Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11076


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^T
amo m mimo w
3 ****
M

l

PtMMitolHfHeitotatOiiastoi.'ati ,
dem tapis 4s 1." ia da cernee* e dentre de qnartel
Pertf e ctrreie eer tres nezes *.,..,..,.
Uf
6.9eee
75e
SEGUHM FEIRA 24 DE SETEMBRO HE1866
i
Per aeee eage deitre d le das do i. mez.
Porte ae eerreie per un anuo ,..,.,
t

l^ee
BNCARRBGAD08 DA SUBSCRIPQAP DO NORTE
Paranyba, o Sr. Antonio AMx?odrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, 9 Sr. J. Jos de
Oliveira ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Pilaos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA 5UBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas,oSr.FranrinoTavares da Costa; Bahia,o
r. Jos Martins Alves: Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparinbo.
PARTIDA DOS ESTAPETAS.
Serinbem, Re Formoso, Tamandar, oa, Bar-
reros, Agua Preta Plntenteiras.nas quintas
efras.
tinoa, Cabo, Escada e estacos da va terrea at
Agoa Preta, todo es das.
Iguarass e Goyanna as segundas e sectas reirs.!
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, CaruarJ AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Altinbo, Garanhuos, Buiqae, S. Beato, Born
Conselbo. Aguas Bellas e Tearat, as largas Tribunal do commercio: segundas e quintas.
feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Lirooeiro, Brejo, Pesqoelra
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouncury, Salgueiio e Ez, as qnartas
feiras.
Helaco : tergas 0 sbados s 10 horas.
Fazeada : quimas s 10 horas.
Jnlzo do commercio: segundas as i i horas.
Dito de orphos : tercas e sextas s 10 horas.
Prmelr tara do clve; tercas t sextas ao malo)
da.
Segunda vara do civel: guaras sabbades a 1
hora da tarde.
EPHBMERIDES DO MEZ DE SETEMBRO.
i Quarto mlng. as 9 h., 49 m. 29 s. da t.
La nova as H h., 55 m. e 17 s. da u
48 Quarto crese. a I h.,8 m. e 89 s. da m.
24 Lna cheia as II h., 46 m. e 24 s. da m.
DAS DA SEMANA. '
24. Segunda; 8. Tyrso m.; 8. Gerafflrb. m>
25. Terca. As Chagas de S. Francisco.
26. Quarta. S. Cleofas; S. Firroioo b. '
27. Quinta. Ss. Cosme e Damio irs mas.
28 Sexta. S. Salorno b.; 9. Eoslaqnia v.
29. Sabhado. S. Miguel aren,; S. Fratereo b.
3. Domingo. S. Jeronymo cafd. presb. e dr.
PPEAMAR DE BOJE.
Prinreira as 4 horas e 30 m. da tarde.
Segunda as 4 horas e 54 minutos da manha.
l Para o snl at Aigoag.a 14 e 30; pan 'o por.*
at a Granja a 7.e 22 Je .'cada, mjJ; par* Patrat; -
do uosdias li *m mezes de jamuro, marco,.au;*
jnlho, setembro noverohro,
ASSIGNA-8E
no Recite, na livrsria da praea da ladeperideora
ns. 8, dos proprietarioi Manoel Figueiroa de Par-a
& Pilbos. .
PARTE OFFICIAL
MIISMTERIO DO IMPERIO.
Qaereodo distinguir e honrar o coronel Bernar-
do Jos da Cmara, hei por bem azer-lhe merc
do titulo de barao de Palmares, em sua vida. Pa-
lacio do Rio de Janeiro, em 14 de setembro de
1866, 45* da independencia e do imperio. Com a
rubrica nanies Torres.
Querendo distinguir e honrar o Dr. Domingos
de Souza Leo, bel oor bem fazer-lhe merc do
Alteres Jos Messlas de Araojo, em 23 do mes-
mo, na mesma cidade e pelo mesmo motivo.
26. carpo de voluntarios da patria. .
Alteres Antonio Peregrioo Viriato de Medeiros,
em 22 do mesmo, na mesma cidade e pelo mesmo
motivo.
31.* corpo de vtluntartos da patria.
Coronel Manoel Jos Machado da Costa, idem,
dero, idem.
Corpo desande.
1* cirurgio Dr. Francisco Mendes de Amorim,
em 23 de junho, na cidade de Corrientes, de febre
typhoide.
Qoarlel-general do commando em chefe do 1"
por bem fazer-lhe merce do corpo de exercito em operacSes. Acampamento
titulo de barao de Villa-BelU, em sua vida- Pa- em Tuyuty, 30 de julho de 1866.-Francwco Go
lacio do Rio de Janeiro, em 14 de setemoro de mes e Freitas, corouel deputado do ajudantege-
1866, 45* da independencia e do imperio. Com nera| interino,
a rubrica de S. M. o Imperador. Jos Joaqum j ^^
Fernanda Torres.
Querendo distinguir e. honrar o commaadaote
superior de Paranagu, na provincia do Piauby,
Jos da Cunta Lustosa, hei por bem fazer-lhe
mert do titulo de barao de Paratilm, em sua vida.
Palacio do Rio de Janeiro, em 14 de setembro de
1866, 45* da independencia e do imperio. C'im a
rubrica de S. M. o lm|>erador.Jos Joaqum Fer
nandes Torres.
Aitendendo aos relevantes servicos prestados em
relaco a guerra com o Paraguay pelo ex-teoente-
coronel do c >mmisso Jos Paulo Travassos de
Arruda e pelo major do corpa de polica da pro-
vincia da Parahyba Jos Vicente Monleiro da Fran-
ca, e de c >n(ormidade com os I* e 3 do artigo
9* do decreto n. 2,853 de 7 de dezerobro de 1861,1 lhea,ro dag op^-fog nj,|tare"s, mas com re
hei por bem nomea-los offlciaes da ordem da Kosa.gaerTi tveram ia> a sna opportuoidade de
Palacio do Rio de Janeiro, em 14 de setembro de '
Cura
1866, 45* da independencia e do imperio. M a
rubrica de S. ti o imperador.Jos Joaquim Fer-
nanda Torres
Pelos servigos prestados a bem da integridade
do Imperio e honra nacional (na provincia de Per-
nainbuco) por decreto de 14 de setembro, turara
condecorados com
6RDEM DA BOSA.
Uignitarios.
Coronel Domingos Affunso Nery Ferreira.
Coronel Jo> Antonio Lopes.
Commandante superior Joaquim Cavalcante de
Albuquerque.
Ccmmendadores.
Tenente coronel Conolano Velloso da Sllvelra.
Dr. Loarenco Francisco de Almeida Catanho.
Offictaes.
Dr. Antonio Buarque de Lima.
Capilo Felippe Rodrigues Coelbo.
Tuoente-coronel Pedro Pessoa de Siqueira Cara-
Ps- -
Tenente-coronel Luiz Pmhelro de Hollanda Va-
lenca.
Tenente-coronel Mariano Xavier Carneiro da
Cunba.
Dr. Carlos da Cerqueira Pinto.
MINISTERIO DA MARI Vil A
Em tO do crreme fui expedido o seguiote ofO-
co ao Sr. barao de Tamandar :
t I'Im. e Exm. Sr.Ancioso por conceder os
premios que de just>ca periencem aos benemritos
pelas servicos prestados na guerra actual com o
Paraguay, o governo tem solicitado de V. Exc. in-
formacoes sobre taes servicos, visto que deltas nao
pode prescindir, ainda mesmo que nao estivessem
proscriptas em le ; devendo, como de necessida-
I de reportar-se ao chefe militar, que de perto julga
os tactos que acompanha os acontecimentos.
< Por motivos que ignoro, taes informales nao
i vierara ainda. E assim servicos prestada longe do
laco a
remu-
neraso, quando poderiam ter precedido as recom-
pensas devidas a tantos offlciaes e pracas, de qoem
apenas fazem brilhante mengo correspondencias
particulares
t Compre, pois, que V. Exc. remetta a esta se-
cretaria de estado a narra;o circunstanciada, qne
deveria ter side publicada em ordem do dia, dos
acontecimentos que se deram posteriormente pas-
sagem de Cuevas.
< Eston certo de que V. Exc. cora a maior ur-
gencia, cumprir a presente ordem, que Ibe sgo-
I ra reiterada, por que V. Exc. naturalmente inte-
ressado em ver galardoados os relevantes servicos
dos seus subordinados.
Deus guarde a V. ExcAlfonso Celso de Assis
Flgueiredo.Sr. visconde de Tamandar.
de Bnio.
Luiz Jos Pereira SiroSes.
Couselheiro Lourengo Trigo de Loureiro.
Dr. Antonio Vicente do Nascimenlo Feitosa.
Jos Jacomo Tasso:
Bacbarel Maximiano Francisco Duarle.
ORDEM DE CHBISTO
Commendador.
Padre Francisco Pedro da Silva.
Cavalleiros.
Racharel Heorique Pereira de Lucena.
Bacbarel Luiz de Albuquerque Martins Pereira
Dr. Pedro de Athayde Lobo Moscose.
Dr. Joo Batista Casa-Nova.
Bacbarel Joo Bapti>ta do Amaral e Mello
HIVISTERIO DA JISTII, A
Por decreto de 31 de agosto lado :
Foram declarados de neahom effeito :
O decreto de 27 e julho do anno passado, que
nomeou o bacbarel Fernando da Costa Leal Figuei-
redo, para o logar de juiz municipal e de orphaos
do termo deS. Jos d'El-rei na provincia de Minas
Geraes, por nao ter o dito bacbarel entrado no
CommandatTu^rlor" Candido Xavier Pereira fcio da. respectivas funccoes dea 00 pra
legal.
O decreto de 25 de Janeiro deste anno, pelo qual
fora nomeado o bacbarel Jos Caetano de Paiva Pe-
reira Ta-ares, para o lugar de j.nz municipal e de
orphes do termo da Conceic.o na dita provincia,
por nao ter entrado no exercicio das respectivas
funrcSes dentro do prazo legal.
O decreto de 12 de tevereiro deste snno que re-
raoveu de termo da Piraoga para o do Rio-Preto,
ambos na provincia de Minas-Geraes o juiz muni-
cipal e de urphos, bacbarel Jos Francisco do Re-
g Cavalcaotl, por nao ter entrado no exercicio das
respectivas fuocc5es no prazo legal.
Foram removidos a seu pedido :
O juiz de direito Domingos Munt-iro Peixoto da
comarca da Parahyba na provincia de Minas-Ge-
Kserv^^Srrbem S InUgridade do | raes, para a^rio Paran' n, de Goyaz, ambas de
imperio e honra nacional (o provincia dn Piauhy
por decreto de 14 de setembrolorara condecorados
com
ORDEM DA R'SA.
Officiaes.
Bacharel Jos Manoel de Freitas, chefe de polica
da provincia do Piauhy.
Commandante superior Antonio Leoncio Pereira
Ferr"- r, A
CjinmanJante superior Antonio Fernandes de
Vasconcellos,
Tenente-coronel Pacifico Jos da Silva Caslello-
Branco.
Tenente-coronel Jos Amaro Machado.
Major Jos de Arauj Co-la.
Cavatteeros.
Capito Jesuino Pereira do Narciraento.
Capitao Tnomaz Alvares Moreira.
Capilo Franci.-co Luiz Pereira de Carvalho s
Silva.
Tenente Joaqaim Luiz da Silva.
ORdEM DE CHRISTO.
Commendador.
Commandante superior Jos Francisco de Miran-
da (Jsorio.
Cavalletros.
Newton Cesar Burlamaque.
Tenente-coronel Jos Francisco Nogueira Para-
nagua.
Coronel Coriolano Cesar Burlamaque.
Coronel Pedro de Brito Pessoa.
Tenente coronel Marcos Aurelio Rodrigues Coe-
lho.
Tenente-coroDel Octiviano Jos de Amorim.
Tenente-coronel Francisco da Costa Carvilho.
Bacharel Joo Pires Gongalves da Silva, como
juiz de direito da comarca do Principe Imperial.
Bacbarel Lenidas Cesar Burlamaque.
Dr. Jos Servao Ferreira.
Dr. Simplicio de Sonz Mendes.
Qnartel general An ""mmaniln em chefe do
do commando em chefe
cor'po de exercito em operacSas. Acampamento
ero Tuvuty, 30 de Julho de 1866.
lliiu.' e Exm. Sr.Tenho a honra de enviar *
V. Earc. a relacao dos offlciaes que ullimaraenU
tm tallecido, com deelarago das datas, logar on-
de e molestias de que falleceram.
Deus gnarde a V. ExcII m. e Ezm. Sr. coose-
Iheiro Angelo Moalz da Silva Ferraz, ministro e
secretario de estado dos negocios da guerra. Po-
tydon da Fonseca Qumtanilha Jordao, marechal
de campo.
RF.I.AQio NOMINAL DOS OFFICIAES QUE LTIMAMENTE
TKM FALI.ECID ', COM DECLAKAQAO DA8 DATAS, LU-
GAR ONDE E MOLESTIAS DE QUE t -l.LKCERAM.
3* regiment de cacnltarta.
Alteres Romualdo Amonio de Mallo*, em 22 de
julho, na cidade de Corrientes, por (erlmenlo rece-
bado em combate.
i* corpo provisorio de eavallaria da guarda na-
cional.
Alteres Manoel Acesso Machado da Sllvelra, m
16 do mesmo, na mesma cidade, pelo mesmo mo-
tivo.
A.* -corpo de voluntarios de eavallaria da brigada
Itgeira.
Alteres Joao dos Sautos M-neies, idem, idem,
13.* boatho d: infantana.
Alteres Saurnino da Silva Gomes, em 20 do
mesmo, no hospital ambulante do Passo da Patria,
e pelo roesme motivo.
7. corpo de voluntario da patria.
Tenente Pi Corroa da Rocha, em 3 do mesmo,
na dad* de Corrientes, e pelo mesmo motiv-
lo. corpo de voluntarios da patria,
CMto Lul da FrancaPiuto Garcei, em 17 do
Tnes*o,xia mesma cidad,e pelo memo motivo,
24. corpo de voluntarias ia patria.
Tnente Delvjtro Correa dfi Mofaos, em 19 do
mesmo, na mesma c'rdade* e pelo mesmo motivo.
prmeira entrancia.
O juiz de direito Joaquim Tavares da Costa Mi-
randa, da comarca do no Paran' na provincia de
Goyaz, para a da Paraahyoa na de Minas-Geraes,
ambas de primeira infancia.
O juiz municiual e de orphos, bacbarel joaquim
Fej de Aituiqoerque Lias, dos termos leuoidos da
Imperatriz e a Asemhl<, na provincia das Ala-
goas, para a de S Jos de El-rei, da provincia de
Minas-Geraes.
Foram nomeados :
O promotor publieo Antonio Jos da Silva No-
gueira, juit municipal e de orphos do termo do
Rio Preto, na provnola de Mioa:-Geraes.
O bacharel Jos Christiano Storkle de Lima, juiz
municipal e de orphos do termo da Conceico, na
mesma provincia
O bacharel Nicolao Jos dos Santos, juiz munici-
pal ede orobos do termo de Cacapava, na provin-
cia de S. Panlo ;
O bacoarel Alvaro Antonio 1a Costa.juiz munici-
pal e de orphos do termo da Barra do Rio Gran-
de, na provincia da Baha.
O promotor publico Jos Joaquim Domingues
Carneiro, juiz municipal ede orphos do termo de
S- U rnardo, na provincia do Ceara'.
O bacharel Manoel Coelho Cintra Janior, juiz
municipal e de orphes. dos termos reunidos do
Principe Imperial, Marvo e Independencia, na pro-
vincia do Piauhy.
Alfredo Bandeira Hall, otncial externo da secre-
taria da polica da i rovinr-ia do Maranho.
O capilo Joo Jos Marinho, tenente-coronel
commandante do 1.* corpo de eavallaria da guar-
da nacional da provincia do Rio de Jeneiro.
O tenente-coronel Bonifacio de Avila Cabral,
coronel commandante superior da guarda nacio-
nal dos municipios do Serr e Conceico, da pro-
vincia de Minas-Geraes.
O capilo Saturcino Jos da Silva, tenente-ooro
nel commandaote do batalho de infanlaria n. 48
da guarda nac mal da provincia de Pernambuco.
O bacbarel Manoel Dantas Corre 1 de Goes, te-
nente-coronel commandante do batalho de infan-
laria n. 23 da guarda nacional da provincia da
Parahyba.
O major desigoado Artaxerxes Vieira de Sa',
major ajudaote de ordeos do commando superior
da guarda nacional do municipio de Oeiras da
provincia do Piauhy.
O tenente Jeremias Jos da silva Mello, capitao
secretario geral do mesmo commando soperior da
dita provincia.
Foi designada a 6* companbia do 1* batalho de
iofaotaria da guarda nacional do municipio da
corte, para nella passar a effeciivo o capitao aggre
gado do mesmo batalho, coro exercicio de major
designado, Jos Brasilino da Siiva.
Foi transferido do commando superior da guar-
da nacional do municipio da Estancia da provin-
cia de Sergipe, para os dos municipios de Santa
Luzia e Espirilo-Saalo da mesma provincia, o co-
ronel Antonio Marti as Ponte?, edesl* para aquel-
la commando Joo Mana de Araojo Nabuco.
Concedeu-se a Joaquim Octaviano Cesar, major
commandante da secgao do batalbao de ariilharia
o. 1 da guarda nacional da provincia do Rio de
Janeiro, as honras de teneote-ooroaot da mesma
goarda.
Foi reformado Joao de Lima Valverde, tenente-1V. S. a este
coronel commandante do 7* batalho da reserva oa
goarda nacional da provincia da Baha no mesmo.
posto.
Foram declarados vagos os offlcios de 1* tabel-
lio do publico, judicial e notas, e ta registro ge-
ral das hypolhecas e escrivo ja empellas e resi-
duos, e da execucoos da cidade da Estancia da
provincia de Sergipe, sendo obrigada a pessoa que
para elles fr naneada a p restar a Joo Moreira
de Magalhes, que as ex<-jrcia a terea parte dos
rendimentos (Jos dUos o'dcios segundo a respecti-
va lotacao, na forma do artigo 2* do decreto n.
1,294 de 16 de dezembro de 1853.
Fez-se merc da serventa vitalicia :
A Francisco Julio de Mello e Silva, dos offlcios
de 2 tabellio do publico judicial e notas e escri-
vo das execaedes civeis e crimes do termo de
Petropolis, e do lugar de ofnVial do registro zeral
das hypolhecas da comarca de mesmo nome, na
provincia do Rio de Janeiro.
A Francisco Teixeira de Carvalho, de offlcio de
escrivo de capellas e residuos do termo de An-
gra dos Res, da mesma provincia.
A Joaquim Dantas Barbosa, dos offlcios de par-
tidor e contador do termo de Minas do Rio de Con-
las, na provincia da Baha.
A Beroardino Jos Monteiru, dos offlcios de par-
tidor e 'contador dos juizos municipal e de orphos
do termo da barra do Rio de Contas, oa mesma
provincia.
A Antonio Propberyno de Mattos Lima, dos offl-
cios de partidor, contador e distribuidor do termo
da Estancia, na provincia de Sergipe.
A Joaquim Fej de Mello, dos offlcios do 1*
tabellio do publico judicial e notas e escrivo do
civel e crime, e do lugar de offlcial de registro ge-
ral das hypolhecas da capital da provincia do
Cear.
A Marcellino Marques de Lima, do offlcio de
escrivo do civel, crime e privativo de capellas e
residuos da capital da provincia do Para.
A Joo Luiz Peieja, do offlcio de escrivo do ci-
vel, e crime da capital da mesma provincia.
11 1 n'l n
(OVER\0 DA PROVINCIA
Expediente do dia 6 de setenaro de 1866.
Offlcio ao Exm. general cummandante das ar-
mas.-Mande V. Exc. apresentar ao Dr. chefe de
polica o recrota Maooe! Ferreira de Lima, de que
trata o offlcio de V. Exc. de hornero datado sob n.
1099, visto nao ter sido reconbecido desertor do 1*
corpo provisorio, e ter apresentado escusa por
subsutuico que deu do servlco do corpo de polica
a 13 de Janeiro deste anno.
. Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de sobr'estar
na remessa para a cne do recruta Augusto Jos
Leopoldo, e que se acba mencionado na rela-
co que velo annexa ao seo offlcio de 3 do cr-
reme, sob a. 1089, visto estar provando Isengao
legal.
Dito ao mesmo___Tendo aesta data marcado o
praso de quinze das para provar seoco legal que
diz ter em seu favor o recruta Jos Honorato de
Lima; assim o communico a V. Exc. pira seu co
ohecimeoto.
Dito ao Dr. chefe de polica.Tendo nesta data
recomroendado ao general commandante das ar-
mas, que mande apresentar a V. S., aBm de ter o
conveniente destino Manoel Ferreira de Lima, vis-
to nao ser reconhecido desertor do 1* corpo provi-
sorio, como d 'darou o mesmo general em offlcio
de 5 do corrente sob a. 1099: assim o communi-
co a V. S. para sea conbecimento e direceo.
Dito ao mesmo.-rVsdpmraendo a V. S. que en-
ve dirertimiuH aa^aaerat commandante das ar-
mas os guardas nacionas designados para o sr-
vigo da guerra, que forero apresentados a essa re-
partido, declarando-me V. S. a date ero que se
deu aquelle destino aos referidos guardas, os no-
mes destes, e os batalhdes a que perlencera.
Dito ao mesmo.Tendo nesta data mandado so-
br'esiar na remessa para a corte ao recruta do ex
ercito Augusto Jos Leopoldo, a que se refere a
sua infonnagao de 5 dj corrente sob n. 1169; as-
sim o communico a V. S. para seu conhecimenlo e
direceo.
Diti ao inspector da ihesouraria de fazenda.
Ao capello tenente reformado do exercito fre Da-
vid da Naiividade de Nossa Senbora, nomeado pelo
general comm udaule das armas, para ir prestar
os servicos do seu ministerio no presidio de Fer-
nando, de conformidade com o aviso da reparligao
da guerra de 23 de maio ultimo, manie V. S. a
justar coates ate o 8m do crreme mez, e passar-
Ine guia desoccorrimeoto, conforme solicita o mes-
mo general em seu offirio de hontem datado sob
a. 1102.
Dito ao inspector da thesourarla provincial.
Atieiid-ndo rio que requeren Julio Cezar de Olivei-
ra, e em visia da informaco do director geral io-
lerino da iostrueco publica de 4 do correte sob
o. 216, resolv nomej-lo para reger Interinamente,
e medame a gratificado annual de seis ceios mil
ris, a cadelra de nstrueco pn'raaria da fregoezia
de Gravat, fleando sem effeito a sua nomeacao
para a de Queimadas em Lirooeiro, por ter sido es-
la ultima cadeira prvida definitivamente,O que
communico a V. S., para seu conbecimento, e tim
conveniente.
Dito ao mesmo.Transmitto a V. S. os inclusos
prets em duplcala, aQm de que, nao haveodo in-
conveniente, mande pagar a Claodino do Reg Li-
ma Jnior, os venciraentos relativos ao mez de
agosto ultimo, do destacamento da guarda nacio-
nal existente na cidade da Victoria, como solicita
o respectivo comroandame superior em offlcio de 2
do correle.
Dito ao commandante soperior da goarda nacio-
nal deste municipio.Respondealo o subdelegado j
do 1 dlstricto da reguezia da Boa-Vista, acerca
da falta de pracas da guarda nacional, destinadas
a fazer o servido da ronda at meia noile naqneile
disiricto, recjmmendo a V. S., qne d as providen-
cias precisas, para que nao se reproduza a mesma
faifa.
Dito ao do Bonito. Aitendendo a InformacSo
miuisirada por V. S., em offlcio de tO do corrente,
acerca da prelencao do lente da primeira eompa-
nbia do esquadroo. 4 desse municipio, Pedro Ale-
xandrlno da Costa Lias, remelto incluso o ?eo re-
querimento, recornmenlo-lhe que paase ao suppli-
cante a guia de passagem de que trata o art. 45.
do decreto n. 1130 de 12 de malo de 1853.
Dito ao de Goyana. Sirva se V. S de expedir
snas ordens para que urna guarda de honra do ia-
talho 12, sob seu commando superior, esteja pos-
tada em frente da Igreja matriz dessa cidade, aflm
de acompaobar a iroagem de S. Miguel, que lem
de sabir em procisso na larde do dia 29 do cor-
rente.
Dito ao inspector do arsenal de guerp*Mande
V. S. considerar desligados da eompanhia de apren
dites menores desde o dia 4 do sorrenie, em que
por portara do general commandante- das armas,
foram mandados alistar na coropaobia. de opera-
rios desse arsenal, segundo declaroo-me o mesmo
general em offlcio daqaella data sob n. 1095, os
mancebos Manoel Perretra Llns, Affonso Ernesto
de Saisas e Antonio Barboza dos Santos, que ba-
vemW completado a Idade de 18 anoos, uveram
aquello destino, nos termos do art. 5 3*- das las-
iruc5-s de 3 de Janeiro ultimo, com referencia ao
att.lt) do regulameoto de 3 de Janeiro de 4842.
Dito ao director do arsenal de marino-a. Km
vista de sua iaformaco datada do Ia do crreme
sob o. 1161, dada acerca do que soticitou o ins-
pector da sade do porto, anlonso a V: S. a man-
dar fazer ao cter desse arsenal, os r,ncrtos e ac-
commodaces, que forera indicadas pelo relerido
Inspector da sade, qne dever entenderse cora
respeito, aflm de poder aqelU em
segl HraTStefr^^J?^ q??S ovX {, ^TZlZiXZf! r&S** "* *~* *<*
S'd0 D"r" a Serem eD,r"gaes n qar'el'g9' r,M'De' mtoaS .' &*<>"anual d *M?'
a.?J ir""'. os rearlas constantes da re-1600*. a.cadeira de .nstraccio nrim?la da So' Por
laco junta assignada pelo secretario do go-
verno.
Relaco de que trata a portarte de S. Exc. o Sr.
vice-presidente da provincia desta data.
Loarenco Jos dos Santos.
Jos Benedicto do Nascimento.
Maximiano Alberto dos Santos
Manoel Agostinho dos Santos.
Luiz Jos de Sant'Anna.
Manoel Joaquim dos Aojos.
Pretxtalo das Chagas e Albuquerque.
Dito ao inspector da aifandeg.Offlciando nesia
insiruccao primaria da freeue-
zia de Gravar, fleando sem effeito a sua nomea-
Qao para a de Qoeimadas em Lirooeiro, por ter sido
esta ultima cadeira prvida deflnitivamebte, assim
o manda communicar V. S. para seu coabeci-
mento e flm convnoiente.
Espediente do- dia 7 de setembro de 1866.
Offlcio ao Exm. Sr. general commandante das
armas.1.* seceo.Sirva-se V. Ex:, de sobr'es-

1 -
decretos e*6 e 12 do correte :
Con,cedeu-se ao juiz de direito Theodpro Ma-
chado Freir Pereira da Silva a demissao qp& pe-
dio do cargo de ebefe de polica da provincia, do
Ceara.
Foram noraeades : ,. '
O juiz de direito Jos Wenceslao- Marques!da
Cruz, para o cargo de.ehefe d polica- da provin-
cia do Ceara', fleando sem etTeiio o decreto.de 8 de
tar na remessa para a corte no vapor Santa Crui; Jioh ultimo,.qoa o aotaequ para igual eargo .na
que segu hoje do recruta Camillo Ferreira Lima,
a quera nesta data coocedi o prazo de 20 das para
data ao inspector da saude do porto para que, en- 2[^r a lseoca<> Que allega de ser casado e com
leodeoio-secom Vmcexamioe o hlate dessa repar- n' .mm,^, .
ticao airo de veriflear se pode elle servir de enfer- .ic'_r. ^ra?nd,nie r;?rpo provisorio de so-
mana .ios doeotes que por ventura possaro vir da "Zk !...s!ccao- "noe v>c. dar baixa do cor-
Europa accommettidos do cholera-morbu; assim
o communico a Vmc. para seu conhoelmento e aflm
de qne ponha a disposicio daqoelle inspector o re-
ferido hiato se elle o julgar aoto para o mesmo ser-
vico.
Dito ao Inspector da saude do porto.-Em vista ^*^
do que Vmc. expende em seu offlcio de 30 de agos-
to ultimo, tenho a dizer que concedo as antorisa-
ces que pede, e nos termos em que as solicita, e
e neta data actbo de autorisar o inspector do
arsenal de marinba a mandar fazer no cter
po sob seu commando ao furriel Estanislao Gomes
de Abreu Mello, vislo que foi considerado incapaz
do servico militar, como se v do termo que veio
annexo ao seu offlcio de 3 do corrente, sob n. 111.
Dito aos agentes da companhia Brasiteira de pa-
ietes.-4.' seceo. Poder Vrocs. fazer seguir
para os porlos do sul o vapor Santa Cruz, proce-
dente dos do norte hoje a hora inlicada ero seu offl
ci de hontem.
Portara.V seceo.Os Srs. agentes da com-
panhia Brasileira de paquetes, tacara transportar
daquelle arsenal os reparos e accororoodaeoes, que *r* e ar>n^r(dodo;aPr SaHla Crz- corren-
Vme. jnlgar necessanos, para oque devera' enlen- SlfiW ** do ""torio da guerra o
der-se cora aquelle funcionario; aflm de poder a gjjjj^Rorba,aihaocde arlilba"a a }*> "
predita embarcaco servir de eofermaria aos doen-. .J??* a f Son a* nacional
las, que porveotura possam vir da Europa accom *a"'DS da A/ j0 qae lh8S serao ^sentados pelo
aullidos do cholera-morbus que all est reinando, coromanlante das armas,
devendo Vmc. examinar o hiate da a'.fandega, para
vrhflcar, se pode elle prestarse aquelle servlco
emquanto se aprompla o cter cima alludido, en-
tendendo-se para ese im com o inspector da al
badega, a quena offlcio nesta data.
Portara.o vice-presidente da provincia, aiten-
dendo a proposia do Dr. chefe de polica do 1* do
corrente, sob n. 1,125, resol ve exonerar, a seu pe-
dido, do cargo de subdelegado do 1* distncto do
de 1866.
ORDEM DO DIA N. 94.
O Illm. Sr. coronel commandante soperior iote-
terrao de Floresta, ao cldado Francisco Gomes: rin0i miaii pablicar para conbecimento da guar-
)mear para o sustituir ao cidadao An-, da oaeienal sob seu commando, os pareceres que
COMANDO SUPERIOR.
Qaartel do commando superior interino da guarda
nKionaldomuacipte de Recite 20 do setembre [V^'SS^'S^^SSSTS:^
do Para*:
O juiz.de direito Sebaslio Cardoso para o cargo
de chefe de polica da provincia do Para',
Foram prdoadqs a Jos Teixeira Marques, An-
tonio ibeiro Gomes, Manoel Moreira, Victorioo.de
Souza, Agostinho Francisco Rio-tinto, Paolo.Jos
Ribeiro, Jos Silvestre, Antonio Ribeiro, Manoel.de
Freias, Rmo Teixeira d Tnodade, Fortunato
Ferreira e Jos Martins Parada, as, penas a qqe fo-
ram condemnados pelo'jury do termo da ci -ade de
Saotos, na provincia de S. Panlo, em 5 de abril
do anno passado ;. o primeiro como autor, e os,.ou-
tros como cmplices do crime de ferimenUis, e
lodos por complicidade no crime de homicidio.
- *5
Por decretos de 18 de maio foi declarada de se-
gunda entrete a comarca do Conde, ltimamen-
te creada na provincia da Babia, e mareado o or-
denado annual de 600 ao promotor publico da
mesma comarca.
Por decreto de 25 do mesmo mez foram decla-
radas de primeira entrancia a comarca de Arara-
quara, e de segunda entrancia a de Lorena, crea-
das na provincia de S. Paulo.
Por decreto do primeiro de junho foi declarada de
primeira entraucia a comarca de Campia-Grande.
cru-ida na provincia da Parahyba. ,
Por decretos de 8 do mesmo mez foi marcado, o
tom Seraflm de Souza Ferraz.
DitaO vice-presidente da provincia, tendo em
vista o que requereu Jos Mendes Pereira de Vas-
concellos, praticante da alfandega desia capital e
bem assim o que a esse respeito informaran) as
reparticoes competentes, resoive conceder ao men-
cionado praticante 2 mezes de licenca com venc-
menios ua forma da lei para tratar de sua saude.
saude.
Dita.O vice-presidente da provincia tendo em
vista o que informou o director geral interino da
instrueco publica em offlcio de 4 do corrente, sob
n. 266, com referencia ao requerimento de Julio
Ceatr de Oliveira, resoive noroear a este para re-
ger interinamente e mediante a gratificado annual
d6O0J000 a cadeira de Iostrueco primaria de
Grvate, fleando sem 1 ITliIiii aaimhi para a
de Queimadas em Limoeiro, por ter sido esta ulti-
ma cadeira provida definitivamente.
Una O vice-presidente da provincia, atienden-
do a proposta do Dr. chefe de polica do 1 do cor-
rele, sob n. 1,126, resoive exonerar do eargo de
subdelegado do districto do B bedouro, 2 da fre-
guezla do Altinho do termo de Caruar o cldado
Maooel-da Assumpco de Azevedo e Silva, em ra-
zio de sua idade octogeoarU, do de 1* supplente
do mesmo subdelegado o cidado Jos Januario
Correa de Souza, e do de 2* Pedro Antonio da Trin-
a junta medica, na nspecco de sade a que se
proceden no da 18 do corrente, na secretaria do
commando superior deu a respeito de cada um
dos Srs. offlciaes e mais pracas abaixo menciona-
das :
1* batalho de ariilharia.
2* lente Leopoldo Ferreira Martin Ribeiro, inca-
paz do servico activo.
1 batalho de infamara.
Capifo Joaquim da Costa Ribeiro e tenente Joa-
quim Antonio Henriques da Silva, incapazes do
servlgo effeciivo.
2* batalho de infamara.
Capitio Francisco Antonio de Almeida, incapaz do
servlgo activo.
Teoente-quartel-mestre Joaquim Lopes Machado,
precisa de 3 mezes para tratar-se.
3* batalho dito.
Capito Francisco Antonio de Assis Goes, precisa
de 6 mezes de liceoca para tratar-se
Alteres Joo Pinto da Costa, precisa de seis mezes
de llcetigi para tratarse.
Alteres Arsenio Amonio Carneiro da Cunba Miran-
da, incapaz do 'servico activo.
4* batalho.
Alteres Antonio Candido de Araojo Real, incapaz
do servico activo.
6* batalho dito.
. .pro-
vincia da Parahyba, e de Botueal na de S. Paute-
e o de 8005000 ao de Lorena na mesma proviocia,
Por decreto de 27' de juilio foi creado no termo
de Cacapava, na proviocia de S. Paulo, um lugar
de juiz municipal, que accumolara' as funches de
juiz de orpbos.
Por decretos de 6 e 14 do crreme :
Foi nomeado o bacharel Jos Alves da Silva.'joiz
municipal e de orphos dos termos reunidos da Im-
peratriz e a Assembla, Da provincia das Aagoa's.
1T
Com datas do Rio da Prata at 9 do correle eo-
irou hontem "o vapor iogiez Ikvlon, da liona'de
Liverpool, hobtem mesmo distribuimos aos nos-
sos assignaotes da corte um boletim com as se-
guintes noticia, que reprodozimo's por devermp-
las igualmente aos das provincias e de lora do im-
perio.
Cartas de Corrientes-do dia 4 aaouneiam o prin-
cipio das operacSes decisivas y aguardemos, pois, a
todo o momento novas de completa e esplendida
victoria.
Ja a batera de Curuzo abaixo de Corupaiiy ti-
! nba cahido ero nosso poder.
No dia 1 a esquadra, largaodo de Itapir coro a
iofaotaria do baro de Porio-Alegre a bordo, prio-
' cipiou a subir orio Paraguay.
1 Antes de chegar a Curupaiiy urna batera occul-
; la em trra rumpeu centra ella um fogo vivssimo.
Travou-se c combate, que foi interrumpido pela
I noite.
Renovou se a canbooada no dia 2, e comecando
dade e noraear os cidados Manoel Marques de Tenentes J0S0 Bernardo do Reeo Valeoca e Pedro I an*rouxar o fogo paraguayo, deseraharcou parte
Azevedo Galvo para o 1 dos referidos cargos, An-
tonio Tbomaz de Souza para o 2 e Jo- Francisco
Mala para o 3*.
Dita.0 vice-presidente da proviocia aileedeodo
ao que Ibe requereu Martioho Lipes dos Res, li-
ceoca para rem-tter para o presidio de Fernando,
no vapor da compaDhiaPernambucana.as mercadu-
ras constantes da inclusa relaco asslgDada pelo
secretario do govaroo serem all entregues a Hen-
rique Jos Vieira da Silva, nao pndendo, porm,
elfeetnar odesembarque das duzs mercadonassem
que por parte do commandante do mesmo presko se
proceda a exaroe, aflm de que se feriftqoe SO ha
agurdenle ou outra qualquer bebida espiri-
tuosa.
Dita,Os Srs. ageoles da coropanhia Brasileira
de paquetes raaodem dar transpone para a corte
por cuota do ministerio da marraba ao vapor Santa
1 ruz, que espera do norte, aos recrutas constantes
da relaco junta.
Relago de que trata a portara de S. Eic. o Sr.
vice-presidente da provincia desta dala.
Lourenco Jos dos Santo-. .
Jos Benedicto do Nascimento.
Maximiano Alberto dos S Manoel Agostinho dos Sanios.
Luiz Jos de -at'Anoa.
Manoel dos Anjes.
Pretxtalo das Chagas e Albuquerque.
Dita Os Srs. agentes da Cotapaohia Brasileira
de paquetes a vapor mandara dar passagem para a
corte, por conta do ministerio da guerra, ao vapor
de Souza Tenorio, incapar.es do servico activo. da D0-*'8a 'nfaotari* que a bayoneta desalojen o ini-
8 batalho dito. mif\ das s-a' posigdes, basteando all o pendo
Tenente Jos Fernandes Monleiro, dispensa de 6 jori-verde, e tomando as pecas que guaroeciam a
mezes para tratar-se. batera, e cojo uumero se radica diversamente de
Bataho u. 6 de reserva do municipio de Naiarelb I* Na fuga anda puderam os Paraguayos le-
da Bahia. < var romsigo duas ou tres pecas de campaoha.
Capito Antonio de Souza, Nord, incapaz do serv- A posi?o assim gaaha importante porque flan-
co activo. 1 Queia o acampamento inimigo, p> r isso toi reohi-
1 batafho de iofaotaria. damenie disputada. Nao se conhecem aioda em
Guardas Manuel Jos do Nascimento, Raphael {jda a sua extensa* as perdas-que soffremo?, mas
gArchanjo Vaz da Silva precisara de seis mezes Lomeles ja tinhamchegado uns 500 fcridos.
para tratar-se.
3* batalho dito.
Guardas Tbomaz de AquiDo Alves do Nascimento,
pecisa de 6 mezes para seu tratamento.
Sebaslio Lopes Guimaraes.
Chefe de estado-maior.
INTERIOR.
IIIO DE JWEIMO
14 de setembro.
Enlrou honiem do Rio da Prata e portos do sul
do imperio a vapor Gerente.
De Bueoos-Ayres e Montevideo temos folhas at
i do correle com algumas noticias do tbealro da
guerra al 28 de agosto.
Tribuna de Buenos-Ay
Perdemos lambem o encouraoado Rio-de J-.neiro
commao lado pelo i* tenente Silvado, e que voou,
apparentemente por haver tocado em algum torpe-
do, salvando se apenas uns 80 homens da gente que
bava a bordo.
No dia 3 devia flear desembarcada toda a infan-
laria do barSo de Porto Alegre, e no dia 4 de raa-
drugada darse-hia o ataque geral as linbas ini-
' migas.
O (errivel fogo que se ouvia era Corrientes indi-
cava que electivamente se pelejava a grande bala-
Iba, mas ao largar o vapor qpe irouxe estas noticias
nada mais se sabia.
As armas alliadas iriumpharo seguramente.
As untcas correspondencias que chegaram ao
I Rio da Prata relativamente a estes successos sao as
! que em seguida transcrevemos. .
Corrientes, 3 de setembro de 1866.
c Hoatem, as 4 horas da manha; omegamos a
ouvir um forte e mu sustentado canhonelo de ar-
iilharia de grosso calibre: apezar do vento tresco
De urna carta dirigida a .
Santa Cruz, que se espera do Borle, aos soldados res extrahiraos o seguiote sobre a t-do eorrespon- do sul, ouvimos perfeitamente as 10 Vz f""35 da
Manoel Francisco do Nascimento e MapcoHno Joa-
quim de Oliveira.
Dita.O Sr. gerente da Companhia Pernambu-
cana mande dar passagem para o presidio de Fer-
nando, por conta do ministerio da guerra, ao ca-1 nha de 27 um combate qne nao deu resultado al
pello nomeado para o raesrao presidio, fre David ; gUm.
dente. | manha um forte estampido como de um grande
No dia 26 hoove urna guerrilha em que os allia-1 torpedo ou alguma exploso. Em Comentes lodos
dos tiveram cir>e lendos, e urna emboscada pa- o oovtram. As 3.horas da tarde velo um pequeo
raguaya disposta na noite segrale travoo na ma-1 vapor brasileiroeom doos offlciaes euro guarda ma-
rinba feridos, caegoo ao costado do vapor Amazo-
nas, e sobio immediatamento o no. O Sr. Barroso
da Nalividade de Nossa Seabora.
Espediente da secretorio do florera.
6 de setembro de 1866.
Offlcio o general commandaote das armas.S.
Etc. o Sr. vice-presidente da provincia, determi-
nando por despacho desta data a salMacio do pe
dido de utensilios necessarios as (achinas do qaar-
tel em qne se acbam os prisioaeiros paraguayos,
assxn o maoda cemraunicar a V. Exc. em respos-
la ao seu offlcio de hoje, sob d. rl06t
Dito ao mesmo.O-Exm. Sr. vice-presidente da
proviocia, dando as- convenientes ordens aftm de
serem transportados corto no vapor Santo Cruz
os soldados Manoel Francisco do Nase+mentoe Mar-
colino Joaquim de Oliveira assim o maoda com-
municar a V. Exc, em resposta a seu offlcio des-
ta dala, sob n. 110?.
Dito ao mesmo. S. IXc; o Sr. vice-presidente
da provincia, dando as cgnueatenies ordens para
que se ajuste contas at- o flm do corrente mes,, e
passegula de soccorrlmeoto ao capello teueote
reformado fre David da Nttv(dade de Nossa Se-
nhora, quosegue para o presidio de Fernando aflm
de servir all de capello, tem Igual nente provi-
deociado cerea do seo. transporte, no vapor da
O general flores aonuociou terminantemente a I mandu-me duer que nao sabia de eousa alguma,
sua retirada para 5 de setombro, roas antes disso, Oque apenas livesse alguma noticia do resollado
nos das 1 oa 2, devia dar-se oalaque geral cootra o Dombardeamento ra'o commumeana. Ao por
Curupaity e as linbas paraguayas. Para assim tal-do sol deixa de ouvirse o canaonelo, e duraaie a
lar addozia- o eorrespoodente estes dados: nonte nao vaio omgum absoJuiarneute.
Movimonio geral em todo o exererto ailiado e em Esta madrugada principum novameot o ca-
Ilapir. Ha va tres das que sufeiam o ro Para>; nhoneio, e no momento em 400 escrevo, 7 1/z ho-
gnay cairelas, pecas e grande Borato de projectis, ras da roauhaa, anda.o estamos ouvindo. Tpda a
julgando-se que para eslabeleeer urna batera do populacaoestainqaietaaaaciosa por saber alguma
lado do. Chaco defronte de Guropaliy. Ero llapir cousa.
fleavam dez grandes transportes brasileiros para Uns pensara qpe -n ataque gerak sobre tu-
embarcar a infanlaria de Porto-Alegre, e bavia ja rupaity. outros qjue sement a esquadta, porm o
cavalios e molas era maior qoantidade mesmo do canhoaeio tem sido continuo.
Cpntinuarel a inlorma-lo do que souber al a
que era necessari para se aovar o exercito com
a sua artilharia.
A 27 o cooselheiro Octaviano assistio era Itapir
a om cooselbo eom o viseoode de Tamandar, b>-
ro do Amazonas e generaos Polydoro e Porto-Ale-
gre, e de volt no dia seguinte a Corrientes rete-
rem-se estas palavras ditas por elle a nm amigo:
t Gracas a Deus, estamos, de accordes. e dentro de dades as tropas do bario de
poneos momentos leremos dado cabo do poder de
Lopex.
Attrlboe-se lambem ao general Psunero a previ-
sao de que o ataque custaria de sois a olio mil ho-

Corapanhla Peroambucana, oque declaro Y. Exc. meos, mas a victoria sena completa
de ordem do mesmo Exm seohor. em resposta ao A Tribuna de % publicando osla carta, aceres-
sea offlcio de hontem datado, sob n. 11031 I cenia que Ihe consta de manelra positiva qae o vis-
Dito ao Dr. chefe de polica. Da ordem do \ coade de Tamaodar escreveu a urna pessoa qoall
barcacao servir de enfermara aos doentes, qae
por ventura veuham nos navios procedemos da
Europa, onde reina actualmente o cholera mor-
sas.
Dito ao director da colonia militar de Pimenlei-
ras.Nao modo Vmc. remeitido anda a comrais-
so da- exposio > as amostras do madeiras, de que
trata os seus offlcios do 1 de tevereiro e 3 de abril
ltimos, recororaendo-lrip que o faca quanto antes,
visto que tem de ser brevemente abena a referida
expsito.
Rxra. Sr. viee-presidenie da provnote, e em res-
posta aos offlcios de V. S. do i. do correle, sob
o. 4125 1126, iocluso remello os ttulos das au-
toridades policiaes dos districtos de Beberibe e
Floresta nomeados por portara desta data, e de
conformidade eom as proposias de V. S. contidas
nos referidos offlcios.
Dito ao commandante superior da guarda na-
cional de Santo Anteo. S. Exc. o Sr. vice-presi-
deote da provincia,'manda declarar a V.S., em
resposta ao seu offlcio de 1 do correte, que a the-
sourarla provincial tem ordem para pagar a im-
portancia do prots. a que se refere o citado offlcio.
Dito ao director da instrueco publlea.Teodu
S Ele o Sr. vloe-presideote da provincia, em vis
da' inlormaoao de V. S,_de 4 do corrate, sob
hora da sahida do vapor.
* As 8 botas, da manha cessou oxanboneio ; as
10 toroou-se a oavii. Ao meio da eutrou o vapor
(Mzede Junlw traaeado 150 feridos.
c A esquadra tem estado a bater urna batera
abano de Curupaity, desembaceanjj
to-Alegr
nao poderam resistir os Paraguayos, l-vat
retirada a precipitada tres pecas de artilharia que
tinham, e deixando u es da grosso ealibre.
Os Br si le ros perdoram o^ac-ura^ado Rio.de
Janeiro, salvando-so umeamenie 80 homeus.; os.
mais voaram pela torea dos torpedos.
t O ponto qae se tomou/de muita importapcia,
porque fleam os Paragaayos no meio e asseguram-
me que esta ooite todo o nosso exercito sa prepara
para de madrugada dar o golpe sobre o exercito
paraguayo. Se se effeotoar, coate com o negocio
concluido, a
Corrientes, 4 de setembro as 11 horas da ma,
1 Chego neste instante de Itapir, e conforme as
ordeos do Sr. Lezica, o Sr. Laous. tem a bonetada
de fazer sabir o Iron-King para thes levar ai nott-
olas que houver.
c Sere breve porque voltolramedutaraoote para
o theatro das operacSes.
A 1, como Ihe anauociei, sabio, a esquadra om
direceo a Curupaity.
Antes de chegar aquella poni, os encouraca-
Qoada de Buenos-A y res qa no da 1* devia ser
atacado o Inimigo.
O sanado argentino adiou a diseussao da grave
quesio da eapital da republiea.
Do Pacifico havia noticias at 8 de agosta
Por um I do dizia-se une nao tardara a haver
i paz com a Hespanha, tenlu o ministerio hespanbol
[ Narvaez, sob cuja anterior a4minl>ira{o se cele-
brara o tratado Tavira, nomeado o mesmo repre-
sentante para ajustar em Santiago a queslo.pen-
dente, por outro, porm, a Impreosa chilena ela-
mava que convinha aproeilar a esquadra para,
tornando a gaerr* offenslv, proseguir ne'te con-
tra as colonias bespanholas das Anuiras e da Ocea-
na. Parle da mesma Imprensa prega va tambera ,
urna. allteBoa com o Paraguay, Ao mesmo tempo,dos da vanguarda, ao rimado do Sr. Alvim, corrj^-s

\(


TT
-T-
IMrU d PHIambae* Megubiift felra t4 4c MrtMkl-* de 1M6.


cOhm a soffrer um forte fngo 4a affilharla, de urna
batera que se aclis va eomplettnteote eoeerte em
om baixo da margem, e protegida pela espessara
de um bosqua.
t No da segutnt, Islo a 2, rettevft se o fono
de parte parte, se bem que ommameote debili-
tado do lado dos Paraguayos
* Os e,ncoaracados avaogaram sempre e travoa-
se um lortissimo combata cose a batera que nao
era fcil de ver-se por" *eoar-se encobarla, orno
dlsse cima.
t Das 3 para a 4 horas da Urde lez-se il|nal
de desembarque, e enii* a iofaolarla do bario de
Porto-Aiegre soltando gritos de eotbusiasmo che*
gou a" praia. ,
Immediatarosnte attraraOwe as tropas a bato-
neta sobre a batera occalta, o avanzando a Atrito
descoberlo to"aram a posicto inimiga, fazeoeo ire-
mular neltata baodeira brasileiro.
c Os paraguayos no mno de sua faga cdhsegai-
ram levar ires pecas volantes, porra detxaram
em nos-o poder nove pecas de diferentes calibres.
c Nio posso diter com exaclido as perdas qoe
ba de parte a parte, porm o transporte Onze de
Julko, que chega oete momento ao porto de Cor-
rientes, cundas dwenlos e tantos feridos.
< Algons destes, com quem troquei apressada-
menie algumas palavras. di'envme que os para-
guayos fheram ama resistencia desesperada, e que
calculara as soas perdas em perto de 80 homens.
t A turnada de Curui da maior importancia,
pols que as posicoes de Lopes-em frente das nossas
linhas aeham-se completamente flaoqueadas.
Hooiem a trde devia Icar desembarcado lodo
O exercito de Pono-Ale re,
Agora, tenbo de dar-mes nma triste noticia.
No seguodo di* do comfaev viose o encooracado
Rio de Janeiro, que navegava na vanguarda da
prisneira diviso de eperaedes, voar repeotina
mente.
Nao posso drzer precisamente 0 que que Tez
voar este eoconra$ado, poreffl as tres detonares
que se ouviram qnasi slmtrltaoeameole fatem sup
por que voaria por ter tocado em algum torpedo.
a ubservarei que o visconde de Tamaodar'ti
nba annuuciado qoe esiavam )a' reconbecidas as
immediacdes da Gtrrapatty.
i Batretanto, duas leguas antes dalll cbegar en-
cootrou se urna batera eneoberta, e as ttguatrt-
conkecidas voou o Hio de Janeiro.
Daixo as reflexdes para ootra occasrio.
t No momento em qoe escrevo, 1! da maoh,
oove-se um canboneio espantoso, como nanea s
oovio ?iuiia es toda a campaoha.
< (guando sahi esta manh de Iiapiru tinha prin-
cipiado o combate pela nossa llnha, e ao mesmo
tempo ouvio se um forie caohonelo do-lado do rio.
Fcilmente se comprehender que emquanto
Ibes escrevo se est dando a grande batalha, e se
Dos qulzer, hoje mesmo espero ter o prazer de le-
var-Ibes a noticia do resaltado.
t Nao tenho a menor duvida de que ser glo
riozo, inulto gloriozo, anda que sangrento, pols os
Paraguayos continuo a bater-se com encarntsa-
mento.
Nao me detenho a fallar-lhes de nm rebate
que houvrt boutero, estando en no acampamento,
porque asta factos ja sao insigniScantes a vista do
que Ibes vou communicaodo.
t Nesle instante diz-me o coronel Pinedo que
baro do Amazonas Ihe fes saber qoe com data de
3 a nolte o general Polydoro escreveu, ditendo
qoe na madrugada de boje devia darse o ataque
eral.
t J nSo tenho, pois. duvida de qoe este ata-
que a cauza do tremendo fogo que estamos o-
vindo.
Entam dous vapores mais trazendo feridos.
Os qoe ha aqu passam ja' de 500, o qu pro-
va que a turnada da batera fol sanguinolenta.
As tropas brasileiras, tanto da esqnadra como
de trra, tem-se balido bizarramente.
t Desojara escrever monos outro* pormenores,
porm nao qaero que se demore o vapor que leva
expressiiiK-nte esta noticia para a Tiibuna, gracas
a fineza dos nossos amigos Lezica e Lanus.
c Volto oeste instante para siber do resoltado
do sangoin i-nto combate que se trava no momeo-
t3 em que escrevo.
Ate dru.ro de algnmas horas, em que segui-
rei viagera para essa no vapor Alliado, que o Sr.
Cabal pz a' disposigo da Tribuna.
O Siglo n'um boletim em tudo idntico ao da
tribuna, accrescenla:
c O aosso amigo Saavedra, secretario do gene-
ral Flores, escreve nos o seguinte :
t As bateras de Curupaity foram tomadas pela
esquadra brasilera e forgas do baro de Porto-
Aiegre, que perdeu no ataque 1,0(0 homens.
Como -e v, esta noticia vem do acampamento,
onde orovavelmente se tomcu Curupaity por Curu
z. Curupaity, porm, cablra', como cabira' Hu-
roaita', como cabira'o ultimo reducto do nefando
poder de Lpez.
Constava qoe no ultimo momento, de que ha
noticia, ei.nava no porto de Buenos-Ayres um va-
por argeDtino embaudeirado.
....... l'ig)-^-^B^i -.
Folbas d) Uiile, que lia va no Rio da Prata at
15 de agosto, apenas referem acbar-se diliuitiva-
mente ajustada a queslo de limites entre aquella
repblica e a da Bolma, tragaodo-se urna linba
imaginaria que divide cm partes iguaes o desorto
que as duas vtzinhas pareciam disposlas a dispu-
tar-se por meio das armas.
Por decreto de>6 do crreme mez foram con-
cedidas, em atteneo aos relevantes servieos pres-
tados na tuerra com o Paraguay, durante a inva-
saoda pravtaeia do Rio Crande do Sul, as seguin
tes condec.oraces :
Orden da Hea.Commendadores. o oficial da
mesma ordem, coronel Demetrio Ribetro.
O dita dit >, teneote-corouel Jos da Luz Cuaha.
Ofiiciacs.Ujtenente-coronel da guarda nacional
Vasco Alvos Parelra.
O dito dito de commis*ao, Jeo Nones de Sa' Ta-
vares.
O cavalleiro da mesma ordem, Dr. Jos Mara de
Azevfdo.
Ordem de Ckristo.Gavftlleiros, Dr. Braz Martins
dos Guimares Btlac e r. Antonio de Jesos e
Souza.
..! II.- I ----------------------- ... ,._, *
Como pois, voltaratraz? Como renegar tolo ciado com o titulo de birao doCrsM,
liso n novamente aceoder-n o faeno para alearse licia o Jornal da Commercit
o Incendio? ; O Sr. Dr. Polydoro Ceaer Bnramaqae loi M*
A boa razio raanWas Nnraea a kf. meado presidenta do Paran, $m tmr ititen
Nao era maia a simples tolerancia dos homens cedida a exooeraco d'esse enrgo padMa ptfoSr.
od das ideas adversarlas, fazendo-se |nsltca a conselheiro Andr Augusto de PMta Fiewy.
quem a tivesse, nio era mais a concillacao dos A companhia de Baberlbe foi eoneedTdl, por d8-
partidos, fazendo-se apenas eoocessoOa na parte creto da 14 de agosto prximo passado, autonaacaO
administrativa; ara* as ideas cardeaea, que ao para conttonar a fonectonar com Jiprovaco dos
ch
respectivos estatutos.
I O eocooraeado Mmaiis
correlo.
Pelo ministerio do imperio foram
oafoioieapoasfias:
A'Sra. D. Rooohna Mathildoa de Olivetra, era
aHOaco aos relevantes servieos prestados ao Es-
a cortea 11 do
as
nnlam para nio mais se separaren; era a.dispo
sico das exaforacfei de om o outro lado qoe so
proetamava; ora, emflm, o registro do nasclmento
do lerceh-o partido, qoe se lavtava nu paginas da
Mstoria poltica do paii.
Em todas estas oeceaiSes selemoes, om todos ao
momentos criticos da vida das naoftes, nunca falta
o instrumento proprio para dar movimento ao Us> todo por seu pai, o falleti*) Sr. eonsoMwiro da es-
menso macbioieme. A alavanca de Arcbimodes tado OanOMo Baptisti de Oliveira, a do lOOf ao-
est. Os olhos volum-se naturalmente para ella caaes.
e os mesmos que parela serera os mais obsecados! A Sra. D. Mamona de Frailas, vfnva do teen
sao os prlmelros a dlvisa-la. ; te-corool commaodaaie da 8 corpa da voluntarios
O Sr. conselheiro Zacaras de Ges e Vascon-; da patria, Francisco Flix de Freitas Brrelo, tal-
cellos foi o chee scalhldo da paeidea revotucao lecido em consequeocia de molestias adquiridas na
poinica. I Ktual campanha, a de 96* mensaes, equivalente
Notavet por sana talentos comprovados, qnor na ao sold daqnelia patente,
caihedra magistral, qur na administraoao pobl-1 A' Sra. D. Mara Ferreira da Costa Rubim, vio*
ca, qur em laminosas discassoas da tribnna par- va do capitn do 10* corno da voluntarios da pa-
lamentar ; notavel por estudos profondos em di- tria, Joaquim Frederico Kiuppe da Cunha Rubim,
versos ramos da scieocia jurdica, notavei anda
A poliea nacul>lrii if
II
A conciliaco dos partidos nao fra nma cousa
va, um amalgama de bonicos, o reinado da cor-
rupeo.
Tudo quanlo em-tal sentido se disse na oocaso
e anda depois foi urna calomnia vil de Mimos
ainda mais vis
Em todos os paisas e em todoi os lempos a mo-
deracao, a cordura sao ideas incompreheosiveis
entre os demagogos de quaesquer cores polticas.
O t vce viclis !t > o seu grito de guerra : o
cqnero uao por mira contra mim, a inscripcao
de sna bandeira.
Assim. nao admira a maneira porque reeeberam
essa gente o programma do illalre marquez, cuja
obra grandiosa tanto mais recoabeciara, quanlo
maior era o desespero -o encarnieamento com que
se arrojavam para despedaca-la.
Entretanto, nao fora esse distincto brasileiro
quem laogara a primeira,pedra para a constraccao
de ediflcie. ia' o Sr. visconde de Ilaboraby, de cu-
jas erencas conservadoras poras, e carcter eleva-
do e emiuentemente probo ningaem oosa davidar,
avancara o primjro paseo, apreseotando, como
principio cardeal de sua administraeao, a toleran-
ca e a justiga. Palavras sacrilegas, qoe tantos cla-
mores dH.spertatam.
A conciliaco era urna bella idea, mas aquelle
que a con xando, rep^timo-lo, suecessores, flcando a beranca
sem herdeiroS. Mas conseguir se Iguma cousa,
os homens s trabara reunido, tinham diseultido e
cjnyiviii), haviam^e apertado as mios.
Chepa rn a convlcco de qne os cooser;vadores
r.odiam Hombrear com os liberaes^ de que a adml-
mslracao publica poOia ser ontra cousa que nao
un asslRoar contiMode sentencas; de que libera-
lismo nao qoer dizer anarehla. Vto^e, sem causar
.--.dmiraca-, os Srs. marquez de Olirala e Francisco
-Jiego de Vascnneellos seniareip-se no mesmo eon-
-elbo com os Srs. Souza franco e Jernimo Fran-
cisco Coelbo.
pela sna probtdade de principios, por ara carcter
talvez demasiadamente severo, o Ilustre conse
itielro recebia o basti do oommaodo sem o ler
proenrado, sem ler-se servido da intriga, sem ter
deslumhrado as vistas da moludao com posicdes
aoadenyka, estudadas de anteraao, captando assim
nma popularidade immerectda, que se devia um
dia sumir.
Nao existan por ventara ontros homens de an-
tigos servidos ao credo liberal T
Nao exista algaras dessas eotldades loogameata
Testeadas por acclamacdis populares ?
Nio bavla cabos mais experimentados na guer-
ra?
Quic.
Ministro do gabinete, de qae fora ebefe o Sr.
Itaborahy, baira-se d-oolad e victoriosamente
Contra a chamada opp*siffio parlamentar que re-
pellia a tolerancia e a just|ca ; delegado do minis-
terio 4a conciliaco, fundara ama provine!, fo-
mentando os principios qae sustentara ; rasgando
antigs Iradicoes rejetando um posto a que alias o
chamavam altos Interesaos de sna vida publica,
arcara de frente contra urna almiaistrauo reac-
cionaria.
E, pois, estes precedentes polticos o approxima
vam do partido liberal : sen carcter indivual
adanciva as esperancas que nelle se deposita vam.
Aln disso, deviam-se arras ao lado conserva-
dor.
Homens seas moderados, mais alientos ao bem
do pas* de que ao proprio, depunham no altar sa-
crosanto da patria e do progresa moilas das ideas
que eraore he haviam embalado o peosamento e
encaminbado os passos, para unirem se aos antigos
adversarios, sentando-se na mesma mesa de com-
munhao.
Ao lado liberal, diga se a verdade, nao assstiam
crditos de raoderaco, no fundo das ideas aposen-
tadas como que eedivisavam outras esperando um
momeato dado para se manifeslarem a' luz; acre
dUava-se geralmente na existencia de urna ban
deira, que seconservava occulta, muito diversa da
que se desTraldava.
Por mais segaros qoe estivessem do acert do
passo que davaoa, por mais eonceiio que depositas-
sem na lealade Oe seus novos compaoheiros,
kqoalies homens, qae vinhtm com sed auxilio tra-
zar a cert-za da prxima victoria aos qoe a ella ja
se cocararabavara sem duvida, mas qoe tinham
anda de espera-la, precisavam de alguma consa,
que Ihes robustecesse a f, precisavam de nm ebe
fe garantido peto passado, que garaulisse o futuro,
u Sr. conselheiro Zacaras foi o candidato oppjs-
to ao Sr viscoode de Camaragibe para a presiden-
cia da cmara dos depnlados.
A 21 de maio suba ao pod -r.
Pompiho.
(Jornal do Commercio).
DIARIO DE PEHNAMBUC.
Hontem pela maoba locou Ineste porto o vapor
Cruzeiro do Sul, procedente do Rio de Janeiro,
trazeodo-nos noticias da corte at 17. de S. Pau'o
at 6, de Minas at 11, do Rio Grande do Sul at
7, de Goyaz at 4 de agosto prximo passado, e
de Alagoas at ti do correte.
Rio de JaneiroAs cinaras que haviam sido
prorogadas, ainda at o da 16 do correte, foram
aliuai nesse dia encerradas, como o verio os nos
sos leilores pela acta da imperial sess de eocer-
ramenio da 4* sessoda 12* legislatura da as-eru-
blea geral legislativa em 16 de selembrode 1866,
sob a presidencia do Sr. vUconde de Abaet.
Ao raeio da, reunidos os Srs. deputados e sena-
dores no paco do senado, foram comeados para a
dejuitirao que devia receber a S. M. o Imperador
os Srs. deputados Aristides Lobo, Ferreira Valle,
Jos Caetaoo, Nery, Chaves, Fialho, Fernanies Mo-
reira, Pedro Moniz, Souza Carvalho, Barros Pitneu-
tel^Lopes Nelto, Araojo Barros, Esperedio e Pau
la Souza, e os Srs. senadores marquez de C'Xias,
marquez de Olinda, Cluchorro, Cunba Vasconcel-
los, baro de Pirapama, barao de Maroim. Souza
Ramos, Das de i.arvalho, Parauho* e Sa* e Albu-
querqee; para a deputacio que devia receber a
S. M. a Itnperatriz os Srs. deputados Juuqueira,
Mace.lo, Leito da Cunha e Andrade Piuho, e os
Srs. senadores Nabnco e Araujo Rtbeiro; e para a
deputaco que devia receber a S. A. a Prinoeza
Imperial e a S. A. e Principe d'Eu os Srs. deputa-
dos M.rtraho Campos, Bezerra Cavalcanli, Spinola
e Ratisbona e os Srs. senadores Oltoni e Pimenta
Bumo.
A lucia bora depois do rceio dia, aouunciaudo-
e a ebegada de SS. Aa. a Princeza Imperial e o
Principe conde d'Eu, o Sr. presidente-convdou a
dOBafnelo para os ir receber.
A urna hora da larde annnnclando'se a chegada
de SS. M.M. Imperktes, sahiram as deputa^oes a
espera-Ios pona do edilicio e eolrando S. M. o
Imperador bo salo, foi ah recebido pelos Srs.
presidente e secretarios, que unindu-se a deputa-
co, acompaubaram a mesmo augusto senhor ate
o trono.
Logo que S. M. o imperador lomou assento, e
mandou assentarem-ee os Sr. deputados e senado-
res, leu a segrate falla :
Augustos e tignissiraos Srs. representantes
da na cao.
- No decurso da presente sesso da assembla
geral uenbura acoDteolmento alterou as rea^o's
pacificas do Imperio com as potencias esiraogeiras.
t Os Estados Uuldos da America do Norte do-
rara ao Brasil a mais completa satisfacao por mo-
tivla violenta captura, no porto da Baha, do cor-
sario Florida pelo vapor de guerra V/asudutl*.
t 'Contiuuando anda a guerra, a que o presi-
dente da Repnblica doiParasuay nos provoco,
emprega o governo com esloicu os meios necessa-
nos para desaggravar -a honra nacional, serapre
coadjuvado pelo patriotismo de lodos os Brasi-
leiro.
< O exercilo, a armada, a guarda nacional e os
voluntarios da patria, lera assignalado seu valor
e ditcipUoa por novos e br libantes feitos, que os
recoaiaiecdam cada vez-mais ao recoobeciouenlo
da naco.
fallecido pelo mesmo motivo, a de 60J> mensaes,
equivalente ao sold daquella patente.
Foram apresenlados os seguales padres :
Oiympio Machado Ribelro, da Igreja parochial
da cathedral da diocese de Marianno.
Luiz Terezio da Costa Braga, em um canonicato
que sa aehe vago na cathearal da mesma dtoces*.
Miguel Maaso de Ollveira, na igreja parochial
da Nossa Senhora do Porto do Tarvo, da mesma
diocese,
Manuel Correa Burgos, na Igreja parochial da
Saoia Quiteria, na mosma diocese.
Por carta- iraperiaes da mesma data foram na-
turalisados cidadaos Brasileiros os sobditos Porta-
guezos : Judo Antonio Barabiao, padre Albino Pin-
to Ferreira, Antonio Joaqaim Gaerreiro Liana,
Jos Joaquim Alves a Jo- Mara Rodrigues ; a o
subdito Fraocez padre Paulo Antonio Ottvier.
L-se no Correto Mercantil:
t Consta-nos que resignaran hontem o cargo de
director do banco do Brasil os Srs. Joaquim Anto-
nio Fernandos Pioheiro, Jos Francisco Alves Ml-
veiro e Or. Maooel de Oiiveira Fausto.
Dixia-se lamben) que o Sr. Dr. Francisco de
Asss Vieira Bueno acompanhava nessa resoluc,o
os seus dignos collegas.
Consta que o governo imperial pretende mandar
os eocouracados, Nemetis a Cabral para o Para',
sob o commaodo do conselheiro Joaqaim Jos Igna-
cio, com o lira de prevenir qualquer attenlado da
parte do Per. O Sr. conselheiro sera' nomeado
chee do districlo naval e commandanle da esqoa-
drha
O Comi Mercantil reforiodo-se a estes boatos,
escreve :
Dii-se qae a oossa estaco naval no Para' vai
ser rvforcada com deus eocouracados (ara dos
quies sera' o Nemei,s) o brigue de guerra ilara-
nhae, ele, e que ara disiinclo offlciai de alta gra-
duacao da nossa roarinba ira' tomar o commaodo
da estaco, quaodo nao presidir urna das provin-
cias do extremo norte.
Nao ba mnilo lempo em ara docameoto ofQciai
publicado, se bem nos recordamos, no Diario do
governo, lia-se que grande qnanlidade de arma-
mento e peirechos bellieoos bavia sido receida no
Para.
O governo evidentemente se acautela coatra
qualquer aggressao inesperada, qae possa ser ten-
tada aas nossas provincias septemtriooaes.
Nao temos se ao a dar louvores ao govero" por
esse espirito de previdencia, se na realidade ba fno-
dameoto para taes recelos.
A dolorosa experiencia da guerra do Paragnay
nao sera' perdida para os nossos homeos pobllcos
que desejarem de coracao a gloria e prosperidade
do paiz. Nao oucamos ontra vez as censaras fun-
dadas qae nos foram eitas pelo desprezo. incom-
prehens-vel com qae deixamos armarse om visi-
nho feros e astuta, ao passo qoe nos descuidava
mos no interior das mais simples medidas de pre-
cauco.
Nao se conclua, entretanto, do que acabamos de
dizer, jue des-jamos que se desenvolva no par, o
espirito militar, a ambiguo de conquistas. Looge
dlsso, combateremos sempre essa tendencia fatal,
qae nao se coaduna com a ndole do nosso povo,
cora o estado do paiz, ora os nossos Inluresses e a
posico que devemos querer manter na grande fa-
milia americana.
Se iouvaraos a precaocao contra qualquer even-
tualidade, censuraramos tambem com igual fran-
queza tudo quanlo pudesse parecer ostentaco de
forca, provocaco ou araeaca.
O Imperio brasileiro, eocravado no meio das re-
pblicas sul americanas, excitara" anda, poratgum
lempo, os telos, os receios de seas sasceptlveis vi-
sinbos.
E' natural; nem ha abi que admirar. O tem-
po s destruir' esses preconceitos e cimentara' a
.nlianca de todos os estados americanos.
Por emquanto, a poltica internacional do Bra-
sil deve, era nossa opinio ser, dirigida pela maior
prudencia, pela mais profunda calma.
Por tsso mesmo que somos o mais vasto estado
americano, e aquelle que nispde de mais recursos
depois dos Estados-Unidos, temos o dever de nos
mostrarmos mais moderados, menos suscepliveis,
mais dispostos a conciliaco.
Ha pouco tempo resolveu-se pacineameuie urna
questo que surgi enlre o imperio e o Pn, por
occasio da subida pelo Amazooas dos vapore.- Mo-
rona e Paslaza. Foi intil o apparato de torca que
enlao leve lugar; o governo peruano reconheceu
nobremenle que eslava de nosso lado a razao e ce-
den a persuaso.
Se novas questoes surgem com o mesmo gover-
no, appeliemos novameule para a nossa grande
torca, islo para a torca da razo e da justica que
nos assislem, e ainaa urna-vez inumphara' o di
reno.
Qesejaremos que o governo imperial nao pense
de modo diverso, e que os boatos, a qoe alludimos
ao comecar este artigo, sejam infundados quando
vejara no retorco da nossa estaco naval do Para'
mais do quo urna simples medida de precauco.
O Sr. I' tenente Jacntho M. Paes Leme, foi Bo-
rneado commaiiaute do Cabral,e ja assumio o res-
pectivo commando.
O Sr. Ur. Ambrosio L. da Cunha, foi ncmeado
presidente da Baha em substitnicao do Sr. Dr. J.
Silvoira de Souza, que pedio exooeraco ; e corra
por certo na corte ser o presidente desta pr vin-
cia da Pernambuco o Sr. Dr. Silveira Lobo.
Foi nomeado raerubro effectivo do conseibo na-
val o Sr. Dr. Joaquim Saidanba Marrano.
As noticias commerciaes sao as segniotea em
data de 15 do correle :
Colaroes ojficiaes da junta dos corretoret.
Camtos.-Londres, 2i d. a 60 d/v (hoje), 24 d.
a .90 d/v (hooiem).
Apollces.Proviociaes da 6 / 88 /
Metaes.Soberanos, 10,8530.
AcQes.Banco do Brasil, 180,1 cada nma.
Gennroa. Fariaha do Chile, SifioO por sacco de
200 liona,
Amonio Marques Ferreira, pelo presidente.
Diogo Mac Kinoell Grade, pelo secretarlo.
Venderam-se 8,000 saccas de caf.
Sacaram se sommas menos qae regalares em
cambio sobre Londres a 24 d.
A approxiraaco aos bomens trouxe a approxi-
-naco das ideas, qae depois da morte do Sr. mar-
uez do Paran* parecer impossivel.
A orgamsagao do gabinete de 2 de marco foi o
'stremecirnento dos arredores do vnlcao prestes a
< rom pe/.
O partido conservador fazia nm supremo extor-
-j para novamente apossar-se do governo, alijando
i bomens e as Ideas Jiberaes.
Baldada tentativa.
O conservadores bavlam governado pormnitos]
raos, linbam-se enfraqaecido e essa fra a cansa
igirjaria da tolerancia do Sr. visconde. de Ilabo-
' iiy, da conciliaco do 8r. marqoez do Paran'.
uoranie oto an:ios liberaos e conservadores go-
rnarara juntos, fazendo-se mutuas concessSes,
*ca P ex,ren108 iaM convic8es poli-
As medidas qae eoooedestes ao governo para
.proseguir em to nobre empenbo assim coma para
sctx.-oirer as familias dos bravos qoe tm perecido, ,WJ*. as apolices provinciaes de 6 / 86'/,
na guerra, e os que oo se-r-vco desta se anlisa-1 'ulH de soberanos a 104550.
ram, o mais o teslemunno do vosso zelo pela' Baha.Be.-ta provincia nao recebemos joraaes;
honra do Bracil. j mas nao consta-nos oceurrenoia alguma digna da
As providencias que temastes a bem do me- menco.
iboramenlo do meio circolanie, foram um servifo s- Paulo O novo chefe de polica Dr. Daniel
importante preciado ao pas. AcciaJ de Azevedo, entrara em exercicio deste
Reaiizaram-e felizmente as esperancas de carg-
boa colbeita, na generalidade dos productos da A ^"da de /erro da provincia ja' da' transito
nossa industria. i entre S. Paulo e Santas, ligando a capital ao seu
< A traaquillidade publica em neobum ponto do Prt0 de n,i,r cu extinccSes da distancia que se-
Imperio foi perturbada, o qae devido a indole e lJ8rava tes dous pontos, e Qcaado assim nuilifka-
cresceoto civdisaco do povo. do o espato de vlnte e tantas leguas qoe mediara
Gracas a Divina Providencia a estado da sanie euIre a cidade deS. Paulo e Juudiaby.
pablica e sabsaciorla. Le se no Correio Paulislana :
< Augustos e dignsimos Srs. representantes D Ul"* carU particular do general Ozorio,
da naga escripia de Pelotas, exirablmos o segainte :
Espero que, regreasaodo s provincias de Em todos os combates que o exercito brasilei-
vossa residencia, nio deixaieis de eoncorrer effl- ro leve que sustentar durante o meu commaodo,
cazmenie para qae as torgas brasdeiras nunca uoave para lamentar-se apenas a morte de 920 va-
diroinuam, antescrescao sempre perante o inimlgo, 'entes no campo da peleja e 3,200 feridos.
provando assim quanlo ioflue no animo de nossos Feliamente nunca os nossos bravas foram ven-
concidadaos a legiumdade da causa que defen- cidos, e o inimigo sempre.
dem ; e a barmonia entre ellas, resultado da es-1 Seis mil delles cabiram morios. Mas os seos
crapulosa obsarvaooia p. consUtuicao e das leis, feridos foram em po-porco aos nossos.
va todos os dias realuando as esperancas da nossa \ O grande e continuado prejuizo de oossa par-
patria, sobre ludo na manifestacao do voto naci- te, sao as tantas molestias e a qnuntidade da en-
nal, coja slnceridade indispensavel a marcha tormos que mal se acommodo por falla de abrigo.
At tos de maio haviam 10,400 nos bospitaes,
tote das aoloridades polictaes que providencuram
. capitn, nio Acara' impone um Ul crime.
Box Allanas foi assassioado o collector do smo-
olpto, Morculano de Asss Carvalho; e consunto
de policio o Dr. P. Gulmaries qne as
as para a captnra do dellnqoentoorom
morosos, expedio esse magistrado preeisas e ter-
minantes ordens para que, loase o criminoso preso
Kosoadia lamente.
No Ota 9 installou-se a* assembla provincial,
coja mesa comp3e-se dos segantes Srs.: Frederico
Silva, presidente; F. de Resoode, vtce-presidaole ;
Catatas Bernardo a Assis Martins, secretarios.
Rio Gbandr no Sul. O general Andrade Neves
eslaado restabelecido de seas meommodos, u re-
gressar para o exercito oe Paragoay, aura de as-
sumlr o commando da sao dlviso.
A 18 seguir para Montevideo o vapor Brasil,
que traba arribado ao Rio Grande.
As outras noticias sao destituidas de interesse.
A exposico provincial loaugorou-se no dia 26
do prximo passado com grande soleranidade, en-
cerraodo-se a 30 do mesmo. Uoave grande afluen-
cia de povo a respectiva visiu.
Na ooite de 29 cabira sobre a cidade urna forte
tempestada, acorapaohada de um tremor de Ierra,
qae se flzera sentir por algans espacos, com gran-
de susto da Dopulacao.
Havia fondadas esparaocas da qae o lelegrapbo
que deve unir a capital a' Santa Camarina come-
garia a funeci mar antes de nudo o correte raez.
No Rio Grande havia cansado mullos estragos
a eocbeote do rio Vaccacaby e dos grande* baoha
dos que circulara e culada.
Fallecer enr Pelotas o Sr. Henriqae de Soaza
Gomas, negociante all asUbeleoido ha longos annos.
Nessa cidade fora capturado o criminoso de
morte Benito Lando I f o.
Fora offerecido na snito do 1* da crrante, um
esplendido baile ao Sr. general bario do Nerval; e
proraovra ama subscriocio para acquisico de
ura rico albura, com qne ia ser brindado o illustre
general. O lbum devia eoater ama fellcitagio
em nome do povo paletease.
Em S. Gabriel agenciara ama coramissao, com-
posta de senhoras, a quantia de 1:6215, sfim de
ser distribuida pelos nossos doentes nos bospitaes
de Corrientes. O prodocto desia sabseriegao fra
remeiiido a' Sra. baroneza do Herval, para ser en-
tregue a seu illustre esposo, qae Ihe dara o desti-
no coaveoieote.
Gotax,No de agosto prximo passado abri-
se a assembla provincial.
Abl chegara a 23 do corrate de Malte-Grosso,
onde conlinoava na presidenc a o Exm. Sr. vice-
presidente Albano de Sonza Osorio, a qoem o Exm.
Sr. presidente baro de Melgago passara o governo
na 1* de mam em consequeocia do sea m? estado
de saade e de enrermidade grave de pessoa de. sua
familia, que toe ora muito cbara.
Fallecen a 30 daquelle mez a Exm. Sra. barone-
za de Melgago. Acompaobamos seu honrado es-
poso em soa justa ddr.
Nio occorrera novidade nem na capital, nem
era pane alguma da provincia.
Aa forgas atti reunidas mantinham-se em boa
ordem e em estado de repelllr vanlajosamente
qualquer aggressao do inimigo.
C latea o sotteta qne ha tempo aqu prapalou-se
de terem-se os Paraguayos no dletrito do Miranda
e em Corumba off-recido para render-se.
A tbesouraria de fazenda tinha recebido alguna
snppriroei.tos pecuniarios do ihesouro e esperava
ontros; mas nao sa julgava que fossem su lu-
cientes para tazar face as despezas durante osuito
tempo.
O coronel Carvalho, depois de se ter tongamente
demorado em Cuiaba a pretexto de molestia, resal-
veu se arinal a marchar para o Coxim.
E nqoaulo all asieve nao tralou seno de srs
negocios particulares a exlracgo da poala.
Que militar 1
As ultimas noticias do Coxim do ainda as for-
gas no Rio Negro.
Felizmente parece certo que nao realisou-se a
morte do Sr. brigadeiro Galvo, como divulgara-
ra-se.
As forgas sentiam argente necessidade de ani-
maes muars e cavallares.
No deposito des Bahiis havia exiraordioaria abun-
dancia de vveres e tambem no Coxim ; poucos,
porm, eram os meios da transporte que appare-
ciam para leva-Ios as (oreas.
S. Exc. o Sr. Dr. Franca officiou ultimarr.i n ;
ao ministerio da guerra e as presidencias de S.
Paulo, Mma.-Gerae e Matto-Grosso, ponderando
necessidade de se acudirera as torgas cora anima.--.
anda que sejam simplesraente arreiados, porque
ao presente ba maatimenios, mas nao tropas ou
carros.
A exposlgo provincial lera lugar no dia 5 do
correte, as 5 horas da tarde, uo palacete, com
aquella pompa e soleranidade que os recursos da
provincia permitiera.
E' a primeira festa deste genero que vai ter esta
provincia, nao ser completa, mas assim que as
cousas comecara. Cremos firmemente que a se-
grate ser muito melhor, porquanto felizmente o
geto do radifTireniisrao ja encorara alguma resis
teacia na populago goyana, qu* ebeia de esperan-
ga despreza o passaJu e oili i smente para o futu-
ro, quereodo acompanhar a revolugo doprogresso
e procurando illumioar seu espirito com a luz
brilbante do sol da civilisaco.
Ai,ago\s. Desta provincia nada ha denotavrl,
seuao a conlirmago da iubumago all do nosso
prelado, o Sr. bispo diocesano D. Eraraanuel de
Medeiros, realisada no da 18 do cerrenle.
Foi trasladado o corpo de S. Exc. Rvma. pelas
11 horas da manba da capella ai dente, era qu-
eslava para a matriz de Nossa Senhora dos Praze-
res com acorapanharaenlo de todas as confrari. funccionalisrao publico e numeroso concurso de
povo.
O fretro carregado pelo clero, foi depositado era
um deceote cenouphra, havendo ura cilicio solem-
ne, cuja orago fnebre foi pronunciada pelo Exm.
Sr. Geiuiio v. da Costa,
A matriz cobrio se d: luto, e achava-se cheia de
fiis, apezar de ser espagosa, trajando tambera a
pcpulago rigoroso loto.
As honras militares inherentes a gerarchia de
principe da igreja, foram felas pelo 1 balalho da
guarda naciooal; e M repartig5es publicas e o
commercio encerrarara se por das.
_0 cortio d- S. Exc. Rvma. jaz dentro de um cai
ao de z neo, e este foi ollocado dentro de outro
de madelra; e assim posto em ama calacumba es-
pecial mandada abrir ao lado do evangelho da ca-
pella mor da matriz de Macei
E' este o termo de bito: ,
Aono do nasciraento de Nosso Senbor Jess
Cbristo de 1866, aos 16 das do mez de setembro
do dito anco, nesta cidade de Macei, freguezia de
Nossa Senhora dos Prazeres de bispado de Per-
nambuco e capiul da provincia das Alagoas, na ca-
sa, sem numero, onde se achava residodo na tra-
vessa do Rosario, sobrado confronte a igreja de
Nossa Senbora do Rosario, rendeu a alma ao Crea-
dor o Exm. e Rvm. Sr. D. Eraraanuel de Medeiros,
bispo da diocese de Pernambuco, as 3 horas e 3
guarios da urde do mesmo da, victima de urna
anda a desesperance de salva-lo, mas recelndo-
se a impotencia dos meios teraputica, resolve-
rn) os mdicos asestantes o preparar para em-
balsamaren) o cadver oo paso de sor pwoiaa.
CooUva-se com os recursos do pharmaceutico
o Sr. Falco Dia*; jmu este apecar da seos estr-
eos nio pode alcanear drogas em qaanlldade luffl-
ciente.
t Sua declaracao, porm, velo urde.
i E nao se lando feilo o embaUamameolo por
meio da ragaegao, nio era mais tempo de so tentar
por oo tro meio.
t Desistiram, pois, de ser levado o cadver do
virtuoso bispo para a sua calbodraL
c O bomem poe, a Deus dispoe.
c Elle nos partencia, porque de veras o preza-
mos; emquaeto neo orna ai jmala se lovaotoo
contra o respailo e veoeragio qae Ihe eram devi-
ene.
< Deviamos possnlr suas crazas.
i E as possnimos.
c Trabamos e.-cripto estas linbas do dio 17
Saando velo ao nosso conbecimeBto que o Dr.
reodel, medico allemo, se enearregara de em-
balsamar o corpo de nosso ultimo diocesano, e qae
de fado o conseguir,
i Paramos.
Hoje, porm, veio a Providencia conlrmar o
nosso juizo.
Amaohecea o cadver em estado de potrefac-
gao.
< Esta' orpha a diocese de Pernambuco I
c Praza os Ceas que a substilaicao do Pai seja
condigua.
PERNAMBUCO.
REVISTA OiRt
Da cidade da Victoria escrevem em data de 20
do corrate o segrate :
c Chegou a esu cidade no dia 14 do corrente o
Revm.. Sr. SebastiSo de Andrade Vieira, que foi
nomeado parocho eocommesda^o desu freguetia.
A noite Ihe foi ufferecido um cha por diversas pes-
soas gradas desu cidade, em cuja occasio devisa-
va-se conlentamepto no semblante de todos que
ali se acbavam.
c No da segointe, por occasio da missa, lo-
mou elle posse de sea cargo, temi lido a respec-
tiva proviso o Rev. Sr. frei Augusto, digno coad-
jutor desla freguezia; eVpois do que o oovo viga-
rio prooonciou ura bfilnaate discurso com o que
mbito se la tiste! 0 crestido numero de pessoas
qae cooeorreram matriz para asslstlr ao referi-
do acto.
At o presente todos que teem visitado ao
Revm. Ir. Sebastio voltara saiisfeitos.
c Louvores pois a S Exc. Revma. pela acerta-
da escolha que se dignou de fazer d'aqnel'e illa
tre sacerdote para parocho desta freguezia, e nao
podamos esperar oulra cousa do nosso Ilustrado
prelado. Fazemos votos ao Altisslroo para que o
Revm. Sr. Sebastio viva entre nos por dilatados
auoos, pols em to poneo espago de tempo lera
merecido as sympathias de grande numero de
seus freguezes, devtdo islo s snas bellas qualida-
des, e ao bora cumprimento de seus deveres ; o
que des-jamos todos que contine, como de es-
perar delle.
Continuamos hoje a pobticago.qae encelamos
no sabbado ultimo, do projfcto d lei de recruta-
meotoe do relatorio da sexta secgo da coratnisso
de etame da legislago do exercito. .
Materia importante qae cumpre ser conbecida
por todos, recoraraendaroos a sua leitura.
Depois d'amanha ao meio dia se exlrahir a
o." parte da 2.* lotera a beneficio da matriz de S.
Jos do Rftotte (84*), sendo o maior premio 6:000.
Repartiqao oa polica. Extracto da par
te do dia 22 de setembro de 1866. Foram reco-
Ihidos casa de deteogo no dia 21 do correte :
A' ordem do Ilm Sr. Ur. chefe de polica, Ma-
ooel Jos dos Siolos Leal e Flix Correa de Olivei-
ra, como sentenciados vindos do presidio de Fer-
nando.A' ordem do subdelegado de S. los, Pe-
dro Jos Veneno, para correccinA* ordem do da
Magdalena, Pedro Gomes da Co-la, para correego.
O chefe da 2a scgi', J. Gseno de Mesquita.
Casa de detkncao. Movimento do da 21
de setembro de 1866 Existiam335, entraran) 10,
sahiram 6, existen) 33S; a saber : naciooars 262,
roulheres i6, straegeiros 16, molheres 2, escra-
vos 41, escravas 2 ; tolal 339. Alimentados a
custa dos cofres pblicos 205.
Movi-nento d.< enfermara do dia 22 de setembro
de 1866.
Tiveram balxa : Apolinario Jos da Silva e -Va-
noel Francisco de Salles.
Cbmiterio publicoObituario do dia 18 de se-
tembro de 1866.
Antoaio Manios Milito, Pernarabnco, 4o annos,
casado, Santo Antonio; anazarea.
Joo Carlos Pedro Pinto, Pernambuco,
solteiro, Reclfe; desioteria.
Silvestre, frica, 64 annos, casado, B>a-Vista
thma.
Rosa alaria da Conceigo, frica, 50 annos, sollei-
ra, S. Jos ; hydropesia.
Joanna Maria Magdalena, Pernambuco, 40 annos,
viuva, S. Jos ; hydropesia.
Ursulina Cabral, Pernambuco, 18 annos, casada, S.
Jos; pulmooia.
Manoel. Pernambuco, 2 das, S. Jos ; espasmo.
Mara, Pernambuco, 2 dias, S. Jos : espasmo.
Domingos, Pernambuco, 13 mezes, Santo Antonio;
dentigo.
rsula, frica, 41 annos, escrava, S. Jos; conges-
to cerebral.
19
Manoei Antonio Caroeiro, Pernambuco, 25 annos,
solteiro, Santo Antonio ; phlysica pulmonar.
Jos Alexandre da Cosa, Macei, 36 anuos, soltei-
ro, Boa-Vista ; abeesso. .
Cosme, frica, 60 annos, Boa-Vista, escravo; ab-
eesso oo ligado.
Theotora, frica, 43 annos, Boa-Vista, escrava ;
anemia.
AgOiinno, Pernambuco, 22 annos, Santo Antonio,
escravo ; byrolhoras.
20 -
Alexaodrina Laura Vieira, Pernambuco, 32 annos,
soltelra, S. Jos ; tubrculo pulmonar
Alfredo, Pernambuco, 7 dias, Santo Antonio ; es-
pasmo.
Josepha Mana tvangelisla, Pernambuco, 23 annos,
sol|eira, Santo Antonio ; brira-hite.
Cicllia Isabel da Purcago, Pernambuco, 30 an-
nos, casada, Boa-Vista ; phtysiea pulmonar.
JoSo Biptista, Pernambuco, 3 mezes, Santo Aoto
nio; tumor.
te todas as visiUs activas e passlvas. Depois qoe
*a*rot no.gr,eeo oo. jtoeoao Jolguei poder, sem
penga de desviarme, seguir as piadas de todos
os prelados de orbe eathohee, o nio podando pres-
crevar ato4a retiros garas* Myra todo e clero, te-
nbo em particular ordenado esse retiro a algons
padres, que vejo terem delle maior necessidade.
Eiles se recolhem dorante alguna das n'nma casa
religiosa, onde sao tratados com toda a caridade,
sem coaccio alguma, estae as portas sempre
abertas, a so sa fechando a ooole, como se costn-
ma em todas as casas. Um dalles a quem eu li-
aba por boas rasee ordenado nm retiro de quatro
dias, assentou poder sabir quaudo qoizesse, fazer
suas refeicdns aa casa, recebar visitas &. Pensei
que este retiro nao esuva hejn feilo e ordenei-lhe
que denVrindo sua viagea pora o Amazonas enm-
prisse seriamente a obrigagao qoe seriamente ihe
[Ora imposta. Elle asmo fax, apredaceo-ne e
voltou para sua paroebia, os melnor inteiiigeocia,
munido de faeuldades minhas. As circunstancias
que se sjuntaram sao todas invng5es dos cor.es-
pondeotes aoonymos. Els aqui como tenho pren-
dido os padres.
Fui acensado de lar txporUdc om. Creio qae
se trata de um religioso que ba cerca de cineo
aonos, enviel ao seu superior regular. Este reli-
gioso lob procedido de tal rood qoe eslava at
complicado com a polica, e seas escndalos che-
garam a tal ponto qae eu julguei fazer urna consa
mnilo olil moralidade publica mandando o ao
sen convenio onde estara com mais sojeigio. 8a-
bendo que elle dtzia que me bavia de desobede-
cer, eorrrmuniquei isto ao Exm. Sr. Otyotbo Jos
Meira, ebefe de polica qae eoio era no Para,
hoje muito digno presidente do Rio Grande do
Norle. Aquelle cvalbelro me diss que lomava
o negocio a i e que me nao ioqnfetasse mais a
Ul respeito. Por sua ordena doas guardas de po-
lica foram aeeoropaahandu o paore para o embar-
que. O digoo Sr. Dr. Meira pode dar alUmente
lestemanbo ao que aqu redro.
Eis aqu a Ul deportaco que causou Utnanha
imnresso no corpo legislativo.
Tuina ou nio tralla o Exm. Sr. Dr. Meira direi-
lo de apoiar com a torga a ordem que eu tinha
dado 7 Esta ordem que linba ptr Qm reprimir os
escndalos de um religioso, pondo-o debaixn da
visu dos seus superiores era ou nio justa ? Em
lodo caso obrei com toda a simplicidade e roinba
consciencia esla tranquilla.
Como Dio se articularan) mais aecns. cocs ter-
mioarei aqui, protestando a V. Exc os m<-us nwi
sinceros agradecimenios pela brilbante defeza qoe
fez da disciplina da igreja tao escandalosamente
atacada por om sacerdote oo seto da representa-
gao naciooal.
Queira acceilar Exm. Sr., a expressa de minba
alia eslima e petfelta consideragu.- Illa, e Exm.
Sr. Dr. Jos Angelo Marcio da Silva.
4* Antonio, bispo do Para.
l'ma lagrima.
SOBRO O TCMULO OA EXHA. SRA. O. MARA
FRANCISCA ALVCS, REUTABA O I EMETtRIO
PUBLICO, OFFEREOBA A SUA INCONSOI.AVEL
FAMILIA.


Ella morrea no vico de seas annos
A muda e fra lage do sepuichro
Se fechou sobro o ente esmorecido
Ao despuntar da v, !a I
To rica de esperancas e to chela
De formosura e graga I
annos,
as-
(G. Das.)
Senhores. Nio venho hoje aqni teno para
cumprir om dever sagrado, o dever da amizade,
deixaudo cahir sobre este tnranio, que se entre-
abri para fecharse de oovo, urna lagrima e um
adeus I
Nao sei incensar e nem to pouco espargir flo-
res pela estrada daquelles que procuratn as glorias.
S sei, porm imitar aqoelles que acatando a
modestia, e s leudo em visla lastimar perdas irre-
paraveis, expiimem-se por monlogos, filbos do
corago
Esta que aqui vedes jazeodo nerte, nao vjvea
no mundo como qualquer ente; sabendo erguer-se
sobre o pedestal dos seotimentos mais saos colio-
cou-se altura das almas nobres por suas aegoes,
pode captar a estima de todos que a communica-
vara, por sua delicadeza e modestia, e torrara -se o
protolypo da virtude tendo em vista o temor de
Deas, e obediencia a seus pais.
Apenas cootava pouco raais de tres lustros, e
quaudo a aureola da vida nupcial prucurava cin-
gir-lbe a fronte ; a morte 1 essa ioiraiga das felt-
vi tades terrenas, desecou-lbe a selva da vida de-
xaodo assim immersos na mais profunda dor pai,
irmos, noivo e amigos.
Seohores, se o involucro de soa alma quedara a
beira deste tmulo, sua alma revestida dos atavos
da virlude foi receber a fragrancia dos anjos que
Ibe ac.-cuavara a comparecer presenga de Omni-
potente.
Oremos por ella, qae sua alma candida e pora
robar a Deus por nos.
'Recito 22 de setembro de 1866.
F. de F.
Publicantes a pedido
Pago episeipal, 9 de setembro de 1806.
lllm. e Exm. Sr. Dr. Jos Angelo Marcio da
febro perniciosa apopltica, depois de ter recebido I Silva.Emquanto as mentiras a calumnias, cora
lodos oa sacramentos da Santa Madre Igrej iba- que se procara desacrediur um prelado, escor
lica A,Jostolica Romana, sendo presenciar,. seu rem pelas columnas dos jornaes em eorresponden-
iofaus o passameoto por mim Francisco l'eixolo cas anonyma?, nao parece conveniente que elle
Duarte, parocho desu fieguezia, conego Joio Chri- saia a publico para defenderse ; mas, quando es-
sostomo de Palva Torres, conego honorario da ca-' s>s calumnias e mentiras penetrara al e reclnlho
pella imperial Alfonso da Allraquerque Mello, me-; de um parlamento, e fazem impresso no animo
dicos iissisteoies Drs. Tlramaz do Homflm Espindo- de homens como V. Exc, a obrigagao da defeza
Nw._ J-. Jos de Barros Aecioli Pimentel, Jos Ahtonio', lomase indeclinavel aos olhos da moral e da re-
egi accoes do Banco doBras a Baha da Cunha e Polycarpo Jos de Souza, eo ligio. O Espirito Snto as sagradas escriptnras
pbarmaceuiico Claudino Falco Dias e pelo cloro e no> ordeoa conservar com cuidado ntsso bom no-
cidadaos abaixo assittnados. E para constar man-
de! lavrar este termo. E eu o padre Francisco Pei-
xolo La re, vigano coHado da freguezia o subs-
crevo e assigno, o vigario Francisco Peixolo Duar-
le.Conego arcipreste Joo Cbrysoslomo de Palva
Torres.Cooego Alfonso de Albuqaerqae Mello.
*>r.9) AutoDi) Baha da Cunha.Dr. Thomaz
do Bouafim Espindola.Dr. Jos de Barros Accioli
me, e por isso que, sabendo que V. Exc. tcou
impresionado com o qoe a reepeko do bispo do
Para se disse na cmara, voa dirigir a V. Exc. es-
las palavras pela impreosa, defendendo assim ao
mesmo tempo a honra do ministerio sagrado de
que me acho, bem qae indignamente, revestido.
Fui aecusado de prender padres, em contraven-
sao as leis do pait. V. Exc. vai ver se esta accu
regalar de nossas instituigoes.
< EsU encerrada a sesso. >
Terminado esto acto reiiraram-se SS. MM. Ira-
periaes e Altezas com o mesmo ceremonial cem
qae foram recebidos, e inmediatamente o Sr. pre-
sidente levantou a seso.
0 Sr. Dr- Bernardo Duarte Braado ol agr-
inclusive os feridos.
Em junlio, poneo mais de 8,000.
Minas GeraesDesta provinciaconsu.que acha-
se preso felizmente o preto escravo qoe assasslnou o
capitao Francisco Justino de Carvalho, subdelega-
do do Callas Altas do Mato Dentro 5 e gracas ao
Aprend desde meus tenros annos 00 ensino da
igreja catholica, em cojo gremio nasc e hei de
raorrer, que ha nesta santa igreja ama losiituigo
nrait) boa, muito salaur e por ella cora rosita
iosttoHa rerommendada a todos os seas Albos;
o .Wiro espiritual.
Consiste este retiro, como a palavra mesmo o
dir, em segregar-nos por alguns dias do com-
toerrio do mondo, e recolher-nos na soildo, para
abl. oante de Deas, meditar as verdades eteraas,
discutir os negocios da consciencia, e p6r em or-
Pimeniel.Polycarpo Jos de Souza.Pharmacnu- sago tem fundamento,
tico ClaodJao Falco Dias.O vnjario encommen
dado Manoei Amanera das Dores Chave?.Padre
Ign.cio Juaquim da Cesta.Padre Jas Vieira Mar-
ques.Padre Jos da Aonunciago Souza.Padre
Antonia Jos da Cosu.Padre Tilo de Barros Cor-
r81-Psdre Gelolio Augusto Vespaslano da Cesta.
Padre Pedro Lias de Vascoacellos.Joio Mira-
des Pereira.Jos Aotowo de Magalhaes Bsto.
Eugeoie Jas Naves de Andrade.Antonio lisses
de Carvalho: Jos de Mello Vasconcellos 6*nti\
Seraflm Nuaes Gongaives.Maooel Torqo ie
Ramos.Venustiniano de Araujo Reg. Pos.-Jo-1 dem a nossa vida, cousas qoe, segundo'a religio,
Jtio oe Carvalno Moreira.Jeronymo Jos da Coa- sao mai importantes e necessaras a todo o ho-
ja. Jos de Barros Accioli. Miguel R-iaanx' mem a que nao deixam de ter snas consequencias
uarto.-mbelino Gongaives de Azeved( .-Dr.; boas para a sociedade. Vi depois em diversos
rT, b> e M80 Accioli.-FraBciscoTav,ireaOa paizes eatholicos estes retiros praticados, sobre tu-
Costa.Felicissmo Cynaco Pereira.-BMao dei>- do entre o clero ; vi que urna vex cor anno em
ragoa'.-Joaquim da Cunba Meirelles -1).. Maooel todas as drocezes de Franca OO iSla e de Slrs
Rodrigues Le te 0, ni .-Jos Tavare* da Cost,. paizes o elero obrgado a^on en rar-se d^anU
O Dtano da Alagos escreve e segu,nui 0.to d.af em rasas religiosas, e X sem coramun.
cacao algnma com o exterior, entregarse aos san-
tos esercieos de que- cima falte!. Vi qae nesses
paizes niDguero jamis se lembr^u de aectsar os
bispos de prenderem os padres, ap.jsar de pos re-
galamentos do retiro se probibiren* .expressameu-
0 ultimo bispo de nossa diocese, o Exm. Sr.
D. Manoel de Medeiros, perteoeia a ptOTlneia das
Alagoas: Deas o determinara.
c Afta sunf judicia Dei.
< Tendo-se aggravado seu csta'do, nao luvepdo
Mr. le rdacteur.
J'ai l'honneur de vons prier d'lnsrir, dans volre
estimable jouroal, la premiere liste ci jointe des
persoones qui ont bien vontlut sousenre en faveur
de l'Aigrie, el, en manifesiant la profunde recon-
naissauce dont je snis penetr a leur gard, je ne
saurais oublier de voas remercier de la place gra-
tule que vous mett-z si gnreusemenl ma dis-
pu.-ilion dans les colonnes de volre feuille.
Agrez, etc,
le 'cnsul de France,
Osmin Laporte.
Le cnsul de France...... 1GJW00
Mme. Osrain Laporl...... 10*000
Le cbancelier du consulat..... 34000
Mr- Navarro, commis du consulat 3fin00
Mr. Harismendy....... I0#000
Mine. Mane Harismendy..... 100u0
Produil d'une collecte falte dans une re-
unin de la Societ Israelita de Bieo-
faisance......... 175500
Mme. Sarment. ....... 10*060
C. u'Araujo Guimaraes- ..... 5*000
Juan Buson......... 10*000
Jos Joo de Amorim ...... 10*000
Bentinck W. Doyle, cnsul de S. M. B. 10*000
F. Linden, cnsul suisse 20.000
V. S............ 10*0i'O
F. Sauvage......... 10*000
H. L............ SAOuO
L. A. de Sequeira, cnsul de Belgique. 20*000
Dr. Sarment ( chevalier de la Legin
d'Honneur)........ frs. 100
Dr. Lucan Sarment...... 10*000
P. V. Bouletreau....... 20*000
J. Mendjboure........ 10*000
Caroeiro A Nogueira...... 10*000
Tn. Freiss......... 10*000
F. A. Weglln........ 10*000
Meuroo&C. ..."..... 20*000
Mr. et Mme. Boessard...... 10*000
A. Hyveroal & C....... 10*000
G. de Lailbacar........ lo*00O
Cambroone .... -..... 54000
Vctor Grandio........ 10*000
G. Hervelra......... 10*o00
Lon Chapelin........ 5*000
Silva Corado........ 5*000
Jos Guilnerme & C....... 10*000
MoBteiro Irmos....... 10*000
Meilo Lobo C........ 20O00
Marcelirao J. Gongaives da Fonte. 10*000
Jos Mooteiro de Sequeira .... 5*000
L radon and Brazilian Bank. 4 50*000
Frderic Gautier....... 40*000
F. Monnard......... 10*000
Mme. Lecoote........ 6*000
Adarason, cnsul dos EUts-Bis 2o*000
L Puech.......... 5C00
Charles Ltclerc........ 10*0d0
A. Caors.....*..... 10*000
Francisco I. Pinto ....... W*000
Fehsberto J. d'Oltveiro...... lO*1*0
Balthar & Oliveira....... I"*000
C. B. R........... 10*"00
Stepple (Fernando)...... ^AOOO
Maury, Romaguera Hijo* C *W
L-Pagi.......... **^
Delouche Frres....... .SKoa
Manrer&C......... 1*^
Manuel &C......... J0*SR
BarthobM
Un anonyme
Aolonio de Monra Rolim -
J. Falqae ..-
A. V. S. Barroca
C L. P. Roek, consol de Saede
Anioine DOOoorcq ....
P. J. Layroe. -
H. Welth.......
Wilsoo Hett.....
5*000
5*000
8*000
10*000
101000
10*000
8*000
8*000
J0*fl00>
10*OOQ
.' w


/
r
"\
K
COHMERGIO.
w --- r\%
ana.* _
ftlaf U de Pea.
ve*U-da letra 4 de ftetenfcr* ie 1864.
Nevo bMM de Pernan.
feaco.
O noto 6" descorna letras 4 prazo it qoa-
tro mezes a 8 por cttlo *> oto, e de maisr praie
a 10 por cerno.
0 baict de Periaabnc* faz o
segudtj divioVida te vitfo per ceate
dea sgante lesfiita k Datra e Fran-
eiaee Aiteaie Getreia Gardexe.
faia Filial d* Bae* o Brasil Ptmabic*
aos 13 de jilkv de 18M.
Oe ordem da directora se fas sctonte os seohc-
res aeclootoias que o thesooreiro esta aoterisado a
pagar o 13* divide odo da acefies desta eeixa a r-
elo de 10*.
O guarda linos.
Ignacio Nunes Carreta.
Caia Ilial de banee de Brasil en ftr-
Bmbace 13 re jnlhe de 1866,
A eaixa descoma os saques de sea aceite pela
Uxa de 6 0/0 ao aooo, e sacra sobre a caia filial na
lokia.
Nev Braca de PeraaBibaco.
O Novo Banco fu o 17* dividendo de 51
{i..
ALPANDEGA.
Rendimento do dia i a il......
i do il'a H................
por
467:856*467
50:85717*7

518:7141194
-tioviinerrTO da alpandegaT
Volames entrados com lateada... 143
coa generes... 043
----- 386
Volamos sabidos cea rateadas... S06
j eoui-feeros... 1019
isas
DesearreBam boje 24 de setembro.
Barca togiett tymmttrymercadorias.
Barca francezalean Baptistedem.
Patacbo he-panhol Ijmriano viubo.
Brigue nacionalOlinda charque.
Barca oai.iuoaiSania alariadem
Polaca bespauiula Promptadem.
ALPANDEGA DE~PERNAMBUGO
PAUTA DOS MEQOS DOS QUCMOS SUJBITOS A DIREU0S
M ixpoaTACAO.suum. DI 84 A 19 DO MB en
MtTBMaw dk tees.
iercadoms.

Unidades. Valores.
Abanos........ cento
Agurdente de cana ..... caada
dem restitoda ea do reino >
dem eaxaea....... *
dem genepra......
dem aleool ou espirite de agua-
ardente.......
Algodd em earoco .... arroba
dem em rama ou em laa i
Arroz com casca......
dem descascado ou pilado
Assucar mascavado.....
dem branco.......
dem refinado.......
Azeite de amendoim ou mende-
bim ........eaBada
dem de coco......
dem de mamona ....
Batatas alimenticias .... arroba
Bolacha diara, propria para
embarque....... *
dem fina........ *
Caf bom........
Idra escolhaon resloiho. : >
dem torrado......libra
Caibros ......... om
Cal..........arroba
dem branca ....
Carne secca (xarqoe) ...
Carneiros .......nm
Carra vegetal .....arroba
Carvenas de sicnpira urna
Ora de carnauba em broto. libra
dem dem em velas ... *
Cha..........
Charutos .......aVi
Cevados (porces).....um
Cocos (seceos)..... oento
Colla........libra
Couros de boi, salgados_.
dem dem seceos espichados >
dem dem verdes......
dem dem cabra cortidos um
dem idem de ornea. ....
Doces seceos......libra
dem em gela ou massa
dem em calda...... >
Estaadores grandes um
dem pequeos...... >
Esleirs para forro de estivas
de navio........cento
Estopa nacional.....arroba
Farinha de de mandioca alqueire
dem de araruta.....- arroba
Feijao de qnalqoer qudlidade
Frecbaes .......um
Fumo em lollia, bom arroba
dem ordinario ou restolho.
idem em rolo bom.....
dem ordinario ouTestoIho
Gallinbas ........urna
Gomma..........arroba
Ipecacuanba (raz)......
Lenba em aclias......vento
Toros.........
Linhas e esteios......um
Meloumelaco......caada
Milho.........arroba
Papagaios .......um
Pao Brasil.......quintal
dem de jangada.....um
Pedras de amolar .... urna
dem de filtrar .....
dem de rebolo ..... >
Piassava........matho
Ponas, ou chifres de vaccas ou
novilhos.......cento
Pranches de anarello de deus
costados.......
dem de louro.....
11500
900
800
360
880
900
31815
151300
41000
1500
800
11400
1*500
PEALADO REoIf*
It aKSETlBBe BKttf.
a'OTHBS HO0US DA TAHOE.
Revista acnanal.
. X^JfB,0S- *>accou-se sobre Londres a 15 d. por
10000, sobre Paria a 380 rs. por ir. ; seado o va-
TiS? s*,aei effac 20,000.
^"OAd.Venden-ae o de Pernambaeo de
161100 a 161500 por arroba.
AssucAa.-Veodea se tfmascavado brote a 1*650
a arroba.
AcPAnDtmK.-^TwHeV'se^e^flU0OO a 611000
CourosOs seceos e salgados vendern -se a 160
rs. a libra.
AnRoz.-Oail*do da India venden-se de 31000 a
SIMO a arroba, e o do Maranho a 31100.
Axbiti DO.Veodeuse o de Lisboa a 11700
O galn.
Bacalho.Em atacado renden-se a 141000 a
barrica, e a relamo de 141 a 171 a dita.
Batatas.Vendern -se a 11500 a arroba.
Bolaghibhas.dem a 41000 a barriquloha.
Cari.Veadevj-se de 5*500 a 61000 a arroba.
CuA.-Idem de'11600 a 11300 a libra.
CKRVEJA.-Idem de 11000, a 6*500 a dazia de
garrafas.
Farinha db mandioca. Vendeu-se de 21500 a
4*000 o saces.
Louca. A lagteca ordinaria veadea-se com 310
a 340 por cento de premio sobre a factura.
Mantkisa.Venden-se a ingleza d- 960 a 970 rs.
a libra e a franceza de 540 a 550 rs. a Ha.
Massas.Venderam-se a 8*000 a eaixa.
Passas. -dem a 101000 a dita.
PRKsuirros.-Venderara-sea 161090por arroba.
Quujos.Os flamengos venderam-se a 11300
cada um.
Sarao.0 inglez venden-se a 140 rs. a libra, t
e do Mediterrneo a 140rs.V dita.
Toucinho. -Veadeu-se o de Lisboa a 9*000 par
arroba.
Vinagre.O de Portugal Tendeu-te de 851000 a
1101 a pipa
Vinhos. Venderam-se os de Lisboa, tintos, te
1801000 a 19l)100r>a pipa, e o branca de 108* a
2301 a dita ; e os de entres .panes, tinto, a 170*
a pipa, e o nraoco.de 17* a 185* a ta.
Velas As de eompostco iB-diipnni lu a 600
rs. per pacote de 6 tetas.
Dsscontos.O rebate -de letras regulen de 8 a
9 por cent ao aooo.
fntrrcs.De algodio para Liverpool 3/i d. por
1*000 em primagem, 3/s a- Pr llDra (aa Pr*DS
hydraoliea); do assucar para Liverpool 15/ e 0*/.
per tonelada, para o canal a ordeos 31/ 6 por tone-
lada e 5 /
' !roa da Iotw. 144*000
Casa terrea o.tS. .
Becco to QuBo. '11000
lasa tarrea lis i ~
Patrim*no de irthe
Roa do Sebo.
Cata terrea b. 13......
Roa do Pires.
Casa terrea o. 39......
Ra do Rangel.
Casa terrea a. 08. .... .
Roa da Gula.
Casa terrea a. 17.....
Roa da Lapa.
Casa terrea a. 2......
Roa da Cacimba.
Casa terrean. 10........ .
Roa de Pilar.
Casa terrea o. 108
dem terrea 94.........
dem 103...........
dem n. 105....., .
Sitio do Pomo da Cal n. 0. .
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife 91 de setembro de 1856.
0 escrivo interino,
_______ Pedro Rodrigues de Sonsa.
K
r
116*000
116*000
3oe*eoo
116*008
150*000
83*000
AVISOS MARTIMOS
rV
COMPANHIA PERNAMBUCAiXA
Nayegacie cesleira por vapor,
"hyba, Natal, Macio, Aracaty, Ceara' e
Acaraco'.
" do correte as 5 horas da tarde se-
Hoito X '*W>a, commaodaote Martins, pa-
ne o v*nv r- >. Recebe carga nos das
ra os oorfe* M^n^ 'Utagens e dlnheiro a /reto
2 "J K?ffS&>. '" Mhida: *|?lea e qoarios fi 9** *
LOTERA
IOS OrOOOOOO
Corre depois d'amanhfl
Acham-se venda na respectiva ihesou-
faria. a roa Crespo n. (8, os bilhetes
torio ao Forte do gatee m I. y-----
Paraofiv>SiaeJoSul
''ae.ooal
2* lotera
benefici da matriz de &. ^ do Becife
(4l), #endo a traccSe no lagar e bou
ao costme.
Os premios de .OOOmO at iO^(K>0 e-
Vai sahir coro maM brevidade a sarta ..
200^000 I f int* "0 largo do Corpo-Santu- n. 16*, cea* Mmoei
1681000 'fo'cio de Olivaira h Filhn. ou com o capilao. Hw-
150*080 wto' ** miembro de 18B6V
nico deposito de louca do
Barbalho no Cabo.
Palee de Terco n. 12.
Grande sommento de quartinhas'de todas as
qaalidade,dispara meninos, Ramfas grandes
e peijue.pa, ditos para meninos, vasos para plan-
tar flores proprios pra mandas e Jardins, jarras
bordadas floae, jarr&>s para 6 caneco d'agua, po-
tes para 1 i|l caneco d'agb, resfriadelras, ma-
ringoes, lem mais um grande s^nim-nto de louca
vidrada, caaos lano vjdrad'W como p >r vldrar, o
melbor que ha peste gepero eorfega se '-
qoalqoer eocommenda que Ibeseja feita, as amo"s^
"* mm oo pateo do Terco n. 11, ludo isto A
*woos do que em ontra parte.por ser
. ''icj fcil na nliri* /
vendido por
s qot-m recebe
'"ica feita oa otaria de
A Mima, junta administrativa da Sania Casa
de Misericordia do Recite, manda faier publica que
o dia 17 do crreme pelas 4 horas da tardeoa sa-
la de soas soasos se hade arrematar a quera por
menos flzer a obra da cornija e Ungido da frente
lara o Assu'
O palhabote Gartbaldi pretende em poneos das
seguir para aqnetle porto; a iwtar-se com Tasso
rmao, para o^ogajameoto de carga.
Para
''litros depois da
co esealla pelo Maraabae.
Pretende seguir em poneos das o sopertor e ve-
, tolre naihabete PrrNOMOMccno por ter grande par-
da Igreja da Misericordia em (Xinda e e ladrllbo de !eltde fu. ""to promplo, e per o que Ihe
100 palmos de eomprimenlo e 30 de largura do 1*
sali, de 70 palmos de comprmanlo e 10 de lar-
gara do salae, de 65 de eomprimeoto e 31 de
largura de 3* sale, de 18 de eomprimeoto e 14
de largura da sala contigua ao 1* salan, e de 133
palmos de eomprimeoto e 14 de largara do adre
da igreja.
Os propooeoles deverio apreseotar soas propos-
tas em cartas fechadas, e para melhores esclreci-
meotos podero dirlgir-se a' esta secretaria.
Seereteria da Saola Casa de Misericordia de Re-
cife, II de setembro de 1866.
O escrivo interino,
Pedro Rodrigues de Sonta.
o consignatario Joaqaim Jos
na roa do Vigarto b. 17,1.*
falla trata-se com
Goncalves Beltrao,
aadar.
Rio de Janeiro.
Pretende seguir para o indicado porto, com mol-
la brevidade, o vetelro e bem coohecldo brigoe
Adelaidf, por ter a makTr parle de seo earrega-
ment tratado; e para o pooeo que me falto Ira-
U-se com o consignatario Joaqaim Jos Gooealves
BellrSo, ra do Vigarto n. 17, primeiro aodar.
as o boras da tarde, e os
dto'tribo.^o das li>tas.
As encomiendas serio guara' te at a noite da vespera da extracto.
Servindo detbesourero,
____ Jos Rodrigues de Souza.
-Precisa se alagar urna ama forri ou escrava,
qna enaomirip bem pa orna imilla peqiiena: na
ra da Cadma o. 51 3 andar.
A ina
Maranhfto e far.
MOVIMENTO DO PORTO
Segu com a possivel brevidade para os indica-
dos portos o brigoe escuna nacional Graciosa, ca-
plto Silva Ratis; para o resto da carga qoe Ibe
r%'ta, trata-se com o seu consignatario Antonio de
AJmcida Gomes, ra da Crai n. 13,1. aodar.
lewulado p oviieial.
Peta ejesa do consulado provweial se faz publi-
co qne so dia IB do correte se Boda o praio
iraatoioaik atarrecadaco des imposlos cebra-
dosiaraaviexwwTJto pertencentes ao anao finaocei-
ffaa6Tre 1865 a 1866 fleando sogeitos 'todos os
devedores qoe oo pagarem seas dbitos al aquel- Pretende sahir em poneos das o veleiro e bem
iedia a serem ajanadas. conhecido patacho Santo Antonio, por ter a maior
Mea do-ooostilado provincial de setembro Prte di sen earregaraenio tratado, e para o resto
de 1866. i que 'be falta raia-se coro o consignatario Joaquiro
Antonio Caroeiro Machado Ros, {* Goncalves Beltrao, oa raa do Vigario o. 17,
tahia.
Administrador.
A lllma. junta administrativa da Santa Casa
de Misericordia do Recito recebe proposlas para
arrendameoto das casas aballo declaradas, as
qoaes acbando-se arromadas, serlo arrendadas
pelos precos mdicos a quem se quiter incumbir
IVaeioi entrados no da ti.
Rio de Janeiro 13 iiias, tingue portuguez Cons-
tune /, de 387 tont-Udas, capito Augusto Car- de concerta las :
los dos Res, equipagem 13, carga caf e outros' Estab-lecimentos
gneros ; a ManoeFI. de Oiunra & Pilho. | Ra Oirniu u. 38.
Gnaleguaycha por Rueos Ayres 44 das do pri-1 Cinco Ponas n. 110.
meiro porto e 30 do sogoodo, brigoe hespaahol
Doria, de 141 toaelatas, capillo Jo- Pages,
eqotpagem 11, carga 3,10 quietaos bespaoboes
de raroe; a Tasso Irmo.
Honolul85 das, barca Sandwichiana kokulon,! Koa dos Ceelbos o. 91.
de 550 toneladas, capitao ti. Wilnelme, equipa- Bacco do Abreu n. 1.
gem 18, carga guano ao mesmo capito. Velo
refrescar e >-guio para Patmonth.
Navios sbalos no mesmo dio.
Costa d'Africa Corveta a vapor portugueza Duque
de Palmella, commaadante o capito leselo Jo-
s Mana da Silva Bastos.
de caridade.
Ra do Azeite de Peixe o. 1.
Ra da Moeda n. 37.
Raa dos Burgos o. 1.
Ra do Charol n. 71.
Patrimonio dos orphos.
Raa do Burgos o. 19.
Ra da Cacimba n. 19.
Ruada Guian r9.
Ra do A-nonm n. 14.
Os pr-f tendentes para meihores eeclarecimentos
!. andar.
440
360
Oq
580
3*800
49000
11600
3*500
320
500
11000
31000
lo*000
41000
6 iiO
160
160
100
380
10*000
140OO
360
520
41000
11000
16*000
11000
3*000
5*000
49100
51000
151000
81000
101000
81000
11000
31000
151000
11500
124000
6*000
140
1*500
3*000
61000
0*000
900
800
i*000
160
3*800
libra
10*000
10N
Rap.........IB* 000
Sabio...........
Sal........... .alqneire *00
Salsa parrilha.....arrota 151000
Sebo em rama...... *"955
dem em velas....."*. 71000
Sola em vaqueta.....orna 2**2
Taboas de amarello .... duzia 1401000
. diversas...... 871000
Tapiocas.........arroba
Tatajuba........quintal
Travs.........moa
Unas de boi ......cento
Vassouras de de piassava
Ditas de timb...... >
Ditas de carnauba..... >
Vinagre.........caada
Alfandega de Pernamuco, 15 de setemaro de 1866
ADlTAMMfiKNTO.
Cera de carnauba arroba
Cassueira* de Jacaranda, duzta
Encbatneis......nm
Esteiras do carnauba. ama
Ossos........arroba
Palha de carnauba molho
Peona de ema .... libra
Sapatos de couro branco. par
Era ot sopra.
Approvo Afandega de Pernamhnco,
tembro de 1866. A. Eulalia.
Assigados):
Os !. conferantos, Francuco ie Ponto Goncal-
ves a Stiva e los Miguel de Uro.
ContornieOa.* escriplurao, JoS it A.rtr*rit
Rocha.
RECEBEDORIA DE RENDAS iNtERNAS
GERAdU. fc
Reodroento do dia 1 a 11...... *?:2?2
dem do dia II. .............. 1:800*831
31000
UO00
61000
380
101000
81000
6*400
800
6*400
954000
idWOO
3J0
240
-800
800
11 dse-
11:000*944
Rendimento do da
Idea do da 11
CONSULAOO PROVIRCIAL
l a1l.....
58:2461108
3:661*049
'tiosires
Cabo VerdeBrigoe portugaez Relmpago, capi- poderlo dirigir se secretaria.
to Joo E-pifaoio da Silveira, em lastro. Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
HavreBarca franceza Sanio Andr, epito Pier- ctfe, l de setembro de 1866
Para o Aracaty.
Pretende segolr coro muita brevidade o palhabo-
te nacional Don Amigos, para o restaote da carga
que ihe taita tratarse toe oseos consignatario
Antooio Luiz Marttusde AevedD d G.: no-seo es-
criotorio ra da Cruz n. I, ou com o Sr. Quintal,
no trapiche de atgode.
Para Lisboa.
Sflgnira impreterivelmeote al o dia 1 de oulu-
bro a barca porlogueza Mananna IJ, por ter seu
carregaroenlo ^roropto : para o resto e passageiros
trata-se com os st-us consignatarios Thomai de
Aquhio Pooceca & C, ra do Vigario n. 19, pri-
meiro andar.
Aracaty.
Segu para o Porto, 110 d a 27 do correte, o
hiaie Novo Invenrivrt : para passigeiros e o resto
da carga que falta, tsata-se na ra da Cadeia do
Recife n. 56 coro Silva A Al ves, oa com o mestre
oo trapiche do algodo. MMN
Empreza de iumifta$io a
. az
dlZ *" en>Pr8ar'8 w Previne -lodos o
i eveoores, quer por apparelhos, qaer por cooamo,
I qae ti)m de saldar seas dbitos al 30 de setem-
bro proiimo,*a certeza de qoe, os qoe o nao fize-
rem, tero de ver aa soas cootos entrecoes ao pro-
carador, e posto em eaecoco o art. 8* do regula -
ment.
8clenti0ea atada a roes roa empreza os Srt. con-
snmiores, qae os registro s podem ser abertoe
na labri-a do gax, aonde ba sempre pessoal promp-
alogar om orlado para casa de horoem sotierro a to a eiamoa-los com a roaiirna promptido, e re
tratar a qualqoor hora: na mesma casa vende-se e algom for encontrado, qoe, n'outras coodiedes '
urna linda mucamba parda recolhida,com 14 a-1 ba>a sido. Oca por issosujeitoaartigo achnaeto
nos de idade, ptima para se fazer um presente i do ; oolro sim, por peseo de eonnanca dever ser
anroa noiva, .muilo carroosa para menino, comprado o material, a6m de ene ns oreos na
por esla a isso acostumada.__________________| sejem sobrecarregados, acerca dqne lem esto era-
Angelo Raptisia do Nascimenlo, declara que: P'a feceMdo recia macees.______________
sea fllho Jof Bapiisia do Nascimenlo deixon de A nvktiwv
ser seo caaeiro desde o dia 18 do correle mez. AU [MIDllCO,
Aluga-se o 3* aodar do sobrado da travessa
das Cruzes n. 11: quem pretender dirija se a toja
Preelsa-se de nma ama forra oa capara, para
todo o servico da easa de ama pessea s : na roa
da Cruz d. 13 primeiro andar.
in7N!.0Pr!d!?r d B,s?0 ? k15 ,era ptTa ?' *"* oideinsempr'pssoa'l prompT
alOgar n Arlarla r.ra o--i Aa Iiami. tM. t/, a ... I.. iT-------
omiBgos Martina de Barros Monto, despedie
seu caiiero Victorino Loran da Goto desde odia
do mesmo. *". 18 do correte, por immoral 1*estelltonetario, como
v i t\l.__.i. 00 1 r.---------- Dro** com mrrttos pessogs de --.?'/?.? 9Mmto o.33 Aloja Esperanca, em iransaecdes coramerc..e,r eeonVos apoolf
precisa.se fallar ao Sr. Antonio Manoel Pereira meatoS dn Viaona de Grvala', a negocio qoe o mesuo senhor
nao Ignora.
Precisa-se de um trabalbader na padaria da
roa doRmgei.
Precisa-se de urna ama de leite, paga se bem,
oa ra Imperial, sobrado que foi do maior Gus-
mao.
Preeisa-se alegar om moteqoe de 10 a 12
annos : qaem o liver dinja-se a na eetreiva do Ro-
sario n. II, segundo andar.
4M
^Attenco.
Precisa se de nma ama para comprar, eontooar
e engnmrnar para ama pessoa : na rea de Hortas
n. 16,1* andar.
rot, carga algodo e couros.
Ob-ervacao.
Suspendeu do lama o para Londres a barca
O esenvo interino
Pedro Rodrigues de Souza.
i' scelo. Secretaria da polica de Pernarobu-
Ingleta Chanteclier, camto Frazer, com a roesma C0) 22 de setembro de 1866. Por ordem do lite.
carga que ir.mxe de Yokohama.
A'ocmj entrados no da 13.
Rio de Janeiro e pono* inierrnedios6 dias, vapor
brasileiro Cruzeiro do Sul, de 1,117 toneladas,
cemmandaoie Alcoforado, e differeotesgHQeros ; a Antonio Luiz de Oliveira
A-evedo rV C
Para pelo As- 72 dias do primeiro porto, e 11
do ssgundo, patacho nacional Paraense, de 159
lou-Ulas, capito Pereira Mariano, equipagem
II, carga sal e outros genero- ; a Joaqaim Jos
Goocilves Haltrao.
Rio de Janeiro 13 dia, brigue nacieoil Sania
Cruz, de 216 toa-dada*, capuao Luciano A. da
C >flceico, e,juiua;em 10. carga Ci*f. fumo
outros gneros; a Joa|uun Jos Goncalves Bel-
trao. Cnduz um escravo a eoiregar.
Navios saludos no mesmo da.
Parabrigue escuoa nacional Graciosa, capito
J ag Jim Jos da Silva Ratis, carga diferentes g-
neros.
Bahia com escala pela Abadiapatacho brasileiro
D. Luiz,' capito Jos Teixeira de Azevedo, em
lastro
Rio de Janeirobarca ingleza Wayfartr, capito
Blackford, carga farinha de trigo e milho.
Observaeao.
Fuodeou no tomarlo ama barca ingleza, mas
nao leve corarauoicacao coro a Ierra.
O Dr. Tristo de Aleocar Araripe, official da im-
perial ordem da Rosa e juiz de direilo especial
do comroercio desta cldade do Recife de Per-
narobuco, por su a magettade Imperial e consti-
tucional o Sr. D. Pedro II, a qaem Deas guarde
etc.
Paco saber aos qoe o presente edital virem e
deHe noticia tiverem, que 00 do correle aono se ha de arrematar por venda a
qaem mals der em praca publica deste juizo a ca=s
sita no logar do Poco da Panella, tendo dita easa
urna grade de ferro oa frente, e ama porta no
mei), com dnas janellas de cada lado, sato na
frente, e um gabinete de nm lado, e dona de ootro
lado, com doos quartos e orna sala de jantar e
oulra de engommad, cosinha fra, e mais dnas
puchadas laieraes com dous quartos cada ama,
quintal morado coro algans arvoredos com dous
portdes de ferro, ama cacimba, doos tonques, e
nm repucho, estribara e emeira, e quartos para
pretos precisando de grandes concert?, avallada
por tres nonios de ris.
A qaal fra peohorada por execujao de Galdino
Antonio Alves Ferrelra contra a vluva do Dr. Jos
Maoiede Al ves Ferreira, por si e como totora de
seas fl'nos menores e o Dr. curador geral.
E nao haveedo laoc^dor que cubra o preco da
avatiacao a arrematarlo ser feita peto preco da
adiodieaco na forma da le.
E para que ehegue ao eonbecimento de lodos
mandei oassar o presante qoe sera' publicado pela
iroprensa e afflxado nos logare* do costme.
Eu Secoodioo Heledoro da Caoba escrevente
jurameotado o esrrevl.
Ba Maooel Mara Rodrigues do Nascimeoto, es-
crivo a subscrevi.
Recife, 11 de setembro de 1806.
Tristao de Alencar A
DECLARACOES.
Sr. Dr. chefe de polica, fco poulico que a' tasa
de deieocad foi boje recolhido o prrto Manoel, que
se apreseotou n'esta repsrticao, declarando estar
fugid 1 e ser esciavo do propnetarlo do eoi$enh
Generalj qnal dever solicitar a entrega do mes-
roo e-cravo, mediante documentos comprobatorios
de seu dominio, e pagamento das despezis com
elle feilas. O secretarlo, Eduardo de Barros F.
de Lacerda.
. ~- ii
Pela secretaria da cmara rosDicipal desta
cdade se faz publico que contiouam em praca 00a
das 29 do correte, 1 e 3 de outubro proxtms
viodooro, para serem arrematadas por quero
maior prego offrreoar, as renda maoir-ioaes an-
uoncia i.is para boj-, de.venoo os qne pretenderem
as mesmas licitar, apreseotar suas flaneas de ar-
cordo com a lei da f-wenda nacional, que manda
especialisar os bens aflaocidos ; os que assiro nao
pr -cederem deixaro de ser admillidos na arrema-
taoao.
Secretaria da cmara municipal do Recife 17 de
setembro de 1866.
O secretario,
Francisco Canuto da Boaviagem.
Crrelo geral.
Pela administrarlo do crrelo desta cidade.se
fax publico qoe em virtode da convenci postal
celebrada pelos governos oras Meiro e fraocez, serio
expedidas malas para Europa %iodia 30 do corren-
le pelo vapor fraoeez Guienne. As cartas serio re-
cebidas al 1 horas antes da qoe (r arcada para
a sahida do vapor ; e o joroaes at 3 horas anlfs.
Administraco do crrelo de Peroambuco, 10 de
selembro de 1866.O administrador, Domingos
dos Passos Miranda.
Correio geral.
Pela administraco do correio desta cidade, se
faz publico para tos convenientes, que em virtude
do disp slo 00 arl. 138 do regul ment geral db
correios de 11 de dezerobro de 1844, e arl. 9 do
decreto o. 785 de 15 de maio de 1851, se procede-
r' o cuosummo das cartas existentes oa adroinis-
tracao, pertenceotes o mez de setembro de 1865,
oo da 3 de outubro prximo as 41 horas da ma-
nhaa oa porta do mesmo crrelo, e a respectiva
lista se acha desde, ja' ex posta aos inters-ados. .
Administraco d<> correio de Peroambuco, 22 de
setembro de 1860.O aimtoistrador, Domiogos
dos Passos Miranda.
CORREIO GERAL. *~"
Ralacao das cartas shgdr's viadas do sal pelo va-
por Cmietro do Sul, para oe senhores abaiid
declarados:
Antonio Luiz d >s Santos, Antonio Goncalves de
Albuquerque (MaraehaM), bario do Livramento,
Dr. Clemente de Ouveira M'-o-s, D. Emilia Ca
valraoli de Oliveira, Pirromo Theotonlo da C*ia
ra Santiago, Francisco (iuilb-rine A. Machado, Joa-
qaim Francisco do Espirito Saat},J>ieo Sil veno de
Soaza, Jos Rodrigos de Simza, Jos Leopoldinn
de Queiroz, jVis Antonio de Bit incoar!, Jos da
Silva Luyo 4 C, Luiz Jo- da Silva GatrMraw^
Luiz Munlz, Maia e Espirito Santo. Taeso Irmes,
Dr. Tiburclo Raymnndo da Silva Tavares.
fel admion>ir*caii do ote reto drtrta- ddadd
se faz publico que boje (24) as 3 horas da larde fe
char sbao as malas que o vapor Cruzeiro do Su
tm da condlKir para os portos d > norte. As car
tas serlo adamiidas a seguro at as 2 horas, e o.
jomaos sern rtcebidfls al o meio-dla.
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
Alllm.'joota administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico qne
ao dia 17 do correte pelas 4 horas da tarde na
desuas sesses lera de Ir a praca a ronda das na-
sas abaixo mencionada* para aeren arrematados os
seos alogueres por tempe de om a tres anoos.
O* pretndeme* devale oomparecer teetap0tba-
dos de seos Dadores oo com cartas dos mesmoes.
EsUbeteciaentt ie caridade.
Roa das Cinco Pontos.
Casa terrea a. 108......1311000
Bao Dimito.
Sobrado de 1 andares n. 8. 1:0071000
Roa do Padre Floriano.
Casa torrea .47.......1864000
dem torrea n. 65........ 71*000
Travesead*?. Jas.
Casa terrea n. i 1.......153*000
Roa dea ftoaaaderes.
Casa terrea n. 11......
Raa das Calcadas.
Casa terrea n. 30. ....
dem n. S0V.......
Casa torre 8, 38......
Raa do Eoeaatamento.
^brillodafaidareseantioa. 3. 400*000
s
THEATRO
DE
116*000
174*000
170*000
157*-00
Einui-coim.4.
Recita extraorrUnaH,
Cijo producto *daar da familia do patriota o
Sr. lente corooel Joo Paulo Ferreira.
Terea-frira 2 de seienbre de 1866.
Representar-se-ha n drama em 2 actos
ARTHUR
OU
Depois de 16-annos.
Fiado o drama a Sra. D. Eugenia representara'
a scena cmica.
O ESTUDAWXE
em vesjwra de feijoadam
Dar m ao espeotacuto a comedia em t icio.
Sempre bJIjo primos.
Comear* as 8 borw,
Lili 011.
LEILVO
DE
SENDO :
Um escravo prel enoulo de 17 aodos.
Um dito dito de 13 aooos.
Uro dito dito de 17 annos.
Um dito dito de III annos.
Um dito pardo de 40 annos.
l'm i escrava prela de 30 anuos,
urna dita preta crloula de 30 annos, engeaa na, co-
sinha e cose cora perfeifao, com dnas crias
pardas.
iTm -.vi p.rda de 7 annos.
Um escravo pardo de 12 anuos propria para pa-
gem ou copeiro.
Urna escrava preU de 39 aooos, cosinbeira e la-
vadeira.
Urna escrava preta de 13 aooos, com principio
de tdo.
Um escravo de meia idade proprio para qoalquer
servico.
O agente Martins competeoteraente autorisado
fara' leilo dos escravos cima.
Ter^a-feira 28 do correle.
No armazem da ra do Imperador a. 16, as 11
horas.
LEIUO
Da parte que possuia o tinado Jos Joaquim No-
vaos no sobrado de 2 andares, em chaos pro-
prios sito a roa do Rangel n. 60, conjuntamente
a parte que herdou de seu finado (ilho Jos, am-
bos oaimportani-ide 1O!456*I05 rs., pelo va-
lorvjnrnotorfo tevV> dito'predlo de 18:000*.
CORDEIRO SIMES
a raejoernento do Or. Angelo Hennqaes da Sil-
va iuventariaMe do tinado Jos Joaquim de Novaos
e mandado do Iilm. Sr. Dr. joiz de orpnaos, far
iellSo das partes ido predio cima descripto oo va-
lor de 10:4o6i5l95 rs., o qoal torna-se recommeo-
nave! per ser .-oitnado ha bem poueo lempo, pu-
dendo desde ja ser ezamioado por quem preten-
der, cojo leilo lera' lugar oo da
Terca feira 15 do correte as 11 horas.
No armazem a ra da Cadeia do Recife o. 29.
Esse Individu, que me consta dissera, que eu
roe quena acobertar com falsas allegacdes de qae
trohi trabalhos agrcolas em meo suio (distaot
do Recife urna legua ) uro calomoiador : saiba
qae a mioha pratoyiu dirigida a' cmara muni-
cipal desta cidade smente porque me julgo of-
feodido era meu direito, pelo qual sempre pugnei
com digoidade, e nao pela qtiaotia da mulla : sai-
ba qae leoho trabalhos agrcolas, e nelles empre-
gados alguns escravos, e que a lei nao considera
esses trabalhos someote nos engenhos: nao offen-
da as pessuas : veja que no meu requerimeuto es-
ta provado com a auturidade policial de mmba fre-1
guezia, e com o consulado provincial; e por isso
o Sr. administrador declaron por seu respeilavel
despacho, que o meu vehculo est por lei iseoto
do pagamento do imposto provincial, e de ser nu- i
raerado, tendo-se procedida a's necessanas infor-
macoes : essas autoridades esto a-.ima desse in-
dividuo a qae alludo. Saiba, floalraeole, qoe an-
da leoho os poderes da naco para recorrer, etc.
Mareellino Jes Lo pos.
Contina a estar fgida de^do o da 13 de
m^.hd.?ia?0HProX-mo 5ai5,d0 a^8crava de "- crreme, disiente da Ima urna leguaTco'rrT
me Catbanna, de nacao, idade de 46 annos, preta. as lavouras em estado de cohVita
sotta ra : a pessoa qae a pegar, leve-a a' abaixo
assigdada a' roa da Palma, casa terrea o. 67, que
sera geoerosameote gratificada. __ _rrecisa-e oe orna ama iivre ou escravaypa-
Emiiia Mana da ConceiQo.
Na padaria da roa do Rangel precisare de
doos trabalbadores qoe sejam be desembaraea-
cario oa tendedeira.
Advocucia
SR O bacharel A y res Gama mudon o
M escriptorio de advogado para a ra larga
aac do Rosario o. 16.
ssa*** mwmmsuua
Offersce se nma molher que engoaamae eeeeafaa
para casa de poaca familia : na ra de S. Francis-
co n 2<.________
Precisase de urna ama de leitf, aafa^se
bem : na raa Imperial sobrado que foi do maior
Gusmao.
Arreoda-se o engeobo Caranar moente a
Costnreiras.
trata-se OO
engenho Santo Andr com o reodeiro.
Preeisa-se de nma ama livre ou
ra o servico interno de nma casa de pouca fami-
lia e rnesmo para latan aJguma* compras: oa
Campo Verde ra do Sccego n. 92.
Precsa-se de costureirasque saibam coser qual-
quer obra : na ra do Crespo n. 25, toja de Ma-
noel Dias Xavier.
Furto de eavallos.
Na roa do Rangel o. 73,
caixetro de 4 a 16 aooos.
Na madrugada de domingo 19 do coi rente i
furtarara se doos cavados de estribarla do sobra-
precisa-se de um do o. 2 defronte da estancia: um rodado, alio, o$-
____________ sudo, bom passeiro e esqnipador, enm muitos fer-
ros nos quartos. O ootro rosso com rlloas, can-
da e ps escaros, ferrados as maos, cora a letra
b aa cu* esquerda, trota e gallopea bem. Am-
bos aodam bem em cabriole!: traga ao sobrediio sobrado que ser generosainen-
o raenmpensado.
Atuta-se um arateque proprio para criado :
na raa Direitan. 88, tereelro aodar.
_ pri..i-ao .iuj uoiio sr. Laiz Francisco
ae Barros Reg a negocio de interesse : ni ra
das Croco i'joi s n. 9ii.
Dewja se fallar cora o Sr. Jos J jaquim Cor-
rea da Luz, a neg. ci da seu interesse : no es-
criplorjo d i Manoel Ignacio de Oliveira A Filho,
largo do Corpo Santo n. 19.
Ao cerpo doTonmereio. Chanco* de mankn~hranr*i
-Oeegori.otequeaceiD., um saque do Para 'm/',S "C "*"** OrOTlCOI
em favor de Auusio Carlos de Mello, queira an-; a 140, {%&. 18(5 6 Ud.
ounciar para ser procurado, visto ter-se desenea-, Na praca da Independencia o. 24 e 26.
miohado do correio a carta de ordem, ou eoto' --------------:------r^-----------:::------..
mandar avisos ao anouncunte noconveolo de S. Na fua 'r do Rosario padaria n. 46, ven-
Fraocisco, segundo andar, clula o. 30. ??;!e!L c>"iodro ,Dlel roo" botD Por ba"
Recife, 22 de setembro de 1866.
^_^ Augusto Carlos de Mello.
Precisaae de urna ama para lavar t engom-
mar :na--rua do Sebo n. 35.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da roa
da Senzaia iNova u. 22, ctodo e pintado recente-
mente: a tratar na ra da Cadeia do Recito lojade
ferragens n. 44.
Precisa se alugar um escravo, preto on para
do, para o servico de casa de pouca familia, paga-
se bem, sendo que teoha bom enmportameoto ; a-
travissa da Madre de Deus n. 16.
sa
- Precisa se de urna ama para servico de
na ra da Senzaia Velha n. 112, 3 andar
ca-
De 3 pares de dragonas,- un complete
sortimeate de niiu iezas, ca cos,
inarmquius, couro de lustre e' mui-
tes Mlroa artigas.
Ter^a-feira *5 de setembro.
O agente Pinto tara' leilffo a requerimento do
curador Bseal da massa falMda de Pedro da Silva
Mego e por mandado do Illra. Sr. Dr jaiz especial
do commrrciode todos o- ariigos cima roeociooa-
dos,existentes no armazem da ra da Cadeia u. 51,
aonde se effactuara' o leilo as 10 boras em ponto
dadia cima do.
iiKiijMn#~a(i'
De una escrava de id^de 35 annos.
(fefre lliif
ate autori-adf.ta'leuao da eserava
aada.
rai5 *> correte Is i I toraa
zetn ualda Cideto lo Raclto a .
De movis e antros artigos.
Cordelro Slaaes
per rteu e risco de quem pertencor tora* lelao
de movis aovos e osados, eaodieiroe, louca e od-
-tros-nratns.
Tcca-toira 15 do correte as ti boras.
No armazem a ra da Cadeia 4o Rvctfe a. 19.
AVISOS DIVERSOS
Jos de Uorja Caoinba Rapozo da Cmara,
restdefaM) m'lacao, rio Rio Grande do Norte, e
advogado pr*ttondo, incumbe se, mediante ajas-
te previo, de iiqwdacfis cmamerciaes, nao s a-
queda provincia, como (da delta, as pavonas aun
te quizerem uiilisar de seu presumo, podem 'din
gir-se a* roa da Aurora n. 78, at o dia 15 ao cor-
rente, e deste da em diaoie. poderao enieuder-se
com os Srs. Dr. Gabriel Moars Rapozo da Cama-
ra, ou negociantes Bernardina Joe Mootoiro a ir*
mo; dos qoaes se informaro acercadas babilU
lac,5es e capacidade do ananaewnva.
Paga-te 10i mensaes pelo aloguel de um es-
eravo para carregar (zondas, podwndo dormir em
Bteade tm aeabar : m ra do Ho^ptolo-o 01^
Copeiro.
Precisa-se de om bom copeiro
Rosario n, 37, hotel Traviaia.
na roa larga do
Carvalho A Nogaeira sacam sobre o
Porto e Lisboa : oa ra do Apollo n. 20.
' Na praca da Independencia o. 33,
oorives. compra-se ouro, prata, e pedras preciosas,
e lambem se fax oaalquer obra de encommenda, e
do e aualquer concert.
Precisase de dous amassadores : na roa lar-
ga do Rosario o. 46.
No caes de Apollo n. 57, precitas alugar
dnas escrava- sendo orna cosioneira e ontra qoe
saiba bem eooramar, para pequea familia.
O Dr. Gaetaoo Xavier Pereira de tirito
medico, coetina a residir na praca da
Boa-Vista n. 12. onde pode ser procura-
do para os mlsteres de sua orofls-o. D
consultas todos os das das 6 as 9 horas e
meia da raauha, presta se a ver qoal-
quer doenie fora desla cidade, e continua
a fazer soa especia lidade em partos.
8
Aluga-se
Urna casa em Bebenbe : a tratar com J.
M. Reg, a roa do Trapiche o. 34.
s. d
< Um rapaz de boro comportameoto offerece-se
para caixetro de cobraba ou de assucar, daod
nadara sua conducta ; a tratar da travessa
l0Ja de Concordia o.6i
Trocam^se
Predsa-se de orna ama para casa de pouca
familia : a tratar na raa Direita n. 2, de fronte do
ollodo Livramento, Inji.
Offerece-se ana senhora estrangelr* para co-
sinhar ero casa de hornern solteiro: a tratar no
hotel da ra das Laraageir n. 10.___________
Precisa-se
de um menino de tt a 14 ann*
na
Notas das caixas filiaos do banco do Brasil
praca d* Independencia o. 21.
Coalnhelro
Preclsa-se-deamoom coilnheiro i
wat Moya o. *& _______________________
w pVeVvsa-se d Am caixeiro nacional para urna
toja de calcado, e que tenha pratica do mesmo ne-
gocio : a tratar no pateo da Rabeira de\S. Josf
r. qne seja portu-
guez ou brasileiro para um estabelecimenlo : a
tratar na roa do Nogueira o. 49.__________
1 'O abaixo asslgnado lendo no Diario de hon-
lera a Revista Diaria, encontrn em urna noticia
a tratar na sobre o teutoo da borra do armazem de Reg
Irmo, no noae dedeas Individuos presos por indi-
ciados no crime, nm de Igual neme do seu; por
isso vem declarar que desta data em di-ante assig-
nar-se-ha Manoel Zeferiaa de Salles. Recire, 21 de
selembro de 1866.
Manoel Frontitcode SaUes.
se aloja da ra
f^Senilla' Nova n. 51; aj r
tratar nesta typograpliia. Mudanza de residencia.
A pessoa qoe ihe faltar ama irnxa de roo,'
dando oe agones, e penando as deepvus : dirija-
te a ruada Prala n. 47, primeiro andar.________i
Aluga-se ou vende se ama casa na roa do
Jardim n. 19. propria para qoalquer fabrica, esco-
la, etc., por ter monos comroodos, com doos qun-
ate* e eeefmbas : a tratar o roa da Croz o. 01,
asdex horas da manhaa as quatro da tarde. ,
.35.
Precita-se de urna ama : na raa das Cruzes
Preeisa-se fallar aoSr. Dr. Lnoanaco Aveli-
no : na toja de iivros da Praca da Iodepeoden-
cia o. 8.
Opero annuociou precisar de 5004000 a jo-
tos del por nenio ao mei: querendo dlrija-se a
rana i Pe n. 36 nao achara" com quero tratar.
O De.. RuiArjtit medico-operador e
oculista, formado peto Pacnldade de medi-
dos de Parto e oaprevado pela da anta,
< rnembro titular da Academia Imperial
de medicina oo Rao de Janeiro, iransferio
a sua residencia do n 25 da ra da Cruz
para o o. 23 da &* roa,onde continua
a erercer soa brUssao, especialmente as
molestias de otaos, ctoonvidos e das vas
orinaras : mudos tambera a hora das
sune ceoiottnt, a.*e itaio lugar todeses
das, das 6 a's 10 horas da raauha.
;Cb,fmados por escripto na supradila ea-
\ sa, ra da Crui*. 23.
Wr#WPWl Wnlal
Os abaixo assignados compraram aos Ferrei-
ra & Lopes livre e dasaea&ardvad* .ja-toaerna qoo^
ios mesmo* setnSeres lioham na roa da Concordia
Ib. 61. Recife, 00 rto selembro de 1866.
ae Suva.
ftoraadoatnllT.er^wBtna.se coro loda
g limpeza e promptldio e *_|a>ip barato do one enj
oulra noalquer oarte.
de quaU,
roa 4l Mi 0. *
_nai-
dar snia-
' nio ignora,
_ para feltor
qoe qnlzer dirija-^
-
-
'
mm mA



ii

--....-......i '.....-----
Meato c ieraanMWf aguada lelra 14 ^e fteietabr* 4t *&&-
..
A LEGITIMA
S1LSAFAMILHA
CONStLTOMU WmU
I
i
PA-C SIMII.B
M
DE BRISTQL
PREPRALA MACAMENTE POR
Li\M\ A KEMP,
NOVA YOEK
Composta de substancias, gozando das
propriedades eminentemente depurativas*
-yprovada pelas juntase academias de mt-
dicina; usada nos principaes bospitaes, ci-
vis militares e da marinha as Antilhas e
no continente americano ; receitada pelos
faculta ti vosos mais distinctos do imperio do
Brasil o da America hespanhol __
CURA RADICALMENTE
escrophulas, rheumatismo, escorbuto, en-
ormidades venreas emercuriaes, chagas
antigs, morphoa e todas as molestias pro-
venienttf d'm estado vicioso do sangue.
Emquanto existem varias imitaces e
(lsificacoos. preciso a maior cautela para
evitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CARS & RARBOZA
JOO DA C. BRAVO A C.
Joao da C. Brave & C.
Deposito geral em Pernamoaco ra da
Cruz n.22 em cas de Caros
^D'ETIQUETTA'COR- UEROSA7
100 Ccirlile's
PAISLEY
Os Srs. James Carlile. Sons & C, Bankend Mills,
Paisley, Scolland, leem a lnmra de chamar a atten-
cio doacoasamidores de liaba em ootellos, que el-
los obtiveram medalhas de premio das exposcSes
de Paris e Londres, por soas expolenles linhas pa-
ra coser, e qon, todos os nove los feitos por elle?,
para este aereado, lem do fim de cada maco, orna
Miqaetta branca, na qoal aeba-se gravado o acm
ia firma em cbeio, ama vista da soa fabrica, assim
como desenos das cima mencionadas medalhas,
e qoe cada oovello tem ama etlqaelta cor de rosa
com o aamero, e as palavras Carllle's, Palsley, e
lambem, que qualquer liona de Tambour, manda
da a este mercado, traiendo ouira qualqoer etiqoet
u do qoe cima mencionada, Dio de sua propria
fabrica.
Southall, Mello- & C, nicos agentes eiu Pernam-
baca
Melior, Southah A C, nico agente na Babia.
mmmmmmmmmm m/mn
I Companbia ndelidade de segaros
martimos e terrestres
estabelecida do Rio de Janeiro;
AGENTES EM PIRNAMBUC0 f
Antonio Luiz de Oliveira \ititdo k C. mt
competentemente autorlsados peladlrec- 5
toria da companhia de segaros Pidelida- JP5
de,tomam segaros de navios, mercado- MK
rias e predios no seo escrptorio ra da 2
I Crux n. t. JK
O Peitoral de Cereja,
DO 1JR. AYER,
1*AK.\ A CURA RADICA!. K CER-
TA lo l e t- gar^an, tosw, constipados,
Bromttte, uiu, cdiucoa, roqui-
d.-io. < '<>iithi'i-ia.
Et xarope pelln] 6 o resol-
tado longos unios do catado
por un dos priau-lros mdicos da
Aimrk- do Norte, e de experi-
encia* minuciosas nos prnclpaca
hopi.-wskIo mundo; recritado pelos mdicos mais dlatlncto*
dcste -i-culo na su.- clnica particular, portanio digno de toda
confiaacs, 1, por ter effleaz, aleaaeaado com uina certeza inml-
ivel o nssento 4a molestia e arrancando Ihe aa ralzea, assim
dando aos orgos nfleetados urna necio natural e ai:a, por
ter .nocente e appticarnl a <,uaquer petta de qualquer idiule
oh gexo, ao liomem robusto on crlaoca da mais tenra idade,
cada fiasco sendo aceompanliado de dirreccoea minudoaas:
3", e ultima, por nao ter toa remedio tanto, pola qualquer med-
ico ou plrarmaecutico pode obter a formula da ana composlco,
dlrigndo-sc pessoalraentc ou por carta ao agente geral, II. M.
Laxe, a ra Direita No. lo, Kio de Janeiro.
Muitos cases da scicncia tem sido curados radicalmente com o uso do
Peiteral de Cereja.
As pessoaa tacadas de taj*, deflnxo, Dbr da garganta,
Bronchite, auna., etc., e outros symptomag da tsica prima-
ria geralmente fazem ponco caso do san padecimento at
qne seja tarde para cnra-lo. Nao descuidis d' nma tosse
perqu agora parece de pooea importancia ; nma toase
descuidada cuaga .a ser chronica e indui a forraacao do
Tulirrculo no* pnimes.
Nenhnma casa de familia deve estar aem nrn frasco
dste xaropc i roko- pois nos ataqaes repentinos de
Angina, de Croup, t nos paroxismos do Coqueluche; ou
tosse comprida a tempo de chamar tun medico, nem de faxer remedios, e
esto xarope alivia rmiiediatamente o poe o Dlho querido
sio e salvo, lora de perige.
Aa molestia* que esta a alcance das virtudes curativas
do PjEITOMAX, JOJC UJUtKJA. sao
DO
OR. PEDKO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOS^.
UBICO, PAHTBIA4I B OPEiRmOOR.
3 Hila da Gloria, casa do Fuidao 3,
O Dr. Lobo Moscoso d ouiisuius gratuitas aus pubres lodos O* ias das 7 s 1
loras da mauhao, e das 6 e meia s ti boras da aoite, i excepeo -ios das santificado.
Pharmacia especial komeopathica.
No ffiesno consoltorio ba sempre o mais appropriado sortimeoto de oarteirai
tttoos avulsos, assim como tinturas de varias lymriaiisac5es e pelos precos segoiaiei:
Cartsiras de ii tubos grandes. 12)9000
. de 24 tubo* grandes. i 8,5000
de S6 foos grandes. 240000
i de i todos grandes. 305000
de 60 tubos grandes. 35*9(000
Prepara-se qualqoer carteir oonforme o pedido qoe se fizer, e com os remedio.
qoe so pedir.
Una tubo avulso ou frasco de tintura de mp'a ones 1(5000.
Sondo para cima do 42 custario os prscos estabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequooos cada uro a 500 ris.
Ii I V ICOS.
A melbor obra da boaaeopatbia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. JarS
dous grandes volumes com dicotoaario............ 20000b
Medicina domestica do Dr. Hering........... 100000
Repertorio do Dr. Mello Moraes............ 60900
Diccionario de (eraos de medicina........... 30OOO
Os remedios deste estabetecimento sao por demais conhecides e dispensam por
tanto de serena oovameote recommeadados a pessoas que quizerem usar de remedios
verdadeiros, enrgicos e doradores: ba tudo do melbor que se pode desejar, globos de
verdadeiro assucar do leite, nota veis pela sua boa conservacao, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparacao, e portanto a maio-
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para escravos.
Recebe-se escraTos para tratar de qaalquer enfermidade ou fazer-se-lhe qoalqnm
iperaclo, para o que o annuncianle julga-se suficientemente babilitado.
0 Iratamento o melbor possivel. tanto na parte alimentar, como na medica,
(unecionando a casa ba mais de quatro annos, ba mu'uas pessoas de cujn conceito a n'ai
pode duvidar, qae podem ser consultados por aquellos que desejarem mandar eeu
doentes.
Paga-se 20 por dia durante 66 das e d'ani em diante 10500.
As operaces sero previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aot precn
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
!
BOTICA E CONSULTORIO HOMEOPATHICO
DO
DR. SABINO 0. L. PINHO.
Ra Nova n. 43 (loja de marmore.;
A experieacia tem deroonlrado com a maior evidcLcia que os medicamentos bomeopalblcos
preparados por meio o agitador dynamico sao os qne de;eovulvtm argo mais prompla, mais segara
e mais efflcaz.
E* sera dnviita polo coDhecimento detes resoltados qoe coostanlemeote recebe esta botica en
eommeodas do Rio Grande do Sal, do Rio de Janeiro e da Baha, apezar de hav mu bem soriidas e acreditadas boticas, d'oDde se poderiam tal vez obter remedios mais baratos, atteB-
dendo as dspotas de porte.
A segundado daacciodos medicamentos assim preparados se manifesta al mesmo quando os
glbulos se acham redazidos a massa.
Boticas de 24 tubos.....180 a 260
9 de 36 tobos.....350 a 300
| de48tobos.....350 a 400
> de 60 tubos.....450 a 500
Caixas de medicamentos en glbulos e tintaras.
De 24 tiotoras e 48 tobos. 600 a 700
36 e 60 tobos. 750 a 8J0
48 e 88 tobos. 950 a 1000
60 e 110 tubos. 1150 a 1500
Vende-se igualmente o THESOURO HOMEOPATHICO, obra essencialmente popular pela clareza
com qoe eosina a conbecer as molestias e a empregr (os remedios (2* edico) 300000.
O Dr. Sabino O. L. P. d consaltas todos os dias otis desde II oras da manba at 3 da tarde.
Das 3 horas em diante visita os enfermos em seos domicilios.
Em casos urgentes e repentinos as consultas e visitas serlo reitas a qoalqoer hora.
As consultas por escripto sero respondidas com a maior brevldade, precedendo sempre o tem-
po necessario para maduro exame e reflexio.
riNTOHARIA
AO GRANDE S. MAURICIO
PROCflS&OS AFERFI(OADO
PARA
linglr,] llmpar e lustrar a vapor.
F. A. SAI INRRE & C.
29 Ra 7 de setembro 29
Defrente da rea nova do Ouvidor (Re de Janeiro)
Os oroprietarios deste estabelecimento, o primeiro no sen genero no Brasil, por
trabalbar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e'lustrar, de que se faz uso na
Europa, eajndados poralgnnsdos melh(>res officiaes de Paris o Lyo, podem assegu-
rar seos fregueses urna perfeicao no trabslho, a qual senio pode ebegar pelos proces-
sos ordinarios.
Tiagem, lavam, limpam e riemofam com a maior perfeicSo e brevidade qualquer
qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem moldar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de boraens.
acham-se os seguinUs depsitos
Ite R. B- uniRftfausem Nnils.
Borgogne.
Vinho Porxroard iatn.
> Cort->o tinto.
> Santo Georges tinto.
Chambertm tinto.
Ulrriebourgiiniu.
Clos de Voogeot tinto.
> Chablis braoeo.
De M. A. Wsef em Francfort:
Rbcno.
Geiscnheimer.
Liebfraumilch.
Marcobrunoer._______
Em casa de Tbeod Cbristjan.'.i ,roa do Tra
plrtje-oovo n. 16, orneo gente no norte do Brs'.v
daBrandenburg frres, Bordeaox, encontrase e-'
lectivamente deposito dos artigo seeuintes:
St.Julien.
St. Plerre.
Lance.
Cbateau Loville.
Cbateao Margaox.
Grand vin Cbateau Lafitte 185S.
Cha te a o Lafitte.
Haut Saoternes.
Crrateao Saoternes.
Cbateau Lataur Blancbe.
Cbateao Yqoem.
Cognac em tres qoalidades.
Aieite doce. Precoi 9 Borttmi.
Quero tiver algom moleqne ainda mesmo pe-
queno e qoelra alugar djrija-se a roa Direita n. 47
rJa- '
dwA P.rorMSora 3.* caeeirada fregoezia do
Retira avisa aos pais de soas alamnas e ao respei-
tavel poblico da mesma fregoezia qoe tem transfe-
rido a soa aula aonde lem a matrfcnla aberla, da
ra doV.gario para a daSenaaifa Novan. 43 segon-
LOJA DA FRAGATA AMAZONAS
N. 5 Ru do Qoeimarlo n, *
Monleiro dr Gnimar5es partecipam a todos os seus amigos.e freguezes que rece-
bem de conla propria por lodos os vapores da Europa, fazendas da grande moda, e navi-
dades, para grande e pequeo toilele, e hem assim adornos proprios tara casamentes; pois
seu correesponaente de Paris, na escolia de laes merradorias tem merecido a approvac5o
das encantadoras Pernambucanas.
Luva* de pelica do afamado Jouvim.
^ Fragata acaba de recebei pelo vapor francez Estramadure um rico sortimento
de objetos de gosto, como seja soulembarquer de grs, ricamente bordados e de urna
elegancia tal que as Exmas. senhoras que os lem visto, nao tem deixado de comprar;
cortes de seda para lodos os precos, fo ,lard de seda em < orles de mui lindos padroes,
grosdenaple de todos as cores, fazenda superior e das cores segnintes azul, claro escuro,
verde francez, branco, Havaoa, vilela.
Leqes de madrederola o*tnelhor possivel.
dem de sndalo lambem novidade.
Meias de seia para enanca.
dem para senhora.
dem de Laya para sacerdote.
Chapeos de palha enfeitados para senhora.
Rotondas de seda (fazenda chique.)
Chapeos de de seda para senhora.
Cintos o mais moderno possivel.
Cbapelinhas enfeitadas para senhora.
Cortinados bordados finos.
Colchas de fioissimo damasco de seda.
Saias Mara Pia, eom barras coloridas.
Pecas de entremeios bordados.
Tiras, bordadas, com dilierenles larguras.
Trai sparentes para janellas com mui lindas paisagens.
Aderecosde cristal o m is moderno possivel.
Ricos vestuarios bordados para baptizado.
Coeiros bordados pra crianca.
Enfeites para coque o ra Ihor possivel.
Manguitos e gollas bordados para senhora.
Baldes de arcos e musselina.
Toalhas bordadas de cambria de linbo.
Fronhas idem idem.
Lencos idem idem. -
Bramantes de linho etc.
FABRICA NACIONAL VAPOR
99 itUA 00 MONDEGO 99
Deposito priacipal oa rna Kova n. &0 loja de relojoelro.
Delouche dono deste estabelecimento parlecipa ao respeiUvel publico que tem
montado urna machina de fazer gelo, e que sua fabrica de chocolate poder funccionar
sem interrupcao, ,e para mais facilitar aos Srs. compradores de chocolate temoreanisado
um servico de carro, que andar em todas as roas da cidade, os compradores podero
Os abaixo assignados, vinva e Albo do finado
commendador Jos Antonio Pereira de Brilo so-
breros neira peobrrados pela boodade das pessoas
que concorreram bootem ao offlelo e encerrndo-
lo dos ossos do mesmo 6nado, veem tributar-lhes
publicamente seus sinceros e eternos agradec-
CDODtO?.
Recife, 31 de setembro de 1866.
Antonia Mara de Brito Bastos.
j^^____^_JQf_Anu>nio d< Brito Bastos.
Potassa da Russia
Cbegada ltimamente a ra So Trapiche n. 13
armait.m de M. T. Bastos, por m*

_ Precisa se de urna ama forra ou escrava pa-
ra comprar, cosinbar e eogommar para casa de
pequea familia estrangeira ; na njesma casa pre-
cisare lambem de um criado porlugo.es de idade
16 a 30 annos : na roa Nova n. SO, loja.
THEATRO
Eugenia Infame da Cmara roga a lodas as pes-
soas (|iv- a hooraram com encommendas de bilhe-
les para o seu beneficio que lera' lugar no dia 27
qoe se dignen) mandar busca los.o<*s das 20 e 21'
iodo do crrente, a" casa de sna residencia ra da
Florentina n. 13.
Suciedade
portugiipza
PREgo.
Meta libra......... 40o
Urna libra......... 8O0
Urna arroba........ 19000
de seguros muaos sobre a> ida, fun Jada e
administrada, pelo
BANCO ALLIANCA DO PORTO.
Todo o pai que desejar acautelar o futuro de seus ilbos dev,e quanto antes
azer inscrever os seus nomes na lista dos socios daProvidentepor que, com urna
pequea quantia que, todos os annos para all frapplicando, tirada do 'meto das suas
economas, no fim de 25 annos alcancar-lbes-ha tima fortuna, que por nenhum oulro
meto e com to | equeno desembolso poder oble .
_________Os exemplos praticos de outras sociedades anlogas tem mostrado que:
1008000 pagos auniialmiMile pi Deflunoa, Toaaea, irat, Eaquinancia, BronohiU,
Coqueluche, Tmm ferina ou conruliiv.
Koquldao, Toda aa moleatlaa do peito
e garganta. Conaumpio dos Pul-
mea ea Tiaiea pulmonar.
Acha- ra toda aa Botieat e Br(arlaa do Imperio.
Pilulas Cathartcas do Dr. Ayer
CtTBlo
HELO
As pessoas que quizerem gelo para soir ou bailes, poder5o dar suas eocommendas
ao caixeiro da casa, ou na ra Nova n. 50 aonde tem um deposito. As pessoas mora-
doras nos arrabaldes da cidade querendo levar gelo pela machia, poderao deixar um
caixlo na taberna junio ao porto da fabrica, que acharo na volla suas encommendas
promptas.
Na mesma fabrica ,azem-8e cadeiras franceza de todas as qoalidades, e vende-se mais
barata que aquellas que vem da Europa.
Por um menino de 1
> de 1
> da 2
> de 3
de 4
Por urna pessoa de 15
Km o ao
nos.
Em 10
annos.
Em 15
annos.
9: 7:5(0
7:200
7:1000
7:OO0
7:0005
7:1000
7:20(>5
Em 20 an
nos.
20:0()f5
17:0005
10:0005
15:6005
15:5005
15:4005
t5:60(<5
16:0005
18:0005
Em 25 an-
nos.
17:0004
37:0005
35:0005
34:0005
33:3005
33:3005
34:0005
37:0005
50:0005
*r*mS4> ale waln, IndgelJU, CpmtMpmft; Xhtm-
mtmUmm, Memm^rrhoUUu, Mr ** e**etm, A. Xerrmt-
9i, mml ate e,Um*go, Etutmfueem, mml Os Tiom,
Onetritt, Fe*re gmitro-lnpmtie*,, I^mbriamM. JSrytip.
ttlm, Hmbwfwia, Imerimunu tmf.
W aa BMleafJa* que pnrm do iw euaMro #
O NOVO DESTINO
DO ,
dia a 1 anno.. 1:1005 4:0005
a 2 annts----- 9005 3:0005
a 3 ..... 8605 2:9005
a 4 ..... 8605 2:8005
a 15 ..... 8605 2:7005
a 20 anno* ... 8605 2:7005
de 20 a 30 .....- 8605 2:7005
de 30 a 40 ..... 8605 *: 7005
de 40 a 50 ..... 9005 3:000517:5005
Adraittem-se subscripcoes annuaes de 85 para cima.
Quem pretender subscrever para a Previdenle ou desejar quaesquer esclareti-
mentos e informacoes, pode dirigr-se sua dreccao, no banco Allianca, estabelecido na
roa Bellomonte, ou a Jos Perreira Moutinho. inspector geral da mesma sociedade, mo-
rador na ra da Fabrica do Tabaco n 19, no Porto, eaosageotes do mesmo banco e
sociedade na capital e provincia, qoe tambem darSo prospecto gratis a quem os pedir.
Achando-se de Dassagem nesta cidade o inspector geral da referida sociedade,
promptifica-se, duranteopouco tempo que aqoi tem de demorar-se, a daros esclareci-
raentos que se Ihe pedirem, todos os dias at as 10 horas da manha narna da Crnz n.
I, emeasa do Hlm. Sr. Antonio Loiz de Oliveira Azevedo, onde se acha hospedado.
0 mlhor purgante at boje condecido.
EMcu piUda. aumarmdm, a*, jmrca^u vegUam.
ptraoia js wuncio nx xatraio.
A vabda cm toda. f^fu e Dragarla. *rff MBk,
M. JC UUH, Sp. pmt0 No. u,
Ml9 de Janeii.
Vende-so em Pernamboco:
aa
m?. M4UKEF
RA NOVA N
j
|2S largo de Teree 23.
Sortimento completo dos memores e mais bem escolheidos gneros pertencentea
a moldados; o propriaiario deste bem conhecido armajrem de molhados denominado Con-
servativo participa aos amigos do bom e barato, tanto desta praca como do mato, que ve-
nhao comprar a primeira vez para verem a grande differenca que ha dos gneros com-
prados em outra qualqoer parte, garantmdo-se a superior qualidade de qualquer gene-
ro sahido deste estabelecimento.
Cal de 1. e 2 a sorte a 246 e 200 rs. a libra, e a 65 e 75 por arroba.
Queijos do reino de diversos vapores a 25200, 25000 e 15800,
Manteiga ingleza flor mandada vir por conta propria a 800,.900 e l rs. a libra,
dem franceza de 1/ qualidade a 560 e 600 rs. a libra,
Sabio amarello maca de 1.*, 2. e 3.1 sorte a 240 220 e 200 rs. a libra.
Vinho de diversas marcas J A A e B 4 F. a 400 e 500 rs. a garrafa e 35500 acanada.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa e a 45500 a caada ou 35000 o galio.
Vinho branco de soperior qualidade a 640 rs. a garrafa, o a 45 0 44&00 a caada.
Bolachinha de soda de diversos gostos a 15200 e 25000 a lata,
da miadinho de superior qualidade a 25700 a libra,
rdtn para negocio a 15800, 25 e 25' 00, a vista faz f.
Btqha de pon reinada m.ilo al va a 500'e em barril a 500 rs. a libra.
Mwsfbrof d* gaz a 25100 a grosa e 300 r|*em maco.
.Sitada multo nova a 160 rs. a libra, em percal se far abatmento.
Flqoera8 com genebr de Hollania a 65O0 e 40 rs. um frasco.
Cer?ja do diversas marcas a 560 e m 5000 e 65000 dnzia.
g_a]m destes enero ha outrot muitos .slm como: arroz^ batata*, macas

jeria nH?011!0*i ayjiobiro a vj**.
geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUT0R1SADA PELO RfAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBKO DE f859
Osa latee ea diaieire, depositado nos cafres de estado, garante a boa ad<
iiistracae da ceapaehia.
BANQUEIBOS BA COMPAKHIA i DRECgAO GERAL
O Saneo de Hespanba I Madrid : Raa de Prarfen
O abaixo asignado roga Dcareeidameate a seos
collegas e mais pessoas da sua amsatfe qoe se
digoem assir a urna raissa qoe vai mandar ce-
lebrar ferca-feira as 8. horas da machia na mat-iz
da Boa-Vista por alma de seo sempre chorada
pai, o coronel Tboroaz. de Aquino 0*>rio, por cuio-
favor ser mono agradecido.
___________Maogemgheiro de Miraoda Osorio.
CASA DA FORTUNA.
Aos 6:000t000.
Bllhetes garantidos.
A'RA DO CRESPO N. 23 ECASAS DO COSTUME
O abaixo assigoado venden nos seas multo feli-
les bilhetes garantidos da lotera que se acabou
de extrahir a beneficio das familias dos volunta-
rios da patria, os seguintes premios :
N. 1447 bilhete inieirocom a serte de (JrOOOJ.
N. 1946 dous ociarlos com a sorte de 1:200
N. 2810 meiu buliete com a sorte de 300.
N. 1792 lnlhete iirteiro c&m a sorte de 2005.
E outras multas sortes de 100, 40J e 20.
Os posuiJort-s poiii-m vir receber seos respec-
tivos premios sem o .Iescontos das leis na casa
da Fortnna a' ra do Crtspo o. 23.
Acham-se a venda os da 5* parte da i lotera
(841), a bH. flcioda matriz de 5. Jos do Recifo
qne se extrahira' qaaria-feira 26 do correte. *
Prece.
Rilbetes .... 65000
Meios............ 3itO0
Quartos...^...... 1300
Para as pessoas fie ceapraren e 1005000
paraeiaa.
Bilhetes.......... 55300
Meios............ 25780
Qaartos.......... 15375
Maooel Manas Flota.
5;o<}0$o<)o.
Precisa se de 3:0005000 joros de um por ces-
to ao mez, sobre hypoiheca em om sobrado livre e
desembarazado; quem qoiter pode se dirigir na
roa do Rjaano larga n. 22 qoe dir' qoem quer.
Joaquim Jos Gon^lves"
Beitro
(4 RIA 00 VIG1K10 IV. 474o ANDAR)
Sacca por todos os paquetes, sobre o Baoco
do Minho em Braga, b sobre os seguioles luga-
res, era Portugal......
A-saber: ...
Lisboa.
Porto.
VaJeDfia. ." f ,' t..
Gui maraes.
f'.oiipbra.
Chavf.
Vl!0.
Villa do Con<*f.'
Arcos de Val de Vez. <..
Viann.do Castello.
Pente do Lima.
Villa, Real.
Villa-Nova de Faroelicao.
Lamego.
Lagos.
***** __________
Esta compatha liga pelo systema mamo todas ai combinacd'es de supervivencia dos sea"-
os obre a vida. ^
Nella pode ae fazer a subscripcio de maneira que ea nenhua caso aeaao por morte do
M|orado te perca o capital nem os jaros carresponleotes a estes.
Sao to supral)epdctUAS 9? resultadas que prodoxem as sociedades ala ndole deA NACIO-
NAL,que aiada mesrao dimiaumdo nma terca parte o mteresse produzido ea recentes liquida-
coesecombinaiido-ecoma mortalidade da tabella de Depareieux qoe adoptada pela companhia
Casa para alugar.
Manorl Luiz Vlre, aluga o segundo andar da
ca*a que foi do fallecido deaembargador Rocha
Bastos: na. ra,da Aurorora.
Ajusa-se o primeirr andar do sobrade da
roa do Queimad) o. 26, o pretndeme dirfja-se a
loja_do mesmo, uoicameole para escrptorio.
Precisa se de trabajadores de nadarla- qoe
entend o trauco de pi e bolacha : na roa larga
do Rosario n. 18,
Na roa da Peoha o.. 3, fabrica de cigarros
oomfra-se jornes do Diarto de Pemambuetr, em
pt quenas e maiores peredes.
ear
uffiO. felj3n, e 0U!'*? miitos {que eofedrintio
Escravo fgido.
B5a5SSB^r^w^
V '* _________ _____
de "
:94t500
il:Me#M0
.10:2565000
SA .... 8O:J5e0O
as idades menores de 3 amos e maiores de 36\ os producto sio mais consideravei.
Prospecm e mais ieforraacoM srto presudas pelo sub-diractoi nesta provincia.
>im 9 P'Tva, aCidal a. 61, on Boa-Vista roa da Iaperatriz 0. !S, estabolc
B;t,io loa Srs. Ujfffiagdp, Carics,Leue irmfe.
tido ralea azul, camisa branca e chapee oleado fo
encontrado em direecio a estrada de ferro com-
prado aesta praca ao Sr. Joao Vieira de Sonza '
rogo porlaoio as autoridades policiaes e eanities
de campo, a captura do referid
ser otrpRoe nesu praca ao Sr. Brnno AlvarTfer.
boza da Silva ni roa da Croz n. 45, primeiro an-
!" ','U P 3 f'fec^o enfeoho.-
4r
*


-/
J

I
III.....!-
HFRfVE


*mp
tM
Dllfo d i trnaiaboc SegnJa elra t A > ficteiithro de 1866.

*

ML

Sortimeiilt
esconde e cal
m
Grande va-
nedado do bro*
______ 1 quedos para
fado fraoctz. V 0 cr ancas.
(negaran) aovas bolinas para horaen, seohoras
e nvnina?, luv<.s de pelfea de Joavio brancas, pre-
tas e de ouiras d^lTereules cores, brincos ue ooro
lum Je le com enfeites de crystal, nliiroa moda
de Paris, enfrelos, bactn, beoinU?, chicotes, es-
pelhus. qndtu*, moldura?, esle ioscopo com grao
de soriirnemo das rols piuosescas vistas, realejo,
accordioos, lindas boaecas, carnohos, cabriolis
para cooduiir chancas, cavaliinhos de aodar por
molas para meninos mentar e ootros muios ob-
jeclos francezes que stio ex pistos a vista dos com-
pradoios; na loja do vapor roa Nova n. 7.
Aula de msica
Lydio Purpurarlo Santiago de Oliveira, pr.tes-
sor de mu-ica faz publico que coniinua a leccio-
nar em sqa casa : na rija da Gloria n. 46.______
Precisa-se alugar ama boa cosinheira, pre"
ferindo-se escrava : a ra da Aurora o. 70.
Precisase
alugar um escravo que teoha urlica de. aifaiate :
no paleo da ribeira de S. Jo n. ib\ ______
Aos Srs. padeiros
Pcchiacha.
Aloga-se a padaria da roa dos Pires n, 60, com
foroo, e todos os seos pertences, excellente para
qualquer padeiro que se qneira estabelecer : tra-
la-se na ra da Cadeia a. 67.
eao tote de Carvalbo Moraes, Lulz Alfredo de
Moraes, Jos Canuido de Moraes, major Belarmino
doftego Barros o bacharel Francisco Cerdeiro da
Rocha Caropello, filbos e georos do finado Joao
Jos de Carvaiho Moraes, tendo de mandar cele-
brar alguroas missas e bem assim um memento no
Ora 2* do crrente, primeiro aniversario do fal-
lecimento deste, convidara a todos os parentes e
amigos do finado, e aos seus para assistirera a es-
te pieaoso acto, qae lera lugar pelas 8 horas da
manhaa do mesme da na igreja da ordetn 3*. de
3. Francisco, pele que desde j se confessam sum-
mamente gratos.
NOVO SALAO
DE
CABELLEIREIRO.
Georges, previue ao recpettavel.patilico gue aca-
ba de abrir urna rasa a'ra do Imperador D. 7!,
primeiro andar, e que esta' seropre a dlsposico
dos seos fseguezes ; promplo a fater perneados em
senhoras, cortar os cabellos e encarrega-se de
qualqaer trabalbo tendente a saa arte. Sabbado
22 estera' aberta a* concurrencia dos que de sen
presumo se quizerea otilisar.
recsa-se comprar em segunda inao urna
machina de costura que se acba em bom estado :
quero tiver algunas nestas coodigOes e a quizer
vender dirija se ao primeiro miar do sobrado n.
66 da roa da Croa do Herid', que achara' com
r
Precisa-se de ama ama para o servige interno e
externo de urna casa de urna so pessoa : a tratar
na ra do Torres n. i i, 2-andar.
SEGUIOS
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A compaetiia Indemnisadora, eslabelect-
da nesta (HOGa, toma saguroo martimos ac-
ure navios e seua carcegamentos, contra,
fego em edificios, mercadorias e mobilias::
na ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Irmandade de Sant'Amia da
igrej da Madre de Deus.
Nao se tentio reunido cumero legal de f-
mos na sesso de mea geral, aontuiciadas1
para 17 e i 9 do corrente.denovo sao convida-:
dos todos os membros da referida inaianda-
de a comparecer no consistorio da mesma
igreja seguoia-lera 24 do andante pelas "5
horas da tarde pira o fin j annunaado.
Recife, 38 de -selembro de t866.
O estrko,
Jagtm Francisco 4a Silva Jnior.
N< abaixeassigoados declaramos ao respel"
tavel publico e fuioaipalmente *o -eorpo do com"
mercio que nesta dala disolvemos amipa\elaeole
a-soeiedade partleolar qoe tioharoos na casa ter-
rea a ra da Imperatriz n. 84. fieando o socio
Duarte con toda a responsabilidad* do activa e
pasivi> do mesrpo stabelecimento. tltecife 19 de
setezafcro de 1866.
Duarte Antonio de Miranda.
Jos rfe Bilaucnrt Amargle.
ALUti4^ST
Aluga-w a olaria grande ,do sitio
Hdz: a-tratar na mesma.
Rival sn t-egmido.
Rm do dadmm n. 49.
Qucr acabar can asfaiendiis abi\o
mencionadas.
Qneiram vr ver o que bom e uaralissinio.
Toalhas de labynoiho com ttico, fajeada ba a
35500.
Carrtiehj de liaba m 100 jardas a 30 f*
t>rav4a prUg e do toree mHo flnss so0 r?
Escovas de cabo branco para denles a 208 rs.
Barataos francezes mlio Anos a 200 e 320 rs.
(.aixas de lamparinas para tres mezes a 40 rs.
talxas de brelas de usna muito novas a 40 rs.
Enfladores para esnaitiibo de cordao e fila a 60
ris.
Pessas de filas de eos estrella com 10 varas a 320
i i*.
Hilas largas a 00, 600 e 800 rs.
urtas de alfineites francezes muilo superiores a
IO0 rs.
Carretels de linha Alexandre com 400 jardas a 200
ris.
Pares de luvas de algodo de cores a 320 rs.
Itesmas de papel almaco muilo bom a 2,5500.
Prasco com operlor agua de Colonia a 400 rs.
Ditos de oleo babosa a 320 e 800 rs.
Ditos de dito higiemqne verde a 900 rs.
Ditoa dito Mso a 600 rs.
Ditos de macacar perola a 200 rs.
Ditos de banba muilo flna a 200 rs.
Carias com 12 frascos de ebeiro ilje I 500.
Sabonetes muilo Anos a 60, 160, 200 e 310 rs.
Ditos de bolla mono finos a 240 e 320 rs.
Frascos cero cheiros muito finos a 240 e 500 rs.
Calas para rap com bonitas estampas a 100 rs.
7.j/ bor<,ar ielor do mercado (libr) a
Babado do Porto da raelhor qnalidade a 100,120 e
l0 rs.
Pessas de enlreraeios muito bonitos a 800 ris e
1*000
Calas de palitos a balo a 40 rs.
Miadas de linha froia para bordar a 20 rs.
Varas de cordao para espartilho a 20 rs.
Frascos com tinta rOxa multo boa a 240 e 320 rs.
Ditos de dita preta a raelhor que ha a 320 rs.
Duiia da faceas para sobre-mesa a 4*.
Dita de dia de cabo prete cravado a 3.
Varas de franja branca larga a 200 rs.
i
traude liquidatfio
DB

FAZENDAS BAKATAS
Una da Impera'riz i: f
l.*ia c iirp'ienj da Arara
DI
LCDiCnct) PciiiiP Meodes Goimares.
Cliit.is 20 rs. ocovado.
Vende-se chitas lioas para vestidas a 200 e 2i0
ris novado, corle; de 10 e 12 cavados a 25000
e ?5\00. Ra da fTppra r?. lujada Arara n. 6P.
Madapolao francet a 400 a vara.
Vende-se pcas de nJiiiap lio Irancez de 24 va
ras a 400 rs. a vara ditas em picas a 95600e 105. que 5
Roa da lmperalrlz luja da Arara o. 56.
Algudiiosiiitiu ilo Arara a I;).
Vende-se percas de alc 65, 75 e 85; assim como se vende pecas de ma-
dapolao de 12 Jardas a 45 He da Imperatiiz
n. 56.
Arara vende as colchas a 2$.
Vende-se colchas de listas para cama a 25, ditas
de damasco a 45, ditas de fuslo a 65- Ra da
Imperatriz o. 56.
Madapolao da Arara a 30300.
~ CulL-ticv Hojer
ou
Anodinos electro-tna;netco5 cunta
ulfoes, o para lar litar a dentf
friticas. A at'iiia-t.ratira na na
icado 11. 8 recobe-os pr todos
res fr^ncees.
J3 r-.-lo lao roulierid. s, c lauto se I- m rspalhado
a lao.a uVfes erodiftoses rollare? R< ytr, ^wm
lores desn-rcessafio dier mais alonia ctusa
abono de seos bons e e tffieazes efTKiios -. bat*
lestoniunho de milhaies de pesn^s, qne im ^to
e at>rc vL.|/fr!o o fili;. re-ult^do es-es lao tei-,
qon iircr-.'ati' cellares Ri.yer. A qnr-tidiana e
crescida tuar^J", que \o lendi, mosi a airtda
numero das prodigios se eleva coiaolodos
es romp adores. A agoia l.;r.ra, p lm, desb-
ando cencorrer p.-ra tu Lu ce lai.io a*ro*.u-
meule, 1. m feto os n cessaiKs redldoe.-fararse
por lodos os vapores fraocez-s Ihe seja remet4a
certa quandade de ditos rollare-, t ara assim tor-
n.ir-se infallivel o sornmpnio detles, na loja a"-a-
gma-branca, roa do Queimado o. 8.
Elixir dentfrico e odonttJ-
1
glCO
Pos ilt-nlifeirtis.
conservaco dos denles e geogiva?,
non.
a todos,
toque de mofo a 2 e 25500. Ra da Imperatriz
n. 56.
Mocambique de cores a 500.
Vndese mu^ambiqucs de cores rom palmas de
seda para vestidos, fazeoda nova a 500 rs. o coVfc-
do, lasinhas novas eslampadas e lioas a 400 e 320.
Ra da Imperatriz o. 56.
Ltncos brancos a 55.
Vende-se pecas cores a 35, ditos de linho a ."5 a duzia. Itua da
imperatriz o. 56.
Bramante a 2500.
Vende-se bramante de linho com 10 palmos de
largura a 25500 e 256(0 a vara.Ra da Impera-
tris o. 56.
Arara vende a 3$.
Vedde-se ortes de cassa de papel para vestido
a 85,"ditos -de cambraia de cores e. barras a :5 e
35500, cortes de tarlatana abertcs a 35 e 35500
ditos de cambraia bordada a 55. Roa da Impera-
triin. 5*.
Arara vende lazenda para lulo a i 10.
Vende-se laasinha preta para loto a 440 c 500
rs. o evado, ditas pretas a 200 rs., ditas largas a
320 rs. cassas pretas a 320 e 360 rs. o covaou, al
paca preta a 500,640, 800 e 15 o covado. Ra da
Imperatriz n. 56.
Roupa feita nacional.
Vende-se fraques ae alpaca moito finos a 3$, di-
tos de casemira a 05 e 105, palitois ingles de
casemiras de cores a 14 e 165, palitots de panno
preto a 55, 85 e 105, ditos de brim a 15 e :?, ol-
ca* escoras a 65, 75 e 85, coleles de casemira a
35500 e 45 e outras muitas odias que se vende
muilo barato para aporar dinheiro, lambem se
NovosortlaMatode irwas de Joann brancas, manda fazer qualquer obra por medida. Itua da
pretas e das ais Importantes cores *a actual rae-' Imperatriz n. 56.
. a -
Vende-se p^as de madapolao eofestado a :55'10
45, ditas de 24 jardas a 45, 55, 65, 75, 85 e 105., Pra -
Ra da Imperatriz n. 56. (,as cousas que mais cuidado merece
Chitas tranrAMM a iO se,R duvlJa perfelcao e const 1 vago 6u ^
rs. o covado, Ra da Imperatra loja da Arara veI cibim de hp|[ar f^ J d./f0ia BrWKJ.
1- 1 A k an Esse elliir odonlalgico e anlsrorbotico, iweewae
Laastnnas ta Arara a zU. para todas as affer^oes da bocea. O tan'iago di*
Vende-se laslobas para vestidos a 200,240,320, r;0 desse elixir coro agua, previne a caria dos d**-
400 e 500 rs. o covado. Ra da Imperatriz loja \^t cura as aphtas das gengivas e ?s fortifica. *c*
D- 56. ba o mo haiito, e faz desapparerer o rhetfo des*
Arara vende cortes de calca a ti$l20. 'crda*el que deixa o charuto; M Vende-se corles de calca para homem a 15120 cado poro, acaPa rauidamenie a dor de denles. Efe
e 15000, ditos de cassemira de corns com pequeo pos servero perfeilameole para dar aos dentes a
necersaria brancura e polidez, cooserv: ndo as ge-
^ivas a eflr rosada. O impi'fso que acomoai^a s
cada frasco melhor srieDUiicaii ao coronador que
Vesde-se na praca da Independencia ns. 37 e 39,
capellas raorluarias, as mais bonitas rae ten vio-
do a este mercado, para os stimos das e dia. de
finados se botar as catacumbas e lomlos no> ce-
mHerro publico com as loscripcoes seguiotes :
A mea pal.
A mhma mi i.
A meo esposo.
A mratia esposa.
A meo Brtio.
A miara Alba.
A meo irmao.
A minha irmaa.
A meo amipo.
Urna lagrima.
Amieade.
Saudades.

se dirigir a loja'd'Aguia Branca a roa ilo Queind
n. 8, onde se vendem"orrl frascq- do elixir e oritro
de ios por35000,e separ'-air.eote, este por 1550'
e sqi.' lie por 25000
Fitas de eliamalote
pera a irmandade ilo Bom Conseibo
e cartas de hachareis.
A Agula Rranca na roa do Qufimado o. 8 rree-
beu cxcellente bia de charoalole propria [i&ra a r-
maodad'e do Bom Conselho e carias de-baetiatm
Boct pentes
dourados com pedras e aljofares para
meninas.
Vendem se na roa do Queitoado loja rTAgt ,
Bracea n. 8.
Agilitas
de osso. e matfiw para ctocbet.
Linhas para ditas. E^les objeclos chegara.n uc.
novo para a loja d'Agua Branca ra do Qoeimadfc.
n. 8.
Novos Bfrkes^r&tpos e snlras qualidades.
A loja d'Agua J!ranee recebeu
da crreme, a eHas em quaoto esto frescas e sorti-
ders : na loja >do vapor roa Nova b.7.
Arara vende os baloes a 2,5000.
Vende-se baldes de arcos a 25, ?5500,35,35500
e 45, ditos saias azuladas para senhora a 65 e 7.
Roa da Imperatriz n. 56.
Os oitomil covados demucambique.
Vende-se mogambiques para vestido fazenda
veude-se no inova com raimas de seda, por ser giande porgao
se vende a 600 rs. para liquidar depressa. Rna
tttfassa a 260 rs. a libra,
muito nova-e de suportar qualidade : vend .
escriptorie-de Manee)igoaeio detWrveira 4 FiEio, f.9 vende a 600 rs. |
largo do Cerpo Saalo n. 19. da Imperatriz n. 56.
Os mil cortes de cambraias e tarlaanas.
enfritts crespos psrn Cu^D6s,-aloiw>
s ioteiramecte noves k lliai
Graii^ IiqdaQo de bis-
imira totas com prieeipe Alberto a 15500, ditas!
cera belacbinbas porolas de 2, 4,6 o 10 libras a
15500, W00, 35 5500, ditas com mixide, oval,
victoria, crenle,cracnet, lemon e ootras muas
marca** '1_:Jstte*a Liga roa ova o. 60-
Vende-se cortes de cambraia com barras e cores
e larlatanas a 35, 35500 e 45. Ra da Iinpera-
I Irn n. 56.
Os seis mil covados de la estampada a
um mi m
viteiro do
COMPRAS
400 rs.
Vende-se ama grande poreo de laa estampada
para vestidos a 400 r. f pra acabar. Rna da
Os dous mil cortes de casemira para caifa.
Vende-se corlas de casemira para calca de co-
_. res e prea, por ser grande poreo se vende poi
Cheoo ao anUgo .deposito de.Hoary Fonter & 45500 e 55- So na loja da Arara, e ootras moila^
u, ra primeira. a retamo .por menos proco do que ip oulr que I o. 56.
qner pacte. ---------------^___
RIVAL SOI SEGUNDO
Ra lo tueimado n. 49, loja de
mludezas
DE
Jos Bigodinho
Continua a qeimar todo qoanto tem eai seu es-
ta belecin.coto.
Sylabarlos com estampas para meninos a j-JO rs.
As missoes abreviadas a 15500.
Memento da roupa de lavar a 100 rs.
Cartilha da doctrina chrisla 320 rs.
N>v.-.s carnlhas para meninos a 160 rs.
Bodas de meias muito Unas para senhora a 4>500.
*)iUs brancas e e uas para hornera a M e 45.
AguMias france/.as a halo (papel) a 60 rs.
Pedrat. de loosa (pequeas) minio finas a 160 rs.
Pares de sapaios de tranca e tapete a 15500.
Pecas de lilas de lia de todas as cores a 600 rs.
brozas de boldesde porcelana prateados a 160 rs.
Ditas de ditos de madreperola muilo fines a.600
ris. "
Canas com olchetes francezes a 20 e 60 rs.
Duzas de oieheles de ferro em carto a 40 rs.
Caixas com afcioeiles Irancezes a 80 rs.
Canas de 100 nvelopes moito finos a 600 rs.
Pares de sapates de 13a para meninos a 400 rs.
Prego* francezes de todos os.tamanhes (libra) 240
Vendc-se superior nioho de iLisboa em
barris de 5o, de urna nova marea prepara-
da partkutaimenle pura u nosso clima, por
eonter una peguena.quantidadede alcool'
ompalaar macio eagradavel. eommodo -que muito -convit aos preieo-
dontes, a roa da Cadeia gscriptorto o. 49.
^eiide-se oa aJuga-se
a lugar ao Mosteiro a margen do rio Capibarlhe,'
co baslanw.terreno e urna eccelleote baia cara
capim : a tratar na roa do Crespo loja da esqeioa
O. A
nova j orj >
flo< o^* -
** ,Jdl< ;at
de troldes inteiramecto noves *5"iadr.ve vindo
es.es col.ertos com filis de vidnlhos lisos ;'a>-in
romo r. ceben ootros para o mel da ateca ca-
fHitados ao ultimo gosioBonolt-.n, e outri no
cera-'. Os pretndenos qoe. se dirijam a rua do
Queimado loja d'Ajioa Branca O- 8.
Luvas de camursa
trancas e .amareas para montara.
Vrodfm-se na loja d'Agoia Branca ra doQoei-
mado d. 8.
Escovas fioas
para unbas, denles, ronpa, chapeos
cabellos e pentes.
A loja d'^guia Branca acaba de rceber tai
grande e variado sonimento de escovas finas, sen-
do de cabos de osso, marOro.'baleia e aadre trola
para denles e unlias, ditas cmeoslas de mad. ira,
malo e balea, coro baixos e altos relevos e lla-
mas ma-(heladas com ma-ireperola ecfb.'rtsd*
velludo paia roupa, clupos e cabellos, eifa*
lioaliien'e com cabos de roaddra e modrep, ..t*
para nmpar pentes. Os dirTerente> e coo-modos
prec/.s de todas ellas eslo rm relacao s sui^r^-
rul-..<. das mesmac e vnrf. ."J* U Agua
Qunmado
Tees
' o. 8.
O uro e prala.
Em ras vaiias : comprarse na praca da le
dependencio j. %l, loja de bilbetes.__________ (
Compra-s ouru, prata e pedras preciosa
em obras veihas : na ra da Cadeia do Recife
cja de oorivesoo areo da Cooeaicio.
Compram-sc libras sterliuas
tedependencia o. 1%.
* Compram se moedas
tkggo n. 16, sedar.
na praca da
de 205 na roa do
Caara-se
libras lerlioas: na praca da Indeptndeneia ti.22
LIBRAS.
Comprarse libras esterlinas; na ra -da Cruz o.
I, escriptorto de Antonio Lo Marims de Aze-
vedo.
Compra-w nm escravo de eia Idade porm
roboslo que possa prestar servido; na roa da
Sania Cruz o. 52.
CALDELIS804
da mais nnvae seperior: vende-se mais barata
do que em potra qualquer parte, no4argo do Cor-
po Santo j). II), escritorio de Manoei Ignacio de
Oiivaira.fr Fillio. ___^_
Jgodo da Baha"
Vende-se aa ra do Crespo o. 8 K>ja da esquina,
em perco ea retadha._____________________
Vende-se om sitio junio a capella de Belem,
a tratar amado Imperador n. 81; eaea de Dr.
Diodoro.
-- Vende-se au toberaa na rna Imperial o/
208, com ppeos jautos,
Vende-se oo alug^-se um parda com haluli-
dades, assms eomo urna mulatinha com onze para
de aooos: na roa DireiU a. 38.
. Vende-se um* dazta de cadeiraa de guarni-
lo duas de braco, todas de jooco a milaco de
jaca/anda', com asseotos e eneostos de palhioba,
novas tem uso algum : na roa Augusta o. 96.
Veode-se na fundicio da Aurora lijlos m-
glezes para fornalha (flre brirf) de superior qoa-
lidade e por precc eommodo.
Vende-ae!
roacainas americanas de serrotes para desearocar
algodao : na ra da SenialU Nova h. 42,
Francisco Adolpbo de Varnagem, e a Kuiidacao do
Imperia por Joao Manoel Pereira da Silva : quem
a tlver aaooocie.
VENDAS
fielogios americaaos
o-llii Mova loja 4t relojoeirt-ftO
Acaba de cheair a* casa de E. A. uelouche o
mah bonilq e grande soilimeni) de rfilogiqs ame-
ricanos para sal), escrlptorio. dala de mesa, pira
navio, ih corda de o at diis : rende-se per
prego razoavel, por ter grande poreo.
Vende-se um moleqoe pe^i de 20 anoes : a
tratar a' ruado Moodegoolaria o. 13 das 7 as 10
da maoh.;
Vende se oa roa da Madre de Dos n. 14,
dous Uchos de cobre proprios para refioacao.
- Vende-se orna eicrava boa cosinhelr, l.va-
deica e QUitandelra, 2 lindas erioalas idade 15 a
16 annos, urna escrava para todo o servic i. doos
esrrav para j sprvo > de campo ; pa iravessa
<1- Cfiu U, 1.
cal de Usboa
da mais nova e superior: vendem por barato pre-
co Campos i Sobrinlio, a rna do Imperador nu-
mero 28.
8alazater.
Vende-se o mais novo vindo dos Estados-Unidos
a 400 rs. a libra : pa padaria da ra Direita nu-
mero 84.
GGAZ
a 400 rs. a garrafa :|s na Liga.
Yuhe cafares.
O vmlio colares o mais superior de lodos es
violtos e preferivel nosie paiz pela sua fresqaidao
a agradavei paladar, vende ae a 6*000 a dnzia :
no armaiem da Liga, ra Nova.
. Veode-s i Mtnte.v i'bjeetos ,-de/|aairia :
ami masseira- urna lndeira, nm baicao,.uja ba-
lanca grande, urna d'ta pequea, amb^s com seos
pesos completo, hilhadore e Juradores : a tratar
oa roa Angosta a. 114. _________________
Vende-se orna mulata oxea qoe sabe eoter,
engommar e eouohar perfeilamenie. bem aadia :
quera quizei comprar dinja-se ao pateo o Terco
n.40, achara' com quem tratar.______________ |
" Bolacha a 1,600. 1
No arroaiemdo larfoda Asserobta n. l.vende-SP
b licha !m bichos a |5ff00 a arrn^, assim co-
mo barrica* de (triDd 'k I ij > a C5 a barrica.
ris
Resma de papel de peso branco liso a 25.
Frasco com superior tinta a 100 rs.'
Grosas de pbosphoros de gaz a 2200
Pareaebotoes de ponho muito bonitos a 120 rs,
Linhas em eario de 200 jardas a 100.
Careo de soperior linha do gaz com 50 novellos a
00 rs.
Caias de pos de arroz moito fino a 800 rs.
tul.eiras de conta para meninas a 320 rs.
Talheres para meninos a 240 rs.
Ca i a com superiores iscas para charutos a 20 rs.
Masso com superiores grampos a 30 rs.
Orosas de peonas de ac mullo lioas a 320 rs.
Bonets para meninas a 15.
Penie6 com costa de metal a 400 rs.
Capachos compndos e redendos a 500 rs.
Lanas com soperior papel amisade a 600 rs.
Realeras para meninos a lO rs.
Colla

Superior e verdadeiro vinho Collares da
bem cohecida marca Dejante & C, em
caixas de 2 duzias de garrafas.
Os apreciadores desta exceltente <|ualida-
de de vinho o acbarao no nico deposito a
rna da Cadeia n. 49.
- Ve ^dem-se dous escravos um mnlato claro
marcineiro, idade de 30 annos penco mai ou me-
nos, e ooiro cabn escuro, seno flkio, idade de 20
annos. ambos sadios e de boro comporlamento a
tratar na rna das Crozes n. 11.
Na armaiem de hizeodas baratas de
Si-nas Caelho, rna da Qeeimado
o, 19.
Vende-seo siguite :
'chincha.
PeV|M madapolao loo enfeaiado pe baralis.
PORTO
, 7,{*0*> Pwto agarrafado:
Rainna Estephaoia garrafa 35000.
Lagrima Christy garrafa 35000.
Ma'vazio garrafa 25500.
Poslwelo garrafa 25500.
Porto engarrafado a 25, 15500, l*, tW e 640
jarrita.
tk .Va p.CO, rm-iem Ja Liga.
bordadas .para chapea*^- enhera.
Vendem-se na. loja dff-miudezas : ,;r, doOt-^-
mado o. 1G.
Peales domados Iravessas para mem.. *.
Na loja de iniud vendem-se benitos pentes rtr.u,ados para memoa,-,
nido entenados p. ni a'jofarcni-pedros.
Laa lina pata bardar, novo e bonito sortimfDlode
cores vivas.
Veude-se na loja de miudezas. a' ra do Quei-
mado n. IG.
Bonitas caiinbas com msica e sm ella-
.va loja de miudezas a" ra do Qoeimado n. 16,
vendem-se bonitas caxinhas-com msica^ e sem ti-
la, e todas enm arraojos para costura, e or pt .es
lao commodos|que o comprador nao lera' aue eai-
tar.
Para montara, superiores lavas camursa anarrJ-
las e brancas.
Vendem-se na loja de miodezas: a' ra do Que*-
roaoo n. 16.
Knfeiies crespa, e entras do ultimo gssta.
A luja de miudezas, a' rna do Quelmado n. !
recebeu bonitos enfeiies crespos, o que de roelhor
lem vindo nesse genero ; assim como oolros mo-
dernissimos com Bus, bieos e aljofares, obra de
muilo gosto proprios para bailes, ibeatres, pasaras
etc. os pretendentes que. se dingirem a' loja de
miudezas. a roa do Quelmado o. 16, goslaro de
comprar lao boas obras, e por precos razoavels.
Bem papel peaueae e aaveleoes.
A loja da miodezas! a' ra do Qoeimado n. 16,
esta bem provida de papel de todas as qualidades,
-endo: almasso.greve, liso, e paulado com 33 i<-
ohas dito de peso tambera liso e pauarJo, dito em
caiinbas, sendo: liso, panudo, de quadrinhos de
cores, de beira doorada, e tarjado de f reto: ass
como envelopes proprios para esses papis:
pretendentes que sedirijam a' dlu loja, a' roa de
Uuermado n. 16, qae serio bem servidos- peia boa
qualidade de papel, e commodldade dos pracos.
bapenor Uta eoearnada e rhamalelada per ambei
os ladas, pripria par cartas de Induris, -t
a irmaadade de llom Conselbo.
Vende-se essa superioi u na loja de miudezas
na ra do Queimade n. 16,
Notos e botutos cintas para- senheras.
Na ra do (Jaeimado loja de miodezas n- !t
vend. m se novo e bonitos ciatos para senhora*,
Ttnlura inglea para faier os cabellM caalos.
A apreciavel tintura hem conheclda por HoiM
Wa'er, apreciavel de L. Marques, e a aprecia wk
te Lhromacome : vendem-se na rna do Qoeimad*.
loja de miudezas o. 16. -
ees*-
\
i .i. n*
-..i
f
Deposito de pao e
tas.
Ra larga do Rosario o. 36.
A este eiubelecimeoto acaba de ciiew a3*r
messa do correte aooo.aoual ecnsiste emlier-i
de palha para creancas, bereinbes para boneci
balaras para meolnos aprender a andar, ditos d,
esto branca e de viroe de cores para costura
tos para deposito de palpe! rasgado dos escrii.-
nos, ditos para deposito de toupa soja, ditos*de oV
??T ltarF,M, n Jotfft*i -*'* ir
de fanlia. ditos de pe para fr*ctas sobre*
mesa, d.t* para Linho- de canarios, condecida!
de yaraada oa tampa para eneber de doces seo-o*.
acrales brancos, coroprido* e edoodos gratlaadoi.
condegas altos o barias tjradortac, bandeja 4s
vime para roupa engommada e flores, cesias de ar-
co grande e pequeas para compra, maraca': o*
palha, grades para pegar percevdos; e nutras. rou
Us yiras da pallp, gr*u e vm#, bem ceo <,-
timo pao qaenin pela roaobia i larde?.', i.
cha de varios tamaobos e fetif, macas dac^s corn-
preheodend.. arsrot', e bisc3l|os Unos para lXr.f
todo vende-se a precos os mais favoravei* po.^
veis para bem mereeer-se rprojectae e prefere,-
cia dos ik-sos amigos e fregueies.
[Chapeos de padre e $m se-
nhera e meuiuos.
Do u limo goslode Par!- : as hdaa do J., i ^
S 'in?T" "ran '^"P'^eneto.os, X
, 1 iiUli'i i'i '


Alarlo ele Peraaanboeo segunda feira llde eeaabra de 1866.

O ARMAZEM
NIO MERCANTIL
53 RA DA CADEIA 53
P.-18SANDO O ARCO Di CO\CEI?l0.
Tem alem do maior e mais variado sortimento de escolhidos generes, os seg afn-
les directamente recebidos pelos ltimos vapores :
Queijos londrinos.
Lingoicas j preparadas em latas de 2 libras.
Os moitos superiores queijos do alantejo.
Presuntas para fiambre inglezes. -
Gomma de railho branco americam, .
Salmoo e lagostim em latas.
Quartos de marmelio.
Bolaxiohas. peroia', principe Alberto e outras quadades.
Vmhos os verdadeiros de Collares, Rbeiio, Aluscatel de SetoW 9 porte fino.
Queijos flamengos.
FAZEIVDA8 PRETAS
vado.
Gros de aples preto a 11500,4*600, U, U, 3500 e 4| o corado.
GorgurSo preto de superior qualidade a 20500, 2*800, 3J e 40 o co-
Idem de Minas.
Tudo peles mais commodos precos.
1IANTEIGA IXGLEZA de superior qualida-
de a ,28o e 4,loo rs. a libra, em barril
te faz ar>atimeate.
IDEVI FR vN'CEZA a nuis nova qne ba no
merca i a 6io rs. a libra, em barris oo
raaios a Roo rs.
CHA IIISSON de primeira qualidade a
2,89o rs. a libra, almdesta ha umitas oo
tras proprias para vender a retamo, que
se v n itt-u de 4,6oo a 4,8oo rs. a libra.
EM f TO o maisesp>*cial quetemvinT
o a .ste mercado a i.ioo rs a libra.
DEM rniular de 4.6oo a 4,8oo rs a libra.
QUEiJ-s J ) REINO ltimamentechegados
polo vap ir 2,4oo: ditos do vapor passado
a i.ouo rs.
LAT vS DE CHOURIQ.VS com 6 libras er-
?Hticianvite fechadas, a 4,5oo, de barril
a *lo, a ora.
-E3TAE ilfflji para sopj eia caixas sortias
da huras, por 4.ooo rs.
VTN.'D VEftOE do ve'daieirosumo da uva,
e o mas proprio para se beber n'este
imperio, pela sua extraordimria fresqui-
do o agrietare! gosto a 6 lo rs. a gar-
ufa.
AME'XVS FftANCEZAS em frascos de 4 e
2 libras, a 2,8oo, e 4,4oo rs. em cv-
alas 'nulo eofeitadascom diversas estam-
pas '2,'-ioo, 4,8oo, 4,5oo el.Joo. reis.
B1500IT0S NGLEZES em latas eoutendo
diversas qualidades a 4,ooo e 4,2oo rs. a
lata.
PRINC.PE ALBERTO bolacbinhas as melho-
res presentemente conbecidas a 4,6oo
rs. a lata
SALAME HAMBURGUEZ chegados no ulti-
mo navio a 4,6oo a libra.
HU5ZUN ro verdadeiro de Lamgo, a6io,
rs. a Hora, e 56o inteiro.
TRAQUES n. 4. em caixas de 4o cartas, por
8,"> >o Sito rs. cada urna.
MARMELADA em latas de 4, 4 ",e! li-
bras a 'iiio res a libra.
JALEA nciMARMELLO em latas, a 8oo rs.
FRUCTAS EM CALOA pera, oecego. alper-
ce, rlinda Claudia, e giaja a 64o res
a lata.
MOLBO INSLEZ de diversas quaiMaae, a
72o rs. o frasco.
MOS TARDA INGLEZA muito nova, a 8oo,
rs. o frasco
DEM < RANCEZA a 64 rs. o frasea.
SALMO R LAGOSTItf chegado ullBia-
mente. em latas de 2 libras, a 4,6oov rs.
ARENQUE* em latas a 64o rs. cada oaw.
SAR0INHA9- DE NANTESera latas e esas
a 6oo e 36o re.
VhNH DE COLLARES o lagitime vit
desta localidade, muito superior e sen
eonfacIo algwna, a 8oo r. a garran.
IDF.M MADURO o veriadeir db alto Dou-
ro em barris de 4 o em pipa por 35,ooo
cada um. .
VINI10 DO PORTO de diversa qoalwades
engarrafado, inclusive o maiafino qe na
n'este genero, por 8oo, i,eoo, l,2oe,
4,4oo e 1,5oo r*. a garrafa.
F8U0 verde e carrapato em latas-ermoti-
camente fechadas a oo rs.
CHOCOLATE francez em pacote* de i libra
por 5oo res.
AZEITONAS dasctae?adas ltimamente d*
Lisbdj a 4,2oo rs. aaocoreta,#5oo, a
guarrafa.
CAF'avado a 24o rs. a libra, e"T;WM) rs.
a arroba, e regular a 22o a UbraeO-8oe,-
a arroba.
VINHO CHERRY domis superior do mer-
cado a l,5oo rs. a garafa, e 1WW0W
a duzia. .
MUSCA TEL o verdadeiro de Setubal.
4,8oo rs. agarrafa, e2o,ooo a dona.
VINHO BORDCAUX das mais acreditadas
marcas, S. Eialion. Sant Jolion Haat
Brion a 7oo e 8oo rs. a garrafa, e em
caixa ded -zia, a 7,5on e 8,ooo rs.
VINHO BRAMO de Lisboa de esceleate
qualidade. e proprio para missa, a 8oo,
rs. a garrafa, oo 8.000 rs. a caixa de duzia.
MADURA SECO a ,2oo a garrafa, a 42;ooo-
rs. a dazia.
VINHO DO RHENO superior, a 2.000 a
arrafi, 22,oo rs. a duzia.
VEHMOUTH de superior qualidad* em cai-
xas del2 metas garrafas po;2,ooo^o
garrafas por 4,2oo rs.
Superiores mreantiques a 25500, 24600, 30, 34500, 44 e 54000 o
covado.
Bons cortes de moreantique.
dem de gorguro adamascados.
Bons pannos e casemiras.
Sup riores alpacas, prncetas, merinos e bombazinas.
Bons villudos pretos.
Grande variedade de chales de fil preto e de guipare a 54, 64, 84,
404, 424, de 464 a 201, e de 254 a 804 cada um.
Superiores retondas de fil preto e de guipare a 84, 404, 424 e 254,
e de 304 a 604 cada urna.
Superiores algerenes de fil preto e de guipure de 424 a 254, e de
304 a 604 cada orna.
Bons chailes de seda preta.
Ditos de Merm preto bordados e outras muitas raznelas pretas qne
sera enfadonbe enumer, r, na
IXIJT4 HAS CO^UJHUTAS
DE 4NT0NI0 CORREa DB VASCONCKLLOS A C.
PHOSPHATO DE FERRO E LERAS
1IR. I M M I E* I %*
INUPECTtm'DA ACAMWA M PAR.
Ifao existe rae-rcamento ferruginoso tio notavel como- o phospbato de ferr de
fiorasr assummidade medicas do mindo inteiro adotaram-no eom soircrtade sem ia^wl
nos annaes da scienoia^As cores pallkias, dores- de estomago, dgestOe penosas, aae-
mia, conratesneRfas ISbus, idade critica das senboras, irregularidade n menstruacSo,
pobresa do-san^ui;, |yHabatismo s3o curados rpidamenteou modificadopor este ea-
ceHentecoiapoate. E o conserva lor por excelencia' da>saode e declarado saperior nos
hosnitaes o pelat acdenwas a todos os ferruginosos- conhecidos, aeidoretiHoao citrato
de ferro, porque o unic* quo convem aoa estmagos-dblieados, que- nao provoca consli-
pac3>anicn tamem que aSo enegrece a bocea c. os denles.
Era- Pars na ra dS;Feuiade n. f.
A ven* em casa da-Maorer, e A, Caors.
Loja do Vigilante
RA DO CRISPO N. 7.
Este estabelecimento acaba de rceber pe-
lo vapor Exiremtntttre, ede sua propria en-
commoada, um completo sortento de ob-
jectos de apuraJo gosto e algoae de comple-
ta novidade, como seja :
Boa efitttip mimo,
IVo Vigilante.
Cbegaram no vapor francez de 42, ura
.completo sortimento de diversos objectos
I de apurado gosto pmpriamente para um de-
dicado mimo, e todas aquellas pessoas que
desejam concorrer com alguma offerta para
o leiliio de prendas do Hospital Portuyuez,
que ter lugar domingo 4K do orrente po-
deriio aproveitara oceasio, e virem esco-
lber taes obojeetos po s visto ser para um
fim tao justo, o Vigilante est resoNdo a
vender pnr diminutos precos, que os ebn-
currentn dmrao satisfeitos.
HMtrn.
Tamben cbegaram no mesmo paqvete
riquissimos enfeites com o cok de cabello
sendo rnteiram^nte novidade, nao baver
sen I lara que vendo taw enfeites deiche de-
comprar, pnncipaloiente.quenas qae Uve-1fi*T^Jtfim.S Tm,P
PEfJfi\CH4 SEM MllliL $
Mnita attoftgfe
Muita attncao
Grande liquidacao de faaendat'e ronpas lei-
Uto WciMes, na ruadafmperatriz d. 72,
loja de Gaimeraes a Ira*.
Os proprieirtu mt, waurKWi esubeleehneo-
to-eslflo resoliflos-i hqaM.r jm menos 26 por
C6M, do que emVmn qniqnr rte, eiain :
Chales de raada.
Va)de-p chales e reoia por 45060, rateada
qae f' se veodeu por 11* e IflHft dilus de sed*
por4a e loiOOS, ret*ft*as fniff|i 74500 e 8*:
isto t a ra da top*ratriz o. 7
Grande pechaeaa.
Camfcrwas de eres mwto lan 140 rs. o va-
do, diU mefheres a Mt e MOrs., dias orgatHta
de rfqBlJlrowtssffrtes iMt, Mte 44 rs. o to-
va* : 6 aa roa da laperainz fi.
retaabae ral.
Veode-se brelaaha de role tom 10 raras a 31M0
a pees, dlia de (uno Im a 81 e 8*O0.
Grande pmMncha.
Veade-so pecw _d*J,M|odo lus a 44, 44M6 e
earae de jaeea a apa e 64 : s na ra da Inpe-
rairii 0. 71. ^^
Quem diividar-waae^ partes da
Grande sortiroenin4e oshm ar*imbrai bfao-
ea e de cores a 35O0 e**,d*R koMad^ a seta a
44500 e 51, corita de lia a U,Um, 41. 415flt
eSl^t-boeochitoa 3*.laSaTao o. rTd.
i0peiaM'lz m. 71-
Haaabis a 14 ra>a4Vrado.
Veede-se oro *raode lOtUXio. de laaunbao
Boas a 40. MO, Mt, 310,36a o U rs. o eo.do,
oooio se aeabaode.
E' baratissrraa, chales a 2,J000.
Chales de merm estampados I), 11509 e 33.
ditos fleos a 41, 51506 e 61: t n ra da lap
ratrlx a. 78. ^
Cortes de brim a 4#2ta.
Grande soriimenio de cortes de brim a ll*L
1400, I10MI \i+ e 11, ditos do ea^mir. a SX
1560,31 e 3*500. **
Cbkasa 180 rs. t covado.
*?"22 cw1es d8 p,tDrt" mata preto adamascadas para vesfMo cob> 13' metros'
toa iva 10'covados carta coro, larenra de ctttfraneez. pelo banrtwelmo prme de 50*
cada eorle : Dt-loia das celw------"-------*- "
cellos; & C.
da Toa do Crespo n. I3aa Antonie-correia da Vascon
LOJA DO BALiO
SE
AZEVEDO & FLORES
HIJA fiVCVlIJBIl 1IO RECIPE I. 49
Nao leiam
Chapeos deso de seda aballo que valem iU a 403, em porc ter abatimenio
de 10 11 rcento.
Moes
do oltim i tost emParis, que estreito em cia e largos em baixo. a 3| 4#, e 5& dam-
6e para a mostra.
Sobre-casacos de pannt
Superiores, que valem 255 a 455, s o BilSo vende por este>prego, paletotssa-
co? de panno liaos que valem 450 a IOJ, tamben se vcile calcas do-brira braaco finas,
dita-; pardas, ditas e casemira. colete de casemira, paletots de alpaca branca, e muitas.
oatras roupaa feitis que se vendem barato.
Ager* vfjam os precoz das fazendas.
Chitas para cobertas. core* fixas, a 3t> rs, dam-se amostras.
L8m com lindos desenhos a 30 rs. o covado.
Cambra as4e cores, lindos padres, a 3O rs. o covado.
Chitas escuras e claras para vestidos diversos precos.
Carnbraia para vestidos.
Dita larga para forro de vestido.
M^dapolioqueva 40l a 7d s oBal5o vende por estopreco.
Canijas nuezassuperiores qne valem H, a 30UOX
Qoein duvidar venha ver na toja do talao.
Chegou mora m;i Este madapolio val 45(, porm o BalSo contina a vender f 6,5500.
I Jem muito lino que val 425 a 9/1: quem precisas aproveite ^mquanto -tampo.
# RICO; CORTES DE VESTAOS Bi SEJH. 9
Af teja de fazendas de- Augusto Porto & ft
11Ra do Qvmado-11 COl
A' lojad fazendas de Augusto Porta A a chegaram ricos^cortes da ves-
m dos de seda das mas lindas cores,
OP Camiswingiezas para bomem, peto, puahosacolarinho&aalinho snaa-
JB nor. *^
^p Vestidos de Blond com manta e capella para noivas.
Finissinats cortes de carnbraia branca bordados.
Cort rado< bordados <1* diversas quali'iades, para camas o-janellas.
Cotias de seda, e de laa e seda paracam*, do diversa crese linde* de-
zenhos.
Creton superior para colxas de cama de di -ersa* cores a 1*120 o covado.
Vastido b irdartos paja uapiiaou ao f OO X) ,t 2i-t^0o-
Moireantiqua branca-preto, egresdenaple braoco. de cores e preto-dos
melbores.
Bons pannos pretos o-ames, e sortimento decasemirasareta e decores.^
Ma'as grindes e peqjwoas para vtagans nos vapores &ropa
Cambraiasde coreslasintiaso percales dos gostos maismodernos.
Tapetes g-'andes e pequeos para sof, piano e cima.
Espartilh.is, bales^saias borladas, meias finas, camisas camisinhas, gra-
vatinhs. e manguitos para senuova*.
Bonete, e cha oa de palha da Italia para sonhoras.
Bramante, Brilhaatina. Bretanha, silesias, esguio e carnbraia de fenho su-
periores.
Brinade linho brancb ede cores o que hade mais moderno.
Neste> estabelecimento ha sempra su.-timeato de camisas e cerouas-france-
zas, as memores e mais baratas,
Esteiras da iata pa?a for ar salas-
11Roa da <|nefiimadH

5
NOVO DEPOSITO
DE
MACHINAS
PARA DESCAROCAR ALGODO
Manoel Kento d Oliveira Br
53-Rua BlrelU m.*-S3
Neste estabelecimento se encontrarlo as
verdadeiras machinas americanas chegadas uitima-
menle, as quaes sao feitas pelo mais afamado fa-
bricante da America, por isso avisa a todas as pes-
soas que precisarem comprar, de se dirigir a este
l estabelecimento que comprarlo das mais perfeitas
neste genero, assim como mais barato do que m
oulra qoalquer parte, por isso qne se recebe por
conta prop iay bem como cannos de chombo o moi-
hos para moer milho, e grande sortimento de fai*
Irageos e miudezas em grosso e a retamo.
p >mmm mwm Loti(i\ e virio
J i Narfa Cofdeiro Lima, estabeleceu-se oam armaiem de. Iota; de oocledado coi
Tbo-nii da Canoa, na na do Imperador n. 46, eom a Brom de Lua Ofo* arutj'i, ao re*$#itavp| publico em geral qae, quaadn preclaAi de alguma louounio
d*1 i uto eeUDeleciroaBto, onde acharan un explSdido Hrfm<>Dto de ricos aupare!
cM, i otar de porcelana braoeo, de eres e donrartos, (?nrn?So de porelana para
rlu, de M^M ; e todo o mais qne pertence a e*l(* gpnero de negocio, loueas, vldros, etc., Me.
A iipaji tate oto estabeleeiaente
Tender baralo para vender moito
Tender muilo para vender barat.
O k vn \ i i:iiio
Junto O (rorente deste estabelecimento querendo (rrangear unta numerosa freguezia,
est determinado a vender sea -grande sortimento de fazendas da escolhidos ostos e su-
periores qu didades por procos que ninguem pode vende, par sustentar sea capricho,
assim faz o Barateiro. .
A tten$ao A Uengo A ttmcm!
Chales de guipure a 50, ditos de merm com bonitas barras, a 5J, 5,5(500
6*000,
Cambraias bromeas de cores.
Cambra** brancas de 40, 40500, 50, at 80eft0 a peca.
dem de cores bonitos deseuhos a 720 e 640 rs. a vnra e 300 rs. o covado.
Grosdeaapjes pretos e momnttquas, que se vende por barato preco.
Chitas de lindos padres para vestidos, escaras e claras.
dem para c berta, adamascadas e coloridas.
Tapetes em pecas para 10900 o covado.
Tapetes para portas, ditos de diversos tamanhos e bonitos dezenhos. Outras mui-
tas fazendas de gosto que se torna enfadonho mencionar. Da-so amostras e manda-so o
caixeiro a qualquer casa que for chamado.
Para komem.
Calcas de casemira preta e de cores a 60, 70 80 00, e 400.
Paletos de piano ecasemiras de cor a 80, 90 e 4i 0.
dem de aipaaa tiraaeoa pretos e de cores a 30500 40, e 50000.
Cohetes de casemira de cor o preta a 40, e 50.
Chapeos de'std de seda c m cabo de rnarBm obra rica a 470
Ditos de dito dito bonitos cabes de 70 a 150
Cortes de cazemira a 40 ou a 30200'o covado.
Grande sortimento de casemiras de lindos gostos para costomes, brim e outras
muitas fazendas para fezer qualquer obra, a gosto do comprador para o que tem um hbil
mestre de alfaiate.
Cheguam a ra do Crespo n. 4 loja do Barateiro,
rem de abilaentar eom sua precenca ao
armiversario do rfeepa Portogu.
S no vigilante ra do Crespo a, 7.
Valtiahas para menliu.
Riquissimas voltinhas de fltinhas entran-
cadas- e com cruf. propria para meninas,
estas voltinhas lornam-se recommendaveis
por serem inteiramente novidade.
9 no vigilante ra do Crespo n. 7.
Finas thesouras para un has e costura.
Lindos porta joias.
Ricos >port relogie de porcellana.
Modelaos peo les de tartaruga e a imita-
gao.
Albuoa para retratos.
Agulhas e linhas pera crocheles.
Lindo* aderecos dechristal.
Adereeos completo para luto, assim oa-
mo brinosae nsetas.
Meias de seda para senboras.
Ditas para meninas.
Sapatinhos de seda e de mirin, para-
baptisados.
Touquiaaaa e chapeeinhos para dito.
Las de ludas as cores- para bordar.
Capel las para noivas.
Gravatase mantas para homem.
AlBnetes para grvalas.
Riquissimos livriohoa para notas, sendo
com capa de madriperula, marfan e cha-
iren.
Penas de ac de todas-as qualidades, do
afamado fabricante Perria.
Froco e seda frouxa para bordar..
Bengallas achicotes e todas as qualida-l
des.
Dedaes de marflm e metal.
Espelhoa acurados gaandes, e pequeos-
ditos de columna.
Dito especiaos para aasenhoras fazerea
os pentiados,
Pulseiras tanto para senhora como para
meninas.
Riquissimas fitas lavradas e ritas.
Diademas,do ultimagosto.
Ligas de seda.
Ditas de seda e dealgodio para masgni-
tos de seniora.
Contas e tubos de ac.
Susoeoaorios de seda e de algodlo.
Grande e completo sortimento de perfu-
maras faas dos fabricantes mais afamados,
assim como muitos-outros objectos que se-
ria enfadonho mencionar.
S no Galio Vigilante ra do Crespo n. 7.
Vf3rdadeiros
Cellares Rayer
Elwtrt Ha|neiica
Oa Collares Anodinos, para (acuitar a de%.
tico das enancas e contra as convulsas
das mesmas. a estes collares nos escuzado
fazer qualqaer recommendaclo, visto a
grande aceitaco qu tem tido, o que pode-
mes provar assim eomo, afiancar o aVit
que elles produzem, porque ba muito qcs
os recabemos e continuamos a receber por
todos os paquetes da Europa; e encontra-
rao sempre oa loja do Gallo Vigilante, roa
do Crespo a. 7.
Us percales a 400,44 0W .: aa roa d>
eaperatrix b. 7S.
Lencas a 2* a daiia.
Tefde-5e nm grande sorthnooto de lencos a 2^,
tgm, 3# e 3,|5ar>a doxu, daos e:linh.. i#30e,
oi e 6|. ditos bordado* eom Mee 450O e 5#,
diios muito Hus afeiaV eMi duzia : s u
ra ds Iroperairlz o. n.
a.GT^" sorlme,S Jttae 5*, 34509 8
61, ditas melhores mareas 119,%, 8Joa&. 9f,
Balbas-a 3#09lt
Veode-se um (traaoe sommesto d**al5es de ar-
co a 3*, 3J500, 4 oi e i&m, ditos para meninas a $F e 35500: se-
na roa dft Iroperatru a. 78.
Grawtaa a 800 ra
Vende-se nm praode sortimento- #e BraraUs a
500, 640,800 e U, maatas fo-sa HttOOe 1M0I:
s na inja- de Goimaries- Irmaj,a da Imuera-
Uii n. 7*.
No armazem de tezendas
baratas de Santo'oellio
Raa do ielaamtfaaaj. 19.
Vende-so o aefiotBto :
Lences de panno de liobe peloawbtissfroo pre-
1 de 2*2*90 2*600. ^
Lenm de bramante de Mnho de- ato s panno
Cobertas dechita da India a 244000 2*800.
Lentos do eambraia propnos pan alg-beira do*-
xia itm.U-, 2&200; 2*60 e 4*.
- ^jnTS *8 arCus p*'* njeoioao- a 1&500, 2*
7 palme de largura
T&sso Irmftos
Vendem aa sai innm raa a
Amaa i. *5.
Licor fino Corceo em botijas solas botijas.
Licores tinos sertjdes em garrafas eom rolba*d.
idro a em lindos aooeo.-^ ^^
Vinboseneres. -
Santernes. ;
Chambertin.
Hermitage.
Borjronhe.
Champagne.
Mnscatel.
Reino.
Bordeam.
Cognac.
Od Ton.
PAeael laa-ninl.
Aigndao.eofestado 1
1*100 a ara.
A toa I hado de algodSe vara 9*.
Pocas do eambrafa branca de saptoos com 8
meia varas a 4*500.
. .r^aBte e "Dha*o lOtpolitos de largu-
a 2*500 a ara.
mISa? ** ,Db0 co* Wata* larg. ra a
2*400 a vara.
Bramante de Iinha.de daos laowoe a 1*28 a
V3F3.
Bra ame de linho do orna laopibatlOO a vara
Toalhas de linho aoolcboadas-powfllloi a 12*
a dona.
Ditas felpudas a 13* a dnzia.
Gnardanapos de-linbo a 3*500 a daifa.
Pecas de e-.mhraia para forro a 1*660 e 2*800.
Pecos de carnbraia adamascada eom- 20 varas
protiFia para cortinado a 13*.
Taalaiana de afires a 800 bs. a vara
Fu liso fleo a 760 a vara.
Dito de salpieos a I* a van.
Ftaoela de cores nao r. o covado.
3*ajoesdearM,p*r* 8eBhor* "**' 3*
Ditos de artos encarnadrs a 3*500 o 4*
Esteira da India jo 4 o 5 palmos de largura
propria para forro de sala por meas* preco do
que fin ontra qualquer parte.
Carnbraia* dnasd-a coros miadas a IMaVrs. a vara
Neste armaiem tambem se enconira nm grando
sortimpQtndB ronoy feila e unr medida
PHOSPHATOdlFIRRO
INSPECTOR Di ACADEMIA Dt FRZ Etc
Wdo existo SMdeamento femuMoso o notavol
o o Hjtpkaiv fno $Um; as snmmi-
dadea medicooa de mando twao adoburaBa-ao
om aolbcitade sem igaal bmo anaseo da cieaeia.
da eom ftlUat, dores 4* mmih, diMtOet
penosas, uumim, emvmlumineims iifite. vUd
crtbca nos stnhorat, imruUriMU to mns-
tntfio, pobres* da oaatato, lympkvismo, ti
euraAos rapidamenU m medifasd* por esta
aaxaUane composto, t? o conservador por excel-
leacia daeaade, e derUrado superior seo hespt-
tot pelas academias a todoo m errugiDoooa
eoohecidoB, a iedarao e ao rito de ferro,
a He o mnico qae convera am amomnem do-
s^ q ato provoca eoMtrpa*. 7 auot
tambem ene nao ennegrece a-bajos** m demos.
A woda as pharmacias i i P. Maurer *
C. e A. Caors, em Paraawbaeo.
Panno dn aleodo da Babia, proprio para
saceos de assncar e ronpa de eseravos ; tem para
vender Antonio Laii de Oliveira Arevodo 4 C, no
sen eseriptorio roa da Croa n. t.
LOUCk VIDROS, CRYSTAES E PORCELANAS.
DE
Ferreira Monteiro & Guimarles,
a raub lar*;a ala Haaarl sa. jaoto a batlea *m*r. Barthalamea.
Iricos porta licores, ijalhPteiro?, gaaraindos para lavatorios, ricos vasw para fiares. eaao>ros a gai,
lan ernas o moitos oalros artigas oriaai po serom prnciolMiies. r *
Vapores.
Vende-se em casi de Sannders Brothers & C,
no largo do Gnrpo Sanio n. II, vaporas patente'-
com todos os aorteoces proorlos para (biar moviai
tres on ajaTMn machinas para descarocar lgodao
POTASSA Di UJ8SI1
Vende-se potossa da Russia muito snperlor o do
quai Idade a mais apropriada para o fabrico de
assuear a prec rasoavel, no armaiem de Jos da
Silva Loyo a
vela.
Gomes de Manos Irma j., na roa larga do Rosa-
rlo n. 24, vendem velas e cera de carnauba gom-
ma de mandioca.
rar
Cal virgem,
Vende-se na ra do Trapiche arm^era n. I, a
mala nova qne *,| Do mercado, |poc preco com-
modo.

Francisco Jos Germana
(RA NOVA N. 21,
acaba de receber am lindo o magnifico sor*
tinento de oculos, Inoetos, bioocaiae, do ai-
timo e mais aparado gosto da Europa a oce-
los de alcance para observacoes martimos.
Af oa Vtneral de Vlcby. ~*
Pastilhaa de saes natone de Vlcby.
Oleo de ligado Je baealhao desompeslado,
Oleo de dito dito ferruginoso,
Rob l.affector.
Xaropo de cadelna de Bartb.
Vinho de Boilinl.
Xaropo do Gibert.
Lelte aatipbiliticQ rsntra as manchas do rosto
Confeitns de ergotina.
Confeitos do iperamaiha.
Ct^armn antvartbmatieo do Joy
O dontalgleo dr Doorado.
Deposito, pharmacla de Pinto, raa larga fi Re-
sano n. 10.______
Vende-se ama
Cahral ero.Olinda : a
9 lado direito quem
S. Francisco.
1 'Ur a rnaTta ?ri
roa*
rotes b.
Pf
i1
:

-
>
"...
i




*-
ftlan ae CeriMbue* ({Und. felra 14 de Metesnbro de
NOVA LOJA
ENCICLOPDICA
* D^.PK,UTW awiSSii A
_ POMA LARGA N. 5S,
Junto a nadarla frtiocu
Paredes Porto.
Neste estabelecimento encostrara o rea-
peiUvel publico um variado sortimento de
fejtendas francezas, aglezas, suissaa ealle-,
maes, que se venderlo por preco commodo.
Grande armazem de fazenda e
roupafelta, ra da Emperatriz
armazem da parla larga
Neste estabelecimelo encontrara' o respaila-
?el publico um complete sortimeoto de roupas de
leda as qoalidades e prego cowraodo. como se-
jam : palelols de alpaca, de merino, de borobazi
a, panno, casemira, pret e de cores, caigas de
todas as cualidades, colletes de diversas quallda-
Oes e preeos commodos, chapeos pretos fraocezes,
fcannda de 10 a 6*, ditos de sol de alpaca e seda,
sobretudos de panoo propnos para viagem a U*,
meias croas de boas qaalidades e preeos cemmo-
ios, e ootras maltas fazeodas e roupas feitas, que
a venden muito barato : no armazem da porta
larga a. 5t 9mm
600 rs.
Idmiravel pecblaieha.
Camisiobas de cambralas a 600 rs. para acabar :
a roa da Imperatriz o. 51, armazea) da porta lar-
ga junto a padaria franceza.
Casemira
Vende-se casemira de cor a 4* o corle : na rna
da Imperatriz o. Si, junto a padaria francesa..
Baldes
Vende-se baldes (crlnolioas) de todos os taro a
Bbos a 2* e 2*500 : a roa da Imperatriz o. S-
unto a padaria franceza.
t#6M
ntremelos.
Vendem-se pecas de ntremelos eom 12 Taras a
1*500 : a ra da Imperatriz o. 53, porta larga.
Cales de renda a 4,5
Vendem-se chales de renda pretos, fazenda de
boa quahdade, a 4* por ter porgao : armazem da
porta larga n. 53.
Retoadis e boarais.
Receben nltimameate um sortimeoto de rotondas
e bournns de seda e de algodio por barato prego,
soutembarques de grosdeoaple, capas e manteletes
por pregos commodos : armazem da porta larga
B. 53, ra da Imperatriz.
Cait>raias lisas libas.
Grande sortimento de cambraias lisas, qoe se
vendem a 3*. 3*500 e 4*, dita muito Boa Victo-
ria a 5* e 55500, cortes de tarlatana de booitos
goslos a 3*oJ0 e. 4* : ra da Imperatriz n. 52,
junto a padaria fraaceza, armazem da porta larga.
Tiras e emremeies bordadas
Grande sortimeoto de tiras e ntremelos borda-
dos, pelo prego de 500 rs. a pega : ra da Impe-
ratriz n. 52, jooto a padaria franceza.
Cortes de gorguro de seda
preta.
Veodem-se cortes de gorguro de seda- preta
para vestido com 20 covados, por barato prego :
na ra da Imperatriz n. 52, junto a padaria fran-
ceza.
600 rs
Cortes de calca.
Vendem-se cortes de caigas para servigo a 600
rs.: na ra da Imperatriz n. 52, junio a padaria
franceza.
Las de vestido.
CheHoo a loja de Paredes Porto um sortimento
de las para vestido a 240 o couado : na ra da
Imperatriz n. 52, junto a padaria franceza.
Chambres
Chegou um sortimento oe chambres para ho-
mem a 4* eo* : ta ra da Imperatriz n. 52, loja
de Paredes Porto.
Vestidas bordados.
Chegou a ra da Imperatriz n. 53, ricos cortes
de cambraia, bordados a croch, fazenda de 20*
por 12* : na loja de Paredes Porto.
25$000
Grande pecbincha
Selecia cem 26 varas a pega, largura de 5 pal-
mos, a 25* : na ra da Imperatriz n. 52, Paredes
Porto.
f
Na
VENDE-SE
de U. 11, constantemente, os seguate artizo*, jue
reeeneua aer eueommenda proprla de
KEW-YOHJi.
Machinas americanas para descarocar.algodlo.
Arados dem.
Gaz em latas de cinco galrjes do mais purificado qoe ven este mercado,
Relogios perfeitos reguladores com corda para oito das.
Oleo para macbinas de costaras.
Agulbas para as mesmas.
Breu em barricas grandes, e pequeas.
Salsa parrilha de Bristol por Llaman & Kemp.
Agna Florida.
Anacbauita de Kemp.
Tnico Oriental. >
Pilulas assucaradas.
Pastilhas vermfugas.
Pilulas do doutor Brandreth.
Prompto aHvio de Radway.
Rezolut vo renovador.
Pilulas reguladoras.
Farinba de milho.
Vende-se tambem:
FAZENDAS
A aS? X *S* V
NA LOJA E ARMAZEM
PAVA O
Ra da Imperatriz n. 60
DB
CANA I SILVA.
Cambraias brancas,
Coa 8 palmas de larawae
v na laja do pavo.
venge-se cambraias.brancas transparentes tendo
i? 2 ilu f"er'W u esiido apenas com 4
looo ?.ta". 1?22ipe,* D,r,is^8 pregosde..
..! ..'*?80 *"* nnteamente na loja
Sa 4 SUv ''" ta*W* n- *> G*-
Bales baratos
Vende o Pavio.
Cnegou um grande sortimento de balbes de ar
cosseodo americanos que sao o* melbores e veB-
-* pelo baratissimo prego de 2*500, 3*
3*500: na toja do Pavo na ra da Imperatriz n.
O*, de Gama Silva.
BORBEAUX
l.1 qnaliade.
St. Estephe.
St. Julien.
C. Margaux.
G. Lafltte.
Medoc.
PORTO
1* qaalidade,
Vinho fino do Porto em barris de /, 10/ e 20/.
Soperior vinho doRbeno.
Veroiouth de Fratellicora.
* Bitter aromtico.
Panno d'algodSo da fabrica de Todos os Santos,
dem. > da ConceicSo.
Enxo/re de 1.' qualidade.
Principe Real.
Pedro V.
Mari a Pia.
Princesa D. Isabel.
Vctor Emmanuel.
Duque.
[ Malvazia.
SKer fAWraj3s r Jft: GarKvaPavi Da r"da lnperau'1
pana, eom o m de apurarem dlnheiro e cada vez f s" ': .
"j,8r*dwm o aomerosos fregoezes, be 10 haIIlia,
f.Vr.d ltles1offer:ni um grande sortimento de Vende-se booitos goarda banba de laberynto
mglezas e francezas, as quaes veadem ProP"o para encosios de cadeiras, pelos brratissi-
- reulho. Comprometiendo se a D)0' P^Cos de 2 a 3*000 rs, na loja do Pavo na
11 RA DO Ol I MI AIIO M. tVa
Pechincham
Finas cambraias de cores de modernos gestos a 500 rs.
Pegas de cambraU braoca muito fina a 5.
Grande sorclmento de chitas para todos os preeos.
Lencos braucos para meninos doza 2.
Caberta* de chita da India a MOOO.
Algodao trangado largo para toalhas superior fazenda vara i300.
Cambrala de llnho para teneos.
Fino esgoio de linbo a 1*400. 15600 e 1*800 a vara.
Grande peehincaa.
Fazenda muito encorpada para roopa de escravos e pelo baratissimo prego de 220 o covado.
MACHINAS AMERICANAS
Verdadeira do fabricante IV. Y. Canttongln & G.
Moiiihos americanos para moer milito.
Na ra Nova n. 20 e 22, grande deposito
das verdadeiras machinas americanas de todos
os f bricantes; se en;onira neste deposito
grande porfao de machinas, e se vendem por
menos preco do que em outra qualquer parte,
por se receber em direitora da America; se
fornece todas as explicagoes necessarias ao
por atacado a a
maiidar levar naqw^ feeoda mb casa dos fre
guezes, que Do poderem vlr a loja, on mandar as
J.0irfas de,xao,Jo ^r penbor, assim como
coBvidam as pessoas que negoceiam em menor
escalla qoe neste estabelecimesio encontrara nm
grande sorlioento, vcudendo se-lhe apena pelo
Dre9 1U comprara em primeira nao aa fazeodas,
.!n *psnas ^sconto, sendo a dinheiro
VIS13.
As granadiBas
_^ Na loja do Pavio.
tnegaram pelo nltimo vapor da Franca as roals
iinoas cambraias transparentes, granadina?, sendo
eom os padrn da listiobas e flores, rooforme se
osam ultimameate. as priocipaes cidades da Eua
ropa, e vendero-se pelo baratissimo prego de 640
rs. a vara na loja e armazem do Pavo, na ra d-
Imperatrlx n. 60, de Gama & Silva.
(tecaales do pa*a a 2eo e 25oo rs.
7.e5**se cnalM de merino estampados a 2*
e 2*500 cada oro.
IJitos de merm liso a 3*500.
ai os estmpalos de repon a.6*. 7*. e 8*000.
irnos pretos bordados com fraDja de s^da a 14*.
i, .1 tru n. 60 de Gama & Silva.
Para luto vende o Pav5o.
bWim da China com 6 palmos de largora, fazeo-
oa preu para loto, propria para vestidos e roupas
. para horneas, sendo esta nova fazenda sem lustro e
l oe mono boa qnalidade, garaotindo-se nao flear
I iS**?S'ift0 leB,pe e *Dde--*e pelo barate prego de
z* aajauo o covado, assim como neste. estabeleci-
roento tem um grande sortimento de todas as fa-
zenoas pretas como sejam cassas e chitas pretas,
iaas| tapadas e tranyparectes, princezas, alpacas,
sarjas, etc. : na loja e armazem do Pavo na ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os espartilhos do Pavio.
Vendem-se urna grande e variado sortimento de
espartilhos dos mais bem fetos que tem 'vindo ao
mercado, seedo de todos es umaoboe, veodeado-se
por um prego mnito razoave : islo na loja Ui Pa-
vao na ra da Imperatriz n. 60. de Gama & Silva.
Lencos brancos a 9$OOO res a
diirla.
Vendem se engos branens ftrenda muito boa
CBlo baratissimo prego de 2* a duzla. Ditos com
ar-"
rna da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
os coi tinados d Pavo.
Vende-se nm g-ande sortimento dos mais ricos
cortinado' brdanos, proprkis para ramas ejanellas
Kl.<5Lb,,*,Mi"0* f'C de 8*. 10*, 16*. 20* e
*o*000 r. o par, assim como pegas da camhraia
oordadas e adamascadas proprias para o mesmo
um por pregos,razoaveis,oa loja e armazem do Pa-
vo ha roa da Imperatriz n 60, de Gama d Silva.
Os ca bines o Pavas,
Vendem-se os mais bonitos cachinas de malba de
laa com bonllos gostos, proprios para sabidas de
tbeatro e bailes etc. etc. na lija eaimazeai do Pa-
Chitas pretas a 160.
Ventfen-se superiores cbitas prelas mglezas.
sendo multo boa fazeoda, pelo birai.ssln.t^preeo
de 160 o covado on a 6*000 a peca t^du 38 n.vi-
808: isio na loja e armazem do Pa\o, ra da Im-
peratriz n. 60 de Gama & Silva. *-
Saias,
Satas,
Saias.
Vende-se um bonito sortimento das m<--inores e
mais modernas cambraias proprias j.:.ia salas ,M>t-
do com bonitas barras bordadas e com pregas un-
to brancas como bordadas de eor, *ndo fatenda
proprla para se fazer saia de um peono, i ven-
de-se a vara por pregos muito razoavns: na luja
e armazem do Pavo, roa da Imperatriz d 60, de
G-ma i, Silva.
Itmrm do r. J. C. Aver, fi ieite
Ja luivcrsidade de P*nsyhaui^, sos
fcsiadsa-l nidos.
Exra!el co""l*t ie salsa-par-
rllha de Ayer.
Peitoraldeeereja.
Remedio parasezdes.
Pllulaa catharileas.
O dep sito central para as provine as:
Penumboco, Alagoas,, Panljta ? hi-
Grande do Noite, de;-les remn i< s tao a-
voravelmente conbecidos e ac bidt.s em
todas as panes da America do Sol e do
Norte, acba-setm casa dcThecd < hrls-
tiansen, 16 ra da Trapiche eaa
Pernambnco.
Os presos de
33d por duzia de estrado de salsa pairllba.
275 por duzia de i eitoral deierfia
dyes de eo/es com os mais delicado d.s,nhos,"en- ?S?5 *.~"*T* ? M*S C'
do fazenda de i600 is a vara, e iia.uidao-sej.eio esconlo de 5 por cento em qtiantl<'*des
baratissimo preco de dez tostSes avara por esta- de 6 a 12 duzias, e de 10 DOJ ceiilo en
rem lomando nm pequeo toque de mofo, isto na quamidades superiores a 12 duzias
loja e armazem do Pavao uu ra da Imperatriz n.! -------z------------------------------------ ____.
60, de 6ama & Silva. BT V^ gk%\ d\
OOotiUfl
Existen algoos barris de superior vian d<> Por-
to particular (que se da' a prova), i el- r.arato
prego de 35*COO a ancoreta, iste p rque o deas
qorr liquidar: Da roa da Cadeia n. 35, armazem
de Ferreira 4 Matheus.
barra de cor a 2*000 isto para acabar na loja d-
Pavao na roa da Imperatriz n. 60 de Gama & Sio
va.
Bramante de llnho do ParSo.
Vende-se superior bramante de linho com 10
comprador para conservacao das mesmas; SKatfjTBagR*" j&""^^ ***
' a vara, assim
Mangoilos a 5(0 p. 640 tes,
Vendem semaoguitos e calciohas para meninas,
pelo baratissimo prego de 500 e 640 reis, na loja e
armazem do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de
Gam< & Silva.
A 100 rs. para luto, vende o
Pavo.
Vendem-se lazinhas pretas proprias para luto
pelo baratissimo prego de H 0 rs. o covado: na
loja t armazem do Pavo ra da Imperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Algodozlnho a 2fi HC a peca.
Vende-se pegas de algodosioho, tendo 20 jar-
das eada pega, sem defetto algum, pelo baratissi-
mo prego de 2*500 ou 160 rs. a vara, grande
pecioeba ; na loja e armazem do Pavo a' rna ta
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Grande peeblncha em chapds
de Cbyli a 50 e 6.
Vendem-se soperiores chapeos do Chyli proprios
para bernias, sendo dos n ais modernos que tem
vindo ao mercado pelo* baratissimos pregos de
5* e 6* e algoos mais baratos : na loja e arma-
zem do Pavao a roa da Imperatriz n. 60, de Gama
A Silva.
Pee hincha
Cbitas rxas a 240 rs. o covado.
Vendem-se Gnissimas chitas rdia do Bussell,
sendo fazenda muito encorpada e cSres fizas pelo
baratissimo prego de 240 rs. o covado ou a 9*000
a pega, isto por terem un leve toque de mofa pn-
2 ^ a -3 o O 1 rr'< a O O ?> o
- a- a. 3'
cr.
, a a> a> a. B a
O O. te w o
o^ S*6 & .-- g
g-o O.S Sg S.^^ ? ff
co
3
a> os
a
O o.
)

si
o g,
o.
a. o
=>
:r. ~'
^^ e
*> i < a
3 o 5
a 2 2
gB
3 5^T3 a." S S-S1-. ,-,
gSg Sg."sB f2 I-
o

a.
'O
asg

**%%
a> w
9
O 03
.
a>
O)
a.
3
te
B
o_
a.
es
m
I
a*
a
2?
as
H
9
a
g
>
o
>
S
o
neste grande estabelecimento se encontra mu- bobo panno de linho muito fiopelos baratlssimos 1rm !>-" que lugo que se lavem o mofo sita
tos artigOS americanos, que muito deve agr- pregos de 640,700 e 800 rs. a vara : na loja e ar- f seru tiZet^ Para muito mais dinheiro se nao
dar aos agricultores que usam de taes artigos, mm.* Pav3o. roa da Imperatriz n. 60, de Ga- tosse **? diminuto defeito : isto na loja arma-
encontra-se tambem todas as collecci.es de de- ff* %* M m?& Suva"0 ra da Impwa,rU n' de Ga"
senhos sobre os quaes se aceita qualquer urna *trane pechlncha em toalhas
encommenda, que com promptid3o ser execu- i ven^men^F^ff .fj w
tada; neste grande estabelecimento, encon- J^^S^l^t EfS
tra-se em grosso e a retalho, grande porgO a 640 rs dina a imitago das felpudas a 800 rs.,
de ferragens, e miudezas que se vendem por preco cotnmodo, pedindo-se a altenco d,las fe udas a W pechincha na loja e arma-
de todos para este estabelecimento que muito lucraro em fazer soas compras: na SSiSn a daImferatriz n 60. **Ga-
ra Nova n. 20 Carnei o Vianna.
Vinho fraocez mais superior qoe tur vindo aa
mercado vende-se no grande armazem ea Lina roo
Nova o. 63.
Medoc duzia 7*000.
St. Eslephe duna 8*t.00
Cbateox la fine duzia 12*900.
M.Emllion duzia 14*000.
thnicox Larose duzia 18000.
l'iil .o Lunnuevilie duzia 20*000
Na ra do Apollo n. 20 Tendp-se ex-
cellente vit,ho do Porto enganafado, flno,
e verde puro, em caixas de urna o'uzia de
garrafas, a preco commod".
Escravos f^id
S
Novidade
do Vigilante rna do 'rexpo n, 7,
A novidade do Vigilante somente participar a
todas as seohoras e as seohoras modistas que
ebegadu um bonito sortimento de enfeites para
vestidos de apu ado gosto e inteiramente novidade
e muito apreciavel em Paris, o nome destes enfei-
tes Crespieone Margante : so se vende no Vigi-
lante ra do Crespo o. 7.
Breu em barricas pequeas.
Cera em velas de todcs os tamanhos.
Bogias.
Mercurio.
Na ra do Vigario n. 19, 1* andar.
DE
FAZENDA E ROPA FEITA
HITA NOVA N. S4U
Reg & Moura, proprietario da loja de fazendas e roupa feita, sita rusTva
n. 24, faz era sciente ao publico e particularmente aos seus amigos e freguezes, que
acabam de receber de sua encommenda, um perfeito sortimento de fazendas tinas, entre
ellas casemiras de cores proprias paracostumes; panno fino dos melhores fabricantee
proprios igualmente para casacas e sobrecasacas e outras fazendas de vanados gostos,
as quaes vendem com vantagem sobre-outro do mesmo genero de negocio, tanto pela
modicidade dos preeos atno pela qualidade especial dos artigos que expe a escolba de
todos aquelles quesedi^narem frequentar seu estabelecimento.
Osmesraos, continuando como sempre, escudados e robustecidos na aceitacaoe
confianca que Ibes tem sido di.-pensada pelo respeilavel publico, no espaco de lempo em
que se acbam estabelecidos, procu>am envidar todos os estreos a seu alcance para cor-
responderem sufficientmente a expectativa destee de seus numerosos freguezes e ami-
gos, por isso, admiltiram para sua officina de alfaiate, quatro contra-meslres, funccio-|a
nando regularmente soba m mediata direccSo do muito hbil mestre Launano Jos de Gama & Silva.
Vestidos brancos beHados a 65IO0.
Vendem-se os mais ricos corles de tarlaiaoa e
camhraia braoca com lindas barras' bordadas, e
; trazendo todos os corles enfeites sufficientes nara
corpo e mangas, pelo baratissimo prego de 6*000,
ditos com barras de rres, tanto de seda como da
mesma cambraia a 6*, 8* e 10*, todos estes corles
sio chegados pelo ultimo vapor, e vendem-se por
estes diminutos preeos na loja e armazem do pa-
vo, ra da Imperatriz o. 60, de Gama Silva.
Vestidos a U.
Vendem-se bonitos cortes de cambraia branca
com barras de cores e todos brancos, pelo baratis-
simo preco de 4* : na loja e armazem do pavao
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Tapetes.
Vendem-se ricos tapetes para sala pelo baratissi
mo preco de 8*000 e 10*000 r na loja e armazem
do pavao, roa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Casemiras prelas a 4# COO.
Vendem-se cortes de casemira preta snperior
qualidade pelo baratissimo preco de 4*500, gran-
de pechiocha; na loja e armazem de Pavo na
ra da Imperatriz n. 60. de Gama & Silva.
Madapolao a 36500.
Vendem-se peca de madapolo com 12 jardas,
sendo muito flno, pelo baratissimo preco de 360,
dito moito largo e encorpado a 4*000 : na loja e
armazem do pavo, ra da Imperatriz
Barros, o qual, activo e diligente como se ser. nao se poupa aos mais aturados cuidados
de sua arte quando tem de salisfazer com brevidade e presteza qualquer obra de encom-
menda,
Ao contrario dos wuilos que enchem as columnas do jornal com a repeticao ociosa
de annuncios em estylo sedico, nao precisamos aqu a namreza dos artigos que possui-
mos para nao collocar a smeeridade dos nossos tratos no perigo imminente que resulta
dessas antecip:ces sem fundamento.
Novo c grande deposito de superior carv&o de Cardiffna
Bahia.
Antonio Gomes dos Santos & C, ra de Santa Barbara n. I, esto habilitados a snpprir de
oarvo, em condiedes mais favoraveis que em outro qualquer deposito, a todos os navios a vapor qoe
ccarem naooelle Dorto. A contratar nesta com Domingos Alves Matheus.,
nova a 800 rs.a
libra.
Charutos suspiros verdadeiros a 1* a caiza : no
armazem da Liga roa Nova 60.
muito aovas a 900 rs. o cento : na Liga rna Nova
60.
CHAPEOS no CBIL
a 24, 2500, % U, 50 e
de mais preeos.
Na praca da Independencia lojas
Grande uznazem de tin-W
1 tas medicamentos etc. 'j
Ra do Imperador a. 22. S|B
(Rei aa *
Aos ugricnltores
tonto do fbnilefro, Jos Barbosa o
orrando por diohti.'re.
ns. 23 e 25
Peqneno esl
PAPEL Sf PESO
Branco, pautado, qualidaa'b superior.
Resma 80*00.
5A LIVRAR1A FRAffCEZs
i-'. D CR8SPQ {(. 9.
foao Pedro das Nieves
rente) teas a venda o
sega Inte:
Productos cbimicos e pbarma-
ceuticos os nuis empregados em
medicina.
Tintas para todo o genero de pin-
tura e para tinturara.
Productos industriaes e tintas
para flores, como botoes de Aeres
e modelos em gesso para imitar
frucias e passaros com o compe-
tente desenbo.
Productos chimicos e industriaes
para pbotograpbia, tiniuraria, pin- 9
tura, pyrotecnia etc. $
Montado em grande escala e sup- 3S
i prido directamente de Paris, Lon- ac
I dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa !
S pode offerecer productos de plena *
JP csnQanca e satisfazer qualquer en- Jal
^| commeoda a grosso trato e a reta- M
I lbo e por preco commodo.
aiP^ff mi-Biwm.i
Vende-se vinho de Bordeaox em qoartolas,
Na fabrica de padaria a vapor de Joao
Luiz & Narciso, tem para vender massas
com gamma de milbo branco muito nova
recebida emdireitora do Mxico e conti-
nuam a receber por todos os navios viu-
dos de New York, sendo a seu uuico de-
posito na mesma fabrica na praca da
Santa Cruz n 6 e 8.
Saunders Brothers & C. acabam de receber da
Liverpool vapores de torga de 3 a 4 caaallos com
todos os pertences, e mui proprios para fazer mo-
ver machinas de descarocar algodio, podendo cada
vapor trabalbar ate com 140 serras, tambem ser-
ven para enfardar algodao on para outro qualquer
servico em que osam trabalbar com animaes. Os
mesmos tambem tem a venda machinas america-
nas de 35 a 10 serras : os pretndanles dirijam-
se ao largo do Corno Santo n. 11. *
\mm BAKATO
Chamins para caadieires.
Cada um a 280, 320 e 400 rs.
Gaz verdadeiro americano em garrafas a 440 rs
em latas de nm galao a 2*400, de dons ga!5es a
4*600, de cioco galoes a 9**00.
Caadleiros americanos suissos de todos os to-
man hos e preeos.
Faz-se qualquer concert tendente a candieiros.
Tambem se alogam lustres e arandelas a gaz e
globos a vela.
Todo por commodo preco, so no grande estabe-
lecimento de miudezas, quinquilbarias e ferragens,
rna Nova n. 28, de Souza Soares & Irm3o.
Vende-se duas cabras (blcbo) dando Ieite, em
barris e canas : era casa de Tisset rres, ra do | Santo Amaro estrada de Belm segando sitio com
Trapiche o- casa encarnada.
tambraia da Escossia.
Vendem se as mais finas cambraias da Escossia
todas transparentes tendo mais de vara de largura
com 9 varas cada pega, pelos baratissimos preeos
de 6*, 6*500,7*. 8*, 9* e 10*. grande peehin-
ch* : na loja e armazem do pavo, ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Para nolvas.
Vendem-se ricos cortes de seda branca lavrada,
vindo cada um armado no seu earto, com a com-
petente palma e capelia : na loja e armazem do
pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Sedas laicas a 1.v600.
So o pare.
Vendem-se superiores sedas com 4 palmos de
largora, sendo dos padroes mais bonitos qoe ten
vindo ao mercado, e vendem-se pelo baratissimo
preco de 1*600 o covado, cortes de ditas muito
bonitas com 18 covados a 35*000 : na loja e ar-
mazem do pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Aa entenas do navio.
Vendem-se bonitas eolebas de fusto pelo bara-
tissimo prego de 6*000, dita- a imilacao a 3*000,
e grande sortimento de cobertores, tanto de la
como de algodao : na loja e armazem do pavio,
roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Alabeas de cores para vestidas.
Chegararn as rna bonitas alpacas de cores pro-
prias para vestidos, sendo lisas e tendo de todas as
cores mais modernas que tem vindo ao mercado, e
vendem se pelo barato preco de 640 rs. o covado,
ditas lavrada- com as mesmas cores a 720 rs., di-
las de accento branco com palmas de cores a 600
rs., todas estas alpacas sao muito largas e vendem-
se por estes diminutos pregos : na loja e armazem
do pavio, ra da Imperatriz n. 90, de Gama &
SilVa.
Palttots baratos.
Vendem-se paletots de panno preto boa fazenda
pelo baratissimo prego de 6*. ditos sobrecasaeos a
12a, caigas de casemira de cOr a 6* e 79, grande
sortimento de eolletes por preeos baratos e nm
grande sortimento de todas as qualidades de roopa
tanto de casemira como de brim e vendem-se moi-
to em coota na loja e armazem do Pavao na ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Mates de renda a 4stMiO.
Vendem-se os mais modernos chales de renda
pretos pelo barato prego de 4*000 : na loja e ar-
mazem do pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Granadloe.
Chegararn as man bonitas las granadinos com
os mais lindos padrSes de listras senda nm lecldo
lustrozo qoe parece seda o mais moderno qoe este
auno tem vindo para vestidos e vendem-se por
prego muHo barato : nicamente na loja e arma-
zem de Pavo na ra da imperatriz a. 60, de Ga-
ma & Silva.
01 uva fa2enda para vestidos.
Gama Silva receberam pelo ultimo vapor os
mais modernos tecidos que ltimamente se usam
na Europa como sejam laasinhas com os mais de
Meados padroes lislrados com seda e sem ella, ten-
do toda esla fazenda um ln>iro que brilha igual
mente como seda e vendem-se por prego muito
razoavel ; na loja e armazem do Pavo na roa da
Imperatriz o. 60, de Gama 4 Silva.
Pechincha em cortes de chita
francesas.
Vendem se superares eortes de cbitas francezas
sendo escoras e claras com as cores fizas tendo
cada corte 10 a 12 covados fozenrto-lhe a tonta pe-
los baraliss mos pregos de 280 e 320 rs. o covado,
para acabar : na luja e armazem do Pavo a ra
da Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
Balees americanos a 5.
Vendem-se os mais soperiores baldes america-
nos tendo 30 e 35 arcos com as Blas bem largas e
com uioita roda tendo os arcos muito mais eonsi
tencia qne os inglezes, sendo neste artigo o metbor
que tero vindo ao metrado e veodern-.-e pelo bara-
tissimo prego de 5* : na loja e armazem do Pavi
na ra da Imperatriz n. 60, de Crna & Silva.
Gamisinhas para lucto na loja do Pavao.
Vende-se um bonito sortimento de caroisinhas,
manguitos, golinhas e puntas de cambraia, fll e
escomilha ; sendo o mais modrrno e mais proprio
que tem vindo para lucio e vende-se por prego mu
to rasoavel na leja e armazem do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chapeos a 800 rs.
Vende-se chapeos de palha a imitago de mant-
illa pelo baralis-imn prego de 800 rs. cada um por
t-ir orna grande p>rgao, na loja e armazem do Pa-
vo, roa da Imperatriz n. 60, d Gama & Silva.
Corpinttos pretos.
Vendem-se bonios corpiohos de grusdenaple
pretos, sendo ricamentente enfeitados, a 10* : na
loja e armazem do pavo, ra da Imperatriz n.60.
de Gama & Silva.
Casaajulnhas on vasqnlnas.
Cbegaram as mais modernas casaqninhas di
grosdenaple preto, nc, mente enfeiladas, vendem-
se por prego moito razoavel : na loja e arma?err
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama 4
& Sila.
Pata senhoras.
Novidade.
Collerinhos e onnhos
Colerllohos e puntaos
Collerinhos e pautaos
So o pavo.
Chegou pelo ultimo vapor da Europa um grande
sortimento dos mais ricos ponhos com collerinhos
bordados, sendo neste genero o mais bem trabalha-
do que tem vindo a este mercado, tanto nos delkra
dos bordad, s, como oos booitos fetios, tendo tam-
bem com os bordados de cor e sendo todos de es-
goio de linbo e vendem-se por preces muito dimi
utos por ter anda urna porga moito superior
aquella que se tinba encommendada, do-se algun>
para amostra com penbor ou mandam-se levar as
casas das Ezmas. familias que quizerem escolber,
advirtindo-se-lhe que qoanto maior for a porgio
que comprarem mais barato se we veBder, i>lo
na loja e armazem do pavo na ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Novos vestidos Poil deCh-
vre a 16^)00.
Na loja do pavo.
Cbegaram pelo vapor do da 1S do correte, es
mais lindos cortes de poil de chvre para vistldos,
sendo fazenda inteiramente nova no mercado, leo-
do esta fazenda bastante lustre com os mais deli-
cados gostos tanto em listras como em flores solas
e vendem-se pelo baratissimo prego de 16*000,
tendo eada corte 16 covados, isto na loja e arma
zem do pavo na ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Grana die a 4,000 rs.
S o pavao.
Vendem-se bonitos cortes de cambrala granadl-
os com bonitas li-tras brancas e de cores sendo
muito transparentf. Mido 7 Va varas pelo bar*- j
lis.-iaao prego de 4*000 : na loja e armazem do pa-1
vio na ra da Imperatriz n 60, de Gama dt Silva.!
Retalhos na loja do Pavao.
Vendem-se retalhos de linhas e capas em por
Atten$o
Roga-se as autoridades pcHriaraa cajiae'do
campo a captura do escravu Paulino, e-lainra re-
gular, cor ma, cim marcas debengas, pi wa bar-
ba, fal adescangad, muito cantador e rarbaretm;
fugio do engenhoTres Irmos, provincia de Ala
pas, kvaodu camisa e caiga de algoro linio, cha
ico de palha novo,e orna ronce de curiar cama
Poi escravo do Dr. Francisco Borja Enarque, t ol-
lim.meDte do Sr. Marcelino Jeron> in< de Az-vedn,
e vencido pelo Sr. Meira Sooza. coiruP r : uueaa
o prendar leve-o ao referido etgenho tu ;> < ^-a oe
Francisco de Albnquerque Mello, iua do Api lie n.
1, que sera' gratificado.
Attenc
;i
lia um miz, pouco mais cu menos, qt t (ug'odo
lugar den. minadoMucury-ero Aufias, o wera-
vu St L.-.riio, de estatura e corpo regnlam, r-., i.s
linados, com clcainzes bss costas p< r castigo que
xffrtu, "muito ladino, inculca se de t'.hhe e
barbtiro; trm rui por neme Joa&mi dpi nd onde se drsconfla que e.-ieja c. m Intrigan dt- tffe-
recer-se para os aefvifee da guerra acloal. A
pessoa prr lano, que o capturar pi dt-r rnrg..r
ao Sr. Antonio de Mi.ura Roiiui, nena cidade, m
Macelo aos Srs. Ouaile Guimares, Bandeira A G.,
ou ao ate senhor Antonio de Mrll<> Eaibt-in s Mu-
enry. moridor no dito lugar cima ii-nicad", que
(rr; i ai j generosamente. Kecife, 20 d- .-rt mi-ro
el866.
fugm no oia 17 do coi rente dtt >ui dt> Ar-
raial tm qot morco o Dr. Thom Madetra, om
mulatinho tscravo de nome Francisco, lev'.n vali-
do ci-lga e rami
cbaj i preto de tranca de seda; qu>m aprehen-
der o referido, leve ao mesmo sitio ou na ro do
Imperador d. 83 qoe sera' gratificad i, protesta se
conlra tiualtjiier que o baja aceitado.
Est fgida
A pela criuula de nome Benedicta, de 35 aunes
de idade pouco mais ou meBoa, tem os sjgoae* se-
l: o i riles : estatura baiza, ps apalhetado^, t m on a
marca -.miga de ferida em coi braco, ievou Mu-
da de chita cor de rosa com oro bahario laigu e
guarnecido (le tranga prela e panno da Costa osa-
do: fita prela costuro rondar o nome e -Irer-se
forra, couhece todos os arrabaldes da riddo por
onde anda as vezes: qoem a pegar leve-a a sen se-
nhor Jos .!! n>mo da Silva a ra llirriu i. 24,
padaria, ou 82 segundo andar, ques-r rt com-
pensado.
nmm
Em julho de 1864 fogio do abaixo assignade o
seu escravo criooio de 26 anuas de idade e di> no-
roe Miguel, o qual tem os signaes aafnlavs: < r
fula, alto, loa figura,cabega pequea e c bello che-
gado; tero bastante barba e j Ihe falt m algoos
denles, peinas compridas, ps grandes e esparra-
dos, dedos coitos e torios, em um do> p* lea orna
cicatriz de machado entre o dedo granee, um ibais
na roo direita urna outra cicatriz n uito visivel
i|oe paite pelo meio da unha do dedo polb gr, cojo
dedo um pi uco defeituoso, bom iraKaShador, e
ludo qoaolo faz coro desembarago. Fedexe pois
as autoridades policiaes e capitaes de campo que
prendan) o dito e-cravo e o remettarn para o leci-
fe e entregar a Claudio Dubeaux, na roa do Irope- -
rador, que recompensara generosamente, ro para
o Sendo a seo Sr Jos Baptista dos Saii<.
Desipparecido
Contina ausente da casa de sen senhor desde
23 de agosto do anno correnle, o escravo mulati-
nho de nome Raymundo, idade 15 aoos pouco
mais ou menos, corpo regular, ps bem Mos* ca-
bellos callados aparados, levoa camisa, caiga e
chapeo de palha, em urna das roaos tem urna cica-
triz em um dos dedos, proveniente de um taino
de roda que tirn parte da poota do dedo: qu-es
der noticia ou apprehende-la leveo a ca-a da roa
do Imperador o 32, a seu senbor Antooio Mana
de Araujo, aonde as-iste, ou a ra da Piaia o 43
taberna de Genuino Jos da Rosa qoe gratiScars.
rom generosidade, e roga-se as autoridades do cen-
tro da provincia sua vigilancia no sobredilo ee
cravo.___________
Aviso polica e aos capi-
taes-de campo.
Tendo o abaiio assignade por varias vezes asas-
dado um seu escravo d neme Benedicto, cabra
claro, de idade de 24 annos pone mais no menos,
vender (amneos e sapatos em um uholeiro ptlos
arrabaldes desta cidade al lgusras-. P" d'Ahia
e Campia Grande ; e tendo sahidn em ^9 d<> cor-
rente para voltar no dia 13
por isso i|ii' n. o tron-
zar ou delle dr noticias ser grat Meado i sen
ao por prego moito barato: na loja e armzem do ; trabalbo, na roa da Seatala nova n. 1.
'avo, rna da Imperatriz o. 60, de Gama & Silva, i Antonio Pereira Maia.





Miarle de reraaaabaeo segunda letra 9.4 de Setembre 4fi
.. .____________,_______
istS.
TERATRA.
Do ckamamento oo servico militar.
Coma reconhccerara os autores dos projectos
aebtta citados, desde que se pretenda evitar a leva
Em primero lugar observaremos que aqro-Ua
maior coropreheoo do sortefo nao altera o estado
actual do pavo brasileiro qaanto ao frcrutamento
militar, visto que nessa primeira operado .sao
guardadas as numerosas Ueoces que a legislago
vigeote prescreve:
Era segundo lugar ponderaremos que mas de
tar immediato ao de cada alistaroeolo, conforme o l Nada mals justo do que dar preferencia, em al-
tivercm dtopeato'-oi ffulaen us por meio do coostranginenic, phyjo. ^ ^ ^.^ ^
I ,r autros termos, urna vez que se quelra .b ndo c embelecar.
illostre militar, oe" -~ .
O primeiro listamento nao pode inspirar oas-
achamos em
tanle confia nea, atrazados como nos
"ol'iTntario.eo enaina- raa,eria oe W9MN i pelo que prudente alargar
j ocesso actual, que um i
losa memoria, qualieou de cacada humana,
p u, se Dio ura dos duus meios a escolti
apiiulaco ou contrato voluniai .-_- ^^ ^ flm ^ ,ran5?o
ajenio por meio da sorte, mediante urna qaaltiHa ^ ^ ^ ^ ^ ^ ^ ^ ^ ^
CM previa. torno dg orgau|?aj0 e servigo do e*erclto.
A experiencia tem J mooslrado qae, em ar- por oulro ,ido>-repar,(0(jo.se actualmente o ooas
eumslanaas ordiuari. -. os contratos de voluntarios do rerrnlamenl0t eDlre t0da8 as classes, desde 18
lumcos soldados do oxercllo, e que, por laow g| ^ aonos de idadei e p^ndo a recabir s-
vero.), o desigaados devem acbar se nos depsitos
de recrujas ou nos corpas a que (orem destinados.
Nos prorctos q*4 a- see*o eoneafMr, os procos-
sos do allstamenW a o sorleio sao anlogos; mas
com estas notaveis differencas : 01 nmeros do
soribiooaosao lirados pelq?pTopriq| loteiessados;
oa coropasigo' dos cselhos nao se atienden
psesoalmente o triboto militar. A leglslica antlga
e moderna j eooaaejrA este principio em certas
easos. >r
O grande interesse da colonlsaeio parece Igual-
mente justificar a regra que se estabelece a bem da
naturaltsaco do eslrangeiro alistado as Aleiras do
exercito.
A seccib apenas comminoo algumas mullas, ji
Aero a nscessidade de dar, conjuntamente ceca as
garautias prolectoras d direiw dos cidadi a I m Q ^^ ^ se varem tfo
que deve ter o.governo, respoosavel pela orden v
puotica e pela efflcieneia do recrutameato ml-
alistamenio parochial e a obedecerera a desigoagao
Art. 3. Os cidadaos que nao titerero a sen favor
alguma das sete primeins isenges do art. 2*. nem
as dos arts. 15 e 16, sendo estas vwteadM na oc-
casllo do sorteio, podero eximlr-s do servigope-
soal do exercito medlant* orna contribuigo peco.
Diarta paga animalmente, ou de urna so vex, a qual
sera determinada na le de fixaco de torgas.
1* A presucSo anoual nao exceder a 60WO0
cada individuo, e o iseoto tica a ella abrigado at
completar a idade de 35 annos
Os alistados que qulzerera aproveitar-se deste
meio de isenco deverao declralo antes de entra-
tltar.
do'sorteio, j para prevenir falta de zelo ou parcia- i rem em soneto, em conferroidade do que dispSe o
lidade da parle dos cooselho; encarregados
O podrir exacutivo, a qoeoj incunbe a conser-1 opera55es do recrutamento.
i
ifiii despretar este recurso, forcoso adoptar
um oulro.
Oallstaraento dos cidadaos recrutaveis sera a
ri-.Mguacao por via do sorteio sena o mero arbitrio
ua nutondade, arbitrio odioso e susceptivel de lm-,
mensas ,nJust.caS,.por mais regras^ esjaMe- ^ ^ ^ ^ ^ ^^ (
| de sua Idade, concern, a querer gosar
sob garantas tutela- \" ^""^ svi5o pessoal, para a ca
2 .j laco dos futuros recrutas pagando a conlribuicao
res dos direilos individuaes e dos do estado, segu- v _:.....___________re.......
aL mente sobre a de 18 anuos, releva dar algum lem-
po para que as familias se preparem psra esta inn-
daoca.
E outro sim de eqoidade que aquella parte da
populacao que est hoje sojeita ao recrolamealo, e
raiao
cebera para preven! las e por melhores que tosseu. ^ ^ ^. ^^ ^ ^^ ^ ^ lQgQ
as mtencSes dos eieeotures. | da |g ,0 do serv a caUa da 00,
a qualiflcacao previa, fe.t sob ^^.[^ futuros rebutas pagand.
d4 do cbamamento por meio da sorte, o systema ; Piarla Q o mesmo projec.o est.be.ece.
u.oierno de recrutamento em Franga e em outros; Aqu deve a seeso notar as dispensas que os
paixea onde a liberdade e a igualdade civil acham- arls. e 15 e .16 conceden), sempre no intuito de
se melhor estabelecldas. conciliar o interesse particular das famlias com o
E' tarobem este o processo adoptado pela seccio; ae ioaa a sociedade brasilelra. Excepto o caso de
ajas o nos>o plauo difiere notavelmente dos ante guerra, em qne se deixa ao arbitrio do governo
, i .res, na forma e na essecia. < tornar ou nao effectiva esta dispensa, se dous ir-
U? projectos brasileiros que receberam essa in" | maos forem ao megrao tempo designados pela sorto
novacio, exceptuado o de 1858, Inclnem no sortea-1 para 0 conngenie annual, s um dslles sera' obn;
gado a servir. E' igualmente dispensado o que ja
mento annual todos os alistados, isto nao s os
icceuletnente inscriptos, mas ainda os que escap-
rain a desiguacao dos sorlelos anteriores. Segun-
do elies, por tanto, toda a populacao viril tica so-
jeita a contingencia do recrutamento at atingir
o malino da idade dos recrutaveis ( 30 ou 35 an.
nos.)
K" orna incerteza inquietadora para as familias,
e uiuito prejudicial as industrias do pala.
A seccao seguio o systema fraucei com a mo-
dincacao que nossas circumstancias aconselhara.
O novo projecto comprebende as operaces do
pnuieiro aiistamenlo e sorleio os cidadaos idneos
e 17 a 35 annos de idade, admillindo, porm,
neste caso todas as isencoes da legislacao vigente.
liver dons irmaos as flleiras do exercito.
Da forma do alistamento e do torteio. t
O astameoto se divide em duas operaces, das
qoaes a pnmeira incumbida a conselbos paro-
chiaes, e a segunda a cooselhns qae se reanem as
capitaes das provincias ena corte.
Os primeiros, ou conselh js de listamento sao
conposios dos joizes de paz do prineiro anno, co-
mo presidentes, dos subdelegados de polica, e do
offlciaes da guarda nacional nomeados pelo go-
verno.
Os segundos, ou con-elhos de revisao.compdem-
se dos presidentes das provincias oo das nessoas
Do seguodo alistaneoio e sorleio en diante sao j que estes nomearem para substitui-los, dos cuefes
comprebendidos smente os que completara a ida-
de de 17 annos dorante o Diurno periodo, isto os
mancebos de 18 ancos incompletos, e alm destes
os iudividuos que deixarara de ser inscriptos nos
alistamentos anteriores, urna vez que nao tenhara
j atlmgido a idade de 35 annos.
A regra, por tanto, segondo o projecto da secao,
que a sorte do servico das armas recahir sobre
es ocos naiores d; 17 annos.
Aquella Idade o minimo de todos os projecto e
da legislacao actoal. C>m ffeito, nesta establo da
vida ja se p ie ter adquirido mais do qoe a ins-
trocQao commum, e al estar iniciado em alguma
profissao civil, para a qnal se torne ao Andar o
prazo do servico militar.
Mas offerecer a indicada classe viveiro sufflcien-
te para o numero de recrutas que o exercito pedi-
r annualmente ? S a eslatistica pode responder
a esta questo, e esse importante ramo de publica
admiDistraco est ainda omito atrazado entre nos
Na falta de urna taboa da poDulacao brasileira,
eremos que, sen receio de grande erro, pode se
de polica, dos commaodaotes de armas, on dos
commaodantes superiores da guarda nacional das
capitaes, e dos joizes municipaes respectivos.
Na corte a presidencia do conselho de reviso
cabe a ura pfflcial general do exercito escolhido
pelo ministro da guerra.
Os conselbos de listamento deliberara sobre as
isenedesdo art. 2*. pelo conheemento peculiar qoe
lera da populacao local e a vista das allegares dos
interessados, dos pareceres dos peritas designados
pelo governo, e das informaras qae Ibes devem
prestar outros funeciooarios do mesmo districto.
As deliberac5es dos'conselhos de revisao, para
os quaes todo o ciddo pode recorrer dos conse-
lbos parochiaes, s competem aos presidentes
das provincias e ao offlciM general que presidir o
da corte.
Destas decises ha ainda recurso com effeito de-
volutivo smente para o mioistro da guerra.
A par destas garantas ha toda a publicidade
possivel no processo do alisiameoto e sorteio.
A operagao.do sorteio frita pelos mesmos con
os mogos de 20 annos, que sao os sujeilos
sorteio annual, e a populagao total. E?ta re*,
lagao c a de 1 pi ICO.
Suppondo que toda a populagio livre do imperio
nao exceda a 5,000,000 de habitantes, o que fi
car quera do algarlsmo mais provavel teremos
50,000 para a parle recrutave!, da qual podem sa-
bir, sem veame publico, 4 a 6,000 mancebos an-
nualmente para preeneberen as flleiras do exer-
cito.
Mas nolar-se-ha que no primeiro anno da execu-
eo da nova lei a sergo inclue no listamento e
sorteio todas as idades de 18 a 3o annos.
t mar oor base a relaco achada em Franca entre
all ao seit,0> Parochiaes, depois de revista a mscnpgao
dos cidadaos recrutaveis pelos conselbos centraos;
i e com assisiencia dos inscriptos, ou de quem leg-
timamente os representar, cada nm dos quaes
chamado a tirar por si mesmo o numero em que
deve ser collocado no listamento da parochia res-
pectiva.
Os primeiros conselhos reunem-se no 1." de jo-
Iho de cada anno, e devem concluir os seus traba-
mos dentro era dous mezes.
A reunio dos segundos conselhos teem lugar
no primeiro dia til de uovembro, e as sessoes
nao pdem eslender-se alm do mez segumte.
No decurso do primeiro semestre do anno mili-
vago do exerciut e da armada, bem como o cora-
mando e emprego de toda a forga publica, nao p-'
de deixar de exercer a acgo directa e edicaz so-
bre taes conseibos, de cojo zelo e justiga depende-
r o preenchmento, sem veame da populagao, da
forga decretada pelo poder legislativo.
Dos prazos de servido.
Os prazos c artos, como pretenden) alguns, faci-
litan a aeqoisigo de Tolootarlos, mas esta utilida-
de niodeve ser apreciada sem relagao con a dis-
ciplina, inslruceo, efflaencia e economa do exer-
cito.
Os prazos nuito cortos despenen os soldados
qnando elles comegam a merecer o titulo de vete-
ranos ; e sojeltam a administraglo militar a naio-
res despezas e a malor trabalhu com o cbamamen-
to de novos i ecrotas.
O primeiro capilo do nosso scalo dlscorrendo
an dia en Santa Helena sobre a sua vida poltica
e militar, disse qaecon ama farda, ama espin-
garda e alguns das de exercicio, transforma se
um artista oa campooez em soldado.Isto dizia
Napoleo para mostrar a differenga entre -o solda-
do e o narinheiro ; as a sua proposigao nlo
una verdade pratica, seoo quando o patriotismo
exige que am poro iateiro se levante contra os
seas aggressores.
Nao esta a regra normal da conposigo de an
bom exercito.
Na Russla o soldado- ligado ao servigo durante
20 aonos, na Aosiria 10 aonos, em Franga 7 an -
nos, na Inglaterra 10 a 12 annos, na Italia 8 a 11
annos, e na Prassla 16 annos; modiQcando-se
esses prazos, em alguns dos ditos palies, segundo
as arnas, oo en virtnde de lieengas, oa pela pas-
sagem para as for.as de reserva.
A sergo entendeu que nao devia innovar sobre
este ponto. Adoptou o prazo de seis annos para os
voluntarlos, e os designados pelo sorteio qae se
o5o evadlrera ao sea dever, e o de nove annos
para os obrgad os.
Estes prazos foram tambera admittidos en al-
guns dos projectos anteriores, e leen em sea favor
a nossa pratica de maitos annos.
Prazos nais cortos s os adnittio a soccao en ca-
sos excepciooaes, a sabor : em tempo de guerra ;
oa para os veteranos qoe queiram continuar no
servigo depois de Ando o temp3 de saa primeira
praga. No primeiro caso as circunstancias extra-
ordinarias de ama guerra, e no segando a razo
de que taes voluntarios sao soldados feitos, qae j
existem sob as bandeiras do exercito, explican) e
justifleam essa excepgao ou regra especial.
Ainda aqu a secgo nao fez seno conservar o
qae ba de bom oa legislago vigeote, cora o addi-
tanento do final do art. 23, qoe permita un In-
tervalo de seis mezes entre dous alistamentos
consecutivos.
O presente projecto dmitte tambem o lista-
mento iodiridual de estrangeiros, em condigoes
au logas s dos Brasileiros, e com limitagio qoan-
to ao sea nomero em cada corpo, limltago menor
do que a actual, que de nm tergo.
O limite de raetade.que a secgo prefere, qoasi
nunca sera attiagido, como o nao tem sido o de nm
tergo, e offerece a vantgem de nao coarctar tanto
a auioridade militar no emprego dos recrutas des-
sa ongem.
Disposifdes geraes.
Este capitulo do projecto da secgo lera por ob-
jecto completar os anteriores, no que respeita ao
aprego moral e a remuoerago do servigo militar,
bem como bel e mais solicita execagio do novo
systema de recrutamento.
Deixoo-se de acautelar neste projecto os casos de
sabstitoigdes fraudulentas, de mnlilaees volunta-
rias, e de outros meios deshonestos a que alguns
iauividuos recrutaveis podem recorrer para fuar-
se ao sea dever.
Eatendeu-se que ao cdigo penal militar cabe
prever e punir taes crimes, de que ja ha exemplos
entre nos, como em outros paizes.
O artigo 30 prev o caso de que, em circumstan-
cias supremas, nao seja prailcavel o proce.-80 qae
ora prescreve Nessa bypotbese excepcional e rara
aotorisa-se a leva forgada petos meios actuaes mas
com todas as isenges que hoje vigorara, e com a
regulandade que permitlirem os allslanentos dos
annos anteriores.
Eis en resumo o trabalbo que a 6' secgo sub-
netle apreciago e emenda da illastrada comms-
sao de exame da legislago do exercito.
Nao elle am projecto de lei regularoenur do
recrutamento, mas smente os priocipios legaes,
sob os qoaes devem ser formulados os reglamen-
tos do governo, que assim flear com a faculdade
para ir modificando a execugo da lei, seguodo a
experiencia e as circnmslancias do paz o forero
ensinando e exlgodo, em materia por sua nalureza
lo oifflcil e complicada.
Por oltimo, a secgo deve dar-vos teslemunho da
valiosa cooperago que recebeo do Sr. marechai
Polydoro da Fonsec Qainlanilha lordo, am de
seas primitivos merobros, at que as necessidades da
guerra o affaslaram d'eBtreJos, sendo por isso subs-
tituido pelo Ilustrado Sr. Dr.Titomaz Alves Jnior,
que tomou parte as ultimas conferencias, e assigna
o presente parecer.
PROJECTO UE LEI DE RECRUTAMENTO.
art. 17.
| 2* A coniribuigo paga de urna so vez sera
igual quantia necessaria para se oble.', como vo
lantario, ura subsiitut) idneo.
| 3* A sub.-tnulco pessoal permiltida entre
Irmaos, priino-irmos, lio e sobriubo, ou runbados,
urna vez que o suhstiluto nao esteja coroprehendido
na desigoico do mesmo anno, tenha mais de 17 e
menos de 29 aono de idade, e possua a necessaria
aplido pliysica.
Art. 4. Nao podem servir no exenvlo os indivi-.
dos que houverem suuVido a peca de gales ; mas
sero obrigadi>s a ali-uims das conlribuices de
que trata o art. 3 se tverem meios de renda coro
que possara sei.-r?-!a.
( ConUnuui .-- Iiu).
FOLHETIM
HE*lKfttS
DE
liM SAGETT DE MILICIAS
POR
Uin Brasileiro.
CAPITULO V. .
O V1DIGAL.
(Cooliuuago.)
A esla voz todas as cbibitas ergueram-se, e 'a-
birara de rijo sobre as costas daqueila honesta gen-
te, flzeraran'a dansar, e sen querer, ainia por
algum tempo.
Pala, disse o major depois de um bom quarto
de hora.
Comegou ento a fazer a cada am serrao, em
que se raustrava nuito sentido por ter sido obriga
do a chegar aquello excesso, e que termina va sem-
pre por esta pergaota:
Ento voc em que se oceupa ?
Nenbura delles responda.
O major sorria-se e accrescentava com riso sar-
dnico :
Est bom I
Chegou a vez do Leonardo.
Pois bomem, voc, um offlcial de justiga, qae
devia dar o exemplo......
Sr. major, responden elle acabranhado, o
abo daquella rapariga qae me obriga a tudo
Isto: j oo sei de que meios ase......
Voc ha de ficar carado 1 Vamos para a
casa da guarda.
Com e*ia ultima decisao o Leonardo deses-
peran.
Perdoaria de bon grado as chibatadas qae leva-
ra, cam laato qoe ellas fleassem em segredo; mas
ir para a casa da guarda, e delta talvez para a
cafleia.... isso que elle nao poda tolerar. Ro-
gou ao major que o poopasse; o major oi inflexi-
vel. Desfez ento a vergonha en pragas a maldita
cigaoa, que lauto o falla soffrer.
A casa da gnarda era no largo na s; era ama
especie de deposito onde se guardavam os presos
qae se faziam de noute, para se Ibes dar depois
cooveneute destino.
ja se sabe qae os amigos de novidades am por
ali de manhaa e sabian con facilidade lado qae se
traba passado oa noate antecedente.
Ah esleve o Leonardo o resto da noate e grande
parte da nanbaa, eiposto a veatoria dos curio-
sos.
Por nfelieidade sua passoa por acaso un colle-
ga, e vendo-o eotreu para failar-lbe, isto quer
Uuer que d'abi a punco toda a lllastre corporago
dos meiriobos da cidade sabia do occorrido com o
Leonardo, e Ja se preparava para dar-lbe ama so-
lemne pateada quando o negocio mudou de aspecto
a o Leonardo ful mandado para a cadeia.
Apparenleroente os companheiros mostraran-se
sentidos, porm secretrseme nao deixaram de
estimar o contra-t?ropo porque o Leonardo era
capittlo i.
Dos cidadaos recrutaveis e das isenedes.
Art. 1. Todos os cidadaos brasileiros maiores de
17 e menores de 35 annos de idade, salvas as isen-
55es declaradas na presente lei, sao obrigadas ao
servigo nililar do exercito.
Art. 2. Sao isentos do recrutamento do exercito-
ainda qoe estejara comprebendidos entre as idade
exigidas no art. 1.:
Os que tverem defeo physieo on enfermi-
dade qae oslohabilite para todo e qoalquer servi-
go militar.
2* Os estodantes matriculados as facaldides
e outros esubeleclmentos pblicos de ensino sope-
or, naclonaes oa estrangeiros, se forem nenores
de 25 annos.
| 3 Os ecclesiaslicos de ordens sacras e os mi-
nistros de oulras religies.
g 4 OirmSodeorphasdoniellas,oadeorpbos
menores de 17 aonos, qne os alimentar e educar
5 O albo nico qoe viver em companbia de
sua raai viava, ou de pal decrepito ou valetudina-
rio. Havendo mais de um fllho, ser exceptuado o
mais velbo ou outro escolba do pai oo mal, na
falta de Albos o genro, e na falla deste um dos ne-
tos.
6 O viuvo que liver fllhos legitime* ou legiti-
mados, a quem alimente e eduque.
T Os naclonaes enpregados na vida do mar
que se acharem inscriptos no listamento do minis-
terio da marinha como sujeilos ao servigo da ar-
mada.
8' Os que pagaren) a contribuigao pecuniaria
de que trata o art. 3.
muito afreguezado e em qaanto eslava elle preso
as partes os procuravam.
CAPITULO VI.
lMUMKim NOl'TB FORA DE CASA.
O compadre, apenas dra por falla do afllhado,
vio se presa da maior *fflicgSo: poz em alarma
loda a vhinbaoga, procurou, Indagou, mas nin-
guem Ihe deu novas era mandados delle. Lem-
br >u-se ento da Via Sacra, e iraaginoo que o pe-
queo a tena acompaando ; percorreu todas as
rnns por onde passara o acompanhamento, perguo-
laudo afBicto a qaantos enconlrava pelo thesouro
precioso de suas esperangas; chegon sem encon-
trar vestigio algum al o B m Jess, oude Ibe
disseram ter visto'tres memuos que por se porta-
ren) endiabradamente na occasio da entrada da
Va-Sacra o sacristao os correr para fra da
igreja.
Foi este o nico signal que pode colher.
Vagou depois por muito tempo pela ra, e s se
recolheu para a casa estando j a noute adian-
lada.
Ao ebegar a porta de casa abri se o postigo de
orna rotula contigua, o urna voz de mulber per-
guoiou:
Ento, vsinbo, nada ?
Nada, visiaha, respondeu o compadre con voz
desanimada.
Ora, quando eu Ibe digo qae aquella creanga
tem maus bofes......
Visiolia, lslo nao sao cousas qae se di-
gara...-.
Diga Ibe e repito Ibe qae tem mas bo-
fes..... Deus permita que oo, mas aquillo nao
tem bom Am......
Ubi senbora, replicou o compadre muito irri-
tado, que tem a senbora com a mioba vida e mais
das cousas que me periencem 1 Metta-se comsigo,
cun'e nos seus bilros e na sua renda, e deixe a vida
albela.
Entrn depois para asa mormurando:
Um dia fago aqoi una estrallada com esta
nulher: sempre isto I parece un agouro!
Toda a noute levoa o pobre homem acordado a
pensar nos meios de achar o pequeo : e depois de
ter formado mil planos, disse comsigo.
En ultimo lagar vou ter com o major Vi-
dlgal.
E espern qae o dia voltasse para proseguir en
suas pesquias.
Entretanto vamos salisfazer ao leitor, que ha de
talvez ter cariosidade de saber onde se multen o
pequeo.
Com os emigrados de Portugal veio tamben para
o Brasil a praga dos eiganos.
Gente ociosa e de poneos escrpulos, ganharam
elles aqu reputagao bem merecida dos nals reAna-
dos velhacos : ningoem que tivesse juizo se mettia
con elles em negocio, porque tioba certeza de
levar carolo.
A poesa de seos costones e de suas crengas, de
qoe nuito se falla, delxarara-n'a da ootra bada
do ocano; para ca s trouxeram raius hbitos,
esperteza e velhacarla, e se nao, o nos" Leonardo
pode dizer alguma cousa a respeit?
UM POLCO AE TUDO.
Um viajante, em suas okservacoes colindas
nos EstacK-Unrdos, diz o seguiotu :
M. Daviesmastrou-me urna collecpo de
aniigtiidades indiana* da America do Norte,
miudamente, com muita st-licitude e pacien-
cia, tomando at o trabalho de desenfardar
os principae> objectos, e communicando-me
interessanlesexplicages, 'o preciosas c -mo
os proprios objectos.
Abunda em sua colleco grande numero
de cachimbos, muito curiosos debaixo do
ponto de vist archeologico.
O f rnilho repi eseta ordinariamente um
animal, algumas vezes urna figura humana.
Osanimaessao esculpidos com perleigSo
a pbisionomia geralmente bem apanhada,
factoeste, que igualmente nota-senasesculp-
turas egypciaoas, com observei em Lcyde
na bella co leofo japonesa de Siebold.
Nao urna eacriplura phantastica como a
dos Mexicanos nem grosseira como os de^-
senhos informes dos Pedax-Rouges.
ET arte differente e superior, seguindo de
perto a nalureza e sabendo representa-la
s;m a desfigurar.
Ha caoecas humanas perfeitamente repre-
sentadas ; e urna dellas, tendo um carcter
bem individual, reprsenla um chefe cujo
rosto est piutado, seguindo o costume dos
guerreiros indianos.
Urna outra figura parece representar a
mor te. .
Um homem posto de quatru ps, e derra-
mando lagrimas, provavelmente a repre-
seutacao de uin-ioimigo, para que seu ven-
cedor pudesse ter o prazer de fumar atra-
vz da imagem de sua pessoa em signal de
triunpho'.
JO grande numero de cachimbos prova que
o uso de fumar remonta, como os monumen-
tos que s3j encontrados, pelo menos ha um
milheiro de amos.
esapparecer a sorpresa que causa tal
quantidaae decaciimbo para quem rellec-
tir que a acc5o de fumar fui em diversas
naces americanas urna ceremonia religiosa,
e que ella forma ainda hoje, entre muitos
povos, a parte mais importante do ceremo-
nial pralicado as assembias onde delibe-
r-se ou rectigea-se os tratados.
Tenho reunido urna immensidade de pas-
sagens por onde se mostra, que aspirar o
fumo era um acto religioso, e queima-lo urna
reverencia Bivindaae.
O fumo era ura incens.
Ao sudoeste ainda existem povos que
guardam o costume d subir urna collina,
ao amanhectt-, para l?ncar ama baforada de
famaca ao ztenith, e miis quatro na direc-
cSo dos quatro pontos carileaes.
Algumas tribu dizpm ter recebido o fumo
assim eoii o millio, d um iensageiro
celeste do Grande Espirito, quem por isso
olUs fazem offerenda da fnmaca de seus ca-
chimbos, aendn esta ceremonia < prerhninar
de todas as sol mtmlmles.
Urna tradiecp- .ingular -existe entre os
selvagens que habitara as trras intermedia-
rias do alto MiSMSsipe e do alto Missouri.
Ahi sobre a Collina dos prados, encon
tra-se umi podra vermelha que serve para
fazer cachimbos.
Todas as tribus da visiuhanra visitam-a,
seja em tempo de guerra ou de paz, por-
que (dizem os indios) o Grande Espirito veHa
sobre ese lugar, e nem a massa do com-
bates nem a faca ahi ferem jamis um ni-
migo..
Re'erem alguns indgenas, que em um
certo dia o Grande-Esp'rilo, por meio de
seus agentes convocou toaas as tribus junto
aquella pelreira, tomou um pedaco de
pedra, fez um eaehimho, fumou, lancando
baforadas s ibre os i dios reunidos, e Ihes
disse. que, ainda em tempo de guerra, elles
deviam estar nesse lagarero paz, pois que
pertencia todos, e deviam lod -s, fabricar
seus cachimbos com aquella pedra.
Que tendo assim fallado, urna nuvem
enorme levantou-se de seu grande cachim-
bo, rolou sobre a cabeca dos circumstantes,
desapparecendo com ella o Grande-Espirito.
Os rochedos foram envolvidos era urna
torrente de fogo, de modo que sua super-
ficie derreieu-se.
Duas mulheres, apanhadas pela lavas ar-
demos, ficaram embaixo dos roohedos, e
at hoje uinguem pode tirar daquelle ponto
um pedaco de pedra vermelha sem o seu
coLsentimenlo.
Muitas reflexoe3 decorrem desta legenda :
urna especie de tregua de Deu : a recorda-
do pbantasticae divioisada de alguma erup-
C3o volcnica.
Limito-me a chamar a attenclo para o
acto de fumarattribuido a propria divin-
dade I
Viviam em quasi completa' ociosidade; nao
linham noute sera festa.
Moravam ordinariamente um pouco anedados
das ras populares, e viviam em plena liber-
dade.
As mulleres trajavara com certo luxo relativo
aos seus haveres: uswam muito de rendas e A-
tas; davam preferencia a tudo quanio era encar-
nado, e nenhuma dellas dispensava pela menos ura
cordo de ouro ao pescogo; os homens nao tiahara
outra distraegao mals do que alguns tragos phy-
sionoroicos particulares que os faziam conde-
cidos.
Os dous neninos con qoen o pequeo fugitivo
travara amisade perteociam a urna familia dessa
gente qae morava no largo do Roci, lugar que
tloha por isso al algum tempo o nome de campo
dos Ciganos.
Tinham esses meninos, coro dissemos, pouco
mais oa menos a mesma idade qoe elle : porm
acostumados vida vagabunda, conhecam toda a
cidade, e a percorriam sos, sem qne isso causasse
cuidado a seas pas; nanea faltavan a acompanha-
mento de Vla-Sacra, nem outra qaalqoer cousa
desse genero.
Eo^ontrando-se n'essa noite, como ji sabam os
leitores, como o nosso futuro clrigo, a elles se
associaram, e o carregaram para casa de seus
pas, onde, como de costume bavia festa de ciga-
nos, fe este costume ainda boje se conserva);
faziam, dissemos, testa todos os dias, porm moti-
va vam-n'a sempre.
Hoje era um baptisado, amanhaa um easanento,
agora annos d'este, logo annos d'aquelle, festa d'este(
festa d'aquelle santo.
Na noite de qoe trtanos havia nn oratorio ar-
mado, e testejava-se un santo de sua devogio
nao Ihe sabemos o nome.
Pelo ca minti o menino teve alean s escrpulos
e qoiz voltar, porm os outros tal pintura Ibe
Azeram do que elle ia ver se os acompanhas-
se, que decidio-se a segu-los at onde qoizes-
sem.
Cbegaran ernfim casa, onde j tinha comegado
a festa.
Ao lado esquerdo da sala eslava o oratorio illa-
minado por algunas pequeas velas de cera, so-
bre urna mesa coberta com una toalha branca,
servia-lhe de espaldar una colcha de cbita con
folhos.
Em roda da sala estavam colloeados aiseotos de
loda a nalureza, bancos, caieiras, ele., onde se
assentavam os convidados.
L-se na correspondencia de Lisboa
para o Jornal do Commercio :
Um rustico de Mafra, com pretencr.es a
erudito, oceupava-se em explicar a outro
saloio. inteiramente bocal, o modo porque
o telegrapho elctrico fuuccionava de Lis-
b ja para Madrid.
Nao percebo a trapalhada, dizia o 13-
zudo. O que ests a dizer de pilhas, de
os, de manicas para mim tudo tra-
mla.
Vamos ver se me taco melhor enten-
der, acode o esperlalhao. Imagina um
cao muito grande, muito grande, tSo gran-
de que tendo os ps em Lisboa chegasse
com is maos a Madrid.
Ests doudo, Z, acode o bronco, onde
que ha caes desse tamanho ?
Bem sei que ; mas faz de conta que
os ha.
Vamos la, e depois ?
Se Ihe pisarem o raba que est em
Lisboa, ladra logo em Madrid; e eis aqoi
tens o que o teleg-apbo elctrico.
Percebo ago-a, diz o bocal. Jvejo
como Qem sabe, sabe.
O fado tem divarsas formas, cada qual mais ori-
ginal.
Ora, urna s pessoa, homen oa malher dansa no
meio da casa por algum tempo, fazendo passos os
mais dificultosos, i mando as mas airosas posi-
ges, acompanhando ludo Isso com estalos qae da
com os dedos, e val depois pouco e pouco aproxi-
mando se de qualquer que Ihe agrada; faz-lh<-
diante algumas negagas e viravoltas e Analmente
bate palmas, o que quer dizer que a eseolheu para
substituir o seu lugar.
Assim corre a roda toda at que lodos tenham
dansado.
Oulras vezes um bomem e urna mulber dansam
juntos; seguindo coro a maior certeza o compasa
da msica, ora acompaoham-se a passos lentes, ora
apressados, depois repellem-se, depois juntara se;
o homem s vezes busca a mulher com passos li-
geiros, emquanto ella, fazendo nm pequeo movi-
menlo com o corpo e com os bragos, recua vaga-
rosamente, outras vezes ella que a procura o
homem, que recua por sea turno, al que emGro
acompaoham-se de novo.
Ha tambem a roda em que dansam multas pes-
soas, inlerrompendo cerlos compassos com palmas
e com um sapaledo s vezes eslrondoso e prolon-
gado, s vezes mais brando e mais breve, porero
sempre igual e a um s tempo.
Alm d'esias ba anda outras formas do que nao
(alamos.
A msica differente para cada nma, porm
sempre locada em viola.
Multas vezes o locador cania em ceos comps,
sos urna cantiga s vezes de pensaroento verdadei-
ramele potico.
Quando o fado comega casta a acabar ; termina
sempre pela madrugada, quando nao leva de enda-
da dias e noites seguidas e intelras.
O menino, esqoecido de todo pelo prazer, assislio
festa emquanto pode; depois cbegou-lbe o soro
no, e rennndo-se com os companheiros em um
canto, adormecern) todos embalados pela viola e
pelo sapateado.
Quaodo amaobecea acordou sarapaotado; cha-
nou um dos companheiros, e pedio qoe o levasse
para casa.
O padrioho ia sahiodo para comegar as pesqni-
zas quando esbarrou eom elle.
Menino dos tresenios..
t?...
Foi ver um oratorio. .. N5o diz que eu bel
de ser padre TI...
O padrioho olhou-o por muito tempo, e aflnsl,
nao podendo resistir ao ar de inoenwdade que elle
para dentro j
onde te metteste
Nao eran estes en pequeo nanero, eran ci
ganos e gente do paiz ; trazlam totUetes de loda a! mostrava, desatoo a rlr, e levou-o
casta, do soffrlvel para baixo; mostravan-se ale- completamente apatisoado.
gres e dispostos a aproveitarem bem a noite.
Os meninos entraran) sen que algnem reparasse
n'elles, e foram collocar-se junto do oratorio.
D'abi a pouco comegou o (ado.
Todos saben o que fado, essa dansa to volap-
tuosa, lo variada, que parece fllha do mais apu-
rado esludo da arle.
Una
CAPITULO VII
A COMAORl.
Compre-nos agora dizer alguma coosa a respeilo
de urna personagem que representar ao correr
d'esta historia um importante papel, e qoe o leitor.
apenas coobece, porque n'ella tocamos de passa
gen, oo primeiro capitulo; a comadre, a parle*
Era a comadre una mulher baia, excesiva-
mente gorda, booanuhona, ingenua ou loia at um
certo [) ni, e linoria al outro; viva do ufficio de
parteira, que adoptara por curiosidade, e benzia
de quebraoie; todos a conheciam por mulo beata
e pela mais desabrida pa-pa-missas da cidade.
Era a folliinha mais exacta de todas as esias re-
ligiosas que se dizia missa em lal ou qual igreja,
como a hora e at o nome do padre; era pootu! a
ladaioha, ao tergo, a novena, ao septenario; nao
Ihe escapava Va-Sacra, procisso, nem serioao;
[razia o tempo hbilmente distribuido, e as horas
combinadas de maneira que unca Ihe acooieceo
chegar a' igreja e acnar Ja' a missa no altar.
Deraadragada comegava .pela missa da Lipa ;
apenas acabava ia a das 8 n S, e d'ahr sabalo
pilhava aioda a das 9 e.a Sanio Antonio.
O seu traje habitual era, como o de todas as mu-
lheres da sua conJigo e esphera, umasaia de 1 la
preta, que se vesta sobre usa vestido -qualquer,
um leugo branco muiio taso e engomnado ao pes-
cogo, oulro na cabega, um rosario pendurado mo
cs da saia, un ranlnbo de arruda atraz da ore^
In'a, lado isto coserlo por urna classica maotilUa,
jumo a" renda da qual se pregava urna pequea n-
ga de onro ou de osso.
Nos das duplices, era vez de leogo a' cabega, o
cabello era ponteado, e seguro por um enorme pea-
le cravejado de chrysoliias
Este uso da mantilha era um arremedo do uso
bespanhol; porm a maoiilba hespanhola, temos
ouvido diier, una cousa potica que revesle as
mulheres de um certo myslerlo, e que Ibes realga
a belleza ; a manlilha das nossas mulheres, nao ;
era a cousa mais prosaica que se ple imaginar,
especialmente quando as que as traziam eram
bailas e gordas cono a comadre.
A mais briloanie festa religiosa (que eram as
mais frequeaiadas euto) toma va am aspecto lugu
bre, logu que a igreja se enchla daquelles vultos
negros, qoe se nulam um aos outros, que se incii-
navam coebichando a cada momento-
Mas a manlilha era o traje mais conveniente aos
costones da poca; sendo as aeges dos outros o
priocipal cuidado de quasi todos, era multo oeces-
sario ver sem ser visto.
A manlilha para as maerea eslava oa razao
das rotulas para as casas; eram o observatorio da
vida alheia.
Muita agitada e chela de accidentes era a viaa
que le.ava a comadre, de parteira, beata e enran-
deira de quebranto ; nao tinha por Isso multo lem-
po de faaer visitas e procurar os eonnecidos e ami-
gos. Assim nao procurava o Leonardo muitas ve-
zes ; havia nuito lempo qoe nao sabia noticia del-
le nem da Mara, nem do aAlhado, quando am dia
na S oavio entre duas beatas de manlilha a se-
gante conversa :
E' o qae Ihe digo: a saloiazlnba era da pel-
le do linhoso I
_ E pareca ana santinha... e r> Leonardo o
qoe Ibe fes t
Ora, dsancoa-a de morios, e foi o que
fez
simples viola serve melhor do que inatra-ra qoe, con: o dissenos.oeivlr* de m.dnoha ao con que ella abalase, rnals d*pr-> como cap-
um rapago ; yaoqava boa! patucas, e trata va d I-
la como de urna seoiiora !
B o lilho... que assim mesno pcqaeno era
um malcriado...
O padrioho tomou coala Oelle ; quer-lhe um
bem extraordinario... esta' maluco o coitado do
nomem, diz que o menino ha ds por forga ser
padre___ mas qual padre, se elle nm endia-
brado I...
Nesta occasio levanlava se a Deu3, e as doas
beatas iiiterrump Tain a conversa para batel nos
peitos.
Era urna dellas a vizioba do compadre, que prog-
BWUcava mau tira ao menino, e com quem elle
promettera fazer umaestralltda ; a oulra era urna
das que tinham estado na funego do baptisado.
A comadre, apenas ouvio isto, foi procurar o
compadre ; nao se pense porm que a levara a is-
so ouiro mteresse que oo fosse a curiosidade,
quena saber o caso cora todos os menores dela-
lnes; isso Ihe dava materia para a conversa na
igreja, e para eoireler as paturieoles qji* se con-
davam aos seus cuidados.
Eiitrou pela luja do oarbeiro ; e apenu o avisiou
foi Ihe dizeodo :
i.iiao, com que a tal comadre pregounos o
mooo 7 Veja o que sao doudices ; faier aquillo a
Leonardo, um bomem que nao mal arraujaoo...
Alboo Heino...
Apertara-lhe as saudades da ierra, dtsw o
compadre com sorriso maligno.
Aperlada se veja ella entre as unhas do li-
nhoso I Oihem qoe joiaziaha... E voc, mestre,
Acou com a carga s costas...
Carga, nao... eu quero-lbe Dem, elle so
cegadiuho...
Comegou ento on interrogatorio minaciosa
acerca do que tinha succedido em casa do Leonar-
do, e os dous compadre e comadre, desabafaram a
seu gosio
Depois o compadre oarroo, mesmo sem ser in-
terrogado, todas as gentilezas do aniado, e contou
suas inienges a respeitu delle.
A comadre nao coocordeu com ellas (o que na-
da agradou ao compadre), nao via o menino coa.
geno para padre ; achava melhor enetle-lo na Csa-
ceigo a aprender um offleiq. O campad re porm
persisti em seus latelos, qoe tlnba maita aspe-
ranga de ver realisados.
AAnal a comadre retirou-se.
Pelo camlnho foi repellado o qae acabara de sa-
ber a quantu conbeeido encontrn, sem escropuh-
sar muito em accrescentar mais orna outra cir-
camstancia com que carregava as c&res da quadro.
Botretanto o compadre applicava-se a trabalbar
oa realisago de seus intentos, e comegou por en-
sioax o A B C ao menino : porm, por primeira
eontrr'edade, este Impacou no P, e nada fazia
passar adianto.
A comadre continan a app:recer d'ahi em
diante por um motivo qae maj-j iarae se sebera'.
Por agora vamos conln^r 4 conlar o que era
feito do Leooardo.
< Conliauor-a-Ao.)
nenio aljprp para o effeito.
I nosso memorando.
rto.<- pois Qlhe, nao teve raiao ; q Leonardo
i
r
v'
/
J
I
PEU.V-xYP. UE M. F. DE F. & rUHOs1


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGBQM7DCS_1PR9NY INGEST_TIME 2013-09-05T03:30:26Z PACKAGE AA00011611_11076
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES