Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11180


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ifc"
'*

i
I
*


i
1
ANNO XLIII. NUMERO 23.
.
MRV A CAPITAL B LIGARES 0*DE SE NAO PACA POBTE,
Por tres aezes adianodas.,............... 6)0000
Paneta ditos dem.,................. 420000
Por uoi aiaa idea........,.......... 24000
Cada numera arulso...........".......... 320 (
*x
tll4*
i'Jlii!,
SEGUNDA FEIRA 28 DE JANEIRO DE 1867.
*--------------------------------------------------------
PABA DEXTBO E FOBA DA PROVINCIA.
Par (res nezes adiaotadas................. 60750
Per seis ditos iden................................ 130500
Pr note ditos idem.......... ..................... 200250
Por u anuo idea.. .':.............................. 270000
1
1
A8&tt
ENCARREGADOS DA SUBSCUIPCAO.
Parahyba, o Sr. Antonio Alaxandrino de Lima;
Natal, o Sr. Anwnie Marques da Silva jAracaty,
oSr. A. de Latmos Braga; Cear, o Sr. Joaqun
Jo3 de Olivaba ; Pata, os Srs. Gerardo Antonio
Alvos & Fiihos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da
Costaj Alagoas,o Sr. Kran.'ino lavares da Cosa;
Babia, o Sr. Jos Minios Alves; Rio de Janeiro,
o Sr. Jos Ribeiro asparioho.
"AftTIl)-. i S STAKKTAv
Olinda, Cabo, Becada e estac-! da via frrea al
Agua Preta, lodosos das.'
Iguarass e Goyaona as segundas e sextas reir?.
Sanio Anlo, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
AlliBho, Garanhuns, Bulque, S. Beoto, Bom Con-
selho, Aguas Bellas e Tacarat\ as tergas-feiras.
Pao 'Alho, Nazarrlb, Limoeiro, Breio, l'esquei-ra,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa-Vis-
ta, Onricury,Salgueiro e Ei, as quartas feiras I
Ssrinhaem, Rio Farinoso, Tamandar, Una, Bar-
reiro, Agua Prela Pimenteiras, as" quintas
f diras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commereio : segundas e quintas.
Rslaco : tercas e sbados as li) horas.
Fazenda : quintas s 10 boras.
Julzo do commereio : segundas as 11 horas.
Dito de orphos : tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do cive/: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara 4o eivel : qnartas e sabbades a
1 hora da tarde.
7? <
EPHEMERIDES DO MEZ-DB JANEIRO.
H Lna nova as 9 h., e 38 m. da t.
13 finarlo cresc. a 1 h., e 42 m. da t.
iTua cheia as 4 h., e 44 m. da ra.
27 Quarto ming. as 11 h. e S5 m. da m.
DAS DA SEMANA
8. Segunda. S. Goncalo de Amaranto dominicapo
29. Terca. S. F-anci.-co de Sal.es b.: S. Sarbello.
30. Quarta. S. Adelelmo ab-, S. Martlnha v. m.
3. Quinta.'S. Pedro Nolaseo; S. Cyro m.
1. Sexta. S. Peonio presb.; S. fcfrem diac. m.
2. Sabbado. > A Purlficacao de alaria Sant.
3. Domingo. S. Braz b advogado da garganta
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 10 horas e 54 m. da manha.
Segunda as 11 boras e 18 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPOPES COsTEIROS.
Para o sol at Alagoas a 14 e 30; para o norte
al a Granja a 7 e 22- Je cada mes; par* Fernan-
do nos das 14 4os mezes Janeiro, marco, maioj
julbo, setembro e novembro. v~*
*
mm OFFIClaL
S&O das armas.
Quarrel general de enramando das armas 'le Per-
nambuea na cidade do Reeife, 26 de Janeiro
de 1867,
ORDEM DO DIA N. 308.
O brlgadeiro cbmmandaole das armas, mediante
aulorisagao da presidencia contida em offlelo- de
hontera datado, determina que fique empregado no
deposita dos recrutas para nelle fazer o servico
que Ihe competir, o Sr. alferes de batalh.io n. 48
de infamara,do municipio de Serlnhaero Luiz Fe-
iippe Cavalcacti de Albuqti^rque que prest>u srr-
vico no exercito em operaco coatrA" o governo da
repblica do Paragay : o que faz saber a guarni-
co para os fins convenientes.
(Assignado)Benrique de Beaurepaire Rohan
E Tamborim, teoeote ajudante de ordens interino e
encarregado do
DIABIO DE PERNAMBUCO
Fundeou bontem vindo da Europa, depois das 6
horas da tarde, dando as malas s 8 horas, o va-
por loglez Rhone, da liona de Seuthamptoo.
Por ser hoatem feriado e termos falta de compo-
sitores limitado-nos algomas noticias principan?.
Na Inglaterra devein ser abortas as cmaras no
principio de fevereiro e falla-se na apresentagSo
do novo btll de reforma eleitoral.
Em Dnbhn app'rebeadera se armas e muoicoes,
o que fax sup'por compromisos com os fenianus.
Na Franja cansara boa impresso o discurso do
imperador por occaslo dereceber os eampriraen-
tosjle anuo bom, o que flzera suppr melhores re-
laces com a Prussia, com quem muitos espiritos
timoratos suppunham e davam mesmo como certo
lia ver um rompimento.
Na Algeria um tremor de trra arruinara muilas
povoaces.
O commandante das torcas navaes francezas no
Pacifico reiirra-se China da-irando a cidade de
-Kanghaa, visto nao ter obudo do rei de Corea a
satisfaco pedida.
A Prussia lutava com mil difflculdades para sua
unificacao, sortidas da aonexaco dos paizes que
cahiram sob seu poder na ultima guerra.
O ex-rei Jorge do Hanover desligara do juramen-
to de li.lelidade os offlciaes do seu exercito
O duque dei4ogostemburgo igualmeutedesligara
s radividuoa. reooheceram do juramento que Ihe nubam pres-
tado.
A Austria convocara urna dielacom exclnsao dos
estados do antigo reioo de Hungra, que contina
a considerar-se indspendente. _
Na Hespanha os negocios ipelHIWs peioravam de
dia em da. "*
O governo dissolvera as eamaras e convocara
nova-, mandando prender e deportar o presideote
da dos deputados, becn como prender o presidente
do senado e varios depntados respeilavei?.
Na Grecia abrira-se a cmara, nao recitando
discurso a cora. As cmaras elegeram para presi-
dente o candidato da opposi^o. Disto resultou o
ministerio pedir sua demisso, O novo gabinete
presidido pelo Sr. Comondouro, sendo ministros :
da guerra, o Sr. Botzoris e dos estrangeiros o Sr.
Tricoupi.
Acha-se terminada a insnrreigao de Canda,
(cando toda a ilna submeiitda.
Em Portugal abrir as cmaras no dia 2 do
correte S. M. o 3r. D. Luiz I. com as solemnida-
des do estylo.
A cmara dos depuiados elegra para seu presi-
dente o Sr. Dr. Cesario Augusta d'Azevedo P<-
reira.
J tinha sido apresentado o projecio de rerposta
a' falla do torooo, em ambas asc-maras.
O coogresso dos Estados-Uoidos resolver
abrir um inmrito sobre os actos illegaes do pre
sidente da confederaco. Dm telegramma do dia 8
diz que o coogresso dec.-ciara a aecusajao do pre-
sidente Johnson.
O imperador do Mxico publicara urna pro-
clamarlo, datada de Orizaba em 1 do prximo pas-
sado, convocando um congresso nacional para de-
cidir da sorte do imperio, que se propunna guar-
dar e defender.
As noticias commerciaes de Inglaterra sao as
seguintes:
AssncaresBranco 23 a' 26 d.
Hascavo 18 a 27 1|2 d.
Algodao15 1|2 d.
O algodao frouxo e o assucar firme.
Fundeou hontem iambem, depois de 8 boras,
o vapor nacional Guar, procedente dos portos do
norte. As noticias de qne fot portador daremos no.
numero Feguiote :
PERNAMBUCO
tros a instrocQo recebida: a,perseveranca,porm,
no desenvolvimiento de to necessario desejo nao
infelizmente virtude vulgar.
Com este pretexto, que jamis deveria ser dado,
apenas instalado o nosso Instituto, comearam os
scepticos a apregoar que elle nao escapara a Sorte
commum. Essa casta de gente duvida de ludo,
menos de si mesma ; capricha em ser incrdula, e
pretende que se Iba preste f. Todava se ella
acha-se anda habilitada a formar um raciocinio
justo, se pode ser classlficada racional, provavel
que ter-se-ha desengaado; e se pjr contumacia
nao cooftssar em i-ublico o seu hIso juizo, no s;u-
so intimo o lera rei'onhecldo.
Temos trabalhado, Dos nos tem ajndado ; al-
guma cousa un havemos prodozido. O digoissi-
mo secretario perpetuo, na sulemr.idade de cada
um dos aniversarios, tem exposto fielmente a serie
dos nossos trabalhos : hoja deempenhar a mesma
tarefaj em quanto eu, na debilidade das minhas
torgas, direi algumas palavras a respeito dos nossos
malfadados indgenas. A triste sorte dos Parias
nunca deixou de ioteressar os' corajes bem for-
mados-
E' doloroso, mas nao podemos deixar de eon-
fessar qne a gener.ilidade dos primitivos habitan-
tes do Brasil, era amropophags. Dahi o horror,
com que desdeento foram encarados. Essa averso
era natural: a compaixao, por n, no bomem, que
se diz civilisado, nao deveria srmenos. Quem
peca, deve ser corrigido, nunca maltratado. Na
infancia das sociedades os veiuos sao meninos;
estes com suas travessuras nao promovem odio,
nem despreso, exigem maior solicitude.
Pelo testemunho da historia sabemos que os nos-
sos aborgenes, apezar da fereza que Ihes inspirava
o ardente amor da lioerdade, logo que nao tioharfl
motivo de temer que se aleniasse contra estesa-
grado dlreilo, erara facis em cooreber dous seoti-
melos para com os estrangeiros, que vinham
estabelecer-se era seu patz.
A maior difflcoldade eslava em extirpar dos
seus Cnrac5es o feroz genio de collocar cima de
todo e qualqoer prazer, o hrrido banquete, que
costumavam celebrar com as carnes dos seus ini-
roigos. difflculdade tanto maisseria, por ser a nica
especie de gloria que conheciara. No Mxico, des-
truidos os templos, e dispersos os sacerdotes, ne-
cesariamente cessaram os sacrificios de humanas
victimas, e es povos desse imperio por tantos in-
fortunios, que acompanbaram infame conquista,
nao eram mais que um miseravel banda de gente
aterrada.que ha va perdido todo oseotimento de si,
e a quem o raesmo^stado de civilisacao, a que os
Imperadores os haviam antes conduzdo, conspirava
para a sua maior degradaco.
Os Por.uguezes nao podiam fazer nos Brasileros
a caroeflcioa, que nos Mexicanos haviam pratica-
do os Hespanhoes, nem Ihes faria conta praticar,
qnaodo houvessem podido o uso atroz, que oc-
eorria desenraizar nelles, nao provinha de fanatis-
mo religioso, o qual se tem um periodo de exalta-
cao, tem tarabsm afioal o de calma, proceda um sentimento mais profondo e mais firme no co-
racao humane, o o odio e da vinganes. Acres-
ca ainda qae, qnaodo se pretenda dissuadi-los, ou
por obstculos a este cruel h-b!>, mais se Ihes
exasperava, e muilo mais se Ihes ajiuilhoava o de-
sejo
Nao OSITO resollado se poiia esperar avista do
procedimenio dos colonos: nao respeitando os mi-
saros indgenas senao como animaes de carga,
creados e alimentados para lodo o servico que del-
les exigiaro, maltratndoos de continuo, necessa-
riamenie provocavam a vingaoga. Esta nao se
satisfazla com a morte do proToeador, julgavam
que, abandonando o cadver as aves de rapia, po-
derla ainda voliar para atorraenta-Ios.
Por oulro lado os mesmos colonos feridos era
suas prelenjSes, e incapazes de s por si desa-
frontarem-s*, recorriam ao malvolo estratagema
de excitar ao combal a tribu rival d'aquella, de
quem desejavam vlngar se, prometiendo nao s
ajuda-la, como permiltiodo Ihe que comesse iam-
bem qs adversarios, que ficassem prisioneiros.
Assim o mal em vez de diminuir, augmentava.
Qoando se est em erro, se por desgrana acontece
que aquelles que jolgamos superiores em sabedo-
ria, o apoiam e applaudem, o erro nao se extirpa,
propaga-se.
Nestes termos nada havia a esperar dos recor-
sos humanos, offerecia-s nicamente aqoplle que
o ministro do Evangelbo sabe efflcazmente implo
rar e obter. Os missionarios erara incansaveis : o
eivados dos mesmiassimos, ou peiores males; cla-
mara contra a confupgio, e vivera corrompidos.
Os abuires que esvoacarara pelo nosso territorio,
no principio do sea descobrimeolo, eram incansa-
veis em gritar contra anlropophagia e nenhum
era mais aniropophag dM^ue elles. Nao se sacia-
vam com a crae hti'raatjjflpagavaw o qu3 o ho-
maro possue de mais vawrr hberdade, a honra, a
propriedade. Mentecaptds!' Nao Se recordavara, ou
antes fingam ignorar qne a carne nada, pode ter
o sea tmulo no ventre de qualquer fra, e que o
espirito tudo ; nao morre. vive in alernum; a
materia anniquila-se, a Hberdade, atributo o mais
precioso do espirito, qunflo perseguida, atassalha-
da nesta vida, refugia-se ao p do throno da Di-
viudade, d'onde emanoo, e ahi encontra asylo pe-
renne.
Fiquem consignadas essas minhas palavras (tai-
vez nao leona mais a honra de fallar neste recinto);
saibam os vindouros que ellas foram proferidas
por um padre velho que nao cessava de repetir
com o lyrico porlugnez :
Eu dcsta vida (ico contente
Qu'a minha trra amei, e a minha gente.
Est abena sessao>
Terminando S. Exc. este discurso, lomou a pala-
vra o Sr. secretario perpete, e fez o relatorio do
movimenlo do anno social cora a proflciencia que
Ibe conhacida, seguindo-se-lhe na paiavra o
orador, cojo discurso, al n de outras parles, oc-
capoa-se, n'um estylo encantador e apropriado, de
iracar urna rpida noticia biograpbica dos socios,
que haviam fallecido dnrante o anno social.
Em segaida tiveram a paiavra os socios Dr. Apr-
gio Gu'marSes e major Salvador, bem como os Srs.
convidados Joao Baplista Rigueira Costa eVictoria-
|mo Palhares; todos osquaes foram applaudidos em
suas oracoes com demonstrares de viva sympa-
tbia pelas ideas nellas expendidas.
Estas pecas todas da-las-heroos publlcidade
com paais vagar, visto ser-nos hoje impossivel fa-
lo terminen esta fesla, eocerrando-se a ses-'
sao, cuja acta a seguiole :
Reuio-se hontera o Instituto era assembta-
freral para o quinto anniversano da sua iosialla-
cSo, stb a presidencia do Exm. monsenhor Munlz
Tavares.
A 1 hora da tarde, o Exra. Sr. brigadeiro com-
mandante das armas reeebido e acompanhado
pela respectiva commisso al o logar que Ihe es-
lava destinado ; tocando a msica postada na en-
trada da sala urna bella marcha de continencia ; e
estando presentes varias autoridades; urna com-
misso por parte do Gabinete Portuguez de Lel-
tura, pessoas gradas e um graod numero de ci-
dados de todas as classes; venflea-se igualmente
a preseoca dos seguintes socios effectivos: Drs.
Joaquim Portella, A^rigio Guiraares, Soares de
Azevedo, Nasefmento Feitosa, Amaro de Albaqaer-
que, Kigueira, Witruvio P. Bandeira, Rodriirues
Cmpella, Cunha Figueiredo Jnior, Cicero Pere-
grino, e os Srs. Francisco de Barros, padre Luiz
do Monte e major Salvador Henrique; e os socios
correspondentes Dr. Rufino de Almeida e Andr
Ferreira.
O Sr. presidente declara aberta a sessao, e l
um discurso anlogo ao ohjecto.
O Sr. ecretario perpetuo faz a leitura do seu re-
latorio, sobre o movimiento do anno social Ando.
O Sr. Dr. Feitosa, como orador, l o seu dis-
curso.
O Sr. Dr. Aprigio Guimares recita nra discarso
sobre a verdade histrica.
O Sr. nv.jor Salvador Heonqae l um discurso
biographico de Henrique Dias.
OSr. acadmico Joo Biptlsta Rigueira Costa
recita tambera um discurso, congratulando-.-e com
o Instituto pelo seu anniversar o.
O Sr. Victoriano Palhares recita urna poesa ana-
loga ao assurapto.
Terminado assim o acto, retira-se o Esm. com-
manflante das arma?, com as mesmas formalidades
com qne entrn.
O Sr. presidente convida os socios para a sessao
especial de eleigo no da 15 de revereiro, e levan-
ta a sessao.
Cbegaram hontem os vapores Ipojuca e Pa-
rahyba, da companhia Pernambucana, aquello dos
poitos do norte e este dos do sal de sua escala.
Km Santa Anna do Mallos, do Rio Grande do
Norte, procedra-se ltimamente eleigio de ve
readore* e juizes de paz.
Os liberaes comparecern) cora grande numero
procedimento impo dos colonos os contrariava, I
!fwn?5,m0tide.MleU'?- ?m a,UXI' d B"5* de volan,es ^rurap"hmm^,.Dpietam7ni riendo;
obtinham alguns fructos do seu zelo ; nos lugares, porm, deixado de apreseotar-sa o 1. juiz de paz,
on ie permaneciam, o enme ja nao se corametna apesf com osienlacao.
Um dia inopinadamente chega ao3 onvido3 do
veneravel jesuta padre Leonardo Nunes o alarido
n
REVISTA QiiA
Abri se a presente semana com urna scena,
verdadeiramenle patritica para nos outros per-
nambncos, tradnzlda na festa anniversaria da ins-
tallacao do Instituto Arcbeologico e Geog aphico
Pernambucano.
Consagrac.ae de nm typo nacional, encarnacio
do dia sympa.thico para Pernambuco, essa festa
tinha anda o lado de mauisfestar regosijos ntimos
de urna astociacao patritica, que assim solemnisa-
va o sen primairo lustro de existencia real.
Com effeito, realisou se hontem essa funcQao
social, presidiado sessao magna todas as forma-
lidades observadas nos annos anteriores, e a ella
achando se presadles socios de differenies caihego-
rlas, varias eoinmis-oas de differentes sociedades,
e numeroso concorso de convidados.
O sali eslava decorado ricamente, e alm de
trophos e Drazoes d'armas, que adornavam-lbe o
alto das paredes, pend>am d'estas ao naseente os
oovos retratos dos qoatro hroes da emaocipseo
pernambucana do poder btavo ; e a entrada do
mesmo sali postava-se a msica do 3.* batalhao
da guarda nacional desta municipio, a qual d'ahi
tocn bellas pegas i lotrodurcao do Exm. monse-
nhor presidente, e do Exm. conselheiro comman-
dnnt das armas, bem como nos intervallos dos
discursos que foram pronunciados.
A sessao foi aberta pela segninte allocncao, qae
o Exm. monsenhor presidente do Instituto leu, sob
mais religioso silencio do auditorio, que Ibe apa-
obava as palavras com a sympalhica soffreguido,
com que sempre tem ellas "sido attendidas em oc-
cas oes seroelhaotes ; porque est na consciencia
de todos, que daqoelies labios somenie caem ver-
dades, e aquella caneca veneranda s gera pen-
samentos elevados e de grande pairictismo.
Senhores.Celebramos o qoati anoiversarlo da
astalaco do Instituto Archeeloco e Gengraphico
'ernambucano. Cinco annos d existencia real
?da looga para associacSes selenlifleas era provin-
cia Estas assoeiac5e?, assim como ouiras de re-
'etinhectda utilidade, surgera entre nos de irapro-
"*> de imprpyi80 desarparecem. E' idnato ao
hoatvn o desejo de iostruir-se, e transmittir a ou-
festivo do nefando convicio: sera demora elle
corre, e laucase no meio da raoltido bacan-
te. TinlH a roapela e a camisa despida at a
cintura, as maos trazia o instrumento, com que
os devotos penitentes no lempo do fervor religioso
castigavam o proprio corpo rebelde, flage!ava-se
de tal forma que o sangne corra Ihe das espaduas
em demasa, tais mea vossos ps (Ihes diz banha-
do em lagrimas) queris sangne T Aqu o tendes,
saciai-vos; mas por.Deus poupai ao menos o de
vossos irmos lo intelizes como vds.
Foi as-ira que os apostlos levaram s extreroi
dades da ierra a sacrosanta dootrina do Calva-
rio I O herosmo tem a forra irresistivel de suhju-
gar as paixoes, se|am quaes forem, penetra os
coracoes mais indmitos, arrancando aaadmiraco,
o com ella a submisso respeilosa. Os misero."
selvagens entregam em profundo silencio a triste
victima, que ia ser Immolada, e proujeltem nao
resistir. Toda a irib daquella aldeia cumpre
fielmente o prometiido.
Na longa e sempre memoravel Iota que trava-
roos com o Batavo invasor diversas tribus, que com Intrepidez e denodo nos
auxiliaran) a obter o tnumoho completo no glo-
rioso dia 27 de Janeiro de 1654, que hoje cora sin-
cera devocao celebramos tambem; sim, dessas
iribos a historia nao apanta ama s, que ainda se
maochasse com aqoelle brbaro aso: oatras
ideas, outros principios tinham-se infiltrado n'alro,
esclarecida pelo ensino evanglico.
Mas, senhores, seriam s os Americanos, ou
os Brasileiros, que assim se dejradassem, a ponto
de serem estigmatizados como precitos? Abramos
os nnaes do genero humano: quaes sao as na-
goas que nao lenr.am de arrepender se dessa bar-
baridade 7 Nao recordaremos Sellas, Persas, Ara-
bes, Pbeoicios, nem centenas de geraces da
Asia. Nao fallaremos de Egypcios, nem de Cartha-
gineies, e outros povos d'frica. Os amigos Hes-
panhoes, os Gaulezes, Alienases, Suecos, os mesmos
Gregos e Romanos, e tantos outros c-leDrados
como os mais coitos e sabios do universo, nao
foram exceptuados. Os Hebreos, o povo escolbldo,
ravoltados em Cyrene. a conduzido pelo fantico
Andr, qne se dtzia Messias, com sen furor contra
o Santissimo nome de Jaso (como refere entre
outros o historiador Euzebio) nio contentes de
degolar a todos quaotos eocontravam pelas ras e
pelas casas, devoraran) as carne", Azarara cintos
dos Intestinos, cobriram-se com as peles dos cada-
veres. Igual procedimento uve. ara no E.;ypt>, c
era Chypre. Laioeotem-se os desvarios do entend-
ment humano, nao se lance o aoatbema exclusi-
vamente sobre os nossos pobres indgenas.
Tem sido notado em todos os lempos qae os mais
intolerantes sao os qae mais necessitam da tole-
rancia alneia. Os declamadores de encrnzilhadas,
que co.-tumam vociferar contra os erros e deleito?
do hornera pablico e privado, de ordinario esto
pois da hora marcada, chegou, estando formada a
mesa com o 2. e com o concurso da raaioria dos
eleitores e de todos os suppleote?, e, acompanha-
do de 4 eleitores smente formou urna duplcala.
O Exm. presidente da provincia nomeoa urna
commisso composta dos Srs. Dr. Sebastio Gon
{alves da Silva, Joaquim Soares Raposo da Cma-
ra, coronel Antonio Galdino da Cunta, coronel
Manoel Varella do Nascimento e capito Manoel
Ribeiro Daotas, para prora, ver a venda de apol-
ces da divida publica da ultima emisso.
O Sr. major Ferreira Nobre, que uoticiamos se
bayer efferecldo para a guerra, pablicoa a se-
grale proclamacao aos seus comprovincianos :
Ro grakobnsbs di nortb 1Um anno tem
decorndo que, na qualidade de commandante do
destacamento de euerra, e depois, capito do.l"
corpo de vilunurios da patria, us> i da paiavra,
estimulando os vossos bros e concurrendo para
que esta provincia representaste nm brilbaote pa-
pel n injusta e inslita guerra, que faz ao nosso
paz o despota, presidente da repblica do Para-
guay.
Ura anno se lera passad que eu, fazendo
parte do segundo corpo do exercito, represenlei
no campo da honra a parte qae me foi destnbuida.
< Se nao 0: esforgos inauditos e actos de nm
herosmo sem par, teoho todava consciencia de,
por meio da paiavra que toca, do exemplo qae
move, o dos sacrificios mais ardaos que persaa-
dera, haver provado ser filbo da (erra abengoada
dos Castros e Aibaqoerqaes.
c Entretanto, enfermedades adqueridas em mar-
cha para a campanha, como declarou a junta de
saie a qae fui sabmettido, me obrlgaram a pro
curar o gremio da familia, para ser conveniente-
mente medicado.
t Hoja, porm, que estoa completamente resta-
belecido, volto ao ibealro da guerra, para defen-
der a patria, e prestar o meo tenue tributo no in-
tuito de salvar a honra e o futuro do imperio :
esta resolucao expoatanea, e para ella apenas
concorreu o dever de cidado militar, e o sacro-
santo amor da patria que germina em mea co
racio.
t Pelos actos do governo da provincia, deveis
ter condecido qae a minha apresentacao como
simples guarda nacional: troco a espada de offl-
cial pela bayoneta de soldado.
< Nada faco, eu o sel; mas mullo conseguir!,
provocando tcitamente com o meu exerapl i aquel-
las, que, podendo fazer muito, jazem na Inercia I...
t Rio grandeoses do norte, leinbrar o compr-
manlo de vossos deveres na quadra calamitosa e
afflictiva em qae nos acbamos, seria ama of-
fensa a vossa dignidade e patriotismo: o nico
lim oulro.
c Os exercltos qae a esta hora sobem as mara-
Ibas das fortifleacias paraguayas, precisam ser re-
montados.
f Nesta eonjanctura dolorosa, mlster qae o
Rio Grande do Norte, qae, no comeco da proceHa
medonba, se levantou como gigante, para defen-
der os brios naclonaes, encare sobre os inimigos
as armas do patriotismo.
t Cada dia apprecem de todas as provincias no
imperio sentimenios d naciooalid^de, e servidos
de um valor iramenso ; e porque o Rio Grande do
Norte ha de ficar a esquerda de suas irraas T I
e Nao possivel : o lustre de seu braso ser
por sera dnvida sustentado em todo o seu brlbo e
esplendor.
< Eia, pois, Rio Grandenses, declarai vos volun-
tarlos da patria, e salvai os seus ioauferiveis dl-
reitos.
t Ao Paraguay I gloria I
t Viva a nago brasileira.
t Viva S. M. o Imperador.
Viva a religio do estado.
c Vivara os voluntarios da patria.
A cmara municipal da capital votara unni-
memente a felicttacao segrate aouoverno imperial
pela acertafia escolba do Exm, Sr. Dr. Luiz Bar-
bosa da Silva para presidente da provincia :
t Senhor A cmara municipal da cld3do do
Natal tem a honra de felicitar o governo de V.
M. Imperial pela acertada escolba que se digoou
fazer da pessoa do Dr. Luiz Barbosa da Silva para
reger os deslinos 'esta provincia.
f Durante o curio espaco de sua administraco
0 Dr. Barbosa tem dado as mais exuberantes
proras de suas boas iniencSes, e nao tem pou-
pado esforcos para realisar a felicidade dos po-
vos.
Iotelligente e llluslrado, conscio de sea dever,
collocou-se cima dos partidos, tendo sosente em
mira a justiga e o bem publico.
< Ningaem melhor do que elle tem compreben-
dido a importancia da misso de que o encarregon
o governo de V.. M. Imperial na crise dolorosa
porque vai passando o imperio; e, animado do
mais ardente patriotismo, tern-se dedicado, com
todas as forcas e recursos de sua inteliigeocia, ao
bom exilo da causa santa da patria, ja' proraoven-
do, com o mais louvavel empeoho o alisumenlo de
voluntarios, j empregaudo aquella actividade e
energa que reclamara as circumstancias da pro-
vincia, para realisar o reerntamento ou tornar ef-
fectiva a designago dos guardas.
t A amara municipal da cidade do Nalal cum-
pre, pois, nm dos seus mais agradavais deveres,
congraiul>ndo-se eora o governo de V. M. Impe-
rial, por (ao acertada e feliz escolba, e faz votos
para que o Br. Barbosa da Silva, conunue a trilliar
a senda em que to sabiamente tem marchado,
cora os applausos de todos es Rio-GrandeBses, que
sinceramente desejam o eograndecimento de sua
provincia e a manutenco oa hnr e dignidade da
na gao.
, Deus guarde a V. M. Imperial. Paco da sa-
mara municipal da cidade do Natal, em ssso or-
dinaria 21 da Janeiro de 18C7.
t Hermogenes Joaquim Barb >sa Trtwco, pro pre-
sdeme ; Jos Antooio de Souza Caldas, Jos Banto
Alves, Jo? Ignacio Pereira do Lago, Urbano Joa-
quim de Loyolla Barata.
Em Alagoas q>ia ocenrreu digno de menco.
Teve lugar no Aracaj, em (8 do crreme, a i.'
sesse, preparatoria daassemba provincial.
A barca Silva, entrada de Lisboa em 24 do
correte e que demos nesse dia como consignada
dante ao Sr. Antouto Luiz de OtiVeira A'.evedo,
veio frelada d'aquella porto e consignada por en-
trada ao Sr. E. R. Ribello.
Depois d'amanhaa as 11 horas se exlrahir
a 4" parte da lotera a beneficio da colnnisacao
polaca (4) sendo o maior premio 6:0005000.
O escrivo dos protestos Jos Mariano est
de semana.
Reparticao da polica.-rExtracto das partes
do dia 28 de Janeiro de 1867.
Foram recolhdos a' casa de detenco no dia 2o
do crreme :
A ordem do Dr. delegad^,da capital, Antonio,
escravo de Antonio Jos d*,Oliveira Braga, p*ra
correrco ; A ordem do subdelegado de S. Jos,
Joaquim Amelio Pereira da Silva, por ser crimi-
aoso ; a ordem do da Boa-vista, Joo Tavares da
Cruz, Joaquim Jos a S ra'Anua e Manoel Fran-
cisco da Silva, para correceo. O chefe da 2'
seccao, /. G. de Maquila.
Passageiros do vapor Parahyba, vlnd do
Aracaj e portos intermedios :Joaquim da Costa
Aru.o e 1 escravo, Daro Jos Peixoto, um escra-
a entregar, Jos Maria G. Pereira, Sabino Francis-
co Muniz, Jos Joaquim da Rocba, Dr. Francisco
Rodrigues Pessoa de Mello,- Canuto Candido Braa-
do, Mauoel Monteiro da Cuuha, G. W. W. Wu-
cherer, W. W. Robiliard e sua seohora, Maria Al-
vina de Santa Anna, felix Bamvmdo de Oliveira,
Joo Firmo Clodoaldo da Cunha, 2 criminosos, 3
prajas," Antonio Mana da Rosa.
Passageiros do vapor Ipojuca, viudo do Aca-
ran! e portos intermedios :Frederico S. Souza
Perer?, Henrique Coelho da Fonsaca, Joaquim Al-
ves Garca, Domingos B. Guimaras e 1 escravo,
Francisco da Cunha Castalio Branc i e 4 escravos,
Joo da Silva Antuoes, Amonto Duarte Pimentel,
Hermenegildo Jos de Almeida, Bento Crrela da
Silva, Francisco Leite C. Silva, Vidal Fernandes
Barbosa e 1 criado, Alexandre Clemenlino Freitas,
Alexandre Ferreira dos Santos, Rayraundo C M >
reir e 1 criado, Luiz u. S. Cavalcante, Mauoel H.
S. C. Costa e 1 criado, Saturnino L. de Souza e i
criado, Dmiel A. Macede e 1 escravo, Barnardino
Gsraldo da Silva, Manoel Jos de Moura, Jos da
Cunda Braga, Antonio Bento de Moraes, Antonio
Marques da Silva e 1 filho, Joaquim 51. da Souza e
1 criado, Jos Secundino Pereira Pacheco, Joaquim
Fraocico de Vasconcellos, Januario Nunes Tbomaz
e 1 filho, Amaro B. Albnquerque, Mara M. de Je-
ss, Monica Ferreira da Silva, A. Webe, Ox. Jos
Alves da Silva, doos irmos e um criado, Jos
Vieira da Silva, Candido Gregorio dos Santos, sua
senbora, 3 fiihos e 1 escravo, 8 nufragos da barca
francea Miri.e Joo Gomes Ferreira A. Mello,
Adolpbo Eugenio Soares, 2 pracas de polica, Jos
Jacame Tasso, Francisco N- da G. Mello, Antonio
Rodrigues da Costa, Jos da Silva Coelno, Manoel
Marques Camacho, Francisco Gomei Marques da
Fooseea, Joo Kerreira da Costa, Francisco de Al-
meida Braga.
Passageiros da barca portngueza Clnudina,
sabida para o Porto: Emilia Candida Ferreira
dos Santos e 4 Albos menore?.
Casa di Ditbkcao.Movimento do da 25 de
Janeiro de 1867.
Exlstiam 369, entraran) 5, sabiram 7, existen)
367. A saber: naclonaes 27 i, mulheres 13, es-
trangeiros 31, mulheres 2, escravos 44, escravas 5,
total 367.
Alimentados a' costa dos cofres provtaciaes 224.
Movimento da enfermara do da 24 de jaoeire
de 1867.
Tive alta :
Jos, escravo de Francisco Xavier d Meneies.
Ckmiterio publico.Obituario do dia 22 de
jaueiro de 1867.
Merity M Ubi, Austria, 24 annos, solteiro, Boa-Vis-
ta ; asphtxla por snbmerso.
Jos Fernandos de Lima, Pernamboco, 40 ann>s.
soiteiro, Boa-Vista ; eotenle.
M.no-I Martin* de Souza, Pernamboco, 20 annos,
solteiro, Boa-Vista ; hydropesla.
Joao Baplista, Pernamboco, 19 annos, solteiro, Boa-
Vista ; aoazarca.
Rita Mara da Conceicao, Pernamboco, 90 annos,
. viuva, Afogados; entente.
Francisca Machado d*Jjima'Cirneiro, Peraarabu-
co, 45 anno?, casada, Boa-Vista ; affeccao'pal-
monar.
Petronila Cantalice Pontes de Farias, Pernambuco,
24annos, casada, Santo Antn.o; meningite.
Apollonia Barboza Coelho, Pernamboco, 83 annos,
viuva, Santo Antonio ; enterite.
Damiana Maria da Conceicao, Pernambnco, 40 an-
nos, casada, Boa-vista ; congesto cerebral.
Firmino, Pernambuco, 3 mezes, Recifa ; estupor.
Luiz, Rio do Peixe, 23 annos, Santo Antonio ; pneu-
mona.
Marcos, frica, 42 annos, escravo, Santo Antonia ;
idem.
-23-
Clara Faustina Bezerra de Menere?, Pernambnco,
66 annos, viuva, Boa-Vista ; meningite.
Joanna Francisca de Almeida, Pernamboco, 50
annos, solteira, Bia-Vista; scyrrho.
Luiza Mana Cabral.
Francisca de Paula da Paixao, Pernamboco. 72
annos, solteira, Santo Antonio ; phtysica pul-
monar.
Antonio, frica, 70 annos, escravo, S. Jos ; con-
gesto cerebral.
Marianno, Pernambuco, 3 mezes, Santo Antonio ;
desynteria.
- 24 -
Joaquim Jos da Costa Cintro, Rio-Grande do
Norte, 32 anuos, casado, Reeife ; inflammaso.
Vicente Ferreira Correia, 60 annos, casado, S.
Antonio ; gangreaa.
2o
Mana Leopoldina Correa da Silva, Pernambuco,
18 annos, solteira, Santo Antonio; tubrculos
pulmonares.
Luiza Mara da ConceiQo, Pernambnco, 38 annos,
solteira, S. Jos; afferco pulmonar.
Joo Ribeiro de S tuza, Pjrahyba, 40 annos, casado,
Boa vista; gangrena.
Claudiana, Pernambuco, 3) mezes, S. Jos; tuber-
culisa^Sn pulmonar.
Christma, Pernambuco, 7 mezes, escrava, Boa-vista;
coogeslao pulmonar.
Luiz, Puroamboco, 45 annos, escravo, Santo Anto-
nio ; apoplexia.

'
Conimunicados
Partido conservador.
DB MAIS I
A Sttuacao diz que a gente do Sr. Dr. Joao Al-
fredo preudeu e conservou em carcere privado al-
guns eleitorss em 1860, >t que se passasse a elei-
cao.
Os eleitores, que nesse lempo esliverim presos,
foram Joo da Cunha Menezes, e Joaquim Jo- Car-
doso de Mello; ambos estiveram ero casa de nm
dos actnaes chtfes progressistas para votarem con-
tra os amiges do Sr. Dr. Alfredo... O prmeiro,
nao obstante a cegueira que oiohabllitava de votar
em escruptmio secreto, foi conduzido pela mo at
a urna, e nella depoz a ceduU qae Ibe deram ; o
segundo pode fngir a me i a uoite, desejojo de vo-
tar contra os amicosdii Sr. Araujo '-ferros, taes
ameacafl |-lorara fritas, que nao se atreveu a
compara r a' eleicfio. O Sr. Dr. Alfredo perdeu
csse votjH
Umdj^po. o Sr. capito Manoel B-pti-u Ro-
drigues, depois da votar com os amios do Sr. Dr.
Alfredo, fo> procurado em sua propria casa e a-
meacado pel" Sr. Aranjo Barros para dizer que
tinha vetado ora os amigos do Sr. Souza Carva
Iho na formacao da mesa parochial.
Quando subi a liga, caro Ihe custou i deciso
e energa do senprocedimenio leal: viose obri-
gado a sabir de Goyanna, vendando proprledades:
vio soa mulher processada e araaacala de ir a' ca-
deia por ter castigado urna escravioha.
Joaquim Jos Cantoso de Mello nessa mesma po-
ca foi preso e procesado pelo supposto crirae de
fabricar moeda falsa de cobre; porque achoa-se
em sua officna dinheiro xenxem, que elle compra
va como caldeireiro para fundir.
Esses senhores da Sifnifo san das Arabias ..
Minguen) os vence o muodo itSUes.
Podera' o Sr. Araujo B*rros dizer-n3s quem foi
qui em 1860 ensinou a arte, depois aperfaicoada
pela liga, de formar mesas com minora de eleito-
res e supplentas contra as maonas presentes.
Esta fraude at emo descoohecida, appareceu
em Goyanna naquelle anno, quando S. S. f dirigir
a eleico, levando comsigo 50 bayonetas. A cmara
dos deputados rec nheceu edesfez semelhante tor-
peza na sessao de 1861.
Sao fados provados. Os documentos existem.
Publicacoes a pedido
Leroos, no Jornal do Reeife e Diario de 26 do
crreme, algumas censaras dirigidas ao tenente-
coronel Francisco da Miraoda Leal Seve, em fel
cao a' nomeaeao do tenente Manoel Farias para ca-
pito.
Ainda estamos em poca da guarda nacional
marchar para o campo da guerra, afim da susten-
tar a honra e dignidade da naco, e eremos que
nao baver oro so offlcial do 3 batalhao que, sen-
do designado pata marchar para o Paraguay, deixe
de assim o fazer; maa-teem-se dado de certo lem-
po a esta parte alguns fados no 3* batalbo, que
j estamos vendo a offlialidade to desgostosa, qae
a maior parte delles, sendo designados, coslaro
bem a marchar.
Eolre ouiros fados citaremos o seguinte :
Acaba de ser proposlo para capito o tenente
Manoel Farias,-e isto com a maior iojusilca e ama
proiecco um pouco censura val, que sendo tenente
ha seis mezes, e havendo quem anda nao o visse
fardado no batalhao mais de duas vetes j
tem a felicidade de ser proposlo para capito, ha
vendo tenentes muito amigos e com merecimento
(como sabido;, e alm disto capilps e tenentes
addidos, os quaes, pela le da gnarda nacional, de
vem preencher as vagas existentes no batalhao.
Digam, ist nao causa desgosto? Nao seria mais
justo que na guarda nacional se respeitasse a aoti
gaidade e merecimento, e os commandandantes se
deixassem de propar offlciaes por sympathiaT
Creraos qne, no servico militar, em primelro logar
est o offlcial qne lera merecimento : aqoelle qae
prompto para o servico, e nao aqoelle qae
sympathico e bonito.
r Esperamos, pois, qne S. Exc. o Sr. conselheiro
presidente da provincia, e o digno coronel rtery
Ferreira, commandante superior, attendam a esta
no-sa pnblicaco.
Reeife, 27 de Janeiro de 1867.
Alguns Boavislanos.

Eiei^o rjVs juizes, juizas e mais devotos,
qae teem de festejaren) ao glorioso mar-
tyr S. SebastiSo da igreja de N. Sra. do
Pilar, erecta na freguezia de S, Fre Pe
dro Gon cal ves do Reeife no anno ae
1868.
Jais por eleico.
O lllm. Sr. Bartholomeu Lourenco.
Juiza por eleico.
A Illma. e Exma. Sra. D. Antonia Julia Lou-
renco.
Escrivap por eleico.
O lllm. Sr. Francisco Gomes de Figueiredo.
Escriva por elelcao.
A Illma. e Exma. Sra. D. gueda, esposa do lllm.
' Sr. Manoel Victorino da Silva Gaimares.
Thesooreiro.
O lllm. Sr. Francisco Severiao da Cosa.
Procurador geral.
O lllm. Sr. Pedro Jos deSiqueira.
Procuradores.
Os IIIgos. Srs. :
Antonio Gomes de Figueiredo.
Jo.- Claudino de Siqoeira.
Feliz Goncalves de Arruda.
Jos Marques da Costa Soares Jnior.
Joo Pereira da Sil va.
Jesnino Ferreira dos Sanios.
Jto Lourenco Ferreira da Costa.
Jos Francisco das Chagas Ribeiro.
Antonio Jos dos Res.
Joo Nepomuceno Coelbo da Silva.
Joizes protectores.
Os Illros. Srs.:
Jos Alves Barbosa Jnior.
Manoel do Souza Correia SimSes.
Mantel Francisco Marques-.
Julzas protectora?.
as Illmas. e Exroas Sra :
D. Isabel Torquata d'Arauj Saldanba, esposa do
lllm. Sr. Jos Baymundo da Natividade Sildanha.
D. Felismina Alexandrina Gomes d'Arauj, esposa
do lllm. Sr. Francisco Augos*e-B Aranjo.
D. Aexandroa, esposa do lllm. Sr. Feliciano Jos
Gomes.
Juizes por devcQo.
Os Illms. Srs :
Jos Francisco da S Leilao.
Jos dos Santos Villaca.
Augusto Ribeiro de Lima Chalaca.
Capiulino Goncalves Lessa.
Jos Antonio Goncalves Penoa.
Cycero Bras leiro de Mello.
Maooel Vctor Jess da Matta.
Francisco Gomes de Miranda Leal.
Jos Joaquim Alvea de Miranda.
Joo Francisco Marques.
Antonio Pinto de Azevedo.
Francisco Antonio Duio.
Juizas por devocao.
As Illmas. e xmas. Sras.:
D. Maria Francisca, esposa do lllm. Sr. Trajano
Augusto de Carvalho.
D. Francisca Urabelina de Carvalh) Santos, esposa
do lllm. Sr. Joaquim Jos da Silva Santos. *
D. Mana Eflgenia de Carvalho, sobrinha do lllm.
Sr. Joo Barroso de Carvalho.
D. Francisca Romanada Conceicao, esposa do lllm.
Sr. Antonio Gomes de Figueiredo.
D. Candida Baplista de Azevedo Maia, esposa do
lllm. Sr. Jos Luiz de Azevedo Maia.
As Illmas. e Exmas. >ras.:
D. Aurelia, esposa do lllm. Sr. Jos Ferreira da
Silva.
D. Mara Joaquina Alves, irmaa do Illra. Sr. Joo
Alves da Silva.
D. Mana Francisca de Almeida Bastos, esposa do
lllm. Sr.'Jos Dativo dos Passos Bastos.
D. Maria da Couceicao d'Aimeia Costa, esposa do
lllm. Sr, Sil vino Jos da Costa.
D. Mara d'Aoounciacao Bastos Villaca, esposa do
lllm. Sr. Manoel do's Saotos Villaca.
D. Jovina Tavares de Pana Gomarte?, esposa do
lllm. SivManoel Jos da Silva Goimares.
D. Maria, esposa de lllm. Sr. Candido Jos da
Silva Guimares.
a,. Escrvas por devocao.
Oslim^s :
Basilio Gomes Pereira Rodrigues.
Gadeo Forjaz de Lacerda.
Francisco Baplista dos Santos.
Aaastacio Jos da Costa.
Amonto Farreira dos Santos Jnior.
Francisco Ignacio Pinto.
Dr. Joo Jo.- Pinto Jnior.
Antonio Leite de Piobo.
Felippe Francisco Gomes.
Lu-z Jauuario da Gima.
Jos Fernaods de Mello.
Christovao Januario Vieira de Barros.
Escrvas por devocao.
As Illmas. e Exmas. Sras. :
D. Elisia Leopoldina do Paraizo, filha do Mira. Sr.
Manoel Joaquim do P raizo.
D. Emilia Geraldna dos Reis Correa, esposa do
lllm. Banto Jos dos Res.
D. Lauriana, esposa do lllm. Sr. Jos Isidoro Pe-
reira dos liis.
O. AdeUide Lacia da Craz, filha do lllm. Sr. Apo-
linarlo Pereira da Costa.
U. Julia, esposa do Illra. Sr. Narciso Mana Car-
neiro.
D. Mathilde Goncalves Lessa.
D. Candida, esposa do Ulm. Sr. Loiz Antonio Gon-
D. Francisca, filha do lllm. Sr. capilotenenle
Francisco Jos de Oliveira.
D. Auna, esposa do lllm. Sr. Francisco Moreira
Pinto Barbosa.
D. Maria do Monte Alm Fernandes, esposa do
lllm. sr. Jos JoaquimDias Fernandes Jnior.
D. Maria Alexandrina de Oliveira Loyo, esposa do
Ulm. Sr. Jo' da Silva Loyo.
D. Rila Joaquina de Santa lio-a Santos, esposa do
lllm. Sr. Antonio Ferreira dos Saotos.
Juiz perpetuo.
O Illra. e Rvm. Sr. padre Antonio Manoel d'Assnmp-
Co.
Juiza perpetua.
A Lima, e Exma. Sra. D. Iras, esposa do lllm.
Sr. Maooel Jos do Nascimento.
Administrador do altar.
O lllm. Sr. He mo Antonio da Silva Alcntara.
i^ ^iii '
Negocies de Carnar
A represeataco do Sr. Joo Vieira, publicada
no Diaria de hoje e apoiada pelas babiiuaes e bom-
ba: ticas palavras de persegutcao, turbulencia, com-
pressao, dos nossos adversarles, faz crer que o
nosso amigo u Sr. Dr. Amonio Epamiaoodas de
Barros Corii, como juiz municipal supplente, tem
procurado envolver em processo enme a mera-
bros da joota de.qualificaco daqaelle termo, que
por le gozam do indulto de nao se Ihes poder in-
tentar novos processos dentro d j 60 dias. Para que
nao passe sem protesto mais essa esperteza dos
rubro-genumos, ser boro que se saiba quo a junta
de quanficaco a que se alinde, nao passa do re-
sollido de orna farca qae o Sr. Joao Vieira e os
seos novos afilados qoizeram representar em Ca-
raira', porqanto tendo o primeiro juiz de pax
daqaelle termo declarado que nao poda rastillar-
se a joota de qaalificaco do dia marcado por le
pela irregiandade havida no prazo da convoca-
cao, o Sr. Joao Vieira e os seu- entendern) qae
sio nada valla, e improvisaran] ama cousa a qae
quizeram por torca chamar junta de qaaliHcac".
felizmente S. Exc. o Sr. prndente da provincia,
oformadodo todo, raaodou dissolver a comadla, e
marcou novo prazo para qae tivesse lagar a conve-
caca regular.
E' esta a verdade, qae consta de pecas offlciaes.
Ja' ie v qne nem o Sr. Joao Vieira nem osseos
adiados eram membios da joota de qaalificaco, e
apenas actores de espirituosa represeotac-
Nada sabemos dos processos a que se reerem
os hon-ens da ordem; mas josto qae se o Sr.
Joao Vieira otl atgura dos seas amigos ou quem
qoer que saja tem crimes. soflra as penas da le, e
nao circule em pax entre os bomeos de bem.
Digamos finalmente que o Sr Dr. EpamroondJs
de Barros Correa nm carcter honrado, e qae s
tem dlaote de st a jnstica.
JMlttlt.
----------- III
O abalxo assignado, restituido aos seos palri:s
lares, em virtude de urna licanc* de 3 mezes, que
me*coaccin o gwjrao Imperial rara tratar de
saa saude, nao se pode ejaecer dos gratos deve-



sr


MHMMl


--------------

_
Vf^lo de feraanb~e9 secnada feira *>-
i- ..~-
... c ltM>7
fes em. qoe o melitae 4 mais profunda -<
.. u m.. ar. ur. Jryme d'Alractdi G)Uts e
SU Etm. senhor, de coja nobre- oospiubiiida4e
receben) no. aptco ds majs de 30. djs durante
orna grande molestia, o tratameoto mals carlnhoso
desvelado, T|0? era posslvel ncohtrar' em' tefra
estranba (na cldade de S. Gabiel onde eslive com
mandando a guanrcio)
E, pois, nao tundo o abaixo assignsdo ontro
meio designQcar o tea reeoanecimeato para com
as referidas pessoas, srvese da imprenta para
patentea lo em toda a effusao do corceo, qne nan-
ea esquecera' nomes lio charos sua veneraeo.
-
.-------------------_--------
o. Fiauceoa da Costa R.beiro, alna 4p lijm. Se.
Dr. Aatonto Jos da Coala ftibelrov
Mordomoe mordomas
Todps. o* dejHos.e devotas da Senbor Bom Jes*
dos Passos.
' FreguMi do Poco' da Panella,' 4"de Tver'elr
de 1866 O coadjuctor pr< -parocboPadre Tno-
me Narciso Perrira Atmeida Coutinho.
O oleo de ligado de bacalho ferruginoso
de Chevrier, pbarmaceotico em Paris, subs-
Utue se com muita vantagem as pillas e ao
p.!Li,*'^1>,if1' ?* i*neiro d* 18670 coronel,' xarope de iodureto de ferro mata fcil de
tolerar-se para as pessoas delicadas asseme-
llia-se maito mais-bem e n3o provoca a cods-
.jMCJo.
Deposito em Pernambuco, casa de P. Ma*
Antonio Gomes Leal.
Teodo perfeilo conhecimento os abaiio asslgna-
dos da maneira affavel, e obsequiosa com que sea
tio o Sr. coronel Antonio G. Leal lora tratado pelo
Illm. Sr. Dr. Jayme d'Almelda Cont e soa Bina,
seohara em ama grave molesta que Ihe sbretelo,
nao pdem deixar da acorapaohar ao dito sea tio
no sincero reeonhecimeato qae manifesta a tantos
favores ; locluindo-se nesta solemne declaracao os
sentimeotos dos demais membros de soa familia.
Pernambuco, a5 de Janeiro de 1870 teaenle-
coronel Francisco de Miranda Leal Sew. Joa-
quim de Sonia Sets.Or. Joo Maria Seve.Nego-
ciante Antonio Gantes de Miranda Ltal.
CURA
Es pan toza c Admira ve I
D& tIMA HAOA ,
CANCROSA E ROEDORA
OTJ
POLYPOiW NARIZ.
rer 4C, ra Nova n. i8.
O oleo de figado de bacalho desiofectade
de Cbevrier, conserva as qualidades e pro-
priedades reconhecidas ao oleo de gado de
bacalho ordinario; o seu ebeiro gosto
s3o muito agradaveis,. e a digesto faz-se f-
cilmente.
Deposito em Pernambuco, casa de P. Mau-
rer dr C, roa Nova n. 18:
Um creada de servir residente em Pernam
buco e pertencente Ex Sei". Vibcondkssa
DE Goian.va. foi attncada d'imia tcrrivel cha
g cancros e roedoraoa Polypo no Nariz.
A mesuia involvi* e totuava todo a parte in-
feri? do nariz, amelando ja distruir tasto a
parte cartilaginosa como o mesnn oeo ; Come
Coa primeiro por appareoer sob o beico supe-
rior e parte da-lace, externlendo-ee por tal
forma e com tal rapidez, que em pouco ainea
cava transformar todo o rosto n'umu enorme
charga viva e asquerosa. Durante todo este
terrivel estado, todos oe recursos medicnaea
que em taes canos so uzSo forao abundante-
mente empregadoe, sem que de leve fizesse
parar a marcha lenta e distroidera de Ufo hor-
rlvel enfermidade, e todos oe rucios e euforcoe
forao baldados, e no em tanto o mal resela eia
que por milagrosa fortuna da infeliz estando
ae couzas neste ponto, se experimentou pela
vez primeira a
SALSAPARSILHA
. DE BRISTOL.
O effeito produzido, quasi que instantneo
por este inesmavel remedio foi verdadera-
mente mam vil Loso e sem igual; este grande
purificador do sangue e dos humores do sys
tema, immediatamente pz um termo i mar-
cha dieastroza e fatal da molestia, derramando-
Be e infiltrando-se atravs dos tecidos os male
delicados do oorpo, expellindo uto k ultima
propriedade ou vestigio virulento da molestia,
e dentro d'um curto espado de tempo produzie
urna
CURA
Completa e Radical.
Este feliz quio admiravel resultado foi obti
do apenas com o simples uso
D'uwa so tnica Garrafa!
d'este incomparavel e inapreciavel depuratorio,
recommeudamos portauto todos oe Dontes
que procurem obter com o mador cuidado a
nica e verdadeira Salsaparrilha do Bristol,
tnicamente preparada por
LANMAN & KEMP,
De NOVA YORK,
na certeza de que, todas as mals preparace
imitativas nao valem para coca
Illm. S>. Josqoim de Al m id i PinU.
Tomei o vlnbo de jurnbeba que por V. S. me foi
ministrado, e tenho o prater de conomunicar-lhe
que estou completamente resubelecido dos meus
scffrimeotos no Qgado e bqo ; tendo do referido
vicho tomado apenas o contido em nm frasco e
friccionado urnas seis vetes, se tanto, com o oleo
tambeai por V. S. eitrahido da Jorubeba, e o qna
V. S. igualmente me havia fornecido.
Escusado dizer-lhe que eslou penboradissimo
pelo enorme servico que V. S. acaba de farer me.
iivraod -me de um padecimento que, anda em
principio, j me atorraeolava de maneira assom
brosa. Orneo reconheeimento por V. S. mis-
tarado da admlracio que todos sentimos pelos ho
~ens que como V. S. sao dotados de um genio la-
borioso, de urna actividade incaosavel, de um ardor
inexcedivel na propagaco de quaesquer coheci-
mentos de reconhecida tilidade social.
V, portanto, esta carta reunirse ao namero des
muitos e honrosos docamentos que V. S. ha rece-
do, em cada um dos quaes bnlha um raio dos as-
signalados beneficios que das suas preparacoes
tem tirado urna boa parte da populacao desta pro-
vincia.
Ped1n4o-lbe que aceite cuno libas d'alma as ex-
pressdes que abi deiro, tenho a honra de asslg-
nar-me de V. S. admirador e serve obrigadis-
simo
Recite, 22 de Janeiro de 1867.
A. deSouza Pinto.
A Exma.
molher
Elei^ao
des devotos qae ho de festejar glo-
rioso SchIiop Bom Jess d<-s passos
erect na matriz da fregnezia do
Peo da anclla no aune de i 867.
Provedor por eleico
lllm. Sr. Jesnioo Ferreira da Silva.
Provedora por eleijao
Sra. D. Leopoldina Carolina da Silva,
do Illm. Sr. Francisco de Paula e Silva.
n t., c Pro'edor pordevoeio
O Illm. Sr. Antonio de Paula e Mello.
Provedora pordevocao
A Eima. Sra. D. Maria Magdalena Ferreira da Silva
mnlner do Illm. Sr. Olympio Ferreira da Silva.
Secretario
O Illm. Sr. joaqoim Antonio Carcelro.
Secretaria
A Exma. Sra. D. Horteneia Cloreca Barrilla Ser-
fico, roulher do Illm. Sr. Dr. Francisco Seraneo
de Assis Carvalbo.
Thesoqreiro
O Illm. Sr. Jos Domingues Codeceira.
Procurador-geral
O Illm. Sr. Antonio Machado Gomes da Silva.
Procuradores
Os Iilms. Srs.:
Jos Camello do Reg Barros.
Dr. Jos Tiborcio Perelra de Magalbies.
Afitonio Alvaro Perreira di Silva.
Dr. Joaquim Antonio Car^eiro da Cuaba Miranda.
'Procuradoras
as Exroag. Sras. :
D. Gertrudes Galvo Alfonso, mulher do Illm. Sr.
Gimcalo Jos Afljoso.
D. Lydia Isabel Ferreira da Silva, Alba do Illm.
Sr. Jesulno Ferreira 4a Silva.
D. Marlanna, filba do Illm. Sr. coronel JoSo Baplis-
ta Perelra Lobo.
Plalas purgativas de vclame-
Este inestimavel especifico, composto in-
teiramonte da planta do nosso paiz denemi.
nadaveame e seus adjovantes, benigno
mais teora infancia, e a compleico mais de-
licada, igualmente prompto e seguro pa-
ra desarraigar o mal na corxpleic/o mais
robusta; inteiramente innocente em suas
operaces- e effeitos; pois busca e refflove
as doencas de qualquer especie e grao, por
mais antigs e tenaces que sejam.
Muitas pessoas curadas com estas pilulas,
conhecem s virtudes e effeitos deltas; algu-
mas, que estavam s portas da morte, pre-
servando seu uso, conseguiram recobrar a
saude e forcas, depois de haver tentado ou-
tros remedios.
Os chefes das familias nao deven entre-
garle a desesperaco ; facam u mensaio
1 dos efficazes effeitos destas pilla", e pres-
tes recuperarlo o proveito da saude. Ra-
zos bem ponderosas exislem, pelas quaes
devetn ellas ser preferidas a outras mui-
tas, que sao expostas a venda.
Primeira por ser da urna planta do lu-
ds que habitamos, e nao ser inferior os
atus effeitos as que nos ven de outros pai
zes; segunda, porque deste modo qua
se acoroea a nossa industria, e est isto vi-
alcance de todos. Ha bem poucos diss do
mos publicado neste Diario um discursode-
illustrado Sr. Dr. Sarment em que nos cov
monstrou esta verdade; terceira, porque
uas al quatro pilulas produz na mais rop-
busta natureza, o effeito urgativo semd
offensa e irritacao das entranhas e das ou-
tras sao precisas juatro e seis para esse
effeito, sendo qi.e as caixas contm 36 pi-
lulas e as que veem de fra a maioria teem
24.
Quando digo cima: benigno a mais tenra
infancia, porque podem ser applicads aos
meninos de peito; e explico como: cortai
urna pilula em duas parles, arred* ndai, que
a massa a isto se presta, abr a bocea da
creanca, (se fr de mezes e dias em 4 par-
tes) ebotai urna das duas partes per lo da gar-
ganta, dai em cima urna colher de sopa de
agua fria simples ou assucarada ou mais se
fr preciso, at que a pilula seja engolida,
e dabi algumas horas appiicai novas co-
lherinhas d* agua, sem esforco porque se
houver se le, ser recebida pela creanca
com agrado ; e continuai no espado-4 dia
a esperimeniardes se ha sede, para"alisfa-
zerdes. bscrvai a vossa creanc, vede se
pilula produzio effeito purgativo, para ver
se a tarde ou a noite preciso dar segunda,
continai com este tratamento, sede perse-
verantes at o completo restabelecimento
Um fado bem notavel de rcente data me
tem convencido desta verdade. O meu ami-
go o Sr. Jo.- Lopes Roxa, asss conhecido
nesta cidade foi bastantemente atacado do
nervoso, apontoque o seu medico assisten-
te mandou-o sabir do Poco da Panella, lugar
de suaresi enca, para esta cidade ver se
com os banbos salgados pedera obter favora-
vel resultado asna doenca, vendo que os ba-
nhess por s nSodavam resultado satisfato-
rio, visto que de momento momenlo soffria
frequentps inquietaces, de modo a nSo po-
der dormir, appliquei-lhe pela primeira vez
urna pilula purgativa de veame, e a noite
urna colber de xarope ethereo de veame
dissolvido em urna chicara de infuzo de al-
tha com o que se tem dad muito bem, e
todas as pessoas de sua familia, conhecem
grande melhora que senteed, pois detesrca
nho tem elle usado pela manha urna pobt
la, e a noite a colher do xarope dissolvi d
na chicara de infuzo de altba com um
papelinho de pos refrigerantes.
E' j bem conhecido que em todos os ca-
sos sao as evacuaces um forte remedio con-
tra as infermidades; e em qualquer delles
necessario faze-las diminuir gradualmente,
para que o seu atleito nao cesse de repente,
E' conveniente o exercicio moderado e com-
pleta abstinencia no uso de habidas espiri-
tuosas, salvo os que estiverem acostumados.
que poderao fazer uso de urna poqoeoa quan-
tidade de vinho simples ou com agua.
Assim nao se perca tempo em tomar es-
tas pilulas para qualquer das seguintes in-
fermidades. Podendo as que usarem dol-
as continuar em seus negocios, visto
nao preciso resguardo.
COMMEBCIO.
PRACA DO RBCIFE SO DE JANB1I
DE 1067.
As 3} boras da urde.
Algodof serte 15*300 por uroba.
Assuear roascavado porgad*-SJ3S0 e U00 por
arroba.
Assuear. mascando Canal2^050 por arroba.
Conros seceos sal gados160 rs. por libra.
Cambio sobre Londres -90 d Dito sobre Rio de Janeiro 10 d(v 1 o|0 de des*
cont.
! IdM resillada en do reino .
t dem caxaca.......
I dem genebra .
Idemaeeol oa espirito de agna-
Silvelra,
Presidenle.
Macerio,
Secretarie.
>

t ,
arroba





i
catada
i

arroba
Noto Banco de Peroambaco.
O Novo Banco desconta letras de praso at qua
tro meies a 8 0,0 ao auno, e de maior praso i
10 9|0
Algodo em caroco
dem em rama ou em lia .
Arroz com casca .
dem descascado oa pilado .
Assuear mascavado ....
dem braneo.......
dem refinado......
Azeite de amendoim oa mendo-
bim ........
dem de coco......
dem de mamona ....
Batatas alimenticias ....
Bolacha ordinaria, propria para '
emtanrae!.- >
dem fina........ *
Caf bom .......
dem escolha oa restolho. >
dem torrado...... libra
Caibros........ um
Cal.......... arroba
dem branca .... *
Carne secca (xarque) ...
Carneiros ....... nm
Carvao vegetal ..... arroba
ama
libra
dem idem em velas. ...
Cha..........
Charutos ....... cento
eiO Cevados (porros)..... un
Cocos (seceos)..... cento
Colla........ libra
Couros de boi, salgadosx. t
dem idem seceos espichadas >
dem idem verdes. ^bh *
dem idem cabra cortidflPt um
j dem idem de bnca..... >.
; Doces seceos...... libra
i dem em gela 'ou massa
; dem em calda.......
. Espanadores grandes una
_! dem pequeos.....
Esteiras para forro de estivas
de navio........ cento
Estopa nacional..... arroba
I Farinha de de mandioca alqaeire
yg2-0^)5^(33. Idem de araruta...... arroba
NOVO B4NC0 DE PER-
MN61G0.
0 novo .banco paga ose-
ando dividendo de 4,4 0[0
da massa falda deJoaquita ^SffSU
Jos Silveira,
Cixa hlial do osico do Brasil
Peraanbaco aos 10 de Janeiro d^
186'.
De ordeno da directora se faz seieote aos se-
nhores accionistas qae o tbesooreiro esta' aotorl-
sido a pagar o 26 dividendo das accSes desta cai-
xa a razo de 12.
O guarda-livros
Ignacio Nones Crrela.
ALFANDEGA.
Rendimento de i a 25 do correte..
idem do da 26................. 25:629*142 i eiJao qualquer qudhdade
_ t Frecbaes ........ om
758:53i76 ^wao em. olI?a, bom .... arroba
MOVIMENTO DA ALFANDEGA.
140
821
Volumes entrados com fazendas..
c gneros....
Volumes sahtdos com fatendas...
c c gneros...,
-------970
138
126
a Marcelino I. Gon$al-
a i'bomaz de A quino
Accidente epilpticos.
Alpbrcas.
Areias (mal de)
Astil ma.
Clicas.
ConvulsOes.
Debilidade ou exte-
nuado,
Dysenteria.
Dor de garganta.
Dor de barriga.
Dor nos rins.
Doreza no ventre.
Dita o figado.
Dita veneraos.
Eoxaqueca.
Erysipela.
Febre Biliosa.
Febre intermite
Febre de qulquern
especie.
Lotta- |ea t
Vendem-se as caixas
da
Hemorroidas.
Hydropesia.
Ictericia.
Indigesto.
Inflammaces.
Irregularidades
menstruacao.-
Lombrigasde toda es-
pecie.
Manchas na cutis.
Obstrucg5o do ventre
Inflammaco do pul-
mSo.
Retencao de ourinas.
Rheumatismo.
Symptoma
rio.
Tumores.
Tico doloroso ou ne-
vralgia.
Ulcera.
vial venreo.
Descarregam boje 26 do corrente. -
Galera frncetaAdele -merciorUs.
Barca portuguezaHumildade dem.
Prigue prussianoFortunaidem.
Barca inglezaImogeneiaem.
Barca nacionalfistoidem.
Patache inglez Georgianaidem.
Escuna hollandeaStveufantidem.
Brlgue inglezJIfaryoacalhao.
Brlgue' inglez -Pwmeerckrvo.
Barca ioglezaGraslangiiem.
Barca iigleaflaomonddem.
Brigoe suecoJohannes idem.
Escuna hollandeza De Vredecharque.
Brigoe holiaodezPrstwanccharque.
Brigue nacional E-perunQadem.
Patacho portnguez -Garretidem.
Patacho haaevenanu' oncordtaidem.
Bngue argentino- Volanteidem
Barca portuguezaSilvamercadoria?.
Patacho americano Yorauufarinha de trigo.
Patacho portnguezUmobacalho.
Importado.
Brigue portnguez UniSo, vinda do Porto, mant-
festou o segoiote :
Albos, 58 canastras e 2 caixas; a Thomaz de
Aquino Fonseca & C. 30 a Lopes Braga & C.
Azeilonas, 12 ancoretas a Manuel
Campos.
Breu lolro, 100 barricas
ves da Ponte.
Cabos de lioho, 30 pec,as
Fonseca & C.
Calgado, 1 caixa a Antonio Rodrigues Pinto.
Carne de porcb, 7 barris a Gueds & Miranda ;
1 a M. F. de Azevedo & Irroo ; 1 lata a Francisco
Jo^ Leite ; 1 a Joaquim Jos de Azevedo.
Conservas, 1 caixa a Joaqoim P. de Meirelles.
Doce, 1 caixa a J. L. Kerreira Riheiro.
Farelo, 50 saceos a Jos de Sa Leitao Jnior ;
126 ditos a Thomaz d'Aqoino Fonseca & C.
Fnjao, 166 saceos aos ditos ; 50 a Thomaz F. da
Cunha ; 74 a Candido A. Sodr da Motta ; 15 a A.
Lopes Braga & C.; 100 a C. G. Bre kenfeid, 24 a
Guedes & Miranda.
Ferragens, 8 caixas a A. V. da Silva Barros; 4
a C. G. Bre kenfeld ; 9 a Parete Viaona & C.
Linha, 1 caixa a Guimares & Luz.
Lmba de barquinba, 4 pacetes a C. G. Bre-
keufeld.
Livros, i caixa a J. Nogueira de Souza.
Paincn, 2 barricas a.homaz de Aquino Fonse-
ca & C.
Pedras para cacadas, 1,000 a Jos da Silva
Loyo & C.
Peixe, 2 barris a Antonio Joaquim Cascao.
Peotes, 1 caixa a Antonio Lopes Braga & C.
Pomada de cebo, 12 cunhetes a Thomaz de Aqui-
no Fonseca &C; 44 a M. J. Ramos Silva &
Genro.
Betroz 1 caixa a Guimares & Luz.
Sardinhas, 50 ancoretas a Joaquim Pinto de
Meirelles ; 50 barris a Thomaz de Aquino Foneca
C.; 20 a Antonio Lopes Braga & C.; 20 a Cus-
todio Jos Alves Guimares; 6 a Marques Bar-
ros & C.
Varios arligos, 3 caixas a Thomaz F. da Cunba ;
1 a Domingos Telxeira Basto ; 1 a Custodio J. Al-
ves Guimares; 1 a Gaimares & Ollveira.
Vassoiiras de piassava, 13 volumes a Man el
Jos de Aguiar ; 8 a Thomaz de Aquino Fonseca
&C.
Vasos de louga, 12 barricas a Duarte Perei-
ra&C.
Velas de sebo, 30 cunhetes a Jos Maria Pal-
ai el ra.
Vimes, 200 liac. a Thomaz de Aquino Fonseca
& C.; 1,000 a Marques Barros & C.
Vi nho, 32 barris e 381 caixas; a Thomaz de
Aquino Fonseca & C. ; 5 pipas e 2 meias ditas a
Oomiogos Alves Jfatheus ; 3 pipas a Joaquim
Vieira de Barros 10 barris a Marques Bar-
ros & a ; i barril a M. J. dos Santos Ribeiro ; 2
barris a' ordem ; 133 caixas a Abreo & Veras ; 30
caixas a Tasso Irmos.
Galeota banoveriana Johan, entrada de Valpa-
raizo, consignada a Amorim k Irmios, manifestou
o segoiote;:
4,900 saceos farinba de trigo ; aos mesmos.
Brigue prussiano Fortuna, entrado de Hambur-
go, manifestou o seguiote :
12 caixas vidros ; a Ladislao Jos Ferreira.
7 ditas ditos, 1 dita charutos ; a Jos Francisco
de Paula Ramos.
4 duas espadas, i dita ferrageos, 8 ditas louca
de marraore, 4 ditas coaros, 3 fardos junco ; a D.
A. Maiheus.
80 caixas velas, 123 ditas licores espirituoso?, t
dita mfudeza*. 1 dita hienda de algodo, 1 dita
amostras; a Jos Leopoldo Bourgard
10 meias pipas, 600 frasqueras, 100 di xas e
100 dlias de meias garrafas genebra ; a Tasso Ir-
mos.
7 caixas vidros, 1 dita amostras ; a Duarte Pe-
reira & C.
2 caixas e 2 fardos crinolinas, fazendas de algo-
do e de la, 2 paco tes amostras : a ordem.
38 caixas vidros, 5 ditas amostras; a Jos M.
Paimeira.
1 caixa mfudezas, 1 dita Derramarlas; a S. T.
Bastos di C.
5 caixas vidros, 1 dita amostras, 4 caixas e 1
fardo fazenda de llnbo e de la, 1 paco te amostras;
secunaa- a carDejro 4 Nogaeira.
1 caixa fazenda de algodo ; a Gaimares &
Luz.
2 ditas qneijo; a H. Nlenaeyer..
2 ditas salchichas, 300 ditas velas stearinas; a
Rabe Scbmeltau di C.
17 dilaS armas, 1 dita miudezas; a Jos A. M.
Dias.
200 caixas obras de madeira, II ditas fazenda
de linho, 50 rollos esteiras, 900 caixas oerveja, 283
pacotes papel, 644 caixas e 716 frasqueiras gene-
dem ordinario oa restolho. 1
dem em rolo bom..... >
dem ordinario oa restolho
Gallinhas ....... ama
Gomma......... arroba
Ipecacaauha (raz)......
I Lenha em achas...... cento
264 Toros.........
' Linhas e estelos...... am
Mel oa melaco...... caada
Milho......... arroba
Papagaios....... um
Pao Brasil........ qunal
dem de jangada...... nm
Pedras de amolar..... ama
dem de filtrar.......
dem de rebolo......
Piassava........ molho
Ponas, oa chifres de vaccas ou
novilhos....... cento
Pranchoes de amarello de dous
costados........ um
dem de louro...... >
Rap......... libra
Sabao......... *
Sal.......... alqaeire
Salsaparrilha...... arroba
Sebo em rama...... 1
dem em velas ...... *
Sola em vaqueta..... urna
360
800
900
3*650
14*600
1*500
2*600
2*200
3*600
4*000
2*500
1*800
1*400
1*300
3
7*000
6*300
440
360
400
380
3*800
4*000
1*600
3*300
320
500
2*000
3*000
15*000
4*000
660
160
260
100
580
10*000
1*000
360
320
4*000
2*000
16*000
2*000
3*000
5*000
4*000
5*000
15*000
8*000
10*000
8*000
1*000
3*000
25*000
2*300
12*000
6*000
200
2*390
3*000
6*000
5*000
900
800
1*000
166
3*800
20*ft
10*000
1*000
o aqoi 32/6 5 */ W tonelada sem primagera,
cargando na-Parlbyb, 37/6 sen primger.
wl........: _;.....; ifc', ". "i i n iji.jn
- i.
MOYlME&TO DO PORTO
Navios, tntraiss no dia 26.
Barcelona 60 dias, sumaca Iwspanhola Yuta),
de 113 toneladas, capito Panuleo Marti, eqni-
pagem H, carga vinho e outros effeito; a Rabe
Scbmeltau 4 C
Londres-48 da, barca iogleza IstbeUa Harnett,
404 toneladas, eapitao T. Darle, equlpagem 12
carga dormentes para a estrada de ferro, e ou;
tros gneros j a Tbomaz Je (Tries & &
Terra-Nova21 das, brea iogleza Qusen, de 246
toneladas, capito H. Biiiey, equlpagem 13, car-
; ga 3:180. barrloa. cob^ acaltiao ; a Saunders
Brothers C
Hibana 49 dias, brigne hespanhol Barcelo, de
312 toneladas, capillo Fourodona, equlpagem 12,
em lastro ; a Amorim Irmos.
Navios sahidos no mesnto da.
Bio da Prata Samac bespaabola Rosa, capillo
P. Miliet, carga assuear e agurdente.
BabiaSumaca bespanhola Nueva Carlota, capio
I. Maristany, carga a mesma qae troaxe de Bar-
celona.
Bio Grande do Su! Patacho brasileiro Grupo, ca-
pito Antonio Alves da Silva, carga assuear.
Observaeio.
Suspenden do iamaro para a Parahyba o bri-
gue inglez Ullswaler, capito Newton, com o mes-
mo lastro que Irooxe da Baha.
Navios entrados no da 27.
Acarac e portos intermedios 7 da?, vapir bra-
sileiro Ipsjuca, de 444 toneladas, commaodaDte
J. J. Mariios, eqaipagem 29, carga algodo e ou-
TibuiMA d*> wmmewsa
Pela secreUria do Iribhmt Vmmmtrm de Par-
aambuo.se faz puuti, qu*Msia>d4t ^-a law-
cnplo no llvro da raatrieul do commeraDh;s
8r. ADtanio Aogosto dos Santos Porto; enado-
poriugu^r, domiciliado nesta cidade con loja de
calcado.
Secreuria, 24 de jawirode 18*7.Reg Ringel,
no Impedimento do officiafrnuior.______________
A lllma. junta da Santa Csa de Misericordia
do Recife na sala de suas sessdes pelas 4 hora da
urde do dia 7 de fevereiro futuro, arremata
quem mais vantagess offerecer a rendas da se-
guintes casas pertencente ao patrimonio dos or-
pbos :
Ra da Madre de Dos.
Sobrado de dous rodares e loja n. i. 848*000
Roa da Cadeia.
Sobrado de om aodar, soto e loja.. 2:000*000
Secretaria da Saota Casa de Misericordia do Re-
cife, 23 de Janeiro de 1867.
O eserivio interino,
I _________Pedro Bodrigne8 de Souta.
Santa Gasa i liserieordia d Recife.
Teodo de Andarse em 30 de junbo do crreme
anno o irrendamento do sitio da lina do Nogueira,
propriedade da Santa Casa de Misericordia, a
lllma. junta administrativa manda fazer publico a
qoem coovier, para que com aoteeedeocia o vo>
examinar, aflm de presentaren sns proposl^*
qae seriio reeebidas nesl secretaria, onde se da-
rao todos os esclarecimentos precisos acs iateres-
sadbs.
Secretarla da-Santa Cas de Misericordia do R:-
clfe, 17 de Janeiro de 1887.
O escriva* interino,
,________________ Pedro Rodirgues deSouzs.
tros gneros.
Araoj e portos lotermedios 5 das e 5 horas, T".Fcla ecre" ra cmara municipal desi
vaper brasileiro Parahyba, de 104 toneladas, c","e f Publico roe continuara" anda em
commandanw Trajaoo da Costa Mello, eqoipa- Pra?a M ** M d0 ""e para ser arrematada
gem 21, carga algodo e outros gneros. por quera por menos flzer a obra do moro de *-
Natos saludos no rnesmo da. i?. a''* ***>TI$ da estrada o> maladoorc-
Rio da Prata Brlgue hellandez Sophia & Con- i ^ie9 da c>bllVlsl0 Da0.ler 8,do ^r^.e^'4,a
fonct, capiae G. F- Roorda, carga ass0Mr e, d't obra no du 23 do corrente, como fui annon-
carga
agurdente.
Parahyba Patacho inglez EHeetra, capito Jack-
mao, clrga bacalho e lastro.
Terra i>ovaBrigue ioglez Jura, capito Day, em
lastro.
Porto Barca portogoeza Claudtna, capito Jo;-
de Souza Amellas, carga assuear e outros ge
eros.
ED1TAES.
Taboas de amarello .... dazia
diversas...... 1
Tapiocas ....... arroba
Tatajuba ....... quintal
Travs......... urna
Martins Unhas de boi...... cento
i Vassouras de de piassava .
400
25*000
5*000
7*000
2*000
140*000
87*000
3*000
2*000
6*000
380
10*000
8*000
6*400
800
Ditas de timb...... >
Ditas de carnauba.....
Vinagre.........caada
Alfandega de Pernamuco, 26 de Janeiro de 1867
AD1TAMMEENTO.
Cera de carnauba arroba 65400
Cassueiras de Jacaranda. duzia 95)500!)
Enchameis...... um 1500
; Esteiras de carnauba. urna 160
Ossos........ arroba 240
Palha de carnauba molho 800
Penna de ema .... libra 24000
Sapatos de couro braneo. par 800
Era ut supra.
Approvo Afandega de Pernambnco 26 de Ja-
neiro de 1867.A. Eulalio.
Assignados.Os 1." confereates, Antonio Carlos
de Ptnho Borges e Jos Rtbtiro GmmarSes.
Cooforme Bazilio B Furtado.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
GERAES.
Rendimento de 1 a 23 do corrente 23:9914837
dem do dia 26............... 490*8i0
A cmara municipal desta cidade faz publico
para conhecimento de quem inleressar possa, o
acto pelo qual se dignou o Exm. presidente da
provincia approvar os artigos de postara! abalxo
transcriptos, relativamente a construeco de sota.
Paco da c- mar municipal do Recife em sessio de
23 de Janeiro de 1867. Gustavo Jos do Reg
pro-presidente, Francisco Canuto da Boa-viagem,
secretario.
4' scelo.Palacio do governo de Pernambuco,
*em 17 de janeiio de 1867.
O presidente da provincia tendo em vista o que
ponderou a cmara municipal do Recife' em offl-
cios de 12 de de embro prximo Ando, e 9 do
correte, sob ns. 83 e 1 ; resolve approvar pro-
visoriamente os artigos de posturas abaixo trans-
criptos :
Artigo 1*. Nos sobrados que estiverem edifica-
dos, ou forera construidos, segundo as posturas
6oJem ''S01"' Podero biVer 'oteas, as quaes terao 12
palmos de altura do assoalho ao frechal ; as ja-
oellas, 5 palmos de altura: 5 de largura, e os
peitoris 4 palmos.
Artigo 2*. Nos existentes, qae tirerem sido edifi-
cados antes das posturas em vlgor.mas que tiverem
no pavimento terreo pelo meos viote palmos de
altura, sera, applicavel a' disposi$ao do artigo
antecedente.
Artigo 3*. Nos de tres oo quatro andares exis-
tentes, sera' prohibida a coustruccJo das stas.
Artigo 4*. as casas terreas, qae se aeharem, oa
forera construidas, conforme as posturas em vigor
tambem poderao haver soleas, como determina o
artigo 1.
Artigo 5*. as existentes que tiverem menos
de vlnte e dous palmos de altora, ou forera de oi-
t5es singellos, embora edificados nos lugares per-
raittidos nao havero sotas.
Artigo 6o. As sofas que forera constrniadas nos
sobrados ou casas terreas; sero guarnecidas de
cornijas na parte inferior e superior.
Artigo 7*. Os propietarios contraventores das
disposiedes de qualquer des artigos antecedentes
pagaro a multa de trinta mil res, e a obra sera'
demolida a sua casta; o mestre alem de pagar a
multa igual de trinta mil res, soffrera' cito dias
de priso.
Artigo 8* Ficam revogadas as disposicoes do
artigo 16 do titulo 7 das posloras de 30 de junho
de 1849, c a poslora addicional de 18 de feve
reiro de 1861.Franci.-co de Paula da Sllveira
Lobo.
Conforme.Antonio Leite de Pinbo.
ciado.
Secretaria da ramas* municipal do Recife 24 de
Janeiro de 1867.O secretario,
Francisco Canato da Botviagem.
fi)rftllrj lile-
Pela admiolstfaco do correio desta cidade -e
faz publico para dos cooveaientes, qoe em virlod
do disperte no art. 138 do regulameuto geral dys
crrelos d 21 de dezembro de 1844, e art. i de
decreto o. 185 de 15 de maio de 1851, se proceder
o consumo das cartas existentes na adminslrarao,
pertenceotes. ao mez de Janeiro do anno pa.-sdo,
no dia 5 de fevereiro prximo, as H horas da ma-
nha, na porta do mesmo correio, e a respectiva
lista se acha desde ja' exoista aos inter'essados.
Administraco de correio de Pernambuco, 2! e
janeiro de 1867.
Domingos dos Passos Mira..da
___________Administrador.
Correio geral.
Pela administraco do correio desta cidade s
faz pnblico, que em virtude da convenco posta),
celebrada pelos governos brasileiro e francez, se-
rio expedidas malas para a Europa no da 30 do
correo!) pelo vaper francez Bottremaiure.
As cartas sero receidas at 2 horas antes da
que fr marcada para sabida do vapor, e os jomae*
at 3 horas antes;
Administraco do correio de Pernambuco; 21 de
Janeiro de 1S67.
Domingos dos Passos Miranda
Administrador.
AVISOS MARTIMOS
.. .1 iiV
EECLRAfOES.
26:48**677
que
98
a 1,5000 rs. na bo-
tica do abairo assignado na ra Direita n.
88. e.deuma duzia para.cima a 800 rs. ca- ^fiS^^SKi.:
da caixa; contm urna mstraccao, par ex*i ___
pilcar o modo de usar-se destas pilulas, tra-' pautados pbbcos Dos gnxros sorros a dibiitos
ctando de cada urna das molestias de per si.
A instruccao est assignada por meu pu-
nto, para evitar as imilaces.
Jos da Rocha Paranhos.
D XXPORTACAO. SKMANA DB 28 DO HEZ DB JA-
EiaO A 1 BE FEVEREIRO DE 1867.
Mfercadorias. Unidades. Valores.
Abanos. ....... cento 2*500
Agurdente de cana
PRAQA DO RECOT.
lK JtMIHO K IS6.
A'S TRES HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios.Saccou-se sobre Londres de 24 a 24
Vi d. por 1* i 90 d/v, sobre Paris a 395 rs. por
fr., sobre Hamburgo a 740 rs. por M/B, e sobre o
Bio de Jaoeiro a 2 % (te descont.
AcqSbi.as da companhla tilidade Publica
venderamse com 200 por cento de premio; e as
da divida publica de 6 % com 22 por cento de
descont.
Algoda. Vendeu-se o de Pernambuc de
15*500 16SOO0 por arroba ; o da Parahyba, de
16*700 a 16*800 ; o de Macei, primeira sorte
posto a bordo, a 15*400, segunda sorte 14*400 e
refugo a 12*500.
Assbcah.Vendeu-se o braneo de 38510 a 4*10
or arroba, o soraenos de 3*200 a 3*300, mas-
cavado purgado de 25300 a 2*309, e o dito bruto
de 2*059 a 2*240 a dita.
Arroz.-O pilado da India vendeu-se de 2*900
a 3* a arroba, e s do Haranho a 3*200.
Azbitb doce.Vendeu-se o do Estreito de 2*600
a 2*650 e galo
Bacalho.Em atacado vendeu-se a 16*000 a
barrica, e a retaih de 15* a 16*000 a dita ; fl-
cando em deposito 18,008 barricas.
Batatas.Venderam se a 500 rs. a Traba.
Bolachinhas.dem a 3*000 a bom ".unha.
Cap.Vendeu-se de 4*800 a 5*200 a arroba.
Cha.dem de 1*800 a 2*400 a libra.
CBRVEA.-lJem de 3*400 a 7*060 a dazia de
garrafas.
Farinha de trigo.A de Philadelphia e france-
sa vendeu-se de 24#O0u a 23*000 por barrica, a
de New-York de 20*000 a 25*000, a de Baltlmo-
re de 23j)000 a 24*000, a bespanhola a 23, a de
Trieste a 10*000 o sacco con cejo libras; Hcando em depo-
sito, inclusive dous carregamentos ebegados nesta
semana, 17,300 barricas e 17,000 saceos, sendo :
1,200 da primeira, 2,200 da segunda, 3800 da
terceira, 2,000 da quarta, 1,300 da quinta, 6,800 da
sexta e 17,000 saceos da ultima.
Louca.A iogleza ordinaria vendeu-se com 346
por cento de premio sobre a factura.
Mantbioa.Venden se a ingleza a 730 rs. a li-
bra, e a francez a 510 rs. a dita.
Massas.Venderam-se a 8*300 a caixa.
Olbo db LiNHAgA.Vendeu-se a 2*800 o gala1.
PASSAS.-Idem a 4*800 a caixa.
Presuntos.Venderam-se a 16*000 por arroba.
Qusuos.Os flamengos venderam-se a 2*301
cada nm.
Sabao.O inglez vendeu-se a 150 rs. a libra, e
o do Mediterrneo a 220 rs. a dita.
Toucimro. Vendeu-se o de Lisbea de 8*540
a 9* or arroba.
Vinagre.O de Portugal vendeu-se de 85*000 a
110* a pipa.
Vinhos. Venderam-se os de Lisboa de 180* i
100* a pipa, e os de outros paizes de 467* a 180*
a dita.
Velas.As de composica venderam-se a 600
rs. por pacote de 6 velas.
Descontos.O rebate de letras reguloa de 8 i
10 per cento ao anno.
Fritbs. Para* Liverpool, pelo a'godao Vs
d. por libra 5 % a vapor, 9/ 16 d. a >/j d. carre-
d. por libra 5 >/. a vela ; a
Santa Casa da Misericordia
do Recife,
A lllma. junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Becife manda fazer publico qae
oojdia 31 do corrente pelas 4 hoas da tarde na sala
desuassessoes. tem de Ir praca a renda das ca-
sas abaixo mencionadas para serem arrematados
por aluguel pelo tempo de um a tres anuos.
Os pretendemos deveao apresentar carta de San-
ca ou serem acompanhados de seus fiadores ou
eom cartas dos mesmoes.
Eslabeleeinienlos de caridade.
Ba dos Pescadores.
Casaterrean.il.......216*000
Ba da Gloria.
Casa terrea o. 55.......144*000
Ba do Calabouce.
Casa terrea o. 20......192*000
PatrimMiio de opphos.
Ba da Cadeia do Recife.
Sobradcde dous audares o. 57. 1:200*000
Ra dos Burgos.
Casa terrea u. 19 h......101*000
Madre de Deas.
Casa terrea 94.......... 168JOO0
Ra de Pilar.
Casa terrea n. 94. .....l8fTO0O
Sitio do Forno da Cal o. 8. 150*000
Secretar i -yi a Santa Casa da Misericordia do
Recife 24 de Janeiro de 1856.
O escrivo interino,
Pedro Rodrigues de Souza.
A lllma. junta administrativa da Santa Casa
de Misericordia do Recife recebe propostas para
arreadamente das casas abaixo declaradas, as
qoaes achando-se arruinadas, sero arrendadas
pelos precos mdicos a quem se quizer incumbir
de cencea las :
Estabelecimeotos de caridade.
.la Direita n. 33.
Ra da Moeda n. 37.
Roa do Pharol o. 72.
Roa dos Ceerhos o. 94.
Becco do A breu o. 2.
Patrimonio dos orphos.|
Roa do Burgos o. 19.
Boa da Cacimba o. 19.
Boa do Amorim n. 26.
Os pretendales para melhores esclarecimeotos
poderao dirigir sea secretaria.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, 20 de dezembro de 1866.
O escrivo interino
Pedro Rodrigues de Souza.
CiHIMMIM
DAS
Messagcries Imperiales
Segundo um contrato fe'o entre a admini>tracc
do correio francez e a con ,-anhia da Messgeries
Imperiales, os agentes desta esto aatorisaoos
receber qualquer quantia de dinbeiro que sera'
reembolsado pelos crrelos de lodas as cidades da
Franca, Italia, Suissa e Blgica.
Para condigOes e mais ioformacSes trata-e na
agencia ra do Trapiche n. &.
"COIPAMIA BRWLEKA
DE
Paquetes a vapor
Dos porto? do sul esperado
at o dia 8 de fevereiro o vapor
Paran, comma,ndanie Santa Bar-
bara, o qual depiis da demora do
costume seguir' para os portos-
do norte.
Desde ja' recebero-se passapeiros e eDgaja-se a
carga que o vapor poder co;dozir, a qual deve-
ra' ser embarcada no da de sna chegada; e en-
comraendas e dinbeiro a frete at o dia da sabida
as 2 horas: agencia ruada Cruz n. Rescripto-
rio de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo i C.
DAS
Messageries imperiales
Ale o da 30
do correte mez
espera-se dos
portos do sol o
vapor francez
Navarre, eom-
mandante Mas-
senet, o qual de-
pois da demora
do costume seguir' para Brdeos locando ero
Dakar (Gore) e Lisboa.
Para condicSes, fretes e passagens, trata-se na
agencia roa do Trapiche n. 9.
COMPAiNHIA PERNaMBUCANA
DE
Xavegaio costeira par vapor.
Macei e escalas.
Segu no dia 30 do correte pra dos vapores da
companha paraos portjs cima indicados.
Recebe carna al o dia 29. Eocommendas, pas-
sageiros a dioheiro a frete at as 3 horas da tarde-
do dia da sabida ; escripiorio no Frte do Maio
D. 1.
gando na Parahyba >/
Correio jeral.
RelaoSo das cartas segaras vndas do sul e norte
peles vapores da Companha Pernambucaoa pa-
ra os senhores abaixo declarados :
Ferreira & Maiheus, Dr. Fraoeisco (Jordeiro d
Rocha Campello, Jos Domlngnes Goncalves for-
res, Verlssimo da Silva Pinheiro (Olind*;.
Relaclo das ca-tas segaras existentes na adminis-
traco do crrelo desta cidade para os senhores
abaixo declarados:
Baro de Vllla-Bella, baro de Vera-Croi, Dr.
Pelippe Menna Callado da fonseca, Francisco de
ASsis Campos Cosdeo, Joio Sirverlo de Souza, Jo-
s Ferreira Coimbra, Luis Atnavel Daboqrcq Ja-
COMPANHA PERNAMBUCAOA
DB
Ifavegaco costeira por vapor.
PARA
Parahiba, Natal, .Maco, Aracaty, Cear e
Acaracu'
Segu no da 31 de correte um dos vapores da
companhla para os portos cima indicados.
Recebe carga at o dia 30 Eocommendas, di-
nbeiro e passagens at 3 horas da tarde do da da
sabida : escripiorio no Forte do Matos n. 1.
Para o Aracaty
Segoe nestes quatro dias o hiate Dous Amigos
aioda recebe alguraa carga : trata-se com os seus-
coosignataries Antonio Luiz de Oliveira Azevedo &
C, no seu escripiorio ra da Cruz n. 1.
Para o Aracaj com escala por Macei, segoe
nestes seis dias o veleiro patacho Gloria, quero do
mesmo qaizer carregar a frete commodo, pode en-
tender-se cura o consignatario Joaqoim Joto .Gon-
calves Beluao, ra do Trapiche o. 17.___________
Para o Rio rande do Sal
Segu era poneos das o brigue pnrtoguez Ri-
Vouga, para o resto da carga que |he falta trata-se
com os seas consignatarios Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo & C, no seu escri torio ra da Crut
n. 1 ou com o capiio na praga. ___________
Para o Rto Grande do Sul.
O veleiro patacho Sol, pretende seguir com rao'-
ia brevidade, tem parte de sea carregament
prompto, para o resto que lhe falla trata se cora os-
seus consignatarios Amonio Lulx de Oliveira Aze-
ve io & C, no sea escripiorio roa da Cruz n. 1 ora
com o ca [llo na praca _________________
IlhadeS. Miguel
Segu com multa brevidade a barca portugneza
Parary, capito Aogu.-lo Borges Cabral : para o
resto da carga e passageiros trata-se com o seo,
consignatario Joao-do Reg Lima a' roa do Apoll
o. 4.
I
<4
/ &
V
Para Lisboa
caada 900, 30/ por libra 5 % a vela ; para o Canal carregan-' Jos Monteiro Torres.
Val sahir com brevidade o brlgue portugu?
serano, capito Bogiganga, recebe-carga af
olor" Manol jTaquImNle"Miranda e Silva,' Manoel \ trata-se com E. R. Rabetlo.rua do Trapiche
ca com o capito.
S


' w
' uiteijj
cc
-

<
1
T^
larf fe Peraumbne fte^a.da felra de Jaftefr* de 1867.
Veide-se a polaca nacional Pelotense
de 436 toneladas ou cerca de 7,000 ar-
robas prorapta de tolo o necessario a un
navio betn equipado, excelleote constrocclo
forrada de cobre e muito velleira. Os pre-
tenderes queiram examina-la do ancoradou-
ro da carnn seea e ara tratar cotn Fran-
cisco Ribeiro Binto Gunnaraes: roa do
Apollo n. 24, 2o audar. ,_______
rW
Troteada seguir com brevdade para u indicado
OTto o veleiro brigae escuna nacional Graciosa,
capillo Silva tal ; para a poaea carga que Iba
falla traU-se com o respectivo consignatario Anto-
nio de Almetda Gines a roa da Crui o. 23, i*
aoalar.
Para Lisbi
Seg ne en poneos dias o brigae portagoe?. Cons-
tan'e U, por ter prometo qnasi todo sea carrega-
meato, para o restante o passageiros : trala-selcom
Oliveira Filos & C, largo do Corpo Santo o. 59 oo
cora o capillo na praea.
Para o Rio Grande do Sol.
O Teleiro a bem coobecido brigae nacional Ame-
lia, pretende seguir coro mn te do sea carregamento engajado, para o resto que
Iba falta trau-se cora os seas consignatarios Anto-
nio Luir de Oliveira Azevedo & C, no sea escri-
torio roa da Crai n. I. .
^ Vende-se o palhabote portuguez Etnia, en-
trado ha poneo de Lib>, de lote de 73 tooeladas,
4 atavio n>vo completamente apparelbado.eonstroi-
lo de encllenles madeiras e forrado da metal, e la
viagero : qaera pretender dirija-se ao sea consigna-
tario E. R Rabello.raa do Trapiche n. 44, segun-
do andar, ou com o caoitao Manuel Lopes Pinto a
foorda do meeao.______ _________
r> **$i Pora o Rio de Janeiro
tf Pretende seguir aora muita brevidada a veleira
bem eonheclda barca Rio de Janeiro, tera parte
-1 seu earregau-oi) prorapto, para o resto que,
cedentes enromlos: trata-se eom os seas consig-
natarios Antooio Lu'i de Oliveira Azevedo & C,
ao sen esenptorio ra da Cruz n. 1.
LEILOES.
DE
24') caitas com sabo inglez.
AME
O agente Pestaa far leitio por conta e risco
de quem psrteoeer de 240 caixas com sabio mar-
ca diamante M, violas de Liverpool no navio In-
glez Aielphot, serao vendidas no dia cima indi-
cado as ti horas da maohia no largo da alfan-
4egL__________________________________
ItSllatnW
egiil;t-felr;i
HOJE
O agente Pinto legalmente autorisado far lei-
lo da casa terrea da roa do Arial bairro do Re-
ife, n. 18, com -20 palmos de frente a 87 de fundo
no dia e hora cima dito en seu escriptorio roa
ja Cruz n. 38
Precisa-se de urna pessoa que saiba
lr para distribuidor deste Diario, prefe-
re-se a quera j teoba servido noexcrcto :
a tratar nesta typographia.
LOTERA
IOS <..non ooo
Corre depois d'amanh
Acham-se i venda na respectiva tbeson-
raria, roa do Crespo n. 15, os bilbetes,
meios e qaartos da 4* parte da I* lotera a
Beneficio da colonisacJo polaca, (4*) sendo a
exirc5o no lagar e ora do cosime.
Os premios de 6:0000000 al 400000
serSo pagos urna hora depois da extracco
at as 3 oras da tarde, os outros depois
da distribuido das listas.
As encommendas serSo guardadas rnen-
te at a noite da vespera da extraccSo.
O thesoiireiro,
Antonio Jos Rodrigues de Sooza-
"Jollheria
3 ,Ra do afeig~~3JL
Agostinho Jos dos Santos, proprietario
deste antigo e acreditado estabelecimento
de ouriversaria, tando feito urna reforma
gerai no sea negocio e achando-se sortido
de artigos do mais aparado gosto. apiesen-
ta-se a competencia publica, convicto de que
poder servir VANTAJOSAMENTE s pes-
soas que o procurar.
Troca-se objectos novos por usados, com-
pra-se ouro, prata e pedras preciosasfaz-
Be todos os coocertos pertencentes a esta
arte.Agostioho Jos d 3 A.RA DO CABUGA3 A.
Aula de llaga* franeeza
a*, de geographla e histo-
ria
d ttothoriea e potica
Jos Soares de A'ftvtdo, professor de lin-
gua e liiteratara Mfcll no gymoasio pro-
vincial do Recife, tem aberto sa sua casa*
ra Bella n. 37, um curso especiarle cada
ama das disciplinas ama mencionadas. As
pessoa que se desejarem preparar em'tte-
melhantes materias para os ex a mes de mar-
co, ou as que qi&rem s>r o tW*r3 %s
anno lectivo, pdem dirigtr-e residencia
indicada, de tiran >Sa 6 as 9 *or8, efe
tarde a <|aa^uOT%0ra.
Rufino AntoniooVMeito, sIBdito r3*Sirerro,
retira-se para a Europa._______________^_
Criado.
Precisa-se para um moQo solteiro de um arlado
que salba cosiohar e tratar de um cavallo, qner
seja forro ou escravo : a tratar na ra do Crespo
n. 16, toja, das 7 as 11 da manha e das 3 as 6 da
tarde.
MEMORIAL PRNAMBUCMfO PARA 1867
A edicJo desta utilissima publicacSo, est qoasi esgotada, alguns exemplares apenas, esto venda por 2O0O cada ar, na ra do Crespo n. 0.
IIVRARIA FttANCEZA.
-
COLLEGIO1S. j
Para educagao de meninas,
estabelecido na grande casa contigua
igreja de Nossa Senkora
da Soledde,
PELAS IRMES DE SANTA DOROTHA
i SOB A PHOTECCiO
no
EXM E RVM. SR. DR. VIGAR10 CAPlftjLR DA DfCESE.
Neste collegia, cuja abtrtora naste annn tara' lugar a 21 do crreme, recebara se
meninas de 6 a 1S annos para serem educadas e instruidas era todas as materias aeces-
sanas a ama senhora.
Hatera' meninas internas, meio-pensionistas e exUrnas.
As internas pagarao 354000 mensae?, as meio-pensionistas 15J030, e as externas
S^OOO. nao sendo pobres.
Logo que o collejjio cottfSt um numero lufflcienie de pesioDislas, ira' admittlndo
gratnitamente para internas .antipas meninas pebre*.
^ P*ra admlssao de alumoas e para quaesqoer esrlareclmentos trata se eom a sope-
nra no mes'mo tstabetecimento a qualqner hora do dia.
HKlfflliTO
IGREJA
Na roa da Cadeia n. 85 habata vender-se ornamentos de igreja por menos prego que em on-
tra qaalquer parta:
A SABER :
Ornamentos de damasco tirano de 243 32JS00O
> encarnado de 224 a 32000
rdxo de $i a 30AQJX)
preto de f0 a 3 SOO
> verde de 205 a 2fi000
> de veiludo preto a SbjoOO
A vista da boa procura qna tem havide destes objectos prevenimos ao pohlico que breve che-
gira' de Pars nma nova reraessa de ornamento de todas as cores, icclusiive oroamentos, sebastos, ca-
pas de asperges, nmbellas etc.
Recbese teda e qualqner encommend? relativa ao cuito.
Segnia-fera 8 do corrente as 10 boras.
E. R. Rabillo vendar era leilao por Interveocao
lo agente Pestaa e par conta e risco de quera
twteocer 25 caixas com ceblas em bora estado
ltimamente descarregadas da b-ircsSi/pa.vinda de
L sboa em um on mals'lotes a vontade dos com-
pradores, no diae hora cima no largo da alf-
leg^ eio frente a porta do armaiem do Annes.
a
de duas escravas.
HOJE
Segundi-feira 28 de Janeiro as 10 li2 ho-
ras em ponto.
O agente Pinto levara' uovameote e pela ultima
et a leilo as escravas Prudencia e Venancia
jwrteneentes ao menor Francisco filho da finada
O Joiepha F. da Annuociacao Almeida, isto a re-
a lerlmeato de sea tutor e por despacho do Illm.
Sr. Or. jad de orphaos, as 10 i[2 horas do da aci-
1111 dito ao escriptorio do mesmo agente ra da
Cruz n. 38. ^_____
LEILAO
1>a 5 barris cora presuntos era calda.
35 birris cora toacinbo de 2 arrobas.
36 saceos com comiahos.
HiUE
O asente Pestaa far*' leil) por coata e risco
A* quera pertencer dos gneros cima menciona-
dos : baja 28 do crreme as 11 htras da manbaa
ao armazem do Annes._____
LE AO
Oe nm carro americano de 4 rodas, eoberto, com
assentos para 4 pessoas e arreos para um ca-
vallo.
Um cavallo para o mesmo.
Um bom cavallo de sella.
Dons cavallos (qoartais).
Urna carroca com boi.
U01 earro para boi.
Dous bora mansos.
Terca-feira 29 de Janeiro as 10 he-
ras em ponto.
Por nterveacao do agente Piolo. Na praca do
sommercio era frente ao Corpo Santo.
4t ina riea armacla eovera'saa e
eividncada.
Terea feira 29 do corrente.
O agenta Pestaa legalmenle aatorisado fara*
4etlio de armaco enernisada e caadieiros de gaz,
registros etc., exigentes na casa n. 9 do largo do
Carino, esta a'rmacao acha-se perfelta e propria
para ailquer n-gocio, os preteodent.es podem
*icaiii)i la e o leilo tera* lagar no dia cima as
41 bor-is da minhi na mesraa casa._________
^rdSs de elstico, movis e vidros.
' cardelro **lines
ir cwt e risco de ftdem pertencer fara' leilo
4i movis e outros arijos e tambem 800 jardas
de elstico para borzegains, Isto
T-rcvMra 29 do crrante as 11 horas.
No armaiem a roa d* Ctdeia do Recife -
I! m 1)0 TORREN
NO
P$o da Panel la.
O proprietario desse hotel na) tem. pou-
pado de despezas com o aceio e mais arran-,
jos desse til estabelecimento aQm de obse-1
quiar os seus freguezes.
D'manh5a em diante estar disposico
do respeitavel publico, quarlos para dormi- j
da cora as competentes commodidades, por
pre?o mdico, excellentes vinhns e cerveja
das mais acreditadas marcas, fiambres, sor-
vetes etc etc. ________________
COlVIPAMHIA
Imdemnisadora
Os Srs. accionistas da compaohia de seguros
martimos e terrestresIndemoisadora sao con-
vidados a reunlrem-se em assembla geral, no
escriptorio da mesma companhia ao meto dia de
31 do eorrenle, aflm de serem apreciadas as con-
tas do periodo Quito em 31 de dezembro ultimo,
proc 'der-se a eleico dos fuoccionarios que teem
de servir no actual biennio e tratarse da definitiva
aparovaco do regolamento ioieruo e das condi-
coes geraes dos seguros terrestres.
Recife 26 de Janeiro de 1867.
Os directores,
Francisco Iota de Barros.
Miguel Jos Alves.
______________Joo da Silva Regadas.
A ttenco
Na e-trada de Joo de Barros, sitio fronteiro a
capelinha respectiva ha sempre grande quantida-
de de doce de caj, secco e en> calda, do raelhor
qae ha na provincia, alvo, tnro e que pode ser,
como j tera sido innmeras vezes, exportado para
qualqner paz sera que se damnifique : os Srs.
negociantes, pois, ou outra qaaesqoer pessoas qae
pedido on por eonfa propria tlverem de fazer
qoaiquer remessa, p dem dirigirse ao lagar In-
dicado, qae abi acharao a porco de qae carece-
rem, que ser arrumada em vasilhas enfeitadas e
de tamanhos a comento do comprador, e por me-
nos vinte por cento do qae em qualqaer confet-
taria. _^________
Atenlo
O abalso assigoado, morador na povoagao de
Uea, perdea ama tetra accrita na colonia militar
Leopoldina pelo Sr. eogenbeiro Manoel Candido
ocha de Andrade, da quantia de tresentos e se-
tenta e dons mil reis 37i000) em favor do Sr.
Antonio Lopes do Livramento Pathooy, em 17 de
oulubro do correte anno a dons mezes; portado,
roga se a quera a acbar que a haja de entregar ao
abaixo assigoado nesta povoago ; pois que o ac-
ceitante se acba prevenido de nao pagar, seno a
sea legtimo dono
Una 22 de novembro de 1866.
Jnaqnim Jos da Silva.
s
INTERNATO
DE
Estabelecido na ciiiade de RfelTe em 18 '2
Sofe> a proteccSo do Siimnao Pondflce Po W.
DIRECTORO BACHAREL EM MATHEMATICAS
Bernardo Pereira do Oaimo Jnior.
O director do iniernato de S. Bernardo, nao tendo evilado esforcos
nem sacrificios para proporcionar aos seus alumnos urna perfeita educado
pLysica, moral, ntellectual e religiosa, < fferecendo-lhes urna habitafo com
bastantes condicoes de salubridaile, habis professores que sao solcitos em
prepara-los convenieniemenle ao fim a que se desliuam, medico pratico
que lhes faca comprehender os preceitos da bygiene e lhes cure das doencas
e finalmente um sacerdote Ilustrado e honesto que lhes explique os princi-
pios da religiSo chr'.stSa, espera que assim constituido e em vista do ex-
cellente resoltado, qae tero presentado, contando um crescido numero de
alumnos na FacuMnde de Sifeito, que concloiram all vaUaiosamente os es-
tudos preparatorios, n3 (efiar o seu estabelecimento de continuar a mere-
cer dos senhores paes de familias o auxilio e confianza com que j muitos o
tem honrado; e lhes roga, Dem como a todas as pessoas interessadas, que
se dignem de visitar o nrSmo seu estabelecimento, onde sempre encontra-
do franao ingresso.
Cadeiras de effsfno:Primeiras lettras dividida em duas classes, ten-
do cada um o seu professor, TTim, francez, inglez, arilhmetica, algebra e
geometra, geograptrh, pMosophia, desenho e msica.
O collegi tem i i sede nos espagosos edificios ns. 32 e 34 3 ra
da Aurora.
Nos esaloos do crlegio, que esto disposic5o de quem os quizer
ler, se acham consignadas s condicoes de entrada e matricula as diversas
aulas do estabelecimerrto.
Aluga se u sunradu cora cominudos para fa-
milia, sito no largo do Paraso n. 16 : a tratar na
taberna.
03 0)3
MM
Precisa-se de nma ama qae salba cozinbar e en-
gomraar para casa de ama senhora estrangeira,
paga-se bem : a ra da Senzalla Velba n. 22, pri
meiro andar.
fferece-se um bom copeiro : a traur na rna
da Penha n. 29, segando andar. ____
Alagase am segando andar e sotio na roa
da Peoba n. W : a tratar na roa do Queimado
n. 63.

mam DE RESIDE
61.Palacete do caes de Apollo61*
n. 29.
IEILO
De 3 eirrot 8-
Qaarta-feira 30 do corrente.
O azeme Pestaa fara' leilo por Cdfita e risco
4e qaera pertencer de 2 carros da cargaejar e 2
jis afamados era servio ; quartt-ferra 31 do1 tor-
rente pelas 11 horas da manba no largo a.*-
fadega.
flSJM-"
AVISOS DIVERSOS.
Xa roa do Codornit>
caos de-cffaratetro.
0.
3 precisa-se de ffl-
Precia-s de ama ama
narnero da-
a roa da Aurora
Professor de piano.
Coelho de Araujn, continua a leccionar. e pode
ser procurado na Sote tade, rna de Jbao Fernan-
des v'ieira n. 20, e na rna do Livramento o. 21,
terceiro andar.
O hospicio de alienados em Olinda, precisa
de ama cotinbetra ; quem se actnr nestas circams-
tancias dirija-se ao mesmo hospicio para tratar
com o regente on.com o respectivo momomo o Sr.
Antonio Jos Gomes do Csrreio. ______
O abaiio assigoado faz seieote ao publico em
geral e com especialidade ao corpo de comrnerclo,'
qae desde e da 8 de Janeiro de-te anoo, fflra des-
pedido o seo caixeiro GalJloo Tbelespboro Pinhei-
ro, assim como tambem faz selente a todos o* seas |
devederet qoe se me acham deveodo seos dbitos,
dividas eootrahidas por elh, qae queiram ir pa-
gar saas contas, eotre do. prato de 30 dias, a can-
tar dadata deste, do cqotrario serio declarados por
esle jornal seos nomes.
Recife, 3 de jaoelrtf.de 1867.
Jos Antones Gaimaraes.
----------- I'--"
O director do collegi de Santo Amaro, faz publico a quem possa interessar,
que transarlo dito collegi para e palacete do caes do Apollo n. 01 bairro do Recife,
onde contina a admitlir alumnos internos semiternos e externos.
As aulas creadas em dito c llegio sao as seguintes: instrueco elementar,
lingua latina, franeeza e ingleza, rethorica e potica, geographia e historia, geometra,
phil.-sophin, desenho, msica vocal e instrumental, e dacsa.
No dia 7 do corrente mez ter logar a abertura da aula elementar, cuja ma-
tricula desde j acha-se aberta e as das dentis aulas de .15 por diante.
O director,
j J. F. Ribeiro de Souza.
Fugio do abati assignado na noite do dia 19 do prximo passado do sea sitio deno-
minado Genipapo deste termo, doas escravos de nome Aptopio e Floreccio, de 28 a 30 an-
oos de idade pooco mals ou menos, com os sign.aesjseguiutes,: o primelrp de cor preta
Dio muito retinto, corpulento, de estatura regular, spadbs largas, barbado, olbos grandes
e salientes, e de ara aspecto triste, e para roelhor ser coohecido tem o dedo indicador de
ama das raaos corlado pela jnnta do eentro (2* aftteolaeo) e" mecoata qne sabe ler e es
orever, e o segnnao de edr cabra, alto, magro, cabellos soltqs crespos, pouea barba, olhos
grandes, tem urna cicatriz no qaeixo, e muito fallante, tambera me consta que l e escreve.
Estes escravos oio teem signal nenhnm de sligo, e sahiram bem vestidos e arma-
dos de espiogarda e faci, montados a cavallo. eom nomes modados : o prlmeiro por Ma-
noel Jos dos Santos e o segundo por Beoto Jis dos Santos.
Consta me que estes escravas f >ram encontrados oo da 12 do correte, distante do
rio de S. Francisco 12 leguas, eom destino povoaco do Juaseiro da provincia da Baha.
Peco portanto as autoridades policiaes qae delles tiver coohecimento de 03 mandar captu-
rar e rete-los as pris5es publicas, dando dislo parte ao abaixN as^gaado, ou aos seas 10-
teressados, advertalo mais que as autoridades pu particulares a.ue os capturar, seno qoi-
zerem rete-los oas prisdes publica, devero renutier para Caxtas ao Sr. Aotoolo Feroao-
des Gnimaies, par. o Maraohao aos Srs. Ribeiro 4 H ;yer e Jos Fraocisco Lopes 4.C.,
e na Therezlna capital do Piauhy ao Sr. teneoie-coronel Firmioo Alves dos Siotos E
paraeertwa do e-, tte obrjgo pdf toda a despeza que as autoridados ou particulares
Bzerm na captara e remessa dos mesraos escravos, tendo mala de gratificaco 100#, nos
pontos ji Indicados et emontro qoaiqneronde'cnegue ao conheclmeoio do abaixo assig-
oado, on dos seos ioteressados. ....
Genipapo, termb'da eidade de Caxias, 26 de detetrfbroe 1BW.
Antonio Pereira Marmbo.

Saques
Carvalho k Nogaeira na ra do A;olio
sccam sobre Lisboa e Porto.
0. 20
NOVO
I
Retratos
americanos em cartSes para albns.
^. ftt Rna Nora X- *t
Aonunciahdo o novo systema de rectratos ameTicanos em laminas esmalta-
das, e afflrmando serem ees muito dnra'veis, n5o pretendedios ilfpdfr osincaatos ou
ignorantes, pois que reconhecemos na populacho desta forinosa eidade obom sonso pre-
ciso para se acautelar contra os falsos annuncios e conhecimento sufficienle- para apre-
ciar devidamente as provas photographicas que por ventura vissem m risso estabele-
cimento, e porque tambem temos, e podemos Ffercr prov chimcas e rzoes scien-
tilicas do qae havemos affirmado.
As lamina, alm de serem leves, delgadas e flexive'rs, s3o cobertas de um
esmalte macio que as tornam ioatacaveis pelo ar ou agua, e at pelos fortes diasotveotes
coimicos. Os retractos s3o estampados, sobre urna brilhante superficie de finissima
prata adherente por meio de umi pelbcula de eolio lio, substancia perfeitamente prova
d'agua Porsobreessa superficie apo|ica-se o verniz de esmalte, o que t5o traaspa-
rente e quasi t8o duro como o vidro.' Deste modo, o retracto, nl.i contendo em si
materia algunos orgnica sujeta decomposicio, e n5o sendo poroso aem absorvenie, est
inteiramente livre de bomidade oo de qualquer outra influencia offensiva da atmospbera.
Assim pois por e ta theoria se v que os retractos offerecem provas de duracSo, o que
tem sido efficazmente contirmado pela experiencia : elles duram effectivamente e nada
perdem do seu primor original.
NIO nos ntecessark) repetir as snas qualidades arti-ticas, pois que muitas pes-
soas das principaes familias dcsta provincia, pessoas de fina educado e gosto cultivado,
dos tem distinguido cora a sua approvac5o e honr.ido al com o seu patroc nio ; outras
provas seriam superfluas. &itretanto lembraremos de passagem que os pintores antigos
nunca se serviram de materia porosa para as suas mais bellas pinturas, porem sim de
substancias duras de superficie micia, como a poreellana e o marfim ; e as nossas lami-
nas tem iqual qualidade de superficie dura e macia. 1
Finalmente con -damos quelles, que por qua'quer causa nao tenhara conse-
guido bons e exactos retractos por outros systemas, a virem experimentar o nosso ; em-
pregaremos ento toda a nossa pericia e conhecimento artstico afim de le agradar,
qualquer que seja o numero pedido de retractos.
ttoodrlh **: Hongh.
N. 52, Ra Nova N. 52,
VIDENTE
Sociedad^ prti|QMa de seguros mataos sobre a vida, fan !ada e
admioistrada pelo
BANCO ALLIANCA DO PORTO.
Todo o pai que desojar acautelar o futuro de seus filhosdev.e quanto autos,
azer inscrever os seus nomes na listados socios daP revidente por que, coa orna
pequea quantia que, todos os annos para all fr applicando, tirada do fructo das suas
economas, no fim de 23 annns alcancar-lhes-ha urna fortuna, que por nenhum outro
meio e com to pequeo desembolso poder obte^".
______Os exemplos praticos de outras sociedades anlogas tem mostrado que:
lOUgOOO pagus anuualmeule p- ilciu produzir.
i
Por um menino de
de 1
de 2
> de 3
de 4
Por urna pessoa de 15 a
de 20 a
dia a i anno.
a 2 annes...
a 3 ....
a 4 > ....
a 15 ....
20 anno* ..
30 ....
Ktu ."i an
nos.
1:1000 4:0005 9:<'OO0 20:0000 47:0001
9000 3:0)00 7:5iO0 17:0000 37:000|
8GD0 2:9000 7:iOO0 1(5:0000 35:0000
8600 2:8000 7:1000 15:6000 34:0000
8600 2:7000 7:GOO0 15:5000 33:3000
8600 2:7000 7:0000 15:4000 33:3000
8600 2:7000 7:1000 15:6000 34:0000
de 30 a 40 ..... 8600 :7OO0 7:Oi'0 16:0 00 37:0000
de 40 a 50 ..... 9000 3:0000 7:5000 18:0000 50:0000
Quem pretenler subscrever para a Presidente e desege quaesquer esclarecimeu-
tos pode dirigir-sa, em Pernambu:o ao Srs. Manoel Joaqaim Ramos e Silva, rna do Vi-
gario n. II que dao todos; os esclarecimeotos que se desejarem e prospectos gratis, a
quem os pedir.
Em 10
annos.
Em 15
annos.
Em 20 an-
nos.
Em25 afi-
nos.
TRILIHIS URBANOS-
DO
RECIFE A APIPCOS.
t .11 (u.iniii se oao publica integral mente o rega-
limento approvado pelo Illm. Sr. Dr. chefe de poli-
ca, se fa'. publico, para conhecimento do Srs pas-
sageiros, que do mesmo regularoento coostam os
artigos seguintes desdd Ja pm vigor.
Art. XI.
A entrada nos treo Interdicta a's pessoas em-
brigala.*, indecentemente vestidas, oa que te-
nham provocado confjictiis ou de^ordens as esta-
ges, dependencias da estrada, embora se achem
munidos de bilheies. E' igualmente prohibido su-
bir oo desear dos carros, quando os trens eslive-
rem em movimeoto.
Art. Xll.
E' prohibido circular ao longo da estrada, ou
permanecer nu> suas dependencias sem hcenga da
eroprea.
O- vehculos ou peoes poderlo apenas atravei-
sa-las em qualquer ponto ccessivel.
Art. XVII.
Os condoctores tero o direito de advertir urba-
namente urna e duas vezes a's pessoas que nao se
eoodozirem convenientemente durante o trajelo
dos tren?, fatendo-as Je=cer dos carros no prlmeiro
ponto de parada, se nao se coniiverem Se anda
assim nao forero aitendidos, a empreta dar cien-
cia a' policia, que proceder como f6r de lei.
Art. XXI.
' prohibido ao- viajaotes fumar dentro dos car-
ros e as plataformas.
Art. XXII.
As infraccSes do presente regularoento ser5 pu-
nidas de cooforroidade com o regolamento geral
das estradas de trro, mandado enecotar por de-
creto o. 1,930 de 26 de abril de 1857.
Recife. 24 d* Janeiro de 1857.
A ttenco
O abaixo assignado tendo comprado ao Exro. viz-
conde de Soassuna o sitio denominado Agua-Pria,
de Beberibe de baixo, e tendo demarcado dito si-
tio sendo apprevada pela cmara mupleipil do
termo de O oda a demarcado, de po-se legitima
e nio contetada do referido sitio que prel^ode
dividir, convida a quem queira comprar alguia
laucja entenderse oro o mesmo abiixo as igna-
do ra da Soledde o. 31, ou no mesmo sitio eom
o Sr. engeahelro Selle.
Pedro de Sju'.a Teoorlo.
Precisa-se de um criado boloeiro preferin-
do-se eittrangeiro : a tratar na ra estrena do Ro-
sario n. 47._____________________________
' CRIADOS.
Precisa se de dous criados, preferinlose escra-
vos, para todo o servico, no hotel Veneza do Norte
a roa das Grates o. 39; a Katar no mesmo.
diarrte
Bastos
Joaquim Moreira Garrido de hoje em
se assigaara' por Joaquim Moreira Garrido
VENEZA DO L2ORTfi.
Ra das Crnies n. a.
Os abaixo assignados, tendo comprado este asta-
belecimeoto, teem aiioora de participar ao respei-
tavel publico, e com especialidade aos amaotes dos
boas pitaos, que ti dos os sabbados a' no.le encon-
trarlo excellente mo de vaeca, e diariamente op
timo caf.
Nao se poupam os propietarios esle estabeleci-
mento a cooservar o maior asseto e promptidao
em todo o servico, abrigando se a foraeeer comida
para qualquer casa particular, a's horas marcadas,
e pelo prego mais eommorjo possivel.
Fiados na proteco da bella rapaziada, espera-
mos prperedir, para mais tarde satisfazermos os
nossos proiecios.
Jos Procbplo de Sooza Mendonga & C.
Funaram do engeoho Refresco da fregoexia
da Escada, dous cavallo?, ambos castrados, ara
rosilho fovpiro, de bom lamaoho, carregador baixo,
na feio, esta gordo e lem ama! marca no lomba
a que chaman) mol de beslas : o cairo meliailo-
escuro, grande, de cauda e dinas prets.carregador
baixo, om poqeo secco, tem um casc do p
braoco, est carnudo, a tem nos poacos de ferros
as pernas bem salientes. Ambos tirados na noite
de 21 para 32 do,corrate, a.ahajxo assignado pe-
de a todas auirldln>a oh a^UHiaasoa o especial
favor de, os eucoutrando, apprehenO-la a reme!
t-Ios ao dito engenho, que.se pagara todas as des-
pezas e Ibes Bcara muitiradicido.
{Kernando 8fl 8 Abuquerque..
Precisa-sp a um feitor casado que aaiba
tratar de. escravos e de sitio, prefere-se porlpgaei
e paga se bem agradando : oa roa da Cadeia a.
36, armaieoj. u*r .g_________
Batatas baratas
Vendem-se caixas com urna arroba de .batatas
por 400 rs.; oo armazem do Sr. Annes defronte
da pona da atfandega. _____
ESCRAVA.
Na ra Ja Madre de Dos n. 36, precisa-se alu-
gar ama escrava. para servjdp interno, paga se
bem. _______ _
Aluga-se o armazem do sobrado n. t da ra
ImperiM : tratar no priryeiro andar.
fwtor
Precisase de um feitor : a tratar a
de Ucbaa, sitie de Llz M. G. Ferreira.
ponte
. Pin*4a,Cj4tffcft-W* a.30, *ti+ *
urna ama para costnhar.
Attencao.
Na ra do Imperador, antiga ra do Col-
legi n. 73 2* andar : precisa-se de urna co-
sinheira._____._^___-M_-__
Precisa-se de om caixeiro que teoba pratica
de taberna e qae affianee a sua conducta : na roa
da Larangeiras o. 16._________
Precisa-se de nma ama para casa de pouca
familh para cosinhar e eogommar : a\ ra de
Aguas Verdes o. 26.__________________
Aluga se ama casa na ilha do Retiro, Passai
gem da Magdalena: a tratar ao largo do Corpo
Santo n. 19, e3'ci Iplono.__________
Agencia de passaportes e portaras.
Claadino do Reg Lima, despachante pela repar-
tido da p)licla, tira passaportes e portaras para
de'otro e tora* do Imperio, fior, commodo prero e.
presteza : na rna" da Praia 1* sndarji. 47-
. Arrendase um sitio no Jacar estrada d'Agua
F/ta_,rouito grande con, todo o genero de rructas,
boa mrra e casa de pedra e cal oovameoie cons-
uuida : a fallar com o solicitador Barroso oa ra
da Cobeordia o. 34._______
para 867,
Assigoaturas para todgs os peridicos da Euro-
pa e do Brafl". ,. ....
UistribntcSo gritona dos, catlogos respectivos
ROA 00CR$SPON. 9
Uvrarla graneis._______
Foltdnlitt iH. allemao
PARA 1867.
Urrarla francesa ,-.
Rna do Crespo n. 9.

MMBPSB


riMPMMMMMMIvaiM
bM**1o *Je Z-etm.m*c*o ~ egtu** Iclra as e -landre loBbT.







I

.
3
Publicado junica.
Prele<$6e$t Direito Internacional ** Diplomacia com appUcatfio e refer rucia de
seta principios as tm particulares, e&n-
va&es, e aos traalos do Brasil al 1866
peto Dr. Antonio de Vasconcellos Mene-
zes de Drummond, Jen le substituto da Fa-
culdade do Dire'rto do Recife etc 2 vol. in
8o brocb. por 1000 pagos entrega do
prineirb vleme., que contituir a primei-
ra dessas obras.
A ultima dellasacompanhar um epilogo j
das disposicbes da legislado patria, relati-
vas ao; direitqs. e-deveres doeslrangeirono
Brasil, bemeomo aos do Brasileiro fon do
Imperio;
Assigna-seas lojas de livros da ras do
Crespo 4 2 e 9; do Imperador n. 13; da
Cruzn. 52 na de encadernacao do caes" de
21 Jornai do Recife ; nos escritorios das ty-
i c

.
J- FERREIBA ViUELfl


Calcado,
Si!uie.lo uiaificu
*!
Photographo da Augusta Casa Imperial do Brasil
C 18, RuadoCabug, 18,
obrado, entrada pelo Pateo da Matriz.
s mai
N. 2 D
CORACAO WE OURO. **Jfc
ja d.!D intitulad* Corceo de Ouro na roa do Caboga, acha-se d'tra m diante otTereceo-
. sitavel publico com especialidad as pessoas que honrara a moda os ot.jectos do ullimo ac*-
t(a pars) per menos 20 por cerno do que em oolra qualquor parle, garanlindose a qoalidade e a so-
Resguardi-os diri?ndo-vos
48.Um fcrelt,
Borseguios quasi Milli
pographias do Diario deVernambuco a roa se fazem ^sta idade.
das Crines n. 44. e do Correto do Recife
ra do Imperador n. 79 e na loja da ra
da Imperatriz esquina da ra da Aurora n.
n. 2, loja de louca.
Depois da publicacS da primeira obra
naosero mais admittidas assignatmas e
mbas ellas serao vendidas por maior preco.
A
' f /*0.re!>,T""'
| W (a Pars) per menos i) Iior ceuto do nue un nnlrA nnalminr nrto mruii.^ .
! lidez da ohra.
i O resteiiavel publico aval-udo o desejo qae deve ler o propietario de ora novo eslabeleeiraen-
: lo que quer progresso era sea Delicio lleve chepa/ imrrfdiatam*nte ao coracaa de ooro a eomnrar
JU NENHUMA das photOgraphias desta Cldade se fazeni'retratos mais perfeitOS "}n's.#' peffeitos brillar*-*, esmeraldas, rubinse penda; verdadeiras en sorras modernas ael(
)S_que se executarJi nesta Offic.na photographica. difildf >U'C de 10. brincos nademos de ouro e cora! para menina pelo pt/c de 3, maracas de
** t ""!^1" e m,,lr,;f"'l'ola ^r* li?; moderno gosto (o que o eucontiarao no corceo de
Joaquim Jos Gon^alves
BeltrSo
(4 RIJA DO TRAPICHE N. 17 1* ANDAR)
Saeca por todos o paquetes sobro o Banco
do Minho em Braga, e sobre os seguate loga-
res, era Portugal.
A saber:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
i Gui maraes.
Goimbra. ,
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castalio.
Tate do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famelicp. kl ,
Lamego.
Lagos.
Covnaa.
*
I
do que Os que se executam nesta offic.na photographica.
.*ede-se a confrontacao e anaiysa entre os nossos trabaffios e os melhwes que JKK cv0^,.l
I nesta idade H aroJ TOlt>* fl,e _nro ro,ro a ompeienie crusinc. ricamente eofeiiada pelo peqooo preco de H, bnn-
M5o ha ^L^ j. -j j sd Ol trabarho perfeito por ura mdico prejjo, cassoletas, trnealins, pulceiraf, altkeles para re-
A10 ba PHOTOGBAPHIA ALGUMA desta Cldade, que como este eslabelecimentO "*,"s ecutros modelos ludo de alto Rosto, anei croprios para botar cabello e lira, dito para casa-
pliotograpluco possua um to vanado, escolhido e abundante sortimento de caixinhas raeDl0' ? "lil rosela lero Cor*cao dt 0uro ara completo e bem variado sorftmebTo de diversos
quadrOS, molduras pretas e douradas e passe-par-tOUtS i,gosl,0'*' DulSes Pra lu*>hos-coro diamante, rubios e esmeraldas, obra esta importante ia' pelo seu va-
Para serom collocados os retratos chamados cantes de visita ha doze difieren- Krid!? ^SSS^^^iSSSS ^mT^Trf.TJXo %T'
tes modelos de caribes mimosamente lithographados e dourados, em cartao briso! e em os para seohor rav.os ti PedraS preXas,d.?os%.roraem SiSS !
cartao porcelana, OS quaes sem alteradlo de precos, eslo a escolha das pessoas que se nol,0Rs^ "osiohas de rubios, esmeraldas, perolas e urilhantes, aoeis cora, letras, cachetas de
retratarem. ryital e ouro descoberta para retrato (a ioereza) brincos de franja", ditos a imperatrize toda e qua-
nhntno^nr tWWdreD,e ^^ a, EUrPa 1T" ^ lUd ^^ ^ P*lQ 3 Z^ ^^^S^^^^l^^Sj^ ^ST^lt
photographia, e arada o mez passado pelo vapor Gueme, e este mez pelo brigoe tan' d qoi mencionar precos dscertos ot.jectos porqne (deseulpem
receberam-se de Franca quatro grandes caixes com urna bella variedade de artefactos pre?0 lJ|vei a'oem facajDo juuo da obra, por ser tao dimiouta
productos cbimicos o material para photograpbia.
No mesmo estabelecimento vendem-e:
Todos os productos chimicos geralmeote usados em photograpbia e garante-se

saseo
fi600
53000
SOOO
5J000
4*800
4*600
inglics quebn
hespaohoes lnalL,
brasileiro? bezme...
para seuhoras enfeit no ton..................
para senboras............
............
< pelos de..
mirin.................. 4*000
8*060
4*500
3*200
3*800
v.
Qoalijaer pessoa^ue se dirigir ao r.Aracio de Ouro no se podera'engaar com -
0 estado de pureza dos mesmos; bou e oa sua frente um coracao p-ndurado piolado de amarello, alera de outro qua se nota era um
. ; rotulo (Isto se adverte em conseqoencia de lerem ja' algumas pessoas encanado com ontra raa
irriprtrie toda e qual-
deates en-
deixandc-
a maneira de fallar) dizendo-se o
ata quantla a vista do seu valor.
a mesma loja comprare, troca-?e ouro, prata e pedras preciosas, e tambem recebe se concer-
ios, por menos do que era ontra qualquer parte, e dose obras a amostra com penhor, conserva Ddo-s*
e Coracao de Ouro aberto at as 8 horas da noiie.
a casa, f.ois
i ja' algumas
Machinas photographicas, envetas be porcelana de diflerentes tamaitos e vi-
dros para tirarem-se retratos;
ta~ft.mBSM,gritnde varied^de d .,indas e interessantes vistas transparentes para^ Cercas e gradeamentos de ferro para jardins, cercados para animaes chiauei-
stereocopos, e stereoscopos de madeira eovernisada com lentes prismticas que se ven- ros, de todas as grasuras e mudareis. w*"* in animaes. cniquet
Sapaioi iuglates patente...........
menanos.............
------ frates de salto para se-
i^or.ts...................
Borsegnins para meninas enfeita-
dos4*e.................
Sapatos aveiulados para horneas e
sennoras................ 1*500
SIWLM CTrn ll58 P*ra Beninii. 3*500
bapats de trancas snperieres...... 1*600
Ph 125",rV,e!,U8 pura "Binai...... i*otO
ri. ,, ,orU e UIU vmkii, orlineBio, de
linrn l6,,rai,'roquim- beierro frawe*. vaqueta
e^couro de lastro ; como ninguem W*' ao mef-
Precisa-se de urna ania d-- rceia idade para
casa de pouea familia : na ra da Pehhs n. 23 !
andej. y
--------------------------- ----U,.^.--------^jT
Att ruado rapich n 16.
acham-se os seauintes dettositos
De R Bniniiiliausciu Natis.
Bfcrgogne.
Vicho Pommard nato.
> Coi loo tiio..
> Santo Georges tinto.,.
Chambertin tinto.
* Blcbebourg tinto.
Clos de Vougeot lia o.
> Chablis branco.
dem a i2#Q00 cada um com urna duzia de vistas transparentes
Tambem vende-se por 50^0.0 nm apparelho compl.to para fazerem-se peque-
as vistas ou retratos. Ao mesmo acompanham as explicacbes precisas para seu uso.
Qualquer pessoa pode fazer vistas ou retratos com esse apparelho.
A officina e galera estSo abertas todos os das e a todas as horas.
Porteiras de diferentes lmannos para sitios, jardins, cercados, e-c.
__
I

.
.f.

OnWAIiMS DE JGR
>
-"i
|
Z R
m r^/ju.
De | A. Weef c;u Francfort:
Rheno.
Geiseobeiraer.
Liebfraamilcb.
Marcobronner.
Em casa de Thecd Christiansen, ra co Trfa
piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil
de Brandenburg frres, Bordeaux, encontra-sees
6cvameutedeposito dos arligQS seguales:
St. Julieo.
St. Pierre.
Larose.
Chateau Loville.
Chatean Marga di.
Grand vin Chateau Lafitte 8S8.
Chateau Lafitte.
Haut Saoteroes.
Chatean Sautcrnes.
Cbateau Lataur Rlancbe.
Chateau Yquem.
Cognac era tres qualidades.
_A?eite doce. Precos de BorJeaui
Bom negocio
O dono da fabric? a vapor de chocolate, gelo,
rrarcineiria desjjva achar um socio coro om pe-
qu eacommendvs que Uro a dita fabrica: a quem
con ierapparega para ver e julgar dos lucros na
ra do Mondego n. 99.
Precisa se de duas amas idosas, seudo orna
para coziuhar e ouira pira servir em mandados :
na ra das Crutes n. 36, segundo andar.
J. BliUIYI
Vei-limentriro e bordador de Pars.
A 1IO I PERA IIOR 3,
Defreoteda igreja de S. Francisco.
()L\/ Concurrencia impossivel

juslificada pela soppresso de intermediarios, pela compra directa das materias primas, pela exe
cusao dos trabalhos as ufflcinas da casa e pelo diminuto lucro com que se satisfaz.
Animado pelos importantes negocios qoe faz com grande parle do mundo catholico da Europa
resolveu o annunciante eslabelecer filiaes da casa ne Paris em diversos paizes longinqoos que
c.fferecero vantagens, e veio inaugurar o prinieiro eslabelecimento nesta cidade, sera dovida urna
das mais adiantadas e commerciante da America do Sul, e que por isso mesmo necesslta d'nm
estabelecimento que nada deixe a desejar, quer em relacao s preeisCes materiaes e qer intel-
lectuaes. *
Os Srs. sacerdotes e demsis pessoas, que se. dignarera visitar o estabelecimenlo, ahi acharo
seropre urna grande variedade de todos os objectos para lereja e para o clero. *
ODRIVESARIA PARA iGREJA.
Novos modelos de custodias e de vasos sagrados.
ALFAIAS DA IDADE MEDIA, A' LUIZ 13.
Os precos variam segundo o lamanho, o peso e a forma.
TAPECARIAS E AIMACE8 PARA IGREJA.
Fornece toda a qua'idade de armagoe, por precos mdicos, vootade do fregnez
jempre urna pesso* no estabelecimento para ir tomar as medidas necessarias para completa
fago da eDcommenda.
NUVAS UMBELLAS PRIVILEGIADAS.
Estas urobellas de molas, adoptadas p r S. S. Po IX, tera por sua perfeico, novidade
e riqueza a dupla vaotagem de cobrir inteiraraente o Santi-simo Sacramento e o padre, sera diffl-
cnltar o andar.
ESCLPTRAS EM MARFIM E EM OSSO.
fmageps de Christos, caldeiriiihas, cruzes, quadros e todos os objectos devotos.
Objectos em argila, simples e prateados.
Todas as loforroacoes sero ministradas gratis, acerca dos ornatos de igreja.
Conceder-se-ha facilidade para os pagamentos.
Eis o caihalogo do que ten a venda :
Frgo do ar e de vistas preparado oa muito con-
ceituada fabrica da viuva Rufino : trata-se no ar-
rr.aztm da bola amsrella, por baixo do sobrado n.
29 da ra do Imperador.
Jous Spannogel e Fredeiic Borg, sabditos
bamburguezts, retiraro-se para Europa.
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia lodemoisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seos carregamentos, e contra
bgo em edificios, mercadorias e mobilias:
na ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Esera va
Na roa da Madre de Daos n. 36. precisa-se ala-
gar ama escrava para servlco interno : paga-se
bem.
GRAI\DILLl-
SIOIV.
ICASULAS.
Diarias, de velndo, de crina e d
galo fustroso.
De damasco cem cruz de onro e
seda.
Da damasco dobrado, com diver
sos bordados em relevo na
croz.
De tecido de prata oo de ouro.
dem com diversos bordados eu;
relevo na cruz,
dem dem nimio ricas.
De velado de seda com cruz de
ouro tino em relevo.
De (hamalote de seda bordado.
Gelhicas e da idade media.
A cor da casula nao inOue
prejo.
CAPAS.
De veludo-esifadr.
De damasco.
De lecido de prata e de onro
dem com emblemas em relevo
e ricas franjas na murga.
De velado de seda.
De tecido de trata e de ouro fino.
DALMTICAS.
O mesmo preco das casulas.
DO
A NATUaEL.
Francois Meno seieotifiqae le pablie de celle
charmaote Tille qo'il ouvrira, le 26 de ce mtn,
ru de l'imperatrice 3, on Didiorama represen-
tant les 2i premieres caplulles de l'Eorope, des
villes da Bresil, cadres de gaerre, interieurs de
cathedrales, aiosi qoe pajrsages et naafrage, efect
de joor et de nplr. N'ayant ren oubli pour tre
grahle au pobile, il attend qae les personnes
do boo gaut ne roanqneront pa d'aller voir son
Didierama.
mmm mmm
Ao natural.
Francois Mean faz sciente aorespailavel pibli-
co, qae ao da 26 do correte mez (ara a abertura
do sea magnifico Didiorama 4 roa da Imperairiz
o. 32, cociendo 24 oculos. O mesmo receben ama
colKco de 500 qaadros (de cajos alada algons
vem em direefio.) O salao esta'preparado a ma-
neira de um jardim chinez, cujo desenho foi des-
empenbado pelo hbil arlisu Sr. Doraelias, e em
cada um dos oca los se encontrara' por n omero a
deoimioaco das vistas qoe se apresentarSo, como
seiam, interiores d templos, casas de eafs com
oilhares qaadros degasrra, ele, etc., mostrando
dia e niite. A variedade excellenie para os
bellos apreciador e s se admiltira' a en'nda
a pesnas decentemeale veslidas O rallo esta'
iberio das 7 horas as i i da neite, e as vfsias sero
mudadas todas as semanas.
Entrada. 3
Para hornera ou .'abura 11000
Para rnooiao 500 rs.
A^ familias, enio urniro de pessoss exceder a
Ues, pagaro 500 n. por cada pessoa que exceder
eado da raesma familia. '
ESTOLAS PASrORAES.
De velndo estofado.
De dito de duas faces.
De damasco.
De dito de duas faces.
De tecido de prata oa de oaro.
dem dem, com emblemas em
relevo, franjas e bordados de
iorcal.
dem idem em relevo moito ri-
cas.
De tecido de oaro e de praU (loo.
De charoalote bordado de seda,
com doas faces.
VE'OS DE HOMBROS.
De tecido de Lyo.
De dito dobrado, de oaro fino.
De damasco, bordado em relevo,
dem dem, muito rico.
VE'OS l'ARA EXPOSICAO.
De tecido de Lyo.
De chaiaalote de prata com em-
blemas em relevo.
De dilo dito, muito finos.
VE'OS DE SACRARIOS
De lodos os pircos.
BANDEIRAS.
Da Sania Infancia.
De contrarias de Nossa Senhora
Parochiaes, qualquer que seja a
invocago.
Guioes com emblemas em relevo.
A collecao varia de 35*000
3:000*000.
PALLIOS.
Em veludo estofado as quatro
ponas e no forro.
De tecido de Lyo, com ouro.
De dito de prata e de ouro lus-
troso.
De dito dito, com quatro emble-
mas bordados em relevo.
Muito ricos, intelraroen'e bor
dados em relevo rom ouro Bao.
PANNOS MORTARIOS.
De laa. 433
De veludo Inglez preto verda- 487
deiros 541
De damasco dobrado de brocado.'650
Estes pannos tem deas metros de 812
largura e tres de comprmeme Crazes de altar, correspondentes
ROPAS Dt IGREJA. aos castice?, o par.
Alvas de panno de Iinbo lino. Tnoribolos e navetas praieadas. 1
de cambraia fina. Caldeiriobas com hysoppe idem.;
de panno de linho, para Cusiodlas ditas e douradas.
meninos do coro. Lostres ditos e corren tes iones
goamecidas de rendas linas.l para os mesmos.
Corporaes de cambraia fina.
Toalhas para communhao e alta-
res
Guarnigoes de rendas para alvas.
Ditas para toalbas de altar, aos
metros.
Toda a qoalidade da rom a ga-
rantida e perfeitameoie execu-
tada.
DIVERSOS OBJECTOS.
Bolsas para tirar esmoUs.
Cordoes finos para alvas.
< para meninos do coro.
Vollas, s duzas. ,
Cintos e cintnrdes.
Sacras de aliar, em cartao..
Ditas em qoadros.
Marcas para missaes, com
pernas, ero chamalote.
Flores anifkiaes, o ramo.
Bstdfos e todos os demais objec-
tos de igrega.
BRONZES Dt IGREJA.
Casii$aes para aliares, prateados,
de novos modelos :
325 milmetros (12 pollegadas).
(14
16
Anuuncio
O Dr. Carolino Francisro de Lima Pan- tt
91 los mudau se para a ra do imperador m.
W& ";'. ?ePodo >ndf. ondeontinua no S5
S^tl'^^ ^ LoBssio d9 ""Ico. &
^illiilllllili
Jt andido da Aurora
A mais amiga desta provincia e com todas as
perreicdes em seos roacblnismos, cilerece a seus
numerosos fregoezes por razoaveis precos soa<
manofactaras, bem como que tem om bom pessoal
para coro rapidez faier qoalqoer conc#rto oa ebra
DO" a.
Aluga-se nma preta escrava que seia fiei
para oservicode urna casa de familia, e que sai-
ba vender na roa : quem livor amande oa din-
ja se a ra da Concordia n. 3.
Da se bolw de vendagenA iTlao a palaca
na roa Imperial n. 37.
, Cm o Mo(elr com bons comroodos, aceada e faunos nos loo-
dos: a tratar na ra do.Crespo o. 23.
r-.A, Mn e "*** 3 ^a^da^saTtaTua
estrena do Rosario, eoafMnte a officina do Sr. Ozo-
rio : a tratar na roa do Qlc-imado n. 1.
.T f/^8'"8* d0 um caixeiro para a taberna da
ponte do Monte.ro, de 12 a 18 annos, cW pratica-
quera pretender dirjase a raesma. ,
^7H*Uaac.Apo"a B- *"")-* sa*ei-oeii-
1, oSrjL: F?"C'K0 d0 peo Lima, natural da
na deh. MiRoel e Joaquim da Silva Mis-neos na-
tural daWguert,; d^u^s^^. '
^o^senhoriyaHei^os
E' geralmenta cqnbacio> a^ojyjdade do' errpre-
go das machinas, qal Sro V* ffm aperfeicoar o
irabaiho com a ocoaomia de, lirscos. Westecao
poisesiaoas mafhfnis'parador tai bolacha, cuia
ut lidade 6 )> cenheclda de aipuns padeirus que
aellas fazem uzo fjormei de maniveiia, obleado
o resallado mais satisfactorio e perfeo.
Na padaria da ra Direita n. 84," ha's'empre de-
posito destas machinas com ronadeiras para lodos
os tarandos de bolachas aqui O?aa#, e tambero
para ararutas, e que por tremelo reciura e de
propria cenia dos E-tadus Uoidos, se vendem por
preco muito barato, com o fira do troduiir to
recooherido melboramenlo.
ATTEiWlO
- O abatxo assignado compra toda e qnalquer
qaantidade de algodSo em earoco e assacar; os inr
teres ados dirij^m-se ao povojdo de Trorobelas
ao largo da feira na ftbrlca vaprr.
_ __________Albuquerque Silva.
D-se 2:000* a Juros sobre-bypotheca~ern
predios : quem pretender dirija-se a praca da
Boa-Vista n. 15, laberna para tratar.
Pzrcisa-se alugar um marqu" de' 12 a 15 anno<
para servio de criado, que seja bel e iuiHligen-
le ; o servico pouco: quem o liver diiijase a
ra Nova n. 19 I-sedar.
Prebisa-se Qhe para urna casa de pouca-familia : na ra No-
va ds Santa Rita n. 3 i.
Furtaram do fio do Caflo duas "cabras
sendo urna amarella e a outra preU com raalnas
hFancas : quemiis aprehender leve-as ao
sitio na estrada de Joo de Barros, que
tiflcado.
imsoro
sera' gra-
4LUIIEL

>
<
c
(24
(30
Guardas pan arvores, plantas e oulros objectos da ferro qi.e se vendem 1
> Z1Zl,C'. n arnmem de TaSS IrU,30S na W d0 Gaes de ApSto ao pe a Je
de fil, de rices de-
senos.
Roquetes em panno de Iinbo sem
mangas.
oom dius.
Araiclos.
Toalbas e saogaiobos.
Cruzes para procissio, com ralos
dius.
Varas, alabardas para soissos e
cadas para porteiro>.
Estes objectos todos sao em co-
bre e oo em materiaes da
coroposlcao.
I
Soperiores cansas francezar maito finas de cores flxas, matisada
sw rs. o rovado : oa loja das columnas ra do Crespo o. 13. de
Vasconcellos C
e mlndinhas a
Antonio Crrela de
Aviso esseiicial para evitar qualquer erro ou mf.
Os Srs. compradores n3o devem ignorar que o ouro nSo pode ser fiado nem
tecido, e qoe por conseguinte os galoes dos ornamentos chamados de ouao fwo sao de
prata dmirarfa, os de ocho meio fino sio de metal dourdo e os de ouro falso sao de
cobre doorado, e como tal confundir os ttulos que se Ibes den sempre, que sao mera-
mente commerciaes. x
Os ornamentos que o aonunciaute tem venda sao o de galoes de ouro meio
unos, falsos ou de seda, s mandando vir os de ouro fino por encommenda; e nenhum
objecto sabe de seu estabelecimento sem ser acompanbado d'uma factura por elle firma-
da, especificando a qoalidade do objecto, para poupar-se explicacoes sempre incon-
venientes ao depois de realisada a venda. ^F
ROSAKIO
6BAi\DE HOTEL CENTRAL
RA LARfA DO ROSARIO RA ESTRE1TA DO
R 37 N.4A
ENTRADA GERAL ENTRADA PARTICULAR
PBOPRIETIRIO.'
FRANCISCO GARRIDO.
Aluga se urna casa ierres na ra do Mondego n.
22, erm solio, 4 satas, 2 qusrtos. cninhi lora, ca-
cimlia, com (uiiml murado : quem pretender alu-
gar, procure o dono na ra das Crues n 35 i
andar. '
Xarope e pasta de Seiva
DO
Piahtii'o niariUtuo
M
E. tagsse
Preparacoes mol precoBissdfe p<-los sabios mdi-
cos de Parts, com a> melheres al Iftjf disrnbenas
para a cora cena de todas afino Alias do pedo,
bronchiles agudos e chronco*. a^ltlma e aiuda das
affeccSes das vias urinarias.
DEPOSITO ESPECIAL
34Roa larga do Rosario2 i
PhariMaeia de Barlhoigmew A C.
Cavallo fgido
Fogio da mi do portador um ca vallo grande
castanho foveiro, com as ctinas e topete corlados
c m Cangalba.e fui para as bandas do Chora-me-
nino : os apprehendddores podem leva-lo ao salo
Craveiro, ero Beberibe de baixo, que iero crati-
ficados.
baques .
Joo do Bego Ltma saca sobre Liboa e Ilha de
S. Miguel a rna do Apollo o. 4.
Mximum da Silva Gosmo, compra?veode
e troca esrrav.s, de ambos os sexos : oa ra do
padre Fionano n 71. segundo andar.
Procurase para alugar uiT^iJrTperto
do Recife para urna familia estrngeira a
trata." no Corpo Santo n. 13.
Agua mineral
famftadM, addalada, gtxoxa e earbtiiea
dr
OltKZ/.l.
r^^'Sf P""1", *. "B WMcularaenie
recommendaie pela escola de medkhia de Pirls
park todas as arTeccoes de tato digestivo, iofornta-'
esto das leers abdomiBle*, e eralmeste todas
as molestias provenientes da fraqoeza orpoica, oo
pobreta de sangoe.
Hethodo Caatllh*.
Manoel Jos de Farla Simdes, pr ofensor parti-
cular de instruccao elementar pelo melbodo Ca-
tilho, via aos pas de seos alomos e ao respei-
tavel publico que ne dia 7 de Janeiro do correte
anoo, estar sua aula aberU na roa da PraU 0.
9, segando andar, assim como recebe penclopl-
las e ineius peocionftUs, por preco razoavel. Na
dita aula tambem se enslnam as materias seguln-
les : fraocex, ltiro, gengrapMa e mtnlca.
-J" D" dinbeiro a joros: na rna da Cencor
da n. .'i.
Ha quartose salas
Preparad Para aqoelles que vierem
A Veneza de passeio.
Tem commodos excellentes
Para solteiros e casados,
A' lodos se prodlgallsar
Os mais sinceros coidad-s.
Fncrotrs-se para lunch
Fiarrbre a qoalqoer hera,
Tambem recebe assigoantes
De comida para fra.
BOOtUie MfEOM.
34 Uff* 4 BMSTk34 I. "" Precl"-5 logar urna tala anda qoe seja
B*haraafli>ia fl> RirthalnfBAr r po"1"0 core,m'"t' f>*>* om moco solteir: qnem
^*r"B"cl"*"rntlBieiiC. fierpara alogar dirjase a u t*roratau
a.. **** #>re Lisboa
largo do Corpo Sawo a. 19, escriptorio.
no
Criada
Precisa-se de om criado :
o. 12,1* andar.
na roa do Qceiawdo
Alufta-se om* casa em Beb*rlbe rtraUr
coro J.de M. Reg, ra do Trapiche n. 3.
Trocam-^e
r.n,0.UAd.a8/afx,J' fl,i,,M baic> "o Brasil; ot
praca da IndependencU n..
u ~Z Prec,S8-se de nma ama de le te no
Mondego em casa da $r. ?iuva Luiz Gomes
Ferreira r,u a Ponte d /clioa casa do
Lviz de Monea Gomes Ferreira.
Companhia fidelidad* de seguros
martimos e tefreslres
estabelecida no Rio de Janeiro.
A.GRNTES EM P8KNA.KBUC0 W
AotoDie Laii de Olireira Azeredo k C, S
competentemente autorlsados pela dlrec- 5
loria da companhia de segaros Fldelida- Br
de,tomam segaros de navios, mercado- )fif
g9 rias e predios no sen tscriptorio roa d 5
m Crm 0. i. $
ir****.* mmmm
Saiaoei Power Johnstoo 4 Companhia
Ruada enza!aN'o?an, 4a.
A.QBNCIA DA
Pu0dl<-So J ILow lloor.
.Vlachinas a vapor de 4 e 6 cavados.
Moandss e meias moendas para engenbo.
Taitas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreioa de carro para nm e dous cavallot.
Relogios de onro patente inger.*
Arados americanos.
achinas para doscafecar algcdo.
Vlotores para ditos.
Machinas de costara.


i
m





il
0iattodeve a'mrKieo= *# #-#
\$WMOt
V
141
ru
?b#/'i *"'' mwi cltiir.j ti;
^H^Hp da Babia, mas lair.bem
a unos nao 50 ta pi
nesta e na do Amazona.ve que hprescntou seo di'
ploras a'inspectora de aiii<: publica d^sia capia
no Io de margo de 1862, ira a bonra de offerecer
os servidos d sua'prUlsso aoi qoe por ventara
rivermd'ella sendo, a iabUa do> bino-
qaros remuuerativos de seu irabalno a seguate, al
qo I dpida ioieiramen'.e deraracl-r impoueolef
nao deiiara t.' s vetes s-rvir de uo;to a^a que se,
ram dirigir ao ajuHWCiatte. W
1
t
dar.
uuia 24000.
ea legua em
UZO INTERNO:
PREPARADOS COJPOSTOS.
Vinho jurubeba errugionoso.
PARA
PREPARADOS SIMPLES,
Xarope de jurubeba 4
iVinho de Xarope
Pilulas de PiluU ...
Tintura de
Extractu biydralcoolico de jurubeba.
PARA UZO EXTERNO
Oleo de jurubeba
Pomada de
Emplastro >
A JIJHIJISEIIA.
Esta planta hoje reconhecida como o mais poderoso tnico, como um excel-
ente desobstruente, e como tal applicadi nos engo/gitamentos do ligado e ba(jo, as
bipaiites propriamente dilas, ou ainda complicadas com nntareJias, as iaflaoimacoes
subsequentes a? febres'imertiiiienles ou dureza?, nos abcessos internos, nos tumores es-
pecialmente do tero e abdomen,.nos lumoros flnnd tilosos, na anazarcba, as bydrope-
lias, erysipellas,; e associada a> preparatoes ferruginosas ainda de grandes vantagem
as anemias, cwbroses, fallas de menfruacSo, leucorrneias, desarranjos atnicos do es-
tomago, debilidade orgnicas, e pobreza de sangue etc.
O que dizemos ffirmam os matg'dMinctos mdicos desta cidade, entre os quaes
pedemos eila'-os Hms. Srs, Drs. Silva Ramos, Aqoino Fonseca, Sarment. Seve-, Per eir
do Carmo Firmo Xavier, Silva etc. etc. Todos-alies reconh cem. a exeelleneia d'este po-
decoso medicamento sobre os demais al hoje conbecidos para todos, os casos citados,
tanto, que todos os das fazem rt'elleapplicacao. *
presentando aos adieos e ao-publico em geral diversos preparados da juru-'
beba, tivwayvpor nienerali8ar mais o uso d'este vegetal, fazendo desaoparecer a
repugnancia que at hoje sentamos dowtesde usar dos preparados tmpiricos U'elle, o
raj^mni g^^n^i^ a u-^ar^ui-se, e que liniiam ainda a desva .tagem de nao ser
a^M ^^Wp^^^^^rote a *jrher-se, o que loma muitas vezes improficuo um me-
flifclldl|olojn4***'8fiprodnz!!- ;; tirare resollados.
ttHi^4i'*rm aprseitiatfac depois da havermos convenientemente
stUdjTJpa^yibetfS, fazendo as experiencias precisas p:ra bem conhecer as proprieda-
de8_-micamentt>s8 d'esta planta em soas raizes. follias frutas ou bagas, e a dose con-'
verdale a a'ppaco,teadoalm d'isb procurado levaros nossos preparados ao maior
grao ds nerfeico possivel, para o que 'rijo ponparaos esforcos, nao nos importando o
poCO'tifcfq1 qoe possames tirar
Por tanto os que se dignaron recorrer aos nossos preparados podem tffl^a certeza
de que elles offerecem a garanta, de que se pode encontrar a prompta einfallivel cura
de qualquer dos'sofn met tos, que deixamos inouraerados, se forem em tempo applicados,
tendo almdiss 7, medico ou doente a vantagem de escolher as nossas variadas prepa-
coes, aquella que melbrr Ihe pode convir, j pela fcil applicaco, e ji pela complicsco
das molestias, idjde, sexo, ou ainda natureza de cada individuo.
As nossas preparares f>rrugia>*as s3ofeitas.de forma que se tornam comple-
mente soluveis nos suecos gstrico-, porque procuramos os compostos de ferro que como
taes esio hoje reconhecdos.
Para aquellas que mais minuciosamente queiram conhecer as propiedades da
urubeba, e saberem a appiicago de nossos prepirados, destribuimos gratuitamente em
nosso deposito um folbeto, onde traamos mais extensamente d'esta planta e dos mes-
mos preparados,
Deaosilo geral de todo % os preparados
Botica e drogara
34Ra larga do Rozario34
TABKI.'.A
Ra Direita n. 88. lerce
Visitas de da, deulro da capiii,
dem a' noile, idcn Jera 450
dem de da, lora da capital, pin*
carro oa va frrea 8*000.
dem de noile. Mera ider.i 10*000.
dem de da a cavallo. 104000.
dem a' Bolle, idem 200O0.
Consultas verbaes, cada urna l&}&
Uem por escripia 5#00O.
Conferencias dentro da capital, cada nina 0,0.
dem fra sera' na riao das legoas, c*no cima,
dem de doenles eniregus a seus calda-ios.
. gratis.
Atiesta 'o 3*000.
Wem dedoemes soh seus cuidadi, gratis:
Vigilia a' cabeceira do doeole, por cada d'a
20^000,
dem dem idem a' no te, 40000.
Parto e operacoes, sera' segundo soa nalureza e
categora.
Sangras e ventosas em doentes sob seos cuidados.
gratis.
Consullas, visitas etc. sos pobres idem.
A conduccao para os chamados de in Acara' a
cargo dos doentes, e o annnocianle incumbir se ha
de levar comsigo alguns medicamentos, e bem as-
sim sangoesugas etc,. para evitar demoras em co-
mecar o tratamenlo, demoras sempre muito preju-
diciaes as molestias agudas.
Os cartivos sero feltos aliopalhica tu horneo
paihicamente, segundo a maior somma de proba
biiidades para botn resultado, offerecidas por
aquella ou esta doutrina.
Dr. Francisco de Paula Soares.
nteiro
Para u
Nao se tendo reunido namero sufflcienle de
censenhores da proprledade Apipuco?, deiioa de
haver reunlao geral no da 13 do crreme, a qual
11a confjrmidade do art. 17 dos estatuios devia ter
logar no douaiogo segulnte : mas considerando o
administrador interino que asse dia muitos dos
coBsenhores nao poderiam comparecer por terem
de fazer parte da junla de guaiitcacao d^ diver-
sas reguezias, transferio a para domlogo 27 do
crreme, pelas 10 turas da manha, na caoella da
mesma propriedade.
Nesja reunlo se fara' a leitnra do relatorio an-
nual, lenura, discusso, approv.'ean, e assignatura
da acta da sessap anterior..r<- -
O mesmo administrador interino
dita reunio a todos os consepbor
de. A reuniao geral lera' lugar
volos pcesenles.
A^jpocuH8 de-janefro de 1867:
Jos Cezaro de Meti
Administrador iot
convoca para a
da proprieda-
bj o numero de
Alugam-se
duas casas terreas, sitas na Capunga, mala Ven-
tura, junto ao porto da viuvatilabserre, da C ZX*
34, lendo cada urna coziuha ln\ caciriba. estriba-
ra e quintal murado : a tra^oa &A do Tttplcbe
O. o.
'Iuarto com a son* de 1UMJ.
1^ outras muitas sones de I00#, 40# e 20*.
Us possuidoros podem vir receber stas respec-
tivos premios sem os escontos das leis na casa
da Fortuna a' ra do Crespo n. 3.
Acham-sea venda os da 4 pjriir da f lotera
l*'1 {'neBcio da colonlsaco polaca, qae se ex-
irabira juarufeira 30 do correte.
Pre^o.
Bilhles........ 6AO0O
os............ 3*000
Qaartoil.......... JJ300
Fsws que eonprarcra de iOO0O
para cinta.
BilheJes.......... 5*.00
Melos............ j*f50
Quartos.......... ij|378
-^^^............ MaBoel Martios Finia.
|HwmiKaaarii3>
4Jfi U Ur. Alexaodre de Souza P;reira do m
Larroo madoa a soa residencia para o i
g( andar do sobrado n. 12 da ra da Impe- m
rairiz e continua a eiercer a sua profis- H
sao de medico. R
JnMMVl HMMtfM . Precisare alagar um escravo preerindo-^
que saiba cosinhar e para o mais servico de casa
gando^ndar* ,faUr a rBi *"** **' 'e"
n fiS^UlltttUL i I M k I Requifes ou babadiolios de cambraia.
\jHQH tJlT Ull I UIIH. A agula branca acaba de reeeber uro bello sor
A/W (\'C(\C\AAAA "mtli0 ** nqulfes oa babadinhos de cambraia en-
oxtO \J.\jyj\Jfp\JSJ\J,. feitados de braoco e de cares, e mu proprios para
ttllheies fiarautidos vestidos de senhoras e menina.", e mesmo ouiras
'K'nVt D0 CRr3P0 N- 23 E GASAS DO COSTME cbras I06 as seanoras '* Pf'i'.am cora acert e
O aDaHtfassnjnadovtodeu'nisSeus m.nto fell- -oslo asin-ciohassao de mi-lros e vender se a
es iiilbetes garantidos da loleria que "acabout -35(X) e 3* cadj Dma i M ,Ja d'aguia branea ra
deMlra^r^taieUcio das familias djs vojantvios**0 t'Wlinado n. 8.
Albuns para retratos.
A aguia branca receben novo sorilmento de bo-
nitos albqw para retr, ios e cootioua a vendeJo*
''jmo sewWe por preoos commodos ; comparfcara
l'is os-prnendeni^s a ra do Queimadu lola da
agota bfaoca n. 8.
Novos enfeils para vestidos.
A aguia branca a ra do Queimado receten 00-
vis enfeites para ves Mos notando-;e entre elles
as cascarrilhas com bico, obra nova e de goslo.
Bonitoschapeosinhos modernos e primoro-
samente enlejiados para senlioras.
A loja de miudezas a ra do Queimado n. 16,
receben pelo ultimo vapor esses Donitos chapeosi-
fihos obra de muito gosto e elegancia e bem ne-
ressarios para as senlioras que tem de dar algora
passeio as e.-lradas de farro, asslstir as testas nos
I aprasiveis arrabaldes, fazer visita etc., etc. A
, luaottdade pequea e o pre?o commodo por Isso
I iiaem nao se adiantar arriscado a nao acha-los
I ma-a em dita lo|a de miudezas a, ra do Qaeiraa-
do n 16.
i Carteiras de algibeira com tesoura. pente e
mais necesarios para viagem.
Vendemse na loja de miodezasa raa do Qaei
mado n. 16.
Coques ingiiulo cabello.
Llses e crespos, singeios e compostos, de gon^s,
ganados e redondos, cobertos com iet simples t
de vidrinhos, ornados com Abres e Otas, obra oov
o de gosto.
Para senlioras e meninas.
Leqnes Anos de madreperola e osso, todo da sn-
dalo e de sndalo com seda, com fios e bonitos
deseobos.
Precisase de om criado para compras Q iv
cados : no collegio da Coocelco na roa dos Cu-
laos n. 12.
Precisa se de um escravo pira vender na roa
fazendas e miudezas : a tratar oa roa do Livir-
mento o. 19.
Jjao Quirioo de Aeullar & C. fazem publico que
se tendo deseocamiohado tima carta vinda de Ua-
cei contendo tres letras aceilas pelo Sr.' Aatooio
,a ?-' Sllva Bra8a> na importaoma total de
io-,75t#,08, a vencererase em 3, 7 e 21 de jtmho
do correte anno, as quaes acbam-se de o#bum
elleito por ttrem sido sobstituidas por outras.
Ama de leite
t Piecjsa-se.de uva ama de lelte que seia sadia,
a qual pagase bem : a tratar na roa Nova n 3
ou na Toxm casa de Libanio Gandido R.beiro. '
tro.
COMPRAS
- KA Pontual Juuior, agante le ieifoes desta
praca, tlTrece ao re.-()itwei pohlieo os eUs ser-
vidos no jesrmpetiho de.jeu cargo, podendo para
isto ser procurado a rus das Crates primeiro an-
dar n. JO ,- a roa do Cabog o. 2.
com dous quartos do se-
-0 da ra do Imperador o.
tratar n-m^mq. a 9 horas da manba.
Aiuga se araa s
enndo andar do sobra-
PREPARADA A FRO
TBILH08 URBANOS
DO
BKGIFK A APJPUCOS.
mpram-sc escravos
nilherme de Barros, compra, vende e
ivamente escravos de ambos os sexos
e de toda as idades : a' roa do Imperador o 79
terceiro andar.
Ouro e prata.
Em obras velhas : compra-se na praca
depeodepeio n. at. loja de bilhetes.
Compram-se libras
odependeocia n. 22.
sterliuas : na praca da
Compra-se onro, prata e pedras preciosas em
obras velhas : na roa da Qadea do Recife loja
de oarives no arco da Concelco.
1S0
C0MP4-SE
cobre, lalao e chambo : do armazera da bola ama-
relia, por balxo do sobrado n. 29 da roa di Impe-
rador.
Para


POR
AUeSTE
Pbarm.ceutioo pela escola de Paris

l

DE
e successor nesta cidade
Aristide Saisset e J. Souin
i-2.-----Ra da Cruz-----2.
1 'agaii n 1
Tratamento puramente vegetal sem mercurio, iodo, ouro, nera-outro qualouer
mineral.
Verdadeiro purificador do sangue sem azotigue.
Especia! para a cora de todas as molestias pie lena sua or'uem na impureza do
S3ngue, como sejam as molestias boubrHicas, sypbiliticas, escropbulosas, darlhrosas, quer
venham ellas por nereJitariedade, quer sejam adquiridas pelo contacto com pessoas in-
fecc onadas dos diversos virus que contaminam o sangue e os hotuores.
A caroba um remedio prodigioso, usado desde remotas eras pelos indios
do Brasil, e pissanlo seu uso degerago em geracao, hoje um dos remedios mais co-
nhteidos como pioprto para rombater as molestias mais hediondas, entrando nesse natoe-
ro a morphea ou elephantiases, p ra cujo curativo os nossos. sertanejos consideram a
caroba como remedio especifico.
A muito lempo entrn a caroba nos formularios cono preparafo# magistral
so'j a forma de eteictnnrin, ainda boje lecbrado as pharmaccpas com o nome de sea
celebre autor Juo Al ves Carueiro: n3o ella portanto remedio no?o nem desconhecido.
O ungento de caroba da mesma sorie preconisado desde'temos mmemo-
riaes como o mais apropriado para o curativo das boubas e ulceras sypbiliticas srdidas,
e eispregado com provelto depois de improflcaa ipplicac3o de muilos outros agenles
therapeuticos enrgicos e de uso quolidiaoo.
Muitos dos nossos mdicos de coosideracao e entre elles o muito distincto pratico
e observador o 9r. Dr. Pedro d'Atbayde LoboMoscoso, tem confirmad) por meio de ex-
perie icias repetidas, o que diz a fama das benficas propriedades da caroba no trata-
ment das boubas, das diversas formas sob que a syphilis se aprsenla e muito especial-
mente as que teem sua sede na pelle, e poderumos relatar algn i casos de data muito
moderna obsarados pelo mesmo Sr. Dr. Moscoio emque a caroba prdduzo admiraveis
elleitos, depois dd inuteis e prolongadas applicaces de salsaparrirha, mecurio, iodo, ou-
ro e seus preparados, etc., etc.
Nao era possivel que urna planta lio notavel por suas inappreciaveis virtudes es-
capaste a perspicacia e ivesiigacoes dos mais abalisado's praiicos europeos, que se ap-
pltcam com especialidade ao estudo e tratamento das molestias sypbiliticas e herpeiicas
e para prova abi esiSo es Sis. Drs. Casanova, Schurfer, Ricord e outros dando as mais
lisoageiras mformacoes sobre as propiedades curativas da caroba e pteconisando-i como
remedio poderossimo para o irata.neuto du erupcSes cutneas, seccas ou suppui atiras,
dartliros de todas a qual.dade, ec emas, ulceras de diverras oature*as, luflwres, seos
e ontras muitas molestias de natureza syphi ilica ou boubatica
,. Por ler-se general.sado muit> o uso da esseacla da carba que en pre-
paro e pelas insian.ias de vanos med-cos qoe desejam continuar em suas obse. vacoes,
dehberei-me a ter promp a urna quauiid.de da mesma essencia. obtida sea a aeco do
fogo, para nao prejudicar as propnedades medicamentosas: e d'ora em diante eneon-
ESSlAwixim0? sXnf emprC50SU,5ciente i"ra lodos Pedid^ a
ESSEN JA CONCLMRAA De CAROBA, e o ungento da mesma penla para que nun-
ca atlem aisSrs mdicos quequuerern eiper.oent- lao precuso agente medicinal.
Rpcfe de Pamambuco, 17 de ouiubro de 80G.
Aoocste CAoas^kH
evitar os repetidos abus s que se tem dado
no pagamento tas passagens e regular qoanto for
possivel o servico dos tren?, faz se publico para
counepnnenio dos pasaageiros :
_1 Q Je expresamente prohibida a aclomera-
Cao de passageiros as plataformas dos wagons a-
sim eomo a pas.-agem por cima dw cobertas de
um para antro wayon.
2 Que igaalrtcole prohibido a entrada de
pa^ageiros oos wagons sem que esiej.im raunidos
ne runeles eos pa-.-ageJros qn- nao se achar.m
n stas condieoes,ser or.rig^los a sabir para dar
.Ujisr aos que os tiverem.
3" Ao sera" admutido maior numero de passa-
geiros do que os di lotago e nem ser' partolfti.
do o ingresso aos que quizerem Mibir depois de
i cneos os wagous, as^im como uo se podera'
uhir depois que liver partido o trern ainda que
va vagarosamente, o que indi*peasavel para
..revenir sin.stros que se nao podem deixar de
lar se uao fdr attendida esta jusU recommenda
gaoepsl.s quaps a ernprez.-i nao poda responder.
i U-ie na estagao do Cildeireiro e 00 escripto-
no provisorio da ra Formssa, estaro expostos a
vendaos bilhetes desde as S horas di manh.i at
a partid., do ultimo trem e das 2 horas da tarde
era ui.-ie, e smentse veoderao o* fcriiietes cor-
respondentes aos passageiros que passam coaduzir
US IroOS.
3- fbe a partir de quirta-feira 23 do .correrte,
haverao alm dos treas comrauos mais dous >x-
traordman s a' tarde, at ao dia 3 de fevereiro
sendo as pnulas regaladas pela seguirn* tabella-
DJ ECI--E PARA O CALDEiaEIRU.
De manhau )e tarde
o h. 30 m. 3 h, 30 m.
J 15 8 00
8 45 5 15 .
6 > 4o .
. DO CALOEIREIBO PARA O REC'FE
De minhaa. De tarde.
IIa- 4 h. 15 m.
8 00 5 45 .
9 30 6 O
9 30
10 00
Com ara- se
1 padana da ra Direita n 84 urna escrava rao-
boa eogomtiiadeira e con-
ga, preta oa mulata,
oheira.
Coropra-se um preto
armazem.
na roa da uruz n. 6,
Compra-se um meleque de Hade 1 i a 19 an-
nos para pagem : a tratar na loja da ra do Quei
mado n. 18.
Libras
Compram-se a (Ojeada urna : 00 ascriptorio de
Antonio Luiz de Olivara Azevedo 4 C, ra da
Cruz n 1.
Compra-se moedas de ouro : na ra
Nova n. 23, esquina da camboa do Carrao
loja.
Obras de madreperola.
Bonitos pentes de madreperola moi alvo par*
coques, liadas flvellas de'dita dita para cintos, de-
licados alBnetes e brincos, botSes para pannos, c-
bra prima. '
Aderecos, pentes e flvellas igaaes de dita,
brincos. Fivellas e Otas para ciotos, cintos mati-
zados, obra novi-sslma e de gosto.
Lindos enfeites i Bonoitoa para
senhoras
A agola branca tema saiisfagao de oeticiar a
sua boa freguezia que acaba de receber lindos en-
feites a Bonoiton obras delicadas, de conla e olti-
raa moda, o que ser devidameote aprecido pelas
excelleotlssimas senhoras de boro gosto. Os pro-
cos destes enfeites sao commodos e. isso verificara
quero se dirigir a roa do Queimado lola da aguia
branca o. a
Ranos le flores finas.
Como geralmenle sabido, a loja da aguia bran-
ca o jardim dasnoas flores artiflciaes, e alera do
bom sortlmeDto qoe sempre se ai-ha era dita lyja a
agoia acaba de receber novas flores oas qnaes se
coobece o rigor d'arte imitando as flores naturaes.
Na loja da agula branca aj-ua do Queimado n. 8
acharao os apreciadores do bom e delicado calxode
flores com comprldas ramas, rosas, etc., ludo do
melbor gosto e primeira qoalidade.
Meias pretas para padres.
A agaia braoca a' rna do Queimado n. 8 rece-
beo Bovo sortimento daqaellas boas meias pretas
da 1e delaia Visporas e dminos.
A agoia branra a' ra do Quelraad n. 8 rece-
hea novo sortimento de visporas em caixas de ma-
deira e papelo com 24 e 36 carioes, tendo entre
elles alguns com chapa de metal para cobrlr o nu-
mero ; assim como dminos em caixas de madeira
braoca e enveroisada.
Hap Paulo Cordeiro.
A loja de miodezas a' ra do Queimado o. 16,
rocebeu nova remessa de rap Paulo Cordeiro, e
continua a recebe-lo por todos os vapores, para
que os apreciadores aehem sempre boa pitada.
Botfles grandes
e pequeos pret s e de outras cres.
A aguia hraaca receben um bello sortiraeulo de
botoes de diversas qnalidades e gostos os mais
moderos, a elles boa fregaezia da agaia branca,
compare$am a ra do Queimado n. 8.
Metos aderecos dourados
Naloj de miudezas a* ra do Queimado n. 16,
vendem-se bonitos melos aderemos doorado lino
obras mni bem acabadas e de novissimos moldes
goales agradaveis e pregos to commodos
nham comprador objectar.
Amostras de
A agaia braoca a
beu urna pequeoa quattidade de melos
dourados, obras de moldes mteiramfnte novos e
agradaveis, e acabado* com perfeico e mesmo as-
sltn a aguia qaer vende-las baratamente para aca-
ba-las al o fira desta semana, por Isso os preten-
deres compareca) munido* de dinbeiro..
' ]al M mmm
Rna o Queimado n. 49, loja de
naludezas
DE
Jos B4fOatnno,
Gootiooa i quimar lado quMio tem em sea es-
labeleci ment.
Pares dB-si|)#io Djius de pennas de a?o muito tinas a 60 rs.
Caixas de linha do gai.de 30 novellos a 600 rs.
Mero de Molas do gaz de 40 rs. o uoveilo a 700 rs.
Idem de palitos de seguranza a 30 rs.
Lnc-,s de cassa com b'arra a KO rs.
Duza de facas e garfos de cabo prelo a 3600.
Masso de palitos litado para denle* a 120 e 160 rs.
P^cas de efliremeios muilo flpis a c, 600, 800 e
lOOO.
Livros das missoes abreviadas a 1500.
Garrafas de agua Florida verd.delra 1.0(0.
Babados do Porto de lodas as larguras e lodos os
' prerjos.
Sylabarlos cora estampas para meninos a 320 rs.
Hemento da roupa de lavar a 100 rs.
Novas eartilnas para meninos a 160 rs.
Duzlas de meras moito Unas para seohora a 45500.
Ditas brancas e croas para oraem a 34 e 3b00.
Agolhas fraucezas a balo (papel) a 60 rs.
Pares de sapaios de tranca e tapete a 1500.
Pecas de Sus de lia de todas as cores a 600 rs.
Grozas de toldes de porcelana prateades a 16o" rs.
Caixas com aloeites traqcezes a 80 rs.
Caixas de 100 envelopes moito tinos a 600 rs-
Pregos francezes de todos os tamaitos (libra) 210
ris.
Resma de papel de paso braoco liso a 2#.
Frasco com superior ti&la a 100 rs.
Grosas de poosphoros de gaz a 2J000
Pares de bot5es de ponho moito bonitos 80 rs.
Linhas em carto de 200 jardas a 100.
Caixa de superior liona do gas com 50 novellos
700 rs.
Caixas de pos de arroz muito fino a 800 rs.
Fuheiras de conla para meninas a 320 rs.
Talheres para meninos a 210 rs.
Caixa com superiores iscas para charutos a 20 rs.
Masso com soperlores grampos a 30 rs.
Grosas de peooas de ac muito Anas a 320 rs.
Booets para meninos a 1,
Peotes com costa de metal a 400 rs.
Capachos compridos e redondos a 500 rs.
gaitas com superior papel ami.-ade a 600 rs.
Realejos para meninos a 100 rs.


a pe I pintado
O mais completo e variado sorlimento de papel
para forro de sala e guarnieres, enconira-se a
venda na
BotleadeDardholomeu d C.
_____3^Rua larga do Rosario-:34
A LEGITIMA
qae ne-
obras douradas
ra dj Queimado n, 8, rece-
aderecos
Aos Srs. cocheiros e corrieirg
E' ih-gado a fabrica de seiios, na ra larga do
Rosario, as moito stTamadas vaquetas francezas l"
sorte, per preco commolo, a eija antes que se ac
bem.
Urna estante
Na ra da Imperatri'. n. 51. terceiro andar, ven-
de-se por qualquer prego una excelleoie estante
de mogno com vidraca.
- :'M s. jos
Maoieiga ingleza perfeilamente boa a
560 rs, a libra e em porca 1 por menos, no
ex-proplieta Cinco Ponas n. 86 esquina da
nova.lravessa de S. Joo.
Vende-se a taberna mu na ra Imperial es-
qaioa do becco do Lima o. 43 : a trazar na
mesma. *
- Joo Guimerme Romer, partiefa ao respt-i.
lavel publico que mudoasua oIBcmafde ferrador e
Z1^ ro,.dl P00M"V,h "ara <**> eCa!
Pibanben. 18 e conlioua a trabalbarna sua raes-
ma profissao.
Motas do Bae do Brasil.
Tror.am-Sd na ra do Corredor do Bispo ultima
0 GUarleirao oovn enm a-ini, a j,ra(je jg
oa
ierro.
_
quarleirio ooro coa pirtaj de
Daixeko
'Mcjia se de. uro peqoi jara caixelro prefe-
,_J. i ..f f"1 > Janeiro
rindes^ tos ltimos chegados de idade de
14 aaoo : oa travessaja Madre de De^a-
0.
12
3.
Ra da Cruz n. 22,
Novo e grande deposito de superior cairao de Cardiff na
Babia.
Aalooio Gomes dos Santos & C, u de Santa Barbara o. I, eslo hatllludos a sopprir de
oarvo. em coodicries mais favor.vals que em oatroqaalqoer deposito, a todo os navios a vap,r que
A coulratar cesta com umiog' Alv^s Maiku.,
crare-n na^'uelle porta
Francisco Velloso da S.lveira previne a toda e
qualquer pessoa para qae ninguem f, neoelo
gura com Jos Candido do Lima, sob?e aTom
ra. byoothen, oU empenho de um negriniia om
idado de coco aoao. de uome Aana, cui. n
oha pertence ao annuociaute e fllha de urna su
*>r, 2*Jll!i*0 assi8"ad(lS pariicipam ao commer-
cioqied.ssolyeram em 29 de dezembro prximo
pa,sado,-a socledade qoe gyrava sob a flrma-Cor-
rea 4U-e jolganj nada dever, fleando com o es-
tabelecimento o ex-socio Femando Jos Correia.
Joao Silverio de Soaza.
__^^_^^^^ Fernando Jos Correia.
m&
Alaga se ama casa com tres quartos, duis"salas
cosiuiu fra, quintal murado e cacimba, na.Sole-
dade, no flm da roa da Cooqoista, coafronte as
roangaeiras : a tratar na roa da Cadeia do Recife
n. 3, eu na roa da Bsperanca r. 85.
Reabertura dcTTraviaia
Uitef ralBlp.
as tres boceas, naJpovoacSo do Moa-
teiro.
Cavallo.
Vende-se am cavallo gordo rodado, andad r
baixo desobrigado, moito manso, proprio para se-
nbora : quera o pretender dirija-se a' segunda co-
eheira oa roa do Sol coufronie ao porto du ca-
noa?. __________.
Vende-se um boi do past> p*ra nrrela fnu-
lo manso a mintiudo : 00 sitio cafando na estrada
de Joo de Barros eotrada pelo primeiro beco a
direita depois da bomba.
nio
ni.
[lata nova superior
: no escriptorio de
teio'i C, ra da firuz
Vende-se em garrafas : no escriptorio de Anti
lio Lalr de Oliveira Are.'f'
Vende-se a dinheiro lelha, lijlo de atona-
ra batida a 3C4 o milheiro, assim como lijlo de
tapamento largo e psirciio por prefo commodo :
na ra esUtita do Rosario a. 16.
BOTAT
Novaroeuie chegadas botas russianas e perneiras
da melftor nqalidade qoe temos visto : oa loja do
vapor rna Sjva D.7.
Promptuario eleitoral 5^000
Livraria fiancea
fr.-Hwa do Crca>o-^9.
VENDE-SE ~~
om moleqae de Idade de 13 aonos, sem vicio,
nem molestias, com principios de cotiobt e copei-
ro : na roa da Aurora, casa n. 6, perlo da ponte
de ferro.
Vende-se ovas do serto muito frescas : na
ra das Luana iras n. 16.
Altengao
E' chegado a tabenw em frente a ra do Hiet-
rh a desella ova do serla j que se vende por
|if*|) cumui.'jj.
^Grande hxmazem de tin-)
& tas medicamentos etc.
H Roa do Imperador n. 22.
^ Productos chimics e pbarma-
MK ceticos os m >f* medicina.
Tintas para todo o genero de pin-
* tara e para tinturara.
8 Productos industriaes e tintas
g para flores, como botoes de flores
e modelos em gesso para imitar
fructas e passaros com o compe-
tente desenlio.
Productos chimics e industriaes
para photograpfiia, tinturara, pin-
tura, pyrotecnia etc.
Montado em grande escala e sup-
prido directamente de Paris, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa
| pode offerecer productos de plena
jP confianca e satsfazer qualquer en-
j( commenda a grosso trato e a reta-
H lbo e por preco commodo.
SMMM-nniwc
vende-se
om cabriole! de 4 rodas e ama meia calessa pin-
tado e Jorrado de novo : no caes do Capibaribe.
TirM(go
rande neehlaeha
Na loja do Arantes o Lyra praca da Inde-
pendencia os. i3~ e 15
Vende te :
Bjiins ingleses para hornera a djOOO,
Ditos para senh Ditos francezes para dita a 44000.
Grande quanlidade de maoieiga Ingieza a 400
rs. a lifcrt i na roa Nova n. 60. armazem da Liga.
mam
a*-m am bonito cavallo : aom o preti
Veatto-ttaai bonito cavallo : jMm o pretender
diriH-sa a eocbeira de Sr. Paulino, oa a raa Nova
p. 60.
Algalia con varia
Vendem-M p#cas de algodiocom 90 jardas, com
om peqtMao toque de a varia a 3#800 e 44000 : na
ra da fcaneratrlz n. 81, loja da noria lariia.____
Mantelgalingleza flor por 800 rs. a libra, cha,
ro' delicias apraziveU a 14 a caixinna de SO :
m u da Imperatrii n. t.
PREPARADA uTiCAMElITE POR.
LANIAN & KEIP,
NOVA YORK.
Composta de substancias, gozando dja
propriedades eminentemente depurativas a
approvada pelas juntase academias de me-
dicina; usada nos principaes nospiaes, ci-
vis militares e da marinba as Antilbas e
no continente americano ; receitada pelos
fecultativosos mais distinctos do imperio do
Brasil e da America hespanhol
CURA RADICALMENLE
ascrophulas, rheumatismo, escorbuto, en-
ermidades venreas e mercuriaes. cnagae
antigs, morphea e todas as molestias pro-
renientesd'um estado vicioso do sangue.
Emquanto existem varias imitacoes e
folsificacoos, preciso a maior cautela par
vitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAORS & BARBOZA
JOO DA C. BRAVO cV C.
Joao da C. Bravo & C.
Deposito geral em Pemamonco rna da
3rni D.28 em casa de Caros_______
5^000
Cal de Lisboa.
Da mais nova que ba no mercado chegada pela
barca Gratiao : vende se na raa do Trapiche ar-
mazem n. S.
Hotel Dous Amigos,
Veode-se o botel Dous Amigos sito na roa es-
trena do Rosario n. 10, livre e desembarazado de
qualquer negocio : a tratar no mesmo hotel.
Fazendas baratas
Raa do fiieinaado rao ero 40.
Cambraia de edr moito fina a 260 rs. o covado.
Ditas de listra moito moderna a 7u0 rs. a vara.
. Cambraia braoca lina a 94800 a peca.
Ditas Anas a 54,84500,64. 64300, 74,81 e 94
apoca.
Cnitti francezas largas a 300, 3*>, 340, 360,
380, 400 e 440 o covado.
P<*casde madapoln camiseiro a 64.
Dito a 64400, 64800, 74, 84 e 94
Cortes de cambraia organdis de cores fazenda
moito Boa com 9 varas a 94.
L>ncjc de cambraia de linbo maito fiaos a
445U0 a duiia.
Baldes .de arcos a 24500 cada om.
Chitas francesas miudinhas a 280 o covado.
Retondas di fil preto a 64.
Chales de merino preto bordados com franja de
seda pelo preco de 84 fazenda qoe em outra parte
cusa 104.
Chitas adamascadas moito finas largas a 500
rs. q covado.
Bramante de linbo moito tino a 24500 a vari.
Complato sorU-neoio de roupa fniu naciona .
BA DO QUE1MADQ jj. 40.
Vende-se~uma preta cosifoira e lavadeira
sea vicio nem achaque algom e quem a qoizer
comprar dinja-se a ru de Rangel sobrado n. 49
esquina do becco to Careerelro.

o saceo :
zo n. 14.
Fftreuo a 4#5uo
at arraaiem da strella largo do Parat-
U
Farelto
A' ra do Apollo
a *$9mm boto.
B. i.


""i*
**m
J
Olarl de rerambie egunua felra de Janeiro de 1867.
I
O ARMEZAM
NIAO M
53 RA DA CADEIA 53 __
PASSANDO O ARCO DA COMCBICAO.
Acaba de receber e tem por bartennos precos
alm de seu acostumado e muito completo sortimento
de gneros os se#uintes abaixo declarados.
Queijos de Minas.
pegados pelo ultimo vapor a 43600 rs.
Qomma de milao brance
americano.
ARNAKEN IIE FAZEIDAS
E
MUSCATEL DE SETUBAL
omaitoexcellede vinho muscatel por 204
a caixa de doria e 20 a garrafa.
CHA
hysson de primeira qoalidade a 2(5*00 rs. a
libra, uxim o que ba de mais fino a U n.,
. melbor qae ha para papa, pSo-do-l, bolo, | alm destas ha muitas oulras qualidades
cangica, creme etc., muito sobstancial e i proprias para veQQer a retalho, qae se vende
adavel a 60 rs. cada pacote de 1 libra.; 5 {(m s a < rg a ijDra.
SALMO E LAG0STIN -
chegado altimamente em latas de 2 libras
i jOO rs. cada urna.
CHOCOLATE
CHA PRETO
o mais especial que tem viudo a este mer-
cado a 2#600 rs. a libra.
MACAS
m mmm
DE
OLYIPIO GONCALVES ROSA
Ra do Iivramento i, 14.
rpToprielario leste estabelecimento faz scianle ao reapeitavel publico e aos seus amigos
freguezes, que lera aogmentado a sua ufflcina de alfaiate, e dtrtfWa por om hbil mestre, se encar-
rega de fair oira promptido qualqner encoramenda, das pessoas jane qaiierem Honrar sea estaoeie-
cimento por precos mais baratos. ,
Assim como lera uro completo sortimento de fazeudas Boas (as quaes nio seodo costme pro-
corar as lojas do Livraroeoto) espera qae seus amigos e fregueiei o honren com saas presencas,
oois vende mais barato qae oolro qmlquer.
rancez a 500 rs. o pacote, dito hespanhol eg^unhaspara sopaem caixas sortidas de
ispecial.o melhor que temvindo ao mrca-
lo a 028O rs.
LATAS DE LINGUICAS
com 6 libras emticamente fechada a
44500, e de barril a 640 rs. a libra.
VELAS PARA CARRO
m pacotes de 8 velas a 900 rs.
VINHO DO RHENO
^iadeiro a 20000 a garrafa.
BORDEAUX
das mais acreditadas marcas: S. Julien
Haut BrtOQ. St. Emilion e St. Esteph a 800
n. a garrafa e 80000 a duzia.
O EXCELLENTE E AFAMADO
COLLARES
engarrafado da bem coahecida casa deDe-
ant A C.1 a 100000 rs. a dua.
PORTO
iversas qualidades engarrafado, inclusive o
mais uno que ha n'este genero por 800,
14000,10200, 10iOO e!05oO rs.a gar-
rafa.
OLD CHERRY
> mais superior do mercado a 10500 rs. a
garrafa e 150000 a duzia.
VINHO BRANCO
xeellente qualidade, de Lisboa, e proprio
para missa a 800 rs. agarrafae 80000 rs. a
caixa de duzia.
VERMOTH
upflrior qualidade em caixas de 12 meias
garrafas por 120000 rs. e cada meia garra-
fa 10200 rs.
8 libras por40000 rs, palnarim, macarrao,
etc., i640rs. a libra.
PREZNTOS
os verdaderos de Lomgo a 640 rs. altbrao
{560 inteiro. n
JALE1A DE MARMEEL0
em latas a 800 rs.
MOLHO INGLEZ
diversas qualidades a 720 rs. o frasco.
MOST^RDA INGLEZA
muito nova a 800 rs. o frasco.
MOSTARDA FRANGEZA
a 640 reis o frasco.
ARENQUES
em [alas a 600 rs. cada urna.
GARRAFAS
brancas para mesa superiores a 50 rs. e a
60 o par.
COPOS
diversas qualidadese tamanbet H rs., 4j|
50 e 60 a duzia.
CAPACHOS
decores e differentes tamanbos,a,JJOft,rs.
640 e 800 reis.
BALAiGS
diversosfeitios epara comprasdesde 500 *rs.
at20 rs ; ditos grandes proprio para roupa
de 30 a 50.
GAZ
o mais superior gaz liquido em latas grandes
,com 5 gales por proco de 100 rs.
i
f
BAS4SDE SE\ PRETi.
A' loja de fazendas de Augusto Porto & C.
11Ra do Queimado11
A' loja de Augusto Porto & C. chegaram as memores basquinas de seda
preta que se vendara por mdicos precos.
Vestidas de moio de cores para bailes e partidas.
Ricos vestidos de Blond ora manta e capella para noivas.
Costumes completos de ca-amira pira hornens, fazenda especial, sendo
as calase palitotsda uHima moda.
Bonets depalha da Italia parasenhoras e chapeos de phantasia para ho-
rnens.
Env>vaese vestidos bordados oara baptizados de 100000 a 300000.
-Camisas ingresas-para hornero, peito, punhos ecolarinhos de linho supe-
rior.
Ricas saias de linho bordadas, bales, espartilhos, meias finas, lences
bordados, camisas, camisinfaas, manguitos bordados para senhoras.
Colxas da seda, e de lia e seda para camas de noivas.
Cort.nados bordados para camas e jaoellas.
Tapetes para sof, cama e piano e pannos para cobrir mesas.
Bramante, Brilhantina Miciennes ou cambraias de pafos, frzenda muito
bella para vestidos, silesias, bretanhas, e cambraias transparentes tapada e
de linbo.
Moireantique braufio e preto, sedas brancas, de cores e pretas, e gres-
denaple d)e todas as qualidades.
Brins de lindo branco e de cores dos melhores.
Neste estabelecimento ha sempre sortimento das melhores e mais baratas.
Esteiras da India para for ar salas
11Ra do inclinado11
til]\ DA C\I)EIH3
GRMDE LIQUIOA^AO
23 Largo do Terco 23.
Joaquim Simo dos Santos, dono deste bemsortido estabelecimento de seceos
molhados, faz sciente ao respeitavel publico, tanto desta prac* como de fora, que ve-
aham fazer suas despensas a este estabelecimento para verem a grande differenca que faz
para menos preco, caso fossem comprados em outra quaiquer parte. Etodo ofreguez
que comprar de 1000000 pira ci na ter o descont de lo % peloprompto pagamento,
az-se esta grane differenca por estar-se em Hquidago.
Gaz americano a 4oo rs. a gararfa, e 90 a lata.
Caf do Kio de 1.a e 2.*sorte a 2io e 2oo rs. a libra, e a 60 e 70 a arroba.
Queijos de diversos vapores a 204oo, 208oo e 30ooo cada ura.
Phospboros do gaz a *02oo agrosa, e em porgao se faz a batimento.
Cerveja de diversas marcas, duzia 50, 505oo, 60 e 70
Arroz da me hor qualidade a 12o e lio rs. a libra e a 30ioo e 302oo a arroba.
Papel de linho marca viidoa 40ooo a resma, em porcSo haabtimento.
. dem fino demarca marte lio a 505oo e 60 a resma.
Vinho das melhores e mais acreditadas marcas, a 207oo, 30 305oo e 40 a caada e
36o, 4oo. 5oo e 56o rs. a garrafa.
dem nranco superior qualidade a 40 a caada e a 56o a garrafa.
Cha mindinho e graudo da melhor qualidade a 20, 202oo, 205oo e 208oo a libra.
Manteiga ingleza fina, a 10loo, 1012o e 102oo a libra, embarris ha abatimento.
dem ma*ts baixaa 72' >, 8oo e 9oors. a libra, em porco ha grande abatimento.
Iemfraoceza moito nova a 4o rs. a libra, e em barril ha grande differenca.
dem mais baixa a 48), 52o, 56o e 6oo rs. a libra, em porciio ha abatimento.
Vinho do Porto engarrafado e em barril a 64o, e a 10 a garrafa.
"Alm destes gneros ha outros moitos assim como bolachiohas de soda a 101oo e
30 a lata, chourifas e genebra de todas as qualidades, raassas para sopa, copos a 50 a
duzia, s no Conservativo largo do Tergo n. 23.
LOJA DA FRAGATA AMAZONAS
MACHINAS AMERICANAS
Verdadelra do fabricante Ni. Y. Canttoagia & i.
loinhos americanos para meer milhe.
Na ra Nova u. 20 e 22, grande deposito
das wdadeiras machinas americanas de todos
os f-brcantes; se en;ontra ueste deposito
grande porclo de machinas, e se vendem por
menos pceco do que e.m outra quaiquer parte,
por se receber em direitura da America; se
fornece todas as explicacoes necessarias ao
comprador para coDservaco das raesmas;
neste grande estabelecimento se encontra mui-
tos artigos americanos, que muito deve agra-
dar aos agricultores que usam de taes artigos,
encontra-se tambem todas as colleccoes de de-
senhos sobre os quaes se aceita quaiquer urna
encommenda, que cou> promptido ser ejecu-
tada ; neste grande estabelecimento, encon-
tra-se em grosso e retalho, grande porcSo
de ferrageos, emiudezas que se vendem por preco commodo, pedindo-se a altencSo
de todos para este estabelecimento que muito lucraro em fazer suas compras: na
ra Nova n. 20 Carneiro Vianna.
DE
Monteiro a Guimaraes.
R. 5 Rna do Qaeiraido n, S,
Os donos deste novo estabelecimento cbamim a attenco dasEsmas. senho-as que
gosiam de usar objectos de modas, para que se di^nem vira passeio a seu estableeimen-
io apreciar alguns destes artigos de noviJade ultimimsnteclijgados pelo vapor 'rancez,
e que esperam merecer o approvacao do bello sadxo.
A Fragata cana d* receber novo sortimento de sedas de cores, pretas. e bran-
cas, em cortes eem pecas, as quaes pelos sus elegantes desentns e boa quil.dile se
tornam recomraendalis.
Lques de raadriperola de 18 a 800000 um.
Lques de sndalo novos gostos.
Chapelinhas de seda e palha para cok.
Chpeos de sol de seda pira senhora.
Ricos cintos hela Helena (novogsto)
Cortmad s brdalos pira cama.
Colchas de sedi para cama.
Cortes de blond para noivas.
Bisquines dsela bordados de lo a 600000.
Cortes de cambraia branca bardados, e outros muitos artigos que menci-
nalos seria enfadonho.
O tro sim, os donos deste no.o esliblecimenl > se consideram gratos, para com
todas as Etmas. senhoras e senhores, quu te n frequenado seu estibslecimeato ecadi vez
ma-s se esmeram a fim de bern servir a todos qui queiram honrar sau eslible^iraento
com suas presentas.
rjlrJrJrJrJr-JrJr=J
O
9
00
5
rJnlrJrJrJJ
J- :9..ii =
'Riusff
ftiii-
g T | -
3*3*1
11*1
Jl,"|FH|ll
97
-
H?*ifit*
lasnifr
ti.

PREPARARES FRREAS -IAH6ARICAS
APPROViDAS PILA ACADEMIA DE MEDICINA
DE BURIN DU BUISSON
tnutt, tora* pela leacnia d* Mein de Para
llllllllllllllllllll
O eminenle professor TaoussBAD, na nltin edicio de sea Traate d Thira-
peuhea t ilaUna medica, reconhece que os ferruginosos simples sao raoilas
vezes raefficMes para curar as molestias que leem por causa o empobrec meroe
do sangue. Muiros mdicos dos mais distinctos altribuem esse m o xito ausencia,
n essae preparacoes, do mttvijiinee, que se acl no sangue, como o tem reeoobecido
os chimicos os mais peritos, sempre intimamente unido cora o ferro.
K pas, prestar-seum verdadiiro ser-.ico aos SrM Mdicos, oohamar-se sua aUneie
sobre as preparacSes seguinles.
i* PftS fpPPP1 BlSBIfiUlflB dan0 imraediatameate urna ama, acidulada,
I TVO rciICb JluLgdlUlOb ?a70za) agradavel, subslitumdo com utgem
economa as aguas miserees ferruginosa.
2* Punas e Xarope de ioduretu de ferro e de manganese inalterareis
eontendo cada nina claco centigramos de iedureto de ferro manganieo indicadas
particularmente as ootealias Tymphaticas, eserofiriosas, e as jninhl can-
i'
orocM e tuberculosas.
Imm k laelalo de ferr e ie Batnese) ^^r^
PMas de carboflalo ferr* nugaiueo j SgfSZiZZ
alternar estas duas prapnraotea di oa mriaores reaahado.
O & Burin da Buisson desojando oblor a adhesio complett do pubKoo medico i
enea do valor de saas prepaeoo, previa* qae elle as pe grataitaawBte a roa
Ne Ptmambuc, a sea agente feral, Hanrer O, pfaarauceuticos, raa Nova.
1111.......... irrr
Vapores.
Vende-se em casi de SanadeK Brotbers & C,
no lareo do Corpo Sanio n. 11, vapores pateles
com todos os perieoce prapriospara flxer mover
tres ou quatro machinas para descarocar algodao.
PGT48S* 1) i BUSSI4
Vende-se noiisM da t'.'jssia muito superior e da
qualidade a mais aprouiiada para o tabrico de
assuear a prec-' rasoa*fi, nao ermazea *e Jas da
Silva Loyo A C
Admirem os presos
V armaiem de lineadas de Sar.Ui
CoelbP.
Raa do QuelMado n. ie
Vende-se:
Madapolao enfestado Do-j a 9J a peea com SO
varas.
Ditos de V, 7*300,8*. 9#, 10* e i U a pe? coa
"Oa ras.
Cambrau-de lisae dms cores para vestido*
800 rs. wa.
atoas. >aascan, sanrara a 2*500, 3* e3*500
Bitos 4% non n*araudos*. 3*500 e 4*.
Mloa ttotaoraMina apB0a
Ditos de arco* para cnentoas de 1*600 e X*.
Toattws de linho alcochoa* a 14* a duzia.
#s 4gritinl!arca
Saunders Brattars A-'C. abaan d* raaeUnrae
Liverpool vapurwae ftfrca de -3 a 4 om altos con
ver "^"JE^J^IJ^ a i* a
vapor lrba'^J*m^,*^'j; ?,J: i IMHHIHo^'fttM Ova ^ara. .
vemparaenfaltoa^a^Mjar^ ,
servico em quenunHrabalriar oa aotaaes. -os llUA, ^
mesmos tambaantema veoda maatuoas amertoa-
vara.
B*^Vencle-seoa^pharmacia/te P. Manrer 4 C, ra Nova.
b*B
IN JECCO E CAPSULAS
W1GETAES aoMATICO :
GRIMATJIT&CLEPH/RMAC[UT!CnsEM?A?aS
Nava tralaaento preparada con as fothat da
Mutico, amare do Pera, para a aura rpida e in- .
fallhrel da Gonorrhea sea reccie. algura da con-
tracelo do canal ou da nflammacaO (j* inMetmoa.
0 clebre doutor Ricobd, de Pars, tar renunciado,
desde ana apparioao, ao eaprgo d quaiquer
otro traumento. Eanprega-se a hjeecio na
eoraco da fluxo; a* eapmUu em todos oa caso*
ebronicas e inveteradas, qae ra*i*arl# s prepa-
racoei do copaba, cnbeba e as njeeoMs coa base
natalUra
A yenda as pharmaclas de P. Maorer
C. e A. aors, em Pernambuco._________
Veode-se urna morada de casa terrea com
teareao para edificar om outra, de 28 palmos de
frente, sita na roa O Amparo em Olioda : a tra-
tar na roa do Amorta a (86, coa Juio Simdes
Pimetjta. "^
as de :$o a 40 erras : os pratendaates dlrijam-
se ao Urg.a do*Cerpo'Santa o. 14.
Loja (te Mo Virante
RA DO CRESPO N. 7.
Grande e varaflo sartineiito dos Homoro-
sos objectos de aparado gost que ullima-
menle acaba de cheaar i>ar este bem co-
.nhecido estabelecimento, pois seu corres-
pondente em Pars o mais habilitado p-
'ra a escolha de taes objectos, pota os com-
1 pradores poderlo apreciar, como sejam lin-
dissiiiios enfeites de cabeca com cok de
cabello, e sem eWe.
S no vigilante roa do Crespo a, 7.
Enfeltea.
Roques com caixos e de novos penteia-
dos.
Trancas pretas e de ceres, e de todas as
larguras, com vidrilho e sem elle, para ea-
feile de vestidos.
Bicos de seda com vidrilho e sem elle.
Gravaliohas de velludo para senhoras.
Gravatas e mantinhas de seda para bo-
mem.
Gravatas brancas muito finas.
S no vigilante ra do Crespo a. 7.
VnltlQhas para meninas.
Voltinhas para meninas.
Pulseiras para as mesmas.
Correntes para relogios fingindo cabello.
Riquissimos sintos, fivellas e fita< para as
mesmas e de outras muitas qualidades.
Riquissimos pentes de taataruga.
Fitas de velludo de todas as larguras.
Liados enfeites para vestidos, chamados
Cbrispi&tae Mar{rite.
3*600 a van.
Dito de dito de 9 1.5 dilo a 1*400.
Dito dito de 5 dito a i*SO0.
Dito dito de 3 IjJ dito a 800.
Alaodo eneslao com 71|ditos a 4*100.
Reloades de fil preto a 7*.
Boornos de diio a 10*.
Cnalesdedito >|.
Cambraia adamascada para cortinado com 90 va-
ras a 13* a peea.
Lencos braceos do cambraia floos de 2*. 3*.
3*500 e i* a dara.
LSazinha com Bores muilo fina a 400 o covado.
Dita lisa d,ta a 480 a cevado.
Cambraia de linho tina de 6*500 a 9* a vara.
Cambraia lisa muilo Bna de 3*, 6*, 6*500, 7* t
8* a peca.
Colxas de foslao aleocboadas brancas e de cores a
6*000.
Coberlas de chita da Iodia de 2*400 e 1*800.
Lences de b-mborgo loo de 9*406 e 1*600,
Ditos de bramante de om s panno a 3*00.
Tar la tana de todas as cores a 800 a vara.
Moreaatique preto superior a 1*600 o corado.
Grosdenaple de dilo a 1*800 o corado.
Plaoella Cambraia desalpicos branca com-8 iil varas pa-
ca 4*500.
Fil de linbo liso Bno a 800 a vara.
Dito dito com salpicos a 900 a dita.
Guardacapas de linho para mesa a 3*500 a doxia.
Asnm com* tambem se enconira um completo
sortimento de roupa eila e por medida.
Francisco Jos Germann
(RA NOVA N. ti,
acaba de receber vm lindo e magnifico ser-
Riqmssimas lloraa para vestidos e para tiniento de oealoB, loaetos, bioocalo, 4 ttl-
VE\DEMSK
a precos -redusidos os
seguintes lioros:
A le do sello pelo contador Emilio, i volume
em 4* portagaez, bastante grande, a 1*00; os
Mrtyres Peroambncno<, 1 v;lume idero, a 1*000;
Ob8rvac5es a alzans rtiirt do cdigo do proces=-
go pelo Dr. Heodes, a 1*000 ; ditos, ao cdigo pe-
nal, pelo mesroo, a 1*030 ; Pro^itra^'.- extra -ja-
diciaes, pelo Dr. Tnadade, a 500 r. ; Leis soore
terrenos de manaba, pelo mesm",-,a .500 rs ; Dic-
cionario- do Alto Amazonas, a 1*000 ; Simio de
N^ntua, abra completa, muilo bem eucade-roaJa, a
640 ; Lyrica de Ho'aci >, tradazida em verso por-
tu(oez por Elploo Ouvie.n-, 2 volumes bem ini-
pressns e brocharado?, ,a 2*009 ; Ecoaomia da
Vida Humana, a 240 ; Calheeisio das verdades
catnoiicas 'arta^s de ABC emboadas a 40 r. ;
natbecimos da dotritfa'chrislaa a 80 rs.; fia offl-
Iroperaor o. 15, de-
cabeci.
Capellas com caixos flor de laranja, pro-
prias para noivas.
Meias de seda para senhoras.
Ditas para meninas.
Riquissimos chapeosinhos e toaqoinhas
para meninos e meninas, meinhas e sapati-
nhos de seda para os mesmos.
Lindas sextinhas e bolcinhas para bracos
de meninas.
Meias pretas de laia.
Lindos aderecos e brincos.
Aderis completos preprios para luto.
Lindos port joias e port relogios de dif-
ferentes tamannos proprios para um deli-
cado mimo.
Riquissimos livrinhos com capa de tarta-
ruga para missa.
Aderemos de flores.
Riquissimos aderecos completos, sendo:
voltas, poiseira?, brincos, alfinetes, grampo
para cabelps; tudo uto feito de todas as
flores de ultima moda em Paris.
Gravatlahas.
Tambem caegaram bonitas gravatinhas
con flores, e com alfinetes proprias para
meninas c senhoras.
Rosetas e brincos.
Riquissimos brincos e rosetas inteiramente
novidale e tudo de muito gosto.
Toaqnlnhas.
Riquissimas touquinhas de linho e seda,
ponto de corx ricamente enfeitados e de
muito gosto.
Fita.
Riquissimas fitas de chamalote, sendo: ver-
' de e amarello, tecido na mesma fita.
Agnlhas de raai flm
| Tambem chegaram as mui desejadas agu-
Ihas todas de marfitn, para trabalhar em 15a
e sem corx.
Sextinhas.
Tambem chegaram bonitas sextinhas de
palha fina, proprias para meninas.
S no Vigilante ra do Crespo n. 7.
lEspelhos.
Riquissimos espelhos grandes e bonitas
molduras proprios para salas ou lajas assim
como outros de differentes tamauhos.
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Para os pais de familia:
Verdadeiros
Collares Rojer
Electro Magnetices Anodinos
Ou Collares Anodinos, para facilitar a den-
ticao das criancas contra as convuls5es
i das mesmas, a estes collares nos escuzado
fazer quaiquer recommendacao, visto a
grande utilidade que tem produzido aquellos
! pais que os tem applicado em taes circum-
> stanp.idS pois nos parece que nao haver um
s pai ou mal que por este meio nao quei-
ra por termo a taes soffrimentos de seus
(liinhos visto ser um mal que tanto os
flagelia, pois a estes collares acompanha nm
folheto que ensina como se deve applicar, e
vende-se na loja do Gallo Vigilante, ra
do Crespo n. 7, pelo preco de 4(JOOO, H
e 6,J00O.
PHOSPHATOdeFERRO
[DE LERAS DOCTOR EM SCIENml
INSPECTOR DA ACADEMIA DE PARIZEt
Nao existe medicamento lerrn|inoso tio nouvel
come o Fkesphtto ie fem ie Ltnu; aa snmmi-
daata aedicaes de aaada inteira adapuram-no
cora sallicitude sea igaal aos aaoaes da scieneia.
^j core* pallidiu, dores de istomaye, dieetdet
penetM, anesnim, cenvalescenciat diffiee, idadt
critica nat stnhorat, irreguleridade nt ment-
iruapie, fobresm da umgue, lymphatmo, Oa
curadot rpidamente eu modificadas par ata
excellente eatnposta. E' o conservador por excel-
lencia da saude, e declarado superior nos hospi-
taes a pelas academias a teaos as ferrnfinose
conhecidoB, a iadoreto e ao eitrato a fem,
porano o anico ue caavem aos estmagos de-
licados, oae ato provaca censtipacao, o nico
tambem qne ato ennegrece a bacca e os denles.
Deposito as pharaucias de P. Maure
C. e A. Caors. em Pernambuco.
timo e mais aparado gosto da Suropa e osa
los de alcance para observares e.'para a
martimos. '
PISTA XAROPE da IAF da A1AHA
BE
* SltMonlct
Pictlud dt M
plui dt
MM">*"I
dtfruH.Hr
f irii, o. qa>M etmcara
rMd Mkn u4m u MrM yiWiriM
iffieuli cmtn M
OMtSt* do *IU di (WflMia.
RACAHOT DES RABES
a* DiLAKcamu
Orle* llmtnlo tranvade f\* AedM>idkll*dlelu U
Pnri.'. EU* rHItMM u IMIHI q w !% do aj
mHiJoiIMliM;finiUHUcrliKuiupatai
aaiadaa, abas itmHtwda t ma awaalatali aaa
UpUoa he o elkor prtMTTHh du Wiwmht
4
c.tii truco i o*a* Mlxlik* dwua mMm
limfr, ,.U, rma BlIlllfUlilir, tn RicktlltB, K,
*m l'irii. (Fu MrfiM n
Detodlarlu
*ar
*m omi u adMeafiM.)
11 San aataii Bv
A venda as pbarmacias de P. Maurer
e C. A. Caors, em Pernambuco._________
"Doces
Grande jortimento de doces secos e crystalisa-
dos e em calda estrangeiros e naclonaas : no ar
mazem da Liga roa Nova n. 60.
Para a abertura das aulas
Cartas de A B C, taboadas, catecismo, verdade
aos meninos, grammatiea e arithmrlira por attro
Nones, cartilbas, biblia da infancia, caminbo do
co, devoto ebristao, Simo de Nanlua, economa
da vida ham^na martvres pernambncaoos, regras
mui facis para entender a cootabiidade em Ver-
sos por Gamboa, ;aleclsmo das verdades calboli-
cas, traslados, pantas, papel de peso e almaco de
muna= e diversas qualidades, liso e pantado na
rna do Imperador deronte do convento de S. Fran-
cisco n. 15.
Vendem-sc
fundos
doos armazens na ra de Apollo, e cujj*
v5o ao caes do mesmo nom os. 38 e 40.
fim sobrado na roa dos Goararapes n. 26
Um sitio com casa de viveoda, 3 viveiros, mui-
tos arvoredos, e grandd proporcao. na estrada do
fclesn para Santo Amaro, Mohecido pelo sitio da
Torre.
Todos eftes predios acbamse em bom estado.
Os pretendedtes dirijam-se a ra da Senzala-no-
va n. 42, em casa de S P. Johnstoo & C. .
Mathues Austin & C.
vendem no seu armasen, rna
da enzala Veloa n.. 406.
Latas com gaz de primeira qualidade.
Barricas -com farinba de milho muito
nova.
Saceos grandes com farelo novo a 4.
Barris com pregos americanos.
Vinho do Porto superior om caixa de
nim duzia.
Vende-se no escriptorio de Antonio Loiz de
Oliveira Aievedo 4 C^ no sea eseriptono ra da
Cmz n. 1.
Vende-se
machinas americanas de serrotes para descaroca;
algodao : na roa da Senzalla Nova e. 42.
Charutos da Bhia.
orna typograpbica da rita do
rontede S.'- 'o.
Superiores
. USOO a cana.
>
Delicias........ . 3roo
Lyricos em meias caixas . . Si'00 >
Americanos meias ditas. . 54000 >
Suspiros Qnos meias canas 3i00
Regalh Imperial..... . 340h0
Brasileiros....... . 3*000 s
Suspiros superiores . . 1300 o cento.
Para acabar : na Liga, ru> Nova n. 60
Xarope do Bosque.
Ctiegon a botica de Jos da Croa Santos, na roa
Nova n. 51, o verdadei-o xarope do Jcsqu, esto
excellente remedio efflcaz na cora das deSoiftes,
toces, phUsicas, asomas, hemoerhagiis de saogot,
pjntadas, dores de peito, palpitaeSes, coqoelocbe,
bronchites, dispepsia, molestias do flgatfo e escro-
phnlas; pre^o 5J500 as garrafas e 3$ as meias -
garrafas.
110 ES
Grande sortimento de doce* saecos, cryslalisa-
dos e em calda, estrangeiros e naeionaes : no ar-
aazem da Uga ra .Vayan, (a________________
Vende se nm sitio na ra de Bem flea com I
easa para familia, arvoredos e algara terreno ,
trata se na raa do Quelmado n. 18 A, oom Garva-
mo 4 Bastos.
Fio de algado da Baha
Vende-se no eecriptjrw de Aotentii Loiz de Oli-
velra Aievedo C, no sen eserfpterio raa da Grw
.0-*-___________,_____-_____;____________
Vende- e
Motores americanos para don cavallos, dito dito
para qaatro cavallos, machinas para descarooar
alsodao de 14,16,18, 20, 30,35 e 40 serras, pren-
cas para enlardar algodao fazeado as accas com
seis palmos de comprimanto, com o p'sa de 150 6
1.200 libras, viadas ltimamente da america ; no
armaiem de Henry Forster 4 C. no eax Pedro ,
n. 2, junio ao gabitet porwgneL ___________
Vende-se o deposito da rna do Pilar n. 82,
proprio para quaiquer principiante por ter poneos
fundos, iodo negocb sen dono faz por qoarer re-
Urar-su para fora desta provincia.

X



.sata
m*
Diario de ferninboco guada feira I de Janeiro de i8b7.

-
'

fi
I
*>







O

W*
fcemedios do 0r. J. C. Ayer, ei-leite
4a.UuvenMade de Pei&ylvaiia, m
Estadtts-Uniies,,
BiIet# < de Isa-par-
ma de Ayer.
^WMrf'deoerela.
Remedio para sez5e.
Plalas eatharticas.
0 deposito central para as provincia
Pernambuco, Alagoas, Parahjba e Rio-
Grande do Norte, destes remedios tao fa-
voravelmente cocheados e acolhidos ern
todas as partes da America do Sol e do
Norte, acha-se em casa de Theod ChrU-
tiansen, 16 roa do Trapiche em
Peroambneo.
Osprecosd
33,5 por duzia de estrado de salsa-parrilha.
274 por duzia de peitoral de cereja.
27,5 por dozia de remedio para sez5es.
J6 por duzia de plalas catharticas
se entendem dlaahelro vista, coa>
o descorito de 5 por eento em qoantidadei
de 6 a 12 duzias, e de 10 por cento em
quantidades Superiores a 12 duzias.


Perfumaras novas,
A antiga loja de rotodezas a roa do Queima j
b. 16, receben novo sortimento de pertamarias
sendo fios exiraclos e estecis concentrada, ebei-
ros agradaveis para lencos, leos sarflne, philoco-
roe, e babosa para cabellos, banhas e cosmetiqaes
tambera paraos cabellos, por decrale bygieoicos
para denles, opUt* Ingiera e francesa para ditos,
sabooeles em barras quadradas, outros em calzi-
nhas, e ouiros de bollas .transparentes para mi, e
outros mu Anos em calxinhis de louga para bar-
ba, agua da colonia de superior qualidade em fras-
cos de diversos-lmannos e pregos, agua ambreada
para baobar e refrescar o tost, agua florida ( da
verdadelra) tonteo de Kerop, e motas ootra per-
fumaras que a vjs^a da boa qualidade ecommo-
didade de preeofO compradotvnM objectara'.
Mtai pretas de laa e de laia.
Para padres.
se na loja de miudezas a' ru
Para baptisados.
Vendem-se na loja de miudezas a' roa do Qoei
maJo o. 16.
Bonitos cbapeosinbos enfeiudos, sapatinhos de
setim e merm, bordados e enfeitados, meias de
seda, e fio d'escocia para ditos; Vendem-se oa Jo-
ja de miudesas a' roa do Queimado n. 16.
Bicos e rendas dasilias.
A loja de miudesas a" roa do Queima do d. 16,
recebeu oovameote tjutro sortiroento daqoelles bous
e bero conhecldos feic&s e rendas das ilhas, coja
fortido, e segoranga de lecjdo, Ihes da' imroensa
duracio e os differentes das a que acertadamente
sao applioados fazem a grande procura, e prompta
extraeco como constantemente tem acontecido ;
assiro pois concorram os pretendentes, qoe a vista
da commodidade dos pregos nao objecurao em
comprar.
Graxa econmica.
Em caixinhas, latas e bsrris, a' loja de mladsas
a roa do Queimado n. 16; recebeu novo sortimen-
to dessa boa graxa econmica.
Ui para bordar.
A loja de miodesas a' roa do Queimado n. 16,
reeebeo novo sorilmento de la Qna de bonitas co-
res, e como sempre vende a baratamente, e o sor-
timenio a contento do comprador.
Bonitas caixinnas.
De madeira com'enfeites dourados, e oulras de
metal para guardar j >ias. Vendem-se na rna do
Queimado loja de miudesas o. 16.
afeiten e griaaldas.
Na loja de miudesas a' ra do Queimado n. 16,
acbarao os apreciadores do bara, nm bello sorti-
memo de bonitos enfeites para bailes, theatros e
casamentes; assim como delicadas grinaldas para
nolvas, eaixos de flores linas para eofeitar os ves-
rmmm
a^publico
NA LOJA E ARMAZEI
no
Rua da Imperatriz n.60
DE
0 CAJ & SILVA.
rFirr-- "si
tem r... f"eDd" como n*viam anunciado,
ie ratoem
JiSi,'"eBd" Por occasiado bataneo a que pro-
poderem TJ,1 de dezembro > P?m '"
hUM n" 8a,lsf"'r eapresentar ao respe.tavel pu-
ZS" """"osos fregneies tanto desta pra-
mdaTa!^,?fta,")? 6 wiid0 "meotide
boom?* i" I9 '? ? apDrad0 ,axp' Bao se tem
lm,r, "^""o- Continuara a dar hundas.
.-u-J m DeBhor. oo manda-las por seos ci-
xem>s tra casa das Exmas. familias.
Graade pechincha
tres tosles.
Lanzinhas a 300 reis.
Lanzinhas a 300 res.
Lanzinhas a 300 reis.
Sroaloja de Pava.
..g** w* sortimento das mais de.
5Sato*^m^N tanto'--?ro os mais primorosos
go.io8*ai.ji)Mii, como roiudiohas de urna s cor
SS^ aieDd' l3a Pom. e vende.se pelo &
Srn!. ~M d6 m'ntt C0Vado- Pr ,er
m1,l3mP,,.,hlDa COmpra' seni0 *" P"a
plvao na nd,'qH87-S' M '* '"emoo
S!? Imperairn n. 60 de Gama &
Baldes baratos
Vende o PavSo.
Cbegoo nm grande sortimento de balees de ar-
cos sendo americanos qoe sio os melhores e ven-
dem-se pelo baralissimo prego de J500, 3J e
3*500: na loj- do Pavo na roa da loperatrit |.
60, de Gama 4 Sil*a.
A 100 rs. para futo, rende o
Pavo.
Vendem-se laaziohas pretas proprias para'Joto
pelo barassimo preco de 100 rs. o covado : na
loja e armaiem do Pavo roa da Imperatriz n. 66,
te-Gama & Silva.
troches
Para cadeiras
Para sofs
Para camas
Para presentes.
Chegaram os mais ricos pannos bordados a cro-
cit proprios para encostos de cadeiras qoe se
vendem a 2,8500 e 3i, ditos para encasto de sof
Itih l'08 PrPrios Para cobrir almofadas a
z*ow e ditos para cobrir presentes a 2*300 e 3:
na loja du Pavao roa da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma Si Silva.
Novos vestidos Poil de Ch-
vre a 16*000.
Na leja do pavo.
Chegaram pelo vapor do da 15 do eorrenie. os
mais lindos cortes de poil de cbvre para vistidos
sendo fazenda inteiramente nova no mercado ten-
doesta hienda bastante lustre com os mais deli-
cados go*tos tanto em listras como em flores solas
e vendem-se pelo barassimo preco de 16A00O
tendo cada corte i8 covados, isto na loja e arma-
zenrdo pavao na roa da Imperatriz n.60, de Gama
* Suva.
Para senhoras
Vesdinboe para meninas
Vendern se elegantes vestldinhos para menina,
ae lisinba moito bem enfeiudos felo baratissim
preco de :50O, dilox de gorgorio de seda a 3*000-
oaJS,ae rmaierod0 Pavao na roa da Imperatrit
n. 60. de Gama & 8ila w~
Chale de merino
Vendem-se floicsimos coates de merin Usos a*
diversas cores, tendo as franjas de seda a 41000
teodo com as franjas de 13 a 3*500 rs., ditos et-
mmpados moito Anos a 5*500, 6O0O e 75000, di
s de repon com listas de sed a 8*000, dito:
mais ordinarios para acabar a 2*000 e 2*500 ; B
oja e armazem do Pavio na roa da Imperatriz
60, de Gama 4 Silva.
Sedinhas de listas a 400 rs.*
f? bDia8sedmbas eiiMa^propriaspxn
ni?/*nS arRra d*/hi,a ,Dple" Pe!o >""
prego de 400 rs. o covado: na loja e srmazem do
lavao na roa da Imperatrim n. 60 de Gama >
loja de
Filos bordados a 800 rs. a vara na
Pavao.
Vende se filos de linbo branco bordados proprto
para vestidos pelo baralissimo preco de 800 rs. >
vara : na loja e armarem do Pavo Da roa da In>
peratriz n. 60 d Gama & Silva.
Pannos de linho.
Vende-se superior pannos de Fnho proprio par
loncoes, loalhas e seroulas etc., pelos baralissimo
prests de 640, 700 e 800 rs. a vara : bramante di
, COm 10 Palmo8 de largara a 2*.00. 2*500
2#ew a Tara; om grande sortimento de Hambnrg.
oo Lregueltas por baratos precos : oa leja e arm*
tem do Pavo na roa da Impeatriz n. GO, de Ga
ma & Silva.
Cambraias brancas de cordSo a 8tfc00.
Cnegaram as mais delicadas cambraias branca
de cordao com delicadas lisias transparentes .
vendem-se pelo baralissimo prego de 8*500 a p+-
ca : na loja e armazem do Pavo na ra da Imp*>
As saias do Pacdo
pechiuchi a
idoeo, mso im&
h, *SS 0B,a *c,Bde W!*0 Pecas de fazei-
da branca, propnas para saias, seDdo de ura lado
bordadas com moitas barras de pregas, tendo a
?Ur 5"D.da a allora Precisa Pa" omt
; sala, podendo fazer-se com tres e meta vara, e
I vende-ae pelo barato prego de 1* e 1*280 a vara,
f~2 c?m Prega, e a 1*600 lendo pregas e
bordados, Isto so se vende na loja e armazem do
Pavao, na roa da Imperatriz n. 60 de Gama &
oa,
Sahio
Algodaozinho a 4#50<
Vende-se superiores naanJ> aior^n.mh, .
superiores pegas de algodotlnho coro
'ard/8\5*"d. rouilu ^ fazenda, pelo barato
prego de 4*500, na loja e armaiem do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
na
Novidade
cambraias loja oo PavSo um grande sorti-
Em
Chegco pra a
ment das mais modernas cambraias com
largas, tanto ao coroprido como atravesadas com
as mais modero e mais delicadas cores; assim
como os mais modernos organdys de listas largas
coro lindas lores maiindas pelos centros, que se
l venden) por precos. moito moaveis, na loja e ar-
60 de
finissl-
borda
ti raime e bem sorlido aroiaKeni de multados
Bna Wova u 60
ou nao sahio, am abillistimo freguezes? sabio sim ; e se demoramos tanto
em abrir a caixinha do s%redo, foi porque gostamos de sorpreza e dasconjectoras. Ah
Ah! Ah 1 como o sahir deu no gto de muita gente de collarinho empinado ebigode re-
torcido ?I Quanta Dterpretagao ridicula e ristrel soffreu o nosso pobre sahirll Muita
veztivemos frouxo de riso nocantinbo do nosso armazem, quando vamos quealguemse
encommodava com essas seis negras letras, que por alguns das deram um certo ar de
mysterio a urna das columnas deste venerando Diario l E no entanto nada de mysterio-
so havia, como vedes, no patusco sahir I sim; riamos a bom rir; mas nunca vimos rir
o cavalleiro da Liga porque
Serio e grave encara as cousas
Deste mundo como sao ;
Verdadeiro, fiel vive
Do commercio a tradiccao I macera do Pav na roa da Imperatriz i
Pois que o sahir se mostrou qual vinde admirar freguezes, como no armazem [ *^."Ta- *
da Liga se opera a mais fina liga do bom e barato. Lede e veris a tontada vinde pois; i ",C88 v confiamos em que nao tereis occasiSo de dizer aue o vosso dinheiro foi mal c.mnrcaaAn i
mas camoraias convrrmais lindas barras
das, sendo estes vetldoj muito proprios para bai
les e casamentos, svedem-se por pregos razca-
ou gomma de milho branco preparado na America, vende-se 500 rs. a libra, e o cida- vel& na lc'Ja e armazn o Pavo, na ra da im-
d5oquecomprar dezlibras \ende-se-lhe-ha450. Er*,ni* 60 de Gam;1 & tito.
BISCOUTOS INGLEZKS C** a do PaTe a 3^500,
Soda, Mized, Pic-nic, Fr*ncy Cruckeuel, Qenn, Osborne, Gala, Arrowrote outras muitas; v.nrt., n^t^S^ ,?* a
tidos de ditas, maitos outros objectos, e ludo se dualidades a 1MOO a lata nm 9 p lihra Vende-se nm grande sortimenio das melhores
vtwu mr nm^ ,s .......:J~... 1--------^ | quduuduei a 10UUU a lata com 2 eId liDras. cambraias transparentes, teodo 8 varas e meia ca-
oefaxinnaS percales *-peca, pelos baratos pregos de 3*300, 4*000,
em latas de diversos tamaitos 2, 3, 5,8 abras cada urna e pelos seguintes precos: 10200, JffivW'.SS'f.L7?0?0 ? p^a; I"3?de es"
^.linn p lAiYin "" tom 9 varas cada pega, leudo mais de vara
Z04W e J0WU. de largura a 6*000. 7*000, 8*000 e 10*000; ditas
BoilnOXi com nincudoas Victoria a 6*000, 7*000e 8*000 : ditas lar--ascom
grande quantidade de cartoes, bo.;etas, caixas forradas de chumbo, com as mais ricas qua- 5 palms de '"gura a 1*000 e 1*280 a vara, seo-
lidades de pao-de-l, bolos, para champanha, bollinhos.com amendoas, e outros mm^ZVmXn^^SXZ ^S^-^g^
que se tornam enfadonho mencionar. TiSCii!?^ [ZlS^S'nt
MANTEIGA roa da Imperatriz n. 60, de G^ma & Silva,
manteiga inglezs, primeira qualidade a 1^100 a libra, idem ingleza boa a 10000 a libra ..Pa/a cama de noivas vende, o Pavo
800, 600 e 400. dem francesa a-640 r. a libra. h ,e ncos corliDados bordados e adamas
nAA ... ...i A. cados PrPrl0S Para mas e janellas pelos baratos
a ia a Doce CIO calda pregos de 8*, 10*000. 16, 20*000 e 26*000; su
doces secos e em calda de todas as quahdades, em frascos, potes, caixas, etc etc: por-pro-1 perior damasco-de la enfeitado a mitago de seda
eos os mais razoaveispossiveis, amendoas confeitadas libra a. i p[0Pr para coicnas a 2*300 o covado; ricas coi-
em que nao tereis occasiSo de dizer que o vosso dinheiro foi mal emprecado m Cne*araB,.'0S mais modernos corles
nem o vosso bom gosto offendido. Eis freguezes e.....la vai verso.
Farlaha de raUlio
Gasaqulahas a 200Q0
Vendem-se as mais modernas casaqoiDhas
basquinas de seda preta, muito bem enhiladas, as
mais modernas que Um viudo ao mercado e pelo
baralissimo prego de 20* cada urna 5 na loja e ar-
mazem do Pavo roa da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma ot Silva.
Alpaeas lisas
Cbegoo o mais lindo sortimento de alpacas de
urna s cor, preprias "para vestidos, e vendem-se
por precos em conta : na loja e armazem do Pa-
vao, roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os espartilhos do Pav2o.
Vendem-se nma grande e variado sortimento de
espartilhos dos mais bem feitos qoe tem 'viudo ao
mercado, sendo de todos os lmannos, vendendo-se
por om prego muito razoavel : isto na loja do Pa-!
jao na ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. I
Grande pechincha em toalhasf
para mi.
Vendem-se superiores toalbas de linho proprias
Para mao pelo baratissimo prego de 660 rs.. ditas i
a 640 rs ditas a imitago das felpudas a 800 rs., |
ditas fe pudas a 1* : pecbincha na loja e arma-1
zem doi Pavao na ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma 4 Silva.
ralriz|o. 60, de Gama <& Silva.
veode por pregos to rasoaveis que o comprador
experieote, nao se atrave a objectar a respeito. .
Babadinhos bordados, entremeios ditos.
^ Todos de fina carabraia e delicad s bordados.
Vendem-se na loja do miudesas a' ra do Queima-
do n. 16.
Plomas brancas e de eres.
Vendem-se na loja de miudesas a' roa do Quei-
mado n. 16.
Franjas
Com borlas e sem ellas, para cortinados, toalbas
etc. Vendem-se na loja de miudesas a' roa do
Queimado o. 16.
Boas e benitas titas.
Lizas o lavradas, larga- e estrenas; vendem se
ua loja do miudesas a' ra do Queimado n. 16.
Bonitos enfeites para vestidos, y
A loja de miudesas a' ra do Queimado n. 16,
esta' recentemente provida de mu bonitos eofeiles
para vestidos, seodo bicos de seda tanto branco
como pretos, de differentes larguras e com vidri-
lhos, oo sem el les.
Trangas e galdes de seda dos ull'roos gostos, di-
tas com vidrilbos, prelas e trancas o de differentes
larguras e gostos. Filas de velludo pretas e de
cores, com lista as relas. E assim muitas outras
cousas de moda e novidade, e todo por pregos to
commodos, que o comprador fica salisfeilo e nao
objecla a comprar.
Bollas de boi racha.
De diversos tamanhos para brinquedos. Ven-
dem-se na loja de miudesas a' roa do Queimado
n. 16.
Vende-se vinho de Bordeaux era quartolos
barris e caiae : em easa de Tlsset reres, ra jad
Trapiche n. 9.
ltZ m 64Z
Chegou ao amigo deposit de Henry Forster &
C, ra do Imperador, um carregamento de gaz de
primeira qualidade.o qual se vende em partidas e
a retalho por menos prego do que erp outr qual
qoer parte.
Rival sem segundo.
Rna do Qnelmano n. 49.
Qoer acabar com as fazendas abaii
mencionadas.
Queiram rir ver o qoe bom e baratissimo.
Libra de gomma de mtlho a 400 rs.
Toalhas de labynnlho com btco, faienda boa i
3*300.
Carretels de liaba com 100 jardas a 30 rs.
Gravatas pretas e de coree moito nas a 500 rs.
Baralnos franceses multo floos a 200 e 320 rs.
Ciins de obreias de raassa muito novas a 40 rs.
EuQadores para espartilbo de cordao e fita a 6
rna.
Carreteis de lioha Alejandre com 400 jardas a 20t
ris.
Resmas de papel almago muito hora a 2*500.
Frasco de oleo babosa a 320 e 500 rs.
Ditos de dito btglemqoe verdadeiros a 1*000-
Ditos dito flso a 800 rs._
Ditas de macacar perola a 200 rs.
S:!, juntes moito fiuo:. a 60, 160, 200 e 320 rs.
Ditos de bolla muito finos a 240 e 320 rs.
Caitas para rap com booitas estampas a 100
Caitas de palitos a bailo a 40 rs.
Muas de linha froxa para bordar a 20 rs,
v.iras de cordao para esparlilho a 20 rs.
Frascos com tinta rxa moito boa a 240 e 320 r
Ditos de dita preta a melbor qoe ha a 320 rs.
Duzia de faccas para sobre-mesa a 4*. i
Varas de franja branca tarea a 200 rs.
Pentes volteados para resacar cabello de meainai
a 320. ^
Frascos de macaga' oleo moito Uno, a 120 rs.
Abotoadoras muito Unas para olletas a 500 rs.
Cartoes de 1111 ha branca e de cores a 20 rs.
Libra de ara preta sopenor a 100 rs.
Cartas de alQoetes franceses com 14 pentes
120 rs.
Escovas pan fato, fazenda boa, a 500 rs._______
Cal do Lisboa,
Cbegada no oltimo navio, -mais barata que em
outra qualqoer parle; no deposito da ra do Apol-
lo n. 8. i
CAFE
sortea 200rs a libra, 3* sorte a 160 rs a libra,
call do Rio Iasortea 240rs aliVa, 2*
em arroba se far grande abatimento.
Vinho
vinhos engarrafados de todas as qualidades, raina Estephania a 30000 a garrafa, Porto
malozia a #500 rs. a garrafa, lagrimas do Douro a 10800 a garrafa, Pedro V, D. Luiz,
Maria Pia, carcoveilos, bacanaes, boeugi a 10000 rs. a garrafa, idem cheres verdadeiro,
20500 a garrafa, idem cherny cordial a 10000 a garrafa, collares e figtiira ambos engar-
rafados a 500 rs. a garrafa, idem de Lisboa em pipas, barris, ancoretas e a retalho a 360
e 400 rs. a garrafa, ancoreta com vinho- tinto a 20400 a ancoreta.
Bordeaux
chas de croch pelo baralissimo prego de 10*')00 e
12*000 : isto oa Tja e armazem do Pavo na roa
da Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
As melpomenes do Pavao a 20500
Veode se superiores cortes de melpomenes, seo-
do fazenda transparente e mullo bonita, lendo mui-
tos padroes rxos com 7 varas e meias cada corte
pelo baralissimo prego de 2*500 ; isto para acabar
na loja e armazem do P^vao na ra da Imperatriz
n. 60, de Gama A Silva. *
GraDde pechincha em chapeos a 500 rs.
Vende-se chapeos de.palha a rmilago de roaoi-
Iba proprios para homens pelo baratsimo prego de
500 rs. cada om ; isto para acabar na loja e arma-
vinho Bordeaux de todas as qualidades de 60500 a 250000 rs. a duzia, e en .garrafa de>" .do Pavo Da rua da Imperatriz n. 60, de Gama
(500rs. a 20000 rs.Wermouth a 10500 rs. a garrafa Kenoch de wasser a 20000 rs.Ab-ip* ., ..,
symlh a 20000 rs. a garrafa. I Corpinbos para senhor 50. 80 e 100.
0 TA7 Lhegaram os roais delicaoos corpinhos de cam-
*' braia transparente, sendo ricamente etifeltados e
gaz verdadeiro americano a 90200 a lata grande, garantindo-se 27 garrafas, e a 400 rs, a; ygjpaww pelos *aratissimos pregos de 5*000,
Cal nova de Lisboa.
armazem da rna do Apollo n. 8, por menos
00 rs. do que em outra quafquer parte.
garrafa.
Ceneja Gelada
cerveja gelada em garrafas e '/garrafas ioglezas e franecza.
Painco eAlpista
painco 100 rs. a libra, alpista 160 ; pinco e alpista misturado 140 rs.a libra: em
porgo se far abatimento.
Cb verde e preto.
10000, 10500, 20000, 20200, 20400, 20600, 20800, 30000, e 30200; cha verde de
todas as qualidades, huxim, perola, aljfar etc.,
CHARUTOS D'HAVANA.
regala britannica 100 a caixa, londres 120 a caixa, operas, caixa 100; e outras mui-
tas marcas que se tornam enfadonbas me iciona-las.
CHARUTOS DA BAHA,
imperiaes, exposicJo, normas londrinos, guanabaras, suspiros, delicias, parisiences, ven-
cedores, guerreiros, lyricos, quem fumar saber, para os seguintes precos: 10ooo, 105oo*
20ooo, 205co, 30ooo, 305oo, 308oo, 40oeo, 402oo, 405oo, 408oo, 50ooo, 505oo, 60ooo,
605oo, 70ooo, e 80000.
Velas Stearinas.
spermacete 64o rs. o pacte, velas de carnauba de 6 por libra, 36o [rs. de 14 em
libra, 44o rs. em porco se far abatimento.
GENEBRA f.obao ou victoria 72o rs. o frasco.
genebra de HOLLANDA em frascos 56o rs. o frasco^
CERVEja~T--E BISS.
cerveja bass e tenente e de todas as qualdiades, as quaes se vendem ornis razoavel, como
seja 5oo 600 e 7oo rs. e em duzia faz-se-ha grande abatimento..
Arroz da India,
Ho rs. cada libra, emporio se far grande abatimento.
SABO E SABONETES.
sabo branco com veias cor de roza, idem*branco com veias azues, sazneles de urna libra
cada um, s3o os sabonetes mais econmicos que tem vindo ao mercado 5oo rs. a libra.
Saga' e Sevadinha.
sag' muito novo a 24o rs. a libra, cevadinha muito nova 46o rs. a libra.
cevada muito nova 12o rs. a Mbra.
gomma de encommar 12o rs. a libra.
CEBLAS grandese novas l0oooonolho.
Latas com conservas.
latas com ervilhas portuguezas e francezas, latas com carnes preparadas, passarinhos gui.
zados em latas, e salame em latas.
Doce de goiaba.
haconstantemente um grande deposito de doce de goiaba em caixes de todos os tamanhosb
Cobos, copos,
copos crystalisados, ditos lisos, ditos decores, a 40ooo e 405c& \ duzia.-
GARRAFAS DE CRTSTAL.
garrafas de crystal de formatos dd%ltimo gosto.
AMEIXAS.
ameixas em latas, em bocetas e frascos.
Queijos Queijos.
Iqueijos flamengos do penltimo vapor 20ooo, ditos do ultimo
, e !0*i00 ; ditos de grosdinaples preto, sendo fa-
zenda multo superior pelo barato pregj de 8*000 ;
isto na loja e armazem do Pavo na rua da Impe-
triz n. 60, de Gama & Silva.
Grande pechincha em chitas.
Vende-se um grande sortimento de chitas esco
ras e alegres franeezas peles baratos pregos de 320,
360 e 400 rs., sendo com os padroes mais bonitos
que tem vindo ao mercado com listas e dures etc..
etc.; gjranimdo-e serem cores chas : na loja e
armazem do Pavao na rua da Imperatriz n 60, de
Gama & Silva.
A 5 saias do Pavo
Vendem se ricas saias bordadas com 4 pannos
pelos baratissimos pregos de 6*000 e 7*000, assim
cono fazenda em pega com pregas proprias para o
mesmo flm a 1**00 a vara : na loja e aimazem.de
Pavao na rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Sedas nova
Chegaram as mais medernas sedas com listras
para vestidos, sendo com as cores mais modero?:
qoe tem viudo ao mercado, assim como grosdena-
ples de diferentes cores come sejam cor de rosa,
azul, roza, cor de caf, cor de lirio etc, etc. i
vendem-se por prego muito em conta na loja
armazem do PavSo na rua da Imperatriz n. 60, dt
Gama &.Silva.
Crinolinas a 30500, 40000 e 40500.
' Chegaram para a loja do Pavao as mais moder-
nas crinolinas oo baldes verdaderamente ameri-
canos, qpe sao os mais "bem armados e mais leves
que tem viodo, sendo cem o formato roa moder-
no que actualmente se usa e vendem-se pelos se-
guintes pregos: sendo com 20 arcos por 3*500,
ditos com 23 arcos por 4*000, ditos com 35 arcos
a 4*500: isto s oa loja e armazem do Pavo na
roa da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Sedas largas na loja do Pavo.
Cbegaram s mais bonitas sedas de cores com 4.
palmos de largura, sendo com as cores e desenhos.
mais brilbantes que tem vindo, /arilitando fazer-se
nm vestido com poneos covados em aitengao a lar-
gura, e vende-se pelo barato preg ode 2*000 o co-
vado : na loja e armazem do Pavo na rua da Im
pe.">irit n. 0 de Gama 4 Silva.
Osckale do-pata a 2ooo e 2oeo rs.
Vendem-se chales de marin estampados a 2*
e 2*500 cada um.
Ditos de merm liso a 3*500.
Ditos estampados de crepon a 6*, 7*. e 8*000.
Ditos pretos bordados com franja de teda a I i*.
Na loja a armazem do Pavo na rna da Impera-
tris n. 60 de Gama (Silva.
Lencos brancos a 20000,30000 e 40000
Vende se om bonito sortimento de lencos de cam-
brala branca lisos pelos baratissimos precos de 2*,
3*000 e 4*000 a duzia : na loja e armazem do
Pavo na roa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Anadine a 83
na loja do PavSo
Chegeram os mais lindos cortes desta nova fa-
renda, sendo transparente, com bonitas palmas, e
vende-se pelo baratissimo prego de 8* : na loja e
armazem do Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Papaos e gonnbas a i&, 10280 e 10600.
Chegaram os mais modernos punhos com gol!
nhas sendo de esguio de linbo ricameole borda-
dos tanto brancos como de cores e vendem-se pelo.-
baratissimos pregos de I*. 1*280 e 1*600, por na-
ve r grande porgo, grande pechincha : na loj*
e armazem do PavSo rua da Imperalriz n. 60. a>
Gama & Silva.
Para baptisados.
Vende-se elegantes vestuarios bordados para
baptisados, peles baratsimos pregos ,de l*000
20*000 e 25*000 : na loja e armazem do PavSo na
roa da Imperatriz n. 60 de Gama A Silva.
Babados bordados na loja do Pavo
Vendem-se babadinhos bordados com 2 varas
pelo barato prego de 1*000, ntremelos tapados e
transparentes, leudo 3 varas cada pega a 1*000: na
loja e armazem da Pavao na rua da Imperatriz n.
60, de bama & Silva.
Cambraias de cores
Vende se um bonito sortimento de camnraias de
cores para vestidos pelos baratissimos precos de
300 e 360 rs. o covado. Citas a voluntarios da pa-
tria a 800 rs. a vara, ditas listadas a 640 e 700 rs.
a vara ; pechiucha 8a loja e armazem do PavSo
na rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassa de urna cor s
Vende-se bonitas eassas de urna cor s com um
pequeo toque de mofo pelo baralissimo prego de 240
rs. o covado ; para acabar na loja e armazem do
Pavo na rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Chales de renda e retondas
Vende se um grande sortimento de chales de
renda e retondas, sendo as mais modernas que tem
vindo ro mercad e vendem-se mais baralo que
em nutra qualquer parte : uto na loja e armazem
do Pavao na rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Retalhos baratos
Vende-se porgSo de retalhos de chita, las, eas-
sas e chitas pretas por prego barato : na loja e ar-
maiem do PavSo na rua da Imperatriz n. 60,*de
Gama & Silva.
Calcas brancas
Vende se um grande sortimento de caigas de
brim branco de linh^ trancado pelos baratissimos
pregos de 3*500, 4*500 e 5*000. assim com, um
grande sortimento de palitots de panno preto fino,
sobrecasacos e saceos forrados de seda, ditos de ca-
simira, sobrecasacos, saceos e fraques, ditos de me-
rino e calcas de casimira de cor e de todas as qua-
lidades, assim como um grande sortimento de col-
leites de todas as fazendas vendendo-se tudo or
pregos muito baratos : na loja e armazem do Pa-
vo na rua da Imperatriz n. 60, de Gama 4> Silva,
Alpacas brilhantes a 640 rs.
Chegaram as mais lindas alpacas entestadas com
3 e n.eio palmos de largura com os mais delicados
desenos tanto de florsiBba como de Itstinbas.as.
sentadas as mais delicadas cores como sejam ly-
rio, sinsento cor de carne, solferino e vendem-se
pelo baratissimo prego de 640 rs. o covado ; ti-
camente oa loja e armazem do Pavio na rua da
Imperatriz n. 60, de Gama i Silva.
Pechincha para a festa na loja do Pavo.
Vestidos.
Vestidos..'
Vestidos.
A 8000
Vendem-se nm bonito sortimento dos mais lud--
vestidos com barras de seda, trazendo os compe
lentes enfeites para o corpo, sendo neste artigo o
mais moderno que lem vindo ao mercado, e ven-
dem se pelo baratissimo prego de 83OOO cada om,
ditos de cambraia branca com barras bordadas a
5*000 f 6*000 na loja e armazem do Pavo' na
rua da Imperatriz o. 60, de Gama / Silva.
Cortes a 30000 s o Pavo ,
Vendem se os mais lidos cortes de eassas.. de
cores com os desenos mais, modernos vindo cada
nm em sen papel e garantindo-se lerem 7 varas ca-
da om pelo baratissimo' prego de 3*000 ; na loja e
armazem do Pavao na roa da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Casaquinbos cu vasquina&>na loja do Pavo
a 254000,300000 e 350000.
Cbegaram os mais ricos on modernos casaqui-
nbos en vasquinas de grosdinaples preto ricamente
enfeitados, seodo dos feltis mais modernos o ele-
gantes qoe ltimamente chegaram e vendem-se pe-
los barajos pregos de 253OQO, 30*000 e 35*000,; oa
loja e armazem do Pavo na rua da Imperatriz n. 60,
de Gama 4 Silva.
Para bailes a 390000.
Cbegaram os mais ricos corles de .vestidos de Al
tranco primorosamente bordados e enfeitados de
cor, sendo tambera proprios para casameotos e
vendem-se pelos baratos precos de 35*000. onica-
meot v; na loja e armazem do Pavao na, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Lencos bordados a 10000 e 10600 na loja do
Pavo.
Vende-te bonitos lencfebes bordados para- nao
pelo baratissiroes pregos de 1*009 1*600 cada
um ; loja e armazem do Pavao ua rua da. Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
As vareges' do PavSo.
Vende-se as mais bonitas vareges com listas, de
XAROPE
peitoral e dnlciflcanu
DI
SAINT-GEORGES
Pnparad* por
GRIMAII.T e Cb
pkern&cuticoj a prlicipe Napolelo
Cara rpida de las
molestias segnentes:
oii, catarrfo$, pleu-
resa, coqueluche, an-
ginas, fortes constipa-
cHes, irritoces dos
bronchas e de peito,
bronchiU,phti.ica pul-
monar, astma, pne<-
monia,anginas,amyg-
ialiles, loisechronica,
rouquido. Os mdicos recomiHendSo ao mesmo
lempo o uso das eccellentes pastiDoas peito-
raes oom o SOOOO d'alfac* o laureiro-
0rlo, <[m ae prepario no aeamo eatabelo-
nas pharmacias de Maurer na
A venda
Caors.
Collares Royer
ou
Anodinos electro-magnticos contra as con-
vulses, e para facilitar a dentico das
criancas. A aguia-branca na rua do Quei-
mado n..8 recebe-os por todos os vapo-
res francezes.
J esto to conhecidos, e tanto se tem espalbadr,
a fama desses prodigiosos collares Royer, que si
torna desnecessario dizer mais aIjiuraa cousa en
bono de seus bons e e effleazes efTeltos; basta o
teslemunho de milhares de pessoas, qne tm visto
e aprovei/ado o feliz resoltado desses to utelt,
quao necesarios cellares Royer. A quotidiana *
crescida extraego, que vo tendo, mostfa aind
que numero dos prodigios se eleva como todoi
os compradores. A aguia-branca, p->rm, dej-
ando concorrer para om Sm de tanto aproveta
ment, tem feito os necessarios pedidos, paraqus
por todos os vapores francezes Ibe seja remettida
certa qnantidade de ditos collares, para assim tor
nar-se infallivel o sortimento delles, Da loja d'a
guia-branca, rua do Queimado n. 8.
Escravos fgidos
Contina ausente desde o da 23 de agoste
de 1866 o mulatinbo Rayrouudo, da 15 anuos fie
idade pouco mais ou menos, corpo regular, ps
pequeos, cabellos castaobos, dentts alvos e per-
fetos, com o ddo prozimo ao pollegar cicatrizado
de sorte que nem Ihe resta a unha : rogase as au-
toridades policiaes e capitaes de campo a sua
appreheosj pelo quo receb^rao paga gi-uerosa em
casa de seo senher na rna ido Imperador n. 31
Fugio do engenho Harmona da fnguem da
Escada, na noe de 21 do correte, dous escravos
com os signaes seguinles : o escravo Ignacio, cOr
preta, cabellos-carapiohos, alio, secco, sem defeito,
levan vestido caiga e camisa de recado azul cha-
peo de baiaj osado ; o outr, de nome Trajano,
mulato, cabellos carapinbos, alto, ebeio do corpo,
sem defeitos, um tanto desfargado levouvestido ca-
misa e caiga de riscado azul e jaqueta parda, cha-
peo de palba preto, cojos escravos foram compra-
dos ao Sr. capiiao Silvino Guilherme de Barros no
anno passado : roga-se por tanto as autoridades
policiaes e capitaes de campo a apprehenco dos
mesmos e leva-Ios ao referido eogenho ou na casa
do Sr. capito Silvino Guilberme de Barros, que
ser generosamente r compensado.
"100,000 ris,
Gratifica-se com 100*000 a quem apprehender o
escravo Basilio, crloulo desta provincia, idade da
22 annos, estatura regular e barbado, marinheiro
do palhabote Principe, e pertenceu.ao casal do fi-
nado Joo Evangelista, consta que anda na Capuo-
ga e Monteiro, por ter alli prenles : quem o le-
var a Joo Francisco da Silva Novaes, travessa da
Madre de Dos n. 5, recebara a qoantia cima.
Muita Utenc&o
Na.noile de .23 de setembro prozimo passado
fugiq do engenbo Bento-Velbo em Santo Ando, o
escravo Eduardo, crioolo, que representa ler 44
annos bom offlcial de carpina, bem ladino e fal-
lante, falla branda e Insinuante, cor fula, baixo e
espadado, pernas finas, ps. Ilmpos, dedos dos ps
curios e quasi iguaes, tem falla de um dente na
frente, sahio de paletot pardo debruado de fila
branca, cb; peo de bata cinzento, rede, baia e
fardo de mais roopa. E' bem de soppor que como
carpina esteja passando por forro ero qualqoer par-
to: roga se, pois, s autoridades policiaes desta e
das ooiras provincias toda vigilancia s promelle-se
a qualquer qoe o capturar e conduzir ao referido
engenbo generosa recompensa.
tenca*.

Acha-se fgida a escrava Victorins, crioola, de
idade, pouco mais oa menos, de 30 annos, mallo
risooha, tem o andar apressado, foi escrava da
Ezm* Sr' D. Maa Candida Salazar da Veiga Pes-
soa. moradora na rna do Hospicio, esta' fgida des-
de os de abril do anno prximo passado ; consta
estar por Santo Amaro on Soledade, descontia-se
que esteja como ama forra em alguma casa aonde
pouco sala : roga-se-a pessoa, em coja casa esteja,
ou a quem della tivep noticia, de, se entender com
o senhor da.mesma escrava Sebas'tiao Jos Gomes
Pena Jnior, na CapuDga, roa da Ventura, ou na
praga da Independencia ns. 37 e 39, loja de caiga-
do do Sr. Antonio Augusto dos Santos Porto.
itltenc
A* i
Fogio no dia 2 do eorrpt mez, a escrava crioa-
la ciMbecida ppj- Joanna Macei, de idade 17 pa-
ra 18 annos, cora os signaes seguinles: rostocom-
prido, b-igos ora tanto grossos, tem sigoal de nm
talho oobeigo superior, falladescangada, alta.seca,
seo.em p, levou vestido encarnadodesb lado com
nni rasgo em roda, camisa de. mad^polao o ves-
tido sujo de barro por ter carregado tijollo, cbale
desbotadr, consta que anda mudando de traje,
tem sido encontrada com calca, paletot e chapeo.
t cuuo-3D 9 uiais uuuflda deos vvui tiv~-i -- ,, ,... .. .!;;..
seda a iroitagio de poil de cMvfTpelo baratissimo, por isso pede-se as aojondades policiaes e capitaes
preco d 800 rs. o covado: na loja armazem do de campo a apreheasao da mesma e leva-la a rua
na ru da Imperatriz n. 60 de Gama & 1 das Aguas Verdes o 80, que sera generosamente
Pavao
Silva.
& I das Aguas Verdes n
1 recompensado.

m






LITTERTORA.
i rara aoeaiiTifols djpols de eu Ihe 1er feita os meus n?tante; o co se lofhmmava, e ea agarrado eom
Siorrer cam hour.i.
sinceros om^rinMutos e olfareeimentos: fui o
pacto social.
Cerrou-sea (MOti, B eu Qlusi a' 'srJe na
toUa conversando o* o capilo i>:e eslava de
Em ootobro de 1813 na cWado de Viseu, pe- qarl0 0 capkij no-nB de us 60 naos, ezceo-
viacii da Bira alta, o coronel to Mina da Silva
lea a frente do corpo ama proclanfacaj da reged-
''' o reino, oa jual conviiava aos sida
remenlo d. J i de iufnlaria, oto aquarteila i
naiueliacidade para servirera voluntariamente D
- Ita.il a el-rei unssj seoW o Sr. D. fftc VI.
Tha so acabado a guerra peninsular, e osol-ra.
dalo ftcr-stfra^do o* guerra a vid llvro ..ios acam-
pamentos ou aMlelainc.-.l-u u,io ele vlver satttfc"/-
O nos quarleis da par,.vivend) as povjar/6'3S pa-
cificas, que respeitadsrf n gloria dos mil tare-, exi-
gtin dellesem corop-3g;io Ereligiose respeilo
propriedade nub'ici: fjssp qnal (osse a ro qua-
si Ijjo o regiment se i QVreceu.
Eu era eapeilo do regiment, e lendooovido di-
ler, ;uo a poeira das ras do Kio de Janeiro depuis
Je paasar pelo banho mercurio se transftMrmaVa em
ouro era nao s me.onVeei, como tambera pui
?a ra todos os tneu.s eir.uenhos para acompanhar
vpira u B asll os voluntarios reaes. sem embargo
d-t ler os meus 36 anuo*.
Marceamos para Lisboa, e organisadaaexcellen-
|e divisao dos voluntarios, 4800 borneas escolhidos,
bl!a sigui para a corte do Rio de Janeiro, onde
giu no da 30 de marco de 1816.
Tira a iufelieidade de adoeeer, e tfljuei no hos-
jiitil, no convento de B-dni.
Tendo alia, embarquei para nnir rae a divisio,
u i dia 8 de abri, de 1816 a bordo do brigue barca
Sjva Conceigao, janlo com quairo soldados que
tambem tinham floalo doentes, ia raais como pas
f.igelra urna stahora, mulhtr de um capilo do re-
giment o. 18 e urna Qina de menor idade ; no dia
y s ti Horas da tarde sabiroos barra fra.
Xa manhaa segrale ao alvorecer sub coberta,
o como de noile liuha bavidu pouco veuto, aioda
lavamos a visia de ierra, ja, porm era grande
dbUucu, poohecl perfeilameule serra de Cintra,
c divisei o guthico conveolo situado em seu cume,
couveoio que dous das aaies liaba visitado.
trico, era eTnneutement/reio"'. P^seava a r e
eu estava assesta do na meia laranj, P"ucs respes
tas me dava, e vmha de vez em quandJ olhar pra
i h)-s")la,que estar na blucola onde exista A nica
a: jae arda a bordo. A niute era escara, sere-
n, e o co perfeitaiTeirte lrnp eslava brlllwot-
estrellado, e o brigue nv?ava com todo
o panno imviao por brando, porm, Jayoravel
vi-nio.
Saudades I
saudades
.0 'mar estava tao calmo rroe pareca n5 ler o
menor movimsoto, e aells reffeciiam as estrellas,
que repfbdoziam a sua claridade, o espaco pareca
ura tapete aiul escurj bordado cora brillrao-
leslqne vista sublime!!
Fui a prda ver o nivio cortar as afoas e no seo-
andar ia levaotaad) (>equininasor)li*,' ciam brincar com omadelro, que arrad de bran-
cas asas camintiava no espaco em estr'aa- certeira,
s conhecida pela scien?ia das horans, st procura
do porto desejido: qiianlo o niv o palo smi raovi-
meoto batia cora a pra sobre o mar, das aguas
sahi3m phosphoricos globos de lus, que vista da
escuridrio da ooute me eaosaram .admiraco e
me fl;erara lerobrar dos pyrampos de rainha
aldea.
Era a priraeira ver aue liaba embarcado, e-iodo
que novo despena o pran-r oa iraagiaa(D,.mi
nha alma foi accommetlida deama agradavel oor-
preza. A vista, de todos os nossos sentidos o raais
perfeilo, me dea a conhecer novas marayilbas da
naiureza creada; e admirei a existencia das Jets
harmnicas que rezem a lotilidade absoluta; a
csotemplaglo de lulo q v. via, e aehava grande,
arri'b 't-u miaha alma grandeza inQnita do Su-
premo Autor de laes leis, a sabedoria incompre-
hensivel do Creador de tal harmona Sem ro
importar com os raarinlislros do quino que para
rcim olbavam ajoelbei, e olaando para o co excla-j
meiDeas! Deus poderos! s em U ha oranipo-
tenci?, s do ten poder poda nascer Unta perfei
domeu bom Viseu, gao.
a da miuha vtlha aldea, minha pama, trra que
is vio nascer Se tivesse azas voava para trra, e
dsiava ao mar a poeira do Brasil embora ja irans-
formada em ouro, e j dentro dos meus alorges.
Nunca me esqutci, nem nunca me hei de esque-
cer das sensagoas qne entao recebi I... o sol
aponiava ao horisoute e com seus raios dava ao
mar, que eslava calmo, urna maravilhosa cor de
carmn ; e o fresco vento terral balen'o s^bre a
minbA dscoberta csbi'ga suavisava a ardente fe-
bre que me queirnavi.
A m'.ntauha do Cabo da ftoca fugindo pouco a
pouco da vista, era pinico lempo me deixou o
praxer de olhar para as nuvens azues escuras que
a cobriam : era xtasis raioha alma nao seotia que
existia!... loando aeordei dsse a mira proprio
v Dos sabe se tornare! a ver Portugal 1
O navio com galhirdia, tendo todas as snas
branens vplas solUa, o tocadas por urna forte e fa-
voravel brisa, corra sobre as ?suas mais veloz do
que as av^s iqoaticaJ que atraz x.vamos, o que
se r.-colbiam, dando grandes pi?, aos rochedos nos
quaes ttobam nascido : o iasiinclo as prenda a
trra natal (1), eeu, movido pela paixao do ouro,
segnia sem saber para onde, sem saber qual o mau
(aturo, para t^rra estranseira, despresanlo o deli-
cioso ar da patria, esqu?c9iido-rae do sol que allu-
miuu o meu bergo.
Posse qual fjsse a razao de urde adoeci, e no
tres primeiros das sonli a Joeuga do mar, e a bor-
d) tul.) era c:nfa-ac: bahus, frasqaeras, cestos,
pacota___camas, ludo estava amonloida no con-
vez.
A cmara era areada, tinna qnatro janellas,
duas de cada lado do leme, tinha qnalro beliches
dous de cada lado, defronle das janellas tinha dons
camarotes fechados, um pertencia ao capilo, e o
oulro servia de dispensa ; o capilo tinha, porm,
cedido o sen camarote a ja mencionada seohora e
sua Ulna, que vintura de passa*gem para o Rio de
Jaueiro a procura de seu marido e pai.
A eamara era (echada, a poria deilava para o pa-
tamar daescada que dava subida para a tolda, um
dos bt-liches rae perlencia, oat.-o ao capilo e o ou
tro ao pillo: no centro bavia umaTnesa (lxa, e do
tecto estava deppndurada orna lanlerna.queseapa-
gava sempre s 8 horas da noile.
Nosciuco :.ri neiros das oo vi os passageiros,
a mTi eav enjoada e'nla oonseollo que a meni-
na sahlsse da sua vista : ludo escesso no amor
maternal, por n por raais pea veis que sajara os
nidadas e trabalbos, elles sao bem agradaveis ao
eorago de nma mai.
O capita Iha dava sua palavra, qae a toraava
sobre seu coi lado, ella sempre raspandu cu mil
agr leciraenios, e com mil desculpas, sera querer
perder de vista a Glha querida ura s momento.
Phllosophos chmennos que queris atinbuir
taes aff'Cios a educigaa, esiaes engaado-, Ins-
tinctual o amor maternal, elle pertence a animalida-
de, a razo o dlvinisa, esclarece, e Ihe d morali-
dade.
O infanticlia um crime filho de ura estado
completo de delirio-: a natureza vencida pela
lu! -xibihdade da lei da bonra.
O amor mua, a amisade se altera, a ambigo
enfraqoece, s ioalteravel o amor materno I
no sexto dia logo de manha bem cedo ocapio
trouxe para o convez a mi e a filha, e como o da
esteva lindo ellas Ocaram todo o da a bordo de-
baixo do toldo, e s ao anootecer que se recolhe-
(1) AlliberPhislologie de passion, tom. 2.l'a-
rnour da ierre caale.
Oito das navegamos com a maior felicidade-
possivel, e do quinto em diante na oo=sa pequea
sociedala reinava a alegra e cordial civilidade : a
passageira U. Mathilde teria os seis 35 annos,
mostrava boa educagao, e nebros sentiraentos, o-
procurava agradar a lodos e captivar a nossa ami--|
sade ; sua Qlha linda menina de oito annos pareca-
sempre triste, mostrava syrap'.omas de urna natu-
reza concentrada, a destinada a muito soffrer ueste
mundo de miserias; soa rnai se assu?lava a vista
de tal tristeza, esmrava-s9 em dar-ihe animo, em
pmcurar-lhe distrai-goas, e repetidas vezes Ihe dt-
ziaHenriqueta, Wha querida, oquatens? Nao
estejas triste, quereaio Deus em breve has de estar
nos bragos de tu pai, e tu has de ser ditosa no
Brasil.
No oitavo dia ao nascer do sol o gageiro gritn
trra I trra pela proa. O capito detou o ocolo e
dice : o pico da ilha da Porto-Santo, estamos era
frente do porto dos Prades, e logo mandou mudar
Ule rumo.
A boca da mote estavamos bem lange, por-ra
do lado da Iha havla um sgrame extraordinario
e gro-sas nnvans prelas enrriam do norte para o
sul: o piloto mandou chamar o capitn, e ambos
confarenciaaam, a reparei qua elle capilo flcou
andado, passeanio a largos pasaos sobre a tolda.
O piloto manlou ferrar qua;i todo o panno,
mandju por nos segundos rinvs a vela do traqua-
te e a vaia granle, mandou lirapar a tolda, por
safo todos os cbos e analysar se a lancha estava
segara.
De repente escureceu o tempo, e prineipiou ao
longe o roncar dos trovSes. O capliao me dlsse,
que era bom ir fazer corapanbia a senhora, qne
estava na cmara, pois era necessario la maBdar
alguos marinheiros: dous marinhairo. seguram
junto coraigo, f-charam a porlinholas das quatro
janellas, e pusarara nos argo!5js fortes traneas
que amarraram com a maior seguranga.
O brigue prineipiou a jogar terrivelmente, e na
popa as ondas batiaro forleraente, com difflculdade
tomamos cha, fomos logo para os beliches, e o ca-
pito mandou apagar todas as luzes mult mais
cedo-do que era costme.
Senam dez hars da noile, o movimento do na-
vio tornou-se tao violent, que era naeessario se
gurarme oas taboas do beliche. 0. Mathilde prin-
eipiou a cho.-ar, a a Qlha dando grandes gritos
chamava por mira, que Ihe fosse acodir : o vento
faz'a a-sobiar o cordama e os treves erara tao
fortes que faziara tremer com eslroodo todas as
portas da cmara : seoiia-se o estalar dos mas-
tros, e o ranger das cavernas do navio: todo da-
va sgnal qae o brigue nao poda resistir ao tem-
poral.
Saliei do beliche, cora perigo de vida a'cancei a
aseada, pude abrir a meia porta coberta com a
lona da escotilha, e com muito irsbalbo subi, a pelo
claro dos amiudados relmpagos conheci o pe-
rico em qne estavaraos : o piloto eslava na proa,
o capfto a r com a bozina na m, dons mari-
nheiros na roda do leme, outros dous tocavam as
bombas, a os demais, seguros aos cabos, espera-
vara as ordens do commaodante. O navio amas
vezes suba a's nveos sobre as grandes ondas
oalras vezes ficava n'ellas s ibmergido : no convez
nada mais exista; pipas e fogo tinham desappa"
recido. O brigae corria ao veoio quasi em arvore
secca, e os tufes erara to furiosos, que arreben-
lavam as bragadeiras de pequeas vergas, e as
langavam no mar em grande distancia.
Os raios cruzavam sobre o brigue de instante a
ambas as raaos ao balaustra axlertf da meia la
ranja, tremia da raedo, e, cpacitao*-me que ti-
nha chegado o diadajuiz-, priacipUii'e altas
vozes pedir a Dos rsencordia !
O capita) mandou-ma ogo descer' para a c-
mara-, e raauiou fechar com a tranqoeta a meia
port da escada ; fiquei na? trevas, seto ar, e sem
poder descer, coaservei-me na escad segurndo-
me o malbor possivel, rasando e esperando a
raorte; e, ouvindo o resar de D. M&thilde, e os
gritos de D. Henriqueta, todas as veza; que o ca-
via na descirta bata sobre o vacuo de duas enca-
nijadas ondas.
A cmara estava inundada.
Passado muito tempo, sent abrir a meia-poria
fachada; era o piloto qaa descia ; vinha bascar a
carta da costa da ilba da Madera, e logo Iba psr-
gantei:< Que horas sao? Rasponiiaa-me :
c Ja deram quatro, e o perigo ja'passuu ; pode
subir querendo : subi immadraiamenie, e ni ver-
dade a natureza estava em qaietaso, s o mar
conserva* sua violenta agilagori>aiao por que o
Davto contlnoava com um assostado e encomrao-
do movimenloi
As cinco e- neta no horisonle principiavara a
apparecer os raios do sol, e o meo eoragao palpi-
lou 4a prazer, del um ai I .. to dece, tao ebeio
de alegra, que o velbo capillo, nao se pede conter
sem dar a sua risadinha. A's seis hora desci a'
cmara-, e achei senhora e st filha ja vestidas,
e subimos, anda c;m bastante costo par? tolda.
A's seta horas estava urna bonita*manhaa, e va-
se perfekamente pela nossa popa a aliaros ilha
da Maduira. Todos trabalhavam, nos tocando- as
bombas, enlros reparando as avaria das velasa
graude ea-de traque, o aimodo um fogo previ-
sorio, dizeado-me o capil&o que os dons mista-
ris e a duas verga ios joaoeteSi. qae tinham
cabido ao mar, nao Iha faiiam falla, que o pewr
era as seis pipas d'agua-e o escaler qae tioba vo*-.
do dos torcos-.-
Era Cabo-Verde, na ilha de Santo Aatonio, Ale-
mos aguada^ e novo foge.
Tavemos etoco dias de calmara na liaba, terri-
vol calor, aborrecidos ds, e em compeosago cin-
co bellissimas noites de law : que visto mages-
tosa 11 neeessario ver para admirar como eu ad-
Meu caro leitor oa carissima leilora I vou
ivancar am3 proposico cujo enunciado,
estou certo, espantar amis de qaalro ;
mas apezar d'isso, eu tetino.em avanc%la,
perqu estou convencido de sua veraci-
dade. t
Ei-la: 'xV:
O nome que na pia baplismal se con/e-
re a um iniivifoezerce notavel inflnen;ia
sobre a sua infrie e sobre o seu futuro.
Parece-mistoalso, nao ?
Pois exacto I '/s*?\
Assiiu primeira vista, e>ta ragra parece
um absurdo, um disparate; porm sabis
muito bem que contra faetos nSd se argu-
menta, o se estou convencido da exacdo-
da regra porque me apoio sobre fados.
Ora dizei-me c : Nao vos tem succedido
muitas vezes^Veodo um sujeito boc-, as-
simeom cara aparvalbada, dizer coa vossos
botes.
Mas esse costino, assimeomo m'jilos ou-
tros d'esses bons lempos de religio e te-
mor de, jteus, j;l l se foi.
, Aciuaknente, no sculo do vapor e do te-
legrapho, cada crianca j ftasse com intelli-
igeacia e sabedoria bailante : nao ba mais
nirei. ,, .
Com trinta e tres das onegamos alra.da altara-
da Baha, e Eeoutro da de madrugada o gageiro
gritn : uca* embarcage nos segu,, o capit*
mandou fazer forga de Tela, a's tres horas da tar-
de, porm, tiabamos a aloance de tiro de pega o
brigue-escunav mastros gaiodados a v pintada-
de prelo, razo sem agua a sem bandeja iogleza^
e logo um Uro de bala qne nos passoo pela pr&a
aos obrgoa a p3r a cap : quaudo deu o tiro de-
pega arroa a bandeira ingleaa e igoo> outra qne
ningoem conhecea, o pHolo disse a capilo-*
um pirata eom.baadeira.de Artigas.
(Coainuar-^an)
u> ig>-* necessidade de colloa-la sob a guarda de e tU(j0 porque ?
Digno pai de nmjoap Paujino 1
Por sila ciusa, o pobre moco tem -coris-
taiitemente serv Jo de zombaria e divertl-
mento ao prximo e n5o bastando isso^
agora mesmo acaba elle de dar um passo
desgranado, de fazer um casamento infelizi
um santo patrono.
Nascidaa crhncaXas vejes mesmo antes)
Porque se chama Joa"o Paulino 1
Misero mancebo quo diverso seria lal-
discute-se em familia o nome que deve ter, vez o teu destino, se em vez d'esse, tives-
edepoisdemuilo parafusar aflpta-se o do seso nome de Libono, Barlbolomeu, Si-
bere de algumt novella qae raereceu as m-xo w Jeremas !
sympatbiaa do pai, mi ou madrinha, e ahi
temos o Sr. Carlos, Artbur, Alfredo, Eduar-
do, Adoipho ou Emilio. Felizmente esto
s em voga entre nos zes ; porque se fossem muito Udos os alie-
narte russos ou hngaros, os notaos jovens
patricios teriam entao alguns d'esses nomes
speros, que eagasgam a quem os pronun-
i iHMIi
Dizem-tie Biarritz que este anno a estaao
invernosa naquetle magoieo sitio estseodo
muito concorrida, passando de oitocentos os
estrangeiros que ainda al permanecen!.
Neste numero coma-se a princeza de
UU POGO DE TUDO.
S^bre o >r. D. Miguel de Braganga encontraaos
os seguales tragos mograpbices :
O lallecido era fiiho do el-rei o Sr.D. Joao *Ie
da rainha D. Carlota Joaquina de Bourboo, e se-
gundo to-de el-rei o Sr. D. Luiz.
O Sr. t. Miguel Hira, do Patrocinio Joo Carlos
Francisco de Assis Xavier de Paula Pedro de^Al-
cantara Antonio Raphael Gabrie Joaqun. Jos
Gonzaga Evaristo de Braganga a Boorbon nasceu
no real pago de Queluz a 26 de outunro de 1802.
Era 1824 (oi viajar pela Europa, depois da to-
taiiva de o-urreujo militar de SD de abril je acha-
va-^e em Vienna da Austria, quando em 6 de mar-
go- de 1826, t-tve lagar o bito de I>. Joo VI. No-
meado logar-ieoente e regente do reino pelo Sr.
Pedro IV, seu irmao, em 3 de-julbo de 4827, pres-
tara juramento perante as edrtes de Portugal ara
26 de evoreiro de 1828.
Em poucos dias os seos partidistas se agitaran
para que se acclaraasse rek Foram dssolvidas as
cortes e convocados os tres estados do reino, que
se pronunciaran! a favor dos seu3 allegados direc-
tos. A revolago que houve no Port a 16 de maio
foi supplantada pelas tropas sabidas da capital; a
D. Miguel foi proclamado rei era 20 de julho do
mesmo auno.
Em 1829,1830 e 1831 debalde tentou, o seu go-
verno submelter a ilha Terceira, onde se instau-
rar urna regencia era nome da Sra. D. Manan.
A ablicaco do Sr. D. Pedro I, Imperador do Bra-
sil, trouxe este soberano a' Europa; e assnmindo o
titulo de duque de Braganga, organisou nos Agores
a em Belle-lsle a expeuigo, que a 8 de juibo de
1832 desembarcou no Mmdello, e enirou na cidade
do Porto.
O exercito de 70,000 a 80,000 homens, coraposto
de primeira Imha e melicias, combatea era tavor
do D. Miguel as linhas do Porto, as de Lisboa, e
as de Smiarui era 1832, 1833 e 1834. Oepol*
de tres annos de sanguinolenta Iota, D. Miguel ioi
obrigado a capitular era Evoraraoote a 26 de maio
de 1834, embarcando era, Sibes no 1' de jooho eom
alguos satlites. Chegoa a' Italia, onde perman( -
ceu alguno lempo, passando a' Inglaterra e a.Ai e-
raanha, depois de protestar contra os actos, que
disse-lhe foram exrarqnidos. Pelo sea protesto
perdeu o juz a' peoso de 60 cootos de riS ao
ouaes, que Ihe hav^a sido estipulada.
Pela lei de 18 de dezembro de 1834 foi declara-
do, assira como a soa desceodeocia, lohabeis para
a successo ao ihrono;e o decret da 17 de mar-
go de 1834 o privara das houras de infame. A le
prescrevia que sena passado pelas armas, se em-
qualquer poca fosse encontrado no territorio por-
IUeT23 de setembrode 1851 cason a Sra. D. Ade-
laida S.phia Amelia Loita Joanoa Leopoldina
princeza de Lmwenstein Weriheim de Roseuberg,
da qual houve seie Albos. A filha mais velha coota
U annos, e o fimo imraadialu 13.
D. Miguel coniava 64 annos e 20 dias quando
deixou de existir, dexando em profunda con=ter-
nago asna familia a os poucos adnareotes qne o
cercavam.
Estes extractos s5o do Jornal das Fa-
milias :
FOLHETIM
4SPBIM\SESATAN4Z
POR
Jules de Saiat-Felix.
SEGlTOA PART.
XVII
(Contionacao)
NAo digo mais I exclamon Armanda aterre-
rada, t falso I E' orna calumnia horrorosa 1
Nao prosegoio o Sr. de Castellan, tirando
do bolso ama carteira ; iotent envenenar-me I
Prova-lo nao estas daas cartas, se ea quizer.
E mal proferio estas palavra, sabio de casa da
Sra. de Castellan. Sr. Moyss, o marqoez de
Bellegarde, Lncy e Irma, nio tardaram em segui-
los consternados, aterrorados por to terrivel re-
TeArmaoda fleon s na sala, immovel n'ama cadei-
ra, e como qne fenda pelo rato.
XVIII
A casa em qne Raymondo estava completando a
soa convalescenga, era sitnada n'ura sitio hndissi-
mo das ImmpdiagSesdo caminho de ferro de passy
a Aoleoil. Eram os oltlmos das do mez de juuho;
os lilazes estavam ainda floridos, e as roseiras prin-
cipiavara a ostentar as snas coras de botdes.
Raymuodo esperava dnas on tres pessoas a quem
convidara. A's quairo horas da tarde vio com
effeito chegar ara tabelllSo de Paris, Aixandre de
Castellao, e o iodlspensavel Sr. Moyss.
A reunio tinha por fim tratar de assumpts de
urna gravidade, e qoe diziam respeilo ao marido de
Armanda e a esta ma.-ma.
baymundo recabeu as tres visitas n'ama sala do
pavimento baixo, e qae dava para o jardim. Se
Moyss fazia parte da reunio, era porque oflere.
cera generosamente os seos servigos ao Sr. de
Casteilan. O consentlmento de sna mulher fra ja
obtido, e se assim nio fra, teriam passado sem
elle ; mas Armanda ceder e dra ja plenos pode-
res, ame as enrgicas consi leragoes e os terrives
argumeoios qoe o Sr. de Castellao flzera valer. S
daremos conheclmeuto ao leitor de um desles ar-
gumentos irresistiveis. O marido de Armanda de-
clarara mni lormalmente a sua raulner, qae a me-
nor resUteocia a respeito das dlsposigdes qne que-
na idoptar para a venda dos seos baus, estava re-
solvido a ir com as provas na mo procurar o Sr.
procurador imperial, para ine fazer certas revela-
res um tanto graves.
Este mando era nm hornera terrivel, qae voll-
ra do outro mondo, como o espectro da justiga ar-
mada.
Tem cara de Manoel- de Souza ?
Oque quer isso dizerr sen5o que em vos-
so ewender esee nome traz apenas certas
qualtdades ?
Outras vezes n5o appeMidais fe Panera*
ci, Ambrosio ou Mlaquias, a um individuo
que mostra ter ttwertida a bossa da intelli-
gencia e do talento ?
Sempre que se v um qualquer eousao
com fumagas de nobre ou de grande se-
nhor, ostume dizer-se.
Aquillo ura pobre Jo5o Fernandes !
Quand virdes no jornal algum caso de
folcatrua u grande trapaca, procurai bem,
que entre- os aut res- ha de existir algam
Sr. Jos Maria.
Os nooaes das senhoras lambem goz5o de
certas propnedades.
E' por esse motivoque algumas teora m
f com as Joaquinas, Rosas e Carlotas, em
J;qoanto qoe sympatbisam com as Francis-
cas e Tberezas..
A proposito do poder que exereem sobre
nos os nomes dos individuos, voo contar-vos
dous fados caractersticos :
Um dia,,indo de passeio com om-amigoy
comprimeotei ura doutor meu conhecido,.
que passoo junto a nos com alguma rapi-
dez.
Onde ir este homem com tanta pres-
sa ? diz o meu amigo.
Pcovavelmente acudir sua dioica,
respondi-lhe.
Eu^ei Qne-clnica pode ft^Wle,
cbamaedo-se: oDr. Manoel Maria! Que
f merece um medico com um nome d'es*
tes ?
O outro facto--ainda mais curioso :
Precisava-se &m- ura convento de freir-as
de um procurador para tratar de certos-ne-
gocios. Apreseuta-se um que offerece to-
das as garantas desejaveis ^ loma-se lafor-
macoes sobre sua probidade e principios ;
todas ellas abonam altam ote o pretenden te.
Nao obstante nao aceito f
Qaereissaber porque?
Ora pasmai 1
E' porque se cbamava Jos Fidelis 1
Que remedio I (disse-me a pesspa que
contou-me o caso). Se eile fosse admittido,
o que diria o publico -sabendo que n'esse
convento tinba entrada ura Jos Fidelis!
E como estes, eu vos pedera citar urna
immensidade de fados que se dao diaria-
mente.
Nao vosvai j pareceado que o meu tbeo-
rema tem algum fundo de verdade ?
Pois ouvi aida :
Nossos avs tinham to, perfeito conheci-
raento d'elle, que costumavam dar a seus
lhos, parentes e crias, nomes que houves-
sem pertencido a algum grande santo ou
porque
cia, nomes quesecompoems vezes de seis Olderaburgo- com sua familia ; os duques
ou oito consoantes para urna ou duas vogaes de Fras ; o marquez de Javalqurto ;eou-
como por exemplo : Wellschffiuipfl ou tros moitos personagens notaveis.
SchkmoiHnvx.
santa, notaveis por suas virtudes,
acreditavam (com razo) que esse nome Ibes
incutiria alguma d'essas virtudes.
E' por esse motivo que viaraos tanto Joa-
quim, Antonio, Jo, Francisco, Joo ; e
quasi todas as senhoras se chamavam: S -
nhnr Anna, S6 Dona Mara, S'ora Dona
Joanna.
Outros ainda levavam a tal ponto essa f,
que reunio dous, tres ou mesrao quatro
nomes de grandes padroeiros, para, ma-
neira de arrasto, apanhar maior nSmero
de virtudes para o individuo : e assira se
tiaham os Srs. Francisco de Paula Baptista,
Joaquim Jos Ignacio, Joo Antonio dos
Santos; .e as Sras. Rita Joaquina da Con-
ceico, Jesuina Anglica de Jess, Anna
Maria da PuriQcaco etc.
homem de boa sociedade que nao pensou nanea em
reistir s sua/ palxes. HiVia alguns anaos que
perder mlnha mi, o que foi a maior desventara
da mlnha vida, e corra a galope pele caminho da
pobreza. Foi no iheatro que encontrel nma joven
dotada de soberana belleza, de inteligencia rara, e
de todas as sedaecas ante as quaes soccambem o
corago, a razio e os olhos. Apaixonei-me louca-
mente por ella. Tirei-a dotheatro, e cedendo as
snas lagrimas e suppiicas casei com ella. Desde o
d'ia em que se torooo minba mulher prineipiou a
comprehender a extensao da minha desgraca. Aos
dezoilo annos ja Armanda podia passar por ama
das mais parigosas velhacas do seo tempo.
O que me pareceu qae principalmente a doml-
nava era a paixio deseufreada pelas rlqaeas. Nao
me restavaja de rendimento seno doze mil fran-
cos. Minha mulher tomuu-me arerso ; en nao
era para ella senio nm ente miseravel, e ao mesmo
lempo um tyranno.
Passarei em silencio as cana s de ama tentativa
criminosa, qne por poaco me ia costando a vida.
Sabem perfeitamente, qne ha occasies em qne
Mens senbores, disse o marqoez de Bellegar- prefenvel devorar a vergoaha e a dr, i ir entre-
de, estamos aqni sos, podemos portanto fallar li- gar o nosso nome ao escndalo, mesmo quando a
vremeote. jBgca nos ltav^ Seoarei.,ne da deagracada,
Agradeco-ihe a sna bospltalidade generosa, deixando-lbe como esraola, para o caso em qoe
respondea o Sr. de Castel>an. Primelro qae tado, chegasse i miseria, o rendimento de quatro mil
meas senbores, prosegua elle, tenbo a dar-lhes al- francos, qoe nio podia alienar. Quando cason
Outras vezes, quando os parentes d/>me-
Bino nao sao dados; leitura das novellas,
procede-se de ontro modo: inventa-se um
neme bem estatafurdh e anaximandrico;
e ento o rapazioho passa a chamar-se :
Chryssolytho-, Folygonio ou lelirrico.
Supuonhaifros, porm> que a crianca
umamenina.
E? preciso, n/ste caso, que tenha um no-
me delicado, suava_ pronuncia, e entende-
se que todo o substantivo com a terminacao-
ina est no caso-de formar um bello uomfr
de baptismo.
Assim, os pas sao amigos- de plantas ou
flores ?'
Edto tomando,, por exemplo malva, rosa
ou bamb, far fcilmente Malvina, Rosinar
Bambino.
Goslara de acimaes ?
Podemfazer Gislorina, P quer oulro;
Sao carolas ou devotos ?
A menina pode ehamar-se Salina. Celes-
tina, ou Angelina.
Se o pai algum d'estes que- consideram
a honra cima de todo, escomer Honorina.
E' desta forma que temos .-Avelina, Es-
meraldiaa, Corina Marliua,. Abricotine- a
muitos outros.
Ha muia gente^ porm, queeolloca acisaa
de tudo o ouro.
Aconselho a essesqua "ncseioluam em
dar a alguma filha o nome deduzido d'esse
precioso metal, porque a p&brezinha ficaria
com um appellido-muito prosaico.
Da regra precedente se tem originado
que umita genie, assim qua le um nom-j
qualqper terminado em ina, diz logOi
Como ficava bonito para urna menina !
Ainda nao ha muito lempo, nma senhora
procurando um nnrrto para sua filhioha, per-
guotou-me qu^l achava melhor, sa Digita-
liiKi, Nicotina ou Slrichnina I!
Queira Deus que este uso nao. se propa-
gue : seno* d'aqui a poucos anaos, dar-se-
ha a curiosa circumstancia de vermos em.
alguma sociedade as Sras. D_ Alicantina,
D. Mofia, D. Traropolina e D. Sovina, se-
vindo de vis vis a D Corvina, D. La^J
parina, D. Tangerina e i>. Barretina.
Cuidado, pais e mis de familia 1
Nao tratis com leviandade o gravissimo
assumpto de escolher nomes para os vossos
lhos e afiilhados 1
Pensai maduramente; lembrai-vos que
d'essa escolna depende, nao s as suas b^as
qualidadese defei.os, mas tambera as suas
venturas e infortunios.
Porm, a que proposito vira toda esta
lenga-lenga ? estaris vos a perguntar.
A que proposito ?
Eu vos digo.
Sustentando a minha these, eu tive era
vista um fim muito justo e humanitario
Esse fim o de tirar a reiponsaoilidade
de muitas asneiras e maldades de subre al-
guns individuos, pois como, acabo de de-
raotetrar, se as fkerara nao foi por voutade
propria, porm, sim devido a influencia do
nome.
Ora, por exemplo, que culpa tem o meu
amigo Joo Paulino de ser um pobre ato-
leimado, um pedaco d'asno, um bobo em
quatro letras, se o pai leve a desastrada
lembranca de dar-lhe esse nome !
Pai brbaro e estupido !
Apopulacao eborigeoe vai dinuind1 seo-
si velmen te na America do Norte.
Segundo o ultimo recenseamento, o nu-
mero total dos indios nr> vasto territorio dbs
Estados-Unidos apenas da 295:774.
Equilibra-se porm esla decadencia com
a eraigraeo europea- que subi neste anav
at 14 de novembro a 212:752 almas.
A empreza do lew York Tribtme, con-
vidou o sibio romancista americano a es-
crever orna novella para a sua-edicio sema-
nal, pagando por ella 25:000 libras ;. ..
(112,500#eu0) diz a Pubiic Opinin de
Londres.
O escriptor Larlv-b< foi tambera convida-
do para encher a primeira pagina da-mes-
ma edigO'semanal pelo prego de toO li-
bras de cada vez (673??0%
Osjornaes diar06 dos Estados-Unidos,
quasi todos publicara agora tima edicSo se-
manal, em- formato maior ainda do que o
jornal, pelo mesrao- proco deste, 20- ris.
que o custo dos maiores jprnaes ameri-
canos.
Em tal paiz pode-se ser es-Tiptor publi-
co, e pode haver una astera independencia!
Segundo escrevem de aples, a famiiia
dos principes d'Angri perdeu definitivamen-
te todas as esperanzas de obter notieias ou
algum vestigio do seu joven berdeire man-
cebo de 19 annos, que assentou |>raca no
exercito italiano e desappareceu nabatalha
de Custozza.
E^esta urna desapparico singular, e at
certo ponto niysteriosa.
Dizia-se a principio que o principe tinba
sido feito prtsioneiro e levado para a Hun-
gra, depois, outros, informados mais cir-
cumstanciadamente, assever-avam que tinha
sido raptado por salteadores mysteriosos.
Finalmeale a familia Angri perdeu todas
as esperamos, e mandou celebrat um offi-
cio fnebre por alma do joven principe.
xo moi desenvolvida pelas viageos loogqnas ;
restavarc-rae ainda alguns bens de fortuna, fui por-
tanto para a India, resolvido a nunca mais re-
gressar.
Pore de lado tas minhas aventaras. Ao cabo
de oito annos de inecessaotes viazens, que me
exhaurirara os haveres e a saude, voltel a' Fran-
ca. Ha certas naturezas, podera er lo, que sao
atrabidas para a patria por ura elemeato irresis-
livel. Ao ebegar a Pars soube dos escndalos da
opulencia de Armanda. Apoderoo-se enlo de
mira ardente febr;. Fi. com que me levassem
para o hospital, onde a providencia me reservara
as mais suaves coosoiaces. Em breve tive nm
companheiro de quarto, e, grasas au Sr. marquez,
gracas a' radiante appango da encantadora meni-
na a quem ama, reconciltei-me com a vida.
Agora re-ta-me cumprtr a misso que propz.
O qne a Sr. de Castellan possue, a' excepeo do
modesto rendimento qae Ihe assegurei, tudo ri-
queza maldita, adquirida pela lofamia, roubada tai-
vez. Pois bem, se taes haveres, nao podem ser
restituidos a seus donos, sejara ao menos destinados f ner algumas reflexas, quando o tabelliao aooun-
a" caridade. Sera' tudo veudido p^r loterraedio de coa qoe o sea escrevente, chegado de Paris, pre-
i___ ea
Quatro mil francos de rendimento I E' a riqueza
para urna mulher virtuosa. Cera que direito se
queixaria a Sra. de Castellan ?
Pelo qoe rae toca, podera flear descaogaJos. 'IV.-
nho o meu retiro certo em ura dos raelhores valles
dos Alpes, onde me esperara sorriu Jo, tres aojo.-
da ierra : a sciencia, o trabalho e a paz.
E ao proferir o Sr. de castellaa estas palavras
iilaminou se o rosto com ura raio de alegrii, e er-
gueu os olhos ao cu. As pessoas prsenles esta*
lavara todas mui comraovidas, e todas ihe apena-
vam a mo. O labllio prometleu empregar to-
das as deligeocias pjssiveis, le accordo com o ad-
vogado, para se realisar a venda dos bens que Iba
baviara designado, e cujoj ttulos de propriedade
possue. A villa nao se contava, por qae o Sr.
M jy-i a comprara por preco conveocionado de
auiemo. O honrado baoqaeiro, se participava da
admiraco dos circuraslanies palas oobres palavras
-iue acabava de ouvir, nao poda, com lado, oceul-
lar o pasmo qae Ihe haviam causado. Chamando
de parle o Sr. de Castellao, dispunha se para Ihe
J se fabrica o papel, e papel magnifico^
da madeira das arvores.
lsto referem da America, onde acaba de
forroar-se em Scbuylhill, perto de Phila-
delpbia, urna companbiaque na sua fabrica
converte diariamente vinte toneladas de
madeira em polpa da rnesma, de que sabe
bello papel branco e compacto.
Urna reunio de membros do coogf esso
e de sabios do paiz acaham de visitar esta
grande fabrica, onde a seus olhos Sai aba-
tido um clioupo qne vegetava prximo, para
d'alli a cinco horas estar lodo desfeita em
massa e reduzido j a um excellente papel
de esciever.
O prego do papel na America, j baixou
mais tres a quatro por cenlo desde que se
inslallou esta fabrica.
Ah 1 progresso, progresso onde vais tu
parar?! 1
i > *<
Segundo refere um peridico estraDgei-
ro parece que houve um duello entre os
geaeraes Clara-Gallas e Bencdeck, que to-
raaram parle na ultima guerra austro-prus-
siana.
um tabelliao. O Sr. Moyss, a quem parece con.
vir a villa do bosque de Bolooha, sera' comprador
preferido.
Apenas tenhamos realisado dous miihes, divid
remos em duas'partes esse ra intao de oiro destes-
gamas explicarles de am passado deploravel, e comlgo nao tronxra para o casal uro sold seqoer. taver, mas de que a beneficencia ha d saber apro
qoe data de oito annos. Tranquillisem-se, comtn- Depois de Ihe ter assegarado o pi, desped me veltarse. Dotaremos com nm milblo ciocoenla
do, qoe nio abusarei da sua alteocao. delia, sem poder, infelizmente, despoja-la, de nm familias pobres, e cora o ontro fundremos nm asy
Aos vlnte e oito annos possnia eu uns qnatro- nome qoe ja deshonrava. Vio-me ausentar com
centos mil francos, e viva em Paris a vida de ara fra irona : ea possaia alguma instrocoio, e pal
cis^va fallar-lhe. O tabelliao sato, pois, da sala, e
volton ao cabo de dez minutos.
Meas senhores, disse elle ao entrar, tronxe-
rara-me agora urna noticia mui importante, princi-
palmente para um dos senhores. Sabem perfelta.
raene
Parece conflrmar-se a noticia da promo-
co do celeore maestro Auber dignidade
de senador francez.
Con-.ta que no 1 de Janeiro apparecer
do Moniteur o decreto imperial gque chama
ao gremio do senado o celebre composi-
tor.
embargar. Mas um dos joalheiros mais ricos de
Pars, declarou esta raauhaa a' antoridade judicial,
que lera era sua casa um deposito de diamantes,
pedras precinsas e aderegos, no valor de selecentos
mil francos. Esta riqueza confiara-ihe Sablinville,
que desejaVa desfazer-se dalla. Enire ootras pre-
ciosidades, conla-se um diamante negro de e-tre-
mada bellota.
Samo Deas I exclamoa o marque de Belle-
garde avanzando para o tabelliao. Logo, nio me
eoganoua voz sobrenatural que saia da sepultara Jl
Vamos ja' a Pars. Tenno que lomar quinheatos
m.i fraacs desse deposito de brillantes tao miU-
grosamonte encontrados. Ab I minha qoerida La-
ey l Vilareraos a' Proveuca I Tornaremos para
o solar paterno.
Mea nobre amigo, disse pela sua vez o Sr.
Moyss, quasi to alegre, como o marqoez, venba
coraigo, iremos junios, tenbo a arana carrnagera a
entrada do jardira. Bem sabe qne tenbo a recla-
mar do valor dessas jolas, vinte e seis mil francos.
Que ventura I E o effradi, qae recobrara' o seu
diameote negro I De boa se livrou I
_ Vu depressa, acresceotou sor rindo o Sr. de
Castellao. Desta ves ao menos a justiga intelli-
gente e jnsta.
Dilli a cinco minlos rodava a carruagam do
baoqaeiro com a maior veiocidade levando! Paris
o tabelliao, o afortunado marqoez e o sensivel
a Sra. de Sablinville condemnada a seis, T.'' ,u ..___J....J1 .. ,
, ...uta. Era um da formosissm. Ah mas aaantas
annos de prisio, consegu o transper a fronteira. 4uas
K. ^ ,., ., .. veies os ha assira antes da tempestado.
Sabem tambera que tinha vend:.b todos os seos aLt-
lo para raparigas arrepeodidas. Quanto ao dote 'bens, prevendo sera duvidn, rigom desgrana, r*

cr
.
.*
qae estabelecl a mlnha mulher conservafrlho bei. | seus fondos depositados" fra Jo paiz, nao se poleo TYP. DO DURIOBA DAS CRUZS N.
--;
-
. i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2E2DDA18_MJIF3Y INGEST_TIME 2013-09-04T22:50:19Z PACKAGE AA00011611_11180
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES