Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11033


This item is only available as the following downloads:


Full Text


fiaM
AMO XLH. HUMERO 177
Ptr qitrtel Mft doitrt dts 10 dias de 1. me......
dem depes des i.0* le dias de comeco e destre de qnartel ,
Porte t cerreie eer tres nezes.............
9*
6#iee
73
ODIHTA FEIBA 2 DE ACOST DE 66

Per ame page deitre de fa dias de i. mez
Porte a eerreio per un hm.....
lZ
DIARIO DE PERNAMBUCO.
y. \ >*>
r-,\. .





a a u
liflfMi/!
:i?1
73
Aps urna existencia de quarenta e dous an-
dos, veste este Diario pela primeira vez pesado
luto em testemunho do sentimento de sincera
dor, que lhe traz a morte d'aquelle que o alen-
toa na infancia, trouxe-o pela m3o de desenvolvi-
mento, em desenvolvimento e soube-o sustentar
com proficiencia na vinlidade em que ora se
acba.
Tarja, pois, boje suas columnas de preto, e
com razao e motivo plausivel o faz ; por que
de sua direcc3o arrancada a alma que o animava,
cheia de f e crenca no porvir que entrevia em
suas visoes de patriotismo; por que cessa de ap-
parecer na lista dos bomens gigantes do jornals-
mo brasileiro um nome, que symbolisava o prin-
cipio confortador, esta coragem fecunda que ar-
rosta ndo todos os obstculos, veace-os afinal com
o eladio do trabalbo e da perseveraba.
Um tmulo abrio-se, e n'elle sumio-se portan-
to o proprietario dste Diario o Sr. commenda-
dor Manoel Figueira de Faria Mas, apezar
desse eclipse da vida, rescende dessa lusa urna
memoria opulenta desentimentos elevados ; vis-
to que as conquistas do trabalho pacifico e ho-
nesto em todas as espheras da aclividade do lio-
mem sao um exemplo que nao se expunge com
o passar dos tempos, cuja accao corrosiva nulla
n'esse empaco privilegiado.
Homem de vontade robusta na prosecucao de
suas vistas de extenso horisonte; homem -de ini-
ciativa no circulo de sua vida pratica, o Sr. com-
mendador Figaeira elevou-se espbera corres-
pondente no desenvolvimento d'ella; e paralela-
mente collocou por sua perseveranca a imprensa
diaria desta provine a, de que era o primeiro re-
presentante, na altura de crdito e importancia
conveniente, havendo por tal forma direito indis-
putavel gratidao e ao respeito devidos aos Hela-
dores, que se avantajam as campanbas incruen-
tas e constantes da scieneia e da industria.
Este Diario, que esteve sob seus auspi-
cios immediatos trinta e seis annos, das propor-
ces exiguas em que primitivamente foi dado
luz, por transformaces progressivas por elle rea-
Usadas em seu material, logrou revestir as for-
mas colossaes, que hoje ostenta com orgulbo da
provincia ; pode com justica conquistar os foros
de legitima importancia, de qoe gosa em todo o
norte ; e sobre decano actual do jornalismo,
effectivamente um dos orgos da imprensa do
Brasil que mais aceilacSo tem no imperio, quer
pelo criterio mantido inalteravel em sua redaccio,
quer pelo espirito de ordem que sempre consti-
tuio suas feices caractersticas, e finalmente j
pela sustentado constante das instoicoes do
paiz, j pela promocao do engrandecimento mo-
ral e material do imperio, condices estas que fo-
ram de continuo o fanal da vida pratica que lbe
elle imprimi, de modo que a consideraco me-
recida, que do publico cahia sobre a proprieda-
de, ia reflectir directa e luminosamente no pro-
prietario, como causa eficiente desse pheno-
meno.
Era este Diario, sem duvida, o seu tudo.
N'elle revia-se o Sr. commendador Figueira
como o patriarcha no seu Benjamn, parecendo
que quera, ao separar-se desta vida de transi-
co, deixar no mundo urna reliquia por onde fos-
sem aferidas as aspiracoes nobres, que lbe dilata-
vam o peito; um documento que attestasse os
seus esforcos grandiosos.
E, com efleito, n'essa sua como idolatra ia
mais que amor pela propria obra; ia amor pela
trra que dera-lhe o berco ; ia desejo pelo sea
desenvolvimento, ia, emfim, fervor pela sua civi-
lisaco, pois a imprensa moralisada todo isto re-
presenta, o complexo de todas estas qualida-
des. .
Deste anhelo nobre, desta civilisaco. pois, foi
o Sr commendador Figueira por certo um dos
mais poderosos operarios ; e para consecucao
deste escopo servio-loe de instrumento precioso
e efficaz este Diario, o qual em sua inlelligente
perspicacia soube moldar taes formas, abrindo
suas columnas a tudo quanto tenda semejan-
te fim, e tornando-o o verbo maravilboso d'essa
civilisaco e desse engrandecimento por que as-
pirava, e para cujo centro gravitava em todo o
movimento de sua vida, sem olhar sacrificios,
nem attender s contrariedades que sempre se
levantam as grandes aspiracoes traduzidas em
facto. No entretanto, a todos quantos caminha-
ram com elle n'esta senda, ajudando-o as lides
jornalisticas, secundo-os elle tambem, de serte
que, sabidos da banca da redaeco deste Diario,
contam-se distinctos cavalheiros no fastigio do
nosso edificio social, bem como as differentes
escalas que o formam, d'onde j mais deslem-
brar3o os servicos de t5o prestante cidad5o, cujo
nome prende-se imprensa brasileira e pro-
vincia de seu nascimento com um prestigio hist-
rico inoblitera ve 1.
Atlante do trabalbo, cedo ensaiou suas forcas
n'este apanagio ligado a condiejo humana; e ah
sustentou nao raras vezes um combate contra ne-
cessidades, que levavam-n'o a desviar do co os
olhos inundados das esperanzas da mocidade,
para fixa-los de preferencia na trra, afim de re-"
construir um futuro, que a orphandade lbe al-
bura.
Privado na idade de 8 annos do amparo pater-
nal, sua familia na carencia de meios bastantes
de subsistencia vio-se forcada a procurar urna re-
sidencia mais compativl com os seus recursos,
indo portante morar em 01 inda. All, nao obs-
tante, foi elle posto no seminario episcopal, onde
cursou differentes aulas; mai nao podendo afi-
nal assamir o sacerdocio, por essa mesma falta
de recursos, dedicou-se entlo vida commercial
n'esta cidade, sendo primeiro caixeiro de seu tio
commerciante Domingos Antonio de Faria, e
depois estabelecendo-se com casa de negocio a
retalho, at que por fim fez acquisicao da typo-
graphia deste Diario em 1830, d'onde data a
quadra auspiciosa para a imprensa desta provin-
cia.
O Sr. commendador Figueira, pois, tinha
de exercer um sacerdocio; e se nao fora predes-
tinado para o da igreja, eslava fadado para o da
imprensa. De facto, ah com o seu evangelisar
desponton a aurora da redempcSo do nosso jor-
nalismo ; abriram-se de par em par as portas
da nossa vida poltica em toda a sua amplitude ;
e o povo te ve entSo um livro aonde bebesse li-
coes de amor s instituicoes livres que nos re-
gen), a par de s5as doutrinas de moral e reli-
gi5o, e de principios fecundantes do verdadeiro
progresso.
Mas comquanlos obstculos nao leve elle de
arcar para constituir esta existencia, e sagra-la
ao futuro do paiz como a oblaco votiva do seu
amor a elle!
Nao lhe faltaram dissabores, nem deixaram de
apparecer-lhe difiieuldades nesse escabroso cami-
nhar; mas dissabores e difficuldades cederam ao
trabalho e ao enthusiasmo de urna vontade tenaz
e creadora, que sympathica se estampa em todas
as phases e seeas diversas do drama de sua vi-
da joroalistica, isto nessa missao que se impoz
de fallar sem animosidade aos interesses conecti-
vos e de encaminha-los com proveito geral.
Com effeito, para collocar este Diario na altu-
ra em que o deixou, tete de soffrer algumas ve-
zes a constricc3o de crises bem improbas ; com-
prometteu mesmo interesses seus mais immedia-
tos. Todava, n3o desanimou, nem retrocedeu
dessa senda afanosa, ante as hostilidades de parti-
dos, e anda do proprio governo da provincia,
que, affecto parciaUdades polticas, entendeu
nos annos de 1847 e 1848, e 1863 a 1865 conve-
niente preferir-lhe o org5o das ideas, que o mes-
mo governo representava na administrado pu-
blica.
Sim, nao desanimou e proseguio ; por que o
desanimo e o estacionar nos grandes commetti-
mentos presuppem fraqueza, e esta nunca acor-
dou em sua alma.
Sim, nao desanimou e proseguio anda; por
que o seu fim tinha horisontes mais ampios que
a auferencia exclusiva de gosos e proventos im-
mediatos.
E' certo, qe raro colbem logo os fructos do
seu trabalho os operarios do futuro. A obra do
pensamento essencialmente morosa em seu
completar; depende de urna transformado voz
da lberdade e das nobres aspiracoes, que esses
mesmos operarios manifestam como sementes
que lancam trra, e abi tem de fructificar.
Mas, em sua f robusta, comprazem-se de abrir
espaco posteridade; pois sabem que a obra do
progresso soccessiva; pois sabem qoe a idea
til germina e s aguarda o ensejo providencial
de produzir os seus beneficios.
E este- ensejo chega, porm elles j ah se nao
acharo: separa-os a extensao do passado. Urna
outra geracSo, todava, gosa agradecida dos frac-
tos do seu trabalho atorado, e enta entao, em
bomenagem elles, o bymno do trabalho, que
ensina-nos que asteidades, a vida, e o amor bro-
tara dentre a orchestra dos instrumentos da' in-
dustria.
E assim foi o Sr. commendador Figaeira.
Iniciador de urna grande transformaco, foi o
marlyr delta; e pode-se dizer, que, salva a con-
siderado pessoal que conquistara, s espinhos
encontrn nessa cora, que lbe era deferida como
alma emprehendedora, de alcance e aspiracoes
latas, e que ora lega grandes exemplos de activi-
dade e dedcacao aos seus concidados, em pro-
veito commum da familia brasileira, de que era
distincto membro.
Se o operario solicito e intelligente desappare-
ceu, a obra ahi subsiste perpetuando a memoria
de seus servicos; e dessa obra j hoje desfructa
os resultados o paiz, que nelle bavia um elemen-
to de civilisaco e progresso de suas forcas ex-
pansivas.
E o paiz Ih'o agradece, como pode, na honra
do seu nome, sagrando a este um culto externo
na perpetuarlo de sua memoria venerado ge-
ral dos presentes e vindoures, que te rao no livro
da vida desse conquistador pacifico ama leitura
gloriosa, rica de dedicacao, basta de virtudes
cvicas.
A lousa, pois, que lbe cobre os restos corp-
reos urna legenda; e o arebanjo que abi pousa
merencorio nao o da destruido.
Symbolo da saudade de seus concidados, figu-
ra esse arebanjo ao contrario a veneracao do paiz
nesse momento supremo em que a chrysalida dei-
xa o envolucro que a prenda, torna-se resplen-
dente borboleta, e com as azas da mmor tal idade
va aos ps do Eterno.
E mesmo abi, no centro dessa emanacSo ra-
diosa, elle se nao pertence.
E' urna hernca opa'enta deixada ao mondo.
E' um legado valioso constituido ao foturo.
'VV:.

rV
-;

t
1

""' -






fcOVJrJl Y A PBOVX1CIA
Eitmm a 9 de juina 4o 1866.
OHJcio ao Exn. presidente'da relacao.Rogo
a V. Exc. se digne de emitr ftaeu parecer aere
os eselarecitfienies que pide, no incluso oficio -o
juiz municipal supplente 4o lermo do Brejo.
Dilo o Dr. chee de fi^a.-~lxspecaV. S. M
suas ordeos a im de que ragressem para a cantal
do Maranho, oa pnraeHn ppartanidade, daes
pracas de polica que d'al vieraisascoltaa4o o reo
Claro Tbomaz de Oiveira, destinado ao presid*
de Fernando, devengo esaas pcftfas esur addias
ao corpo provisorio de polica at o dia do embar-
que.
idOBcKs nrre/e Iwsm adoplwea (
! le PennibMt minia felra ele Agosto de 1866.
M*s e providBtKs rjne, se fin adefMfpelo
corpa laflil""fr, ittniprrtr'T para augmentar a
receita do estado e diminoirSo esse (ormidavel d-
ficit que, a nao offi^,RapstwWr?4j?fioesal(i
o* completa extrnecSo, proauztra das maneas o
aii os. masa desastrosos ef nee.
A commisso coraprehende qaanlo dolorosa,
e mesmo aflictiva, a sua posico, mas enlende
qus cima dessa pooderacao est a do bem publi-
co, que pile as aifflculdades que assoberbara as
fiaesgas e o crdito do Brasil, nao tke dado fl-
car iadlrTaratte, como a MDha astada* 4 licito
crurar os s*scjs.
t t moateeno do aaerlacio nafa todos, sacrifi-
cio iadispoAsavel o urgente. Este
partida, aato '
que ae *mt
meios que Ihe pareceram adoptaveis oatai cir-
cumstancia?.
c No aooo de 1843, nesta raesroa cmara, a
--
o poni de deesa, o
o grande argaaeeato, o oseado do ves tapo-tas. V por istv que erasa
ra a eoaMfeso para Bwpor-ws o* pwmj|io aMsftte o eseW#jvinoodo
Dito ao Inspector da thesouraria de fazenda.rte-
commendo a V. S., que, eoi visia do pret junto em commissio de orcamento, achando-se em presenca
duplicata, seoao heover inconveniente, mande | de um dficit, o eoovencendo-se de que era Heces-
jndacHaw csapltao do corpo policial Francisco sario crear footes de receia, .por neio de novos
Borgs Leal, enolorme soliciton o cbefe de polica impostos, assim exprimio-se
em oficio de 1(5 do andante, sob n. 909, da quantia
de 142J06Q, despendida pek> mencionado rapito,
em virlude de utorlsacao que teve, cora o abono
de etapoe das rocrutas e desertores constantes do
referido pret, os quajs viera da comarca da,
Garaobuns e ti ver am o conveniente destino.
Dito ao mesmoTomando em consideraco o'
qe V. S. expclz-ern seu cfflcio de hontera n. 433,
O autonso a mangar despender sob minha respon-
ajfcilidade nos |ermos do art. 5 7 do decreto
D. 2884. do 1 ile fevereiro de 1862, at a quantia
de 1:1775121, otm os pagamentos qae anda se
tom de effectaar por conta da cousigoacSo votada!
IM exercicio em (jquidaco de 1865 a 1866 para as
.\o exame desta arriscada materia desoja a
coramsso qae a cmara e retarda qae nao ha
imposto cujo effelto se nio faga .sentir-na popu-
lacio, qae nenhara existe cujo resallado no se-
ja tirar 4a baja dos contriboiotes para deitar
nos cofres do thesoaro'; e que todos afiectam
mais ou menos prejudicialmente a riqnexa pu-
blica. Todos elles tm inconvenientes, o, como
se exprimem os economistas, o imposto ara
mal necessario a qae somos obrigados a sujei-
tar-nos para arredar do estado mais graves e
perniciosas catastrophes.
Nao tem, portaoto, desempeohado o dever de
representantes da cacao aquellos que se occu-
pezas com p pessoal, visto achar-se quasi ex- pam somonte de realcar os inconvenientes o ma-
cla aquella cdbsignacao e ja se ter pedido o
acessario credpo para esse Om, segundo consta
do predito offleio.
Dito ao commapdante superior da guarda naci-
Mi do Recife.f ande V. S. avisar tres offlciaes
perlores da guarda nacional deste municipio
jpra eomDorera i junta que, nos termos doaru 111
da le n. 602 de 19 de setembro de 1830, tem de
jolgsr o process do conselho de desciplina a que
spondeu o aliares do i' batalho de infantaria,
Jo Cesar Cavajlcante de Albuqaerque, devendo
os olacidos 'Stiaes comparecer oeste palacio
no ala 58 do andf ote, ai 11 horas da manha.
Dito ao Dr. jui? municipal da 1' vara.-Rem-
aeUo per copia a Vmc para que Ihe d a devida
xotudlao o i veto de 22 de junho ultimo, pelo
Bil-B. M. o taperador houve por bem perdoar a
noel do; Santos Leal, que se acha no presidio
de Fernando, o pompo que Ihe falta para comprlr
pepena de 23 anns o quatro mer.es de priso a
foi conderooado pelo jury do termo de Areia
provincia d* Parahyba.Comrounicou se ao
im. presidente fia Parahyba.
Dito ao commapdante do corpo de policaMan-
4e Vmc. addir Sp corpo sob seu commando duas
pracas de polia do Maranho, que vieram para
aqui escoltando um sentenciado, as quaes devem
gressar para {aquella provincia, no primeiro
vapor da compaeliia de Paquetes, que passar para
^aporte.
Hllra. e Exm. .Em virlude da circular de V.
ho prximo passado, em que me
ome.-co dos seis supplentes do
les produiidos pelas" novas imposiQOos ; ne-
cessario que, alm disso, indiquem outras mais
suaves, menos prejudiciaes riqueza publica o
igualmente productivas. E sobretodo neces-
sario qne, penetrados das necessidades o urgen-
cias publicas, dm aos seas constilaiotes o
exemplo da resignaco o pooloalldade em sujei-
tar-se aos encargos novos qae pezarem sobre o
pas.
que as desperas avuliam necessjtdadf -ap3a Upas 'toffilft pverem-se
o dever de buscar no coocurso todos, nppadn
as suas (oreas, os recarsos indi^eawaveis pan i*-
zer-lhes face. Ningoem articulal|M)tra o uso das-
te direlto a menor censara.
ais "i todos o
pota paWt-
uroa aaciO;
ide suas ~
esse ropa*-
ftic. de 6 de j
esmraunica a
|zo municipal
avide por ed
A commissSo nao davida acolber qoalquer
' idea que na discassao a.ipareca, prefervel a al-
gum dos arbitrios indicados. Invoca mesmo o
< patriotismo e as luzes de cada um dos membros
< do corpo legislativo para que se queiram dar
< ao trabalho de meditar e investigar essa pon te-
< rosa materia. A causa comoium, o qoalquer
< que seja o partido on a opinio poltica a que
perteocam os membros desta casa, cada qual
< deve estar ha muito convencido da insofScien-
< cia da nessa receita o do progresso assustador
da despera publica. O amor da patria, que a
< todos a alma, posto que a outros respeitos dividi-
dos, nos deve reunir peranle esse grande fla-
gol lo publico, que araeaca devorar-nos, para
< sinceramente attentar nos meios de terminar ou
< attennar os seas estragos. >
t Estas palavras, escriptas no anno de 1843,
em que o dficit era o qae resultava de.........
19,386:0005000 (receita oreada), para..........
23,562:738000, em qae era oreada a despeza ge-
ral do imperio, como nao sero cabiveis na poca
zo municipal desta comarca, e me ordena que os presente, em que a receita ordinaria oreada em
ivide por ed al, ainda nao estando reunida a 135,000:0005000 e a despeza em 68,0O0:0O0J000.
Mmara municip para qae at o da 25 do aodan-
^ impreterivel ente comparecam perante a raes-
mi; icipal, ou perante mira como sea
alim de tomarem posse de ditos
pile privado, o que nao o flzerem
at aqulle Bo da, respondo que Qodaodo-se
bonttm aq*l I praso, s se aprtseaiaram e to-
maram posse, paestaedo o devido juramento o 1 e
npflente, ornando de o faner os demais, I
MaM iam, porque considerando o caro,nan,e u mesmo raais odiuso do'ijue a kl;a,da de
juiz nunicip supplente como carpo po itiro, e cretaco de novos impostos, on o aujMi.tnto das
rtencendo elle a polticas divaraas da actuaiida- sien&s. Anda nenfiutn goVorao d-ixou ido on-
nao Ihes Oca a bem nem Ibes convlnbam ac- coatrar embaracos quando necessiton da crear im-
tar as nomea ies feitas porV.'Exc; que era postos ou de eleva-tes. A necessids l>' publica, e
s ella, poJera' aopse|ha-lo a afi iitar aquillo
e que sempre manifosta-?e ettr
E se considerarraos, como nos compre, qae dos
exercicios anteriores vem nrn deQcit de.........
45,000:0005000, mais adaptadas se tornaro estas
palavras para conjurar actualmente o corpo legis-
lativo ao maior e mais supremo esforcj no intuito
de habilitar o govern dos meios urgentemente
reclamados para solver os grandes encargas do
thesouro.
A oommissao sabe que nada' mais repug
llegado do govdrno actual, e atsun devja o lercei
i, qne nao sei orqne conveniencia se apresentoa
pra prestar je amento, certifjnaodo Bilis a V.
re, qoe nao smente flz afixar editaes nos
jares mais pt lieos da comarca, como me dirig
Ir cfflcio a ca a um e dos quaes foram ajes xa
pidos, o ido qoanto tenho a communicar
f. Exc.
kDeus goard5 V. ExcCidade de Nazaretb, 26
dp julho de 486<
lllm. e Exm. r. Dr. Hanoel Cleaieniino Carnei-
to da Cocha, digno vice-presidenie da provio
atoHercuiano ivalcante de Sa e Albuquer-
quv, pro-preside te a cmara raanicipal.
I? Bacbarel Joaiaim Fr?ncsco de Mello Caval-
cante.
2." iOOOJ Joiipaacio deAndrade Lima.
3." adem Joa Jercnymo Pacheco de AiVoque^qoe
Maranho.
4." Joo Antonio da Silva Cabral,
5." Fiuac J*s de Mello.
6.' Ignacio Xavier Carneiro de Albuqaerque.
COH^DO DAS ARMAS.
Qsariel do enmajando das armas de Pernambueo
na cidade do Ircife, Io de (gesto de 1866.
ORDEM DO DIA N. 258.
O tenente-coinnel cemmandante das armas
interino declara a- ra os fins convenientes, que boje
desaqaarteloa o I batalho de inrantaria da goar-
da nacional des|e municipio, que foi substituido
pelo 3 da mesmo arma.
No periodo qo$ decorrea do 1 de junho a 31 de **!* s:P'<".J'>sP'ram, dnzeptos annos
*- 7 ueuOIS. as (1 ihpraci\a da nrimsira nnmhlAi
que inrvitavel,
ocoasifws semetb.aiu,ito, opwjuupde ,i9*
a opposijjao.de muitos.
Ha, porm, urna eonsMeraco que teas sido
sufflcieale por si j para responder a todos uuan-
tos Seoppflem a ere-cao de impostos; ella resn-
roo-sema .seguiote pbraae de um esgriptor mo-
derno :
,0imposto.um elemento essencialda oirsten-
i la das seciededes ; um sarrBcio ajeessario o
otrigatorio que todo o cidadao sapporta, e com
* que concorre para a ordem social, ja'upara (atoa-:
< guardar o interesse publico, ja' para garantir o
c seu bem estar.
* SeifoHDM a Indagar a origem flo imposlo.,n4
a encontraremos as sociedades amigas, anda as
mais remolas, nos lempos do fundalismo corno nos
da ealeza, ou tob a lrma do diroiio de suzera-
nia, ou sob a do direito divino, nao recusando-se1
nenhom povo de submeller-se a elle, emborainoa-,
sas pocas o principio de igualdad?, de jnstica o
dignidade sobre que alias os governos civilizados.
se exforcam modernamente por faze-lo asseolar,
nao preoetupassera o animo daqatlles que ento
adoptara m.
s Estes principios de juslica o eqoidade acba-
vam-se perfeitamenle consagrados na dedoico que
o famoso ministro de Heoriqoe IV da va do Impos-
to as seguinies palavras : t A cota com que cada
< individuo doneorre na vida civil para ter parle
em seas beneficios, cola que devera' aer propor-
< cional as vantagens ou garantas de que goza o
contri buinte.
< Estas palavras, segundo a apreciacao feita por
jalho, em o quyl o 2 batalho fer oaervtco da
goarnico desta fjdade, como lortou-se fje modo a
robustecer os se|s bons precedentes.
Composto em sua quasi totalidade de pracas
desfavorecidas de fortuna, Bem por isso deixoa de
fazer o servido com a devida piumptid3o e regu.'a-
ridade, e a prestar-se em falta 4a tropa de linha
a outras exigenafas do mesmo servico, a que nao
se aehava adotril.
Faieodo o eemmandante das armas merino
semelhaote dair^so, que a expressao da ver-
dad*, soecorre^B do ensejoque se Ihe'propewioBa,
para dar oadotiaes agradeciroentcs ac digno chele
do referido baialbao o Sr. tenenlecoronel Rodolfo
Joo Barata de A^meida, aos Srs. offlciaes, e a
todas as pracas qae desaquertelaram.
(Asslgnado) .|Francwco Camello Pessoa de La-
cerda.
Esta' conforme* SstevSo Jos Ferraz, tquente
ajndante de orddbs encarregado do detalbe.
"' -ll--
Na sesso de
le apresentado
jaral do imperio!:
* A primeira immissao
ando escrpulo
part
ERie.
fte relativa
K I \ V l)lle
le julho de 1866.
ontem da cmara dos depuados
seguinte parecer sobre a Teceila
do orcameDto, examl-
meote a proposta do governo na
j. receita geral do imperio, vem
psol lado dos
nmelter a esta lugusta cmara o
seos atoada*.
'Enieadeua.dDmmls.ao que, para melaor jal-
Vr-z pregarta, iorria-lhe o dever de coraparaja,
com o to eameoio jgeral da despea, para verse,
approwda ela, Stava o governo baMiledo a at-
tender m deeraos servicos votados, mantendo o
ajpilibrio entre afreceila e a despec publica.
A commiss) roconheeen, pela comparaco
dous orcame^tos, a existencia de um deflcit
para o exercicio de 1866 a
12,000:
57.
E como no
estado real
fercicios anteri
que o alga
I elevar-se-ha
ercicio proxi
1000:0005000,
enda.
Por esta si
lera qoe i
Speza enor
da nao visto
A cemmiss
aceira to d
le qne coa i
Inte superiore
de
pela
do i
depois, as deljberasoes da primeira assembla
: coostituinte em Franca.
* Eiuqueo teniente defini Mira be? u a CuO tribu i-
co com que todo o cidadSo obrigado a concor-
rer para as desperas do eslado do guate modo :
< O imposto nao mais do qae um adiantanento
< para obtor a proleccao da ordem social, urna
contlfio imposta a cada um por todos I Toda
a wmibuico estabelecida por ulilidade ge-
< ral. >
t Modernamente, entre muitos outros, E. do
lerardin, de finjo o assim : < O imposto e pao
deve ser seno um premio de seguro pago por to-
dos 06 membros de orna seciedade chamada na-,
cao, com o Qm de garantir-se no pleno gozo de
seus direitos, na efflcaz protecr;ao de aeus ,in*e-J
< resses e no livre exercicio de suas fatuidades
para ese fim lies poeaiom commum urna por-
55o determinada de suas forsas que ojenstitue a
terca eollecttva.
E'.pois^ elaw qMas.despezasppbiieas, aquel-.
fas que e5o decretauas para o accrescentamento
moral e maidrial dos paite, ae quaes sociasipa-
ra manutencao da ordem publica, como as que
destinam.se para garantir a pr opriedade e vida
dp cidadq, todasj erafim, que e,prop6etn servir
a cansa de om povo e seu engandecimento,
teem de ser satlsfeitas com o producto dos im-
postos.
As nacoes bem constituidas, aquellap que mais
curam do seu bem-estar, ftzem tonsisit o maior
trabalho oa organisaco de seos bvJyets, que sao,
por assim dizer, a medida mais exacta do progres-
so de ama naeo, da moral Wade de seu governos
e da boa applicaco dos dinheiros pblicos. A es-
le respeito Iraascreverfl a comroiso aseegainies
palavras de Dapont Wite, qoe contm tom inei-
cedwei ciareta o.que rmporferiamedte yodia ella
escrever : c Fallar do imppsto fallar de looV), s
* se considerar qde este objeto cotnprefcende nao
smente a base, maso eraprego das tatas, isto
* as despezas de um povo, as quaes, aluda mafs
* que a sua liiteratura, sao orna
< mesmo. Urna seciedade nao
costomes, urna necessidade, nina teolencTa de
O equilibrio da receita com
cae um principio aceito invaria
nhnm pait o repelle, e o repelra' jai
quwem pralMneai aser
oa teesce cota o dpnawol
con o augmo de asa
I
-antaR jaeto averiiuado qneotMs-
darai Mtorara vez prapeMional^a da
Mpa hadispagea velo'recurso ih-
si todos te
to qufae Ibe&aveta.Miflcrt terna**ro aaTehro-
aico, e a divida publica cresce.
Este phenomeno apreciado da soguinte for-
ma por Cobern :
Ao meamo toeapo que as grandes naeojs con-
somem seas recarsos em despezas de guerra* a
socledade moderaa arrastada pela forca mopaat
das coasas a ama transformado que lera mudado
todas ascondiedes da vida industrial e commereiaJ;
os caminhos de ferro, as reformas econmica, es
roelhorameotos e aformoseamentos das cidades
lem absorvido por au parto tmms s vois ; assim tem sido absolutamente necessario fa-
zer frente aos trabalhos da paz e aos trabalaes da
goerra, do qoe acontece qae os ornamento, gra-
vados por esse duplo onus, nao tem podido sa-
tisfazer as necessidades iocessantemente cres-
centes. *
* O nosso pait nio poda Bear excluido desse
principio geralmente observado, embora, mais fe-
lizes do que outros, os seus sacrificios nao tenham
como em alguna, tocado & meta, pols que, estudan-
do-se com calma, reccrahece-se que elle um dos
menos onerado de impostos, e que estes sao boje,
com pequea difTarenga, os mesuras d'oode o es-
tado tiroo sempre os recarsos para os alteoder >s
despezas publicas.
< E' fra de davida qae o augmento progressi-
vo da receita geral do Imperio devido ao cresci-
mento agrcola, industrial e commerciai jp pan,
de sorte que os mesmos impostos produxern maior
renda. Tomando como exemplo o periodo qae de-
corre de 1843 a 1867 e 1868, v-se qoe oa impel-
ios boje sao os mesmos de entae, as nesmas ai
footes de renda, V-se mais que o engtenlo da
receita foi nos segointes termos :
Tibella demonslrattva da receita 'dos eauraatos
abaixo declarados, cowvp' ekeniiis os depsitos.
ao paje para por elle Do Sr. desorabargador Doria ao Sr. esembar-i capala, ^ uum&o daquella [coromisso, Ido
pangue O 4- porm degewroa, e gador Domingues da S Iva : cZveniente. ^ajusta too indtspensavel T Se ento
vottou as eeeta* ao inimigo. As appellacoes cvis. "
i MuKo se destingoio o 20 de voluntarlos, corpo Appellante, Lino Perreira da Silva ; appellado,
das Alagoaa^toido sompre em sua frente osea Joaquim Mauricio Wandtrley e mtroe.
itttToandante Alagoauos regosijaivos I Appellanle, Manoel Patrao do Nascimento; ap-
.djotlos nossos bravos vosso triumpho pellado, D. dfargarlda Marta da Paixfio.
is Aiagas teve o prejuito de 104 bomens Appellante, Jos Joaquim Barbosa ; appellade,
l- nclnaive 44 offlciaes, sendo'dtatoa % orlos, a da Joo Baptista'Auebeto.
eW dM .Ojea porta estandarte portou-ae tul. Appellante, a irsuodade
t O 11* de Pernambueo foi difundo, achate
13o reduaUo, qae s em attenclo ata af toa it bra-
vata, um tom patenleado, desd a tontada do IUV
pir tai agtra nao foi dissolvido I
Osntodiicosmullos se portm'eom verdadei-
ra candada, pericia, e deligencia ; tarn -alguas
sao uns vntgadeiros sine cur*. A om lil^tr. o-
ria, no da 14 apresenlou-se am aa^do'kttotaV),
pedindo Ihe que o tratasse. Pergnntoa-lbe o es-
culapio donde era, e respondendo qae de Pernam-
bueo. retorquio-lbe : procure medico pernambu-
cano I Que ul I...............................
?ede se-nos esta pablicacio :
dr. redactores. Lendo hoja a sua Revista
eqftoMrei um artigo onde falla no roubo feito por
^nap antro escravo Luiz, dizendo qae a esforcos da
aotofWldes elle fra aprehendido, quando fui eu
ifota o apresentoa a polica.
Afrtoto d sni papi Ihi i npiaiil ehaattit t
de Nossa Senbora da
Jos Gonjalves da Cruz e
18431844
1844-1845
1845 1846
8461847
1847-1848
1848-1849
18491850
1850-1851
1851-1852
1852-1853
1853-1854
18541855
1855-1836
1856-1857
1857-1858
8581859
1859-1860
1860 -1861
18611862
1862 -1863
18631864
1864-1865
1865-1866
1866-1867
18671868
21,350:9705709
24,681 :J"
26,199:1
ti A
21,73
20,163 M
*8*0s 32,696:9015983
37,712:5975010
38,102:8048^2
37.048:2165842
38,076:0445799
41,942:2255424
52,756:1095236
53,411:1665713
50,375:7235318
47;310:9555226
53,577:1295331
55,870:8115809
51,480:2385529
58,360:4305525
59,467:6755163
52,000:0005000
55,000.0005000
55,000:0005600
< As pnecipaes footes da receita Mm sidoe im-
porta^o e a exportaco, e sobre ellas os direitos,
nesse largo periodo, eonservarc-seee'tesmos.ape
nas com algamas alleraces. As despezas publi
cas tem augmentado, notase qne no anno de
1848 par* e este .aagmento foi mais cooslderavel.
E que coincide com isto a era dos melboranieptos
mai*ria*8 dae subven^bes e garantas por parte
do Eslado As cojnpaabia e emprezas para faetora
das diversas estradas de ferro ou de rodadero,
nav sos mares, qoer em alguns dos oussqs mais impor-
tantes ros, a eeloniMcSo, a crearlo Ue eropreges,
o augmento de vepcimentos a maior parte (dos
'fonecionarios pblicos, os novos meios de garan-
tir mais eficazmente a seguranca de vida e de
propriedade, e muilos quito Lbjectus. que por
brevidade omlitimos, aggravario as despezas do
Sitado.
(Continuarse ha.)

PEBNAMBUCOi
REVISTA DIARIA
Q funeral do Sr. commendador Manoel Figneiroa
de Far eelebra-se hoje pelas 9 horas d'amanba
na igreja da Ordem Tercena de .s. Franclseo, dei-
xando de ter lugar no hospicio de Nossa Senhora
da Peo ha, como te disse nas enras de convite ex-
pedidas as pessoss de snas relacoes, em couse-
qnencia de ser boje da a Porcuncula, e por isso
nao ser licita a celebrado de taes actos all se-
gundo o ritual romano.
'esta wrie da-se ciencia desta alttraco su-
perviniente aquellas pessoas; bem como solicita a
familia do domo Sr. commendador Figueiroa dis-
culpa aquellas de seos amigos a quero nao feram
inderecados-convites, esperando qpe se dignem de
honrar ao acto com a sua assisteneia, urna ver qae
comprehende-se nao ser semelhante cmisso filha
de proposit deliberado, mas originada littples-
mente pala dr que a qpprime.
Hoje as 7 horas d'amaohaa diz o Exm. Mon-
senhor Piolo de Campos, na matri da Boa-Vista,
urna missa em suffragio da alma do Sr. oonmen-
dadador M*ooel Flgueiro de Parla
Segoindo honwm para a provinoia das Ala-
gos com a ctleridade reclamada pela molestia
gravieslma de om seu parete e amigo particular,
pedio-nos o Sr. Dr.'Aleandre de Souza Perelrado
Carmo, que em sea nomo apresentase suas des-
pedidas e desofllpa8 as pessoas de nas retecoes,
por nao telo podido fazer pessoalmeote.
Em sna ausencia fica incumbida a sua clnica
ao Sr. Dr. Joo da Silva Perreira.
appellados,
o jaaio; a pellada, Mar Firowna
declarar em sua Revista, qae foi o abaixo assig
nado quem apresentoa ae subdelegado de S. Jos
alim de averiguarse o facto, flcarei obrigado se
assim o uzerera. De Vs. Ss. veneraoor brigado
amigo.Maximino da Silva Gasmo. >
Depois d'amanba ao meio dia se extrahir
a' 6.a parte da 4" e 1.a da 5* loteria a' beneficio do
Gymnasio Pernambucano (75.a), sendo o maior
premio 6:0005008.
ItEPAIlTig.VO DA POLICA.
Extracto das parte do das 31 de jalho de 1866.
Foram recelbidos a casa de detenco nt dia 30
do crreme :
A' ordem do lllm. Sr. Dr. chefe de polica : Joo
Miguel da Silva e Jos Correa Franca, ambos cri-
minosos j processados, Marcos Evangelista da
Paz, Joo Manoel Joaquim dos Santos, Manoel
Agostiobo dos Aojos e Antonio Jos do Nascimen-
to, como recrotas, vindos lodos de Agaa-Preta.
A' arder do subdelegado da freguezia do Re-
cife : o Infiel Jos Woster, o portoguez Manoel
Jete Garca -a Manoel Praoclsco do Nascimento,
para correceo.
A' ordem do sabdelegado de Santo Antonio:
Loii ateravo de Maximino da gilva Gasmo, por
crimetjtronbo Mara eserava de Elias da llocha
Perreira. por ioeoitea.
A' ordem do *uMetogado de S. Jos : Felismina
Maria da Conceleo, para eortteco e Luiz escra-
vo de Francisco de Paula Gapaleante, por fgido.
Orttfc da 2a seceo,
1. G. de Metquita.
Movimenio nosttogieo do hospital portuguex
no nata de julho de M66.
Exittiam 31, aturaran JB, ahiram 20, morre-
ram 3, exiatom 34.
Fallecarajilile pMtMMBia, 1 de iterica.
faledade
uro*.
Appellante,
do Rosario.
Do Sr. desembargador Dombagnes da Silva ao
r. desembargader Vieiu :
A pp#lricio crime.
Appellante, Jos Kaitoaw Saatiago e otros; am-
pollada, a juslica.
A 1 ora da tarde eacerroa-se a sesso.
ra nt ata!; gtr gaje nd oconakatoa Se era um
bem ; porque ha de *er agora um mal T
Seriamos bem agradecidos -ao Oriente, se nos
.quiaww:h*Qrt*poa mumtpm.
Nao fica ainda aqui o nosso reparo. Disse o
Oriente qae S. Exc. recebeu om saldo, mais oa
meos de 8:0005.
Permita que ainda ibe pergeniemos : de quem
receben esse saldo 7 De muiie digno chantre ex-
reitor do seminario. Pois bem : se este faneciona-
no eeelesiastico, san merecer rasura, pode con-
servar aquelle .tildo pata os Heridos fins ; o ano
h aqoi para canaorarse, reeebeodo-o o r. D.
Mantel para os OMtmiaaiinajs fitw 1
Bem auiteranae attingtr a deduegao lgica do
que quiz -eaprimir naquelto eapresso o Oriente ;
mas nao nos isto permittido. O nosso espirito,
sem cultura por demais acanhado como nao pt,-
de comprehender o sentido de algunas assercoes
do Oriente : ena-se por leso mesmo embarazado
na iuvestigaco de outras. E' que diodo* ta foi
dado o mesmo grao de inteligencia.
Ainda bem que o Oriente se comprometteu a tra-
tar a materia ex professo, qoando agu ebegar O
Exm. diocesano. E pois ja existe estowapomtoo,
cabe-nos, com a submisso muito pMptw de-tamr
(limara municipal do Recife.
HATADOUBO PUBLICO OBSTA CIDADE.
Mataramse para o consumo desta cidade no mez
de julho do correte anne 2930rezes.
A ssber"
Libanio Candido Ribeiro & C............ 813
oraef de Frtas."!.'!.'.'!!!'!.' 344 **^".Be eempreetrter-as eowst8,*pe"dir perra'ls-ao
rgmio
Joo Chrysostomo de Albuqoerqoe...
Manoel Joaquim de Souza Tavares.....
Manoel Francisco de Souza Lima.....
Wenceslao Machado Freir Pereira
Silva............................
Francisco Candido da Paz...........
Amaro Affonso de Oiveira..........
Geminiano Jos de Aibuquerque.....
Manoel Joaquim de Souza Tavares....
Jacob da Silva.....................
Ernesto Celestino, de Meodonca.....*.
Bellarmino Ai ves Amelia............
da
Contadoria
de 1866.
270
180
171
165
131
113
103
75
60
56
11
2,930
municipal do Recife, 1 de agosto
O contador,
Caetano Silverio da Silva.
Publicares a pedido
CURA
Espanta e Adniiravel
DE TJMA OHAOA
CANCROSA E ROEDORA
CHHOMCA JUDIGIAKIA.
=r A primeira poolicacSo -feita no Diario de
bonlem, na secQo das Declarares, disse-se por
engao serem (qreiros os chaos a que se ella refe-
re, quando sao propties.
Tem boja lugar irasladaoio d'OImda para
esta cidade dos ossqs, que se presumem ser de Joo freir.
Fernanda Vielra.
O prestito devera aqui cbegai
aquelles ossos sero depositados
raizo, bfim de serem submeltidos
tfica.
P*r meto dia, e
na igreja do Pa-
it analyae tolen-
TK1BI'.\AL DA BELACAO.
SESSO DE 31 DE JULHO DE 1866.
PRESIDEMCJA 00 EXM. SR. CONSELHEIBO
SOUZA.
As 10 horas da manha, presentes os senbores
desembargadores Santiago, Glirana, Lourenco
Santiago, Almeida Albuqaerque, Motta, Assis, Do-
ria, Domingaes da Silva, Ucha Cavalcanii e Viei-
rs, qne seapresentou renunciando o resto da liota-
ea de tres mezes, fallando o Sr. desembargader
Guerra procurador da corea, abrise a aessao.
Paseados-oa eilos, dram-se o* segointes -\
,1VU AMENTOS.
AGORA VOS BE TIQO.
Aggravante, a irmandade de Santa Rita de Cas-
sla ; aggravado, juizo.
Relator o Sr. dtsembargador Santiago.Sortea-
dos es Srs. desembargadores Doria e Domingaes
da Silva.
Deram provimento.
Aggravante, Manoel Goncajves erreira e Silva;
aggravado, o juizo.
Relator o Sr. desembargader Lourenco Santiago.
Sorteados o .gra,.desebafgadore Domjpgefi
, da Silva e Almeida Alboquerque.
Negaram provimento. i
Recurso .qrime.
Recorrenie.ujuiz.; recorrido, Miguel Antonio
tPontes,
Relator o Sr. desembargador Almeida Alboqoer-
.qua-^Sortoados es Srs. desembargadcresiDoniro-
gues da Silva, Santiago e Assis.
Improcedente. >
As appellacoes qveis.
Appellante, Joaquim Mauricio Wanderley ;appel-
lado, Lino Perreira da Silva.
Julgou-se a habilitaco.
Appellante, Uomiogues Jos da Silva; appellado.
Benedicto Marques da Silva.
Confirmada a sentenga.
Appellante, Luiz de Albuqoerqae Maranho;ap
pellado, Joo Francisco de Oiveira.
Desprezaram os embargos.
As appellacoes enmes.
Appellante, o juizo; appellada, Loiza Maria da
Concego.
Improcedente.
Appellante, o juizo ; appellado, Antonio Manoel
Gomes dos Santos-
A novo jury.
Appellante, o jaiio; appellado, Jos Alexandre
de Lona. i
Improcedente.
Appellante, o juizo; appellado, Jos, escravo de
Jos Cabral de Mello.
A novo ipr y.
Appellanle, o juizo ; appelUdo, Antonio Perei-
(Ir? J*OuT3.
Improcedente.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Antonio
Pereira.
A novo jury.
Appellante, o juizo; appellado, Joaquim Jos de
SanlADOa.
Improcedente.
Appellante, Maria Joaquina da Conceicao ; ap-
pellada, a justlca.
A novo Jury.
RAS3*qBH8.
Do Sr. desembargador Santiago ao Sr. desembar-
gador Gitirana :
A appellasafj crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Jo5o Cassiano
on
FOLYPO 1\0 NARIZ.
As appellacoes civeis.
Appellanle, Maria Magdalena da Conceico ; ap-'
pellada, Cypriana Maria de Mallos. ,
Appellante, os herdeiros de Antonio Pereira d
Azevedo ; appellada, a laceada.
- Hontem desaquartelog o ? baulbo de in-1 P Sfr oesn>bargador G.tlrana ao Sr. desembar-
hntana da guarda nacwnal leste roonklpio, a gidor LoureD Santiago :
quem esia,va incumbida a guarnicao d'esu praca,
em cujo servico se honre bem e com disciplina.
Para substitui-ro na asma goarnico entrn o
3" da mesma guarda naeional.
S. Exc. o Sr. presidente convida aos mdicos,
ne pretendam se emprega.r no servico sanitario
D.exerato #m opera ces da guerra contra o Pa-
raguay, a apresentarem as condicoes sob M auges
queiram contractat-se para este servico.
_ No Diorie it Atatoas vem extractos de tuna
As appellacoes crimes.
Appellante, o juno; appellado, Antonio, toravo.
Appellante, o promotor ; appellado, Secundino
Leite de Oiveira.
Appellante, o joo; appellado, Lat Jos Be-
ierra.
A appellacfio el vel.
Appellante, Antonio Goccalves Ferreira Cascio;
appellados, Joaquim de Souza Le5o.
' Ao Sr. de&embangador Almeida Alboquerque :
A appellacao civel.
Appellante, Jos de Alemquer Simdes do Ama
trabalho cumpria-lhe indagar
las nancas, comprehendidos os
res, verificou tambera a cornmis-!
|mo eleva-se a i3,586:0604778,
43,586:060,5778, se a renda do
nao produzlr mais de.........
:omo receita o Sr. ministro da
)ls exposioo a cmara compre-
lesequilibrio entre a receita e a
le, ou antes altioge ao mximo,
imperio desde a sna fundaco.
carta familiar dirigida do acampamento de ftwges
. a am amigo d'aquella cidade, cora data de 2 de ral; appellada, Marianna Sieg'il e sna irmaa.
nna eipretsao ae si d,e julhe.prximo passado, danda-lhe noticia dos Do Sr. desembargador Almeida e Albuqaerque
ao tem om^trapo de oembates-dt t de aio, e demais wtras oc-: ao Se desembargador Motta:
correncias. ^ As appellacoes civeis.
Urna creada de servir residente em Pernam
buco e pertencente Ex." Ser". VlBCONDKSSA
DE Goukxa, foi attacada d'uma terrivel cha
ga cancros e roedoraon Polypo no Nariz.
A mesma involvia e tomava todo a parte in-
ferior do nariz, ameacando j distruir tanto a
parte cartilaginosa como o mesmo oto ; Come-
cxw priqaeiro por apparecer ab o baico aupe-
rior e garte da face, eztendendo-se por tal
forma e eom tal rapidez, qne em poueo amea-
. ftm traformr todo o rosto n'oma enorme
barga tdv e saquero. Durante todo este
terrivel atado, todos oe recurso ruedicnaea
qne em gees cazos se nz5o forSo abundante-
mente eatpregjtdas, sem qne do leve fizesse
parar a ajauca lenta e diatruhlora detaobor-
rivel enfwmidade, e todos os meios e esforcos
folio baldados, e no em tanto o mal cresca eis
que por Ingresa fortuna da infeliz atando
aa couzat neate ponto, se experimento phi
ves primeira a
SALSAPARRILHA
DE BRISTOL.
'O-efieito produzido, quasi que instantneo
por este lnestimavel remedio foi verdadeira-
mente mtiavllhoeo e sera igual este grande
pnrificador do sangne e das humeres do svs
toma, immediatamente pz um termo mar-
fea dieaatrozae'fatal da molestia, derramando
ae e infiltrndose atrave dos tecidos os maif
delicados do corpo, expellindo ate' ultima
propriedade ou vestigio .virulento da molestia,
a dentro d'um curto espaco de tempo prodnzio
um
CURA
Completa e Radical,
ato feliz quao admiravel resultado foi obti
do apenas com o simples uso
Tuina s# nmea (arrafa!
d'este ineomparavel e inapreciavel depuratorio,
recommendamos portanto todos os Doentes
qne procurem obtor com o maior cuidado a
afea e verdadera StlaapaRilba de Bristol,
nicamente preparada por
LANMAN & EEMP,
De NOVA VOKk,
a artesa de que, todas aa mais preparacoaa
bniUti vas nio valem para- aouw al gum *
Vende-se nas boicas de Gaors & Barbosa
e C. Bravo & C.
Alada a cala pa ala llrese.
Nao tivemos a forluea de merecer orna reapoeta
eabal do Oriente na parle em que profligamos as
ideas que emntlo contra o Exm. diocesano sob a
eplgraphea Caixa pia da diocese.
Apaas, acastellando-se nos lugares communs,
nos cbamon de mlicos das atUt-camarms da Sol-
dade I
Oriente, sopposto delxasse cointecer qne se
aguarda va para o tempo em gao aqu eetivesse S.
Exc..anda assim nos proporcionoQ ama occasio de
tomarmos a defeza; visto como censurou-o. por ter
Sm si um saldo de 8:00, mais oa menos, qae
evia estar sob guarda da commissSo adminis-
trativa, prese.ripw pelo Tridenlmo, e qna nao foi
anda reslabelecida etc. etc.
Carradas de razio Ierra o Oriente, se estando
creada ou subsutindo tasa commisso antes do
ao Oriente de acompanha-io, com g deleza, em tu-
do quanio avanzar em meooscabi do diocesana.
Muito embora tenbamos de ver pulverisadas toda
as nossas argomentaedes, nos fargmos um supre-
mo esforco para qoe se coaheca dg que parte estg
a verdade.
Cumpre-nos pois acabar a nossa estril argo>
raentaco; e o devemos aier pelo nodo por que
fez o Oriente, isto citando BoSsajet e o padre
Vieira.
ET verdade que, segundo os prffccipios de H >-
suet, S. Exc. tem encontrado a diAcoldade de co*>
nhecer os homens, de quera deve iodear-se; mas,
pela regra do padre Vieira, elle leal lido a pruden-
cia (o qne j nao pouco) de repetir de si os h-
meos arados em procurar os lugaifs.
a i
-----------H
Xarope tnico refrigerante di
ferro preparado pelo pharn
da Rocha Paranbos,estabelc
do Recife provincia de l'errwnbiWQ, m
Direita o. 88.
Este xarope, que d tom go OTrHMttto
muscular por sua qualidade ferr, o
mesmo tempo purgativo petatearte do ve-
ame que encerra, e refriger|nte pela par-.
te acida, alm da precisa par perfeita so-'
luco e combinacSo do ferro x este atacad*
pelo acido fica em extrema liviso, e as-
sim o mais soluvel que poss re, de sorte
que j nao lao dependente ( sser digeric#>
pelos cidos fracos, que se ac am no sucdr>
gstrico durante a digesto. s expositores
de medicina s5o de opini5o se o ferro
todas as suas preparacSes goj ra das virtu-
des eminentemente fnicas, ue arroveil%.
em todas as molestias que si caracterisa-.
das por fraqueza; e com effelo acbo exac-
ta essa opinio; nao mas dato o ferro era
substancia pelo mo resultadopue tenho ob-
servado, (e que j fiz publica
determinadas mole tas; por
ma, e febres intermitentes, U
tas vezes por anazarca, que aecumulfo
de serosidade no tescido cellulirfagua quah-
do est entre a 'pelle) e depoisfalrlreTO ny-
dropesia do ventre, que ac|umulaco de
serocidade no peritoneo.
E' sabido que o ferro un dos agentes
mais important'S'para que o singue se pre-
pare e aperfeice devidamenti e por con-
segutnte o maisproprio para pedir o des-
envolvimento destas molestiasl mas senda
elle um efficaz excitante, aortf nle e secer-
neule, claro que s associido como se
acha nesle xarope, pode dai o retoltado-
que se espera, e a experierjciajme tem de-
monstrado -sem'risco de offtnjder as entra-
nbas.
Os effeitos dos incitantes, sal: promover
as secreoes, e absorcoes, augirientar o ca-
lor natural, e remover aquells dores que
nascem da falta dos movimentm-iuilBiiaaa.
Os sorbenles sao tamhem aquelles agentes,
os quaes augmentam os moviraestos iffftt-
tivos, que formara absorcfio, a os s ceroen-
tes aquelles que augmentam o mosittwaios
irritalives que constituem secresoes.
Assim, pois, v-se que sem a precisa combi-
nagao e modificaco nao yode sjer elle appli-
cado indistinctamente. Muitaa vezes o pra-
tico deixa de fazer applicaco fio ferro por
conhecer suspeitar que o flgadb, o bofe o
pulmo, e or^oessencial da rfespirago, on-
outra eniranha est offeodidd; entretanto
que, se se tivesse applicado ata tempo se
poderia ter evitado o desenvtjlvimento da
molestia. Assim, pois, o xarfpe prepara-
do como fica exposto se pode jisar sem ris-
jplo
co por nao offender as entranjas. As mo-
lestias contra as quaes o xarope tnico re-
frigerante pode ser applicado attm proveito,
sao: as amenorrheas, ou susp^nco do flu-
I xo menstrual tas mulheres, a|emia, ou di-
minuicao da massa do s3Bguewi consis-
tencia alterada, dores de estoiiffjo, flebili-
dade dos orgos digestivos, Idilio, flojos
mucosos, llores brancas, calorse, molestias
do sexo femenino, caracleriseoa por lan-
guor geral, acclorisaclo pailita da cor ou
i esverdinhada, empobreciment do sangue,
I eofartes-Chroriicos das visceras* abdominaes,*,
alporca- on scrophulas, escoibutos, opila-
cao, -pajljdea, e ios estragos pjoduzidos pe-
las .molestias syphiliticas: astbjenia ou falta
de forcas; fraqueza geral:
sia anazarca e ascites; tendo-
de observar tiestas duas ulti
principalmente, e em todas
era dos effeitoB salutares deiteixaropa te*
to-ventre correte, e as urinal desembara*
cadas.
O modo de osar-se e regula-se vai
eripto no letreiro pregado no rasco.
Vende-se .nicamente na '
Direita n. 88 de
Jos da Rocha
ha bydrope-
o cuidad
as molestia
outras, qoe
des-
Aquartelon hontem o 3batalh
cional do eommaado do tenente-
Pelicitamos ao sapaleiro Tosbas
compannia, paloteiro mor do ba
fausto acoutecimento, e desejamos-
Desses extractos fietnos a nsso lamo os ex-' AppellaDte, Fraooisco Jorge de Souxa; appetlade,
tractos que ottetesemos aos osaos leicures exo se- Francisco Marlnbo Cavalcaotl de Alboqnerqae.
que nao dexe am slgnal em seas oifamenlos.
V se a estima em que ella lem as copsas .pelo
qoanto Ibes applica de forca e de dionairo sob o
nome de servidos pblicos. Urna naci nao po-
de dexar de revelar o seu carcter, e ate de
'SniE^lf'^ni^ 'm iam'mmtmik qoeidnroaiiioofM, ienltou don Castell'o Bradco ; appellado, anoaieo Par-
de floaocas. Haja am diluvio eisobrenfco; rm s de D0SS0 )ado perda de ljZ00 bomens entre mor- reir de Andrade.
'e ios e ferido, taetasrw e numero de nao poneos
offlciaes : e delles de 3 a 4 mil, pois, recuando
episcopado de S. "Exc, hoje estivesse supprimida. I mamatoria, qoe nma vei para se
grada.
f Fomos (estando ainda no Passo da Patria) ag
gredldos por elles no da S de malo, e empenbada
Appellanle, o Dr. Manoel Garlos de' Convela
Appellado, o vigario Josa Antonio Biaado.
Appellanle, bacbarel Manoel Joaquim de Hen-
a' nelle
o micros-
de nossos orcamentos que o futuro
correntemente tudo o que somos, sem
copio de seas eruditos.
t Tanto mais livre, tanto mais bem fondada
sempre, deixaram o campo janeado de cadveres; | lada, a justic.
A appellacSo crime.
Appellante, Francisco Antonio de Moura ; appel-
uma naco, quanto melhor o sea systema de
impostos e a decretacao das despezas publicas.
< Os palzes que regem-se pelo systema repre-
, em presenca desta situacao fi- sentativo considerara este assumplo comg o em
loravelmente critica, convencen- qae por excedencia os seas mandatarios podem
fa assnmia properefies segara- revelar maior zelo pela sorte dos seas cmstitafo-
s snas forcas, mas nunca capa- tes : principalmente esle o ponto qae d-lnes a
du tem guu (Wl IUl|l(flUi | rafflo fle er.
cmara, quando incombio-aj Sem passar em resenta aadee ajigaizes que
reclamados
libo. podiam ser agora invocad
pois, nos principios do dever, i missao em afflrmar qae a li
altos, os legtimos interesses do (a parlamentar, a Blgica,
to melindrosa, e animando-se cem a provas mais conveni
patriotlsme qoe elevara se en- do qae seu governo teem
tmamm mftieiot [para meraorar co
MkW, alo dnrloa for- 'postos, attendendo
a eom-
a Frap-
, offere-
lo apnra-
applicam
o systema de rm-
e se nao fosse a noite, qae sorprehendeu-nos na
accao, teriamos tomado as snas trinebeiras e for-
tlficaces ; pois ji muilos soldados do 11a de vo-
luntarios oceupavam esses lagares quando a cor-
neta dea iignal de retirada : tivemos porm de
lamentar o prejuizo de 4 pecas raiadas de calibre
6, qae Ocaram em poder delles.
JHn fliA y i
nal de om logete a oongreve romos accom
dos, qaasl de sorpresa, per todos os flancos.
ama batalba, que o Lpez nos offerecia, e i
elle empenhou loda a estrategia, e um exer
20 a 25 mil bomens. Todo o nosso exercit
(roa em combate. A artilbaria da vanguar
ranle,^BMilivH|
^iiimnJiai iniii
e Tomos accomaaaaj
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-
gador Assis :
As apppellacoes crimes.
Appellante, o jalao ; appellado, Joo Nones Lei-
to.
Appellante, Manoel Antonio dos Santos e a jas
tica; appellado, Andr Vielra do Nascimento.
flr. dsinmhirgiilnr.ltili m Sr riflJdmtiiril
stta
As appellacoes crimes.
allante, o juizo appellado, Manoel Antonio
eir.
liante, o promotor ; appellado, Jos Fran-
andeira.
o joiio ; ap{ialUdo, Manoel Bodri-
igualmente s condfcdes dos qoe o denodo, fllho Ao amor patrio, que se micha i Appellante, o juizo ; appellado, Antonio Jos Re-
Mas desde quando nao existe essa commisso ad-
ministrativa ? Nos Ihe diremos : desde o reiterado
onego Felippe Nery de 'Paria, que foi em 1830,
se nao estamos engaados, deeorrendo al agora
mais de quioze annos I
O Sr. D. Joao da PoriBcaco, de lao honrosa me-
moria, achou conveniente no reiterado a que nos
referimos, supprimir essa commissSo on jauta ad-
ministrativa. O que nao toi censuravel naquelle
prelado, s-lohano Sr. u. Manoel de UedeirosT
Desde aquella poca at a morte do Sr. D. Joo,
quaes foram os membros da commisso adminis-
trativa ? Dicant paduani.
Vagando a s, assumio a governanca do bispado
o Exm. vigario capitular, sacerdote Ilustrado e ver-
daderamente inleressado (d-se o sea a sea dono)
nos melhoramentos do rgimen episcopal. Durou o
*
menos. M
pao achou
nistratva
aquillo qai
dever ser
o Oliente
Ihao, por tao
le bda colheita
(re o cure da
thronica (ulti
terrivel molestia pthisica algibeirali
mo grao.)
Ao mesmo tempe pedimos-'.be qgte se acautela
com a venenosa lingua da amiga Slvina, qae ca
mo se sabe bastante compnda^ e promette p patente as suas treflcancias.
Um feaarda do 3* fcatalho.
COMMERCI

__mais ou
oa elle nl se lembroo, ou
istabelecer a junta admi-
Cabe-nos aqui perguntar:
prime no Exm. capitular,
iaooel ? O que dir agora
s ad eaf
itou ento o Oriente contra a
commisso do Trd>ntnw, soperas-
molar o presente trabalho, cociendo diversas me-! contnbuintes e s coaveoieacias publicas. Sempre! em seos peit, e referve-lbes aa 'veas, foi qoe os drignes.
Porque
suppressio
,iio qae correo por conta e risco do Sr. D. Joo T
Por qoe nao Indicoa oa nao requeren ao Exm.
Gaixa filial de banco Jo Btisil em .
uarabuco 13 de julho ie 1866
A caixa desconta os saques d seo aceite |
taxa de60/0 ao aeno, saca sobria caixatIlal
Babia. I
Caixa Filial do Baaeo do Brasil ftifairarahat
aos 13 de jalho de A
De ordem da directora se faz sotante jo* sed
res accionistas qae o ibesourero srat aottoriss-
a pagar o 25 dividendo das acces daSta aalxa a
raxo de 10.
O gnarda-llvros-
Ignacio Nunes Correia.
fl

a
i

>5
V
*Xw
i
.; .,
urajin


?,-
911
l.ri. 4
.... wtfrie.... *;m.
O lloro'
ao anno
feaaea
Bdneo aoconta 'fotraS a 9 por cento
Reddimento do
ALEANDKGA.
da ..........
Il:028#613
MOVlMBcOt) DA AirtWUA
474
387
Voto mes turado com tuaodaa...
coja goatto....
Votomes Mbldm erra fanmffas...
com teaerv*...-
Sala das awd*
i'trajos
Ja&nselho de coaaorakaavaet
Santa
r'Qf
4a Misericonm
do 'Reeife,
A Illtn.* janta administrativa da Santa Casa de
Vai^hlr adk Ut
Pr em ilr
Sajrupcoai caiadanora par o indicado porto
v#SlMle LM/Paiwi, captad Perestrello,
por lar orompto quasi lodo o seo carregaroooto,
para onouco que ajada p >de adraitiir jrata-se con
tar\a diversos


Dascarregam aoje 2 4n ajpsM.
Galera francea Ai>fe-raereadortas.
Barea ingletaMrordem.
Barca tnglezaiiWplafl-ideBi.
Patacho pPrtuaari-- flor d*
geaeros.
Barca inglezaJara idera.
Paucho IngleSpraybaealbo.
Barca banoveriauaGratn Htiqphausen
deorifo-
Pataoao nacfca*ri*a enarque.
Brigue portuiuez.Lusitanoidea. ~r\
Pataefco portuguer tarto dem.
Barca francea Kwiifiuna, entrada do
onsignada a E. A. Burle & C, mmifestou
lli|4#Jitili Gamas,
afirVaddfr.
f.:0fl7#Hj

17 sas abaizo menc
i preMlentes 4eo e?arecw taaaea
da de setu BiJoree oa raaottos de carta* deata
EiUJfteciaetfM Je eariide.
Ra Wrelu.
'. 8 sobrado de 2 andares ....
Ra do Padre qdta*
N. 57 casa terrea.......
Ra de Farades.
N. 13 casa tecm........
'R.'#**iawa'*>i*a' i .
M das Cateadas,
N. 36 casa terrea.......
*#' II. 7 casa lerroa...... .
N. 19 idem........180*000
Roa larga do Rosario.
raja do san HaMtauL ***
7pIJ3'eleade seguir c
Graet'o
mais
a a/esto trai
en, raa da C
Para
coro breyidadoo ^
ahaae
conhaci-
a Rtis,
cirref*-
de Al-
andar.
Curre (SpwmSSm '
Aeaaawe varia na raspetva taesoa-
mjOOO1 Sataadonf emita Brevidade a barca nacional
Smda.it, re trau-se no escriptrja de Amonta Irmaos, ra*
Crox n. 3.
rana, |.J^\4a|xfrpPL.n. i5' OS bilbe- ofl^i^e.BrM^deidoies batahSes, qe
tes, meWs- e thmtmit pane da 4a a '** **) ortonen de todos os ot
Aa P- naaavaaaaas, talabartes;
nalaJcW^^ daa^,^W^/1 narlajww, espadas e galo de todas as larguras
wwoawi WVMI aa-aatMClo UfO eveado-WiDtft tanto do qoeem ootra qualquer
lugar e hora oceslurae. I parar, aMim ao Os premio* do 6:0004000 at ?0*000 cuaweoda tendete a cabello tanto para anel co-
~ra .cadeia de relogfo : na praca da Inde-
n. 17, junio a loja de Sr. Arantes
Ana | .lUfafifr. ,
Predsa-e de ama ama para o errffo tatemo A prVWi e tnW T!ft sdbftlarKias Medi-
da casa de um hornero, e qoe traga aboo da soa taJPP^rfN' fpejpajaica ao reao vege-
j^^ufirna^a^toa^aiy ir_____ LAe IJ^gtc,^Hs|o#^e des-
gm SShtr as"'reBres mlermllte^^ acom-
; panliadM e eogorgiiiM de ligado e
bago-. STIa lera sidoapplicada casi incoa-
GaBhetnHo'Bj>ifieo afete Lima isa ao' tRlftT.el p*0ito contra a aneaiia oh chloro-
ia^OO
. volomes Cazando.*, 415* barris e 515 meios
aiKM *m#a, 400 barricas torraba de Irfgw, ^twm segasao andar.
aitas gaso,KOoaisa ralas leorinai, '900 saccoi
areU,*8 triarte dfra.fdrts'CQaeTTas, 100
gigea cerreja, i barril vh; a diverso*.
ftEC8BE0QaiA BE RENDAS UtfBKSAS -GE-
R.\BS DE PERSAJiBUCO.
Rendimeato do du 1........... i:53o321

H0V1HBNTJ DO POETO
iVurio entrad no dm 1 de ogoto.
Punta de Podra-i das, biate nacional oatu Ai de 55 twetadaa, capito Antont Francisco das
Caaflaa. arfa toros de maogae ; a Tasso r
Irma o.
Navio saho na mama da.
Partos do tal Yasor nacional iCriuriro do Sut,
commandante Alcoorado.
?
M'ITES
O lilm. Sr. inspector .da thesourarja de fazenda
d'esta provincia, era vrriude da orden do Jbesooro
q. 112 de 13 de jaoho altiaio, manda.fazer publico
que tea marcado o Jia 15 de outubro d'este anno
para o concurso qua tsra de abrir n'esta thesoara-
na, para o pr8iwhimuti dos tngarei vagos de i*
e 2 conerantes e oflkul de daicarga da alfandega
do Rio-Grande do Njrte.
VersarS') os exames.
Para oBeral de^aVsctrga bre as materias de
que trata o t do art. i* do decreto a. 3114 da 27
ele junto de 1863 a saber: leitura, analyse grara-
matical, arlhograpbU, aritbmeca e suas applica-
rjoes ao coramercio, com especialidade a' redocfao
das raodas, peso e medidas, clculos de desountos,
juros simples e comoslos, theoria de cambios e
suas apnlicacoes.
Para 2o coofereole sobre as raesmas materias
exigidas para offlclal de descarga e mais as segua-
les : theoria de escriptoracio mercantil por parti-
das Imples b dobradas e suas applicaQdes ao com-
mercio, traduecao correcta das linguas iagleza e
franeza ou pelo menos da ultima, principios ge-
raes de geographia e historia do Brasil, algebra at
as equacoes do segundo grao, estastica commercial
e pratlca do servido da repartigo em que stiver
o candidato, se por ventura ja' for empregado; e
n'este caso ser dispensad i.de exame em qualqaer
das materias cima mencionadas em que mostrar
ter sido approvado.
B para 4 eonferenta sobre as mesmas materias
sereometria, areometcia, e pratica dos metbodos e
uso dos instrumentos moeraos de^arqneaeo de
n arios.
Os candidatos, qoa nao torera mnpregados pnbli-
c?s, davem apreseaUr documento que provem :
idade completa de 18 annos, isengao de colpa e
pena, e bom comporlamenlo. Os candidatos porm,
ao rafMr de confpf t?, que s o podem ser em-
iiregad.s pblicos, devon mostrar ter lido pelo me
Doj 3 *odos de exercicio de conlerente em alguraa
alfandega.
Secretaria da thesooraria de fazenda de Pernam-
buco, 6 de julbo de 188S.
servindo de official-maior
Manoel Jos Pinto
33#)0C
175*000
er5o pagos OTiabara depois *'9***^]ffJE!5
at as 3 horaa 4atarde, a os otatroa dapoia :
da distribuilaHaa^isla. riJ!e
na padarla da
fui l I........
Icu
,,,!' 'Iljl
uai ^ .
Ra da Moeda.
N. sobrado de 3 andares. v-\
Beeco do Qaiabo.fV
N. 8 idem, casa terrea 1
Roa da ftlotia.
N. 55 idem, casa terrea, i .
Roa do Eacaaiaairoto.
N. 3 idem, sobrado.
Ra de S. Bom Jetar
N. 8 casa terrea
fflfluiAftfl
JUWfWW
^80*000
>44*eo
Vp
ym totioa-----.
PatriniMt e rtiurta
a terrea n.
w.
O Dr. Tristode Aleonar Araripe, offlcial da impe-
rial ordem da Rosa juiz de direito especial de
cinoiercio desla cidade do Racife, de Pernam-
buco esea termo, por S. SI. Imperial e constitu-
cional o Sr. Pedro II a quera Deus guarde &.
Faco saber pelo preseate, que, peraate este ]uizo
e cart'irio do escrivao que este siihic^even, corre
urna execoQo de senlenca entre partes como exe-
queotes Rabe Schamf-tta & C, e do ontro como
exxcniados os administradores da massa fallida de
Joo Baptista Goncalves Bastos, e correndo dila
execacao os seus deviJos termos proceo\?u-se ape-
ohora nao s em ben* comj era dioheiro perten-
canti aos executados, pelo que em audiencia pu-
blica me fera fello oreqoerlraenio do theor seguio-
te :_ ajs trtota de utho de mil oltocentos e se-
senta e seis, nesta cidade- do Becife de Pernambu-
cu em audiencia do Dr. juiz de direito especial do
comm^rcio Tnsto de Aleocar Araripe, pelo solici-
tador Rodoloho ijo'Barati de Alraeida, procura-
dor dos exequentes, fura reacusada a penhora feita
em bens dos executados e em dioheiro na quantia
dr cito centos oitenta quatro mil tresentos setenta
quatro reis, existente ni deposito publico, e per-
tencenta aos mesm.s executados,os administrado-
res d> massa fallida de Jvo Baptista Goncalves
Bastos, requerendo que nao ?6 ficassem assignados
os seis das a penora, como os dez dias os ere-
dores incertos sob pena de revelia-, para o qne se
Ihe desse os editaes do estylo; o queassim loi de-
ferido extrahi o presente do protocolo das aulieft-
junto a carta precatoria e termo de peubora:
O 1.* andar do sobrada a. 27
. fleaeato.
Casa terrea n. 227 >_ *
Ra dosTScadafes.
Casaterrean.il.......2163000
Apa das atoadas.
Casa terrea a. 12........I2i#000
dem n. 30........174JO00
Ra dos Burgos.
Casa terrea n. 1........ 191*090
Senrafa Velba.
Casa terrea a. 18....... 200*000
Roa da Gaia.
Memn. 29......... 144*000
Ra do Pilar.
Gasa terrea n. 105...... 168*000
Idea n. 103 idea.......2009000
dem n. 99 idea.......255*000
dem n. 94 idem.......200g000
Idemn. 5 na Fornoda Cal. 150*000
Secretaria da Saua (Jasa da Misericordia da
Rrcife 28 de jumo de 1856. |
O escrivao interino,
Pedro Rodrigues de Sooza.

DB
^7 T
IIO JE
SENDO :
piano forte, 1 mobilia de Jacaranda
in<^ ato, 1 mesa redonda, 2 conselos com lampas da
****WOT. adra 4 cadelras de bracos e 18 de gaarnidao, 4
nnnaan aaatlpes e mangas, quadros com gravuras, 2 caa-
'w*"" dtoiroi a g, tMwndelabro, 2 serpentinas de( crys-
n--- -ai. t mi ocio du alabastro com piauha, 1 mesa
- adunca, laaaa, 2 apparadores, 2 ditos com ps tor-
aaadot, 1 gaardaiouca, 1 santuario, 2 commodas,
1 aafA > aataa, tt cadeiras americanas, i mar
cisa-se de amassadores
rna larga do Rosarlo n. 16.
' "'Ij '1' -%"* "' '"-i" .;--------
Precsa-se afogar urna aaerava aue saiba en
^Aiv aaeoromaada eaH wmfca^ fo-
mente at a noite da vespera da extracto. ^aar^wimittVTaVa^aTPiQilal a rna da
^^taWajUftiM. Impwatritfl. rr, faedw.
__ >ntia>3admf1Wil4eoata. -PVe^-^biwy.ete'Wf^^ra serv.cos de
Manoel Joaqnim Al ves da Costa, ^fbdStc'1
n
ra *. m.
portaguez, retira-separaj) RioM|ajafM|| JT g #- Preeisa-se de uma ama de leite que r

CUSA DA FORTUNA.
Aos .6:0000000.
a tratar na ra da Alegra n. 34.
"Mira"
rece-1 se e bydropegia, caUnao da bexjga, e mes-
" wptT9 eoiabaler a aaensi-napo difficil,
resatftado da mesma anemia ou cblorose.
Extracto akoeico de fuiobeba.
Emplastro idem.
Oleo idein.
oX*a
Pilulas de extracto idem.
Deposito, pharmacia de Pioto, ra larca
do Basara .40. *
Oj-JJWEBA M*qiQj: I WWqrfa AnorvqMr^-^ribeba-
nascem nos sitws arenosos do Brasil dona
arbustos .ftKWrnA OMro, mas nao do
30
to2^S?ZTSffi./i1 cisa* *^^Mwlwl^mmJindase
12 cadeiras^araaareilo, 1 la-
actos da tata # damilla, os
lados para a W 'da Cadeia
se erTacaaaaf klilo
A 2 de agosta.
O^geate Pinto autorlsado#w www aassoa que
retirou-se para o norte tara' leilo das objectps aci-
tameocianades, as la) jhoras fio da cima dito,
ao armazatatti roa dfAdaaVatSl___________
Leilo
Da asa terrea da ra Imperial n. 16
sobrado da tia do Apollaa. i.
&iaU awda Misericordia do
Reciffi
A lilma. janta admiaMtrativa da Sania Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico que no
da 2 de agosto, as 4 horas da larde, na sala de
saas sess5es, se recebero propostas pra o arren-
damonto do sobrado de um andar o. 33, sito a ra
Direita desta cidade, que precisando de coneertos
ser arrendado a quera se abrigar faza-los, median-
te condiepes que torera previamente convencila-
das, e que deverao ser especialisadas em ditas pro-
postas.
Santa Casa de Misericordia do Reeife, 28 de ju-
Iho de 1866.
O escrivao interino,
____________ Pedro Rodrigues de Souza.
Santa Casa de Misericordia
do Reeife.
A Illma. janta administrativa da Santa Casada
Misericordia do Reeife raandi fazer publico que ao
dia 2 de agosto, pelas 4 horas da lardo-, na sala de
suas sesrtto, ten de ir a pr?a para mrer. arrema-
tados 309 palmos de terreno, no lugar dos Arrorn-
bados, pertencentes a esta Santa Casa por cessao
de dominio nl e directo feilo por Mnaoel Jos Lo-
pes Braga e sua mnlher.
Santa Ca*a da Misericordia do Racife, 28 de jn-
Ibo de 1866.
O escrivao interino,
_______Pedro Rodrigues de Souza.
Tendo a comraisso directora da expsito desta
provincia, em sesso da I do crranle, resolvido
transferir a abertura da exposiclo para o dia 7 de
seterabro prximo futuro, assim o faco publico aos
radustriaes e mais pes*oas que tem de coneorrer
aquella festa; prevenmdivos de que a remessa tos
productos deve ter lugar de 15 de agosto em
diante.
O secretario lelerino.
Gervasio Rodrigues Campillo.
Portugal
C'iasHlad!) Para fornacimento do vipor Zarco portuguez se
precisa o segulnta: azeite doce, arroz, agurdente,
iMC.Uiao, earvo de padra. bolacha, legumes, le-
nba, pao, carne fresca, vinid, viaagre, sal e carne
de porco salgada.
Recebera se propostas em cartas fechadas diri-
gidas a este consulado, para fornecimento destes
gneros, at ao da 6 de agosto ao mam dia.
i. ....H'. .
AVISOS MARTIMOS

COMPANHfA PERNAMBCA'M
DE
Navegaco costeira por vapor.
Parahyba, Natal, Macu, Araoaty, Ceara e
Acarac.
faj oes,revi.- En Mauo^ de Carmino l>aes fl^lZFk. ?.?f"'..J*"rfo.." ^oj
de Audrade, eserlvao o ^hscrevi Era obserj ^^^^
vanwa do que o respectivo escnrao fez pascar o | Reccb3 Carga al 0(lia6.' Eneommondaa, pas-
praseute ediul com .. t-raso de dez da, pe. qual, ^ h f 3^ d ^
e seu leor chamo cito e hei per citados os credo- ^ da sah)(la
res in'iTKiS do me"cionado fallido executado,
pan'q.ii dentro do referido praso coraparegao an-
te este jui'.f.allegando e provando o que for a bem
de seu direito e jasti$a sob pena J
de revelia. E
Escriplorio no Forte do Mallos n. 1.

Para Lisbaa,
Vai sahir com brevidade o papacho portugnerJ
para que chegne ao conheoimento de todos mandei, Flor de aria, capito Ramos, recebe carga
(azar o presente edital que ser afBxado nos luga-
res do cosame e publicado pela imprensa.
I)ati f a passilo nena cidade do Reeife de Per-
narabuco, ao 1" de agosto de 1866, eu Manoel de
Camino Paes de Aodrade, escnvfi > o Mbscrevi.
Tii^j da Ateaur Araripe.
OECLARACQES
passageiros, trata-so com E. R. Rabello
do T:-apiche n, 41 a cora o capillo,,
a ra
No dia t-ai-feira 7 do corrente, depois da
auOi^ncia do Lira. Sr. Dr. juiz dos orphios deste
ldadf. do Recite, sera' vendida por arre- po(jem sa5"er q todos OS pormenores apre-
0 capitioJ. H. Hies da galera ame-
ricana La Ducoesse d'Orleaus, arribada
este porto por forc/a maior no dia 10 do
corrente mez, na sua rojete viagem de
Tom para o rjorto de Bltimore, precisa
dos mastros grandes e de roe oulros repa-
ros aQm de seguir a sua viagem. As pes-
oas que qizerem contratar a obra cima
e do
i. 1 bora em ponto, no armazera da roa da Cadeia
n. 51, onde havera anleriormeute leilo de
moris.
PorNitorwaoie do agaotg'Pinto. ;
Leilao
De roapa feita
IIOJ-
Quinta-feira 2 de agosto ao meio dia.
O agente Piulo aulotisado pelo consol da Fran-
ca fara' leilo de differeotes peca* de roopa de
uso, 55 a 30 wiumes era trroerrara, 1 armario,
ehjfctosperteoceotes ao fallecido Jacoby, fypogra-
pbo, a Hfcin dia do di actaa dito, no ai-raazera
da ra da Cadeia n. 51.
de :Oeoa.
de4:*IWi
BUbetea garantidos
A' RUADO CRfiSPD N. 21ECASAS DO COSUJM1 >
*}*&a+*ia^*it<*tujm j^ej| bihe.tes garantidos da Jalara ano e acaben
Treextrantra b^ueflcfo da cotonlsacSo polaca, os
OMair '^preatoe
N. tV3* *ou aoalos mo- m
. 990 meio MMeceoa wm
n. 939 rreio bilrfete cora a sorte de 500*.
N. 2282 bilbete intelro coro a sorte de 200*
E outras o** Wd- 400*, 4* a 0*.
us possoidores podetn vtr recebar seus respec-
tiros preMHiaaa aodaaaai da reis na casa
da Fortuna a- ra d Crespo a. .23.
Acham-se a venda os da ip parle da 4' e 1* da
o* rotera (75*) a' beneficio do Gymoasio Provin-
h:4, que ge Mraaira' eafebado 4 de- goisto.
Bilhetes........ 6*000
Meros...,,.......... 3*000
Quintos.......... 1*200
Par as aessoas que compraren! de 100^000
aaraeiaa.
OBhiiii-----------, iMoOa.
ujni--......... *7
gointos.......... 1*100
_______ Maaoel Mnriin O ahaixo#JMarea5i.dfe cim
na riddeidn RtAl'rtiHiefP,4ecUra patd pTeeot
nadi de/eT i pessed fcrwm. o-m n^srt dra;a *
aoM fri Julia, piiTeii *i attsem *e julgar su
credsr tarpmau uhtmu *i prae da 8 dia* sin
casa dos Srs. Antonio L>p's Braga & C, ra da
Cruz n.86. -ftordto'l*) >*otn -1# t886.
Jo) iVtt n.*> Tiirrs.
O1. Jbaqoto Cdrrta'f'airq'feira apparecor
a* Uvraria n. 8 a praca da Independencia, a ow
gooto goe iM.aic rea#eia.
aWMIimK ai|iM| jmtmnm-iM
1 SalWW.^aTwJf! m
O *rs. rerrllaao ie
rMrampflIor Pelrano
fftMlrtffue* #a Ha, rjfr-
jaw"Bioj'iaarn*> Crespo n.
''ff.'aqnegetiO.
A oessoa que por acaso compren a afgtrm ao
. i oo rt4o2 tomos das obras de Polhier 7".e
8", querendo restilui-tos din>a-se na da Impe
ratriz n. 3, segundo andar, que aloe de ser in-
demnisada da qaatftia pdr qne os compran ser
I gratideada.
ssociaco Commctcwl teoeficente
ieiPieetoMibaco.
N o-ieodo reunid oumoro ooffieienle des
flri. asrcld06 para a ttto ordinaria da assem-
tta feral diuta a*orio, couvacada para hoje,
a direccSo noameote convida os Srs. associados
*e rtuiiivm na*aa, 6 do corrente ao meio da,
ereie para Ira ladican convite individual que Ibes
foi feito.
Asexucia^o Coaxnerai'leoeficente da Pernam-
Mte 1* de agosto de 1866.
-.Bj| Candida C G. Alcoforado
Seoretano.
-
LEIlilLO
A 3 de agosJ.0.
O agente Oliveira fara* leilo de todos os movis
e trastes da serventa da casa e sitio do Exm. Sr.
desembargador B. M. da Costa aria, e constara
deduas raobiliasde jaoaranda tendo a mesa e con-
solos lampos de marmore b'aoco, e outra de faia
lambem cera tarapos de marmore, variedad* de
cadelras avulsa*, Sai- cmas de casal, t tamas de sulteiro com e-trado
de sola, toucadnres, lavuorio*, 3 pares de bancas
sendo2 de Jacaranda'. 1 de gabinete de moano, 1
secretaria, 1 piano, candelabros e muitos oulros
movis de uso domstico, como sejam cadeiras de
balanco, estrados para dormida de escravos, ba-
oheiro de amareilo etc., etc,
Vende-se tambera por essa oecasiao ura carro co-
berl>, u a cabralet com ceberu, uma parcha de
mullas castanhas, as meltrores aqui existentes e
uma mua passelrae apiima piara cabriolet, cabras
de leite e cabritas capados etc.
Sexta Crira 3 de agosto
na inesma chcara na estrada do Manguloho, as
10 horas da manhJa, e havera' nm mnibus no
largo do Corpo Santo, R-.cife, ai'9 Imsos da ma-
nhaa para condueco dos ooucarrentes._______
Leilao
Da padarla da roa da Seuzala
vclha a. 84.
Sexta-feira 4 do corrente.
Por despacho do IiIra. Sr. Dr. juiz especial do
commercio e a requeriraento de M-itheus Auslin &
C e Tasso Irmaos, o agente Pestaa fara' leilo de
todos os nteneilios existentes na padaria da roa da
Smala Velha u. 8i, a saber : -2 eylindros.de raa-
ceira, tendedeira, cabidas da taboa, folhas, balan-,
(jas'sendo u:Da decimal, baicuo, caixoes, relogw,
caleira etc., e sera' tudo vendido em lotes sexta-
feira 3 do corrente, pelas 11 horas da manliaa a-
uie-.raa padaria. ^______________
' Ia||rJa.O
Sexta-feira 3 de agosto.
O agent PiBlo far*' lao a reqiwrimento de
Schafleitliu & C, e por mandado do Uro. >r. Dr.
jniz especial do omm-Tcio, de 20 caixas com vi-
nho vindas no navio RIO, co&sigoadas a Kabe
Schametuu & C, as 11 Ifl horas do di*! cima
dito, no armazem do Sr. Aonas em frrole a arfan-
Atttntfilo.
Joo Pprirs P-"l'oso L''n>, in< Marii Pifrno
i Lima < Ant'iiio Pedr>so Li na,. fa?pm scient-^ ao
j respritavel publii-o e eo p^p'Cislidaie ao corpo
; do commercio qu-f n sta dat* djssjlvenm an1ga-
| velinei.li'a .-neie.laili-ijaa.iijiuiaujsert.i'b.-lecimen-
' tos do ub^rnas da io da Pont* V-lha n. 39 o roa
do Cojoveiio n. 49.a lUiaiL'vriiva soii a Hrma sorrial
A Io P^reira p-droj-o I,un rmaospertenceu-
do de boj- em diante n da r'.ia do'.Cotovello aos docs
sociis Jus'-- AntoniOipa~a o garirem como eu
proprio cm tolos p;Tun*os mil- piisteotes, eo
daraj da Pvpt Velh i afl socio JnSo Prreirj Pe-
drosu l/rri', 3 ipiAtn sivu da cxiiucta Grjna social como nico responsa-
vel0 R.;ifr25-1a-furHcre18TO. __________
Frdeu-se
no dh 31 da Cip'ini a' rus ^n S"ho, um
de fil preto: (|Um o acli.u qu^ira leva lo
da Alegra n. 3G, ijue sera recoinpausado.
I'reci?.-se d.
Qaem precisar de uracsijrerro portaguez dirl-
ja-se a roa do Rangel n. 9.
Alaga se a padaria na ra Irapenial o. 199
com ulenciles ou sera ellos, e mes a o para oatro
qualquer esubeleoiroanlo e por precio rasoavel; a
tratar no largo do Carino quina da ra de Hartas
o. 2.
Precisarse alugar um creado cativo ou forro,
para casa depoaca familia, que seja bora cepeiro
e comprador: na rn da Imperatrtz n. 15, 2o andar.
chiles
a' ra
um homem para .distriouidor
jeste jornal,-prefre-se a -qoetn Ja lenha sido mili-
tar : n; livr*ria n. X U pr.i i da_ lo^ptii-ncla.
Pri-cba-sealo!. de para o bpN^ii il- moa erianC du um anuo :
a' ra da Impertrlz seguudo ari-tar; n. 15
Ha na ra Jo Ira parador n. 31, urna carta
para o Illm. Sr. Augusto Joaqun SeCarvalbovln-
dado Rio <\-~ Janeiro e que a uda uao Iji entregue
per se ignorar a sua murado.
frondosfls fcQws. .^mbos^odai* bagos
gramneos reunidos a'maoeiradacaehos de
uvas^p'ndejttesdeumjp^duoculjjfiurto. O
prneiro, 'tilo # laacjia, i pw*co, menor
do que a remear apetws crace al altara
de um h jjaem, twn raw* najeaures, no
muto SWW0.MS, mas r^orladas, com talos
8^*fe4jajlf--esi(ialK>.
ms-exfremlfJds ios rambsproduzpeqoe-
; as flores comrj que juntas em forma da um-
'ftella, de crfattea misrurada de ajuceleste,
as rmaes represenum exactaiMoie urna es-
trella de anco ngulos e conftam de uma
s corla, modelada e como dividida em
outros tantos tringulos, sabindo do centro
cineo eslames, ou filamentos, de maneira
que ao longe tomar-se-hia por uma flor de
borragem.
O segutdo, mais alto, mais espinhoso,
tem fotnas maioTes, cobertas de pello pela
parte inferior, elegantemente guarnecidas
de espinhos, recortadas de um verde vivo,
tendo a mesna .flor que o macho, porm
mais ntida.
Ambos em virtude do uso quotUliano da
medicina, sao bastante conhecidos Das phar-
macias. Em rerdade, suas- fallas e sueco
sao empregwdos para mittgar, como tempe-
rantes, e curar as feridas $ ulceras, c mui-
to favorecem a cura dellas. Posto que as
folbas e raizes tenbam um sabor amargo co-
mo a cbicorea e a fumaria, todava diflicil-
mente poderiam ser cassificadas entre as
drogas quemes. 4ohresae principalmente
em vtrtude e eflkacia, e mais amarga a
raiz, com particularidad a do macho, que
consta de parles mu tenues. Por cerlo o
'.osimento ciedle faz despedir a ouriuaretida;
e applica-se muita ves-cen feliz resultado
contra as obstruesoes do ligado e da prsta-
ta em lugar das raizes apperientes.Sua utili-
dade eexcellencia Ao taes, que naos pelo
doutos, mas lambem patee povo rustico
procurada Je contemplada entre os remedios
maravilhosos.
(Tradiizido do latimie Pitn e Marcgrave.)
riioTOGMim
1BTISTI A
miEBICAirj
38.
M'g le Jos d Al iif-ia Harnambu^o, Miguel
Jos d- .-'lm;'idi P.-roamhoco r'iliio, Mamr-I S'lvi-
no de arros Fa:'.ao Kz qulef'Franco de -*, |
convidjm a tjJo; os sei- par^BM e a-nico; paral
assisti:-em a ama misan pela alma do sf-u fllho, Ir-,
roo e c.ouhalo a If-ras Praoclsco Jos du Almei-:
daPernaraboco. iiuTrln nos tiroteiris do dia 9 de !
jcmbo..a qoal ler,.'luir n:i :jnja da Go&ceic)
-o>s Milit.res no da 4 >i co-r^oie a
da aaohaa.
i'reci-a --' de um fmtof que enlon la de jar-
dlm para um sitio pertj da cidade : na ra
Cruz n *9.
-
RA DO IMPERADOR N.
Artista americano
Artista americano.
Artisti americano.
Artista americano.
RetratosRetratosRetratos.
Em porcelanaNiepcotypie.
Eu lencosArchrotypie.
Em vidroAmbrotypie.
Em metal=Daguerreotypie.
Em papelTalbotypie.
No grande salao da ra do Imperador n. 38
i hora\Noffraide salo da na do Imperador n. 38
Neste eslabeleoimonto tiram-se retratoa
em todos os systemis, com asseioe promp-
, tidSo, desde as nove horas da manha
daat as cinco da tarde; assim como tem
seiapre a venda grande sortimento de cai-
ChdtpxiQ* fie mamlha branca xas finas de diversas formas. Quadros
a 140,160. 180 e 200: j ovaes Passepartouts e todos os mais ob-
Na praca da independencia^.^ <_2j>. 4otos e.prodactos chimicos, relativos a ar-
Precisa-se de uma ama de leite: na ruado te e recibidos ltimamente dos melhores
fornecedores de PARS e Nova York, tendo
em
um
De tiafinia e Trigo.
Sexta-feira 3 de agosto as 10 boras
ponto.
O agente Pinto fara' leilo por* conta e risao de
qnem pertencer de cerca de 400 barricas com fa-
rinha de irigo em perfeito estado, as 10 horai
ponto do dia acurm dito, Doarnraaamdos c
ry Forsler & C., na ra do Imperador
rlflf
em
Srs^iHen
- Aluga-se iinu-a<-grinha de W annos, propria de tudo, para todos OS gOStOS e para todos
para andar com criauca, a tratar na ra lmpenar nc r
n. 144,2 andar. os presos.
timmaaaaam Sala0 Ja rua '^ Imperador n. 38.
Salao da ra do Imperador n. 38.
Brag; Figueirlo. Joa.. Quintilho de Fontes Bra- BOLEVARD DES CAPUCINES N. 7.
ga e lfcnve< Joaqfltnl Veiva de F%Htirdo, agr-; Entre o yraad btele a raadeleinr
deci n a lodas as pessoas que zeram a honra Rite Mi-Araiand
asmpaulnr ao reoiiteraiBpblico, o'cadver de ,
seu nuito prezado maridd*, pai e sogro Joo de; E
Fpnle- Brapa ; e de nofO c/H-Bf1da, para que ea |}ue AeUVe des (apUCBes, D, 16.
*da-eimwlato*elebrtir Sedas,
a. 9.
:W1
dignem assistir a mlssjJqi
pelo repouso de sua alma, no convento dos reli-
jcrosafijiucjfoanif, t|U|nt|r |pi/ra;2^ gestopala
AVISOS DIVERSOS

.
i 30 precisa sa de ua
miucA > ante o mesrao Sr. juiz, a qaem maor lan
ga oUerecar, a rasa larrea n. 58 na raa da Cinco-
Pooias com uma porta e duas janellas, na frente
cura 19 palmos a meio vo, e 60 de fundo, daas
sallas, dous quartos < jiinha fra, quintal morado
eom portao para a ra do Dique, caoimha e uro
quino, chaos propriu-.av.diada era 2:600|000.
A iiieM-na-venda sara' .iffcciuada livre lio quaes-
qner n-'pezas para os conseuhores do predio, in-
clusive a da slza por inteiro, as qofres todaa corre-
ram n >* coli db arremata a, oorqae foiaatorisa-
da a rtquertmanto do tesiaraenteiro do rioado Joao
Bautista da Oliveira.
sentando-se no consalado dos Estados-Uni-
dos para aonde poderlo mandar as suas
propostas em carta fecha la at quinta-feifa
ao meio dia.
(lonseiho de compras uavaes.
O C'ins^lho promova no dia > do correla mez
a'vi ebtdas at as U hora da
man aprad setsuintes objetos do oaa-
arrada : 1 pe 'ras de amolar, 89 cami-
sas nv la ta, 10!) cromas, 120 palmos de pedra
marmore tnm:16 pollegadas dalargura o 1 i
jffe i i virodiiroi de linoo d>> "Bl
da
Para o Porto
Seguir com hreydade a bem conbecida e ve-
leira barca portugueza S. Jfanonl II, por ter gran-
de parle de seu carregamcoto engajado, para o
resto da cargas passageiros para os qoaes tem
magnficos comraodos trata se coro os consignata-
' rios M. J. Ramos e Silva & Genro, raa do Vigario
n. jl, ou corn o capito a bordo.
Eo Grande (toSuL,
O brlgna brasileiro Pnnceza, ssgua cDa.,brev-
dade, recebe algarna carga a frete : trata-** com
o coasignatario Jlo Francisco da Silva^JXovaor,
inrvessa da 'Madre de Deus n. 8.
i i i
da arro Jbr-*, 4 prancboas : Para o Pjrto oer, Lisboa a veieira e aaperier
le 3 cosalos, 200 s de cano de barca portugueza Ermelinda pretende sahir para
1(8 e 100 rrobas de ole? de Bliaer;, os indicados portos cora multa brevidade por ter a
tea r >u. aeoapra ieaslmoate para o transporte j maiw parte da s>u carr tratadp, o para o
4e fj tu-])) o fornus dadas pelo que Ihe falta, trata- malario loaqnim
.o do sicttpira n-' Jos Goncalves Balrr3o, ira roa do Vigario ja 17.
don: iprimeuto e3dednaae-i t'tAtkM W c;i(?n
tme *>iat-aotr p4o tambora de s:cuptra con '"W^pw* atfftau
-d^BJfrlTnent:, l paltegadas de gYossura para o resto da carga e passagens trata-se com
Dos extremos e 3 ps no centro. Carvalbo & Noguelra, na raa do Apollo n. 20.
lostilat' Arclieologtco e Geogpaphico
Peroambocanfl.
A
Itrif 1 otlpjlcii
pi i servlcQ pitems, na
o riinhPiro ou cosirrfielra.
manteletes, visitas, mantos, etc.,
cassas impressas, rendas, chales da India,
chalas franceses, pannos e toerdos do ges-
to o mais ndvo enxovies fiara casamen-
as
PAPIS fMTA DOS
So i-timen lo de papis pintados e
indas guarnigoes para ferrar casas.
NvLlVlURiA FRANCEZA.
Bff. 9. Ba do Crespo N. 9.
\mmmm--im;n
mmmmd
| Mudanca de residencia
m
O Dr. F. Portclla, medico
e operador pela facnldade de Paris, trans-
ferio a sua residencia do largo do Carmo
para a rna Nova n. 46, primeire aodar,
onde couiinua a exereer sua profisso es-
peciaimente as molestias de albos, das
vas urinarias e de pelie.
Consultas todos os dias das C s 10
boras da manha.
Chamados por escripto na supradita
casa ou na pharmacia franteza da mis-
ma rna.

tes.
A coapagnie Ljt>ntiais9:eiaa>l*'i manufactu-
ras emLyon, Cachemira, Alencon, Chantilly eBru-
Os abaixo assi(oados JLia ffa Siwa etelfas para a fabrlcacao das sedas, rendas e cacbe-
Jos Antonio de* Santos como herdeiro. d eu fi- miras; poror s, em Paris loaetdm a sua casa
,uado fiilio jos/ Aulorjo dos Saetos Fontes, fazem de venda.
commissao de trabalhosoisUrices e archeolo- renle ao respettaVel puhlito que no da 26 do' A'cora^agnle Lyonnase-nunca ceisa de tratar
far publico que, no dia 2 de ajusto prximo,'Tn^proiHmo ftndo dlisolreratn amig&Velmente a 'partrcurai'mDte d escoma, d bota gosTo, e das
eciedade em commandlta que Paliara tioeaabele- quaHdades superiores dos stus attigos.
*imntode t4bfraa,6ijO'foa drt Moeda n. 39,_flue: Alagwa^ auoicacasa eraPavIs qaopossa
gyrava sob a firma de Joo Lu: da Silva & C'i -, oflereeer o maior sortiment das f*zeudas e modas
cando o mesicu Silva, na posse do rewndb estaje- daprimeira ordem.
.uba ua iur?" ^
viva o mmm
Ao systemametiico deeinial
Lei a. HS7 de 26 de jnah de 1$62.
Art. 1. O actual systema de pe.-ose medidas se-
r substituido em todo o imperio pelo syslema m-
trico francez, ua pane correspondeere as medidas
lineares, desaprnele, eapaeidade e pero.
Art. 2. >E' o governo *nioi*rsado para mandar
vrr da Europa i s necessarins padrOes do referido
systema, sendo all devidameute afrridos pelos pa-
drees Ifgaes.
!. systema mtrico substituir gradualmen-
te b actual systema de pesos e medidas era todo o
imperio, de modo que em 10 annos cesse ioleira-
mente o uso legal dos angos pesos e medidas.
2." Du ante este praso, as escolas da iustroc.
cao primarla, tanto publicas como imrticu ares,
eomprebendero no eusino de antbmetloa a expli-
cado do sy.-.tenia mtricocomparadoootn o systema
de peses e medidas que est aitoatmiit- em oso.
Arl. 3. O governo..., peder impor aos iBIrac-
tori-s a pena de prlsSo al nm mez. e multa at
1O0JM00.
Aten^So.
CbegaTam a aua Nova n. 38, viodos de Pars e
alli devidamenle afondas, as medidas mtricas de
queirata o -' an>o da lei aelrrrft, e tendera se por
preco c mmoin ; tambem se vende a bem conbe-
cida obra NcOes do Systi)a Mtrico, por Ji s
Antonio G rnips Ju/iioroomprebendendo as preci-
sas explicacSes do mencionado systema e tabo&s
comparativas da coDvers&o ss medidas de um
systema as do outro, na conformidade prescripta
cqoo nieo rqpoisavclj o^u* laeatrt pablreo para
spkoc.i o re^ireitavol fe, 1 de agosto de t8C6.
.Joao Luizl*bi'rBira fla Silva &QI
^~P*recisa-ie irragaV ara' primiro andar, prefe-
rtndo-se oas! Cripo,-do!Qol|uad, Piooa o Oaba^r para tratar t ^os ^ melhor gosio, e cortados -ubre es padroc
tara' lagar a transferencia dos osss ncontrados
na sepultara que se suppSa ser de.4uSo Fernan-
des Vieira, da igrej.l da Misericordia de Olinda
para a do Paraizo nesta cidade, aflm do nroceder-
se ao eiame medieo deliberado pito Instinto.
Convida, pols, a commissao em geral a todj; a'
pesoas, a especialmente aos raembros do mb&mo
Instituto que qizerem fazer parte desse acotnpa-
nharnento, para se acharem em Olinda a's 11 no-
ras da manha do referido dia.
Sala das sessoes do Instituto, 25 de jultlo do
1866-
Sarfeddor Henrique 9e Albuquerqve.
, Padre Lino do Monle Carmello Luna.
g-^~0"s abaixo assignados menibros da comrais-
so encarregada do pwmover o beneGclo era ffevor
da Sociedad* Bener > Artist-s Alfaj.tttM
agradece ero uomfl' da mesla ao muito digno MQ'
prazario do'lheatrti de Sarita Isabel c socio hono-
rario da me.-ma pela boa vontade com que s-
dlgbou de servir a esta associaco, e juntamEBt
agrade
theatro^
^^SS^SiTSTmmp4 ym C**. da consultas todo os
Aaiouio .Mavario. d* G as 10 i|2 horas da manhat e das
Maunno Fr.ioeisto^^H c as G horas da Urde. GhamadoB por
iJolaraito Jov^moj*eApoi- riptopodemontregap no primiro andar
AB*t?BoCAyres a"" 'do- ^ mesma Casa, no escriptoro do Sr. Ta-
-yprecis^e de ora ama: ua ru* das Agitas- vares & Caris. Tambem aceiU chamados pa-
70. ra fora da cidade.
Iprimemo parangCTfr como seo proprio eom todo ftPor meio de suas manafaetrs, a coapantla
ativ..epa8.W%i3ja ncroldieab fi xra a seu oargo poda fabricar tambe cempar
raprar os artigos os
uai* ricos e ekgates, pus poas mais. farofavd*,
cata pregos exeepcioaaes, e, pur so veide as
melhores coadges, emquanto a qalidade e aos
preeo.
NOTA. As-ofllBfia de eotor* daoompagni-
a roa dq Juiperador n, ( k'ja.
ATdgani-so duas grandes casas terreas rom
todas ai a'ccom'rno*nos, a betra do-rio, da Pdste
Oa>Uera ; a *r.tw na ra>do XmoVita a. oi {Be-
cife).
() Dr. Gtttavo Adolpho : Walbatrm''
ce a' companhia que faz no tem aberto seu consultorio medico na ra
os mais eIcgalos,saoas mis afamadas em toda a
NpWn.
Na paD'ria da roa irelt
n. 84, lia seajpre para vender
Pr-oBotriodo pr>50 os co-
nh-cidas e acreditados cy-
tlndros americanos para
C|I?GCAfl BROWi
Redlfflo'Mt^flrVet%-a%*rjrrheas antigs
recen, tes, umep deposito na pharmacia i
e franceza roa da Cruz n, ^2 e o preco de
30OO.
pe* i i" do art. 2a da citada lei.
Precisa^rl Uma mnlher que saiba bem
eosiohar : na ra do Hospicio o. 44,'-fwga-se bem.
ffsrece-separa-raiKwronnaqu'r estabe-
Immento e me^Titrpar.'! r r.rmca, u hoas
qdalldades, o qual da G.do* deeea bom comptirta-
meiiio : qnem preeisr drrt}a-se a ra de S. Jos n.
38, que achara com quem rlar.
m:
I BIP0XITO M CJPADO
m FAB*l,UM)MASA M afiEiVCAO
Riit lo va n. I.
mu Ahi se nctmtrarSo obras de di-
i ?ersas ^dados, frpw!/preco mui
J "diminutos, a retalho e em porcoes.
se vsnde a diohciio.
Wf3t
O ab id patu-ij:i atiia e qual-
; fallecido
lie PcaafiM da Paat'ftMIeW,'-que tedham a
bondaleda apresentar ni ora c nta-
d'.s da -Ista t!ete, m\* 'ido le-
galisados se'i pagoi ci '^^fftados
todo e aualqaer coacerto.
loja da
preciosas,
rameada, o
L
;'


. 11 mu > i ,........''' "i w
.r
*
^wp.Wffrfje^:; sr1--*. WBS. n*f 4e ^
LEGITIMA
CONSULTORIO
uiunimn
PREPARADA MCAMEITE POR
LAMAN A KEMP,
NOVA YORK.
Gomposta de substancias, gozando das
propiedades eminentemente depurativas
pprovada pelas juntase academias de me-
dicina ; usadajnos principaes hospitaes, ci-
vis militares e da marinha as Amilha e
no continente americano ; receitada pelos
facuttatrvosos mais distinctos do imperio do
Brasil e da America hespanhol
CUBA RADICALMENTE
escrophulas, rheumatismo, escorbuto, eo-
ermidades venreas e mercuriaes, chaga
antigs, morphea e todas as molestias pro-
Teniente'um estado vicioso do sangue.
Emquaato existem varias imitares e
talsificac5os, preciso a maior cautela para
evitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol venderse por
CAORS & BARBOZA
JOO DA C. BRAVO 4 C.
Joio da G. Bravo & C
Deposite geral em Pernambuco roa da
f raz n.22 em casa de Caros _______
Ama para cosinhar.
Precisa-se de ama ama para cosinhar em casa
de familia, na ra Nova de Santa Rila n. 55 2* an-
dar, junto ao deposito de carvio._____________
Aluga-se om menino on menina, forro ou
escravo, para andar com om menino de 2 mezes^
e aloga-se ootro menino forro- ou escravo, de 9 a
12 annos, na roa Bella n. 22.________
Percisa-se de urna ama para cosinhar; na
ra do Livramento n. 16.
raniei
AMA
Precisa-ge de urna ama para todo o servico de
urna casa de familia, menos para cosinhar e com-
prar, na roa do Vigario n. 22,3* andar.
SEGUROS
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estableci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seue carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias:
na ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
A Salsaparilha
DE AYER.
Para a cura radical do
Escrfulas, ulceras, chagas, fer-
idas velhas, molestias syphil-
iticas, e mercuriaes, Enfermi-
dades das mulheres, como ra-
tencao, menstro doloroso, ulcer-
acao do tero, e flores brancas.
A Nevralgia, Convalides, Ery-
sipelas, EnfermHades Cutneas,
borbnlbas, nascidas, etc.
O extracto eomposto de SALSAPARILHA, confeccion-
ad pelo Dr. AYER, urna combinaco dos melhores depura-
tivos e alterantes couliecldos medicina; compsto segundo
s lcis da ciencia, approvado e reoeitado pelo9 prlmeiros
mdicos dos Estados Unid, da America do Sul, do Mxico,
das Indias e des principaes Estados da Europa.
A SALSAPARILHA de AYER especialmente efficaz na
cura das molestias que tem sua origem na escrfula, na
infeceo venrea, no uso excessivo do mercurio ou em qualquer
impureza do Sangue.
, Entre todas as molestias qne affligcm o genero humano, nao
ba urna mais universal e terrivel do que a escrfula; por si
nao c tao destructiva, porem a causa principal de umitas en-
fermidades que nao llie ao gersJmente atlribuldus.
urna causa directa da (totea pulmonar do mal do
finado, e estomago, affoectes do cerebro, Itheumatismo
e affeecSes dos Jtins: entre seos symptomus ba os segnintes;
Falta de apetito, Fraquea moleza em todo corpo; Mo
ebeiro da boca, semblante plido e juchado, is vezes d'uma
alvura transparente, outras vezes corado e amarello- ao redor
da boca; Oigesto fraca e apetito Irregular; Ventre incbado
e cvaciiaco irregular; Qnando ataca os pulmoes urna cor
azulada mostra-se a roda dos olhos, qnando c no estomago
sao avermelha dos, as pessoas de dlsposico escrofulosa
apparecem frequentementc erupc&ts na pee da cabeca e ontros
partes do corpo ; sao predispstas s affccqOes dos pitlmoe*, do
gado, dos ruti e dos orgos digestiros e uterinos. Portante,
nao sao sement aquelles qne padecem das formas, ulcerosas
e tuberculosas da escrfula qne neeessltam de protecce
contra os sens estragos; todos aquelles em cujo sangue existe
o virus latente deste terrivel flagello (e is vezes hereditario),
estilo expostes tambera a sofirer das ennrmidadas que lie
causa.
Onereeemos a estas pessoas um abrigo seguro e um anti-
doto efficaz contra esta molestia e suas eonsequenobu, na
Salsaparilha de Ayer
qne opera directamente sobre o sangue, purificando-o e ex-
pulsando delle a corropeao e o veneno da molestia: penetra
torta* as partes e todos os orgos do corpo humano, llvrando-
o*4 da sua aeco viciada e inspirando-Ibes novo vigor. K'um
nlUraitte podrosleimo para a renova$ao do sangue, e da ao
rorpo i enflaquecido pela doenca forja e energa renovadas
como as da juventud*.
TAMBBM O MELHOR AHTI-8TPUILITIIO
COXHBCIDO
cura permaneamente as pelores formas de STPHILIS e as
suas consequensia*. Ponea necessldadu lia de Informar o pub-
lico do ine-tiniavei valor de ura remedio que, como este, flvrn
o sangue dessa corrupeo e arrobte a victima das garras de
unta norte lenta e ignominiosa, porm iaeviuvel se o mal
no logo combatido com energa.
Nao pretendemos promulgar, nem queremos que se infira
que este remedio Infallvel liara a cura de todos os padeel-
mentos humanos, o que Usemos que a
Oft. PEDRO DE ATT
MEDICO, PART----------------
3Ra da Slori^lirBTtaflo *??&
0 Dr. lrfbo Moscoso da consultas gratuitas -aes pobres todos os das das 7 as i i
doras da naanno, e das & e meia s 8 horas da Me, excepcao dos din santificado.
Pharmacia especial homeopatAka
No mesmo coiwultorio Ha sempre o mais appropriado sortimeoto de carteira*
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacSes e pelos procos seguate
C2rteiras de 12 tubos grandes. 12,0000
de 24 tubos grandes. 18*000
de 36 tubos grandes. 24#000
de 48 tudos grande. 30*000
de 60 tubos grandes. 35*000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e eom os remedios
que se pedir. '.-'oau',
Um tubo avulso on fraseo de tintura de me* enea iG00.
Sendo para cima de 12 custarao os procos estabelecidos para as carteira.
Ha tobo mais pequeos cada urna 500 ris.
LITROS. ^
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. JarS
dons grandes volumes com diccionario.............. 20500n
Medicina domestica do Dr. Hering........... 1*3*000
Repertorio do Dr. Mello Moraes............. t*O0G
Diccionario de termos de medicina........... 3*000
Os remedios deste estabelecimente s5o por demais coahecides e dispensan por
unto de serem novamente recommeodados as pessoas que quizerem usar de remedio*
verdadeiros, enrgico e duradores: ha todo do melhor que se pode desojar, globos de
rerdadeiro assucar de leite, nomvefs pela sua boa -conservacao, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada prepararlo, e portaoto a maioi
energa e certeza em ceas effeitos.
Casa de saude para escravos.
Hecebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qsaiqaei
operacSo, para o que o annunciante jnlga-se suficientemente habilitado.
0 Iratamento o melhor possivel, tanto na* parte alimentar, como na medica,
mnecionando a casa amis de quatro annos, ha mui.as pessoas de cujo conceito e nac
pode duvi dar, qae podem ser consultados por aquelles que desejarem mandar lem
doentes/
Paga-se 2* por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 1*500.
As operaces serio previamente ajustadas, se nao se quizerem ujeitar ao precot
razoaveis que costuma pedir o annunciante
BOTICA E CONSULTORIO HOMEOPATHICO
90
DR. SABINO O. L. PINHO.
Ra Nova n. 43 (toja de marmore.;
A experiencia tem demonstrado com a maior evidencia qae os medicamentos homeonaihieoa
preparado por meio do agitador dynamico sao os qne desenvolvem acjo mais prompta, mais segara
e mais efflcax
E' sem duvida pelo conhecimenlo desles resultados qoe conslantememe recebe esu botica en
commeadas do Rio Grande do Sul, do Rio de Janeiro e da Baha, apezar de bavir nessas provincias
mui bem sortidas e acreditadas boticas, d'onde se poderiam uivez obter remedios mais baratos, alten
dando as desperas de porte.
A segundado da accio dos medicamentos assim preparados se maniiesU at mesmo quando os
ctobulos se acbam redazidos a massa. ....
Boticas de H tubos.....18* a W*
i de 36 tubos.....25* a 30*
* de 48 tobos.....33* a 40*
> de 60 tubos.....45* a 50*
Caizas de medicamentos em glbulos e tinturas.
De 24 tintaras e 48 tobos. 60* a 70*
36 s e 60 tobos. 75* a 8*
48 > e 88 tobos. 95* a 100*
60 e 110 tubos. ilS* a 120*
Vende-se igualmente o THESOURO HOMEOPATHICO, obra essencialmente popular pela clareza
com qae ensina a conbecer as molestias e a empregir [os remedios (2a edicao) 20*000.
O Dr. Sabino O. L. P. d consaltas todos os dias uteis desde 11 boras da manhaa at 2 da tarde
Das 2 horas em diante visita os enfermos em sens domicilios.
Em casos urgentes e repentinos as consultas e visitas serao feitas a qualquer bora.
As consaltas por escripto sero respondidas com a maior brevidade, precedendo sempre o tem-
po necessario para maduro ezame e reflexo.
^51^^
FABRICA VACIO AL VAPOR
99 RA DO MONDEGO 99
Deposito principal na ra \ova n. 5 loja de relojoelro.
Delouche dono deste estabelecimento partecipa ao respeitavel publico que tem
montado urna machina de fazer gelo, e que sua fabrica de chocolate peder funecionar
sem interrupcao, e para mais facilitar aos Srs. compradores de chocolate tem organisado
um servico de carro, que andar em todas as ras da cidade, os compradores poderlo
chama-lo.
PREgO.
Meia libra........., 400
Urna libra......... 800
Urna arroba ".......19*000
GELO
As pessoas que quizerem gelo para soir ou bailes, poderao dar suas encommendas
ao caixeiro da casa, on na rna Nova n. 50 aonde tem um deposito. As pessoas mora-
doras nos arrabaldes da cidade querendo levar gelo pela manhaa, poderao deixar um
caixao na taberna junto ao portao da fabrica, que achanto na volta suas encommendas
promptas.
a mesma fabrica iazem-se cadeiras franceza de todas as qualidades, e vende-se mais
barata que aquellas que vem da Europa.
O NOVO DESTINO
DO
Salsaparilha de Ayer
< a melhor
molestia*
rail efflcazcs
ao publico o melhor resoltado que possivel produsix,
ctelHgencla e pericia, medica das nossos lempos.
outras
alterantes
'ffei
da
REMEDIO DE ATES PARA SEZES
Infallvel su febras intermitientes, remlttentea,
Febres Biliosas e tercas, mal do flftade, in-
cremento do baso, oegueira. Dr nos
ouridoe palpitares, quando
aio causados pelas
FEBRES INTEBRUTENTES, OU REMUTENTES.
As prepanaees de Db, irn sio rendidas em tedas a*
Boticas e Drogaras do Imperio. ,
Vende-se em Pernambuco:
na
|PHAfiMACIE FRANCAISE
P.MAURER&C'
i RA NOVA N
23. Largo do Terco 23.
Joaqoim S. des Santos, dono deste bem softido armazem de molhados, participa
ao respeitavel publico, e principalmente aos amigos dobom e barato, que est resolvido
a diminuir os seus gneros por muito menos do que em ontra qualquer, por tanto espera
dos seos amigos e collegas quevenham compraren a piimeira vez para saberem a gran-
de differencia do que se fosse comprado em outra qualquer parte, por isso faco annuncio
de alguns gneros epor estes podem regular os outros.
Cerveja de diversas marcas a 500 e 560 rs. a garrafa, e a 5,500 e 6$ a duzia vi-
nho de todas as marcas F. S. E. P. a 4oo, 440 500, e 640 rs a garrafa e a caada a
J500 ; caf do Rio das melhores marcas a 220, 240 e 280 rs. a libra, e a 64, 70, e
7A500; a arroba manteiga ingleza de prime ira e segunda sorte a 800 e 900 rs. a libra; fras-
queras com genebradeHollandae hambnrguezaa 64 e 60500; manteiga franceza de pri-
mara e segunda sorte 560 e 600 rs. a libra; cha de diversas qualidades a 1(5800, 20,
20500 e 20800; arroz pilado de primeira sorte a 120 rs. a libra e a 30500 e 30800 a
arroba caz americano a 440 rs. a garrafa, e em latas a 100 ouduas por 490500; fras-
queras de genebra da Vict >ria a 100500, e o frasco a 10; queijos do reino recebdos por
todos os vapores a 20 e 20200; papel de linbo a 40 a resma e azul e tonco a 20;
sabSo de diversas qualidades amarello e maca a 200,220 e 260 rs.; a libra sard.nha de Nan-
tesem quartos a 400 rs. cada urna e em porcao a 360 rs.; copos lapidados a 50 a duzia
e a500 rs. cada om. ...
Alm destes gneros ha outros muitos qoe sena enfadonho anunciar e quem
duvidar venha ver.
TINTURARA
AO 6RANDE S MAURICIO
PltOCESSOS APERFEI^OADOS
PARA
fingir, llBupar e lmtfrar a vapor.
ALINfiR
Desappareceiiodfr fabri-
ca de caideireiro da
ra do Brum
0 menor de nome Graciano aprendiz de
caideireiro com os signaes segnintes: efir
parda, idade 12 a 14 annos, corpo regular,,
qnando falla apressado gagoeja, levoa ves-
tido calca e camisa de riscado azul com que
se achava ootrabalho, cujo menor 6- orphSo
e foi entregue pelo Illm. Sr. Dr. juiz de
erphos a om dos socios do estabelecimento
e desde j protesla-se contra qualquer pes-
soa que o tiver em sua companhia.
Ra 7 de setembro
Befroite da raa eava do Ouvidor (Rio de Janeiro)
Os proprietarios deste estabelecimento, e primeiro no sen genero no Rrasil, por
trabalbar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e lustrar, de qae se faz aso na
Europa, eajudados por alguns dos melhores of&ciaes de Pars e Ly3o, podem assegu-
rar a seos fregnezes urna perfeicSo no trabalho, a qual senSo pode ehegar pelos proces-
sos ordinarios.
Tingem, lavam, liupam e demofam com a maior perfeic5o e brevidade qualquer
qualidade de fazendas. Uram nodoas e limpam seoco sem molhar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de homens.
1 j .*"
SlaOll
'" f
LOJA DA FRAGATA AMAZONAS! i
K. 5 Raa do Qaeimado n. 5.
Monteiro A Guimar5es, participara a todos os seus amigos e freguezes, que recebem
de conta propria por todos (s vapores da Europa, grande e variadissimo sortimenlo de
objectos de a ta novidad, e bem assim adornos proprios para casamentos, pois queseus
correspondentes de Hamburgo, Pdris e Londres, na esclha de taes mercadorias tem
merecido approvac3o das encantadoras Pernambucanas.
A Fragata acaba de rJceber pelo ultimo vapor grande variedades de sedas de todas
se cores e qualidades, tamben, recebe por todos os vapores luvas de pellica, (do afamado
Jouvin) saias de I3a com barras cooridas de grande novidad na Europa, vestidos de
granadina bordados a agulha, e de grande ton, ditos de popelina muito chiques, ditos
de esmeraldine (gostos novos,) riquissimos cortinados bordados a ponto de crochet, ro-
tondas de seda, ditas de linho, ditas de algodao, chales de guipour de seda, e de al-
god5o, pentes para cok, (de pbantasia) enfeites para ditos, manguitos bordados e
gollinhas, camisinhas ditas, transparentes para janellas com mui lindas paisagem, pre-
cales de apuradissimos gostos e padres, chapeos de palha enfeitados pelas melhores flo-
ristas de Pars, entremeios bordados finos de differenies larguras, riquissimos cintos
bordados com figuras chinezas, (bordado na mesma" fila) balees de basteas d'aco ameri-
canos, dittos de musselina, tapete para guarnicSo de salas padroes muito bellos, chapeos
de sol de seda para senhoras, ditos para homem, enfeites imperatriz Eugenia, ditos
Mara Pia, cestinhas com todos os pertences para meninos de escolla, saias bordadas
para senhoras, gollinhas bordadas agosto novo) chitas escuras e claras, madapoles, cam-
braia de cor, ditas pretas, bolsas de tapete para viagem, dijas de vaquetas para guardar
dinhero, e outras muitas fazendas que se vendem por menos preco que em outro qualquer
estabelecimento.
Riquissimas fivellas de chrystal para cintos.
Meios aderecos de chrystal (novidad.)
Cintos muitos ricos, etc.
Perneiras de guthaperche para chuva.
A PREVIDENTE
Seciedade porlugaeza de segaros mataos sobre a vida, fao iada c
administrada pelo
BANCO ALLIANCA DO PORTO.
Todo o pai que desejar acautelar o futuro de seus filhos deve, quanto antes,
azer inscrever os seus nomes na listados socios daPrevidentepor que, com urna
pequea quantia que, todos os annos para alli fr applicando, tirada do fructo das suas
economas, no fim de 25 annos alcancar-lhes-ha urna fortuna, que por nenhum outro
meio e com tao pequeo desembolso poder obter.
Os exemplos praticos de outras sociedades anlogas tem mostrado que :
iUUSUO pagos animalmente podem prodozir.
Em 5 an- Em 10 Em 15 Em 20 an- Em 25 an-
nos. 1:1000 annos. annos. nos nos.
Por um menino de i dia a 1 anno.. 4:0000 9:0000 20:0000 47:0003
> de 1 a 2 annos 9000 3:0000 7:5000 17:0000 37:0000
> > de 2 a 3 > ..... 8600 2:9000 7:2000 16:0000 35:0000
8600 2:8000 7:1000 15:600A 3i:OOO0
8600 2:7000 7:0000 15:5000 33:3000
Por urna pessoa de 15 a 20 annos ... 8600 2:7000 7:0000 15:4000 33:3000
8600 2:7000 7:1000 15:6000 34:0000
> de 30 a 40 ..... 8600 3:7000 7:2000 16:0000 37:0000
> de 40 a 50 > ...... 9000 3:0000 7:5000 18:0000 50:0000
Admittem-se subscripcoes annuaes de 80 para cima.
Quem pretender subscrever para a Previdente ou desejar quaesquer esclareci-
mentos e informaces, pode dirigir-se sua direceo, no banco Allianca, estabelecido na
ra Bellomonte, ou a Jos Ferreira Moutinho, inspector geral da mesma sociedade, mo-
rador na ra da Fabrica do Tabaco n 1, no Porto, e aos agentes do mesmo banco e
sociedade na capital e provincia, que tambem darao prospecto gratis a quem os pedir.
Achando-se de passagem nesta cidade o inspector geral da referida sociedade,
promptifica-se, durante o pouco tem po que aqui tem de demorar-se, a daros esclarec-
mentos que se lhe pedirem, todos os dias at as 10 horas da manhaa na roa da Cruz n.
1, emeasa do Illm. Sr. Antonio Luiz de Oliveira Azevedo, onde se acha hospedado.______
A NACIONAL
Companhia. geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Orna fiaaca em diaheiro, depositado aos cofres do estado, garante a boa ad'
ministrado da companhia.
BANQUEIROS DA COMPANHIA* DIRECCAO GERAL
de Hespanha Madrid: Rna da Prado o. !
Precisa-se de um menino para caixeiro de
taberna, com alguma pratica, e qae saina ler e-
escrever; a tratar na taberna do beceo la Cam-
ina D. 1.
A NACIONAL
Companhia gerat hespanholat
de seguros mutuos*sobre a
vida
Capital subscripto at 15 de abril de
1866. is. 12,412:U7gO00.
Chegon pelo ultimo paquee francez Rxtremadu-
re, D. Narcizo Francisco de Vid), qoe na qnali-
dade de sab-inspector da companhia, esta' vida-
mente antorisado para o desempenbo de suas func-
c5es. Dedicando-se principalmente a fazer con-
tratos de separo, e augmentar as reiacoes da NA-
CIONAL dando a conbecer as vantagens positivas
qne a mesma apresenta.
Inspeccao do districto (ra da Cadeia b. 6?), &
de jalao de 1866.
O Inspector,
Jeronytno Joaqoim Fioza de Oliveira.
Tendo de ser concertada a coberta da igreja
de Nossa Senhora da Conceiclo dos militares, sao
convidados os senbores qoe quizerem s* encrre-
gar do dito coneerto, apresentando um ornamento
minucioso na cesso de 3 de agosto vindoaro, a's
seis boras da Urde no consistorio da mencionada
igreja, aonde aebaro por escripto o plano da re-
ferida obra.
O secretario
Jote Caetano da Suva.

Ama de leite.
Precjsa-se de ama ana de leite: na roa do
Quelmado, por cima da loja de cera.
- Da-se GO0A000 "a premio: quem precisar
annnncie para ser procurado. _________
Samuel Power Jobastoa A Companhia
Roa da SenzalaNova n. 4.
AGKNCIA DA
Fundido deLow Hoer.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meia moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios de carro para om e don cavallo.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
CASA DE BAM10S
26 Pateo do Carmo 26.
Neste estabelecimento tao impor-
tan te para a saude e asseio do cor-
! po, acham-se montados 20 banbei-
| ros, qne sao servidos com a ordem
e asseio que para desejar-se. Qoa-
| tro destes banheiros sao especial-
j mente reservados para senhoras e
i por isto acbam-se col locad os em lu-
! gar reservado, aonde so tem entra-
| da as pessoas de urna mesma fami-
| lia.
I PREQOS DE BANH0S AVULSOS.
i 1 banho fri, mbrno on de
chovisoo...... 500
j 1 dito de choque .... 1,5000
i 1 dito defarello...... 1,5000
| 1 dito aromatisado 1,5000
PREQOS POR ASSIGNATURA.
I 30 banhos por mez fri,
! morno ou dechovisco. IQsJCOO
> 25 banhos com cartoes pa-
ra os mesmos .... 10^000
12 ditos ditos ditos. otfOOO
12 ditos ditos de choque. 101000
12 ditos ditos de farello.. 10^000
O estabelecimento estar aberto
nos dias uteis das 6 horas da ma-
nhaa as 10 da noite, nos dias san-
tificados das 5 as 5 horas da tarde.
os
O Banco
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combina?oes de supervivencia dos sega
sobre a vida.
Nella pode se taxer a subscripcao de maneira qne em nenhum caso mesmo por morte do
segurado se perca o capital nem os jaros correspondentes a estes.
Sao tao soprehendentes os resaltados qae prodazem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL,qae ainda mesmo diminaindo ama terca parte do interesse produzido em recentes liquida-
ces e combinando-o com a mortalidade da tabella de Depareieui qae adoptada pela companhia
Sara seus calculse liquidares, em segurados de idade de 3 at9 aunes, umaimposicaoannaa.
100,1 produz em effectivo metlico:
No fim de 5 annos.......1:119*300
de 10 s..... 3:941*600
de 18 j.......11:108*200
s de 90 s.......30:156*000
> de 18........80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospect js e mais informac5es serlo prestadas pelo sub-director nesta provincia.
Fiuzi de Oliveira, roadaCadeia n. 5J, ou a Boa-Vista ra da Imperatrix n. 1, estabelec
ment dos Srs. Raymundo, Carlos,Leite dt Irmao.
FAC SIMILE D'ETIQETTA COR UE ROSA.
100 carlile's
PAISLEY.
Os Srs. James Carlile, Sons & C, Bankend Mills,
Paisley, Scotland, teem a honra de chamar a alin-
elo dos consumidores de linha em novellos, qne el-
les obtiveram medalhas de premio das ezposi^des
de Pars e Londres, por suas excellenles linhas pa-
ra coser, e qoe, todos os nvelos feitus por elles,
para este mercado, tem no Om de cada maco, ama
etiquelta branca, na qual acha-se gravado o nome
da firma em ebeio, urna vista da sna fabrica, assim
como desenbos das cima mencionadas medalhas,
e qae cada novello tem ama etlqaelta cor de rosa
com o numero, e as. palavras Carlile's, Paisley, e
tambero, que qualquer linha de Tambonr, manda-
da a este mercado, trazende ootra qualquer etiquel-
ta do qae cima mencionada, nao de soa propria
fabrica.
Southall, Mello,* & d.nnicosagentes em Pernam-
buco.
Melior, Southall & C, nico agente na Baha.
Jolod Silva Ramos, medico 1
pela universidade de Coimbra, da tt
Sola de lustre
grande e sem defeito para acabar a 16000
45-gaa DireiU-4S
R Precisa-se de ama. ama
tria o- 81, segando andar.
na roa da Impera-
Pede-se ao Sr. Feliciano do Reg Barros qae
esti trabalhando na estrada de Benerlbe, qoe ve-
nha restituir o qae toraou emprestado na raa do
Padre Floriino n. 71.
J Alaga se orna moleca de 11 annos para ser,
vico interno de casa : na roa do Imperalor n. 50-
terreiro aBdar.
AMA
Precisa-se de' ama ama para casa de pooca fa-
milia, na roa do Imperador n. 48,1* andar. Pa-
la-se bem.
*A mesa regedora da irmandade de Nossa
Senhora da Conceicao dos militares, tendo de ira-
ur em mesa gera-J de cousas qae por si s nio
pode reeolver, convida a todos os IrmSos a se reo-
nirem no consistorio da igreja no dia 3 de agosto
futuro '8 leras da urde pera o fim mencio-
nado.
O secretarle
Joii Caetano da Siten.
^Companhia fidelidade de seguros
maritimos e terrestres
esbelecida no Rio do Janeiro.
AGKNTIS IM PIRHAMBDCO
Antale Lili de Oliveira lievede 4 C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de segnros Fidelida-
de, tomam segaros de navios, mercado-
rias e predios no sea escriptorio ra da
Crai n. i.
I
S consultas em sua casa das 9 as
11 horas da manhaa, e das 4 as 6
1% da tarde. Visita os doentes em snas
8 casas regularmente as horas para
isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serlo soccorridos em
qualquer occasiJo. D consultas aos
pobres qoe o procurarem no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
manhia,
Tem sua casa de sade regalar-
mente montada para recebar qual-
quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e nella pratica qualquer
opperacJo cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe..3^000diarios.
Segunda dita._. 30500
Terceira dita". -.20000
Este estabelecimento i j bem
acreditado pelos bons servico que
tem prestado.
0 proprietario espera qne elle
continu a merecer a confianca de
que sempre tem gozado.
I
1
s
I
I
k
!
t
+ r



IMt41 &*mt*sh^MtoA4***toteim-
I
Antes que se acaben..
Corles de sed de lindos gostos a 30000 : s na loja do baratelro ra do Cfespo n. !.
Aproveitem amigos d economia.
Este estabelecimento esta' resolvido a torrar por lodo pro?o o su grata* sortimento de (alen-
das de escolhtds gostos e qnalidades, esta' a exposicao dos comnradores.
A 20$ capas brancas 6. borracha
Das melhores que tem iodo ao mercado, tem a especialidad da nao se estragaren com o calor.
Eoupas Jqftas.
Calcas de caseraira a 6, 7J, 8, e 9. palitots de panno preto e de casemiras de cores a 84,
91 e 101000. *-.-> ; > I
Liados gostos de casemiras a diversas hiendas para mandar aier qaalquer obra a gosto do
comprador para o que tem om hbil mestre de alfaiate. ,.,. ;
Chapeos d$ sol.
Stpeos deso da seda com cabos de marflm obra rica para 171, ditos de diversos gostos de
,. Cbegaem a ra do Crespo n. i, luja do barateiro.
PREPARADOS DE JUIU BEIH
DE
PHARMACIA
Preparad** a Imples.
PARA USO INTERNO.
BARTHOiOMEO l C.
Preparados coinposto*.
PARA USO INTERNO.
Vinho de jurubeba ferruginoso.
Xarope de jurubaba ferruginoso.
Pilulas de jurubeba ferruginosas.
Xarope de jurubeba.
Vinho dejurobeba.
Pillas de jurobeba.
Tintura de jurubeba. -
Extracto hydralcoolico de jurubeba.
PABA USO EXTERNO.
Oleo dejurubeba.
Pomada de jurubeba.
Emplasto de jurubeba.
JURUBEBA
Esta planta que todos conhecemos e vemos por assim dizer todos os das, co-
nhecida desde tempes mui remotos; pois que Pisan a descrereu na sua Historia natu-
ral medica, fazetulo della graode elogio; Lineo o immortal botnico, a classitcou entre
a familia das solanoeas dando-lbe o titulo de Selantun pamculatum; Marlius d'ella tra-
ten, e anda Marat e Debus no seu excedente Diccionario de materia medica e thera-
petttica, nos dizem o uso medico que os naturaes das Antilbas fazein das raizes efruetos
da jurubeba.
Todos estes escripieres botnicos e mdicos descrevem a jurubeba como um ex-
cellente desobstruente, e como tal applicada as obstraccSes e inflammagoes do fgado e
baco, e anda como diurtica, augmentando a secrecao das urinas, decrescendo a ludo
isto a propriedade que tem, e da qual gozam muitas das especies da familia das So-
lanneas, de produzr seos bons effeitos calmando e restaurando as partes do corpo 'bu-
mano, com as quaes se poem em contacto.
E' 4dmiravel e torna-se bem digno de repare, que os Satos de medicina das
principaes notabilidades medicas actuaes da Europa, nao tratern da jurubeba. e nosso
juizo se confirma mais, quando vemos que os tratados praticos e formularios mdicos,
nem urna s formula en preparado pharmaceutico nos indicam desta planta.
E* que muitas vezes os atanores nlo vendo a applicacSo desta ou deoutra planta,
por della nao usaremos praticos, nlo Ibes dando odevido apreso, fica como vulgarmen-
te dizemes no esquecimento. Mas, a tradicao, o uso e as appcaces e tentativas feitas
pelo povo.de qaalquer planta para curar seus males physicos, vem mostrar e fazer certe
mais urna vez que a applicaco das plantas meJicam ntosas no maior numero de casos
fundada oas experiencias populares e empricas, embora depois essas plantas sejam estu-
dadas eanalysadas pela sciencia, aGm de-se oblerem resultados mais cortos, mais segu-
ros e uniformes.
Alm disto parece-nos exacta a observacao de alguns authores relatiament ao
clima e lugares que-habitam cerlas e determinadas plantas, que pelas soas propriedades,
esto em relacjfo com as doeacas quenesses climas e lugares soffremos mais geralmente,
parecendo dtzewi ilies, que na superficie do globo, em cada paiz nascem as plantas que
podem i-nrar as molestias mais especiaes desse mesmo paiz.
Neste casoparece que a l'rovidencia fez nascer a jurubeba na America em geral,
para dar alivio e curar a tantas molestias do figado e bico, como ha sempre nos paizes
tropicaes como o nosso.
Ponhamos -porm de parte-estas ideas e observares geraes, e limitando-nos ao
nosso paiz, devenios confessar, que os facultativos de Pernanibuco conhecem a applicafo
da jurubeba, e quaes os seus bons effeitos no mximo numero de casos, -entre elles po-
demos citar os Illms. Srs. Drs. Silva Ramos,- Aquino Fonseca, Sarment, Seve, Pereira
do Carmo, Firmo Xavier, Silva, etc., etc., os quaes affirmam serem os preparados desta
planta fcflicazes as bepatites ebronicas, ainda mesmo compcadas com.aaazaichas, nos
engoegitamentos do figado e baco, as inflammaces subseqnentes s febres intermitentes
ou durezas, nos abeessos internos, nos tumores especialmente do tero e abdomen, nos
tumores glandnlosos, na anazarcha, as bydropesias, as erysipellas, e associada ou junta
s preparacoes ferruginosas de grande vantage n ainda, as anemias, cbloroses, faltas
de meostruacSo, leucorrheias, desarranjos atnicos do estomago, debilidades orgnicas e
pobresa de sangue, etc. etc.
Bevemos, porm, confessar que se todos os facultativos de PernamUuco nao fa-
zem ura uso mais geral da jurubeba, porque os doente* at boje sentiam repugnancia
em usar dos prepados empricos desta planta, o mais das vezes repugnantes a tragarem-
se, e que feralmente eram feitos por pessoas nao professionaes e sem os precisos conhe-
cimentos para a preparac5o de taes medicamentos.
Patecendo-nos pois de grande vantagem tornar mais conbecdo o u-o da jurubeba,
procuramos-estudar este vegetal em todas assuas partes, e das suas raizes, folhas, fru tos
ou bagas, nos liavemos servido para, conforme as experiencias al boje feitas e estuda-
das, apreseaiarmos aos facultativos, e ao publico era .geral os preparados adianto descrip-
tos, compostos simplesmente da jurubeba ou associados ao ferro; bavendo ns dado pre-
ferencia s preparaaoes .deste metal, que mais soluveis s5o nos succ6 gasticos, aim de que
se possa lancar mo de diversos medicamentos compostos de um mesmo agente, ver-
dade, porm que esteja mais em relaco com as molestias, suas complicacoes, idade, se-
xo, ou aiada natureza especial de cada individuo.
ISo devemos findar este pequeo trabalho, sem que recoramendemos aos doen-
tes o n5o fazerem uso deste ou daqnelle preparado da jurubeba por nos apresentado, an-
tes de consnltarem um facultativo ; pois queso este pode conhecer o que cima dissemos;
e nao basta dizer-se *Tenho urna inflammacao tou tomar a jurubeba* preciso conhe-
cer a origem, marcha e complicacoes dessa doenca e examinar a natureza do doente, afirn
de que feito o diagnostico se ppique eotao o preparado mais apropriado.
Parece-nos termos dito quanto basta para limar o eredito de urna planta tao vul-
gar do nosso Pernambuco i Oxal estas nossas observacoes assim publidadas fac3o salvar
aqi, ou na Europa algumas vidas mis por molestias a que aconselhamos o seu uso.
Urna 6 vida salva, nos daremos por felizes e compensados denossos trabalbos.
Bartholomeu & C.
Deposito geral de todos os preparados
Bot lea e Drogara
34Ra larga do Rozario34
I
its.
iVft ra do Irop
qckm-semsejfcuiM'
DeR. B nnighause
,,'_, I BourgogaB.
Tiafto PoBtmard tinto. k I I
^^ ConoD tinto.
> Sanio Georgia tiato t> 1
Ciiambertin Ato. I .-*
Ttlchehoarg tlato.
CIjs de Vougeottiato.
> Chblis branco.
eH A. Waefem Francfort:
Rheno.
Geiseohjimer.
Liebtraumilch.
MarcobruontT. .'

Em casa de Teod Christiaasen, ra do Tra
piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil
de Brandenbnrg (reres, Bordean x, encontra-se tt-
fectivamente deposito dos artigos seguiutes :
St. Julien. -
St. Pierre.
Larose.
Chateau Loville.
Cbatean Marganz.
Graad vin Cbateau Lafitte 1858.
Chatean LaBite.
Haut Saoternes.
Chatean Santernes.
Cbateau Lauur Blanche.
Chatean Yquem.
Cognac em tres qualidades.
Aieite doce. Pregos de Bordean!.
Aluga-se orna casa terrea, na estrada de Luii
do Reg, deronte das asas do Sr. Gomes do Cor-
reio, em Santo Amaro, a casa nova, estacada, <
pintada ; a tratar na casa junta, on na Praca da
Independencia n. 22.
Aona Marta Marquen de Aranjo, Raymnnda
Lacra Marques de Aranjo, Aona Mara Ferreira
de Araujo Pernambaco, Agnele Heraclw de Arau-
jo Pernambaco, Mari Flora de Araujo Pernam-
baco, Lidia Digna de Araujo Pernamboequ Felis-
mina Eodoxia de Araujo e Atnuqner^ae flhlippe
Antonio Teixeira de Albnqaerque Jonier, coovi-
dam aos amigos, prenles e compasheiros d'arma
do seu presado esposo, pai, iotiado, cachado e Ir-
mato capuao do 7o batalhao de inantaria do exer-
cilo JJ9 Antonio de Araujo, fallecido na corte, pa-
ra assistirem as missas que pelo repouso da al-
ma do mesmo se tem de celebrar na matriz da
Boa-Vista as 7 horas da manbia do da 3 do cor-
rete, triges simo do sea fallecimeoto. e desde ja'
agradecen) as pessoas que se digoarem assistlr a
esto acto.
Vfcla.
Precisa-se 4a ama ama que saiba cosiabar
e ngommar: a tratar na roa do Imperador o. 63,
leja de babas.
COMPRAS
Libras
Compram -se'ao escriptorio de Aotooio Lu: de
Olivelra Azevedo i C, roa da Crn n. I.
uro e prata.
Km obras velhas : cointira-se na praca da ln
dependencio n. 22. loja de bilbetes.
Compra-se oaro, prau e podras preciosa
em obras velhas : na ra da Cadeia do Recife
cja de onrives no arco da Conceicao.
Compram-se libras
Independencia n. 22.
sterliuas : na pra;a da
Liaras esterlinas.
Compra-se na ra do Crespo n 16 prraeiro an-
dar.
Compram-se moedas
Cresno o. 16, andar.
de 20 : aa ra do
a vallo
Compra-se um cavallo bom para cabr-ietet,
eja manso : na ra da Cadeia n. 57.
que
Compra-se urna escrava para servico e qui-
tandeira, que lenha boa conduela.e sem vicio : na
ra do Sebo n. 8.
Comprase um alflnete de diamantes ncas-
luado em prata e tambsm urna pulceira do mes-
mo :quem tiver para eoder annancie sna mora
da para ser paocurado.
A prQaj*ira coadic5o ndtt&nsitOl co-u
fl^vt^lolda sad Irazef ?$($<& de*
fendidos contra os ataques aa naiiidado;
calcado bom egegoro^ o nico preferva*
tiyo dessas mil anfermidades a que est so*
jeito o noiso-r-il. Um chnelo velho cal-
cado por um dandy patuscante, ou orna
botina acalranbada em pequenino pe fie en-
cantadora deidade alm de aecusaf que-
bradeira horripilante, prova contra as f cul-
dades intellectuaes dos calcantes, e nao ha
qoem, tendo bom senso, qoeira passir por
maluco, ou pobre de surrSo : ergo, cor
ram a: 1
4*RA DIREtTA4*.
e attendam a' baratea.
Horneo*.
Boriegoir* barcellofieiea de lus-
tre e do porc ..... 60000
Ditos de Bordeaox I 7KHK)
Ditos parisiense! de bezerro e
cordarao ....... 85000
Sapatos -de lona, sola de borra-
cho. ... ; 2000
Ditos avelodados iA600
Ditos de tranca bons i 600
Senhor.
fiotaaguins enfeitados.... 5(>000
Ditos de laco...... 44800
Ditoi lisos....., 4,5(500
Ditos todo de merino Jolly, obra
exce'.leate......4(5500
Sapatos de borracha .... t(J600
Selleiros, corrieiros segeiros I
E um completo sortimento d calcado fa-
bricado no paiz.
INJECCOe capsulas
[VEOET AES aoMATICO
lGRIMAlTLT.C::PHAR4ctdTlC-,"fARTS
Novo tnuoaento preparado com as folfuu i
Mtico, rvort do Per, para a rara rpida e in-
fallivel da Gonorrhea sem reccio algum da coo-
tracoio do canal on da inflammacao dos in tesii nos.
0 clebre doutor RicORD, de Pans, ter renonciado,
esde sna apparicSo, ao emprgo de qaalquer
otro tratame&to. Emprega-se a InjeccSo no
eomco de fiuxo; as capsulas em todos os casos
chronicos e inveterados, qne resistirlo s prepa-
racoes de eopahn, cubeba e s injeccoes com base
BMlaBea.
A venda as pbarmacias de P. Maurer d
C. e A. Caors, em Pernambuco.__________
leafdios do Ur. J. C. A ver, ex-lente
da Uaiversidade de fensvlvania, nos
Estados-Unidos.
Exlraelo composto de salsa-par-
rllha de Ayer.
I*eltoraI de cereja.
Reme dio para sezes.
11 hilan eathartleas.
0 deposito central para as provincias :
Peroambuco, Alagoas, Parabyba e Rio-
Graode do Norte, destes remedios tio fa-
voravelmente conbecidos e acolhidos em
todas as partes da America do Sul e do
Norte, acha-se em casa de Theod Chrlg-
lausen. 16 ra do Trapiche em
Pernambuco.
Os precos de
33)5 po-- duzia de estracto de salsa-parrllba.
27A- Vwt duzia de peitoral de cereja.
2T c.)or duzia de rem dio para sezoes.
" ,?por duzia de pilulas catharticas
se entendem diaheiro vita, c o descont de 5 por cento em quantidades
de 6 a 12 duzias, e de 10 por cento em
quantidades superiores a 12 duzias.
Novo sortiiaeoto de perfomarias
finas.
Chef oo par a amiga loja de miadeas a rba do
Queimado n. 16.
Bonitos vasos de porcelana donrada com banba
muito fina.
Oulios ditos de p de peora com dila. .
fas Boa superior agua da Colela.
FraSos com agua balsmica para denles.
gDitpe dita-defitifrice.
Di 10 de ex relo de quinquina tarabtra para den-
*s. w WmmmWsw twwmwmtWn
Ditu com superior agua flor de iaranja.
Dito de dila flor fe roa.
Dito de dito v la fe de Venus para refrescar a
Dito de diio agua ambriava para bachos do ros-
to, corpo etc.
Oilo^e superior agua de Colonia iogleza, de Pi-
T*r eLabin.
Dito de exfolenle banba de Luhm.
Sabonet s de Lutm.e ootros de ameodoa, trans-
parente, etc.
Cosmetique (on pomada) de superior qualidade.
Finos extractos, frangipaoe, saodplo e ootros
tambem de finos e agradaveis chtires.
Opiata inglea e funceza para denles. k ;
Bonitos vasos com p de arroz e pincel.
Caiiiubas com aromtico p de arroz.
Oleo ioglez. dito philocome, babosa e outras qua-
idades para cabello.
Chromacome para tingir cabellos.
Essa apreciavel tintura chegou para a loja de
mindezas a ra do Quemado n. 16, assim como o
sabenete braoco, para se lavar os cabellos antes de
se osar da preparado.
Canazcs de video com perfomarias.
Vende se etses bonitos cabazes de vidro com per-
fumarias, proprios para presentes, etc.; na ra do
Queimedo toja de nnudezas n. 16.
Latas e copos com bauha fina,
A bem conhecida loja de miodezas a rna do
Qaeimado n. 16, acaba de receber as estimadas la-
tas coa baoba fina, assim como copos de vidro de
novo e bonito molde, com lampo de vidro e cheiros
de excedente banba. Receben igualmente a pro-
veitose banha transparente que muito serve para
acabar as ra.'pas, e a aromtica eagradavel banh
japoneza e outras. Os pretndenos dirijan) se
dila loja de miudezas a ra do Qneirrado n. 16.
que serao servido a contento.
Bouquel dos alpes,
Esse fino e asradavel extracto, vem em um bo-
nito vaso de p de pedra e este dentro de ama ele-
gante caixioha do papelo, de forma que a perfei-
go de urna cousa corresponde a superioridade de
oolra. Esse apreciavel extracto acha-se a venda
' 'na ra do Queimado loja de miudezas n. 16.
Agua florida e tnico,
Vendem-se na loja de miudezas n. 16, ra do
Qoeimade.
Frascos com gomma arbica dissolvida
e pincel.
Vendem-se na roa do Queimado loja de miude-
zas a. 16.
Tinta indelevel para marcar roupa.
Vende-se na roa lo Queimado loja de miudezas
D. 10.
Fita elstica para c de bal5o, e aspas de
ac para os ditos.
Vendem-se na rna do Queimado loja de miude-
zas n. 16.
Bonitos entremeios e babadinhos bor-
dados.
Venden) se por barato preco na loja de miude-
zas n. 16 na roa do Queimado.
Tinta rxa e azul qne ficam prelas.
Na loja de mode?as n. lfi a ra do Queimado,
vendem-se frascos zrandes e menores cora e?sas
excellenles tintas, rxa e azul para ficar preta; o
preco dos frascos i000 e 500
Graxa econmica em latas e barrilsinhos.
Vendem-se na loja de miudezas n. 16 a ra do
Queimado. ___
COLLARES BOYER

ou
- VENME-SE
Vende-se ceblas a 800 rs. o cont
Rangel n. 3.
na ra do
DE
. DE
J. VIGNES.
M. 55. RA OO IMPERADOR N. 55.
O pianos desta antiga fabrica sao boje asss conhecidos para que seja necessario insistir sobra a
na superioridade, vantagense garantas que offerecera aos compradores, qnalidades estas incontesta-
vts qne elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos-
sotado um teclado e macbinismo que obedecem i todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
naca falbar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melboramentos Impo'rtan-
tisaiaaos para o clima deste paiz ; qaaoto is vozes, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas. tanto nesta fabrica como na do Sr. Bloodel, de Paria, socio
orrespondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposiedes.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um explendido e variado sortimento de msicas dos
awttaore* autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo ludo vendido por
procos eommodose razo*veis.
Compra-se urna ca*a icrea, cem quatro -guar-
ios e cacimba, as seguales mas : do Imperador,
das i;ruzes, das Flores, da Gamboa do Carmo, de
Hortas, e pateos de S. Pedro, Carmo, Paraizo e da
l'enlia ; a tratar na ra de S. Thereza n. 3.
VENDAS
Vende-.e am moleque cosinheiro, no palea
do Ter?o n. 141.__________________
Vende-se daas borras viudas do serto" da
Serra Negra, na cocheira de Claudio Dobeax :
na ra do Imperador 0. 43,muito bonitas e mansas.
Cal virgem.
Vende-se na roa do Trapiche armazem n. 9
a mais nova que ha no mercado, por preco com-
modo.
Vende-se Oreo por junto e a retalho por menos
de 4000 arroba e a 140 e 160 a libra na ra da
Crui do Recife n. 37 jonto a loja de fonileiro.
Vende-se cerca de 20 pipas de superior mel
de faro em barris de 4 e 5*, mnito bem acondeclo-
nado e prompto para embarcar; na roa de Sania
Rila n. 19.
Loja ra do Imperador nu-
mero
liinr :iiiii mwmmsm-
O Dr. CaroUno Francisco de Lima San-
tos comieda a morar na roa de Impera-
dor n. 17, segando andar, tendo alias sen
gabinete de consultas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
O mesmo doutor, que se tem dado ao
esludo tanto das operai;5es como das mo-
lestias internas, presta se a qualquer cha-
mado, uuer para dentro quer para fra
da cidade.
- Preci8i-$e de am menino de 10 a 12 annos
para caixeiro na cidade do Aracaly ; para tratar
dirija se a roa do Queimado loja de ferragens
n. 13. Na mosma loja ha ama porcio de peonas
de ema para vender.__________________
Na paliria da ra do Rangei, precisa-se de
doos amas sudores.
GARRAUX, DE LAILHACAR & C.
LIBRARME FRANQAISE!
RA DO CRESPO N. 9.
Livros nacionaes e estrangeiros.
Religio, dtreito, litteratura, etc.
Papelaria, objectos para escriptorio.'
Papis pintados para forrar casas, j
Assignaluras para os jornaes da Eu-J
ropa.
Trocam-se olas das caixas filles do banco
do Brasil, com descont razoavel: na praca da
Independencia n. 22.
Vende-se na nova loja de calcados francezes to-
das as qnalidades de calcados mais barato do que
em outra qaalquer parte em ronseqaencia de rece-
ber directamente dos melhores fabricantes da Eu-
ropa :
PRECOS.
Borzegoins de Sozer dos melhores gas-
peados de lastre....... 10^000
dem idem de bezerro. io000
dem dem.......... 9*000
dem fiancez patente dem..... 9;000
dem dem......... 7JA00
dem gasptas de lustre...... 7*000
dem bnm lona lodo. ...... 040OO
dem dem (ia-i> a'los de lustre. 5*000
dem idem ponteira amarella. 4*000
dem para senhora enfeitados fabricante
,n,lJ: .......MOCO
Idem dem sem enfeite ultimo goslo. 5*000
dem idem.........4*000
dem amazonas para meninas, de todas
aseares...........54500
dem sapalinbos para menina de todas as
qualidades de 4*000 a.....2*500
IJem sapatos de tranca......1*280
Idtm idem estampados. 0 1*400
Assim como ouiros artgos que seria enfadonho
mencionar, garaote-se a boa qualidade da fazenda
por ser a mais nova 00 mercado.
Muita atteng >
Na Soledade caa n. 15, defronte do palacio do
Sr. bispo, veode-se banha especial para criar ca-
bellos, segurar as raizes dos que existem mesmo
as caivices mais antigs, vende-se maior ou me-
nor porcao a vonlade do comprador.
Vaqnet'S
Vende-se vaquetas muito uovag em casa de F,
Souvage, a' la da Cruz 0. 20.
Vende-se brea em barris a 3* a arroba :
roa do Amorim n. 41.
na
No paleo do Carmo 0. 7, loja de
compra-se ooro e prata em obras velba e tara
bem pedras preciosas ; oa raesma casa toma se
encommendas de obra oa concert, doora-se de
oaro e prata, reloglos de algibeira 2*, e todo com
presteza, tambera se vende bilheles da lotera da
provincia.
PA ST A e XAROPE de HAF da ARABIA
,! Sfo os onkoi peilonei tpproTidoi peloi profenorta H
I Facultad de Medidla la Franca, e por M medical dat Hoe-
piuas da Pirlz, oa qnaa* ccrtltearla tula i ana euparle-
ridade sabr ladea as Ollroa palloraaa como aun pedereaa
efflcacia contra oa Parm, it>a, lrrll*6*a a ai
"M4i do jMlt* a da farfanta.
RACAHOUT DES RABES
Be r.En\(.rMii
tnico alimento anpravade pala Academia da Medicina da
Parir. Elle resiabelece ai peaaei qne aoflraB do BaU-
ni|o e dea Inlaaelana; farlaleee aa crlaacee a aa peasoas
debilitad, alen aiaaeea Tinada de ana propriedade ana-
lptica be o aelhor preiarvallro du rahraa amaraUa a
tjpboTde.
Cada traeca a ceda oaizlaha daatas prep-acSea inte
>~*~-< a alie a /t Dtirnifrmirr, rna lUcbeUen, M,
ud Paria. (Fuer arillo allnelo cem u falaiflcicSei.)
fieposltarlaa se fmrnmmtue: Oaaa are era; mar-
da*e_if ate.
Vende-se as pbarmacias de Maurer e de
A. Caors.
Vende-se em casa de M. I. de iiveirn & Fi-
Iho, largo do Corpo Santn. 19 :
Vinho verde superior em barr? de 5*
Dito do Porto de 8 e 10
Dito de dito engarrafado.
Dito de Lisboa Palmella tinto.
Farello idem superior. ________
Para encrespar babados.
Thesooras de todas as grossaras, de duas, tres
e cinco percas, para encrespar babados : vendem-
se a roa do Qaeimado loja de ferragens de Aze ve-
do & Irmo.
Carro americano
novo de 4 assentos e 4 rodas com os competentes
arreios: vende-se na rna da Ponte Velha n. 8.
A verdadeira graixa numero 97 recebida di-
rectamente da fabrica de Day & Martin, chegada
agora para vender no escriptorio de Edward Fru-
on^n. 17: ra do Trapicho. _____
Vende se um molecote de idade de 18 atrios
e compra-Fe urna escrava, que saiba engommar e
cosinhar : na rna Angosta sobrado o. 114.
Vende-se"
machinas americanas de serrles para descarocar
algodio : na rna da Senzalla Nova n. 42.
Vioho verde.
Vende se vinho verde muito especial, em barris
de quarto : na roa da Cadeia p. 27, 1 andar.
Panno de algodaoda Baha, prrpno para sac-
eos de asquear e roupa de escravos, do melhor que
vem ao mercado, e flo de algodo da fabrica Todos
os Santo?, do Sr. commendador Pedroso, tem para
vender Joaquim Jos Goocalves Beitrae, na roa do
Vigario n. 17, escriptorio.
Botas russinas
Pernelras e meias perneiras,tudo do melhor que
se pode desejar,chegadas pelo ultimo vapor ioglez:
na roa Nova n. n. 7, loja do vapor.
== Veode-se um sitio na estrada oova de Pao
d'Albo, com tres casas, baia para capim e muito
grande, que se pode criar at 20 vaccas de leite e
plantar-se, tem algun arvoredos de froctos, bom
lugar para tazer se am rancho, e nos fundos do
sitio pdese fazer ola'ia por ter bom barro e ser
perlo do rio Capibaribe : qnem o pretender diri-
ja se ao mesmo sitio a tratar com o dono Jos Paa-
hno de Almeida Catanho.
Vende-se na ra da M>eda o. S, um escravo
dosertao, forle, robusto e bin;ia flgara, das 8 ho-
earives, Vapores.
Vende-se em caa de Saanders Brother & C.,
00 largo do Corpo Santo o. II, vapores patentes
com todos os periences proprlos para "Tazer mover
tres oa quatro machinas para descarojar algodo.
XAROPE
DHYPOPHOSPHITO DE CAL
de GRIMALT e C"
PaamacuHeot ie S. A. I. o Principe Napoltio
em Paria.
Desde muitos secnlos os mdicos e os chimicos
tinhSo procurado um medicamento qne podesse
corar as molestias de peito; todas as pequizas
feitas ath hoje nao tinhio tido nenhnm resallado.
Pdrem os trabalbos que lorao communicados
ltimamente Academia de Medicina de Pars, e
as mais serias experiencias feitas no hospital
Brompon de Londres, que especialmente reser-
vado para o tratamento da tsica, provarSo que
eosa terrivel molestia, quando ella nao estiva
anda no seu ultimo grao, tinha no Xarope d IIy-
.pophosphito deXal, um especifico poderoso. As
tosses, defluxos, catarrhos, bronchitis, grippa e
coqueluche, cedem tambem rpidamente ao uso
d'este Xarope, e os asthmaticos achao n'elle um
-elemento certo para curarem-se.
Recommenda-se aos doenles de fazerem uso ao
mesmo lempo das deliciosas pastilhas peitoraes
00 sueco de alface c de louro cereja, dos S'" Gb>
MAULT E C". Esta excellente preparacSo se compoe
de duas substancias as mais calmantes e ao
mesmo lempo as mais inoffensivas da mater*
medica, e nlo conlem opit.
Deposito as pbarmacias dej*. Maure.
(^ e A. Caors, em Pernambuco.
RIVAL SEM SMitNDO
Rna do Ineiniado n. 49. leja de
miudezas
DE
Jos Bigodinho
Esl qneimando as miudezas abaixo declaradas:
Frascos de oleo babosa fino 200 a 320 rs.
Ditos dito falco a 600 rs.
Ditos de macar perola a 200 rs.
Ditos cem snperior banha a 200 rs.
Caixas com 6 frascos Ate heiro a 800 rs.
Sabonetes fiaos a 60, 160, 200 e 320 rs.
Ditos de bolla superior a 210 e 320 rs.
Livros para meninos com esiamps a 320 rs.
Caixas de 12 frascos com cheiro a if.
Frascos de oleo babosa mnito fino a 400 rs.
Duzias de meias superior qualidade para senhora a
4J500.
Chegaram as agulhas balo (papel) a 60 rs.
Caixas com bonitos soldados de chumbo a 100 rs.
Ditos de agoa para limpar denles a 500 rs.
Pedras de escrever (pequeas) a 160 e 200 rs.
Sapatos de tranca para bomens e senbora a 15300.
Pe^as de fitas de la prela para vestidos a 600 rs.
Grozas de boiSes de madreperola finos a 480 e
640 rs.
Caixas de clcheles francezes a 20 rs.
Pecas de froco de todas as cores a 200 rs.
Caixas cora superiores envelope a 600 rs.
Pares de sapatinhos de la para crianza a 400 rs.
Ditos de meias prelas para senhora, superiores a
360 rs.
Lloras de pregos de todos os tamanhos a 240 ra.
Sabonetes de familia, superior a 160 e 120 rs.
Resma de papel de peso muito fino a 2.
Frascos com lila superior a 100. 140 e 320.
Grosas de pbo.'phoros de gaz a 24200
Pares de bot5es para punho a;i20 e 240 rs.
Carlo com liohas d**200 jardas a 100.
Meias cruas mnito finas a 4*V
Caixa de pos para limpar denles a 100 rs.
Caixa de superior linha do gaz com 60 uovellos a
1 1000 rs.
Purceiras de conia para meninas a 320 rs.
Talberes muito finos para meninos a 320 rs.
Cartilha da doutrioa christa 320 rs.
Frasco muito bonitos com ebeiro a 240 e 500 re.
Caixa com snperiors isras para charotos a 20 rs.
Masso com superiores grampos a 30 rs.
Ra do Queimado n. 19
No armazem de fazendas baratas de Santos
Coelho, veode-se o seguale :
Pechincha.
Pecas de madapolao largo eocorpado proprlo
para camisa e saia para senhora pelo baratsimo
preco de 8# fazenda de 10J. ____
Nova pechinrOa de chapeos do Cbili de 2,1,
34, 4 e 5o e dos mais precos que os fregoezes
quizerem, assim como chapeos muito rico de pa-
Iba para senhora, meninas e meninos, ludo por
?rejos baratsimos : na loja do Jos Barbosa, o
eqneno, na praca da Independencia ns. 23 e 25,
junto do fonileiro.
Vea de-ate
ama boa escrava, boofia figura e perfeita cosi-
nbelra : a tratar na roa da Senzala n. 138, pri-
meiro andar, escriptorio de Vicente Ferreira da
Costa & Fiiho.
Anodinos electro-magnticos contra as
comnlsoes, e para facilitar a denli-
cao das erMigas. A sguia-liranca,
na rna o Qaeimado n. 8 recebe os
lor talos os vapores franceies.
Ja estanto conbecidos, e tanto se tem e?palna-
dp a fama desses prodigiosos collares Royer, qne
se torna desDecessario dizer mais olguma cousa
em abono de eos bons e efflcazes effeitos; basta
o testemtihq de miltares de pe-soa?, que tem vis-
to aprovrir.Kto o feliz resultado desses lo olis,
quao nectarios collares Royer. A quotidiana e
crescida exiraccao, que vao lendo, mostra a ruda
que o nomero dos prodigios te eleva com) l
compradores. A aguia-brauc, porm,ddsajani
concorrer para um lim de unto aproveitamenu
lem feilo os necessarios pedidos, para qne por to,
dos os vapores francezes Hie seja remetda certa
quautidade de ditos collares, para assim tornarse
infallivel o forlimento delles, na loja d'aguia-bran-
ca, ra do Queimado n. 8.
Dlereoseopo de megno
Com bonitas vistas.
A aguia-branca recebeu bonitos stereoscopos de
mogno envernlsados e com lindas e agradaveis vis-
tas, e quer vend los baratamente, sendo 1 eaixi-
nha com 24 vistas escolhidas por 10-;000. Pode
tambem vender as vistas separadamente a conten-
to do comprador, qoe se dirigir a' roa do Queima-
do o. 8, loja d'aguia-braoca.
Botinas de merino
com sola, para criancas.
A agula-branca na roa do Qoeimade o. 8 rece-
ben um bello sortimento de bolinas de mermo
com sulla para crianzas, sendo .o sortimento v-
nado em lamanhos e differentes cores.
Fitas largas lavrada.
Alm do completo so liroento de fitas qne cons-
tantemente se acba na |. ja d'aguia-branca, esta re-
cebeu novamente um outro soriimenlo de fitas lar-
gas lavradas, cojos lindos e noves desenhos a par
da superior qualidade a> faztm apreciadas. Desse
simples dizer talvez o pretndeme n3o faca a justa
Idea do apurado posto de dila* fitas ; roas, se se
'lirigir a' ra oo Queimado loja d'agula-branca n.
8, conbecer que cada ha d<- melhor neste genero.
Latas e copos eom banha fina.
A aguia branca receben novamente a superior
banha em latas e copos de vidro com Umpa de
dito, e ron 11 La a vende-los a 2a e 2J50O : na ra
do Queimado, ioja d'agoia branca n. 8.
Leques de madreperola, sndalo
e aro.
A aguia branca, oa ra do Queimado a. 8, re-
cebeu nova remessa de bonitos leques de madre-
perola, ndalo e oso, todos de lindes desenbes
Tambem receben outros pretos para luto.
Tinturas para fazer os cabellos
pretos.
A aguia branca, na ra do Queimado o. 8, aca-
ba de rece'er novo sortimento das apreciaveis tin-
taras para empretecer os cabellos, sendo caixiohas
com Untura de chrontacome, frascos eom colorieo-
me para lustrar os cabellos, ditos com onychromon-
tone para limpar as unhas, ditos com bydrocalle-
trichine para lavar os cabellos, sabo branco tam-
bem para lavar os diios, caixiohas com Untura de
Hoelde Water, ditas com dila de L. Marques.
Boneeas qne andana.
A aguia branca, na ra do Queimado n. 8, re-
cebeu novas e bonitas boneeas, que movidas por
nm machinismo,andam perfeilamentp, e pela per-
feiro e mvidade das ditas se tornam excellcnies
para presentes : os pretendentes as acharo na
loja d'agnia branca, roa do Queimado o. 8:
Papel para flores.
A aguia branca acaba de receber novo sorlimen
lo de papel para flores, dito para folhas, diio verde
e pardo para cobrir as bastas, ps para rosas etc., "
e contina a vender todo isso pelos antigos e com-
ntodos presos : os pretendentes que se dirijan) a
roa d i Queimado, loja d'apuia branca o. 8.
Capellas e flores fiuas.
A aguia branca recebeu novas e delicadas ca-
pellas para noivas, assim como bonitos eaixos de
flor de laranja.onlrcs de rosas, e outros de flores
azues e rdxas, tudo de fina qnalidade e apursde
gosto : os pretendeotes que se dirigirem a ra do
Queimado, loja d'agua branca o. 8,sero bem ser-
vidos.
Retroz francez em carreteis
e miadas
A aguia branca acaba de rectb-1 iperior re-
ros francez em carreteis e miadas, a yellente
qnalidade desse retroz o torna preferivti otro,
e isso rocherer qcem o comprar; na ; de
Queimado. loja d'agua branca b. 8.
Meias de laa vegetal e de
borracha.
A aguia branca recebeu n?v?rnenle essas pro
curadas meias de laa vegetal, tao olis quo pro-
vellosas .para qnem selTre resfriarlo nr ps; as-
sim como outras de borracha para quera padece
de eochayao oas pernas. etendem-se por preces
razoaveis: na roa do Queimado, loja d'aguia braa-
ca n. 8.
91
o
pharma-
empregados em
gGrande armazem de tin-i
tas medicamentos etc.
Ra do Imperador n. 22.
jLefoo Pedro das Neves (e-i
rente) tem a renda
segnlnte:
)P Productos chimicos e
Sceuticos os mais
medicina.
Tintas para todo o genero de piw
tura e para tinturara.
! Productos industriaes e tintas
M para flores, como botoes de flores
M e modelos em gesso para imitar ]
m fructas e passaros com o compe-
I tente desenbo.
f* Productos el mi os e industriaes
para photograpbia, tin'uraria, pin-
tura, pyrotecnia etc.
Montado em grande escala e sup- ;
g prido directamente de Paris, Lon-
I dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa
g pode offerecer productos de plena
m. confianca e satisfazer qualquer en-
^ commenda a grosso trato e a reta-
l lbo e por preco commodo.
nnawnaM-nmiiftij
.
\
;
Vende se na praca da Independencia ns. 3>e 39,
capellas mortaariis. as mais bonitas que tem vin-
do a este mercado, para os stimos dias e da de
finados se botar as catacumbas e tmulos no et-
mlterio publico com as inscripcSes scguintes:
A meu pai.
A mlnha roai.
A meo esposo.
A minha esposa.
A meu fibe.
A minha filha.
A meu irmo.
A mioba irmaa.
A meu amipo.
Urna lagrima.
Amtzade.
Saudades.
Chegoo a mullo conhecida e acreditada i?-
berca qoe fui do finado Celistino, defraz da-ma-
triz de Santo Antonio n. 18, a verdadeira carne e
queijos do serto por barato prr> ; a elles antes
que se acabero.
- \eBde-se as otarias de Jqs Carueiro da Co-
nba, telhas e lijollos d lodas as quilidades, por
menos bf em milheiro do qne em outra qoalqner
olaria : na ra dos P'aiere; n. 38 e r^oog D 12.





Vfeff'
*mlm*
O que oecupa hoje nais a atten$io do mundo
econmico? o novo s^thema do proprieario do ai*
maasm de molkftdoB
53 RA DA CADEIA 53
PASSAXIlO O ARCO DA CONCElClO.
Que surge de novo basteando a baodeira da modicidade de presos em todos os*
eos superiores gneros. '
Que o publico reconheca as vantagens que de tal syslbema lbe resolta, que o
pcoprietario do sitado armazem. desoja, e a que desde j o convida : passando tmbem a
notar-lhe os procos de algus dos gneros do seu explendido sortimento, epaaosquaes
pode

4TTE\(aO
tioHBma de mllho branco americana.
Esta excedente gomma, multo se recomcommenda como o aliaento'OMis subs-
tancial e saudare!; servindo nao sopara papa (no que superior de toda as outras
gemmas e farinhis) mis tambem delta se pode azar p5o-da-l, caugica, crome, bolo
francez, podim, etc.: o preco de cada pacota de urna libra 800 rs., em caixa iem aba-1
timento.
MANTEIGA INGLEZA de superior quaKda*
de a 1,28o e l.loo rs. a libra, em barril
se faz abatimento.
DEM FIUNCEZA amis nova que ha do
mercado a 6io rs. a libra, em barris ou
meios a 600 rs.
CHA HISSON de primeira qualidade a
2,800 rs. a libra, aim desta ba muitas ou
vado.
Groa di'Mpato preto 4-41500, l*tOO, i#, 34, 3*HW e ^OiMvado.
Gorgurlo preto de superior qualidade a 20500, 2#800, 30 e 44 o co-
MOLHO INGLEZ de diversas quatdades, a
72o rs. o frasco. .
MOSTARDA ING1EZA nmito -aott** 800,
rs. o frasco
DEM FRANCEZA a 6io ts. o frasco.
SALMAO E LAGOSTIN cbegado ultima-
mente, em latas de 2 libras, a l,6oo. rs.
ARENQUES em latas a 4o rs. cada ama.'
Superiores moreantiques a 2J500, 2^600, 30, 30300, 40 e 90000 o
rodo.
Boas cortes de moreantique.
dem de gorgurio adamascados
i Boas panoas oaasemiras.
Sup riores alpaca, princetas, merinos e bombazinas.
Boas viiludos pretos.
Gande vawedade da obales de fil preto de guipare a 50, 60, 80,
.100, 120, de 160 a 200, de 250 a 800 cada um.
.Superiqwairatondas da fil preto e de gulpure a 80,100, C20 e 250,
da 300. a 600 cada ama.
Superiores algeriaoes de fil preto e de guipure de 120 a 250, e de
300 a 600 cada ama.
Boas chailes de seda preta.
Ditos de Meria preto bordados e ontcas natritas fazendas pretas que
seria enfadonba enumeivr, na
I4M4 HAS COIiUfflWAS
DE ANTONIO nORRBU DE VASCONCELLOS & C.
Loja do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento acaba da recebar pe-
lo vapor Extremaudre, e de sua propra en-
comiaeada, utn completo strfiamto de ob-
jectss-de apura Jo soto-e ;rt*runs e comple-
ta novidade, como seja:
necessaaios
Mutaattnca)
Muita attencao!
Grande'liqnidacao de fazendn e roupas fei-
(bb nacionaef, s& ra da Imperatriz n. 72
loja de Gnimaraas & Irmao.
Os pfOftriauriBtAeile importante estabelecimen-
to emo esoUWo;a acidar por menos 20 por
Mo, .oaa-einlonlM qaatqaer ante, vejam :
iChales de renda.
^%nde-se chales de renda por 50000. fatenda
cm K mtmoa per W e 143M6, ditos de seda
por 140 e 130000, retondas pretas ?3M e 81 -
isto so m na da toperatrii *. 7*.
Grande pecbwcha.
Caabraias de cures maito finas a 240 rs. o cora-
do, ditas melbores a 280 e 320 rs., ditas organdis
de riqoisslroos desenhos a'360, 400 e 440xs. o co-
rado : s na roa da hnperairn n. 72.
Bretanbhde rolo.
Vende-te kra*attnjJt abaras a 30200
1 pee, %\\&-*9 Hnho Ido l^e 80500.
Grande pechincha.
Riquissimos necessaaios para OJtBfaS, *ende-se pecas de agodio fioas a 40, 40500 e
tendo de madrepola,Tnarfita, AAM, e oi* fffTSP" 5*500 8 *: "rMda ImPe'
tras proprias para vender a retalho, qae SARDIMHAS DE NANTES em tataie meias
se vendem de l,6oo a l,8oo rs. a libra.
IDEMPKETO o mais especial que tem viu-
do a esie mercado a 2,2oo rs a libra.
DEM regular de 1.6oo a l,8oo rs. a libra*
QUEIJOS DO REINO ltimamente chegados
pelo vapor 2,4oo: ditos do vapor-passado
a 2,000 rs.
LATAS DE CHOUBigAS com 6 libras er-
meticameote fechadas, a 4,5oo, de barril
a 64o. a libra.
ESTRELINHA para sopa em caixas sortidas
de 8 libras, por 4,000 rs.
VlNHO VERDE do verdadeiro sumo da ova,
e o mais proprio para se beber n'este
-imperto, pela sua extraordinaria fresqui-
do e agradavel gosto a 64o rs. a gar-
iafa.
AMEIXAS FRANCEZAS em frascos de 4 e
2 libras, a 2,8oo, el,4oors. em caxi-
nhas muito enfeitadascom diversas estam
pasa 2,oo, !,8oo, l,5oo el,3oo, res.
BISCOITOS INGLEZES em latas contendo
diversas qualidades a 1,000 e l,2oo rs. a
lata.
PRINC PE ALBERTO bolachinhas as melho-
res presentemente cnhecidas a l,6oo
rs. a lata.
SALAME HAMBURGUEZ chegados no ulti-
mo navio a l,6oo a libra.
PREZUN ros verdadeiro de Lamgo, a 64o,
rs. a libra, e 56o inteiro..
TRAQUES n. 1. em caixas de 4o cartas, por
8,5oo, e 24o rs. cada urna.
MARMELADA em latas de 1, 1 Vi e 2 li-
bras a 600 reis a libra.
JALEA DEMARVJELLO em latas, a 800 m
FRUCTAS EM C.ALDA pera, pecego, alper^
ce, rainha Claudia, e gioja a 64o reis
a lata.
a 600 e 36o reis.
VINHO DE COLLARES o legitimo v'mbo
desta localidade, muito superior e sem
confeicio alguma, a 800 rs. a garrafa
IDTM MADURO o verdadeiro do alto Dto-
roem barris de lo em pipa por 35,000
cada um.
VINHO DO PORTO de diversas qualidades
engarrafado, inclusive o mais fine que
n'este genero, por -800, l,ooo, 4,2oas
l.loo e l,5oo rs. a garrafa.
FEIJO verde e carrapato era latas erme-
camente fechadas a 600 rs.
CHOCOLATE francez em pacotas de i libw
por 5ooT6is.
AZEITONAS dasehegadas ltimamente M\
Lisboa a i,2oo rs. aancoieta, /e 5oo, a
guarrafa.
CAF avado *24o rs.-a'libra; 6 7,oao'rs.
a arroba, e regular a 22o a libra e6 5oo,
a arroba.
VINHO CHERRY do mais superior domw-
cado a 4,6oo> rs. a gacafa,- a ri.oao rs.
a duzia.
MOSCATEL o verdadeiro de Setubal, a
l,8oo rs. agrrafa, e 2o,ooo a duzia.
VINHO BORDEAUX das mais acreditadas
marcas, ,S. Emilion. Sant Jalien Haut
Brion a 7oo e 800 rs. a garrafa, e em
caixa de duzia, a 7,5oo e 8,000 rs.
VINHO BRANC) de Lisboa de excelente
qualidade, e proprio para missa, a 800,
rs. a garrafa, ou 8,000 rs. a caixa de duzia.
MADEIRA SECO a l,2oo a garrafa, a 12;ooo
rs. a dazia.
VIN'IIO ~X>.rUIBNO uperior, a 2.000 a
a garrafa> a>22j'WO r-s. ,a>duxja.
VERMOOTH dsnperiopq xas deai2iHie4s garrafas por 12,ooo,e
gsrrafaspor i,2oors.

PHOSPHATO DE FERRO BE LERAS
MNRW DA ACADEMIA DE PARIS.
NSa^aiate uttcatneato /areugiaoso to notavel como o pliosehato de ferro de
Leras; assnmmidatieaed'raasdoamido inteiro adotaram-no comsolicitude sem igual
aosaanaes dasi'.in,-.la. ,t rmiig|llidas, daros de estomago, digestoes penosas, ane-
mia, ooDvlft>eenciB SiCtartSi idafle.tritica das senhoras, irregularidade.na menstruacSo,
pobresa do sanjjqe, "tfmpbatisqip -^Io curados rapldamaote ou.madificados por este ex-
cellentecomposto. .acooaerv&ldaipor.eseelencia dasaude a declarado saperior nos
hospitaes e pelas aaademias a todos os ferruginosos eonheoido, ao idoreto e ao citralo
deferro, porque nico e^eeefjm aos estmagos delicados, qae no provoca consli-
pacSo nnico tambem qae ulo enwaja a bocea e os dantos.
Em Panis na rua,daEapiUadi n. 1.
A venda em casa-de aofer, A, Caors.
mm Ricos cortes de g>rguran de seda pretos adamascados para vestido com 13 metros
ou iS a 10 covados eada corle,- largara de chiu francea. pelo baratisslmo pre^o de 50,5
cada corte : na loja.as caimana da roa do Crespo n. 13 de Antonio Correia de Vascoa-
cellos & U.
tras muitas qualidadis.
Ricas caixinlias de madeira machetadas
I todas de midrep.la, com msica, e o neces-
ario para costura.
Cixinhas de mnslca, tanto de veio como
de corda.
Riqusimas malasinhas de madeira, for-
radas de marroquim, contendo o necessario
para costura, propria para meninas.
Lindos vasos para pos de arroz.
Lindos livrinhos com capa de tartaruga
para missas.
Riqjfesimo aortinaeato de eoJata para
senhoraa e maoiaas.
Cintos inteirameate novos.
F.vattai, da tariaraga, chriaW, c matal,
para cintas de senhora.
Leqnes de sndalo e de madeira.
Riqoissrmos porta bouquets.
Lnvas verdadeiras de Jovin.
Ditas de seda e de Escocia.
Lindos botes de cbrrstal, tanto para pn-
nhos, como para coHetes e abertura de ca-
misas, estes botes tornam'se recommenda-
veis, por ser iuteiramente novidades.
Ditos de cornalina, brancos e encarnados,
para coletes.
Finas ttisouras para nnhas e costura.
Lindos porta joias.
Ricos port relogios de porcellana.
Modernos peales de tartaruga e a imita-
cao.
Albuus para retratos.
Agalbas e linhas para crochetes.
Lindos aderecos de christal.
Rosetas e alfinetes de dito.
AZEVEDO 4 FLORES
ll BA ADEI4 OO HBIFB M. 49
Vejam e admirem!!
Chapeos de sol de seda a balo que valen! 12, o USo vende a 10-5, e quem
comprar de 6 chapeos para cima lera abatnente deio .por canto.
Camisas.
Super ores camisas de peito de esguio pregas iargas a 36$ a duzia, a quem
comprar de urna duzia para cima lem o descont de tO por ,-Mo
Baldes com caHdi.
Superiores ba'oes de murselina brancos e com lista- de cor.
Roupa feila
Calcas de lindas e superiores casemiras a 8M1OO.
dem escuras propriasNpara o invern a 7OO.
dem claras mais inferiores a 3#000.
Paletos saceos de panno pelo flno a 10^ e mais inferior a 8OO0.
Chitas para coberta a 28 rs o cavado
Superior chita para coberta, cores que os donas do Balo affiangam ser as mais
nxa* a 280 rs. o covado, quem deixar de comprar chitas que todos vendem a 400 rs. e
28); o Balo tambem tem para v6oder um benito sortimento de chitas claras e escuras
para vestidos.
M-ul-ipolao que val 105 a 6^300, lindos cortes de cassa de cor a 2#800 ; vista
dos precos cima, diro, a fazenda n3.o presta.... ejns alfiangamis que ame-
Ihor possivel, a se ven hraospor estes dimiriu'.os precos para grangear maior numero
de freguezes.
Quem duvidar da veracidade do que flea dito venha ver.
~~"" : ~r*'--------
Quem duvidar uada var. cortas de
camnraia a. 3i55C0.
Grande ormentu de caries, de cambraia bran-
ca e de cores a ^J5W e44,tf1tos bordados a seda a
4*WOeiS#,oorl8iatta3*,3oOO, ,4*500
e -j#, duos oaecnciaoi 3*3StO : s na roa da
Imperatriz b. 72-
I^aiiniua a 240 ra..o covado.
Vende-se om grande sortimentu de lazinbas
finas a 240,280, 300, 320, 360 e 400 rs. o covado,
slao se acabando.
E' baratissimo, chales a 20000.
Chales de merino estampados a 9, 25O0 e 3,
ditos finos a 4, 330Q e_ 6J; s na ra da Impe-
tairii n. 71
Cortas de bim a 1^280.
Graade seriiawok de twte de brim a 1280,
WS ifTaJaT*2WI"dB caseQli" "'
tkiim a 80 Fb?covado.
GeandesccUmeato daebiUsa WO, 200 e240 rs.,
dls francezas a 240, 280, 30032O e 360 rs., di-
tas percates a 400, 440 e 500 rs.: s n rua-da
Imperatriz n. 72.
Lencos a 24 a duzia.
Vende-ce um grande sertmeoto de leaces a 2*.
2*500, 3 e 'bO a aiu, dos de linbo a 4oOO,
5 e 62, ditos bordados com bico a 4500 e S,
ditos muito finos a 65, 7 e {4 a dazia : s aa
roa da ImperalriE o. 72.
A 5^000 a peca.
Grande sortiaveaio e audapoto de 5*. 5300 e
102, 112 e 1-2-
Baloes a -31000.
Ven-tjm grande sortimento de-bates de ar-
co & 32. 32000, 42 e 42500, ditos de mosselina a
o& e b>'M), dito* para meninas a 32 e 32500 : s
as, ra da Imperatn: n. Ti.
Grvalas a 500 rs.
Vende-se mn grande sorinaento 4e gravatas a
00, 610, 800 e 12,mantas Soasa 12200e 12600 :
AL:si.?.:if
Tinta Inalteravel
Para escrever
de P. MAIIRER i Ca.
PERNAWBUCO '

Esta tinta recommenda-se pela sua com.
posica e fluidez como a melhor e a mais
segura de todas as tintas at hoje condeci-
das. Nao ataca as pennos de ac, d at
tres excellentes copias, mesmo nauitos dias
depois de escrever, e pre'erivel a qual-
quer outras tintas particularmente para
livros d commercio, documentos etc de
c^ue se care9a longa conservacao.
_j
mo brincos e rusetas.
Meias de seda para senhoras.
Ditas para meninas.
Sapatinhos de seda e de mirin, para
O ^proprietario d^EfabSen^^amSr'a lleo dos senhores pro- 'SSffi wSSStS IZ^'
pnetarios .para os acreditados mecbantsmos que continua a fornecer; os quaes garante cauellis mra ZhZ P
ser como sempre, d^melhor qualidade possivel: S^a^e manSs pata homem.
MaClllMS 4e yapOT Alfinetes para grvalas.
forca de um cavallo para cima. As aseores s5o mui proprias para motores de des- Riquissimos livrinhos para notas, sendo
carocamentos de algodo; ellas viaj rm armadas e podem tiabalbar den ro de 2i horas, cora ^P3 de madnperula, marfim e cha-
depois de cheg-trem no lugar. Ellas levam tudo quanto preciso para o trabalho, e 8ren-
diversos sobrecellentes. As mailiiaas maioves s5o proprias para a moagem de canna. Penas de ac de todas as qualidades, do
e ha deltas que podem junta e separadamente moer canna e descarocar. Ellas pdeme afamado fabricante Ferris.
seapplicar aqualquer moendi j ex stente sem outra mulanca do que asubstituicodas F'"oco e seda frouxa para bordar,
rodas da almanjarra,, ha tambem com moenda junta. Ellas tem depsitos d'agui e boei- Bengallas e chicotes de todas a qutlida-
ros de ferro, e n5o precisam para seu assentamento de obra alguma, qur de carapina, ^es-
qur da alvenaria. O lempo para assenta-las n) excede de doze dias ao mais, eem Dedaes de marfim e metal,
casos de moras de animaes ou arrombamenios de acudes, etc,. garante-se o assentamen-j Espelhos dourados grandes, e pequeos
to em oito dias. Todos estes vapores s5o simplissimos na const'ruccao, e se regem por os. de co'upna.
qualquer pessoa intilligente, a facilidade da condcelo sendo especialmente considerada, ^'t0 especiaes para as senhoras fazerem
tanto que nao ha lugar em que nao se possam conduzir, qur por trra, qur embarcado. os pentiados.
Lembra-se aos senhores deengenho que a venda doi animaes e o servico da j Pu'seiras tanto para senhora como para
genteoecupada no seu tratamenlo os ho de recuperar da maior parte da despeza do' meninas.
vapor, detxtmdo-Ihes-a vantagem de urna moagem certa e accelerada; e acabando com a I Riquissimas fitas lavradas e lizas,
despeza da compra continuada de novos animaes, ecom os desgostos do trabalho que se Diademas do ultimo gosto.
tem com elles. Ligas de seda.
Ser talwz 'tesnocessario Sembrar aos compradores de vapores a vantagem que Dias dQ seda e de algodo para maogui-
Ihes resulta de comprafem suas machinas garantidas era urna fabrica, tendo artistas com- tos de senhora.
petentes para assentar as mesmas c easinar a maneira de trabalhar com ellas, e j pre-; Comas e tubos de ac.
paradas para arremediir qualquer desarranjo; facilid-des estas que jamis podem en- Suspensorios d seda e de algodo.
cobtrar compraudo-as aos simples negociantes, os quaes por falta da conhecimenlo na.ma-| Grande e completo sortimento de perfu-
teria nem so quer pode n garant-Jos de que as machinas que vendem sejam proprias ou marias finas dos fabricantes mais afamados,
suficientes para o trabamo 'em que sequeira empregi-las, e no caso de dsaatre noia?s'm como muitos outros objecios qae se-
podera prestar-Las soccorro algum; sendo que ainla quando venham s fabricas para! ria^enfadfjriho mencionar,
.concertar asdWachmas alheias, torna-se-lia preciso fate- repentinamente moldes novos,
ele. para as pecas esfragd s. J numerosas vezes estes vendedores tem representado
seas vapores como sendo de forca mui superior sua actual e verda leira forca; equi-
voco es.e que n'ios engaa ao comprador acerca do trabalho que possa tirar do vapj r,
mas tambem da lagar ao pagamento de um preco excessivo, vista da forca real da ma-
china que compram.
Tambem ha sempre prorapto Rodas d'.igua de ferro Sarilhos com cruzelas para as
mesmas Moendas de canna de todo o tamanbo, Rodas de espora e angulares, Patees ou
coches para receber o caldo, Crivos e portas de foroalha, Taixas de .ferro batido, fundido e
Aderecos completos para luto, assim CO- so D* '"Ja de Guimares 4 Irmj, ra da Impera
tnz n. 72.
Vende-se nalivraria franceza ra do Crespo e ra Nova n. 1S de
LOUQii VIDROS. CRYSTAES E PORCEtMMS.
Ferreira Monteiro *& Guimares.
W raai larga do Rosarlo n 3, Junto n botica dr. Birtliolouico.
Dm Propnetanos destenovo e grande armaiera de Laja panicipua ao respeilave
irmazemteemum completo sortimeato de lotrca e vidTros coito
S?j
putiliuo qne
e-.rraiai'. iMfSteira?1
licore?, alheteiros, gatTDicoes para lavatorios, ricos vsmmln ita* caodleiros a
unte outros artigos qae todo prometiera ven ier pe;
r serem prncipiantes.
1) 01 ns dcDauto preco posaiMi,
adl-
de cobre, Formas de ferro galvanisadas para porgar assucar, Bombas simples e de. repu,
cho. Alambiques de ferro. Eixos e rodas de carro. Arados, grades, enchadas a cavallo
e outros instrumentos de agricultura, Minho? e forn >s para fazer farinha e finalmente
todooobjecto de mechanismo de que se costuma precisar.
Na fabrica se fazem obras novas encommenia e concertos, com a maior p este-
za e solidez. O grande deposito de pecis e objectos hablitam-na muito para este fim.
O proprietirio ser sempre mui feliz de poder da^ioformacoes ou esciareciraento
aos senhores que-6e servirem de seu presumo.
D. W. Bowman, engenheiro.
J-v. _
"-.' "* '2?'*"
m\m. &mmm e nglezas
A' loja de f tzendas de Augusto Porto & .
11 Ra do Queimadod
A' lojadd faz*adaidfl Augusto Porto & C. ebegou um grande sorlinienlo de camisa
logleas para homem, muiio superiores com colarihos'e sem colarinlios, coatiquaudo esta
casa- a kt sempre completo sortimento de camisas do liubo e de madapolo inglesas e
fraacezas para.homens e meninos ; serculas-d* linho e liaos colarinios de muitos gustos.
Camisas fraacezas para seberas a,,32300 e 6j>.
Sobrctuuos de panno de duas faces fazenda superior.
Vestidos de blondo com manta e oapelli para noivag.
Cortinados de ttmbraia bordados pa.ra-.camas e jinelas de 12JJ a 80J.
Cotias de seda e-de Isa e seda-para camas de noivos.
Grosdenaple^e diversas e Hadas cores,6 preto?.
Moir bratico, luvas. mantas e capeas para noivas.
Lindos cortes de cambraia bramo ricaovite bordados.
Bonets, gorros eutiap* depalha de Itilia .para enboras.
Lindos cortes de fop^rd de seda tazend de muito goto.
Cambraia?, liazinoai e percales do? gosts mais modernos.
Tapetes para sof, piano e carpa e: tapetes em pecas.
Alcatifa barata a 480 rs. o covado1, que com pequea desptaa se alcaWa urna sala,
Bous pannos pretis e azues e grande sortimento de a^erniras.pretas e de cores.
Sortimento de parlilhfn, haes, meias fluas para senhoras e homens.
Superior bombazina, alpaca, eanto, prinoezas e merinos pretcs.
Panos vendados para cadeiras e pasos fiaos para mesis.
Malas e saceos de' couro para viagem sortimento de
Esteiras da ludia para for ar salas-
H Rna do <*u* IuokuIoH
S no Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7.
Verdadeiros
Collares Royer
Electro Magntico
Ou Collares Anodinos, para facilitar a den-
tico das criancas e contra as convulsoes
das mesmas, a estas collares nos escuzndo
fazer qualquer recommendacao, visto a
grande aceitacao que tem tido, o querpode-
mos provkr assim como, afiancar o effeito
que elles produzem, porque ha muito qus
os recebemos e continuamos a receber por
todos os paquetes da Europa; e encontra-
rao sempre na loja do Gallo Vtgilanle, ra
do Crespo n. 7.
Tasso" Irmaos
Vendem no seu armazem roa d
Amoriiu n. 3o, 3
Licor fino Curaco em botijas e meias botijas.
Licores unos sortidos em garraas com rolas di
'dro u em huos frascos.
VinhosUem
Sao tomes.
Chambertin.
Hermitape.
Bor-~ be.
Chi:- <5::e.
I Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Odlos.
PAezei lacniel.
No armazem de azendas
baratas de Santos Coelho
Ra do |mrimado n. 19.
Veade-se o segointe :
Lengoes de bramante de um s panno pelo ba-
rato prego de 32O0.
Ditos de panno do Hoho a 2200 e 2,9600.
Loberas de chiu da india a 24400 e 2*800.
Lapsos de caaitiraia braucos nroof los oara alei-
beir a 2000 e 2^200 a duzia. g
Ditos de cambraia de llnho fino a 4500 e oi a
duzia.
Atoalhado de algodo braaco a ti a vara.
Bramante da bobo fino com 10 palmos de lareu-
a 25500 a vara. B
Panno de linho fino com 9 Ij2 palmas de larga-
ra pelo barato preco de J1400 a vara.
Bramaate de linho fino de una largara, pelo ba-
ratissimo preco de 800 a vr.
Toalhas de linho acolcboadas para mos, a 131
a duzia.
Ditas felpadas a 133 e 13* a dezia.
Guardanaposde linno a 33300 a dmia.
Flanela de todas as cores para coeiros, a 880 rs.
o covado.
Tarlatana de cores a 800 rs*a vara.
BalSes de 35 arcos 33500, de 40 a 4.
Cambraia de linho fina a 4-5300, 63500 e 9 a
vara.
Cambraia para forro de vestido a 23700 e 33 a
pega.
Pecas de bretanba de rolo com 10 varas, a
Peca de madapolo lino e largo a 7j.
Laazioha lya de cores a 500 rs o covado.
Pecas de cambraia branca de salpicos com 8 e
meia va jas M 43500.
Coeiros de oasemira bordados pelo baratissimo
preco de 93. *
Esleir da India propria p2ra torro de sala da
4,5 e 6 palmos de largura.
Cambraias finas do cores roiu-das a 380 rs. a vara
Neste armazm tarobeui se encootra am grand*
sortimentode toiidj 'r*fc .. or medida.
PHOSPHATOdeFERRO
[PELEIUS DOUTOR EM SCIENClk]
INSPECTOR AACAOEMIA uEPAR! Etc.
ruginoso lio notavel
e Le
V/r)\
Ko existe modicamenU) erru
como o Pho$phato de ferro de Leras; as snmmi-
dades medicaes de mundo inteiro adoptaram-no
com sollicitude sem igual res annaes da sciencia.
As cores paludas, dores de estomago, digestoes
penosas, anemia, cotwaUseencia* difficis, idade
critica as senhoras, irregularidad no mens-
Iruacao, pobresa do sangue, lymphatismo, sao
curados rpidamente ou modificados por esse
exceUente composto. E' o conservador por exce-
lencia da saude, e declarado superior nos hospi-
taes c pelas academias a todos es ferruginosos
coahecidos, a iodoreto e ao curato de ferro,
porque o nico que convem aos estmagos de-
licaads^JIe no provoca conslipacao, o nico
tamfcenjjque nSo ennegrece a bocea e os dentes.
A venda as pbarmacias de P. Maurer &
Ce A. Caors, em.Ptrnambuco.

Novo e grande deposito de superior cpvo de ardiffia
Bahia,
Antonio Gomes dos Santos & C, roa de Santa Birbara o. 1, esto habilitados a sapprire
oarvao, em condlc5es mais favoraveis que em ootro qaalquer deposito, a todos os navios a vapor que
cearem naqaelle porto. A eerrtratar oesta cora Domingos Alves Matbeus.,
Joaquim Jos Goocalves Beltro lera para
vender em seu escnptorlo na roa do Vigario n. 17:
Vinbo do Porto em barris de 4" e 8
Dito de dito em caixas de 1 duzia.
Vitho superior da Freir.
Azcite de pene em barris.
Toros de Jacaranda'.
Tabaco americano em latas de 1 libra.
Caiuts-cum pap.'l pafllatk).
Cigarros do Rr6 d,e Janeiro.
Machinas tara descarocar algodo, del Lerias.
I^ii'l43ll>daai i, {feb4, r-yriO laTa
Francisco Jos Germann
RA NOVA N. 21,
acaba de receber um lindo e magnifico sor*-
liniento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa e ocu-
los de alcance para observaces e'para'os
maritimot.

s*cc*-
Jh
_MBc*. eroui,W Scaw f tem para
vender AnioniaLuiz de OJiveira Azevedo k C, no
seaeseriptoriOfira d.t Cruz n. 1.
tWtm 00 flLi~
a 1:500 e 2:000 rs,
Ka praca da Independencia ns. 24, e J6.
Vende-se
Verdadetra^alsa parrilla *rBrstol
cada rrasco : na botica da ra Direita
Jos da Rocha Paran los.
por 33*00
n. 88, de
Anua" Mineral de Vlcby.
Pastilhas de saes natorae- d^ Vichy.
Oleo de figado de bacaldo desempestado.
Oleo de dito dito ferruginoso.
Rob LalTectur.
Xarope de cartelna de Bertli.
Vinho de Beilinl. ;' :u
Xarope- de Gibert.
Leite aritiphilitico contra as manchas do/osto
Confeitos de ergotina.
onfeitos dn ipeeacoanha.
Cigarros antyasthmaiico de J
O dootalgico de Dourado.
Beposite, pbarmacia.de Pinto, ru iafga o Ro-
sario n. lu.
VeBd-se a taberna bem afregnezada o pro-
pria paxa um irincipianii s fnndos,
na ra ao Gildeirelro n. 9*: a tratar na mesma.


"y*
filarlo *
RA
DA 1MPERATRZ ARMAPE
ARMAPEM DA
PORTA LARGA N. 84,
Jauto padarla fraaceza
Paredes Porto.
Neste estabelecimeato encontrar orea-
Seitavel publico um variado sortimento da
zondas franeezae, nglezas, suissas e alle-
mes, que 86 veoderfio por preco commodo.
Graade arauzroi de fazeaoa e
roupa feita, raa da Imperatrlz
. & S, arnaicem da porta larga
Neste estabelecimento encontrara' o respeita-
vel publico ara completo soriimento da roupas de
todas as qoalidades e preco commodo. como se-
jam : paletots de alpaca, de merino, de bombazi
na, panno, casemira, preto e de cores, calcas de
todas as qualidadon, Mana i* dlaaraai -qaalida-
des e precos commodo?, chapeos pretos francezes,
fazenda de W* a 6*, dito* de m de alpaca teda,
sobretodo da pasa proprws pa viagem a 11*,
meias croas de boas qoalidades e precos commo-
dos, e outras mollas fazendas e roopas feitas, que
se veodem moito barato : no armazem da porta
larga d. 52.
600 rs.
Adro. Ir ave I pechincha.
Camlsinbas de cambraias a 600 rs.para acabar :
a roa da Imperatriz n. 52, armazem da porta lar-
ga jomo a padaria fraaceza.
Casemira
Vende-se casemira de cr a 4* o corte -. na roa
da Imperalriz o. 52, tonto a padaria franceza.
Bates
Vende-se baldes (crioonas) de todos os tama
nhos a 5 e 2*500 : a roa da Imperatrlz n. 52-
funto a padana fratrceza.

tuno
Extrmelos.
Vendem-se pesas de ntremelos cora 12 varas
1*500 : a roa da Imperatrlz n. 52, porta larga.
Chat-es de rea 45
Vendem-se chales de renda pretos, fazenda de
boa qoalidade, a 15 por ter porcao : armazem da
porta larga a. 58.
Ke laidas e batirnos.
Recebeu ltimamente um sortimento de retondas
e bournus de seda e de algodao por barato prego,
soutembarqaes Oe gro-sdeiraple, capas e manteletes
por precos commodos : armazem da porta larga
B. 52, roa da Imperatrlz
Cambraias li*as linas.
Grande sortimento de cambraias lisas, qoe se
vendem a 3*, 3*300 e 45, dita rauito fina Victo-
ria a 51 e 55500, cotes de tarlatatn de bonitos
gostos a 35500 e 45 : roa da Imperalriz n. 52,
junto a padaria franceza, armazem 9a porta larga.
Tiras e eulromeios bordados
Grande sortimento de tiras e entremeios borda-
dos, pelo prego de 590 rs. a pega : roa da Impe-
ratriz a. 52, junio a padaria franceza.
Cortes de guryurao de seda
pieta.
Vendem-se corles de gorguro de seda prela
para vestido com 20 covados, por baralo prego :
na ra na Imperatriz n. 32, jonlo a padarla ran-
ceza.
999 rs
Cortes de calea.
Veodem-se cortes de calcas para servido a 000
rs.: na ra da Imperalriz u. 52, junio a padaria
franceza.
JLat de vestida.
Chefou a luja de P.irede- Porto um sortimento
de las para vestido a 240 o couado : na roa da
Imperatriz n. 52, junto a padaria franceza.
Chambres
Chegou um sortimenlo oe chambres para ho-
rnera a 45 e 55 na ra da Imperatriz n. W, loja
de Paredes Porto.
Vestidos bordados.
Chegou a ra da Imperatriz n. 52, ricos certes
de cambraia, bordados a croch, fazenda de 205
por 125 : na loja de Paredes Porta.
25,5000
rande peej lacha
Selecta cera 26 varas a pega, largura de a pal-
mos, a 255 '- na roa da Imperatrlz o. 52, Paredes
Porto.

S5 g.g-OT
VENDE-SE
No. armazem de M. J. Ramos e StlVa Cienro, ft rwii do Vigario
a. 11, coastaatemeate, ossegulaUes artifos, que
rere bem por CBOaMMpda proprla de
\EW-\oma.
1 Legitima salsa parrilba de Bristol, preparada por Lanman 4 Kemp.
Teradeira^gH Florida, preparada pelos mesmos.
Gax em latas de cinco galoes, o mais rarificado qoe se pode desojar da acrecn-
tada marca F. W. D: 4 C.
Reioglos perflk reguladores, com corda de quatro aoito dlaij doa afamados -
bricante E. N. weteh.
Graixa em latas grandes da bem conhecida marca las. S. Masn (de Pnuadei-
phia).
Superior oleo para machinas de costura.
Agulhas para as mesillas.
Bren en bar tea grandes e pequeas.
Vende-se tambem:
BORDEAIT
1/ analidade.
St. Estephe.
St. Julien.
G. Margaux.
C. Lafitte.
Medoc.
PORTO
Ia aulinade,


Vinho fino do Porte cm barris de 5/, 10/ e 20/.
Superior vinho do Rheno.
. Cera de Lisboa em velas e em grume.
Principe Real.
Pedro Y.
Maria Pia.
Princeza D. Isabel.
Vctor Ernmanuel.
Duque.
Malvazia.

-. *
i

O QUK1MAOO
Madapolao.
Finas pecas d madapela'o com 20 varas a 9&.
LENCOS,
Lencos de cambraia branca, duzia M-
dem de cores fixas para meninos, duzia 2400.
Cambraias.
Cambraias de cores a preco de 260 a 300 rs. o covado,
Guardanapcs de linho, duzia 3>500.
Algodao.
Algodao trancado de duas larguras, proprio para toalbas de .mesa, a|preco de
4)5300 a vara.
Bramante.
Superior bramante de linbo itiglez e fraacez.
Cambraia de linho propria para lencos.
ATOALHADO.
Atoalhado branco para mesa a 14600. a vara,
Entremeios de cambraia muito finos, preco 5.
Lencos de seda para algibeira a lOO.


LieiJIA(lIO
A DINHEIRO
NA'LOJA E ARMAZEM
DO
Ra da Imperatriz n. 60
OE
A1IA k SILVA.
Tendo os proprietarios deste grande ealabatock
ment resolvido diminuir o grande deposito das
fazendas qoe lem oa soa loja e armazeo, promet-
tem vender mais barato do qne em ontra qualquer
parle, coa o fim de aaarafm diobetro cada vet
mais agradartm aos seus iohmiosos fregoeaas,
portanio Ihes offerecem ora grande sortimento da
fazendas inglezas e francezas, as qnaes vendem
por atacado e a relalbo. Cotnpromettendo se a
mandar levar qoatqoer fazeada em oasa dos fre
Grande Sortimento
DB
Cambraias brancas,
Cea 8 palanas de larjnrae
MO aa lojo dapavia.
Vent-se cambraias brancas transparentes tende _
8 palmos de largura, ou duas largaras das regola- Roa da Imperatriz n. 56
FAZENDAS BARATAS
guezes que nao poferea vif loja, oo mandaras, caima, solferino, majenta, branco e rOxO etc.. esta
i-'.- oiw-
amcsiras deixaudo ficar o penbor, assi como.
eonvidam as pessoas que negoceiaui em menor,
estalla qoe neste e?taberecimenio encontratn um
graade sortimento, veodendo se-lhe apenas pelo
preco que eompram envprimeira mi as fazendas,
gaonando-se apenas o descont, sendo a diofteiro
. vista.
Na loja do Pavao.
Caegiram pela ultimo. vaj,or da Franca as mala
lindas cambraias transparentes, granadinas, sendo
com os padrfles de listlnhas e flores, conforme se
asam ltimamente na priBelpaes cidades da Ena
ropa, e veodem-fle pelo baratissuno preco de 640
*! ca lajperainz a. 60, de Cama & Silva.
Oscuales do pava* a 2ooo e 25oo. rs.
Vendem-se chales de merino eslampados a i$
e-24500 cada ojn.
Ditos de merwft liso a $#500.
Dftos Mianpades.de crepon a 6*, 71, e 8000
Otkn pretos bordados com franja de seda a 14J-
iNa loja e armazem do Paveo oa roa da Impera--
Lriz n. 60 de Gama & Silva.
Para tato vende o Parto.
Setim d* China com 6 palmos de largara, fazea-
<5a preta parallo, propria para vestidos e roupas
para homens, sendo esta nova fazenda seni lustro e
de rauito boa qoalidade, garantindo-se nao flear
-rtissa eotn o-tempe e vede-sepelobarato preco de
i> e 2#30O o- cavado, aseio como neste esubeleci-
nda vende-se sempae a 05 pela soa boa qoal
dado e agora li.juida-se pelo baratiesimo preco de
i# por ter grande porcao: na loja e armazem do
Pava na roa da Imperalriz n. 60, de Gama &
Silva.
A 40 pecbinchaem chales de renda na loja
dotPavao.
Vende-se chales de renda pretos lendo 4 ponas
e aaadd moli grandes pelo baratsimo preco A
res, qoe facelila fazer-te om vestido apenas cem 4
varas, e vendem-se pelos baratissimos precos de..
iJOOO res, e 1*380 a vara, onleameate na loja e
armazem do Pavao, roa da Imperatriz n. 60 de Ga-
ma di Silva.
Baloes baratos
Vende o Pavao.
Cbegoo om grande sortimenlo de baioes de ar
coa sendo americanos que sao os melhores e vea-
denvse pelo baratissrmo prefo de 2*500, 3* e
3*300 : na lo]* do PavSo na roa da Imperatrlz n.
60, de Gama A Silva.
Hretanhas de rolo a 2*300.
Vendem-se pecas de bjetanha de. rolo tendo 10
varas cada pei;a pelo baratlssimo prego de 2*8(0:
na loja e armazem do Pavao oa ra da Imperatriz
0. 60, de Gama & Silva.
Grande pechincha
em diales a 40 na loja do Pavao.
Vende-se Onlssimos chales de merino lisos com
franjas largas de retroz tt-ndo as cres seguimos :
encarnado, azol claro, azul escoro, verde, cor de
4*, dtes de renda de seda a 8* e 10 : na loja do
Pavao oa ra da Imperatriz n. 6#, de Gama a
Silva.
Para mo
Lencos bordados
Vende o Pavao.
W*te estabeleclmento acaba "de receber om
nade sortimento dos mais bonitos lencos de
braia primorosa mente bordados' e proprios
mo qae vende pelo barllssrmo preco de i*1 e
1*600 caca om : na loja e armazem d Pavao na
roa da Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Ultimo gosto em lazinhas
Acba-se om grande sortimenlo das a>a nas : B Maria Pa, Garibaldinas, mathisadas, lisas
e de qoadrinhos qoe se vendem por baratissimos
pregse dao-se as amostras : na loja e armazem.
do Pavao na roa da Imperalriz n. 60, de Gama &
Sirva.
Guarda banha,
Vendem-se bonitos guarda baaha de laberynto
Loja e armazem da Arara
DB
La arenco Pereira Hiendes Guimares.
Pecbincba chitas 200 rs. o covado.
Vndese chitas escaras e claras a 309 ris o
cevado, ditas francezas Boas a 240, 280, .40, 360
e 400 rls o covado. Roa da Imperalriz leja da
Arara n. 66.
Arara vende bretanna de rolo a 3)5000.
Vende-se pegas de bretanna de re lo a 3*008,
pegas de cambraia para vestidos a 3*000, 3*500,
4*00 e 5*000. Roa da Imperatriz luja do Arara
n. 36.
Cassas francezas unas a 240 o covado.
Vende-se cassas francezas para vesdes a 240,
280, 320 e 400 rls o covado, ditas de listas de
cores monto Anas a 120 e 800 rls o covado. Roa
da Imperatrlz loja do Arara d. 56.
Arara vende cobertores a 10500.
Vende-se cobertores de pello a 1*600. o-.berta
dd chita a 2*000. corxas de damasco a 4*000, ditas
de ftutao a 3*000. Roa da Irhperftrtz n'. 56.
Madapolao francez a 3^500*9 peca.
, Vende-se pecas de madapclao (raneez enfeslado
de 12 jardas a 3*500 e 4*000, ditas de dilo ioetez
de 24 ditas a 9*000 e 10*000, ditas de ilf-odaozobo mtnto Soe
a 3*000 4*000,5*000,6*000,7*009 e 8*000. Raa
da Imperatriz n. 56.
Arara venda cortes de cambraias de papel
a 3^00.
Veade-se cortes de cambraia empapeladas de 7
varas a 3*060, de 7 dte; a 2*500. Roa da Impe-
ratriz loja do Arara n. 56.
Cortes de tarlataua de cores a 50000.
Vende-se corles de tavlatana o> cores para
vestidos a 5*000 ditos de cambraia branco borda-
dos e de cores a 4*000' e 5*000. oa da Imperatriz
cam- n. 56.
para Arara vende ISsiohas a 200*rs. o covado.
de
va-



' ment tem om grande sortiroeoto de todas as (a- proprios para encostos de cadeiras, pelos brrnssi-


*t eit atoas
MACHINAS AMERICANAS
verdaderas do fabricante !V. Y. Cantiongla k C.
Ifeinlios americanos para moer niha.
Na ra Nova n. 20 e22, grande deposito
1 das verdadeiras machinas americanas de todosr
jXUtlTAoi lE^S f*ricantes; se encontra neste deposito
grande porc3o de machinas, e se vendem por
menos preco do que m outra qoalqaer parte,
por se receber em direitwa da America j se
fornece todas as explieacoes neeessarias ao
\ zeadas pretas comp sejam cassas e chitas pretas,
i las tapadas e transparentes, princezas, alpacas,
sarjas, etc. : na loja e armazem do Para na roa
da Imperatriz a. 60, de Gana & Silva.
Os espartilhos do Pavao.
VenoVin-se wa grande e variado sortimento de
pespartilbes doataais bem feitos qoe.tem. ivinde ao
mercado, sendo de todos os tamaitos, veodendp-se
por um preco muilo razoavel : Isto na loja dffPa'
juas pregos de 2 a 3*000 rs, na loja do Pavlo na
ra da Imperatrlz n.*0, de Gama & Silva.
os cortinados do Pavao.
Vende-se um grande sortimento dos mais ricos
cortinado" bordado?, proprios para camas ejanellas
pelos natalissimos pr. eos de 8*, 10*. 16*. 20* e
25*000 /*. o par, assim como pegas da cambraia
' adamascadas proprias para o mesr
caigas de caxemira preta a 6* 7* e S*000re;s, pa-
letots de panno preto saceos a 6* 8* e 13*000 rs.
, ditos sobrecasacos de panno tiaissimo a 12* 18* e
comprador para conservaoae das canas, 25^000 reis.e omrosmuites argos que seria en-
neste grande estabelecimento se encontra mua-^fadoujjos ayui redalos; na luja e armazem do
tos arlaos americanos, qae muito deve agr- kavo ra da Imperatriz a. 60 de Gama Silva,
ilar aos agricultores que usam de.taes artjgos, .H-eoees brancos a *^00# res a
encontra-setambem todas ascoecces dede-
senhos sobre os quaes se aceita qualquer urna
bordadas e
Ora por pregos razoaveis, na loja e armazem ao>v
vio na roa w topera-trie n. 60,-de Gama & Silva; vao na roa d Iu^eratriz n 60, de Gama & Silva.
ItotifM fetta. s cat-liias Jo Pa\o,
Na leja do PtVfo W Vendem-se 'os mais bonitos cachins de malha de
Vender-aste ewabelecimento aap grande spr-> |paiCOrn bonitos gostos, proprios para sahidas de
(imento de ronpas, tanto de panno eomocaMBirAs,Jbefliro e bailes etc. etc. na loja e armazem do Pa-
e brros e pelos barassimospregos como sejam vo na roa da Imperatriz b. 60 de Gama & Silva.
Vedde-se lasinbas para vestidos a 200, 240, 32C
e 400 ris o covado, ditas mullo finas estampadas
a 360i 400 e 500 ris ocovdo. Roa da imperetnz
n. 56.
Arara vende os balos a 20000.
Vende se babISes de 20 25 e 30 arcos a 3*000,
3*500, e 4*000, ditos mirto fins e moderaos de
cor elegante a 3*000, 3*500, 4g000 e 5*000, ditos
para meninas a 3*000 e 3t50, Hitos de'morsulina
a 5*000, curts largas com' om peqoeno toque de
nfo a 240 ris o covado, ditas finas a 30, 360
e 400 ris o covado. Roa da Imperatriz loja da
Arara n. 56.

docta.
Vendem se ngos brancos farenda muito boa
pelo b&ratissirao prego de 2* a duzia. Ditos coro
encomtaenda, que com proropUdao ser execra- barn de e^. # ^^ is|0 ara ac,bar Da ,oja J.
tada; 1 este grande estabelecimento, pno(w. r *j 1------ sin
icen-{Pa-vo oa ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Sio
lra-se em grosso .e a retalt, ,gr*ade porco j va.
de ferragens, emiudezas que se vendem por preco coasmodo, pedindo-se a alt^acao rosdei
de todos para este estabelecimento que muito lucrare em fazer suas compras: na
pa Nova n. 20 Carnero Vianna.
______________________t ___________________!_______

Vendem-se superiores grosdenaples pretos pelos
baraiissimcs pregos de i*oOO, 1*600, 1*000 e 2*
o covado, sendo fazenda muito boa, so para ac-
.
>evo-DEPOSITO
DE
MACHINAS


ffSaS
ciq-K o ^
n
m
- a ES' ^.__, Xf-^C Di *?. O* K
w
SPooftiOo -39'
SgBE*-B 'pe
3 riii. =
a.
en
PS5
:<-.
ft
s
ti
B
a
ff
s
f
3
>
i>
g
se
PSBA DESC\ROCAR ALGODAO
MEoel bento de Oliveira Braga.
p3Rua Uircita n.33
Neste estabelecimento se encontraro'as.verdadeiras rnaenmas americanas ebega-
dasttimamente, as quaes sao feilas pelo mais afamado fabricante da America, por s-
so aviso a todas as pessoas que precisarem comprar, de se dirigir este estabelecimento
que compraro -das mais perfeitas neste genero, assim como mais barato do que em ontra
qualquer parte, pora isso se recebe por conta propria, a onde encontrar-se-ba tambem
grande sortimento de fercagens e miudezas.
bar : na loja e armaterndo Pavao, roa da Impe-
ralriz n. 60, de Gama &'Siiva.
Bramante de ilnho do PavSo.
Vende-se superior braoMUte de liuho cojo 10
palmos de largura, proprios para lences, pelos
bcratissiroos pregos de 2* e 2*000 a.vara, assim
como panno de linbo mullo fino pelos baratissimos
presos de 640,700 e 800 rs. a vara : n* laja e ar
maz'em do Aavo, roa da Imperatriz n. 60, de Ga
ma Silva.
Casemira


DB

riy4L se mmm.
Rua do Qiieiniade n. 49
Est dlsposto a continuar a vender por prec.o
qoe a todos admira queiram apreciar e ir ver para
crer. BM
Grozas de pennas de ac moito boas a 320 rs.
Bonets moito finos para meninos a i*.
Penies de alisar com cosas de metal a 00 rs.
Capachos redondos e com pr i dos a 300 rs.
Poleeiras de conus paca senhoras a 300 rs.
Caiaa de papel amizade a 600 rs.
Quadernos de papel muito bom a 20 rs.
Penies de lariaroa a 2*300 rs.
Realefes para meninos a 100 rs.
Escovas para limpar dentes a 200 rs.
Baralh s onito finos a 00 rs.
Caixas de p de arroz moito superior a 800 rs.
Caixas de tamparraa para tees mezes a 40 rs.
Caitas de obreias de aussa a 40 rs.
Grozaa e botos do tonca a 160 rs.
Enfiadoce t cordio e tita-a 60 rs.
Pecas de fita e eos com 10 varas a 320 rs.
Carlas 4o alfiatetes francezes a 100 rs.
Libras de alfiaetes francezes 1* qualidade a 2*.
Novellos de liona com 400 jardea a fiO-ra.
Ditos ditos com 200 jardas a 30 rs.
Caixas com alflnetes a 20 rs.
Pares de tovas brancas e de cores aWO n.
Grvalas de todas as qualidadesa SOOts.
Resmas de papel aimaco superior a^400.
Caixas redondas com estampas a iw rs.
Livros para assentode roupa I*8** "
Bonecos do ebero tmrito oonltos a Iw rs.
Frascos de superior ajoa de coloiuaa auo rs.
FAZENDA E ROPA FEITA
UVA MOVA *4#
Reg & Moura, proprietario da loja de fazendas e roupa feita, sita rua Nova
n 24, fezemscieotoao publico e particularmente aos seus amigos e freguezes, que,
acabam de receber de sua encemmenda, um perfeito sortimento de fazendas p'nas, entre
lias caseairas de cones proprias paracostumes; panno 0no dos melborea fabncantee
proprios igualmente para casacas e sobrecasacas e outras fazendas de variados gostos.
as .qnaes veadem com wotagem sobre outro do mesmo genero de negocio, unto peja
modicidade dos pre?os como pela quaidade especial dos artig06 que expe a escolha de
todos aqueliesquesedignaremfrequentar sea estabelecimento.
Os mesmos, continuando como sempre, escudados a robustecidos naaceitaeoe
coafianca que ibes tem sido dispensada pelo respeitavel publico-, no espaco de tempo em
que se acham estabelecidos, procuram envidar todos osesforcos a seu alcance para,cor-
responderem sufficientemerrie a expectativa deste e de seus nometosos fregueses ^ami-
gos por isso, admittirara para sna officina dealfaiate, quatro cootra-mestres, funccio-
aando regularmente soba n,niediatadirecc5odo muito hbil mestre Uunano Jos d.
Barros, o qual, activo e diligente como soe ser. nao se puspa aos mais aturados cuidados
de sua arte qoandolem de salisfazer com brevidade e presteza qualquer obra de encom-
mepda
Ao contrario dos mutos que enebemas columnas do jonjal coma repetico ociosa
de annnocios em estylo redice, nao precisamos aqui a natureza dos artigos q.ue possui-
mos para nao colocar a stnceridadc dos noss tratos ao perigo iouninente qne resulta
dessasantecipac5es sem fundamento.
! '
--------------

CHANDE
ARMAZEM
DE
Roupa feita e por medida.
a 1$ o cento.
Rua da Madre de Dos n. 5 e 9. /
Ha labttca da traveaaa OtrOartooi n.t,Ba-
(.a oleo de ricino e weite dt tw quaJidades.
26 Rua Nova u. 26.
Jos Antones Goimaraes, propretrk. deste novo esta^edmento dejreiipM^
fezendas finas, participa ao respeitavel publico emgeral *^ J**'
Sum. que Stand sua casa sobre a direcao de dons. dosnabom mesfre?MtoK^
sendo um delles o Sr. F. S C. Miranda, o utro o Sr. Manoel-^. f^raeir^ambos
eom granees rWbrtai?oes tendentes a sua arle, pelos qiraw e drngrtajisua oina, e
achando-se bem montada a desempernar qaalqner encommenda pwr grande qneseja,
se esiorear para sabir a contento de seus freguezes, vendendo tudo por menos do qoe
em ootra qualquer parte. Rog as pessoas ioteressadas que venham examinar seu estabe-^
leclmemo, e verificar per si mesmo o qoe declara, assim come faz setente a todos em
geral, tanto desta praca como mesmo dos do centro, que qualqner encommenda de obras -
filas que mandem azer nesta officina nao sendo a contento de seos doaos, pede que *d inp" >*"$m *
as qoeiram devolver, afim de novameBie se azer outras qne os satisfacam ; Ms.imc Venden,.ae rltt0S Upete para sala pelo baratlssi-
mo declaram que nao terao nentiuma responsabildade, esperando empre servir nem mo &( g^ l0tK0. na mi e armatem
a todos e de todos espera merecer protecc5o, sendo entregue qualquer encommenda no d0 paVa0, rt da Imperatru n. 0, de Gama *
prazo de 24 boris oa em menos tempo se f* de nmlto orgeacia. \Mn,
a *, na loja do B"avo
Vende-se superior casemira',' eofestada, propria
para calca, palefots e'colletes, peo barasslmo
prego de 2*400 cada covado, ou a 4* o corte de
calca, sendo fazenda que sempre se vendeu a 3* o
covado, ou a ii* o corte.; esta grande 'pichincha
liquida-se pelo prego cima, na loja e armazem do
Pav, ruada Imperatriz o. 60, de Gama & -Silva.
Madapotes a 3,300 rs. a pessa.
S6 na loja do Pavo.
V'?.de-se pecas de madapolao lino com 11 jar-
das, pelo barato preco de 5*300 e 4*c00.
NoidQjdes!
Cambraias a Maria Pia.
Cbegaram as mais bonitas cambraias com listas
vendem aSOfirs^a vara, fintssimos organdys do
aaesmo gosto qoe se veriaei a 1*200 a vara, cas-
sas de cores com dtfler'ntes e modernos desenhos
oae se vendem M.|0 o 3^>. rs. o covado, lu-
do isto muito barato em attecao a qualidade:
na loja e armazem .do Pavao oa rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Grande pechincha em toalhas
para mo.
Vendem-se superiores toalhas de linbo proprias.
para ao pelo*aralissno pre,go de S60 rs.. ditas
"a 640 rs djtas a imitacap das felpudas a 800 rs.,
dias fe pudas a 1* : pecblncha na loja e arma-
zem do Pavao aa rua da Imperalriz a. 60, de G*r
ma & Silva.
ATLANTA
rs.
Grande nevidade a
Atiut 200 ri'.
Atlanta a 200 rs.
Atlanta a 20 rs.
Cbegoo. para a loja do Pavo o mais lindo sor-
timenlo desta nova fazenda, com o titulo de allanta
propria ac utatido ,e roopas para meninos, sen-
alo esiamoderaissima faienda de laa com os mais
lindqs gostos de quadrinbos e listras tendo entre
ellas de cor roa e prela, co listras e quadro*
brancos proprias para luto, e vendem-se pelo bar
tagsitno prego de JOft.rs. o cesado nicamente na
loja, do P.axaorua da Imperatriz n. 60 de Gama Y
Silva.
Cambraias de salpico a 2$500 e
Vendem-se cortea de cambraia branca com sal
picos a *300, ditos cora paiminbas a 3*000, cortes
de oassas ladiaoas *tndo O vanas e meia cada err,
te, teado otte eUes moltos rxos, pelo baratissimo
preco de 2*500, para acabar : na loja e armazem
do domo, nada Imperauiz n. 60, de Gama 4
Silva.
Vestios kajMf* btrdatlos a 640OO.
Vendemfee os mais ricos -cortes de tarlatana e
cambraia branca cora lindas barras bordadas, e
trazendo todos es cortes eneites sufflcieotes parar!
corpo e raaagas, pelo baratissimo preco de 64000.,
ditos com batas de cores, tanto de seda como da
tnesma cambraia a 6*, 8* e 10*, todos estes cortea'
sao chegados pelo nltlmo vapor, e vendem-se por
estes diminutos precos na loja e armazem do pa-
vlo, rua da Imperatrlz n. 60, de Gama & Silva.
Vestidos a 18.
Vendem-se bonitos corles de cambraia branca
com barras de cores e todos brancos, pelo btratis-
- Aliiotlao/iulio enfeslado
Vende-se superior algodosloho com 8 palmas de
largura proprios para lences, pelo barato prego
de 1*000 rs. a vara, na loja e armazem do Pavao
na roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Orgaady a* JjOOO i.a loja dePa>o,
, Vendem-se os mais finos mais modernos organ-
dyes de cores rom os mais delicados desenhos.sen-
do fazenda de 1*600 rs a vara, HqoidSo-se pelo
baratissimo preco de dez tosioes a vara por esta-
rem tomando um pequeo toque de mofo, Isto na
loja e armazem do Pavo na rua da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva. *
Haoguilos a oUO e 640 res,
Vendem se manguitos e calclnbas para meninas,
pelo baratissimo preco de 500 e 640 rers, na loja e
armiaem do Pavo a rua da Imperatriz o. 60, de
Gama & Silva.
Lencos de seda a 46:000
!Veodem-se lencos de seda grandes enm bonitos
oeseohos, nejo baratissimo prego de 1*000 cada
uro.'mantnhs' paregrivaia a 1*000, 800 res, na
loja do Pavlo na roa da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma A Silva.
Sedas largas a LstiOO.
ao pavo.
Veodem-se superiores sedas cora 4 palmos de
largara, sendo dos padroes inals bonitos que tem
vipdo ao mercado, e vendem-se pelo baratissimo
prego de 1*600 e covado, corles de ditas muito
bonitas com 18 covados a 35*000 : na loja e ar-
mazem do pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama
! Silva.
As colchas do pavo.
Vendem-se bonitas colchas de fusilo pelo bara-
tissimo preco de 6*000, ditas a railacao a 3*000,
e grande sortimento de cobertores, tanto de la
como de algodao : na loja e armazem do pavo,
rua da Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
Alpacas decores para vestidos.
Cbegaram as mais bonitas alpacas de cores pro-
prias para ve.stidos, sendo lisas e tendo de todas ii
cores mais modernas que tem vindo ao mercado, e
vendem-se pelo barato prego de 040 rs. o covado,
ditas Javradas com as mesmas cores a 720 rs., di-
tas d accento brando com palmas de cores a 600
rs., todas estas alpacas sao muito largas e vendem-
se por estes diminutos pregos : na loja e armazem
do pavo, rua da imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Cambraia da Escossia.
Vendem-se as mais finas cambraias da Escossia
(odas transparentes tendo mais de vara de largura
com 9 varas c;>da peca, pelos baratissimos pregos
de 6*. 6*508,7*, 8*, ijff.e 10*. grande pechin-
cha : na loja e armazem do pavo, rua d Impe-
ralriz n. 60, de Gama & silva.
casimira de quadrinho.
Vendera-se bonitas casimiras de quadrinhos
brase e preto pelo baratissimo prego de 5*8U0
cada ovado ou a 4*800 o corte, ditas de cOres, fa-
zenda muito boa, a 3*400 cada cavado ou a 4*000
e orte: na loja e armaaem. do pavo, rua da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
1 Madapolao a 3*500.
Yepdem-se pecas de madpolo cm 12 jarda?,
sendo moito Uno, pelo baratissimo prego de 3*300,
dito moito largo e eocorpado a 4*000 : na loja e
armazem do pavo, coa da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
XAKOPE
peitoral e dulcificante
H
SAINT- GEORGES
Preparaiio por
GR1MAULT e Cu
phtroiiceuiicos de S. A. L
o principe Raple! "
Cora rpida de laa i
molestias seguentes;
tosse, catarrhos, pleu-
resa, coqueluche, -
ginas, fortes conslipa-
coes, irritaedes das
bronchas e do peilo,
bronchite,phtiea pul-
monar, astma, pneu-
tnonia,anginas,amyg-
dalites, lotsechronica,
reuquido. Os mdicos recommendSo ao mesmo
tempo o uso das excellentes pastilhas peito-
raes com o sueco d'alface o laureiro-
carejo, que se prepario no mesmo eslabele-
imento.
A venda as pharraaeias de Maurer e A.
Gaors.


Breu em barricas pequeas.
Cera em velas de todts os lamanhcs.
Bogias.
Mercurio.
Na rua do Vigario o. 19, Io andar.

Vende-se om cavallo de seila por prego com-
modo : a tratar na fabrica da fratesa do Carioca
n. 2.
VENDAS.
Canos, corvas e badas de ferro para esgoto : oa
roa do Imperador n. 18, loja. __
= Vnde-se a taberna muito afregoezada no
largo do Carmoo. 5 : a traiar na mesma.______^
G;-,Z.
No armazem da rua do Imperador n. 3 ou no
Caes de Pedro n n. 2, tem para vender-se o ma-
bor caz existente no mercado.
Vende-se na fnndigao da Aurora, as melho-
res e mais perfeitas caixiobas com fita de medir, e
tenas de ferro galvanisado, ludo por presos ra-
zoaeeis.
Eseravos fgidos
' -"".''.gB
Corplnhos pretos.
Vendem-se'-'UoDrfas cerpmiies de grosdenaple
pretos, sendo ricamentente enfeilad, a 10* : na
leja e armaam.4oi>av|o,fU da Imwratm n.CO,
de Gama & Sil va. ?
Para nolvas.
Veodem-se rices cortas de seda bronca lavrada,
viudo cada opt armado no seu carlao, coto a com-
petente palma e capella : na loja e armazem do
pavo, rua da lmperatrlr n. 60, de Gama &
Silva.
Chales de renda a 4*000.
Vendem-se os mais modernos chales de. reada
preloi pelo barato prego da 4*000;-pa loja,e ar-
mazem do pavo, rua da Imperalriz n. 60, de Gama
eVSilva.
Cera amareHa.
Na lJa4*.Gam*iA Suva, r*a .Ja Imperawia n.
60, lem paca vetwler cera amareila em pqrgao, sendo
era barricas o .era carx5es. _____
t Casenlras pretas a *?**0
Vendem-se cortes -de casemira preta superior
qualidade pelo baratfesiPep>e^M0, -gran-
Pesappareceu no dia.2 de junho do corrente as-
no o escravo Raymundo, pardo, o qual tem os sig-
naes seguintes : eslatn^a regular, bastante corno-
lento, dentes inteiros, cara redonda, cor de garapa,
tem em um dos bracos tre grandes letras e mais
signaes no mesmo trago em .que tem as letras,
representa ter 25 annos, porm nao tem barba
quasi nenbuma, tem os ps bastante grossos e foi
do serto. Ja esta' perm no Recite de 8 para 10
annos, bastante trabalhador, tanto do servido de
casa como de campe, ocenpava-se nesta praca em
servico d servente de pedreiro e trabalbava coa
o mesire Mangirico e tambem carregava agna.
Costnmava trajr um paletot de brim grosso em
forma de camisola ; siTppde-se qne tenba Ido para
o serlao do Ico em algom comboy feito almocreve:
roga-se s pessoas que o prenderen) queiram lva-
lo a sua senhora I). Marianna Augusta da Rocha
Bastos, na roa da Aorora n 42, que ah generosa-
mente se recompensara' este trahalbo, ou ao Sr.
commendador Manoel Luiz Vires.
A ttenedo,.
Recommenda-se aos senbores capiles de cam-
po e aotoridades policlaes a prisao do escravo de
nome Adalberto, cora os signaes segrales : cabra,
baixo, pernas om pouco arqueadas, barba cortada,
muito prosista, anda sempre com a cabega de lado:
^rendendo-se evemno a roa do Imperador n. 17,
que ser recompensado o apprebensor._________
''cba'-se fgido de bordo do patacho nacional
Bemfica, o es ravo marrabeiro, de nagaj, de nome
Antonio, com os signaes seguales: rosto compri-
do, nariz chato, beigos grossos, barba e esutiu;
regulares e que representa ter de idade 49 annos:
quem apprebender dlrija-se a rna do Vigario n.
tp, escriptorlo, qoe sera' generosamente recom-
pensado. ____________
fUjj Auseaiou-se hoje 30, um muiaiinho elaro ra
idade 12 anuos, de nome Joo, pede-se a polica
ou a qualquer pessoaque o appreneoda leva-lo a
roa do Imperador n. 77, terceiro andar, que sera'
recompensado, o mesmo levou vestido camisa de
madapolao e caica de algodao branco.
Fugio do eogenho Gaxanga no da 14 do cor-
repte om escravo, cabra de nome Aprigio cor la
capja, cara chata, espadado, desdentado na frente,
ps chatos, idade 36 apnos, pouco mais ou meos,
sabio montado em nm qoartau rositho com can-
galba e cassoaes, qum o aprehender pode lva-
lo ao dito naeobo UaMBa, raguesia da Escad
daaeobtooba va J4* e a0 4o ^aVi89 na Manuel Tbp>a de Jos oo no.RecIf-i aoSr, Jos
rofcda Impajalrn. 60,de Gama&Slva da Silva Alves; o dito escravo conhecido pelos
__________ ,......._____'. Sr. Galdino Lopes e seos manos por ter sido ec-
' Aos" agriCtltores'' .oravo defcfrMgsw Vellosooa Sllveera.
Bannders Brothers S C. acabam de receber de' Tendo desapparecido <*a_esa; d?a?i,Jfl
Unrool vapores de forca 0'3 a 4caaallos eom signadoa mm eacrava mulata Marta siWpot
, m w.DO --------- 'Sdw wirtenee9,emor proprieanara lser mo- qne acode por Mari* &*> *C^X' "'
simo preco de 4* : na loja e armazem do pavao, ver raachioas de desoaroear algodao,. podendo cada bellos cortdo, desdeotada, otos ar''"o| ie"
aBorttftbalbar ate com 1W sorras, tambem ser- vandoum vestido de chita branca aesDotano, e
ven parienfardar algodao on para outro qualquer chale encarnado bordado de brao^ no da^ a
serpeo em qne osa* twbaftar com Wiie?. Ge ama era da arde : peder a oaeni a enowim
as de 35 a 40 aerra: os pretandentes dirijan-
M o largo do Corpo Santo n.ll.
sera'recompeasade
l Candido G. Alcolerado


T"


Dlarf*
LITTERATRA.
TBEATRO DA CIERRA.
goarnlgio entre ariilheiros e infante?; qae um es-
Irangeiro qnem prepara 0:1 torpedo? e Curu-
paity ; qu.e os sotados qoe vero largar stestna-
chiaas diiem serapre qoe ellas prodmem estraga
oa esquadra quindo fazem explosio ; que es va*
Naocessavam os Paraguayos de fazer fogo de .porM paragoayos fazem o servigo de Hiuotita
artllhar.a e (azilana sobre o acampamento alliado, Assumpco; que Lope. Berges, o bispo, o Me'
e a batera brasileira de responder-lhe. Dhelro huagaro Wiester e Mme. Lioch estoo
No da 29 do passado, sendo mais longo e tenaz Passo Brites, meia legua distante de .Campalty
o fogo de nm e ontro lado, dea se um desastre na qne os paraguayos sabem que temos tuno esquaira
poderosa de 40 nacios de guerra sendo 5 blindados
que consta-lbebaverm 10,000scravos em armas'
no Paraguay ; qoe urna legua abato de COrapaity
eomego as trinchefras desta roriiflc-gao pela mar-
gem do rio; e que na ezplosio de um dos loria-
dos foram vctimas 4 paraguayos.
As 11 boras e lo minutos detonou um torpedo
na frente da esquadra, e pouc depois comegaram
os paraguayos a atirar foguetes a congreve nos na-
vios da vanguarda, que inmediatamente' res-
pondern] com um fogo vivo e nutrido de metra-
Iba.
O Eponma nao nos trouxe s feridos, trouxe-nos
cousa mais aflictivao cadver oo general Sara-
patv.
Como nio se ter olvidado, o brigadelro Antonio
de Sampaio commandante da 3" divlsio do exerci-
to imperial, fui gravemente ferido na baulha de 24<
de maio.
nossa batera.
Urna bomba inimiga cabio em um deposito de
muniges, e, fazendo expiosao, matou um oriental
o ferio seis brasileros. No dia anterior baviam s
do (eridos pelas balas paraguayas urna praga do
balalhio brasileiro de servigo na avingada e qua-
Iro ariilheiros tambem uossos.
Muitos offlciaes e algans commaodantes baviam
sabido j dos bospitaes de Corrientes a reonirem se
aos seus respectivos cornos.
Nesse numero contara-se os bravos tenentesco.
roiieis Pedra do 7 de Inha, e Carl< s Nery do
ou^ros, inclusive o Dr. Pioheiro Guimares, fa-lo-
biam djotro em pouco.
Estavara pois, voitando ao exercito a maior parte
dos bravos feridos na batalba de Tuyuty.
Sabia J a sete o numero das machinas infernaes
dirigidas pelo inimigo contra a esquadra brasileira
e apanbadas pelos nossos navios.
A ultima, lanzada na madrugada de 30 do pas-
sado, as 2 J |2 boras da manba, rebentara perto da
corveta a vapor Beberibe, sem a oOender, causan-
do, por era, urna borrivel explosio, que foi oavida
do acampamento alliado.
O Sr. almirante viseonde de Tamandar bavia
ordenado o reeonhecimento da iagoa Pires, com-
metiendo este servido a diversos offlciaes entre es-
tes o 1* teen te Arttiur Silveira da Mola.
O reeonhecimento interior e sendagem foram
ejecutados em lanchas armadas, (cando de obser-
vaco na entrada da Iagoa, a canboneira Araguary.
O forte de Corupaity romper o fogo contra a
nossa esquadra, allrando balas, bombas e foguetes
a congreve. Responderam-lbe as embarcares bra'
sileiras, indo a corveta encooragada Brasil eolio-
car-se defronte das posiges do inimigo para apro-
veitar melbor os tiros.
A divisao da vanguarda compoe-se dos navois
Mearim, Beberibe, Y>ranga, Barroso, Brasil, (com
a insignia do commandanle da 2' divisao), Belmente
e Araguory.
Tinba-se encorporado a esquadra a fragata encou-
ragada Urna Barros, conduxiado a sen bordo o Sr.
baric do Amazonas.
As 2biras e 30 minutos da madrugada cabio
sobrt a p Oa do eocouragado Baha ama macbiaa
expli..- ita, emelbanie aos torpedos empregados na
ultim ga rra da America do Norte.
A obscaridade prodazida pelo grande nevoeiro
qoe fazia ento nao nos permittio reconbeeer se o
torpedo fra abandonado a* eorrenteza do rio, e
casua.mente cabira sobre aquelle navio, oa.se o
inimigo commetten a temerdade de vir langa-lo de
perto em candas, oa pela margem do Chaco. '
verdade qoe se encontraram Indicios de terem pra-
ticado a segunda des tas bypot beses. Urna corda'
com nm gancho de ferro em ama das extremida-
des fol acbada presa a' amarra do Baha.
O torpede consiste em om caixo rectangular de
madeira, obapeado de ferro, e peiteitameote calafe-
tado e alcatroado, teodo as dimensoes segninles:
comprimento 38 2|3 pollegadas, altara igual a lar-
gara, 26 i|2 pollegadas.
Tentu resignadlo} 4 .Imperio : provagao
dura, mas esperemos qul e*la lo sera molo mais
longi.
De resto esse e prega d* gloria nacloial....
i Fomos obsequiados, diz o Otarte; io Bio Gran-
de, cora ama carta de pessoa de.criterio e Impar-
eiai, datada de Buenos-Ayre ernJH de janbo, qoe
relata o afguinle : 4
O hospital de sangue dirigido pela capitio
de fragata Dr. Carlos FredericoyUnto Jfcste cava-
Iheiro como seus dignos compinheiro tratara os
feridos coto, tanto cuidado e carinbo eomo'se foe-'eum, sambvcus, ealcarea-sulfurata, bromnm, mol-
sem seus proprios fi'hos, o que rauitb a*lgra tos'chus, e cuprum-metalUcum.
bravos era seos padecimenlos, e tratara esses me-
Havendo algn melhora no decurso das qoairo
00 seif >bo/|*do uso de spong., continue-se com o
sea empregof mas, nao haveodo melbora, passe-se
a dar hepar-tulf. da mesraa maneira, o qual pode
ser mais larde alternado com tpng
Maltas sio u sabstancias aeonsemadas como
ntes capazes de obter a cura em desespero de
sa; mas, os que tem sido recomraendados com
tecialidade sao :
achesis, phosphorus, corito vegetabais, arseni-
t
Na parte superior se amarra doas boias de
zinco, e na inferior diflereules corpos pesados, co-
mo pedacos de pedra e de ferro. Deste modo o
caixio flucta de 3 a 4 ps abaix.0 da superficie
d'agua.
Em cada nma da.s faces lalteraes do torpedo ba
um syslema de alavancas que corresponden., ao
oue cbamareir^oa espoleus do torpedo. Dentro des-
e caixo ha ontro de madeira igualmente forte e
(me coincide em tamanho exactamente ao interior
do primalro, O segando caixo conten, nma caixa
de zinco com as seguintes dimensoes: comprimen-
to 29 pollegadas, altura igual a largura, 18 polla.
, lateralmente cheia de plvora)
Os sens ferimes tos nao se consideraran) ao prin-
cipio roortaes, mas revelaran, depois este carcter,
e s a torga da sciencia e desvelos, alm do vigor
do doenle, pnderam prolongar-se-lhes os dias.
Vendo qne nio era mais possivel slvalo, acce-
deu o Sr. conselheiro Octaviano as suas Inslacias
para o remetter a Baenos-Ayres.
A bordo do vapor Eponina ende nma cmara es-
pecial se ibe tioha promptificado, foi elle condolido
com as maiores cautelas, fazendo-se-lbe ao sen em-
barque todas as honras. O hbil Dr. Botelbo veio
encarregado de sen traumento a bordo.
Tudo foi em vo, e o vlente chefe da melbor di-
visao de nosso exercito, soecumbio no dia 6, a
bordo do Epomna, e j moito perto de Baenos-
Ayres.
Cbegando aqu esse vapor, a iegaco brasileira
(ordinaria) fez transportar o corpa do geaeral
Sampaio para o hospital brasileiro, qoe demora no
extremo sol da cidade.
Parece qoe mais natural era flear o corno a bor-
do do vapor, e, dando-se as providencia para o
enterro ser o esquife recebido no magnifico caes da
cidade.
Isto permittirla a no aqu temos, fazer-lbe as honras militafos, alwn de
fhcalindo pelo I.*
dicos como seus pas.
< O hospital da marioba
tenente secretario, ajudante de ordens do almi-
rante, Ensebio Jos Aofones, e wr difflcll, mes-
mo na c5rte, encontrar um hospital em igaaes
condiedes ; tem mais de 900 enfermos- aos cuidados
do Dr. Garca, qoe tem tWo a falicidade de Hn
morrerem mnito poneos doeates.
Bslive em alguns dos navios da> esquadra,
quer nos que formam a linha da emboeudara do
rio Paraguay, at perto do forte- de Coropaey-, como
os qne estio em frente ao Passo* da ratria, no alto
Paran, em ama zona de mais V6 leguas, e nel-
les a maior disciplina- e asseio, comida ahondante
e boa, e grande entaoeiasmo ea> lodos, qar em
offlciaes quer as iripac,ues. As- caldeiras estad
serapre acezas e o logo abalado, prompto ao pri-
meiro sigoal. Ha a notar que nao fazem despeza
em car vo, pois o consumo de leona qne parte
das tripnleebes cortaavoos-mattosdae margen do
Paraguay com caja providencia o almirante Tamas.
dar poopa-centenue de costos de sois.
Esta eonstruindo a Uba do Cwrlio, na ea>
bocadora do rio Paragnay, logar plUoresco e das
melbores condiedes bygieoicas, no bospital para-
2,000 doentes.
Est esta Uba be guarnecida- de artilha-j
ria da melbor, e por soldados- altosass viu-
dos de Sv Leopoldo, ludo gente bizarra e beoe.
eier citada.
< Neeta ilba tinha Lopes nma casa de guarda.
A Milidade de tal hospital extraordinaria
de grande beneficio para es-feridos, penevitarem a.
viagen a Corrientes, onde- bastante pereeem anv
tes de la chegarem.
Skiste nm offlciai sueco a bordo de om doe
navio de guerra, por ordem do seo governo,
quando ha algum ataojae, on quaiqner aconteeH-
mento elle procara logo aebr-se no.togar. Disee-
me elle qoe ser, diSteil qne se acredite na Eoro-
pa.a, disciplina, intrepidez e valor oonvqoa tem-se
portado a armada o exercito brasileiro, a>nao ser
qne, pela immensa coneoerenda de povoqno afflai-J mita osea eiposice. por nm homeaa. eslrangeiro o
ria, o sabimento do general brasilero, ser jrnarialieaparclal,e qpe as- melbores tropas qne tem visto
brilhaotissimo. nio as excedem ea nada.
c O paraguayos, no hospital mostraa qne- esta,
No hospital fez-se a noite e- doposiat do cadac-
ver, e d'abi sahio o enterro no dia e,' \ horas,
urde.
Da parte do governo argsntbaoi ,ram-sa todas
as ordens para o eoeaparecimeDlo. da clase mllir
ur; a parte mais distinetoda ->af 1|aj0 jagociou-
se a elle, e concorreodo, talvez sem excepeo do
mais modesto individuo, todos. os Braseiros qne
em Boesos Avres exdstsms. sablmonio tai bri-
IhMla
Um rico coche, eberto- oon f a bandeira brasileira
ao ceatro e a onentoi e a. (genll0, aos lados leva-
va o feretr qne ea de-av Jgn0j conieado nm caixio
de zinco em que ia be meU(.a0iente encerrado o
corno.
Sobre o atade- viar a se M insignias e condeco-
raedes do aade.
Urna looga Sioiw de Je98 segQa 0 coch6| rea.
nindo massas de r JV0 nas M para ver o prestito.
No cemirtria air ima forQa8 de lnfanwria argenti-
na Bzeram Ib* g honras raitareS) acompanhando-
as de longo a MrwU mherohy com a salva cor-
responden!.
Ao sepntr |Ma Q g^jyg, 0 mentoso Dr. Ellxalde
mlnisira i ^ negoclos estrangelros da Repblica,
pronunai oq m CMCeUaoso discurso; depois o
nosso p Mt(Ao o gr J()s canjjdo Gomes, em nome
asileiros mprovisou urna sentida allocaQot
.fim o distincto Sr. Dr. Leopoldo Montesdecca
gadas. Esta caixa
de canho.
A espoleta um cilyndro de cobre, de urna pr ,.
legada de dimetro, ao qual se troduz nm ptf lon
do mesmo metal, coja baste corresponde a c4da
urna das alavancas exte rieres. N fundo dr ( ci(yn.
droesu' um pequeo frasco de vidro he rmetica-
mente lechado conlendo aeldo sulpburic Q eovo,-
vido em algodo misturado a nma peq' aena porQO
de chlorat'o e putassa.
Para fazer-se a expiosao. basta? mais |eve pres.
sao das alavancas sobre a baste j0 ey\\at0 da es-
poleta. Assim quebrase o vi dr0) derrama-se o
acido sulphurico, que, poado-' ie em coniacto com o
cbloracto de potassa, produz a Dflaroa?o do algo-
do que tramitle o fogo a poivora por cinco orifi-
cios que ha na base do t yindro.
Logo qne o cemmar dante ao jaj^ reconbecen
que as doas boias er jLD accessorlas de ama machi-
va infernal, desvio" a a cautelosamente do navio e a
fez eocalhar em ^n-a, onde se vio qne a plvora
couda esteva ja maior parte molbada.
O torpedo foi descarregado.
Acbon-se debaixo da-canhoneira Araguay am
torpedo ha.'O tr^telligeote commandante Pinbeiro pescou-o
comV>,do o sangae-frio e trouxe o a presenga do
. almivante, onde reconhecea-se qae a plvora eslava
ambem bamedeclda.
Houve, como 00 dia antecedente, forte canhoneio
entre as avanzadas dos exercitos.
As 3 boras da madrugada fez explesio na van-
guarda da esquadra um torpedo langado pelo ini-
migo, porm, felizmente, cima do navio testa, qae
a canboneira Mearim.
Ao romper do dia o commandante da canboneira
Araguay apahou urna grande chalana (caooa de
fundo chato) na qual eslava montado om torpedo
de mais de 600 arrobas de plvora, o qual devia
inflammar-se debaixo da proa do navio por meio
de doas pistolas adaptadas engenhosamente em
nma de saas faces e .,ne se disparariam a grande
distancia por flos dados ao gatilho da arma qae es-
lava perfeitameote carregada e escorvada. Havia
tambem na parte superior do torpedo, dentro de
orna caixa de zinco, igual a qne continba as pisto-
las, doas espoletas do systema das dos ontros torpe-
dos, e qne se inflammariam por mel da percnsso
de om systema de martillos, tirados tambem por
nos.
A chalana vinna carregada de podras para sob-
mergir-se antes da explos, afla de produzir o
mximo effeito ntit sobre o navio. As dimensoes
deste torpedo erara em todo dupla das do* pri-
melros.
A i hora da endrogada oovio-se a expiosao de
am torpedo pooco aeiau da esqudra.
Um soldado paraguayo da gaarnlco de Curu-
pafty evadio-seem orna cina a telo apresentar-se
a esquadra. qoe o sea depomento diz de mais
importante o segti inte : Qoe em Cnrnpalty, alm
da raueada, ba chutas a pique e torpedos 00 fondo
do rio; qae ha 28 pecas de animarla em biteria,
sendo 3 de calibre 80, de calibre 24 e as itatras
do diversee canhf ea xaenores, t# horneas de
COA?
'"r entino) dirigi algamas phrases de nobre sym-
4thia ao Boado e a nago brasileira.
Sobre a perda qne constitae para o nosso exer-
cito a morte do valente, desciplinador e perito ge-
neral Sampaio nada accrescentarei ao que o go-
verno e o paiz ho de intuitivamente pensar; en
s dire que essa perda irreparavel, e importa
um grande vacuo em aosso exercito que a todo o
eaforgo dever preencher-se breve. S restara no
exercito tres brigadeiros de infantaria, e a guerra
veraz.
riam, em theu aexercito de Lpez, deed bastan-
te totopo, o o qoe morrem nao tem risco d cor
rupolo: parece qoe a tome- o faz brtgae como
tigres al aaorrer.
Anda acerca de hospitae l-se em una corres-
pondeocia escripia de Cociientes para a Masn Ex-
panoiai
1 Snmmamente prevtdenw e at prodigo,
ira se o imperio visinbo: tem ja' cinco bospitaes,
e trabalba-se dia e nonte para coocluir-se ontro
ba penco ofiereceo por ama nasa para collocar
doentes 4,000 pesos fortes ( mais de &000J000)
por um anno de aJngnel, e 30 on^as de ooro por
mez por ootra casa que o dono se nega a alugar
per menos do 40 oaeaa, que o qne pode valer a
casa em seo justo valor.
O Siglo traz o segointe:
Em 22 de janho, desembarcaram em liapir
seis pecas de grosso calibre viodas de Corrientes,
e mais algumas que assesladas podem fazer multo
mal aos inimigos.
No dia 24 passoo-se o tambor as ordem do gene-
ral Das.
A declaracio deste spldado confere com as des
ontros anteriormente passados.
Lpez tem batalbdes e sna escolla qae se
compe de am batalhao de carabineros, e a escolt
de Lpez Caico.
A antiga on do velho Lpez saccumbto qaasl to-
da no dia 24 de maio.
Tem alm disso 10 regimeatos de artllharia,
chamando para o acampamento as guardas e par-
tidas que se acbavam dissemiaadas na costa do
Paran ; um regiment de animara aqu e nu-
tro em Homayt, que formam um effeitlvo de 13000
homens.
O tambor diz ter ouvido os chefes queixarem-se
da dera^ra-eque soffrem pela ne vinda dos re-
forcos pedidos para o complemento de seas bata-
Lach. e phosph., empregados alternadamente com
ioterrallo de 15 a 30 minutos, tem producido al-
gumas vezes hora resallado ; e, si sso nio deter-
mina a melhora, alterne-se mais tarde phosph. com
carb. V.
Ars. tem salvado criancas, que se acbavam pres-
tes a morrer. Sdmt. tambem tem sido efflcax em
alguns casos.
Calc.-suif. tem sido precooisada por algaos m-
dicos ademos como proficuo ar no principio da
molestia, qor no fio;- s, oa aUeroadb com
l)KWSV>
A brom. astriboe o Mr. Atbomir proprledkdes
espedcas por ser a uniea -.ubsrancia, qae deter-
mina no borneo sipa prodncoae de falsas mem-
branas noiarynge e na traeha-arteria.
Qoaoto ao moto*, se diz qne, quando a natnreza
se esgota e a morte Immioente, esse medica-
mento-despert a torgas a ponto de fazer expelrir
a falsa embrana, e restbeteeer completamente *
saude.
Cvfr.-met: quando ha tosse- eontinoa, qae nb-
deixa qoasi respirar;: ronqoWsn permanente^
acoeseeede safTocago terminando-por vmitos con-
vnlsivee
Muitos autores reeoenmendam ignalmente bell.,
merc^ Me; e lart.-em.
Em fio nio permita Deas qoe eo me veja anda'
na doiorosa circamstaoeia de verificar a profleai-
dade dos-meios reeonseaendados para o tratamento-
do cropo-no sen periodo funesto; mas, si por fa-
taltdadfriseo se der (e-que pode mnito bem ser
prevenido.mediante o- trataraento cima indicado),
ser oa patbogeaesia brasileira-qoo irei bascar 0
naeios de-obter resaltados mais satisfactorios.
I
Rgimen, e dieta. Beve-se conservar agasa 1 hado
o pescoc.o da erlanca. por meio de um pedago da-
Oanella,. mas- de modo- qoe se nao aperte, e difit
cuite a respiragao. 0. qnarlo, onde ella estiver,
deve se* arejado, mas-sem ventana. E' bom 1
da-la de>om para ontro qnarto, on. de ama para
ootra salla com o fim de ter se more a, renovado.
A aJimentacao dava consistir em enojas da ar-
roz, aldo de gallnha. on. de cante temperado so-
mente com pooco sal e pooco vinagre; papas 00
miagaos de arar uto, cari man, sag, gome oa es-
trenbas; sopa de pao torra) oa de bolacha, taita
cosa agua quente, caldo, oa eh, preto.
O leite qaente tambem pode servir.
Nao terminare! sem reeoasmendar nuis orna vez
qae se nao eonsint que as oolras criangas se po-
nbam em coala cto com a qoe astiver aftectada do
erupo.
Eis os conseraos que am pai amante dirige aos
oatros pais de familias, qoe por corto nao serio
menos amantes de seas lllbos do qne elle. Esses
consolos tem alm d'isso a reeommendaco de se-
rem dados por om medico, qae sabe pela leitnra e
pela nropria experiencia qae o crapo nma gran-
de calamidade para as onaneas e nma cruel torto-
ra do cor ago paterno.
Praza a Deas qae este mea trabalho seja de todo
intil, nao s agora, como no futuro I
Recite 25 de julho de 1866.
Dr. Saoiiw O. L. PinAo.
l POUCO DE TUDO.
O Journal des Debis pnblica o seguate extracto
de am livro qae o coronel federal Favre, consa-
groa ao exercito prossiano :
O ennao raiado prossiano, que actualmente
partilha com o canbio raiado fraocez e o canho
vantagexa da sua arma, neotralisando at cer*
ponto os males qae Ibe encontramos.
Tdaria os offlciaes pruasiam senjem viva-
mente esse males, como se prova com refleides
qae a cada momelo fazem os s as escriptores.
O general Offman, na sua excellente uarrago
sobre a batalha de Ligny, depois de baver fallado
na defeza aquella povoaeo pelas tropas pressia-
nas escreva :
< Estes combates as povacSss, onde cada nm
est entregue a si proprio, sao moito temiveis para
as tropas armadas com espingardas de agulha.
Em am llvro ltimamente publicado em Franca
a respeiio do exercito prossiano, lem-se, diz o
Jornal i Porto, as seguintes Hnins, a proposito
das novas espingarda chamadas de agulha :
0 carregamento da espingarda chamada de agu-
Iba Opera-se pela culatra com non rapidez tal,
qoe permute dar einco tiros por minuto.
Esta rapidez de maior vantagem, porque of-
fereee, em am tempe dado, nma torga db fogo in-
finitamente rnator do qae a pode a presentar orna
igual quantidade de soldados- armados com outras
espingardas.
E' sobretodo preciosa a espingarda d'aguiha pa-
ra repellir a- cava Hara, a qnal estando a' vista da
infanta*la e recebeado a vos de carga, estara' pos-
ta fra do combate antes de attiogir no caen-de
ser o fogo bem dirigido.
Mas essa extrema vlvaeidade do- fogo deve tamv
bem contribuir para Fazer perder a' tropa o ses-
gue fro, prejudicaode por isso a josteza e eAca-
cia do tire Alm dlsso-assa promptidao aprsente
o grande inconveniente de esgotar dentro de mni-
to pooco tempe a pro vieio dos car tachos. Urna tor-
ga entregue a si mesraa pode envotn fogo vivo
consumir dentro de der-on dote mlnoiw, e moi
tas vetes pooco a proposito, todas as- soas raunn
coes. E' por isso que o- Prossiano ao deixa
nunca os sens-atlradoras- eperarem sem as vozes
de^ om superior, qae dirige constantemente o
fogo.
Estes inconvenientes, porm, sao menea visiveis
no exercito prossiano doqne em qnaiqoer ontro,
porque em nenbnm exerettoda Europa reina en-
tre os-soidado a disciplina ti-aportada- e rigoro-
sa como na Ptossia. Todava a offleiadade prns-
siana reeonbeee esses perigos, como- o provam as
reflexdes, varias vezes fettas, des sene-escriptores.
Assim que o general de Hbffmann, na sna inte-
ressante narrativa da batalba de Ligny>. exclama,
depots de ter fallado na. defeza desea localidad
pelas tropas-prassiana5.
Estes combates dentro- das aldeiae onde cada
nm esta' entregue a si mesmo, so> perigosissimo
para as trepa armadas-eom espingardas de agu-
lha.
Nao encontramos infelizmente no. escripto a qoa-
nos referimos, e do qoal daremos- ootro extracto-
no prximo numero, a descripcao- minuciosa do
interessaote apparelho. da espingaeda chamada dn-
agulba, o qoal lio importante parto tem tido no
saccesao da guerra, actual.
Na conclairemos- por boje sea observar, qu o
argumento com que se pretendo desfavorecer a, es-
pingarda d'agalna,aUrmalndorkhe o inconveniento
do revolver o sangue (rio ao soldado nao nos- pa-
rece bem fundamentado.
Nio certamente a quantidade dos tiros qne ti-
ra on acrescenta a Irieaa de animo ao combaten-
te. E' o trabalho vivo 4a asanobra que pode ape-
nas iofloir seroelhanie resultado. Ora esse traba-
lho, debaixo de nm logo vivo, commom ao sol-
dado armado com qualqoer espingarda qoe traba-
Ibe multo dorante um certo espago de lempo, quer
durante esse prazo, d mais, quer d menos tiros.
O que excita e desnortea a superabundancia da
actividade empregada e nio a maior quantidade
de balas* despedidas.
Pelo contrario; parece mesmo qae a maior faci-
lldade em carregar deve presumir o maior soce-
go em desfecbar em frente de om inimigo, qae d
menos tiros qae a torca armada com as espingar-
das de agulha.
Te-uhoia mais firme conflanga oa rotea ielida'
ELeJ(*S8l"nor- Assi como temde paasado
***J^*1*!*<>"mo-Dm tamban- nidos
as hora* de prova**,. 1)-de gBHMnU coxjn-
ga em mim, vs, gujo bem lera sido consiautemen-
16 rUTriK 'AVI0^* d0i Sos-
t Com Deas peto dlrefto f srH esta a nossa di-
visa.
Dresda, 16 de Janho de 1866./o.?o
O lempo dinbeiro, este am proverbi que
serve de epigraphe a am jornal de Sydney (Aus-
tralia).
Sobre a porta do eseriptorio da redaego, o vlsi-
taote informado de qoe ao pode fallar ao redac-
tor sem ter abertoa bota.
Eis aqai q-eaor sao a eondigSes : *s peasoas
que desejam urna audiencia sao convidadas a com-
prar om bilhsto de admisso a* porta da sala de-
espera.
Os pregos sao r
Por ama hora meia libra.
Por meia hora quioze tostd"e.
Por oa qoarto de hora 01 to.
Diz o Jornal de Monaco, qoe o general italiano
Villarey, merto na baulha de Costea, era Albo
do cavalneiro Villarey, antigo governador geral
d'aqoelle principado, qo ainda vive eom a vaneada
idade era Mentn.
O general era afilbado do prncipe-Honorato V;
desde 1841 a-1848 esteve junto pessoa do princi-
pe Florestan "s na qualidade de offlcial de ordenan-
gas e com 0 grao de capitio; e em s48, depois
des acontecinentos de Mentn, passoo ao servigo
de re de Sardenha, onde obteve om adiaolamento
brilbante e rpido.
A sua mosto foi geraimente sentida.
Fol o Albo do-general, seu ajudante de campo, e
mogo de viole- e qoatro annos, qnem eserevea a
sna mii, informando-a do triste soccesse
O general foi ferllo por tres balas-ao mesmo
lempo, na oeeasio em qoe caa sobro o inimigo,
gritando aos seus soldados :
Goragem, amigos, avante I vi va f e- rei!
Caio em segoida nos bracos de sen Sino, qne te-
ve de abandonar o valente general, para se bater
at noi te.
lira natural'e Mentn.
Tomn parte na goerra-de 1859; eacboa-se O
batalba de Solferino comowndando um regiment
eoroo coronel.
Pouco lempo depois foi promovido a-general de
brigada.
. S tioba nns cineoentas-annos.
Tinba na batalba de Sustozta don linos, ambos
altores. Ka.era sen ajndante de campo.
Ambo o virara cahir ferido e expirar.
9 d0 general Sam ^general Dia receben na batalba de duas
paio que temos a deplorar ; tambem finou-se em
Corrientes o brigadeiro Netto.
A eofermtdade, que de primetro desattendra,
por nao querer desacompanhar sea caro e antigo
amigo o marechal Osorio, aggravou-se rpidamen-
te. Cedendo as instancias deste veio o general
Netto tratarse em Corrientes, mas ahi se confioo
a om empyrico. Quando la' ebegoa o conselhei-
ro Octaviano conseguio que elle aceitasse os cui-
dados de um de nossos mais habis facultativos'
porm era ja' tarde. No dia 1.* do eorrente snc-
cnmblo.
O brigadeiro Antonio de Souza Netto era ama
das primeiras notabilidades rio-graodenses. Ge-
neral do exercito republicano, dorante a revolngio
de 1835, se ia errado em sen credo poltico, pro-
ceda com a sinceridade de am corago joven e
entbusiasta.
Formoso hornera, ebefe intrpido, sympatbico
no sen trato, respeitdor aa propriedade alheia,
desinteresado e inabalvel em saas conviegoes,
quanuo fiodon a revologio era am dos poneos ca-
racteres limpos que ella deixava. No Estado Ori-
ental, e aproToitando nma excellente poca, appli-
con-se a formar a soa fortuna, qae depois lomoa
proporgoes eolossaes.
E' conbecida a influencia e compartlgao qoe o
general Netto leve nos ltimos sacce>so3 da Rep-
blica Oriental, e quando vio o imperio dlspr-se
para levar a guerra repblica do Paraguay, com
soa influencia e recursos pessoaes formou ama
brigada de 1,200 voluntarios de ea vallarla, e
frente della reuolo-se ao nosso exercito na Con-
cordia.
Ainda nao est definida a parte de gloria qae
pessoalmente corresponde ao general Netto as
recentes operagoes e triumpbos de nosso exercito,
mas s-lo-ha algom dia, e talvez saccessos prxi-
mos cedo a revelem.
Entretanto a soa morte consldera-se ama gran-
de perda, como qoe era nm general perito e o
centro e alma da brigada iigelra, qoe talvez sem
elle nio posea mais conservarse.
O general Netto deixa como onica berdaira de
soa grande fortuna, lodd enraizada aa Repblica
Oriental, nma menina de 2 annos, fllha natural, e
qoe apenas cont eom o amparo de soa desajudada
mal.
Por fortuna temos em Montevideo om vicecn-
sul que cuida dos nieresses brasileiro... quando
seos negocios particulares Ibe delxam tempe.
Com o brigadeiro Netto sio quatro generaos
brasileiros qne perde nosso exercito no espago de
3 metes e meio. Unja' mais de sessenta offlciaes
superiores e subalternos sepnllados em Corrientes,
doas a tres manares *Wtildados.
Fez-se ltimamente em Floreoga a experiencia
de mu couraga de alamiolam, que sendo tao le-
ve como o casaco usual, e quasi to flexivel,
raiado Armstrong, a honra de reinar n'ama parte I comtado capaz de nao deixar penetrar urna bala
ferldas, urna na mo, oulra no punbo.
Os paraguayos tioham construido ama balera
de 8 pecas em frente da qne temos a' nossa direl
la, recedoo alguma sorprexa por esta lado.
ACM pais de familias.
(Continuocdo do numero antecedente.)
I*
Mas nem sempre a molestia termina ahi. Algu-
mas vezes (bem raras, mediante a medicagao bo-
meopathica) ella toma proporgoes terrivels, mxime
pelo desenvolv ment da falsa membrana, a qoal
aogmentando em extensao e em volme, estrella
cada vez mais as vas respiratorias e determina os
aecessos de suffocagio.
Os symptomas do periodo anterior angmeotam
consideravelmente. A voz cada vez mais ronca e
snmida; cada palavra acompanbada de ama es-
pecie de guincho; e o doeotiobo evit fallar por
Ibe causar isso grande encommodo. A respiragio
difflcil, anciosa, estertosa como qoem tem catar-
rbo oa gosmas na garganta, que nao despegara
A tosse cada vez mais roufenha, freqnente e suf
locativa; o rosto paludo, mais oa menos coberto,
assim como o pescosso, de am saor viscoso.
A crianca leva frequentemente a mi ao pes-
cosso como para tirar alguma cousa, qoe o aperta.
Fica moito agitada ; movendo o pescosso era para
om lado, ora para outro, e ora para traz ; a an-
ciedade extrema ; nao pode flear em am lugar,
desoja sempre andar carregada. \- *
O pulso moito freqoente e irregular. Os
aecessos de saffocagio se tomo mais amiodados.
Ets pois o perigo immioente. E se os soeeor-
ros medico nio dio allivlo, a crianga morre as-
phyxiada, porque a falsa membrana tem de todo
obstruido a passagem do ar para os polmdes.
Si at eolio nio se ti ver hito nao de acn, e bry,
aecessario emprega-los alternadamente em doses
freqoentes, isto de meia em meia hora, 00 de
15 ea 15 minutos, segando a intensidade e fre-
quencia dos aecessos.
Si j se tiver adminitlrado acn, e bry., passe-
se a dar ipec. alternadamente com bry. do mesmo
modo antecedente.
Si, apezar desses meios, a molestia continuar na
su marcha rata', recorra-se entio i:
Sponflfo-mar. 5 dllnlcio..... 6 glbulos.
Agua..................... ongas.
Doses. Urna colherlnha de meia em meia hora, to prossiano, por que all reina um espirito de
i oa de 15 em 15 minutos. i disciplina, qoe loe permute aproveitr a grande
notvel da Europa; sem contradigio um dos mais
brilbanies resultados da sciencia moderna das ar-
mas raladas. Adoptado por um grande numero
de estados secundarios da Alemanha, aos quaes a
Prossa forneceu bateras montadas com a coodi*
gao de qoe o sea systema de artilberia tosse posto
em harmona com o systema prossiano era todas
as snas partes, acaba tambem de ser adoptado na
Blgica.
t Mas este estado collocado entre as influencias
germnicas e francesas, nao se decidi sem lucias
mnito animadas, nem sem ter encontrado adversa-
rios proooneiados desse systema. Nao este am
dos menores argumentos a favor do systema pros-
siano que veneeu as objeegoes dos seos adversa-
rios, e alcancen a victoria n'om paiz, oude as se en-
cas militares estio to adiantadas por offlciaes
mnito distioctos.
1 Os prassianos depositam a maior confiaoga na
soa excellente arma, de caja loveogao oa pelo me-
aos aperfeigoamento se lizongeiam moito ; mas ea
jalgo que com mait razio que a fazem apenas
entrar na razio de am qaarto na proporgio de am
artilbeiro, e qne evitam abandoaar os canhes tizos
e os obuzes.
t Alm disso nio se pode dizer qae estejam de
completo accordo sobre a transformado daquella
arma; mallo procedeu com latelligencia e pruden-
cia. Actualmente estnda-se nm systema mais sim-
ples e mais solido. Tambem se falla em fazer ca-
nhdes raiados de 12 libras.........
t A espingarda do novo systema carrega-se com
a maior rapidez, de maneira qae se podem dispa-
rar einco tiros por mnalo. Esta rapidez de
ama grande vantagem por que n'ama determinada
occasiio fas om fogo moito mais poderoso e nutri-
do do qoe o fogo de todas as outras tropas armadas
coa armas raiadas.
f E* especialmente precioso pira repellir os ata-
ques da eavallaria, a qual, antes de se approximar
da infantaria, deve estar toda (era do combate, se
o fogo tor bem dirigido.
c Mas a extrema vivacidade do fogo deve con-
tribuir para fazer perder o sangue (rio i tropa, e
por isso diminuir a exactido da pontana, e a effi-
cact do tiro. Alm disso esta promptidao apr-
senla a grande inconveniente de poder estabelecer
o risco de aa esgotarem n'algons minutos todos os
proTiaeatos de manigoes.
' Um pouca de tropa qoe se v abandonada,
n'om fogo sustentado, pode consumir ea 10 oo 12
minlos, a matas vezes mal a proposto, todos os
wtu cartacbos. E' por isso qae os prassianos
tranca deixam os saos ailradores, sen a vigilancia
iminediata de oa chafa qoe os conserve em ordem
e modere o fogo.
t Este inconveniente, qoe seria immenso para
tropa francesa, por exemplo, em qoe o soldado se
v multas vezes por longo lempo entregue ao seo
nico impulso, oa para as milicias qoe estio me-
nos disciplinadas do qae as tropas de llnha, nio
lio grande como se poderla suppor para o exercl-
de espiogarda, disparada a distancia de trinta e
oilo passos, e de resistir a ama bayoaetada da
maior torga.
Cada couraga costa somonte 14500.
Dense ordem inmediata para que fossem dis-
tribuidas a dous regimentos.
L-se na- lndependance belae.
Sem embargo d incoherencia dos telegrarama?,
o que se sabe com certeza qoe foram mu reata-
dos os ltimos combates parciaes, as perdas enor-
mes era proporcao das torcas que se bateram, e
emlim que est Immineote nma grande acgSo, na
qual todos ts corpos toroaro pane, e qoe Sera'
provavelmente decisiva para a posse da Bebemia.
Sendo batidos os prussianos devero voltar a Sa-
xonia e a Sllecia; vencedores, apodrar-se-hio de
Praga e de Pardubitz, e repelando o exercito aus-
traco para a Morana, separa-lo-hao dos seus adia-
dos, os federaes concentrados de Francfort at Lei-
temeritz a Theresienstadt, na Bohemia. A partida
do rei da Prussia para o exercito da Saxooia con-
firma a probabilidade desta batalba. Soa mages-
tade, quandj sahio de Berln para Beicbenberg,
foi calorosamente victoriado pelo povo.
Qoalqaer qae fosse o resaltado e alcance dos
combates qne se deram, iooegavel qae o marechal
Benedeck, deixando os prussianos oceupar a Saxo-
nia e entrar na Bohemia, deixou-lbe pele menos o
beneficio moral da soa audacia. Agora, depois de
tanto celebrar as victorias do seo governo, o povo
prossiano e os seas depatdos fariam mal se lhe
recosassem dinbeiro e homens para a eooouagao
da guerra, ou mesmo se desapprovassem a poltica
do Sr. de Bismaik, oo caso de se dar atgum grande
desastre na Bohemia. Urna solidariedade intima
existe boje entre estes doas elementos em tempo
oppostos, e se militarmente a attitnde do general
em ebere do exercito austraco pode justificar-so,
debaixo do ponto de vista poltico nio esta' elle li-
vre de censuras.
Em Vieooa, entre os militares, explica-se o pla-
no de campanha do marechal Benedeck, pelo de-
sojo de dar s nma batalba aos prassianos, em ter-
reno escolhido por elle. Se os deixon entrar oa
Saxooia e depois na Bohemia, foi porque em vez
de dissemioar as saas torgas pretorio nio sabir das
soas liabas, porque o seu inleresse vital era guar-
dar o caminho de ferro de Vlenna, Olmutz, Pardn-
bitz e Praga, Jon|que protege a capital da Aus-
tria ; sabelfd bem por ootra parte que, para che-
garem a Vlenna, os prassianos serio obrigados a
travar a lata em coodigdes qoe s elle peder' de-
terminar. Brevemente saberemos qual o valor qae
em estes clcalos.
O rei Joio da Saxooia, segando o JoumeU ie
Dresda, dirigi a segointe proclamagio aos seas
povos :
Aos mens fiis saxonios I Um ataque nao justi-
ficado obriga-ae a pegar em armas I Saxonios I
Porque leaos fielmente defendido o ireito de um
povo trmao; porque temos mentido firme o lago
qoe abraga a grande patria allemia; porque nos
nio temos sojettado as exigencias anta federaa
tratam-nos como Inimigos.
Por mais dolorosos qae possam ser os sacrificios

Aa ralbas franceza qneiaam-se vivamente do la-
conismo dos despachos telegrapbieos, os quaes con-
tam em dez palavra. nma batalba qne custa a vida
a dez 00 deze mil homens.
Us nossos collegas da margem do Sena nao se
devem porm admirar disso. Fra do dominio te-
legraphico, a historia poltica e Iliteraria foroeee
numerosos exemplos de laconismo, exemplo a car-
ta qne Kossoth enviouao general Bem,para loe an-
nunciar ama victoria algancada pelo canho sobre
os Austracos, logo depois da levantmento da Hun-
gra em 1849 s
c Victoria!Bim! Osa I Bem I
Leo Gatyes, escrevead de Pars ao sea amigo
Alfonso Karr, empregon anda maior brevidade
pondo na sna epstola nicamente este simples pon-
to de ioterrogacio :~
t?
Ao qae o jardinelro iliterario de de Niza respon-
den com na tero manscnlo :
O
Pergunta e respost qoe se deve assim tradazir:
Qae ba de novo?
- Nada.
Qoem nao ter urna queixa contra as foran-
gas ? Embora a fbula as aprege como o typo da
previdencia, rocas, pastos, pomares, borlas jardn,
edificios, tudo est em perigo com tal vizinbanga.
Os diversos processos empregados contra este
flagello o que efflcacla rene a barateza e a eco-
noma do tempo, o segointe :
Salitre, urna arroba ; enxofre, meia dita ; car-
vio vegetal (de embaoba), oito libras; serragem
de madeira (ip, socupira), oito ditas ; verde de
Pars, urna dita ; e pixe, 00 verniz de carvio de
pedra, tres garrafas.
Reduz se a p o salitre, enxofre e o carvao, pas-
sa-se em peneira Bna, juot-se a serragem e o ver-
de de Pars, que devem misturar-se bem, deite-se-
Ibe o pixe, des fazem-se as bolas em qae elle eoa-
verte a massa, e passa-se tudo ootra vez pela pe-
netra.
Com este mixto enchem-se canodos de bamb,
iotroduzind-0 pouco a pooco, e sem socar on apor-
tar muito.
Depois de acesos applicam-se aos buracos dos
ormigueiros que devem estar limpos am oa doas
filias, antes, para qne as formigas removam qnai-
qoer trra que podesse embaracar a aegao da pl-
vora ; iotrodoz-se a parte acesa doas a tres Dele-
gadas e tapa-se com barro ao redor para nao esca-
par-se a fu maga.
Em 12 oo 15 minutos est raorto o maior formi-
gneiro, para o que bastara 10 ou 12 foguetes, de
casto de 80 a 100 rs. cada om.
A semaoa passada fez-se em Inglaterra urna im-
portante experiencia a bardo do Royal Sovereiga,
que demonstren a efflcacia das torres do systema
do capilio Cowper Coles.
A experiencia leve logar oo lado occidental da
ilba de Wight, em presenga do almiraotdo, do
principe Joinville, do conde de Paris, e de muitos
professores scieotificos, e offlciaes ioglezes de dts-
tinegio.
O Roy al Sovereiga eslava ancorado a 150 metros
do Bellorophonle, tendo-se-lbe removido a peca da
torre copla, col locan do-se em logar della ama
pega de madeira imitada, e teodo-se pintado os al-
vos no lado exterior da torre, marcando os pontos
a que se devia atirar.
As balas de ago eraa de 246 e 250 arralis, e
tioham 17 e 18 polegadas de comprido o 9 pol-
legadas de dimetro.
Foram atiradas por nm* peca ralada, coa car-
gas de 43 arralis.
Deram-se tres tiros com boas poetarlas e os ef-
feitos foram altmeote satisfactorios porque s re-
sultaran] ararlas de pequea monta, nao damnifi-
cando de maneira sensivel o porfolio apparelho
e servigo da torre capola qoe em fogo poderia
ter continuado o servigo sem o aenor impedi-
mento.
As autoridades fiscaas da alfandega em Paris
acabam de descobrir ama nova maneira de intro-
duzir tabaco eslrangeiro.
Teado ebegado da Suissa urnas grandes podras,
pesando cada atoa mais de urna tonelada, raos-
nheceo-se 00a eram cas. e qne vinnaa com pie-
qae nos ba de Impr a serte, vamos corajosamente S oNU fcnatea de charutos BnUsimo.
para o combale a favor da causa santa. E* verda- WUWUttS cw* 0***s"
de que somos em pequeo numero; mas Deas
poderoso para os traeos qoe teem nelle conflanga, a
o auxilio de toda a Allemanha fiel a coufederagio
nio nos ba de faltar nanea.
Coa quato oeste m omento seja obrigado a ce-
der a torca superior, e a separar-me de vos, con-
servo-ae entretanto no meio do mea valente exer-
cito, onde me sentir! sempre no coragio da Saxo-
nia, e espero, se Deas abenciar as nossas arma;,
estar dentro em pooco no meio de j,
Um torpedo qne tinba sido collocado no porto de
Charleston, ba tres annos, fez expiosao oa olio
ps d'agua.
Diz-se ter feito levantar sem cansar prejoizoa
um volme immenso d'agua, e ter apresentado
ama vista esplendida.
PERNAMBUCa-TYP. DE M. F. DE F. & FILAOS
.
\
X
i
J
I
W


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EYHVQ5JT3_COZMLU INGEST_TIME 2013-09-04T22:01:33Z PACKAGE AA00011611_11033
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES