lliante ingrediente, substiiuinlo em seu lu-
gar este puro cosmtico floral; o q-ial nao
s perfuma a peje com urna fragancia to
fresca e tao deleiiavel como o respiro e
ebeiro das flores meias abenas; mas sim
tambem faz remover todas as maculas que
desfeiam a formosura das feicoes, dando aos
tasos supet ficiaes um aspecto saudavel e vi-
goroso, restituindo s feico-s a primitiva cor
rubicunda e macia, dan-iolhes um3 pura e
linda transparencia e elaslicidade. Todas
essas aguas adstringentes, pos e poma-
das, etc., d'i dia, nao fozem m;iis do que
arruinar a pelle e e-tragar a formosura con-
taminando mais tarde on mais cedo a pro-
pria sade: emquanlo qtie a tendencia des-
ti agua saudavel e arotuatica, nteirameti
te opposta.
Quando misturada em urna pouea d'agua
torna-se um exceMente e esquisito meio de la-
vagem, para os denies e g-ngivas, dando
bocea e ao paladar um tielicioso gosto aro-
Ilrca igh-zaJdsovaanif-wdeai.
Rriguo surcoJohannes idem.
Encuna hollandeza-i> r*re.rT_charqae.
firigoe holiaudezPe/sw/!f/ane-charqae.
Bngu9 nacional-JF-p-ranga idem.
Bngue argentino -Potan/*idem
Paiacio portuguez Garrtl -idem.
Patacho hanovenapo oncordja idem.
Barca porluguezaUumildade mercaduras.
Patacho portuguez-F-njdem.
Paiaclui porluguaz &rnande$, vradp de Lisboa,
ni mifssiau o segulnte :
50 barris sardmhas ; aChristovio G. Brecken-
feld.
50 caizas sehola?, 39 meias barriisrrdinha5;
a Amooio L. O. Aaevado 4 C.
1 eaixa calcado ; a S-iiyr* Serafi n da gilva.
8'litas ; a rame* di ujM
10} saceos farelo ; a Jos Antonio de Souza Bas-
tos.
100 varas de lagedo; a Domingos Ribeiro da
Cnnha Oliveira.'
40 barris touelaho; a Antonio Jos Pur'alo.
66 pipa?, i melas ditas e O barris vinho, 1 cai-
ia balangas; a Joaquim Jos Gongalm Bel-
tro.
100 saceas semeas; a Antonio Francisco Corga.
9 pipas e'S barris vicho ; a Amonio de Almeida
Gomes. *
9 pipas e 5 barris dita; a Thomaz d'Aquioo
Fonseca de C.
172 lages, 100 saceos fardo?, 10 pipis a. 50 bar-
ris vinagre ; a Luiz Jos d Costa Amorim <&
4 voinmes drogas e hervas raedleinaes j a Igna-
cio Jos do Cootc. ,
23 pipas, 40 barris e S ancorelas vioho, 40 bar
ris eal em pedra, 300 saceos fare'lo, 6 pipas, 8
meias ditas, 3o barris 30 acoretas sagre, 80
barris loucinbo, e 9 saceas bervadoce : a E. R.
Rahello.
25 caixas cera em velas; a Oliveira Filbos
&C.
50 saceos farelos e 1 barril aluos; a M Joa-
quim Ramos Silva & Genros..
1 lardo plantas e 3 ditos penetra? : a Ciors 4
Barbo>a.
RECEBEDORIA DE HUNDAS INTERNAS
CEA*S-
Rendimento da 1 a 28. do corrate 31:8833121
dem do dia 29................ I:67298


33:556*089
"
.nj'iiMp mi-.--
MOYIMENTw DO POSTO
d^r 1 A um conservador disse Aqui esta nm bo-
nito rtefuncto para o dia da eleigo.
Tudo revela o plaoo que esl combinado, e i mal:r0
que deva ser execuiado. Ca los doudo nao ba da "yirr -._*.-
car loactivo. (Em consequencta das multas irrmacoes
O famigejrado Cunha di Beberiba pretende qoe por ahi existem, recommendamos s
apreseniar, no da da eleigo, 40 capangas para ar- pessoas que co upra em esta excelle rt-neniar a pao o Dr. Leandro, se se atrever a ir
a' igr^ja 1
O delegado Auuro vai para Bom-Jardim fazer
a eleigo.
O Claudino reatoa relsgoes cora a liga. E^ta
cora promessa de ser cumraaodante do baialhao da
guarda nacional desta freguezia, a?sim como e
Amaro c na |a com o eoramando superior.
A corrupgo o meio qoe appltca a liga para
eleger os seus juizes eleiturAS.
< Aqaf estlveraia hontem os Srs. Silvino Caval-
cante e Mello Reg. E*t8 promoven um accordo
eutre nberaes e conservadores, e que parece ser
levado a efT-ito.
c O part lo conservador conta com grande apolo
da populas o, irnio por si urna ensideravel maio-
ria de velantes. Se e(Ieciuar-*e o arcrdo com os
iiberaes, a oppo-igao ser poderoslssima: mas o
que vale l5'"> qoaiol temos Callos doudo com-
inaodaodp destacamepio, Amaro delegado, presi-
dente e ebefe de polica nberaes, que improvisara
de-tacameotcs da guarda nacional, e lembrara se
de prender criminosos em vespera de eleigdes.
t Temos aqu 49 pragas da guarda naooo.-l de
outras (reau-zias, -tas qu?es 30 iro f^er a eleigo
de Bom-Jardim, 19 > Oearo ao mando de Car-
los dondo para impeuirera aos conservadores o
mgresso na iirreja.
c Andar a c O Ciiulino fez s,ua chapa progressista para
eleitores, exclulndo della o Emigdio Mirques, com.
quem esta de caodeias as avussas. O E nigdio deu
poupas cora esta desconsideragao; mas anal ai-
bardon-a.
t De Bom-Jardim nao sabmos cou;a de novo.
Apenas bds cuasia que o subdelegado assever,
que. oo Ola da eleigo, tomara a poda da igreja,
e uio consenitr qoe conservador abi entre, E' es-
18 pla'D' __^M_
?J Pr>v.>cado contanteuienie pelo jornal Situaea I
ai pnrtendo dar a menor satisfagio a's iBeotir*s,
falsidades a miaras, cora qae ma ..bsea.oia, Ulvez,
alga intare*sdo nat.eleigdes, e aira lo someole
fuadaioeuio de fazerem parte della os Sr. Ferre-1 dizer-the que se ej.-dorou ssa mina, por conbecer
ra Lial e Dr. Jos Francisco de Barros Reg, por
nao se acharem quali&carjosl
E' muito doscarament.il
Os Srs. Barros R go e Perreira Leal, alm de
ere oieures eflctivos, foram qualilleados (e
nunca daixaram de ser). Seos nomes sa achara
inscriptos aa lista, qae o proprlu Sr. teaente-curo-
nal Lua Prancisco sob na as-igaatura raaulaa
flxar aa poru da matriz; mas como aqaelia aa-
nnor ou aiguam por elle fet escrever no Uvro da
qUalifieaco nomas diversos daqaelles qae seacbam
na referida lista, vera a/ora cora a coralera do
acaudalo dizer ao presidente da provincia, qae os
dos meacioaado aeaeriot nao eatao aaaUBca-
desl As.-un qua sa poa em releva o vW radi-
cal da qaallfleago da fregaetia de i. Laareugo,
Smo se pOde veriflear eatjande-ee os dous aoea-
o mea g80io brando e pacato, para assim faxer
com qne eu relire a opposigo do pleito eleitoral
desta freguezia, como acontecen enlao era 1862
com graade saattt** ObraalwMamaato de mi
nha na|t*4 aaganpu aa oomplaUMneate a perdeu o
seu tirapo i porqoa nem alia estara boje disposta
a uto, a nem ao a ansias pracadar ; lauto mala
qaanto aaa sao por taeiaa a vis, to paquateos a
to idIibw, qua si mfT caos seotinMntoa geoero-
ioii ievaa#s, c aam tao poMw a aigoidade 4o no-
niaM
N^aqasro, tada toaho a lacrar, on mamar,
com sabe Mico, oa elelgoea, o que atros
assitn nao pode ditar; mas tambem flque-sa sa-
bedo, qoa nao eonfteco sobre a Ierra hornera al-
gura, oa luaenor, qualqoer qae elle seja, que te-
nha araa da aa pnir, a iaftbU da mionaa jus-
tas, toaUM opiaea poMiau a iauUvidaaai, a
E ser crivel qae essa obra da amaata a 4a par iato-nwtog aaatf ata aaaloragio, qaando na
tenham o cuidado de ver e examinar que
os nomes de Murray e Lanman se achem
devidamente inscriptus soi ca.ua envoltor o,
lelreiro, e at mesmo gjavado ao vidro das
p nprias garrafas, e ni falta dos mesmos,
claro que toda a mais talsa e para nada
serve.
A'-.ba-se venda as pharmacias de A
Gaors A Barbosa, J. da C. Bravo & C. i
P. Maurer 4 G.
CQMMEBCIO.
PRACA DO RECIPE 29 DE JANEIRO
E 1867.
As 3}{ oras da tarde.
(Hontem.)
Algodao da Parahyba17*000 por arroba posto a
bordo.
(Hile.)
Algodao 1' sorte153iK) h 151600 por arroba.
Dito dito de Hacei -15*500, 153600 e 16* por
arroba posto a nordo.
Dito 2a sorte da Idacci14*600 e 15 J, por arroba
posto a bordo.
Dito refugo de Macei-l*5u0 por arroba posto
a bordo.
Dito da Parahyta 17JO00 por arroba posto a
bordo,
8p,e?'
idate.
Macedo,
Secretario-
___
o. a i
novo mm u m
NIWBIM
0 novo banco paga o se-
gundo divideiido de 4,4 0[0
da massa fallida de Joaquim
Jos Silrettiiu
Brasil em
jaielrf A
Caixa fclial 4o
PerMBbaco
186'.
Be rdea da directora se f solante aos se-
nliaww artlonlstii qoa o Ibaaoorelro sta'aaton-
% rio a pagar o M dividendo das aecius desta cal-
ta a rao da 12JJL
f-
O goarda-llvro
faido Nooe, Crtala.
Navios entrados no dia 29.
R;o do Janeiro e Haba5 dlav Vapor franm Na-
varre, da 1271 tonelada--, rommaodaoteHasseoet
equjpaaem 113, caiga diteaentes gneros: a
Tisset F re.
Rio Grande do Sul21 das, palarho Relmpago,
de 241 loneladis, capilo Praucisco Mana de
Souza, equ>agem 10, carga 1100 arrobas de
carne; a Francisco J< da Costa Araujo.
Rio de Janeiro28 das brlgae p>rtugaez Relm-
pago, de 323 loneiadadas, capiao Joao Epipha-
nio da Silveira, eqmpigem 12, carga fu no e cu-
Iros geaeros e lauro; a Tnounz de Aquioo
. Poa-eca.
8io Grande do gol35 das, patacho dinamarquez
Elisabelh, di 190 looefaOas, capilo W. Nailseo,
equipagem 6, carga fonros e outroa gneros;
= o me^mo eipilfto. (Veio rerescar).
Rio de Janeiro-27 d*g, briBiin qIiz Snwvnnir,
de 268 tonelada", capitn Y. MTteath.equipagem
8 em la>tre ; a E ti ard > Feotn.
Navios saludos no mrsmo da.
Port Alegre"alacho braileira So.', capilo Ha-
noel Esteves Li pe3, em lastro
L'sboBngue poriuguez Bella Figuerense, capi-
lo J. C- de Carvalho, carga assucar o outros
gneros.
AntilhasBarca franceza Maurtcien, capilo Lobe-
goere, era lai-fro.
B'>rdeanx e porlos intermediosYapor fraucez
Navarre, commandaoiw Masseoet.
Rio de Janeiro e portos intermediosVapor bra-
sil-ira Guar, co.craandante 1" tenecto P. H.
Duarie.
un rni I i ii ini i_-yi iliMim iimnwn i !
EECLRiCO S.
Pla secretaria da cam3ra municipal desta
cidade se faz publieo que continuara' anda em
praga no dia 30 do aorrente para ser arri-maUda
por quem por meno- fijer a obra do muro de en-
cost do lado do norid da estrada do maiadouro
jublico da- Cabanga, visto nao ter si lo arrematada
na obra no du 23 do corrale, como foi aoaua-
ciado.
Secretaria da cmara municipal do Reeife i% de
Janeiro de 1867.O secretario,
Francisco Canuto da Boaviagem.
Conseih de cdmdras da arse -al de
gusr.-a 26 de Janeiro de i 87
0 coaselbo de compras precisa comprar o se-
ftaintH
1 mastro para bandeira.'
20 mantas de la.
65 tenas de zioco oa ferro galvanizado com 9
palmos de comprimenlo e 3 de largura.
Qoem qnlzer vender duos arligos apresenlera
suas proponas na sala do conseino, as 11 horas.do
da 31 do correni".
J

S1A0 O limKO
nc
Ultimo coneftt, da clarinetista pl tajaes
RA HEl CHOiEH
Quinto / ira f do Janeiro.
PIMEIRA PAUTE.
{.* Phantasia para wanoeio por H Croner sobre
os motivos da opera Rigoleto, acooipaohido a pla-
no pelo 'llm. Sr. lanocencio Smoltt F. Cap.ia-
nelll.
.' Grandearja da qe/> ilartlroijjeip. U^rji Sr.
Jn- Cielhii B-irboM, coraiaOb..do a piada-pelo
llim. Sr. Gusiavo Wertbeimer.-noB'lflui.
3." Phantasia para ar -phooe por R. Croher so-
bre oh Hii.iivns da opera: Mara, aaotapaupido a
piano4Wio liim. Sr. siiiqliz.Ct^r-
^.' JPppUsia para flaua pelo l Fimo ar'mpaohailo piapo pelo I'lm. Sr. Snolti.
4.' Souvoruir d* Noripa/_Pnatas>aj)ara clari-
Sr. flastavo W*ria-mr.Ern-ao Cavalkai. ,
SEGUNDA PARTE.
6 Paanliaia para sx .pwtw or R. Croner so-
bre os motivos da opera SnambuU aeompaobado
a piano pelo Mm. Sr. 8nolu.Cruaer.
7.* Pasiorolla e CavagHere GoiUbalh Taranlel-
la, execntado a piano pelo lila. Sr. Kodolph Eicb-
bann. ToaUerg.
8/ Cavatioa a.MWflfciKllii fifii idMaaa,
aeompaobado a piano palo Iilm. Sr. Gustavo.
Reliinl.
9." Daeta conceruole para clarinjlo e piano ao-
3B
/





Diario e f era.-abaee Qnar& felfa 0 t Janeiro de M6l" '

I
i
5







fcre os motivos de Locreda Borgia per R. Crooer e .
o lllro. Sr. Rudolph Ewhbano.
O artista R. Cri ner aproveUa a occasio para |
publicamente agradecer aos Ilustres cavalbeiros ;
que generosamente se prestaram a fazer parte do I
prseme coacertq.
Principiara' as 8 1|2 horas. !
Os bilhetes podem ser prcorados a ra Nova
o. 10 lija de msicas do Sr, Azevedo e ra da Ca- ,
dei ds fltfe n. 13, luja do Sr Bourgard.
AVISOS MARTIMOS
CltMPAMIU
DAS
Messagerifs Imperiales
Segundo om contrato feto entre a admiuistraco
do crrelo francei e a companhia das Messagries
Imperiales, os agentes desU estao autorizados a
receber qualqaer quaalia de dinbeiro qae sera
reembolcado pelos correios.de todas as cldades da
Franca, Italia, Su>sa e Blgica.
Para cundieres e mais informagoes trata-se na
agencia ra do Trapiche n. S.
TOMPANHIAPERNAMBUCANAI
DR
Navega gao costeira por vapor
Para Penedo.
O vapor Parahybt*. commaa-
dante Mello, que segua hoje para
ns pottos do sul ira tamben a
Peuedo para onde recebe jmen-
le eacomroendas, dinhtro a (rete
e passageiros at as 2 horas da tarde: escriptorio
no Forte do Matos o. 1. ___ _
COSNMII BBVSLEIKA
DK
Paquetes a vapor
Dos porto do sul esperado
at o dia 8 de feverelro o vapor
Paran, commaodante Santa Bar-
bara, o qual depMs da demora do
costume seguir' paia us portos
*nrtf>.
u carga que o vapor poder coedatir, a qual deve-
ra' ser embareada no da de saa chegada ; e eo-
coramendas e diuheiro a frete at o dia da sabida
as 2 horas: agencia rna da Crot n. 1, escripto-
rio de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo C.
J- FERREIRA VILLELA
Photographo da Augusta Casa Imperial do Brasil
18, RuadoCabug, 1&
Sobrad, entrada pefo Pateo da Matriz.
JO US
N. 2 D ^ N. 2 D.
|HP^ COKACAO DE ORO. *Jfe|
A toja n. 1 D intitulada Coracao de Ouro na roa do Cabog, acba-se d'ora em diante oflerecen-
ido ao respeiUvel poblieocom especllldade as pessoas que honran a moda os objectos do ultimo cos-
to (a Pars) per meaos 20 por ceolo do qoe em outra qoalquer parte, garantindo-se a qualidade e a so-
lidez da obras.
O resj-eiuvel publico avliando o dtjseio que deve ter o proprletario de om novo eslabelecimeo-
' !to que qoer progressx> ero sen^egocio rteve chegar Immedlatameote ao coracao de onro a comprar
n.^ ...____,. vv___w:.. jn <.;a^n oo hvom rotratn mai nrr>Lna aoeis eom peifeitos brilhaotes, esmeraldas, rubiose perola ; verdadeiras e* agarras, moderas pek
Em nemhuma das photographias desta cidade se razem retratos mais pnenos i[m.mo ^ de {0f briBC0's moJeroos dB ouro e cor3, pra mcnrna pe,0 pr(1*0e Wi rairaci8 de
do que OS que se executarxi uesta offiorw photographica. prata com cat>os ae roarflm e madreperola obra d moderno gosto (o qoe o eocontrario no corado de
Pede-se .'i COQrOQtacO e aualyse entre OS nossos trabalhOS e OS memores que ouro) voltas de ouro com a competente erosiona ricamente enfeitada pelo pequeo preco de 12$. bro-
SC fazem nesta cidade eos de um trabalho perfeito por ura mdico prego, cassoletas, traaealios, palcelra?, alneles para re-
i w*,. u .' ..... j, ;j,i. ,,. mn Mi piahftW impntn iratos e rutros modelos ludo de alto gosto, anei.s proprios para botar cabello e Arma, ditopara casa-
N50 ha PHOTOGRAPHIA ALGMA desU Cidade, que como este esiaDelecimentO meD,0i 00 arl|t0 J0Sf la 1(!ra o Coraco de Ouro um completo e bem variado sortimealo de diversos
photOgraphico possua um tO vanado, escomido e abundante SOrumentO ae cailinuas, g0Sl0S> DUt5es para pannos com diamante, rubias, e esmeraldas, obra tsta importante ja' pelo seu va-
i quadros, molduras pretas e di uradas e passe-par-tOUtS. lor ja' por gosto ds desenho, brincos a forma da delicada mosinha de moca eom piogente eoateodo es-
Para serem COllocados OS retratos cbamados carldes de visita ha doze difieren- i meraldas. rubias, brbantes, perolas, o gosto sublime, alfioete para grvala no mesmo gosto, relo-
,..,,. iiu.^i,.anl. n rinnnHnc om i tes modelos de cartees mimosamente lithographados e dourados, em cartao bns o e em ,ol|wsto>> cni8inn de ,;, esmeraldas, perolas e brilhaotes, aaeis com letras, carletas de
cart3o porcelana, OS quaes sem alterado' de preCOS, estao a esCOla aas pessoas que se t-rys,a| e oaro jescoberta para retrato (a inglew). brincos de franja, ditos a iroperatriie toda e qual-
relrataiem. luer joia, para secoliocar retratos e obras de cabello, e ootros muitos objectos que os preleodeotes en
Continuadamente se recebe aa Europa remessas de tudo quanlo diz respeito a nomrario uo CoracSo de uuro que so conserva com toda a amabiiidade aos concurrentes deixando-
, ,. ...__, ., *1_ r..UmMM a ocio mot nln hrinno DcWm se de aqu mencionar precos de certos objectos porque (desculpem a maneira de fallar) dlundo-se o
photographia, e anda o mez passado pelo vapor Gueme, e este mez pelo pngue Beim ^^ ^ a|gaem ^ ^ Jd|xo da ob'rj> por^e! ^ djra.^nta qoaolia a Tjfla do ^ ^
receberam-se de Franca quatro grandes caixoes com orna nena vaneaaae ae artewcvos Na mesma io|a compra-se, trocase ouro, prata e pedras preciosas,* umbem recebe se ooneer-
productos Cbimicos e material para photographia. tos, por meaos do que em outra qualquer parte, e dao-se obras a amostra com penbor, conservando-se
No mesmo estabelecimento vendan-re: c*<** Ooro tbeTl a| as 8 horas da ooiie. .
Todos os productos cbimicos geralmente usados em photographia e garante-se Do(a ^s^fr^^ JSJ5.1*
O estado de pureza dos mesmos; rotulo (isio se adverte em rousequtu ia de terein ja' algumas pessoas engaado eom outra casa.
Machinas pbotographicas, Invetas de porcelana de diflerentes tamanhos e vi-________________
dros para tirarem-se retratos;
Urna grande vaxiedade de lindas e interesantes visUs transparentes para
DAS
Mes sao eries Imperio, fes
Al o da 30
do correle mez
es pe ra-se dos
pollos do sul o
vapor fraocez
Nacarre, com-
maodante Mas
seoet, o qual de-
pois da demora
Dakar (Gore) e Lisboa. ~~
Para condicSes, frries e passagens, trata-se na
igencia roa do Trapiche a. 9^__ _____
COMPA.NHIA PERNAMBCANA
. M
Navegaco cesteira por vapor.
* Macei e escalas.
Segu no dia 30 do rorrele om dos vapores da
companhia paraos poitjs cima Indicados.
Recebe carga al o dia 29. Eocommendas, pas-
sageiros e dioheiro a frete at as 3 horas da tarde
do dia da sabida ; escriptorio oo Forte do Mato
n. 1-_________________________________
Gonipanha americana e brasileira de
paque es a vapor entre os Estades-
II idos c o Brasil.
Espera-se dos
,^ ^--^* portos do sul at
o dia I" de feve-
reiro o vapor
americano Gui-
dwg Star, o qual
depois da demora
do caMumi1 se-
guir' para New-
Yoik locando no Para' e S. Thomaz, [pira fretes e
passagens trata-se om os agentes Heory Porsler
& C roa do Trapiche n. 8.
Para o Ai acaj com escala por Macei, segu
oestes seis dias o veleiro papacho Gloria, quem no
mesmo antier carrejar a (rete commodn. pode f-n-
teodei-se e tahes Belua ra do Trapiche c. 17.
Para Lisbo
i
Vai sahir com brevidnde o brlgue porloguez So-
berano, capilao Bugigans, recebe carga afrete:
irata-sacom E. R. I ou cora o capilo. ________'________
Barca Silva
Vi t-ii.Ie .'gi-ir para Lisboa e Porto com a
maior brevidade possivt I, trata-se com os seus con-
signatarios Antonio Lui/. de Oliveira Azevedo &
C, uo sru esfripiono rna da Cruz b. I._______
COMPANHIA PERNAMBCANA
n.
avegaco costeira por vapor.
PARA
Parahiba, Natal, Maco, Aracaty, Cear e
Acaracu'
Segu no dia 31 do corrate o vapor Ipojuca,
rommandanie Mari os para os poitos cima indi-
cados.
Recebe carga at o dia 30 Eocommendas, di-
nbeiro e passagens at 3 horas da larde do dia da
?ahida : esenpterio po Forte do Matos n. 1.
Para o Ro Grande do Snl
Segu em peucos das o brigne portoguez Ri-
IV i-ya, para o resto da carga que |be falta trata-se
ci.bd os seus consignatarios Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo & (i, no seu escri torio roa da Cruz
n. ou com o capilo na praca.
Para o Rio Grande do Sul,.
O veleiro patacho Sol, pretende seguir com mu-
a brevidade, (em parte de seu cari>gament
pi. i, tj, para o resto que llie filia trata se com os
seos consignatarios Anlcnio Luiz de Oliveira Aze-
ve .o Si C, no seu escriptorio roa da Cruz a. 1 ou
com o capnao na praca ^^________
Para o Rio Grande do Sul.
O veleiro e bem conhoeldo brigue nacional Ame-
lia, pretende seguir com maita brevidade. tem par-
te do seu carregameoto eogajado, para o resto que
Ihe falta trata-se coa os seus consignatarios Anto-
nio Luiz de Oliveira Azevedo di C, ao seo escrip-
i'.ii io ra da Crot o. I.
LEILOES.
LEILAO
2 ca/ros e doos bois.
(le
O agente Pestaa tara' leilo por aonta e risco
de quem pertencer de 2 carros da carguejar e i
tiots afamados era ser vico ; quarta-feira 31 do cor-
rente pelas 11 horas da manha no largo da al-
faqdega.
AVISOS DIVERSOS.
-------------TT--------------
Precisa ae de ama pessoa que saiba
lr para distribuidor (leste Diario, prefe-
re-se a quem j tenha aervido noezercito :
a tratar nesta typograph13'____________
r)moifii>sPrn 4aii. assm*pareouseamignS,paraOodit i de fe-
vrrfircassisiirem as tuism ti memento soiemae que
mandain i-rlvbrar pocalwa de sua rei Catharina
LozU da Fonseea (1* auMvcriarlo de sen falleci-
rnt-oii!), *> lgr#j*d8L J^dHit>a M.r. O* mes-
miH m confessain desde,ja' finiamente agrad-
um
Porteir8S de differentes lamanhos para sitios, jarditrs, cercados, e-c.
Cercas e gradeamentos de ferro para jardins, cercados para animaes, chiquei-
stereoFCoposT%"te7"escopo7demdeira~eovernisada com lentes prismticas que se ven- ros, de todas as grossuras e muda veis,
dem a I2|5000 cada um com urna duzia de vistas transparentes.
Tambem vende-se por 50$0' O um apparelho compl to para fazerem-se peque-1
as visUs ou retratos. Ao mesmo acompanham as explicares precisas para teu uso.,
Qualquer pessoa pode fazer vistas ou retratos com esse apparelho.
A oficina e galera est3o ateras todos os das e a todas as horas.
FABICi
OR
0R\4HEW0SDEI6REJAIE
d IIIJL1H
Vmenieiro e beriador de Pars.
-23 RA 1IO I PERAIIOR 3,
i
Defronte da igreja de S. Francisco.
Concurrencia impossivel
justificada pela suppresso de intermediarios, pela compra directa das materias primas, pela exe
cuco dos trabalbos as calcinas da casa e pelo diminuto lucro com que se satisfaz.
Aoimado pelos importantes negocios qoe faz enm grande parle do mundo catbolieo da Europa
resolveu o annunclanle estabelecer filiaes da rasa offerecem vantagens, e veio inaugurar o primeiro estabeleeimento nesia cidade, sera dovida orna
das mais adiantadas e commerciante da America do Sul, e que por rsso mesmo necesslla d'um
estabelecimento que nada deixe a desejar, quer em relagao as precisdes maleriaes e quer intel-
lectuaes.
Os Srs. sacerdotes e derasis pessoas, qoe se dignaren visitar o estabelecimento, abi acbaraq,
seropre urna grande varibdadk de todos os objectos para Icreja e para o clero.
OORIVESABIA PARA IGREJA.
Novos modelos de custodias e de vasos sagrados.
- ALFAIAS DA IDADE MEDIA, A' LUIZ 13.
Os precos variam segundo o tamanhs, o peso e a forma.
TAPEQABIAS E ARMACES PARA IGREJA.
Fornece toda a qua'idade de armac5e?, por precos mdicos, vontade do reguez; tendo
seoiprc ama pessoa no estabelecimento para Ir tomar as medidas necessarias para completa sals-
facao da encommenda. '
N i
EsUs umbellas de molas, adoptadas p r S. S. Pi IX. tem por sua perfeifao, uovidade
e riqueza a dupla vantagem de cobrir Inteiramente o Sanlisimo Sacramento e o padre, sem diffl-.
cnltar o andar. '
ECULPTURAS EM MARFIM E EM OSSO.
!
Imagens de Christos, caldeirinhas, cruzes, quadros e todos os objectos devotos.
Objectos em argila, simples e prateados.
Todas as informacSes sero mioistradas gratis, ac-rca dos ornatos de igreja.
Cooceder-se-ha faciiidade para os pagamentos.
Eis o csihaiogo do que teto a vtn4a :
ICASULAS.
Piuras, de.veludo, de crina e d
galo lustroso.
De damasco cera cruz de ooro e
seda.
De damasco dobrado, cem diver
sos bordados em relevo na
croz.
De tecido de prata ou de ooro.
dem ccrl diversos bordados em
relevo na cruz,
dem idem amito ricas.
De veludo de seda com cruz de
ooro lino em relevo.
De rbamalote de seda bordado.
Goihicas e da idade media.
A cor da casla nao influe n<
preco.
CAPAS.
De veludo estofado.
De damasco.
De tecido de prata e de ouro.
dem com emblemas em releve
e ricas franjas na morca.
De veludo de seda.
De tecido de prata e de ouro fino.
DALMTICAS.
O mesmo prego das caslas.
ESTOLAS PASrORAES.
De velodo estofado.
De dito de doas faces.
Se liamasro.
e dito de duas faces.
De tecido de praia ou de ooro.
dem dem, com emblemas em
relevo, franjas e bordadps de
torga I.
dem idem em relevo moito ri-
cas.
De tecido de ouro e de prata fino.
De chamalote bordado de seda,
eom doas faces.
VE'OS DE HOMBROS.
De tecido de Lyo.
De dito dobrado, de ouro loe.
De damasco, bordado em relevo,
dem idem, muito rico.
VE'OS PARA EXPOSigAO.
De tecido ds Lyao.
De chamalcte de prata com em-
blemas em relevo.
De dito dito, moito Anos.
VE'OS DB SAGRARIOS
De lodos os precos.
KANDEIRAS.
Da Saota Iofaucia.
De confrarias de, Nossa Senhora.
Parochiaes, qualquer que seja a
invccagao.
Gai5es com emblemas em relevo.
A collecao varia de 35J0O0
3:000*000.
PALLIOS.
Em viludo estofado as qoalro
poetas e no forro.
De.tecido de Lyo, com ou'o.
De dito de prala e de ouro lus-
troso.
De dito dito, com quatro emble-
mas bordados em relevo.
Muito ricos, iotelramea'e bor
dados em relevo rom ooro Rao.
PANNOS MORTARIOS.
De la.
De veludo loglez preto verda-!i87
deiroa :5il
De d*masco dobrado de brocado.'650
Estes pannos tem d largura e tres de comprmeme
ROUPAS DE IGREJA.
Alvas de panno de liaho fino.
i de cambraia tina.
de panno de linho, para
meninos do coro,
c guarnecidas de rendas fioas.
c de tilo, de rices de-
sanos.
Roquetes em p?ooo de linho sem
mangas.
- com ditas.
Amiclos.
Toalhas e sauguiobos.
Corporaes de cambraia Boa.
Toalhas para commonho e alta-
res
Guarnieses de rendas para alvas.
Ditas para toalhas de altar, aos
metros.
Toda a qualidade da roupa ga- i
raotida e perfeitameate execu-
tada.
DIVERSOS OBJECTOS.
Bolsas para tirar esmol. s.
Corddes tinos para alvas.
i para meninos do coro.
Voltas, s dunas. j
Cintos e cintorSes.
Sacras de altar, em cario.
Ditas em quadros.
Marcas para missaes, cem seis
pernas, em chamalote.
Flores artifkiaes, o ramo.
Estdfos e todos os demais objec-
tos de igreta.
BRONZES DE IGREJA.
Casticaes para altares, prateados,
de novos modelos :
325 milmetros (12
IMBUW.
379
433
(ti
(16
(18
20
U
90
pcllegadas).
<
Guardas par arvores, plantas-e ou'ros objectos da ferro que se vendem por
< preco mdico, no armazem de Tasso lr3os na praca do Caes de Apollo ao p da ponte
provisoria.
Cruzes de altar, correspon lentes
aos casticaes, o par.
Tburibuios e navetas prateadas.
Caldeirinhas com bysoppe idem.
Cas (odias ditas e don radas.
Lustres ditos e correales fortes
para os mesmos.
Cruzes para procissJo, com ralos
ditas.
Varas, alabardas para sulssos e
railas para porteiro.
Estes objeetqg todos sao em c-
kre e nao em maleriaes da
coroposicao.
^& %^\^ ^^%%^"^
Superiores ca-sas fraocezas n,uito finas de cores fitas, matlsadas e mindinhas a
320 rs. o covado : aa I- ja das columnas ra do Crespo n. 13, de Antonio Correa de
Vasw.acellos & C.
GRANDE
HOTEL CEMRAL
Aviso essencial para evitar qualquer erro ou mf.
Os Srs. compradores nSo devem ignorar que o ouro nao pode ser fiado iem
tecido, e que por consegoiote os galops dos ornamentos chamados de ouro fino sSo de
prata dnuraJa, os de uro meio fino s5n de metal doorado e os de ouro falso sao de
cobre doorado, e como tal confundiros Ututos que se Ibes deu sempre, que s3o mera-
mente commerciaes.
Os ornamentos que o aonunciante tem i venda sao o de gales de ouro meio
finos, falsos ou de seda, maridando vir os de uro fino por encommenda; e Mahum
objecto sahe de seu eslabelecimento.sem ser aoompanhado d'oma factura por elle firma-
da, especificando a qualidade do bjeto/ para poppar-se explicces sempre incon-
venientes ao depois de reanuda a venda.
--------------------------------------- ii" ...... -------------------------
Me Manel Jes Mi LARGA DO B0SAK10
N. 37
ENTRADA GERAL
ROSARIO
RA KSTREITA DO
N. 4 A
ENTRADA PARTICUUR
PROPRIETARIO.
FRANCISCO GARRIDO.
Agua mineral
ferroginM, acidulada, 4azor e earfceiiici
IVecJsa-s t vmv tmi pr
casa .le jioaea familia : irlar U>
lilJB 3, ,f-lf*.

PK 5
0R.JBZZ.I.
O U50 d'agoa, de Orezza mol partrcolarrrrfnti
reeommendado pela escola de medicina de.fferls,
para indas as afftccoei dp tubo digestlT1. J*gorgila-
aeulo U icera abdoninies, e itralioente tedas,
as rnolesUaa Brot"** t-JUVflW* urtmo, 00 n dioheim a joros:
pobreza de saofre.
calar de inslmccio eleraenUr pelo metbodo Cas-
tilho, ti aos pas d seos alumnos ao respel-
< tael publico que ae dia 7 de Janeiro do corrate
xnnn, estar sn aula aborta, a roa da Prala b.
59, Vitauto andM as'Hn nao recebe peoelonr*-*
las e ineiu p-nciooi>tas, por prego razoavel. Ha
dita ani> uronem m eosHNM aa aleras sef oe).
les : (rauca*. Utian, geofrayWa urtca.
Ha quartose salas
Preparada eom assein.
Para aqoelles qoe vierem
A Veneza de passeio.
Tem coramodos excelleoies
Para solteir casados,
A' todos se prodigallsari
Os mais sinceros ciudad**.
Kucontra-se par lunch
Fiambre a qoalquer hora,
Tambero recebe assigaaates
t comida para fra.
*l**i AnDUiCM)
^. *
S
M O. Or. Carolino Francisco de Lima San-
MC tos, mudan se para a roa do imperador
2 0.73, seguodo *n-Ur. onde oalloua o
WK eierrlcio de soa piiris>aod^ medico. h
mmmmmmmmmmmmmm
Fundiefto da Aurora
A mais aotiga desia prtvlocia e rom tedas as
perfeicoes em seos machinamos, itlerece a seos
oroerosos fregueies por raioaveis preces soas
maooactoras, liem como que tem om boro pessoal
para com rapidez fazer qualquer cuucerlo oo obra
aova. _______
Aluga-se urna prt escrata qde seja flej
para oservico de urna casa de familia, e que sal]
ba vender na ra : quem tiver anouLcie 00 din
ja se a roa da C ncordia n. 3._______. __
Da se boles de er>dagera a tusiao a pataca
na roa Imperial o. 37.___________________
Casa ao Honteiro
Aluga-se urna casa oa povoaco do Monteiro
com boas commodos, acetada e banb'S oos '00-
dos: a tratar oa roa do.Crespo o. 23. *
Aloga-se o 1* e3* andar da casa o. 2 da roa
eslreita do Rosario, coofroole aofQcma do Sr. Ozo-
rio : a tratar oa roa do Qoeiaiado n. 1.________
Precsa-se do om caixeirc para a taberna da
ponte do Monteiro, de 12 a 18 anaos, com pratica:
qoem pretender dlrija-se a mesma.___________
Na roa do Apollo a. 4 deseja-se saber Deli-
cias dos Srs.: Francisco do Reg Lima, natural da.
ilba de S. Miguel e Joaquim da Silva Migeos, na-
tural d Pigoeira ; o que se gratificara. ___
Aos senhores padeiros.
E' geralmenle coobeeida a atilidade no errpre-
go das machinas, qoe tem por fim aperfelcoar o
trabalho com a economa de bracos. Neste caso,
poit, eslo as machinas para cortar bolacha, coja
otilidade ja contienda de algnas padeiros que
dellas fazem ozo por mel de maoivella, obtendo
o resultado mais satisfactorio e perfeito.
Na padariada roa Olreita n. 84, ha sempre de-
posito deslas macbmas cora coriadeiras para lodos
os la uanhos de bolachas aqu oradas, a tambero
para ararolas, e que por virem em direciura e da
propria coala dos Estados Unidas, se vendem por
preco muito barato, cora o flm de se lotroduzir to
reconhecidb melhoramento.
H
ATTENCAO
O abano assigaado compra toda e qoalquer
quaotidade de algodao era careco e assucar; os ioj
teres; ados din jara se ao povoado de Trombelas
ao largo da feira na fabrica va per. Z*2%
____ ______Alboquerque Silva. ____
Pzecisa-se alugar um moiequtTde 12 a 15 aunos
para servico de criado, qoe seja fiel e menen-
te ; o servico pouco: qoem o tiver dirija se a
roa Nova o. 19 1* aadar.
ALIG11EL
Aluga-se orna casa terrea aa ra do Mondego n.
22, c.i m solao, 4 salas, 2 quartos, cozjoba fra, ca-
cimba, com quintal murado : quem pretender ala-
gar, procure o dono na roa das Crines n. 36,1*
andar.._________________________________
Cava lio fgido
Fogio da mao do portador om cavallo grande,
castanho foveiro, com as eticas e topeta corlados e
etm caaijalha,e fol pira as bandas do Chora-me-
nino : os appreheadedores podem leva-lo ao sitio
Crareiro, em Beberibe de baixo, que.serpo grati-
ficados.

Precisa-se ue
gominar para casa
paga-se bem
meiro andar.
urna ama que salr.i coz.iri|ar e en-
elTMogeirj,.
a roa da Seuzalla Velha o. 22, pri-
de orna Sfnhora
Offerece-se om bom copoixa : a tratar oa roa
da Pooha n. i9, segundo andar.*"
Saques *
lao do Reg Lima saca sobre Lisboa e Ilha de
S. Miguel ma do Apollo a. 4.
Maximino da Silva Gusmo, compra, vende
e troca esrravos, de ambos us sexos": oa ra do
padre Floriaao n. 71. segundo andat. _
Agencia de pasaportes e portaras.
Claudico ilu l(,'.) Urna, despachante rea repar-
lico da pjlicia, tin pissaportes o portaras nara
dentro e fra ao imperio, rynr commodo prtcj e
presteza : na ra da Praia t# nidnr n. 47.
para engommar : na
Precisa a de n .1:, aua
ra da Madre de Deis o. 36.
=- Precisa-se de urna iimfeita enRoramadeira-;
1a ra do Trapicha o. 44, epondo andar. **
Jo.ilherm
3 A, -Ro do Cabui-3A
Agoslinho Jos dos Santos, proprietario
deste amigo e acreditado estabelecimento
de ouriversaria, t-ndo fe^to uina reforma
gerai no seu negocio e achamlo-se sortido
de artigos.do mais apurado gosto, apiesen-
ta-se a competencia publica, convicio de que
poder servir VANTA JOS AMENT s pes-
soas que o procurar.
Troca-se t'bjeclos novos por usados, com-
pra-se ouro, prata s pedras preciosas- faz-
se lodos os corceitos pertencentes a esla
arte.Agostinlio Jos dos Santos 0.
' 3 A.RA UO CABUGA'3 A.
Criado..
Precisa-se para um moco s:>(teiro de' um criado
que saiba cosishar e tratar de um cavallo, quer
seja forr 00 escravo: a tratar oa ra do Crespo
u. 16, leja, das 7 as II da manh.-U e das 3 as 6 da
larde.
Aluga-se o sbralo com commodos para ta
imlia, sito no largo di l'ariiz'i n. 16: a tratar na
taberna._____________________________
Aluga se ara secunda audar e solao na ra
da Pen.ia n. 10 : a tratar iu rus. do Queiraado
a.63.
Profes&or d piano.
Coelho de Araujn, contiena a leecionar, e pode
ser procurado na Sol 'ade. roa de Jiao Fernan-
des V11 ira n. 20, e na ra do Livraiueoto 0. 21,
terceiro andar.
O hospicio de alienados em Ohnda, precisa
de urna cozinheira ; quem se achar instas circums-
taacias dirija-se ae mesmo hospicio para tratar
com o rigente ou com o respectivo m-iroorao o Sr.
Amonio Jos Gomes _p Cureio. ____
Precsale"* mn meoTno~de"l*2~~l6 annas
on om borotm de 30 a 40 anoos que saiba 1er
escrevtr: oa ma da Concordia o. 40-_______
"iisd Jt'|i_rdrcsi'Ferreira subdito de S.
M. F, retira se para E'ir*pa leodo em sua
companhia sus senhora. -________
t
Aluga se urna casa na ilha d<> Ue'iro.
|tm da Magdalena: a tratar no farge do
Santo n. 19, eseiljtonfr
e Pl
Passa
Corp o
Sftajiie. sabr l.ISboa
Oliveira Filhos 4 C sacam sobre Lisboa : ao
largo do Corpo Sanio o. 19, escriplorii.
laga-se ama casa esa Beberibe : a tratar
eom X de M. Reg _r ua Jo Trapiche o. 34.
' \>r*eH>-*" eirJ| ir urna sala ama*' pin- *|a |

AUeqati.
\ DM7*,o_fsr,M' i
l*rftWlW**diaaarw--*4 ort, fbpk r^Hn-td-^farnm mtn-***&*: -inem \ Precli se de ora mi de le:te sem
r harnaaela de nsrHtotowea A C. hittvtc lopir mttjw 1 su-*** 0fi*m. i Clono P ntiw-i, iot
flihi f
BS

popular I'emanabn-
cao.
A direeclo do Monto Pie cenM-ao r soelos
para no di| 30 do correte eomparecerem Ra sala
das sesies da mesma socied.de, afnfde rronlikH
eso mhla gtral tratar d fti-soe os urgen-
tes. Seretarla do Monte Po Piolar Peroaottiu-
caoo 28 de Janeiro de 1867.
Bernardo Hulea o du Soasa,
______ 1* secretario.
- oaqerW WW^ra Arantes wTi Boropa.
^aThoF
- h
rase par
arvalhe, spbto
Trocam-se
as notas das caifas fttls do banco do Brasil; na
paca da Independencia p. 5*.
Precisl-se de orna ama de leito no
Mondego em sa daSr.yLm Wf T
ferrehra t,u a. ?Uf4*M -fn.P .4 tir-anert -4e tarifa>.j|8|7
. L"iz 'c Moras Gr mes Rarreiro. .
ret
O- tomo OMtgoados leudo itssolvidu aiw-
gaotam#e a rae oociedade. declara* pelo pre-
sente que leodo saldado tsla* a* r, ,ni com esu
pfa irt'tztrlra 4* saa Arwjt eMe por pa>
.nl*fial.Ai
_,
i.
ILEGIVEL



Diarlo de Peramoneo Quarta felra 30 de Janeiro de i<%7.

<

r

CAEOBA
PREPARADA A FRI
Alugam-se
loas pajas terreas, sitas na Capuoga, ra da Vea-
I tura, junio ao port da viuva Lasserre, de os. 31 e
34, tendo cada urna ooiinia fora, cacimba, estriba-
ra quintal morado : a tratar na roa do Trapiche
o. 1__________-
P. A.:,Poniual Juuior, agente de leiles desta
praca, i Merece ao repeHavei publici os seus ser-
)'>ii no desempenho de sea cargo, podeodo para
isio ser procurado a rua das Cruzes primelro an-
dar o. 30 e a roa do Cabne o. 2.
POR
AUGUSTE CAORS
Pbaimacentico pela escola de Pars e successor nesta cidade
M
Aristide Saisset e J. Souin
2.-Rua da Cruz-2i.
TRIL
RECIPE
OSJDRBAN03
4" 4 PIPI 1/
Tratamento puramente vegetal sem mercurio, iodo, ouro, nem outro qualquer
mineral.
Verdadeiro purificador do sangue sem azougue. '
Especial para a cora de todas as molestias que tem sua orittem Da impureza do eonhecimeoto dos passageiros -.
inane como seiam as molestias boubaticas, sypbiliticas, e#ropbulosas, darthrosas, quer l* Q*> expressameote prohibida
venham ellas por hereditariedade, quer sejam adqueridas pelo contacto com pessoas iu- &^* $5n&
feccioDadas dos diversos virus que contammam o sapgue e os humons. am para ootro wagoo.
Para evitaros repetidos abus s que se tero dado
oo pagamento das passageos e regalar qoanto for
posslvel o servico dos trens faz se publico para
a aglomera-
cobertas de
2* Que igualmente prohibido a entrada de
passageiros nos wagoas sera qoe estejam munidos
de bilbetes e os passageiros que nao se acharem
nstas coodl^des, sero obrig?dos a sahir para dar
lagar aos que os hverem.
3 Nao sera' admittido raaior oumero de passa-
A carooa um remedio prodigioso, usado desde remotas eras pelos indios
do Brasil, e pasando seu uso de gera^ao em geracSo, hoje um dos remedios mais co-
nhecidos como propno para r-ombater as molestias mais hediondas, entrando nesse nume-
ro, a morpha ou elepbantiases, p.ra cojo curativo os nossos sertanejos considerara a
caroba como remedio especifico.
A muilo tunpo entrou a earoba nos formularios como preparado magistral 6e'r"? do que os da lotaco e nem sera" per 'tu-
sn a forma de eleictuario, ainda hoje legrado nas pharnrtcopas com o^*w\$W?^WJ^ ff setter?
celebre autor Joao Alves Carueiro: nao ti ella portanto remedio novo nem desconnecido. !abir depois qae uver partido o trem aluda que
O ungento de caroba da mesma sorte preconisado desde lempos immemo- va' vagarosamente, o que iodispensave para
riaes como o mais apropriado para u cuialivo das boubas e ulceras sypbiliticas srdidas,
e e pregado com proveto depois de improcua applicacao de muitos oulros agentes
therapeuticos enrgicos e de uso quotidiano.
Muitos dos nossos mdicos de consideracao e entre elles o muilo distincto pratico
e observador o Sr. Dr. Pedro d'Alhayde Lobo Moscoso, tem confirmado por meio de ex-
perie ,cias repetidas, o que diz a fama das benelicas propriedades da caroba no trata^J
ment das boubas, das diversas formas sob que a syphilis se aprsenla e moilo especial-
mente as que teem sua sede na pelle, e poderiamos relatar alguns casos de data muilo
moderna obsarvados pelo mesmo Sr. Dr. Moscozo em que a caroba produzio admiraveis
effeitos, depois de inuteis e prolongadas applicaees de salsaparrillia, mecurio, iodo, ou-
ro e seus preparados, etc., etc.
Nao era possivel que urna planta to notavel por suas inappreciaveis virtudes es-
capasse a perspicacia e nvestigaces dos mais abalisados pralicos europeos, qne se ap-
plicam com especialldade ao estudo e tratamento das molestias syphiliticas e herpeiicas
e para rrova alii es|5o os Srs. Drs. Gasanova, Schurfer, Ricord e outros dando as mais
lisongeiras informaces sobre as propriedades curativas da caroba e preconisaodo-i como
remedio poderossimo para o tratamento das erupces cutneas, seccas ou suppurativas,
darfbros de todas a qualidade, ec emas, ulceras de diverras naturezas, tumores, osseos
e outras muiUs molestias de natureza syphi tica ou boubatica.
Por ter-se generalisado muilo o uso da esseaela da caroba que eu pre-
paro e pelas instancias de varios mdicos que desejam continuar em suas observaces,
deliberei-me a ter promp.a urna quantidade da mesma essencia, obtida sem a aceito do
fogo, para nao prejudicar as propriedades medicamentosas; e d'ora era diante encon-
trar-se-ha na minha pharmacia sempro e em porgo sufliciente para lodos os pedidos a
ESSENCIA CONCENTRADA De CAROBA, e o ungento da mesma penla para que nun-
ca fallera ais Srs. mdicos que quizerem esperimentar tilo precioso agente medicinal.
Recre de Pernambuco, 17 de outnbro de 1866.
Al'GUSTE Caors.
Rua da Cruz n. 22,
M Oolegio da '(Siw5o
Para educirlo do sexo masculino
SS Eslabelecido no bairro da Rfcife,
rua da Madre de Dos,
em o anno de 1866.
2* E DIRIGIDO
t POH MANOEL ALVES VIANNA.
gg Este coliegio coolna a receber alnm-
* nos penciouisias, raeio pendonetas e ex-
]p temos para as aulas seguimos': prime!-
ggj ras letras, laiim, fnncez, ingles, geoine-
S| tria, geographia, pbilosophU-, ihstorica,
fP Usenho e musina, tendo por profesores
os senhores : Hooorato Augusto^ de Mi
runda, padre Petix Brrelo de Vasson-
gg cellos, Ur. Jorge Ooroellas Ribeiro Pe-
as soa, Or. Francisco de P-ola Peona, pa-
2 dre Francisco J )So de Azevedo, Dr. Oi
$ cero OJon Peregrino da Silva, Dr. Tho-
g* roai Dioso Leopoldo e Dr. Exequial Fran-
^S co de Sa.
gffc A esculha destes prvf ssores cuja repu-
ttco oiajilsiral ja est hern Orinada, e a
solicitude do director em bem riesutnpe-
91 nharocargo que Ihe confer a directria
^J geral de lostrui^o publica, e c m i|ue o
J2 Honra raro tlfun* pas de familia coallas-
K do Ihe os seus lno-, emeorreram para
Z o crdito dasle U)vo esubeleciuienio.
^5 Os estatutos, issirn como o franco m
^ res?o en todas aJ dependerulis JO Col-
^S legio fiblfl sempre das 6 horas ila roa-
^* ahia as 10 da uoiie, a dispo.-ico di>9 .-e-
91 ohore- paes de fam lia e de qaem mais
Mf possa luteressar.
Alerta rapaziada!
O proprii-lario do bem coohecido Heslanran
C nservador, simado na estrada daCasaForie, per-
lo da estadio do Caldeireir), previne a bella rapa-
ziada seus reguezes que na seita-feira e sabbad i.
das da festa da milagrosa Ssnhora da Sade, en-
Ci'ntraro neste pequeo recreio bons e apreciaveis
petiscos, excelleotes viabos, a no cerveja Bass, o
bello cognac, marca Brod, o refrigerante crvelo
de ahacaxl e raaracuj ; portanto, o proprietarto
espera que a r.qaziada que tiver de f-wt saas ro-
marlas a Mi de Dos da Sade. hoo-e a sua casa,
I qu6 iera' bera servida e gastara' poiico metal.
Viva a rapatiada divertida.
VUain os amaderes da Bass.
Vivara os frequeniadores deste Restauran!.
Segunda edicto,
NocSes dosyslema mtrico decimal e taboas de
KS : numtrus \\xq<, pelos qnaes por urna simples mull
^S plicar.o se conhece o importe de qualquer numero
%f, | de arrobas, libras e oness, pjr Jos Antonio Gomes
Jnior. E-ta DUlissima'poblleaeSo eta* quasi es-
^ K'-iada, e oj poucos exemp'ares que restara, ven-
i t,r,n"S! n, livrars Univer.-a!, rua do Imperador,
>^5 e Econmica, ao reo da Santo Antonio.
)'f AinJa aviso ao Sr. Frederico Chaves Jnior,
US no o s-u aJDaocad me e?l' deveDOo alugueis de
^ i minha casa p. I i a roa do M ndigo, e quero ser
I .' pago : assira proce-lo Mia lr dirigido/es carias
Sr. Chaves Jumor, fsjeudo-iha este avis), nao
-: ; n rjM, leudo a tfanca a clausula de o avisar
DA I ao s
k^t' resp
quind) dever o

% mi
Na rua da Guela dn llselfe n. 66, precisa e de
ama ama forra ou captiva para comprar e csi-
nhar para casa de homem s lieiro.
Fagio no dia 20 .lo correte do eog-.oho Can-
to fc-icuro fregnrli* da Breada o escrava prtio de
nome Uuli'io, i ad-i t a 2S annos, com boqi de
barlia, eco do corp>, estatura regnUr, tero um
defein em um braco por ler quebrado em peque-
a i. cabellos nm pnoo solt > esla hem renle, esie
escravo suppde-saler sequilo para o R cife oode
tem w8I iuo veio col el h> pj'jco de Pjeii de
Flores o'oiiie elle Batatal: pm tanto ros-se. as
latoridaJet policiaes dess-i lo
AOS 0009f,
Corre sella feira 8 de fVveivro.
Acham-se .1 venda na respectiva tliesoa-
raria, ;i rua do Crespo n. 15, os bilbetes,
meios e quarios da 32a parte da lotera a
h-enelicio das familias dos voluntarios da
pal a (5a) sendo a extragao no lugar e ora
do cosiume.
Os uremios de 6:000^000 at lOJbJOQ
prevenir sioistros que se nao podem deixar de
darse oao fr attendida esta justa rec(mmeoda
(o e pelos qoaes a empreta nao pode responder.
4* ue aa esiacao do Caldeireiro e oo escripto-
rio provisorio da roa Formssa, estaro expostos a
venda os bilbetes desde as S horas da inanha at
a partida do ultino trem e das 2 horas da tarde
em diaole, e smeote se veodero os bilbetes cor-
respondentes aos passageiros qne possam condozir
os treos.
5* Qoe a p; nir de qaarta-feira 13 do correte,
haverao alm dos treos commuos mais dons ex-
traordlnari-.s a' tarde, at ao dia 3 de fevereiro
sendo as pariidas reguladas pela seguate tabella:
DO RECIFE PARA O CALDEIREIRO.
De maoha. De tarde.
o h. 30 ra. 3 b. 30 m.
7 15 > S 00
8 45 5 > 15 >
6 45
7 lo
DO CALDEIREIRO PARA O RECIFE.
De maoha. De tarde.
6 h. 30 ra. 4 b. 15 m.
8 00 3 45
9 30 6 00
9 30 i
19 00
Joo Guilherme Romer, participa ao respei-
tavel publico que mudou sua calcina de ferrador e
pintor da roa da poate Velha para o caes de Ca-
pibaribe o. 18 e continua a irabalhar na sua mes-
ma proissao.
IVotas do Basco rio Brasil.
Trocam-se na rua do Corredor do Blspo ultima
oasa do quarieiro novo com portao ce grade de
trro.
Oaixeiro
Precisa se de um pequeo para caixelro prefe-
rindo-se dos oltiraos chegados de idade de 12 i
14 annos : na travessa da Madre de Dos o. 2.
CASA OA FORTUNA.
Aos 6:0000000.
Bilbetes caramillos.
A" RA DO CRESPO N. 23 ECASAS DO COSTUUE
O abaixo assignado vcodeu nos seos muilo T li-
les bilbetes garantidos da lotera que se acaboo
Requifes ou babadiabos de cambraia.
A agufa branca acaba de receber um bello sor-
limecto de nquifes ou babadinhos de cambraia en-
feltados de branco o de cores, e mu proprios para
vestidos de enfloras e meninas, e mesmo ootras
obras a que as senhoras os appiicam com acerio e
oslo, aspecinhassode 5 meiros e vendem se a
*500 e Ai cada urna ; na loja d'agoia branca rua
da loteria que s .umw ,
de extrahir a beneficio das familias dos volaMuios, 8tf aeimaoo n. 8.
da orn, os seguales premios: Albuns para retratos.
N. 938 dous quarios oom a orle de 6:000*. A aguia braoc* recebeu novo sortimento de bo-
N. 1508 josqu.nos com a sorle de 1:200*. titos alboos pararetr;lose continua a vendo-Ios
N. 3937 um quarto com a sorte delOO*. cira sempfe por precos commodos ; comparecam
E ouiras moitas sorles de 00, iO e'OJ. pois'd's pretndanles a rua do Queiraado loja da
Os possndores podem vlr receber seos respec- "Soia branca n. 6.
utos premios sem os descontos das leis ua casa' Novos enfetes para vestidos.
A aguia branca a rua doQueimado recebeu no-
vos eofeltes para ves idos ootaedo-se fnlre alies
as cascarrilhas com tico, obra nova e de goslo.
Bonitos cbapeobinbos modernos e primoro-
samente enfeitados para senhoras.
da Fortuna a' rua do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da i* pirte da 1* lotera
(4*) a beneficio da colonisacao polaca, que se ex-
irahira' qoarla feira 30 do correle.
Free.
Bilhetes........ 6000
Meios............ 3*000
Quartos.......... 1*500
Para as mmis ^ue compraren de 100006
ara cima.
Bllheles.......... 5500
Meios............ 2*750
Quartos.......... 1*375
_____ Maaoel Martin Fuia.
ttttpnttiK s mm
'M O Ur. Alexandre de Sooxa Pereira do
* (.armo mudou a sua residencia para o !
^H andar do sobrado o. 12 da rua da Imp^-
g. ralriz e continua a exereer a sua profis-
so de medico.
m
m
mmmmmmmmmmmmm^
Precisa-se alugar um escravo preferindo-se
queisaiba cosiohar e para o mais servico de rasa
de familia: a tratar na roa do Trapiche o. 44, se-
gundo andar.
Precisa se de om escravo para vender na rua
faiendas e miudeas: a tratar na roa do Livra-
menlo n. 19.
mm
Joio Qoirino de Aeuilar A C. fazem publico que
se tendo desencaminbado ima carta vinda de Ma-
celo conlendo Ires letras aceitas pelo Sr. Antonio
Jos Duarte Silva Braga, na importaocia total de
I0i751#i0, a vencerem-se em 3, 7 e 21 de junho
do correte anno, as qnaes acham-se de nenhum
elTeito por terem sido substituidas por outras.
Ama de lelte
Precisa-se de orna ama de lelte que seja sadia,
a' qoal paga-se bem : a tratar na rua Nova n. 3,
on na Torre, casa de Libanio Candido Ribeiro.
A MA
Procisa-se de urna ama para casa de pouca fa-
milia que cosinhe e engomme, preferete captiva ;
a tratar na roa da Imperatriz o. 26, segundo an-
dar, das 6 as 8 da manha e das S as 7 da noite.
Precisa se de urna ama forra ou capiiva para
o servico interno de urna casa de familia ; a tra-
tar na rua do Rosario da Boa-Vis/a n. 23.
Participamos que a casa commercial que existia
nesta praca sobre a Arma de Simpson & C. foi
dissclvida no dia 31 de dezerabroproximo passa-
do, retirando se os socios D. C. Simpson e C. C
Simpson, fleaodo a liquidaco da mesma casa a
cargo da nova Arma de Simpson Brood & C.
Ama.
Precisa-se de urna ama que saiba coziabar, para
casa de homem soltefro : na rua da Cadeia do Re-
cite o. 53.
Ama,
Precisa-se de urna ama : na rua Nova n. 5.
w e des'anracaa--86^0 ')320* uina 'lora depois da extraerlo
aprehensio de diioescravo qie s-rao bem gratn-'at as 3 lloras da Urde, e os outros depois
calos pil-nl) ser entregue ao Sr. Francisco An-da distribuicao das listas.
tonto de Brito oes=a piui roa do Cabuga ou no j as encommendas sero guardadas somen-
** te al a noite da vespera da exiraeco.
O Ihesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Aluga se urna casa com tres quartos, duas salas,
Misiona fra, quintal murado e cacimba, na Sole-
dad?, no fim da rua da Conquista, confronte as
roangueiras : a tratar na rua da Cadeia do Rcife
o. 3, ou na rua da Esperanca p. 85.
TKILHOS IRB.4N0S.
DO
RECIFE A API PUCOS.
Em quanto se nao publica integralmente o rega-
lamento approvadb pelo Illm. Sr. Dr. c.befe de poli-
ca, se faz publico, para conhecimento dos Srs pas-
sageiros, que do mesmo regulamento couslain os
arligos seguintes desde j em vigor.
Ai i. XI.
A enirada nos trens Interdicta a's pessoas em-
briagadas, ind-cernemente, vestidas, ou qne te-
nharn provocado conflictos ou desordens oas esta-
gdes, dependencias da eslrada, embora se achem
munidos de bilbetes. E' igualmenie prohibido su-
bir ou descer dos carros, quaudo os irens estive-
reii em movimeolo.
Art. XII.
12' prohibido circular ao longo da estrada, ou
pi-i inantcer nas suas dependencias sem.licenca da
empresa. #
Os vehculos ou peoes podeiSo apenas airaves-
salas era qualquer pomo accessivel.
Alt XVII.
Os conluctores lero o direito de advertir urba-
namente urna e duas vezes a's pessoas que nao se
coudiuirem conveoieniemente durante o Irajecto
dos irea?, fazendo-as descer dos cirros uo primeiro
ponto de parada, se nao se cc.niiv.-rem Se ainda
assim nao forera atundidos, a empreta dra scien-
cia a.' polica, que proceder como fr d le.
Arl. XX'.
E' prohibido aos viajantes fumar denlio dos car-
ros e nas plalafirmas.
Art XXII.
As infracc&es do presente rejulamenli) seril > pu-
nidas de conformidade cem o regulanjento geral
da3 estradas de ferro, mandado ezecutar por de-
creto n. 1,930 de 26 de abril dn 1857.
Recife. 24 de Janeiro de 1857.
f~T
0)
i'ieclsa-se de urna ama para conchar
v Queimado n. 28, andar.
na rua
UfiS4P;'AWGU
eoi 1\ do eorrant-*, pelas 4 horas da tard-, na rua
d. Atago, um crioulloho, u vando om canario pa-
ra ealiogar na ro de S. G falo, e a'. hoje ua i
ha fitil-ra entr^g : Dga-se nessoa (|ue Sobro o
me-mo 1 ver aigum poder o faca entregar ua dita
casa que sera' gratificado.
Precisa se de om caixeiro
de taberna, de 15 a I annos
ra o. I?.
que Iuiu pralica
uo pateo da nbei-

AMA
Precisa-sede urna ama para lavar e engommar:
na roa do Trapiche o. 36, 2o andar.
O proessor publico de lalim da freyuezia de
S. Josc desla cidade, abano assigoado, faz stfenle
3o publico que se acha aberta a maincola de sua
aula e que o exercicio da mesma lera' coraeco no
da 4 de fevereiro prximo vindouro: quem se
quizer matricular dirija-se ao sobrado silo uo lar-
go da Ribeira n. 5.
___________Manoel Praneiseo Coelho.
Precisa-se de urna
casa de homem solteiro :
ama para cozinhar para
na rua da Aurora n. 54.
Dr. Ignacio Alcibiades Vel-
loso
MEDICO.
Contina a residir na rua da Imperatriz o. 48,
2o andar, onde pode ser procurado. Da consultas
das 6 s 8 horas da maoha.
lea&ou a festa
Louvor ao patusco de bom (tost, que teve a
lembranca de declinar do nome da fllha da Etu."
Si*.... apresentando-a ao respeltavcl.... como
primadona da fesia do Barro. Aceite tostemunhos
de seu amigo3eniivi.
A loja de raiudezas a rua do Queiraado n. 16,
recebeu pelo ultimo vapor esses bonitos cbapeosi-
i.hos obra da muito gesto e elegaoeia e bera ne-
cessarios para as senhoras que tem de dar algara
passeio oas estradas de farro, assistir as (estas aos
aprasiveis arrabaldes, faier visita etc., etc. A
quantidade pequea e o preco com modo por isso
juera nao se adiantar arriscado a nao acba-los
mas em dita loja de miadezas a roa do Queiraa-
| do n 16.
j Carteiras de algibeira com tesoura. pente e
mais necessaros para viagem.
Vendem-se na loja de miudeas a roa do Quei
; mado n. 16.
..Coques ingindo cabello.
Lises a crespos, siogelos a compo.-los, de gomrs,
canudos a redondos, cobertos com Qlet simples e
de vidrinbos, ornados com flores e fitas, obra nova
o de gosto.
Para senhoras e iflcuiuas.
Leqnes fios de madreperola e osso, todo de sn-
dalo a de sndalo com seda, com fios a bonitos
deseobos.
Obras de niadreprala.
Bonitos peotes de madreperola mui alvo pan.
coques, lindas flvellas de dita dita para cintos, de-
licados slOnetes a brincos, botoes para puobos, (
bra prima.
Aderecos, peotes e Qvellas iguaes de dila, i
brincos. Fivellas e fitas para cilos, cintos raati-
sados, obra novsima e de gosto,
i Judo* enfetes Boaolton para
senhoras
A aguia branca lem a satisfacao de noticiar a
sua boa freguezia que acaba de receber lindos en-
fulles Bonoiton obras delicadas, de coota e ulti-
ma moda, o que ser devidameoie apreciado pelas
excellentissimas senboras de bom gosto. Os pre-
cos destes enfeites sao commodos e isso verificar
quem se dirigir a raa do Queiraado loja da agola
branca n. 8.
Ramos de flores finas.
Como geralmente sabido, a loja da aguia bran-
ca o jardim das duas'flores artQciaes, e alera do
bom sortimento qne sempre se acba era dita loja a
agola acaba de receber novas flores nas quaes se
conhece o rigor d'arte imitando as flores naioraes.
Na loja da agola branca a roa do Queimado o. 8
acbaraoos apreciadores do bom e delicado caixode
flores com comprdas ramas, rosas, ele, lado do
melbor gosto e primeira qualidade.
eias pretas para padres.
A aguia branca a' rua do Queimado n. 8 rece-
ben novo sortimento daquellas boas meias pretas
de laia que continuara a ser vendidas a 55000 e
par.
Visporas e dminos.
A aguia branca a' rua do Queimado o. 8 rece-
beo novo sortimento de vsperas em caixas de ma-
deira a papelo com 24 e 36 candes, tendo entre
elles alguos com cbapa de metal para cobrir o nu-
mero ; assim como dminos em caixas de madeira
branca e envernisada.
ftap Paulo Cordeiro.
A loja de mlodezas a' roa do Queimado o. 16,
recebeu nova remessa de rap Paulo Cordeiro, e
continua a recbelo por todos os vapores, para
que os apreciadores achem sempre boa pitada.
Botfe grandes
e peqoeoos, pret s e de oatras cores.
A aguia branca receben um bello sortimeuto de
bo'oes de diversas qualidades e gostos os mais
moderaos, a elles boa freguezia da aguia branca,
comparecam a roa do Queimado o. 8.
Meios aderemos dourados
Na loja de miudezas a rua do Queimado o. 16,
vendem-se bonitos meios aderecos dourado fino
obras mni bem acabadas e de novissimos moldes
go>tos agradaveis e precos lo commodos que ne-
nhum comprador objeciara.
A mostras ds obras douradas
A aguia branca a rua do Queimado n, 8, rece-
ben orna peqnena quatiidade de meios aderecos
dourados, obras de moldes inteiramente novos e
agradaveis, e acabados com perfeicaD e mesmo as-
sim a aguia quer vende-las barataraenie para aca-
ba-las at o Um desta semana, por isso es pretn-
dales comparecira munidos dedioheiro.
RIVAL SEN SEGIMDO
Rua do (luetmado u. 49, loja do
miudezas
I DE
Jos Bigoumno.
Continua a queimar tndo qoanto tem em seo ee-
abeletimento.
Pares de sapalo de t pete a l260.
Duzi/s de pennas de a(o moilo Boas a 60 rs.
Caixas de liaba do gaz da 30 novellos a 600 rs.
dem de liohas do gaz da 40 rs. o novello a 700 rs.
dem ce palitos da seguraoca a 20 rs.
Leoc/s de casss com barra a 110 rs.
Duza de facas e gaifos de cabo prelo a 360O.
.Vfasso de palitos litado pata denle* a 120 e 160 rs.
Pecas de eniremeios muilo Boas a 300, 600, 800 e
JOOft
Livros das inissoes abreviadas a 1J500.
Carrafas de agua Florida verdtdelra HOCO.
Babados do Porto de todjs as larguras e lodos os
precos.
Sylabarlos com estampas para meninos a 320 rs.
Memento da roopa de lavar a 100 rs.
Novas cartilbas para meninos a 160 rs.
Duzias de meias mono ftnas para seohora a 4&5O0.
Ditas brancas croas para nomem a 3 e 34800.
Agolhas fraucezas a balo (papel) a 60 rs.
Pares de sapatos de tranca e tapete a 1500.
Pecas" de fitas de 15a de todas as cores a 600 rs.
Grozas de botoes de porcelana prateados a 160 rs.
Caixas com alfioeites francezes a 80 rs.
Caitas de 100 envelopes multo finos a 600 rs-
Pregos francezes de todos os umanhos (libra) 210
ris.
Resma de papel d peso branco liso a 2;
'rasco com superior tiata a 100 rs.
Grosas de pbosphoros de gaz a 2J000
Pares de bolees de puolio mult bonitos 80 rs.
Linbas em earlo de 200 jardas a 100.
Caixa de superior linha do gaz com 50 novellos
700 rs.
Caixas de pos da arroz minio fino a 800 rs.
Pulceiras de conla para meoinas a 320 rs.
Talheres para meninos a 240 rs.
Caixa com superiores lacas para charotosla 20 ra.
Masso com superiores grampos a 30 rs.
Grosas de peonas de ago muito Unas a 320 rs. .-
Booets para meninos a l.
Peotes com costa de metal a 400 rs.
Capachos compridos e redrodos a 500 rs.f
Ganas com superior papel amisade a 600 rs.
Realejos para meninos a 100 rs.
JS ^^^^fex'
M^mm lin

xf&'Jm.
o. 3 -O D
5 s 9 fi oo S! US
* i 1 2 ~tr -S
s S B S 8 i s e S>
-1 a. 3
p D t, o -a 3 S 3 &
8 o a* V o. n> 5 S 0 O H fi o o 2 BBS tt EO
m 2 Q ? ? 3 5
5|0W
Cal de Lisboa.
Da mais nova que ha no mercado chegada pela
barca Gratinao : vende se na roa do Trapiche ar-
mazeui o. o.
Hotel Dous Amigos,
Veode-se o hotel Dous Amigos sito na rua es-
trena do Rosario n. 10, livre e desembarazado de
qualquer negocio : a tratar ao mesmo hotel.
~ DENTIFRICIOS LAEOZE
mCNSERVADORES DOS DENTES E GEN-
GIVAS.
fxexir dentifbicio, para a alvara e conser-
varlo dos (feotes, curando as dores cau-
sadas pela caria ou produzidas pelo c n-
tacto do calor ou do fri.
p dentrificio, com base de magoezia para
a alvura e conservado dos denles, pte-
venindo a descarnadura, provoeando o
trtaro de que empede a reprodcelo.
opiato fentifri' io, para fcrticar as gengi-
va?, e a? conservar sSas, prevenir as ne-
vralgias dentarias e as affecces escorb-
ticas.
curativo dentario hygienico, para chum-
bar os deutes doentes, parar a caria e pre-
venir os abeessos u as dores que elles
provocam.
Deposito em todas as pharraacias e casas
de drogaras no Brasil.
Expedices em casa ro J. P. Larose, ru
des Lions-St-Pan, 2 Parts.
Deposito em Pen ambuco, pharmacia de
P. Maurer S C. rna Nova n. 18.
o sacco :
zo o. 14.
Farello a 4#5U0
os armazem da Estrella largo do Parai-

#
Precisa sa de um menion da 12
para eaixero de taberna, nrefermdo se dos uni-
mos chegados : nas Cinco Pontas n. 83. _____
*
Pardflii se tijotem urna flvela de ouro de sa-
pato de tmlr- julga-se ter nas ras do Garmo
rua 'la Cruz : <|U'm achala leve ao arco dt Gon-
ceicao. loja de ourives n. 2, que ser generosa-
meut recompensado.
~ZZ Te*do apparecido no #1 28 do eorreni, a
no'ue, a' cas do abaixo assgoa.lo, sita na rua da
Roja n. 54, a escrava crioala de n diz e>tar auente de casa do sen s-nhor hi ir*
das, e diz s*f escrava do 8r. Plino, s-ui>..r iio en
geaho Baixa-verde, sendo que a me.-mj senhor a
queira vender, pode Jirigir-e a dita ca<, tratar
HKeebe-la, flcando o supplicaote IWre de qnat-
qiwr re">oosWiidade.
Frapcisco Ribeiro da silva.
ft*cisa se de urna aau para casa de pjona
timila ; a tratar na rua do Torres o. 14, segando
andar, _... ,
"" frcisa-se de dous ou tres trabalhidores pa
ra padaria q*e sefara habilitados e p*ga-se bom
ardenado : ca rua do QuartWd* poijcit a. 16.
Oabaito csigiudo juga nada de ver neU
praaa, oim s* ai^oem A>> falcar >eu crtier queira
aprestotar suas eonus no praj de ires das para
serem pagas, do contraro nao alten-lera' a qual-
quer reclamado de divida feia al esla data.
Rrcrfe 29 de Janeiro de 1867. .' ; .
' *_______' Jq'.ACanso Sardeira.
- Eu abaixo assignado declaro qae tentio Justo
e ceclralado cora os Srs. Cus. 61 Alves a taberna
sita ao piteo da ribeira o. Il.lvre- t> desembara-
da : mera se achar con dlreiie eiia spparr^a
pa ptisode tres dla, a cantar Recjfr 30 de Janeiro de 1867.
!^o Gonjes da Cruz.
Jo> Geraldo de Lima corilaimeau agradece as
pessoas qneijver.im a bin-lade de aeompanhtr no
, di 1 27 do correte o enterro de sea Sitado Irmo
a 14 annos Antotiio Jos >U Lim ao cemiterio publico, e
igualmente convida ao* amigos d> fallecido a **
sistirem 00 dia 4 de fevereiro modooro a urna
missa que tem de ser celebrada na igreja da Santa
Croz as 7 horas da raanhaa do referido dia pelo
repiUMi eterno de sua ai mi, vi-in que no dia s-
timo uo pode ter lugar c.-te aeio em razao de ser
dia santo.
Saques
Carvalho & Noguelra na rua
saccam sobre Lisboa e Porto.
do AmIIq n. 20
Ittencjo.
O abaixo assignadj previoe ai publico e com
especialidade ao corpo do commerci i que deixou
ie ser caixeiro di Sr. Autonio Pedro de Mello
(armazem da Liga) por ter >d)despedido desde e
Ola 5 do crreme e que tuda Ih lcou de vendo ;
assim como tambera previne Sos seos collegas a
evitare o mais p.issiveJ do servir o mesmo Sr.
j Mello vista qu oinguem iu qae o saii>fa{, cora
qae lucrara-i bastante ni^o e tainbem agradece
ao mesmo senhor o nao trato que Ibe dea durante
i fteat-s e poaisos tlmsi que o servio.
Recife 29 te jaoeiro de 1867.
______________Joaquira Gomes Cardozo.
Achare foM esta cMade om escravo com
u hr*f> direilo cortado, prelo, crioulo, de Boma
Manuel, Je 45 anoo* de Uut. bslxo, cora barba e
algumas rtehid^as nos p% t suppSe-se enteja
era alguna ularia fazeudo tqolo ; pede se a quem
o ipprehenier jq o laye ,n Sr. Jlraafdiao de
Sena Pontuat, na raa d* S'dzalanov jj, 39, ou
"toa Nova a. f 7, que era' jteneros-'OietU ff'Ca>
j>#n Alun-se o armazem do sobrado a 1 da rua
ImpariM : a tratar no primeiro andar. _______
[mdemnisadora.
Os Srs. accioni-fas da companhia de seguros
martimos e terrestresIudemoisadora sao con-
vidados a reuQirera-sa em assembla geral, no
escriptorto da mesma rompanhia ao raeio dia de
31 do eorrente, all.-n de serem apreciadas as coa-
las do perMgb fin no em 31 de ^ezembro ultimo,
proc der-ra eleicio dos fonecionarios que tem
de servir no actual.bjennio e tratar-seda definitiva
approvacao do regulamento interno e das condi-
coes geraes dos seguros terrestre?.
Recife 26 de Janeiro de 1867.
Os directores,
Francisco Joao i/e Barros.
Migul Jos Alves.
Joo da Silva. Regadas.
Aengao
Na e. irada de Joo de Barros, sitio fronte i ro a
capelinba respectiva ha sempre grande quantida-
de de doce de caj, secco e em calda, do raelhor
qae ha na provincia, alvo, lenro e que poda se 1
como ja tem sido innmeras vezes, exportado para
qualquer pan sem qae se damnifique : os Srs.
negociarues, poi, ou oulra inaesqoer pessoas que
a pedido ou por coola propria tiverem de fazer
qualquer feraessa, p>dem dirigir-se o lagar In-
dicada, quo ahi acharan a porfo de qae earece-
rem, qae sera arromada era vasilhas eafeitadas e
de tamaitos conlalo to comprador, e por me-
os vnte por eenlo do que em qualquer centel-
lara.________________
Atten^ao
O tbalxo asslgnado, morador na povaacfo de
Una, perdeu umi letra acciiu ua colonia militar
Leopoldina pelu Sr. etgenheiro Manoel Candido
rloeRa de Andrade, da onantia de irescolos e se-
tenta e dous mil res 370OO) era favor do Sr.
Aaionio Lnps do Livraminto Pathouy, era 17 de
outabro do corrate anno a dous raezsj; ponanlo,
roga se a quem a achir que a luja de epiregar a
abaixo assigoado nesta povoaco; poit que o ac-
ordante se arha prevenido de nao pagar, seno a
seu legitimo dono
Una 22 de noveio.br:> de 1866.
Jojqnir, e da Silva.
Patiicipoao Sr Euf... A. F., qae *hto re-
lijar a freguezia que tinha m ,aea erUOeleeimeo-
to na trves^ dj x''l>fl hj pMf- be o Ji*
Compi*aiu-sc escrav^os
Silvino Guiierma de barro?, compra, vende e
troca effeclivamente escravos de ambos os sexos
e de todas as idades : a' rua do Imperador n. 79,
terceiro andar.
Ouro e piala.
Km obras velbas : compra-se na praca da ln
dependencio n. 22. loja de bilbetes.
Compram-se libras
ndependencia o. 22.
sterliuas : na praca da
Compra-se ouro, prata h podras preciosas em
obras velhas : na rua da Cadeia do Recife lja
de ourives no arco da Coecelr;ao.
GQMPHHSiT-
cobre, lato e chumbo : no armazem da bola ama-
relia, por balso do sobrado o. 29 da rua do Impe-
rador.
Compra-se.not prelo
armazem.
na rua da uroi n. 6,
Libras
G impram-se a (Ojeada urna : no escriplorio de
Amonio Luu de Oliv-ri Azevedo & C, rua da
Cruz n. I.
Compra-se om escravo; na rua da Gru nu-
mero 6._________________^
Compra-se moedas de ouro : na raa
Nova n. 3, esquina da cainboa do Garmo
loja._____________________________
Corrtura-se uma escrava <|ua saiba oem cosi-
nhar e engommar : a tratar na ios do Cabuga n.
I, I. ja.
^Grande u.mazem de tin-
tas medicamentos etc.
5j Roa do Imperador o. 22.
^ Productos chimicos e pharma-
sk ceuticos os mais empregados em
$Lj medicina.
Tintas para todo o genero de pin-
Bl tura e para tinturara.
Wt Productos iudustriaes e tintas
9| para flores, como botoes de Aeres
'"M e modelos em gesso para imitar
^ fructas e passaros com o compe-
.% tente desenho.
S Productos chimicos e industriaes
3$ para photographia, tinturada, pin-
* tura, pyrotecnia etc.
'M Montado em grande escala e sup-
es prido directamente de Paris, Lon-
S ares, Hamburgo, Anvers e Lisboa l
3 pode offerecer productos de plena M
!9$ wnfiaiica e satisfazer qualquer en-1
W eommenda a grosso trato e a reta- jj
S lho e por preco commodo.
lll-lllfiili
vende-se
nm cabriolet de 4 rodas, e uma meia calessa pin-
tado e forrado de novo : no caes do Capibaribe.
Grande peehineha
Na loja do Arantes & Lyra praca da Inde-
pendencia ds. 13 e 15
Vi nde te :
B iius ioglezes para homem a 6J0O0.
Duos para sen!)ora a 4000.
Ditos francezes para dita a 41000.
VENDE-SE
Na rua da Santal* Nova n. 38, orna excellecte
escrava de 18 annos de idade, com bonita figura e
que eogomraa peifeitameote,cose e cosioha.
Vende-se urna vacca muilo boa de loile pa-
rida de novo : no sitio do Rosarinho defronte da
capella a qualquer hora do dia.
VEHOaS
Vende-se nm boi Aj pasto para carree* mul-
to manso e raanodo : ao sitio cafando na eslrada
de Jow de Barn* entrada pelo prlmMro beeci
dlreila dapois da bomba.____________________^
"Fuella *$*QQ uwo.
A' rua do Apollo n. i.
'j'J llt tJ-.veu.j.-.
'1
Vende st
Joao da Silva Faca dVlraiao, na rua da Cruz n.
66 ct'Btmwaw **t~*' ** vinnostle flordeanx de
boas qualidade*, sendo branco engarrafado, e linio
era barri qaartotas e engarrafado, assim como
champagne IctJ-sc.
. i -.......i........... ... -
.tftencSo.
rua do Qaffma.ta n 7 uadr-si nraa rica ar-
ijUAor
i>< aad quantidade de manteiga ingleza a 400
rs. a libra: na rna Nova n. O. armazem da Liga.
VtOde-ae nm bonito cavallo : quem o pretender
drii i sa a eocheira do Sr. Paoltoo, on a rua Nova
n. 60.
UanAi|a!io|leu flor por 800 rs. a libra, cha,
ruto* deudas aprasiveis a {} a calxinna Aa 50 :
na rua da latperairii n. 6.
D V'- Prnl"'J y*ti '|U.I'tuer aeguciu
por too rs.; noarmatem do 3r. Annea
da ....U da aiand-gi.
tlalas
defroola
Vende se uma arra; {o propria para taber-
na a com todos os otencilios, faz-se negocio a von-
lade do comprador ; na roa Direila n. 30.
A' presos redusidos.
Vende-se papel mabrado do melhor gosto, car-
gado ltimamente de Pars, o 1* lamanbo 30 res
a folha e 640 a nao. o 2* a 40 a foiba e 8(0 a
mo, o -3* a 30 a folha a IJOOO a mo, o 4* 60 a
foiba e I 200 a mi ; dito marroqainado de de-
ferentes cores, mallo incorpado a 100 reis a folha
e 22000 a mo ; dito achamatolado a 160 a folha
e 35300 a mo ; dito d'uma s cor, marca grande,
30 res a folha e 600 a mo ; dito chagrn, muito
lindo, a 123 a rol ha e 2,5500 a mo ; dito de peso
tarjado de preto, para loto, a 80 reis o quaaerno
e 320 a mo de 23 'olhas; dito com beira denra-
da, polo mesmo prego ; na roa do Imperador o.
15 dtfronie de S. Francisco.__________________
Oleo de livluca
Vndese oleo de lnbaca nm poaco escuro, pro-
pro para Ilota escura, a 14280 o galo : na rua
larga do Rosario n. 34._______________________
Calcado barato
Vendem-se na praca da Independencia ns. 37 a
39:
Borzeg jos de lastro para homem a o.
Ditos de br;.erro para dito a 6.
Ditos de pellica para dito a d.
Ditos para setibora a 3J> e 4.
Ditos para meninos a 2*300.
Sapaides ingleies para homem a 3*600.
Ditos ditos para menino a 3*.
Pites de tranca a 1*280. ____________
Campos Sobnnho, lem para vender em
portao e a varejo : soperior cal de Lisboa, por
meos preco do qne em oolra qoaquer parte, vi-
nno do AltoDooro, especial para a eslacao calmosa
por ter inteiramente paro, ovas do sertao moilo
frescas : a' roa do Imperador n. 28, defronte da
relaco.____________________
Espartilhos.
6A aguia branca, nroa do Quedmado o. 8, rece-
ben nova remana dacpelles boas esparibos, a
conUooa a vende los baratamente como d'antes.
Afgote8 debonwwha
para atar papis, segurar manguitos, etc., etc.: na
loja d'agaia branca, roa do Queingoo n. 8-
VENDE-SE
am moleqqe de idade de 13 auno* sem vicios,
new raoresUfc.'cem. principios de tfHntu e copei-
ro : na rua da Aurora, casa o. 6, perto da ponte
de ferro. ___________ -
Vende-se ovas do Mtiao n.nlto frescas : na
rua dasL.rangeiras o. 16.


i
a
ILEGIVEL


M
6


Blarlo de Pernamboeo uarla felra 30 de Janeiro de

1867.

O ARMEZAM
53 RA OA CAOEIA 53
FAJANDO O AI0 DA CONCEIOlO.
Acaba de receber e tem por bartissiraos presos
alm de seu aeostiimado e muito completo sortimento
de gneros os se^tiintes abaixo declarados,
ueijos de Minas.
^bagados pelo ultimo vapor a 1,5600 rs.
Qonma da milho branca
americano.
ARJIAZEM JE %ZI VflrAS
MSCATEL.DE setbal
omaitoexcelle a caixa de dazia e 25 a garrafa.
CHA
hyssoa de prirueira qoalidade a 25600 rs.a
libra, uxim o que ba de mais fino a M rs.,
J^**^^1*!!^}^ alm destas ha umitas outras quaiidades
proprias para veader a retalho, que se vende
QIMPtO GONgALVES ROSA
Ra do Livramento n. 14.
Veguezes.q^^^^
3 K;;TSr,aer e8Commaada'das pessoas ?* -Si
.. Srn'Jm Um. ?mP|et0 sortimento de fazeodas Boas (as atraes nao sendo costme pro-
bos amigos afrete otonr^com s a.s preseras,
Vapores.
bode-se n nu de Saaaders Brothers & C,
o largo do Coifo Santo d. 11, vapores patentes
eom todos ot perteoees proprios para faier moTer
tres ou quasro nacbinas mira descargar algodao.
ais veode mais barato que outro qualguer.
cangica, creme etc., raailo substancial e
uadavel a 6*0 rs. cada pacote de libra.
SALMO e lagostin
chegado ltimamente em latas de 2 libras
{^600 rs. cada ama.
CHOCOLATE
i rs. o pacote, dit
aspecial, o me'.hor que tem viudo ao merca-
de 10000 rs. a 2 rs. a libra.
CHA PRETO
o mais especial que tem viudo a este mer-
cado a 20800 rs. a libra.
rancez a 500 rs. o pacote, dito hespanhol ... MACAS .
.;,i .aK. ., J~*~a___L____ estrelhnhaspara sopaem caixas sortidas de
4o a 10280 rs.
LATAS DE LINGUIQAS
com 6 libras ermeticamente fechada a
40500, e de barril a 640 rs. a libra.
VELAS PARA CARRO
m pacotes de 8 velas a 900 rs.
VINHO DO RHENO
vdadeiro a 20000 a garrafa.
BORDEAUX
das mais acreditadas marcas: S. Julien,
flaut Brion, St. Emilio i e St. Estepb a 800
rs. a garrafa e 80000 a duzia.
O EXCELLEMTE E AFAMADO
COLLARES
agarrafado da bem conhecida casa de De-
ant & C.a a 100000 rs. a duzia.
PORTO
diversas qualidades engarrafado, inclusive o
' mais fino que ha n'este genero" por 800,
10000, 10200, 10400 e!05vO rs. a gar-
rafa.
QLD CHERRY
o maissupe'ior do mercado a 10500rs. a
Carrafa e 150000 a duzia.
VINHO BRANCO
asedente qmlidade, de Lisboa, e proprio
para missa a 800 rs. a garrafa e 80000 rs. a
caixa de duzia.
VERM0UTH
superior qualidade em caixas de 12 meias
|arrafts por 120JOO rs. e cada meia garra-
fa 10200 rs.
18 libras por40000rs, palbarim, macarrao,
I etc., a640 rs. a libra.
PREZNTOS
o verdadeiros de Lomgo a 640 rs. a libra 9
560 inteiro.
JALEIA DE MARMEEL0
em latas a 800 rs.
MOLHO INGLEZ
diversas qnalidades a 720 rs. o frasco,
MOSTiRDA INGLEZA
muito nova a 800 rs. o frasco.
MOSTARDA FRANCEZA
a 640 reis o frasca.
ARENQUES
em [atas a 600 rs. cada urna.
GARRAFAS
brancas para mesa superiores a 50 rs. a a
60 o par.
COPOS
divprsas qualidadese tamanhos a- 3# ., 40
50 e 60 a duzia.
CAPACHOS
de cores e differeutes tamaitos', a SCKf j}S.
640 e 800 reis.
BALA OS
diversos feitios epara compras'deale 800 *.
at 25 rs; ditos grandes proprio para roupa
de 30 a 50. :
GAZ
o mais superior gaz liquido em latas grandes
com 5 galoespor preco de 100 rs.
DE SE&A PRETA.
A' loja de forondas, de Augusto Porto &.G.
11 Ra do Queimado11
A' loja de Augusto Porto d C. chegaram as melhores basquinas de seda
preta que se vendem por mdicos precos.
Vestidos de raain.da c5res para bailes e partidas.
Rico vestidos de Btond manta e eapella para noivas.
Costuraes compjetos de ca as calcase palitouda okima moda.
Bonets depalha da Italia paraisenhoras e chapaos de pbantasia para ho-
mes.
. Eoxo-vaes e vestidos bardados para baptizados de f00000 a 300000.
Camisas mglezas para hornera,, peito, pnohos e colarinhos de Runo supe-
nur
Ricas saias de linho bordadas, balees, espartilhos, meias finas, leaces'
bordados, camisas, camisinhas, manguitos bordadas para senoaras;
Cokas (tosed.), e de laa e seda para camas d noivas.
Cort nados bordados para camas e jaaellas.
Tapetes para tef, cama e piano e pannos para cobrir mesas.
Bramante, Bnlhantlna Miieiinesou cambraias de pafos, fazenda mirto
bella para vestidos, silesias, bretaohas, e cambraias transparentes tapada e
de linbo
Moireaotique branco e preto, sedas brancas, de cores e pretas, e gres-
denaple de todas as qaalidades.
Brius de linho branca *d. cores dos melhores.
Neste estabefftcinerrtd ba sempre so.-timento das melhores e mais baratas.
Esteiras da India para for ar salas
jMtf WRaa do Quelmado i i
Admirem os presos
No anuaien de laieadas dW Santas
lplha.
Rna d eliiade
Vrtiae-se:
Hadapolo enfesUdo flno a 9* pe^a com M
Ditos de 7#, 7#500, S#, 9J, 10* e il p-
20 varas.
Camhraia de lista de doas cores pan vestidos
800 rs. a. vara.
Baioes de arco para seohara a 2SK00, 3& e3*500
Ditos de arcos encaruartos de 34500 e 4*.
Ditos de rnurgiihoa a 4*800.
Ditos d arcosj>an menioas de 1*600 e 2*.
Toalhas de linh alfoehoadas a 12* a duzia.
j Ditas de feitr* (pello) a 13* a dona.
. Atoalhado adamascado de algodao a 2* a vara.
Dito dito de liaba a 3$ a vara..
Bramante de linbo euro 10 palmos de larirnra *
2*A00avara.
Diio de dito de 9 l|2 dito a 2*400.
Dito dito de 5 dito a 1*200.
Dito dito re 3 1|2 ditua 880.
Algodo entestado com 7 l|2 ditos a 1*100.
Recodes de fil pr>u> a 7*.
Boornos de dito a 10*.
Chales de dito a S*.
Carobrale adamascada para eornado com 90 va-
ras a 13* a peca,.
Lencos, brancos de cambraia finos de 21. 21
35500 e 4* a dura. **
L3arinba com ores mailo Boa a" 400 o cavado.
Dita lisa d.taa480o covae.<
Gambraia de linbo fina de 6AS00 a 9* a vara.
Camhraia lisa muito Boa de 3*. 6*. 61500 71 *
8,5 a peca. ------1" w f'
CoiVe fust5 aIcoch 64000.
Cobertas de chila da Iodia do 2*400 e 2*800.
Leoces de h mburgo fin de 2*400 e 25600*
Ditos de bramante de om s panno a 3*iO0.
Tarlatana de todas as cores a 800 a vara.
Mortaotiqoe preto superior a 2*600 o oovado.
Grosdenaple de dito a 1*800 c-covado..
F aneiu e cores a ,800 o cosado.
Cambraia de salpicos branca com 8 hj varas pe-
ca 4*500. .
Fil de linbo liso fino t 800 a vara.
Dito dito com salpicos a SO0.a diu.
Guardacabos de linhe para mesa a 3*503 a doxia.
Assim como tambem se encostra um completo
sortimento de roopa feiu e por medida.


m DA G4DE14-S3


CRAIBE LIQUIApAO
i
73'"largo do Terco 23.
Joaquim SimSo dos Santos, dono deste bem sortido estabeleciment de seceos
0 molhados, faz sciente ao re.spettavel publico, tanto desta pr.ici como de fora me ve-
nam fazer suasde-peusas a e>te estabeleci ment para verera a grande diff*renc'a que faz
para meaos preco. caso fossen comprados em out.a quaiquer pane. E todo o freeuez
que comprar de 1.100000 pira ci na ter o descont de lu% peloprompto pagamento
faz-se esta granlediftVenca por estar-se em liquidacio. T
Ga/. americano a 4oo rs. a garara, e 90a lata.
Caf do hio de 1. e 2.a sorte a io e 2oo rs. a libra, e a 60 e 70 a arroba
Queijos de diversos vapores a 204oo, 208oo e 30ooo cada um.
Pho^phoros do gaz^ 02oo a gros^, e em porcSo se faz abatimento
Cervej i de diversas m ireas, duzia 50, 505oo, 6^ e 70
Arroz da me b-ir qmlidadea 12o ello rs. a libra e a 30ioo e 302oo a arroba
Pa3 ;l de linho marca vi ido a 40ooo a resma, em porcao haabtimcnt
Ide.n fln> demarca martllo a 505oo e 60 a resma.
Vinho das melhores e mais acreditadas marcas, a 207oo, 30 303oo e 40 a caada e
J dbo, 4oo. oo e 56o rs. a garrafa.
dem nranco superior qualidade a 40 a caada e a 56o a garrafa
Cha mu tinto egraudo da melhor qualidade a 20, 202oo, 205oo e 208oo a libra.
Maiiteiir. ingleza fina, a 10loo, 1012o e 40oo a libra, em barris ha abatimento.
Ide^ mais baixaa 72, 8oo e 9oors. a libra, em porcao ha grande abatimento.
tem francez* muito nova a 4o rs. a libra, e em barril ba grande differenca
dem ma.s baixa a 48 52),,56o e 6oo rs. a libra, em porco ha abatimento.
vioho > Porto engarrafado e em barril a 64o, e a i0 a garrafa.
Alm destes gneros ha out-os mmtos assim como boTachinhas de soda a 101oo e
,0 a lata chouncas e genebra de todas as qnalidades, raassas para sopa, copos a 50 a
duzia, so no Conservativo largo d Terco n. 23.
'V,

m
LOJA DA FRAGATA AMAZONAS

DE
onteiro & Ghnmarfies.
Leq.ies demidriperola de 18 a 800000 um
Leques de sndalo novos costos.
Ghaoeiiauas de seda e p^lha para cok
Chpeos de sol de seda pira seohora.
Ricos cintos bela Helena (novogflito)
Cortmad s bordados pira cama.
Colchas de seda para cama.
Cortes de blond para noivas.
Risjuioesdeseia bordados de 15 a 600000
nalos seria eSonho. ^^ braDCa ****%> ^ ou.ros muitos artigos que mencio-
nas m^^s^S^^^xdr consid3rrgralos-pira com
masse esmerara a fimd SriA ^^"'^w^'b^cinantoecarla m
com suas prestmeas toaos quj qaeiram honrar sau esliblejimeoto
M1CH11VAS AMERICANAS
Verdadetra d fabricante X. Y. Caattoagia & c.
Hoinhos americaHos p*ra uiier milho.
Na ra Nova n. 20 e 22, grande deposito
das verdadeiras machinas americanas de todos
os f bricantes; se eojontra neste deposito
grande porcao de machinas, e se vendem por
menos preco do que em outra qualquer parte,
por se receber em direitura da America; se
fornece todas as explieacoes necessarias ao
comprador para conservacio das mesmas;
neste grande estabelecimento se encontra mui-
tos artigos america.-io%, q-ie muito de ve agra-
dar a* africultoresq^e usam de taes artigos,
encontra-se tambera todas as colleocoes de de-
senhos sobre os quaes su aoeita. qualquer urna
encommenda, que cf>ri' promptidao ser execu-
tada; neste granrie &stafeeJeetOMBtat encon-
tra-se em grosso e a r^allio, graDde porco
di ferrageos, e miudeaas q^ue se vendem por pri^'o comrao.io. (-x;iflo-se a atteecao
d3 todos para este estabelecimento que muito lucrarao em faaor snas compras- na
ra Nova n. 20 Carn'ftir Vianna. '


PREPARACOES FERREAS-HAHGANICiS
APPRflVADAS TELA ACADEMIA DE ttDICr&A
DE BURIN DU BUISSON
PhaniHMik, tnmde ptfa Icadtaia de leftn ds Pars
5*SS=^gaw.-v -~
militas
sobrcTSSes^
2C
imtimnm
Mitin9*!
r ej
= -5 = *.--.3 = ""so
* --5 "> B- s ~ 2.6 = 3
?
WT9
>f r* "
' *! 811=^*5 ?s-S -
ffiJnhmH*
3
t mmti1
fS ferreS tHailganiCOS Ia"!0, mmediatamte urna agua, acidulada, _
eeeonemiaasaguas^ineraesCline^'3'61'"0^^^ C0 Va!
PiIbIs e Xarope de iotato de ferro e de altnese iaaitemeis
crosas e tubercnloaaa.
receiladas espeeialmeate
para a chlorosis, a ane-
ria, a leucorrhea, a i
1 trufa de lactato de ferro e de ma&ganesc
4o PImIs de eafboiato frreo minganico
alterna u. dua, preparace. dd uj^mu mST' ^^ *
dHpeaiee, dlrigea ^^0W^^lhtrr|f>iplttnM^m
P0T4SS4 M RUSSI4
Vende-se potnssa da Rus^ia moito soperlor e de
qnaUdade a m.iis aproprtada para o fabrico de
assucar a prec rasoavel, no armaienf de Jos da
Silva Loyo di C
Aos agricultores
Sannders Brotbers & C. acai^m de receber de
Liverpool vapores de torca de 3 a 4 caaallos eom
todos os pertences, e mol proprios para faxer mo-
ver machinas de descansar algodao, podendo cada
vapor trabalbar ate com 140 serras, tambem ser*
vem para enfardar algodao oo para outro qualquer
servico em que asara trabalhar com animaes. Os
me?raos tambem tem a venda machinas america-
nas de 35 a 40 serras : os pretendemos dirjan-
se ao largo do Coro o Santo o. 11.
Loja do Gallo Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Grande e variado s.>rtimen( dos numero-
sos objectos de apurado gosto que ultima-
mente acaba de chegar para este bem co-
nhectdo estabelecimento, pois seu corres-
pondente em Paris o mais habilitado pa-
'ra a escolha de taes objectos, pois os com-
I pradorea poderao apreciar, como aejam lin-
dissii-os enfeites de cabeca com cok de
cabello, e sem elle.
S no vigilante ra do Crespo- n, 7.
Eafeites.
KoqwB cora caixos e de novos penteia-
des.
Trancas pretas e de cores, e de todas as
larguras, com vidrilho e sem elle, para en-
feite de vestidos.
Bicos de seda com vidrilho e sem elle.
Gravatlnhas de velludo para senhoras.
G'ravatas e mantinbas de seda para ho-
rnera.
Gravatas brancas mnito nas.
S no vigilante ra do Crespo n. 7.
Voltinlias para meninas.
Voltinhas para meninas.
Pulseiras para as mesmas.
Cnrrentes para relo^ios fingindo cabello.!
Riquissimos sintoe, Ovejas e para as
mesmas e de entras muitas qualidades.
Riqrrissimos pentes de taataruga.
Fitas de velludo de todas as largaras.
Lindos enfeites para vestidos, chamados
Cbrispianne Margante.
Francisco Jos Sermann
RUA NOVA N. 21
acaba de receber nm lindo e magnfico sor-
Rtqutssimas llores para vestidos e para tmente de ocnlos, lunetas, binculos, do al-
rtS^i timo e mais aparado gosto da Europa osa
tapellas com caixos flor de laranja, pro- los de alcanc* para obsefvaces e para o
Orias para noivas. martimos.
Meias de seda para senhoras.
Ditas para meninas.
Riquissimos chapeosinhos e tc-aquinhas
para meninos e meninas, meinhas e sapati-
nhos de seda para os mesmos.
Lindas sextinhas e bolcinhas para bracos!
de meninas.
Mias pretas de laia.
Lindos aderecos e brincos.
Aderecos completos preprios para luto.
Lindos port jotas e port relogios de de-
ferentes tamanhos proprios para um deli-;
cado mimo.
Riquissimos livrinhos com capa de tarta-
ruga para missa.
Aderemos de flores.
Riquissimos aderecos completos, sendo:
voltas, polseiras, brincos, alfinetes, grampo
para cabeljos; tudo i>to feito de todas as
flores de ultima moda em Paris.
Orar a ti ibas.
Tambem chegaram bonitas gravatinhas
com flores, e com alfinetes proprias para
meninas e senhoras.
Rosts e brincos.
Riquissimos brincos e rosetas inteiramente
novida le e tudo de moito gosto.
Tonqnlahas.
Riqusimas touquinhas de linho e seda,
ponto de corx ricamente enfeitados e de
muito gosto.
Fita.
Riquissimas fitas de chamalote, sendo: ver-
de e amarello, tecido na mesma Uta.
Agnlbast de na Om
Tambem chegaram as mui desejadas gu-
ilas todas de mariin, para trabalhar em 15a
e sem corx.
Sextinhas.
Tambem chegaram bonitas sextinhas de
palha fina, proprias para meninas.
S no Vigilante ra do Crespo n. 7.
Espelhos.
Riquissimos espelaos grandes e bonitas
molduras propnos para salas ou lojas assim
cerno outros de differentes tamanhos.
S no vigilante, ra do Crespo n. 7.
si Para os pais de fami ia:
Verdadeiros
Collares Royer
Electro Magnticos Anodinos
Ou Collares Anodinos, para facilitar a den-
tico das criancas contra as convulsoes
das mesmas, a estes collares nos escuzado
fazer qualquer recommendaco, visto a
grande utilidade que tera produzido quelles
pais que os tem appfieado em taes circum-
stancHS pois nos parece que n5o haver um
s pai ou mai que por este meio n5o quei-
prdrmo a taes soffnmeotos de seas
08 ^


XAROPE de IAFI u UlHi
BB BBLAJWCIRBmHBR
,' ?S *! ?ntf.M.r*.llor" MltUldll M'* proUorM .
FtcaliKj d< Medid dt Frn^, i por M dlci tu Boa-
P|UM Prii. uqna ctrUlcarl* n.io k mi auMri
ridedttokrt lodos u omrot pillon.. cm. tu mmom
eracaclt atntn o* Dona*, il. lnMiiln a u
al|Hi da aalta a da i>r,.M.
RACAHODT DES RABES
* nitwimta
UnlcoiltaeBio aapravadeaala*odam)idaHadlclaala
Part. Ella reiuiHelece aa aaaaoaa a.oa aaflraia do Bata-
aaasa a dea let..uno. rerulaaa aa crtaocaa a ai nitataa
dal.iliudaa, alan alaao aa ainada 4a aaa [iiaaawdaJa aa
laptici ha o Belhor ateaamU daa
niaiiii.
aaaaralla a
Cada fraaco a aada ealilaka daaua :
umprt ,eU, m Irma Dalaatrtaiar. ra
an Paria. (Fajar aarlilo auaaaia ca aa falatcaceei.)
rtMaetaa I
Ricbellao,
Baiioaliarlaa na P.
a-nliaan w 4
A venda as pharmacias de P. Alaurer
C. A. C3ors, em Pernambuco.
-----------------
Doces
Grande sortimento de doces secos e crystalisa-
o8 e em calda e^trangairos e naclonaas : do ar
mazem daLiga_nia Nova n. 60.
Para a abertura das aulas
Cartas de A B C, taboa las, catecUmo, verdade
aos meninos, grammatioa e ariihm-tiea por Uastr#
Nones, caminas, biblia da infaacia, caminbo do
co, devoto christo, SimSo de Nautoa, ecoeomla
da vida huiD.oa manyres peroarnbacanos, regra
mai facis para entender a iMaubi'idade em ver-
sos por Gamboa, ;ateclsmo das verdades catholl-
cas, traslados, pautas, papl de peso e almaco de
monas e diversas qnalidades, liso e pautado na
roa do Imperador delronie do convento de S. Fran-
cisco o. 5*.

Vendem-sc
df-os armaiens na ra de Apollo, e cojos fundos
van ao caes do mesmo nom n?. 38 e 40.
Um sobrado na ra dos Guararapes o. 26.
Um sitio eom casa e vivenda, 3 vivaros, mni-
tos arvoredos, e grande proporgo. na estrada de
Belem para Santo Amaro, conheeldo pelo sitio da
Torre.
Todos e?tes predios acham-se em bom estado.
O pretendedtes diri|am-se a ra da Senzala-no-
va o. 4?. em casa de S P. Jobn>too & C.
Mathues Austin & 0.
Vendem no se arnaasena, rna
da Senzala-Velha n. 106.
Latas com gaz de primeira qualdade. '
Barricas com fanuha de milho muito
nova
Saceos grandes com farelo novo a 40.
jarris com pregos americanos.
ra
filhinh
!
rmo
visto ser um mal que tanto os
flaeel a, pois a estes collares acnmpaoba um
folheto que ensina como se deve applicar e
vende-se na loja do Gallo Vigilante, ra
e ftlOM D' ?' Pe' Pre? de 4f5K)00' 5&
Viuho do Torto suBrrrior um caixa do
Ufii duzia.
Vende-se no escriptjrio de Antonio Luiz de
Ohveira Azevedo & C, uo seu escriptono Tua da
Cruz o. 1.
PHOSPHATOdeFERRO
[DE LERAS DOUTOR EM SCIENCLS.
Vende-senarpharmacia.de P. Maurer'4 Q,,
ra Nova.
------_
fvk
IN JECCAO E CAPSULAS
JTCGETAES AoHUTTGOl
GRIMAULT&CpharmaceTICOSemPAKIS
NwwiwmwuBm unyuia tea wrjmmrm
Z^00? f'V*' *" P*u' Mr* luH rpida e ia-
Blivel da GoBorrtiee, sera reecie algum da oon-
traeco do ranal en da inflammacSo dos intestinos.
0 clebre deetor Ricord, de Pars, ter reneoeiade,
ieade ua apparico, ao emprege de qualquer
mro tralaiMMo. Empreo-se a htjetcdo oe
eomco de fluxo; as captulai em todos m caeos
Maffin.
J A venda as pharmaalas de P. Maurer &
e A. Uaor, em Pernambuca.
vende se urna morada ds' cata jterrM coa
^>2niJ?0J!**-fl,flc5r am oulra *L V>roMide
.....
VERDEASE
a pregos reduzidos os
seguintes liaros:
A le do sello pelo cortador Emilio, i volme
) portoguez, bast
_tafii graade. a IjOOo; os
Manyres Perumbac*oo*,M volatas idem, a 1*100;
Ubsirvacdes aleaos rtnt>s de Cdigo do aroces-
so pelo Dr. Mende*. a t000 ; ditas ao cdigo pe-
nal, pelo mesmo. a liOJO ; ProcuracS- extraa-
diciaes, peio Dr. Triodade, a 00 rs. ; Lels eonre
terrenas de marinba, pelo mesmo, a 500 rs: Dio-
cunarlo do Alto Amazonas, a 1*000; Simio de
Naotuy, abra completa, moito bem encaderoala, a
640 ; Lynca de Horaeh, iraduuda em verso por-
toguet por Eiptoo Ouiens, volamos bem m-
Bfessos e broctiaratfdf, a 1000 ; Economa da
Vtda Humana, a 240; Catheisxo das verdades
^tho'icas; rarus de A B C e taboadas a 40'rs.;
aalhai.icfnn na i1.intf.in h.i..:_ a<. __ '
Nto existe medicamenio-ferruginoso Uo nouvel
come o PlwtphMo ie ferro de Lefat; u somrai-
oaaes medicaes de mondo inteiro adepuraa-ao
CMa-aeiciUie em iaroal nos anoaes da scieneia
Ai cort* paiMt, dores de estomago, diqeUZts
penosas, aneva, convaUseendas titeis. Hade
crutm *eu ssnkoras, irropdaridale no mens-
trt"H>, fobres* do sangue, tymphatmo. Oo
ZZ&Ln*UammU' 9* modificados por a
"Keenie eompotto. r o conservador por excel-
encia da sande. e declarado superior nos hospi-
vSlJli? c^d*n>'w "i ferruriDoaei
OBheeioe, a todoreto e ao irate d ferro,
porwie # o nico qne ceavem aos estmagos de-
al^: ,oe PVO0B eonetipacio, o ateo
"woesn qne nto ennegrece a bocea e os demos.
v Deposito oaspharmictas de P. Maura
C. a A. Caors. em Peroambaco.
Vende-se
machinas americanas de serrotes para desearocar
algodao : na_rna da Senzaa Nova n. 42.
Charutos~da~Baliia.
Superiores.
Havaneiros a.......4*500 a cala.
Fior de Havaoa *.....4*000
Delicias.........3*a-W0
Lyricos pm meias caixas Sn00
Americanos meias ditas 5$000
Sosuiros daos meias canas 35100
R-gaii-lH.perial......33<0i>0
Brasilpiros ....... 3OiH)
Suspiros superiores .... 1*300 o cento.
Para acabar : na Liga, ro- Nova "o. 60.
Fio de algetfo da attia
Vndese no escnptirio de Antooli Loiz de011-
velra Azevedo- C., no seo escriptorfo roa da Crot
D. L
------
-
Vende- e
-'i-
frente sitaff ra3a .r.. K, -aH* -i ^'u'""8' 'f"*8 e a o t, e taboadas a 40 r
l ,, .' .. d? AWP,ro e> inda : a tra- eatbecismos da dootruu eUrlslia a ..
I rolle se o.;' io>.
Motores americano* para dous cavados, dito d:to
para qoatro cavados, maeninu. pira df.scarocar
algodao de 14, 16,18, 20, 30,33 e 40 serras, pren-
das para enfardar algodao hiendo as sacnae coa
[seis palmos de coroprircnto, com o p so do 130 e
200 libras, vmda* o'amameote da" amerlca; oo
armatem de Heury Forster i C. jo qu Pedro
n. 2. jnrHo ao gabwte portugoet, __________/
Tinta nova superior
Vende i** garrafas : no ^soriptorio de Asto-
oio Lua do Olivera Azevedo V CL, roa da Crea
u-l.______________
' f Vendo-ae a dmh-iro tena, Jlo de arvna-
ria batida a 36* o milhelro, asim como t^rfo -d
Grande sortimento do tfoce< eeooes, crystalfsa I at-am^oto largo e stretto por preefl commedo :
ios e em calda, estraogeirose oaoionaes : ao ar- M ra> "t^t* do Ruarlo o H.
!* roa Jfova o. 60. TT---------~Z~---------------
E' chefado a taberna em frente a roa do YIj-
om Urva-, de a dedada ova do serta oae se vende b
preco commodo. *^
Vende se om sitio na roa de iam Oca com
om- cata para familia, arvoredos e algara terreno
de-J traa o rna do Qeelaiado n. 18 A,
loe & Bastos.

.:.*


Diarto de f erauiboeo
Quarta felra 3 O de Janeiro de i 86 7.
> <



w
'

f

i
.



d
fteBtMsdt ftr. i. C. Ayer, ei-leite
da Uaiversidade da fensvlvaiia, wt
Estados-Unidos.
Exlraeto composto de salsa-par
rllha de Ayer.
Pe i toral de erre ja.
Remedio para sezes.
Plalas catharticas.
0 deposito teatral para as provincias
Pernarabnco, Alagoas, Parahyba e. Rio-
Grande do Norte, desies remedios to 'fe-
voravelmente conhecidos e acolhidrs en
todas as parres da America do Sul e do
Norte, acha-se em casa de Theod Chrla-
tianscH, 16 na de Trapiche em
Peroambuc.
Os precos de
335 por duzia de estrado de salsa-parrilha.
270 por duzia de peitoral de cereja.
27|$ por duzia de remedio para sezoes.
7$ por duzia de piluias catharticas
se entendem dinhelro vista, c a
o descont de 5 por cento em quantidade
de 6 a 12 dazias, e de tO por cento em
qnantidades superiores a 12 dazias.
n
Perfumaras novas,
A antiga laja de mlodezas a roa 9o Queima j
a. 16, recebea dovo soriimeoto de perfumaras
seodo fiaos extractos e essencia concentrada, chai-
ros gradaveis para lencos, oieos sorHne, {thiloco-
me, e babosa para cabellos, baahas e cosmetiques
tambem para oseabellos, poz de crale hygienicos
para deotes, oputa ingiera e franeeza para ditos,
sabonetes em barras qoadradas, outros em calxi-
nhas, e ouiros de bollas transparentes para mo,e
ontros roui finos era carxinhas de loucs para bar-
ba, agua da colonia tte soperir.r qualidade em fras-
cos de diversos laman hes e prego?, agua ambreada
para banbar e refrescar o io.*lo, agua flo-tda ( da
verdadetra) tnico de Kemp, e muas oalras per-
fumarias qoe a vista da boa qualidade ecoramo-
didade de pregos, o comprador nao obiectara'.
Meias pretas de iaa e de laia.
Para padres.
Vendetn-se na toja de mludezas a' raa do Qual
mado n. 16.
tara baptisados.
Bonitos cbapeusrabos enfeitados, sapatinhos de
setim e mpnn, bordados e entortados, meias de
seda, e fio d'eseocra para ditos. V-ndem-se na lo-
ja de miudesas a' roa do Queimado n. 16.
Bioos e rendas dasilhas.
A toja ae miudesas a' roa do Queimado d. 16,
recebea novrnoste ootro sorlftnento daaoelles bons
e bem conhecidos mees e rendas das ilhas, coja
fortido, e seguranza de tecido, Ins da' immeasa
doraco e os differeotes Bbs a que acertadamente
sao applicados fazem a grande procara, e prompta
extraego como constantemente tem acontecido;
assim pois eoncorran os pretndeme*, que a vista
da commodidade dos precos nao objeciara; em
comprar.
Graxa econmica.
Em caixinhas, latas e bsrris, a' loja de miudsas
a' ra do Queimado b. 16, recebeu aovo sortimen-
to dessa boa graxa econmica.
La para bardar.
A loja de "miodesas a' ra do Queimado o. 16,
recebea novo sortimento de lia fina de bonitas co-
res, e como sompre vende a baratamente, e o sor-
umetilo a contento,do comprador.
Bonitas caixinMs.
De madefra cora eafeites dourados, e oulrasde
metal paita guardar j lias. Vendeni-se na roa do
Queimado toja de miudesas n. 16.
EafeHe e grinaldas.
Na loja de miudesas a' roa do Queimado n. 16,
acbaro os apreciadores do bom, ura bello sorti-
mento de bonitos enfeites para bailes, theatros e
casamentas; assim cerno delicadas grinaldas para
noivas, eafxos de flores lioa.s para afeitar os ves-
tidos de ditas, e maitos outros objeclos, e todo se
vende, por precos to rasoaveis que o. comprador
experiente, nao se atrave a bjectar a respeito.
Babadiokos bordlos, eitlremeios ditos.
Todos de fina cambraia e delicad s bordados.
Vendem-se na loja de miudesas a' roa do Queima-
do o. 16.
Pin mas- bra ocas e de caes.
Vendem-se na loja de miudesas a' ra do Quei-
mado o. 16.
Fnanjas
Com borlas e sera ellas, para cortinados, toalhas
etc. Vendem-se na loja de miudesas a' ra do
Queimado n. 16.
Bitas e b mi las fitas.
Lizas e lavradas, larga- e estrenas; vendem-se
na loja do miudesas a' ra do Queimado n. 16.
Bonitos en fe, i t 's para vestidos. j
A loja de miadesas a* ra do Queimado n. 16,
esta' recentemente provida de mu bonitos eufeites
para vestido?, sendo bicos de seda tanto branco
como pretos, de difftrentes larguras e com vidri-
Ihos, ou sera elles.
Trancas e galoes de seda dos ultmos gostos, di-
tas com vidrilbos, pretas e trancas e de diferentes
larguras e goslos. Fitas de velludo prelas e de
cores, com lista as relas. E assim muitas oalras
cousas de moda e novidade, e lodo por pregos to
commodos, que o comprador flea satisfeito o nao
objecta a comprar.
Bollas de bairacaa.
De-diversos tamanhes p dem-se na loja de miudesas a' ra do Queimado
n. 16. ___
Vende-se vinho de Bordeaux em quarlolos
barris e caixas : em casa de Tissel reres, roa jad
Trapiche n. 9. _________
m m m
Cbegoa ao anttgo deposito de Henry Forster &
C, roa do Imperador, um carregamento de gaz de
primeira qualldade.o qual se vende em partidas e
a retalho por menos .prego do qae eip outr' qual
qner parte.
mmm
.A PUBilCO
NA LAIA ARMAZEM
BO
Kua da Xinperatriz n, 60
DE
GAMA SILVA.
Baldes baratos
Vende o Pav3o.
Cbegoa um graiyle sortimento de balSes de ar-
cos sendo amenca jos que sao os melbores e ven-
dem-se polo barallsiroo prego de 2JUKH), 3 e
3^500: xa loj.i do Pavo na roa da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
A 1(30 rs. para lato, vende o
Pavo.
Vendem-se |jazphas freas proprias para luto
peto baratissimo prego de 100 rs. o eovado: na
loja armazt-ra do Pavo raa da Imperatriz o. BO,
io Gama Silva.
Croch*
Para cade iras
Para sofs
Para camas
Para presentes.
Yestidinhos para meninas
Venden se elegantes vestidiuhos para menina,
ue lsinha mnito bem enditados pelo baratissa
preco de 2:800, dilo de g,,rgot ao Ae seda a 3*COf>
na loja e armatero do Pavo na roa da Imperatru
n. 60. de Gama & Sirva
Coalas de marin
Vendem se flolssimos chales e marin Usos da
diversas cores, lendo as franjas -e seda a 4^000,
tendo com as franjas de la a 3^900 rs, ditos -
Umpados mnito finos a G00, 000 e 7*000, di-
tas de crpon com listas de seda a 8*000, dito*
mais ordinarios para acabar a J*000 e #600 : na
loja e rmatem do Pavo na ra da Imperatri a
60, de Gama di Silva.
Sedmba8 de listas a 400 rs.
Vndese bonitassediobas aeliftasp:opriasar
vestidos com largora de cbita irglria [alo barato
prego de 400 rs. o eovado : na hja < ramerade
! Pivio na roa da imperalrlm n. 60 de Gama &
O propietarios rtto grisdB est-belecimento;
tendo no anno prximo pastado veudo grande I rk*
parte de inas fazendas como haviam denunciado 4krDeg,T,m os mais ricos Pannos bordados a oro- i o>-
tem reselvido contnaar a vender anda mais ba- CM /ropr'!i1"* encostos de cadeiras qne se FlIS bordados a 800 T8. a vara na lflia do
>ato em virtnde ao abattmento que fizeram em em,a 50 e ^ <,itos P""8 enrosto -de sof '
soas fazendas por oeoasian de toaJwco a que oro- S^ ditos proprtos ^ara cobnr almofadas a
cederam em 31 de deaembro nimo : aofm nara **rr e,d,,os paracobrir presentes a 2*300 e 3*:
poderem salisfazer e apresentar ao re'soeiuvel pu- n* '?a do Pavao roa da Imperatriz n. 60, de Ca
blico os seas numerosos fregaezes tanto desu pra-'"
ca onodn mato ora novo e variado sortimento de
-
IGA
Gruue e
bem sci-tido rroiazem de molhados
Ra Nova n. 60
Sabio ou n5o sahio, am abillisiimo freguezes? sabio sim ; e se demoramos tanto
em abrir a caixintia do segredo, foi porque gestamos de sorpreza a das conjeetnr?. Abl
Ah I Ab I como o sahireu no gto de muita gente de collarinho empinada ebigode re-
torcido ?! Quanta interpretaco iidicula e risivel sofifreu o nosso pobre sahirli fiMuita
veztivemos frouxo de riso no cantinho do nosso armazem, quando vamos quealguemse'
encoratLodava com essas seis negras letras, que por alguns dias deram um eerto ar de
mysterio a urna das columnas -deste venerando Diario l Enoentanto nada de misterio-
so bavia, como vedes, no patosco sahtr! sim; riamos a bom rir; mas nunca vimos rir
o cavalleiro da Liga porque
Serio e grave encara as cousas
De*te mundo como sao ;
Verdadeiro, flel vive .
&o oommeroio a tradieco 1
Pois que o sahir se mostrou qual vinde admirar freguezes, como no armazea
da Liga se opera a mais fina liga do bom- e-barato. Lede e veris a verd.ide vinde pois;
toda* as qoalidaes de fazendas, d.sde as mais
modestas at as de mais aparado laxo,-nao se tem
poupado na escoiba dellas, llmitaado seas Jecros
apenas no descomo. Continuara a dar fazendas
amostra, coro p*Hbor,oo mandadlas imr seos oai-
xeiros era casadas Kxmas. famias.
- Grande peehincha
tres tost es.
Lanzinhas a 300 reis.
Lanzinhas a 300 res.
Lanzinhas a 300 reis.
Sa pa laja do Pava.
Vende se ora variado sojiimeoto das mais deli-
cadas lanzinhas, tanto com os mais primorosos
gosios'erotnatlz,-como' miadintias de urna s cor,
sendo e.*ta fazeoda la pura, e vende-se pelo ba-
ratissimo prego de'00 res o eovado, por-ler feito
grande pechicha na compra, se nao serias para
muito mais dinbeiro, isto na loja e armazem do
Pvao na roa da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
As saias do Pavo
pecliincln a
' ixWOO, imo e 14600.
Chegon ama grande porgao de pegas de fazen-
da branca, proprias para saias,-eeodo deum lado
bordadas, com muitas barras de pregas, lendo a
largura da fazepda a altura precisa para urna
sala, podendo fazer-se com tres e meta vara, e
veade-se pelo barato prego de I* e 1*280 a vara,
sendo s com prega, eal'*60O tendo pregas e
bordados, isto s se vende na loja e armazem do
Pavo, na roa da Imperatriz -n. 60 de Gama &
Silva.
Algodozirifio a $300
Vende-se superiores pegas de algodozlnho cera,.
18 jaidas, sendo muito boa fazenda, pelo barato
prego de 4*500, na loja e armazem do Pavo, na
ra da Imperatriz o-/ 60 de Gama A Silva.
Novidade
Em ciuiibraias de cor.
Chegcu p-ra a loja do Pavao ura grande sorti-
mento das mais modernas cambraias com llstnas
largas, tanto aocomprido-como slravessadas om
as ti a. i modernas e mais delicadas cores; assim
como os mais moderos organdys de lillas largas
com lindasflores marradas pelos etniros, que se
vendem por procos muito razoaveis, na loja e ar-
maem do Pavao na roa da Imperatriz u. 60 de
Gama & Silva.
Ricas Vfstidos trancos.
confiamos em que n5o lereis occasiSo de dizer que o vosso dinheiro foi mal empregado, m?2r as cTS^f maTiioda"'Srrs borda'
nem O VOSSO bom gOStO Offeodido. Eis freguezes e.....la vai verso. \ das, sendo estes vestidos muito proprios para bai-
Fariolia le milho (les e casamentos, e vendem-se "por pregos razca-
ou gomma de milho branco preparado na.America, vende-se 500 rs. a libra, e o cid- '^LifJfc a.rmrfra I1 cP?vo' na raa da Im'
muSZ ,0mr,n A-JA, SjEL-Ak^hm hKn f i P"** 60 de Gama & Silva.
daoque comprar dezlibras vendt-se-lbe-ba450.
BISCajUDS INGLEZCS
Soda, Mized, Pic-nic, Francy Crnckeuel, Qenn, Osborne, Gala, Arrowrote outras muitas
qualidades a 1/9000 a lata com 2 e '3 libras.
Iklaxitthas percales
em latas de diversos tamanhos 2, 3, 5,8 ibras cada urna e pelos seguintes precos: 1&200,
25400 e 3#0G0.
ISoahos oiu auteudoas
Cambraias lisas do Pavo a 3$500,
4(5000 e 45500.
Vetfde-se um agrande sortimenio das melbores
cambraias transparentes, tendo 8 varas e.meia ra-
, da pega, pelos baratos pregos de 3*300, 45000,
4*300, 5*000, 6*000 e 7*000 a pega ; ditas de es-
cossia com 9 varas cada pega, tpodo mais de vara
de largara a 6*000. 7*000, 8*000 e 10*000 ; ditas
, Victoria a 6*000, 7*000 e 8*000 : .ditas largas com
grandequantidade e cartees, boeelas, caixas turradas de chumbo, com asmis ricas qua- J/SSMJHP? a 15000 e ? a va.la, fn'
Si j "l o. i > i i u ii u- j do preciso apenas 4 varas para vestidos, atienden^
lidades de pao-de-l, bolos, para champadla, bollinhos com amendoas, e outros muitas do a iargara | H3S para f^rro rooito eneorpS(jas
que se tornam enfadonho mencionar. j a 3*i200 a pega na toja e armazem do Pavao na
MANTEIGA rQa da Imperatriz W, de Gama A Silva.
maoteiga ingleza, primeira qualidade a UiOO a libra, dem ingleza boa a ltfOOOa libra v^Jf^J** vndHe/ Pav3a
800, 600 e 400. dem francesa a 640 rs. a libra. Vendem-Se r,cos coM,Dados bord,dos e adanias
itoce em ealda
doces secos e em calda de todas as qualidades, em frascos, potes, caixas, etc etc: por pre-
cos os mais razoaveispossiveis, amendoas confeitadas libra a.
CAF
cari do Rio Ia sorte 240 rs a libra, 2a sorte a 200 rs a libra, 3a sorte a 160 rs i libra,
em arroba se far grande abatimenlo.
Yinho
vinhos engarrafados de todas as qualidades, rainha Estephania a 30000 a garrafa, Porto
maloiia a 0500 rs. a garrafa, lagrimas do Douro a 10800 a garrafa, Pedro V, D. Luiz,
Maria Pia, carcoveilos. bacaaaes,boeugi.aH0OUO rs. a garrara, idem cheres verdideiro,
20500 a garrafa, idem cherny cordial a-10000 a garrafa, collares e figuira ambos 'engar-
rafados a 500 rs. a garrafa, idem de Lisboa em pipas, barris, ancoretas e a retalhda 360
e 400 rs. a garrafa, ancoreta com vinho Unto a 20400 a ancoreta.
Bondeaax
vinho -Bordeaux de todas as qualidades do 60500 a 250000 rs. a duzia, e en "garrafa de
rjOO rs. a 20000 rs. Wermoutb a 10500 rs. a garrafa Kenocb de wasser a,20000 js. Ab-
symth a 20OO(a-rs. agarrafa.
rs,-a
segundo.
Rival sam
Ra do Quer acabar cam as fazendas abaixi
mencionadas.
Qaciram rir ver Kjue nm e baratissimo.
Libra de gomma de milho a 400 rs.
Toalhas de labyrjalho com bico, taienda boa >
3*300.
Carreteis de linba com IW jardas a30rs.
Gravatas pretas e de edree muito finas a 500 rs.
Barataos franceses muito linos a 200 e 320 rs.
Caixas de o^reias demasa muito novas a 40 rs.
EoQadores para esparlilho de cordao e fita a 61
ris.
Carreteis de iinha Alezandre com 400 jardas a 801
ris.
Resmas de papel almajo muito bom a 2*500.
Fraseo de leo babosa a 320 el rs.
Ditos de dito bigleni'ine verdadeiros a 1*000.
Ditos dito filso a 800 rs.
Ditis de maeagar pria a 200 rs.
Sabonetas muito finos a 60, 160, 200 e 320 rs.
D.t.is de bolla muito .finos a 240 e 320 rs.
Caixas para rap com bonitas estampas a 100
imitas 4e palMisa balo a 40.rs.
Miaaa.1 de liaba froxa.paraArdar a 20 rs.
Yaraj de cordao para esprtilho a 20'r^.
Frascos cdmtmta rftKa4Uuito boa a 2*0 e-320r
Ditos de dila..preUa.roeJhor que ha 1320 rs.
Duzia de laceas para sobre-mesa a 4*.
Varas Pentes volleads.para repagar cabello da meninai
& 32(1.
Frascos .dn.maMca' otocmoU fino, a 120 rs.
Anotoadaras amito Unas para colleles a 500 rs.
Cartoes de lioha bran,ca e de c>e> a 20 rs.
Libra de ara preta superior a 100 rs.
Cartas de alftntles francezes cora 14 peotes
120 rs.
Escuvas para fato, fazenda bpa, a 500 rs.
..... .i........ ......
(al de Lisboa,
Caetada no nhirao navio, ais-barata que em
outra qualquer parte ; no deposito da roa do Apol-
lo n. 8.
), 30800; cha verde de
w
caixa lO0;eoutri
smoi-
Cal nova de Lisboa.
No armazem da ra do Apollo n. 8, por menos
*00 rs. do qae em outra qualquer parte.
GAZ I
gaz verdadeiro americano a 90260 a lata grande, ,garantindo-se 27 garrafas, e a 4*0
garrafa.
Orveja Gelada
cerveja gelada em garrafas e '/a garrafas inglezasefranecza.
Pinco e/Jpista
painca 100 rs. a Jtbra, alpista .460 ;,pinco e alpista misturada 140 rs.a libo: em
porcao se far abalimento.
Cha verde e prcio
10000, 10500, 20OOQ,.'.202OO, 20400, 20600, 2
todas as qualidades, huxim, perola, aljfar etc.,
CHARUTOS D'HAVANA.
regala britaneica 100 a caixa, loodres 120 a caixa, o
tas marcas que se tornam enfadonhasj||!iciona-las. A
CHAOTWS DA BAHA"
imperiaes, exposicao, normas .londrincs, guanabaras, suspiros, delicias, parisiences, ven-
cedores, guerreiros, lyricos, que*m fumar faber, para.os seguintes precos: 10ooo,il05oo'
20OOQ, 205i.o,30ooo, 305oo, 308oo, 40oo, 4^2oo, 405oo, 40800, 50000,505oo,60ooov
605oo, 70ooo, e 80ooo.
Velas Stearinis.
spermacete 64o rs. o pacte, velas de carnauba de 6 por libra, 36o j*. de 14 em
libra,. 44o rs. em porgao se farabatnerdo.
GENEBRA X&qxxu victoria 74) rs. o frasco.
genebra de hollanda em fraseos 56o.xs. oirasco.
CftWEJ&-T-E BftSS,
cerveja bass e tenente ede todas as.quaWiades, as quaes se vendem o malswzoavel.'como
seja ooo 6ooe7oo rs.e em duzia az-se-ha grande abatimento.
i-Anm da iluda,
4dfs. ca* libray-empor?5o se fot'grande abatimento.
SABO E SAB0N8TES.
sabao branco com veas cor de-roaa.-idam branco com veas azues, sabonetes de urna libra
cada um, sao os sabonetes mais econmicos que tem vindo ao mercado 5oo rs. afiibra.
. Saga' e Sevadlaba.
sag' muito novo 24o rs. a libra, cevadinba muito nova 16o r. .libra.
cevaba muito nova 12o rs. a Mbr-a.
QOMMA DE ENGOMMAR A 20 S. libra.
CEBLAS graudes'e novas 10ooo o aolbo.
Lwtaswom Gnservas.
[latas com ervHhas portogezas e fraacezas.- latas com carnes preparadas, passarinbos goi.
zados em latas, e salame em latas.
Clore de gafaba.
ha constantemente nm grande depesitd de doce de goiba em cixoesde todoaoslamanbos.
"Copas, topes,
copos crystallsados, ditos lisos, dftos decores, a0ooo e 40ttoo \ duzia.
GARRAPAS Di CRYSTAL.
garrafas de crystal de formatos do oltimo gosto.
AMEIXAS.
ameixas em latas, em bocetas e frascos. ^
Queijos Queijos.
queijos flamengos do penaltimo vapor 20ooo, ditos do ultimo .... .j
cados proprios paraesmas e janellas pelos baratos
pre?os de 8*. 10*000, 16, 20^000 e 25*000 ; su-
perior damasco proprio para rolcnas a 2*300 o eovado; ricas col-
chas de croch pelo baratissimo prego de 10*000 e
12*000 : isto na I >ja e ana2zem do Pavao na ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As melpomenes do Pavo a 2500
Vende se superiores cortes de mtlpcmeoes, sen-
do fazenda transparente e muito benita, tendo mul-
los padi5es rozos com 7 varas e meias cada corte
pelo baratissimo.prego de 2*600 ; .isto para acabar
na loja e armazem do Pvao La ra da Imperatriz
n. 60, de Gama A-il*a.
Grande pechinchaem chapeos a500 rs.
Vende-se cbfpos de palba a imilacao de man-
Ib a propno para born ns pelo barat ssimo precoide
500 rs. cada um ; isto para acabar na loja e arma-
zem do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Corpinbos para senhor a 50.80 e 100.
Ghegaram os mais delicato? corpinhos de cau>
braia transparente, sendo ricaawnte enfeibdos e
vefidn>se pelos baratissimos presos de 5*000, 8*
o 10*1.00 ; ditos de grosdinaples preto, seodo fa-
zenda multo superior pelo barato prego de 8*000 ;
isto na loja e armazem do Pavoua ra da Impe-
trizn. 60, de Gao-a Ov Silva.
Grande pecbincha em chitas.
Vende se am grande* sortimento de cbitas escu
ras e alegres francezas peles baratos presos de 320,
360 e 400 rs., sendo com es padrSes mais bonitos
que tem viudo -a o mercado com listas e dures etc...
etc.; {wranlindo->e serem cores fichas : na loja e
armazem do Pavao na ra da Imperatriz n. 60, de
Gama l Silva.
As saias do Pavo "
Vendem se ricas saias cordadas com 4 pannos
pelos baratissimos pregos de,6*000 e 7*000,assim
cono aienda*m.,peca com pregas proprias para ol
mesmo flm a 1,0200 a vara : na loja e armazem do
Pavona ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
S ellas novas
Ghegaram as mais modernas sedas com listrai
para-vestidos, s$odo com as cores mais,moderna
quetem vindo ao mercado, assim como grusdeBa-
pies de ditTerentes cores como sejam c6r de rosa,
azril.ria, eOr-deaf, cera*-lirio etc, etc. r-
venero-sepur preco muito na conta isa aroiaaem do Pavo na ra da Imperatru n. 60, de
Gama & Silva.
.GDinoliaas a .30300, 40000 e 403GO. /
Ctiegaram para a loja do Pa^ao as maisflioder-
nas ctinulUias .o* baldes verdadeiramecte ameri-
canos, que sao os mais bem armados e mais leves
que'tera vrado, s*Ddet'0'ftjroito maisimoieF-
no yn aituilmoptiiiiM ua o vendem-se pelos se-
guintes presos sendo com 20 arcos por 3*500,
ditos com 25 arcos jior 4*000, ditos com 35 arcos
a 4*500 : bto s na loja e armazem do Pavio na
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
SftS1 larcas" na toja do Pavao.
Ghegaram as.mais bonitas sedas da cores com 4
palmos de largora, sendo com as cores e desenhos
mafs briiBantes que tem vindo, facilitando fazer-se
or -vestido fim pdoeos-covados era alte? a lar-
gura, e vene-iO pelo iarato prec ode 2*000 oo-,
vado : na loja e armazem do Pavo na raa da Im
per.Mriz n. 60 de Gama & Silva.
(tonales da atvvaa a laoo e 25ao rs.
Vwdera-se cbales de merino estampados a 2*
e 2*500 cada um.
UMs'de merm liso a 3*500.
DitceesUWfWdos erepon a 6f, 7*. e 8(1060.
Ditos pretos tardados com franja de s-a a 14*.
Na loja e armazem do Pavo na ra da impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
Lencos brancos a 20000,30000 e 40000
Vende se om bou to sortimento de lencos de cao
i lisos pelos baratissimos pivons de 2*,
3*000-e 4*000 a ihizia : na loja e armazem do
Pavo na raa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Ctaegaram os mais fieos cortes de vestidos de fil
peitoral e dulcificant*
PC
SAINT-GEORGFS
PnparWs pr
GRIMAL'I.T e C'*
pk>raic*ntico3 de 8. A. L
prEci|ia Napilelo
Cira rpida de laa
molestias sepentes:
tone, calarrhi, pleu-
resa, coqueluche, aw-
gmas, fortes constipo-
cSos, irritafdes des
kronekos e. do peito,
bronchite,phk*ica pul-
monar, astma, pneu-
mona,anyinas,amyg-
daliles, tossechronica,
rouquid&o. Os mdicos recommenrf.o ao mesme
lempo o nso das eicellerues pastilhas peito-
raes com o auooo d'alno* o laureiro-
orlo, qa ae preparlo ao mesmo eslabele-
na
A venda as pharmaeias de Maurer
Caors.
Coliares Royer
ou
Anodinos electro-magnticos contra as con-
vulsSes, e para facilitar a dentico da*
criancas. A aguia-branca na rna do Quei-
mado n. 8 recebe-os por todos os vapo-
res fraocezes.
J estao to conbecidos, e tanto se tem espalbado
a fama desses prodigiosos collares Royer, que s*
torna desnecessario dizer mais algnma cousa em
abono de seos bons e e eflcazes etfeitos; basta o
testemunho de milhares de pessoas, qne tm viste
e aprovei/ado o feliz resultado desses tao utels,
qoo necessarios cellares Royer. A quotidiana
crescida extraccao, que vo tendo, mosUa aina
que numero dos prodigioa se eleva como todos
os compradores. A aguia-branca, prm, desb-
ando concorrer para um Sai de tanto aproveita-
mento, tem feito os necessarios pedidos, para qua
por todos os vapores francezes Ihe seja remettida
certa quantidade de ditos collares, para assim tor-
nar-se infallivel o sortimento delles, na loja d'a-
guta-branea, ra do Queimado n. 8.
ma & Silva.
Novos vestidos Poil de Ch-
vre a 16^000.
\a laja do pava.
Cbegaram pelo vapor do da 15 do crreme, os, -,
mais lindos cortes de poil de chvre para vfstidos, on Cregnellas por baratos
sendo fazenda mteiramente nova no mercado ten-
do esta fazenda bastante lustre com os mais'deli-
cados gestos tanto em listras como em Dores solas
e vendem-se pelo baratissimo preco de 16*000,
tendo cada corte 18 covados, isto na loja e arma-
zem do pavo oa ra da Imperatriz n. 60, de Gama
A itva.
Para senhoras *
Casaqiiiahas a 200000
V*Bdem-se as mais modernas cesaqulnbas oa'
casquinas de seda preta, muito bem enfeitadas, as
mais modernas que tem vindo as mercado e pelo
baratissimo prego de 20* cada urna na loja e ar-
mazem do Pavo roa da Imperatrix n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Alpaeas Usas
Chegou o mais lindo sortimento de alpacas de
urna so cor, preprias para vestidos, e vendem-se
por presos era conta : na loja e armazem do Pa-
vao, roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os espartilhos do Pavo. J
Vendem-se urna grande e variado sortimento de
espartilhos dos mais bem feitus qae tem 'vindo ao
mercado, sendo de todos os tamanbos, vendendo-se
por um preco muito razoavel : isto na loja do Pa-
vao na ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Grande pecbloeha em toalhas
para roo.
Vendem-se superiores toalhas de linbo proprias
Paramao pelo baratissimo prego de 560 rs.. ditas
a 640 rs ditas a imitago das felpudas a 800 rs.,
ditas fe pudas a 1* : pecbincha na loja e arma-
zem do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Anadino a 8-<>
a loja do I'avo
Cbegeram os mais lindos cortes desla nova fa-
zenda, sendo transparente, com bonitas palmas, e
vende-se pelo baratissimo prego de 8* : na loja e
armazem do Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva. .
Punhos egonnbas a 10, 10280 e 10600.
Chegaram os mais modernos panbos com goli
nhas sendo de espuio de linho ricamente borda
dos tanto braneos como de cores e vendem-se pelo."
baratissimos precos de 1*, 1*280 e 1*600, por ba-
ver grande porgao, grande pecbincha : na loj
e armazem do Pavo ra da Imperatriz n. 60, d<
Gama & Silva.
Para bapti;ados.
Vende-se elegantes vestuarios bordados para
baptisados, pelus baratsimos precos de 154000
20*000 e 25*000 : na loja e armazem do Pavo na
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Babados bordados na loja do PavSo
Vendem-se babadiohus bordados com 2 varas
pelo barato prego de 1*000, eniremeios tapados e
transparentes, lendo 3 varas cada pega a 1*000: na
loja e armazem d> Pavo na ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Cambraias de cores
Vetl6 se um bonito sortimento de camoraias de
cores jiara vestidos pelos baratissimos pregos de
300 e 360 rs. o corado, ditas a voluntarios da pa-
tria a 800 rs. a vara, ditas lisiadas a 640 e 700 rs.
a vara ; pechiucha na loja e armazem do Pavo
na ra da Imperatriz n. 60, de Gama di Silva.
Cassa de urna cor s
Vende-se bonitas cassas de urna cor s com um
pequeo toque de mofo pelo baratissimo prego de 240
rs. o eovado ; para acabar na loja e armazem do
Pavao na ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Chales de renda e retondas
Vende se um grande sortimento de chales de
renda e retondas, sendo as mais modernas que tero
vindo to mercado e vendem-se mais barato que
em outra qualquer parte : i>to na loja e armazem
do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
ga.
Retalhos baratos
Vender porgao de retalhos de chita, laas, cas-
sas e cbi as pretas por prego barato : na loja e ar-
maiem 6 > Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
C;ilcas brancas
Vende se um grande sortimento de caigas de
brim branco de linhi trangado pelos baratissimos
pregos de 3*500, 4*500 e 500O, assim coou oro
grande sortimento de pitltots de panno preto fino,
8obreca8acos e saceos forradas de seda, dilos de ca-
simira, sobrecasaecs, sarcos oifraques, dilos de me-
rino e caigas de casimir* de cor e de todas as ijua-
lidades, assim como um grande sortimenio de col-
leites de todas as fazendas vendendo-se todo or
pregos muito baratos : na loja e armazem do Pa-
vo na ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Alpacas brilhantes a 640 rs.
Chegaram as mais lindas alpacas entestadas com
3 e n eio palmos do largara com os mais delicados
desenhos tanto de florsieha cmoda listinbas sentadas as mais delicadas cores como sejam Iy-
rio, sinsento cor de carne, solferino e vendem-se
pelo baratissimo prego de 640 rs. o eovado ; na-
camente na loja e armazem do Pavo na ra da1
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Pecbincha para a festa na loja do Pavo.
Vestidos.
Vestidos..'
Vestidos.
A 8000
Vendem-se nm bonito sortimento dos mais lindos
vestidos oom barras'de seda, trazeudo os compe
lentes eufeites para o corpo, sendo oeste artko o
mais moderno que tem vindo ao mercado, e ven-
dem se pelo baratissimo prego de 8$000 cada om,
ditos de camnraia branca com barras bordadas a
5*000 e 6*000 ; na loja e arraafeiDJdo Pavo na
rua.daJmpefaiiiz o. 60, de Gama & Sl>va.
Cortes a 30' 00 s o Pavo
Vendem se os mais lindos nortes .de cassas de
cores com os desanos mls modernos vindo cada
om em sen papel e BaTantindfi-seteTem'7",vras ca-
da nm peto barutissimo-pregoe 3*000 ; na lija e
armaze,m.do Pv -Gama & Suva.
Casaquinhos cu vasqainas na loja do ParSo
a 250000, 3.10OO e S50OO.
Chegaram os mais neos ou mbdenw's casaqui-,
nhns (a vasquinas d erosdmapiespreto iHcameate
enfeitadc.3, seodo idos etiins mais modernos .o ele-
gantes que ltimamente chegaram ivendem-sp pe-
los baratos pregos de 259000, 30*000 e 35*000; na
loja e armazem dalAavo naruadalmperalriz n. 60,
de Gato* Silva.
Para bailes a 350000.
PavSo.
Vende se Sls de linbo branco bordados p>opno*
para vestidos pelo baratissimo prego de 800 rs.
vara : na loja e armazem do Pavo na ra da In>
peratriz n. 60 de Gama & Silva.
Pannos de linbo.
Vende-se superior pannos e linho proprio par
longes, toalhas e seronlas etc., peles haratissimoi
preces de 640, 700 e 800 rs. a wia : bramante di
linho com 10 palmos de largura a 2* 00. 2*500
2*800 a vara; om grande sortimento de Hamburg
s pregos : na loja e arma-
zem do Pao na roa da Imperatriz n. 60. de Ga-
ma & Silva.
Cambraias brancas de cordSo a 80500.
Cnegarira as mais delicadas cambraias branca.-
de eordio com delicadas listas transparentes i
vendem-se pelo baratissimo prego de 8*500 a p.
ca : na loja e armaiem do Pavo na ra da Imp.
ratriz 60, de Gama 4 Silva.
XAROWB~~

Promptiiarioeleitorai 5$000
Linaria fraocez;;
9.-Hna do Crespo(>.
Novamente chegadas botas rassiauas e perneiras
da melhor qualidade que temos visto : na loja do
vapor ra Njva n. 7. ______
EM S. JOS
Manteiga ingleza perfeilamente boa a
560 rs, a libra e em porco por menos, no
ex-propheta Cinco Pontos n. 86 esquina da
nova travessa de S. Joo.
Eseravos fgidos
Contina ausente desde o da 23 de agosto
do 1866 0'ffijlaJiaho ftayiBBndu, de 16 wm de
idade pouco man ou menos, corpo regular, ps
pequeos, cabellos castanbos, denl-s alvos e per-
ritos, com o dedo prximo ao pollegar cicatrizado
de sorte que nem Ihe resta a unha : rogase as au-
toridades policiaes e oapites da campo a. sua
apprebeos pelo que recebero pagageuerosa em
casa de sea senher na roa do Imperador o. 32.
100,000 ris,
Grati6ea-se com 100*000 a quem apprebender o
eseravo Basilio, crioulo desta provincia, fdade de
22 anuo?, estatura regular e barbado, marinhelro
de palbabote Principe, e pertenceu ao casal do fi-
nado J .13 Evangelista, consta qnenda na Capun-
ga e'Montetro, por ter alli prenles : quero o le-
var a-Joo Francisco da Silva Novaes. travessa da
aladre de Dos o. 5, reetber a quaolia cima.
Muita Kttenc&o
Na noile de 23 de setembro proumo pssado
fugio do engenho Bento-Velho em Santo Anto, o
eseravo Eduardo, crioulo, qne representa ter 44
antros, bom offlcial de can ina, bem ladino e fal-
lante, falla branda e insinuante, -cor fola, baixo e
espadado, pernas finas, ps limpos, dedos dos pes
cortos e quasi igoaes, tem falta de om dente oa
frente, sahio de palet.it pardo debruado de fia
branca, chapeo de bata oinunlo, rede, baila e
fardo de mais mapa. bem de suppor qoe como
carpina esleja.passando por forro em qualquer par-
te : roga se, pois, as autoridades policiaes desu e
das ostras provrnetas leda vigilancia e prometiere
a qualquer que-o capturar e conduzir ao referido
eogenbo generosa recompensa.
Acba-se fgida a escram Viotorio, orioola, de
idide,,pouco jnaisxui meu'S,.de 30 aunos, multo
risoaha, tem o andar apressado, foi escrava da
Eim' Si'D. Mana Cand'da Salazar ds Vei* Pes-
soa. moradora na roa 4o Hospicio, esu'ifogida des-
trasc,priroorosaroete bcrdndos e eofeiwdos de|,,.,,abril do-aano-pnaimo paseado consta
peratriz n. 60, de Gama & SUvt.
pouco
ten a quera diU iKernetici, de e entender com
LengOB bordados a tQ0Q 10600 na loja fj0 \9 ^Jlor da esma **ra PasO. I Peoa Jnior, na Gapunga, roa Ventora, ou na
Vende-se bonitos lecUibos, bordados pra.tBlo, praga.da in pelos har-itissirpes, pregos da 1*000 e 1*600 nada' do dojSr. Amonio Angosto dos Santos Porto.___
ora ; loja e armazem do Paveo na raa da Impera- Fugio no dia 15 de nnvembro de 1866, o es-
tris n. 60, de Gama & Silva. i eravo de nome Luciano, crioulo, com "25 asnos de
As vareges do-Pav5o. j idado poocoaais ou menos, baiso e nooio do cor-
Vende-se as mais bonitas vareoes om listas de l.po, uissado, com cfflcio de sapsteiro : quera o
^ImJL^JTSIm^^^'^'' P^nd" 8 le,r ao engenho Papagalo ao abano
SoTsoTr^c^:^
Pavo na raa da Imperatriz n. 60 de Gama & {Xavier Olivelra, ser 'JBej;dJ};TaSt
Silva. .




%


m^








Diario de Peraanibueo
--------------------.----------vh h
- tJjuarU leira SO Je Janeiro de 1667.

L1TTEMTUR.
lnsiiilui ideolgico e G egrapuic
Pernjmbocano.
Discurso pronunciad na seasle magna de 27 do
eorrenip, pelo segando secretario o Sr. mnjor
Salvador Hcariaue de Albuquerque.
Senhores O secuto em que vivemos, mals qo
DSbbum outro, ostenta em toaos os ramos da .>n- .
g, a sua marcha astea duirj e progresiva O ?s-
pirita da moderna civiiisac/io, asseula di' preter-m-
cu dos inleiesses aeraos da human da de.
O dosenvoWimento i- editara da iflfte*genc3,
DiJDifesta-se variada e magnifica em suas leuden-
eia, para a realidad? le mdborauenios de summa
importancia e proveitj. Elle nao pode inierromper
se cjui a acco do tempo, antes vai-s* cada vez
mais consolidando.
uvilisaoio moderna, como ja' o disse um Illas-
Irado escriptor, comooar; penetra o rounio
por todos os seos poros ; as vews marcha tao se-
rena como a aura matutina, outras vezes tao veloz
como om terrivel faracao.
Nascido ,em rernamboco, Henrique Di no
podia ser Indiffreute i terrivel Invado dosHollao-
dezes. A iingnagem qae sabio de seus libios era
toda a eloquencia do seu patriotismo. *
Affastado da capital, qnado Ite che?ou a noticia
com os horrores das profaitc5iS commetlidas, in-
"ignou-seem extremo e proferlo eslas memoravels
palavras: Antes de mim a mioha palriS, por el-
la,por meu Deus e por mau rei, serio meas bracos
olumnas de ferro para su-t^nir tao charos ob;ectaB.
}m importa morrer T 'Quando assira seja, a I-
o-fdade bem dir mea tmulo, e o meusaogoere-
gado a trra servir de fonte qoe para o fotoro
brotara mil fructos. >
Assim foi que, em 1633 desrendo do centro
da provincia com trinta e tantos guer.reiros da sua
mesma cor, elle s aprsenla a Mattias de Albu-
querqae, offerecendo-lbe os seus servicos.
Dentro em pouco, seo dlstincto valor o fez co-
ohecido de todos os companheiros d'armas, e su
destimidajntrepidez o constitneterror dos Hol-
landezes.
uolao de grande forca e coragem, era um bra-
vo que nunca recuava. Em urna das primeiras sor-
tidas contra o inimigo, matn espada cinco ad-
versarios.
Augmentando cada dia o numero de seus sida,
dos, foi nomeado capito de urna companMa com a
O mando nSo pie retrogradar ; o genero ha-
mano emseu rapidj 'o, para alcanzar o bem es-
tar moral e material, lanca-se atrav, de lodos o|kJqUa| sempre se achava nos -lugares da malor pe-
y.uTlg )=, de todos os soffrimentos, por mel das
prov:co>s mais dolorosas, aiim de melhorar a sna
oadlcio.
A moderna civilisago tem realisado prodigios
que lerl'm parecido sonbos de nm visionario. Ns
mos do homem tem ella posto torcas mysteriosas
e sera limites.
D is sciencias, como disse um grave escriptor
moderno, ella tirou effeitos qne nos enchem de es
panto e qae contemplamos com s*rpreza.
Suppriraio as distancias e suspenden a dr a seu
Le praz^r; estendeu fies no espaco e at sobre o
kilo do ocano, e a palavra insonora os percorre
com a rapidez da luz : o proprio raio foi domado e
la uz elctrica afugentou as trevas, qae occaltavam
rouitos mysterios da natareza.
Seubores I Os acontecimentos
pelad lels do livre deseovolvlmento da bumanida-
d, eas revolugoes qor moraes, qar soriaes ou
polticas, que se deram a' face do mundo, conser-
varam-se na memoria mitidos a' posieridade.
Da Imagln.isao, pois, applicada ao testemanbo da
tradicao, ievantuu-se ao principio a historia. Mas
3sde que ella occupja-seem verificar esse tesle-
t-uaho, em applicar os priocipios da critica de-
terminacao dos fados passados, de soas circums-
t?n:ia?, das pocas em que se deram, e do lugar
qae os assignaloa ; torooa-se urna sciencia.
Ain da mais scientlfica, senbores, tornou-se ella,
quando por inducc5s legitimas tratou de explicar
os fados pelas suas caosas, aprecland) instituido.s
* aconteca!entes.
E', pois, a historia,o grandefacho social que dei-
xa ver em suas luminosas faiscas os elementos
mi's reaes da urna poca progressiva ; a vida e
gloria de um povo inteiro.
Bem como a rdigio, a historia tem seas pode
rminads"Ka fervir a meu Dos e a meu re; cda
dedos desta oatra me fornecer os meios
ras ; ella a vida do passado, porque levantndo-
se das cinzas deixadas ao esqaecimsnto, faz lera-
brar a m-m na do que ja' nao existe, disertando
assim a gratido do presente e o reconheoimento
do (aturo-, e se ella o fiel quadro dos terapos,
podemos tamoem dizer que a historia o mediador
entre o homem e a elernidade.
Na variedad* dos factos e acontecimentos, ella
toma differentos juali .e.o.s, beo como aquella
que tirando sua origem e seus elementos do bcrco
de nm povo, vai o acompanbando e eguindo du
rante a sua vida.
E-la a historia patria; o ramo da historia
geral que se restringe vida particular de um
paiz e de toda ama pequea sodedade.
A historia e ao povo o incentivo de sua glo-
ria, desea patriotismo, de sua reputado e de sua
vida poltica. Um paiz que nao tem urna historia
ucn paiz sem nome.- Estaremos nos ueste caso ?
Nao de certo.
A nossa historia rica de factos qae nos enno
.: ni ; grandiosos eitos, magnnimas dedica-
o;s, actos de deoodo e de prudencia, de desinte-
rese proprio e de ambicio de gloria, ludo figura
uas largas paginas dos anoaes do Brasil.
Abr, seabores, folbeai a historia patria, e encon-
trareis a veracidade deste acert.
Pernambuco, figurando em todas as pocas na
cionaes, tem foruecido aos nossos fastos formida-
vcl assumpto.
O esludo, pois, da historia nacional ser dos ba
de Mioma ntilidade ; 'elle colheremos as melhe
res iicSes de patridlismo.
A existencia anda ignorada de muitos factos im
portantes; as duvidas suscitadas sobre vanos pon-
tos ; os monumentos que por ah se acbam quasi
extinctos; os-documentos qae dormem no p dos
arebivos pblicos ou em mos particulares, nao
apreciados pela igoorancia, deleixo ou egoismo ;
as lradic,5es entre falsas e verdadeiras que por
abi correm, ludo nos Imp5s o dever de pesquizar,
de colher e de parificar esses tesiemunbos ; por
que, senhores, as Huso js nao se dao com a verda-
de, sao inexhauriveis, entretanto qae estas tem um
circulo limitado. ,
A historia gyra no torreoo da verdade, porque
despeno de lado forzoso recablr em observaQ5es
eonhecidas. A verdade humana, como diz o autor
do genio do ebristianismo, semelbante a um
triangulo, que s pode ter um ngulo recto.
A oecessidade, pois, de urna associagao eojos
membros, por seu reconbecido patriotismo e noto-
ria dedicado s letras, coocorressem para a cen-
secuco deste plano, dea lugar fundacio do
lastitato Arcbeologico e Geographico Peroambuoa-
no,^ue boje conta o seu primeiro lastro de exis-
tencia.
Neste dia, senbores, que tambem commemoramos
o importante faci da restaurarlo de Pernamboco
do poder dos Hollandezes, permitti me qoe entre-
teuba por mais algons momentos a vossa Ilustra-
da attencio para testemonbar o dosso recooheci-
mfHU om dos grandes vultos qoe Agora entre
,oJque mais illastraram a soa patria.
-aa Ao relatar os grandes (ellos de nossos antepassa-
dos, slnto dentro d'alma agitabas diversas, proda-
zidas pe o doce senllmeoto de qae credora a
historia ; sinto ainda qoe o meo peosamento se
abstrae por orna (orja irreslstivel, e Bxandc-se
sobre coolemplpcio da honra, do amor patrio e
do eoihusiasmo, une se aqoelle sentimenio qoe
se resume n: palaxra gratido.
A graiiaao nacional pelos beroes, no dizer de
nm ooaso historiador moderno, nao s oobre co-
mo civilisadora; favorecei ao menos, diz cinda
elle, a memoria dos vossos heross, dos vossos es-
enptore e djs artistas, e a 03530 lera' artistas,
escriptores e hroes.
Das qaatro sombras qae all pendem daqaellas
paredes, a mais escara a de qoe vamos oceupar-
nos. P/ilo de Henrique Das, senbore, bomem de
c6r prda, mas de generosos e de elevados senti-
mental, qoe soobe por soas ac{5as nobilitarse e
immoriahsar sea nome.
A memoria histrica dos lempos Dio se eteroisa
com referencia ao horren) pbysicoj; ella nao alten-
de a accidentes matenaes, nao olha para as cores
rigo.
Enrgico at o delirio, destemido at ser teme-
rario ; era preciso muitas vezes a advertencia dos
seus para modera-lo e cont-lo.
Na celebre batalha de Porto Calvo em 1637, on-
de os actds de bravura, deoodo o bisarria commet-
lidos pelos' nossos, assombrarara al os proprios
inimigos, Henrique Dias excedeu-se, patenteando
ao mondo orna intrepidez que, no dizer de Fr. Ra-
phael de Jess, deve ser posta em parallelo com o
qae a historia nos refere de mais raaravilhoso.
Ferido por urna bala sobre o punho, manda sem
demora fazer aropulagao da mao esquerda, para
desembaragar-se do apparelho qae impedira seus
movimentos. Bstame urna mao, dissa elle, pa-
um dos
de vio
gar-rae.
Era o Lacio'Scevola pernambacano que voava
de oavo ao combate I
No segaiote anno, depois daquella celebre e pe-
nosa marcha de mais de trezenjas leguas pelo
interior do pait, desde o Rio-Graade do Norte
at a B.ihia, (o um dos hroes que mais se destn-
guio na de(eza daqaelia cap tal assallada por Mau-
ricio; e qaando esta mesma cidade em 1639 esla-
va em risco de ser presa do almirante Carlos Tor-
loo, a presenja desle hroe sobre seus maros, sal-
vou a do (erro e (ogo inimigo. Pareca o anjo da
guerra perseguindo os adversarios do seu paiz I
as requenles correras em que andava, percor-
reu o centro em direcg5es diversas, destroindo e
assolando tudo o que partencia aos vencedores,
sem que estes podessem persegui-lo nos bosques,
onde sempre se abrigava.
i.L
tio bravos qoe onde nao podem ebegar com o bra-
50 ebegam com o nom9; os Ardas lio fogosos qoe
tudo querem corlar de nm golpe ; os Angolas tao
robastes qae oeohom trabalho os cansa.
c Oonsiderem qae esta gente nio a qoe se leva
do semblante, mas sim para as qoatidades do cora-1 por arte, e assim Ibes aeooselho qoe se valham da
5ao, para as virtudes do bomem social. (torca; mas tambem lh?s assegnro que, sem o-
Ao lermiuar um desles celebres eoconlros.dingio
aos Hollandezes urna carta em qae por flm assim
dizia : t Teoharo por certo que desse Arrecie onde
nossas arrais os lera accorralado, Ibes nao iba
mais sabida que para H illanda ; e se atiram a ou-
tro alvo, bastam os meus negros para Ih'o fazer er-
rar. E dado o ca constancia com soa perfidia, Ibes poremos a Ierra
em estado qne Ihes nao possa dar mais qae a se-
pultura ; porqa saberemos queimar-lhes em orna
ooitt, todo quaoto planlarem era nm auno ; e para
que nao duvidem desta verdade, tenham entendido
que Henrique Das o que escrev-1, pegando na
peona com a mesma mao com que pega da espada.
A noticia da traioao de Tamandar foi oovida em
o nosso acampamento com os Lrados da indigna-
Cao e da vieganja ; com o corafao acceso em ira,
arroja-se Henriqae Dias qual leo aos inimigos, e
tomando parte activa na batalha de Casa-orte,
sabe victorioso e coberto de gloria.
No ataque das foriiBcaeSjs que levantaram os
Hiliandezes, entre o fort) de Afogados e o das
Cinco Pontas, portoo-se como insigne capitao. Em
alta noite, sorprendem seos gaenviros ao inimigo,
penetrara as irincheiras, degolam as guardas e Je
vam de rojo tudo quanto se Ibes oppoa.
Elevado ao posto de mestre de campo ; no mel
dos combates e em lances duvidosos tinha este in-
trpido gurreiro o astucioso costume de arremes-
sar o seu bastao sobre as columnas serradas do
inimigo ou sobre as muralhas de suas fortificacSss.
Estimulados assim os seus soldados, bradava-
ihes: A' espada filhos; ou haveis de restituir a
insignia do meu izando, ou aqni litaremos todos
sepultados. >
Victorioso e nanea vencido, era-lhe reentregue a
bastao. Parece que a Provideocia Ihe destinavo
s?ripre os louros das balalhasl
Em principios do nno de 1818, marcha para o
Rie Grande do Norte, e em frente do sitio de Gua
rairas, onde os Hjllandezes tinham levantado Irin-
cheiras e urna casa forte; faz alio, exborla os seus
soldados emostra Ibes o modo de gaobar por assal-
lo aquellas tortificacoes.
Com agua pela cintura, accommette o inimigo,
e dentro em poaco apossj-se das trencheiras; es-
cala a casa (orte, e passa a fio de espada todos os
que all sao encontrados.
No dia seguiote em Conba, onde acbon o inimi-
go tonificado com muia gente ; intima-ibe qae sem
dilaco se renda; porque, se ebegassem os sea* a
desembainhar a espada, com ella na roo, nem a
obediencia os obngava.nem acommiserago os mo
via ; e que o testemuobo desta verdade era o sac-
cesso do dia antecedente.
Para ganhar tempo, responde o chefe Hoilandez
com palavras equivocas; mas Henrique Dias, eo-
obecendo o ardil, ordena e ataque. Ento rende-se
o Inimigo a discrigo, e o dosso valeole chefe,
depois de apossar-se das manicSes de guerra e de
arrasar as orilflcagdes, volta com os prisioneiros
ao seo acampamento.
Pausemos agora rpida vista sobre os mais im-
portantes trechos de orna outra carta, por elle diri-
gida aos Hjllandezes.
Esta vanedade e mollidao de papis que os
meas soldados achare pelos caminbos, e qae TV.
SS. maadam deitar oeiles, sao folbas de qae sem-
pre eoobecemos a flor. Nao Ibes tem ensinado a
experiencia que o negro nem recebe outra cor nem
perdea qae tem?
Para que gastara sua tinta pintando o sea ae-
sejo nestas cartas, se as cartas se do a conbecer
pela p:nta?
* Ja VV. SS. poderao ler alcanzado de suas in-
clinacdes que, nem perdoam a Flamengos, nem de
Flameoges querem perdo ; e estejam certos qne,
nenhamde nos perdea a eflr com seos amea?os,
porque os consideramos de Hollanda, e menos com
soas promessas, porque as de Hollanda nio tem
avesso nem direito.
matar a todos, nanea se bio de var Unes de con-
trarios.
Esta resposti, hamilhaate parl/o soberbo iniral.
go, claramente revelou que, s pelas ar
dmaaa a eootenda. O meio faiiz de proraet
perdoes, au prodozia maiseffeita.
Na pnmeira tataib de Gaararapes, Hsnrljae
Dias mosiroa-se verdadelro soldado; na segaada
dada nesies mesmos montes, bateu-se cjmo nm
berj. All recebe um grave fenment; soa vida
acba se em risco; mas nao eslava compUia a saa
missio, aioda Ihe restavam grandes eitos; o grato jo e qaatro marie*eiros, achara :s a bordo quatro'
complemento de lio bercea empreza naba Ae co remos, am mtttn ama peqaeaa vela, doas barris
roaros seus esor5os: pouco tempo depois tatora d-aga3( nm sacco^e bl1|achs> dous qaeJ0S chama..
ao combale. dJ3 do Rein0j U(n pacola com djce e ge|$ g|rrafa,'
Inteirado D. JjoiV, dos relevantes servicos por
elle prestados naqaella guerra, maOda-o condeco-
rar com a cruz da Ordem de Chrlslo.
Recebe a cora profundo reconhecimento; mas
em preseuja de seos compaobeiros d'armas, de-
no sea todo de i pessoas. Logo qae pnteipio aa mili, as cinzas de mea pai. O malvado, vilmente
escarecer o pirata que fallara bem o portuguez me maltrauu rae, e ha ai anno que estoa abandonada
disse:Sr. padre Antonio, va' para a cmara e todo l. ido, agora, ou a miseria mutis
eonduza saa irmia e soa sobrioha, so aaauhia 9 nh3 digoMade 1..
hei de mandar chamar. De noite *^H ? um :ri-
rnlbo na coberta nio me ammei a sn le rcgai
ensa. M i-suntes
Eram seis horas da manha, msndaram or morro!.... veneno___stai qaero
que subis-mos, deram-nos nm futo a I moco, fio;..) monH^^^H|R^. acabo meus das com a vir-
oqoal maudararn-oos embarcar na lancha ae es- 'fosa ufana de morrer cora honra.
ri?l
I
lava J presa por esMbordo : embarcamos
Paok Antonio.
(Corrtio1>aulittMo)
.I POUCO DE TUDO.
da vlnho.
Deram-raa dnasjamisas, a capa, abatioaeoj Dizem de Londres que no dia i3 DOlire
fe..de/lm.T_pelaeaoblh?*Ioa nova P^sao de gaz na mina de car-
v5o de pedra de Talk of tlie Hill, perto de
todos os papis deiamilN, e deram me liceogapara
o eneber com roopa. saa e da meoiaa. O tal ma-
clara solemnemente qae, nio usara dessa destine- \ ganio qoe fallara porloguez dea ao piloto urna
$o, em quanto a saa patria gemesse sob o nefao- bussola e orna caria da costa e d:s=e Ihe zombando:
do jago estrangeiro I
E assim o disse com lio segura esperanza que
veio a realisa-lo; s depois da restauraco apresen-
Ion se condecorado.
Henriiiue Das, senhores, foi o Inimigo mais au-
daz e o llagello mais terrivel qae oeste guerra li-
veram contra si os Hollandezes; todo o sea empe-
nlio era expulsa-los do.paiz. Podemos dizer a sei
respello como Scyll disse de si : t NiBgaem fez
mais bem a amg s e mais mal a inimigos.
Esta luta de quasi viote e qaatro anaos, em que-
sempre sobresabio a constancia de nossos raaiores,
la tocar seo termo.
O auxilio de urna torga naval, sem o qual 1
mais sena possivel o assalto do Recito, conseguio"
se co~ a che ada da esquadra de Pedro Jacques da
Magalbies.
Combinado o ataque das tortificacoes exteriores,
Henrique Dias destiogaio-se nos lances mais arris-
cados; at que no assalto da fortaleza das Cinco
Pontas, nica que restava ao inimigo, elle se eleva
a maior altura.
Com a espada na mao, sem recusar as marchas,
sem ugir s eipedigSes, sem temer os pengos
sempre avalma o poder inimigo por contrario
nunca por desigual.
Depois do assalto da (orlaieza das Cinco Pona*
seguiose a capitulajo dos Hdlandezes; eslava
consammada a restaoracaj; ea entrada trium-
phante dos nossos beres nesta cidade, teve lugar
no dia que b)je festejamos como anmversario d
tao Importante acontecimento.
Senhores I O dia 27 de Janeiro, depois de 7 de
setembro, deve ser para nos o de maior regosijo,
Sem esse dia, desappareceriam do nosso aanverde
paviihao, seis bnlbantes estrellas e com ellas a
integridade do imp -rio da Santa Croz.
Eslava nos designios da provincia qae o lbaro
sagrado erguido por Cabral neste abeocoado paiz.
estendena os seus benficos eftoitos do Prata ao
Amazonas; o christianismo,fonte da civilisagio, do
pregresso e da liberdade devia iraplantar-se em
todo o Brasil.
Se a religiao, como diz o celebre Chateaubriand,
poderosissimo incentivo do amor da Patria, de-
vemos crer que ella teve a maier Infiaencia no bon|
resultado de lio feliz empreza.
Henriqae Das, educado oestes principios e ail
mado de piedosos seuliraentos, nunca esqoecen of
deveres de chrislio.
No meio das lides guerreiras, onde qner qae es-'
tivesse, festejava a Virgem Santissima do lio-ario,
invocando o sea soccorro.
Foi em campriraento de seu voto qae, no lagar
em que por ultimo se fortificou com a sua gente.
elle erigi a igreja da Estancia.
La est, seobores, esse templo atteslaado a pro-
leccao divina concedida a esse here par- interces
sao da Mi de Ddus, e perpetuando a menora de
seus nobres eitos.
Aquellas qae se sacrificara pela patria, conquis-
tara no futuro a admiracio da posteridade, e a gra-
tido nacional para com eiles nao mais qae nm
dever.
Mas porque modo tem o paiz palenteado a sua
gratido a Heanque Dias ?
Ergueu-lhe urna columna, ama estatua; gravou
no marmore ou bronze um distico ou epitapbio
honroso? Nada disto, senhores; quanto noscusta
dize-lo !
Depois de suas facanhas guerreiras, de regar
por vezes a trra com seu saogu9, e le emflin
restaurar a patria, viveu ainda oito anaos para
lestemanhar somenle as miserias proprias e as
albeias.
Henrique Dias, meslre de caaJpo e goveraador
dos bomsos preos, cavalbeiro da ordem de Cbris-
lo e restaurador de Pernambuco, (alleeea no da
8 de junno de 1662.
Sepultado 00 convento de S. Francisco desta ci-
dade, em lugar que se ignora, seu funeral, com o
qual apenas se gastou quarenu e oito mil sete-
ceios e viote, foi toito por ordem do governador
Francisco de Unto Freir, cusa do estado I
O nome de Henrique Das tornoo-se lio popular
qoe os corpos milicianos de bomens pretos, con-
servados por ordem regiaf denomiaavam-se Re
ginaeotos dos Hanriques.
De tres Amas que Ihe ficaram, houve legitima
descendencia, por casarem daas.
Anda em 17)6, D. Banta Hmrlques, sna fllha,
e o capito Amaro Cardlgo, sea genro, assignaram
urna procurapo bstanle nesta cidade, eemo vio se
dos fragmenlos de um livro de notas do tebellio
Joao de Souza Nuoes.
De urna escriptura lavrada aa villa de Iguaras-
s, as notas do tahelliis Franeisco Dias de Leao
aos 19 de agosto de 1683, consta qae ama oatra
tlba fora casada com Francisc Rodrigues Freir.
Existem, poi.-, entre nos os netos descendentes deste
bravo.
Seohores I Aqui termoarei o mea assampto.
O quadro que vos teobo debuxado, nao podia An-
dar com as mesmas cores: b m o quizara. Pa-
rece u-me que, nesle ou n aquel le traca podesse
embellezar a memoria e avocar o nobre euthusia-
mo queeaj petos generosos excitara as glorias pa-
trias. Se oiesmo para i-lo o men humilde qaadw
nao servir, er de qae o engaoo nasceo do coracao
e nao da vaidade.
Sala das sess5>s do Instituto Arcbec
Gaographico Pernambucano,27 de Janeiro
Salvador Henrique de Alhaquerque.
collega, Dio va* ihir sobre 03 abrolbos, bem si-
bem que elles gritam -cabra os olhos!
O navio pirata fez r$a de vela, a nova Concei-
go segaio o mesmo exemplo, navegando na alheta
do corsario.
D. Matbilde ) horando, Fergattoarn^, o qa ha
de ser de nos f Respondi-lhe :tenba f em Du=,
a. Deus poderoso ePai Misericordioso. O piloto, a
quem ludo devemos, com um sangae (rio admira-
vel me disse:tem razio, Sr. padre Antonio, e ha-
vemos ser salvos. Segundo a observado qae 8z
bootem nos estamos poaco mais ou meuos a 16
graos lattituie ao sol, voa navegar em lmha recta
para a costa, a distancia grande, tudo porm s
ha de vencer.
Cinco dias eslivemos a merc da Providencia :
sol, chuva, lempestade, calmara, tome, e afioal se-
de-miseria I miseria I D. Malhildenaoquiz comer,
ardia em febre, estav a morrer, a menina estava
deilada no eolio da moribunda, o foi necessario ti-
ra-la a forga c nao fazer caso dos seus gritos e dos
lamentosos pedidos da desditosa mi I___os ma-
rinheiros nio quizeram mals trabalhar, havia a
bordo um s homemera o piloto I No sexto dia
de madrugada o piloto ebeio de alegra gritn I...
trra !... trra I A Ierra estava a vista,lodos cria
ram animo, os marinbeiros pegavam nos remos,
a moribunda levanten a cabega, e ea ja' riieio mor-
to, dexei de resar para ver a trra I e exclamei :
Loavado seja Deast... seja feita a saa v.ntade
assim na Ierra como no co. Qaando o dia eslava
bem claro vimos daas erandes candis de pesca,
ellas navegavam para nos, dolas recebemos os
primeiros soccorro, ellas nos deram a vida. No s-
timo dia as 5 boras da (arde eatavamos na cidade
de Porto Segaro.
O ouvidor veio a praia,*vio a aossa miseria eon-
vio em resumo a nossa historia, era casado, mora-
va no antigo hospicio dos ex-jesutas, levou-me e a
D. Mathilde e sua fllha, para casa, ellas forana em
red*: maodou dous dos maritraetres mais doentes
para o hospital da misericordia, e o piloto e outro;
dous homeos para o qnartel.
D. Mathilde pedio-ihe tora mnita iostancia que
qoeria>fazer o seu testamento, o qua realison, sen-
do apenis para me nornwntor da filha emqoanto
o pai delta nio tomasse ema.
No outro dia as 9 boras da manbaa veio nm es-
crivo e tomou os nossos depoimentos, do piloto e
dos doos marinblros, lavrando-se de tudo nm acto,
do qual ped cerlido. Ficou no auto muito bem
declarado, e provado, qae ea nio era irmao de Ma
Ihilde, qae roorreu nesse mesmo dia as 6 horas aa
tarde.
Sem embargo do auto e das declaragSes do tes-
tamento, o povo temoo na cantigao Sr. padre
Antonio Munhoz e sua sobrinba I
O bom ar, as boas aguas, e as boas f.-octas, me
restabeleceram perfeltamente e logo ful a igreja de
Nossa Sanbora da Penba prostrar-me acs ps da
minha protectora.
Nos olio dias qae me demorei na cidade corr os
arraba'.de, fui ver a praia da enseada conhecida
pelonomedatCor&a Vermelna e primitivamen-
te porBaha Cabralia.
Fai ver a pequea ilha que flca a entrada do
porto, onde Cabral, debaixo de urna arvore, mao-
dou levantar o altar no qual o frade franciscano de
CoiQbra Fr. Henriqae, que depois foi bispo de
Ceuta, e que segua na' armada para a (eitoria de
Calitut, disse raissa, a primeira missa que se dis-
se na ierra da Vera-Craz, agora Ierra do Brasil I
Cuide! acbar alguna capella, alguma bella cruz de
maamore, algum monumento, qaal III O governo
entfegou tal gloria a historia. E o tai clero ? Sim...
sim... espera a llcenga de Roma.
No nono dia mbarquei, com a menina orpha,
na jamaca Senhora da Piedade, e com sete dias de
viajem^heguei ao Rio de Janeiro.
a natnreza se esmerou em dar ao porto urna
majestosa grandeza I O artista m.is hbil nio po-
de jelinear a torga sublime da natoreza qaando
crein o circulo de laes moetanbas e serras: ba de
adriirar, e o pincel ha de oegar-se a acompaohar
aajmiragioll Vistas piliorescas, scenas magnifi-
cas ... nunca imagine! achar ama babia lio ma-
ges osa I
( pai de Henrlqaeta era raorlo, morrea no Rio
de 1 aneiro da ebre, chamada ao depois deMa-
cac .
Qp das ras nao se transforma em ouro, po-
rn a piedade religiosa dos habitantes urna mina
de puro : a clade do Ru de Janeiro naquelle
Hanley. Achavam-se na mina neste momen-
to 200 pessoas. S 50 poderam escapar;
e acredita-se qae todas as restantes morres-
sem.
No dia segainle, qaando se estavam ex-
trabindo os cadveres enterrados debaixo tas
ruinas, honve urna nova exploso, morreo-
do todos os qae estavam oceupados .a ex-
traca das victimas da catastroplie do dia
anterior, e fazerido-se ouvir o roido desla
nova exploso a mais de urna milba de cir-
cuito.
Ks as noticias vindas do logar da ca-
tasftphe sao concordes em que o numero
de mortos por effeilo d'essas explosoes ps-
sa de 300.
nos seu 16 anuas era
Mezes antes reparei que
tempo, era o potosi dos pobres Makrados. Requer
e ddram-me baixa. *
Opiive logo licenga para dizer mtesa, pregar e
cooessar. Tratei de dar a nriquela a meior
edueago possivel, estava
urna mulber tormosa.
ella, de genio triste, que a todo se negava, qne tu-
do aborreca, se tinha apaixoaado excessivamente
pela (estas das igrejas. No da em que fez 16 an-
nos fuio de casa! Vieran me dar parte que ella
estava depositada judicial nenie na ra dos Pesca
dores em casa do negociante o Sr... nao i easo.
Passados tres dias fot citado para ir a casa do juiz
dos orpbos, declarar a rasao porqae negava a mi-
nha. sobrino e tutelada a licenga para ella casar-
se com U.Juiio Sanchos; prove que ella nao era
miaba cobrtnba, e como lut jr que nem dava e nem
oegavao consent melo. Cas^ram-se.
D. Juo tinha sido do corpo de voluntarios reaes
e cadete do r< gimento n. 24 de Infaoiaria l em
Portugal, deram-ibe baixa no Ru de Janeiro por
Iscorrigivel: era jogador de protisso.
Tive um sentimento tio profundo, tomei tal pai-
da Hionqaeta, que abandonei abmpadas que convemYccender" e determi-
f-Conclasio.) todos os meus lotere madei-me para a cidade nar a bura e o moment em qae devem co-
0 capitao mandou a todos esconder 1 ..dePoiio-A mvincia do Rio Grande. i mecar e acabar as funeces sagradas em
Passados doi ranos receb a seguate cana: quanto qoe concedem a mais Ilimitada li-
Mea betlor.-A hora da merte vos pego bordaje aos espe;tculos profanos,
perdi da mioha iogratidao, do mea crime!.. es- A circular aocrescenta aua a di
pero da vossa caridade chusla o perdi pedido.
Casei-rae nao com nm homem, mas sim com nm
monsiro, um malvado sem moral, sem temor de
Cason-se comigo como se eu fosse urna es-
Morrer em hara.
Depois da circular do baro Ricasoli, pre-
sidente do conselho do rei Victor Emma-
nuel, annunciando a permissio concedida
aos bispos que S3 achavam ausentes das suas
dioceses, de regressarem a Italia, os bispos
italianos residentes em Roma formuiaram
urna carta, estabelecendo as suas ideas sobre
o estado aclual das cousas, e pedindo ao
governo de Florenca determinadas conces-
ses.
O presidente do conselho italiano lespon-
deu logo a essa carta, e sSo estes dous do-
cumentos que a imprensa repreduz agora
chamando aatteocao do publico sobre as
ideas que n'um e n'ouiro se apresentam.
A carta dos bispos italianos concebida
p 'estes termos:
t Roma, 15 de dezembro de 1866.
Senbor presioenle.
A vossa circular aos prefeitos, datada
de 22 de outubro ultimo, pela qual permit-
tis o regresso as suas dioceses aos bispos
que d'ellas se retiraram por qualqner moti-
vos, foi para todos nos um motivo de con-
solado, n5o tanto porque ella pe termo ao
nosso exilio, como em consecuencia da con-
vk'cSo, que cada um de nos partilha com o
glorioso defensor da igreja, Santo Athanasio,
de que t a ausencia do pastor fornece aos
lo os a occasio de invadir o rebanho cujo
pastor deve dar conta exacta aquelle que
lb'o confiou.
Tambem encontramos outro motivo de
consolac3o as considerarlas geraes emque
a circular se apoia para chamar os bispos
Na verdade, nao podamos .deixar de ver
com alegra a solemnidade com que o go-
verno declara que respeita a religiao da im
sensa maioria dos italianos, os quaes, sendo
todos catbolicos, a excepcao de urna peque-
a populacho concentrada no Valle dos Al-
pes, pode o Estatuto declarar que a religiao
catholica a uoica religiao do estado, e
nao conceder mais do que a tolerancia aos
outros cultos que existem, na poca em que
vivemos.
E' fcil comprehender que se faz ces-
sar a desordem das consciencias, e que
se tiram todos os embaracos na marcha
regular do servic religioso, chamando os
bispos, que con-tiLuem com o Papa o pri-
meiro grao da bierarchia sagrada, a que o
divino fundador, Nosso Senbor Jess Ghris-
to, confiou a religiao catholica.
Lonvamos o Senhor lendo a outra pro-
messaapresentaaa pelo g.verno, de fazer
descer das regios abstractas em que at
agora tem estado, e de fazer verdadera-
mente passar na pratica, a ioteira liberda-
de em que devem estabelecer-se as re'aces
da igreja e do estado.
Obi possa a Italia gosar dentro em pou-
co do magnifico e imponente espectculo
religioso, de que os livres cidados dos Es-
tados-Unidos sp boje teslfliaunbas, admi-
rando eraBaltimore essa assembla de mais
de quarenta bispos e arcebispos, de abbades
mitrados, de prelados inferiores e de padres
que se reunem n'um concilio nacional, con-
formando se com as regras da legislado ec-
clesiastica, sem que tenham necessidale de
pedir menor autorhacao a autoridade al-
guma do estado federal, ou d'ura estado
particular.
Depois de haver dirigido as suas res-
petosas bomenagens ao que chefe de toda
a igreja, a sua antidade o im norial Pi IX,
para lbe desejar urna loriga vida, e a manu-
tengo dos direitos da santa se, abrirm as
ps santas discussoes, ea que tem reinado
'amis Ilimitada liberdade.
Nonioma reserva se Ihes temopposto,
nenhuma garanta se Ihes pedio em nomo
de nenhuma le federal ou Iucj! ; e quando
as resoluc5ds do conciliotiverem sido appro-
vadas pelo Papa, h3o de ser proclamadas e
ptstas em exeoucSo 1 ela autoridade espiri-
tual em cala nina das cilades, e em cada
urna das villas, sem exequtur e sem pla-
cet.
c Oh! sim, ioteira liberdade da igreja I e
dos nao verem is mais na Italia prefeito- io-
cumbirem-se da tarefa estranba, para nio
duer mais, de decidir quaes s3o as festas
religiosas que se devem celebrar com pom-
pa externa, e as que se devt-m fazer inte-
riormente Das igrejas, e regular as despezas
do culto, hxando o numero de tochas e
sem de valor e disse-me bom, Sr. padre/passar
por irmao da Sra. D. Matbilde. Delton ao mar os
nossos passaportes e a mala do correio.
Um escaler com cinco bomens arl
De qaatro nacSes se comp5e este regiment : Pd* CD,8 de P"'0'" Tm
Minas, Ardas, Angolas e Crioutos; ests sio tio v' enm tfes *mer'eamos do norte,
malvados qae nio ternera nem devem : os Minas DDo1 e Qm que fillava muil bem oporlog
Ijiodo Catfano, flcou iosoluvel entre as na-
coes reduzcas a serem victoriosas 00 ven-
cidas, ou destruidas pelas desordens intes-
tinas queremos faar do problema da li-
berdade e da igualdade humana em hamo-
nia com a obediencia absoluta.
Segundo o ensino catbolico os homens
que gorernaui, e o maior numero que obe-
dece, reconhecetn por seu chefe commum e
sej soberauo senbor, Deus que esi uo co;
de maneira queaguelle que governa na so'-
ciedade nao exerce sutoridade propria, mas
sim a de Deus, e o que obedece, nao obe-
dece ao homem, mas a Deus.
Sois livres, mas como es servidores de
Deus, segondo a palavra do primeiro papa
S. Pedro (Epit. I, cap. II). D'esta msneira
a oreurj reina na sociedade, e mmtem-se
a paz, que a tranquillulade da ordem entre
os cidados.
Foi por isso que o assumplo da circu-
lar, e as consideraces geraes que a motiva-
ran!, dizemo-lo de todo o corac3o, nosen-
eberam de esperanza e de consolaco.
Mas debemos accrescenlar com a mes-
ma franqueza que essa circular, na parta
que trata das pessoas, nos cooirislou pro -
fundamente. Ha all como urna condemna-
cSo proferida contra todos os bispos que se
afastaram das suas dioceses : sSo represen-
tados como inimigos que puzeram em peri-
go a existencia da naco, a qual collocada em
f^e da questo de ser ou de n5o ser, teve
de recorrer a meios extra-legaes.
Sentaor presidente, todos conbecem
esse aphorismo ds direito, de que ninguem
deve ser presumido de culpado, sem que o
seu enme tenha sido provado.
A circular nao aprsenla prova alguma
nos, pelo contrario, podemos oppor, a essa
gratula aecusaco por um lado, otrata-
mento soffrido pelos bispos napolitanos, para
nao fallar do que nos diz respeito, us su-
jeitos dura prova da pris5o, c do domici-
lio fjrcadfc os outros em luta com o mais
sacnlego*Bos assass natos, ou expostos aos
maiores perigos de morte ; e alm d'isso,
mais de sessenta conservadores longe das
suas dioceses, errantes, miseraveis, afflic-
tos, quasi mendicanles, privados de todo o
rendimento ecclesiastico, sendo todos objec-
to de contradigo e de despreso ; por outro
lado, oppomos 9 procedimento dos agentes
da poliera, que surprehenderam as suas
carias, invadiram o seu dom cilio, seques-
traram a sua correspondencia, e o procedi-
mento dos tribunaes, que fizeram prolon-
gar durante moitos mezes processos crimi-
naes contra os bispos.
Pois bem I qual foi o resultado ? A
despe'to de tantos esforcos da parle da re-
vo'lucoe do governo, n3o poude encontrar-
se o menor compromettimento poltico que
permitisse apreseitar um nico bispo pe-
rante a cmara das aecusaces.
E d'este modo que oppomos emba-
racos ao governo, e que temos dodo recentes
pravas dos nossos manejos polticos / Fa-
zemos juiz d'este facto todo o bomem sen-
salo.
A conclus3o da circular ainda mais
dolorosa para todo o cidad3o honesto Sup-
pe nao s que os bispos chamados s3o cri-
minosos, mas que s3o incorrigiveis, mesmo
dapois dos majes que teem soffrido, e de-
nancia-os naejo como capazes de fomentar
as desordens civis, e de calumniar o gover-
no.
Como remedio heroico prope submet-
le-los a urna vigil mcia rigorosa por meio
das mais enrgica; medidas legislativas.
Na verdade, bastara responder que a
nossa conducta passa Ja ba seis annos ga-
rante a nossa conducta futura. Mas n3o ;
a garanta que dao aos bispos chamados nao
est no cdigo, que invoca a circular, e que
sempre pode ser Iludido; acha-se no codi-
ee divino da doutrina catholica, segundo o
qual os bispos ensinam em consciencia, cum
o grande Pontfice Po Vil, que o dever de
cidaoao n o tomar parte em nenhuma cons-
pirarlo ou sediefao contra o governo estabe-
cidu, e ser submisso e obediente a tudo
que oao for contrario as leis de Deus e da
igreja, e que de accordo com immortal so-
berano Pontfice que felizmente reina, de-
clarou a rebellio condemnavel e sempre
funesta. (Vide ailocac3o de 29 de outu-
bro ultimo sbreos negocios da Polonia.)
Poderiamos finalmente accrescentar os
nossos protestos particulares contra a excep-
to muito odiosa com que a circular fere os
bispos que residem em Roma; porque te-
mossido injustos assim como os nossos col-
legas, e slgons de nos anda mais, s mes-
mas pesquizas e inqueritos judiciaes, e n3o
se tem portanto podido tirar nenhum pre-
texto especioso contra nos.
Mas abstemo-n)s de insistir, porque a
voz publie?. nos faz crer que similhantes pro-
cedimentos se n3o renovar3o mais.
Os abaixo assignados esperam pois da
justica do presidente dos ministros que ba
de fazer cahir no esquecimento a segunda
parte da sua circular, injuriosa para todos
os bispos, mostrando de futuro mais con-
fianpa o'elles, tanto nos bispos, que residem
as diversas provincias do reino, como n'a-
quelles que residem em Roma, sob os olha-
res vigilantes do pastor dos pastores e pai
commum dos fiis.
O senado francez proiecta dis-.utir na
prxima sessSo a questS > da peaa de morte,
para cuja abolicao foi dirigida aquella as-
sembla urna peticao coberta de viole mil
assignaturas.
Este importante debate n5o teve principio
o anno passado.
Esperava-se o resultado da deciso do
parlamento ioglez sobre este importante as-
sumplo.
lysaram tudo e foram para bordo t odos os eran de oegocio; farto de saa sensualidade, sem
papis, o capitao e quatro soldados.
Meia hora depois tirnou a vlr o
hmeos, cinco ficaram no stosi
ram para o pirata levand
sos marinbeiros.
A tripoiacio da>
Ota, rjult que ea me lanjasse na.....quera ri-
quea, querit laxo, que-ia ser o primeiro entre os
seos companheiros do jigo e da devassidio I
< Dos me dea forras para resistir, a alma de
alaba mai todas as ooltes me vinha consolar, e
animar a enmprir o dever, a honrar o nome da ta-
Um jornal italiano annuncia terem sido
entaboiadas negoctaces entre os abiaetes
de Vienna e de Floreoca para a revisSo e
extens3o do tratado de commercio celebra-
do outr"ora entre a Austria e a Sardenha.
A Italia ser admittida a gosar de todas
as vantageos concedidas em o novo tratado
de commercio assignado recente mente pela
Franca e Austria.
-
crescenta que a dgnidade
e a honra da naci, e a a.utorida le do go-
verno alcancaro vantagem em volta dos
bispos; verdade, n5o por esle ou por j
aquelh motivo humano, sempre accessorio
e indigno de homens serios, mas em coose-
quencia d'esse principio fondamental, de
que o mais solido apoi<> do estado o ensino
cathoheo, de que os bispos catholicos, com
o papa sua frente, asseguram a eterna exadamenie ae 1,055 mimas, ou ,ii ki-
durado. I lometros.___ ______
Esse ensino resolve perf. lamente o ler- typ. do diario-ra dascruzes'n. w
O comprimealo total do cabo transatln-
tico desdi) Valenta at a Heans Conten,
.
-






1
j>kiOl



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJJ7G6EA1_2FCK76 INGEST_TIME 2013-09-05T03:41:01Z PACKAGE AA00011611_11182
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES