Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11169


This item is only available as the following downloads:


Full Text

'<*
f
1
. >
i

>



i
f


ANNO XLII1. NUMERO 12.
PARA A CAPITAL IiUG.tpES 0*DE SE NAO PAC A POBTE,
Pr tres acies diautadM.,............... fl^OOO
Preis ditos iaen................... SflOOO
Por un anne.iden............../ 24#000
Cada numen irulso .j......... .___^JU* 3*0
TERA FEIRA 15 DE JANEIRO DE 1867.
1
PABA DE.\TItO B PORA DA PROVINCIA.
Por tres mere* idiaalades............
Por seis ditos idea......................
Por me ditos dem................... '.".,',
Por^BB anno dem.. ^................,, ,",' V *# *" '' "
6,5(750
43#500
200*50
27,9010
^smqm^b im^mMiMKBKiP m vswmumwm wwm mwiimkda idb jm vrniM* sigirs mmaiaMuim
.ENCARREGADOS I>A SUBSCRIPTO.
Parabyba, o Sr. Antonio Alexanrinno deLiaia;
Natal, o Sr. Autone Marques da Silva; Aracaty,
oSr. A. de Lraos Braga; Cear, o Sr. Joaquim
Jas de )liveira ; Para, os Srs. Gerardo Antonio
Alves 4'Fihos; Amazona?, o 3r. Jeronymo da
Costa; Alagoas,o Sr. Franrino Tavares da Costa;
Babia, o Sf. Jos ttartins Alvos: Rio de Janeiro,
o Sr. Jos ibeiro Gasparinbo.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olioda, Cabo, Escada e esfagSes da va frrea at
Agua Preta, todos os das.
Iguarass e GoyaDna as segundas ^xus.jfciras.
Santo Anio, Gravis, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altiaho, Gsraobuns, Buique, S. liento, Bom Con-
selho, Aguas Bellas e Tacacal, as tergas-eiras.
Pao d'AIlm, Nazarelh, L'moeiro, Brejo, Pesqoei-.'a,
Ingazeira, Flores, Villa Billa, Csbruo, Boa-Vis-
ta, Oarieury.Salgueiro aVJSf, nas*]uarta fciras
I Serlnbem, Rio Formoso, Tamandar, Uoa, Dar-
reros, Agua Preta e Plmenteiras, as quintas
I ttlras.
Al&IENCIAS. DOS. TRIBNAES DA CAPITAL1
TVibanal do coljmercio: segundas e quintas.
Relacao : tercas e sbados s 1} horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Jul/.o do commercio : segundas as H horas.
Dito de orphos : tercas e sextas s 10 horas.
Primeir tara do cive: tercas e sextas ao meto
da.
Segunda vara do clvel
1 botil da tarde.
qaartas e sa^bades a
EPHEMEIUDES DO MEZ DE JANEIRO.
8 Lna nova as 9 h., 38 m. da f.
13 Quarto cresa, a I b., e 42 m. da t.
20 La cheia af 4 h., e ii m. da ro.
27 Quarto minfl as 11 h. e 55 m. da m.
DAS DA SEMANA..
14. Segunda. S. Flix deNale ro.;S. Macrioa v.
15. Terga. S. Amaro ab.; S Habacuo prof. '
16. Quarta. Ss. Briardo, Aceurslo e Othon.
17. Quinta. S. Aolo ab. ; S. Eleosino id.
18. Sexta. S. I'risra v. ro.; S. Leobaldo b.
i'J. Sabbado. S. Canuto re S. Audifaz m.
20. Domingo. Ss. ScbastiaoeFauo p. mm.
PREAMAA DE IOJE.
Primeir as 0 horas e 30 m. da tarde.
Segunda as 0 hora; o 5i minutos da manhaa.
PAJtftDA DOS VArCES COaTEIROS.
Para o sul at Aiaguas a 14 o (J para o norte
At a Granja a 7 e 22 lo cada mez*!; para Fernan-
do nos dias 14-?os metes jineiro, marco, malo
jaih", setembro e novembro.
PARTE OFFGIAL
7II\ISTEJII DA GUfiHHi
EXONEnACOKS.
Por decreto, de 31 (te dezembro ultimo foi exo-
n ra 1) do conmutad j das armas da provincia do
Amazonas o coratSel do corpo de eslado-maior de
' classe Jost-'Maria Ildefonso Jacome da Veiga
Pessoa e Mello ; por decreto da raesma data foi
exonerado do lugar de director do arsenal de guer-
ra di provincia de Peroarahuco o tenente-coronel
do corpo de cogenli;in.s Sebastio Jos Basilio
Pyrrho.
OMKAQOK*.
Por decreto d 31 ue dazambro ultimo foram
nomeados: command**te das armas da provincia
do Amazonas o tenante-coronel do corpo de enge-
nbeiros SebasiiJo Jjs Basilio Pyrrho, e director
do arsenal de guerra da provincia de Pernaraaaei
o coronel do coroo de estalo-maior de 2.* classe
Jos Mara Ildefonso Jacome da Veiga Pessoa e
Mello.
HONRAS DE POSTO MILITAR.
Altendendo aos relevante* servaos prestados na
guerra actqal contra o governo do Paragaiy pelo
Dr. Jos Mara de Azevedo, bojive por bem S. M.
o imperador, por decreto de 3^ Je dezembro ulti-
mo, conceder-Ihe as honras do posto de cirurgio-
mr de brigada do exerciio. "'
REFORMA DB qfFICIAL
Na conformidad das dlsplfcicdes do I.0 do art.
9 o da le n. 618 de 18 de agosto de l8o, foi re-
formado, por decreto de 31 da dezerabro ultimo, o
1." cirurgio do corpo de -saie do exercito Dr.
Augusto Victorino Alves do Sicramento Black
visto soffrer molestia incuravel, que o torna inca-
paz de continuar no servico.
REFORMA DE PRAQAS DE PRET.
Na cooformidade das di-posigftes do 3. do pla-
no que baixou uom o decreto de 11 de dezembro
de 18l5, por decreto igualmente de 31 d* dezem-
bro ultimo hram reformada ora o respectivo sol-
do por ioteiro as segointes jjricas do exercito,. vis-
to acharem-se impossbilitada para o servico do
exercito em conseqaflhCJo' de ferimentos recebidos
j"ii combate :
5.a batalho de ntfanlaria.
i." cadete Joao Francisco Dis Lops.
Soldado Jos Soares C>rrt.
6." batalltou de infunlana.
1." cadete Joao Munteiro da Franca Vasconcell s.
REFORMA DE OFKICtAL.
Na conformld 9." da hi o. 648 le 18 de agosto de 1832, e por!
decreto de 5 do correte f ji reformado o capilo
do 1." regiment de artilharia a cavaih Trajino
Antonio Gongalves" de Medeiros e Olivara, visto
soffrer molestia in'curavel que o torna incapaz de
continuar no servico.
HONRAS DE PO'TOS MILfTARES.
Attendendo aos relevantes trvjjps prestado? na
guerra actual contra o goverao dd Paraguay pelos
individuos ab.ixo mencionados, htjpe por Le n S.
M. o Imperador, por BNJrW'de 5 do correte, cwi
ceder Ibes as seguinies honras dos postos milita-
res de exercito.
Da teoente, ao tenente de commissao Antonio
Jos Machado.
De alteres, aos Iferes de commissao Francisco
Moreira de Lima e do 20. coipo de voluntaras
da patria Pedro Severo da Costa Leite.
TUANSKERE.N'C.IA PARA A i.* CLAS K
N> conformidade das drtposifes do art 2." $ 1."
motivo 1. n. 2 do decreto n. 260 do-l." de dezera
bro de 1841, e por decreto di^S do coneute, pas-
sou a aggregado a arma a que perteaon o lente
do 9." batalhio de inlantaria-Fraocisco Antonio de
Sa Brrelo Jnior.
REFORMA r/E riUI.:\- DE PRET.
Na confonuidae das d.sposic-s do 3.a do
plano que balxoo com o decreto de 11 de dezem-
bro de lSlo, e por decreto tambm de lo do cor-
rele foram reformadas, com o resoectivo sold
por ioteiro, as pracas dos cornos do exercito abai-
xo meociouadas, visto acharem-se impossibililadas
para o servido do mesmo exercito em cojisequen-
cia de ferimentos recebidos em combate.
Deposito proviinrio de 1.a taita.
Sedado Antonio P.l-i.- ro Dantas.
Asyto de invlidos da corte.
Sargent-ajudanie Candido Matneus de Faria
Pardal Jnior.
1.a" sargentos: Jos Antonio Fernandes, Jos
Luiz de Figueiido Jouatbas ,e?Jo Ignacio de
Medelros.
2.a sargento Jos Antonio Dolra Fimo ."
Femis : Candido da Costa Rosal e Hermenegil-
do Hippulyto de ant'Auoa.
Cabos: Antonio Luiz Furtado, Jo- Vicente da
Cruz e Jos Joaquim Pereira Guimaraes.
Aospecadas: Belarmmo da Costa Santos, Andr
Cnrsino Mondes, Evaristo Jos de Gouva e Jos
Lopes da Cunta.
Soldados : Jos Malaqnias, Joao Ferreira Bap
tista, Amancio Maooel de Jess, Jacintbo Raposa
da Costa, Antonio Modesto do Nascimento, Jos
Pedro de Saol'Anua, Mmio -1 Sabino de Oliveira,
Joaqoim Antonio dos s>nto>, Antonio Basilio dos
Santos, Sevenno Luix da Silva, Salviano Jos de
Al neida, Jos Rodrigues branles, Bernardioo de
Souza de Oliveira, Antooio Balbioo dos Aojos,
Joao Simplicio de Souza, Pedro Antonio, os San-
ios, Antonio Jos de Souza, Agustmno Ferreira
Jardira, Maooel Francisco de Oliveira, Andr Cou-
tiubo das Neves, Santos Das Bapttst, D mingos
Ferreira dos Res, Romo Jos da Fonseca, Ma-
aoel Francisco Ferreira e Joao Antooio da Cunha.
Art. JM'jO governo pilera,, guando o entender
necesaario, nomear ctiefe e estalo-raaior e raais
um.jadanie d'ordens para qualquar esquadra ou
fo5.1 naval, fura dos casos previstos do presente
decreto. ^
Art. 3." O- cheles de estado-TtairniasQsqaadras
perceberao os vencmectos e v.iritaent j|orres-
poudeoles s suas patentes commandando'^iviso,
e os das divisdes os vencimentos e vaatgens de
commandaDtes do maior navio das mesmas di-
viaoesj
Art. 4.a Os secretarios e os ajuiaates d'ordens
veocerio como commanlantes do maior navio da
forca era que servirem,
Art.3.a Opessoal ds estidosmaiores sera' oo-
meado pelo ministro da marinha, sobre proposta
dos respectivos crimroaoiantes.
Affonso Celso de Assis FigueirelO, do meu con-
selho, ministro e secretario de estado dos negocios
da martuha.assim o tnha entendido e faca e exa-
cutar.
Palaete do Rio de Janeiro, em 29 de dezembro
de 1866, 45.a da independencia e do imperio. Cora
a rubrica de S. M. o lmperadjn Affjnso Celso de
Assis Figueiredo.
INTERIOR
MINISTERIO VWARINHV
Decreto n 9,759 de 29 de dezembro de 1866.
Prescreve regras sobre a composlQo dos etados-
maiores das esqoadras e dm-e.s navaes.
Attendendo a necessidade da estabelecer normas
que regui-m a coiiiposigo d s estabelecimeolos
dos commaodanles em ciiefe e c ominan Jantes das
esquadras e divi'des navaes. Osando o numero,
gradu'Co, empregu e venclmeotos dos offlciaes
que os devem formar, bei por bem decretar :
Art. 1.* Na organisaco dos estados malores ob-
servar-se-ho as seguintes regras :
Offlciil general comroandando em chefe a es-
quadra on forca naval composta de duas ou mais
divi-Ses.
Um chefe de estado maior, offlenl geoeral ou
capuo de mar e guerra. Em operares de
guerra.
Utn secretario, offleial superior on subalterno.
dem.
Tres ajudantes d'ordens, offlciaes subalternos.
dem.
Um chefe de estad) maior, capilo de mar e
guerra ou de fragata. Em servico especial fra
do imperio.
Um secretario, offleial subalterno.dem.
Dous ajndantes d'ordew, ditos. -dem.
Offleial general on capitio de mar e guerra, cem-
maodaudo divisao naval empregado tsoladameote
em operajSe de guerra on servico especial fra
do imperio.
Um ebefe de estado-maior, capito de mar e
guerra on de fragata.
lira secretario, offleial subalterno.
Um ajudaote d'ordens, dito.
Os coramandantes das divisdes qne flzerem parte
de urna esquadra 00. torga naval, bem como os das
estacinalas as aguas do imperio, terao um secre-
tarlo e ajodante d'ordens.
RIO DE JlVIilKft.
* 2 de Janeiro de 1867.
Expedio se aviso, datado de 20 de dezembro, ao
qoartel-general, para que inerme que offlciaes
de Ia classe continan emprega los em ierra, po-
deudo alias seguir para o tneatro da guerra, e
indique, nao s os que ped-m ser substituidos uos
empregos em qie se achara, mss tambem quaes
os que, pertencenJo a <:ias>e do reformados, ou
mesmo aquella, nao e>ianJo entretanto as cir
cumstancias de prestar-se no servico activo de
guerra, poJero desempenhar os referidos empre
gos, sendo destes exonerados os da 1* classe reco-
nhecidaraenle idneos para a guerra. ^
Embarcarara hDntera no arsenal de marinha
para o transporte /!apcr cerca de 500 pracas,
que vo reuoir-se ao nos so exercito em operacSes
no Paraguay.
Assislio ao embarque S. M. o Imperador, acom-
panhado dos seus semanarios e dos Srs. ministros
da mariona e da guerra, gen^raes Caldwel, viscn-
de de Cainam, Lameg3 e Wandeckoik.
3 -
Por decreto da mesma data foi con iecorado cora
o offlcialato da Rjsa, pelos relevantes servicas'que
prestoa em relago guerra com o Paraguay o
coronel Joao Antonio Machado.
Por decreto'da mestna data foi concedida ao Dr.
Antonio AogelS'Pdroso a dispensa do lapso de
tempo que decorrea desde que foi agraciado com
o habito da Rosa, para que possa tirar a respectiva
carta.
Por cartas tmperlaes da mesma data foram agra-
ciados com o habito da Rosa os subiitos belgas
Flix Mellian Bmgniard e Coostaa -io Verhaegon.
Foram exoeraflos em 20 do mez prximo pret-
rito dos logares de Inspector o capltao de mar e
guerra Pedro da Cunda; de ajudaute da inspeegao
o capio-tenenle Alexanlre Jo- de Arnjo, de
secretario Bernardo de Miranda Footoura e de
gente comprador Januano de Miranda Ribeiro,
lodos do arsenal de marinha do Para; e nomeadtr
em 22 do dito mez para o de inspector o capito de
fragata Thomez da Cunha Vasfloncellos, e p o
de secretario Joao Gtrueiro da Sil vi Reg, exer-
cendo cumulativam-nte, aquelle as funecoes* de
capilo do porto, e este as de secretario da respec-,
tiva capitana, na forma do regnlamsnto que'
baixou com o decreto n. 447 de 19 de malo de
1846,
Tomou possb hontem a nova 4irectoria, sendo
aleilo vice-presidente o Sr. conselheiro Jos Pedro
Dias de Camino.
Poi convidado o Sr. Dr. JeroDyrao Jos Teiieira
Jnior para substituir o director ausente o Dr. Jos
Maceado Coibo de Castro.
TP---------------------------------------------------------------
Caxias, creio que por indisposto este o-aquelle por 1
estar convalescente. .
c Com data de lo' foi nomeado ajulante-geoeral
do Ia corpo de exercito brasileiro o coronel Dr.
Pinheiro G jiraares. Deve este estar muito satis-
feto com razo pela prova de consideraco cora
que o distiuguio'omarquez de Caxia3.
t Joven de'muita intelligencia e estudo, devja ,
elle ver na sua e'evaco segunda cathegoria do
um Incentivo offerecido a mocidade braslleira, que
deixando seus lares e as oramo*^ poltronas de^
suas mesas de estudo abraQarW com ardor as
armas para vingar a patria ultrajada.
Nos dias 17, 18 e 19 nolou-se grande movi-
mento de vapores, sappuz ao principio" que huu-
vesse alguma novidade, mas depois soube qne era
o resollado de ordens expedidas pelo' marquez de
Caxias para activar o servico, nao permiltindo que
os navios fret idos estivessam parados ganhando
as ponderosas sommas porque tioham sido contra-
tados.
f Tambem chegaram naquelles dias algumas
centenas de doenles que foram para o hospital do
solajero.
A 19 chegou da rio Paraguay a canbonaira
co, que por codsegulnte nao podia dar como rece-
bido. >
Relativamente as repblicas do Pacifico confir-
ma se a noticia de haver o Chile aceitado a media-
gao anglo francaia para ajuste da qoesto com a
Hespanha, as*evraodo-se que^propostas desla
ultima potencia sin as s^mwi: V
taassatvsfacSs do nao ter balido inten-
restabsIecMiaoto dos tratados
O Sr. Noel, sub director poltico no ministerio
dos negocias estraogeiros, foi nomeado ministro
plenipotenciario de Fianca j loto confederaco
Argentin em substitaigao do Sr. Lefebvre de
Bcourt, adraittido a fazer valer os seas direltos a
aposentadoria.
e o. ejercito responderam. Ignoro o que ter soffri
do o nimigo; quinto as torcas de Curuz, tiveram
quairo ferios e dous morios.
t O pequeo estrago causado por este bombar-
deamento nao deve attribuir-se a ser mal servida
a artilharia dos Paraguayos, pois-pelo contrario
teem elles boas artiibstrus. A razan (erern mu-
dado completamente as condigdas do acampamento
de Caru depois dos trabamos de foriittcacao
mandados fazer pelo general Argollo
t Nao sement teem as trincheiras agora dobra-
da espessura e muito maior altura, mas tambem
apenas se deixaro no acampamento ao alcance do
inimigo os batalhSes que esto de servico, passaodfl
o resto para o terreno que antes e depoi do ataque
de Curupaity occoparam os Argentinos. Nao ba-
vendo massa compacta de bomeos como antes,
claro que os estilhacos produzem muito menor
e-trog .
1 Para o acampamento de Taynly tambem os
Paraguayos disparara um ou outro tiro do pega;
quanio a espiogardaria, quasi incessante, espe-
cialmente de noute e ao potreiro Piris, onde esta
a Ia diviso braslleira as ordens do general An-
drea.
c Nao se sopponha que sio tiros entre as avan-
zadas e a grande distancia, pois nao medeiara entre
ellas mais de 270 passos e a barraca do general
Andrea est a raeio tiro de escopeta das avangadas
lolmigas.
t A 15 descea do Alto Paran o vapor Henrique
Marina e no da segu te tornoua subir acompa-
nhado da caohooeira Ivahy.
Nada se tem podido saber do movimento re-
volucionario qne se diz occorrido entre os Para-
guayos. Naoextranho, pois actualmente guardase
minia reserva sobre tudo o que concerne a opera-
cSes de guerra, medida porque felicito os generaos
diliados.
A 18 foi o baile dado pela offleialidade da 4a
diviso do 2a corpo de exeroito argentino. Assisti-
ram os generaes Polydoro, Emilio Mitre e Gelly,
teodo faltado o brlgvlairo Mitre e maro uezq te
/ a
A junta dos correctores eleiteu nootem d'entre os
s-us membros os Srs.: Vicente Marques Lisboa,
presidente; -Diego Mac Kinnall Gracia, secreta-
rio; Maaoel Alvares de Souza, thesoureiro; Johan
nes Voigt e Luiz Gomes Ferreira, adjuntos.
Entrou bontem do Rio da Prata o vapor tnglez
Kepler da lioha de Liverpool. Traz folhas de
lioenos-Ayres al 2o e Montevideo 27 do prximo
passado.
Do ihealro da guerra temos datas de 21. Nao
tinha bavido movimento algum. De urna corres-
pondencia para a Nacin Argentina, transcreve-
mos o seguate :
A lo ouve bombardearaento em Curu-
z. Romperm os Paraguayos o fjgo^mo c iIMfcrsido de carcter puramente local, e que elle
costume, .mas com pseas de 68 e 80. A eJi/aara* eslava prorapto a receber emissaro do governo
geral, mas bavia de ir sera apparato de torca, altas
encontrara decidida resistencia.
Araguary, conuniQdada jpelo lente Hwnholtz, e
egne amanbaa para o Brasil.
t Pel v..ij das cinco da tarde do mismo da
chegou o caefe de esquadra Joaquim Jos Ignacio,
que veoi substituir o visconde* da Tamandar.
Asseverara me que elle tomar posse do com-
mando a 24 e que no mesmo dia partir o viscon-
de para Buenos-Ayres.
Pode dizer-sa que esta a trra das pe-
tas. Correu ha dias e todos acreditaran) que da
ilha do Uerrito tinnam desapparecido dous mortei-
ros que.foram veadidosaos Paraguayos. Foi men-
tira, exrnente se explica o ter corrido semelbaote
carainiiitv la pelo (apio de ter ido fundear ura navio
abaixo das Tres-Boceas.
O vapor Ep'oqaa teve ordem de ir postar-se
perto daquella irfeibara servir de hospital aos
offlciaes. E' um modo indirecto de fzir que as
doencas durem pouco, porque a bordo nao ha
distraegao.
c Na semana que vem c fraacez de que failei
n'uma das mlnbas cartas anteriores stiwr er
I'uyuy no seu globo aerosttico.
A mesma foina referi lo-se a cartas do exeroito
dizque se faziam grandes preparativos no campo
alliado para bombirdear oito dias consecutivos as
tortificagjs e acamoamento do mi raigo, para o que
lioham desembarcado da esquadra pecas de grosso
calibre. Assegura tambem que a ascengo de que
cima se falla se faria por a ue les dias. e qne do
globo aerosttico se podertam I anear projectis que
it.ivj.im de causar grande damoo ao inimigo.
Relativamente ao levantamento paraguayo a
Esperanza, folha de Gon\eni:s, da a seguinte
noticia:
< No exercito sabe-se positivamente que os
sublevados paraguayos eao am-Cuazu picu, que
um reoanto impenetravel ao sut do rio Tebiqua-
ry, e qoedbdoa-os dias anginenta o numero
deles, que ja deve andar par700, esperando-se
que venha a ser mullo maior.
t Contara isto os transrugas paraguayos, cuj
relagao conteste neste ponto. -
t O lyrano Lpez linba proclamado ao seu exer-
cito duendo Ihe qua nao s mente era necessario
veneer os albados, mas tambem uns poacos de
mus lillics da patria que se tinbara subleva-
do. Faz as isto crer que de alguma transcen-
dencia a Miblevago. e que talvez augmentando
continuamente ebegue a desmoralisar completa-
mente o ejercito paraguayo, 1
O StdJo- -je Montevideo, referindo-se a nm cor
responden do exertto, noticia que a 13 e 16 pas-
saram-sepra osarig4us paraguayes, o ultimo dos
quaes foi causa de-por se em armas.lodo.0 exerci-
to dando aviso de nm'taque geral para as 3 horas
da madrugada uo da seguate.
1 Accresceuta que a 17 perderam>ios Brasileiros
as vdelas um oficial e -tres-soldado*, e que um
transfuga declarara que Lpez, sabendo da-fnva-
sao qm preparava o general Ojono, dispanhi-se a.
iirar-j; para rluuiaiia coflt,.-os 18 ou 2Uy800 ho-
mens que lin a.
E' escusado advertir .que nao se pode crer fcil-
mente que esses trarj:uga$tionpegam aaintengoes
de Lpez. Quanto poraj *iparcha do exercito
dobaro do Herval se no Nacional de Buenos-
Ayres : 1
t Iuformam nos quena foi de Riachuelo se es-
13o coastruiodo chalas de vapor que vo ser envia-
das ao general Osono, para servirem de transpor-
tes ao seu exercilo, e que Ihe hao de ser de gran-
de ul'lidade p-ra passar os nos.
t Com este utilissimo elemento as marchas da-
quelie general sero muito mais breves, pois com
as chalas se passaro os ros em multo curto espa-
go de lempo.
c Pessoa ebegada receotemeote de Sanl'Anoa do
Livrameoto diz que o Sr. baro do Herval chegou
aquella villa a 12 de dezembro, acompaohado do
seu estado-maior, e que o geoeral Canoavarro se
diriga ao mesmo aonlo.i
Diz urna folha qae do Salto la sabir um parqoe
de artilharia para o exercito do marechal sorio.e
que sa tinha escolhido avia doUruuuay como mais
commoda para a remessa dos artigos bellicos para
o exercilo que se rene em S. Borja.
Das provincias argentinas nao encontramos noti-
cias de importancia. O goverao revolucionario de
Mendoza tornou a dingir-se ao geoeral Pauuero,
protestando que o movimento naquella provincia
Apreciaodo esles protestos pelo seu justo valor,
o general Paunero,coniiuuiva a dispor os elemen-
tos com que devia fazer reentrar na rbita legal os
revolucionarios.
Em Bueuos-Ayres suscitavase urnaspeeie de
conflicto entre o governo provincial e a respectiva
legislatura.
A cmara dos deputados rejeitoa os pi ojelos
apreseniados pelo poder exeeutivo sobre a conver
sao do papel-moeda.
Antes de levantar se a sesso o deputado Arana
propoz assigoados por elle e pelo Dr. Basa, outros
projectos, que variando na forma assentavam em
base anloga as dos do govetoo, edispunham quasi
a mesma cousa.
Suscitou se logo queslo sobre se deviad ser ad-
mittidos a discusso, e rendse vencido pela afflr-
mativa foram remetti os a ama commissao.
Beveria suppor-se que sendo esles projectos lo
semelbaotes aos primeiros, seriara rejeitados coso
elles; entre tanto um telegrama de 27 aanunciou
para Montevideo qne ja' tinba sido approvado um
que xa em 23 pesos por pataco o typo do troco
de papel por metal.
Com o senado provincial era talvez mais graveo
conflicto. Tendo aquella eamara resolvido suspen-
der por algum tempo as suas sessdes, a' vista da
difflculdade de reunir numero legal de membros
para deliberar, o governo eslranhou-lhe o proced-
ment como contrario a' coustituigo, accrescentan-
do que se o senado persististe em nao reuuir-se
elle governo tomara as medidas exigidas peto bem
estar da provincia, prescindludo da saoceo legis-
lativa.
O senado responden que < referiado.se o offlcio
do goverao a um assampto qu nao coastiluio um
acto offleial daqaella cmara, nem podia constitu-
lo per ser de natqreza individual e ptrtieular, nao
rbe era permi'.tijp'toma lo em considerago nem
dar parecer sob?eechun dos pontos Jaquelle offl-
gao b offenlT
com o Chile e*
2.a lodemniiaglo dos prejattts causados por ac-
tos quo nao daUa sido op-ragdiS de guerra.
3.a Revogago I05 decretos de proscripgo contra
os Hespanhes, fleclarando-se sera elTeilo oem va-
lor os que Ihes Impunhara a naiuralisagao torgada.
Mais algumas claasulas secundarias que nao eram
bem coahecidas.
Por decreto de 2 do crreme mez, foram conce-
didas as'gegutat* pansSes, Brando, porm, depen-
dentes de approvacao da asserabla geral :
Ao tenente do 12.a corpo de voluntarios da pa-
tria Jos Lopes Perreira 4500i) ujensaes, e juiva-
lentes ao siWdo daqnella patente.
Ao dito do 20. dilo Zeferioo Vieira Soares, idem
dem.
Ao alferes do-3. dito Antonio Martins Barbosa
313000 mensaes, idem.
Ao dito do 11.a dito Miguel Joaquim do Reg
Barros, dem idem.
Ao dito do 47.a dito Candido Hermenegildo de
Carvalho, Idemjidem.
Ao dito do 4.a" bat ilho de infautarla Ago.stioho
Jos Aodrade 18#800 mensaes, sem prejuizo do
meio sold que por lei Ihe competir.
Ao dito do 17.Mito Gildino Canelo de Vascon-
celos Monteiro, idem dem.
Ao cabo do 10.a dito Joao Ribeiro de Andrade
500 rs. diarios.
Ao 2.4 cadete,
tria Arftilde*
no.
MI." srgejito do 7.a cerpo de vallara da
guardpoaciohal Floriano Fernandes da Silva 600
rs. diarios.
O Sr. cotpraendador Jos de Souza Breves offe-
sim como tioba apparecido, perdeu-se silencioso na ha daq llia provocia constam da carta que em
espessura da floresta e das trevas o incgnito' igno- outro fugar vai publicada.
rando-se al boje quem seja elle I u Esse fado singular iem dado o que fallar aos I ^dr decretos de So correle mez :
suspersticiosos, que julgam ser o descohecldo a ^0| oomeado cavalleiro da ordem de Christo o
alma do infeliz JoSo Aotooio, que em dia de flua-1 Ines|r> de Ia classe reformada do corpo de offl-
dos pedia vinganga do seu assassinato, ha tintos: (*i:,es marnheiros da armada Valentim J .f de
annos a coberto e protegido pelo cynismo e ioimo-^ A|meMa, em atteug aos relevantes servigos qne
ralidade de certas autoridades deste lugar,-que,^e- [Prestoa da esquadra em operagSes contra a repu-
gundo voz publica, esto compromeltidas no I Wl"do Paraguay,
crime. Foram concedidas as segnlntes peatSes. fleando,
t Tenho, pois, a dizer que esta prisao custon a j Prei, dependentes de approvago da assembla
vida de ura infeliz pai de familia, escapando a' Bera':
mesma sorle a do nosso corajoso iuiz manielDal.- A n- Eofra'* Gomes da Gama e Meiio, viuva
IU0.
detejdo 24."
ht Jfc.-e de
corpo de voluntarios da pa-
Souza Oliveira 400 rs. dia-
gramas ao individuo mysterioso.
6
Sepultou-se hontem. a's 5 1|2 horas da tarde, no
cemiierlo de S. Joo Baptisla, o cadver do cava-
Ibero d St. Georges, enviado extraordinario e mi-
nistro plenipotenciario de Franga nesta cOrte.
O corpo foi encommeodado na igreja da Lapa,
as;istodoa'cerenrooia todos os minis'ros de esta-
do, corpo diplomtico e consular estrangeiro, mul-
tas outras pessoas gradas *e grande concurso da
povo.
Sobre o fretro, que eslava exposto no centro da
'"reja, achavam-se as Insignias de gr-crui da or-
dem de Christo e grapde 1 fflcial da Legio de Hon-
ra, com quo era condecorado.
Pegaram as argdas do caixo, que foi condu-
zido em ura carro da casa imperial, seguido do
cocha do estado, os Srs. internuncio apostlico,
presdeme do cooselho da ministros, ministros dos
negocios eslranBelros, da Inglaterra, dos Estados-
Unidos e da Repobllca-Orienia'.
As honras fnebres foram fetas por ama torga
composia dos Ia, 5a a 6a baiaih5es de infamara o
um esquadrap.do Ia regiment de caval aria, acom-
panbando e.-te o sahiraento al o cemiterio.
do capito do 4 batalho de infamarla H'rtencio
Mma da Gama Souza e Mteflo, morid era couse-
qooncia de ferimentos recibidos em combate, de
30# mensaes, sem prejuizo do meio sold qae por
le Ihe competir. *
A D. Rosa Balbioa de Araojo e I). Mari 1 da '
Gloria de Araujo Costa, Irmaas do 1 teneQte da
armada Joo Bernardino Moreira de Ara%> que
morreo era servigo, acbando-se embarcado no vS-
1 por Mag, pertencenle esquadra em opgtagdes
I contra o Paraguay, da 605 mensaes, guaMo sold
I daquella patente. '
Ao Io tenente da armada Luiz Baibalho M niz
Fiuza, que perdeu um m'-.g'o em dtaeqo-fcia di-
verlmenius recebidos na oeeaSio dli tomada do
forte de Jtaptr, a de eo-'fiensaes.
Por frta imperial da m-sBa data tol BMurali-
sado o sabiito ioglez Charles'James Storiy.
1 .-

.receu, para servirem no exercito em operagdes 00
Paraguay, dez dos seus escravos, aos quaes torne-
ceu, alm disto, o respectivo fardamenlo.
1M S
Entrn hornea do Rio da Prata o paquete inglez
Amo, com-feilMe Buenos-Ayres at 29 e Monte-
video at 30 do fssado.
A' ultima hor tinha ehegado de Corrientes com
data de 27 o vapor Emita, cojas noticias foram
passadas como si-gue de Iluenos-Ayres para Monte-
video pelo caa elctrico :
rtada de particular. Tiros de pega em Cum-
pa ily. -
Apezar da esterldade de factos capiaes. eremos
que sera lida cora iateresse a nossa corresponden-
cia de Buenos-Ayres, puolicada na nossa prirueira
folha de boje, e* quai vo anm-xas as ultimas or-
dens do da do Sr
Embarcaram-se hontem, nj arsenal de marinha,
para bordo do transporte A/ic, 500 pragas que vo
eocorporar-se ao nosso exercito no Paraguay.
Assistio ao embarque S. M. o Imperador, acom
panhado dos seus semanarios e dos Sis. ministro
da guerra, baro do Itapagipe, general Cardwell e
mais pessoas do costume.
8
Por decreto de 2 do crreme, foi designado o Sr.
baro de Peoedo, presidente da commissao que tem
de representar o Brasil na prxima futura exposi-
gao universal de Pars, para o logar de raembro do
jury de recompensas especiaes, ltimamente crea-
do pelo governo francez.
Por decretos da mesma data foram nomeados
membros da commissao que te n de representar'o
Bra-il na proxjma futura expasigo universal de
Paris os Srs. visconde de Barbacena e comineada-i
dores Maaoel de Araujo Porto-Aiegre, Julio Con>
lancio Villeneuvee J.'s Ribeiro da Silva.
Por avisos da" mesan data foram nomeados para
coadjuvaf a commissao e estud-ir o que pnder io,
teressar ao imperio, oe Srs. eogeobeiro Joao Mar-
tins da Silva Coutioho, repetidor da escola central
_ marque de Caxias.
Das repblica do Panuco havia no Rio da Pra- "l!'uel Antonio da Silva, coadjuvante da dita escola
la noticias at W de dezembro.
Tioba chegajie a Valparaso o navio Fanny com
34 pegas de calibre 30, 100, 200 e 300 e copla de
pro|ect'S. Coniiauava, porm, a dar-se como feita
a paz com a Hespanha.
No Peni evaatou-sa um batalho que eslava de
guaruigao aa ilha.Chiocha, e na olivia r uve
urna teotativa de revoiugao capitaneada por um
ex carona! D. Domingos Ardaga, mas n'nma e
n'oulra repblica cousegaio o goverao (anmente
restabelecer a ordem
Urna folha do Chile diz que o geoeral Mosquera,
presidente da Colombia, couvldara todos os gover-
nos da ame icana latina para um congresso, em
que sa trocaro as ratitic^gSes dos tratados tonos
no congresso de Lima de 18154 a 1865, se vr-m l11
rao as qaestois eotre o Paraguay e os alliadd e
se ajusarao as de limitas eotre os diversos estados
americanos, e se lxaro os pontos conlroversos
do direito das geutes sobre direitos e deveres de
bel igeranles e neutros-
-------------- ... n 1 m
Por decretos de 31 do mez pruxim) pretrito fo-
ram reformados o capito da ai-.r e guerra Au-
gusto Weaceslao da Suva Lisboa e o c6pito-leoen-
te Eugenio Pedro da Rocha Puta arco, aquelle
uo posto de chefe de diviso, vencen Jo" o rsped -
vo sold, e este com a graduago de capito de
fragata o sold de cnpiio-ieoent>', na forma do al-
vara de 16 de dezembro de 1790 e da Ia par" do
Ia art. 4 da le n. 6i6 de 31 de julho de 1832.
------- iitji m oi
Depois de longa eofermtdade lalleceu bontem
de mmba, em S. Domingos de Nitneroby, o ca-
valbetro da Si. Georges, eavlado extraordinario e
ministro plenipotenciario a Frang nesta coi t .
Foi era 1837 que o fallecido veio pela pnmeira
vez ao Brasil servir como addido a' legago deque
era entio ebefe o barao Roueo, seodo m8s larde
nomeado eocarregado de negocios, quaodo se reii-
rou o mini-tro coude Ney. Regressaodo a' Fraoga
foi all euviadp em misso especial ao Rio da Prata
e Paraguay.oade conjanctamenta com o enviado io-
glez, almirante Othon, negociou o tratado de nave-
gago e commercio. Em 1849 voltou 3o Brasil aa
cathegoria em qae falleceu; e, leudo por seu e-pi
rito- conciliador cortezla e delicadas manaira-,
graogeado a estima geral e maodo sempre boas
relagdes com os differentes ministerios, negoci m
eni. a outros actos diplomticos a convengo consu-
lar, servlgo pelo qual foi agraciado com a gr-cruz
da ordem de Christo. Era tambem grande offleial
da Legio de Honra e da real ordem de S. Mauricio
a deS. Lzaro.
O cavalbeiro de St. Georges era casado com D.
Tboreza Ratton, Mina do conselheiro Ignacio Ral-
ln, da ql t'ive seis.fllhos, que estio em Krauca
com.sua mai. O cadver sepulta-se hoje a's .5 ho-
ras da larde no cemiterio de S. Joo Baptlst, de-
pois de encommeodado na Igreja do convenio do
Carmo, no largo da Lapa.
Jos de Saldapha da Gama Filho, d.utor enj 0",-
thematicas Dionisio Googalves Martina, commenda-
dor Manuel Ferreira Lagos, e o professor de esta-
tuira da academia imperial das bellas-artes Fran-
cisco Maooel Cnaves Pinheiro.
Por aviso da mesma data aceilou se o cffereci
ment dos Srs. bacharel em matemticas Jos Car-
los de Bulhofs Ribeiro e Jos Berhend, vice-consul
do Bra.-il na Prussia, de coadjuvarera os traOlhos
relativos a mencionanaexposigo.
Por decretos de 29 de dezembro e 2 e 3 d cor-
rente-rtez :
Foi suspenso por tempo indeterminado, na con-
formidade do artigo 2.a do decreto o. 3,566 de 4 de
acost de 1863, n i-nente-coron'l commandinie o
3. batalho da guarda nacional da- provincia do
Maraniio, Jos Garios Pereira d* Casto.
Foram nomeados :
O baehSM Alfredo Jos Vil'ra,juiz municipal e
de orphos do termo de Loreoa, na provincia de S.
Paulo.
Joao da Rocha Bezerra Civalciull, coronel com-
mandante superior da guarda naeional do munici-
pio da Imperatriz da provincia das Alagoas.
O tenente-coronel Jos Vieira de Araujo Peixoto,
chefe do estado maior.do commapdo superior da
guarda nacional do mesmo municipio e provincia.
O capito Jo- Joaquim da Costa A guiar, tenen-
le-coronel commaodante do corpo de cavallana n.
I da guarda nacional da provocia das Alagoas.
vallarla n. I da guarda nacin ti da dita.
Por decreta de 5 do correte foi dispensado do
exercicio, por"^tempo indeterm loado, ;p coronel
fehefe do estado'maior do commando sfierior da
guarda oaciooal da capital da provocia da Baha,
, Antonio Jos de Lima. n
O teoente-eoronel comraandaute nomeado para
o corpo de civ-iiiaria'n. 1 da'guarda nacional da
i provincia das Alagoas Jos Alves de Agular, e
nao Jo Jo'^qim da Costa Aguiar.
Reforma-de, offleial.Na conformidad?, das dis-
posigSes d' Ia do artigo 9 da lei n. 648 de 13
de agosto de 1831'e por decreto de 5 de corrate
foi reformado o cfpito do 1 regiment de arti-
lharia a cavallo'Trjano Antonio Googalves de Me-
deiros e Oliveira, visto soffrer molestia incuravel
que u torna mcapaz de continuar no servlgo.
Honras de postos militares.Attendendo aos re-
levantes servigos prestados na gu-rra actual con'
ira o goverao do Paraguay pelos individuos abai-
xo mencionados, houve por bem S. M. o impera-
dor, por decreto de 3 do correle, conseder-lbes
as seguales honras dos postos militares do exercito.
De leiieole? -Ao leneute de commissao Amonto
Jos Machado.
De alferes.Aos alferes da commissao Fran isco
Moreira de Lima, edo 20a corpo de voluntarios di
patria Pedro Severo da Costa Leite.
Transferencia para 2a elasse.-y Na cosformidade
das disposiges do art. 2a 1 motiva primeiro n.
2 do decreto n. 269 do 1- de dezjrabro de 1841,
e por decreto de 5 do correte passo aggrega-
do a arma a que pertence o tenente do 9 batalho
de infautaria Francisco Antonio de Sa Brrelo Ju-
OfTerecerara para o servlgo do novo exercito eW'
operacSs's conira o governo do Paraguay o- Srs :
Viscoude de Camblas marquez de Palana, seis
lbenos, armados e faruaJosa sua casta.
Barao de Saota Justa, seis ditos.
Syerioo Ribeiro de Souza Rezeode, dous ditos.
Esiivo Ribeiro de ^ouia Rezeale, dem,
.Fraocisco Aives Barbosa, dem.
Jos Hara da Silveira Barbosa, idem.
O governo imperial louvou e agradecou estas
offerias.
As congregadas de Saola Tbereza de Jess, D.
Elvira de Almeida Lemos, D. Fellsaerta da Costa
Fernandos e urna auooyma offeracaram quatro
caixas com os para os feridos do nosso exercito
em operagOes.
O Sr. oioistro da guerra agradeceu esta offerta.
provocia.
Felippe da Cunha Lima Mataraca, teneula-coro-
nel commandante do bataiho de infamara n. 10
da guarda nacional da mesma provincia.
O capilo Vasco Marinho da Gama e Mello, le-
aente-coroael commandante do batalho de iofan-
tana n. 27 da guarda nacional da referida provin-
cia.
O lenente-coronel Maneel Jacome Bezerra de Car-
valho, coronel commandante superior da guarda
nacional dos municipios da Boa-Vista e Ouricury,
da provincia de Pernambuco.
O capilo Affon'o de Hollanda de Albuqaerqae
Maraabo, major commandante da 3.a seccao do ba-
talho de reserva da guarda nacional da mesma
provincia.
Permiltio se a Malbias de Albuquerqae Mello J-
nior e Joo Damasceno da Silva, serventaarios vi-
talicios, aquello dos offl.'.los de labellio de netas e
escrlvo do civel e crime e da provedorla, e este
do de escrlvo privativo do jury e das execugoes
criminaos do termo da Escada, da provincia de
Pernarabuco, que permntem entre si os respectivos
oficios.
Por aviso de 8 do correte, fot acce'to o offere"
cimento do Sr. bacharel em malhemalicas Edu>rd{
dos Guimaraes Boojan, de coadjuvar os trabalhoj
da commissao que na prxima exposigo un ersai
de Panz tem de representar o Brasil.
Era additamento a noticia que com este titulo
publicamos hoatem, temos a accrescenlar qae o
assassino declarou na 2' delegada de polica ser
escravo de Jos Antonio Vasques, e reconhecer o
farro cora que perpetrara o crime. Disse mais
al-
lantado foi o ciumo, e qu estando deit.nio com a
assassinada, dera-lhe esta com p noro.-lo.
Foram presas para avenguagfles duas mulheres
moradoras na mesma casa da assassinada.
L-se no Sapncahy, folha da Uampanha da Prin-
cesa : mr. J
c Um nosso amigo de Tres-Ponas dadnos a noti-
cia de ama prisao desastrosa e Fasmo,tempo
singular. O aosso amigo assira se illpiape :
No dia da hnados, peralta noie, o nosso ulz
municipal foi fazer a prisao do criminoso Amonio
Das, no lugar deoominado Vargem. O doutor, se-
guido de sua esdo|ta e ji com o lago p/eparado, di-
rigi se ao logar, e aliante da fazeada do Sr. Mes-
quitinha, junto a ama porteira, parea e apitaado
fui correspondido por mais alguos compaoheiros
que ah o esperavam, introdozindo-se entre elles
um vulto desconbeeido, de que nao fiteram maior
caso.
Chegando a' casa do criminoso, a maior parte
da escolta fez-se perdida na escurido (era ul o
raedo que j a alerrava !J, o juiz municipal achoa-
se s com tres offlciaes, com os quaes cercou a
casa do criminoso, \pparecendo este a porta com
orna arma ngatilbada, o juiz deu-lhe a voz de pre-
so, a' qual responden o facinora com um medonho
tiro, que, acertando no Infeliz offleial Maooel Ao-
gelo, causou-The morte instantnea. Fazendo en
lo da espingarda ccete, o malvado atira-se ao
juiz que o repellia corajoso com um revlver, que
o disparou tras vezes sem acertar, em quaoto o
resto, da escolta procarava cobardemente safar-|
do conflicto 1 Na terrival sttuac.q_em qha se
va o juiz, apparece, como qne por encamo e
segunda vez o mesmo volt 1 que antes bavi api
recido, e sem grande difflculdade agarrn com
raao de ferro o assassino e o entregoa ao juiz e a1
escolta,' que nesse momento sabia do matto, aj-jia'as at 4
Appareceu hontem de manhaa assassinada no
quarto em que dorma a parda Mara Luiza do
Nascimeoto, moradora na ra do Hospicio n. 175,
sobrado, apresentando o .cadver quatro ferimen-
tos, om dos quaes no peito esquerdo atravessaodo
o eoracao.
u assassinato foi perpetrado de maneira que o
assassino evadi se sem deixar nessa occasio a
menor suspeita de ter coraraetiido semelbaote at-
entado. Smente de mannaa, qaaodo urna pessoa
da casa ia accordar a assassin'da, encontrn a nes-
te estado e a cama teda ensanguentada.
As 3 horas da madrugada commaoicam-nos que
se acha preso, a ordem do Dr. segundo delegado, o
pardo Isidoro, autor do assassinato.
-
MABI DE PEMAMBUCO
Entrn hoatem do Rio da Prata o transporte de
goerra Galgo, sahiio de Montevideo no dia 1 do
correte. Nao Uouze folhas daqaella cidade ; sa-
bemos, porem, qae nao bavia novidade de impor-
tancia nem tinbam ebegado do iheatro da guer-
ra noticias posteriores as qae Avernos pelo Amo.
Atenas recebemos do exercito algomas ordens to
da do commaodo geral, qae brevemente sero pu-
blicadas. Por urna dellas, datada de 21 de dezem-
bro, sob n. 15, o Sr. marquez de Caxias ordenou
aos commandantes dos batalbSes de infamara, per-
tenceotes ao eorpo de exercito, escolhessem 25
pragas das mau robustas dos seus respectivos
corpos para aprendern o exercicio das armas,
de agulha com os sobalternos e inferiores que
para este fira j tiaham recebido instruccio das
esmas armas., devendo laes offloiaes e pracas
;cupar as formaturas esquerda dos seus ba-
lhoes.
O Galgo tocou em Santa Catbarioa, donde traz
do correte. As poocas noticias que
''
Da leitura dos jornaes e cartas que recebemos
da Europa, pelo vapor francez Navarre, com da-
las de Hamborgo 20,-de Londres e Paris 24, e de
Lu.o* 30 do passado, colhemos o qoe segu.
O Momrur, jornal oficial do governo francez
declarou estar completamente terminada a evacua-
go de Roma. O ultimo regiment francez parti a
11 de Roma chegou a 12 a Civita Vecbia, e em-
barcou jumamente com o general Moniebelio no da
13 00 Eclairemr.
0 general conde de Montebello dirigi a ordem
do da seguate, ao exercito 'expedicionaria, antes
da sua saluda de Roma :
t Offlciaes e soldados : O imperador cbama
Fraoga as tropas do exercito de oceupago. Den-
tro em poucos dias delxareis os estados pontificios.
t Ames de me separar de vos, quero dizer-vos
quaoto estou salifeito da vossa disciplina, dos vos-
sos servigos.e doprocedimento irreprebensivel que
baveis observado dorante os annos de: oceupagao.
< Haveis contribuido, com attitude flrrae e ao
mesmo lempo beaevola, para sustentar em Roma
a ordem publica.
1 as fronleiras e nos acantonameotos tenies
tambem protegido a vida dos habitantes contra os
impulsos da brigandagem. Mais de um vleme sol-
dado morreu cumprtndo os seas perigosos deve-
res, e as recompensas concedidas pelo imperador
damonslram-vos que elle nao se esquace niujca
de premiar os seus boBS e leaos servidores. ,?:,
< Offlciaes e soldados : Deixaodo liorna, levaes
a estima geral, e o carinbo do chefe que se separa
de vos com o corago repassado de tristeza.
< Alm disso, levaes coavosco a melhor e a
mais preciosa de todas as recompensas.: a bengo
do sumnio pontfice para vos e vossas familias, e a
gloriosa recordacao dos annos qae haveis consa-
grado i defeza de sua santidade.
Antes de partir o exercito, o geoeral em ebefe
apreseotuu a sua santidade os offlciaes, pelas se-
guintes palavras :
1 Santsimo padre.Vindo pela ultima vez pre-
sentar a vossa santidade as nossas respeitosas ho-
menagens, e pedir-lbe a sua santa beogao, nao
oosso evitar-me a maior emoce. Ha circuojitan-
cias em que a tristeza inseparavel dos adeuses se
muda em verdadelra dr. Mas consola-roe um
pensameato. Se o imperador, Sel aos corapromis-
sos, retira as suas tropas de Rima, nao retira o
seu apolo & santa s. Ao nosso dcimo stimo an-
uo de oceupago, val succeder urna proteegao mo-
ral to importante e nao menos eficaz, porque ha
de ser um freio para uos e urna anlmacio para ou-
tros. Possa o lempo, qae na ma- poderosa e mise-
ricordiosa de Deas traniuiilisa as paixSes como

-,
i



tarto de Peraan.be Tere* felr* t* de Janeiro de
1867.
Vanqulli>a s dore:5, tonuda mjrs de que destme ; cCes nacUBies qae setoofundew e tgiUm era cipaes autoridades esperavam rtl
=HZ2
Roma.
Affecto a religlao de essos pas, qae a da
maiar parle dos italianos, presto homeaagem *
mulH.qeao)ento ao principio de hberdade deque
e inspiraran as nossas institaicisv ej, appli-
eado "coai siriceridde e ampndio, aRastora as
Masas das antigs dissidencias entre a igreja e o
IMao
poss o lempo inspirar a todos esse espirito de
concHtoeo, udco qoe- pede ccrauzr a soluto
das llffietrtdades ;cioaes, e assegurar ao soberaao
pontifico a independencia e a segurauga da que elle
carece para alcancar livreaeote a saa acgo espi
ritual at s' exireraldaoes do mundo. Tes sao s
votos, as horaenagens do mea profundo respeito, e
do mea vivo reccnfaeciartUb, que deposite M fres
de vossa santidade. Estos aisposicSes da notse parte, tfaaquillisa
A estas pimcas palavrasi santidade, respe*- ran as eotiscleoclas eatholica*, e prebaocheraa*
dea em francez : ; segunda o espWs o trotas que farao para que o
< a ves erada vossa partida estou aqui, meds soberano pontifica pefdianagi independeote a
cbaros Albos, para vos fater es meas adeuses. Roma.
t A vossa bandeira patrio de Franca cem a mis-. a tlitia aeht*se afora em segranos. Alen
sao de sustentar a santo t. Vai hoje rollar all, do valor de seus Albo, que airavet da vlcissla-
Desejo que seja retenida eom o mesmo sedtimento des, nio dtsmcreeeo, nem no mar, tara na trra
coro que parti. Eflectivamenle, segando mees nem as Oleiras do exercito, nem as dos volunta-
erevera, todos os coragSes catnolicos estao em rio?, tem per baluartes da saa independencia os
alarme j tremem vendo as difflcnldades em que se proprlos baluartes que serviram para a opprimir.
aetoa o vigaiiode Nosso Senbor Jess Chrlsto, oj < A tulla pode a deve fater convergir lodosos
chefe da igreja calbolica. seas esforgos para o augmento da saa prospert-
Nio preciso faier alluso a este estado ; a dade.
revoluto ha de .vir aqu; proclama-se, dir-se e
rediz se. Um persooagem italiano, collocado em
de Saxottta ti
estaca de Berlim.
A Gazett de Crus considera qo a visita 0 ra
de saxoola tem por fita evidente faier esqaaeat o
passstfe e mostrar a Prassia qoe d'aqai para d ffl'
taro (era um adiado Sel e dedicado e dii qae
sonaste aspecto que a corte da Prnssia encara a
Risita do ral Joia.
* A D*St*m 4rtMM toodlfleanaa al-
#J*cto awactoldo em teios ais coociliores
eottaendovae Wyri u larnti constuetoml.
Mrdocaeatto ama diseertocao palluca cojo
W se ** M uton pirase. Qoetra
Ll'"tW,f "** *> '* ** hangar a tal
Hberdade constitucional aBvde qoe esta naci vea
rgdrados os seas directos, do qae te forliflqae
posicio elevada, dlssa qne a Italia eslava fetia,
mas nao completa. A Italia estara feita, se nao
heuvesse aqui um canto de ierra, onde reina a or-
dem, a jostica e a tranquildade I
c Pretende se vir levantar a bandeira no Capito-
lio. Vos sabis, como eu, qae cao est longo a ro-
cha Tarpea.
i Todava, ha ainda seis annos qne en fallava
cou um representante da Franca. Era eu qae o
< Os Italianos mo;traram-se admiravelmente
concordas ao cimentaren! a saa independencia;
dediqoem-se agora lodos cora Intelligencia, activi-
dade e constancia iaabalavel, ao desenvolvimiento
dos recursos econmicos da pennsula.
Vo ser-vos presentes muitos projectos de le
| neste sentido.
c Em meio dos trabalbos de paz, e favorecidos
. por um futuro ceno, nao deizaremos de aporfei-
eoar, segundo as Iic3e3 da experiencia, a nossa ar-
gaoisagao militar, afim de que com o menor dis
encarregava de dizer ao imperador qae Santo Agos-; pendi possivel, a Italia nao esteja privada das for
tinbo, blspo de Hippone, qae boje do imperio gas de que necesslta para conservar o lugar que
francez, intimidado do castigo que presenta em-
qnanto os barbaros sitiavaio a cidade,' pedio ao
Senbor para morrer, antes qne fosse testeraunha.
Esse represntate responden me : < Os barbaros
nao enlraro aqui... Has elle
pbeta.
c Outro disse-me que Roma nao poda ser ca-
pital de um reino ; mas que nao poda deixar de
ser capital de todos os caibolicos. No eutretanto en
temo a revolugio. Que hei de fazer 7 Que hei de
dizer ? Estao fallo de recursos. Todava eslou
tranquillo, porque o maior poder, Deus
torca e a constancia.
Concluidas estas palavras, o papa vizivelmente
commovido, suspendeu por um instante, e depois
prosegua, dizendo :
Part com a minba beogao e o meu adeus pa-
ternal. Se virdes o imperador dos Francezes, vos-
so imperador, dizei-lhe que- cu oro por elle. Dz-se
qne o sen estado de saode nao bom ; eu oro pe-
la sua saude. A nago franceza chrisla -, o sen
ebefe deve ser tambem chrisiao.
Sao precisas oragoas acompaehadas da coofianga
e da perseveranga, e essa nac.au lio grande e to
forte ha de opder obter o- que deseja. u vivo na
misericordia de Deus, e a minba benco ha de
acompanbar-vos na vossa vlagem.
u papa recebeu em audiencia o enviado italia-
no o Sr. Tooello, e tratou com a maior benevolen-
cia. Assegnra-se que o general Fleury partir'
brevemente para Pars.
A mis o do Sr. Tonello parece ter sido concer-
tada com o general Fleury, e affirma-se que tem
tnstrnccSes qae o aatorisam a renamerar ao jura-
mento dus bispos, ao exequtur, e finalmente a lu-
do o que diz respeito ao espiritual. Parece que se
levarau estas coccessoes aimU mais loage com a
condlcao qu9 os Romanos ho de. gozar de todos
os direitos que periencom aos subditos do rei da
Italia, e de que poderao exercer funec.3es publicas,
entrar para o exercito, marrana, adminittraco,
ele, como todos os demais italianos. Neste caso Ro-
ma formarla urna municipalidade sojeita ao papa
qne reinara sem governar.
Tal a opiniao de siguas jornaes que apresen-
tam estas bases como milito aceilaveis, mas por
caja veracidide nao podemos ficar.
AfBrmam os jornaes qae os cardeaes recorda-
ram ao santo padre com todo o respeito, o sea an-
ligo direito de elegerem outro papa, se o pontfice
reinante quizesse sabir de Roma sem o seu con-
sent ment.
b' esperada com grande anciedade urna allocu-
clo muilo significativa pronunciada palo santo pa-
dre no consistorio, em que aproveitara' a occasio
de expor os seas projectos iovolvidos at hoje no
mais profundo mysterio.
Os jornaes francezes continnam a oceupasse com
a viagera da imperatriz dos francezes a Roma. O
Constitucional de 22 de dezembro, assegura que a
imperatriz sempre emprehendera' a sua viagem
com toda a brevidade.
A Independencia Belga diz que os jornaes de Pa-
rs depois de lerem annunciado a viagem da Impe-
ratriz te aprescniam muilo sobrios de refleides a
tal respeito. A Fi anee limita-se a dizer que se a
viagem se realisar Como por ora provavel,
apenas lera' por Bra obter reformas liberaos, e ele-
var a capital da santa s, a pesicao de cidade li-
vre, unida da Italia.
Os jornaes que poderiam estar bem informados
como o Constitucional, a Patrie e o Memorial Di-
plomatique, guardam o mais absoluto silencio.
A Independencia Belga, diz que o imperador Na-
poleao mostrar desejos segundo parece, ao minis-
terio do interior de que os jornaes guardassem re-
serva com respeito aos fios da viagem da impera-
triz. As resistencias que se ievanlaram contra
projeclada viagem, nao eslo completamente ven-
cidas ; o imperador que em principio annulra a
ella; parece esperar, para dar consentimiento defi-
nitivo, pela ailococao do santo padre, que se tal
allocuco for concebida em termos desfavoraveis a
Franca, se renunciara a idea da viagem da impe-
ratriz.
AlliiTa-se que a viagem da imperatriz tem dois
fin- : obier do santo padre reformas interiores in-
dispensavels nos estados romanos, e tratar da re-
conciliacao com a Italia no caso em que o sobera-
no p' utilice se preste a acceder as propostas que
intenta fazer-lbe eom respeito as questSes poli-
ticas.
Diz a Independencia Belga que no taso de se
realisar tal vi-gnn, os jornaes inspirados pelo go-
bern francez apresentaram esie facto como um
acto puramente relig oso.prevenindo assim a even-
tualidad de om revez.
Em Flurenga vista multo favoravelmente a in-
tervenga da imperatriz dos francezes, e ja' se di-
rigiP'in rastruccoes ao comit nacional para fazer
a imperatriz uipa recepgSo brilbante.
Os arcebispos de aples, de Benevenlo, de Reg-
gio e de A ve. lino regressaram ja' as suas dioceses
sendo receidos com geral alegra. Sao brevemen-
te esperados as suas sedes episcopaes ontros pre
lados, e nao sera' sem interesses observar-lhes a
aititude que lomam, que podera' dar otis indica
c5es sobre as disposlgoes do alto clero com respei-
to ao goveroo italiano na nova situagUo creada pe-
la partida das tropas francezas.
Os doenmentos relativos a perseguiefio religiosa
na Polonia foram distriboidos aos cardeaes e ao
corpo diplomtico.
E-ia' ja' fizado para o dia 15 de margo a poca
do pagamento em diobelro descornado que o go-
verno italiano hade fazer ao goveroo pontificio.
i A Opinione desmente o boato de que a missio
do general Fleury tivesse por Oro, alm da qaes-
lio r( mana, a concluso de ajustes eventuaes eom
o gabioeie italiano, dando-se o caso de complica-
cSes estrangelras, e ;.fflanga qae a missio do gene-
ral Fleury se limitam a qoestao romana.
Abno-se o parlamento italiaao no dia 13 de
dezemuro : o rei Vctor Emmanael pronunciou o
discurso seguiute : !'
< Srs. senadores e deputados.Esta' ja' liberta
a patria de tuda a especie de domloaaao estraogei-
ra. Declaro-o com a mais profunda alegra aos
representantes de viole e cinco milhdes de ita-
lianos.
A naci tem t em aotm, e en tenbo f na na-
cao. O grande aconieeimenio que eorooa os not-
sos eommans eslorcot, da' novo Impolso a obra da
clvilisagao, e torna mais seguro o equillDfio poH-'
tico da Europa. w
\ Com a sua promptldao em se organWr mi-
tormente, e com a uniio rpida das suas popula-
'c5es, adquiri a Italia o credilft que lhe era neces-
sario para attiogir, por s mesm, e cota o auxilio
de alllaocas efflcazes, a saa independencia, a lla-
lla achon animaeio e Spoio, para a realisagSo de
obra lio cusiosa, na syrDpainia dos governo's do<
povos nvillsido, sustentada e augmentada anda
pala pe severanca corSjwa das provincia? yene-
zianas, na empreza comaram da emancipagao na-
cional.
O tratado de paz cota o Imperio de Anstria,
tratado qae vos ba de ser apresentado, sera' segui-
do de negocltdes qae hao de facilltor as transac-
goes entre os dons estados.
O governo francez, fiel ai obrga trabio pelo convenio de setembro, retlron de Roma
as suas tropas. Pela saa parte, o governo italiano
observando os eompromisos contrabldbs, tem res-
peiiado e respeltara' o territorio pontificio.
As Mas re!ac,3es eom o imperador dos fran-
cezes, a quem esmos ligados pela amfsade e gra-
tidao, a moderado dos romanos, a sensatez do so-
berano pontfice, os sentiiaentos religiosos, e o jol-
zo resto do povo italiano, ajudaram a distinguir e
* conciliar os iatresses catbolicos e u inspira-
re pertence entre as grandes nagSes.
HSo de contribuir para melhorar a gerencia da
cansa publica as providencias tomadas recentemen-
te, coocernentes a administracio do reino, a as que
nao era nm prc- vos ho de ser apresentadas, principalmente com
*resi-tito a cobranca do3 impostos e a contabllidade
do estado.
O moa governo provea anticipadamente as
despezas do anoo que vai comecar e aos pagamen-
tos extr ordinarios de qaalquer nalureza. Pedir-
vos-ha para 1867 a contiooacao das providencias
dame a' naoceira- votadas qara 1866.
' Deste modo o poder legislativo lera' a facnlda-
de de liscutlr maduramente as propostas de lei que
Ibe ho de ser apresentado para proporcionar ao es-
lado os recursos aecessarios as suas despozas, pa-
ra melhorara arrecadaco dos impastse igulalos
ontre as diversa* provincias do reino.
Se, como espero cooBadaraeote, n3o faltar s
populaces da Italia, a activldade que deu rique-
zas e podero a nossos. avos, pouco lempo bastar'
para que a prosperidade publica attlnja o sea equi-
librio definitivo.
t Senhores senadores, seohores deputados: a
Italia esta' entregue a si mesma. A saa responsa-
bilidade iguala o poderio qae adquiri e a plena
Hberdade que tem ao emprego das suas torgas. Os
grandes feitos qne temos praticado em pouco lem-
po, accrsceotaram pora nos o de'er de nio fal-
lamos a nossa misso, que saber governar com
o vigor requerido pelas condigoas sociaes do rtino
a cora t tatuada- qae demandara as nossas insii-
tuigdes.
A liberdade das nossas inslituig5es polticas,
a auioridade do goveroo, a aclividade doscidadaos,
o imperio da lei sobre tudo e sobre todos, coodazi-
rio o Italia a altara dos seus destinos, a altara do
que o mundo espera delta.
O orcamento apresentado as ramaras italianas
no dia'2t mostra um activo de 165 milbSes de
francos, um passivo de t051 milhoes de dficit de
186 milhdes.
A familia imperial franceza regrassou s Tuihe-
rias no dia 17 de dezembro.
O relatorio fioanceiro apresentado por Mr. Fould
que ltimamente se publicou, diz que apezar das
despezas do novo armamento, e o regresso patria
das tropas do Mxico e de Roma no orcamento
para 1867 flcar em equilibrio a receita com a
despeza, e que o orgamento de 1868 tara um saldo
de 12l milhSes.
O Motutmr de 17 informa por meio de nm aviso
qaj os accionistas do crdito movel francez nao
receberam o dividendo das acgSes antigs, que os
accionistas do movel hespanhol receberam 15
francos, os trasatlnticos 15 francos, e a com-
panbia immorel 12,30 francos
O conde de Bismark abri no dia 15 de de-
zembro a conferencia dos ministros allemaes reu-
nida em Berln para decidir do projecto de consti-
tuigo federal.
O projecto prussiano deve servir de base s del-
beragoes da conferencia em que cada estado lote-
ressado pode livremente em tur o seu voto. Ba
coratudo um panto era que a Prussia nao quer ce-
der de modo algnm : a unidade. do exercito e do
commando militar.
O parlamento do norte ser composto de repre-
sentantes de 22 estados. O exercito feaeral ba de
ser commaodado pelo re da Prassia a quem as
tropas ho de prestar juramento de bandeir s ; o
rei da Prussia lera odireito de noraear os offlciaes
superiores e de ordenar o raovimento das difieren
tes divisoes; cada estado ter de fornecer um
contingente determinado, era reiago soa.popu-
lago concorrendo tambem proporcionalmenie para
a despeza que flzer o exercito federal.
Junto ao parlamento allemo funecionar um
conselho federal, como urna epecle de cmara alta.
Os estados confederados lerao note conselho o
.e-mo numero de votos que Ihes competa pelo an-
tigo acto federal as sessdes plenarias da dieta
germnica. A Prnssia accrescentaudo aos seus vo-
tos os dos paizes annexaaos ter 17 votos, a Saxo-
na 4, o Mecklemburgo e o Broonswkk 2 cada um,
e i cada nm dos demais estados.
As decisSes sero tomadas por simples maioria
e sero necessanos dous tergos dos votos para de-
cisSes orgnicas e modificages constitncionaes.
O conselho federal deve ler sessaes peridicas
como o parlamento.
A Prussia quer qae o exercito em lempo de paz
seja fixado em um soldado por cem habitantes. A
Prus>ia reclama tambem para cada soldado 220
lalbers (2970OO de nossa rooeda) de que dispora
como poder central, para occorrer s despezas mi-
litares.
O juramento de fidelidade que as tropas tem de
prestar ao rei da Prus-ia, ser combinado com um
juramento de fidelidade aos soberannos dos estados
a que as tropas pertencerem.
O projecto conloe se de 69 artigos divididos por
12 captulos; quaodo a conferencia o tiver adop-
tado ser convertido em tratado obrigatorio para
todos os estados que bajam tomado parle na sua
redaego. Ser depois nomeado um parlamento de-
finitivo por meio do snffraglo universal, do qaal
sao excluidos os tuncclonanos pblicos e cojos
membros nao recebe rao ordenado.
Um telegramma de Berln do da 20 diz qae a
a cmara, dos deputados prutsiana adoptara a lei
relativa inscripeo dos ducados, depois de ter
oovido as explicares minuciosas de Mr. de Bis-
maik acerca do raao xito dos preliminares enta-
bolados a este respeito com o duque de Augostera-
ba go, o qual hostil Prussia. O ministro in-
sisti no direito de conquista da Prussia. O Sr. de
Bismark disse que, sob proposta da Franga, e aps
maduras reflexons, consentir o governo em faier
votar as popuiagoes. do aorta do Sleswig, afim de
evitar ulteriormente toda a especie de difflculdades
diplomticas que pon na m em risco os resaltados
adquiridos Caracterisaodo rpidamente o estado
das relacdes qem a Franga fez o Sr. de Bismark
observar que o irope ador dos Francezes reconhe-
cia o mteresse dos dous paizes em permanecerm
em boas relagoes de amisade e de boa vismbanga.
Depois apreciou mol elevadamenle o valor da al-
liaoga italiana. Terminando, consideroa a cmara
a que eviUsse as, discus>5es os ataques pessoaes
e a vollar a sua attencao para o ezterior.
0 goveroo prussiano nao v sem Inquielagao o
estado dos nimos no Haoover e as cousas deste
paiz nao caminhara conformo os desejos do gabi-
nete prussiano, apezar do que dizera as correspon-
dencias de Berilo.
As providenciad rigorosas tomadas pelo governo
nao teem alcangado o xito que se esperava ; e se-
gundo diz ama correspondencia, em certos circu-
ios de Berln pensase ja' era proclamar o estado
a sitio, mas aiada
O toifllMfb dos negocios estrangsires portuguet,
aV. Catf Ribeiro, acompanhoo a Madrid a fami-
\
11 real Besfjao hola, qne reeressoo de Lisboa no
di* frt aNMpaembro a' soa edrte. All, o tllostre
ministro, atm dos obsequios extremados que rece-
katrn-eOrte e ministerio hespanhol, tata tongas
coafareneias com o ministro da faieoda e velo de
HeajMBjMrcom ahondantefrojatna que, segoodo
* #a|aV serio presentes ao parlamento em ja-
efo.
Partea que o iberumo esta' teodo tratado pela
(errata consiHaeiOMl. brmedWtkia.
Desda que se aproximaren) mala os dous povos,
irlo Optado tambem mais aa descoolaogas de
parda* a autonoma e de inopinadas annexagSes
ou abtoriHoes. Cada um em su casa. Nem os
laspanoes se conformaran de todo com os costo-
qai
i for
para o rhrotto de V. M.
O partido avangado declaro encontrar no pro-
jecio sufflciente expratsio das ideas qie professa
confundio'o sea voto com os dos amigos do Sr.
S'lfnS'Iio!dli' a,?meDte as s<"s forgas materiaes raes brandos e amenidad peculiar aos Porlugne-
?ML.* J0^*-*' "' o" irme apoio- w, nem esies preforiro jamis trocar o regimeu
de suave liberdade, qae destructora, pelo systeraa
excepcional qne segrega actualmente a Hespaoha
da commooho europea. Ealretanto, aa conces-
sSes reciprocas que aproveilarara ao trato raiga-
vf I das duas nagoes ir-se-hi realisando com qae
commercio, as lettras, a sciencia e at mesmo os
costames nacionaes bio de gaohar, sobretodo em
Hespaoha. Eis o que se deprebende de lado qae
nos dlzem.
Era esperada em Lisboa a visito do re da Italia
na prxima primavera ; ontros dUara qae alada
se verificara mais cedo. D. Isabel II prometiera
voltar para abril ou malo a Lisboa.
Napoleio III o nuva Ir a Madrid e Lisboa no
principio de 1867, devendo d'alli partir para a ilha
de S. Miguel (nos Agores) por Ibe ser aconselbad
o uso das celebres aguas therraaes das ''ornas.
Fallecen em Lisboa o cnsul geral do Brasil, o
Sr. Ferreira da Silva, que ba mais de 30 annos
exereia aquel le lugar com honradez e digoidade.
Em Braga fora descoberta ama fabricago de
passaportes para o Brasil falsss ou.illegaes, passa-
dos no proprio governo civil, explicando se deste
modo e faltarem tantos recroias para o exercito
portuguez depois de sorteados.
O tempo ia lindo, al a ante-vespera da sabida do
paquete da linba de Bordeas, por onde veio esto
mala.
A recosa, do governo austraco a estos bases
trazia suas cooseqoeocias; a mais grave era dar
nova o maior influencia do partido avancado, e
prodazir talvez ama fusao deste partido com os
moderados qne tem por ebefe Mr. Deak; se porem
o governo sem dar ama recasa iormal, fiel aes
seus hbitos da contemporisago fotentasse ganhar
lempo com orna evasiva, ludo leva a acreditar que
tal tctica nao aleangarla resallado favorvel as
presentes circunstancias alienta a oxeilacao dos
nimos. *
Entretanto dizem de Vienna qae as dlsposicSes
do governo nao s,o de todo adversas a um accor-
do eom a dieta e que o conselho de ministros se
reunir ha poseo para tratar da noraeago de um
ministerio resroosavel.
A Pressa de Vienna, diz qne a nomeaglo d'um
ministerio hngaro respongavel seria o signa! da
destroigao da raonarchla. m ministerio Deak,
dara a le ao ministerio do imperio; qoereria re-
cnit.l\or > Hoogria tomando como bae as leis
de 1848. A corte de Vienua ver-se-hia obrigada
a viver sobre a pressao da dieta hngara, e oa-
torgar a vlnte milhdes dos seus sobditos, as leis
qae aprouver diciar a qnatro milhoes de raadgya-
res.
Diz am despacho telegrapbico de Vienna qae na
resposta que o Imperador Francisco Jos tem de
dar allocugao de Deak se ha-de recommenlar
dieta que vele por que a cammissto dos sessen-
ta e sete toma em considerago as proposias coe-
tidas no rescripto real, o governo ha-de escolher,
commissarlos para assistirera as sessfiet da com-
raissio e defenderem as vistos do rescripto ao que
diz respeito unidade da monarchia. Apenas se
liver obtido resaltado satisfalorio, sendo enlio no-
meado o ministerio hngaro.
Diz o jornal fraocez Moneur qae tem allima-
raente havido em Vleuna entre os pleoipetoncia-
franceses e austracos, varias conferencis para se
concordarera sobre as bases das convengoes entre
os dous paizes : Existe am perfeito accorao era
lodos pontos, e breveraeote sero approvados e
ratificados pelos dous imperadores, am tratado de
commerco, am de navegago, ama coovengo con-
sular, urna coovengo sobre propriedade Iliteraria.
Espera-se que os novos tratados poderiam estar
em vigor no i* de Janeiro deste anuo.
Dizem de Consiaotinopla que na Canda se
haviara feilo novas subveosoes; qoe o ommis-
sarlo turco havia prolongado por mais seis das o
praso coocedido para a subraisso ; e que haviam
sida euviados para a fronteira da Grecia trea-divi-
soes do exercito grego, e que a' Grecia, continua-
vam a chegar voiuotarios garibaldioos.
O cruzeiro torco va ser reforgado com algdos
navios ligelros que apresentariam o bloqueio de
Canda e impediriam a passigem aos navios que
condazissem soccorros de qaalquer natureza para
os iosurgenles.
Foram enviados para Canda para reforgar o
exercito de Masa.hosPacha seto mH booms de
exercito de Danubio.
A Jervir insiste era que a fortaleza de Belgrado
seja evacuada pelos turcos.
O Momteur publica um telegramma do gene-
ral Bazames datado do Mxico de 3 de dezembro
dizando que o imperador Maximiliano anda nao
havia tomado deciso alguma ; que Ahorman e
Campbell baviam chegado a Vera-Cruz a 29 de
novembro passando para o Mxico naquelle dia ;
a que a sua mlssao pareca antojada de sentimen-
tos conciliadores.
O jornal francez o Trmpj de 20*Ib dezembro de-
clara saber que o documento de abdlcago do im-
perador Maximiliano chegara as mios do goveroo
francer. \-
Dizem de Washington que o imperador dos
Francezes suggerira ao gove no dos Estados-Unidos
como meio mais expedito da soluco mexicana,
una nova eleigio sem ser influenciada nem
pela Franga nem pelos Estados-Unidos.
O discurso do pre-idenle Johnson publicado
pelos jornaes de New-York de 4 de dezembro,
muilo importante.
Em reiago ao imperio do Mxico diz :
Tera-se-nos assegorado repelidas vezes que s
tropas francezas evacuariarao Mxico na primave-
ra e que o governo francez adoptarla enlo urna at-
titude de nao Intervengo igual dos Estados-
Unidos.
K' de crer que depois da evacuago do Mxico
nao Ocara' nenhum motivo de dfccorrtia entre a
Franga e os Estados-Unidos. Vivamente inters-
sados, como somos na cansa da liberdade e da ha-
manidade parecea-nos do nosso dever exercer in-
fluencia para restaurar ,e estabelecer no Mxico
com permanencia a forma do governo local e repu-
blicano.
Mais adianto diz o discurso :
Srato que nao se teoha manifestado progresso
sensivel na regulansago das difflculdades pendea
tes entre os Estados-Unidos e a Inglaterra. pr,r
causa das perdas occasionadas ao commerco ame-
ricano pela violago do direito das gentes e do3
coraproraissosresultantes dos tratados. Quaesquer
que sejam os desejos dos dous governes, na > pode
existir amizade entre'os dous paizes em quanto se
nao estabelecer reciproca neutralidade e leal pro-
cediroento de ambas as partes.
t No qoe diz respeito a' invaso do Canad pelos
fenianos o presidente declaro que se advertir os
cidados de que deviam absler-se de tomar parte
em actos illegaes. Esperava que em vista de re-
presentagSes feitas pelo governo dos Estados-Uni-
dos fosse concedida amnista a todos os qne Uves
sem tido parte na ezpedigao do Canad.
O goveroo encarregou advogaoos de defender
os cidados americanos que vo ser julgados por
crime capital..
O movimento feniano nao tem relag5es com os
Estados Unidos, nem pelas suas causas, nem pela
sua ndole, nem pelo seu fim. A agitagio da Ir-
landa, as suas quenas contra a ma' administrago
do goveroo brltaonlco e as offensas que se affirma
ter a Irlanda tecebido dorante seclos, devem ne-
cessariamente modificar multo a oploio qae torto-
raos formado, em ootras cirenmsiancias, acerca de
urna expddlgao que prohibida expressamente
pelas nossas leis acerca da neutralidade. Estas
leis devem coratudo ser executadas lealmenle em
quaoto nao forera derogadas. >
Acerca das questdes internas diz o discurso :
i Nio mudaram em unio as ideas qae lenho
manifestado. O tempo e a reflexio mais me tem
confirmado a sua idea. Se ha ara anno era sabia
e ulil a admisso no congresso de depotados leaes,
nao o meaos agora. iNao coohego nenhama pro-
videncia mais imperiosamente exigida pelos inte-
resses nacionaes pela eqabJade e pela boa pol-
tica. >
O iscarse' termina do segoint modo :
i O governo asta' sabmettido a ama provago
das mis crltitas. Pago vot8 sincero para qoe se
transponta a salvo, sera lesio da soa farga syrae-;
trica primitiva. Aos interesses nacionaes sio mala
convenientes a renovago das re!ag5e? fraternaes e
dos trabalhos da paz. >
O discorso do presidente Johnson visa menos-a
prosperidade dos Estodos-Unidos do qae ao resta-
beleclmeoto das symptbias populares que lem
abandonado u presidente. Os trechos citados re-
0 general Sberieatr paTee lef soffrido Ot de-
eepcio a r.espejto da pppolaridade da lotarveocao
amarlcana, a qaal elle igora conheea ser molla
aniipatblca :
Pelo mesmo acor rvamos Jornaes s cartas do
Amazonas at .30 do pateado. do Par at do
corrate.
-Na fronteira limrtropha do Per nada oceor-
reu- depois do qua nafra* em imb dos paitados na- 400 qaalidades de auas mtdtiris de eonsirorgio
cacao, fumo (era folba, cora, rap ele.) algodo,
fariobes, fecuH, pvtltflhcs, anturdento, atochle,
viobos a vinagres fe froeut do paia, UeAres, taro-
ps, conservas das mesaus frucUs, em vinagra, e i
calda de assocar, eerveja. .ehoclatet feijdes (57 va-
rleirades^ trlge, a, c*fd, arroz, rntibo, outrrs
graos e sementes, resinas, gommis, rra, carai-
ba,etoos, borraeha, graaaa epla de producto-,
cbimicos, mais da KOO espdala de fibras vegetaes,
paioea, castaaba, eaamlarlk, aauoilh; mas sobre
todo a riqusima eseolba da amostasr de mais de
Pelo vapor americano Guiding Slarr recebemos
varios nmeros do New York Herald, cujas ultimas
dalas sao de 22 de dezembro.
Acbava-se abena a sessio do congresso e,
conforma ja' soubemos por intermedio da Europa,
tinbam rompido as hostilidades entre esse corpo e
a presidente.
Era sessio de 14 nm membro propoz qae se os
estados do sal Bao aceitassem a nova lei orgnica
dentro d'um prazo rasoavel, se applicasse a estes
torga armida para os chamar a' ordem.
Um. ouiro membrj atsae que todos os per-
des concedidos aos rebeldes do ul eram dados
pelo prego de 300 dollars cada um, e insinaoa que
as despezas da ultima dlgressflo do presidente ti-
nham sido feitas com grande dispendio dos cofres
publico'.
Na sesso de 17, Mr. Riogham oflerecea
ama resologio, que foi adoptada, pira que a eom-
missio dos uegoeos estrangeiros loformasse se os
bons offlcios dos Btados-Unidos nao deveriam ser
ernpregados aflm db resumir paz aos Estados da
America do Sul.
JelTerson Davisconlinaavaoreso na fortaleza
Monroe, e julga-se que o seu jolgaraenio tera' logar
em margo.
Do Mxico bavia notieias at 17 de dezem-
bro. Maximiliano anda nao tiaba abandonado o
seu imperio ; mas corra que a corveta austraca
andoto tinha receido ordem de demorar-se era
Vera-Craz, com o fim de conduzir o imperador para
a Europa.
Da rpida leitara desses nmeros dojVioYorfc
Herald concluimos que nos Estados-Uaidos ha bas-
tante eifrianaenio no eothusiasmo com que se pedia
a intervengo no Mxico.
O mesmo Jornal em artigo editorial do dia 22
Principia a ser evidente,qaando consideramos
os negocios do Mxico, quer em reiago a Maxi-
miliano ou a Sant'Anna, a Miraraon oa a Jurez,
ou a outro qualquer aventamro mexicano, que a
verdadeira luto entre elle nao passa d'um in-
menso pugilato entre correctores de fundos. Do
governo do imperador espera ama companhia in-
gleza obter a aoncesseo d'uma estrada de ferro de
Vera Cruz a Ortbwa, e urna viaieaa de outras pa-
tola* (ots) tem sido arraojadas cora Maximiliano,
e eslo dependentes da existencia do governo im-
perial. Jurez, pelo sea lado, tambem tem inuoda-
do ludo'em palola?, entre as quaes se cantara a da
Baixa-Cnliforoia, emque Ben Builer o outms sao
interessadoso dos espressos, que Clarea Sevrard
arranjou, e a do Tenusntepec.de maneira qoe a
guerra de faci ama goerra de pntoteirosaer-
se que lodo o barulho que tera havido era Was-
biogton a respeito dos negocios mexicanos tem a
sua origem nessas difierenies patotas.
< Cora urna barulhada como esta, em que os lu-
cros dos patoteiros e especuladores se !confandem
com a quesio de estabelecimeato de um imperio,
o governo da.Umo nao teatqae importarse. O
general Shermao devia retirar-se da sua misso
junta a: ministro americano Campbell, o qual po-
de coniinoar a procurar o governo de Juare As
nossas tropas devera ficar dentro das nossas fron-
teiras e que os mexicanos,os patoteiros e os espe-
culadores das diff-renies facgdes se balara uns com
os outros-a' sua contacte
O trwbo cima dar' aos nossos leilores urna
Idia do esiyllo que as vezes empregam os jornaes
americanos.
Sendo dfflcil formar um juizo soore o estado
do Mxico, a vista das noticias contraditorias que
publicara as gazeias da Uotao, abaizo iranscreve-
mos as que o Neto-York Herald deu at a ultima
dala:
Dezembro 13. As nossas datas da capital do
Menee sio de 29 do passado. Dizia-se que Maxi-
miliano eslava em Paebia, e que era esperado na
capital qualquer da. Eile.pare--e resolvido a expe-
rimentar as ratengSas do partido clerical e a dis-
pensar os sarvicos dos Francezes; se for possivel.
Um correspondente d'um jornal de Nova rleans
diz que a Maximiliano foram concedidos 25 mi-
lhoes de pesos e urna doiago annual de 10 milhdes
por parte do partido da igreja. em eousiderago a
elle ter reassomido as|redeas do governo.
Dezembro 15. A questao mexicana vae-se
tornando um visivel raysierio, e pode ser que bem
depressa acharemos all estahelecida urna rep-
blica franceza, nma ouira repblica com Ortega a
trente, outra com Sant'Anna na presidencia, e tal-
vez mais urna raeia duza de repblicas com Mi-
raraon, Mrquez e outros frente, e o nosso go-
verno tora bastante oode escolher quaodo tiver de
tratar com o Mxico diplomticamente Kntreuo-
to nio esperamos que os francezes saiam do Mxi-
co, at que se faga algutn arraojo a respeito. das
reclamagdes francezas, e nos sabemos que Jurez
meros nosso correspondente do Para.
Pebres iaiermutnttt da mao carcter atsala-
vam o Poros, na provincia do Amazona/.
No dia 26 do patsado voltdra, d* fronteira e
portos do Solimdat, o vapor Teemiafta, cendoztn-
do o Exm. presidente da provincia.
-~ A dfreccio da praga do eemmerclo do Para
fleoo assim eomposta, para o anuo correnta : Jotr
qoim Antonio Alves, presidente ; Jos Joaquim Sa-
raiva de Miranda e Amonio Branle Ferreira da Sil-
va, secretarios; Jaeques Gaensly. thesooreirn; Ellas
Jos Nunes da Silva, Dmlz Caliere, Arabrozlo
Campbell, Antonio Jos Pdretra drnelro, direc-
tores.
A alfaodega rendeo, oo mez passado..........
150:752*388.
Saieidara-se, no da 28 do passado, o carDlntei-
ro Maiblas Barbosa da Silva Ramos, de i* annos,
natural de Peroamboco.
6 arciaerii.
Constara astas amostra de toros de om me-
tro de comprmanlo, conservando a casca em doo
torgas da toa ettensao, e tendo ni parte restante
orna secglo horisonlal, outra obliqua, e outra ver-
tical, cada orna deltas separada ao meio por nma
llntia longitudinal, sendo roetade lustrada, e a oa-
tra mtodo apenas lixada, de manetra qoe em to-
dos os sentidos pode ser apreciada a qoalidade e
belleza de cada especie.
< Vo tambem exceilentes e namerosas amo?-
trat de copos, calgado, cooros;, marroqnins, olea-
dos tectdos [de algodio, trabalhos de marcincria,
de lorneiro, de cordoarla, de fundigio de ferro.
de selleiro, de encadernader, de coriv?, de sfr-
goeiro; looga de barro, lijlos; instrumentos de
precisao, de optes. de cirargra, etc.
* Magnificas amostras de carvio dapedra, de
primeira quahdade, das minas do Passa-Dous, na
Fdra exonerado de promotor publico da 'captol,' provioea de Saota Catharioa ; de mlnerae-, sobre
o }r. Felppe Minioa, sendo nomeado para subs- ludo de ferro e calcreos; e de cerca de cera va-
tito-lo o Dr Raymuodo Clemenimo de Castro Va-
lente.
Tendo sido dispensado do eommaodo superior
da guarda nacional da capital o Dr. Jos da Gama
Malcber, pela presidencia da provincia foi nomea-
do para o sofisiitair o Sr. coronel Hygino Jos
Coelho.
Lentos no Jornal do Para
Saldo existente nos cofres do thesooro provio-
cial no Om do aooo de 1866- J78:237J57, sendo:
Em dinheiro, inclosive 1:168^186 de um pret
da eompaoh de polica 40:613*624.
t Na casa baocaria Mau & C. 300:0004000.
t Na caixa filial do Banco do Brasil 300004000.
Em letras e ootros valores 7:6234883.
Pelo vapor inglez Onda, recebemos jornaes 6d
nio de Janeiro de 2 a 9 do correte e da Babia de o
A i 2.
Sb as rubricas Parte Qfjicial e Interior vo por
extenso as notician mais importantes ; alm das
quaes apenas encontramos as qae segaem.
Ro de Janbibo.O Sr. Ed. Wilson, gerente da
casa de Heit Wilson 4 C, eutregou ao Sr. minis-
tro da marioha, em oome de sua casa, 5:0004,
afim de serem applicidos a' libertago de escravos
para assentarem praca oo exercitoactualmeote era
carapanba.
Eis as noticias comraerciaes em 8 do cor-
rento :
Cambio. laciniado peqqeaas transacgSes
eflectuadas hoje sobre Londres-a 23" 1|2 e 23 5|8 d.
papel particular, sobre Pars a 402 rs e sobre
Hamburgo a 755 rs., somj.am os saques para o
paquete Oncidcj:
t Sobre Londres cerca de 315,000 a 23 1|2,
23 5|8 d. e para o papel haocario, e a 24, 23 7|8,
23 3|4,23 5|8 e 23 1|2 d. para o particular.
Sobre Franga cerca de frs. 1,8O0,00j aoa ex-
tremos de 390 e 402 rs.
t Sobre Hamburgo cerca de 180,000 a 755 e
760 rs.
i Sobre Lisboa o Porto reguloo anda a tabella
seguinto :
t 126 |.a vista.
125 'i.-a 30 d|v.
< 124 l. -a 60d|v.
t 123 |.-a 90 d|v.
Fundos pblicos. -N .da se fez.
Dtscontos.A laxa dos banecs contina a ser

f
a 9

Caf.Nao traospirou venda algaraa ; o mer-
cado fecha calma.
Algodo.Nao hoove veodas.i
.A alfaodega da corto rendra, de 1 a 8. .
i7:7924070 rs,
A subscripgao para o Asylo de Invlidos da
Patria elevava-se a 343:4644189 rs.
Saturara para Pornambuco : a 5 a polaia
hespanhola Floresta ; a 3 o brigue portuguez
Lciia / : e a 4 o brigue oldemburguez Aradus.
S. Paulo.Erara geraes os esforgos para auxi-
liar o goveroo na acquisigo de tropas.
A assembia provincial foi adiada para abril
prximo.
De Iguape escreverara era 22 do passado ao
Correio Merxantit :
*U\o dia 21 uaufragou no lugar denominado Cra-
jauoa o hiato Ferro, que segua da Porto Btlo
para a cidade de Santos; salvoil-sa a tripolago.
Esto oavio propriedade de Domingos Jes deOli-
veira.
Esta' sendo processado o portuguez Rodrigo
de Freitas Coutmno, por ter na freguezla de Jacu-
piranga avisado aos guardas naciouaes que se es-
cqndessem e queestavam desiguados. E' bom que
esses iodividuos que advogara indirectameoie a
causa de Lpez sejam paaidos.
A 30 do passado fallecer em Santos o agen-
te da repartigao do correio Jos Francisco Freir
Jnior.
A alfandega dessa cidade rendra no mez de
dezembro lindo 104:1134152 e a collectorla......
28:4874737.
Minas Gbraes.Achava-se em Ouro Preto, de
volu de sua viagem ao centra da provincib, o
Exm. Sr. Dr. Saldanha Marinho.
Baha. Ficara no porto a nao fraoceza lean
Bart, em viagem do Rio de Janeiro para as An
Moas.
Fui assassinado, s 2 horas da tarde de 25 do
passado, dentro da villa de Gereraoabo, Pedro Ro-
drigues I5,.uleir.i, por Boaveotura Barboza.
O cambio regulava : sobre Londres 24 1|8 e
24 i|4 d. por l, sobre Paris 385 e 390 rs. por fr.,
sobre Hamburgo 740 rs. por m. b. e sobre Portu-
gal 120 V
Sabio para Pernambnco, a 9, o patacho
Gloria.
rledades de granito.
t As offlcioas da casa da moeda, dos arsenaes, da
casa de correcro, mandara artefactos qoa honrara
estos estabeleciroentos. At as bellas artes sio re-
presentadas por trabalbos de algn! fator, entre os
quaes o modelo da estatu? equestre de Sua Magos-
tado o Imperador
< Esta rpida eoumeragao mal r-de dar orna
Idea da importancia que a expristoao brasileira to-
ra oo grande concorso lotornaciooa|de Paria. Ser-
vir, porm, para mostrar a grande variedades de
productos enviados, esea immenso valor como re-
preseotantes da rlqoeza do imperio e vasto futuro
que o espera.
> Tudo indoz a crr que terao o melhor xito
os esforgos e deligencias to patriticamente ern-
pregados tonto pelo eoverno, cono pelos dignos
membros da commisso directora a seas prestan-
tes auxiliares.
* O que, porm, esto fra de davlda a grande
vanitgem que esta expnslcio leva sobre a primei-
ra, nio s em relagio ao numero de expositores e
objectos que figuraran!, como de saa respectiva im-
portaocia.
< O Brasil, pois, ser bem represeatado na ex-
posigo uolversal de 1867. _
O Sr. Dr. Alaxandre de SooirPeieira do
Carmo translerio sda residencia da roa da Aurora
para a da Imperatriz n. 12.
A' bordo do vapor americano Quiding Slarr
segulram para o sul 375 colonos americanos, que
se destinara a S. Paulo.
Devia partir de Lisboa para o nosso porto, oo
dia 10 do correte, o vapor inglez Qlmda, da linha
de Liverpool.
O Brasifiin nni Portugnete Bank passa a
deoomloar-se English Bank of Rio de Janeiro.
Foi defioitivamedle nomeado cnsul geni d
Portugal, no Rio de Janeiro, o Sr. Antonio de Al-
meda Campos.
Eslav?m carga : em Lisboabarca i4c e brigue Morimntauarapernambuco,barca Ama-
lona e brigue Ltgeir$M,*t:o Pit, e hrlgo" Ang-
lica 1 para o Maranbio J no Porto bnaue Tnuw-
pho para Peroamboco, e barca Adelatde para o
Para.
PERNAfflBUCO
REVISTA DiiA
Acba se na provincia o Sr. Dr. Urbano Sabino
Pessoa de Mello, que chegoa hontern da corte no
paqaote inglez. Seja bem vindo S. S.
Sahirm : de Lisboa trff batea Silva e a 19
o patacho Fernandez para Pernsmbnco, a 28 a In
ca Mana Miza para o tfaranbao; do Porto 21
n brigue Unido e a 23 a barca Humldade para
Pernambuco.
O vapor inglez Oneida tronza, do Rio de Ja-
neiro, para nossa praga,35:9004000 em olas do
goveroo.
Fcavam carga nesse porto para o nosso :
a galera Nova Fama He brii e Adelaiie.
Acham-se ahertas as matriculas das anlas, da
sociedade dos Artistas Mchameos e Liberaes.
Pedera-oos do exercito que fagamos scieote s
familias toqueHes que all eslo, que os corpos de
voluntarios tendo mudado de numerago, t. ma-am
osde'ta provincia a segrale : o II* a 42a, e o 21
a de 53, conservando a mesma o 51 e o 30".
Em dala de 23 de dezembro prximo passa -
do escreve-nos nm offleial do nosso exercito do
acampamento de Tuyuty:
t Est se armando om grande balo que diri-
gido por ora Francez, que lem a peroa direata de
pito. Esse balio subir em breve, sendo o fl -n o>s-
sa ascengio tirar a planta do acampamento do ini-
migo, <| descubrir entradas por onde possamos
avangar, e por isso creio que muilo breve temos
que nos divertir eom as balas. Deve ser terrivel a
Iota, pnrra o oosso-exerclioesia milito animado.
Dizem que o tal Prancez de cada aseengao gaoha
30 cootos dd'tis : a empreza moilo arriscada ;
porm o dinheiro tambera 6 muilo.
< Leva mantimento para tres dias e o gaz que
leva, to sement porieoal tempo.
Ficara ancoras no exercito por onde estar el-
le seguro ; isto do lugar onde tem de subir, jun-
to ao quartel-general do Sr. raarquez de Cazias, no
Potreiro Pires, e no Mitre.
De tudo i-so Vmc. ja deve ser sabedor.
> As iriochelras do Curupaity eslao dobradas e
cora mais boceas de fogo, de sorle qae parece im-
possivel romper-se :or Carpz.
A ultima hora posso anda coraiiiunicar-lhe es-
te facto importante :
t Foi apprebendida pela sympalhica canhoneira
Belmonle (no dia 21 docorfenie.no rio Paran
urna Agnlheta carregada de malta carne de char-
que, algnm bacamo, mBitas granadas e bombas,
esologardas, sabres a baiooeta, e mnofgio, gene-
bra e agurdente, qae ia para o Lpez. Rebocava a
tal agolbeta om peqaeoo vapor, qoe se erapregava
oa cabotagem : argeotioo, porm eslava Ireado
pelo nosso governo, tanto qne ; ndiva com a nossa
bandeira, (dizem). Estao presos om eafdio argeo-
tioo do exercito do geoeral Mitre a seis marlnhei-
ros, todosi argentino', que iam dentro.
O Mitre j declama ao capillo (qoe foi logo re-
baixado) que se nao lhe declarassa quaes erara os
cmplices que ira irremtsivemento ao uzl, pa-
ra o qae 6 lhe dava 24 horas.
< Une festa lem de passar esse pobre diabo trai-
dor IM...
Estamo? cercados de traidoresIII
t Consto qae ja declanra qae loram dous raor-
Em dias'da semana passada, ama escolla de
guardas nacionaes qoe coodozia 18 recruias do
Bonito para a capital, foi atacada por diversos in-
dividuos de Caraar, que se pozeram era faga nom
declaroo" formalmente'qne o seu governo de modo 'os recrotas, na povoago de Lage Grande. O dele-
se besito reeeiaBflo-se o mao ,e|am pooed tacto poltico e piuca moderagSo, mas
Jlio que tal providencia tena em toda a Eo- descobrem toda a estrategia de am ambicioso-vul-
^7" Pr 09 esqtleceodose das graves responsablida-
AS antondades limitam-se as visitas domicilia- des qae tem, 96 peosa em Itsoogear as palxoes do
r as, prises e demissdes de fanecionanos. Entre povo e reconqtflsiar Influencia. Avlvand < #os ve-
elias conia-se as rJe doo officiai s superiores, Mrs. Ibos odios eoire os Estados Uoldos e a Ioglaterra a
Buloo Steile e Guudeil, que foram encerrados oa proposito' da questao do Albama, o presidente
fortaleza de Minden. ohoson esquecu-se de dizer'qoe os doos goveroos
Falla se em se augmentar o exercito de occopa- estavam tratando de a regolarlsar.
gao porqoe a tropa existente no Haoover apenas As toloas de Lisboa e Madrid ebegam-ns reple-
sofflcieole para auxiliar as autoridades no comprl- s de noticias' pormenores acerca da visitada
mnto das medidas repressms. O goveroo val no-, rainba de Hespanba a' corte de Portogal. O que
mear om direito de polica para centralisar o ser- se colho de urnas e de ootras que s Portugoezes
ytco. Parece qoe se adoptarlo providencias aoaloiiganbam moilo em ser coobecidos pelos seos vizt-
gas em Francfort para ha serem entregues is au
toridades locaes certas aitribuigSes de polica mu-
nicipal.
O rei Joo de Saxot|la vhlta actualmente a cftrl nlnsnla.
de Berlim. O re da rossla foi no da 17 reca
ber o sen real hospede a Grossbeeren. Os prin-
cipes da familia real e o Sr. de Bismark e priu-
hos d'alm-goadiaoa. Qoe as relagoes de reci-
proco i ffecto vio apenar -se de dia para da, ragas
ao ferro-carril que abraca as dnas cap!.aes da pe-
Fallava-se em orna convenci adoaneira qae de-
verla effectuar-se entre os dons goveroos para Ja-
neiro ou fevereiro.
algnm se respoosabilisa pelo sea pgmenio.
Dezemb-o 16. A nossa correspondencia de
Chehuahua, sede do goveroo de Juare; datada
de SI de novembro. Os imperialistas est, .curando
as tropas para porto da captol. Essa correspon
dencia diz qoe o povo mexicano nao deseja qoe
o governo*amerlcanassuraa o protectorado sobre
o paiz, e qoe qualquer t-raiativa para intrcdazir
tropas dos Estados-Unidos encontrar resistencia
da parto do governo liberal.
Dezemoro 17.A nossa corresooadeacia da ca-
pital do Mxico diz que Maximiliano esto multo
varillante, e oio se sabe se elle abdicar oa coa-,
tintura a governar. A idea de intervengan ame-
ricana impopular entra todos os partidos, e o
proprio Jurez liaba perdido a maior parte dos
seos adbereotes, em cooseqoeocia do boata de ter
elle cedido ama parto da Baixa California aos Es-
tados-Unaos. A columna.francesa que se retlrou
d Mazatlan, rfao pdde seguir para a capital e ti-
nha se embarcado para Franca.
Dezembro 18. Cartas do Meneo dizem qne
Maximilano tivera repelidos ataques de febre.
0 ministerio espera comtudo que elle brevemente
voftara para o tbrono. Em Vera-Cruz uvera logar
nm meeting anle-ameneano, oo qaal se protestara
contra a ioteogao qae auribuem ao governo da
Unio da conquistar o Mxico.
Dezeofbro !9.--Bazane tlnha publicado um ma-
nifest, declarando qae as tropas francezas 0ca-
riam neutras d'ora em diaote, nio tomando parte
nos 00800108 mexicanos. O georal Rodrigues
f-r urna sorpreza' em Orhaba eom 300 horneas om 42* logar ; 2" parte para as obras da matriz da
e poderla fcilmente ter aprisionado o imperador Bea e os seos mioistros. | Acerca dos objeatos do imperio, que nio fi-
MaximlHano puWwrjo orna proclaraago, em gorar na exposigio universal de Pars, tomos o se-
Orizaba aooooclaodo que traha ressumido as guite oo Mario Oficial de 9 do correle :
redeas ra goveroo, e declaraodo qoe om coogres-| Esliveram expootos nos dias 6, 7 e 8 do pre-
so nacional seria convocado para volar sobre a sent mez os prodoctos e objectos scolhidos aflm
qoesiio da cootiooago do Imperio. | de serem enviados para a expdsigo oniversal d
Dezembro 22.-0 IFinooiJn.que chegoa Riares Pars, os quaes devem Seguir para o seu desuno no
proodealo de Vera-Cruz, com. datas desta lugar piquete fraocex da 24 do correte, e nio occopa-
at 17, trouxe noticia de ter o marechal Bazaine rio menos de 200 caixas.
partido para ter ama.coofereocla com Jurez, com i t Sobresahem nessa valiosa collecgao. o avalla-
o fim, soppde-se, de entregar o governo a este. i do numero de amostras de caf, assocar, mate, cha,
gado liona seguido para o lugar, afim de tomar co-
nbecimento do facto, e proceder contra os crimi-
nosos.
Acha-se marcada para domingo prximo, em
Olinda, a festa de Nossa Seohora do Monte.
Festeja se oo dia -7 do correte o martyr S.
Sebastiio, na villa do Cabo, cora a cosiuroada
pora -a, orando ao Eyangelbo o Rvm. Leonardo
Joo Grego e ao Te-eum o Rvm. Jos Estoves
Viaona.
Fallecen no domiogo (13) o Sr. Porfirio da
Cuoha Moreira Alvos, professor de ladra do Gyraa-
sio Provincial. Damos nossos pezames soa Exma.
familia.
. Teodo o Sr. adraioistrador do correio pedido
presideocla da provincia traosferisse a sabida
dos vapores da companhia Peroambocana, de for-
ma a poder segairem para todo o norte as malas
da Europa, aqoi ebegadas depois da passasrem do
vapor da companhia Brasileira ; S. Exc. o Sr. pre-
sideote resolveo consoltar primeramente o orte-
ga do Cear, aflm de qoe a companhia Maren-
se made as viagens dos seas vapores de forma a
trocar no Oara' as malas com o da Peroambocana.
No dia 33 do passado foi apreseotado a Soa
Mageslade o Imperador dos irancezes, o Exm. Sr.
conselheiro Sergio da Macedo, enviado extraordi-
nario junto a' edrte de Pars, comegaodo em se-
guida a exercer saas foocgdes.
Na listo das loteras geraes, que devem cor-
rer oeste anno, acha se- uoloameoie contemplada,
tetros e denlas e tantas bombas-levadas de Cor-
ranles para o lyratrao Lopes, o que i mallo fcil,
por qae tudo era Corrientes esto a granel, bombas,
morteiros, granadas o foguetes e raunigo.
Foi orna importante appre -eosi.
< Diz mais o tal capitao qae das duzeotas e ton-
tas bombas, que tinbam ido para a Lpez, apenas
Ibe restavam viole e tolas, porqu as mais arde-
rara oo incedio de 9 do corrento mez.
o Talvez qoe teoba se de descobrir muita causa
imprtante III...
< A esqoadra borabardeia neste momelo forte-
mente Curupaity, porm como a'eousa teommum,
nada temos qoevisar.
O Josqaim Jos Ignaco tomn conta do com-
mando da e^oadra (dizem); a qual parece-me qoe
mesmo no eommaodo ao Barroso es moilo boa.
Hoje s 5 horas da mantisa hoove grande li-
roteo dos Paraguayos com os nitrados, lsto cou>
a vanguarda do Mitre.
A impTlacio do algodio cresce de mez para
mez na Ioglaterra.
Nos 9 mezes primefros do anoo fiado o total del-
ta mootou em 63 milboos de libras, o algarlsmo
qoe da um excesso de 90 por cento sobre os mezes
correspoodsntes do aooo aolerior.
O valor do algodo importado dos Estados-Uni-
dos at o Bra de setembro sobe de 38 a 40 milhoes
de libras esterlinas:
As remessas da India inglezs avallam-se em 19
milhdes; as do Eypto era quasi 7 milboos; e as
Brasil em mais de 4 milhoes.
As remessas da China, Mxico e Bermuda, po-
rm, rjiminulram, coraparativameoto aos ando&
precedentes.
Hije, as 11 horas e extoabira' a 2* parte da
6* I. tena a beneficio daJareja de Nossa ^enhora
do Guadalupe de Olinda, (&'), sendo o maior pre-
mio 6 0004.
Passageiro do vapor americano Qutding Starr,
sabido para o rtio de Janeiro :Gustavo Arnsinck.
. Passageiros do vapor loglez Oneida,. para a
Europa :Domingos Gomes da Silva, Rodrigo Ma-
chado, Guiseppe Delfloo, Chrisban Sleinbo e sua
familia.
RaeARTiCAO da OLicii,Extratos da parte
dos das 13 e 14 de Janeiro de 1867.
Foram recomidos a casa de deieogo no dia ii
do eorrente:
A ordem do subdelegado do Recite, Thomaz Co-
rlm a Tbomax, Ingiezes, para correegio j e Hila-

k-
:
1
f
C
<
.
i
-*.
-laldI
2____-cr


T
.fio escravo, de Tnereza de Sooza Leao, reqoerl-
j/nemo desta. a orina do <1a Boa-vista, Francisco,
escravo de S*lvdor Henrluue Cavalcanti, para-
lido.
No dia 13dv mesmo mu.;
A ordem do Iilai. Sr. Dr. chefe de poliefa, Jos
Sergio Pereira da Gos'a a, Manoel Clemente dos
Praiares, por briga.o cefe da i* seecao.1. G.
de Mee quita.
CA.SX DR DTRNCit.~MoTID90O do-di* i3 dt
Janeiro de 1867.
Exl-tum 393, entraram !, existen 395. A saber:
nacionaei J93, ajulherm li. e3trangeiro3 36, mu-
iberea 8, escravos"46, escravas 5, total 395.
Alimentados a' cdsia dos cofres provio.'iaes 116,
Moviaento da eofer_ariado da ti*de Janeiro
de 1867.
Tiveram alta':
Joao da Cosa Ribeiro.
Antonio Candido d Silva.
Candido Dia< Gon$alves.
Francisco Jos4a Silra.
Jos do Sant'Aaoa.
Jos Gooc'alves Cnntinbo.
Antonio Jos dos Pasaos.
Joaquim Mannbo Falco.
Mauoel Rodrgaos Damasceno.
Teve baixa :
Fraoisco, escravo de Salvador dos Santos; indi-
gestan
------
DECL11C0ES.
Correio gffal
Relacao das artas seguras viadas do tal pelo ta-
por logia* tOaeida para os,senhores abaixo
declarad* :
Antonio deSma ola, Carvallo 4 A'ogueira,
Demetrio de Gusmo Coalho, Joaqnim Francisco
do Espirito Sanio, consplhairo. Jas Beato da 3o-
nba Figaeiredo, Jos Pereira d. Costa Miranda
(Granito), Jos Ricardo Gomas de Carvalho Jaoior
(Santo Aulo), Jos Pereira Vianna. Melcades Jos
Artes Yieira.
m
COMMERCIO.

PRAGA DO RECIPE i DE JANEIRO
DE 1867.
As 3;, bora< da Urde.
(Sabbado 12 depois das 3 1|2 horas da tarde)
Algodao.l*sorto 14J800 por arroba.
Assncar. mascando purgado, regalar235'0 por
arroba.
(Hoje.)
Algodaoda Parahyba 1' sorte 10J900 e 17* por
arroba posto a bor Jo.
Macedo,
Secretario.
Uixa hlial do batte* do Brasil em
'eroambuco aos 10 de jaoeiro de
186\
De ordem da directora se faz sciente aos se-
nitores accinalas que o ihesoureiro esta' autor i
sido a pagar o 26 dividendo das acedes desta c.i
xa a razio de 12*.
O guarda-llvros
Ignacio Nunes Corris.
NOVO BANJO e m
amos Mi
COtlPVMII 1 BRiilLEIRi
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do sal esperado
at o dia 82 do corrate am dos
vapores da eompaohia, o qual de-
pois da demora do costme se-
guir' para os porlos do norte.
esd )4 recebem-se passageiros, e engaja-se a
carga qne ovaporpoder cooduzir.a qual dever ser
embarcada no dia da sua cbegada; encommendas
dinbeiro a frete at o dia da sabida as 2 horas da
tarde. Previne se aos Srs. passageiros que as
passageas so se recebara na agencia roa da Cruz
a. 1, escriptorio de Antonio Laiz de Oliveira Aze-
vedo 4 C., '
COMPAHIA~PERNMBCA"
DE
Navegaco eosteira por vapor.
PARA
Peedo e Aracaju por escalas.
Sahira no di 16 as 5 boras da
tarde o vapor Parahyba, com-
mandante Mel'o. Recebe carga
at o dia 15 ; passageiros, encom-
mendas e dioheiro a frete at as
3 horas do da 16 : escriptono no Forte do Matos
n. 1.
Para o Rio Cirando do SnA.
Segu em pomos dias o brigoe p irtngaei Rio
Vouga, Rara resto da carga que Ihe falta trata-se
com os teas consignatarios Aotonlo Luiz de Olivel-
ra Azevedo_ C, no seu esenptorio roa da Cros
n .1 ou com o capiUo-M*MO-____
De espingardas, revolwdrs, pistolas, lacas
coa bainha de metal prateado, passado-
res de metal prateado par* loros, estri-
bos de metal prateado (pauBstapos) e cjj-
leoas do mesmo metal.
t rewovers' de 4 Uros
americanos, 8 ditos de 6
Uros Lefanchenx, i dito
tom corooha de marflm,
2 ditos Colt de oavldos, i
par dajpflBplHI canos
Imgiilos para boleo, 1 di lo
de dito roottdo, i pa
res de estribos prateados, 10 pares de passado
ees de metal para loros, 6 facas (para senbor
d; eogeoho) cabo e balnh de metal e madrepero-
, i espingarda d; t cao) Lbfancheax, 4 ditas de
llcano fingido eanno dourado, 1 dita de dous can-
nos traaxado de ac sobreposto, 2 Utas de nome
no canno, 1 dita de ura canno e picapao, 2 dkas
de 2 cannos eorooha lisa, 2 ditas de 2 cannos com
arranca, 2 ditarde dita recamara e 2 ditas de di-
tas tronxado de damasco recamara.
O agente Pontual competentemente antonsado
por orna pessoa que retra-se para o Rio de Ja-
neiro, fara leHo dos objectos cima mencionados!
as 11 horas do dia 13, no armazem o. 19 a roa da
Imperatir.
HOJE.
LEILAO
0 agente Pontual far leio por conta de quera
pertencer dos objectos segnintes :
1 salva deprata.
12 cothejes de prata para sopa. *
12 ditas de dita para cha.
1 dita de dita grande para tirar sopa.
i iraocelinrde e*ro.
t relogio pira sala.
iojm:
no armazem n. 19, a roa da Imperatriz. as 11
boras.
0 novo banco paga o se-
gando dividendo de 4,4 0[0
da massa fallida de Joaquim
Jos Silveira.
Caixa iiial do Banco do Brasil em
Percawliuco.
Tendo-se deseocarainbado o recibo n. 167 de
ciacoenla acedes no Banco o Brasil, localizadas
nesta caixa sob n. 4875 a 4924,, pertencentes ao
Sr. accionista Jos Segundino de Gomensoro, do
Rio de Janeiro, a directora faz publico a quem la-
teressar possa, que por intermedio do mesmo 'Ban-
co, se vai proceder a substitoico das acgSes cons-
tantes de dito recibo, pelas novas acedes que se es-
: io distribunJo com os accionistas.
Recife, 11 de dezembro de 1866. .
O guarda lvros,
Ignacio Nunes Correia.
Novo Brnco de Pernanbnco.
O Novo Banco faz o 17* dividendo de 5
aeco.
por
ALFANDEGA.
Ro limeato de 1 a 12 do eorrente 338:7954673
dem do d'a 14................. 23:657*215
382:452*888
MOVIMENTO DA ALFANDEGA.
Volumes entrados cora fazendas.. 149
< < c gneros.... 324
-----473
Volumes sabidos com lateadas... tas
c i t gneros.... 241
C01P4Siy.R4SILEI\
PAQtraiiirA VJJPOR.
Do* poHos do norte at o dia 16 do eorrente ojaracor
Crmzmv iaSml, cawwMdtAte
Alcoforado, o qual depois 4a 4e-
merado costume seguir*f ira os
----356
Descarrezam hoje lo do eorrente.
Origoe instlez'Uii Marmercadorias.
Brigua inglcz Mennie lia i -dem.
Brigoe inglezChnstuna Carmell idem.
Palnabote portugue? -Bina dem.
Brigue portuguezFonitda dem.
PaldChi inglezfiecirabacalho.
Patacho inglezMary Bell dem.
Brigue inglez Peonarcktic.
Bngue inglez Weilie idem.
Lunar inglezCafclonitdem.
Barca inglezaCkarl Wood dem.
Barct inglezatabella idem.
Barca ingleza Glen To/idem.
Birca franceza No i lera.
Brigoe holiandezPerseveranee charqae.
ngua argentino -Volanteidem
Brigue nacional E-peianca idem.
Polaca prussianaCatharma idem.
Escuoa hollandezaDe Vreieidem.
Patacho hanovenanu oncordiadem.
Patacho portogoez Garret idem.
patacho inglezHarboug Gracebacalhao.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
GERAKS.
Rendimento de 1 a 12 do eorrente 7:439*529
dem do dia 14............... 6:741*622
Desda ja recebem-se passagairas a engaja-se a
carga que o vapor poder coaOazir a oual d#vra
ser embarcada eo dia de wti ch*>gada; eaeem-
meadas e dioeiro a /rete at o dia da sabida as
2 Inras : atcta ra da Cruz u. 1, eicriptorio de
Antonio Lalz'de fMiveira AreredoTS'fJ.
""JPaia.-jo Rio Grande do Sal.
O veleiro patacho Sol, pretende seguir com mili-
ta brevidade, tem parte de seu carregameoto prora-
to, para o resto que Ihe falta trata se com os seos
eosijjnalanos Autonio Lu;z,de Qiiimwa Azevedo &
C.,-no-sea.eseriptor?o ra da Crjz.ji.-1 ou cora o
cjtpitao na praca._____ ^______
Para o o~Grande do SuL
O veleiro e bem coobectdo brigaeaacional Ame-
lia, pretende seguir cjkil. niuiU boevldade, tem
parte do seu carregam^ntj engajalo pira o resto
que Ihe falti trata-se com o sea con-ignatarios
Antonio Laiz de Oliveira Aie4o & C, no sea
escriptorio ma da Cruz n. I._______________
LH i DH. MIGUEL
Segu com a uaior brevrdade o muito veleiro
patacho Jorgence par* caras que Ihe (alta e pas-
sageiros para os quaes tem hons ceramodos tra-
ta-se com o sea consignatario Joao do Reg Lima
a roa do Apollo n. 4. ____________
Para o Porto
Por ja' se aebar com a maior parte do sen
carregamento ensajado, pretende sabir com toda a
brevidade. a vejeirae mui conhecida barba porto-
gueze Claudtna : para o resto da carga e passa-
geiros, para es quaes ha ricos commodos, trata-so
a ru* na iiiiv o d. nn inm o capito
na pra^a. ________________
Para o Rio de Janeiro
Pretende S8guir cora rauta brevidade a veleira
e bem conhecida Darca Rio de Janeiro, tem parte
de sen carregameoto promet, para o resto que
Ibe falta cescravos a (rete para os qaaa* tem ex-
celentes oraraodos tratase com os seus consig-
natarios Antoni i Lure de Oliveira Azevedo & C.
no sea escriptorio ra da Cruz o. 1.
Para Lisboa.
Segu em poneos dias o brigoe p#rtugnez Cons-
-ante U, por ter prompto qaasi todo seu carrega-
ment, para o restante.e passageiros; trata-se com
Oliveira Filbos & C, largo do Corpo Sant) n. 19,
oo com o capillo na praga. ______
Para Lisboa
Vai sahir com brevidade o brigne portogoez So-
berano, capito Bugigaoga, recebe carga a frete,
trata-se com E. R. Rabelio, ra do Trapiche n. 44,
ou cora o capito._________________________
Para o Rio de Jaoeiro.
Vai sabir com brevidade o brigue Maa i Al-
fredo, recebe carga e escravos a frete. trata-se com
E. R. Rabello roa lo Traoicbe n. 44.
14:181*151
sr
LEILAO
De urna preta laradera e quitandeira.
Hoje as II horas.
O agente Pontual fara' leilo de ama escr; va
preta excellente lavadeira e boa quitai-dera pro-
pria para qualquer servigo: no arraaie da roa
da Imperatriz n. 19. k-
M9M.4M
',
O agente Martins fara leilea reaneriaento dos
admtnntradores da massa taluda de Joaquim da
Silva Bea-TMU e por muriato do film. Sr. Dr.
juiz do commercio das dividas activas de lita mas-
sa na importancia de 5:8*1*333.
No armazeet-^a ra do Imperadar o. 16, as 11
toras, onde podem os pretendentes examinar a re-
|acao das divida*.
Leilo
De drogas e joias.
Qurta-feira 10 de Janeiro a 1 da tarde em
" ponto.
0.-agente-Pinto lerara a lelTo pe!a.,treira vez
as j >ias e drusas perteaeentas a mwn fallida de
l)en> l_r,A Barroso, e existentes do armazem da
roa da Gruiu. servmdo de base os pregosob-
tides norsegundo lao. a 1 hora da tarde do dia
cima dito no-referido arsmem onde haver an
terlermajaje leilo He niudezas, loaca e outros ob-
jectos. *
Km reootioiiaeo
De miideas, ae>;fuafias. luoca e
QuarU-feira 16 d&,iawit>ras 10 horas,
na ra da Cruz n. ti.
O ageste Pinto continuar*' as;lO horas do dia
cima dito o leilo das mercaderas pertencentes a
massa faUda de DeoJter B^rrcao, e existentes
no armasen da ro da. Cruz n. 2, isto a reque-
r i m en lo dos cu radares scaes-4 depositario da di-
ta massa e por mandado do Dr. juiz especial du
commercio.
MOVIMEtfTO DO PORTO
rYactos entrados no dta 13.
Bordeaos e pottos intermedios 18 dias, vapor
fraocez Nacarre, de 1,271 toneladas, comman-
d .nte Massenet, equipagem 113, carga fazendas
e outr. s gneros a Tisset Frere & C.
New York e portos intermedios21 dias, vapor
americano Qaiding Star, de 2,09 I toneladas,
commandante Slocum, equipagem 83, carga dife-
rentes gneros ; a.Henry Forster de C. Nao trou-
xe passageiros para este poro, mas condnz 360
emigrantes para o sul.
Naoiot entrados no dia 14.
Rio de Janeiro e Baha5 das, vapor Inglez Onrt-
da, de 137 toneladas, commandante P. M. Wool-
emt, equipaeem 131, carga varios gneros; a
Admson Howie & C
Terra Nova33 di;, patacho inglez Mary Bell, de
135 toneladas, capito T. Whlte, eqoipagem 9,
carga 1,257 barricas com bacalbo, 400 ditas
con arinha de tri,>; a Jnhnston Pater Navio* saludos no mesmo dia.
Rio di Jioeiro e BinlaVapor americano Quiditig
Star, cora manda o te Slocura.
Rio da JaneiroVapor fraocez Navarre, comman-
dante Massenet,
Soutiumpton e portos iotermediosVapor inglez
ieida, coamanlanta Woolcot.
Rio da PrataBarca puriagusza Lima f, capito
Jos F. da Cunha, carga asnear.
Rio da PrataBrigue escuna russo Pluto, capito
B. M. Behreads ; carga assncar.
Par
Pretende seguir com brevidade para a Indicado
porto o veleiro brigue escuna nacional Graciosa
capito Silva Ralis; para a ponca carga qne Ibe
falta trata-se como respestvo consignatario Anto-
nio de Almeida Gomes; a roa da Cruz n. 23, 1*
andar.
Rio de Janeiro.
Com a brevidade que fdr possivel seguir' para
o Rio de Janeiro o brigoe nacional Beluario, re-
cebe carga, escravos a frete : atratar eom os con-
signatarios Marques, Barros C largo do Corpo
Santo n. 62* andar._____________________
"Ilha de 8. Miguel.
Segoe com raaita brevidade a barca portugueza
Parary, capito Angosto Borges Cabral: para o
resto da carga e passageiros tratase com o sea
consignatario Joao do Reg Lima a' roa do Apollo
n. 4.
LEILAO
Uoartaifeira ao meio dia.
O agente Pinto levara" novamente a leilSo a re-
qoerimeato do tutor do menor Francisco, rllho da
tinada U. Josepha Tertuliana da Aoouociacao Al-
meida, e por despacho do Illm Sr. Dr. Jniz de or-
pbos, as duas e-cravas de comes Vicencia e Pru-
dencia, perteucentes ao raesmo orpho, ao meio dia
do da 16 do eorrente no armazem da ra da Cruz
p. 62.
Leilo
Do palhabot naci nal peroa*]*ieano.
Sabbado i 9 d corrale..
O agente Pestaaa legalmente autorisalo fara lei-
lo era ura s lote do palhabote naaijnJl.Pcrnam-
bueano, de 250 toneladas, forrado de natal novo,
bem encivimado e regado a pao ferro e cobre,
sendo a sua mastreacao e raassase ero .'bora esta-
do e prompto a navegar estando o inventario do
mesmo em mao do agente qnn se proapttflca a
mostra-lo aos pretenden! prompto a ser examinado no ancoradonm da bar-
caga i o leilo lera' lagar no dia acima-tn-jocioaa-
do as 12 boras da manhia no largo do Crpo San
to jnoto ao caf commercial.
AVISOS DIVERSOS
aos aiooo^ooo
Crre t^re-feira82.
Acham-se vendaTna re^pecya thesoo-
raria, ra do Crefrqo. 15, os bilfcfti
meios e quartos da 3 f* "parle da loteria a I
beneficio ds(aMilias dos TolootarJos da i
patria (3a)vsdito a exlrtfao no lagar e
hora do costme.
Os premios 03 6:000*000 at O^OOOeer
r5o pagos uma hora depois da extraerlo at
as 3 horas da ^are, e os nulros depois da
distribuico-das'fiFtas **'
As encommendas ser5o guardadas somon-
te at a noitff'da Tspera d*ertac$3o.
0 tbesouriro,
Antonio Jos 'Rh'j'frg^ea tle Son..
Publicado iaridiea.
Pnlettfies-Ae Direito Internacional e de
Diplomacia com applicaQao e rforineia de
seus prtntiptot as lets particulares, con-
vencOes, e w ttata'dos do Brasil at i 866
*pelo Dr. Antonio de Vasconcellos Meiie-
zes de Drummond, lente substituto da Fa-
cofdadede Direito do Herile-etc ,'2 vol in
broeh/por'ieOOOpagos entrega do
primeiro volme- *jne constitatr a primei-
ra dessas obras.
A ultima deltas acompanhar um epilogo
das dt^osieSes d* legislaijao patria, relati-
vas ao direitos e deveres do estrangeiro no
Brasil, bem como aos do Brasileiro lora do
Imperio;
Assigna-senas lojas delivros das ras do
Crespo n. ? e 9 ; do Imperador n. 13 ; da
Cruzn. 52 na de encadernar;3o do caes del
21 de Novaibro junto a typographia do:
Jornal do Recife ; nos escriptorios das ty-
pographias do Diario ie Vernambuco a roa
das Cruzes n. 44, e do Con-eio do Recife
ruado Imperador n. 79 e na lojada ra'
da Imperatriz esquina da ra da Aurora n.!
n. 2, loja de loufa.
Depois da publicarlo da^primeira obra
nao serlo mais admittidas assignaturas e
mbas eilas sero vendidas por maior pre^o.
Socieiaie ds Aristas Mechanicas e
Liberass de Pacaambuco.
Ud ordem do Illa1. Sr. director se faz publico
uae se achira abertas as matriculas da aulas des-
ta sociedad-, e sao convidados nao s es senhores
socios como tamhem toda e qualqixir pessoa qne
queira beber as materias que aqu se ensinara,
mxime os menores in-1 gente* que. uao se pode-
rem matric(lr naaafiMS pablioas ; e os que pre-
tenderen! riinjam se a raa Direita n. 7.
Secretaria da SocieUade dos Artistas 12 de Ja-
neiro de 1857.O ecretario Interino
Bazlllo Barros.
GMi\DE HOTEL CII\TBAL
IDA LitfiA DB ROSARIO BA ESTOMA DO ROSARIO
N. 37 N. 4 A
ENTRADA GERAL ENTRADA PARTIGHI.AR
PROPRIETARIO.
FRANCISQO GARRIDO. >
Ha quartos e salas
Preparad s com asseio,
Para aqaelies qne vierem
A Veneza de passei.
Tem commodos oireellentes
Pira solteiros "casados,
A' lodos te prodlptllsari
Os mais sinceros cuidados.
Encontrado para lunch
Fiambre a qnalqner hora,
Tamhem recebe assigoantes
De comida para fra.
BMTEiorvr
s
DE
S
Eatakrlfcia na cidaie do Recite ca 1862
Sob a t>roe*. fio do Miinini Pontfice Pi IX.
D'^Mlaf-'O baehmel em malhemaUcas
BERNARDO PEREIRA DO CARMO JNIOR.
O airector do internato de S. Bernardo, nao tendo evitado esforcos nem sacrificios
para proporcionar aos seus alumnos ama permita edncac3o physica, moral, intellectual e
relieosa, olierecendo-lbes una habitago com bastantes eoodic*es de salubridade, habis
profesores que sio solicitas ero prepara los convenientemente ao lim a que se desticam
medico prajico que Ihes faga corapreh8nder os preceltos da bygiane e Ihes core das doen-
?as, enoalmenle nm sacerdote iliuttrado e honesto que Ihes explique os principios da re
ligio christa. espera qae assim cootituido e era vista do excellente resaludo, que tem
presentado, contando um crescido numero de alumnos na Faentdade de Direito, qae
concluiram alli vantajosamente os estndos preparatorios, nao deixara' o sen eaiibeleet-
raento de continuar a merecer dos Srs. paes de familias o auxilio e eon6anca com que ja'
roultoso tem honrado ; e Ihes roga, bera eorao a todas as pessoas interessadas, qu se
dignem de visitar o mesmo seo estabelecimenlo, onde sempre eneontrario franco in-
gresso.
Cadeiras de ensino:Primeiras letras dividida em duas classes, tendo cada ama o
sen professor, latim, france?, Inglez, arilhmetica, algebra e geometra, geograpbia, pililo-
sophia, rhetonca, desenhoe mnsica
O coegio tem a sua sede nos espacosos ediflcio3 ns. 32 e 34 a' ma da Aurora.
Ns estatutos d collegio, queestao a dlsposico de quem os qoizer ler, se acham
consignadas as coudi;5es de entrada e, matricula uas diversas aulas do eitabeleci-
mentft

Antuuij Jj dos Ubis fax cente ao res pe-
tayel publico cora cspeciaHdade ao corpo do rom-
mrciP, qae. deu sociedade era sua loja.de Uzeadas
a sencaiieiro Adolpho Marques dos Santos, fican-
do a gyrar a firma desde o 1* de Janeiro do cor-
reo^ anoQ^ntoaio Jos dos Res & C.
Precisase de urna araa que saina coziohar,
para casa de rapaz sulteiro : na ra da Cadeia do
Recife n. 59.
Ra da Madre de Dos n 36
Uma senhora allemaa qae sabe dirigir o ser-
vico de orna casa em todo, olTerece-se para casa
de familia allemaa para semelhanle oceupacao :
a tratar na ra do Sebo n. 35.
Amonio da Silva Ramos avisa a todas as pes-
soas cum quem tem relacSes commerciaes que o
Sr. Antonio Fraoehco Alves Perreira, deixou de
ser seu caixetro no dia l de Janeiro de 1867.
Pi
captiva
andar.
ecisa se de uma boa cozinbeira, forra ou
: na rna do Imperador n. 79, segundo

;Amauhaa 8 do cotrente, ahrir se-hao as aulas de lnslrur$o primaria, latim, frao-
cez ^ inglez, regidas aprimeira pelo professor Manoel Alves Lima, a seguuda pelo Sr.
padre Flix Birreto de Vasconcellos, a terceira pe Sr. Dr Jorge Dornellas R. Pessoa, e a
ultima.pelo Sr. Dr. Francisco de Paula Peona, sendo as de geometra, pfiilosopha, geo-
graphia e rhetorica abenas logo que esteja matriculado am numero suMcienle de esta-
' daates.
wmm de mmmi
mumm m tmwmkw


Precsa-se de
3:O005 sosra hypotheca : a
sua morada para ser
na roa do Quemado
wur~.Wianaaeit*
Moleque
Precisa se alagar um raoieque de lo annos de
dade, pouco mais ou in>-ns : na ra do Quema-
do i^^l^anilar^______________^___
Criado
Precisa-se de ura criado
n. 12, 1 andar.
Ama,
Precisa-se de uma ama qae saiba coziohar para
casa de homem solteiro : na ra da Cadeia n, 53.
OfTerece-se uma ama capaz para Jomar con
ta de ama casa de hornera solteiro, para cosiobar, j
e^comprar: aa roa da Senzala Velba n. 03.
Precisa-se anda de a ugar uma moleca para
servico interno : na ra da Concordia casa sem
numero junto ao n. 57.____________
Precisase de uma araa que saina cosinhar
b 'm e sirfa para ir as compras : na roa da Im-
p;ratriz o. 34, prlmelr > andar.
61-Palaceteda cae a de AfeHe6-1
O director do collegio de Santo Amaro, faz puajicoaqoeui pija.intaressar, q\w transterifl dito
collegio para o palacete do caes do Apo lo n. 61 bairro do Recife,/onde contina a admiltir alumnos
Internos semi-internos e externos.
As aulas creadas em dito collegio sao as seguales : instruceao elementar, lingua latina, fran-
cal e instrumental o tansa. u' ""-
No dia 7 do crrente mez lera' lugar a abertura da aula elementar, cuja matricula d*sde ja'
acba-seaberla e as das dsmas nulas de la por diante.
O director,
J. F. Ribeiro de Souza.
Superiores cassas franeeias muito fiaas de cores flxas, matisadas e miudinhas a
320 rs. e covado : na loja das eolaraaas roa do Grspo .o. 13. de Antonio Correia de
Vasconcellos C .
LISBOA
Instituto ArcheoUgico e Geegra|hic
Peraambacan.
llavera' sesso ordinaria qumla-feira 17 do cor
reute, pelas 11 boras da manha.
OIIEM D DIA.
Pareceres e mais trabalbos de coramissoes.
Discnsslo concerneate a' prxima testa do an-
iversario.
Secretaria do Instituto, 14 de jaoeiro de 1867.
J. Soares de Azeved ,
^^_________Secretario perpetuo.
PrecAsa-ae de un homem
que cateada deplaatacies para
tomar coala de am sitio aa el-
dade de ol .di. prefere-ae a
qnem nao tlver familia : a tra-
tar nesta typographia. ^^__
Vai sabir com brevidade a muito conheeida e
veleira barca
H4H.lt
por ter parte do carregameoto engajado, para o
resto trata-se com os consignatarios Carvalho &
N-gaelra, na rna do Apollo n. 3a
PORTO
Pretende sabir em poneos dias a multo veleira
e nova barca
FELIZ I \IA
por ter pane do carga prora ota para a qae Ihe fal-
Aracaty-Hiate-brasieiro Sobralense, capiUo AaM- u trala-se eom os eonsigaaurios Carvalbo & No-
nio Gomes Pereira ; em lastro.
CanalBrigue inglez Ana Pott, capito Wreegh-
ton, carga assucar.
EDITA ES."
< De ordem do Illm. Sr. inspector se Caz pu-
blico qne lo dja It do eorrente ao meio dia, se
ba de arrematar em hasta pualtea a porta desta
reparticao, livre de direito ao arrematante, ama
aixa o 35 da marca JGO.com i3* bios de cftifranara caxmbos viadas do Havre no
oavo fraacex mt, no 'valor de 1# por dazf, e
abiadoaada aot direitos por Joae LweoMb floar-
^ard.
Alfan lega de Pernamboco 14 de jaoeiro de 187
O^dserlptorarlo,
. Eutyelio eMm restaa.
goei a na rea do Apollo n. 20.
Para o Araeaty
nestea iaa o painabcle nacin! Emilia :
para carga mu se com o eiusigoatirio Jos de Sa
Lettio Juma, aa raa da Madre de Dos.
Preisa-se de orna am* para eomprar para
pouca fimlia e tratar de um menino de 3 annos :
a tratar na ra da Palma n. 5, junto da coebeira
de carrocas do Sr. Antonio Refinador.
Saca-se sobre Lisboa, Parto e ilba de
S. Miguel: na ra do pollo n. 20.
Na nova gileria americana, Ra Nova
n 52, liram-se lindos retratos coloridos
era molduras donradas, de todos os tama-
nhoi, e proprios p ira sala de visita, por
prejo moderado.____________________
Aluga-se uma preta escrava que seja flel
pan o servico de uma casa de fmula, e qae sai-
ba ja si a ra da C incordia n. 3. ______
-t Da se bolos de veodagem a lusto a pataca :
na loa Imperial n. 37.
Se
Na ra da Cadeia o. 53 ba para vender-se ornamentos da Igreja por menos preco que em ou
tra qualquer parte : ,
A SAER :
Ornamentos de damasco branco
> i encarnado
rxo
preto
verde
> de velludo preto a
ajguem deseja possuir um retrato o
mas perfeit' possivel de sua amante, que a
repsente to bella e foriosa como ella
ou te figura imaginacao, venba tiral-o em
porwlana, qne ha de produzir o mais dese-
jade effeito possivel tanto qQanto se pode es-4
perjir em perfeiclt') de qualquer systema
actialmenie C"nliecido.
(s retratistas americanos ra Nova n.
52f-tiram retratos em porcelana por pre-
co redu/..dus para os dias de festa.
Precisa-se de uma mulher livre ou es-
crjva, que saiba cozinhar e arraujar uma
a: na ra do Imperador n. 77, segundo
de 24J a 32*000
de 224 a 3?*00)
de 23 a 3"#000
de 20& a 30''06
de 205 a 294000
264000
A vista da boa procara que tem havido destas objectos previnimos ao publico qae breve che-
gara'de Pars ama nova remessa de ornamento de todas as cores, inclusive ornamentos sebastos, ca-
pas de asperges, nmbellas etc.
Recebe-se toda eqalqaeur encommenda relativa ao caito.
:----------------.------------------1--------------------------------------------------------------------------------------------
Novo e grande deposito de superior carvo de Cardiffna
Baha.
Antonio Gomes dos Santos & C, rna de Santa Barbara n. 1, estio habilitados a supprir de
oarvo, em coodicoes mais favoraveis qae em ouiro qualquer deposito, a todos os navios a vapor qae
ccarem naoaeile Dorto. A contratar nesta com Domingos Alves Matheus.,
_
HILIS.
Rerlsta do lastltato Arceolo
gAco e eograpUAco Peraam
bneano,
Sabo a luz o o. 6 e acha-sa a venda, assim co-
mo os uumeros antecedentes, na livraria Ecooo
mica, ao arco de Santo Antonio.
Assigoa-se par anno 64000
Nmeros avulso 14500
Aula de Llogaa Fraaeeza
de Oeugrapbla e His-
toria.
de P-llosophia.
de Rh'-torieae Potica
Jos Soares d'Azevedo, professor de lin-
goa e litteraiura nacional oo Gymnasio Pro-
vincial do Recife, tem aberto em sua casa,
ra Bella n 37, um ctrrao especial de cada
uma das disciplinas cima mencionadas. As
pessoas que se desejarem preparar em si- Parmeira A Beltro, em Hquidaclo. fa-
milbantes materias para os exames de Mar-aem sciente ae resjieitavel pubtico e com es-
i A simio feli claoo Rodrigues Sette e seas
imaos convida a taos amagos e parentes a oa-
uem missas pelo repouso eterno da alma de sen
fezado e Infeliz Ironao Fraocellno Rodrigues Set-
, na matriz i Boa-vista, amanhia 15 de eorreo-
e, as 7 boras da manaa ; e protestara sincera
ratidio.
LIU0
0 agente Pontual, fara' leilo de am cbrlolet e
os srretos resnectivos e dous canllos sendo nm
sellado e iofreado e o ouiro do cabriole!, ai il ho-
ras o dia cima meocionado em frente da arma-
zem n. 19, a roa da Imfcatriz.
anno lect vo, pdeai dirigr-se i residencia
indicada, de manaSa at s 9 horas, e del
tarde a qoalqner bera.
Wer weitz wo Bartels den ost holt
nica pessoa aut.risada para proceder a
cooranca do aetivoa reBt'ida firraM o Sr.
Jos Antonio Atoa Bastos. Recife 8 de ja-
Gau para logar
Alaga-se o toraaro andar da predio da rna di
Cadeia 4o Recito n. 29, com oemiMAss para g*aa]
de familia, tando sotao sobre sotlo e ctlraa*i, i
eom magoifjca vista : a tratar com Cordeiro !i-|
m5es no armazem do mesmo predi.
oeiro de 1887.
PatBrHr-a 4 J|etr5o.
FolMahfAfl em allemiio
PAJA 867.
Urrarta fraaeeza
Roa o Crespo n. 9.
IHaS
casa contigua
SewJwixi
PARA BDCAgA D
estabeledo na gran4\
a igreja de Nos,
da Sol
OJIICIDO
PELAS IRMAES DE SAITA DOROTHEA
DA DI0GE8E.
a 31 da Marate, recebem-se
em todas as materias ne-

80B A
EXp, E Rjf4TSft.J)R. VIGAR19
Neste collegio, coja afreHa** oeste anno tara'
meninas de 6 a U annos para serem educadas e
cessarlas a B_a senhora.
Havata' MBBas Internas, meio pensionistas e
As rweras pagario K mensaes, as meio peo
sendo pobres.
Loco qw o eolhflo contar .um numero sqBci
gratotamaBe para internas algnaaas meninas pobr
Para admtiaio de ilamnas a para^fUaesnoer snlaraaimealos irata-ai
rtoia BOtSKsiBo ssubeteemante .a qaalqaer aora (ldia.
las iva, e as esternas (ff, no
4a aemioni'Us, ira' aflmitllndo
con a


&
Joaquim Jas Gacal\^6
Beitrao
(A MA DO TKiPlCUfi .17 Io SDAR)
Sacea por lodos os paquetes sobre -o Banco
do Hiaho em Braga, sobre os sectete loga-
ses, em Portugal.
A saber:
Lvfcboa.
Por lo.
Va le 05.
Gu roa raes.
Cotmbra.
Chaves.
Viseo.
Villa doCoo'e. ,..
Arcos de Val de Vez.
Vianna do CasteUo.
Ponie do Lima.
Villa Real.
VillviNov-de Famellcio.
La mego.
Lagos.
____Covllhaa.
Precisasealogar un escravo prferiodo-se
que saiba cosiatiar e para o mais sertce4e casa
de familia : a tratar oa raa do Trapiche 44, se-
gundo andar.
Precisa-se de urna ama de nata dad para
asa de poaea familia : na ra a Pena* 23 !
aodei.
SEGUR
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabefoei-
4a nesta praga, toma seguros marilimos so-
Ore navios e seus carregamentos, e eoetra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias:
na raa do Vigario n. 4, pavimento terreo.
ola do HaneoMo Brasil. ~
Trocam-se oa ra do Corredor do Bispo ultima
casa do quaneiro novo, com pono de grade de
ferro.
IVERDADERO LE
de SIGNORKT, Docteur-Mdecin
Ru de Seine,51, PARS.
J. FERBE1M VIUIU
Photographo da Augusta Casa Imperial do Brasil
i$,'ftuadoCabugy 1%
Sobrado, entrada pelo
Pateo
a Matriz.
ROY?
En) nenhuma das pbotogr-aphias desta cidade se facern retratos mais perfeito*
(lo que os que se executaa nesta oficina pbotograpbica.
Pede-se a confroDtafSo e analyse entre os aostoa trabamos e og melbores que
se fazem nesta cidade.
Nao ha photogbaphia algcma desta cidade, I qae cofiM este estabelecimeato
phfttographico possua um to vanado, escolbido e abundante sortimento de saninhas,
quadros, molduras pretas e deuradas e passe-par-touts.
Para serem collocados os retratos chamados:irl<&$ 4e visita ha doze difieren-
tes modelos de cartes mimosamente rthograpliados e dourdos, em cartao bris'-ol e em
cartio porcelana, os qnaes sem alteraSo de precos, estao a escolha daspessoas que se
retratawm.
Continuadaolente se reGebe aa Europa remessas de todo quanto diz uespeito a
photogeapbia, e ainda o mez passado pelo vai-or Guietme, e este mez pelo bigoe Beltn
receberam-se de Franca quatro gondes caies com urna bella variedade de.artefactos
productos cbimicos e material para pbotographia.
.No mesmo estabelecimento vendem-e:
Todds os productos cbimicos geralmente usados em photographia e garante-se
o estado de pureza dos mesmos;
Machinas pbotographicas, mvetas de porcelana de diflerentes tamaohos e vi-
dros para tirarem-se retratos;
Una grande variedade de lindas e interessanles vistas transparentes para
stereoicopos, e stereoscopos de madeira envernisada com lentes prismticas que se ven-
dem a 42)5000 cada um com urna duza de vistas transparentes
Tambem vende-se por 503Q,O um apparelho compl .to para faierem-se peque-
as vistas ou retratos. Ao mesmo acompanbam as explicaces precisas para *eu uso.
Qualquer pessoa pode fazer vistas ou retratos com esse apparelho.
A ofieiaa e galera estao abortas todos os das e a todas as horas.
-----------------------------------i---------------------------------------------------------------1-------------------------------!------------------------------------------------------------------------------------__
N.2D y N/2D,
< Olll%< VO DE Ol IlO. ^ dez dasobras. m' qUe m lU qUalqUer p,r,e> ""Jo-s a qualidade e a so-
to ana 2^i!!2ll?^,,W^ de8ei qDe aeve ,er *&&*, de ora novo estabeledroeo-
ani.o.eri;Kres;'*^ neg*o dev cbegar iroic^aao^ie ao coracio de ooro a comorar
X? T de l0*' hwi>sinodi.rMu8da ouro e coral para roenioa pelo preo de 37maracis de
SrS ofus!'deOSouroraelfiQ' "^T'* ?n. ** mo^D0^o (o oue o e^ntrario do coraclo de
MLm trah n.T.a ,J)""wleDt asmna rica.rier.te eofeiada pelo pequeo preco de IM, bnn-
mStVu^^tre}WUunoWa PreC.ca^leta5,tranealins, pulceira-s almetes para re
mnto 1"iT.r^,0,S Qd<> *5 10.WVl,e,s proprios 'ura butar cabell e ". Pri easa-
Sff fitSwKnK^ befn variad0 to*mento de diversos
gosio. Duioes para punbos com dianoaete, rubios e esmera das, obra esta imiortanta ia' neln *n va
do oara'/enC SI?- ?ZfS' ^ 6 $a*bttaie>lWoete para ^vata no mismo gosto, relo-
Na me,ma lo,a compra-se, troca-se ouro, prata e pedras preciosas, e roben rwbe sa poncer-
rotlo M adverie em conseqoeuca de terem ja' algumas pascas eo*aoado com outra casa.
Xttrope e pasta de Seiva"'
DO
rinhho uiuritinio
Di
PreparacSes molprecoDida-- peo sahios m<
eos do Pan?, com as meliores ai-'hoje discobei
para a cara cena, de todas molestias do pe
broocwies agudos e ebromeo, aalhina e aiada
aneccSes das ias onnarta
DKP0S1T0 KSPKClAL
31Raa larga do Resario34
Phariacia de ttartboioweu 4l
Gratifica-se
Cercas e
Sradeamentos de ferro para jardins, cercados para animaes.
ros, de tedas as grossuras e mudaveis. v WWP*
Porteiras de differentes lamanhos para sitios, jurdas, cercados, e-c.
chiquei-
1

Em cada garrafa, rat, entre a rolba e papel azul
pie leva o mtu alnete, um fatulo impreno em ami-
rtllo em o Sillo Imperial do covikno fkikgez.
lf. B. Remettendo-e urna lettra de 500 frantot
sobre Paria, aeeiUrel a 60 diu de vbU, ao mximo,
|oz*te do abalimeoto e do maior descanto.
Depatito principal
Jo legitimo Le Roy
em Caza do,nouo
nico agente pele
Brazil a Sita Amto-
nio Fiarc : de La-
cebda na Baha e
noi priBeipae paar-
maceuUcM.
FERRO QUEVENNE
Apf rotado pela Academia de Medicina,
Aucitntado por circular especial da Mintrt.
O FEriRo QUEVENNE se uta em todos as e-
os para ts quics os ferreos sao presenptes; nao
u oa dea tes icarem pretos; b a propnelo a
mus acva, a mais sgradaiel e a mais econ-
mica; muias tezes am traaco be* sufflciente ua
curar ama cblorosis.
A experiencia me provon que nenhuma-pre-
para cao frrea h supportada mais facmente
que o perro QUEVENNE, em observando as
limites de desea muito regaladas.
BoucBARDaT, unitario da therapeuHca, 1863.
O Fauno Qcevesss vende-se en frascoi de
H:rio. centig"^."^ i *
HcdiJudmm. ltO|rii|M. a >
Deposito eral em casa de E-tile GemavoiK,
14, me des Reaux-Aru, em Parii, e enf tedas as
boticas. Exigir-o Sineu Queve%*t t a varea.
OMMTOS DE IGREJA DE
I. UsLUlI
Vesmenleiro e orlador de Pars.
23 RA DO IjflPURAUOR 93,
Defronte da igreja de S. Francisco.
Concurrencia impossivel
justificada pela soupressJo de intermediarios, pela compra directa das materias primas pera exe
cugao dos trsbalbos as oficinas da casa e pelo diminuto lucr com qoe se satisfaz.
Animado pelos imporiantes negocios que faz com grande parle do mnndo catholico da Europa
resolven o annuncianle eslabelecer filiaes da casa de Paris ero diversos paizes lODginquos que
otterecem vaniagens, e velo inaugurar o primeir esihbelecimento nesla cidade, sem duvida oroa
uas mais adiantadas e com^ercianre da America do Sol, e qoe por isso mesmo necessiia d'nm
ej-iabelecimento qoe nada deixe a desejar, quer em relagio s precisSes materies e quer Intel-
05 Srs- sacerdotes e demais pes^oas, que se dignaren visitar o esUbelecimento, abi acharlo
sempre urna grande variedade de todos os objeclos para icreja e para o clero.
RIVESARIA PARA IGREJA.
Novos modelos de custodias e de vasos sagrados.
ALFAIA DA 1DADE MEDIA, A' LUIZ 13*
Os precos variam segundo o lamanho, o peso e a forma.
TAPETARAS E ARMARES PARA IGREJA.
Fornece toda a quaiidade de armagoes, por precos mdicos, vontade do freguez ;
sempre orna pessoa no eslabelecimento para ir tomar as medidas necessarias para completa
isgao da encommenda.
NUVAS MBELLAS PRIVILEGIADAS.
tendo
Estas umbellas de rolffs, adopladas p.-r S. S. Pi IX. tem por sua
e riqueza a dupla vantagem de cobrir inleiramente o Sautissimo Sacramento e
cnliar o andar.
perfeic3o, novidade
o padre, sem diffi-
Imagens de Christos, caldeirinhas, crozas, quadros e todos os objeclos devotos,
Objectos em argila, simples e prateados.

'""*"" tui'liem iku r-HUlinmcit
.AelcetrieWtde boje empregada por todos os
.e.ed.cosaramados.para o tratamento de muita
molestias, inenno para aa que resisten) as outra
uu-iltcacoes.
A clcclridade produiida pela fricceo tem una
.supenondade incontestave, e a vantagem de nao
.dar abalo, e A ciia a mais frequenle das molestias
estagnacao do sanRue ou dos oinros lquidos ti-
taes. Bcsiablccendo se a cireulaca do orea-
nismo, curacao-se as molestias.
Qtiando se sent aljruma d6r em quelcmer
parte docorno logo, e nstincramente, seerfireta
o lagar .dolorido com a mad, eisloallivia. Isto
explica o resultado ineontestavel que deve pro-
duxir um apparelbo elctrico. Per isso tcmw
'Pral"em.i,D,"ncla'-o Pilleo qneoSnr Buisson
de BivdUe.-s residente, nonlcvart da Prince-
Eogenc, 18, em Pariz, dotou a medicina de aa
aupareluoSleotro Magntico, sob a forma de
urna esrova, com o qual os doeoles se podera
urar sem nebuma outra medicaead. Os medica
que a tem experimentado, auestara que a
avoova Eibotro Mabhbtioa e eScsx para
enran es Kbeumati.too,, Pa,.|y,- Corla,
'ZZ"*?**? f" "*" > Colamo. WZ7-
iS^i. c-staeaoscerto qne breve cada familw nossuin
esta aaeoati qe prestara grandes servlcos.
A pedlo de militas pessoas, o autor dcidio-se
establecer usa deposito de seo* appareibe na
flto de Janeiro, em> caa> a Sn Du.u BUHL
- "" efo Ourier. 58.
Todas as inormagoes sero roioisiradas gratis, acerca dos ornatos de igreja.
Cooceder-se-ha facllidade para os pagamentos,
Els o cathalogo do que tem a venda :
BGASULAS.
ns
mm k
IrmattDEiijNP*
GLUINA
"Jila fekifg rirticJuT
HruMMTmsiiuiwHtmi
Experimentad com pies r~
hospltaes, a quina Laroete f <
comploao d, ^^ t "
&u.W d" ?^.r5^^S5.
em par
"^'mOrmmb. _
P. KATJRER
I
ras, de ludo, de crina e de
iiaJo lustroso.
lo damasco com ernz de ooro e
da.
De damasco dobrado, coni diver
sos bordados em relevo na
cruz.
De tecido de prala ou de onro.
dem com diversos bordados em
rtlevo na cruz,
dem dem muilo ricas.
De veludo de seda com cruz t
ouro Ubo em relevo.
De i hamalote de seda bordado.
Goihicas e da idade media.
A cor da casnla nao influe no
preco.
CAPAS.
De veludo estofado.
De damasco.
De lecido de prala* de ouro.
dem cora emblemas em relevo
e ricas franjas na murga.
De velodo de seda.
De lecido de prala e de ouro fino.
DALMTICAS.
O mesmo preco das caslas. -
ESTOLAS PASrORAES.
De. velodo estofado.
De dito de doas faces.
De ilamasco.
De dito de doas faces.
De tecido de prata ou de ouro.
dem dem, com emblemas em
relevo, franjas e bordados del
toreal.
dem dem em relevo muilo ri-
cas.
De lecido de onro e de prata fino.
De chamalote bordado de seda,
com doas faces.
VETJS UE HOMBItOS.
De tecido da Lyac.
De dilo dobrado, de ooro fino.
De damasco, bordado em relevo,
dem dem, muito rico.
VETOS PARA EXPOSICAO.
De lee Ido de Lyo.
De chamalote de prata com em-
bornas em relev.
De dito lino, omito finos.
VETOS DE SAGRARIOS
De lodos r.s precos.
BANDEIRAS.
Da Saola Infancia.
De contrarias de Nossa Senhora.
Parochiaes, qualqoer que seja a
invocaco.
Goi5es com emblemas em relevo.
A collecao varia de 351000 a
3:OUOOOO.
PALLIOS.
Em veludo estofado as quatrp
ponas e no forro.
De it-cido de Lyo, com onro
De diio de prata e de ouro lus-
troso.
De dito dilo, com quatro emble-
- mas bordados em relevo.
Muilo ricos, inleiraroenie bor-
dados era relevo enm ooro fino.
PANNOS MORTARIOS.
De las.
0b velodo foglez preto verda- 487
deiros 541
Ue damasco dobrado de brocado. 650
Estes pannos lem deus metros de 812
largura e tres de eoroprlmento.
ROUPAS DE HJREJA.
Alvas de panno de linho fino.
< de cambraia oa.
t de panno* de linho,
meninos do edro.
Corporaes de cambraia fioa.
Toalhas para communbo e alia-
res
Guarnicoes de rendas para alvas.
Ditas para toalbas de aliar, aos
metros.
Toda a qualidade da roua ga-
rantida e perfeilamenle xecu-
tada.
DIVERSOS- OBJECTOS.
Bolsas para tirar esmolxs.
Cordoes finos para alvas.
< para meninos do edro.
Volias, s doztas.
Cintos e cinturoes. (
Sacras de aliar, em caffao.
Ditas em quadros.
Marcas para missaes, com seis
pernag, em chamalote.
Flores artificiaos, o ranlo.
Eslfos e lodos os demtis objec-
tos de igrea.
BRONZES DE IGREJA.
Caslicaes para altares, prateados,
de novos modelos:
325 milmetros (12 pullegalas).
379
433
<
c

< guarnecidas de rendas finas.
'.. a de fil, de ricca de-
senhos.
Roquetes era panno do linbo sem
mangas.
< com ditas.
Am icios.
Toalhas e sangoinhos.
(14
(16
(18
(SO
(2i
(30
Crines de altar, correspondetes
aos caslicaes, o par.
Tburibulos e navetas praieaas.
Caldeirinbas com hysopp"e iiem.
parajCusiodias ditas e dooradas*.
Lastres ditos e rorreles frtes
A quem levar a' ra do Amorlm n. 41, on a'
brlca de sabo no Affogadb o escravo Lolz, eafcr
estatora regular, rosto pintado de bexigas, fal
apressada, uro pequeo geito no cinto do olho d
relio ou esqoeido, e o cabello' al*-um branco ;
qual escravo ausentouse no da 17 de dezembr
prximo passado, vesndo calca nova de brii
pardo, camisa de zuartn atol, e chapeo pardo (
maga, e consta qoe na noite do mesmo da oo i
segoinle, elle andar no Aflogado, tendo all i
preso era estado de embriaguez e depois sol,
mandado para a referida fabrica, aonde todav
nao ebegou.
g Aniiuiicio I
O Dr. Caroiino Franctsro de Lima San- |
H| tos moddu se para a rna do Imperador M
w n. 73, segundo andar, onde oniinoa no !
B exercleio de toa profisso de medico. m
ummmmmmmmmmmmn
Trocam-se
as notas das caixas filiaes do banco do Rrasil ; r.
praca da Independencia n. 32._____________
Fundifo da Aurora
A mais aniiga desta provincia e com ledas a
perfeicSes em seus roachinisraos, oflereee a seu
numerosos fregoexes por razoaveis precos sua
manufacturas, bem como que tem om bom pessoa
para com rapidez fazer qnaiqoer concert ou ebr
nova.
Calcado
franeez
Rna So
Vi u. 7.
Brluquerio
alIemSes
Ra Nova
a. 9.
Este eslabelecimento recebe constantemente pe
los vapores fraBeex botinas para luinens, senheia
e meninas, lavas depellcade Jonvm braocas pie
tas e de ouiras differentes cores,' brincos de'ouir
bom de lei con rafeites de eryital, nltina n,od:
de Paris, caixinhas de costura fom muica, viia>
sellas pra quadros, extractos, banhas, bengala*
chicotes, espelbos, quadros, molduras, esleriosrop
com grande sortimento das mais piltosescas vi'ias
realejos, accordions, lindas bonecas, carrinho'
cabriolis para conduzir crianzas, cavalliohos d<
andar por molas tara meninos roeatar e ontre
mullos ob;ecios fraecezes que eslao exposlos a vi'
la dos compradores; na loja do vapor rna Novr
n. 7.
Na ra do Tro piel i n 16.
acham-se os seauintes devositos
De il. Bruuiugliansem Mis.
Bourgogne.
Viudo Pommard Unto.
Cortn lio lo.
Santo Georges tinto.
Chambertm tinto.
Rlcbebourg tinto.
Clos de Vougeot lia o.
Chablis branco.
De M. A. Woef em Fraicfert:
Rueo.
Geisenheimer.
Llebfraumilch.
Marcobrunner.________ ,.
Em casa de Theod Chrisliansen.rtia do F
piche-novo n. 16, nica agente no norte do Brav
de Brandenbnrg frres, Bordeaux, encontra-se t.
recuvmente deposito dos aj-tigos seguintes :
St.JulieD.
St. Pierre.
Lkrose.
Cbateau Loville.
Chateau Margaux.
Graud vin Chateaa Lafitte 1858.
Chateau LaLHte. v
Hsut Saoternes.
cuotceu ftii;temes.''
Chateau Lataur Blanche.
Chateau Yquem. >
Cognac em lres.qualldades.
^zeitedoe.e. Pregos de Bordeanx.
Confeitaria dos ananazes
Ruada Cruz n.-I(i.
Ha rJianauente presuntos superior, dito-
cmfiambre.
da-------------_
para os metaos.
Crnzes para proosso, com aios
flius.
Varas, alabardas para sulss e
caddas paa porttrov. \,
Estes objeclos todos sao em --
bre e nao eu materiaes de
composicao.
Aviso esseudal para evitar qual quer erro ou mf. I
0 9r. compradores nao devem ignorar que o ouro uo pode ser fiado neb
tecido, e que por con seguate os gafos dos ornamentos chamados de obo ftno sSo
prau dnora/a, os de ooro me fino sSo de metal doorado eos de onro falso sao d
cobre doorado, e como tal confundir os litlos qoe se Ibes dea sempre, que sao meri
mente commeraaes. ^
Os ornamentos qne o aonunciante lem venda sao o de galoes de ooro meifj -
nnos falsos ou de seda, so mandando vir os de ouro fino por encommenda: e neoliumLr^' *l*
ojjeao sabe de seu eslabelecimento sem ser oropanhado d'uma factura por ee ^11^
oejec sane de seu estabelecimento sem m
da, especificando a aualidade do objecto, p
I venieotea ao depois de ealisada a venda.
Agua mineral
ferra|Bsa, acidulada, gazoza carbnica
1)8
OKK/./i.
O oso d'agoa de Oreza mu particularmente
ret.ommendado pela escola de medlcloa de Pars
paratodas asa ffVcc&js do (ubo digestivo, ingorgua-
a,e,nluV,Cera'S]l'J0mDef' e "' ludas
as molestias prnverflenies de friqueza orgnica, oo
pobreza de saoync.
0KP0S*(rO BSPBCMt,
3l-r4tita larja do Rosario34
Pharmacia de Bartbolomen dtc.
Uetbudu Casdllio.
Manoel Jos de Far a Simoes, f rof-i-s >r nirt r
colar de msirurcj elementar oelo metiiodo Ca .
ilho avisa aos pas de seos alumoon h ao respei
tavel publico que n-. dia 7 de Janeiro do correte
anuo, estar sua aula aborta oa ra da Prala n
O, sef onao andar.- assm como re'eehe oeocbni
tas e raeio penciooiaU, por preco razoavel. Na
diu aula tambem & eojjaam as materias seguin-
tes : (rancez, laiim, geographja e tpaica^
Dasediuheifo aiuroi: aa ra. da Concor
A os sen fwres padeiros.
E' geralmente conhecida a ulilldade no emure-
^.^"^'^.q-wiem por fio, aperfe.coar o
trabalhocoma ecooomia de bracos, esiecaso
pon .eslao as machinas para cortar bolacba, coja*
2ft* B J coui,ec,,a de a'uos IMdciros que
deltas fazem uzo por meio de/tiaoivella, obleado
o resallado mais satisfactorio e perfeito
n0;,aP/d?rU da r"* irei,a D- 8i' ea,m de-
psito dcstag raachtoas cora eortadeiras para todos
os ta nanhos de boljebaa aqu uzadas, e tambera
para ararutas, e qoe por vire ara directura e de
proprla coma dos Enados Uoldos, se vendem por
preco mallo barato, cora o Bm de se Introdotir to
reconbecido melhoramenio.
------------Ti L' "---------------
Alugara-se
duas caas terreas, stlas Da Capucga, ruada Veo-
tara ionio ao porto da viuva Lasse^re, de "Se
34, tendo cada toa coxinha fora, cacimba eslrlba-
' e qu.ntal rauradf : tratar a. ra do Tpicbe
|(jrande haazem de tbiM
tas medicamentos etc.
Rna to Imperador n, 22.
Productos chimicos e pbarma- m
ceuticos os mais empregados era *
medicina. Sr
Tintas para todo o genero de pin- S
tura e para tinturaria. flj
Productos industriaes e tintas >
para flores, como bot5es de Cores e modelos em gesso para imitar ^
fructas e passaros com o compe- ^
tente desenho. W.
Productos chimicos e industriaes J
para photograpoia, tin.'uraria, pin- M
tura, pyratecuia etc. m
Montado em grande escala e sup- $
prido directamente de Paris, Lon- 3
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa *
pode offerecer productos de plena ffl
confianca e satisfacer qualquer en- %
commenda a grosso trato e a reta-
lho e por preco commodo.
ra
d. 3
-
CHgti de cwto* virWieas
Pedido ao commercio

das
, -i- Na nova galera americana pode quai
quer pessoa obter retrates aalteraveis,
, O aba.o assfgaado ^,1^ e qualque/ I ^e ha ****?* a se priHaUiva bri-
quaolidade de aigodioem aroco e asiutar; os Al U' e P^mc, de modo qne OS filhos e os
teresAidos dirijaft- ao iwvoado 4e Trombet} netos d'aqui a Butilos mao Ditria cetli,-
'nMJSS^SSn Tte ver nos retract0i tirad0^WP aa fe-
k?TjZ^ rr----------coeseo ?iqp acta* de seas pas eavs,
|
Tf 1 OneBT>nrechiar'dfl'rt'n Vt^Jf \U' iV A "*'**, >< COBtts como d? Itlras j*
r^hi as**Vll,o Mude um livro de
n nan7'Tad/S ^s** ""rcJ* oade cora!
?" B" t1(,o sido possivel acba-lo, pedtt T
SS?r* *? peS8oaJr rto, lera n^sea
poder, se digne mnda-lo a ra larga do Rosam
, o- 37, oo annoopjpr ^ na rjala poTS?
Diaru. qne o abaixo assiguado, proaspio
fazer qoilquer despea relativo io meTmS m
sgradecera' sql^e maneira a qaem "w 112
daddeodeSr.tbrir. O I uro lera sobre a cap"
ZT^"'**?"* e a ***
Villa do Cabo,} de ideir e 48f>7
**f.^fr*l?>^-5->H,iMW____ ^JSttS Agolar.
n -
O Dr. Francisco Gjngalves de Morans madon
sua residencia para a ra Direila o) 93, secoodn
andar onde acba-se prompto para exereer sua oro-
Bssao de medico. v
Na nova gaieria photograohica ata,
ricana tiram-se retratos ero caixas ffraodw
pelo diminuto pre^o .lea^OOU, o mais ba-
rato que jamis te vioemPernambuco e
lindas caixas de bano o de vetudo pra
retractos, muito baratas era proDorco
Na Ra Novo n. 52. '
sos
VICTORIANO PALUARES.
Alga-w no-esriplorio desta lypoiiraDhia
Alaira-ae a pajj da casa n. 93- ifaas Verd a iratar na naesma.
fair com o Sr. eap.iaj V'icaal PW^Hri: "corh
daSiiva morador em Nossa Senhora do O' de
Goinna. t -r**v
Mii it*o e casa em iafcjlofaro rada de Belera
Moleque
Precisa-se afa,?ar um inuiea. e de4J a 13 an-
oos para seryieo de cnaL) ,,1W gej^flel iotellj.
uatov^Tit.6.Sr;'""" t "*-
Satine! Power Jabnsten l'dmyaabia
Ruada SenialaNova n. 4i.
AQKNCIA 04
Fundlco de Law a-toer.
achinas a vuporde 4 e 6 cavarlos
S5aermeiai m?enda? p,rt ^mho.
Fibras de ferro coado e batido para, eoge-
ob5!
.2S. mr para om d008 "vallo.,
tetogio de oiiro patete iflea."
*Sals^a^des'arovr 'jodio..
Rebinas fa costara.
MUTILhn


M nWHMvvpMWMiiMMaag
IWIM
V
'
I

*
Diario flc i-e. uoiubuco rci^a feira l le Jueli-o
.le
l be
Hit; SEVIAL.
Par* o tratamento e eura rpida e competa das molestiai syphilicas, eris
I' rbeu,l?aUsa10' D0Da$> gota, debilidadc do estomago, iofiaromacoes tronicas do gado
e Daou, dores sciaticas, caphalalgias, nevralgias, ulceras clironicas, hydropesia*, 'pleuri-
sias, gonorrheas chronicase em ge al todas as molestias em que setenhaem vista-apu-
riacatao do sistema sanguneo.
Consideracs geraes
A saude um bem napreciavel, cuja importancia e valor s est reservado ao en-
fermo o avalia-lo.
- incontestavel que o hornera nfeste mundo constantemente, e por todos os ladoi
atacado por urna innidade de agentes morbficos que todos tendea, dadas certas e deter-
minadas circumstancias, a alterar fo regular exerciciodas funccSes orgnicas, resultando
pesse desequilibrio o que se caaraamolestia.
A molestia nao mais do que a desvrtuacao das torcas vitaes. ocasionada, se-
gundo as ravestigacSes e experiencias dos mais abalisado mestres da sciencra. pela depra-
yacSo dds humores geraes, consquencia da acc3o maligna desses mesmos agentes morb-
ficos intreduztdos no organismo pelo acloda respirarlo, pela va digestiva, pelo contacto
immediato etc. etc. etc.
A syphilis intelizmente tem sido a partiliia da homanidade, e como fra de dnvi-
da que esse terrivel Proteo da medicina urna molestia hereditaria, ella tem sido obser-
vada em todas as idades, e debaixo de .todas as suas formas to variadas, enfraquecendo
oonsiluicoes robustas, produzindo mutilacoes, e cortando ainda em flor da idade vidas
preciosas.
Eliminar da economa esses principios deleterios. e purificar a massa geral dos
humores tem sido desde tempo. immemorial o fim constante da medicina, e os purgati-
, vos figuram em primeiro lugar para preencher esse desiteratum ou fim.
O Elixir depurativo do Dr. Sevial parece merecer a preferencia sobre todos: 08
unmensos successos obtidos pelo uso deste salutar agen e taiito na Allemanha, como em
Franca e Italia, o tornam o compaoheiro in^enanvel dequas todos os doentes.
Sendo as melejtias, como cima uisatinos, devidas s alleracoes dos humores, o
Elixir depurativo do Dr. Sevial pode sererapregado vamajosainente na syphilis, erisy-
pelas, rbeumtismos, bebas, gota, debilidade do estomago, ntlammacBes chrenicas do
figado e bato, dores citicas, cepbalalgias, nevralgias, ulceras ebronicas, hydropesias.
pleunsias, gonorrheas chroaicas etc. e em geral em todas as molestias em que *e tenha
em vista a purificaco do systema sanguneo; pois que urna pratica constante tem feito
ver que elle iniispensavel nos casos gravsimos para minorar os soffrimenDs, e pre-
parar o doente para medicaces superiores; e as menos graves a cura a cons-
quencia-do sea uso, convenientemente repetido.
As substancias que entram na composico do Elixir depurativo do Dr. Seviai
pertencem todas exclusivamente ao reino vegetal, grande catbegoria das substan-
cias depurativas e antisyp^iliticas; assim, ao passo que este remedio depura o orga-
nismo, eliminando os principios nocivos saude, pelo mecanismo natural das evacu-
ares alvinas, neutral sa ao mesmo tempo o virus sypbilitico quando osle virus j
tem feito rupcSo no exterior debaixe de suas multiplicadas formas; e previne tam-
bem os estragos dessa terrivel molestia, quando por ventura se ache ella ainda no
estado de encubado, isto sem se ter manifestado sob formas externas: beneficio
immenso, taoto mais quanto neste estado os individuos ignoram completamente se es-
lo contaminados por este terrivel inimigo.
O sabor agradavel d'este Elixir convem a todos os estnmagos, a sna aec5o so-
bre o tubo intestinal suave e benigna, e do nenhuma forma produz molestias medi-
camentosas, como acontece ao purgante dito Le Roy, que na sua qualidade de drs-
tico forte irrita a mucosa intestinal, e consecutivamente a seroza, resultando destees-
lado, muitas vezes, hydropesias, que quasi sempre terminam pela morle Assim pois esperamos que o uso desie remedio justifique cabalmente as nos-
sas asseverac5es, porque sendo um medicamento tao simples na sua composico, a
pratica tem confirmado sua ulilidade.
nico deposito em Pernambuco
Na botica e drogara
i DE
Bartothomeo Companhia.
34-RUA DO ROSARIO LARGA34
Casa o Hooteiro
Aiuga-se urna casa ua povoaco du Mouteiro
cori Uns comniodoa, neeiada e banhos dos fun-
dos : a iraiar ua ra do^Crespo o. i'i.
U* urna ama forra ou,
i* lJ4 da esquioa d
ia-se de i1
|r e i
Crines o.1
r----------------1 .i..
Precio-s aiugar
vito : na ra Dlrel
P
Vieiu
i
m'-Ffm, f tjrn lia da
iVumiu-ias novas.
A amiga loja de minelas a ra iL -
o. 16 receben uuvo sorliaieuto de pcjurams<
sondo Uno oxiraeto* e essencia cooer-nlfaila, r.h( I-
tBfeitcs aoves t lcfeeai gesto para
vp$tds.
.. Agua Drai
beu um eitraomi^
iueircad n. S, rfce-
eio-
o, .'cnri sais-i a
i e, <
attuai-
-
USA Ofl
Aos 6
A'RA DO CRESPOS. 23 ECASAS DOCOSTUME i J*$!** Milva o itrgMi Crmo, que se
Oabaixo astignado vendeu uosms oauito oli-
zes bilbeles aranlldos da loteru de extrabir a beneficio da grfji do Divino E-ir- I
to Samo du Collegio, os seguios pfeKitftj
N. 2737 dous quartos cotn a sorta i ,&900j.
. N. 3iJ9 um meio com a corte'de !:200J.
J 25(ltrJ.ja4 qmrlos coa a surte de 5J04.
K. 1497 bilheie mtelro eom a sorte de 200.
E ouiras maltas fortes de 1005, 40 e 2.
Os possnidorec podem vir receber seut repec-
vos premios sem os descontos das leis na casa
da Fortuna a' ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 2* parte da 6'hterla
a beneficio da igreja de Nossa Seohora do Guada-
lupe de Ouda, que se extrabira' na rca-eira
15 do corrate.
Preeo.
Bilbetes......
com
ianibfrxi
'dos.
los.com,fdr!fioi,.,aei.r,5,'argOSeeS'r6"
mado d. 16.
Sohorioha perman do Espirito
tara baptisados.
64000
Meios............ 3000
Quartos.......... iiSOO
Para ac patatas que camprarea de 100^006
para cima.
Bilhetes.......... 5*500
jr, Meloc............ 2*750
Quartos......... 1*375
______ Maooel Martins Fiaxa.

.. Santo ton-! Bonitos ehapensinbos enfeifad*, sanatiohos de
TioS;pesjea8qe lh. tetn pam prado ierras de $el,fn merino, bordados e eofriudus, rn-.ias de
feo miio no lugar d'Agua Fha a compareckrem seda- e ^ dVscocia para ditos. Vendem sc ua lo-
aum ae se passaremo* litlos respectivos, deveodo Ia de "Hudesas a' ruado Queimado n. 16.
^ Bicos e rendas dasilhas.'
A loja oe roiudesas a* roa do Qneimado u. 16,
recebeu novamente nutro sortiroento daqueites boas
e bem_ condecidos bicos e rendas das ilbas, cuja
ortidao, e seguranca detecido, Ibes da' immensa
doraco u os difTeronte tos a que acertadamente
sao aplicados tatem a rSnde procura, e prompla
n. ^ extraegau
polado aquelles que jinda o nao flieram
Attenoao
Precisase de Dtt,a m? q0e Ja|ba be-
cosinbar e faier compras para pouea fa-
itUa ; na ra dU Cadeia do Hecife
38, primairo andar.
m
A abaixo assignada directora do colegio Sania
rsula, previne aos pas de suas a I u. moas de que
os trabalhos do collegio i sen cargo terao princi-
pio no dia 3 de fevereiro indouro.
Ursola Alexandrina de Barros.
mm
au
Na ra da Cadela do Recife o. 58, trocara-! e
sedulas das caixas e banco do Brasil cora pequone
descont.

29 iiua 7
efronte da roa nova
GRANDE S. MAURICIO
PARA V
TlngSr,* liiupare lustrar a vapor.
lili
de setembro 29
Os propietarios deste estabeleciraento, o primeiro no sen genero no Brasil, por
trabalhar com as macivinas mais aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que sc faz uso na
Europa, eajudados por aiguns dos melhores officiaes de Paris e Lyo, podem assegn-
rar seos freguezes urna perfeijo no trabalbo, a qual senao pode chegar pelos proces-
sos ordinarios.
Tingem, lavam, limpam e demoam com a mair perl'eic3o e brevidae qualquer
qualidade de fazendas, tirara nodoas e limpam secco sera moliiar as sedas e as vestimen-
tas de senboras ede hornens.

Companhia delidade de seguros
martimos e terrestres g
estabelecida no Rio de Janeiro:
AGESTES KM PERNAMBUCO J|
Antonio Laiz de Oliveira .heredo k C, m
f competentemente autorisados peladicec- Q
toria da companhia de seguros Fidelidad j
de ,tomam seguros de navios, mercado-*
SjS riase predios no sen escriptorio rutda 9
91 Crui n. 1. &,
mmmmmmm^mm wmm
Alnpa ?e uma casa em Bebente : a tratar
comj. de M. Reg, roa do Trapiche n. 3i.*
PrerLa-e do um co.Mnheiro ou r.osinheira'
preferindo se escrava : a-iua iro ftueiiriado o. 23J
Deposito de pao e cestas
Ra larga do Rosario n. 96.
Fructuoso Martins Gomes nao querendo fallar
ao ompromis.'o de aor.sentar seo estabelec-
ment sempre sonido em as mais modernas obras
de palha de. vme leius n-Europa, aj*oa de re-
eeber um novo sorlimenlo de bercorpara crian-
Cas, bercinhos para honf cas, baUios de meninos
aprender a angar, dos grossos para costares, di-
t)s para facas e garios, jarros de depositar papel
rasgado nos escriptorios, balaios grandes de depo-
sitar roopa suja, actales, condenas redondas, ees-
ias para compras e oulras diversas obras de re-
rnessas anteriores ierao vendidas por um terco
menos que em outra qualquer pane. Os nasso
freguezes de Macelo e de outros lugares sao ro-:'
dos a enviar-nos suas ordeos para em tempo p^-
derem ser bem servidos nos sortimentos que qui-
zerein.
Preoisa se de ama ama de leite : a
ra oa Praia n. 43-
cao como ronstafyeniente lerri acontecido ;
pois concurran os pretendente-1, qoe a vifia
dos preces nao tfijertara.* em
Ama ciuioheira.
Precisa se de uma ama forra ou captiva
coznbar : na loja da roa do Crespi n. 17.
Na roa do Hospicio n. 48
econmica.
para
criado.
precha-se
t_
de um
COZINHEIRII
Aluga-se ora preto o'.ioheiro :
larga do Rosario n. 3i, andar.
a tratar oa ra



Hdame Millocheau Buessa'd retirando-se para
a Franja acaba com a sua Iota de modas da ra
da Imperatriz n. I.
Precsa-se de orna ama para todo o sertlco
de uma casa de pouca familia : oa roa do Hospi-
cio n. 62. m ^
Madame Millocheau tenoo de sahir no flm de
fevereiro. convida s senhoras suas freguezas a
aproveitar esses poucos das de liquidaco para
var comprar o bom e barato, particularmente em
icos verdadeiros, rendas, bordados, Stas, trancas,
florei^miudeas, leques, pentes, espartilhos de se-
unora e meninas, e muitos artigos de modas.
Ainda esta fgida a
assim
da commodidade
'. comprar.
""", Grasa
i t Em caixinhas, lalas e hirris, a' loja d miudsas
a roa do.Quejinad n. 16, recebea novo sortlrreu-
to dessa boa graxa econmica.
La para btrdar.
A loja de miudesas a' roa do Queimado n. 10,
reeebeo novo sorUmefllo de Ia Qna de bonitas en'
i res, e como sempre vende a baratamente, e 0 ; tmenlo a cuuionio d.. ci-mofador.
Bonitas caixinTas, .
De madera com enfeites dourades, e outras de
| metal para guardar j .ias. Vendem-so na ra do
Qo/iroado loja de miudesas n. 16.
Eufeile e t^rioaldas.
Na loja de miudesas a' ra do Queimadn n. 16,
acharo os apreciadores do bem, um bello sorti-
mento de bonitos enfeites para bailes, theairo* e
casamentos; assim coreo delicadas grinaldas para
nolvas, eaixos de flores finas para enfadar os ves-
tidos de ditas, e muitos outros objertos, e lildo se
vende por precos tao rasoaveis que o ceiErrador
experleote, nao se airave a < bjectar a resprtlov
Babadinhos bordados, entremeios ditos.
Todos de Boa fcaarbrsla e delicad s bordados.
Vendem-se na loja de miudesas a' roa do Queima-
do n. 16.
Planas irancas e de cocs.
Vendem-se na loja de miudesas a' roa do Qoei-! ?a, t!e ndai-j c.m. sa, com tinos e torito:
peutes para tenues, emuits outros objectos d*
moda.
Eutrcueios.ebaMinbos.
Boa razenda e delirados bordajes, e.-tam eipos-
tos a venda na roa do Quelmado. loja de Aguii
Branca n. 8.
A A;nia Braftca a >oft' do Oofeimado n. 8, tam-
bera vendemal bons espartnes.
T Blira para c bellos.
A /\puia franra acaj^a de receber novo sorb-
mentidas 1. ni cuoliecidasiiuturis Cliromacome,
Marques e H.iWtf.u Can qoato os preros de dita.-
eslejam um pcMcA mais elevados ( por cansa de a'-
lraco (jes ifwius ;-, cen luO o a pe(j... n.v
dilleieoca que ta de tazer do* mneos velhos; assim
K.'.ntinuem es pretendentcs a di ijilrem se a rna do
Qucimadejoja e Ajuia Branca n. 8.
Olijccls 'le Nirr-achas.para loto.
A Agoia liran.i a' rea do Qneimado d.-.S, rece-
beu esse* novoa objertos do borracha i ?ra lulo,
sendo alflneiies, Lnnccs, pu'^eiras. TOltas de cor-
rentes, cu renten para r$!ogios, assim como outro
igual .eiiirr.Dlo de obras < vidro, tendo de o ais
flrellas de mult-j bom pnsii e cinios, e lado Isso se
vende por prego* r.isoavels.
remes e flor* pm coques.
Obra ite i.'.rn (NW, e ioleirimenle nova,a Agnu
Brucraa" ra do Queiraaio u. 8, recebeu nos pe-
queos peines cem uma flor da ir.eial, obra de nt^
vidade e cuito'gosto, e proprws paraceqoes.
0^ E novidade, ex^isU a venda na ra do Quei-
mado, leda da Afilia Branca c. 8.
B miles e m drrnos en faites para bailes e ih -
tros, rom fitas e flores, com coques e sem eller.
Delicadas capellas brancais de rozas e flrde larsp-
ja para tolvas, riixps do flor d laracja pn-| rios
para pellos, hombros barras dos vestidos do coi-
vas.
Toques' finando cabello.
Lism e crespos, singt&s e imposlos, de gem- s,
canudos e rtdend^s, cberfns com iet simples o
de vidrir.RiS, ertMos cem Drese filas, obra nova
e de gasto.
Pata selucas e Meninas.
foque* lios di- coreperol e os.'o, tedo d
mado o. 16.
r preta Josepha mnda o
nome para Jeuoveva, crioula, representa 25 annos, !
levou vestido de cblta escura com palmas, chilesftlc-
cr de rosa emearnado, lem as ponas dos dedos
da mao direila comidos ie urna roda de fazer fa-
nuha.lem sido vista nesia cidade e seus arrabal-
des ; roga-se as autoridades poliches e capitaes
de campo a apreheoso e mande a-ra da Cadeia
Vellia no Recife o. 19, .que sera' pago todo o seu
traba! bo.
---------------------------------1--------------------------i------------------------
Franjas
m ellas,
Vendem-se na loja
dseuhos.
Obras de madreperola.
Com borlas e sem ellas,para cortinado1), lalha Bonifos peutes de madreperola mu alvo [ar;.
se na loja de miudesas a' ra do' f.015""* "d*'"'"
Qaelmado n. 16.
IfM c benitas fitas.
Lizas e lavradas, larga e estrellas;
ellas de. dita dita para cilos, de-
lirados *lflnetes e briacos, botdes para punbo-, i-
bra prima.
na loja do miudesas a' roa do Queimado n. 16.
Bonitos enlejes para vestidos.
loja de miudesas a' rna rio Qoeimado n. 16,
'I Aderecos. nPntes e flv.-llas iioaes de dita,
venden se bocos. Pivellas e liia<
^


iXIIBO
ciador.-
Ai
Saeiedadc
porlHgQeza
sobre aivida,funadae
de seguros mutuos
atlininislratla pelo
B \NCO ALLIAJVCA DO PORTO.
Todo o pai que desejar acautelar o futuro de seqs filhos dev,e quanto antes,
azer inscrver- os seas nornes na lista;dos socios daPrevidentepor que, com uma
pequea quantia que, todos os annos paro all fr a.plicando,: tirada do fructo das suas
eeonotnias. no fim de 2-5 annos alcanf.ar-lhes-ha uma fortuna, que por nenhum outro
aeio e com to queno desembols poder obter.
Os ejemplos praticos de outras sociedades anlogas tem mostrado que;
HJUSUOU [tilmos aiiniialmeiite> /i
Na fwdaria da ra Direila n. 8i pr-cisa-se de
um caixeiro hakliiado e que d fiador a suaco n-
ducia.
Auna Preta
Declara-se que os quarlaos do engenho Florete
e lao todos de orinas cortadas e rons-rva-se pela-
dos rte tpeles, crinase raudas to rentes que as
caudas rnosiram os sabugos, como tambero ferra-
dos no lado direii.i d'anca e cixo por um iriao
guio, porlaoto estao isemptos de. tiegociar-se : ro-
ga se pois as aoioriJades polciae.s que uo dei-
xem passar qoem conduzr algnm desses cavallo
.-era carta ou carga du suyraaito engento. Deste
mesmo eogenho fugio a escrava Mara cooheclda
por Cooceicao, crionia. prela, idade 22 annos bai-
xa do corno, ps pequeos, (alia apressada, rosto
chelo e de cor como qu-aiuarella sem estar, esta
m-gra pela senunda vez que foge somente para o
engech) Bom Fim, onde esta acuitada pelo pai em
f rvo do Sr. Elias Jjs da Silva, cmn desejos de
senrioi-.a comprar, provavel que a depnzesse es
ouiro lugar.quem apegaV u dar noticias, certas
se. geuerosamecte gratificado paganJo-se ainda i odependebeia o. 12.
qualquer de-peza.
Francos Ment1, faz ver ao respeHavel publico
qu i muilo breve vai expor um rico lidiorama viu-
do ba poeo tempo de FraDca, contendo 24 vistas
e os''
"r i
i .a vero em dlreccao) sendo dos lugares mais
N uiaveis de iflerentes nacois, assim como tule-
rioras de reos templos, palacios e excellentei
quadros religiosos, os quaIros de gurra, pracas
publics as mais nolaveis. e as vistas do inferno
tildo isto ao natural, da qual o mesmo senhor fa-
r puoflcar no Otario o da da abertura, esperan-
do a concurrencia do respeitavel publico
esta recentemenie provida d^ mu bonitos eufeiles
para vestidos, seodo biecs de sia tanto branco
como pretos, de differentes larguras e com vidri-
llios, ou sem elles.
Trancas e galSes de seda dos i)Umos gostos, di-
para cintos, cintos rr.ab-
saces, otra no:.?siii:a e. de gesto
Li.<3os enffifes Sobooq g>ara
scuhora
A agoia branca tema alisfacao de ooliriar a
Ma lira fregoezia que acaba de receber llndi.seo-
reit.- loat-iiti titiras ilelicadss, de cunta uin
m.i ,-i da, o^que sera devldaioent apreciado ; .';)-
eicelieniisslmas .-enhoras de bom
tas com vidrilhos, pre.as e ^rancas e de d.fferen.es ^^^^r^oTo^^^ w? f n
larguras e gostos. Pitas de vejludo pretas e de j qoem fe dirigir a roa ?SSm0 Ma d iw
,ra a desejar de rnehor pelo que receben Sn^T S? ^ E VIa raoilaS oolr?s 'Mnc 8
objecta a comprar. (^T' Rnlia do lia-t-i.'h.i if3 (''jadim das oan l]:,fesarilliaes, e aiem lr
iutids ut io.f.iCi.ct. bom soriimecto que sempre se achaem dila i.ia ;
ue diversos tamanhos para brinqued^s. Ven-' *guia acaba de receber novas Oore= nas qnaei -
dem-se na loj de miudesas a" roa do Queimado coobece 9 rigor d'atte imiiandj flores nainrae=
" 16- [Na l-..Ja da sgnla branca a ra do Queimado b. S
I acharaoos apreciidores do bom e delicado caixe c
apra-
Na ra de. S. Biin Jess das Grioulas n. 23
lava-se e eogj-nma-se com parleicao e por preco
com modo.
Precisa-se de 'rabalbadores para pid-ria
na ra larga do Rosario n. 16.
1$
IKtS'HSKS*
Compiim-sc escravos
Silvino Giiiierme d Ilirros, cooor.>, vende fe
troca etfei-,iiv.ine,aie escravus de. aii,i>f>s o> sexos
ede i-idas aj idade; : a' r^a uo Imperador o. 79,
erceiru andar.
Ouro c prata.
Em obras velhas : cok pra-se na praca da ln
dependencia n. 22. loja de bilhetes.
flores com compridas rama?, r- -.as, ele, \\ui<: do
melhor gostp e prloira qualidaic.
Licias [>retas para pedrs.
A agia bradc a' rui do Queimado 3 rece
beu novo sci!ii:>iup rtquellas boas mei*- preas
de iaia que oMttmaa a ser vendidas a SC0 c
par. i
Viadoras e d^wins.
A cguia branca V rn. do Qiielmail,. o. 8 rece-
Compram-s- lioras
steruas
ua praga da
Por uta meDino de {
de i
de 2
de 3
de 4
Pif uma pesoa de ii a 20 auno*
de 20 a 30
de 30 a 40
de 40 a 50
dia a 1 anno.
a 2 annos
a 3 -------
a 4 .....
a 15 >
Em 5 an-
nos.
Em 10
annos.
Em 151 Em 20 an-
annos.
1:1000 4:0000 fccOO/J 20:OOG# 47:000*
900,51 3:0)00 7:5000 17:0000 37:0000
860# 2:9000 7.OO0 U:OOO0 35:0000
8600 2:8000 7:1000 15:6000 34:0000
8600 2:7000 7:0000 15:5000 33:3000
8600 2:7000 7:0000 15:4O0 33:3000
8600,2:7000 7:1000 .15:6000 34:0000
8600 :7OO0 7:2000 16:0000 37:0000
9000 3:0000 7:5000 18:0000 50:000
Quera' preteder subscrever para a Prevideolae desege quaesquer esclarecimen-
to pode drigir-se. em Pernambuco aosSrs. Manoel Joaquim Ramos e Silva, ra do Vi-
gario n 11 que darSo todos os esclarecmeDtos qoe se desejarem e prospectos gratis, a
quem os pedir. .
nos.
Em 25 an-
nos.
16$000 mensaes
Alaga-se a casa da ra do Soreg n. 8
p-lu preco cima, A^ual tem tres quartos,
2 sallas, cozmlta fofa, quintal murado e ca-
cimba: irata-se na ra do Vigario n. 23,"
com Jastino da Silva BoavUta.
PIMIGR4M.H4
Compra-se ouro, praja e pudras preciosas em
obras weltis : na roa da Cadeia do Recife loja
de eunves no arco da Conceigo.
* i- orpra-se n rui da Cadeia do Recife o-
08, cruro^a^ipddjrt) i P>^ as qualidades<"
IVesrinha.
Na padaria da roa Direa n. 84 se dir' quem
compra urna oegiialu cou 5 auuos d-^ idaoe.
cores para vestdof
i. T:,ra.
cra j
Si padaria da ra D'ieita o. 81 se" dir'
qoem co-xipr.i uma escrava preta ou molata, reco
Ihida, que saiba eogommar e coser com perfeicao.
No da 17 do carrete, pelas 8 horas da oolie ~ -r -,---------
sera' levantada a bandeira da fesia do gUrioso H ~r pra'?,Barraf;ls obo,']as ,az,ss na fua
manir S. Sebaslio. com a costumada p^mpa e de-
r^m1 Qc runa -i' t-.mA*
cenca ; e no dia 27 percorrera' as ras, a' tarde,
o mesroe glorioso ftlariyr.em solemne proei*sao, e
a' uoile se qoeinura* m variado a liado fogo de
artificio.
Con "versos lolervalbjs, a' larde e a' noite, mag-
nficos baloes subirn ao ar.
No Evangelh > orara' o Rvd padre Leonardo
/oao Grego, e no Te-D-um o padre Jw E Viauna ; sendo a nitisiea dfriirida pelo professer
Porciuucula. Oulro sim, prepara o encarregado
da feata diversos motivos d-; distraccin para bem
agradar lo patritc*, em virtud* do qoe espera q ie
a festividad? mereea concurrencia dos tiabitimes
de.-ti Qi>at Havera' n dia da fesi
ciaes da capital para a villa do Cabo.
A commisso administrativa das obraa da
igreja matriz de S. J >s, compra 100 caibros de
qoalidade de 40 palmos de comprimeuto e de
grossura reforcada.
VENDAS
ao va-
30,
as espe-
Companhia geral hespanhola de seguros sobre
a vida
ATORISADA PELO RE\L DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1851
BANQE1R08 DA COMPANHIA DIRECCAO GERAL
Banco de Ilespanha Madrid t Rna de s. Agostlaho
I n.IO
SUHaetle da eompaiilila eai 15 de jiilh de 1866.
Apolices 19:700 Capital Rs 127:1440670 oa moeda brasllem
R. I,714.4760000
A Nacional abraca t fazer-ses ibwrpfi > d; ando qfle em nerrbam caso se perca o capital imposto nemos la-
cros wrrespoadeijtes
Uma allanta depositidalaos cofres dojestado, garante a boa adminislracSo da com
panhia.
Os fondos da comptnhia se invertera em tila(os do estado e se depositara no ban-
co de Hespaoba, A^Oititrvt; ico do dale^a^o do governo e do conSeth admistralvo.
A oompniiajj estraanaa toJj a empieza eu espiculaco perigoss.eo tiwtes wj
que se invertem os fundos-imposta m mesma, n5o corrern o marior risco, pois estJo,
garantidos p> pode-se dizer pr>r toda a oaco.
Prospectos e mais tfiformaces ier50,'prestjrdos;'n,e8ta provincia ra d# Cadeia lo;
0;
de pai'ta.
Para,: u Sr.nertnU da coma \ VeDde,e no escrPtono deste durjo
a. a j n v 'a 160 rs.: ra dasCttizesn. 44.
ntuade wporef.de-Peirwm^
buco. ver, .....i i,b^
Admirem os presos
iVoarmaem de lazeidas de Sarita
Coelho.
Ra deQueitlsdo n. 19
Vende se :
Madapolao enfestado Bnj a 9$ a peca com SO
varas.
Dit -s de 7, 75500, 8$, !>, 105 e lt,T, a "tes ib i beu novo jritmenS de'v'isp.*'
- 20 varas.
CamnraJa de lista de dnas
800 rs. a vara.
Baloes de arcos pan snohor?a 2-S'OO. I e 550i'
Dtos de arcos enlamados de 3/5500 e '
Ditos de muigulina a 'j^SOO.
Bilo do arcos dt \ r poleas d-> 15603 e s.
Toalh;.s de bobo Icohoadas a 12,3 a duzia
Ditas de feliro (pello) a 134 a duzia.
Aioalhado adamascado de al^oJo a H
Da; dito dM linh.. a lija vara.
Branunt'ide linho cuq 10 palmos de
2->00avara.
Diio de dito dn 9 Ii2 dito a 2100
Uito dito de S dito a 1*200. -
Dito dito de 3 1|2 dito a 800.
Algodo enfeslado com 7 l|2 ditos a 5t00.
Retundes de fil preto a 7JL
Bonrnus de dio a I0.
Chales de dito a o.
Cambrala adamascada para conloado com
ras-a 13> a pega.
Lencos bulliros de carcbraia finos de '11.
38300 o 45 a dura. **
Latinha eom flores muito fina a 400 o covado.
Dita lisa d.ta a 480 o covado.
Cambraia de lioho lina -i 64S00 a 94 a vwa.
Cambraia lisa moito fjoa de 5, 63, 63300, 7 i
83 a peca.
C'rfxas de fustao alcocbnadas brancas e de cores >
Cobehas de chita da India de 23400 e 23800.
Leuces de h.mburgo fino de 23400 e 236O0.
Ditos de bramante de um s panno a 33200.
T?rlalana de todas as cores a 800 a vara.
Moreaoiiqoe preto superior a 23600 o covado.
G^osd,eoaple de dito a 13800 o covado.
Faoella re cores a 800 o covado.
Cambraia deSalpicos branca com 8 Ii2 viras p
ca 15500.
Fil de lioho liso fino a 800 a vara.
Dilo dilo cora salpieos a 900 a dita.
Goardaoapos de lioho para mesa a 3330D a daiia.
Assim com j tambera se encontra um completo
sortif^ndar^M,^^ medida.
s em caixaa lv r;J-
dr-ira e paren- conj 24 e 38 canSts, lendo tttre
! elles a'ttbtis'Om rtia^ ao meul para cobrir o ,r<
niero ; as brDC< e tuvernisada.
Bot5e grandes
c peqaciios, pret s e de outras cores.
A agina hrnr. recebeu um bulb sorlimeuio de
botes de dver.- qnalidades 9 gostos os n:s.~
moderocs, a elles bea fregueri da agula branca,
comparecam a ra do Queimado n. 8.
AROPTERRGilOSd
BE CASCAS DE LARANJAS E CASSIA AMAUCA
Com iodureto de ferro inalteravel
lie di. i. L,roite pbarmaeeutic:
em Paria
E sob a forma liquida que mais facilmcn
se assemetoa o ferro, esto, sem produzr
perturbacao, alguma; n'esta forma, tambem.
preferivel s pf'las e pssllias em todc
os casos 633 que sao prescriptos os ferrugi-
nosos. E o melhor auxiliar do ole de li-
gado dehabalho, porque conten o xarope
de cascas de laranjas amargas, tao gera -
mente appreciado, para a cura das dores de
estomago, digostoes diffices, inappetencij,
ce
Dep'.sto"em todas ss phaimacias e casas
de drogaras no Brasil.
Expecoes.enic.-Ki deJ. P. Laroze, me
des Lions-Sl-Paul. 2, Paris.
Deposito era Pernambuco, pharmcia de
P. Maurer & C. ra jjova Id.
.-T
mpni-
A.
Doos ou ffcs toJIviiuof MtidaMas na Acarac,
avesdo ao erime de furto, sem nunca lerem sido
punidos, acabara te causar fim prejuii) a ssa
companhia. llevada pela enchente do rio uma
das barc^cas dessa eumpaobia a' ceria Una, e ah
permaaeceodo, talvez pf>i4efruido, alguna meies,
aproveitaodo o ermo, esses individuos meiteram-
Ihe os machados e tirarimi!ba boas 'e-famosas la-'
Bom negocio
VsBde te urna armacao cora pouu n*o, envidra-
cada. propria para rjualijoer negocio, tambem se
veud..m WluS t p Objectos perlenceotes ao mesmo e'sl beleclmenlo,
tudo por molleo precJ : no largo do Carmo q. 9.
Aos 6en./W*, de, engento
Vende >e o bbolio cavatto castanbo de 6 ar|-
boa* que empregaram em cousas de sua otilfdade. aos dnilLde. andador de ba no a.meio :- a tratar
*>ea de mel e iftema' ua>a-Ro3a o. 00, cebeira do Sr. Thoma^,
. 5*, ru da Imperatriz n,2 e rna do Irrfrerador P
NnarcU francisco de Vidal.
32, drimelro endarj pelo S
1 lo;
. D-
Fulizmeote andando a
Antonio Jos Ferrena Jnior" Bento Jos* perf"|'. 1 teoto prego 2203
ra presenciaram as escondidas todo -----------
reconbeceram perfellamerrte os Iaraplog.
O agente d cjrafMhla Froeeo Xxvier Tei-
xeira requeren corpo de delicui, i;ada o damno
causado a tallado em 1:2003.
Garaole-se ao Sr. gente qua os larap os gao
potmtarlos mellido* a rico; | Mtlvu osle talvex de
nao ter sido ja' scfenllfkada'pelo ageole d'alli, qna
alias comprldcr de seos deveres.
Vimus b corpo d dslieiu um mao do Sr. apeale
e afflancamoi que eolregu- a Oioriu Samuel de
Oliveira on a Luir Samlco, e)ai-> procuradores, se
erTecJaM' a devid cnbraofa., Ua. medj
tica.
Acuac, 3 de Janeiro d< 1867.
;
C. M.
PretUa-ss de nraa rn* que saln cotiobar
a lf!r ua ra -i Aojorim 0. l, anlar.
\ ende se ama u&eroa na ra Imperial com
gneros oa f/'armaafc-i s ; n um p/et^oder diri-
ja-se a Uberoa 0. i44. ^ .._______
Vendem-se tres earrocas e um carrlnho
bois.un sem elles : na rui do Jismim n. 21.
Vende-se um sW>"rf%~roiiHfe--Befn 6ca co
casf para familia, arvbre.lo? e algorii terreno ;
trau se na r dJQlertaid> b. fS A, cem afti-
boABa-tis. .
Veode'$um eabnoie s ilus rodas pinta*]
Melnh' e '-,rrado de novo : na roa da Concordia n. 7 oa
"Tf ,-ero a cochalra de ,Q|i|at^if0S; A A;r*___________
^*f; Aefaasea fetfa na runde S. Frnttaseti*,
______ 16. uma escrava, r.rtoola. liada lo annos, sabewio
-i |vrt-eog^oaiai e cf^tiar.__________________
(Jal e ptftassa.
I Vend se n iva, de b>a qoalMa'4 i i prWdS com-
aiel-r : u< ra do Apoib 0. *>.
t u e
r * SS>
s 3
%
9 m- "O-
T3 ca.* a
rp 1 CI-
Si -i SC
1 c a 13
s tari* ce
Coliarea ftoyer
ou
Anodinos electro-magnticos contra-as coo
vulses, e para facilitar a demiento uai
criancas. A aguia-branca na ra do Qp.o
mado n. 8 recebe-os por lodos os vapo-
res fraoce/esj.
J esto-to cenhecidos, e lanto se tem espalboo
a fawa deses^rodlposos collares Royer. que s
loma despec;-sario diier mal alguma consa or
abonar fc stuj oos e e efgcazes-eflellos; hasta c
tesaraunho difmiihires de pessc-X qoe tero vm,
e ajirovel/ado o fe.ii resoludo desses lio uie-
qaj warie cellares Royer. A qooiuliana.
crejcaac racfiao, : que vo tendo, mostra ainaa
qoe-' numero Oot prodigioa se eleva como todos
:os Bomprtdarts. Ar aguia-branca, pifm. r-*-
-anr ctmeotrT-paca nm Om de lanto apro\e-
iDVVtm "filB tiiecessarias pedidos, paratyt
pgtdas- o vapores frtaeetes Ihe seja remettfu
cejt quiniidad-. ds ditas collares, para assim fr-r
car-se abl|ivel a aorumeDio delles, na leja d -
ganbranca, ra do Queimado Or8.
_
demjminaf
atl
proi
me!
Bal
Fie dealfedo da Baha
Venderse no escriptorio de Aotoolo Loia de 0!-
pe A^veito J C., 90 seaescrip:.;r;o roa da Cruz
V.
V ende- e
a-fregoetla de S. Lpu-': ircs a|pr;ea8uS para, dous cavillos, dilo diii>
t de Goianna. n|ia'Je*atr0 ettva'lla.*, machinas para descaroc.-r
de cooiprimnl "'r'dt d ** il 0, 30,35 e 40 serras, prei-
c.umbt de aS B? enfardar IgodSo faxend.0 as sacras ron.
.-ngenh Se L= palrrlo? dectmiprimento, com o p su de. tK t
propriopa- ^^ kbfa, viadas nuimame.nie da ameri-a-, no
!rm|tfnt t o. S, jooto ao gabinete portogner.
-* Vende-se uma bonita crioula de Ifi
ji-se MengarnioItaoirema de Cima ou 00 fiecife nm booilu moleonioho de 7 a ira-r ni
5 roa di P. x D. 37 11 Sr, do Reg Mello. F gu n. 9. mmr^wo W7f *** "
ann^,
roa do














I 1,1,. .



Diario de Permuaouco Terca lelra 15 de Janeiro de 18b7.
------------.

t '
O ARMEZAM
NIO MERCANT
53 RA DA CADEIA 53 ^
PA3SAMDO O ARCO DA CONCBW4.
Acaba de receber e tem por bartissiraos precos
alm de seu acosturaado e muito completo sortimento
le gneros os se^nintes abaixo declarados.
Queijos de Minas.
pegados pelo ultimo vapor a i#600 rs.
(Jomina de milho branco
americano.
melhor qne ha para papa, po-do-l, bolo,
angica, creme etc., muilo substancial e
uudavel a 6*0 rs. ada pacote de i 4tbra. e ^qqq rs a SALMO E LAGOSTIN
'.begido altimamente era latas de 2 libras
i#60Q rs. cada urna.
i
CHOCOLATE
.rancez a 500 rs. o pacote, dito hespanhol
pecial, o me'hor que teravindo aomerca-
4o a l#i80 rs.
LATAS DE LINGUIQAS
oom 6 libras ermeiicameate fechada a
4*500, e lo barril a 640 rs. a libra.
VELAS PARA CARRO
m pacotes de 8 velas a 900 rs.
VINH0 DO RHENO
> verdadeiro a 25000 a garrafa.
BORDEAX
las mais acreditadas marcases. Jalien,
aaat Brion. St. Emilioa e St. Esteph a 800
i. a garrafa e 80000 a duzia.
0 EXGELLENTE E AFAMADO
COLLARES
sngarrafado dabem conhecida casa deDe-
-ant 4 C a 100000 rs. a duzia.
PORTO
iversas qualidades engarrafado, inclusive o
ais fino que ha n'este genero por 800,
-.000,10200, 10100 e!05oO rs.a gar-
rafa.
OLD CHERRY
> mais supe1 ior do mercado a 10500 rs. a
arrafa e 150000 a duzia.
VINHO BRANCO
celienle qmlidade, de Lisboa, e proprio
para missa a 800 rs. a garrafae 80000 rs. a
taixa de duzia.
VERMOUTH
mperior qaalidade em caixas de 12 meias
farraf fa 10200 rs.
MUSCATEL DE SETUBAL
o mu to excelle-tte vinho mnscatel por 200
a caixa de duzia e 20 a garrafa.
CHA
hysson de primeira qualidade a20800 rs.a
libra, uxim o qte ha de mais fino a 3# rs.,
alm destas ba muitas outras qualidades
proprias para vender a'rtalho, que se vende
a libra.
CHA PRETO
o mais especial que tem vindo a este mer-
cado a 20600 rs. a libra.
,-MACAS
estrellinhaspara sopa m caixas sortidas de
8 libras por 40000 rs? palnarim, macarrao,
etc., afliOrs. a libra.
PREZUNTOS
os verdadeiros de Lomgo a 640 rs. a libra 9
560 inteiro.
JALEIA DE MARMEELO
em latas a 800 rs.
M"LHO rNGLEZ
diversas qualidades a 720 rs. o frasco.
MOSTiRDA INGLEZA
maito nova a 800 rs. o frasco.
MOSTARDA FRANCEZA
a 640 reis o frasco.
ARENQUES
em [atas a 600 rs. cada urna.
GARRAFAS
brancas para mesa superiores a 50 rs. e a
60 o par.
COPOS
diversas qualidades e tamaohds a 30 rs., 40'
50 e 60 a duzia.
CAPACHOS
de cores e diferentes lmannos a 500 rs.
640 e 8u0 reis.
BALA'OS
diversos feitios e para compras desde 500 rs.
at20 rs ditos grandes proprio para roupa
de 30 a 50.
GAZ
o mais superior giz liquido em latas grandes
com 5 gales por preco de 100 rs.
114 D4 CWEI4-53
GRAIVUE LIQUlll%AO
23 Largo do Terco 23.
Joaquim Simio dos Santos, dono deste bem sortido estabelecimento de seceos
t molhados, faz sciente ao respeitavel publico, tanto de>ta prac* como de fora, que ve-
aham fazer suasde-raensas a e.-te estabefecimento para verem-a grande differenca que faz
para menos preco, caso fossem comprados em outra quaiquer pane. Etodo o freguez
iue comprar de 1UO0OOO pira ci na ter o descont de lu% pelo prompto pagamento,
'az-se esta gran lo diffarenca por estar-se era liquidado.
Gaz americano a 4oo rs. a gararfa, e 90 a lata.
Caf do ko de 1.a e 2.a sorte a 2*o e 2oo rs. a libra, e a 60 e 70 a arroba.
Queijos de diversos vapores a 204oo, 208oo e 30O"O cada um.
Pbo>phoros do gaz a 202oo a grosa, e em porcao se faz abatimento.
Cerveja de diversas marcas, duzia 50, 505oo, 60 e 70.
Arroz da me hor qualidadea 12o e lio rs. a libra e a 30ioo e 302oo a arroba.
Paoel de linho marca viido a 40ooo a resma, em porcio haabiimento.
dem fino de marca martello a 505oo e 60 a resma.
Vinho das melhorese mais acreditadas marcas, a 207oo, 30 305oo e 40 a caada e
i 36o, 4oo. Sea e 56o rs. a garr ifa.
dem nranco superior qualidade a 40 a caada e a 56o a garrafa.
Cha mindinho e graudo da melbor qualidade a 20, 202oo, 205oo e 208oo a libra.
Manteiga ingleza fina, a 10loo, 0t2o e 102ooa libra, embarris ha abatimento.
dem mais baixaa 72', 8oo e9oors. a libra, em porcio ha grande abatimento..
Iemfranceza muito nova a 4o rs. a libra, e era barril ha grande differenga.
dem mais baixa a 48o, 52o, 56o e rtoo rs. a libra, em porcfio ha abatimento.
Vinho dj Porto engarrafado e em barril a 6io, e a 10 a garrafa.
Alm destes gneros ha ontros miitos assim como boiachinhas de soda a 101oo e
Calata, ebourjeas egenebra de todas as qualidades, massas para sopa, copos a 50a
duzia, s no Conservativo largo do Terco n. 23.
AlMfAZEM BE FAZEtfDAS
OLYMPIO GONQALVES ROSA ]
Ra do\ Livrament n. 14. J> I*
O propietario deste estabelecimento faz sriente ao respeitavel publico e ios seus amigos
fregones, que tem augmentado a sua offleina de alfaiate, e dirigid*, par ora hbil mestre, se ene ir-
refa de'-fazer eom promptido qaalquer encommenda, das^assoas qe qnizerem honrar seo estabele-
cimento por precos mais baratos.
Assim orno tem um completo sortimento de fazendas ffois (as qaaes nSo sendo costme pro-
corar as lojasdo Livranreoto) espera que seus amigos a Ngaeie* o honren, coa saa presencas,
os vende mais barato que antro quaiquer.
BASW4S DE Mi PIST4.
A' loja de fazendas de Augusto Porto & CL
11 Ra do Quwmadoll
A' loja de Augusto Porto & C chegaram- as memores basquinas de seda
preta que se veodem por mdicos precos.
Vestidos de moin de cores para bailes e partidas.
Ricos vestidos de Blond com QfMita e capella para noivas.
Costumes completos de casemira para horneas, fazeaSa especial, sendo
as calcas e palitotsiia ultima moda.
Bonets de palha da Italia para senhoras e cha;ios da phantasia para ho-
rneas.
Enxovaes envestidos bordados para baptizados de 100000 a 300000.
Camisas ioglazas -para hwaem, peito, punhosecolarinhos de linho supe-
rior.
Ricas satas de linho borladas, baloes, espartilhos, meia&flnas, lenr.es
bordados, camisas, "camisiohas, manguitos bordados para senhoras.
Cotias de seda, e de la e seda para camas de noivas.
Cortinados bordados para camas e janellas.
Tapetes pira soft, cama e piano e pannos para colwir mesas.
Bramante, Brilnantina Miciennes ou cambraias de pafos, fazenda muito
bella para vestidos, silesias, bretanhas, e cambraias transparentes tapada e
de linho. i
Moireantique branco e preto, sedas brancas, de cores e pretas, e gres-
denaple do todas as qualidades. -
Brins de Itabo bratteo e de cores dos raelhores.
Neste estabelecimento ha sempre sortimento das melhores e mais baratas.
Esteiras da India para for ar salas
11Ra do Qneltnado11

LOJA DA FRAGATA AMAZONAS


Monteiro & Gmmaraes.
N. 5 Raa do Qaeimado n.
K
MACHINAS AMERICANAS
Terdadelras do fabrleavte X. V. cantfongla & c.
Hoinhos americanos para moer nilho.
Na ra Nova n. 20 e 22, grande deposito
das verdadeiras machinas americanas de todos
os f bricantes; se en;ontra neste deposito
grande porcSo de machinas, e se vendera por
menos preco do que em outra quaiquer parte,
por se receber em direitnra da America; se
fornece todas as explicares necessarias ao
comprador para conservado das iuesmas;
neste grande estabelecimento se encontra mui-
tos artigos americanos, que muito deve agra-
dar aos agricultores que usam de taes artigos,
encontra-se tambera todas as collecces do de-
senhos sobre os quaes se aceita quaiquer urna
eucommenda, que cora promptid5o ser ejecu-
tada; neste grande osahelecimento, encon-
trarse em grosso e a reta I lio, grande porcSo
de ferragens, e miudezas que se venden por preco enramo-Jo, pedindo-se a atteucjfo
de todos para este estabelecimento que muito lucraro em fazer suas compras: na
ra Nova n. 20 Carneiio Vianna.
nt^ilrJt-JrJrJrJirJrJr-JrJrJrJrJJEB
Este importante estabelecimento prvido como se acha de tudo quanto objecto
de gosto, por quanto seus proprietarios recebam de conta propria por iodos os vapores
om precedencia da Garepa, objectos para grao lo toilette, e uso ordinario para todas as
classes, e bem assim adornos proprios para casamentas.
A Fragata rece >e por todos os vapores lu/as de Joavin, e acaba de receber no-
vo sortimento d >s objectos seguintes:
Cortes de blonde para noivas. Resposleiros para cadeira de balanco.
Esgui5o de linho fino. Bretanhas de linho fino.
Bramante.
Chapeos de l de seda para Sr*. Tiras bordadas. .
Chapelinhas de crpe e fil para dilta. Entremeios ditos.
Veuidos brancos bordados.
Cambraia de linho fino.
Fronhas de dito.
Lencos dito muito finos.
Cambraia suissa com 10 palmos de largura.
C tes de seda de cores finas.
Cortes de faulard de seda,
Vapores.
Vende-se en casa d Sasuders Brothers
no largo do Gorpo Santo n. 11, vapores puteates
com to^os os poriences proprios para aier n*''er
tres ou quatro (uachinas para descaroQar algooto.
P0T4SS \ r> i RUS.
Yeodp? p<.ts>.a di Rns.ia mfito superior e de
qMlldadc a tuam aprpnada para o fabrico de
atsucar a pr Silva Loyo & C.
_______________________ ___
ios agrinaltores
Sauniers Brothers C. acabam de receber de
Liverpool vapores de Torca de 3 a 4 caaailos eom
todos os pertences, e mu proprios para fazer mo-
ver machinas de descarocar algodo, podendo cada
vapor trabalhar ate com 140 serras, tambera ser-
vera para enfardar algodao on para outro qaalqoer
servico em que asan trabalhar com animes. Os
mesmos tambera tem a venda machinas america-
nas de 35 a 40 serras : os preteidentes dirijam-
se ao largo do Corpo Santo n. H.______________
Loja do Gallo Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Grande e variado sartiment dos numero-
sos objectos de apurado gosto que ltima-
mente acaba de chegar para este bem co-
nhecido estabelecimento, pois seu corres-
pondente em Pars o mais habilitado pa-
ra a escolha de taes objectos, pois os com-
pradores podoro apreciar, como sejam lin-
dissimos epfeites de cabeca com cok de
cabello, e sera elle.
S no vigilante ra do Crespo o, 7.
Enfeltea.
Roques com ciixos e de novos penteia-
dos.
Trancas pretas e de cores, e de todas as
larguras, com vidrilho e sem elle, para en-
feite de vestidos.
Bicos de seda com vidrilho e sem elle.
Gravatinhas de velludo para senhoras.
Gravatas e mantiohas de seda para ho-
mdaa.
Gravatas brancas ratiito finas.
' S no vigilante ra do Crespo n. 7.
Volt alias para ntealaas.
Voltinhas para meninas.
Pulserras para as mesmas.
Correles para relogios tingindo cabello.
Riquissimos sintos, fivellas e tita- para as
mesmas e de outras muitas qualidades.
Riquissimos pentes de taataruga.
Fitas de velludo de todas as larguras.
Lindos enfeites para vestidos, chamados
brispianne Margante.
Riquissimas flores para vestidos e para
cabeca.
Capellas com canos flor de laranja, pro-
prias para noivas.
Meias de seda para senhoras.
Ditas para meninas.
Riquissimos chapeosinhos e touquinhas
para meninos e meninas, meinhas e sapati-
nhos de seda para os mesmos.
Lindas sextinhas e bolcinhas para bracos
de meninas.
Mtias pretas de laia.
Lindos aderecos e brincos.
Aderecos completos preprios para luto.
Lindos prt joias e port relogios de dif-
ferentes tamanhos proprios para um deli-
cado mimo.
PASTIUAS
VERMFUGAS
Chapelinhas de pabia da Italia.
Leques de madreperola finos.
Leques desndalo finos.
Rotan as de seda.
Rotondas de aleodSi.
Basquins de grs brod.
Mias de laya para padre.
Cintos de fantasa, gosto novo.
~=~
m
a
a

O
s
1
:5=^5s^;
..iPiiH*^
I.2.5|5|-
-, 3 >
a a.
a' e S
c33
S;}"8,o 3
sil f 2S.3 ? 5s -a S
" <6 e
!iJRi
rs ?>_
l*!.>!tft!*fir
S.S
a*i
I
JLU
TT
U.

TTT
nx
H
PREPARAGOES FRREAS-HAKGANICAS
APPROVADAS PBL* ACADEMIA M MEDICINA
DE BURIN DU BUISSON
Piarmactiiiic, binado pela AfaiStmia de lediciu de Pars
6 eminente professor Trossead, na nltima edicSo de sen Tratad* i Tken-
peutiea e Materia medica, reconheee trae os ferruginosos simples sSo mnitaa
vezes mcffinvzes |ra curar as molestias que tfem por causa o empobrec mente
do sangue. Muiras mdicos dos mais dislinctos attribucm esse m o exito & aosencia,
n essas preparafSes, do mangnnese, que se ch os cRimicos os mais peritos, sempre ntimamente nnido com o ferro.
E' pois, prestar-seum verdadeiro servlco aos SrM Mdicos, ochamar-se sua attenea
sobre as preparacocs sega in les.
i6 PflS fPrTPik BlflilfffllTpn? dando immediatamente urna agaa, acidulada,
i II ICrtl HWHgdllllUi azozai agradare!, subslitumdo com yantagera
e economa as aguas minoraos ferruginosas.
2
DE KEMP,
NOVA YOBK.
DE COR CHEIRO E SABOR AGRADAVEIS
Infinitamente mais efflcazes do que todos
os mais remedios perigosos enauseabuudos
que existen para a expulso daslombrigas.
Nao causam dores o produzem seu effeito
sem precisar logo depois de purgante ne-
nhum e taoincitantes em apparencia e deli-
ciosas em gosto, que as crianzas estSo
promptasa lomar mais do que marca a re-
ceita. 0
teis como um excellente meta de fazer
remover as obstruccoes do ventre, mesmo
no caso de nlo existirem verme algum, as
PASTILHASVERMIFOGAS DE KEMPS S50 promp-
tas einfalliveis na sua operaclo e por todos
os respeitos dignas deconfianca e approva-
c5o de todos os paes de familias. Prepa-
radas nicamente por Lanman & d,
Nova York.
Deposito geral em Pernara&uco ra da
:rnz n.i* em casa de Caros
' JRUBEBA
A jurubeba urna das substancias medi-
camentosas, que pertencem ao reino vege-
tal, e perteuce classe dos tnicos e des*
obstruentes, sendo empregada com vanta-
gem contra as febres intermitientes acom-
panhadas de engorgitameoto de figado e
bago. Ella tem sido applicada com incoo-
testavel proveito contra a anemia ou calor-
se e hydropesia, catarrho da bexiga, e mes-
mo para combater a menstruacao difficil,
resultado da mesma anemia ou ch lo rose.
Extracta alcoolico de jurubeba.
Emplastro idem.
Oleo idem.
Tintura idem de idem. -
Xarope idem.
Vinho idem de idem.
Pilulas de extracto idem.
Deposito, pharmacia de Pinto, ra larga
do Rosario n. 10.
JURUtEBA MACHO E FEMEA.'
Debaixo da denominado dejurubeba
nascem nos sitios" arenosos do Brasil dous
arbustos do mesmo genero, mas au do
mesmo sexo. Ambos crescem com lindas e
frondosas folbas, ambos produzem bagos
gramneos reunidos a' maneira de cachos de
Riquissimos Hvrinhos com capa de tarta- uvas, pendentes de um pednculo curto. O
primeiro, isto o macho, pouco menor
do que a femea, apenas cresce at altura
de um homem, tem folhas mem res, nao
muito sinuosas, mas recortadas, com talos
guarnecidos de alguns espinhos.
Nasextremidadesdosramosproduzpequ
as flores como que juntas em forma de ni -
bella, de crlactea misturada de azul celeste^
as quaes representan) exactamente urna es- '
trella de cinco ngulos e constam de urna
s corla, modelaa e como dividida em
outros tantos tringulos, sahindo do centro
cinco estames, ou filamentos, de maneira
que ao tange tomar-se-hia por urna flor de
borragem.
. 0 segundo, mais alto, mais espinhoso,
tem folbas matares, cobertas de pello peta
parte inferior, elegantemente guarnecidas
de espinbos, recortadas de um verde vivo,
teodo a mesma flor que o macho, porm
mais ntida.
Ambos, em virtude do uso quotidiano da

ruga para missa.
Aderecos de llores.
Riquissimos aderecos completos, sando:
voltas, po'se ras, brincos, alfioeles, grampo
para cabeljos; tudo i flores de ultima moda em Paris.
CSravatiahas.
Tambem chegaram bonitas gravatinhas
cora flores, e com alftnetes proprias para
meninas e senhoras.
Resetas e brincos.
Riqossimos brincos e rosetas inteiramente
novida le e tudo de mnito gosto.
Toaqulnhas.
Riquissimas touquinhas de linho e seda,
ponto de corx ricamente enfeitados e de
I muito gosto.
Fita.
Riquissimas Gtas de chamalote, sendo: ver-
de eamarllo, tecido na mesma Uta.
Agulhas de mar flu.
Tambem chegaram as mui desejadas agu-
Ihas todas de marfira, para trabalhar em 13a medicina, sao bastante conhecidos as phar-
Pilulas e Xarope & iodnrete de ferro e de nanganese imlteraveis
contendo cada urna cinco centigramos de iadureto de ferro manganico indicadas
Tymphaticas, escrofulosas, e as chamadas can-
3
particularmente as molestias
cresas e tuberculosas.
Braees de lclalo de ferro e de laigaBese
Pilulas de carbos-ato ferr manganico
alternar estas duas preparacSes di os melhores reau lados.
d S> Borin da Buisson desojando ebter a adhesio eompieU o pubBco medioo a
cerca do valor de suas preparaeoes, previae ane elle as pie gratuitameuto a sua
disptete, dLrigendo-se; T\ r"T'
No Ptrmmhue, a seu agente feral, Masrtr O, pharmaeentke*, na Na.
raceitadas especialmente
para a ehlorosis, eae-
nia, a leucorrhea, a aaae-
norrhea. A indioacio de
X
iniiiiiiiiinm
Vende- na Livrana Pranceza roa do Crespo n. 9 e na Botica Franceza ra Nova n. 8
e sem corxe.
Sextlnhas.
Tambem chegaram bonitas sextinhas de
palha lina, proprias para meninas.
S no Vigilante ra do Crespo n. 7.
Espelhos.
Riquissimos espetaos grandes e bonitas
molduras proprios para salas ou lojas assim
como outros de differentes tamanhos.
S no Vigilante, ra do Crespo u. 7.
Para os pais de familia:
Verdadeiros
Collares Royer
Electro Mapeticos Anodinos
Ou Collares Anodinos, para facilitar a den-
ticSo das criancas contra as convulses
das mesmas, a estes collares nos esenzado
fazer quaiquer recommendaclo, vista a
grande utilidade que tem produzido aquellos
pais que os tem applicado e.m taes circum-
stancias pois nos parece que nao haver um
s pai ou m3i que por este meio nao quei-
ra por termo a taes soffnmentos de seus
fllhinhos visto ser om mal que tanto os
flagel-a, pois a estes collares acompanha um
folheto que ensina como se deve applicar, e
vende-se na loja do Gallo Vigilante, roa'
do Crespo n. 7, pelo preco de 40000, 50
e 60000.
mactas. Era verdade, suas folhas e sueco
si o empregados para mitigar, como tempe-
rantes, e curar as feridas e ulceras, e mui-
to favorecem a cura deltas. Posto que as
folhas e raizes tenham um sabor amargo co-
mo a cbicorea e a fumaria, todava dillicil-
mente poderiam ser classificadas entre as
drogas quentes. Sobresae principalmente
em virtude e efficacia, e mais amarga a
raiz, com particular i da de a do macho, que
consta de partes mui tenues. Por certo o
-osimento deste faz despedir a ourina retida
e applica-se muita vez com feliz resultado
contra as obstruccoes do figado e da prsta-
ta em lunar das raizes apperientes.Sua uiili-
dade e excellencia sao taes, que n3o s peloj
doutos, mas tambera pelo povo rustico
procurada e contemplada entre os remedios
maravilhosos.
Traduzido do latim de Pisn e Marcgraoe.a
DOCES
Vende-se urna porcao de cMxilhos e rotla*
de amarello, todo obra mo4erna: a tratar no
caes do Capibaribo n. 2, officioa de torneo.

-------_.
Vendem-se os escravos segniotes : urna bo-
>ha escrava de idade 33 annos, eom boas babtli-
dades, com tres liados Ornos de idade de 7, 4 an-
nos. o om de 4 mo7.es, om bonito moleqae de 14
a IR nnos qoe serr pata pagein : na roa de
SDt* Jhereza n. 13, ou ua travesea do Carmo na-,
mei
5^000
Cal de Lisboa.
Da mais pisa que ba do mercado chegada pela
barca Gratinao i vndese a* ra da Trapiche ar-
roatem g.__________
No
de
srb I.
irbiBa
Vende-se
marhioas americanas de serrotes para descarocar
aljodie : na roa da Seazalla Nora b. 43.______
Vende-se a casa n. 43 da roa do Joio "Per"
aandes Vieira, na Soiedado : a tratar na roa Nova
D.44.
Vende-se orna porcao de rollas e janellas de
amarello, todo obra moderna : a tratar ao eaes de
Gaptlerie* o, 3, offleina de toraeiro._________
Vender orna armario qoe serte para qoal-
qoer DPgocn, tendo a casa moradia independente :
aas Cinco Ponas o. 08.
armaiem de fazemias baratas
Sanios Coe'bo
Rna do Queimado n. 10.
Vende-se o segolnte.
Pechincha!
Pecas de cambraia branca Ona com om peqne-
Do defpio de copim, peto baratissimo preco de
1*500, 2#300, a*500 e 4*500 reis, qnem delxir
de comprar cambraia por lao diminuto prego.
falio de BtgidSo do Baha proprio
tara saceos de assocar e rotioa de
eserarus.
Vende-se ao escriptorio.de Antonio Laii de Oli-
veira Azevedo 4 C, ao ef ecriptorlo roa da
Crnz a.1. '
Grande sortimeoto de doces seceos, cfjrstallsa-
dos e en calda, estrangeiros o nacionaes: no ar-
mazem da Liga roa Nova n. 60.
Vinho do f orto soportar om caia de
orai diiio.
Vende-se ao escriptorio de Antonio Lniz de
Oliveira Azevedo & C, no sea escriptorio raa da
Grn o. I.
Vende-se vioho de Bordeaaz em quartolos
barril e dalias : em casa de Tlsset reres, 'raa jad
Trapiche a. 9.
Francisco Jos Germana
RA NOVA N. i!,
acaba de receber om lindo e magnfico tor*
timento de ocuios, lmelos, binculo*, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa e on
los- de alcance para oteervaces. o;para 'o
maritinfos.
TB
-*-
Vende-se o eogeuho Qaiaorobo sito na fre-
tjnezi> de Jaboatan, cora multas e excelleotes tr-
ras e ptimas matas : a tratar com a proprietarta
na Estancia sitio -que faz esquina para a raa do
Caminbo Novo.
Na roa do Traplehe n. 44 3# andar, veade-
relo seo JeKto valor ama escrava preta, moca
,de bonita Agora, core, cosinba, lava e engomma
eom toda nereloao, e babUoada tambem a tratar
de creaojas e emende de todo o amalo domes-
tico de orna casa da'familia.
Vende-se orna morada de casa terrea com
teareeo para ediOear orna oatra, de tS palmos de
frente, sita na roa do Amparo em Olioda .: a tra-
tepsn rudo Amorim a. 36, com Joe SimSes
Pi menta.

'oces *
Grande sortimento do doces secos e crystalisa-
dos e em calda estrangeiros e nacionaas : no ar-
mazem da Liga roa Nova a. 09.
Na roa do Viga rio o. 19, vende-ae,;
Vinho Mscate em aaeoretas.
Vinhos do Porte de diversa qoalidades eo|arrafa-
do e em barrls.
Gera em velas e prome. <*. O
Lona em pecas e fardos.
Bolaebiuha ingleza.
No armaiem do Gomes confronte a alandega,
vende se a 3*800 e 3*000 reis a barrica, da ulti-
ma desembarcada.
Papel pintado
O mais eompleto e variado sortimento de papel
para forro de sala e guarnigdes, encontra-se a
venda na
Botica de Barthol 34-Rua targa do Rbsario-34
| Perbiicka ora m *a iiihag.
ETNa roa das Crpxes a. 35, em Santo Antonio,
vende-se palba o. 3, tpailo em conta.
*
f>
.
I
HaatMiJ

mm*t""




"WM~-
wwv*


i


I
I
..

'

f

, I


a?
tattits do Dp. J. C. 4yer, ei-Ieite
dil'Bivci^idede feisylvaiia.Dw
Estades-Bii.
B*'f ** posto de alaa-par
rmh-m Ayer.
PeHonrl4VereJ.
Reotedio para oeze*.
0 deposito ceatral para as provincias
PernanAoco^ Alagoas, Parahvba e Rio-
brande do Norte, destes remedios to fe-
yoraveaieiite coohecidos e acoloidos ett
^s as. partes da America do Sul a do
Norte, acha-se em casa de Theod Chrlo-
Mantea, 16 raa de Traplehe em
Pernaaabnco.
Os pregos de
335 por daiia de estrado de salsa-parrllha.
27A por duzia de peitoral de cereja.
270 por dazia de remedio para sez5es.
70 por duzia de plalas catharticas
Be enteodem dlnhelro vista, coa
o descont de 5 por cento em qnaotidadei
de 6 a t2 dunas, e de 10 por cento em
Cuantidades superiores a 12 duzias.
RIVAL Sil SEGUNDO
Raa do Qaelmsido n. 49, lo ja de
tndfezas
DE
Jos Bigouinno,
Continua a qneimar tudo qnanto tcra em sea es-
labelecimento.
Pares desapato de tipete a 14280.
Duzus de peonas de ac roolto Bou itOrs.
Laizas do liaba do gaz de 30 notellos a 600 rs.
wm de linhas do gaz de 40 rs. o novello a 700 rs.
- Mera de patitos de segoranca a 20 rs.
Lencos de cassa oca barra a ICO rs.
Duzia de faeas egarfos de cabo preto a 3600.
Masso de palitos llxado para dente* a 120 e 160 rs.
fino enlremeios nJolto flnis a 500, 00, 800 e
Livros das mistas abreviadas a lf 500.
(Jtrraf8 de agua Florida verdidelra 1X0(0.
Babados do Porto de todas as largaras e todos os
precos.
Sylabarios eom estampas para meninos a 320 rs.
Memento da roopa de lavar a 100 rs.
Nmscariilnas para meninos a 160 rs.
Duzias de meias mullo ioas para senhora a 4900.
Ditas brancas e croas para bomem a 3J e 3J008.
Agulhas fraocezas a balo (papel) a 60 rs.
Pares de sapato* de tranca e tapete a 1*500.
Pe;as d Grozas de botSes ae porcelana prateados a 166 rs.
Calzas com alfiaeites franceses a 80 rs.
Caizas de.100 envelopes moito lios a 600 rs.
Pregos francezes de todos os taroanhos (libra) tiO
ris.
Resma de papel de peso braceo liso a L?
Frasco com superior tinta a *00 rs.
Grosas de pbosphoros de gaz a 2000
Pares de botSes de punlio multo bonitos 80 rs.
Linhas em cartao de 200 jardas a 100.
Caita de superior linba do gaz com 50 novellos
700 rs.
Caixas de pos de arroz rnuito fino a 800 rs.
Puli-eiras de conta para meninas a 320 rs.
Ta meros para meninos a 240 rs.
Caixa com superiores isca para charatos|a 20 rs.
Maso com superiores grampos a 30 rs.
Grosas de peanas de ac rauito finas a 320 rs.
Bonets para meninas a \&.
Pentns com costa de metal a 400 rs.
Capachos eompridos e redondos a 500 rs.1
Canas com superior papel amisade a 600 rs.
Realejos para meninos a 10o rs.
Diario de r emambac ferea felra 14 de Janeiro de
18b7.
Muita atteiifl&o
NA LOJA ARMAZEM
BO
Baldes baratos
Vende o Pavao.
.ff^ eraDde sorlimento de balies de*ar
eos sendo americanos que sao os melhores e vea
SSS^ **'? braflssmo preco de 2#800, 3j a
A 100 rs. par* lot, reade o
Vendem-se lazinbas aretaV proprias. para loto
jato baratsimo orneo de 10- r. o covado : na s de cropoo"ei"iL"d
loja e armazem do Pavio roa da Imperairiz n. 60 "
le Gama 6, Silva.
Ra da Imperatriz n. 60
DE
JAMA & SILVA.
os donoSSqoa8.DO *> aDD0 resolvern
MaVfc,J?Sf? ""P0""1 estabeleciineoto vender
dimi flm ** PBrarem diobeiro e
lofaearm08randede{K,s,*qoe "* soa | 2*1508 e ditos'para wbrr^rVsVn's a un
aZa!~+J-~. .... Notos vestidos Poil de Che-
Crochs
Para cadeiras
Para sofs
Para camas
. Para presentes.
Lnegaram os mais ricos pannos bordados a cro-
ch proprios par encostos de eadeiras ene s*
veadeni a 600 e 34, ditos para encasto de sof
q*. ditos proprios rara conr almofadas a
como de primeira nec/^idade, e convidara a
"" *Q" "i e pequea escala que n'este
lm,tZVfCim,1Dt0 rarae um avoludo
armaen e ?e cdl *S aD1?Dd0 e apenas o descont
SmnenSr *?' dose amo8,ras mec"ai
uui peooor, ou mandara se levar em casa dan r
ce.lent^imas f.mi.l.s qoe no'poTre^vf"
Cambralas llaa do PaTtlo a 3^(500,
45000 e 4500.
cambra^9! gr5Dde sor,laien'0 das raelboree
da na nX "h"*' ,eDdo 8 Taras e ffle* "
t5w? i. S'coTi090 l ^ a Pf^ditasTe:
cossia cero 9 varas Ai peca, tdo mais e vara
de largura a 64000.740^84000 e io000 ;
vre a 16000.
i\a J.eja do pa\o.
dia 15 do crreme, os
v-h Vfl6ld,nh08 Para meninas
ra if,Im se ?,e,B, ve*iidiohos para menhu.
*&,?! ** *l?-di SO8U'> de seda a 34000-
dlwrS? towjnios chales de rperin Usos ai
d,^rsM ^'s. lendo as franjas de s.da a 44000
Us d'e c,LmnIl?nB0f.s a 00. 000 e* 74*0,t-
" W > lltt de sed a 84000. dito
v.nrta cSe,d'nhas e listas a 400 rs.
) rua da Impera im o. 60 de Gama, a
a 800 rs. a ara na loia*
Pav5o.
nV.eDde.'? fils de liobn bfDC0 bordados proprlo.
para vestidos pelo baratsimo preto de 800 rs. *
vara : na toja e armazem do Pavo na rua da irx-
peratni n. 60 d Gama & Silva.
Pannos de linho.
i.ADde"se.?DPerlr W"* de liana proprio pan
.r^.V.ASJ5eroo,M e,c P*,oi fatailssimw
E! de O. 700 800 rs. a va;a : bmwantc d.
hnh^com 10 palmos de largora a 24-00. 24.500 r
Silva.
Filos bordados
&Br"e^ sn,me-Dt'd,HarabJr>;
do esu azenda bastante lustre com os mais oYli- ma Silva. nperairiz o. 60, de ba
cados gestos tanto em listras como em flores soltas
im-se pelo baratsimo proco de 184000,
r-i
Grauue e uem sortido aroiazem de moihados
Rua xova n. 60
Sahio ou n5o sahio, am abillisjimo freguezes? sahio sim ; e se demoramos tanto
em abrir a caixinha do segredo, foi porque gostamos de sorpreza e dasconjeetnras. Ah!
Ah! Ah! como o sahir deu no goto de muita gente de collarinho empinado ebigode re-
torcido ?1 Quanta interpretagSo dicula e risivel soffreu o nosso pobre sakirtl Muita
veztivemos frouxo de riso nocanlinho do nosso armazem, quando vamos quealguemse
encomoiodava com essas seis negras letras, que por alguns dias deram nm certo ar defn
mysterio a urna das columnas deste venerando Diario! E no entanto nada de mysterio-
so bavia, como vedes, no patusco sahir! sim; riamos a bom rir; mas nunca vimos rir
o cavalleiro da Liga porque
Serio e grave encara as cousas
Deste mundo como sao ;
Verdadeiro, fiel vive
Do commercio a tradiccao
TStV0- 7*^500l diuT^gas cora
do preciso apenas 4 varas para vestidos, atienden.
Kf ?ri; dlla8 para forro moito encTpadaB
^idl tmi6^ : M^ja e r"n do Pavio na
roa da Impera triz n. 60, de Gama & Silva.
Para cama de noivas vende o Pav3o
..iV..""? "8 "'dos bordados e adamas-
cados proprios para, camas e janellas pelos baratos
precjs de 8#, 104060. 16* 20*000 e 254000 "su
perior damasco de la esfetede a imiacio de seda
proprio para colchas a 24500 o covado; ricas col-
l!?& ^ch pe, 'o> Preco de 10^080 e
iz#uw : isto na i^a e armazem do' Pavao na raa
da Imperalm o. 6a de Gama & Silva.
As melpomenes do PavSo a 2JB00
} Vende se superiores cortes de melpomenes, sen-
do azenda transparente e mnito bonita, leodo mui-
m padrees roaos com Y varas e meias cada corte
pelo baraussimo preco de 24500 ; isto para acabar
?JSP a,ma"m do Pavao na rua da Imperairiz
n. 60, de Gama Silva.
GraDde pechincha em chapeos a 500 ra.
Vende-se chapeos de paiba a imitacao de mani-
raa proprios para, bumens pelo barat.ssimo preco de
ouu rs. cada om ? islo para acabar na Inja e arma-
zem do Pavao naro da mperatriz n. 60, de Gama
ft silva.
em madapofes na loja do PavSo.
Ven.dem pe superiores pegas dp madapolo fino
ditas de 84000, dita* de 7*000, ditas 6*500, garan-
nndo se terem odas 80 varas, sendo uito boa b.
ca_...?f?.?s.pre3 mencionados, que se
m m G4Z
Chegon ao antigo deposito de Henry Forster &
C, rua do Imperador, um carregamento de gaz de
primeira qoalldade.oqaal se vende em partidas e
a retalho por meoos'preto do que en? oulr* qual
qner parte.
Algodao da Baha
relalho
Vende se em porco e a
Crespa loja da esqaioa n. 8.
na rua do
de 54000 : na loja e armazem do Pavio na rua d'a
linha Alexandre com 400 jardas a 20t
Kival sfim segundo.
Roa do Qucimano o. 49.
Quer acabar com as fazeodas abaii
mencionadas.
Qaeiram vir ver o qae bom e baralissime.
Toalas de labynmho com bico, azenda boa
Carreicis de linba com 100 jardas a 30 rs.
Gravitas pretas e de coree muito finas a 500 rs.
Barataos franceses mallo Hnos a 200 e 320 rs.
Caixas de oireias de massa muito novas a 40 rs.
Soadores para espartilho do cordo e flta a 6t
ris.
Carreteis de
ris.
Resmas de papel almaco muito bom a 2*500.
Frasco de oleo babosa a 320 e 500 rs.
Ditos de dito higlenique verde a 14000.
Ditos dito filso a 800 rs.
Ditos de raacacar perola a 200 rs.
Sabooetes muito finos a 60, 160, 200 e 320 rs.
Ditos de bolla rauito finos a 240 e 320 rs.
Caixas para rap com bonitas estampas a 100
Canas de palitos a balao a 40 rs.
Miadas de linha froxa para bordar a 20 rs.
Varas de cordo para espartilho a 20 rs.
Frascos com tinta rxa muito boa a 240 e 320 R
Ditos de dita preta a melhor qoe ha a 320 rs.
Duzia de faccas para sobre-mesa a 4*.
Varas de franja branca larga a 2fe0 rs.
Penies volteados para regacar cabello de meainai
a 320.
Frascos de macaca' oleo rauito fiao, a 120 rs.
Abotoaduras muito tinas para colletes a 500 rs.
Candes de buha branca e de cores a 20 rs.
Libra de ara preta superior a 100 rs.
Cartas de alflnetes francezes eom 14
120 rs.
Escovas para fato, fazenda boa, a 500 rs.
ceeeem mais barato que em outra qualqur parte;
ero p -----*"- peratrlz n. 60, de G*roa & Silva
i-oisque o aforo se mostron quale vinde admirar freguezes, como no armazem Camisinhas para senhora a 000 e 5.5000
-.0j se opera a mais fina liga do bom e barato. Lede e veris a ver&ide vinde pois:! vndra se Bolsimas camisinhas com maneuitos*
con&amos em que d5o tereis occasiao de dizer que o vosso dinheiro foi mal empreeado f os IDais rDOieiD^ nem o vosso bom gosto offendido. Eis freguezes e.....la vai verso. Jjj lftmr^nt0u?c.aT.b"ia pf baraiissimo Pre?o
Farlnha de milho
ou gomma de milho branco preparado na America, vende-se 500 rs. a libra e o rida-
daoque comprar dezlibras vende-te-lhe-ha/tBO.
B1SCOUTOS INGLEZES
Balaxnhas percales lsf Da l0i e armazem do Pavao na rua
mSSl SW ^^ % 3 5> '*"S "* "m ^ ^^ "**: mw-! *_ ''pSSi chi..
Bolirjhos com aoicudoas
tendo cada corte 18 covados, isto na loja e irm>
zem do pavao na roa da ImpeTairlz b.60, de Gama
oliva.
Para senhoras
Casaqulohaa a 20,5000
Veodem-se as mais modernas casaquinhfs ou
m!K*i de Stda pr"* "'l0 bem fcudas, as
?ajf modernas que tem vindo ao mercado e pelo
m r^^0 de 20 ,ada uma m loj" e aS
"a & Silva 0 rM '* ,mper,,r11 d Ga
Alpaas lisas
uieRoa o mus lindo .'ortlmento de alpacas de
Syj*.^. prcP" Para vestidos, e vendas
S 222 e,m C0D,a : Da 'Ja e arm^m do Pa-
no, raada Iroperainz n. 60, de Gama & Silva.
Os espartilhos do Pavio.
^J^f,tm'SA Qmarn(te 'lado sorlimento de
222*! d0f "iais bem feiIOS < ,em 'viodo ao
mercaao, sendo de todos os lmannos, vendendo-se
vao na roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
brande pecliiueita em toalbas
para mo.
vendem-se superiores toalhas de linho proprias
^Sn P.eIlo,,,rtino preeo de 560 rs.. ditas
dii t*" a'.miIaco das felpudas a 800 rs.,
rZ 2?f a '* : Pehlocha na loja e arma^
mmS!0 M rDa dl IfflPeralrit 5 de Ga-
Cambraias brancas de cordSo a 84K00.
de "n^"m.a.Lnilide|.if8da? Aiatoa branca.
vnl^d0 C0ID delicadas listas trans.entes .
vendemse pelo baraiissimo preco de 85500 a o*.
smr yaas,^ -a rua da *
Na praoa da Iudepedeucia
Loja de Arantes l.yra.
a < j 0aemrbotina! P*M* com laoo para senhora
Ditos para menino a 3.
Livros em branco de Him-
burg
\ende se na livraria Enciclopdica de J
Mello : na rua da Cruz n. 52. complejo
e por precos mnito commodos.
B. de
sortimeotc
Imperatriz n. 60. de Gama & Silva.
Gorpinhos para senhorr a 5, 8 e 10)5.
Chegmm os mais delicaoos corpiohos de cam-
braia transparente, sendo ricamente enfeltados e
da Impe-
| Vende se uro grande sorlimento de chitas escu-
as. c ferrad deThmbo, com as mais ricas qaa- ^oVwoTsVsS^m o" SSes^X onS
bollinhos com amendoas, e outros muitas
pentes
VBNHE-SE
Presontos de fiambre ja' preparados.
Servt-ja pellada.
Vioh'i gallado.
Maoieiga gellada.
Latas com 3 libras de lioguicas, e ligados ero
moiho morcellos, vinda^ ltimamente da liba.
G'gos de batatas a'-708-rs. com 1 arroba.
Isto o. mais barato qe possi-vel, no armazem
de Guimarae." A C-, roa, da Iraperatriz n. 6.
Cal de Lisboa,
Chegada no. oliimo navio, mais barata que em
outra qualqur part8 ; no deposito da toa do Apol-
lo n.8.
De superior qwilidade
Na rua do Queimado n. 7, vndese superior
fumo de Garaobuos a 14000 reis a libra e sendo
era porgo fazer-se-ha aba tmenlo.
Vende-se orna biiieira nova edm 25 ps de
quilha, toda pregada de cobre, muito boa de re-
mos e de vela, igualmente utn virador de linho :
qnem pretender qoalqtter destes ojelos dirja-se
a rna du Brom n. 44.
lidades de p5o-de-l, bolos, para champanha,
que se tornara enfadonho mencionar.
MAITEIC-A
manteiga ingleza, primeira qualidade a l#10O a libra, idem iogleza boa a 1^000 a libra
8#0, 600 e 400. dem francesa a 640 rs. a libra.
Doces em calda
doces secos e em calda de todas as qualftades, em frascos, potes, caixas, etc etc: por pre-
cos os mais razoaveis possivets, amendoas confeitadas libra a.
CAF
caff do Rio Ia sorte 240 rs a libra, 2a sorte a 200 rs a libra, 3a sorte a 160 rs a libra,
em arroba se far grande abatimento.
Tinho
vinhos engarrafados de todas as qualidades, rainha Estephania a 30000 a garrafa. Porto
malo lia a 0500 rs. a garrafa, lagrimas do Douro a 40800 a garrafa, Pedro "V, D. Luiz,
Mana Pia, carcoveilos, bacanaes, boeugi a 10000 rs. a garrafa, idem cheres verdadeiro,
20500 a garrafa, idem cherny cordial a 10000 a garrafa, collares e figuira ambos engar-
rafados a 500 rs. a garrafa, idem de Lisboa em pipas, barns, ancoretas e a retalho a 360
e 400 rs. a garrafa, ancoreta com vinho tinto a 20400 a ancoreta.
Bordeaax
vinho Bordeaux de todas as qualidades de.60500 a 250000 rs. a duzia, e en garrafa de
que tem viudo ao mercado com listas e fl.-res etc,
etc.; garanlirrdo-se serem cores fichas : na
armazem do Pavo na rua da Imperatriz n
Gama & Silva.
toja e
60, de
a
rna
Silezias para senhoras na loja do Pavo.
Veode se e?ta nova fazenda, sendo silesia ondea-
da propria para saias pelo baratissirao (ireco de
rs. a vara, e coropiandose peca vende-se
Mi rs.; isto ua Ha e armazem do Pavo na
da Imperatriz n. 60, de Gama Silva.
As saias do Pav5o
Vendem se ricas saias bordadas com 4 pannos
pelos .baratsimos precos de 6,8000 e 7000, assim
como fazt-nda em pega com pregas proprias para o
mesmo nm a 1*200 a vara : na loja ermana do
Pavao na rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lencos de seda
Vendem-se superiores lengos de seda pelo bara-
iissimo preco de 1*000 cada om, ditos de acento
brando, nadroes miuoTnbos fazenda muito fina a
llfbOO ; ua toja e armazem do Pavo na roa d* Im-
perairiz n.0,de Gama & Silva.
Aloalhado
Vende-se superior aloalhado de algodao trancado
com 8 palmos de largura a 13600 a vara, dito ada-
600 rs. a 20000 rs. Wermonth a 10500 rs. a garrafa Kenoch de wasser a 20000 rs. Ab- m"cadp mo*o superior a 1*80, dito de nno mu-
symth a 20000 rs. a garrafa.
GAZ
81TIIUS,
rea miuel 10 vroruA
PRIMKIRA SERIE
Rs. 10000.
Llorarla franceza
Rna do Crespo n| 9.
CAV4LL0.
Vende-se om h-ma cavailo
do Imperador n. 5.
pira sella : na raa
Vendem-se tres escravas sendo nma perlla
enpofnraadera, i bonito moteqoe, 1 negro multo
Dbasto de meta idade por MI* 1 na travesa do
Car roo n. 1.
Cfre,
Yende-se om cofre em perfeito optado
e com seeredo, proprio para qnalqner es-
tabeleciraento ou casa particular por preco
coamodo: na roa do Queimado a. 52,
Joja.
gaz verdadeiro americano a 90200 a lata grande, garaotindo-se 27 garrafas, e a 400 rs, a
garrafa.
Cerveja Gelada
cerveja gelada em garrafas e lk garrafas inglezas e franecza.
Painw copista
painco 100 rs. a libra, alpista 160 ; pain?o e alpista mistnrado 140 rs. a libra: em
porco se far abatimento.
Cha verde e preto.
10000. 10500, 20000, 20200, 20400, 20600, 20800, 30000, e 30200; cha verde de
todas as qualidades, huxim, perola, aljfar etc.,
CHARUTOS d'havaKA.
regaa britaniiica 100 a caixa, loedres 120 a caixa, operas, caixa 400; eontras mui-
tas marcas que se tornam enfadonhas meociooa-las.
CHARUTOS DA BAHA. .
impertios, expsito, normas londrinos, guanabaras, suspiros, delicia, parisiences, ven-
cedores, Ruerreiros, lyricos, quem fumar saber, para os seguiotes precos: 10ooo, 105oo'
20ooo, Uk.o, 30ooo, 305oo, 308oo, 40oeo, 402oo, 405oo, 408oo, 50ooo, 505oo, 60ooo,
605oo, 70ooo, e 80ooo.
Vetas Steariaas.
spermacete 64o rs. o pacte, velas de carnauba de 6 por libra; a 36o Irs. de 14 em
libra, 44o rs. em porco se far abatimento.
GENEBRA ;an.ao ou victoria 72o rs. o frasco.
GENEBRA DE HOLLANDA em fraSCOS 56o TS. 0 fraSCO.
CERVEJA -T-E BtSS,
cerveja bass e tenente e de todas as qualdiades, as quaes se vendem o mais razoavel, como
seja 5oo 600 e 7oo rs. e em duzia fez-se-ha grande abatimento.
Arroz da ladia.
lio rs. cada libra, emporcio se far grande abatimento.
SABO E SABONETES.
sabo branco com veas .cor de roza, idem branco com veias zoes, sabonetes de umajbra
cada um, sao os sabonetes mais econmicos que tem vindo ao mercado 5oo rs. abra.
Saga' eMevadlnha.
sago muito novo 24o rs. a libra, oevadinha mnito nova i6o rs. a libra,
cevada moito nova 12o rs. a libra. "**'
gomma de encommar 12o rs. s libra.
CEBLAS grandes e novae 15ooo oaolho.
Latas com conservas.
latas com ervilhas portngoezas e fraacezas, latas com carnes preparadas, nassarinhos cui
zados em latas, e salame em latas. 8 '
Ddce de gotaba.
ha constantemente om grande deposito de doce de goiaba em caixbes de todos os tamanbos.
Coses, copes,
copos crystalisados, ditos lisos, ditos decores, a 40oooe 40560 \ dozia.
' garrafas de crtstal.
garrafas de crystal de formatos do ultimo gosto.
AMEIXAS.
amelxas em latas, em bocetas e frascos.
Queijos Queijos.
queijos flamengos do penaltimo vapor 20ooo, ditos do ltimo S.... ,L
lo boa fazenda a 2j>800a vara, oardanapos econ-
micos por serem de bobo pardo a 30OO a duzia
ditos alvos muito boa azenda a 4000 a duzia : na
toja e rmateos do Pavo na roa da lmperalrii n.
60, de Gama & Silva.
Barages a 400 rs. na loja do Pav3o
Vende-se bonitas barefes-iraosparenes cem pal-
minhas, ditas lustrosas,fazenda muito boma pelo
barato prego de 400 rs, bonitas lsinbas de aua
drinnos e de .flores a 400, 3?0 e 2i0 rs., tudo pe-
cbincba na loja e armaiem do Pavo na rua da
Imperalrw n. 60, de ama ^ Uva.
tlcdas novas
Na loja do Pavao.
Cnegaram as mais roedernas sedas com lislras
para vestidos, sendo com as cores mais modernas
qoe lem vindo ao mercado, assim como grosdeaa-
plestJe differentts cores como sejam cOr de rosa
azol, rxa, cor de caf, edr de lirio etc, etc. e
vendem-se por preco mnito ern conta na loja e
armazem do Pavio na rua da Imperatriz n. 60, d
Gama Silva.
Crinolinas a 30500, 40000 e 40500.
Chegaram para a loja. do Pavo as mais moder-
nas crinolinas ou baloes verdaderamente ameri-
canos, que sao os mais bem armados e mais leves
que tem vindo, sendo cem o formato mais moder-
no que actualmente se ua e vendem-se p*los se-
guintes precos: sendo com 20 arcos por MSOO,
di ios com J5 arcos por 44000, diios com 3S aftos
a 44500 : tito na ioja e arm*m do Pavio na
rua d* imperatriz a. 66nde Gama di Silva.
Sedas largas na loja do Pavo.
Cbsgaram as mais tmniias sedas de cores com 4
palmos de largora, sendo com as cores e desenho
mais brilbaotes qbe tero vindo, facilitando fazer-sa
um vestido cora poneos ovados em atteoelo a lar-
gura, e ve*oe-ee .pelo barato prec oda 2A000 o co-
vado : na loja e armazem do Pavo na rua da im
petriz n. 60 de Gama & Silva.
schales do pavo, a 2ooo e 25oo rs.
Vendem-se chales de merino estampados a 24
e 2|500 cada am.
Ditos de merino liso a StfSOfl.
Ditos estampados de crepos a <, 7*. e MOOO.
Ditos pretos bordados com franja de seda i.
Na loja e armazem do Pavao na rua da tarara
tnz n. 60 de fiama & SlWa.
Lencos brancos a 20f 00,30000 e 40000,
Vende-ie om bonito sortimenm de leBcos de-cam-
braia.branea leos palo baraUnniraae precos de 24,
34000 e 44000 a doza : na joja e armazem do
favo na ra da Imneratrlz n. 60, de Gama &
Sirva.
Medina ?4000
Chegario os mawneoseortes de vestidos trans-
parentes dVsta nova faaepda iwitolada medina com
delicadas palmas e botdea de seda, sendo fazenda
propria p ra vestidos de assistlr a baile on casa-
mentos, tendo cada nm eorte 18 covados e vendem-
se por 104000; nicamente na loja e armiiem o
Pavio na roa da Imperatriz n. SO de Gama &
Silva.
Anailine a 8
a loja do Pavo
.JXgen"? os ** Undos cortes desta nova fa-
zenrta, sondo Iransparent-, rom bonitas palmas, e
vende-se pelo baraiissimo preco de 8 : na loia e
Ponos e gonnbas a i*, 1^280 e 1,5600.
Lhegaram os mais mudarnos pouhos com coli-
nhas sendo de esguiao de l.nbo ricameole bord;
acs tanto brancos como de cores e vendem-se pelo;
baratissimos precos de \&, 1280 e 1*600, por h
ver grando porco, grande pechineba : na Icj
e armazem do Pavo rua da Imperatriz n. 60, d*
dama & Silva.
Para bapti-ados.
Vende-se elegantes veatariM bordados para
SonVSS2 bara!i>simos ww* de i*ooo
ziWius e aupuuo: na loia e armazem do Pavo na
rua da Imperatriz n. 60 dn Gama A silva.
Babados bordados na loja do PavSo
Vendem-se babadinhus bordados com 2 varas
pelo barato preco de 14000, emn-meios tapados e
raosparentts, leudo 3 varas cada peca a 14000: na
loia e armazem de Pavo na rua da Imperatriz n.
oO, de faama A Silva.
Cambraias de cores
Vende se um bonio sorlimento de cambraias de
SnlT ? veslidos P^os baratissimos precos de
e 5X rs- covad" ai!as volcntanos da pa-
tria a 800 rs. a vara, dilas lisiadas a 640 e 700 rs.
a vara ; pechincha i,a loja e armazem do Pavo
na rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassa de uma cor s
Vende-se bonitas rassas de urna cor ? com um
pequeo toqne de mofo pelo baraiissimo preco de 240
rs. o covado ; para acabar na loja n armazem do
Pavao na rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Cbales de renda e retondas
Vende se um grande sorlimento de chales de
renda e retondas, sendo as mais modernas que tem
vindo ?o mercado e vendem-se mais barato que
em oulra qualqur parte : isto na loja e armazem
do Pavo na rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Betalhos baratos
Vende-se porco de retalhos de chita, laas, cas-
sas e chitas pretas por preso barato : na loja e ar-
mazem do Pavao na rua da Imperatriz n. 0, de
Gama & Silva.
Calcas brancas
Vndese nm grande sorlimento de calcas de
bnm branco de linh trancado pelos baratissimos
pregos de34500, 44500 e 54000, assim com. om
grande sorlimento de palitois de panno p-elo fino,
sobrecasacos e saceos forrados de seda, ditos de ca-
simira, sobrecasacos, saceos e fraques, dito- de me-
rino e caisas de casimira de cor e de todas as qua-
lidades, assim como om grande sorlimento de col-
leiles de todas as fazendas vendendoi-e ludo or
presos muiio baralos: na loja e armazem do Pa-
vao na rna da Imperatriz D. 60, de Gama & Silva.
Alpacas brilhanies a 640 rs.
Chegaram as mais lindas alpacas eofesartas com
3 e meio palmos de largora com os mais de'icado*
desenos taato de florsmha como de listinftas as
sentadas as mais delicadas cores como sejam ly-
rlo, sinsento cor de carnp, solferino e venoVm->e
pele baratissimo preco de 610 rs. o covado ; ni-
camente oa loja e armazem do Pavo na rua da
Imperatriz o 60, de Gama 4 Silvi.
Pechincha para a festa na loja do PavSo.
Vestidos.
Vestidos,' .
Vestido?.
A 8*000
Vendem-se nm bonito sorlimento dos mais lindos
vestidos com barras de seda, trazendo os comue
entes enfeites.para o corpn, sendo neste artigo o
mais moderno qne lem vindo ao mercado, e ven-
dem ae pelo baraiissimo preso de 8*000 cada am,
dilesde cambraia branca com barras bordadas a
5SO0O e 6J0O0 ; na loja e armazem do Pavo na
rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Si'va.
Cortes a 35uOO s o Pavio
Vendem-se os o>u hados cortes de cassss de
cores com ps desenos ipais moderaos vjodo eada
um em sen papel e naranlindo-se i-rem 7 varas ca-
da nm pelo baratissimo brefo de 34006 ; na Irja o
srmazem do Pavo na raadla Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Casaquinbos cu vasqniaas na loja do Par5o
a 250u0, 3' W >U0 e 35i000. *
Chegaram os mais ricos ou modernos casaqui-
nbos cu vasquioas de grosdmaples preto ricamente
enfeitados, sendo dos fRins mais modernos e ele-
gantes qne ullimamente cneearem e vendm-se pe-
los barato presos de SjjOOO, 304000 e 354O00t na
loja e armazem do Pavu o rua da Imperatriz a, 60.
de Gama i Silva.
Para bailes a 35^000.
Cbegarim os mais ricos cortes de vestidos de fll
trane primorosamente bordados e enredados de
eor, sendo umnem prearios para rasameotoe e
vendem-se pelos baralos precos de 354000 nica-
mente ; na loja e armazem do Pavo na roa da Im-
peratriz n. 6*J, de Gama f Silva.
Lencos bordados a f^OGOe 10606 na lujado
Ppvfo.
Vende-se bonitos lenclnnos bordado pira mi
pelos baralissimos pregos de 14000 e 14600 nada
X/VROPK
peitoral e dnlciftcante
SAINT
as pharmacias de Maurer e A
GEOftGES
Preparado por
GRIMAULT e Cu
pbaraictullns Je S. a. !.
e priacipe Napolelo
Cara rpida de la*
molestias seguontes:
tosie, attarrhos, pleu-
resa, cequeluche, an-
gina*, fortes constipa-
rte*, irritaedes dos
bronchas e do peilo,
bronckiu, phtiiica pul-
monar, astmu, pne%-
monia,anoinas,amyg-
dalites, loisechronica,
rouquidao. Os mdicos recommendo ao mesmo
lempo o oso das eacellentes paBtUhas peito-
rae oora o auoco d'alfac o laureiro-
oerjo, qne ae prepario no mesmo estahele-
eateat*.
A venda
Caors
Mcitfiues Austin & 0.
Vendrn no seta arma.veai, roa
da Senzala-Velba n. 106.
Latas com gaz de primeira qualidade.
Barricas com farinba de milbo muilo
nova.
Saceos grandes com farelo novo a 4.
Barris com_pregos americanos.
Kap Paulo CordeiroT"
A loja de mindezas a' rua do Qneimado n. 16.
receben nova remessa de rap Paulo Cordeiro, e
onlinua a recebe-lo por; todos'os vapores, para
que os apreciadoresaehem^empre b<* pilada.
Para a abertura das aulas
Carlas de A B C, taboatfas, catecismo, v^rdade
os meninos, grammatica e arithmtira por t;airo
Nones, carnlhas, biblia da infancia, camlnho d,.
ceo, devoto chrislao, Simio de iNanlua, eroncmU
da vida humana roariyres pernamliucan'is. repras
mui facis pira entender a conlahi ilarff m v^r-
sos por Gamboa, catecismo das verdaries ctboU-
i-as, traslados, pautas, papel de peso e almaco c!e
muitas e diversas qualidades, liso e paulado oa
rua do Imoeradordefrooie do convenio de S. Fran-
cisco o. 15.
Novamenie chegadas botas rnssianas e
ras da melhor qoalidade que temos visto :
do vapor rua Nova n. 7.
pernei-
n& loja
Escravos futidos
Escravo fgido
Fngio no dia 3 do correte nm nuil^qn* de lo-
me Hilario, cor bem preta, rosto redondo, bailo e
encorpado, com caiga e j qoeta de rifado tn\,
levou nm cavailo com cangalha, toreiro, grande,
magro c rom a dina e topete corlados : os preten-
denles condozam o ao engenbe Carun, on a rna
da Imperatriz, caba n. 8c.
Muita attenco.
Fugio ne lia 27 de dezembro 4o anno pas da eneenho Bale da fregoezia de Uoa comarca do
Rio Farinoso, o escravo Angelo; crioulo bem pre-
to, de. idade ie 20 annes, com os signaos seguia-
tei: ano. seco, sem barba, im'falta ae nm dente
na frente, p largos, falla grossa, bonitn de fl-
qoes e anda a passos largos, levou camisa de ma-
dapoln, caifa de brlm pardo, e rhape.> no baeta
preto, este escravo natural desla pr*$a e foi com-
prado ao Sr. Silvino Guilherme de Barros e ha
certeza qoe atif esteja por ler Irrnios: portento >o-
ga-se as anicridades policiaes, caiites de canpo
on quajquer pessua que o conhecer o sprehenda
e o leve ao referido engenho ou a roa da Moeda o.
X, f>godo andar, em casado Sr. Manoel Alves
Ferreira.
Escravo fgido
No dia 24 do dpembro do inoo prximo Bnde
desappareceu da casa de Jo Ignacio, morador e
lavrador no engenho Stboria, da fregoezia do Ca-
b>, om escravo do mesmo lavrador, o qnal escra-
vo ehame-se Manoel, cnoolo; com idadr d 40
annos pouco mais on menos, bem preto. baizo
venias chalas, cheio do corpo, ps m^rn apalhe-
lados, olhos bem|vermplhos ; snpi>b>-se t^r vindo
nara o R-cife, por elle ler rev ido a nm parceiro
que pretenda asentar prnca. e se^mr Pra a
guerra do Paraguay ; levou om pateiot de brett-
nha branca, uma camisa engoromtda, unu calca
de castor ja usada, e chapeo de bat. cimento :
quero o apprehender digne-se de pirticpor Sr.
Beraardioo Pontoal a' roa da Saozalla m>*a o 38,
ou lvelo ao referido engenho, que sei bem re-
compensado.
Fugio do engenho Gutiuba da comar-
ca de Goyanna no dia 5 de Janeiro corrente,
o escravo Manoel com os .signaes seguintes:
crioulo, am 35 annos de idade pnuco mais
ou meos, allura regular, delgado do cor-
po e pemas, ps pequeas e b3o mal fe,-ios
_ j rendido de uma verirha, cara tirada, barba-
om ; loia earmazem d Pavo a rua d junar*-'0, om% afilado, denles perfe;U'S, uns ta-
triz n. 60, de Gama & Silva. j ihos de chicote as costas, muito ladino e
As vareges do Pavao. gertoso para Iludir; o seu senhur Antonio
Vende-se s mais bonitas vareges com listas de Ribeirn Campos, mora no mesmo engenho
1 Pe'9 baraiissimo Gutiub, onde deve ser entregue o dito es-
preeo de 800 rs. o covado ni loja armazem do
Pavio na rna da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
cravo, quem o capturar ser bem recompen-
sado.
i
f:
li^i'r "
,#


jfHlpHMVmpMMH
8
v^^^*fl0UHm*^i
MMMK
Diario de rcrnaubnco Terca felra 15 de Janeiro de
, _______,_____________________ ., ....______________
--------
1867



1863. 19,000,000 f
18.4. 24,500,600
Apresenta um augmento de mi i, de
M P0HCO DB TCD0. 9,01)0,000de francos ou mais de metale
Dimos em seguida urna memoria oWe A industria de tecidos de la qoe a>scvo-
n processo de alguns los ramos mais im- mam qae seriaanniquiladada pelo tratado
utes'da industria, -anceza, deoois que ^m prosperado desde ISQO-de modo-nota-
i luio o tratado de commercio entre a vel, ten | que dobrado a exportarlo
F. Sea e a Gra Bretanha em 1860 : esde esse ***$como ostram os segum-
Commercio fmniezi tB59 -i6i. .tes.algarismos :
Pretend.ma todo o \ti* e constante- Valor da exporta, da Franca, de teci-
mente os proteo*.' s tom&es \u odosde lia de ms'au dura francezi.
Francos
1859. 18o,6oo,ooo
1860. 2*9,3oo,ooo
161. 188,000,000
1862. 22l,7oo,ooo
1863 !93,6oo,ooo
1864. 35j,9oo.ooo
Devemos lembrar que esta industria em
Franca esleve quasi estacionaria durante 'os
precedentes seis aonos.
O augmento da exportago do fio de al-
godo. laa e linho, nao mems notavel do
que o que ficou indicado-em relago aos te-
cidos.
Eis a exportago dos annos respectivos:
Algodito o la linho e canhamo
Francos Francos
1859. 6,900,000 !,ooo,ooo
1860. lo,3oo,ooo 2,3oo,ooo
1861. 7,600,000 i ,600,000 -
18t.2. 14,2oo,ooo 3,100,000
1863. 17,loo,ooo 26,600,000
1864. 2l,6oo^)oo 21,ooo,ooo
Estes algarismos sao expressivos. E'
quasi desnecessaria a observado de que,
no periodo que se examina, os,presos de
todos esses artigos foram excessivamente
elevados, etenderam por cnsequencia a
impelir o desenvolvimeoto natural do com-
mercio.
tratado do comne:cq francoinglez, de 186i)
h,vn de'inundar > mrcalo francez com
minafaclurasiogieii, destraindo por esse
modo algumas industrias nacionaes da
Franca.
A grande disparidade entre os resultados
presumidos e os verdadeiros mostra-se nos
se>2UH,tes dados colhidos f/ueiramente nos
documentos officiaes da Franca.
Pode estabelecer se, para demnnstragSo
que una dos m3ta0.esindicios de prosperi-
dade de um ramo de industria nacional,
a exportago dos productos desse ramo de
industria, bem como a importaco da ma-
teria prima, qoando a manufactura nao
recabe sobre um artigo prouzido no paiz.
Tambem se pode estabelecer que o ter-
mo da exportago precede geralmeute a
ccsssgSo da producgo para consumo no
paiz.
Collocada a questo oestes verdadeiros
termos, se examinarmos o todo das expor-
tago^S especiaes da Franca, antes e depois
da cnclusao do tratado, de commercio, che-
;-remos a couclusSes evidentes contra a
crr.uaea doutrina proteccionista.
O valor total da exportaco, de Franca,
de objectos de manufactura franceza du-
rjnte o periolo de 1839 a 64 foi o se-
grate :
Francos
2,266,4'0,000
2,277,100,000
1,926,30J,000
2,242,700,0C0
3,642,600,000
2,924,200,000'
O anuo de 184 representa um augmen-
to de exportaco de 657, $00,0 JO francos
comparado com o anno de 1859, em quznlo
que unn simples observagiio faz ver quam
pequea fo a oscilago desse augmento.
Examinando algumas das verbas consti-
tutivas (testa eslatislica, v-se,que nao
ella menos favoravel aos interesses indus-
triaes da Franca, que mais comprme tidos
se suppunham pelo tratado.
Primeiramente, com relago manufac-
tura ti-xtil provara os algarismos que as
manufa turas de algodSo, lia e liaho, que
maisse presuma que viriam a soffrer com
os effe tos do tratado e com a acgo da
liberdade commercial, nao s tem sus'enta-
1) un augmento regalar, como tambem,
em alguns casos, tem feito surprendente
progresso.
Va'or da exportaco da Franca, de leci-
dos de algodo :
186o. 8,800,000
1801. (3,oooyooo
18(52. 11,900,000
1863. 16,100,000
1864. 15,2oo,ooo

1859..
1860.
1861. 1862.
1863. 4864.
Em vez dedistruir as industrias metalli-
r.as da Franca, o tratado lendeu incontesta-
velmente a promove-las. Deve lembrar-se
que a Franca por sua natureza talvez me-
nos apta que provavelmente qualquer ou-
tro paiz da Europa para sustentar a con-
currencia estrangeira nesta industria, em
quanto materia prima.
A exportaco de objectos de metal, ex-
cluindo machinas, fu o seguinte :
Francos
A exportado em 1869'fot excepcional-
mente grande, facto para, se notar conside-
rando a natureza variavel das estacoes da
Bca.^
Est plenamente ftemonstrado quam in-
fundaia era a dmtrina pr.iteccio fusta de
que a industria franceza ficara arruinada
com a concurrea;ia resultante do tratado.
Em lugar da destruyo da industria france-
za, tem esta cbegado ao ponto de sustentar
a concurrencia, nao s dentro do paiz como
tambem nos paizes estrangeiros, e com urna
rapidez que nioguem imaginara, gracas a
remogao de muitos obstculos, dos quaes
alguns exercendo urna acgo indirecta nao
se deixavam precisar bem.
Em concloso observa-se que a Franc,
depois que adberio ao systema da livre
troca reduzindo os direitos da sua pauta
sobre as manufacturas inglezas em conse-
quencia do tratado, o seu governo, a con-
tento de quasi toda a naci, tem emprega-
do esforcos para estabelecer rebges com-
merciaes anlogas com os outros paizes.
Pode isto considerar-se como a demonstra-
do mais satisfactoria dos resultados da abo-
ligao da pauta proteccionista da Franca, *
os algarismos citados justificam esta con-
claso. '
Se examinarmos os algarismos da expor-
taco da Franca para a Gra-Bretanha, dos
artigos em questo, o resultado anda mais
saliente. Em lugar de ser inundado o mer-
cado francez com as manufacturas inglezas
daqnellas especies, a totalidade exportada de
Franca para o Reino-Unido tem augmentado
grandemente, como provo os seguintes al-
ga ri.-mos':
Valor real dos seguintes artigos de manu-
factura franceza, exportados de Franca para
a Gra-Bretanha nos annos de 1859 e
1864 :
1859 1864
Francos
Lanificios 39,178,ooo 98.5l2,ooo
Fazendas de linho 3,331,00o
de algoio 5,742,000
1859. 43,7oo,ooo
1860. 45,000,000
1861. . 39,7oo,ooo
1862. 4l,9oo,ooo
1863. 43,7oo.ooo
1864. 45,loo,ooo
achinas foi a exportac5o :
1859. 6,800,000
186o. 3,3oo,ooo
1861. 7,3oo,ooo
1862. 8,3oo,ooo
1863. 7,5oo,ooo
1864. 9,5oo,ooo
3 lo3,ooo
12,671,ooO
8,912,000
8,842,000
5^993,000
3,213,000
Francos
839. 67,200,000
180 69,600,0 ;0
1861, 50,400,000
4862. 63.100,000
1863'. 88,200,000
1864. 93.7,0,000
E' ara augmento de quasi -26,000,000 de
francos, durante um periodo de desordens.
sem precedente no commercio, e em frente
dos obstculos sem exemplo que nasceram
da guerra da Am rica.
O dosenvolvmento daexpo taco dos te-
cidos de linho da Franca merece tambem
attengo, especial me de considerando as
circuinstancias da sua existencia em um paiz
que deve importar, quasi i ute i ramio te, a
materia prima dos dous p-.i/es, grandes
productores de linho e suas manufacturas na
Europa, a Gra-Bretanha e a Blgica.
Valor da expomc), da Franca, de teci-
dos de linho da manufactura franceza :
Francos
1859.
1860.
1861.
1862.
15,40i,000
15,400,000
li,900,000
14,700,000
FOLHETM
i8PRlSWlS4TAN4Z
POR
Jules de Saint-Flix.
SEGUNDA PASTS.
Xll
(Gonltnoacao)
A Sra. de Ca-lellan approximra a so cadeira
da de Lucy, o fallava-llie em voz baixa, como qae
ara sai irahir se s vtsUs escrutadoras das testt-
munhas qae Ihe imponham.
Es a mulber tem ama habllidade diabolle?,
disse Irma, dmglodo-se a Raymaado. Agora ata-
ca a corda seDMve!. E' uiua grande comediante'
Qae (ara a meoioa ?
BayioQDdo nao responded. Seoia com a vista o
movimeoto dos hombros, e os gestos de Anotada i
e por estes sigoaes dlligeoeiava advionar o sentido
daaphrases da grande comediante, como ihe cba-
fl ara a menina Irma.
Sr. Raymnndo, prosegaiolrma, permitla-me
que aproveite atccasio para me qeixar de se-
cbor.
De mim 7 disse Raymando, rem deixar de
clhar Dar a sala.
Sim,do seuhor Verdadeqaeeu jsuppanha
qaem o senhor era, apeur do nome qu adoptQU, e
do seo ira)o de operario... O senhor 6 marqoez f
E' narqoet dos pos at a cabezal J o saspeitavai
mas agora soabe-o da bocea da menina. Pez roa'
em occullar a sna jerarchiaa mim e a mea lio
Tomando o valor distes algarismos ,c o
mo iudieaclo do progresso do commercio,
poder observar-se que a importancia da
exportaco de 1859 foi muito superior a
medida ; de facto excedeu muito adsan-
nos anteriores.
Nao obstante as grandes redueces efec-
tuadas na pauta franceza de 186o sobre pro-
ductos chimicos, a exportaco, da Franca,
de taes artigos triumpbantemente refutou
as proph'ecias dos proleccionistas.
Eis os algarismos :
Valor da exportaco de productos chimi-
cos de Franca.
Francos
1850. 32,7oo,ooo
186o. 35,4oo,ooo
1*61. 36,rtoo,ooo
1862. 54,4oo,ooo
18t3. 49,3oo,ooo
1864. 54,4oo,ooo
Obras de metal 4,395,ooo
Fios de algodSo, l 4o6,ooo
Louca, crystal. 4,398,000
Peixe, peix^ salg. l,d61,ooo
Est, po^demonstrado que as indus-
trias que o tratado havia de anni-
quillar nao s tem conseguido elevar-se a
urna posic5o que nao haviamtido al alli,
mas ainda que as relaco.;s dess3S industrias
especiaes com Gra-Bretanha tem adqui-
rido orna importancia descoDhecida at a
existencia do tratado ao qual pode-se aflflr-
mar sem hesitac5o, devem ellas particular-
mente o seu extraordinario desenvolv
ment.
De certo est bem presente memoria
que a questau da redueco dos direitos so-
bre o pescado deu origem a urna memora-
vel dibcussao, que envolva outros interes-
ses alm dos commerciaes, porque se affir-
mava que a natureza prohibitiva da pauta
importava proteccao a armada imperial, e as
mesmas pescaras.
Vejam-se os resultados da redueco.
Valor de peixe salgado, etc. exportado
de Franca:
Francos
1859. H,5oo,ooo
Moirot, que o tratavamos como a um simples mor.
tal. E eo, a quem o senbor diriga to delicados
comprimentos... que seria de mim se me deixasse
levar pelas suas pa-avras... de amisado T Ah I se-
otior marquez, seja marqaez a sua voatade, mas
primeiro que todo seja (raneo para comino e con-
de em mim...
Irma i disse Raymuodo com vmeidade; e,
pegando-lne as mos, accrescentoa ; a melbor &
a mais aroavel das creataras I
E o senhor raarquez, levado pelo enihnsiasmo'
nao pode deixar de imprimir dous beijos oas leaes
miosque ilotia entre as sua?.
Ao mesmo tempo resoca na sala ama gargaiha*
da. Raymando sentio estremecer todos os ervos.
K saa Inimlga Implacavel, por meio de am espelbo
que liaba na saa (rente, aorprebendera-o beijando
amorosamente as mos de urna criada I
Decididamente tlnha Arrasada por s todas as
probabilidades de ama felicidade qae ebegava a ser
iuaolente, e aproveitava se dalla cois ama lutelli-
gencia qae honrara o mais hbil estratgico. A
Sra. de Castellaa terla sido consammado diplma-
la, e al grand general, se o eo nao tivesse de
terminado qae (sse ama das molberes mais bella,
e perigosas.
Raymando comprebendea Immedlatamente o ri-
diculo da saa siioaco apparente ; trocoa rpido
olbar com Irma, e depois de adoptar ama resolu-
fo, enirou na sala.
Armanda passoo sobltamecte da irona colera
arroscte, e dlrigindo-se aquella qae assim Ihe ia
interromper a conversacj com Lucy, dirigio-lbe a
palavra, mas com voz em qae transpareefa odio j
tmpJacavel:
Dam:s em seguida a memoria aposen-
tada ao imperador Alexandreda Russia, pelo
ministro esirangeiros, o principe de
Gortschacoff :
t Sennor: Parece ter cbegado para
a Russia o momento de abandonar a attitude
espectativi, que se havia imposto a respti-
to dos negocios europeus desde a guerra
da Crimea.
< A Russia n5o pode assistir ndifterente
as mudancas que se reaiisam na Allemanha
e j V m. se tem preoecupado do engran-
decimento da Prus>ia, assim como das suas
pretences ameacadoras para alguns prin-
cipes adiad >s Esta transformaco, cujas consequen-
cias s5o todos os das mais graves, obriga
o vosso governo a tomar um partido peran-
te a posssibilidade de eventualidades.impor-
tantes, e a reflexionar se na nova ordem
de cousas ficam ou nao per-peclivas favo-
raveis grandesa e prosperidade da Eu-
ropa.
Permitta-me V. M. que exponha as
ra/5esq'ie ex'Stem a favor de urna intelli-
gencia com a corte de Ber in. Nao ignora
V. M. quaes sao os olh's com qoe o occi-
dente encara o engrandecimenio do poder
da Russia.
e O occidente em primeiro lugar, a
Franca ; e o governo d'aquelle psiz n3o tem
o cuitado a esperaba que conserva de ver
levantar-se sobre as ruinas da confederacSo
urna naciona idade susceptivel de ser nossa
rival; um novo partido de publ.cistas e de
agitadores prestou o seu concurso a/ esta
polittca, e j moda,' entre certa parte da
imprensa'conciliar acivilisaco occidental
a urna cruzada contra- a barbaria -asa-
tica.
" Opesod'eslas exetacj>es sentimos nos
ha tres annos; quanda por effeitp d'essas
influencias, tres' gabinetes sa^abalancaram a
dar um- passo relativo .vpe^imea. inl^Bk
do governo de V. M.
a E nav^ia para receiar boje o mes-
Jmo perfcy dada a perturbaco das relaees
interaaifflaet e devido aos alarmes e dese-
jos halgate disperta los ?
t A Prosea, cuja attitude leaH* tinto
nos serbio ltimamente para ds-luaar de
ar6o Ae 1863 5o estaa, n'es>e caso,
cotocada como d'antes, na ra-laor disposi-
co para proteger as nossas froateiras mais
importantes, ou para facilitar dcaminho das
mesmas ?
Ese a ultima hyothese occorresse, nao
teriamos nos de lamentrr a allianga que se
ultiraasse com os nossos adversarios ?
E, todava, a nova Allemanha ha ae ser
nossa amiga ou nossa inimiga.
A sua posico no centro di Europa,
assim como as difficuldades inherentes a
todo o poder que uisce, torim impossivel
toda a neutralid^le. Conaeca-o ella vacilla
entre as recordaces e interesses de urna
amisade antiga e as adulacoes que os pseudo
liberaes Ihe enviara das margens do Rheno.
E' por sso que, para se decidir, s
espera provavelmente um acoihimento que
a tranquilise, e urna conformidade de ideas
que possa aproveitar-lhe
a umao com a Russia offerece-lhe
estas vantagens porque o trabalho da hege-
mona nao encontra difficuldades entre nos
s^nSo na Austria e na Franca.
Mas nos uegocios do oriente, que o
accordo est mais naturalmente indicado,
pela reciprocidade das vantagens.
as margeos do Danubio aPrusaia a
nica potencia que nao tem hostilidade sis-
temtica a oppor as ideas di poltica im-
perial. Occupada por outro lado, m esta"-
oelecer a unidadealleam desde a "emboca-
dura do Elba at s nascentee do Lech e
talvez at ao teita, ha de considerar-se
muito ditosa vendo assegurar a sua fron-
teira d'este, e abster-se de impedir o desen-
volv;mento das racasslavas, que V. M. tem
a miss5o de proteger.
A Prussia ha de ajudar-nos, comba-
teado, se fr necessario, contra a Austria,
mas, tudo mudiria se permiitissimos in
fluencia occidental preponderar em Berln.
t Sem qu se possam ainda flxar as
condicoes de semelliante alanca, compre-
hende-se desde logo que a Austria figurara
n'ella, reformada e engrandecida nossa
custa, e que a Inglaterra, com pouca difli-
culdade realisaria os seos desejos.
1 Acabo, senhor, de citar a Inglaterra,
nacSo que parece olhar com a mais co n-
plet mdillerenca para tudo quanto occorre
00 occidente ; um dos seus primeiros mi-
nistros proclamava, anda n5o ha muito, o
carcter cosmopolita, e mais colonial que
europeu daG.aa-Brelanha. A guarda da
ua riqueza, eas ioquieiac5es que a Franca
Ihe inspira, sao as nicas cousas que hoje
parece obreviverera na sua antiga poltica.
c O receio a respeto do imperio napo-
lenico descobre-se desde logo as manifes-
tacas a favor da htegridade belga, que se
produzem em Inglaterra, e mais ainda as
que tiveram lugar durante a campanha da
Allemanha,
< A opiniSo publica ingleza, primeira-
mente hostil para com a Prossia, aprussou-
se a manifestar, por meio dos seos orgos
mais autorisados, urna viva satisface logo
quejulgou deseobr ir na marcha dos aeon-
tecimentos um tlesaguizado para a Frang.
Esta potencia importuna-a 110 continen-
te, e a preponderancia de qualquer outro
paiz parece-lhe preferivel. A Inglaterra,
desejosa, pelas necessidades da sua poltica,
de conservar a amisade de urna nac5o mili-
tar do continente, leve que tolerar durante
muito lempo os progresos da sua visinha ;
mas o seu contentamente nao conheceu limi-
tes, quando vio elevar-se outra nacao, forte
cuja allianga muito promettedora no seu
futuro.
c E' portantopara Berln onde pensa di-
rigir-se no dia era que necessitar de um
exercito para apoiar a sua marinha; e
conveniente iodicar a V. M quant importa
impedir que semelhantes planos diplomti-
cos cheguem a realisar-se, e a alterar o no-
vo systema europeu.
< Nao obstante isto, senhor, a inimisade
da Inglaterra para comnosco improvavel.
O jornal mais acreditado de Londres assim
o declarou terminantemente. A queslao
que hoje oceupa a Gra-Bretanha, tambem
a do Eypto, e n'ella apparece desde logo
a sua antiga rivaiidade com a Franca.
* Com raz3o, ou sem lia, suppe-se que
o governo francez nao quer limitar-se no
Egypto ao interesse scientitco ou industrial,
q-ie se refere abertura do istnmo de
Suez, e isto que o go-erno de S. James
est resolvido a nao supportar. Em troca,
tantos attrativos Ihe offereceria urna posico
solida n'aquijlle ponto importante da unio
dos dous mares, que nao deixaria de ser pos-
sivelom accordo cora a Russia, sobre esta gtico usam este iove/no chales 00 chales-
base, no caso de urna grande reorganisaco
do Oriente da Europa.
Vija pois V. M. as consequencias que
vao unidas s relagoes prximas que devem
est belecer-se entre a Russia e a unidade
germnica,
Prussia.
?? NSo devendo contar-se cora a Austria,
efiminada a Inglaterra, e reduzida a Frang
assuas proprias torgas, e assiur|ue se' de- ^u^ 1
mantas, apesar de sorenj bastante vulgares
em Pars; e por isso nSo pode avaliar-se a
moda do chale desdobrado.ler acceitago.
Temos visto chales-mantas desdobrados; po-
represenuda no futuro pela rm, .;i*ales quadrados posto* nortiombros
. como se fossem mantas, ainda n5n
A proposito de ser moda afastar do ros.
o possa acompanharr p^ra des-
ve apreciar a perspectiva que offerece a fargar ou.a fealdade ou os esfragos dos an
allianga das nacoes prussiana e russa. Mas nos, diz-se que i armadilha d%b*tas pa-
TTlWlWSr pane -" -rmerem 1!; o
das ideas hosts a Russia, est a frente do ent5o> 1ue se man mais verosini, es-
exercito democrtico, cujas evolug5 s mais sas modas dos cabellos arrpiados, das fitas
de una vez teem desconcertado os mais dos cnapos sem lago e passadas para o lado
firmes estabelecimentos; especie -de ma- posterior da cabe?a etc fo 'tua0. ideado
conaru encoberia pelas apparencias m-is n, .*__:. 1 ,
seductoras, enlacada P3la multido dos se- Pelas seBnoras com quem a mtuma n5o
nhores esopiistas, e bastadle poderosa em repartio grande prrg5o de formosura, para
momentos determinados para impedir os de tal arte fiesrera todas collocadas no mes-
soberanos e os povos mo nivel. Esses oivelamentos se verifil
Quem capaz de prever o que succe- um ^^ effeil0 muilas dj
deria se um governo de ongera popular. menineiro e bonito tem de luctar
se armasse com os recursos que a correte ,w >wu ue IU0ldr
liberal teTn feilo fermentar na Europa ? fia- coai oulr0 (lue luu>'e- na* fl^eauoes em
da urna das pocas da historia est wrr a Ja que os corpetes teem do ser extremamente
por grandes exemplos, em que urna funja afastados dos hombros e quasi sem mangas
moral de que qualquer origem, con^egue fazeado era auiitos casos to indiscrepta mc-
transf^rmar os clculos mais seguros da ,inoUs torga material ; e n'este caso estara a Ru>- da w;eUcoes penjy.is para as bonitas, e li-
sia exposta a ser a victima.
Apressemo-nos porlanto, a soblrahir a
corte de Berlin d'essas influencias, e a con-
cluir urna allianga igualmente favoravel a
ambas as cordas.
Se vossa magestade, fixando os seus
olLares n'um futuro ainda remoto, se assis-
lasse da futura visinhanga da nacionalidade
allemaa, pode todava contemplar como mo-
tivo suficiente de tranqnillidade os immen-
sos recursos dos seus estados.
As rivalidades que tarde ou cedo re-
bentam enlre as ragas endem a fundir-se,
nao podem ser muito terriveis para o ele-
mento slayo; que ainda est na aurora do
seu progresso. E estar-se-ha reservado o
dominio do continente, como a raga inIo-
saxonia est o do mar ?
Vosso illuslre av Pedro Grande nao
poude conservar seinelhante sonho, e a um
s principe- corresponder a misso de o
reals.r.
t Mas os movimentos que agitara a Eu-
ropa, assgnalam pira a vRussia urna era
nova, e vossa magestade v'ai constituir um
a'esses imperios que fazem poca no mundo
e em cuja construego reconhecem os povos
claramente a mo da Provideacia.
!.. '"'
Do Jornal do Commercio de Lisboa resu-
me assim as ultinas modas de Paris:
Fallar onescrever sobrejtrajos feminoos
logo aps do baile do pago, ueohum interes-
se pode suscitar, porque as descnpgoes fel-
tas por alguns jomaes ainda que incomple-
tas, das opulencias qne alli se ostentaram,
offuscam e deixam a perder de vista tudo
que a respeito de toilettes baja a referir.
Entre os mais explendidos trajos que
abrilhantaram as salas reaes, muitos notaram
pela rquesa, pelo apurado gosto que revela-
vam em quem as idou e executou, as toilet-
tes ricas,mas principalmente elegantissiraas>
das Sras. visconlessa da Silva Garvalho e de
Loures, da consorte do Sr. Lobo de Avila e
da Sra. baroneza de Mag-dhes.
E j que fallamos a este respeito, dire-
mos, que nao exacto o que alguem escre-
veu, querenio attnbuir a preferencia do se-
tim a outros estofes adoptados agora oas
grandes toilettes, a exemplo tomado da rai-
ntia de Hespanha: quando certo que essa
moda j c estava, e que se assim nao f >sse>
nao teriam apparecido tantos setios no baile-
Ha muito que se preparavam 03 vesti-
dos que l bnlharam; e claro que nao
era possivel copiar ou imitar o que aiuda se
nao t nba visto.
Defendido assim o mrito das modistas
que a seu cuidado teem o embellesamento
das damas, que habitara a nossa tormos
Lisboa, vamos extractar dos nossos boletins
o pouco que ha a dizer.
c Est definitivamente assentado que li.
cito usar os vestidos com a'gumas pregas
as ilhargas e no lado posterior da cintura.
No entanto, os vestidos completamente lisos
sao o requinte do jonatismo ; e, sendo feitos
de panno ou de tecido encorpado, torna-se
entao quasi indispensavel o nio terem prega
alguma: nao fallando nos vestidos intericos,
porque esses e^lo fra da questo.
Nao ha novidades, nem nos chapeos
nem nos casacos.
Observamos que as nossas elegantes mu
songeiras para as que o oo sao.
Da bocea d'estas se ouvem entao mur-
murages e risinhos. fj
Que castas, Deus meu I Era melhor fi-
car em ca* diz urna senhora dos seus
trinta, cojos contornos, 1sfo"'irreprehensi-
veis.
E logo outra accrescenta: ^
semelhantes bragos nunca devetan) sahij
das mangas de um vestido de estofe bem ta-
pado I E ao mesmo tempo se rev nos
seus, que sao alvos ,,e bem torneados.
Ao passo que isto succede, alguns mali-
ciosos criticadores lastimam a desigualdades
que observam, quereado q'n'a- belleza se
unisse belleza, e que das senhoras, cuja
formosura de phisionomia problemtica,
fugissem outros altractivos, que tambem do
garbo e gentileza.
. Diz-se, que a razio pela qual se abra
gam muitas inoovages, que, em vez de au-
xiliaren!, deturpam a belleza das senhoras,
est era que ellas adoplam essas novidades,
nao para se tornarem mais graciosas e gen-
tis, mas simplosmente para manifestarem
que sao pessoas de teres.
As modas recentes obrigam a nao apro-
veitar o chapeo, e o casaco do anno anierior.
Usar, esses objectos denota economa, ou fal-
ta de dinheiro.ou pobreza; e qualquer desses
motivos ncompativel com"" a prosapia de
verdadeira elegante. Logo necessario acom
panhar de perto todas as modas, por mais
feias, excntricas e extravagantes que sejam,
para nao perder os crditos de janota irre-
prehensivel.
Na prxima semana esperamos ler algu-
mas infrmagoes interessantes, para trnsmil-
tir sleitoras; hoje terminarem s coma
descripr,5o de urna toilette de visita.
Saia de popeline alvadia com tiras de
veludo cor de vinho. Vestido curto igual
saia, em recortes quadrados, sua'necidos de
veludo da cor j dita, com tiras do qual se
occuliam as costuras dos pannos, e Ruarne-
cera as rrangas, o pregado dellas, o cinto e
o basque, que recortado por modo idn-
tico saia.
t O basque apenas formado pelos re-
cortes que se prendera ao cinto, como suc-
cede nos cintos pplum. As mangas *ao
justas e com cinco recortes pequeos, qua-
drados, guarnecidos de veludo, e tendo um
bolao em cada recorte; os quaes oceupam
o espago que vai do coiovelo at ao punho
t Chapeo de veludo, igual em,cor ao dos
enfeites do vestido, fraozdo, com franjas de
jais, ramo de arevinho ao lado, e fitas de
tulle preto com espiguilha de renda guarne-
cendo-as.
Como qoe se atreve, disse ella, a permane-
cer por um s instante mais nesta casa T Como
que tem aadacia para tornar a apreseotr-se a
esta senhora, a quera engaa indignara-nte, e a
mim, a qut-m diigenceia ultrajar, e que poderia se
qnitesse, entrgalo jasiioa ? Digo-lbe qae o me-
lbor qae tem a fater retirar-se. Depois de in-
tentar de balde sedaur a melbor das jo*en, con-
tenta-se com a ventar de beijar a criada qae
serve, e com qaem o sentiOr provavelmente vive na
melbor harmona...
A senhora, mente I exclamou Irma, deveras
desesperada. Mate, repilo I & eo, qae nao pas-
so de ama pobre rapariga do povo, posso provar-
Ihe, e a todo o mando, a prooria justica, que a se-
nhora -uma fialga ungida, e que ao da em qae
nao puder susteotar ese laxo, nao sera> a sentara
man que urna mulber desacreditada, abandonada,
e nao valera' tanto como ama das miabas uab*
por qae ea soa honrada.
Aqui esta', miaba senhora, o- que ea liaba a di-
ler-ihe, para responder as calumnias, com qae pre*
ende manchar a repaugio do Sr. marquet de Bel-
|6garde, fazeado-o passar por am libertino e cava*
Ibetro ue industria. O senhor marque beijoa-me a
uao por qae me dedica amisade sincera, em rato
de Ihe ea ser to Bel, como a' menina.
Tio no espelbo o senhor marqaez beijar-me a
mao, e expioroa essa acco em sea proveito, para
o desacreditar ios oibos da meaioa Luoy. Preten-
de leva-la a todo o cnstopara soa casa ; e dir-lbe;
bei por que. Jaron leva-la de bom ou mao grado
e velo aqui representar ama comedia tristissima.
mas o qoe a senhora oo sabe qae se o acaso l
as vezes peles mal intencionados, oooca Deas des-
ampara os coracoes boas, e a gente de bem. Nao
v qae somos tres qae a coohecemos a (ando, e
qae apezar da sua belleza e ricos vestajs, sab-mos
muito bem qasnto vale, e a vida que leva 1 N
v qae desde o momento em qae atacasse o senhor
marqoez na saa honra, aecnsando-o do rapto de
urna joven, e de am roabo de diaheiro, provavel-
mente do que Ibe dea o Sr. Moy-ses, (riamos os
tres em basca de am juiz, e apresentar-lhe biamos
as provas do qae a seohora do qae faz, e do
qae pode fazer I Bem v ae estou ou nao ao (acto
de lodo.
Se a senhora tara ouro de sobra, a mim nao me
faltara bou olbos, boas dente e nem boa lingua.
Agora qae ja' Ihe disse qaem e qaem son, diga-
Ihe a senhor marquet o qae Ihe approavar ; e de
pois de bem explicado todo, pedir-lhe-hemos liceo
ca para nos occaparmos tranqollamente dos nos*
sos assamptos, fogaodo-lbe ao mesmo lempo qae
trate dos seas, aceitando as desculpas de qaem au
se dn sua criadaIrma Noirot.Como v, a.'-sigoo
a carta.
Ao concluir esta arenga, de certo inesperada, re-
caoa Irma, e dirigi a Sra. de Castellaa daas cor-
tetias de tal aroplido e magestade, qae parecea
enclier a tala com a roda d > vestido.
Armanda, como que atardida por to forte des-
carga elctrica, soBtara-se n'uma poltrona ; Luc
occnllava a fronte com as mos; o marqaez, com
olbar radiante, o sorriso nos labios, e attitude ca-
valneirosa, dispunha-se a accrescentar algamas
phrases sentidas ao discorso de Irma, quando re.
pentinamente abri esta a porta a am novo perso.
nagem, que niquelle momeulo chegara.
XIII
A quem devo aonaociar ? perguntou Irma ao
personagem qae se apreseotoa a' porta, e qae per-
maneca na penumbra. ,
O que I replicn o recem-chegado, nao reco-
nhece o amigo do Sr. Raymuodo ?
Ah! o Sr. Marcotle I Chega mito a tem-
po. Esta' ca' a Sra. de Castellao.
Nao a devoroa T
Nio, mas era a sa intengao. Receben a car-
ia qae a menina ihe mandn T
Recebi, e aqui e.-toa. Ue qae se trata T
De provar qae a Sabliville e Armanda sao
daas embnsteiras.
Ora adeos I Ha mnitas assim. Nio fazem
mais do qae seguir a moda.
Qae a menina Lucy nao (oi raptada pelo Sr.
Raymnndo.
Posso prova-lo Olbe qoe ea soa lgico, Sra.
Irma.
E emfio, que se o seo patrio commetlea a
grande tolice de cenfiar ama somma enorme a Sra-
de Castellan, nu a r. oboa o Sr. Raymuodo da car"
teira que essa senhora tem 00 sea gabinete, em
Beauohamp.
B como o Sr. Raymuodo nao eslava no pala-
cio, ba oito das ; e como, oo tendo am sold, se
vio cbngado a empregar-se em casa de om vende-
dor de quadros.
-r Assim ; mas entre tanto, ceva-se nelle a ca-
lumnia; aceasam-no. O senhor marqaez ( por qae
ja' sei qae marqaez ) dlsse-rae lado.
Eolio entremos, disse o Sr. Marcotle, entre-
mos. Provarei a' l Castellao T" embusteira,
ladra e ma'. Entremos. '
*
_
? -
Por ordem do governo dos Estados-Uni-
dos fez-se u na obra importinte, destinada
exposigo universal de 1867 : urna
grande carteira medindo 48 polegadas por
35, e contendo urna collecgo completa das
cartas nydrographicas das costas dos Esta-
dos-Unidos.
Apenas Marrotte assoowa a' porta da sala, diri-
g J-ae a elle o marque-, e pegando-lne na mo a pre
sentn o a Lucy, a qual Ihe agradecen por ter-se
apressado em acudir ao sea chamameolo. A Sra
de Castellaa reconhecea eom certa cooimogo a-
quttila physioDomia qae ja' vira em alguma parte
parecia-ltie qoe, entre oairas vezes, a vira, qoando
(ora visitar o baoqaeiro Moyses, e exaciamtnie 10
momento em que lbe apanbava os trezenios e cin-
coeota mil francos.
Qae vira' fazer aqu ? pergnntoa lia a si
mesma, um tanto inquieta.
O Sr. Marcotte, tornoa Raymando, dirigioJo-
se a Luoy, digaou se sacnDcar-uos o serio, minba
senhora, para Ihe dar algumas eiplieacdes, qae
oo he deixarao de lbe ioteressar. Sinto-o deve-
ra-, accresnentou elle, mas o Sr. Marcotte lem por-
menores mui interessantes qae revelar a respeito
de ama somma conaideravel, adiantada a certa pes-
soa, para comprar om palacie moi lindo, siiuaoo oo
extremo do parque de Beaochamp, e destinado por
mo geoerosa a' menina Locy, como prsenle.
Que loucura I dase esta olhando para Ar-
manda. A senhora pensava acaso em dar me da
presente o palacio contingoo ao seo parqne T
Nao como presente de aonos, tornoa Ray-
mando, mas como presente de nupcias t
Ab I mea Deas I exclamou Locy, a pri-
meira vez qae 0050 fallar em tal I
Acredito-o -, bavla razoes poderosas para que
a seobora (osse a nliima informada a respeito do
cerlos projectos.
E quem tlnha adiantado es (andes a qoe se
refere f
fConiinuar-u-ha^'
TYP. DO DIARIO-RA DAS CRZE3 NJ.
'\
1?.l

>.

V
o

I
%
4
w.



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EC8I3N7EL_YXAA42 INGEST_TIME 2013-09-05T01:09:13Z PACKAGE AA00011611_11169
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES