Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11072


This item is only available as the following downloads:


Full Text



-.w-.
l--> ;-:



\
AlfJIO XLII. HUMERO 216
L
Pr ([nariel pago fieltro dts 10 das 4o 1. bm
Idea depois dos | 1* das dt cornee e deotro
forte o eorreio or tres nezes .,.,..
qnartel .
50M
6$*oo
75o
5-'- i
ODABTA FEIR Id DE SETEMBRO DE 1866
Por aiM p| dentro de 4 o dias *? mM-
Porte ao eorreio por en anuo .... *
t .
i^oo
*#too
^CARRBGADOS A SUBSCRIPCAO DO NORTE
Paraftyba, o Sr. Anttnio Aioxandnao dje Lima.
Natal,o Sr. Anionie Marques da Silva; Aracity,o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Para, os Srs. Geraldo Amonio Alves A
filaos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SL.
Alagoas.oSr.Francrao Tavares da Costa; Bahia.o
Sr. Jos Martins Al ves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
partida dos Estafetas.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES A CAPITAL.
Olinda, Cabo, Escada e estages da via frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas reir.*.
Santo Anto, Grvala, Beierros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanbnns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacaral, as tergas Tribunal do commercio : segundas e quintas
,. e'8* Relago: tercas e sbados s 10 horas.
Pao d Albo, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro e-Ex, as quartas
feiras.
Serinhaem, Rio Pornioso.Tamauaar, Una, Bar- Primelra tara Jo cive!: tercas sextos ao mel
da.
reros, Agua Praia Pimental ras, me quintas
feiras.
Fazenda : q ni o tas s 10 boras.
Jnlzo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Segunda vara do cive!: quartas sabbades al
hora da urde.
EPHBERIDES DO MEZ DE SETEMBRO. |
1 Quar#ming. as 9 h., 49 m. e 29 s. da t.
8 Lna nova as 11 h., 83 m. e 17 s. da t.
18 Quarto, cresa a 1 h.,8 m. e 89 s. da m.
14 Loa cheia as H h., 46 m. e 54 s. da m.
DAS OA SEMANA.
17. Segunda. 8. Pedro de Arhues m.
18. Jerga. S. Jos de Cnpenroo f.; 8. Sophia.
a Quar,a- s- Januaro b. ro.; S. Nilo b. m.
20. Quiota. S. Kustaqoio ro.; S Clieerio m.
[21. Seiia. S. Joas prcf ; S. Melllo b.
. Sahhado. S. Mauricio m.; s. Florencio presb.
2J. omiogo. S. Lioo p. ro.; S. Tecla t. m.
PREAMAR DE HOJE.
Primelra as O horas e 30 m. da tarde
Segunda as 9 horas e 84 minutos da manbia.
| PARTIDA DOS VAPORES COSTBIRl.
Par* o sul at Alagoas a 14 e 30; para o porta
a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Panu-
do nos dias 14 os mezes de Janeiro, margo, uai*
julhc, setembro e noverobra
ASS1GNA-8E
no Recite, na livraria da praga da lndepetdeneit
ns. 8, dos proprietarios Manoel Pigueiroa de Faua
& Pilbos.
PARTE OFFICIAL
GOVERXO DA l>ROVI.\(1i
Expediente do dia Io de setenare de 4866.
V. S. ao mesmo temno para que a goarnigo na-
quelle dia seja prestada pela guarda nacional, que
nao poder marchar, para o que devera' entender-
se com o general commandaote das armas, a quem
me dirijo neste sentido.
Di lo ao mesmo. Devolvo a' V. S. para ser de-
ferido, como fr de justiga, o requer ment, qoe
Ihe dirigi o guarda do segundo baialbo da guar-
da naciooal deste municipio Agrepino Rodrigues
Nogueira Lima, pedlndo despensa do servigo por
ser caixeiro de casa commemal. visto que nos
Offlcio ao Exm. presidente da relago.Rogo
a V. kxc sirva-se de amltlir seo parecer sobre o
que expe o Dr. chele de policia no incluso offlcio
em original, datado de 30 do mez prximo passado termos do rt. 28 do decreto n. 38 de 6 d abril
soba. 1136. i compete aos commandantes superiores conceder em
Dito ao mesmo.Remetiendo incluso o offlcio despensas temporarias de certo e determinado
de 24 de agosto prximo passado, do promotor pu- servigo per espago de quatro mezes.
blico da comarca de Flores, acerca do processo do | Dito ao mesmo. Em vista da soa ioformago
criminoso de morte Manoel Marino de Magaihes, de 27 de agosto ultimo, *ob n. 234, recommende
ro.ro a V. Etc., que o devolva acompauhado de "
sua ioforroago.
Dito ao general commandaote
cumpriraento do aviso do ministerio
sim respondido de ordem do Ezro. Sr. vice-presi- como seo soccessor o duque de Sal lanha qoe ha
dente da provincia. i mo" aspira a obter aquella cargo.
Dito ao inspector da thesourarla de fazenda.^ | O ministerio actual conseguir assim com o
Exc. o Sr. vice-i>resideote da provincia manda apartamento do marerhal e do foode d'Avila para I
transmittir a V. S as 9 inclosas ordens, sendo 6 Londres e Madrid, aflamaros doos onicos persona-
do ihesnuro nacional sob ns. 144, 146, 147,149, Rens polticos de importancia qoe podaran) sobs-
139,181 e 184, duas do ministerio da guerra, da- tituiln. >
Ha poucos das honve no Ibeatro Baqnet
PERNAiWBUC,
tadas de II e 18 do mez Ando e urna em duplcala
do ajudaote general do exercito, sob n. 827.
_ no ibeatro Baqnet do
Porto urna reuoio dos empregados tele'graphicos,
Duo ao Si. Jos Rodrigues da Souza.S. Exc. o Para ipa' se fizeram muitoi convites. O flm des-
Sr. vice-presidente da proviccia manda declarar a w reonio |>ti concordaren) no medo de proteger
V. S. que pelo seu offlcio de 31 de agosto proxtras- os apostlos da nnio ibrica. Quando a assembla
nado, flea inteirado de haver V. S. assoroido o conheceu o verdadeiro flm da reuniao, parte se re-
exerciclo do cargo de thesooreiro Interino da? lo- "r0 cm maior desagrado, parte den largas a hi-
terias, visto ter eDtrado na goso da licenga de 4 fendade Param
mezes o respectiva proprietano. maram a iojciativa e contra elle* procede a auto-: de
Dito ao general commandante das armas.S. fidade.
V. S. ao teneote do qoaVio batalho de iofantaria Exc o Sr. vice-presidente da provincia, mandando' Acaba da ser promovido a chele de repart
deste municipio J,se Alfonso do Rogo Barros, que satisfazer o pedido que veio aonexo ao offlcio desse 5*o da direcgo geral dos proprios nacionaes, o Sr.
REVISTA DRniA
Reone-se amanhia o Iostitoto Archeologlco e
Geographico Pernambncano em sesso ordinaria.
Pela supervenincta de clrcurostancias pon-
derosas, o espectculo dado em f^vor da familia
do floado Sr. teoenie-corooel Joao Paulo Ferrera
so pode \a lugar amanhaa.
Em cooseqn-ncia disto, nao qoerendo a empreza
oenar o publico b.-ldo de distraccao nos dias nrdl-
de continuar eta scena O Anjo da mem noite; le-
vando-o beje em recita extrao dlnaria.
Teve logar ante-hontem a festividade da or-
9 de agosto ultimo, sirva-se V. Exc. de dar as con
venientes ordens aQm de qoe sejam escasos do
servigo os soldados do 4o batalho de artilharia a
p Francisco Isidoro do Nas-.imeoto e Jos Queri-
do do Nascment, ambos addidos ao deposito de
recrutas, visto terem sido considerados incapazes
do mesmo servigo.
Dito ao mesmo.Transmiti a V. Exc. o inclnso
processo do conselho de gnerra a qoe respondern)
o capilo Malhias Vieira de Agnir, lente Fnn
cisco de Paula S Paixoto e o guarda nacional Joa-
qoim Jos de Mello, aflm de qoe seja cumprldo o
despacho do conselho .opremio militar de justiga,
exarado no duo processo.
Dito ao mesmo.Pode V. Exc. empregar no
deposito de recrutas, conforme propoe esse com-
roando de armas ero offlcio de 23 de agosto ultimo,
o lente do 4* bitalho de iofantaria da guarda
nacional desle municipio Jos Af-nso do Reg
Barros, que para esse fim se apresentara nesse
quartel, certo V. Exc de que neste sentido Qcaro
expedidas as convenientes ordens ao rispectivo
commandante superior.
Dito ao mesmo. Recommendando ao commando
superior deste muni ipo a expedido de suas or-
dens, para qoe os corpos da guarda nacin d e um
parque de artilharia formem em parada no campo
das Priacezas, aflm de solemoisar o acto de corte-
jo qoe efflgie de S. M. o Imperador se tem de
fazer oeste palacio, as 8 boras da tarde do da 7 do
correte, anniversario da independencia imperio,
assim o commnnico a V. Exc. para seu cooheci-
mento; certo da que o mesmo commandante supe-
rior se entender com V. Exc. a semelhante
respeito.
Dito ao mesmo.Accosand o recebimento do
offlcio de hont-m sob n. 1080, em qoe V. ftxc. me
comroooica haver assoroido o commando das
armas d.esta provincia para que fura nomeado pelo
governo imperial, cabe-roe a satisfago de reconhe
cer qoe no zelo, iotelligeocia e dedicago de V.
Exc. pelo servigo, encontrar esta admiofstrago
urna efflcaz coadjnvagio.
Dito ao tenente-eoron I Francisco Camello Pessoa
de Lacerda.Pelo seo offlcio de 31 de agosto ulti-
mo sob o. 1079, fiqot-i sciente de haver V. S. na
mesroa data passado o commanlo das armas, que
interinamente exercia, ao Exm. conselheiro briga-
dero Henrique de Beaurepaire Rohao.
Loavaodo os bons servigos que V. S. presin
dorante o teropo, qoe exerceu aquello cargo, ca-
be me a satisfaga) de declarar que era sua iotelli-
gencid, zelo e dedicago eucontrou esta adminis-
trago um valioso aoxiliar.
Dito ao Dr. r.hefe de policia.Em vista da soa
ioforroago de boje datada sob o. 1121, determino
ao capilo do porto que faga aprasootar a V. S. o
recruta de marinha Antonio Francisco de Paula
Beoevidis, afitn de que mande proceder contra elle,
como f- de lei, pelo no de armas prohibidas,
com qoe ful preso, segundo te v da sua citada
informacao.
Dito ao inspector da thesourarta de fazen-
da.Commuuicando o general Henrique de Beau-
repaire Rohan em offlcio de 31 de agosto ultimo
sob n 10SO, haver na mesroa data assumilo o
commando das armas desta provincia, assim o
communico a V. S. para seu coobecimento e dedi-
cago
Dito ao mesmo.Transmato a V. S. a folha dos
offlciaes o pret das pragas do 3 batalho de men-
tara da guarda nacional deste municipio aquartela-
do na fortaleza das Cmco-Pontis, atim de que, oo
havendo inconveniente, mande pagar a importan-
cia da referida folha e pret, como soliciton o res-
pectivo commandante superior em offlcio desta
data, sob n.256
Dito ao mesmj.Mande V. S. pagar, em vista
da folha e prets juntos em duplcala, e na i haveo
do ini'onvenient", os vencimonio- dos offlciaes e
pragas do deposito, sendo as daiiuelles relativo^ ao
mez de agosto ultimo, o destas a 2* quizena do
m.smo mez, bem como dos prisioneiros de guerra
paraguayos, vencidos no citado mez de agosto,
conforme solicitou o commandante das armas em
officios desta data sob ns. 1082 e 1083.
Dito ao inspector da thesourarla .provio-
cil.Tendo em vista 6 que expz o director geral
interino da ioslrucgo publica em offlcio de 31 de
agosto ultimo e sob o. 213, resolv, por portarla
desta data, oomear o cidado Joao Francisco
Pessoa de Vasconcellos para reger interinamente,
e mediante a gratificado annoal de 6003, a cadei-
ra de instroeco primaria da pov >agao de Afoga-
dos freguezia de Iogazeira; o que declaro a V. S.
para sen conbecimento e flm cooveniente.
Dito ao mesmo. Em vi-ta da ioclosa coota, e
nao naveodo inconveniente, mande V. S. pagar a
Beroardioo de Seoa Henriqoes, por conta da verba
distioada ao servigo da Exposigao desta provincia,
a quaotia de 15320U, dlspebdida com a pintura
de quatro salase ez vldros, como se v da mesroa
conta, qoe para esse flm rae foi remeltlda. pelo
secretario da respectiva commissao com offlcio
desta data.
Dito ao mesmo.Em vista da ioformago do
director geral interino dainst-Qcgo publica de 31
de agosto ultimo sob n 209. resolvi relevar a
professora particular Maria Salom de Moura
Mallos, das multas qoe Ihe foram impostas pela
(alta de entrega dos cappas de suas algomas de
1864 e 1868, visto ter ella provado nao ter leccio-
nado durante aquellos aooos; o qoe communico a
V. S. para seu conbeclmento e flns convenien-
tes.
Dito ao mesmo.Tendo Jos Rodrigues de Sou-
za segundo me participou em seu offlcio de 31 de
agosto prximo flodo, assumido o exercicio interi-
no de thesooreiro d no
goso da licenga do 4 mezes que Ihe foi concedida
o respectivo proprietario, assim o communico a
V. S. para seu conhecimenio.
Dit i ao cooimaodante superior do RecifeOr-
denando nesta data que seja apresentado ao Dr
chefe de pelicia, aflm de contra elle procederse
como fr de lei, o imarda nacional, Antonio Fran-
cisco de Paula Btmevidis, que foi preso por estar
armado de orna bengala de estoque, segundo in-
forma aquelle dootor em sen offlcio de hoje sob
n. 1121, nao pode por isso ter lugar a soltura do
mesmo gnarda requisitado por V. S. em seo offlcio
de 28 de agosto ultimo sob n. 288.
Dito ao roesroo.Sirva-se V. S. de dar snas or-
dens para que os cornos da guarda nacional e um
parque de artilharia desle municipio formem era
parada no campo das Princezas sob o commando
do offletal a qoera por lei competir, afim de solem-
oisar o acto do cortejo, qoe a' efflgie d Soa Ma-
gest'de o Imperador, se lera de fazer nele palacio
a* 5 horas da tarde do dia 7 do correte, aniver-
sario da independencia do imperio, providenciando
luesie municipio j.se Auonso ao ttego arros, que sausiazer o peomo que veio aonexo ao omcio desse Va" ua i'ocgao geni oos proprios nacionaes, o Sr. dnih ipri-ni J HT^ """ "'
rote das armas.Era j se aprsente ao geoeral commandante das armas,! commando de 28 de agosto ultimo, sob n. 1.071, de Jos Aniio Barata Salgoeire, que era orimeiro offl- ,?" I "5 LZ,ra?.cl!,co' seod? el,a celebrada
inisieno da goerra de afim de ser empregado no deposito, conforme so- objeetos oecessanos ao ajuste de cootas de farda- cial do thesouro publie-. apompa e brilbanlismo, que Ibe sao peculia-
T U Aa ti** ftc rnn_ K ... .. ____ ,, i ___an '_^._._______ > *. ... .. __ Pnala .* ^^_____._____a______________._____ IOS.
licitou aquelle commando de armas no offlcio de ment as pragas do deposito especial de eagadores Consta que o goveroo mandn agora activar
23 do passado, soBre que versa a sua citada infor-. a cavallo, no lempo decorrido 0o 1* de julho do : os trabalhos de fortifleacao oa Serra de Monsanto.
magao.
Dito ao commandante soperior da comarca de
Cabrob.Tendo resolvido, qoe ao capito Antonio
Luiz Peixoto de Barros, nomeado para a priroeira
compauhia do batalho n. 82 de infantera, sob seu
commando snperior.se passe a respectiva patente,
assim o communico a V. 8. em resposta ao seu
offlcio de 3 de agosto ultimo, aQm de que o faga
con.-tar a'quelle offlcial, para que solicite em lempo que tratan) os rilados officios.
a referida patete. Despachas do dia 1" de seteabra de 1866.
)Uo ae director do arsenal de guerraMande Requerimenlos.
Capitao Antonio Aives de Paiva.Informe o Sr.
aoDo prximo passado a 30 de junho do crreme, I O conde da Lavradio, actual ministro portn-
delermina-me qoe assim o communique a V. Exc. 8uez em Londaes, traduzio de um jornal inglez a
em re Dito ao mesmo O Exm. Sr. vce presidente da lra o cholera e a remeneo para os jornaes de Por-
provincia manda declarar a V. Exc. em resposta tngal.
aos seus officios desta dala, sob ns. 1,082 e 1,083,' Recelta rophora dissolvida era oleo de there-
qoe expedio as convenientes ordens a thesourana j bentina looenlado no brago do paciente, como se
de paz-oda para serem pagos a folba e prets, de fai (um a materia da vaccina. Este remedio foi
inspector da thesoorana de fazenda.
B-rnardino Pacheco dos Santos.Sim, nao ha-
vendo inconveniente.
Digna de Santa Rosa.Passe-se portarla, conce
V. S. fornecar com brevidade ao commandante das
armas, qoe assim o solicitou em offlcio de 28 de
agosto ultimo, sob n. 1071, os artigos constantes
do incluso pedido, os quaes sao necassarios para o
aiustede contas de fardamento as pragas do depo-
sito especial da inslrncio para a arma de cagado dend'o a iiceoga pedida com ordenado."
res a cavalio, no lempo decorndo do 1" de julho, Henedina Floresta dos Santos.-Iodeferido.
do anuo prximo pa.&ado a 30 de junho do cor- Martioho da Silva Costa.-Passe-se portarla con-
reine aono. cedeodo 43 das de licenga com ordenado.
Dito ao capitao do porto.Faga Vmc. apresenlar D Mana 8alom de Moura Mattos.-Flcam ex-
ao Dr. chefe de polica, a coja dispoelgo Acara', o pedidas as convenientes ordens, no sentido que re-
recruta de marinha Antonio Francisco de Paula \ nUer a supplicaute
Benevldes. '
Dito ao mesmo.Pode Vmc. fazer seguir para a
corte no vapor Nomeiit, os recrotas da armada
Jos Martins Ildefonso, Antonio GomesdoNasci-
mento, e Antonio Francisco da silva, deixado de
seguir o de oome Manoel Antonio- Gomes de Mel-
lo, por estar provaodo i-eoco legal.
Dito ao me-mo.Tendo recommendado hontem
ao cororoaodaoie do brigoe barca Ilamarac, que
fizesse seguir para a corle no vapor eocouragado
Nemesis os recrutas qoe se achassam a bordo da-
qualle brlgue barca, e os que se fossem apurando
ate a sahida d referido vapor, assim o commnni-
co a Vmc. para os flns convenientes.
Dito ao director 4a instruegao publica.De con-
2* secgo.Secretaria do governo de Pern&mbu-
co 13 de setembro de 196\
EDITAL.
Pela secretaria do governo se faz publico, para
conhe 'imeoto de quero loleressar po^sa, o edital
do juiz municipal e de rphaos sopplente em exer-
cicio do termo do Bom Conselho, abaixo transcrip-
to, para o concurso a serventa vitalicia dos officios
do taheiiio do publico judicial e notas, servlode
o 1" de escrivo de orpfaos residuos e capellas, o
o 2" de execugdes civels e crimes. Os pretenden-
tes devem apresenlar sens requer meo tos no prazo
de sessenta dias o instorodo oa forma do decreto
formidade com a soa ioformago de 31 de agosto 817 de 30 de agosto de 1831.
ultimo, sob n. 209, dada com referencia ao reque-, O teoeote-corooel Manoel de Albnqoerque Caval-
rimento da professora particular Mara Salom de cante eco, iuiz municipal e de orphaos 1* sup-
M>ura Manos, rai nesta data dispensa la daaf" pente era exercicio do termo a Don . mollas que Ihe foram impostas por falta de entrega comarca de Garaohuns provincia de Pernarobo-
co, em virtode da lei etc.
Fago saber a quem loteressar possa, que adan
que Ihe foram impostas p' r falta de entrega
de mapoas de soas alomoas, roUtivos aos annos
de 1864 e 1865, visto ter ella privado nao ter lec-
cionado dorante esses annos : o que communico
a Vmr. para seu conbecimeoto
Dito ae mesmo.Para serem convenientemente
distribuidos pelos exudantes da lingua latina desta
cidade, como solicitoo o prof*ssor da mesma lin-
gua do lyceu da rldade de Macei, vigario Manoel
Araancio da Silva Damas Chaves, remello a Vmc.
os inclusos exemplares impressos de regras para
medigo de versos latinos.
Dito cmara municipal do Recife.Devolvo
cmara municipal d R cif-, romo pele era seu of-
icio de 29 de agosto ultimo, soh o. 63, a planta da
freguezia do Pogo da Panella, com a alterago ap-
pr.vaJa por esla presidencia, em offlcio de 22 de
agost i prximo lindo.
Dito ao pro-presidente da cmara municipal de
Caruar Antonio Vicente da Silva Vieira.Para
poder responder o offlcio que Vine, dirigime em |
do-se installada a vi|la, a que esta pov elevada pela lei provincial n. 476 de 30 de abrii
de 1860, acham-se nella criados por forsa do de-
creto de 30 de Janeiro de 1834, e em concurso por
ordem do Exm. presidente da provincia, de 21 de
Junho oltim, dous officios de tabelliaes do publico
judicial e notas, servindo o 1* de escrivo de or-
phaos residuos e capellas, e o 2* de exeeugSes ci |
vei-i e crimes. Os uret>>ndentes ao provimento vi-
talicio desses officios devem apresentar eus reque-
rimenlos no prazo de 60 dias e instruidos na forma
do decreto n. 817 de 30 de agosto de 1831. e do
aviso n. 282 de 30 de dezembro de 1834. E para
que chegue a noticia a' todos, mnndef passar o
presente, e afflxar n i lugar roais publico e do cos-
tme. Villa do Bom Conselho, II de julho de
1866.
Eo Ago 19 de agosio ultimo, compre que me sejara r?raet j vio interino que o escrevl.Manoel de Albuquer-
tidas, como exige a cmara municipal dessa cida- que Cavalcante eco.-Esta' conforme o escrivo
da em 22 daou-ile mez, actas das eleico-s munici
paes fetas ltimamente em Altinho e S. Caetano
da Raposa, e que at o presente nao me foram ain-
da ministrada?.
Dito a cmara do Granito.Te^do e governo im-
periai, seguado coosta de aviso do ministerio do
imperio da 31 da agosto prximo flodo, approvado |
as eleicoes de vereadores e juizes de paz, a qn s '
procade.u na igreja matriz desse mnnicipio, no dia
7 de setembro de 1864, presididas pelo 3 juiz de
paz do 2 districto Joo Lopes Camin <, assim o'
communico a cmara municipal da villa do Gra-'
uno para seu conhecimento e direcgo.
Dito ao vigario Manoel Amancio da Silv.. Dores i
Chaves, professor de laura do lyceu de Macei.
Com offlci de V. S. de 24 do mez qoe acabon, re-
reb 20 exemplares impressos de regras para a
medigo de versos latios, aos quaes dei o destino
s .1. nado por V. 8.
Portarla.O vice-presidente da provincia, em
vista do que expoz o director geral interino da ins-
truegao publica em offlcio de 31 de agosto oltimo,
sob n. 213, resolve numear o cidado Joao Fran-
cisco Pessoa de Vascooceilos, para reger merina-
mente e mediante a gratificarn annual de 6005000
a cadeira de ioslrucgo
Alonados, fregue:ia da Iogazeira.
Di la. vice-presidenta da provincia, tendo em
vista o que requereu Toom Joaquim do Reg Bar-
ros, fiel do thesouroiro da thesouraria provincial, e
oem assim o que a esse respeiio informou o res-
pectivo inspector em offlcio de 28 de agosto ultimo,
sob o. 426, resolve cooc-der ao mencionado fiel, 3
mezes da licenga com venc.lmenP s, nos termos do
ari. 49 do regulameuloda mesma thesourarla, para
tratar de sua saode.
Dita.0 vlce presidente da provincia, atienden-
do ao que requeren o teoente da 1* companhia do
corpo provisorio de polica Joo Francisco da Lapa
resolve cooceder-lhe 30 dias d licenga com o res-
pectivo sold, para tratar de sua saude.
Expediente de secretario da governo do dia Io de
setembro de 1 60.
Offlcio ao director da ioslrucgo publica.Tendo
S. Exc. o Sr. vice-presidente da provincia nomeado
por portarla desta datr e en vista do que V. S ex-
poz em seu offlcio de 31 de agos-o ultimo, sob n.
213, o cidado Jlo Francisco Pessoa de Vascon-
cellos para reger Interinamente e mediante a grati-
fleaco annoal de 600tf00 a cadeira de instruegao
primaria da povoagao de Afogados, freguezia de
Iogazeira : assim o manda communicar a V. S.
para sm connecimento e flm conveniente.
Dito Inspector da thesouraria provincial.De or-
dem de S. Exc. o Sr. vice-presidente da provincia,
communico a V. S. qoe por portara desta data, o
lente da 1 companhia do coreo provisorio de po-
lica Joo Francisco da Lapa, obteve urna licenga
de 30 dias com o respectivo sold.
Dito ao commandante soperior do Recife.S.
Exe. o Sr. vice-presidente da provincia, manda de
clarar a V. S. em resposta a > seu offlcio de hoje
datado, sob n. 286, que a thesouraria da fazenda
tem ordem para pagar a importancia da folha e
pret dos offleiaes e pragas do 3* batalho da guar-
da nacional aqnart-ilado na fortaleza das Cinco-
Pintas, conforme V. S. sollcitou no citado of-
flcio.
Dito ao secretario da commissao da exposigio
nesta provincia__Nesta data se ex pede ordem a
thesourarla provincial para pagar a Beroardmo de
Seona Hanriques a importancia da contaque acom-
panhou ao seo offlcio de boje datado, que (lea as-
interino, Agustn no Ferreira da Silva Azevedo.
O secretario Dr. Francisco de Paula Salles.
EXTERIOR.
COBRESPOlVDISNCf A.8 DO DIA
RIO DE PEHXA9IHUCO
LISBOA.
37 de agosto de 1866.
(Concluso.)
Coosta que v?.n ser julgados em conseibo de
goerra 13 sollados de eagadores n. 3, que Qzerara
disturbios am Penaflel.
Parte no dia 25 para Madrid, a tomar posse
da legago. o conde o'Avila.
Foi agraciado com a gra-croz da CaoceigSo
0 Sr. Martm de Castillo y Cs, ministro do Mxico
na repariigo dos negocios do imperio.
Foram agraciados cora a gra-cruz de Chris-
to os ministros mexicanos dos negocios eslrangel-
,. ros e das obras pnbiitas.
elementar da povoagao de poj ^^ com a gra.crQt de Chris,o Q
Sr. Adolpho Daizoe, representante francez em Com-
penhague.
Foi agraciado cora o titulo de conde do Pra-
1 do, era sua vida, O. Nuno Maria da Silveira e Lo-
. rena, fliho primognito do marquez das Minas.
Tambera recanerara a gra cruz da ordem de
I Christo D Jos Fernandas Ramires e D. Luiz Ro-
bles, ministro do mesmo imperio.
Adolpho Dolezaz, ministro plenipotenciario
do imperador dos Prancezes na corte de Copenha-
gue, foi agraciado com a gra-cruz de Nosso Se-
nhor Jesos Christo.
O Sr. Antonio Jos de Souza Silva subdito
portuguez e agente consular da Franga em Vallou-
g >, foi agraciado com a legio de honra pelo impe-
rador dos Francezes.
Contia a ser mo o estado sanitario na ilha
de S. Miguel. As (abres que grassaram ao sul da-
quella ilha, tem-se desenvolvido por diversas fre-
guezia* do norte.
O gado tambem tem sido atacado de doengas,
que felizmente nao sao a eplzotia e ootros que teera
produzido muitos estragos no continente.
Sabio de Macao a 29 de abril a barca Marti-
nao di Mello, e chegoo a Angra com 88 dias de
viagem contrariada por ventos ponteiros e calma
ras.
Depois de completar a aguada tencionava seguir
viagem para Portugal (azendo escala pela provin-
cia de Angola.
- O Sr. Antonio Augusto Ferreira de Mello, ad-
vogado oo Porto, acaba de Tradozlr a Theoria do
direito hypothecario e do registro predial, oo expo-
sigao de motivo e fundamento da lei hypothecarla
de H-spanha,> coro notas e remis<5es legisiago
hypolhecaria, para uso do foro. 0 aotrf desta pu-
blicago deu a lume ha lempos o CommenUno
critico explicativo a le hypotheearh.i
O livro editado pela viuva Mor. No flm delle
l-se um appeodice sobre a historia do estabeleci-
mento do registro entre nos.
L-se na Correspondencia de Hespanka :
i As ultimas noticias de Lisboa conflrmam a
oolicia que demos ha dias a respelt.),do proposito
em que ef o conde de Lavradio de retirarse
vida particular deixado o cargo de embaixador
em Londres, que lu lempo desempeuha, e apoatam
descoberto pelo Dr. Niblio em Soolamptoo. All
roesmo, segundo se v n Presse de Londres, o Dr.
Widboroe salvou enfermos jolgados quasi mortos.
Eflaciuou-.se no dia 33 oa repartigo n. 1 do
arsenal do exercito a ondvgo de 7 pegas raiadas
de artilharia. Eram perto das 4 horas da tarde
quando se abri o fnroojAjeverbero e comegou a
correr o bronze. A operaR^fez se regularmente e
sem incidente nolavel.
Pouco autes da fundirlo em bronze, abri se o
forno alto para se fundirem 148 projectis ou balas
cylindricas-ogivaes. A este singular trabalho indus-
trial assistlram o lospector e sub-inspector do ar-
senal de artilharia oelle eropregados, assim como
os offlciaes alumnos, e o coronel Bessa, capito Cu-
nta, e Sequeira Pinto Jnior, e grande numero de
ooiras pessoas de difTereiaes classes.
Esto escriturados para o ineatro de S. Car-
los (em Lisboa; as Sras. Vopini,;R-y Baila, Paga-
nini e Cursi, e os cantores Mongini, Riccioli. Murl-
no, Sqoarcia, Roodolphi, Junca, Reduz'i, e Beretta.
Com excepgo da signora Borgli Mano, eslo todos
os artistas lyricos mals notaveis da poca passada.
foi lid aqu com intreresse a sentida poesa
qoe o bem condecido actor e dramaturgo, o Sr.
Cezar de Lacerda coropoz e recltoo no theatro da
Baha, memoria do bravo Galvao, Babiano, que
morrea gloriosamente pela patria. Esta poesa, co-
mo sabem, fui publicada no Jornal da Baha, de
que vieram para Lisboa alguns exemplares.
No theatro do Gymnasio voltou scena o drama
martimo a Probidadedo mesmo Sr. Lacerda.
A companhia do theatro da Triodade de qoe
"fnnresarja .> eciAdad? fundada pelo Sr. Fran-
cisco Palha representa hoje no rafpago de Marra,
devendo amanhaa tambero haver all outra recita
para a corte, pois a destribuigo dos premios na
escola primaria qne junto soa residencia estabe-
lecra o Sr. D. Pedro V, de saodosa memoria. Pa-
rece que ser agraciado o actor Tasso, como o foi
no anno passado o actor Taborda.
Acha-se em Lisboa um actor brasileiro, o Sr.
Agoiar Magalhaes, que segundo se diz, deseja ser
admiltido no theatro normal. T.eoho ouvido fallar
do mereclmento artstico deste nosso hospede, roas
anda nao se submetteu a provas publicas nesta
capital.
No theatro da ra dos Condes (aonde traba-
Iha a companhia do novo theatro em con.-ti uceo)
en>aia-se oAojo da Meia Noite,e no theatro
normal, tambem, de modo que em setembro lere-
rans ocrasio de confrontar os recorsos de ambas
as compaonias com a mesma pega. O scenario
apparatoso ; a emulago tem estimulado os actores
e a Iota artstica ser porfiada De um iado Tasso,
Santos, Deifloa, Emiua Adelaide, Isidoro e Emilia
Leiroublond ; de oulro Emilia das Noves, Rosa,
Theodoricn, Rosa Juoior e oulros.
P. S Depois de ter enviado para o eorreio a
mioba ceslumada correspondencia que rece a
d llorosa noticia do fallec ment do respeitavel che-
de dessa casa, o Sr. commendador Manoel Fi-
gueiroa de Paria, amigo meu de tantos annos e a
quem sempre devi as roaiores finezas. Comquanto
fosse infelizmente esperado, do seu meliodro-
-o estado de saode, tan funesto desenlace de urna
existencia longaraente dedicada ao lustre e aos mais
charos interesses do seu paiz, inujiao quanto nao
foi profundo o golpe que seostiloos sentiram. Rece-
ban) piles a sincera expresso da mmha magua, e
acreditem que nesta diir os acoropaoho como uro
amigo qne teve a fortuna de apreciar por lant js an-
nos as virtudes e honradez de carcter de seu fal-
lecido pai. E' nobre o exemplo que Ibes lega dos
actos de sua vida ; valioossima a heranga de
sympalhias em que se reQeclira perprtuameote a
memoria do seu oome, por tantos ttulos vincula-
do a indo o que nestes ltimos lempos tem feto
palpitar os corago brasileiros sob a influencia ge
nerosa ds patriotismo e da liberdade.
N'nm paiz em que a insumirlo da iroprensa *
ao mesmo lempo estelo e pnladio d tuicoes, o jornal, mas o jornal serio e honrarlo co
roo at hoje tem sido o Diario de Pernambueo,
maotendo-se oa verdadelra altura da sua rois.-o
civilisadora, mais do qoe urna influencia po
derosa, mais do que orna manifr-stago da f rga
moral, mais do que urna alavanca de todos os
comroetlimenlos progressivos qoer oa ordem social
quer na esphera material. O jornal, as condeces
a qoe o levaran) a perseveranca e lealdade cvica
do iliusire floado, cuja parda buje todos deplora-
mos como membros da mesma familia, o joroai
assim, a vanguarda do futuro, e o futuro tolo
para o Brasil; porque aos esplendores de soa ori-
gen) e s tradigoes gloriosas era ruja venerago
nos mimos em nm amplexo commum, portngue-
zes e brasileiros,* se enirelagara glorias recentes,
como as que nessas jornadas de esforgamento me-
moravel, eslo accrr.sceotaodo novas paginas de
honra aos fastos invejandos dessa joveu oago.
Para o Braz, as provagSes de am ou outro lan-
ce de adversidade sao novo estimlo aos brios em
qoe o espirito publico se exalta para mais ampias
aspiragoes.
Aos ptame* que do intimo d'alma envi .aos
acluaes proprietarios e redactores do Wan'o de
Pernumbuco, permittain-me qoe, invocando as nos-
sas aotlgas affeclaosas relagSes, juote porta nto
urna sincera congralnlago pelo bem que podem
continuar a fazer em prol dessa importante pro-
vincia e no ioteresse da sua patria. Sobram-lhes
para isso os boos desejos; teem a soa disposlgo
a mais aoctorisada tribuna dos povos liveres; re-
commenaa-os perante a opmio publica, que em
ultima iustaocia a depositarla de toda a soberana
nacional, um passado de prestantes ervicos, e a
aureola que deixa apoz si o bom-nome d'esse ho-
rnera de bem que a Provideocla tuiiz laurear lio
cedo, para os qoe tanto o estremecan).
Com taes elementos, a neraoga de bem queren-
gas qoe um tomlo apenas cerrado Ibes deixou,
pode continuar a ser em soas mos poderosa ga-
ranta de futuros desenvolvimentos para a trra
que Ihes servio de berco.
Anda qoe de to remota distancia, folgarei de
applaudir-me. de haver Julgado assim, os successo-
res de quera n'oma longa carrelra de civismo tan-
tos servigos que restoa a essa forruosa trra.
A concorrencla de fiis .de ambos os sexos foi
immensa, sendo eni.li visitado o hospital da Ordem
com satisfago pela ordem, qoe all reioava.
Sem discrepaocia de voios, foi julgada pelo
superior tnbuoal da relago improcedente a qoei-
xa dada pelo Sr. lenente-coronel Gaspar Cav.l-
te d Alboquerque Ucha contra o Sr. Dr. chefe de
polica.
0 julgamenlo do soperior tribunal honra ao Sr.
ur. Fiodabyba, a quero aprsenla sob o verda-
deiro cararier de magistrado debonra edignidade
no campriroeoto dos seus deveres.
O Club da amanhaa a soa partda mensal
= De Villa-Bella escrevem, em data de 31 d
prximo passado mez:
Com i simples espectador assisli boje ao in-
qoetito de coco testemunhas, com que pretenda o
reo Simao Jos de Oliveira justificar qne no dia
do assassinato do Dr. Pr.-oga (27 do Janeiro) acha-
va-se na serra do Mau, 16 leguas distanta desta
vil.a, occopado em servigo de roga de Joo Alves
Frasao, e cooseguinteaente que nao fdra elle o as-
sassioo do Dr Franga.
A jnstifleacao foi producida perante o jolz roo-
n^cipal 3o suppl-nle, e iustlflcaoie ad cautelan
nao quiz que o prftmolor publico, que alias eslava
dentro da villa, tivesse selencia do negocio I
Felizmente o juiz muoicipal suppno esta falta
de promotor, fazeoJo a's testemoohas algumas per-
gnntas que julgou necessarias aos ioferesses da
justiga ; o que foi sufflciote para qoe as mesmas,
que alias nada provavam por serem de ouvir dizer,
desaaoantassem a pomo de afflrmarem que Sime
nos das 26 d 28 de Janeiro estava moito doenie e
purgado em sua casa as Ar, assim como que
em nada se oceupou um dia depois do da 26, e an-
tes de 28, pela mesma razode achar-se doente e
purgado em sua casa ; o qoe o mesmo qoe dizer
que meotiram, quando disseram que no dia 27
achava-se trabalhando na serra do Man, n'nm ro-
gado de Frasao.
O que posso afflrmar que, depois da tal jus-
tificagao aqu^u-a mesaras qoe trabara ou flngiam
lar duvidas sobre quem fosse o assassino do Dr.
Franga, ja nao hesitam em declarar qoe o facto de
nao ler Simo encontrado testemunhas de vista,
pois natural que as etconlra ma /manai pe,,o> es,ava rabalbando a Fra-ao
no dia 27, reooida a circum-tancia de contradic-
gao e incoherencia nos ditos das testeraunhas, sao
cousas que nao se sabe naturalmente explicar.
Hoje faz leilo o agente Cordeiro SimSes de
charutos, cha, palitos, couros, calimbas grande
quantidade de movis usados e novos, e oulros
mullos arllgos de goslo, ao correr do marlello, a's
ti horas, no armazem a' ra da Cadeia do Recife,
n. -J.
Instituto Filial da Ordem dos Advogados.,
Hoje, quarta faira (19), ha sesso do Instituto no! SESSAO JUDICIARlA
lugar e a hura do costume.
Hoje o agente Martins, no armazem do Sr.
Amenco P. S., ra do Imperador n. 16, faz leilo
de diversos trastes, dividas, predios, etc., etc.
Depois d'araanha, ao meio da, se extrahir
21* parte da lotera a beneficio das familias dos
c";uam.a,rJ,S dl patna 83"^ sencl0 maior Preroi
6:000^00;'.
Apppellaote, o joizo ; appellado, Feliciano Jos %
Mello.
Do Sr. deseo)bargador Domlogues da Silva ao
Sr deserobargador Vieira: As appeagSes crimes.
AppeiiaBte, ojuizo; appellado, Maooel Aol<>nlode
Oliveira.Aopellante, o juizo ; appellado, Manoel
Rodrigues Feroandes. Aopellante, o promotor ;
appellado, kt Francisco Baodeira.AppeHante, o
joto ; appellado, Joo Rutino da Si'va e ootros.
AppeHante, o juizo; amellado, Antonio Jos Rodri-
gues.As appellagoVsciveis.AppeHante, Antonio
Carneiro Machado Ros ; appellado, o vi-conde de
Suassuna.AppeHante, D. Umoelioa Joaquina de
Mello ; appellado. o procurador fiscal e oulros.
Ao Sr. desembargador Santiage.A appellago
clvel.AppeHante, Jo- Barroso de Araujo ; ap-
pellado, Francisco Bufarlo Corroa.
Do Sr. desembargador Uchoa Cavalcaoti ao Sr.
desembargador Santiago.As appellacdes civels.
Appellanle, Secondrao Francisco de Macedo ; ap-
pellado, Antonio Jos Pestaa.AppeHante, Jo3o
Fernandos Vieira ; appellado, Antonio Jorge
Guerra.
As 2 boras encerrou- THIKIHII, RO CODIHERCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 17 DE
SETEMBRO DE 1866.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PBRETTI.
A's 10 horas da maaha, reaoidos os Srs. depu-
tados Rosa, C. Alcforado, Basto e Miranda Leal,
S. Exc. o Sr. presideote abri a sesso.
Lida, foi approvada a acta da sesso antece-
dente.
XPEDIBNTB.
Offlcio do presidente e secretario da jauta dos
correctores, datado de boje, nntando o boletim
d nimercial da semana proiima linda.
DESPACHOS.
Reqnerimento de Jus Francisco do Reg Mello,
para ser registrada a aoroeago de cauelro qoe
dra a Hermino Pranklin da Costa e Sa.Rrgis-
tre-se.
Dito de Joo Evangelista Gomes e Manoel Jos
G>ogalves, pedindo o registro do seu contrato que
amaro.Vista ao Sr. desembargador fiscal.
Dito de John Gatis, corrector geral, aposentan-
do certido do termo de sobstithigo da lestemu-
nha, abonadora de sua tunca, Miguel Jos Barbosa
Goiraares, por Jeronymo Joaqoim Fiuza de Oli-
veira. Archlve-se.
Dito de Jos de Aqoino Ponceca, tambem cor-
rector geral, juntando o termo pelo qaal as tesie-
muohas abonadoras de sua anga se declarara so-
lidariamente obrigadas, em falla do principal fia-
dor.Archive se.
Dito de Googalo Jos Affonso, apresentando igual
termo.Archive-se.
Dito de Francisco Ignacio Pinto, agente de lei-
loes, offerecendo os pap-is da nova fianga qoe, de
ordem do tribunal, prestara no juizo especial do
commercio, em virlude de ter fallecido Jos Hygi-
no de Miranda, que era seu fiador.Archive se.
Com iororma^ao do &r. desembargador fiscal:
De Manoel Francisco Ferreira, para admis.o no
competente registro do distrato social da firma
Theotonio de Oliveira Neves & C Regis-
tre-se.
De Thomaz Jefferies, registro de contrato social.
Registre se.
Da Maooel Pereira Lemos, para ser matriculado
commerciante. Como requer.
De Jos Velloso Stares e Joo Velloso Soa res,
registro de seu novo contrato social.-Satsfagam o
parecer fiscal.
Nadi mais existindo a despachar, e dada a bora
I (II e meia), S. Exc. o Sr. presidente encerroo a
!sesso.
REPARTigo da polica. Extracto da parte
do dia 18 de setembro da 1866.
Foram recoldldos
do correte :
a casa de detengo no dia 17
EM 17 DE SETEMBRO BE
1866.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBAR0ABOR
A. r. PERETTl.
Secretario, Julio Gutmardes.
As onze boras e meia da manba estando reuni-
dos os Srs. desembargadores Siva Guimares,
Res e Silva e Acculi, e os Srs. depotados R isa,
Candido Alcoforado, Basto e Miranda Leal, o Exm.
Sr. presidente declarou abena a sesso.
Lida, foi approvada a acta da sesso antece-
dente.
0 escrivo Albuquerque registrou o ultimo pro-
testo de letra sob o o. 1294 a 12 do prseme mez
oa dos Prazeres, por erabriagaez. A' ordem" do
da Capuoga, Manoel Frade, escravo de D. Genove-
va, por crime de farlo. O chefe da 2* seceo,
/. G. di Mesquita.
A ordem do Ilion. Sr. Dr. chefe de policia, An-je > protocollo do escrivo Alves de Brito conserva
tonio Joaqun) Bezerra e RoflBi Francisco Cabral,' a mesma numerago e data indicadas na acta da
para recrutas ; e Cnristovao, escravo de Maria Ma-1 sessj de 3 do crreme.
ooela da Cruz, por fuguK A' ordem de Dr. delega- Ac .rdaos assiunado*. AppeHante D Anna
do da capital, Pedro Jos dos Santos, para corrego. Barbara de Mendonga, appellados Adriano & Cas-
A' ordetndo subdelegado de S. Jos, Mara Joaqoi-I tro.Recorrem Attostmho Mendes de Bntu Piulo,
recorrida a directora do banco roral e hypotbeca-
rio.Appellantes Seraphim (geacio Paes Brrelo e
oulros, appellados Chrisiiani & Irmo.Apppllan-
tes os admioisiradores da massa fallida de Joo
Baptsia Gongalves Bastos, appellados Sauoders
i Brothers A CAppellantes os administradores da
i massa fallida de Amorim, Fragoso, Santos & C,
j appellados Mello Lobo & CAppeHante Manoel
Alves Ferreira, appellado Joaqnim Elviro Alves da
Silva.AppeHante Francisco Santiago Ramos, ap-
pellado J'iaquim Elviro Alves da Silva.
Juloame.ntos.Appellantes os administradores
da massa fallida de Jos Amonio da Silva Aranjo,
appellada D. Francelina Amalia de Souza Ramos.
AppeHante Joa Pinto de Lemos Jnior, appella-
iSObr
CHUMllA JUNCIA KM.
TRIRUMAL RA RELACO.
SESSAO IH15 DE SETEMBRO DB 1866.
PRESIDENCIA 00 EXM. SR. CONSELHEIRO
SOUZA.
s 10 horas da manha, presentes os seobares
desembargadores Santiago, Gitiraoa, Lourengo
Santiago, Motta, Domiogues da Silva,' Vieira da 'do Manoel AlvesIfcrreir.Adiados na ultima ses-
Cosla, e Ucha Cavalcaoti, Miando os Srs desera- ao, adiaram-se a pedido de ootros Srs. depu-
bargadores Guerra procurador da corda, Almeida,lados- ..
Albuquerque e Assis, abrise a sesso. Appellantes D. Francisca da Salles Candida da
Passados os feilos, deram-se os seguiotes alga-! Rcba e oatro, appellado Joo Cancio Gomes da
meatos : Silva.Recrreme D. Amelia Coulinho Fernandas
Aggravosdepeligo.Aggravante, Jos Joaqnim de Lima, recorrida a commissao liquidadora da
da Costa Maciel; aggravado, o juno.Relator o niassa fallida de Montenegro Lima 4 C.Adiados
Sr. desembargador Domtngues da Silva.-Sortea-, a pedido dos Srs. denotados,
dos os Srs. dasemaargadores Santiago e Motta. Passagbm. -Do Sr. desembargador Accioli ao
Negaram provimeo'o. jSr. desembargador Silva Guimares : appellantes
Habeas corpus. -Iodeferio-se a petigo de Segs-' Fnceca & Abreo, appellada D. Maria Rita da
mundo Affuuso Ferreira ; e concedeu-se ordem \ Cruz Neves.
Targioo Pereira de Soaza. Aggravos intbrpostos bo iuixo municipal e do
No processo de respoosabilidade por queixa do commbrcio de Sbrinhabm. Aggravante Joaquim
lenente-coronel Gaspar Cavalcanti de Albuquer- Elviro Alves da Silva, aggravado Pedro Cavalcante
que Uchoa, cootra o Dr. chefe de pMicia.Sendo ,de Albuquerque Ucha.Aggravante Joaqnim El-
retator o Sr. Dr. Molla, e sorteados os Srs. desem- 'i'0 A'6'' da Silva, aggravado Pedro Cavalcaote
bargadores Santiago, Giliraoa e Domingues da Sil- de Alboquerque Ucha. O Exm. Sr. presidente
va.Julgou-se improcedente.
Assignou-se da para julgamenlo dos secointes
feilos :
Appellacoes crimes.AppeHante, o juizo; appel-
lado Maooel Francisco da Costa.
AppeHante, o promotor; appellado, Romo do
Reg Barros.
Appellago civil.AppeHante, Francisco de Pau-
la Borges Uchoa ; Appellada, a Santa Casa da Mi-
sericordia.
O coofl co de jurisdicclo eotre o meritissimo
tribunal do commercio e soperior tribunal da re-
lago.
passaobns.
negou provimento.
Do juizo especial.-Aggravaite Joo Antmio
Gongalves, aggravado o administrador da massa
fallida de Antoaio Carneiro Pinto.O Exm. Sr.
presidente deu provimento.
Nada mais bouve e eacerrou-se a sesse a
1 hora da tarde.
Correspondencias
Resposta ao Sr. Mala.
Sn. redactores.Quero tiver lide o artigo aue
uo br. desembargador Santiaga ao Sr. desem- no Diario de 17 do crreme, fez publicar o Sr. An-
bargadorGitirana:Aappellacocrlme.-Appelan- tomo Ribeiro Pinto de Mandones Maia, com o fi/n
te, Joo Francisco da Silva ; appellada, a justiga. de manchar a repongan coramercial do Sr. Jos
Do Sr. desembargador Lourengo Santiago ao Sr. Alexandre Pereira. varillara por certo era seu juizo
desembargador Almeida Alboquerque :A aopel- acerca do crdito d'este negociante se o nao co-
lago crirae.AppeHante, o juizo; appellado, Cons- obecer ; felizmente porm, oSr. Jos Alexandre
tantino Jos Barbalho.A appellago civel.Ap- as*s condecido na praga de Pernambnco, e o Sr.
pellaute, Joaquim Ferreira da Costa ; appellado, Mala bo tem essa honra, por qoe oo negocian-
Manoel Antonio dos Santos Fontes. i te, um pobre bomem despeitado qoe perdeu a
Do Sr. desembargador Molla ao Sr. desembarga-1 cabega por entre as Husdes insensatas de se per-
dor Assis ; As aBpellagSes erknes. AppeHante, snadir, qoe om proletario pede ter negocie ; qoe
Nieyjo Pires de Miranda; appelloda. a justiga. nm iniuilino que nem os aluguei? qa, cas paga


-
I


I
I
I

WUrlo de Peraaaalvojf* -- quart* lelra 1 de Meteittbro de
~
-*-r
"IRffflWt-
pode 1er erudito, e que qaem quermc/ffi' o no q es hy-st'^^j em s fu, mgrece a
te-no que deve, |.de conservar conceilo. uiater'^ ,5^,', assim como enj 5,.
=^r^
?=^Z
.. oceupar un lu-
dada temos que ver com quesldes de pundonor gr IBp8pensllve| goore 0 toacador. Aflm de se
Hur o dnsfosu) tfe se comprn federe 4o in-
ferior qualidade, nada raais se precita lazer. de
que- pegarrtar-Xe pela Agua de Florida"* Mur-
enlre^ $r. fos Alxandre.e q Sr, M>ia, v****?*
porm ao publico que tudo quaoto fezescrever ^J
te uMro, diciadn pela despert de nao-te* ^tdo
daqueile ora abono para negociar, qqe ftj'0 mon.
Uva a pooco. O Sr. Mala na sua p^u n|0 se
contenta com o qoe Ihe dio, qn^f tmpor t C0Di0?a,
sem lembiar-se de qae es^ ^ tenia em crdito
quando o individuo ,||M>|ra.
Pode o Sr. Ma*^ ^spelUr-se a sua vontade, qoe
est no seo u(relo, e tomar quanla presumpcao
Ihe gr^jif j ni) |ne permltiiiiwepor'n, qoe atlre
* v*Tloa de saa maledteeacia por sobro nm earac-
1er rjue de ve respailar, ne alraicoe um patricio
"tonterraueo que foi sea companbeiro de viagem e
hospedapem n'esta m'dade, com o qual se nao hou
t*%j^> ------1
m nome na igual resaludo se nao m&tot gtta lem ezaeriasen-
ado o mea fllho bul Jos da tmara, o toa) se-
frendo em grao multo subido do flgado i basso,
ful aconsejado para o mandar a LisOea, a eOeetl-
vamente para alH parti a 15 M jaiba 4t lMi.
Infelizmente all chegando, os tH*teiaeM
ray 4 Lanmao. qnem elle foi submetiido, eotenderam elle selfrtr
Vsnde-se nicamente as drogaras de Caors & do peito e nesse seniido congiram-lhe a coras co-
Barbosa e Joo C. Bravo & C. nao era de esperar, o meoino peorou extraordina-
ltm M riaraente, a ponto de o faterem regreosar em se-
ifithlnlla i sembr de mesmo anno, esa estado que suppuze-
umpui i.,nu r,B .ue tle succombirin em viagem, leliimente
O medicamento que com mais uwuencia aMin n5o iC0BifCeu, sendo certo me rhagpa em
c energa tem combatido essa terrivel en peior estado do que daqui panto, qoasi desengaoa-
fermidade tem sido o Xarope alcohlico de do Irooxe-o para o eogenho, o por algam lempo
ose de remedios caselros, com os quaes apenas
ta palliando a vida
Determine! me afloal de consultar a V. S., e de
.. i '"
CONSULADO PROVINCIAL
TOV J ,1111 '*MfTtt"
.eadimenio do da 1 a
dem de da 18........
17.
43:896*993
2:94i*8*4
46:84i*819
.. Uma'escrav da na. do Sr. Francisco Fir
vera vindo, nao tena recebido obsequios que Ihe mino Monteiro, pessoa Dem conneciaa tiesta enlo para c lem elle osado do seu excelleute
foram prodigalisados por ter viudo como veitf com cidade, achando-se de cama, e com as per remedio aa jnrubeba, e a vista do estado em que
om negociante dos crditos do Sr. Jos Alexandre Qas bastante incitadas, e cheiatle tumores,
deixasse como deixou tomando o xarope de veame, acha-se boje
Nao lite permitimos q le
sabir o Sr. Jos Alexandre Pereira desta Pra5a>
para tracoeirameole o ageredir em seu crdito. Mo-
rando debaixo das mesmas telhas, jantando na-
mesma mesa, o Sr. Maia nao leve a coragem de
expor as suas queixas e dizer os seus sentimentos
aoSr. los Alexandre, qae elle diz, o induilra a
vir a Pemamhnco comprar negocio com seu
boa, prestando servicus.
A mana do Sr. Jos Francisco Pinto, mo-
rador na ra Direita n. 51, tendo sido
accommettida do mesmo mal, acha-se tam-
bem boa.
A Sra. D. Senhorinha Umbelina dos
no: teve porm bastante coragem para *i**"**[ Santos, moradora na ra das Calcadas n.
iJSfSS^^^SS^i^VSvl 38, achando-se atacada de erysipella as c6-
bastante volumo-
que a privara de
marear Ihe o conceito n'esta praga. las, COm qaatrO tumores
O Sr. Maia eve estar convencido qqe qaem S0S) no qsq indolente,
como S. s. mendiga *^J*Jp**"*t 1 pOr-se de p ha muito tempo, com o uso
!ns dfa^go qet0 pbir?.ffttSS? do xarope alcoholicodeveame e pillas pur-
protestar pelas falsldades qoe elle contera, remet gattvas do mesmo, acha-se restabelecida, 6
tendo o Sr. Maia para a mtailtdade em que obsco- no uso jos medicamentos OS tumores tr-
ramente vive.
Guedinhos.
^^
LL^i"
ILJ. f
Publicares a pedido
Con>u al de Fraoce
MES CHERS COMPATRIOTES.
minaram pela suppuraclo.
A Sra D. Rita, moradora na ra de SanU
"* Rila n. 13, primeiro andar, soffrendo do
! mesmo mal ha muitos annos, pois que a ery-
_ ipellaatacava amiudadamente, depois qae
tem tomado esse remedio nunca mais Ihe
deu.
Oulros muitos factos desta ordem deixo
de
Le ministre des afTaires Etraogeres me charge de menciorjar aqu para n3o me tomar pro-
1 faire appe a votre chant et a votre patrtotis- ,. pnf:(4nnhl v
me en faveur de notre colonie Algnenne, d-,1IX entadonlto.
solee en ce moment par nm horrible flu. | Sendo a erysipella urna mol stia que sem
Une inv.sion de auiereli-s, dont la masse in- dnvida effeito de materia gerada nocorpo
tercepte la lamiere du Soleil est vonue dvorer como exp5em a,guns escr,pl0res de medici-
iesrcoltesdeplusieursanoe-s. Topa les effurto ^ ron,flai%n(,a rta 'fphrp
de la popolation et de l'arrae sufflsent a peine a na e em consequenwa a ieDre e
debarrasser les onlaines, les citerocs et les cours nn pelle, onde produz inflammafSO!
d'tau de eetle cause d'infection. A la devastion muitas pessoas, por nao se terem
la lamine, et nentemente tratado, suecumbem com
humanit de pernicioso usode que, nos tres dias n5o de-
je i'adresse j vem usar de remedio algum, o que faz-s*
eux. estender o mal por nao se ter a principio
por isso, pois
lanzada
e que
conve-
0
combatido
conveniente
ont proraptemeute succed la ruine,
la merl II
Je fais appel la gnrosil et a I
la colonie fraocaise de Pernambuco,
aux rsidents Europens et aux Bresiliens
mues. Pour nous ce sont des frat)?als qui soun-
rent nour toas, des chrliens et des hemmas. Je |
ppCwDsceaiqoeiiroDtcMiigiies de sepr-:qoe, logo quealguem se sent.r atacado de
oceuper, non pas o'apporter une riche offrande, tal mal, ueve provocar a transpirar;ao toman
mais d'e'n apporter une la reunin de faiblos ef- 0 ao principio urna colherinha de cha do
forts vant mieux que de grands saenfices de U xarope alcohlico de veame dissolvido em
PUd^rSnUeTouverte en ce Consola!, les oma chicara de infusao de flor de sabu-
noms des donatalres seronl inscrits daos les colon- gueuo quente, ado^atdo-a com mais assu-
nes de ce jouroal et ensuile aa Momlenr Universel car, conlinuand'J nos tres dias nesse trata-
el sgnales airsi a l'estime et a la recomaissance tamenl0) no fim dos quaes usara' do xar0.
deTAigrle.
Pernambuco lo 16 septembre 1866.
Le Cnsul de Franco,
Osmin Laport.
pe de veame na forma prescripta no recei-
tuano, tendo todo o cuidado de se abafar,
afim de soar conver.ientemente, alem de
conservar o ventre corrente, que consegu-a
Hospital P01 tuue: de Beutficencia' tomando urna ou duas pilulas purgativas do
em i'enii'inliui'O.
No domingo 16 do corrente, depois da festa qu
se celebrou no Hospital Portoguez de Beneficn-
cia, eectoou-se o caridoso leilo de prendas usado
nauuelle e.-tabeleciraento: o bolo da opolencia o,
da ridaoVavoitooTaiii, na mais completa aliste- \ sumem ser o desenvolvimento da putrefac-
gao do evangeltio e a lei divina que mandara soc- gao DO san.ne, tanto que 0 lugar 1
mesmo veame.
Todos quantos suecumbem desta moles-
tia se diz :falleceu de erysipella recomi-
da ; ao contrario, alguns expositores pre-
correr a indigencia e aliviar a penuria da mi-
seria.
Alera do asseio e da distincgo qoe n aqueile
hospital se notou durante todo o acto, e que Ihe
ordinariamente commom, nota se algnma cousa d*
ruis; isio ,via-se resplandecer no serablantede ca-
da enfermo o regocijo que brilha nos cilios da en-
fermidade, quando a nio caridosa do calboliclsmo
v.ii aliviar liie os sflrimentes.
De cada um daqnelles labios atacados pela inNr-
mldade mais ou menos aensa, como que se oavia
subir ao co a prece intima da desgrana que im-
petra no paroxismo da miseria o auxilio da divln
dade para aquelles que nos (eslins da opulencia
nao esqueceram osespinbos do leit- da dr.
EotriJianlo nem tudo se frz; ainda grande Da-
mero de prendas caram de ir e nao forau expos-
tas a venda; nao por falta de espirito caridoso,
mas porque nao sobroa tempo para leva la.
Resta ag>ra que o publico pernambucano coa-
cerra a aqueile eslabelecimento no da 23 e prove
ainda urna vez al onde se estendem os sentimen-
tos altamente religiosos que tem serapre distingu
do esta bella provincia.
Se bem que estrangeiros, e nao tendo oascido
no abeucoado torro do hospitaleiro Pernambuco,
comtudo, coohecemos de perto a philantropa de
uns para nosso irmio por mais de um titulo, e es
peamos por isso a concurrencia de todos aquellos,
que sabem ser nacionaes sem se esquecerem de
de que sj filhos do raartyr de Colgla que se
traduzo na candade e que osse que Deus Chan-
tas est.
No domingo 23 a's 6 horas da larde cantar.se-
ha urna ladainba precedida de sermao, devendo
comecar o leili a's 3 horas da tarde do mesmo
da.
Cumpra cada um o seu dever, esquejamos o que
somos, e como nos recommenda o aposto!o, lera-
bremes-nos do que podemos vir a ser.
fjm socio.
Resposta ao Sr. AbIob Kibeir* Pialo
de lendooca Mi.
Nos abaixo assignados negociantes desta pra-
ca, atleslamos, qoe o Sr. Jos Alexandre Pereira
negociante do Aracaty, pessoa qae nos merece
todo o conceilo e eslima, que Ihe temos vendido
nossas mercadorias a crdito, tantas qnantas elle
tem querido comprar, e para nos elle, um com-
raerciante de crdito o de illibada repuiacao cora-
raercial.
Recite, 17 de setembro de 1866.
Parate Vianna di C.
Viauna Si Guimares.
Lniz Antonio S- queira. -
Mello Lobo di C.
Fraga & Roba.
Antonio Alberto de Souz Agaiar.
Vaz di Leal.
M. Arlhur C. Azevedo.
Antonio V. da Silva Barroca.
Keer & C.
Por procnracSo E. A. Burle & C.
Henrique Borle.
Adriano Castro di C.
Por proco raco D. P. Wlld.
C Shis.
Christiani & Irmo.
Antonio de Moora Rohm.
do que, enlo a sua cor era encarnada, se
troca em lvida ou negra, e termina em gan-
grena, e por essa razao que conveniente
o xarop alcohlico de veame na infuso de
flor de sabugo, para se conseguir resolver
infiammaco, ou pelo menos terminar pela
mped oput, supcopoi aiassim a gangrena.
Os efleitos do xarope alcoholice-n veame
applicado na dr de sabugo ao doente, nao
l[ so de vantagem por sua qualidade diafo-
rtica, como pela anti-septica para imped
a put'refa'fo as molestias.
Na erysipella nao deve o enfermo nos pri-
meiros tres das us?r de comillas e bebi-
das que possam esquentar e inflammar o
singue.
A comida durante esse tempo deve ser do
reino vegetal, como sag, farinha do Mara-
nh5o, pao torrado. bolacha, etc.
Ainda nao vi expositor de medicina que
aconselha.-se que nos primeiro> tres dias de
accora 1 ettimeritos do mal, nao se usasse de
medicamentos ; o queelles repellem sao os
ungentos, unturas que obstruem mais a
repellem do que promovem a evacuaco da
parte; o que convert trazer o lugar ata-
cado e bem agasalhado para ajudar a trans-
pirarlo e defender do ar. -
O verdadeiro xarope de veame vende-se
na botica da ra Direita n. 88, de Jos da
Rocha Prannos.
Tenho recebido cartas de algumas pes-
soas de ouras provincias que me commu-
nicain ter desta cidade sido remettido o meu
xarope falsificado, que tem dalo resultado
ao descrdito de minba preparaco, cojo co-
nhecimento se tem verificado depois dos ef-
leitos que taes remedios apresentava ; as-
sim, pois, tenho a declarar ao publico que
no letreiro que vai pregado na garrafa do
xarope, sempre foi assignado por meu pu-
roo, e daqui em diante, alcm desta assig-
natura o farei tambem no papel que cobre
a garrafa. Bogo ao mesmo publico que
quando forem assim engaados, tomem tes-
temunhas, me remettam os rtulos falsifica-
dos e me participem para fazer eflVctivo o
artigo 167 do cdigo criminal do Brasil.
Jos da Rocha Paranhos.
Para o cainnuiadtr da ra Nova lr.
Recebi do Sr. Joaqnim Jos de Olrada Tavarus
nma mala no da 88 de" abril do corrente anno,
constando todos os objectos que me remenea da
provincia de Corneales o mea mando o major Jo
ot.,nrqeir* Lim*' JDIn>M>le a qaaatia de
377^000, tmporlancia esta qoe mesmo dito Ihe
dfsj para me ser entregue nesta provincia. Tenho
a.diier que o Sr. Joaquim Jos de Olinda Tavares
sempre tetn-me merecido verdadeiro coaceito.
Reclfe, 1S de setembro de 1866.
D. Carolina Augusta CerqtUira Luna.
Esli sellado o reconbecido.
Aga Florida de Borraj Loo-
nao.
Em vtrtode das senhoas serem a p recusa por-
celana do barro bnraaio, > por isso mesmo ellas
teem todo o sob rano direiln 4 eleicao de toda a
especie de elegante luxunas, qoe a arte eslimnla-
da pela galantaria pode inventar.
Entre todas as qae perlencem ou figaram 00
toacador nenhoma ha qae possa exceder em u*
maiica delicadeza e Inora, aquella cima mencio-
nada ao alto deste paragrapbo. Possuindo ama
mimosa e deUcadissima fragrancia, soraroamenle
aiil e sgradavel em varias (erais, quer j como
arormeeeadora da compleicao, excllent mistura-
a bocea e alvejar os denles, aclmeme como am
excellente e adrairavel roeio curativo em todos os
casos de nervosidde, destalos, verligens e ata-
A jurubeba
(SOLANIM PAMCULATUM DE LYNE0.)
As preparaces pbarmaceuticas da juru-
beba sao medicamentos reconhecidamente
excellentes, e devem ser considerados como
as substancias mediebaes, tnicas e desobs-
truenles mais enrgicas que se conhecem-
e por isto cumpre que sejam empregadas
todas as vezes que se tiver de combater fe
bres intermitientes, engorglamentos cu obs-
truccoes de figado e baco, anemias cbloro-
ze*, hydropesias, raenstruaces deficeis e ir-
regulares, catharro da bexiga.
Aquelles que desejatem fazer uso dessas
preparaces, mdicos e doentes, e n5o qui-
zerem expor-se serem Iludidos, deverSo
dirigir-se a pharmacia do abaixo assignadu-
situada na ra larga do Bosario n 10, pr-
ximo ao quartel de polica, nico deposito
que existe nesta provincia; devendo se ter
em vista que foi o abaixo assignado o pri-
meiro que submetteu essa planta a prepa-
races pharmaceuticas, e fez guiado por
conselhos medico, e sob a approvacao
destes.
Pharmacia em a ra larga do Bosario n.
10, junto ao quartel de polica.
Jeaquini A. Pinto.
se aehava e o era qoe se acba, pode-se dizer cara-
do, por quaoto a muito tempo que ne lem febre,
do gado parece nada mais soffrer, o basso, o
grande volme qoe fazia, esta' muito diminuido:
o ventre que o linha bastante crescldo esla' quas,
no natural, a cor que era de um amarello esver-
diado esta' boje corando, ja' se Ihe v salgue as
faces, a tendencia que tlnha s para estar deilado
ja' a nao lem, a cama hoje s o v a site a hora
de descanco.
Aioda continua a usar do mesmo medicamento
e espero em breve qoe se achara' radicalmente
corado.
Sou com lodaestiou a considerado de V. S.
patrreto amigo obligado e criado.
Bernardo Jos da Cmara.
MOVIMENTO DO PORTO
Navio entrado no da 18.
Aracaty Hlate brasileiro Santa Cruz, capitae Jo-
s Victorino das Meves, carga differentes gene-
ro?.
Observando.
Nao fcoeverara entradas.
EDITAES.
Ra de Pt4r orlan.
Casa terrea o. 47.......1864000
dem terrea n. 6 ... .' nj060
Travfasa de S. Jos.
Casa terrea n. 11.......153*000
. Rqa dos.Pescadoras..
Casaterrean.il.......216*000
Roa das Calcadas.
Casa terrea n. 30. .....174*000
dem n. 36. .'.......176*000
Casa terrea n. 38.......157*000
Roa do Encantamento.
Sobrado de 2 andares o soion. 3. 408*000
Ra da Moeda.
Sobrado de 2 andares o sotao n. 37. 480*000
Roa da Gloria.
Casa terrea n. 10. ...... 144*000
Becco do Quiabo.
Casa terrea n. 55......141*000
- PalriDMuio de orohos.
Roa do Sebo.
Casa terrea n. 13.......116*000
Roa do Pires.
Casa terrea o. 39.......1x0*009
Roa do Raogel.
56.......300*000
Roa da Guia.
Casa terrea o. 27......126*000
Roa da Lapa.
Casa terrea n. 2.......160*000
Roa da Cacimba.
Casa terrea n. 10........
Ra do Pilar.
Remedio contra a
A saide depende do estado dos solidos
dos fluidos, qae os conserva idneos para
mais perfeita execur;5o das funeces vjtaes;
emquanto estas se fazem com regularidade
O Dr. Eduardo Pindabiba d Mattos offlcial de
imperial ordem da Rosa, joj de direito e ebefa
de polica da provincia de Pernamboco por
S. M. o Imperador, qoe Deas guarde ele. Casa terrea n
ecl.
Faco saber aos qae este edital virem que se acha
aberto o concurso para o provimento diflnilivo do
oflleio Je escrivo do crime que deve servir aeran-
te est) juio e de delegada do primeiro distncto!
desla capital, creado pela lei provincial n. 637 de
3 de jtinho do anno prximo passado, devendo as |
pesseas qoe pretenderen), ser nettes providas dem terrea 94.. ... 168J000
apresentar neste luio, dentro do praao de 60 dias dem n, 103............ 200*000
con ados da dala do presente edital, os seus reque- dem n. 105........168*000
nmentos asignados, e devidamente instruidos com Sitio do Pomo da Cal n. 5. 150*000
certido, de idade recoohecida por labellio, olba \ Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
corrida, termo de exame de sufflejencia feito pe- Recife 14 de setembro de 1856. 1
83*000
O escrivo interino,
Pedro Rodrigues de Sooza.
A lllma. jonta administrativa da Santa Casa
rante o juizo municipal, indo sellado na formado
decreto o. 817 de 30 de agosto do 1857, o das
ordens em vigor.
.e&Tl'f m?iel,passar,* prese?.q2! aemmttMt'*^m7t'mMmw
oosachamos saos e robustos; porm de qual- 8g ^J0^ Prta desla "parncSo o publicado ?0 ^ ^ d0 ^^ ^^ 4 hcra, da Urdeoa sa.
j,uer maneira que se perturbem, inivitavel j d(j0 e pssado nesta secretaria
Pernambuco, aos 4 dias do mez de setembro de
1866.
Eduardo Pmdahiba de Mattos.
o alterar-se a sade, e a inteperanca nunca
deixa de desordenar toda a economa animal,
impedindo a digesto, relaxando os ervos,
fazendo irregulares as secreces, viciando
os humores e produzindo infinitas enfermi-
dades.
O mais alto grao da prudencia humana
consiste em regrar os nosses appetttes e
paixes, de maneira que se evitem os ex-
tremos.
Com quanta celeridade arruina a melhor
constituicSo o abuso dos licores, que embe-
bedam! Pelo que vemos com tanta frequen-
cia s devotados a embriaguez carregados de
males, correndo com passos largos para a
sepultura, epor sjo commum proverbio,
que todos os ebrios morrena bydropicos.
Tudo que embebeda pe a natureza em
esta lo de excitar febre, parado-embaracar-se
da pessoaha que tragara: e, quando se repe-
le quasi todos os dias este veneno, fcil
prever-se as consequencias, que resultam
delle. As febres da bebedtee nem sempre
terminam emum dia; acabam ardinariamen-
te n'uma inflamuiac3o do peilo, do figado, ou
do baco e produzem fataes effeitos.
A bebedice de especies alcolicas quandro
se usam com excesso, debilita as entranhas,
impede a digesto, destroe a forca dos er-
vos, e causa enfermidades paralyticas, e con-
vulsivas. Do mesmo modo esquenta e in-
flamma o saDgue, destroe sua qualidade bal-
smica, e o torna intil para a circuladlo
para nutrir o corpo. Dahi procedem as
obstrufes. magreiras, hydropesias e ti-icas
Estes sao os caminuos ordinarios, com que
os bebados fazem sua carreira, e enfermida-
des desta casta, quando se produzem em um
forte bebedor, rara vez admitem cura.
Alguos arruinam sua sade bebendo mui-
to, ainda que rara vez (pelo costume) se em-
bebedem, posto que nao produza effeitos Uto
violtntOS. nao Sin monofr prnieioos.
Quando os vasos se conservam constante-
mente cheios e dilatados nao se podem fazer
bem as digestoes, nem preparar-se devida-
mente os humores. Por isso a maior parte
destas pessoas padecem, gota, pedras, areias,
chagas as pernas, abatimento de espirito,
desordens hipocondriacas e outros sympto-
mas de indigesto.
A bebedice nao s destruidora da sa-
de, mas das faculdades da lma, o costume
de embebedar-se faz idiota os genios.
Assim, pois, aos chefes das familias con-
vm salvar aos seus fmulos, que arraigados
ao vicio da embriaguez nao es podem livrar
pe'os meios suassorios, applicando-lhes o re
medio, que faz inteiramenle enjoar as bebi-
das que se vendem : na botica ou laborato-
rio pharmaceulico, na ra Direita n. 88, de
Jos da- Bocha Paranhos.
COMMERCIO.
Domingos AJonso Nery Ferreira, coronel e com-
miniante superior interino da guarda nacional
do municipio do Recife por S. M. o Imperador,
a quem Dos guarde etc.
Faco saber ao Sr. Jorge Vctor Ferreira Lopes
Jnior, alteres da 1* companhia do 4* batalho da
guarda nacional deste municipio, e a todos aquel- tas era cartas fechadas,
les que poderem e qoizerein fazer chegar ao s u
coohecimento qoe, pelo presente edital chama-
do a comparecer no quartel da residencia do
comraandante superior, dentro da prazo de 30
dias, a contar da data desta e nao o fazendo do-
rante esse tempo, sera' nomeado o conselho de in-
vesligacao para veriOcar a saa ausencia nos ter-
mos do V do decreto 3,535 de 25 de novembro
de 1865, visto ter se ausentado do batalho desde
o dia 4 de agosto do anno prximo passdo, como
trouxe ao m*u ctmbecimento o respectivo com-
mandanle de batalbao.
Quartel do coramando superior interino aa guar-
da nacional do Recife 14 de setembro de 1866.
Domingos Alfonso Nery Ferreira.
la de soas sesses se bade arrematar a qoem por
j menos fizer a obra da cornija e fingido da frente
tfa igreja da Misericordia em Olinda e ladrllho de
; 100 palmos de comprmanlo e 30 de largara do !
saiao, de 70 palmos de cmpnmeoto e 20 de lar-
gura do 2" salao, de 65 do eemprimento e 32 de
largara do 3 sale, de 28 de cumpnroento e 24
de largara da sala contigo* ao 1 salo, e de 133
palmos de comprlmento o 24 de largura do adro
da igreja.
Os DToponenles deverSo apresenlar suas propos-
e para melhores esclareci-
mentos podero dirigir-se a' esta secretaria.
Secreteria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, 14 de setembro de 1866.
O escrivo interino,
Pedro Rodrigues de Souza.
Hra o Assii*
O paftabote Ganbatdi pretende em poneos
segur para' aqueile Mto; a (ratar-se eem Taas*
rme, ^Jtfj^aflenjejle. carga,___________
Para com esealla pelo Sfaraiitr.
Pretende seguir em poneos das o superior t t#-
leiro palhabete Pernambucano por ter grand* par-
te de seo carregamenio proeapto, e par as M*>
falta trala-se com o consignatario Joaquina Je*
Goocalves Beltro, na roa do Vigario n. 17,1 *
andar._______
Para o RioUrande
*) vSlll.
Frela-se ou recebe carga a frefe a escona ha-
nover ian Aliba Carohna de 113 toneladas male-
zas : trala-se na roa da Croa n. escripia*> s>
Antonio Lniz de Ullveira Azevedo & C_________
Rio de Janeiro.
Pretende seguir para o Indicado porro, co emi-
t brevidade, o veleiro e bem eoRheeldo brizne
Adelaide, por ter a maior parre de seo campa-
mento tratado ; e para o ponco que Iha falta tra-
la-se eom o consigoalarlo Joaquim Jos 6onealves
Beltro, ra do Vigario n. 17, primeiro anear.
MaranhSo e Para.
Segu com a possivel brevidade jars os indica-
dos portes o brigue escasa nacional Graciosa, ta-
pltao Silva Ralis; para o resto da carga ana !>;b
falla, trata-se com o seo consignatario Antonio tte
Almelda Gomes, roa da Cruz a. 23, t.* andar.
Baha.
Pretende sabir em poneos dias o veleiro- e ieo
conbecido palacbo Santo Antonia, por te* a maktr
parle de sea carregamento tratado, e para o r**t
que Ihe falta trala-se cora o consignatario Joaqun
Jos Gongalves Belirao, na roa do Vigario n. 17,
l. andar.
Para oAracaty.
Pretende seguir com muila brevidade o paBiabe-
te nacional Dous Amigos, para o restante da carga
que Ihe Mu trata-se com os seus eorisigesiar*
Antonio Luiz Martlns de Azevedo & C.: no sra es-
criptorio ra da Cruz n. 1, ou cora o Sr. Quintal,
00 trapiche de algodo._____^^__________
Arac ty.
Segu para o porto cima no dia 27 do rorrease
o hiate Novo Invencivel, para passageiros e o resto
da carga que lbe falla trata-te na raa da Cadera
do Recife n. 56 com Silva di Al ves 00 com o naes-
ire no trapiche do algodo. ,
DECLRALES.
A lllma. junta administrativa da "-anta Casa
de Misericordia do Recife manda fazer publico
que 00 dia 20 do correte pelas 4 horas da tarde
na sala de suas sessdes, recebe propostas para
factura das obras que precisa o sobrado sito a ra
Direita n. 33 pertenceote aos estabeleci nenios de
i caridade.
As propostas devero ser em cartas fechadas,
sendo preferidas as que melhores condigoes offe-
recereni.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re
cifV, 14 de setembro de 1866.
O escrivo interino
Pedro Rodrigues de Souza.
Arrematado.
Perante o Illm. Sr. Dr. j'aiz de orphos e pelo
cartoriodo escrivo Guimares fiadas tres audien-
cias tem de ir a praga de venda o sitio do Zoogu
avaluuo por 6:00<>e parte as trras de Apipu-
cos no valor de 5005, bens estes perlencentes a
finada Mara Candida de Magalhe?, e que vao a
praca a requerimeolq do invenlariante para paga-
mento de sello da fazeada legados e ventenas.
EXPOSld^AO
nos
Productos agrcolas, indnslriaes e obras tle arte
da provincia de Pernamboco.
Nao obstante es ^soreos que tero a commisso
directora da exposicao empregado na acqnisico
de productos destinados a Agoraren) na fesla in-
dustrial da provincia, ja dirigindo-se a quasi tota-
lidade dos productores e a grande numero de cor-
porales, funecionarios pblicos e outras pessoas
que se achara em condiedes de auxilia-la, j appel-
laodo para o patriotismo dos filhos da provincia e
seas habitantes, qae devem ver os bros nacionaes
eropenbados no concurso que se prepara, tem sido
pouco numerosas as rernessas de semelhaotes pro-1 Q^rVulamemo de Y7 d'e'jnho'ae7864,"xp'edid
ductos, principalmente d aquelles qoe, sem terem o y ra l execuco da le n 596 o prazo de 30 dras
uno da randada e belleza, ?o verdado.ros ob-; l conlar desta data para construirem os passeos
jectos de consumo e suscepnveis de applicacao 10-1 de seus preaios d5o podendo na e .nstroccao dos
BOSinai. ,.,,,- ; ditos passeios empregarem lages que nao lenham
A impropriedade da estacao e porventura o 10- pe|0 meoos as dimens5es j aununciadas.
verno rigoroso que anda nao abandonou a provm-. y secretaria da repartlcao das obras publicas 13
""de setembro de 1866. -JT
Obras publicas
Pela reparlicao das obras publicas se faz publt
co aos proprietarios da ra do Rangel, largo e tra-
vessa da Lingoela, que Ibes marcado na forma
Xovo kaien de Pernaai.
bneo.
O novo banco descoma letras de prazo at qua-
tro mezes a 8 por cento ao anno, e de maisr prazo
a 10 por cento.
0 dovo banco de Peroambuco faz a
segunde dividendo de vinte por cento
das massiisde Mcsquila k Dntra eFran-
cisco Antonio Coi-reia Cardezo.
Caixa Filial do Banco do Brasil em I'ei-uambuca
aos 13 de jaiba de 1866.
De ordem da directora se faz sciente aos senho-
res accionistas que o the-oureiro est aotorisado a
pagar o 25 dividendo das aegoes desta caixa a ra-
zo de 10
O gaarda livros.
Ignacio Nunes Correia.
Gaia filial do banco do Brasil em Per-
nambacol3de jalho de 1866,
A caixa descoma os saques de seu aceite pela
taxa de 60/0 ao anno, o sacca sobre a caixa filial na
Bahia.
cia itnramuMi. n que iino ngurem as salas
exposicao as amostras de assucar, cereaes e outros
producios agricelas de grande consamo, cuja re-
uiessa foi entretanto anouociada a commisso.
A ilha de Fernando de Noronha, qoe to Impor-
tante parte teve oa precedente expo-ico nao en-
vin at esta dala nenbum dos seas productos pela
taita de transportes.
A colouia militar d6 Pimentoiras qae pela grao-
de variedade de suas excelleotes niadeiras de coos-
iroccio tem de ocrup^r lugar distiocto oa exposi-
cao proviocial, nao esta' repre*entada anda por
uraa s amn-tra oucollecco dessas madeiras, ape-
zar do empeobo o grande sollicitude com que tem
o governo da provioeia auxiliado a commisso.
Namerosos artefactos nao poderam ser conclui-
dos a tempo de serera exhibidos, ja pela eseassez
dos operarios, qae em boro numero derramara ho-
je o sea saogue oos campos de balalba, j pela exi-
goidade dos seus recursos e impossibilidade de
dislrahirem o tempo indispensavel ao ganho do
parco salario.
Neslas condicoes, a commisso, considerando a
responsabihdade que pesa sobre os seus hombros,
a desigualdade com que, por certo. tera' a provin-
cia de Peroambucode participar dos louros que
colher o paiz na grabde exposicao internacional de
1867 senSo se mostear na altura do seu progresso
do lugar que oceupa no imperio; resolveo, em
a
Joo Joaquim de S. VarejSo.
TiI..%Tit^
DE
LII&DIS.
iKSLAO
Da parte que possue o finado Jos Joaquim Novaas.
no sobrade ue 2 andar", -m chaes proprfc>s>
silo a roa do Rangol n. 6t, conj in> lamente a
parte que berdou de seo finado ftlho J.js, ata-
bas na importancia de 10:4565195 rs. peta va-
lor que no lodo levo dito predio de 18.000*.
CORDEIRO SIMES
a* requerirnento de Angelo Henriques da Silva in-
ventarame do finado Jos Joaquim Novsese mari-
dado do Illm. Sr. Dr. juiz de orphaos, far teiie
das partes do predio aeima desenpto no valor do
10:4562195 rs, o qual tornase recommendave!
por ser edificado a bem pouco tempo, podendo
desde ja* ser examinado por quem pretender, te-
jo leilau tera' logar no da
HOJE
as 11 horas em ponto, no armazem da roa da Ca-
deia ao Recife n. 29.
LEiLAO
ir*
EHPBEZA-COMBRA.
Recita extraordinaria.
O emprezario querendo attendef aos pedidos
encommendas de bilhetes resolve levar a scena
Qoarta-feira 19 oe setembro de 1866
o muilo applaudldo drama fhantastico era 6 actos
O Alt JO
OA f
f
Comegara' as 8 horas,
sesso de 5 do correte, adiar novamente a la^l ^Jg**.** jfrjg 'em ei"'os P^id',s fle
TWITS
que sera- anmrocado logo qoe sejam recebi
dos os productos esperados e outros qae a commis-
so coma lh esero enviados.
A commisso faz om novo appello aos induslriaes
da provincia e era geral a todos os seas habitaotes
para qae promovam a exhibiese de productos,
quer agrcolas, quer Cabro e quer oatoraes.
Os productos conlinuam a ser recebidos lodos os
dias no palacio da presidencia das 10 horas da
manha as 3 da tarde.
Sala da commisso, 6 de setembro de 1866.
M. Buarque de Mcalo,
Secretario.
Novo Braco de Pernamboco.
O Novo Banco faz o 17* dividendo de 55
aeco.
por
ALFANDEGA.
Repdimenlo do dia 1 a 17......
dem do da 18................
313:014*817
34:374*574
347:389*391
MOVIMENTO DA ALFANDEGA.
385
241
Volumes entrados com fazenda...
c t com gneros...
Volamos sahidos com fazendas...
t < con gneros...
OSA
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publi-
co qoe no dia 28 do corrente se Onda o prazo
marcado para a arrecadaco dos impostes cobra-
dos por langamento periencenies ao anno financei-
ro fiodo de 1865 a 1866 Ocando sogeitos todos os
devedores qoe nlo pagarem seas dbitos at aquei-
le da a serem ajuizados.
Mesa do consalado provincial Io de setembro
de 1866.
Antonio Carneir '! cha do Ros,
Ad mi ubi. ador.
No dia 21 do corrente mez, depois da a aden-
cia do Illm. Sr. Dr. jniz municipal da 1' vara, lm
de Ir em praca, para serem arrematados por quera
mais dr, os bens movis, penborados a Maaoel
Aives Goerra, por execogo que contra elle eoca-
minba Antonio Jjs Vieira da Caoba ; a ultima
praca.
151
87*
-----1020
Illm. Sr. JoMiaim de Almelda Pinto.Cayambn-
ca, 4 de setembro do 1866.Lendo no Jornal do
Recife diversas deo,laracd>9 de pessoas que tem
oblido alivie as enfermidades qoe sorfriam, com o
as da jurubeba preparada por V. 5., juigo nao
derer ficar em silencio e patentear ao publico
Descarregam boje 19 de setembro.
Barca ingieraSyametrymercadorias.
Barca franceza lian Bapttstedem.
Vapar ingloz Amazondem.
Brigue inglezLentrro.
Escuna hollandeza Weudehna Jacobusdiversos
gneros.
Barca InglezarFaj/irrer-farinha de trigo.
Barca lubckensefiydufarinha de trigo e mais
gneros.
Patacho hespanholLaiirtanavinbo.
Patacho nacionalCarita-charque.
Polaca Jiespanhola Promptadem.
Barca nacionalSanta Martadem
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS -
GERAKS.
Rendimento do dia 1 a 17......
dem do dia 18..........
18:00-2*180
4011315
18:463*495
Pela secretaria da cmara municipal desta
cdade se faz publico qae continuara em praca dos
dias 20 do corrente, 1 e 3 de ontnbro prximo
vidouro, para serem arrematadas por quem
maior prego offerecer, as rendas mnnicipaes au-
nunciadas para hoje, deveoflo os qae pretenderen)
Das mesmas licitar, apresenlar suas Bancas de ae-
cordo com a lei da fazeada nacional, qae manda
especialisar os bens afianzados; os qae assim nao
pr icederem deixarao de ser admiltidos na arrema-
taeo.
Secretaria da cmara municipal do Recife 17 de
setembro de 4866.
O secretario,
Francisco Canuto da Boaviagem.-
Santa Gasa da Misericordia
do Recife,
A Illm.* janta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife manda fazer publico qae
no dia 20 do corrente pelas 4 horas da tarde na
desuassessoestem deir praca a renda das ca-
sas abaixo mencionadas para serem arrematados os
seos alngueres por tempo de om a tres annos.
Os pretndanles deveo comparecer acompanba-
dos de sena fiadores oa com cartas dos mesmoes.
Eslabelecimentos de caridade.
CPonlianeos.
Casa terrea n. 110......204*000
Rna Direita.
Sobrado de 2 andares n. 8. ... .1:067*000
Quinta-fi'ira 20 ilcelia extraordinaria,
A FAVOR DA FAMILIA DO PATRIOTA O SR. TBRENTR-
C0R0NEL
JOO PAULO FERREIRA.
Representar-se-ha o drama-vaudeviile em 3
actos
ARTHR
O
DEPOIS DE IS ANUK
Dar' flm ao espectculo a comedia em 1 acto,
origiDal do Sr. Assis
Sempre sao primos.
Comecara' as 8 horas.
O emprezario possuido do mais vivo recoDheci-
mento agradece a Exm.* Sr.* D. Marta dos Aojos
de Sooza Leo, pelo poderoso auxilio qae teve a
bondade de dispensar, na distribu cao dos bilhetes
realisando assim to ventajosamente a saa idea.
A commisso encarregada da passagem dos bi-
lhetes, ira' depois do drama, aos camarotes rece-
ber as esporto las
AVISOS MARTIMOS
CO.HPAXU1.1 RRIMILLIRi
UE
PAQUETES A VAPOR
. Dos portos do sol esperado
"k at o dia 20 do corrente o vapor
Cruzeiro do Su/, comraandante
Alcoforado, o qual depois da
demora do costume seguir para
os portos do norte.
Desde ja recebem-se passageiros e esgaja-se a
carga qae o vapor peder conduzir, a qual devera'
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinbeiro a frete at o dia da sabida a 1 ho-
ra da tarde. Declara-se aos Srs. passageiros qoe
as passagens s se* recebem nesta agencia roa da
Cruz n. 1, escriptorio de Antonio Lniz de Oli-
veira Azevedo C
De tima mobia de Jacaranda asada (costo amigo),
urna dita de amareJk> '! burras de ierro, I rw a
elstica bas'ante exio.-a, de am relio, 3goar-
da roupas, 2 pianos de armario, 2 ditos de aco-
sa, 3 santuarios, cadeiras vuisas, sofs, eonso-
los, mesas, marquezas, banca-, lavatorio;., tole-
tes, commodas, quadres, crystaes, objectos de
ouro e prata, rtlogios etc., etc.
O agente Martins fara' leilo por conta e ordem
do Sr. Aiuenco F. S dos objectos cima rat-acK-
nados, ao correr do martello,
no armazem da ra do Imperador n. 15.
liedivi'ias na importancia de res
64:69^214.
O agente Martins levara' novamente a leilio por
mandado do Illm. Sr. Dr. jniz de -orphos, as divi-
das activas do casal inventariado do fallecido i s
Bapiisia da Fonseca Jnior, na importancia de r?.
64:691*214.
No armazem da roa do Imperador o. 16, as 12
horas._________________________________
De oma mesa redonda de amarello, oro sof de
amarello, 12 cadeiras de dito, 1 par de bancas
de dito, i toacador, om relogiode cima de mesa,
uraa commoda de amarello, ura caodieiro a gaz
e uraa mesa depinho.
O agente Martins fara' leilao a reqnerimerito do
curadores fbeaes da niassa fallida de Jos de Cas-
tro Redondo e por mandado do Illm. Sr. Dr. jais
especial do commercio dos movis aeima pertec-
cenles a mesma massa.
HOJE
No armazem da roa do Imperador n. 10, as
boras.
leilo
De ama parte do sobrado de nm andar
e soto na rna da Gloria n 7
O agente Martins fara' leilao por aoterisacao <'
procarador de Marcelino Jos Lopes, de oma par-
te do sobrado de om andar e soto na roa da Oto-
ra o. 7.
HOJE
No armazem da roa do imperador n. W, as 13
horas.__________________________________
LEIIjAO
DE
(Em cofliinu ca.)
O agente Piolo tara' leilao a requerirnento ^.
carador fiscal da raassa fallida de Pedro da Sirva.
Rogo e por mandado do Illm. Sr. Dr. jais espeeia.'.
do commercio,de differentes fazendas pertencee-
tes a dita massa e existentes no armazem da ras-
da Cadeia n. 51, onde se effecluara' o leilo.
Principiara' as 10 horas.
*W*S
Para o Rio Grande do Sul.
Vai seguir com multa brevidade, o bem conbe-
cido brigne brasileiro Superior, o qual recebe car-
ga a frete barato, para o que trala-se no eieripto-
no de Amorim Irmos, roa da Cruz o. 1
Para o Rio de Janeiro.
Pretende seguir com muila brevidade o veleiro
e bem conbecido brlgoe nacional Damo, tem doos
tercos de seo carregamento engajado para o resto
qoe Iho falla e escravos a frete para os qnaes tem
excellentes commodos tratase com o consignata-
rios Antonio Luiz de Oliveir-a Axevedo C., no
seo escriptorio roa da Cruz n. i. i
fliHIIiAO
DE
35 caximbos de espuma.
23 duzias de pedras de ns. 1, 2, 3 4 e 0.
20 ditas de cretes.
10 camisas de lia.
4 psse-partouts para retratos de pbotograpbiat.
73 duzias de pendentes de vidro.
4 duzias de pendentes de perolas esmaltada.
IIOJE
No armazem a ra da Cadeia do Recife numero 2R-
rLAO '
De novis e outros artigas.
Cordela-a sl***e
por conta e risco de qoem perieocer fai' feriar*
de grande quaotidade de movis, novos t looca. vidros e oolroa muitos artifos e gae'o.
HcawJis
- Qoarta-feira 19 do correle as II hora
No armazem a ra da Cadeia do Recife numemJE
LEILAO
e SO caixas do ckarmto da Bakta e
10 duif s de coare preto de^eztrr
Cordeira Simos
por conta e nsoo de quem perteneer fara' leo 4b
10 dazias de couro prelo de bezerro proprio pan
aanalefre e 80 caixas de charolo da Babia-



-.
*V,
V ',
n
/


Alarlo de Pet-mmbnto Quarf* felr i ft de ajeteoabre de M.

.
tjuarta-felra 9 ,i0 crMile ,, || nm_
Ho -guma a ra da adei do Recife o. 19.
LELA)
DE
31 Utas de 4 libras cada ama da coa arelo M ditas de S-dltasdita.
S17 massos de palitos Mra denle*.
Cordelro Slaiet
#er cota e risco de quem perteaer fira' leilo da
^M cima esta' mencionado, tsto
HOJE AS II HORAS.
Ha armaicra a rea da Cadeia do Recite n. 19
LBILAO
eE
Da madapoldes, sigo 15-s, brins, chitas,
lina a cosila
-de S. Francia-
VIVA 0 PROGBESSO.
Exercicio de 1896 a 1867.
Reuita geralRnxda ordinaria.
Art, i: O coveroo flea autonsdo para reformar
a tarifa das alfandegas.....
Art. 2*. As unidades da tarifa, sobre as qaaes
assentaro as taias, ser jo as 4o sy-taoaa mtrico
decretado por le n. H3# de 18 de jaotio de 1862. vel publico e com especialidade ao cor oto com-
Ae publica. memo qae oesta data Tendea ao Sr. Romio Cajr-
Chegaram a" roa Nora o. 38, rindas fe Pars e l*lro a soa taberna sita oo Varadoaro da cida-
all evidameatn afferidas, as andidas mtrica, > de 0l,Dd. UvrS* desembaracada. '
m conformldade estabelecida pelo art, t da dita de se'bro de 18on\
lei n. iio7, e vendem se por praco commodo; tam- Joliao Sarapal
bem se vende aera conheclda obraNocSes do Preclaa-se de am menloo para calrti I cem
Oforsce se uma,*iulri*r ine eujj|
pata casado pooca familia :a it
co n 11. _______________________
Precisa se de ama ana dn leile, pagas
bem : na ra Imperial sobrado que fot do major
GusraSo.______________________________
O abaixo assigaapo fas aaieote aa paspis-
li

----------r-----, ,6^'s, arios, mas, eam ----------------------- ..-, ..~~_ ~ -- .v..r>.-------
feraias, cassas, leos, chiles, chapeos, toacas e,*] "J* mtrico por Jos Antonio Gomes Juoior. pratica de Uberoa ao beoeo das Car val lia n. 1-
escita* entras faieudas exisieaies no armaiea da o*Bdo as precisas explicacSes e tabella para as a tratar na mesma.
ra da Cadeia o. 61. repartieses publicas, sedando oprescripto pelo ari. _;
Principiara' as 10 horas.
Leilo
lia eabrritlet novo com todos os
, pertences
Hoje a 14 horas.
Na armasen a rna da Cadeia do Recife n. 29.
por iotervencao do agente Cordeiro Simules.
Leil&o
De 300 eolias con Igos,
Qninta-feira 20 do corrente.
O afease Pestaa ara' (aillo por eoata e risco
deqnem pertenesr de 300 calas cora figos desem-
barcado altimamente e sera' vendido em lotes a
ArreadaMe o engenbo Caramur moente e
corrente, distante da liba uwi legua e com todas
as lavonras em estado de eomeita : trata-se do
engenho Santo Andr com o rendetro.
1* I 3* da referida le, a qoal pelo art 3* Imp5e
os infractores pena de prisao at um mez a...
100*000 de multa.
Para vigorar o exercicio de 1866 a 1867, resta
poneos metes. Nio sd es 9rs. professores de ms- Precisa-se de am trabalbador na padaria
trocea primaria (pblicos e particulares) mas o ru" do R"*'* _____ ____
Sub ico em geral, dave-se prevenir a flm de evitar
Ka priso e multa, pois qae, exisliodo as medidas
e tabellas estabelecidas segando a mencionada lei,
deacalpa oeabnma se podo allegar.
O Sf. teiiaBle~Boronel Lulz Franeiscj de Bar-
ros Reg, do engenbo Calara; qneira ter a bonda-
de de apparecer no escriptorio da empresa do as-
selo da cldade, onde se Ihe deseja fallar.
vatJkBa-
da
Jallo Figaeira, da acao da costa :
tala.
Perdeu-se na madrugada de 16 do
nlorrent
na
vontade dos compradores : quinti-feira 20 do oor- ama loneta de oaro com corda.) de dina prata
reate pelas 10 horas da manida no armaiern do -
Sr. Asnos dafroute da alfandefa.
Precisa-se de ama ama lnre on eacravn pa-
ra o servieo Interno de ama casa de ponea fami-
lia e mesmo para farer algumas compras:'do
Campo Verde roa do Socego n. 31.
Aloga-se nma casa na Capunga ra da Ami-
zade, oom 4 qaartos, 2 salas, cosinha fora, cacim-
ba com muito boa agua, quintal maito grande
com portao de nm lado, a casa acabada ha porj-
co tempo : a tratar na roa da Imperatriz n. 7i.
LOTERA
AOS Cp.'OOO ooo
Curre depois d'araanh
Acham-se venda na respectiva theson-
raria, rna do Crespo n. 15, os bilhetes
meios e quarlw da 24 parla da lotera a
beneficio daa. familias dos voluntarios da
patria (83*), endo a extracc2e ne logar e
hora do costume.
Os premios de 6:0000000 at 10#OO te-
r3o pagos uma hora depois da extracto at <*o o respeitavel paWico com especialidade as pessoas as 3 horas da tarde, e OS (>Utr0S dePOis da ,0 l>arls) fr enos 20 por cenlo do que em oatra ijualqoer parte, faraatind .'* a Matldfedb ei so-
j;-._.l r lides da obras.
N. 2 D N.2D,
aa^** CORITO 1>E OUUO. n^Q
A lojan. 2 B intitulada Coraco de Ouro na roa da Rabaga, acha-se d'ora em .liante tff#acen-
dislribuicSo das li.-taa.
-*____, ir rospc4vei paoiico avananao o uese|(7 que aee ier u proprieiario ae U
4* encommendas serip guardadas somen- to que qoer proaresso em seu negocio deve chegar imrrediatanwnte ae coracio
te at a noite da vespera da extraccSo.
Servindo detbesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
O respeitavel poblico avallando o desejo que v ter o prprietarlo de am novo estabeleeimea-
de oo re a comprar
Ama de lei te
eciaa-se : na rna da Praia de S. Rita n. 78, *88^w a ,enibrani;a a um senhor de engenho, eo-
-------- www >>wmi <-"i uok ao oiiua uiia < ivunai-au um i un us i iaia un O. lillas U> I V i a. -------------------1"- ~ ww
porta do collegio de S. Vicente de Paula fu do segando andar, jnntoaodeposito delcarvo, paga-sprecwoe arr,lK da familia Reis, da convidar pelos
Hospicio : quera qnizer entregar.ser recompensa- bem. i^n"8' toio* ft8 conhecidos e^ migos a concor-
do na padaria franceza raa da Imperatriz o. 80.
sn
MISOS DIVERSOS
lastitito Areheolofico e Geogrrpkice
PrnamHcano.
Harer sessao ordinaria quiata-feira 20 to cr-
reme, pelas 11 horas da maohaa.
ORDBM DO DA.
Pareceres e relatorios de commissoes.
VotaeJes adtsdas.
Secretaria do Instituto, 17 de seteinbro de 1866.
J. Soare de Auvedo,
^______ Secretario ptTpotuo.
Precisa se de urna usa >ara lavar t eofem- do Recife, os restos mortaes do m^o oadopre"
oaar: na roa do Sebo n. 35. lendetn dcposlta-los na' igrej matriz de Santo An-
Juiio Sampaio, subdito bes'panhol retira-se t?l(? dM?a eldad ah mandaren celebrar nm
para Europa a tratar de sna sande. _____
Precisa-se
aneis com perfettos brilhantes,esmeraldas, rabise perola; verdadeiras e agarras, rnetttraa* pett
diminuto preco de 105. brincos moderos de onro e coral para menina pelo prego de 3, maraca* de
I prata com cabos de marflm e raadreperola obra de moderno gosto to que o encontrarao oo coracao da
I oro> veltas de oaro com a competente crnsinba ricamente enfeiloa pelo pequeo preco de J2J, brm-
| eos de um trabalho perfeito por naa modieo preco, cassoletas.tranealins, pulceira altinetes para re-
tratos e cairos aodelos ludo de alto gosto, aneis proprios para bular cabello e Arma, dito para easa-
metlo, ao artigo rsela lera o Corago de Oaro am corapieto e bem variado sortimento de diversos
gostos, but5es para punhos com diamaote, rublos e esmeraldas, obra esta imprtame ja' pelo sen va-
lor ja' por gosto da desenho, brincos a forma da delicada reosfoha de moca edm piogente coniendo es-
meraldas, rubias, brilbaotes, parolas o gosto soblime, alflnete para gravatano me*mo go gios para senbora era vados de pedras preciosas, ditos para hornero, diversas obra de brtlhante d
tacao da Ilha no dia 28 de acost'tuu,t0 *m' crui,oha5 e rubD. esmeraldas, perolas e orilhaotas, aneis eom letras, cae .lela de
a's horas da tarde '' ery,-,,? ooro I0*"* pira retrato (a ingleza) o outros muilo* objectos que os pr.ieodeoies eofioo-
traro no Cnnqioe Wuro que se conserva com toda a mabilidade aos concorrentes deixando-se de
aqu mencionar precos de eertos objeetos porque (desculpem a maneira de fallar) dlzendo-se o preco-
talvez alguem faga mao juno da obra, por ser to diminua qoantia a vala do seu;valor.
Na mesma lufa compra-se, troca-se ouro, prata e pedras preciosas, e tambera' recebe se concer-
t?, por menos do que em corra quafrroer parte, e dao-se obras a amostra com penhor, cooservando-se
o Coracao de Onro aberlo al as 8 Horas da noile. .
Convite benaficencia publica.
SUBSCR1PCAO
em favor das daas irmas solleiras lo finado Aa-
reJiano de Souza Res, conductor de trem de pas-
sagelres, morto desastrosamente no flesempenhe
te sen servieo, no encontr do trem de laslro eom
^passageiros na cprv da estrada da fer
ro-perto da es
proxim pausado
O finado Annrliano de Souza Res era o princi-
pal- arrimo da sn-is irmaas ; a sua falla repentina
Os baixo asslgnados viava e filho do finado
commendador Joe Aotorno Pefeira de Brito, lendo
de trasladar Oa'capefia de seo- engenho Santa Crol
para e tmulo de soa familia ao cemiteno publico
de urn menino de la 14 annos qae seja porto-
goez oa brasileiro para nm estabelecimento :
Katar na rus do Noguetra n. 49. .
Precisa se de irabashadores de padaria que
eaaenda o trafico de pie e bolacha : na raa larga
da Rosario n. 18.
" aira aaaWiaa
ros da 2 por cent ao
rntdaPaz
precisar de MOJOO a ju-
mez: querendo -ditija so a
36 que acuara' coin^hTrlrlTr.
Precisa-se de ama ama de leite, paga-se bem,
na raa Imperial, sobrado que foi do major Gus-
mo.
Cozlahclri ,
Precisa-se de Brtl bm'cozlnhero ; tratar na
ra Nava n. 18.
0 T
Preelsa-se de am caixero nacional para ama
loja de calcado, e qae leona praiiea do mesmo ne-
a traur no pateo da Ui betra da 8. Jos
E-la' a venda o n. 6 na roa do Imperador.
Sorlimeiito
escolhido de cal-
Grande va-
riedade de brin-
quedos para
cado francez. ^| 0 crian;as.
Chegaram novas botiuas para horneo*, senhoras j
e meninas, luvas de pelica de Jouvn brancas, pre- '
tas e de oulrasdirTerentes cores, brincos de onro!
bom de lei com rofeites de crystal, ultima moda
Portugus de Beneficencia.
Nio se tendo concluido domingo passa-
este pi e caridoso estabelecimento, ter lu-
gar a continuaclo deste trabalho domingo
23 do corrente. Alm de preciosos ob-
jeetos ltimamente offerecidos por distinc-
tas senaoras e cavalheiros, que nao foram ,
anda Junmlira si aiooa exposi,_e*!sie canosa e vana pe,os qairot mo|duras> esterioscopo com gran
dlSSima Colleccao de linaOS mimos que nao de sortimento das mais pittosescas vistas, realejos,
Se poderam arrematar no primeiro leilo, accordions, lindas bonecas, carnnhos, cabriolis
Espera-se portanto uma numerosi ci-neor- par.a C0Dduz''" criancas, cavaliinhos de andar por
r^u-ia nara awatir ft animar esta Pxnosif5o mo,las Para meninos monUr e oatros mallos on-
rtsnciapara asstaur e animar esw expobiv-Ju jectos fraBcezes que esto expostos a vista dos com-
festiva, teodente a augmentar OS parcos pradore.; na loja do vapor raa Nova n. 7.
meios comqoe se sustentara os desherda- Perdeu-se uma borlla de caixo que
dos da fortuna entregues a candada deste serve em panno funerario de primeira or-
hospittl. A* noite havera utni ladatnha dem ^,uem a acQ0U qQerendo restituir
cantada no oratorio do mesma hospital, (porque n3o 8erve a ^ulra c0|Jsa) dri.
acabada a qoal se dignar de pregar o illas- ja.se ao pateo do ParaZJ n 10 ^
tre sacerdote que no domingo passado tan- gratificado.
to abrilhantou o acto religioso commemo-, -------^-----------------------------------
rativo do dcimo primeiro anniversario de Aultl (16 mUSlCl
installacSo deste piedoso instituto. Recite
18 de ieterabro de 1866.
ci solemne no dia 20 do corrente, as 9 horas
da manta, lercelro annivarsario de sua morte ; e ,
depois Conduzi-los ao cemilerio, pelo qae os mes- gocio :
I mos abaixo assignados convidara as pessoas de soa j 2S.
amisade, para assistirera ao offleio e aeompanhar "
os restos mortaes at o seu encerramente.
I B confiando qoe as pessoas de soa araizad nao
deixaro de comparecer a este piedoso acto de
reliarSo e caridade com o qae maito honrarao'aos "* "ecia-se alogar em algom dos 3 barrros
abaixo assignados, desde j se fhes confessam ter-; um* ca9a bem 'ejada para nma familia, se TOr
mente agradecidos. terrea, on nm andar e sotao, com quintal mellior
Antonia Mara de Brito Bastos. era as segnintes ras : Iraperader, Qoeimado,
____ Jo6 Amonio de Brite B slos. Crnzes. Nova, Hospicio, Pires, praca da Boa-Vista,
aaaaBBVajBBBBaBBBBV^BBl^ZHBaBBaBBBBBBBBBBBBBBBBBBl Apollo e Cro: a tratar na roa da Csl^ia n. 27.
Aluga-se o primeiro andar da sobrado da;
roa do Quemado o. 26, a pretndeme dirija-se a
loja do mesmo, nnicamente para esc^htoriB.
i ni i..........
COMTIWUA A
(-IUMK IlOMUUlO
rer eom seu donarrvo para a formacao de ama
saJbocripcao; cuja importancia ser eropregada na
compra de uma casa para a habitaco das irmaas
e da familia do finado amigo Aureiiano.
O livro da sabscrfpcio acba-se aberto na loja
do Sr. JoSo Falque' ra do Crespa o. 4, eocarrega
de de receber a qnantla que cada nm r servido
sobscrever.
Para facilitar aos senhores de engenho e mais Kaa a* Ifliperal'IZ arma 001 lie fazeudilS I. 28*
pessoas de fra o meio d concorrer para esta obra No armazem de fazeudas ra da Imperatriz ti 28 vende se ricos e eleiaifltesf
f^ dTcorsobre candieiros a gaz muito bem preparados, de bom machinismo a dar uma luz hSSS
S porSref plrSare^ i'So X lehra'boiclleni,, de ta,,- um *>** globo d crystal com gravura apparelhado de
crrelo qoe poderi ser procurado enr todas as es- ama &cqv franceza, um lindo abal-jourt para oceurt r a la da vijta e se s pavios, ludo
urwda. ''!ha frre*' ,. ^ comprehendendo uma s peca a 6^ 70 e 84 e os dourados que se venderam a 9M1 so-
O portrf das carias sera pago aqu pelo Sr. Fal- custa 120 e 140.
que, logo qoe o agente do co correio ib ae entregar, \ Depos0s de crilcoridos para cima de mesa (lamparn*) U, candieiros de sus-
{penslo para Iojas de negocio ou salas 200, lampedas para Igreja ou capellas 180000
Joaquim Jos Goncalves
Beltrao
(ARU4 DO VIG1R10 H. 171 AXDAR)
Sacca por todos os paquees^ sobre o-. Banco,
Alogam-se as casas ns. 154, 156 e -158 a tua
Imperiil que foram ocenpadas com fabrica de
fundico : a tratar com J. J. de M. Reg ra do
Trapiche n. 34^
Casa para alagar.
Hanoei Loiz Vires, alaga o segundo andar da
casa que foi do fallecido dezembargador lloclla
Bastos-: oa raa da Aororora.
Aluga-se a
15 : a tratar oesta
de Minti em Braga, e solio
res, em Portugal.
A saber:
Lisboa.
Pono.
"Yalenca;
Guimares.
Coimbra.
Cha*.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val e Vea.
vlai i rio Csleflo.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Karaelicao.
La mego.
Lagos.
Covilhaa.
es segu ele.
,
luga-

loja da roa da Sentla Nova n] lreza de tlttHlnaC3,0 a
i ivpopraphin. r *
Precisa-se alagar nma escrava qae saiba en-
gommar e cozinhar, (sem vicop) : na roa das Cru-
zes n. 36 1" andar, (paga-se bom ordenado.)
Jerovmo Joaquim Fiuza de Oliveira,
Io secretario.
capi-
Aviso polica e aos
tes de campo.
Temi o abaixo assignado por varias vezes man-
dado um sen escravo de nsme Benedicto, cabra
ciar'', de idade de 24 annos pouc^ mais on menos;
vende tamaocos e sapatos em nm taboleiro pelos -quera tratar.
arrah.iMes desta cidade al Ignarass, Pao d'Albo
Cimpina-Graada ; e tendo saludo em 9 do cor-
reate para voitar no dia 13 : por isso quem otron
xr ou delle dr noticias sera gratificado da seu
trafcao, na ra da Senzah nova o. 1.
Antonio Pereira Maia.
Lydio Purpurarlo Santiago de Oliveira, profes-
sor de msica f iz publico que continua a leccio-
nar em >ua casa : na ra da Gloria o. 46.
D-se 1:0000 a jaros com seguraaca em a -
goma propriedade : a ver na raa do Quemado
n. 73.
Club Perttamtmcmo.
A partida do orante mez ter lugar na
noite do dia 20.
Furto de cavalosT
Na madrugada de domingo 19 do crreme mez
fartaram se doos cavatlos de estribarla do sobra-
do n. 2 defronle da estancli: nm rodado, alto, os-
sndo, bom passeiro e esquilador, com rautos fer-
ros nos quarlos. O outro rasso com dinas, cau-
da e ps escaros, ferrados uas raaos, com a letra ,
L na coixa esquerda, trota e gatlopea bem. Am- sela,n ^or"ff"**?^ ?!.rc' do 'ue !em "* era
gaz,
Por ordem dos empretaflos S9 previne a lodos o
devedores, quer por apparelhos, quer per consumo,
qna hJi> ite sldaru* deiltos at 30 de setem-
bro prximo, na certeza de que, os qoe o nao flze-
rem, terao i ver as Mas comas entregnes ao pro-
curador, e posio em exeeocao o art. 8* do regula-
ra en to.
Scientilica aiuila a mesma empre/a aos Srs. con-
sumidores, que os registros s podem ser abertos
na fabrica do gaz, sonde ha seuipre pefsoal promp-
to a examina-los com a mxima promptidao, e que,
se lputn for encontrado, nue, n'ontras condK;Beso
haja snl'i, lica por isaj sujeito ao'artigo cima Cita
da ; outro sim, por uessaa de ronfiauca dever ser
comprado o maieiia!, alim de que os preces nao
sortimento de globos, boecaei, chemins e pavios, lavam-se chapus de patba para seu ho-
ra e de-Ohir? para hrrmem e se mformam pelosysema moderno.
Madapoles ios, avariados quasi limpos 70, e de forro limpos a 40.
dem largos' e fieos a 360 re. a vara.
Percates linas com listras gosto moderno
qoidacS;>.
corodo 440 rs. e naeis fazendas em li

ARlfAZEM DE FiZEIDA^
CTffi MI)P,!L
DE
OLYMPIO GONQALVES ROSA
Ra do Livramento n. 14.
O propridario deste estabelecimento faz sriente ao respeitavel publico e aos seus amigos
freguezes, qoe tem aogSientado a sua offleina do alfaiate, e dirigida por um hbil mestre, se ennr-
rega ria fazer com promptidao qualquer eocoramenda, das pes.-oas que quizerem honrar seu estabele-
cimento por precos mais baratos.
Assm como lem um completo sortimento de fazendas finas (as qnaes rrSo sendo cosime pro-
corar as Iojas do Livramento) espera que seus amigos e freguezes o boorem com saas presencas,
pois vende mais barato que outro qualquer.
nos andara bem era cabriole!: qaerh h pegnr os
traga ao sobredito sobrado que ser generosamen-
te recompensado.
Precisa-se alugar una boa cosiohelra, pre-
(erindo-se escrva : a ra da Aurora n. 70.
D-se 1:0000 a juros sobre hypotbeca era
predios que se ache em bom estado : qnem qui-
zer dirija-se a ra da Paz n. 6, que achara' com
preza recebido reriamacoes.
Precisa-se noene-nho P^rps de um homem
kvmu
TM.
No dia 24 de janho protimo passado fagio do
eageaho D'agua, aa riheira do Araripe, nm escra-
to, erioulo, de ame B lehior, com os signaes se-
guiles: estatura regular, reforcado do corpo,
cor prtta retnela, cara larga, denles bem alvos,
semUdOte alugre, peruas arqueadas, mal fllame,
rpr'S-Qt.'odo 22 23 annos de idade. Consta
que <-m andado por varios lugares da cidade do
Recife, e ltimamente pela villa do Cabo. Protaet-, iam.
2?L rirnJtT Al,^gft5i?f-.Tr""". f8ao ioR|eIe ^"o,al9 cercado, banho
seo fnao Caroeiro da Cunta, ou no Rec.fa ao Sr. 8|gado o f Qdo o nfsm0i J da.je nj ^ da
NSo deveodd en continuar a conservar-roe si-
lenciosa acerca de um anoooclo anonymo, que, por'
este Diario, se tem publicado contra o Sr. Aolonio
Francisco dos Santos, com o m insidioso de pre-
venir o julzo; em como sou alneia a urna quesio
qne injustamente contra mim saeitou meu georo
o Sr. Mauoel Pedro Tavares de Noronha, queren-
do fazer crer, qne rae nao defendera a nao
ser por saggestoes do referido Sr. Santos,
venho, pois, declarar qae felizmente gozando
de minbas perfeiUs facaldades, nao preciso
nem de curador, e nem dos ungidos cnidados do
Sr. curioso, ao qoal nao compele saber quem paga-
r as cusas, se eu decahir das embargos oppostos a
um sequemro requerido porque pagas ellas, se
assim fr coudeuiuaJa pelo tribunal quanto
basta.
Delfina Maria de Souza Reis e Silva.
Precisa se alugar um escravo, preto ou para l
do, para o servieo de casa de poaca familia, paga-! Precisa-se noenc^nho ivres de um homem na-
so bem, sendo que tenha bom comp .rtamento ; n- eioa'i eMrangeim.qae tenha pratica oe horie-
travessa da Madre de Deus n. 16. ,e,ro : 'ln"m 1uwr ">iarUr-t* dirija se a ra Di-
^ __......._. ______ reita n. 4, (oe aeh.ra com iinem tratar.
Chapeos de manilha branca i
Ao publico.
Domingos Martins de Barros Mooteiro, despedio
seu caixeiro Victorino Lopes da Costa desde odia
18 do corrente, por immorat e est-llonatarlo, como j
prora com inultas pessoas desta praca com quem i
tem transaccoes commerclaes, e com os apona-;
melos de sua escripia. __
~Amonio FerrTra Pinto Retira-s para Hortu-,
gal levando em soa cump^nhia sua irm'aa Maria
Emilia de Jess Piulo o *eU sobriuno Francisco
Ferrtlra Piato-
Antooio Ferreira Pinto declara que nada de-
ve nesta praca nem fora uella.porm S9 alguem se
julgar sen credor faro favor de apr-.-seolar seos
ltalos de di-bitos na ra do ngel n. 1, seguudo
andar, ou na praca da Independencia n 33 que
puntualmente sero pag"", >lo no espac > de 8 das
a contar de-ta data. Recite 13 de selembro de
1866.
Advoeacia
9
O bacharel Avres Gama mudou o sea
escriplorio de advofidopara a ra larga
do Rosario n. 26.
I )fkPllT*ll?30
n j ,. ., ... Na ra l*rga do Rosario padaria n. 46, ven-
Para evitar duvidas e futuras questSes se derla- fr |el mul0 bjm ba.
: ra em tempo, qoe a parte do sabrado de um andar Z^fZeLn
ae casas ns. 154, 13ii e!53 a' ra1 e soto da rna d* Gloria n. 7 annunciada em lel- P >
Imperial,' com caparidade para um grande eslabe- lo pelo agente Marnns para quarta-feira 19 do i Precisa-se alugar um mdeque de 10 a 12
leeimento de industria : a tratar com J. S. de M. corrente, smente a duodcima pane do mesmo annos : Tuem o trver dirija-se a ra estreita doRo-
Rosa a' raa do Trapihe n. 3*. i sobrado perlencenle a Marcelino Jos Lody. I wrio a. 21, segundo andar.
Na praca da Independencia n. 21 e 26.
lagam-se
mtmmmm
-:s :^a* -^* i^5t
Orlrrece-se uma ama para o servieo ioi roo
d'uma casa de boinem solteirO : quem precisar di-
rija-se a ra do Fugo n. 21.
Irmandade de.Nossa Senho-
ra do Rosario do Corpo
Santo.
Aluga se a casa n. 84 da raa da Seozalla V-lha
para a qual j (em a irmandada alguraas propas-
las, os pretendeoies api asente ao dosm) irmaojuiz
na ra da Cruz n. 38 1 *ndar: hto no praao de 8
das.
Trocam-se
Notas das caixas filiaos do banco do Brasil
praca da Independencia n. 22.
Jo j Mana Ferreira da Caoba. Proles la-se contra
qnaiquer que o baja acoulado.
; casa com bom banheiro techado ichave, aiuga-se
' cada nma de per si Ou juntas por servir para gran
X4H0PE > < BOSQUE

De todos os remedios que se tem deicoberto para a cura da tsica nos seus primeiros rn e at em rauitos casos de antigs molestias pulmonares,, uenhum tem adque-
rido pelos seus bons resultados tanta e to bem merecida populartdade como o Xarope do Bosque do Dr. Motts. Um rdatorio completo e dtrec?oes qae acompaulio cada gar-
rafa, podem sempre rer-se no n. 40, ra de Hospicio.
Os prorietarios do Xat'ope do Bosque offerecem ao publica o seu medicamento como um remedio para deluxes, tosso, tisioa, asthma.hemorragia de saogae, pontadas,
dores de peito, palpitado, coqueluche, brbnchite, dispepsia e molestia do ligado. Ha mais de 19 annos que elle condecido no Brasil, e durante esse periodo poucas pwswsha-
ver que o n5o lenft5o empregdo sem adiar atlivio. Tem provarjo a sua eficacia em casos em que todos os outros remedios havtSo falhado.e os proprietorios crto coaecreociosa-
mente, pelos resultadas obtidos, ser este o melhor remedio que siJ tem dscoberto para semelhanteS molestias.
Qaasi todas1 as pessoas que delre tem feito uso com petseveranca, tem sentido a sua influencia salutfera, e, continuando a emprega-lo, tem obtido uaaa cura radical.
- Pogio ao dia 17 do corrente o escravo de no-, de familia por terem commnnicacJo pelo interior A raz3o obvia, visto qne o Xifope do Bddque composto, segundo os principios da s phtlosopbia medica, visto que ele tem supportado a experiencia de muitos annos, e que
i Kicacio-, de oaeo, sutura alta, idada de mais 'das mesmas: a tratar na raa do Quemado qem. moitos mdicos que estavao prevenidos tfOnlra o uso deste grande remedio tem perdido os seus preconceitos ao preseociarem os seus triumphantes resultados, e que agora o em-
alia anni* >>* t'.it* a a r. t. i .1 tnM.vn rrt K
rea
te SO annns, tem falta de denles, levou am ban
de (olha eom roupas : qaem o pegar, leve-o a' ca-
sa di ra do
detraen, i.
do Bum-ierAim, Bu
volta para o Rosario loja a.
delino.
18 B, da Maia & Lan
Fugio de Hum-arSm, ao dta 29 de agosto, o' .. do Trallifhfl n ii
sararo Jos, de 10 a2i aonos de idade, c6r fola.i ro* w iraP'cne "
estatura regoJir, corpulento, com urna cicatriz as
coctafe. ps grossos e apalhetados, coosla qae an-
dn aesia praca : peda se a's autoridades e capi-
tie> de campo que o prendara e levem a' ra do
O ifimado n. 17, loja do Sr. Carlos de Madeiros, que
recompensar generosamente.
Precisa-se de uro criada : hotel de Frauga,
A tencao
Deseja se fallar com urgencia com o Sr. Fran-
cisco Fernandes de Panas na ra dos Pires n.
56, a negocio qoe nao Ignora.
__ Kugio no dia 16 do correte as 7 horas da
noite, o eseravo Jacintho de naci Casta, eom bas-
tantes alaos ao rosto, estatura tica, meio grosso
edcaos; levoa'vestido calca preta e paletot de
cor. r.napj de n'atha velho, pintado : quem o pe-
Car leve o a rna da Cadeia do Recife n. 10, qae
f*g e porosamente gratificada.______________
Paila no da It para 12 ds corrate o cabra
de oome Liberato, da idade de trila a trila e
ciwc* nanas poaco mais oa menas, altura e corpo
reguUres, mal encarado e desdentado na frente,
u*a 4* tomar rap e entilla se por forra, por an-
ar calcada. Levou catea branca e camisa da mes-
ma tr, chapeo do Cnile e mais alguma ronpa.
Oe>cjnfla se qae nade pelos arrabaldes da cidade :
iseni o segar leve-o em Pora de Portas, ra do
Quera tiver uma casa para alugar em Saota
Aoaa, Card'ireiro, Poco ou Monteiro ou em outro
lugar para poaca familia, dirija se a roa Direila
n. 45; na nesma casa comprarse orna ascrava
moga ou moleqoe, mesmo do mato.
Aluga-se 2 casas muito fraseas eom commo
dos para familia e prego commodo : na Capunga
rna das Crioulas as. 3 e 19 : a tratar oa taberaa
n.27. _______
Na padaria da roa do Rangel precisa-se de
deas trabajadores qoe sejam bem deserabaraga-
gados na tendedeira._________________
Preeisa-se de ama ama par cosinhar em
casa de penca familia : a tratar na ra da Cabagi
n. 1 A.
. Precisa-se de umofflcial de marcineiro para
- fora da provincia : quem sa qnizer contratar dirl-
Plar. rcioacAa de Luiz Antooio Gongalves Peona ia.se orc. 8a Independencia a. l e SI.
A C, que ser aaeompensado. jJ ,,
Uma pessoa qae deseja alcangar o resto de
Kogasa a pessoa que achon nm leogo da
ambraia de linho todo de faovrintho, ao dia das
Ctaxaade-S. PraaCHco, a noite, o favor de o tm-
tregar a ra do Ho na recompeasa-lo, adverttudo se qae o ticdo
dolanf) orno Weo laa^daHcado._______
Ferdea-se'ante-iiMileai aa ordem leroeira de
S. Pranaisea dalas 4a r^oda prau: qajam o
nvsMtt lean a a da * ^^^^gy*0-..^... ->
Precisa-aa.d uau ama para casa de faral-
6Uz sna da ^aaraTrlt n. a?a^grt|ia1ro andar.
Cozinheita.
aa (ioajab/ya no larga do Carpo
(a*o l*i SH-iaaraanenapeitvel
aii4*e ao cana,da ****
tt\ ana nio tan io >Uom com o Sr.
tagarino ^agalnias, ettabela-
cMa oa vslla a% Rlar.( Alagoav).
ioa^olm los Tavatas.
pregaonasua clnica.
Os elementos de que se co poe este xarope sao hervas e raizes, cujas propriedades medicinaes purifico o sangue, vigorao o systema, retorc3oos pulmoes eorgaosdge-
tiros. A su influencia sobre do systema, per lelo da'erfpe :Wracao, toda a materia mrbida nue da origem tsica; faz amadurecer a materia dos abeessos e tubrculos e promore'depois a sua expuisSo do
systema, acalmando ao mesmo tempo as partes irritadas, sarando as lacerafes; regula o ventre sem carecer de auxilio de purgantes, e faz desapparecer a tosse a mais inommo-
da sem oflender o systema, como acontece tom iodos os medicamentos, pilr n5o conter mercurio, opio, nem droga alguma nociva; em uma palera pode ser empbatkaraente de-
nominado o anl| dio* t!*let>s, pdr quanto, i'.oda a vez que empregdo,. iroduz invariavelmente os resultados os mais felizes'do que ootro qualquer remedio, calmando
os padecimentos do enfermo, e restabelecendo, a maior parte dos casos, gracas s suas propriedade salutferas, a saude do doente.
Todo o mundo sabe qoe a tsica orna molestia assustadora, Principia e prognde to insidiosamente, que quando menos se peosa, o polmio nio mais do que um*
massa de ulceras; entao omi exposiglo sbita, pu a mudanc do cilor para o fri, produz uma inflammacSo. e dentro de poucos diasou semanas diz-se qoe a pessoa morreo de uma
rpida consumpc5o, quando na realidada molestia de ba annos ia praifcvindooe seasstragos no polmSo; e por falta de conhecimento dos symptomas da tsica, que poderiao
ter feito descobrir a molestia, s vem a saber-se della qundo a cura nio mais possivel
Por causa de repetidos pedidos, es propriei*rip da abmadp Xarope doBesque resolverlo rander o mesmo ttmberaerameia? garfabs, e porque muitas pessoas (prn-
cipalmente asqueresidem no campo) desejSo cor|i'-er os p^ditios^eftos qu pfodur n doente'ates de coiprarmviim*garrafa inteira, e em casos de ligeiras constipa<;oe&
(que sempre se devem vigiar cuidadosamente, )|>is que em muitoi dasies oasis nem sembr se gastatima garrafa.
Garrafa intfra 5jj(S00

Meiagarraf3#000

Pr*
Sanu
soa liberdade se offerece para ama de todo o ser-
vigo, por ter estado em diversas casas estrangelras
e ter bastante pratica : a pessoa que quitar adian-
tar a pequea quantia qae Iht falta, isto eom ga-
raatia, anouocia para #ar aroc irada.
Precisa-se de um caiielro com pratica de ta-
beraa. qoe ae eoabeciineoto de saa conducta : no
pateo do Tere) n. 141.
m nflUBUBUajl
lia QdwMade de a^ifs
aaariUmos e terrestre*
estabelecida no Rio de Janeiro;
AQWTIS KM rtaNAMBDCO
Aataiia Lili it OBvatra lieveda c G,
competentemente aoterlsados pela dlrec-
toria da compaaai4a segaros Fidelida-
de,tomara segaros de navios, mateado,
ras e prodies ao san escriptorlo raa da
ajana
Os abaixo assignados successores de R. C. Yatesk C, ex-proprietarios do Xarope do Bosque, avisao ao publico que de i.* de julbo de I81S0 em dlaate mudaram
os leitreiros e envoltorios das garrafas e meias garrafas, por causa da grande falsifcalo qne algumas pessoas em sentimentos (bem- conbecidas dos dones) tem feito nesta cidade.
O letriro que est collado as garralas azul com letras e emblema da mesma c6Y, e do envoltorio amarello com letras da C$r de roaiaamelaegarra*s**a *Ib-
trelre qtle est oollavJo, roxo, com'ltra e emblema da mesma cor. e o do- envoltorio verde com letras e emblema da mesma cor.
Todo* os letreiros s3o assignados pelo proprio ponho de H. "Pifas & C.
O papel que serve de envoltorio l branco, tanto das garrafas como das meias garrafas, e tem o, seguinte letreiro em letras de agua :M. Frln* dt C.-tRna ao
HospicioRio de Janeiro -Xarope do Bosque 40 Ra da Hespida.
As garrafas e meias garrafas s5o de vidro de cor es?erdeada,
VNDESE NO DEPOSITO GERAL: RA DO HOSPICIO N 4.
AGENTES
t. PrimiC*
Montifideo, Jos'VentDraGaraicoecha,nwde SaraHdl. W'-
Buenoa-Ayies, Torres & Barton, ra da Defensa ns. 66, 67 e 6.
Babia, Lima Irmloa&G .^ m^.M'MMnM.a n ,
Pernamboco, JoSo da G. Bravo* C., raa da Madre de Deus. n. t.
MaranhJ -co Pereira da Silva Nev*.
!, Ame*** Ttetta frate*,
Porto-Alege, Francisco J6*e Bdlo,
Pelotas, Antero Lei vas,
JaguarSo. Manoel Antonio.
Santa Catliarina, Esta
Laguna, Am
Santos, Jbao Joaquim di I
Nilherohy, Joo Antonio Torr^H
Prrto das Caitas, Couto SouMI
Campos, Joae Yai Correa GtriafRIf
Ivs Ramos.



.-..-i* -.-.-I.
^B^^^PSJS"
TBBaoBP^
ww


Blata* 4* .^^ifcoeo acia a Tetra at de excia.ro de i866.
AGUA FLORIDA
MURRAY & LANMAN
A agua florida de Murray 4 i-anmai d
olhada como um artigo de perfume, nao
tem podido ser igualada pelas preparares
as mais custosas: conserva seu aroma, co-
mo se formasse parte da prenda a que ella
se applica.
Sua eficacia t3o delicada, como elegan-
tes sao seus multiplicados usos, qur seja
empregada como artigo de teucador, qur
M uso do banho, ou como suavisador da
pelie, depois que se ten ha feito a barba;
j para limpar as gengivas ou aromatisar o
balito.
Da suavidade, brilho e elasticidade as
compleices, depois de se ha ver lavado; al-
livia a irritado de erupcoes ordinarias; fai
desappirecer o desagradavel aspecto dos
pannos, das sardas, do rosto, rugas e toda a
casta de ebulices, e d vigor e frescura a
pane onde qner que se appliqoe. Sua efi-
ciencia e elegancia sao igualmente infalli-
veie nos casos em que seja preciso applica-
ia como estimulante e antisptico, nos con-
cursos e assemblas numerosas, as loca-
lidades infeccionadas, na alcova de um en-
fermo, assim como um antidoto excellen-
te para os desmaios causados por cansaco
ou suffocacSo. Preparada nicamente por
Laumao 4 Kemp, Nova York, e a venda por
Caors Barbosa.
Joae da C. Bravo & C.
Deposite geral em Pernamnuco rna da
Cruz n.22 em casa de Caros
facsmile D'Etiquettacor~"uerosaT
100 carlile's
PAISLET
Os Srs. James Carlile, Sons & C, Baokend Mills,
Paisley, Scolland, teein a honra de chamar a atten-
cao dos consumidores de liaba em Dovellos, que el-
les ohliveram medalhas de premie das expoicfes
de Paris e Londres,por Ma- exc.ellentes linhas pa-
ra coser, e qu>, todos os nove los eilus por elles,
para este mercado, tem do lim de cada maco, urna
etiquelta branca, oa qual acha-se gravado o Dome
da firma era ch-io, urna vista da soa fabrica, assim
como deseohos das cima menciooadas medalhas,
que cada novello tem urna etiquetta cor de rosa
com o oamero, e as palavras Carlile's, Paisley, e
iambem, que qoalqoer lioha de Tambour, manda
da a este mercado, trazendo ootraqualqoer etlqaet
la doque cima mencionada, nao de soa propria
fabrica.
Soohall, Mello: S C.onicosagenles em Pernam-
boca
Velior, Soothall & C onico agente na Babia.
Siimnei Power Johoston & LonipanMa
Ruada -enzala .Nova n. 42.
AGENCIA DA
Pnndlcao deLow Moer.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendase meias moendas para engenho,
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho.
Axreiosd. carro para um e dons cavallos.
Reiogios de onro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Quem precisar de urna ama nara casa de pou-
ca familia : dirij'-se a ra da Alegra n. 3.
n>-iiiardiuo da Silva Maia, declara qoe | ara
livrar equvocos assign.ir-e-ha de hoje em diante
Bernardioode Azevedo Pereira Maia.
Precis-se de om pequeo de 10 a 12 annos,
para caixeiro de taberna na irave.sa do Queimado
D. i.
Aluga-Se
0 andar terreo do sobrado n. 26 a roa do Hospi-
cio com acommoda(5Vs para familia pooco nume-
re sa : a tratar no mesmo sobrado.
As Pilulas Catharticas
DE AYER.
O purgante mais efeeax al htje conhtcUo.
Estas pllulu sao paramente rrg-
itars, nao tendo na soa compo-
Bleo nsm mercurio nem outro
Ingrediente mineral; sao Inno-
centes para, as crlaaeaa e pessoas
mais delicadas, ao mesmo lempo
que, rompo* tas como sao de regl-
taes mu fortes, sao bastante acti-
vas e encares para as pessoas mais
robustas.
Eatas pillas catharticas purgao e porifleo todo systema
bumr.no sem mercurio.
Xao c tem poupado trabalho nem despeas para levar estas
pillas a um grao de perfeccao tal, que nada deixa a desejar;
to o resultado de anuos de eatudos laboriosos e constantes.
Para alcancor todas as vantagens que resulta de uso de eathar-
ticos, tem-se combinado saneme a virtud** curativa das
plantas que sao empregadas na eenfecco das pilulas. Sua
composicao i UI que as enormidades que estao ao alcance
de sua aceao, raras veies podem resist las on evad las.
Suas propriedades penetrantes exploro penetro, purifleo e
dio vigor todas as partes de organismo homano ; pols cerrigem
a sua acoo viciada e faz recuperar a sua vltalidade. Urna das
consecuencias dstas propriedades que o doente, abatido de
ilr c dcbilidade physlca, admira-ae de encontrar, tao depressa,
na saudc e energa recuperadas por ineio d' um remedio to
simples e agradavel.
As molestias que esto ao seo alcance sao.
Prizao rfe ventrt JlkeumatUmo, Dr 4a enteca, A Xevralgia,
Biixa'jueca, IiidiftsUo mado estomaga, /ItmorrhoUttis,
PADECIMETOS DO FIQADO,
Ftbre gotro-hepotca, Oattrile, afeares Biliosas Lombrigai,
Erysiptla, Hydrepsia, surdez, eeguira parcial, t Purabjria.
No almanak e Manaal de Saude do Dr. Ayer, qoe se publica
todos os annos para distrlbuleo gratuita, ucontra-se um tra-
tado sobre as diversas deencas que estao ao alcance de
BEBCEDIOa PHQANTEa.
Adiase em todas as Boticos e Drogaras do Imperio.
I
O Peitoral de Cereja
I>E AYEB,
?AsU A PttOstPTA CUBA DA
Angina, de OonstipacoM, Toum, Bouquidao Infla*
easa. Bronohite, Tsica primarla. Tubrculo*
pulmonares, e todaa aa molestias do
Feito, aaaim como par* aliviar
o* ethicoa declarado.
As pri'paraces do Dh. Ates si* vendidas as prineiaae*
atrojarlas c boticas do Imperio.
Vende-se em Pernambuco:
na
CONSULTORIO MUKIRIIMIO
DR PEDRO DE ATT/VHYBE LOBO HOSCOSO.
MEDICO, PAIt rHIKO PBRAUOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundi 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os das das 7 s i.
uoras da manhao, e das 6 e meia s 8 boras da noite, excepgSo dos das santificado
fhurmacia especial homeopathica.
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sormento de carteirat
tobos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos presos seguiDie*.
Carteiras de 12 tubos grandes. 2)J000
> de 24 tubos grandes. 180000
de 36 tubos grandes. 240000
de 48 tudos grandes. 300000
de 60 tubos grandes. 35*000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido qoe se fizer, e com os remediot
qae se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de my"* onca 10000.
Sendo para cima de 12 custarao os precos estabelecidos para as carteiras.
Ha tobos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
A melbor obra da bomeopatbia, o Manual de .Medicina Homeopathico do Dr. JarS
dous grandes volumes com diccionario '........ 200001
Medicina domestica do Dr. ilering........... IQOoO
Repertorio do Dr. Mello Montes............ 60000
Diccionario de termos de medicina........... .30000
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensan por
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios
verdadeiros, enrgicos e duradores: ba tudo do melhor que se pode desejar, globos de
rerdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservarlo, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparaclo, e portaoto a rnaif
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou azer-se-lhe qoalquei
operaco, p;-ra o qne o annuncianle julga-se sufficientemente habilitado.
0 irat^mento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica,
funecionando a casa ha mais de qnatro annos, ha muios pessoas de cojo cenceito se ol
pode duvidar, qae podem ser consultados por aquelles qoe desejarem mandar asm
doentes.
Paga-se 20 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 10560.
Asoperacoes sero previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos preco*
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
TINTURARA
AO GRANDE S. MAURICIO
BOTICA E CONSULTORIO HOMEOPATHICO
00
DR. SABINO 0. L. PINHO.
Ra Nova a. 43.floja de marmore.;
A experiencia tero demonstrado com a inaior evidencia qoe os medicamentos bomeopaibico
preparados por meio do agitador dynamico sao os qae desenvolvem accao mais prompta, mais segara
e mais efflcar.
E' sem dovida pelo conhecimento destes resultados que constantemente recebe esta botica en-
commeadas do Rio Grande do Sol, do Rio de Janeiro e da Hahia, apezar de liavtr nessas provincias
mni nem sortidas e acreditadas boticas,d'onde se poderiam talvez obter remedios mais baratos, atten-
dendo as despetas de porte.
A segundado da accao dos medicamentos assim preparados se manifesta at mesmo qaando os
glbulos se acbam reduzidos a massa.
Boticas de H tubos.....185 a 20*
> de 36 tubos.....55* a 30*
> de 48 tubos.....35* a 40*
> de 60 tubos.....45* a 50*
Caias de medicamentos em glbulos e tiotnras.
De 24 tintaras e 48 tobos. 60* a 70*
. B 36 e 60 tobos. 78* a 8J*
48 > e 88 tnbos. 95* a 100*
P60 e ilOtobos. 115* a 120*
Vende-se igualmente o THESOURO HOMEOPATHICO, obra essencialmente popular pela clareza
com qae easina a conhecer as molestias e a empregr ios remedios (2* edicie) 20*000.
O Dr. Sabino O. L. P. d consultas todos os dias nteis desde II boras da manbia at 2 da tarde.
Das 2 liaras em diante visita os enfermos em seos domicilios.
Em casos urgentes e repentinos as consultas e visitas serao feitas a qoalqoer bora.
As consultas por escripto serao respondidas com a malor brevldade, precedendo sempre o lem-
po necessario para maduro exame e reflexio.
PltOCESSOS A PEltFtl^OAWOS
Tlnglr,! limpar e lastrar a vapor.
F. A. SALINGRE & C.
29 Ra 7 de setembro 29
efronte da roa nava do Otividor (Rio de Janeiro)
Os propietarios deste estabelecimento, o primeiro no seu genero no Brasil, por
trabalbar com as machinas mais aperfeicondas para tingir e lustrar, de que se faz uso na
Europa, eajudados poralgunsdos melhores oliciaes de Paria e Lyo, podem assegu-
rar seos freguezes urna perfeicSo no trabalbo, a qual seno pode ebegar pelos proces-
aos ordinarios.
Tingem, lavam, limpam e demofam com a mai r perfeicSo e brevidade qualquer
qualidade de fazendas, liram nodoas e limpam secco sem molbar as sedas e as vestimen-
tas de senboras e de homens.
i i\a ruado Trapichen. 16
lacham-se os segundes deposita
' fe R. B'nningliausem Nuits.
Bourgogoe.
Vinho Pommard tinto.
Cortn tinto.
Santo Geurges tinto.
CUambertio tinto.
Kirhebobrg tinto.
Clos de Voogeol tinto,
i Cnablls branro.
DeM.A.Wucffm Francfort:
Ikaaq
Gelsenbeimer.
Liebfraumilrh.
Marcobruoner._______________^_^^^^_
Em casa de Tbeod Cbristian piche-novo n. 16, nico geme no norte do Brasrt
de Brandenburg frres, Bordean x, encontrase el-
(ectivamente deposito dos artigo? segointes:
St. Jolieo.
St. Pierre.
Larose.
Ctiateau Loville.
Cbateaa Marcaos.
Graod vin Cbateau Lafltle 186A
Chateau Labtte.
Haut Sauterues.
Cbalean Saoteroes.
Chateau Lataur Blancbe.
Chateau Yqnem.
Cogote era tres qualidades.
Azeite doce. Presos de Bordeaux.
#*
FABRICA MAIO%AIi A VAPOR
99 RA 00 MONDEG0 99
Deposito principal ua roa Nova n. ao loja de relojoelro.
Deloucbe dono deste estabelecimento partecipa ao respeitavel publico que tem
montado urna-machina de fazer gtlo, e que sua fabrica de chocolate peder funccionar
sem nterrupcao, e para mais facilitar aos Srs. compradores de chocolate temorganisado
um servico de carro, que andar em todas as roas da cidade, os compradores podero
chama-lo.
PREgO.
Meia libra......... 400
Urna libra......... 800
Urna arroba....... 19*000
CELO
As pessoas que quizerem gelo para soir ou bailes, podero dar soas encommendas
ao caixeiro da casa, ou na ra Nova n. 50 aonde tem um deposito. As pessoas mora-
doras nos arrabaldes da cidade querendo levar gelo pela manhSa, pot'er5o deixar um
caixao na taberna junto ao portSo da fabrica, que acbarSo na volta suas encommendas
promptas.
Na mesma fabrica fazem-se cadeiras franceza de todas as qualidades, e vende-se mais
barata que aquellas que vem da Europa.
LOJA DA FRAGATA AMAZONAS
N. 5 Ro ti Qurimaffa b, 5*
Monleiro A Guimares parlecipam a todos os seus amigos e freguezes que rece-
bemde coota propria por tolos os vapores da Europa, fareiidas da grande modav e novi-
dades, para grande e pequeo toilete, e bem assim adornos proprios i.ara casamentas; pois
seu correespondeote de Paris. na escocia de taes mercadorias km merecido a approvagSo
das encantadoras Pernambucanas.
Luvas de pelica do afamado Jouvim.
A Fragata acaba de receber pelo vapor francez Eatramadure um rico sortimento
de objectos de gosto, como seja soutembarquer de grs, ricamente bordados e de urna
elegancia tal que asExuns. senhoras que os tem visto, n5o lem deixado de comprar;
cortes de seda para todos os precos, fo.lard de seda em orles de mui lindos padroes,
grosdenaple de todos as cores, lazenda superior e das cores seguintes azul, claro escuro,
verde francez, branco, tiavana, violeta.
L^qes de madrederola o melor possivel.
dem de sndalo tambem novidae.
Mei-s de seda para crianey.
dem para senhora.
dem de Laya para sacerdote.
Chapeos de palha enfeitados para senhora.
Rotondas de seda (fazenda chique.)
Chapeos de de seda para senhora.
Ci tos o mais moderno possivel.
Cbapel'nhas enfeitadas para senhora.
Cortinados bordados finos.
Colchas de fi'.issimo damasco de feda.
Saias Maria Pa, com barras coloridas-
Pecas de ntremelos bordados.
Tiras bordadas, com diflerenles larguras.
Tra sparentes para janellas com mui lindas paisagens.
Aderecosde cristal o m is moderno possivel.
Ricos vestuarios bordados para baptizado.
Cosiros bordados pra crianga.
Enfeites para coque; o m lhor possivel.
Manguitos e gollas bordados para seuhora.
liales de arcos e musselina.
Tdalhas bordadas de cambria de linho.
Fronhas idem dem.
Lencos dem idem. ,-
Bramantes de linho etc.
VIDENTE
Sociedade porlugUMa de seguros muaos sobre a(>ida,foolada e
admiuistrada pelo
BANCO ALLIANCA DO PORTO.
Todo o pai que desejar acautelar o futuro de seus filbos dev,e qanto antes
azer inscrever os seus nomes na lista dos socios daPrevidentepor que, com urna'
pequea quanlia que, todos os annos para all fr aj'plicsndo, tirada do 'rudo das suas
economas, no fim de 25 annos alcangar-lhes-ha tima fortona, que por netihum outro
meio e com to equeno desembobo potk-ni oble .
Os eiemplos praticos de oulras sociedades anlogas tem mostrado que:
Joao da Silva Ramos, medico I
pela universidade de Coimbra, d M
consultas em sua casa das 9 as
11 horas da manhla, e das 4 as 6
da tarde. Visita os doentes em soas,
casas regularmente as horas para
isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que ser3o soccorridos em
qualquer occasiZo. Di consullas aos
pobres que o procuraren) no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
manhla,
Tem sua casa de sade regular-
mente montada para receber qual-
quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e neila pratica qualquer
opperaclo cirurgica.
Para a casa de sa'de.
I Primera casse. .35000 diarios.
Segnd:, dita.... 30500
Tenoira dita. ..10000
Este estabelecimento j bem
s acreditado pales bons servidos que
i tem prestado.
| 0 proprietari espera que elle
[ continu a merecer a confianza de
qae sempre tem gozado.
gj{ O Dr. Carollno Francisco de Lima San- Tt
t tos contina a morar na roa do Impera-
der n. 17, segando andar, tendo alias seo *K
gabinete de consultas medicas, logo ao 3
entrar, no primeiro. 55
0 mesmo doator, qae se tem dado ao I
estado tanto das operacSes como das mo- AS
(estias internas, presta-se a qualquer cha- S
mado, qaer para dentro qaer para fra M
da cidade. Mf
lUOyUU pidos atiiiualmi'iiie i diiit produzir
Por um menino de
de
> de
de
de
l
dia a I anno.
1 a 2 annts
2 a 3 ____
3 a 4 -------
4 a 15 > .....
Por urna pessoa de 15 a 20 annc ...
de 20 a 30 .....
de 30 a 40 .....
de 40 a 50 .....
Km o an-
nos.
Em 10
annos.
Em <5
annos,
Em 20 an
nos.
Em 23 i
nos.
n-
O NOVO DESTINO
DO'
3
PHARMACIE FRANCA!'
deP.MAUREIUC
RA NOVA ti0.'
v
23 Largo do Terco 23.
Sortimento completo dos melhores e mais bem escolheidos gneros pertencentes
a molhados; o proprialario deste bem conhecido arna2em de molbadc s denominado Con-
servativo participa aos amigos do bora e barato, tanto desta praca como do mato, que ve-
nhao comprar aprimeira vez para vert-m a grande differenca que ha dos generes com-
prados em outra qualquer parte, garantindo-se a superior qualidade de qualquer gene-
ro sabido deste estabelecimento.
i Caf de I. e 2 a sorte a 240 e 200 rs. a libra, e a 6,5 e 1& por arroba.
jQueijos do reino dedivenos xapores a 2o"2nO, 2)5000 e I5800,
J Manteiga ingleza flor mandada vir por ernta propria a 800, 900 e \& rs. a libra,
dem franceza de I." qualidade a 560 e 600 rs. libra,
Sah3o amarello maja de 1.a, 2.a e 3.a sorte a 240 220 e 200 rs. a libra.
Vinho de diversas marcas J A-A o B & F. a 400 e 500 rs. a garrafa e 30500 caada.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa e a 4)5500 a caada ou 34000 o gallo.
Vinbo branco de superior qualidade a 640 rs. a garrafa, e a 40 e 4)5500 a caada,
ttolachinha de soda de diversos gostos a 46200 2*5000 a lata.
, Cha miudinlio de superior qualidade a 2*5700 a libra.
, Jdetn para negi.cio a 16800, 2*5'-e 24?.00 a vista faz ti.
i Bania de porco refinada omito alva a 560 e em barril a 500 rs. a libra.
i Pbosforos do gaz a 2<5-'00 a gross e 200 rs. em maco.
Sevada rautto nova a {60 rs. a libra, em porcSo se far abatimento.
. Frasqueiras com genebra de Hollacda a 6)5000 e 540 rs. um frasco.
] Ceneja de diversas marcas a 500 e 500 rs. e ^SOOO e 66000 dua.
E 'lera destes eneros ha oulros muitos. assim como: arroz, batatas, macas, para
sopo, passa?, cominhos, erva dore, alhos, fumo, feijio, e ontros muitos que oBfadonho]
seria men iona lo.s. adinheiro a vista.
I.OO0 4.0000 9:OO0 2O:OOf0 47:000?
9000 3.OHO0 7:5 00 17:0000 37:0000
8600 2:9000 7:2000 ,6:0000 35:0000
8600 2:8"O0 7:1000 15:6000 34:0000
8600 2:7dO0 7:fOO0 I5:5Of'0 33:3000
8600 2:7000 7:0000 !5:4O0 33:3000
8600 2:7(tO0 7:1004 15:60(0 34:0000
8600 -*:7OO0 7:O<'0 16:0(00 37:0000
9000 3:0000 7:oOO0 18:0000 50:0000
Admittem-se subscripc5es annuaes de 80 para cima.
Quem pretender subscrever para a Previdente ou desejar quaesquer esclareci-
mentos e informaces, pode dirigir-se sua direcc3o, no banco Allianca, estabelecido na
ra Bellomonte, ou a Jos Ferreira Montinho. inspector geral da mesma sociedade, mo-
rador na ra da Fabrica do Tabaco n 1, no Porto, e aos agentes do mesmo banco e
sociedade na capital e provincia, que tambem dar"o prospecto gratis a quem os pedir.
Achando-se de nassagem nesla cidade o inspector geral da referida sociedade,
promptifica-se, durante o pouco terapoque aqu tem de demorar-se, a daros esclareci-
mentos que se lhepedirem, todos os dias at as 10 horas da raanhia amada Cruzn.
1, emeasa do Illm. Sr. Antonio Luiz de Oliveira Azevedo, onde se acha hospedado.
_
Fundas hemiarias
Electro- medicaes
Emprrgando-se en sub coxa e
nao sahlado do logar
PARA
Ligar perfeiumeate e curar radicalmente as
quebraduras.
Deposito, roa de tWario larga n. 10, junto ao
quartel de polica, botica de Pinto & C.
gnr** BBBSBME
|H O Dr. (.a. lao Xavier Pereira de Itrito
medico, contina a residir na praca da 2
Boa-Vista n. 23, onde pode ser procura- H
do para os misteres de sua orobVo. D SB
m consultas todos os dias das 6 as 9 horas e
M meia da roaoha, presta se a ver qual- MB
? quer doente fora desta cidade, e continua ~
f a fazer sua especialidade em partos. Wt
mmwM'MXM mmm **mm
Precisa-sede um caixeiro para aiodar outro
em orna nadara : a tratar na fabrica de padaria a
vapor na praga da Santa Cruzn.6.
J. .Huiider.
De volta de sua viajera a cort do imperio, avi-
sa aos seos amigos freguezes e amgus, que abri
a sua ofUeina de aifaiate a ra da Cruz n. 84 !
anrtar, aoode com toda a pericia executa' os tra-
balhos de sua arte.
Alugarse
Urna casa em Bebenbe : a tratar com J. S. de
M. Reg, a ra do Trapiche n. 34.
Uro rapaz de boro coraporiamenio uerece.-,e
para caixeiro de cobraba ou de as fiador a sua conducta ; a tratar na travessa
Concordia n. 61
Precisa se alugar urna ama forra ou escrava,
qne engommebeni para orna f ra da Cadeia o. bi 3* andar.
Copeiro.
Precisa se"de um Lora copeiro : na tua larga do
Rosario n, 37, hotel Traviata.
Camino & Nogueira sacara sobre o
Porto e Lisboa : na ra do Apollo n. 20.
A ni a
A NACIONAL -
Companhia. geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO l)E 21 DEDEZEMBRO DE 1859
[' laica en dioheire, depositado nos eofres do estado, garante a boa ad-
miiistraco da companhia.
BANQUR1BOS BA COMPANHIA* DIRECgO GERAL
O Banco de Hespanba Madrid: B.na do Prado is
Esta companhia liga pele systema rautno todas as coinbinares de supervivencia dos seg-
os sabr a vida.
Nella pode se taxer 2 subscrfpcao de maneir qoe em nenbum caso mesmo por morto do
segurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao tao suprehendentes os resultados que produzem as societfoi|s da ndole deA NACIO-
NAL,que ainda mesao dimlnuindo urna terca parte do interese produtrdo em recentes liqulda-
cOeaecombinando-flcom a mortalidade da tabella de Depareleax qne adoptada pela comoaahla
Sara seus clculos e liquidacSes, em segurados a> idade de3at9annos, amaimposicoanosM.
11000 produjera eflfeclivo metlico: Y ST
No fim de 5 annos. ...... i 1191300
de 10 s.......3:941,1600
> de 15........ll:t081S00
de M f.' 305*000
. Has idades menores de 3 annos e maiores 4e 30, os producios sao mais consideraveis.
.Prospeet* e ta*H informaces serao prstate pelo sob-dlrertor nesta provincia.
Fia tVOUtaira, ra da Cadeia n. Si, "fl Btl Y'lll ctiAjUiffiliMatrizlD. 13, estafas
anto dos Srs. RavmuDdqHKII ffg *
Precisa-se de urna ama para coriohar e comprar
para casa de bomem soiteiro: na roa do Qoeima-
do n. 30, loja._________-
Na praca da independencia n. 33, loja de
oarives. comprare ouro, prau, e podras preciosas,
e tambem se faz qualquer obra de enccmmenda, e
loe uoalouer concert. ______
Precisa-se de dous amassadores : Ba roa lar-
ga do Rosario n. 46.
Artistas.
Na roa Nova n. 38, precisa se de otficiaes de la-
toeiro e raldeireiro qae sejaro peritos.
Vamos ao bom e oarato
Na roa d S. B,in Jesi das Crsoulas cosiona-se
todas as qualioades de comidas para fora com mul-
to asseio e perfeico. pt.r oree* mu i lo oraoiodo :
aa pessoas que qnHeiem dirijm se a dita casa nu-
mero 38.
Precisa-se de uma ama par servia de ca-
a: na raa da Sentaja Vellia n. I i, 3* andar.
Avisa i ni portal te
Deseja-se saber se txisle nesta provincia o Sr.
Valerio Jos de A2evedo natural da IHia de S. Jor-
ge, a negocio de rouito interesse de sua familia :
a fallar na ra Nova n. 6 om Joaquim Jos de
Bri) ou annuncie aonde deve ser procurado.__
MARTIMOS
CONTRA FO0.
A companhia Indemniaadora, esiabeleci-
i nesu praca. totd^^^^^Kgaos tr-
ore navios e seus .nir^i
rogo ena ediflcios, taercadi -.obilia:
oa roa-arjgario n. 4. pavimento rrrec.
t

'\

i

4 1


iin fe ci-naaobti marta fclra t*tee(emt>ro d<
I8>6.
-~
/
CASA DA FORTUNA.
Aos 6:000,5000.
Hilhetes garantliloe.
A' RA DO CRESPO N. 23 ECASAS DO COSTUME
O abano assignado venden dos seus multo feli-
'es runeles garantidos da lotera que Sfl ac bou
de extrahir a beneficio da colonisaco polaca, os
seguinies premios :
N. 1970 Uous quarius com a serte de 6:000*.
E uutras rouitas surtes de 1003, 404 e 201.
Os possuidores podem vr receber seus respec-
tivos prviLios sem os descoutus das leis na casa
da Fortuna a' roa do Crespo n. 23.
Aclum-se a venda os. da 24" parle da lotera
(83), a beneficio das familias doi volotarios da
patria, que se'extrahira* sexla-feira 21 do cor-
rele.
Pre<.
Bilhetes------___ 6J0O0
Meios............ 3*000
Quartos.......... 14300
Para as pessoas que eomprarem de 100^000
pira eiai.
Bilhetes.......... 54500
Meios............ 2*750
Qaartos.......... 14375
Maooel Mariios Piuza.
**:** **********

8 Mudanza de residencia.
Giaude liquidadlo
1SIVAL SLJ1 SEGUNDO
Roa do <|aelaJ a. 4, lo Ja de de
-i-*** FAZENDAS BARATAS
lori Bigodinh wa*?S'
trt)Dttaua a queimar ludo iioanio tem em sea es-1
ahelea ti.t-nto.
Arara
DE
O Dh. Ramaug medico-operador e
oculista, formado pela Faculdade de medi-
cina de Pars e approvado pela da cabla,
<< rnembro titular da Academia Imperial
de medicina au Rio de Janeiro, transeno
a sua residencia do n 23 da ra da Crox
para o d. 23 da mes roa roa, onde contina
a exercersoa proflssao, especialmente as
molestias de olbos, de ouvidos e das ras
urinarias : mudou larohem a hora das
suas consultas, que terso lugar todo* 08
das, das 6 a's 10 oras da masis.
Chamados por escrlpio na sopradita ca-
sa, ra da Cruz n. 23.
m
m
V
mw.m *#**** **a
nico deposito de louca do
Barbalho no Obo.
Pal do Terco n. 12.
Grande sortimento de qoartiobas de todas as
qoalidadei, ditas para meninos, garrafas grandes
e pequeas, ditas para meninos, vasos para plan-
lar Aires proprios para vara odas e jardins, jarras
bordadas Boas, jan des para 5 canecos d'agoa, po-
tes para i l|2 caneco d'agua, resfriaderas, mu
rlngues, tem mais om grande sortimento de louca
vidrada, canos tanto vidrados como por vidrsr, o
melhor que ha oeste genere; encsrregase de
qualquer encommenda qae Ibeseja feitt, asamos-
tras esto no pateo do Terco n. II, iodo isto
vendido por menos do qae ero outra paite,por ser
s qoem recebe toda a louca feita na otaria do
Barbalho no Cabo.
Pede-se ao Sr. Feliciano do Reg Barros qae
veoba pagar, o qae tomou emprestado : na roa do
Padre Floriano o. i i, segundo aooar.________
ATTKICAO.
Um crioulo maior de 4o annos, se oftere-
ce para compras, mandados, e oulros ser-
vicos proprios de criado, trata sena travessa.
da ra Imperial, ou ra Azul n. 9.
Paga-se 234 meosaes pelo aluguel de urna
escrava para carregar faxeodas e 204 .--ndo escra-
io, podendo este dormir era casa de sen senbor :
na ra do Hospicio n. 62.
Silabarios rom estampa* para meninos a 320 rs.
As mittdVji abreviadas a 14500.
Memento da roupa d lavar a I(K) is.
uruiha da doutrioa chnsiaajiiOrs.
J1'" caminas para meninos a 160 r*.
Dunas de n-ieUs tnuttn finas para senhora a 4jC0.
Dius brancas e croas paia bon.em a 34 e 44.
Agulhas fraocetas a balo (papel) a 00 rs.
Pedras de lonsa (pequeas) muito finas a 160 rs.
I ares de sapaios de tranca e tapete a 45C0.
Pecas de fita de ia de ledas as cores a 600 rs.
brozas de boldesfle porcelana puteados a 18tirs.
Ditas de ditos de madreperola raoito finos a 600
ris.
Canas com colcbetes francezes a 20 e 60 rs.
Uuzas de colche tes de ferro em cario a 40 rs.
Oalias com alOoeites trnceles a 80 rs.
Canas de 100 eovelopes mnito unos a 600 rs.
Pares de sapalos de la para meoinos a 400 rs.
Pregos franceses de todos os tamsnhos (libra) 20
reis.
Resma de papel da peto branco liso a 24.
Frasco com superior unta a 100 rs.
(rosas de phosphoros de gaz a 24200
Pares de boioes de pocho multo bonitos a 120 rs.
LbM em cario de 200 jardas a 100.
n ** soPerior linba do gaz com 50 novellos a
00 rs.
Caixas de pos de arros muito fino a 800 rs.
roiceiras de conta para meninas a 320 rs.
Talberes para meninos a 240 rs.
Catxa eom superiores (seas para charutos a 20 rs.
aseo eom superiores grampos a 30 rs.
Grosas de pennas de a50 muito finas a 320 rs.
Bunets para meninas a 14.
Pentes com costa de metal a 400 rs.
Canaibos compndos e redondos a 500 rs.
Caixas com superior papel smisade a 600 rs.
Realejos para meninos a 100 rs.
CAL HE LISBOA
da mais nova e superior : vende-se mais barato
do que ero oolra qualquer parte, no largo db Cor-
po Saino n. 19, escriplorio de Maooel Ignacio de
Olivetra & Fiiho.
1" ...... 111
COMPRAS
Oiiro e prata.
Em obras velhas : compra-se na praca. da Id
dependeocio o. 22. loja de bilhetes.
Compra-se ouru, prata e pedras preeir
em obras velhas : na ra da Cadeta do liecik
cja de ourives no arco da Cooceicao.
Compram-se libras sterliuas : na praca da
Independencia n. 22.
Compram se moedas
Crespo n.'16, andar.
de 204 : oa ra do
Compra-se
libras sterlinas : na praca da Independencia ti. 22
Garrafas vazias.
francezas e ioglezas
Comprase garrafas
ra do Sebo o. 33.
na

Gota ara-se
orna mohilia de Jacaranda em bum estado : quem
ti ver dirija se a roa da Praia o. 61. .
LIBRAS.
Compra-se libras esterlioas: oa ra da Cruz o.
I, eseripiorio de Antonio Luiz Martins de Ate-
vedo.
Compram-se diarios para embrulbo a 34 a
arroba: na ra Direita o. 13. fabrica de (garres.
VENDAS
Vende-te na linaria n. 8 da praca da
Independencia : Vatel, 'droit des gens, deus
volumes 4000 cada exemplar ; Martens,
manuel diplomatique, um volume, 20000
o dito ; Danjon, des prissons, um volume,
OtOo dito ; H. Blair, rhetorique, dous
volumes. 2* 00 o dito ; Gall, fonctioos
du cerveau, seis volumes, UOOO o dito ;
Ferreira Borges, Economa Poltica, um vo-
lume, 2rJ0OO o dito ; Fieldings, Tom Jo-
nes, dous volumes, 40000 o dito; Reper-
torio das Ordenacoes, quatro volumes,
100000*0 dito ; Ravoux, des conflits, dous
volumes, 4??000 o dito.
Veode-se duas escravasui talas sendo urna
de 3'.' aooos com urna linda cria de 8 annos e com
todas as habilidades e a oolra s cosinheira e la-
vadelra : aa ra do Alecrim casa onde morn o
Sr. Penlo. ____________________
lllima motl de l'aris
Chegaram no. paquete Extremadme, enfeiles
mnito lindos formando cokes de diversos modelos :
s se vendero na ra doQueimado o. 63, na bem
conherida loja do Beija Plor.
Ve dem-se doos escravos um mulato claro,
marcineiro, idade de 30 annos pnuco mal ou me-
os, e ootro cabra escuro, sem offlcio, idade de 20
annos. ambos sadios e de bom coroporumeulo : a
tratar na ra das Cruzes n. II.
ZM
Exivtem algans birris do soierior vinho do Pwr-
lo particular (qoe se d*' a provar), nelo barato
pr.co de 354000 a ancorela, ist porque o dono
qoer liquidar: na roa da Cadeia n. 33, armazem
de Ferreira & Maibeus.
Mtengo.
Vende-se a taberna da roa da Santa Cruz a. ti
bem afreguezada, para lerrAsP* ser no principio
da fjrac.i do mercr.o da rlbelra da Hoa-Vfsa : ga-
rante-^e as chaves a Hadar na mesma ran. 7.BJ
ff> Veads'-se orna preta crioH, de 28 armes,
com duas cria? flihq da mesml, senduma' m'uia-
tinha de (res annos e urna moj jue de mes e mel.
A prea coxinha. engoma e cose cbi; omito
robusta e da ex/ell-nie conducyi : a tratar na ra
du Fr'jto n. 9. Na m.-ma Asa ha cotras mais qoe
se mostrarn.
Vende-se urna casa no Pogo da Paella|na
roa do Rio o. 16. en .)rn 2 alv, 3
quartos, cuiinlia fura, o quintal airavtssa de orna
roa a oatra o qual fl murado ha poned, Iodo o
Wrri > ft ar eom qoem prelender: oa roa dj
Ar.'-jo n. 8.
Wa3
Novo sortimento de Invas de Jonvin braocas,
tretas e das mais importantes cores da actoal mo-
da da Pars, chegadas pelo vapor francez de 12 do
correte, a ellas em qoanto e-io frescas e surti-
das : oa loja do vapor ra Nova n. 7.
CABRIOLET
Vende-se um cabriolet de duas rodas, bem r-
reiado e qoasi novo : para ver e tratar na travs-
sa do Unvidor n. 12 A, cocheira. ______
Yende-se
excedente taboado de assoalho de aroarello em
cortes de 12 l|S palmos, proprios para portas : na
ra dos Pescadores n. 5.
Descoberta
O ceracio de ours n. 2 D ra do Cabug, rece-
ben pelo vapor francez oltimo om rico sortimento
de joias de novo nos to e se acha a venda no mes-
mo estabeleciroento, o aproveitar urgente.
hwmk
Vende-se superior vinho de Lisboa em
bar i de 5o, de urna nova marca prepara-
da particularmente para o nosso clima, por
conter urna pequea quantidade de aleool'
com paladar macio eagradavel. U'pteco e
comm 1'o que muito convir aos prelen-
dPi'-s, arua da Cadeia escriptorto n. 49.
Callares
Superior e verdadeiro vinho Collares da
bem conhecida marca Dpjante & C, em
caixas de 2 duzias de garrafas.
Os apreciadores desta exceltente qnalida-
de de vinho o acha rio no nico deposito a
ra da Cadeia n. 49.
PORTO
Vinho do Porto engarrafado :
Rainha Esiephania garrafa .1&(>00.
Lagrima Christy garrafa 34(00.
Malv^io garrafa 24300.
Postwnn (arrafa 24300.
Porto engarrafado a 24, IJoOO, 15, 800 e 640
garrafa.
Rtia Nova o. 60, arrnazem da L'
L1turp1.ro Tettlra Mcndes Guimaies
Chitas 2t)0 rs. o covado.
Vende-se ihna. linas |i 'eslidos a 200 e 240
ri.- n.vado, corte* >ie 10 U cavados a 24000
e 24tn). Ra da Jn perariz leja 'U Arara n. 86.
Madapolo francez a 400 a vara.
Vende-se pecas de nudajfl Io fiancez de 24 va-
ras a 400 rs. a vaia ditas em ptea a 94600 e I0.
Ra da Imperairlr lija da Arara n. 56.
Algudosinlio da Arara a 30.
Vende-se prcas de algodo.-iiiho a 30, 44. 30,
64, 74 e 84; assim como se vende pecas de ma-
d*polo de 12 Jardas a 44- Roa da Imperatrix
D. 36.
Arara vende as colchas a 20.
Veode-se colchas de lisias para cama a 24, ditas
de damasco a 44, ditas de fuslan a 64. Ra da
imperatrix o. 56.
Madapolo da Arara a 30500.
Vende-se pcas de madapolo eofestado a 3/500
44, ditas de 24 jardas a 44, 54, 64, 74, 84 e 104.
Ra da Ircperatriz n. 56.
Chitas francezes a 240.
Vende-se chitas fraocezas a 240, 280, 320 e OO
rs. o covado. Roa da Imperatrix loja da Arara
o. 36.
Uasinhas da Arara a 200.
Vende-se laatioha* para vestidos a 200,240,320,
400 e 500 rs. a covado. Ra da Imperatrix loja
n. 56.
Arara vende cortes de calca a 10120.
Veode-se corles de calca para homem a 14120
e 14600, ditos de casseroi a de cores coro pequeo
toque de mofo a 24 e 24300. liua da Imp-ratriz
n. 56.
Mugambique de coj.es a 500.
Vende se mneambiques de cores com palmas do
seda para vestidos, faxeoda nova a 500 rs. o cova-
do, lasmhas novas estampadas e boa a 400 e 320.
Roa da Imperatnz o. 56.
Ltnt;os blancos a 20.
Vende-se pecas de It-oco branco a 24, ditos d.-
cores a 34, ditos de linho a 54 a dozia. Roa da
Imperalriz n. 56.
Bramante a 20500.
Vende-se bramante de linho eom 10 palmos de
largura a 24500 e 26(0 a vara.-Ra da Impera-
trix o. 56.
Arara vende a 30.
Vedde-se cortes de cassa de papel para vestido
a i, ditos de cambraia de cores e barras a 34 e
34600, res de larlatana aterios a 30 e 30500
ditos de cambraia bordada a 30. Roa da Impera-
tnz o. 56.
Arara vende fazenda para lulo a i4(\
Veode-se liasinha prela para luto a 440 e 500
rs. o corado, ditas pfetis a 200 rs., ditas largas a
320 rs. caasas pretas 320 e 360 rs. o cova0, al
paea prela a 500,640, 800 e 10 o covado. Ra da
Imperatrix n. 56.
Roupa fe i la nacional.
Veode-se fraques ae alpaca mnito fino a 5, di-
tos de casemlra a 94 e 104, paliMs inglces de
asemiras de cores a 14 e 160, palitots He panno
preto a 34, 84 e 104, ditos de brim a 14 e 35, cal-
cas escuras a 64, 74 e 84, coletes de casemira a
34500 e 44 outras muitas obras que se vende
muito barato para apurar dinlieiro, tambem se
manda fxer qualquer obra por medida. Ruada
Imperalriz n. 56.
Arara vende os bales a 20000.
Vende-se bales de arcos a 20, ?4300,34,34500
e 44, ditos safas azuladas paca seuhora a 60 e 7.
Roa da Imperatrix n. 36.
Os oitomil covados demucambique.
Vende-se' mucambiques para vestido fazenda
nova com palmas d; seda por ser grande porcao
se vende a 500 rs. para liquidar depressa. Ra
da Imperalriz n. 56.
Os mil cortes decambr.-'-ias e tarlatanas.
Vende-se corles de cambraia com barras e cores
e tarlatanas a 30, 30500 e 44- Ra da Impera-
lriz o. 56.
Os seis mil covados de la estampada a
400 rs.
Vende-se urna grande porcao de lia e>lampada
para vestidos a 400 rs. s para acabar. Roa da
Imperalriz o. 56.
Os dous mil cortes de casemira para caiga.
Veod-se corles de casemira pata calca de co
res e preta, por ser graode porcao se vende poi
44300 e 54. S oa loja da Arara, e oolras muitas
fazindas que se vende por preco o mais barato
que possivel. Ra da Imperatrix loja da Arara
o. 56.
L'sa.
Venda de um armazem
Vende-se o armaren) da roa do Brum n. 64, de
accordo com os hypethecarios, meeiro nos oites
do predio junto pertencente tv Srs. Bailar Oii
veira e. com fundos ai o caes de Apollo e com lo-
do o trave.amento para quem qoizer levantar so-
brado^__________
Potassa da Russia
a 260 rs. a libra.
muito nova e de superior qualidade : vende se no
escriptorio de Maooel Igoaeio de Uliveira & Filho,
largo do Corpo Sa-.to o. 19.
Grande liquidado de bis-
ooutos ingl'.zes
admira latas com principe Alberto a 10300, ditas
rom bolachiohas parolas de 2, 4, 6 e 10 libias a
14500. 2fl400, 34 e 50500, ditas com mixJde, oval,
victoria, crenle, cracnel. leraon e outras murtas
mateas a 10 : isto s na Liga roa No"a o. 60.
Vende-se oualugra-se
a casa que rol do fallecido Xislo Vieira Coelho, no
logar do Monteiro a margen do rio Capibaribe,
com bastante terreno e urna excell -rite baixa para
capim: a tratar oa ra do Crespo loja da esuuioa
o. 8.
pTtPEL DE PUSO
Branco, pautado, qualidade superior.
Resma 3Jfa>00.
NA LIVRARIA FRANCEZA
RA DO CRESPO N. 9.
VEMIE-SI MW
Cliamiiis para caurliciros.
Cada oro a 280, 320 e 460 rs.
Gaz verdadeiro arnerirauj em garrafas a,440 rs.,
em laias de um galio a 24400, de doos gales a
44600. de cinco aloes a 4o08
Candieirus americanos e soissos de lodos os ta-
mant'.os e presos.
Faz-e qualqoer coocerto tendente .a candiciros.
Tambem se alogam lu-ires o arandelas a gax e
globes a vela.
Todo por coramodo prrc>, s no grande estabe-
leclmentode roiude.zas, quinquilharias e ferrageos,
ra Nova 28, de Seuia Soarrs 4 Irroo.
Cyndros para pTidaria"
Na iiaaria da ra Direita
o. 84, ha u more para vender
av.r nuil
uhectt:os
i' pn co os
acreditados
'adral americanos para
r-flfll.Ot
co-
Chapeos de padre e para se-
nhera e meninos.
Veo' bordajes para chapeos de seuboras.
Veodem-se na loja de mindezas: a ra do Quei-
mado n. 16.
rentes dnurados trnressas pata m.niuag.
Na li.ja de miudess: a: roa ao Qutimadn n. 16
vendem se bonitos pentes dourados para meninas,
tendo enfeilados com aljofares e pedra.
Laa fina para bordar, novo e bonito sorlimnite de
cores viras.
Vende-se na loja de miodezas a' rita do Quei-
mado n. 16.
Bonitas caxinhas com msica e sera ella.
Na loja de mindezas a' ra do Queimado n. 16,
veodem-se bonitas caxiohas com msica, e stin el-
la, e indas com arranjos para costura, e por precos
lio commodosfqae o comprador nao lera' qoe exl-
lar.
Para mentara, superiores lavas canursa amarel-
las e brancas.
Vendem-se na loja de miudezas : a' ra do Quei-
mado n. 16.
Enfeiies crespo-, e oulros do ultimo gosto.
A luja de mindpzas, a' ros do Queimado n. 16,
receben bonitos enfeiies crespos, o que de n elboi
tem viudo nesse geoero ; assim como outros mo
dernissimos com litas, bicos e alj..lares, obra de
muito gosto proprios para bailes, theatros, passeio
etc. os pretendenles qoe se dingirero a' loja de
miudezas. a' ra do Queimado o. 16, gostaro de
comprar lilo boas obras, e por precos razoaveis.
Bom papel pequeo e euvelopes.
A hija de miudezas| a' ra do Queimado o. 16,
esta' bem provida de papel de todas as qoalidades,
sendo: almasso, greve, liso, e pautado com 33 li-
nhas. dito de peso tambem liso e pautado, dito em
caxiBbas. sendo : liso, pautado, de quadrinhos de
cores, de beira dourada, o tarjado de preto; assim
como eovelopes proprios para esses papis : os
pretndenos que e dirijam a' dita loja, a' ra do
Queimado n. 16, que serio beiu servidos pela boa
qualidade. de papel, e commodidade dos pracos.
Superior fila encarnada e cbatnalalada por aabos
os lados, prepria para carias de hachareis, e
a rmaedade do Boa CMselh*.
Veode->e essa superior fila na loja de miudezas:
oa roa do Qneimade n. 16.
eros e bonitos cintos para seohoras,
Na roa do (jueimado loja de miudezas n. 16,
vendem se novos e bonitos cintos para senhoras,
Tintura inglesa para-faxcr os cabelles caichis.
A apreciavel tintura bem oonbeeida por Holld
Water, a apm-iav. I de L. Marques, e a apreciav.il
de Chr. rr.icorne : vendera-se na ra do Queimado,
loja de miudezas o. 16.
------------- -----------------,-----------
DeposUo de p e ees-
tas
Hua larga do Rosario n. 36.
A este e>labelpciment acaba de chegar a 3* re-
roessa do correle ann-.a qual consiste em bercos
de palha paracreancas, berciuh.s para bonecas,
balaim para meninos aorender a and'.r, ditos de
gesta branca e de vime de cores para costara, di
tos para depsito de palpel rasgado nos escripto-
rius, Jilos para depoito de roopa suja, dilos de di-
versas eres e formatos para todos os u.vsteres de
caa de familia, ditos de pe para fructas sobre a
roes?, .Jip,< (lra. tlnhos de cata/io/.rfofdiciohas
""ir? l sgafai4iwini, europrdos e ridnodus grada,
cooitecas alias e baixai gradoada=, bandeja:
vime para roopa eogommada e floree, cestas de ar-
co grande e pequeas para compra, maracas de
palha, grades para pegar pereevejes; unirs mul-
tar hrat de pata, gesta vime, b rn como p-
timo fie senle Ha mtnnaa a tarde bola-
rtia de varios lamanh >s e fetio, magas doces
preheodendo araruti, e brseeHe* non frt Do oWffl gosto de Bfj.; as ljM do Junt^r. ludo vende-se a precos os m*\< horavrt p^
rom o Poiuennna praca Ja fol-[.,.ndeocia ns. 23
e i.'>, jj'oL Jo luatira.
Cutate* Rojer
Anodinos electro-majjnelicos contra as a-n-
vulses, e paia 'ac litar a dentigao das
cranras. A agiiia-brinca na roa do Q ei-
tnaiki ri. 8 recebe-os par lodos osvi-pd-
res francezes.
Ja e.-io tan ccinliecidi.s, e, Unto se lf m repatriado
a lama dees prodigiosos collares Ruyer, que se
torna Cijece-saiio dirpr mais alguma ciu.-a em
abonu de seos bons t e cCicatea efeltos; basta o
testemnnho de, mHhares de pessoas, qne lin visio
e apruvei^ido o feliz re.-uiudo desses to uleis,
qoao i.eeessaifM cellares Itoyer. A qntlidinna e
cresnda ixtracc", qoe vo tendo, most a ainda
qoe J numero dos prodigios se leva como ti dos
os rriinp,adores. A pnia-lTMC., v ,m, dese-
ando- cor.corrtr para om Um de lano aproveita-
"ieuM i, m frito os rneessaiks (iedid. r, para qne
por todos os vapores francexes ihe stja ren.etuda
certa qnantirtade de ditos rollares, para assim tor-
oar-se infaillvel o sortimenlo delles, na luja d'a-
guia-braoe, ra do Queimado n. 8.
Elixir dentifrico e odontul-
gico.
fes dt iilifricos.
Para conservaco dos denles e genglva?, nma
das cousas que mais cuidado merece a todos,
sem duvida perfefcao e eonservagio dos dmtes e
genyivas. Para isso je conseguir Merssarlo o
uso do elixir e pos dentfricos que pela segunda
vez ariam K chegar para a loja d'Aguia Branca.
Es;e elixir odonblgico e aulscocbutico, precioso
par lodas as afleccd>s da bocea. O empr. go dia-
iio desse elixir com agoa, previce a caria di* o\n-
m, cura as aphtas das gengivas e ss fbiuBca. aca-
ba o mo hlito, e faz desapparerer o ebeiro de>a
gradave| qne deixa o charolo; as-im eumo appli-
cado puro, acaba rpidamente a dor de denles O
los servem perfeiiarnenie para dar aus denles a
necesaria brancura e pulidez, conservando as gey-
givas a cor rosada. O itupresso que acompanha a
cada fiasco melhor srieniilicara ao com> tadoi que
se dirifir a loja;d'AguiaBranca a ra o. 8, onde se vendem um frasco do exir e mitro
de pos por 35000, e separis mele, e*fj pjr IJfiO
e rqueH pur 2,J0O0
Fitas dechamalote
para a irmandade do Bom Conselho
e cartas de baiharuis.
A Aguia Branca na ra do Queimado d. 8 r"ce-
beu excellente Ota de chamaiule propua para a ir-
mandade do Bom Conselho e carias de bacbarns
Bonit 8 pentes
dourados com pedras e aljofares para
meninas.
Vendem se na ra do Queimado luja d'Aguia
Branca n. 8.
Agulhas
de osso e marfim para crochet.
Linhas para ditas. E.-ies objectos chegaram de
novo paia a loja d'Agoia Branca ra do Queimado
D- o.
Novos enfeiies crespos e entras qualidade*.
A loja d'Agua-Braoea recebeo nova [orcio de
enfeiies crespos para coques, alguns dos quaes" 'ao
de moldes inteiram.nle novos e agradav.is, vir.do
es.es cobtrtos com filis de vidrilhos lisos ; ss-im
como receben oulros para o meio da cab.ca, en-
feilados ao ultimo gostoBonoltoo, e ostros no
coque. Os pretendenles que se dirijam a ra do
Queimado loja d'Agua Biaoca o. 8. .
Luvas de camursa
brancas e amarellas para montara.
Vendeoi-se oa loja d'Aguia Branca ra do Quei-
mado n. 8.
Escovas finas
para unhas, denles, roupa, chapeos
_ cabellos e pentes.
A loja d'Aguia Branca acaba de recebe* m
grande e variado sprtimpnto de escovas finas, sen-
do de cabos de osso, marfim, btela e madreperola
para denles e unhas, ditas com cosas de mad ira,
Lualo e hlela, coro baixos e altus relevos e .^li-
mas man heladas com madreperola ect bertas de
velludo para roupa, ch>pos e cabellos, e utas
analmente com cabos de roadeira e modrepr. la
para limpar pentes. Os differente e rcaiaiodc-s
precos de todas ellas esto em relacao a sop- no-
ridade das roesmas, e vendem-se na loja d'Agnra
Braoca ra ^o Queimado a. 8.
Rival sem Feg$n4o.
Riia do QnelManiOBi. .
Qupi* acabar com as faiendts l io
meiuionadas.
Queiram vir ver o que bom e b.Talitsimo.
Toalhas de labynulho com bico, farola bel a
3'00.
Carrtteis de liona cm 100 jardas a 30 rs.
(iravaus pinas e de coree muito finas a C00 rs.
E Barataos francezas muito dos a zOo e. 320 rs.
Canas de lamparinas para tres roetes a 40 rs.
Halas de oVeias de massa muito novas a 40 rs.
Ecuadores para espartiUio de cordu e tita a 60
ris.
Pessas de fitas de cs estreilas com 10 varas a 320
iis. '
Ditas largas a 500, 600 e 800 rs.
Cartas de alfineites francezes mnito superiores a
100 rs. ^
Carreteis de lioha Alexandre com 400 jardas a 30
ris.
Pares de luvas de algodao de cores a 330 rs.
Resmas de papel almaco muito bom a 2o00.
Frasco com superior agua de Colooia a 400 rs.
Oitos de oleo babosa a 320 e 500 rs.
Ditos de dito higiemqoe verde a 900 rs.
Ditos dito hlso a 600 rs.
Ditos de macacar perola a 200 rs.
Ditos de baoha moilo fina a 200 rs.
Caixas com 12 frascos de cheiro a lj> e 1:j00.
Sabonetes mono finos a 60, 160, 200 e 320 rs.
Ditos de bolla muito finos a 210 e 320 rs,
frascos cern ehelros mnito finos a 240 e 500 rs.
Caixas para rap coro bonitas estampa* a 100 rs.
La para bordar a melhor do mercado (lihr, i a
7000.
Babado do Porto da melhor qualidade a 100, 120 e
160 rs.
Pessas ^e mremelos muito bonitos a 800 ris e
000
Caixas de balilis a balo a 10 r^.
Miadas de Ib ha froxa para bordar 20 rs.
Varas de C rdo para espartilho a 20 rs.
Frascos com Unta lxa < iio b-a a 0 e 30 r?.
Hitos de dila prela a melhor que ha i 320 rs.
Duzla de faccas ara sobre-mesa a 4.
Dii de oiia de cabo preto cravaJo a 3fi.
Varas de tianja branca larga a ItO rs.
Vende se na praca cj Independencia ns. 37 e 39,
capellas mermaras, as mais bonitas que tt-ni vi,
do a este mercado, para os stimos oas e dia de
finados se botar oas catacumbas e tmulos no ce
milerio publico eom as inscripcSes segn A meo pa*.
A oiiiha tui.
A meu esposo.
A minha esposa.
A meu Hiho.
A micha fliha.
A meu irmao.
A minha irroa.
A meu amipo.
Urna lagrima.
Amitade.
Saudades.
Vinho fiancez mai
mercad wale-se o-'
Nova a. &)
MedK- dozia 7*000.
i'plio doxia 8i( 00.
Cbitetn la fute d.itta 1U000.
M EmijK Uuza H*O0C.
Cha leu x Lar. se duia 1S000.
PicHoai^itaevl'
vind
Utf r.-.r
Algodao da Babia
*_
ei para bem merecerse a prntereio e prelereo- Vendase oa roa do Cre-oo n. 8 Ivi, du e.-ou .2
Cl y* o.: ysau..g3: e fregg 1,-. KtU poica e a r.til H |u *'


Diarlo 4e Pciuim QiurU lelra de ieleabn de 1866.
1
O ARMAZEM
UNIAO
53 RA DA CADEIA 53
PASSANDO O ARCO Di CO^CEI 'lO.
Tem lew do maior e mais variado sortiment'de escolhidos gneros, os segoin-
les directamente recebidos pelos ltimos vapores :
Queijos londrinos.
Lioguicas j preparadas em latas de 2 libras.
Os mallos superiores queijos do alaatejo.
Presuntos para Hambre ioglezes.
Gomma de milbo branco americana.
Salmn e lagostim em latas.
Quartos de marmello.
Bolaxinhas. perola', principe Alberto e outras qualidades.
Vinhos os verdadeiros de Collares, Rbeno, Moscatel da Setubal e porto fino.
Queijos flamengos.
dem de Minas.
Tudo pelos mais commodos precos.
ANTEIGA INGLEZA, de superior qualida-
de a 1,28o e t.loo rs. a libra, em barril
se tu abati ment.
IOEM FFWNCEZA a mais nova que ha no
aerea jo a 6io rs. a libra, em barris ou
meios a 6o>* rs.
CHA HISSON de primeira qaalidade a
2,8oo rs. a libra, alm desta ha omitas ou
tras proprias para vender a retalho, que
se venjem de (,60o a l,8oo rs. a libra.
EM PrtSTO o mais espacial quetem viu-
da a este mercado a 2,2oo rs a libra.
DEM recular de 1.6oo a l,8oo rs. a libra.
QUEIJOS DO REINO ltimamente chegados
pelo vapor 2,4oo: ditos do vapor passado
a 2,000 rs.
LATAS OE CHOURIQ.VS com 6 libras er-
meticamente fechadas, a 4,5oo, de barril
a 64o. a libra
E5T(\E^I.\MA pirasop em ciixas sortidas.
de 8 lioras, p >r i.ooo rs.
vTN!D VEaOE lo ve-dadeirosumo da uva,
e o mais propio para s beber n'este
impelo, pela sua extraordin tria fresqui-
do e agriiavel gosto a 6io rs. a gar-
rafa.
AMEX\S F8ANGSZAS em frascos de 4 e
2 libras, a 2,8oo. e i,4oo rs. em caxi-
flhas matto eafeitadas com diversas estam-
pas a 2,'joo, l,8oo. l,5oo e l",3oo, reis.
SCOITOS INGLEZES em lats contendo
diversas qualidades a l.ooo e l,2oo rs. a
lata.
PRINCIPE ALBERTO bolachiohas as melho-
res presentemente conhecidas a 1,600
rs. a lata
SALAME HAMBRGUEZ chegados no ulti-
mo navio a i,600 a libra.
PREZN TOS verdadeiro de Lamgo, a 64o,
rs. a libra, e 56o inteiro.
TRAQUES n. I. em caixas de 4o cartas, por
8,5oo, e 2io rs. cada urna.
MARMELADA em latas de I, 1 */ e 2 li-
bras a 600 reis a libra.
/ALEA DE MARMELLO em latas, a 800 rs.
FRUCTAS EM CVLOA pera, pecego, alper-
ce, rainha Clau lia. e ginja a 64o reis
a lata. I
MOLHO IN JLEZ de diversas qualidades. a
72o rs. o frasco.
MOSTARBA 1NGLEZA muito nova, a 800,
rs. o frasco
DEM IRANCEZA a 64o rs. o frasco.
SALMAO E LAGOSTIN chegado anima-
mente, em latas de 2 libras, a l,6oo. rs.
ARENQUES em latas a 64o rs. cada ama.
SARDINHAS DE NANTES em latas e meias
a 600 e 36o reis.
VINHO DE COLLARES o legitimo vinho
desta localidade, muito superior a sam
coof*c5o alguma, a 800 rs. a garrah.
IDFM MADURO o verdadeiro do alto Dou-
roem barris,de lo em pipa por35,ooo
cada um. -\>.
VINHO DO PORTO de diversas qualidades
engarrafado, inclusive o maisfino que ha
n'este genero, por 800, 1,000, l,2oo,
I,4oo e I.Soo rs. a garrafa.
FEIJO verde e carrapato em latas emti-
camente fechadas a 600 rs.
CHOCOLATE francez em pacotes de 4 libra
por 5oo reis.
AZEITONAS das chafadas oUimanwnje de
Lisbi a l,2oo rs. aancoreta, aneo a
gnsrrafa.
CAF'avado a 24o rs. a libra, a 7,aoOl
a arroba, e regular a 22o a libra, e$*5*XH
a arroba.
VINHO CHERRY domis superiordoaer*
cado a l,5oo rs. a garafa, a i5,ooors.
a duzia.
MOSCATEL o verdadeiro de Setubal, '<
1,800 rs. ag'rrafa, e20,000 a duzia.
VINHO BORUEAUX das mais acreditadas
marcas, S. Emilion. Sant Julin Haut
Brion a 7oo e 800 rs. a garrafa, e em
caixadedizia, a 7,5oo e 8,000 rs.
VINHO BRANC ) de Lisboa de excelente
quadade, e proprio para missa, a 800,
rs. a garrafa, 00 8.000 rs. a caixa de duzia.
MADEIRA SECO ai,2oo a garrafa, e i2;ooo
c 1 il'l/l'l
VINHO DO RHENO superior, a 2.000 a
garrah, 22,ono rs. a duzia.
VERMOUTH de superior qualidade em cai-
xas de \ 2 meias garrafas por 12,000, e
garrafas por l,2oo rs.
Gros de aples preto a I#500,1*600, 20, 30, 3*800 a 40 o corado.
Gorgurao preta de superior qaalidade a 2*500, 20800, 30 e 40 o co-
vado.
Superiores moreantiques a 20500, 20600, 30, 30500, i0 a 50000 o
covado.
Bons cortea de moreantique.
dem da gorgurao adamascados.
Bons pannos e casemiras.
Sup riores alpacas, princetas, merinos a bonbazinas.
Bons villudos pretos.
Grande variedade de chales de fil preto e de guipara a 50, 60, 80,
100, 120, de 160 a 20$, de 250 a 800 cada um.
Superiores retondas de fil preto e de guipure a 80, 100, 120 e 250,
ede 300 a 600 cada urna.
Superiores avenenes de fil preto a da guipara de 120 a 250, a de
300 a 600 cada ama.
Boas chailes de seda preta.
Ditos de Marin preto bordados e outras moitas fazeodas pretas que
sera enfadonbe enumerar, na
IOJ l>t DE ANTONIO CORREIa DE VASCONCELLOS A C.
RA IX> CRESPO n. 13
PHOSPHATO de ferro de leras
El- KM $CIE*CI%$
INPCTOR DA ACADEMIA DK PARS.
Nao existe medielmetta ferruginoso tao notavel como o phosphato de ferro de
Leras; assummdades medicas do mundo inteiro adotaram-no com solicitude sen igual
nos annaes da sciencia. As cores paludas, dores de estomago, digestoes penosas, ane-
mia, convele?"-ancas dlfflcets, tdade critica daa seahoras, irregularidade na menstrnaclo,
pobresa do sangua, Jymphatismo sao curados rpidamente ou modificados par este en-
cllente com posto. o cotierf a lor por excelencia da sao le e declarado superior nos
hospitaes e pelas acadertiais a lodos os ferruginosos .coohacidM, ao idoreto e ao citrato
de ferro, porque unido que con vera aos estmagos delicados, qua nao provoca cons-
paco nico tambem que nao ehegrece a bocea e os dantas.
Era Pars na ra da FauHIadan. 7.
A venda emeasa deMaorer, e A, Caors.
Lqja do Vigilante
RA DO CBESPO N. 7.
Este estabelecimento acaba de rceber pe-
lo vapor Sxtremandre, e de sua propria eo-
commenda, um completo sorfimeoto de ob-
jectos de apura Jo gosto o alguna de compla-
ta novidade, como saja :
Uifc i^Kwo mimo.
Ko Vigilante.
Cbegaram no vapor francez de 12, um
.completo sortiraento de diversos objectos
I de apurado gosto propriamente para um de-
licado mimo, e todas aquellas pessoas que
desejam concorrer com alguma offer la para
o leilao de prendas do Hospital Porluguax,
que ter lugar domingo 1 do cerrante po-
dero aproveitara occastao, a virem esco-
lher taes oojeetos po s visto ser para um
fim to justo, o Vigilante est resolvido a
JADOS
DE
AZEVEDO & FLORES
UA BACMMBIl DO HECI^E 1. 4f
Nao leiam
de seda abalo que valem i-$ a 10$, em porejo ter abatimenio
J3al5es
que streito em cima e Urgos em baixo, 1 30, 40, e 50, dam-
Chapos deso
de 10\t rce.to.
1 pisto em Pji's,
a luostia.
J iltirn
se para
Sobre-casacos de pann 1
Superiores, que valem 251 a 150, s o Balo vende por aste preco, paletotssa-
' Je p.mno fiaos jue valem 150 a 100, tambe.-n se ve t Je ca.;a< de brim branso finas,
ttaa pardas, ditas ie casemira, colete de casemira, paletots d'aalpa:a branca, e muitas
outras roopas feitis que se vendem barato.
Agen vcjim os preco ds fazeodas.
Chitas para cobertas, corej fixas, a 320 rs, dam-se amostras
Laas com lindos desenhos a 320 rs. o covado.
Cambra.as de cores, lindos padrees, a 320 rs. o covado.
Chitas escuras e claras para vestidos diversos precos
Cambraia para vestidos.
Dita larga para forro de vestido.
Madapol3o que val 105 a 74, s o Balo vende por este preco.
Camisas inglezas superiores que valem 4$, a 34000.
Quem duvidar venha ver na loja do Balao.
chegon novo DMdapolSo.
Este madapolao val 1 ?4. porm o Balo contina a vender por 64500.
dem muito fino que val 124 a 94: quera precisar aproveite emquanto tempo
--------------------------------------------------------------------------------------------------------1------------------------------------------------------------------------------------------------------------
PECIII\C1IA SEM IGUAL
Rws cortes de gofgora* de seda pretos adamascados pan Testido com 13 metros
ou 18 a 20 covados cada corte, largura de dha francea, pelo baratisslmo preco de 50*
cada corte : Da loja das columnas da ra do Crespo n. !3 de Antonio Crrela de Vascoo-
cellos 4 C
&mmm*% I RICOi COSTES DE VESTIDOS DE SE()\.
A' lja de tizendas de Augusto Porto & C.
11Ra do QueimadoV
A' loja dafazendas de Augusto Porto & C. chegaram ricos cortes de vestl-
! dos de seda das mus lindas cores,
Camisas inglesas para hornera, peito, punhos ecolarinhos de linho supe-
rior.
Vestidos de Blond ora manta e capelia para noivas.
Finissim>s cortaj de cambraia branca bordados.
Cortinado* bordados di diversas qualidades, para camas e janellas.
Colxas de seda, e de lia e seda paracamis, da diversas cores e lindos
zenhos.
Creton superior para colxas docimi de di'ersas cores a 14120 o covado.
Vestidos b jrdados para baptiados de 1040J0 a 2')4000
Moireantique branw e preto, e gresdenaple branco. de cores e preto dos
me loores.
Bons pannos pretos e azues, e sortiraento de casemiras preta e de cores.
Malas grandes e pequeas para viagens nos vapores Europa
Cambraias de cores, liasin*ias e percales dos gostos mais modernos.
Tapetes grandes e pequeos para sof, piano e cima.
Espariilh)s, baloas, saias bordadas, meias finas, camisas, camisinhas, gra-
vatinhas, e manguitos para sennoras.
Bonets, e cha >os 'te palha da Italia para sennoras.
Bramante, Brilhaotina. Bretanha, silesias, esguio e cambraia de linho su-
periores.
Brins de linho branco e de cores o que ha de mais moderno.
Neste estabelecimento ha sempre su timento de camisas e ceroolas frnce-
zas, as melhores e mais baratas.
Esteiras da ludia para for ar salas
ti Ra do inclinado11
Muitaatten$l)!
Muita attenfao
Grande liquidacio de fazendas e raupas tai-
tas aaeionaes, na ra da Imperatriz n. 72,
laja de Guimarias d Innao.
Os propietarios daste importaata eitsbelectoeu-
to estao resolvidos> liquidar por ajenos 20 por
ceuto, do que em?ooia quak|oer parte, vejam
Chale 4a renda:
Veode-se chales dereada parlfBIO, fazenda
que )' s# endea por 12* a I4#0M, te's de seda
por 1IJI 13000, retundas preUs a 7JB00 e 8 -
Uto s aa ra da Imarratriz n. 71
Grande pecbineba.
Cambraias da cres bdio toas a Utos, o cora-
do, ditas melhores a X80 e 31 r*., a organds
da rlqoissimas desenhos a 360,400 a 4fB rs. o co-
vado : so a* roa da Imperatris o. 71
Bretanha da ralo.
Veoda-sa breunha de rata com 10 varas a 3J100
a peca, dita de liobo la* a8jeft500.
Grande pechincfca.
Yaade-se pecas de aif odio Boas a 4, #500 e
cama la Taoea a 6fm a 6 : s na ra da Impe-
ratrii o. 71*
Quem duvidar vaafaa ver,
cambraia a 3#50f.
Grande sortimenio de cortea de eaaabraia bran-
lne c2r.e8 a 3im e4*. -'s bordados a seda a
4JS0O e 5, corles de la a 34, 3500, ii 400
fJ.'i?8 yS-^ 3* e 3#50O: so na ra da
lojperairiz n. 72-
Laazinhas a 24 rs. a eando.
Vende-se ara grande sortimeBto de lazinbaq
Anas a 240, 280, 300, 320, 360 e W o "vado,
estao se acabando.
E' baratissimo, chales a 24000.
vender pu diminutos preCOS, que OS COn- Chales de merm estampados a Z 2,5500 e 3,
currentesearto satisfitos. "" S?.fl- 4*' 5*5We**: roa d ImP-
[ ratru o. ti.
T,mK ^ Cortes da brim a 1#280.
Tambefll chegaram no mesrao paquete! Grande sortimeoto de cortes de brim a Um
nquissimas enfeitas com O cok de Cabello U400,1600 seado inSBiramnta novidade, nao hatera! '500 3*_ 3#5o.
es de
Chitas a 180 rs. e covado.
Grande sortimenio de chitas a 180, 200 e 240 rs
ditas fraoceas a 40, 280, 300. 3J0 e 360 rs.. d
tas percales a 400, 440 e 500 rs.: s sa ra da
Imperatriz n. 72.
Lencos a 24 a duzia.
aIS2de"?e m ffrande Mrt'raeoto de lencos a 2,
Riquissimas volabas de fitinhas entran-'^ffij^^*^^*^^
e com cru/. proprias para meninas, ditos muito finos a *, 7# lili Szu s aa
estas voltinhas tornam-se recommendaveis raa da imperatriz n. 72.
senhara que vendo taes enfeites deiebe de
comprar, principalmente aquellas que tive-
rem de ab^ilhantar com sua precenca ao
anniversario do Hospital Portuguaz.
S no vigilante ra do Crespo n,7.
\ otLilias para ueaioi
cadas
de-
NOVO DEPOSITO
DE
MACHINAS
PARA DESCAROCAR ALGODO
Manoel Bento de Oliveira Braga.
53Raa Direita n.-53
Neste estabelecimento se encontraro as
verdadeiras machinas americanas chegadas ltima-
mente, as quaes s5o feitas pelo mais afamado fa-
bricante1 da America, por isso avisa a todas as pes-
soas que precis irem comprar, de se dirigir a asta
estabelecimento que compraro das mais perfeilas
neste genero, assim como mais barato do qua em
ouira qualquer parte, por isso que sa recebe por
cunta propria, bem como cannos de chumbo a moi-
hos para moer milho, e grande surtimento defei
agens e miudezas em grosso e a retalho^
ir O HiK.tTKIRO.
Junto no Arco de Santo Antonio.
O gerente desto estabelecimrato querendo grangear urna numerosa freguezia,
est determinadoa vender seu grande sortiraento de fazendas de escolhidos gostos e su-
periores qu ilidades por precos que ninguem pode vende para sustentar seu caoricho,
assim faz o Barateiro.
Attencao Attengdo Alienado!
Chales de guipure a 50, ditos de merino com bonitas barras a 3, 50500 e
60000.
Cambraias brancas e de cores,
Cambraias brancas de 40, 40500, 50, at 80 e 90 a peca.
dem de cores bonitos deseubos a 720 e 640 rs. a vara e 300 rs. o covado.
Grosdenaples pretos emorUntiques, que se-vende por barato j)reco.
Chitas de lindos padr5es para vestidos, escuras e claras.
dem para coberta, adamascadas e coloridas.
Tapetes em pecas para I09OO o covado.
Tapetes para portas, ditos de diverso tamanhos e bonitos dezenhos. Outras mui-
tas fazendas de gosto que se torna enfadonho mencionar. D-se amostras e maoda-se o
caixeiro a qualquer casa que fot* chamado.
Para homem.
Caigas da casemira preta e de cores a 60, 70 80 90, e 100.
Paletos de panno e casemiras de cor a 80, 90 e 100.
dem de alpaca brancos pretos e de cores a 30500 40, e 50000.
Golletes de casemira de cor a preta a 40, e 50.
Chapeos de sol desada c m cabo de marfim obra rica a 170
Ditos de dito dito bonitos cabos de 70 a 150
Cortes de cazemira a 40 ou a 30200 o covado.
Grande sortimento de casemiras de lindos gostos para costunw, brim e outras
muitas fazendas para fezer qualquer obra, a gosto do comprador para o que tem om hbil
mestre de alfaiate.
Cheguem a ra do Crespo n. 1 loja do Barateiro.
por serem inteiramente novidade.
S no vigilante ra do Crespo n. 7.
Finas tliesouras para unhas e costura.
Lindos porta joias.
Ricos port relogios de porcellana.
Modernos paules de tartaruga e a imita-
c5o.
Albuus para retratos.
Agu has e linbas para crochetes.
Lindos aderecos de christal.
Aderecos completos para luto, assim co-
mo brincos e rosetas.
Meias de seda para senhoras.
Ditas para meninas.
Sapatinhos de seda a de mirin, para
baptisados.
Touquirihas e chaposlnhos para dito.
L5as de todas as cores para bordar.
Capellas para noivas.
Gravatas e mantas para homem.
Alfinetes para grvalas.
Riqusimos livrinhos para notas, sendo
cora capa de madriperula, marfim e cha-
iren.
Penas de co de todas as qualidades, do
afamado fabricante Perris.
Froco e seda frouxa para bordar.
Bengallas e chicotes de todas as qualida-
des.
Dedaes de marfim e metal.
Espelhos* dwrfjrdt grandes, e pequeos
ditos de columna.
Dito especiaos para as senhoras fazerem
os pentiados.
Pulseiras tanto para senhora como para
meninas.
Riquissimas fitas lavradas a lizas.
Diademas do ultimo gosto.
Ligas de seda.
Ditas de seda e de algodSo para margui-
tos de senhora.
Cootas e tubos de ac.
Suspensorios de seda e de algodSo.
Grande e completo sortimento de perfu-
maras finas dos fabricantes mais afamados,
assim corno rauitos outros objectos que se-
ria enfadonho mencionar.
S no Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7.
Verdadeiros
Collares Royer
Electro Magnclieo
Ou Collares Anodinos, para facilitar a den-
tic5o das criancas e contra as convulses
das mesmas. a estes collares nos escuzado
fazer qualqner recommendacJo, visto a
grande aceitaejio que tem tido, o que pode-
mos provar assim como, afiancar o efleito
jue elles produzera, porque ha muito qts
;os recebemos e continuamos a receber por
todos os paquetes da Europa; e encontra-
do sempre na loja do Gallo Vigilante, ra
do Crespo n. 7.
Tasso Irmaos
Vendem a sen armazea ra da
4morim n. 85.
A 50000 a peca.
Grande sorlimenio-de madapotla da l, 5500 e
6a ditos melhores mrreas a 7$, fj; 85500. SA,
loa, na e i2a.
Baloas a 30008.
Vende-se um grande sortiaeata da>#|loes de ar-
co a 3, 3S500, 4 e 40500, itos de mosselioa a
oa e 5#dO, ditos para meninas a 30 e 35300: s
aa roa da Imperatru o. 7S.
Gravatas a 800 rs.
^e^sLJ>a> *r*aie sortimaga da gravatas a
500, 640, 800 e U, mantas tasa a 10) e 15600 :
s oa loja de Guimares 4 IrmJo, roa tu Impera-
triz n. 72.
Licor fino Cnraco em botijas e meias botijas.
Licores finos sonidos em garrafas com rolbaati
Idro e em lindos frascos.
VinbosCberes.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Bor^'oobe.
Champagne.
Muscatel. .
Reina
Bordoanz.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
No armazem de tazendas
baratas de Santos Ooelho
Ra do Qnelnad* a/ is.
Vende-se o segaiate :
M0.iAe P1"100 de hoho P*10HW*ssIiro pre-
co de 25200 e 2a600. P
Le5?es de bramante de linho de oa s panno
Cobertas de chita da India a 24400 a W800. -
Lencos de cambraia eroprlos para ah beira du-
na 15800, 25, 25200, 25600 e 45.
*5SJ1 de arC par meninas a !$500, 25
e 35OOO.
Algodao enfestado com 7 palmos de largara
15100 avara. "
Atoalhado de algodao vara 20.
Pajas de cambraia branca de salpicas com 8
meia varas a 45500.
Bramante de linho fino com O palmos de largn-
a 25500 a vara.
Panno de linho comt Irt pntom* krgtra a
254OO a vara.
Bramante de linho de don largona a 10280 a
vara.
Bra ante de linbo de nma largar* a 800 a vara
Toalrua de linho acolchoadas para maas, a 125
a dona.
Ditas felpadas a 135 a dasia.
Guardaoapos de linho a 35500 a dntia.
- Pecas de e^mbraia par forro a 25600 e 25800.
Pecas de cambraia adamascada com tO varas
pro: ra para cortinado a 135.
Tarlatana de cores a 800 rs. a vara.
Fn liso fleo a 760 a vara.
Dito de salpicos a 15 a vara.
Flanela de cores 880 rt. o covado.
BiWMeareoapara senhora a 08f)O, 35
Ditos de arcos encarnados a 35500 e 45.
Esteira da India oe 4 e 5 palmos da largara
propria para forro de sala por menos preco do
que em outra qualquer parte.
Cambraias finas de cores miudas a 560 fs. a vara
Neste armazem tambem se encontra nm grand
sortimento de roa o? feita e uor medida.
PHOSPHATOleFERRO
[DE LEBAS DOIJTOR EM SCENCIA&]
INSPECTOR OA ACADEMIA DEPARIZ fie
NSo existe medicamento ferruginoso to notavel
come o Phosphato de ferro de teres; as summi-
dades medicaes de mundo inteiro adoptaram-ao
com sollicitnde sem igual nos annaes da sciencia.
As cores paludas, dores de estomago, digesiSes
penosas, anemia, convatesceneias dtfteeis, idstde
critica as senhoras, irregularidade me mens-
truacio, pobresa do sang%e, lymphatismo, sao
curados rpidamente ou modificados por esst
excellente composto. E' o conservador por excel-
encia da cande, e declarado superior nos hospi-
taes e pelas academias a todos as ferruginosos
oenhecidos, a iodereto e aa estrato de ferro,
porque o anico que convem aos estmagos de-
licados, pee nio provoca eonstipacSo, o nico
tambem que alo ennegrece a bocea a aa denles.
A vend as pbannacas de P. Maurer dV
C. e A. Caora, em PnmarnbDCo.
PiRCEL AS CRYST4ES L(H1(\ E VIBRO
Jj5o Mara Cordeiro Lima, estabalaeau-se can armazem de tonca de socledade com Joaqnlm
Tb i-n-a da Caoba, na roa do Imperador n. 46, com a Arma de Lina Caoh, os iqaies pedem aos
sen* amigos e ao respeiuvel aubiteo em goral qn, quando precisem da algnma leaos, nao deixem
de DP.M-urar o dito estaaatsoiaiala.oaja aebario nm ezpieadido sertiatrato de ricos apparelbos para
ha. ditos para jantar de porcelana branca, de cores e dourados, gaarnica de porcolaoa para ltalo-
fc\ d 55 a 250; e lodo o mais que partenca a esto nrro-de orgacla, toacas, vid ros, ele., He.
A divisa este aovo esiabeieciaH&to
Vendar barato para vender muito
Vaaisr anuo para vender barata.
GRANDE ARMAZEM
DE
LOUCi VIDBOS, CRYSTES E PORCELANAS.
Ferruira Monteiro &Guimaraee.
*ia ra larga ala> Ro4ato al. U, |not* a botica al* Mr. BnrtbaUamea.
O proerteurios asta novo e grande armazem de 1009a participan aa respeitavel publico 400
en sao armaiem taera om ooaaplalo sortimeoto de loucs e ridros eon seja reos apparelbos para
janear apara atmoco, brancos, donradise cm fllites dd'eorM, jarrafas, eopos, calteas. compotetras.l
ricos porta Iworas, galaaleiras, gaafnia| pira lavitTrios, ricoi vasas para lloras, ctadlefros a gt,1
**"?"* 1 ahos oatros artigos que fado proaujtien Tondor pelo mais diminuto proco posstvel a ti
-~-f aaron prafiaiaMa*.
Panoo de algodao da Bahia, proprio para
saceos de assacar e roapa de escravos ; ton para
vender Antonio Loiz de Oliveira Ateredo & C, do
sea escriptorio raa da Crnz o. 1.

.^-T i 1
:)/- ~ ^ 1>
J
Vapores.
Vende-se emeaaa de Saaaders Brothors 4C
no largo a~o Corno fasto a. 11, vaporas patentes
com todoiio* psftenew proprio para faser novar
tres oa qaatro ttachipas para desearocar algodao
fOTASS* DVWJSS14
Vende-se poiassa da Russfa nolto soperlor o da
qaalidade a mshi apropriada para o fabrico de
assacar a preco rasoavel, ao armasen de Jos da
Silva Loyo A C.
~~ VeaT ~*
Gomes de Mallos Irma js, aa raa larga do Rosa-
rio o. 24, vendem velas e cera de carnauba a gom-
ma de mandioca.
'
Cal vir#em.
Vende-se na raa do Trapiche a-mazem n. 9, a
mais novt que ha no mercado, {por preco com-
Francisco Jos Gttktann
(RA NOVA N. ,
acaba de receber nm lindo a magnifico aor-
titaento da ocnlos, lunetos, bmocaloa, do ul-
timo e mais aparado gosto da Europa a ocn-
los de alcance para observarles e'pararoa
martimos.
Agua Mineral de Vicby.
Pastilhas de saes nataraes de Vichy.
Oleo de Ogado de bacalhao esenpettado.
Oleo de dito dito ferruginoso.
Rob Laffector.
Xarape da cadaina de Berth.
Vinho de Bellinl.
Xarape de Glbert.
Lelte aotipbilitico centra u maacbas a rosta
1 da erfotiaa.
daJoy
Odoata
Deposito, pharmaeia
sarion. 10.
Vende-se orna
Cabral em Olinda
9 lado diretto qoem val da roa do
S Francisca,
a Bo.
<

^;
Si


v^
laiarf* e ffrMwtmto <*uaria feir 19 de etembro de
1866.
>

4
NOVA LOJA
RA
;
UTRIZ ARMAPEM
PORTA LARGA N. 52,
lato a padaria franceza
DK
Paredes Porto.
Neste estabelecimento encontrar o re,
peltavel publico um variado sortimento de
fazendas francezas, inglezas, suissas e alie-
mies, que se veoderao por preco commodo.
Grande arntazeaa de faaeada e
roupa felta, raa da Imperatriz
a. ft S, armazem da porta larga
Neste estabelecimento encontrara' o respeita-
vel publico um completo sortimento de roupas de
todas as qnalidades e preco conmodo, como se-
jam : paletots de alpaca, de merino, de bombazi
na, panno, casemira, preto e de cores, calcas de
todas as qualidades, colletes de diversas qualida-
des e preeos commodos, chapeos pretos francezes,
faxenda de 10$ a 63, ditos de sol de alpaca e seda,
sobretodos de panno propnos para viagem a 114,
meias croas de boas qnalidades e preeos commo-
dos, e ootras muilas fazendas e roupas feitas, que
se veodera moito barato : no armazem da porta
larga n. 61'
600 rs.
Admirare! pecliiacha.
Camisiobas de cambralas a 600 rs. para acabar :
a roa dalmperairiz n. 52, armazem da porta lar-
ga junto a padaria franceza.
Casemira
Vende-se casemira de cor a 4* o corle : na n
da Imperatriz n. 52, junto a padaria franceza.
Bales
Vende-se bales (crinolinas} de todos os lama
nhos a 25 e 25500 : a roa da Imperatriz o. 52-
unto a padaria franceza.
10500
Entremetas.
Vendem-se pegas de entremeios com 12 varas
15300 : a roa da Imperatriz n. 52, porta larga.
Chales de renda a 44
Vendem-se chales de renda pretos, fazenda de
boa qualidade, a 45 por ter porco : armazem da
porta larga o. 52.
Retondas e nnarnas.
Receben ltimamente um sortimento de retondas
e boornos de seda e de algodo por barato preco,
soatembarqaes d; grosdenaple, capas e manteletes
por preeos commodos : armazem da porta larga
n. 52, roa da Imperatriz.
Cambraias lisas finas.
Grande sertimeotn de cambraias lisas, que se
vender a 35, 3'00 e 45, dita moito una Victo-
ria a 55 e 5550O, cortes de tarlatana de bouitos
gestos a 35500 e 45 : ra da Imperatriz n. 52,
junto a padaria franceza, armazem da porta larga.
Tiras (1 euiromeios bordados
Grande sortimento de tiras e entremeios borda-
dos, pelo preco de 500 rs. a peca : roa da Impe-
ratriz o. 52, junto a padaria franceza.
Cortes de gorgurdo de seda
preta.
Vendem-se cortes de gorgoro de seda preta
para vestido com 20 covados, por barato prego :
aa roa da Imperatriz n. 52, juoto a padaria fran-
ceza.
600 rs.
Cortea de ealea.
Vendem-se cortes de caigas para servigo a 600
rs.: na roa da Imperatriz n. 52, junto a padaria
franceza.
Eias de vestido.
Chefloo a loja de Paredes Porto um sortimento
de laas para vestido a 240 o couado : na ra da
Imperatriz n. 52, jooto a padaria franceza.
Chambre*
Cbepon am sortimento oe chambres para ho-
rneen a 45 e 55 na ra da Imperatriz n. 52, loja
de Paredes Porto.
Vestidos bordados.
Chegou a ra da Imperatriz n. 52, ricos cortes
de cambraia, bordados a croch, fazenda de 05
por 125 : na loja de Paredes Porto.
2o$000
Grande pechincha
Selecia cen 26 varas a peca, largura de 5 pal-
mos, a 255 : na roa da Imperatriz n. 52, Paredes
Porto.
VENDE-SE
aaeaa de M. J. Ramos IIy* euro, A roa do Vlgarlo
1. 11, constantemente, o seguate* artigas, tue
rece Vean por encommenda propr&a de
Machinas araericauas para descarocar.algodo.
Arados dem.
Gaz em latas de cinco galSes do mais purificado que vem este mercado.
Reiogios perfeitos reguladores com corda para oito dias.
Oleo para machinas de costuras.
Agulhas para as mesmas.
Breu em barricas grandes, e pequeas.
Salsa parrUIra de Bristol por Lanmand Kemp,
Agua Florida.
Anachauita de Kemp.
Tnico Oriental.
Pilulas assucaradas.
Pastilhas vermfugas.
Pillas do doutor Brandreth*
Prompto a'ivio de Radway.
Rezout vo renovador.
Pilulas reguladoras.
Farinha de mimo.
Vende-se tambem:
Principe Real.
Pedro V.
Mara Pia.
. margaux. Princeza D. Isabel.
A DINHEIRO
NA LOJA E ARMAZEM
PAVO
Ba da Imperatriz n. 60
DE
UM & SILVA.
Cambraias brancas,
Com 8 palmas de largurac
o na loja do pavo.
venae-se cambraias brancas transparentes tendo
w palmos de largura, ou duas larguras das regola-
varas. "* Mr'te B> vestido apenas com 4
v *. R"*,ao6 M loja do Pavao.
Vendem-se. ret.lhos de lisinhas e capas em
Cao por preco multo baiato: na loja e araKWdb
Pavao, ra da Imperatriz o. 60, de Gan,a Sita
Chitas prelas a lO.
Vendem-se supenoies chitas pretas iniii
a multe boa fazenda, peiu baratissimo pena
Tendo os propietarios
ment
deste grande esubeleci-
Baldes barato*
Vende o Pavao.
Gaegon um grande sortimento de bal6es de ar
eos sendo americanos que sao os memores e ven-
*"** P*10 baralissimo preco de 15500, 35 e
3#500: na loja do Pavo na ra da Imperatriz n.
, de Gama & Silva.
Bretanhas d rolo a 25800.
Vendem-se pecas de bjetanha
BORDEAUX
1.a qualidade.
G. Laitte.
Medoc.
I* qualidade,
Vctor Emmannel.
Duque.
.Malvazia.
Vinho fino do Porto em barris de ty, 10/ e 20/.
Superior vinho doRheno.
Vermouih de Fratellicora.
Bitter aromtico. >
Panno d'algodao da fabrica de Todos os Santos,
dem. da Conceicao.
Enxo/re de i.* qualidade.
mu na de rolo t^udo 10
Sida an r.!f,iL,.*rMde iem* d" w"*> P5 Pelo baratsimo preeo de 2*SlO:
tem SL\l???.;!',nVoJ' 6 8rmal*m- Prmet- na loja e armazem do Pavo n. ra da ImiTrairis
...*.! Lr maJs **rMa d0 Ia" ea> .alra qnafqner n. 60, de Gama & Silva.
Grande pechlncha
em chales a 40 na loja do Pavo.
Vndese flnlssimos chales de merino lisos com
franjas largas de ittroz tendo as cSres segnmtes :
encarnado, azol claro, azol escuro, verde, cor de
eanna, solferino, majenta, branco e rxo etc., esta
fazenda vende-se stmpae a 65 pela sua boa u.uali-
dade e agora liquida se pelo bwatifsimo preco de
5 por ter grande porcao: na loja e artr.azem do
Pavao na ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
A 40 pechincha em chales de renda na loja
do Pavao.
Vende-se chales de renda pelos tendo 4 ponas
e sendo muito grandes pelo bamissimo preeo de
45, ditos de renda de eda a 85 e 10} : na luja do
Pavio na ra dairoperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Para mao
Lencos bordados
Vende o Pavao.
lili DO QVEIJtlAHO \. *T.
Pechincha,
m
Pinas cambraias de cores de modernos gostos a 600 rs.
Pecas de cambraia branca mulo fina a o>.
Grande sortimento de chitas para todos os preeos.
Lencos braacos para meninos riuza 25.
Conertas de cblta da India a KOOO.
Algodo trancado largo para toalhas superior fazenda vara 15300.
C'aubrala de llnho para leos.
Fino esguio de linho a 5400.15600 e 15800 a vara.
Grande pechlneha.
Fazenda mnito encorpada para roupa de escravos e pelo baratissimo preco de 220 o covado.
parte, com o Um de apurare dinheiro e cada vez
mais agradarem aos seus numerosos fregoezes,
portanto Ihes offerecem onr grande sortimento de
wzendas ingieras e franceza, as quaes vendem
*cr atacado retalbo. Comprometiendo se a
mandar levar quaiquer fazenda em casa dos fue-
guezes, que nao poderem vlr a loja, on mandar as
aroosiras detxando flear o pentor, assim como
convijam as pesseas que nefrectiata em nem escalla que neste eftabelecimenlo encontram. um
grande sortimento, vendendo se-lhe apenas pelo
preco qoe comptain em primeira mSo as fazendas,
ganhando-se apenas desente, sendo a dinbeiro
a vista.
As granadinas
Na loja do Pavao.
ii 9ne?sram T>e^ tJlUmo'rapor da Frasca as mais
lindas cambraias iraeparentes, granadinas, sendo
com os padres de listiotaas e flores, confrmese
nsam ltimamente as principaes cidades da Ena
ropa, e vendem-se pelo baralisfimo preco de 640
rs. a vara na loja e armazem do Pavo, na roa d-
Imparairiz n. 60, de Gaa & Srtva.
Qsthales o pavao a 2oo e 25eo rs.
v.eD*m'se cna'e *e merino estampados a 25
25500 cada um.
l)i tos de merm liso a 35500.
Ditos eflampados de crepon a 65, 75. e 85000.
unos pretos bordados com fraDja de seda a 145.
Na loja e armazem do Pavo na ra da Impera-
Uit n. 60 de Gama & Silva.
Para luto vende o Pavao.
Selim da China coa 6 palmos de largura, azen-
ua preta para luto, propna para vestidos e roupas
para nomens, sendo esta nova fazenda sem lustro e
de muito boa qualidade, garantindo-se nao Dear
*7.. : dos : isto na loja e armazem do Pavo, tua da Em-
peratriz n. 60 de Gama & Silva.
Saias, I
Saias,
Saias.
Vende-se um bonito sortimento das nuInores a
mais modernas cambraias proprias para -atas sea-
do com bonitas barras bordadas ? cero pregas tas-
to brancas como bordadas de Mr, MftW furct
propna para se fazer saia de um t panno, e vea-
oe-se a vara por preeos muito rateareis : t-a um
e armszera do favo, ra da Imperariz o. 60, de
Gama & Silva. -
Remulles do ur. j. c. Ajer, ex-iealt
da laiversidadfc de fcusvivaBs, kas
Estades-lBidos.
Exlraeto eoanpesto de sala-par-
rilha de Ayer.
Peitoral de eereja.
Remedio para sezdes.
Pilulas eatharalcas.
O depi sito central para & provine;:
Pemmbuco, Alagoas, Parijba e Bmv
GraDde do Noite, dettes reate i voravelmente conhecidos e acoJhidcs tai
todas as partes da America do Su! e do
Norte, acba-se em casa de Tncod farla-
tlansen, 16 rna do Trapiche ca
Peroanibueo.
Os preeos de
133)3 por duzia de estrado de salsa p2iri!ta.
270 por duzia de peitoral de eereja.
tste estabelecimentt acaba de receber um va-1270 por duzia de remidi pira sez
nado sortimento dos mais bonitos lencos de cam-1 70 por duzia dt pilulas cathai ticas
braia primorosamente bordados e proprios para
gJJJWe v*Kde pelo barotissimo preco de 15 e
15600 caca um : na loja e armazem do Pavao na
roa, da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
(na i da ha ha,
Vendem-se bonitos gnarda banha de labeTynto
propnos para encostos de radeiras, pelos brratis-si-
mos preeos de 2 a 35000 rs, na loja do Pavo na
rna da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
os coi-linadus de Pavo,
Vende-se um grande sgitmenlo dos mais ricos
O
o
O. a,
s^ S.2 3sr^? S<^

o a 2. O
o

- a o
Erg
^1-8 1
g a.
S:
cS-s
TI 03
3-2
3 SL
S-ET
T3
?=5
a,
B
i
s-
a.
s
s
f
u *
-j co
o
39
u
a.
o
o
o
03 03
O M .
M
CC CD
E
B
o.


O
I
o
>
a

>
MACHINAS AMERICANAS
Verdadelras do fabricante M. V. Canitongln & c.
americanos para moer milho.
Na ra Nova n. 20 e 22, grande deposito
das verdadeiras machinas americanas de todos
os f hrcantes; se encontra neste deposito
grande porcao de machinas, e se vendem por
menos preco do que em outra quaiquer parte,
por se receber em direitura da Amet ica; se
fornece todas as explicaces necessarias ao
comprador para cooservaco das mesmas;
nste grande estabelecimento se encontra mui-
tos arligos americanos, qoe muito deve agr1
dar aos agricultores que usam de taes artigos,
encontra-se tambem todas as colleccoes de de-
senhos sobre os quaes se aceita quaiquer urna
encommenda, que com promptido ser ejecu-
tada ; 1 este grande estabetecimento, encon-
tra-se em grosso e a retalho, grnde porcao
de ferragens, e miudezas que se vendem por preco commodo^ pedindo-se a atten3o
de todos para este estabelecimento que muito lucrarlo em fazer suas compras: na
ra Nova n. 20 Carne o Vianna.
mm
DE
FAZENDA E ROUPA FEITA
HIJA IOVA M. 21.
vo na rna da Imperatriz n CO, de Gama & Silva.
Os cat hins :'o Paio,
Teudem-se os mais bonitos cachins de malha de
laa com bonitos gostos, proprios para sabidas de
theatro e bailes etc. etc. na leja earmazem d.. Pa
vao na ra da Imperatriz n. 60. de Gama & Silva.
Oi'aiid} a' isdOO na loja do Pavo.
Vendem-se os roai.-- finos e mais modernos organ-
dyes de edres nom os mais delicados desenhos,sen-
do fazenda de 15600 is a vara, e liquidao-se -do
baratissimo proco de dez tostts a vara por esla-
rem lomando um pequeo loque de mofo, isto na
lojae arjnazeo do I'avo na ra da Imperan 1?. 0.
60, de Gama & Silva.
Manguitos a 5C0 e 640 res,
Vendem se manguitos e calcinbas para meninas,
pelo baratissimo preco de 500 c 640 res, na loja e
armazem do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
A 100 rs. para luto, vende o
Pava.
Vendem-se laazinhas pretas proprias para luto
pelo baratissimo preco de 1(0 rs. o covado : na
loja t armazem do Pava., roa da Imperairiz n. 60,
de Gama & Silva.
Algodozlnfcoa S^oOO a peea
Vtnde-se pecas de algtdaosioho, tendo 20 jar-
das cada peca, sem defeito alguro, pelo baratissi-
mo preco de 25500 ou 160 rs. a vara, (tran'-e
peemcha ; na loja e armazem do Pavo a' ra a
Imperatriz n. 60 de Gama 4 Silva.
Grande peehlncha em chapds
do Cbyl! a :;-> e 6.
Vendem-se superiores Chapeos do Chyli prbpri.'s
para bonuns. sfBdo dos rr ais modernos qne it-rn
vmdo ao mercado pelos liaralissimos preces c
55e 65 e alguns mais barates : na loja e arma-
zem do Pavo a tua da Imperatriz n. 60, de Gama
.$ Silva.
Pechincha
Novidade
do Vigilante ra do Crespo u, 7,
A novidade do* Vigilante somente participar a
todas as seohoras e as senberas modistas qne 6
(.negado um bonito sortimento de enfeltes para
vestidos de apu ado gosto e intelramente novidade
e moito apreciavel em Paris, o nome destes enfel-
tes Crespienne Margante : so se vende no Vigi-
lante rna do Crespo a 7.
Tesoiiras para encrespar ba-
bados.
Vndese tesonras dednas, tres e cinco pernas
para encrespar babadoa: rna do Qaeimado toja
de Azevedo & Irmo.
Reg & Moura, proprietario da loja de fazendas e rcupa feita, sita ra Nova
n. 2', fazem cente ao publico e particularmente aos seus amigos e freguezes, que
acabam de receber de sua encommenda, um perfeitu sortimento de fazendas tinas, entre
ella casemiras de cores proprias paracostumes; panno Ano dos melhores fabricantee
proprios igualmente para casacas e sobrecasacas e outras fazendas de variados gostos,
as quaes vendem rom vantagem sobre outro do mesmo genero de negocio, tanto pela
modicidade dos preeos como pela qualidade especial dos artigos que expe a escolha de
todos aquelles quesedignarem frequentar seu estabeiecimento.
Os msmos, continuando como sempre, escudados e robustecidos na aceitado e
confianca que lhestem sido dispensada pelo respeitavel publico, no espaco de tempo' em
que se adiara estabelecidos, procu' am envidar todos os esforcos a seo alcance para cor-
responderera suficientemente a expectativa deste e de seos numerosos freguezes e ami-
gos, por" isso, admiltiram para sua officina de alfaiate, quatro centra-mestres, fonecio-
nando regularmente sob a in mediata direcc5odo muite hbil mestre Ludano Jos de
Barros, o qual, activo e diligente como se ser.nio se peupa -aos mais aturado^ euidados
de sua arte quando tem de salisfazer com brevidade e presteza quaiquer obra de encom-
menda,
Ao contrario dos ixiiitos que enchem as columnas do jornal com a repeticao ociosa
de annuncios em estylo sdico, n5o precisamos aqu a nalureza dos arligos que possui-
mos para nao collocar a smeeridade dos nosss tratos no perigo mmmente que resulta
dessas antecipaces sem funoameolo.
Novo e grande deposito de superior carv^o de Cardiffna
Bahia.
Antonio Gomes dos Santos & C, rna de Santa Barbara n. 1, esto habilitados a supprir de
oarvao, em condicjJes mais favoraveis que em outro quaiquer deposito, a todos os navios a vapor que
ccarem naoQeiie oorto. A contratar nesta com Domingos Alves Mathnos..
DE
m, Veode-se nma canoa bem constrnida sendo
a madeira de sicupira e amarello; nova ainda por
calafetar, de lotaco de 400 arrobas: os preten-
i -.:es podem dlrigir-sea ra da Praia n. 40.
no
Charutos suspiros verdadeiros a 15 a caiza
armazem da Liga rna Nova n. 60.
mnito novas a 900 rs. o
60.
cento : na Liga rna Nova'
CHAPEOS P CIIILY
a 2f% 2^500, U, U, Bi. e
mais presos.
Na priea da Independeacia lojas na. J3 e 25
tonto do fonileiro, lote Barbosa o Peqneno est
orraodo por dinbeiro.
MGrande armazem de tin-l
tas medicamentos etc.
Ra do Imperador o. 22.
tloo Pedro das Neres (ge-J
rente) tena a venda o
segulntc:
Productos chimicos e pharma-
ceuticos os mais empregados em
medicina.
Tintas para todo o genero de pin-
tura e para tinturara.
Productos industriaes e tintas
para flores, como botes de flores
e modelos em gesso para imitar
fructas e passaros com o compe-
tente desenbo.
Productos chimicos e. industriaes
para photographia, tin'uraria, pin-
tura, pyrotecnia etc.
Montado em grande escala e sup-
prido directamente de Paris, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa
pode offerecer productos de plena
confianca e satisfacer quaiquer en-
commenda a grosso trato e a reta-
lbo e por preco commodo.
Vende-e vinho de Bordeaox em qoartofas,
barra e caizaa : em casa de Tisset frres, ra do
Trapiche n 9.
Para meiies e menina '
Eua do Qaeimado n. 69.
E' ebegado para a loja de miudezas da rna do
Qaeimado a. 69, um grande sortimento dee atis
lindos e modernos brinqnedos para entrelenimeuio
dos meninos, notando-se entre elies os seguintes :
apparelho para oratorio, ditos de chombo e porce-
lana para almoco e jantar, tambores e paedeiros,
espingardas e pistolas, rebequiohas e violmhas,
caizas de presepios completos, carrinhos com ca-
vallos e figuras, cestinhas e carrinhos de pallia,
cornetlohas e pistdes de folha, bonecas de porce-
lana vestidas, ditas de chora, ditas em bercos cha-
mando papai e mami, eavallinbos de madeira de
varios tamanhos, e oulros muitos brioquedos qoe
s com a vista se pede apreciar, adveriindo-se se-
ment qne nio sera' preciso grandes quantias para
os pas de familias entreterem seus Albos.
Wmmmlmm m IRnwiHII"
Mnito nova a 800 rs. ar
libra.
Na fabrica de padaria a vapor de Jo5o
| Luiz I com gomma de milbo branco mnito nova
I recebida emdireitura de Mxico e conti-
H iuam a receber por todos os navios vin-
dos de New York, sendo o sen nnico
9 psito na mema fabrica na praca
Sania Cruz n. 6 e 8.
*u
Vende-se nma mulata que sane
gomroar, cosinhar e lavar
terceiro andar.
que
na ra
10 de- n
p da B
mmm
coser, en-
va n. 35,
Chitas rxas a 240 rs. o covado.
Vendem-se finissiroas chitas rxas do Russeil,
sendo fazenda mnito encorpada e rres fizas pelo
baratissrmo preco de 240 rs. o covado ou a 95000
a peca, isto por taren um leve toque de mofo po-
rm aanca-se qoe logo que seiavem o mofo folla
e seria fazenda para muito mais dinheiro se nso
fosse esse diminuto defeito : isto ha loja e arma-
zem do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Granadine.
Chegaram as n;ai.- bonitas las granadinos com
os mais lindos padroes de listras sendo um terl o
lustrlo que parece seda o mais moderno qoe este
aooo tem vindo para vestides e vendem se por
prego multo bartflo : nnicamente na loja e arma-
zem do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma Si Silva.
Paletots boratos.
Vendem-se paletots de panno preto boa fazenda
pelo baratissimo preco de 65, ditos sobrecasacos a
12$, caigas de casemira de cor a 65 e 7ff, grande
sortimento de colletes por preeos baratos e nm
grande sortimento de todas as qualidades de roupa
tanto de casemira corno de brim e vendem-se mni-
to em conta na loja e armazem do Pavo na roa
da Imperatriz o. 60, oe Gama k Silva.
Chales de renda a 4.sOO0.
Vendem-se os mais modernos chales de renda
pretos pelo barato prego de 45000 : na loja e ar-
mazem do pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Nova fateixda para vestidos.
Gama Silva receberam pelo ultimo vapor os
mais modernos tecidos qne ltimamente se osam
na Enropa como sejam lasinbas com os mais de-
licados padroes listrados com seda e sem ella, ten-
do toda esta fazenda um lustro que briiha igual-
mente como seda e vendem-se per prego muito
razoavel : na loja e armazem do Pavo na roa da
Imperatriz n. 60, de Gama dt Silva.
Pechincha em cortes de chita*
franceas.
Vendem se superiores cortes de chitas francezas
sendo escuras e claras com as cores fizas tendo
cada corte 10 a 12 covados fazendo-IUe a conta pe-
tes baraiisstmos prego* e 280 e 320 rs. o covado,
para acabar: na toja e armazem do Pavo a rna
da Imperatriz n. 60, de Gama dt Silva.
Balees americanos a Mt$.
Veo4en-se os roars superiores baldes america-
nos tendo 30 e 33 arcos com as fitas bem largas e
com umita roda tendo os arcos moito mais consis-
tencia que os ingler.es, sendo neste artigo o melbor
que tem vindo ao mercado e vendem-se pelo bara-
tissimo prego de 55 na loja e armazem do Pavo
na roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Camisinbas para lucto na loja do Pavao.
Vende-se um bonito sortimento de camismhas,
manguitos, golinbas e punbos de cambraia, fil e
escomilha ; sendo o mais moderno e mais propriu
que tem vindo para lucto e vende-se por prego mui-
to rasoavel na loja e armazem no Pavao, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chapeos a 800 rs.
Vende-se chapeos de palha a imitaco de maoi-
lba pelo baralissimo prego de 800 rs. cada nm por
ter nma grande porgo, na loja e armazem do Pa-
vio, rna da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Corptnboa pretos.
Vendem-se bonitos corpiohes de grosdenaple
pretos, sendo ricamentente enfe.'tados, a 105
' 'SSa0-in ten,P e venderse pelo barato prego de cortinad bordados, proprios para ramas ejanpllas
i -25S00 o covado, assim como neste estabeleci- |-pelos baratissimos pr. gos de 85,105, 165. 205
ment tem nm grande sortimento de todas as fa- j 255000 rs. o par, assim ooai* pegas da cambian
zendas pretas como sejam cassas e chitas pretas,. bordadas e adamascadas proprias para o mesmo
HM tapadas e transparentes, princezas, alpa arjas, c. : oa loja e armazem do Pavo na ra
da Imperatriz n. 60, de Gama- & Silva. i
Os espartilhos do Pavao.
Vendem-se nma grande ^e variado sortimento de
espartilhos dos mais bem eitos que tem 'vindo ao
mercado, sendo de. todos os tamanbos, vendendo-se
por uro prego muito razoavel : istolia loja do Pa-
v:ki na roa da Iroperatria a. 60. de Gama & Silva.
Lencos brancos a 2fMH reis a
dnzia.
Vendem se engos brancos fazenda muito boa
pJlo baratissimo prego de 25 a duzia. Ditos com
barra de cor a 25600 isto para acabar na loja 4-
Pavao na ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Sio
va.
rosdenaplcs pretos do Pavo.
Vendem-se superiores grosdenaples pretos pelos
baratissimos pregos de 15500, 15600, 15800 e 25
o covado, sendo fazenda muio boa, s para aca-
bar : aa loja e am azera do Pavc, ra da Impe-
rairiz a. 60, de Gama & Silva.
Bramante de llnho do Pavo.
Vende-se superior bramante de linho com 10
palmos de largura, proprios para lenges, pelos
baratissimos pregos de 25 e 25600 a vara, assim
como panno de linho moito fino pelos baratissimos
pregos de 640, TOO e 800 rs. a vara : na loja ar-
mazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60. de Ga
ma & Silva.
Grande pechIndia em toalhas
para mo.
Veudem-se superiores toalhas de Hnho proprias
para mo pelo baratissimo prego de 560 rs.. ditas
a 640 rs ditas a imitago das felpudas a 800 rs.,
ditas fe pudas a 15 : pechincha na loja e arma-
zem do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
ATLANTA
Grande novidade a SOO rs.
Allanta a 2t0 rs.
Allanta a 200 rs.
Atlanta a 200 rs.
Cbegou para a loja do Pavo c mais lindo sor-
timento desla nova fazenda, com o titulo de'allanta
proprla para vestido e roupas para meninos, sen-
do esta modernissima fazenda de la com os mais
lindos gostos de qoadrinhos e listras tendo entre
ellas de cor roxa e preta, com listras e qoadros
brancos proprias para loto, e vendem-se pelo ba-
ratissimo prego de 200 rs. o covado nnicamente na
loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Sliva.
Vestidos brancos bordados a 6iOO.
Vendem-se os mais ricos cortes de tarlatana e
cambraia braoca rom lindas barras bordadas, e
trazendo todos os cortes enfeites suficientes rara
corpo e maneas ntlo baratissimo prego de MQOO,
ditos com barras de cores, tanto de seda como da
mesma cambraia a 65, 85 e 105, todos estes corles
sao chegados pelo oltimo vapor, e vendem-se por
estes dlrrmotos pregos na loja e armazem do pa-1
vo, ra da Imperatriz d. 60, de Gama Silva.
Vestidos a A6.
Vendem-se bonitos cortes de cambraia branca
com barras de cores e todos brancos, pelo baratis-
simo prego de 45 : na loja e armazem do pavo,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Tapetes.
Vendem-se ricos tapetes para sala pelo baralissi-
mo prego de 85000 e 105000 : na loja e armazem
do pavao, roa da Imperatriz n. 60, de Gama A
Silva.
Casemiras pretas a 4*00.
Vendem-se cortes de casemira preta superior
qoadade pelo baratissimo prego de 4*500, gran-
de pechincha; na loja e armazem do Pavo na
rna da Imperatriz n. 60. de Gama Silva.
adapolioa 36500.
Vendem-se pegaj de madapolo com 12 jardas,
sendo mnito fino, pelo .har tissimo prego de 35500,
dilo moito largo e encorpado a 45000 : na loja
armazem do pavo, rna da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Cambraia da Escossia.
Vendem se as mais finas cambraias da Escossia
todas transparentes tendo mais de vara de largura
com 9 varas eda pega, pelos baratissimos pregos
de 65, 65500,75, 85, 95 e 105, grande pechin-
cha : na loja e armazem do pavo, rna da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Para nolras.
Vendem-se ricos cortes de seda branca lavrada,
vindo cada um armado no sen cartao, com a com-
petente palma e capella : na krra e armazem do
pavo, ra da Imperatriz a. 0, ds Gama 4
Silva.
Sedas largas a i $600.
S pavio.
Vendem-se superiores sedas com 4 palmos de
rargora, sendo dos padr5es mais bonitos qne tem
vindo ao mercado, e vendem-se pelo baratissimo
prego de 15600 o covado, cortes de ditas muito
bonitas com 18 covados a 355000 : na loja e ar
mazem do pavio, roa da Imperatriz n. 60, de Gima
& Silva.
A colchas do patio.
Vendem-se bonitas colchas de fosio pelo bara-
tissimo prego de 65000, ditas a Imitagio a 35000,
e grande sorlimeuto de cobertores, tanto de Ha
como de algodo : na loja e armazem do pavao,
rna da Imperatriz n. 60, de Gama dt Silva.
Alpacas de clres para vestidas.
Chegaram as mais bonitas alpacas de cores pro-
prias para vestidos, sendo lisas e tendo de todas as
cores mais modernas qne tem vindo ao mercado, e
vendem-se pelo barato preeo de 640 rs. o covado,
ditas lavradas com as mesmas cores a 720 rs., di-
las de accenlo branco com palmas de cores a 600
rs., todas estas alpacas sao multo largas e vendem-
se por esles diminutos pregos : na loja e armazem
do pavo, rna da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
se emenden) dinheiro vista, c o desconlo de 5 por cerno em quantiiides
de 6 a 12 duzias, e de 10 por cento es
quamidades superiores a 12 duzias.
G Z GAZ
a 400 rs. a garrafa : t na Liga.
Aos agricultores
Saunders Brothers & C. acabam de receerdto
Liverpool vapores de Torga de 3 a 4caaallis .-
todos os perlences, e mni proprios para fazer k-
ver machinas de riescarogsr algodo, pooVpoV cada
vapor trabalbar ate coro 140 serras, tambem st-
vem para enfardar algodo tn tara cutro qoakjw
servigo em que nsam trabalhar coro anin aes. (k
mesmos tamhem tem a venda nJSchinas america-
nas de 33 a 40 serras : os pretendales dirijsm-
se ao largo do Corpo Santo n. 11.
Ka armazem de fazendas baratas fe
Si-utos foelho, roa do Queimadff
n, 19.
Vende-se o segolnte :
Pechincha.
Pegas de mtdapolo fino entestado pelo baratis-
simo prego de 95.
Vende-se na fundigo da Aurora lijlos ia-
glezes para fornalha (fire brlrks) de superior sta-
lolaCe e por prege enmnmdo.
Vendc-se ima escrava preta, de idade de i$
a 18 amos, que costaba, engimna, lava e cose
ordinariamente, fazmdo bem lab>rittho : a tratar
na roa das t'.ruzes n. 11.
tal de Lisboa
da n>ais nova e superior : *MMn por barato pre-
go Campos i Sobrinho, a ra do Imperador nu-
mero 28.
Vende-se urna escrava criou!a toni idadee
22 annos e um Glho boa Gpura. cem algutras fea-
biluades, sem vicios cu achaques: a tratar na roa
da Conceigon. 14.
Na ma do Apollo n. 2(J vi nde-se ex-
cellente vljo do Porto erigari atado, fino,
e \erde puro, em caixas de urna duzia de
garrafas, a prego commodo.
Brcu em barricas pequeas.
Cera em velas de todcs us lamauhos.
Bogias. -
Mercurio.
Ka ra do Vigario n. 19, andar.
Yinho colares.
O vicho colares o mais superior de todos es
violios e preferivel neste paiz pela sua fresquide
e agraavel paladar, vende se a 65000 a duzia:
no armazem da Liga, roa Nova.
Vende-se de urna pesaos qoe se retira : uas
tocador; urna rreza de amarello, nova, com triuti
palmos por prego cemmodo:'no Coriedcr u Bitpa
c. lo.
Vende-se
machinas americanas de serrotes para descantear
algodo : na ra da Senzalla Nova b. 42.
Chegou ao antigo deposito de Henry Forster 4
C, ra do Imperador, um carregamento de gaz da
primeira qualidade, o qual se vende em partidas e
a retalho por menos prego do que en ouim qaai
quer parte.
Vndese nm boi de carroga muito manso,
rovo e gordo : no sitio da viuva Villa Secca aa
Estrada Nova.
Escravos fgidos
Desappareceu no da 20 de agosto o prele es-
cravo de nome Vicente, idade de 40 a 45 anuas,
pernas arqoiadas, estatura regular, ja foi visto esa
Cachanga' e consta que esta' em Olinda e ic!'5
la-se forro : quem o pegar ou der noticias certas
na rna da Cadeia do Recite n. Si, primeiro andar,
sera' recompensado."
Em jumo de 1864 fogio do abaizo assignado c
sen escravo crionto de 26 annes de idade e de a-
me Miguel, o qnal tem es signaes seguintes: car
fula, alto, boa figura, cabega pequea e cabello cae-
gado; tem bastante barba e ja lbe faltam algutu
denles, pernas com pr idas, ps grandes e esparra-
dos, dedos curtos e torios, em nm dos ps tem urna
cicatriz de machado entre o dedo grande, tem mais
na mo direita orna outra cicatriz mnito visivel
qoe parte pelo meio da nnha do dedo pollegar, caja
dedo nm pouco defeituoso, bom trabalbador,*
ludo qoanlo faz com desembarago. Pede-se pote
as autoridades policiaes e rapites de campo ae
prendam o dito eersvo e o remettam para o Bees-
fe e entregar a Claudio Dobeauz, na roa do Impe-
rador, que recompensar generosamente, ou pan
o Sendo a seu Sr Jos Baptista dos Santos.
Desapparecido
Contina an sent da casa de seu senhor desoe
23 de agosto de anno corrente, o escravo muias-
nbo de nome Raymundo, idade 15 annos pone*
mais ou menos, cerpo regular, ps bem feitos, ca-
bellos caxiados aparados, levou camisa, calca a
chapeo de palha, em nma das mios tem nma cica-
triz em um dos dedos, proveniente de um laUa
de roda que tirn parte da punta do dedo: queot
der noticia on apprebende-lo leve-o a casa da rea
do Imperador n 32, a seu senhor Antonio Mara
de Araujo, sonde tsisle, on a roa da Praia a. U
taberna de Genuino Jos da Rosa que gratificara
com generosidade, e rogase as autoridades do e
tro da provincia so* vigilancia no sobredite
bravo. _____
Est fgida.
A preta crioola de nome Benedicta de 35 annos
de idade ponto mais oa menos tem os signaos se-
na guiles: estatura bktza, ps apalneUdos, tem urna
loja e armazem do pavo, rna da Imperatriz o. 60, marca aatiga de ferina em um braco, levou vest-
de Gama & Silva. I do de chita cor de Rosa com um abado larga a
Casaqnlnh-is on rasquias. guarnecido de maca preta e panno da costa usa-
Cbegaram as mtls modernas easaqnlnhas de- do: esta preta eesnrtna mudar o nome e 4iz-sa
grosdenaple preto, ricamente eafeltadas, vendem- forra, conhece todos as arrabaldes da cidade par
se por prego moito rasoavel : na loja e armazem onde anda as vazes: quem a pegar leve-a a sea
do Pavo, rna da Imperatriz n. 60, de Gama 4 I sensor Jos Jeronymo da Silva na ra direita as.
& Silva, : 24 e 82, que sera recompensado.
j i i ii


>*
1
6
Ularlo de rermabic asarla lelra de Heeubr* de 1866.
UTTERATRA.
Seado de Franca.
SESSAO DE I DE JULHO DE 1865.
Discurso acerca das petigSes relativas a medicina
borrteopathica, proooociado pelo presidente Bon-
jbah, secador.
(Conelusio)
Drttaai., releve-me meu honrado
apresentar o segrate dilemma, ao qoal, me parece,
nlo ihn sera' fcil responder. Quil dos chascos
que > fcil e comrajmineote se diriaem por
sfsleua contra o \v. h Mt horoeopalhco ? A ex-
trema pequenuex da (i'", a de ionoilesimal, para
servir-ine da exprs i consagrada, em qae admi-
nistra os seas rn '. tinentos. Pretende-se que
sf|d calla a acco destes remedio?. Eoto de
duas urna, on estes <1.carnalos nao tem acco,
e oeste cano o ba o menor perigo em permitlira
veuia delles tomo nao o ha em consentir que o
confetteiro venda os productos de sna industria ;
ou entao tende-los como capares de produiirem
enVitos nocivos para a sale d s que os tomam, e
se assim porque chasqueaos delles? Escolhei
uraa ou outra coasa : nao podis gox*r ao mesmo
lerapo, ao geito de vussa argumenlago, do benefi-
cio destas duas opniSes cootradietohas.
Fallar-vos-bo talvez do risco que ba em tocar
ue.sa lei de germinal anno XI; e as observares
que o Sr. Domas apresentoo, terca-feira passada,
par.' pedir o eocerramento da discussao, parecoo-
me descubrir nelle a preoccupago do perigo qoe
portera provir da derogago parcial da lei do anno
XI, relativamente s cautelas qae convm erapre-
gar-se para venda dos venenos.
O m-u honrado impugnador nao voltoa a lerrel-
ro cora esta idea, e tve razo, porque alm de
nieguem pedir qae se tocasse nessa parte das dis-
posicts da lei de germinal, pode se mais afflrmar
que a disposicoes por ella tomadas, acerca deste
importante objeclo, nada tem de commum absolu-
tamenie com a peticao de que nos occupamos
agora.
Pode-se al mesmo accrescentar que as disposi-
coes desta lei sao bem poueo efflcazes para pre-
venir a venda da venenos; ide julgar por vos
mesmos.
A le de germinal do anno XI reserva para os
pharmaeeulicos o direito de venderem os venenos
a peso medicinal ; e permute aos especielros e dro-
guistas vend'-ram nos por grosso. Assira, se qoi-
xerdes uro milligrammo de arsnico baveis de Ir
ao boticario, mas se precisardes de ura kllogram-
mo, ou mesmo de orna pipa eneja delle ide a dro-
gara que vo-la daro sem a mener difflcaldade,
por ue esto perfeitaraente aatorisados pela lei a
vende-lo, seja em que quantidade fr. Os pbarma-
centicos, droguistas e especieiros e didos uo mesmo artigo, e as nicas garantas que
a lei d- germinal exige de uns e outros de urna
- parte qae as substancias nocivas estejam guarda-
das a chave, e da outra, que os nomes dos compra
dores bquem registados com exaclidao em livro es-
pecial.
Mas deixemos estas questdes inteiramente eslra-
nhas ao nosso objeclo, e digamos sem reboco que
ainda mesmo que fosse perritiido aos mdicos lio-
meopathas prevalecerem se da excepgo prevista
pelo art. 27 da lei germinal, o sysieosa desta lei
aera por isso padecera o menos abalo ; visto que
so se trata de estender a ato caso inteiramente
anlogo, urna disposicio constantemente execotada
ba sessenta annos, sem disso ter ainda resaltado o
menor Inconveniente. Ora, nos lugares onde so
bouver boticas ordinarias, fleam os mdicos horneo-
patbas em idnticas clrcumstancas dos mdicos
allopatas as localidades onde na houver botica
alguma.
M. Godblle. Era toda a parte ha agua para ;
por i-so oo tero os mdicos bomeopathas o menor
ob.'Uculo.
M. o pasenENTE BouieanMuito feliz o Sr.
G ide'le era ter n-sias questes ronviego formada
e opnio lo peremptoria. Eu c son mals tmi-
do ; e todava, nao perco occasiio de esludar to-
das as qoesioes que se discotem na actnalidade>
tanto qnanto me permitiera as ootras minhas obri
gacSes, e principalmente as qaest5es qae respeitara
os interesses da humanldade ; consalto as pe=soas
competentes, ougo uns e outros; e muitas vezes
aioaa asslm. e sem embargo de todos os esforcos
de minha vontade, apenas conmigo duvidar. Mas.
embora adquirisse ama certeza, nonca me anima-
ra a tralar por vis charlataes pessoas condecora-
das cora o titulo de dootores em medicina, e qae
tem todo o direito as nossas attencoes, ainda mes-
mo que ns julguemos em erro.
M. Godel'i.Eu nada disse contra elles.
Presidente Pego ao Sr. Oodelle que nao in-
terrumpa, para que a discussao nao se prolongue
intilmente.
O Sr. Piesidbmte Boujean.TraUrei agora, se-
nhores, da segunda peticao, qoe na minha opnio,
apresenu a questao de liberdadede uma mam-ira
nqais directa anda que a primeira.
Ouvindo ha poaco o Sr. Damas desconheci com-
pletamente a peticao publicada no folbetim ; e pa-
receu me que havera algum qui pro quo, e que o
nosso sabio collega tratava de outra petic.o diffe
rente daquella que est annanciada.
E com effeito, vos bem ooovistes, o Sr. Dunas
discorreu constantemente como se os peticionarlo-
folOlB mlicos bomeopathas que pedlssem entrar
inrotit neull nos bospitaes, e entretanto, nem um
so medico esta' assignado na petigo.
Os peticionarios, ero numero de mil oitocentos,
qoe ja' bastante crescido, e poderla se-lo multo
mais vinte vezes se quizessem, sao obreiros on ha-
bitantes pobres de Paris qae vem dizer-vos o se-
gninte
Nossa pobreza obriga-noa. a recorrer bastantes
vezes aos sogeorros pblicos dos bospitaes; com
ob Sem razio, temos roedo dos meios ordinarios,
talvez salotares, mas quasi sempre dolorosos do
amigo metbodo de enrar ; com razo on sem ella
confiraos no novo ; se nao enra melbor qoe o ou-
tro, poopa-nos ao menos os padeeimentos qne cau-
sara os remedios ; e Ja' oo sao poneos os da mo-
lestia, para qne se Ibes addicionem os do tratamen-
to. Somos aproximadamente o dcimo da popala-
(2o, e viernes pedir bnmlldemeote qne nos conce-
daos nos bospitaes, um lugar correspondente ao
nosso numero. Em medicina, como na rellgiao, ac-
eresceotam elles, a f qae salva ; e ja' que te-
mos f, dai nos entao a salvaco.
Eis, senhores, resumida do modo mais coneiso
que me foi posslvel a mullo modesta e tocante pe-,
tigo que vos foi submettida, e qne nio mereca,
me parece, os motejos que Ihe dirigi o nosso sa-
bio collega.
A comraissao propde-vos qne seja remettida pa-
ra a seci.ao de informagdes. Confesso, senhoresi
que este acvlhimenlo me parece om tanto fri, e
aiguma coasa Insufliciente por urna questao huma-
nitaria.
Procuro as objecp5es, pelo lado em que encaro
i Sera' entio bastante, diz-te, que qaalquer me-
dico invente ou pretenda (er inventado om no ,
vo methodo de corar, para que se Ihe permita '
desde logo a entrada os hnspitaes nao s. para!
elle como para o sea methodo, traustorB*ui>-se
assim a ordem do servico, e desperdietndo-so
De 1850 a 18oi.... 149,60'* consultas
< 1835 a 1859---- 5.759 >
f 1840 a I86i---- 338,311 >
Os dous annos extremos do :
1850.............. tl,fcl8 consultas
18i.............. 74078 '
E este qae o methodo desacreditado, doa
c em vas tentativas o patrimonio dos pobres T
Primeramente,-senbores, os mdicos, torno a'trina que sepdedizer enjrf eclinaejo? OmeHwdo
dizelo, nao estao assigoados na- peti?*or pelo je- [ *ue lenh* dire,t0 de-fechar porta dizeado-
contradictor "s expllcitaroente; mas convenho que o estejam "he : Aal oio enlrs fem ni implcitamente. Se os peticionarios ohtivessera a E quem vir, senhores,"o calor que mostr nesta
crea$3o de nm hooital aomeopathic, on e 6 o que discussao, persuadir-se-ha talvez queeu fallo pela
pede.m, alguraas salas nos bospitaes para ahi seren inflaencia d'uma preilecco pessoat e decidida pe- suas n cessidades, se por flm uma brusca destitni-
tratados pelo methodo novo, claro esta* que os me- la bomeopathia? Pois engana-se porque declaro gao nao vem inesperadamente arraocar-lhe esse
dieos horaeopathas, com quaoto nada figurera na qne, para minha pessoa, nao fago uso nem d'uma \ mdico recarso. Porque, pols, colloca-los em uma
(to saluiar cerno justa. Ella d ao estado servido-
res experimentados, excita o zelo, e tustenta a
tmulafo : peto futuro que ella offrece aos func-
conarios. compensa medieeridide das remane-
ragfles concedidas pelo estado.
Em relagao ao venc ment eis o qae iu Pafs :
-t A carreira administrativa 6 limitada ; os ho-
rnees, que a ella se propde, nao team lances de
fortuna, como no commercio, na Industria e as
artes; toda espectativa apenas Ihe mostra, no ter-
mo de sna vida laboriosa, uma reforma mode?tai
alguraas vezes impotente para prover todas as
petigao, haviam infalliveimente de acompaobalos,
disso estou perfeitamente convencido-
Mas, estes medios pedem elles porventara que'
nem d'ootra medicina (risadas).
posigo mais desfavoravel 7 Nao sobre os gran-
des e pequeos ordenados dos funcionario*, indi-
Uii serados.Pois sois bem feliz.
OSr. presidente Beaujean. Mas eraprege-a, vidualmente, qne se deve applicar economas,
os admitiam nos bospitaes sera pasarem por en- ao eontrano, multas vezes, quando" se trata da sa- 8im sobre o numero de empregados Imitis.
me, com lera serapresupposloo Sr. Duraas7 Nao,. de dos que me sio caros. Pelo qoe toca ao modo de pro vi manto diz ainda
realmente, e em nenhura dos doenmeotos, livros,; g,,,,^,, teoho excelleotes jmigos dos dous 'Vmen: Entre os meios de admissao, o con-
jornaes ou brochoras, onde tenho visto tratada a
questao, lem os dontores homeopathas apresentado
semelhante preleogao ; sempre em todas as par-
les elles lem, pelo contrario, proposto $ajeitar-se a
todos os concursos que se exigera aos mdicos or-
dinarios, e alm disso a um exame especial sobre
a therapeutica homeopathica. O qne elles pedem
que os jurys encarregados de Jolga-los nem sem-
pre sejam compostos exclusivamente de jnizes, que
lenham acerca da verdade i3 methodo homeopa-
ihico, as convicgSes e as doutrinas aDsotutas que
ha pouco mamfestava, por exemplo, o Sr. Damas;
realmente ninguem podera' cuotestar que
vessem direito de recasar o Sr. Dunas.
Senhores,
campos, pessoas, cojo carcter, talento, e sobretodo corso offrece garantas mais reaes. E a este
a mais perfeita sinceridade, eo honro profndame^ wP",, assim M PrIin e eximio conselheiro
e. Nao tenho a menor ratao de me apalxonar mais M< :-N necessidade do concorso, e na bem re-
por om do que por outro, e em todos os casos n3o golada roanelra de proceder a elle se contera pro-
me reonhego competente para jolgar.
Aos amigos que tenbo nos dons campos continua-
mente Ihes estou rep-tindo estes versos de Lafon-
taine, que eu ageilo nm poaco as neeessidades da
causa :
Cet' art es son pays plein de terrea desertes;
Vos doctenrs, tons les joars, y font des deconvertes >
elles ti- a M cnamp ne ge peat tellement moissonner
' Qoe les derniers venas n'y tronvent i glaner.
Pedem nm jury imparcial, e estao promptos a
sujeitar-se a todas as provas que quizerem exigir
delles.
Consegaintemente digo aos amigos homeopathas:
fallai com reverencia de nossos antepassados, por
qae as suas admiraveis descobertas qoe fonda
Quaoto ao patrimonio dos pobres nao corre pe- fm a anIlomUf a physiologla, a palbologia, Isto .
rtgo algara. Nao ba curativo mais econmico, e
oeste ponto, a inlrodargio da medicioa homeopa-
thica dos hospitaes pnaparia os nove decimos da
despea. Tambera nio ha curativo de meos atra-
palhagoes, de menos barolbo, e que exija menos
ts bases, os fundamentos da medicina: se a the-
rapeutica delles nio perfeita, porqoe a scieo-
cia medica esta' caminhando, e ainda nao ebegoa.
Aos amigos allopatbas, timbera Ibes digo : Se
confiasseis na vossa therap'-ntica, comprehenderia
utensilios e apparelhos. Uma sala, lellos e algomas eD,ao ^g,., qae manifestaes contra as novas ten
boas irraaas de candade quaoto basta. | ullTU. raa8 eQ tenho as mos chelas de confls-
Respeito a abrirem-se os bospitaes a qnalqner.... sQes feitas pelos mais illustr -s professoros da esco-
Ningaem qae tenha o senso commum pensara' )a allopathica : as quaes todos declarara onani-
nisso. Nao a lei de I8i9, e sim outras ainda mais rneraeote qoe a therapeutica nm chaos, e a roa-
superiores ero aaloridade, a razo e a humanldade ter|a medica om apontuado absardo de frmalas
qoe Impdero a' autortdade publica o dever de vi- rdcaia8. E quera sio os que tal dlzem, senhores 7
giar, com particular cuidado, pela saode daquelles q uasire Bicbat, e o nio menos illostre Broassa3;
que carecem e recorrem a' candade publica. Magendie, Imbert Gonrbeyre, professor de materia
M s este obstculo a' admissao, invencivel ba mel)|Ca na escola de medicina de Clermont; e fl-
triota annos, podera' ser anda opposto a' horneo- palmete, nio podendo nomea-los todos, o profes-
empregos, pie por si s prevenir o mpregado
contra io3inuagio no exercicio das funegSes, sem
inielligencia e haMIiUgSes 7 Quantas vezes se nio
tea visto a invasio da roa f e da andada contra
o fooccionarlo, em prejotzo (te sna probidade, pre-
valeceado-se de su a ignorancia?
Um fanccionslismo bem habilitado, dirigido por
chefe moralsado e compenetrado.de soa no alta misso, presta mals relevantes servigos, do
qoe o sraeote honrado, porm inepto. E' este
uo tbeorema, qne despensa demonstragio.
A executar-se striciameote o qoe te prese rev
para os empregos pblicos, bem limitado seria o
pessoal. Entretanto nao diffliil appr'oximar-se do
fim desejado, se o coocurso nao fr mera formali-
dade.
Concilie-se o dever cora o direito ; nao se abose
da moral, q ,e deve presidir a escolba dos funecin-
narios; alent-se o empregado no exercieio de
suas fuocg s com a praiica da prodencia ; seja
elle governado mais com a confianca e amlsade do
que com o capricho e rigor.
O estado nao tem obrigago de distribuir vencl-
meotos para o empregado ostentar luxo e vaida-
de; deve, porm, garantir-lhe meios, qoe o habili-
tero a guardar sua decencia e a prover suas ne-
cessidades, s vezes difflceis de serem supportadas
com resigiacjo, mxime com o peso da h Colloqae-?e o empregado em posigo Uv. i el, e
appliqae-se-lhe o rigor da responsabilldade, qosn-
do elle prevaricar ; porqoe, como disse urna illos
tragao do paiz tratando da moralidade do fonecio-
nalismo em relagio aos venciraentos : >Quando
a necessidade entra pela porta a virtode salta pela
janella.i
X. Y. Z.
patbia 7
Quantos mdicos homeopathas baria ba tnnta
ancos 7 Nem um.
Quantas boticas bomeopathas 7 ero uma.
Quantos doentes 7 Nem nm, a nao serem algons
raros viajantes qae chegavaro da Allemanba, pa-
tria de Hahneman.
Actualmente, em Paris, ba nma centena de me
dlcos homeopathas, tres boticas
ootras mixtas, e quaoto a' familias qoe
neste methodo novo, creio nao errar calculando as
sor Rostan. Nio vos fatigaret com a leitara de to
dos os trechos qoe se eocontram as obras destes
sabios professores; permittt somente que vos leia
alguraas linhas extrabidas do tratado de medicina
clnica do douto Sr. Rostan,
c Nenhuma scienei humana tem sido e esta'
mais Infeccionada de prejuizos do que a materia
medica. Cada denominago de classe, de medica-
afra n>eots. e at roesmo cada formla por asslm di-
conflam Ier Dm erro- UlD Prmu,ario aQe 8e pnblicon ha
pouco enslna nos a fazer poges incisivas, looks
aproximadamente no dcimo da populago.
verdes, bydragogos.emmenagogos, resolativos.de
terslvos, antispticos, anthystericos, etc., etc. (ri-
Jostificarei este algansmo por dnas ordens de (-|. QaUo apoiemaSi laxantes, sudorficos, om
factos qne difBcilraente serio contestdos. A pn- Wmm iCIJitC0f oatro de vida, outro ophtalmico,
roelra foroecida pelas classes pobres qne, as e{c (Nova hlaridade).
molestias de maior durago, recorrem aos hospi-
taes, e as menos graves aos dispensatorios. Ja' vedes, senbor Dumas, qoe nio sao s as for-
mlas homeopathicas qoe excitara a bilaridade.
Ha em Paris tres grandes ofrlcinas homeopathi-
cas creadas por M. Cataln, o mais afamado dos
t Paro aqoi, accrescenta o lllo*tre pratico, e
pharmacenneos bomeopathas. Fizeram-se nestas apenas percorri duas paginas do Formulario ma-
nes oficinas o anno pastado 74 000 ceosaltas. gtttral. Quem oo se enjoara' de lao fa-tidiosos
absordos7 Son de opioiio qoe sejam recambiadas
para o XV seclo estas caducas tolices.
E eoto, seohores, vista de tal modo de pen.
sar dos mais illostres professores de nossas facul-
dades, acerca do aoligo corativo allopathico, nao
Alm destas ba muitas ootras officlnas menos
importantes creadas ou por mdicos, ou por curas
como a de que nos den noticia o relatorio de M
Tnayer; nestas fue rara se 38,000 consultas.
Ilou ve por tanto em 186i cento e doze mil con
solas nos diversos dispnsatenos homeapathicos.
posso deixar de dizer que seria conveniente fallar-
se com mais moderacao e tolerancia a respelto do
Ora, a cinco consultas por doente, e este termo metbooo DOTOj e qae a0 se deve descorocoar coro
md o resalla de livros muito bem escriturados, ncessan,eS insultos e chasqoes esses homeos io-
oa melhor forma comraercial, as offleinas de M. C00iestavelmente sabios, dedicados, mnoidos de
Cataln, da', das 112,000, vinte a vinte dous mil dip|omas de nossas faculdades, e que consagrara
dot-ntes que recorreram-ao methodo novo. E como
nao admissivel que estes doentes sejam os mes-
mos que recorrern! aos dispensatorios nos quinze
annos, dosde que os ha, sera' de certo om calculo
nao exagerado triplicar o numero do ultimo an-
no para avallar a loialidade dos individuos qne,
sna vida a descobrir uma nova via, nesse mun-
do descoohecido, que sois os proprios a chamar ca-
llos.
Talve sejam chimeneas soas esperaogas, nisso
nada teoho que ver. Son incompetente para ter
nesies quinze annos, manifestaran! por este modo uma opioiio decidida a tal respelto, mas digo qoe
Oblemos assim o seas exforcos merecem animago e nio desdi
sna confiaoga na bomeopathia.
numero de 60,000, representando a porgao da po-
pulago pobre que tem f na nova dontrina, e que
recorrera ao hospital se a molestia se aggravasse,
oa mostrasse longa d iragio.
E quantos da popolago de Paris calculaos, se-
e quanto a mm creio ser liberal e imparcial repe-
lilo com o evaogelho : Paz aos bomens de bjfta
vontaae I Paz jastiga e tolerancia o qoe peeo, se-
rei acaso muito exigente?
Concluo, senhores... (Votos, votos I) em pou-
ii f. res, que recorrem aos bospitaes? Perto de cas paiavras. Porqoe nao se ha de conceder, a es-
500,000. Logo, assim como indiquei, quasi o no- ses doentes pobres, ja' bem dignos de eomroise-
no ou o dcimo da popolago qoe, neste momento, racio por serem obrigados a ir reeeber nos hospi-
se julgaria feliz de encontrar nesses asylos de ca- taes os soccorros de mos estranbas, longe de seus
ridade o tratamento em qne coofiam, e a que se paremos, longe de sns aff-iges, a fcil consola-
lem habituado nos dispensalonos. j gao de nelles serem tratados pelos ylema medico
Queris uma contra orova? Colnere os elemen- em 1ne ,em *$* Ceriamenle que se qaal-
mentos della n'uma classe inteiramente differente. 1 *. > hora extrema, vos pedisse a assis-
Somos, ne senado cento e sessenta e einco on cen- 'enca de om miostro de soa rellgiao, baveis de
lo e sessenta e oito, inclusive os senadores de di- der solcitos ao seo desej, e oeohum, neste
relto, os roarechaes, almirantes e cardeaes. Posso Mf0, e "'erancia, pensara ero Irapor Ihe mi-
asseverar-vos qoe destes ha vinte ou viole cinco, Blstro de outra relliSo em i" *"eiiUi'
coro certeza vinte pe, menos, qoe confiamos nos- se> e se a8S,ra f*r'e,,peU 8a,"?So dl* ^T
sas pessoas oo familias ao rgimen do methodo ho- *oe Dao bave,i de ,Mer Umbem l* **e d
raeopathco;ora,v,nte quasi a oi.ava parte de corpo? Coocedel-lne por tanto o medico do corpo
cento e sessenta e cinco. E como natural pen- m 1ue CODfla' com0 lhenha'eis de T^2
medico da alma em que elle livesse f. (Muito
bem I Muito bem 1)
Trad. por A. Reg
sar qoe as classes intermedias estejam na tnesma
proporgio, aproxiraei-me quan o foi posslvel da
exaclidao quando declare que as pessoas affeitas a
nova medicina representam na actaalidade o nono
M o dcimo da populago de Pars.
Em Lio, Brdeos e Marselba se observa ooes-
m proporgo.
Mr. Thoyei apresentou-nos algarismos que eu
tenho toda a razio de jolgar exactos, sem embar.'
fco das asserc8e,s contrarias qoe o S Damas ex-' da socledade, em qne os cidados denominados
iranio de sna correspondencia particulir. A pn- empregados publico?forman ama classe, distri-
blicacao destes aluansmos espalhou-se em muito buida nos diferentes ramos da admmistragio pn-
grande copia de exemplares; e nloguem dir' se blica.
Os empregos pblicos e o
patronato.
Sob estes dous pontos de vista est ama parte
exactos, que os adversarios tioapai-
bomeopalbia fleanam ealhdos at
oio fossem
xuoados da
agora.
Em Inglaterra, consta da esutlstica baver 300
mdicos, i jornaes, 8 sociedades medicas, 65 dis-
pensadnos e 8 bospitaes bameopatbicos, cojos 2
ero Londres.
Na Allemanba 600 mdicos, S jornaes, II socie.
dades, 19 hospitaes, sendo destes 3 em Vienna.
Nos Estados-Unidos, 1300 mdicos, 6 jornaes, SO
sociedades, 4 bospitaes, i escolas de medicina.
Na Hespanba, 192 mdicos, 8 boticas.
Por nm decreto de 8 de Janeiro ultimo, este go-
verno, qoe nio pode ser increpado de mnito ami-
go de novidades, acaba de crear o enslno elinico da
bomeopathia, isto o enslno nos hospitaes, com
instrugio a cabeceira dos doentes.
Nao podendo negar absolutamente estes algaris-
mos dlzem-vos; nm triump'ho epheroero; a ho
a questao, ja' se sabe, porque em relagao a' scien- meopatbia negocio de moda, ha de cahfr como
ca confesso a minha incompetencia, e s encon- ludo o que moda. Sim, creio com effeito qoe ca
tro nma, qoe seria norme ba lempos, e mesmo bira, como, segando madama de Sevign, devii ca-
noa obstculo invencivel a' bomeopathia, ha trila
annos, mas qoe hoje rae parece sera valor, e a
seguate :
bir a moda de Racioe e do caf.
O catelo por periodos qolnqnienoaes da' 0 re-
1 soltado segaiote ;
Os empregos constitaeo nm genero de vida, so
qnal se propSe aquellos cidados, que, nao tendo
vocago para as armas e para as letras, nao dis-
pe de recursos para a industria, commercio e
artes.
nem todos os que nSo tem essa vocago, e nem
dispe desses recurso?, sao habis para os empre-
gos, qoe dependem de babllilagdes exigidas por
le.
Os empregos abrangem coodlg5es, entre as
qnaesa aptidio, o accesso, o vencimeoto e o
modo de prov-losse tornara mais salientes.
Qaanto a aptidio e merecimento eis o qne diz
Vicien :t Escolber o mais apto, tsto o mais
instruido, se se reqoer a nstrnego; o mais reso-
luto, se a energa de carcter necessaria ; o
mais vigoroso, se ba Cajigas a soppertar; o mais
discreto, se a imprudencia um perigo dar a
cada accesso o hornera, que melhor convenha,
apropriar a idade, o carcter, os cosiumes, o es-
pirito de cada nm is necesstdades do emprego, eis
o dever de qaem noma. >
A respelto dQ accesso dit Inda Vtoien : O
dijOIiment 6 o direito commum; orna regra |
videncias com a dupla conveniencia de segurar o
melbor servico dos empregados mais k*heit, e a
imparemhiade na esctlha e nomeagao delles-; In-
dusindo os pretendentes a qaa confiem mais nos
seus merecimentos e habilitacdes, que no patronato
e nepotismo. >
O regiment mandado observar pela provisao
de 29 de janeiro de 1812 nos g 6 a 14 enumera
as qualidades exigiveis do empregado publico, sen
do mals notavel o g 14 assim concebido : Se-
gredo, siencia, exaegio, assiduidade, zelo e obe-
diencia sio as qualidades qoe deve ter qualquer
offleial de fazenda. e as que nicamente decidera
do sen mereclmento para ser promovido a maio-
res empregos, e obter a devida remuneragao e
contemplago de seos servigos.
Os empregados devem ser dotados de ama seve-
ra probidade, bons costnmes e rectldio de carc-
ter. E segundo Vtvien a probidade consiste em
oio tirar das fuocgdes vantagem algoraa particu-
lar, nem nsar em interesse proprio do poder qoe
ellas offerecem ; em oppr orna inflexivel resisten-
cia a toda Influencia Injusta, nao fazer distinegio
de alguem, dar a todos igual atteogio, fracos ou
poderosos, amigos ou indifferentes, consoltar se-
ment o bem do estado e a lei, qne sna expres-
sio escripia.
Foneart tambero diz o segolnte : O empre-
gado publico nao deve especular com as vanta-
gens que Ihe d sua posigo, para della tirar um
lucro pecuniario : em rasio de sna qualidade de
funecionario publico nio deve praticar actos, por
mais lcitos que sejam, qne possam colloca lo en-
tre o dever e o Interesse. Os empregados, que
cumprem s o sen dever. nada fazem ; preciso
mais qoe o dever, preciso o zelo ; o qoal se sos-
tenia, quando se tem certeza, qoe os servigos sio
apreciados, recompensados e protegidos contra o
favoritismo. >
C insultando De Geranio em suas Insluicoes
do direito administrativo acbamos o segoiote so-
bre os deveres e obrigagdes dos empregados :
t Devem ao estado, sociedade orna dedicagio
abselnta e sem limites ;
c Devem sen tempo, seus taleatos, seus conhe-
el roemos;
Devem sna renuncia a toda vida pessoal;
< Devem fidelidade, nio s a nma perfeita in-
tegridade, como tambem a uma escrupulosa deli-
cadeza ;
< Devem se dirigir em todo por amor do bem
publico;
i Devem honrar suas foneges por suas virtu-
des particulares como publicas;
< Devem grangear em suas relagdes com os ad-
ministrados a confianca, que a primeira forga
da administrado, e qae economisa o emprego da
autoridade;
Devem a sens administrados nao s nma im-
parcialidade conscienciosa e inalteravel, como
tambem orna benevolencia activa, urna constante
sollieitude, as attenges, a Indulgencia :
c Todo funecionario e agente di adrainistraglo
responsavel do emprego, da autoridade qoe Ihe
*commetllda, oo da execagio da missao, qoe Ihe
foi confiada.
t O faoecicnario chefe respcnsave peas nr
dens dadas a sea subordinado ; e dando-as, assu-
me a si sua responsabilidade.
Agora 'os deveres e obrigagdes do estado para
com os sens servidores :
> A admlnistrago superior deve sen apoio e
sua protecgo aos subordinados, que executam fiel-
mente snas ordens.
c Ella deve fazer honrar e respeitar. O estado
deve ao funecionario, agente da administrago, se-
goranga na pesse do emprego que elle exerce, em
quanto nao malversar oo oio se mostrar incapaz.
< O estado Iba deve a mais escrupulosa equida-
de no exame de soa conducta, quando elles nao
forera culpados ; deve-lbes om exame acarado an-
tes de declarar a incapacidade.
O estado deve om ordeoado conveniente ao
funecionario. ao agente adninistrativo, que, Ihe de-
dicando seu lempo, seus- conhecimelos, renun-
cia m todt industria, qne Ihe seria de vantagem
pessoal. Deve-lhe uro accesso gradual, segando a
aotiguidaile eo mrito deseos servigos. Deve coi-
dar no futuro do funecionario, oo do agente, a
quem a idade e as enfermidades nio permittirem
continuar a servir. Deve cuidar nos primeiros e
mais charos interesses de seos servidores, oos da
familia destes, que por nma morte prematura Aca-
ra oo abandooo e na indigencia, depois.de ter con-
sumido stia vida no servigo publico.'
Avista ilo expendido se eonclae. qae o empren-
do deve sur habilitado, de bons eostnroes, e sobre-
todoprobo e dedicado ao servigo pohlico.
O que se observa porm as repariicfles 7 Qoal
a aptido do pessoal qne as compSe 7 Estar- ella
de harrooni com as exigencias do servigo e da
lei?
Se os empregos fossem prvidos segondo a apif-
dio, por menor que fosse o pessoal, seria necessa-
riamente mais vantajoso, orna vez qoe o venci-
mente garantisse melhores recursos de vida.
Vencimentos designaos, on mesqninbos. e nm
grande numero de peseosl em soa maioria baldo
de conhecfmentos o qne avnita. E porque ?
Porqoe o patronato, entorpecendo a rectidio da
escolha, tem cansado desanimo e falta de zelo na-
quelles, a qaem sois habihUgSes deveriam garan-
tir maiores vantagens, que as vezes pertencem aos
ignorantes.
O provimento dos empregos estaa razio dlree- cbefe da D08sa e81a*dra ,oi precisamente o contra-
ta do patronato. Quando esto uma inflaencia po- no do ">ne dem ser *
derosa arranca decretos de nomoagio a parados de Toda combinago Cundada no concurso della Ca
derolssio, cateando assim direitos a prior) adqui- Ibira. Seria pela inconsequencia de ideas no sen
rldes. Neste caso o protegido zoraba de todo e de cbefe ? "Seria por querer s elle ter iniciativas ?
todos, ao passo que o preterido gerae sob s pres- Seria por melhor previdencia que a des generaes
sao do trabalho, qne sna parulha, na ausencia do de Ierra ?
direito, qoe Ibe esquecido.
Euja-se a probidade do empregado, mas eolio-
TBEATRO DA GUERRA.
A guerra, que ha mais de aono e meio sustenta l
o imperio, nao s affl gente para sua populago
e ruinosa para suas Onangas, tambero fadgiosa
como alimento a curiosidad publica.
To lenta em preparar-se, inieicaladas soas ton-
gas espectalivas de soecessos momentneos, ella
remeda as chronicas de antigs pocas, que exal-
tam a imagioago com incidentes fabulosos, mas
arrasta seo todo enfadooho a um desfecho poueo
natural.
Nao sei se ha um agouro no ultimo termo da
comparando, porm de certo oos factos j orcori-
dos a exaclidao do sera-I parece-me Incontesla-
vel.
Agora roesmo levamos a espectativa de qoas>
raz e meio depois dos successos de 1G a 18 de
jolbo, e oio sei bem se ella se limitar a soppri-
mir o quasi, ou se ir aioda mais longe.
O que me animo a crer qoe ser o ultimo ca-
ptulo das esperas.
Voo apresenlar os fundamentos desta crenga
permitiindo me langar ama vista retrospectiva so.
bre a pbysionomia, se nao o carcter, da guerra
actual.
Mais de ama vez tive occasiio de apootar os mo*
ti vos que Ihe aogmentaram a importancia, que ag.
gravaram os sacrificios do paiz e que consumiram
o tempo sem operagdes decisivas.
Taes motivos podem assim resumirse : a nagio,
desarmada, leve de aceitar o repto de um povo
cm proporgo muito fraco, roas que havia 20 an-
nos empregava lodas as suas forgas em aprestos
bellicos ; e quando, promptos nos tambem, o re
pedimos, foi esse povo personificado em nm ejer-
cito e impulsado vonlade de um hornero, refu*
giar-se no proprio paiz, onde mals do qae em seu
poder militar deviamos vence-lo na typographia do
terreno.
E' notorio qoe ao concurso do povo brasileiro, a
dedicago do governo Imperial e ao herosmo do
nosso exercito se deveraro successos lo glotiosos)
que nao lera parallelo na America do Sul. sim,
oa batalba de Maip, que deu independencia ao
Chile, firaram 600 homeos no campo de hatalha; oa
de Chacaboco, qae garanti a do Per, 6,000 Ame-
ricanos veoceram a 3,500 Hespanhes. O que sio
essas batalhas, qae d- Lima a Buenos Ayres tanto
se alardeara, comparadas com a de 2 a 24 de mam
16 de julho, etc. 7
O que por tanto tem fallado guerra aclnal s
a continuidades
Os homens e as cousas concorreram para Isso
porm mais os homeos do que as coosas.
Dizendo os homeos, refiro-me aos que tinham a
direcgo immediata dos successos militares, id eslt
os generaes em chefe.
Algons errus podera ser atlriboidos aos governos
das tres Dagdes alliadas, mas sem injusliga uen-
bum d'elles pode ser aecusado de cercear os meios
e a autoridade dos generaos respectivos.
Todava se Do faltn poder e autoridade aos di-
rectores da guerra, e seta oo marcoou sempre ac.
tiva e enrgica, a cunsequencia parece ser me
houve nelles alguraa inercia.
Assim parece, mas assim nio ; ou sendo, a
culpabilidad*, nao alcaoga igualmente a todos os ge-
neraes.
O que bouve que o todo formado pelo qae cha-
marei corpo dos commandos em chefe, careca de
certa firmeza as snas resolugdes.
Precisare a Idea em relago aos nomes proprios-
O Sr. general Mitre, ambicioso de gloriosa, mas
teniente da grande responsabilidade que no seu
paiz ena historh ihe dava sua elevadissima posi-
go, obedeca pt r de mai- a sua natural tendencia
de esperar os acontecimentos.
O general Flores, perfeilo antagonismo do Sr-
Mitre era quanio a nada esperar, a nada tem r por
seu DOrae, at arrojar-se de encontr a tudo que
Ibe resiste, nu liona nos exordios alliados um po-
der militar seu, t.l que Ihe desse a influencia para
neulr .lisar a inercia do general argentino.
O marecbal o Osorio tena podido fazer pender
no sentido da acttvilade e contmutdade a campa
oha actual, mas elle prestava excessiva considera,
cu s ideas do geoeral Mitre, por Isso que ellas
estavam de accordo com seu receio de bom brasi-
leiro, e sua modestia de geueral novu. Tome-se
nula desta pin ase do illuire baro do Herval :
i Nao bel de ser en que assigne a parle pfficial de
ama derrota. >
Se elle lodicava assim a possibilidade da derro-
ta,.mais claramente exprima a resolugo de sacri-
ficarse acbando s na morte abrigo contra a res-
ponsabilidade de ser vencido.
Restava o vice-almirante. Sem o carcter de es.
pera do general arcentino, bravo, como o general
Flores, patriota como o marecbal Osorio, o viscon-
de Taraandar podia ter sido o centro inabalavel
o Impulsor enrgico do corpo de generaes. O qoe
foi elle 7
Digo-o com dr d'alma, mas sem hesitacao : o
O principal elemento qoe produz semelhante mu-
danga o carcter do marechal Polydoro.
Previdente era calcnUr os meios, cireumsfeclo
em adoptar resologfcs, mas inabalavel em maoter
as que usa ve aceitn, obriga 0 Sr. Mitre a nao
recahir na loerca, ao mesmo tempo qoe'modifica
a temeraria impaciencia do general Flores.
Em relagio ao vice-almiraute nem Ibe presta
subservtencia, n->m Ihe resiste', acompanha-o: vai
com elle se quer marchar, ir sem elle se o Sr.
Tamandar parar oo 'eirenrer.
Porm nova enlidade en'r.iu a lempo na corpo-
rago dos generaes em chefe : fallo do baro de
Porto-A legre.
Talvez nao tenha elle grandes concepgdes mi-
litares deixo a outros julga-lo. O que parece, e
eu creio, e-'tar S. Ene. possuido A bons desejos.
Quer apparecer, qner dar glorias a seu exercito,
e sera' capas de soffocar qmesqoer eronlages
para nao Bear atrs. Deroals dcil a's boas
ideas. -
Se a inflaencia de prente e amigo que coro elle
exerce o vice almirante nao o eMragar, desviando o
desse caminho, os dons generaes brasileiros vo
imprimir novo carcter s operagoes da guerra :
carcter de impulso, e o que mais de continui-
dad* nesse iropnl o. .
E' por estes principios, menos do que pela acqui-
igio de meios malerlae?, que eu coolo com opera-
soes de tal ordem, que vo levar-oos em algomas
semanas a' terminago da guerra.
Eis os mutivos que ha para jolgar-se que e
actual capitulo das esperas o oliirao ; a acqui-
sig.de meios de roobilidade, a reorgaoisago
mais militar do exercito, e outra nrcomstan-
cias, qae em sea lugar Irei apreciando, concor-
rem naturalmente para firmar esta esperanca; mas
0 ISSO-
E' esta a novaorganisago dada ao exercito pelo
Sr. general Polydoro.
Formam o quartel-general:
Commandante era chefe, o marecbal Polydoro.
Chefe do estado-maior, vago por emquauto, ten-
do sido exonerado pela sua avangada idade o bri-
gadeiro Jdciniho Pinto.
Ajudante-general merino, o coronel Francisco
Gomes de Frenas, por exoneragio do coronel Pe-
derni-iras. -
Qoartel-mestre general interino, o tenente-coro-
nel r. Jus Carlos de Camino, por exoneraco
do tenenie-roronel Ferreira da Silva.
Ajudantes do general:
Capitao do estado-maior de arlllharia Avres
Antonio de Moraes Ancora, adjunto ao comrnaodo
em chefe.
Capito de cavallarta JosLoorengo Vieira Sonto
ajodante de ordens.
Capito da guarda nacional d* Rio-Grande Luiz
Alves Pereira, ajudante de campo.
Tenente de pagadores a cavallo Jos Lolz da Cos-
ta Jnmor, ajudante de campo.
Alteres Maooel Lmz da Recha Osorio, ajudante
de campo.
Alteres Francisco Correa de Mello, ajudante de
campo.
As seis divises do exercito Coram reduzidas a
cinco, sendo quatro de iufaolarla, como dantes,
mas tendo a nnmerago successiva de 2' 3'
e 4.a diviso de infamara.
As dnas divides de cavallaria, 2- e 5.', foram
reduzidas a uma s com a denominago de 5.* di-
vi-o de cavaliara.
Os commandantes das divises continuara a ser
os mesmos, sendo chamado para turnar conta da
4.' o brigadeiro Bruce, qoe ba m is de um anno
e>tava a bordo da esquadra, commaodande
- pn-
meiro dous, e agora o nico batalho que la exis-
te, e o 12 de vulootarios da pama (polica de
N'therohy, se nao erroj.
As oito brigadas qoe tinham a nameragao ioter-
pollada de 5.', 7", 8-, C0.\ ll., 12.', e 14.',
sem designagao de armas, tero de agora em dan-
te numerago successiva de brigadas de infamara
1.', 2.*, 3.*, etc.
A brigada 17.', composta dos 1. e 3. batalbes
de artilhana e batalho de eogenheiros, denomi-
nar se-ha brigada de artilnana.
A div.so de cavallaria llca composta de tres
brigadas com a denominago de l. 2.* e 3 bri-
gadas de cavallaria.
A !. composls dos 2. e 3 regimenlos de ca-
vallaria de lioha, e dos 1. e 5. corpos provisorios
da guarda nacional do Rio Grande; a 2. brigada
comp5e-se dos 2., 3., 4." 6 corpos da mesma
guarda nacional ; e a 3." dos 7. 8. 9.' e 10." cor-
pos anda da mesma fnrga.
Desta forma restara no exeruto doze corpos de
cavallaria, sendo dous regimenlos de liona e dez
corpos da guarda nacional rm-grandeuse. aae d
orna (orga total como de 8 000 bomens.
Os outros corpos da mesma arma' foram dis-
solvmos por se acharem com pequeo numero de
pragas.
O batalho provisorio on de deposito, que exista
ero Corrientes. Coi redundo a duas comaanhias
iodo para oexercitu o re.-to da Liga.
Cada divi,o de infamara coa.ta de duas briga-
das, pela manfira seguinte :
A 1." diviso corapde-se da i. e 2." brigada a
a 2 divi.o da 3." e 4.' brigada a 3 da 5.' e 6.'
e 4.' diviso da 7,' e 8.*.
Duas brigadas, a 9. e 18., nao tendo razo de
ser, turara dissolvidas.
Nos bal: Itioes de voluntarlos
dissolvidos o 22. e 24.'
forga muito diminuta.
O bravo c-.mra.dante do 22. foi aproveitad
para comroandar ouiro batalho.
A numerago de todos os balalhes de volun-
tarios vai se tornar successiva, cessando assim
os claros que ba neila, e que prodozem irregularl-
dade.
de. patria foram
por terem ficado com
l'H POUCO DR TLDO.
A historia investigar a razio : en s aprsenlo
o tacto. A esquadra, oo melbor, sen chefe concor-
Exija-se o zelo, mas garanta-se-lhe o accesso,
respelte.se wasptidSo. r,
A probidade, que nao a nica coadigo dos ri sna marcha daqui em diante.
O Jornal do Porto d a seguidle noticia :
Quando dtpois da parda decisiva da ba-
lalaa de Suduwa o imperador Napoleao offe-
receu espontneamente a sua mediagao a
Austria com a condic3o della entregar o Ve-
neto, foram pouco satisfactorias as primei-
ras respostas qne chegaram de Vienna,
Os telegrammas nao eram bem explicitos
e deixavam recear que senao cheg.ssea
um resultado satisf ctorio.
No fim do dia o imperador disse aopria-
cide de Metlernich, o qnal estava desde pela
manbaa no pac qae desejava amaresposti
cathegorica do seu governo proposta que
Ibe fizera.
O principe de Metternich recebeu depois
d'isto plenos poderes da corte de Vienni, e
voltou a noute as Tulherias para confere-
ciar livremente com o imperador.
Deu se enio um facto verdadeirameDte
notavel : o Sr. de Metlernich foi acompa-
nbadu de sua esposa,
Em nenhuma outra parte do mundo tal-
vez, se ajrf vera um homem a apresentar-
se em semelhante c njunciura com sua mu-
lher. Mas em Parts uma senhora de mere-
cimento sempre recebida com estima e
com sasfacSo aioda que seja em nma con-
ferencia de polticos ou de soberanos,
E'esieum dos mais significativos elogios
que se pode fazer delicadeza e proverbial
galantera do carcter francez.
Um lavrador estava no campo colhendo
acelgas, alguem que passava, observoa-lhe:
Tenha vuc cuidado, nao sejam vene-
nosas.
NSo tem dovida ; eu tcncieoo vende^
las, e por coaseqoeucia nlo as co
PERN.-TYr DE M. F. DE F. & FILHOs1866
f
X
7
4-
v i
t
i
%
/


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E1TB3BXN6_R5XI47 INGEST_TIME 2013-09-05T01:46:06Z PACKAGE AA00011611_11072
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES