Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11078


This item is only available as the following downloads:


Full Text

^gg^^f^
*
.. *


MJO m fflJMEBO 222
Par qoartol aaga dealro das 10 das da i. mn
Idea deaais dos l.M lo das da comeco e deatra da joartel .
Parte a eorreio aer tres neies .,.,..,,,...
* *
T'i1 ?fa Wf
luASTAFEIP1 26DE SETEMBRO MI
Faraute pifa 4eitrt 4e facas ti,Aaeii t t 4 i^*
Parle aa orreia por am anuo ,,,.,,,, 3#00
KNCHBBOADm DA SUBSCR1PCA0 DO NORTE
Parabyba, o ir. Amonio Alexi-odnno de Lima;
Natal, o Sr. Antonia Marques da Silva; Aracaty, o
8r. A. de Lomos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves i
Filaos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
BNCARJAEGADOS DA SUBSCRIPgAO DO SUL.
Alagoas,oSr.Fraorioo Tavares da Costa; Babia,
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparinbo.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagdes da va jerrea at
Agoa Preta, lodos os das.
Iguarass e Goyanna ms segundas e 3eztas feiras.
Santo Antao, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garnhons, Buique, -S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Serinbem, Rio Pormoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agna Preta Plmenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relago: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
I
P0d'AIho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqnefra
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis- ,
ta, Oaricnry, Salgueiro e Ex, as quartas JDlZ0 do commercio: segundas as 11 horas,
feiras. I Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas sextas ao metal
da.
Segunda wa do civel: quartas sabbades a f
hora da larde.
EPHEMER1DE8 DO MEZ DE SETEMBRO.
i Quarto ming. as 9 h., 49 m. e 29 s. da t.
8 Loa nova as 11 b., 55 m. e <7 s. da t.
18 Qaarto cresc. a 1 b.,8 m. e 59 s. da m.
24 Loa cheia as 11 h., 46 m. e 24 s. da m.
DAS DA SEMANA.
2*. Segunda. S. Tyrso m.; S. Sera Id b, m.
Jerga. As (Jhagas de S. Francisco.
26. Qoarta. S. Cleoras; S. Firroioo b.
II- Orilla Ss. Cosme e Damin r mm.
o a !?\.8, SaIf"a0 5 S. Eusraqoia v.
\la 3abhado- S-Miguel arcb.; s. Fraterno b.
31. uoraiogo. S. Jeronymo card. presb. e dr.
PREAMAR DE HOJE.
jPrimeira as 6 horas e 6 m. da manbfca.
ISegnnda as 6 horas e 30 minutes da tarde.
PARTIDA J)OS VAPORES GSTBtf.*.
Para o sul at Alagoas a 14 o 36? para o non*
al a Granja a 7 e 22 de cada met; para Pinta-
do nos dias 14 Jos mezes de Janeiro, asrco, raii
Ijnlbo, selembro e novembro.
ASS1GNA-SE
no Recife, na livraria da praga da IndefsrManeia
ns. 8, dos propietarios Manoel Figaeiroa de Paria
& Filhos.
PARTE OFFICIAL
fiOVEB\Ol DA PROVINCIA
Expediento 4o dii 11 de seteinbro de 1868.
Ofenfio Exm. general coranjandante das ar
mas.Sirva-se V. Exc. de informar sobre o con-
leudo do Incluso offlcie do inspector da thesoura-
ria de fazenda de 6 do correte, sob o. .565.
Dito ao chafe de polica.Para qae na tbesoora-1 Fehx de Araujo Litis!
na provincial possa ser efectuado o pagamento da Hercolano Das Cortea,
quantia de 60J360 rs. a que tera direito o phar- Jos An ooio Correa de Mello,
maceulico Leocadio los de Figueiredo, proveoien- Jos Kelippe Bezerra Cavalcante.
te de medicamentos fornecidos sos presos pobres Joo Tnemoteo Mangninho.
da cadeia do termo de Goiaooa, duraote o semes-' Luiz Lopes Frazo.
ir de Janeiro a jonho ultimo, como se v dos do-! Manoel Francisco dos Santos.
Luiz, Herculano Dias Correa e Jos Aatonio Cor-
rea de Mello, por ja se actiarem nesse presidio as
que perteneem aos doos primeiros, e a-do ultimo
nao existir no cartorio, segando declarou-me o
juiz municipal da 1.a vara em offlcio desta data.
Juntas encontrara V. S. as guias ds sentenciados
que j se achara nesse presidio e vao menciona-
dos na relaco sob n. 2.
Relaco sob n. 1.
Beoto Pereira da Silva.
Benedicto Jos Joaqaim.
cuajemos, que viaram aoaexos ao offlcio da V. S.
de 7 de agosto prximo Ando, sob n. 1016, faz-se
preciso que o referido pharmaceulico exniba o re-
ceitoario de laes medicamentos, como exige o ios- Andr Ferretra da Silva.
peetor daqueila thesouraria em oficio a. 422 de
27 do citado mez de agosto.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Commuoicaoio o general commandante d-s armas
em offlcio de hootem datado, son o. 1112, baver
noraeado o alferes reformado, Joaqun) Velloso da
Silveira, para servir interinamente o logar de ajo-
dante da fortaleza do Brum, durante o impedimen-
to do tenente tambem reformado Joo de Siqueira
Carapetlo, que se acha cora parte de doente, assim
o declaro a V. S. para seu conbecimento e di-
recgo.
Dito ao mesmo.Transmuto a V. S. para os (iris
convenientes, a inclusa relaco de 23 cavados per-
tencentes ao deposito especial de instrucc.no, os
quaes por se ai-harem iocapazes do servigo foram
vendidos em hasta pnblic, produzindo a somma de
Manoel Domiogues dos Res.
Kaymoodo Jos de Saot'Anua.
Relaco sob n. 2.
j Jos Ferreira Piolo.
Antonio Valerio Jos dos Santos.
Antonio Bernardo Vieira.
, Bento Jos da Silva.
Caetano Alves da Silva.
Francisco de Paula.
Jos Luiz Ferreira.
! Jos Manoel de Lima.
Jos de Barros de Albaquerque.
Manoel Jos de Sant'Auoa.
Manoel Joaqaim de Mello.
Dito ao commandante do presidio de Fernando.
Declaro a V. *. para seu contiecimento e 8m
necessario, que acabo de expedir as convenientes
ordeos, para que a bordo do vapor da Companhia
Peroambucana, prestes a partir para esse presi-
dio, sejam transportados sua dlsposigo a joao-
1:2884, como se veda citada relago. i na de 27:66O#0JO, duzenlas saccas com farlnba e
Dito ao m*smo.Respondendo ao seu offlcio de diversos volumes contendo medicamentos coartes-
hoje sob n. 570, tenho a dizer qae pode V. S. re- j tmo ao mesmo presidio.
metter para o presidio de Fernando por interme- Dito ao mesmo.Faca V. S. remeller para esta
dio do commandante do vapor da Compaohia Per- \ capital na primeira opportonidade o sentenciado
narabucaoa prestes a partir para all, a quantia de Flix Correa de Oliveira, visto ter elle j compri-
27:661)$, afira de occorrer-se as despezas com o di a pena, a que fra coodemnado, segundo de-
mesmo presidio, al o flra de novembro prximo crarou-me o juiz municipal da 1.' vara em offlcio
viodouro. Ne-ta data expego as convenientes or-1 de 6 do correte.
dos, para que a bordo do mesmo vapor sa|am Dito ao inspector do arsenal de marinha.DeQ-
transportados para aquello presidio a fannha e os rjn(i0 0 nciaso requerimealo de Antonio Paulino
volumes contendo medicamentos, de que trata o Delfn Henriqaes, sobre que versa a sua informa-
eu citado offlcio. : cao de 6 do correte sob o. 1170, aotoriso a V. S.
Dito \o mesmo. Remello a' V. S. para os lias: a mandar alistar na companhia de aprendizes ar-
convenientes as inclusas notas do gaz consumido : naces, urna vez que esta'elle nasconiic5es do
no mez de agoste ultimo com a iiluminacao dos respectivo regularaento o menor orpho Manoel
quarteis dos depsitos especial de n&trucQo e de j0s Heoriques.
recrutas, e da enfermarla militar. Dito ao mesmo__Mande V. S. postar a's 10 ho-
Dilo ao inspector da tnesouraria provincial.Ao ras 0 ,j,a n0 caes do por|e do Mallos urna lancha
negociante Joo Jos do Carmo, mande V. S. pagar, esqoipada para cooduzir at~a bordu do vapor Pa-
rahyba, 11 seEtenciados e 15 pragas que as vo
escoltando ale o sea destino.
conforme solicitou o commiodante snperior da co
marca do Bonito em offlcio de 2 d > correte, os
veociraenlos relativos ao met de agosto ultimo, dos
guardas naciooaes destacados naquella' villa, urna
vez que esteja em ermos o pret junto era dupli-
cata, e nao haja inconveniente.
Ditoa'mesma.Com a inclusa copiada pena-
ra desta data, pela qual re-olvi abrir um novo
crdito na importancia de 24J800 rs. pira a conti-
nuacao do pagamento da* despezas, de que trata o! prximo rindo
| i. do art. 33 da lei do ornamento, do exercicio i Dito ao director das obras publicas.-Mande V.
de 1865 a 1866 em hquidacao, respondo ao offlcio s. fazer os coocertos necessarios em alguos p.vi-
que V. S. me dirigi em 31 de agosto ultimo, sob i melos do quartel do deposito, caa los e pinta-Ios
n- 434. e collocar fechaduras as portas das coxias e re-
Dito ao mesmo. Era vista da mforraacao do di- seTVSi das companhias qae dellas precisarem, e
Dito ao Sr. Francise Xavier da Costa Aguiar e
Andrade.Remello a V. S para os flus convenien-
tes o offlcio original, qae em data de 11 do corren-
te mez dirigi a commisso encarregada do ajuste
das cootas da estrada de ferro desia provincia,
acompaohado de cepia da acta > halango de conta
e despezas da mesma estrada li mez de agosto
rector geral interino da instrucgo publica de 10
do corrente, sob n. 212, e do que me requeren o
professor publico d-s insiruegao primaria, Luiz Cy-
priaoo da Silva, resolv releva lo da mulla, que
lbe foi imposta pela falta da eotre?a de mapjas
dos seas alumnos, quando regeu a cadeira de Ita-
maraca', o que comauaico a V. S. para seu coohe-
cimeoto e direego.
Dito ao mesmo. Restituindo a V. S. a conta
junta em duplcala, que na importancia de 95920
rs. veio aanexa ao seu offlcio de 4 do correle sob
n. 445, relativa as despezas feitas durante" o mez
de julho ultimo, com o fornecimsnto de luz e agua
para o quartel do destacamento de guardas nacio-
oaes existeote na villa do Cabo, tenho a dizer em
resposta ao citado offlcio, que de cooforraidale
com o parecer da contadoria dessa thesouraria
mande pagar -rnente a qoautia de 7595' rs. em
que importa esse fornecimento.
Dito ao mesmo.Mande V. S. por era ha>ta pu-
blica a obra do muro do cemiterio da villa do Ca-
bo, serviodo de J>ase a essa arrematacSo as clausu-
las e orcamento junto por copia, que nesta dala
approvei e me foram remetlides pelo chele da re-
cum offlcio de 3
bera assim urna grade de ferro na priso destinada
aos recrutas; providenciando V. S. para que com
especialidade se leve a effeito a collocago da refe-
rida grade, que indispensavel, segundo pondera
o general commandante das armas em offlcio de
6 do crrente sob o. 1110.
Dito ao procurador fiscal da thesouraria provin-
cial. Inieirado do cometido do seu offlcio de 3
do crreme, tenho a dizer era resposta, que pode
Vmc. couforme indica no citado offlcio, comprar
233 em vez de 232 palmos de terreno, para a
, construefo de um taoque de natago no gymnasio
' provincial.
LMo ao director da instruccao publica.Repon-
idendo ao offlcio de V. S. de 30 da julho ultimo
' sob n. 164 tenho a dizer-lhe que nesta data auto-
rise ,i' thesouraria provincial a mandar fornecer
a bibliolheca provincial a estante de que trata o
seu citado offlcio.
Dito ao juiz de direito de Olinda.Acensando a
; recepeo do seu offlcio de 6 do corrente, no qual
Vrac. coramunica ter marcado ao offlcial encarre-
gado do registro geral de bypolhecas nessa comar-
ca, o praso de 30 dias para solicitar os respectivos
| livros, e remeti um requerimento sem sello, do
mesmo. pedindo a entrega d'aquelles lvros, e sa-
partigao das obras publicas com offlcio de 3 do
corrente sob u. 344.
Dito ao mesmo. Annoindo ao que solicitou o tsfazer' a SQa imporlin(.,a em tres prestacoes, pa-
chele da reparticao das obras publicas em offlcio gar lrimensalmeme, a contar da data em que os
de bonlem, sob n. 335, recommeodo a V. s. que recebei; tenb0 a dzer-lhe que o referido requ;ri-
jnande entregar ao thesoureiro daqueila repart- ment0 Dao pode ser a[t9n,iido vist0 como se acna
gao a quantia de 1.0005 para occorrer as despezas terininado o praso, dentro do qual era promettido
com a obra da vala de Olinda, a qual esta sendo; fazer aque|,e pagafneat0 era prestacoes.
exeemada por administrado. Dito ao gerente da compaohia peroambucana.
Dito ao commandante sopenor deste municipio. Restuo a Vmc. a conta que, sob n. 246, veio an-
Expeca V. S., as suas ordens, aflm de que seja nexa no sea offlcjo de 24 de a ,,, u|l re|atva
as despezas feitas com passagens dadas a bordo
postada em frente da igreja da ordem terceira do
convento de Nossa Senhora do Carmo desta cidade
ama guarda de honra de um dos bataindes da
guarda nacional sob seu commando superior, para
assistir a festa do Senhor Bom Jess dos Passos,
que alli se tem de celebrar no da 16 do corrente,
devendo ser fornecido pelo arsenal de guerra o
cartuxame necessario para as respectivas salvas.
Dito ao mesmo.Srvase V. S. de expedir as
suas ordens, aflm de que amanha s 11 horas do
dos vapores dessa companhia por conta do minis-
terio da fazenda, visto dever ella ser paga pela
thesouraria de fazenda de Sergipe, segundo consta
de offlcio do inspector da thesouraria desta provin-
cia datado de hontem e n. 566.
Dito ao mesmo.Espega Vmc. as suas ordens
para que ao vapor dessa companhia, que tem de
seguir brevemeote para o presidio de Fern.ndo,
sejam transportados com destino ao mesmo presi-
dia se aprsente na casa de detengao 25 pragas dj0 duIemas saccas com fannha e diversos volu-
da guarda nacional sob sju commando superior, mes coniendo medicamentos, lado enviado para
para escoltar at o caes do Forte do Maitos 11 Dordo pe|0 corrector geral Francisco de Miranda
sentenciados de jnstiga, que se destinara ao presi- Lea| seve.e bem assim para que o commaodante
dio de Fernando ; sendo que 15 das mencionadas o mencionado vapor, antes de partir, va" rereber
pragas, commanda'las por um offlcial, deyerao na thesouraria de fazenda a quantia de 27.660#000
sagem da 4.* para a 2.' companhia do mesmo ba
talho que se acha vaga.
Dita.O vice presidente % provincia, tendo em
vista a proposta apresemada pelo lente corooel
commandante do batalho n. 43 da guarda nacio-
nal do municlpl) de Senabaem, sobre o qual infor-
moa o respectivo commandante superior em offlcio
de 3 do correte, resulve noraear para o relarido
batalho os offlciaes abaixo declarados :
Estado mior.
Tenente quartel-mestre o alferes da 1." companhia
Matheos Antonio do Reg Barros.
1.* compaohia.
Tenente o alferes da J. Manoel Antonio Pereira.
Alferes o sargento brigada Jacintho Machado de
Mondonga.
3." companhia.
Alferes o guarda Americo Xavier de Siqueira
Brilo.
Dita.o vice presidente da provincia, atienden-
do ao que requeren Henedina Floresta dos Saoms
Cordeiro, e tendo em vista a informago do direc-
tor geral da inslrocgo publica de 6 do corrente
sob n. 209, resolve nomea-la para reger interina-
mente e mediante a gratifleacao anual de 6005,
a cadeira de iostrneco primarla da freguezia de
noaaa Senhora do O' de Goiaona, creada pela lei
n. 653 de 18 de abril do correte anno.
Dita.O vice presidente da provincia, atienden-
do ao que requereu o bacharel Joo Baplista do
Amaral e Mello, resolve prorogar, por 3 mezes, o
prazo que lbe foi concedido para apresentar com-
petentemente apostillada a sna carta de juiz muni-
cipal e de orphaos do termo de Nazareth.
Dita.O ir. gerente da companhia Peroambu-
cana, faga transportar para o presidio de Fernan-
do, por conta do ministerio da jost'ga, no vapor
Parahiba, que tem de seguir amanha para alii,
os 11 sentenciados de justiga, constantes da rela-
go junta assignada pelo secretario do governo.
Relago dos sentenciados de justiga de qae trata
a ponaria de S. Exe. o vice presdeme da pro-
vincia desta data.
i. Benlo Pereira da Silva.
2. Benedicto Jos Joaqaim.
3. Flix de Araujo Lins.
4. Herculano Dias Correa.
5. Jos Antonio Correa de Mello.
6. Jos Fellppe Bezerra Cavalcante.
7. Joo Tbemoteo Mangabeira.
8. Luiz Lopes Frazo.
9. Manoel Francisco dos Santos.
10. Manoel Domingos dos Reis.
1L 11-iymundo Jos de Sant'Anna.
Expediente do secretario do governo do dia 14
de selembro de 1866.
Offlcio ao general commaodante das armas.
S.Exc, (i Sr. vice presidente da provincia,dando as
suas ordens para" que sejam feitos os concertos, de
que precisa o quartel do deposito; assim e manda
commuuicara V. Exc, em resposta ao seu offlcio
de 4 do corrente, sob n. 1110.
Dito ao Dr. chefe de polica. De ordem de S.
Exc, o Sr. vice presidente da provincia, declaro a
V. S. em resposta ao seu offlcio desta data sob
0.1187, qne fleam expedidas as convenientes or-
dens nao s ao commandante superior deste mu-
nicipio para prestar a forga necessaria para escol-
tar at o caes do Forte do Mallo os 11 sentencia-
dos que tem de serem remeltidos para o presidio de
Femando, devendo lo pragas da mencionada for-
ga acompanhar at aque.le presidio os referidos
sentenciados, mas tambem ao inspector do arsenal
de marinha, para prestar a lancha necessaria para
os transportar para bordo do vapor da compaohia
Peroambucana, que os tem de conduzr ao seu
destio.
Dito So inspector da thesouraria de fazenda.
Coustando que o juiz municipal e de orphaos do
termo do Bonito bacharel Antonio Colurabano Se-
raphico de Assls Carvalho, a 22 de agosto ultimo ;
reassumio o exercicio do seu cargo, que a 13 do
mesmo havia delxado, por motivo de molestia, e
que a 5 do correte entrou no gozo da licenga de
lo dias com vencimentos, que Ihe foi concedida
por portaria de 22 d'ajuell9 mez ; assim o com-
munico a V. S. de ordem do Exm. Sr. vice presi-
dente da provincia.
Dito ao chefe da reparligo das obras publicas,
O Exm. Sr. vice presidente da provincia mauda
declarar a V. S. em resposta ao seu offlcio de 3 de
correte, sob n. 344, que acaba de recorameadar
a thesouraria provincial, que ponha em hasta pu-
blica a obra do muro do cemiterio da villa do Ca-
bo, servindo de base a essa arreraatago as clau-
sulas e orgamenlo que vieran) annexos ao seu ci-
: lado offljio.
Dito ao mesmo. Neita data se recommeoda a
thesouraria provincial, que entregue ao thesourei-
ro dessa repartigu o cont de ris, da que traa
offlcio de V S. datado de hontem sob n. 335, o
qual Uca asslra respondido de ordem, do fe-xra. Stv
vice presidente da provincia.
Dito ao commandante snperior da gnarda na-
cional da Boa Visla__O Eira. Sr. vice presidente
da provincia, respondendo ao sea offlcio de 2 do
corrale, manda declarar a V. S. que a thesouraria
proviocial lem ordem para, pagar ao negociante
joo Jos de Carvalho os vencimenlos cooslantes
do pret que em doplicata veio aooexo so seu cita-
do offlcio.
Dito ao director geral da rastruego publica.
S. Exc. o Sr. vice presidente da provincia, tendo
resolvido, em vista de sua inlormago de 10 de
correte, sob o. 212, relevar o professor publico
Luiz Cyriaco da Silva da multa que Ihe foi Imposta
pa falta da entrega dos mappas de seus alumnos,
quando regia a cadeira de Itamarae ; assim o
manda commonicar a V. S. paf sea conbeci-
mento.
gosto ultimo at hoje, tem
ella celebrado 19 ses-
9 dias utei por fal-
Sentei me pela primeira vez em ornadas cadei-
ras desta cmara quando anda nao tioha tocado ses, e deixado'de"fuocc'ionar
aos z anuos de idade; nao vim para aqu, cerlo, ta de numero
com os suflragios de urna parcialidade poltica s-' t Nos 19 das de sesso fez sia emM. n
mente, mas sira com a quas. uoanimidade dos elei- guite : amaf ,e"
tores dos difiranles partiJos que se debatam em Approvou elelcSes do distrirtn da nrnvinria
,- rrl *? K i^tas
8 t iSSSKi& grande honra en > ^^ZS^^'S^e regu.on di-
' 0a,B1aVmiohaPrrrOSn;ai8ar r**""* WStWaffSC
e tioha logrado a fortuna d/meTcer oZ^ Stf*" '*"V" respectivos
alguos cavalleiros "
zava de lisoogeiro concelto na raioba trra
e tinha logrado a fortuna de merecer o api
alguns cavalleiros illuslres, a quera serapre Tribu". '^ 'TSSSBKESSS SS-"
tt e tributo grande homenagem, cujo auxilio forti- sim se achava vago. emPr880 Que as-
que cootava rnais de 30 annos de bons
xeira. Amonio Manoel Alves do Reg Jnior,'ba
charel Manoel Gomes Beifurl Duarle, Estevo Jos
Barbosa de Mosra Jooror, Jos Jo-lino de Mtllo,
^ehx Alvaro dos Sontos Sooza e Manoel Ribeiro
Marcondes Machado.Do i'.-Miguel Vieira Mon-
Pharmaceulicos alferes de comroisso Joo
Lourengo de Castro e "Uva, Joo Bapti>u Pioto da
Fonseca e Modesto de Andrade Camargo.
sessSes a receita geral do
ficoa a mioha candidatara e f la tnamphar.
Em 1861, Sr. presidente, oceupaodo na admins-
tralo central da corte nina posigo que cerlamen-.
te nao era de*agradavel, decidi-rae em opposigo
ao ministerio conservador, que ento diriga os ne-
gocios do paiz, e vl-me collocado na necessidade de
ser dispensado do servico publico.
O Sr. Bardosa de Olivkuu -.Honra Ihe seja
falta FJ
O Sr. Tavarbs Bastos :Exonerado desse car-
go, isento dos embaragos que serapre rodeiara a
aune\MLPlln;d,t,,iae"m2 rTT' Adop,ou a reso,uo queisentadedireitose
meu soahos L lS W grade ambl50 dS %"*' 0DUi Pecoo.arios as pensoes conce
%m m ? C idas por motivos da goerra.
am ic*z, sendo outro o ministerio, o venerando
Sr. marquez de
vago.
< Discutio em duas
Imperio.
Discuti em oito sessoes a proposta do poder
executivo fliando as forgas de mar.
Discuti e votou para passar a' 3* discusso o
orgamento da despeza do ministerio da agricultu-
ra, commercio e obras publicas.
Adopioo, a resolugo, vioda do senado, para
espeeiheago das verbas de uespezas nos orgamen-
tos dos ministerios da marinha e da guerra, e en-
viou a sanrgo imperial.
< Adoptou a
PEBNMBUCO.
REVISTA DArua
Reune-se amanha o Instituto Archeologieo e
ijeographico Pernambucano, em sesso ordlna-
ra*
ra
Adoptou a resoluco com emendas do senado
Olinda, presidente do conseibo, qUe autorisa o governo a promover os offlciaes su-
Z nta me S^T^^ ET! '^^ **" do exercit0 Q"e, marchando para a guer-
devli nma rltlZtn' a ? rePragSo ; e S. Exc. ha de lembrar se envin a* saneco imperial
SSL? Ir15"'0'8 reSp0sU .qUKe "ve a hara dft AdP,oa as resolugoes'que aulor.sam o gever-
I' I"! ,!1,el' A """i1* rePari5ao.se!a no a conceder licengas ao amannense da secretaria
3lJ Pi a rd'da Sbre-a oaveaa< de da J's"'ca Egydio Googalves dos Reis, ao offi-
2..?"?e,",._(1-aP se ac*em discassao.com o artigo cial da secretaria de esiraogeiros Joao Pioheiro
Guimares, ao ajudante do esenvo do arsenal de
additivo ;i lei do orgamento.
O governo, pelo orgo do Ilustre Sr. marquez
de branles, apoioa essa medida, e ella foi votada,
O mea cooteotaraeuto era legitimo, esse iriumpho
baslava-aie. Eu nao era um solicitador de cargos,
advngava ideas.
Um dos meos amigos, membro dislincto da casa,
sabe qae alada em 1862 fra eu lembrado para a
presidenca de urna provincia, posigo que alias a
imnha sanie me nao permitlla aceitar.
Exerci a advocada dorante os annos de 1862 e
1863. Os meus amigos, deputados da provincia do
Rio de Janeiro, sah-rn com que dedicago, obede-
cend%-s deliberagfies do directorio do partido a
marinha de Pernambuco Manoel Juveneio de Sa-
boia e ae amanuense da secretaria de polica do
Maranho, Desmo Jansen de Figueira Lins.
Adopten as resolugoes que autonsam o gover-
, no a transferir para diversos cerpos
os capites Diogo Alves Ferrar, Secundino Felafie-
no de Mello Tamborim e Luiz Manoel das Chagas.
Votou em 1* discusso a resolugo que dis-
pensa das lis de amortisagao a irmandade de S.
Padro da corle, e a outras Irmandades e centra-
i ras, para poderem possuir bens de raz.
< Adoptou a resolugo com emendas do senado
que concede vantagens aos estudantes de medici
que purteticiamos, eu concorri para o tnampho da ; na qae vo prestar servlgos na guerra, e envin a'
C.ailSa (lile aivi-xrivimrie /Inm-./inc I I .....;. ^_____..i '
causa que advogavamos. (Apotados.)
E aszim o rJ comprometiendo a minba posigo
pessoal e os meus Interesses particulares. (Apoia-
dos.)
Em 1864, quando ento presidia ao ministerio o
mesmo (Ilustre cavalleiro chefe do actual gabinete,
eu Uve a honra de ser convidado, nao pelo gover-
no, mas pelo meu nobre amigo, o Sr. Saraiva, pa-
acompanhar os ditos presos at aquelle presidio.
Dito ao de Nazareth.Em vista da sua informa-
gao de 20 de agosto ultimo resolv, por portaria
desta dala, conceder a passagera que pedio para a
qae o respectivo inspector tem de remeller para
all.
Dito a' cmara municipal do Recife.Concedo a
aulorisagao, que pedio a' cmara municipal do Re-
2." companhia do batalho n. 20 da guarda naci- cife> em seaofflcio de 5 do correte sob n. 65,
uperior, o tenente da 4. p!ira despender mais, at o flm deste mez, a qoan-
tia de 1:0,)0000 com a I mpeza das rnas desta ci-
dade, visto acbar-se esgotada a verba concedida
para essa despeza no orgamento municipal vigente
e bem assim a quantia de 1:50000 autorisada por
do mesmo batalho Joaquim Nuoes Machado Con-
tinuo ; o que eommunico a V. S. para seu eonhe-
ciraento e expedigo das convenientes ordens.
Dito ao do Rio Formoso.-Tendo por portaria
desta dala noraeado para o batalho n. 43 do mu-
nicipio de Serinbem, de cooformidade com a sua
luformago de 3 do correte, os offlciaes constan-
tes da lodosa relago, assim o eommunico a V. S.
para sen conbecimento e direego.
Dito ao director do arsenal de guerra.Pode V.
S. remoller para o presidio de Fernando no hiate
nacional Sergipano como solicita em seu offlcio
desta data sob n. 716, as 20 vigas qae se desti-
nara quelle presidio, visto nao poderem ellas ser
condnzidas no vapor da Companhia Peroambuca-
na por falta de espago a bordo, e bem assim cento
e trinta camas.
esta presidencia para aquelle flm.
Portara.O vicepresidente da provincia, atten-
dendo ao que reqaereu Joo Fraocisco de Sooza,
resolve conceder lbe liceoga para remetter oo va-
! por Parahyba, com deslino ao presidio de Feraao-
do, os gneros constaotes da lelagio junta assig-
I nada pelo secretario do governo; nao podendo taes
: gneros serem alli desembarcados sem qae por
parte do commaodante daquelie presidio se proce-
da a exame, aflm de verillcar-se se exlstem bebi
! das espirituosas.
Dita.O vicepresidente da provincia, atienden-
do ao que solicitou o inspector da thesouraria pro
Dito ao mesmo.Mediante a necessaria indem- vinclal em offlcio n. 434, de 31 de gosto ultimo,
nisago mande V. S. fornecer irmandade do Se- i resolve abrir um novo crdito snpplementar oo
nbor Bom Jess dos Passos erecta oa igreja da or- importancia de 24J800 rs. para a contiooago ao
dem terceira do Carmo desta cidade, o cartuxame pagamento das despezas, de que trata o 4* do
sem bala que fr precise para as salvas da festa art. 33 da le; do orgamento do exercicio de 1865 a
do mesmo Senbor, que alli se tem de celebrar no 1866 em liquidago. visto ja' acbar-se exlincto o
dia 16 do cerrente. crdito ltimamente concedido para esse flm.
Duo ao commandante do presidio de Fernando. Dita.O-vice presidente da provincia, attendn-
No vapor da Companhia Peroambucana, que do ao que requereu o tenente do batalho n. 20 da
tem de segar amanha para esse presidio, serao guarda nacional do municipio de Nazareth, Joa-
remettidos a V. S. 11 sentenciados, cujos noraes qoim Nuoes Machado Cootinbo, e tendo em vista
cooslam da inclusa relago sob n. 1; deixando de a inforraago do respectivo commandante superior
acompanhar as guias de (res: Flix de Araojo! de 20 de agosto ultimo, resolve conceder-lne pas-
IHTERIOR.
RIO DE J VXK1KO
CMUA DOS SUS. DEPUTDOS.
Discurso do Sr. Dr. lavares Bastos.
O Sa. Ta vahes Bastos (silencio):Sr. presiden-
te, acredito qne a cmara composta de cavalleiros-
me permittir osar da palavra para ama explica-
gao pessoal.
A mesa cooseotio qae o nobre depatado qae
hontem discuti e projecto de navegago costeira,
se oceupasse largo tempo da sna pessoa e da do
orador que oeste momelo se acha na tribuna.
Ella nao estranhar, pois, queo, que nao tenho o
habito, nem a mipha educago meacostumou la-
refa desagradavel de revolver lama, nao levante
das proposigoes insuituosa bontem proferidas
aqui seno ama nica que exige resposta.
Esta proposigo, Sr. presidente, toca to de per-
to repatago de am membro desta casa, que eu
nao posso deixar de toma-la em eonsiderago.
Eu oo ouvi o discurso loteirodo nobre depata-
do ; estive a cooversar nste sala) emaaanto elle
orava, mas perceb por acaso, poaco mais ou me
oos, estas expressSes : dlsse o oobre deputade
qae lbe pareca que o meu criterio poltico era
serapre um torro de assucar, dma posigo em re-
dor da qual eu doudejava.
Affect isto Sr. presidente, digoidade de am
membro da casa.
Pego liceoga a cmara para oppr s palavras
do oobre deputado alguos fados, nao como defes,
porque a mioha altivez oo me permitte julga-la
necessaria, mas para se apreciar o carcter da ag-
gressao.
sanegao imperial.
c Adoptou a resolugo remudado a D. Eugenia
Gadeia de Senua Pereira do que deve a' nago por
alugueis de casa.
Adoptou a resolugo que regula a aposenta-
doria dos empregados do thesouro publico nacio-
nal.
Adoptou a resolugo que deroga o art. 2o do
ra acornpanha lo cono secretario na misso espe-1 decreto de 28 de marco de 1857
cial as repblicas do Prata. Esse meu Ilustre ami- Adoptou as resolugoes que autorisam o gover-
go nao se acha agora presente, mas, como oulros o D0 a conceder carias de oaturalisac) aos segua-
sabem, possp dizer qae reeasei logo essa honra, j te estrangairos : Joaqoim Jos de Barros e Silva,
que recusel-a com insistencia, recusa na qual del- jos Amonio de Sosa Neves Estevo Jos Men-
xei de proseguir, porque S. Exc. flzera valer moti- des Guerreiro, Francisco Jos Rodrigues Lima,
vosquemecoagiamperanteumamigoaquemde-iJos Maria Braoco, Manoel Antooio Rodrigues ~.....-
va mu.ta grat dao. ltfa.oes, Joo da Molla R.belra Teixe.ra, Antonio d?caia "?* de,,M podera ser PPlada as opera-
Era manlfestamente esse um cargo rodeado de : Serapbim de Souza Porto, Flix de Abreu Pereira g oe,8?a,0 W.' ,. ,
embaragos, alera de que o aff.staraeuto desta casa Coutinho, Manoel Jo> de Lima, Mancel de Freitas 'ffl,nrtA "g" S" d! hJP "** recebera'
Bica, Victorino Antonio de Carvalho, major Uns- oStSSTaSSS! ?Min^SSS, p,r,-"lM
ford Warren Has.gengs. Paulo noberBO Troche!. Kffl. ,T3a L?WH:0W?ein ,!,a,os
Adoptou as resolugoes que approvara as pen- !n^""i? **aco do. Brasil, que mais
s5es concedidas pelo governo : a D. Auna Joaqui-: JXarios P convertidos em mulos hy-
Su? dm ai3'SSS vwTeSSSi! : *nt? t repar"50 5ero reuladas
Mathilde dlTveira inoe. rrSlr. BSftttS*?. & 2" 8 13 da '' Bl
ment Barata, D. Bernardina Amalia da Silva Do
na, D. Mana Quiteria Ferreira Guerra, Manoel
Pelo Crwziro vieram do Banco do Brasil pa-
a Uixa filial desta provincia as respectivas ac-
goes, aflm de substiluirem os cheqnes, qoe as re-
preseotavam em poder dos accionistas, teodo-se
hontem dado comego ja a essa snbstimigo.
Foi autorisada a presidencia do Cear a en-
carregar provisoriamente a qualqner offlcial do
exercito, que tenha suas ordens, do commando
da companhia de aprendizes mannheiros daqueila
provincia, qae accomuiado pelo respectivo capi-
tao do ponto, sempre que este tenha de sahir para
qualquer ponto fra da capital.
O Sr. Antooio Jos Pereira. autor doferimen-
to feto ha das no Sr. Jo> Pires de Moraes, e do
qual demos scieocia ao publico logo aps a esta
triste occurrencla, apresentou-se no dia 23 do cor-
rete ao Sr. subdelegado desta fregueiia de Santo
Antonio, o qual f-lo recolber a casa de deten-
ga".
O Sr. subdelegado Manoel Antonio de Jess Jn-
nior tendo-lhe instaurado o competente processe,
ja se acha este ultimado em seus termos de ins-
truegao pendendo apenas por concloso da sua sen-
do exerci o HeD5a.; e?0a]0S8 ln" requeresse exame de sao.da-
a de ames da decretago desia, maodou ouvir ao Sr
Dr. promotor publico a respeito.
Em data de 12 do correte /o publicado o
decreto o. 1,349 aulorisando o governo a innovar o
accordo celebrado com o Banco do Brasil em vir-
tude da leii n. 683 de 5 de julho de 1863, e a mo-
dificar as disposigSes dessa lei e dos respectivos es-
tatutos.
Sao os seguinles as disposicoes do referido de-
creto :
Art. !. Fiea o. governo autorisado, nao s
para innovar o accordo celebrado com o banco do
Brasil em virtude da le n. 683 de 5 de julho de
i8o3, mas tambera para modificar as disposifoes da
mesma lei, e as dos estatutos approvados pelo de-
creto n. 1,223 de 31 de agosto do mesmo anno, sob
as seguintes condiges:
I 1. O banco cessar desde logo de emlttir
notas a vista e ao portador, mas poder fazer as
outras operages que Ihe permitiera os seos estatu-
tos e einpresiimos bypolbecarlos.
t Para este flm ser o baoco dividido em duas
repartigoes dislinctas, posto qae sob a mesma ad-
miolstragao ; e oenhuma parte do capital ou fundo
nao podia ser agradavel a quera nella se tinha crea
do por seu trabalho um lur nao muito obscuro.
Volveu o auno de 1864, e a cmara sabe que
motivos polticos obrigaram-me a fazer opposigo ao
ministerio Furtado, violentando o m-U corago,
porque eu contava nesse gabinete amigos, alguus
pessoaes, como o nobre ex-ministro da marinha.
Finalmente, alada ha pouco, como sabe o meu
lllustre amigo, ex-ministro dos negocios de agri-
cultura, para um elevado cargo, a que competa o Garca, Manoel Antonio Athaoasio de Souza, D.
titulo de conselho, eu nao pude asseulir aos seus; Maria Fraga Mariins e seus filhos, D. Maria Ama-
lostantes convites... lia Ferreira, D. Carolina Francelina de Andrade,
O Sr. Paula Souza :Apoiado. D. Aooa Preciosa de Magaibes Aibernaz, D, Fran-
O Sr. Tavares Bastos :-Iostei coro o meu no- cjjCa |{osa da J(JSUS Nunes e Mell0i D. Candida
bre amigo para que se dignasse dispeusar-me A Olympia Galvo; D. Maria de Nazareth da Silva
minha resolugo de nao ambicionar cargos pubh-: MoDiftiro. D. Aona Gertrudes Tavare: Rodrigues,
eos nao era recente; ura dos collejas do nobre ex-
ministro da agricultura (o Sr Saraiva) declarou
lbe, quando eu achava me ausente em viagem ao
\raazooas, que presuma que eu nao aceitarla o
lugar, no que fuia justiga s minhis inleogs.
Sr. presidente, taes sao as condiges era que at
hoje se tera manifestado a minha curta vida polti-
ca. Se nessa maneira de proceder tenho merecido
o juizo expressado pelo nobre deputado, a cmara
decidir.
de 23 de sel-moro de 1864.
A parte do referido luodo, qa9 nao for empre-
gada em eroprestimos hyo thecanos, pode-l^ha ser
em apoliees da divida publica.
t 3.0 A deduego, de que trata o ari. 10 dos
estatutos do baoco, sera elevada a 18 % dos lucros
liquido?, e nao cessara' senao depois que o fundo
de reserva attiogir a 30 % do capital realisado do
mesmo banco.
4.' O governo pagara' ao banco nao s a
importancia do papel moeda resgatado na forma
dos arts. 2* e 4o da citada le de 5 de julho de 1833,
mas anda a dus bilhetes ou letras do thesouro que
existirem na carteira do mesmo banco.
A somma destas duas parceilas e do producto
dos metaes que o banco tiver em caixa, sera' inte-
na F,uza L, Mana.Cariota de Andrade Nev, I g^r SoSViaf "^ > ^
Joo Zefenoo de Hollanda Cavalcanli, Manoel Al-
ves La.i i, Antonio Por Dos da Costa Luna, Jeo
Jaouano da Couha. D. Mara Rosa Teix-ira Piuto,
D. Alema AJeiafde Ge-igira Alpoim, D. Francisca
Rosa Alpoim, D. Mananaa Joanna Fiuza, viscon-
desa do Uruguay e a sua lha D. Paulina Soares
de Souza, D. Anua Rita Fiuza, D. Servla Vctor
E' corto, Sr. presidente, que (Irme as inspira-, |oa Leopoldina de M-llo lbnquerque, D. Maria
goes da mioha consciencia, Isento da arablgao de Jos aabello, Sabino Jos dos Aojos, D. Maria Car-
oceupar cargos, por quanto (seja-me licito coofes- )ota de JtSU. p0 sa-lo) a mioha altivez me oao permute essa amb- gas Oliveira, D. Laurinda Joaquina de Jess Pinto
gao vulgar; certo digo, que tenho nesta casa em-. D. Fr-ncisca Ludovina de Paiva, Joaquim da Mot-
p-.oh.ido a mioha palavra e o meu trabalho, as ve-! ,a CmleaQli de A,onqnerqae Fel.ppe Ferreira
zes a" com preinizo de raioha saude, para aqu
representar, nao os circuios pessoaes, nao as cote-
ries, oo a< paixdes de raoraeolo, nao os prejuizos
e odios, oo os carabuntes effeitos de luz e sombra
da scena poltica, porra alguraas ideas definidas,; a vjuva do Drf,a(ie,ro Vicente Jos da Costa Al-
idasque, verdade, oo se filiam rigorosamente | meida.
Joo Erailiaoo Pereira, Joo Cesimbra Jacques e 6. ^ etCluar Q pagamento mencJonado
| oo paragrapho aoiecedeote, e bem assim o de ou-
tros bilheles ou letras do thesouro, que existiam
oa circuiago, emittira' o governo urna somma de
papel moeda igual a das notas do banco, que tive-
rem de ser resgtadas do modo proscripto na ulti-
ma parle do mesmo paragrapho.
FraD au_ i I 6. As notas do baoco que restarem na cir-
raanSabrlctaS 1S ^SStfSJSm T eSSSf'oiiS TT'r^ ^ 8g'
lgnacia de de Jess, Fernando Schneider. naalmente neta?d.KStat.Simln' repa,ada9ai
Adoptou a resoiago aue concede meio sold ?ifl?"ito.^,?Ji?Jiu.e,??!!!!fi oa r"o de 3
Adoploa-se a resolugo, vinda do senado, qae
aos programlas dos partidos, mas que merecem a
maior dedicago dos Domea pblicos do Brasil i deroga aitQ arbltra| e envoa a sancao im'pe
A minha ambigao corre oesse estado : tenho dis-: riaj
so vaidade; porquaoto, desde quando um crime I ."Adoptou a resoogo que liberta de onus a na-
a ambigao de ser mil a patria ? < vegago de cabotagem
E, 8r. presidene, se oao este o carainho para A,,optou a rej0lugo, vioda do seoado, sobre o
a 8 % de sua importaoci primitiva.
Dentro destes lmites o goveroo, ouvida a admi-
! mslrag) do banco, Gxara' cada anuo a quota do
resgate.
t 7.' O servigo da emissao do baoco e guarda oo material, qoe Ihe perteoce, ssfa^iBfiiB-
bldo a secgo de sabsutoigo da caixa da amorti-
sago, e os eaipregdosoella que emitiirem onron-
bao("dKB7asUVmdho'aroemu do m^^iWe 11%-^*^"'
o partidos com o ferro do vaqeelro, nao pela es.-
trada da honra e das cobres ambiges, mas pelas
eocoetas ingremes, pelas escabrosidades, por moa-
tes e valles, em risco de precipitarem-se ou de ca-
hirera exange I (Apoiados.)
Tal era a explicago que eu desejava snbmetter
cmara.
Repito :a minha educago e os meus hbitos
de homem de letras nao me consentera aceitar urna
luta da camponio, opponde aggresso a aggrtsso.
Demals, pertenco, anda que o nao qaeira o nobre
deputado, relitjio -que professa a le suprema da
caridado ; contentar-me-hei repetindo o texto do
Evaogeiho : >Si enim dimiseritis hominibus pecca-
la suorum, dimittet st vobis Pater vester calestis
delicia vestra. Se perdoardes aos borneas os seus
peccados, perdoar-vos-ba Dos, qoe est noco.
Sr. presidente, en devia, por minha dfgnldade
pessoal e pela do parlamento, rectificar a nica
expresso do. nobre deputado, que julguei digna de
apreciago. As ontras, os motivos que acerca de
alguns actos da mioha vida publica approuve ao
oobre depatado apootar, nao sao dignas de serem
trazidas a esta cmara, qae, sendo urna reuoio de
cavalleiros, oo pode dispeosar as regras da cor-
tezia e da boa socledade, qae nos iahibem de at-
irantar aos oossos companheros, no empeobos de
deprimir lado e de nivelar a todos para abater os
que crescem. Tendencia funesta dessa democracia
odieota e faoso, fllha da inveja, qae, na phrase do
grande escriptor, faz da vida dasoacoes urna tem-
destade perpetua I___(Muito bem I muito berolj
governo sobre o adia-
t Adoptou a proposla do governo de mais um
crdito sapplementar para as despezas da guer-
ra.
< Os mais importantes desses actos achara-se
por dilaceradas, ou por ou-
tros motivos, devam ser retiradas legalmente da
circuiago, sero punidos com as penas do arj. 17o
do cdigo criminal.
as mesmas pecas ioeorrero os que flzerem
sabir, ou consentirem que sala da caixa da amor-
tisagao qualquer somma de papel moeda. a nao ser
convertidos em leis do estado, os demais eslo na E*0'. VP5 *ffecl,Ta .s*''5o, oo para ser
ootra cmara para onde, conforme a eonslitoicao. I ?g0-e.k0 ,bes0uro em "rlode de ,e' ('ue aa,ori
foram remeltidos opportonamente.
1 se tal entrega.
A excepgo'daTroiwsta do "goveroo orgando a .jA?'* \mE"a'!"i' ,?g,^ne cessar "
. a~ T_.r. i. ._.:.*.. _- ^. lado de guerra, assigoara oa le do orgamento de
DIARIO DE PERNAMBUCO.
O Sr. presidente da cmara dos deputados, dan-
do coota dos trabalbos feitos durante a sua presi-
dencia, exprlmlo-se deste modo :
i Durante o tempo em que tenho tido a honra
de presidir >' cmara dos Srs. deputados, de 9 de
despeza do ministerio da agricultura, e reforma do
regiment, todos os demals actos foram coraega-
dos e concluidos duraote as 19 *es5es em que
tenho tido a honra de presidir os trabalbos da c-
mara.!
Foram cootratados at a data de 16 do c. rrente
mez, para o servigo de saude no exercito, alm dos
individuos mencionados as ordens do dia ns. 526
e 527 os seguintes Srs.:
Drs. em medicina : Antonio Agripino Xavier de
Brilo, Joaquim Carlos Travassos, Agostinbo da Sil-
va Campos, Joaquina Alves de Figueiredo, Antonio
Mariano do Bomflra, Francisco Bonifacio de Abreu,
D. Nuno Eugenio de Lossio e Scilbilz, Amonio
Duarte da Silva, Salustiano Ferreira Souto, Augus-
1 to Cesar de Sampaio Vianna, Sebastio Jos de Sal-
danha da Gama, Jos Hartins Teixeira e Aristides
Cesar Spinola Zama.
Esiudantes do 6a anuo.Domingos Jos Freir
Jnior, Marcos de Oliveira Arruda Jnior, Carlos
Antonio Halfeld e Jesuino Pinto de Meirelles.Do
5*.Augusto Teixeira Belfort Roxo, Porfirio Das
dos Santos Jnior e Joo Tbeoduro Alves da Rocha.
Do 4*.Pretextato Casado Accioli Lima, Eduardo
Cesar de Almeida Reg, Thomaz de Chaves Mello
Ratisbooa e Manoel Pioto Ferreira Jnior.Do 3*.
Plinio de Souza Ribeiro, Elpidio Rodrigues de
Seixas, Jos Candido Ferreira, Joaquim da Silva
Reg, Cleraentino Ribeiro de Novaes, Flix Rodri-
gues Seixas, Joaquim Pereira da Silva Coniinentl-
no, Francisco Furqulm Werneck de Almeida e An-
tonio Joaquim da Silva Leo.Do J.Bernardo
Teixeira de Carvalho Jnior, Deocleciaqo Pires Tei-
cada exercicio a quantia que se tera' de applicar ao
resgate do papel moeda.
t 9. E' apphcavel subslituigo e resgate das
notas do banco do Brasil a disposigo do art. 5 da
lei n. 54 de 6 de outubro de 1835.
I 10. O governo em seus regulamentos deter-
moara os melos praticos de se levarem a effeito
as disposigoes comidas nesta artigo, e seas para-
graphos.
Art. 2. Trinta dias depois da data da promol-
gagaa desta lei, flcirV revogado o decreto o. 3,307
de 14 de setembro de 1864, se o baoco do Brasil
nao tiver aonuido a' looovago do seu contrato
com o governo, nos termos proscriptos pela mes-
ma lei.
< Art. 3. Ficam revogadas as disposigoes em
contrario
Chamamos a altengo dos nossos leitores pa-
ra o discurso do Exm. Sr. Dr. Aureliano Candido
Tavares Bastos, proferido na cmara dos Srs. de-
putados em resposta s insinuares qae lbe dirigi
um sea collega.
Os Srs. logislas da ra do Queimado, pedera-
nos cbajnemos a altengo de qoem competir pa-
ra o calcameoto dessa roa. O estado do actual cal-
gamonto difflculuodo o traosllo, seria prudeote
por muitas conveniencias commerciaes preferir o
calcameoto dessa ra pelo novo systema ao do tau-
tts outras onde o transito nsignifleaote.
Hoje ao meio dia se eitrahira' a' 5* pane da
2a lotera a' beneficio da motril de S. Jos do Re-
cife (84'), sendo q mapr premio 6:100,5000,
1

I
J


-**"
:??? **?=
TS
IrirU e rernanalwea Cana, ta felra 1* de etembro de 1866.
=P
%
K
"r-*"-
I
[if i "fe* dividendo das acedes desta cana ara-
O Sr ehefede dlmto-RitAMt*endM^rH-" AfiwWa^ o-4bh ar;,elados, Jos Rafeo da e por istO CUmpre que Hj tttUtilfalM H MW Baleo do BraaU em Penambnce
TlsTtoS hni'o CarS Toa p"" ce ^PSEl^S^ Sci *** M VeZ6S qU6 5 "* ""** o de jala, de 1866.
tilo dea as salvas do esiylo. rti*1 SaSSLd2ffiL!e2 ^ntes bres intermitiente, engojptoHMtttt CU<** *?,1 dI d,rectohrla se fI scite "
^BP*taenirfgaasjc5oesd,qaelIeb^em a aptMHacio crrmew-Appelhwe, Niealao Prea es, hydropesias, nreostruaoJOOlWlctl 0 *
de Miranda ; appellada, a justt^a. regulares, catharro da bexigfl.
AwwHaote, o joito ? appeiiido, Praicisco Ferre- Aquella' que deseiai m fezor use dessas
ae de znscimeato.
A
rito.j _,
to. dirigir-s farmacia do afetixo assigoado
obstitolcao a's camellas que as representavam.
Huj o agiote Marlios ha leilo no armaxem
a roa do imperador drnosles e mal* *[Ugos
auoune.ados, por conla e oram de r. *erico
P. S.
Pasa!ros do wpor 'Qimum *> Saa sa-
bidoa para o Norte : Jos* Sragorio Velho, los*
SVS
O goarda litros.
Ignacio Nano* Crrela.
Pinto Manjoes, Felipp* .Plato Marques, padre *or procarsder da corda :
iambBC13rJe jullto de 1866,
A taixa ;sacca sobre a caita Alia I na Babia,
Diligencia chei-Gom vala ae Ir, dfaamnarg> fof-^ fa ^g3 fo ftosajio n Q, pro*
Itbeiro Mello, Geor Ap^Sef 8iS.TfWralai ****. t*'*> J qWt. de poticia, nico dopwito
C Borba Cavalcaote, *aa caHada e urna Pr.m., zpnd-T \ Manoel da Silva M. Jwwor, Lo B Mariobo. Pe- Con vista Dr. orador garal : I en VtsUj qr}6 foi O ibllXO UI droLnagero **. ao Reg Barros Apeantes Dr. Pedro Perto' ""J* is*!*?; mdro que subinetteu essa planta a prepa-
Aotonio Jos Soares, Jote Ignacio Pires, Manoel jo Beltro j appellados, os herdetros te uirisiovao
de Barros Brrelo, foaquim Jos de Oliveira, Fe Dionisio de fimos.
iiorje Nicodemos Xernesti, A. M. de Hormar, Loii, passagbns, c. *..
AnioDio Pereira dos Santos, Francisco Ferreira, Do Sr, desembargador Saotiaga *o Sr. desem-
Dr A. M. de M.Furtado e utn criado, CB pracas bargador da'auarda na:lcnal, 1 sargento de linha, Jos da laote, Secnndioo Fradsco de Macedo ; aopellado,
Conha Figii^redo, Feliciano do R. Barros Araujo, Antonioi lok Pestaa.^Appellaote, Antonio Gar-
sna espo4, 3 escravos, o i eriado, Antonio G. de oeiro Machado Res ; appellato, o 'sen *
Rf ve Brsce de Perumbieo.
O Hete Banco fax o lh tividetdo de H
ceao.
por
rtces pharmaceuticas, e Ibe guUde por'^if^ ftlit i u Ha a ce % Braslt en
coaselos mdicos, s teb approvaoao
destes.
Pbarmacia em a ra larga do Rosario n.
10, junto ao quartel de polica,
Jeaquim A. Pinto.
RBPABT:gO DATOLICIA.
ts do da J5 de selenbro e 166.= Forau re- appellado, Maoosl Fereira deMoora.
?obX< a'cMde detenco no dia i4 do cor- Do: Si;. eswbargMor Motta ao Sr. ^^a-
rnnte A' ordem do Illm. Sr. Dr. cbefe de polica, dor Astjr: -A aw>ell*9>o civel.Apptllaqrte, Ma-
Laurianno Jos Joaquim, para recruta: a'ordem lelPatrao doLRaselneMo ; appellafla, Margarlda
do Dr >oiz mufliciml da 1 Tara, Joaqnit los Maria da Pitijo,
ruiLbra'Jnior por nao terumprido os deveres Do Sr. desemoaxgador Assis ao Sf, desembarga-
de fiel depositario: a'ordwn do sobdelegtflodo dor p.B>ingues_ da Sihra.-A ippella0o ciyel,-
rd (pscravo d Antonio P
Mendonca), a requerloieoto d'asie : a' ordem
Recite Pedra oseravo de Antonio Woheiro de Appellante, H. Clara theodora da Fonseca ; appel-
Mendonce) a requerlroesto d'este : a' ordetq do ladOj Maqoel Jos dos gaotos.
de S ADlonio (eeeravo de Bernardo Dornetles. 4a o Sr. desembargador Vielra ao Sr desewpw-
Cunh), i.or sufpeitb de anoar fgido; AteBdre gador Uepo Cavaicapti: -MSSS&TmSZ
o Ada (africanos llms,, por br.ga ; Salvador e AppeUqle, A Sant Casa da, M.5encordia PP-
Joo (estrene este de Satjro Seranm da Silva, e lada, a farenda.-rAppe laule. I^rnim ^
aqoelle de JaqBB Monteiro da Cruz), por em-gadas; appadp, o i0'^^1"1^?^
biagUM i Joio (eeemve de Hercuhno fos Ro- Csmeiroi M..otelrc. i appellada, Jestno Jf'fS ".d
KsPDBe.rJ, > r^uerimeut deste, e Aoto Silv,-Appe|lante, os recoihi^entos 4 Glo/.a ,
iM?r^s Viaona, po/cnme de rapto : a' ordem appeMo, U Antonia de Olivoira.
do de S. Jos, Joo (africano livre), para corree- A l hora eooerrou-e a sesslo.
Ko : a' ordem do da Boa -Vista, Oypnano e
r*e (escravos este de Claudio Dobeux e aquelle
de Joo Stlvspo de Souia), o pfimeiro por distur-
bios e o segundo por crime de tentativa de mor-
te O cbefe da seceao, 1. Gtlteno de MtijHUa.
PubicacCes a pedido
Apa de Fleriila de Hurray 1 L*ornan.
Que os postas embora faHem dos aref odor-
feros da bdsmica Arabia porm. aperar de tudo
pode-se muiti bem por em duvida, se jamis al-
gum desses florescentea nosijues de cannellelras
fou laraujaes produziram oo derramaram Incens e
! perfume mais refrigerante e deleitavel, do que
, aquelle delicioso e delicado aroma que exhala e
S : dimana deita admiravel essenela, eolbida dos catn-
_ l pos virgiaaes de Flora.
A athmosphera, a qaal rouba o diveste a fra
graocia a uuasi todas as mais aguas ebeirosas, pa
rece (iroduzr bem pouco effeito sobre a esquisita
rariedate d'este aroma, a qoal pertence por excel-
lenri es a preparago sublime e refrigerante.
Ella eocerra em si, por assim dixer, o condensado
rtspiro e vida das flores as mais esquirlas e odo-
rferas do reino vegetal e soa fragrancia parece
inexhaurivel, inesgotavel, me.smo depols Je ter
sido exposta a' urna prolongada evaporajo ou
diffu.o. N'este respeito ella se asseraelha a' ori-
ginal agua da Collonia de Parlua, e preferida
p>r toda Amsnca do Sul e nos Aotilhas, nao
obstante o valor e cu perfume.
(Reparai bem que os nomes de Murray es Lnn-
vtan se. achem inscriptas sob cada envoltorio, le-
treiro e at mesmos embutidos no proprlo vidro
da garrafa eu na falta dos mesmos toda a mais
falsa.)
Acba-se veoda as boticas de A. Caors e do J.
da C. B avo 4 C.
I
ir.

s
i*
C-9
Illm. Sr. Joaquim de Almeida Pinto.Cuyambn-
ca, i de setembro de 1866.-Leudo no Jornal do
Recife diversas declaracoes de peswas qna tem
obiido alivie as enfermidades que sotfnam., coro o
ose da juratieba preparada por V. S., Juigo nao
dever flear era silencio e palenter ao publico
igual resultado se nao aior que tem espesimea-
ido o meo fllho Luis Jos da Cmara, o qnal sof-
frendo em grao muito subido do flgado e basso,
fai acoaselhado para o mandar a Lisboa, e efecti-
vamente para alli parti a 19 de junbo de 1804.
tofeliircenle alli chegando, os professionaes s
qoem eHe fui submettido, eotenderam elle solTrer
do peito e nesse sentido coagirlm-lbe a curas co-
me era de esperar, o menino peorou extraordina*
riamente, a peate de e faterem regressar em se-
tembro de mesmo anno, era estado que soppoze-
ram que elle sucourabiria em viagem, fetizmenie
assim d5o acoBteeeo, sendo eerto que ebegou em
peior estado do que daqui parti, qoasl desengaa-
do trooxe-o para o engenho, e por algom tempo
use de remedios caseiros, cora os quaes apena
i a pal liando a vida
DelermineUme afloal de consultar a V. S., e de
entio pare c tem elle osado do seo excedente
remedio da jnrobetia, e a vista do estado em que
se aer-.ava e o em que se acha, pode-se dizer cura-
do, por qaaato a muito tempo que nao tem febre,
de flgado parece nada mais soffrer, o basso, o
grande volme que fazia, esta' muito diminuido!
o ventre que o linha bastante crescldo esta' quas,
no natural, a cor que era de um amarello esver
diado esta' hoje corando, ja' se Ihe v sangue as
faces, a tendencia que tinha s para estar deitado
ja' a nao tem, a cama hoje s o v a ooite a hora
de deseanco.
Anda continua a osar do mesmo medicamento
e espero em breve que se achara* radieaimem-t
corado.
Son eom toda estima considerado de V. S.
patricio amigo obrigado e criado.
Berqardo Jos da Cmara.
Pernambuco, 25 de setembro de
1866.
A directora convida aos Srs. accionistas a vi-
ra 9 recebar nesta cana as acedes que Ibes com-
peten), restitolodo os mesmos Srs. os recibos das
duas ultimas prestares, e bem assim as cautelas
que representam as mesmas acgrjes.
ALPAflDEGA.
Reodimentp do di* i a J4.,,.
dem do d'a 15................
868:4794540
27:8863168
ovo: oqoq n)o
. M
Secreuria da Santa Casa a Misericordia o
Recife 91 de setembro de 1896.
O escarrie lotera,
________________Pagyo Rodrigues de Soosa,
A lllma'. judia administrativa da Santa Casa
de Misericordia do Recvfe,-manda faterpublioo qne
no dia 27 do correte pelas 4 horas da tardeoa sa-
la de soas sessoes se hade arrematar a qoem por
meos flzer a obra da cornija e fingido da (reate
da Igreja da Misericordia em Olinda e o ladrilho de
100 palmos de om primen lo a 30 d largura do 1*
saio, de 70 palmos de cumprimento e 20 de lar-
gura do 2* jalao, de 65 de comprimento e 32 de
THEAJRO
S. ISABEL.
IVM|A--CMHItR.i.
(Jaarta-feira H de letembre de 1866
25* recita ala Mlgnaara.
largara do 3* iglie, a 28 de cumprimento e 24 ESPECTCULO LTBICO I GRACIOSO DIVIDIDO
MOflMfSOTO DA ALFANDEGA.
Volumes sahidoscom fazendas... 297
i com gneros... 518
8J5
Desearregam hoje 20 de setembro.
Brigue hespaohof Faranfarinh* de trigo.
Brigue oaeiooal(Jbndocharque.
Barca nacionalSania Martaidejp
Polaea hespaBhola Premp/adem.
BECEBEDORIA'DE RENDAS INTERNAS
GERAS.
Reodimento do da 1 a 24...... 24:372!02
dem do dia 25,.....,.....,... 1:112*883
25:6844985
CONSULADO PROVINCIAL
ReDdfmento do da 1 a 24....... 71:9445695
dem do da 25...... .-.,....., 4:3484795
76:2934490
5
P
ADVERTENCIA.
Na totalidade dos doentes existem 173, sendo 101
homens e 72 mulheres.
Foram visitadas as enfermaras estes dias :
As61|3, 6I|3, 7,7,7, 81|4, 61|3, pelo Dr. Ra-
mas.
A's 9 1|2, 9, 9, 9 1|2, 9 1|2, 9, pelo Dr. Sar-
ment.
Fallecern):
Jos Ak'iandre da Costa, abeesso na cabega.
DouiiogosJo> ae Carvalho, ulcera elephanliaco.
Casa de DETENgo. Movimeulo do da 23
de seitiribro de 1866 Existiam 371, eutraram 13,
sabiram 7, eiistem 366; a saber: naciona^s 280,
mulheres 21, estrangeiros 16, mulheres 2, escra-
vos io, rscravas 2 ; total 366.
M.ivimenlo da enfermara do dia 25 de setembro
de 1866-
Teve altaGuilhermina Mara da Puriflcicao.
Teve oaixaJorge, escravo de Claudio Dobeux,
panarimo.
Cbmiterio publicoObituario do dia 21 de se
temi-ro de 1866.
Joao Jo.- Tavares, Pernambuco, 52 annos, casado,
B.a Vista ;htpatite.
Magdalena dos Prazeres, frica, 44 anuos, soltel-
ra, Recife; idem.
Rofioa, Peruambuco,4 annos, Boa-Viata; tossecon-
vul.-a.
Affou.-o, Pernambuco, 18 mezes, Recife; Inte-
nte.
Manuel, Pernambuco, 3 mezes, Santo Antonio, e^
crvo ; calairAo suffocaute.
Vicencia, Pernambuco, 6 aonos, escrava, S. Jos ;
plbysica pulmonar.
22
Silvino Mji, I da Silva, Portugal, 57 annos, casa
do, Boa-Vista ; escrobuto.
Joaquim da Silva Moreira, Pernambuco, 9 annos,
Bua-Vbla; bydropesia
Joio Dumingos da Cunta, Pernambuco, 38 annos,
casado, S. Jos ; pneomonia,
Vicente Ferreira Ramos, Pernambuco, 62 annos,
casado, Recife ; caoge^lo cerebral.
Mana dus Prazeres Cavalcanti, Pernambuco. 25
annos, casada, Boa-Vista ; parto.
Man?. Caodida Bessone, Pernambuco, 22 annos,
solieira, Boa-Vista ; tubrculos pulmonares.
Ama Francisca da Cmara .Pimentel, Pernambu-
co, :4 annos, casada, Afogados; tubrculos pul-
monares.
Angera Hara Julia, Pernan _ teira, S. Jo: ; plbysica pulmonar.
j|+-rVu<'|sc;i Alves, Pernambuco, 16 aonos, sol
teira, Sanlo~AnoOra ;JeJ>re maligna.
Anqa Mana das VirgeDS, PerBaatbflCO, annos,
soitira, Recife ; aneurisma
Osear, Pernambuco, 3 mezes, Recife ; eoeefalile.
Joani.i, Pernambuco, 5 dias, Boa-Vista ; espasmo.
Aflonn... Pernambuco, 7 mezes, Boa-Vista ; escro-
pliUlas.
Man.-', Pernambuco, 8 dias, Santo Antonio; es
asa
50^"
O oleo de figado de ba :alho desit;f<:ctado
de Chevrier, conserva as cualidades e pro-
prit;dadts recoohecidas ao oleo de ligado de
bacalho ordinario; o $eu cheiro gosto
sao muito agradaveis, e a dbjesto faz-se fa-
eilmente.
Deposito em Pernambuco, casa de P. Mau-
rer 4 C, ra Nova n. 18.
CURA
Espantoza e Admiravel
DE UMA CHAOA
GAHCROSA E ROEDORA
ov
PLIPO M NARIZ.
Adulpio, Pernambuco, 3 mezes, Boa-Visla ; he-
paut-'.
Mauo-l, Pernambuco, 77 annos escravo, Boa-Vis
ta ; intente.
-23,^
Domingos Josa de Carvalbo, Pernambuco, 20 au-
nos, soltei.ro. Roa-Vista ; ulcera.
O *'
Crt^LA JI1C1AHIA.
*HfiIJaAti WX RELAt Ai.
SESSAO DE 25 DE sni'KMBRO DE 1866.
f KESIUEKCIA 00 EXM. SR. CONSgUHHKO
SOUU.
As 10 horas da tnanha, presentes os senheres
desembargadores Santiago, Gitirana, Lourenco
Santiag.i, Motta, Assis, Domingues da Sil, Vieira
e Dcfta t;avlcantf, Mtand) os S s. desembarga
dores Guerra procurador da corda, Alraeida Albu
qnerque, abrise a sossio.
Passados os feitos, deram-se os seguales julga-
meot a* :
Appeltacoes eivoi:.AppeHante, Joo Feranodeg
Vieira < CoBfirT.aoa a seotenca com declara^b.
Appellante, Francisco Ferreira de Andrade; ap-
pellado, Manoel Jo- Taboca. Conflrmada a sen
tena, aonullando o accordao.
Appellante, Francisco da Conha Pedmsa ; ap-
pellaJ.s, Riu, e sua fl.ha Iguez.Reformada a
ente nca,
Apptllaste, Jos Birroso d^ Araujo ; appellado,
Francisca Rogelio Correa.Receberam os om-
liaxgo-.
Appei agoes crimes.Appellante, Pranelsco Ma-
noel Bezerra; appellada, a iuslica.Aanullaram o
processo.
Remeiio cdtia a enibriagHtz
A sade depende do estado dos solidos, e
dos fluidos, que os conserva idneos para a
mais perfita execuco das funcves vitaes; e
emquaato estas se fazem com regularidade
oos adiamos sios e robustos; porm de qual-
>juer maneira que se pertutbem, inivilavel
o alterar-se a sade, e a inteperanfa nunca
deixa de desordenar toda a economa animal,
impedindo a digesta, relaxando os ervos,
fazendo irregulares as secreces, viciando
os humores e produzindo infinitas enfermi-
dades.
O mais alto grao da prudencia humana
consisle em regrar os nosses appetites e
paixoes, de maneira que se eviten os ex-
tremos.
Com quanta celeridade arruina a melhor
constituicao o abuso dos licores, que embe-
bedam I Pelo que vemos com tanta frequen-
cia os devotadus a embriaguez carrogados de
males, correntio com passos largos para a
sepultura, e por is.o commum proverbio,
que todos os ebrios morrena hydropicos.
Tudo que embebeda p5e a natureza em
esta lo de excitar febre, paradesembaracar-se
da pessonha que tragara: *, quando se repe-
le qnasi todos os dias este veneno, fcil-
prever-se as consequencias, qi:e resultam
delle Asfebres da bebedico nem sempre;
terminara emum dia ; acabam ardinariamen-;
te n'iima inflamv.iacao do peito, do 6gado, ou'
do bago e produzem fataes effeitos.
A bebedice de especies alcoliess quandroi
se usam com e^cesso, debilita as entranhas,
impede a digesto, destroe a forca dos ner-
vos, e causa enfermidades paraliticas, e con-
vulsivas. Do mesmo modo esquenta e ip-
Sarama o sangue, destroe sua qualidade bal-.
saraica, e o torna intil para a circulac5o e
para nutrir o corpo. Dahi procedem asi
obstrucoes. magreiras. hydropesias eti icas.!
Estes sao os caminnos orrBaros, com que
s bebados fazem sua carreira, e enfermida-'
des desta casta, quando se produzem em um
forit- bebedor, rara vez admitem rura.
Alguns arruinam sua sade bebendo mui-
le, ainda que rara vez (pelo costume) se em-
bebedem^ posto que nao prodaza effeitos t5o
fiokntos, n5o s3o menos perniciosos.
Quando os vasos se conservara constante-
mente cheios e dilatados nao se podem fazer
bem as digest,pes, nem preparar-se devida-
meate os humores l'or isso a maior parte
destas pessoas padecem, gota, pedras, areiaa,
chagas as pernas, abat ment de espirito,
desordens hypocondriacas e outros sympto-
mas de in ligesto.
A bebedice nao s destruidora da sa-
Dma cread de servir residente em Pemam
buco e pertencentc Ex" Sei*. Vicomuessa
DI Goianxa, foi attacada d'um terrivel ch
g cancros e roedoraou Polypo no Nariz.
A mesm involvi e toiuava todo a parte in-
ferior do narE, anea.,ando ja distruir tanto a
parte cartilaginosa como o mesmo oso ; Come
ion priineiro por apparecer sob o beijo aupe
riar e parte da face, uxtemiendo se por tal
forma e com tal rapidci, que em pouco mea
cava transformar todo o rosto u'uma enorme
eharga viva e asquerosa. Durante todo este
terrivel estado, todos oa recursos mcJicnaea
que em taes cazos se uzo foro abun mente erapregadoe, sem quo de leve fizesse
parar a marcha lenta e dlstruidera de tfio hor
rivul enfermidade, e todos os meioe e eaforC/OS
forao baldados, e no em tanto mal cjesca eis
que por milagrosa fortuna da infeliz atando
aa couzas ueste ponto, se exporimentou pela
vea primeira a
SALSAPARRILHA
DE BRISTOL.
O efleito produzido, quasi que instanUiueo
por este inestlmavel remedio foi verdadeira-
mente maravillioeo o sem igual; este grande
purificad o r do sangue e dos humores do aya
tema, inmediatamente pz um termo mar-
cha dieastroza e fatal da molestia, derramando
se e infiltrndose atravs dos lucidos os maie
delicados do corpo, expellindo ate' i ultima
propriedade ou vestigio virulento da molestia,
e dentro d'um curto espado de tempo produzie
am
CURA
Completa e Radical.
Este feliz quio admiravel resultado foi obtl
do apenas com o simples uso
D'uuia so nica Garrafa!
d'este iacomparavej e iaapreciare] depuratorio,
recommendamos portento todos os Doentes
que procurem obter com o maior cuidado a
nica e verdadeira Salsaparrilha de Brlstol,
nicamente preparada por
LANB^AN & KEMP,
I>e XO^,JRiV *
na certeza de que, todas as mais preparacSm
Imitativas nao valem para oouza algama
Vende-se as boicas de Caors 4 Barbosa
G. Bravo C.
MOVIMENTO DO PORTO
Navios saludos no da 25.
Cabo-Verde Rscoqa naooveriana Aiia Carolina,
capilao Ure.-mao, em lastro.
Liverpool Barca inglesa Adttphoi, capilao T.
Wbalene, carga alsodao.
BarcelonaSumaca bespanhola Portlos, capilao
Pablo Pido, carga atgodao.
Observado.
Nao bjuverara entradas.
EDITAES.
O Dr. Eduardo Piodahiba de Mallos offlcial de
imperial ordem da Rosa, juiz dedireiio e chafa
de polica da provincia de Pernambuco por
S. M. o Imperador, que eus guarde etc.
ect.
Paco saber aos que esie eiital vin-m que se acba
aberlw o concorso para o provimenlo difinitivo do
officio de escrivo do crime que deve servir perao
le este juizo e de delegada do primelro districto
desta capital, creado pela ki provincial n. 637 de
3 de jutii do anno prximo passado, devendo as
pesseas que pretenderen), ser oeiles providas
apresentar oeste uizo, dentro do praso de 60 dias
con ados da dau do prsenle edita), os seos reqoe-
rimentos assigoados, e devidameote instruidos com
cerlido, de idade recoobecida por ubellio. folba
corrida, termo de exame de sufflciencia feilo pe-
ranie o juizo municipal, ludo sellado na forma do
decreto o. 8(7 de 30 de agosto de 1857, e das
ordens em vigor.
E para constar mande i passar o presente que
sera afiliado oa porta desla reparticao e publicado
oela imprensa.
Dado e passado nesta secretaria da polica de
Pernambuco, aos 4 dias do mez de setembro de
1866.
Eduardo Pmdahiba de Mallos.
O Dr. Jaciniho Pereira do Reg, jnlz municipal da
w. segunda vara desta cidade do Recife de Pernam-
'{ bnco, e seo termo, por Soa Magestade Imperial
g e Constitucional, o Sr. D. Pedro II, a qoem Dos
guarde etc.
Paco saber pelo presente que depois de lindos
os dias da le, se ba de arrematar por venda a
qoem mais dr, em praca publica deste juizo, de-
pois da audiencia respectiva, um sitio n. 42, na
travessa do Bemflca, freguezia dos Afcgados, em
chaos proprios, com casa de viveooa de sobrado
de um amiar e soto, o qoal tem emeoenta palmos
de largo e cenlo e dez de fundos, tendo mais co-
ebeira, -estribaria galinheiro, banbeiro, deposito
d'agua e quailo para escravos, lodo de ptdra e
cal e cacimba, o sujo rom a frente para o rio Capi-
banbe e futido para a travessa da Estrada do Bem-
flca, onde lem pertao de ferro, avaliado em. .
8:000, cojo sitio e casa foram penborados por
execuco de Aolonio Valentim da Silva Barraca,
contra a vinva e berdeiros de Manuel Carneiro
Leal, por se achar o dito sillo sujtito ae pagamen-
to da qnantia de 5:62242z rs. E na falla de lan-
5ador qne cubra o preco da avaliaco, sera a ar-
rematado fela pelo preco da adjodicaco com o
abatimenlo respectivo da le.
E para qne cnegue ao conhecimento de todos,
mandei fazer o presente, que ser affixado nos
lugares do costme e poblirado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 19 de setembro de 1866.
Eo Guilherme Augusto de Atbayde, escrivo, o
subserevl.
Jaciotho Pereira do Reg.
de largura da sala contigua ae 1* sallo, a de 133
palmos de ca*pr|meo(u e 14 de larjura do adro
da Igreja.
Os proponentes deverio apresentar soas propos-
tn em carias fechadas, e para methorrs esclarec-
roentos poderao riirigir-se a' esta secretan.
Secreteria da Sania Casa de Misericordia do Re-
cita, 21 de setembro de 1H66.
O escrivo interino,
___________ Pedro Rodrigues de Sousa.
Consulado p evincial.
Pela mesa do coosulado provincial se faz publi-
co qoe no dia 28 do correte se Onda o praso
marcado para a arrecadaco dos impostos cobra-
dos por lancamealo parteacentes ao anno finaocef-
ro Bodo de 1865 a 1866 Bcaodo sugeitos todos os
devedores que oo pagarem seos dbitos at aquel-
lo dia a serem ajoizados.
Masa do consulado provincial 1* de setembro
de 1860.
Antonio Carneiro Machado Rios,
____________________Administrador.
A Illina. ja'nta administrativa 3 Sania Casa
de Misericordia do Recife recebe propastas para
arrendamento das casas abalxo declaradas, as
qqaes aehando-se arruinadas, serlo arrendadas
pelos precos mdicos a quem se quizer mzomblr
de concern las ;
EstabHeciraentos de candade.
Ra Direlta n. 33.
Cinco Ponas n. 110.
Ra do Azeite de Peixe o. 1,
Ra da Moeda o. 37.
Ra dos burgos o. 2.
Roa do Pharol o. 72.
Roa dos Ceelhos o. 94.
Becco do Abreu n. 2.
Patrimonio dos orphos.
Ra do Burgos n. 19.
Roa da Cacimba n. 19.
Ra da Guia n. 19.
Ra do A.Tiorm o. 24.
Os preteodentes para raelhores esclarecimentos
podero dirigir se i secretaria.
Secretaria da Saota Casa de Misericordia do Re-
cife, 2i de setembro de 1866.
O escrivo interino
Pedro Rodrigues de Souza^
1* seceao. Secretaria d'a polica de .Pernambu-
co, 22 de setembro de 1866. Por ordem do Illm.
Sr. Dr. chefe de polica, faco publico qoe a' casa
de detenco foi boje recolbido o prdo Manoel, qne
se ayreseuiou n'esla reparlleo, declarando estar
fgido e ser esciavo do propnetario do eogeoho
Generalo qual dever solicitar a eolrega do mes-
mo e-cravo, mediante documentos comprobatorios
de seu dominio, e pagamento das despezas com
elle faltas. O secretario, Eduardo de Barros F.
de Lacerda._____________________(_____
Pela secretaria da cmara municipal desta
c dias 29 do eorrente, 1 e 3 de oolobro proiims
vmeooro, para serem arrematadas por qoem
maior preco offerecer. as rendas momeipaes an-
noociadas para hoje, deveodo os que preteoderem
as mesmas licitar, apresentar suas flaneas de ar-
cordo com a lei da fa/enda nacional, qoe maoda
esperalisar os beos aflaoQadas; os qoe assim nao
pr i ede '. deixaro de ser admittidos na arrema
tacar*
Secretaria da cmara municipal do Recife 17 de
setembro de 1866.
O secretario,
Francisco Canuto da Boaviagem.
EM CINCO PARTES.
Prineir, safnAl Urceira partos.
A opera conrea original brasileiro do Sr. Dr.
Macedo.
O^HANT^BRANCO
Tomara parte as Sras. D. Eugenia, Leopoldina,
Jesoiaa, Emilia, Pontea e Joaquina e os Srs. Lis-
boa, Raymoado, Teixt Ira, Paiva, Cooto etc.
Qairta parto.
O mono desojado e lindo duelo pela Sra. D. En
geoia e Lisboa.
O ESULhME E A LAYADORA
Quilla e ollim parto.
O tria logo qua-i cmico
Tchang-tchig-buiig.
Em cooseqoencla da repentina molestia da actriz
a Sra. D, Adtlaide, a empresa substoe o espec-
tculo aooanciado pelo prsenle, esperando des-
culpa do benev.-lo publico peroamboeano.
Prroetplar as 8 norss.
AVISOS WIRUtWOS
COMPANHIA PEftNAMaCAM
DE
Navegaeao ctstcira por v|r.
Parahyba, Natal, Maco, Aracaty, Ceara* e
Aoaraco'.
No dia 26 do correla as 6 horas da tarde se-
gu o vapor Parahttba, commacdaole MarliBs, aa-.
ra os uoitob mqieadus. Recebe carga nos dias 24
e iS ; eneoasoieorlas, pasoagens e djoheiro a (rete
ato as 3 horas 4a urdo da dia da sabida : eserip-
tono oo porte do Malos > ._________________
CliIPARir
DAS
Jcssagcrics Imperiales,
Ato o Ota 30
do correle mez
espera-se Aos
portos do sol o
vapor francezj-
trwaudurt, con-
maodaoie H. de
Somer, o qoal
depois da demora
do costme seguir,.' para Bordeaux, locando em
Vicente e Lisboa.
Em S. Vicente ba om vapor em corresponden-
cia com Gore,
Para coodiccous, freies e passageas traia-se na
agencia ra do Trapiche n. $.
Altenco
DEGLABiCOES.
Santa Casa da Misericordia
do Recife,
A Illm.* jnota administrativa da Sania Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico qoe
oo dia 27 do correte pelas 4 horas da tarde na
desoas sessoes tem de Ir a praca a reoda das ca-
sas ahaixo mencionadas para serem arrematados os
seos alogoeres por tempo de om a Iras amos.
Os preJeJsdeaaajlevoo sonipareeer a paoba
(as- de seos fiadores ou com carias do- ,..c.-moes.
J&Uklecimentas Ra das Cinco Ponas.
Casa terrea a 108 2320O0
Ra Direita.
Sobrado de 2 aodares o. 8. 1:067*000
Ra rjo Padre Florlano.
COMMERCIO.
Cotafde* ofclae,
PRAQA DO RECIPE, 13 DE SETEMBRO
PE 1866.
de, mas ras facilidades da alma, o costume Algodo1 sVir^o^pwr'robal'1'
<5e embeUedar-se faz idiota os genios. j Aluodo.Da Macer 14j300 por arroba, posto a
Assim, pois, aos chefes das familia con- brdo.
vm salvar aos seus fututos, que arraigados 'If1.80Abrrf/n0Q,lre ^ H 7/8 e 2S lv
vicio da embriaguez nao os podem livrar 0eKmt '
Presideole.
Silveira,
8ecretar*e.
Nova bsica de Ferasm.
baee>.
O novo banco desconta letras de prazo at qoa-
tro mesas a 8 por cento o aoao, e. de maisr prazo
a 10 por ee*k.
O doto banco de Pernambace faz o
segado diviileudo de viste por canto
das masss de Nesqnta A Datra e Fran-
cisco AdIohd Correia Gardozo,
72*000
153*000
216*000
174*000
176*000
ao
pelos meios suassorios, applicahdo-lhe o re
medio, que faz ioteiramente enjoar as beb-,
das que se vendeni: na botica ou laborato-
rio pbarmaceutio, na ra Direita n. 88, de
Jos da Rocha Paranhos.
A jurubeba
, (SOLANUM PA^^CLLATM DE LY.NEO.)
As preparacoes pharmaceuticas da juru-
beba s5o iaedicamentos reconliecidamente
excellentes, e devem, Ser considerados como
as substancias mediciaaes, tnicas edesobs-
truentcs mais enrgicas que seconhecem
Casa terrea n. 47.......186*000
dem terrea o- 68. .. ,
Travessa de S. Jos.
Casa torrean. U, ,
, Roa dos Pescadores.
Casa terrea a. 11......
Roa das Calcadas.
Casa terrea n. 30. ....
dem n. 36........
Casa terrea n. 38.......i57*u(K
Roa do Encantamento.
Sobrade de 2 andares e soto n. 3. 400*000
Rpa da Gloria.
Caaa terrea n. 85.......144*00*
Becco do QQiabo.
Casa torrea n, 55......144*QW
Patrimaiio de orphos.
Roa do Sebo.
Casa torrea n. 43.......116*000
Ra do Pires.
Casa terrea n. 30.......12O*0i*
Ra do Rangel.
Casa terrea n. 56.......300*000
Ra da Guia.
Casa terrean.27......126*000
Roa da Lapa.
Casa terrex n. 2.......150*000
Ra da Cacimba.
Casa terrea n. 10.......... 83*000
Roa do Pilar.
Casa terrea o. 108.....f 240*000
Idep terrea 94........... 168SO00
Memo. 103............ 2OOO00
dem n. 105........ 168*000
Sitio do Poroo da Cal a, 5. 150*060
O abaixo assigoado, administrador da recebado-
ria de rendas internas geraes, con.vida a possoa a
quem pertencem tres letras da trra que hontem
24 do crreme foram selladas, oa importancia ca-
da orna de 3:500*, a iraze-las ou manda-las a es-
la reprtico, afim de se conferirem as verbas
sem o lancaoienlo da receta, da qual consta que
duas nicamente foram lanzadas, seod. que urna
dellas deve Litar a a.-sigoaturA do Ihesourriro oo
do Sai i o que fetto sero sem demora restituidas.
Reeebedona de Pernaubuco, 25 de setembro de
1866.Manoel Carneiro de Souza Lactrda.
Tribunal do e* ni me icio.
Pela secretaria do tribunal do commerclo de
Pernambuco se faz publico, que nesta data o Sr
Manoel Pereira Ltmos, cidadao brasileiro, de 48
annos de idade, foi admiltido a matricula na qua-
lidade de commerciante, estabelecido uesla cidade,
eom deposito de agurdente.
Seeretana, 24 de setembro de 1866.O offlcial
maior, Julio Uunnariies._____________________
O secielario da cmara municipal da cidade
de Olinda abaixo assigoado, faz sen ule a quem
inleressar possa, que nao tendo sido possivel liaver
a arremalaco dos impostos perleoreules a mesma
cmara i.o da 22do crranle, ptr nolivo justo; fui
Irani-ferida para a sessao de 29 do correte.
Secretaria da cmara municipal de Olinda, 24 de
setembro de 1866.
Mar colino Dias de Araujo.
Obras Publicas
Fel reparticao das obras publicas, se faz publi-
co para conhecimento de quem possa intetessar,
que o concurso para prehenebirrento dis lugares
vag s de pralicantes, fica transferido para o di
20 de novembro proxirro vindouro.
Secretarla da reuarlicao das tbras publicas, 25
de setembro de 1866.
Joo Joaquim de Sjurira Varejo.
Perante o Illm. Sr. Dr. juiz de 0rpbos e pelo
cartorlo do escrivo Guimara s, Qndas tres au-
diencias lem de ir a praca de Venda o sitio do
Zoogu, avahado por 6:000* e paite as Ierras de
Aplpucos no valor de 500*, beos estes pertencen
les a tinada Maria Cannida de 'Magalhes, e que
vo a praca a rtqoerlmeoto do inventarame para
pugameuto de sello da fazenda, legados e vintenes.
Crrelo geral.
Pela adrninistracao do Crrelo desta cidade, se
faz publico que em virlude da convenci postal
celebrada pelos governos brisileiroefrancez, serao
expedidas malas para Europa n>dia 30 do corre-
te pelo vapor francez Guienne. As carias sero re-
cebadas at 2 horas antes da que fr marcada para
a sahida do vapor ; e o* joroaes al 3 horas anleg.
Adminislracao do correio de P setembro de 1866.^0 administrador, Domingos
dos Passos Miranda.
l'ela admloisiraco do correio desla cidade
se faz publico qoe hoje (24) as 3 horas da Urde fe-
cbar-se-ho as malas que o vapor Cruzeiro do Sul
tem de conduzir para os portos do norte. As car-
ias sero admiilidas a seguro al as 2 horas, e os
joroaes sero n cbidos al o meio dia.
inspeceo do arcual de mariaba.
Faz-se publico, qoe a commissao de peritos exa-
minando, oa forma determinada no regulameoto
annexo ao decreto o. 1324 de 5 de fevereiro de
.1834, o casco, machiua, caldeiras, apparelhos,
mastreaco, veame, amarras e ancoras do vapor
Paralaba, ja Cumpanlua PerBambocaoa de nave-
gaco oosleira, acbiou lodos esses objeclos em es-
tada de poder o vapor navegar.
Iaspeccao do arseoal de marinha de Pernambo-
co, 25 de setenjbro le 1866.O inspector, Herme-
neglldo Anlonio Barbosa d'AimeMa.
Pela administraco do correio desta cidade
se faz publico, que hoje (26) as 3 horas da larde-
feohar-se-hao as malas que o vapor costelro Para
Atoa lem de conduzir para os portes do norte at
Aoracu'. _________| ___________
Correio geral.
Pela administradlo do crrelo dtsta cidade, s
taz publico para Sus c avenientes, que em virlode
do disputo no arl. 138 do regol-ment geral dos
comioe de 21 de dazembro do 1844, e arl. 9 do
decreto o. 785 de 15 Je raaio de 1851, se procede-
r' o cosummo das cartas existentes na admini-
traco, pertenceotes ao mez de setembro de 1865,
oo da 3 de oolobro prximo as 11 horas da an-
nbaa oa porta do mesmo crrelo, e a respectiva
lista se acha desde ja' ex posta aos interessados.
Administraban d crrelo de Pernambneo, 22 de
setembro de 1866.O administrador, Domingos
dos Passos Miranda.
Para o Rio-Grraude do Sul
Vai sabir com mnita brevidade a barea nacional
Norma, por ter proropto parle do seo carregamen-
to: ainda recebe om resto de carga a frele barato,
a tratar oo largo do Corpo-Saoto n. 19, com Manoel
Ignacio de Oliveira & Pilho. eo com o capilao. Re-
cife, 21 de setembro de 1866. ________
Para a liba de Fernando.
Pret- nde seguir oestes 8 das p veleiro e bem
conhecido palhabote nacional Dous Amigos, tem
parte de seu carregamento engajado, para o resto
que Ibe falta trata se com os seus consignatarios
Antonio Loiz Oliveira Azeved \ C, no sen escrip-
lorio ra da Cruz o. 1.
Para Lisboa ,
S<>goe eoi poneos dias, o vele ro e bem conheei-
do brigue porioguez Constante I, por ter a maior
parte do seu carregamento proropto ; anda recebe
algorra carga a frete eommodc, e pastagein s, pa-
ra o que trata-se com Manoel Ignacio de Oliveira
& f'ilho, largo do Corpo Santo n. 19, on com o ca-
pilao na praga.
rara o Assu'
O palhabole Garibaldi pretende em poneos dias
seguir para aquelle porto; a tratar-se eom Tasso
rmo, para o eng 'jmenlo de carga.
Eio de Janeiro.
Pretende seguir para o lEdicado porto, com mui-
ti brevidade, o veleiro e bem conhecido brigue
Adelaide, ,or ter a maior parte de seo earrega-
meiiio tratado; e para o pouco que Ihe falta tra-
la-se com o consignatario Joaquim Jos Gonealves
Beltro, ra do Vicario n. 17, priineiro andar.
Babia.
Pretende sabir em poucos dias o veleiro e bem
conhecido patacho Santo Antonio, por ter a maior
parte de seu carregamento tratado, e para o resto
que Ihe falta trata-se com o consignatario Joaqoim
Jos GoBcalves Beltro, oa roa do Vigario n. 17,.
I.* andar.
Para o Aracaty.
Pretende seguir com muita brevidade o palhabo-
te nacional Dous Amigos, para o restante da carga
que Ihe talla trala-se com os seus consignatarios
Antonio Luiz Martins de Azevedo & C.: nc sen es-
crio!, rio ra da Croa n. I, on com o Sr. Quintal,
no ir-.piche, de algodao.
Para Lisboa.
Seguir impreterivelmente at o dia 2 de oolo-
bro a barca porlogneza Martanna II, por ler sea
carregamento ,rompto : para o resto e passageiros
trata se com os seus consignatarios Tbomaz de
Aquiuo Penceca & C, roa do Vlgarto n. 19, pri-
meiro andar.
Araeaty.
Segu para o Pono, no da 27 do correle, o
hute Noto Invenrivel : para passageiros e o resto
da carga que falla, trata-se na ra da Cadeia do
Recife o, 56 com Silva & Alves, on com o mostr
no trapiche do algodao.

LEILSS.
leilao
De300caixas com figos e 7 larris
com maHieiga ingle a.
HOslE
O agente Pestaa rara' leilo por conla e risco
de quem perteoeer dos jjeoeros cima, es qoaes
serao vendidos em lotes a.vootade dos comprado-
res: quart? feira 26 do correle pelas 10 1|2 ho-
ras da manha no arroazem do Sr. Annes defroo-
te da alfandega.
LB11LAO
De 10U barra com polassa.
* *era>^WK2
O agente Pesuoa fara leilo por coola, a risco
de quem perteneer ae 100 barris com potassa
marca J N P., viodos de Hamburgo na esenoa bol-
laodeza VmdrliAo Jamba e desembarcados de tor-
do da moma esenna em 14 do correte, o ietio
ser vfleciuado em preseoea do Illm. Sr. eoasal
bambarguez : quarta l'eira 20 do correle no ar-
ma? em do Sr Anu^sdefrootedaalfandega^^^^
LLUIJLIO
De um cabrioles com arreios.
Quarta-feira 26 do correte as 11 horas.
O agente J/artius fara' leilo de om cabrio:ei
cora 4 rodas por conla e ordem de quem perten-
eer oo dia cima dito em frente do armaiem da
roa do Imperador o. 16._______________________
LLH1LYO
De osoMlias d* amarello e Jacaranda, pianos de
mesa e de armario, santaarios, toilettes, sofis,
adeiras avulsas, marquetas lavatorios caaaea,
mesas, objeclos de uuro e prats. crysUes e oav
tros amitos artigos.
agente Martina
ar' leilo per ordem do Sr. Americo F. S. a
TwaTnciTRREm
IHTItMI 1
r
I


rm
,-m.
Otarla de rm Wta felri li de Hctt mhro de IW.
obvios cima quarta-felra 56. do Crrante as 1 i
Paras no armazero di rm do imperador n 16
LLAO
I i cavilas, ei^ eakacadas, briden
e 6 mal* devUf en.
Quieta-feira 17 eetett.br*.
oarmazemdosal.as ti hora* em potito.
!^if?!li?rS^Srh!L'. ose.U-rtica.doDr. Ayer.
Preparados americanos
a vpda
*
Baftea drojaria
M
u tribu.meo et cj.
Sjlsa parrilha de ftristol.
Salsa parrilha d'Ayer.
Xarope pe toral de unacanhita de Kemp.
Xarope peitoral de sereja do Dr. Ayer.
Piiulas assucaradas de Kemp.
Ama
. nico deposito de lou^a do
Barbalho no Cabo.
fMtU Terca 1t.
M* ->rt.'eide quartinhis de (das a.
qoaiidades, ditas para owaho, garrafas grandes
'altos mais obJActo* cima mencionado* aiislaa>iP,,ulai ragula kafiae PaMirUaa assucaradas do Kerap.
Agua florida de Kemp.
Tnico da Keiap.
Prompto alivio.
Resolutivo.
** rmaiem do sal, onde so enVctoara."
* ti horas em ponto do da cima dito.
AVISOS DIVERSOS
Precisa-se de ama ama forra oa captiva, para
todo o ser vico da casa de urna pe* s : na roa
1fc *? "; ig*"0 *"' m M^ d,us-p.r. me***, ^oT^r'^p-
Xa Corredor do Bispo n. 18 em para se tar flores propios para varaods Tiardins larras
rogar um criad, para casa de homem sol.eiro a bordea, fio?. tor&VS^ttoF
traiar a qualqaor ktra: oa motan eM aesde-se les para 1 1,1 Sneeo d%pV raaftUalraa in*
Td iJ:'d?0e,?.bt P,r,h *"**m t4 T S'T' Mm m^Dm ?'"de'"rtta So d"'louS.
nos deidade, ptima para o fizar tira presente vidrada, canos tamo tWrads eoaw ir vMrar o
!n,^*,*i0i,' earipboaa para meainos, melhor que ha neste geor0Tn^Mse 'de
I Por esti > isso acostmaada. qualquer enearamenon que Ibe seja Uli., m amos!
Na roa do Qu precisase fallar ao Sr. Antonio lanoel Poroira *f00' Vianna de Gravatt', a negocio qoeemesuoseajior "1? rec*i ,oda moca '"' aa diaria! de
pao Ignora. prpame no Cabo.
Precisa-so de arn tranalbador na padariT'da
ra do Ring i.
aautitita irthealagica e Gesfraahfcs
Peraaiubaciioi.
Harer sesso ordinaria quiuU-fwra 17 de tar-
rale, ai 11 oras da manhaa.
ORDEM DO Da,.
Pareceres e relatnos de comnisaoM t
Voiaces adiadas.
Seeretaria do Instituto, St da setirabro de 1896.
J Soares da Amede,
SeoMtario perpetuo.
E muitos ontsea, preparado, ja conuecido
n'esta cidade.
N vos preparados franeezes
a toada oa
Mlica e fregarla
M
i
L
aos 0:00 ooo
Cim terjareir 2 deeulubre.
Acharase reada aa respectiva thesen-
W-Ra larp a R*ari-J4
Bisaoitos cora iodureto de potassa prepara-
dos por Gagriere.
Chocolate purgativo de magnezia de Des-
briere.
dem peitoral de musgo de Miniar.
dem com iodureto de fewo de Miniar.
dem com lactato de ferro de Miaier.
Cigarros anti-asthmatico de Jay.
dem idem de Lavasseurr.
Oleo de figado de bacalhaa deritifcctao e
ferruginoso de Chevrier.
yrss.* sos? j^rsn rd &> **-<<*
rio pagos >m hora depo da eilracclo at 0uM di Lar0Chp "M c WMt
i at i ni. nm l
Precisase alagar qiriiea forra oa eserava*
que eogomme bem para urna r.milia pequea; na
> Precita- de oea am, de lite, paga se bem, fnJi?!L5.- M tapiar,
jurua Imperial, sobrado que fol do major Gus- EmpreZa de luminat^O a
Cootiaa a estar fogld~de*(fo dl'is'a ?aZ
s-biVi. uMr. a. rn..i*i rem, ierao de er as snas conUs enlregoes ao pro-
BaiiMa Harta da Cbptelelo. ^^ p^ tJft agan|^o ^
Precia.se fallar com 4 gr. Luit Francisco Mo. ^^
de Barros Reg a negocio de ioteresse : na roj Seiaotiflea ainda a.mestna emprea aos Srs. con-
das Qneo PonUsjijg^ sumidores, qae M ngsXros s ^^ ser ibeTtog
Deseja se fallar com o Sr. Jos Joaquim Cor- J JV?.^ do .** *",d* *mpre pewoal premp-
rea da lu, a neg do de sea ioteresse: no es- ^|^1'a-N com a Balnaprompiida(), e qo^
oes j
Cita
ser
.. que os psecoa ote
sejam *obrearregad(n,.aeMa do que tem mu hbj-
- AlQga-w o pnraeiro andar do sobrado da rna PrBI> ift*t>m reclauacgai.
da Seoiala Nova n. caiado e pintado recente-1 ii* --------------------
ettle; a traor pa ra da Cadeia do Recife loja de AO pUOllCO,
Wrraajepg p. H,__________________omingos Martins de Barros Mootairo, despedio
u cae* da Apollo p, 57, precisa se alugar l^*^ ^aixeiro Victorino Lopes da Costa desde odia
Da rpa de S. Go*;alo obrado n. 9, toju um IJem de pepecioa
fepagaio. levando yo pe pm cordo de prau, qoem n Vj RNTItlna
o acbou, (jaeread rt^tuir, muite se agrade-, l anuia* O u ,".
cera. na e de bismu No coi

Antonio de Souza Brito
atorpina, sluchini-
na e de bismu No composto.
muitos outroi reparados ]a onheeidos
n'esta cidade.
- Fuglo no da 2a do corrate ura prelo por
nomo Sebastian e por appeilidoMarisco,o qual
foi da iua ao Gybm : provael andar em
Kor d" Portas ou era Oliod, ou no engeono For-
no )a Cal ; tem os seguintes biguaes: pernas um
tant'i arqueada*, eom falla de deoles na frente, r.
presenta ter 38 anaos de idade, e d chelo do ^or-
po : qaem o pear elevar na ra do Qoeimado
Avisa-se aos fragele e m ls pessoas que com-
pram pao na iadaria de Santo Amaro, qua nao
pagaem ao Sr. AiiIjom de Souza Brito quantia
algama quepsaam dever avile ou a padaria,,
tendente de pao, Max a ou oairos gneros do mes- B- i i, sera' bem recompensado,
me eitabelecimento, visto elle ter-se aun-otado
clandestiaamem^ (felizaeal ) de vinte e taot>s
das, ttcaodo devend) a ella, sob pena de pagare
segunda vez Reeife, Vi de seterabro de 1866.
Na ra da Inoeratriz o. 30 palaria France-
xa, precisa-se de alugar um prelo para entregar
pea, e raais servico de casi, paga-se bera.
O abaixo assigoado fat .cieote ao respeiiave
corpo do commerci que de-pedlo seu caixelro I Aluga se um sobrado em Olinda ra de S. Pedro
Victorino Jos Je Auneida, no da l do correu- j Marlyr, pelo tempo de bata, u por auuo : a Ira
Quem precls >r de urna uiulher portugueza de
boas costamos para o servic/i interior de casa de
familia: dirija-se a ra do Rangel n. 3.
Olinda
le. Reeife, 25 de setembro de 1866.
Antonio Jos Pereira da Cu,.hn.
-----wr<**V V* VI, pirul. Stl lU^dl ', --------' MW|raKU. UJ.-lfl UCJUO UUIB
Oca* escrava. eead* ama dpsinheira e oulra qoa-*8 (*rwnte, por immoral e esielHonatarlo, eomo
?aP*bB tOgimer, par* pequea familia. frova com muitas pessoaf desta praca eom quera
41 "l"l .-^, ^'rWccoes conamercUei, e eom o, apona-
^Aliii-6e aloja da na n,eDi8de>escripia._____________
pftSeaa&i Nova n. 5!; Au^^^^i^^J^lJl
tratar nesta typographia. \m tfiss-f-ft
- Aloga-se qu vende se ama casa oa ra do
Jard:m a, 19. propria para qualquer fabrica, esco-
la, etc., por ter manos omoiodo.% oom deas qain- Precisa se de nma ama para comprar, cosinhar
Ues e cacimbas : a tratar n* u da Craz a. 34, e enf"mmar para nma pessoa : na ra de Hortas
das dez horas da manhaa as quatro da larde. n- ,6> J* *"dar.
Precisa-se de urna ama : n ra oas Cruzo*
n. 33.
PBEPARAQOES FEMEAMUCAHICia"
dmoViPAS PUL ACADEMIA BE MROICIP
DSBURIN DU BUISSON
rtarawilir., km* pek .tcaJnia di ledkiM de Paria
***?**"MaUri^JfT"^ U,tima ** M> de flt/rp-
F*""*0 'malent msic*, reconbece que os forrueitiosoa siimaies sao mnii.
vetes inellicaMs para cprar s molestias que ^m^^X^J^l
dejenpe. Mta. lieos do. mi. dbtinata. nPAaTc^'. emtt^Sf
n mm. i>wparatoaa, do mv.pi*; ,e w .eha n, ,,, eomo "*"1
eadMpiWPf P mus peritw. sR|re miinamenic 0..K eoT o Imm^^
aiCpKr.^^
i'
prepuraeoos segu ules.
54-Wa,
vantagen
Ps ferreos Hiapaicosdand0 mme*hi^^ agua, a
a w ivi iw niaigtftitva fa2CM, .,gradave!, subbfeuiodo cqm va
e economa as aguas minciaes ferruginosas.
2# Plelas c Xarope de iednrelo de ferro e de aairgancse laUertTeis
eoatendo rada urna cipco cenkigramos de iodureto de ferr maaganjee indicad*
pariularmente as raoleslias lympbaticas, escrofulosa, t as chamadas ean-
erosas e tnbercaJosaa.
I* Bracees de lactato de ferro e de man^anese) ^SJSftS
t Malas de carbonato frreo nasgaaied ^Ttt^Z
ft*t^^^F'Pv*adoamelbora. raapItitoT ""^ "
O r iarip da Nauoa daai|aada oatar a adfaetdo oompieta da poMIp aaadaap a
Nn FarMiaHca, p m agmu fpral, Masrer O*, pnarata^taicaar na Mera.

Deposito em Pernamhmo, casa de P. Maurer & C, ra Nv*a o. t.
L
DE
- Uuem annuaciou precisar d 30040.10 a ja- nff^r*. .-
ro de S por ceirio ao mez: qoerendo dirija-se a "r^.I
rana d Pazj. 3. qae acaara' com aaem tratar. $" .* d v
Paga-se 2.5,8 mesaes pelo alugel d um es- i p
eravo para earregar fawndas, pooVodo dormir em,'hm
ibor ; na ra doi Hosbc.. 6. I qu mo
LT JL i, .
ama muihea qam t'Ugommp e coiiwlia
na ra de S. Francis-
DE
J. VIGNES.
Hl 5fl. HUA DO APERADOR m. 8B.
. -f,?0" 5***Mli* abric sao N f** 'nbecidos tiara .jue sala neoeasatiQ ieai
^VZrXd,adVa.a,.Uge,,!ie garaBtl;^ J^offe.eeean aos mpradere^qualiSe. e5TS
SJ f ff! "'T"ento conquistad, sobre todos os que tem aparecido neMTi.r
i!e faLr' ra mac,h'mS0!,0 i obeat-araa todas as vontades e prieboi da, piialaiaaVie\
m, ILl. Por.re.m fincados de proposito, e ter-se feite ltimamente melkoraroentos Importan-
3 mf,6dr*JrBS!;an. qaDto YZeS' 9ie raelodi08as flauudas, e por laaa muilo aprada-
tsiir i
Hlpacai
praca; poa-
nu a-*s onvidos do* apreofedores.
~n!i se.c^Df?rm,e as encoramendas',an,e "s1 ?abricaeomo nado Sr. Blondel, de Parte.soeto
sorrespondente de J. Vigne?, em cuja capital forana serapre premiados em tedas as exposiejies.
belecimentq se achara sempre um explendido e variado sortimeoto de mustcaa dea
II ::a
TT
aelborea amores da Europa, assim como
primos eomqipdose raznavels.
harmnicos i pianos harmooicos, seado ludo v^idid jer
Na ra do Gas u. 17, eogomma-ee cura toda
a limpeza e promptido o mal* barato do que era
ootra ualquer arte.
isa-se de urna araa OV feite, pagase
na rw Imperial sobrado que foi do major
Ama escrava
Arrenda-se o engenho Caraoiur nwente e
ccrr*nie, diianui d* (in nma laziia e com tuda*
as Uvuuras em esudo da eolti -ua : iraia-se ao
-^geetio Saaio Andr ppaj o reudeiro.
Furto de eavallos.
Na madrugada do damlogo ]9 do correte mez
fpriaram se Peas cavatios de estribarla do sobra-
do o. 2 defronte da e>lanci : um rodado, alto, os-
Siidi, hom pisseiro e esqunadr, com muitos fer-
ros nos qoarios. O ouira rosso com clioa*, cau-
da e ps escuros, ferrados as raaos, com a letra
U na cuixa esquerda, trola e galfnpea pem. Am-
- M.gllolu Antonio de Rugi Brando p Dome- S."?'?!"1,,? ?brl0,rt : *wm M pPgar os
.* fn i,.i----k^.. ./:,;?_.. '".7Z." "." i lraga ao sobrcdiio .-.obrado que sera geaerosaueo-
Precisase para o serv=ieo lulero o e externo de
urna casa de pouca familia; a ra esUvila do Ro-
sarlo n. 4 andar. ..
Alunase ama eacrava par taaVTo *r*ico de
casa; na praca da Boa Visia d, 9.
Pretisa-se 44 um amassadiu" q^e seja boai
no irabalho de pao e hilacha : a tratar oa pdaria
do largo da Soledade n. U.
\^^
Precisa-se de urna para cosinhar em csa de
famliia : na ra da Mora n. 17, no Forte do
Mato.
Precisase de ama ama para co>iuhar e en-
gommar para casa de borato solleiro : oa uberna
da raa Imperial confroate o viveiro do Muniz nu-
mero 45.
UliA-SE.
Aluga-se a olaria grande do sitio
Muoi : a tratar na uie^ma.
tar na ra do Imperador o. 16 2 aodar.
viveiro d
ATEDIO
Roga-se ao Sr. Anlooij de'Maa.Ihaes vindo h.
p3anos dias do Rj de Jaatlro, o favor de eb'-gar
a ra lara do Raiario a. 3i, para tratar de neg
ci que lhe diz respeito.
Precisa-se de urna ama para cosinhar : na
raa nova de Santa Rita n. 69 junto a fabrica de
saba oa na rui di Impera lar o 20 loja
iiffianii
tToJisa-s? Je u ni ama para t d-, o ser- ;S
vico d nm caa di p-quena familia : .
ni rm da- Oruz-s 9, andar.
Hflla llarmDDia.
A partida do correle mez tera' lugar na noite
di 29; os Srs socios procurar) os seus ingres-
sos na casa da sociedade.
Secretaria da saciedade Baila Harmona, 25 de
setembro de 1866.
B. Nogaelra,
Secretario.
Mocidade e tristeza
P:esias
na
Victeriaii Palpares.
A* venda na livrana fnnceza de Garraux
LaMfcacar ci C : a ra do Crespo.
.ir
Fogio do poder dos abaisos asslgoados uo
da 24 do corrate, o eseravo Jos de naco, idade
40 anaos pouco mais ou menos, estatura alta, re-
torcido do coroo, levou vestido -alca de algoio
cooa listras de cor, camisa branca, chapeo de pali-
aba e sapatos de tranca prela. cabellos crescidos,
barba tambem crescida, anda doeDtc da cabeca;
<]iwm o pegar leve o a roa do Bru o. 42 refloa-
co, que sera' recompensado.
Reeife, 36 de seterabro de 1806.
Rodrigues & Reis.
JL.-lKOflT~
peitoral e dulciflcaztt
01
SAINT GE0R6ES
Preprale por
GIUMAULT e C1'
pr.aruaceulins Je S. A :
e principe Napaleto
Cura rpida de la
molestias sogueles :
toiie, catarrhos, pleu-
resa, coqueluche, an-
gina!, fortes etnstifo-
pSet, irrilac6et d$
'rtnchot e do pello.
bronchite,phH*icapu
manar, astma, pnev-
iitf>nia,atuiinas,antv;-
dtiles, toisechrrmua,
rguquidao. Os mdicos reconimendo ao mesmo
tempo o uso das eacellentrs paatilhaa peito-
raaa oom o aucco d'alfaca o laureiro-
ocrejo, qae se preparat. no boto eMabde-
a vaoda as pataratadas de Maurer a A.
Caors, ^^^^___
ATJ01L
FUNDIDOR E TDRNEHtO
IET.1ES
Rinda Matriz al'iatiaii-ii.'aM.
Precisa de um pequeo portuguez ou brai-
leiro para eaxeiro : a tratar no Hospicio n. 28
Preetaa.se de um eseravo ou bomem frro,
possaote, para andar com um caixo : na roa do
Crespo n. 16, 1 andar.
Fugio da casa de seu sealior ua ra do Pilar
n. 127, o mulato eseravo de come Paulo, com os
signaes seguales : balxo do corpo nom um taino
e.n u ni buciiecha do r i-io. levou vestido camisa
e calci azul, Douet, mas costuma ter roupa fora de
casa: quera o pegar leve-o a seu senhor na dita
casa, que sera' rec-.nnpt-ncado de eu trabadlo.
jobebI
A jurubeba urna das substancias medi-
camentosas, que perteucem ao reino vege-
tal, e pertence classe dos tnicos e des-
obslruuntes, sendo empregada com vanta-
gem coutra as febres inlermittentes acr>m-
uanhadas de engorgilamento de ligado e
bago. Ella tem sido applicada com incon-
testavp.l proveitc contra a anemia ou chloro-
se e nydropesia, catarrbo da bexiga, e mes-
mo para combater a menstruac3o diffiril,
resultado da mesraa anemia uu cblorose.)
Extracto alcoolico dejuiubeba.
Emplastro idem.
Oleo idem.
Tintura idem de idem.
Xarope idem.
Vinho ide;ii de idem.
Piiulas de extracto idem.
Deposito, pbarmacia de Pinto, ra larga
do R sirio o. 10.
JURUEBA MACHO E FEMEA.
Debaixo da denomioacode^jurubeba
nascem nos sitios arenosos do Brasil deus
arbustos do mesmo genero, mas nao do
mesmo sexo. Ambos crescem com lindas e
frondosas folhas, ambos pmduzem bagos
gramneos reunidos a' maneira decacbos de
uvas, pendentes de um pednculo curio. 0
primeiro, isto o macho, pouco menor
do que a feme, apenas cresce at altura
de um homem, tem folhas men muito sinuosas, mas recortadas, com tales
guarnecidos de alguns espinbos.
as extremidades dos ramos produz peque-
as flores como que juntas em forma de um-
hella.de cf lctea misturada de azul celeste,
asquaes re^resentam exactamente urna es-
trella de cinco angu os e conslam de urna
10 corla, modelada e como dividida em
outros tantos tringulos, sahindo do centro
cinco estames, ou iamentas, de maneira
que ao longe lomar.se-liia por urna flor de
burragem.
0 segundo, mais alto, mais espinhoso,
tem folhas maiores, cobertas de pello pela
parte inferior, elegantemente guarnecidas
ele espinhos, recortadas de nm verde vivo,
teodo a mesma flor que o macho, porm
mais ntida.
Ambos, em virtude do uso quotidiano da
medicina, sao bastante conhecidos as phar*
macias. Em Verdade, suas folhas e su^co
s3o empregados para mitigar, como tempe-
rantes, e curar as feridas e ulceras, e mui-
to favorecen a .cura dellas. Posta que as
folhas e raizes tenham um sabor amargo co-
mo a chicorea e a fumaria, todava difticil-
mente poderiam ser ciassificadas entre as
drogas quentes. Sobresae pnocipatmenie
era virtude e eflicacia, e mais amarga a
raiz, com particularidade a do macha, qae
consta de partes nroi tetiaes. Por cerlo e
viment deste faz despedir a ourina retida;
e appliea-se muita vez com feliz resultarlo
contra as obstruccoes do figado e da prsta-
ta em lugar dasrarws apperfentes. Sua utili-
dade e exceilenca s5o taes, que no s pelo
dofrtos, mas tamhem peto povo restic
procurada e contemplada entre wremefio
maravilbosos.
(Traduzido do latim de Pitn t Marcarme.)
Na r C0 Luramnti h. 19, ha para alugar
una ex'-ellenie escura, ^ara o lervica interno.
nico fu Gaetaoo subditos italianos
Europa.
retirara se para ; le reCompeosado."
- O abaixo "asigne'ai" deca rtn^TraTSS*4?''' S*""' ?'"?, W ***
faCa iransaco alguma com D Antonia Francisca -',? C e Je "'1(-a fi"nills' paRa-
pago urna lelra de seu aceite. Be,ife 23 dse- trr"**a* a dt D*a> n- -6- __.._____.
Ckupos fe ma'iha branca
a Ii1,l6i5. 18e0d.
tembro de 1866.
Jos fiermano de Moura.
D. Francisca Sevcnaoa de Soaza Lefta, seus -
Ihos, ora e genro, agradeeera cordialmeote aos
prenles e amigos que -e diguaram 3.silir ao fu-
neral de seu finado marido, pai e sogro o com-
mendador Maooel de Soma Lo, e rogam aos
ruesmos o tavor de assislir a missa do senmo dia
(sexta-feira) 28 do correte as 7 horas da maohia
na matriz de Santo Antonio pelo ^ue de'-de j se
cnnrVsgan. Pit-rnamenle ciatos.
"; i
Na praga da Independencia n. 2i e 26.
Aluga-se
Urna casa ern Beheribe : a tratar com J. S. de
M_Reg, a rUa dj- Trapiche n. 34.
Um rap^z de bom eopaporamento offerece-te
para caixeiro decubra'-ca ou de'assucar, dand
tlador a sua roudueta ; a Iralar na travessa
: Gom-urdia n.61
OfTerece-se una aenhora estraogeira [iara cc-
! sfehar ero casa de homem solleiro : a tratar no
i hti-l da ra das Lnraugeiras 11. 10.
Precisa-se
de um menino de 12 a 11 anuos que seja portu-
h'uez iu brasileiro para udi estabelecuoenlo : a
tratar na ra d N :>gueira n. 49.
m
ALZiZitRIlTS
Tinta Inalteravel
Para escrever
de P. IHAURER i (?.
PERNAMBL'CO
Esta tinta recommenda-se pela su com-
posi<3ad e fluidez como a melhor e a mais
segura de todas as tintas at lio je conheci-
das. Nao ataca as peanas de ac, d at
tres excellentes copias, mesmo muitos dias
depois de escrever, e preferivel a qual-
quer outras tintas particularmente para
livros de commercio, documentos etc de
que se eareca longa conservaca.
Veude-se na Hvraria franceza ra do Crespo e ra Nova n. i8 de

Jos S Ledo Japior, teodo de mandar cele-
brar uma missa e me nenio por alma de sua pre-
sada esposa, no dia 28 do correte pweiro aoni- v-^'
versano de seu fallacimento, convida a seus pa > i^
rente- v amigos para que se dignem esse acto qoe lera' lugar na capella do cernilerio
pohlir.i a< 7 h-ir-is d;i iiuih't d'^iqui-IN da.
Mudanza de residencia. I
p a
"rtcisa-se Of 1:0005 a premio pnlo tempo
de 6 rriezes com os uros jue s- conveiuionar, com
"eguranca em tre eseravos pecas : quern qmzer
fazer osle negocio deixe carta nesia iypographia
com as iaieiaes A. B.
Precisa-se de um mileqoe para ca-a de pas-
to ; ua ra da Moeda u. 33.
Companhia Sdelidade de eguros
martimos e terrastres
estabelecida no Rio de .Janeiro. *s
AGENTES RM I'KHNAMBUGO
Amonio Lnlt de Olireira Azevedo 4 C,
competentemente aatorisados pela diree- 2
toria da companhia de segaros Fi.lelida- S
g de,tomam sagui-o>de navios, mercado- MK
5 rias e predios ao seu escriptorio raa da !
mmmmm mmm mmm*
Oostureiras,
Preci-a se de costoreirasque saibam coser qual-
quer obra : na ra do Crespo n. 45, loja de Ma-
neel Dia X*mr,
O Db. Rvmadgb medico-operador e
oculista, formado pela Faculdadede med-
ciua de Pan li arpio-ado pela da ahia.
menibro titular da Academia Imperial
de imdrerO a Rio de Janeiro, transferio
sua residencia do u 2o da ra da Croz
para v u. 33 djp uiesuw rua.oudecoBlina
a exercersua prufissao, <-specialmenie as
molestias de olhos, de onvidos e das vias
urinarias : mudan tambera a hora das
Mas coosultas, qu lera., lugar lodos os
dias, das 6 a'- 10 horas d iiiantia.
Chamadas por escripto 02 -upradila ca-
a, ra da Cruz n. 23.
A lojan. 2 D rali tillada Coragao de Ouro na roa d<> Cabug,acha-?e d'ora era dianie offrrecen-
doao napattaiqH pnMtcocom especialidaie as pessoas que honr?m a moda >s oniedos -o ultimo go-
S lo (a Pars) por raen).- 20 por eenio do que era ouira aaafauer p.irie, garanliudo se a qualidade taso.
5 lidez da> o.'iras.
O respeitavel publii'o avallando o dselo quo deve ter o propnViario de um novo e-upelecirnen-
to que quer pjrappesso em sea negocio deve rhe^r iroirediaiamente ao coraelo de ouro a romprar
aneis com peifeitos brilitanles, esmeraldas, rubins e perola ; verdadeiras e.e "agarras, mod-rnas ek
diminuto pieeo de 10, h-inr.osmodernos de ouro e coral pira menina pelo rjreco de '35, marac> de
prata com aaea de martim e raadreperola obra de mudernogosto (o que o euc;>girarao no coraejq do
iirn) vnlias de ouro com a compleme crusinba ricamente eufeitada pelo peqapojireo de .3J, brin-
00* .ei:ii' ril.alho perfeito por um mdico prapo, pauolatas, tr-nealins, pulceira alflneles para re-
tratos e imios modelos ludo de alto goslo, aneis proprios para putar cabeli,, e lirnu, dito para nia>
ment, no aniso roseta tera o Corago de Ouro um completo e bera variado orim nio de div,. os
gostos, butfies para pnaos cora diamante, rubios e esmeraldas, obra esta imprtame ja' pelo seuva-
lor ja' por goslo .ls desenho, brincos a forma da delicada raoslnua de moca com piogeoje c. nteado es-
meraldas, rubios, brilhantes, perolas, o gosto sublime, aldnete para grvala no mesrno uo-lo relo-
gios para senhora cravados de pedras preciosas, ditos para hornero, diversas obras de brilhaotes de
maito fosta, crasiohae aa luMau, esmeraldas, perolas e brilhanies, neis eom letr..- rae lelas do
crystal e opio descoberla para retralo (a ingleza) o oairos muilo- objecios que os prvteRdentes enr.oa-
irarao n> Corajjio de Uuro que se conserva com toda a m.itniidade aos roricrreuie- a>iiando-se de
- Na Draca d"lndeyeudeucia~"n 33 loia de fl1 men^'^"iir pregns de certos objetos porque (desculpem a manwra de fallar) diz.;i o preco
onrives comra-ei En oratt l ueda orfisa *'"* 80e,D faga. ?aJUIZ0 da bra'por ser ta i,mnm ('u3n,ia a v"u aj '*
'as, I Na roesma loja compra-se, troca-se ouro, piala e pedras preciosas,e Unifcem ren be tos, por menos do que em ouira qualquer parte, e dao-se obras a amostra com peahor, cou-ervando-sa
o Coracao de Ouro abertc al as 8 Horas da noile.

&<
%m
Precisa-se fallar ao Sr. Dr. Lourenco Aveli-
11. : na loja de livros da Pi .;i da Independen-
cia n."
K* caridaife.
E* por caridade qae roga-se aos Illms. Irmaos da
caridade autorisom a remocao para o h>*pMl da
ori.iinle, de HeuneJunl Lucas e sua flllia, que
ambas por caridade moram na ra da Roda, casa
da caridade n. 7, cujas iofeiizes cobertas de chagas
e quasi moribundas, all vlvem sera ja* poder im-
plorar o soccorro e caridade publica, e/n lamento-
sos gritos e gemidos de da e neite, o qae pdem
alienar afoi da visintiaaca, as proprias irmas da
caridade.
--------1------ i----------f-m---------11 1 .....,i.i 1
o tambem se faz qualquer obra de encommenda, e
"vio e uualquer concert.
iiarga da Cadein do Reeife u. 7 prjmeiro
andar, precisa-se fallar ao* Srs. abaixo dejAr.ados
. a nigocio qi.e Ihes diz respeito.
i Hauoel Frasaji.-eo Otho Jnior.
.Joai MariulK) P.es Brrelo.
J -.'..juina oV .Jlivei/a ,yaj.i Joqijjr.
Ani uto Nuces de Atvedo Campos.
Man el Correa d. Silva Lobato.
Joo i'errira da Srtva.
J' L.-pes Tavares.
Sdb:i.-(io Antonio de Albuquerqtja.
Aptuiiio Ser;.fim de Deus.
Flip(e Dorges^LeaL.
Cp-lodiq. Jp.i fef.arralrio.
COMTIMUA A (RA\I)E iLIQVIltA^lO
VISO
Fugio no dia SO do corren le mez de sapambro,
de engenho Cachoeirio.ba, o eseravo Le%nd/o,j|om
b signaes s^gntelas: malo, eMaHora fegMar,
i Ja de de 20 annos pouco raais on menos, cabellos
carapiohos, roslo redondo, muilo pouca barba no
quelxo ioferior, derms de o*a>a tinados, caoelUs
lipas, e levop mapa brauea e chapeo de bsta, e
furtou na masma occasiao um cavailo do mesmo
engenho: Alai di-so levou uma maca veJha de
cooro de loslro e nm encerado encarnado em cima
do mesmo cavailo. 0 nieuciooado eseravu ten do
sido encontrado no dia Si do orrete,,cp # c-
vallo em que hav.ta ahidg, uerlo da cidaU dp Vic-
toria no pecado das Trahiras, pelo major Isldprq,
que vioha com uma botada, foi all preso, mas trn-
co-se arranchado aaqnelle mesmo lugar,d'aili eva-
di p tal eseravo desando oaawai *e se ach
ja' ero meu poder, Esse e-cravo fpi comprado no
r.ecife ao Sr. Silvino uailheruie de Rrros, e na-
taral do Rio G'raode do Norte. Grttiftes^e eom
?00400a a pessoa que o ap,-reheo*r teoa.lo a' '
Sr. Joio RaipAisia de Gliveira n'eata aieedr, on o
abaixo assignado 00 mesmo engenho.
Engenho Cachoeirlub, 10 dselembro da I8ftjB.
Manoel Cavalcanli de Alburjaerque Jnior.
?
J. fio Sabino da Silva.
Eduardo Joaquim Pereira Bastos.
Joaquim Jtrancrsen Hor^ira.
Vip^at Fai)ira:Nawi.
MijiJeJ A/**aujp Ffrwira,
Jol Franci.-co < a Silva,
J0S0 Rvbeiro da Cosa.
JoRtaiia FrincSr.o da Silva.
Frpnci>co de Aguinr Jnior.
S Jia.-iifio Jos de Birro t^rreto.
Tia-gino S. S. M^galbes.
loto Xavier de P. pseca Capibaribe.
Joio Gomes Pereii-a.
Francisco Gomes dos Santos.
Manoel Jos de Serpa.
Prjlro Duarie R id,r'aue< Franca.
i- Jsde Borja
Ru^ Ne #rmazem de fazendas ra da Imperatriz ti 28, vende se ricos e elegantes
jcaadieiros a gaz muilo bem preparados, de bom roachinisc:i> a dar uma luz brilhaote e
j clara boa chomiu de baio, um Jm>o4o globo de crystal com ravura apparelhado de
jopia^cova franceza, u^n lindo tfat-jourt para oceult r a luz da vista e u s pavios ludo
camprehendendo uma s peca a 6$, 70 e 85 p os dourados qv se veoeram a iM s
i costa 12(5 e Ikfi.
DeposKos de crilclorides para rima de mesa (larnparina) 2,5, candieirns de ms-
pensao para lojas de negocio ou salas 20. lampedas para igr^ja ou capeiias tSOOO
isortimentoda globos, boccaes, ebemins e pavios, J3vaiD-sfica1apeus.de ualhaoara ^iho-
jra e doChili para homem e ae mformam pelosys ea moderno.
Madapoles fl ios, avaf iados quasi iim[)os 7 dem largos e finos a 360 rs. a vara.
Percales finas oom listras gosto moderno covodo 4*0 rs, e niais fazeadaa em li
quidac3o. a
ABMAXfiil 1E V.aZBWdlAS
a CamiiniV"flapozp iia Cmara
mdeme ero Macau, 00 Re Graude do Norte, e
edyogado proieK'ado, iacuurbe se, mediante ajus-
te previo, de liqodacdes coihmerciaoa, cao s aa-
qupda provincia, como fra uella. As pessoas que
serquizerem utilisar de seu presumo, podem din
gir,-se a' roa da Aurora n. 7^ at o dia K ao cor-
rele; e deste dl om diaate poderlo enleoder-se
api os Srs. Dr. Gabriel Soafes Hapozo da Cama-
u negociaoles Berna'dino Jos atonteir*-* l/-
iu), dos qoaes se informarlo acere das habili-
;*5:
mmu p
OYMPIO C.PICHLVES BflSi
Eua do Livramenti ia, 1>

Arpes e eapacidade do anonadante
-
Club PeruiiiiiDucaiio.
A partida docsr.eate mez lera lugar da
aoite do dia 26.
eu> irpigos
se eacar-
estabele-
0 proprletario deste estitoeteclmento faz arcante p**KBlt**' prd4>
fregueses, qe ten aegmentado a ua <4Boaa i aWaial, e dprt- U
aega da fuer eom promptido pualqoer apcaromenav, das aasspjta ffginwi
aipwpB. por preco* mais barato*.
Asslm romo tem um completo sortimeoto de f a rende* M^P* qoaes a]P sendo eostom* pro-
curar aas lojas do Livramento) espera qoe seos amigos e fdjtyprze ofjonnpin cote saa< preseneaa.
os vende mais fciraia ana aatra qailqaer. WmmmWmmlUf&*9B!
DAT^TNCtTRRrTfA
s
-
I


4
bUrlb IfWMMo

AGUA FLORIDA
CONSUM IX0-
I>ES
MURRAY & LANMAN
A agu florida de Murray 4 uanmatd
lhada como um artigo de perfume, nao
tem podido ser igualada pelas preparares
as mai* costosas: conserva sen aroma, co-
mo se formasse parte da prenda a que elra
se applica.
Sua eficacia t%o delicada, como elegan-
tes sao seus multiplicados usos, quer seja
empregada cerno artigo de teucador, quer
bo uso do baono, ou como suavisador da
pelle, depois que se tcBha feito a barba;
j para limpar as gengivas ou aromatisar o
hlito.
D suavidade, brilbo e elastkidade as
compleicoes, depeisdese haver lavado; al-
livia a rritacao de erupcBes ordinarias; faz
desapp>recer o desagradavel aspecto dos
pannos, das sardas, do rosto, rugas e toda a
casta de ebulicoes, e d vigor e frescura a
parte onde quer que se appliqoe. Sua efi-
ciencia e elegancia s3o igualmente infalli-
veis nos casos em que seja preciso applica-
la como estimulante e antisptico, nos con-
cursos e assemblas numerosas, as loca-
lidades infeccionadas, na alcova de um en-
fermo, assim como um antidoto excellen-
te para os desmaios causados por cansaco
ou suffocacjto. Preparada nicamente por
Lanman 4 Kemp, Nova York, e a venda por
Caors Barbosa.
JoSe da C. Bravo & C.
Deposito geral em Pernamouco ra da
Cruz n.22 em casa de Caros
FAC SIMILE D'ETIQUETTA COR DEROSaT
100 curlile's
PAISLEY
Os Srs. James Carlile, Son & C, Bankend Mills,
Paisley, Scotland, teem a honra de chamar a alien-
cao dos consumidores de Imha em novellos, que el-
les ohtiveram medalhas de premio das exposices
de Pars e Londres, por sua-excedentes linhas pa-
ra coser, e qu, lodosos nove los feilus por elles,
para este rorreado, tem no fim de cada mago, orna
etiquetta tiranca, na anal aeba-se gravado o nome
da Arma em ch-'io, ama vista da sua fabrica, assim
como de-<-nhos das cima mencionadas medalhas,
e que cada novello tem urna etiquetta cor de rosa
con) o numero, e as palavras Carllle's, Paisley, e
lam) "-, que qualquer Uuha de Tarobour, manda
da a este mercado, trtente oulra qualquer eliquet
U do que cima mencionada, nao de sua propria
fabrica.
Southall, Mello- & Clnicos agentes em Pernaro-
buco
Melior, Southall & C, nico agente na Baha.
iiiiiiiiiiii
m O Dr. Caetano Xavier Pereira de Brito Sj
2 medico, contina a residir na praca da _
K Boa-Vbta n. 2, onde pode ser procura- |
Mdo para os misteres de sua profis-o. D jM
consultas Ddos os das das 6 as 9 horas e
meia da maoha, presta se a ver qoal- Sf
qu>r doente fora desta cldade, e continua i
Jjg a fazer sua especlalidade ero partos.
*
DO
OR. PEDRO DE ATTIlHYDE LOBO^MOSCOS.
m:anco, pakt^bro b operador.
3 Ra da Gloria, casa do Mudao
O Dr. Lobo Mostoso d consulto loras da manho, edas 6 e meia s floras da noite, excepc&o dos das santincadoi.
Pharmacia especial homeopathica.
No mesmo consalterio ba semprtf o mais appropriado sorlimento de carteira.
tobos avulsos, assim como tinturas de tartas dymnamisac5es e pelos precos segrales:
Carteirts de 12 tubos grandes. 120000
de 24 tobos grandes. 180000
de 36 tobes grandes. 240000
de 48 todos grandes. 300000
de 60 tobo* grandes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fier, e eom o remedio
qae se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de mr'a onca 10000.
Sendo para cima de 12 custarao < precos estabetecidos para a carteira.
Ha tubos mais pequeos cada mal 500 ris.
IIVKON.
A meloor obra da bomeopatbia.o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. JarS
dous grandes voumes com diccionario............ inania
Medicina domestica do Dr. Hering........... j/vn
Repertorio do Dr. Mello Moraes......... WJ^
Diccionario de termos de medicina.......... 30006
Os remedios deste estabelecimento sSo por demais conhecides e dispensara pof
tasto de serere novamente recommeodados as pessoas que qoizerem osar de remedioi
verdadeiras, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desojar, globos ferdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservacio, tintura dos mais acredi
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparado, e portante a maioi
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer^
operaco, pura o que o annunciante julga-se suficientemente habilitado.
O IraUmento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica,
fonecionando a casa ha mais de quatro annos, ha monas pessoas de cojo conceito se nS<
pode duvidar, que podem ser consultados por aquelles que desejarem mandar era
doentes.
Paga-se 20 por dia dorante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
As operacoes serio previamente ajustadas, se nao se qoizerem iojeitar aoi preco
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
TINTURARA
AO GRANDE S. MAURICIO
PROCEDO APERFLICOAIIOS
PARA
Tinglr, Ilmpar e lastrar a vapor.
F. A. SAtIPR
29 Ra 7 de setembro 29
Defronte Os proprietarios deste eslabelecimento, o primeiro no seo genero no Brasil, por
trabalhar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que se faz oso na
Europa, eajudados poralgunsdos melhores officiaes de Pars e Ly5o, podem assegu-
rar seus fregoezes orna perfeiclo no trabalho, a qoal senSo pode ebegar pelos proces-
808 ordinarios.
Tingem, lavam, limpam e demofam com a maiir perfei?5o e brevldade qualquer
qoalidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem molliar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de homens.
IS'a rna do Tropich
acham-se os seguintes.d&posiUiS
1'eR.B DniiguaisemNiils.
* IVurgofe.
Vinho Pommard tinto.
> Cortn linto.
> Sanio Georres tinto. .Si
Chambertm tinto.
> Rlcheboarg tinto.
> do* de Vongeot tinto.
> Chablis braoco.
DeN.A.Wvefen Franefort:
Rhcno.
Geisenheimer.
Liebraumilch.
Marcobrunner.______________________
Era eas de Tneod Chrfstianfii, rna do fra
piche-novo n. 16, nico agente do orle do Brasil
de BraBdenburg frres, Bordeaos, enconira-se ef-
(iectivamente deposito dos artgos seguintes :
St. Jullen.
St-Pierre. Mif
Larose.
Chatean Aorflh.
Cbateau Margaox.
Graod vin Chateau Lafltte 1058.
Chatean Lahite.
Haut Santrrnes.
Chatean Saoterne*.
Chateau Lattor Blan ;he.
ChaieaoMTqiieni.
Cognac era tres qaalldades.
Azeite doce. Precos de Bf dem.
V
Potassa da Russia
a. 13
Chegada nltiroanvnte a ra do Trapirh
armait-m de M. T. Basto, per arec conraodo.
_ Precisa se de urna ama forra on escrava pa-
ra comprar, eosianar e eogomnar para casa de
pequea familia estraogeira ; na roesma cua pre-
cisa-s tambero de um criado portngnet de ldadft
16 a 30 annos : na roa Non n. 80, loja.
O Pcitoral de
Cercja,
DO DR. AYER,
Para a cura radical e cer-
ta t da garganta, tosees, couellpa9>s,
Broncliile, asma, deflnxos, roqui-
dio, Coqueluche, angina, Diptlierla.
BltC xcrope pi'iloral j o resal-
tado de longos annos de estttdo
por im dos primeiros mdicos da
America do Norte, e de experi-
encias minuciosus nos principaes
hospitaes do mundo; ( reccitado pelos mdicos mais distlnctos
dcste seeulo na sua clnica particular, portanto digno de toda
confinara, 1, por ser efficaz, alcati^aedo com urna certeza inCal-
ivel o asenlo da molestia e arrancando lhc as raizes, assim
dando aos orgos affectados urna accao natural c s: 2o, por
ter ir nocente e applicarat a qualquer peua de qualquer idade
ou cxo, ao liomem robusto ou crianca da mais tenra idade,
cada fiasco sendo accompanhado de dlrreccoes minuciosas:
3*, e ultimo, por n&o ter vm remedio secreto, pois qualquer med-
ico ou pharmaceutico pode obter a formula da sua coroposicao,
dlriglndo-se jtessoalmente ou por carta ao agente geral, II, M.
LASn, a ra Direta No. 15. Rio de Janeiro.
Muitos casos qnc tinho zombado de todos os recursos
Aa scicncm tem sido curados radicalmente com o uso do
Pcitoral de Cereja.
As pessoas atacadas de tosse, defluxos, Dr da garganta,
JBivndtite, atina, etc., c ontros symptomas da lis;>n prima-
ria feralmente fazem ponco caso do sou padecimento at
que seja tarde para cnra-lo. Nao desenideis d' urna tssse
porque agora parece de pouca importancia ; urna tosse
descuidada chega a ser chronica c induz a formaco de
Tubrculos nos pulmcs.
Nenhuma casa de familia dere estar sem nm Irasco
dete xarope mo ; pois nos ataqnes repentinos de
Angina, de Creup, e nos paroxismos do Coqueluche; on
tosse comprieh a que estio sujeitas as maneas, nao ha
terapo de chamar um medico, ncm de fazer remedios, o
este xarope alivia immediatamente c pc o filho querido
fio c salvo, (ora de perigo.
As molestias que esto ao alcance das virtudes curativa
do 1T.LTOHAI. DE CltJCJA aao
Defluios, Toases, Asma, Esquinencia, Bronohite,
Coqueluche, Toase ferina ou convulsiva.
Roquidio, Todas aa molestias do peito
e garnanta. Consumpco dos Pul.
mdes ou Tsica pulmonar.
Acha-M em todas as Boticas e Drogaras do Imperio.
Pilulas Catharticas do Dr. Ayer
CTJBAO
PrUao de entre, ln*lge*tm, Constipa**, Rlieu-
tnaUnnut, HetnKtorrKoida*, IHr ae embeea, A rra-
Ha. mal da ufemaffo, XMi, mal do ritma*,
fm*trlt*,F<*reg tlln, Jli/drsipsla, Incremento a bso.
prorm aso ezeessiTO di
BOTICA E CONSULTORIO HOMEOPATHICO
DR. SABINO 0. L. PIIVHO.
Ra Nova n. 43 (loja de marmorej
A eiperieacla tero demonstrado coro a roaior evidencia qne os medicamentos homeopalblcos
preparados por meio dongiador dynamieo sao os qne desenvulvem ac?o mais prompta, mais segura
e mais eficaz.
E' sem duvida pelo conheciroento de'tes resnludos qne constantemente recebe esta botica en-
commendas do Rio Grande do Sal, do Rio de Janeiro eda Baha, apezar de hatr nessaa provincias
mai betn sortidase acreditadas boticas, d'onde se poderiam talve obter remedios mais baratos, alteo-
dendo as despetas de porte.
A segoridade daaccaodos medicamentos assim preparados se manifesta al mesmo qaanao os
glbulos se acham reduzidos a roassa. ___
Boticas de 24 tubos.....185 a 20
o. de 36 tobos.....S!>& a 30}
de 48 tobos.....35* a 40*
de 60 tubos.....45* a 50*
Caixas de medicamentos em glbulos e tintaras.
De 24 tintaras e 48 lobos. 60* a 70*
36 > e 60 tobos. 75* a 8J*
48 e 88 tubos. 95* a 100*
60 > e HOtubos.. 115* a <20*
Vende-se igualmente o THESOURO HOMEOPATHICO, obra essencialmente popular pela clarea
com que ensina a conhecer as molestias e a empregr [os remedios (V edicio) 20*000.
O Dr. Sabino 0. L. P. d consultas todos os dia* nteis desde 11 boras da machia at 2 da tarde.
Das 2 horas em diante visita os enfermos em seus domicilios.
Ero casos urgenies e repentinos as consultas e visitas sero feitas a qualquer bora.
As consaltas por escripto serao respondidas com a maiorbrevidade, precedendo sempre o lem-
po necessario para maduro exame e refiVxao.


Todas aa sMles'ias
Quinlno.
que
0 melhor purgante at hoje c*nhecdo.
Estas pilulas assucaradas so puramente vegitaes.
puhgo e muralo mi meroio.
A veis, em todas as Boticas e Drogaras imperio.
ACEVTE OEI1L,
H. X. LAMX, Bu Direito So. 16.
Bo de Janeiro.
Vende-se em Pernambnco:
na
|deP.MAURER&C,.e
RA NOVA N^
FABRICA NACIONAL A VAPOR
99 RA 00 MONDEGO 99
Deposito principal na rna Aova n. o loja de relojoeiro.
Uelouche dono deste esUbelecimento partecipa ao respeitavel publico qae tem
montado urna machina de fazer gelo, e que sua fabrica de cbocolate poder funecionar
sem ioterrupcSo, e para mais facilitar aos Srs. compradores de chocolate temorganisado
um servico de carro, que andar em todas as ras da cidade, os compradores podero
cbama-lo.
PREQO.
Meia libra......... 400
Urna libra......... 800
Urna arroba........19*000
GELO
As pessoas que quizerem gelo para soire ou bailes, poderlo dar suas encommendas
ao caixeiro da casa, ou na ra Nova n. 50 aonde tem um deposito. As pessoas mora-
doras nos arrabaldes da cidade querendo levar gelo pela maohSa, poderlo deixar um
caixo na taberna junto ao porto da fabrica, que acliarao na volta suas encommendas
prompta s.
a mesma fabrica lazem-se cadeiras franceza de todas as qualidades, e vende-se mais
barata que aquellas que vem da Europa.
0 NOVO DESTINO
DO
23 Larg* 4 Terco 23.
Sorlimento completo dos roelhores e mais bem escolbeidos gneros perteocentes
a molhados; o propriatario deste bem conhecido armazem de molbados denominado Con-
servativo participa aos amigos do bom e barato, tanto desta praca como do mato, que ve-
nho comprar a primeira vez para verem a grande differenca que ba dos gneros com-
prados em outra qualquer parle, garantindo-se a superior qualidade de qualquer gene-
ro sahido deste estabelecimento.
Caf del.'er sorte a 249 e 200 rs. a libra, e a 6,5 e 7o por arroba.
Queijns do reino de diversos vapores a 2*200, 2000 e 1*800,
Manteiga ingleza flor mandada vir por corita propria a 800, 900 e l^frs^a libra,
dem franceza de i.* qualidade a 560 e 600 rs. a libra,
Sanao amarello maca de 1.a, 2.a e 3. sorte a 240 220 e 200 rs. a libra.
Vinho de diversas marcas JAAeBA F. a 400 e 500 rs. a garrafa e 3*500 acanada.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa e a 4*500 a caada ou 3*000 o galio.
LOJA DA FRAGATA AMAZONAS
K. 5 Ra iio Qaimsrift d, 5*
Mooteiro 4 Guimares parlecipam a todos os seus amigos e fregoezes que rece-
ben) de conta propria por todos os vapores da Europa, fazendas da grande moda, e novi-
CASA DA FORTUNA.
Aos 6:0000000.
Bllhetes garantido
A' RA DO CRESPO N. 23 ECASAS DO COSTUME
O abano assignado vendeu oos seos rouito feli-
tes bilbeles garaotidos da lotera que se aeabotr
de extrabir a beneficio das familias dos volunta-
rios da patria, os seguintes premios :
N. 1447 bilhete inteirocoro a sorte de 6:0001.
N. 1946 dous quartos eom a sorte de 1:S004.
N. 2810 meto bilhete eom a sorle de 500*.
N. 1792 bilhete inteiro eom a serte de20(1*.
E outras muitas sortes de 1001, 401 e 201.
Os possoidores podem vir reeeber seus
dades, para grande e peqoeao toilete, "e bem assim adornos proprios iara casamentas; po>sm,os p7emlo7sem^descnmrTa's sls" af'asa
seo correspondente de Paris, na escoiha de taes mercadorias tem merecido a approvac2o
das encantadoras Pernambucanas.
Luvas de peca do afamado Jouvim.
A Fragata acaba de reeeber pelo vapor francez Estramadure um rico sortimento
de obj-'Ctos de gosto, como seja soulembarquer de grs, ricamente bordados e de urna
elegancia tal que as Exmas. senhoras que os tem visto, n5o tem deixado de comprar;
cortes de seda para lodos os precos, fojlard de seda em cortes de mui lindos padres,
grosdenaple de todos as cores, fazenda superior e das cores seguintes azul, claro escuro,
verde francez, branco, Havaoa, violeta.



L"qes de madrederola o melhor possivel.
dem de sndalo tambem novidade.
Mebs de se Ja para crianca.
dem para senhora.
dem de Laya para sacerdote.
Chapeos de palha enfeitados para senhora.
Rotondas de seda (fazenda chique.)
Chapeos de de seda para senhora.
Cielos o mais moderno possivel.
Chapelinhas enfeitadas para senhora.
Cortinados bordados finos.
Colchas de floissimo damasco de sea.
Saias Maria Pia, com barras coloridas.
Pecas de entremeios bordados.
Tiras bordadas, com differenies larguras.
Tra< sparentes para janellas com mui lindas paisagens.
Aderecos de cristal o m is moderno possivel.
Ricos vestuarios bordados para.baptizado.
Coeiros bordados pnra crianca.
Enftites para coque o m lhor possivel.
Manguitos e gollas bordados para senhora.
Rales de arcos e musselina.
Toalhas bordadas de cambria de linho.
Fronhas idem idem.
Lencos idem idem.
Rramantes de linho etc.




Sociedade portugaeza de seguros mutuos subte a.vida, (un iada e
administrada pelo
BANCO ALLIANCA DO PORTO.
Todo o pai que desejar acautelar o futuro de seus filbos dev,e quanto antes,
azer inscrever os seus nomes na listados socios daFrevidenlepor que, com urna
pequea quantia que, todos os annos para all fr aplicando, tirada do fructo das suas
economas, no fim de 25 annos alcancar-lhes-ha urna fortuna, que por nenhum outro
meio e com to pequeo desembolso poder obte".
Os exemplos praticos de outras sociedades anlogas tem mostrado que:
iUSUOU panos aiintialmenle p dcn produzir.
Por um menino de
de
> de
* de
de
I
dia a 1 anuo.
a 2 annes...
a 3 -----
a 4 ....
a 15 > ....
Por urna pessoa de 15 a 20 annos ..
de 20 a 30 ____
de 30 a 40 ____
> de 40 a 50 ....
Em5 an-
nos.
Em 10
annos.
Em 15
annos.
Em 20 an-
nos.
Em 25 an-
' nos.
1:100* 4:000* 9:'-00* 20:00 47:000*
900* 3:000* 7:5'.-O* 17:000* 37:000*
860* 2:900* 7:200* 16:000* 35:000*
860* 2:800* 7:100* 15:600* 34:000*
860* 2:700* 7:000* 15:500* 33:300*
8605 2:700* 7:0005 15:400* 33:300*
860* 2:700* 7:100* 15:60('* 34:000*
860* *:700* 7:20^* I6:(m0* 37:000*
900* 3:000* 7:500* 18:000* 50:000*
Admittem-se subsuripc5es annuaes de 8* para cima.
Quem pretender subscrever para a Previdente ou desejar quaesqueresclareci-
mentos e informacSes, pode dirigir-se sua direcgo, no banco Allianca, estabelecido na
ra Rellomonte, ou a Jos Ferreira Moutinho. inspector geral da mesma sociedade, mo-
rador na ra da Fabrica do Tabaco n 1, no Porto, e aos agentes do mesmo banco e
sociedade na capital e provincia, que tambem dar5o prospecto gratis a quem os.pedir.
Acbando-se de passagem nesta cidade o inspector geral da referida sociedade,
promptifica-se, durante o pouco tempo que aqui tem de demorar-se, a daros esclareci-
mentos que se lhe pedirem, todos os dias at as 10 hor_ da marina* na roa da Cruz n.
1, era casa do Illm. Sr. Antonio Lniz de Oliveira Azevedo, onde se acha hospedado.
da Fortuna a' roa do Crespo n. 23.
Acbam-se a venda os da 5* parte da 2* lotera
(84), a beapficio da matrit de S. Jos do Recife,
que se extrabira' quarta-foira 26 do correte.
Pree.
Bilbetes.___' 6*000
Meios............ 31000
Quartos.......... 11500
pessoas que compraren de 100*000
para eina.
Bilbetes.......... SloOO
Meios............ 21780
Quartos.......... 11375
Maooel Martins Finta.
Para as
Joaquim Jos Gon^alves
Beltro
(4 RIA 00 VIG4RI0 H, 17 AMAR)
Sacca por lodos os paquetes sobre o Banco
do Mmho em Braga, e sobre os seguintes luga-
res, em Portugal.
A saber:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Con Arcos de Val de Vez.
Vinnnt do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famelico.
La mego.
Lagos.
Covilnaa.
Casa paraalugar.
Manorl Lim Vlres, alnga o segondo andar da
casa que foi do fallecido dezembargador Rocha
Bastos: na ru.i da Aurorora.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da
roa d Queioiad'j n. 26, o pretendente dirjase a
loja do mesmo, nicamente para esenptono.
Precisa se d* irahalhadores de padaria que
entenda o iratko de pao e bolacha : na ra larga
do Rosario n. 18.
Na ra da Penha n. 3, fabrica de cigarros
compra se jornaes do Diario de Pernambuco, ero
pequeoas e maiores poredes.
Trocam-se
Notas das caixas filiaes do banco do Brasil
praca da Independencia n. 22.
na
Cozlnheiro
Precisa-se de um bom coiinheiro
roa Nova n. 28
a tratar na
Vinho branco de superior qualidade a 640 rs. a garrafa, e a 4* e 4*500 a caada.
A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros sobre
a vida
ATORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
GARRAX, DE LAILHACAR & C.
LBRAME FRAKQAlSEj
RA DO CRESPO N. 9.
Livros nacionaes: e estrangeiros.
Religio, dtreito, litteratura, etc.
Papelaria, objectos para escriptorio.|
Papis pintados para forrar casas.
Assignaturas para os jornaes da Eu-j
ropa.
Copeiro.
Precisase de aro bom copeiro
Rosario n. 37, bolel TraviaU.
na ra larga do
BANQUE1P.OS BA COMPANHIA
Bauco de Hespanha
DIRECCAO GERAL
ladrld : Ra de H. Agoslinho
ltaaeio da companhia em 15 de Julho de 1866.
Apolices 19:700 Capital Rs. 127:144*670 ou moeda bra-tleira
Rs 12,714:476*000
A Nacional abraca todas as coobinaces do seguro de supervivencia e n ella pode
fazer-se a subscripto de modo que em nenbum caso se perca o capital imposto nemos lu-
Boachinha de soda de diversos gostos a 1*200 e '2*000 a lata. cros correspondentes. .
Cha miadinlio de superior qualidade a 2*700 a libra. Urna flanea depositada nos cofres do estado, garante a boa administracao da oom>
dem para negocio a 1*800, 2* e 2*S00, a vista faz f. panhia.
Banha de porco refinada muito alva a 560 e em barril a 500 rs. a libra. Os fundos da companhta se inyertem em ttulos, do estado e se depositara no ban-
Phosforos do caz a 2*^00a grosa e 200rs. em maco. > de Hespanba com intervenco do delegado do governo e doconse ho admittralivo.
vada muito nova a 160 rs a libra, em porcao se far abatimento. A companhia e estranha a toda a empreza ou esp.culaco per.gos, e os ttulos em
FmroMras eom nebra de Hollanda a 6*000 e 540 rs. um frasco. jria metKions^s. sdinheirr a sta. 'toareis* t rancisco ae vicia,.
mmmmmmmmwmm mwm
# DEPOSITO DE CALCADO g
FABRICADO NA CASA DE DETENC.0
0 Rna .\'ova di. jp(
Ah se encontrarlo obras de di* a
m versas qualidades, e por prefo mui '
H. diminutos, a retal he e em porc&es. I
9k S se vende a dinheiro. flf
mmmmmtm mmmm ni
Samoel Power Johuston A (ompaskia
Ruada SenzalaNora n. 42.
AfigNCIA D
Fandleio de Low Noor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d<- carro para nm e dous cavallo.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
^11 KftPW IIIII)
I O Dr. Carollno Francisco de Lima Saa-
v tos contina a morar aa roa 4o mpera-
I der n. 17, egoni andar, teado alias seu
Wt gabinete de consultas medicas, logo a
& entrar, no primeiro. .
O mesmo dootor, qne se tem dado ao
estodo tanto das operacSes como das roo-
m| lestias internas, prestase a qaalqner cha-
i mado, qner para dentro quer para fora
da cidade.
oauauanaMi WWWW-
I PgmTINCDRRFfA
I

:t


"ttllhl*Fert.aWed **** felra ** ^ elea-fero d***6.
b\
A


i
,'


Sor ti me uto
e*colhid
Rinji n -t^gfrndo.
GrHdc va-
redad de Luo-
___________qteo para:
cado fracea. ^| ^ cric,as.
Cbegarao) povas botinas par humen, seohoras
e meninas, lutjs de pellcade Jouvio bsaitai, pre- liepcionofag.
tase de ouirafdiferentes,cores, brincos de.ouro Qiirirara Tr ver oque Vbom e baralissimo.
bjm e lei com (oeitt de- crystal, ultimamoda Toalhas * Pars, exrracioi, banhas, bengalas chiaW, es- J 3*00. UB'imm *,D <*'c0> tlvD(i b0*
pernos, guadros^roolduras,.steriocopu con gran &idMd# |ioh| c' ,w ar(Jas ^
de sortimento das ais pilosescaa vtstas, realejos, Uiv.ius pretas e de corea muito fina* a 500 rs
aecord.ons. lindas bonecas, carr.nhos, cabriole Esco de cabo bra So Sit"s a i OoTs
para cooduzr ensacas, cavalillos de andar |** Bralhos fraoeezes mono linos a 200 e 320 rs
motas para meninos miniar e outros rontlos ob- Uixas de lainparlnas para tres meze* a 40 r'
jecios francezes que eslao expostos a vista dos com- Caixas de -
pradore- ; na loja do vapor ra Nova
n.7.
--------
Aula de msica
Lydio I'urporario Santiago de Oliveira, proles-
sor de msica faz publico que continua a leccio-
uar em sua casa : na ra da Gloria n. 46.
i Grande liquidueao
Rua doQiirlMaoon 4. de
Wer acafcar m 6 fatuta* abaixo FAZENDAS BAHATAS
I Rn d*Ipm!,W*6
R*ta e ariti- zem da Arara
DB
L!-enco-FfrfiM ende tininmes
Chitas 2u0 rs. ocovado.
Vende-se chitas floas paie/ vestidos a 200 e 240
ris c c.ovado, cortes de 10 12 cavados a 2()nti
e 2*400. liu*da, Imperatriz lujada Arara n. 56.
Madafolo francs ;i 400 a vara.
Vende-se pecas de madapolao francez te 2i va-
- olreias de massa muilo novas a 40 rs.
Eofiadores para espartilbo de
cordao e Uta a 60
320
Pessas de Blas de cs estrellas com 10 varas a
Hitas largas a 00, 600 e 800 rs.
loor?6"6116"" Mneelw mn surerire$ a
C'oiiarca llover
oo
Anodinos electro-magnticos contra as con-
vulsoes, e paja. Jac litar a denticSo das
enancas. A as.'uia-lranca na ra do Qi ei-
uiado n. 8 recobe-os pmr todos os vapo-
res (r. nctzes.B
ii c-lo Io ronlietlalrs, e lano se itm fspslhado
a lama dees prodigiosos collares rVytr, que se
loma tiiti,-.-ariu dizer niais alguina r. tisa em
aboco de seus bou* t e eEcazes eneitos basta o
testen onho d* mi!|ire .le pessoas, que lm visto
e aprovN/^d* o Mit recitado des>es lo uleis,
quao iifi-^vsarin. ctllar* Roji-r A quolidiaita e
" 1. ,_,"*rC*" Que vo terido, mosca aiuda
- P.ecisa-sealugaruroa boa coiobejra, pre- Carretais de liona Alejandre com iOO ardas m\
fenodo-se escrava : a ra da Aurora n. 70. ris. Aieanare com wo jardas a 200
------------
Precisase
alogar um escravo que teaha pratiea de, atraate :
no pateo da nbeira de S. Jo- n. 25.__________
Aos Srs. padeiros
Pechiocba.
Aloga-se a padarla da roa dos Pires n, SO, com
torno, e lodos os seos pertences, eicellente para
qualquer padeiro que se quelra estabelecer : 1ra-
U-*e na ra da Cadelan. 87.________________
NOVO SALI
DE
CABELLEIREIRO.
Georges, previne ao respeitavel publico qoe ac-,
ba de abrir orna casa a* roa do Imperador n. 71,
primeiro andar, e que esta' sempre a disposico ,
dos seas regoexes; proropio a laier aenlendo em I
seohoras, cortar os cabellse encirrepa-se <: Wa^~eam7te^oiaTo'
qualquer irabalbo tendente a sua arle. Sabbado
22 estara' aberta a' concurrencia dos que deseo
presumo aequizerem Dlilisar.
Precisa-se comprar em segunda mao orna
machina de costara que se acba em bom estado :
quero tiver algumas nesias condigSes e a qoier
vender dirija se ao primeiro andar do sobrado n.
66 da roa da Croa do Recite, que achar' com
quem tratar.
SEGUROS
MARTIMOS
CONTRA FOGO,
A companhia Indetnnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
ore navios e seua carregamentos, e contra
fago em edificios, mercadorias e mobilias:
aa raa do Vigaro n. 4, pavimento terreo.
Ao commercio.
Urna pessoa de bons costumes, dispondo de al-
gumas horas eocarrega-se de tazer a escripia de
alguma casa commercial por partidas dobradas,
para cujo trabalho alm da pratiea reone a cir-
cunstancia quasl indispensvel de boa letra
quem pois de seu presumo qolzer otilisar se d
xe caria as iniciaes A. B. C. na ra do Qoeimado
o- 18, para ser procurado.
JJKos de dita reta tnelbor que ha a 320 rs.
uoiia de taccas para sobre-mesa a 4l.
wta de dita de cabo preto cravado a 32.
Varas *- '--
Pares de lovas de algodao de-cres a 320 rs.
sv.S* e papel a,mi? fBDi, bom a 2,8500.
r rasco com superior agua de Colonia a 400 rs.
n. ,de,oleo babosa a 320 e 00 rs.
nZl i6, d'.10, '""'"loe verde a 900 rs.
D tos dito falso a 600 rs.
Uitos de maca5arperola a 200 rs.
uitos de banha mullo una a 200 rs.
wims com 12 frasco de cheiro a U e 11300.
S?Jhi T'10 o* M. ,6- 0 320 rs.
uitos de bolla mono finos a 240 e 320 rs.
J,"*4508 <= cbelros multo finos a 240 e 600 rs.
it, p*r*raP eoa> hooiUs estampas a 100 rs.
*2S( meibor do B)ercd0 (libra) a
Bai60 d Por, da mlb0t "alidad 100, 120 e
P*!#000e entrem*,O mil boDll0S 800 ris e
Calas de palitos a balao a 40 rs.
Miadas de lioba froxa para borda/ a 20 rs.
^aras de onrde para espartilho a 20 rs.
ito boa a 210 e 320 rs.
ras a 400 rs. a vara ditas em pecas a 9,5600 e IOS. <"* i numero dos prodlgioa
Roa d, imperatrlz loja da Arara n. S6 os ce, paor. / $,1%S!
AlgOdaOSinho dO Arara a 30. -nd,il oocomr para um fia de lauto aproveia-
f.''dt:is rt algodosinho a 3. 45, 53, Z>tyAt*m fc" n-"-w>arts redldo, paraqne
r5, ,? e f* Lasini coniu se v,,de B8 ^ ia- ii, S .2? ;'au,>rfs f.aocezes Ihe seja remetlida
danolao de 12 jardas a Ra da Imperairit "erla m.Mde de dlf. rollares, para anlm tor-
" 36" at.lt ",fallhel rumenlo delles, na loja d'a-
Arara vende as colchas a U. 'franca, na do QuHmado n. 8.
de-se colchas de listas para cama a 2* ditas EllXir entJHCO 6" OdOtal-
de damasco a 4*. ditas de fuslo a 64. Ra da
Imperatriz n. 56.
Madapolao da Arara a 30500.
Vende-se pecas de madapolao entestado a 3500
\L HZlH 2* J?rdas a ** 6#. 7#, 8* e 10*.
ua da mperairlz n. 56.
Chitas francezes a 240.
Vedde-se chitas trncelas a 240, 280, 320 e 400
rs. ocovado, Roa da Imperatriz loja da Arara
o. 6.
Liasinhas da Arara a 200.
gico.
Pos Yurrics.
Para conservaco dos denles e genglvas, orna
das cousas que mals cuidado merece a iodos
sem duvida a perfeicao e conservaco oos denles e
geogivas. Para isso se eoesegoir necessaic o
uso do eliim e pos dentifrieos que pela segunda
vez acibaro d- chegar para a loja d'Aguia Branra.
t*fe elmr odcuulgico e autsrorbotico, precioso
de Iranja branca larga a 2fe0 rs.
Vende se aa praca da IodependeDcia ns. 37 e 39,
capellas mortuarias, as mals bonitas que tem vin-
oo aeste mercado, para os stimos das e dia de
nuaaos se botar Bas catacumbas e turnlos no ce
muerto publico com as inscripedes seguinles :
A meo pai.
A minha mai.
A men esposo.
A mioba esposa.
A meo fiho.
A mioba filba.
A meo irmio.
A minba irma.
A meo amlfo.
Urna lagrima.
Aroizade.
Saudades.
Vende-se laailuhas par vestidos a 200240 320 E,'!!.!0*".?" affH,6>s da *ea. O emprrgo dia-
0. m rs. o covado^. Ra T^^ ^SUTOSSl UVJS
Arara vende cortes de calca a MISO. t^SK!lSS^U S?
e 00 a^TilT^ rhmem a,*,2 &% ^^"^^'dordedT.es'o'
f,*T' ""'JsUeeassemna de cores com pequero ros servem perfeiumeiite para dar ans denles a
loque de mofo a 2 2*500. Roa da Imperatriz oecessaria brancura e lolidez. Vivando a"gen
, .- i'vas a cor tetada. O impresso qoe acompanba a
Mocambique de cores a 500. cad* <'** nielhor sciennlicara ao comyiailor que
Vende-se mngamhiqucs de rores rom palmas de se d'ri'"' a. Ija d'Aguia Branca a ra d Quemad ,
seda para vestidos, fazeoda nova a 500 rs. o cova- 8, onde se vendtm um fiasco do elixir e outro
do, laasmhas novas estampadas e finas a -100 e 320. de ')0li '"', ^^OO, e separa..ameble, este por 500
Ra da Imperatriz n. 56. aquelie pin 2*000
wm
vv
Sem igual.
Fornecese comidas para tora, e recebe-se as-
signantes por menos 10 por eento do que em ontra
qualquer parte, garantiodo-se a perfeicao das co-
raedonas, cujas levarlo lodos ns temperos de qoe
dado levar e com tirapeza, nao como mu tos
ootros que nao botan nada e nao se pode comer,
pede-se aos freguezes do bom e baraio qoe venbam
ver, por ser como de casa particular; na roa Di-
reita o. 72 e ra das Crozes n. 41.
Novo sortimento de luvas de Jouvn brancas
preas edas mais Importantes cores da actoal mo-
da oe Pars, chegadas pelo vapor francez de 12 do
correte, a ellas ero quanto esto frescas e sorti-
das : na loja do vapor .rua Nova n. 7.
Massa da Rusa
a 260 rs. a libra.
muito nova e de superior qualidade : vende-se no
ascriptorio de Manoel Ignacio de Uliveira & Filho
largo du Corpo Sato n. 19.
COMPRAS
Otiro c prata.
Em obras velbas : compra-se na praca
dependencio n. 22. loja de bilhetes.
da ln
Lompra-se ooro, praia e pedras preciosa
em obras velhas : na rua da Cadeia do Recite
cja de onrives no arco da Conceiclio.
Compram-se libras
Independencia n. 22.
sierliuas : na pra;a da
Compram se moedas
Crespo n. 16. 1 andar.
de 20* : na rua do
Compra-se
libras sterlinas : na praga da Indepmdencia n.22
Grarde liquidado de bis-
coutos ingl^zes
^/i.ra latas com principe Alberto a 1*500, ditas
'ia boiarhinhas perolas de 2, 4, 6 e 10 libras a
500, 8400, 3* e*500, ditas com mixide, oval,
victoria, cricble.cracnel, lemon e ootras muilas
marcas a 1*: istos na Liga roa Noa n. 60.
G^Z GAZ GAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry Forsler &
C, rua do Imperador, um carregamento de paz de
primeira qualidade, o qual se vende em partidas e
a relalho por menos prego do que em oulrv qual
qoer parte.
Ltngos blancos a 2$.
Vende-se pecas de leoyu bra neo a 2*. ditos de
cores a 3*. ditos de linho a 5* a dozia. Rua da
Imperatriz n. 6.
Bramante a 2>500.
Vende-se bramante de linbo com 10 palmos de
largura a 2*500 e 2*6(0 a vara.-Rua da Impera-
triz n. 56.
Arara vende a 30.
Vedde-se cortes de cassa de papel para veslido
Si.dil08 de cambrai* d cores e barras a 3* e
3*500, artes de tarlalaoa abertcs a 3* e 3*500
ditos de cambraia bordada a 5*. Rua da lmpera-
trlx d. 6.
Arara vende fa?.enda para lulo a i40.
Vndese laasioba preta para lato a 440 e 500
rs. o cevadu, ditas pretas a 200 rs., ditas largas a
320 rs. cassas pretas a 320 e 360 rs. o cova-io. al
paca preta a 00,640, 800 e 1* o covado. Rua da
Imperatriz n. 6.
Roupa feita nacional.
Vende-se fraques oe alpaca multo finos a 5#, di-
tos de casemira a 9* e 10*. palitots iogleTes de
casemiras de cores a 14 e 16*. palitots de panno
preto a 5*, 8* e 10*, ditos de brim a I* e :J, cal-
SV-a "rs a 65, :i 8&> Cleles a* a*mt* a
3*900 e 4* e outras muitas obras que re vende
muito barato para apurar dinheiro, lambem se
manda hier qualquer obra por medida. Ruada
"Imperatriz u. 56.
Arara vende os baloes a 2,5000.
Vende-se baloes de arcos a 2*. ?*o00, ;i*. 3*500
e 4*, ditos salas azuladas para sentnra a 6* e 7,
Rua da Imperatriz n. 6.
Os oito mil covados de miicambique.
Vende-se roucambiques para vestido fazenda
nova com palmas de seda por ser grande poroao
se vende a 500 rs. para liquidar depressa. Rua
da Imperatriz n. 56.
Os miHfcrtes decaftraias e tarlatanas.
Vende-se corles de cambraia com barras e cores
e tarlatanas a 3*, 3*500 e 4*. Rua da Impera-
triz n. 56.
Os seis mil covados de 15a estampada a
400 rs.
Vende-se urna grande porgo de lia estampada
para vestidos a 400 rs. s para acabar. Rua da
imperatriz n. 56.
Os dous mil cortes de casemira para caiga.
Vendt-se cortes de casemira para calca de co-
Jes8 Prp,a. por ser grande porcao se vende por
4*500 e 5*. S na loja da Arara, e ootras moilas
fazenda* que se vende por prego o mals barato
qoe possivel. Rua da Imperatriz loja da Arara
n. 56.
Fitas de chamalote
para a irmandade do Bom Conselho
e cartas de hachareis.
A Agina Brasa* na rua do Quelroado n. 8 rece-
ben excelente bta de chamalote propua para a ir-
maudade do Rom Conselho e carias de hachareis
Bouit s pentes
dourados com pedras e aljofares para
meninas.
Veorierose na rua do Queimade loja d'Aguia
Branca n. 8. z m
Agulhas
de osso e marfim para crochet.
Linbas para ditas. Estes ohjeclos ehegaram de
novo para a I ja d'Aguia Branca rna do Qoeimado
D. o.
Novns afeites creaos e ootras qualidades.
A loja d'Agua Branca receben nova pon o de
enreites erbios para c.ques, alguns dos qua'es Owi
de moldes ioler,me-i.te novos e agrsdavex vinde
es.es coberies com filas de vidrilhos lisos;'as.-im
como rec beu Uniros para o mel da cabera eo-
reilados r.o ultimo gostu-RoBHU.n-, e outros se
coque. Os pretendeetes que se dinjam a rua do
Queiiii.( Luvas de
camursa
brancas e amarellas para montara.
*.."?** Da l0)a d'ASD,a "ata rua toQaei-
(113 QO II. o.
Escovasfias
para unhas, denles, roupa, chapeos
i cabellos e pentes.
A bja d'Aguia Branca acaba de rtceber cm
grande e variado sortimento de escovas finas cu-
do de cabos de osso, marfim, tlela e r.adreperola
para denles e unhas, ditas curo costas de n.adeira,
btalo e baiea, com baixos e altos relevos e algu-
mas ma-rhr.iadas com madreperola e colma? de
velludo pra roupa, ebprs\ cabellos, e ouir;.v
unaln ( iiv coro cabos de madeira e modreper. !a
para linrpar pentes. Os differentes
precos de todas ellas esto em ni
ridade das mesmas,
Branra roa do Qoeimado o~8.'
e con modos
laco a SOperlO-
e vendem-se na loja d'Aguia
Veos bordados para chapeos l'- "nhoras.
Vendem-se na loja de mindezas: a ,oa do Oae
mado n. 16.
LIBRAS.
Compra-se libras esterlinas : na rua da Cruz n
1, escnpiorlo de Antoni i Lutz Martms de Aze-
vedo.
Compra-se om escravo de roeia idade porm
robusto que possa prestar servlco; na rua da
Saota Cruz n. 52.
Compra-se a Historia Geral do Brasil por
Francisco Adolpho de Varnagem, e a Fundaco do
Imperto por JoSo Manoel Peretra da Silva : quem
a tiver annuncie.
Compra-se urna escrava preta que salba bero
cozinbar; na roa do Apollo armazem n. 12.
Compra se urna escrava engoromadeira, agra-
dando paga-so bem na roa da Udeia do Recife
armazem de Ferreir & Maibens.
Compra-se urna banda pira major tendooso:
oo largo aa Matriz n. 2.
VENDAS
Vende-se na livraria n. 8 da praca da
Independencia Vatel, droit des gens, dous
volumes 40000 cada exemplar ; Martens,
manoel diplomatique, um volume, 2(X)
dito ; Danjon, des prissons, um volme,
2,50(Oo dito ; H. Blair, rheloriqoe, dous
volumes. 2"00 o dito; Gall, fonctions
du cerveau, seis volumes, U0OOO o dito ;
Ferreira Borges, Economa Poltica, um xf>
lume, 2d000 o dito ; Fieldings, Tom Jo-
nes, dous volumes, 4(0000 o dito; Reper-
torio das Ordenacdes, quatro volumes,
lOfOOO o aito ; Ravoux, des conflits, dous
volumes, 4(5000 o dito.
Vendase urna parte do lio edificado na
estrada do MonMro, qoe tocoo ao Dr. Francisco
de Assis da Silva Ferrelr por heranea de seo pal
Manoel da Silva F-rreira, na qoal se proceden a
inventario; cojo sitio tem orna bella casa de pe
dra e cal coro nove qoartos, cosioha fra, cacim-
ba coro bomba e tanque; o sino lodo morado
coro pomo na frente, e moilas arvores de frac-
tos: os pretenderles dinjam-se a rua Direita
sobrado n- 10 primeiro andar, ou no cartorio do
e-crlvao Silva Reg.
Em eas* de Joao da Silva Faria A IrmaoT a
roa da Cruz n. 66. vende-se o seguiste :
Vloho hranco Saoternes.
Dito tinto B irdeaox em barris e qaartolas.
Kers cheowasser.
Champahne em meias e garrafas inteiras.
Dedier, refojoelro, na rua das Larangelras,
se relira desla provincia brevemente, previne as
pessoas que tem eoneertos em sua mi de os vir
bnscar at o dia 10 de ootabro oroxlao; e Um-
bem vende dous balcges Ba mesm loja.
Vende-se superior vinho de Lisboa em
barris de 5o, de urna nova marca prepara-
da particularmente para o nosso clima, por
conler urna pequea qusntidade de alcool'
com paladar macio e agradavel. U prego e
commodo que muito convir aos prelen-
dentes, a rua da Cadeia escriptorto n. 49.
CAL DE LIFBOA
da mais nova e superior : vende-se mais barato
do que em ootra qualquer parle, oo largo do Cor-
po Santo n. 19, escrtptorij de Manoel Ignacio de
Oliveira & Filho.
Vende-se;
machinas americanas de serrotes para descarocar
algodao : narua da Senzalla Nova b. 42.
Salazater.
Vende-se o mals novo vindo dos Estados-Unidos
a 400 rs. a libra : na padaria da roa Direita nu-
mero 84.
Calcado barato
Na praca da Iodepeodeooia n. 39, vende-si
seguinte calcado barato :
Bor/.egoios de cordavao, de bezerrt e
eouro de lustre para homem a 7*000
Birzegoins para senbjra a 1*000
Sapatos de tranca e tapete a 1*000
Veode se refinaco da raa dos Pescadores :
l tratar na u.esn.a.
GiZGAZ
a 400 rs. a garrafa :js na Liga.
Yinho colares.
O vinho colares o mais superior de todos
vinhos e preferivel oeste paiz pela saa fresquido
e agradavel paladar, vende se a 6*000 a duna :
no armazem da Liga, raa Nova.
os
Vende-se ama mulata m. ga que sabe coter,
engimmar ecosmbar perfeltameote, bem sadia :'
qoem quizer comprar dirija-se no pateo do Terco
n. 40, achara' com qoem tratsr.
Bolacha a 1,600.
N<> armazem do largo da Assembla n. l,veode-se
bolacha para bichos a 1*600 a arroba, assim co-
mo barricas de farinha de trigo a 6* a barrica.
Vende-se ama escrava boa cosinneira, lava-
deira e qoltaodelra, 2 lidas crioulas idadd 15 a
16 aooos, urna escrava para todo o servico, dous
esclavas para o servico de campo : na iravessa
do Carmo n. '
Vende-se duas carrosas, sendo orna d'agoa
com bois. ambas sao navas e bem construida : na
rua do Jasmiin n. 21.
Vndese a taberna dos Coelhos n. 17 con-
fronte o hospital Pedro II, sonlda e bem afregue-
sada : a tratar na roesroa.
Vende-se o engeoho de agua denomroa-
doPotossito na fregnezia d'Agaa-Preta, dis-
tante da estacao da estrada de ferro 1;, legua
rooeate e corrate, coro capacidade para grandes
safras, Ierras muito productivas, boa casa de vi-
venda, todas as obras de pedra e cal, alambique,
serri d agua, formas de ferro, tic, etc.. os- preten-
demos dirijara-se ao majr Gusmo, qaelhadara
qualquer InformacJo e tratara da venda, a rua
Augusta n. 97 ou rua Direita n. 137.
Vende-se o enseoiK)Parnasosilo na ira-
guezia d'Agoa-Preta, distaste da esiaeao do cami-
uno de ferro I){ legos, moente e correte, eom
boa casa de vivenda, obras de pelra e cal, trras
raoi productivas, etc., etc.: assim como om terre-
no na frtgaezla da Var*ea ao principio da estrada
de S. Joie, a margem do rio, ja beneficiado e plan-
tado com diversos arvoredos de fructos: os pretn-
denos dlrijam-se a roa Direita n. 157, que acba-
rio eom quero tratar. ____________________
Brilhantes a 8 e 10,000
bonitos e verdadeirns brilhantes em aoeis se ven-
den) na I -ja do Mpihelro, rua do Cabug n. 1 B.
RIVAL SEM SEGIMIO
Rua do Qnelmadon. 49. loja de
mindezas
DE
Jos Bigodinho
Continua a queimar ludo qaanlo tem em seu es-
labelecin.ento.
Sylabarios com estampas para meninos a 320 r*.
As missoes abreviadas a 1*500.
Memento da roupa de lavar a 100 rs.
Cartilha da doulrioa chnslaa 320 rs.
Nivas cartillas para meninos a 160 rs.
Duzias de meias multo finas para senliera a 4f50O.
Ditas brancas e croas para homem a 3* e 4*.
Agulhas francezas a balao (papel) a 60 rs.
Pedras de lousa (pequeas) muito finas a 160 rs.
Pares de sapatos de tranca e tapete a 1*500.
Pecas de fitas de la de todas as cores a 600 rs.
Grozas de botSesde porcelana prateados a I6fir.
Ditas de ditos de madreperola muito finos atOOO
ris.
Caixas com colchetes fraocezes a 20 e 60 rs.
Duzias de clcheles de ferro em cano a 40 rs.
Caixas com alfineiles Irancezes a 80 rs.
Caizas de 100 envelopes moilu linos a 600 rs.
Pares de sapatos de. la para meoinos a 400 rs.
Pregns francezes de todos os tamaitos (libra) 210
ris. '
Resma de papel de peso branco liso a 2*.
Frasco com superior tinta a 100 rs.
Grosas de pbosphoros de gaz a 2*200
Pares de botoes de punho multo booilos a 120 rs.
Linhas em cano de 200 jardas a 100.
Laiza de soperior linba do gaz eom SO novellos a
.00 rs.
Caixas de pos de arroz romto fino a 800 rs.
Pulceiras de conta para meninas a 320 rs.
Talheres para meninos a 240 rs.
Caixa com superiores seas para charutos a 20 rs.
Masso com superiores grampos a 30 rs.
Grosas de penuas de ac muito finas a 320 r?.
Bonets para meninas a 1*.
Pentes com costa de metal a 400 rs.
Capachos compridos e redendos a 500 rs.
Caixas com superior papel amisade a 600 rs.
Realejos para meninos a 100 rs.
Pentes dourados travessas para menii;.-..
Na loja de miodesas : a: rua do Queinado i, 16
vendem-se bonitos pentes dourados para meninas,
teoao enfeitados com aljofares e pedras.
La lina para bordar, novo e bonito scrlimnto de
cote, mas,
na loja de. miudezas
a' rua do Quei-
Collares
Superior e verdadeiro vinho Collares da
bem conhecida matea Dejante & C, em
caixas de 2 duzias de garrafas.
Os apreciadores desta excelteote qoilida-
de de vinho o acbaro no nico deposito a
rua da Cadeia n. 49.
Veidem-se dous escravos um mulato claro
marcineiro, idade de 30 annos pouco mais ou me-
nos, e outro cabra escaro, sem offleto, idade de 20
annos. ambos sadlos e de bom eoroporlamento : a
tratar na roa das Cruzes n. II.
No armazem de fazendas baratas de
Santts Coelho, raa do Qoeimado
1.19.
Vende-se o seguate :
Pechfncha.
Pecas de madapolao fino entestado pelo baratis-
slroo preco de 9*.
PORTO
Vinho do Porlo eogarrafado :
Raiona Bstephanla garrafa 3*000.
Lagrima Cbristy garrafa 3*000.
Maivazio garrafa 2*500.
Postweio garrafa 2*500.
Porto eogarrafado a 2*, 1*500, 1, 800 e 640 ;
garrafa.
Roa Nova n. 60, armjzem da Liga.
Vende-se
mado n. 16.
Bonitas caxinhss com msica e sfm ella.
Na loja de miudezas a" rua do Queirnado n. 16.
vendem-se bonitas caxinhas com msica, e s.m el-
la, e todas c< m arraujos para costura, e por precos
tao commodosjque o comprador nao lera' que exl
tar. H
Para montara, snppriores lavas camursa amarel-
las e brancas.
Vendem-se na loja de miudezas : a' rua do Quei-
rnado n. 16.
Enfeiies erspor, e ontres do nllimo gosto
A loja de miudezas, a' rna do Queirnado n. lo,
receben bonitos enfeiies crespos, o que de melbo:
tem vindo nesse genero ; assim como outros mo
dermssimos com filas, biros e aljofares, obra de
muito gosto proprios para bailes, ihealros.passeos
etc. os prelendentes que se dingirero a" loja de
miudezas, a' rua do Queirnado n. 16, gostaro de
comprar lo boas obras, e por precos razoavels.
Bom papel pequeo e eivelopes.
A loja de mindezas) a' rna do Queirnado n. 16,
esta bem prvida de papel de todas as qualidades,
sendo: almasso, greve, liso, e pautado com 33 li-
nhas, dito de peso tambero liso e pautado, dilo em
caxiohas, sendo : liso, pautado, de quadrinhos de
cores, de beira dourada, e tarjado de preto; assim
como envelopes proprios para esse.s papis : es
pretndenos qoe se dirijara a' dita loja, a' roa do
Queirnado n. 16, que sero bem servidos pela boa
qualidade de papel, e commodldade des pracos.
Superior Gla fticaniada e cbainalolada por j-rabes
os lados, propria pan cartas de hachareis, t
a inm,:.(I;,.li' i Uhhi CiinselLo.
Vnde- na rua ri.. Qoeimado n. lf>.
Noves c bouiles cintos para senhoras.
Narua do Queirnado loja de miud-zas n- IC,
vendem se novos e bonito cintos, para senhoras.
Tintara inglesa para fazer os cabellos caalos.
A preciavel tintura bem conhecida por Hoild
Water, a apreciavel de L. Marques, e a apreciaval
de Chromacome: vendem-se na roa do Qoeimado,
loja de miudezas n. 16.
Chapeos de padre e para se-
nhera e meninos.
Do nltimo gosto de Parts: as lojas do Jos Bar-
bosa o Pequeo na praca da Independencia ns. 23
e 25, junto do funileiro.
Vinho francez mals superior qoe tero vindo aa
mercado vende-se no grande armazem da Liga roe
Nova n. 60l
Medoc dnzia 7*000.
St. Estephe duzia 8*C00.
Chateux la Cite duzla 12*900.
St. Emllion duzla 14*000.
Chateux Larose duzla 18*000.
Pichn Loneaeville duzia 20*000
Kelogios americanos
oO-Hua Veta loja de relojeiro--50
Acaba de chegar a' casa de E. A. Utluucbe o
mais bonito e grande sortimento de relogios ame-
ricanos para saU, escrlptorio. cima de mesa para
navio, de corda de om at 8 di.vs : veode-s
prego razoavtl, por ter grande
Vndese na rua da Madre~de DeoTn"
donsjachosjeeobre proprios para refinato.
- Veod-se na (ondlcio da Aarera lijlos
glezes para fornalha (fire bricks) de- soi.erior oua-
liae e per precx: commodo.
por
14.
I o-
TJSTA^hSICDRRETA
II




----------------.....------------------------------''---------------------------------~___ .-- ._. ....: is

Mario de reraaabac ... QautrU letra ti e eienafero de 1066.
O ARMAZEM
UNIO MEBCANTIL
53 RUI DA CAOEIA 53
I-ASS%VOO O ARCO Di COMCEHlO.
Tea alera do maior e mais variado sortimento de escolhidos geaeros, os seguin-
dira tmente recebidos pelos ulmos vapores :
Queijos lundrinos.
Linguicas j preparadas em latas de i libras.
Os muitos superiores queijos do alautejo.
Presuntos para fiambre inglezes.
Gomma de railbo branco americana.
Salmn e lagustim em latas.
Quartos de marinello.
Bolaxiuhas. parola', priocipe Alberto e outras qua idades.
Vinhos os verdadeiros de Collares, Rheao, Muscatel ds Setubal a porto fioo.
Queijos flamengos.
dem de Minas.
Tuda pelos mais commodos precos.
UANTZISA INiLEZA de superior qualida-
d a i ,28o < 1,(00 rs. a libra, em barril
M (> ahatiinento.
iGPEvf FR.iWCEZA a mi i s nova que ha no
murca l > a 6'io rs. a libra, em barris ou
meias a 600 rs.
:X HISSON de primeira qualidade a
2,8*0 rs. a libra alm desta ha mnitas oo
tras proprias para vender a retalho. que
96 ra lena de l,6oo a l,8oo rs. a libra.
tBEM ?.i iSrO o mais espacial que tem vin-
o a e IDRtf recular de I.600 a t,8oo rs a libra.
3(J8M0S 00 REINO oRimamente chegados
polo va 2,4oo: ditos do vapor aassado
a 2,000 rs.
T\S DE CHOUUC.VS com 6libras er-
nMca.TM-tte fechadas, a i,5oo, de barril
a l4e, a libra.
Si.TrtE AlHk para sop em cairassortidas
le 8 Inr.M, p.jr 4.000 rs.
vTNH ) VEftOE lo vediieinsumo da uva,
eoms propio para s1. beber n'este
ioiperio, peU sua ^itr lordin iria fresqoi-
d5> jgriiarel gosto a 6io rs. a gar-
rafa.
VME XVS FRANCSZA3 em frascos de 4 e
2 nras. a 2,8o. e l,4oo rs. em cati-
ngas mu.to eoeitada com diversas estam-
pas 2,joo, !,800, l,5oo e 1,3oo, reis.
SlSCOITOS INGLEZES emlats contendo
diversis qualidades a 1,00o e l,2oo rs. a
lat*.
JRI m(1 PE ALBERTO bolachiohas as melho-
res p-*sentemente conhecidas a 4,600
rs. a lata
JLAME HAMBURGEZ chegados no ulti-
mo navio a 4,600 a libra.
?REZ(JN'OSvefdadeiro de Lamgo, a64o, i
rs. a li ira, e 56o inteiro.
TRAQUES n. l.em caixas de 4o cartas, por
8,-1 >o e 2io rs. cada urna.
CARMEL*DA em latas de 1, 1 1 e 2 li-
' bns a 00 reis a libra.
JALEA DF MAR MELLO em latas, a 800 rs.
MKJCTAS EM CALDA pera, oecego. alper-
ce, ninha Claudia, e ginja a 64o reis
a lata.
MOLHO IN iLEZ de diversas quahdadat, a
72o rs. o frasco.
MOSTARDA 1NGLEZA muito nova, a 800,
rs. o frasco
DEM -RANCEZA a 4o rs. o frasee.
SALMO E LAGOSTIN chegado ultuna-
mente, em latas de 2 libras, a l,600. rs.
ARENQUES em latas a 64o rs. cadauma.
SARDINHAS DE UNTES em latas e metas
a 600 e 36o reis. .
VINH) DE VALLARES o legitimo vioko
desta localidade, muito superior e sera
confaicao alguma, a 800 rs. a gama.
IDFM MADURO overiadeiro do alto uou-
roem barris de 4 o em pipa por 35,ooo
cada um. ... ,
VINHO DO PORTO de diversas qualidaaes
engarrafado, inclusive o maisfino que &a
n'este genero, por 800, 1,000, 1,,
1,4o o l ,5oo rs. a garrafa.
F3IJ0 verde e carrapato em latas ermeu-
camente fechadas a 600 rs.
CHOCOLATE fraucez empacles ae 1 uar*
por 001 reis. .
AZE1T0NAS daschegadas oltunamente1 ae
sbj a l,2oo rs. aaneoOU, a500,,a
guarrafa. '' __^.
CAF avado a 24o rs. a libra, O 7*fJ2
arroba, eregular a 22o a libra, e 8 so*,
a arroba. jmttt
VINHO CHERRY do mais suporto do cado al,5oo rs.agarafa, e ts.ooors.
a duzia. .
MUSCATEL o verdadeiro de SetUDa, a
1,80o rs. a g rrafa, e 2o,ooo a duna.
VINHO BORDEAUX das mais acreditadas
mircas, S. Emlion. Sant Jolie. -Bt
Brion a 7oo e 800 rs. a garrafa, e em
safra ded izia. a 7,5oo e"8,ooo rs.
VINHO RANC I de Lisboa de excelente
qualidade. e proprio paramissa, 800,
rs. a g imfa, ou 8.000 rs. a caixa de duzia.
MADEIRA SECO x i,2oo a garrafa, e 12;ooo
VINHO DO RHENO supe/ior, a 2.000 a
arraf, >. 22,ooo rs. a duzia.
VE!\MOTH do superior qualidade em cai-
xas de '2 meias girrafas por 12,ooo,e
garrafas por l,2oo rs.
Gros de aples preto a tSOO; 600,10,3 3*500 M o corado.
GorgrJo preto e superior qualidade a 2*500, 2860, 30 e 40 o co-
vado.
Superiores moreantiques 10500, 20600, 30, 30500, 40 e 50000 o
covadO
Bons cortes de moreantiqae.
dem da gorgurao adamascados.
Bons pannos e casemiras.
Sup ores alpacas, princetas, merinos bombazinas.
Bons villndes pretos.
Grande variedade de.chales do fil preto e de guipara a 50, 60, 80,
100, 120, Je 160 1 200, n de 230 a 800 cada um.
Superiores retondas de fil preto e de guipure a 81, 100, 12* e 250,
ede 300 a 600 cada ama.
Superiores aigerieaes de fil preto de guipure de 120 a 250, e de
300 a 600 cada ama.
Boas chailes de seda preta.
Ditos de Merino preto bordados e ontras muitas (azoadas pretas que
seria afadonhe enumar r, ad
L DB 4NTOWIO CORRBI* DE VASCONCELLOS & C
ac.%. no CH8SP0 sr. 13
PHOSPHAm I>E FERRO DE LERAS
INSPECTOR DA. .U3ADCMIA DE PARS.
Nao existe medicamento farragiaoso tao notavel como 0 pliosphato de ferro de
Leras; assummidades medicas do mundo inteiro adotarana-no coraseUcitude sem igual
nos annaes da sciaaeia. 4a cores paludas, dores de estomago, digestoes penosas, ane-
mia, onviles-enfas lifcei idade criticadas senhoras, irregularidade na menstroacSo,
pobresa do sangas* lym^!aitfi"mo s5o curados rapidameate ou modificados por este ei-
cellente composto. E o conserva lor por excelencia dasaade e declarado superior nos
hospitaes e pelas acidemias a todos os ferruginosos conbecidos, ao idoreto e aj citrato
de ferro, porque o unbo que aoovam os estmagos delicados, que afo provoca coni-
pacSo nico tambam que nao enegrece a bocea e os denles.
Em Paria na roa da FeoHIade n. 7.
A venda em essa de Maurar, e A, Caors.
Loj do Violante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento acaba de rceber pe-
lo vapor Exiremtmdrf, e de sua propria a>
commeoda, nm completo sorimento de ob-
jectos de apralo goato e alguas de comple-
ta novidade, aaao seja:
No Vigilante.
Chegaram no vapor francez de 12, um
completo sortimento de diversos objeclos
Jde apurado gosto propriamente para um de-
licado mimo, e todas aquellas pessoas que
desejam concorrer com alguma ollera para
o leilao da prendas do Hospital Portugus,
que ter logar domingo 16 do correte po-
dero aproveitar a occasiio, e virem esco-
Iher taes obojectos po s visto ser para um
m tSo justo, o Vigilante est resolvido a
vender por diminutos precos, que os con-
currentes ficaro saiisfeitos.
Enfeltes.
Tambem chegaram no mesrao paquete
riquissimos enfeites com o cok de cabello
teado inleiramente novidade, nao baver
senhora que vendo taes enfeites deiche de
es o* rMtt.
de r4 por SJDaL fiend
rtonM arela > e 81:
peieaia a. 71 :
I
PECI11\CHA SEM IGUAL
Rieos cortes de gorgoreo de seda (velos adamascados para vestido com 13 metros
ou 18 a 20 cu va los cada corte, largara de chilarcoceta, pelo baratsimo pre^o de 50J
cada corle : na loja das colutnaas da ra do Crespo n. 13 de Antonio Crrela de Vascon-
cellos & C.
LOJAD
DE
AZEVEDO 4 FlOSES
Nao kiam
Chapeos deso de seda abal5o que valem 120 a 105, em porco ter abatimento
ie 10 irce to.
Baloes
lo i.Iti n 1 gosto em Paris, qa3 estreito em cia e lirgos era bahto, a 35,10, e 50, dam-
je para a mostra.
Sobre-csanos de p'in>i>
Superiores, que valem 250 a 155, s o Bo vende por -ste pre^o, paietotssa-
:o.; depinno So >s jue valen 150 a 103, tamban se ve i!e calcan de brim brinco finas,
litas pardas ditas de casemira, ooleto de casemira, paletota dealpa;a branca, e muitas
utraj raa^ai feit.s que se vendem barato.
Igen vejnm os |>recoa d. s fazendas.
Chitas para coberlas, cores fixas, a 320 rs, dam-i-e amoslras
La ts com lindos desenhos a 320 rs. ocovado.
Ca:nbraiasde Ores, lindos padres, a 320 rs. o covado.
Chitas escuras e claras para vestidos diversos precos
Cambraia para vestidos.
Dita larga para forro de vestido.
Midapolo que val 100 a 70, s oBalo vende por estepreco.
Ca-aisas in^leas superiores que valem 13, a 30000.
Quem duvidar venha ver na ioja do Sallo.
Chegou novo ansdapolo.
Este madapoiao val 1*0, porra o Bal3o co itina a .ender t or 60500.
dem muito fin? que val 120 a 90: quem precisar aproveite .mquanto tempo
OVO IIEP SITft
DE
MACHINAS
PARA DESCAROCAH ALGOOO
Manoel Hento de Oliveira Braga.
53Rna DlreUaa. 53
RICO CORTES DE VESTIDOS DE SEM. 9
A' loja de fazendas de Augusto Porto & C.
11Ra do Queimadoi\
A' loja de fazen'las de Augusto Porto & C. chegaram ricos cortes de vest- %
dos de seda das na s lindas cores, x
Camisisinglezas para homem, paito, punhosecolarinhosdelinho supe- *ys
rior. ifte
Vestidos de Blond om manta e capea para noivas. $
Finissim^s cortes de cambraia branca bordados.
Cort nados bordados da diversas qualilades, para camas e janellas.
Cokas de seda, e de la e seda paracamis, de diversis cores a lindos de-
zenhos.
C'-eton superior para coisas de cima de di ersas cores a 1^120 o covado.
Vestidos b irdados para baptizados de 10^030 a 2;>I000
Moireantique branco e proto, e gresdenaple branco, de cores e preto dos
me inores.
Bons pannos pretos e axues, e sortimento de cisemiras preta e de cores.
Malas gnndes e pequeas para viagens nos vapores Europa
Cambraias de cores, ISasinias e percales dos goslo3 mais modernos.
Tapetes grandes e pequeos para sota, piano e cuna.
Espartiltns, balas, saias borladas, meias tinas, camisas, camisinhas, gra-
vatnhas, e manguitos para senhoras.
Bonets, e cha eos de pal ha di Italia para senhoras.
Bramante, Brilhantiaa Bretanha, silesias, esguio e cambraia de Hubo su-
periores.
Brins d-! linho branco e di cures o que ha de mais moderno.
Neste estabelecimento ha sembr su timento de camisas e ceroulas france-
zas, as melhores e mais baratas.
Esteinas da ladia para for ar salas
II Ra d anelaaadotl
Maita atteo^a >!
Muita atteo^flo
Grande liquidecSo de fazendas e roopas tei-
fatnaetottes, na roa da Imperatiii n. 72,
loja de Guiarte & folia.
0 pftprieurio dwto mportaite ertalelecimeo-
10 eatao resolvidos'a li OMto, (toque emloatra Ma^wr par, ulna :
Chales do renda.
VeBe-ie chales
ae ja' ae rnd;u por
por tt*?1000, rrtoe
lato s6 ki rtda Imvnb. a. 71
Graude peebiocba.
Cambraia* de eOrea aullo Sdu *.} o cera-
do, dita meUMre > S80 390 rt, date rgandls
e rtfBiaataMC ttnkn 30, tOVa 440 rs. o co-
rado : t sa roa de toperatrit o. 7aV
Bretaafaa de roio.
Vde-se bnuete de roto ttm I *ar s a 31J80
a peca, dHa deUe*o fiee it|igpo.
Grande pecbtDdu.
Veadeae pecas de aifotfio anas a 4*, 4*500 e
cjroedfMesal|MOeCJI: s oa roa da Impe-
ratrii o. 7ST
Quem duvidar veatt ver, eaaiof de
canbraia a 3)5500.
Grande sortimento de corlee da nmbnii bres-
ca e de cores a 3*500 fija, dito* bordaOoea seda a
4*500 e 5*, cortes de lia a 3*, 3J8O0, 4* 4*800
e 5*. ditos cascocbiu a 3* e3*500: a aa roa da
Imperatrif o. 72-
Laazinhas a 240 rs. o corada
Vende-se um graade sortimento de ftaznibas
finas a S40,280, 300, 30, 360 e 408 rs. covado.
estao se acabando.
E' baratissime, chales a 2)9009.
Chales de merme estampados a $)>, J*500 e 3y,
ditos finos a 4*, 5*500 e 6*: s na roa da Impe'
ratriz a. 7!.
Cortes de brim a 1^280.
Grande sortimento de corte* de brim a 1*280.
1*400.1*600 1*800 e 2*, ditos de eaaemiri a 2*1
2*500, 3* e 3*500. **
Chitas a 180 rs. o covado.
nrinein ^ |, Grande sortmenlo de chitas a 180,200 e 240 rs.,
comprar, principalmente aquei'as que uve- dltts TtBCet S40j jjq 300 3W 360 rs t
rem de ab lhantar com sua precenca ao tas percales a 400,440 e 500 ra.: s aa roa de
anniversario do Hospital Portuguez. Imperatru a. 71
S 00 vigilante ra do Crespo n, 7. Lencos a 24 a duzia.
Volt! abas para mealna. ,.YS2dt;8 a?.'5 ""U** *ko a 2*,
Riquissimas voltinhas de fitinh s entran- ^^J^R^^^^^
ditos muito Bws a 0*, 7* e 14* a doiia : s a
roa da Imperatriz o. 72..
Neste estabelecimento se eucontrario as
verdadoiras machinas americanas chegadas ultima-
mente, as quaes sao feitas pelo mais afamado fa-
bricante da America, por isso avisa a todas as pes-
soas que precisarem comprar, de se dirigir a este
destabeleciinenlo que couniraro das mais perfeilas
ueste genero, assim como mais barato do que em
oulra qualquer parte, por isso que se recebe por
coala prop ia, bem como camos de chumbo e moi-
hos para moer milho, e grande sortimento deei-
ragens e miodezas em grosso e a retalho.
Pi'Rm NIS cryswhoijc E\\\m
ij Mana Goedeiro Lima, estabeleceu-se cr-m 3-;nazeffi d' lonca fle ocledade com Joaqaim
Thonz da Conha, na ra do Imperador n. 46, com a firma ie Lian & C uihe, es qt*es effdem toe
-mis amigos e ao resfieitavei publico em geral (jii", ijnando prec-"m d* al e procurar o dito esuoel*cim*nt,onde acharo uro esplendido srlimenta de ricos apparelhog para
1 ha, ditos para jantar u porcelana braoco, de crts e donra-los, jjuarnico de porcelana twra lavalo-
ilo, de 5* a 25* ; e ludo o m* ae perteawe a. este genero de -.negocio,. .|.jaea,.,vd'ar, ele, ele.
A' divisa deste aovo estabelecimento
Vender barato para vender moilo
Vender muito para vender barato.
12' O JIlR.tTGIRO.
Junto o Arco de Santo Antonio.
O rente desie estabe!ecim;nto querendo grangear urna numerosa freguezia,
es: determinado a vender seu grande sortimento de fazendas de escolhidos gostos e su-
periores qu.lidades por grecos que ninguem pode vende pera sustentar seu capricho,
assim faz o Barateiro.
Atfenwo Attengo tteHcm!
Chales de guipure a 5, ditos de merino cm bonitas barras a 55, 5lo00 e
Cambraias brancas e dt cores,
Cambraiasbiancas de 40, 4t500, $& at 8e9fr a peca.
dem de cores bonitos desenhos a 720 e 640 rs. vara e 300 rs. o covado.
Grosdeoaples pretos e mor mtiques, que se vende por barato preeo.
Chitas de lindos padres para ves'idus, escuras e claras.
dem para coberta, adamascadas e coloridas. #,
Tapetes em pecas para i<$900 o covado.
Tapetes para portas, ditos de diversos tamanhos e bonitos dezeohos. Outras mui-
tas fazendas de gosto que se torna enfadonho mencionar. D-se amostras e maoda-.se o
caizeiro a qualquer casa que for chamado.
' ; Para hornera.
Calcas de casemira preta e de cores a 05, 70 8 9, e 105.
Paletos de paano e casemira de cor a 80, 95 e 1(5-
dem de alpaca brancos pretos e de cores a 35500 40, e 55000.
Golletes de casemira de cor e preta a 40, e 5.
Chapeos de sol de seda c m cabo de marfim obra rica a 170
Ditos de dito dito bonitos cabos de 70 a 155
Cortes de cazemira a 40 ou a 30200 o covado.
Grande sortimento de casemiras de lindos gostos para co.-tumes, brim e outras
muitas fazendas para fezer qualquer obra, a gosto do comprador para o que tem um hbil
mestre.de alfaiate. '
Cheguem a roa do Crespo n. 1 loja do Barateiro.
cadas e com cru/. proprias para meninas,
estas voltinhas lomam-se recommendaveis
por serem inteiramenle novidade.
S n > vigilante ra do Crespo n. 7.
Finas tliesouras para nnbas e costura.
Lindos porta joias.
Ricos port relogios de porcellana.
Modernos penles de tartaruga e a mita-
Co.
Albuus para retratos.
Agulhas e linhas para crochetes.
Lindos aderecos de christal.
Aderecos completos para luto, assim co-
mo brincos e n-setas.
Meias de seda para senhoras.
Ditas para meninas.
Sapatinhos. de seda e de mirin, para
baptisados.
Touquinhas e chaposinhos para dito.
Las de todas as cores para bordar.
Capellas para noivas.
Gravatas e mantas para hornera.
AKinetes para gravatas.
Rifoi-simos livriolios para notas, sendo
com capa de madriperola, marflm e cha-
iren.
Penas de ac de todas as qualidades, do
afamado fabricante Perris.
Froco e s jd| frouxa para bordar.
Bengallas achicotes de todas as quilida-
des.
Dedaes de marfim e metal.
Espelhos donrados grandes, e pequeos
ditos de columna.
Dito especiaos para as senhoras fazerem
os pentiados.
Pulseiras tanto para senhora como para
meninas.
Riquissimas fitas lavradas e lizas.
Diademas do ultimo gosto.
Ligas de seda.
Ditas de seda e de algodao para margui-
tos de senhora.
Contas e tubos de ac.
Suspensorios de seda e de algodao.
Grande e ompleto sortimento de perfu-
maras finas dos fabricantes mais afamados,
assim como muitos outros objectos que se-
ria enfadonho men'-fonar.
S no Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7.
Verdadeiros
rollares Royer
Electi'ft Hagnelice
Ou Collares Anodinos, para facilitar a den-
ticSo das crianfas "e contra as convulses
das mesmas, a estes collares nos escuzado
fazer qualquer recommendacJo, visto a
grande aceitarlo que tem tido, q que pode-
mos provar assim como, afiancar o effeito
que el les produzem, porque ba muito q< s
os recebemos e continuamos a receber por
todos os paquetes da Europa; e encontra-
do sempre na loja do Gallo Vigilante, ra
do Crespo n. 7.
Taso* rmeos
Yeodem no gen armazem na da
imorim 1. SS,
cor fino Coraco em botijas e meias botija.
Licores finos sonido* em garrafas com rolfcas d>
idro e em lindos fraseot.
VinbosCberes.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgoohe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaos.
Cognac.
Od Ton.
PAer.ei lagninl.
A50OO6apeca.
Grande sorimento d audapotte de 5*, 5*500 e
6*. ditos melhores mareas a 7*, 8*, 5*500. 9*,
BalBesaMOOOl
Vende se om grande sertinMate de ealee* de ar-
c.. 3Mim- ** e 4"^ 'elina a
o* e o*i>00, o4um per meaiejaa a 1* e 3*600 : s
na roa da Imperatru a. 71.
Gravatas a 800 rs.
Vende-se om grande sortlmeoto de mvatas
500, 640, 800 e t*. mantas da a 1*200 e 1*600 :
so na loja de Guimaries 4 Irmi;, ra da Impera-
Uria n. 71
No
l(t pelmee e lar. ra a
armazem de azendas
baratas de Santos Colho
Rua do n1 rimado !.
Vende-se o stguinte :
Lences de panno de iioho pelo baratit(fc>-o pre-
\ co de 2*200 2*600. ^^^ P
Lencoes de bramante de linho de am id panno
obertat dechlu da India a 1*400 elJaVO.
Lencos do cambraia proorlos para ale be ira dn-
zia I*80, 2*. 2*200, 2*600 e 4*. *
ttiS de arcus *'ara ">* awo, 1*
e J*000.
Algodao enfestado com 7 palmo de lareara
i* 100 a vara.
Aloalbado de algodio vara 2*.
Pecas de cambraia branca de sal pieos om 8
niela varas 4*500.
Bramante de linho fino cota 10 palmo* da lartra-
a 2*500 a vara.
Panno de linho com 9
2*400 a vara.
Bramante de linho de duas largura a i*280 a
vara.
Bra ante de l:nbo de urna largura a 800 a vara
Toalhas de linho acolchoada para mace, a 121
a duna.
Ditas felpudas a 13* a dezia.
Guardanapos de linho a .1*500 a dnzta.
Pecas de c-mbraia par, forro a 2*800 e 1*800.
Pe^as de cambraia adamascada com 20 varas
proi-ria para cortinado a 13*.
TarlataDa de cores a 800 rs. a vara.
Fil liso 8r.o a 760 a vara.
Dilode salines a I* a vara.
Flanela de cores 880 f.-. o covado.
Biles de aros pura senhora a 2*500, 3*
Ditos de arcos encarnarte 3*500 e 4*.
Esteira da lodia e 4 e 5 palmos de largura
propria para forro d.< sala p >r menos preco do
que em Otitra iju.ilquer parte.
Cambnia- fin*; 1 .w- .ajadas i^O ra. a vara
Neste acaz-jn tamhaai-'-se ncohtra am grande
sortimemnde'r j .i;- feila e olir. medida
PHOSPHATOdeFERRO
[de LEas dotjtor em scienciasJ
INSPECTOR DAACADEMIADEPARiZltc
Nfio existe medicamento ferruginoso tao notavel
como o Phosphato de ferro de Leras; u sumrai-
dadea medicaes de mundo inteiro adoptaram-no
com sollicitudc sem igual nos annaes da sciencia.
At coret pallidas, doret de estomago, digesides
penotat, anemia, convalescencias dif/lceis, dadt
critica as senhoras, irregularidad nt tnens-
IruaciOy pobresa do tanque, tymphatms, ti
curado rpidamente ou modificadas por use
exceUenU composto. E'o conservador por excel-
lencia da saude, e declarado superior nos hospi-
taes e pelas academias a lados es fernf inosos
eoflhecidoa, a iodoreto e ae curato de ferro,
porque o nico que cenvem ao* estomaga* de-
licados, que nio provoca constipacae, aoice
tamben que nao ennegrece a bocea e a* deates.
A venda Das pharmacias de P. Manrer de
C. e A. Caors, em Puruatoboco.
Panoo de algodao da Bahia, proprio para
saecos de assncar e roupa de escravos ; tem para
vender Antonio Luiz de Oliveira Azevedo k C, no
sen eseriptorio rua da Cruz n. 1.
Francisco Jos Germaim
GRANDE ARM
T
DE
LOUCA, VIDROS, CRYSTAES E PORCELANAS.
DE
Ferreira Monteiro &Ouimaraes,
S% rua larga do Rosarlo a. 9t, Jauto a botica4e*r. Bartholomea.
Os propietarios deslenovj e granie armatem de buca participara ao respeitavel publico que
en seu armatem teera am compleU sortimento de louga e vi-jros cono seja rieos apparelbos para
jantar epara tfnoco, brancos, douralis e ora Sietes de coras garrafas, copos, clices, compolelras,
ricos porta Jicure*, galaeteiros, guarolcSas para lavatorios, ricos vasos para flores, eaoflleiros a gal,
laoeraae altos outros a/lig orj|au po serem prneioiai>lp>.
p^res.
Vende-se em cae* de Saanders Brothers dt C.,
00 largo do Corpa Saetee. 11, vapores patentes
com todos os pertance proprlos para faier mover
tres ou quairo machinas para descaroear algodao
NTASSA DI HJSS14
Vende-se potassa da Russia muito superior e de
qnadade a mais apropriada para o fabrico de
aesacar a pregn rasoave, no armatem de Jos da
Silva Loyo & C.
velas.
Gomes de Mattos Irma" ?, na rna larga do Rosa-
rlo n. 24, vendem velas e cera de carnauba e gom-
ma de mandioca.
Cal virgem.
Vende-se na rua do Trapiche armazem n. 9, a
mais nova que ba no mercado, {por preco com-
modo.
[RUA NOVA N. 24,
acaba de receber om lindo e magnifico sor*
tiiaento de oculos, I nelos, binculos, do ul-
timo e mais apurado fc-osto da Europa a oce-
los de .Icance para observarles e,'para>
marilimos.
Agua Minera! de Vicby.
Pastilhas de saes naturae de Vichy.
Oleo de flgado de bacalhao desempeado.
Oleo de dito dito ferruginoso.
Rob Laffectur.
Xarope de cadeloa de Rertb.
Vinho o> BeiHnl.
Xarope de Gibert.
Lelte antipbiliticu centra as manchas do rosto
Confeltos de ergotina.
Coafeitos de ipecaepeaba.
Cigarro antyasthmatico d Joy
O doBtalgico de Doorado.
Deposito, pharmacia de Hoto, rna larga te Ro-
sario a. 10.__________ I
Vende se urna casa
Cabral em Olinda : a tratar na roa |
9 lado direito qnem vai da rna do
S. Francisco.
oandad aa na de
roa*) QnloY{jira
T5STA Ir^CORREm

>


Alarla ic nrlaklc QOarta felfa 13 de Setetiiftro de 1866.
LOJA
1UA
ENCICLOPDICA
DA IMPERATRIZ ARMAPEM DA
PORTA LARGA N. S,
'unto a padaria fraaceza
VENDE-SE
Mo araMxen de M. S. Ramos e Uva A cara, rn 4a Vlf arlo
a. 41, eoaatantenaeate, oaaegolatea artigos, aae
recebe par eaoaaaaaeada propria 4a
MEW-YOBH.
BE
Paredes Porto.
Neate estabelecimento encontrar o rea-
Civel publico um variado sortimento de
xendas franeczas, ioglezas, suissas e allo-
maos, que se venderlo por prego commodo.
AMiBiKJA
Grande araiaxeai de fazeada e
roupa fe Ha, raa da Imperatrlz
a. 5, armazera da porta larga
Fiesta estabelecioaeito encontrara' o respeita-
vel pablieo om completa sortimento de roupas de
todas as cualidades e preeo commodo. como se-
jam : paletoU de alpaca, de merino, de bombazl
a, panno, casemira, preto e de cores, caigas de
todas as quididades, clleles de diversas qualida-
de e prego commodos, chapeos pretos fraoceses,
fazenda de 10* a 6*, ditos de sol de alpaca e seda,
sobretlos de panno proprios para viagem a 1i*,
meias croas de boas quaildades e pregos eommo-
ios, e ontras nanitas faxeodas e roupas feius, que
se vendem moito barato: no armazem da porta
larga n. 51
600 w.
Adnalravel peehlaeha.
Camisinhas de cambraia a 600 rs. para acabar:
a roa daluiperatriz n. 52, armazem da porta lar-
ga jonto a padaria franeexa.
Casemira
Veode-se casemira de cor a 4* o corte : na raa
da Imperatrlz n. 5, junto a padaria fraueeza.
Balites
Vane-je balSes (crinolinas) de todos os'tama
hos a ii e 2*500 : a raa da Imperatrlz n. 52-
unto a padaria franeexa.
10500
Entreaielas.
Vendo tn-se pegas de ntremelos com 12 Taras
1*500 : a ra da Imperatrlz n. 8?, porta larga.
Chales te renta a ift
Vendem-se chales de renda pretos, fazenda de
boa qualidade, a 4* por ter porgad : armazem da
porta larga n. 53.
Hetanias e baaram.
ReceL-u ltimamente um sortimento de retondas
e bonrnus de seda e de algodo por barato prego,
soutembarques de grosdenaple, ea'pas e manteletes
por pregos commedos : armazem da porta larga
a. 52, raa da Imperatriz.
Can* raas lisas finas.
Grande sortimento de cambraias lisas, qne se
vendem t 3*. 3,5500 e 4*, dita rauito fina Victo-
ria a 5* e 55500, corte* de tarlatana de bonitos
gostos a 3*500 e 4* : raa da Imperatriz n. 52,
jnnto a padaria fraoceza, armazem da porta larga.
Tiras e eni.roro.eios bardados
Grande sortimento de tiras e entremeios borda-
dos, pelo prego de 500 rs. a pega : raa da Impe-
ratriz n. 52, junto a padaria rraoceza.
Cortes de garguro de seda
preta.
Vendem-se cortes de gorgorio de seda preta
para vestido com 20 eovados, por barato prego :
aa roa da Imperatrla, n. 52, unto a padaria ro-
ceza.
600 rs.
Cortes de calca.
Vendem-se corles de caigas para servigo a 600
rs.; na ra da Imperatriz n. 52, junto a padaria
ranceza.
Lias de vestido.
Cbegoo a roja de Paredes Porto om sortimento
de las para vestido a 240-o cooado : aa ra da
imperatriz n. 52, junto a padaria ranceza.
Chambres
Chegoo Hm sortimento oe chambres para ho-
mein a 4* eo* : na ra da Imperatriz n. 52, luja
de Paredes Porto.
Vestidos bordados.
Cbegou a raa da lmperaln n. 52, ricos cortes
de cambraia, bordados a croch, fazenda de 20*
por 124 : na loia de Paredes Porto.
250000
Graade peehlaeha
Selecia cem 26 varas a pega, largura de 5 pal-
mos, a 254 : na roa da Imperatrlz n. 52, Paredes
Porto. ____
Machinas americanas para descarocar^algodo.
Arados idem.
<2>z em latas de cinco galoes do mais purificado que vam a este mercada.
Relogios perfeitos reguladores com corda para oito dias.
Oleo para machinas de costuras.
Agulhas para astuesmas.
Breo em bai ricas granles, e pequeas.
Salsa par-rima de Bristol por Lanmao Kemp.
Agua Florida.
Anacbauita de Kerfip.
Tnico Oriental.
Pilulas assucaradas.
Pastilhas vermfugas.
Pillas do doutor Brandreth.
Prompto alivio deRadwiy.
Rezolut vo renovador.
Pilulas reguladoras.
Farinha de mflho.
Vende-se tambem:
VAMMMUA*
BOItDEill
1. qualiade.
St. Estepbe.
St. Juliea.
C. Margau.
C. Lafitte.
Medoc.
PORTO
banalidad,
Vinho fino do Porto em barcia de 5/, 10/ e 20/.
Superior vinho doRheno.
Vermouth de Fratellicora.
Bitter aromtico.
Panno d'algodo da fabrica de Todos os Santos.
dem. da Conceicao.
Eoxtire de i.* qualidade.
Principe Real.
Pedro T.
Mara Pia.
Prioeeza D. Isabel.
Vctor Emmaimel. .
Duque.
Malvaza.
BaaaVTa:
t RA DO QUEIMAIM w. **.
Pee hincha,
Finas cambraias de cores de modernos gostos a 500 rs.
Pegas de cambraia branca moito fina a 5*.
Grande sortimento de chitas para todos os prrcoj.
Lengos braucos para meninos dona 24-
eoberta* de chita da India a ItfOOO.
Algodao trangado largo para toalhas superior fazenda vara 14300.
Cambraia de linho para lencos.
Fino esguiio de linho a 1*400. l600 e 1*800 a vara.
(.raude pechlncha.
Fazenda muito encorpada para ronpa de escravos e pelo baratsimo preeo de 330 o covado.
MACHINAS AMERICANAS
Verdadeiras do fabricante X. Y. cantlongin 4 C.
Moiobos americauos para moer milho.
Na ra Nova o. 20 e 22, grande deposito
das verdadeiras machinas americanas de todo
os fabricantes; se enjontra neste deposito
grande porcao de machinas, e se vendem por
menos preco do que em outra qualquer parte
por se receber em direitvra da America; se
fornece todas as explicares necessarias ao
KA LOJA E ARMAZEM
PAYA O
Kua da Imperatriz n. 60
N
gima i SILVA.
Gaabrtias brancas,
Cea 8 palmas de largaras
Sa aa lo ja do pavio.
Vende-se cmbralas brancas transparentes tendo
8 palmos de largura, oo doas largaras das regula-
res, qne faceliu fazer-ae aa vestido apenas com "
varas, e vendem-se pelos baratiuimos pregos de..
1*000 res, e 1*280 a vara, nicamente na loja e
armazem do Pavio, roa da Imperatriz n. 60 de Ga-
ma & Silva.
Baldes baratos
Vende o PavSo.
Caegou um grande sortimento de baldes de ar
eos sendo americanos que sao os melhores e ven-
dem-se pelo baratissimo prego de 2*500, 3* t
3*500: na loja do Pavao na ra da Imperatriz n.
40, da Gama Silva.
Bretanhas de ralo a 2S800.
Tendo os proprietarios deste grande efftabeleci- Vendem-se pe^as de bjetanba de rolo tendo 10
ment revolvido diminuir o grande deposito das varas cada pega pelo baratissimo prego de 2*St.0:
fcM&das i)ue tem na aa I*]a arraazem, promet- na loja e armazem do Pavao na roa da Imperatriz
tem vender mais barato do qoe em oulra qualquer n. 60, de Gama & Silva,
parte, com o fim deapurarem diobeiro e cada vez i;u9i matt agradarem aos s Bntnerosos rreguejes, va-m..i, .7 1 l a --___^
porunto Ites offerecem um grande sorllmeaR de vendem-se bonitos goarda banha de laberynto
fazenda ioglezas e fraacezas, as qaaes venden Praonospara encostos de cadeiras, pelos brratissi
Chitas pretas a 160.
Vendem-se superieres chitas pn-ias \uf\uM-
sendo moito boa fazenda, pelo har.-uiwinm pMfe
de 160 o Levado ou a 4*000 a pega ii-noo 38 cava-
dos : isto na loja e armazem do Pavao, roa da Ha
'; peratriz a. 60 de Gama & Silva.
4 Saias,
Saias,
Saias.
Vende-se om bonito sortimento das memores e
mais modernas cambraias propriss para salas tea-
do com bonitas barras bordadas e com pt*as tan-
to brancas como bordadas de cor, sendo fazenda
propria para se fazer saia de um so ptuno, e vea-
de-se a vara por pngos moito razt-av. i>: v K4a
e armazem do favo, roa da Imperairiz o 60, de
Gana & Silva.
por atacado e a retaibo. Compromeltendo se a
mandar levar qualquer meada em casa dos fr-
guezes, qse nao poderem vir a loja, ou mandar as
amostras llenando Orar o peahor, sslm como
convdala as peaeoas qize aegoceiaai em menor
escalla qoe neste ettabelecimealo eneontram trm
grande so-tluento, vendendo se-lhe apenas pede
prego qoe i*ottpram em primeira ffiio as farendas,
ganhsado-ie apenas o descont, sendo a dinbeiro
a vista.
As granadinas
Nt loja do Pavio,
Chegaraio pelo ultimo va^or da Franca as mato
lindas cambraias transparentes, granadinas, seado
com os padrSes de lislinbas e Dores, conforme se
nam ultcimenle as pritKlpaes crdades da Eua
ropa, e vendem-se palo baratissimo prego de 640
ra. a vara na leja rmatam do Pavao, na roa d-
Imperalriz n. 60, de Gama A Silva.
mos pregos de 2d a 3*000 rs, na loja do Pavao na
raa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
as cor Uados do l avo.
Remedios do Dr. J. C. jer, fi-lefte
da Universidad! de Feisyhoia, nos
Estados-Cuidos.
lxlraeto coaipoata de sala-fai>-
rllha de Ayer.
Peitoral de cereja.
Remedie para sezc.
Pilulas cathartlcas.
OdepcsitoceBtral para ss provincias:
Pernmbuco, Alagoas, Parih)^ K W<>-
e
Vende-se oro grande sortimento dos mais ricos j Grande do Norte, denles Itmi' i- s t3o fa-
cortmados bordados.proprios pata camas e janellasj ,. ',., ui.iiiie
pelos baratissimo pgos de 8*?io*. o*, 20* e voravelmente conhecidofc_ e aroijirit-s m
lB*OO0rs. o par, assim como pegas da cambraia todas as partes da America 00 Stil 0 #0
bordada e adamascadas propriss para o mesuro Norte, 3 Cha-seem casa de iflietid Ywl-
fim por pregos razoaveis,na loja earawzeo do Pa-!t|ange|| jg rna ^ Trapiche CM
vo na ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Pernambueo.
Os precos de
33)5 por duzia de estrado de salsa parrllba
6s ca hins o Pno,
Vendem se os mais benitos cackins de malba de
laa com toniics gostos, proprios para sabidas de
tbeatro e bailes etc.etc. na loja e armazem do Pa- z7|5 por duzia de peitoral de i erfja.
vio na roa da Imperatriz b. 60; de Gama & Silva. 27)5 por duzia de rem< dio p?ra Sezre8.
OrgandY a' IgUOO na loja do Pavao. 7,5 por duzia de pilulas cathartica*
Vendem-se os malsonse mais modernos organ- se entendem dinhfiro ^i dyes de cores com os mais delicados desenbos,ben- (ipopon.r, -<- k ^t rpnin ptt nnsnti.Kia
do fazenda de 1*600 rs a vara, e liquidao-se pelo ?.qgMg)Jff.g W CJ?l?A ^ 8 ""_.JT?
SChales do pa*80 a 2000 e ZSOO r&. baratissimo prego de dez tostoes a vara por esta-, de 6 a 12 dnztas, e de 10 pfT 'entfl
Vendem-se chales de merino estampados a 2*
Hitos e mena* feo a 3*500.
Dito esUaaados da erapoa a 6*. 7*. e 8*008.
Ditos pretos bordados com franja de seda a 14*.
Na loja e rmate m do Patio na raa da Impera-
triz a. 00 de Gama & Silva.
Para luto vende o Pavao.
aom da China con 0 palmo de larfora, fazen-
da preta para luto, nropna para vestidos e roupas
para hmeos, sendo esta nova fazenda sem lustro e
de muito boa qualidade, garantindo-se nao Otar
rasa com o 1
covado, assim
rea lomando om pequeo toque de mofo, isto na quantidades superiores a 12 duzias.
toja e armazem do Pavao na roa da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Manguitos a 5C0 e 640 re s,
Vendem-se manguitos e calcinhas para meninas,
pelo baratissimo prego de 500 e 640 reis, na loja e
armazem do Pavao na ra da Imperatriz o. 60, de
Gama a Silva.
A ICO rs. para luto, vende o
Pavao.
Vendem-se laaziohas pretas proprias para luto
mm^l,SZZZZ^*mwZ>IFe.' baratissimo prego de K0 ,T. o eyjOo: M
* o 1*500 o co^KaMO) coi neste esUbleci- 'J rm,a"m do Pav5 roa da l***ru 60'
monto tem um grande sortimento de todas as fa-
zendas pretas como sejam cassas e chitas preta,
las| rapadas e transparentes, prineeeas, alpa-as,
sarjas, etc. : p. loja o armase do Pavao na ra
da Imperatriz a. 60, de Gama & Silva.
Os etspai tilho> do Pa vo.
Vendem-*e urna grande e variado sortimento de
espartilbos dos mai Lem (titos que tem Wiodo ao
mercado, sendo de lodos os tamanbos, vendendo-se
por om prego muito rateavel : isto na loja do Pa-
vio na ra da Imperatriz o. 60. de Gama di Silva.
Iiesfteoa braneo a a#000 veis a
das la.
Vendem se engos braceos fareuda muito boa
pelo baMtissimo prego de 2* a duzia, Ditos oom
barra de cor a 2*000 isto para acabar na loja d-
PvSo na ra da Imperatriz n. 60 de Gama a Ski
Bramante de linho do Pavio.
Vende-se superior bramante de linho com 10
o^dor par,, ec^ao das ; BSSTEjCLR! *,-%>%tZ^'S^T
de Gama {, Silva.
Algodozinho a 2,VO(i a peca.
Vende-se pegas de algodosinho, tendo 20 jar-
das cada pega, sem deleito algum, pelo baratissi-
mo prego de 2*500 00 160 rs. a vara, grande
peeincba ; na lo,a e armazem do Pavio a' roa ca
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Grande peeblncha em ebapds
do Chylf aSje r Veadem-se sopenores cbatot do Cbyii proprios
pira humrns. sendo dos mais modernos qoe tem
vindo ao mercado pelos baratissimos pregos de
5* e 6* e alguus mais baratos : na loja e arma-
zem do Pavao a ra da Imperatriz n. 60, de Gama
A Silva.
Pechincha
Chitas rxas a 240 rs. o covado.
Vendem-se finissiroas chita rxas do Bussell,
sendo fazenda mono encorpada e cores fixas pelo
baratissimo prego de 240 rs. o eovado ou a 9*000
55S000
Existen algons Larris de superior vinlin do Poe-
to particular (que se da' a provar). 1 eln barajo
prego de 1)5*000 a aneoreta, isto i> rque o dona
qoer liquidar : na roa da Cadeia n. 35, arroateto
de Ferreira 4 Matheus.
SSSih
1
neste grande estabeleeimentO se^cncontra mm- orno rjaooode^lioho muito.Boe_ P^s bar.88^ e seria fazenda para muto mais dinheiro se nao
CO fh < O 59 53 > 9- O S W ^ ^ 5
= 2 g
a o.sr
S.S.S.D5 g &3
2:2-5'
a> ( a
3 P Wl M
"'""OtiaiaSr
g = aS. g"

X
a, a> o
a a
1 S " as o
o cr i"
^srK.."1

*
la s-8
" S 3
B .
-8 5 8
l
a
.2. a
te 1
^ o
52
lili
o 3-?
9 CE.
?
O
i
Su
3
S
o
1
o
6


3
s
f
a

>
O
>
a
tos artiROS americanos, que muito deve agr- pregos de 640,700 e 800 rs. a vara : na loja e ar-
dar aos agricultores que usam de taes artigos, aJmsJ0vaP8V0'rDa da ImParix n. 60, de Ga-
encontra-se tambem todas as colleccOes de de- <;nn pechlncha em toalhas
genhos sobre os quaes se aceita qualquer urna uu* p J j0
encommenda, que com promptfdao sert execu- vendem-se superiores toalbasde linho proprias
tada; neste grande estabelecimento. encon- para mao pelo baratissimo prego de 860 r?.. ditas
tra-se em grosso e a retalbo, grande porcSo a 640 rs ditas a mitacio das felpudas a 800 rs.,
deferragens, emiudezas que se vendem por p^o commo-io, pedindo-ser..Aten^ gJ^Wfg^^gfc
de todos para este estabelecimento que muito lucrarao em fazer suas compras. na ma & Silva
ra No?a n. 20 Carnei o Vianna. ______-__^___^--^-^---~^t~-- I Vestidas brancos bordados a 6^000.
Vendem-se os mais ricos corles de t?rlatana e
cambraia branca coro lindas barras bordadas, e
trazendo todos oi cortes enfeites sofficieotes para
corpo e mangas, ptlo baratissimo prego de 6*000,
ditos com barras de cores, tanto de seda como da
mesma cambraia a 6*, 8* e 10*, todos esies cortes
sao chegados pelo ultimo vapor, e vendem-se por
esteg diminutos pregos na loja e armazem do pa->
' vio, roa da Imperatriz n. 60, d* Gama & Silva.
Vestidos a U.
Vendem-se bonitos cr(es de cambraia branca
; com barras de cores e todos brancos, pelo baratis-
| simo prego de 4* : na loja e armazem do pavao,
roa da Imperatriz n. 60, de Gama di Silva.
Tapetes.
Veudem-se ricos tapetes para sala pelo baratissi-
mo prego de 8*000 e 10*000 r na loja e armazem
do pavao, ra da Imperatriz o. 60, de Gama &
Silva..
Caseniiras pretas a 40 O.
Vendem-se cortes de casemira preta soperior
qualidade peto baratissimo prego de tSOO, gran-
de pechincha; na loja e armazem do Pavao na
DE
FAZENDA E ROUPA FE1TA
UVA NOVA M. 4.
Reg & Moura, proprietario da loja de fazendase roupa feita, sita ra Nova
n. 2i, fazem sciente ao publico e particularmente aos seus amigos e freguezes, que
aabam de receber de sua encommenda, um perfeito sortimento de fazendas finas, entre
ellas casemiras de cores proprias paracostumes; patn< fino dos melhores fabricantee
proprios igualmente para caicas e sobrecasacas e outras fazendas de variados gostos,
as quaes vendem com vantagem sobre outro do mesmo genero de negocio, tanto pela
modicidade dos pncos c< mo pela qualidade especial dos artigos que expe a escotha de
todos aquelles que se dignaren frequentar seu estabe ecimento.
Os mesmos continuando c^mo sempre, escudados e robustecidos na aceitacao e ra da imperatriz n. 60, de Gama & Silva,
confianca que Ibes lera sido dispensada pelo respeitavel publico, no espa?o de tempo em [ Hadapolie a 35500.
que se acCam estabeleeidos, procu- am envidar todos osjorcos aMjea *J^ cor- ZfiE% % l gg
responderem suffictentemente a expectativa deste e de seus numerosos freguezes e amt- d)|o moJlo ,arg0 eDCorpado 4^. aa loja
gos, por isso, admUtiram para sua oflBcina de alfaiate, quatro contra-mestres, funccio- armazem do pavao, r.na da Imperatriz n. 60, de
nando regularmente .sob a irj mediata directo do muito hbil mestre Launaoo Jos de Gama & Silva.
Barros, o qual, activo e diligente como se ser. nao se poupa aos mais aturados cuidados Cambraia da Fscossia.
de sua'arte ouando tem de saiislazfcr com brevidad e presteza qualquer obra de encom-' Vendem se as mais finas cambraias da Escossi
" H I todas tranpareBles tendo mais de vara de largura
men^a> ... 1 a __.1 m ~ -r.^i;,.5 ..;r,cn eom 9 varas cada pwa. peles baratissimos pregos
Ao contrario dos muitos que enchemascolumnasdojorna.com a repeta ociosa, de ^ 6AS00> UJ y^e 105igraDde pechin-
de annuocios cm estylo sedico, nao precisamos aqu a natureza dos arltgos que possui-, eha : na toja armaz* de pavo, raa da tape-
mos para nao collocar a s.nceridadc dos nosso* tratos no perigo immmente que resulta ratriz n. 60, de Gama & silva.
dessasantecipacessem fundamento.____^_____________;______-------_-----' VendenMe1%?DraDCS hwlda,
Novo e grande deposito de superior oarvfto de Cardiffna SS^l^^^^^^
fosse esse diminuto defeito : Isto na loja e arma-
zem do Pavao na ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Nova faienda para vestidos.
Gama & Silva receberam pelo ultimo vapor os
mais modernos tecidos que ltimamente se usam
na Europa como sejam lasinhas com os mis de
licados padrors lislrados com seda e sem ella, leu-
do toda est fazenda um lustro que brilha igoal-
meote como seda e vendem-se por prego muito
razoavel : na loja e armazem do Pavo na ra da
Imperatrlz n. 60, de Gma & SiIv.
Pechincna em cortes de chita*
franee, as.
Vendem se superiores corles te rhilas francezas
seDdo escuras e elaras coro as cOres fixas tendo
cada corte 10 a 12 eovados fazendo-lbe a ronta pe-
los baratiss.mos pregos. de 280 e 320 rs. o covado,
para acabar : na loja e armazem do Pavao a ra
da Imperatriz n. 60, de Gama A Silva.

Novidade
da Vigilante ro te Crespa 7,
A novidade do Vigilante fomente participar a
todas as seBhoras e as seoboras modistas qoe
ebegauj um bonito soijlimento de enfelles para
vestido* de apu ado gosto e inteiramente novidade
e mullo apreciavel em Parr?, o noroe destes enfei-
tes r.respieoDe Margante : s se veode no Vigl-
iante toa do Crespo n, 7._______________
Brea em barricas pequeas.
Cera em velas de todo os tamanbos.
Bogias.
Mercurio.
Ka ma do Vigari n. 19, f aadar.
Charutos sosplros verdadeiros a 1* a cala
armazti-. da Lir* ra Kava o ift.
no
multo novas a 900 rs. o cento
60.
na Liga rna Nova
ClhPOS DO CUILY
a il 20500, 30, 40, 50 e
de mais precos.
Na praca da tadepeodcoeia tojas o. 23 e 25
tanto do tuniteiro, Jos, Barbosa o Peqneoo oet
errando por diobeiro.
PIPIL BE PESO
Braceo, pautado, qualidade soperior.
Reama SiJaOO.
5A LIVRABIA FRAKCEZA
at'A no cuspo n. 9.
Bahia.
Antonio Gomes dos Santos & C roa de Saota Barbara o-1, estio habilitados a sopprir de
oarvo, em conJIgSes mais favoraveis que em outro qualquer deposito, todos os navios a vapor rae
ccarem naooelle Dorto. A contratar nesta com Domingos Alves Matheus.,
IGrande aainazem de tin-
tas medicamentos ete.
Ra d Imperador n. 22.
Jou Pedro da \ees (ge-:
rente) tea a venda a
aeitnlntc:
Productos chimicos e pbarma- ;
ceuticos os mais empregados em
medicina.
Tintas para todo o genero de pin- (
tura e para tintoraria.
Productos industriaos e tintas
para fli res, como botes de flores
i e modelos em gesso para imitar
\ fructas e passaros com o compe-
' tente desenbo.
Productos chimicos e industriaes
! para pbotograpma, Unlnrarta, pin-
tura, pyrotecnia ele,
\ Montado em grande escala e sup-
prido directametoe de Pajris, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa 5
Spode offerecer productos de plena |
Confianca e satisfazer qualquer en- I
commenda a grosso trato e a reta- j$
i lho a por preco commodo.
Veode-se vinho de Bordean em qoartolas,
barris e caixas uem casa de Tset trre, roa do
Trapiche o. 9.

5
91
Muito nova a 800 rs. al
libra*
Na fabrica de padaria a vapor de Joio
Luiz & Narciso, tem para vender massas
com gomma de milho branco muito nova
recebida emiivitura de Mxico e contl-
nuam a receber por todos os navios vio- |
Sdos de New York, sendo o sen nico de- MS
psito na mesma fabrica na praca da EL
Santa Cro 6 e 8. ^^^ Wk
Aos agricultores
Saooders Brothers & C. acabim de receber de
Liverpool vapores do torca do 3 a 4 caaalloe com
todos os perlences,e mol proprios para fazer mo-
ver machinas de descarocar algodao, podendo cada
vapor trabalhar ate com 140 serras, tambem ser-
vem para enfardar algodo on para outro qualquer
servido em que usam trabalhar com animaes. Os
mesmos tambem tem a venda machinas america-
nas do 35 a 40 serras : os preteadenles dirljam-
se ao largo do Corpo Santo a. Ii.____________
VM-SE BARATO
ChamiFs para caadieii os.
Cada o m a 280, 320 e 400 rs.
Gaz vprdadefro americano em gsrrafas a 440 rs.,
n larai de os galio a 2*400, de dos gaWae a
4*600, do cinco f alos a 9*50a
Caudieiro americanos e suissos de lodos os l-
mannos e presos.
Faz-e qoalqoer concert tendete a candieiros.
Tambero se algena lastre a araadelaa age
globos a vela.
Todo por commodo prego, s no grande estabe-
lecimento de roludezas, qninquilbarias e ferragens,
raa ova a. 18, do So" Soars a Irroio.______^
Vaode-se dan eabra (bicho) dando fette, em
Saoto Amaro estrada de Belm segando ito com
ca encarnada.
Baldea americanva a 5.
Vendem-se os mais superiores baldes america-
nos tendo 30 e 35 arcos coro as tilas bem largas e
com umita roda lendo os arcos muilo mais consis-
tencia qoe os ioglezes, sendo neste artigo o melbor
que tem viudo ao mercado e veedero-se pelo bara-
tissimo preco de S* : n3 loja e armazem do Pavo
na ra da Imperatriz n. 60, de Gama A Silva.
Camisinhas para lucto na loja do P?v3o.
Vende-se um bonito sortimento de camisinhas,
manguitos, golinhas e pininos de cambraia, fil e
escoa'iilha ; sendo o mais moderno e mais propria
que tem viudo para lucto e vende-se por preco mul-
to rasoavel na loja e armazem do Pavao, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chapeos a 800 rs.
Vende-se chapeos de palha a imita$5o de mani-
8 loa pelo baraiis- imo preco de 800 rs. cada um por
wr urna grande, p rco, oa loja e armazem do Pa-
vao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama Si Silva.
Corplnhos pretos.
Vendem-se bonitos corpinhos de grosdenaple
pretos, sendo ricamentenie enfeilados, a 10* : na
loja e armazem do pavao, ra da Imperatriz u.O.
de Gama & Silva.
Casaeyalobas on v; Cbegaram as mais modernas casaquionas de
grosdenaple preto, ricamente eofeitadas, vnden-
se por preco muito razoavel : na loja e armazem
do Pavio, raa da Imperatriz b. 60, de Gama A
afta*.
pavo, ra da Imperatrlz. n. 60, de Gama &
Silva.
Sedas largas a 11600.
S o pavio.
Vendem-se superiores sedas com 4 palmos de
largara, sendo dos padree mats bonitos que tem
iodo ao morcado, e veadem-se pele bavaHssimo
preco de-1*600 o covado, cortes de ditas muito
bonitas com 18 eovados a 38*000 : Da loja e ar-
mazem do pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
a-aava.
A caleas do pavao.
Vend-se bonita* cotana* de fustao pe bara-
tissimo preco de 6*000, ditas a imitacAo a 3*000,
o grande sortimento de cobertores, tanto de la
como de algodo : na loja e armazem do pavo,
rna da Imperatriz. n. 60, de Gama & Silva.
Alpacas de cres para vestida.
Cbegaram as mais bonitas alpacas de rdres pro-
prias para vestidos sendo Ibas e tendo de-todas as
cores mais modernas, que tem viedoao mercado, e
vendem se pelo barato prego de 640 rs. o covado,
ditas lavradas' coro as mesmas cores a 720 rs.^di-
tas de accento braoco com palmos de cores a 600
rs todas estas alpacas sao moito-largas e vendem-
se por estes dimmuics precos : na lojae armazem
do pavio, roa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Pahtots baratos.
Vendem-se paletots de panno preto boa fazenda
pelo baratissimo prego de 6*. Jilos sobrecasacos a
iz>, calcas de-casemira de cor a 6* e 7a, grande
sortimento de coUete* por pregos baratos e om
grande sortimento de todas as qualidades de roupa
tanto de easerorra como de brim e vendem-se moi-
to em ~*>ts oa le) t armazem do Pavio aa raa
da faav ama a 60, de fiama A Sil va.
iktksdereidaaiatkO.
Vendem-se os mais mudarnos chales da ronda
pretos pelo batalp preco da 4*000.: aa loja a^
mazem do pavio, roa da imperatrlz n. 60, de Gama
& I**
Graaaane.
ClMgwam a* aune bonitas Mas granadinos com
os mais lindos padres de ilstras sendo um leclio
chapees para homem de casseroira escura cfaea
de superior qualidade forrados de seda, inodi pa-
rh-ieose; veode-se na ra Nova n. 26 loja de Juff
Antunes Guimaraos. __
Vende-se dous escravo peca, sendo orna sa-
br de 24 annos, rozioha e engomroa bem, um pre-
to de meia idade, proprio para armazem de a*s-
rar ou engeobo, ambos de boa condona; a tratar
na roa do Fogo u. 9.___________________
Vende-se urna taberna sita i travs* da 6ar-
valha n. 1, muito propria para qualquer princi-
piante por ter moradia para familia pooeo
fundos.
Vende-se um caixo para amostras d> ta-
berna e 4 temos de medida de folhas, 6 medidas
de pi para seceos, um terno de peso de 8 ibia. a
meia quarta, ama batanea e duas enaeaa peaa
rentes aos ditos e aluga se a loja o. 'O cura af-
rr ac j envernisada : a tratar ua ra Din-ia u. 99-
Novidade
Chegcu a loja de Paredes P rio os rico* e bem
enfullados soutembarque com cintura, do grodo-
naple- preto por prego commodo : juoto a padaria
franreza n. 52, a ra da Imperatriz.
Novidade.
Cambraia de cor de ricos desenhos e
de duas cores : na roa da Imperatriz o.
a padaria franreza.
de
62
tifias
junta
Palha nova de carn ba
Veodt-se palha de carnauba da safra nova a
480 rs. o molho de 100 paibas : oa roa do Vigarto
n. 24, escriptorio.
Escravos fgidas
Escravo fgido,
No dia 27 do crrente de AuirM'Zo, fieguezia da Escaria, o moleque de ne-
me Jio, com es signaes seguintes: alt- e ?ec<-o,
pernos floas, olhos um ponco vesgos, n-vando vn-
tido raiga azul, camisa branca e chap.. Irado, h
encontrado era dirergao a estrada flt- pin.; eom;
prado nesta praga aa Sr. Joao vAett* d* Si ora,
ri>go poriauto as autoridades policial s e apnaes
de campo, a captura do referido escravo. pudendo
ser entregue nesta praca ao Sr. Bruno Arvar-. Bar-
bosa da Silva, na ra da Cruz n. 4o, pnmeire an-
dar, ou oo referido engenbo._______-
Atenc&o
Rogase as autoridades peliciaes e cariiSes de
campo a captura do escravo Paolmo. i-iaiura re-
gular, cor fuLt, cem marcas de bei'gas, p oy. bar-
ba, i\ adescangada, muito cantad..r e cactiarrir;
fuui'i do engenhoTres Irm, provincia de Ala
gas, levando remisa o caiga de algtuoiu.io, ct.a
to de palha novo, e orna f. ure de Curiar raima
Foi i-scravo do Dr. Francisco Borja Buaiqoe, t ul
tim-mente do Sr. Marcelino Jeron> uio dt- Aievdn,
a vendido pelo Sr. Vieira Sooza, corrector : quem
o prender leve-o ao referido eogenh.. oo a tasa de
Francisco de Albuquerque Mello, ra do Apile a
I, que sera' gratificado.
AUeneao.
Para senhoras.
Rovidae.
Callerlnlios e punhos
Colerllahos e pu olios
Collerinhos c paohos
S o pavo.
Chegou pelo ultimo vapor da Europa om grande
sortimento dos mais ricos puniros com collerinhos
bordados, sendo neste geaero o mais bem tral.allia-
do que tem viudo a este mercado, tanto nos delica
dos bordados, como nos bonitos feitios, tendo tam-
bem coro os bordados rie edr sendo todos de es-
goio de linho o vendem-se por precos amito disni.
nulos por ter ainda urna porgo moito snpener
aquella que se tinha encommendado, dao-se alguo-
para amostra com penhor ou mandam-se levar uas'
casas das Exiaaa. lamillas que quizerem eseelher,
advirtiodo-se-ihe que qbaaio m&ior for a poica.i
que comprarero mais. barato se lhe vender, i.-lu
na loja e armazem do pavo na ra da Imperatriz
n. 6, de Gama & Silva.
Novos vestidos Poil deOh-
vre a 16#000.
Na toja do pavo.
Cbegaram pelo vapor do dia 15 do correte, os
ai lindos cortes de poil de cbvre para vistidos,
sendo fazenda inteiramente nova i mercado, toa-
do esta fazenda bastatte lustre com os mais deli-1
cados po-tos tanto em lislras como em flores solas
e vendem-se pelo baratsimo prego de 16*000, |
tendo cada corte 18 eovados-, isto na loja e arma
Ha om mi z, pouco mais ou menos qne fogiads
lugar denunioadoMncury em Awgas ecr-
vo Sebastiio, de estatura e corpo regular s trntn
limados, com clcainae as costas por ca-ng" qoe
soffreu, muilo ladino, inculca se oe a.aiaie e
arbeiro.; tem moipor inane Joaona uesu ciaaae,
onde se descontra qoe e.-leja com inii-ngo dn offe-
recer-se para os setvicos da guerra artoal. A
pessoa per tanto, que o oapluiar poder* entregar
ao Sr. Antonio de Mirara Roleav, Bvsia cnladc, n
Maceid aos Srs.Duart Guimares, Banrteira j C.,
ou ao seu seabor Antonio do Mello Caihi i'n.s M
cory. morador no dito lugar'cima indicado, qae
gratifcala generosamente. Recife, 20 de -a. mbre
de 1866.
preeo moli barato : onlcamoto da- loj e arma.
zem da favio na raa da. imperauiz n. 60, de Ga-
ma & Silva
tmm
Ero julho de 1804 fugio do abaixo assigeado e
sea escravo crioulo de 26 ai nos de idade e de ne-
me Miguel, o qnal leu es signaes seguiu<*s: cor
fula, alio, boa figura, cabega pequea e cabello che-
gado ; tem bastante barba e ja Ibe faii. m algoas
denles, peinas compridas. p> grandes e aparra-
dos, dedos cortos e turtos, em um do> p> lm orna
cicatriz da machado entre a dedo grande, tem mais
na mi direita urna outra cicatriz multo visivei
qne parte pelo molo da unha do dede polHfar, cojo
dedo om oeatQ oefeileoso, bom irat-aiiiaih*, e
todo qoaoto faz con, desembarago. Peder pala
as autoridades policiaes e capites de campe om
prendam o dito ecravo o o remettam para o hret-
ld e entregar a Claudio Dibeaux, na ra de Io>><-
rador, que recompensar generosamente, en para
o Sertd a sao Sr Jos BapUst dos Saot's.
zem^pavioaa un da Imperatriz a.nO, fiama j ^^g^a^ T^ff>*
Granadme a 4,000 rs.
dIh) de Borne Raymondo, khde I oo"S poseo
mais oa menee, o/po rejulae, pos r*e> Mi-*, ca-
bellos eaxiados aparados, levou samtea, cal^a e
SO U paVaa. chapeo de palha,em amadas mos b-ro urna ciea-
Vendem-se booitc* cortes de cambraia granadi- triz em um dos dedos, proveniente de um talhs
ae coa bonitas Irstia broncas e de cores wndo de reda que Orea parte da poeta do dedo: ra
mullo traospareotes, tendo 7 tlssn prego de 4OO0 : oa Ma e armazem do pa d0 iniperador o 32, a seu seobor Antouw Mana
USSlS^ffS^"o^^^VTSi\^ a da Imperatriz a t, de Gama A Silva, j*, Araojo, .code .s^sle oo a ra da Peala a
anntomvindo para vestido e vendem-se por ftevl*s H9 loja do Pavio. taberna de Geno.no los da Rosa qoe grat.ara
Veadem-se retalnes de linhas e capas em por om. geoerosidade, e rot(0-se as autoridad* do oea-
cao por prego moito barato: na loja e arm-zem do tro da provincia sua vigilaacia ao Mbrodilo o
Pavao, ra da Imperatriz a. 60, de Gama & Silva, cravo.
I DATA | ICORRETAI
/;'

1


8
Diario le leraabne* ... Quarta lelra 95 de etembro de 1866.

>
UTTEMTDU.
CAPITULO IV.
Dos voluntarios t dot prados de sertigos.
Arl. 19. Todo cidaiiio, anda que sojeito pelo
flisUmento a desk'oagao annual, pode oftorecer se
vUcuiari.roeute para asfeo ar praga dos corpos do
exercilo, e o numero destes recruias ser dedu-
cido do contingente que deva tirarse pelo sorteio
do districlo m qoe esliv#rara alistados.
E se acontecen que em alloma provincia, oo na
corte, numero devolnn'm s exceda a qucta-que
llie couber na distri V-^io Jo recrutamento anoual.
esse excedente sera rulo era coma na qooia das
utras circumscrii r"; '.s menos populosas, ou cuja
industria reclamar rasior prctecgao.
Art. 2o. Os voluntarlos, bem como os designados
pelo sorteio, qoe se nSo evadirem ao cumpnmenlo
doste dever, sef virio seis acnos; e gotario de ora
premio pecuniario, que ser aOxado as leis de
fixaco de torcas, alora das mais vantagens que as
msalas leis possaro couceder-lbes.
Os obrlgados, Uto lodos os cidados reeruta-
veis qoe nao acuirem ao cbamanienlo legal, ser-
viro nove annos.
nico. Nos prasos cima determinados nao
ser levado em conta: Io. o lempo de licenea8
registradas; 2 o de deserges; 3*, o do cumpri.
rn ni' de sentencas, sejam quaes forem os crimes
que as motivarem ; 4*, o de estudo, anda que com
aproveilamento Das escolas militares.
Art. 21. Os alistaraentos de voluntarios, em lem-
po de guerra, poder ser por prasos menores de
seis annos.
Art. 22 O premio a qoe se refere o art. 20 s-
meute ser abonado as pracas que completarem o
seu lempo de servigo, e qaando Ibes sejam dada
as suas escasas, oa ellas se contratarem para de
novo servirem.
Art. 23. As pracas qoe honverem completado o
sen tempo de servico, sejam voluolarios, designa-
dos ou obrigado, podero contar-se para continnar
no servico do exercilo, ama vez que o fajara por
praso na menor de dous anoos; e neste caso
tero direilo a um premio maior do qoe o do pri-
meiro alistameoto dos valuoiaTios, mas proporcio-
nado ao praso do seu contrato, e pago quando este
ndar oa inea torem dadas as suas escasas.
Esta disposigo 6 applicave a praga que vier
ali.-iar-se de novo nos seis metes seguintes a da a
em qoe obtiver a sua escusa.
Art 24. Os estrangeiros poderao cnntratar-se
para servir como pracas de prel do exercilo, pelo
praso de seis annos, se nao torem soldados j feitos,
e por menos tempo ao caso contrario ; comanlo,
porm,qne nao forem corpos especiaes, e qoe o'am
mesmo nao baja mais pravas desta origem do qne
Brasileiros.
Os volootanos eslrangeiros percebero o mesrao
premio que competir aos nacionaes em igualdade
de circamstancias.
Uaico. O estrangeiro que contar om anno de
servico no exercito, com bom comportamento, ter
direito a carta de oataralisago, dispensados os
ais requisitos da legislaco vigente, e sem despe-
xa aigoma.
Art. 25. Os herdeiros necessarios da praga de
pret, que fallecer depois de ter completado o sea
lempo de servico, reeeb-ro o premio que a mesma
praga se abonara, se houvesse sido escasa.
capitulo v.
Dispoticoes geratt.
Arl. 26. Todas as contribnigoes e multas esta.
be ecidas pela presente lei constituirn o fundo de
urna caixa mi'itar, caja administrago competir
ao ministerio da guerra, e qoe ser destinada ex*
elusivamente, conforme as disposiedes das leis de
fixaco de torgas oa do orgameoto, aos premios e
melboramento de sold das pragas de pret, e a
eaacacao de seas filos.
Art. 27. Ficam estabelecidas as seguintes mul-
tas :
1.* A de 1004000 a qualquer pessoa que se
Drgar a dar ao juiz de paz ou aos inspectores de
quarleiro a lista dos individuos que babitarem
em sua casa, com as declara,oes exigidas nos
regulamentos do governo, ou que nao a derem
exacta.
2. De 205000 a 100,51000 a qualquer dos siem-
bros dos conselhos de alistamento oa de revisao
cada vez que faltar, sem cansa jnstiflcada, as res-
pectivas sessoes, salvo em todo o caso o procedi-
mento criminal a que os remisses estejam sajeltos>
segundd o cdigo penal militar oa commum.
3. De 100*000, aos escrives dos joizes de
paz, aos inspectores de quarleiro, e a quaesqaer
outros funeelonarios, que fallarem ao servigo ou
auxilio que, em virtade da presente lei e de sen-
respectivos regolamenlos, devano prestar, sem pre.
juio do procedimiento criminal que no caso cou.
ber.
5 4.* De 300$000 a 600*000, alera das pena"
comminadas pelo cdigo penal militar, aos pais,
tutores ou quaesquer outras pessoas, s< b cujo po-
der, ou em cuja casa estiver, qualquer individuo
' qoe tor designado para recruta, e que o occulta-
rem, oa impedirem que elle se aprsenle do prazo
' marcado.
$. De 400*000 repattldamente.aos membros
dos conselhos de alistamenlo oo de revltio, qoe
iDScreverem como reeruiavel algum Individuo que
liver legtimamente provado, pranle elle?, qoe se
acha comprebendido as isenbfles do art. Io
E rlm disto sero os dllos memtiros obrigados
la restituir aos cofres pblicos, toda a despea qae
'com tal Individuo se houer tollo.
Ka mesma multa incorrero os membros dos di.
los conselhos, quando scientemenle deixarem de
alistar quem o deva ser.
Arl. 28. As mollas comminadas no artigo ante-
cedente serio cobradas execoiivameole, a vista de
mandados expedidos pelo juiz municipal do termo
oa pelo juiz dos feitos da fazenda, em virtade de
ordem do ministerio da guerra na corle, e dos res
pectivos presidentes oas provincias.
Arl. 29. Todo individoo qae apprehender algor
designado qoe se tenba evadido, ou em virtade de
cuja denancia tor este apprebendido, tera' direito
a urna gratificado pecuniaria maior aa primeira
do que na segunda hypothese, e filada pelo gover.
no em seas regulamentos.
O apprehendido indernnisara' essa despeza a fa-
zenda publica por descont* da torga parte de seo
sold nos v ncimentos a qae liver direito depois
que asseolar praga.
Art. 30. Depois da exeeogo da presente lei, nin-
guem sera' admittido, at a' Idade de 35 annos in
clustve, a emprego pnblioo, civil ou militar, sem
que mostr ter satisfeito as obrigacSes impostas
pela mesma le.
1.* O cidado brasileiro qae tiver servido no
exercilo, como praga de pret, e com bom compor
lamento, o lempo a que por lei era obrigado, on
que obtiver escasa do servieo militar, por se ter
invalidado neste, lera' preferencia na admissao a
qualquer emprego publico, civil oa do ministerio
da guerra, como os de guardas, porleiros, cpala*
zes, agostadores e quaesquer ostros para es quaes
teoba a necessana idoneidade.
O governo lera' muito em vista a presente dispo
sigo nos provimentos dos empregos das estradas
de ferro, sejam estas oa nao de proprledade do es-
tado ; e neste intuito estabelecera' as necessarias
clausulas nos futuros contratos ou na innovagio
dos actoaes.
2.* Ao cldadio brasileiro qae hoaver servido
no exercilo como praga de pre', e entrar para al
gum emprego publico, civil oa do ministerio da
guerra, contar-se-ba nesle servico al 10 annos do
qae prestoa no exercito, compolando-se pelo dobro
a tempo de servico em campanha.
Art. 31. Em tempo de guerra, se nio for possi-
vel, pelo processo qoe estabelece esta lei, conse-
guirse em tempo os novos contingentes de qoe
haja mysier o exercito, o governo podera' recrotar
oa forma dos regulamentos em vigor antes da pro'
mulgago da mesma lei, entre os cidados brasilet
ros roaiores de 18 e menores de 35 annos, salvas
as isencoes declaradas as instrocgSes de 10 de ju-
Iho de 1822 e as de mais qae boje se observan).
Art. 3i. Ficam revogadas quaesquer disposig5es
em contrario.
Corle sala das conferencias da secgae, em 12 de
julho de 1866.Jos Mara da Silva Prannos (re
lator).Jos Maria da Silva Bittancoart.Manoel
Pelizardo de Soaza e Mello.Dr. Tbomaz Alves
Jnior.
COMMISSAO DE EXAME DA LEGISLACO DO
EXERCITO.
PRESIDENCIA DE SUA ALTEZA 0 SR. MARECHAL DE
EXERCITO CONDE D'EU.
Sessoes de II, 12, 16 e 23 de julho de 1866.
Dlscussio do projecto de lei de recrolamento.
A commissao, depois de longo e minncioso exa-
me dos diversos artigos do projecto elaborado pela
6." secgo, approvon-o com as segrales emendas
Art 5.* 1.As palavrasinstroceSes de 10
de Julho de 1822deve accrescenlar-see mais
disposigoes actualmente em vigor.
Art. 29., 2. periodo. Em'lugar dedescont da
terga parle de sea sold, passoo que seja des-
contos da quinta parte de sea sold.
Arl. 30. 2. Em lugar das palavras contar
se-ha neste servigo at dez annos do qae prestoa
no exercilo, adopiaram-se estas :cootar-se-ha
neste servico, pelo menos, at dez annos do que
prestou no exercito.
A primeira emenda tem por flm tornar bem ex-
presso o pensamento que diclou o artigo 5." Este
artigo, quando dispoe qae no pnmeiro alistamenlo
sejara compreliendidos todos os individuos idneos
de 18 a 35 anuos de idade, admitte todas as isen.
goes que boje si guardara. E nao estando algu-
mas destas iseogSesexpressas as citadas instrac-
i. des de 22 (taes como as dos empregados pbli-
cos, magistrados, mdicos, ele. j a commissao en
tendea conveniente referir-se lateralmente a ellas
A segunda emenda reduz o descomo que se de-
ve fazer, para indemnisagio da fazenda publica,
nos vencimentos militares do cidado, que, sendo
designado pelo sorteio, evadirse ao sea dever e
der lugar a despeza de ama gratificaco abonada
F0LHETI1B
MEMORIAS
DR
ti SARGENTO DE MILICIAS
POB
Um Brasileiro.
(Contioaago.)
CAPITULO X
riplicac5es.
O velbo lente coronel, apezar de virlooso e
bom, nao deixava de ter na consciencia om soffrl-
vat par de peccados, d'esses qoe se cha mam da
carne, e qae nio bao de ter lavados em conta,
nao de hoje, qae a idade o tornara inofensivo, po-
rm do tempo de saa raocldade : o resaltado de
nm d'elles tora ara filbo qae deixra em Lisboa,
ruclo de um derradeiro amor qae livera aos 36
annos.
Por castigo em nada bava elle sahido ao pal, e
nem os conselbes, nem os eoidados e Bem o
exeraplo d'este poderam eocaminha-lo por boa ve-
reda.
Ao. 20 vinie asnos, tendo sentado prag, era
nm cadete desordeiro, jogador e o mais insubordi-
nado do seu regiment.
Bastantes vergonbas costara ao pobre pai, qae
cuidadoso procarava sempre por todos os meto
eneobrir-lbe os defeitos e remediar as gentilezas
qae fazia, ja' pagando por elle dividas de jogo,
ja' atabafaodo-lbe as desordeos e corando com on-
ro as brechas qae elle fazia na cabega de seas ad-
versarios.
Hjuve, porm, orna qae as circomstancias e mes-
mo a natareza do caso nao permltiram qae livesse
remedio.
Poneos das antes de embarcar para o Brasil ejn
companbia d'el-rei, estando a infeliz pai em prepa-
rativos de viagem, vio entrar-lhe pela porta a den-
tro ama malher velba, bata, gorda, verraelh,
ao appreheasor. Parecen a commissao qae o des-
cont do torea parte era moiie forte, oo qae moito
pooco deixava ao Insubraisso para seas gastos par-
ticulares, atienta a exiguldade do toldo das pracas
de pret --
A terceira e oltiaa emenda proonrt prevenir o
caso qne se da* pela legislago vigente as repar-
HgdS do ministerio da fateoda, e, que pode erifl-
ar-se era outras, de se levar e conta, otra as
iposettgSea, lodo o tepo de srvigo miliar, ou
teja esle prestado com offlcial*$n como pmga de
pret do exercito oa da armada.
Tora,aram paria e tiveram votft,na, dlscussio e
approvago do mencionado projecio os seguintes
Srs. merabro* das seis sesseea que coostitueu a
commissao :
Marechal de exercito reformado bario de Su-
rohjr.
Marechal de exercito reformado Jos Maria da
Silva Bittancourt.
Tenente-general Francisco Xavier Calmon da
Silva Cabral.
Tenente-general viseonde de Camam.
Marechal de campo Manoel Antonio da Fonseca
Costa.
Brigadeiro Henrlque de Beaarepalre Rohan.
Corooet Antonio Pedro de Alencntro.
Coronel Francisco Antonio Raposo.
Cirurgio-ror da armada Joaqoim Candido Soa-
res de Meirelles.
Clrurglio-mr. de divlso Jos Rmeiro de Soaza
Fontes.
Cooselhelro Jos Maria da Silva Paranhos.
Conselhelro Jos Antonio de Calazans Rodrl-
goes.
Deserabargador Jos Antonio de Magalbies Castro
Dr. Thoroaz Alves Jonior.
Contador do tbesonro nacional Justino de Fignel-
redo Novaes.
Rio de Janeiro.Sala das sessSes da commissao,
em 23 de Jnlho de 1866.O coronel, Joao de Soo-
za da Fonseca Costa, secretario da commisio.
VOTO EM SEPARADO DO SR. DESEMBARGADOS J. A. DE
MAQALHABS CASTRO.
Senhor 10 systema moderno do,recrolamento,
em Franca e outros paites, onde a liberdade e a
igualdade acham-se melbor guardadas, servindo-
rae das expressSes do rflatorio qoe precede ao
projecto de lei de recrotamento apresentado pela
iltostre seegao, deve ser abracado por todas ai na-
g5es, sem davida pelas garantas que eneerra, as-
saz protectoras dos direltos indivilaaes dos cida-
dos chamados por sens nmeros ao sorteamenlo
para o servico do exercito, e nio por certo pero no-
me, qae o systema tem de conscripgSo.
Se o allstameoto e o sorteio fossem estabelecidos
sem regras on prescripgoes lutelares para a veri-
ficago conscleneiosa e justa dos cidados snjeitos
ao recrolamento, deixando-se menos guardada a
realidade do sorteio por chamada-, d'enlre os con-
vocados por seas numeres, preferivel seria cruzar
os bracos ante os abasos do reerntamento actual,
com o qual o paiz se tem conformado ; porqoanto
comparado os inconvenientes das leis e regolamen-
los em vigsr com os abasos da conscripcao apa-
rente, como se pretende, troncado o systema sem
as providencias necessarias que Ihe sio inherentes,
melhor (ora aceitar a conlinaago do recrulamenlo
pela torga visto como sio menos remediaveis e
moito mais perigosos os abasos da fraude, apoiada
em leis mancas e desacauteladas.
Dlzem algnns publicistas, e na cmara dos Srs.
deputados repello outr'ora o venerando Aotonio
Carlos Ribeiro de Andrade, que pretoria os horro-
res da anarchfa a' falsificado do systema coostito
cional representativo...
E norque razo assim discorrem algumas almas
grandes ?
Sem duvida, senhor, porque io passageiros os
estragos da anarchia e da guerra, porque podem
dorar muito os effeitos perniciosos da lei menos
providente e menos sabia, e porque o desprezo de
um principio, oa o esquecimento de ama verdade,
por descuido do legislador, acarretam males incal-
calaveis.
Em todo o caso; nao ha pradeocia ceosuravel
quando se trata da paz e tranquilizado das fami-
lias, a quem toca to de perto a le do reernta-
mento.
E digo da lei, senhor, o que se diz geralmente
dos amigos : Antes os velhos com os seus defei-
tos coDhecidos, do qae os amigos novos nao expe-
rimentados...
O systema do recrolamento em Franga bom,
sabio, porque ordenam-se as coasas de modo que
all nao sero facis os abusos dos eocarregados do
alistamenlo e do soneto, cujas operagoes sio defi-
nidas, bem examinadas, admttidas todas as recla-
mjgSes e todos os recursos qae tranqoillisam em
grao mximo aos inferessados ; bom, sabio o
systema em Franga, porque alli, senbor, acham-se
na propria le de reerntamento as providencias es-
senciaes, qne nao sao lio poacas nem menos dig
as do legislador.
A lei do recrotamento em Franga, sedaz, agr-
di, porque sabia, porque assaz protectora dos
direitos individaaes, e nao pelo seo systema, nem
porque se chame lei de conscripgo. Pooco impor-
tan) os systemas e os nomes.
O projecto da Ilustre secgo, ao contrario da lei
franceza e centra todas as regras e principios que
deven dirigir o legislador, coroproraelie aoi cida-
dos e s familias, cojos direitos nio resguarda, e
aos mesmos conselhos oreado -para prooederere s>
operagSes do allstameoto e sorteio, desarzaando-es
contra os erros qae em seas tAbalhos e fleclsOes
deverio commetler por incuria da le.
O projecto, senhor, nao pedia ser tio resumido.
Estabelecea em doze artigos, talveZ todos moito
cortos, cora poucos paragrapoos, a mesma materia
qae a lei franceza desenvolve em trinta e era arti-
gos com mnltos paragraphos.
A conscripgo preferivel, o systema moder-
no, concordo ; mas devemos por isso aceitar o alis-
tamenlo e o sorteio, seja como fr. com todos os
vicios, continuando o arbitrio resalvado, nn tanto
mais simolado e perigoso por colpa da lei T I
Esta a queslo.
E a Ilustre secgo, senbor, foi qaem primeiro
desconfloa da efflcacia do projecto apresentado, fa-
cultando ao governo reerntar, em tempo de g er-
ra, come quizer I I... Se nao manitosta inconse-
quencia, bem claro o recelo estampado no art.
31, ultimo do projecto.
O projecto da Ilustre secgo estabelece por pa-
rochias um conseibo de alistamenlo para a qnalifi
eagio dos cidados sojeitos pela sorte ao recrota-
mento. (Arls. 6* e 7.)
Esta conselho faz o alistamento, qaalifica e pro.
cede elle mesmo ao sorteio por parociiias. nos pri-
m'eiros cinco das do mez de abril, e sao improro
gaveis os cdco dias concedidos para o sorteio so-
mente. Art. 12 do projecto, | Io, f o 3."
Trabalha por doos mezes o conselho de alista-
mento (arL 7). devendo oceupar-se por 15 dias ti-
rados do prazo flxo de dous mezes, ouviodo os
qae tiverem reclamagSes a faxer por isengoes
da lei.
O Io do referido arl. 7* nao determina que se-
ja publicado com antecedencia de algons das o
alistamenlo, para sciencia dos alistados, de modo,
senhor, qae pode o conselho de alistamenlo traba-
Ibar dentro dos dous mezes, por espago de 45 dias,
deixando para as reclamagdei das partes 15 dias
aicos para os reclamantes eoobecerem qne foram
mal incluidos, e defenderem-se oa provarem a in-
Justica da inclaso.
A defeza Ilusoria, dados os 15 dias para o co-
nbecimenlo da Incluso no alistamento e para re-
clamagoes e decisdes do conselho, principalmente
no Brasil, attendendo-se s distancias e acondigo
dos reclamantes.
(Continuarse ha).
THEATRI DA GUERRA.
A Tribuna, de Buenos Ayres, na sua resenta
qae fez para Europa diz :
t Os brasileiros occapam-se era fortiQcar-se em
todas as direcgdes da raontanha cujos pontos Ibes
offerece as po No meio de um bo&ijue espesso e e enormes
arvoredos abriram picadas, e eslabeleceram redoc
los em lodos os lados; abriram tambera om eora-
roaoicago com o rio Paraguay oude se acha fon-
deado a esquvlra om pnoco mais abaixo do Cora-
payti. Eta commanmagao effeciua-se por ama
picada coberia.
t Como se v es brasileiros tem sido lo pro
deotes como activos; justiga Ibes seja feita.
O Paran, jornal de Entre Rios, publica o se-
guate :
Urna pessoa aqui ebegada a' dias com procedeo-
cia do exercito alliado diz qae os paraguayos gri-
tara para as tropas argentinas qne se retirem, qae
com ellas Do querera brigar; q e aos brasilei-
ros que qaerem bater, e isto saccedea ama vez es-
pecialmente, em qae achando-se um regiment ar-
gentino estendldo em saa frente e em mui curta
distancia em linha de batalha.
Os paraguayos nao deram a mais pequea de-
monstrago de ataca los, repetindo as mesmas ex-
pressSes de convite a qae se retirassem, e mau
dassem aos brasileiros, sobre os quaes cahiram de
improviso asslra qae se apresenteu urna columna
de suas torgas.
Agora perguotamos nos, como se sahiriam desse
arrojo mesmo feito de supetao ?...
Digam os sabios da esenptura........
Pelo ministerio da guerra foi publicada a ordem
do dia n. 529, expedida pela repartirlo do aldan-
te general em 31 de agosto prximo passado; qoal
consigna as seguintes disposig5es e oceurrencias
relativas ao exercito.
Foram nomeados para seguirem para o 1 corpo
de exercito em operagoes, ficando por isso dispen-
sados das commissSes em que estiverera, os seguin-
tes senbores offlciaes :
Docorpodeeogenheiros, raajor Dr. Francisco da
Costa Araojo e Silva.
Bo corpo de estado-maior dd artilharla, caplo
Antonio Alves dos Santos Souza, a seu pedido.
Do corpo de estado-maior de 1" classe, tenente-
coronel Izaliino Jos Mendonga de Carvalbo; cap-
lies Manoel Feliciano Perera de Carvalbo, Benja-
mn) Consunt Botelho de Magalbes.
Do corpo de eslado-maior de 2* classe, capitaes
Antonio dos Santos Lara, Lutz de Beanrepiire Ro-
ban, Manoel Maria Camiso; lenle Francisco da
Caoba Bittancourt; altores Leopoldo Frederico
Duarle Nones, Candido Joajulra da Silva, Jos An
tonto de Barros, Jos Angosto da Rocha Lima, Ra-
miro de Sonta Gaslio
Do 1* batalho de iofaotaria, Carlos Jos Van
Do 8 batalho de iofaotaria, altores Manoel An-
tonio Tavare,
Do 9* batalho de infamara, teme Herculano
Geraldo de Souza Magalbes.
Do 14 batalho de infamarla, lenles Manoel
Francisco Imperial, Honorato Perrelra Cabral.
Do 17 batalho de infamara, capilo Jos An-
selmo Rodrigues.
Do 22 batalho de infamara, alferes Carrillo
Bernardo Galvo.
O Sr. capilo de estado maior de2* classe, Euge-
nio Lniz Franco, para maior de commissao, deven
do seguir para o 1 corpo do exercilo em opera-
gSes.
O voluntario da patria Emilio Antonio Bastos,
para alferes de commissao.
Foram nomeados commendador da ordem de S.
Bento de Aviz o Exm. Sr. tirigadeiro Joaquim Jos
GongaWes Fontes, por decreto de 17 e dipl >* de
24 de agosto correte; e cavalleiro d i u de
Cbrslo o Sr. 1 lente do corpo de engeobeiros
Andr Pinto Rebongas, em altenco aos servig s
militares prestados no combale da ha da Red- mp-
gao, em frente ao forte de Itaplr, na madrugada
de 10 de abril do co: rente anno, por decreto de 17
de julho prximo linio e diploma de 10 de agosto
crreme.
Foi coodecorado o Sr. alferes do 5* regiment de
cavallaria ligeira Joo Pereira da Silva, com a me-
dalha da 1 classe de qne trata o arl. 1 das mstrac-
goes annexas ao decreto n. 1,579 de 14 de margo
de 1855, pelo servigo que presin a' humandade,
salvando bo dia 18 de junho de 1865 ao 2 sargen-
to do 9 corpo provisorio de cavallaria de guardas
naciouaes Cissiano Jos de Lima, que eslava pers-
tes a afogar-se no rio Guanj, por decreto de 20
de abril do correle anno, e diploma de 7 do dito
mez.
vestida, segundo o costme das mulheres da baixa
classe do p-nz, com ama saia de ganga azul por
cima de um vestido de chita, um tongo branco do-
brado tringulamente posto sobre a cabega e
preso embaixo do queixo, e uns grossos sapatoes
nos ps.
Pareca preza de grande agitagio e de raiva ;
seos olho pequeos e zoes faiscavam de dentro
das rbitas atondabas pela idade, suas faces esta-
v*m rubras e reluzentes, seas labios franzinos e
franzidos apertavam-se violentamente um contra o Qra nra sola___ Pois
outro como preadendo ama torrente de injurias, I qae tem om Albo?...
e tornando mais seBsvel anda sea qaeixo poma-1 Sm, sei, responden este comegando a deseo-
do e om pouco revirado. j>rir o roysterio.
Apenas se achou ella em frenle o capito (era E nio sabe qae elle am pedago d
este o posto que tinba n'eese tempo o velbo) manla I...
tol-se chegando para elle com ar retololo e enfu- i A isto o capilo podia, porm nao se animoa
recido. ja responder afirmativamente, e pergnnton s-
0 capito recooa instlncvamente um passo. mente :
Ah l-Sr. capilo, disse ella por fim pondo as E qoe mais ....
mos as cadelras, chegando a bocea moito perto E qoe sabe tambem qae ea lenho ama filba
do rosto d'elle e abanando nivosa a cabega; olbe qoe troaxe do Laminar, a MarlazinbaT
que isto assim nao vai direito; faz me andar a ca- Como, se ea nem a conhego ?...
bega a' roda... pde-me os milos a ferver___ e I Pois ama rapariga moito capaz.... e o dis-
co estonro ja'vio I bo do tal cadete do sea tiiho aodoa por la' a en-
de saber de lado, vir-me ca' a mim pregir o mo-
no na boebecha, e ell ema lagar anda mais melin-
droso ...
Mas qaem qoe prgoa moaos a voc mais a
ellaT e qaem ella?...
Faz-se de novo I continoou a molher exaspe
rando-se; poit-o Sr. capitio ja' nao tinba consenti-
do no gasamento ?...
Qae casamento % com qaem ?...
Ai, ai, ai, qne ca' me anda a cabega como
o Sr. capito nio sabe
um
Mas o qae ba enlio, mulber?... Ea nao Ibe
conhego....
Nao quero c saber de nada... Ja' Ibe disse
qae isto nao vai bem ea estoaro___
Mas porqoe?... o ,ae qae tem?... E' pre-
ciso qae voc diga....
tender com ella muito lempo ; namoro para c,
namoro para la', presentes d'aqui, promessas d'aco-
la'... eafinalde comas.... bratl... Eenlio qoe
Ibe parece?
O capito fot-s nnvens.
Al Ibe prometteu casamento, dizendo que o
ao filbo, e s com sold de cadete nio poderia
sustentar mulher e casa, restando atm d'lsso a
davida se elle estarla ou nao pelos autos.... .
Despedio a velba, uao sem Ihe prometler qae
providenciara sobre o caso.
Olhe, veja la', disse ella ao sahir ; se o ne-
gocio nio se arranja, ea estoaro I...
O pobre homem ficou nos apuros; foi ter cora a
offendida, e procuroo, eftoreceod>lbe alguma cousa
para sea dote, obier qae ella se calasse.e qoe desis-
tisse de suas preteogdes; esta qoiz a priocipio
recusar, porm a mi acooseihou-a qne acceitasse,
sem davida com medo de estoarar.
D'este modo ficou o caso om pouco remediado,
posto que a consciencia do capilo, qae era de
homem de honra, nao fleira de modo algum salis-
feita.
O tempo, porm, nao dava logar a mais; era
chegado o momento de acompanbar a el-rei, e elle
parti deixando o filbo recommendado a quantos
amigos linha.
- Decorreram os annos, e qaando menos esperava
soube elle, que ae achava no Rio de Janeiro em
compasla do Leonardo a tal Marlazinba, qoe en-
to ja' era a Mana qoe os leilores bem eonhe-
cem.
Foram coDcediaas dispensas do servigo do exer-
cito aos Srs. capitio do II corpo de volunta ios da
patria Hyppolito Silva, como pedio, em coosequen-
cia do seu mao estado de saude, em 22 do corren
te mez; e capito Francisco de Azevedo Machado
e lenles Tbeuphilo Hyglno da Silva e Nicolao
Jos Gomes, todos do 9 corpo de voluntarios da
patria (corpo policial da provincia do Rio Graode
do Sul), que se renraram do exercito por leiem
sido julgados iocapazes do servigo de campanha
em inspecgo de saude.
Foi exonerado o Sr. capito do corpo de enge
obeiros Pedro Claudio Sido, do logar de ajudan
te do inspector geral das obras publicas, como pe
dio, por aviso do ministerio dos negocios da agri-
cultura, coramercio e obras publicas, de 11 de a-
goslo correle.
Foi transferido o soldado d > 1 regiment de ca-
vallaria ligeira Francisco Silvestre da Costa Couto,
para o deposito da recrulas da provincia de Per-
nambuco; devendo ficar a' dlsposico do Sr. com-
mandante das armas, nomeado para a mesma pro-
vincia, em 18 do corren :e mez.
Concedeu-se baixa do servigo militar ao sargen
tn-ajndante do 27 corpo de voluntarios da patria
Joaquim Bento Carneiro \ Paixo, em 16 do an-
dante mez; aos soldados da companhia de opera-
rios militares da cdrte, Gongalo Marinho, Antonio
Coperlioo do Amaral, Jorge Rosman dos Santos,
Pedro Celestino, Pedro Manoel Vieira do Amaral e
Jos Candido de Oliveira, em 23 do andante, pur
incapacidade pbysica; ao tambor addido a mesma
companhia Simpliciano Joaquina Luciano de Arao-
jo, na mesma dala e pelo mesmo motivo; ao sol-
dado do 11 batalho de i ufan tana Joaquim do
Reluo Louzada, por coociuso de tempo de servi-
go; e aos soldados do 4 batalho de artilbana a
p addidos ao deposito de recrutas da provincia de
Peroamboco, Fraocisco Isidoro do Nascimento e
Jos Quirino do Nascimento, por incapaeidade
physica, por aviso de 9 do andante mez.
Foram approvadas, por aviso de 31 de julho
ultimo, as baixas dadas era coosequencia de inca-
pacidade physica, por deliberaco da presidencia
de Santa-Camarina, as segnlntes pragas do 2 bata-
lho de infamara de linha, anspegada Manoe
Montero. e soldado Flix Pinto da Silva ; da cora
panhia de invlidos daquella provincia, soldado
Manoel do Nascimento; do 55 corpo de volunta
rios, 2 cadete sargento Elesbao Alvares de Noro.
nha ; do 9 corpo de voluntados, Salvino Alonso
de Araojo; e do guarda nacional e guarda deslg
nado Manoel Joaquim do Espirito Sanio.
Foram reformados, por decreto do 20 do andante,
na cootormidade do 1 do art. 9 da le n. 648 de
18 de agosto de 1852, visto soffrerera molestias
incuraveis que os loroam incapazes de continuar
no servigo, os Srs. teoente coronel commaodante
do 17 batalho de iofaotaria Miguel Jeronymo de
Novaes; capito do 1 corpo de cagadores a ca-
vado Zefenno Aotonio Taborda; 1 cirurgio do
corpo de sade do exercito Dr. Francisco Gongal-
ves de Moraes: tenente do 16 batalho de infauta
ra Pedro Ribeiro da Silva; e leneBle do regi-
ment de cavallaria ligeira Manoel Jos Diac
Ooncedeo-se retorma, na cootormidade da* dls.
o poslgio do do plano qae balxoa com ojfeereto
- de li de dezembro a> 1815, ao spldado do 14 bata-
lho de W/Bta*a Joao Fracii5 reira, visto
aobar se impossibiHtado de cominuar no servigo
do exercito, fin conseqoencia de toriraentos rece-
bidos em combate.
A do Sr. coronel do corpo de estado-maior de 2'
classe fnnocencio Eustaquio Ferrewa de Araujo
no posto de brigadeiro, wneeodo o respectivo
sold, pa contormi'lade dis Iris do 1 de dezembro
de 1841 e 14 de julho de 1855.-Ptente de 31 de
Julho prximo unto.
Fallecern) os Srs. leaentecoronel rpformado
Aotonio Te!lo Baireto, e 2? de correrte na cor-
te; capito do 16 corpo de voluntarios da patria
Joao Luiz Ferreira, ero 19 de julho prximo passa-
do, suieldando-se no hospital de saogoe do 1 corpo
de exercito ero operagoes, onde se aefiava, por ter
sido gravemente ferido no ataque do dia antece-
dente; e alferes reformado, do -exercito Ignacio
Jos Jamhelrn, em 10 do andante, na capital da
provincia da Bahia.
Ao Sr. capito reformado Bento Ferreira Mar-
ques Brasil, que tem de responder a conselho de
guerra na provincia do Amazuus, foi concedida
por raenagem a comarca de sua residencia.
Foi concedida licenga aos Srs. eapitOdo2l*
corpo de vnlunt-nos da patria, JojiBapti-la Pi-
nbelro Corte Real, dous mezes cw| reocimentos
geraes, para tratar de sua saude, por portara de
28 de julho prximo lindo ; lente o corpo de
engenheiro Andr Pinto Rob >uga, 3 mete, para o
mesmo flm ; tenente do 1 regiment de cavallaria
ligeira Maooel J<- Das, para esperar na provin-
cia da Bahia a reforma qoe reqoereu, em 20 do
andante mez, alteres do 2 corpo de voluntarios da
patria Joo Baptisla Carriln, que se achava nesta
corte, dous mezes para o mesmo fim, com venci-
mentos geraes, por portarla de 2 do andante mez;
alferes do mesrao regiment Jos Frederico Perei-
ra da Cunha', 30 dias, pararon ti nuar a tratar de
sua sade, em 22 do andante mez, alferes do 9
balalho de Albino Jos de Faria, 3 mezes com
sold e etapa, para tratar de sua s de na provin-
cia do Cear, d vendo recolber-lhe em tempe a
e?la curte; capito reformado Felippe Guilnerme
de Miranda Lisboa, para residir na provincia do
Maraobo, por portara de 41 do andante mez;
leme reformado Ernesto Emiliano de Mello Tara-
borla, para residir na provincia de Peroamboco,
portara de 11 do andante mez; ao capito refor-
mado Luiz Flix de Azevedo e S, para residir na
provincia do Maranho por portara de 24 do
andante; ao tenente reformado Jos Severo Fialbo
para residir na provincia do Rio-Grande do Sul,
por portaria de 24 do andante; e ao tenente refor-
mado Franklin Luiz de Vascoocellos Ferreira, para
residir na provincia d S. Pedro do Rio Grande do
Sul, por portaria de 27 de ag sto andante.
TJ1 POCGO DE TL'DO.
Certo maestro allem5o pedio celebre no-
vellista franceza George Sand que Ibe escre-
vesse om libretto, cuja msica entrou a
compor com muitissimo enthosiasmo.
Terminado o act primeiro, foi umdia to-
car a msica autora do libretto, que muito
e perava do talento do compositor; mas,
qual nao foi a surpreza de George Sand,
quando, acabando toda a msica correspon-
dente as palavras com que flndava o acto,
Ibe disse o maestro que faltava o melbor,
um trecho en que apurara toda a sua ins-
pirarlo, e comecou a tocar e a desenvolver
um tbema cujas palavras eran : Sahe pela
porta do fundo, com as quaes se Indicava
no libretto por onde devia sabir o actor que
eslava em scena.
O bom do compositor, nao entendido
francez, julgara que as palavras citadas tam-
bem baviam de ser cantadas.
Nao tenbo nada qae dlzer---- Estoaro, j Sr. capito consenta.... Ora en bem sei qae ella
Ibe disse Sr. capito I... tambem leve saa colpa.... mas ea desculpo isso,
Pois estoure com tresentos diabos I mas ao porqoe tambem ja'fui rapariga.... eseiquequan-
menos diga pelo qne e que estoura. do eomega ca' o diabo no corpo, adens I Mae isto
~_ Nao tenhn nada qae dizer.... ja' Ibe disse...
isto pde a cabega da gente como orna cebla pobre,
nio tem logar aeobom ... Ir-me por la' com ares
de santarro comprar (metas....
Qaem, mnlber de Deas ? Voc nio se ex-
plicar ?
Qual explicar, nem meio explicar I Pois eo-
lio por ser ca' a gente orna mulher velba, qae
ja' perdeu os aehegos ao mondo, e ella ama po-
bre rapariga tola e bisbilhoteira, com vontade
pde a gente tonta, porque.... emfim a rapariga
podia vir a fazer fortuna.
O capito tinha comprebendido todo, e por mal
algumas explicagSes qae se seguirn), vio-se re-
dozido ao maior aperto.
D'esta vez a diabrora do rapaz era irremedla-
vel.
A mulber tinba toda a razo ; porm casar seo
filho com a Alba de umacollareija.... isso nao
pedera ser; altn de qae nada itoba qoe deixar
Procuren razer o qae padesse por ella para sa-
lsfazer todos os seos escrpulos de pai honrado,
porm quiz faze-lo occoltamente.
Foi ter com a comadre, a qaem ja' onhecia, e a
encarregou de o avisar apenas seotisse qne a Ma-
ra soffrla qualquer necessidade.
Nunca porm leve occaslio de exercer a saa
boa vontade directamente para com ella. Apenas
tinba tollo ao Leonardo am peqaeno favor em oc-
casiao em qoe este se acbava embancado por
cansa de ama irregalaridade m ana antos qoe
te Ibe attribuli, e qae a comadre o aconselhou
de procura lo mesmo sem o conhecer, a titulo de
qoe era moito bom homem e amigo de servir a
todos.
Eis aqui porque o Leonardo se dirigi no seu
segando aparo ao velbo tenenle-eeronel por nter-
meijio di ?omadrc, e porque este proraeitea em-
penhar se por elle, e que cora effeito tratou de
cumprir.
Como ais-eraos, apenas a comadre sahio, sabio
elle tambem, e foi tratar de por o Leonardo na
ra.
Dirigio-se primeiro a cadt-ia para colher do pro-
prio Leonardo todas as informagdes, e enlo pode
ver que as que Ihe linha dado a comadre eram ex-
aciissimas, e que ella nao deixra escapar a menor
circumstancia.
O Leonardo repello e confessou lado o que elle
ja sabia, corrido de erabarago e de vergonha ; e ao
despedir-se o velho :
Sr. tenente coroo-. disse-loe elle, V. S. ja'
me livrou deuma qne o. ,> colpa minha; livre-
olhc .ue esta' compromettida
Londres oceupa urna superficie de 78,020
geiras, ou l mhas qnailradas.
Parisiena s< mente 32,000,000, 910,000
metros de superficie.
Londres contem 2,362,236 balitantes,
dos quaes 1,106,538 s5o homens, e.....
1,255,678 mulheres.
Paris onta 1,053,897 almas.
Em Londres a distancia media entre as
casase de 12 metros 799 melimetros, e em
cada milha quadrada esto alojadas 9,315
pessoas.
No mez de margo de 1851 habitia a po-
pulacho de Londres em 305 933 casas.
Almdiss bavia 16,643 casas deshabi-
tadas, e 4,185 em construccae.
Paris tem 30,< 00 casas : per consequen-
cia, ao passo que em Londres ha-so oito ha-
bitantes approxtmadamenie para casa, na
capital da Fr.nca resuliam.31.
me desta tambem.
a minha honra...
O Leonardo esquecia-se da tbeoria da Maria. *
A honra nao, respondea o velbo, o qae esta,
compromeitido o sea jalao; ho de dizer re eo
sou o primeiro) que voss esta' doodo.
Fogi de urna saloia e foi cabtr n'uma clga-
na... tem razof...
O velbo sabio surrindo-se.
D'ahl dirigio-se a casa de om sea amigo, fldalgo
de valimento, para delle obter a soltura do Leo-
nardo. Morava elle em urna das roas mais estrel-
las da cdade, em um sobrado de sacada de roalas
de pao com pequeos postigos qae se abriara as
furtadellas, sem que oiogaem de fra padesse ver
qaem a elles chegava.
A poeira amontoada nos cordoes da roala e as
paredes encardidas pelo tempo davara a casa um
aspecto trble ao exterior; qnant) ao interior an-
dava pelo mesmo consegointe.
A aala era pequea e baixa : a mobilia qae a
guarneca era toda de Jacaranda* e feita no goslo
antlgo; todas as pegas eram enormes e pesadas;
as cadelras e o canap, de ps arcados e espalda-
res altissimos, imbam os asientos' de couro, que
moda da transigo entre o esto en patoj-
era a
nha.
Qaem quizer ter idea exacta dcsln movis pro-
cure no consistorio de aigama irraandade a_ntiga,
onda temos visto algons delles, -
As paredes erara ornadas por ama duzia de qoa-
dros, ou antes de caixas de vidro que deixavara ver
em seo interior paisageos e flores feitas de an-
chi ohas de todas as cores, qae nao eram totalmen-
te toios, porm que nao tinbam por certo o subido
valor que se Ihes dava n'aquelle lempo.
A' direita da sala havia sobre ama mesa om
enorme oratorio no mesrao gosto da mobilia.
Havia finalmente em um canto orna palma he-
a, destas que sedlstrlbuera nedomingo de ram. s;
e se o leitr agora guppozer tudo isto coberio por
urna densa carnada de poeira, lera' idea perfeita do
lugar em qae foi recebido o velbo tenenle-coronel,
qae era pooco mais oa menos semelbante em todas
as casas ricas de enlo, e por isso nos demoramos
em descreve-lo.
Sem se fazer espera- milito, apparecea o dono
da casa ; era nm bomem ja' velbo e de cari nm
pouco ingrata ; vinha de tamancos, sem meiai, em
mangas de camisa, com oro capote de lia de xa-
drez sobre os hombros, caixa de rap e lenco en-
carnado na rro.
Em poucas palavras o velhe expox-lhe o caso e
Ibe pedio qne fosse fallar a el-ret em favor de Leo-
nardo.
A principio oppoz algomas duvidas dizendo:
Homem, pois eo bei de ir a palacio por cau-
sa de um meinnbo? El-rei ba de rir-se do mea
afilhado.
Aflnal, porm, teve de ceder a instancias da
amisade e promelleo lodo.
O velbo sabio satisfeito e foi levar a nova ao Leo.
nardo, qae paln de contente.
Poucos dias depois ebegoa a ordem de soltara, e
elle foi posto na roa.
Acreditara que tinba acabado de passar pelo
peior dos supplicios, porm Insopportavels tor-
toras comegaram para eile no dia em qoe sabio
da cadeia: a mofa, o escarneo, o riso dos compa-
nbeiros seglo por muitos dias, Incessante e mar-
tyrisador.
(GtnttntMu-u-ka*)
pER.N,-.m.UE b\-DK F. 4 KILHOS-18W
I
RRETA


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EAZ8DIWM4_IXM8CL INGEST_TIME 2013-09-04T21:37:49Z PACKAGE AA00011611_11078
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES