Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11174


This item is only available as the following downloads:


Full Text
t^
*+ amv
***
*
ANNO XLIII. NUMERO 17.




/
-


!
y*
* PARA A CAPITAL JE
Por (res aeies adiaatados.,. .
Par seis ditas ideo _^ .*
Por uta aoao ideo.. *W .
Cada numera afulso........
H fcABE 0\BE ME NA PAA POKTE,
6,5000
42dOOO
240000
320
SEGUNDA FEIfU 21 DE JANEIRO DE 1867.
PAMA DE1TRO E FOSA DA PROVINCIA.
Par tres mezes arfiaalada.......,.....,
Per seis dita.ideo..................
Por nove ditos idem...................
Por um auno idea.. .1 ................
OfflOXr-

883a8IS
DE PERNAMBUCO
m mmmmm m wananpm m aun wwnmi na mu* a mmm, 3313 m^mmmilm%
f025O

IEVCARHEGAUOS DA SU-BSCKlPgAP. I
Parahyba.oSr. AQton.o Alexandr.nu de Li.m; j ^uareta
''Al'l'IIM IX S KsTAKKTA-S.
bo. E-cada e estagoes da va frrea al
Natal, o Sr. Antonia Margues da Silva; Aracaty
o Sr. A. ilo Largos Braga; Cear, o Sr. Joaqun
os do ,'liveira ; Para, os Srs. Gerardo Amonio
Alvas ft Filbos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da
Costa; Alagoa, Sr. FranHoo Tavares da Cosa;
Babia, o Sr. Jos M.nins Alvas; Rio de Janeiro,
o Sr. Jos Hbeiro Gasparlnbo.
Igaarass e Gyaoiia as segundas e sextas feira.
Santo Aoio, Gravar?, Bezerros, Bonito, Caruar,
Aliraho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom Coo-
selho, Aguas Bellas e Tacarai, as tercas-feiras.
Pao d'Alho, Ntzareth, Limoeiro, Breio, l'esqoeja,
lopazain, Flores, Villa Bella. Cabrob,Bo*th-
la, Ooricury.Salgueiro e Ej., as quarlas feiras
SerinbSem, Rio Formse, Tamaodar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimeoteiras, as quintas
feiras. -
AUDIENCIAS DOS TRIBHNAES DA CAPITAL
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relaco : tercas e sbados as 10 horas.
Fazenda : qamtas s 10 oras.
Julio do commercio : segundas as 11 horas.
Dito de orpnos : torcas e sextas s 19 horas.
tercas e sextas ao meio
: quartas o sabbades a
Primeira vara do civel:
dia.
Segunda vara do civel
1 hora da tarde.
EPHEMErtIDES DO MEZ DE JANEIRO.
8 Loa nova as 9 h., e 38 m. da t. "
13 Qaarlo cresc! a 1 b., e 42 m.da t.
20 Loa eheia as 4 h., e 44 m. da ro.
27 Qaarto miog. as 11 h. e 56* ro. da ra.
4-
PARff OFFIGIAL
/
^VKIfVO IA l>IIOVI\41t
CIRCULAB aos idizbs de direito e munici-
PAES, DELEGADOS E SUBDELPGADOS.
Palacio do governo de Pernambuco, era
8 de Janeiro de 1867.
Convindo que a eieir-Jo, a que se vai pro-
ceder no da'3 de fevereiro prximo virt-
dour >, se faca coro a maior calma e i egula-
ridade, e que o seu resultado seja a expres-
sao fiel da voatade popular, recomnendo a
V... qua pela sa pane e p meios lcitos a sen alcance procure incutir
no espirito.dos habitantes dessa localidade
a necessidade imperiosa de se cumprir res-
trictamente a lei, ja garantindo se sincera e
eflicaztnente por pute de tolas as autori-
dades aos cidadaos votantes, sem distmccao
de cores politcas, a mais plena liberlade na
prestado do seu voto, j proscrevendu-se
do processoreleitoral a violencia, a fraude e
o en prego de qnaesquer outros meios repro-
vados e Ilcitos
A absiento da nten-enclo da autorida-
de em tao importante assumpt", os seus
conselbos "
imp
mente o?ra que o povo nao se aparte jamis
do terreno legal, s5o meios seguros de con-
jurar tumultos e conflictos, que esta presi-
dencia tem o mais vivo empenbo de evitar.
Certo, pois, V de que taes sao as vis-
tas da administraco, espero que acornpa-
iihando-a nes.-e intuito, nao oupar de sua
parle esfurcos para que o proosso eleitoral
corra ah pacifica,' regular e honestamente,
mautidos e res eitados os ireitos de tollos.
Deus guarde a V ..
Francisco de Paula da Silvcira Lobo.
N, 218.Diio ao Dr. chefe de policia. -""Tffnnde
V. t>. por em liberdade o recrota Severino'de Pau-
la Ferreira, visto uuh trabajador da estrada de
ferro do Recife a S. Fraoscisco.
N. 222 Dilo ao inspector da thesooraria de fa-
zendal)e couformidad com a sua iofurmacao
de 3 de correte sob n. 791, autoriso V. S. a man-
da< levar em conta ao commanrtante superior da
comarca de Cabrob, R.jne Cario* de Alencar
Peixoio, a quaona de'128/ilOO proven ente dos
v^nclmf ntos por elle abonado, durante o mez de
setembro uiiimo, ao destacamento de guardas na-
conaes existente na viil, do Granito, como se v
do pret, que em duiJicala, e para esse flm veio an-
nexo ao offlcio do mencionado commaodante su-
perior de 26 de oulubro prximo fiado.
W. 223. Dito ao mesmo.Recommendo a V. S.
que, em yista do pret junto em duplcala, s nao
navenlo inconvenieoie, mande pagar ns vencimen-
tJS de uroa escolta, que conJuzo de GoiaoDa para
esla capital os guardas nacionaes designados por
aquella comarca para a guerra, Marcolino Jos
Joaqoim, Manoel Gomes, Francisco Looreoco e
Vctor Bispo da Siiva, devenio esse pagamento ser
effeciuado ao commaodante da rae ma escolta,
como solicilou o cominaodanle superior daqoella
comarca, em rfflclo dfrhoolem.
N. 224. Dito aO mesmo.Declarando o bacba-
rel Francisco Brando Cavalcautl de Albuquerque,
juiz municipal e de orphaos do termo de Ipojuca,
em offlcio datado do Io de outuhrn ultimo, e hon-
tem recebido, adra de ser integralmente pago do
seu ordeoado, que nao Ihe convm continuar a
concorrer com a porcentagem, que desde marc
DAS DA SEMANA.
2. Segunda. S. fgnez v. m.; S. Patroeo'o m.
22. Terca. Ss. Vicente e Anasiacio mm.
23. (juarta. S. Ildefonso are ; S. Eraereocia v. m.
24. Quinta. S. Thlmoth-o b.; S. Metllo m.
25. Sexta. S. Aoanias ; S. Juvenlran.
26 Sabbado. S. Policarpo m.; S. Tbeogines m.
27. Domingo. S. Jc3o Chri-ostomo b. dr. da igreja
PREAMARDEHOJE.
Primeira as 3 horas e 18 m. da manhaa.
' Segunda as 5 horas e 42 minutos da tarde.
PARTIDA DCS VaPOBES COsTEIROS.
Para o sol at Alajots a 14 o 30: para ri norte
'l.a Granja a 7 s-1 de cad5 me?.;'para Fernan-
do nos das 14*03 mezes jneiro, marco, roaio*
jalho, setembro e novembro.
elhos de prudent-ia e moderaco a sua ol,ereceo.. P>r as despezas oa guerra : assim o
'"i" .cniitauo, que o li crula Maou
Suva, Bao o escr.wo de igual noiuc
a Jo.i Cavaicaot d Albuqueique, c
Expediente do dia 6 de dezembro de 1866.
N. 202. Offlcio a > provedor da Santa Casa
de Misericordia. Annuindo ao que solicilou o
enere de polica em fflcid de hooieiu sub n. 1773,
rogo a V. Exc. que, se sirva de dar suas ordos,
para que seja removida para o hospital de Olinds
a alienada Maooea, que se acha ero iraiameoio oa
casa de sade do Dr. Juo da Silta Ramos, desde
4 dejuoho destB anoo, visto nao couvir, que per-
n,a"l'5 *' Por ma>s lempo a predita aliensta.
W. .03.Dito aomesmo.-Com a informacao in-
clusa por copia minisiraia pea cmara ojuoicipal
da cidade de Olioda emV do crreme, re-pjndo
ao otncio que V. Exc diriKio a esla presidencia
em 26 de oulubro ultimo sob o. 361, relativamen-
te a coocesso de guias fetas pelo procurador da
mesma cmara por enterramentus de c-daveres
Das catacumbas existentes no cemilerio d'aquella
cidade, que pertencum a Santa Casa de Miseri-
cordia.
n' 20*~D" an general commaodante das ar-
mas.Mande V. Exc. por em niwrdade o recruti
Martio'ano Jos Fiaocisco, visto-ter provado isen-
cao ieai.
N. 205Dito ao mesmo. Vi>lo que, segondo
05 seus nlDcios de 3 e 4 do trreme sob os. J324,
1328 e 1330, foram cousiderados incapazes para o
ser vico ua puerra, aos guardas nacipnaes desie
muuicipio.-Joo Baptota do fcscimento, Idellonso
Carunro Marques de Oliveira, Mancel Juaqolm
Hlb-iro, Jeronymo Emiluoj do Mascimeoto e Juo
Baptista dd-S.craineiiio.autori.-o V. Exc. a mnda-
los por -ib nberdade.
N. 206. Di tu ao mesara.Transmuto a V Exc.
par o. Bus. convenientes o incluso requerimeuio,
em que J,,aquim Marcelino da Cunha, declara ha-
ver-se verificado, que o u-crola Manoel Firminj da
ue perteucente
. cessando de>ta
arte o motivo que obstava a .-ua remessa para a
corte.
N. 207,Dito ao mesmo.Faco apresentar a V.
Exc, alien ie que Ihe.s d o cunveuienle desuno,
os guardas nacionaes designados para o servico da
guerra, Mar.oiioo Jo.- Joaqulm e Manuel Gomas,
pertroceuifs au ratali.ao o 14, Fran.-I co Louren-
Co, do dr n. 14 e Viciar Bupo da Suva do de n.
wa de ,Dfan,aria da comarca de G^yanoa.
N. 2u8.Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc de
formar, sobre o que pede no incluso reuuer ljen-
lo Theudura Mana do espirito Sanl mi do guar-
da oa-ioual do !() baia.'no de inmutara; Jos
Joaquim de Sant'Anna.
N. 2- 9 Dito au mesmo.-A v. Exc. serio apre-
sentados para terete o conveniente desuno, os
guardas nacionaes deMgnadns para o servico da
K,avIrt' *,a',oel ttodrigaes do Nascimenlo, Joaquim
Jus de Saot'Auna, Jubo Ramos deLya e Joaqoim
francisco Pereira. esle do baiaihau n 43. de Se-
rJDi2a1i"' e "8 a''ra*,* d 26 do B uno.
N. 2to.Dito ao mesmo.Sirva-se V. xc. de
exp-dir as convenientes oroVos, para que srjam
bHM os reorotas in^wferMos para bordo do brigue
Barca llnmarae, coro ndu.-u poim o'aquelles
que tisiveiuieie nao ei-tiverero oo caso de servir.
N. 11.Dito ao mesmo.Em vista do parecer
oa junta de >ade aonexu ao reqoerimento do te
Deut do 9 bauhau de infaplaria Francisco Anl-
Bio de Sa Barfetii.soDre que versa a informacao de
V. EXC. de.-la data convroho em que o sQopliean-
te s d-more nesla provincia at que j) Koveroo im-
perial resolva sobre a liceor-a, qoi elle deve solici-
tar quanto antes por tratar de sua sade; o que
V. Hxc ibe f-ra constar.
N. 212. Dito ao mesmo.Sirva se V. Exc de
oanoar oovam-oi inspeccionar o recruia, Joa-
quiiii Jos de Sau'Aooa Juuiur, que se acna reco-
lili lo ao deposito.
N. 213 Dito ao mesmo.Srvale V. Exc. de
Informar, sobre oque pede oo incluso requenmen-
lo D. Leuuur Mari* de Algouera.
N. 214.Dito ao mesmo^-Sirva-se V Exc. da
infamar, cerca do que pete Umbelina Mana do
Paraso Ca-vaino L-ssa,jrt*o r^querimento que
aqu ajuuio eum. offlcio do'Dr. chefe de polica de
S do corrent. _
iN. 215 Dito ao mesmo Sirva-se V. Exc de
offlcio de honlem, declaro a V. S.', que ao com-
mandanie do deposito especial- de inirnreio d've
Vtuv!""11*'*0 a 1"a"Iia d" 4:800OoO' o nao
4:000*000, como esta' declarado no citado offlcio,
para remonta da cavalhada do mesmo de-
po.iio.
N. 226.Dito ao rnesmo.-Attendendo ao qoe
exooz em seu requer ment, o tent-ote do 7o bata-
Iho de lofantari, Francisco Antonio de Sa' Br-
relo Jnior, resolv cunceder-lhe permlsso para
demurar-se aqu at que o governo imperial resolva
sobre a licenca que file val solicitar para continuar
a tratar se nesla provincia. O que commuoico a
V. S. para seu conhecimento.
N. 227.Dito ao mesmo.Estando em termo
o pret junto em duplcala, e nao haveudo loconve-j
niente, mande V. s. pagar a J-ronyiuo Pereira
Marins, Conforme slicitou o enraman laute supe-
rior da comarca doBrejo, em effl-io do do cor-
rente, os vencimentos correspondentes ao mez de
novtmbro ultimo, dos guardas uaciunaes destaca-
dos naquella vi |a.
Ao mesmo Marin tambem devera' ser paga a
importancia dos vencuueolos do predilo destaca-
mento, relativos aos mezos de marco e abril desle
anno, segundo declara o mencionado commandante
suoehor no final do citado offlcio."
N. 230.-Dito ao inspector da thesouraria pro-
vioctii.Annuindo ao que soJicilou o chefe de
polica em ufflcio de honlem, soo n. 1,773, recom-
mendo a V. S., que, se nao huov i locouveniente,
mande pasar ao Dr. J io da Silva Ramos, a quan-
n,i de 368,}, proveoieute do iraumelo dado em
sua casa de sade, a alienada Mauoela, a contar de
4 de jonbo ultimo, da em que foi ella alli recolbi-
aa at 4 do correute mez.
N 231.uno ao mesmo.Transmuto a V. S.
o iiiclus |iret, afim de qoe, nao havendo inconve-
niente, mandij paiar os vencuneulos corresponden-
tes a segunda quiuzrna do mez de novembro ultl-
Pa-sagem da Magdalena a Francisco de A teiro Pes>oa, da povoaQSo de Tamandare Francisco
Carlos da Silva F/ajzoso, de S. Jo- de Iogazeira
Manoel Pereira da Silva, e de S. Vicente Francisco
da Silva Teixeira : assim o commnnico a V. S.
para seu counecimento, en'iando Ihe as provas es-
cripias que acompanharam o seu citado offl<;io.
N. 249. Drto ao mesmo.Declaro a V. S. em
resposla ao sea offlcio de 5 do correte, sob n.
28K, que approvo o opuscnlo sob o titulo Can-
cuoeiro Cnnsto apresentado peio Dr. Aatooio
Rangel de Torres Bandelra, para ser adojitado
como iivro de iostrueco as aulas primarias.
H. 260. Dito ao mesmo.-Constando-meque
o professor interino de insiroecao primaria, Anto-
nio Silveno de Alencar, que por portara de 30 de Ipojuca.
novembro uiu'mn, e em virlude de offlcio dessa I provincia1
directora n. 228 de 22 de uoveuibro, obteve remo-
correoie, sob n. 285, resolvido nomoar a H^rmino
Dornellas Pereira da Silva, para reger int-rina-
mente e mediante a gratificacao annuMl de 600,$ a
cadeira de insirucco primal* da villa da B a-
Vista, creada pela lei n. 653 de 18 de abril do cor-
rente ino; assim o manda communicar a V. S
para *conhecim'rato.
N. 281 Dito ao director da escola normal.
S. Exc. o r. conselbeiro presidente da provincia
manda declarar a V. S., que pelo seu offlcio do !
do correte tlcou inleirado de haver V. S. oesta
data entrado no goso da licenca, dida por portara de 16 de novarabro prximo
nudo.
I. Dito ao juiz municipal rio termo de
S. Exc. o Sr. cooselliBro presidente da
manda declarar a V. *., em resposta ao
seu offlcie daiado do 1
-u i de oulubro, e hontera rece-
cao da cadeira de Serra-Branca para a povoacpo : bido, qoe acaba de dar selencia
oo sacco, nao ped'- semelbante remocao, coovm | tbesobrarla de fazenda
que. V. .<., verificando isso me Informe circura>-i que nao convem a V
lanceadamente do resultado.
N. 251.-Dito ao tenente-coronel Bpamiaondas
Vieira da Cunha, commandante do 10 ba4alho de
lguar>ssu'.-Offieiando ao general coro; man de me
das armas, para incluir no contingente dess*n>ala-
ibo, o guarda nacional Joaqjirn Jos do Nasci-
mento, que fra recrulado postenormeole a' sua
desij-nicaq para o servico da guerra, teuho satis-
feto ao que soliciten Vmc. em seu otflcio de o do
crreme, a que respondo.
N. 252. _Diio ao inspector da alfandega.Te-
nbo presente o offlcio que me dihgu Vmc, acora,
panhado do que Ibe enderecou o guarda mor dessa
aifandega, acerca dos guardas-nacionaes que se
acharo empregados como mannheiros no servrao
das barcas de viga, e em resposta cbeme dizer,
que nao se teudo solicitado desla presideaci i des-
pensa do sertico da guarda nacional pira os refe-
ridos marioheiros, como dispde o arl. 43 do rogu
lamento de 19 de setembro de !8, e explicado
pelo aviso de 18 de deierabro do.mesmo auuo, ci-
tados pelo dito guardamir, nao pdem agora re-
clamar este favor concedido pelo preditb regola
monto, desos qa forara desloados para o serv',
co da guerra, e" de que nao o* pode emir a cir-
cumstancia de se acharem cosWaiados peiogaar-
da-tnor, pirqoanio os seus contratos posteriores a-
desigoagao, nao pdem izenta los das obrigacoes a
que esto sogeiios pela le Oa guarda naciomi.
N. 261.portara.O presdeme da provincia,
aitendeudo ao que requeren o segundo pratico da
barra desla capital, Francisco Joo Al ves, e tendo
em vista a informacao do capito do porto, resolva
cooceder-lhe dous mezes de lieeoca para, iraiar de
sua sade.
N. 262.Dita.O presidente da provincia, tend)
ao Inspector da
para os fins convenientes,
a V. S. continuar a concorrer
com a porcenlagem, ulerecida desde-rairco do an
no passado para as despezas di guerra.
N. 284. Dito ao promotor publico da comarca
de Samo Aoto. S. Exc. o Sr. coo3elheiro presi-
dente da provincia manda aecu-ar recebido o offl
co, em que V. S. partieipou ter assumido, em 27
de novembro prnijmo fio.o, o exercici do cargo
.Pro2lulor P*l'ftJ da comarca de SmtJ Anto.
. ^D,*^ ensenheiro da estrada de fer-
ro. 6. Exc. o Sr. conselheiro presidente da pro-
vincia manda communlcar a V. S., em resposta a
sea ufflcio de 5 do correte, que nesla data fica ex-
pedida a conveniente ordena ao Dr. chefe de poli-
ca, para m-.ndar pdr em liberdade, por ser traba-
Ihador da estrada de ferro, o recrota Severino de
Paula Fereira, de que irata o eu citado offlcie
C0HMA.WO 4S ARIAS.
Quarlel general do coruiaando das armas de Per-
nambuee na cidade do Recife, 18 de laneiro
de 1867.
ORDEM DO DIA N. 306.
, Reouociaodo o ->r. lcirurj(aj do'torno de
saude do exercito' Dr. Joo Hoom#- Sierra de
Meies o resio da lieeoga que oWjwra l'presid-n
cia para eooduzr sua raihfr'qie ss acha doente
do presidio de Fem?ndo para esta capital, e haven-
o a metma presidencia declarado em offlei, de
hootem daUdo que aceitando sera-lhanin renuncia
poda a mencionado >r. cirurgio sr emprea-
do no eervico desta gaarnico devendo no entre-
tanto esrar prompt i a seanir para o citadj)residioJ
na primeira opportunilade; o brlg mandante das armas as-im r faz saber a mesma
em vista o que requereu o offlcal de descarga da guarnigo para os fins convenientes, e determina
airandega desla cap al, Sebastin Accioli Santiaju que fique n,nbred.to Sr. Dr. Meneies oncarregado
Hamos, e bem assim o que aesse nsoeilo infor- das visitaa^finiurias dos .,uarteis dos depsitos
3 reparicots, rosgiv coucedeHQe Lres dos presi^n-os de guerra paragn|yos, e dos re-
croas, 'sewdo dest servico dispensado, por em
mj, dos guardas nacionaes destacados oa puvoaco
de Munbeca, visto assim o haver solicitado o com-
manuante superior d-sie municipio ero ufDcio de
4 do Correte, sob n. 398.
N. 232.Dito ao mesmo.-Autoriso V. s ,
nos termos de sua mfortnsco d 3 do somate,
sob n. 632, a mandar entregar ao vigario da fre-
guezia de Tacarat, padre Joaquim Beimiro de Mi
; randa, mediante banca idnea, o cont de ris
volado pelo art. 14 o" da le do crcameuio vigente,
para a obra da mairiz daquelia fresuezia.
< N. 233.D-lo ao mesmo,A' Joo Jos de
Carvaliio, manue V. s. pagarj.se nao houver in-
conveniente, os vencimentos relativos ao mez de
novembro ultimo, dos puardat&taclooaes destaca-
dos oa villa do Bonito, urna veWjtte esteja em ter-
mos o prel junto em duplieata, qoe para esse fim
me remellen o cuoimandanle superior daquella co-
marca coro offl io do 1" do correte.
N. 234. Dito ao ciiefe da repartirlo das obras
publicas Recommendo a V. S. que mande con-
cluir curo urgenci? as ubras do xadrez do quarlel
da Soledade, que serve de deposito aos re-
crutas.
iN. 235.Dito ao commandante superior do Re-'
cife.Mandando dispensar do servico da guerra,
por terera sido c nsiderados incapazes para elle, os
guardas nacionaes deste municipio, Joo Baptista
do Nascimento, Ildefonso Carneiro Marques de
Oliveira, Juo Bapiisia do Sacramento, Manoel Joa-
quim Ribeiro e Jeronymo Emiliano do Nasciraeulo;
assim o comraonico a V. S., afim de que provi-
dencie no seniido de seren ellas substituidos por
outros.
N. 236. -Dito ao mesmo.Ao offlcio de V. S.
n. 401 de 5 do crreme, respondo, dizendo-lhe que
ja roaudei proceder na forma da lei contra o guar-
da nacional da 2* roropaohia do 6* batalbo deste
municipio, Jesuino Francisco e Salles, por ter oel-
xado evaor um recruta.
Nd>237. Dito ao mesmo.Mande V. S. pos-
lar em frente da matriz da fregoezia de S. hr-,
no da 8 do correle, as dez oras da maoba,
orna guardi de honra para aasislir aos actos da
fesla de Nossa Senhora da Concelco.
N. 238.Bitu ao mesmo -Mande V. S. pos-
tar em frente da igreji de S. Jos de Riba-mar,
no da 8 do correte, as 3 huras da tarde, uroa
guarda de honra para acompanhar em procissao a
inftgem de Nossa Senhora da Conceicao da mesma
igreja.
N. 239.Dito ao mesmo.Em additamento
ao meu offlcio de hontem, recommendo a V. S.
que mande reoder hoje mesmo as guardas das ri-
beiras de S. Jos, da Boa-vista, dos trilhps urbanos
edo jury.
N. 240. Circalar aos commandantes superio-
res. Coovindu para a boa execoco do aviso ex
pedido pelo ministerio da juslica, em 4 de agosto
ultimo, que as informales exigidas por circular
( desta presidencia de 30 do mesmo mez, sejam mi-
nistradas por meio de roappas, cemo determina o
citado aviso, recommendo a V. S. que at 15 de
mandar c m-iderar no contingente, que couDe dar
p?ra o servieo da guerra do W balalno du inuoi-
cipio de fguarass. o recruta Joaquim Jus do as-
ciuiento, o qual esUndo designado fui po>tenor"
mente recrulado pelu suodelgarJo da Ireguezia de
S. Jo dt-t.cidade, confuraw declamu rae o com-; ora dito pelo' model n. 2, da forca qoe liver mar-
d aquelle baiaihao em offlcio de 5 do chado para a campanha do Rio da Praia ; um dito
janeirn viod uro, imprrterivelmente, me remella
oro mappa, segund > o modelo 1, de toda a forca
activa e de reserva da guarda nacional sob seo
comroando superior, orgaoisado por batalhdes e
com deelara$io da que eAUfor fardada e armada,
UOttjftESPOViaEYCfAS DO IA-
* RIO DE FWWAJH170
UMMA.
2S de dezembro de 1866.
fCoocluso.)
Tem dado alguos c ncertos em Cuirabra o jov^n
pianista brasileiro Hermenegildo Liguorl. Ja tiva
occasij de ouvi-lo em Li-boa, e de apreciar o seu
bello talento.
U Diario de Lisboa, follia ofhVial tero osado,
da formula que Deus guarde, referiudo-se a el re
o Sr. D. Luiz. A nnpreosa exiranhuu que s-i for-
se exhumar urna antigalha contempornea do ab-
solutismo; algumasfihasepigramrniraro des.pia-
dadaroeote a secretaria, o que deu bom resultad,
general commanlaote das po>s aquella formula (anda sala ero Heoaoha)
trnou a desappareCer dos documentos oBatua.
Tambem o beija-mao. disse o Jornal do Commn
cto, nao faxia perigar as liberdades polticas, mas
o ir. D. Pedro V. ac boa cora essa costumeira
impropria do raonarcha d'uo povo livre. Estas
quesioes parecem insignificantes mas uso sao e
bem faz a impreosa liberal em corrigir as dema
sias de servilismo quaodo elle exorbita os limites
estabelecidos pelo novo rgimen.
Na noite de 17 do crreme, no theatro lyri-
co do Porto dau-se um grave escndalo que o Dia-
rio Mrrcanlit d'aquella cidade conta assim :
Triste e desagradavel espectculo orjareceu
nontera o nosso (batro de s. Joo I
< Um escndalo, que
correte.
N. 216.-Dito ao mesmo.Slrva-se V. Exc. de
iBodar inspeccionar o suarda do l'>taiho de
a tunara da guarda nacional
Aguiar, que esta' designado
,, n. mrocMu.^iiju, uo.uu napes luapyas vir
w. ai/.uno ao mesmoFajo apresentar a V. acompanhads de oma'informaco rlrcamstanciada
kic, afim de que Ibes d o c.oveoime destino e exacta, ministrada por V. S. de toda
OepoH de io-peccionados os recruta doome Jo- Baclonal sob seu comroando superior.
Vicente, Manoel Joaqoim da Silva, Vicente Jos de | N. 248.-Dito ao director da lostrtrccio publi-
*ni Aona Jn- Joaquim de SaoWnna e Amonio, ca.Tendo por portarla desta data, e em viga do
Trocisco de Oveira, o. qaae's' me foram remetti- resoltado do eoocorso a qoe se proceden oo dia 26
pelo leme recrotador da cidade de Naza- de novembro prximo Ando, resolvido nomear pro-
I essores das cadeiras de instrueco primaria da
pelo modelo n. 3,da que estiverempregada em des-
tacamento dentro ou fra do municipio, com de-
elaraco dos logares em que se acbar, e da nato-
Amaro Ferreira de reza do servico que presta; um dito final mente
pan o servico d* pelo modele n. 4, de iodo o armamento e correa-
' me de cada (jajVriao, devendo esses mappas vlr
la'informaco rlrcoa
a goarda
dos
retti.
mezes fie lenca on" venTtmenios, na forra da
lei. Para tratar ae soa sade aunde Ihe coower.
N. 263.-Dita.O presidente da provincia, atten-
dendo ao qus requereu o promolor publico da co-
marca de Garaohuos, baeharel Antonio Salustiano
de Abreu Reg, resolve cooceder-lhe dous mezes
de licencaapm vencimentos, na forma da lei, para
tratar d 'iDa'sadepad-. Ihe coovier.
N. 264 Dita presidente da provincia, ten-
do em vista o resudado do concurso a que so pto-
cedeu no du 26 de ouvembro pruximo linio, para
preeuchimento das cadeiras vagas do sexo masca
Imo, sobre que versa a informacao do director ge-
ral da instrucgo publica, de 6 do correte, sob
o. 283, re.-olve uemear professoKS das cadeiras d
in-iiucc.au primaria da Fassagera da Magdalena, a
francisco de Assis Monieiro Pesso*, da povoaco
de TaTiandare, Francisco Crios da Silva Fiagoso,
de S. Jo de lugazeira, Manuel Pereira da Silva e
de fc. Vicente, Fraucsco da Silva Teixeira.
N. 263 -Dua.-O presidenta-da provincia, alten-
dendo ao que requereu Inora* Doroelias Pereira
da Silva, e teodo em vista a informacao do dnc-
tur p.eral da instrueco publica de 5 do crreme,
sob n. 28o, resolve nuraea la para reger nterin i
mente e mediante a gratificacao aouual d 6005,
a cadeira de instraeco primaria da villa da B ia-
vista, creada pela lei'n. 655 d 18 de abril do cor-
rente anno.
Expediente do secretario do governo do dia 6 de
dezembro de 1866.
N. 270.-Offlcio ao
armas.S. Exc o Sr. coaselheiro presidente da
provincia, manda declarar a' V. Exc. em resposta
ao seu ufflcio n. 1,336, de,ta data, que exuedio-se
ordem a' ihesourana de fa enda para entregar ao
comnuodaote do deposito especial de lostrocgo
como V. Exc. solicilou, a quantia de 4:8110$ para
remonta a* cavalhada do mesmo depasito.
N. 271.Dito ao Dr. chefe de policia.O Etm.
Sr. constilneiro presdeme da provincia, manda de-
clarar a' V. S em resposta ao seu offlcio de hoo-
tem, sob o. 1,773, que acaba de expedir as cove
mentes rdeos, para que pela the-oararia provin-
cial seja paga ao Dr Joo da Si va Ramos, a qaan-
lia de 368,1) constante do citado offlcio, bem como
para a re uocao da casa de sade daqaelle Or. para
o hospital de oimda da alienada Maooella indicada
no meamo offlcio.
N. 475.D'io ao inspector da theaonraria de fa-
zenda.O Dr. Jos Joaqoim dj Souto Lima assn-
mi, em 27 de novembro prximo Ando, o exerci-
co da .cargo de promotor pablico da comarca de
Sanio Anto, para onde fot remevid da do Li-
moeiro : o que a V. S communico de ordem de
S. Exc. o Sr. conselheiro presidente da provincia.
N. 276. Dito ao inspeilor da tnesouraria pro-
vincial De ordem de S. Exc. o Sr. cooselheiro
presidente da provinca, commuoico,a V.'s. que,
segundo coostoo de offlcio do 1* do crrante. d
director da escala normal, cooego FranciseoTto-
chael Pereira Bnto de Medeirost eotroa elle D'a-
quella dala oo gozo da licenca, qne Ihe foi conce-
dida por porlana de 16 de novemro prximo
nodo.
N. 277. Dito ao commandante saaerior do Bo-
oito. O Exrr. Sr. conselheiro pnuddente da "pro-
vincia, respoodendo ao cffleio de V. S. datado do
! do crreme manda declarar qae transroitlio a'
thesooraria provincial, para o fim Indicado no ei-
tado offlcio, o pret em duplcala a que elle se re-
N"n ?'~~Dit0 comroaadaote superior do Bre-
jo.O Exm. Sr- cooselhBiro presidente da provin-
cia, respondendo aa offlcio de V^alo do cor-
rete, manda declarar que a thesouraria provin-
cial tero ordem para pagar a Jeronymo Pereira Ma-
rios, nao s os vencimentos consUfbes do pret que
em duplcala veto aonexo ajudiado offlcio, mas
tambMn os dos meze. de marco e atril deste anno,
e a qoe se refere O Ocal do mesmo offlcio.
. N. *79.Dito ao tojmjodiW superior de Ca-
brohd. *. Exc. o Slr. eonselbeiro presldeote da
pr .viocla maoda declarar a V. S., para seu coche-
cimento e direi-cao, qoe acaba de autorisar a the
soarana de fazenda a levr-tbe em cont a qaaolia
de I8A100, constante do pret qae era dupilcita
veio annexo ae seo offlcio de 26 de enm'bro ultimo
que flea assim respondido.
N. 280- wa Dita ao dlrector-geral da instroccao
publica. De ordem de S. Exc. o Sr. conselheiro
presidente da provincia, commuoico a V. s. que,
segundo constou de offlcio do 1* do crreme, do di-
rector da escola-normal, conego Francisco Rochael
Pereira Brilo de Madolros, entrn elle a'aqaella
data oo goso da lieeoca, qoe Ibe foi cancedida por
portarla de 16 de oovembro prximo Ando.
N. 281. Dito ao mesmo. S. Exc. o 8r. conse-
lheiro presideote da provincia teodo por portara
desla dala, e em vista de sua inforraaco de 5 do
quantn, o Sr. Dr. Pedro de Athavde Lobo Moscoso,
merobro da juma de sade e encarr-gadu da vac'
craacao dos recrutas e guardas nacionaes aesigoa-
dos para o servico de guerra.
(Assigoadn) -Henrique de Beaurepnire Rohan.
E-la conforme. Emiliano Ernesto de Mello
Tnmborim, tenenle ajudaote de ordens
eocarregado do detalhe.
ioteriuo |
EXTERIOR.
de at que se apresentassem os soldados, raorosi-
dade que nao sabemos explicar.
O Sr. Garren foi preso e escoltado at a pri-
sao, e o Sr. Scbwalbach transportado a uma phar-
raacla afim de se tratar dos fenmeolos que rece-
beu no rosto.
Nao queremos commentar o fasto, entrega-
mos isso a Justina e aos settajadeptus, e diremos o
que 10r occorrendo sobre avjuesto.
O espectculo contioad meia hora depois do
que succedeu.
Aquelle t,| Sr. Garre, segundo se diz, perten-
ca a reserva, foi chamado ao servico e despedido
dep is do servico, outrj vez, quando a reserva foi
licenciada.
Agora suscita se a qneslap, se deve o ru ser
julgado como paisano ou como militar. Parece
ate que disto se tratou em conselho de ministros.
ao se o que so ter resolvido.
Veio a Lisboa, ha pencos das Mr. Laing, um
dos directores mais ioteresstfdos na compaohu do
camiobo de ferro de suesft,. RaliroU-se pouco de-
pois.
A raioha de Hespanha deixou oito mil duros
para gratificar os empregad >s do pago que presta-
ran] servicm a S. M., a is remadores das galeotas
reaes, a casa pa de Lisboa e misericordia, que
visttou com seu augusto esposo.
Ve'ibcaraiu-se oo dia 16 do correte mali-
nas e a 17offlcios fnebres na magestnsa igreja
Graca pelo eterno descanso do Senhor D Mi-
guel de Braganca. Tinha sido soilicitada a s pa-
inarchal, e depois o templo de S. Vicente de Fra
para as ex/quias ao principe proscripto. Um e
ouiru templo foram recusados.
Os llberaes acham que nao foi intolerancia esta
denegacao. Os afectarlos do antigo rgimen brada-
ram roi e trra, allegando que se o lulo offlcial
se decretoo por ter fallecido o to d'el-rel, nao era
muito que as exequias por alma do finado se fl-
cessem oa igreja que serva de jazigo casa de
ISraganca. E' qaestao em que nao entro. O cor-
lo que a igreja da Graca espagosa como a de
s. Vicente e eslava pomposamente aderecada de
veluido preio bordado a ouro.
Tambem os jornaes qaesiionaram se era velludo
oa belbule. Absieohn-me Igualmente de entrar nes-
la ra raeotosa questo.
No cruzeiro da igreja havia urna construeco
doea com 10 columnas, dentro da qual se eleva
va uma eeaa. a construeco tioba 45 palmos de
"lUJa # a era 18 palmos." Aos lados da coa ha-
via 18candelabros de 2i lumes cada uro e mais
4 tncheiros do cinco lumes cada um, o qoe fazia
um lula I de 290 lumes.
Tiobam-se pedido os candelabros que serviram
no templo de S. Domingos por occasio do casa-
memo do Sr. D. Luiz I. Nao foram empresta-
dos.
Sibreaeca nao havia insignia alguraa. Oca-
mamo era encimado por uro cruz branca. Cento
e vmte e oito sacerdotes resarara o offlc'o que co
mecmi.as 11 horas da manha e terraioou desos
das 4 horas.
A missa fui dita pelo padre Segaros e as absol-
vicoes dadas pelo comroissarlo geral da bulla da
Cruzada, ospo resignatarlo d'Augola.
Nos degraos da ega estavaro ns Srs. D. Jos Ma-
na da Piedade Leocastre (marqnoz de Abrautes),
Carlos Zeferioo Pinto Coelho, Jos Correa de Sa
B-nevnies, D. Amonio de Carvalno, Joo de Lemos
6--ixas Castelio Braoco, Antonio Pereira da Cuuba
e Fernn lo Mana de Almeida Pedros .
As irmandades do Seohur dos Passis, do Sanlls-
simo Sacra nenio, e de Nossa S-uora da Conceicao
assisiiram de cruz aleada ao act>.
A eca tioba aos lados uroa forra da municipal
en grande uniforme. Qoa-i todos os sollados
eram condecorados com a medalha do D. Pedro e
p. Mana (ij. o tempio esteve serapre etieios de
liis de todas as elasses da sociedade, e o aclo reli-
gioso nao pudta ser mais imponente, nem celebrado
com maior pompa/
A despeza com esta ceremonia fnebre andou
por tres Guatos de ris, producto de uma sobsertp-
gao. Nas cidades de provincia e en muitas de
alfoma cunsideraco tem havido ufflcios fuoebres
poraima di raesmo infeliz principe, o que vero
circumstanciadamente relatado as columnas da
Naca, que Ins remello, bem como a notavel poe-
sa de Juo de L-raos a Morle do Proscripto. E-te
poema foi transcripto por muilos periudioos liberaes
e tem verdadeiro merecimenlo. Aproveiu-se coro
bastante felicidade e inspiragao a coinc dencia de
lerera apparectdo as estrellas cadentes oa mesma
ooite em que faHeceu o Sr. D. Miguel, s tira-se
partido, mas pouco feliz, do faci de ter sido reeu
sada a liceoga para as exequias se fazerem oa S,
ouem S. Vicente. Qu-*m quer orar por alma de oro
floado querido, ni carece de aproveitar a occasio
para fazer maufestagoes poltica?, como ha pouco
se lia n'um jornal do Porto, a proposito desta*. prj-
teoges e tambem de ter havido q iebra de escudos
cr-io qae em Vienaa do Castello, e segundo se diz
nomeago de regencia etc.
na ilha de S. Miguel o conde de
A dor reBpeitavel, como o exilio, como a des
t graga, como ludo, que cbora e padece. Eolretaato
nao lera comentarlos pos- imprudente aproveitar os suffragios chnstos
siveis, nem juslifleaveis, deu-se hontem publica e
Dotoriaroeate oa platea do theatro, oa occasio em
que caoiavam o dueto do 3 acto da Lucia os Srs.
Pradeaza e Guadagomi.
A represeotagao que prisezula regularmente
at esse acto foi snsivelmente alterada.
Uma vez qae o facto, aias iofamaote, que
hontem se den em S. oo, se lornou ama cousa
do dominio publico, e preseoceado como foi por
t"dos os espectadores que quasi enchiam a sala,
eoteoderoos oao escrupulisar em o narrar fielmen-
te aos oossos leilores, tal qual se passoa, tal ,ual
oos loformaram.
Como dissemos, no 3.. acto, quaodo meaos se
esperava, seatiram-se aa sala estalaram tres fortes
pancadas qae mais tarda se recooheceo serem enl-
ejiadas dadas atrev dameote no rosto do Sr.
Scbwalbach, commandante do balalbao du cacado-
res 9.
t Irnroediatameote se travoa rennida, terrivel
e enearnigada lata entre qaasi todas as pessoas
aae se achavam preseotes na platea!
Uas procuravara perseguir o ageressor, e ou-
tros teoiavara soccorrer o aggredido, visro ter fl-
cado com o rosto e as felgdes -visivel a etiraordi
oariaraeoie Iranstoraados. O saogoe borbulhava
na face do Sr. Schwalbach, e a plidas qa- se di-
visav. em tod?s as faigdes, davam a-to lamenta-
y>\ sBecesso, ama edr paramente sinistra e atter-
radora.
Depois de prolongada desrdam, e de poten-
tes marros dados em pleno communismo, e tose
guiram prender o criminoso e entrega lo a jastiga.
t E nao foi sem casto qae o flzeram porque a
morte eslava emiaeote sobre o imurodente que! gurago do systema constitucional.
ousoo insultar o publico, a aaioridadn, a milito Lisboa aotes do flm do aono.
principalmente o ST.Schwalbach, eavalbefro que* Fallecen a 28 deste mez o digno crasol geral
para os denominar o verdadeiro sutfragio udiver
sal, ou virem dizer-nos que o Albo tem agora treze
anoos, mas ha de crescer e-----multas reticencias
em tora de arriesga. A caridade enn-tia maoda
esquecer as ioiunas e perdoa-las ao individuo, mas
a prudeacia poltica offerece ligSes terriveis aos
povos oa sua propria historia, e nao perdda o es-
quecimeoto absoluto das desventuras que Ins can-
saran!. Sajamos tolerantes e ehristos, o que nao
impede porra que aos absteohamos de coodesceo-
der com todas as velleilades de ara partido que
anda boje representa em Portugal a aotithese de
todos os principios de tolerancia e liberdade.
Assim peosoa naluralmeote o governo quaodo
recusou os pedidos um talo exigentes dos absuia
listas. Nao quera eatrar no assuropto, e aflnal,
sempre entrel.
ODtoriode 14 publicoaum decreto comfirga de
lei reuoiado os governos de Macao a Tiroor. Foi
o Sr. Mandes Leal que tioba separado os dous go-
vernos qu-ndu ministra da roarioba. U viscoode
da Praia Grande, actual ministro, fa; a separaco,.
na aoseocia d*s corles sem necessidade urgen-
te que, determraasse a precipitago de tal me-
dida. ^;
O Sr. E loardo Soveral, ministro porlogu^z
em Coonantinopla, acaba da receber do imperador
dos Francezes o grande offl "tal da legii de honra.
A nulicia fot-Iba commameada de Pars para Ale-
xandrla d'onda o Sr. Sovaral parti para Trieste a
bordo do vapor austraco Minerva. OjJr. Spveral
viajoa aa Syrla e na Palestioa e assjsnr na trra
dos Ptoloraeas (diz a Qtela de Portugal) a ioau-
Deve estar em
tem au seo man lo nesta eidade uro batalbio de
ojo numero o criminoso.
t O qae sa diz, como eerto, qae o Sr. Garrett
dera as chicotadas i traigao, e em desforgo a tac-
tos qae obrigatoriaroente pralicou o referido Sr.
comraiodaote, faetos qae, segando aos mformam
eram do seo dever e competencia.
t O tumallo foi geral e aterronsou todos os rlr-
enmstantes, com especialidade a algamas senho
ras, que niu pudendo vencer a corameo de que
foram possaidas perderam os sentidos, durante
bastantes minutos.
i Aebava-se no theatro na occasio fatal os Srs.
goveroaddjfjeivil, visconde da Luira, administra-
dor do bairro, Jalles, e ootras autoridades.
i Apea de tudo isto notamos multa aiorosida-
do Brasil nesta corte, o Sr. Vicente Ferreira da
Silva. O funeral foi bontem pela niela hora da
tarde, seono condazido o fretro para o cemilerio
dos Prazeres. Sea tilho o Sr. Vicente da Gama
Silva, qns dirigi os convites fnebres. No pres-
tito viam-se mallas pessoas notaveis por sua posi*
gao social e grande numero de negociantes dos
mais respaila veis' desta praga. Morrea de ama
aneurisma.
0 Sr. Ferreira da Silva exerci ene cargo ha
parto de 36 aanos manifestando em todos os seas
actos a maior intelligeoc e probidade.
O re da Dinamarca escreveu a todos os mo
carchas amigos, locloiodo o re de Portugal, par-
licipando-ltvw o casamento da prioceza Dagmar
com o grao'-daqae herdeiro do ibrooo da Russia.
Falleceu
Obidos.
Espera-se oo Tejo um vapor, com grande nu-
mero de ps d'amOreira, mndalos vir pelo go-
verno para distribuir pelas provincias do norte.
Espera-se em Janeiro em Portugal o director
geral das alfandegas de Hespanha, por causa da
projectada conveogu adoaoeira de que cima fal-
le).
S. M. a raioha a Sra. D. Mirla Pia que foi ma-
drinha da rec.em msclda lima da prioceza Clotil-
de, sua irmi, e esposa do principe Nipoleo. A
morona recebea o ora i de Nata. Nasceu as 4
horas oa maoba do dia 21 do correte e foi logo
baptisada.
Os ministros de Julia e Portugal compareceram
a esse acto, para que tiojum sido prevenidos. Mae
e 6lha se acham na" raelhor disposigao.
Falla se multo ha tres das em Lisboa n'nma
sema violeo% de ciumes que desurieotando um
cava heiro, cajo nnme ignoro, o levou a .ferir com
um punhal uma Alna do viicpode da Jiinqueira
no jardim do seo palacio, ferioxlo'-'se elle era se-
guida. As rendas nao sao graes. A justiga pro-
cede contra n desvarado moco.
Pardo para Mozambique o brigu? Incompa-
ravel. Vai nelle o professor a escola principal
d'aquella provincia, o Sr. Manoel Das da Silva,
alumno qae fui da escolla normal de Lisboa. O
ordenado cinco vezes maior que o dos professo-
res primarios do reino.
A jubilago efjeciiiar-se-ha no fim de 10 annns,
eraquantu se ficisse em Portugal, s ao cabo de
30 aonos de servigo e 60 do idade, poderia ser
aposentado com o ordenado oor inteiro.
O professor da escolla principal de Cabo-Verde,
tambem foi alumno dos mais distinctos da escola
normal de Llshaa.
M>jesp os exames das caodidatas a professo-
ras da escolla normal para o sexo feminrao, qae
vai abrir-se no Calvario, adiaole "Alcntara. As
obras do edificio djvem estar completas a 15 de
Janeiro.
Sao examinadores o reitor do lyceu, o director '
da escola normal de Lisboa e um'dos prufessores
do mesmo estabelecimeoto sendo secretario do
jury, o mesmo do lyceu nacional.
S. ,VJ. a raioha de Hespanha agracien com
varias gran-cruzes a todos os merabrus do gabine-
te porluguez.
No tneatro d ra. dos Condes est-se dando
a tradoecio do Familia nenoton que tanta voga
leve em Paris.
Aioda este mez houve recitas do Demonio do
]"go, com boas casas. As obras do novo uieatro
da Triodade progridera com grande activldade.
Dentro era pouco devem alli darse bailes de mas-
caras. Os do Cassmo-hs-btnense J cornegaram..
A Engeitada um aovo romanee du S'. Ci-
millo-Casteiio-Branco. Ful Impresso na typogra-
pbia do Commercio do Parto, e editado pelos pro-
prieiarios d'aqoeile jornal.
Rema silencio da unprensa acerca dos sar-
gentos de cagadores 3 e cavallaria 7, que foram
presos e con luzidos capital, as vesperas de che-
gar a esta cdrie a rainha de Hespanha. Esto oo
castello de S. Jo.-se.
O Sr. Jos Feliciaoo de" Castilho fez oo dia
18 em sua casa oa ra de Sinto Am'iruzm, a lei-
tura de um drama de sua coraposigo intitulado
Amor e morte. Um_selecto audictorio g >zou das
primicias d'aquella agradavel leilura. Nio assisti
a leitura, o que senil bastante, mas afflrmaram-
roe que uma coraposigo de gra des effeitos c-
micos e d'goa a todos os respeilos de ser repre-
tada no theatro normal.
Eis o qii9 escreve sobre aquelle ootavel ira-
balbo uro joroal que teoh > a visia:
* O Sr. conseibeiro Jos Feliciano de Castilho
ba pouco ebegado do Brasil, oode residir por 18
anoos, inspirado pela leitura de um art go publi-
cado ha largo lempo no Archivo Pitoresco, cora-
paz um drama em um prologo, cinco actos e um
epilogo, a que deu o titulo Amor e Morte e que
hootem se dignou ler pernote um bruhaote audi-
torio de illusirados. cultores das loitras.
O drama, escripae com a perf. igo com qne
o sao todos os trabalhs d'aquelle grande talento,
prima pelo estylo fluente, pela lioguagem correc-
ta, pelo deseobo dos persooageos, pelo entreti-
cimeoto das sceoas, pela correcgo do dialogo,
seodo rouitj para ler e admirar a parte histrica
em que preode u prologo, e em que o erudito auc-
tor se houve como mestre qoe .
Iafelizmeote oo sao estes dramas para as de-
fiohad.s compaohlas que os oossos theatros coa-
tara hoje em lia ; sao ellas porem, e rouito para
que se espere com afn e alvorogo a sua pdblica-
go, como trabalho que revela mais uma vez a
belleza d'aqueile nosso latelo e o amor com que
dispensa as raras horas de descango ao cultivo da
lilteratura amena. >
Um jornal da Horta i Fayal) constando-lhe
que as projectadas suppressSes d'algaos distrie
tos administrativos esta incluido aquelle, exclamou:
t nos que temos tantas relacoes com os Estados-
Unidos, o que {aremos T A exclaroaeo uu se
cominela, mas o opposiglo commentou-a e pre-
tende tirar partido d-ha I
O conde de Ficalbo foi nomeado gentil-ho-
mem da real cmara.
A folha offlcial publcou o decreto aprovando
o plano coocordado entre os plenipotenciarios os
Srs. Meadas Leal e P. G mi, para se levar a efTeito
a demarcago da liaba divisoria entre Portugal o
Hespanha.
Tambem foram publicados os tratados aooexos
ao da 29 de dezembro de 1864 sobre limites entre
Portugal e Hespanha, sendo u primeiro annexo o
regulameoto relativo aos rios liroilropbas enjre
ambas as oagdes, e o segundo o regalamuolo so-
bre as apprebeosdes de gados. .E-tes dous rega-
lamentos sao approvados por carta regia de 26 de
oovembro ultimo.
Na Revolugao id-se a seguinta noticia do tmulo
de Odonco Meadas, esse talentoso brasileiro que
tama gloria aleaogoa para a lilteratura do sea
paix :
f No cemilerio catholico de Kensal Green, em
Londres, destaca-se um tmulo, em cujas lapides,
cabeceira e aos ps do jasigo, se leem as segua-
les tascripcSes, fetas a casta da legaco do Bra-
sil :
MANOEL ODORICO MENDES
NASCEU EM
S. LUIZ DO MARANHA0
A
34 aa ja.samo db 1799 i
MORBEU BU LONDRES
&
17 db ago:to de 1864
SiB OS TITOLOS
M
VIRGILIO BIUSUBIAO
HOMERO BIlASILErBO
TRADZI0 BM VERSOS PORTUfiBIZ
08
DOUS GRANDES POSTAS.
Diz-se qae a traduecd de H imero comagoa .
ser irapressa a expensas de S. M. o I do Brasil
A da Eneida de Vi. glifo, j por nht.corre em mais
de urna edigio '..,,'"
No. dia 23 verflcou-se a trao'ladago'dos
restos monaes do Sr. JojJSmygdio da Silva Ca-
bral, secretarlo da legagiq portogueza emJlespa-
nha, qae fallecen ba pouco em Madrid. tMAUt
esperar oathaude a Badajoz varios amigos dospa-
do, sendo condiuido desde Madrid pelo bario de
rteg.
Diz-se qoe est marqaez o conde d'AviU



.^ i
_ K


I
1-



- -


felarlo de *Pttaml c Segunda f?lra 9 i de Janeiro de 18tV7.
___
sendo
iuuu feito pelos res ,e H-panha grande d L'HM.ittlBBido cera* ias p%l*tra3, e tendo ao
lasse. mesmo tempo em censideragio as melindrosas cr-
Contina a dlzer-se qae o viseonde da Praia cumstanctas do paiz, qae reclaaavam toda a coad
Grande ser, substituido brevemente na >asla da uvago ao ministerio, ao tocante aos negocios da
malioha pelo Sr. Meo Jes Lea
O corcsapondenle de ora jortial ao Porto dir
o seguinte **bre a importante-deseoberta de pas-
saportrs falsas que se fez agora era Braga :
c Descubri se no goverao civil de Braga urna
fabrica de pasaportes utegaeslito de pa=3a-
porks dados a individuos que nao podiara sahir do
relio, por esterero sujeityg o recr'utarento. Foi o
Sr. vizconde de Pindella, |ctem dea por esta frau-
de e averiguou-se que setn tres cn>ies desle anuo
se tioha concedido 65 dos meamos passaportes
os I En nao sei como" o governo proceder
negocio :pafpee; porm, segundo-ouvi, qa
andar pedir aos vossos consolados no Brasil
remess de ledos os passaportes de portogoez-3
idos de Portugal -nos nltimos'tres ou quatro annos,
aflm de se averiguar quantos documentos do mes-
mo oeaero se civis na melbor' f tem assignado. As miabas lr>
orroagBes nao me diiem como que o Sr. viscon-
guerra, nao hesitoa am instante em prestar ao go-
verao o mais decidido apoo em lodo o que pedio,
relativamente a solocao das diffleuldafles exte-
riores.
Est na coosejencia o lembranca de lodos o mo-
dos pelos commaadautes dos corpos, passain ao
servico. de comarca estraoba I
Desi'arte, a lei torturada e transgredida-, relaxa-
se a disciplina, a escala e os detalbes dos corpos;
aoiquila-se a condirao puramente local que presi-
dio a organisagao da guarda nacional, sendo ella
i so obrlgada a servigo fra do s>u dlstricl em caso
de ser preciso operar em guerra esterna.
"Que os destacamentos dessa lllca contlnnam a
': cado vos coDdatiri
| lares.
ler violento. Esta qualidade nio se emperdiga *f
toalmente I
Vicente Joaqqim de Miranda, eerr pilcado em pro- i Ah est grad, desd o priraefra lapide com
cesso de responsabilldade, foi dernitildo pelo Sr. 'que semeniasse esse templo em honra de Mara, at
conselheiro Paranagu. Nao servio para eata ad-| a ultima pedra com que rematas-es o seu aknboreo
minislrador, mas serve para o Sr. Fintbo em po-' o vosso nome, sim.jiesaas pedra^s se tradga o nvisi
ca de eleigo! de frei Serapi ira da Catania, que sera imraorre
afnda mais de ama vw a esses Cambiosobre Paris 393 rs. por franco.
; Dito sobre Hanbago-74Q rs. por m. b. (do banco)
frote de assocar para o Canal 32(6 5 0,0 por
abyb* rara o Canal 37| sem prit
'""lU.
, que sera
Parece qae o Sr. chefe de polica juroa por suas douro II. <.
- barbas fajer urna fallada nesta provincia l Perdoai-nos.se por ventura vossa modestia nos
dogeuertso porque procederam os eneres conser-1 serorganisados de ama paraobtfa comarca,certi- a ecarca do Limoeiro esta dando que fazer devla Irapr silencio os factos, praticados por vos
vadores naquella conjanctura ; est' ha conscieu- Oca-nos a botlcia qae acabamos de ter, de i
que na | aos dominadores I Por isto tem cestos ltimos das sao to sublimes, fallara to alto, que nao a nossa
cia e lembraoga de tofos os apuros em que enio comarca de Pao d Albo riotiflcara-se novos guardas' sdo apreseotado em palacio innmeras influencias
o Limoeiro, aflm de en-
de 52 pragas, qae Ja all
se achoa o ministerio, sem amigos qae sustea- para irem destacar pa
tassem robustamente as cmaras, e qu se leria grossar o destacamento
dissolvido dous oa tres dias depolt de sua ascensSo existe,
ao pudor, a nao vir em seu soccorro a patritica' Este expediente, que pela primtira vez foi lera-
opposigo do senado : entretanto, obtidos os favo- brado nesta provincia, actualmente presidida por
res, e encerradas as cmaras, como proceden e ara hberaf notavel, pode chegar a tal pinto, que
tem procedido o ministerio ? nenbama parclalidade poltica conservara' a sna
As blandicias e afagos forana logo substituidos maioria, desde que o governo qoeira reduir-|hc
de fra, priicipalmente as dessa comarca I
Mas as nao acreditamos que o Exm Sr. Silvei-
ra Lobo trate com elles de eleigCes.
por novos e mais profundos golpes sobre aquellos
tnesmos, que Ihe deram vida, e o salvaran das ter-
rlveis complicagSes do momento I
Presidentes ai hoc forana mandados para todas
do de Pindella ebegou a conhecer que olevavam a as provincias com a misso especial de sopplantar
assignar documentos illegaesmas a verdade que a opposicao constitucional oas prximas eleigSes I
conheceu o facto, e sei que tem desenvolvido toda ( Sera' isto proceder de um governo leal 7 Sera'
a energa para esclarecer este melindroso neg- respeitavel, e respeitado um governo qua desalent
-lo. Aqui tem a raio porqoe nio appareciam os na pratica o qae publicamente afirma 7
recrutas o os dislrictos lera urna enorme divida de Quem dina qae um ministerio, que tem como
soldados ao exercNb. chefe nm hornera que se diz lo versado as espe-
c Approxiraando estas fals8cag5es do incendio ; culagoes pbilosophicas do sysiema representativo,' tem serlas descooflaogas, nao podemos, por em
qne houve no edificio de Bragahaver toda a fosse o mesmo qae nao trepidasse em descarregar qaanto, acreditar que o Exm. Sr. conselheiro Silvei-
razo para perguntar se este foi prodntido ou mo-, o martelloda dictadura sobre acooslituigo do Ira- ra Lobo, denodado propugnador das liberdades pu-
tivado por aquellas T perio^cerceando pela base todas as regalas e sa- blicas, qae sempr9 trovejou na cmara dos depata
O tempo tem estado admiravelmeato bej- atares coodigoes do direito eleitoral 7
Queris saber como
os votante?, mandndoos destacar em tregoezTas
estranbas.
Nao licito Inflingir as-im a le, mxime qoando
val em prejuizo de ara direilo too sagrado como
o do voto, qae ten cada cidado.
E' notavel tambem, que se conflrmoa a noraea-
gao do Sr. Amaro Coatiabo para delegado do Li-
moeiro, o qae dissemos ter o Sr. Eraigdio Marques
vindo exigir, em viriade da promessa do mesmo
Sr. Amaro* de vencer a eleigo de Bom-Jardira 1
Entretanto, por mais que estes tactos nos desper-
lo. -Parece plena primavera em pleno detembro. Ha
dous dias porm oaixou a temperatura e descea o
barmetro alguns milmetros. Esta desde antes
de honlera um tempo fresco.
PEHHAMBUCO
REVISTA DAifi
Iso intuito de acautelar direitos e fazer pesar a
respectiva responsabilidade sobre quem de direito
fr, resolveo o Eira. Sr. presidente d tribunal do
commercio, queoSr. offlcial-maior bouvesse de la-
vrar urna verba declaratoria do dia da apresentagao
na secretaria 'aquelles requerlmenjps, que pelo
cedigo commercial tem ora prazo para isto defini-
do e fatal.
O Exm. D. abbade de S. Beoto libertando
dez cscravos, periencentes a fabrica de um dos
engenhos do seu mosteiro, mandou os apreseatar
ao Exm. Sr. conselheiro presidente da provincia,
para tomarem parte-na guerra coutra o Paraguay;
visto terem os mesmos aceito a lioerdade com essa
patritica clausula.
A esie acto de. magnanimidade daquelle venera-
vel sacerdote, acresceu o de proporcionar o mesmo
Sr. a importancia pecuniaria precisa ao fardameo-
to daquelles uovo soldados, que abrindo os olbos
a hberdade pessoal, o primeiro acto que pratieam
na vida livre, correrem a defenso dos brios da
patria; que Ihe conslituio a munifleencia do ge-
eroio interprete de orna corporagao religiosa
consciente do que deve ao.paiz, cojos interesses
nao Ibe sao indifferentes.
A laes actos, que em si ttazem J o seu elogio, o
qne tem a imprensa a fazer i apenas consigna-Ios
a ciencia de todos. Fazendo-o, nols, cumprimos
nm dever; e nesta satisfago do aever, vai o nosso
tributo de admirafao ao veneravel sacerdote, que
oonceoeu aida generosa e patritica, e aqoelles
qoe a execotam livremente e com enthasiaslico
fervor.
Os Srs. De Lailbacar 4 C. acabara de satis-
faier a urna necessidade, de qae nos resentamos
assaz, dando a publicidade o sea Memorial Per
nambucano, cuja aceitagao tem sido tal, qne so
poneos exemptares ja* restam delle.
Nao era, por certo, de esperar outro resallado a
esta publicago, quando vamos qoe a falta de orna
aproprlada ss nossas relaeSes, osava-se de urna re-
lativa ao Rio de Janeiro, que mal preslava-se as
necessidades desta provincia, como se concebe a
logo primeira vista.
E>te xito, por tanto, augura ao Memorial a con-
tinaago de vida nos annos subsequentes; e outra
eousa nao Ibe sabemos desejar, pelas vanlagens
praticas que elle iraduz em sen viver.
O Memoria/ Pernambucano um memento orga-
nisado na serie successlva dos dias, que formara os
meze-, e ctropletam o anno que corre; ao qual
elle destinado a prestar-se.
D vidido em duas secgies, contera a primeira
numerosas paginas em (tranco, as quaes sao regra-
das e marcadas no alto com o dia de cada mez,
com o flm de se notar nellas o que se fez ou o que
se lera de fazer em tal ou tal tempo, lembraoga
Indispensavel ao artista, ao commerciante, ao ad-
vogado, ao estodaote, a todos analmente, ama vez
todos mais ou menos, tem datas a conservar pre-
sentes a memoria.
A segaoda contera a sea turno ronitas informa-
c3es indispensaveis no oso da vida, e entre ellas
traz o systema mtrico decimal; a tabella de cam-
bios enire a Inglaterra e o Brasil ; os quadros dos
divisores 6xos do anno civil; a medicao dds pesos
e medidas do nosso paiz com relagao a diversos
ontros; as tabellas dos emolumentos do tribunal
do commercio, do sello proporcional, e do porte das
cartas; o regulamenlo sobre incendios ; o roleiro
telegraphico, e finalmente a iolcagSo do pessoal
de muilas reparligoe?-, associagoq, bancos, etc.; o
que anda mais o"recommendeapela falta de lma-
naks que a provincia hoje sent.
Esta obra vende-se someote na livraria franceza
a roa do Crespo n. ao prego de 2J00O por exem-
plar carlonado.
Amanhaa tem lugar o concarso a's cadairas
vagas de instruegao elementar do sexo feminino,
em numero de 2o.
Comogaram hontem a funccionar as juntas
do qualiBcago, ficaodo as mesas assim orgaoi-
sadas :
Sanio Anlonio.
Presidente.
Antonio Aoguslo da Fonceca.
Mesarlos.
Manod Antonio de Alcntara.
Joao Baptisu da Silva Prxedes.
Manoel Rymundo Pennaforte.
Jos Francj%w-de Paoia.
Lira Pedro Goncalves.
Presidente.
Lniz Antonio Gongalves Penna.
Msanos.
Manoel da Silva Mendonga Vianna.
Manoel da Silva Neves.
Lanriano Jos da Costa.
Antonio Jos Pestaa.
S. Jos.
Presidente.
Manoel Antonio Ribeiro.
Mesarios,
Francisco de Paula e Silva Lina.
Jos Francisco de Souz Lima.
BemariHoo de Senna Ferreira Leite.
Joao Paraphilioo Cavalcante. .
Na reguezia da Boa-vist nao se orgapjaoa a
mesa, por ter dado parte de doents o juiz de pax
respecitv*.
Chamamos a allencao dos leitores para cnlar da presidencia, acerca da eleicoes, que vai
sob a rubrica ParteOgieial.
O eserivSo dos protestos, Alvos de Brlto, est
de semana, a* roa do Imperador a. M, primerTo-
andar.
Amanhaa, a's 11 horas, se extrahira a 31*
parle da lotera a beneficio da% familias dos vo-
luntarios da patria (3"), sendo o maior pTemio___
6:000*000.
RPARTigAO oa. poucia.Extracto da parte
do dia 19 de Janeiro de 18)37.
Forara recolbidos a' casa de datengo no dia 18
dd correte :
A'iordem de subdelegado de Recife, Eduardo
Jos da Silva par* eqfrec{o. A' rdem do dele-
gado de Jaboato, Antoniqdos Santos Trevas para
eorreceao. O ctefe d> secso, J. t. e Mes-
quita.
W* i. ii i
dos contra os abusos das autoridades, e tanto es-
tigmatisou as violencias e tropelas eleitoraes.com-
mettidas pelo Sr. Silveira de Soaza em 1863, ve-
nba a ser o imitador dos alternados que praticoa
esse mesmo Silveira da Souza, com a aggravante
de qae S. Exc. encontra boje montada ama polti-
ca qae aquello coabe a tarefa de estabelecer.
Di que meios se lero servido os borneas qae
cercara o Sr. conselheiro Silveira
rancar-lhe medidas como estas de
S. Exc. qae'as recoosidere.
(jaereis saber como se consolida o rgimen
constitucional 7 pergunla enfticamente o Sr.
Zacharias, em ama de saas locubragSes de outras
eras. Eis o meio, responde o grande escbolastico :
t Se|a a cmara dos depuiados o resultado de
t eleicoes sinceras ; forme-se esta cmara, e se
< constitua de modo que provoque e sustente um
c bom ministerio. SXssm asabedoriado monar-
cba pode ser advertida utilmente, e ajudada com
< efflcacia. Destas condtgSes fundamentes depeo-
de o conseeuir-se o governo, qu capaz de as
segarar o tbrono, e satisfazer a nago. >
Ora quem dir', em boa consciencia, qae esta
bella inebria do actual presidente do conselho es-
teja de accordo com os factos, que se vao dando ac- res querem perturbar a>"eleigoes", tendo o Sr. Dr.
toalmente em todo o*paiz f Quem dir' qae a ca-. Luceoa acouselhado o uso do bacamarte, e o Sr.
mar futura seja o resultado de eleigoas sinceras I Dr. Alfredo pr'oratWido fazer a eleigo a ccete.
Eis-a.jui o que sao os estadistas da moderna es-
cola do progresso I Fprft.do poder pregara as mais
bellas tbeorias em aobindo a elle, sorvera de re-
pente no letbes do desfapamenlo todas as memorias
desea passadol
Sera'isso advertir a sabedoria do monarchaf
Nao sera' illudi-lo 7 Porque vos chama elle ao po-
dr 7 Porque vos considera um homem leal e
sincero. Mas o que acontece 7 Acontece que ape-
nas envergis a farda de ministro, direjs : Se-
nhor, o bomem das tbeorias, oo o homem. das
praticas. O que eu quero e Airear na copula do
poder, sem olbar para balxo, mas sim para cinta. I o goverao ser o primeiro a dar exemplo.
Agradar a quera me pode aoorescentar em honras
e dignidades agora todo o meu Oto e estudo.
Quem confiou em mim, que nao conasse que eu
mesmo nun:a conriei era mira. >
O persooagera perante quera esta scena se passa
ri-se, e se entristece I Ri-se da oomedia, e se en-
tristece de nao poder em coolinenti remediar o
mal de que se v cercado, nem Ibe ser possivel fa-
zer de um tartufo um estadista consumado e leal I
i ESCANDALOSO I
Acabamos de ser informados por pessoas fide-
dignas, qae a tropa quetrouxe os recrotas de Cira-
b es voltoo armada e municiada, cecebendo todos
esse's petrchos bellicos ho arsenal de guerra, sob
a inspeccao do Sr. Dr. Brlto mJico.
Sabemos mais que as ordens sobre destacamen-
tos da guarda nacional para diflerentes comarcas
contianam a ser expedidas com todo o apressora-
Vento.
Ora, perguntaremos a todos os horneas honestos
do Imperio: como se concilla esse proced ment
do governo com o reiterados protestos do Exm.
Sr. conselheiro Silveira Lobo, no tocante a absten-
gao as efeigoes 7 Dar-se-ha caso que S. Exc. es-
teja sendo tranido pelos seas subalternos 7 E se
assim nao nao pederemos qnaliQcar de citada
hprrivel esses protestos da adminlslragao 7 Como
tanta dobrez em presenga da nago I
Pois bera : por toda a parte o governo est ar-
mando a guarda nacional, para violentar as elei-
gdes. Nao sera' isso provocar urna conflagrago na
provincia 7
E como se priva a guarda nacional do direito de
votar 7 Como distrahi-ia do exercicio do mais no-
bre de seus direitos 7 Sera* escrava a guarda na-
i eional 7 E pode o governo sentar cidadaos li-
Lobo, para ar-' vres do curoprimeoto de seas direitos 7 Nao sabe*
qae tratamos 7 | o governo, qae na Franca e na Blgica a guarda
nacional, durante a poca eleitoral, esta completa
E' o que esperamos da lealdds do seo ca-1 mete desobngada d todo o servico activo, a nao
racter. | se dar o pengo Nao se deixe S. Exc. impressionar pelas insi-' occasionada por Invaso estrangeira 7 Sim, so. por
naagoes da gazeta Sttua^ao, de qoe os conservado- tt'.e motivo a guarda nacional empregada em
servlgo activo.
E por ventara d se eotre nos esse motivo 7
Nao ; o que ha arbitrio do goveroo, e o deli-
Isto nao passa da ora iriste manejo, para terem berado desejo de coofl grar tudo. Elle camgara'
os progressisti soldados que fagara a conquista com as consequencias do sen acto.
corre perigo. '
das urnas. A ordem publica" nao corre perigo. E
se orresse, nao seria a guarda nacional o iris da
paz. Um guarda nacional ara cidado que tero
suas affeigoes e sua pollica. Aqui ou all sera' ello
sempre o rae>mo.
Para qae, pois, alarmar a provincia 7 Se o inte-
resse do governo a paz, nao se prepare para a
guerra.
O raoviraento do tropa era qoadra aleitoral cons-
lime infrio da le. De obfd,eneia_ a esu, deve = -- -f
QUE MISERIA 1
Consta-nos que certo capito da guarda nacio-
nal da freguezia de S. Jos, se acha encarregado,
para; por meios reprovadis, arranjarom Individuo
que figure como antor em nma denuncia que se
prt-teode apreseotar contra o joiz de paz daquella
freguezia o Sr. Manoel Antonio Ribeiro, cora o
lira to somonte de nao presidir a eleigo I e ser
parece-nos qae nao, tanto
arre PfAi'.^K!2-!cSioohelo,a6" pre,ende a"egar ,od
-

Commrinicados
Partido conservador.
Interpellado no parlamento o Sr. conselheiro Za-
charias, presidente do conseibo, pelo Ilustre sena-
dor o Sr. Pimenta Bueno sobre a marcha e proce-
'er qne pretenda (er o ministerio as prximas
eigas, responden, com todo o entono magistral :
qoe gabinete nio se desusarla das regras da
noderago e bonestidade no processo eleitoral, e
pedia aos seas adversarios, qoe o nao jal-
ffssem antea de ver os seos actos. Koi este o
' uiexto, ou o sentido geral dos protestos do Sr.
csoselheiro Zacharias, E a opposijo constuucio-
AIMDA O ESCNDALO DE VILLABEIXA.
E' possivel um governp sem principios, sera opi-
nioes, sem talento, sem populandade, sem ener-
ga, nem rectido.' Mas c irapossivel um go--'i-rao
sera rooralidade, sem honra, e serp respelio pelo
decoro da auiorio"ade, e pela dffoidado nacional.
O governo perdulario conla alguns contos de.
res nago, qoe re.sgata, pelo prego dos desper-
dicios, os penosos sacrificios de nma pertarbago
nacional. O governo injusto, qae est acumulando
de ofQcios e dignidades os seas parciaes, e inven-
tando encargos e perseguigoes para os
versarlos, mo, mas anda pode ser
dos seus erros em nome da intolerancia partida-
ria. O governo que corrompe, qae mercadea, e
que ousa tudo, inclusive a corrupgo das conscien-
cas, dos votos e da palavra, para se mauter na
eternidade do poder, reprehensivel e culposo.
Mas nada chega as governo, que, pretenndo todas
as regras da probidade, todas as apparencias da
virtude, todos os preceitos da raoraiidade, faz do
crirae o pedestal de sua gloria, e o esteio de sua
cooservago.
Ha ne>te paiz actualmente factos, que nao en-
contrara exemplo na historia das nagoes mais cor-
rompidas, ou dos governos mais atrozes. Nem os
governos funestos do Baixolraperio, nem as er-,
es dos tyraunos mais poderosos pela torga e pelo
impudor apresentam precedentes ernelhante,s de
despreso manifest psia conjura moral da opiniol
Exemplidqnemos.
Quaodo fui cruelmente assassinado o Dr. Estevo
Fraoga era 1* supplente de delegado em exercicio
o Sr. Jos Epamioondas de Barros, loiraigo osten-
sivo da victima; e tao inimigo, que, nao obs
tante ser autoridade policial, nao deu o menor
passo, nem fez a menor diligencia para descobrir
e prender os autores do assassinato. Assim esteve
tu o, al que chegasse era Villa-Bella o chela de
polica, insuspeito por sua posigo e alliangas
polticas com o partido pr-ogressista. Cbegando
ao termo, e oavindo logo censurar o delegado
Epamioondas por sua conivencia e parcialidade
naqnelle assassinato, o ebefe de polica mosirou-
se odigaado com esses boatos conlra o sea dele-
gado, e procarou resalva-lo de lo feias imputa-
goes. Isto, porem, durou pouco. As suspeitas e
indicios se lornaram cada da to vehementes, qoe
o ebefe de polica, combinando-as com o procedi-
menlo esquivo do delegado as investgalas de
crime, foi compellido a reconhecer que o Sr.
Jos Epaminondas se acbava enredado no trama
sanguiaolenio, e que por conseguirte devia ser de-
mttido, o assim o fez, a bera do servico publico.
Esta deraisso foi aseotenga condennatoria daquel-
le fonecionario, e tao convencido Qcou de sea eri-
al?, qae nanea leve coragem de se justificar, nem
oenhum dos seus amigos polticos aqai da capital
ousoo defende-Io I
Poit bera; ninguem dira, depois dessa fulmi-
na gao, que o Sr. Jos Epaminondas podesse mais
ouoca ser delegado do termo de Villa-Bella, onde
seu nome se acha va vinculado a to triste acon-
tec ment I
Mas que I o mesmo governo que hontem o de-
mima com despreso, boje o chama para o mes-
mo posto, porque elle o homem proprio para vio-
lar a castidade da orna I Esse boraera pode ser
innocente. Pode ser criminosissimo. Mas qaem
nao tem de cero absolvigo nm governo que
em preseoga de urna to grave suspeigo, como
a que pesa sobre aquella cabega, oo se julga
desairado em reintegrar tal individuo no mesmo
lagar, de qae abasoa lo capitalmente I
Entretanto, anda queremos crer qae o Exra. Sr.
conselheiro Silveira Lobo foi Maqueado era sua
boa f, pois nao o sappomos capaz de descer to
balxo na escala da subserviencia partidaria. Nao;
nao fazemos esta idea.
Mas urna circumstaocia vira decidir definitiva-
mente o nosso julio. Consta-nos qae prenles do
Dr. Estevo Franca acabara de levar ao conbeci-
mento do Exm Sr. Silveira Lobo queixas e reclama-
goes contra a conser vacio do Sr. Jos Eparainondas,
e qae taes coasas disseram, que abalaram o espirito
de S. Exc, qu de certo nao estjooge de dtmitlir
o referido delegado. Essa .acto reparador temo
lodo o direito de esperar d 8. Exc, qae nao que-
rer manchar a sna toga com essas complicida-
des atrozes, qua para sempre degradara o hornera
publico.
Ha no partido progressista de Villa-Bella ontros
individuos, nao complicados nesse assassinato ;
porqne nao ba-de um delles s?r nsmeado 7
O ARMAMENTO B DESTACAMENTO DA GUARDA NA-
CIONAL.
A' diversos pretextos esta' a guarda nacional da.
provincia sendo pasta em attitude beJIica.
A cnsa-dlstOj era boa f, ninguem de^scobre. A,
provincia esta,' pacifica, nem symptoEcas de-per-
turbago poder o olbo mais perspicaz lobrigar nasJ
dobras de nm futuro prximo.
Porque, pois, essa quantidade de armamento qne
est sendo remettido para fra da cldade, e os des-
tacamentos da guarda nacional que esto sendo le-
vantados em diversos pontos 7
uravm que os agentes da autoridade nao a com-
promettam. i
O Exm. Sr. conselheiro Silveira Lobo, tero bas-
tante perspicacia e illustrago para conhecer aquil-
lo que paramente manejo de partido. Os seus
amigos polticos nao querem outra coasa sono sol-
dados para o assedit das urnas.
S S. Etc. convm nlsto, estamos certos, obra
com os desejos e instinctos d'elles.
Mas nao podemos esperar que S, Exc. assim pro-
ceda. As suas deolaracoes de imparcialidade forana
to espontaneas, qae, sem qae (eonaraos factes sig-
nificativos, nao podemos duyjdar ifellas.
EmquaMo nao vierem factos, o nosso juizo acer-|
ca de S. Exc. sera' o mesmp que formamos, ao cbo-
gar a esta provlneia. .
Nao (eremos davida ae iodicarmos o lagar oode
se tratou desta infamia, ama vez qae se nos abri-
gue a isto.
Publicares a pedido
A SITUAQA0
Para faier ostoplagao de for^a que, Da, tem o
partido-progressista casffictal, ti. a Situtfi: qe
seus a'i- 'os sonservaoores esto dtroosse da qoai totalida-
absob-ido de dos lagares da guarda nacional; que teem ami-
So; dedicados na magisuatura, e o Sr. viscoaie de
Camaragib oa direcioria da Facaldade de Direito,
cargo de alia Importancia poltica; mas quenada
disto aOronla o sea grande e poderoso partido l
Veja-se como a Siua^qp falta a verdade. Os da-
do estalisticos nao admittem davida.
Tem a provinca I7juizes de direito. Destes, s
quatro sao considerados conservadores^ Portanto
ticara a favor dos progressistas 13.
Em rnlago ans fuizes municipaes, entre mais
de 20, dous, ao que nos coaita, sympathisam
com as ideas conservadoras.
Uuanto a' directora da Fcoldade, agora que
sabemos ser cargo altamente poltico. Sabamos,
sim, que remunerado com quatro contos de or-
denado, o que faz bom arranjo ao Sr. Villa Bella,]
e ocollocai pelo menos, emquanto nao conclue as
palotas das docas e tramoias.
Sobre a guarda nacional, o que da' a estalistica
o segutdt : |S ,coinmandos superiores esto
confiados aos progressistas :
1 Boa-vista2 Exu'-3'PaJu*'-i BFij3 Ga-
ranbuos6 Limoeiro7 Pao d'Aiho8 Ro For-
mnso9 Olinda.
SO corpos, sendo comraandados por progressis-
tas os das fregaezias legrantes :
i Ingazeira2 em Cabrob-3 Tacaratu'4 Pa-
pacaga8 Buique6 Garanhnns, 7S. Bento8
Bonito9 Barreiros10 Agua-Preta-ll Una12
Rio-Formoso13 Serinhem14 Ipojuca15 Es-
cada16 Santo Anio17 Jaboato-18 Muribeca
19 Olinda20 IguaTassu'-21.Tejacapapo22
Nazareth-23 Pao d'Aiho24 S. Lourengo25
Cabo.
V-se, pois, qae tanto nos coramandos superiores
como nos coramandos dos corpos, est os progres-
sistas meihor aqoinhoados do que os conserva-
dores.
Acerca de ofikiaes subalternos, nao resta duvida
qae a maioria seja d'elle, porquanU desde o Sr.
S'lveira de Souza at o Sr. conselheiro Silveira
L ib ', teem todos os batalhSes recebido ofilcialida-
de nova, a pretexto de nao estarem aini organl-
sados.
Ora, um partido que esta' lo bem aquinhoado
oa magistratura e na guarda nacional; qne tem
por si a polica em peso ; que esta' apoderado das
mesas parochiaes; nao precisa de soldados para
fazer eleigo. Se os pede porque nao tem o apoto
da popalago. Isto evidente.
Mente, perianto, a Siluaqao qnanto a' estalistica
e quanto a' sua forga e populandade.
Se conta o seu partido com o apoio da maioria
da provincia, nao podo perder a eleigo, tendo,
como tem, os elementos otllciaes.
Renuncie, pois, o apbio das bayonetas; nos Aca-
remos pe/o socego poofco.
S asslra eonseguirr' coa vencer nos e ao paix
dessa aceitagao immensa, qae diz ter na pro
vincia.
lllin. Sr. Joaqun de lmeida unto.
O melindroso estado de sade em qae me achava
pelas sezoes, inflammacSes de ligado e bago, ven-
dme incbado e inteiramente prostrado, rae des-
amraoa, e de todo ticha perdido a esperanga de
cura, qaando a Providencia fez com qae V. S. pon
do em pratica seos conhecimentos fizesse da juro-
beba medicamentos apropriados a eura de taes en-
Rrraidades, ento reanimei e comecei a usar de
saas preparares de jurubebas, e gragas a Provi-
dencia me acbo bom, sendo pois V. S. o autor ira
mediato de mea reslabelecimeoto, pelos seus me-
dicamentos, venbo agradecer Ihe o ter V. S. minis-
trado a humanidade am allivio a seas soffrimentcs
e offerecer os meas pequeos servlgos.
Recife, 12 de Janeiro de 1867.
De V. 8. amigo e criado
iot Elesbo Borges Uchoa.
D1SCAHIDA.
A Suaqao tambem manqaeja de um olho. Se
nao fra isto, nao noticiara qne o Sr. Dr. Catanho
estivera em Capoeiras, conferenciando com o Sr.
conego Campos, ao sentido de revolucionar a pro
vincia, pu o 5' districto eleitoral. O Sr. Dr. Cata-
nho nao arredou p da sua comarca '
Tambem inventen ama histeria de morar o Sr.
coronel Correa, de Goyanna, fra do districto dp
baialbo de que comnandante, e nada diz sobr
es SrS. Epaminondas da Cunta e Manoel Leo, que
forana nomeaos pela Ixga comoiandantes de bata-
Ihoes estranbos aos distrlctos em qae resldem i
O qoe lcito aos progressistas, crime nos
conservadores ?
Mas isto (,uer dizer qae esto arranjando cama
para a remogao do Sr. Dr. Catanba e destitaigao
do Sr. cerooei Correa I
Que cavalleiros leaes, qae sao esses progres-
sistas!
Inimictias ponam inter te e
mulierera; intir semen tuum et
semau lillas. Ipsa eonteret caput
tuum.
(Gen. III)
-Qaanto mais o espirito das trevas e infunde em
seas sectarios,que vomitando blaspbemias arremes
sam seas dardos impregnados de virus satnico
contra a igreja de Jess Chrislo e sna M3i Mara
Santissima; pura e immaculada, tanto mais se ve-
rificara as palavras do Omnipotente, prometiendo o
desaparecimeoto do reino de Satanaz, da face da
trra; qae Mara, a casta Giba de Srao; a Arca da
alliaoga fiuluaria serena por entre a tempestada
infernal; esmagando a cabega do seductor dos
oossos prlmeiros pas.
Em vo a libertinagera propaga o indeferentismo
religioso; eis abi; o dia 8 de dezembro em qae o
Rvm.frei Seraphim da Cataoia, benzea a respeitavel
imagem da Conceigo, que deve ser collonada no
fontispicio desse magestoso templo coovencendo a,
de que saas artemanhas ja mais podero refecer
coragoes que se achara abrasados pelo amor da
sacrosanta religio do Crucificado.
As i horas da tarde, peraqte mais de tres mil
pessos o Rvm. misionario, com dous ministros
assisientes benzeu a imagem da Conceigo; ima-
gen) tao bella e lo perfeita, de qae j em outra
occasiao nos occopamos; em seguida benzeu seis
ornamentos para a celebrago do santo sacrificio da
mHsa; em todos os fiis, esses Sinos de Maria
Santissifia se vlsava a alegra, por verem de da
em dia contados os seus latentes. Honra e gloria
ao virtuoso capucbmbo, qoe protegido por Mana
Santissima, tem afastado a penumbra, qae intriste-
ci Pedras de Fugo fazendo collocar essa estrella
qae se radia nease Jugar, onde ontr'ora pareca
que o espirito das trevas pairava sobre essa bella
colina to rica de done naturaes.
Logo depois da bengo o digno missionario oceu-
pou a cadeira.da verdade elaboren um discurso
em o qual pz em relevo as virtudes de Maria; o
seu poder em o reino do cus, dessa cooredempto-
ra do genero, humano; dessa, que antes qae o
Omnipotente dsse ieis a teda a natureza criada e
fizesse surgir do nada esses globos laminosos e
tragar-Ibes saas rbitas j exista: Nondum eranl
abyssi, et ego jan concepta eram (Prov. 8) nesse
mesmo discurso em sua uerorago deprecoa a Ma-
ra Sdoiissima, que se diguasse aicancar do Seobor
dos exercitos a victoria do imperio dn Santa Cruz
esmagando a cerviz do despota do Parag'" y dessa
fra sedala do sangos brasileiro.
E posta a imagem a adorago rendeu a. salva
anv*ooto de ris; d'aqui se conhece a grande con-
currencia do povo e o araer e dedicago dos filhos
de Maria, qae em todas as occasiSes tem mostrado
esse afn qoe s a religio pode inspirar; mesmo
aquellos qae se achara cora o coraco delacerados
pela a vareta j mais ihes trema a mi aate frei
Serapblm 1
De .relio, o Rvm. frei Seraphira tem dado ama
vida real a Pedras de Fogo, sna fama tem airaves-
sado muilo alm de nossas plaga.
No da 25 suba a imagem ficaodo collocada no
nixo do frontispicio para garbo de Pedras de Fogo
onde Maria se mostra radiante fazendo iottnorre-
douro e nome do seu servo: frei Seraphim de
MAIS NOMBAQOS POLICtABS.
fr
Contianam as nomeagdes policiaas a' sorpelfa.
Quatro ltimamente feis, delxaram como as ou- occasiao
tras de serem publicadas I
Qua nos conste, tem o Sr. ebefe de polica pro-
posto e o Exra. Sr. conselheiro Silveira Lobo, no
meado 57 cabos eieitoraes, muitos deltas ja' gastos
e despresados por cutros administradores I
As quatro ultimas no mea oes foram : A
Um sopplente de subdelegado para a Paco da
. Paoella ; nm delegado para o Limoeiro,.e dous
Dir-se-haque a admlnistraco aventura-se a' con- subdelegados para Bom Jardim e am para a Var-
qulsta das urnas ?
Nao de cr-Io, se as palavras do Sr. conse-
lheiro Silveira Lobo nao foram, como nao licito
suppor. am lace armado a boa f e credulidade
dos partidos em opposigo.
Mas notavel o que, se esta' fazendo na provin-
cia. Esta' suspenso o recrutamenlo, e os recria-
dores andam anda, derramados pela provincia,
como orna ameaga viva a' populago I
Os destacamentos da guarda nacional, se orga-
nisados ns saas localidades, sao eorapostos de pra-
gas escolhidas pela polica, noraeaodo a presiden-
cia os ofBciaes p*ara commanda-los; se organisa-
zea-l ,*
Em outra occasiao dissemos qae o Sr. Emlgdio
viera do Limoeiro conseguir a noneaco do Sr/
Amaro Coolioho, que -premettia, como delegado,
vencer as eleigdeg. O que se espalhou no Limoeiro
verificouse I
Pois o Sr. cbjfe de polica pao foi pilhado de
sorpreza. Sobre o Sr. Amaro Coulinho. dea o ex-
juiMe direito daquella comarca informofdes, qne
nao seriam despresadas em pocas, em foe a mo-
ralidade nao estivesse banida.
Qaanto aos dous subdelegados de BofJardlm,
Antonio uuarte, quasi tem o mrito de wu carac-
Catania, m
. Quando
em que n
rio annun
pathetico,
essa retn
lado a algn
liria a- sna
gnba.
achava repassado de alegri ,
dezembro o Rvm. missiona-
ndo-se per essa
scurso o mais
dem sugerir;
sa tinha reve-
iovo nutria que
Deus que tante
oml judo isso influa pitarque o povo fosse aba-
lada al as ralzes de sea coragal Jimais bouvo
alguem que podesse canter as lagrimas e os soluop
o oais bello qnadro que alegrava Pedras de Fugo
e Ibe da va vida, cobrio-se decrepe........ Era
tocante ver esses devotos da Mil de Deus, vindo
de diversos e longiquos lugares fuecem as suas
dosped,idas entre lagrimas abragos, e solugos.
Conhecemos perfeitamente os deveres, que ligo
a nm missionario apostlico, em qoalquer parte
que esses dorares o cbamem elle corre pressuroso,
anda qae se Ibe assomme o martyrio, a semeiar o
grao de mostrada e seifir o joyo do trigo.
Acceltai frei Seraphim obrelro memoravel, o
nosso corago ebeio de saudades e recordagoes, e|o
adeus desse povo, que carpe a vossa ausencia,
embalado com a esperanga de vos temar abra-
car ; Maria Santissima a quem tanto leudes glorlfi-
bumllde e tosca peona que far realgar mais essa
aureo^que vos c rcunda.
funro, 13 de Janeiro de 1867.
W.
HUMA VIDA SALVA!
Nio temes eenliecimento algum de nculium
caso que tio perfeitamente mostr d'uma ma-
neira a mais clara e persuasiva o pWer da
Sciencia Medica sobre & molestia; qual neja o
de AKTOMie Joao,tm Periba, da Ilahia.
Esto homem infeliz liavia mais d'um anuo qne
ooffria as dores as mais atrozes e pungentes
proveniente de
Treze
Tcrriveis Cliagas Akrtas
espalhadas por sobre differentea partes de sen
eorpo, sendo urna das quaes sobre o pelto do p
urna fonda e maligna chaga, a qnal o privara
de andar, cuuzano-Uio as dores as mais agonj-
antes quer do da qaer de noute; continuada-
mente atormentado por taes afBicces e dores,
e quasi que aborrecido da continuado de sim-
Uhanto vida, tendo ^tosto de parte toda a f e
cojilisnra em medecinas, e na rcalidade pareca
qu para elle nio Ihe restara mais esperan ca
alguma; assim pois resignado esperara cota-
paciencia o termo final de seos mutiplicadoo
goffrimentos, eis que milagrosamente por for-
tuna sua Ihe receitaro o grande purificador
lo sangue
A Salsaparrilha
Dt= BRISTOL
e mediante a sua grande eficacia e exeellencJa .
elle se achou dentro de pouco tempo, livre do
sen irremediavel estado de desespero, e a doce
e risonha esperanza tornou de novo revivsx
em sea coracSo; sob a ]>oderoza e benvola in-
fluencia deete admiravel medicamento, aa suas
shagas em breve principiarse Resumir um ca-
rcter fiavoravel diminuindo o aspecto de sua
malignidade. A massa do sangue e mais
humores do systema tornou adquirir um
apparencia clara e saudavel, as dores ator-
mentadoras d'outro ora o deixarao, e urna dooe
suave tranquillidade principiou precorrec
todo o aeu systema, restaurando-lhe a desejada
paz e socego d'espirito; ae cliagas urna urna
oe lorio fechando at que finalmente se cica-
trizaro d'um todo, e hoje acha-se perfeita-
mente nao, goBando d'um perfeito estado de
ande, depois de se ter visto privado d'eete
grande gozo durante mais d'um anno. Elle
durante esta sua cura,, apenas fez uso de
Besasei garrafas da Oenulsa Salsaparrilha
de Bristol, preparada exclusivamente por
LANMAN & KEMP,
De NOVA YORK.
Becommenda-se mui particularmente aos
Doentee d'ambos.os sexos, que empreguem
toda a cautella na escolha d'este admiravel
remedio, aflm que n3o obtenhSo outra conv
posicSo qualquer, que nao seja a Salsaparril-
ha Genuina de Bristol, pois que todas as
malo preparacoea e imita^oes d'esta naturez*
lio talaas nao possuindo virtude alguma.
IM I I I
Aos parochianos do Recite,
Um dos votantes desta freguezia que omito se
inieressa pela causa eleiteral, e tendo conheci-
mento dos verdadeiros liberaes, apreseota aos vo-
tantes desta freguezia os Srs. abalxo mencionados,
e que c nlirma os seas votos, porque sao lint raes
de-pidos de imposigoes.
Dr. Manoel Francisco Teizeira.
Antonio Jos Silva do Brasil.
Arm nio Pessoa de Albuquerque.
Joao Gomes de Oliveira.
Manoel da Silva lleves.
Dr. Joao Raymnndo Fereira da Silva.
Jos de Aqoino Ppaseca.
Inoocencio Xavier Vianna.
Loorengo de Albuquerque Mello.
Audr Xavier Vianna.
Manoel Tertuliano dos Res.
Dr. Lanriano le Motaes Pinheiro.
Padre Antonio Manoel da Assumpgo.
Candido Alfonso Moreira.
Pedro Barral da Costa Soares.
Jos Raymundo da Natividad Saldanha.
Antonio Raymundo Paes de Lima.
J?deo Forgaz de Lacerda.
Jacintho Ribeiro da Loz.
Augusto da Silva Manta.
Cosme Jos dos Santos Callado.
Joao Francisco de Paula Ozorio.
Antonio Rufino de Andrade Luna.
Ileicao dos devttos, qae teen de fes-
tejar Senhr de llomlim, para o
auno de 1868.
Provedores.
Os films. Srs. :
Francisco Gongalves ftetlo.
Antonio Jos Coimbra Guimaraes.
Provedoras.
As lllmas. e Exmao. Sras. :
D. Candida Cecilia da Cunha Molla,
Candido Alberto Sodr da Molla.
D. Anna Correa do Alraelda Carneiro,
Sr. Manoel Jes Carneiro.
Provedores por devogao.
Os Miras. Srs. :
Jos Teixeira Bastos.
David Ferreira Bailar.
Provedoras por devogao.
As lllraas. e Exmas. Sras.:
D. Jamaria, e-posa do Sr. Joaqaira Laii Vieira.
D. Joanna Victoria de Brito, esposa do Sr. Tliomat
Fernands da Cunha.
Escrivo.
Os Illas. Srs. :
Gailhoroas Halliday.
Alfredo Garca.
Escrivaas :
As lllmas. a Exmas. Sras. :
D. Mria, esposa do Illa. Sr. Manoel da Silva No-
gnoira.
D. Venancia Clarinda Pinto da Costa.
Thesoureiro.
Manoel Jos Moreira.
Procuradores.
O Illms. Srs. :
Miguel Carlos de Parir.
Antonio Pires de Carvalbo.
Mordemos e Merdoraas.
Todas as passeas que passarem a, testa no'sta ci-
riade de Olinda.
O eonego-cura, AnUnio Jos ie Souz Gomts.
Dito da
raagem
Macelo,
Secretario.
Ciixa hlial d fcaaei de Brasil em
Peruanibuco aes 10 de. Janeiro de
4867.
Be ordem da directora te faz aolnte aos io-
nhores accionistes que o inesooreiro este' anior-
sido a pagar o 56 dividendo das argdes desta cas-
' xa a rar&o de I2.
O gaarda-livros
Ignacio Nones Crrela.
novo um m per
NAMBUCO.
O novo banco paga o se-
cundo dividendo de 4,4 OjO
da massa fallida deJoaqnini
Jos Silveira.
Nove Brneo de PeiBamiiBce.
O Novo Banco faz o 17* dividendo do 5} por
accao.
ALFANDBGA.
Rendimento de 1 a 18 do correle... 528:7i9712
dem do dia 19................. 49:873*567
378:683Jli7D

esposa do Sr.
esposa do
COMMEBCIO.
-------------------------------1------------ir*---------
PRACADO RECIFE 19 DE JANEIRO
DE 1867.
As 3X horas da urde.
Assocar. mascavado purgado24350 | r arroba.
Coaros seceos salgados155 ra. por libra.
CambioSobre Londres 90 d/v 24 l|i e 24 38 .
por l&
CambioSobre Portugal 90 d/r en sterltuas 24
1|2 d. por If
MOVIMENTO DA ALFANDEGA.
Velumes entrados com fazendas..
t gneros....
i
Volumes sabidos com fazendas...
i gneros-----
83
-

201
349
Descarregam boje 20 do correte.
Brigue ingle- Queen of ihe Fa-baealhao.
Brigue inglez-/uro-idens.
j Mate americanoJtssxe A. Woodhouie -r- nerca-
dorias.
; Patacho inglezAmanda Jean\eco.
rgue inglezPonrcirvo.
arca inglesaCharl Wood dem.
Barca inglezaIsabella dem.
, Barca francezaNo\iem.
Lugar inglezCaledoniadem.
Brigue boliandezPerseverancecharquo.
Escona hollandeza De Vrede__idem.
Brigue argentino Volantedem
Brigue nacional;prrancadem.
Paiacho portogoez- Oarret- dem.
Patacho banovenanuConcordiaidem.
Importat;o.
Patacho inglez Amanda lean, entrado de Nevr-
York, consignado a Miguel Jos Alves, manifeslcc
0 seguinte.
100 barrts com breo, 100 caixas com oleo de
kerosene, 300 saceos com farelo, 100 barrilinhos
com banba, 92 caixas com machinas para algodo,
1 eaixa com moldaras ovaes ; a Domingos A.
Matheu?.
20 barricas com banba ; a J. J. Gongalves Bel-
tro.
76 barrillnbos com banha ; a Ante nio da Silva
Azewdo.
- 16 caixas com machinas para algodo ; a M. J.
R. e Silva & Genro.
3004 barricas contendo 1075 feixes de adoel)asr
271 ditos de arcos, e K6 ditos de lampas para
ditas; a viuva Moreira i Filbo.
20 caixas com aguad. Florida, 22 ditas com salsa
parnlba, 1 dita com pilullas, 3 ditas cora ditas re-
guladi ras, i dita com drogas, < 24 ditas com ver-
mfuga ; a Joao da SilvaTaria & Irraao.
4 barricas com candieiros completos, 1 dita
com bacas, 2 ditas com chamins; a Lima &
Cunha.
10 caixas com agua da Fbrlda, 1 barrica com
raodieircs e torcidas, 1 caixa com machinas para
costura e pertences, 21 caixas e 2 volumes com
relogos e 10 caixas cora oleo de kerosene ; a or-
dem.
3005 barricas atadas; a Caadldo Alfonso Mo-
reira.
RECEBEDORIA DEPRENDAS INTERNAS
GERAES.
Rendimento de 1 a 18 do correle 17:88367'
dem do dia 17................ 320*370
18:2O4fi0K>

PRAQA DO RECIFE
19 DE JA.VKIK HE l9.
A'S TRES HORAS DA TARDE.
Revista seaatanal.
CAMBios.-rSaccou-se sobre Londres de 24 % a
24 1/2 d. por 1, sobre Paris de 390 a 395 rs. por
fr., e sobre Lisboa de 115 a 120 por cento de pre-
mio, sendo o valor dos saques effectoados nesta se-
mana 19,000.
Algodao. Veodeu-se o de Pernambuc de
15300 II5200 por arroba ; e de Macei, posto
a bordo, a 155300 ; o da Parahvba, lamben posto
a bordo, de 15,8800 a 175O00, e o de Rio Grande
do Norte a 175.
AssacAR.Vendeu-se o branco de 31(480 a 45300
por arroba, o somenos de 3*100 a 35200, o mas-
cavado purgado de 25400 a 2*600, e o dito bruto
de 15900 a 25300 a dita. ^JB
Ag-aroentb.Vendeu-se de 35000 a 64*000
a pipa.
Coraos Os seceose salgadosvendram se de
150 i. 160 rs. per libra.
Arroz.O pilado da India vendeu-se de 8*900
i 35 a arroba, 6 0 do Maranhao a 3*200.
Azeiti noce.Vendea-se o de Lisboa 2*7 galo -
Bacalho.Era atacado vendea-se a 14*600 a
barrica, e a retalho de 15* a 16*500 a dita ; fi-
caodo em deposito 17,000 barricas.
Batatas.Vendram se a 450 rs-. a arroba.
Bolachinhas.fdem a 3*000 a-!arriquinha.
Caf.Vendea-se de 5*000 a 5*200 a arroba.
Cha.Idera de 1*800 a 2*400 a libra.
CBRVEJA.-Idem de 5*600 a 7*000 a duzia de
garrafas.
Farinha dr trigo.A de Philadelphia e france-
za venden-so- de 24o00o a 25*000 por barrica, a
de New-York de 20*000 a 23*000, a de Baliirao-
re de 23800 a 24*000, a hespanhola a 14, a do-
Trieste te 25*000 a 26*000 e a do Chile de 10*
a 11*000 o sacco ; Bcando em deposito 10,500 bar-
ricas e 13,000saceos, sendo : 1,300 da primeira,
400 da segunda, 4000 da terceira, 2,300 da qar-
ta, 1,600 da qainta, 7,000 da sexta, e 13,000 saceos
da ultima.
Louga.A ingleza ordinaria veudeu-se toni 34e
por cento de premio sobre a factura.
Manteioa.Venden se a ingleza de 720 a 750
rs. a libra, e a franceza a 9t0 rs. a dita.
Massas.Venderam-se a 8*tJ0O a caixa.
Oleo de unhaca.Ven>n-e a 2*800 o gallo.
PASSAS.-Idem a 4*800 a caixa.
Presuntos.Venderarn-9e a 16*000 por arroba.
Qdkijos.Os Qamengos venderam-se de 2*300
a 2*400 eada um.
Sabao.O Inglez vendeu-se a 150 rs. alrbra, o
do Mediterrneo a 240 rs. a dita.
TouciNHo.-Vendeu- o de Lisboa de 8*0#O
a 9* por arroba. '
VnA6E.O dePorlfil vendeu-so de 85*000 a
lio* a pipa.
Vikbos,-Vendern* os de Lisboa de 180*
190* a pipa, e os de outros paites de 167* a 185*
a dita.
Velas.As de comportan venderam-se a 80
rs. por paeote de 6 vela.
DkscoHTOS.O rebata de letras rogulou de 8
10 par cento ao anno.
Frbts.Pal-a Liverpool, pelo algodo jy, a */
d. por libra 8% a navio de vela, o '/ a "ft d. por
libra 5'/. a vapor, pete lastro 17/6 20/per to-
nelada 5 "/.; carregaando na Parabyna '/ a 3/t d.
por HBr % -x ideu na Bio Grande de Norte %
por libra 5 % ; Pra o Canal 31/8, 8 / por to-
nelada earregando u.oi;e 37/6 sera primagem car-
regando na Parabyba.
m
MWBKEHT9 BO POMO
Nacaos aludos m dio 19.
Liorpooi brigae inglez Nevo, capito I. Ienkin.%
carga assucar e algodao.
Aiitilhaspatacho Inglez MoryBtll, capito Wiiit
em lastro. 1 1
______





'-. M \
M
'

'
.*-

t1
*>
?
' -'Vail!lUiiBw


JHU V......

Diarlo de Pernambuco ftegnuda feir *i de Janeiro de 1867.
Observa/fio.
lo houvrram entrada.
- 20 ja.
JNao houveram entrad* Dem sahida?.
06sfrp Bordeja no lamaro a espera da mar a galera
raceu Aiek.
EDITAES.

'

l*
Tararte atmara rannicipil desta cidade es-
tarlo ea> praca nos das 16, 19 e 23 do correle
para serem arrematadas por uoem por meoo,,Beer,
nao saobra d calamento da estrada que onduz
ao matadaoro publico, na largura de Time eco
palmos, cafo calgsmeuto ser leito depedrasOre-,
guiar*, se oa Umbeto* a- do muro de encost do
lado do naneante da mesma estrada ; a prianalra
obra oreada ero 7:M0*. a a segunda m de...........
4:656|J960 rs. ; aquellas qae pretenderen arreraa-
tar taes obras, pdem comparecer no papo munici-
pal nos dias indicadas manidos di fiadores que ga-
rantan) a arrematarlo, devendo serem apreseota-
das as habiliUQOstres dias antes n respectiva se-
cretaria, para serem examinadas onde eocontraro
os oreamentos das referidas obras para concertar.
Pago da cmara municipal do Recife, 9 de ja- j
cairo de 1867.Gustavo Jos-do Reg, p. presl-j
dente.Francisco Canato da Boa-viaem, secret L
tarlo.__________'_________________I
De ordem do Iilra. Sr. inspector da alfanie-,
f. se faz publica que tica transferida para o dia 23
do correlo, a 1 hora da Urde, & arrematarlo da
ca n. 35, da marea I C D, contando cabos de
chifre com gaarnieo de metal para cachimbos,
cigarros e charutos, annunciada para boje, visto
nao ter comparecido licitante.
Alfandega de Peraambuoo 19 oVftneiro de 1867,
0 3* escriptnrafloMi
Eutychi Mondim Pe-i apa.
A camra municipal desta cidade tendo de
andar demiir por utilidad* pub ica a casa n. i
da ra dos Pires,'desapiopruda ltimamente para
esse fin, pelo presente p5; em prac,a nos dias 19,
21 e 13 da erente para serem arrematados por
[aera maior preea oflareear, nao s os materiaes
que resultare! da iaujolicao que j'ra* fcia pelo
arrematante, se nao tambero a pequea porcia de
terreno parteoceote a raesma casa e que flea reco-
Ihida da ra, qaell-.s quj pretenderen arrematar
urna eotilra ctusa, eomparegara no pago rauoici
pal em os mencionados das.
Pago da cam>'u municipal do Recifa em sossao
de 16 de Janeiro d.; 1S67. Gustavo Jos d< Reg,
aro-presidente.Francisco Canuto da Boa-vlagem,
secretario,
i I......
Fian-

/


>


I II "

m
2EGLAHAC0ES.
A lllm i. junta administrativa da Sadta Casa
de Misericordia da Recrfe recebe propostas para
arreudameoto das casas abaixo declaradas, as
qaaes achando-se arruinadas, serio arrendadas
pelos pregas mdicos a queaa se quizer ncuiubtr
de concern las :
B-rtabliVMfo-nto de cuidado.
tua Bireita n. 33.
P>ua da Moeda n. 37.
Una do Pharol n. 7.
ttua dos Ceeibos n. 9.
Becco do Abreu o. 2.
Patrimonio dos orphaos..
Rua do Burgas n. 19.
Hua da Cacimba n. 19.
Sua do Auorim u. 25.
Os p_retendem.es phra raelhores esclarecimentos
podero dirigir sea secretaria.
Secretaria da Sana Casa de Misericordia do Re-
cife, 20 de delato oro de 1866.
O escrivo interino
Pedro Roirigv.s3 de Souza.
Sania CasT da MneliCbNia d> Recife.
Tendo de findar-sa em-30 de janho do corrente
anno o arrendamiento do sitio da ilha do Nogueira,
propriedade da Santa Casa de Misericordia, a
Illma. junta administrativa manda fazer publico a
quera convier par que cora antect.deucia o vao
exaoinar. afim de apresautarein suas propostas
que.sero recebldas nesta Secretaria, onde se da'
rao todos os esclareciaienttts precisos aos1 ioteres-
sados.
Secretaria da Saota Casa de Misericordia do Re
elle, 17 di jantiro da 1867.
O escrivo interino.
Pedro Rodrigues deSonza.
Saata Casa da Misericordia
do Recife,
A Illma. jautn administrativa da Santa Casa dt
Misericordia do Recife manda fazer publico one
oo.dia 23 do corrente pelas] 4 boas da tarde na sala
desuas sessoes, tero de ir i praga a renda das ca-
^as abaixo mencionadas para serem arrematados
por aloguel pelo teaapo de um a tres ancos.
Os pretenderles develo apresentar carta de flan-
ea oa serem acompanhados de seus fiadores oo
cora cartas dos mesmoes.
Estabelcciaienlos de caridade.
Rua da Cadeia do Recife.
Sobrada de dous andares o. 57 1:200,8000
Roa dos Pescadores.
Gasa terrea n. 11 .. .. 216*000
Rua da Gloria.
Casa terrea n. 35. i. 144*000
Rua do Calabouce.
Casa terrean. 20 ..... 192*000
Patrica* uie de orplios.
Rua di Cadeia.
Sbralo da dous andares n. 57.
M idre de Deus.
Casa terrea 94........
Rua de Pilar.
Casa terrea n. 94. .
Sitib do Forno da Cal n. S. .
Secretaria da Santa Casa da
Recife 17 de Janeiro de 1856.
O escrivo interino,
Pedro Rodrigues de Souza.
da Misericordia do
Recife.
O lllm. Sr. tbesoureiro interino da Santa Casa
de Misericordia do Recife, capito Vicente de Pau
aOliveira Villas-boas, no dia 22 do corrente (ter
casa dosxpostos, fara' pagamento das mensali-
dades vencidas at dezembra findo, as amas que
se apreseatareni com as criangas que Ibes foram
confiadas.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recite 15 de Janeiro de 1867.
O escrivo interino
dro Rodrigues de Souta.
THE4TR0
DE
i ISABEL.
EUPRE4-C0HIBR.I.
Quarta feira 23 de janro.
Djvertl ment concedido pelo Sr. Antonio Jos
finarte Coimbra e o artista Julio dos Santos Pe-
reira.
EM BENEFICIO DO
HOSPITAL PORTGEZ.
V'ov) itrMrdimri e variis tivertiaento it
atiarettes *%m jski, peps eesmeas e
verdadeira reitid:fitasi*
Depois de ama eseuihida oavertara, serlo aber-
tos os trabalbos pelos enigmticos e inexpllcaveis
effditos qoe tea por titulo
A SU A DOSSEGREDOS
Os mysteri s do diabo.
PRIMB1RA PARTE.
A garrafa diablica oa as cartas obedientes
mpalmaeSes e passagens visiveis ou a lava en-
cantada.A gaiola mgica oa a desapparigio ad-
tniravel-o eacripto incombtMtivel.Efeltos pro-
diziosos oa k laraojreira Ao paraizo.
SBGXDA PARTE,
tsta parta aera* preeocMA pete tito admira-
re joven artificial, primeiro oeste genero
VAUBA
O
o nmm do 4t.
AVISOS WARIT1W0S
COHPl^lIi S a ASILE IR A
PAQUETES A VAPOR
Dos parias da sal esperado
at o dia 22 do corrente nra dos
vapores da comaaohia.o qual de-
pois da demora do costume se-
guir' para os parios do norte.
Desde ja recebem-se passageiros, e engaja-se s
carga qne o vapor poder coniiuir.a qual.dever ser
embarcada no dia da sua chegada; encommendas
dioheiro a frete at o lia da sahida as S -horas da
tarde. Pievrae se aos Srs. passagelrds qoe as
passageas s se recebara ni agencia rua da Crnz
n. 1, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira Aie-
vedo & C>'
Pretende segoir cora brevidde para e indicado
porto o v.ileiro brizna escuna nacional Graciosa
':tao Silva Ratis; para a pouca carga qae Ihe
filta trnta-se cora o respestivo consignatario Anto-
nio de Almeida Gomes; a rua da Cruz n. 23, Io
at:dar. *
Vende-se o palhabote portugoiei Rlizta, en-
trado ha ponco de Lisboa, de lote de 73 tonelada?,
c navio novo completamente aparelhado, constrni-
do de excelentes ruadeiai ufjrradj de metal es-
ta viagem : quera" pretender dirija-se ao seu con-
signatario E. R. Rabello, raa do Traeiche n. 44,
secundo andar, ou com o capitao Manoel Lppes
Piolo a bordo do mesmo.
Para o Rii de Paaieiro
Pretende seguir com milita brevidade a velelra
beai conbecida oarca Jio de Janeiro, tem parte
d seu carregamento prompto, para o resta que
Ibe falla c escravns a freio para os qxraes tera ex-
cplleotes ciramnln trata se cum, os seus consig-
natarios Antoni) Luiz da Oiiveira Azevedo & C..
uo seu escriptorio rua da Cruz n. 1.
. 1:200*000
. 168g000
. 168(1000
. 15*Oa
Misericordia do
Santa Casa
Esle joven por demals extraordinario em scus
trabaios, fara' difFiceis exercicios sobre a corda
bamba, a cosnbinaca i de um lio bello segredo
lona-s bastante admiravel. Viraba tem traba-
liudoem quasl todo o Brasil, muitas vetes em Pa-
rs, onde fei sempre applandide e admirado. Dei-
zemos qne seja visto pelo publica desle logar e
rtta que Ihe d o devido raereclmeuto I
Esta parte sera' oreeochida pelas admiraveis e
sublimes combinaede< que apparentemente, como
as vistas disolutivas lera por denomiuaoao.
TErtCEIRA PART.
Esta parle sera' preeucbida pelas admiravei; e
subllmos corobioacSes, qoe, apparenteoBeble. c-
ao as vistas dis.-olutivas tem por denomlaago
Os effeitos do meguscopio
egypcio
Patente que seja aos espectadoresO
vistas piltorescastera' lugar a.apparig
guintes : h r |
Urna aldela nos arrabaldes le Pars.
O rauioha d'agui no castalio de flttfr ea
(Jbaaoderoo eiflcia do nciQamaaWdas agnas
em Londres. .
O palacio de Margarida de*horgonha.
O palacio de grao-duque de- Ferrara.
O mesmo no momento de seo incendio.
A ponie d-^ suspiros em Venftit^^^
A capaila de ">. Audr ua Hespaoha,
A nao Prtnctza era frente do porto'de Marselha.
A bella fstada do jardira de aples.
O magnifico corredor da palacio de Constanti-
nopla.
Urna cidade da Suissa vista no verlo.
A mesma em randan;a para o Invern.
Fmalisando pelo qoadro
Gcrard, o afamado calador de
lees.
Era seguida, volver' por eOeilos da circulado
elctrica
OS FOGOS DIAMANTINOS
Finalisando o aivertimenlo logo que seja an
nunciado pel aojo da noite
Btl OR.
O resto dos bilhele's'acham-sa a disposi(ao do
publico no escriptorio do theatro ao dia do espec-
tculo.
LEILfiO
De dous carrts e aias carracas con
b-is.
Em frente a escadioha as 11 horas em ponto.
de 94 barricas cora farinha.
k^
oji;
Anla de f.^goa Franeeza <
de t4et>graphla e Ilu-
tarla.
de Phi!osophi;i
de Rhi-torieae i'oetlcn
Jes Sosres d'AzeVedo, professor de !ia-
goa e lit:ereiura nacional no Gymnasio Pro-
vincial 4lo Recife, tem aberto em sua cas?,
rua Bella n 37, um enro especial de cada
urna das dinciplwajacio meacionadas. As
pessoas (fu* se desejrem preparar em si-
milhanies materias para os exames de Mar-
co, or as que quizeretn seguir o curso do
Segauda-feira2l de jaoeiro as 10 horas anno lectivo, pdem dirigir-se residencia
em pona, na agencia dos vapores a indicada, c man!>3a aiA a 9 hnraa .!
pona, na agencia dos vapores
sebo-jae no Forte do Mato.
O agentPinto fara* lellao as l horas era pon-
to do dia cima mencionado o por coota e risco
de quera per nr de*4 barricas com fcrioha de
trigo existes darmazera da agencii dos vapo-
res a' refwqoe n Forte do Mata. <>.______
Rataberaa sita na rua Direita
mero SO.
indicada, de manbSa at s
tarde a qualqner hora.
9 horas, ede
Tsrea-feira 22 lo corrate.
venda da la-
Corre 'r/mm^m.
ata la. Ac^am-se venda na respectiva thesouT
I berna acimargea transferida para o dla-lir .do cor- raria.ifrtJ dir Crespo n. 15, os biroetes
I rente as 11 horas da manha, sem limites," e por meios e quartos da 31* parte da lotera a
leqaam penencer. ^_________beneficio das familias dos yoluntarios da
T MTI r%. hora do costumeT
De urna taberna bem sortida e afreguezada
na rua da Conquista u. O, freguita da
Boa-Visia.
Ter$a-feira 99 de Janeiro
Leras em ponto.
Joo dos Sautos, tendo de User una viagem
fara' leilao da sua taberna sita na rua da Con
quista n. 10, a qual se torna recommendada ja
as II
Mtircs.
i i
S:gue com a mabr'ftWtJad* o muilo veleiro
patacho Jorgence para carga ^ue lee falta e pas-
sageiros para os qrrses reW'Hmn comTmdtis- tra-
ti-se cora o seu consignatario Joo do Reg Lima
a rua do Apolla o. 4.
Para Lisboa-
Vai sahir com brevidade o brigue portugne-5b-
btruno, capito Bugiganga, reeene carga a frele,
trata se com E. R. Rabsllo, rua do-liapiche n. 55,
ou com o capai.
Para"
Para Lisboa.
Spsup em poneos dias o- brigne portoyuez Cons-
ante 11, por ter prwnpto qoai todo seu carrega-
nvot", para o re-tarrte. epassagfiros; tfata-se com
Oliveira Fitbos & f!., frtf Jo Carpo Sant > o. 19,
ou cora o capifia na praija.
Thalf7B7Migr
Segtfe com muita brevidade a barca portngueza
Prary, capito Angnsto Borges Cabral: para o
resta da carga 'e passageiros trata se com o seo
consienatano Joo do Reg Lima a' raa do Apollo
n. 4.
Os premios aGT:oCfrO0 at 10,5000 se-
ro pagos urna hora depois da exlraccaoat
as 5 horas da tarde," e os outros depois da
distribuido das listas
As encomme'das ser3o guardadas somen-
te at a noite da vespera da extraego.
O tbesoureiro,
por se achar bem sortidaoafreguezada,como pa Antonio Jos Rodrigues de Sonta.
ser em bom local, onde se esla abrindo ama nova--------------------. ---------------
rua ; os preleodentes poderlo esamioar o bataneo A i 11 cy;1-^A
mm& Hora central
R4 LARGA DO ROSARIO RUA ESTREITA DO ROSAUW
N. 37 N. 4 A
ENTRADA 6ERAL L.NTi.ADA PARTICULAR
PROPIETARIO.
FRANCISCO GARRIDO.
Ha qoartose salas
Preparad js eorn asseio,
Para aquelles que vierem
A Veneza de passefo.
Tem commodos excelentes
Para solteiros e cacados,
A' lodos se prodiga Usar
Os mais sinceros cuidados.
Eocontra-se paro lunch
Fiambro a qoalqufcr hora,
Tambera recebe asignantes
De comida para fu.
PARA EDCACA'O DE MENINaS
estdbetecdo na grande casa contigua
a igrefa de JVossa Senhvra

na rua da Cruz n. 38 on na referida taberna no
da da lellao, ter^a-foira 22 de corrente.____
LEILAO
A 23 do corrente
Da espagosa casa rom sitio em chaos proprios.
a' rua do Mondego n. 34, defronte da parlo de
entrada paras magnifica residencia da familia do
Bnado coramedador Luiz Garoes-Ferrelra.
O agente Oliveira competentemente autorisada.
fara leilao da indicada propriedado, tendo a casa
3 janellas de Trente e .grande fun-lo! 2 salas de vi- E^^i^2iV?nU!c'^.ul!l*^^.*mPJe:
: nm sitio e casa em santo Amaro estrada da Belm
,; n. 6 ; a tratar no mesmo sitio casa encarnada ou
na rua do B-nm n. 66.
| (abnftitara; dos ananazes
, Hi.a da Cruz n. 16.
Ha diariamenle presuntos superior, dito
emfiambre.
.

da Soledade
E DIRIGIDO
PELAS IRIWaES DE SA^TA DORO HE/t
SOB A PttOTECCO DO
EXm, E RVM. SR. DR. VHJAR10 CAPITULAR DA DI0GE3E.
21 do carrete, recebem-se
em todas as nnierias ne-
os senhores padeiros.
E' geralmenie conliecida a uiilldadjs no empre
go as machias, q ie tem por Bm aperfeir^oar o
Nesle collegio, eflja abertura neste aui<> i>r' logar a
meniBas de a 12'anns pira ser-vm educid ,< e instruidas
cessarlas a nma senhora. *
Havera' meninas internas, meio pensionistas e exier a?.
As internaspagarao 335 mensaes,as meio pensionistas i5S, e as externas 5&, nao
sendo pebres.
Logo qoe o colletlo contar um numero snfBcients de pensionistas, ira' admiltindo
gratoltameote para internas algumas meninas po'orcs.
Para admissao de >imna9 e para quausquo-esclarecimenlas irau-ss cora a
nora no mesmo estaMecimento a qualquer hura do dia.
supe
&t, ^ft, &\ ffQ tfa ^Rj
veis, tornndose de mais apreciavel esta proprie-
dade por estar collocada na rua a raais^alegre e
de maior transito a' sahida da cidade, etn que se
goza de ares puras, a par da agradaval rr-:u pas-
seio para qa#* t 8Hk cUia*ar diariamiate era
seu- negocios na praga.
Os preleodeutes sao caflifadas a Rzer o exa-
me prevro -it casa e sitia indicados, cuja leilao
sera'
Qu'rta-feira 23 do nrrente
M meio a am paulo, no escriptflrio lo dito agen-
W. ram da Cadciia u^i,yfuueiut andar, par cima
-araazpm re fttreflrtaTdo Sr. Barroca.
-,-----.---------- _------------!-----
i.Eiua
De SOO saceos cam algailo.
Quarta-feira 23 de Janeiro as 1 i horas em
ponto.
O agente Pinto fara' leilao a rsqnerimento dos
curadores Mscaes depositario da massa fallida de j
Pedro da Silva Regoe por raandaoo do lllm Sr.
l)r. julz especial da commercio de 200 saeeas cora !
algdo pertencentes a dita massa e existentes no1
utiautifc **do MWS*- iW?eiu!)la-, ende se.
etTeirtuara' o leriSo a* ti horw enr ptmto* do dia
23 do corrente.
Na padaria da na Drrelta n. 8i, ha sempre de-
posttotttestas machinas com conadeirae para todt)S
os ta ajanhos do bolachas a^ui osadas, e tarubem
para farntas, e que i'Or virem em directora e de
propria con la Si R-tilos Unidos, se vendem por
proco rauita barato, e,;m o Qra de se introduzir to
reconhecido melharamento.
Alii^ifi-se
dua casas terreas, sitas na O.punga, ruada Ven-
tura, junto se porta da vi o va Lasserre, de ns. 32 e
34, tendo cada arca cjzinha fura, cacimba, estriba-
ra e quintal murada : a iratar na rua do Trapiche
n. 3.
Precisa-sajle -.roa ama preferiado-se, escrava ;
atratar na rna JaS-mala Vellia u. 96, padaria.
mm
Na padaria da rua Direita n. 84,
iSoeietinde portigoeza de seguros mutuos sobre a vida, fgu iada e
admiuistra'ia pplo
'BANCO ALLIANCA DO PORTO.
Todo o pai que desejar acautelar o fuluro de scus filtids dev,e quanto antes,
azer inscrevlr os seus nomes na listados socios daTrevideniepor que, com urna
pequea quantia que, todos os annos para all fr aplicando, tirada do fructo das suas
economas, no fim de 23 anuos alcan?ar-lhes-ba urna fortuna, que por nenhum outro
meio e com to pequeo desembolso peder oble;-.
_______Os exemplos praticos do oulr.is sociedades anlogas tem mostrado que:
_____
10*>l pagos auuualmcnle p< dera prodnzir.
nm caizeiro h..b!iiado e que dador a saa etn-
duda.
precisa-se de il r um metlCO de i
da a 1 anno.
de 1 a 2 annes:..
de 2 a 3 ___
de 3 a 4 > ....
de 4 a 13
Por urna pessoa de (5 a 20 ann->s
de 20 a 30 ..
de 30 a 40 ..
de 40 a 50 ..
Em 5 au-
nas.
1:1005
9005
8Gi)
860-5
8603
8605
8603
8605
9003
7 ..7>T7 j .".m O abaixo assigondo compra toda c qnalquer
De cej-eade i ,bOO Chapeo* Quinta-feira 2i de Janeiro as 10 be- Fteres-ados dirijamse ao bovo*o de Trombetas
ras em ponto. ao largo da feira na fubrica- a vaptr.
Schaffier & C. faro leilao por nurvenijo do __ ......Albuquerque Silva.
agente Pinto e por cunta e riscode quem penen-; ESCR\VO.
cer de terca de I.50X) chapeas da Chyl', as 10 no- Precisa-se alocar um escravo para faztr com- ,
ras do du ft da corrente em sen e^.ptorio rua pr3Te mais serbos de orna c-a da familia, p. ga"0 n. H fltfldaiffj todM OS cschracirOontos que se desejrem e prospsctOS gratis, a
do Trapicha o. 3, ifluta a assoeiaffi commercial. r.ndo-se bem ordenado: na rua da Madre deqoi 1 OS pedir.
O agenta fontaal avisa que par motiva itn- Dl'os n- 36.
Era 10
annos.
4:0005
3:003
:9005
2:800^
:7(i05
:70O5
2:7005
^.7003
3:0005
Em 15
annos,
9:<00;>
7:5i'05
7:i005
7:1005
7:0005
7:0003
7:1005
7: 005
7:5005
Em 20 an-
nos.
20:00."5
17:0005
16:0005
18:6005
15:5005
15:4003
15:60! 5
16:0 05
18:0005
Em 25 an-
nos.
17:0005
37:0005
35:0005
34:0005
33:3005
33:300|
34:0005
37:0005
50:0005
Quem pretender su^screver pan a Presidente e desege qnaesqncr esclarecimen-
tus pode diriyir-s?. em Pemimbim ao; Sr. Manool Joaquina Rarnni? 6 Silva, rua do Vi-
se|a
m
previst deiiou de ter l*gw na da 19 d..i corrente Preci=a-?e aiugar urna sala ainia qoe
prxima passado, o leHaa da harcaga Linda Piaba com pouco coramod para um moco olleiro: qoe
como havia sido auuuneiado. I fiverpara alugar dirija se a esta typignghia.
" F.~A~Pntual Jnior, agente d- leudes desta
?*' 'ir-f^i*aai- %U-X5**B<*t; J -U&KVIH&F


"K

4
AVISOS DIVEBS
USBOA
eonhecida
Vai sahlr com brevidade a ruuito
veleira barca
HARA
por ter parte do cargamento engajado, para
resto trata-se coro os consignatarios Carvalho
N-gneira, na rua do Apollo n. 20.
Para Lisboa
Pretende sahir com a possivel brevidade o logre
partugu'z Juiw par U i qae tem
carga engajada. Recebe alguma
geiros .para O' qne tta-se era os
Tharaaz d'AqelWJ RllURui & C, na
rio n. 19 1 dar.
leda a
e passa-
Bignta.r.los
ao Viga-
-
T
P#RT0
Pretende sabir em poneos dias a multo veTeira
e nova barca.
FELIZ I Vl\0
por ter parte d carga promata para a.qu9' Ihe (al-
ta trata-se com. os consigaa4 Sto-
guei a na rua do Apollo n. 20._________
Para o Rio Ciraudo do Sol.
Segu em poneos dias o brigue pirtngaez Ri-
Vouga, para e resto da carga que Ihe falta trata-se
com os seas consignatarios Antonio Lqiz de Olvelo
ra zevedo & C., no seu escriptorio raa da Crns
a .1 oo com o capito na praca.
Para o Porto
Por ja' se acbar com a maior parle do sen
earregaraento engajado, pretende sahir com toda a
brevidade, a veleira e mal eonhecida barba porta-
gaeze Clautna : para o resto da carga e passa-
geiros,para es quaes ha ricos commodos, tratase
a roa da Maare de Deas n. 3, oa com o capito
na praca.
Para o Ancatj
segoe oestes das o palhabote nacional Emilia :
para carga trata-se com o consignatario Jos de Sa
Leitao Jnior, na rna da Madre de Dos.
___
Para o Rio Grande do Sal.
O. veleiro patacho Sol, pretende seguir com mul-
la irevidade, tem parle de sea carregameoto pron-
to, para o resto qne Ibe falta trata-se com os seas
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Aievedo 4
C., no sea escriptorio raa da Crnz n. 1 oa com o
capitie poca._______________________
fiara o Rio Grande do Sul,
O veleiro e bem conheeido brigue nacional Ame-
ka, pretende segoir com maita brevidade, tem
parte do seo carregaraenta engajado para o retso
qne Ihe falla trata-se con os seas consignatarios
Antonio Luiz de Oliveira Aievedo 4 C, oo seo
escriptorio raa da Cruz o. 1.
praca, offreceia respeilavel publica os seus ser-
vias no desempeaho de seu cargo, pad-rado para
isto ser procurado a rua das Crazas primeiro an-
dar n. 30 e a rua do Cabug n. i._______
"Saqwcs sobre Jstwa
Oliveira Pililos 4f C scanv sobra Lisboa
largo do Corp> Santo n li), escriptorio.
na
Precisa-se fallar ao 5r. Antonio Eioy
onevides quefoi oa official de justiga,
afim de vir receber urna caria, no esenp-
torio desteDiariona_rua das Cruzes n. 4i. ^ Alugase umac7a-,a ,TtTH^ enro, Passa-
Instiluto Arohe^gciTe S^piiee ^lodnM19gd/5S1'ort0.l,'al,r u3 ,arg0 d0 Cori"
Peraab8fiaio.
Teado o Instituto Archeologico e Geogra-,
phico Pernambucan de celebrar o quinto t
anniversario da sua furtdacSo no dia 27 do
corrente Janeiro, pela urna hora da tarde,
no salo da Biblioiee-i Publica Provincial,
no convento de Nossa Senhora do Carmo,
X MIOPE DEPURATIVO
DE CASCA DE LAhANJAS AMARGAS
COM IODURETO DE POTASSIO
DE
sj P. Laroze.
phirmaceutico era Paris
O ioduretodepotassio 6 um verdadeiro al-
Fnffio do ahaixo asslgnado ni noite do dia 19 do proxiaio pass do do seu sitio deno-
'minado Geoioapo dente termo, dous escravas de nome Antonio e Florencio, de 28 a 30 aooos^
Jde idade pouca mais ou menos, cam OSSgoaes seguir.tes: o priraalro do c.' preta nao niuito*
i^i do de cor cabra, alto, magro, cabellos solios crespos, pouca barba, olhos grande?, tem urna qj|
,jicicatrz no que;xo, e mnita fallante, lamb-m me consta qoe Id e escreve. ola
f^J Estes estraves nao teem signal nenhnm de castiga, e sahiram bt-ra vestidos e armados '
<4* de espingarda e faco, montado a cavallo, com nomes modados: o primeirp por Man :el
>^. Jos dos Santos e o secundo par Bento Jos dos.Santo*.
i- Con?ta-me qo i estes escravos ronm encontrados nrf da 12 do corrente, distante da^|
rio de S. Francisco 12 leguas, cam destino a povoaijao do Juaseiro da provincia da B'.hi.
fe.Peco prtanlo as autoridades palii-.iaes qa;"delles Mver comaeclraento de o- mandar capturar^
\,. e rete-lo- as pn-ojs publicas, dando disto parle ao abaixo assigoado, ou aos seus ioteressa-J
s3o convidados para similhante efteit em terante nm depurador de incontestavel effi-
assembla geral todos os socios q,ne-ae, acha- cacia. conjbinado com o xarope de casca de
rem no Recife effectivos, bonorarios -e laranjas margas, aturado sem perlubacao
correspondentes. aleuma pelos temperamentos os mais fracos..
Nao conhceoda o Instituto a s* das se6m allerar as funcCoes do estomago. As do-
differentes asiociaces luteranas, scionufi- sej malije,naiic;is que elle contem permittem
cas, artistase do beneficencia qpe Kistem a09 raeaicos e receital-o para todas as C' m-
nestacidado, tea a honra da cotvidftr pelo piecoes, as affeccoesescri'fulosas, tubercu-
presente edital a cada uoMde tae^ aisocia- |osa< ca'ncer0sase nos accidentes intermit-
coes a assislir solemaidade cretina 27 ou teute's e terceiros; alera d'isso, o agente o
a fazer-se ahi representar. i maiS poderoso contra as doencas rheumaticas.
E para conhecioofelo das corflenajoes ou D posito em t0(jas as pharmacias e casas de
pessoas que tiverem 3 ornar a essio com dr0ffarjas n0 Brasil,
a sua palavn aulnsada, ao.nl se trans-; Exoedic5es em casa de J. P. Laroze, ru
creve a ultima parte do art. 29 do regi- des L,ons-Si-Paul, 2, Paris.
ment do Instituto: A> veoda na pharmacia de P. Maurer 4.
Sa na sala listera socios rt pessoas q rua ^ova n 18
outrasme destejer aiguma* memorias galeria_photoirioWcTnre
tnteressantes, participam-no ao secreuno ""*,:'* .,.,;, ranrips
perpetuo, para este rerenir o prertoW X-nVJ!TTJmm nZl^
5 qual d a palavTa aos autores das memo- pelo diminuto preco .JiMBbi
ras; a leitura de cada ama das quaes nao ? 1ue Jama,s. f* e? LM"Xdo oia
pode esteader-sealm de meia hra. Po- lindas caixas .fe bano >te .elude para
rm nenhuma memoria ou Irabalbo pode retractos muito baratas em proponjao.-
ser apresentado e lido em sess3o publica, ^a Raa wova___________
sem que sutes seja submsttido a urna com-
"dos, adverlinda mai? que as aut iridades gu pirti?ulares qoe os capturar, senio qoirsrem
re-^
lelos as t.rl?5es publicas, deverao remellar para Caxias ao Sr. Antonio Fernandas Suim.i
raes, para o Maranhaa aos Srs. Ribeiro & H >yer e Jos Franc seo Lepes & C, e na Therei-
na capital do Piauhy ao Sr. tenente coronel Firmlno Alves dos Santos. E para certea do
que. me obrigupor toda a despeza qoe as autoridades oa narticulares flzerera na captura e
ramessa dos raesmos escravos, tendo mais re gratideacao 1005000, nos ponios |a in iicades,
ou em outro qualqner onde chegue ao conhecimento do abaixo assignado, on dos seus inte-
ressado.
Genipapo, termo da cidade de Caxias, 26 dedeiembro de 1866.
Antonio Perora Marlnbo.
missao de exame para- isso nomead, a
qual tem voto decisivo sotard a convenien-
cia ou iuconvenioncia da leitura. >
Secretaria do Instituto, 18 de Janeiro de
1867.
J. Soares d'Azevedo.
^^^___ Seopetario perpetuo.
4 irinaidade d^S. S da S iedade
Nao podendo ter lagar nos dias 13 e 13 a elei-
Qo d> (otara mesa regedora da irmaodade de f*.
S. da Soledade da Boa-vista por falla de numero '
IIVRO 1>0 FOVO
POR
Antonio Marques Rodrgales
Obra recommendada e approvada pelos Eims.
aretbispo da Babia e hispo ao Maranhao, e adopta-
da as escolas primarias do Amazonas, Para, Ma-
raobao, Pianby, oar, Parahiba e Pernambuco;
5* ediccao com estampas e ntidamente impresso.
i vol. cartonado. Preco 13-
Vende se na livraria Econmica defronte do ar-
co de Santo Antonio.
Companiia geral hespanhola de seguros sobre
a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
BANQElROS DA COMPANHU D1RECCO GERAL
O Banco de Hespanha Madrid: Rua de 9. Agasllaho
B.IO
SlUnaeo da eoaapanhla era 15 de Julho de 1866.
Apolices 19:700 Capital Rs. 127:1445670 ou moeda brasilea
R< W,714:476dOOO
A Nacional abra?a teaas as cenbinaces do segaro de supervivencia e n'ella pode
fazer-ses ibcripc) de mado que em nenbura caso se perca o capital imposto nemos lu-
cros correspondentes. .
Urna afianza depositadanos cofres do]estado, garante a-boa administracSo di com
panhia.
Os fundos da companhia se invertera em ttulos do estado e se deposiiam no ban-
co de Hespanha com iaterve iqo do delegado do governo e do conselho administrativo.
A companhia estranha a toda a empreza ou espiculacjio perigosa, e os ttulos em
que se invertem os fondos impostos na mesma, nSo correm o menor risco, pois estilo
garantidos pelo governo, pode-se dizer por toda a oac'X
Prospectos e mais informaces serao prestados nesta provincia*rua da Gadeia loj
. 52, rua da Imperatriz n.12 erua do Imperador n. 32, drimeiro andar, pelo S. D.
Nnarct francisco de Vidal.
Na nova galera americana pode qua
ofta obter retratos inalteraveis,
de qoe no dia 2! do corrale, psias 4 horas oa Ibo e primer, de medoque 08 WBOS e OS
tarde,
jec.
comparecam no consistorio para dito ob
pan casa de ponca fat
Precisa-se para casa de ponca familia de ama
ama qneaaiba engomraar, cotinbar e comprar :
a tratar oa praca da Independencia a. 39, leja de
calcada._________ __________.
netos d'aqui a muitos annos podero certa-
meate ver nos retractos tira c3ea e q vico actuaes de seus pas e aves.
Na Rua Nota n. 52.
JUR\ ES
ara 18ft7. ...
Asaigoatarai para todos os periodHM da Eoro-
pa e do Brasil
coiinhar, para casa de ponca familia
Qoeimado n. 46,-loj.
a roa
IfceraYa aara alegar
Precisa -se lagar ama escrava que saina bes W8W^^!7r',*iSL^*S*!s r8SP*c,,,"
ROA UO CRESPO N. 9
UTrarla Franeeza.
f&mm
Zk
Madam i Bert. modista, tendo chegado ltimamente de Pars, tem a haura
de participar ao respeilavel pablico desta cidade que de hoje em dianto ella esla
prompta para faxer vestidos, basquinas e tado qnanto pertence a esta arte por pre-
Cos ratoaveh.
BHa taakemiaeaorrefa de faxer, lavar e enfeitar todas as qnalidades de
chapen pelo nliimo gosto.
Aenara* om lindo sortimenlo de enfeitef para vestidos, flores e plomas de
maito bom gnato.
Reoebe-se o malhor jornal qt anpirioe para eslar 3empte. era dia com as
moda*.
en
na
^




*- **
-. t> ...


Joaquim Jos Gongalves
Beltr&o
(4 RA DO TftlPlGM 17 Io ANDAR)
Sacca' por todos os piquetes sobre o Banco
do Micho em Braga, e sobre os seguales laga-
res, em Portugal.
A saber:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Gai maraes.
Goimbra.
Chaves.
Visea
Villa do Gon^e.
Arcos de Val de Vx.
Viauna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famelicao.
La mego.
Lagos.
Covilhaa.___________________
Precisase alugar um escravo preferindo-se
ojoe saiba cosiabar e para o mais servido de casa
de familia: a iratar aa roa do Trapiche n. 44, e-
gaado aodar.
Precisa-se de ama ama de meia idade Dar
casa de poea familia : na roa da Penha o. 23 1*
andj.___________________________________
SEGUROS
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia ludemnisadora, estabeleci-
da nesta praga, toma seguros martimos so-
bre navios e seus canegamentos, e contra
fbgo em edificios, mercadorias e mobilias:
aa roa do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Notas do Banco do Brasil."
Troeam-S" na roa do Corredor do Bispo ultima
a sa do qnarteirao novo com porto de grade de
er ro.
Piarlo c r*aac< Secunda tetra 1 de Janeiro de ,*t>7.
--*. -
MEMORIAL PHRNAMBDCANO P
A encesta uti.issima pubbcatfo, esta cuasi esgotada, algun, ejemplares apenas, estao vetda por 2,000 cada um, na rua do Crespo n. fc
1,1 Vil Alt IA fllAUEM. M
Na rua do Trapich n 16.
acham-se os seauintes depsitos
De R. Bru nghaus eui Nuits.
Bourgogoe.
Vinbo Pommard noto.
Cortn tinto.
Santo Georges tinto.,
Cliambertio tinto.
Rlcbebourg tinto.
Clos de Vougeot tin o.
Chablis tranco.
De H A. Wuef em Francfort:
Rbono.
Geisenheimer.
Liebfraaroilch.
Marcobrooner.
Em casa de Theod Cbristiansen, roa do Trfa
piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil
de Brandenburg frres, Bordean, eaconlra-se
lectivamente deposito dos artigos seguales:
St.Jolien.
St. Plerre.
Larose.
Chateaa Loville.
Cbateau Margaux.
Graud vin Chateaa Lafitte 18W.
Chutean Latine.
Haut Saufrnes.
Chatean Saaterues.
Chateaa Lataar Blancbe.
Chateaa Yquem. '
Cognac em tres qaalldades.
_Azeite doce. Pregos de Bordean
Da se 4:000fi a 5:000 a juros sobre bjFPO
theca pm predio urbano : quem quizer annnncle-
oti^va' a ra do Imperador n. 59.
UQliiiCTii
Madamc Millociieau Buessard retirando-se psra
a Franca a^aba com a sua toja de modas da ra
da Imperatriz n. 1.
Hdame Milloc.hean tendo de sabir no fim de
verciro convida as senhnras suas freguezas a
aproveitar esses pouecs das de liquidaco para
v.r eomrrai i> o ifii e na rain, niriiciil.ii (Denle em
bicos verdadeiros, rendas, bordados, fitas, traogas,
flores, miudezas, leques, pent*s, espartilhos de se-
nhora e menina, e mnios arugos de modas.
<"
l FERREIRA VILLELA
Photographo da Augusta Casa Imperial do Brasil
18, RuadoCabug, 18,
.obrado, entrada pelo Pateo da Matriz.
Em nenhma das pbotograpbias desta cidade se fazem retratos mais perfeitos
ao que os que se executam nesta offiema photographica.
Pede-se a confrontacSo e anaiyse entre os nosios trabamos e os melbores que
se fazem nesta cidade. H
Nao ha potocraphia alguma desta cidade, que como este eslabelecimento
pbotograpbico possua um to vanado, escolbido e abundante sortimento de caixinhas,
quadros, molduras pretas e d< uradas e passe-par-touts.
Para serem coUocados os retratos chamados carines de visita ba doze differen-
tes modelos de caribes mimosamente lithographados e dourados, em cartao bns ol e em
cartao porcelana, os quaes sem alterayao de precos, estao a escolha das pessoas que se
retrataren. "
Continuadamente se recebe aa Europa remessas de todo quanlo diz respeito a
photograpbia, e ainda o mez passado pelo taior Guietme, e este mez pelo b-igue Belm
receberam-se de franca quatro grandes caixoes com urna bella variedade de artefactos
productos chimicos e material para photograpbia.
No me.-mo estabelecimento vndeme e:
Todos os producios chimicos geralmente usados em pholographia e garante-se
o estado de pureza dos mesmt s;
Machinas pbotOKraphicas, cvelas de porcelana de diflerentes tamanhos e vi-
dros para tirarem-se retratos;
Urna grande variedade de lindas e intressantes vistas transparentes para
stereoscopos, e stereoscopos de madeira eovernisada com lentes prismticas que se ven-
dem a 120000 cada um com urna duza de vistas transparentes.
Tambem vende-se por 5000 O um apparelho completo para fazerem-se pgue-
nas vistas ou retratos. Ao mesmo acompanham as explicarles precisas para seu uso.
Qualquer pessoa pode fazer vistas ou retratos com esse apparelho.
A officina e galera estao abertas todos os das e a tudas as horas.
-
_
N. 2 D
SPF*- C0RAC40 I.E OIJRO. ^ wmmmmmB

Xarope e pasta de Seiva
DO
. Pi a he Ir o imiMIbio
DI
PreparagoViwnai precotitd; peioS s^u. med,.
eos de Pars, com as owlhores at boj. di ?obmas
para a cora certa de todas as molestias do Mito
bronchites agudos e chronicos, aslhma e ainda das
a&eccoes das vas urinarias.
DEP08IT0 EsraciAL
34Rut larga da ftMirio34
Pharaaaclade BartholaneadiC.
I1I1IMIIHIS
Anuuncio K
f O Dr. Carolino Francisco de Lima San- tt
9t t0-n?udau para a ra do Imperador |
sg, o. 73, segundo andar, onde c;ntinua no !
| exenttei de sua proflssao de mdico. Wf
nmmmmmmmmmmMmm
Trocam-se
a; notas das caixas filiaes do banco do Brasil ; aa
praca da Independencia o. 22.
Fundito da Aurora
A mals andga desta provincia e com tedas as
perfcicdes em seos macblaismos, oflvrece a seos
numerosos fregaeies por raioaveis presos anas
manofactoras, bem como que tem um bom pessoa)
para com rapidez axer qaalquer concert ou ebra
nova. .
Cateado i ^ Brhqaedoa
trance *fjM|V alleaae*
Ra Xo- g0^. Rlia X9vn
?a. 7. ^k^HBP B. 1%
Este estabelecimento recebe constantemente po-
lo vapores rraacez boticas para. h<-mens, senheraa
e meninas, luvas de pellca de Joovm braocas, pre-
tas e de ootras diftereotes cores, brincos de curo
hom de le com afeites de crystal, oltima moda
de Pars, caixinhas de costura cum msica, vistas
scltas psra quadros, extractos, banhas, bencalas
chicotes, espelhos. quadros, molduras, esterioscopo
com grande sortimento dasmais-pittosescas viqa
realejo, accordions, lindas bonecas, carrinhos'
cabriolis para condozir enancas, cavaliintl0s *
auoar por molas para meninos mentar e oulros
mullos ob ectos fraacer.es que eatao expostos a vt-
ta aos compradores : n ia An v%, .. i
na loja do vapor roa Nova
ros, de todsTs^ ~* P nimaes. chiquei-
Porteiras de differetite.s tamanhos para sitios, jardins, cercado., e-c.
0RN4E\T0S DE IGREJA DE
I. IILUIfl
Veslimenteiro e bordador de Pars.
23 RA DO IMPERADOR 93,
Defronte a igreja de S. FraHcisco.
Concurrencia impossivel
curando ^If.ihTn?.8* de in1,erme(liarios; Pf.'a C(I>P" "irecta das materias primas, pela exe
-halhos na ..fflcinas da casa e pelo diminuto lucro com que se satisfaz.
Precisa >e de Oma ama
ama & pessoa e pagare bem
<6, segundo andar.
para o serv'CO de
: na ra da Cruz n.
--------- (--------------------~v..- >wv*w i ni \(iiu oo ,-HUOIil.
reviven .Z1. "D,Dr,aDIes npgoclo que faz com grande parte do mando catbolico da Enropa
Scem\TtaB?.D,9.Sil.,b,eCer flla6S da ra?a 6 Pl,nSero diver505 pai,es lo-P-qnc. que
^ntrecero vantagens, e velo inaugurar o pnu,eiro est^helecimento nesla
aas mais adiaotadas e commerciante da America do Sul
e'ctuaes0'*60'0 qe D3d* de'Xe deejar' qa" em re,a?o as P"^* matOTiat e quer iolel-
cidaoe, sem ''uvida urna
que por isso it.psieo necessiia d'uD
Precisa se de una ama para Casa de
essoa : a tratar na rua do Vigario n. 6.
ama
SOCIEBADE
BELlil MiUIO\ll.
Oi6z tem lugar na noite
A partida do correui
do dia 26.
'ande a mazem de tin-l(
tas medicimentos etc. S
Roa do Imperador n. 22.
g(g Productos chimicos- e pharma- M
8| ceuticos os mis empregados em
as medicina.
Tintas para tedo o genero de pin-
tura e para tinturara.
m Productos industriaes e tintas
$ para flores, como botoes de flores m
^ e modelos em gesso para imitar y*
ag fructas e passaros com o compe- L
W tente desenbo.
g Pro'iuctos chimicos e industriaes I
B? para photograpbia, linioraria, pin- M
J&' tura, pyrotecnia etc.
ij^ Montado em grande escala e sup- S
i prido directamente de Paris, Loo- i
j dres, Hamburgo, ADvers e Lisboa *
I pode ofiferecer productos de plena m
confianca e satisfazer qualqoer en- $&
eommenda a grosso trato e a reta- M
Iho e por preco commodo.
com. 2.sSrs" **cer<{01'"' domis pesoas. que se dignarem visar o esUbeledraento ahi acbarao
compre urna graroe vabiedadk de toaos os ohjectos para lureja e para o clero
ORIVESARIA PARA GREJA.
Novos modelos de custodias^ de vasos sagrados.
ALFAIAS DA IDADE MEDIA, A' LUIZ 13.
Os precos variam segundo o tamanho, o peso e a forma.
TAPETARAS E ARMACES PARA IGREJA.
,..,.. J??!0 'fda a 1i0*,'1dde -1" armacfc. por precos mdicos, vontade do freBuez ; tendo
HZ dVTncom'menda eslabelec,ment0 para ir tomar as med'Jas necessarias para completa satis-
NuVAS UMBELLAS PRIVILEGIADAS. .
e riiwi%Jf.n,,l.M de TUsL adnf,,.i"1as Pf>- S. S. Pi IX. tem por sua perfeieao,
f riqueza a dupla vantagem de cobrir inteiramente o Santsimo "
cnltar 8 andar.
Sacramento e o
ESCULPTURAS EM MARFIM E EM OSSO.
novidade
padre, sem diffl-j
Diarias, de velodo, de crina e de
galio lustroso.
De damasco erm cruz de ouro e
seda.
De damasco dobrado, com diver
sos bordados em relevo na
ernz.
De tecido de prata on de ouro.
dem cum diversos bordados em
relevo na cruz,
dem dem muito ricas.
De veludo de seda com ernz de
ouro Uno em relevo.
De i hamalete de seda bordado.
Gelhicas o da idade media.
A cor da csala nao influo
preco.
CAPAS.
De veludo estofado.
De damasco.
De teeido de prata e de
Imagens de Christos, caldeirinhas, crozas, qaadros e todos os obiectos devotos.
Objectos em argila, simples e prateados.
--------=_
rnraLVc'!,rohr.mJ,55?sJs!ro mli"radas P, acerca dos ornatos de reja.
Cooceder-se-ha faeilidade para os pagamentos. ^
Els o caihalogo do que tem a venda :
ICASULAS. De damasco, bordado em relevo,
dem dem, moilo rico.
VE'OS PARA EXPOSICAO.
De teeido de Lyo.
De chamalote de prata com em-
blemas em relevo.
De dito dito, rnuito finos.
VE'OS DE SA' RARIOS
De todos os precos.
BANDEIRAS.
Da Saota Infancia.
De confranas de Nossa Senhora
Parochlaes, qualquer qoe seja a
invocado.
Guioes com emblemas em relevo.
A ollecan varia de 384000 a
3:000*000.
PALLIOS.
Em veludo e.-irado as qnatro
pontas e no forro.
De lecido de Lyo, com ouro
De dito de prata e de oaro lus-
troso.
no
Corporaes de cambraia fina.
Toaihas para communbo e alta-
res
Guaroicfes de rendas para alvas.
Ditas para toalbas de altar, aos
metros.
Tuda a qoalidade da rouoa ga-
rantida e perfeitamente execu-
tada.
coro.
dem fcm-emblemas era relevo Deditodito.com qoatro etuble-
o rleas franjas na morca.
De velodo de tela.
De teeido de prata e de ouro fino.
Samuel Power Jotioston i GomMohii
Ruada Vnzala Nova n. 42.
AGENCIA DA
Pnndleao deLow Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moeadas e meias moendas para engenho.
DALMTICAS.
O mesmo preco das casulas.
ESTOLAS PASTORAES.
De velodo e.-ifado.
De dito de duas faces.
De damasco.
De dito de duas faces.
De teeido de prata ou de ouro.
DIVERSOS OBJECTOS.
Bolsas para tirar esmol;s.
Corddes Unos para alvas.
< para meninos do coro.
Vi.lias, as dona.
Cintos e cintorSes.
Sacras de altar, em cartao.
Ditas era quadros.
Marcas para missaes, com seis
peroas, em chamalote.
Flores ailitkiaes, o ramo.
Estdfos e todos os demais objec-
tos de igrea.
BRO.VZES DE IGREJA.
M?,n r.llSt T, releV0- ^'^es para aliares, prateados,
Muito ricos, ioleirameme bor I de oovos modelos
dad.^mr,'i?li?.:n9r? flao- 32! milmetros (ti
. ------------------ r-. unouuu, -- UD (JIOI IIUU UIU.
Taitas de ferro coado e batido para enee- m ldem' com emblemas em
nbo, 8 I rele*. ''Jas e bordados de
I
ubo,
Arreios d<' carro para um e dons cavallo*.
Reiogios de ouro patente inglez/
Arados americanos.
Vbiaae para descaropar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
!Pftnmi **
Lompanbia fidelidade de segaros Si
martimos e terrestres
stabelecida no Rio de Janeiro; M
m laif de Ollwira Jzwodo 4 C.
competentemente aotorlaados peladire
loria da compaabia de segaros PldidT I
de.tomam segaros de navios, merca*)-
MSi%Pr| DSeB e'cn>frt ras i
*mmmm*
relevo, franjas e bordados del
I ioreal.
dem idem em relevo mono ri-
cas.
De lecido de onro e de prata floo.
Ue chamalote bordado de seda
com duas faces.
VE'OS DE HOMBROS.
Be teeido de Lyao.
I>e dito dobrado, de onro fino.
PANNOS MORTUARIOS. 379
De lia. 433
De velodo loglez preto verda- 487
del ros 54(
De damasco dobradq.de brocado.'680
Estes pannos tem d< ns mitro de 812
largura e tres de comprlmento.
ROPAS DE IGBEJA.
Alvas de panno de linbo fino.
< de cambraia fioa.
< de panno de lmho, para
meniuos do coro.
guarnecidas de rendas finas.
<

a
x
Publicado jurdica.
Prekccdes de Direilo Internacional e de
Diplomacia com applicaco e refertneia de
seus principios as leis particulares, con-
teeses, e aos tratados do Brasil at 1866
pelo Dr. Antonio de Vasconcelos Mtne-
zes de Drummond, lente sur culdade de Direito do R^cfe ele 2 vol. ia
8o broch. por IQOOO pagos entrega do
primeiro velme, que constituir a primei-
ra dessas obras.
A ultima dellas acompanhar um epiloco
das db-posicoes da legislaC3o patria, relati-
vas ao direitos e deveres do eslrangeiro no
Brasil, bem como aos do Brsileiro fora do
Imperio;
Assigna-senas lojas delivros das ras do
Crespo n. 2 e 9 ; do Imperador n. 13 ; da
Cruz n. 52 na de encadernac5o do caes de
21 de Novembro junto a typographia dr>
Jornal do Recife ; nos escritorios das ty-
pographias do Diario de Pernambuco a rua
das Cnnesn. 44, e do Cor-fio do Recife
rua do Imperador n. 79 e na loja da rua
da Imperatnz esquina da roa da Aurora n
n. 2, loja de louca.
Depois da publicacSo da primeira obra
n5oser2o mais admiitidas assignainias e
mbas e.las serSo vendidas por maior preco.
Ama]
Preclsa-se de ama a ir, a que saiba cozobar para
casa de homem solle.ro : na raa da Cadeia n, 53.
- Precisa se de orna ama que saiba coslnhar
heme sirva par ir as con.pra: na rua da Im-
peralnz n. 34, prlmelro andar.
Alnga-se urna preta escrava que seia fiel
para o serviCo de urna casa de familia, e que sai-
ba vender na rua : quera tiver annuncie oa
jase a rna da Cincordia n. 3.
diri-
Da se holos de veodagem a lusio a pataca
na rot Imperial o. 37.
Se alguem desoja po-suir um retrato o
mais perfeito possivel de sua amante, que a
repiesente to bella e formosa como ella
ou se figura imaginaco, venha tiral-o em
porcelana, que ha de produ/.ir o mais dese-
jado effeito possivel tanto qtwnto se pode es-
perar em perfeicL. de qualquer syatema
actualmenie c nhecido.
Os retratistas americanos rua Nova n.
52,tirara retratos em porcelana por pre-
cos reduzidus para os dias de fesu.
Casa no llootelro
Aiuga-se urna casa na povoaco do Monleiro
rom bons commooos, aceiada e t.nnhjs no< fon-
dos: a tratar na rua do Crespo n. 23.
Aiopa-se o 2" e 3 andar da casVn. 2 daTna
estrena do Rosario, confronte a offlcina do Sr. Ozo-
: atraur na roa do Queimado n. I.
-i
rio
/
M
Precisa-se de urna ama que saiba
go-nmar: na rua do Trapiche n.
andar.
lavar e en-
36, segundo
Precisa-se oo um caixiro par a Ubema iia
ponte do Monteiro, de 12 a J8 anuos, rom praiica'
qn--m pretender dirija-se a mesma.
Precisa se d um homem forro ou escravo
que se queira encarre^r de vender a^na em ora
carrofa : na rua da lmperalrlz n.39. 3' andar e
dir. '
Precisa-se de tima ama para cosinhar
e comprar: na rua larga dj Rosario o. 50,
taberna.
Deseja-ae saber onde"reside d Sr. PedrTJo"**
Nava! "nd U"itna,r'e0,e d hurt'Pa paquete
Precisase da uina criada para
cosinhar para casa de pouca familia
rua do Sebo n. 21.
engomntar e
a tratar o
de fil, de rices de-
senhos.
Roquetes em p^nno de llobo sem
- mangas.
t t com ditas.
A m icios.
1 Toalbas e saogoiabos.
Cruzes de altar, correspoalentes
aos castifaes, o par.
Tburibuios e navetas prateadas.
Caideiriobas com hysoppe dem.
Cu-iodias ditas e duuradas.
Lustres ditos e correotes fortes
para os mesmos.
prec^modSlaSaEmLTdr^^^^ 0bj^ da ferro ^ se vendem P
provisoria. SS Irm3oS na Praa d0 Ca^ de Apollo ao p3 da ponte
Agua mineral
ferrnjinasa, acidulada, gazoia e carbnica
Crozes para procissao, com ralos
ditas.
Varas, alabardas para safssos e
cadas para porteiro?.
Estes objectos todos sao em co-
bre e nao em matenaes de
eorposrcc.
A^1S^,?ra,evi* qualquer erro ou mf.
pi^dii?Ii^23 hno sSode
rLZTiJn' IL^J^J 8S ?* mtal doorado eos de ouro falso sao de
os ttulos que se Ibes deu sempre, que So mera-
.Uethod Castilao.
Manoel J^e de Par a Sio-Sos, piofessor psrti
DE i H*!' de *">ceio elementar pelo rneiho.lo Cas-
OBR77 A ,' **!*" ao pa,s d8 SBI,S alnrnuos e ao resuei-
S2!B wf1- -*" SS=; izx-Jxrt %
mo.SLv,nc;,:nabd,orair'e^^ ^ ^ z;, ,1; rs.,: 4S
XeztTe^Zl *' 'rqUeZa ;BlDU'' U it6S ,raDCL'Z' UUm- -"Pina
nPOSIT0 BSPECIAI.
34Ra larga do RoaarioJi
rharaaaela de Bartlbioaacn ft c.
AftfA
v3CIM",a dB ma ?ma para ,odo s"co de
casa de urna pessoa so : na rua da CrUZ D^
1* andar.
13,
A. padaria do pateo do TVco o7 V) aeha-ce
novarflQtereeoostruidaetiabalba.se omii esme-
ro, quer era T)les e bolachas como
em massas do-
ces, na mesma se eocontra Indos os dias otis pao-
qo^nie depM ,ias C horas da larde.
reeomroendado
para
ment
D-sediohelro'a juros
da n. 5.
seguin-
e muica.
na rua da Concor
7" Prt'*a "e oe non aua iivre ou escrava qoe
s>.bacos.nhar: amad* Imperador n. 77,V
Bundo andar. '
Na padaria da" raa Dirola b. 8~sTdir
qnera compra am^ escrava preta ou mulata reco-
mida que saiba engomraar e coser com perfeieao
iirii m ntti
Na rua do Livrameot o. tO, i^ia Vm
cobre doorado. e como tal confundir
mente commerciaes.
venda 83o o de gales de oofo meio
"""'"""' "i uua ouro fine
imento sem ser icompaobade
lidadedoobjecto, paca poopw-m explicacCes
^- Fonseca & Arrna, precisa-se 'd
guarna para comprar e cosinhar.
e urna
mq*!! WMoL,,le. pungido ou mais dolo-
^T"T- COn,,da a to"< os seus amigos
slm ZZ?l?0*m d, a?SSllra aa>* '* qoe
Mai mmmm mmm*ia*m:a t ? ? ,'rl J luJf-*r '";a fH,ra i <<>".
?. J padece oordialmente a todas as pes-
|>Q!iqo-a^ignPm,uiir a este. ped.r. arlo
Alria-se ou vndese urea cano W'r-arTi
ga 800 a 900 t.jolos, multo propia par? b?i"
qnera a pretender dm]a-g, ,, Cinco Kas n 81
Atoga-ae o sitie da Capola VelhaTii^TT^;
no porto do Lasserre ootr'ora dahi/c
sserre ootr'ora
:om boa I _
da Imperatnz n. f Uwmo S'Mo V" n
Os ornamentos que o annunciante ten
lisos oo de seda, > mandando vir n da
o sabe de seu esta belecimento sem se^a^mpaobaTo SaaSTK jffi
da, especificando a qaalidade do objeeto, naca nomiar.*, s ,Bi,JS!:"rT.!?
venientes ao depois de r&l'mi a venda.
w-------w..^o^o u iiuuncianie tero a venda 83o o de ralfw* d
Unos, falsos ou de seda,> mandando vir nade ouro flnn nnr .i
obiectr. sahP rl., e^i^m, U .H"tl^l^M HwmaMadlr e nenhum|D
1 H
, I

Precisa-se de um menino de 12 a 14 annos cora
praltpa de taberna, para a viita de Pao d'Alb) : a
I tratar na rua do Rosarlo, taberna do Sr. .A ionio
jjDgnes de Alualda Pojas.
Precisase de orna boa c~dzllitir;;'fo7ra"ou
cewptfl jwpn |ca#|.a: n ruado Imprrador n. 79 egundo
k^Hticnlk s(irM
Preci-a-se fallar com o Sr. J aqu Pdro
> Reg, na travess d s
negocio.
. ~" ^xt,>m P*r serem arromados de aixelros
dnns rrof>s de lo'anoos de idade, chegados pro-
iT." f* J,b" : T* PffM' di rija-e a rm nova
de Saeta flu o, 7.
menos, cor peJ "iSi^S?'^
rost redondo, tem nm puJS .'e^t,i do
corpn.
Bento do Reg, n tr.vessa de S. Pedro n. i, f CL'T*^ ,em nma e,<* t* iwrd
BMoein. *' *o.to desembaracada ; qoetn a aoaMiMNktr' .'/
ar a loja n. SO B o roa do 0&9?L\'?
eomnensado. Mc:,v. w> nem re-
'K?^##
1
<>
^^


- -.

r
i




r
Diario t Petnambuco Segunda leira ti de Janeiro de
I
I8w.
II '
/ m.\> i

DO
lili. SE VIAL.
Para o tratamento e cura rpida e completa das molestia syphiliticas, erisype-
las, rheumatismo, bobas, gota, debilidade do estomago, infiammacoes chronicas do figado
ebaco, dores sciaticas, cephalalgias, nevralgias, ulceras chronicas, hydropesias, pleuri-
sias, gonorrheas cbrooicase em ge attodas as molestias em que setenta em vrfla a pu-
rificado do systema sanguneo.
C onsiJck-acfs geraes
A saude um bem mapreciavel, coja importancia e valor s est reservado ao en-
fermo o avalia-lo.
mcontestavel que o homem neste mundo constantemente, e por todos os lados
atacado por urna infinidade de agentes morbicos que todos tendem, dadas certas e deter-
minadas circunstancias, a alterar o regular exercicio das funccSes orgnicas, resultando
pesse desequilibrio o que se cflamamolestia.
A molestia nomais do que a desvirtuado das forfas vitaes;'oecasionada, se-
gundo as investigacoes e experiencias dos mais abalisado mestres da scenda, pela depra-
vado dos humores geraes, consequencia da actao-maligna desses mesmos agentes morbi-
flcos ntreduzdos no organismo pelo acto da respincao, pela via digestiva, pelo contacto'
mmediato etc. etc. etc.
A sypbilis inielizmente tem sido a partillia da humaoidade, e como fra d- afuvi-
da que esse terrivel Proteo da medicina urna molestia hereditaria, ella tem sido\.i4er-
vada em todas as ida Jes, e debaixo de todis as suas formas t2o variadas, enfraquecendo
constitu'ces robustas, produzindo mutilares, e corundo anda em flor da idade vidas
preciosas.
Eliminar da economa esses principios deleterios. e purificar amassa geral dos
humores tem sido desde tempo immemoril o fim constante da medicina, e os purgati-
vos figuram em primeiro lugar para preencher esse desiteratum ou fim.
O Elixir depurativo do Dr. Sevial parece merecer a preferencia sobre todos: os
immeosos successos obtidos pelo u deste salutar agen e tatito na Allemanha, como em
Franca e Italia, o tornam o companheiro insenaravel dequasi todos 6$ doentes.
Sendo as molestias, como cima issoiaos, devidas s alteraces dos humores, o
Elixir depurativo do Dr. Sevial pode ser eapregado vantajosamente na syohilis, erisy-
pelas, rbeumitismos, bebas, gta, debilidade do estomago, inflammagSes chrenicas do
figado e baco, dores sciaticas cephalalgias, nevralgias, ulceras chronicas, hydropesias.
pleunsias, gonorrheas chronicas etc. eem geral em todas as molestias em que te tenha
em vista a purificaco do systema sanguneo; pois que urna pratica constante tem feito
ver que elle inspensavel nos casos grav'rssimos para minorar os soffrimentos, e pre-
parar o doente para medicacSes superiores; e as menos graves a cura a conse-
quencia do seu uso, convenientemente repetido. %
As substancias que entram na composic^o do Elixir depurativo do Dr. Seviai
pertencem todas exclusivamente ao reino vegetal, e grande cathegoria das substan-
cias depurativas e antisyphiliticas; assim, ao passo que este remedio depara o orga-
nismo, eliminando os principios nocivos saude, pelo mecanismo natural das evacu-
ac5s alvinas, neutral sa ao mesmo tempo e virus sypbilitice quando este virus j
tem feito erupcao no exterior debaixt de suas multiplicadas formas; e previne tam-
bem os estragos dessa terrivel molestia, quando por ventura se ache ella anda no
estado de encubaco, isto sem se ter manifestado sob frmas externas: beneficio
immenso, tauto mais qoanto oeste estado os individuos ignoram completamente se es-
to contaminados por este terrivel inimigo.
O sabor agradave d'este Elixir convem a todos os estmagos, a sua acc3o so-
bre o tubo intestioal suave e benigna, e de nenhuma forma produz molestias medi-
camentosas, como acontece ao purgante dito Le Roy, que na sua qualidade de drs-
tico forte irrita a mucosa intestinal, e consecutivamente a seroza,'resultando diste es-
tado, muitas vezes, hydropesias, que quasi sempre terminara pela morte Assim pois esperamos que o uso deste remedio justifique cabalmente as nos-
sas asseverac5es, porque sendo um medicamenio to simples na sua cdmposic5o. a
pratica tem confirmado sua ulilidade.
nico deposito en Pernambuco
diado
Precisa-se de di criado : na roa do Queimado
D. 12, 1 andar.
Na roa da Cadela~do~Recfe d. {S.Trocam-i'e
sedlas das caitas e banco do Brasil com pequone
descont.
Alogase urna ctsa em Bebenbe : a tratar
com J. de M. Reg, roa do Trapiche 34.
Precisa-se de amadama de leiTno
Mondego em casa da Sr.* viuva Luir Gomes
Ferreira ou a Ponte de t/cha casa de
Luiz de Moraes Gomes Ferreira.
Offerece-se
om cozinheiro francez para trabalhar em qaalqner
casa, e da flanea de saa conducta e de sea traha-
Iho : tde ser procurado n i hotel Dous Amigos,
na roa estrella do Rosarla n. 10.
Prec;sa-se de om eaixeiro
nliimos chegados, dando artor
na roa Augusta n. 114.
Perfumaras novas.
para taberna dos
a saa conducta :
jokml
Bom negocio
O dooo da fabrica a vapor de chocolate, grlo,
marcioeiria desejava achar om socio com om pe-
queo capital para dar mais sabidas as grandes
eaeoramendag que tem a dita fabrica: a quem
con'ierappareca para ver e julgar dos lacros na
roa do Moodego d. 99.
Esta josta e contratada a venda do meo
hotel intitulado Venera do Norte sito a' ra
DAS
Poblioacao Ululada, recreativa, arstica ele. I?** C!E 9' ,.,8r- Jaqo"n de"C"lh, 'por
Acompanhado de mas.eaS modelos para bordados I LSf' ifPV* >a]^T mea cred0I> ^'eseoie-se
flgurioos de modas etc. tc ^ ao Praz0 de l,res d,as no me-6ai0 botel, par. ser pa-
Recebeoj.seassignatoras na llvraria Econmica I *' !lo "a. ?""110* "" *' 'reclama-
defronte do arcle Santo Antonio. J^* S'fi. S R"2 {K t',*,?"" d'
Aluga-se o segundo andar e sotao da______Franeisco Luiz Googaives Ferreira.
casa n. 35 a rua do Imperador, assim como! Deelaro que esta justo o contrato do hotel n-
0 armaze^Jl. 26 U0 Caes 24 de Novembro : titulado-Veoea do Norte -sito ra das Gruaes
a tratar com Luiz de Moraes Gomes Fer- J'?!^ a!gQem 8e JU,g,r com djrea aluma
rpr9 reelamaco, appresenie-se oa roa da Moeda t. 33,
isto oo prazo de 3 das a contar da (lata de-ie, e
Dio o fazeodo. Acara sem dlrelto a qoa quer recla-
ago. Recife, 18 de Janeiro de 1867.
________________Juaquitn Carvalho.
Na padarla a roa Dlreita o. S& precisarse
alogar om preto oo prela, escravo, que queira veo-
der pao das 6 a's 7 horas da raaobaa: a tralar na
mesma.
A antiga loja de miadeas a roa do Quelma
o. 16, recebeu oovo soriiaiealo de peifumarias
sendo finos extractos e essencia concentrada, rhti-
ros agradavis para lencas, oicos surflne, (ihiloeo-
me, e babosa para cabellos, tiaohas e cosmeliques
tambem para os eibeiios, poz Ai crale hvgienicos
para deoles, opl .ta Ingleza e franceza par* dUo,
sabooeles em tarras (|uadradas, ootros em calxi-
nh4!>, e ouiros de bollas transparentes para mo, e
outros mui lios em-calxiohis de looca para bar-
ba, agua da colooa de superior qualidade em fras-
cos de diversos tamaohos e prego?, agua ambreada
para banbar e refrescar o tost, agua Qo-|da ( da
verdadeira) tnico de Kemp, e mui as ootras per-
fumaria* que a tula da txia qualidade e commo-
didade de prego?, o comprador nao objeclara'.
Meia> pretas de ila e de laia.
Para padres,
. Vendem-se na loja de raluezas a' roa do Qaei
mado o. 16.
tara baptisados.
Bonitos chapeosinhos enfeitados, sapaliohos de
setim e_merm, bordados e enfeiudos, meias de
Requifes ou babadinhos de carubrsia.
A aguia branca araba de receber uto bello sor-
'mecto de nqoifes uu babadiuhog de cambrala en-
vNrt a S d" Core?1 e mQi t>roro para
ves ido* de seahuras e meninas, e lteso oolr.-.s
onrai a qu ,i, ohora ...s applicam com acert e
Sjjmn" ,n?1 ?;' de ;i "m e vendem te a
5fK.hSorVM 'ua ",ja *'>*ait branM rua
Albims para rettatos.
A acnia branca recebeu novo sortlmenlo de bo-
oilo* albuos para retraos e contmoa a Teode-lo
como.empre por pregas commodos : comparecora
pois os pretenderes a rua do Qaeimado lula da
aguia branca n. 8. '
No vos enfeites para vestidos.
A agoia branca a roa do Queimado receben eo-
vs eofeites para idos notando- e entre elies
as cascarrilhas com blco, obra nova e de gntto.
Bonitos chapeosinhos modernos e primoro-
samente enfeitados para senhoras.
A loja de miodezas a rua do Queimado n. 16,
recebeu pelo oltimo vapor esses oouites chapeosi-
nhos obra de rooito gesto a elegancia a bem ne-
ccssari s para as senhoras que tem de dar a!(?am
passeio nis e.'tradas de ferro, assistir a., testas os
ai.rasiveis arrabaldes, fazer visita etc., etc. A
Os abaixo assignados participam ao respeita-
?el publico e com especialidade ao respeltavel cor-
po do eommercio do correte a firma qoa gjrrava na razao de Mota
d Ribeiro.flcaodo os mesmos respoo primento de todas as transacgSes tendentes a mes-
ma firma. Recife 16 de Janeiro de 1867.
Guilherm* Jorge da Mota.
Maieel Luiz Ribeirc.
Precisa-se de urna criada que saiba cos
nhar : na roa do Imperador o. 73,segaado andar.
Precisa-se de um criado fielTara~compras'e
oais servico de casa : .na rua do Imperador n.
73, segando andar.
Feitor
Precisase de am bom feitor para
um
pessoa estraogeira era Saot'Aooa ; a tratar oa ca-
sa de Adamsoo, Howie vo b. 40. .
Na roa do Apollo o. 4 4eseja-se saber noti-
cias dos Srs.: Francisco do Reg Lima, natural da
ilba de S. Miguel e Joaquim da Silva Migeos, na-
tural da Pigueira; o que se gratificara._______
Fbrodo dia 26 do correte, da casa de seu
seohor U'bano Joaquina de Oiiveir* a escrava pre-
la rrloula, de oome Hercaiaoa, que representa, ter
26 anoos de Idade, seeca do eorpo, levon estido
encarnado, chalo de la cor de caf : quem a ap-
sltio je i Preheooer leve a' rua de S. Jo* o. 23, ou a roa
Veadem-se oa lo- quaotidarte pequea e o prego comroodo por isso
quem nao se adiaotar 6 arriscado a nao arba-los
ma s em dita loja de mludezas a rua do Ouelina-
do n 16.
Na botica e drogara
DE
Bartohomeo Companhia.
34-RUADO ROSARIO LARGA34

NOVO ESTILO
.
I
Retratos
vu..u.mw. ujioiinKwsMucjwiiiiiu^, Miuie utua urnnanie supernc
prata adaere-nte por meio de utni pelbcula de eolio lio, substancia perfeit
d'agua. Por sobre essa superficie applica-se o verniz de-esmalte, o que
americanos em cartoes para albuns.
M. .v Roa Wova X. *
Anntinciando o novo systema de recintos americanos em laminas esmalta-
das, e afumando serem elles muito duraveis, nao pretendemos Uudir os incautos ou
ignorantes, pois que reconhecemo^s na populacho desta formpsa cjdade obomsenso pre-
ciso para se acautelar contra os .falsos annuncios e conhecimento 'suficiente para apre-
ciar devidmente as provas phot'igraphicas qun por ventura vissem em nosso estabele-
cimento, e porque tambem temos, e podemos offerecer provas cbimicas e razes scien-
feicas do que ha vemos, afirmado.
As laminas, aim de serem leves, delgadas e flexiveis, sao cobertas de um
estn ilte macio que as tornam hatacaveis pelo ar ou a os. Os retractos sao estampados, sobre urna brilhante superficie de finissima
iita mente prova
que t5o transpa
rente e quasi tao duro como o vidro. Deste modo, o retracto, nao contendo em si
materia alguma orgnica sujeita dt-compusigan, enao sendo poroso nem absorvente, est
intetramente livre de humidade ou de quilquer otitra induenca offensiva da atm.ispbera.
Assim pois por e ta tlieoria se v que os retractos offerecem provas de durado, o que
tem sido eficazmente con'irmado pela experiencia : elles duram effectivamente e nada
periem d-j seu primor original.
Njto 003 necessario repetir as suas qualidades arti ticas, pois que muitas pes-
soas das principaes familias d^sta provincia, pessoas de lina educado e gosto cultivado,
nos tem distinguido com a sua approvacao e bonr .do at com o seu patroc nio ; outras
provas seriam superfloas. E'jtretanto iembraremos de passagem que os pintores antigos
nunca seserviram de maierh porosa para as suas mais bellas pinturas, porem sim de
subsxanctas duras-de superficie m-cia, como a poroellana e o marfim ; e as nossas lami-
nas temrqual qualidade de superficie dura e macia.
Finalmente con idamos q*ueilts, que por qaa'quer causa. nao tenham conse-
guido bons e exactos retractos por outros systemas, a virem experimentar o nosso ; em-
preg-iremos uta i toda a nossa penca e connecimento artistico afim de Ibes agradar,
qualquer queseja o numero pedido de retractos.
N. 52, Rua Nova K 52, J
Precisase de doas amas idosas, seodo orna
para cozinbar e ouira p ra servir em mandados :
oa roa das Croies n. 36, segando andar.
CASA DA FORTUNlT
Aos 6:000,J000.
BHhetes carantlds.
A'RA DO CRESPO N. 23 E CASAS DOCOSTUME
O abaixo assignado venden nos seos muito feli-
aes bilneies garantidos da lotera que se acaboo
de pxtrabir a benetlcioda igr^ja de Nossa Senhora
do Guadalupe de Olioda, os -epuintes premios :
N. 1706 bilhete inteiro com a sorte de 6:000#.
N. 1243 um meio com a sorte de 1:200J.
N 790 doos qoartos com a sorte de SiKii.
N. 1568 um quarto com a sorte de 2004.
E outras muitas sortes de 1004, 404 e 204.
Os possuidores podem vir receber seus respec-
tivos premios sem os descontos das'le s na casa
da Fortuna a' rna do Crespo n. 23.
Acbam-se a venda os da 31* parte da lotera
das familias dos voloBtanos da patria (3a) que se
extrabira' oa ierra-letra 22 do corrtnte.
Rilhetes------___ 64000
Metos............ 34000
Qoartos.......... 14300
pessoas que compraren, de 100006
para cima.
Bilhetes.......... 54300^,
Helos............ 24750
Quartos.......... 14375
______________Manoel Martins Fiuna.
Maximino da Silva Gjsmo~compra, vende
e troca escravos, de ambos os sexos : na rua de
padre Floriaoo n. 71. legando andar.
- Joaquim Jo= GofaiveT B-ltrao, faz sciente
ao eommercio aue desde o da 1 do correte, deo
ioieresse do seo estabelecimeoto de molhados im
largo do Corpo Samo n. 6, aos seus calxeiros Mi
ooel Ramos de Ouveira e Jos Goncalves da Gosia, i
rujas traosacedes do referido e.-tabelecimento se-
ro fetas sob a rar.ao^de Beltrao, Oliveirayjk C.
Advertencia
A pessoa que tem ha poucos dias a seu servlco
urna iireta de meia idade com os br*co3 bastante
cabelludos e com os dedos pollegar das mos om
pouco defeituosos, queira ter a bondkde de entre-
ga la sen senhor at o dia 24 do presente janei-
cuutrario dar-se-tu conhecimeolo a po
do Imperador n. 43, segundo andar, que sera' re-
compensado.
CAVALLO
Desapparecen da porta da loja dos Srs. Sonza
Andrade A C, no da 18 do oorreme, um cavailo
alaso caboclo, p direito calcado, a calda do tope-
te aparada, as cimas voltam a esquerda, tem nma
pequea estrella na testa, anda baixo at meio
muito em cima : a pessoa qoe o acbar queira fa-
zer o favor de o mandar no engenbo da Torre, e
eotregar a' Si D. Mara, que pagara'
despeza do mesra j cavallo.
qualquer
No Corredor do Bispo n.
ao Sr. Rodolpb Lao Usen.
10 deseja-se fallar
COMPRAS
Para as
Compram-sc escravos
Silvino Guilherme de Barros, compra, vende e
troca effectivamente escravos de ambos os sexos
e de todas as idades : a' rua do Imperador n. 79,
terceiro andar.
Ouro e prata.
Km obras velhas: compra-se na praca da lo
dependencio n. 22. loja de bilhetes.
Compram-se libras
ndependencia n. 22.
sterliuas: na pra;a da
seda, e fio d'escocia para ditos.
ja de mlodesas a' rua do Queimado n. 16.
Bicos e rendas dasilhas.
wcihlTnlt^^,?" f ra.-d0 Qeimadp e/Carteiras de algibeira com tesoura. pente e
receDeu noramente nutrosoTUmeoto daoue lesbnn' .. r""
e bem condecidos biccs e rendas das ilhas coja v,,.ma,S ^essarjOS para v.agem
fortido, e segoranca delecldo, Ihes da" imraeosa ^ eX"se a J* ra,uil"s > r4 do Qoei
doracSo e os differentes fias a que acertadamente! I"a(10 D" p .
sao appltcados hiem a grande prucura, e prompta loques hOglDOO Cabello.
traegao como coustantemente tem acontecido ; Lisos e crespos, siogelos e compostos, de gom-i.
issim pois conrorram o* pretendentes, qoe a vista ranodos e redondos, coberlos com fliet simples-e
i dos precos nao objectarSD em de vidrinhos, ornados coro flores e Atas, obra nova
e de gosto.
Para senhoras e neuinas.
Leqnes finos de midreperola e osso, todo de sn-
dalo e de sndalo ci m seda, com fios e bonitos
desenos.
Obras de inaiireiercia.
Bonilos penles de rnadreperura'roui alvo para
eoq-tr, lindas flvellas de dita /1ita"pra cilos, de-
licadas alflneies e brincos, bttdes para pnnhos, t-
bra prima.
Aderecoh, pentes e Qvellas igoaos de dita,
brincos. Fivellas e fitas para cintos, ciulos mati-
sados, obra noviesima e de nosto
L.iados eafeUes Bouokoa para
senkoras
A aguia branca tem a satisfacao de netiriar a
soa boa fregueiia que acaba de receber lindos en-
feites a Bonoiton obras delicadas, de conta e ulti-
ma moda, o qne sera devldamenie aprecido pelas
excelleotissimas senhoras de bom gotto Os pre
da
comprar.
Graxa econmica.
,- ?r^ f n"*r^ 'J"aS b5rrp. a' ,0Ja de miudsas
a roa do Queimado n. 16, receben aovo sortimen-
to dessa boa graxa econmica.
La para bardar.
A loja de miudesas a' roa do Qoeiaiado n. 16
receben novo soriimento de laa fina de booitas co-
res, e como sempre vende a baratamente, e o sor-
timento a*contento do c< mprador.
Bonitas caixin?)as.
De madeira com enfeites dourados, e outras de
metal para guardar jilas, Veodem-se na rua de
Qaeimado loja de- roindesas d. 16.
Enfeites e grioaldas.
Na loja de mindesas a' rua do Queimado n. 16,
acbaro os apreciadores do bom, um bello sorti-
mento de bonitos enfeites para bailes, theatros e
linelo?; assim como delicadas grinaldas para
nolvas eaixsde flores finasr"para"eDfelia"rM ves" f0S deW'M *So commodos e' itt verificara
Hdog de ditas, e maitos outros objertos, e todo se' 2-ern ffl ~ *ir a rua 0 Queimado loja da aguia
vende por precos lao rasoaves que o comprador
branca o. 8.
Rrusos de flores finas.
Como geralmente sabido, a loja da agoia bran-
ca o jardim das fioas flores arlifi-taes, e alera do
experiente, nao se atrave a objeclar a respeilo.
Babadinhos borddos, eutremeios ditos.
doTl6 j fa QUe""a" 8uia aC3ba de '*ber novas flores as quael se
Diir,. conhete u. rigor d'arte imitando as flores naiuraes.
riDWas Brancas e de CO' es. Na loja da agoia branca a rna do Queimado n. 8
Vendem-se na loja de miudesas a' rua do Quei- a^aroos apreciadores do bom e delicado taxode
mado n. 16. flores cora compridas ramas, resas, etc., tudo de
Franjas '< n,e"lor gust0 e Wnw* qoalidade.
padres.
Comprase ooro, prata e pedras preciosas em
obras velhas : na roa da Cadeta do Recife loja
de ourives no arco da Concelgo.
ompra-se na rua da Cadeia do Recife n-
58, ouro amoadado de tolas as qualidades.
Negrinha.
Na rndaria da rna Direila o. 84 se dir' qaem
con urna oegrioba com o anoos de idaoe.
O'mprase orna negra qne saiba cozinhar e.
' 'iommar : a tfalr na m^ do Cabuga' n. 1, loja.
Compra-se
cebre, lilao e chombo : no armaiem da bola ama-
relia po* baixo do sobrado n. 29 da rua do Im-
perador, r
Compra-se urna porgo de formas de vehs
usadas ; ua rua Uireitao. 33, se dir' quem pre
cisa.
Com borlas e sem ellas, para cortinados, toalhas
etc. Vendem-se na loja de miudesas a' rua do
Queimado n. 16.
Boas e Imillas fitas.
Lizas e lavradas, larga e estrenas-, vendem se
na loja domlodesas a' rua do Queimado n. 16.
Bonitos enfeites para vestidos.
A loja de miudesas a' rua do Queimado n. 16,
esta* recentemente provida de mu bonilos eufeites
para vestidos, seodo bicos de seda tanto braoco
Meias pretas para
A agoia branca a' rua do Qaeimado n. 8 rece-
beu novo sortimento daqoellas boas meias pn tas
de laia que contmuam a ser veodidas a 5A000-
par.
Vsperas e dminos
A aguia branca a' rua do Queimado n. 8 rece-
beu uovo sortimento de vsperas un caixas oe ma-
deira e papelo cora 24 e 36 cartSts, tendo entre
elles a'guns com chapa de metal para cobrlr o no-
- Su r;Dversaodm'ns era caixas de made,ra
Kap Paulo Cordeiro.
A loja de miodezas a' roa do Queimado n. 16,
recebeu nova remessa de rap Paulo Cordeiro, e
cousas de moda enovldade,e todo por pregos to CD1,DOi,a T^M 1or , Ihos, oo sem elles.
Traogas e gales de seda dos ulnnios gostos, di-!
tas com vidrilhos, pretas e uranras e de differentes
larguras e gostos. Filas de velludo preUs e de
cores, com lista as relas. E assim muitas outras CD
mSS^lZSX CaBfflTSr! ^aprec,adores aehelD -r? ****L-
rn, do
liria.
4%%M^%a
X. 55.
DE
J. VIGNES.
X. 55. RUA OO IMPERADOR .
(te (ianos desta antiga fabrica sao hoje asss conbecidos para que seja necessario insistir sobre a
m superioridade, vantugens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas iaconte-a^
v(3 que lies tem defioltivameote cooqoistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca doT
aatndo o teclado e machtoiemo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas sem
nanea latear, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente meltaoramentos imoo'rtan
vssimos para o clima deste paiz ; quato s vozes, sao melodiosas e flauudas, e por isso muito aerada,
seis aa ouvedos dos apreciadores. a*ra
Faiea-se conforme as eocomraendaa, Unto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Pars socio
correspondente de J. Vignes, em coja capital foram sempre premiados em todas as exposigdes. '
No mesmo estabeleciment se achara sempre um esplendido e variado ortimento de mosteas doi
elhoras astores da E-irof a, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo todo vendido ncr
areeos eammodos e raznavels.
O abaixo as igodo, medico clnico ha trese
annos nao > na provincia da B.hia, mas tambero
nesia e na do Amazonas, e que fcpreseotou seu di-
ploma a' inspectora de >ade publica desta capital
no Io de margo de t862, t-m a honra de offerecer
os servigos de sua prefl.-.-ao aos que por ventura
liveremo'ella preci.-o : sendo a tabella dos hono-
rarios remunerativos de seu trabaiho a segrate, a
qo I despida inleirainente de carcter imponente,
nao deixara' de as vejes servir de norte aos que se
queiram dirigir ao aoouncianie.
TABELU
Rua Direila n. 88. terceiro andar.
Visitas de dia, dentro du capital, cada urna 241000.
llera a' noite, dem idem 400.
dem de da, lora da capital, por caea legua em
carro on va frrea 5*000.
dem de noite, idem dem 10,8000.
dem de da a cavalln. 10*000.
dem a' noite, idem 204000.
Consultas verbaes, cada nma 1*000.
Hera por escripia 5*000.
Conferencias dentro da capital, cada urna 5*0(0.
dem fra sera' oa razo das leguas, como cima,
dem "de doentes entregu:s a seus cuidados,
gratis. *
Atiesta o 3*000.
dem de doentes sob seus cuidados, gratis.
Vigilia a' cabeceira do doente, por cada dia inteiro
dem idem idem a' no te, 40*000.
Partos e operagSes, sera' segundo soa natoreza e
categora.
Sangras e ventosas em doentes sob seos cuidados.
gratis.
Consultas, visitas etc. aos pobres dem.
. A conduego para os chamados d fra Acara' a
cargo dos doentes, e o annuoeiante incumbir se ha
de levar comsigo alguns medicamentos, e bem as-
sira saoguesogas -te,, para viur demoras em co-
megar o traameob, demoras sempre molto preju-
diciaes oas mo eaas agjjdas.
Os curativos serlo Wwsaliopathica (a homeo-
paihicamenie, segando a maior sommae proba-
bilidades para bom resultado, offerecidas por
aquella oo esta dooirna.
Dr. Fraocsco de Paula Soares.
VENDAS
de porta.
Vendem-se no escriptorio deste
a 160 rs.: rua das Cruzes n. 4i.
Vende-se a taberna n. 93, sita na rua d,as
Cinco Pomas, muito propria para vender para a
estrada de ferro, tem morada para familia
tar na mesma.
objecta a comprar.
Bollas de
De diversos tamanhos .para
dem-se na loja de miudesas a
n. 16.
horra filia.
brinquedo?. Ven-
rua do Queimado
Calcado,
Sor 'ment mag.
Pelos ps costomam penetrar no corpo a maio-
ria das molestias.
Resguarda i-os dirigindo-vos
4o.ftu.* Oireitato.
Borseguios quasi Mitli brfwrro___
8*500
(1*500
5*000
8*000
<
c
<
Sapalos
c
5*000
4*800
4*500
AUencao.
Ingtezes qitdbra tocos...
hespaohoes lustre.........
fcrasileiros bezerro........
para senhoras enfeilidos
no toro.................
para senhoras............
t ............
preios de..
mirin.................. 4*000
uglezes patente........... S*0rO
americanos.............. 1*500
francezes de salto para se-
nhoras................... 3*200
Borsegoins para meninas enfeita-
dos 4* e................. 3*800
Sapatos aveludados para homens e
senhoras................ 1*500
BorsegolDS com lagos para meninas. 3*500
Sapatos da traogas superiores...... 1*600
Botluas franoezas para meninas..... 1*5 .0
ChoelSes do Porto e um perfeito sortimento, de
sola, couros, marroqulm, bezerro francez, vaqueta
couro de lastro ; como aioguein lera' oo mer-
cado. -
I ^ mm ^% W^
Superiores ca^sa* frincezas muito finas de edres flxas, matlsadas e miudinhas a
320 rs. o covado : na loja das columnas roa do Crespo 13, de Antonio Correia de
Vasconcellos i C
1HUD W DE RESIDENCIA
mumu ii sai? Aim
6 O direetor do collegio de Santo Amaro, faz publico a quem possa loteressar, qae transferio dilo
eollagio para o palacete do caes do ApoJo o. 6tbairro do Recife, onde eontlna a adtnittlr alumnos
Internos semi-ioteroos e eneros.
As aulas creadas em dito eolleeio sao as aegnlntes : iostmsgo elementar, lineua latina, rao-
,t^V,- '',el0"',, #>. eograpttiaehrstorla, geemetria, phllosopbl, deseoha, mnsica fo-
"'i instromenul e dansa.
Largo do Carmo d. 9
Ven le se orna armago cora pouco uso, envid'a-
gada^ e propria para qualquer negocio.
Xa rua de S- FrncFscTi'rzO
vedde-se azeile de peixe a 4* a caada e 560 rs. a
Acha-se fgida a escrava Victorin, crioola de ?arrafaseD0 e,n be*''. *elas para carro da me-
Idade, pouco mais ou menos, de 30 aopjs, 6 rnultol'or marca< saccas com nllho e farelo de Lisboa,
sooha, tem o andar apressado, fol escrava da
Colkarrs Royer
ou
Anodfnos eledro-magnelicos con Ira as con
vulses, e para facilitar a deoticSo das
criancas. A aguia-branca na rua do Qcc--
mado n. 8 recebe-os por todos os vapo-
res fraocezes.
J esto to conhecidos, e tanto se i m esp;i; i c
a faoa desses prodigiosos collares Bt.yer, qoe s
torna desnecessario dizer mais algoms r.a ere
abono d seus boos e e efEcazes efleitos: casta r
testemnnho de milhares de pessoas, qoe lrr viste
e aproveiado o feliz resultado desses to nteit.
quao nece.ssarios cellares Rnyer. A quotidiana <
crescida extraego, que vo lendo, mostia sinds
quo numero dos prodieioj se eleva como todo;
os compradores. A agoia-hraoca, p-rrti, s*
ando cancorri-r para um om de tanto aproV6ltf>
ment, i. m feito os Ur.cessarias pedidos, para qa
por lodos os vapores francezes Iho seja remettid
certa qnantidade de ditos collares, para assim tor
nar-se iufallivel o sortimento delles, ca loja d'
goia-hranca, rua do Queimado n. 8.
A LEGITIMA
^op/'l pintado
O mais completo e vanado sortimento de papel
para forro de sala e guaroicoes, eocontra-se a
venda na
Botica djcBSartholomeu & C.
34Rua larga do Rosario--34
cal e
Nodla 7 do correte mee lera' lagar a abertura da ala elementar. Coja mrlenla desde V
acba-seaberli e n das demaw ai* Je 15 por dianle. "r. co^a wairicu. ue.ao ^
O director,
i. r, Ribeiro de Sucia.
Eim* Si D. Mana Crad'da Salazar da Veiga Pes-
soa, moradora oa roa do Hospicio, esta' fgida des-
de nos de abril do auno prximo passado : consta
estar por Santo Amaro ou Soledale, descooda-se
qae esteja como ama forra em alguma casa aonde
pouco saia : roga-se anassoa, em coja casa enteja,
ou a quem della tverlntlci, de se eoteuder com
o senhor da mesma escrava Seba-tio Jo G jmes
Peoa Jnior, na Capuoga, roa da Ventora, ou Da
praga da Independencia os. 37 e 39, loja de caiga-
do do Sr. Amonio Augusto dos Sanios Porto.
Fugio do~ogenho Araripe de cima, do ibai-
xo assignado, sua e-crava Floiioda, criouta, idade
de 3i) a 35 anoos, balxa.'secca do corpo, tem falta
de deotes oa frente, cara muito red rada, ps mui-
to pequeos, esta' grvida, e coniuzl om seo fi-
ltra pardo, de idade d- 18 a 20 mezes, fol ~encoo-
trada em direegio a esta praga, dizeodo ser es
era va do major Nasclmento : roga s as autorida-
des policiaes a faeam captorar. e a qualquer indi-
vtdoo que a levar ao seu senhor se gratificara'
bem.Epamoondas Vieira da Cunha. .
Veode-se nma pret cosiobeira e lavadeira
sem vicio era achaque algum e quera a quizer
comprar dirijas-e a rt da Rmgel sobrado n. 43
esquioa do becco do C'rcereiro.
Vendem-se duasca^s terreas seo lo urna da
pedia e tal eoutra 4e laipa em Agua Preta novoa-
gao dos Montes no paleo da fetra, por prego com.
raode: quem pretender dirija-e ao Afogado roa
de Motocolorab n. 29, qua achara' com
tratar.
DENTIFRI IOS LAROZE
CN SERVADOK^ DOS DENTES E GEN-
GIVAS.
elcxir DENTiFiticio, para a airara e conser-
vaco dos denles, curando as dores cau-
sadas pela caria ou produzidas pelo c ja-
lado do calor ou do fri.
p dentrificio, coa base de magnezia para
a alvura e conserva.-3o dos dentes, pre-
venindo a descarnatlura, provoeando o
trtaro de que empede a reprodcelo.
opiato femtifri io, para fortificar ai gengi-
vas, e a? conservar s5as, prevenir as ne-
vrdlxias dentarias e as affecces escorb-
ticas.
curativo dentario HYciENico, para ebum-
bar os de tos doentes, parar a caria e pre-
venir os abeesses e as dores que elles
provoca tu.
Deposito em todas as pharmacias e casas
de drogaras no Brasil.
Expedicdes em casa de J. P. Larose, ru
des Lions-St-Pao, 2 Pars.
Deposito em Pernambuco, pharmacia de
P. Maurer Vedera-se tres escravas seudo urna perita
engommadeira, 1 bonito moleqoe-, 1 negro muito
r ibosto de moia idaJe per 500* ; na travessa do
Carino n 1.
Vende ss a casa terrean. 24 da ru* dos
Prazeres da freguezia da Boa vista, com inultos
c iraroodos e grande quintal : a tratar na mesma
rua n. 7

quem
Jas Thomaz de Campos QaamsDia,
taudoa su* resideacia da rea da Matriz
para a rua da Imperatriz casa amarella n,
88, terceiro aridar, confronte a ma^iz da
flo>Visla.-
Na casaamare.'la defronte da matriz
da B>a-Vistrn. 83, contioua-se a vender
doces secos_e de calda de superior caj' e^
mais tjuaidads, por precomas barato do
que em outra qualquer parte. Tambem
preparam-se bocetss com d /ees secos rica-
mente enfeitadas a coateoto.
Hotel veneza do^norte ~:
Vende se o hotel Veooza do Norte, sio a roa
das Crozes nrtt, llvre e desembaragado de Dio
e qualquer negocio: a tratar na' Capooga com
Francisco Lniz Goaie- Ferreira on com seu procu
------ Ferreira no usno batel
Fio dealgolao da Baha
Veode-se no escriptiriide Antonio Luiz de Ol-
veira Azevedo 4 C, no seu escritorio roa da Croz
n. i.
Carrosa e boi%
Venlse urna carroga com pipa e um
radar Francisco Go^.*
Vndese urna negrmha de S a 8
id^dflou se lima 2034 a jiros g.>b i
'Jie.i: i-ilter anuai(< p-f esle itrto.
so da mejma
Imperatriz n
inntn ou separadamjote
39, 3* aidar.
boi man-
na rna d
Veude-se urna limita muinbaoda de idade
N annos, 1 escrava perita engommadeira, 1 bonito
moleque de idade 18 aooos, i eroravo maito ro
bnsio por 500* : na travesa do Carmo*. 1.
PREPiRADA MCAMENTE POB
LAMAN & KEfflP,
NOVA YORK.
Compostade substancias, gozando dn
propriedades eminentemente depurativas a
ipprovada pelas juntase academias de me-
iicina; usada nos principaes liospitaes, ci-
vi8 mitares e da raarinha as Antilhas e
ao continente americano ; receitada pelos
^culla ti vosos mais distinctos do imperio do
Brasil e da America hespanhol
CURA RADICALMENLE
scrophulas, rheumatismo, escorbuto, en-
ormidades venreas e mercuriaes. chagas
JQtigas, morphea e todas as molestias pro-
'enientesd'um estado vicioso do sangue.
Emquanto existem varias imitaces e
'alsificacoos. preciso a maior cautela para
evitar 6s eugaaos.
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAORS & BABBOZA
J00 DA G. BRAVO C.
Jo a o da. Bravo & C.
Deposito geral em Pernamouco rua da
>az n.22 em casa de Caros
aonoe- de
roesina :
Atiendo.
Vende-se orna eterna de 30 annos. de boa con-
ducta, eogomma, cosinha e cose eom perfeigJo, as-
sim como oa escrava de- 30 aaoos, proprio para
lodo a quatytnr servigo ; Ha rn^ Afecrlm, casa
em qoe anotoa o Sr. Peixjt_____________
Vende-se um quirtai bem pos'^nte e gord-i
q o an1ar-'s: ui ru i i C nwrJil o. 64, padarla.
Novameote chegadas botas russianas e perooiras
4 melhor qoalidade qae temos vi.to : oa lola do
vapor rna-Nova n. 7.
Veode-se vinit de BoroVaux em quartolos
barns e caixas : enfeasa deTlsset reres, rua jad
Trapichen. 9. '
l'ei'hiarlia para ta aalhinlias"
N rua das Crozes n. 25, em Santo Antonio'
v.nde-se palha o. 3, moto era coau.





6
Diarlo de Perninbneo Yeguada lelra ti de Janeiro de 1867.

I






O ARMEZAM
E
JP
MI1' Fifi
OLYMPIO GONQALVES ROSA
Kua do Livramento i. 14.
(Tprprietario deste estabelecimento "tas sciente ao respeltavel pubbco e aos seas amfeos.
53 RA DA CADEIA 53 _
SW IMl O ARCO Ui COM CEirlO.
"Acaba de receber e tem por baratissimos pre^s reguet ~
aim de seu aeostumado e muito completo sortimeax) r-~^^^
de gneros os swiintes abaixo declarados a-^..--.^..^
Queijos de Miaas.
pegados pelo ultimo vapor a 1)5600 rs.
Qomma de milho branco
americano.
9 melhor qne ha para papa, pa*o-do-l, bolo.
angica, creme etc.,
aadavel a 60 rs. cada .
SALM.0 e lagostin
:hegado ltimamente em latas de 2
.{#309 rs. cada ama.
HOCOLATE
rancez a 5 rs. o pacote, dito hespanhol
pedal, o me'hor que temvindo ao merca-
io a 1S0 rs.
LATAS DE NGULAS
om 6 libras emticamente fechada a
3500, e de barril a 640 rs. a libra.
VELAS PARA CARRO
i pacotes tU 8 velas a 900 rs.
VINHO DO RHENO
. verdadeiro a 20000 a garrafa.
B0RDEAUX
das mais acreditadas marcas: S. Julien,
3aat Brion. St. Emilion e St. Esteph a 800
n. a garrafa e 80OO a duzia. ,
O EXCELLENTE E AFAMADO
COLLARES
agarrafado da bem coohecida casa de De-
ant C.a a 100000 rs. a duzia.
PORTO
iiversas quaJades engarrafado, inclusive o
-aais fino que ha n'este genero por 800,
.#000, 10200, igiOO e 1*3^0 rs.a gar-
ifa.
OLD CHERRY
3 mais superior do mercado a 10500 rs. a
arrafa e 150000 a duzia.
VINHO BRANCO
cellente qu iiidade, de Lisboa, e proprio
oara missa a 800 rs. a garrafa e 80000 rs. a
atxa de duzia.
VERMOTH
mperior qualidade em caixas de 12 meias
arrafas por 120000 rs. e cada raeia garra-
fa 10200 rs.
MUSCATEL DE SETUBAL
o rauit) excelle ite vinho muscatel por 200
a caixa de duzia 20 a garrafa.
CHA
hysson de pYimeira qualidade a20800 rs.a
libra, uxim o que ba de mais fino a 30 rs.,
alm destas ha muitas outras quahdades
m'iito substancial e proprias para vender a retamo, que se vende
P*kjiei libra. de 1)jopOrs.a20 rs. a.libra.
libras CHA PRETO m
o mais especial que tem vrado a este mer-
cado a 20600 rs. a libra.
corar as tojas do Llvraroenfo) espera qtn
noh ve,nde mais barato qne ootro qaahiuer
seas amigos e fregueze
o honren) com 'anas presencas,
MAQAS
estrellinhas para sopa em caixas sortidas de
8 libras por 40000 rs, pamarim, macarra,
etc., a640rs. a libra. .
PREZNTOS
o verdadeiros de Lomgo a 640 rs. a libra a
560 inteiro.
JALEIA DE-MARMEELO
em latas a 800 rs.
1 "MOLHO INGLEZ
diverss^ualidades a 720 rs. o frasco.
MOSTvRDA INGLEZA
maito nova a 800 rs. o frasco.
MOSTARDA FRANCEZA
a640reis o frasco.
ARENQUES
em [atas a 600 rs. cada urna.
GARRAFAS
brancas para mesa superiores a 50 rs. ea
60 o par.
COPOS
diversas qualidadese tamanhos a 30. rs., 40
50 e 60 a duzia.
CAPACHOS
de cores e differentes taraanbos a 500- rs.
640 e 800 reis.
BALA'OS
diversos feitios epara compras desda 500 rs.
at 20 rs; ditos grandes proprio para roupa
de 30 a 50.
GAZ
o mais superior giz liquido em lats grandes
com 5 galoes por preco de 100 rs.
f!l
i :
DEU-S3
&RA1V11E LI$UftIA{!AO
C
I Vi
23 Largo du Terco 23.
Joaquina Simo dos Santos, dono deste bem sortido estabelecimento de seceos
molhados, faz sciente ao respeitavel publico, tanto de^ta praca como de fora, que ve-
dara fazer suas despensas a este, estabelecimento para verem a g'raade differenca que faz
ara meno-; preco, caso fossem comprados em outra quniquer parte. E todo o freguez
jae comprar de 1000000 pira ci na ter o descont de 10% pelo prompto pagamentos
az-se esta gran le diuVenca por estar-se em liquidaco.
s Gaz americano a 4oo rs. a gararfa, e 90 a lata.
Caf do ho de 1.a e 2.lsorte a 24o e 2oo rs. a libra, e a 60 e 70 a arroba.
Queijos de diversos vapores a 204oo, 208oo e 30ooo cada um.
Pbo-phoros do gaz a ?02oo agros, e em porco se faz abtimento.
Cervej de diversas mircas, duzia 50, 505oo, 60 e 70
Arroz da me hor qualidade a 12o e lio rs. a libra e a 301oo e 302oo a arroba.
Pao-^l de linho marca vi-idoa 40ooo a resma, em porgo haablimento.
Ide.n fin de marca martello a 505oo e 60 a resma.
Vinho ds melhores e mais acreditadas marcas, a 207oo, 30 303oo e 40 a caada e
i 36o, 4oo. Roo e 56o rs. a garrafa.
Mem tranco superior qualidade a 40 a caada e a 56o a garrafa.
Cha minlinhi egraudo^ia melhor qualidade a 0, 202oo, 0ooe 208oo a libra.
Manteig ingleza lina, a,10loo, 1012o e 10oo a libra, embarris ha abtimento.
dem mais baixaa 72', 8oo e9oors. a libra, em porc3o h:i grande abatinxmto.
lemfranceza muito nova a 4o rs. a libra, e em barril ha grande differenca.
dem mais baixa a 48 >, 52o, 56o e 6oo rs. a libra, em porgo ha abtimento.
Vinho d > Porto engarrafado e em barril a 64o, e a 10 a garrafa.
Alera destes gneros ba outros mtos assim como bolachiuhas de soda a 101oo e
.0 a lata, chouricas e genebra de todas as qualidades, massas para sopa, copos a 50 a
iuzia, so no Conservativo largo do Terco n. 23. _________
BASQUINAS BE SEDA
A' loja de fazendas de Augusto Porto & C.
tjRu do Qucimadoil
A' loja de Augusto Porto & C. chegaram as melhores basquinas de seda
preta que se venden $or mdicos precos.
Vestidos de moin de cores para bailes e partidas.,
Ricos vestidos de-Blond ?om manta e capella para noivas.
Costame5 completos de casemra para homens, fazenda especial, sendo
as cagase palitotsda ultima moda.
Bonets de palha da Italia para senhoras e chapeos de phantas para ho-
mens.
Enxovaes e vestidos bordados para baptizados de 1O0OOO a 300000.
Camisas ingleza* para bomem, pe'lt0. pannos e colarinhos de Huno supe-
rior' T'l. .
Ricas saias d linho bordadas, baloes, espartilhos, meias unas, lengoes
bordados, camisas, caoiisinhas, manguitos bordadas para senhoras.
Colxas de seda, e de ta e seda para camas de noivas.
Coronados bardados para camas e janellas.
Tapetes para sof, enma e piano e pannos para cobrir-mesas.
Bramante, Brilhantioa Miciennes ou cambraias de pafos, fazenda muito
bella paif vellidos, sBeslas, bretanhas, e cambraias transparentes tapada e
de linho.
Moireaotique branco e preto, sedas brancas, de cores e pretas, e gres-
denaple dle todasvas qualkiads.
Brins de linho branco e de cores dos melhores.
,.. Neste estabelecimentoha sempre sortimento das melhores e mais baratas.
Esteiras da India para for ar salas
11 nua d indotado-H
Vapores.
Vende-se em casa de Satroders Brothers & .C-,
no largo do CorpoSanto o. tt, vapores patentes
cetntodo? os perteoces proprio pira faier mover
ir ou .uatro machi as para descansar ilgodao.
Vende-se polas Ja Ro-
qnalldade a mas*'ifptdj>rteil par* o fabrico de
assucar prf?-. rr>oav^l, no armiuem Jos da
Silva JLoyo & C.
Admirem os precos
No arma i en de laieudas de iaatii
Coelho.
Ras do<$nelMado n. ifj
Vende-se:
Madapolao enfestado Dno a 9* a peca com SO
Ditos di' 7, 7#5O0, 8*, 9#, 105 e 11 a poca coa
90 varas.
Cambraia de lisU de duas cores para vestidos
800 rs. a vara.
Baldes de ano' para senhor a 25300. %i v'ifOO
Dtlos'de arcos en^nwdos *'3J8M e i*. '
, Ditos de murcafltf i***800.
'""itoewil rde-M eninas d 15600 e 2|.
JHDSS4
superior e de
Aos aifiniTtorcs
Saunders Brothers A' C.
Liverpool vapores de Torga de 3 *
.'oalhas do lio I
tdoj os perteaces, e mu proprws par baer nw- im9% de hro fpefl^7 !34 a dQ73.
ver mactiinas dedescarbear algodio, podendo cada
vapo trabalhar ate,cqm>40 serras, Umbua ser-
vem para eofardar algoao on para ootro qualqaer
servijo em qaeasam trabalhar com amiaes. Os
meamos umbea'ten vend* machinas lam
as de 35 a 40 serras: os pretendemos dirijan-
se -io larg-i do G|TPO Sanio ?. II.________ .
Loja db Gallo V'igilaQte
RA DO CRESPO N. 7.
Grande e variado sortimento dos hunero-
sos objectos de apurado gosto que llima-
mente acaba da chegar para este b$n co-
nhecido estabelecimento, pois seu corres-,
poniente em Paris o mais habilitado pa-
,ra a OSCOlha de taes objectUS, pois OS COm- Cambraia de iinbo fina de 6
*" '* l!n ramlmaiA lien m II11 il ftt\* fl.i
Ipradofes poderao apreciar, como sejam nn-
dissi'uos eafeites de cabeca com cok de
cabello, e sem elle.
86 Q'Yigante ra do Crespo n, 7.
Gacites.
Koques com caixos e de novos pentea-
do.
Trancas pretas e de ceres, e de todas as
larguras, com vidrilho e sem elle, para en-
feile de vestidos
Bicos de seda com vidrilho e sem elle.
Gravatiuhas de velludo para senhoras.
Gravatas e urantiohas ihpadas a 125 a dula.
avara,
largan
gr^g*,

BUL
LOJA DA FRAGATA AMAZONAS
DE
Monteiro Guimaraes.
N. 5 Hdh io QuiMBisio d, 5.
Os donos deste novo estabelecimento caamam a atlenco dasEsuias. senhoras que
gostara de usar objectos de modas, para que se dignem vira passea a sea establecimen-
10 apreciar alguns dastes artigos de novi lade ultimimnte chagados pelo vapor 'rancez,
e que esperam merecer) approva';ao do bello sedxo.
A Fragata acaba de receber novo sortimento de sedas de cores, pretas, e bran-
cas, em cortes eem pegas, as quaes pelos s-jus elegantes desenbjs e boa qualidade se
tornam recommendadris.
Lques de madriperola de 18 a 800090 um.
Lques de sndalo novos gostos.
Chapelinhas de seda e palha para cok.
Chapeos de sol de sedi para senhora.
Ricos cintos bel'a Helena (novo gosto)
Cortinad s bordados p ira cama.
Colchas de seda para cama.
Cortes de blond para noivas.
Basquines de seda bordados de-15 a 600000.
Cortes de cambraia branca bordados, e outros muitos artigos que menci-
nalos seria enfadonho.
O i tro sim, os donos deste novo est -djlecimento se consideram gratos, para com
todas as Exmas. senhoras e sealtores, que tera frequenudo seu estabdecimento e cada vez
ma s se esmeram a flm de bem servir a todos que queiram honrar seu eslableeimento
com suas presentas. .
MACHIMAS AMERICANAS
Verdadeira do fabricante X. Y Caattongia & c.
Hoiaaos americanos para moer milho.
Na ra Nova n. 20 e 22, grande deposito
das verdadeiras machinas americanas de todos
os f bricantes; se en;ontra neste deposito
grande porcao de machinas, e se veodem por
menos preco do que em outra qualquer parte,
por se receber em direitura da America; se
fornece todas as explicacoes necessarias ao
comprador para conservacao das mesmas;
neste grande estabelecimento se encentra mui-
tos artigos americanos, que muito deve agra-
dar aos agricultores que usam de taes artigos,
encontra-se tambera todas as colleccoes de de-
seosos sobre os quaes se aceita qualquer urna
encommenda, que coro promptido ser ejecu-
tada ; neste gran le estabelecimento, encon-
tra-se em grosso e a rotilho, grande por$5o
deferragens, e miudezas que se vendem por preco commodo, pedindo-se a altencSo
de todos para este estabelecimento que muito lucraro em fazer suas compras: na
ra "Nova n. 20 Carneiro Vianna.______________________________________
rrrfrf1rJrrJrJrJrJrJrJrJr'rJrJaEB
^J 2a?rm _____________________________
50
s
2
O

|5
a
n
i
5
SI



llllllllllll
PREPARAC9ES FRREAS-MAH6ANICAS-
APPR0VAD18 PELA ACADEMIA DE MEDICINA
DE BURIN DU BUISSON
Phamateolio, laureado pela Academia de Medicina de Paria
0 eminente professor Trosseau, na nltima edicao de seo Tratado de Thera-
peutUa e Satera medica* reconhece qtje os ferruginosos simples sao ranilas
vetes ineffica7.es para curar as molestias que teem por caun o empbrimeni
do sangne. Muiros mdicos dos mais distinctos attribucm esse m o c-xilo & aaseneia,
n'essas preparacSes, do manganese, que se acha no sangne, como o tem reenheci4e
os chimicos os mais peritos, sempre intimamente unido cora o ferro.
E' pois, prestar-se um verdadeiro ser-, 50 aos Sr" Mdicos, oobamai^se sua attencae
sobre as preparac5cs seguintcs.
dando immediatamente mna agua, acidtiada,
eazoza, agradavel, substitnmdo com vantagem
o economa as aguas mineraes ferruginosas.
1
2
Pos forrees mngameos
e economa as aguas mineraes
Plalas e Xarope k iodureto de ferro e de manganese isaltemeis
I
r-3^

''mili?
*'as
2 3 2 2
m n
eontendo cada urna cinco centigramos de iednreto de ferro manganfeo indicadas
particularmente as molestias Tymphaticas, escrofulosas, o as chamadas can-
crosas e tuberculosas.
receitada pociaknente
para a eblorosis, a ase-
nta, a leucorrhea, a ame-
norrhea. A inckc*clo de
alternar estas duas preparaces d oa melhores retallados.
O S* Burin dn Buisson desojando obler a adhesto oompleU do pubBoo me40 a
cerca do valor de suas preparaeees, previae ^w elle m poe grattiitaeate'a toa
disposioio, dlrigendo-se;
Mo Ptmambuc4, a sen agente feral, Manresr O, pharmaeetoas, ma lleva.
rages de lactato de ferro e de
Ptelas de carbonato frreo manganlco
....... rrrr
Yfinde-se na Livraria Franceza ra do Crespo o. 9 e na Botica Franceza rui Nova b. 8

INJECCAOe capsulas
VEGETAES aoMATICO,
[A (iT&C-'pharmaceuticosemPAHIS
' Revo momento preparado con as fbtkat it
liUca, arvort do Per, para a cura rpida e io-
il da Genorrhea sem reccio algum da eon-
docanal oa da inilammactodosmtestmes.
:e dontor Ricord, de Pars, ler renonciado,
ana appariclo, ao emprego de qualquer
traumeuto. Emprega-se a njeeeo ae
de f uxo; os aapmSas em todos os casos
inveterados, que resistirlo as prepa-
eopahn, cnbeha e as injecces oam base.
as pharmaclas de P. Maorer d
A. Gaors, en Parnambcoo> ______
Veodese um* ^torada ae casa "terrea com
termo para Minear orna ontra, de 25 palmos de
freote, sita na roa do Amparo em Olinda : a tra-
tar na roa do Amorlm n. 96. com Joio Simies
Hamu.
5W0O
Cal de Lisboa.
Da mais nova que ha ao mercado ebegada pela
barca Gratido : vende se na |0a do Trapiche ar-
roatem o. 5.__________-^__^__^_^____
No arma.-em de fazendas kan
Statos Ceie
Roa do QaeimadeTi. 10.
Vendase o sondte.
Pechineha i
Prcas de cambraia branca fina com am peque-
o defeiio decoDim, pelo baratisMmo preco de
14500, 2fo90, 34500 e (500 reis, qaera deliari
de comprar cambraia por tSo dimi-aoto preco.
fiit ifllgilit d BaMa praprie
para saceos de assucir e roupa de
eaeraretu
Vendo-se nd aisasptori de Antonio Ltb de dii-
veira Atevedo & .C., |oo sea] escnpterlo roa da
Crasa.!.
Aloalhado adamascado de algodio a 55
Dilo du j de ItaAo n 3 h vara.
Bramante de linho com 10 palmos de
5*500 a vara.
Dito de dito de 9 1|2 dilo a JiOO.
ilo dito de 5"dito a 14*00.
Dito dilo de 3 1(2 dito a 8t>0.
Algodo entestado com 7 i|2 dilos a 1J1C0.
Retundes de fil prelo a 7>-
Boornos de dito a I0.
Chales de dilo a 4*
Cambraia adamascada para cortinado com 0 ta-
ras a 134 a peca,
Lencos braceos de cambraia
35F00 e 4,S a duna.
Lazinba eom Oorc? mnito Ona a 400 o corado.
Dita lisa dita a 4) o corado.
4500 a 95 a vara.
Cambraia lisa mnito fina de 55, 65, 65^00, 74
85 a peca.
Colxas de fusto ateoohoadas brancas e de corea a
65000. .
Cocerlas de chita da India de 24400 e 2R00.
Leoces de b-mburgo Bno de 2*400 e 25600.
DitoVde bramante de nm so panno a 35 00.
Tarlatana de todas as cores 880 a vari.
MoreanMqce preto superior b 24600 o ovado.
Grosdenaple de dilo a 14800 o covado.
Flanella ;o cores a 800 o covado.
Cambraia desalpicos branca cura 8 It2 varas pa-
ca 44500.
Fil de linho liso fino a 800 a vara.
Dito dito com salpicos a 900 a dita.
Guardaoapos de linho para mesa a 35303 a doria.
Assim como tamben) se encentra um completo
sortimento de ronpa feita e por medida.
finos de 25, 34,
.
Jos
rmann
mera.
Gratas brancas maito finas.
S do vigilante ra do Crespo n. 7.
volil altas para naeulaua.
Voltinhas para meninas.
Pulseipas para as mesmas.
Gorrentes para relo^ios finginflo cabello..
Rtquissiioos sintos, fivelJas e 8ta^ para as
mesmas e de outras muitas qualidaes.
Riqusimos pentes de taataruga. TYlTtfiisfiO
Fitas de velludo de todas as larguras. *u^^
Lindos enfeites para vestidos, chamados iRA NOVA N. 21,
Gbrispianne Mrgarite. acaba de receber um todo e magnifico wr-
Riquissimas flores para vestidos e para timento de oculos, lunetas, binculos, do tt-
cjbe/j, ; timo e mais apurado gosto da Earopa e oaa
Capeas com canos Hor de laranja, pro- los de alcance para observasas e, para ;o
prias para noivas. martimos.
Meias de seda para senkoras.
Ditas para meninas.
Riquissimos chapeosinbos e touqutnhas
para meninos e menioas, meinbas e sapati-
nhos de seda para os mesmos.
Lindas sextinhas e bolcinhas para bracos
de meninas.
Muas pretas de laia.
Lindos aderecos e brincos.
Aderegos completos preprios para luto.
Lindos port jotas e port relogios de dif-
ferentes tamanhos proprios para um deli-
cado mimo.
Riquissimos limnhos com capa de tarta-
ruga para mi$sa.
Adrelos de llores.
Riquissimos aderecos completos, sendo:
voltas, patearas, brfncoj, aiflnetes, grampo
para cabel[os; tudo ito feito de todas as
-flores de ultima -moda em Paris.
fira variabas.
Tambera chegaram bonitas gravatinhas
cob flores, e com alflneles proprias para
meninas e senhoras.
Raaetas e brincos.
PASTA e XAROPE de HAF 4a ARANA
Slo M unlcoi palurut tprorio plai profmorw H
"Ptculud i* Medid de Frute, e por M m^dlcei del Hoi-
plttee de Parii, oa queea cerllcarle ulo i. sua auperle-
rldade aebre tedee aa eetrsa pelioraaa cene aie podaren
encada teotra oa SadaiM, rlpH, irrlUeae* >
atTedplea do palto e i imuu.
RACAHOT DES RABES
Be DBULAMeRBDna
UdIco alimento apprerede pela Academia de Medtclaa de
Parla. Blla restabeleca es pesaSaa a; antrem do Baio-
ma(0 e des Intestinos; fertaWee es criaocaa a as passSas
debilitadas, aiem alaao ea Tlrtode saaproprledade n-
leptloe he o melkor preeerraTo du reares aatsralta a
tjrpaoUa.
Cada frasco e cada eabaha daaaas preparacSe Int.
mp't aette a Jtrma ealeafreiuar, na Rlchelian, 38,
em l'ariz. (Pasar aarltlo altaaide cea ai hlsilcecti.)
Bepoailarlea no ftrntmkiut: Oeaea aarkera; Bar-
thotoaMa T" 4 Mata j aa.
A venda naypharmacias de P. Maurer
e C. A. Caors, em Pornambuco.
Doces
Grande sortimento de doces secos e crystalisa-
dos e em calla estrangeiros e naclonaes : no ar
marera da Liga ma Nova n. 60. ______^
Para a abertura das aulas
mui-facis para entender a rontabiidade em ver-
sos par Gtmboa, catecismo das verdades c-ihol-
cas, traslados, paulas, papel de peso e almago de
' mniias e diversas qualidade?, liso e pautado na
roa do Imperadordefronie do convento de S. Fran-
cisco n. 15.
Vendem-sc
fundos
Riquissimos brincos e rosetas nteiramente
novida ie e tudo de mnito gOStO. Cactos de A B C. taimadas, .Miecjsoo v.-r lade
rsrAnn,.|h!i 8C- 0*t"DOS. Rramrmtiea e vjlhm-tca por Lastro
louquinuM. Nnnes; cartilhas, bit.lia da iflaecia, carainho do
Riquissimas touquinhas de linno e seai, C0> devoto ebristao, Sioio de Nantoa, ecoaomta
ponto" de corx ricamente enfeitados e de da vida humana manyres- prnambncanos, regras
muito gosto.
Fila.
Riquissimas litas de chamalote, sendo: ver-
!de e amarello, tecido na mesma fita.
jtgttlhas de ma- flm
Tambera chegaram as mui desojadas agM-
Ihas todas de marfim, para trabalhar em laa
e sem corx.
Seiliuhas.
Tambem chegaram bonitas sextinhas de
palha fina, proprias para meninas.
S no Vigilante ra do Crespo n. 7.
Espelhos.
Riquissimos espelhos grandes e bonitas
molduras proprios para salas nu lojas assim
Ci-mo outros de differentes tamanhos.
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Para os pais de familia:
Verdadeiros
Collares Royer
Electro Magnelicos Anodinos
Ou Collares Anodinos, para facilitar a den-
ticSo das crianzas contra as convulsoes
das mesmas, a-estes collares nos escuzado
fazer qualquer recommendaco, visto a
grande utlidade que tem produzido aquellos
pais que os tem applicado em taes circum-
stancias pois nos parece que n5o haver um
s pai ou m5i que por este meio o8o quei-
ra por termo- a taes soffnmentos de seas
filhinlios visto ser um mal que tanto os
Dagelia, pois a estes colbres acompanha um
folheto que eosina como e deve applicar, e
vende-se ua loja do Gallo Vigilante, ra
do Crespo n. 1, pelo preco de 4)5000, 5A
e 6JO0O.
d:ns armarens na ra de Apollo, e enjos
vao ao cates do mesmo nom^ n?. 38 e 40.
Um sobrado na roa dos Guararaof-s n. 26.
Um sitio com casa de viveoda, 3 vivtiro?, rani-
tos arvoredos, e grande proporco. na estrada de
Beln para Santo Amaro, coaheeido pelo sitio da
T.orre.
Todos artes predios acham-se era bom estado.
Os pretaodedtes dirijani-se a ra da Seni?la-no-
va d. 42, e'm easa de S P. Johnston C. _____
Matiiues Austiu & C.
Vendrm no seu armasen!, ra
da Senzala-Velna n. 106.
Latas com gaz de primeira quslidade.
Barricas com farinba de milbo muito
nova.
Saceos grandes com farelo novo a 40.
Barris com pregos americanos.______
"Botto grandes
e pequeos, pret s e > ontras cres.
A agu", branca receben ora bello sortimento de
botoes de diversas qaalidartes e gostos os mais
modernos, a elles boa fregnezia da agola branca,
comparecam a roa do Queiraado n. 8.
PHOSPHATOdeFERRO
[d LERAS doutor em SCIENCm]
INSPECTOR DAACVDMIA DEPARl
Nle existe medicamento ferruginoso to notavel
como o Phnphat de (erro de Lenu; aa suraari-
adet medkaes de orando ner adeptaraat-flo
coa aotliciUida cent igual nos aanaes da sciaaa.
As otret paMdat, dores de estomate, digestios
penosas, anemia, convaloseendas iiffieois, idado
critica au senkoras, irrtfulariilado no mens-
trvapio, pobreta do sangne, lympbatismo, lio
curadot rpidamente on modificados por este
txceente eompotto. V o conservador por excel-
lesoia da cande, e lealando npvier o hcepi-
taes jieiat acadtWMas a ttdoi m ferrufineati
eoetheciaos, a iedereto e ao eitrato de ferro,
P' oe o Mico que cewrtn aoa estooapc at-
os, *me lio provoco oaniMpaolo, o onmo
tamkem qwe nlo ennegaeoe a bocea e ot dental,
Deposito as pharmacias de P. Miare
C, e A. Caors. era Peroaaaboco.
Vinho do Porto superior om eaia de
Dioi dozia. \
Vende-se no escriptorio de Antonio Luiz de
Oiiveira Aievedo & C, no seu escriptorio ra da
Gru n. 1.___________ ____ ^_____^
Vende-se
marbinas americanas de serrotes para descarocar
algodao : na roa da Spntalla Nova n. 4?.______
Vende-se a casa n. 42
nandes Vieira, na Soledade
n.44.
da ra de Jlo Per
: a tratar na ra Nova
Vende-se orna porejio de rotulas e janellas de
amarello, tndo obra moderna : a tratar do caes de
Capibaribe n. i, ofBcina de torneiro.___________
VENfM
D01ES
Graade sortimento de doca aeceoa, crysullaa-
dos e om calda, estrangeirose naciooaes : no ar-
maiem da Liga roa Nava n. 60.______________
Vende se um attio na rna de ten-le oo
ea para familia, arvoredos e algara terreno ;
trata-m na na do Qnelmido.o. 18 A, com (Jarvi-
M A Bastos.
urna balanga nova, eom pesos, conchas ele., par
assacar, alg-do ou cooros. no armaiam da bola
amarel|a por baixo do sotando n, da rna do
Impsrador.__________'_
Gliarutos da Bhia.
Superiores.
Havanefros a.......4*500 a caixa.
Flor'de Havana......4*000
Delicias.........3*500
Lyricos em meias caixas B*iiO0
Americanos meias ditas. 5*000
Suspiros finos meias caixas 3*400
Rfifaiia-Imperlal......3*0n0
Brasileiros........3*000 i
Suspiro superiores .... t*Su0 o cealo.
Para acbar : na Liga, roa Nova n. 60.
Vwde-se nm bol bom para carrooa: no
Mangoinho, casa jaoto a barrelra da Capooga.
Vendero-se tfoas partes de om sitio, qne am'
bss fatem mais da melado do sitio, na eaernztlhaT
da de Belem, com balsa para capiro, o moitos ar-
voredos de frocto: na rna do Rangel n. 85, oa
os loja de mlodeas da raa do Queimalo p. 59.
^



Diario de f-eruambiico treguada tetra 91 de Janeiro de 1867.
*4
)
/

%

<>
i

k

n

;
r"
?
!
lencdiaMo Pr>J. C. Ayer, ex-lente
da Unvcrsidade de rensvlvania, no
Estados-Cuidos,
Eilraeto coaaposto de salsa-par
rllha de Ayer.
peltorai de eereja.
Remedio para sezes.
Pilulas cathar ticas.
O deposito ceatral para as provincias
Pernambuco, Alagoas, Parahyba e Rio-
Grande do Norte, des;s reflidips t3o fa-
voravelmente coDhecidos e acolhidns em
todas as partes da America do Sul e de
Norte, acba-se em casa de Theod 1 hrls
ilausen, i6 na do Trapiche e
Pernambueo.
Os precos de
335 por duzia de estrado de salsa-parrilba.
275 por duzia de peitoral de eereja.
275 por duzia de remedio para sezoes.
75 por duzia de pilulas catharticas
se entendem dlnlaelro vista, coa
o descont de 5 por cento em quantidades
de 6 a 12 duzias, e de 10 por cento en
quantidades superiores a 12 duzias.______
IVAL SEI SEGUNDO
Ra do Qneimudo n. 4, loja de
mludezas
DE
Jos Bigoainno,
Goniimia a queitnar todo quanto lera em sea es-
tabelecimento.
Pares desapato de tipele a 13280.
Duzus de peeras de ajo muiio finas a 60 rs.
Csixas de linha do gaz de 30 novellos a 600 rs.
dem de linhas da gaz de 40 rs. o novello a 700 rs.
dem de palitos de seguranza a 30 rs.
Lenc-.s de cassa com barra a 1(0 rs
Duzia de facas e garios de cabo preto a 33600.
Masso de palitos litado para deutes a 120 e 160 rs.
Pecas de entremeios amito finas a 300. 600, 800 e
1,8000.
Livros das missas abreviadas a 13500.
Garrafas de agua-Florida verdzdeira lOO.
Babados Qp Porto de todas as larguras e lodos os
preco
Sylabarios com estampas para meninos a 320 rs.
Memento da roupa de lavar a-100 rs.
Nov.-.s canilhas para meninos a 160 rs.
Duzias ie meias multo boas para senhora a 4-;9O0.
Ditas brancas o cruas para bomem a 33 e 33008.
Agulhas francezas a balo (papel) a 60 rs.
Pares de sapatos de tranca e tapete a 13300.
Pecas de Atas de la de todas as cores a 600 rs.
Grozas de botoes de porcelana prateades & 160 rs.
Caixas com alfineites traneezes % 80 rs.
Caitas de 100 envelopes muito Hnos a 600 rs-
Pregos francezes de todos os tamanhos (libra) 2i0
ris.
Resma de papel de peso branco liso a 23.3
Frasco com superior tinta a 100 rs.
Grosas de pbosphoros de gaz a 23000
Pares de botSes de pnolio mnito bonitos 80 rs.
Linhas em carto de 200 jardas a 100.
Caixa de superior nba do gaz com 50 afelios
700 rs.
Gaixas de pos de arroz muito fino a 800 rs.
Puli-eiras de conta para meninas a 320 rs.
Taiheres para meninos a 240 rs.
Gaixa com superiores iscas para charutos^* 20 rs.
Masso com superiores grampos a 30 rs.
Grosas de peonas de ac muito fioas a 320 rs.
Bonets para meninas a 13.
Pentes rom costa de metal a 400 rs.
Capachos compridos e redondos a 500 rs.|
Caitas com superior papel amisade a 600 rs.
Reatos para meninos a 100 rs.
m m m
Chegon ao aatigo deposito de Henry Porster &
C, ra do imperador, um carregament de gaz de
primeira qualidade.o qual se vende em partidas e
a retalbo por menos proco do que en outr* qual
qner parte.
Rival sem segundo.
Raa do tneimano a. 4.
Que? acabar com as fa zea das abaix*
mencionadas.
Queiram- vir ver o que bou e baratissino.
Toalhas de labynntho com bico, fazenda boa
33300.
Carreteis de linha eom 100 jardas a 30 rs.
GravaUs pretas e de coree muito finas a 500 rs.
Baralnos fraucezes multo Unos a 200 e 320 rs.
Caixas de obreras de massa muito novas a 40 rs.
Bufia-lores para espartilbo de cordo e fita a 61
ris.
Carreteis de iicha Alexaadre com 400 jardas a JOt
ris.
Resmas de papel almajo muito bom a 23500.
Frasco de oleo babosa a 320 e 500 rs.
Ditos de dito lugienique verde a 13000.
Ditos dito f ..Iso a 800 rs.
Ditos de raaeacar perola a 200 rs.
Sabooetes mnito finos a 60, 160, 200 e 320 rs.
Ditos de bolla muito finos a 240 e 320 rs.
Caixas para rap com bonitas estampas a 100
Gaixas de palitos, a balo a 40 rs.
Miadas de linas froxa para bordar a 20 rs.
Varas do cordo para espartilho a 20 rs.
Frascos com tinta rdza muito boa a 240 e 320 r
Ditos de dita preta a melhor que ha a 320 rs.
Duzia de faccas para sobre-mesa a 43.1
Varas de franja branca larga a 20 rs.
Penles volteados para regacar cabello de menina
a 320.
Frascas de macaca' oleo muito fiao, a 120 rs.
Abotuaduras mnito Unas para colletes a 500 rs.
Carines de linha branca e de cores a 20 rs.
Libra de ara preta sripenor a 100 rs.
Cartas de alfinetes francezes com 14 pentes
120 rs.
Escovas para tato, fazenda boa, a 500 rs._______
VKMK-SE
IGA
VAWTAGEHS
AO PUBLICO
NA LOJA E ARMAZEM
PAVA O
Ra da Imperatriz n. 60
DE
(4JU i SILVA.
Os propietarios deste grai.de esf.belecimento
tendo no anno prximo passadu vendido grande
parte de uas fazondas como liaviam dnnunciado,
tero resolvido continuar a vender anda roais ba-
rato em virinde ao abatimento que fizeram em
Baloes baratos
Vende o Pav5o.
Chegon um grande sortimento de baldes da ar-
cos sendo americanos que sao os melbores e vea-
dem-se pelo baralissimo prego de 23500, 33 e
33500: na loja do Pavo na ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
A 100 rs. para loto, vende o
Pavao.
Vendem-se lazinbas arelas proprias para
pelo baratissimo preco de 100 rs. o covado
Vestidinhos para meninas
Venden se elegantes vestidinhos para menina,
de lsinha mnito bem enlejiados pelo baratissiOM
preco de 2:500, ditos de gorgu'o de seda a 33000
na loja e armatem do Pavo na ra da. Imperatru
n. 60. de Gama & Silva
Gbales de merino
_ Veqdem se finissimos chales de merino lisos d
diversas cores, lendo as franjas de seda a 43000.
, tendo com as franjas de la a 33500 rs., ditos en-
luto lampados mnito Daos a 53500, 63000 73000, di-
na, ts de erpon com listas de seda a 83000, dito."
60,; mais ordinarios para acabar a 23000 e 3500 : na
; loja e armazem do Pavo na ra da Imperatril
60, de Gama di Silva.
loja a armazem do Pavo roa da Imperatriz n.
M Gama & Silva.
Crochs
Para cadeiras
Para sofs
Para camas
Para presentes.
Chegaram os mais ricos pannos bordados a ero- '*,.*
cb proprios para encosios de cadeiras que s? Filos bordados a 800 rs. a vara na leja do
vender a 23500 e 33, ditos para encasto de sof Pavao
suas fazendas por occasiao d balaceo a que pro- 2.S& adl?s Propr,08K ,ara eob.m i,J!2&d3,s. Vende se filos de liubo branco bordados proprio,
cederara em 31 de dezembro uU.mo5; po?m pP.ra R Vo Pavfo mid'mn^trll SKS i P"a ,e8Udo ^>0 b"assiffi0 ^ ****>"
paderem satisfazer e apresentar ao respeitavel pn- 2Vi2. d lmPeratrlz D- M de G*:| vara : na loja e armazem do Pavo na ra da Im-
blico os seos numerosos fregnezes lano desia pra-
Sedmhas de listas a 400 rs.
Vndese bonitas sedinbas se lisias proprias pan
veslidos com largara de cblia mgleza pelo barate
preco de 400 rs. o covsdo : na luja e aricazem de
Pavo na roa da Imperatrim n. 60 de Gama &
*-
ca cono do malo uro novo e variado soriimenu de
todas as qualidades de fazendas, desde as mais
modestas ut as de mais aporado loxo, nao se tem
poopado na escolha dellas, limitando seus lucros
apenas no descont. C niinuara a dar fazendas
amostra, com penhor, 00 manda-las por seus cai-
xe;ros em casa das Exmas. familias. '
Grande pechincha
tres tnses.
Lanrinhas a 300 reis.
Lanzinbas a 300 res.
Lanzinhas a 300 reis.
So na leja do Pavo.
Veode-se oro variado sortimento das mais deli-
cadas lanzinbas, lano com os mais primorosos
goslos em mailz, como miudiohas de urna s edr,
sendo eUa fazenda lAa pura, e vende-se pelo ba-
ralissimo preco do 300 reis o covado, por ter feito
grande pecbicha na compra, se nao seriara para
muito mais dioheiro, isio na loja e armazem do
Pavo na ra da Imperatriz n. 60 de Gama 4
Silva.
As saias do Pavo
pechiuch) a
1(5000,10*80 e 10600.
Cbegou urna grande porco de pe$as de fazen-
da branca, proprias para saias, sendo de um lado
bordadas, com muitas barras de pregas, tendo a
j largura da fazenda a altura precisa para urna
saia. podeudo fazet-se com tres e meia vara, e
; veade-se pelo barato preco de 13 e 13280 a vara,
[sendos com pregas, e a 13600 leudo pregas e
, bordados, isto s se vende na loja e armazem do
Pavo, na roa da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Algodazinho a 4$5W>
Vende-se superiores pecas de algodaozinho com
18 jardas, sendo muito boa fazenda, pelo barato
preco de 43500, na loja e armazem do Pavo, na
ra da Imperatriz n. 60 de Gama di Silva.
Novidade
Em cambraias de cor.
Cbegcu p ra a luja do Pavo um grande sorti-
mento das mais modernas cambraias cora listras
largas, unto ao comprido como atravessadas com
as mate modera; s e mais delicadas cdre ; assim
como os mais modernos organdys de listas largas
com lindas lores matizadas pelos centro?, que se
n& Silva. !>'""- p,, Peralriz n. 60 d. Gama A Silva.
Si OVOS VestldOS rOll de C- Pannos de linbo.
^rrt ICinAA 1 Ve,D<,-se superior pannos de linbo propro par*
Vie a lO|?>UUUi ; loncoes, toalhas e sroslas ele, pelos baralissimo
\o 1*;. 700 e 800 rs. a vara : bramante (i
\d lOja 00 pavaO. hoho com 10 palmos de largura a 23 00, 23500
Chegaram pelo vapor do dia 15 do correte, os 23800 a vara; um grande sortimento de Hamburg:
mais lindos corles de poil de chvre para vistidos, ou Cregnellas por baratos precos : na loja e arre*-
sendo fazenda inteir.*mente nova no mercado, ten- zem do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de Ga
do esta fazenda bastante lustre com os mais deli- ma & Silva.
cados gostos tamo em listras como em flores solas Cambraias brancas de cordo a 81S0OO
e vendem-se pelo baralissimo preco de 163000, | Cnegaram as mais delicadas cambraias branca-
lendo cada corte 18 eovados, isto na loja e arma- de cordo com delicadas lisias transparentes
zem do pavao na rna da Imperatriz d.60, de Gama vendem-se pelo baralissimo preto de 83300 a p*
* s"va- ca r na loja e armazem do Pavo na raa da Imp-
Para senhoras ralrizn. 60, de Gama & Silva.________
vendenSfe^Sa"^ VT^ && Icdependencia
basquinas de seda preta, muito bem enfeitadas, as | Loja de Arantes & Lyra.
vendera por precos muilo razoaveis, na loja
mareo) do Pavao na ra da Imperatriz n.
Gama Silva.
vestidos
G
ar-
de
Rices
rateos.
traissi-
borda-
Grauue e bem sortido Krtuazem de moldados
Ra Nova 60
Sabio ou nSoaahio, am abil!is;imo freguezes? sabio sim ; e se demoramos tanto
em abrir a caixinha do segredo, foi porque gostamos de sorpreza e dascoajeetnra. Abl
Ab! Ah I como o *aAtr deu no gto de muita gente de collarinho empinado ebigode re-
torcido ?I Qoanta interpretaco dicula e risivel soffreu o nosso pobre sahirll Muita
vezlivemos frouxo de riso no cantinuo do nosso armazem, quando vamos que algueme
encorntnodava com essas seis negras letras, que por algjins dias deram umeerto ar de
mysterio a urna das columnas deste venerando Diario I E no entanto nada de misterio-
so bavia, como vedes, no patusco sahtr I sim; riamos a bom rir; mas nunca vimos rir
o cavalleiro da Liga porque
Serio e grave encara as cousas
Deste mundo como sao ;
Verdadeiro, fiel vive
Do commercio a tradic?0 1
Poisqueo sahir se mostroa qual vinde admirar freguezes, como no armazem
da Liga se opera a mais fina liga do bom e barato.' Lede e veris a verd ide vinde.pois;
confiamos em que n5o tereis occasiao de dizer que o vosso dinheiro foi mal empregado, mas cambraias com as mais lindas barras
nem O VOSSO bom gOStO Offendtdo. ES freguezes 6.....la vai verso. das, sendo estes veMdos muito proprios para bai-
Fariaba de milho 'es e casamentas, e vendem-se por precos razoa-
ou gomma de milho branco preparado na America, vende-se 500 rs. a libra, e o cida- ,Br^ d *. na rua da la'
d5o que comprar dez libras iHtMalWh Cambraias lisas do PavSo a 3,?500,
BlCOUTa lNljLtZth 4O00 e 45500.
Soda, Mized, Pic-nic, Francy Cruckeuel, Qenn, Osborne, Gala, Arrowrote outras muitas vende-se um grande sortimenio
qualidadts a 1^000 a lata com 2 e 3 libras.
Bolaxinhas percales
em latas de diversos tamanbos 2, 3, 5,8 ibras cada urna e pelos seguintes precos: {#200,
25400 e 35000.
BolinboH coin aiueudoas
grande quantidade de cartoes, boceUs. caixas forradas de chumbo, com as mais ricas qua- IfjgfcLjHPf
lidades de po-de'-l, bolos, para champanha, bollinhos com amendoas, e outros muitas
que se tornam enfadonbo mencionar.
MANTEIGA
manteiga ingeza, primeira qualidade a 151UO a libra,, idem ingleza boa a 15000 a libra
800, 600 e 400. dem francesa a 640 p. a libra.
noces em calda
doces secos e em calda de todas as qualidades, em frascos, potes, caixas, etc etc; por pre- perior damasco de la "Drenado imiusio ce seda
Veade-se um grande sortimenio das melbores
cambraias transparentes, tendo 8 varas e meia ra-
I da peca, pelos baratos precos de 33300, 43000,
435OO, 530OO, 63000 e 73000 a pega ; ditas de es-
cossia com 9 varas cada pega, tendo mais de vara
de largura a 63000, 73000, 83000 e 103000 ; ditas
Victoria a 65000, 73000 e 83000 ; ditas largas com
a 15000 e 15*80 a vara, sen-
v;.ras para vestidos,. alteudeo
do largura ; ditas para forro mnito encorpadas
a 352OO a pega : na loja e armazem do Pavao na
rna da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Para cama de noivas vende o PavSo
Vendem-se ricos cortinados bordados e adamas
cados proprios para camas e jaoellas pelos baratos
pregos de 85, 105000, 16& 205000 e 253000 ; su
eos os mais razoaveis possiveis,
amendoas confeitadas libra a.
CAF
caff do Rio 1* sorte 240 rs a libra, 2a sortea 200rs a libra, 3* sorte a 160 rs a libra,
em arroba se far grande abatimento.
Viuho
vinbos engarrafados de todas as qualidades, rainha Estephania a 35000 a garrafa, Porto
maloaa a 25500 rs. a garrafa, lagrimas do Douro a 15800 a garrafa, Pedro V, D. Luiz, pelo baralissimo prego de 23500; isto para acabar
propro para colchas a 25300 o covado ; ricas col-
chas de croch pelo baralissimo prego de 105000 e
125000 : isto na I ja e armazem do Pavo na rua
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As melpmenes do Pav3o a 25500
Vende se superiores corles de melpomeues, sen-
do fazenda transparente e muilo bonita, tendo mul-
los padrSes roaos com 7 varas e meias cada corte
na loja e armazem do" Pvao na rna da Imperatriz
n. 60, de Gama 4 Silva.
Grande pechincha em chapeos a 500 rs.
Vende-se chapeos de palha a imitacao de mani-
Iha proprios para homens pelo baratssimo prego de
300 rs. cada um ; isto para acabar na loja e arma-
Mana Pia, carcoveilos, bacanaes, boeugi a 15000 rs. a garrafa, idem cheres verdadeiro,.
2550O a garrafa, idem cherny cordial a 15000 a garrafa, collares e figuira ambos engar-
rafados a 500 rs. a garrafa, idem de Lisboa em pipas, barris, ancoretas e a retalho a 360
e 400 rs. a garrafa, ancoreta com vinho tinto a 25400 a ancoreta.
vinho Bordeaux de todas as qualidade" de 65500* 255000 rs. a doria," e en garrafa de em do, Paro na rua da Imperatriz n. 60, de Gama
000 rs. a 25000 rs. Wermouth a 15500 rs. a garrafa Kenoch de wasser a 25000 rs. Ab- Corpnhos para senhorr ^ 8(j e l0&.
symth a 25000 rs. agarrafa. Chegaram os mais delicados corpinhos de cam-
GAZ i braia transparente, sendo ricamente eofeltados e
gazverdadeiro americano a 95200 a lata grande, garantiodo-se 27 garrafas, e a 400 rs, a jejdgj. pelos Jarjt^a^eg.^ goop. g
zenda muito superior pelo barato preco de 83000 ;
isto na loja e armazem do Pavo na rua da Impe-
triz n. 60, de Gama & Silva.
garrafa.
ceneja gelada em garrafas e
Presuntos de fiambre ja' preparados.
Serveja gellada.
vinho gellada.
Manteiga gellada.
Laus com 3 libras de liaguicas, e ligados em
molho morcellos, viuda; ltimamente da liba.
Gigos de batatas a' 700 rs. om 1 arroba.
Isto o mais barato que possivel, no armazem
"de Guimare? 4 C, rua da Imperatriz n. 6.
Cal dts Lisboa,
Caegada no ultimo navio, mais barata que em
outra quaquer parle; ao deposito da rua do Apol-
jo n. 8. -
. SITlIttS
POR MIGUEL FltMOllli
PRIMKIRA SERIE
Rs. 15000.
Uvrarla francesa
Rua do Crespo n| 9.
em
Vende-se urna cabroeha de 14 arme* coa
habilidades : no paleo do Carmo taberna o. 2 na
esquina da rua de Horcas.
-
Vende- e
Motnr. -. ameneanos para doot cavallos, dito dito
para qu uro calilos, machinas para descaroear
algodac de 14, 16,18, 20, 30,35 e 40 serras, pren-
des pnm "nrardar algodio fazendo as saccas com
seis palmos de comprimilo, com o ps de 150 e
200 iibras, vindas ullimamente da aonrlea; no
armazem de Henry Porster & C no eaz Pedro ,
a. 2, junto ao gabinete porlugoez.
Xarope do Bosque.
Chegon a botica de Jos da Craz sanios, na roa
Nova n. 51, o verdad-i-o tarop do oeqoe, este
excedente remedio efflcazna cuca das dafluioes,
toces, phtisicas, asilnas, bemorrbagias da sangne,
pontadas, dores de pello, palpitacoes, coqaelacbe,
bronehites, dispepsia, molestias do Ogatlo eescro-
pbuias; preco 53800 as garrafas e 35 as meias
garrafas.- ____
- a rua do Vigario n, 40, veode-se :
Vinho Muscate1 em ancoretas.
Vinbos do Porto de diversas qualidades engarrafa-
do e em barra.
Cera em velas e gromo.
Lona em picas e fardos.
Farello a 4^000 novo.
A' roa do Apollo n. .
libra, 36o[rs. de 14 em
fierveja Gelada
i% garrafas inglezas e franecza.
Pmiico e Alpista
paitiQo 100 rs. a libcai' alpista 160 ; pinco e alpista misturada 140 rs. a libra:
porco se far abatimento.
Cha verde e preto.
15000, 15500, 25000, 25200, 25400, 25600, 25800, 35000, e 35200; cha verde de
todas as qualidades,- huxiift, perola, aljfar etc.,
CHARUTOS D'HAVAMA.
regala brUanaica 105 a erija, lomares 125 a caina, operas, caixa 105; e outras mui-
tas marcas que se tornam enfadonbas menciona-las.
CHARUTOS DA BAHA.
imperiaes, exposico, normas londrinos, guanabaras, suspiros; delicias, paridences, ven-
cedores, guerreiros.lyricoe, quem fumar saber, paraossegniBtesprecos: fptoo, !55oo'
25ooo, 2550O, 35000, 35500, 35800, 45oeo. 452oo, 455oo, 458oo, 55ooo, 55oo, 65ooo,
655oo, 75000, e 85ooo. aj^_
Velas Stearmas.
spermacete 64o rs. o pacte, velas de carnauba de 6 por
libra, 44o rs. em porco se far abatimento.
GENEBRA canbo ou victoria 72o rs. o frasco.
GENEBBA DE HOiXANDA Bl fraSCOg k 560 T8. O fraSCO.
CmEJI-T-E BASSv x '
cerveja bass e tenente e de todas as gaaldiades, as quaes se vendem o mais razoavel, como
seja 5oo Ooo e 7oo rs. e em duzia Bz-se-ha grande abatimento.
Irroz da ludia. y
Ho rs. cada libra, emporgio se far grande abatimento.
8ABO E SABONETES.
sabao-branco eonrvek cor de roza, idem brhco com veias azues, sabonetes de urna libra
cada um, sao os sabonetes mais e omicos que tem viud ao mercado 5db rs, a libra.
Saga' e Sevadlnha.
saga' muito novo i 24o re. a libra cevadinba mnito nova a 16o rs, a libra.
cevada muito nava lio rs. a libra. --*
gomma de BNOOMMAB 12o rs. a libra.
CEBLAS grandes e novas leoooiiiolho. f^^m
Latas com conservas
lata com ervilhas portogoezas e francezas, latas com carnea preparadas, passarinhos gni.
zados em latas, e salame em latas.
Ddee de golaba. 2L_
ha constantemente mn grande deposito dj> doee de goiaba em onxSes de todos os tamanhos.
Cosos, lepas,
copos crystalisados, ditos Ihoa, ditos de cores, a 4|ooo e 458co \ doria.
GARRAFAS DE CHYSTAL.
carrafas de crystal e formatos do ultimo gosto.
AMEIXAS.
ameixas em latas, em bocetas e frascos.
Queijos Qupijos.
queijos flamengoSo penltimo vapor 20000, ditos do ultimo .......
Grande pechincha em chitas.
Vende se om grande sortimento de cbilas esea
ras e alegres francezas peles baratos precos de 320,
360 e 400 rs., sendo com os padrees mais bonitos
que tem vindo ao mercado com listas e Ocres ele.,
etc.; garaatmdo-se serem cores fichas : na loja e
armazem do Pavo na rna da Imperatriz n. 60, de
Gama t Silva.
As saias do Pavo
Vendem se ricas saias bordadas eom 4 pannos
pelos baratsimos preces de 63000 e 73000, aasim
como fazenda em peca com pregas proprias para o
mesmo fim a 19200 a vara : na loja a armazem do
Pavo na rua da Imperatriz n. 60, de Gama $ Suva.
Sedas aovas
Cnegaram as mais madernas sSdas eom listras
para vestidos, sendo eom as cores mais moderna
que tem vindo ao mercado, assim como grosdena-
ples de differenles cores como sejara cor de rosa.
azul, rxa, cor de caf, cor de lirio etc, etc. e
vendem-se por preco mnito em conta na lo]a
armazem do Pavo na rna da Imperatriz n. 00, d
Gama & Silva,
Crinolinas a 35300, 45000 e 45500.
Chegaram para a loja do Pava as mais moder-
nas crinolinas- 00 balees veraeiramente amer-
mais modernas que tem vindo ao mercado e pelo
baralissimo preco de 203 cada urna na loja e ar-
mazem do Pavo roa da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Alpaeas Haas
Cbegon o mais lindo sortimento de alpaeas de
urna s cor, preprias para vestidos, e vendem-se
por precos em conta : na loja e armazem do Pa-
vo, raa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os espartilhos do Pavo.
Vendem-se orna grande e variado sortimento de
espartilhos dos mais bem feitos que tem 'vindo ao
mercado, sendo de todos os tamanbos, vendendo-se
por um preco muito razoavel : islo na loja do Pa-
vo na rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Grande pechlueba em toalhas
para naSo.
Vendem-se superiores toaibas de linbo proprias
para mo pelo baralissimo prego de 360 rs.. ditas
a 640 rs ditas a imitacao das felpudas a 800 rs.,
ditas fe podas a 13 : pechincha na loja e arma-
zem do Pavo na rua da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Anodine a 8*
na loja do Pavo
Cbegeram os mais lindos cortes desta nova fa-
zenda, sendo transparent, com bonitas palmas, e
vende-se pelo baralissimo preco de 83 : na loja e
armazem do Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Punhos egonnhas a 15, 15280 e 15600,
Chegaram os mais modernos punbos com gol)-
nhas sendo de esguiao de linbo ricamente borda-
des tanto brancos cono de cores e vendem-se pelos
baralissimos precos de 13,13280 e 13600, por ha-
ver grande porco, grande pechincha : na ioji
e armazem do Pavo rua da !m erairiz n. 60, d-
Gama & Silva.
Para baptizados.
Vende-se elegantes vestuarios bordados para
baptisados, pel< s baratsimos precos de 18300J
203000 e 2?30O0 : na loja e armazem do Pavo na
rua da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Babados bordados na loja do Pavo
Vendem-se babadinhus bordados com 2 varas
pelo barato preco de 13000, entremeios tapados e
transparentes, tendo 3 varas cada peca a 13000: ca
loja e armazem do Pavo na rua da Imperatriz a.
60, de bama & Silva.
Cambraias de cores
Vende se nm bonilo sortimento de camoraias de
cores para vestidos pelos baratissimos precos de
300 e 360 rs. o covado, ditas a volootafios da pa-
tria a 800 rs. a vara, ditas listadas a 640 e 700 rs.
a vara ; pecbincba Ba loja _e armazem do Pavao
na rua da Imperatriz n. 60, de Gama Silva.
Cassa de urna cor s
Vende-se bonitas cassas de urna cor s coro um
pequeo toque de mofo pelo baralissimo preco de 240
rs. o covado ; para acabar na loja e- armazem do
Pavo na rna da Imperatriz n. 60, de Gama &
Suva.
Chales de renda e retondas
Vende se nm grande sortimento de chales de
renda e retondas, sendo as mais modernas qnelem
vindo ?o mercado e vendem-se mais barato que
em oulra quaquer parle : isto na loja e armazem
do Pavo na rna da Imperatriz n. 60, de Gama &
-Silva.
Retalhos baratos .
Vende-se porco de retalhos de chita, las, cas-
sas e cbilas pretas por proco barato : na loja e ar-
mazem do Pavo na rua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Calcas brancas
Vende se um grande sortimento de calcas de
brim branco de linho trancado pelos baratissimos
precos de 33500, 43500 e 53000, assim com om
grande sortimento de palitots.de panno preto fino,
sobrecasacos e saceos forrados de seda, ditos de ca-
simira, sobrecasacos, saceos e fraques, ditos de me-
rino e calcas de casimira de cor e de todas as qua-
lidades, assim como nm grande sortimento de col-
leites de todas as fazendas vencindose ludo or
pregos modo baratos: na loja e armazem do Pa-
vo na roa da Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
Alpacas brilbantes a 640 rs.
Chegaram as mais lindas alpacas enfestadas com
3 e meio palmos de largnra com os mais delicados
desenbos tanto de florsiBba como de lislinbas as
sentadas as mais delicadas cores como sejam ly-
rlo, sinsenlo cor de carne, solferino e vendem-se
pelo baratissimo preco de 640 rs. o covado; ri-
camente na loja e armazem do Pavo na rua da
Imperairiz n. 60, de Gama & Silva.
Pechincha para a festa na loja do PavSo.
Vestidos.
Vestidos.'
Vestidos.
A 85000
Vendem-se um bonito sortimento dos roais lindos
vestidos com barras de seda, trazeodo os compe-
tentes enfeites para o corpo, sendo neste arligo o
mais moderno qoe tem vindo ao mercado, e ven-
dem se pelo baralissimo preco de 88000 cada nm,
ditos de cambrai branca com barras bordadas a
530OO o 63000 ; na loja e armazem do Pavo na
rua da Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
Cortes a 35000 o Pavo
Vendem se es &ats lindos cortes de cassas de
cores ooia es desebhos mais moderaos vindo cada
um em sen papel e garantindo-se terem 7 varas ca-
da om pelo baralissimo preco de 33000 -, na loja e
armazem do Pavo na roa da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Livros
Vendem botinas pretas com laco para senbora
a 3 o par.
- Ditos para menino a 33-________________
em branco deflam-
burg
\ ende se na livraria Enciclopdica de J B. de
Mello : na rua da Crnz n. 52. completo sortimento
e por precos. muito crmroodos.
xarope:
peitoral e dulcificante
DE
SAINT- GEOsGES
Preptrao por
cnm.u-r.T e t*
phiratctuiicos da S. A. L
principe N.-.; nielo
Cara rpida de las
molestias seguentes :
tone, catarrkes, pUu~
resia, coqueluche, a%-
jias, fortes constipa-
coet, irritacSes des
bronekos e de peo,
bronckite,phti*ica pul-
monar, aslma, piteu-
monia,angiiia.<.arnyg-
dalites, tosse chrmca,
rouquid&o. Os mdicos recommendo ao mesme
lempo o uso das Medientes pastilhas peito-
raes oom o atoooo d'alface o laurelro-
corJo, qne ae raparlo no mesmo eslabelt-
nas pharmacias de Maurer e
A venda
Caors.
Cal nova de Lisboa.
No armazem da raa do Apollo n. 8, por menos
500 rs. do qne em outra quaquer parle.
b.: navfaV
Escravos fgidos
Contina ausente desde o da 23 de agosto
de 1866 o mulatinho Raymondo. de 15 anoos ds
idade pouco mah on menos, corpo regular, pos
pequeos, cabellos castanhos, dent-s alvos e per-
fcitos, com o dedo prximo ao poliepar cicatrizado
de sorte qoe era Ihe resta a onha : rogase as au-
toridades policiaes e capites ds campo a soa
apprehenso pelo que rectbero pag. giuerosa em
casa de sea senher na rna do Imperador a. 32. _
Fngio de bordo do palhabnie Principe, o es-
cravo Bazilie, filbo desta provincia de 22 annos
pomo mais ou menos, estatura recular e barbado:
quem o aprehender qoeira leva-io a casa do con-
.-ignatario Joo Francisco da Silva Novaos traves-
sa da Madre de Dos n. 5, qoe s ra' gratificado.
Muita attengq.
Fogio no da 27 de dezembro do anno passado,
do engenbo Bate da freguezia de Una comarca do
Rio Forraoso, o escravo Angelo, enrulo bem pre-
to, de idade de 20 annos, cora os sigur.es soguin-
tes : alio, seco, sem barba, tem falla de uro dente
na frente, ps largos, falla grossa, bonito de fei-
coes e anda a passos largos, levou cmi dapolo, calca de brim pardo e chapeo de baeta
preto, este escravo natoral desla praca e foi com-
prado ao Sr. Silvino-Goilherme de Barros e ha
certeta qne ahi esteja por ter Irmos: p 1 tanto ra-
ga-se as autoridades policiaes, caiiies de campo
ou quaquer pessoa que o conhecer o aprehendam
e o leve ao referido eogenho ou a roa da Moeda i).
5, segundo andar, em casado Sr. Mancel Alves
Ferreira.
canoa, qoe sao os mais bem armados e oais leves Casaquinbos cu vasquinas na loja do Pavao
a 235000, 305000e 355000.
, Chegaram os mais ricos oo modernos easaqoi-
nbos 00 vasquinas de grosdinaplty preto ricamente
enfeitados, sendo dos feitios mais modernos e ele-
gantes que ltimamente chogarum e vendem-se pe-
los ralos precos de 230000, 303000 e 353080 5 oa
loja e armazem doPavc na rua da Imperatriz n. 60,
de Gama Silva.
Para bailes a 355000.
que tem viqdo, sendo cena p, formato mais moder-
no qoe actualmente se osa e vendem-se pelos se-
ialntes precos: eendo com 20 arco por J3800,
ditos com 25 arcos por 43000, ditos com> 13 reos
a 4350O: Uto s na, loja e armazem doJ vio na
rua da Imperatriz n. 60 de Gama & Sft
Sedas largas na loja do Pav .
Cnegaram as mais bonias sedas da cores oom 4
palmos de largara, sendo com as cotes a desanos
mais brilbantes qae tem vindo, &cr|Uw|Jaer-se
um vestido com poocoseovados m alten toa lar-
gura, e vende-se pelo barat prec ode i
tado: na loja e armazem do Pavo na rna da ta
penuria n. 80 de Gama & Silva.
Oscaales de b*vm a 2eoo e 29to rs.
Vofldem-ae cbatoa de merino alampados a 23
e 230Q cada nm.
Ditos de merm liso a 33500.
Ditos estampados de crepon a 63, .,
Ditos pretos bordados eom franja'de
Na leja e armase do Pari na roa
ir* D. 60 de Gama $ Silva.
Lencos brancos a 25(00,3500$ e { 000.
Vndese nm bonito sortimento da lenco 4
brala branca lisos pelos baralissimos pregi
33000 e 43000 a dula : na loja e armazem (
Pavo na roa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
lltenc
la
I
A
Cbegaram os mais ricos corles do vestidos de fil
branco primorosamente bordados e enfeitados de
cor, sendo tambera proprios para pasamentos e
andera-se pelos baratos precos de 353000 nica-
mente ; na loja a armazem do Pavo na raa da Im-
peratriz q. 60, de Gama & Silva.
Lencos bordados a 15000 e 15600 na loja do
Pav5o.
Vende-se bonitos lenclnbos bordados para tro
pelos baralissimos precos de 13000 e 13600 cada
om ; loja e armazem do Pavo na roa da Impera-
triz D. 60, de Gama & Silva.
As vareges do Pav5o.
Yande-se as mais bonitas vareges com listas de
jj^Halmitaeao de poil da chvre pelo baratissimo
[proejo d-800rs. o covado : na loja armazem do
Patio na roa da Imperatriz n. 0 de Gama &
SU vi.
Fogio no dia 2 do correte me', a escrava crioa-
la connecida por Joanna Macei, de idade 17 pa-
ra 18 annos, eom os signaos seguintes: rosto com-
prido, I)- icos um tanto grossos, tem sigoal do um
talbo no beico superior, falla descansada, alta.seca,
selo em p, levou vestido encarnado desbolado com
um rasgo em roda, camisa de madapolo o ves-
tido sujo de barro por ter carregado tijollo, chale
desbotad}, consta que anda mudando de traje,
tem sido encontrada com calca, paletot e chapeo,
por isso pede-se as autoridades policiaes e capites
de campo a aprebensao da roesroa e leva la a rua
das Aguas-Verdes n. 80, que sera' generosamente
recompensado.__________________________
Gratifcalo.
Ansentou-se da casa de s*eu senhor boje urna
mulata de nomf Archanja, de idade 23 anno, ca-
bellos carapinhes, ps e roaos pequeos, est- tura
baixa e seca do*corpo, por tanto rogase as auto-
ridades policiaes que no easo de a capturar pode-
r leva-la na Passagem da Magdalena casa de re-
sidencia de Maooel Jos Goneaives Braga, ou na
roa do Tn piche q. 4.___________
Fugio de bordo do patacho brasileiro tDr-us
Amigos o molequecrloalo, de nome Pedro, na-
tural da Babi-, com os signaos se.umip- : idade
15 a 16 annos, statora meaos que reauUr, rosto
comprido e folo, nariz grosso, levuu vestido caiga
de brim branco e camisa branca de madapolo.
Recommeoda-se a' polica e aos capites de campo
a ana captura, e sendo entregue na casa n. 19 da
raa da Croa desta cidade se gratificara' generosa-
mente. Ha supposigoes de qoe fosse sednzido, e
por isso contra quem o tiver escondido ou desen-
camiohado se proceder' com o rigor da le.
AusenUu-se do mostelro de S. Bento de
Ollnda, desde o da 9 do torrente, o escravo La-
rentino, pardo, idade 22 annos, tem os segnioies
signue.-' : estatura recolar, grossoe fornido do cor-
po, pes grossos e chatos, gagueja muito qoando
falla, metido a engrando, bastante espiona no
ro>io, andar de marojo i qnem o apprehender le-
ve ao mostelro de S. Beola, oo ao Sr. Zacaras de
Santa Isabel, na roa do Taooeiros n. I, que sera
generosa mente recompensado._______________
Fngio da casa do abaw assignado, no lugar
deApiooeos,namanbaade 26 de dezembro do
anno passado o escravo de nome Pelippe, cabra,
com os slgoaes garatas : aKow regolar, sem
doceroo, opaca barba, sem aolssa, olhos pretos
nariz afilado, beicos fino, rosto descarnadr, cora
falta de denles, mos e ps peouens, e perras
Bn. Este esrao foi comprado ao Sr Joaquina
Corrfia Lima Waoarley, morador em Beberlbe,
tendo sido antes da*ma roa irmia moradora em
Brejo d'Ara ; entende de todo o servico de cam-
po, e tambera de eanoeiro : qnem o prender le-
ve-o a casa do dito abaixo assignado, qoe sera' re-
compensado generosamente.
Jlo Franeisco do Reg Maia.

n




Diario de Jcrnaatbaco stcgnada felra ti de Janeiro de 1867.
UTTERATRA.
DM POCO DK TDO. _
E' i> Commercio do Porto a srgointe revista
gfopraphica:
< Era urna das altlmas ses5es da sociedade real
ggriihica de Londres,, o caiiuao M raigo
pjri-Dcaate ao corpo dos eo^enneiros reacs, com-
mun coo c segaiote iutaressaata faci. Q un lo es
lua encarrejado da levntame di planta do
Jaibel e di Kaebeeiir, sobra vai. -:be atda da po.s
b:ltdaje un reconheeiflietm uo piies silaad *
ai noria iks caleiis .1 > .lisug e do Kara-Kirum.
Gj3>eguio deparar con; un moitnshu inteligeote
de unne Moharamedi-liaraed, o qoal anouio a cor-
rer o risco a que m .iguana, iraasportanlo ins-
tra-nenio de observacn a Yarkani no Turkeslan
oriental.
< Receben do capitao Moolgemerie as necessa-
rias iastrurg5es para observar aslatitudes com um
i, ijjeoo sextante, notar a temperatura do ar e da
agua tbullisnte, e desean ir ara esnoei lopj.;rapbi-
co do iteuarario. M>hammed-I-Hamed parti no
v-ro do anno de I8-53, a, em seguida a haver pas-
:,. 11 o invern e cois secretamente duraoie a noita, tomou pelo ca-
minio das montanbas na primavera immedlata.
j F-i o regresso de.le apressado em consequen-
c>a da anjeabas das autoridades chinezas, que nao
viaja com b'ins olno> os estuios scienlifleos de Mo
bammed i-H Todava os papis delle foram enviados ao capitS>
M 'ntgaMTie. Por elles se chega ao conhecimento
d unta cin-umstancia essencial em ee.graphia pn-
sitiVa, a saber a iMitad** de Ya'kaod de 38*
i9' 46", e a loncitude de 77* 39' leste do raeridia
j Be Greeowich. A latitude deVKWps (I219m).
Gouta Ham^d que a mareba atravez das mon
tanhas at a linha d diviso das agnas, entre a
Ina e o Tuikc.-lan, durou 51. Durante 25 dias a
estrila percurria una regio com elevarlo aciuia
do nivel do mar de 15,000 ps (4,572 metros) e de
!\O00 ps (2,743 m-tros) durante 45 das. A dls-
' -.liria i :n huta recia de Jarano a Yaikaod de
30 milhas (643 kilmetro) em a su menor lar-
gura.
O inveroo mui agreste em Yirkand. No
principio de jaueiro o thermoroetro desee prxima
anule a 0' Faor. (17,78 cenig) : a nev cabio
-nstaulemente desde 19 at 26 de Janeiro e com-
aJo o oeu eslava clarissinio, o que rarissimo,
como lodo6 os que tem asistido a tao raelaucolicu
i-sp claculo podan allegar.
Imi.resslonou muito o mounshie a ferlihdade
das regidas por onde jornadeoa.
A expedlcio era composta de tres europeas, ara lis envilecidas pbysica e raoralmente por airozes
j chmez e cdco japooe.es. ,privag5es, qoe Ibea-impda o sea rgimen de vita.
t A elevacao deste pau comeea a 3 mllbas (8 Estao sempre dtsposlos a todo praticaretn por ac
t|2 kilmetros) da cidade de H.kodadi. E' urna
regiio selvtica, revestida de florestas e habitada
nicamente por algons carvoelro?.
A pnmeira aldeia com qoe se depara ne.'ta
costa denomina-se Osarcib No ltoral esto der-
ramadas aldeas e casaes habitados por pescadores,
ocupados prlocipalm;nle em colhsrsoda bruta
q-!e exportan; para a China.
Os pescadores sao vigorosos e bastantemente
lodutriosos, dirigindo os seus barcos com surama
pericia. *
No Io de seiembro a ex^pedicao parti em um
barco para o cabo Yesn, aQm de visitar o volcao
Ushlnniyama, o mals alio daqnellas proximidades.
Tem cerca de 1,900 pos (3,700 metros.) as ver-
lentes delle o governo japonez esUb.-leceu explo-
rago de enxofre.
t A crtera tem quasi urna meia milha (800 me-
iros) de largura do norte a sal, tres guarios de
mima, (1200 meiros)da eoteoso de leste a oeste.
Nao poucas das sois fontes qoentes sao intermit-
ientes.
t A expedlgao chegou no da de setembro a
urna alieia d'ainos, aborgenas de Yesso, que vie-
rm a oncontrar-sa com os viajla.
A maoeira como elles compri.nenum bas-
tantemente singular. Esfregam primeramente as
raaos, elevam-nas lentarneute para a testa e as
deixam cabir, alagan lo a comprida oarba, de que
lodos sao abundantemente prvidos.
Posto que de estatura mediana sao mui bem
coufuriiiados. Soa physionomia b6a ; aproxima-
se muiio mals do lypo caucasiano do que do typo
monglico.
A tez branca, um pouco crestada pelo sol.
Temespessa cabelleira e muito's pollos no corpo.
As malheres sarapiaiam os beigos.
As cabanas qelles sao como as dos japonezes
pobres, moubiladas eom poujuisimos trastes e
otencilios; exceptaando altuns uteocilics de cozi-
nha e instrumentos de pesca e caca.
Nao cultivara a ierra. O saa vestaano con-
siste em um simples falo lluctuaote da algodo ou
de pelle.
A totalidade da populaco do3 amos actual-
menta de 50,01)0.
t A maior parte Helles vive no interior de Yesso
em sociedade ae 10 a 12 familias, governadas pe-
los seus chafes hereditarios.
copo de vinho oa aa paotude da ubaco, ofra-
queeidos e curvados ao ponto que, quaado a sec-
ca ibes tira a possibililade de encootrarogaa pa-
ra beber as viaiohaoeas do mar, aoies moriera
de sede do que vio buscar agua as raootannas si-
loadas a 15 ou 2iJ iDilhis de distancia.
Hi 5 anuos o parlamento do Cabo tioba vota-
do e proouaciado a aonexaeo Aquella colonia dos
ilbus em questo, oorm a sanecio real, mdis-
Por toda a parle, onde me deixam pa-i elle reapparece. A Polonia afogada sobre-
rar um bocadinuo.
Oude dormia ?
A maior parte das vezes dormia oa
roa, mas honiem eocootrei urna mulber,
qae me dea um pedac de p5o, e que me
deixou dormir em sua casa a um canto.
Foi urna aoite-dd graade alegra para mim
Quando vio pela ultima vez sua mai ?
A ultima vez que a vi foi .ha muitos
d7en\laair2s?vrlQ?,,n0,ID,,ShS' daS' bebenil ^rdente e* um. taberna
*Z^Z^Zr'""'qUe Ch" DePis *PPareceu Ao encerrar daquelle aaao a fragata de vapor a ver"
da mrraga federal dos Estados-Uoidos, o Vander- A crianca foi recolhida em um WOFk-
* appareceu uas axuas do Cibo, para naiias dar house, e est-se-lhe procurando a mai.
nada sempre. H i ji 9i anoos que a polti-
ca europea acarreta este cadver, e que os
povos veem vaciar por cima dos fados
consnmmados esta alma.
Povo de Creta, vstendes tamben urna
alma I
Gregos de Canda, teades por vos o
d reito, e at o bom senso. Escapa a r -
zaocomo existe um pacha em Creta O
que Urrdade na Italia, deve tambem se-lo
i Anda que a provincia seja goveroada por um
funrrionano chiner, e a cidade (Yaikan*!) oceupa-
da por urna guaroico cheneza, a mxima parte
da popi^lavao mahometana, e governada nos n-
goeos c.immuos pelo seu proprio governador, o
qail 4 sobirdioado ao governador ehinez.
A proposito di Th'b-t e Turkeslan, cumpro
me registrar ni presente R-vista a visita que em
365 fez o eapio Adrien Benaett a D E-ta eidade, situada junto a rio Sotly, a ca-
pital da pane du Tbibat qua confina con a >ro-
viocia britaonica de Gurhwai. .ji-ante u na ez-
pedicSo o eaplto Beaneit resilveu visitar amella
Ule, a qual, desdfl 1810, quaolo Moorcrofl nel-
la nenetroa disfareade, nao traha sido devassada
por Boropua -ilenra.
O capitao p-jrtio de Kymgyang, e chegou do
Jia immediato a Giiteerunc ilapois de haver pene-
trad i no Tnibet oor Chor-H ti-Gnaut, com o propo
Sito de vi-itar todas as cirrumvisiohancas do lado
fiqoerdo, e de regrassar a Gurhwal p^lo Niti-
I. Dascaoeou sdecessivaratote em Sbak, Son-
;;: i, Tazang e em S.ukiya. a qual demora as .Itu
ras da estrali entre Garhwal e Daba por N ti-
Gbaot
t Depois de ter deixado atraz da si o paiz mon-
lanhoso, qu^ carea a alta pUnura, dirigio-se para o
irV,<, o qual ella enxeruou do come das monta-
unas, e chegoa a Gbaoglor atravs de urna plani-
-nda cibprta de veredas e pereorrida por
muiios rebanlios e innmeros cavallos selvticos.
o da immediato entrn em Daba, depois de ter
passado por Dooibra.
A noticia da elwgada de um sahtb (cavalleiro)
correa era breve, e urna BiuUMto immensa de
povo aaelomerou-se na* proximidades da grande
porta pela qual o viajaote devia de entrar. Nos cu-
rios is hav i bholeas, habitantes de Niti, bourpa,
gurmsali e pSarlca, que formara a classe commer-
cianta da cidade.
t Daba, observada de lonje, bella e imponen-
te, porqae o gres sqb o qual ella esta' asente foi
talnado em torres e aguihas. As ras sao estreila
e -tortuosas e as casas revestidas eiteriormente de
seixinhos de gr*.
Nao ba njqoelles lagares madeiras. Apenas
se ene mirara alguraas sargas.
Todas as noites g-Ia e o solo mnito estril,
t Daba dista cerca de 9 a 10 milhas (I" ou 17
kilmetros) da;, raargeus do Sutly.
t Depois de deixar os ainos, a expediclo atra-
vessoo o grande deserto coberto de pedra-poraes,
o qual se dilata por multas milbas-em redor dos
Pandoras orieoiaes do voico Koraanartaki, e ebe-
guu no mesrao da a Saraw i.
t No da segrate proseguio o seu camioho ao
longo da costa at Mor, e dirigise para Kooo-
mar-esiabelecimanlo fundado pira a nnnipula-
Co do cha em a margara da um lago, na verteote
meridional de Komaoartaki (que leva erupcoes em
1799 e 1853)-e aseenJea no dia immediato ao ci-
i do vulco.
O com'maodante Forbes eflectuou, volvidos al-
uns das apoz o seu regresso a Hakodadi, urna
segunda excursao ao longo das co-tas de Volcauo-
Bay, toraulo eoj Yauacoushiaoi, onde visitoa o
vul. o de Eudermo. Milstarda topo a no interior
de Yesso cora tres vulcoes, ura dos quaes mostra
lar 7,000 ps de aitura.
O interior de Ysso mui pouco conhecido,
mesmo aiuda dos japonezes.
Ah deixo pvis referida a substancia da va-
gara de Porbes. Em ora prximo futuro a geogra
pina dt-stas loogiquas larras.sera' lo compendio-
sa, como hoje a ue quasi todos os dainais paize
era que se reparte o gM>o terrestre. Couliemos uu
espirito iuve>ligador e intrpido dos mglezes o
auieiicauosdo norie.
i Vim a puuto, visto havermos fallado em ingle-
zes, narrar o que ba mezes succedeu cora relacu
a unas linas oa guauo adqui.'idas para a Cuida,
oriiauuica pda fragata Vatorous. Esta vaso da
guerra tuuiou pusse tuj uoma da raiua- Victoria
do seguate :
i" Um grupo de ilbus, enjos principaes sao
situados na babia de Augra Pequea eutre os 26
e 27 lat. uierid.
caga ao Alabama.
Ocommandaote.da fragatasolieitoa autorisaco "'
do governador para se aDastecer de carvo. Foi p,.,xn ^mamn Mrt- r
recusada a auior.sacao porque o praso de rigor de ,8la cnam;,ndoja aencao, em Pars, as
tres raezes arada nao t.nha expirado, desda a all- ^^encias do padre Hyacinlbo, na egreja
ma entrega de comoustival. Por indicago do coo- ^e Notre-Dame-de Pars,
sol dos Estados Uaidos no Cabo, o capite do Van- \ O jornal parisiense a France, diz que, de-
erbdt foi-se a liba dos piagums, e neiu se apo-' pois dos triumpbos oratorios de Lacordai-
. deposito de carvo pertencente a re n3 tinha av.do StmilhaQte affluencia
as conferencias religiosas de Notre-Da.ue-de
Paris, como a que attraLem as do padre Hya-
cintbo.
O assumpto, diz o alludido jornal, da
ultima conferencia, era to grande como
delicado ; o orador fallou da mulher, tal
comoapparece em o berco do g-nero bu-
mano antes da poca da decadencia, e tal
como apparece no Evangelbo, na hora da
redempeao.
Nao acreditamos que a saotidade do
amor ebristo encontrarse nunca interpe
tre mats eloquente.
Quando o orador, apostraphando aos
positivistas e aos materialistas do nosso se-
cuto, demonstrou qu i o bomem ia ainda
alm da materia, nao s por sua raz5o, se-
no por seu coraco e por seu amor, o eu-
tbusiasmo do auditorio foi tal que s o
respeilo santidade do lugar pode conter
acclamaces espontaneas.
A assembla retirou-se profundamento
impressionada, por acuella elocuencia to
espontanea e medida, que fazia estremecer
as Obras raais intimas da alma, todas as ve-
zes que o orador se elevava s concepces
mais nobres da idea ebrista, em urna po-
ca como a nossa, em que. se sustenta viva
luta do bem e do mal, da ra?.o e dos sen-
tidos, do christianismo e da negacSo de Deus
das legjbaistas reinvindicaces e das pn-,
xes dwKrogicas, com azares que fanam
ama casa de comraareio ingleza do Cabo, e que
era desuuado, segundo enlo se afflrraava, aos va-
pores confederados. Saoedor destas factis o go-
vernador da colonia raandou, sem dilaco, para
aquella ponto a fragata da esta5o o Vulorous :
asa porm oo chegou ja lempo seoo de cerilU-
car-se da partida do VanderbtU e saber que esta
vaso traba arada capturado, junto da costa em
questo, um navio morcante luglez, o Saxon, cem
c*rga de fardos de algodao, proveoieote de urna
tomadia feia pelo Alabama.
t Foi depois destes- succed intentos qae a ques-
to de annexago se agitou, eque o governo ingiez
finalmente, concedeu e transmudo a sua sanego.
< A posse foi puramente nominal.
t o commaudante do Valtrous saltou em trra
nos ilhus deque nos oceupamos, e lea aos deser-
tos a proclamacao, com que vmha munido, com
toda a gravidade de um fuoc;ionario ioglez....
Voltou sera all ter deixado firca alguma militar,
em padrao de posse effactiva.
Este celebre poeta o escriptor francez,
Victor Hugo, est tratando de edificar per-
to da residencia em G-iernesey um m ignifi-
co theatro, onde deseja por em scena duas
grrndes pecas que elle ultimara-mte escre-
vu, e que reserva para aque'le tbeatro sao:
Torquemada e La grand mr.
O maestro Bogliacciani bem conbecido
por professor eximio de violencella, e ar-
chivista do instituto msico de Genova,
acaba de fallecer na Alexaodria (Italia), na
idade de setenta e dois anuos.
Acaba de ser edificado em MMdlesbo-
rougn (Inglaterra) um novo e elegante thea-
tro que importou em tres mil libras; in-
titula-se Royal Albert.
Eijj ii.s, ooses apontamealos, qae efferecom
esclarecimenlos mu verdadeiros sobre paiies es-
c i- -;.ui-.-ui- estodados.
t Vam is dr ama soccinta descripgao da expe-
digo fetu por f orbes era 1865 oas costas do Ja-
pao, a qual > ha poucos metes foi apraseotada no
seio da illusiradissima sociedade de geographia de
Lodres.
t O comrnaodante Forbes largon de H.kodadi
em 30 de agoato de 1865 com o intuito da expo
rar as cosas occidentaes de Vulcaoo Bay (Yesso.)
FOLHETW
ISPhlMASHSATA^iZ
-POB
Jules de Saiat-Felix.
SEGUNDA PART.
XVI
(Continuacao)
Digo, re.sp'jndeu Babolim, o qual da cor da
purpora passra a mais extrema pallidez, dUo que
em todo o caso, se ha algqm culpado no assompto
a que sa refere, oo soo de certo eu... Afflrmo-
ibe que oo SOU 60. .
Don inH os raaos parabens, prosegoio o qoex, eochenilo-lbe o cope ; por isso jaro lh- que
podara joigar-se ao abrigo de qaalquer inqnielaco,
se isso depender de mim.
L'rabra-s*. disse Babolio, qoa lemhre se de que me vejo obrigado a trabainar
extraordioariam"Ote para ganbar a vida... Lem-
bre-se de que soa doente, de que esto abiolooa-
do de to.lo-, e de qoe quande me offereceram oc-
capacoes bem retribaldas me achavs oa maior nu-
dez. Proced sempre de boa f a com coorinoca.
Juro-lhe qoe nao peosei oooca em fazer mal. Deus
me livre l Lacar-e eu no camioho d > crlmes e
delirios I Mett-r me eo em pendurmlas com a jos-
tle. I Deas me defenda de ui I Creia qae -oa aro
hornera honrado ; soa fraf e tmido, mas hon-
rado. ..
Esteo eerlo dlsso, replieoo Raymoodo, e e
toa convencido de qae se.ibe garaniisse i'oleira
a Ura dosiibus denoraina-se Piouim Islaod oo
Una uus Praguius ; a outra, Shark-Uiatid ou ilba
dos TubaiOjs, e a lerceira parece que anda nao
recebeu oouie.
2o A una chamada da Posses-o, situada no
27* lat.
3* Finalmente, a Iha deuominada Mercury,
ua bania Spoucers, .itu^da eulra 25 e26 lat.
Estas Ibas to libas de guauo -fresco cojo
pieco varia em Londres da 16 a 0 ib. por tonela-
da marraba. Estao Constantemente Cobertas de
praguras a em urna delas, priucipaimeote, afflja"
urna to grande quauudade deiles, que segundo o
dizer de um offlcial uo Vulorous, uo seria possi-
vel pausar mais urna uuica dessas aves.
As libas sao loieirauiuie desalas e dasbabi-
udas, exceptuando a una dos fragura, na qual se
achara aiguus terraplena lores enviados por orna
casa de commercio da cidade do Cabo, com o Qm
e uraram diariamente o guan.
As libas emergera pouco cima do nivel da
mar. A costa desla pane da frica exclusiva-
meDte arenusa e roi|uaira, a completamonte es-
tril.
rto visilada seoo por alguos holteototes,
grauues-uaraa iuezes. Andm elles sempre oas,
vtveBdo dedetruusveeiaes ede penes mortos.que'
o mar langa a" costa, bebando apenas agua extre-
mamente saiobra feralmente paludosa. Sao gen.
segoraoca, segredo lealmente guardado, e meios
Tem-se ulimamente aperfeicoado em
Franca o systema da photographia sobre
seda.linho e algodao, .o que tem dado lu-
gar a muiti'ssimaspessoas terem j os seus
retratos na roupa, eu lugar de sus nomes
ou iniciaes; a lavagem nao damnifica os
retratos.
Por este meio photographico, nunca as
lavadeiras se podem engaar na roupa,
isto troca-la 1
Por este progresso temos d'aqui a pouco
retratos at as botas I .
Ha dias compareceu pernte um tribunal
ingiez um rapazioho de idade apenas de
cinco annos, pobremente vestido, andrajoso,
sujo, magrsimo, cadavrico, rachitico.
Tinham-no encontrado sem albergue nem
morada, tremendo de fri sobre a soleira de
um portal.
Chordva com todas as veras e pedia que
Ihe des>em um bocado de p5o.
Ao entrar oo tribunal, o desgracadioho
trazia em urna das oaos um pedaco de pao
que coma SolL egamente, e na oatra algu-
mas moedas de cobre que lae baviam dado
depois de capturado.
Eis o interrogatorio :
'lomo se chama ?
Henrique Hayes.
Que idade ten?
Ainda n5o teobo cinco annos, e n5o
sei o que foi feito de mioha mai.
Onde reside ?
duvidaff de futuro moral do nosso paiz ;
semelbautes triumphos da palavra, conside-
rados mesmo debaixo do p-nto de vista
social, s5o um symptoma que todas as pes-
soas honradas e todas as almis patriticas
devem acoler com (anta conQanca como
jubilo, porque s5o ao mesmo tempo urna
honra e urna reparacio.
Veneza nSo pode ser entregue a tima,
sem que Creta o seja fJBttbem^oatra. O
mesmo principio nao pode affirmir de um
ado e mealir de outro. O que acola au-
rora n5o pode ser aqu sepulohro.
Entretanto o singue corre, a-a Europa
contempla impassivel. E toma o habito
disso. E boje a vez do Sullao. Extermi-
na urna naelonalidade.
t Existir um direito divino turco, vene-
ravel para o direito divino christao? o lio-
micilio, o latrocinio, a violacSo cah" i a
esta hora sobre Canda como cahiaio. u sei-
mezes sobre a Allemanha. O que oSo seri.i
permittidoa Schinderhannes permtttido a
poltica.
Ter aspada ao lado..........,../.'
....... .....chama-se ser bomem
d'estado. Parece que..............
a soc edade seria abala la se entre S ;arpenr
to, Gylher, nao se passassem os meninos a
fio.de espada. Roubar s casas e queimar
^s aldeias util. 0 motivo qu explica e-
tas.exterminacoes e as tolera, esta cima da
nossa penetraco. 0 que se fez na Allema-
nha este verio, nos admira igualmente'. Urna
das humilbacoes dos homeris que um 1 ngo
exilio torna e-tupidos como eu nlo pode com-
prebender estas grandes razoes.
Nao importa.' A questJo cretense est
de ora avante eslabelecida.
Est Fesolvida, e resolvida como todas
as questoes deste seculo, isto 'pela liber-
dade.
A Grecia completa, e completa a Italia,
tendo aquella Athenas no cume, e e-t* Ro-
ma. Eis aqui o que, nos a Franca eleve-
mos s nossas duas mais.
E' urna divid que a Franca desempe-
nhar. E' umddver que a Franca comprir.
Quando ?
* Perseverai.
a 15a convenientemente branqueada.
Para 109 kilogranmas de l pode em-
pregar-se 8 kilogramos de sulphato de
m gnesia. dissolv.do rruau qamtidade de
agua suficiente e 3 e meio k-logrammis de
soda.
Pela reaccSo deslesdoi saes desenvolve-
s) o acido carbenho, e precipita-se o hy-
drocarbom^B> magnesia que se apega e
fixa aoj swBralntos de l e os cora eatio
d4om branca, bri liante sem Ihe alterar em
owi.D^buma- nem haver quebra de peso.
Vid ir Hugo dirigi aos Cretenses a se-
guini* carta :
Um grito ra chega de Athenas.
Da ct lade de Phidias e de Es -hylo me
chimam: vozes prmuiciam meu no ne
Quem son eu para merecer urna tal dig-
nidade ? Nula. Um vencido.
E quem que se dirige a mim ? Ven-
cedores.
Sim. Candi >tas heroicos, opprimidos
hoje sois os vencedores do futur >. Perse-
vera! opprimidos mesmi Hu uphareis. A
protestagao da agonia, um i forca. E' um
brado perante Deus, que qmora...
Tudas'essas potencias tra vos, essis ligas de forcas-cegas, e de
prevencoes tenaze<, essis antigs tyranaias
armadas, teem por principal attributo urna
notavelfaculladede naufragio. Com a tbia-
Diz a Nago, que bouve lugar em St. Ja-
mes'sHall, sob a presidencia do arcebtspo o
Mannrag, um meeting dos caihoiicos de In-
glaterra, cujo fim foi exprimirem a sua i-
delidfde e delicaco pela pessoa do papa, e
augmentarem tanto quanto estava em suas
torcas, na posicao critica dos negocios pon-
tificios, a somma da subscripeo do dinbei-
ro de S. Pedro.
Um grande numero dos merabros da aris-
tocracia ingiez i esteve presente. Monse
n^ior M-mning pronuncioa ura discurso bas-
tante extenso, que foi muitissimo applau-
dido.
A somma do dinheiro de S. Pedro le-
vou-se este anno na Inglaterra a 7:5785000,
ou mais um augmento de 2:1600000, so-
bre, o do ultimo anno.
Ha meio seculo, que a carta geographica
da Europa tem passado por lotaveis modi-
fica coes.
Algons estajos tem a sua autononva, ou-
tros parte do seu te ritorio, outros augmen-
tando a sua exteneelo.
A modificaco tem si Jo importante.
Era 1817 eram 5!) os estados da Europa,
hoje errata menos 18.
No espaco de 50 annos extinguiram-se
tres reinos, umgrao ducado,- oito ducados,
.m eleitorado, quatro repblicas e quatro
principados.
Desta suppressao sahiram tres noves
reinos, e um reino transtermou-se em im-
perio.
Os estados que augmentaram durante
este periodo foram a Inglaterra n3 India
451:616 milhas quadradas.
. A Franca 4,620.
A Prussia 22:781.
A Sardenha83;ul4.
Na America os fijados-Unidos tambem
augmentaram l,96DO0 milhzs quadradas.
Os estados que soffreram mais nesta
transformacao foram, na Europa, a Aostria,
a Russia, a Dinamarda, os Paizes Baixos e
a Turqua ; e na America o Mxico.
para se por ao abrigo de qualquer perseguico, sa-' eado...
hiria immediauraeuie da casa em qae es', rev-
ando a quem tivesse direito de o saber, as noticias
mais sioceras acerca do mlseravel que abusa do
seo poder s*bre o seobor.
me lembro de qae por tai gente me teoho arris-
A dez annos de galo--, disse o marques.
Tremo s com a idea.;.
Api-nas o corcovado acaboo de fallar, appareceo
a* pona o mo?o da casa de pasto. Eotrou e disse-
reflecn, cora o cotoveiio apodo na Ibes qae ora soge.to. qae fallava Ioglez, pedia com
instancia para Ibes fallar.
mesa, e os ulbo. fli w oo sobrado.
m qoe paosa, Babolia 1 pergaotoa 0 mar-
qoex.
as garaotias de qoe me fallava para mioba
segoraoca.
A priroeira seria oio o mencionar, aem de
ra em popa, e o turbante em proa, o velho
navio monarchico faz agua. A esta hora
sossobra elle no Mxico, oa Austria, na
Hepaoha, no Hanover, na Saxouia, em
Roma, e em outras partes. Perseve-rai.
Vencidas nao o podis ser.
t U na insurreico suffocada d5o um
principio suprimido.
NSo ha factos consammados, ha s o
direito.
i)s factos nSo se co.isummam nunca. O
direito insubmergivel. As vagas dos
aoouteciraetos passam-lbe por cima, mas
Em 1865 a Europa produzio 528 milhSes
de kilogrammas de betterraba, e as col i-
nias urna quantidade duplicada de asscar
'le cana.
Em 1828 a produccao de assucar de bet-
terraba n5o era mais que de sete milit s de
kil- grammas.
Por e>tas cifras se v qu5o rpido tem
siio o progresso desta industria nos ltimos
37 annos*-
a polica danp-rae nairo astillo a' casa. Tiva in-
da temii)d<7ngir. DI:h o poder dos bwlagnins
O viseando, o qusl na sua qoaldsde de inquilioo
dono da mobilia, n-sia ro manto ras .ousavel p,n-
ludo. Tans de me acompaaMfe tTecisam. fugii
palo camioho de ferro do norte. Iremos para Ingia
larra. Inrelitmeota nao uve lampo de me profVr
L-se no Jornal de Agricultura pratica
o seguinte:
O Sr. Dullo, de Berln, tem como certo
o proijesso que adiante dais, para bran
quear a laa curda licndo to branca com .
a que os mglezes a presenta a no commer-
cio.
O processo o segrate.
lmraerger a la n'uma dissolucao de sul-
phato de nagnesia a que se junta depois o
bicanornato da soua; aquece-se ligeiramen-
te esta s >lugSo at a temperatura de 40*
sentoo se a d'zer ao criado
Nao vejo inconveniente em se recebar por
um instante a visita desse estraogeiro.
Ao cabo de poucos tostantes soltava o corcovado
leve, oa qaerella qUe sa vai fjrmalar contra os ora grito ; o marquez voltoo-se rapidameote, e re-
dos culpados, Rodrigues, e a senhora de Sablio- eoobeeeo ao iimiar da porta.....o seobor Ro
Y"^ ( drigyjatg v
" l 3 rg* T Ojpiawro Impelo de Raymuodo foi para dellar
- Faeilii.r.ibe um pas^apor.e |.g.| para fra as Mx ao pescoco do lon.igo que assira .a sor-
ao paiz, no caso de qoe assim cqnelra. prebeode-lo, mas Rodrigos dea ligeirameota dous
- Sim, ora passaporle par lora o'aqoi. Odeio passos para o lado, fe:boo a porta e dlngio-se ao
esU leIT>- marqoex com apparaote traof ailidade.
- Bem, oesse pooto estamos de accordo. Tera'j Nada de violeonias, disse-lbe elle. Veoho
" iV!irr.9..P"a_a?_M*U e""8'"r Para a aqu procurar o Sr. Ba.olira, eom qoera teoho qoe
fazer, e cata inteocj de Jantar bojn aqai, me era
da dmheiro. Teos algum comilgo T Oearessa. res-
BablioioteDtouoppor-se,ma8RaymDodoapre- poode
Ailamanha, poreiemplo.
Agradeco-lh'o sincerameote.
Mas seria preciso sabir esta mesraa noite da
casa do sen amigo Rodrigues.
Isso difflcii, rephtou o aoao. Taoho algumas
ecooomias guardadas oo m-a qoarto, e tambem
A coraraocio de Bibolio sorpr*oda pouco a
R.yrauodo, porquf jolgoo elr o pobro corcovado
rem-bnodo do sau complica mil losullos e ootras
tantas ameacas
Nao tenhj nada, respondan 0 anao, servio-
d.^se do mesmo idioma q<>* RolriaoM emor-Bra.
T-nho comigo apenas uns trlnt fr.aces. Ms este
bnbante do maruuat que s japinrioa -ta nos
deUr a perd#r, lam com-igo sePonl francos. Sa
podessemos pe>car IhV T...
Bi oitlca. e voo aprovelia-U. Seu cora atlango os
meos movimanto-; a mquaoto esgano o t*u.con-
conbeeida. O qae onicanjete me admirou fui oio
viva, revlMa.jtie os boUos t> tlra-lhe a cartlr
seguida correremos para a estaco do earaiabo de
frrro do doi i*.
a estranjula-lo, $ descirregou-ifie urna puahalada
oa regiao do coraco. Isio passoa-se todo o'ara ml-
outo, e a' calada.
Raymoodo parara.as sentidos, e jazia entendido
no sobrado. R "Inguas e Babolio juigavara no
norto. A caraira foi u'um iosUoi-< roubada.
Enlo Rodrigues; empuubaudo com violencia o
ora^o do corapauneiro, que tremia com i varas
vardas, ordeoo-iw que pega** oo coapeo, a-
balio, paliido e aterrado, vacniava. Rotrigues dis-
se Itie a(> onvii1,T,|ii.ir,i palavra que me prodoz-
rara affalto vardadairamanta aliclrico.
Acompanh-mH traoqaillamete, accresceo
too elle. Saiarao, q.iaoi i antas para a roa.
S*oiram, pols, do gaoioota, fecnarara a porta,
deaeeram eora vawo ordinario a aseada,' e, eocon-
iraodo o moco, disse-liw R .driguas, nodo :
Vottaujos daqui a nada. Has de levar nos ca-
f e charutos; O sujeiio qoa esi la em Cima oo
esperara por nos oais de dez raiootos.
O moco lorooua descer para exacatar as ordeos
que recebara.
Segundo escrevem de Nova-York ao Mo-
niteur francez, nada menos de tres novos
projectos importantissimos de ludias tele-
graphicas, entre e Europa e a Ameri'-a, es-
li fcestas horas submettidos a estudo.
O pnmeiro destes projectos consistir em
unir dilectamente America com Lisboa,
pariimlo a linha do Cabo S. Carlos, defron-
te do forte Mouroe, e pasando pelas Bermu-
das e os Acores at Lisboa.
A distancia a percorrer' seria de 3:227
milhas.
O segando projecto deve unir Faulmnuth
(Inglaterra) com Halifax (Nova Escocia) tam-
bem pelos Acores.
O comprimemo total da. linha seria de
2:00 militas.
O terceiro projecto tende a por um ponto
quaiquer da co^ta escosseza em commtinica-
cao eom o Canad, pelas ilhas Feroe, Isian-
dia e Labrador, n'uma exiensSo de 1:950
milhas.
As companhias que devem levar execu-
cao estes projectos ja estao organisadas, pelo
que dizem.
A companhia telegraphica americana do
cabo do Atlntico, com o capital, de dez mi-
Ihoes de libras sterlmas, que tem a sua sede
em Nova-York.
A companhia do lelegrapho do ocano
fundada era Inglaterra ; e a companhia do
ttlegrapho norte-americano, tambem in-
giez*.
O ca-'iojlishep ser provavelmente o em-
pregado pela primeira d'estas companhias.
Quanto segunda, parece que vai pre-
ferir um cabo invernado P"r Thiimaz Alien.
O conductor um fio de cobre rodeado
de pequeos fios de ac (ao contrario do
cabo Bishop), lodo cobeno de gutta-percha,
e depois embrulhado em lela embieada.
Todo o di meiro do cabo nao exceder a
5/8 de pol legada.
Se estes pr jeclos se realisarem, .era mui-
to rpida a ir-nstniSso das noticias entre a
Europa a Amer.ca, stm que custe mais
cara.
O preco actual, que de um duro em
oiro por letra, ser reduzido talvez depois
a uieiu duro por palavra.
Urna mensagem de dez palavras nao cus-
Una mais de 90000 ris brasileiros.
0 celebre agitador italiano JosMazzini
acaba de publicar urna declaraco nosjor-
naes de Londres, na qual diz. que a carta
que appareceu na Patrie, assignada cum o
seu n..m, falsa, e qua quaiquer conse-
Iho dado por elle aos romanos, nao seria
uunca em conformidade com us actos da
1849, que hoje senara pengosos para a
obra da unificaco da Italia. *~
eva
Rodrigo e o sea companheiro chegaram
br,ve a roa de Viocenoes. All, dobraodo o passo
Mo todo, como dissemos, foi arttcalado com orna M^deram-se por .oir a muludo, e desaooarece'
o achar la em ba.xo; mono mal. alad, eo- tr,0qall,jd>d9 qoe M0 ^ % ttm Umtodo d|C^ ?H1
confio oa su. companhia; mas issopoocoim- m maj prdril(,^n,UlIU< 0ilUfft| estacao do c.mioh7de hnoTt
tan .. tA *'noa Rodrigues,. Impetuoso como om iir ao Erii wca das ooe horas da oo.te
.... a, am.ua. ., ,e,e hoB TZt^ZT^lln T"'T1' 5T? R*,n,M* *l>* *">!'" ,o. as de. meos om qoarto
do, disse-lhe o qoe se segoe, em tora moi s dade s propnos le um salteador, toreeu-ihe a graw.- am combo.o para a Betelca
rio, roa, em .agler, com grave despeito de Ray- vata, e lancou o por larra. Dapois, quaranioi-^
nao sabia ama palavra de Uf sommar a soa obra, e veodo a eo-rgic re-isieocia
appsrecerel.
tem. Trataramis junto do pasaporte.
Safar-me-hei emOm daquella casa maldita...
qae om eovil de ladrles e de ldrasr.ccrescen-
tou com ldigaacao extico Babolio. Cada vez qae
XVI
idioma- .......... u'"'"r*80OD.e^^g,c.re.,s,eoci. Tioham decorrido dous dias dspois do terrivel
v.h* a *f"uno' ssenloolhe om oelho no p-ito, a aconteoimeoto uue sa dar no Palats Rival
v-eoho apressadameate preveolr-te deque empoohando comjma das mios ura pnnh.,, .. Qr^^Z^I^X^mu^
nos ameac. um grande pengo. A estas boras es, tirara do outro, .Auaoto com a ou.ra coobnol. Ki^TmT 3Sr
veis, nem des mmotos sem soecurro. O dono da
casa, ao passur pelo gibioate em qua jaiu o mar-
quez, empurrara a porta, eatreabnudo a, e i,a o
fciino banluJo no'proprio saogae.
Ao vnuar a si acbou-se Raymuodo estendido
o am canap, e entregue aos cuidados de um hbil
crorgio, qaedeciarou ser grave a ferida, mas que
felumaote a lamina do panbal oao passara da re-
g.aoeomprebeodida eotre o hombro eopeilo. O
golpe, deicarragado precipitadameoje, fora dado
em falso, contra vooiade do assassioo, o qual jai-
gara t-lo descarrgado no coraco.
Nao deliava o marque, de coohecer a gravida-
de do estado em que se achava, e al se suppunha
ferino mortalmeola, ,orqu<) paaleci* dores crois.
interrogado acerca do domicilio para onde qoe-
ria que o lvassem, pedio cora instancia qoe o Je-
vassera para o Hoial-Dieu.
P l, disse elle com voz apenas perceptiva!
qoe devo eurar-me oo morrer.".. Diz-me ama vox
interior qoe para oode devo ir.... Alera disso
nao tenho ja familia, oem amigos, nem bens de
fortuna... Nao earei all muito melhor qae na
sulidlo e pobreza da miona casa T
Cbegado a hotel ieo, qaer dizer, i casa de Deas,
ao hospital, tevaram-oo para ama enfermara em
qae sd tuvia quatro camas, e de cojas janellas.'qae
davam para leste, se vi a meiropole de Nossa Se-
nhora, e o rio. Das qnalro camas doas esta-
vam eoto occapadas. Raimando tioba por visi-
abo no cauto opposto da sala om enfermo ja
coovaliesceote Nao podia, peis, ser collocado em
melbores condiedes.
(Contmiar-te-ha.)
YP.,DO DIARIO-RA DAS CRZE3 N. iC"


i
>

-
i
-mm
"W


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E48T8ZK6P_TK223X INGEST_TIME 2013-09-05T01:43:36Z PACKAGE AA00011611_11174
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES