Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11164


This item is only available as the following downloads:


Full Text
f>.
( !





f
ANNO XLIII. NUMERO 7.
PARA A CAPITAJL E LttlBE* OXDE SE NAO PACA PORTE,
Por tres mezes adiinUdos.,. ............
Por ms diUs idea.. -.............."..".
Por am idm Mea...... *. ..........
Cada asmen aris................ .
60000
124000
24,50tK)
320
QUARTA FEIRA 9 DE JANEIRO DE 1867.
PARA DENTRO E PORA DA PROVINCIA.
Por (res mete* adiaatadee..........
Por seis dilos idem................
Por boto ditos ideai.......... ,. ,.
Por ib ubo idea.. '.: .. ,, .. .. '
13,91500
204250
27,K>G0
DE PERNAMBUCQ.
aasafta^aa am giBaamroiia sm> wmwqmm m&TOa, motimioii m mma roaros, sais M3*
ENCARHKGADOS DAWBSCR1PCA.
Parabyba, o Sr. Antonio Alex2c
Nat^l, o St.' Antonia Margues da Si
oSr. A. de Lemos Braga: Cear
Jos de Miveira ; late, >s Sfs?
Alves & Filho*.;;^jpj3nasj o Sr. Jeronymo da
Costa; Alagoas.o Sr." .FrMeiho
Baha, o Sr.'IosA Martina A!
o Sr. Jos Rfbeiro Groarla
Tavares da Costa;
Baha, o Sr. los Martin Alves: Rio de Janeiro,
0.
-
PARTIDA DOS ESTAFETA*.
Olinda, Cabo, Escada e estacos da via frrea at
Agua frea, todos os das.
Igaaras- e Goyanna oas segundas e sextas feiras.
Santo Anir-, Grava!?., Bezerros, Bonito, Caruar,
Altmho, Garantios, Buique, S. Bento, Bom Con-
selho, Aguas Bellas e Tacarai, as tergas-feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoiro, Brejo, Pesqui-a,
logazera, Flores, Villa Bella. Cabron,. Boa-Vis-
ta, Ourieury.Salgueiro e Ex, oas quarlas feiras
Seriohaem, Rio Formoso, Tamaodar, Uoa, Bar-
reros, Agua Preta e Piraenieiras, oas quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio r segundas e quinUs.
Relaco : tercas e sbalos as U horas.
Fazenda : quintas as 10 boras.
Juizo do commercio : segunda* as 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas as l b iras.
Pftjmeira vaTa do civei: tercas e sextas ao mo
dia. .
Segunda vara do civel : quartas e sabbad- s a
1 hora da tarde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JANEIRO.
5 La nova as 9 h., e 38 m. da '.
13 Quarto cresc. a 1 h., e 42 m. da t.
20 La cheia as 4 h., e 14 m. da ni.
27 Quarto ming. as 11 h. e 55 m. da id.
DAS DA SEMANA.
7. fcgaoda. S. Luciano presb.; S. Clero diac.
8-jWt. S. Severido ah.; S. Taeophilo diac.
9. Quarta. S.-. Juho e Baslica sua espostrnra.
Ili'. Quinta. S. Nicancr diac; S. Agatho b.
H. Sexta. S. Hyginop. m.; S. nevero m.
12. Sabbado. S. Satyro m.c Arcadio id.
[13. Domingo. Ss. HermMB>'ajono boj.
PARTS OF-HCiAL
MINISTERIO 0 IMPERIO
H- por bey, n.c3aNi|ald do^trl. 33 do
regulamenlo mandad i observar pelo decreto n. t*0i
d; ii lo lulbo il-! 1858, ftier n-rc dj titulo do
mea conselno ao mimbro efectivo do-conselln^aval
o chefe de esquadra Diogo Ignacio Tavares."
Palacio lo Rio de. Japeiro, em 29 da dezembro
da 18S6, 4o' da independencia h do Imperio. TCora ;
a ruorici de S. M. o Imperad^.Jos Joaounn !
F-mandes Torres.
H
4 dito.1 cadete Jos Julio Ranal.
5o dito.Soldado Claudio Jos Ferreira.
6* dito.Sargento-ajudante Jos Gongalves de
Alroed.-
7a dito.2" cadete Joaqun) de Souza Mudos,
soldados Fabncio Joaquim Gomes e Manoe! Luiz
da Cruz.
8* dito.Particular 1 sargento Americo Lau-
rentino de Albuquerque o soldado Jos Beoto
Fragoso.
9. dito.Soldado Constantino Jos Alves.
10 dito.Forrel Horacio Pereira de Santiago.
11" dito.2 cadete 2 sargento Belmiro Francisco
Ribeira da nIvx.
lo dito.Soldados Lucio Gomes dos Res e Vi-
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 7 bcras o 42 m. da maohaa. i
| Segunda as 8 boras o 6 minutos da tarde.
P.lHTIA DCS VAPJES COsTEIRQS.
Para o sal at Alagoas a-11 e 3o; para o nrte
a Granja a 7 o 22 de cada mez; para Fernan-
1 do nos das 14 dos mates Janeiro, marco, maio,
I ja>ho, seterohro e novombro.
por bam, b* coaformila.la do art. 33 do
regiii.-imanioroanladooriservirpelodee.reton. 2208 ce"'e LJ na?- '
d- 2 de jnlho Je 1838, fu r merc do titulo do! 0 dito.-2 cadete Antonio Flortaoo Paulino de
raeu consoto ao bicharel Joaquina Saldanoa Ma- Mo/aes e soldado Joao Ramos dos Santos,
rlnhn.
aos seus commndados garantir-lties a salubri-
dad*, o regolamento que vem publicado na ordem
do dia n. 7 um servigo importannssimo prestado
a causa da bumamdade.
No dia 2 de dezembro, anniversario do nosoau-
(osto mooarcha, bouve grande parada do campo
do P itero Piris, a qual assistio o lllustre mar e todos os demais generaos deste corpo de exer-
cito.
A ama hora da larde bouve cortejo no quarte!-
gtneral do nobro marque/, para o qaal concorre-
raro lodos os offlciaes do exercilo que o pnderam
fazer. cora exelo*aj dos que achavam-se nos postos
avancados e em guuntc5os.
As horas do costume o exercito o a armada, de-
S. Etc. o Sr. marecbal de exercito marquez de
Caxias, comuiandaote em chefe, manda fazer |iu-
bl:co |iara coibhecimento "das forcas sob seo com-
mando, que lendo sido extracta.-, em virtude do
aviso do ministerio da guerra de 20 de outnbro ul-
timo, as repartigoes de faiendados corpos de exer-
Art. 6
tec
B
Art. 7> Nos
As reparugd*s?ereadas pelos artigos ;ra-
'c*MHtt>-^rv4ro n Hptaiflento e ordens em
ido letras e nos recebl mon-
tos das qaauti.is que a offleiaes enviarem
familias, iiuardar-ie-hi
para exiraccio de agua, e conserva-las se
bom estado.
8. Nao permittir que a venda de cavados o de
outros animaos seja effectoada por pessoas d-sco-
as suas nhecidas no exercito, inlervludo sempre em taes
T i ,T eanaatw corpos ae ex-r- laminas, guartfar^fct opreceito dos avisos de 5 negocio?, com o ilm de se poder depais verificar a
co em operacoes no- Paraguay, sao nesia jlata tU *eiembro Mroil. Unto^df 15 deste mez. ; dent.dade do vendedor. ^
creadas ouiras, mais de aVcordo com a nova" ad
mluistraco ; as qoaes se regularao pelas iostruc-
(5es que acompaolfaram o citado aviso e que com
estaerdemd) dia'so di.tnbulda,s para que te-
nliam a devida execu;o.
Outrosim, manda o raesmo Exm. Sr. publicar a
relaco dos empreados noraeados para as novas
repartieres, e declarar que concede licenga atim de
em 29 de dezembro
do Imperio.Com
8r.Jos Joaquira
28- ditoCabo Aotooio Jos de Saot'Anna.
5# dito.2 sargento Joo Pedro Rodrigues
dos Santos. 9
31 dito.-2 sargento w6n Antonio de Caucelho
Jouior e soldado Frandsro de Ovelra Jorge.
22 dito. Aospecada Elias Jos Nicolao de
Almeida.
47" dito.2 sargento Antonio Apolmario da
Cuoha.
Palacio do Rio de Janeln
de 1866, 45 da indepe;
a rubrica de S M. o Iol
Fernandes Torres.
Senhor, as pessoas cujos nomes constara da re-1
.a{5o junta prestaram na provincia da Bjhia, &
ern da integridnde do Imperio e honra naetonal, I
relevantes servido, dignos de remaneraco, e
achando-se esses serviQos corapreheodidos nos de! -----"*-----"
que trata o do art. 9 do decreto n. 2833 de 7 ftOVHR'VO flil BIRP lltB
de dezembro de 18I, tenho a honra de propr a W,IU^W mm rAWU.
Vossa ilagestade Imperial se digne condecora-las' SEDE VACANIE.
m"fn"arefioda R<"h os r05 desi8Dados na O Dr. Joaquim Francisco de Faria, commendador
Sou, senbor, com o mais profundo respeito rev-' d.a l0!:de'nllde 1C,riS-,a'h?e,!? ^oiiorario da Impe-
reme subdito. Jos Joaquim Fernanda Tor- raicapelia, lente jubilado de tbeolog..., deao da
res. H sauta igreja cathedral de Olmda e vigario cap
Aitendendo aos relevantes sOrvicos que, na pro- 'ular d? dipc?^ e Pernambuco' **** J6"6-.
vincia da Bahia, prestaram a bem da integrldade e fon,)r?*d?d" TT .1^." '1aS imas, .*'
do Imperio e honra nacional as pessoos confute ^d?j de 14 da abr" da ,78t- Mtm roU-
vamenie aos concursos e propostas dos beneBci s
vago-, coudrmado pela imperial re.-olufao de i de
julho de 1820 e mais leis e ordens imperiaes em
i vigor, ponno em c racurso pelo presente edital as
I seguintes freguezias vagas deste bispado, a saber:
I a de S. I'edro Goncalves, a de Santo Amonio e S.
ram as respectivas salvas. A tropa que concorreu se retirar pafa o Brasil aquelles emprega'dos de fa
a parada eslava bem uniformizada geralmenle. zenda que nao foram contemplados na presente
Nesle mesrao da na capella de Nossa Senhora da organisago ; devendo os que pas5arami*er con-
Consolago, erecta na ambulancia volaote da 2* di-' siderados cora menor graduaco, conservar os dis-
- i e,"^ad* 5a intendencia, repart- 9Q. exercer lnpecco sobre as pessoas qua en-
i;ao dscal e pagadura militar lerao os veocimen- trarem nos acampamentos, fazendo re'er at nlte-
*WWo-maJor da 1.* classe em campaona, rior deciso do comraaado em chefe aquellas que
correspondentes-a sua>gc*;dii oa>', e mais a granfl- forem saspeitas.

Salvador, o I tinetivose as houras que anteriormente Ibes com-
viso, administrou o capuchinho Fr
baptismo condicional aos protestantes Carlos Hugo j petiam.
e Capo Alberto, era servido no exercito brasileiro ;' belcaodos empbbsaoos nomeados para as rb
a esso acto assitiram, em grande gala, como teste-; partiqogs db fazfnoa novamentb creaoas.
------. ..p,, a,., +j ii m, i,i U(i.llllJ 11 a^
da relaco que cora e^te baixa, assignada por Jos
Joaquim Fernandes Torres, do meuconselho,senador i
do Imperio, roioistro e secretario de estado dos
1 negocios do Imperio, e de eonformidade com o i"
do art. 9 do decreto n. 2853 de 7 de dtz^mbro de
J86I, hel p ir bem condecora-las com a ordem da
Roa, nos graos designados na mesraa rehgo.
Palacio do Rio de Jaoeiro, em 29 de dezemfcro
de 1866, 45* da independencia edo Imperio.Cora
i rubrica, de S. M. o Imperador.Jos Joaquim
Fernandez TorreJ.
1SELAQAO DAS PESSOAS QUE. TENDO PRESTADO RELEVAN-
TES SERVAOS A E.U DA i.NTKGRIDADE l>0 IMPERIO E
HONRA NACIONAL, SAO CO^DBCORAOAS, POR DECRETO
DESTA DATA COM A
Ordem da Roca.
Commendador.
Coronel Symfronio Olympio Bacellar.
Offlci"?.
Dr. Antonio Duarte da iilva Valecca.
Dr. Antonio Luu Alfonso de Carvalho.
Major Francisco da Silva Mello Ju:;;or.
Cipilo Jo. Xuae* Ituto S.
ros.
Dr. Antonio Gomes Villaca.
Dr. Hercuian Circundes oVCarvalho.
Dr. Joo Bernardo de Magattiuis.
Dr. Trajano da S'lva flego. StA 9
Teneute-c ronel The ni^todes o* Rocha Passos.
Teuente-corooel Theotonio Gomes Rozeira.
Capitao Luiz Ayrs de Almeida Freitas.
Palacio do Rio de Jineiro, em 29 d dezembro
de 1866Jos Joaquim Fern P>r decreto de 29 d.> correte fol concedida
a D. Miria Augusta Gedes de Almeida, viuva do
capitn di 3o orpo de voluntarios da patria Manoel j
Galdino ds Silva e Alnii-Ja, morto em combate, a |
penso de 60^ measaes, dependendo es a merc
da aoprovago da asseinbli legislativa.
Por decreto rti raesma dita foram condecorados
cora o habito da jrdem de Christo, pelos relevantes
servidos que na provincia "da Bahia prestaram
a bem da integridade do Imperio e lunra nacional,
os Drs. CaeUoo Vicenta de Almeida Galeo e Joi
Alfredo Machado.
Por decreto da mesan data foi agraciado com o
habito da Rosa o Dr Sevenano Braulio Monttiro, *'
pelos relevantes servic s que tem prestado ao esta- w"s'
rvic s que
belecimento naval de Itapura.
TIIVIHTERIO DA VERBA
HONRAS OS rf-V(>S MILITARES.
Attendendo aos relevautes servic s prestados na
guerra actual cootra o guverna do Pataaay pelos I
seguales individuos, hoove por bem S. M. o Im-
perador, por decreto de 29 do correte, conce-
der-Ins as honras dos postos militares abano
designados:
De teneote-coronel do exarcito.Ao major do
15 bataino de infamara, actualmente reformado,
Joao de Souza Fagundes.
De capitao.Ao teneote do extracto 22* porpo de
voluntarios da patria Auiouio da Cuoha Frota.
De alteres.Ao alteres do 1 corpo Manoel An-
tolo da Silva e do 4 dito dito Th.du Pereira:
Itobyn.
Reforma de officiae-___Na conformidide das
disposigdes do | l* do art 9 da le o. 648 de 18
da agosto de 1852 forara reformados por decreto de
Jo-, tolas da cldade do Recife ; a de Sanio Aato
I da cidade da Vl'Uoria, a de anta Maria do Ro de
: S. Fraocisco da Boa-vista, a de Nossa Senhora da
Purificarao e S. Gonzalo de Uoa, a de Nossa Sa-
| nhera da Conceicao de Serinbem, a de S. Loaren-
I co de Tejucopapo, a da Santo Amaro de Taqoari-
| tioga, a de S. Jos de Ingazeira, e a de Santa Anna
de Grvala, oesta proviucia : a de Nossa Senhora
: das Neves da cidade da Par&hyha, a de Nossa Se-
nhora da Conceicao da villa do Conde ou Jacoca, a
d S. Miguel da Bahia da Traigo, a de S. Jos de
Piranha, a de Nossa Senhora da Luz de Pedra
Lavrada, a de Nossa Senhora do R .sirio da povoa-
gao de -. Joao do Rio do Peixe, a de Nossa Se-
J. nhora da i'euha de Taqaara, e a de Nossa Senhora
I das Dores o'AlagOa do Monteiro, na provm:ia da
Parahyba : a de Santa Anaa da villa de Upauema,
a de Nossa Senhora das Gracas do Muricy, a de
Nossa Senhora Mi do Povo de faragu, a de Nossa
Seahora da Conceicao de Agua-Branca, e a de
! Nossa Seohora di Conceicao do Limoiro de Ala-
goas. na provincia das Alug^as : a de Santa Aona
i do Serillo, a de S. Joo Bapiista de Porta-Alegre, a
j de Nossa Senhora do O' de Papary, a de Nossa Se-
| nhora das Dores do Patu, e a de No-sa Senhora do
O'4a Serra-Negra, na provinela do Rio-Grande do
Norte
Todo o reverendo sacerdote oo cleriao que quet-
ra.lazer oppo>lc5o igrejas cima referidas, apre-
' seote-se com seus papis proraptos e correles na
forma do esiylo, para ser admitido, fazendo termo
de opposQ3o dentro do pr?zo de 60 das, fiados os
qaes se proceder' ao concurso, no qual responde-
ro os reverendos oppositores a nove casos de mo
ral e conseiencia, e faro una exposicio ou'homi-
lia do Evangelho que eu assignar, para propora
S. M. o Impera lor os que forem julgados mais dig-
nos na forma dos sagrados caones e concilio Tri-
deDtino.
Dado aesta cidade do Recife sob o mea signal e
seljo capitular* aos 7 das do mez de Janeiro de
E eu o padre Joaquim da Assumpco, escrivo
da cmara (eclesistica o subscreviv
Logar do sello.Asiimpco.
Edita! pelo qual manda o Exm. e Rvra. Sr. viga-
rio capitular por a concurso as freguezias vagas
desta dioceze.
Deo Dr. Joaquim Francisco de Faria,
Vigario capitular.
muohas, os Srs. marquez de Caxias, general em
chefe da< f reas de mar e trra, marecbal de cam-
po Polydoro, comroandante era chefe do i' corpo
de exercito, e bngadtiro Andreas, commaudante da
1* diviso.
Este acto foi muilo concorrido tanto pela officia-
Iidade d diversos corpo"-, como pelo estado maior
dos generaos cima citados.
Duraole esta solearaidade religiosa cantaran) os
sacerdotes presentes, o catico do Espirito Saotifi-
cador Veni Creator.
Fizeram os neophitos eora muita f os Juramen-
tos exigidos pelo padre catechista da proflssio da
f caiholica, os quaes sendo por elle baptisados fo-
ram absulvidos da exeommunhiu como mana o
concilio de Treoto, rezand i o Miserere a enioando-
se no fim o TeDeum, depois do qual o RA. cate-
chista recitou um hrilbante e anlogo discurso leu-
do lugar a missa era seguida, no meio da qaal re-
ceberara os novos couvertidos o Sacrameute da Eu-
charistia.
O capuebinho Fr. Salvador tem prestado assig-
nalados servigns a rellglao e a humanidade, Ja dis-
tnbuindo palavras da coosolaco aos enfermos '-m
seus letos de dores, j suavisando-lhes os soffri-
mentos com o blsamo da religo, ja calechisando
redutiodo ao catholicsmo os protestantes, sem
que o faga por ostentaco. como outros que o prati-
eara para arrancar applausos a^spcieaade.
Segu neste vapor com destino a corle o capel-
lo capitao do exercito padre Jos Candido Guerra
Passos, que vai com tres mezes de lieen? para tra-
tar de sua ande. O padre Guerra um dos capl
les do exercito que aielhores servicos ba prestado
a humanidade.
Dedicado a religo e verdadeiro sacerdote, o
padre Guerra nos hospltaes de sangue tem servido
nao como ac-rdote, mas at oomo hbil enfer-
meiro, conforme j tiveoccasiflodi reVerir em mis-
sivas anteriores. Deus o guie em soa viogem o o
faca restabelacer brevo.
Achara se era servido na ambulancia volante da
2* diviso os academices 5 annista Archtmimo
Jos Correa e 3 annlsta Antonio Maqoyl AJvos do.
Reg : estes mocos tem se mostrado dedicados ao
trtamenio dos enfermos e zelosos no comprimento
de seus devere?.
Tendo seguido com KceDija para Porto-Alegre o
Sr. visconde do mesino oome, foi nomeado pelo Sr.
marqoez de Caxia.% para cmmandar imeriuamen
te o 2' cjipo de exercito,'o bravo marechal Argello
passand i a coraraandar a 1* d visiio o lllustre bri-
gadeiro Andreas.
Nesle momento communica-me um amigo que
passaram-se em nossa esqoadra-om capitn, om
tenente.e oito Paraguayos (iracas de pret. E-la
noticia, [hfc-tp que nao sej offlcial, tod via nSo pa
rece destitaida de fundamento, porque foi bebida
no qmriel-general do illastre raarqaez.
O estado sanitario do exercito continua a ser li-
songeiro, e o exercito geralmenle est regularmen-
te vestido, sendo fornecido de suas etapes diaria-
mente.
Adea?, at breve.
Intendencia.
interino, o coronel
Joo Baptista de
Luiz de Azeredo Coutioho
INTERIOR
Repblica do Paraguay, acampamento em Tujuty'
a de dezembro de 1866-
Se alguraa vez o espirito humano, preocenpado
dos diversos e variados assuuiptos, eocontrou obs-
tculos a superar, fui sem duvtda, hoje um destes
para rarm.
J v que bem pouco Ihe poderel dizer por in-
29 do correte os capites Antonio Cabral da Mallo comniodado e preoccopado de mais as cogitaedes
Leoncio e Rayrauulo Goncalves de Abreu, este do i de ludo que me cerca, e, alm de tado, do que diz
17' e aquelle do 15* baumao de lofamaria, visto i respeito a minha vida.
soIlVerem molestias incuraveis, que os lomara Como, porm, deixu de dizer alguma cousa em-
RIO DE J.tAEIRO-
27 de dezembro de 1866.
Por decreto de 21 do corrate foi concedida a
D. Aurelia Dmaso de Carvalho, viuva do capitao
Argelino le Carvalho, o qual fallecen em viagera
para Baeoos-Ayres, tendo sido ferido na batalha
?4 de raaio do correte anno, a pensao mensal
36i5, Igual ao meio sold daquella patente, sem
prejuizo do que por lei Ihe competir; tirando, po-
rm, esta merc dependeote da approvarSo da as-
sembla geral.
S. M. o re da Prussia uomeoa o Sr. Joao Jos
de Lemos Magalhes, ajudante do gaarda-mr da
alfandega do lili de Janeiro, cavalleiro da real or-
dem da Cora da Pra incapazes de continuar oo servico.
Reforma de pravas de pret. Na eonformidade
das disposicoas di 8-3 do plano que baixou com o
decreio de II de dezembro de 1813 fortfo refor- lela pre.-ton se-me.
bora resumidamente, seria faltar ao espontaneo de
ver que contrahl, o faco pedlndo desculpa do que
escrevo por maos de um amigo, que por benevo-
madas, t-mbam por decreto de 29 do corroo le, as
pravas dos diffarenles coros do exercito abaixo
meacioaadas, visto acnarera--e impossibililadas
para o servico do raosmo exercito, era consequen-
ca de ferimemos reeqftidos en) cmbale.
f corpo d cacadorea a caviloi* cadete Alvaro
Marques de Souza Praios.
4 bauho de |nfiftrfa.-2 sargento Virgilio
Allr-doea* Neves.
O exercilo adiado, acostoroado a urna serie nao
interrumpida de victorias, passon por om revez
que era nada tirou-lhe o prestigio moral que sem-
pre leve.
Na guerra, as contrariedades na marcha de ama
campanha sao sempre esperadas e oenhum gene-
ral pode anda dizer: En coa-egui innmeras na-
talhas sem encontrar um revez por isso qae o re-
vez nasce qnasi semnre dos obstculos encontrados
6 bataino de MUlarla.Soldado Armlodo | na direceo de um ataque, por um reconnecim'Oto
llarclmo da Siiv.i. i mal aprociado das posicoes do inimig<>; ao passo
8* batalho de Infantina__2* sargento Umbellon' que a derrota a perda de om combate ou batalha
Nones da Cunta Velho e soldado Antonio Felippe com enfraquecimento moral do prestigio de qae
Lopes. m j gosa o exercito que a soffre. .
10* batalho de infamara.Soldado Marcellino Nestas circamslancias o exercito adiado tem sido
Francisco Monteiro. muilo feliz, porqne a peito descob-rlo tem accom-
11 oataloo de ofantarla.Soldado Thom Jos metudo as formidaveis triocheiras inimigas, sem
dos Santos. ; qae ama s vez tenha deixado de pisar as posicfies
12* batalho de lofantaria. -Porriol Joo Pao1o; contrarias.
Caiiega e soldado Francisco Ferreira Sanches. E, se porveotora essas posiroes cabidas em nos-
Deposito provisorio de 1* linha.Sold?do La- so poder, teem sido, momentos depois, abandona-
ciano Jos de Souza. j das, como o foram nos das 2 e 24 de maio, em
Asylo de invlidos da cArte.2o sargento Fran j qae nosss soldados no fervor da peleja transpoze-
ciseo Esieves da Cmz, forrel Maooel Joaquim Ri- i r.m as trincheiras inimigas, en nao sel porque fo-
beiro, cabos Luu Macooio de Souza, Francisco! raos obrigados a vollarmos para os arralaos d'onde
Joaquim da Luz, Silvio de Puntes Pereira de Mou- baviamos sabido.
ra, Manoel Fiurenco dos Saoto Gata, Manoel Am- j Sel bem qae o bravo general Ozorlo qaiz atacar ,nlci
brosio da Cruz, Mr(ekiOc';iVI0 auspegada Camil-. o iniraigo no dia 25 de malo, e que foi contrariad las
lo de SailHs-Dinit, m lado, Maa>el Francisco de
Carvalho, Raymiindo Lopes da $U,va~Gyoba, Pedro
Aotool^fctr Nuoes |^^^K>s Ramos Deci
dido, Jwymoodo Machado de Ctoveira, Crispim
Haoffqnes de ollanda Chaco; Joaquim David
do Nascimento, corneta Antonio Francisco Ro-
drigues. '
E na eonformidade das dismfoes da oltima
parte do art. 10 do deereto n. 3371 de 7 de Janeiro
do anao prximo pasohdo f.raro-reformadas igual
mente, por decreto de 29 do correte, vencendo
sold dobrado de volunLj(wj||fcp>tltrla, as pngas
dos difTareotej corpos ^^M jarlos da patria
abaixo mencionadas:
2* corpo de volnotarios da patria.Soldados
Jacmtbo Jos da Silva o Manrique Manoel da Vic-
toria .
pelo general Mitre.
Se o tivesse feto, nos nao estaramos encorra-
lados nos campo* de Tuyoty e do Potrero Plris.
O lllustre marque/, de Caxias, com a actividade
qae Ihe proverbial, acorapaohado sempre do no-
bre marechal Polydoro, nao eessa de percorrer pe-
las manhaas oossos postos avangados, eslndaodo e
observando tado, e tomando a respeito as providen-
cias qae Ihe parecem consentaneas.
Em lodos os ramos de admioisiracao S. Exe. tem
procurado melhorar u servico publico.
Assim foi que, por conveniencia do raesmo ser-
virlo, separoa da repartigio co qoartel-raesire ge-
neral a polica dos acampamentos, nomeando para
638e servigo empregados que oceupem-se excluii
vamenie dalle. Para os que peosam.como nos, qoe
o maior strvlgo ano pode fazer o general em ebefe
Hontem s daas horas da tarde, ao largar para
Man a oarca de vapor daquella earreira. abalrooa
e metteu > piqae o vapor de reboque Monserrale
em frente ao ars-nal de marrana.
O uiestre e mais quatro pessoas que eslavam a
bordo do Monserrale foram salvos por diversos es
calares que cnegaram na occasiao do sioistro.
- 28-
Entron hontera do Rio da Prata com folhas de
Buenos Ayres at 19 e Montevideo 20 do correnta,
o transporte de guerra ltapicuru'. <
Temos noticias de Tovuty at o dia 15. O nico
aconteciroento que se refere o de ama expiosao
de carros de muulcoes as linhas paraguayas. Nao
se sabe ao certo como se ateoo o incendio, nem o
estrago que cansou oo inimigo, roas develar sido
considera ve I, pols o estampido foi to forte que se
ouvio na cidade de Corrientes, e de eovolta com os
estlaseos das granadas que rebentavam e dus fu-
geles de congrve viam-se voar membros huma
nos. Segnndo declaracSes de trnsfugas os mor-
ios passarara de 40, tendo havide igual numero de
feridos.
Occorren isto na larde do dia 9. Os Paraguayos
acudiram em grandes massas a extinguir o incen-
d o qae lavrava nos ranchos de palna e a salvar
ootros carros de munigoes, e as bateras brasiiel-
ras, aproveitando a confuso causada entre o ini-
mjgo, comegaram a arreroessar balas e roetralhas
contra aquellas columnas compactas. Responde-
ram os Paraguayos com as suas pegas de 68, e
em breve velo a noite sepultar iado.no silencio.
0 faci de ter o ioimigo acumulado aquellas mu-
nigoes as suas liabas, e dizem que at (ora del-
fez snppor qae se preparava para o dia se-
grale um bombardearaeoto do campo alllado. Di-
zia-se tambero qae i-opez tinoa levantado novas ba-
teras de morteiros de grande alcance.
Quaoto ao mais, nAo havla novidade. Iam che-
gando os reforgis d'aqoi enviados e tambem al-
guns argentinos, as flleiras eogrossavam-se, as tro-
pas acbavam se animadas do melher espirito, e o
estado sanitario traha melhorado moito.
O Sr. marquez de Caxias, nao se descuidando
de nenhom ramo do servigo do exercito, reorga-
msou a repartigao de fazeoda o reguleu a polica
do acampamento pelas seguimos ordens do da :
COMMANDO EU CHUPE DE TODAS \S FORQAS BRASILEI-
RAS EM O'ERACOKS CONTRA O OOVBRNO DO PARA-
OUAT, QUARTEL GENERAL EM TUTUTT, 27 DE NO-
VE.MBRQ DE 1866.
Ordem do dta n. 6.
Intendente
Figuelredo.
1* offlcial, o major
Duqne-Esirada.
Amanuense, o alteres Pedro Carlos da Silva.
Dte dito Jos Christmo de Calazans Rodrigues.
Dito dito Manoelda Silva Bu-no Filho.
Reparticao fiscal.
Chefe fiscal, o teoni-coronel Eduardo Carlos
Cabral Deschamps.
1* offlciaK o majar Sebastiao-Mirques de Souza.
Dito ditu Luiz Alfonso Paraira Torres.
Vedor, o capitio Pudro Jos da Soledade.
Dito dito Fredenco Augusto de Menezes Lara.
Dito dito Thomaz Boira da Silveira. fc
Dito dito Jo' Guilherma Rodrigues Pereira/
Amanuense, alfares Augusto Rodrigues da Sil-
va Chaves.
Ouo dito, vag Dito dito dito. ;
Dito dito dito.
Pagadoria militar.
. Chefe, o lene tOj qnes.
1* offlcial, o majr Emilio dos Santos Paiva.
Pagador, o major Jos Antonio de Moraes.
Fiel, o tenante que Mr proposto pelo pagador.
2 offlcial, o capitao Fr*flco Augusto da Fon-
loura Lima.
Dno dito Jaronymo Pereira Gomes.
Dito dito Jos Victonod da,Rucha Jnior.
Dito'difo Luiz de Sonza Gomes.
3o offlcial, o teneut-.' Ignacio dos Santos Abreu.
Dito duo Maool Anastaclo de Oliveira.
Dito dito Jos Candido Brrelo.
Dito dito'Antonio Francisco do Castro Leal.
Dito dito Palemn de Miranda Cruz.
Dito dito Joaqun! Rodrigu-s da Cuoha.
Dito duo Nelsolympio Jeffersoo do AlraeiJa For-
tuna.
Dito dito V3go.
Amanuense, o alfares Francisco de Borj. de Al-
meida Cart,ReTlB>u Fonseca Cosa, chela do etado-maor.
ISTR'DCqSeS IlEORGANISAROO AS REPARTigoES DE FA-
ZENDA DO EXERCITO.
Art. 1." Ficam exiioclas as repartigoes fiscaes,
pagadoria militar e caixa militar ora existentes
nos dous corpos de exercito em operages no Pa-
raeuay.
% 1." As contas dos pagadores serao encerradas,
e os respectivos livros diario e de receita e despe-
za o documentos relativos sero remettidos a di-
rectora fiscal desta secretaria de estado, na pri-
meira occa-iao segura, passanio os livros de as-
semamento, de registros de guias e outros quaes-
qur para a nova pagadoria militar.
.2.* O empregados dastas repartigois lieam
dispensados das comraissdes em que esliverera,
cessando desde logo as respectivas vantagens da
exerelelo e as gra uaedes honorarias.
Art. 2. Ficam creadas novas repartigoes de fa-
zeoda dos exercitos era operag5es no Paraguay,
compo.-las:
1. De urna nleodencia, qae ter a inspecgo
superior da pagadoria militar e da repartigo fis-
cal, e dos transportes.
Io De urna pagadoria militar, que receber
tooo o oumerario e far toda a despeza do pessoal,
material e fornecimeoh qae forera pagos a dl-
oheiro.
3.* Di urna repartigo fiscal, para fiscalisar a
disiribuigo dis vveres ejajustar cuntas com os
fornecedores.
An. 3.* A intendencia immediatameote subor-
dinada ao enraman! m:- em chefe dos dous Corpus
da exercito, e tem por dever:
Ia Auxiliar o raesmo coramandanta em chefe
na adminiitrago de todos os negocios de fazenda,
e cumprir suas ordens.
2.* Celebrar cootratos para fornecimento de
vveres e dietas, e para traosportes, precedendo
approvxgo^do commaudante era chefe, e velar na
del aiecucao dos mesmos cootratos.
3.* Sacar para pagamento dos fornecedores
em preseoga das hvraogas da repartigo fiscal, e
guando hoaver ollera vantajosa de numerarlo,
precedendo porm, ordem do commandaote em
ebefe, recolheodo se pagadoria militar as quan-
lias provenientes destes saques.
j 4.* Dirigir e inspeccionar os trabalhos das re-
partigoes que Ihas sao subordinadas, ai-n da que
estas cumprvm exactamente os seus encargos.
Art. 4.* A repartigo fiscal inmediatamente
subordinada intendencia, e tem por dever:
1.* Fi-calisar da accordo com a repartigo do
quartel mestre general a distribuigo de vveres
nao s quaoto sua quadade, como a quamida
de, regulando se pelos pedidos oa vales dos cor-
pos. 5
J 2.* Ajostar as contas dos fornecedores e pas-
sar-lhes livrancas para baverem sea pagamento.
g 3.* Fiscalisar os transportes e vendear se tm
os ineios para desempeobarem o servic/) a qae es
tiverem obrigados, e se se conservara em ordem
Otra o execaiarem, dando parte a intendencia de
qua quer falta que se observar, aQm de que esta
previ oa disso mesmo repartigo do quartel-mes-
tre general.
{ 4.* Tr om dia a esenoturaco corresponden-
te ao servigo a eu cargo.
Art. 5.* A pagadoria militar Immediatamente
subordinada intendencia, e tero p r dever:
| 1.* Recebar as quanuas uecossanas para as
despezas do exercito, que serio carregadas ao pa-
gador.
2.* Pagar aos corpos, offleiaes e repartigoes
dos exercitos, ajuslar-lhas comas e passar guias.
g 3.* Fazer os pagamentos q ia Ihe frem ordo
nados pelo general em chefe por Intermedio da iu
tendencia.
4. Ter em d> a sua escrlptaragao e remet-
ter measaroeote a intendencia o balacete de sua
receita o despeta, para que esta o transmuta di-
rectora fiscal da secretarla de estado dos negocios
da guerra.
} 5.* Fazer toda a dspota por documentos em
duplcala, adra de qne as pnmeiras vias Ajuera
archivadas e as segundas vias acompaobem os ba-
taneles de qde trata o paragrapno antecedente,
exceptuando^ porm, os prels e relagoes de roos-
tra, cajas segundas arias sero substituidas porum
cerliQeado do quariel-mestre do corpo, rubricado
pelo respectivo commandaote, com a verba de no
cago especial desgoada m segrate tabella.
IntendenteCoronel................. 250J00O
Cbefe da pagadoria e fiscal-Tenenteco-
ronel....... ......." -,-,_
1." offl:ial, escrivo da pagadoria e pa"
gador-Major..........-,*,,.....
z. offlcial, 1. escriptorario oa vedor
Capitao.......................___
3.* offlcial, 2. escriturarlo Teoente..
AmanuenseAlferes
ZOOftOOO
1505000
1204000
1004000
10. Bmpregarem os meios n?cessarios para a
captura dos desertores que se acoutarero as pro-
ximidades do acampamento, participando, porm,
sempre ao comroandante do corpo do exercito, p^-
ra que sejaro tomadas as providencias qae eslive-
rera fora das suas attribuigdes.
11. Evitar que nos lugares de carneacao, e du-
rante este servigo, se conservero outras pragas
alm das que forero precisas. SemelhaHtemente
804000 proceder na occasiao e logar ero que tiverem de
I- intendencia ter um 1. offlcial, que ser receidos os outres gneros dezmados a's pra-
aojnvar o intendente, ser enoarregado da es- gas do exercito.
intur.ie.Jrt O rar..in;,.s ..,.., __...... ,:,.. ij i, i^_.-___.... .. .... .__ .... JHB
coa
crpturaglo da repartigo, e ter paraesse flm-os
amanuenses necessarios.
Art. 10. A pagadoria ter, alm do ehefe e do
pagador, uro 1. offlcial, que ser o escrivo, e
tamos escripturarios e amanuenses quantos forem
necessarios para qne a sua escriplurago esteja
em dia, e*ara poder destacar caixas filiaes sem-
pre que oTSoldraaniaote era- chefe dos exercitos o
julgar necessario, designando para isso, por pro-
posta do chele da pagadoria, os escripturarios que
tenhara-de servir,de pagador e de escrivo, mas
sera augmento de venclmento.
Art. 11. A repartigo fiscal, alm do chefe, ter um
l." offlcial, que o coadjuvir em todas as suas
fuucgdes, os vodores que forem necessarios para a
nscalisago. da distribuigo de vveres e ajustamen-
to das respectivas cogas, e os amanuenses indis- .peamos do a
pensaveis para ter em da a sua escriplurago. M Q jando o
Ari. 12. o coramandanta em chefe, sobre pro- inspector da
posta dos chafas das repartigSas, flx ra o numero
de amanuenses que cada uraa deve ter.
Art. 13. Fixado o numero e preenebidas as va-
gas, o meodante remetiera directoria^scal da
secretaria da estado a relago nomiaal dos empre-
gados que flearem subsistindo, e oulro sim partici-
para mensalmente as alteragdes que houverem.
Art. 14. Lujo que se orgamsarem estas reparti-
{Oes, a intendencia exigir dos fornecedores urna
nota demonslrativa dos depsitos que tiverem,
com desigoagao dos vveres e suas quantidades, e
meios de transporte, devendo os raesmo fornece-
dores dar iguaes notas sempre que recebrem no-
vos abastecimentos.
Art. 15". O intendenta procurara' saber porcmeio
de iospecgdes peridicas, incumbidas a om dos ve-
dores, se os fornecedores esto suffle'anlemenio
abastecidos de vveres, dietas e transpones parao;
fernecimento regular, dando parta ao comm ndan-
le em chefe dos exercitos logo que presuma poder
dyir-se difflcieocia.
"Art. 16. Assim que fallecer algum offlcial em
combate ou nos hospilaes, .arrecadado o sea espo-
lh) por inventario, e vendido em hasta publica, se-
ra' oeujiroducto e o dinbelro encontrado, entre-
gue a' pasadoria militar oode se ajustara' a res
pectla coma, remetiendo, acto continuo, a compe-
tente guia a' intendencia, qae-a transmittira' a se-
cretaria de estado rom os esolapecimentos qua puder
dar sobre a familia do fallecido e lugar de sua re-
sidencia. .; .
Art. 17. Os livros de registrle letras e de cod
tratos serao numerados e rubricados, com termo
de abertura e eocerraioento, jjiele intendente. O
diario e o de receita e desp zas da pagadoria mili-
tar, bem como os da repartigo li-cal de que se
derive respoo-tilldade, serio igualmente numera
dos e rubrcalos'por um entregado -designado pe
io intendente, que assignara'os respectivos termos
da abertura e neerramento.
Art. 18. O commaudante em chefe, ouvido o iu-
tendenie, podera' remover os empregados de nma
para outra repartigo, seguado as necessidades do
servigo, derailtir os qua nao curoprirem seus de-
veres, e preencher as vagas que se derein.
Art. 19. O intendente Horneara' semanalmente
um vedor, que com um otflcial da repartigo do
quatel mestre-gen;ral, sob a presidencia do offlcial
superior do dia, procedam a inquerito sobre a qua-
idadee quautidade dos vivares distribuidos.
Estes inquerito3 podero ter lugar em das snc-
cessivos ou alterados, de maneira qoe abraojam
todas as divisSes dos dous corpos de exercito.
Ari. 20. Saraelhanteraeote se proceder' a res-
peno da distribuigo dos sidos das pragas de pret,
tendo lugar o inquerito depois do pagamento, sendo
membros da commisso o superior do da, um* of-
flcial da repartigo do ajudaote general e um es-
cripturariu da pagadoria militar.
Art. 21. Os offlciaes militares de que trato os
dvus arts. antecdanles podero ser substituidos
por outros de nomeago do commandaote era chefe
dos dxercitos.
Art. 22. Em todas as reparligoas um dos ama-
nuenses servir' de archivista, sem prejuizo do
servigo que Ihe for distribuido.
Art. 23. Os empregados que nao forem contem-
plados na organi-agao das novas repartigoes sero
transportados para a corle a' costa do goveroo,
vencendo os respectivos ordeoados.
Art. 24. Os addidos, oo mesmo caso, lero o des-
tino que o corara ndame em cbefe julgar conve-
niente, t
Art. 25. O cemmandante em chefe podera' alte-
rar estas instrueges na parte que diz respeito a'
ordem do servigo, dando conta a' secretaria de es-
tado.
Pago, em 20 de ontubro de 1866.Joo mstosa
da Cuoha Paranagu.
QUARTEL-OKKERAL BM TUTUTT 18 DB NOVBMBRO DE
1866.
Ordem do dia n. 7.
A polica dos acampamentos tem sempre per-
tancido, pela nossa organisago administrativa mi-
litar, aos quarteis mestres generaos dos corpos de
exercitos; attendendo. porm,aos ramios encargos
que ero campanha esto incumbidos aqaelles em-
pregados, os quaes por isso s mnl diffieilmente
podero deserapenhar, alm das outras, mais a-
queda parte das suas attnbuigdes, S. Esc. o Sr.
marcenar do exercito marquez de Caxias comman-
daote em cbefe, resolveu nomear ara offlcial supe-
rior do exercito para exercer as funegoes de ins-
pector da polica do campo, tendo a sua dlsposigo
4 offlciaes, 2 inferiores e mais luO pragas que per-
teoeeram ao corpo de transportes.
Quando os exercitos estiverem acampados, com-
petir' especialmente ao inspector :
1*. cuidar escrupulosamente no asseio do acam-
pamento, fazendo eolerrar os aoimaes morios e os
restos das carnes que flearem das carneagSes,
qneimaodo as ossadas.
2*. Nao consentir jogos, ajuntaraentos, assuadas
oa desorden, devenda para isso rondar e fazer
roo lar o campo, principalmente na parte designa-
da para o commercio.
3*. Obstar que as pragas se banh^m em lagares
paludosos,.ou Oebam agua desses logares.
4\ Velar em que, depois do loque de silencio,
nao se conservero loies as barracas, apagando-se
lodos os fogos do acampamento.
3*. Providenciar de modo que as faxinas do a-
campamenlo s marohero depois de dispersos os
corpos de alarma.
6*. Prohibir os despejos em qae se depositen)
1*. Relacionar todas as mulberes existed
acampamento, segundo es corpos a qae per
resn, aflu da qoe se proceda a' inspeefito, logo qne
para isso houver orden); pryilrnsjanrtn para qao
nos das de combate coocorram ellas" nos b spi-
les de sangue para serem incumbidas dos servi-
gos em que possam ser aprovaitadas, conforma ja'
se acba estabelecido.e cumprndo que dirija imme-
diatamente participago da* que se recusarem a-
quedes servigos, para serum empellidas do acam-
pamento.
13. Examinar cuidadosamente se as tabellas dos
pregos dos gneros, expedidas pela repartigo do
quartel raestre-general, sao flslraonte cumpridas,
dando parte sempre q e houver qualquer infrac-
gao, para serem os seus autores multados oa des-
pedidos do acampamento.
exercito estiver era marcha, ira' o
polica junto ao quartel-geoeral; e a
gente que Ihe subordinada seguir' com os trans-
portes juolo a's ambulancias, tendo a seu cargo a
condaego das padiolas e de algumas pas, enxadas
e machados".
as occasides de combate se applicar exclu-
sivamente na remogo dos fendosque cahirem no
campo ou precisaren) ser transportados para os
hospltaes de sangue, providenciando de modo a
Do haver falta alguma, e fleaodo press.meote
prohibido que das fileiras saia 'qualquer outra
praga com o preixto de ir soccorrer ou conduzir
landos.
Incumbir-se ha tambero de dar sepultara aos.
cadveres depois dos combates, collocando. sem-
pre qae for possivel, urna cruz de mad-sira com-
petentemente numerada em cada sepultura.
Dirigir diariamente p rlicipago ao commando
do corpo de exercito, de todas as novidades que
occorrem, e especialmente dos ferldos qoe hu-
verem sido transportados e dos cadveres sepul-
tados ; verificando se cuidadosamente quaes os
perteocentes ao exercito e quaes ao iniraiso.
Eotenler-se-ha directamente com o cnefe do
estado-maior do exercito, de quem receb ra as
ordens, e ao qual tara idnticas comraaaicagoes
as que lera de enviar ao commaodanie do corpo
de exercilo.
Nesta data nomeado para exercer o dito era-
prego de inspector de polica do campo o Sr.-co-
ronel graduado do 2* regiment de cavallarta Jos
Ferreira da Silva Jnior.
Finalmente, determina o mesmo Exm. Sr. que
so. as mulberes casadas que acompaoharem os
s^us maridos na campanha se abone de ora em
dianta meia rago de etapa, quando nao tiverem
Albos; mas se os tiverflm abonar-se-lhesha nma
ragao inteira.-O coronel Joo de Souza oa Fon-
seca Costa, ehefe do esta lo-maior.
Ql'ARTEL UENERAL EM TUYUT, 29 DE NOVEMBRO
DE 1866.
Ordem do da n. 8.
S. Exe. o Sr. marechal de exercito marquez de
Caxia*, command/oie em chfe, manda .fazer pu-
blico para conhecmento das forcas sob sen coro-
mando que, tendo concedido ao Exm. Sr. lente-
general visconde de Porto Alegro licenga para ir
provincia do Rio-Grande do Sul, assumlo hon-
tera o commando interino do 2 corqo de exercilo
o Exm. Sr. marecbal de campo Alexandre Go-
mes de Argollo Ferro, e o da 1 diviso do 1
corpo, tambem interinamente, o Exm. Sr. briga-
dero J) de Victoria Soares de Andrea.
S. Exe. manda de novo lemhrar as disposigos
do aviso de 3 de margo de 1812, to recommen-
dadas em aviso de 6 de agosto de 1840 a em va-
rias ordens do dia prohiblodo apresentages s
autoridades superiores de qualquer reejuenmentey
memorial ou petlgao fra dos transmites legaes; e
determina que os Srs. commandanies de corpos.
brigadas e divisdes, quando bajara de infirmar
papis dossa ordem o fagara no proprio requeri-
roento on memorial, de modo claro e conciso, dan-
do nicamente sua opiniu, simples ; porque fica
coropetindo aos Srs. commaodautes dos corpos de
exercilo, para melhor regra do servigo, faer ex-
tratar os roesmos requanmentos, resdmindo as
ioforroagSes e pareceres, e juman io a sua opiniio
floal.
Manda analmente, o mesrao Exm. Sr. pablicar
para os devidos flns, as segrales disposigos :
Nomeagdas.Dos Srs. coronel de eavailaria Ma-
noel Pedro Drago e tente coronel do estado-
maior de artimaa Jos Joaquira de Lima e Silva
para deputados, este do quartel-meslre general e
chefa da commisso de engennelros, e aquelle do
ajudanie g raeral do 2* corpo de exercito era ope-
ragOes.
Capitao do 46* eorpo de voluntarios Francisco
de Paula Rodrigues Pereira d'Utra, para ser
empregado no deposito das forgas ero Comenta?,
ou em qualquer oulro servigo onde possa ser fjlrb-
veltades ; ero 16 do correle.
Capitao do f batalho de infamara Joo Paulo
de Miranda, lente em commisso do'Jp baialhao
da Infamara Sebaslio Rayrnundo Evrertdnr^^rl1-
feres do !! corpo de voluntarios Jos Stvermo de
Almeida Pedrosa para serem empregados no de-
posito das forgas em Corrientes, este em 17 e
aquelles em 28 todo do crreme.
t* lenle do regiment de artilbarla a. ca-
vado Luiz Carlos Brrelo Pereira pinto e alferes
da brigada llgeira Manoel de Oliveira Bueno Filho,
para ajadantes de campo de S. Exe.
Transferencias. Do Sr. tenente ajudante do 3*
corpo provisorio decavallarla Juio Olavo Carnow
ro do Footoara, para o cerpo da raesma deno-
roinagao. -
Do soldado do 8* batalho de lofantaria Daniel
Milord, para a armada imperial: em 16 do cr-
reme. ^;
Licenga s concedidas. Aos Sr%
da repartigo fiscal do 2* corpo
aeoes Cesar de Lima e S'lva, tres
dos os vencimentos para miar da
Branil; em 25 do correte.
Tente-coronel da guarda nacin
Pereira da Costa, dous metes para i
interesses na provincia do Rio-Grande
Major de eogenheiroS Rufino Eoas


\

lado na pagadoria, comeado nicamente-a impor* fra dos lagares marcados Immuodicies e materias
tancia paga, o lempo a qae se refere o pegaraettM '
e a data era qae (o effectuado.
fecaes.
7*. Fazer cercar as caeimbas que forem abertal
onel chefe
jo, Dlo-
>com to-
tto
jdo
ns
Sai.
Gustavo
Gal vio, dous mezes com sold e etapa para ir a
corte do Imperio.
Major do 18* corpo de volontaros Joao Pinto
Hornera, quatro mezes para tratar de sua saade
no Brasil.
Major do 1* corpo provisorio de eavallaria Ma-
noel flaeno da Silva, para tratar de soa saude na
provrocla do Rio-Grande do Sul.
Cipuo do esudo-rnaior de artilharia Augusto
U.



'^WW*"








atarlo de rerniiBb-.co Qnaria Tetra S le Janeiro de i87.
Fauno de Soun, tres mezes pa/a ,'raisr de^us
ral r^aes .oa corte da Brasil.
Capito do tu" baulhio de iofantaria Minoe!
Pereira.d* Soaia Buril*, para esperar na prswnr
ca do Rio-Grande do Sal, a deciso do governo
a sea respeito, visto ler sido julgado incapaz do dro do Sul a S^Dr" Francisco Ignacio "i(M>Bdes rMfou de m,"narhIv^eQ*o3G
sfrvlgo. Hrndrh de'Mello, nuiavel ou extraordionrie at alli.
Capito do 31* corpo de volontarlos Antonio --------i mau t- i O Par
Augusto Alves, tres motes para tratar .de -sua ; ;lendo advogodo oa tribea parlameater e oa.;pedg
1 Imprensa a plitica da aqeriui a do Amaxooas a to- Api.
do Rio-Grande, e do tugar deofflcial do registro! Cheaando o Sr. marquez do. Casia?, curtinusmos
ge.ai das byoothecas da respectiva coaurca, n I mandar ou'.ra expedigio ao Altu-Paraoa'.
provincia da Baha. Esta expedido parti daqui oo dia .8,. e logo.-no
------- 11 itji i i i ------ dia sepilite o capito de mar e.ft^^H
Foi nomeado. presidente da .provincia de S. Pe-I docr,m eommonicar pelo vapor Greenhaii,
Goyaj.Cnt-gara a capital o Sr. desembargador
ioao Bowfacio Gomes de Siqueira, bota como o
Sr. Dr. Theodoro Rodrigues de Moraes.
Q-Carm Oficial registra o fallecltnento do al-
fares Oottvlanu Morelti Foggia, perteocenie -or-
?* fWfaxina de voluntarios.
*'"'3t'Zij?rft''iT>l *>9 a a,ATC> G,ROSSO I^003 o. Correio Mercantil do
*oilmeoie at.a iha do H^,___. ', ,. WJ
fttrama fidedigna, residente era Guyana, com-
Capellio capito, padre Jos Gaadida da Guerra das as baadeiras, o Sr. Dr. Aureliauo G. Tavares lado oque era ccoorrtdo relativamente a es- raun", **ra esta corle, em 25 de eutubro- ultimo.
Passos, tres mezes para.txanesrao-Bra a crte-ido flsstos qulz ver com os propries.Ibes acuelle roa-^qoadra, ,0^00,40-psrt'cinar a V. Exc.
Imperio. .gastoso .rio e estodar todas as soas oondigoVs e Os nciracji4os -fatal, Mam e Barres Co-
Capito do 5 corpo daaolnruarios Luii Antonio cireurastaocias. Weste intuito emprebeodeu all tufa couVooam oa liba, do Cerriio a preparar-se
Correa de Albuquerqutvttps mozos para o raesmo ama viagem, e o resoltado das suas observagjos,! paS entrar em servido.
i no Brasil. indagaeoes e eiame^onsignon o n'um otare-- Deus guarde a V. ExcIllm. e Exm, Sr. con-
Tenente do 11* corpo de voluntarios Angosto sanie vro que acaba de vir a lome com o ltalo
Alfredo G ncalvos Moreira, tres metes para o O Val* do Amazonas.
mesmo flm na corte do Imperio. | Gom os eonhecimentos Jocaaifloe adquiri pa-
Ten>-rite do II* corpo provisorio de eavkllana ( rece anda mais lr-se robostecnli; -oonviegao do
Jos Mar Ribeiro, tres mezes para o mesmo m autor. Espirito esclarerido o arrjJjsHo, proclama
aa provincia do Rio-Grande do Snl. elle a librrima oavegagao do Amanonas e seos
Padre Dr. o-. Raymunrto da Gonha, tres me- affluenles at onde a quilba de um barco pudr
zes para o mesmo fim, no Brasil. : saicar.lbes as aguas, oavegagao iseofa de todas as
Alferes do 2 corpo de voluntarlos Jos Leile i4as e restrivges que possaro pr-lhe o fisgo, ou a
Gones Calaca, tres mezes, dem dem
Alferes do IIo corpo Mariano dos Res. Espi-
dpla, afim de seguir para o Brasil, por ler sido
julgado incapaz do srvico.
2 cadete do batalhao de infantaria* Jos Loo-
renco da Silva Milanez, tres mezes para tratar de
sua'saude no Brasil.
A* Sr Maji'r pagador Jos Antonio de Moraes,
fofpirniiido osar da medalba da ultima campa-
nb*"#o E-lado Orientara que t"m dlreito.
Ao 2.' sargenio do 31.* corpo de voluntarios
Lolz Antonio Freir de Aodrade, (o perratttido
usar dos dist activos de i* cadete, marcando se-
ibo o prazo da seis mezes para seu recooheci-
mento. *
Dispensas do sertico do txercilo. Aos Srs. cb-
pitaes do i.' corpo de voluntarios Jos Thoroaz
NaBuco e do 26. Placido Fontenelles Filho, ette
por haver pedido e aquello por !er sido Julgado io-
^eapaz do scrvico. .
Tt-nente do 7. corpo de voluntarios Joao Cu-
pertino Marcondes do Amaral, por soa ma' con-
ducta.
Trnente do 6." corpo de voluntarios Alejandrino
"tel/es de Meneze?, p>r haver pedido.
IVoentes Jo; Galasans Ferrelra e Estanislao
Bat'ii:'a Rodrigues de Souza, este do 47." e aquella
do 40." corpo de voluntarios, pelo mesmo mo
livo.
Teoentes do 57. corpo de voluntarios Sabino Pe-
dreira do O uto Ferraz e Manoel Jos oe Almeida
Cerqueira, pelo mesmo motivo.
Atfer, < do I. corpo de voJuntarios Candido Ma-
ximlano Mii-.i7, pelo mesmo motivo.
vAlft-res Deootenan Pcrcira de Oliveira e Fran-
cisco Perlr1, G unes Madruga, ' do i8. e
aquelle do "40." crpo de voluntarios, por baverem
Mdtdo.
2. sargento do i." corpo de voluntarios Eugenio
Fausto de ooza, por (er sido julgado incapaz do
servic do exercito.
Fallfcimenlos.fi Srs.: capitao do 3.* bata-
lbao de uifaiitaria Jacintho Barreto de Castro em
18 do corrate, na cidade de Corrientes.
Capito do 2. do infantaria Lniz Paulo
gneirda Nahuco do Araujo Contreiras,
'do correte, no acampamento do i. corpo de exer-
cito.
Alferes do 38. corpo de voluntarios M.noel Fer-
reira de Salles, em 18 de malo do corrente anuo
na cidade de Corrientes.O ron nel Juo de Souza
da Fiio Os tratelos as avanzadas eram continuos, e
regularmente um dia sim outro nao havia bombar-
deamento.
Fallava-se do projecto de assentar trilhos de
ferro entre ltipir e o acampamento, para fa-
cilitar as coniaunic3coes, e algumas cartas no-
ticiam a ebeRada de um francez que se i Hereceu
aos i ncraee afilados para subir em um balo
aenstatico e reconhecer as / riiflcacSes ioimi-
gas.
Rel.-.iivampnte s forgas paraguayas sublevadas,
dizem al^uns correspondentes que, protegidas pelo
brigadeiro Porliho, linbara passado oa sua maior
parte para o territorio correntino, e que o espirito
de insurreico se linha apoderado de outras tropas
de Lpez, achando-se as matas povoalas de deser-
tores que vivera de rapia. Segundo a Esperanza,
olha de Corrientes, o mesrou hriadeiro P^rtinbe
tev urdem de atravefsar com 2,t)00 hmeos o Pa-
ran' pela Candelaria para bustillsar as poucas for-
jas paraguayas qoe por alli se achata.
Urna corre.pundencia para a Tribuno, de Bue-
nos-Ayres, observa :
Jlada por agora revela que eslejamos prxi-
mos a tmpreliender operafBes decisivas. Solidos
e vasios quarleis se levantara por toda a parte,
como desaliando os calores do verao.
t Os eieiros esto. chelos desagua e o Paran
vai extremamente cresrido.
Os Brasil-iros lm recebido alguma arUlbaria
de ac aliema, que esto montando as bateras
do-Piros. Pela mei-ma lagoa rec.beram da escua-
dra afumas pi-gasde gresso calibre.
a Paree) que o inuiiigo tonta com um bombar-
damelo e preparase para responder. Segundo
as dee.laracdi's de um trnsfuga esta' Lpez cons-
truinio um block house para resguardar as suas
mun toes.
Fal!a-se de urna expedirlo pelo Cbaco, mas
nao ert-io nella, fn'b.ra me pareca qoe devia ser
ama diverso ioqnistadura para o inimigo.
Do general 0>orio receberajp-se communica-
C(s ba poucus das. Tinha reunido ja' 10,000
botDetn e dispunha se a passar o Uruguay, quer
dizer que n'um mez estara em Iiaj.a.
a O general em ebefe que esteve gravemente
doeote, acha-se melhor.
JNo acampamento argentino preparava-se ura
grande baile a que assistirlam os generaes Caxias
- Mitre.
Segundo as folbas de Buenos-Ayres o general
Panneni nao tardarla a entrar em Mendoza eom
5,000 homens, forca de sobejo para restablecer
alli a ordem e a tranquilidade. Os pe'iodicos fe-
deraes e blancos fallara de pronueclsmentos revo-
lucionario; em outras provincias argentinas, mas
sao noticias mals do que suspeitas pela soa ur-
gem.
Em Buenos Ayres mandn n geverno fazer novo
sorteio entre a guarda nacional. A 16 seguio
daquella cidade para Corrientes a bordo do Isubel
o chefe de esquadra Joaqoim Jos Ignacio.
O govwno argentino contratou a construeco de
ama liaba telegraphica da cidade de nenos-Ay-
res al a f'onleira do Gluli.
Do Pacifico temos datas al 25 de oovembro.
O geerno dos Estados-Cnidos dirigio-se, dizem,
em termos enrgicos ao do Chile, acooseihando esta
repblica e as suas alliadas a oovir as propostas
p.cieas que ihe quer faz> r a Huspaba, aconse-
lbada pala Franca e Inglaterra.
E' sem duvida a e*|e facto que se refere o se-
grate telegrama, expedido a 19 do correte, de
Boenos-Ayres para Montevideo:
O Chile desiste da sua resposla negativa e
aceita a mediacao de paz. Considerase esta oomo
fe i la. >
rivaldade e desconrianca do estrangelro. fkaaeo-
te assim podero aproveitarse as incalcfa'veis ri-
quezas qoe eoeerra aquella regio portentosa, e
locrando o estrangelro, moito mals lucrarlo os na
cionaes, e lacrar .o imperio com o movimento
comroerci! que UM0 desenvolvimento da agri-
cultura da cnacao e de todas as industrias.
seketro Affcns Selso de Asis Figueiredo, miais-
tro e^tcreiarlo de estado dos negocios da marinha.
Vtsconde de Taraandar.
Por decreto de 26 do corrate:
Foi declarado sem^jleito o decreto de l de m>o
de 1863, pelo qual fi comeado o baaharel Fran-
cisco Guncalves Meirelles Ba-tos, para o logar de
juiz municipal e *. orphos dj termo de Coyaba',
na provincia de Matto-Grosso, por nao ter entrado
em exercioio dentro do piazo legal.
Ftram nomeados:
O bacharel Miguel Augusto do Nasciraeoto Fei-
tosa, juiz municipal ede orphos do termo do Ser-
r, na provincia de Minas Geraes.
O baciarel Candido Luir Mara de Oliveira, jai-.
Conhect oomtado -aet*r que nao se rompe de' munkioal e de orphos do termo de Cael, n pro-
nina vez rom as iradices jjo pssado, nem se tro-1 incia ite Minas-tierais.
ca fcilmente em poltica ni extrpmo pe ootro ;
o na previsao de que^a'Vberturado Amatooas nao
ser lo ampia como elle desviara, radica, as"medi
das flscaes.e cautelas qrje Ihe'pMiecem mis dequa-
das ao flm para qoe se/star)e1ecem, deShodo que
se cao vexe desnecessariamerite o eommercio, nem
se aunulle pralidmetit o be%*dcio da liberade
da navegagao. >"' **I
A parns menos'TrtiportnateiM hvro a que'nos re-
ferimos nao por certdqla"eiji que'o'UMor ex-
poe as nocos> geogr*phieiis,'que adquirile "os nu
merosos dados estatistwo?"*qoe coltieu sobre a po
pulago, pf4cao e eommercio do valle do Ama- ceza, que seguio bontem mesmo seo destino,
e sobref-a receita quo d'alli tira o estado e
Cooeedeu-se a Pedro Barreto de Mecezes, capi-
to reformado da guarda nacional da provincia de
Sergiper melhoramento de reforma no posto de
majnr.
Embarcaran) nooiem uo arsenal de marinha pa-
ra rjordo do transporte Princeza, cerca de 500
pracas que vo reforcar o oosso exerci'o em ope-
ra Qes.
Sji Magestade o Imperador", acompanhado dos
seas semanarios e das pa.-suas do cosame, assis-
tio ao embarque, termioado o qual vlsitou o Prin-
zonas,
despezas qyefaaeem a sua arracada^io. So.iQ-
forma5es prwMsas para se poder assentar iras
medidas maie-aoertadas que tiverem de ser rama-
das. ^T-
Assim faz-oo*- aulor urna resenha, docmen -
lada em milites tpvntos cora dados ofBoiaes, sobre
a actual navegacao a' vela e a vapor, distancia en-
tre os differentes portos (requemados, trafego dos
paquetes da companhu do Amazonas, e melhora-
mentos que conven) introduzlr neste servido, pn-
voagao, exportacio e imporlao, reodas geraes e
proviociaes, populaco, eommercio, productos na
turaes e futuro ecouomieo do Amazonas.
E.-tudou elle tambera a qoeslo relativamente
aos estados ribeirinl\cs, PeKi,*Dolivia e Venezuela,
soas pruduccSes, commun1ca(;5e fluviaes, distrlc-
tos a queaproveita a'navegago do Amazonas, e
entreposUis rara o sea eommercio. Aqai eosina-
nos elle como podermos favorecer muito aquelles
estados, lacrando nos mesmos.oao pouco.
Concluindo diz-no^ o autor que o seu ideal seria
de Fi- I a mxima liberdarte, considerando-se o Para entre-
em 27 posto commom, nico ponto fiscal, sem mais onus
nem rstnecio alguma para o eommercio fluvial.
Sobre esta base se faria urna convengas aduaneira
eom a' potencias nbeirinnas, igualndose os res-
pectivos directos. A viva f que o anima revela-
se nestas palavras firraes:
< Agora que surge o Axazonas para o mundo
social. A sua verdsdeira descoberla data de 1852 ;
a sua prosperidade real datar da su;i liberdade. t
E>U nberdade ja um facto consummado; o
Amazonas abri se para nunca mais fechar-se.
Mas na all muito o que fazer e que estudar arada;
a para isso ser um precioso auxiliar o livro do
Sr. Dr. A. C. Tavares Bisto.--,
Kez bontem urna experiencia de aiarcha al a
fftia Rasa o vap r Altee, construido "pas offleraas
da Poftta da Ar-i, e quo foi langado ao mar com o
nom?M'itriiinna.
O Aliee tera acoommuda^Ses para 80 passagelros
de 1* classe e urna coberta cora 60 ps de compri-
mento no conven, onde se podem aecoramodar pas
sageiros de 2* eiase. A cmara foi construida pe-
los Srs. Pradle & Branden, e toda de paroba en-
veroisada. As machinas sooscillaotes e di forca
nominal de 100 cavados.
A marcha do Altee foi de 12 l/ railhas por ho-
ra percorrendo a distancia do forte de Santa Cruz
a Rasa em 43 minutos na ida, e na volia 42, funu-
c uando perfeitamente a machina, que trabalhou
com 20 libras de vapor. Tem carvoeiras para 70
toneladas de carvo, o gasta 16 por dia.
Este vapor destinada a navegacao cosleira
commaoaado pelo Sr. Mouiinho e pertence aos Srs.
Freder.co Gustavo de Oiiveira Rxo e Joao Domm-
guts de Oliveira, qoe offerecerara aos'seus convi-
dados um suceulento lunch, deixando-os peuhora-
dos pelo bom tratameolo que receberara.
- 31
D Rio da Prata eutrou lio tem j de noute o
transporte S. Jos. iNas folhas de Montevideo qoe
ternas a visla, e que alcaucam at 24 do correte,
u-.Jn i.risoiutamente encontramos digao de refe-
nr-se. Naqueiia data era esperado o Sr. conse-
Ihciro Octaviauo de volta de BaaBos-Ayres.
Io de jaueiro da 1867
Embarcara hoja no vapor Itapti, s 8 horas da
mauhia, SOi) macas com desuno ao nosso exerci-
to era operacoVs ; condoz tambera pe rechos bel-
licos.


Sua Magestade o Imperador.hoave por bem, por
decreto n. 3,758 de 26 do correte, separar a laga-
cao do Brasil no t.hile da que o Moperio maotem
no Per o Kquador, e remover para aquella lega-
c5o, por decreto da mesma data, o enearregado de
telos Francisco Xavier da Costa Aguiar de
Andrade.
i m -nn mi
Por decreto de 26 do corrate foi concedida ao
!. tenerte do !. patalbo de arliibana a p Gui-
Inerme Greenbalgh .a demisso qoe pedio do aer-
vicft do exercito.
Rrforma de prago de pret.Por decreto tambem
de 26 do correte, e na conformidade das disposi-
coes da nltima "parte do art. 10 do decreto o.
3,371 de 7 de Janeiro do anno prximo passado,
foi reformado, venceodo sold dobrado de volun-
tario da patria, o furriel 4o i.* corpo de voluntarios
da p*lrla Jos Leal de Menezes, visto acbar se inu
tilis-do para o servlco do exercito, em conseqaeo-
cia de fertmetlo /eeebido em combate.
No vapor Lima e Silva, fredo por conta do en-
verno, seguem hoja para Canana e Paranagua 180
dos emigrantes oltimameute cnegados dos-E-tados-
Uaidos.
Acon-'paDha-os o Sr. Dr. lgoacio da Cunha Gal-
vo, agente olllcial de colonisaco.
29 -
Por decretos do 26 do emente :
Tove raerte do titulo de baro de Bambohy, era
sua vida, Francisco das Chagas Andrade.
Foram concedidas as segrales peosfios, Picando,
porm, dependentes de approvacao da assembla
geral :
A D. Rosa Mara Paulina da Fonceca, mai do
alferes do 3 corpo de vulunlarios da patria Af-
f"Dso Aurelio ja Fonceca, morto em eovbate, de
36JU00 mensaes, equvalenle aa sold daqucJa pa-
tente.
A I). Hinorina Anderlina dos Passos, vi a va do
alferes de commissihVdo 8o batalhao de infamara |
do exerci o Firmino jo.-6 dos Passos, do igual quan-
tia, pem mesmo aaonvo.
A Franpisco faaes de Souza, de 310*000 an-
nuaes, em alienc ao estado a que se acba redu-
zido e aos servicos miliiares que preslou, oao ^
ca guerra da independencia oa provincia do Ma-
ranho, e em 1840 pni- occasio da rebellio que
houve na me^ma provincia, mas aioda em relaco j
a guerra actacora o Panaguay, offerecendo um]
seu rilho, q"osustetava'para servir como volun-
tario.
E tambem pelos raesraos motivos foi nomeado
cavalleiroda ordem do Cruzeiro.
Ao sargento, cabo e soldados abalxo designados,
por se acbarem impossibllitados de procuraren) os
meios de sua .-ub-i-tencia, era coosequeocia de fe-
rimentos recebidos em combate, ao pnraeiro a dia-
rla de 600 rs., ao segondo de 500 rs. e aos ltimos
de 400 rs.
Cabo do l corpo ae voluntarios da patria Ga-
briel Jo^ Nogueira.
Soldado do dito dito Po Francisco de Maga-
Ihes.
Corneta de 2 dito Felismino Gomes Parabyba.
Soldado do dito dito Sabino Alves Gorreia.
Dito do dito dito Jos Teixeira da Conceicao.
Cabo do 3* dito Neurique Gabriel Bezerra.
Soldado do dito dito Flon> no Luiz dos Santos.
Dito do 8 dito Justino Jos Rodrigues.
Dito do 9* dito Manoel Jacinibo Duarte.
Dito do Ift* dito Jo.- Weoceelo Caroeiro.
4* sargeoto do 20' dito Joao de Sonza Pioto,
Soldado do 22 dito Gregorio Loureugo da Costa.
Di io do 24* dito Cecilio dos Santos.
Dito do 29* dito Carlos Candido Alves dos Reis.
Dito do 8" dito Manoel Jos do Nasciraeoto.
Dito do 3* dito Benedicto Lourengo Sergio.
Dito do 1 batalhao de infantaria Manoel Domio-
goes de Menezes.
Dito do 5 dito Raymnndo Soares da Silva.
Anspecada do O dito Firmino Franco.
Io cadete do dito dito Luiz Mooteiro da Cunha
Telles.
Sida 'o do dito ditc Antonio Francisco de Senna.
Dito do 7* dito Belisario Antonio Custodio.
Dito do 8a dito Manoel Marques da Silva.
Dito do 10* dito Joaquim Jos Ferrelra.
Dito do dito dito Miguel Soares da Silva.
Dito do 12* dito Maooel Francisco dos Reis.
Dito do 13* dito Jo.- Victoriano do Garmo.
D to do 14* dito Antonio J Ao Telles.
Dito do dito dito. Manoel Pe reir de Carvaiho.
Dito do 16* dito Francisco BaplUla Mooteiro
Dito do 2* regiment de cavailaria ligeira, Ma-
ooel Francisco Rodrigues.
Dito do 5* dito Naurio Jos Espidola.
Foi permlttido aos padres Antonio Nones Pinhei-
ro de Almeida, parodio da fregoezia de Nossa Se
nhora da Madre de Deas de Pirajaia e Manoel dos
Santos Vleira, parocho da de Nossa Senhora da
Graca de Maracas, ambos da diocese da Bahta, tro-
caren) entre si as respectivas fregoeiias.
Por cartas imperiaes da mesma data :
Foi oomeado cavallelro da ordem da Rosa, Jos
Henrique Pearson subdito de soa magestade brl-
tanolca, vice-consol do Brasil em Valparaizo, em
atteocao aos serviecs qoe tem prestado a este im-
perio co exerciciode soas fuoccdVs consolares.
Pol naturalisado o subdito portogaezMaooel Bap-
tista da Fonceca.
30
O Banco do Brasil auuuncia um dividendo, de
I2,0()0 por acgo, carresporulente ao semestre n-
do," cujo pagaueoto coraecara' no da 4 do cr-
reme.
Aote-hont -m, s.9,iboraijj4a aoile, inceadiou-se o
armaze-n <',. s. cc e ra jjla.ii da picci Muncipal
u. 29, r-a cidade de j^ilnVwhy. Gomegouo f'gono
solo da casa, e tom'oo Ioio laes proporjfies, qoe
quando os sinos das igr. jas deranjj/lgual ja as
charamas el.-vavam-se cima do teliiado.
O primeiro .auxilio para combater o mal parlio
do e>libelecimenlo vizraho, propri 'dada do Sr. Ra-
pliael J ,- le Maitos, qae ac.adm logo cora urna
nonilia e U dos os seo* caixeiros, fmulos e es-
cravos.
Em seguida rxudirara as bomttas das obras pu-
blicas e do corpo policial, corapareeeodo as aulorl
dades policiaes, o director das obras publicas, o
t'ommaodaoto e tlBces do carpo policial ea
pouoa for.a des lo que exista oa capit-.l da pro-
vincia.
O seeeorro mais efflcaz, porm, esteve na dedi-
carlo digna dos raaiores el gi w com que grande
numsro de cidadus esforcaram-se a; cora risco
de vida, e chvgaodo alguus a ser feriaos, alira de
se evitar a perda das casas vizinhas.
A' 1 hora da madrugada linha-se consegojdo li-
mitar o incendio ao edificio em que se manifestara,
e (|u_- Beoa reduzido s paiedcs.
Rcvelou esle acooiecimento que Nitherohy esti'
muito desprevinida de meios de acudir vamajosa-
meole a taes siaistros, e que o augmrctj da cidade
exige medidas qoe raelhorera este irap>rt:rale ramo
de servico publico.
L-se no Parahyba de Guaratraguela' :t Cora
as ultimas chuvas tem crescido coosideravelraenta
as 3guas do Parahyba e comeoam a inundar as var-
zeas adjf-centes.
Gommjnicam daesiago dopharol de Cabo-Krio,
que a escuna italiana Seguria, capito Daniel Gia-
copollo, acha-se arribada naquelle ponto, proce
denle de Genova com destino a Montevideo.
x Taaws noticias de Corumb, e segando ellas
t'QhaaMo substituida a gnaroigio por igual-na-
mero dearagas invalidas, desfendo aquella e todos
os prltieiros para Assumpgo. lneloive os Io-
dios. 0to. Brasileiros e qualro Indios evadiram-se
pelo Tk^aari, e esto a chegaraqal.
Consta pela Solivia qoe por aqaelle ladotam-
b.-m evadiram-se pove prisioneiros, mas que. sendo
ayancados, quitr Melles tinbam sido Jegola-los. >
-Minas 6eAEs Em das de novembro, conforme
noticia o M'nas Geraes, procedera-se na freguezia
do Carmo, termo de Passos, exhuraagio do cada-
ver de Anoa, escrava, por suspeitas de ter sido el-
la assssmada por seu senhor Joao BaplisU Fer-
reira.
Este, apenas teve conbecimenlo das medidas
qoe lam ser tomadas, evadira-se. Para a sua cap
tura e ioslanrago do respectivo processo haviam
sido dadas in continenti as neces-anas ordens.
Em Barbacena fra preso a 24 de novembro am
individuo que declarara chamar se Jos Joaqoim
Xavier do G'jsmo, o qoal coosiava ser criminoso
de homicidio no termo de Pouso Alegre.
Baha.Fecharam o semestre no dia 31 do mez
prximo passado os segrales estabelecimentos :
O banco da Baha, divirtindo 10^600 por acgo
de 2005000.
ASociedade Commercio, 3J700 por acgo de
A caixa Reserva-Mercantil, 3#250 por acgo de
1005.
A Caixa de Economas, 34300 por cenlo.
A cmpanhia da seguros martimos Bom Gon-
ceito, 9,8100 por cenlo.
Fallecern) os aotiges negociantes Paulino
Jos Rodrigues Guiraares "e Joo Marraho Piras ;
o Dr. Joao Baptisia dos Aojos Filho; e o proprie-
lario Braz de Paiva Res.
Arribaran) : a barca hambargueza Malvina
Schutt, em vagem de iiardtll e a galera ameri-
cana Samuel C. Graut, de Baker.
O atibide geral dos benedictinos passou car-
ta de bberdade a 10 escravos de seu mosleiro, pa-
ra o servigo do 1 xercito.
No da de Res devia o Rvm. conego Fran-
cisco Bernardino de Souza chrismar em Itaparica,
por delegago do Exm. meiropolit.
A alfaodeaa aeodeu, no mez passado .....
523:145*386.
A presidencia da provincia nomeou urna com-
mlsso. cem'po.-la dos Srs. : conselheiro M Maria do Amaral, Joao Gezimora e Manoel Jos
de Figueirejlo Leite, para proceder, no banco da
Baha e nos seus livros, aos exames que jutgar
oecessarios, para emittir juizo sobra o seu estado
e as relagoas que possa ter com o de.-falqaa que
uilimameute se deu no raesmo estabeleciraento, e
a dar todas as raormactHS que forem possiveis e
que habiliten) a presidencia a fazer juizo seguro
sobre to lamenlavel occurreocla, radicando ao
mesmo lempo as medidas que entender conve-
niente lomar-se para que se nao reproduzam fados
de tal nalureza.
Esta coramisso comegou os seus trabalhos no
da 31 do passado.
Alacas. Apenas encontramos o segrate nos
joraaes que recebemos :
Por occasio da visita a esta cidade do Exm.
e Rvm. Sr. pispo diocesano, o Sr- D. Emraanuel
de Medeiros, de muito sandosa memoriaj aeuiou
e a idea por ella iniciada da edittcago de urna
igrej fjiiai da matrii desla paroclua no ameno e
populoso suburbio do Pago ao qual se liga o da9
Maugabeiras, ambos dl.-lanies do templ mais pr-
ximo da capital que a matriz.
S. Exc. Rvm., visitando aquellas parageos e
notando .<-.i elhanie falla, to damnosa a' cura das
almas chruiaas, comprumetleu- e a lavar a elfaito
aquella soa idea, destinando logo o producto cas
cftri.-m.is para aqueil;' raijler, o que infelizmente
nao teve lugar por causa da terrivel moleslia que
o assaltou e de que suecumbio a 16 de setemnro
do auno que acaba de lindar se, A idea, porm,
nao morreu : ps-habitantes daquelles lugares pre-
i :l le-iH lt-cli|a la.
S. $|. Rvma. escolheu em pe^soa o luaar ap-
propriado no povoado do .Pogo, alm da ponte, o
ah se armn o aliar no qual se celebrou a mis-a
de Natal a 24 do passado, sendo ministro officiautft
o nosso amigo o Rvm. padre Costa, que, depois do
acto religioso, dirigio-se ao .ovo poJrado seu con-
curso real o valioso para a construego da capella
de Santa Mara Magpalena, noma primitivo da
mais amiga fregue/ia e puvoago do nossa proviu
cia, cora o qual o raesmo Exm. hispo diocesano
houve pir bera faz-la coohecida.
A pratca pruduzio logo sus effeitos, havendo
promessas de iffareciraentos ao so de raaterlae
como de dinheiro.
t O Rvm. padre Co-u de fim o producto daib.-cripco que se ageociou pa-
ra paeameoio e recompensa da raissa.
t Fazeinos votos sinceros para que tal Idea va-
gne, assurainlo o Rvm. parodio a direceo da em-
lirezo, romo de esperar de sua solicitude e zelo
pelos negocioe da igreja. 1
socios 37 individuos, dos qaaes 21 receberam di-
ploma, at j dala io relatora. ...
No mesmo epa.5ode termpo a associaclo soc-
correa a 20 de seos membros, despeodendo com
eSsa obra caridosa a* qanlia de 1:9405000, soromi
avuiiaaa eai rrtagSo aos eseassos recursos de qa4
dispde a associacao.
Pelo balango anoxo ao pelaiorio vd-se qae a
rpc^ta doannofoide 4:4135885 e a despm de
1-qjosq-2 Pamodo Paf* > f-lnro o saldo da
Aioda nao piW ser exlrhtda oenhama da^
loteras que fowm concedidas a assoclacae ; ira

dos campos Wrg4aes.de Flora. A airaos
pera, a qual rouba. o divesU) a frigancia a'
qaasi tonase mais aguas carosas, parece
pro- -zlr]Te? i*'*^ >bre a exiioisi-.
ta randade deste aroma, a quaJ pertence
por excellenoia esta pwparacSo sublime p
refrigerante. Ella enearra em si, por assim
iier, o condensado res|iro e vida das flore*
as mais exquesitas e odorferas do reino
vegetal e sua fragancia Darece inexhaorive?,
oi J gQI*no-qil,<,roelv't,r n-'inesgotavel, mesmo denis de ter sido e\-
para.desejar que se,a extrahlda c, revi- posta um'a grolongadf evaporacSo OU dif-
fusao. Neste; respeito ella se assemelha
original Afua da Coluiia de Faria, e t-
prefeida por toda america do sul e as
dade, afjm de qoe com esse reeerso possa a Impe-
rial Associacao Typographica Flomineose melhor
desempenhar os grandes e adores flos-de so* crea-
gao.
lecvrfsTaTs^ lllJh^T"' -5 tr5balnos' AWhas," iSo obstante" o "fctorYcusto dc-
lecuvos aa escola publica do sexo femiorao da po- hradn rl<.i.<.ii. .,, .e-^^
voago do Afogado. -Drdao 'fuelle outru per,fie.
- H)je (9) Tffectua o ageote Pioto o leiiio de (-Rgparai bera que os nomes de Mnr-
mayeis, louca, cftristaes, carros e cavallo.-, na roa r,av e Mnmao, se achem inscriptos S Ob fa-
do Corredor do Bispo, sitio o. 6.
Deveodo cornecar as 10 horas em ponto a venda
dos movis e loga, e de 2 horas em dianle dos car-
ros, cavallo?, carrogas e vaccas.
Nomeracao dos bilhetes da lotera 2.* offere-
cidos pelo* ihesoarero das loteras para auxilio aas
do-p>zas da guerra :
Bilhetes os. 1141 a 1150.
Rrpabtiqao oa polica.Extrato das partes
do da 8 de Janeiro de 1867.
Poram recolhldos a casa de deteoco no dia 7
do correte:
A* ordem do IHm. Sr. Dr. chefe de polica, Ao-
dr Avelioo de Barros e Miguel Jos dos Aojo-,
para recruta ; Jer nymo, escravo da Manoel Mar-
tin' Piuza, a requeriment deste.
A'ordem do Dr. delegado da opilal, Virginio
Freir de Oliveira, Antonio Joaqaim da Silva Bnt-
(O, Manoel Joaqoim Gongalves e Manoel Moreira
Rlbe'ro, para correego.
A' ordem do subdelegado do Recita, Jos Daive.-
nbod, Holhnd-x, a reqoe^igo do respectivo cn-
sul ; Miguel Gomos da Silva, para correcgo ; Jo-
s Cardoso de C*ralho Jnior, por ferimeotos ; e
Franklim, escravo de Joao Rodolpho, por su3peilo
de estar fgido.
A' ordem do de S. Jos, Joo Jos de Brillo, por
crirae da roubo
A' ordena do da Capu^ga, Olimpia Maria-, para
correcgo.
O chefe da 2.* secgao
J. G. de Mesqmta.
casa pe dbtenqao.Movimeuto do dia 7 de
Janeiro da 1867. Exi-tiam 37o; eolraram!4;
sahiram 12; exislera 377; a saber: nacio-
naes 278; mulhe.res 13 ; slrangeiros 32, raulhe-
res 2 ; sera vos 46 ; escrava* 6.Total 377.
Alimentados a casta* dos cofres proviociaes
216.
Movimeuto da enfermara do dia 8 de Janeiro
de 1867.
Teve alia :
Joaqoim Jos de Sal'Auna Coarado, escravo de
Joo Lopes.
Passagelros do vapor brasiieiro Guar, viu-
do dos portos do sul:
Capito Joo Xavier do Reg Barros, lente
Jos Sergio Ferrelra Jnior, alferes Miguel Joaqoim
do Reg Barros, alferes Arsnico Menervino Met-
ra, alferes Antonio Augusto da Frota Menezes,
alferes Cicero de Souza L"o, 1 ex praga do exer-
cito, Or. Thomaz Diogo LeopjM, Anoa Tberez
de Jess, Francisco Rodrigues Lelte, 4 guardas
nacionaes dasta provincia, Manoel Jo-, Joo Ber-
nardo da Costa Cerdoso, Jqolm G. da Silva Ro-
cha, Jjo Gomes Jardim, Ju.-tino da Silva Torres,
Francisco do Oliveira Barbosa, Bjavemora Jo- da
Costa Azeved>, Marcellioo da Carvaiho Raposo,
.Manuel Ferreira de Lana Juuior, Jos Ferreira da
Si'va, Bt'.-ito Joaquina de Miranda Henriqaes, Jos
Marques dos Santos Carregal, Joo Claudioo
Duaite, Jos Antonio da Slva.fc escravo do capi-
to J is (. P. Pinto, a entregar a seu lillio Joa-
quun V. de J|llo Pinto.'
Seguem para o norte :
Joo da Costa Maciel falleceu era Macei, Dr.
Augusto de Gistro Birbosa, Dr. Antonio Maooel
:'.:>. Medeiros, major Raymuodo Remijo de Mello,
capito Francisco Bregidu dos Santos, alferes Ma-
noel da Silva Rocha, AIT-mso H. da A. Mello, capi-
to Antonio Marqu-^ de Sottia a 2 filhos menores,
capito Miguel de Azeveio Frecho, lenle Jo>
da Aginar Magalhe, 1 ex prag do exercim, ca-
piao Luiz Amonio d- souza Piianga, 1 ex prag,
alferes Meuerviuo Ribeiro Pes-01, Dr, Joaquim
Mana Sorra Sobrina >, Slmo Kalm, Dr. Daniel
Luiz Rosa.
da envoltorio, letreiro e at mesmos embu-
tidos no popro tidro difamia e na falla
dos mesmos toda a mas -falsa).
Vende-s' as ptiarnracias de A. Caors
J. C Bravo 4C, '
COMMERCIO.
RAfA DO RECIFE, 8 DE JANEIRO
DE 1867. '
A's 3 horas^a meta da tarde.
Assucar mascavado ^argado' reular-2*300 por
arroba,
Algodo.1* sorte 145500 por arroba.
Hoje.
Algodo1* sorte 145500 por arroba.
Catubjo -a- sobre Londres 90 d/v 24 118, 24 ii2 e
. 24 5/8 d. por iy
Acgoes da companbia de BobaMbe 60 0,0 d-
prejnio.
Ditas da compaohia pernambacana 40 OjO de
descont.
Macedo,
Secretarlo.
NOVO
NA.HBIC0.
0 novo banco paga o se-
gundo dividendo de 4,4 Ol)
da massa fallida de Joaquim
Jos Silveira."
Caivs filial do Banco Jo Brasil m
Peroa tabuco.
Teodc-se deseccamiohado o recibo o. 167 do
ciocoenla ceoos do Banco oo Brasil, localisada
nesla caixa sob n. 4875 a 4924,, periencentcs ac
Sr. accionista Jos Segundino de Goraensoro, do .
Rio de Janeiro, a directora faz publico a qaem In-
teressar possa, qua por intermedio do mesmo Ban-
co, se vai proceder a substiluicao das acgSes cons-
tantes de dito recibo, pelas novas acgdes que se es-
to dislribuiodo com os accionistas.
Recife, 11 de dtzemuro de 1866.
O guarda iivros,
Ignacio Juoes Cotteia.
JSovo Bracii 115 Pernamtince.
O ivo Banco faz o 17 divideodo de 5
acgo.
per
ALFANDEGA.
Rendimento da 1 a 7 d eofCtiSta 162:9I>500i
dem do da 8........,........ a2:9jo" 40-
18o:87594t
MOVIMENTO DA ALfAN'DEGA.
Publicacoes a pedido
Volumes entrados com fazeodas..
gneros....
Volumes saludos cora fazendas...
t i t gneros....
204-
347
------5o
148
195
------ 553
PEHNAMBUCO
REVISTA Oi
DIABIO DE PERNAMBUC
Commaodo da forga naval do Brasil em pera-
ces contra o governo do Paraaoay. Birdo do
vaoor Apa em trente a Coroz, 7 de dezenbro de
fifi. Illm. e Ewn. Sr. (Jommunicaude me o
general Toljidoro, pouco antes de aqu ebegar o Sr.
marqoez de Caxias, qae lbe coosiava baverem sa-
bido o Alio-Parana' alguns boles carregados eom
gneros que podiam ser destinados ao ioimlgo
maodei iwmadiaiamame diter a 8. Exc. qae a es-

do correle foram nomea-
Carlos Francisco Soares de Brito,
ede orphos do termo do Onricury,
la de Permmbuco.
-. **'
ermados :
i O teoee-coroBttl commandante do batalhao o.
56 da guarda nacional da provincia da Babia. Joo
Man el dos Reis, oo mesmo posto.
Jos Sabara, tenente foronel commandante do 5*
corpo de cavailaria da guarda nacional da provin
ciado Cear, no mesmo posto.
Coocedeu se a Francisco Joaqoim Tel|es, capilio
reformado da guarda nacional da. provincia das
Alagas, melhoramento de reforma oo posto de
major.
L Fez-se mered a Joaquim Jos da Silva Paz da
serventa ViUHcia do olBclo de 2 Ubelllo do pu- L
blleo jadicial o notas do termo da villa da Barra)contrabando com oinlmigo.
O vapor Guar foi portador dejoroaasdo Rio de
Janeiro at I, da Baha at 6 e de.rfaoas al 7
do crreme.
Sobas rubricas Parfe Oficial, Exterior e Interior
vSo por extenso as noticias mals importantes; alm
das quaes encontramos nos joroaes mais as se-
gaiates:
Ro oe jankiro.Pelo mioisterio da goerra agra-
decea se aos Srs baro de Ipiabas e major Maooel
Pranelro de Souza os offereciraenlos que rlzerara.o
primeiro de 6:000$ e o segundo de 1:000$ para
auxili i das despezas cora a guerra actual.
Ao Exm ministro da marinha dirigi o Sr.
viscoode de Tamandar o sfguite rfflcio :
a G .minando da forga naval do Brasil em ope-
ragSes contra o governo do Paraguay, bordo do
vapor Apa em frente ao 'Caruzl, 7 dezembro de
1866.
Illm. e Exm. Sr.Coramaoicaodo-nre o gene-
ral Polydoro, peuco autesdeaaai chegaro er.'mar-
quez de Caxias, que toe constava haverem subido
o Alto Paran alguns botes carregados com gene-tfc..-. "'""" "J8,<" "17" "f'Vi" .,
ros que podiam ser desuados ao raimlgo, maodei ",0 de JDeiro. V"i sahir no dia 8 s I
immediatameole dizer a S. Exc. que a esqaadra
argentina eslava incumbida da polica daqaelle rio,
e que por isso eo nao tralla oeohura navio estacio-
nado cima do Itaplr
t Por essa occasio declarando o general Mitre
qoe os navios argentinos estavam no transporte de
cavallos e de pasto, resolv mandar orna expedigo
ao Alto Paran, sobas ordens do capito de mar e
guerra Alvim, o qual, snbindo at o passo de Lio
goas, regressoo, commonicando-me nao haver en-
contrado por alli o menor vestiglo de contrabando
com o iolmigo.
i jCbegaudoo Sr. marqoez de Caxias, combina-
mos mandar outra expedhjio ao Alto Paran.
i E-la expedigo parti daqm no da 5, e logo
oo da segrate o eapilo de mar e guerra Alvjm
mandoa-me eommonicar, pelo vapor Greenhald,
qae regressoa de Itati, nao baver encontrado nada
de notavel ou extraordinario at alli.
O Paraoa estaodo crescao proravel qae a
expedig poder chegar fcilmente at a liba de
Apip.
- E' lado o qae tem occorndo relativamente
esqaadr;, dlgoo de participar a V. Exc.
t Os enconracados Hertai Manz e Barros e Co-
tombo, comiuuam na ilba do Cerni a preparar-se
para entrar em servlco. >
Aos inspectores das thesourarias de faz*nda
declarou o ministerio da fazeoda que a isencao do
arl. 663 l'do regulamcnto das alfaodegas,na par-
te em que se refero aos transporta de guerra com
O concert qae deve dar brevemente no San-
ta Isabel o Sr. Crooer, cpadjuvido pelo prestidi-
gitar brasiieiro Julio dos Sratos Pereira, cujo
merecimento artstico nao descrahecido do nosso
publico, a quem por vezes ha elle dado copia da
sua aptidlo e limpeza de trabalhos em physica.
O diliocj.oclariortisla porloguez aqoi chegado,
quaodo a companhia dramtica estava em ferias
lutava com a difflculdade de apresentar um espec-
tculo que corresponder aos proprios desejos de
bera s^tisfazer a protecgo, dos seus amigos; po-
rm, em preseoga d'esta emergencia, pode haver a
acqaiesceoeia do Sr. Julio, em ajuda lo n'aquelle m-
tuilo ; e assim, com nm espectculo variado, satis-
far aos seos desejos, e compensar as finezas dos
seus protectores, qoe a vista de sorprendentes jo
gos physicos alliaro a aaiicao dos sras melodio-
sos. Dos bellos instrumentos, que ao sea sopro
derramara ondas de harmonas oo espago.
Presten juramento e lomou posse, oo dia 2
do c rreote, de juiz de orphos desta comarca do
Recife, o Sr. Dr. Francisco de Carvaiho Soares
Braodo.
Aos portos do sul trouxe o vapor Guar as
segrales somroas : 1:0005000 para Joao dos Sao-
tos Vioira ; 3.400*000 para o Loodoo Bank ;.....
2:0004000 para Pereira Caroeiro & C.; 18:240$
para Lehmam fivres de nossa praga.
O vapor ingles Douro estava annonciado, no
ii ras da
maoba.
Ac.hava-se carga para o nosso porto, no do
Ro de Janeiro, o patacho Paratnse.
Sahio desse porto para o nosso, a 30 do pas-
sado, o brigae porloguez Relmpago.
Para evitar davidas declaramos ter-se dado
om quiproquo em referencia ao inferior do bata-
lhao por causa de quem dera-se urna de-intelii
geocia enire o Sr. Dr. Queiroz Fonceca e o Sr. ca-
pito Francisco Luiz Vires, pois, que refenra-se
aquella doutor, na cooversa que Uvera com o nesso
amigo o Sr. commendador Vires, ao Inferior Joa-
quim Iooocenclo do Espirito Saoto e oo a Leobi-
oo. D'esse quiproquo rtsultou ser Leobiao recra-
tado pelo Sr. Dr. Trrom Madeira, reclamaodo-o o
Dr. Queiroz como guarda de sea batalhao.
Hoje ou araaha deve amanbecer em nosso
porto, o vapor Paran, dos do norte do imperio.
Segu hoje para os portos do norte o vapor
Guar, tirando a mala no correio as 3 horas da
tarde.
qoadra argentina estava incumbida da poucia da- preneae oa navios mercantes nacionaes oo esiran-
quelle ro, e que por isso ea nao tinha nenhum na- geiros, frotados para servirem exclnelvamente por
vio nosso estacionado a cima do Itapir.
Por essa occasio declarando o general Mitre qoe
os navios argentinos estavam oceupados no trans-
porte de cavallos e de pasto, resolv mandar urna
expedigo ao Alto-Parana' aob as ordens do capi-
to de mar e guerra Alvim, o qual sobrado at o
Passo do Lenguas regressoo, communicando-rae
oo haver encootrado por alli o menor vestiglo do-
Somos informados que o ens^nlipiro Antonio Fe-
liciano Rodrigues Stte, que esteva por longo iem:>o
an servigo da cmara municipal desta capital, e
que, sera duvi la, rene ao- s-ras principios profls-
sionaes, conhecimeoto profunjlo das neeessidades
mais imperiosas e urgentes do municipio ; ha offe-
recido a' con iderago des-a corporago um plano
para o edificio de suas sessoes, e juntamente para
as sernas do jury, indicando o terreno particular
situado oa extremidade occideolal da ra de S.rata
Isabel para o sitio, oode dever-se-ha,levantar essa
edificio.
Consta-nos raais que o projecto apresenlado a
apreciago dos Srs. Ulustres vereadares se pode
coosiderar perfeitameot'- confeccionado, sati do lodos os pr-c-nos de solidez, todas as r-gras de
consiruegao, todas as conveniencias de edificio de
semelhaute destino, e todas as decoradles de seu
estyloarchiteclonico, lendo 200 palmos de frente
dividida em tres seeg5>*s, sendo a central de 50
palmos sobre 100 de funde, a as daas lateraes de
75 ditos sobre 6i de fondo. Sua fachada de so-
brado de um andar, deveBdo o terreo servir para
o jury. Apezar de sua simplicidade ella nohre,
magestosa e tem toda a dignidade da um edificio
pnblico. A localidade, partce-nos, conveniente e
aoertada, porque alm da faze lo realzar entre os
edificios ahi existentes, traz Incontestavelmente
aformoseamento ao campo das Priucezas, produ-
ziodo soasivelmeote regolaridade, symeiria e ele-
gancia a' essa linha de edifieacdes, em caja extre-
midade oriental se contempla aprazivemenie o
Importante e bello palacete do Dr. Sarment. En-
tretanto se as diz que a cmara hesita maoifesta-
raeute acceitar esse plano, porque traz desapropria-
g5es, principalmente do sopracitado terrece, prefe-
ridlo antes colloca-lo oa proxiraidade da ponte da
Boa-vista, e na parte sepieolrioal da ra da Con-
cordia, terreno, cuja figura gemetra a de cqui-
l.tero irregular e mixto.
Preteodeodo a eamara se miiisar della para
edifleago de seu pago, Ihe corre o dever de re-
golarisa lo, uoiformisa-lo com todo o systema de
airahamentosda cidade, isto fjrmar om equi-
ltero, que apre-eotara' faces para a raa da Con
cordia, caes do Capibaribe, ra do Cano e ra das
Florfs, com diversas exteag59S 180, 120, 30 e la
vez 200 palmos oa liaba carvelraa parallela ao
caes.
Ora, evidente qae por mais babtl qae seja o
eogeoneiro arcnitecto, essas* circumslaocias, seu
taleuto, soa pericia qaasi que se circunscreve em
tirar o maior partido possivel di intenoridade desse
permetro inegular, concediendo aa conveniencias
e repariimentos do edificio nelle projectado, figu-
ras geomtricas as mais regulares, symelncas agra-
daviris, que forem possiveis. D'ah se manifesla
evideetemente a imperiosa exigencia de coostruc-
goes accessorias, rauteis, porm indispensaveis
paca o aoabameato, regolaridade e aperfelgoameoto
das exterioridades dessa figura visive.meale irre-
gular, e borrlveimente desagradavel a' simples
inspeccao ocular.
Essas coastruegoes, parece-nos, montavam cor-
tamente em despezas superiores a' desaproprUgo
tmida do terreno indicado pelo engenheiro Selle, a
loconieslavelmente o edificio fica inconveniente o
impropriamente sitoado.
Essas breves refle.xes junta a'- ponderosa consi
Bescarregam boje 9 do correte,
arca fraoctzaMaurtcien mercaduras.
Brigue igLzMennu il H raercadorias.
Brigue lglez--C*rll*uu armetlidem.
Vapor inglezIronside dem.
Barca pertaguezaGratidaodiverso? gneros.
Brigue porluguez F/onnrfa-idem,
Brigue mi^iH'lly Maruidem.
Patacho inglez LapringIdem.
Barca inglazaSaptto farioba de trigo.
Lugar prussianoAlertefariuha de irigo*.
Brigue inglez Peonarcarvo.
Brigue inglez Weilie idem.
Lunar inglezCaledoniaidem.
Barca inglezaCharla WooiIdern.
Barca ingleza Gten Te/tdem.
Barca inglezasabella idem.
Barca francezaNoi Jem.
Brigue holiaudez/Vrsft>e/-unc0charque.
Bngua argentino -Volantedem
Polaca prussiauiCalhirma-dem.
Patacho hanovemno oncorita idem.
Escuna hollandezaDe Fred>_idem.
Tem logar no dia 10 do correte, o levanta-1 *"^0* Que o lerrenoem quoeto esta' ba loo
melo da baodelra de Nossa Senhora da Boa-via- *os aooos no lomioio de servido pnblica, devera
inspirar serios o delicados escrpulos no aojara
qaalquer nudo como parte das torcas oavaes, na
cionaes ou estrpngeir< s, nao devendo, porm, os
ditos navios gozar de isengo srlrouxerem gene-
ro oa mereadoraas de eommercio.
A atfaodfga da corle renden no mez passado
l;848:07fta*6
S. paulo Seguiram, ao dia 28 do passado, da
capital para Sicftos, nm contingente de 156 pracas
para o exercito.
gem, com pompa e briihantismo, devendo comegar
as novenas no da Immediato.
Apezar de remoto anda o carnaval, com todo
en algamas roas j vai apparoendo o brutal fol-
guedodas laraoginbas ou limas de cheiro.
Chamamos, pas, a attenco da autundade com-
petente para esle abuso e postergag.o dts posturas
municipaes, mxime para a roa de S. Francisco,
onda algoos mocos se dismandam etitrudaodo a
lorto o a direito a quem quer que seja.
Acercada associacao Tyoograiiica Fiomi- ^li vida, se jaais algara dusses florescentes
nense lemososegiiinte no Corma Mercantil : bosques de Cannlleiras 00 Laranjes pro
t a1 assetnWa geral da Imperial Associago Ty- duziro oa derraraaro inceoso e perfume
pograpbica Plnmraense, em 23 do .orrenie, foi mais refriffftrantP p rlltavfll do atie aoel-
apreseotado pelo respectivo cooselbo admiolslrativo *? reirigorante e rjelettave, ao qoe aquei
o reatorio annuai. 'fl delicioso e delicado aroma que extiala e
dos Srs. vareadores, levando-os talvez a' renunciar
mawihiBto peosaraeolo, e deoveudo-os desea
pretendido proposito.
-------sm -i i n -----~
agua de Fio ida de lurray e Laimao.
Que os poetas embora fallemdos ares
odorferos da balsmicaArabia, porm
apes-ar de tudo pode-se muito bem prem
Durante o anuo social foram propostos para dimana desta admiravel Essencia, colhid* agurdente.
Iuiporta^ao.
Hiaic nacional Nicolao 1, entrado do Aracaly.
consignado a Prente Vianna & C, manifestou o^
segnime:
239 meios de ola, 55 saceos, 2J3 arrobas e 28
libras de algodo ; aos consignatarios.
4t dins com 160 arrobas e 16 libras de dilo ; a
L. A. Siqueira.
30 ditos 108 arrobas e 4 libras de dito ; a J. J.
de Grvalno Moraes.
51 ditos, 212 arrobas e 16 libras de dito ; a Go-
mes de Mallos Irmo.
Vapor nacional Guara' entrado do Rio de Janei-
ro, manifest') o segoinle :
Gneros esirangeiros despachados para coosnmo.
i volme chapos do Clvle ; a H. Ramaguora
se.
i caixote mercaduras; a D. Lulza M. de Almei-
da Pinto.
1 dito Iivros impr-ssos ; a Jos -N.de Souza.
Gneros nacionaes.
i caixote Iivros impressjs; a Garra de Lailha-
ear Da Bahia.
1 parte charutos ; T. H.
Hiate nacional Gfactoza, entrado do Aracaly,
coosigsado a Bartholomeu Laurengo, manifestou o
segrate :
32 saceos 128 arrobas e 24"libras de algodo ;
a Vianna & Guiraares.
67 duos 276 arrobas e 30 libras de algodo ; a-
L. A. Siquelra.
26 ditos 97 arrobas 16 libras de algodo ; a J.
dos Sanios Naves.
148 ditos 626 ditas 19 libras de dito
Vlaooa & C.
44 ditos 102 ditas o 24 libras de dito
Moraes.
50 ditos Wditas e 29 libras de dito ; a E. A.
Burla &
21 duos 88 ditas e 25 libras de dito; a Fraaeis-
co de Paola Martins.
32 ditos 136 ditas o 2 libras de dito, 60 raeios-
de sola, 129 raolhos com 3,225 coorinhos, 8 borri-
cas, 49 arrobas, 26 libras de gomma, 4 saceos if>
arrobas e 14 libras de carnauba ; a Gomes de Nat-
os Irmo.
65 saceos 153 arrobas e 23 libras de gomma, I
erabrulho 3 1|2 libras de peonas, 52 amarrados,
1,040 e-telras ; a Lino de-Faria 4 C.
26 amarrados, 590 esleirs ; a Jos F. dos San-
ios Jnior.
24 taceos 107 arrobs e 24 libras de carnauba
68 calas 58 arrobas de velas de dita, 48 saceos-
198 arrobas e 10 libros deafgodo ; a Jos de S
Laitio Jonlor. ^
Exportadlo.
Galera franceza Amelle, carregou para o Havre ;
200 sarcos com 1,000 arr .tus da assacar masca-
vado, 1 381'dlmseom 7,049 arrobas e 2 libras.d
algodao o 1,986 cooroa verdes com 9,970 libras.
Escuna ingleza Ftornuce, carregou para o Ca-
nal : .-ui -
2,800 saceos can 14,000 arrobas de assucar
mascavado.
Brigue brasiieiro Pombiuha, carregou para o Rio
Grande do Sol :
1,499 barricas com 9,902 arrobas o 13 libra de-
acucar branco e 30 cascos com 5,400 medida d*
, a Parete
a Jos C
1>

*

i
*

'//
-
*

.


I




m*


*p**(BB*
^~
^
' ~vw
^..
Diarlo de Pernambuco 4ua?s*a felra de Janeiro de <867.
ECEBEOORIA DE REXDAS INTERNAS
(littAhS.
leadirnenio d,t i a 7 Ja corrate. 3:9llVS>3
dem do di 8.....*.......... 528^4
4:4693327
*^"m>
NWIMfilTd DO PORTO
'
PARA LISBOA.
Segu oestes poucos das o brigue porlagoei
Now /Vojresso, por ler pr.nnpto parte do seu car
relamerlo, para o resume aa carga e passageio
ros trats-se cora Olieira Filhos C, largo d-
Joroo Santo n. 19 mi rom o eapit&o na iMQa.
Para o Rio de Innrtro
Pretende seguir com muita brevidade a veleira
e bem conhecidi barca flio de lanaro, lem parle
de sea earregamento prorapto. para o resto que
Ibe falta c escravos n frece para os quae lera ex-
celleotes ciraroodos trata-sa cora os seus eooslg-
natarios Antonli Luit de Olveira Azevedo & C.
no sea escriplorio raa da Cruz a. i.
Para Lisboa.
Navios entrados no da 8.
filo de Janeiro e portas intermedios -6 das, vaper
nacional Guar, de 750 toneladas, coinroao-
daale 1* teneote I'. Hippolito Duarie, eqopa-
geat Si, carga dff-reoles gneros; a Antonio
L de O. Azevedo & C.
tti'i de Janeiro -17 dus, galera sueca Swenge, de Seeoe em poneos das o brigue portuguez Cons-
565 toneladas, caoilao August Riideu, equipa- "n'' *A Pr ,er proropto ijaasi todo seu carrega-
eru 14, eu3 la-tro ; a oroem. roent-, para o restante, e passageiros; tratarse com
la15'dias hlate brasueiro Garibaldi, da !09 Oliveira Filhos & C, .largo do Gorpo Sant) u. 19,
tonelada*, capitao Custodio Joe Viaooa, eqapa oo com o capillo na praga.__________________
gem 8, carga farioha de trigo ; a Tasso Irmo.
Nurio saludo no mesmo da.
LiverpoolRirca inglesa tabella Rtdley, capilj
Bully, carga assooar.
Para Lisboa
DECLARiCOES.
Val sabir breve o brigne portogaez Bella Fi-
guetrense, capillo Carvalho. recebe carga e passa-
geiros, trata-se cotn E. R. Rabello, ruado Trapiche
o 44 ou com o capitao.
Para
Publicaba littoraria
Jesit i.hrislo e a orifica imenia
PELO
Reverendre padoFeli.
(da Companhia de Jess)
Vertido do fmncez pelo Dr. Pedro Aulrara da
Malla AKiaquerqne.
E-t' a' venda na Livrana Universal, rua- do
Irape -.idus, n. 54.
Na travessa do-Carmo n. I, veadem-se 4 es
cravag, sendo ama ensigoe engomraadelra, 1 bo-
nito moleque de Idado de 18 annos.

Precisa-se de ama aoja para o ser vico inuy-
no de ama casa, paga se bjrn : a tratar na raa da
Cadeia do Rjeife d. 8, armazem. _^_____
PWit
Maary, subdito
para o Rio da Praia.
uespanhol, retira-se

Aluga se urna boa casa sita no PogidaPa
oella, muito fresea, com bons comalidos b.-.nbo
perto e por c mroodo prr-co : a trat r no paleo
do Carmo n. 2, segundo andar.
Na raa do Livramaoto n. II, segundo an-
dar, fazem-se espanadores e por manos prece qoe
em outra qualqaer parte ; na masma casi aeima
precisa-so alagar um rodeqoe qua seja esperto e
-l para o s*rvico externo da casa.
_ J
De ordena d IIIm. Sr. inspector da thesou-. Segu com brevidade para o loria do Para o
raria de fazenla desta provincia se ai publico pa- brigue brasileiro Mrquez de Santa Cruz, recebe
eonbecimenlo de quem ioteressar, que no da carga a freles commodos : a tratar com Tbeodoro na raa do Briim n
14 do correte mex serio arremtalos parante Uhristiansen, ra do TVapleh Novo n. 16.
asta tbesoararia po quem por raeuos fizar os co i- j '
certos preelso.5 na coberia do trapiche da alfande-l
ga desta cidade : os pretendemos deverao prestar Vai ,,. com breTdale 0 brJKUB por,gae So-
f ^"?!J^"!.L!,T^?;!f.,deSr\m^"al^C0 bera> caP,lo Bogiganga, recebe carga a (rete,
tratase com E. R. Rabello, ra do Trapiche n. 44,
3 Dom ngos Gomes da Silva, l'ortugoez,
Europa tratar de sua saude.
vai a
Para Lisboa
provincial. O orgament aa
secretaria para quem quizer
a fazenda cera I e
obra se acna nesta
ver.
Secretaria d titeiouraria de f.izenda de Per-
nambuco 8 de jaaeiro d 1867. Servindo de offl-
cul-maiorMauoel Jos Piolo.

/
mm$m mu
Pela adminfttrago do correio desta cidade se
faz publico que a< "malas qae o vapor nacional
Guar tem de cundnzir para os portos do norte
fecuar-se-hao hija (9) as 3 horas da tarde.
As cartas almettidas a seguro serlo recebidas
at 2 horas, e os jornaes at o m>io da.
Crrelo de Pernamtiuco 8 da Janeiro de 1867.
O administrador,
Doiiogos dos Passos Miranda.
THUA.TR
E
oa com o capitao.




" EJ]PE4-CfllH8B\.
X} artista Raohael ^ Cmw.v, de pssa?am pa-
va o sal, quereoJ i trabalhar nesta cidade, diri-
gio-se ao moi digno empresario do theatro de San
u Isabel o Sr. Antonio Jos uarie Gosmbra, e
3 i al com toda a tran>|oeza e boa vonlade annuio
ao sea pedido inlep^iid >nte de estipendio qoliiuer
pelo iOe recebe o mesmo senhor os protestos de
sea reconhecimeiito e estima.
Quinta fviril 10 de Janeiro.
C.-ocerto de Raphael Jos Cromar, clarinetista
solo daeamara de S. M. elrei U. Luiz 1, coadju
vado pelo distinelo prestidigitador o Sr. Julio dos
Santos Pereira, sacio benemrito da sociedade
Propagadora das B.-llas Artes no Rio de Janeiro e
primeiro mgico brasileiro.
O divertimeolo s.r.i organltado pela seguiote
a ineira :
PRIMEIRA PARTS.
L'igo que a oreboatra finaiisar urna das melho-
r.'s symphooias sera" abertos os trabalhos pelos
enigmticos effeitos que lem por titulo
X StLV mi SEGHE0U8
OU
Os mysterios do diabo,
E gitador que para isso tm oitu urna variaia eseo-
iha da agrao-veis sortrs, flaa isao lo pelo
FSTAO OE FLORES
SEGUNDA PARTE.
Phaotasia para sax > phome sobre os motivos da
<^pera Trovador por Ripnael Cromar.
TERCEIRA PAKTE.
Phaotasia para cianneto sobra motivos de Bel-
ni, por R. Crome r.
QUARTA PaRTE.
Contioaacao do> traoalhos phyicos pelo presti-
digitador, cora novas sortes, finalisando este poni
ROSEIRt EXCAMTADA.
QUINTA E ULTIMA PAUTE.
Phaotasia para saxo-poooa sobre motivos da
pera Eraaai, por Riphael Cro-aer.
E'co a a escoloa deste diveriimsnto no todo o
ans variado e agradavel que o artista beneficiado
spera podar merecer do illnstrado publico per-
auubuiiauo su' mu! valiosa proteeeio.
Aimasmo tjmp aiir.>v-iia o tavoravel ensejo
para desde ja agradecer ao sea collega o Sr. Jolio
dos Santos Pereira a eoadjuvacao qua se digne
prestar trie listo qu3 a long) lempo dascaocava
dessa tao af.digid vida artstica e apezar da va
rus embaraQOs na orgamsaQo de seus trabalhos,
pre>tju-se de boa voutad^ alim de que pod^sse le-
var a eff-ito o* seus soiris, aceite pois o sea col-
'. 'g i uro voto de artista para artista e de irmao pa-
ra irmo.
Priocipiara' as 8 horas.
O resto dos bilhei.'S poderEo ser procurados no
criptorio do theatro
N. B. E o um das intervillos o beneficiado ir
omprimentar as pessoas que o honraram.
avisos Martimos
.... i
MIP\M!i\
DAS
essagerles mperlales.
Al o da 14 d>
corrt-nte a ez es
pera se dos por
tos da Europa o
1 vapor francez
Navarre, o qua I
dapuis da demora
do costume se
gira' para a
Bahia e Rio de Janeiro.
ParaondicS'-, (retes e passagens tratase na
agencia roa do Trapiche n. 9.___________
Para o lio Grande do Sal
O veleiro e bem eonh-eido brigue nacional Ame
ta, pretende seguir tora raaila breVidade, tem
parte do sea carretaraentj engajado para o resto
-q ie lh^ falti trata-sa cora os seus coo^igoatarios
Antonio Laiz de Olveira A'evedo A C, no sea
escriplorio raa da Croz n. 1. ^^^_^__
Para Lisboa
Pretende seguir cora mana brevidade o brigue
portuga-'Z Ato Vouga, lera sarta de sea earrega
mrito prompt, para o resto que Iba falu e passa
pairos, para os quaes tem exeelleoies commodos,
srau-sa cora os seus con-igaatartoe Aoiooio Laiz
da Odfeira Azevedo 4 C, no sea e-cnplorio, raa
da Cri o. 1, oa cora o capitao oa praca.
Parn o forto
Segoira' al o da 10 do corrate, a Urea por-
ujiaeza Segwtnca por ja' ler o sea carregameolo
prorapto : pra pasageiro, sos qoses offerece
*oo* Cratnodos ; traale a roa da *ladre de
.eos n. 3, oa com c capi'o. _____________
ILU i M S. MIGUEL
Sepa com a raalor brevidade o moito veleiro
patacho kratnce para carga qoe (be falu e pas
saieiros psraoi qnaes tan boas eomniados trs
a-as com o sea consignatario Joaa do Reg Lima
a raa do Apolto o. 4. ____

1
al
Para o
Por ja* se aehir roa
Porto
a naior parte do seo
arregaroeato engajado, pretende sahir com toda a
*refidaie. a valaira e moi conheeida barba porto
4raeta Clauitm : para o resto da carga passa
getros, para es qoaes ha ricos eomaodos, trala-ss
& raa da Madre de Deas a, 3, o non o espita*
*prar;a. -'">
Itio Grande da Sal
Para o referido porto abira' cora maita brevi-
dade a barca ponugaeza Artnmla, recebe algn-
ma carga a frete, para o que 'pode-se tratar com
David Pe reir Bailar, a ra do Brum n- 66 ou na
pra^a com o capitao do citado'navio.
-v Para
Pretende seguir cora brevidade para o Indicado
porto o veleiro bri^ua escuna, nacional Graciosa
capUo Silva Ratis; para a pouca carga que Ihe
falta trala-se com o respestivo coasignatario noto-
tiio de Almei la Gomes; a ra da Cruz n. 23, 1*
andar.
Troca se ora samoario com quatro Imageos
42.
Chegrm no vapor americano South Amerita urna
porfo de canarios verdadeiros da Koropa muito
con> ecidos ja' neta imperio, os quaes se achara a'
venda aorespeilavel publico ta roa da Impera-
triz n. 39. _______
Aluga-e urna sal?, teudj ouas camarloha,
prefere so bornea soltei.o : a tratar na ra da
Moedan. 19.
Cozmbeira.
Precisa-se de urna ama que cosinha perfeita-
menle : a tratar no consulado dos Estados-Unidos
raa do Trapiche n. 8, segundo andar.
Rio de
Janeiro.
Com a brevidade qua fOr possivel seguir' para
o Rio de Janairo o tingue nacional Rtltiario, re-
cebe carga, escravos a frele : atratar com os con-
signatarios Marques, Barros & C. largp do Corpo.'
Saoto n. 62* andar.
LISBOA
Vai sahir com brevidade a muito conheeida e
veleira barca
RARIA
por ter parle do carregara-uto engajado, para o
resto trata-se com os consignatarios Carvalho &
N-gaeira, na ra d > Apollo a. 20
PiHTO
Pretende sahir em poneos das a muito veleira
e nova barca
FELIZ r*lA
por ter parte do carga prora jia para a que Ihe fal-
ta trata-se com os consigaaurios Gsrvaiho l No-
guei a na ra do Apollo a. i).
Para o Ro de Janeiro.
Val sahir cora broviuada o brigue Afano & Al-
fredo, recebe carga e a*cravos a frete. irata-se com
E. R. Raballo ra Jo Trapiche n. 44.
Ilha de S. Miguel.
Segoe com muita hrevidade a barca portugueza
Parary, capitao Augusto Borges Cabral: para o
resto da carga e passageiros trata se com o sea
consignatario Joo do Reg Lima a
n. 4.
Ama,
De movis, louc.a, vidros e amitos objectos de
casa da Tarailia, carros, cavados e urna vacca
com cria.
HOJE.
So etrreditr d' Biscasa 0.6
O agente Pioto.
O agente Pinto f*ra' leilao eira antorisacao do
Sr. Jnn Gaiis Ja um piano forte, movis e mais
objectos existentes na casa qoe servio de resi-
dencia, no corredor do Bispo o. G devendo come-
car dito leilao as 10 horas em ponto.
Leilao
Re un escravo de 18 anuos,
O'inheir.
O agente Pestaa far ru'.>relerivp|mente leilao
de um escravo cozrabeir>>, bora copeiro e boleeiro ;
tem 18 anoos do idade, sadio e tem boa conduc-
ta : tem lugar o leilao quirta felra 9 d> correte
pelas 12 horas da manha, no largo do Corpo Sao-
to junto ao caf romraercial.
LEILAO
De urna victoria com arreos para 2 cavados, 1
cabriole1, duas rodas e arreios para um, 1 bur-
ro manso e gordo.
HOJE
Por interverjQo do agenta Pinto, no corredor do
BispoJ casa n. 6.
Precisa-se alugar urna ama que saina".cosinhar
uero, preferindo-se escrava : na loja da ra Nova
o. 11. ______________________
Confeifcaria dos ananzea
Raa da Cmx a. 16.
Ha diariamente presuntos superior, dito
emfiambre.____________________.
Pr cisa.-sel^l:b004000 a juros sobre ny-
potheea em um predio : Ba ra da Moeda n. 19
se dir qaera precisa. ^__^^
Ama de leltfe
Quera precisar dinji-se a ra da Santa Tbereza
n. 27. _______^___________
Prerisa-se de urna pessja habilitada para
ensinar pr.meiras letras em urna casi particular :
a tratar na roa do Crespo, loja n. 8.
Precisa se de um criado : na ra estrdila
do Rosario n. 28. ___
tm Di FORTUNA.
Aos 6:00G$000.
ISilbetes garantidos.
A" RUAtD CRESPN. 23ECASAS DO COSTUME
O abajao assignado vendeu nos seos muito feh-
tes iiiliif tos garantidos da lotera que se aeahoo
de oxir.ibir a.bi'uaticio da i~' i lo Divio > fi pir-
toSior>d> i];llegiu, os seguales premios:
N. 2737 dous quarus com a sorla de 6:0000
X. -3J9 un uiei.i cora a sorte de i:?00.
N. o'IJ d ras qo*rw> com a orle de 8J)5.
N. 1497 b Ihete inteiro com a son.- de 2005
E ouiras militas sortes de 1005, 40 > 205.
OspossuiJores ppdeoa vr receber seus respec-
ieis ua casa
o Apollo tlV0Spr.ajios ,e,,, .iasep^m ^
daFonuoa a' ruado Crespo n. 1'3.
.
Achim-saa venda os da 2J parte da C' i.itena
a b-neUoi-ida igieja deNos-.a S^nor.. oj 6 ia-i
lupe d.: Oiinda, qae, se estrbica' na lereafena
lo do correte.
EPreco.
Bilhotes........ 6000
Meios............ 3*000
Quartos.......... 1500
Para as pessoas que compraren de 1005000
para cima.
Hi I heles...'....... ."5.S00
Meios............ ".>il
Quartos........ 14373
Mane! Martlefs Fita
OLUhSP^
L!U>
De um esc-ava de mea idide.
^fE
O agenta Pestaa fara leilao por conta de qoem
perlencer de nraa escrava da Babia, excellente la-
vadeira e quitaodoira : quarta-felra 9 do correte
pelas 11 horas da manha oo largo do Corpo Saoto.
LEILAO ~
De miadezas, ferra'n*. pe-fumarias, lou^a,
vidros e outrs objectos.
Sex a-feira u aejioeira
no armazem da rua da Cruz ov 62.
O ageuto Pinto tara' leilao a requeriment dos
caradores suaes e depositario da massa fallida da
Denckar& Birroso, de b-ralhos do Cartas, melas
pretas.didaes, escovas', boioes. esooras, pavios, ca-
xas para rap, lista, lacre, peales, papel, areia,
ocalos,luoetas, colxeies, roseta, sapaios e toncas
de laa, bengalas, bandeijar, estrados agaa de co
lonia, sabonetes, braba, fechadaras, facas e gar-
f js, assadeira-*, massauetas, escarradeiras, appare-
Inos de louga, copo, bacas e jarros de crysul, di-
tos de porcelana, galheteiros e mu los outros ob-
jectos es:.-tuates no armazem da ra da Cruz nu-
mero 62.
LEILAO
De drogas e jotas
Sabbado 12 de jcueiro
as 40 horas em poito no armasem da ru*
da Cruz n. 62.
O agente Pinte levara' a leilao pela segunda vez
am grande sernmentn de drogas e joias pertenceo-
tes a massa fa.lida de Denrker & Barroso e exis-
tentes no armazem da roa da Cruz n. 01.
Os pretendemos poderso desda ja examinaren) o
inventarlo existente em poder do mesmo agente e
na vespera e da do leilao as referidas drogas
joias ao armazem da rua da Craz n. 62, onde se
effectuara' letlio as 10 horas em psnie.
U2
Pela repartico das obras pubiicas, t* faz pu-
blico para cunnecimeuti das pe-oas a ijuera pos-
sa iateresse r, que o prego .i >s traii->iies nos
trilnos urbanos, de 20D res puf uii-ha. e' >uj
a distancia do arloal ponto de i-ariida i m frente
Oa rua da Uolao al o Calderein-, fa ires mi-
Ihas contadas da seguiote forma :
R-eife ao Manguind em frente a estrada dos
AnT'tos, ama milba,
Maaguin.no as sitio da Jaqu'ira, uraamllha.
Jaqo"ira ao Caldereiro. moa milaa.
Secretaria da repartigao das od.-js publicas 8 de
jaueiro de 18^7.
Sjrviiid,) da secre-iario.

Joo Joaquim. de S. Varejio
llIVIIlt ti
A certa pretendidoeng>nhei-
ro, que gosta de contar por
sette, roga se a a presento-gao
de seu titulo de engenhtro e
aconselha se que deixe se fie
tasquinhar na repuUcao
alhei'i, como fez na do distino
to engenheiro Or J&s Tiburcio
Perrira de Magalfides, a quem
S. Senh >ria ne n mesmo agua
para os ps pode dar.
Timbass
0 3 iiume^o do Jfojjufi sihir nesta sama-
a. Se i- ijs vinos para ver, I^de-o, e nlngnrm
poder refu'a-'rrrj o sileocio neste paiz significa
desprezo I Despreza o em qoant > lempo ; por-
que nein .-copre a impostura e baixeza tero pri-
roazla entre api.
raocisco l'^maudes Vieira rug-a lo is u^ ?eu
collegas e amigos e de sen pai a asistiris orna
missa que manda celebrar pelo eterno r^pouso
d'alma de sua rai fallecida na capital do Ceara,
na matriz da B>a-Vista saxia-feira 11 do crrante
pelas 6 l|2 horas da m>nbaa. desde j sa conside-
ra eteroamenie grato a todas auusjlas pessoas que
asi"iifo a p O abaixo asiguado. avua ao retpaitavel pu-
blico e ao corpo do eomoaercii qoe nada julga
de ver nesta praca nem lora dalla, purera se al-
goem sejoigar sea crednr compare^ com os seos
documentos do prazo da 8 das- a contar da data
deste. Recita 5 de Janeiro de 1867.
_ Goilrierme Jo^ dos Santos.
VISOS DIVERSOS _
G4MftMEIR\
lastruccSo publica primaria.
Do dia 7 da jaaeiro etn dlante acha-se abena a
aala pablica de rastracco primaria do povoado
ds Gamelleira.
Quiula-feira 10 do crrente as 9 horas d
ooite sera hasteada a bandelr de Nossa Seohor*
da Boa-Vtagem, sahindo a mesma da casa da ju~
ta, sendo coadoztda pelas senhoras mats gradas
qoe se acbam oesse arrebalde acompanhada pela
maslca marcial do 1* batalhio da guarda nacional
a qaal eipcutara' eacothidas pecas, sobiodo ao ar
nesta occasio aliumas yraodolas
.nos iooomoo
Core le ci-feira i >.
Acham-se veiJa na respectiva tlieson-
raria, rua do Crespo o. 15, os' bilhetes
meios e quartos'la 2*-parte da 6? lotera a
beneficio da areja ce Nossa Senhora do
Guadalupe de Oljta, (2*), seodo a extrae-
gao no lugar e bora do costume.
Os premios cl3 6:0000000 at 10f000 se-
rio pagos urna hora depois da extraecio at
as 3 horas da tarde, e os outros depois da
distribuido das Man
Asencommendss sero guardaiias somen-
te at a noite da vespera da extruci;ao.
0 tbesoureirc,
Antonio Jns Rodrigues de Sou^.
Aula de E.iugoa Franceza
de Ciegraphla ; Uis-
oriii.
de Piaiiosophia.
de Rhe(rleac abtica
Jos SoaFo> d'Azevedo, prufessor de liu-
goa e lit eratura nacional no Gytnnasio Pro-
vincial doReoife, toa; aberto em soa casi,
rua Bella n 37, um curto tspecial de cada
urna das disciplinas cima met aunadas As
pessoas que se desejzrem preparar em si-
milhantes materias para os exames de Mar-
co, ou as que quizerem seguir o curso do
anno ect vo, pdem dirigir-se residencia
indicada, de manhSa at s 9 horas, e de
tarde a qualquer ora.
das
mmm hotel central
MA LUGA DO MSAR10 114 ESTREITi DO ROSARI*
. 37 K 4 A
ENTRADA GEBAL E.Y!iUA PARTICULAR
PROPRIETARIO.
FRANCISCO GARRIDO.
Ha qoartose salas
Preparad >s com asseio,
Para aquellas que virem
A Veneza de passelo.
Taro commodos excallenles
Para solteiros casados,
A' todos se prodlgaliar
Os mais sinceros cuidados.
Rncontra-ss para lunch
Fiambre a qualquer hora,
Tambera recebe assignantes
De comida para tora.
AUii-se
Aunas Verdes
a part da casa u. 9 da rua
a tratar na mesma.
DE
Na rua da Cadeia do Hecue u. 8, vende-se
gma escrava de meia idade qu9 abe cozinhar, la-
oar e fazer cooipr^s.
O aba-xo a-sigoadu avia ao respeilavel pn>
Mico%qno deixou de vendar aiiuardenie <-m saa la-
berna nos Quatro Cantos desde o dia. 1 do corren-
e. 0:iuda 5 de jineiru de 18o7.
__________Gmlherme Jjs dos Sanios.
Antonio Climaco M-reira Temporal, abaixo
asslgnado faz publico, que seu respeitavel e pre-
sado sogro o Sr. S-basiio Jo- G -mes Peona, slu-
lindse pelos seus pal-cifprut.is phisicos, como
sabida quasi Imposstbilitado se por^i mesmo gerir
coiiveoieniemenle os seu negocio-, e nao dese-
I o.Io aggravar o seu estado com os trahalho3
inherentes a boa direcca i de sua casa, Constitok)
ao mesmo-aluixo rsalgnado seu aastaota procu-
rador o respectivo mandato concebido nos seguiotes ter-
mos :
Conced (aosflu procurador) os mais ampios e
Ilimitados poderes p ira por ella outhorgante to
mar conta de lados os seus negocios qu^r pbli-
cos ou particular*', r^ci-ber os alugueres suas
propriedade* e tomar cuubecimeoto de .suas trau-
sagoes athe hoje sff-etoadaa, s-n o que de hoje em
dianle neshoma mas se fra .em pleno conheci-
i.'ihiiIo f uliencia d.. oiio seo procurador, eando
desde U.go sem effeiio o que por elle outhoriante
se ll'er, par e^la lim (iromovpr contra seus
devdore,s qaaesaaer acf8es chamando os a coo-
ciliafao, e traus^indo no acto d'ella, e dando do
que receber a qultayao do estylo.
Em face dos termos de lal procurscao, e dse-
jando o abaixo asignado dar-ihe iiii-iro cumpri
mi'iii ara eiir-...l...r:r!,.r a cvoOanQa n'elle depo-
siiana, convida a todas as pessoa* qoo lem tran-
saces com o dilo seu s ro para oo pra*o de 15
das s' entendiera r'Am o anonncfaoie afim de
sertra ifeii-wut.vJus cjj ua as>i^oatura os res-
peciivaa titul" (.era a que fK-am sugeitos a sua im-
pugna-.-o.
H.-iira 7 de. Janeiro de I 67.
_________Aiii.m i_Ciiiuaeo Moreira Temporal, i
Gasa ao Monteiro
l.i*3-se rpaa pasa na povoac) do Monteiro
cora i/uns c.oi.omiis. acetad.i e tunh s nos fon-
dos : a iratir m < i ln Crespn. 2-I.
Eslabelecide na cidade do Rrcife eu {862
Hoto a preseceo do Siimmo Pontiflee Pi IX.
D:rector-0 b^eh.uel em matliematicas
BERlRQO PEREIRA 00 CARMO JUHOR.
* O directur do intarnato de S Bernardo, nao tendo evitado esf >rcos nem sacrificios
} para proporcionar aos seas a'umnos urna perfeita eriacago physica, nioral, intellectua! e
reliBiosa.olleracendo-lhes urna habuaco com bastantes conditd-s da salubridade, habis
l prjressores qua sao so)icUs em prepara los conveoieniemeuie ao Hin a que se desiioam,
> medico pratico que ihas fac corapreliender os preceitos da hvgiana e Ihes core das doen-
cas, ettoalmenie un sacerdote Ilustrado e booesio qu-. Ihes xol'qu* os principio da re
. Iigiao christaa. espera qaa assim contitoido e em vis-a do excedente resultado, que tem
; apresentido, cootaudo um crescido numero da alumnos na Facnldade de Bireito, que
concluiram all vantajosamenia os estudos preparaiorios, nao deixara" o seu esubeleei-
i ment db coatiaaar a merecer dos Srs. paos de familias o auxilio e conilaoca com qua ja"
J mallos o tara hooradi; e Ihas roga, bam como a todas as pessoas interessaflas, qu. se
dignera^le visitar o mas.no san estabalecimento, oade sempre encontrarao franco in-
, gresso.
Cadeiras de ensioo :Primeiras letras dividida era doas classe", tendS cada ama o
seu profesor, latim, francez, Dglez.arithaietiea, agebrae geometra, geogranhia, pliilo-
i sophia, rhetonca. desenho e msica.
O collflgio tem a sua soda nos espag isos edificios ns. 32
Nis estatatos do eollegfo, que esto a dlsposijao da qu
e matricuU nis diversas aulas
consignadas
ment.
as condi-oei de entrada
e 31 a' rna da Anrora.
m os qoizer (er, se achara
do estabeieci*

Mu.
a altencio.
rbglo n> rti 27 da deieiiitiro do auno passado,
o.i ;i!^>;ij|jj Date Ja fregQezii Je Oa comarca do
ttio Farinoso, o escravo Aogelo, crinlo bem pre
la, de i.;ade de 20 anuos, com os sio;>o.-. seguin-
trs : a lo. eco, sera barba, tara falta de um dente
oa frente,pe* largos, falla grossa, bonito de .fai-
c5es e anda a pasaos largos, levou camisa de ma-
dapol&o, c Ira d bfim pardo e phspo de hafta
i ri-tn, este e.-'-ri v.> n.itnral desta prafi e foi com-
prado ao Sr. Sdvini. (jmlherme de Barros e ha
Ct-rteza que a-i ---i-; y r tr-r Irm/ms : i ranlo ro-
ga-e as anteiUoics pj|icae>, cacities de canepo
ou qualquer ..ja ijiie o eonhacer o aprehenuam
e o leve ao rt-fciido eiigruho ou a rua da Moeda n.
S, Sfgondo andar, era casa do Sr. Mauoel Alves
Ferr ira.
Precisa se do una ima forra ou escrava pa-
ra servir em nraa casa J- familia : a iraiar na lo-
ja o. 4o da esquina da rua ria \lad:e d.-- Dos.
J-.ao L"iie oo .{; i Sirep uj, c invida aos amigos
e parantes do Sr. Dr. Francisco Lucas de Souza
Raogel, para assisiirem a mls-as rasadas do da 9
do correte n^ orden, terceira do Carmo, as 7 ho-
ras da nianha, por alma de sua presada esposa
D. Genoveva Perpetua Pirca lt,mgel.



0 '"m m
'i M8EC
CABELLE1REIR0

VISO
O secretario da irmandade de N. S. da Boa-va-
rem, erecta em sua igreja, na povoaco do mesmo
nome, freguezia dos Afjgados, convida a todos os
rmos da referida irmaodade para reunio de me-
sa geral domingo 13 do correte, as 9 horas da
manha, adra de procador-se a eleifao dos mem-
bros da mesa reeedtta qne t^ra de fuuccioF.ar no
crranle annoao da 1668. Espera a maiorcontor
rencta para com acert e^desinteresse eleger se
irmos diituos da exercer os cargos a' bem da
igreja e irmai. ;n 'e.
Precisa-se de duas ama? idosas, sendo urna
para cotinhar e ou na rna das Cruzas n. 39, segundo andar.
Alfonso Jo.-e de Qveira. avisa aos pas de
seus alumnos e a aquelles qoe de seu prestimo s"e
quizarera uiilsar, qua so acha cora a aula aberta
de-de 7 do correnti*, e que autonsado pel> direc-
tora geral da instruegao publica cuntioa a en-
sinar prinv.iras letras, latlm, Irancez, rethorica e
geograpnia.
Os abaixo asstgnados fazem cente ao res
Deitavel poMico e com esppcialidade ao errpo do
coromercio, qa < o socio Msooel dos Santos Fer-
reira Goimaraes deizon de fazer parle da firma
social qne nesia praca gyra na razio de Ferreira
Guimaraes & C, Brando a cargo exclusivamente
dos detrais socios o activo e passivo da mesma;
assomlndo o socio commandftario Joaquim Fer
reir de Araujo Guimaraes a responblidade do
solidarlo. Rerife 2 do Janeiro de 18H7.
Joaquim Ferreira da Araojo Gairoares.
Banwl dos Santos Ferreira Guimaraes.
Jos Joaquim de Pieueiredo.

Tem exposto a venda em seu e.stabelecnento, rua da Imperatriz n. 18, pri-
raeiro andar, um grande e variado sortimonto de coques de cabellos os mais modernos
vindo pelo ultimo vapor.
A COMCEICAO
Rua da Madre de Dos n. 36
Amanhaa 8 do coirenf, abrir se-hao as aulas da lotreeau primaria, latim, fran-
cez s inglez, regidas a priraeira pelo professor Manoel Alves Lim3, a segunda pelo Sr.
padre Flix llarreti de Vasconcellos, a terceira pe i Sr. Dr. Jorge Doradlas R. Pessoa, e a
ullima pelo Sr. Dr. Francisco de Paula Peona, sendo as de geometiia, nhilosophia, g^o-
praphia e rtietorica abortas logo que esteja matriculado um numero sufnV.ienia de esta-
dinles.
-3
M
a
M
-
IQIDACAO
DE
Para acabar na rua Nova n. 26, delroate da
botica do Dr, Sabino.
a
m
S
O
tD'NCA DSRESMIENfiU
etLLiect) m mn amaro.
6 e diverso* ba
I5as e no da seguiote tari principio as novenas'oeste caso dirija sea loja dos Srs. Mata & Lande
. Atteii$i&
Precisase de om caixeiri portuguez que teoba
praltca de mol hados e boa letra para tomar conta
ne urna ube.rua ua provincia do Rio Giande do
Pbrte, dando para ls-o fiador' do sea proced'
ment : na roaetreit do Rosario, loja de lala 4
LaosVIioo.
Precisa-se de nm meoln qae tenua pratlca
de molbados en de onodetas : os qoe esliverera
oestes casos dirijam se a loja dos Srs. Maia &
Landelioo oa raa estreita do Rosario, qae acbaro
com quem tratar.
Refinador
Precisa-se de om Homero qoe sarba bem retinar
pi tomar conta de ama p*qaena refloarjio oa
proviocia do Rio Grande do Norte : qoem estiver
O director dp collegio de S into Amaro, faz publico a quem possa interessar, qua transferio dito
eollegio para o palacete do caes do Ape l n. 61 bairro do Recife, onde continda admittir alumnos
lternos semi-interoos e externos. .
As aulas crgadas em dilo collegio sanas $.aguiute : instruc^o elementar, iiogua latina, fran-
ceza e ingleza, rhetorica e potica, geograpnia e historia, neomelria, phllosophla, di-senho, msica vo-
cal e instrumental e dansa.
No da 7 do crrante mex lera' lagar a abertura da aala elementar, coja matricula desde ja'
acha-se aberta e as das demais aulas do 15 por diante.
O director,
J. F. Ribeiro de Souza.
canudas por excedentes vozes.
_ Palmeira A Beltr o, em liqai lacao, fazem
sciente ao respeitavel publico e com espeaialia-
de ao cor do do coromercio, que a oolea pessoa ao-
torisada para proOder a eoferaoca do activo da
referida firma o Sr. Jos* Antonio AI vas Bastos.
Rtclfe 8 de Janeiro e 1M7.
lino na roa estreita do Rosario, qne achara com
quem matar.
Rga-se a Sr. Jos Francisco Jda Rocha Fal-
ci. morador no engenho da Seria, junto de Saoto
Aaa-i. qaetra vk a* aae ato igaora, aa roa das Cruzas n. 41, cosa
JoSo do Cooto Alvas da Silva, uto qoaoto antas.

Attengao
O juiz por eleigo da festa da milagrosa Virgem
Nossa Senhora da Concedan erecta na capella
do Monteiro, convida aos illastnssimos senhores
eleltos da mesma festa para qae se digoem compa-
recer em casa de saa residencia no mesmo Mon-
teiro, quarta-teira f do correla pelas 61/, horas
da Urde atlm de traur-se da mesma festa.
Guiseppe Delflno, subdito italiano, retirase
para Europa levando oro sua eompanhia sua se-
nhora. .________
rVa padarta da Mk IHretU a. U preciu^e
alagar doos pretos fara a trabalho da mesma,
emnori Mo entendaa $p sergeo,_______.
Precisa-se dalUtraaara o servio iolaf-
oo ds una casa ds fanilia, e cam eipecjalidade
qae saib eagoamar o eoxiakar : na roa de San-
ta Riu n. 83,
Transferencia.
O leilao do esdravo cosioheiro annunciado para
boje oca transa Ido para qoaria-feira 9 do cor-
rele ao meio dia, no largo do Corpo Santo ao ca-
f coramerciai.
Gompanhia Qdelidade de segaros
maritimose terrestres
esUbelecida no Rio de Jaaeiro;
AOKNTES KM PBKKAHBDCO
IntoiU Lnix e Ovaira Axevedt 4 C,
nompetestemente autorlsados pela dlrec-
S loria da eompanhia de segaros Fidelida-
ile,tomam segaros de fiarlos, mercado-
riasa predios no seu escriptorio rna da
Crn n. 1.
miiiimi
^3fo
I DATA INCRREm

/


c-
J"fg




Diarlo de lCTaiBl>n;c lumia
Joaquim Jos Gon^alves
Beltrfto
(4 RIJA DO TU,PICHE R. .7 i0 ANDAR)
Saeca por todos os paquetes sobre o Banco
do Minti era Braga, e sobre os seguioles luga-
res, era Portugal.
A saber:
Lisboa.
Porto.
Valonea.
Go maraes.
Colmbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Coo*e.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Beal.
Villa-Nova de Famellco.
Lamego.
Lagos.
____Covilh3a. '______________^
Precisa-se alugar urn oscravo preferiodo-se
qoe jaiba csinhar e para o man servico de easa
de familia : a tratar na roa do Trapiche o. 44, se-
gundo andar._____________.a ..___________
Precisa-se de urna ama de meia idade para
casa de pouea familia : na ra da Penha n. 23" 1'
arad ti.
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabeleci-
da tiesta praga, toma segaros martimos so-
bre navios e seas carregameotos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias:
oa roa (ioVi gario n. 4, pavimento terreo.
Educado primaria e I
secundaria
gb Na institoicao de Jerrnymo Pereira J
W Villar, na roa larga do Rosario n. 2i, H?
j^ nao se ensinam as materias que cons- 1
^ 'titueui ocurso reputar de prinn-iras le- |
K Ira? como as disciplinas preparatorias ggj
SBB para a facu'dade de direto; cujas au g'
5S las estarSo abenas do dia 7 do prsenle 5
f| aneiro por diante, e sfrao regidas pelos |
jS mesmos professores. fif
J- FERREIRA VILLEU
Photographo da Augusta Casa Imperial do Brasil
18, Ra do Cabug, 18,
obrado, entrada pela Pateo da Matriz.
Em nenhuma das photograpliias desta cidade se fazem retratos mais perfeitos
do que os que se execulaai uesta officjia photographica.
Pede-se a confrontacao e analysa entre os nossos trabalbos e os melhores que
se fazem nesta cidade.
Nao ba photographia alguua desta cidade, que como este eslabelecimenio
pbotographico possua um to vanado, escolhido e abundante sortimento de caixinbas,
quadros, molduras pretas e douradas e passe-p^r-touis.
Para serem coliocados os retratos chamados candes de visita ha doze difieren-
tes modelos de cartoes mimosamente lithograpliados e dourados, em cart3o bns'ol e em
cartao porcelana, os quaes sem alterado de precos, eslo a escolba das pessoas que se
retrataren).
Continuadamente se recebe ua Europa remessas de tudo quanto diz respeito a
photographia, e ainda o mez passado pelo vaj>or Gueme, e este mez pelo b*igue Belm
receberam-se de Franca quatro grandes caixoes com ama bella variedade de artefactos
productos cbimicos e material para photographia.
No mesmo estabelecimento vendem-se:
Todos os productoV-ermnicos geralmente usados em photographia e garante-se
o estado de pureza dos mesmos;
Machinas photographicas, entelas de porcelana de dArenles tamaitos e vi-
dros para tirarem-se retratos;
Urna grande variedade de lindas e interessantes vistas trapsparentes para
stereo.:copos, e stereoscopos de madeira envernjsada com Irnles prismticas que-se ven-
dem a 12)5000 cada um com urna duza destas transparentes
Tambem vende-se por 30K)oO uro apparellto completo p.va fazerem-se peque-
as vistas oa retratos. Ao mesmo acompanham as explicaces precisas para .-cu uso.
Qualquer pessoa pode fazer vistas ou retratos com esse apparelbo.
A officina e galera esto abertas todos os das e a todas as horas.
NAS
N. 2 D
CORtCAO ll Ol ISO. - A loja n. 2 I) inmolada Coracao de Ouro na.roa do Catinga, acha-se d'ora em diante oflereceo-
do ao respeitavel publico com especlalidade as pessoas qoe honram a moda os olpjectos do ultimo tos-
tai Pars) por roeojs SO por eenio do que em outra qualqoer parte, garantindo-se a qualidade e a so-
lidez das obras.
O respeluvel publico avahando o dselo qoe deve tero proprMariode um novo elabeleclraeo-
to qoe quer progresa ern seo negocio rteve rhrgar imrredlaiamente ao coracao de ouro a comprar
aoeiscom pe.feitos brilhantes, esmeraldas, rubios e perola ; verdadeiras em *garras, modernas pel<
diminuto prego de 10*. brincos modernos de ouro e coral para menina pelp preco de 3*, maracas de
prata com cabos fie marlim e madreperola obra de moderno costo (o que o eucoBtrario no coracao de
ouro) vollas de ouro cora a competente erosiona ricamente enlejiada pelo pequeo preco de 121. brin-
cos de om trabalho perfeito por um mdico preco, cassoletas, traneallns, pulceiras, alfioeles para re-
trato? e oniros ndelos ludo de alto gosto, Joels proprlos para botar cabello e firma, dito para casa-
mento, no artigo roseta tero o Coracao de Ooro um completo e bem variado sortimenlo de diversos
goslos, butoes para punhos cora diamante, rublos e esmeralas, obra esta importante ja' pelo seo va-
lor ja por goslo ds deseoho, brincos a forma d3 delicada maosloha de moca com piogente contendo es-
meraldas, rubms, bnthaotes, perolas, o gosto sublime, alflnete para gravata no mesmo gosro, relo-
gios para senbnra eravados de pedras preciosas, ditos para hornero, diversas obras de brilhantes de
wuitogostn.rrasinhas de rubios, esmeraldas, perolas e brilhantes, aneis com letras, carletas Oe
trystal e ooro descoberta para retrato (a ingleza) brincos de franja, ditos a imperatriie toda e qual-
quer joto, para secol car retratos e obras de cabello, e ootros multo* objectos que os pretendentes en-
contraran n j Uiracao de Uuro qoe se conserva com toda a amabilidade aos coocorrentes delxando-
se de aqu mencionar preces de certos objectos porqoe (desculpem a maneira de fallar) dizeodo-se o
preco talvez alguem faca mo juizo da obra, por ser tao diminuta quantia a vista do seu valor
Na mema luja compra-se, troca-se ouro, prata epedras preciosas, e tambem recebe se coucer-
tos, por menos do .jue em ouira oualquer parte, e dao-se obras a amostra com penhor, conservando-s*
e Coracao de Ouro aberto ate a= 8 oras da noile.
Qualqner pessoa qne so dirigir ao.C.orafSo de Ouro nj se podera* engaar corn a casa pois
nota se ua su a frente om coracao ppndurado pintado de amarello, alem de outro que se ola em um
rotlo (isio se adverte em coDse;)oem..i de terem ja" algomas pessoas engaado com ootra ca Cercas e gradeameotos de ferro para jardn?,
ros, de todas as grossuras e mudareis.
Porteiras do diferentes tamaitos para sitios, janiin
co-caJos para animaes, chiquei-
cercado*. e-c.
Miximioo da Silva Gusmao, compra, vende
e troca t-scravos, do ambos es sexos : na ra do
padr "lorianu n 71/
Precifa-se alugar um filio sendo no bairro
da Soledade: atratar na roa da Cad6a do Recife
a. 40, loja de relojoeiro.
= Moga se a casa da C-. punga a ra das Crlou.
I as n. 18 ; atratar ua ra da Cruz o. 501 andar
Aluga se urna casa em Br-beribe : a tratar
com J. de H. Reg, roa do Trapiche o. 34;*
Precisase alugar urna eserava para todo
servico de casa de familia, para tratar pode, quera
tiver dirigir-so a ra do Trapiche n. 44, segundo
andar.
Notas do Banco do Brasil.
Troe.am-s^ na ra do Corredor do Bispo ultima
casa do quarteirao novo com portao ce grade de
ferro. _____ _______ l
Precisa-se contratar orna pesso habilitada
em pedagoga para adjunto em urna aula d- pri- i
meiras letras : quem estiver neslas clrcumstaocias!
deixara' o seu nume. idade e residencia, na ra da .
Cadea do Recite n. 4o, para ser procurado
Na ra da Cadeia d<> Recife n 38 proc sa se j
fallar com o Sr. captlSj Vicente Ferreira Coelhn j
da Silva morador em Nossa Seolura do O' de ,
Gotanna.
01NAUW0S DE IG1BJA l)E
f. UliUitf
Vestimentriro e borador de Pars.
23 RA DO IJ91PCRAUOR 3,
Defronte da igreja de S. Francisco.
Concurrencia impossivel
jostjficada pela suppressao de intermefliarios, pela compra directa das materias primas, pela exe
cuco dos trabalhos as ufficinas da casa e pelo diminuto lucro com que se satisfaz.
Animado pelos importantes negocios que faz com grande parte do mundo catbolico da Europa
resolven o annunciante estabelecer filiaes da casa oe Paria em diversos paizes longioquos que
cfferecem vantagens, e veio inaugurar o primeiro esiabelerimeito nesta cidade, sem dovida orna
das mais adiantadas e coramerciante da America do Sul, e que por isso mesmo necesslta d'um
eslabelecimento que nada deixs a desejar, quer em relacao as precisdes maeriaes e quer intel-
lectuaes.
Os Srs. sacerdotes e deraais pessoas, qoe se dignarem visitar o estabelecimento, abi acharao
sempre orna grande variedade de todos os objectos para iereja e para o clero.
ORIVESARIA PARA IGREJA.
, Novos modelos de custodias e de vasos sagrados.
ALFAIAS DA IDADE MEDIA, A' LUIZ 13*.
Os precos variam segundo o tamaobo, o peso e a forma.
TAPECARIAS E ARMACES PARA IGREJA.
Cartas
Os Srs. Dr. Jos Leandro Marlins Soares e
lix B-mvindo de Olivfira, lem
rio do Forte do Matos n. 1.
cartas no escripto-
Foruece toda a qua'idade de armacSes, pnr precos mdicos, vonlade do
, sempre nma pesso no estabelecimento para Ir tomar as medidas necessarias para
Fe- facao da encommenda.
fregaez,;
completa
tendo
satis-
NOVAS UMBELLAS PRIVILEGIADAS.
Udtappareceu desde Uia 4 o curn-m-, um
caxorro grande da Turqni, com canda bastante
enroscada e tid) elle cabeiiul.i, feices de UICO,
giaiifica-se. geoerosameote a qualqoer pessoa que
o achar e leva-loa ra do Padre Fluiano n. 13,
cssa terrea.
O abaixo assignado faz publico que. o Sr. Au-
tooio Lipes Pereira de Carvahiideixoo de tvr Stu
ca:xiiro de?de o da S do c-nrent.
_______________Jos Augutlo de Aiaojo.
Precisa se de um cafxeiro que t:uha pratica
de veada : (de 12 a 4 aun...-) na ra da Sauta-
Crzo a. 1._____
Preci>a-se de duas amas forras uu captivas*
urna que cozinbe peritamente, e ontra que en-
gorme igoalmenie, para casa de pequea fami-
lia : a tratar a' ra do Apollo n. 24, segundo an-
dar.
O abaixo asignado declara ao publico e com
e.-pecialidade ao corpo do commercio, que con-
prou a taberna sita no pateo do Terjo d. 21 ao Sr.
Jjs Dias da Costa C*rdVal, livre e desembaraca-
ta de qualquer debito at esta data ; e, se alsuem
se achar com direlto. appareca no prazo de tres
das. Recife, 7 de Janeiro de 1867.
Jote do Ccoto Goimares.
Estas umbellas de molas, adoptadas pr S. S. Po IX. tem por sua perfeicao, novidade
e riqueza a dupla vantagem de cobrir inteiramente o Sautissimo Sacramento e o padre, sem difi-
cultar o andar.
ESCULPTURAS EM MARFIM E EM OSSO.
Imagens de Christos, caldeirinhas, ernzes, d/oadros e todos os objectos devotos.
Objectos em argila, simples e prateados. "
Todas as informacSes sero ministradas gratis, ac?rca dos ornatos de igreja.
Conceder-se-ha facilidade para os pagamentos.
Eis o cathalogo do que tem a venda :
jSprande b.mazem de tin-S?
I tas medicamentos etc. %
m Bba do Imuerador 11. 22. g
^aoo Pedro das Heves (ge-S
f* rente) tem a veada o
segalate:
Productos cbimicos e pharma- f
| ceuticos os nidis empregados em 8
si medicina.
Tintas para todo o genero de pin- !
tnra e para tinturara.
Productos industriaes e tintas S
| para flores, corno botdes de flores s|
^ e modelos em gesso para imitar {*
S? fructas e passaros com o compe- |
^ tente desenho. M
Pro'luctos chimicos e industriaes g
para photographia, tiniuraria, pin^
tura, uyrotecnia etc.
Montado em grande escala e sup- >M
prido directamente de Pars, Loo- *
dres, Hamborgo, Aovers e Lisboa v
^ pode offerecer productos de plena *m
vfc- confianca e satisfazer qualquer en- JK
$ commenda a grusso trato e a reta- j
j^ lho e por preco commodo. wt.
Samuel Power Johuston 4 Compankia
Ra da nenala Non o. 42.
AGENCIA DA
Fundleo de Low Hoor.
Machiois a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendase meias moendas para engenho.
Tatxas de ferro coado e batido para enge-
nho,
rreios df carro ptf uu e doos cavife*.
Relogios de ouro patente ingler.'
arados americanos.
s binas para descarocar algodo.
atores para ditos.
^binas de costura
ICASLAS.
Diarias, de velndo, de crina e de
i: -la ; lustroso.
De damasco eum cruz de ooro e
oda.
De damasco dobrado, com diver
sos bordados em relevo na
croz.
De tecido de prata ou de ooro.
dem cm diversos bordados em
relevo na cruz,
dem dem multo ricas.
De velado de seda com cruz
ouro tino era relevo.
De (hamalote de seda bordado.
Golhicas e da irrade media.
A cor da casla nao mflue i
preco.
CAPAS.
De veludo estofado.
De damasco
De tecido de prata e de ouro.
dem cora emblemas em relevo
e ticas franjas na murga.
De velodo de seda.
De lecidode prata e de ooro ftoo.
DALMTICAS.
O mesmo prego das casulas.
ESTOLAS PASTORAES.
De veludo estofado.
De dito de duas faces.
De damasco.
De dito de duas faces.
De tecido de prata ou de ooro.
dem dem, com emblemas em
relevo, franjas e bordados de
lorcal.
dem dem em relevo maito ri-
cas.
De teeido de ooro e de prata fioo.
De eharoalole bordado de seda,
com duas faces.
VE'OS DE HOMBROS.
De tecido de Lyo.
De dile dobrado, de. ooro fino.
De damasco, botdadoem relevo,
dem dem, mnilo rico.
VE'OS PARA EXPOSICAO.
De tecido df Lyo.
De charaalote d prata com em-
blemas em relevo.
De dito d.to, muito finos.
VE'OS DE SAGRARIOS
De lodos o< pircos.
BAXDEIRAS.
Da Santa Iofauria.
De contrarias de Nossa Senhora.
Parochiaes, qualquer qoe seja a
invcacao.
GoiSes com emblemas em relevo.
A enllecao varia de 35^000
3:0005000.
PALLIOS.
Em veludo estofado as quatro
pootas e oo forro.
De tecido de Lyao, com onro
De dito de prata e de onro lus:
troso.
De dito dito, com quatro emble-
mas bordados em relevo.
Mano ricoe. ioteiramenie bor-
dados em relevo con onro lino.
pannos mortuorios
De la. 433
De velodo ioglez preto verda- 487
deiroj 541
De damasco dobrado de brocado.1680
Estis pannos tem d> us metros de 812
largura e tres de comnrlmenlo.
ROPAS DE IGREJA.
Alvas de panno de linho fino,
t de cambraia tina.
t de panno de linho, para
meninos do coro,
c goarnecidas de reodas Boas.
o de Bl, de ricos de-
senhos.
Roquetes em panno de linho sem
mangas,
t c com ditas.
Amiclos.
Toalbas e saogoinbos.
Corporaes de c>mbaia Boa.
Toalhas para communhao e alta-
res
Guarnicoes de rendas para alvas.
Ditas para toalhas de altar, aos
metros.
roda a qnalidade da rouoa ga-
rantida e perfeitamente execn-
tada.
DIVERSOS OBJECTOS.
Bolsas para tirar esmol.-.s.
Cordoes Unos para alvas.
c para meninos do coro.
Voltas, as duzas.
Cintos e cinturo-s.
Sacras de altar, era carlao.
Ditas em quadros. ,
Marcas para missaes, com seis
peroas, em charaalote.
Flores artificia es, o ramo.
Estdfos e todos os demais objec-
tos de igreja.
BRO.NZES DE IGREJA.
Castigues para altares, prateados,
de dovos modelos :
325 milmetros (12 poliegadas).
379 t ( 14
(16
a (18 *
(20 t
c (24
(30
correspon feotes
o par.
Al
Precisase de alagar orna ewrav pj a t* ,Uj
de casa dn i*mci fami,ia.a tratar na ra da Pio-
reotina o. 10, oo qoem tlver nnuocle.
Xarope e i>a.>ta de Seva
Plahriro tMarlllaao
i
E. Lag-sse
Preparares mu preconi.-da- ph>s sabios mdi-
cos de Pars, coro as melhurrs al *>- dceberlas
para a cora certa dn toda"' as roo >.-tiis do pello,
bronchites agudos e enrmeos, asthma e atada das
affeccoes das vas urinarias.
DEPOSITO ESPECIAL
34Raa larga ia Bosaris 34
Pharmacia de Bartboloaa t C.
CAIXGIRO
Precisa-se de oto caixeiro que leona pratica de
fazeodas, dando Banca a soa conducta, a roa Nova
n. 36.
Precisa-se de dous prelos para vender pao,
e mais algoru servico de cas, n paJaria allemai
em Santo Amaro.
Preeisa-se de um caixeiro ua pacuria da
ra do Rosario da Boa-vista n. 35.
Na roa do Vigario n. 4~9~~l andar deseja-se
fallar aos Srs, Maooel Jis da silva Fil^ueiras,
Manoel Jo^ de Caslro Gutmares. Antonio Luiz
Machado Braodo, e ias Ribeiro Lopes, a ceg-
elo que Ihes diz re.-peito.
Andr Blanco, ba vendo regr ssado a esta
cidade, da recente viagem que fez a Eoropa, de-
clara qoe receben dos Srs. Matheus Aastrem &
C, a carta de ordem que pela qnal aoiborisava
aos referidos Srs. a darem ate a quaotia de tres
contos de res em farinba para a padaria do Pa-
teo do Terco o. 10 de qoe gerente Antonio Bao,
bem como que se acha quites com es mesmes
Sra.
.4 s lenca*
A
D.Senh,roha Germana do Espi'ilo Santo con
vida as pessoas qoe lbe leem ctmprado ierras de
seo sitio no ,Dgar de Agoa-Pria a compaiecerem
adra de se passarem os litlos respectivos ; de-
vendo nessa occasiio preeoeher o restaote do i-re-
?o estipulado aqoelles que anda o n5o lizer. m,
Gratifca-se
A quero levar a' roa do Aroorim n. 41, ou a' fa-
brica de sabio oo Affogado o escravo Luiz, eabra,
estalara regular, rosto pintado de bexigas, falta
aprestada, aro pequeo geiio no cante do olho di-
relio oa e.-queirio, e o cabello algum braceo ; o
qnal escravo ausentoo-se no dia 17de dezemtro
prximo passado, vesliodo calca nova de brim
pardo, camisa de znarie azal, e chapeo pardo de
maca, e consta qne na noiie do mi uno da oo na
segoiote, elle andar do Affogado. leudo all sido
preso em estado de embriaguez e depois sollo e
mandado para a referida fabrica, aoode todava
nao chegoo.
lilil^:
Aninmcio S
O Dr. Carolino Francisco de Lima San- fH
tos, mtid u se para a ra do Imperador ]gt
o. 73, segundo aodar. oode c >rninoa no S
exerrlcio de sua prosso d medico. m
Trocam-se
as notas das caixas fliaes do baoco do Bra>i!
praga da lodepeodencia n. 22.
na
Fundicao da Aurora
A mais anttga desta provincia e com todas as
perfeig5es em sens macbinismos, i Oerece a seos
numerosos freguezes por razoav^is pregos soas
manofactoras, bem como que tem um bom pessoa!
para com rapidez faztr qualquer coucerlo ou i-br
nova.
aMa
Precisase de nina ama para cosiohar e comprar
na tua da Cau.i n. 53.
Calcado
4"ranee z
Ra \o
va n. 7.
Brlnqaedoa
allenst.s
Ra tova
n. 9.
E>te estabelecimento recebe constantemente ne-
os vapores francez bolinas para homens, senh&ras
e meninas, lavas-de pelicade- Jonvm braceas, pre-
las e de outrasdifferentes cores, brioers de ooro
bom de lei com .-nfeites de crystal, altirra moda
de Paris, caixinhas de costura c no musir, vistas
scltas pira quadros, extractos, h-inhas, bengalas
chicotes, espethos, quadros, moldurasesterioscopo
com grande sortimento das mais |ritK>sescas vistas,
realejos, accordions, lindas bonecas, carnuhos,
cabriolis para condozir criangas, cavaltinhos do
andar por molas para meninos mentar e ontros
moltos ob.ectos frascezes que eslo ezpostos a vis-
ta doscompradures; na loja do vapor roa Nova
o. 7.
COMPRAS
Oompram-sc escravos
Silvioo Gtiitherme de Barros, compra, vende ;e
troca eifectivamente escravos de ambos os aexus
e de todas as idade; : a' ra do Imperador o. 79,
erceiro andar.
Ouro e prata.
Em obras velbas : compra-se na praca da In
dependeocio n. 28. loja de bilhetes.
Cruzes de altar,
aos castcaes,
Thuribulos e navetas prateadas.
Caldeirinhas com hysoppe idem.
Custodias ditas e douradas.
Lastres ditos e correles fortes
para os mesmos.
Cruzes para procisso, com ralos
ditas.
Varas, alabardas para suissos e
cad.ts para porteiros.
Estes objectos todos sao em c-
Gaardas par* arvores, plantas e outros objectos da ferro qtie se vendem cor
; preco mdico, no araiazem de Tasso Irmos na praca do Caes de Apollo ao p da ponte
.) provi$ori3.
Agua mineral
ferrggiao8a, acidulada, gazoza e carbnica
DB
OREZZI.
i 4) uso d'agua de Orezu rooi particularmente
recommendado pela escola de medicina de Pars,
i para todas as afT-egr>s do tubo digestivo, iogorgita-
I ment das vlceras abdomiuaes, e neralmente todas
t as molestias provenientes ds 'raqueta orgnica, oa
t pobreza de uignr.
UEPOSITO ESPECIAL
34Km larga dn Rosario34
Pharmacia de Bartholoraeu A C.
Aviso esseucial para evitar qualquer erro ou mf.
Os Srs. compradores nSo devem ignorar que o ouro 5o pode ser fiado nem
tecido, e que por consegrante os gales dos ornamentos chamados de ouro fino s5o de
prata dourarfa, os de ouro keio fino s5o de metal dotirado e os de ouro falso sao de
cobre doorado, e como tal confundiros ttulos que se Ibes deu sempre, que sao mera-
mente commerciaes.
Os ornamentos qne o annunciante tem venda sao o de galoes de onro meio
bre e nao em. materiaes de
composigo. Mariano Jo> do Amarat, sua ma'her eoma
Ulna, subditos poiluguezes, ret rain se p>ra Eu-
; ropa,
Preci-a--e de urna ama
Trlncheiras ti. 17.
de kilo : a ra das
Precisa-se de nma ronlh-r livre ou eserava que
co,
seja de bons rostnm-s para co finos, falsos ou de eda,'? mandando vir os de ouro fino por encommenda: enenhm !,*.*"*!T3 *".-" Ja s,a"a,'1e Urs Ho!,p,:
oDjecto sabe de seu estabelecimento sem ser acompanhado d urna factura por elle firma-
da, especificando a qnalidade do objecto, para poupar-se explicacSes sempre incon-
venientes ao depois de realizada a venda.
kmrnu
O abaixo asslgnado compra toda e qualquer
qnantldade de algodSoem'earoco'e asutear; oslor
teres: ados dirijam-se ao povoado de Trorobeas
ao largo da feira na fabrica i apar.
Albnqaerye Silva.
Na roa Nwa 37, pMetM-se de una ama pa-
ra entaroimr. cotlaar pan vasa? de maiu pro-
ra fimlll, sendo captiva pref^re-e. f a *
com um portao no muro do uiintal.
tethodo Caatilho.
Manoel Jos de Far-a Siaoes, p of-ssor pa/ti-
colar de instruegio elementar pelo mehodo Cas-
tilho, avisa aos pas de sens alomos e ao respei
tavel publico que 0) dia 7 d* Janeiro do correte
anno, estar oa aula aberta na roa da Prala n.
la praga da Independencia n. 33, loja de ?"BQ0(,<> andar, asstm como recebe pesclonl---
aarlves, compra-te ouro,prata, e pedras preciosas, u.s e n5e'M peneionistas, por prego razos vel. Na
dita aula tambem se ensinam as materias seguin-
tes : francez, ltiro, geojrapliia e mn fea.
Aos senhores padeiros.
E' geralmente conhecida a utilldade oo empre-
go das machinas, qoe lera por im aperfelgoar o
trabalho com a ecunomia de bracos. Neste caso,
pois, esto as machinas para corlar bolacha, cuja
utilidadeja couhecida de algnns padeiros que
dellas fazem uzo por meio de maiiiveila, blendo
o resultado mais satlsfactoriie perfeilo.
Na padaria da rnaireiu o. 8i, ha sempre de-
posito destas maehioas com conadeiras para todos
os la paohos de bolachas aqu uzadas, e tambem
para aramias, e que por virem em directora e de
propria cunta dos E-tados Unidos, se vendem por
prego mntto barato, eom o Ora de se lotrodoiir to
reconhecido melh iramento.
Compram-se libras
tidepenJencia n. 22.
sterliuas : na praga da
Aiugim-se
duas casas terreas, sitas oa Capunga, ra da Ven-
tura, junio ao oortj da viova Lasse-re, de ns. 3* e
34, leudo cada urna cjinha Urt, cacimba, estriba-
rla e quintal murado : 'a tratar na r'aa do Trapiche
n. 3,
Compra-se ouro, prata e pedras preciosas ero
obras velhas : na ra da Cadeia do iiecife luja
de ourives no arco da Concelgo.
Compra-se em qoalquer e>ido, estando per-
feilo, os romanges Cacema do Infei-no e Ueus Disp-
pBftn, por Alexandre Domas. Paga-ie bem, na
roa Bella n. 22.____________________
Comprase um preto de 20 33 anuos de
Idade na roa do Cotovello n. 23.
uimpra-se na ra da Cadeia" "do Recife n.
33, ouro amoldado de tolas as qoalidades.
VENDAS
21
- VenJe-se a casa terrea da ra dj
a intar na roa do Rangel o. 62
Fugo o.
tambem te fax qoalquer obra de encommenda, o
M e tniakiaer concert. %
Dase diaheiro a joros :
dian. 3.
sa na 4a Concor
Pre?l9a-e le tima m, na travesa da roa
hCnifesn. 14,1. andar.
Atoga-s* a sala coa #oos qaarloi dp sefad-
mesmo at as 9horas da manhai.
Ageicia de ^insaaiirle e purtarias.
Cfaadino dd Re^o Lima despaehaot de passa-
portes e p>ruriat, lira-Os pata dentro > fofa do
imperio, por commodo prego presteza : na ra
da Praia p. 47.
Ama d?, Icite.
Ni' raa da mperatriz n. 17 sgoodo andar
precisa--e de nma ama de leu?.
Pedido ao commercio
O abaixo asslnado lendo deixado om livro de
recibos em urna d. pra, n > lento sido possivel acba-lo, pede enea
recldameate a ptssoa que o achoo, e lem em sen
poder, se digni mndalo a ra larga do Rosario
o. 7, oo aooaociar a su residencia por este
Diario, que o abaixo asignado, prompto a satis-
fazer qoalquer despea* relativo ao inestoo bvro
agradecer' sobre maneira a quem tiver a boa-
dade de o dsse brjr. O livro tem sobre
um rotlo qoe indica o pertenee e r,
mesmo infra.
a
a capa
morada' do
Villa do Cabo, 3 de Janeiro de 1867. 4-
__________Severioo Jos dos Santo Agolar.
AM4
Precia-se de urna ama moga, sadia e de boas
costumes para nma casa al na, coropesia de :i
pessoas, que saih eotiobaf bem e tratar de tima
ereaacv, ra do Hospicio, defronte dj passadifo
entre as dua venda.
Foltiinaas' em allemfto
PARA i 867.
Llorarla fraaceza
Roa do Crespo o. 9.
Vende-se a taberna da roa do Augoewa a.
49, com pouc-js (nodos, a vuaude do coinjiraOor :
a traiar na ra do Rangel n. 61.
Vende-se om preto de 18 annos. cosinhelro,
i para todo t servigo, urna preta de 40 nnos, co-
sipheira ; tratar na roa g F.igo n. 9.
Vende-se nma armacao que leer para jzoar-
quer negocio, tendo a casa moradia indeponaente:
as Cinco Punas n. 68._________;
Vbpe-se ama ubajoa aataa do Ixego n->
Campo Verda > 49, com pauedUfondo,, ptpri*
para principlante, quem quizer dinja-se a mesm.
Bolachinha in^leza.
Na armazem do Gome coof onle a alfaodeg
vende se a 2*80) e 3*000 res a barrica, da ulti-
ma desembarcada.
Veade-aeli taberna, do leo de. 4 sn.
51, con poucos fundos propria para iae-r, ier
faitilla por ter^coromodos : a tratar'na'trtma.
Vesde-se em Goianna ama parte do tiiio Ps-
oos Re; a tratar coa Joaaatm Znno d
Hollabda Cavalcantl, era Olinda ra de MalMas
Ferreira n. 44.


I

Baaasal
JL.




.
i


<



1
Uinrta de -r n m >nrtt {narla felrjt'9 de .Janeiro iXc
ib 7
ftencdiosdfr'lr.-J. C. Ayer, ex-lenlf
da Universidad- do, peasvivani, no>
Esladas-tnidos.
Extracte conposto de salsa-par-
rilha de Ayer.
Pcltora-I de eereja.
nevedlo parasezften.
Plala* cachar ticas.
0 deposito central para as provincias
Peroanbnco, Alagoas, Parahyba e Rio-
Grande do Norte, des tes remedios tao fa-
vomvelmente condecidos e acolbidr>s en;
todas as pirtes da America do Sol e do
Norte, acba-se em casa de Tbeod Chrl
tlxnscu, 1( rpa do Trapiche cm
Persa m (meo.
Os precos de
335 por duzia de estrado de salsa -parrliha.
27(J por duzia de peitoral de eereja.
27(5 por duzia de remedio para ezoes.
76 por duzia de pilulas catharticas
se entendem din lie ir o Tlsta, c<
o descont de 5 por cento em quantidadei
de 6 a 12 duzia, e de 10 por cento ea
quandades superiores a l duzias.
RIVAL SED iiOli)
Ra do lueimado a. 49,1 o Ja de
lindezas
fB
Jos Biyouinno.
Contioaa a queimar ludo qoanto lem era sen es-
tabelecimeoto.
Sylabarlos rom estampas para meninos a 320 rs.
Memento da ronpa de lavar a 100 rs.
Novas carlhas para meninos a 160 rs.
Duzias de meias multo Boas para seohora a 49500.
Ditas brancas e cruas para homem a 3,2 e 4.
Agnlhas francezas a balo (papel) a 60 rs.
Pedras de lons (pequeas) mnito finas a 160 rs.
Pares de sspatos de tranca e tapete a 1,5500.
Pecas de Bus d* la de todas as cores a 600 rs.
Grozas da" holSesde porcelana prateados a 16o rs.
Dita* di ditos de madreperola mullo finos I 600
res. '
Caii* com alfioeltes trancezes a 80 rs.
Canas de 100 envelopes ramio finos a 600 rs.
Pares de sapatos de la para meninos a 400 rs.
Presos franeezei de todo? os tamanhos (libra) 210
Resma de papel de peso braneo liso a 2#.
Frasco com superior tinta a 00 rs.
Grosas de pbosphoros de gaz a 2JS200
Pares de boloes de ponho mullo bonitos
Lionas em carta de 800 jardas a 100.
Caita de superior linba do gaz com 60 no vellos
.00 rs.
Caixas de pos de arroz muito fino a 800 rs.
Puleeiras de conta para meninas a 320 rs.
Talheres para meninos a 240 rs.
Caixa com superiores iscas para charutos *a 20 n
Maso com superiores grampos a 30 rs.
Grosas de peitoas de ac muilo Boas a 320 rs.
Bonets para meninas a 15.
Pentes com costa de metal a 400 rs.
Capachos compridos e redondos a 500 rs.h
Unas com superior papel amisade a 600 rs.
Realejos para meninos a 100 rs.
Muita attengao
AS FA25EWOAS
M LOJA E ARMAZEM
DO
PA Y \ O
Kua da Imperatriz n.
DE
All I SILV
60
Por esta
rmts qoasi no flm do auno resoveram
n-, ? d5Ste im0Tl3 eUbelclitento
su-is lazendas por presos multo uais
que costumam, com o fim de apnraren, t
limlDQlrem o grande deporto que exiie
fa loes baratos
Vende o Pav3o.
Chegeo um grande sortimenio de baldes de ar
eos sendo americanos qne sao os meHv-re e ve8-
dera-sn pelo baratissimo preco Je 200 11
3*500: ai loj> do Pavaona ra da lnuertriz n
bO, de Gama & Silva.
A 100 rs. para i uto, vende o
Pavo.
Vendern-se laazinhas prelas proprias para luto
pelo baratsimo preco de I00 rs. o corado :
loja h armazem do PavSo roa da Imperairiz n.
*e (-ama i Silva.
Crochs
Para cadenas
Paiasofs
Para camas
Para presentes.
Chegaram os mais ritos pauuos bordados a ero-
Vestdmeos para meninas
VeDdfm se elBKnte vendinos para met-aa.
rf,lJ, ";n V'*'" ecf.jiad.* pelo bar*!
weeofla 2 5C0, dito, de gi.tgu.io de seda a 3**-
, rnJV r"1"^? p C0.de Garzu A Silv
Cuales de merino
divV.v,."" e Bnf"'>* '** de merino lisos
an,i17 V"&% de l 3W dito?
t ra i l*s do crpon toro Ilutas
00, d6 trama & Silva.
vender i CM proprios para em-ostog de cadeira= f
baraios do 'endem a i500 e 3, ditos para enc.sio de sola
dei aporarem dioheiro e M. ditos proprlos fara cobr.r almofadas a
M" e irmaMT." n;", ^^S ,e m s ^^ e,01'08 P cobr.r presentes a 2300e 31
'^^SiJ^TSSSJrJS Novos vestidos Poil de Che-
llU ?8CC,am em r*qnena escala que n'este
forhmPne,f,Ue,(eC'm!.D,0/nC(,0lraro om ""''
'!'DI,a aIendas de W e phantazla que se
arml,n.P?I8i 'DeSID0S pret'os qu0 fe "mpram nos
IZu. ?? fM 5aDna.ndo se apenas o descont
um penbor, oo mandam se levaren, casa das
do PavSo "aS qUfl Bao poderera v" a
o
4#00C.
es i 5#500, 6J000 e 7*000, d>-
...Jas de s?da a 82000, diw
"ih? ?*r* ? 3 **0O0 e 8*500 :S
I
Sed:ul.as de risias a 400 rs
Vinde-ae bonitas Kdwhw f |jM:, proorias Dan
iaao bj tea da In peritrim n. CO
Silva.
de Gama &
Filos bordados
ex-
lejh
120
IGA
(intiiue c
OiZ G\Z GAZ
Chegon ao antigo deposito de Heory Forster &
C, ra do Imperador, um carregamento de gaz de
primeira qualidade.o qual se vende em partidas e
a relalho por menos preco do que eo> butr* qul
quer parte.
Algodo da Bahia
retalho
Veode se em porco e a
Crespo loja da esquioa n. 8.
na ra do
LUVAS DE JOUVN
novatnente chegadas, frescas, e bera soriidasl.-zna
loja do Vapor, ra Nova u. 7.
liiva sfim sagrado.
Raa do <|uciuiaao n. 49.
Quer acabar eom as fazendas abaix
mencionadas.
Queiram vir ver o qne bom e baratissiao.
*2SS de laDyrinlb0 com bico, fazend boa >
Carreteis de lioba com 100 jardas a 30 rs.
Gravaos pretas e de coree multo finas a 500 rs.
La ramos francezes multo finos a 20o e 320 rs.
Mitas de o'jreras de massa muito novas a 40 rs.
-nnadores para espartiiho de cordo e fita a 6t
res.
Carreteis de liuha Alejandre com 400 jardas a 0<
res.
Desoas da.pansl almico rmiito bom a 24509.
rasco di oleo babosa a 320 e 500 rs.
Dos de dito hitieniqoe verde a 15000.
Ditos dito f-lso a 800 rs.
Citas de macacar perola a 200 rs.
Sitos de banha muito fina a 200 rs.
Kaitas cora.12 frascos de cheiro a I* e l*50C.
{abneles muito finos a 60, 160, 200 e 320 rs.
unos do bolla muilo finos 240 e 320 rs.
Frascos com cheiros muito finos a 240 e 500 rs.
Caitas para rap eom bonitas estampas a 100
Laa para bordar a melhor do mercado (libra)
7*000
Caitas de palito a balao a 40 rs.
Malas da llnhv froxa para bordar a 20 rs.
Varas de crdo pira espartilho a 20 rs
Frascos com nota rota muito boa a 2*0 e 320 ri
Ditos de dita preta a melhor que ha a 320 rs.
Duzia dp f.-..;cas para sobre-roesa a 4*.
Dita de dita de cabo preto cravado a 3*.
Varas d^ franja branca larga a 2fe0 rs.
rcula com 3 sabooetes mglezes de superior qu
lidadf a 720 rs.
Lapes de creio a melbor qoalidade a 20 rs.
Peot voltalos para rejacar cabello de menioai
Beagallaj de canoa com vilta a l.
Frascos dn macaca' oleo muilo fiau, a 120 r?.
Ab iloaduras muilo fioas para colimes a 500 rs.
Caitas e (inha do caz preta e de cores a '800 n.
CariSej de buha branca e de cores a O rs.
Liara de ara preta sopenor a 100 rs.
Carus de alueles raucezes com 14 penles
120 rs.
Escvas par* falo, fazenda boa, a 500 rs.
Boioes de cores para vestidos por lodos os precos.
Ditos pretps.de casaca /Joaial 120 rs.
CAL HE LISBOA-
Da mais nova que lia no mercado che-
gada peo uilimo nayio, vende-se ra do
Brum n. 66, armazem de David Ferreira
Baltar, barris de4.arrjbas toda em pedra
por 55. latas de 2 ditas hermticamente fe-
chadas pur 2(500.
VENK-SE
Presamos de flimbre ja' preparados.
Serveja pellada.
viuh-j gellado.
Manteiga gellada.
Laus cora 3 libras de linpuic, e fijados em
raolbu moreeltos, viodas ohimanientn da liba.
G:os 4e bautas a' 700 rs. com 1 arroba.
I-ti o mais barato qne oossivel no armazem
de Guimae & C, ra da Imperatriz o. 6.
Gal d<* -Lisboa,
Chegadi no oliimo satto, mata barata que em
ouira quaiqoer parte; no deposito da roa do Apol-
lo n. o.
Veade-se
rM^btiMs americanas de rroteg para descaroca
algodao na roa da Senzalia Novaa. 42.
Vende se urna m'biiia nova de Jacaranda a
Lniz XV, completa : a tratar'na ra da Impera-
triz artmiem de marcioelri* n. 25 *or. Remigio.
------------.-
de tta.
Vendem-se no escriplorio dste DIARIO
J^iO rs.: roa ihi Cruzes n. r.
iieiu sorlido aroiazem de multados
Ra ova u. 60
Sabio ou nao sabio, amabillis-imo freguezes? iahio sim ; e se demoramos Unto
e.?. irr.a caix,nba do agredo, fui porquegostamosde sorpreza e dasconiectoras. Ab!
-J, J ^?0 sahlr dcu no tode mu,ta 8ente de collarinho empinado ebiirode re-
torcido?! Quanta ioterprett5o ridicula e risivel soffreu o nosso pobre saldrn Muita
veztivemos frooxo de riso nocantinbo do nosso armazem, qnaodo .viamos quealguemse
encomxodava cora essas seis negras letras, que por alguns dias deram nmcerto ar de
Qiysteno a urna das columnas deste venerando Diario! E no entanto nada de mvsterio-
so havia, como vedes, no patusco sahtr! sim; riamos a bom rir; mas nunca vimos rir
o cavalieiro da Liga porque
Serio e grave encara as eousas
Deste munilo como sao ;
Verdadeiro, fiel vive
Do commercio a lradicc5 !
Poisque o sahir se mostrou qual vinde admirar freguezes, como no armazem
da Liga se opera a mais fiua liga do bom e barato. Lede e veris a verd ide vinde pois
contamos em que nao tereis oecasiSo de dizer que o vosso dinheiro foi mal empretado'
nem o vosso bom gosto offendido. Eis freguezes e.....la va i verso. '
Fariaha de lullho
ou gomma de milbo branco preparado na America, vende-se 500 rs. a libra e o cida-
daoque comprar dez libras vende-^e-lhe-ha450.
B1SCOUTS INGLEZKS
Soda Mized, Pic-nic, Francy Cruckeuel, Qenn, Osborne, Gala, Arrowrote outras muitas
quahdades a 1#000 a lata com 2 e 3 libras.
Rolaxinlias percales
S?tnt3S de diversos tamanns 2, 3, 5,8 ibras cada urna e pelos seguintes precos: 1^200,
z#400 e 30000.
BoiluhoM com aieudas
grande quantidade de cartoes, boeelas. caixas turradas de chumbo, com as mais ricas qua-
hdades de pao-de-l, bolos, para champanha, bollinhos com amendoas, e outros muitag
que se tornam enfadonho mencionar.
MANTEIGA
manteiga iogieza, primeira qualidade a 1,?IU0 a libra, idem ingleza boa a l(J000a libra
800, 600 e 400. dem francesa a 640 r.s. a libra.
Doces em calda
doces secos e em cilda de todas as qualiJades, em frascos, potes, caxas> etc etc: por pre-
cos os mais razoaveis possiveis, amendoas confeitadas libra a.
CAF ,
caf do Rio Ia sorte 2i0rs a libra, 2a sorta a 200 rs a libra, 3a serte a 160 rs a libra,
em arroba se far grande abatimenlo.
Viho
vinhos engarrafados de todas as qualidades, rainha Estephania a 33000 a garrafa, Porto
maloia a ijaOO rs. a garrafa, lagrimas do Douro a 1^800 a garrafa, Pedro V, D. Luiz,
Mana Pa, carcoveilos, bacanaes, boeugi a 4 $000 rs. a garrara, idem eberes verdadeiro,
i#00 a garrafa, idem cherny cordial a t5000 a garrafa, collares e figuira ambos engar-
rafados a oOU rs. a garrafa, idem de Lisboa em pipas, barris, ancoretas e a retalho a 360
e 400 rs. a garrafa, an :oreta com vinho tkito a 20400 a ancoreta.
Bordeanx
vinho Bordeaux de todas as qualidades de 60500 a 250000 rs. a duzia, e en garrafa de
oOO rs. a 20000 rs. Wermoutli a 10500 rs. a garrafa Kenoch de wasser a 20000 rs. Ab-
symth a 20000 rs. a garrafa.
GAZ
gaz verdadeiro americano a 90200 a lata grande, garantindo-se 27 garrafas, e a 400 rs, a
garrafa.
Ceneja Celada
cerveja gelada em garrafas e '/a garrafas inglezas e franecza.
PaiiiC" e Aipisla
painco 100 es. a libra, alpista 160 ; pa'inco e alpUa misturado 140 rs. a libra: em
porcao se far abatimento.
, Cha verde e preto.
0000, 10500, 20000, 20200, 20OO, 20600, 20800, 30000, e 30200; cha verde de
todas as qualidades, huxim, perola, aljfar etc.,
CHAnTOS n'fUVANA.
rega'ia britanuica 100 a caixa, londre> 120 a caixa, operas, caixa 100; e outras mui-
tas marcas que se tornam enfadonhas menciona-las.
CHARUTOS DA BAHA.
imprtaos,exposic3o. normas loodrin.s, guanabaras, suspiros, delicias,parisiences, ven-
cedores, uerreiros, lyricos, quem fumar saberi, para os seguintes prets: 10ooo, i03oo'
20.100, 20o o, 30oon, 305oo, 308oo, 40oeo. 402oo, 405oo, 408oo, 50ooo, 505oo, 6,5ooo,
605oo, 70000, e 80ooo. ^^
Velas Stearinas.
sperm^cete 64o rs. o pacte, velas de carnauba de 6 por libra, 86o frs. de* 14 em
libra, 44o -s. em porcao se far abatimento.
GENKBRA oenebra de hollanoa em frascos 56o rs. o frasco.
h CERVEJ4-T-E BASSv
ceneja bass e tenente e de todas as qualdiades, as quaes s vendem o mais razoavel, como
seja 5oo 6oo e 7oo rs. e em duzia faz-se-ha grande abatimento.
Arroz da ludia.
lio rs. cada libra, emporio se far grande abatimento.
SABO E SABONETES.
sab5o branco com veias cor de roza, idem branco com veias azues, sabonetes de urna, libra
cada Hm, s3o os sabonetes mais econmicos que ^em vndo-ao mercado 5oo rs. a libra.
8agn' e Sevadoha.
sagn' muito noro a 24o rs. a libra, cevadinha inuilonova 16o rs. a libra.
cevaba muito nova 12o rs. a Hbra.
gomma de encommar 12o rs. a libra.
CEBLAS grandes e novas 10000 o asolho.
Latas com conseroas.
latas com ervilbaf pottu/J9eas e fraaceza. latas com carnes preparadas, passarinhos gui.
zados em latas, e salame em latas.
Uee de golaba.
ha constantemente um m^nde deposito de doce de goiaba em caixes ds lodos os Umanho6.
Co, copos crystalisados, ortos liso, ditos de cores, a 40ooo e 405co % duzia.
garrapas de crtstal.
garrafas de crystal de formatos, o oltimo gosto.
AM1XAS.
ameixas em latas, em bocetas e frascos.
Queijos Queipa. 5
queijos flampogosdo penltimo vapor 20ono. ditos do ultimo i......
Cambralas lisas do PavSo a 30500
40000 e 40500.
eamhr,f,T,^m 8raDde sortimenio das memores
di n,J ,r?DSPi:reD[es. eodo 8 varas e meia pa-
cofla com 9 varas cada peca, tendo mais de vara
V.cloria a 6#000, 7*000 a 8000 : diuTlargas com
8 palmos de largura a 1*000 e 1*280 a vara, sen-
do preciso apenas 4 vanas para vestidos, atienden
1iignr* ; d"as para forr0 rooito encorpadas
?. h*. i a p*?a : D*-lJa 'niazem do Pavao na
roa da Imperatriz n. 60, de Gao & Silva.
Para cama de noivas vende o Pavio
vendem-se ricos cortinados bordados e adamas-
cados proprlos para camas e jaoellas pelos baratos
precos de 8*, 10*000. 16, 20000 e 23*000 ; so
perior damasco de la enfeiiado a imiiagao de seda
proprio para colcnas a 8*SO0 o eovado ; ricas col-
iiac Croch *,el baraslmo preCo de lOfiOOO e
>2*uuu : Uto na I .ja e armazem do Pavo na roa
da lmperairn n. 60, de Gama dt Silva.
As melpomenes do Pavao a 20500
vende se superiores cortes de melpomenes, sen-
ao (aienda transparente e mnito bonita, lendo mul-
los padrees rojos com 7 varas e meias cada corle
pelo baraiiss.mo preco de 2*300 ; Isto para acabar
na loja e armazem do P.vao na roa da Imperatriz
n. 60, de Gama A Silva.
Grande pecbincha em chapeos a 500 rs.
Vende-se chapeos de palha a imilacao de mani-
na proprios para homens pelo barat ssimo preco de
rs. cada om; isto para acabar na loja e arma-
4 Silv a a rUa da lm^tMil 60> de Gama
Pecbincha em madapoloes na loja tfo Pavao.
.eSrem'e sPeriores pecas de maflapolao fino
SL*rJor,^pel barallasimo preco de 12*000,
ditas de 8*000, ditas de 7*000, dlla 6*500, paran-
"ndo se terem todas 20 varas, sendo muilo boa fa-
caoaa para os precos cima mencionados, qce se
oee-em mais baraio que em outra qualquer parte;
ero-so na luja e armazem do Pavao na ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Camisinhas para senbora a 40000 e 50000.
V endem se fiulssimas camisinhas curu manguitos,
sendo os mais modernos que neste genero lem vin-
rtn a;0,/n!?rcado em cambraia pdo baratsimo preco
ae o#uuu : na loja e armazem do Pavao na ra da
Imperatriz a. 60, de Gama & Silva.
Corpinhos para sentar a 50, 80 e 100.
Che," rarn os mais delicatlos corpinhos de cam-
Dra ^ nsparente, sendo ricamente enleltados e
v" "'-se pelos baratsimos precos de 5*000, 8*
" .*.O0; ditos de grosdinaples preto, sendo la-
:.:tida multo superior pelo barato prec. de 8*000 ;
isto na loja e armazem do Pavo na ra da Iicpe-
iriz n. 60, de Gama & Silva.
Grande pechincha em chitas.
Vende senm grande sortimento d cbms escu-
2m9 tf/es fraCezas Pel'-s baratos precos de 320,
ou e 400 rs., sendo com us padrees mais bonitos
qne tem vindoao mercado coro listas e flores etc..
ele.; garantmdo-se serem cores fichas : na loja e
armazem do Pavao na ra da Imperatriz n 60, de
Gama 4 Silva.
Silezias para senhoras na loja do Pavao.
Vende se esta nova fazenda, sendo silezia ondea-
da Propna para salas pelo baranssimo preco de
440 rs. a vara, e romp anio se peca vende-se a
40 rs.; isto na Ha e armazem do Pavao na ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As saias do Pavao
Veudem se ricas s.ins brdalas rom i pannos
pelos baraiissimos precos de 6*000 e 7*0C0,s>ssim
como fazenda em peca com pregas propnaspara o
mesnio fim :. |3200 a vara : na loja h armazem do
Pavaona ra dalmperairiz o. fin, da Gama & Silva.
Lencos de seda
Vendem se superiores lencos de seda pelo bara-
tsimo preco de 1-5000 cada um, ditos de acento
b"D!. padries miudinhos fa;eida mnito Gna a
13000 ; na luja e armazem do Pavao na ra da Im-
peratriz n. 60, de G:ma a Silva.
A toa i hado
Vende-se sopenor aloalhado de algudo trancado
com 8 palmos de larpora a 1*600 a vara, dito ada-
mascado mullo superior a 1*809, dito de linho mqi-
lo boa fazenda a 2800 a vnra. snarrtannpos econo-
mieos por s ditos alvos mello boa fau-nda a 4*000 a duzia : na
loja e a'mazem do Pavao na rna da In.peralr n.
60, de Gaa.a ; Silva.
Barages a 400 rs. na Ir-ja do PavJo
Vende-se bonil,is bareje iran>p:irenles com pal-
miohas, ditas lu>in.sas, Tazeud.i muito boni a pelo
barato preco de. 400 rs, bonitas la-Uhas de qua
drinhos e de flores a 400, 320 e 240 rs., ludo 6 pe-
chincha na loja e armazem do Pavao na rna da
Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
Sedas navas
Na loja do Pavao.
Chegaram as mais madernas sedas rom listra?
para vestidos, sendo com as c6res mais moderna:
qne lem viudo ao mercado, aMitn romo grusdena-
pies de diflerentes cores como sejam cor de rosa
azul, roza, cor de caf, cor de lirio etc, etc. t
vendem-se por preco muilo em conia na loja i
armazem do Pavo Da ra da Imperatriz n. 60, dt
Gama (Silva.
Crinolinas a 30500, 40000 e 40500.
Chegaram para a loja do Pavao- as mais moder-
nas crinolinas ou baldes veidadeirameote ameri-
canos, que sao os mais bf m armados e mais leves
qne tem viodo, send-i c^m o formato mais moder-
no que actualmtnt >e usa e vendem-se pelos se-
guintes preces: rendo com 20 arcos por 3*500,
dins rom 2$ reos por 4*000, ditos com 3o arcos
a 4*500: Wn s na |.,|i e armazem do Pavao na
roa da Impemiriz n. 60 d- Gama & Silva.
Sedas largas na loja do Pavao.
Chegaram as man b. nas sedas do cores com 4
palmos de largor*, s?ndo com as corea e desenhos
mais brilhaote* que tero viudo, acilHaudo fazer-?e
om vestido com poneos rovado* em attenco a lar-
gura, e vende te pelo ^aralo (.reg ode 2*000 o eo-
vado : na loja e armazem do Pavo na rna da Im-
pe'Mriz n. 60 de dama di Silva.
Ose bales do pavo a 2oo e 2So rs.
Vendem-se chale de merino eslampados a t*
e 3*800 cada do.
Ditos de merm liso a 3*o00.
Ditos estampados de crepoo a *, 7*. e 8*000.
Ditos pretos bordados com franja de seda a 14*.
Ka loja e armazem do Pavio na ra da impera-
triz n. 60 de Gama & Silva,
Lencos trancos a 20( 00,30000 e 40000.
Vende se om bonito soiilmentd de lencos decaeo-
brai branca fu pelos taralistimo.- precos de 2*.
3*000 e 4*00 i dnzia : ni Toja armtem do
Paveo na- roa da Imoeralrrz n, 60, de Gama &
Silva.
Medina 240000
Caegarara os mais ricos cortes, do vestido irans-
parentes dVsta nova fazenda uiiiolad^ medlna cum
delicada palmas e botos dft soda, sendo fazfhtfa
proptia p ra vetldus de aswstr a halle oo -
awokis. lendo cada um corte 18 covados e vondem-
s por S0*W0; oqloamenie n laja e armazem do
P*v3o na rna da Tmperalriz n. 60 de Gama &
Si. va.
vre a 16#000.
Ka loja do pavo.
._9?ca.raiD Pe' 'Por..* da 13 do correle
800 rs. a vara na loja c
Pavao.
veodee filos de linbobrsoco bordados propriw
para vesiidos pelo baraiiffimo preco de 800 rs.
vara : na loja e armarem do Pv5o ra roa da Jn-
Pminz n. 60 de Gama & Silva.
Pannos de linho.
a

mais lindos cortes de'poilfde ctv^m ^^ VSi^'SSS T* d1e.HaB,bor're
sendo Tazenda Bteiramente nova no mere;do tem un Jo p! ,,/! 2' ,prefos : Da lo'a e :*-
do esta fazenda bastante lustre com os mais'deil m"& iva. "' ,m,,e,a,ril 6. ^
cados sollos tanto em llstras comoem flores ollas
e vendem-se pelo baranssimo preco de 16*000
lendo cada corle 18 covados, isto na loja e arma-
zem do pavo na ra da Imperatriz n. 60, de Gama
Para senhoras
Casaqulahas a 200000
Vendem-se as mais modernas casaqulnhas ou
basquinas de seda prea, mnito bem entenada? as
mais modernas que tem viudo ao mercado e nelo
baranssimo preCo de 20* cada urna i oa Iota e ar-
STsJv'a rQ* d* ,mp3r8lru 6. de Ga-
Alpaeas lista
Jr. 50U* a,ais l,n0 fo'mento de alpacas de
urna s rr, preprias para veMidos, e vendem-se
por presos em cooia : oa loja e armazem do Pa-
vao, roa da Impcrainz n. 60, de Gama & Sil vi.
Os espartilhos do Pav5o.
Mirmhi"'/ an,,.'frande arlado sonimento de
espariilhos dos mais bem feitos qoe tem 'vindo ao
rfrfr ?,m ;eDd0 ie. 'odos os lama^os, vendendo-se
por om preco mnilo razoavel : isto na loja do Pa-
vao n? ra da Imperatriz n. 60, e Gama $ Silva.
rande pechlneha em toafhas
_ a para mao.
r,J.el- "8? 8tPerior 'oalhas de linho proprias
para mao pelo baratsimo preCo de 560 r?.. ditas
1.. ," ,ltasa ,mi,;,Cao das felpudas a 80 rs.,
?J^2 SHd-as 1 : P^ocha na loja e arma-
m& s"*0 ra da Imperalrir n- ** G>-
Aoadine a 8
a loja do Pavo
Uiegeram os mais lindos corle? desla nova fa-
zenda, sendo transparente, com bonitas palmas, e
vndese pelo baratissimo preco de 8* : na loja e
"Te*? Pavj' rua da 'rnperair.z n. 60, de
(j^ina & Silva. '
Puobos e gomibas a 10, 10280 e 10600.
-"'.garam os mais modcrnt-s ponhos rom bo-
nhas sendo de eaguio do linho ricamente borda-
des lano brancos como do cores e wndem-se pelot
varaSS ,,reS8 lIe fi- **m e *>. W' ba-
ver grande porcao. grande pechincha : na loja
o armazem do Pavo rua da Imperatriz n. 60, di
dama 4 Silva. '
de
1
Silva.
Cambraias brancas de cordSo a 80500.
coTta a^Pu*? *!?r;uLbraias bMcfai
vend^f 11,\ M,e*'** HM*? transparentes
vendeo. ae pelo baratiMimo prefo de 8*. ratri, n fia 6u,rr.m"em. PavSo M rua da *p.-
rainz n. fcQ, Je Gama ^ Silva.
a praoa da Independencia
.o|a de Arantes 4 f.vra.
a (* Vf? b0t'Da ''relaS Cm laf pa,a ,,B,,ora
_}>it >s para menino a 3*.
Livros eiinmico de Ha-
burg
\ ende-se na llvrana Enciclopdica de J P. do
Mello :-na rua da Cruz n. 5i con.pltu sortim^-io
Pr_PleV0S_mniP; coromodos.
ponr 4867.
Airence d'Abonnrmerii-i tou> [oornanj c"Ei-.-
ropc. Dislribotion graiuite de pclmeuj el coia-
logoes.
RU DE CRESPO ti. 9
gjhralrfe Vrsmetite.
XAROPE
DE CASCAS DE LARANJAS AMAnGAS
ie J. P. jLaroze, phariuacealco
em i'arls
38 annos de siccestos alteUm
coma:
tonic > excitante, para ajudar as fnne-
Coes do etomago.
a sna eDlcaci?.,
Gama S
Para baptizados.
Vende-se elegantes vestuarios bordados para
nffi 2V hara!i,simos PS09 de 15*000
20*000 e 2,*000 : na loja e armazem do Pavo na
roa da imperatriz n. 60 de Gama <\ silva.
Babados bordados na loja do Pav3o
Vendem-se babadinhos bordados com 2 varas
pelo barato preco de 1*000, ntremelos lap.idos e
racsparenirs, iendo3 varas cada peca a 1*000: na
Ma e armazem de Pavo na rua da Imperatriz n.
60, de baroa i Silva.
Cambraias de cores
Vende se om bonito sortiraento de caroDraias de
SSn'S oa/na Ves,idos peIos at'ssimos precos de
. e oX rs- C0Vi0' ''as a voluntarios da pa-
tria a 800 rs. a vara, dilas listadas a 640 e 700 rs.
a vara ; pechincha na loja e armazem do Pavo
na rua da Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
Cassa de urna cor s
Vende-se bonitas cassas de urna cor s rom um
pequeo toque de mofo pelo baratissimo preco de 240
rs. o eovado ; para acabar na loja e armazem do
Pavao na rua da Imperatriz n. 60 de
Silva.
Chale de renda e retradas
Vende se u glande srrVntfntu de chales de
renda e reWnda?, sendo as mais modernas que tem
vindo .i i.-. i.-;oio h vcniem=se m.i>i bsrMii que
ern nutra qualquer parle: i-to na loja e armazem
do Pv.:oua rua da I)u.;ratiz n. 60, de liama *
Ol 3.
Retallios baratos
Vende-se porcao de retalhos de chita, las, cas-
sas e chitas pretas por preco barato : na loja e ar-
nwero do Pavao na rua da lroperaini n. KO, de
.iiim 4- bilva.
Calcas brancas
Vende se nm grande snrtimenlo de calcas de
bnm branco de linhr, trancado pelos barattsslmos
precc^ de3*oOO, 45.0O e 5*000, assim cqm-, uro
grande sortimenio de paiunts de panno preto fino,
sobrecasacos e saceos forrados de seda, ditos de ca-
sio.ira. sohrecasacos, saceos e fraques, ditos de me-
rmo e eal^S de casimira do cor e de todas as qoa-
Hdades, assim como um graMe sonimento de col-
leites deludas as fazendas vendendo se tudo por
precos muito baratos : na loja e armazem do Pa-
vao na roa da boperatrli D. 60, de Gima 4 Silva.
Alpacas brilhantes a 610 rs.
Chegaram as mais lindas alpacas enastadas com
3 e o ero palmos ce largura com os mais delicados
desenhos tanto de florsinha como de listiohas as
sentadas as mais delicadas cores como sejaro Iv-
rio, sinseoto cor de carne, solferino e veoderu-se
lulo baratissimo pre?o de 640 rs. o eovado ; uci-
camente na loja e armazem do Pavo na rua da'
Imtieralriz n 60, de Gama 4 Silva.
Pechincha para a fesia na loja do Pavao/
Vestidos.
Vestidos.
Vestido?.
A 8/5000
Vndtin-fenm bonito sortimento dos uns liodj-
vestidos com barrts de seda, trazendo os compe
lentes enfeites para o corpo, sendo neste ariijjo o
mais moderno- que lem vindo ao mercado, e ven-
dem se pelo baratissimo preco da 83OOO cada uro,
ditos de rambraia branca com barras bordadas a
5*000 c 6*000 ; na loja e armazem do Pavo na
roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Sliv.
Cortes a 30000 s o PavSo
Vendem-se os mai< liados cortes de cassas de
cores com os desenbos mala modernos vindo cada
um em sen papel 9 garantindo-se terem 7 varas ca-
da om peio baratsimo preco de 3*000 ; na Inja-e
armazem do P*vio oa roa da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Casaqoinhos cu vasqainas na loja do Pav3o
a 2<0(M>, 3(i0i'(iO e 350000.
Chegaram os mais ricos en moderaos casaqoi-
nhos 'o vasqumas de grosdmaple?preto ricamente
enfeilados, sendo do eliios mais modernos e le-
gantes que ltimamente chegaram e vendem-se pe-
los baratos preces de 25*000, 30*0(0 e 35*000; na ":
loja e armazem rioPavao na ronda Imperatriz n 60
de Gama Silva. '
Para bailes a 3^0000.
Chegaram ns mais ricos corles de vestidos de fil
tranco primorosamente bordados e enfeilados de
cor, sendo tambem propiios para casamentos e"1
vendem-se pelos baratos precos de 35*000 onica-
m-ni:; ta lojae arajairm dPavo na roa da m-
perairiz n. 60, de Gama & SHva.
Lf neos bordados a-10000 e 10600 na Joja do:
Pavo.
VenJe-se bonitos leoclnbos bordados para sao
PIjs baraiissimes iirecos de 1*000 e l00 cada
um ; loja e armazem do Pavaona roa da Impera- '
tri o 60, de Gama & Silva.
** vN#|doTavOo.
Vecde-se as man bonftas varejtes eom llaUs de [
a iroitacio de pott.iU evre pe|j natattnsimo
"" Wtf. cvni: D*leja irM
para ajad;
assim rom) dos iotesti-
nos, e curar as doencas nervosas, agudas ou
ebronicas.
tnico ANTi-NEnvoso, para cu; ?r os inc ir-
modos percursores de doencas assim evita-
das, e para facilitar a digesto.
ANTi-PEiuoDico, contra os cala fros, calo-
res, com cu sem intermittenc as, e que leem
por especificos as sustancias amargas; lam-
bem efficaz contra as gastriles e as gas-
tralgias.
tnico reparador, para combater a e:>
haustaco do sangue, dispepsia, anemia, es-
gotamento, inappetencia, langi.r etc.
Deposito em todas as pharmacias e casas
de drogaras no brasil.
Expedirles, em casa de J. P. Lazore. rae
desLions-St-Pul. 2, Paris.
Deposito' em Pernambu^o, pbarmacia 0^
P. Maurer C rua Nova n. 18.
nos e rui las.
a trata,- no
Vende-se urna porcao de i- "
de aroarello, tudo obra moderu..
caes do Capiharlbe n. 2, offleina de t. i w\;o.
Vende- e
Motores amenc.ici.s para d-ros cavalios, ditoysiio
para quairo cavallos, machinas para dcscarcoar
algodo de 14, 16, (8, 20, 30, 35 e 40 sorras, pre'o-
cas para enlardar algodio farendo as saccas cmn
seis palmos de compriicento, com o p so de ICO e
200 libras, vind.is ltimamente da america ; no
armazem de H^my Forster & C. ni caz Peoro
n. 2. jonlo ao gabinete portugue7.
Papel pintado
O mais completo e variado srrlimento de papel
para forro de sala e goaroc5es, enceolra-~e a
verda oa
Botica e arlholjiuen C.
34--Rua larga do Rosario--34
Tainhas de Alagoas.
Vende-se tainli3s de Alagoas em br-rr',s
por preco commodo : na rua da Praia
n._6h__________
Vinho d> Por-tu superior om caki (e
un duzia.
Vende-se no escriptorio de AtOQio Luiz re
Oliveira Azevedo & C, no seu escriptortj rua da
Cruz n. 1.
Vmdese ensarnis de iouro e qualidade pir
preco commodo : no caes d; Ranio.n. 24.
(anuo de aipdo da Ifehia propiio
para saceos de assucr e ronpa de
escrav8.
Vende-se no escripioria de Anionio Luiz de G.'i-
veira Azevedo & G, no sea escriptorio roa ta
Cruz n. I.
j.4r;%'ae,i
para 1867.
Asslgnatnras para tod-.s os peridicos da Eur">-
i e do Da-t'.
islribuica iiratita dos catalopos respectivas
BOA UO CRESPO i\T.
Livrara Frauceza.

Vende-so a casa terrea n. 66 da roa Velha ;
IraUr oa roa do Bisario o. 56, em frente a rol
do Ara5o.
Velas de caranba .
I Vendem-se na Iravessa dos Gnaiarapes n. 7s
por dotraz do arsuisl, as anobis ou ero jiran s
porcoes. serijo do 14 c 6 por libra e n-;s deposit- e
fegomies : rna da Guia o..., rua do Ratee! n.
roa do Aroonm o. 48
Btttt.1
X1R0PE de Ilrt a AlABIi
Fku1u4 *RBlBatl'rufl, porta rdlMi das B01-
E?? *. Pl*,.tf" orliacra luu w nutria
rtfcd tokrt wH m mtm polMn* mh iu fUtnf*
dtciiU mlnoi Mm, Mm. nilHafn m
-n**jiai U mu i* awawte.
RACAHOT BES RABES
f 1
Tute. BU* catubtUc* u
. mtlMlc* U fH M r-'trni do *-
lltiiMIMMMiliiulmuikiKumNxtu
tLUttaw, ilmaluo vlrM4t wm orooriiM*
I uimU
, tai* truc* cate edita* tal** "*<
>tmprt -U fim* Dtfmfrmitr, m .**..-
>at>*rU. (Pm ttM*>im*m *mmflilc*c*i.)
n*er, as,
I Uekwi, Bir.
*i ffuverwfi n. O
A vi*ada uls>barinacia8 de P. Macrer i
o C-A. Caora, em Pernamburo.
Veode-se nina pret? para lodo servir,, t
( para tm como pafa casa, lava, cnsioha e eoen>.
do roa, a dona vendx a piri|ii; se rera para l>
rm da C-mqui-ti (abe r.i
a tratar n B-jt.Vista
n 10.
I
-

1
i








Diarlo de reruimtmeo cuarta felra a de Janeiro de 1867.


t

u
O ARMEZAM
53 RA DA CAOEIA 53 .
E^SWnO O ARCO Dil COUTCEWlO.
Acaba de receber e tem por bartissimos precos
m de seu aeostuniado e muito completo sortimento
le gneros os sesuintes abaixo declarados.
Queijos de Minas.
'negados pelo ultimo vapor a 10600 rs.
Gfomma de milho branco
americano.
* mellior qoe ha para papa, p3o-do-l, bolo, j"^
cangiea. crerae etc., muito substancial e
audavel a 6i0 rs. cada pacote de 1
SALMO E ti.VGOSTIN
.legado ltimamente em latas de 2
; 5600 rs. cada ama.
MUSCATEL DE SETBAL
o rau'to excelle >te vinho muscatel por 200
a caixa de duzia e 2)5 a garrafa.
, CHA
:hysson de primeira qualidade a 20800 rs.a
' libra, uxim o que ha de reaisfino a 30 rs.,
destas ha muitas outras dualidades
proprias para vender a retalho, que se vende
S. Jalien,
libra. e 10000 rs. a 20 rs. a libra.
libras CHA PRETO
i o mais especial que tem vindo a este mer-
cado a 20600 rs. a libra.
HQCOUTE I macas
ancez a 5X> rs. o pacote. dito hespanhol estrenuas para sopaem caixas sortidas de
cecial, o me'hor que tem vindo ao merca- 81ibras por 40000 rs, palharim, macarr5o,' miljas
et., a6i0rs. a libra.
PREZUNTOS
os verdadeiros de Lomgo a 640 rs. alibrae
560 inteiro.
JALEIA DE MARMEEL0
em latas a 800 rs.
MOLHO INGLEZ
diversas qualidades a 720 rs. o frasco.
MOSTxRDA INGLEZA
muito nova a 800 rs. o -frasco.
MOSTARDA FRANCEZA
a 640 reis o frasco.
ARENQUES
em atas a 600 rs. cada urna.
GARRAFAS
brancas para mesa superiores a 50 rs. e a
60 o par.
COPOS
diversas qualidadese tamanhos a 30 rs., 40
50 e 60 a duzia.
CAPACHOS
decores e differentes tamanhos a 500'rs.
640 e 8U0 reis.
BALA'OS
diversos fetios e para compras desde 500 rs.
at20 rs ditosgrandes proprio para roupa
de 30 a 50.
GAZ
o mais superior g*z liquido em lats grandes
com 5 galespor preco de 100 rs.
RUI D4 C4U-S3
CHEGOU
AO
GR.MDE ESTABELE111CNT0
DE
SOUZA SORES & 1BM0.
Ra Nova n. 28.
0 sepia le:
Ultimo costo.
Ricas Avalas para ciatos, coques de relroi fiagioJo cabello, especial sortimento de brincos par
orelhas, abotoadnras finas para poohos e coletes, enfeites, volta, adereces, etc., ete., e militas ostros
objectos de gosto ltimamente ctiegad.s da Europa.
Perla uta ras
Dos melhores e mais afamados fabricantes, existe oeste peero, um variado sortimento de
baohas, ols-js, extractos, agua de colonia, agua deotlfie, pos de arroz, etc., etc.; afiau{a-se a quali-
dade.
De porcelana
Existe orna grande varieilade de va-os com. ricas figuras sobre a tampa, sendo de muitos ta-
raanhos e diversos precos, port relogios, p >rl charutos, conxis, para jolas, etc., etc. jarros grandes para
Dores, com gravuras muito finas, e modellos muito elegantes.
Ditos de alabaster raacos, o que pode baver de mala delicado neste genero, seado Jpara o
baratlssimo prego de 43 a 12 o par.
De vldro
Copoteiras lapidadas para doces, ditas moldadas, copos, escarradeiras de cores, garrafas lapi-
dadas, castices, raaoteigueiras, etc., etc., ludo por precos baratos para acabar.
Bulles e eafctelras
De metal principe, gosto.; ioteiramente aovos e modellos muito elegantes, sendo para oito chi-
Tasso Irmos
Yeadcm do seo armazem roa de
Amerita rt. 55,
LieQT fino Curasao em botijas a meias botijas.
Licore^flnos sonidos em garrafas com rolL? |
vidro e oro linios frascos
VinhosGherefv
Siiitern
Cha;ct*rHn.
Ilermi!-
Borgutihe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac
Od Toa,
Pfteaei lagojot.
Vapwes.
Vende-seem casa de Sanaders Brothers 4 C,
no largo do Corpo Santo n. II, vapores patentes
com todos os perteoces proprios para fazer mover
tres oq qnatro machinas para descarocar algndao.
P0T4SS4 DiBUSSli
Vndese potassa da Uussia muito superior e de
qualidade a mais apropriada para o fabrico de
assucar a precs rasoavel, no armarem
Silva Loyo 4 C.
AGUA FLORIDA
de Jos da
io a 10280 rs.
LATAS DE LINGUICAS
;om 6 libras ermeiicamente fechada
05OO, e de barril a 640 rs. a libra.
VELAS PARA CARRO
*m acotes de 8 velas a 900 rs.
VINHO DO RHENO
> verdadeiro a 20000 a garrafa.
BORDEAUX
aut Brion, St. Emilio i e St. Esteph a 800
rs. a garrafa e 8000o a duzia.
0 EXGELLENTE E AFAMADO
COLLARES
mgarrafado dabem conbecida casa deDe-
ant A C.a a 100000 rs a duzia.
PORTO
iversas qualidades engarrafado, inclusive o
aais fino que ha n'este genero por 800,
0000,10200, 10400 e!05uO rs. a gar-
rafa.
OLD CHERRY
) mais supe; ior do mercado a 10500 rs. a
garrafa e 150000 a duzia.
VINHO BRANCO
xcellente qmlidade, de Lisboa, e proprio
ara missa a 800 rs. a garrafae 80000 rs. a
-.aixa de duzia.
VERMOUTH
mperior qualidade em caixas de 12 meias
jarrafas por 120000 rs. e cada meia garra-
'a 10200 rs.
fiilJ
23 Largo do Terco 23.
Joaquim Simo dos Santos, dono deste bem sortido estabelecimento de seceos
molhados, faz se.ente ao respeitavel* publico, tanto desta praga como de fora, que ve-
;ham fazer suasde>pensas a este estabelectmento para verdn a grande differenca que faz
.oara menos preco, caso fossem comprados em outra quaiquer pane. E todo o freguez
pw comprar de 1'100000 pira ci ia ter o descont de l'j% peloprompto pagaaieoto,
'az-se esta gran tedinVenea por estar-se em liquidacjo.
Gaz americano a 4oc rs. a gararfa, e 90 a lata.
Caf do ho de 1.a e 2.asorte a 2*o e 2oo rs. a libra, e a 60 e 70 a arroba.
Queijos de diversos vapores a 204oo, 208oo e 30ouo cada om.
Pho vCerveja de diversas tmrcas, duzia 50, 505oo, 60 e 70.
' Arroz da me hnr qualidade a 12o e lio rs. a libra e a 304oo e 30oo a arroba.
Paoel de linho marca vtido a 40ooo a resma, em porco haabtimento.
dem fino demarca marielh a 505oo e 60 a resma.
Vinho das melhores e mais acreditadas marcas, a 207oo, 30 305oo e 40 a caada e
i 36o, 4oo. Seo e 56o rs. a garrafa.
dem -raneo superior qualidade a 40 a caada e a 56o a garrafa.
Cha mindinho e graudo da melhor qualidade a 20, 202oo, 205ooe 208oo a libra.
Maoteiga ingleza fina, a 101oo, 1012o e 10ooa libra, embarris ha abatimento.
dem mais baixa a 72', 8oo e 9oo rs. a libra, em porgo ha grande abatimento.
Iemfranceza muito nova a 4o rs. a libra, e em barril ha grande differenca.
dem mais baixa a 481, 52o, 56o e 6oo rs. a libra, emporcao ha abatimento.
Vinho d) Porto engarrafado e em barril a 6io, e a 10 a garrafa.
Alm destes gneros ha out-os muitos assim como boiachinhasdesoda a 101oo e
1^ a lata, chouricas e genebra de todas as qualidades, massas para sopa, copos a 50 a
uzia, s no Conservativo largo do Terco n.
caras.
Phatagraphlas
Mgicas, um divertimento de muita cunosidade, sendo muito proprio pana reunioes de ta-
vende-se pelo comraodo preQ) de I1W0 a duna.
Ditas em cartSes, ha ama grande variedade de fluos retrato pira Albuns, quadros, etc.;
veode-se por 3 a duzia.
Borzcgalas
De betprro francez muito frescos Pr homem.
Ditos eofeita'los para senhoras, fazenia muito boa e pre$os muitos coramodos.
.Ilachlaas
Para peear muscas, sendo de grande prest rao, e torna se divertid pela frm de qoe s3o
pegadas e degradadas >s pobres moscas ; veode-se pelo commido prego da 12.
Caofclros a gaz
Pelo ultima navio vindo-da Atnartaa, recebemos do ragihor fabricante, um rico sortimento,
sendo de formas muito elegaates e gosto muitos bonitos, cores muito apropriadas, etu., sen lo para ci
made mesa e i>-nJurar, lustros de 1,2, 3 ei luzes. Em virtud- de termos urna grande porco, ven-
demos por pregos admiraveis, e para que se encontr sinjeridadp, eiiste cada um marcado com o seo
diminuto prego ; qualiJade dos mesmos aiHmcam >s o ser de raachinUra) muito sollido e bem feito,
afim de dar urna brilhante luz, e nao fazer exolosao como muitos succedem.
Cliamias
Para candieires a gaz, a 280,320 e 400 rs., em porga i faz-se grande ditferenga.
Gaz
O melhor existente no mercado, recebemos directamente de Niva-York, um carregaraento, e
vendemos por manos qae em outra parte, afflanga-se a qualidade.
Bacas
Grandes de ferro estnhado, proprias para banhos, venfle-se por 125.
Continuadamente existe um bom sortimento de qualros para retratos, albans, cosmoramas
com vistas, enfeite, sapatinhos, gravatas, collerinhos, colheres, faca, caixas preparadas com ferros pa-
ra engomraar, etc., etc., etc., e tudo auanto seja teniente ao sortimento d) miilezas, qainquilbarias,
cotilarias e ferragens. Roa Nova n. 28.Garntese a commodidade nos pregos.
Aos agricaltores
Saunders Brothers A C. acabara de receber de
'Liverpool vapores de forga de 3 a 4caaallos com
todos os pertenece, e mu proprios para fazer mo-
ver machinas de descarogar algodo, podendo cada
vapor trabalbar at^-flom 140 serras, tambera ser-
vem para enfardar'lgodo on para outro quaiquer
servigo em que usam trabalhar com animaes. Os
mesmos tambera tem a venda machinas america-
nas de 35 a 40 serras : os preteodentes dirijara-
s ao largo do Corpo Santo n. ti.
ARMAZEM IE FAZEMDA
mu m mime
DE
OLYMPIO GOIQALVES ROSA
Ra do Livramento n 14.
23.
MACHINAS AMERICANAS
Verdadelras do fabrleaate X. V. Caattongiot & v.
Moinhos americanos para noer milho.
Na ra Nova n. 20 e 22, grande deposito
das verdadeiras machinas americanas de todos
os f.bricantos; se eo;ontra neste deposito
grande porcSo de machinas, e se vendem por
menos preco do que em outra qoalquer parte,
por se receber em direitnra da America; se
furnece todas as explcacees necessarias ao
comprador para >:onservac5o das mesmas;
neste graode estahelecimento se encontra mui-
tos artigos americanos, que muito deve agra-
dar aos agricultores que usam de taes artigos,
enconlra-se tambem todas as collecces de de-
senhos sobre os quaeS se aceita quaiquer urna
encommenda, que con' promptio ser ejecu-
tada; : este frrande estahelecimento, encon-
tra-se em grosso e rettiho, grande porco
de ferragens, emiudezas qne se vendem por preco commoiio, pedindo-se a alienlo
de todos para este estabelecimento que muito lucraro em fazer suas compras: Da
ra Nova n. 20 Carneiro Viann.
IfFfiJrJrJrJf-JrirJrJrJrJrJrJr-'T^
O proprielario deste estabelecimento faz sciente ao respeitavel publico e aos seas amigos
fregoezes, qoe tem augmentado a sua offleina de alaiate, e dirigida por um hbil mestre, se encar
rega de fazer com promptido quaiquer encommenda, das pessoas que quizerem honrar sea estabele-
cimento por pregos mais baratos.
Assim como tem um completo sortimento de fazendas finas (as quaes nao sendo costume pro
corar as lojas do Livramento) espera que seus amigos e fregueze, o honren) com saas presentas,
cas vende mais barato qoe ontro quaiquer.
A' loja de fazendas de Augusto Porto. & C.
11Ra do Queimadoii
A' oja de Augusto Porto A C. chegaram as melhores basquinas de seda
preta que se veodem por mdicos precos.
Vestidos de moin de odres para bailes e partidas.
Ricos vestidos de Blond com manta e capella para noivas.
Costumes completos de ca-emira para homens, fazenda especial, sendo
as caifase palitots da,ultima moda.
Bonets de palha da Italia para senhoras e cha;os de phaatas'ta para ho-
mens.
Ensovaes e vestidos bordados para baptizados de 100900 a 304000.
Camisas inglezas para homem, peito, pnaos ecolarinhosojB linho supe-
rior.
Ricas saias de linho' borladas, bales, esparUlbos, meias finas, lences
bordados, camisas, camisinhas, manguitos bordad js para senhoras.
Golxas de seda, e de ta e seda para camas de noivas.
Cort nados bordados para camas e janellas.
Tapetes para sof, esma e piano e pannos para cobrir mesas.
Bramante, 8rilhantina Miciennes ou camhraias de pafos. f izenda muito
bella para vestidos, silesias, bretanhas, e cambraiai transparentes tapada e
de linho.
Moireantique branco e preto, sedas brancas, de c&res e pretas, e gres-
denaple de todas as qualidades.
Brins de linho branco e de cores dos melhores.
Neste estabelecimento ha sempre sortimento das melhores e mais baratas.
Esteiras da India para for ar salas
-. 11 Ra do (fenelinado11
Loja do Gallo Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Grande e variado sjrtimento dos numero-
sos objectos de apurado gosto que ultima-
mente acaba de chegar para este bem co-
nhecido estabelecimento, pois seu corres-; te para os desmaios
pondente em Pars o mais habilitado pa-
ra a escolba de taes objectos, pois os com-
pradores poderao apreciar, como sejam lin-
dissimos enfeites de cabeca com cok de
cabello, e sem elle.
S no vigilante ra do Crespo n, 7.
Eafeites
Roques com caixos e de novos penteia-
dos.
Trancas pretas e de ceres, e de todas as
larguras, com vidrilho e sem elle, pai a en-
feile de vestidos.
Bicos de seda com vidrilho e sem elle.
Gravalinhas de velludo para senhoras.
Gravatas e mantinhas de seda para ho-
mem.
Gravatas brancas mu i tu finas.
S no vigilante ra do Crespo n. 7.
Volitabas para atenais.
Voltinhas para meninas.
Pulseiras para as mesmas.
Correntes para reloios ngindo cabello.
Riquissimos sintos, fivellas e fita; para as
mesmas e de outras muitas qualidades.
Riquissimos pentes de taataruga.
Fitas de velludo de todas as largaras.
Lindos enfeites para vestidos, chamados
Cbrispianne Margante.
Riquissimas flores para vestidos e para!
cabeca.
Capellas com cauos flor de laranja, pro-1
prias para noivas.
Meias de seda para senhoras.
Ditas para meninas.
Riquissimos chapeosinhos e touqainhas
para meninos e meninas,
nhos de seda para os mesmos.
Lindas sextinhas e bolcinhas para bracos
de meninas.
Meias pretas de laia.
Lindos aderecos e brincos.
Aderecos completos preprios para luto.
Lindos portjoias e port relogios de dif-
ferentes tamanhos proprios para um deli-
cado mimo.
Riquissimos livrinhos com capa de tarta-
ruga para missa.
Adereeos de flores.
Riquissimos aderecos completos, sendo:
39d
MURRAY & LANMAN
A agua florida de Murray & Lanmand
dihada como om artigo de perfume, nao
tem podido ser igualada pelas preparacoes
' as mais costosas: conserva seu aroma, co-
! mo se formasse parte da prenda a que ella
! se applica.
Sua efificacia t5o delicada, como elegan-
! tes sao seus multiplicados usos, qur seja
empregada como artigo de toucador, qur
no uso do banho, ou como suavisador da
pelle, depois que se tenha feito a barba;
j para limpar as gengivas ou aromatisar o
balito.
U suavidade, brilho e elasticidade as
compleiebes, depois dse haver lavado; al-
via a irritacao de i-rupcesordinarias; faz
iesappj-recer o desagradavel aspecto do
pannos, das sardas, do rosto, rugas e toda a
casta de ebulic5es, e d vigor e frescura a
parte onde quer que se applique. Saa efi-
ciencia e elegancia sao igualmente infalli-
veis nos casos em que seja preciso applica
la como estimulante e antisptico, nos con-
cursos e assemblas numerosas,.as-loca-
lidades infeccionadas, na alcova de um "en-
fermo, assim como um antidoto excellen-
causados por cansaco
ou suffocac3o. Preparada nicamente por
Lanman & Kemp, Nova York, e a venda por
Gaors & Barbosa.
Joo da C. Bravo & C.
Deposito geral em Pernamoaco ra da
]tz -f em casa de Caros
JUttUBEB*
A jurubeba urna das substancias medi-
camentosas, que pertencem ao reino vege-
tal, e pertence classe dos tnicos e des-
obstruentes, sendo empregada com vanta-
gem contra as febres Intermitientes acom-
panhadas .de engorgitamento de figado e
baco. Ella tem sido applicada com incon-
tesivel proveito contra a anemia ou chloro-
se e hidropesa, catarrbo da bexiga, e mes-
mo para combater a menstruaciSo difcil,
resultado da mesma anemia ou chlorose..
Extracto alcoolico de jurabeba.
Emplastro idem.
Oleo idem.
Tintura idem de idem.
Xarop idem.
Vinho idem de idem.
Pitulas de extracto idem.
Deposito, pharmacia de Pinto, ra larga
do R snrio n. 10.
JURUBEBA MACHO E FEMEA.1
Debaixo da denominado dejurubeba
nascem nos sitios arenosos do Brasil dous
arbustos do mesmo genero, mas nao do
mesmii sexo. Ambos crescem com lindas e
frondosas foihas, ambos produzem bagos
gramneos reunidos a' maneira de cachos de
meinhas e'sapali- ava*' pundenies de um pednculo curto. O
! primeiro, isto o macho, pouco menor
do que a femea, apenas cresce al altura
de um homem, tem foihas menores, nao
muito sinuosas, mas recortadas, com talos
guarnecidos de alguns espinhos.
Nasextremidadesdos ramos produz peque-
as flores como que juntas em-forma de nm-
hella.de cor lctea misturada de azul celeste,
as quaes representam exactamente urna es-
trella de cinco anguios e constam de urna
s corla, modelada e como dividida em
outro tantos tringulos, sahindo do centro
cinco estames, ou filamentos, de maneira
'\vofi"pobeirasr*fflea. toete^'rfflDoJ9'M ao 'w tomar-se-hia por urna flor de
para cbelas; tudo i-to feito de todas as I borragem.
flores de ultima moda em Paris.
Gravad abas.
5
OD

a 5
era"
tfift}!?
* e

V
rl-
- p
82stj;pU
.m;H-ihi
n
S?fS:
s
llif
rEfr- 'S S.
!*#lf?i
5^1
LOJA DA FRAGATA AMAZONAS
DE
Monteiro & Guimares.
N. o Roa do Queimado u,
Este imprtante estabelecimento prvido como se acha de tudo quanto objecto
de gosto, porquaato seas propietarios recebam de conta propria por todos os vapores
om procedencia da Europa, objectos para grai lo toilette, e usa ordinario para todas as
classes, e bem assim adornos proprios para easamentos.
A fragata receoe por todos os vapores lu^as de Joavio, e acaba de receber no-
vo sortimento d >s objectos seguales:
Cortes de blondo para noivas. Resposleiros para cadeira de balanco.
Esguiao de linho fino. Bretanhas de lioho fino.
Bramante.
Chapeos de f de seda para Sr.
Cbapelinhas de crpe e fil para ditta.
Chapelinhas de pal na da Italia.
Leques de madreperola fiaos.
Loques de sndalo finos.
Roton as de seda.
Kotondas de algodSo.
Basquins de grs brod.
Mias de laya para padre.
Tiras bordadas.
Entremeios ditos.
Ve>tidos brancos bordados.
Camhraia de linho fino.'
Fronhas de dito.
Lenco8_^o_jnuito finos.
Cambraia sissa com 10 palmos de largura.
C les de seda de cores finas.
Cortes de faulard de seda,
Cintos de fantasa, gosto novo.
Tambem chegaram bonitas gravalinhas
com flores, e com alftoetes proprias para
meninas e senhoras.
Ros Riquissimos brincos e rosetas ioteiramente
novida le e tudo de muito gosto.
Totiqnlahas.
Riquissimas touqoinhas de liuho e seda,
ponto de corx ricamente enfeitados e de
muito gosto.
Fita.
Riquissimas fitas de chamalote, sendo: ver-
de e aran re lo, tecido na mesma u.
Agulbas de uarfim
Tambem chegaram as mui desejadas agu-
Ibas todas de marlin, para trabalhar em laa
e sem corx.
Sextlohas.
Tambem chegaram bonitas sextinhas de
palha fina, proprias para meninas.
S no Vigilante ra do Crespo n. 7.
ISspelhos.
Riquissiains espelhos grandes e bonitas
molduras propnos para salas ou ljas assim
c^mo oolros de differenies tamanhos.
I' S no vigilante, ra do Crespo n. 7.
' Para os pais de famiia:
Verdadeiros
Collares Rover
Electro Slagoelicus Anodinos
Ou Collares Anodinos, para facilitar a den-
ticao das enancas contra as convulsoos
das mesmas, a estes collares nos escuzado
fazer qualqoer- recommendacao, visto a
grande utilidade que tem produzido quelles
pais qoe os tem applicado em taes circom-
staocias pois nos parece que nao haver um
s pai ou mai que por este meio nao quei-,
ra por termo a taes. soffrimentos da seos
filhinhos visto ser um mal que tanto os
flagela, pois a estes collares acompanha um
folheto que ensina como se deve applicar, e
vende-se na loja do Gallo Vigilaaw. ra Graode aorUH,ento de doces secos e crj si-
do Crespo n. 7, pelo preco de 4<>000, 9,9 dos e em ida esinawros e naclooaas no ar-
0 segundo, mais alto, mais espinhoso,
tem foihas maiores, cobertas de pello pea
parte inferior, elegantemente guarnecidas
de espinhos, recortadas de um verde vivo,
teodo a mesma flor que o macho, porm
mais ntida.
Ambos, em virtude do uso quotidiano da
medicina,sao bastanteconhecdosas phar-
macias. Em verdade, suas foihas e sueco
sao empregados para mitigar, como tempe-
rantes, e corar as feridas e ulceras, e mui-
to favorecem a cura deltas. Posto que as
foihas e raizes tenbam om sabor amare" co-
mo a chicorea e a fumaria, todava difficil-
mente poderiam ser classifieadas ^ntre as
drogas quemes. Sobresae principalmente
em. virtude e efficacia, e mais amarga a
raiz, com particularidade a do macho, que
consta de partes mui tenues. Por certo o
ttsimento deste faz despedir a ourina retida
e applica-se muita vez com feliz resultado
contra as obstrueces do figado e da prsta-
ta em lu^ar das raizes apperientes.Sua utili-
dade e exceilencia sao taes, que n5o s pelot
doutos, mas tambem pelo povo rustico
procurada e contemplad entre os remedios
maravilbosos.
Traduzido do latim de Pisn e Marcgrave.o
Francisco jse uermann
RA NOVA N. ,
acaba de receber um lindo e magnifico tor-
titiieuto de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa e oca
los de alcance para observarles e para o
martimos.
D0C68
eoVWOO,

r^'
m es
Granda sortimeo^de doce* seceos, crystalisa-
dos e Mida, estraognlros e oacioaaes : ao ar-
mazera da Liga roa V.v* n. 60.
'ii
Vende-se
Jottfwm J a Goncalwe Beltro
Kscnatfio a roa do Tupiche o. 17, primeiro
and ir vende a precos cemmodos potasa e viobo
doPorto em caltas e barris. -j_
Veade-sa violwTde Bordaaui em quartolos
barra e ealxas: em casa de Tisset reres, roa jad
Trapicien.1
mazem da Lica roa Nova a. 60.
N* roa do Vi(trio n. 19. vende-se-:
Vinhii Musrate em aneoretas. '
Vinhos do Porto de diversas qualidades engarrafa-
do e em barra.
Cera em velas e erme.
Lona em pecas a fardos.
Farello novo.
pollo n. 4 em
Leo0O6 Vende se, na rea do Apollo n. 4 em saceos gran-
des ; a 4*600, para acabar
'

Chegaram do Ceari lindo leaos de labyrinlho
de ricos deseobos : a venda na roa do Crespo loja
d esquina n. 8.
A:
V '"
,-~


mHNMMV .
mmm
Diario de Feraanibuc guara felra a le Janelio de i8t,7.
'
*f
\
'

Admirem os presos
Si arma?em de lazed de Santa
Rna dotitueiWaioii. 18
VrDdeu :
MadapolSo enfesladj |}uj a 9* a pe? com 10
lili 9AivlJLL I
Para o tratamento e cura rpida e completa das molestias syphiliticas, erisype- \ D,gJrJf 1*m<**> W. >*e itf* pe eoo
tes, rheumatismo, bobas, gota, debidade do estomago, inammacDescnronicas do figado Catnbraia de lisia desloas caras para vestidos
bago, dores sciaticas, ephalalgias, neuralgias, nlceivs chronicas, hydropesi, pleuri-
PerfimiaFias novas,
800 rs. a vara.
sias, gonorrbeas chronicas"e em.ge a! todas'as molestias em que setenha em vista a pu- {^sd*9 a
rificac5o do systema sanguneo..
Coosideraces geraes
arcos encamados n> 3*500 s 4*.
Ditos de roorgulina a 4*800.
Ditos de arcos para oieninas de 1*800 n 2*.
A saude um tem inaprciavel, cuja importancia e valor s est reservado ao en- Toaibas de n'nho aicochoadas a 12* a duzia
fermoo avalia-lo Ditas de feltro (pello) a 13* a duzia.
incotestavel que ohomem n^ste mundo constantemente, e porjodos oslados ^^^^tf:***0'*-
atacado por urna innidade de agentes morbficos que todos tendem, dadas certas e deter-
minadas circumstancias, a alterar o regular ejercicio das funccSes orgnicas, resultando
pesse deseguilibrio o que se chamamolestia. ,
A molestia nao mais do gue a desvirtuado das forcas vitaes, occasionada, se-
gundo arinvestigacoes e experiencias dos mais abalisado niestres da sciencia, qfela depra-
vado dos humores geraes, consequi-ncia da accao maligna desses mesmos agentes morb-
ficos introduzdos no organismo pelo acto da respirado, pela va digestiva, pelo contacto
immediato etc. etc. etc.
A sypliilis inielizmente tem sido a partiltia da humanidade, e como fra de duvi-
da que esse terrivel Proteo da medicina urna molestia hereditaria, oda tem sido obser-
vada em todas as idades.-e debaixo de todas as suas formas t3o variadas, enfraquecendo
constiluicSes robustas, produzindo raiitilaces, e cortando ainda em flor da idade vidas
preciosas.
Eliminar da economa esses principios deleterios. e purificar a massa geral dos
humores tem sido desde tempo immemorial o fim constante da medicina, e os purgati-
vos flguram em primeiro lugar para preencher esse desiteratum ou fim.
O Eli-xir depurativo do Dr. Sevial parece merecer a preferencia sobre todos: os
immensos successos obtidos pelo u-e deste salutar agen e tanto na Allemfpha, como em
Franca e Italia, o tornam o corapanbeiro inseparavel de quasi todos os doentes.
Sendo as melestia, como cima dissemos, devidas s alteracoes dos humores, o
Elixir depurativo do'Dr. Sevial pode seretupregado vantajosamenle na syphilis, erisy-1 Grosden'aple ^dTio 75sooo*covado.
pelas, rheumnismos, bebas, gota, ebilidade do estomago, inflammaees chronicas do i F'aneiia -e cores a 800 a covado.
figado e bago, dores sciaticas, ceplialalgias, nevralgias, ulceras chronicas, bydropesias.
pleunsias, gonorrbeas chronicas etc. e em geral em todas as molestias em que se lenha
em vista a purificaco do systema sanguneo; pois que urna pratica constante tem feito
ver que elle in (ispensavel nos casos gravsimos para minorar os soffr intentos, e pre-
parar o doente para medicacoes superiores; e as menos graves a cura a conse-
quencia do seu uso, convenientemente repelido.
As substancias que entrara na composicao do Elixir depurativo do Dr. Seviai
pertencem todas exclusivamente ao reino vegetal, e grande cathegoria das substan-
cias depurativas e anii-ypn diucas; assim, ao passo que este remedio depura o orga-
nismo, eliminando os principios nocivos saude, pelo mecanismo rfttu.ral das evacu-
ac^s alvinas, neutral isa ao mesiLO tempo o virus sypbilitice quando este virus j
tem feto empelo no exterior debaixo de suas multiplicadas formas; e previne tam-
bera os estragos dessa terrivel molestia, quando por ventura se ache ella anda no
estado e encubaco, isto sem se ter manifestado sob formas exlernas: beneficio
inmenso, tanto mais quaoto neste estado os individuos igrram completamente se es-
laO contaminados por ust terrivel inimgo. *
O sabor agrdave d'este Elixir couvem a todos os estmagos, a sua accSo so-
bro o tubo intestinal suave e benigna, e de nenhuma forma produz molestias medi-
camentosas, como acontece ao purgante dito Le Roy, que na sua qualidade de drs-
tico forte irrita a mucosa intestinal, e consecutivamente a seroza, resultando d^ste es-
tado, muitas vezes, hydropesias, que quasi sempre terminar pela morte dQ doente.
Assim pois esperamos que o uso deste remedia justifique cabalmente as nos-
sas asseverac5es, porque iendo um medicamento to simples na sua composicao, a
pratica tem confirmado sua ulilidade.
Uaico deposito em Perjaambnco
Na botica e drogara
DE
Bartohomeo Compmnhia.
34-RUA DO ROSARIO LARGA3
_______________________________________________________________;________________________i__________________________________________________________________
3*
Bramante de linho com 10 palmos de largura >
2*500 a vara.
Dito de dito de. 9 1,2 dito a 2*400.
Uilo dito de 5 dito a 1*200.
Dito dito de 3 1|2 dito a 800.
Algodo eDfestado com 7 1|2 ditos a 1*100.
Retundes de fil preto a 7*.
Boihdus db dito a 10*.
Chales de dito a 5*.
Gambraia adamascada para Cortinado cora 20 va-
ras a 13J a peca.
Lencos braocos de cambraia ""finos de 2*,
35500 e 45 a duz a.
Laazinha com dores muito fina a 400 o covado.
Dita lisa d.ta a 480 o corado.
Gambraia de linho fina de 65500 a 95 a vara.
Cambraia lisa muito lina de 35, 65, 65500, 75 i
85 a peca.
Colxas de fuslao nlcociuadas brancas e de cores i
65000.
Coberlas de chita da India de 25400 e 25800.
Leoges de h mburgo fino de 25400 e 25600.
Ditos de bramante de um s panno a 3*00.
: Tarlatana de todas as cores a 800 a vara.
Moreantiqu preto superior a 25600 o covado.
a -e cores a 800 a covado. .*^* *
Cambraia de lpicos branca com 8 li2 varas pe
ca 45300.
Pil de linbo liso fino a 800 a vara.
Dito dito com salpicos a 900 a dita.
Guardanapos de linho para mesa a 35500 a dnzia
Assim como tambem se encontra um complete
sortimeoto de ronpa feita e por medida.
Machinas a vapor
de forca de 3 a K cavallos.
MOTORES de 2 cavallos.
MACHINAS
feMg
Tinta Inalteravel
Para escrever
de P. MAIRER k C.
PERNAMBL'CO

de facao
de serrote
para descarocar o
Algodo
Acham-se venda em casa de
Shaw, Hawkes C.
Importadores de ferrageos.
7.Ra do PelourinhoN.
Recife
Pernambuco.
N.
7.
o
0>


iEsta tinta recommenda-se pela sua com-
posico e fluidez como a melhor e a mais
segura de todas as tintas at hoje eonheci-
das. Nao ataca as pennas de ac, da at
tresexcellentes copias, mesmo mujtosdias
depois de escrever, e preferivel a qual-
quer o.utras tintas particularmente para
livros de commereio, documentos etc de
qese oareca longa conservaeja.
Yende-se na Livraria Francezagrua do Crespo n. 9 e na Botica Franceza ra Nova n. 48
w a___________________________
Mathues Austin tfe .
Vsndesa uo esa atriuaseni, ra
da Senzaa-Velha n. 106.
Latas com gaz de primeira qualidade.
Barricas com farinha* de milho muito
nova.
Saceos grandes com farelo novo a 4$.
Barris com pregos americanos.
Kap Paulo Cordeiro.
A loja de muidlas a' ra,do Queiraado n. 16,
recebeu nova remes>a de rap Paulo Cordeiro, e
continua a recbelo por todas os vapores, para
que os apreciadores aehem sempre boa pilada.
A anlij* loja de miudeu* rea do Queimado
a, 16, reeebeu novo soriimemo de peifumarias
sendo finos exttaotns e essencia concentrada, chei-
rosagradaveis pratenos, oieos surfine, pbiloco-
me, e babosa para cabellos, banhas e cosraetiques
tBbem para os cabeltos, pot decrale hvgleoicos
para dente, opiata Ingieza e franceza para ditos, I
sabonetes era barras qoadradas, ootros em calsi-1
j nhs, ouiros de bollas transparentes para mo, e \
outrosmui linos em oalxinbas de louga para-bar-
I ha, agua da colonia de superior qualidade em fras-
eos de diversos tamanhos e p're(o.,*gua arntareada
; para baobar e refrescar o rosto, agua florida ( da
verdadelra) tnico de Kemp, e mni as ootras per-
fumaras que a vista ti boa qualidade e commo-
didado de pregos, o comprador nao objeelara'.
Mek pretas de lSa e de laia.
Para padres.
Vendem-se na loja de miuezas a' ra do Qnel
i mado o. 16.
tara bsptisados.
Bonitos cbapeosinhos enfeitados, sapatinhos de
setim e merm, bordados e enfeitados, meias de
seda, e fio d'escocia para ditos. Vendem-se na io-
ja de miodcsas a' roa co Queimado.n. 16.
Bicos e rendas dasilhas.
A loja oe miudesas a' rna do Queimado n. 16,
reeebeu novamente oclr'o sortimento AaqueHes bons
e liem coahecidos bieos e rendas das ilhas, cuja
fortidao, e seguranza de^ecido. Ibes da' immensa
durScao e osoirTerenies bs a que acertadamente
scaMplieadosJaiem a grande procura, e prompla
extraegao como costsntemente tem acontecido;
as.-im pois concorram os pretendentes, que a vista
da commodidade dos prefos nao objeelara) em
compnfc.
Graxa econmica.
Em caisinhas, latas e bsrris, a' lop de mindsas
a' rna do Qnmadom. 16, receben aovo sorlhneo-
to.dessa boa graxa econmica.
La para berdar.
A loja de miudesas a' ra do Queimado n. 16,
rer enea novo sortimeniu de \i Oua de bonitas-co-
res, e como sempre vende a baratamente, e o sor-
tmenlo a comento do eompwdor.
Bonitas eaixn&as.
. De madeira cora ecfeiies dourados, e ootrae de
metal para guardar j as. Vendooi-se na ra do
Queimado loja de miodesas n. 16.
Enfeitcs e inalilas.
Na loja de miudesas a' ra do Queimado n. 16,
acbaro os apreciadores do boro, um bello sorti-
ment de bonitos enfeites para bailes, theatros e
ca.-amentos; assim como delicadas gnonldas para
noivas, eaixos de flures linas para enfeilar os ves
tidos de ditas, e moitos outros objectos, e iodo se
vende poi precos tatrasoaveis que o eomnrador
experiente, nao se atrave a ohjectar a respeito.
Babadinlios bordudos, eotremeios ditos,
Todos de na cambraia e delicad s bordados.
Vendem-se na loja do miudesas a' ra do Queima-
do n. 16.
Plumas brancas e de c es.
Vendem-se Da loja de miudesas a' roa do Quei-
aaado n. 1G.
Franjas
Cora borlas e sem ellas, para cortinados, toalhas
etc. Vendem-se na loja de miudesas a' roa do
Queimado n. 16.
B Lizas e lav,radas, larga- e estrenas; ven,dem se
na loja do mludeSas a' ra do Queimado n. 16.
Bonitos-enfrias para vestidos.
A loja de miudesas a' ra do Queimado n. 16,
esta* recenlemente provida de mu bonitos eufeites
para vestidos, sent trices'de seda tanto branco
como pretos, de diferentes larguras e com vidri-
lhos, oo sem elles.
Trancas e cales de seda dos nlt'mos postos, di-
tas com vidnlbos, pretas e ('ranease de differentes
larpnys gortos. Filas de velludo pretas e de
cores, com lisia as relas. Eas--m muitas oulras
cousas de moda e novidade, e todo por pregos 15o
commodcs, que o comprador flea satisfeo e nao
onjecta a comprar.
Bollas de borracha.
De diversos tamanhos para bringuedos. Veo-
: d*m-se na loja de miudesas a' rna do Queimado
n. 16.
Novos brincos da ultima?
moda.
Chegarara novos brincos de ouro do 1er com pe-
i qnenos pingentes de crystal e de coral, ditiereutes
modelos e ultima moda franceza : na loja do vapor
ra Nova n. 7.
estre-
VENDEN
um cabriol*t de qoatro rodas e quatro acentos,em
bom estado, nma meta calessa muito boa, forrada
e pintada de novo/ambos cora arreirs, por prec.o
muito barato : na ra da Ponte Velha n. 8.
Eafeites novos e de bom gosto para
vestidos.
A Agoia Branea, a' roado Qnehnado ti. 8, rpc^
bea um extraordinario oriiaouto de ^afeites mo-
dernos e de go.-to para- vestidos, sendo galio de
seda de diHeren'.iS, larguras, crese desechos, c
qae de ma s moderno e agradave! se pode actuai-
eDte encontrar.
Trancas.
Trancas brancas e pretas, (arpas e e
vidnlbos, pingentes t} sem elles. Dil;
de cores, largas e e&|reitas sem vidrilh
Fitas matisadas 6a de desenos de
tas e mais largas, proprias para vestidos de meni-
nas e seohoras.
Ditas da velludo, pretas e de ontras coros, com
orellas de cores diferentes, gostos novos, tamben?
propnas para afeitar vestidos.
teosle seda broncos e pretos, largos.e estrel-
tos, com vldrilhos e sem elles.
Em dita loja os apreciadores tambem encentra-
rao bello sortimento de flvellas e fitas tara ciuio?.
pentes para coques, e muitos ontros objectos t
moda.
ntremelos < babadinhos.
Boa fazenda e delicados bordados, eslam expos-
tosa venda na ruido Queimado, loja de Agnia
Branca d. 8.
A Aenia Branca a roa do Queimado n. 8, taro
beni vende mni bons sspartilhos.
Tinlaras para cabellos.
A Agna Branca acaba de rereber novo sorti- j
ment'i das bem conherldas tinturasChromacome. (
Marques e Hollde, e com quanto os pregos de rtitas
estejam um ponco mais elevados ( por causa de al-
teraco dos diri-itos), com Indo nao a pequea !
dlUerenga que ba de tazer dos mocos velhos; assim
eoniinuem os pretendentes a di'iglremse a ra de '
Queimado, loja rfe Aguia Branca u, 8.
Objectos de fcorrachas para luto.
A Aguia Branca a' ra do Queimado n. 8, rece-
beu esses novos objectos de borraeha para luto, i
sendo alneiles, brincos, pu'ceiras, voltas de cor- |
rentes, correntes para rulogios,. assim como catre
igual seriimento rie obras de vidro, tendo de c ai
flvellas do mullo bom gosto e cintos, e lodo Isso se-!
vende por pregos ravoaveis.
Pendes e or para cuques.
Obra de bom gosto, e ioieiramenie nova, a Agnia
Bratca a' ra do Queimado n. 8, receben uus pe-
queos pentes com urna flor de metal, obra de no
vtdae e muilo gosto, e proprios para coques.
Oijectos de gsto.
E novidade, npnstas a venda na ra do Quei-
mado, loja, da Agoia Branca o. 8.
Bonitos e modernos enfeites para bailes e thea-
tros, com Blas e flores, com coques e sera elles.
Delicadas capellas brancas de rozas e flor de laran-
ja para noivas, csixos de flor de laranja proprjos
para peitos, hombros e barras dos vestidos de noi-
vas.
Copes fingimio cabello.
Lisos e crespos, siogelos e ccmposlos, de gonrs:
eanodos e redondos, coberios com fliet simples *
de.vidrin'nos, ornados com flores e otas, obra nova
e de gosto.
Para senhoras e meninas.
Leqoes finos de madreperola e osso.todo de sn-
dalo e de sndalo c m seda, com Anos e bonitos
desenhos.
Obrs de madreperola.
Bonitos pentes de madreperola mui lvo par*
coques, lindas fivellas de dita dita para cintos, de-
licados alneles e brincos, botos para ponhos, o-
bra prima.
Aderegos, peules e fivellas iguaes de dita, a
brincos. Fivellas e litas para cintos, cintos rpati
sados, obra noVissima e de goslo.
ft.iatlos enfeites Boaolioa para
echoras
A aguia branca tem a alsfago de noticiar a
sua boa fregue^ia que acaba de receber lindos en-
feites Boncitou obras delicadas, de contt e ul:>
ma moda, o que ser devidameuie .ipreciado [ea.-
excellentissimas senhoras de bem gosto. Os pre
gos destes enfeites sao comraouVw o isso verificara
qoem se dirigir a rna do Qu miado loja da aguia
branca o. 8.
Ramos de Clores finas.
Como geralmenle sabido, a loja da aguia bran-
ca o jardirn das finas dures ariilieiaes, e alm.do
bom sortimento qoa sempre se arha em dita loja a
agoia acaba de receber novas flotes as qnaes se
roubece o rigor d'.arie imitando as flores naloraes.
Na loja da aguia branca a roa do Queimado n. 8
acharo os apreciadores do bom e delicado caizode
flores coro compTidas ramas, rosas, etc., todo do
melbor gos'o e pn t e-ra qualidade.
veas pretas para padres.
A aguia branca a' ra ."..Queimado n. 8 reee-
beu novo sortiroento daquellas boas meias pretas
de laia que continuara a ter vendidas a 5000 o
par.
V'isporas e domines
A aguia branca a' ra do Queimado n. 8 reee-
beu novo sortiroento de vispnras em caixas de ma-
deira e papelo com 24 e 36 caries, tendo entre
elles alguos com chapa de metal para cobrir o ro-
mero ; assim como dminos em caixas de madeira
branc e envernisada.
Botfe grandes
e pequeos, pret s e de ootras cares.
A aguia hra'aca reeebeu um betb sortimeoto de
botoes Je diversas quahdades e gosljs os mais
modernos, a elles boa fregoetia da agola branca,
comparegam a ra. do Queimado v. 8.
'collares Bnyer
on
Anodinos electro-magnticos contra as con-
^TOtaoes, e para facilitar a denticao da?
crian?as. A aguia-brnca na rna do Qi;ei-
roado n. 8 recebe-o por todos os vapo-
res francezes.
J estio lio conhecidos, e tanto se tem espalbadc
a fama desses prodigiosos collares Rnyer, rjtie ?
torna desnecessario dizer mais alguma cousa em
abono de tena bons e e efflcazes eifeiios: basta c
!ostemunfcoj^|lilhares de pessoas, qoe tm visto
e aprovel?HEl feliz resoltado desses lao utes.
lun neeesrios cellares Royer. A quolidiana
crescida ejtracglo, que vao lendo, mostr ainr-
que numero dos prodisios se eleva como todo:
os compradores. A aguia-hranca, p^rm, de?e-
ando concorrer para om fim de tanto aproveiu-
meoto, tem feito os necessarios pedidos, psra qu-
por lodos os vapores trnceles I be seja remeltta
certa qoantidsde de ditos collare-:, para as*io tor-
na'r-se infallvel o sortimento delles, na loja d'>
gnia-branea, roa do Queimado n. 8.
Fio de algodo da Babia
Vende-se no escriptjriode Antonio Luiz de'Oi-
reir Azevedo dt C, no senescriptorio rna da Crol
o. I.
toanAsj*i m ">y
Escravos fgidos
Muita attengao
"Pa noite de 23 de selembro prximo pasudo,
fugio do engeoho Btnto Veibo em Santo Anlac
eseiava Eduardo, eri'ulo, qne representa ter 44
aonos, bom offlcial de carpioa, bem ladino e fal-
lante,, falla brando e insinuante, cor Tula, baixo e
espadando, petnas finas, ps limpos, dedos dos ps
curtos e quasi e' iguaes, lera falla de nm dente na
frente, sabio de palilot pardo debruadji dt fila bran-
ca, chapeo de baeta sinaeoU, rede, bata e fardo de
mais ronpa. Ha bem de soppor que como carplna
esteja passando por forro em qualquer parte : ro-
ga se, pois, as autoridades policiaes desta e das ou-
lras provincias toda vigilancia, t pnmette-se a
qualquer que o capturar e conduzir ao referida en-
genno gneros recompensa.
enea
&
ADsf ntou-se a prela Joanna, da Angola, de ca-
de de 40 annos ponco mais on menos, no da J9
de dezerooro de 1866, levou vestido encarnado e
um chales rdxo e branco com flores encarnadas
com franjas, levou um caneeo de carregar agna
pequeo branco e esta amassado no meio, j foi
concertado, baixa e seca do corpo, tem coveiras
nos ps ao p dos dedos nao certifica se sao im
te dos dons, quando falla sarapantada as vezes,
julga-se esiar nos arrabaldes desla cidade on dea-
j tro, protestase conira qualquer pessoa que a le-
nha coutado, quera a levar a esa de seu seahor
su Uie pasara' o seo trabaiho generosamente no
largo do Tvrgo n. 23.
tieneao
Fogio do engenho Sanio Mendes mi a nonte do
dia 30 de setembrO do anno prximo passado, a
fscrava Josepha, perlencente a Laurenlino G da Cdfihl Pertlra Belt-o, a qaal lera os signaes
isepuioies : aWa, corpulenta, cor fula, muito ladina,
crloula, dspos paraqualquer servigo, es gran-
des, tendo de irtade 30 aonos; esta escrava veio
do logar denominado Garrapato da comarca de
Lirooeiro, para o poder do fallecido Jos.Gonvoia
Leite, qne a venden ao Sr. Adelino da Cosa Vil-
lar, o este ao actuai senher della. De Urna das
fgidas que tem feito, foi presa no Limoeiro. Da-
se lOOiJlit'O a quem aprehender e levar oo enge-
nho Santos Mendes, onde mora seu SeDhor, oo na
praga do commereio, aos Srs. Oiivelra Filhos t
G., largo do Gorpo Santo n. 19 esrriptorlo. Pro-
le.-la-se responsabllisar a quem quer que a accu
lar._____
No dia 29 de desembro findo ausen-
tou-se a preta Bonifacia cnoula, de 45 an-
nos de idade, baixa e de pescoco curto;
levou vestido de cbita escura de ipiadrinhos
e bastante regrista; pelo tempo de festa,
t^m de costume ausentar-se pra andar ven-
dendo froctas pelos Afogad. s, e oulras por
linda. m r
Roga-se pois s autoridades .policiaes e
capitaes de campo, sua apurehensSo e levem
na-Oapunga pb.to do Lacerr, casa de porio
verde, do lado'direito, que ser graiicado.
I

--------

> ,



DOS PREMIOS DA 5. PARTE DA 1 a ~i LOTERA CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 393, A BENEFICIO DA IGREJA DO DIVINO ESPIRITO SANTO DO COLLEGIO, _...... .....---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------*--------------------- '' ' EXTRAHIDA EM 8 DE JANEIRO DE 1867 '
1S. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.JS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS^ NS. RPEMS. NS. PREMS. NS. PREMS. PREMS, NS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. 1 NS. PREMS. N8. PREMS.
3 6 218 6* 40o 6* 617 6* 781 6* 979 6* 1201 6'l368 6* 1544 10* 1776 6* 2027 6* 2234 6* 2425 6* 2587 6* 2805 P* 2982 6* 3161 6* 336D 6* 3579 6* 3761 6*
9 10* 29 10* 8 20 82 84 2 M 69 49 6* 79 31 35 32 89 8 + 92 68 61 83 63
10 64 32 6* 9 _ 21 __ 86 10* 86 4 _ 70 10* 32 83 20* 37 45 - 33 94 17 93 10* 72 64 93 64
11 35 10* 6* 10 __ 24 87 6* 92 6 mm 72 6* 54 _ 87 6* 38 46 36 96 20 97 6* 73 67 98 69
13 ^^ 41 13 ._ 28 800 93 _- 11 ___ 73 74 M 40 52 38 97 10* 22 3002 77 72 - 3602 72
16 ^^ " 44 16 __ 29 4 10* 1000 12 __ 76 i 77 20* 96 43 55 42 2600 6* 23 3 10* 78 73 3 74 . m-
O t, 49 _ 17 _ 30 20* 10 6* 2 15 _ 77 , 84 6* 99 20* 44 60 43 3 26 7 6* 84 . 75 6 79
23 _ 50 _ 18 _ 31 6* 12 5 __ 20 __ 85 88 1804 6* 47 -!- 63 45 8 28 8 - 92 81 6 .87 mm
28 51 _. 20 _ 35 14' 11 21 --- 86 10* 89- 5 7 66 100* 53 19 . - 32 9 96 88 *m 8 W| 93 tt; ,
31 20* 38 _ 21 49 40* 18 13 24 88 6* 97 10 58 71 6* 55 23 33 11 3202 i 92 13 30* 96 .
33 6* 59 205 22 _ 50 6* 19 , 19 26 89 99 16 62 __ 74 100* 57 35 40 14 10* 12 93 ' 18 6* 3802
33 10* 60 6* 23 _ 52 - 21 mm 22 27 94 1604 YA JO 69 76 6* 62 39 43 15 6* 13 97 20 8 .
ia 6* 63 74 24 33 56 57 27 29 23 27 28 32 1403 5 __ 22 33 22 72 75 I 80 88 - 67 70 mmm 40 44 ^^ 44 45 M 27 36 17 27 : 99 3403 22 23 m-^m 23 32
46 10* 26 im
32 75 M. 38 mi 59 37 ^^ 28 r 33 --- 7 36 6* 36 76 90 71 64 30 40 - 28 13 --- 26 m- 36 10*
33 79 M_ 47 _ 61 41 _ 36 34 --- 10 39 37 77 .-r 95 73 66 - 65 47 30 15 30 44 6*
34 83 mm 48 63 44 ^^ 41 _ 37 10* 13 41 38 10* 81 7300 74 67 60 49 31 16 31 48
35 20* 86 ' 54 65 46 _ 43 H. 41 6* 17 42 39 10* 83 4 81 68 63 30 33 28 35 6 20*
61 6* 92 57 --- 67 53 ^_ 49 _ 42 21 43 45 6 97 6 87 70 10 69 54 37 20* 31 38 58 6*
62 94 58 68 62 ^ 34 .. 44 26 48 - 80 m 2102 + 7 88 78 6J 73 37 40 32 40 61 "~
63 _ 95 59 69 69 *. 56 . 46 27 100* 49 10* 84 5 9 89 94 - 76 40* 58 46 mm 35 --- 42 . 64 "~
66 96 40* T4 72 74 m-m. 58 H 47 28 6* 51 6* 88 6 10* 11 93 2704 79 6* 59 '. 53 39 48 66
67 _ 302 6* 79 r 79 76 _ 67 . 51 30 . 54 10* 89 mm 7 6 12 94 6 84 -t 60 55 40 49 . 67
80 85 __ 3 84 81 79 MM 68 _ 53 38 63 6* 97 11 _ 18 97 9 86 61 59 . 43 50 69
_ 8 _ 86 iOi 83 80 _. 9 40* 0 40 66 10* 1900 18 19 2500 17 - .87 65 60 * 45 56 30* 70
91 _ 14 89 101 84 88 20* 72 6* 70 41 72 6* 5 21 25 2 500* 18 89 72 166 54 8 6* 71
98 17 90 6* 88 89 ** 78 10* 75 47 79 . 8 __ 21 27 40* 7 6* 20 10* 92 -* 73 8 - 55 69 ' 73 100*
104 27 2 31 34 36 38 46 47 48 36 63 64 72 74 78 22 m 93 94 81 8* 77 mm 48 81 _ 9 24 mn 28 i* 8 21 6* 93 75 72 56 ~ 65 77 6*
24 _ 12 96 95 irr 86 89 50 82 15 32 29 10* 11 12 96 79 10* 73 - 38 ~ 70 81
29 16 f-1 706 _^^ 97 __ 7 __ 91 51 88 17 39 30 6; 19 10* 23 98 85 6* 77 -- 64. -* 77 82
31 19 - 7 99 91 40* 95 56 i 96 28 . 41 32 23 6* 85 %m 86 7 71 80 : 95
34 21 9 902 mmm. 92 6* 97 63 1703 33 mm 47 35 27 29 1 ~m 88 88 73 1 _ 3960
33 23 * ~ 15 _ 4 1107 1303 mm 67 4 _ 41 61 mm 36 10* 37 31 6 90 90 10* 74 90 1
44 28 _^^ 10 _ i ... 13 ^i 7 mm 71 9 _ 42 63 37 6* 42 _ 32 7 i 95 -* 94 * n 95 _ 6
33 ^^ 30 - 20 6 _ 18 B n 10 46 10* 66 48 43 37 6:000* 9 96 M 3308 81 3705 100* 8
56 31 -* 27 8 ^^ 24 vm 10 .^ 78 15 49 6* 67 50. 44 38 10* 17 3101 11 93 6 6* 10
61 68 39 33 t ^ 20 j 13 M. 89 31 _ 69 mm 77 mm 53 ; 45 42 6* 20 3 96 1J200* 9 13
m~* 44 tmm 35 20* 13 _ 29 __ 16 mm 90 39 _ 70 _ 11 57 46 47 27 ' 5 - 18 - 3505 4* 10 11
73 47 36 6* 16 m 33 __ 19 _ 94 40 ,mm 74 86 10* 60 53 . 52 10* 36 8 34 7 18 95
73 82 3 m*4 37 17 ni 36 A 20 .-mm 96 42 76 87 6* 66 10* 54 9 6* 39 17 M 25 mmm 21 - 15 16 mm
30* 39 mmm 47 18 6* 88 __ 13 _ 97 soo* 46 20* 77 mm 98 - 70 6* 55 64 46 36 +H %% 48 33 39 mm
84 6* 81 __ 30 19 50 pj 27 99 6* 48 6* . 80 2200 10* 74 40* 57 69 s 48 37 M 80 - 46 40* 3 49 *""
20* 20* 86 84 ' 51 > 31 %__ 58 . 18 _ 1506 _ 49 83 5 6* 77 6* 60 70 -a 50 .- 31 3 47 4* 37 59 64 70 76 "mm
88 200 87 5 _ 60 46 20* 61 30 M 7 53 84 7 83 63 73 -i 59 mlm 3 ~ 41 50 - 38 mm
tt 6 -4 61 j- 57 6* 79 _ 31 11 55 m~ 85 15 2400 68 80 1 BH 35 H 44 58 39 10* ^m
2 93 20* 89 62 mm 66 83 _ 32 mm 12 56 86- 16 10* 5 74 - 81 : 3 -* 42 45 'mm 61 41 * JO*
3 94 6* 90 _ 66 _ 69 90 .. 42 __ 26 mm 60 91 18 6* 8 10* 75 40* 84 71 48 ' 47 " 62 48 ^" 80 6
0 - 96 97 ^^ 71 10* 71 92 . 56 _ 32 10* 61 --- 99 10 9 40* 78 6* 85 70 49 ' 49 66 10* 54 mmm- 85 mm
10 400 _ A9 i 73 6* 73 96 61 _ 85 6 65 . 1010 4"* 25 19 6* 81 90 M ' 75 _ 56 -| 58 mm. 61 75 6* 55 67 MW
__ 1 . 80 76 99 63 43 69 24 6* 37 r *3 -1 86 un nm 53 *- 77 mm 57 M 96 --
u 602 - 11


:,

mmm
m


*mm
Diarlo de fernambaco tuarta felra 9 de Janeiro de 18b7




LITTEMTORA.
US POUCO DE'TDDO.
I" do Sf. V. Paulares esta poesa :
Ao luar.
*
A miuhi virgem noivaa"notts e>t to bella l
&' lao silente a Ierra, e tio calado o mar:
Lavanta-le do leilo e vern iara a janell
,\' doce los da la eu quero t adorar. "S
Ai, tudo agora dorme I lat ira a na turbia
Parece que se e( B auahoa de razer.
S eo curvado a. 5r, n .* azas da iristea
Pe forro a soltdao ci rando o meojiver.
Qae sonho seductor uasta hora jSJHeBia
0 espirito infantil, qne Deus beijor#yez 1
Aiii quaoto descanco 1 Aqu quanta tormenta I
La dentro anjos e luz; el (ora a viuvez 1
u mondo v me rosto, e as perdidas cores
Ao multo l a dr de males corporaes;
Se votfcomar a alguem meos fundos dissabores,
O mondo inteiro grita : E' na la. Eu soffro mis I
Ai, minha mocidade I A loa roopa branca
fw cedo o meo destino em creps transformn;
E de minha alma triste o pramo nao se estanca,
Que a triste v perdido aquillo que sonhoa.
Ai, miotn virgem noival O teu olbar divino
Ao corago deserido a cretoca mff"cna||pu,
E co'a illusao do amor mudante o mea* destine.
Tu foste o mea Jess 1 Tua alma me salvou.
Mas tu nao veos... ai, n^l No leito te laucaste"
T:>lvez que fatigada, exhausta de dansar.
Que;n sabe se, conten?, a noite nao gastaste
Nos Lucos phrenesis de expleodldo bailar I
Se fui assim por que tio louca tu te lancas
Da um mundo lao fatal na sala dos festios I
Nao sabes, nao, que all, meo aojo, tu te caobas,
Descoras o teu rosto e rasgas leus sellos!
All, n'aquella esphera a virgidale esrotla;
As rosas do pudor desfolham-se no chao.
A ir.ao que apena a ciol; o \ que pisa a saia,
Sao golpes de punhal qae busca o coracao.
E que hlito, e que bafo all se nao respira,
All, onde a pureza um goso nao frue I
Nao sabes tu, que all corrupto o ar qu- gyra;
ue o ar que.raurcha a rosa a virgem prostltue t
Nao voltes mis ao baile, o baile urna verligem
Que annegra o corago de sentimeotos vis.
Nao quoiras ter um dia, oh minha doce virgem,
N'um corpo de Mara orna alma de Laiz.
Procura a solido, que na soldo somonte
E' que a alma se arrebata e foge para os cus,
E n'asa de am anjinho escndese tremente
P'ra nao cegar de luz pairando junto Ueus.
Ah, minha virgem noiva, a noile ja vai Anda I
A loa de.-corada em nuveos se eccultoo,
E a febre do arrebol de madrugada linda
as faces do infinito as rosas accordou.


E' do Mouitnur Ilustr des Invencin* que tra-
dutimos o seguinte sobre a :
PHOTOGBAPHIA INSTANTNEA.
O photographo de p junto a sua objecliva, com
o da4o4evaotado, conta : um, dous, tres, quatro...
at otmoeota ou sesenta ; a photoprapbia esta fei-
la. Elleexamioa-a. Vamos, bem I o nariz est mui-
lo negro, as roaos moi brancas, os olhos esto tor-
ios ; vos movis extraordinariamente os olbos ;
nao estlvesteis qaiete. E' preciso recomecar. Um,
dous, tres, qoatro... e, depois de ter felto este ma-
nejo cinco eu seis vezes, definitivamente conclui-
da a photographia. Eis o que se chama hoja a phe-
tographia instantnea.
E a poslcao I examinai es retratos expostos s
ponas de certos photographos; que linJacollec-
cao de cabecas mais ou menos caiqsecas! Este Jo-
ven daody, cora os cabellos repardos'Jpo alto da
jbega, que de'homem nao tern se nao os vestidos
faz nos sacudir os hombros era siga! de piedade
E esta gorda matrona, de formas masculinas, como
esplendida de grotesco! Afn de se dar nm ar
gracioso, ella estuda um soriuy, pisca os olblnhos
aterrados na baoba, contrahe os enormes labios,
e faz em resu*e, urna atroz careta ao publico.
Granas ao processe%> Sr. Skai, de Londres, nio
teremos mais essas poslcdes ridiculas, e a instan-
laneidade photographica ser literalmente realisa-
da. Elle subsllue,> fu solar pela que obtem quei-
m ndo urna mistura d raagnesium em p e de
chlorato de potassa As chapas sao preparadas com
anjftedencia, a pessoa que deve retratar-se col?
locada ante o apparelhi, em um quarto pouco il-
luminado. Repentinamente, quando ella menos es-
pera e emquauto conversa, infiamma- produz-se urna luz bnlhante e o retrato est feito.
Pertinaz flagello este (o cholera), que tendo di-
zimado tantas povoacSes, ainda lavra, assolande
muilos povos.
Em Pars dii-se extiocia a doenca; mas em va
rias partes, principalmente nos departamentos do
norie, continua, posto que em geral, mdito mais
branda.
Esta .epidemia fez em Pars 6,000 victimas, apro-
ximadamente.
FOLHETM
ISPMMASIlESATAMZ
POR
Jules de Saiat-Felix.
8IGimOA PARTE.
X
(Contiouaelo)
Urna noite, depois ti mil protestos de amisa
de mais exaltados qne de ordinario, fechou-se o ba-
ro no seo gabinete. Naqaelle dia naba ea visi-
tas. O Sr. de Moutperre.y fo ter eomigo sala, e
ali, diodo me ama carta fechada, disse-me estas
palavras : Son velho e doeote ; posso morrer
d um momento pira oatro. Estou-lhe agradeci-
dissimo oelo seu aliento, e pelos cuidados de qoa
oio cessa de rodearme. Aqu tem ama carta fa.
chada, qae ea Ibe pco receba, e guarde preciosa-
mente. Prometta-m? nao a abrir se nao viole e
quatro horas depois da miutia morte. Exijo-o-
Nella veri qaaes tem sido os roeus sentimeotos e
sen respeito. > Quiz recusar, por qae logo m\ e"i o
genero de qae era o papel que me >nlregava, ma
in-utlo tanto qae ced, e aceile o que lio ccrdeal-
raente me offereciam. Eta a veadade.
Moito bem, di s e Raymuado ; e essa scena
tio terna nio tere neohuraa testemunua ?
Nenhnma.
Fei em ama sexta feira a noite, nao ver-
dade T
E' verdade.
Xo dia segolste, sabbado, quasi i mesffia
hora, o baro de Montpetrev, victima de am ati-
Em Berilo, at lide ootubro, o total dos chole-
ncos era de 7,979 dos quaes havfam fallcld>
5,131, e qne equivale a ama mortalidade de mais
de 6i por cenia.
Na Saxonia poaca tem diminuido a intensidade
da epidemia, qae t.i grandes estragos emZwuk
Planeo, Manieotal, Planiz, Baotzeo e on tras po-
vos (des, qoa oo anno anterior tinham pago seu
trbulo nao pequeo.
f)i\g decresee a epidemia. Em G.tha,
ella reina a epidemia, que se tem es-
Pomerania.
a nntr-se aljinns casos em Cope
nhaoe.
Na Rassia vai em plena retirada. Na capital o'
moviroento clnico desde 14 de Juoho, comeco da
epidemia, at 11 de novembro, ful o segointe :
Aiacdos, 11,432 homens, e 4,30\ muiheres ; total,
15,816. .
Fallecido?, 2,283 homens e 9S0 muiheres ; total i
3,270. Resuda daqui a mortalidade de I para 4,8.
Na Austria e em Vienoa contioua cora intensi-
dade apezarde ter ja diminuido : segundo as ulti-
mas noticias, ainda sao atacados 120 a 130 indi-
viduos, havendo 60 bitos por di.- }
A Hungra, qne perdeu para cima de 21,000 al-
mas, parece afinal livre do flagello.
Na Italia anda xi>te em algumas cidades.
A Blgica, que pagou lao caro tributo ao mons-
iro asitico, val entrando bo sea estado sanitario
ordinario.
Segundo o Jornal de Medicine de Bruxelles, cal
cul.i-se o numero total de viciimas na Blgica, ar-
rebatados peJa*epidemia de 1866, em 40,000 indi-
viduos.
Na Holtanda tem cessado a epidemia em qua
todas as provincias. Desde a invaso al 6 de oo-
tubro bouve 18,791 bitos.
Na Inglaterra declina rpidamente. Em Londres
recrodesceu em algumas.das ultimas semanas. Em
Londres, sobe a 5,000 o numero das victimas.
N'um banquete haviuo ltimamente em
Manchester, tendo-s tratado da reforma
eleitoral, Mr. Bright pronunciou o seguale
discurso :
t Senhores e senhores.Ainda que este
tenha sido um dos mais importantes e so-
lemnes meetings que se hajam reasado
n'estes ltimos annos, fichis sem duvida
admirados que eu tenha eoncorrido anima-
do de um sentimento quasi de indierenca
n5o porque eu seja indifferente a elle, quan-
to sua importancia, mas porque vim sem
experimentar o senlimento de responsabili-
dade que n'outras occasioes recentes me tem
preoecupado.
A commisso diguou-se mandar os seus
agentes urna lista dos oradores que julgava
lerem tenc5o de fallar perapte o meeting.
Pareceu-me mais numerosa do que espera-
va, e encontri o meu nome a meio da lista
pouco mais ou menos. Pensei pois que
vmha aqui mais como espectador e obser-
vadot'do ijue cliarnad a oceupara primei-
ra posigo no meeting.
t Alguns cavaludros que era d'esperar
ver, nao se encouiram aqui. Mrs. Stans-
feld e Layard nao poieraio assistir reu-
niao. Esperjque aquelles que fallarem
depois de mim vos digam urna grande paite
do que eu Dao trato de dizer esta noute, por
isso que nao quero abusar do tempo de que
dispondes.
< Estamos aqui na mais vasta e na me-
Ihor sala de-Inglaterra, da Europa, e creio
que do mundo mtiro ; e todava esta sala
est cheia de gente, a qnem segundo creio,
os nossos adversarios nao recuzam, pelo
menos, aqualidadede honrados e influentes.
Duvido que j mais houvesse n'este reino
um banauete mais numeroso, mais impon n-
te, e mais unnime a todos os respeitos,
do que o d'es'a noute.
Agora occisio de esclarecer a classe
media ; a qnal se diz que 4epois do bil da
reforma de 1832, tem o poder poltico as
suas mos.
Diz-se tarabem que antes de 1832 esse
poder pertenca aos lords, e aos grandes
[apritanos ruraes, mas desde 1832 per-
tence s classes medias, a qnem se pergun-
la se querem confur esse poder s.mos de
classes mais numerosas, e, segundo se affir-
ma.mais perigosas, que suplantara n5o s
a classe mais elevada, mas tarabem urna
grande classe media, na qual se affirma re-
side agora o poder poltico.
Com difficuldade se trata de persuadir
as classes medias de que existe uniinteres-
se ess Ticiale-ite diff3rente entre ellas e a
grande massa do povo, a quem se no tem
querido conceder ainda esses direitos pol-
ticos e esses previlegios.
qae de apop exia fulminante, expirava ni sua aleo
va, tambera sem testemuohas T
Oavimos a bulha de ama queda ; a minha
aia e eu acudimos correado... O pobre barSo es-
lava mono.
y A sua aia I J entao era a menina Clotilde,
que ainda boje conserva T
io era Clotilde, replicn a Sra. de Sabho-
ville, dirigindo a Raymuado am olhar de inqnie-
taco. Era entra de mais Idade, por nome Wofre-
do, allem, que nao esta j ao raen servico.
Que feito della ? perguntou o marqaez.
Horren em Drosde ha oito on det metes.
Sioto-o devera?.
Por qae ?
Em primelro lagar por ella raesmi, e depois
por qae nao posso apoia-la com a sua declaraco.
Creio, disse entao a dama levantndole, ereio
qae nao deixei de ser complceme e eoodesceo-
den e, e que del provas de franqueza. Pefo-lhe
agora que lenha a bondade de dar por fiada esta
entrevista. A tempestada j passoa ; alagarel nm
trem de prac,a...
Nesse caso terei a honra de acompaaha-la,
accresceoton Rayraando. Has antes de terminar
esta intereasante conversa?o, preciso tambgai pela
minha parte faxer-lbe ama oonfls-io completa das
minhas con vire* e sentimeotos. Alteoda-me, e
nao se enfade. Admiti qae o idoso bario de
Hontperrejr teoha morndo repentlnamenta, victima
de ama apop'exia foiminaote j mas estou intima-
mente persuadido, tenho quasi certeza de qae nao
deixoa testameotj olographo ; qae o qae a sanhora
fei valer nao fbl escripto pela sua mao della.; em
ama palavra, estou convencido de qae a snhora
me rebou qulnneotos mil francos. A seobora ti
c Oiz-se qae urna classe esta no poder,
em quaoto outra est fora d'elle, e mostra-
se s classes medias o perigo de admittir a
tomar parte cora ellas nos negocios aquellas
que estSo excluidas, pelo receto de chega-
res a destbrona a classe media, e de cons-
tituirema seu modo um governo iotelligente
egosta, e pouco rasoavel.
E' esta a linjuagem de que se servem
as classes medias para os levarem a nao se
associarem a medida algutra que deve ad
mittir as classes operaras a tomar parte no
poder poltico.
Eoteria certa mente pejo de me a pre-
sentar perante um meetiog, e de empregar
argumentos como este.
t Os j >maes minsteriaes e outros que o.
n5o sao; quera dar-nos a entender (porque
os jornae* pretendem sempre eatender urna
multidao de cousas que nao comprenendem
e de que n5o sabem) dar a entender, dio
eu, que os frequentes conselbos do gabine-
te que tem bavid n'estes ltimos quinze
dias, nos cllocam n* extraordinaria posi-
c5o de ver hoaens, ^ue, ainda ba seisme-
zes erara contrarios a reformas, trabalhar
boje com energa para preparar umi me-
dida que deve salisfazef a grande massa
dos refermadores do paiz.
Vede agora qual a miaba opinio ;
Os jornaes nao comprehendem cousa
algama; o governo (urna vez que nices-
sario dar-lbe este nome), ainda nao decidi
se apresentaria ou nao ura bil de reforma,
f Direi melboF : Lord Derby espera ver
o que o tempo faz; e muito provavelmente
ho de passar-se anda algumas semanas sera
que se adopte resolucSo alguma.
Quem sabe? estes senuores querem
talvez esperar nova quinzena. Pois na se-
gunda feira, 3 de dezembro, segando se diz
segurado o exemplo de Birmingbam, West-
rideng, Glasgow, Mancbesler e Dublin, os
homens que pertencems industrias de Lon-
dres querem realisar o que se cbama urna
demon.strag.3o.
Vou explicar-me melhor : tratando da
questSo da reforma, ho de reunir-se e pro-
correr tranquillamente as priocipaes ras de
West Ende de Londres, e com o proposito
nicamente de mostrar que ligara um certo
interesse a esta grande queseo.
N3o me record do que sobre este
negocio tenho lido nos jornaes, mas assegu-
ra-se que mais de um milno de homens
bao de figurar n'esse cortejo.
Sei ue boa fonte, que as pessoas de
West End, que frequentam o club, esto as-
sustadas sobre o que se pode passar no dia
3 de dezembro.
c Pela nossa parte sabemos perfeitamen-
te o que ha de succeder, se a polioia nao
tntervier para alterar a otdem, A tran-
quillidade nao ha de ser aderada, e prova-
velmente o que ha pouco succedeu deve
servir para encam naar o secretario de es-
taco do interior sobre o que tem a fazer
n'esta oceurreacia.
< E' portanto ser muito crdulo e ter
muito boa vontade, imaginar que o ministe-
rio Derby ha de apresentar urna medida de
reforma satisf loria.
Sir Robert Peel, e o duque de Willin-
gton,di/em alguns, fizeram passar a eman-
cipaco dos cathi.l eos, e sir Robert Peel fez
revogar a lei os cereaes; porque n3o ba
de lord Derby fazer passar um bil de re-
forma ? Mas ha aqui urna pequea diffe-
renga ; lord Derby nao nem duque de
Wellingion, nem Robert Peel.
.Lord Derby,(em 1846, separou-se dos
seus amigos, em vez de se reunir a elles
para fazer pagar a >uppresso das4eis dis
cereaes, e desde entao nunca deu o menor
signal de capacidade como homem de esta-
do ; nunca moslrou o menor patriotismo que
nos possa fazer esperar que n'esta occasio
desertando do seu pirtido e faxendo urna
reviravolta, possa querer fazer alguma cou-
sa til ao seu paiz.
c E' muito bom de dizer que, se o go-
verno apresentar ora bil de reforma. con-J
veniente, nos que desejamos esse bil o
apuiaremos ; mas na veedade, quem que
se La de exiasiar diaate de semelh nte phra-
sealoga? Acreditai-me, o que temos a
fazer de melhor conservarmo-nos dedica-
dos nossa antiga ostituigao.
V. Exc. n5o a verdade
1
Conta-se era Londres ura gran le numero
de industrias mais ou menos lucrativas.
A de hor se ehaunler reputada excel-
lente. Como a maior parte dos leitores
ignorara sem duviia este genero de indus-
tria, pedir-lhes-hemos que. nos acompanhem
a um tribunal de polica correccional. Est
assentado no banco dos reos ura irlandex de
estatura baixa, reforgado, cheirando a taba-
co de cachimbo e a whiski, de rosto aver-
melnado, m3os caloss e trajes rapados. Tem
o olbar intelligente, e nos seus labios est
desenliado um sorriso malicioso.
Qual a vossa oceupaco ? Ihe per-
guntaojuiz :
Su hor se chanter para servir avossa
excedencia.
Hor se chaunter I que jquer isso di-
zer !
Pois que! Vossa excedencia nao tem
conhecimento d'essa industria ?
Explicai-vos.
Pois bem I Osdabosme levem, se
o que vou direr a
na e crua.
Occupo-me durante o dia em rodar pelas
livecy stables (estrebarias de cavados para
alugar ou vender); sou all mui conhecido
e mais de um dono d'estes estabeiecimentos
sabe apreciar os meus relevantes servidos.
Assim que chega algum gentleman para
comprar um cavallo, levanto-me e comego
a passeiar em redor, como se all ninguem
me conhecesse, e fito os olhos, ora no com-
prador ora no cavallo, dizendo ao mesmo
tempo em alta voz a mim mesmo.
Os diabos me levem se este n3o um
bonito animal! Que soberbo bicho / Os
dianos me carreguem se j vi urna cabega
mais bella e um pe-cogo mais elegante !
digo eu, fazendo caricias ao cavallo ; com
seiscentos diabos contino a dizer, olbem
para estas ventasaberlas, que assopram co-
mo urna locomotiva..... Os diabos me
levem e a vs tambem se este cavado nao
capa/ de andar cem milhas por dia" com
tanta facilidade como eu bebera urna cane-
ca cheia de cerveja !.. e a respeito de per-
nas, isto entao nao fallemos digo ea. to-
mara que as minhas fossem assim, com mil
diabos t...
Este discurso, como V. Exc. deve por
certo comprehender, ptlaz grande im-
pressao no gentleman; ijffnal, se nSo tolo,
comega a dizer comsigo mesmo :
Aqui est um honrado camponez, qae
deve ser am excellente entendedor e um
jaiz iosuspeito.
O conde Russell era de opiniSo que se j E o nosso gentleman, fiado no qae acaba
devia ampliar o direito eleitoral das aldeias.de ourit?, compra o cavallo sem regatear,
at aodireito eleitoral municipal, Mr. Glads- Realisadi a venda, vou ter com o pro-
tone liaba apoiado esta medida. etario do livery stable e; piscando-lhe o
t Sabemos que o antigo procurador ge- jbo, lhe fallo nos seguintes termos:
ral, am dos membros mais eminentes da j Com que, entao, o cavallo est ven-
cmara dos commun;, se protiuniou tam- dido, nSo assim.? Venha para c urna
bem a favor d'esta mudanga. gratifleagao pelo meu chauling.
Julgoque a parte liberal da classe me-; E o proprietario me d um soberano.
a1 dia nao vera inconveniente em que o direi- Eis'aqui o que qoer dizer a phrase
- to eleitoral fosse ampliado a-todos os pro- kor-se chauling, e os diabos melevem e a
prietarios das aldeias. Creio qae oruesta vos tambem, se nao fallo verdade .'
exte3o chegaramos a tal ponto, qu n3o
ha vena a pedir mais nenhnma mudanga.
c Participo pois absolutamentel'esta opi-
nto, porque entendo que boa e sabia.
Pronuncio-me pela constituigao, e hei de
susten'a-la sempre que offerecer garantas
a liberdade.
Proseguirei n'. ste camindb, qu est
t3o '"raucamente tragado, que qualquer que
n'elle seguisse^ainda mesmo <|ue fosse um
louco, n3o se engaara. Serei guiado por
esse facho, cuja luz tem sido conserva ia de
ger-ag3o em gerago pelos nossos antepassa-
dos.
' < A nossa nica salvacao n'esta luta
conservarmo-nos deis a constituigao do nos-
so paiz, e quando Ihe tivermos restituido a
sua antiga autoridade, quando tivermos aJ-
mittido a grande massa do povo ao exer-
ciciovp poder poltico, entao a cmara dos
communs ser o servidor da nigo,- e nao o
seu senhor; entao n3o ser mais urna clas-
se pouco numerosa, murtas vezes ignorante
e necessariamente egosta, que conserve o
ascendenteser um grande e uobre povo
que ha de dictar as suas leis. >
400;OGU arralis de trapo annualmente nos
Estados-Unidos.
A maior parte d'este trapo imporlado
do sul da Europa, sobjetado da Italia, e o
seu prego tle trinta c dols ris por cada
arratel.
Avaliara-se em 55 milhoes de francos os
lucros annuaes aufridos pelos fabricantes de
papel nos Estados-Unidos.
Os chas lera a sua phrenologia particular,
porque n3o fazem do crneo o objecto das
suas invesu'gagoes ; julgam pelo desenvol-
vimewteaior ou menor de qualquer parte
do corpo humano. Assim, para elles as
orelbas grandes sao signal de larga vida.
Urna fronte anvla mani'esta urna vida sa-
listeta e o me-mo indica urna barriga avul-
tada. Os bragos muito compridos rtmo-
tam liberalidade. Quem t ver ciniun j;os-
sa n3o pode ser de genio iracundo.. Os
que lem os olhos cavados e o nariz afilado
costumam ser engaadores. E' pessoa de
bom genio' a que tiver o cabello liso; o
cabello riga#) indica o contrario. Os den-
tes grandes sao dos sabios; as ventas muit.i
abertas denotam genio forte. Quem tem
os labios grossos valenle, elambem nao
nenhum maricas quera tiver ura pouco
avermelbado o crytalino dos olhos.
-------- mm hki ----------
O Pholographie News, de Londres annun-
ca a prxima publicago dos resultados ob-
tdos pelo Se. Piz/.i Srayihe as pyramides
do Egypto. O snbio astrnomo achou-se ao
cabo de urna residencia de quatro me/es
neste paiz, com 166 vistas phot'igraphicas
simples, e 57 provas estereoscpicas. Ve-
ricou que a base da grande pyramide
um perfeito quadrado, e que este monumen-
to constitue urna figura regular, emquanto
que os seus qoatro lados s5o inclinados so-
bre a perpendicular n'um an?ulo de 51
57. Quinto posig3o geographica qne
oceupa no 30 parallelo de latitude N. As
medidas empregadas para este levantamen-
to colossal ha pouco mais oo menos quatro
mil annos, na opini3o do Sr. Smythe, tem
por ponto de partida o cubilo dos jadeos
de 25 pollegadas.
Todos esses"factos e muitos oatros est3o
em perfeito accordo com urna theora que
outr'ora p^blicaram o Sr. John Taylor e o
professor Stnytbe.
Conta um jornal austraco, que o tenente
Halm, de Colonia, enconirou n'uma floresta
d centro da Bohemia um general austraco
gravemente ferido, que fez transportar por
quatro pragas da sua companhia a um casal
visinho.
O general, que havia tomado Apta dos no-
mes dos cinco prussianos lembru-se u'elles
no seu testamento, e poucos das antes de
morrer, dexou um legado de 4:000 thalers
ao teneute e 1.000 tbalers a cada um dos
soldados.
O ex-ministro Sella dizia n'um banquete
que Ihe tinham offerecido os stus eieitores :
' Perdeu-se na Italia o diapaso moral.
Este paia acha-se como um instrumento de
msica desarranjado por tal modo que o
mais hbil tocador n3o pode fazer-lhe dar
urna nota justa. >
Sao tristes estas palavras, mas verdade-
ras, Provam-n'o os 19 93 rimes qae
all se commetteram durante o qoarto tri-
rae>trede lb65, segundo a estatistica of-
ficial. Esta medonha criminalidade dis-
tribuida pelas seguintes classficaces :
Deiictos contra a seguranca do estado,
29;
Contra a Rehgio, 17;
Contra a adminstrag3o publica, 627 ;
Contra a honestidaue, 142;
Por associages criminosas, 67 ;
Porameagas, 362;
Por vaganundeagem, mendicidade va-
diiee, 2,431 ;
Por jogos prohibidos, 149 ;.
Por homicidios, oo-tentativas de homici-
dio, 625;
Por feridas, 4,229-f
Calumnias e injurias, 641 ;
Duellos, 9 ;
Roubos a mao armada, exaeces, 950 ;
Furtos simples, 7,334 ;
Fraudes, Zit;
Resistencia ao recrulamento, 174 ;
Deserges, 123.
E muros de menor importancia. Os que
cima descrevernos sobem ao algarismo as-
sustador de 18.237, A totalidade eleva a
bem perto de 77:000 o numero dos delin-
q'jentes durante um anno, isto a ura
Damero muito superior criminalidade da
Franga ; cuja populagao muito sup rior.
Sabe-se que em dezemtico do anno passado a
Italia contava pouco mais ou menos 24 mi-
Ibes de habitantes, ao passo q ie aquella
contava uns 37 milhSes.
nba am cmplice, tem-ao ainda ; conn-go-o perfei-
tamente. Saiba qae am bomxm j suspeitj aos
olbos da polica ; nao larda que sja prese, e con-
sequeoteraeule condemnado ; mas se conseguir en-
caparse ( olhe bem para mim}, juro-liie que o
mato. Eis-aqul a mmha proQssao de f.
E' infame o que acaba de dizer I exclamou
exasperada a Sra. de Sablinville. Quer dizer qae
sou ama falsaria I Urna ladra !
O marqaez nclinou--e cum aspecto irnico.
O sBonur am infame 1 exclamou a dama
a quem a e .lera cegava.
Aconselbo-a a qae guarde para si essa clssf
miraco, n5n pode acbar ama palavra spera para
Ibe Jizer. nicamente, por honra do sexo, resol
vea se a desarmar a dama ; assim pois, passoa ra
pidamcote para a esqnerda, lancoa a mo ao pulso
da Sablinville e lirou-lhe o punhal, mas nao sem se
ferir ligeramente na mi.
Com a foriun I A senhora pica como orna
serpentf 1 Veja qae me derramoa sangue I Pois
bem, seja assim ; esta" declarada a guerra, nao
verdade T Terei a honra de a aeompanhar at a'
porta com todas as considerares devidas a' soa
caihegoria e a' soa virtnde.
Depois de ter envolvido a mao em am lenco.
fleajo. Se a senhora fosse am homem j Ibe te- .offereca o marqaez o br$o com a maior galante-
ra feito eogolir essas^ palavras imprudentes. jri* *' su arrgame ioimiga, qae o aeceitoa para
, E' am infame, e um cobarde I repeli a Sra. salvar as conveniencias, e descerara ambos a es-
de Sablinville, rcaando tres passos, como que para e*0. sm qae niogaem ao vd-los podesse adevl-
tomar a defensiva. nh*r o mais pequeo Incidente da scena que aca-
To Insolente qoanto perversa I disse Ray- bava de M passar na galera,
mando cruzando os bracos.
Mas, qual foi o sea assombro, quando, ao olhar O porteiro do pr-dio foi bascar nm trem de
para a sua ioimiga, a vio armada de ora puobal, praca. A Sra. de Sablinville sabio s para elle,
qae provavelmente tirara do bolso; am llndissimo lanzando ao marqaez sorriso mal significativo.
puaoal, com punho* de ouro, e lamina tio bnlbaoie Accrescentemos qne o marqaez Uvera o caidado
como acerada. de guardar o punhal como peca de convicc&o, o
Qae isto exclamou ftaymaodo ; usa de qae mais aagmentoa o furor concentrado da Sra.
armas T Teaciona acaso delxar-me modo por mu- dt Sablinville.
to tempo ? XI
Hei supportado demasiadamente as suas In-'
solencias inauditas, proseguio a Sra. de Sablinville Era qoanto se passavam os acontecimentos que
louca de colera, paluda, tremol*, e como que dis- referimos, oa gatera de qnadros da roa Santler,
posta para lutar com mo armada ; cesse de Insitla: (fftkrse outra scena de nm carcter inteiramente
tar me, miseravel, e brame a porta... assim o dfsmcto na casa de commercio do Sr. Moyss, da
qaero, abra-roe a porta... qual voltaremos a acnar com eerto nteres se, os
A Sra. de Sablinville eslava assim verdadeira- nossi amigos conbecidos Pantaleao Marcotte, e
mente bella, e o marquez, subjugado 'pela sua ad- Miguel Staub.
Um correspondente do Nord assignala
um progresso imporlanfe, realissdo pelo
telegrapho transatlntico. Em resultado o
aperfeigoamento dos processos e dos appa-
relhos chegou-se a conseguir a e*pedgao de
19 palavras por minuto em vez de seis,
que at aqui formavam a media das expedi-
g5es. Av, liar-se-ha a importancia deste no-
vo telegrapho assim que a tarifa diminuir
em proporg5o cojn as facilidades das remes
sas. Esta tarifa hoje fixada em 9)5000 ris
fui elevada a essa taxa quasi de natureza
prohibitiva, nao para tornar mais remunera-
tiva a exploragao do telegrapho, mas s sim
afim de proteger o cabo transatlntico da
invasao e exigencia ds despachos. A des-
coberta pois de que se trata deve triplicar
o numero dos telegrammas. Hoje nao se
expedem mais de 3Gu despachos de vinte
palavras em umdia; pouco, em vista da
necessidade das relagoes que existem entre
os dous muidos; muito como cifra total e
como dividendo aos accionistas do cabo sub-
marino. Este numero de despachos d com
effeito urna receita quotidiana de 3:4006000
ris nada mais ne n menos da bagatella de
1,241:000(5000 ris na nossa moeda.
Nos Estado-Unidos, onde apenas se pu-
olicavara seis a oito jornaes no comego des-
te secuto, contam-se hoje setecenlos e cra-
coeuta fabricas de papel. Produzem 270 mi-
lhoes de arrateis ioglezes de papel, e como
preciso arratel e meio de trapo para fa-
bricar um arratel de papel, consomem-se
Falleceu em Paris o estimavel folhetais-
ta Paul Ouplessis.
O peridico Le Soleil refere algumas tris-
tes circum-tan -i;is d'esta prematura morte.
Hontem noile, diz a folua referida,
voltava Duplessis para casa em companhia
de alguns amigos a quem apertou a man a
esquina da ru< Lamartine e da ra Buffant.
Eslava alegre, conversador expansivo.
" i Tinha apenas dad" dez passos mais,
quando cahio oiorto por urna apoplexia ful-
minante.
Hoje pela manha o revisor da Patrie,
folha em que Duplessis eslava publicaudo
um pequeo romance, ao pegar as provas
do ullim.> escripto do infeliz litterato, vio
com horror que a ultima phrase que elle
escrevera fra a .^eguinte :
Sou um homem morto!
No fim da lira iaui as palavras do estylo :
La siiit att prochain numero.
O Sr. fiaub, na sna qualldade de allemo cir-
camsp'do, nio jolgra dever tomar urna resoluco
a respeito dos fundos particulares que tinha inver-
tidos as operaedes financeiras do seu patrio. De-
cidira-se a esperar os acontecimentos, duplicando
ao mesmo u mpo a vigilancia. A soa opinio era
qae se a brecha feita na caixa de Moy?s pelas
aristocrticas mos da joven e linda dama, poda
anda reparar-se.
A lico fra dora, mas pareca ter a prove lado.
Moy.-s pnocipiiva a ver claramente o negocio de
moralidad mano proolemailca; aos olhos do Sr.
Staub devia necessariamente dar te por advertido
dos lacos parvir, e sobre tudo gaardar-se para
sempre das sedujes dos olbos azues ou negros
das suas solicitadoras.
Diloso Staub 1 Nao se engolpbava na regiio das
illusdes l Camianava com passo Arme pelo terre-
no vuigar, mas olido, do positivismo!
Na urde do masino dia a que nos referimos no
capitulo anterior ejtygbolara-te urna conversaciu
bastante grave, pelo'm.enos em quanio ao fundo do
assumpto, entre o honrado goarda-livros e Mar-
coUe. A conferencia effecluou-se a' porta cerrada,
eea am gab.ueteimmediato ao escriptorio.
Sabe, meo querido Marcolte, dim Stanb, o
qae foi feito da castellaa de Beaacbamp T
Eia' em Inglaterra, responda Marcolte. L
pode ella ainda exercer a sua nobre industria.
Quanto a' deliciosa Lncy, es'a' em Paris, e sel on-
da vive.
Qae mo Importa isso, repcou o guarda-.
E' fado averiguado por muitos praticos
que a applicago de a'guns dos tres cidos
niticro, actico ou carbnico, nos tumores
ou u ceras cancerosas calmavam as dores
proprias desta doenca, a ponto de qne os
enfermos, soffrendo muito menos cimega-
varn a nutrir e a dormir socegadamente,
de modo que em pouco tempo* se tornavam
desconhecidos.
O Sr. Barclay attribue esia virtnde dos
cidos a propriedade que elles teem quando
concentrados, de dissolver as celiulas can-
cerosas. D'enlre os tres cidos citados, ao
que se deve dar a preferencia ao carboneo
porque alm de mitigar as dores lem de
mais a mais a proi-nedade de neutra isar o
mao cheiro das ulceras.
Morreu em Halle (Blgica) sua cidade
natal, o celebre violoncelista Servis Cen-
tava 58 annos.
Mvros. Nao ha de ser ella quem nos ba de devol-
ver os nossos irezentus e ciueoenta mil francos.
Nao, de eerto, mas. poderla pr-nos em cami-
nho de chegarmos a faber o que foi feito de tal
diobeiro.
Sei-o peritamente, replicn o Sr. Stanb.
Vejo qne tem muita caridura, mea amigo. Panta-
leao I Foi angmerjiar os capitaes qae Ctnstitoem os
bens movis da Sra. de Castellia, e por consegua-
te imposiivel de colher.
Julga-o assim 7
Tenho toda a certeza. E* inaudita a prevlsao
de taes mulherts. Nao tema qae algaaa Infeliz
guarde cem sidos para o dia segointe. A sua
anica perspectiva o hospital; roas urna prima de
Satanaz como ama Sablinville, oa ama Armanda,
nao gasta, nanea urna nota do banco sem estar
certa de que mais dez igaaes Ihe entraram pela ja-
nella, quando a outra Ihe sabe pela porta. Nao ba
nada tio perlgoso, mea amigo, como a prodigali-
dade de taes muiheres Com quatro oa cinco jan-
tares, e ouiros tantos concertos fez a dama de que
se trata coro qae & Sr. Moys ibe dsse a soraoa
qoe sabe. Se Lucy oio tivesse fgido, cousa qae
de veramos agradecer-1 he, ja a soa astuta prima
leria empolgado todo o milhio.
Pensa if so, Sr. Staub ?
Se pens I Estou certo do qne digo, e estre-
mezo ao pensa-lo I
(Continuar te ha.)


l
i



..
TYP. DO DIARIO-RA DAS CRZES N. 44.
I i iitMfct...,..


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E183LF3KQ_QY7O2P INGEST_TIME 2013-09-04T23:49:52Z PACKAGE AA00011611_11164
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES