Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11063


This item is only available as the following downloads:


Full Text

4
s
\
I
*'
/
AWWO XLII. HUMERO 207
Por qnarlel pago deatro dos 10 dias da i. mez ,
dem lepis des \,* le dias de comee e dentro de qnartel
Porte 40 correio por tres mezes .,,,....
5ooo
6soe
75o
SEXTA FEIRA 7 DE
Por anoo pago dentro de lo dias do 1. mez........ 19|ed
Porte ao correio por nm anno ,............ Zho*
SNCARREGADOS DA SBSCRIPQAO DO NORTE
Parahyba, o 3r. Antonio Alex?odrioo de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Margues da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemas Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filaos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARRE6AD0S DA SUBSCRIPCAO DO SL.
Alagoas.oSr.FrancinoTavares da Costa; Bahia.o
5r. Jos Mariins Alves: Rio de Janeiro, o St. Jos
Ribeiro Gasparinlio.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagoes da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Igaarass e Goyauua as segundas e sextas feiras.
|anto Aatao, Gravat, Bez9rros, Bonito, Caruar,
Altinho, Qranhuns, Buique, S. Beoto, Bora
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tergas
feiras.
Fo d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqoefra
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ounoury, Salguen o e Ez, as quartas
feiras.
Serinbem, Rio Formoso,Taoiandar, Una, Bar
reros, Ajina Preta Pimenteiras, as quintas
feiras.
ADIENCfAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relago: tergas e sbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 boras.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
'Dito de orphos: tercas e sextas s 10 boras.
Prmoira Tara do civel: tercas sextas ao meio
da.
Segunda vara do clvel: quartas o sabbades a 1
hora da tarde.
EPHEMER1DES DO MEZ DE SETEMBRO.
1 Qtrnrto ming. as 9 h., 49 m. e 29 s. da t.
8 Lu|.,Bova as 11 h", 55 m. e 7 s. da t.
18 Quio cresc. a 1 h., 8 m. "e 39 s. da m.
24 Lui cheia as 11 h 46 m. e 24 s. da m.
DIAS DA SEMANA.
3. Segunda. S. Euremia v. j S. Aristheo b. m-
*. Terga. S. Rosa de Viterbo v. f.; s. Rosala v,
i. Qnarta. S. Herculaso m.; S. ArseUcio.
6. Quinta. S. Libania v.; S. Zarhams prof.
7. Sezta. S. R*glna v. m.; S. Pa.nphilo b.
8. Sabbado.tfti A Nalividade de N. Senhora
9. Domingo. S. Sergio b.; S. Rufino m.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 2 horas e 54 m. da tarde.
Segunda as 3 horas e 18 minutos da manba.
, PAKTIOa DOS VAPORES t.
Para o sal at Alagoas a 14 e 30; par* o ora
at a Granja a 7 e 22 de cada me::; para Fcrnts-
do dos dias 14 es mezes de Janeiro, marco, asi
jnlho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa de Faria
& Filhos.
PARTE OFFICIAL
GOVERXO IA PKOVI.Vl
Termo de cntralo qae com o Exm. 8r. vibe-pre-
collocado no da 30 de agosto prximo passado na
igreja parochial de N. S. do Pilar da Parahybaj-o
Revd. padre Jos Avelino Monteiro de Lima. Ap-
proveito a occasio para assegarar a V. S. meu sin-
cero respailo e coosiderago.
Dito ao Exm. brigadeiro commandanle das armas
d'esta provincia.Tive ahonradereceDeroofflciode
V. Exc. de 31 do prximo passado. era que V. Exc.
aos Srs. ofBciaes do exercito existente na capital,
a coraparecerem no palacio do goverao para, no
da 7 do crreme, anniversario da independencia e
do imperio, assistirem ae cortejo que pelas 5 horas
da tarde se tem de fazer a efflgie de S. M. o Im-
perador.
(Assgnado) Henrtque de Beaurepaire Rohan.
Esta1 conforme. Estevo Jos Ferraz, lenle
sideote da provincia, Or. Mano-I Clementine
Carneiro da Canoa celebrou Luiz Francisco de se digoou commuuicar-me, que na mesraa data, ajudante de ordens encarregado do detalhe.
Paula Cavaleaate de Alliuqaerque Lacerda, para
assumira ao exercicio do coronando das armas
d'esta provincia, para o qual fura nomeado.
Agradecendo as obsequiosas expresses do sen
offerecimealo, devo, por miaha vez, significar a
V. Exc. que comprazer acolhi a pariicpago que
me fez ; e prevalecendo-rae aioda da presente op-
portundade, teoho como grato dever por a dlsposi-
go de V". Exc. os raeus pequeos servigos s or-
Manoel Cleraentino Carneiro da Cunta, em vista jdeos qur publicas, qur particulares de V. Exc,
da le n. 687 de 30 de malo ultimo, art. 14 10 e g,aem Deus guarde felizmente,
le n. 649 de 20 de margo deste anno, a factura do
a fa-tura do 1 tango da estrada de Pedras
de Fogo.
Aos 24 dias do mez de agosto de 1866, compa-
receu no palacio do goveroo Luiz Francisco de
Paula Cavalcante de Albuquerque Licerda, aOra
de contractar cora o Eira. Sr. vica-presi dente, Dr.
Io lango da estrada de Goyanna a Pedras de Fogo
na extensao de 4926,76 murtas, nrgada pela repar-
tig) das obras publicas em 44:000>O0D, como
consta do orgameoto fito pela mesraa repartigao
no 1 do crente, sob as seguales coadiges
Dito ao Revd. parocho collado de ... Tenho
certeza de que V. Rvraa, j a lempos, se retirara
da sede de sua matriz para os confias da mesraa,
coniendando-se com a percepgo da congrua, e
empregando-se era urna capellana, cabe-rae o re.;
tricto dever de lembrar a V. Rvraa. o que mu ter-
DIARIO DE PERNAMBUCO.
n' ?d,a 6 d6 correDle ultimaram-se os exames E1 a festa do trabalho sineela a sem alas
SL^0""? eiscopal de,la diocese- os "uaes e<'"ta^BmaleisoDrainaaue DeTs eslam
presididos pelos Exm, Srs. hispo diocesano e pre-1 pon a face do universo"Ta^d^ue se agitara
Provincia Os resultados sao os raa.s na vegetagao que cresce lodos os das, no hornera
, que se podiam desejar, gragas ao zelo e que caminha sempre.
g*Z\r w?tUHde Tflen^ a\ AsUncai coraraisso, ane tomn a si o des-
i dos loficadosdojermo do empeoho desse encargo, difflcil sim, mas a que
bastn a sua'dedicago, agradego os seas palrioti-
sidente
favorave
Ao
Saboeiro, foi assas-inado o eigano Jos de Barros
da Costa, por Pedro Rodrigues de Amorim com
um uro de e6piogarda.
0,d*ilinqaente foi preso, mas conseguio eva-
dir-se do poder da escolla que o condazia.
No mgar Rorao de districto de Quizada', Jos
Baiihazar assassmou a' cacetadas sua propria rau-
Iher, Aana de Quelroz. achando-se esta era vespe-
. ra de dar a luz l
O
s Goozenne Facel.
Nada occorreu mais, que merega mengo.
MaranhIo.Pelo Exm. e Rvm. diocesano foram
conferidas, n^ da 15 do passado, ordens d*. dico-
no aos alumnos do seminario de Santo Antonio:
na esperaoga de qae V. Rvraa. lendo a respectiva ,o^ayra"dn0i Al*e da Pl,n?eca- Jds13flur,P0A!;'1nS;
d..uiriaa nos ns. 537, 538 e 539, me declare i. **> A1,0S" 'T68 rd Ru' i r,l
com que licenga, aas tando-se dos deveres de pa- ^""S",?'80.10' ftft-j'ggt-^.i^ga1
rocho se tem oceupado d'essa capellana, median- i,?'..^TL ^F L" c'be,- ,Uo0P' r \
teum'esiipeadio: 2. se em todoP es^e lempo da {2 JVurLt' S"Va' JOa F^anc,scalG,^,
referida capellana tem recebido a competente con-1' sa' e'
gra. E sendo que anda V. Rvraa. se conserve
na capellana, de qua trato, tu por qualquer ma-
nelra esteja fra da admoisiragio de sua paroebia, \ asVeemnies'^niiras3-'
Ihe pego mu fraternalmente que se recolha sede
de sua matriz, londo em coosiderago o que dis-
H.ratera a tarde chegou dos porlos do norte o
vapor brasileiro Santa Cruz, sendo portador de
jornaes do Para al i7. do Maraohio al 29 e a> u i noar ,n molvjdn a nriti
Fiauhy a. 12 do passad,, do Ceari at 2, da Rio Car eaaa w o el vagm Mier a vicStlt\ em
Par 3l ta'rfi'',b* "f 6 d T^im ? 'to%5 Si reis Tra corapra
Para. Fa.'leceram o tenenta-coronel Joaquina de meia pessa de madapoln
Duaria RodrKiies Souto e o negociante francez Ja N'essa mesraa occasio"
| allstanao-se como voluntario da patria, d'aqui se-
guio como capilo do 3o corpo organizado na pro-
vincia, ao qual anda hoje petence, estando no go-
zo de ura mez de licenga que Ihe'foi concedida pe-
lo goverao imperial.
O vapor Santa Cruz tira a mala para os por-
tos do snl boje s tres horas da tarde.
pe o Sagrado Conc. Trident. tom. "!. sess. 6.* cap.
2., que principia Episcopi inferiores devendo
cessar desde logo a referida capellana.
De qualquer manara, nao posso dispensar as in-
formagoes, jue vanho de pedir, e que espero sem
perda de tempo.
4 -
i. O contraetante offerece o abate de 5 por cento minanteraentedispSe^ _ConsU Syn. Iiv. 3. tit.i29, |
sebre o valor do orgaraento, ficando assim reduzi-
o o valor do contracto a' quantia de 41:800^090.
>2. As obras tarao comego no prazo de dous me-
zes, e sarao concluidas no de doas anuos, contados
da data do presente contracto.
3.a Metade das obras, pelo menos, ser exocu-
tada no primelru anno, sob pena de ama multa de
S por cento do valor do contracto.
4." Os pagamea os sero feitos era proporgo
das obras executados em seguimeoto, a partir do*
dons pontos extremos, e nunca de quantia inferior
a o to con tos de ris.
5. Os pagamentos sero feitos. metade em di-
nheiro, e metade em apolices da divida publica
provincial, venceado o juro de 8 por cento ao anno
(pago semestralraenle), e amortisaveis no prazo de
oito annes.
6." O goverao podar pagar em dinbeiro o valor
total de cada prestago, assim como resgalar as
apolices ante do prazo marcado no artigo antece-
dente; este rsgale, porm, sera ubrigalorlo.se ti-
ver lugar com outras em idnticas circamstancias.
7. O recebiraenlo definitivo tera logar ura ^nno
depois, do recebiraento provisorio do ultimo lango.
$.* As obras sero execatadas de cooformldade
com as plantas, orgameoto; clausulas especiaes,
approvadas pelo governo a assignadas pelo contrac-
anta, e que nao forem contrarias a's estipulagoes
destd contracto.
9. O contratante dever prestar na thesouraria
provincial fianga idona nos termos do regulamen-
to de 30 de julho ultimo, no praso de 30 dias con-
tados da data do presente contracto, sob pena de
nullidade.
10." De cada pagamento se far urna dedaegao
de 10 por ceoto para ser entregue depois do rece-
biraenlo definitivo da obra contratada.
11. Para tndo qaanlo nao estiver prescripto no
presente contracto, seguir-se ha o que determina o
supracitado regulamenlo de 30 de julho.
1S ha vendo o contraetante declarado que acceitava
as condigrjes, que Ocaiu estipuladas, e tendo pago
na receb'edona de rendas internas o sello de ..
ijJSOO, como se v. ua verba langada na guia que
se Ihepassou, e fica archivada na secretarla do go-
verno, mandou o raesmo Exm. Sr. vire-presideate
da provincia lavrar este termo de contracto, era
que assignou com o refer lo contratante e as teste-
muuhas abaixo declaradas. Francisco de Paula
Sales, secretario do gove no, o fez escrever.Ma-
nonel Clemeolno Carneiro da Cnnha.Luiz Fran-
cisco de Paula Cavalcante de Albuqueri|u La-
cerda- Camo testemunhas, Antonio Annes Jacome
Pires.Luiz Salasar Moscoso da Veiga Pessoa.
Fallecer o capito tenante da armada Anto-
nio Jos da Cruz.
Piauht.Do Paxz do Maranbo transcrevemos
A noticia da exonerago do Sr. Dr. F. Doria foi
jgeralmente recesida com agrado.
A assembla provincial eovlou urna corarais-
; sao a S. Exc. para sigoificar-lbe o sen pezar. A
Imprenta d noticia deste honroso acto oestes ter-
mos :
I Chegada a esta cidade a noticia da exonera-
; gao de S. Exc, na dia seguiole, reunida a assem
lao o malvado deu urna
terrvel iwcetada era um tlho menor que se apro-
ximava de sua rai para soccorre-ia, ficando a en-
anca perteitameate douda.
O assassioo foi preso e acha-so recolhldo a'
cadeia Qiiixeramobim. >
No districto de Umary, termo de Lavras, Tbeo-
tonio Claudino Torres, associado a seu irajo Ma-
noel Claudino Torre? assassinou a Manoel Malhei-
ros Monra, par haver este deflorado ama irma
d'elles. Os assassinos escaparam a acgo da fus-
tiga. >
t Honlern (30) a 1 hora da tarde teve lugar no
palacio da presidencia a abanara solemne da ex-
posico provincial. *
c Urna sala da frente do edificio, conveniente-
eos exforgos em bem da Tda fo aobremeBte ini-' ~* O vapor Mamunguape, da companhia Per-
ciada pelo geverno imperial. aambocana, sahio do Cear para o nosso porto no-
Esta' alerta a exposigo provincial. dia do corrente.
4aRfiPalpCI do Kveroo do Ceara', 30 de agosto de Seguio hontera no Persimtnga o Exm. Sr.
d "*" ^omera de Mello. Dr. Adelino Amonio de Lnna Freir com destino
PaRMyba A alfaodega readeu, no mez passa- provincia do Piauhy, coja presidencia Ihe foi in-
do, 20:148,8717 ; e o consulado 15:299,5477. cumbida pelo goveroo imperial.
mbmmhpmm..^am^b^b^^m^ I ^xc- 'ol acompaohado por grande numero de
amigos seus al o ponto do embarque, onde urna
guarda do 3 batalbao da guarda nacional fez Ide-
as honras devidas.
Congratularan nos com os nosso? irmos do Plau-
by, cujos interesses sero devintamente promovidos
I por S. Exc. na gesto da provincia.
O sol que hoje desponta no honsonte do Brasil M"C0, de Precedentes honrosas em saa carreir
un annn un. rUOnr .' P0D|ica, S. Exc. nao pode mentir a sua ftliaeao ; o
destes effeilos por coDseguiote se aproveitaro com
vaolagem real os seus goveroados, que oelfe terao-
por certo um agente presliraoso' da expanso das
PERNAMBUCO.
REVISTA D.Amrt
marca o quadragesimo quinto anoo que respira a
familia nrasileir* a aura bemfazeja da indepen- !
dencla, sob o ioluxo de urna vida socialmente li- ;
: vra.
E' este a s-lo-ha sempre, nm dia bemvido para \ore," productivas da provincia
1 os filhos do imperio do cruzeiro. Desejamos ao Exm. Sr. Ur. Adelino feliz viagem.
Em solemnisago delle, pois, ha arrumamento Para recepgo dos respectivos convidados foi
i de tropa hoje pela tarde em graode parada no Cara- uomeada, pela direcgo do baile, que amaoba d
po das Princezas, onde fermara' urna brigada com- a oflicialidade do 3* hatalho da guarda nacional
posta dos b itaiiies de infantana ns. 1, 2, 3 e 4 e! da Boa-vista, urna commisso especial ; qual de-
! o Io esquado de cavallaria da guarda nacional, vero entrada os mesmos"convidados apresenlar
as cartas de convita.
REPARTigJo oa polica.Extracto
mente deearada e revestida de todos os lados com ?>i!!ao.a,0 *.T: ,eDenie-coronel Kodolpho Joo Bara-; Repartilo oa polica.Extracto da parle
as bandairas. dos consulados existentes u'esta ca- de:?'me"" I do dia 5 de setembro de 1866 :
pital, foi destinada a' ceremonia da abertura. Ai j "?ra| na cort*J no palacio da presidencia ; Forara recoihidos a casa de detengo no dia 4 do
Na.har designada postoa se em frente do ps- a e.ffl8,e de b- M- Imperador. comente : a ordeno do Illm. Sr. Dr. chefe de poli-
lacio ama guaeda de nonra do 1. batalbao da a uoite a empreza dj Saota Isabel da'um es-jcia Manoel Cavalcanti dos Santos, Torquato Alves
guarda nacional. peciaculo de gala em solemnisago do mesmo ob-'de Almeida, Antonio Jos Ribiro, Manoel Ramos
A commisso directora, coraposta dos Srs. j,erla dos Santos e Candido Jos da Souza, para recrutas;
Drs. Maaoel Fernandas Vieira, Gengalo de Almei-1 Reuoio-sebOBtemoInstitutoArcheoloeicoeGeo- Joaauim Jose da Sllva e Antonio Pereira da Silva,
Ofllco ao Exm. presidente do Rio GraBde do o'call,;'u",^1 '^I.Bro-u "a""T^! TJi' da Soul0' ^quira Antonio Alves R.belro, Adolpho graphico Pernarabucano sob a presidencia do Exm como criminosos no termo de Agua Preta. A or-
Norte.-Teoho a honra de comraunicar i V. Ezc. ^"Jfi 'S^J os ZSs de asra ^'T'.T0^ Joao An,onO Machado I Jes mODSenhor Muniz Ta'ares e ra SeS.a dos dem do ^ * da f'' Claudino Leite
que ora data do t. do correte foi nomeado coad- SS*0^ ulie de AlbuquerquaBarres, foi receber os Exms. Srs. Drs. Soares de Azevedo, Soares Braodo, Wi-, Perf,ra da pf- J?r "e!,uJa5Jes %m rime de
juctor da parochia de Saot'Aooa do Matlo, d'essa S^^^ da provincia e bispo diocesaoo, e truvio Pinto Bandeira, Amaro de Albuquerque,''
provincia o Revd. padre Joaquim Francico da "'"""J"[J ,eoai adraioistragao. |os introduiio na sala, ooda tomaram assento dos -
Cuoha. | __* """n da a commisso dirigs a s. Exc. a se-, iugares dtj h00ra que hn compelja.
Approveito a opportuoidade para assegarar os i8,? i.'"lV ,' ;U|!.....,:., Aa a on t Uefronte de S. Exes. tiveraaa assento os
raeus seotimeotos de estima e respeito, e offerecer' Afla"7n^P TttlJ^^i otLL i mmbroi> di ^sembla provincial; a ala d.raita
os raeus servigos p.b.icos e particulares s ordens, |J Jj^^S-^.."^^.^~^ foi oceupada pelo corpo consular e commisso di-
de V. Exc. a quem Deus guarde.
Sua Magostado Imperial se digoou ceoseder a exo
R d he_ oerago, que por vezes bavla V. Exc. solicitado,
gal Z ^S^^q'^&oK^ tllTJe ?rtsiden,e d/iU pr<,'iocia>-iae "^
Maria da Conceigo, por eartidao, o assento do obi- d'f a.m.^,e T "S^'J0 r ma'8 m".r?i
lo da srn manrtn Minnoi Marrnia* da Silva seoul- nos.-vem render a divida horaenagera ao mrito,
luSSSS^tet^^ administrador inlelllganta, que por
Rvma. em data de 4 de junho o obiio do mencic-
padre mestre Lino e major Salvador Hanrique.
O Sr. secretario perpetuo da' conta do seguinte
expediente :
Varios nmeros do Diario de Pernambuco offer-
tados pelo consocio Dr. M. de Figueira Faria.
mais de dous aonos foi Infaiigavel, quer em pro-
mover o bem estar e o progresso material e moral
desia parte do imperio do Brasil, quer estimulando
por todos os meios ao seu alcance os brios da po-
vo e conearrendo maito efflcazra'nie para que o
Piauhy representasse nm brilhante papel na guer-
ra injusta e inslita, que faz o nosso paiz o despo-
De ludo isto se v que V. Rvraa. nao so lera del- la Presidente da repblica do Paraguay,
xado de remetterao Revd. paro.!,) d'essa fregu- V*001* 'nalteravel, que sempre reinou
zia, como muilo Ihe cumoria, os senlos mensal- J- e a assembla provincial no decur-
menle.senoque tem crame lijo excesso de juris- s0 de duas '^sUtoras o apo.o nnanirae, que sera-
nado Marques, mas nao merecendo f essa certi-
do; por nao ser dada pelo respectivo parocho,
recorreu a supplicania a esle, que era data de
14 de agosto prximo passado ceitificou nada cons
lar dos livros de sua parochia a respeiio de tal
assento
Termo de contrato qn-, cono Exm. Sr. tice-pre-
sidente da proviucia, II.-. Mraorl Clemcnlina
Carneiro da Cuulia, eelebreu Manoel Tboam
de tlbnquerqae Maranbo, para a factura da ti"
ianco na estrada do Limoeiro.
Aos 5 dias do mez de seterabr de 1866, compa-
receu ni palacio do goverao Manoel Thoraaz de
Albuquerque Maranho allrn de contraclar com o
Exm. Sr. vice-presidente di provincia, Dr. Manoel
Clemeotioo Carnero da Cuaba, era vi*ta da le o.
649 de 20 de mugo deste anuo a factura do 6 lao
co da estrada do Limoeiro na exteogio de 5,100
metro?, orgaia pila repariiga> di'- obras publicas
em 80:6005000, como consia do orcitnenio feto
pela mesma repartigao em21 de ago^o ultlrao, sob
as segaintes condigoes:
.' O contraetante offarece o abate de o /0 sobre
o valor do orgameoto, ficaolo assira reduzdo o" va-
lor do conlracto a quantia de 48:070$.
2.* As obras tero coraeg no praso &i um mez
e sero concluid i< no de de 18 mezes contalos da
data do presenta conlracto.
3,* Metade da obra, pelo menos, ser executada
ns priraeiros 9 mezes, sj!j pena de una muKa de
*/o do valor do contrato.
4." Oj pagamentos sera o feitos em qualro parles
iguaes, em proporgio das obra? execuiadas em
segulraento a partir dos dous pontos exiremos.
5.' Os pagamentos sero feitos melada em di-
nheiro, e rnetade em apoliees da divida publica
provincial, venceodo o juro de 8 % ao anno (pago
meosalmeote) e amortisaveis no praso deSan-
nos.
6." O goveroo poder pagar em dinbeiro o valor
total de cada prestaco, assim como rescatar as
apolices antes do praso marcado no artigo antece-
dente ; este resgale porm, ser obrigalorio, se
tiver lugar cora eatro3 em idnticas circumstaa-
cas.
7.* O recebimento definitivo lera lugar um aooo
depois do recebimento provisorio do ultimo lango.
8.* As obras sero executadas de conformidade
com as ptnlas, orgam-ratos, clausulas especiaes,
approvadas pelo governo.e assignadas pelo contrae-
tante, e qne nao forera contrarias as estipulagoes
deste contracto.
9.' O contraetante dever prestar na thesouraria
provincial fianga idooea nos termos do regulamen-
lo de 30 de julho ultimo no praso de 30 dias con-
tados da data do presente conlracto sob pena denal-
lidade.
10* De-cada pasamento se fara' uraadeduego
de 10 7. para ser entregue depois do recebimento
definitivo da obra conlrac.ada.
11.* Para ludo quanlo nao estiver prescripto no
presente contracto, seguir se-ha o que determina o
supracitado regulamenlo de 30 de julho.
E bavendo o contraetante declarado que aceitava
as condigdes que ficara estipuladas, e tendo pago
na recebedoria de rendas internas o sello de 48$ 100
como se v da verba langada na guia qua se Ihe
passon e fica archivada na secretaria do governo,
mandn o raesmo Exm. Sr. vicepresidente da pro
vincia lavrar este termo de conlracto era qne- assig-
nou com o referido contraetante e as testemonbas
abaixo declaradas.
Francisco de Paula Salles, secretario do governo
o fez escrever.Manoel Clementino Carneiro da
Cunha.Manoel Thomaz de Albuquerque Mar-
Como tejemunbas.Firmmo Herculano Baptis-
ta Ribeiro.Joao Manoel de Cattrc.
diego, Iovestindo-se de ura poder discracionano,
que uo Ibe foi concedido, da extrahir cerlidSes,
funego exclusiva dos panochos, ou de qaem suas
vezes Ozer.
Sirva-se V. Rvma. de lr a Const. Dioc. liv. 4."
til. 49, n 331, e Scar sabeado que soraente aos
parocho, esl coraraettida a guarda dos livros de
suas parochias; e por consecuencia soraente el- Exc- da assembia provincial, em urna poca era
les competen as cerildoes. Quizera que V, Rvraa. pre preslaram a admoistrago de V. '.xc. os elei-
tos de povo Piauhyeose, a proa mais irrefraga-
vel, a panegyrico mais eloquente, que possivel
fazer-se ao iin> e perspicacia com que se houve
V. Ezc. na gereocia dos oegocios pblicos, se
que oo falla aioda mais alio do que isto a felici-
taco, que, por nosso iotermedio, recebe V..
finalmente soubesss que os capellaes niso pa-
roenos.
Pelo que pego fraternalmente a V. Rvma. que,
sem perde empo, remeta com seguraoga io
Revd. parocho d'essa parochia todos os assentos,
iue estiverem em seu poder, anm de seren langa-
dos nos respeciivos livros.
Diio ao Revd. parocho de___ N'esta data or-
reclora da Associago Cemraerclal i ala esquer- Recebido cora agrado, raanda-se archivar.
da nelos membros da commisso directora da ex- : O o. 7 do Oriente, offertado pela respectiva re-
posigao e pela cmara municipal. daego. Recebido com agrado, maoda-se ar-
t Os eefes das reaartiges pablicas, as afflciaes chivar,
superiores das diversas milicias, e muilas pessoas | O n. 23 do Brasil Agrcola, offertado pelo respec-
gradas d'esu capital, que concorreram ao acto, tivo editor F. M. Duprat.Recabido com agrado.
tomaram assento em derredor d'esse recinte.
Algoraas seuhoras, que abrilhantaram essa
festa com sda presenta, lverara lugar distincto ao
lado do Exm. presidile da provincia.
" Pediado a palavr* presideota da commisso,
dirigi a s. Exc, o Sr. presidente da provincia, a
allocuco que abaixo publicamos. S. Exc. res-
ponden com um decurso consiso, elegante e mui-
lo apropnado ai assumpto, conclaindo por de-
clarar aberta a ezposigo.
Em seguida a msica do primeiro batalho da
guarda oacioaal tocou o hymno nacional, e foram
franqueadas aos expectadores as tres salas, que
ocenpa a exposigo.
A primeira sala reprsenla as bellas artes; a !
segunda os productos naturaes, agrcolas e indus-!
tnaes; a lerceira os productos da arte cermica.

manda-se archivar.
O Sr. Witruvio Pinto Bandeira relatando a com-
misso de admisso de socios, offerece a considera-
gao do Instituto um parecer sobre dfferenies pro-
posias para socios correspondentes.E' adiada a
votago para aproxima reunio.
Vera a mesa a seguate proposta :
Proponbo que por intermedio de quem compe-
tir se dirija um oIBcio de agradecimento ao Rvmo.
Sr. provincial deste convento pela benevolencia
cora que consenlio fazer as obras necessanas para
a secretaria do Insliluto.
R cife, 6 de seiembro da 1866. Amaro de Al-
buquerque.
Submltida a discusso, approvada.
Em seguida l-se esta proposta :
t Proponho que por iutermedlo do Sr. secretario
roubo. A' entera do snbdeleodo da Caponga, An-
tonio Joaquim Marques Bezerra. por suspeito de
| ser escravo.O chefe da 2* secgo J. G. de Mes-
quita.
Passagelros do vapor Persinunga, sahido pa-
ra os porlos do norte:Jos da Silva Coelbo, Fran-
cisco Xavier dos Sanios. Antonio Regino do Ama-
ral, J. Cezar de Albuquerque, Mariano Ramos Men-
donga, Antonio Candido A. Gaiowres, J. Dierauer,
Alcides Samuel Raposo da Cmara, Joaquim O. de
Albuquerque e um criado, Rosa Mara Benecta
da Conceigo, Dr. Adelino Antonio Luna Freir,
sua senhora, 6 filhos e 3 criados, Aotooio Manoel
Xavier Biitencoun, Maooel Liberalino Freir de
Camino.
CHROMCA JUDICIARU.
Majs larde daremos urna noticia dealhada da ; perpetuo se dirija officialmente um voto de agrade-
exposigo, a gual se nao lo corapltta, como f-; ciim-olo ao nosso socio o Sr. capito de mar e guer-
para desejar, um ensaio que faz honra a ra Hermenegildo Antonio Barbosa de Almeida, pe-'
ra
commisso, alientas as diflculdaes cora que In-
lou,
Illm. e Exm. Sr. A commisso da exposigo
provincial, oomeada por V. Exc. para agenciar
productos agrcolas e industriaos e de obras
I quaes cooquisioa, nao s a gr.itdo dos seus
hilantes, mas tambera essa aureola de gltria, que
denei ao Revd.padre... aen'v'iar.lha'todose'quaes- {'" em torno do seu nome e que Ihe servir de
quer assenlos de baptisamentos, csamelos e obi-1fioal ,Bas trevw do futuro, para qu-i nao possa ja-
tos que em seu poJer estiverem, perleoceoles a ** t de ser vnto por aqnelles que sabura
essa freguezia ; dos quaes V. Rvma. Ihe dar qui- i W a ""** o talento. .
lago, ficando elle obr.gado d'ora era diania a' en- A assembla provincial d.-seja que>6iBxc. f.iga
viar-lhe raensalmente os assentos de baplisaraen- J." Rem, que gose toda a sorie de prasperida-
tus, casamenios a oblios. V. Rvraa. me f-Jra conhe- *f" f V9t0S Pr* 1ue SQa brilhao e estrella ful-
cer, se o contrario acontecer. i .da vez mais bella, no borisonte de soa vida
publica.
Ofllcio a mesa regedora da coofraria das Almas,'
da cidade de Goianna. Empeob em qualidade de membros da mesa regedora da
coofraria das Almas n'essa cidade, em soleraoisar,
no dia 29 do corrate, a comemorago do glorioso
S. Miguel, padroeiro d'essa contraria, e expr era ,
procisso a mesma raagara adorago dos Deis,
coosuitaram-me se a direcgo, que deve ter a pro-
cisso as ras d'essa cidade, da competencia da
contraria ou do parocbo ; ou se a este somente
pertence fazer que no mencionado acto se guarde
a necesaria decencia e respeito religioso. Res-
pondo a Const. Syn., Ilv. 2." til. 15." ile ns. 492 a '
495, de conformidade com o sagrado Conc. Trident.,
ulorhou aos parochos (na ausencia do provisor
ou vigario geral) a decidirem as controversias
suscitadas a crea de precedencias e direcgo as
projissoes; cumprindo aos fiis obed-cer as de-
cises, com o direito salvo de tratar ao depois de
sua jusliga pelos meios ordinarios.
Alm d'isto, pelo decreto Urbis el Orbis, na ques
Pago da assembla legislativa provincial do
Piauhy, 2 de agosto de 1866.Firraino de Souza
Mariins.Coriolauo Cesar Rurlamarque.Justino
Jas da Silva Moura.Jos Joaquim Avellino.Au-
gusto Francisco Nogueira. >
i S. Exc. respondeu nos seguintes termos :
< As manifeslagoes que a assembla legislativa
do Piauhy me dirige elevam-me muilo alm do
pouco que valho; encarecer demaziado os dirai
utos servigos que prestai a esta provincia oa
qualidade de seu adraioistrador.
t Bem o sei; e por Isso teoho mais ura motivo
para confessar-me penborado por tamanba prova
de benevolencia.
< Durante o longo periodo do mea governo,
procurei sapprir a miaha inexperiencia, iosplran-
do-rae sempre oo evangelho da lei. Nunca uve
outr. empeoho, que oo fos.se o culto do dever.
t Creio que me liciio, sem inconveniente,
exprimir esta verdad?. Eu seria maito eliz se
algum dia, fosse confirmada pela historia, a par do
to 21.*, se v que-s dentro do mbito'das igre-: aiI immerecido que hje a proviBda enuncia a
jas se podem fazer procissen, conforme o est; cito
de qualquer coofraria, sem intervengan d i-
rocho.
Nao serla pois consentaneo polica ecd sias-
lica que as contrarias, de preferencia aos paro-
chos, tomassem a iniciativa nos actos do culto pu-
blico, nos quaes os parochos devem ter sempre o
priraeiro lugar, e immediata inspeego.
I-to .posto, convm que a meza regedora da con-
traria, tendo em vista o maior explendor da so-
lemnidade, se entenda com o Revd.. parocho mi-
nistrando Ibe o programma da festa, para que este
exerga as attnbuices que Ibe compelen), evitan-
do-se d'este modo os conflictos nao poucas vezes
originados pelos caprichos.
Ofllcio ao Revd. parocbo de S. Jos de Mipib.
Pelo seu officia de 30 de agosto prximo passado,
fiquei certo de que V. Rvma., usando da licenga
que Ihe conced, antes de ultimado o seu prazo,
entrara na administrago de sua paroebia no dia
20 daqnelle mez.
Dito ao mesmo.Acenso recebido o sen officio
de 30 do passado, era que V. Rvma., depois de
declarar que a igreja dedicada ao Divina Espirito
Santo na povoago da Vera Cruz, filial d'essa ma-
triz, se acba em estado de n'ella serem celebrados
os offlcios divinos, me pede aytorisago para ben-
z-la.
Annulndo ao zlo de V. Rvma. por tantas vezes
manifestados no serviga da rliglo, aoioriso a V.
Rvma. para benzer a referida igreja, observadas
as dlsaosigoes do Ritual Romano.
GOVERXO OO BISPAIO.
Extracta da expediente da diocese de da 3 de
setembro de 1866.
Ofllcio ao Exm. presidente da Parahyba. Cor-
re-me o dever de communicar a V. Exc, qae foi
COMIDO DAS ARMAS.
Qnartel general do commando das armas de Per-
nambuco oa cidade do Recife, 6 de setembro de
1866.
ORDEM DO DIA N. 275.
O Erigadeiro commandante das armas em nome
do Exm. Sr. vice-presidente da provincia, convida
meu respeito, pelo orgo de seus noLres repre-
sentantes.
c Prestes a deixa-la, s levo coralgo urna ambi-
guo : a de ve-la rica, engrandecida de todas as
prosperidades, abengoada do cu e dos bomens,
marchar a passos largos na senda do progresso.
c O que eu nao pude fazer em bsn dalla, apesar
de todos os neos bons desejes, apesar de todos os
esforgos de que fui capaz, bao de consegui-lo os
neos (Ilustres successores.
< Afaga-me esta esperanga; alenta-me esta
coosolago.
A coraraogio qne ora me domina nao me per-
mute dizer-vos seno estas pouoas paiavras, qae me
irrompera do corago.
c Seris eloqoentes interpretes dellas perante a
assembla legislativa, a quera rogo-vos que apre-
senteis os meus votos de profundo reeonbecimento
e da coosiderago a mais distiocta.
c Palacio do governo de Piauhy, 2 de agosto da
1866.Franklin Americo de Menezes Doria, i
c O Sr. Dr. Doria receben em sua sabida multas
provas de aprego, que mostram quanlo foi grato
aos piauhienses o sen governo. Um grande nume-
ro de seus amigos o acompanhon al Flores, tres
leguas distante Theresina, e alguos al Ca-
xias. >
CearFoi nomeado promotor do bispadooRvd.
Glisserio da Cosa Lobo.
A varila grassava com inteosidade na ca-
pital.
a O vapor Inglez Angustine seguir para aEuro-
pa, no da 23 do passado.
Falleceu: o Dr. Jos Antonio da Silva
Vianna.
Na assembla provincial houveram, em di-
versos dias do Ora do mez passado, discossdes
ser considerado, seno como a expressao sincera
dos seniimeotos de que ella se acha aaimada.
c Digoe-se, pois, V. Exc. de acceitar j?sta ultima
demonstrago, que Ihe d a assembla do Piauby
do alio agrego, em qae tem os relevantes servigo3
por V. Exc. presuuos a esta provincia, cora os d'arte, vera boje apresentar em solemne exposigo
" o resoltado de seus trabalhos.
* A commisso sent que os objectos exposios
nao satisfagam seus desejos de ver melhor repre-
sentada a provincia : mas sa aitender-se ao tempo
que raediou entre os convites e o dia marcado
para a exposigo, ao grande invern desle anno,
ao iodifferealismo de maitos qae deixaram de con-
correr com os productos de suas industrias, reco-
se-ha que a exposigo de via ser pobre,
como da productos.
O comego de qualquer instituigo, por mais
til que ella saja, como a presente, sempre
acompaohado de difficuldades, e por isso nao sirva
de e-iraatieza a falla de tantos objectos, qae po-
diam eorlquecer a actual exposigo. O tempo,
porm, e a repetigo de aclos taes iraro aliaal o
resultado que se espera de semelbaotes banquetes
iodastriaes.
CoDgratulerao nos, porm, cora o presente en-
saio, porqne elle o preludio de grandes melbora-
mentos para esta provincia.
A coramisao, Exm. Sr., agradece a V. Exc.
a nomeago que della fez para representar esta
provincia em, materia de tanta importancia para
ella.
c AcceitanJo to pesado encargo, resta-lho a
satisfagan de ter feilo ludo que eslava em si. .para
corresponder a's vistas de V. Exc. e do governo
imperial.
Cear, 30 de agosto de 1866. Manoel Fer-
nandes Vietra. i
As festas da industria, como as da indili-
gencia, sao sempre nm grande e nobre espectculo
no seio das nagoes caltas.
< Ellas annunclam o reinado fecundo das artes
da paz e as cooqaistas potentes da actividade hu-
mana.
t Assistimos boje a una dessas festas solemnes.
t Aqui, no meio d'estts planicies arenosas, em
coja face a naiureza pareca haver impresso o sel-
lo da esierilidade, a mo audaciosa do horaem ci-
vllisado assentou as fundameoios de ora (brscen-
te emporio, rasgn a trra, e fecundou-a cora o
germen do trabalho.
< E hoje, o deserto rido transformou-se em
urna habilagao risonha; e as ondas d'esse mar
tempestuoso reflecten, no azul lmpido de suas
aguas, a imagera de urna cidade opulenta e cheia
de esperanga.
< As iradigSen gloriosas de vossos esforga-
dos ascendentes nao foram perdidas para a
causa do progresso e da prosperidade d'esta
ierra.
c Os recorsos maravllhosos do salo do Ceara'
sao explorados com perseveraoga. As serras con-
vertem-se em ricos celleiros ; os valles povoan-
se : as planicies eobrem-se de casas de trabalho,
onde circula a animago e a vida.
c Em meiodessa regiao aroplissima, ondea vis-
ta se alonga por horisontes sem Om, a ambigo ia-
saciavel do homem nao provocon debalde as for-
cas da natureza.
A exposigo, que boje inauguramos, nao re-
presenta, nao pode representar todas as nota veis
conquistas, que tendes obtido sobre o slo, qae vos
coube por sorte. Mal pedemos render esta solemne
homenagem ao dogma do trabalho, nos, qne oeste
momento pomos em coniribuigo toda a energa do
carcter nacional para defender a cansa sagrada
los servlgos prestados ao Instillo por diversas ve-
zes especialmente por occasio da collocagao da
lapida commemoraiivo do arco do Bim Jess.
Sala dassessSes do Instituto, 6 de setembro de
1866.Salvador Henrique de Albuquerque.
Eutrando era discussao, toma o Sr. major Salva-
dor Heonqua a palavra, da' conta da commisso
que Ihe fra incumbida da collocagao da lapida
commemorativa da existencia do arco do Bum Je-
ss. Por esta occasio historia essa funego, e
raanifesU os servigos valiosos prestados pelo Sr.
capito de mr e guerra Herraeoegildo Antonia
Barbosa de Almeida em coadjuvago da incumben-
cia, que Ihe fora comraellida pelo Instlalo, justifi-
cando assm a sua proposta.
Encerrada a discussao, e posta a votos, 15 appro-
vada.
E levaota-se a sesso.
A inaugurago da exposigo provincial foi
anda una vez adiada, pelos motivos iue expoe o
secretario da respectiva commisso, o Sr. Dr. Baar-
que de MaCedo, no annoocio que vai no competen-
te lugar, e para o qual chamamos a
leitores.
TIURIWL 1ft ronnERfio
S.CTA DA SECSAO AM1MSTRAT1VADE 6 DE
SETEMBRO DE 1866.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. BESEMBARCADOR
ANSELMO FRANCISCO PERSTTI.
A's 10 horas da manba, reunidos os Srs. depu-
rados Rosa, C. Alcoforado, Baslo e Miranda Leal,
S. Exc. o Sr. presidente abri a sewao.
Lida, foi approvada a acta da sessao antece-
dente.
EXPEBIENTE.
Aes Srs. deputados foram distribuidos os livros :
Diario e copiador de Antoui Afongo Moreira.
Copiador de Dicraner & Bussons.
BESPACHOS.
Requerimeoto da Caixa Filial do London & Bra
silian Bank, para ser registrada a nomeago que
dera ao seu'caixeiro l aquim Dias dos Santos.
Registre-se.
Dito de Thoraaz Jefferies, pedindo o registro de
urna escripia de contrato, que junta.Vista ao
S\ desemfcargador fiscal.
Dito de Hernardino de Vasconcellos, corretor
geral mosliando, com o documento qfie junta, ter
satisfeito a exigencia do inouual relativamente a
declararn que devem fazer as testemunhas, que
assigoam as Mangas, de que sao abonadoras e so-
lidariamente respou.-aveis.Archive-se.
Dito de Luiz Caetano da Silva Campos, agente
da Companhia Bahiana, oo l'eudo, para ser re-
gistrado o conlrat, que junta, de fretaraento do
vapor nacional Santa Cruz.Registre se.
Dito de Antonio Francisco Martius de Miranda,
para serem registradas tres letras de s-u saque
acceitas por Jaciolho Paes de Mendonga, cada
ama oa importancia de do s coutos de res.Rt-
atteogo dos gistrem se.
Dito de Antonio Jorge dos Santos e Joaquim An-
Tera sido quasi insoperaveis as difflculdades tomo Laraogeira, para se Ihes registrar o seu con
com que tem lutado os encarregados da direcgo trato s> cial, que juntara.Vista ao Sr. desembar-
ra nossa exposigo, pela iodiffereoga com que os 8a^or ^sca
bios dentro do recinto.
A alfandega renden, no mez passado......
132:050*717.
Na inspeegao do algodo do Aracaty entra-
ran), no mex de jolho, 5040 saccas.
L-se no Gearense:
oossos industriaos e em geral a populago da pro
vincia tem olhado para um concurso de lo gran
de utilidado para o paiz, e no qoal, com verdade, j
esto empenhados a nossa honia e o nosso patrio-
tiso-o ; de sorte que poucos sao os productos en-
viados al boje a exposigo, sendo estes anda pela
maior parle objectos de mrito artstico e pacien-
cia, mas de pequea ou oeobuma ulilidade e con-
sumo.
Teem-se commeltido e erro de julgar que expo-
sigo s se devem enviar raridades e bellezas, pon-
do se de parte, o que ludo, a ulilidade do produc-
to. Convm, no entretanto, qne assim nao proceda-
mos, e que aotes amootoemos oas salas da exposi-
go bonitas amostras de assncar, algodo, fumo,
cereaes, productos de mioas, pedreiras e metallur-
Dito de Jos Velloso Soares, e seu filho Joo
Velloso Soares, aprsenlando o nov. contrato qae
celebraran) pura poder coDtiouar por mais um
anno a sociedade que tem no trapicheCompa-
nhia. Visia ao Sr. desembargador fiscal.
Dito de Tasso Irmos, para que o corretor geral
Beroardino da Va>concellos em vista do seu pro-
tocollo Ibes certifique o que constar com relago
a compra que por saa iotervengo fizeram a Pe-
dro da Suva Reg em 4 de abril ultimo de 200
saccas de algodo, assim como as circomstancias
qae se derara por occasio da entrega dos conbe-
cimentos por Siabonheatb.Como requeren).
Com informago do Sr. desembargador fiscal:
De Hanrique Leite Pereira Jardim, em que pe-
de o registro da declarago que Ozera Jos Gomes
gicos, madelras, raizes, palles, couros preparados, Villar de nao ser mais elle sopplicanie caixeiro, e
lanificios, sedas e outras substancias textis, machi- sim interessado nos lucros do estabelecimento n.
renbldas e inconvenientes, que produziram disbur-, de nossa nacionalidade em nm pleito, em que ta
oas e instramentos de agricultura etc. etc., do que
enfeiteraos as suas paredes com objectos que exci-
ten) apenas a admirago do visitante pelo trabalho
s paciencia.
Amantes da nossa provincia, e eomprebendendo
quo desagradavel nos ser se deixarmos de tomar
parte oo concurso da industria nacional que deve
ter lugar na corte do imperio, e na grande exposi-
go de 1867, por nossa vea appellamos para o pa-
triotismo dos nossos agricultores, dos artistas da
provincia e de todos que tiverem meios de auxi-
liar exposigo provincul.para que se apressem a
promover a acquisigio e remessa de productos dig-
nos de all figuraren.
Trata-se de mostrar perante o Imperio, aos olhos
do estrangeiro, qae Pernambuco nao esl a qaem
das suas irmaas no caminho do progresso indus-
trial, funte de todas as prosperidades. Para isto de-
vem eoncorrer todos que aman o solo pernarabu-
cano.
Amanba cemmemora a irmandade do Divi-
no Espirito Santo o 11* anniversario da reconcilia-
gao de sua igreja, com missa cantada e sermao.
Este acto religioso tara principio das 10 para as
11 horas da manha, e a nolte ha ver ladaioha em
ultiraagao da solemnidade.
O Sr. consol porlogoez visitou bontem a cr-
vela de sua naciooalidade Duque de Palmella, por
obra das 10 horas da. manba; e por essa occasio
salvou a mesraa crvala.
remosafinal o inumpho, como tnampha sempre
eausa da justiga o dos desregraraeotos da forga.
Nao desprezemos, entretanto, esse pequeuo
bolo. Modesto embora, urna idea de progresso,
qne laneatnos no saleo, em qae germinan os dea-
linos desla trra.

17 roa do Crespo.Aprsente 0 sopplicanie de-
clarago de Jos Gomes Villar acerca de ser o
mesmo supplicante seu socio oa caixeiro Interes-
sado em vez de s-lo com ordenado.
De Justino Estoves Alves, em qae pede ser no-
meado corretor da praga de Macei, provincia das
Alagoas.Prestado jararaeoto, passe-se titulo.
RKSOLUCAO.
O tribunal resolven se offlciasse ao agente de
leudes Francisco Ignacio Pinto, para apresentar
al o dia 13 do corrente certido do termo de fian-
ga que requereu em 26 de julho ultimo para pres-
tar perante o juizo especial do commercio em
subsiituigo a do fiador Jos Hyglno de Miranda,
qae fallecer.
E nao bavendo mais & tratar-se, S. Exc. o Sr.
presidente encerrou a sessVi s 11 horas o meia
do dia.
SESSAO JUDICIARIA E 6 DE SETEMBRO DE
1866.
PRESIDENCIA B0 KXM. SR. DESEMBA10AOR
A. t. PERETTI.
Secretario, Julio Guimariut.
As orne horas e meia da naoa estando reuni-
dos os Srs. desenbargadores Silva Guimares
Reis e Silva e Aecioli, e os Srs. deputados Rosa,
Candido Alcoforado, Basto e Miranda Leal, e Exm,
Sr. presidente declarou abort a sesso.
Lida, foi approvada a acta da sessao antete
dente.
Fez honlern aclo, das'materias do 5.* anno o Acordaos assiokados.Embargante a Compa-
Sr. Joo Baptista Pinbeiro Corte Real, que obtendo nbia Brasileira de Paquetes a Vapor, embargados
plena approvagao, receben com as solemnidades Joo Francisco Pardelhas e ootros.Appellanta
do estylo o grao de hachare! em scienciaa sociaes Joo Pereira Bastos, appellada D. Josapoa Leopol-
e jurdicas pela faculdade direito. (dina de Mello Marinho.Appellanta Manoel Anto-
OSr. Corte Real freqaen.ta.Ya. q 8* anno, qqande/aio Ribeiro, appellados J-ao Jaime M*rtlos Cha-
i
*"
*****.


Diarlo de PertanRilmco A*sta felra de etembro de 1866,
N



*% ii im> ii -mi-T.n n i i- ...i mr\ w '' '
ii i----------- '
ves e oatros.Appellaot 'eceirs Rabello
Biaga, appellado Antui.i
Julgamento. ; ecorreule Agosliaho Meo des de
*

"-y-'-
Passagens.-Do Sr. desembargador AccIMi ai'llia-s; muito mais beme ft5>) i
8t. de Guitnares.Appellaqte tioocO
Joao Pinto de Lemos Jnior, appellado Manoel Al-
-Recrreme D. Amelit CouttDho
Remandes Lima, recorrida a ..eommissao liquida-
dora da massa fallida de Monteoe gro Lima & C.
> Appellwies os administradores da massa fallida
de Joao Baptiza Goncalves. Bastos, anadiados
Linden Wild & C. *
j
AGORAVO DB INSTRUMENTO DO JUIIO DA ESCADA CO
MARCA DE SANTO ANTAO.
Brllo Pinto, recorrida a directora do Banco Ruca!
Hypctnecario.Adiado as sessoes de 30 do mez
passado e de 3 do corratelo Sr. Minanda Leal
nao apreseolou. os aulas.
Appellantes os administradores da massa fallida
de Joo Baptiza Gongalves Bastos, apprllados Al
ves Hamburger & (1Foi confirmada a senlenca
appellada.
AppellaBte Goncalo Francisco Xavier Cavalcan-
te Ucha, appellado Luiz Araavel Dubourcq Ja- Aggravante Antonio Gomes da Cuoha e Silva,
nior.Adiado a pedido de um dos Srs. deputados. agravada Francisco Antonio Poolaal.t1 Exm.
Appellaow D. Thereza de Jess Coelho de Sou- r. presidente ni* tomou conbecimeote.
za Leo, appellado 6 Dr. Angelo Hennqaes da Sil- |
va.Maodou-se lavrar termo de desistencia e pa-1 ada mais houve e encerrou-se a sessao a
^ar a competente dizima. I meia hora da tarde.
_-------------------------------------------------------------------------------- 0
TABELLA DO RE;\DIMEN10 DA ALFaNDEGA DE PKRNAMBUGO NO MEZ DE AGOSTO D
CORRENTE ANNO FINA.NCEIRO COMPARADO COM O DE IGUAES MEZES DOS DOLS ANNOS
: LTIMOS.
Importado.
Deposito em Prnambuco, casa deP. Ma-
rer & C, ra Nova n. 18.
m
COMMERCIO.
a Costa.
Dircitos de consumo.....
Ditos addicipnaes de 5 %
Ditos addicionaes de 2 % _.
Ditos de baldeacao o reexportacao
Ditos de ditos e reexportacao para
d'Africa.........
Expediente dos gneros estrangeiros nave:
gados por cabotagem.........
Ditos dos gneros do paiz.......
Ditos dos gneros livres......
Armazenagem -........'
Premio dos assignados .....
Despache martimo.
Ancoragem............
Direitos de 15 % das embarcacoes estrangei-
ras que passam a nackmaos.....
Ditos de 5 % na compra e venda das embar-
. cales.............
Exportwfio.
DireHos de 15 % do pao Brasil .....
Direitos de 7 /p de exportco
Ditos de 2 %idem. .
Ditos de 1 % de ouro em barra
Ditos de f/s dos diamantes. .
Expediente das capatazias. .
Interior.
Multas.........
Sello do papel flxo ....
Dito do papel proporcional. .
Emolumentos......
Imposto dos despachantes. .
Extraordinaria.
Receita eventual.....
Dizimos da provincia das Alagas. .
Ditos da provincia da Parahyba ....
Ditos da provincia do Rio Grande do Norte.
Coutribuicao de caridade........
Alfandega de Prnambuco, b de setembro de 1866.
866 1867 1865 1866 1864 186o
573:0235200 78:2775762 ,2395553 3115051 349:2255693 45:9875196 1475<16 1085713 590:2165^13 81:1575913 133548o 3975241
5 5 5
7705474 2:3775929 1:1655 '50 2:8425736 5 7255446 1:1425301 7035050 3:1645911 I 6125473 8485^3 2425850 2:4605126 5
2:9245100 2:0055680 1:1675360
5 5 5
25500 5255000 3315500
5 119:0365829 5 5 5 1:8655100 5 94:7365613 5 5 5 1:6715660 1975550 63:0195391 5 5 1:5185640
6725787 5455620 2065' 335400 5 5
786:4405041 3:4115934 4:3025543 1705>49 9112388 501:3125429 385711 6:6165*30 395H69 5975502 743:5385672 2655775 9:1415053 4695943 4165205
795:2365775 509:'842541 ----------------------------------r------------------------------------------------------------------- 753:8315650
Cotaces ofQeUes,
PRACA DO RECIFE, 6 D6 SETEMBRO
DE 1866.
A's 3 hars e meta da tarde.
Algodio1* sort 165400 por arroba.
Atoodoo.Da Parahyba 175800 por arroba, posto
a borda
Cambio sobre Londres 90 d/v e 23 d.
Cambio sotare Pars 90 d/v 383 390 ri^Bor
franco.
Descont 8 0/0 ao anno.
Debourq,
Presidente,
Silveira,
Secretario.
Xovo bae de Peruam.
bneo,
O novo banco descoma letras de prazo at qna-
tro mezes a 8 por cento ao anno, e de malar prazo
a 10 por cento.
0 novo banco de Pe nambnco faz o
('lindo dividendo de vinte por
das massiisde Mesquita & Dutra e Fran-
cisco Antonio Crreia Cardozo,
Gaia Filial du B.nes dn Brasil en. Peiuambuco
aos 13 dejiile de iSGfi.
De ordem da director se faz sciente aos senhe-
res accionistas qae o theesoreira est aot iris-ade a
pagar o 25 dividendo das acedes desta caixa a ra-
zo de 105.
O guarda livros.
Ignacio Nunes Gorreia.
JjECLASACOES.
COilSWMII V DUASlLEtUA
DE
upez de Beneficencia cv
peruambHco.
Ajuma dminisirctiva, manda fazer publico, que
no dia 46 do crreme ter lugar a fe-la aniversa-
ria e o_ leHo, pede-se poitanto as illu-trissimas
commissoas que se eacarregarara de ageuciar alga-
mas areadas, e mesraa os senhores pais de familias,
qoe com o primoroso irabalho de suas esposas ou
fllhas, se dignarem fazer alguma nfferM, para
augmeniM* o bolo daajuelles infelites que se
acbam sobre o leite da dor, e nao tea mais do que
o ampare d* caridade,. se .-ii varo mandar reellier r[o dVAntonlo''Luiz
al o dia, U ao referido hoapilal, ou as casas
indicadas pelas respectivas commissoe;.
O secreMf io,
Joao Francisco Paredes Porto.
Pela secretaria da cmara municipal dsta
cidade se faz publico que a mesma cmara prin-
cipia a terceira sesso ordinaria d^ste anno em o
da 12 do correte, e nos que se seguirao.
Secretaria da cmara maoicipal do Recife 5 de
setembro de 1866.
O secretario,
Francisco Canute da Bawlagem.
Perant a cmara m ;iiri.al de.-ta cidad,
estaro ero praca ao das 14, 13 e 17 do correte
PAQUETESAUflPOB
exposi^AO

Dos portos do sul esperado
at o dia 14 do correte o vapor
Cruzeiro do Sul, commandame
Alcoforado, o qual depois da
demora do cosame seguir para
do norte.
Praductea agrcolas, odusfriaes ebras de arte
da provincia de Pernambica.
Nao obstauf. es psfjrcos que tem a coBmisse
directora da exposico empregado na acquisicao
de productos desuados a figuraren! oa (esta in-
duslrial da provincia, j diriginde-se a uasi tota-
lidade dos productores e a grande name'ro de cor-
poracoes, funccionarios [>ublicos e ontras tie=iAas
Desde ja recetena-se passageiros e e8aja^e_^ jqoe $e acbam em condicSes oe auxilia I
O 2 escripturario,
Henrique Gomes de Oliveira.
Publicares a pedido
Oh I quanta species
seosum non haba I
(Phedro.)
Oh 1 que figura eogracada I...
Mas tem a Lola virada I

Da' boje o 3 batalbao da guarda nacional da
Boa-Vista um grande baile, noquaiteldas Cinco
Ponas, ero eou.mera.racao ao da 7 de selembro,
aniversario da ind. ^fcdencia e do impeno. E,
porm de lamentar que n'um baile, como esse, t--
do pairiotiro, tennara as pes6oa que a elle con-
correrun, de c bservar a mais nolavel das aotilhe-
ses contra o amor da patria : qual sera'.- sem du-
vida, a apparicao ah de um eute verdaderamente
amphibio, ou sem patria, como devera'
te ser o Cairo eoniemporaneo ; puis, com effeilo,
que amor podera' ter a soa patria quem, como
elle, o nao tem neta a sens proprios Irraos, uoui
que os persegoe com implacavel odio T... ou qual
lera' sdoa~palna do primitivo Caim, depois que
viclimou seu irmao At,l a' soa ira 7....
Vejara, portanlo, e conteii'jilem todos o carao, ou
lata (ie envernisada, ou sem v.rniz), com que se
aprtsentara'"elle em lal reunij patritica, onde
necessaiiamenl* tera'de arhar-se frenle a fenle
com a propria vielima de sen raoeor, de sua ove-
ja, o proprio Abel, a quem tanto tem perseguido, e
qce, como bem sabe, tem de ir a esse baile, neces
sanamente, como alferes, que do batalhao da
guarda nacional da Ba-\i.-ta ? I
Com que cara se presentar' Cairo diante de
Abel n'uma reuniao, como essa, lo publica 7 1...
Tera' elle cara para tanto, se nao para mais 71...
De vera'ir a esse baile, ou mesmo podera' osten
t*r-fe mais im pullico, em qualqaer parte, onde
tiver ceiteza de encontrar-se cora aquelle seu ir-
mo, eroquaulo o opprimtr, C( que geraimente sabidu), ou emquanto o proprio
Caim, por virlufle de um procedimento ulterior,
em contrario a esse, nao houver plantado no ani-
mo do publico a firme crtica de que o arrepeali-
mento fle suas mas accoes eonlia o infeliz Abel o
tem levado a abracar este seu irmao, e pedindo-
Ibe perdo dos males, que Ihe (mu cansado, cons-
titnir-se d'ahi em diante sen protector, como njlu-
ralmenie devfa ser, e nao seu perseguidor, como
tem sido at hoje 7 1...
Respondam pessoas mais ensatas; pois que o
Caim, qoe hoje mesmo acaba de compleUr quaren
ta e cinco annes, anda tem lo pooco bom renso,
e (em ao mesmo lempo urna cara tamauha para
tudo, que esta' dtsposto a ir ao baile, anda que v
mascarado, se preciso fr : o que certaraeote nao
sera' preciso : pois qnem lem to boro carao, deve
dizer seropre, bem senhor de siQuod natura dat,
nemo negare potest : o que ja' provoo, fallando em
publica audiencia contra seu proprio irmao ; e
quem pode o mais, pode o menos.
Portante, ha de ir o Caim ao baile ; ha de fazer
proezas na dansa, e ha de dizer verdades, que s
poderao se escrever de pernas para cima ; pelo
3ae seaguem l, ou emqualquer outra parte, 011-
e elle se achar, quizer dizer mentiras, devera' pe-
dir-lbe cenca ; porqne elle empnnba na mo di-
relta o sceptro d mentira, por unnime acciama-
jo dos mentirosos, e na esquerda o azorrague da
intriga e da calumnia 1
Oh cornial re nao quero tratados I... dlrao
todos.
Oh I qnanta species I... sensum non babet f...
dir'
Vulpis ad personan) tragicam Caioi.
N. B.Pomos ltimamente informados de que o
referido alferes, irmao do Caim nao ira' ao dito
baile, como era de esperar pelo qoe soffreu.
direito de exigir, e exigir aquillo qoe realmente
qoer e nao o que aloem ordena que queira.
E' assim que ja' por vezes tendo o publico exi-
gido do Sr. emprearlo a representaeo de cortos
dramas, como sejam o Demonio familiar, Dalia,
Mulheres de marmore, Gaiato de Lisboa, Gringo-
Id, etc., entende esse mesmo senlior estar a repli
car com enfadonbos dramas, alias mal representa-
dos, como seja o Anjo da mela noit, smenii' por
capricho do mesmo senhor na dislribuica.i dos pa-
pis, abusando assim da paciencia do publico e ex-
torqumde os cobres da uelles que por nenhuma
outra distraeco lerem ahi va o I
Que tal 7... Onde ja'se vio isto7... Al que
pouto quer chenar esse senbor com a sua indilfe-
reoca a voz publica 7
Por ora fi]ueroos aqu e esperemas d'ora avante
c'rr'roen" P,Ced'raent" desle senhor paa melhor pesarmos
o seu carcter.
Os Botocudos.
N. B.A nossa assignatura sei o ultimo meio
de qoe laucaremos mo.>
Caixa filial- do banco do Brasil em Pei-
nnibuc 13 re jullio del8(iG,
A ealxa descoma os saqoes de seu aceite pela
taxa de 60/0 ao anno, sacca esobre a caixa filial oa
Babia.
para serem arremtalos por quem maior preijo of-
ferecer, as reudas que coostiluero o patrimonio
municipal, e p.or espago de um auno a saber:
, n 11 tu Imposto de afences de pesos e me-
w didas.........19000500o
Dito de 80 rs. par carga de farinha
e outros legumes veudilos nos
mercados pblicos das (reguezias
4* S. Jos e Boa-Vista.....2:231*000
Tainos de acoogues pblicos das fre-
guezias de S. J /.s e Boa-Vista. *
As passoasque se prujozerem arrematar ditas
rendas, dev^rao compareeer nos dias indicados,
competentemente habilitados na forma da le ;
apresentaado suas habiliiacOes um dia antes na
secretar da mesma cmara para serem exami-
nada;.
Paco da cunara muaicipal do Recife 3 de se-
tembro de 1866.Luiz- Jos Pereira Simoej, pro-
presidenteFrancisco Canuto da Bja-viagem, se-
cretario.
Novo Brnc) de Pernamimco.
O Novo Banco faz o 17 dividendo da 55
aeco.
por
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 5....... 89:8645691
IdooMo dia 6................. 16:3345712
106:1995403
MOVIMENTO DA ALFANDEGA.
37
325
Volumes entrados com (azenda...
c t can) gneros-...
Volumes sabidas cem fazendas...
< cam geaeros...
-----, 362
73
329
-----402
1 Auaoahoita peitoral de Kemp.
De cojas virtudes especifleas tantos an-
nuncios appareceram em uossos jornaes,
urna com osigao de vegetaes peitoraes, e
i)3o contm nenhum adstringente veenoso
ou mortalmente narctico. E preparada
em forma de um xarope delicioso, etc.,
um poderos) e eBcaz remedio para irritac5o
dos pulraSes, anginas, catarrho, tosse, res-
friamento, rouquidio, aff q;oes catarrhaes,
escarros de sangue, e todas as innumeraveis
molestias que affectanv o orgos da respi-
rado.
Cuidadosa e scientificamente preparada
por Lanman e Kemp, em Nova-York.
Acha-se venda as p armadas de A,
Caors e de" J. da C. Bravo A C.
Illro. Sr. Joiquim de Almeida Pinto.Coyambu-
ca, 4 de setembro de 1866.Lemlo no Jornal do
Recife diversas declaracoes de pessoas que tem
obtido alivio as enfermilades que soffriaro, eom o
us* da urobeba preparada por V. .. jrgo nao
dever H'-ar em silencio e uatentear ao puhlico
igual resaltado se nao maior que tem experimen-
tado o meu lli'i Luiz Jos da Cmara, o qual sof-
frendoem grao muito subido do flgado e basso,
fui aconselliado para o mandar a Lisboa, e effecti-
vamenle para all parti a 15 de jonho de 1864.
lufelizmente all chegando, es professionaes a
quem elle fui submetti:to,'entenderam elle sofrer
do peito e nesse sentido coogrram-lbe a curas co-
mo era de esperar, o menino peorou extraordina-
riamente, a ponto de o fazerem regressar em se-
tembro do me>mo anno, era estidu que supiraze-
ram que elle surcumbiria em viagem, felizmeule
assim nao aconteceu, sendo certo que chegou em
peior estado do que daqui parti, quasi desengaa-
do tronxe-o para o engenho, e por algum tempo
use de remedios caseiros, com os rjuaes apenas
a palliando a vida.
Determinei me aflnal de consultar a V. S., e de
entao para ca tem elie usado do seu excellente
rem-dio da jurnber.a, e a vista do estado em que
se aehava e o em qrte se acha, pode-se dizer cura-
do, por quanto a muito tempo que nao lem febre,
do Qgado parece nada mais soffrer, o basso, o
grande vulnme qoe fazia, esta' moito diminuido,
o veotreaue o tioha bastante crescido esta' qoasi
ro natural, a cor qoe era de um amarello esver |
diado esta' h.Je corando, ja' se Ihe v sangue as
faces, a tendencia que tinha s para estar deitado
ja' a nao lem, a cama hoje s o v a noile a hora
de descaoco.
Anda continua a usar do mesmo medicamento
e espero em breve que se achara' radicalmente
curado.
Sou com toda estima e considerajo de V. 8.
patricio amigo obrigado e criado.
Bernardo Jos da Cmara.
DesMrregam boje 10 de setembro.
Brigue iDglez-rLeonnie.rcadorias,,
Barca inglezaSytnmetrydem. '
Escuna inglezaS/p/n Nymphr-\dw.
Patacho poriuguezMariana //-diversos gene-
ro?.
Brigue portuguez-fl,;/ampi0o idera.
Barca franceaSaint'Andr /ariaha de trigo.
Patache nacionalCardia-charque.
Patacho portuguez Fartodem.
Polaca hespanhola Promptadem.
Imprtalo.
Brigue portuguez Relmpago, vindo de Lisboa, ma-
nifestou o seguinle : ,
20 caixas vinbo, 50 cera em vellas, 100 barricas
cal em oedra, a Manoel leoacio de Oliveira & PV
Ihos; 10 barris vinbo e 1 caixa obra de rame, a
Jos Mara Pedroso Lima; 4 barris vinho e 309
caixas figos a Jo.- Marja Palmeira; 7 pipas e cinco
barris vub<, 85 barris vinagre, 200 sacras fa-
rellos e 60 caixas cebr-ias a E. R. Rabello; 69 pipas
p 30 barris vinbo, 25 pipas 2S raeias ditas a 10$
barris vinagre, 30 barris e 20 cjixas azeiu, 4 latas
peixe, 40 barrieas p de carvlp animal, 7 fardos
alhos, 220 caixas ceblas, 120'barris toicintio, -200
varas lagedo, 20 barricas alpisU,.C0 caixas bata-
tas, 2 caixas livros, 16 saccas cevada, 12 caixas ce-
ra em vellas, 143 saccas sereas, 8 saccas cera em
romo. 5 caixas bolacha, I vacca, 1 cria e 1 jumen-
to a Ttiomaz de Aquiuo Fonseca & C; 25 volumVs
obra de verga a F. M. G >mes; 6 metas pipas e 24
barris vinagre a Luiz Jos da Costa Amorira ; 100
barricas cal, 13 cevada, 25 caixas maga.-, 100 ce-
bolas, 100 meias ditas batatas, 2 caixas oleo de
amendoas a ordem ; 1 oixa livros a Aotunes Gui-
maraes ; 25 ancora e 19 fardos alhos a Silva Cardoso, 3 caixas oalgado a Joaqujm Pereira Aran-
tes .- 160 caixas ceblas a Marqus Barros & C.;
250 moit5es a Jos Luiz deAzevedo; 8 volumes
drogas e plantas a Augusto Caors; 3 a Joaquim
Martinho da Cruz Cnrreia dr ti. a J. Jos do
Couto; 10 barricas p animal a C Jos Alves Gui-
maraes; 75 caixas btalas ao capilo; 2 barricas
linhaca e 4 gsso a Cosme de -a' Pereira ; 1 bar-
rica Hnhaca e 5 volumes drogas e planu- a Me-
dronho & Irmao ; e 1 barrica vinbo a Francisco
Moreira Pinto Barbosa.
RCEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
GERAtS.
Rendimento do da 1 a &....... 4:6355663
dem do dia 6................. 6515974
C-iistado p avincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publi-
co que no dia 28 do correte se 'Soda o prazo
marcado para a arrecadaco dos impostos cobra-
dos por lancamento pertencentes ao anno flnancei-
ro flode de 1863 a 1866 (cando sugeitos lodos os
devedores que. nao pagaren) teus dbitos al aquel-
le da a serem ajuizadof.
Mesa do coasolado proviocial de setembro
de 1866.
Antonio Carnciro Machado Rios,
Admieistrador.
O conselho de compras do afaenal de guerra
precba comprar o seguiote :
Para o deposito especial de instruccao de cacado-
res a cavado,
50 bluzas de brim pardo.
Para o laboratorio.
22 arrobas e 20 libras de plvora fina.
As. pessoas que- qoizerem vender ditos artigos
apresentem suas propostas na sala do couselho as
11 horas da manhaa do da 13 do corrente.
Sala do conselho de compras do arsenal de gner
ra, a de setembro de (866.
Manoel Jos de Azevedo Sanios.
Pea admiinsiracao do correio. desta cidade
se faz publieo que hoje. (7), a's 3 horas da larde.
feebar-se-hao as mala-, que o vapor Sania &uz
tem de conduzir pare es portos do sul. As cartas
serSo admittidas a seguro at as 2 horas da Urde,
e os jornaes sero.receidos al o meio dia.
THfiATltO
DE
carga qu o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de sua cnegada, encommeo-
das e dinbeiro a frete al o dia da sahida a 1 ho-
ras da tarde : agencia roa da Gru n. 1 escripto-
de Oliveira Azevedo 4 C.
Para com esealla pelo Maranho.
Preterte segnir em poneos das o superior e ve_-
leiro palhabete Pemambucano por ter graede par-
te de sen carregamento prornpto, e para o que Ihe
falta trata-se com o consignatario Joaquim Jo-
Goncalves Beltrao, na ra do Vigario n. 17, 1.*
andar.
Para a ilha de Fernando
Pretende sahir ohiate Sergipano por ter a maior
parte do seo carregamento tratado, e para o resto
que Ibe falta trata-se na ra di Cacimba n 2, ou
a tratar com o cipito a bordo..
Aracnty.
O hiate Dous Irmaos, para carga trata-se com
Tasso Irmes, ou no trapiche do algodo eom o Sr.
'Quintal._______
Para o fiio Grade~do" Sul.
Vai segoir eom multa brevidade, o bem conhe-
cido brigae brasilero Superior, o qual recebe car-
ga a frete barato, para o que trala-se no escripto-
rio de Amorim Irmaos, ra da Cruz n. 3.
.MPH2AC01.HBBA.
23a recita da a.viguatar;!.
Sexta feira 7 de srtembm
Espectculo em feslejj ao nniversario da
independencia do Brasil
tutii m:\mi
CANTADO PELA SU.* EUGENIA CMARA E OS ACTORES
DA COSIPANHIA.
Primeira representado do drama em 4 actos,
original brasileiro do Sr. Ernesto Cibro, autor dos
Homeos do Campo, o Voluntario, da Patria, Luiz,
Por Causa do Mercantil, Erratas do Jornal e
outros, intitulado
as,
ti
I.
r\
-i
5
Emilia.
Leop I dina.
Clelia.
Jesuina'.
Joaquina.
5:2875637
Atiendo, atten(?o.
Km lodos os lempos o publico ful sempre alten-
dido, foi sempre presado, respailado, acatado e nin-
guem anda se atreveu a insistir, a ser tenaz, qoao-
do se traa de materias qoe earecem de n ap-
provacao oa reprovocio delh todas dependen-
tes.
Hoje, porm, atrever un qoalquer individuo a
desafiar, a aflVoolar o publico IlUislrado seni que
Ibe ligue a menor importancia.
Refiro-me ao desalmado empreeario do nosso
beatro Santa Isabel que nao atlendeado que o
theatro que o onico diverlimento que o aovo tem
nao monopolio da alguem, nada tem de pa*tieu-
i nnenSf^0nsegQ,nU V08tad d0 Po *
n- iiq "6V* f ,Uf am* mpeitada, po
que cada m pagando coro- oeu diahelrp teme,
Antonio Lobo Albcrtmo de Miranda Henriques,
alferes da oitava companhia do 98 batalhao de in-
fantana da guarda nacional do digno commando
de V. S. para bem'do seu direito e lustiga precisa
que V. 8. em abono da verdade se digne altotar.
Se o sappcanie como alferes lante da exiiucta
guarda nacional como* da actoal sempre prestou
oa nao seus serviecs cora Intelligencia, verdadeira
dedicaco e zlo no cumpnmento dos seus deve-
res; assim como tambera se sempre mostrou ou
nao completa dedicacao a Saa Ma'gestade o Impe-
rador.
Nestes termos:
Pede a V. S. Illm. Sr. major e commandante in-
torino do 9- batalhao de infantaria da guarda na-
cional de Oliuda, dgnese attestar o requerido com
justica.E. R. M.
Antonio Lobo Albertino de Miranda Henriques.
Atiesto que o supplicaole alferes da oitava com-
panhia Antonio Lobo de Albertino de Miranda Hen-
rique?, sempre se prestoo ao servico, unto oa an-
tiga guarda nacional como na actual com muiu
intelligencia, verdadeira dedicago e zlo no cum-
pnmento de sens deveres, com completa dedica-
cao a pessa de Sna Magestade o Imperador-, ou-
tro sim, qne empre qoe eu me achasse tv> com-
mando interino do batalhao charoava-o para servir
de secretorio interino, cojo lagar sempre desem-
penbava-e muito a meu conteni, pela intelligencia
de qne dotado : unto que jfflclal do haulho
que tem sempre sido por mlm netneado para ser-
vir de promotor, todas as vezes qoe ha havido con-
selho de desciplina. Tem feito varios desca-
memos e sempre se condolido com boma no ser-
vico.
Na organisacao da nova guarda nacional orga
nison a companhia a qoe pertence, como comman-
dante interino, tendo esta saa parada na distancia
de cinco leguas desia cidade, onde dito alferes
residite. E" u que teoho a allestar. por me ser
requerido e ser verdrte.
Quart I do commando do 9 baialbo de infama-
ra da guarda nacional de Olinda, 1 de Janeiro de
1862.
Rendimento do dia
dem da dia 6.
CONSULADO PROVINCIAL
1 a 5...
16094560?
3:4575178
19:5515780
MOVIMENTO M PORTO
/Varios eniradts no dia 6.
Baha-5 dias, barca ingleza/ser, de 278 toneladas
capillo G. Wzile, eqnipagem 11, em lastro de
carvo; a Willson & H-u.
Trieste74 dias, barca prossisna Dora, de 312
looeladas, capilao Peltr Shrzeni, eqopagem 10,
carga 2340 barricas com farinha de trigo: a N.
O. Bieher 4 Antecessores
Trieste70 dias, escana Inglea Commodort, de
194 toneladas, capillo E. Suell, equ'pagem 8,
carga 1824 barricas com farinha de trigo; a N.
O Bieber & Antecessores Seguro para o Rio de
Janeiro.
Para' e portos intermedios7 dias, vapor nacional
Santa Cruz, de 999 toneladas, commandante f
lente Alves de Araujo, equipagem 54, carga
differentes gneros; a Aaionio Lail de O. Aze-
vedo t C.
Navios sahidos n mesmo da.
Portos do norteVapor brasileiro Persinunga,
commandante Rales.
Macei-caler nacional Equader, capitao Ancel-
mo Peres, carca carne e outros gneros.
vnaj
A scena passa se no Rio de Janeiro no anno de
1869.
PEnSONAGENS.
Felisbaila Duponl............ Sr'A. Arnaral.
Henrlqueta...................
D. Leopoldina................ i
D. Maria....................
Madama Prenl-.-mps...........
l'ma calxeira................ >
Luciano de Athayde........... Sr. Paiva.
Adunes...:................. Lisboa.
Gamillo da Silveira............ P. Joaquim.
Um criado................... Emiliano.
Um caixero................ Soller.
Principiara' a hora que S. Exc. o Sr. vie-presi-
denle apprecer a tribuna
Sabbado 8 de sdembro de 1666
. 24.a recita da assignatnra.
Terceira representaQao do mults applaudido dra-
ma phaotaslico, dividido em 6 actos,ornado de m-
sica composU pelo Sr. Colas filbo
DA
Os bilhetes sao vendidos para as duas
cima mencionadas.
Os senhores qu fizeram encommendas tenham a
bondade de mandar bscalos hoje 8 at as 4 ho-
ras da tarde.
Para o Rio Grande
. do Sul.
FreUtse on recebe carga a frete a escuna ha-
nuveriana Atiba Carolina de 113 toneladas ingie-
ras : trata-se na ra da Cruz n. i, escnptoiio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo A C
Para o Rio de Janeiro.
Pretende seguir coro mulla brevjdade o veleiro
e bem condecido brigae nacional Damao, tem dous
tercos desea carregamento engajado para o resto
qoe Iho falla e escravos a frete para os quaes ten
excellentes commodos trata-se com o consgnala
rios Antnnio Luiz de Olivfka Azevedo 4 C, no
sen escrlptorio roa da Crozn. 1.
Maranhao e Para.
Segu com a posslvel brevidade para os indica-
dos portos o brigae escuna nacional Graciosa, ca-
pitao Silva Ralis; para o resto da carga que Ibe
falla, tratase com o seu consignatario Antonio de
Aiinelda Gome*, rua da Cruz n. 23,1. andar.
Rio de Janeiro,
Pretende seguir para o indicado porto, com mul-
ta brevidade, o veleiro e bem conhecldo brigue
Adelaide, por ter a maior parte de seu carrega-
mento Iratado; e para o pouco que Ihe falta Ira-
ta-se com o consignatario Joaquim Jos Goncalves
Beltrao, rua do Vigario n. 17, primeiro andar.
Bahia.
Pretende sahir em poneos dias o veleiro e bem
conheeido patacho Sijio Antonio, por ter a maior
parte de sen carregamento tratado, e para o resto
que Ihe falla trala-se com o consignatario Joaquim
Jos Goncalves Beltrao, na rna do Vigario n. 17,
1.* aBdar.
Rio Grande do Snl
O palhabole portuguez Pensamento de primeira
marcha pretende sabir em poneos dias para aquel
le porto, e para laso recebe carga a frete, commu-
do quem nelle qnizer carregar entenda-se com os
consignatarios Balthar & Oliveira : na rua do Vi-
garlo n. 10.
- la, ja appel-
,ando- para o patriotismo dos ilhos da provincia e
seus babitontos, qoe devem tr os bros nacionaes
i ropenhados no concoraj que.se prepara, tem sido
pouco aomerosaa as remessas de semeibaotes pro-
ductos, principalmente d'aquelles que.sem terem o
cooho da raridade e belleza, sio verdadeiros ob-
jectos de coastiiuo e susceptiveta de appcasao in-
dustrial.
A iQj|>ropnedade da eslaco e poraentora o In-
vern rigoroso que anda nao abandonoo a provin-
cia deram causa a que nao figurera as salas da
exposico as amostras de assurar, cereae; e outros
productos agrcolas de grande consamo, coja re-
messa foi eutretanto anounciarta a eommissao.
A ilha de Fernando de Norooha, qoe tao impr-
tenle parle leve na procedente eipo-ico nao en-
vin al esta data nenhum dos seas prodactos pela
falta de transporte?.
A colonia militar do l'na utoiras que pelo gran-
de variedade d suas excellentes madeiras de eons-
trueco lem de oceupr logar distocto na exposi-
co provincial, nao est' representada ainda por
urna s amostra oocollecgo dessas madeiras, ape-
zar do empenho e grande sollicitude com que tem
o goveru da provincia auxiliado a coromissSo.
Numerosos artefactos nao poderam ser conclui-
dos a tempo dase/ero. exibldos, ja pela escassez
dos operarios, que em bom numero derramara bo-
je o seu sangue nos campos de batalha, j pela exi-
guidade dos seus recursos, e impossibllidade de
distrahirem o tempo indispensavcl ao ganbo do
parco salario.
Nestas condigSes, a eommissao, considerando a
responsabilidade que psa sobre os meas bambios, -
a deslRUldadi com qne, por. certo. tera' a provin-
cia de Pemambaco de p.riecipar dos loaros que
colher o paiz na grande expsito internacional se
1867 senao se mot-Car na altura do seu progresso
e do lugar que oceupa no imperio; resalveo em
sessio de 5 do corrente, adiar novamente a inaa-
euiacio da exposico provincial, seip dia marcado,
mas que sera' annunciado log qae sejam recebi-
dos os productos esperados e outros que a eommis-
sao coma Ihe serao enviados.
A eommissao f.izum novoappello aos induslriaes
da provincia e era geral a todos os seus habitantes
para que promovam a exhiblcao de productos,
cpjer agrcolas, quer fab'is e quer naturaes.
Os praducios continuam a ser recebidos lodos os
dias no palacio da presidencia das 10 'horas da
manha as 3'da tarde.
Sala da eommissao, 6 de setembro de 1866.
M. Buarque de Macedo,
Secretario.
PAA LiMIlA
Segae com muila brevidade o patacho portognez
Fnro, o qual recebe carga a frete barato para o
que trata-se no escriplurio de Amorim Irmaos, rua<
da Cruz n. 3.
Tei i se
Grande leilao
De cerca 2,000chpenselo Chili.
Segunda-feira 10 do correnle.
N. O. Bieber & C, successores, farao leilao por
intervengo do agente Oliveira, de cerca 2,'0tl
chapeos do Chyli em bom estado, em o seu arma-
zero da rua da Cruz n. 4, as 10 horas da manha.
IiElIiiiA"'
De fazendas, roupas feils, chapeos i
Chili e do feltro.
Segunda-feira 10 lo corrente.
O agente-PiBto fara' leilao a requerlmenio do
curador fiscal da ma.s..a fallida de Pedro da Silva
Reg e por mandado do Illm. Sr. Dr. joiz especial
do commercio, de diff-reotes fazendas, roupa feita,
chapeos do Chiil e de feliro, cima mencionados,
perlencentes a dita massa e existentes na ano -
zem da roa da Cadea n. 51, oode se effecloara' o
leilao.
Principiara' as 10 horas.
Jos Aotunes Guimaraes, estabelecido nesla
cidade com luja de fazenda a rua Nova n. 26, ten-
do se retirado temporariamente para o sul da pro-
vincia a negocie de seus ioteresses, deixou na ge-
rencia de sua casa durante a sua ausencia era pri-
meiro lugar a sea caixero Galdino Telespburo Pi-
nheiro e em segundo ao Sr. Alfredo Cardozo Pe-
reira. Recite, 4 de selembro de 1866.________
litigues* para esta ^declnenlo,
Aluga se a casa n. 27 da rua da ponte da Ca-
punga, com duas camarlnhas, cosinh fora, quin-
tal mu a do e cacimba, com armacao para qual-
ques estabelecimelo, envidracada e pintada de no-
vo, pre,o mdico para qualqer principiante : a
tratar na mesma casa.
Aviso ao publieo.
Preylno que nlnRuem faca transaccoes com o Sr.
Domiogos Jos da Costa Guimaraes relativamente
a escrava Ira, visto como pertence ella ao espolio
de meu finado cunhado Manoel Gonsalves da Fon-
te, do qual herdeira nica, minha sogra D. Fran-
cisca da Silva Freir, conlra quem trago em nome
de meus filhes menores, pelo juizo de orpbes de
SerinhiWn urna aeejb de Inierdicio.
b'oire os bens deixado- por meu cunhado ero
sua terca ao mesmo Sr. uimares, nao igoraa
rrferida escrava Irla.
Protesto pois contra qoalquer contrato qoe so-
bre esa escrava fizer o mesmo Sr. Costa Guima-
raes, assim como contra todos os actos por minha
sogra pratirados.
Serinhem, 4 de setembro de 1866.
____________Manoel Jos de Miranda.
LESrsVANTS MISERABLES,
Poeme en cinqchants,
Ddi a la dmociatie da monde
par .
L. PCGI.
An idiMic.
AVISOS DIVERSOS
Mathias de Azevedo Villarouco, val ao Rio de
Janeiro.
LOTERA
EOITAES.
O Dr. Eduardo Pindabiba de Mattos offleial da
imperial orden da Rosa, jott de direito e chefe
de polica da provincia de Peroaaaboco por
S. M. o Imperador, qae Deus guarde etc.
ect.
Faco saber aos que este edual virenp qoe se acha
aberio o concurso para o provimanlo diGoinvo do
offlcio de escrivo do crime qu* deve servir peraB-
te este joizo e de- delegada do primeiro districto
desta capital, creado pela le provincial n. 637 de
3 de juBbo do anno prximo passado, devendo as
pessoas que pretenderen, ser nelles providas
apresentar neste lo izo, dentro do praso de 60 das
contados da data do presente edital, os seas reque-
rlmentos assignados, e devidameote instruidos com
certido, de Idade reconhecida por tabellio,

*zm
AVISOS M&RITHVns
. folha
Joao Baptisu da Sjlva Manguioho, major e coro- corrida, termo de examede spfflcieocla feito pe
mandante interino do batalhao.
(Esta sellada e reconh*eido.)
O oleo de figado de bacalho ferruginoso
da Cbevrier, pnarraacentico em Pars, subs-
titue 6e com mQita'vantagem as pilulas e ao
xarope de iodureto de ferro mais fcil de
tolerar-se para as pessoas delicadas asseme-
raote o joizo municipal, lodo sellado na formado
decreto n. 817 de 30 de agosto de 1857, e das
ordeas em vigor.
E para constar mandei passar o presente que
ser afiliado na porta desta reparlicao e publicado
oela impreosa.
Dado e passado nesla secretaria da polica de
Pe-roamboca, aos 4 das do roez de setembro de
1866.
Eduardo Pmdahiba de Mattos.
[Rio Grande do ftorte
O palhabole Garibaldi, recebe ainda aJguma car-
ga, para o que trata-se com Tasso Irmaos ou com
o capitao Autopio Jos Vlanna._______________
Para Lisboa
Pretende segnir cora a maior brevidade por ter
metadedeseu carregamento promplo u patacho
portoguez Marianna II, qu.m no mesmo qnizer
carregar ou Ir de passagero trate com os consig-
natarios Thomaz de Aquino Fonseca 4 C, na roa
do Vigario o. 19, primeiro andar.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DI
costeira por vapor.
Parahyba e Fernando.
O vapor Parahyba, segu para
os portos cima indicados no dia
12 as 5 horas da Urde. Recebe
carga at o da 11, passageiros,
encommendas e dinheiro a /rete
at as 3 horas da tarde do dia da sabida : escrip-
torio no Forte do Mates n. 1.
aos 6:oooooo
Corre s ^hikI; -f' ira 10.
Acham-se venda na respectiva tliesou-
raria, rua do Crespn. 15, os bilhetes,
meios e quartos da da 23 parle da lotera
a eneflcio das familias dos voluntarios da
patria (81*), sendo a extr^ego no lugar e
hora do costume.
Os premios de 6:000^000 at lO^Oe-
r5o pagos urna hora depois da extracc5o at
as 3 horas da tarde, e os 'Utros depois da
distribuido das listas.
As encommendas sero guardadas sosten-
te at a noite da vespera da extraecao.
Serondo dethesoureiro",
__________Jos Rodrigues de Souza.
Manoel Joao de Amorim, vai a Europa.
Aloga-se o 2 andar e soto do sobrado da
Passagem, onde mora a professora : a tratar no
mesmo.
MMPAIWIl
DA6
Messageries Imperiales;
At o dia 14
do corrente mez
espera se dos por
tos da Europa o
vapor francs Es-
^ tremadure, o qual
^pois da demora
do cosame eegai
Ti para a Babia
e Rio de Janeiro : para condicoe.s. fretes e passa-
Jgelros, traase na tgencl, rua do Trapiche n. 9.
Andrade dt Maia, negociantes estabelecidos nesla
praca, fazem publico que, (endo o negociante An-
tonio Augusto de Souza Caldas, residente na cidade
do Natal da provincia do Rio-Grande do Norte,
Ihes remeltido em caria de 28 de abril ultimo, urna
letra Ba importancia de 738,2020, proveniente de
fazendas, que Ibes comprou naquelle mea, nao re-
ceberam a dila letra, que sesuppe ter sido extra-
viada ; e, assim havendo apera o mesmo nego-
ciante ames do vencimento deila msodado rebate-
la por seu prente Thomaz Othon de Souza San-
tiago, deixaram os abaixo assignados de recebar a
respectiva importancia para fazerem-no depoi do
presente annancro, peto qwri declram para resalva
de seu freguez aehar-se de nenhum erTeilo a mes-
roa letra, sendo portanto falsa ioda qoalquer
traneaccio que por ventura algaem queira faxer
.com ella, em nome dos abaixo assignados.
Recife, 6 de etembro de 1866.
Andrade & Mais.
Quem preekar de urna ama de casa para
Humble eofant du peuple I J'ai toojoors so con-
server la plus belle fortune qne la crature pnisse
dsirer': l'indpendenre I
Je n'ai point la prtention, en pnbliant mont pe-
tit pome, de pre.ndre i'e-sor de l'aigle el de m'le-
ver la hautenr des hommes donl le lalenl est in-
contestable. J'a senti la man de plomb gante de
velours qai pese su- l'hnmanit; j'prouve le be-
soin d'uu malade qui se croit gueri quand le me-
d ciu vient le visiler au chevel da lil de doaleor.
Je cherche un pslleaiif. ,
Les Muses, semblabas aax soeurs de chant,
appliquenl on b^me salutaire l'imagination ar-
dente dn pauvre crivassier.
Les disciples d'Honre me pardonneront l*or-
me sacrilega d'avotr furtivement sous tra.it la lyre
d'Anolion, viol le sanetnaire du Parnasse el pro-
fan mes hipnfatrices.
Prix : 22000. On sooscrit au bureao de la re-
daction da journal le Diario de Prnambuco.
D. Anna Morris, subdita ingleza retira se pa-
ra fra do imp-no.
s Car\;alho & Nogneira sacam sobre o
Porto e Lisboa : na rua do Apollo n. 20.
lrtuandade acadmica de ftossa Se-
nlioia do Bom-ODsellur
Programma da testa.
No dia 7, ao meio dia, as duas bandas de ron-
sica do 1 batalhao de infantaria da guarda nacio-
ual e dos menores do arsenal de marinha farao oo-
Vir algumas pegas de seu es;olbldo repertorio.
A's 6 l|2 horas da tarde com^carao as vsperos
No dia 8, a's 10 horas da manhaa. entrar a f s-
ta, sendo a orebestra regida pelo Insigne professor
Coh^ Filho.
O Sr. Tibias cmara o Laudamos e o soto Do-
mine Deus ; o.Sr. Trajano o solo Qui tollis ; o Sr.
Silva os solos Qui sedes e Quoniam.
O Kyrte, Gloria, Laudamus e Gratias sao lira-
dos da missa. O Dogma da Immaculada Comea-
caocomposto pelo Sr. fras. Os solos sao Um-
p m do Sr. Colas, excepto o Domine Deus, qne
do maestro Marcora.
O Cum Soneto Spiritu, a grande orchestra e c6
ro composicao do Sr. Colas.
Pregar no Rvanqelho o Rvm. pregador da *a-
pella imperial Fr. Joaquim do Espirito Santo.
Antes do sermo execotar urna grande pbanU-
sia d flauta o Sr. Candido.
O Credo, a grande orchestra do maestro Ca-
nessa.
No Tantum ergo e Geniton a daas veies, do
maestro Rossi, cantar o nosso irmao, o acadmico
Erflesto Vieira de Mello.
A' neile baver Te Ueum, orando o distMeto
pregador Rvm. Dadre Antonio de Albunoerooe
Mello. *^
Depois do sermo do Evangelho distribair-se-ba
urna poesa intitulada Turris Ebrnea- do aeadea-
co Guimaraes Jnior.
Consistorio da irmandade acadmica de Nossa
Senhora do Bom-Consalho, do convento de Sanio
Antonio do Recife, 6 de setembro de 1660.
Antonio dos Passos Miranda,
secretario. _
A ttenco.
loieerUM-se vtdros.
.Porcelanas, crystaes, loueas, alabastros e peoras
preciosas, oo depasito de vidros a' rna da Impera-
triz n. 16, e Umbero toda a quabdade de candiai-
ros a gaz, em aada viaivets a* sordas, e araaUB-
do-se a perfeico e solidez das roesmas.
Trocam-se
Notas das caixas Bliaes do banco do Brasil : n*
praca da lodepeodeoeia n. 22.
Attenco.
Na travessa do pateo do Terco n. 4, precisa-so
,
ni
pouca familia, dirlja-se a roa do Padre Floriano n. de oro calxsirs portogaazque tenha pratiea de ta.-
40, f andar. j berna : a jratar na mesma.
L


/
w-
ftlarto de Peraambaeo mii ttfi 9 d tatabro de
1866.
rw
s Hotel Dous Amigos.
O deoo do boW pftrlicipa so res peilavel auhlfro
JURUBEBA
X jurfflieb o uittj das ubstaBCta totAi-
carne)losas, que perteneea as reiwo vege-
tal, e pertence ctasse dos tooloos e des-
obstruentes, sendo embregada oom vanta-
gem contra as
panhaaS do engorgilamento (Je RgaaO e udao, e tem agraduvel lanche de pratos variados
DiQO. Ella tem Sid*) applicada COO incen- odos os das das H fcetas da manr,a* t da tar-
testavel proveitcontra a anemia oaehloro- dB,e l?r/re re,1 s9rv'S f<"i com re-
a hvdpnnpsi ratarrhn da hPt0r p m^s. ?ular,dade e promptidao, e ana pota de que o
se e ayaropesia, catarroo aa Dexigr, emes- dono d, hlel Dli0 Amlgos ffiuit0 e empeDh^ em
CttO para COlIlbater a menStruaCO aifieil, agradar aos seas frecueze?, este hatel esta'.Uado
m-' q"e teD0 dad0 lffiPU|so no assei da capa, tor-
nero coflrida para ra-com lodo e aWio e prmp-
r j t r
mu
FRREAS-11IGAICAS
resultado da mesma anemia ou ctdorose.
Extracto alcoolieo da jurubeba.
Emplastro idem.
Olea dem.
Tintura idem de idem.
Xarope idem.
Vinho idem de idem.
Piliilas de extracto idem.
Deposito, pbarmacia de Pinte, ra larga
doR isario n. 10.
JURU*JEBA MACHO E FEMEA.
Debaixo da denuminacSodejurubeba
mascem nos sitios arenosos do Brasil dous
arbustos do mesmo genero, mas nao do
mesmo sexo. Ambos crescem com lindas e
frondosas folhas, ambos prodazem bagos
gramneos reunidos a' maneira de cachos de
uvas, pendentes deum pedonc-ilo corto. 0
primeiro, iato o macho, p'ouco menor
do que a femea, apenas cresce at altura
de si hornera, lm folhas me.i*es, n3o
multo sinuosas, mas recortadas, com talos
guarnecidos de algtms espinhos.
Nasextremidades dos ramos pfoduz peque-
oas dores como que juntas em forma de um-
bella.de cor lctea misturada de azul celeste,
as quaes representsm exactamente urna es-
trella de cinco ngulos e constara de ua
so corla, modelada e como dividida em
outros tantos tringulos, sainado do centro
cineo estames, ou ila que ao longe tomar-se-hia por urna flor de
bcrragem.
O segando, mais alto, miis esp'mhoso,
tera folhas miiores, cobertas de pello pela
parte inferior, elegantemente guarnecidas
de espinhos, recortadas de um verde vivo,
te ido a masma flor que o macho, porm
miis ntida.
Ambos, era virtude do uso quotidiano da
medicina, sao bastante conhecidos as phar-
macias. En verdade, suas folhas e sueco'
sao erapregdos para mitigar, como tempe-
rantes, e curar as feridas e ulceras, e mui-
to favorecem a nra dallas. Posto que as
folhas e raizas tenham um sabor amargo co-
mo a cliicorea e a fumaria, todava difiicil-
mente poderiem ser elassifleadas ^ntre as
drogas quemes. Sobresae principalmente
em virtude e eBoa-ia, e mais amarga a
raiz, com parlicularidade a do macho, que
consta de partes mu tenues. Por cario o
-.osimento deste faz despedir aourinaretida;
e applica-se muita vez com feliz resultado
contra as obstruccoes do ligado e da prsta-
ta em la?ar das raizes apperientes.Sua utili-
dade e excellencia so taes, que nao s pelo?
doutos, mas tamhem pelo povo rustico
procurada e contemplad! entre os remedios
maravilhosos.
(Traduzido do latim de Pitn e Marcarave.)
Alugamse as casas fis. 1547156 el(M a' roa
Imperial, com eaparilade para um grande estabe-
lecimento de industria : a tratar com J. S. de M.
Rosa a'roa do Trapih6e n. 3i.
Club Pemmbacano.
Domingo 9 do correle baver reunio
familiar.
Confeitaria do ananazes
ba presamos superiores, lit >s era Hambre.
na rea ectreita do Rosarlo
Antonio.
D. 10, latrro de Santa
Alugam-se as c?sas ns. 154, 156 e 188 ra
Imperi-I que loram occopadas com fabrica de
fuodico : a tratar com Di. da U. Reg ra do
Trapiche n. 34.
Na praca da Independencia n. 33,' loja le
rifes, corapra-se eoro.prau, e podras preciosas,
e tambero se faz quakjuer obra de encommenda, e
Mo e aoalquer concert.
1 i r -,l y-----lili
Coflciliaoao.
Par ordena do III m. Sr. presidente convida aos
Illms. Sr<. accionistas a otraparenereu na sala das
ses.-.6e quarta-feira 5 esetumbro pelas 7 horas da
tarde, para se coA'flnoaf'a discutir os estatutos qiie
bao de reger esta sociedade.
Recif 31 de agosto de 1866.
J. M. d^ Andrade Sj^
secretario.
Manuel Joaquim Alves dos Santos e'ttu cu-
nhado Manoel Antonia Teiieira agradecem eer-
dialmente a lodos os seus amigis e parenwr que
se prestaram a assistir ao enterro desna tallecida'
roi e sogra D. Joaquina B ilbina da Cob6c%i
Santos e de novo lhes pedera o candara obsequio
de eomparecerem a missa do stimo da que tera
lugar na segunda feira roxima 3 de setembro pe-
las 6 1|2 horas da maojrta na Conceico dos Mili-
tares. Por mais e-te abse^alo desde ji se eonfes-
sam saoimamente graioa.
g Mudanza de residencia.
O Da. R&maog medico-operador e
oculista, fot nado pela Faculdade de medi-
cina de Paris e approvado pela da ahia.
a membro titular da Academia Imperial
de medicina d., Rio de Janeiro, transferlo
a saa residencia do n 25 da ra da Crac
para o n. 83 da mesma ra, onde contina
a eaercersua proQssao, especialmeate uas
molestias de olhos, deouvidos o das vias
urinarias: mudou tarabem a hora das
suas consultas, que tero logar todos os
dias, das 6 a's 10 horas da mauhaa.
Chamados par escripto na supradita ca-
sa, ra da Cruz o. 23.
M
m
tmmm
Criada.
Urna familia que segu para Lisboa no vapor
Inglrz de 13 ou 14 de setembro correte, precisa
levar em sua companhia urna crala para curdar
le um menmo de dous anuos: qjem esliver oes-
tas circumstancias dirija-se ao largo do Corp
Santo n. 19.
Alngael.
D. Mina Augusii da ocha Bastos aloga a se-
gundo andar de saa casa na ra da Aurora ( a fa-
milia) : a tratar com ella na mesma roa.
Sociedade Recreativa Javeutude.
Por ordem da presidencia, levo ao conhecimento
dos Illros. socios da sociedade Recreiativa Juven-
tud*, qne em face do 14 do art. 25 dos estatutos,
sabbado, 8 do correte, as 11 horas do dia, tem de
haver assembla geral, para tratar-se de negocios
tendentes ao progresso da supradita sociedade :
outro sim, essa presidencia conscia no amor que
cada socio vota a sociedade, confia no compareci-
m-nto de todos para poder ter etito o que pretende
ar.er.
Secretaria da Sociedade Recreativa- Juventude,
5 de setembro de 1866.
Pereira Camello,
1. SHcrehrio.
Joaquim Jos Grou^alves
Beltrao
(4 I4 DO VICARIO \. \7\ 4NDA)
Sacca por todos os
do Mmho em Braga, e
res, em Portugal.
A saber:
Lisboa.
Porto.
Yalenca.
Gnimares.
Cimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conrfe.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famelico.
Lamego.
Lagos.
Covilha.
paquete? sobre o Banco
sobre os seguinles luga-
Mi BANIO*
i 26 Pateo da Carme 26.
i
Ne6te estabelecimento t5o impor-
f tante para a saude e asseio do cor-
, po, acham-se montados 20 banhei-
! ros, que sao servidos com a ordem
i e asseio que para desejar-se. Qua-
tro destes banheiros sao especial-
mente reservados para senhoras e
por isto acham-se collocados em lu-
gar reservado, aonde s tem entra-
da as pessoas de urna mesma fami-
lia.
PREgOS DE BWHOS AVLSOS.j
i bando fri, momo ou de
chovisoo...... 500
^ dito de choque .... 10000
4 dito defareilo...... i JOCO
i dito aromatisado 4(5000
PREgOS POR AS5IGNATURA.
30 banbos por mez fri,
raorno ou de chovisoo. 40)5000
25 banlios com cartoes pa-
ra os mesmos .... 400000
42 ditos ditos ditos '000
42 ditos ditos de choque. 400000
42 ditos ditos de farello.. 400000
O estabelecimento estar aborto
nos dias uteis das 6 horas da ma-
nhaa as 10 da noite, nos dias san-
tificados das 5 as 5 horas da tarde. .
APPROVADAS PELA ACADEMIA VE MEDICINA
DE,BRI.N D BUISSON
nmaceolira, lumdo pela Academia de Medicina de Pars
0 eminente profeuor Tross^AO, na ultima edicSo de seo Tratado d fhera-
ptutua $ Materia mtdica, reBBlce qse os fcr-uglhosoe simples slo muas
vetes mefBcazes para curar as molestias que Wcw por ansa e empobrec ment
dp sangue. Muilos medidos dos mais distlnctos attril ucm esscmd o xito ausencia
n'essas preparacocs, do mangantie^qiie se ada no sangue, como o tem reconhecido
08 chimicos os raais peritos, senJpre intimamente jnido com o ferro.
E' pois, prestar-seiim verdeiro servico aos S'" Mdicos, o cbamar-se ua attenca
sobre as preparacSes seguinte.
! POS feri'PS HMllfiniCnS d"nd mmeiat!|mente urna agua, acidulada,
-U0 HldlIgdHIlUd ?aZoza, agradavfl, subslituindo com vantagem
\ aguas myuraes ferruginosas.
Pos ferreos mngameos Jj"
e economa as aguas mineracs fen
2 Pilulas e Xarope de \wt k ferro e de Hianpnese inaiteravcis
conteni caa urna cfaeo Centigramos de iodurelo de ferro manganico i
particularmente as molestias Tymphacas, escrofulosas, e Das chama
crasas e tuberculosas.
Draces de lclalo de ferro e le man,
i Plalas de fiarboaWefreu wangaB
iEPVltl ftON
JROBEBA
indicadas
llamadas can-
receitadaa especialmente
para a chlerosis, a ane-
mia, a leucorrhea, a ame-
nrrhea. A indiccSo de
alternar estas duas preparaeoc 4i os memores eBldos,
0 S* Burin du Buisson desejando obler a adhe&io completa do publica medico a
cerca do valor de suas preparacSes, previne qne elle as p6e gratuitamente a sua.
disposieao, dirgendo-se;
No Pernambuco, a sen agente geral, Mauror e I I I II | |
ME8 i C.
Preparados conposto.
PARA USO INTERHO.
Vinho de joruneba ferruginoso
Xarope de jurubeba ferruginoso
Pilulas de jurubeba feTrngioosas.
Deposito em Pernambuco, casa de P. Maurer & C, ru Nova n. 48.
PIlMIL-'-NAS CRYST4ES LOUC. E VIBRO
*u a. i5^ M,ri& CoWtiro Lima. estabelec Mi-se com armazem de loica de sociedade com J-wqoim
Ttwmu da Canoa, fflTua do Imperador n. 46, com a Arma de Llm Canha, os (juaes pedem aos
seos aafgw'6 ao respeitavel pubHeo eM geral qoe, qusudn precl^em de nlituma louca, nao deixem
de prTScrar o dito estaDelecimsnto, onde acbat-o um explenuido semmento de ricos apparelhos para
cha, ditos para sotar de porcelana branco, de cores e doura ios, gnaroi{o de porcelana para lavato-
rio, de 5 a i">S ; e todo o niais que pertenca a este genero de negocio, lonjas, vidros, etc., etc.
A divisa deste novo estabelecimento
Vender barato para vender muito
Vender mono para vender barato.
FUNDIDOR E TORNEIRO
l
Ra da Matriz da Boa Vista n. 36.
Precisa-se d> tima a-na para casa de pouca
jarailia : na roa das Crazes n. 30. [*Vcelro andar.
Na ra da Uaio n. 40, pe.isa-e ae um
bom criado para tolo o servico de urna caa do
pduca faii.jiia.
Ur. Joaqun) Jos iln Ca-upos Cuuvia a MriiS
amigos para asistirem a urna missa qns hoja (7)
as sete horas e meia da manha, ba de celebrar o da fcir
Exm. monseobor Pinto de Campos, na igreja ma-
triz da Boa-Vista, pelo eterno descanco da alma
de seu cunhado, o espitao Jos Libanio Ribeiro, i
morto em combate contra os Paraguayos, no dia 18
de jolho prximo. O mesnlo convite faz aos aun- para as
tros de fallecido capttio Jos* Libanfo, e os Sr?. offi >
ciaes do exercito, de voluntarios e da guarda na-
cional, qne residera ne-.ta cidade.
mmammfiiniiMiii iaHar
Programma da festa r?a Senhom do LiTramento.
USA DA FORTUNA.
Aos 6:000*000.
Uilbetes garantidos.
A1 A DO CRESPO .^. 23 ECASAS DO COSTME
O iha'xo asijinadi v res Wlhetes garantidos da lotera que se acabou
i de extrahir a beoeficf da Sama Cisa da Mise-
. ncordia, os -eguinte premios :
N. 2764 tres quinto, com a sorte de 6:000.
N. 642 bilhete idteiro cora a sorte de 1:S00.
N. 461 jneio biloete com a orte de 5005.
N. 702 dous i|iint..s com a =orte d^ 2003.
E uWiras maltas ortos ds 100^, 405 e 20.
Os posMii !or-.< liod-m vir reifeber seus respec
Ivos prer i s >e .i- descimtos^idas leis na casa
daFortu a* fu 'lo Cri-sjij n. ?:t.
Acham-se a venda os da 23 pule da lotera das
dos voluntarios, yue se extrahira' segun-
DA
DE
MBTHOU
Preparados slaaples.
PARA USO INTERNO.
Xarope de jurubeba.
Vinho dejurobeba.
Pilulas de jurubeba.
Tintura de jurubeba.
Extracto bydralcoolico de jurubeba.
. PARA USO EXTERNO.
Oleo de jurobeba.
Pomada de jurubeba.
Emplasto de jurubeba.
A Jl llt HEIM.
w .plama h0je reconhecMa como o mus poderoso tnico, como um excel-
SESS2S5 l CT*1 ap-picad nos engojitametitos do fg.dVe bl fias
hipantes propriamente ditas, ou amda complicadas com anatarebas. as infCnars
.fSntV' f;,breS 'r,rrn'eiteS U dureza<> ,10S al)cess"s internos ,o toT^et
EL L l Qter G ab'JI0men' n0S tumores ^^'Oms, na anaz^rcha, >nxUyvoot
naTk0yS,[>er,lV e aSS0C;a,,la as PreParaf5es ferraginoaas anda de gmmte? nSm
TJIeTh-i'T488' falt3S de menslrua5f>' ncorr;,eia, desarraajfs aWrtcS K
tomag debihdade orgnicas, e pobreza de sangue etc.
O que dizemoa affirmam os mais di-tinctos medios desta cidade entre os V^%llT- ?S DrS.- Silv;iRa[n^ Aquino Fonsca, Sarmenio teve PeS
22.H '/ Xa ier* Sl,va etc- etc- Todos ^s r*conh cem a eicelfen-ia dWo-
deroso medicamento sobre os demais at bofe conhecidos para todos os casos S
tanto que lodosos das fazem d'elleapplicaco. '
UaV Afesen,anJo 303 mdicos e ao publico em geral diversos prendados da ittru-
beba, tivem s por flm generabsar mais o uso d'este vegetal, fai de;aonare,ir a
repoguanca que at hoje seotiam os doentes de usar do, pgrep rados empSs Sl i
m ,s dds yeze, repugnantes a tragar, m-se. e qoe lioham anda" a deTva Sem de nao s'er
t?lL3 d0SB Tvemni^ a PJtoMe, o gue toma muitas vezes imprTuo um^me-
dicamento, qoe poderta produair ptimos resultados.
ezes impnOcuo
oc*nA,AS "SS( PrePad"0s4s foram ap'-esentado7depo3 de havermos convenientemente
estudado a jurubeba, r,zendo as experiencias precisas para bem conhecer a prop da-
^"s medicamentosa d'esta planta em suas raices, folhas frutas ou bagas
mente a appjcaca >, tendoalm d'isto piocurado levar os nossos prepa'
proprir
a dose con-
grao ds perfeco ossivel, P,ra o que ^0^^*^7**1^** ""^
po.colucro que po>sames tirar
nos importando o
nto os que se dignarem recorrer aos nossos preparados podem ter
- a garanta, de que se pode encontrar a prompta e infallivel
a certeza
eo corr-riite.
Pra>.
niihetes........ 65000
Meios.......... 3^000
Quarto*.......... I/JJJOO
pessoas que compraren de 100i000
para cima.
Bilhetes.......... o'300
Mfibis............ 2*780
Qaartos........ 1*375
Manoel Manius Flua.
Do oBgenhfi MalakolT da freguezia do Cabo
fufiio 17 de agosto p esc avoJoao, que representa
ISo sabbado 8 do correte, vespera da festivida- j 45 annos de idade. sera cabellos braoros, carrei-
de, pelas 11 horas do dia tera' lugar a bencae do ro. e ti-m os sigoaes siguite* : estatura regular
abarque se fet na sacrista para a Senhora da So- barb fechada sen sui.-a^, um dedo da mSo direi-
ledade, e em seguida a bengo solemne de um si-, ta um pouco t.irto, preveniente deum tanaricie,
no, sendo que ao meio da subiro ao ar differec-, om dos jodhns um tante mais grosso, anda um
tes gyrandolas de fogo e locaro as bandas de mu-; labio mais grosso, anda om pouco cabido para
Mea da guarda naciooal de 3. Jj- e Unio Com-. diante ; go.-ta de^tber agurdente, e tornase pro-
mercia!, assim como antes e depois das vesperas, | sisia quaudo beb : qnem o aprehender leveo na
daJesta e do venit. | travessa po Pocinho n. 28, ou no mesmo engenho.
Na madrugada do da 9, em quo se tem de ce- qoe se graiinYara.
lebrar a festa, havera' missa cantada, depois da |
qual dar-se-ba urna salva de 21 tiros de bambas
imperiaes e gyrando'.as, e no gloria subirao de no-
nesta occasio a
retrato do papa
MONI' ALVENE
POESA
POR
IJIM4RAE9 ,11 \B.
I venda por 500 r.-. ;>m casa dos editores, livraria
I franco/a, ra do Cre>p<> n. 9.
m&
JR
Precisa se de u^i ama para andar cOrt) menino
e tratar da roup i -esmo : a tratar na pracs
do Corpo Santo -; ,
P4PE1SP1\\D()S
Sortimento de papis pintados e \
w lindas guarnicoes para forrar casas.
' NlLIVR\RIA FRANGEZA.
N. 9. Ra do Crespo N. 9.
vo muitas gyrandolas, sendo que
contraria mandara' distrboir o
Po IX.
A orebestra ser regida pelo Sr. Francisco Ll
banio Colas, e a missa tem por tituloo dogma da |
Conceico. O Laud'imus ae' cantado pelo Sr. I
Jos Coelhd*Brbosaf o quarteto Grafas pelos Srs.;
Sabino Romao. Roque de Araojo Santos, oo Fran-
cisco Ribeiro e padre Joo Jo.-O Domine Deus
pelo Sr- Twbias de Santa Rosa, o Qui tulis pelo Sr.
Trujano Kelippe Nery, e o Qut solis pelo Sr. Benj-
mim Martmiano dos njos. Antes do serme o
Sr. Candido Rodrigues r> Vma Filho executara na
llaiita uma bella ilianla- ,.
O orador da reta sera' o Exm. Sr. conego Joa-
quim Pinto de Campos e do Veoil o Rvmd. Sr. vi-
gario Sebatiae de Andrade Vieira. No fim da
testa havera outra salva de 21 tiros de bombas
imperaes e gyrandolas, assim como 3 descargas
dadas pela guarda de hunra, e um balo cem um
anjo que tera' de subir ao ar.
A tarde >e f ir a rasla a roda da igreja com
a benco do Santsimo S'.dramento.
A noite tera' iuar oVenit r.reator Soirllose
um lindo fogo de vista com algons baloes o qne i
servir' para terminar o acto. No consi^lorio do no
lado do nascente esta'exposto na noite do dia 9 OllClMl e G&D6li6r6irO OU (ltt
um lindo chafari. ir' i vr i
E' muito descaramento. ^bT: narua Novan-
Ha na roa das Aguas-Veres na Porrudo, J 'iliuttr.
que entendeu la' t>a sua bestnnla cachola icdicula- 3~p
dqueellcsolTerec(;m
?3Ua,fc.d0S sorr'mentos- i eixamos innumerado, se forem e.ii lempo aplicados"
tendoalm d'.ss., med.co ou doentea vantagem deesc.lher as oossas variadi Zt
toes, aquella quemell). r Ihepode con vir, j ela fcil applicaco, e ji P eom.li c
das molestias, id de, sexo, ou ainda natureza de cada indiv.duo eom^iiccao
As nossas preparagoes ferruginosas sao feitas de forma que se tornatn comule-
Para aquella s que mais minuciosamente queiram conhecer as
jurobeba, esaberem a applicaco de nossos prep .rados, destnbuimo-
nosso de, osito um foleto, onde traamos mais extensamente d'esta
mos preparados.
Deposite geral de ledo os preparadas
aoiZca e drogara
3i-Rua larga do Rozario34
propriedades da
gratuitamente em
pUnta e dos mes-
Firmina Sofa Moqleiro, Z-nobia S* fia Monteiro,
Joaquim Claudio Monteiro, Augn*trt Claodo Mon-
teiro, Jos Ososo Monteiro, Idelfono Claudio
Monteiro, convidan) aos prenles e amigos de seu
fioado marido o pal J.>a|uiui Cau4io Monteiro,
tallecido na C'>ne du Rio de Jmeiro a assislirem a
uma missa que mandam celebrar no dia seta-
fetri 7 do corrente, (Ingrimo do mesmo fallec
ente .)na igreja by^s da mar.h,^.
TilQVIOA^lO
Ho?. da iB'pcjil iz ariaa em t! fazeudas h. 28.
ma.hntyeudem*ser-C0S?uleffa"l,ls candieiros g. muito bem preparados, com bom
marinismo chem.ne e globo moderno, escova franceza. lindo abal-jourf cbinez e r?du2
de pWps ludo comprehendendo uma so peca por U, 7500o e 6^0' O, e os d'orados
(qiM o principio se venderam a u^OCO) s cu.tam I2^t00. ourajos
Dit,-rs simples com chemin escova ep.n-ios ... AAnnn
Depsitos de crystal para cjma de mesa..... J3J
Lampannas de porcelana com rhemin de balao. ... aTV
L'mpedas modernas para igreija ou cpelas......' njwvnn
Globos a 156'O, e2;5oOO,e redondos com gravura a 2A500 e. 2S00
Ricos candieiros de suspensao pa a sala de jantar com o seu competente depo-
sito com chemin de balao......... 18OO
O proprietario deste* imporlanle estabelecimento deseja liquidar 'tudo ouan o
vidros, para com mais facilidade dispor de sua acreditada loja de rateada da rada Im-
P6T3U IZ H, z8.
M\A
- Jtrois <-se de um bom
^r^\M^m^m^^t^3
lina
w l
Lu Manoel Rodrigues Vaiauca e sua mull r
Tberea Carlota Pes-oa mandam celebrar uma
missa por alma do finado alferes de voluntario?,
Jlo G>mes Pessoa, sea eatihufo e irmao, morto
na guerra actual oo o Paraguay, en consequeo-
cia d seo* traigo, aos pareotes e amigos do fallecido, e
ihesrogam de eomparecerem para al fim a Igre-
ja da reme! orJem terceira da S. Francisca
pelas 7 horas do da sifonoa-feira tO do enfrente.
Albino Bapusu da Rocha, *elr>
joeiro e dourador po'tguec, fai
flflalqoT rnicerte pertencenWa sua
aett e bardos e eflboea o trabalho
assli (om taortiem ampr*- relc-
ios em seguola mo e ubB' de
oro : la prar;a da Independencia
r
Precisa-se de uma ama para o BBTvlfe domes-
tico de urna cas* de familia : a tratar na ra do
Qoetmado n. 12, priraeira nisr. ,
.^ievos brincos da aaltima amoda.
Chegaram da Europa os mus interessautes e.
bellos brincos de ouro de le cbm pIngentes de
crystal, ultinra moda de Paris, por presos commo-
dos, ouro garaatido : oa loja do vapor, rita Nova
58--------
Candido C. G. Alcforat 9. Ra G. Aleo
forado maadam resar urna missa aa matriz da
lija-Vista as 8 l|2 horii da manha do da 10 se-
guoda-feira, pele repouso^leroo de sen sobrinho
Joo lluHisia de Preitas, que t-udo marchado para
a eampMha, nortea to oosprtal de Corriente*
Convi Um os seas amibas e daqelle Ibe= presta jh*J* w*, Dea por isso swjeit'o ao iragb deirartu
o M'riliso obsequio de assirt.-e*i. ^.l ; ul^> slaJypwipess da OMManga devert ser
Feitor.
Preeia-se de um para om eftgenno perte da es*
taeao da Gamelleira : quem estifer as eendlcdes
entenda-se eom Albino Jos ferreira daCanfca,
largo de S. Pedro o. t7> ________
Empreza de iamina(?o a
gm ....
Por ordem dos embretarlos se previne a todos o
devedores, quer por a-parelhos, Quer por consumo,
que hajam de sallar seas dbitos at 30 de setem-
bro prximo, oa oertesa de qoe, os qae nao Hie-
ren, te rao de ver as snas contas entregues ao pro-
curador, pesio em eieeacao o art. 8* do regula-
mento.
Seieotitiea ainda a mesma empreza aos Srs. con-
sumidores, qne os registros s podem ser abortos
na fabrica do gaz, aonde ba sempre pessoal promp
to a eianina-los eom a miilmatiromptd*, e que,
e algom for neontrao, que, n'oatras condices o
i phseq
la
un
Miooel Molslo Pereira do l.u#o,
ira-ileiro e 0. Loiza'fl'orlnda PfdftSa, -ti)
To>a levando em sua cflmpanhla 'dotrs'flinoHMoa
ores da ntUm*. um criado, duas (?rTiras e do
-' ftlhos tfotH-. P'niw X^ny;0rfr^n>;_
'pan
otorisa sua mulher D. Idalina de 8iqeira]
comprado o material, *&m de qoe precos nao
ejam si.brecarregados, aeerca do que tem eslaem-
praza reyebidQ rylamacges.
__^_
M da mtwnka branca
a,U3,oM& Xa praca da Independencia n. 2i e 26.
rrcisa-se alugar eseravos mocos e velhos
habituados ao
desta pra-
A Drimelra vez nedimo=-IHe me asionawa n ?a tres leguas' W'se '"fnsal oa diariamente : a
que^TfeVa^^ Ba d0 !PWI sobrado n. 58 segundo
mesmoP0-rudo com uma poJJficaco a pedido! '
tambem acnyma. Ora isto st njiseravel, des-'
gracado, e rnim I E' verdade ^-ParruaV)- qoe
pronunciamos aquellas palayrtbhas que tanto laj Presisn se de ora bom copara : na roa larga do
eocommodhram-o phisico ; pbrm owsrtits qe Rosario n. 37, hotel Traviala.
as vezes ?e esta* doro o'genio fblg'sao, e as pilh-
ARMAZEM DE FAZEUTDAS
u ii fi mmm
DE,
OLYMPIO GOCALVES ROSA
Ra do Livraniento n. 14.
O proprietario deste esubelecimeato faz sciente ao respeitavel pu'Wieo aos seus amigos a
t&Mft^ 'm ;,,,rrii-D.-ad a fUa 'fflc,na 3e alfi,ia,e' e d,ri=ida P" '"" hbil mestre, ,a elTzr-
S^%'^aZ^^^atrvMmai''iuVMnu qaequlzerem h"rarseu eilabel"
ror acA.Slm aTlem Um e,0{a^m >rHmento de fazendas finas (as quaes nao sendo costqme pro-
curar as lojas do Livraroeno) espera que seus amigos e fregueze o honrem eom soa^
pois vende mais barato que outro qualquer.
presengas,
Cpe^
ewo.
ras que nos vero sempre a imaginario sis as qte
estn na ordem do dial Pobre pedaco d'asno cooio
nos compadecemos de' ti I Aprsenla rr-Parrudo
esse Diaria, oude feahlo o annohco em'que e u#s
chamava para pagar forneriroenos to cernida,
provocamos-te para que o facas I Oh I quanta es-
pecies I .... .
Para ti de boje em diante temos sostente o des-
prezo. 0. ^
Os teus sympalhiits.
Precisa-se de uma criada, prefrlndo-se por-
tugoeza, de idade de 20 a 25 anbos : a tratar aa
ra Nova n. 50, loja, ou na fabrica a va'por da roa
do Mondego n. 99.
Precisa-se de orna ama para aa caYde ^,*,,',0 Wl#ic'liei n. 11
tres pessoas, prelerio*-se esezava : tratar aa
ron do Cotovetta n. .3. J.
Aloga-se a raetde da casa o, 94 da rna das
Aguas Verdes: a tratar na mesma.
A abaiio assignada decfarjT qfle nibgrjem faca
negocio com a casi terrea da travessa de S. Jos,
fni|ei:i#ddf dTS#*o 'nrim dd 113, vis^O ofino sed
ilpnt quama de G005. cora o$ j*-
e;, I a vhce>|m ti *p sctetno
:laic?o I (*rl livrar de dovids
I
Prec(a-se de um capel rio para a povoaeo
de Piraohas, provincia de Alagou ; o sacerdote
que quizer^dirija-se ra do Queimado n. 38, on-
4% achafi om qinta tratar ; e isto at o da 12 do
coi fente. '
4
c>r
Josepha Mara' da Conce;
Precisa se de um copeiro : no hotel Frincez
*

X.4R6PE
peitoral e dnlciflcanta
DI
SAINT -GEORGEJ
W*Ml>er
GRIKACLT e O1*
pfcrKtmtlcs Ja S. A. L
principe Napollo
Cora rapta de 1*
molestias seguentes':
1 Unte, catarrhos, pleu-
resa, coqueluche, art-
o***\ fe*u* cmipd-
p9#, ifrUueSM
bronchas e do peita,
' br(meMu,piaifTcapKl-
\foAfVt itma, pneu-
'. i Menets,
dos IngOeret Recif- 5 de sei<"r)b'-o 3a fS66.
AWuitf u cwu a 9a*
e jssar recibo-
escribo rjrJeTTpj siMimT servido
de nma r^ ie fm:lia : a tratar na rya da Impe- *
iratrun.W.lojaao-Mao. ^Cwif,
[ mo*ia,abgtna$_
rouquiom. Os
lempo o uso di
raen oom 0 tracco
om^Jo, cpM a papar*
aaenio.
venda naphirriKi'illa-e Mrarer
Antonjo Joaquim.Pires, 'F^rClkcrj Alves de Me-'
raes P&*, Maris jMqiiWa' de Moraes Ros, Josd
Martins do Rio, gnea Leopoldina derGrvaHw.PKlcUra"
res, Anna Isabel de .Aodrad P|r|t Jos Mar-
TaYBf o fif,, -ezri'q A\irelfaab Whtora. Sn
celina CWaves Ventura, ios o Prancisco dbs Sai-
tos e MaTSmih' de SoiAi Santos,.Hita,, genre,
oras e netos muito agradecen a lodas que asslstiram ao enterro rJ sua motb presada
rali, sogra e av Anna Joaqun de SWrBs F%s,
e de novo as convidam para |a missa 00 etlrwdia/
que ter lugar ua. nwtfit d,a Boa-Tta as 8 horas
da mauhaa de dia segunda fcira 10 do correal-.
Precisase Biugar*'tfrm,Wc,rlVrf que
di-
Claudio DflbeiiT, prtfvrn ifiptblrco, e'ceo
e'sffec1jrrftade(rt'e6rWf^*sl|litif**fs^
fmfti^qne tal r4wrto*m .ftfrtotim*.***
todas as lionas de sua empr.-a de mnibus, qde
tem trad^itado pls r}'v :.baloes de>
idade, e por'teso fez ste aviso paa-q# o sWjhO-
tio na provincia de AlagOas a D. Francisca Euge- res auK>ott>s> riis -.inteaesaados MmamraoO)
iota im^M, ll;-po 23 ss 3.:::.:-;5.i.
gommar e cozinhar, (som-v;ci.): oa rno das Cro
zes^n. 36 andar|^ac*se l>M^;Mdenado,) _
- IfCioadlifiaaia.\tn 28 primoiroaadar, de-
.]**** hilar pea, Fr,. Fell\ d^ N >tj viiade Plraenta,
. prior da Pledade. sobre o arrendamnto' de ur si-
e a.
Precisa-se alugar um preto de idade para
servio do casa de pouca familia : a tratar na ra
da Cadeia n. 51, 3 andar, das 7 as 9 horas da
manha, ou das 5 da tarde em diante.
Precisase alugar urna escrava que~saiba en-
gommar com perfeco: a tratar na ra da Cadeia
n. 51, 3 andar. __________.
Aluga-se a loja do sobrado ao uorte da fa-
brica.dogjz, frente para o rio, com commodos pa-
ra familia, tendo agua de beber rlenfro.
Precisa se fallar ao Sr. Jos JoaquftrTdelJroa
Jnior, morador nos Arrombados, enf Olind ;na
roa do Queimado o. 9.
.ai-
Precisa-se de om caixelro de 10 a 13 annos
e idade o qae almac! a sua cobdteta : a tratar
a reflncao i. roa Precla-se alugar uma escrava que saiba
ommar e eotinhat, sm vicies rja ra das 1
zes n. 36, t andar, pagase Txmf orfletiarlo.
Os afeaizo assignados previnem aos sens de-
vedores desta provioei, que tem eassaoo os pode-
resqoe,, haviam confer Jo ao Sr. 4ulonio Borgas
da Silyeira Lobo, para realizar as cobrancas divi-
sa e establecimetlto'rJos mesmos ahnu!r!MBfes, ata
fae nmielte aentwr HW preste contas das cobran-
ca realwadas per tile. Reoifei 4 da aebnabro de
1866.
U. Mana J- anna Marquts de nedeiros, subid-
ta braSieir.", retira-se para a Europa, levanto em
stfecoiipaAhTa Ma orlda llBN*'4e'nbtne PV'a-

Na roa do Limjseato n. It, precisa-se de urda
ama pifa o serv'ici idlarab e etternb de' casa de
t)oa wft|ay __
f iqulni Jos L'itao, faz sciente ""ao publico,
1 os seos1 e*abeleclaetos a ren Impe-
Joaqu!
rlal n. 45 e 4S, e pede. a quera se julgar seu cre-
dor a|irecentar $ua roa Aujjsta sobra-
do o, 114, para sera' pagas, So no praso de 8
das.
Bernardo Alves Pinhpiro, declara que preten-
de retirar-.-e temporariamente" pata Portugal, e pre-
vine a quem interessar possa de sua viagem nao
senao^evedor a pessoa alguma, t.-davia oijem as-
sim se considerar queira apresentar-se yara ser
pago : deiza por seus procuradores Joaquim da
Silva Co>ta, Joaquim Mauricio Gonsalves Rosas e
Antonio da Costa l)i--
Qu^m pretender comprar duas vaccas boas
de leite, caw duas crias: dirija-se ao sitio das pal-
meiras ni r.,rre,qoe.,4 achara' pom quem tratar
Precio-s alugar Orn escravo~para o servi-
fo de um siti prto da cdad : ni ra da I-noc-
ratri O. 86. v
Precisa se de urna ama pa7a~caa de pooca
(amiba : oa roa do BoW Jeus as Crbalas 0. 35
sobrado.
Qaero Te*isT de a~eptrtTestrangelro
chegado ha pouco tempo, pois este tem habilitacoes
bast-iotes: procure -na rna da Lingoeta n. 2.
/ andir;x precisa M,lagaf duas esttavas para todo o
servlgo de casa de famiba.
Precisa-se de um rSpn de 14 a 16 anuos ou
de um hornera de 30 a 40 anuos que saiba ler ; na
ra- oV Corrcordia' n. 3t.
Precisa-se de uma preta escrava, para todo
servico de urna casa e venlr ri' rua.qqe selaaR
tfa' roa do Ifngodrt-a n. 85.
Cylmaros para pdana
Na padaria da ra Direit
tt. 84, ha sempre para vender
por ooBMnodo prejo os co-
obeeidos e acrediudos
lttdroe amerioaoof para
Fiii^'ffOrwattes.
Na madrajfifda.de domingo 19 do cu rente moa
fortaram se dous cavados de estribarla do sobra^
do n. 2 dafronle da a$tan*: m rodado, alto, 03-
sodo, bom passeiro e.eaqupadir, com muitos fer-
'" nna artirm fl mtm b raaM coa ciiay, Cau>
letra
Ara-

.

s3S


Diario de frerawialHie -- Sexta felra V de Seterobro de 1866.
:. '<-"
Irritado dos pulmoer. angi-
nas, tosse, esearros de
sangue, crupo ougarro-
tilho, catarro, rouquidao
e todas as iiiBumeravei molestias que affec-
|3o aos orgos da res pirado
ESAlPPARECKM
ediante a accSo da balsmica e irrev
CONSULTORIO MEMCG-CMGICO
DO
ANACAHUITA
OR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO;
HfiRICO, PAK1EIRO B OPBHAWB.
3 Ra da Gloria, casa do Fundi
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os das das 7 s it
toras da maaho, edas 6 p meia s 8 horas da noite, a excepto dos das santificado.
Pharmacia especial homeQpathica.
No mesmo consartorio ha sempre o mais appropriado sortimeoto de carteim
tubo avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes ei pelos precos seguate*
Garteiras de 12 tubos grandes, 120OU
> de 24 tubos grandes. 183000
de 36 tubos grandes. 24(5000
de 48 todos grandes. 30,5000
de 60 tubos grandes. 35)5000
Prepara-se <{aalquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedid
q se pedir. ^^^
Um tuho avulso ou frasco de tintura de mp!a onca l#uoo.
Sendo para cima de 12 custaro os precos estabelecidos para as carteiras.
Ha tobos mais pequeos cada um a 500 ris.
E.IVROS.
tinturara
AO GRANDE S. MAURICIO
procesaos aperfeicoaros
PARA
Tlngir,; limpar e lustrar a vapor.
PEITORAL de KEMP.'
a anacahuita mexicana que d o nome es-
pecial este incompara-vel remedio, urna
arvore, cuja madeira por muito tempo se
ha usado ao Tasnpico para a cura das en-
fermidades cima mencionadas. Foi tam-
bem eosaiada e approvada pela academia
medica de Berlim O pe toral de Kemp
am xarope delicioso inteirameole livre de
opto, acido hydrocyanico e outros ingre-
dientes nocivos.
A' venda as drogaras de Caors Bar-
boza, Bravo d C. e em todos os estabeleci-
mentos pharmaceuticos do imperio.
Deposito geral em Pemamnuco roa da
Cruz n.22 em casa de Caros
F.A,
nsre & c.
A melbor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Horneo:
dous grandes wlumes com diccionario............ tr^i(\
Medicina domestica do Dr. Hering........... ffin
Repertorio do Dr. Meti Maraes.......... S5oo0
Diccionario de termos de medicina .*! A,
Os remedios deste estabeleciment sao por demais conhecidos e dispeosam por
unto de serem novameote recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios
verdadeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de
rerdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservacao, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparacSo, e portanto a maioi
I energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe quaique
ooeracSo, pira o que o aanunciante julga-se sufficientemente habilitado.
O Iratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica,
raoccionando a casa ha mais de quatro annos, ha mui vas pessoas de cujo conce.te se nc
pode duvidar, qae podem ser consultados por aquelles que desejarem mandar sera
Paga-se 21 por da durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
As operacoes sero previamente ajustadas, se n5o se quizerem sojeitar ao preco
razoaveis que costuma pedir o annuuciante.
29..Ra 7 de setembro 29
Defroite da rna nnva do Ouvidor (Ri de Janeiro)
Os propietarios deste estabeleciraento, o primeiro no sen genero no Brasil, por
trabalhar com as machinas mais-apereicoadas para Ungir e lustrar, de que se faz uso na
Europa, eajudados por alguns dos meihores officiaes de Paris e Lyao, pdem assegu-
rar seus freguezes urna perfeieo no trabaiho, a qual seoJo pode chegar pelos proces-
sos ordinarias.
Tingem, lavam, limpam e demofam com a maior perfeicJo e brevidade qualquer
thu* a* n, i,r qualidade de fazendas, tirana nodoase limpam secco sem moltiar as sedas e as vestimen-
pathice do Dr. JarS .
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias:
na ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
iiMsM$$9I&&& &"&*
DEPOSITO DE CALCADO g
FABRICADO ISA CASA DE DETEISCO ft
Ra Sotb. 61. P|
Ahi se encontrarSo obras de di- g*
versas qualidades, e por preco mui \
diminutos, a retalho e em porces.
S se vende a dinheiro.
Aloe se orna escrava para ^ervico de ca?a
lerrea de pouca familia, e bera assim nm moleque
de 10 a 12 annos pouco mais ou menos, para re-
cado?, e Dio diiTida-o adi.iniar alguns mezes se
convier; na ra Bella n. 22.____________
Ao publico.
Domingos Martina de Barros Mooteiro, despedio
seu catseiro Victorioo Lopes da Cesta desde odia
18 do correnle, por immoral e esMIionatarlo, como
prova com muitas pessoas de^la praga com quem
tem transaeces oemntefSiaes, c coin os apunta-
memos de .-ua escripia. ____
Peitoral de Cereja,
DO OS,. AYER,
O
PARA A CURA RADICAL E CER-
TA de todas as molestias do peito
c da gnrgr.ut.1, tojscs, eonstipacc,
Broaclite, asmr, d^luxo?, roqui-
do, C'oquuiKchc, t.ngina, DIptheria.
Este xarope pcitorcl o resul-
tado de lougos anuos do cstudo
por um dos piimcros mdicos da
Amurica do Xortt, o de experi-
enci.ts minuciosas u priucipaos
hospliacs do mundo; recoitado pelos mcdico's mais distinctos
deste sceulo na sua clnica particular, portanto digno de toda
confianca, 1, mr ser eficaz, nlcaocando com urna certera inal-
Ivel o assento da molestia c arrancando llie as raizes, assim
dando aos orgos afectados una accio natural e si:2, por
ter irnocente e appUcacal a qualquer pcssa de qualquer idade
ou texo, ao hornera robusto ou crianta da mais tenra idade,
cda fraseo sendo accompanhndo ds dlrrecces minuciosas:
3, e ultimo, por nao ser um remedio secreto, pols qualquer med-
ico ou pharmaceutico pudo obter a formula da sua composieo,
dirigindo-se pessoalmeute ou por carta ao agente geral, H. M.
LAXr, a ra Direita No. U, ltio de Janeiro.
Mui tos casos que tinliio zonibado de tojos os recursos
da ciencia tem sido curados radicalmente com o uso do
Peitoral de Cereja.
As jwssoas atacadas de tosse, deflu-xos, Dbr da garganta,
Dronchite, asma, etc., c outros symptomas da tisoo prima-
ria geralmentc fazem pouco caso do sou padecimento at
que seja tarde para cura-lo. Nao descuidis d' urna tosse
porque agora parece de pouca importancia ; urna tosse
descuidada chega a ser chronica c induz a forniaco de
Tubrculos nos pulmes.
Kenhuma casa do familia deve estar sem um frasco
deste xarope niao ; pois nos ataques repcntiHos de
Anqiv.a, de Creup, e nos paroxismos do Coqueluehe; ou
osss comprida a que estao sujeitas as enancas, nao ha
tempo do chamar um medico, nem de faxor remedios, e
este xarope alivia immediatamente e pe o fllho querido
s&o c salvo, ra de perigo.
As. molestias que esto ao alcance das virtudes curativas
do PEIVOnAX X>JT CJEXZJA sao
Defluxoa, Tosses, Aam, Ejninenoi, Bronohlt,
Coqueluche, Toase ferina ou convulsiva.
Boguido, Todas as molestias do peito
e garganta. Consumpco dos Pul-
mti ou Tisiea pulmonar.
Acha-te em todas as Boticas e Drogaras do Imperio.
Pilulas Oatharticas do Dr. Ayer
CTTR.2LO
Prlxa de wentre, InMgmstma, Cotutipa^ao, Blieu-
maf<#mo, ItemtnorrKoidftB, J>Ar Ae cabera, A Hevral-
pia, mal do ettommgo, En&mqueca, mal do Tifiada,
BaHHU, Febr* gatlro-htpaliat, Lombriga*. JSryip-
Ineremmtto do bate.
Vodas ss raelej' qae proven de ase exeessivo ds
O mlhor purgante at boje etnhecido.
Estas pilulat astucarmdas sao purammtU wegitam.
PMfe e pvunoio 8MI asaeTraio.
A venda em todas as Boticas e Drogaras do Ioscrie.
juttam eiiax,
H. U. hA&9, Boa Direito Vo. 16,
Blo de Janeiro.
Vende-se em Proambaco:
ai
BOTICA E CONSULTORIO KOIMEOPATHICO
DR. SABINO O. L. PINHO.
Ra Nova n. 43 (loja de marmore.)
A eioerieacia tpm demonstrado com a maior evidencia que os medicamentos homeopticos
preparadospol S"vigilada- dynamico sao os que desenvolv accao mais prompta, mais segur.
SBE'^em duvida polo conhec.mento destes resultados que constantemente^recebe esta botica, en-
Sendas do Rio Grande do Sul, du Rio de Janeiro e da Bah.a, apeiar de hay.r nessas provincias
SSsortidas e acreditadas boticas, d'oude se poderiam talvez obter remed.os mais baratos, alten-
deDd a SKaVeXeSo dos medicamentos assim preparados se manifesU at mesme quando os
glbulos se acbam reduzidos a massa. .
____.^Boticas de 24 tubos.....18^ a 20*
~** de 36 lQb0S- .... 25* a 30*
de 48 tubos.....335 a 40*
de 60 tubos.....45* a 50*
Caixas de medicamentos em glbulos e tinturas.
De 24 tinturas e 48 tubos. 60* a 70*
E 36 e 60 tubos. 75* a 8J*
48 e 88 tubos. 95* a 100*
F60 e tlO tubos. H5* a 20*
Vende-se igualmente o THESOURO IIOMEOPATHICO, obra essenculmente popular pela clareza
com que ensina a coohecer as molestias e a empregr os remedios (2 edicto) 2*uw.
O Dr. Sabino TT. P. d consultas todos os dias otis desde 11 horas da manha at 2 da tarde.
Das 2 horas em diante visita os enfermos em seos domicilios. ...,.
Em rasos urgentes e repenlinos as consultas e visitas serao Teitas a qualquer hora.
As consoltas por escripto serao respondidas com a maior brevidade, precedendo sempre o lem-
po necessario para maduro eiame e reflexlo.
o55H23xcfe

FABRICA TVACIO IAI A VAPOR
99 UA U MONDEGO 99
Deposito principal na ra Xova n. 50 loja de relojoelro.
Deloache dorio deste estaberecimento partecipa ao respetavel pablico que tem
montado urna machina de fazer gtlo, e que jsua fatiica de chocolate pcdeifimecionar
sem interrupcao, e para mais facilitar aos Srs. compradores de chocolate temorganisado
um servio de carro, que andar em todas as ras da cidade, os compradores podero
chama-lo.
PRECO.
Meia libra. ......... 400
i* Urna libra........ 800
Urna arroba..... *9i*000
GELO
As pessoas que quizerem gelo para soir ou bailes, podero dar suas encommendas
ao caixeiro da casa, ou na iua Nova n. 50 aonde tem um deposita As pessoas mora-
doras nos arrabaldes da cidade querndo levar gelo pela manhSa, podero deixar um
caixo fia taberna juntp ao porio da fabrica, que acliaro na volta suas encommendas
promptas.
Na mesma fabrica tazem-se cadeiras franceza de todas as qualidades, e vende-se mais
barata que aquellas que vem da Europa.
O NOVO DESTINO
DO
HARE C,E
rs

A NOV
w
23 Largo do Terco 23.
E Sortimento completo dos meihores emaisbem escolheidos gneros perteocentes
a molhados; o propriatario deste bem conhecido armaiem de molhados denominado Cod-
ervative participa aos amigos do bom e barato, tanto desta praca como do mato, que ve-
noso comprar aprimeira vez para verem a grande differenca que ha dos gneros com-
prados em outra qualquer parte, garantindo-se a superior qualidade fe qualquer gene-
ro aahido deste estabelecimeoto.
Caf de I.* e 2 sorte a 246 e 200 rs. a libra, e a 65 e 7* por arroba.
Queijos do reino de diversos vapores a 20200, W>00 e 10800,
Manteiga ingleza flor mandada vir por conta propria a 800, 9C0 e,,l(5|rs.[a libta.J
dem franceza de 1.* qualidade a 560 e 600 rs. a libra,
Sabio amarello maca de 1.a, 2. e 3.* sorte a 240 220 e 200 re. a libra.
Vinho de diversas marcas JAAeBo F. a 400 e 500 rs. a garrafa e 3t>500 acaoada.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa e a 40500 a caada on 30000 o galSo.
Vnho branco de superior qualidade a 640 rs. a garrafa, e a 40 e 40500 a caada, f
Bolaeiiinba de soda de diversos gostos a 10200 e 20000 a lata.
Cha loiodioho de superior qualidade a 20700 a libra.
dem para cwfgcoio a 10800, 20 e 20500, a vista faz f. .
Banha de poreo refinada maito alva a 560 e em barril a 500 rs. a libra. |
Phosforos do gat a 80300 a grosa e 200 rs, em maco.
Sevada mutto flora a i60 rs. a libra, em porcS se rara abatimento.
Fratwueiras com geoebra de Hollanda a 60000 e 540 rs. um frasco.
irvija de diereis nartm a 5fi0 e 508 rs. e ^0000 60000 dQt.a.|
E alm destes geneTOB ha ootros muilts assim como: arroz, baUts, macas para
sopo, pas.,s, oominboa. erva doce, lbos, !vw>, feijo, e outros mnito que eflfldonho
seria inen iona-l, adinheiro a vista.
LOJA DA FRAGATA AMAZONAS i
N. 5 Roa do Qneimatit n, 5'
Monteiro & Guimares participam a to los os seus amigos e fregnezes que rece-
bem de c^nta propria por todos os vapore da Europa, grandes e variadissimo numero
de artigos de moda?, e de alia novidade tra Pars, e bem assim adornos propriospara ca-
samentos; pois seu correspondente de Paris, na escolha de taes mercadorias em mereci-
do approvar,5o das encantadoras pernanbucamas. .
A Fragata recebe de sua propria encommpnda luvas de Jouvin, :* meihores que
aqui tem vindo, as quaes vendeir. em duziaa 240?OO; assim como recebe figurinospor
todos os vapores francezes, e bem assim jornal das m<>das. A Frogata vende ricos tap-
tes aveludados com differentes paisagens, proprios para sof (para 4 cadeiras).
Chapelinas primorosamente enfeiladas chegadas pelo ultimo vapor francez.
Ricos cortinados bordados.
Cortes de seda de cores de 300 at 1400.
Colchas de finisstmo damascos de seda para noivos.
Organdy branco imperial, fazenda esla que muito se recommeda pela sua boa qua-
lidade, e bellos padres.
Basquins para senhora (ou confections) de grosdenaple preto ricamente borda-
dos, e justas costura.
Saias Maria Pia, com barras de cores (novidade) tendo cinco pannos cada urna.
Pecas de entremeios bordados a 10000 a peca, muito lindos padres,
Trasparentes para janellas com mui lindas paisagens.
Cimbraia indianna com oito e nove palmos de largura. .
Lindissimas caixinhas para costura com diversas e armoniosas pecas de msica,
proprias para se fazer um presente.
Aderecos decrystal para senhora (novidade inteiramente).
Ricos vistuarios bordados para baplisado, com todos seus pertences.
Ceeiros bordados a matiz.
Enfeites para cok, o melbor que se pode desejar.
Manguitos egollinhas bardados em finissima cambraia e outros muilos objeclos
que mencionados seria enfadonho.
| VIVA 0 I'ROGESSO
Ao systeraa mtrico decimal
Let o. 4 .o7-de 26 de 08111 Art. I> O actual syMema de psose medidasse-
1 r Qhstltoido em lodo o imperio pulo ytema me-
, trico francei, na parte correspondente as medidas
1 Beares, de srjpercle, capacidade e peso.
ArU 2. E' o governo auu risado para mandar
vtr da Enrepa os Decesiari'js padrSes do referido
systena, sendo all detidamente ateridos pelos pa-
dres legaes.
S l. O systema mtrico sobstitoir gradoalien-
te o actuar systrn-.a de pesos e medidas em todo o
imperio, de modo que em 10 anuos ceste inteina-
menle o uso legal dos aotigos pesos e medidas.
g 2.' Do ante este praso, as escolas de instrnc-
co primaria, tanto publicas como partico ares,
comprehenderao no eusico de anthmetlca a expli-
cagao do systema mtrico com paradocoro o systema
de pesos e medidas que est actualmente em oso.
ArL 3. O governo..., podera impflr aos inlrac-
tores a pena de prlso at um rnez, e multa at
1000000.
Cbegaram a roa Nova n. 38, viudos de Pars e
all devidamente ateridas, a; medidas mtricas de
que trata o 2 artigo da lei cima, e vendem se por
prececemmodo ; tambem se vende a bem conhe-
cidaobraNocdes do Systema Mtrico, por Jes
Antonio Gomes Jniorcomprebendendo as preci-
sas explicares do mencionado systema e taboas
comparativas da conversao das medidas de um
systema as dootro, na ron foi mida de prescripta
pelo l' do art. i da citada lei.______-
Fabrica a yapor
_ DE
PAO E BOLAHAr.
Ns. 6 e 8
Pra^a da Manta Crnz
Joo Luiz d' Narciso, acabam de montar o sea
muito acreditado estabeleclmente de padaria sito
na praca da Sania Cruz os. 6 e 8, com machinas
movidas a vapor, sendo esta a seguoda nesta cida-
de, a mais aperfeicoada no trabalbo desta ordem
al o presente ; os donos deste esiabelecimento
participam aos seos numerosos freeuezes, que
se al boje es tem servido btm, de boje em diante
se tornaro mais bem seividos, nao em pao e
bolacha, como em todas as qualidades de massas
finas, pols as machinas cooperam rooito para isso,
apreseniando todoasseoe limpeza ; pois os donos
deste bello esiabelecimento procuram .o quaoto
\
Sociedade peitugupza de seguros mutuos sobre anda, faniada e
administrada pelo
BANCO ALLIANCA DO PORTO.
Todo o pai que desejar acautelar o futuro de seus filtios dev,e quanto antes,
azer inscrever os seus nomes na listados socios daPievidentepor que, com urna
pequea quantia que, todos os annos paraal fr aplicando, tirada do fructo das suas
economas, no fim de 25 annos alcancen -lbes-ha urna fortuna, que por neijhum outro
meio e com to equeno desembol.o podtr obte^. v
Oa exemplosjrat^cos de nutras sociedades ana'ogas tem mostrado que:
UOSU pagos aunualmcule p< di-m produzir.
convier em soas |forcas para sempre melborar o
systema do seu trabalbo ; os mesmos tomara a li-
berdade de convidar o respetavel publico desta
cidade, como de tora, para Be caso de qoerer
apreciar o trabaiho das mesmas machinas, movi-
das a vapor, todos os dias da* 6 horas da maobaa,.
at as 4 da larde ; e aproveitam esla occasiao para
agradecer a todas aquellas pessoas que Ibes fize-
rem a distincla honra.
FAC SIM1LE "D'ETIQUETTA COR DEROSA.
100 carlle's
PAISLEY
Os Srs. James Carlile, Soos & C, Bankend Mills,
Paisley, Scotland, teem a honra de chamar a alten-
(ao dos consumidores de liaba em novellos, que el-
les obliveram medalhas de premio das exposiedes
de Paris e Londres, por sba* excellentes linhas pa-
ra coser, e que, todos os nove los (eitus por elles,
para este mercado, tem ao fim de cada maco, urna
eliqoelta branca, na qual acba-se gravado o nome
da firma em ehcio, urna vista da sua fabrica, assim
como desenhos das cima mencionadas medalhas,
e que cada novello tem urna etiqoetta cer de rosa
com o Humero, e as palavras Carlle's, Paisley, e
tambem, que qualquer linha de Tambour, manda
da a este mercado, trazende outra qualquer etiqnet
ta do que cima mencionada, nao de sua propria
fabrica:
Soothall, Mello- & C, nicos agentes em Pernam-
buco
Melior, Soothail & C, nico agente na Babia.
Samuel Power Johuston & tompanhie
Ruada SenzalaNova n. 4.
AGENCIA DA
Fuadi^o de Lev Hoer.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d; carro para nm e dous cavallos.
Relogios de o uro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Em 5 an- Em 10 Em lo Em 20 an
nos. annos. annos, nos.
1:1000 4:0000 9:1-000 2O:OOf0
900-3 3:OO0 7:5( 00 17:0000
8600 2:9000 7:3000 16:0000
8600 2:8'J(>0 7:1000 18:600*
8605 2:7lH)0 7:COO0 15:5O('0
8606 2:7000 7:0000 15:4000
8600 2:7('0 7:1000 lo:Q(0
8600 V:7OO0 7:iOO0 16:0(00
0000 3:0000 7:5000 18:0000
Por-um menino de 1 dia a 1 anno.
> de 1 a 2 annes...
t de 2 a 3 ....
> de 3 a 4 -----
b > de 4 a 15 i ....
Por urna pessoa de 1 o a 20 anno* ..
de 20 a 30 ____
de 30 a 40 -----
de 40 a 50 ....
Admittem-se subscripces aonuaes de 80 para cima.
Quem pretender subscrever para a Previdente ou desejar quaesquer esclareti-
ments,e informa?5es, pode dirigc-se sua direccao, no banco Allianca, estabelecido na
ra Bellomonte, ou a Jo3 Ferreira Moutinho, inspector geral da mesma sociedade, mo-
rador na ra da Fabrica do Tabaco n 9, no Porto, e aos agentes do mesmo banco e
sociedade na capital e provincia, que tambem darSo prospecto gratis a quem espedir.
Achando-se fie passagem nesta cidade o inspector geral da referida sociedade,
promptiflea-se, durante o pouco tempo que aqui tem de demorar-se, a daros esclareci-
mentos que se lhe pedtrem, todos os dias at as 10 horas da manha na roa da Cruz n.
1, emeasa do Illm. Sr. Antonio Luiz de Oliveita Azevedo, onde se acha hospedado.______
Em 25 an-
nos.
* 7:000)
37:0000
35:0000 na
34:0000
33:3000
33:3000
34:OCO0
37:0000
50:0000
Era julho de 186i fugio do ahaixo assignado o
seu escravo crioulo de 26 annos de idade e de no-
me Miguel, o qual teui os signaes seguales: cor
fula, alto, boa figura, cibera pequea e cabello che-
gado; tem bastante barba e j lhe fallm alguns
denles, pernas comprida?, fes grandes _e esparra-
dos, dedos curtos e torios,era um dos p tem urna
cicatriz de machado entre o deao grande, tem mais
mo direila urna outra cicatriz muito visivel
que parte pelo meio daunha do dedo pollegar, cujo
dedo t.m pneo defeitDOso, bom irabalhador, e
ludo quanto hi com de.nmbsr.co. Pede-se pois
aB autoridades policiaes e'apilaes decampo qoe-
prendara o dilo ecravo e o rematara para o Reci-
fe e enltegar a Claudio Dubeaux, na roa do Impe-
rador, que recompensara geaerosameote, ou para
o Sendo a sen Sr- Jos Baptista des Santos.
fe.
kix,
A NACIONAL
Companhia. geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
ATORISADA PELO REAL BECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Una laica en diiheirt, depositado nos cofres do estado, garante a boa ad-
ninistraco da eompashia.
BANQUEIROS DA COMPANHIA D1RECC0 GERAL
O Banco de Hespanha Madrid: Rna d Prados. I
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as corabinacSes de supervivencia dos segu'
os sobre a vida.
Nella pode se taier a subscripto de maneira que em nenhum caso mesmo por morte do
segurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao tao supreheudentes os resultados que prodnzem as sociedades da indole deA NACIO-
NAL,que anda mesmo dimlnuindo nma terca parte do mtoresse produiido em recentes liquida-
edes e combioando-o com a raortalidade da tabella de Depareieuz que adoptada pela companhia
para sens clculos e liquidacoes, em segurados de idade de3at9anuos, uraaimposicaoannua-
U 1001 produi em effectivo metlico: a
No fim da 5 annos.......1:1191300
. da 10 >.......3:0431600
, de 15........11:3081100
de SO ......; 30:3561000
> de 35 >.......80:3311000
Nm idades menores de 3 annos e raaiores de 30, os productos sao mais considerareis.
ProspeotJs e mais informacSes sero prestadas pelo sub-director nesta provincia.
Finia de Oliveira, ruadaCadeia n. 52, oa a Boa-Vista roa da Iraperatri'n. 13, eslabelc
ment dos Srs. Raymundo, Cartos,Leite k Irmao.____________________
__
Preeisa-se de ama ama para todo o servico mter-
o de ama casa de pequea familia : na praca da
Boa-Visti n. 7,1 andar.
Aloga-se ama caca terrea, em muito bom
sudo, sita na estrada do Manguinbo (contigua a
do Sr. coronel Zeterioo Velloso da Silveira) com
doas salas, doos quarte, cosoha (ora e quintal
morado: a tratar na mesma airada primeiro
sitio a direlt, passando Igreja.
ssWJKisV isTMssWWf sMimt.-.
aVIsn.VI'sK WiWlBKSmWlWl fSRsKl 1
Companhia fldelidade de segaros
maritimos e terrestres
estabelocida no Rio de Janeiro:
AGHTIS tU PBRMAMBOCO
Altala Liiz le Olirelra kmtit k G,
competentemente autorlsaos pela direc-
tora da companhia de seguros Pidelida- I
de,tomam segaros de navios, mercado- m
_____________________________ rias e predios no sea eseriptorio rae di Z
PreelM-M ithadorM .erro oa eefltiro, StfLiJ^-1_M_, -,.,-, .^.^^2
%%a it M&."*"1 ""^ ********** ****
Precisa-se de uina ama para o servic> interno
de urna casa de familia : a tratar na ra da Sen-
zal Nova n. 4.
-
Precisa-se
de urna ama ene seiba coser e eDgoraraar com
perfeico : a tratar na praca do Cirpo Santo o. 15
nrimeiro andar.
mmwm-mgmm-mmwzm
fJoao da Silva Ramos, medico be
pela universidade de coimbra, d I
m consultas em sua casa das 9 as jK
I 11 horas da maBha, e das 4 as 6 8
.al da tarde. Visita os doeutes em suaslJBl
casas regularmente as horas para I
sso desigoadas, salve os casos ur- |
gentes, que ser soccorridos em
qualquer occasiio. D consultas aos
pobres que o proco rarem no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
manha,
Tem sua casa de sade regular-
mente montada para receber qual-
quer doente, anda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e nella pratica qualquer
opperacSo cirorgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe. .3*000 diarios.
Segunda dita____3S00
Tercoira diu .2*5000
Este estabeleciraento j bem
acreditado pele > bous ser vicos quo
tum prestado.
0 proprietario espera que elle |
continu a merecer a confianca de j
[que sempre tem gozado.
****
O Dr. Carollio Francisco de^Lima San-
, uw contina 'i morar a* roa to Impera-
1 dor n. 17, segundo andar, tendo alias seu
gabinete de consoltas medicas, logo ao
entrar, no nriineifo.
O mesmo doator, qae se tem dado ao
[ estado Unto das operacCe como das mo-
| lestias iiMeraas prestase a qualquer cha-
F mido, quer pura dentro qiier para fra
Hade.
1.


|pj WstV ssVWssl
>7s> RWmlsF V3H1B
1


Diario de F ernanitoaco Sexta felra de cirnateo de 1866.
I
lli. &I2VIAI
Para o Iratamento e cura rpida e completa das molestias sypuililicas, erisype-
Us, rheumatismo, bobas, gota, debilidade do estomago, Diammacdes chronicas do figado
e baco, dores sciaticas, cephalalgias, nevralgias, ulcerasi chronicas, hydropesias, pleuri-
sias, gonorrheas chronicas e em ge al todas as molestias m que se tenha em vista a pa-
riflcacodo systeaia sanguneo.
Consideraees geraes
A saude um bem inapreciavel, cuja importancia e valor s est rese vado ao en-
fermo o avalia-lo.
incontestavel que o homem neste mundo constantemente, e por todos os lados
atacado par ama inlinidade de agentes morbficos que todos tendero, dadas certas e deter-
minadas circumstancias, a alterar o regular exercicio das funccSes orgnicas, resultando
desse desequilibrio o que se chamamolestia.
' A molestia nao mais do que a desvirtuado das torcas vilaes, occasionada, se-
gundo as investigacoes e experiencias dos mais abalisado nieslres da scieocia, pela depra-
Taco dos humores geraes, consequencia da aceSo maligna desses mesmos agentes morb-
ficos introduzdos no organismo pelo acto da respirado, fela via digestiva, pelo contacto
immediato etc. etc. etc. ,
A syphilis infelizmente tem sido a partilha da humanidade, e como fra de duvi-
da que esse terrivel Proteo da medicina urna molestia hereditaria, ella tem sido obser-
vada em todas as idades, e debaixo de todas as suas formas t5o variadas, enfraquecendo
eonstiluicoes robustas, produzindo mutilacoes, e cortando anda em flor da idade vidas
preciosas. -
Eliminar da economa esses principios deleterios. e purificar a massa geral dos
homores tem sido desde tempo immemorial o fim constante da medicina, e os purgati-
vos flguram em primeiro lugar para preencher esse desiteratum ou fim.
O Elixir depurativo do Dr. Sevial parece merecer a preferencia sobre todos: os
immensos successos obtidos pelo uso destcsalutar agen e tanto na Allemanha, como em
Franca e Itaa, o tornam c companheiro inseparavel dequasi todos os doentes.
Sendo as melestias, como acimu .vinos, devidas s alterares dos humores, o
Elixir depurativo do Dr. Sevial pode sereapregado ventajosamente na syphilis, erisy-
pelas, rheumatismos, bebas, gota, debilidade do estomago, inflammagoes chronicas do
figado e baco, dores sciaticas, cephalalgias, nevralgias, ulceras chronicas, hydropesias.
pleunsias, gonorrheas chronicas etc. e em geral em todas as molestias em que se tenha
em vista a purificaco do systema sanguneo; pois que i>ma pratica constante tem feito
ver que elle indispensavel nos casos gravsimos para minorar os soffrimentos, e pre-
parar o doente para medicacoes superiores; e as menos graves a cura a conse-
queacia do seu uso, convenientemente repetido.
As substancias que entrara na composicao do Elixir depurativo do Dr. Sevial
pertencem todas exclusivamente ao reino vegetal, e grande calhegoria das substan-
cias depurativas e antisyphiliticas; assitn, ao passo que este remedio depura o orga-
nismo, eliminando os principios nocivos saude, pelo mecanismo natural das evacu-
acoes alvinas, neutral isa ao mesmo tempo o virus sypbilitico quando este virus j
tem feito erupc2o ho exterior dchaixo de suas multiplicadas formas ; e previne tam-
bera os estragos dessa terrivel molestia, quando por ventura se ache olla anda no
estado de encubando, isto sem se ter manifestado sob formas exlernas: beneficio
immenso, tanto mais quanto neste estado os individuos ignoram completamente se es-
tSo contaminados por este terrivel inimigo.
O sabor agradavel d'esle Elixir convem a todos os estmagos, a sua acco so-
bre o tubo intestinal suave e benigna, e de nenhuma forma produz molestias medi-
camentosas, como acontece ao purgante dito Le Roy, que na sua qualdade de drs-
tico forte irrita a mucosa intestinal, e consecutivamente a seroza, resultando desle es-
tado, muitas vezes, hydropesias, que quasi sempre terminam pela mor te t'o doente.
Assim pois esperamos que o uso deste remedio justifique cabalmente as nos-
sas asseveraces, porque sendo um medicamento tao simples na sua composicao,
pratica tem confirmado sua ulilidade.
Unleo deposito em Pernambuco
Na botica e drogara
DE
Bartothomeo Companhia.
34-RUA DO ROSARIO LARGA34
: Na foj
! vendem
Lia lina
m un mado n ,G
Um bom sitio aa Cipnoga, em trra propria, lo-. pf|,
do ii lirado, perto do Porto Lassera, junio ao s
do Sr. Bar., 'mea Pranci.co te Sonta, onda mo-
rSra enjlmente o Sr. Luiz Puech, com txcejknle
,easa demorada, bem dividida, bons com modos,
grande sollo, iodo piolado de novo, cochura, ca-,
j cimba com boa agua, tanque compasa propria pa-
i ra hamo, muito arvofedo fiacfifr'ro, algn.
p( rto de Ierro, e ludo bo tnelhcr gofio possi-
ivel.
i Oulro sillo no principio da estrada dos Afilelos
:D. 22, em terreno prr.pro, peno da tsirada vS
Appipuco?, todo mOTaoV, tiiii excellente casa de
_ V' o bardado* para cbanetts de scntim .
Veudtm-se Ba loj ; a ra do Quei- i
>as para ntftiiuas.
ua do Queimado n. 16
- para menina?,
Cares e pedias.
bovo c !i nitu sorti coros vha.
Vndese na I uezas
madn o. 16.
Bonitas caxiohas com msica e sem ella
Na leja de coladiza* a" na do Q.minado n. 16,
veodem-se bonitas caxii.rras cu mu "
a' ra do Quei-
C'olkares Isoyer
CU
Anodinos electro-magnticos con Ira as-con-
vulsoes, e para Aiciliiar a dentico das
criancas. A aguia-branca na ra do Q ei-
rundo n. 8 recebe-os por todos os vi
res francezes.
J estao tao coohecidos, e tanto se tem espalhado
a fama desses prodigiosos collares Royer, (joe se
torna desnecessario diier mass algoma i\ua em
PH0T00B4UIA
com boa
, mis perfeilc sudo de c( nsemeo. Este sitio fo
antiaamenlt Sr. Sopounle.
'folln pequeqv <= boiiilo soferado em terreno pro-
pno na ra da Esperaba o. 43, Camiuho-Novo,
IDTffPffli IMrmnillTf '(oae l"sar brevenunte o caminho de tVrro) rom
All la) lili A AIUlinlbAilA lhll|l" t-ons commodos a pouto tempo pintado de
j novo, grande qointal lodo murado e milito 'fresco,
cacimba com boa agua e indo proprio a's eommo-
dldades de ama familia.
! A.s pessoas que- desejarem ter melb res informa-
COes, podero dirigirse a' ra do Trapiche n. 12,
j Que acbaro com quem tratar.
sel m. h;-s ci i msica, e sem el-
la, e lodaf com arranj* pai i per prrcos
la btra dirldida, solo, cochera, gacimba tiio rommodoslque comprador ra.. teri'
agua, muito arvoredo fructfero e ludo no (
que ni-
'11 JL V UV I
Tocia altenco
O gerente deste estabelecim-nto est resolvido a vender seu grande sortitnento
de fazendas de escolbdos gostos e qualidades por baratsimos precos que admira 1 para
grangear numerosa freguezia e sustentar sua fama, assim faz o Baraleiro.
Cambraias brancas e de cores.
Cambraa^. bi ancas de 4#, 4^500, U, SraOO e 6^.
dem da cores de modernos gostos de lista e llores de quatidade inissima, a 720
e 640 rs. a vara.
Chales de iserln estampados a 5000.
Chales de merino estampados de bonitas barras paraojj e 6#,
Tapetes de divmos tamarihos e g'stos por baratissim preco.
Chitas para vestido escuras e claras de lindos gostos.
dem para c .berta coloridas e adamascadas o melh r qua ba no mercado em|gosto
e qualidades eoutras muitas fazendas que se torna, enfadonho mencionar, que sefvende
por menos do que em outra qualquer parte.
Para homem.
Roupa feita de casemras e de brns e diverjas fazendas de gosto, como bem sejam:
Calcas de casemira a 6(5, 7,3 e 80 ditas pfetas a 8i, 9 e IOS,
Paletos de panno e casemras a 8$, 95 z {(&.
dem de alpaca a 35500 e 45, ditos brancos a 45 e 55000.
Golletes de casemira de cor e prea a 45, 45500 e 55.
Capas de borracha branca e americana pelo baratissmo preco de e 185.
Grande sorlimento de casemras de lindos gostos para costumes e outras muitas
fazendas para fezer qualquer obra, agosto do comprador para o que tem um hbil mes-
tre de alfaiate.
Cheguem a ra do Crespo n. I loja do Baraleiro.
RA DO IMPERADOR N. 38.
Artista americano
Artista americano.
Artista americane.
Artista americano.
RetratosRetratosRetratos.
Em porcelana Ntepcotype.
Em lencosArcftrotypie.
Em vidroAmbrotypie.
Em *aetal=Daguerrtotypie.
Em papel Talbotypie.
No grande salSo da ra do Imperador a. 38
No grande salao da ra do Imperador n. 38
Neste estabelecimento tiram-se -retratos
em todos os systemas, com asseio e promp-
tidio, desde as nove horas da manba
al as cinco da tarde ; assim como tem
sempre a venda grande sortimeaio de ca-
xas finas de diversas formas. Quadros
ovaes Passepartouts e todos os mais ob-
jectos e productos chimicos, relativos a ar-
te e rectbidos ltimamente dos melhores
fornecedores de PARS e Nova York, tendo
de tudo, para todos es gostos e para todo?
os precos.
Sal5o da roa do Imperador n. 38.
Salao da ra do imperador n. 38.
Na ra do Trapiche n. 16
acham-se os seguintes depsitos
De R. BroBinghaDseni Nnits.
Bourgogoe.
Vinho Pommard tinto.
Corlon tinlo.
Santo Georges tinto.
Ctiambertin tinto.
Michehoarg tinto.
Clos de Vougeot tinto.
Chablis branco.
DeM A.Wtiefem Francferi:
Rheno.
Geisenheimer.
Liebfraumilch.
Marcobranner.
abono e seos bons e e efflcaies effeitos: basta o
testemuBho d milhares de pessoas, qne lm visto
e apr.iveif,(10 o feliz resultado desies tao uteis,
qoao neeessarios Cellares Royer. A quotidiar.a e
cresci ,a,( qoe v.iu tendo, most a ainda
'jo ? aoiiiern ds. prtdt'ioii Fe e'cva como todos
;os eon.pradore*. A agnia-branca, p-rm, dese-
Para montana, sopeneres lavas cimursa tntarel-, ando concorr.r para om fim d tarq aproveju-
las e brancas. me,|to, trm fe.to os n Vendero-se na i.ja de miu'!ezs: a' ra do Quel- por, lodos n? vPores fraocezt-s ihe seja rtmettida
mado n. 16. cerIa qnniidade de ditos rollares, para assim tr.r-
livel o sorumemo dell-'s, na loja d'a-
V.eode-se;
machinas americanas de serrotes para descarocar
falgodio : pa roa da SepiaDa Nova b-_42:_
uKm in
DE
JOIAS
iu casa ue fneoa Ctiristiausen, ra do Tra
piebe-uovo n. 16, anico agente no norte do Brasil
de Brandenburg freres, Bordeanx, encontra-se ef>
fectivamente deposito dos arligos seeuintes :
St. Julin.
St. Pierre.
Lan.se. *
Cbateaa Lovtlle.
Chateau Margaux.
Graad vin Cbateau Lafitte 1858.
Chatean Labtte.
Haut Sauteroes.
Chatean Sauternes.
Cbateaa Lataur Blancbe,.
Cbateau Yquem.
Cognac em tres qualidades.
Azeitedoce.' Pregos de Bordeaux.
Attengo.
A abaixo assignada, tendo mandado a sna f -
zenda-i:ai.-rana Ribeira do Piranha, provincia
du Bio Grande d> Norte, um individao qoe dizia
chamar-se Jo Baptrsta do Amaral e Souza, para
o fi.n de trazer de dita fazenda alguns animaes
para o efvijo de seu i ngrnho Ibura, e sorceden
do, que, apre.-entando-*e etle, sob o nomo de Joo
oaptista de Sonza, ao administrador da fazeuda
com nma cana de orden.', que nao fo! passada pela
abaixo assijiuada, chamasse^ a comas e tiasse
todo o seu sdo vaceum, cavallar e muar, venden-
do-o, bem cerno a um escravo velho, que conser-
vava na mesma fazenda, e al a dous burros man-
sos de carriBho, em que d'ajui sabio a diversos,
vem protestar fazer valer o seu direito contra todas
essas vendas fetas p, r dito Souza, que, iueulcan-
do-se de desvalido e pertencente a urna familia
importante de Minas, tai admutido pela mesma
aoaixo assi^oada em seu engenho al que obtivesse
um emprego, havendo-se de mode a inspirar a con-
lianza de qne hoje vjetima.
Recife, 28 de agosto de 186Q.
Mara dp Cysne.ir.j F. d" Moraes.
No caes do Apollo armazem n. 55,
precisa-se de comprar tres escravas de boa
conducta, sendo urna boa cozinheira, outra
que emenda bem de costura e engommado ;
e urna negrea de 12 anoos para meninos :
paga-se bem, agradando.
Para meninos e meninas
Ra do Queimado n. tf9.
S;E' ebegado para a loja de mindezas da rua do
ueimado n. 69, um grande sortimento dos mais
lindos e modernos brinquedos para eotretenimento
dos meninos, notando-se entre elles os segninles :
appsrelho para oratorio, ditos de ebumbo e porce-
lana para almoco e jamar, larobores e pandeiros,
espingardas e pistolas, rebequiohas e violinhas,
' Enfrites crespo e ostros do ultimo gost.
A loja de miudvzas, a" rua de Quelmdn n. 10,
receben boBiios eofeites-crespus, o uue de melhor
tem vindo nesse genero ; assim cooio outros mo-
dernissimos com titas, biros e aljofares, obra de
muito gosto propnos para bailes, tbeatros, passeios
etc. os pretendentes que se dingircm a' loja de
miudezas, a' rua do Queimado n. 16, gostaro de
comprar tao boas obras, e por pregos razoaveis.
Aos agricultores
Saonders Brothers a C. arabam de receber de
Liverpool vapores de torga de 3 a 4 caaallos com
todos os perlences, e n.ui proprios para fazer mo-
ver machinas de de^carogar algodao, podendo cada
vapor trabalhar ate com 140 serras, tambem ser-
vem para enfardar algodao on para oulro qualquer
servigo em que usam trabalhar com dni&aes. Os
mesmos tambem tem a venda machiuas america-
nas de 35 a 40 serras : os pretenjentes dirijam-
seao largo doCorpo Santo o. 11.
Bom papel pequeo e envelopes.
A leja de miudem; a' roa do Queimado n. 16,
esta' bem prvida de papel de tudas as qualidades,
sendo: alo.a-so, (rev, liso, e pautado Cum 33 li
nhas, dito de j.rso tan.bem liso e pautado, dito em
caxinhas, sendo: liso, paulado, dequsdiinhos de
cores, de Leira dourada, e tarjado de preto; assim
como env*lopes prnprus para esses pat.ei : os
preleudetiid- que >e. dirijam a' dita loja, a' rua do
Queimado n. 16, que serio hem servidos pela boa
e .
caias de presepios completos, carrinhos com ca- qualdade de papel, e commndldade dos oragos.
vallos e flgoras, cesiinhas e carrinhos de palha, Saperior Gta encarnada t chawalolaila por ambos
cornetiohas e pisldes de folha, booecas de porce-
lana vestidas, ditas de chora, ditas em bergos cha-
mando papai e mamai, cavallinhos de madetra de
varios lmannos, e ontros mmtos brinquedos que
s <5tm a vista se pede apreciar, advertindo-se se-
ment qne nao sera' preciso grandes quantias para
os pais de familias entreterem seus fllhos.
de Lembrancas, Luso Brasileiro para 1867
por Castilbo.
Vende-se na livraria Econmica: roa do Cres-
po n. i, defronte do arco de Santo Antonio.
casaqulnhas on rasquias.
Chegaram as mais modernas casaquinhas de
grosdenaple pretnicamente enfeitadas, vendem-
se por prego muito raioavel : na loja e armazem
do Pavo, rua da Iraperatriz n. 60,
& SiNa.
os lados,. propra pan cartas- de hachareis, e
a irmaedade do Bom CoRselbo.
Vende-se essa superior lita na loja de miudezas:
na rua do Queimado n. 16.
Notos c bonitos cintos para senboras.
Na rua do Queimado loja de muidlas n- 16,
vendem se novos e bonitos cintos para senhoras,
Tinlura ingle para fazer os cabellos calidos.
A apreciavel tintura bem coobeckla p< r Hoild
Water, a apreciavrl dn L. Marques, e a apreeiaval
de Chromacome: vendem-se na rua dy Queimado,
loja de miudezas n. 16.
Na roa da Imptratriz n. 39, terceiro andrr,
vndese urna negrinbade 13 anuos, muito bonita
figura.
Atlenca
**?
Vende-se a taberna com poneos fundos e propria
para familia por ter commodos, na rua de S. Jos
n. 51: a tratar na mesma.
inscriccoes seciontes
Vndese na praga da Independencia ns. 37 e 39,
de Gama & eapellas morlnarias, as mais bonitas qne tem vin-
_________ : do a *"ite mercado, para os stimos tias e da de
flnadi.s se bi.tar as catacnn has e tmulos no ce
aiterio publico com as
A meu pai.
A n.inha mai.
A men esposo.
A roinha esposa.
A-met fliho.
A minha filha.
A meu irmao.
A minha irmaa.
A wen amipo.
Urna lagrima.
Amizade.
Saudades.
Vende-se por 300 urna negra de meia
Id de : a ver na rua do Rosario estrella g?
1, terceiro andar. ffe
Novidade
do Vigilante ma do Crespo n, 7,
A novidade do Vigilante soroente participar a
todas as senhoras e as senboras modistas que
llegado um bonito sortimento de enfeltes nara .
vestidos de apu ado go?io e inteiramente novidade aprZ ^f*' ""'M vendp em ^'^ e
e muito apreciavel em Paris, o nome destes enfei- i L1tti^.?r meD0S preCJ do ^ue em 0Qlra 1?'-
g z m
a 400 rs. a garrafa : s na Liga.
HZ G4Z m~
Chegou ao antipo deposito de Henrv Forster &
C, rua do Imperador, um carregamento de eaz de
les Crespienne Margante : s se vende no Vigi-
lante rua do Crespn. 7.
AMA
N. 2 D N. 2 D.
P^T^ CORITO IE OURO. ^fe@
A lojan. i D intitulada Coragao de Ooro na roa do Caboga, acha-se d'ora em diante oferecon-
4o ao respeilavel poolicocom especiaildade as pessoas que honram a moda os objectos do ultimo gos-
to (a Pars) por menos 20 por cenio do que em outra qualquer pane, garantinde se a qualidade e a so-
lidez da obras. -
O respeitavsl publico avallando o desejo qne deve ter o propietario de um novo estabelecimen-
to #ae qoerprogresso ero sen negociodeve chegar immediatamente ao coracJo de onro a comprar
aneiscom pe feito; brilbantes, esmeraldas, rubios e perola ; verdadeiras em agarras, modernas pek
diminuto prego de 104. brincos modernos de ouro e coral para menina pelo prego de 3, maracas de
pratt om cabos de marOm e raadreperola obra de moderno gosto (o qne o eocontraro no coragao de
ouro) ollas de onre com a competente crusinua ricamente entenada pelo pequeuo prego de \ifi, brin-
cos de md trabalbo pertoilo por om mdico prego, cassoletas, tranealius, puleira.-, afinetes para re
tratos e nitros modelos indo de alto gosto, aneis proprios para bular cabello e tirina, dito para casa-
mento, ee artio rsela tem o Coragao de Ouro nm completo e bem variado sortimento de diverso
gostos, bulies para punhos com diamante, rnbins e esmeraldas, obra esta importante ja' pelo sen va-
lor ja' por gssto ds desecho, brincos a forma da delicada moslnha de moga com piogeote contendo es-
meraldas, rabins, brilhantes, perola, o gosio 6 sublime, alfinete para grvala no mesmo gosto, relo-
gios para seobora cravados de pedras preciosas, ditos para homem, diversas obras de brilhantes de
mallo gosto, erasinhas de rubios, esmeraldas, perotas e brilhantes, aneis com letras, cag lelas de
ervstal e ouro descoberla para retrato (a iagleza) o outros muiio< objectos que os preteodentes eoroo-
iraro no Coragao de "Juro qne se conserva com toda a mabilidade aos concurrentes delxando-se de
aal mencionar pregos de certos objeeus porque (desrulpem a maneira de fallar) dizeado-se o prego
talvez algoem faga mao joizo da obra, por ser lio diminuta quanlia a vista do seujvalor.
Jia mesma loja coropra-se, iroca-se euro, prala e pedras preciosas,e tambem recebe se concer-
tos, por menos do que em outra qualquer parte, e do-se otras a amostra cora penbor, conservando-se
o Coragao de Ooro aborto at as 8 oras da noite.
a'---------------------------------;-------------------:---------------------------------
Precisa-se de,nma ama/jue saiba casinhar
para casa de bumem soltelro : na rua da Cadeia
n. 53. __________
Na rna da Unio n. 40, precisa-se de nm
criado qae emenda algrma cousa de eoslnha pa-
ra o servigo de urna casa de pouca familia.
Aloga-se um sobradinho por tres ou quatro
roezes para passagem da esta, o qaal tem bons
com nodos para familia e sito em boa rua em Olin-
da : qnem o pretender emenda se com Guilherrae
Jos dos Santos, na rna dos Quatro Cantos em Olio-
da.
COMPRAS
DE
DE
J. VIGNES.
M. 55. RUA DO U1PKKADOR M. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sio boje asss conhecidos para qae seja necessarte insistir sobra a
na soaarioridade, vaotogen e garantas queofferecem aos compradores, qualidades estas ineontesta-
veu aue elles tem deflalament cogaisdo sobre todos os qoe tem apparecido oesu praca ; pos-
naindo nm teclado e machinismo qoe obedecem i todas as vontades e caprichos das pianisUs, sea
tianca falhar, por serem-fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melboramentos Importan-
faatooa para clima deste'paiz ; quanto s rajes, sao melodiosas e Saudas, e por isto mallo agrada-
sais aos onvidos dos apreciadores.
Faaeavse conforme aa encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blradel, de Parta, soeto
aorrespondente de I. Vignes, em coja capital foram sempre premiados em,tedas as exposicSes.
No ateisoo estabefeciroento se achara sempre aja einlendido e variado sortimenlo de masicas dos
l nsares aa Borona, assim como btrcBMiCos palos oarmODJeos, sendo tuoo renildo roo
- r.n -"-a^ reveis.
Ouro e praca.
Km obras velhas : compra-se na praca da lo
dependencio n. 22. loja de bilhetes.
Compra-se ooro, prata e pedras preciosa
em obras velhas : na rna da Cadeia do Recife
cj* de onrives no arco da Conceigao.
Ccmpram-sc libras
Independencia n. 22.
sterliuas : na praga da
Libras esterlinas.
Compra-se na roa de Crespo n 16 primeiro an-
dar.
Compram se moedas de 204 : na rna do
Crespo n. 16, andar.
Compra-se nm cilindro para padanaTeom
pouco oso ; pa rna do Queimado luja p. 23.
Compram-se libras slerliaas e moedas de oa-
ro brasileiras : na praga do Corpo Santo n. 6 pri-
meiro anda;. ,v
VENDAS
Vende-se na livraria n. 8 da praga da
Independencia : Vatel, droit des gens, dous
voloraes 4,5(000 cada exemplar ; Martens,
raanuel diplomatique, um volume, 20000
o dito ; Danjon, des prissons, um- volume,
20000 o dito; H. Blair, rheorique, dous
volumes, 20000 o dito; Gall, fonctioas
du cerveau, seis volames, 140000 o dito ;
Ferreira Borges, Economa Poltica, um vo-
lume, 20000 o dito : Feldinfs, Tom Jo-
nes, dous volumes, 40000 o dito; Reper-
torio das Ordeaac&ei, quatro volumes,
Tesouras para encrespar ba-
bador.
Vende-se tesouras de doas, tres e cinco pernas
para encrespar babados: rua do Queimado loja
de Azevedo A Irmo.
Qaeijos do Serid Vende-se queijos e carne do Sendo fazenda es-
fecial.vinda de conta propria a 800 e 440 : no pa
t'f doCarmj esquina do rua de Borlas armazem
WiW
Vinho francez mais superior que tem vndo ao
mercado vende-se no grande armazem 4a Lisa rua
Nova n. 60.
Medoc duzia 75000. r
St. Estephe dnzia 8( 00.
Chleos la file duzia 125000.
Si. Emllion duzia 145000.
batenx Larose duzia 18,8000.
Pichn Longueville dnzia 205000,
wmto
Vinho do Porto eogarrafado :
Riinha Estephania garrafa 30000.
Ligrima Cbrisly garrafa 30000.
M ilvazio garrafa 2ii00.
Pe siwein garrafa 20500.
Pcrto engarrafado a 25, 10500, la, 800 e 640"
garrafa.
Rna Nova n. 60, armazem da Liga.
quer parte.
"Caladosimlezes
Vende-se na rua do Imperador loja de calcados
francezes para liquiar-se, burzeguios gaspiados
de ltiro para bomem a 60, dem de bizerro
a70:_____________._______________
Ve odem-se doos escravos um mualo clar,
marcineiro, idade de 30 annos pouco mais ou me-
nos, e ootro cabra escaro, sem offl -io, idade de 20
annos. ambos sadios e de bom comportamento a
Uatar narnajas Crozes n. 11.
Vende-se ama barcaga de 45 caixas em bom
est.do : os preieoderes queiram examina la no
caes do Ramos e para tratar a' rna do Apollo n.
24, segundo andar, cem Francisco Ribeire Pinto
Guimares.
N armazem de fazendas baratas de
Sanios Coelho, na do Queimado
,19.
Vende-se o segalnte :
Pechlach.
Pegas de ma da polio fino eofestado pelo baralis-
slmo prego de 95.
XAROPE
DHYPOPHOSPHITO DE CU
de GRIHALT e C"
l'harmaceulicot de S. A. I. o Principe Napoleao
em Ptr.
Dosdc muilos seculos os mdicos e os chimicos
tinhao procurado um medicamento que podesse
curar as molestias de peilo; todas as pequizas
feitas ath hoje nao linlio tido neahum resultado.
POrcm os trabalhos que forSo communirados
ltimameme i Academia de Medicina de Paris, e
as mais serias experiencias feitas no hospital
Brompum de Londres, que especialmente reser-
vado para o tratamento da tsica, provaro que
essa terrivel molestia, quando ella nio estiva
ainda no seu ultimo grao, tinha no Xarope dHy-
pophotpho de Cal, um especifico poderoso. As
tosses, defluxos, catarrhos, bronchilis, grippa e
coqueluche, cedem tambem rpidamente ao uso
d'este Xarope, e os asthmatieos achio a'elle um
elemento certo para curarem-se.
Recommenda-se aos doentes de fazerem uso ao
mesmo tempo das deliciosas pastilhas peitoraes
ao sueco de alface c de louro cereja, dos Sr" Gri-
M*ult e Cu. Esta excellente preparacose compoe
de duas substancias as mais calmantes e ao
mesmo tempo as mais noffensivas da matei**
medica, e nio conten opie.
Deposito as pharmacias de P. Maure
Ce A. Caors, em Pernambaco.
LOJAlDElorS
tMIKi.V 9D.
Veoham a luja do Santiago comprarem anneis
com brilhsntes parantidos em agarras mQdernas
pelo diminuto prego de 100, bem assim outras'
muitas joias de gosto, qne deixo de mencionar os
precos (o que so saberao os pretenderes a vista
dos objectos) para nao h>|illnr os raeus coropa-
nheiros. Veoham e sabeao.
Na mesma loja compra-se.ouro, prata e pedras
preciosas, assim como rerebe-se todo e qualquer
conceno lado com promptidao, achando-se a dita
loja aberla at as 8 horas da nolte.
Rreu em barricas pequeas.
Cera em velas de todcs os tamanhos.
Bogias.
Mercario.
Na rua do Vigario n. 19, 1 andar.
guia-branca, rua do Queimado n. 8.
Elixir dentfrico e odontal-
gico.
pos dentfricos.
Para conservago dos denles e genglvas, urna
das cousas que mais cuidado merece a todos,
sem duvida a perfeigo e conservagao dos d-nlese
pen(iiva.. Para isso se conseguir necessario o
uso dj elixir e pos dentfricos que pela segunda
vez acabam de chegar para a loja d'Aguia Branca.
Esse eiixlr odmtalgico e antsrorbutico, precioso
para toda3 as affergSes da bocea. O emprego dia-
rio desse elixir com agua, previne a caria dos den-
le, enra as apbtas das gengivas e as fortifica, aca-
| ba o mao balito, e faz desappareeer o chelro desa
gradavel que una o charuto; assim como appt-
cado puro, acaba rpidamente a dor de denles. O
pos servem perfeitamente para dar aos denles a
necessaria brancura e pnlidez. conservando as gen-
givas a cor rosad;.. O iropresso qoe acompanha a
cada fraseo melhor scieniiticara ao coronador jae
se dirigir a lojajd'Aguia Branca a rua dn Quemado
n. 8, onde se vendem um frasco di) ejlxir e ontro
de pos por 35000, e separadamente, este por 15500
e aquel!e por 25000
Fitas de chamalote
para a irmandade do Bota ConselLo
e cartas de hachareis.
A Agu Rranea na rna do Qm-lmado n. S r-.ce-
beu excrllrnte rita de chamaloie propria para a ir-
mandade do Bom CuOMlfcfl e eari..s de baebaieis.
Bonit s pentes
dourados com pedras e aljofares para
meninas.
Vendem se na rua do Qaelmado loja d'Acaia
Branca n. 8. .
gulhas
de osso e marflm para crochet.
Linhas para ditas. EMes objectos eheearam de
novo para a loja d'Aguia Branca roa do Queimado
n. 8.
Novos enfeites crespos e oulras qualidades.
A loja d'Agua Rranea receben nova |oreao dp
etLeiiS cnspos para coques, alguns dos qoaes fo
de moldes inteiramento novos e agfadaveis, vlodo
es.es coberlo* com fitas de vidnihos lisos; a->im
como receben outros para o mel da cahega. en-
feitados ao ultimo gostoBonolln, e outros no
roque. Os pretenderles que se dirijan) a rua do
Queimado loja o'Agua Branca n. 8
Luvas de camursa
brancas e amarellas para montara.
Venderu-;e na loja d'Aguia Branca rua do Quei-
mado D. 8.
Escovt;s finas
para unhas, denles, roupa, chapeos
cabellos e pentes;.
A loja d'Aguia Branca araba de rere! rr era
grande e variado sortimento de esrovas fina?, n-
do de cabos de osso, martim, baleia e madreptrola
para denles e unhas, dila com costas de madeira,
imfalo e baleia, com baixos e altos relevos eslgo-
mas maehetadas com madreperla e coberlas de
velludo para roupa, cb-pos e cabellos, 1
finalioenu* com cabos de madeira e modretfr:ila
para limpar pentes. Cs differenles e ct-mmidos
pregos de todas ellas esto em relago a sop>rio-
ndade das mesmas, e veudem-se na loj d'Aguia
Branca rua do Qoeimado n. 8.
Remedios do Dr. .J. C .'-"p, ex-l^tc
18,
Oleo de ricino.
Vende-se na fabricada travessa do Carioca n. 2.
Vender na fundigo da Aurora, as melho-
res e mais perfeitascaixlobas cora fita de medir, e
telhas de ferro galvanisado, tudo por precos
anafela.
Meias de linho do Porto
E' chegado recntenteme, meias de linho supe-
riores, na rna da Cadeia do Recife, loja de ferra-
gens n. 44, por prego eommodo, e assim cordSjs
de espartes para ireaos professos da ordem ter-
ceira de S. Francisco.
.41 ten cao
1. F. B. Ferreira tem para vender em sen ar
masera roa dj Trapiche n. 18, os segaintes ge-
Saceos com aovada.
BarrU com carne em si|moura.
Vende-se vinho de Bordean em aaartolas
barrls e caixas : em casa de Tisse frres. roa do
Trapiche n. 9. '
Vende-se de nma pessoa que se retira :" um
tocador; urna meza de amarello, nova, com trinta
palmos por prego eommodo: no Corredor do Bisoo
n. 18. r. _______________J^
Na rua do Apollo n. 20 Vcnde-se ex-
ceUeute vioho do Porto engarrafado, fino,
100000 o dito ; Ravoux, des couflits, dous e verde poro, em caixa de urna duzia d
YObimes, 40000 o dito. garrafas, a prefo commod .
No escriptorlo de Fernandes 4 Irmao, a tra-
vessa da Madr* de Deas a. 12, precwa-se tallar
com o Sr. Candido Florencio de Miranda, oa saber
a sua residencia para ser procurado.
Farinha de mandioca
Vende-se superior farlnh do mandioca, reeen-
temente chegada de Santa Catharin, em pecas de
so cuias pelo baratissimn prego de 55300 a sacca;
no armazem amarello, confronte ao arco da Coa-
ceigao, em porrao se fara aba timen to,
Vende-se
potassa da Rnssia e cimento de snoerior qualidade:
largo de S. Ijedro n. 17.
da Univcrsidade de peBbj -ni
Rstados-I nidos.
Ex!it;CSo coitr-poso de sals sap-
pflha rte Ayer.
Pe tu ral de cereja.
Remedie paa-a tezes.
Pitilla'-, cacharttieas.
O dep sito cpRtral para s provnoos:
lernambucc, Alagoas, Partbyba e Rio-
Graode o N-, te, destes renitcks tao a-
voravelmente (onhecidos e acoihidos em
tods as partes da America do Sul e do
Norte, acha-se em casa de Tbeod ClirU-
laaseu, tG rna do Trapiche em
Pernambueo.
Os precos de
33 por duzia de estrado de salsa-parrlha.
27 27l por duzia de remedio pj-.ra sezies.
70 por duzia de pilulas catharticas
se eotendem dlnhelro a fisia, c m
o descont de S por cento em qnantidades
de 6 a 12 duztas, e de 10 por cento em
quanlidadessuperior.es a 12 duzias.
ItIVAL SU SEtDO
Rua do Queimado n. 4, loja de
mludrzas
Jos Bigbdinho.
Est qaeimaodoasmiadetas abaixo declaradas
Frascos de oleo babosa Uno 200 a 320 rs.
Ditos dito Meo ? 600 r?.
Dilos de macag perola a 500 r?.
Ditos c m superior baoba a 200 r.<
Caixas com 6 frascos dec heiro a 800 r* J
Sabonetes finos a 60, 160, 200 e 320 rs.
Ditos de bolla superior 240 e 320 rs.
Livros para meninos Coto e.-iamps a 320 rs.
Caixas de 12 fraseos com cheiro a 15.
Frascos de oleo babosa moito tino a 400 rs.
Uu,?IaJk!!e me,as sPe"or onahar?,. par3 senhora a
45oOO.
Chegaram as gulhas balao (papel) a 60 rs.
Caixas com bonitos soldados de chumbo a ICO rs.
Ditos de agoa par limpar denles a 500 rs.
Pedras de escrever (pequeas) a 160 e 200 rs.
Sapatos de tranga para homens e senhora a 15300.
Fegas de fitas do la preta para vestidos a 600 rs.
brozas de botSes de raadreperola Anos a 480 *
640 rs.
Caixas de eolebetes francez.es a 20 rs.
Pegas de troco de todas as cores a 200 rs.
Canas com superiores envelope a 600 rs.
Pares de sapatiohos de lia para crianga a 400 rs.
Ditos de metas pretal para senhora. superiores a
360 rs.
Llnras de pregos de todos os tamanhos a 240 rs.
jabonetes de familia, superior a 100 e 120 rs.
Resma de papel de peso muito fino a 25.
Frascos com tinta superior a 100. 140 e 3i0.
Grosas de phosohoros de gaz a 25200
Parts de botdes para panno a 1J0 e 240 rs.
Carto com lionas de 100 jardas a 100.
Meias cruas muito Odas a 45.
Caixa de pos para limpar denles a 100 rs.
Caixa de superior linba do gaz com SO novellos s
15000 rs.
i'urceiras de conta para meninas a 320 rs.
Talheres muito finos para meninos a 320 rs.
Cartilha da dontrina christa 320 rs.
Frasco muito bonitos coro cheiro a 140. e 500 rs.
Caixa com uperiors seas para-cbarotos a O rs.
Masso com superiores grampos a 30 rs.
ALMANaCK
Vende-se urna erioula de meia Idld, com
habilidades : na rua da Esperanga silio n. 64.
Vende-se na fondigSo da Aurora lijlos In-
glezes para tomaina (tire brick*) de superior qos-
llj. '* f p >P [ .'>' > e.Hl m 'o
Lcoitraecas Laso Brasileiro.
Para anuo de 1867.
POR
ALEXANDRE kUtiSO DE CA8TILHO
Om beaiio vslaae #> de ravaras br^hid* fi.
uvimam^iaiicMA
Fll"
\


L


Diarte de Perj
Sexta felra 9 d eiembro de 1866.
4RMJZEM
MOLtO ri >LEZ de diversas qualidades, a
72o rs.- o frasco.
MOSTARDA 1NGLEZA muito nova, a 8oo,
rs. o frasco
DEM 'RANCEZA a 6io rs. o Irasco.
SALMO E LAGOTIN ebegado ltima-
mente, ein Utas, de 2 libras, a l,6oo. rs.
ARENQUES m latas a 64o rs. cada ama.
SARDINHAS DE MANTS em latas e meias
a 6oo e 36o rfis. lJ
VINrH DE COLLARES o legitimo vmho
desta localidade, maito superior isem
garrafa.
53 RA DA CAOEIA 53
PASS.ttfDO O ARCO Di COWCEfClO.
Tem alem do maior e mais variado sortimento de escoltados gneros, os segoin-
tes directamente recebidos pelos ltimos vapores: '
Queijos londrios.
Lioguicas j preparadas em latas de 2 libras.
Os muilos superiores queijos do alaulejo. ,
Presuntos para fiambre ioglezes.
Gomma de railho branco americana.
Salmn e lagflstim em latas.
Quartos de marmello.
Bolaxinltas. perora', principe Alberto e outra3 qua dades.
Vmtaos os verdadeiros de Collares, Rheno, Moscatel de Setubal e porto fino.
Queijos flamengos.
dem de Minas.
Tudo pelos mais comniodo* precos.
MANTEIGA IYGLB2A de superior quilida-
rle a < .28o e I,loo rs. a libra, em barril
se faz atjati'neulo.
IDE VI PRvNGEZA a miis nova que ha no
mercal i a 6to rs. a libra, em barris ou
raeios a 6o. rs.
GH HISSON de primeira qualidade a
2,8oors. a libra, alm desta ba muitasou
tras proprias para vender a retalho. que
se vanirtm de l,6oo a l,8oo es. a libra.
IDEMPrtiTO o mais especial .ietemvin-
do a e DEM recular de 1.6oo a l,8oo rs a libra.
QUEIJOS DO REINO ltimamente chegados
pelo vap ) 2,4oo: ditos do vapor passado
a .ooo rs
L\T V.S DE CHOUMg YS com 6 lib-as er-
meticaiueite fechadas, a 4,5oo, de barril
a 64o, a li'ira
ESTitE ilVA pira sop em caixas sortidas
la 8 liaras, pir i.000 rs.
VINH > VE ROE lo ve-da leiro sumo da uva,
e o 'h proprio para s1-beber n'este
imperio, pela sua extraordin tria fresqui-
d> eagnlavel gosto a rtio rs. a gar-
lara.
AMEBAS FRANCEZAS em frascos de Ve
2 libra, a 2,8oo, e l.ioo rs. em cati-
nhas muito enfeitadascom diversas eUim-
pas 12,400, l,8oo, l,5oo e',3oo. reis.
BISCOITOS INGLEZES emlaWs conteudo
diversas qualidades a l.oooe l,2oo rs. a
lata.
PRINCIPE ALBERTO bolachinhas as melho-
res presentemente conhecidas a l,6oo
rs. a lata.
SALAME HAMBURGUEZ chegados no ulti-
mo navio a i,60o a libra.
PREZUN'OSverdadeiro le Lame?, a6io,
rs. a Hora, e 56o inteiro.
TIUQUES n. i. em caixas de 4o cartas, por
8,310. e 2io rs. cada urna.
MARMELADA em Utas e 1, 1 e 2 li-
bras a ><>o reis a libra.
JALE\ DF MARMELLO em latas, a 800 rs.
FRUCTAS EM CALDA pera, oecego. alper-
ce, ninha Claudia, e ginja a 64o reis
a lata.
Gros de aples preto a 1*500, 10600, U, H, 3*800 4* ce vado.
Gorgurao preto de superior qualidade a iftfOO, 2*800, 8* 4* o co-
vado.
Superiores
cevado.
Bons eortes de moreanUqua.
dem de gorgurSo adamascados. -
" Boa* pannos e casemiras.
Sup fiores alpacas, princetas, merinos e bombaxinas.
*Bons villudos prels.
Grande variedade de chales de fil preto e de guipura a 5*, 6*, 8*,
m, 120, le iU 01, de 2*4 a 80* cada um.
Superiores retondas de fil preto e de guipure a 8*, 10*. 12* e 25*,
e de 30* a 60* cada uma.
Superiores algerrooes de fil preto e de guipure de 12* a 25*, e de
30* a 60* cada urna.
Bons Cbailes d.seda preta.
Ditos de Merino preto bordados e outras militas fazendaa.gretas que
seria enfadonhe enumerar, na
DE
.MONI O CORRE I a DE VAS r.ONC ELLOS A C.
rija tro crespo m. \9
PHOSPHATO DE FERRO DE LERAS
IIR. EM fcCIESCI t
UMBECT0R DA ACADEMIA-DE PARI.
.. rs ,arraR Nao existe medicamento ferruginoso t5o ntavel como o phosphto de ferro de
iiwi Miimi nTTvrJkdeiro'do alto Don- Leras; assummidades medicas do mundo inteiro adotaram-no comsolicitude sera igual
rnam iiarrk da lo em pipa por 35,ooo!dos annaes da scienjia. As cores paludas, dores de estomago, digestSes penosas, ae-
ro em oarns de io wu Viy v mia,onvileincas diBceis.-idade oritica das senhoras, rregularidade na menstruac3o,
viShS nn prMTO le diversas qualidades!pobresa do sangue, lyaiobatismo sao uradis rapidaneot ou modificados por este ex-
AnaarMf^ininrUiive o maisfino que ba'oeBentecomposto. E o corfterv'ior por excelencia dasaule e declarado superior nos
n" -iP wo oor 800 1,000, l",2oo, hospitaes e pelas academias a todos os ferruginosos conhecidos, aoidoreto e aocitrato
l 'ni e l: 5on'rs a earrafa Ide'err0 Por(Iue mi Io6 onvem aos estmagos delicados, que n5o provoca cons'i-
FSo verde e carrapato em latas erfieti-' pac5o nico tambara que nao enegrece a bocca'e os denles.
, fj-h-iac tu 11 k es "arls o ra ua rouillaue n. 7.
M^LAT^rS eTpacotes de 1 libra i venda em casa de S irer, e A, Caors.
po>" 5oo reis. .
AZEITONAS das chegadas ltimameate de
Lisbi a l,2oo rs. a ancorta, e'ooo, a
guarrafa. .
CAF avado a 24o rs. a Obra, e 7,ooo rs.
a arroba, e regular a 22 a arroba.
VINHO GHERRY domis supeno:-do mer-
cado a l,5oo rs. agarafa, e 15,ooors.
a duzia. n -: Aa. .i >
MUSGA TEL o verdadeiro de SetuDal, a
I.Soo rs. a g-rrafa, e 2o,ooo a duzia.
VINHO BORDEAUX das mais acreditadas
marcas, S. Em lion. Sant Jaliea Haat
Brion a7oo e8io rs.a garrafa, e em
caixa ded wa, a 7,5oo e 8,ooo rs.
VINHO 8RANG ) de Lisboa de excelente
qualidade. e proprio paramissa, a 8oo,
rs. a crarr fa, ou S.ooo rs. a caixa de duzia.
MADEIRA SECO al,2oo a garrafa, e 12;ooo
VINHO 00 RHENO superior, a 2.ooo a
garrafa, n 22,ooo rs. a duzia.
VERMOUTH de superior qualidade em cai-
xas de 12 meias garrafas por 12,ooo,e
garrafas por l,2oo rs.
miimu SEM IGU4L
Ricos-cartes d g >rft}fin e seda pretos adamascados para vestido com 13 oletros c
oa 18 a 20 covados cada corte, largara de cbita francesa, pelo baratisslmo prego de 50J
cada corte : na toja das columnas da ra do Crespo n. 13 de Antonio Correia de Vascon-
cellos & C
JADOB
DE
AZEVEDO 4 FLORES
mXSJL DJLCADJEIl ilOaECIFEW. 41
Nao leiam
Chapeos deso de seda abalao que vatem 12$ a 105, em porco ter abatimento
de 10 por ce to.
Bal5es
do ultimo gosto em Paris, que estreito em cima e largos em baixo, a 30, 4, e 50, dam-
se para a uiostra.
Sobrz-casacos de, pann>
Superiores, que valem 255 a 155, s o BaliJo vende por este prego, paletotssa-i
cuiiw mmim e wmm
A' loja de fuzendas de Augusto Porto & C.
11Ra do Queimado11
A' loja de rateadas de Augasto_Porto & C. ebegou ara grande sortimento de camisa
loglezas para hnmem, mmto soperiores com colarinhos e sem colanohos, coatnaaodo esta
casa a t-r sempre completo sortimeoto'de' camisas de lioho e de madapoio aglezas e
ttzncmi par* horneo* e"mainos ; seroaJas de Imtio e Soos colarinos de. nwitos gastos.
Camisas fraoceas para senhoras a'5J>, 5*300 e 6J.
Sobretodos de panno de duas faces fizeada sopener.
^ Vestidos deblonde com manta e capella para noivas.
Gortiaadosde-cambraii bordados para camas e janetas de 12.5 a 805.
Colxas de'seda e de lave seda para camas da noivos.
Grosdeaaplede diversas e Iradas crese pretos.
Mtr braaco, lavas, mantas e cpelas para noivas.
Lindos eoftes de cambraia braoco ricamente bordados.
Bonets,-gorr.is e chapeos de palla d Italia para seahoras.
Lindos cortes de foulard de seda fazeada de moilo gosto.
Cambrars5:, laizishas e petratesdos gestos mais modernos.
Tapetes para sof, piano e-cama e tapetes em pecas.
Alcatifa barata a W0 rs. o covado, que com pequea despeza se alcatifa ama sala.
Boas pannos pretos e azues e grande sortimeato de casemiras pretas e de cores.
Sortimento de esnariilhos, baldes, meias Unas para seahoras e horneas.
Superior bombazioa, alpaca, eanto, prinoezas e merinos pretos.
Pao vendados para cadeiras e panos unos para mesas.
Malas a saceos de couro para vi age m e sortimento de
Esteiras da India para for ar salas
11Ra do Queimado 11
po
Novo e grande deposito de superior carvao de Cardfiia
Baliia,
Antonio Gomes dos Sautos & C., ra de-Santa Brbara n. I, esfo habilitados a supprir dn
"lrtambe-tt se"v le" caas de brim branCO finas, oarvao, em condlcSes mais favoravets que em outrnqnalquer deposito, a indos os navios a vapor que
.;o* de p inno finos que valem 1
ditas pardas, ditas e casemira, oolete de casemira, paletots de alpaca branca, e muitas
outras roupas feitis que se vendem barato.
Agort vpjam os precos dss farends.
Chitas para cobertas, cores flxas, a 320 rs, dam-se amostras
L3is com lidos desenhos a 320 rs. ocova-lo.
Caubraasde cores, liados padroes, a 320 rs. o covado.
Chias escuras e claras para vestidos diversos^precos
Cambraia para vestidos.
Dita larga para forro de vestido.
MidapolSo que val 10(5 a 7#, s oBal5o vende por e3tepreco.
Camisas inglexas superiores qne valem 45, a 30000.
Quem duvidar venha ver na loja do Bailo.
4 chegou aovo madapolSo..
Este madapolJo val 19(5, porm o Balo contina a vender por 60500.
Uem muito fino que val 120 a 9: quem precisar aprovtite emquanto tempo
carera naouelle aorto. A contratar nosta com Domingos Alves M.aheus..
ZtlZBlVS-
Tinta Inalteravel
Para escrever
de P. MAIHER i C.
PER.NAMBl (O
Esta tinta recoznit3.eud.a-se pela sua com-
posica e fluidez como a n>ellior e a mais
segura de todas as tintas at Uoje condecir
das. Nao ataca as perneas de aeo, da at
tres excellentes copias, mesxno muitos dias
depois de escrever, preferivel a qual-
quer outras tintas particularmente para
livros de commerci, documentos etc de
que se carena loriga conservaca.
Vende-se aahvraria franceza ra do Crespo e ra Novan. 18 de
LOUJA, VJDROS CRYSTAES E PORCELANAS.
Ferrera Monteiro & Giiimarftes.
\a ru* lirga do Roerlo n frwt**hi*te*emr. ^lMie..
nTem ornTompletoIortimento d^ ricos apprelftos para
a*, toara*). e 6 raarniifdes para luatBT
lao er ,i qns talo pronuetleo v
or-,:;: r. :erea ortr'Qlaatu.
. Grande Sortimento
DE
FAZENDAS BARATAS
Roa da Imperatriz n. S6
t.*la e arisiuzcM da Arara
M
Lourenco Pereira Mendes Guimares.
Pecbmcba chitas 200 re. o covado.
Vesde-se chitas escuras e Tiaras a 200 ris o
covad, ditas franceas finas a 240, 580, 20, 360
e 400 ris o covado. Roa da Imperatriz lofa di
Arara n. 56.
Arara vende bretanha de rulo a3#0f0.
Veode-se pecas de bretaotn de rolo a 32000,
pecas de cambraia para vestidos a 3000, 32300,
4000 e 58000. Ra da Imperatriz loja do Arara
n. 56.
Cassas francezas Boas a 240 covado. ,
Vende-se cassas francezas para vestidos a 240,
280,320 e 400 fis covad, (Utas |e listas d#
cores manto finas a 120 e 800 ris o covado. Rea |r
di Imperatriz loja do Arara n. 56.
Arara vende cobertores, a 1)5500.
Vende-se cobertores de pello a 1500, coberta
de cbita a 25000. corxas de damaeeo a 4fOQO, di.
de fustAo a S5000. flua da [mueratriz n. 56.
Madapolao francez a 3^500 a peca.
Vende se pecas de madapolao francez en/estada
de 12 jardas a 32500 e. 42000, ditas de dito ingle*
de 24uditas a 4*000, 5230, 62500, 72000,82<>00,
9JW00 e 102000, ditas de algoetinzinho mnito fino
a 32*00 42*100, 52000,62000,72000 e 82000. Rn
da Imper^fiz o. 56. -
Arara venda cortes de cambraias de papel
a 30' 00.
Vende-se- cortes de cambraia empapeladas, de 7
varas: 32000, de 7 it^s a 2250. Roa da Impe-
ratriz loja do Aliara f. 6.
Cortes de tarlataua de cores a P^QfiO
Vende-se enras de tarlaiaoa decores pan
vestidos a 52000 ditos.de cwoifaia branco bordar
dos e de cores a42000 e"5*2OB0? na dalmperatn.
n. 50.
Arara veodesiohas a 200 rs. o covado.
Vende-se laasinha para vestidos a 200, 240, 320
e 400 ris o covado, ditas muito finas estampadas
a 360, 400 e 500 ris o oHJo. tolda tapefetrii
n. 5tt.
Arara vende os baloes a 2,5000.
Vndese babldes de 20 Kt 30 arcos a 32000,
32500, e 42001' ditos moilo Hnus e modernos de
cr elegant a 32000. 320. 4|O0 e 52000, ditos
nara memnas a 32000 e 3*600, dits de ssorsvlioa
a 52000, cbitas largas com uro petatee toya e
molo- WO ris o cgvxdn-, UiUs'Opas a 30; 36t'
a 400 ris o covadb. Rui da Imperatriz loja da
Araran. 56.
mpotetras,
ira fljres. caodieiros a gal,
to prego possivel a di-
rande armazem de tin-
tas medicamentos etc.
Ra do Imperador a, 22.
Joo Pedro das Xevea (ge-i
rente) tem a venda o
sesnlae: m
Productos cbimicos e pbarma- }
ceuticos os m medicina-. mt
Tiauypara todo-o genero de fia- S
tura e para, tinturada.
Productos industriaos e tiatas "^
,. para flores, como bornes de flores yM
SjL e modelos em gesso para imitar g
fructas e passacos com o eompe- a
fente desenlio.
Pro lucios cbimicos eindustriaes J
para pbologra^bJa^lin turara, pin- M
Jg tura, pyrtecoia-et:.
m Montado em grande escala e sup- ge
[ prido directamente de Paris, Loo- |
H dres, Hamburgo, Aoven e Lisboa >
J pode offerecer prodoctos do pena *
m eonanca e satisfazer qualquer en- m
jiQBBendjLa groso trato e a reta- H
Hio e por preco commodo. jf
coios inglnzes
admira latas com principe Alberto a 12500. ditas
oomtmofchia8perolMd2,4,Oe 10 libras a
iifQO, 2fllO0, 32 e 52500, ditas coro oiiiide, oval,
victoria, crir.ble, cracnel, leraotf e outras multas
mMoaa a 12-: *b Liga-rua< Cfoa. hj 60.
Fvuct& cry8tali8afias
CfliMS'Wm sprUatoute de pora, pe*o, oran-
go, uvas, ameixas e damascos a 3#800 : isto s
naLUta.____________
" Vndelehmacand b* dnrtrotda sendo
1saeiitii*eciitPfxt'M)f8tavni' *'n*t>r
calafetar, de lotacao de 400 arrobas: os preten-
detrts andTigO'-sen roa aPnik nHf.
Loja d<5 Vigilante
RA DO GftfiSPO N. 7.
Este estahelecimenlo acaba de rceber pe-
lo rapor Exiremaure, e de sua propria en-
commenda, um completo sortimento de ob-
jectos de apura io osto e alguns de comple-
ta novidade, como seja :
Riquissmos necessaaios para costaras,
tendo de madreppla, marm, christal, e ou-
tras muitas qualidades.
Ricas caixinhas de madeira macbetadas
|t')das de raidrep la, cora msica, e o neces-
'sario para costura.
Cixinbas de msica, tanto de veio como
de corda.
Riqusimas malasinbas de madeira, for-
radas demarroquira, contendo o necessario
para costura, propria pera meninas.
Lindas vasos para pos de arroz.
Lindos, livrinhos com capa de tartaruga
para missas.
Riquissimo sortimento de enfeites para
senhoras e meninas.
Cintos inteiramente novos.
F.vellas, de tartaruga, christal, e metal,
para cintos de sen hura.
Leques de sndalo e de madeira.
Riquissmos porta bouquets.
Lovas verdadeiras de Jovin.
Ditas de seda e de Escocia.
Lindos botes de christal, tanto para pu-
nbos, como para colletes e abertura de ca-
misas, estes botes tornam-se recoiamenda-
veis, por ser inteiramente novidades.
Ditos de cornalina, brancos e encarnados,
para colletes.
Finas thesouras para onbas e costura.
Lindos porta jotas.
Ricos port relogios de porcellana.
Modernos peales de tartaruga e a imita-
cn.
Albuus para retratos.
Agulbas e linhas para crochetes.
Lindos aderecos de christal.
Rosetas e alflnetes de dito.
Aderecos completos para luto, assim co-
mo brincos e rosetas.
Meias de seda para senhoras.
Ditas para meninas.
Sapatiuhos de seda e de mirin, para
baptisados.
Touquinhas e chaposinhos para dito.
Las de todas as crds para bordar.
Capellas para noivas.
Gravatase mantas para homem.
Alfinetes para grvalas.
Riqusimos livrinhos para notas, sendo
com capa de ma Inpan.-laj marfim e cha-
iren.
Penas de ago de todas as qualidades, do
afamado fabricante Perris.
Froco e sj,da frouxa para bordar.
Bengallas e chicotes de lodas as qudida-
des.
Dedaes de marfim e metal.
Espetos dourados grandes, e pequeos
ditos de columna.
Dito especiaes para as senhoras fazerem
os pentiados.
Pulseiras tanto para senhora como para
meninas.
Riquissimas fitas lavradas e lizas.
Diademas do ultimo gosto.
Ligas de seda.
Ditas de seda e de algodao para mangui-
tos de senhora.
Contas e tubos de ac.
Suspensorios de seda e de algodo.
Grande e completo sortimento de perfu-
maras linas dos fabricantes mais afamados,
assim como muitos outros objectos que se-
ria enfadonho mencionar.
S no Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7.
Verdadeiros
rollares Roycr
Bleetr* Mugueiico
Ou Collares Anodino*, para facilitar a den-
tic5o das enancas e contra as convolses
das mesmas, a estes collares nos escuzado
fazer qualqner recommendasSo, visto a
grande aceitaco que tem tido, o que pode-
mos provar assim como, afiangar o effeito
que elles produzem, porque ha muito qc.s
os recebemos e continuamos a receber por
todos-s paquetes da Europa ; e encontra-
rn sempro na leja do Gallo Vigilante, ra
do Crespo n. 7.__________________
fasso Irm&fe
Venciera do sea armazem roa dt
Amoria a. 38,
Licor fino Curasao en botijas a meias botijas.
Licores fleos sonidos em gar. atas com rolhas di
ldro e em lindos frascos.
VinbosCheres.
Santernes.'
Ghambertin.x
Hermitage.
Borgonhe.
Cbampagna.
Muscatel.
Reino.
Bordean,*.
Cague
. Od Ton.
PAezei lagninl.
IfHho colapeSi
rivinUff colairv omH-s\ip'ei16r' de-todos o*
vldhos prefrt>i*t neste pnic pal w'a HmQvMi
o ardavel .paladac,. imimt* HOO la<4ua :
no armazem da Liga, o* Nova,
Muita attencfl,!
Muita attenco
Grande liquidacSo de-falencias e roupas ei-
tas naciones, na ru, da Imperatriz n. 72,
loja de Guimar5os A Irmao.
Os propriHtariosdasie imporunle estabelecMian-
to-eatia r.-folvidus;a liquidnr por menos 20
cento, do gu emtooira (Jpalqoer parte, vejam :*
Chals de renda.
Veode-se chales nv renda por 85000, faieuda
que j6' s renden-por H i> 144080, ditos de seda
por 144 a 104000, retoedss prous a 74500 o 8# :
islo na ra da (mpe/alriz o 71
Grande pechinba.
Cambraias de edres raiio fioas 240 r. o cova-
do, itii melfceres a 280 e 320 rs., ditas organdls
de riqoi.isin.os desenlio* a 360, 400 e 440 rs. o ao-
vado : so a ra da IruparatmiD. 72.
Bretanha de rolo.
. Vende-se bretanha ii< rulo, com 10 varas a 34200
a peca, dita de liuho fino a 84 e 84300.
Grande peenmeba.
Vende-se pee de algodio loas a 44, 14300 a
carne de vaeca a 64500 a 64 : s a roa da Impe-
ratrri o. 72. ,
Quem duvidar venha ver, cortes do
cambraia a 3*51.0.
Grande sortim ni., de coi les de cambraia bran-
ca e de cores a 34500 e44, dilos bordados a seda a
44300 v. 54, cortas de la a 34, 34500, 44, 44500
e 54, ditos cascr.ehita a 34 e 34300 : s na ra da
imperatriz n. 72-
Laziabas a 240 rs. o covado.
Vende-se um grande sortimenlo de lazinbas
Boas a 240, 280, 300, 320, 360 e 400 rs. o covado,
esto se acabando.
E' baratissimo, chales a *000.
Chales de merino estampados a *J, 24600 a 3j),
ditos finos a 44, 54300 e 04 : s oa ra da Impe-
ralriz n. 72.
Cortes de brim a 1*280.
Gr-nde sortimento de eortes de brim a 14280,
15400, 14600. 14808 e 2*, ditos de casemira a 24,
r4300, 34 e 34060.
Chitas a -180 rs. covado.
Grande orimtelo 9> chitas a-100, 200 e240 rs.,
ditas francezas a 240, 280, 300, 320 e 360 rs., di-
tas percales a 400, 440 e 500 rs.: s na ra da
Imperatriz b. 72.
Lencos a 2* a duzia.
Vende-se omgraorle sortimadto de leos a 24,
24500, 34 e 34500 a duzia,, ditos de lioho a 44800,
154 e 64, ditos tiurdadus eom bico, a 44500 e 54,
i ditos maito Snos a 64, 74 e 144 a duzia : s aa
' ra da Imperatriz n. 72.
A 5*000 a-ptfa.
Grande soriimtniu de madapola'de 04, 54500 a
64, ditos melnores marcas a 7$, 84, 84500. M,
104, U4 a 124.
Dal5es a 3*000.
Vende se om grande sortimento de baloes de ar-
co a 34, 34500, 44 e 44508, Olios de-mnsselina a
54 e 54300, dito* pan meninas a 34 e 34500: s
na ra da Imperatrr o. 72.
Grvalas a 500 rs.
Vende-se um randa sortimento de grvalas a
300, 640, 800 e 14, mantas fin > s a 14200 a 14600 :
s na loja de Guimares & Irmii, ra da Impera-
tnz n. 72.____________
No armazem de tazendas
baratas de Santos Coelho
RoaIVinclinado n. 19.
Vende-se o seguiste :
Lencos de panoo d lioho pelo baratissimo ore-
co de 24200 e 24600.
Lencoes de bramante deatao de um s panno
a 342OO.
Luberta> de chita da India a 4400 e 24800.
Lencos de cmhraia oroprios para algbeira da-
I za 14800, 24, 24O0, 25600 e 44-
B-'ldes de arcos para meninas a 15500, 24
e 340GO.
Algodo enfestado com 7 palmos de largara
14100 a vara.
Atoalhado de algodo vara 24.
Pegas de cambraia branca de salpieos com 8
meia varas 44500.
Bramante *e Hriho'fino com 10 palmos de largn-
a 24500 a vara.
Panno de linho com 9 Ii2 palmss de larg'.ra a
24400 a vara.
Bramante de lioho de duas largaras a 14280 a
vara. .
Brabante da linho de urna largara a 800 a vara
T->alhas de lioho acolcboadas para mos, a 12*
a duzia.
Ditas felpadas a 134 a dezia.
Guardanapos de lioho a 34300 a dnzia.
Pecas de cambraia para forro a 24600 e 24800.
Pecas de cambraia adamascada com 20 varas
prooria para cortinado a 134-
Tarlatana de eores a 800 rs. a varal
F. liso fico a 760 a vara.
Dito de salpieos a 14 a vara.
Planeta de cores 880 r.. o covado.
Btloes de aros para senhora a 24500. 34
34500.
Ditos de arcos encarnados a 34300 e 44.
Esleir da India e 4, a 5 palmos de largara
propria para forro de sala pjr meaos preco do
que em ostra qaalijuer parte.
Caraliraias flnasd-' auras miadas a 530 rs. a vara
Neste armazem tambera se encoutra um granda
s.-irtimntnie r^o? feita e oor meiifla
PHOSPHATOdeFERRO
um LERAS doutor em scienciasj
INSPECTOR DAAGADErY !A DE PA1IZ Etc
erru|ii
como o Phosphto de (erro de Leras; as sammi-
dades ruedicaes da mundo inteiro adopUram-a
.eom sollif ilude s.m igual nos annaes da sciencia.
As core* fallidas, dorts de estomago, digestSet
penosas, anemia, convalescencias difficis, idade
critica as senhoras, irregularidad^ no ment-
truacio, pobresa do sangus, lympkatism, aV
curados rpidamente e modificad* por im
acetente compesto. E' o conservador por etcel-
lencia da saude, e declarado superior nos hospi-
taes e pelas academias a todos os ferruginosa
coaliftcidos, a iodorete e ao citruto de ferro,
iorqee o nico que convem aos estmagos de-
: irados, qne nSo provoca constipacSo, o nnioa
tambem qne alo ennegrece a bocea a o* dantos.
A venda ras [iharnacias de P. Maurer 4
C. e A. Caors, em Perombuco.
Panoo da algodao da Baha, proprio para
saecna da assoear a roana de aserawas ; tam para
vender Antonio Luiz de Oli veira Azevedo k G., ao
sea escriptorio ra da Cruz n. 1.
atj.r- -
Charutos nsplro3 veB*aO*as a 14 a all'
Vap3res.
Vende-se era casa de Saunder Brothen & C
ao largo do Corpo Santo o. 11, vapores patentes
com todos os pertenp.es proprios para fazer mover
tres ou quatro machina pin dgsearoc^r algodao
pom dvrissu
Vende-se potassa da Russfa mnito saperlor e de
qua idade a mais apropriada para fabrico de
assacar a prece rasoavea; no arraaBeoj ideJosf >
SUva Loyo 4 C>
FraHcisoo Jos Germann
[RA IfOYA'N. ,
acaba de receber om lindo o magnifico aor-
tiiuento de octrtos, lunetos, btmenk), do ad-
timo e mais apurado gosto da Europa e ocu-
Um de oicarje para observac5es e,'para!oi
martimos.
Veta*
Gomes de talas Irmos, na ra larga do Rosa-
rio d. .24, vm4a velas e caca da carnauba a gom-
ma de mandioca.

Agua Mi
Sisthas de
o de
Oleo de dito dito ferrogiooso.
Rob Latector.
Xaroue de cadeina da Berlb
Vina* da Bailnl:
Xaroi
Lelte
Cobre[
tra as
pastado.
nnracOis 4* Tasto
Gal vir^em.
armazem da Liga ra Nova n QQ.
ie-M-tMrtffca doTi-apfohe
aovaquevM no tneread
modo.
Dep
tano.n- 10.
l'ffD.
infa., roa larga
armazem n.
'ncr pfee
9> a jjp Veod^e na ?itteBvBm*fli
cora- do Capt'
iBartas, i ru
doRn-
4
marga
valho



r nr
Otarlo de PtnibiiCd sexta fefra f di Sefembro de
1866.
I
I -
I?
LOJA
. ENCICLOPDICA
RA DA MPERATRIZ ARMAPEM DA.
PORTA LARGA, N. 52,
nato a padaria fraaeeza
DE
Paredes Porto.
Neste estabelecimento encontrar o res-
peitavel publico um variado sortimento de
fazendas francesas, inglezis, suissas e alio-
mies, que se veoderao pur preco commodo.
AENDE-SE
No ammm de M. a. Ramos e Uva & euro, raa da Vlgarto
o. H, constantemente, os aeguintr artigo, jue
receben por encommenda propria de
lEW-IOUH,
Grande armazem de fazenda e
roupa fe la, mida Imperatriz
n. 59, arnazem da porta larga
Neste e.-labeleciuiento encontrara' o respeita-
?el publico um completo senimento de roupas de
todas as qnalidads e prego commodo. como se-
jam : palelots de alpaca, de merino, de borabazi
na, panno, casemira, pret.) e de cores, caigas de
todas as qualidades, colletes de ditersas qualida-
des e pregos cummodos, chapeos pretos francezes
fazenda de 109 a 6*, ditos de sol de alpaca e seda'
sobretodos de panno proprios para viagem a H*j
meias ernas de boas qualidades e precos comino-
dos, e outras muilas fazendas e roupas feitas, que
se vendem moilo barato : no armazem da'porta
larga n. 51
600 rs.
Admirare! pee!Jucha.
Caa\isinhas de cambraias a 600 rs.para acabar :
a roa da Imperatriz n. 5, armazem da porta lar-
ga jqnto a padaria fraaeeza.
Casemira
Vende-se casemira de cor a 45 o oorte : na ra
da Imperatriz n. 52, junto a padaria franceza.
BalSes
Vende-se baldes (crinolinas) de todos os tama
nhos ae 2.">00 : a roa da Imperatrit n. ap-
unto a padaria franceza.
1$500
ntremelos.
Vendem-se pecas de eqtromeos com 12 varas a
1*500 : a ra da Iaiperatriz n. 52, porta larga.
Chiles de renda a 1
Vendem-se chales de renda pretos, fazenda de
boa qualidade, a 44 por ter"porgo : armazem da
porta larga n. Si.
Refoidas e bournus.
Recebeu ltimamente um sortimento de retondas
e bournus de seda e de algodao por barato prego, I
soutembarques de gresdenaple, capas e manteletes |
por pregos commodos armazem da porta larga
q. 82, ra da Imperatriz.
Cambraias lisas Isas.
Grande sortimento de cambraias lisas, que se
vendem a 3*. 35500 e 4*. dita muito fina Victo-
ria a 54 e 54500, cortes de tartatana de bonitos
gostos a 345'JO e 45 : ra da Imperatriz n. 52,
jnnto a padaria francesa, armazem da porta larga.
Tiras e eeirameios bardados
Grande sortimento de tiras e entremeios borda-
dos, pelo prego de 500 rs. a pega : ra da Impe-
ratriz n. 52, jauto a padaria fraBceza.
Cortes de gurguro de seda
preta.
Vendem-se cortes de gorguro de seda preta
para vestido com 20 corados, por barato prego :
a ra da Imperatriz n. 52, junto a padaria fran-
ceza.
600 rs.
Cortes de calca.
Vendem-se cortes da algas para servigo a 600
rs.: na ra da Imperatriz n. 52, junto a padaria
franceza.
JLas de vestido.
Cbefea a loja de Paredes Porto um sortimento
de las para vest-'o a 240 o conado : na ra da
Imperatriz n. 52, junto a padaria franceza.
Chambres
Chegou um sortimento oe chambres para ho-
rnera a 44 e 54 i na ra da Imperatriz n. 52, loja
de Paredes Porto.
Vestidos bordados.
Chegou a ra da Imperatriz n. 52, ricos cortes
de cambraia, bordadas a croch, fazenda de 205
por 124 : na loja de Paredes Porte.
25#00
Grande pechincha
Selecia cera 26 varas a pega, largura de S pal-
mos, a 254 : na ra da Imperatriz n. 52, Paredes
Porto.
Machinas americanas para descarocar'algodao.
Arados idem.
Gaz em latas de cinco galoes do mais purificado que vem este mercado.
Relogios perfeitos reguiadores com corda para oito dias.
Oleo para machinas de costuras.
Agulhas para as mesmas.
Brea em barricas grandes, e pequeas.
Salsa parrilha de Bristol por Lanman Kemp.
Agua Florida, ,
Anachauita de Kemp. .
Tnico Oriental.
Pilulas assucaradas.
Pastilhas vermfugas.
Pilulas do doutor Brandreth.
Prompto a'ivio deRadway.
Rozolut vo renovador.
Pilulas reguladoras.
Farinba de milho.
Vende-se tambm:
UOUBA0I
A DIMHEIKO
NA LOJA E ARMAZEM
Cambraiiis brancas,
C 8 palmas de largurae
Van.S0Ba*oJa do pavo.
8 nimnc SC^8'brail's t)rac'1- transparentes leude
refa?J.?.r,rra'0D duas iar*uras das re^'
vara? I ttnttV nm Vesti0 > com 4
*Qo6 res alS^I6'08 bMSs pregos de.
i res e 14280 a vara, uuicamente na loia
am& sTlv 1JaV5' rua da mfe ""e6U deJGae
Baldes baratos
Vende o Pav3o.
Chegoo um grande sortimento de baldes de ar
eos seado americanos que sao os melhores e vea-
Q"Se pel baralssini0 PtfQO de 25500, 35 e
..?, :Da l0Ja l PavS "i ra da Imperatriz n.
b6, de Gama & Silva.
Bretanbas de rolo a 2800.
Vendem-se pegas de bjelanha de rolo tendo JO
nORREAll
1.* qaaliiade.
[St. Estephe.
St. Julien.
|C. Margaux.
C. Lafitte.
I Medoc.
PORTO
rtpulidade,

Vinho fino do Porto em barris.de 5/, 40/ e 20/.
Superior vinho doRheno.
Verasouth de Fratellicora.
Bitler cromatico.
Panno d'algodao da fabrica de Todos os Santos,
dem. da ConoeicSo.
Enxofre.de J. qualidade.
#
Principe Real.
Pedro V.
Mara Pia.
Princeza D. Isabel.
Vctor Emmanuel.
Duque.
Malvazia.
29 RIJA DO QUEIHIADO M. 99.
Pinas cambraias decores de modernos gosios a.500 rs.
Pegas de cambian branca ir.uito lina a i,.
Grande sortimento de chitas para todos, os preco.
Lencos brancas para meninos diuia 24-
CobertaF de cblta da India a 9$000.
Algodao trangado largo para toalha? superior fazenda vara 14300.
Cambrala de liuho para lencos.
Fino esgaiio de linho-a 144('0. 15600 e l800 a vara.
.aile pecblneba.
Fazenda muito encorpada para roupa de escraves e pelo baratsimo prego de 8M eovado.
Eua da Imperatriz n. 60
DE
JImC> os PrPrela'"ioi; desta grande estabeleci-
fazndanV.,d0 dimioai,r.0 graude deposito das varas cada pecVVeto'tartM^oTo precode MSt-
Grande pechlncha
em chales a 44 na loja do Pavao.
Vende-se tnissimos chales de meria usos com
rranjas largas dejetroz tendo as cres seguintes :
encarnado, azul claro, azul escuro, verde, cor de
eauaa solferino, niajenta, branco t rxo etc.. esta
faienda vende-se snupae a 64 pela sua boa quali-
dade e agora liquida se pelo baralissimo preeo de
5 por ter grantle porgo : na loja e armazem do
Pavao na ra da Imperatriz a. tO, de Gima &
felva. u
A 4^ pechincha em chales de renda na loja
do Pavao.
Vende-se chales de reoia.p-etos tendo 4 poola^
e sendo muito grandes pelo bar. tissimo prego de
45, ditos de renda de seda a 84 e I0& : na Ira do
?avao na ra da Imperatriz n. 00, de Gama &
parte, com o hu tie apuraren) diulieiro e cada'vez
nariS,J?r,tdareS1 aos Sl3US numerosos fregueses,
ponanio ibes offerecem um grande sortimento de
razenaas inglezas e frneezas, as quaes vendm
por atacado a a retallio. Comproreettendo se a
mandar levar qaalquer fazenda era casa dos re-
gueze?, que nao podereB vir a loja, ou mandar as
amustras deixando Bear o penhor, assim como
eoBvidam as pessoas que negoceiam em menor
escalla rande sortimento, vendeBdo se-lhe apenas pelo
prego qae compram em primeira mo as fazendas.
gaonando-se apenas o descont, sendo a dinbeiro
As graoadiaas
Na loja do Pavo. '
thegaram pelo ultimo vapor da Frasca as mais
nnaas cambraias transparentes, granadinas, sendo
cum os padri.es de lisiinhas e flores, conforme se I Silva.
tam uuimamente cas principaes cidades da Eua
ropa, e vendem-se pelo baratissimo prego de 640
rs. a vara na loja e armazem do Pavao, na ra d-
Imperatriz n. 60, do Gama & Silva.
Usciales do aava a 2eoo e 25o rs.
e 24600 ca'da Cha'eS d6 mer'n eslainPa,,0S a 2*
Uitos de merm liso a 34300.
Ditos estmpalos de crepon a 65, 74, e 85000.
oitos pretos bordados com franja de seda a 144.
t. .1 a|lmaiero do Pavao na ra da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
Para luto vende o Pavao.
Pechincha em cortes de chita*
frunce as
Vncete se sopeares i francezas
sendo escuras e.cltascim t \iS \tOI0
cada corte 10 a 12 covad -s fazfndo-itu a ronta pe-
los bafatiss uios prego- de 280 e 320 r-. o eovado,
para acabar: na loja ean Pavao a roa'
da Imperatriz n. 60, de 6
Baldes americanos h &#.
Vendem-se os mais soperiirts bld< s america-
nos tendo 30 e 35 arcos com as hia> bi m largas e
com mu i ta roda tendo charcos rruio n ais c.nsis-
tencia qae os ioglezes, se"do u< ste tl'go o melbor
que ttm vindo ao met'j e vei di D e pi le bara-
tissimo prego de 5> : La loja earr. w m do Pavao
na ra da Imperatriz n.^0, de Gama A Priva.
wmisinhas para lucio na loja do PvSo.
m^n-If"86 nm dUo ""ment de reminBtttf,
SStt?'.!*,,5b,,e "Mhle eambraia, fil e
escomilha; sendo o mais modernor mais r.prio
?ft?...Vnd0,p?r" lucloe "e-MPOf prego riui-
o rasoavel na loja e armazem do Pav." ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & su '
Chapeos a 800 rs.
Vende-se chapeos de palha a ImHacao d^ rr^ani-
lha pelo baratsimo prego de 800 rs cada um por
tar orna grande porgo, na loja e arrnaz*m do Pa-
vao, ra da Imperatriz n. 60, de Gaim, & S Iva.
Jfeeravos ftegido-
Para mo
Lencos bordados
Vende o Hav5o.
Ksle*tabelefmeDtv,acaba de receber nm va-
I nado sortimento dos mais bonitos lencos de cam-
braia primorosamente bordados P preprios para
TT^S0* VeBde pel ""too prego da 15 e
1,5600 caca um : oa loja e arma?., rn do Pavao Da
roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Suva.
(iu ida lia oh,
Vendem-se bonitos guarda banha de labervr.io
o a a O O -s "- CS'q-ig
O O p-o
09
c 3 o c = "
srag
fi" i: i
3L O- a;
.O
o>
09
o < S.
fflftO
So

g O
2. o
&BS.8S, .2.a

ce
o w
oa 2
aB s"
. 3.
t -
-" B
B
o

m
I

-i e
C5 O
as ca
-i
B
c
09
-1
a.
o
O a??
M
H
a
o
*3

>
O
g
te
o
se
>
MACHINAS AMERICANAS
Verdadeiran do fabrleaute N. Y. CanUoogln k C.
americanos para moer milho.
Na ra Nova d. 20 e 22, grande deposito
das verdadeiras machinas americanas de todos
os fabricantes; se en;ontra ueste deposito
grande porgo de machinas, e se vendem por
menos preco do qye em outra qualquer parte,
por se receber em direitvra da Ajneca; se
fornece todas as explicacSes necessarias ao
compraiiiV para conservagSo das mesmas;
neste grande estabelecimento se encentra mui-
tos artigos americanos, que muito deve agra-
dar aus agricultores que usam de taes artigos,
encontia-se lambem todas as colleccoes de de-
servios sobre os quaes se aceita qualquer urna
enoommenda, qne com promptidao ser execu-
tada; este grande estabelecimento, encon-
traTse em grosso e a retaJho, gr.nde porcSo
de ferragens, e miudezas que se vendem por prego commodo, pedindo-se a atteacao
de todos para- este estabelecimento que muito lucraro em faaer suas compras: ta
ra No7a n. 20 Carnero Vianna.
I proprios para encost* de radeiras, pilos brralissi-
Seiim da Chioa c^m 6 palmo* de largura, fazen-! *" F!ef" de ,2 a 3?0004 Da oja do Pavo na
d* pret para luto, propria para vestidos e roupas rua da la,W"* ? 60, de Gama & Silva,
para nomens, sendo esta nova fazenda sem lustro e
de muito boa qualidade, garantindo-se nao lirar
a z# ei a*5U0 o covdo, assim como oeste esubeleci-
roento tt ra um grande sortimento de todas as a-
kjS P"lt3S cowo seJam cafsas e chlUs Pretas,
laasf tapidas e transparentes, princezas, alpacas,
. sarjas, en. : na loja e armazem do Pavo na rua
da Imperatriz n. 60, da Gama # Silva.
Os espartilbo*,do Pavao,
Ve^"Q-^ D.a grande e variado sortimento de
espartiihcs dos mais bem feitos que tem 'vindo ao
mercado, sendo de todos os tamaobos, vendendo-se
por um prego muito razeavel : isio na loja do Pa-
vao na rua da Imperatriz o. 60. de Gama di Silva.
Leos braneos a t|IOO res
duzla.
venden se engos trancos fwenda muito boa
pelo tara nssimo prego de 24 a dozia, Ditos coa.
barra de cor a 24000 isto para acabar na -loja d-
Pavao na rua da Imperatriz n. 60 de Gama & Sio
va.
i ovo mmm
DE
MACHINAS
Grosdcnaples prr tos do Pavo.
Vendem-se superiores grosdenaples pretos pelos
baratissimos pregos de 15500, 15600, 15S00 e25
o eovado, sendo fazenda mni'o boa, s6 para aca-
bar : na loja e arxazerB do Pavo, rua da Impe-
ratriz b. 60, de.Gatna & Silva.
Branianle de liuho do Pavo.
Vende-se superior bramante de linho com 10
palmos de largora, proprios para lenges, pelos
baratsimos pregos de 25 e 25600 a vara, assim
como panno de linbo muito 6no peles baratissimos
pregos de 640,700 e 800 rs. a vara : na loja e ar-
mazem do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
escoiliuadds c l'a>o,
Vende-se nm graBde sorlirofnlo dos mais ricos
cortinados bordados, proprics para camas ejanellas
pelos barslissimos pregos de *$, 105, 165, 205 e
*S5000 r. o par, assim como pegas da camliaia
bordadas e adamafcadas proprias par? o mtmp
nm por pregos razoaveis, na lf ja e armazem do Pa-
vao na roa da Imperatriz n 60, de Gama & Silva.
OajeaclBs # Pa>ao,
_ Vendem se os mais bonitos cachins de malha de
laom benitos gostos, proprios para saludas de
theatro e bailes etc. ele. na loja e armazem do Pa-
vo na rna da In perairiz b. 60 de Gama & Siiva.
OrgaBdy a' 1$(I00 na loja doPavo,
Vendem-se os mais finos e mais irodr-rDos organ-
Casemira
%
PARA DESCIROCAR ALGODAO
Manoel bento d Oliveira Braga.
53-Rna Dlreltao.-53
Neste estabelecimento se encontrarlo as verdadeiras machinas americaoaechega-
das ltimamente, as quaes sao feilas pelo mais afamado fabricante da America, por is-
so aviso a todas as pessoas que precis.irem comprar, de se dirigir a este estabelecimento
qne comprarn das mais perfeitas neste genero, assim como mais barato do que em outra
qualquer parte, pora isso se recebe por conta propria, a onde encontrar-se-ha tambem
grande sortimento de ferragens e miudezas.
RIVAL SE SEGUNDO.
ftua do Queimada o. 49
Est disposto a continuar a vender por prego
que a todos admira queiram apreciar e vir ver para
crer.
Grozas de pennas de ago muito boas a 320 rs.
Bonets muit tinos para memoosa 15.
Pentes de alisar com costas de metal a &00 rs.
Capachos redondos e compridos a SOO rs.
Polceiras de oontas par seohoras a 500 rs.
Caixas de papel amizade a 600 rs.
Quaderuos de papel muit) hom a 20 rs.
feotes de tartaruga a 24500 rs.
Realejos para meniBoe a 100 rs.
Escovas para limpar denles a 200 rs.
Baralh s muito finos a 200 rs.
Caixas de p de arroz muito superior a 800 rs.
Caixas de lamparinas para tres mezes a 40 rs.
Caixas de obreias de raassa a 40rs.
Grozas de botdes de loBea a 160 rs.
En II acores de cordo e fita a fiO ra.
Pecas de flta de eos com 10 varas a 320 rs.
Carias de alfiuetes francezes a 100 rs.-
Libras de alfiaetes franceres i* qwHidade a 24.
Novellos de liaba com 400 jardas a 60-rsi
itoa dkos ta 20O jardas a 30 re.
Caixas com alujoets a 20 rs.
Pares de luvas brancas de corea a 400 rs.
GravaUs de todas as qualidades a 500 rs.
Besmas de papel alano saperior *#4dft-
Caixas redondas com estampas a 100 a.
Livros para assentode roupa lavada a 100 rs.
Bunecos do choro muiU/ bonitos a 160 ra.
Frascos de superior agn de coMalas dOO'fft
DE
FAZENDA E ROPA FEITA
HUA MOTA K. 81.
Reg & Moura, proprietark) da loja de fazendas e roupa feita, sita rna va
n. 24, fazem sciente ao publico e particularmente aos seos amigos e freguezes, qu-
acabam de receber de sua encommenda, um perfeito sortimento de fazendas finas, eBtre
ellas casemiras de cores propriasparacostunaes; panno fino dos melhores fabricantee
proprios igualmente para casacas e sobrecasacas e outras fazendas de variados gostos,
as quaes vendem com vantagem sobre outro do mesmo genero de negocio, tanto pela
tnodicidade dos presos como pela qualidade especial dos artigos que expSe a escolba de
todos aquelles qne se dignarem frequentar seu estibe ecimento.
Os mesmos, continuando como sempre, escudados e robustecidos na aceitacaoe
confianfa que lhes tem sido dispensada pelo respeitavel pubfico, no espaco de tempo em
que se acham estabelecidos, procuram envidar todos osesforcos a seo alcana para cor-
responderem suficientemente a expectativa deste e de seus numerosos- freguezes e-ami-
gos, por uso, admittiram para sua officina de alfaiate, quatro eontra-mestres, funecio-
nando regularmente soba inmediatadirecc3odo muito hbil mestre Lauriano Jos de
Barros, o qnal, activo e diligente como se ser. nao se poupa aos mais aturados cuidados
de sua arte quando tem de salisfazer com brevidade e presteza qualquer obra de encom-
menda,
Ao contrario dos n uitos que enebem as columnas do jornal com a repeticao ociosa
de annpocios em estylo sedico, n5u precisamos aqu a naturia dos artigos que possui-
mos para nao collocar a sjnceridadc dos nossw tratos no perigo ilumnente qne resulta
deesas anteipac5ee sem fundamento.
a 40, na loja 49 Pavo
Vende-se superior casemira. enfesUda, propria
para caiga, paletots e colletes. pelo baratissimo
prego de 24400 cada eovado, oa a 44 o corle de
caiga, sendo fazenda eovado, ou.a 55 o curie ; esta grande pechmcba
liquida-se pelo prego cima, na laja e armazem do
Pavao, rna da Imperatriz n. 60, de Gama & Mlva.
Cinude pecblneba em toalbas
para mo.
Vendem-se superiores toalhas de linho proprias
para mo pelo baratissimo prego de 560 rs.. ditas
640 rs duas a imiiac.ao.das felpadas a 800 rz~
dlias fe pudas 15 : pecnincha na loja e arma-
sem do Pavao na rua da Imperatriz n. 60, o"e Ga-
ea & Silva.
ATLANTA
Grande novidade a SOO rs.
Allanta a 200 rs,
Atlanta a 200 rs.
Atlanta a 260 rs.
Chegou para a loja do Pavo c mais lindo sor-
tlaaento desta nova fazenda, com o titulo d* allanta
propria para vestido e roupas para meninos, seo-
do esta modernsima fazenda de laa com os mais
lindos gostos de quadrinbos e listras tendo entre
ellas de cor roxa e {Jreta, com listras e quadros
braneos proprias para lato, e vendem-se pelo ba-
ratissimo prego de 200 rs. o eovado nicamente na
loja do Pavo rua 4a Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Cambraias de salpica a 2S00 e
3fO0O.
Vendem-se cortes de cambraia branca com sal-
picos a 25500, ditos com palminbas a 35000, cortes
de cassas indianas t< ndo 8 varas e raeia cada cor-
te,, tendo enlre elles muitos rxos, pelo baratissimo
prego de 25500, para acabar : na'loja e armazem
do pavao, rua da Imperatriz n. 60, de Gama 4
Silva.
Veslidw raucos berdailos a 6lO0.
Vendem-se os mais ricos corles de tarlatana e
cambraia branca com Jindas barras bordadas, e
trazendQ todos os cortes enfeites sufflcientes cara
corpo e mangas, pelo baratissimo prego de 65000,
dos coa barras de-efires, tanto de seda como da
mesroa cambraia a 64, 84 e 104, todos estes cortes
sao chegados pelo ultimo vapor, e vendem-se por
estes diminutos pregos na loja e armazem do pa-
vao, rna da Imperatriz n. 60,-deGama & Silva.
Vestidos a 4i9.
dyes de cores rom os mais delicados descosien-
do fazenda de lf 600 rs a vara, e liquidao-se relo
baratissimo preco de dez tosloes a vara por esia-
rem lomando um pequeo t loja e armazem do Pavo na roa da Imperatriz d.
0, de Gama & Silva.
MaBguilas a 5#6 e 640 re s,
Vendem se manguitos e calrinhas para meninas,
pelo baratissimo prego de 500 e 610 res, na leja e
armazem do Pavo na rua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Lencos de se a a I.-WO
Vendem-se fengos de sed* grandes com bonitos
desenhos, pelo baratissimo prego de 15000 cada
um, mantinhas para grvala a IfOOO, 800 reis, na
loja do Pavo na rua da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva
Sedas largas a 1 $600.
Se pavo.
Vendem-ee superiores sedas coro 4 palmos de
largora, sendo dos padroes mais bonitos que tem
vindo ao mercado, e vtndem-se pelo baratissimo
prego de 15800 o eovado, cortes de ditas muito
bonitas com 18 covados- a 355000 : na loja e ar-
mazem do pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
As coleba do pavo.
Vendem-se bonitas colchas de fuslo pelo bara-
tissimo prego de 65000, dita< a imitarao a 35T00.
e grande sortimento de cobertores, tamo de la
como de algodao : na loja e armazem do pavo
rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Alpacas de cres para vestidos.
Cbegaram as mais bonitas alpacas de cores pro-
prias para vestidos, sendo lisas e tendo de todas as
cores mais modernas que tem vindo ao mercado, e
vendem se pelo barato prego de 640 rs. o eovado,
ditas lavradas com as mesmas cores a 720 rs., di-
tas de acceulo branco com palmas de cores a 600
rs., todas estas alpacas sao muito largas e vendem-
se por estes diromulc s pregos : na loja e armazem
do pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
(arobraia da Iscossia.
Vendem se as mais-finas cambraias da Eseossia
todas transparentes tendo mais de vara de largura
com 9 varas cd pega, pelos baratissimos pregos
de 65, 65500,75, 85, 95 e 105, grande pechin-
chi : ua lo]a e armazem do pavo, rua da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & silva.
A li-0 rs. para Indo, yeoe o
Pavo.
Vendem-se laazinha< pre'tas proprias para luto
pelo baratissimo prego de ICO rs. o eovado : na
loja e armazem do Pavao roa da Imperatriz n. 60,
de Gama A Silva.
Algooaozinho a S&500 a peca.
Vende-se pegas de algodosinho, tendo 20 jar-
das cada pega, sem defeito algum, pelo baratsi-
mo prego de 25500 ou 160 rs. a van, grande
pecincba ; na loja e armazem do Pavao a' rua ta
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Grande peeblncha em cbapeds
do Chyll a U e 6.
Vendem-se superiores chapeos do Chyli proprios
para homens. sendo dos mais modernos qae tem
vindo ao mercado pelos barassimos precos de
54 e 64 e alguns mais baratos : na loja e arma-
zem doPavio a toa da Imperatriz n 60, de Gama
.7 Silva.
A ttenco.
Recommenda-se aos senhores eapites de cam-
po e antorid des policiaes a priso do rsrravo de
nome Adalberto,cornos slgcaes scguinie.- ; cabra,
balio, pernas um penco arquead ..-, barbi o nada'
muito prosista, anda sempre rom a eateea de lado:
prendendo-se leven) no a ruado In peaada* n. 17,
que sera recoroj^nsado-o ap| rebtn-or.
Anda contina a estar fgido o eseravu Jos
crioulo de 50 annos di ida de, alt l rbado, cara
comprida, fallas mansas, ps grandes e proseos :
qoem o ptgar leve-o a soa senhora na Bi ledade cu
em laterita sitio da Sapueaia que sera' reampen-
sado.________
Fugio no dia 12 de ago.-to de 1806, do sitio da
travessa da Ponte i!e Ui-hOa, o eseravu i.. p. de ne-
me Fidolo, crioulo, Idafle represente ter 30 a 35
annos, estatura e corpo repnlar, cais i. di.io'a, com
pouca bar a dibaizodo que.jo, un om peilo na
bocea e em um olho por ter .(Urido rio ar ce vento,
ps e maos grossas, andar apressado; leve u vesti-
dtrcalga de brim trangado de algona e camisa de
madapoln, e deve ter em si camisa rte laa de cor
roxa, ponteada, frita fra : Ped.: m autoridades
polinaes, capJies de campo cu qoalijotr p appreodam e levem ao seu Sr. na rua das Cruzea
n. 32, que se rao generosamente reten pensados.
Aoser,tmi-se. nm preto ptr m m-/"elippe, o
i|ual lem os signaes eguinles : estna crdioa-
na, rege de um olbo, btigos bstanle pros, os, ida-
de de mais de 40 annrs, sabio na manha do da
22 : nci-mmenda se a's autoridades policiaes, ou
a qualqo* r pes.-oa que o encontrar, o mande.
agarrar e enlieg?-lo na roa do qoarlel de polica,
ti. Ib. qne sero generosamente recompensados.
Esoavo frgido
Fogio do engenho Miuas-Novas no da 30 de"
jolho prrximo pastado o estrav Sabino, crioulo,
idade 35 annos, boa altura, chelo do corpo. ja pin-
la, cara larpa, dentts bem fetus e alvos teodo na
frente falta de um denle, genpivas encarnadas,
um tanto ago, loca viola, muit t: lucador, lem
os ps grossoe con marras de ferldas a bom
mestre de assocsr, sapatnro e earretro, tamben?
rortad- machad?, julga ;e andar aculado pars
u lugar chrnado Dimanagao ;u eMrema de
Jos termo da Escada : ropa se as ?u oridade.- pr -
ciaes e eapflaes de campo apprettoo escravo e pn [i sta-.-e contri qualqo' i j-essoa qu
o occuitar para desfructar seus servic< < e qu>-m
pegar e'leva lo ao diio engenho ou a rua Direita
o. 106.
Contina fgidos desde o dia 23 de junho o
.srravo J. s, crioulo, preto, um po co fulln, alta-
ra regular, cheio do corpo, barbado, idade 30 an-
nos pooco mais ou menos, muito ren'i-ta, incal-
ra-se de forro e nada d m.me, lem os dedos dos
res um penco levantados por causa dos Mos.tan
todos os dintes.cosioroa trahalhar de servente de
tedreiro ou na entradas, anda ha pouco fur visto
trabalbando na estrada que vai p--ra Apjpoeos, es-
le es travo bem entiendo pelas diversa- fueidas
que tem feito em poder de oulros senhores como
do Sr. Manoel Alves Barbosa e do Sr. Meodonca
cm loja de faze.-.das rua d.. neimarfo e uliima-
mente do Sr. Macoel Ar>l gar leve o a rua da O.ocordia n. 8, que ser ge-
nerosamente gratificado.
Doj-appareceu no da 2o d- ag sin
cravo de noo.e Vicente, idsde de 40
preto es-
5 anuos,
i vi-io em
- .a e ititita-
la-se forro : qur-m o pegar ou der n .lirias certas
na rua da Cadeia do Ricife u. 51, priuieiro andar,
sera' rtconpenstdo.
pernas arquiadas, estatura regular, ja f
Cachanga' e cm-la qoe esta' em linda
Rogase a todas as autoridades
rap'lSes de campo que appreheodam
policiaes e
a ercrava
>ioria, que fogio desde o dia 30 d. mez prximo
I
passado. com os slgnaes segulnles : cnnol
e bem parecida, cen urna cicatriz d. urna facada
do m.eio do biago direito, denles limados, cabello
cortado rente, muito cheia de ideas e parira:
ve-te se de homem e Ilude a todos riizenri,. qne
paga semana. Protesta-se com todo o rieor da le
m ntra quera a Uver occnlta. Qa--m a pegar It-ve-
a a rua da Imperatriz n. 2, que sera bem recom-
pensado.
Fugio no dia 28 o correte o mulato de ne-
me Joo, idade de 14 anuos, cor clara, cabellos ca-
rapiohos, denles morenos, olhos pardos, o quaj
muito ladino, e julga se qae esteja mesmo por esta
cidade, levou camisa branca, caiga de brim parda
e chapeo de fellro e anda decaigo : quem o pren-
der leve-o a rua do Crespo n. 13, casa de Ant' nio
Pe reir de Vasconcellos & C.
Pechincha
GRANDE
ARMA
EM
DE
Roupa feita e por medida.
26 Rna Xova m. 26.
Jos Antunes Guimares, propr etrio deste aovo estabeleciBaento de roupas e
fazendas boas, participa ao respeitavel publico em geral a todos os seus freguezes,
e amigos; que estando sua casa sobre a direc5o dedous dos melhores mestres de alfaiate,
seado um delles o Sr. F. E C. Miranda, e o outro o Sr. Manoel. J. G. Carneiro, ambos
com grandes habilitacbes tendentes a soa arte, pelos quaes ditigida a soa officina, e
achantlo-se bem montada a desempcnliar qualquer eneommenda por grande que sep,
se. esforcar para sabir a contento de seus freguezes, veodendo ludo por meaos do que
em outra qualquer parte. Roga as pessoas 'nteressadas que ventam examinar seu estabe-
lecimento, e verificar por si mesmo o que declara, assim come faz sciente a todos ero
geral, tanto desta praca como mesmo dos do centro, que qualquer encommenda de obras
feilas que mandem fa/er nesta officina nao sendo a contento de seus doaos, pede que
as queiram devolver, afm de novamente se fazer outras qoe os satisfacan; assim co-
mo declaram que n5o terSo r en huma responsabinitde, esperando sempre servir bem
a todos ede todos espera merecer p'otecg5o, sendo entregue qualquer encommenda no
simas
a 1$ o cento.
Roa da Madre de Dos n. 5 e 9.
wtomJliSS daerSad iSfSL 'prazo de 24 horas ou em menos tempo sefor de moita urgencia.
Veadem-sa bonitos cortes de cambraia branca
com barras de cores e todos braneos, pelo baratis-
simo prego de 4f : na toja e armazem do pavo,
rua da Imperatriz n 60, de Gama & Silva.
Tapetes.
Vend*m-se ricos tapetes para sala pelo baralissl
mo preepo de 8*000 e 10*000 : na loja a armazem
do pavao, rua da Imperalnz n. 60, de Gama &
Silva.
Cera amarella.
Na loja de Gama de Silva, roa da Imperatriz n.
0, tem para vender cera amarella em porgo, sendo
em barrica e em caudas, tff
Cauenira* preias a 40 400.
Vendam-se eoriea de casemira preta superior
qualidade pelo baratissimo prego de 4^500, gran-
de pech ocba ; na loja e armazem do Pavao na
roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Madapoln a 3*500.
Vendem-se pagaj de madapolao com ti jarda,
sendo muito fino, pelo baratissimo prego de 3*500,
dito mo to largo e encotpado a 4*000 : na loja e
armazem do pavio, rua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
C'nrpinhns pretos.
Vendm-se bonitos cerpinhos 4a irosdenaple
prelos, sendo ricamenleaU eofeiados, a 10* : oa,
loja e armazem do pavao, roa da Imperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
aPara nnlvaa.
Vendem-se ricos cortes de seda branca lavrada,
viudo cala nm armado no sea caNao, com a com-
petente palma e capella : na loja e armazem do
pavo, rua da Imperatriz o, 60, de Gama &
Silva.
Chitas rxas a 240 rs. o eovado.
Vendem-se fiuissimas chitas roas do Russell,
sendo fazeuda muito encorpada e cores fias pelo
baratissimo prego de 240 rs o eovado ou a 9*000
a peca, isto por terem um levo toque de mofo po-
rm atiaoga-se que logo que se laven o mofe sola
e seria fazenda para muito mais dioheiro se nao
fosse esse diminuto defpito : isto na loja j arma-
zem do Pavao na rua da Imperatriz n. 60-, de Ga-
ma t Silva.
Granad tac
Chegaram as mai bonitas las granadines com
os mais lindos padroee de listras seado nm teciio
lastrozo que parece seda o mais moderno qae este
aono tem vindo para vestidos e vendem se por
prego mullo barato : nicamente na loja e arma-
zem de Pavo na rua da imperatriz n. 60, de Ga-
ma 4 Silva.
Pahtots baratos.
Vendem-se paletots de pap.no prelo boa fazenda
pelo baratissimo prego de *, ditos sobrecasacos a
la; calcas de casemira de cor a 6* e 7, grande
sortimento de colletes por pregos baratos e nm
grande sortimeoto de todas as qualidades de roupa
tanto de casemira como de brim e vendem-se mui-
to em coala na loja e armazem 4o Pavao na rua
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chales de renda a 4000.
Vendem-se os mais modernos chales de renda *3 *e afosto do anno correte, o eseravu mulatf-
pretos pelo barato prego de 4*000 : na loja e ar-'nn0 <* **m Rvnttti4o, idade 18 aeers poada-
mMem do pavio, roa da ImpereiNz n. 60, de Gama (maiaoammws, carpa regalar, p* on mo, ca-
i silva. i bellllS castados aparados, levou c- uu' JW fa.enda para veMi^:^1^^^'^&^^S
Gama i Silva receberam pelo ultimo vapor as j de rada qtmaroii paria 4a posta d-j d^do: qoem
mais modernos tecidos que ltimamente se usara der noticia ou apprahe&de lo leve-o a ( da roa
na Europa como sejaro laslnhas eoro os mais de- do Imperadora, 32, a sea senhor Antonio Maria
licadOB padr&ea Iletrados *om seda e sem ella, len- de Aratojo, sonde asrste, oo a rua da Praa n 43
do toda esta faienda om lastro que brilha igoal- taberna de Genuino Jos da Rosa qne eratifleari
mate como seda e vendem-se per prego muito, com generosidade, e roga se as autoridades do cen-
SSSS^^SSf!!^n0M *,S*|^*' '! ^ sobredito es
No da 2 de agosto do correte anno, fogio do
poder do aba izo assignado, a sua escrava crinla
de oome Agostlnha, qoe a pouco a ha va compra-
do a viuva de Jaeinlho Affonso Botelho, moradora
no sitio da ^apucaia de Beberibe, a qual lem os
signaos seguiDles: altpra regular, um pouco ebeia
do corpo, cahega um pouco chala, testa bem sa-
Jieote, com urna cicatriz em uro dos lados da eabe-
ga, com um panno n rosto, peilos grandes e per-
oas finas, suppdem se ter sido sedu7ida por um
i-relo que foi parceiro delta, de nom- Ti ijano, qoe
i taivez a lenha acoutado pelos subuibios da povoi-
cao cima dita, e per Isso o aballo assignado des-
de ja proiesta ha ver todos os dias de servig e mais
dannos causados com a ausencia da r.frnda esera-
va, da pessoa que a tiver acontado : e roga as au-
toridades policiaes e capiles de camp<> a appre-
henso da mesma, qne gene-osameut gratiitcara'
nao s a quem a irnxer, como a quem der noticia
certa do logar.em que a referida escrava >e achar
podendo duigiremse para tal flm a i ua da Maa-
gueira-o. 18.
M Eulalio Rodrigues dos Santos.
''Fugio, no dia 30 de agosto, do ,utai Gequi
nm e.-eravo pardo por Dome ABtonio, com os naasegmntes-aHU'a regular, serco do corno tem
um dent. nebraAo na frente e os out.os nmados,
tem ama [enda. no dedo grande do pe", ,m virtud
de urna topad* qoe deo ; levoo vesimo caiga e ja-
pona ; o mesmo eseravo torteo om cav; Un. qne
lenou em sua cetnpuiMa, o qnai u.m os sigoaes
segin|es-e ca*tanho-*eHnelho, lem as quatro ps
eaigidos de branco, e um.a estr-lla na lesta, crina
cabida e brinco na orelha ; o cavalto levou canga-
Mia : qoem pegar o eseravo a o oavallo fari favor
dH-igir-se a' rua do Qualmado o. 48, loja de Ma-
noel Ribelro de Carvaiho, que sera recompensado.
"Desapparecido"
Contina aoseni.-da casa de seo senhor desda



s
Diarlo le fernambueo sexta felra de Setenbro de 1863.
LITTERATRA.
"os escriptos em latim, porqoe ella creeu para
si ama linguagem em relago com a forma gao-
---- mtrica que tem adoptado ; mas quando se
A phllosopllia Chrlstfia, R. P. O. J6 Jtt D0S" pbMosephlca e qne se o
loaqilllll Ventura deRanlica fa) como DSdre Ventara, era estylo oratorh,
antlgo geral da ordem d8 as rBai das vexes magnifico, porque uo empre
theatlaoa, examinador dos gar 0J ,ermos l5 precisos desta linguagem todas
prelados e do clero romano, as ,9zes 1Qe 9lla "W-'o forneee? Nao me admira-
etc., etc., etc. ria se defeit0 qae ac,b0 de asslgnalar fosse of-
Esta obra to ootml nao s6 pela illastracao [enslvo ao livro do Padre Ventara e fatigase mui-
danoelle que a escreveu, romo pelas alus doulri- '* lellore8 nas Peos alias ponco numerosas,
as qae expoe, devia ser apreciada multas veres. en
alim de se pateotear convofiieolemenle o sea m-
rito; mas soa r lo a analysar, de urna s.
ver. semelhante frita : i onde a scieocia philoso-
phica se aprsenla tora unta auiplido e com dela-
Ibos to ricos e.wri
O primeiro titulo que deve chamar aattenc.au do
leitor para esta ob. a, ser ella, j tivemos occa-
sio de o dizer, o rebultado dos estados theologicos
e philosophlcos do padre Ventara, o fructo das
polmicas que elle sustentou : ora aquellss estado
teem sido os de saa vida nteira, estas polmicas
levaram n'o a tratar alternadarnente^das mais gra-
ve- questods; e sbese com qae ardor elle estuda-
va, cooi que clareza discuta, cora que inteliigencia
profundava as queslSes. Prtanlo bastara o nico
nome do autor para dar a tal obra urna grande
importancia.
L"m ontro ti'nlo, sao as doatrlnas qae o autor
tem reproducido e desenvolvido no sen livro
De nenham modo o padre Ventara tinlia a pre-
tencioso inventar philosopliia: elle provara fre-
quentemente o ridiculo e a fatilidade desta preten
gao para tentar por saa vez esta perigosa aventa-
ra. Humera serio, s amando o que solido e
duravl, liaba por consegainte em sabida estima a
tradiccaoe o bora seoso que Ihe inseparavel: se-
gua, pois, as doatrinas elaboradas, professadas
durante longos seculos as grandes escolas catholi-
cas, e estas doutrinas, em que era profunde, fa.
ziam a base de todas as suas licSes. Nao qae
elle excluisse o progresso : pelo contrario, dedica-
va-lbe todos os seas votos, a elle applicou-se com
iocontestaveis resaltados; mas quera, cora alguma
razo, que tal progresso fosse a evolucao dos prin-
cipios fundamentaos elucidados por nossos pa
dres. Estes principios erara por elle encara-
dos como um capital pbilosophico qae somos cha-
mados a fazer valer em novas elaborares; e nisto
era elle el a le que preside a todo o desenvolv-
mente legitimo.
Portanto, seu tratado de pbilosophia cbrista
ama exposigo das doatrinas philosophicas prepa-
radas de ama maneira mais oo menos directa pelos
padres da igreja, syntheticamente por S. Tbomaz, e
explicadas, entinadas a mais de seiscentos annos
as cadeiras calholicas.
Por conseguale, a exacta e sabia reprodncgao
desta grande indcelo scientiQca qae nos da o pa-
dre Ventara, merece no mais alto grao o respeito
de todos, o estado applicado que della deve fazer o
ebristo intelligente e mesmo todo aqaelle a qaem
verdadeiramente interessam as manifeslagSes da
sciencia nesto mundo-
Mas antes de nos occaparraos cem graves doatrl-
nas, expostas pelo padre Ventura, nos desembara-
cemos depressa de algumas observacoes acerca de
certos defeitos de forma e de estylo que nos propo
mos a assignalar em saa obra. Sera duvida, o
estylo geralmente muito notavel; claro, preciso,
cheio de raoviraento e de vida; ha innmeras pagi-
nas onde a linguagem philosophica attinge a saa
perfeigo, e nao creio que tenhamos em nossa lin-
gua ura tratado de pbilosophia que se faga ler com
mais attractivo e felicidade; cada discussao se de-
senvoive com urna lgica luminosa e cerrada ; as
materias mais abstractas, as differenqas doutrinaes
yais subtis, realcam sob a penna do autor e se
fazem fcilmente comprehender. Mas nesta
exposigo to bella ha dofeitos, segando a mi-
nha opinio, defeitos ponco importantes,
verdade, e que terla sido muito fcil ao autor fazer
desapparecerem, se a morte Ihe tivesse dado
tempo.
E logo, sob a influencia de presentimentos que
Ihe faziam temer essa morte cajos golpes ] senta,
elle tomou a resolucao de mandar imprimir o sea
livro a proporgo que c escrevia. Portanto, nao
pode passar-lhe urna s vez a vista depois de t-la
escripto, avaliar suas proporcoes e dotar as diver-
sas partes da saa obra com os aperfeicoamenlos
necessarias. Resultou disto que no flm da ira
presso elle conhecea que os prembulos do seu
tratado nao tinham sido sufflcleotemente desenvol-
vidos 9 qne era preciso addicionar a obra nm tra-
b-lha supplemeotar, cojo lagar natural era no co-
rneo do livro. Ora, esta mudanga, bem qae nada
tire ao mrito do tratado, nao deixa de offender a
harmona do todo.
Mas o que rae parece muito mais grave, a fr'
ma violenta, a qae o padre Ventura se entrega em
sua polmica. J indicamos, em om artigo
precdente, as circunstancias attenuantes
que Ihe fazem merecer indulgencia; todava,
era com catholicos que elle discuta, catholicos
cojos talentos louvou muitas vezes e que teem pres-
tado servidos a causa da igreja. Qualquer qae
fosse a saa convlcgo sobre o qae cbamava seas
erros philosopbicos, quaesquer que fossem as io-
iu-ticas de que os cria culpados para com as doa
trinas qae professava, teria sido muito mais digno
de um verdadero sabio tomar nestas diseussoes
doutrinaes, o tora de grave moderacao : sua pala-
vra teria sido mais aotorisada, elle melhor acolhi-
do dos seas adversaras, e, na verdade, a paz se
faria mais profundamente e depressa.
Pelo contrario, padre Ventara, abasando da
saa energa, dos recursos da sua sabedoria e da
saa dialctica, precipita-se como om leo sobre
seas contradictores; despedaca suas paginas com
violencia, d gritos de triumpbo a algumas vezes
nao llies poupa o sarcasmo, quasi a injuria.
em que elle
deixa este defeito ; chega mesmo a dzer qpj na-
da ha mais elegante que a llnnuagem escolstica
ll quai elle a traduziu. Na verdade, encanta-
dora exageracao.
Eo teria anda a assignalar um antro defeito no
estylo do padre Ventara : a saa propensio a se
deixar cahir muitas e repetidas vezes em formas
de lioguagem como esta : O christo sabio e a
sabio christo ; ou"? Os grandes ares da gra-
vidade da sciencia a da sciencia da gravidade. >
Paraca que os Italianos flcam encantados com esta
raanerra de fallar ; mas, para nos, Francezes,
quando ella absolutamente nada accrescenta ao
sentido, nao vemos seno ura jogo. de palavras
muito pueril.
Agera qae francamente tenho dito o qae me pa-
recen defeituoso oa obra do padre Ventura sob a
relago da forma, cora igual sincaridade qae
vou estudar nesta raesma obra a doutrina exposta
pelo auler. Nesta parte, soa feliz por nao ter
quasi a discernir seno elogios, propondome to-
dava a fazer guardar opportoameote, sobre est
doutrina, as reservas qae julgar necessarias.
Mas antes de entrar na appreciago das diver-
sas partes deste tratado de philasophia cbrista,
neeessario lanqar um golpe de vista aolytico e
summario sobre esta obra consideravel, cajo de-
senvolvimento forma tres volumes in 8. de mais
de mil e quatrocentas paginas muito compactas.
Sera nos adstriogirmos a seguir a ordem esta-
belecida pelo autor, ordem que elle proprio fol
obrigado a modificar do lira do sea livro, diremos
qae a obra divide-se naturalmente em tres partes.
A primeira trata das origeas da pbilosophia
cbrista, e o padre Ventura grupa-as ao redor de
dous boinens : Santo Agostinbo, resnmindo os pa-
dres ; S. Thomaz, resumDdo os doutores da igre-
ja. Portanto elle estada profundamente estes dous
grandes escriptores no ponto de vista das tradic-
coes da philosopbia cbrista.
A segunda parte trata'da lgica, qae o padre
Ventura chama prembulos da philosepla ; as di-
versas questoes sobre a verdade, o natural e o
sobrenatural, a certeza, o dogmatismo, o seno
commum, o methodo, o raciocinio, a verdadeira a
falsi philosophia ; sao disentidas e resolvidas pelo
autor.
superiores. Deve-se ler, no proprlo autor, a mag-
nifica exegese qae elle faz dos textos sagrados so-
bre a sciencia do primeiro hornera, fonte divina da
sciencia tradicional do genero humauo. O homem,
pois, glorificado em saa origem, posto no la-
gar qae Ihe compete, e a sciencia humana, provu-
do de Deas, repousando sobre o absoluto, acaba
no esplritualismo e produz lgicamente a certeza
absoluta.
so pertencem a S. Thomaz: cjm effelto, este Doa-, No primeiro d'estes sitios, istO na Val-
tor muito nis original do qae a sua modestia 4ellina, os austracos no principio da campa-
nao o quer f*zer acreditar. Na sua abra pailoso.
A terceira parte, muito mais extensa, trata da
anthropologia ou da sciencia do homem, qae o pa-
dre Ventura encara como o objecto proprio da phi-
losophia. Elle aprofunda as quest5es qae dizem
respeito aos corpos em geral e ao corpo humano
em particular; estabelece a existencia da alma,
seu modo de unio com o corpo do qual a for-
ma substancial, sua Immortalidade e todas as cu-
tras prerogatvas; emfim, elle estuda muito am-
plamente as doas grandes faculdades 'alma ; a
inteliigencia e a vontade. E' ento qne desenvol-
ve a theoria da idea e qae demonstra a liberdade
moral com todas as consequencias qne della dima-
nara.
V-se que este plano, onde se achara inclBidos
jppendices asss numerosos e impnrtantissimos,
vasto, pois que abraca todas as qoestSes qae for-
mara o dominio especial da philosophia propia-
mente dita. E mesmo, sobre este terreno exclu-
sivamente reservado a philosophia, o autor sabe
de tal sorte fecundar, ampliar saa materia, qae,
por vistas langadas freqnentemente sobre o trdo
dos conhecimpntos scentifices, derrama immensa
clareza por meio da qual elle faz ver a cada ins-
tante a unidade que prende todas as cousas
doctrina qne expSe. Portanto o leitor est s lar-
ga?, habita um mundo philosophico que toma suas
verdadeiras dlmenses, e nao conhego nenhoma
obra moderna em que a philosopbia seja eBsinada
de nma maneira t5o completa. Vou prova-lo, es-
tudaudo, infelizmente com muita rapidez, as di-
versas parles deste notavel tratado.
I
ORtGENS DA PHILOSOPHIA CHBISTAA.
O carcter essenrial da verdade ser co eterna
com Dos e contempornea de todas as suas
obras. Portanto, a antiguidade, quando se toma
esta palavra na sua accepelo mais elevada, o
signal certo do verdadero, asslm como a novida-
de o signal infallvel do erro. E' esta doutrina,
npr>'icada sciencia philosophica, que o padre
Ventura desenvolve com graDde profnndeza no
seu prefacio, que, dest'arte. torna-se urna Impor-
tante introdnegao a seu trabalho sobre as orlgeos
da philosopbia chrisia, ou que elle a considere
no nascimento da humanidade, ou que a estude
no desenvolvimento que ella tomou sob a influen-
cia do ensiao catbolico.
phlc, sente-s por toda a parteo homem que tlnha-
s aproprlado das santas eacriptoras, de S. Dmiz o
Areopagita, da Santo Agostinho,e qne raeditava as
questSes ao p da cruz. A loz e a eiva christ
circulam nesta phlllosophia qae reveste admiravel-
mente o dogma catholico, ad tpla-se sna natureza
Depois de ter dado assra a' philosophia, na re- <0ra m nnbre ve,tn*rl0- e. flm verdade. nao si
velagao primitiva naturalmente conservada entre os' l',ode Pretflnder. em absurdo, que su vestuario
homens, sobrenalnralmente reproduzida a engran-ilao perfeit0,8ntia *'d d'ante rao talhado por uro
decida pelas revelagSes posteriores, completa pelo' ''*'
Evangelho e especialmente condensada pelos es- Finalmente o padre Ventura faz patente a gran-
criptos de S. Paulo ; a verdadeira fonte tradicelo- deza, a Impartancla da escolstica, da qual, eora
nal dos conhecimentos superiores, o padre Venta- niao de mestre, traga a historia abreviada. Elle
ra escolheu dous homens qae resumem a seus no-la mostra ensalando-se a principio de mil ma-
olbos o desenvolvimento philosophico prodoildo na neiras, dlvidindo-se em seitas sabtis. depois recon-
Talvez qae ara certo numero de leitores Ibe per-
doaro fcilmente esta vavacidade de lingua-
gem : porque, deve-se convlr, ella anima as dis-
casoes fras, faz sentir o arder de conviccio de
que est possnido o escriptor, e freqoentemente
'raz o riso aos labios, no-lo mostrando em toda a
iogenuidade de sua colera contra o que elle er e
demonstra serum erro; mas acbo este toro de
controversia pouco em harmona com a gravidade
das materias philosopbicas e sobretudo pouco pro-
prio para produzir aquillo que deve ser o Qaa de
E logo, se trata-se da origem primaria da scien-
cia philosophica, o autor faz notar que duas ori-
gens absolutamente oppostas sao assgnadas phi-
lasophia : urna afflrmada pelos christSos, outra
proposta pelos racionalistas consequentes.
Segundo estes ltimos, o homem tem seu prin-
cipio des mais baixos graos dos seres organisa-
dos ; vem do molusco em lraha recta, menos nao aeno urna especie de macaco aper-
feigoado. Por consegrante, para estes, o homem
criouse a si mesmo e todo quanto possue de In-
teliigencia deve sua iniciativa. E' elle qaem
mventoa a linguagem e a lgica ; Deas e a or-
dem religiosa ; a virlude e a ordem moral; a lei
e a ordem social; o bello e todas as arles ; o oth
e todas as sciencias positivas ; a immortalidade e
todo o futuro ultramundano. Desde ento elle
sua regra, sua certeza, seu absoluto, sea Deus ; e
sua razo deve dominar ludo. Esta doutrina
lgica : porque lgicamente o racionalismo, para
ludo dar espontaneidade da razao individual de-
ve abater a erigem do homem e comeyar por col-
loca-lo ao nivel do b ruto.
igreja : ja' dlssemos quem eram estes dous ho-
mens, Santo Agostinho e S. Thomaz.
O estudo especial que o autor consagra a cada
ura delles, bem que segundo a minha opinio as
polmicas de momento ahi oceupem muito lagar,
distingue se por urna erudigo que multo confia
em si e por um notabilissimo conhecimento das
doutrinas que collocam estes grandes santos Da
frente dos mait llustres pbilosopbos.
Santo Agostinbo, apaixooado pela philosophia an-
tes da sua cooverso, e dolado de um genio ex-
traordinario, que conceba todas as cousas com orna
araplido e sublileza extremas, era eminentemente
proprlo para fazer reverberar o que a santa Escrip-
tura cootm de luzes philosophicas, o que os pa-
dres tinham explicado nesta ordem de ideas. Mas
o padre Ventura tem razo quando sustenta que
Santo Agostinho jamis adoptou urna escola de phi-
losopbia para se fazer della discpulo. Elle linha
uma tendencia platnica, porm mais por saa ma-
neira de especular do qae pelo fando das cousas :
porque um fado sabido, qae elle refuta e repel-
le a Plato sobie as qoestSes fundamentaos que
caractensara ama doutrina philosophica.
O padre Ventura tem ainda razo qaando afflr-
ma qae Santo Agostinho jamis se preoecupou de
formular um systema de philophia.
A' meaiaa que, diz o autor, a occasio se Ihe of-
ferecia, e a proporgo qhe a natureza de suas dis-
patas, a qualidade dos seas adversarios parecam
exigi-lo, Santo Agostinbo fez, alternadamente, uso
do raciocinio huraano oa da autoridad divina dos
livros inspirados, e se mostron grande theologo.
grande controversista e grande philosopho ; mas.
repetimo-lo, elle nao tracoa methodo para conda-
zir o espirito dos oatros e menores alada para con
dozir seu proprio espirito ao conhecimento da ver-
dade. Elle .nao compoz philosophia propiamente
dita.
Santo Agostinbo possuia do mais alto grao o ge-
nio philosophico : sobre todas as questoes, elle
langa brilhantes luzes, vive na unidade scientifica,
na analoga das eousas ; de todas as partes rece-
be os dados intellectuaes, e estes dados tomara na
sua Inteliigencia como na sua palavra um lumino-
so brilho. E' ura espirito superior, cuja sociedade
muito aproveta ao philosopho christo para elva-
lo a' altura da especulago, fornecer-lhe innmeros
materiaes de explicagdes. Todava, nao ha nelle
methodo, syothese philosophica regulares, e elle
jamis se propoz a nada escrever que fosse um tra'
tado sobre estas materias. Dotado de nm raro bom
seoso, de oeohuma sorie exclusivo, tira donde
bem Ihe parece e toroar-se assim um modelo a
seguir para lodos aquellos que qaerera car era
grande liberdade, sem deixarem de ser os disc-
pulos doceis nao s da revelago como do senso
commum. Homem siraplisslmo, islo muito gran-
de, jamis se podera' contero seu genio livre as
estreitezas de nma formula incompleta e parcial.
Assim a apreciago do padre Ventura me parece
exacta, e seu estado sobre Santo Agostinho digno
da mais seria atteoco-
S. Tbomaz se aprsenla depois ao padre Ventu-
ra como um dos mais perfeltos representantes da
philosopbia cbrista. O estudo que nos d sobre o
santo doulor, merece a nossa atteng >, admiravel
de lncidez e de sciencia. E' preciso te lo lido para
se fazer uma jasta idea do que S. Thomaz, e este
trabalho, a rr.eus olbos, uma introduego neces-
saria a' leilura do doulcr anglico.
Com effeito, antes de analysar S. Thomaz, nao
se deve perguntar a si : qual a sua autoridade
na igreja ? ura philosopho ? sna philosophia lera
uma verdadeira originalidade chrisia, ou nao
seno a reprodncgao da philosophia de Aristteles T
que tem sido a escolstica na idade media, e deve
ella ser tida em alta estima t Qnestes graves,
muitas das quaes anda sao suscitadas nos dossos
das com encarnigamento. Ora, julgo que o padre
Ventura as resolveu de un. a maneira pereraptoria,
e ninguem era mais capaz de as resolver : porque
elle praticara a escolstica, e sobretudo S. Thomaz,
objecto principal dos seus prolongados trabalbos.
Ficamos a principio admirados qaando lemos,
no autor, os testemunhos de venerago que a Igre-
ja conferlo ao Doulor aogelico e a' sua doutrina, e
tomos obrigados a concluir deste modo com o pa-
dre Ventura :
duzida ao bom senso, principalmente por S. Tho.
maz, coja alta doutrina concilia as diversas esco.
Iis, produz uma irresistivel correte de ideas e d
movimeoto ao espirito publico em todas as univer.
sidades. File nos mostra a solide/, a profoodeza,
a severa regularidade desta escolstica, que d ori-
gem as graodes maolIestagSes do espirito chrhtao
no dcimo quioto, dcimo sexto e dcimo sptimo
secuto, e que forma os mais poderosos genios do
taondo. Na verdade, o Dante, Bellarraino, na lia.
lia; Suarez, Vasquez, na Hdspanba; Bo>suet, Huet
Pascal, Fenelon, Bourdaloue, na Franca, e tantos
ooiras de lodos os oaizes, tem sido iootrn'dos por
ella. Por -consegrante, a escolastiga ha sido a 'es-
cola austera onde se desenvolvern! os mais noores
euplritos desses grandes seculos, a, como a mal dos
Gracehes, mostrando seus fllhos pode impor silen-
cio a seus inimigos.
Pode igualmente vingar-se, segundo o padre
Ventara, mostrando a que estado chegaram a theo-
g apellida do ensioo publico para ser substituida
pelos caprichos do ensino cartesiano ou raciona-
lista.
(Coniinuar-seha.)
Qne tal seja a doutrina do racionalismo, o padre
Ventura o demosstra passando era revista as ph-
losopbias raciooalistas, as qnaes todas, na aotigui-
dade como dos lempos modernos, na Grecia em
Roma, assim como na Europa do seculo dezenove
principios que nos sao commuos.
Censurarai anda ao padre Ventara o affectar
elle systematicameoteo empregodepalavrasescolas-
ticas apenas traduzidas e algumas vazes ininte|||-
giveis. Nao vejo o que ganba ama tbese pbilose-
phica em ser enbaragadas con palavras qae fazem
rara- o leitor, quando estas palavras leem em nassa
lingua as suas equivalentes. Porque nos fallar em
pfon/aia,quando temos a palavra itnagttuigaor por
que nos fallar etn',etpecies, quando temos a palavra
imageml porque nao traduzir em bom fraocez, bem
iDtelligivel para lodo o mundo, a terminologa
escolstica que empregada cruanjente, e apenas
afrancezaa, sa mal a at mesmo offereee mollas
vezes um sentido opposto aquello que se quer
exprimir.
sao assigoam nm oatro principio a' humanidade.
Ccera e M. Cousin, o primeiro representando o
racicoalismo aoligo, o segundo o racionalismo con-
temporneo, referem da mesma maneira a brute-
za do homem primitivo, e sem inquletarem-se por
offeoderem deste modo Iodos os seollmenios de
dignidade humana, (odas as tradigfes da humani-
dade, tragam o caminbo que deve conduzir ao na-
uralismo, e por conseguate, ao scepticlsmo ab-
soluto.
Os chrlstlos, ao contrario, diz o padre Ventura
consequentes com a sua doutrina, que faz do uni-
verso ama erradiago do Verbo creador oa ordem
contingente, assignam ao homem uma origem dig-
na delle ; no-lo mostrara, segundo a revelago mo-
saica e as tradieges universaes, sahlndo das mos
Acceit a l/Dgnagem da escolstica no seas II-i de Deas e dotado de ama parfeigao, de ama laz
< Ha seis scalos, que oa igreja a philosophia
deste sublime Doutor tem sido considerada, tanto
quanto a saa tbeologla, como a pedra de loque do
verdadero em ambas as sciencias... Nenham sa-
bio no mando gozou jamis, como philosopho e
como theologo, de autoridade maior, mais constan-
te, mais iocoDtestavel e incontestada. >
Depois o padre Ventura mostra que S. Thomaz
tem uma philosophia completa sobre todas as
questoes importantes e notavelraenle sobre decisi-
va questo da idea oa da concepgo intelectual.
Elle prova qae esta pbilosophia nao lomada de
neobum philosopho qae possa ser considerauo co-
mo mestre de S. Tbomaz. Este grande doutor nao
discpulo de nenhum homem, discfpuls de Chris-
to e da tradlcgo calholica. E' certo qae elle nao
repelle aenhama verdade, de qualquer parte que
Ibe venba, e que aceita voluntariamente todas as
luzes cem perfeila modestia. Mas sua luz supsrior,
a luz do verbo encarnado, que possuia com tanta
plenitude, tendo feito das santas escriptoras, prin-
cipalmente do Evangelho, um estado profundo. A
esta laz elle julga todas as cousas : sonda os roys
terlos da natureza humana e da creago, langa so-
bre elles seu olhar to calmo, to penetrante, e da'
solugdes que sao sempre vi.-ivelraenle inspiradas
pelo ensino christo.
Se emprega a lgica de Arisioleles e saa lingua-
gem, se serve de suas formulas, se toma empresta-
do theorias, que nessa poca Arisloleles reinava
as escolas a qne sua linguagem maravilbesa
pela preciso. Em summa, este philosopho, do
mel dos seus erros fundamentis sobre Deas, so-
bre a creago e sem oniros objectos, tam constan,
temente enunciado admiraveis verdades, bebidas
nesse fondo de tradicgdes universaes que elle es-
lava to habilitado a comprehender e exprimir. S.
Tbomaz, tomando o qaa Aristteles tinba de chris-
to, explicando de ama maneira christ o qne elle
tinba escripto de obscuro, refutando o qae era aote-
christo, fez ama obra scientifica e ntil. Mas nelle*
Aristteles eslava radicalmente modado ; torna-se
discpulo de Christo, e a pbilosophia do Doutor an-
glico, onde o arislotelismo nao mais do que rima
forma muito apparente, em realidade ama ver-
delra philosophia christi, caja coneepgSo e synthe-
IIM POUCO E TUOO.
Eutre as numerosas. e graves questoes
quen'este momento salrpacificamente de-
batidas sombra do armisticio, aquella que
diz respeito occupac3o o a cessao do Tyrol
italiano n5o das menos interessantes, se
seattender importa:cia d'esta regiao,sob
o ponto de vista da defeza natural da penn-
sula italiana, e insistencia da Italia em re-
vmdic t a posse da mesma.
Cabe por tanto aqui examinar agora qual
o estado das cousas no Tyrol, e avahar
os ltimos successos militares all occorridos.
Lancando-se um rpido olnar sobre um
mappa da cordilbeira dos Alpes, v-se logo
qae o Tyrol italiano forma enira a bombar-
diaea Venecia ura pontal mu saliente, que
separa profundamente uma da outra, eslas
duas provincias. Este triangulo, de uma
iecontestavel importancia estratgica, cor-
tado pela grande estrada que, passando atra-
vzdD outeiro de Brenner, nos Alpes rhe-
ticos, segu descendo por Bolzano ou Botzen
Neumark, Laris e Trento, em direceo a
Verona. E' n'utna palavra, o celebre valle
do Adigio, passagera perigosa, que tantas
vezes conduzio os alemSes alta Italia. Em
vista d'isso, fcilmente se expltcam os esfor-
cos feitos pelo exercito italiano psra pene-
trar n'essa provincia, e os que n'este mo-
mento est fazendo o governo de Vctor Em-
manoel para arrancar Austria una to
preciosa concesso. Infelizmente o armis-
ticio fez suspender a marcha das tropas ita-
lianas, que apenas distavam poucas leguas
de Trento. E' certo que a posse d'essa
capital houvera sido um argumento de algum
valor em apoio das pretences da Italia.
nha oceupavam no outeiro de Stelvio uma
excelleote posicSo ; senhores de Bormio, ti-
nham avancado at Leprese, segurado a cor-
rente do Adda; porm em 12 de julho as
columnas mobilisadas da guarda nacional,
unidas aos voluntarios com candados pelo
coronel Guicciardi, deputado, repelliram o
estabeleclraenic de Pietrarsa, onde o trabalho era
permanente de da e de noite.
Quasi tojo quanto tinhamos de (ropa parti
para o theatro da gaerra, e a poaca que ainda
existe deve estar orompta. A guarda sufflcien-
le para manter a ordem que, todava, ninguem
qaer ameagar. Os reaccionarios parece eslarem
desanimados; os proprios gnerrllbas sentem-se
enfraquecer, o que para admirar.
A Terra de Labor disto ura exeraplo ; fo-
ram os proprios habitantes que fizeram o servigo
inimigo depois de um combate que durou o de Plcia e vem -miliar a tropa, a ultima
diainteiro,retomaram Bormio e at mesmo'f""rllhnaq"eal,i havu de'e ter passado a fron-
.. i > le,ra- cler0 conserva sempre os mesraos senti-
se apoderaram da primeira caniomera do ,, raas a pequea fraego liberal que contera
monte Stelvio. Depois d'sso S recebemos nao se cauga de orar e cantar pela victoria das
d'este lado a noticia de um combate travado I nosss aru)as-
__u,. ... ,._,.. temos por estes das as elelcSes mnnlclpaes.
em23deju.no, e cujo resltalo arada se Dovjdo muito que, no esi.do acua. dos espiLs,
nao sabe. se ibes preste a menor atleng Nl segunda lOCalidade, Jia fralda de Tona- bo tomar iniertsse em duas cousas ao mesmo
le, na entrada do valle Caraonica, os aus~- tempo.
triacos tendo chegado at Vezza, a uma dis-
tancia de poucos kilmetros de Edolo, se-
gaindo a corrente do Oglio, foram detidos
A Gazeta oflciai do reino da Italia publicou os
seguiutes decretos :
Eugenio, principe de Saboya Carignano, etc.
Artigo l. Publica se e -lera torga de lei, as
pela euergtca resistencia de um batalhao de provincias venezianas, a le de 2t de abril de
bersagleri e do regiment de voluntarios 1861, n. 1, dos acios do goveroo do reoo da Ita-
Coube aos voluntarios a misssao de pene-
traren! no Tyrol. Porm as defezas natu-
raes d'esta regia) e a resistencia do inimi-
go, fizeram bem depressa rentir a necessi-
dade de reforcar estas tropas valorosas, mas
inexperientes, com dous batalhes de ber-
sagleri ; fo at mesmo neeessario enviar
mais um batalhao depois do revez de Gari-
baidiem Monte-Suelo, e, por ultimo, foi
mister empregar uma divisao de um dos
quatro corpos de/xercito collocados sob o
commando do general Gialdini, a divis5o
Modici, para se alcaocar um triumpho no
Tyrol.
Segundo parece, o plano do general Ga-
ribaldi consisiia em chamar a atlenc5o do ini-
migo sobre varios pontos da tronteira do
Tyrol, e enfraquece-lo obriganio-o a guar-
necer uma extensa linha de defeza, que os
voluntarios teotaram forcar em tres pontos
pelos colos do Stelvio, de Tonale e pelo val-
le banhado pelo rio Chiese.
Nos ltimos dias do mez de junho em 23
os batalhSes de voluntarios, sahindo de Co-
mo, seu quartel-general, marcharam pela>
tres estradas que do lado de oeste commu-
nicam com o Tyrol. A primeira, que fica
ao norte do lago de Como, por Sondrio e
Bormio, confina com o onteiro do Stelvio, o
qual se estende pelo valle d-s Tra.oi at
Cliinis, no valle do Adigio. E' a estrada
principal da Valtelina, ou do valle do Adda
superior. A segunda, que menos impor-
tante, remonta a corrente do Oglio, ao nor-
te do lago Ieo, seguindo pelo valle Camo-
nica, e confina com o outeiro de Tonale,
alm do qual se entra pelo valle de Sulzberg
e pelo rio Nos, na baca o Adigio, que o
caminho de B jlzen para Trento. Finalmen-
te, a terceira remonta o valle do Chiese, ao
norte 'do lago Idro ; as alturas de Ti.-ne,
na embocadura do valle de Bendena, volta
sbitamente p%a leste e conduz a Trento por
Ragoli, Doblino e Vezzano; porm entre o
laga Idro e Tione, alm do burgo de Stors,
ella destaea um pequeo ramal, que por
Ampola, Bececca e pelo valle de Ledro, con-
duj; directamente a Riva, que fica na extre-
midade septentrional do lago de Gardi.
Garibaldi escolheu este caminho secundario.
Tal em poucas palavras o theatro das
operaces que foram recentemente levadas
a effeito no Tyrol.
commandado porCadolini. Tanto aq: i co-
mo no Stelvio, os austracos manincain-se
as suas primitivas posices ; porm na ter-
ceira lecalidade, no valle do Chiese, onde
operava Garibaldi, a luta foi mais longa e
renhda, e assignalada por alternativas de
vantagens e revezes,
Em Ponte-di-Caffiro e em Lodron (23 e
24 de junho) os austracos defetideram-se
bem; em Monte-Suelo (3 de julho) Gari-
baldi repelalo e ferido, foi rechazado at
Anfo, e obrigado a mandar vir o 3o bata-
Iho de bersaglieri. S depois de onze dias
que pode retomar a offensiva, segnindo
pela estrada que cima indicamos. Ao pas-
so que elle mesmo sitava a fortaleza de
Ampola, que defende o ataesso a esta es-
trada do lado nordoste de Storo, um dos
seus ofliciaes, Nicotera, tomava positfo em
Condino, pequea aldea situada na orla da
estrada principal de Ponte-di-Caffaro a
Tione. para proteger o ataque do forte di-
rectamente ameacado por Garibaldi, e que
se rendeu em 18 de julho, depois de dous
dias de luta. Nicotera, atacado vigoro a-
mente desde o dia 16 em Condino, ahi se
havia sustentado o tempo preciso para favo-
recer o sitio de Ampola e a marcha de Ga-
ribaldi para Tiarno Bececca e Pieve-di-Ledro
a uma distancia d? 6 kilmetros de Biva.
Mas, no dia 21, um retrocesso offensivo dos
austracos veio comprometter estas primei-
ras vantagens. Por um lade o coronel
Montluisaut, a testa de tres batallifies, for-
maudo ama forca effectiva de 6,000 caca-
dores a p, transpoz a elevada montanha de
Pichea e tomou de assalto Pieve-di-Ledro
Bececca. N'este importante combate, o co-
ronel Montluisant fez um milhar de prisio-
neros, e assenhoreou-se do valle de Ledro.
Poroutro lado, um segundo deslacamento
austraco, commandado pelo general Kaim,
comprehendendo um parte da brigada d'es-
te general e a meia brigada do tenente-eo-
ronel Hoffern, penetrava na Giudicaria, e
d'alli expulsava o inimigo, o qual batia em
retirada para Condino. Depois d'isto os
voluntaras marcharam novamente para a
frente, na direccao de Lardaro, e apodera-
ram-se de Cimego.
Em resumo, nos tres pontos em que teve
lugar o ataque dos voluntarios, s n'este ul-
timo sitio que puderam forcar a fronteira
inimiga. Os austracos licaram senhores do
outeiro de Stelvio. que serve de porta ao
valle do Adda ; do outeiro de Tonale, en-
trada do valle de Oglio. Quanto ao valle
do Chiese, os garibaldinos, depois de have-
rem feito uma irupcao pela estrada de Riva
no valle de Ledro, foram repellidos para o
lado de Condino, e comidos na ve tente
occidental da cordilheira que separa a baca
do Sarcarda do Chiese.
lia, intitulada acto do governo, a qual concebi-
da nestes termos : *
Vietor Emmanael H, re de Italia.
O senado e a cmara dos deputados approva-
rara, e nos sanecionamos e promulgamos o se-
grate :
a Art. nico. Em lodos os acios que dimana-
rem do re, se adoptar a segnlnte formula :
t (O nome do re),
t Pela graga de Deus, e pela viriude da nago,
re de Italia,
.Ordenamos que a presente lei, sellada com o
sello do estado, seja inserida na legislago offlcial
dos actos do governo, mandando a quem de di-
reilo pe lencer que a observe e faga observar co-
mo lei do estado.
Tumi), ii de abril de 1861.
Vietor Etnmanuel.
i G. B. Cassints.
t Art. 2. Publica se e ter torga de lei as pro-
vincias veneiiaoas o art. 2. das disposigSes sobre
a publicago, ioterpretago e applicago das leis
era geral, que precedem o cdigo civil do reino da
Italia, cujo artigo concebido nestes termos :
Artigo l. As leis promulgadas pelo re tor.
nam-se obrigalorias em todo o reino, passados
quinze das da sua publicago, salvo qaando na
lei promulgada se adoptarem ouiras dlsposigSes.
' A publicago consiste na insergo da lei na
collecgo offlcial das leis e decretos, e no anaun-
cio dessa losergo feito na Gazeta Oficial do
reino.
t Art. 2. Todos os actos pblicos recebldos pe-
los notarios tero o segointe titulo :
S. M.el-rei de Italia, Vctor Emmaouel.
Art. o.* presente decreto ser posto em vi-
gor no dia seguate a sua publicago, e ser ap-
plicavel aos territorio* italianos qae at agora
teem estado snjeilos Austria, a proporgo que
forem libertados da oceupago eslrangeira, e de-
pois da sua publ.cidade, que lera lugar em cada
uraa das commuoas, debaixo da vigilancia dos
commssanos do re, segundo as regras em vigor.
t Ordenamos que o presente decreto, etc.
c Dado era Floreoga, a 19 de julho de 1856.
< Eugenio de Saboya.
F. Borgatti.
Eugenio, principe de Saboya Carignano, etc.
Art. nico. Tedos os funecionarios e emprega-
dos das provincias venezianas que tiverem segui-
do o exercito austraco, e que de qualquer oulra
maneira se tiverem afasiado da sna residencia
approximagao do exercito nacional, sao considera-
dos demittidos.
t Dado era Floreoga, 19 de jnlho de 1866.
Eugenio de Saboya.
< Ricasoli.
O general Garibaldi publicou a segointe pro-
clamago :
< Voluotarios itaiiaoos I
Passamos as frooleiras prohibidas pela diplo-
macia, mas que nao eram tragadas pela nalaresa.
Oecupando Trpnto, alada vos achaes uo solo ita-
liano. Perlencevos a consolagao de Ihe dar a li-
berdade, arrancando-o rapia do estrangeiro.
Mas para que esta elevada misso seja possivel,
necessaru saber laier grandes sacrificios ; e as-
sim o queris. Nem as loogas marchas almez
destes rochados, era as fadigas e privagoes pode-
ro enfraquecer a vossa ceragem invencivel. Os
que rae teem acompanhado, correndo ao appello
da patria, reuniraro, espero eo, com a firme ten-
gao nao s de corobater sem medo, mas de soffrer
sera lamemos. Os voluntarios devera ser um
exemplo.
.Nao ha pois necessidade que vos exhorte a
tratar com afleigo estes bons povos que a tyran-
0 revez sofrido por esta milicia explica | Da austraca nunca sonbe faier dobrar pela
ameaga, nem corromper pela seduego. acco-
Ihendo-vos to sympatbicamente, lestemunham o
ostiDClo de parentesco, e do o mais eloqueote
desmentido calumnia baixa e premeditada, com
que queriam por era duvida o vosso patriotismo.
Estou convencido de que nenhum de vos, es-
qaeceode a minha recommendago, qaerer offus-
car a honra italiana por mel de palavras e de
actos de brutalidade que estou resolvido a punir
luexoravelmeme.
Quarte-general de Storo, 14 de julho de 1866.
mui naturalmente a intervengo mais efficaz
da divisSo Medici. Nao nosso intento
descrever aqui a marcha offensiva do exer-
cito italiano na Venecia. Limitar-nos-hemos
a dizer que depois da oceupacao de Vicen-
cia (no valle de Bachigione) e de Bassano
(no valle do Brenta), a divisao Medici diri-
gio-se para a fronteira do Tyrol, remontan-
do a corrente d> Brenta.
Em 22 de julho, depois de um combate
que durou nove horas, ella tomou as posi-
ces que ligam Cismona e Pritnolano. Esta
victoria permittio-lhe transporem Pianello
os limites do Tyrol e de penetrar no valle
de Sugana, cujo centro marca a pequea
cidade de Borgo. Os austracos oceupavam
com grandes forjas esta posiejo, defendida
por bateras de foguetes e pecas de monta-
nha.
Em 23 de junho a divisao Medici iravava
em Borgo um combate encamisado, tomava
esta cidade de assaito, e persegua o inimigo
ate Levico, aldea situada no centro da
regio dos lagos d'onde emana o rio Brenta.
A resistencia dos austracos fez com que Me-
ici travasse n'este sitio um segundo comba-
te, egualmente bem succedido, que o levou
at Pergine, a uma distancia de 9 kilmetros
de Trento, eonde se estabdeceu em 25 de
julho. Porem ura ultimo combate fez rtcuar
os italianos para Vigolo, duas leguas para
o sul, e ameacava a posicSo da divisao Medi-
ci, no momento em que a noticia ao armis-
ticio chegou a tempo de suspender a sua mar-
cha.
De uma correspondencia de aples, enrabi-
aras o segrate :
t A noticia das operagSes militares do general
Claldioi foi accolhida com verdadeira expresso
de alegra. Dnvido seguramente que o governo,
se as coasas se tivessem passado de ontro modo,
houvesse podido resistir i corrente da opinio pu-
blica, sem nm grave perigo.
Viu-se com satisfago fretar o governo mallos
navios mercantes para o servigo militar, e fazer
importantes pedidos de objectos de artilbarla ao
, Jos Garibaldi. b
- i i-i 1111 i
E' da Semana Ilustrada.
= Qual dos criados do imperador o
mais nobre ?
O Netto dos Beis.
Qual o mais antigo ?
Velho da Silva.
Quaep os mais novos ?
Os mocos fidalgos.
Quaes os mais bem apessoados?
Os gentis-bomens.
Qual o que nao se presta a rima /
O aio porque nao tem consoantes.
Qual o senador que possue uma ra
inteira na cidade ?
D. Manoel.
Qual o empregado publico mais ho-
nesto ?
O de bem.
Qual delles passa pelo physiologisla
menos profundo ?
Gal-vao.
f?- Qual o mais azedo ?
Limoeiro.
Qual o mais forte ?
Torres.
Qual o vereador que tem mais seme-
Ibanca com as aguas invernadas ?
Fras.
Qual o mais neeessario ao caminhante?
Fon tes.
Qua) o mais celestial ?
Joao Baptista dos Santos.
Qual o mais turbulento ?
Guerra.
-s Qual o mais lutuoso ?
-- Dias da Cruz.
Qual o mais nutritivo ?
Leite.
PERN.TYP. DE M. F. DE F. & FILHOs1866
.

i
l


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EVQJA6MQP_UKMY1R INGEST_TIME 2013-09-05T01:11:07Z PACKAGE AA00011611_11063
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES