Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11030


This item is only available as the following downloads:


Full Text
p
AMO XUI. ROMERO 174
Por .artel pago deitro dos 10 das do 1. mti
filen leais das l," lo das do comee e deatro
Parte ao correia aor tres mezes .!....
quartel ,
tyaoo
75o
SEGUNDA FEIRA 30 DE JLHO DE 1866
Por asno fago dentro de 1 odias do 1, mez........ 19$..
Porta ao eorreio por am auno.........*..... S4m
9
I
DE PERNAMBUGO
SNCARBEGADOS DA SUBSCRIPTO 00 NOBTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alax?ndnno de Limai
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves ilbos ; Amaronas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SL.
Alagoas.oSr.Franrino Tavares da CosU; Babia,o
Sr. Jos Martn Alves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparinbo.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagoes da via frrea at
goa Preta, todos os das.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas tetras.
Santo Anto, Grvala, Bezsrros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhons, Buique, S. Beato, Boro
Conselho- Aguas Bellas e Tacarat, Bastereas
feiras.
P d'Alho, Nmreih, Limoeiro, Brejo, Pesqoeira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgneiio e Ex, as qnartas
feiras.
SerinhSem, Rio Formoso.Tamandar, Un, Bar-
reiros, Agua Preta Pimenteiras, as quinus
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBDNAES BA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas quinus.
Relaco : tercas e sbados s 10 horas.
Pateada: quintas s 10 horas.
Jolzo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
vara do civel: tercas a sextas ao mel
Primeira
dia.
Segunda vaia do civel
bora da tajd-e.
qarlas a sabbades a. i
DAS DA SEMANA.
30. Segunda. S. Domitila v.; S. Rufino m.
31. Terca. S. Climerio m.; S. Democrito m.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JULHO.
I
3 Quario mtng. as ti h., 4i m. e 22 s. da n.
12 La nova as 3 h.. 15 m. e 83 s. da m.
19 Qowto crese. a I b., J4 m. e 41 s. da t.
27 La cbeia a 1 h., 53 m. e 41 s. da m.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIRC*.
Para o sol at Abgoas a 14 e 30; para o nona
ha. Ss. F, Esperaoga Caridad* vv. ?T\? J 1?* f ""' '"* ^
,do uosdi-is 14 -os mezes de janeiro, mar$o,naaie
julho, setembro e novembro.
2. Quima. S. Kstevao p. ra.; S. Botillo m.
3. Sexta. Ss. Garnaliei e Nlcode,mos mm.
4. Sabbado. S. Tertuliano presb.; S. Agalio b. m.
5. Domingo. Ss. Cantldio e Sobel mm.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 6 horas e 34 m. da manhaa.
Segunda as 7 horas e 18 minutos da tarde.
ASS1GNA-SE
no Recife, na li*raria da praga da lndependeceu
ns. 8, dos propietarios Manoel Figueiroa de Faria
& Filbcs.
PARTE OFFICIAL
GOVERSO IA PttOVMC
Expediente do dia 16 de julho.
Q
Y
.

Offlcio ao lenente-coronel Francisco Camello Pes-
soa de Lacerda.Recebi oseu offlcio n. 928, de 13
do corrente, e fico sciente de ter V. S. reassumido
interinamente o commando das armas em substi-
tuir ao teneate-coronel Jos Lucas Soares Ra-
poso da Cmara, que na forma das ordens supe-
riores foi commandar o presidio de Fernando.
Dito ao mesmo.Informe V. S. sobre o que pede
Paulo Pereira dos Santos no incluso requeri-
mento.
Dito as mesmo.'nforme V. S. sobre o que pede
Antonia Maria /a Conceico no incloso requerl-
mento.
Dito ao mesmo.Declarndome o Exm. Sr. mi-
nistro da guerra, em aviso de 3 do corrale, que
para se resolver acerca do ulterior destino que de-
vem ter as oito pragas mencionadas no offlcio a.
88 desse commando das armas, de 15 de junbo ul-
tim\ cumpre que sejam ellas enviadas para a corte
atim de serem novamente inspeccionadas : assim u
commaoico a V. S. para que se sirva providenciar
a semelhante respeito.
Dito ao mesmo.Determinando o Exm. Sr. mi
nistro da guerra em aviso de 30 de juohu ultimo,
que se recolham a corte, aflm de serem inspeceio
nadas as pracas seguales : Eliodoro Patricio, do
4J batalho de arlilharia a p, Jos Borges dos
S Bei?, do extincto corpo de guarnigo desta provin
' cia, Vicente de Araujo CosU, da companhia de ca-
ngallara, Francisco Jos Antonio, do Io corpo pro-
visorio, e Geraldo Gomes da Cunha, de zuavos : as-
sim 6 nommunico a V. S. para ter execucao.
Dito .10 mesmo.Em avis de 27 de juoh > ulti-
mo corqfhuuicon-me o Exm.' Sr. ministro da guer-
ra qug nao seguio para a corte no vapor Tocantins
o soldado do 1* corpo provisorio, Manoel Mala-
-quia/g, de que trata o offlcio desse commando de
arras, n. 90, de 16 daqelle mez, o que declaro a
Y. S. para seu conhecimenlo.
/^ Dito ao inspector da thsouraria de fazenda. De
conformidade com o avis circular do ministerio
da josiiga de 3 do corrente, commootco a V. S.
-que no actual exerciclo de 1860 a 1867, contina
a vigorar a destribuicao de crdito feito a esta pro-
vincia para s despeZas daqelle ministerio no.
exercicio de 186o a 1866, constante da demonstra-
gao que acompanhou aviso circular de 18 de
julho do anno passado.
Dito ao mesmo.Estando em termos as relajos
e prets Juntos em duplcala, eji* hacend incon-1
veniente, mande V. S. patear capitao Francisco [
Manoel Rodrigues Coelho, ou ao seu procurador
nesta capital, Andr Avelino Pereira e Silva, con-
forme sollcitou o commandaole superior da comar-
ca da Boa-Vista, em offlcios de 3 e 12 de junbo ul-
timo, os vencimentos reblivos aos metes de margo
a maio deste auno, dos guardas nacionaes deslaca-
i;ovi:h\o do
Hl UPADO.
do dia 13 de
Extracto do expedteite da (Hcese
--'i jnlbo d 1866.
Offlcio ao Rvd. coadjuUr pro-parocbo da villa de
Goiaoninba.Nesta data autorisel o parocho da pa
roehia de S. Jos de Mipib o Rvd. Gregorio Fer
reir Lustosa para numerar e rubricar os dous II-
vros destinados para o langaenentos dos assentos
de baptisados e casa memos dessa parochiaj da
villa de Goianninha, por esta^vez smente.
Fica assim providenciado o que V. Rvma me re
i|USt00.
Dito ao Rvd. parocho collado em S. Jos de Mi-
pib.Autoriso a V. Rvma., por esta ver, a nome-
rar e rubricar os dous livros que tem de servir
para os assentos de baptisados e casamentos da
parochia da villa de Goianninha.
Dito ao Rvd. parocho da parochia do Salgueiro.
Devolvoo mappa estatistico; dessa.parochia, que
V. Rvma. enviou sem assigoatura, para snpprir es
sa falta.
Tenho assim respondido ao seu offlcio de II de
junho.
Dito ao mesmo.Autoriso a V. Rvma. a nume-
rar e rubricar o livro para o laogamento dos as-
sentos dos baptisados da parochia de Cabrob, por
esta vez smente.
Dito ao Rvd. parocho de Cabrob.Acabo de
autorisar o Rvd. parocho de Salgueiro a nomerar e
lubricar, s por esta vez, o livro dos baptisamentos
dessa parochia.
Tenho assim satisfeilo ao que me foi por V.
Rvma. representado em seu offlcio de 21 de jonbo
prximo passado.
Dito ao mesmo.Fico de posse de seu offlcio de
21 do passado, a que acompanhou o mappa topo-
graphico que V. Rvma. envin dessa parochia.
Dito ao Exm. vicepresidente da Parahiba.
Tenho a honra de aecusar o recebimento do offlcio
de V. Exc." de 9 do corrente, cobrindo os doua
exemplares impressos do regulamento n. 9 relati-
vo ao catcameoto das ras dessa cidade.
Reitero a V. Rvma. os meus protestos de consi-
deraco.
Dito ao Rvd. coadjutor pro-parocbo da cidade da
Victoria.Accuso recebido o seu offlcio de 11 do
corrente, em que V. Rvma. me commueicou o fal-
lecimeato do parocho dessa parochia o padre Fran-
cisco Xavier dos Santos.
Dito ao Rvd. parocho collado do Cear-roeirim.
De posse do seu offlcio de 7 do corrente com o docu-
mento que juntou, fico certo assim do motivo que
den lugar a V. Rvma. demorar-se na villa do Cea-
ra-meirim, como de sua residencia na sede da ma-
triz, conforme Ibe fra determinado por S. Exc.
Rvma. em 23 de maio prximo passado.
Dito ao Exm. presidente da provincia das Ala-
goas__Tenho a honra de commonicar a V. Exc.
para os flns convenientes, que nesta data dei uro-
vis3o de coadjuctor da parochia de Nossa Senhora
do Rosario do Penedo, ao Rvd. padre Jacintbo
Francisco de Oliveira.
- 14
Offlcio ao Rvd. parocho encommendado de Tai
dos na villa de Santa Maria da Boa-Vista.
Dito ao mesmo.-TaosmiUo a V. S. para sea pa-Fico de posse do sea offlcio de J corrent.
conhecimento e flns convenientes copia do decreto e<* que V Rvma., em qoalidade do
que me remetten o Exm. Sr. ministro da fazenda,
com aviso de 27 de junho ultimo, e pelo qoal foi
aposentado Manoel Antonio Smes do Amaral no
lugar de eschvo da recebedoria de rendas desta
m-ndado da parochia de S. Miguel do Taip, me
communca que no 1 de agosto vindouro tem de
tomar assento na assembla legislativa dessa pro-
vincia ; assim como que a 23 do vigente expirar
provincia, com o vencimento que Ihe competir na a sua proviso ; sendo que nao tencionai solicitar
novo Ululo, visto esperar-se o Rvd. parocho, que
para a mesma parochia fra apresentado. Cabe-
frma da lei.
Dito ao inspector da thsouraria provincial.;
Mande V. 9, recolher thsouraria de fazenda, a
importancia dos descootos que se tiver feito e se
for realisando pela quinta pane do sold do alferes
do corpo polcjal, Joo Krapcisco Paes Brrelo,
am de ser indemnisada a qoantia dos 1075070,
que Ibe esla a dever a hienda nacional, como de-
ciaron me o inspector daquella repariigo em offl-
cio, a. 420, de 13 do corrente.Coinmunicouse a
thsouraria de fazenda.
Dito ao mesmo.Accuso reeebido o offlcio de 13
do corrente, sob n. 302, em que V. S. participou
naver o tenente-coronel Joao Vieira de Mello e Sil-
va, sob a garanta de apolices ou dinheiros que
depositara nessa thsouraria, arrematado pur ara
triennio, acontar do 1"de-ie mez,os impostos pro-
vinciaes da comarca de Flores porSrOOOfOOO, e era
resposla tenho a dizer que approvo essa arremata-
gao, podendo elle dar principio a cobranga de laes
i m pos los independentemente da concluso do pro-
cesso de especlalisagSo da respectiva anga, confor-
me V. S. Indica no final de seu ciudo offlcio.
Dito ao mesmo.Respondeado ao offlcio de 13
do corrate, sob a. 303, em que V. S. participou
haver Jos Joaqoim da Silva Barreto, dando por
fiadores Antonio Francisco Ferreira e Manoel Ca-
pitalino de Mendooga Pereira, offerecido pelo im-
posto de 20 por cento sobre o consumo d'aguar-
dente na comarca de Goianna 901*000, pelo de j
Nazarelh 402*000, pelo de Pao d'Alho 271*293, e
pelo de Palmares 202*000. tenho a dizer que o
autoriso a receber esse offerecimento, podendo-se
dar comego a cobranga desse imposto independen-
temente da conclusodoprocesso de especialisago
da respectiva Banca, conforme V. S. ndica no fi-
nal do ciudo offlcio.
Dito ao commandante superior da guarda na-
cional de Santo Anlao e Escada.Devolvo incluso
o requerimeclo em que o bacharel Pedro Bezerra
Pereira de Araujo Beltrao, tenenie-coronel com-
mandante do batalho n. 23 do infamarla da guar-
da nacional do manfipio de Santo Anto. pede
passagera para a reserva, aflm de que V. S. faga
constar ao suppllcante, como se determioou em
aviso da repartigo da justiga de 4 do correte,
que deve apresentar o parecer da Juuta de saude
exigido ao art. 11 das instrurgoes annexas ao de-
creto n. 3,496 de 8 de julho do anno passado.
Dito ao jniz de direito da comarca do rejo.
Communico Vmc. qoe por decreto de 22 de ju-
ho ultimo, segundo conslon-tne de participagao da
27, houve S. M. o Impera-
e consequencias, nao deve passar desapercebida na
informagio des Rvds. parochos. Embora alguns
pas ( o que infelizmente nao poocas vezes aconte-
ce ) neguero, por mero capricho ou vistas ambicio-
sas, o consenso para o casamento de seos fllhos,
isle nao deve autorisar o silencio dos Rvds. paro-
chos sobre a informago da idade dos oradores ;
por qoe o correctivo d'esse ioqualificavel procedi-
mento des pas est commettido aos juizes de or-
phos na lei de 22 de setembro de 1828. Confio
que V. Rvma. se far um dever de applicar ao ob-
jeclo em questo as cautelas que venho de indicar,
lembrando-se da tremenda responsabilldade que
contrahem perante Dos os Rvd?. parochos que por
incuria ou falta de estudos sao a causa de
mentos nullos.
Dito ao Rvd. parocho collocado na parochia
w----------------------------------------'--------------------------
nao querer o Sr. commandante d'aquelle vapor,
receber om pratico da barra para proceder a* des-
m arrelo.
~-> vapor Mamanguape, ohegado no sabbado
a nonte, de Aracai e Mace trouxe-nos jornaes
de Sergipe at 23 e de A lagas at 26 do cor-
rente.
Tomara posse da vlgararia da capital de Sergi-
pe, no dia 15, o Revra. Jos Lniz de Azevedo.
No da 2 do corrente comegoa em Aracaj a
Maria, Pernambuco, inezes, Boa-VIsU
rile.
Rosaliaa, Peraambuco, 15 anaos, escrava, S. Jos;
ipelepsia.
Publicacoes a pedido
tal mal, deve provocar a trartpiraco toman-
do ao principio urna collierinha de cha do
xarope alcohlico de veame dissolvido em
ama chicara de infus5o e flor de sabu-
gueiro quente, adocaddo-a com mais assu-
car, continuando nos tres dias nesse trata
tamento, no fim dos quaes usara' do xaro-
0MMHML
Teado sabido para o Rio de Janeiro, no dia 1..
casa- j o brigue Diu, com carregamento de assucar, arri-
: boa no seguinte com
de! nos baixos da barra.
Lendo a correspondencia sobre a liba de Fer- pe de veame na forma prescripta no recei-
tuario, t
am de soar conver_ientemente, alem de
publicaco o Jornal do Dr. Jos Fiel, em sobstltugo. ao Correio Ser- sob o titolo-Publicago solliciudae assigaada "_ J. rr_l0a0_.._?aJr._ ._?e se,aDa,a,r,
Nossa Senhora do O' de Goianna.Accuso recebi-. Foi festejado, com um baile dado no palacio da
do o offlcio de 19 de junho prximo passado, em presidencia, o dia 2 do correle, anniversario da
qne V. Rvma., onedecendo ao despacho de S. Exc independencia da Babia.
peloObservador,que apezar do anooyrao mni
de peno conhecemos por mfeiicidade nossa, tanto conservar o ventre corrente, que conseguir
que sabemos que ha pouco pela clemencia* Imperial tomando uma ou duas pilulas purgativas do
agua aberu por ter batido deixou de pertencer ao numero dos gales, tencio- j mftsmn vplamp
' navamos deixa-la correr livreraente sem dar-lbe
me reconhecer razSo que assiste a V. Rvma. de
nao solicitar nova provisio ; porque efectivamente
se acha collado o Rvd. parocho dessa parochia, que
V. Rvma. regeu por cinco annos com louyavel
assiduidae e zelo pastoral, servigos que o dvem
recommendar memoria dos seus bons parochia-
nos.
Aproveito a occasio para agradecer os seus
cumprimentos, e significar-lhe os meus protestos
de sincera considerago.
18 -
Offlcio ao Exm. vice-presidente da provincia.
Tenho a honra de communicar a V. Exc. para os
flns convenientes, que S. Exc. Rvma.o Sr. bispo
diocesano tendo de seguir para a corte no vapor
em que veio do Para, para beijar as mos de S.
M. o Imperador, deseja embarcar duas horas an-
tes da sabida do mesmo, no cies das Princezas.
19
Dito ao Exm. vce presidente da provincia.Te-
nho a honra de communicar a V. Exc, que nesta
data acaba de ser nomeado coadjutor da parochia
de Nossa Senhora das Montanhas da villa de Cim-
bres o Rvd. padre Joas Vertuliano Cursno de
Macedo.
Cont no a apresentar a V. Exc. men cincero
respeito e estima.
23
Offlcio ao Exm. viee-presidente da provincia.
Passo as mos de V. Exc. o mappa dos divorcios
que lveram lagar nesta dioeese no correle anno,
de conformidade com o modelo o. 25, que acom-
panhou o decreto n. 3572 qoe V. Exc me enviou
com seu offlcio de 21 do corrente.
Prevalego-me desta opportooldade para reiterar
a V. Exc. os meus seolrmeatos de respeito e con-
siderago.
Dito ao Rvd. parocho de... -Com o seu offlcio
de 5 do correte recebi a petigo de dispensa que
pela segunda vez lhe devolvo, para que y. Rvma.
especifique com a neeessaria clareza nao s os
graos do parentesco e suas premissas, como a cau-
sa ou causas que podem justificar a coneesso da
dispensa requerida. Porquanto, sendo os impedi-
mentos dirimentes do matrimonio, defnlot com of
quaes se nao pode validamente conlrahir este Sa-
cramento, certo que a autoridade dispensante jai
mais dispensar na le qoe creou aquelles impe-
1 di mentos, qoando a favor dos oradores ou cootra-
Rvrna. de 8 d'aqooe mez exarado na petigo do
Rvd. Joo Gomes da Silveira Marreca, mostrou a
inconveniencia da autorisago para o oratorio pu-
blico, de que se occopoa aquella petigo. Lovan-
do entretanto o zelo, qoe v. Rvma. manifestoa, in-
dicando a conveniencia e possibilidade nos reparos
e concertos da capella de Nossa Senhora das Doras
da povoago de Goianninha d'essa parochia sem o,
quaes crescerao por sem duvlda as minas da sobro-
dita capella, lembro a V. Rvma. qne promova pos-
entre os seos parocblanos os meios* de levar a efj
feito os referidos concertos, em vista dos quaes
de esperar que ojuiz de capetlas nao se negar de
auxiliar a V. Rvma. ao louvavel empenho de ama
obra to Indispeosavel ao culto publico, nomeaodo
uma coramisso, de combibago com V. Rvma.,
para o costeio da obra, por nao ser corhl, que o
procurador dos rendimentos dos bens patrmoniaes
da capella leona a seu cargo s despezas cora os
respeenvos concertos. Isto nao ser difflcil, visto
como V. Rvma. declara em seo citado offlcio que
um honrado paroeniano sen se offerece para, a ad-
ministrago da obra. O exemplo de V. Rvma. ani-
mar a piedade de seus bons parochianos.
Dito ao Rvd. parocho d'Albandra e Jacoca.Ac-
cuso recebido o sea offlcio de 17 do correte, em
que V. Rvma. me commuoicou estar admioistran-
do a parochia de Jacoca, e por poriaria do Exm. e
Rvm. Sr. ex-vigario capitular de 14 de maio do an-
no prximo passado, conjgnctamenle com essa
a'Alnaodra. E alem d'isto perguota se deve ap-
plicar as missas parochiaes pelos fregaezes de am-
bas as parochiaes.
Sasraaendo a soa pergunta, respondo qse deve
V. Rvma. applicar pelos parocbiaoos de ambas as
parochia} as misas conveBtuaes, qoe celebrar.
24
Offlcio ao Exm. Sr. vicepresidente da Parahiba
Teoho a honra de communicar a V. Exc para
os fias conveniente, que attendendo as razes
apreseotadas pelo Rvd. parocho da parochia de
Saota Rita da Parahiba Jos Goocalves Ourique de
Vascoocellos, resolv coaceder-lhe 30 dias de Ucea-
ra com vencimealo para ir a villa de Banaoeiras
tratar de negocio de seu interesse.
Aproveito a occasio para renovar a V. Exc mea
sineero re*pefto e consideragio.
Dito ao Exm. vlce-presidente da provincia.Te-
nho a bonra de communicar a V. Exc. para os flns
convenientes, que fui, collado boje na igreja paro-
chial de Nossa Senhora da Conceico de Quipap o
Rvd. padre Renovato Pereira Tejo.
Expediente da vigaria geral 23 do jalao de
1866.
Offlciu ao Rvd. parocho collocado dos Afogados.
Perante esta vigaria geral foi Impedido o casa-
mento de Antonio da Silva Lima com Maria Ignez
dos Pra-'ro.t rllba legitimado fallecido Geraldo Ao-
toaio Bi uosa e Igoacia Maria da Conceico, mora-
dores na ilha do Pina, d'essa freguezia. Pelo que,
sirva-se V. Rvma. nao administrar o referido casa-
manto, em quanto nao Ihe for apresentado o com-
petente mandado de autorisago.
COMMANDO DAS ARMAS.
Quarlei do commando das armas 4e Pernambueo
na cidade do Reeife, 28 de julho de 1866.
ORDEM DO DIA N. 256.
O lente coronel commandante das armas inte-
rino determina que na maaha do dia 1.* de agos-
to prximo vindouro se passe revista de mostra,
em seus respectivos quarleii, ao 1. corpo proviso-
rio e aos depsitos pela ordem seguate :
As 6 horas ao deposito especial de cagadores a
eavallo; as 6 '/i ao 1.* corpo provisorio; e s 7
ao deposito de recrutas.
(Assigoado) Francisco Camello Pessoa de La-
cerda.
EsU' conforme. Estevao Jos Ferraz, tenente
ajudante-de ordens encarregado do detalhe.
PERNAMBUCO.
benies nao mililarem causas que tenbam mais peso
ano ultimo, segonoo consiou-nie uy^~~ i do que a rozo que dea luga? a lei do impedlmen-
repargao da justiga de 27 houve s. U. o impera ^ J g^ sim lesmente
Oor por bem declarar sem effeito o .decnato de ador%m ^ Ae casarse com a oradora; co-
d'aquelle mez, pelo qoal foi removido o bacharel /^ em soa c(udo offlcj() ^
^^alJS^pi^a^AS.So estando especificado o grao do parentesco eso.
mosdeMossor; Cmpo"Gode e Apody no Rio y -Repoden*) onteeer" anda pela ter-
sando do Norte para o de Cimbres nessa co- *vtt q'ne Ja eoabuti dedaeCao nao se pessa
raaoC'" .. m _.-.i. n attineir ao seu legitimo rao, lembro a V. Rvma.
Portana.-O vice-presidente da provincia alten- f% do aut*r das inferencias de Angers ci-
deodo a proposta do Dr. chele de polica de 15 do e,ne0,;0Monte em sna Theol. mor. tom. 3 cap.
corrente, .sob n. 901, resol ve exonerar por assim o l
baver pedido, a Jos Tavares Pessoa Araujo, do
cargo de subdelegado de polica do 3.* dislricte da
fregoezia de Tracunbem do termo de .Nazarelh.
Despachos do dia 16 de julho de 1866.
Tenente-coronel Antonio Francisco de Souza Ma-
galhea. Informe o Sr. director da inslrncco pa-
bllea. i
Antonio Jos Duarte Coimbra. Passe portara
concedendo a liceoga pedida.
Dr. Praocisco Pinto Pessoa. Passe portara;
prorogando por tres mezes a liceoga com que se
acha o sapplicante.
D Maria Theodora Alves Ferreira. Informe o
Sr. inspector da thsouraria provincial.
Teneote Manoel Goacalves Nones Machado-
Informe o Sr. commandante superior da guarda
naciooal de Goianna.
Miguel Rilwlro Pavo. Seja relevado da mulla.
Porflria Jesoina Baplista da Silveira.- Ioforme
o Sr. iMpector da thesoararia provincial.
Alteres Severino Jo do Nascimento.- Informe
o Sr. commandante soperior do goarda oaciooal do
Cabo e Ipojuca.
REVISTA DIARIA
No dia 2 de agosto prximo deve ter lagar a
traosladago dos ossos encontrados na sepultura
presumida de Fernandos Vieira, da igreja da Mise-
ricordia em Olinda para a do Paraso desta cidade,
afim de proceder-se ao exame medico deliberado
pelo instituto Archeoiogico e Geographico Peroam-
bocaoo.
A polica mostrava-so activa na perseguigao e
captura dos criminosos residentes na provincia,
teado ja' conseguido prender diversos, alguns dos
quaes importantes.
A exportacao da provincia, nos mezes de Janei-
ro a' junho ultimo, montn em 3,662:378>929
sendo :
Para Portugal-78:2*9*205.
Caaal-971:842*86.
Peraambuco1:962*169.
> Alagas16:572*314.
Rio de Janeiro117:997*408.
Banla-2,465:728*889.
Em Macelo noove, no dia 11, orna reunio dos
negociantes exportadores de algodo, para accor-
darem n'oma pessda que se incumba de inspeccio-
nar os algodfies qne elles compraren); recahindo
a escolha no Sr. Candido Venancio dos Santos.
Os negociantes da capital reoniram-se, no dia
22, para tratar da installage de ama Associago
Commercial. Depois de algam debate, foi appro-
vado o projecto de estatutos, seodo nomeada, pa-
ra occopar-se da iostallago, acqolsigo da casa etc.,
orna commisso composU dos Srs. Jos Joaqoim
de Oliveira presidente. Jos Virginio Teixeira de
Araujo secretario, e Francisco de Vasconcellos
Meadonga thesooreiro.
Tendo sido dispensado da serventa interina
de escrivo da delegada desu cidade o Sr. Fran-
cisco de Barros Correa, foi para ella nomeado tam-
bera interinamente o Sr. Aprigio Jos da Silva.
Em rectifleago ao publicado no obtoario, pe-
de-se-nos o ieguinte:
c D. Ignacia Nery da Fonseca Banks, branca,
casada, com 36 annos de Idade, natural desta pro-
vincia, e residente na freguezia de Santo Antonio,
falleceu no da 22 do corrente, de inflammaco nos
intestinos.
Uasa di: detkm,ao.
Movimento da casa de deteogo do dia 26 de ju-
lho de 1866.
Existiam 355, entraran) 12, sahiram 11, existem
366, a saber : nacionaes 257, mulheres 18; estran-
geiros 26, mulheres 2, escravos 50, escravas 3,
total 336.
Alimentados a eusta dos cofres pblicos 199.
Movimento da enfermarla no dia 27 de Julho de
1866.
Tiveram baixa :
.florentino Valerio da Silva, febre.
Joaquim, escravo de Miguel Alexandrino da Fon-
ceca Galvo, febre.
Tiveram alia :
Antonio Joaquim Isidoro.
Vicente da Costa Soares.
Chamamos a atteogo dos le i le res para o
trabalho que boje publicamos sob a titulo de Ne-
crologa do brigadeiro Gaspar de Meneztt- Vascon-
celos de Drummond, locubrago importante epre-
ciavel. nao s por ser o seu autor o Sr. general
Jos Igoacio de Abreu e Lima, seao tambem
pela pessoa a quem se refere, coja vida exem-
piar, foi por aquello seu amigo, desde a infaacia
e durante mais de mel seculo, seu companheiro,
esbogado com mxima exaego, e em seo bello
esiylo; e cojo passameoto por isso mesmo desper-
tara sempre vivas saudades.
Em coosequeaca de ser oceupada hoje a
nossa 8* pagina com a biographia que nella pu-
blicamos, suspendemos por hoje a pnblicago da
coocluso dos escriptos do Sr. conego Pinto de
Campos.
Hoje ao meio d>a se extrahir 1* parte da
1* lotera, beneficio da colonisago polaca (74),
seado o maior premio 6:000*000.
O escrivo dos protestos Jos Mariano, est
de semaaa.
Passagelros do vapor mamanguape, viado
do Aracaj e Macei :
Clarismaado B. dos santos, Learengo Goacalves
da Silva, Francisca Porcina de S. Pedro, Tbom
Alvellos, sua senhora, tres fllhos e 1 criada, Um-
belina M. da Espirito Santo. Jos da Silva Mao-
gueira, Antonio de M. Rodrigues Loureiro, Luiza
de Franga Zumba, Adelaida Umbelina G. Fialho,
Jos Gabriel M. Pinto, Joo Capisirano de Olivei-
ra, or. Joaqoim. Piros Carne.ro Monteiro, David
Flack, Alvaro Angosto de Almeida, tenente-coro-
nel Joo Vieira Peixoto, Maria I. da Conceigo,
Luiz Zamba, Antonio da Silva Rocha, africano li-
vre Synelelico A. dos Santos, 1 escravo a entre-
gar.
CEMITEMO PBMfin.OBITUARIO DO DU 21 DE
JULHO DR 1866.
Isabel Joaquina de Oliveira, Pernambuco, 62 au-
tos, solteira. S. Jos; hydropesia.
a menor importancia; enchergando porm qne esse I Todos QU^tOS SUCCUmbem desta moles-
observador s teve em vista elogiar ao Sr. capitao tia se diz :falleceu de erysipella recolhi-
Manoel Joaquim Bello, de quem nao duvldamos da ; ao contrario, algUDS expositores pre-
um instante da probidade, intelligencia, ele, etc., I *mem spr n fWnvrilvimpntri da mitrpfar-
que se Ihe attribue, nao obstante constar-nos que i -' em Ser a, V1 m, aa.Putreiac-
pelo mesmo Sr. Bello foi encommendada essa cati- j 5a0 D0 sanune, tanto que o lugar nflamma-
linaria, que mais parece uma necrologa, servin-, do que, cnto a sua cor era encarnada, se
do-se s como de tabella dos Ilims Srs. coronel troca em lvida ou negra, e term'na era ean-
Lulz Jos Monteiro e urs. Francisco Gongalves de' ffrpna p a nnr ,... **n _., rnnvpnipntp
Moraes o Joo Honorio Bezerra de Menezes, pes-1 rena' e Q/i .SSa TO" e COnYeoiente
soas a qoem muito respelamos, e pedimos perdo ? jarope alcohlico de veame na infusSo de
Acto publico, e que interesta a todo o Ptrnam
bucao amante das tradigdes gloriosas de sua pro- Mana dos Prazeres do Espirito Saoto, Peroambu-
tado pelo _
29 8 1421. Epela bulla. SaneiMumus, de PioV,
1566, ver V. Rvma., que a dispensa pode ser nal-
la, conlorme fr, nao expressada a attingencla com
o Io, ou 2* ou 3 grao de consanguinago.
Alm de qoe, reduzlodo-se a ooze as causas pa-
ra as dispensas matrimoniaes, quaesquer que forera
allegadas, devem ser verdadeiras, pelo menos a
motiva; sendo que no caso contrario, sera nalla a
dispeosa, como obrepticia.
Na informacio que acompanhoa a petigo uisse
V. Rvma. parece-me serem verdadeiras as causas
allegadas: esto expresso por certo nao jastifiea
o cuidado que devera presidir investigagao oa-
quellas causas.
Ootro sim, oio informando V. Rvma. (como Ihe
cunpna fazer) sobre a idade do orador, para a
dispensa dos proclamas, julgo fazer-lhe am servi-
go declarando qoe, supposto para a validado do ma-
trimonio seja esseneial a dispensa do impedimento
dirimente, todava nao se deve ter em pouco caso
a autoridade paterna dos oradores; autoridade que
a igreja procuron sempre maoter e fazer respeijar.
E os pais de familias convm que tenham scien-
cia do casamento de seos Albos pela publicacco
dos banhos para que, sendo ellos menores de 21
annos, nao baja lesao em seos direltos paternaes.
EsU razo, alus muito attendivel por soa gatoreza
vincia, de crer que seja ella revestido de todo o
apparato, coocorrendo todos tornar magestoro o
acorrpanhameato.
A sabida da cidade de Olinda para esta do Reci-
fe ser as 11 horas da manhaa do referido da..
O Sr. major Salvador Henriqoe de Alboqaer-
que pede-nos que declaremos a pessoa que envioa-
Ihe uma carta sem assigoatura, datada de Campo
Grande, em 9 de fevereiro do corrate anno, na
qoal se relatara varios (actos importantes acerca
de Joo Feroaodes Vieira o Andr Vidal de No-
greiros, qoe se quier que a soa commooicagao
produza bom effeito, se sirva de declarar porootra
carta ou por intermedio de alguma pessoa, onde
mora e quera para com a neeessaria entrevista
explicar cortos pontos de soa narrago.
Deste modo presura essa pessoa om bom servi-
go ao Instituto Archeoiogico Geographico Pernam-
bueaao, qoe nao deixar de agradecer-lbe devida-
mente.
Foi nomeado coadjuctor, da fregoezia de
Nossa Senhora das Montanhas de Cimbres, o pa-
dre Joas Vertuliano Cursino da Macado.
Por ter sido hootem o dia do vigsimo anni-
versario de S. A. Imperial a Sra. coodessa d'Eu,
esliveram embanderados os navios de guerra e es-
tagoes publicas ; dando a forUleza do Brum e o
brigue-barca Hamarac u salvas do estyllo.
Amanha mandara celebrar os irmos de
Santo Ignacio de Loyola, na igreja do Diviao Es-
pirito Saato, uma missa cantada, que tora' prin-
cipio as 6 horas e tres qqartos da manhaa, e a
noute orna ladainha, era honra do mesmo pa-
droeiro.
No sabbado. qoando desmarrava para sahlr,
o vapor Ingles de guerra Sharpshooter cabio so-
bre as popas da barca Flor de S. Simio e brigoe
Conceico de Marta, ambos portuguezes, causea-
do a'qaella grandes e a' este pequeas avariaa.
Segando no? informara, foi esse desastre devino a
de tocarroos em seus nomes; depreciando os de
mais capites e fazendo sentir ser o Sr. capitao
Bello nico merecedor da coafiaoga do mesmo
Illm. Sr. coronel; nao nos podemos cooter, ja' por
conhecermos a esses capites, cono porque do
fonte limpa sabemos que s o art. 5 do regula*
ment do presidio levou esse digno commandante
a passar o commando ao Sr. capitao Bello, que
serve de major da praga ; o que se v das ordens
do da 8 e 18 de maio e dos officios da presidencia
oomeandao Sr. capio Tiburcio Hilario da Silva
Tavares, commandante ioteriao, e approvago do
ministerio da guerra, e pascamos a traoscreve-los
como nica resposta.
Quartel do commando do presidio de Fernando,
8 de maio de 1866.Ordem do dia n. 59.O co-
ronel commandante acbando-se doente e sendo
aconselbado pelos primeiros cirargies em servi-
go deste presidio qae entrasse em tratamento, pas-
sa boje o commando Interino ao Sr. capitao Ma-
noel Joaquim Bello, que serve de maior da praga,
conforme determina o art. 5 do regulamento de
11 de fevrreiro do anno passado, qne rege este
presidio ; o qae faz publico para conhecimento da
guarnigo, dos mais Srs. ofOciaes, empregados e
pessas residentes neste presidio.Assignado
Luiz Jos Moileiro, coronel commandante.
Quartel do commando do presidio de Fernando
de ivoronha, 18 de maio de 1866.Ordem do da
n. 60. O coronel commandante, nao obstante
acbar-se alada bastante alterada a saa saude, as
sume boje o commando, que em data de 8 bavia
entregue ao Sr. capitao Manoel Joaquim Bello, que
serve de major da praga, e assim o faz porque, rei-
nando uma epidemia que ja' tem ceifado algumas
vidas, e atacado alguns oiciaes, sobrecarregando
oe poneos qoe restara de assidoo trabalho, v qoe
com a saa apreseoUgo pode fazer desapparecer
o desaoimo qoe se tero apoderado da popolago da
ilha, consolando-a e fazendo Ibe preparar os re-
cursos a' seu alcance, o que faz publico para co-
nhecimento dos Srs. ofOciaes e empregados, guar-
nilo e mais habitantes.AssignadoLuiz Jos
Monleiro.
Offlcio da presidencia ao commando das armas
em 24 de maio.Em vista da ponderago feta pe-
lo coronel Loiz Jos Monteiro no offlcio que devol-
vo, e por esse commando das armas em offlcios
ns. 744 e 759- de 16 e 23 do corrente, con venho em
que o commando do presidio de Fernando, qoe
por noraeago do goverao imperial exerce aquelle
coronel seja incumbido interinamente como se pro-
poz no seguado dos citados offlcios ao capitao do
4* batalho de artilbaria Tiburcio Hilario da Silva
Tavares, al que o goverao imperial resolva o que
Ihe parecer mais acertado ; ficando dispensado do
mesmo commando o capitao Manoel Joaquim Bel-
lo, que podera' recolher-se a' esta capital, seao
Ibe coavier cooiinoar no servigo do presidio, que
declaro a V. S. para seu conhecimento o expedi-
go das conveaientes ordens.
Dito ao mesmo em 23 de junbo.Pela ieitura do
aviso da repartigo da guerra de 4 do correte,
coaslaate da iaclusa copia, ficara' V. S. latelrado
nao s de ter sido approvada a delfberago que to-
mei, de mandar ineumbir do commando do presi-
dio de Fernando o capilo do 4* batalho de arli-
lharia, Tiburcio Hilario da Silva Tavares; mas
tambem de achar-se oomeado o teoeate coronel do
corpo de estado-maior de segunda classe Jos Lu-
cas Soares Rapozo da Cmara para commaodaate
o mesmo presidio.
O. cu&rm
flor de sabugo, para se conseguir resolver a
ioflammaco, ou pelo menos terminar pela
supporacjio, impediodo assim a gangrena.
Os effeitos do xarope alcohlico de veame
applicado na flor de sabugo ao doente, nao
s de vantagem por sua qualidade diafo-
rtica, como pela anti-septica para imped
a putrefacto as molestias.
Na erysipella nao deve o enfermo nos pri-
meiros tres dias usar de comidas e"bebi-
das que possam esquentar e inflammar o
sangue.
A comida durante esse lempo deve ser do
reino vegetal, como sag, farinba do Mar-
nho, pSo torrado, bolacha, etc.
Anda nao vi expositor de medicina que
aconselhasse que nos primeiros tres dias de
accomtnettimentos do mal, nao se usasse de
medicamentos; o que ellos repeliera sao os
ungentos, unturas que obstruem mais e
repellem do que promovem a evacuaco da
parte; o que convm trazer o lugar ata-
cado e bem agasalhado para ajudar a trans-
ira$o e defender do ar.
O verdadeiro xarope de veame rende-se
na botica da ra Direita n. 88, de Jos da
Roe lia Prannos.
Tenho recebido cartas de algumas pes-
sas de oulras provincias que me commu-
icam ter desta cidade sido remettido o meu
xarope falsificado, que tem dado resultado
ao descrdito de minba preparaco, cujo co-
nhecimento se tem verificado depois dos ef-
feitos que laes remedios apresentava ; as-
sim, pois, tenho a declarar ao publico qoe
no letreiro que vai i regado na garrafa do
xarope, sempre foi assignado por meu pu-
nco, e daqui em diante, alm desta assig-
oatura o farei tambem no papel que cobre
a garrafa. Rogo ao mesmo publico que
quando forem assim engaados, tomem tes-
temunhas, me remettam os rotlos falsifica-
dos e me participem para fazer effectivo o
artigo 167 do cdigo criminal do Brasil.
Jos da Rocha Paranhos.
Joo, 60 aonos, solteira, cidade de Olinda ; diar-
/rha.
rancaca liara de Paula, Pernambuco, 45 annos.
Pogo da Panella; Infiaraago.
Anna, Pernambuco, 1 anno, Boa-Vista; bepa-
tite.
Daniel, Pernambueo, 8 mezes, Sanio Antonio; coo-
volc5es.
Marimona, Pernambuco, 20 mezes, S. Jos ; infia-
raago.
Isabel, Pernambuco, 66 aonos, escrava,ykffogados;
congesio cerebral.
Joliaooa, Pernambuco, 6 annos, escrava. Santo
Antonio; bronchite.
Damiio, Peraaraboco, 40 aanos, escravo, Boa-Vls-
la; hydropericardite.
Manoel Cardoso Ayres, Pernambueo, 24 annos, ca-
sado, Recife ; hepalite.
Bento de Barros Falco de Lacerda, Pernambuco,
50 annos, casado, Boa-Visu; hernia.
Antonio Fernandas dos Santos Pernambuco, 35
aanos, soltelro, Santo Antonio; pneumona.
Joanna, Pernambuco, 25 anaos, Santo Antonio;
tobercolo polmooar.
Vicencla, Peroambaco, 17 mezes, Boa-Vista; con-
volsdes. _,
Joo Maranhio, frica, 41 aooos, escravo, Recife;
affogado.
2o =
Joo Cavalcante de Alboqaerque, Peroambaco, 50
aonos, casado, Boa-Visu ; meelite.
Joie Baria, Portugal, 50 aonos, solteiro, Boa-yis-
u-, anemia.
Joaquina Maria da Coneeigao, frica, 60 anoos,
solteira, Boa-Vista; ulceras.
Aooa Joaquina do Nascimento, Pernambuco, 90 an-
nos, solteira, S. Jos ; velhlce.
Joaquim, Pernambuco, 7 annos, Boa-VisU; desln-
torta.
Pastora, Peroambaco, 4 mezes, Santo An,tQQio] oa
niaras de sangue.
Erlslpella.
O medicamento que com mais influencia
e energa tem combatido essa terrivel en
fermidade, tem sido o xarope alcohlico de
veame.
Uma escrava da mi do Sr. Francisco Fir-
mino Monteiro, pessoa bem conhecida nesta
cidade, achando-se de cama, e com as per-
as bastante inchadas, e cheia de tumores,
tomando o xarope de veame, acha-se hoje
boa, prestando servicos.
A mana do Sr. Jos Francisco Pinto, mo-
rador na roa Direita n. 51, tendo sido
accommettida do mesmo mal, acha-se tam-
bem boa.
A Sra. i). Senhorinha Umbelina dos
Santos, moradora na ra das Calcadas n.
38, achando-se atacada de erysipella as c-
xas, com quatro tumores bastante volumo-
sos, no estado indolente, que a privava de
pr-se de p ha muito tempo, com o uso
do xarope alcohlico de veame e pilulas pur-
gativas do mesmo, acha-se restabeiecida, e
no uso dos medicamentos os tumores ter-
minaran! pela suppuraco.
A Sra. D. Rita, moradora na ra de Santa
Rita n. 13, primeiro andar, soffrendo do
mesmo mal ha amitos annos, pois que a ery-
sipella atacava amiudadamente, depois que
tem tomado esse remedio nunca mais Ihe
deu.
Ootros muitos fados desta ordem deixo
de mencionar aqu para nao me tornar pro-
lixo e enfadonho.
Sendo a erysipella uma molestia que sem
duvida effeito de materia gerada no corpo
como expbem alguns esenptores de medici-
na, e em consequencia da febre lancada
m pelle, onde produz inflammacSo, e que
muitas pessoas, por nao se terem conve-
nientemente tratado, suecumbem com o
pernicioso uso de que, nos tres dias nao de-
vem usar de remedio algum, o que faz-se
estender o mal por nao se ter a principio
combatido ; por isso, pois, conveniente
que, logo que alguem ae sentir atacado de
Remedio contra a embriaguez
A sade depende do estado dos solidos, e
dos fluidos, que os conserva idneos para a
mais perfeita execucao das funeces vitaes; e
emquanto estas se fazem com regularidade
nos adiamos saos e robustos; porm de qual-
quer maneira que se perturbem.inivitavel.
oalterar-se a sade, e a inteperanea nunca
deixa de desordenar toda a economa animal,
impedindo a digesto, relaxando os ervos,
fazendo irregulares as secreces, viciando
os humores e produzindo infinitas enfermi-
dades.
O mais alto grao da prudencia humana
consiste em regrar os nossos appetites e
paixoes, de maneira que se evi tem os ex-
tremos.
Com quanta celeridade arruina a melbor
constituido o aboso dos licores, que embe-
bedam! Pelo que vemos com tanta frequen-
cia os devotados a embriaguez carregados de
males, correndo com passos largos para a
sepultura, e por isso commum proverbio,
que todos os ebrios morrena hydropicos.
Tndo que embebeda p5e a natureza em
estado de excitar febre, para desembaracar-se
da pessonha que tragara: e, quando se repe-
te quasi todos os dias este veneno, fcil
prever-se as consequencias, que resultara
delle. As febres da bebedice nem sempre
terminam emum dia; acabam ard nanamen-
te n'uma inflammaco do peito, do figado, ou
do bago e produzem fataes effeitos.
A bebediee de especies alcoolicas quando
se usam com excesso, debilita as entranhas,
impede a digesto, destroe a forca dos er-
vos, e causa enfermidadesparalyticas, e con-
vulsivas. Do mesmo modo esquenta e in-
flamma o sangue, destroe sua qualidade bal-
smica, e o torna intil para a circulado e
para nutrir o corpo. Dabi procedera as
obstrucoes. magreiras, bydropesias eti-icas.
Estes sao os caminaos ordinarios, com que
os bebados fazem sua carreira, e enfermida-
des desta casta, quando se produzem em om
forte bebedor, rara vez admitem cura.
Alguos arruioam sua sade bebendo mui-
to, anda que rara vez (pelo costume) se em-
bebedem, posto que n5o produza effeitos t5o
violentos, n5o sSo menos perniciosos.
Quando os vasos se conservara constante-
mente cheios e dilatados n5o se podem fazer
bem as digestoes, nem preparar-se devida-
mente os humores Por isso a maior parte
destas pessoas padecem, gota, podras, areias,
chagas as pernas, abatimento de espirito,
desordens hipocondriacas e outros sympto-
mas de indigesto.
A bebediee po s dftsi,rua,Qira, da sa-
-
s*





1

t



I
!r
.'V
>* > **++> i ii o ^.*fc.
biarto de Peiiai# sr^iradA frtra c Julho de isttt.
....
il
i,.... -

-*
ii..
de, mas das faculdades da alma, o coslurfe era todas as molestias que sao caracterisa- j dem era rama ou en la
de embebedar-se faz idiota os genios. das por fraquez*; e coa* effeitq acb,o exac-1 m^a^x^T
_ Assim, pois, aos cbfefes das familias con- \ ta essa opiniaO", nao mas dudo o ferro em j As^u^malcavado
vm safcfof afos seus* fmulos, que arraigados' substancia pelb rto resaltado que teaheob-'dem branco .
ao vicio da embriaguez nao os podem livrar
pelos meios suassorios, applicando-lhes o re
medio, que faz inteiramente enjoar as bebi-
das que se vendem: naxwtica ou laborato-
rio pfiarmaceutico, na roa Direita o. 88, de
Jos da Rocha Paranhos.
ou pilado

15*000
15300
25000
N rsswi !' i" !. ::! m-. il'umft ni
lftjs ciar t persuasiva (i poder da
ixie/id'.i Medica f./bii.- u. iui.'A-.-'.iu : ijial sej o
ae ANTONW .Ioa()i;im l'i hkiia. da Baha.
Este ho.-ni iirielil havia runis d'mv. amm que
olVia .. as
provenie le
maii atr'izi's e i ngeme?
Troze
i artes de 6i
cnr|Mi, m'Uuu Ulna dasques s.>br<' pitodop
lima funda e ifr -_*a. a ijual o jinvara*
de anda, aiwwKfl ljio-
ewin mtnimila-
mxnte alornjHntadp par t*d ne e dnrus,
e qwusi (;ue aborrecido d.-y continua .o de im-
iilutntu vid, iciuta |iokt.o de parto toda a fe' e
ouui'umuii cui lucdtxiiuis. a un realidade pareca
qa |>arii elle nin liie reeiava maja osperanca
al^oina; assh-i JkA nsignade espora va coa-
pacicecia > tenue final de sena mutjplicadoa
offriiw-aius. eia quu milagiutaineute por for-
tuna sun llie receitarflo o grande pnrifleador
io sangue
A Salsaparrilha
DE BRISTOL
e mediante t. sua grande ofucacia e excelencia
elle se acBu dentro do pouco tenpo, vre ao
en irromediavol estado de desespero, e a doce
e risonlia eriporanca tornou de novo revlver
fluencia deste aduiiravel medlcanujnto, as suas
efaagas em breve prfncipiaro assnmir um ca-
racter favoravel diiuinuindo o aspecto de sua
malignidade A maesa do sangue e mais
humores do systema tornou adquirir urna
apparencia clara e saudavel, as dore* ator-
mentadoras d'outro ora o deizarSo, e urna doce
9 suave tranquillidade principiou precorrer
todo o aeu aystema, restanrando-lhe a desojada
paz o socego d'espirito; as cliagas urna unta
te forao fechando at>: que finalmente se cica-
trizaran d'um todo, e hoje acha-se perfeha-
mente nao, gosando d'um peifeito estado de
ande, depois de se ter visto privado d'e.-ta
grande goze durante mais d'um anno. Elle
durante esta sua cura, apenas fez uso de
Desasis garrafas da Genuina Salsaparrilha
d6 Bristol, preparada exclusivamente por
L ANM AN & KEMP,
De NOVA YORK.
Reeommenda-se mui particularmente ana
oontee d'ambos os sesos, que enpregnem
toda a rautella na escolha d'este admlravel
remedio, afim qoe nao obtenh&o oirthi com-
posicSo qualquer, qno nilo soja a Salsaparril-
ha Genuina de Bristol, pois quo todas as
mais preparacSes e imitacoes d'osta naturoza
tto falsas nao possuindo Tirtnde algruma.
Vende-se as boiras de Caors & Barbosa
e C. Bravo A-C.
ATTEHCO.
Xarope alchoolieo de veame, preparado
pelo pbarmaceutico Jos da Rocb* Paranhos,
estabelecido com botica na ra Direita n.
88 em Pernambuco.
Este xarope incontestavelmente superior
a todos os xaropes eparatvos, de cuja
composico o seu maior eleiento a salsa
parrilba, pois que se tem conhecido ser o
veame mais enrgico para a prompta cura
das molestias, cuja base essencial depende
da purificagao do sangue; assim pois se
tem verificado por muitas pessoas que se
achavam desengaadas, as quaes acham-se
hoje restabelecidas com o referido xarope
alchoolieo de veame; entretanto que al-
guus, tendo usado do xarope de Curinier,
de Larrcy, de salsa parriiha, de saponacia,
oleo de ligado de bacalbo, e outros agentes
desta ortlemnada conseguiram. E' elle de
fcil digesto, agradavel ao paladar e ao ol-
phato. Alguns mdicos desta cidade e da
de Macei o teem recommendado para a cu-
ra das
Impigens, tinha, escrphulas,
Tumores, ulceras, escorbuto.
Cancros, sarna degenerada, fluxo alvo.
Todas estas affecces provm d urna cau-
sa interna; nao ba pois razSo afgana em
crr que ellas se podem curar com remedies
externos. Tambem se prescreve o xarope
alchoolieo de veame para o tratamento das
aflecces do systema nervoso e fibroso, taes
como:
Gotta, rheumatismo, paralysia,
Dores, impotencia, esterilidade.
Marasmo, bypecondria, emmagrecimento.
0 xarope alchoolieo de veame sobre
tudo, da maior utilidade para curar radi-
calmente, e em pouco tempe o rheuma-
tismo.
Adverte-se que o verdadeiro xarope s e
vende oesta cidade na botica cima indica-
da, do abaixo assignado; e em outra qoal-
quer parte que se tem aonanciado n5o da
mesma composico, e nem o abaixo assigna-
do se responsabilisa.
Jos da Rocha Paranhot.
l a>i
servado, (e que j Bz publicar) em certas e dem refinado
determinadas mole tas; por exemplo:. ane- Az^ de amendoim ou meado-
mia, e febres intenwtentes, terminas! ui- i^^q cc0'"
tas vezes por anazarca, que accemelaco den e mam / .
de serosidade notescido cellular (aguaquan- Bata aiimertte _,. m. arroba
do est entre a pelle) e depois aserte ou hy- b^j** ordi*wta,ppria par
dropesia do ventre, qoe accuamlac8o de MJ^lie,i \ \ \
serocidade no peritoneo,- Caf ton
E'sabido que o ferro um dos agentes jdem esotiha- resiSB.
I mais importante para que o sangue se pre-|*ePtfflt8do j^*'
pare e apereice devidamente, e por con-1 ^ _*_ arrofra
seguinte o mais proprio para impedir q des- dem branca ". '.
enVolvimenta destas molestias; mas sendo Carne secca (xarque) ...
elle um efficaz excitante, sorbente e secer- Carneiros ......um
nente, claro que s associado como se SSjESeup^ '. 5S*
acha neste xarope, pode dar o rewKado Cera de carnauba em bruto. libra
que se espera, ea experiencia me tem de- dem idem em Tetas ...
monstrado sem risco de offender as entra- Cha..........
nhas Charutos ......... caoto
Os effeitos dos incitantes, sSo: promover cocos Rceos)08. cento
as secreces, eabsorcoes, augmentar o ca- Colla ... libra
lor natonfl, e remover aquellas dores que' Couros de boi, salgados^. .
nascem da falta dos movimenlos irritatlvos.: f^* !^em s*c^4 *0iiiibJdos ,
Os sorbentes. sao tambem aquelles agentes. idlSidemcabra^cortidos '. '. nm
os quaes augmentam os movimenlos irrita- dem idem de onca.....
tivos, que formam absorc5o, e oss cernen-'Doces seceos......libra
tes aquelles que augmentam os monmentos \fm e{" #* '> masa
irritatives qtre constriera as secresoes. ^^or^fl^
Assim, pois, v-se que sem a precisa comb- [dem pequeos r .
naejo e modificac5o nao i de ser elle appli- Esteiras par forro de estivas
cado indistinctamente. Muitas vezes o pra-1 MV2i .......cen
ticodeixadefazerapplicacao do ferro por, fSatds maBo* ". \ '. a!$re
conbecer suspeitar que o ligado, o bofe ou i Idem de itsrvt: .... arroba
pulmSo, e orp5o essencial da respirado, on | Feijao de qualquer qudlidade
outra enlranha est offendida; entretante; Frechaes .......nm
que, se se tivesse applicado em tempo se f.
poderia ter evitado o desenvolvimento da
molestia. Assim, pois, o xarope prepara-
do como fca exposto se pode usar sem ris-
co por nao offender as entranbas. As mo-
lestias contra as-quaes o xarope tnico re-
frigerante pode ser applicado com proveito,
sao: as amenorrheas, ou suspenCo do flu-
xo menstrual das mulheres, anemia, ou di-
minuirSo da maesa do sangue e sua consis-
tencia alterada, dores de estomago, debiH-
dade dos org5os digestivos, fastio, floxos
mucosos, flores brancas, cblorose, molestias l-fedrasi de amolar
idem de filtrar
21S0O
14900
15490
15300
3800
75000
75080
ri VitlO
4W)1
360
too
580
35800
45000
15600
35500
.(*) I
500
25000;
35000
135000;
45000
650;
i61
aso.
Vtis.
de 590 a 600 rs. por pacote de $
_ ^k velas.
Desconts.......O rebate de letras reculou de
9 a 12 por <*ntoMinno.
Frates.......... Para Liverpwl fino algodSo K
d. por libra sem prln
Carne sec*.
1805 a 1905000 a pipa, e os 9e seja o endereco do destinatario, e quando maito a
outros paizes 'Je 1605000 a (705. *natura do expedidor. A falta de oumpriraaii-
a dita. to destas condl^Ses i-ujejia-os a' Ux de cartas or-
As de composiejio vendrara-se-'driirias, para lerem e*pedfds.
Os jornaes, circulares, e qpaesqtter^ioipresos
avulsos, urna vei que* pree'ncham as condiegoes do
precedente artigo, pagar' a taxa de dez ris de
cadi exempiar. *Se, oorm, forera expedidos em
snasso pa^aro essa mesma taxa na razao de qaa-
feuia rainmas oo fraefio de 40 grammas de
por; para o Cana* beln assncir, peso.
35/ a 30/ por tonelada sm pri- Correspondencia de*n pata e exterior nao sngeito
magem o 0/- ** a co*vencde postaes.
A do Rio-Grande o Sul *edeu- Da Gr5-BrwtaDha e suas colonias; cartas 240 rs.
se de 25000a 35000 porrroba, al 15 grammas inclusive (i uitavas), 480 rs. at
ficando ea robas; e a do Rio-da Pr'at tf*** assim por dianie amnando sempre doos por-
5000a25600, ficaada^em de- tes j^ar 30 xammas oalractao de 30 grammas
psito f.OOO arrotias. De Franja e suas colonias: cartas 200 rs. por
15 grammas, inclusive e na progresso
-m
M0VIMENT0 DO PORTO
um
dem ordinario on restoho.
dem em rolo bora..... 1
dem ordinario oBTBstolho >
Gallihhs........urna
Gomma.........arroba
Ipecacnanha (raz).....
Lenha em achas......cento
Toros..........
Linuas e esteios......om
Mel ou melado......caada
Milho :.......arroba
Papacaios....... um
Pao Brasil...... quintal
dem de jangada.....nm
moa
t
iVaoi'o entrado no da 28.
Parahyba3 dias, hiate brasileiro Harta Amelia,
de SS looe adas. capito Francisco Tnomat de
Assls, equipagem 5. carga loros de mangue ; a
Prente Viarina & C.
Aracaly15 das, hiate brasileiro Nicolao I, de
47 lemlada, capitSiv Trajano T. de M ura,
I equipagem 6, ca-ga 54 sacess com algudao e
outros jeneros-j a Prente Vianna & C.
Trra Nova34 dias, feriga* wglvx Jura, de 269
toneladas, capjlao James Day, fquipagom 10,
carga 3,100 barricas de bacallao e 400 ditas
ct-m ariniia d" trigo i oMem.
Terra Nova-34 dias,-patacho ingiez Spray, de
198 toneladas, caj-ilo -NlelluiL-t, equipagem 10,
carga 2,009 harneas com bacalbo ; a Jobusion
Pater & C.
Trieste68 dias, brigue austraco Nuvimcik, 4%
225 tonelada*, capito Stefauo Uedin, equipa-
gem 9, carca 2,050 barricas com fariniia de
trigo ; a N. O. Birber S U
Aracajd o portos lote.rmedios4 das, vapor bra-
sileiro Mamnnauape, de 337 looeladas, cora
mndame lielmiro B. de Sauz*, equipagem 22,
carga aigoao e outros gneros.
Observago.
Sao bettversra sahidas.
Navio entrado no dta 29.
New-Orleans3 mezes, hiato amwicaoo Atbert
extrr, de 15' toneladas, capiao T. U. Me.
380
105000
18000
360
45000
om 205OOO
do sexo femenino, caraelerisada por tan- ;*} JJ ^g
guor geral, acclorisacSo paluda da cor ou pjassava ....'.'." .' .' molho
esverdinbada, empobrecimento dosangue, Pontas, ou chifres de vaccas o
enfartes-ehronicos das visceras abdominaes,' novilhos.......cento
alporca- ou escrphulas, escorbutos, opila-: Pr^sc^ss de amarell de dous
Cao, pallidez, e os estragos produnidos pe- [ idemde louro" .' .' .' .' .' .'
las molestias syphinticas: asthenia on falto] Kap.....*. libra
de forcas; fraqueza geral: e ba hydrope- j Sabao..........
siaanazarca eascites; tendo-se o cuidado!^}-
de observar nestas duas ultimas molestias jjffJKJJ
principalmente, e em todas s entras, qoe idem em velas
165000
25000
25*00
45000
25000
55000
l55000
85000
105000
85000;
15000
25800!
2550001
23300 1
125000'
65000 i
180
15K 1
35000
65000
55000:
900
800
15000
460
35800
Gee, equipagem 8, era lastro ;A ordero.
Novio tahiio no metmo dta.
Paravapor ingle degaerra Sharpsheoer, com-
mandaate Barre.
Obsertaoao.
Fuodearam no lamaro um vaper portoguez de
guerra, unfa barca banoveriana e um brigue un-
ruegutQse e nao tivaram cmmunicao cora a
trra.
t^.Ht +,**,, i|.
E01TAES
***
OlMm. Sr. inspector da tbwoararl de fazend
d'esta provincia, em virinde di oraem Anhesouro'
n. 112 de 15 de junho ultimo, manda fazer publico
qoe tem marcado o da 15 de ootubro d'este ano
165060 P81"' concurso qae lera de atwlr n'est thesoura
arroba
um dos effeitos salutares deste xarope te-
ro-ventre corrente, e as urinas desembara-
cadas.
O modo de osar-se e regular-se vai des-
cripto no lalreiro pregado no frasco.
Vende-se nicamente na botica da ra
Direita n. 88 de
Jos da Rocha Paranhos.
"9
COMMERCIO
Gaixa Glial do banco do Brasil em fer-
namliuco 13dcjullio de 180G
cana desconta os saques de sen aceite pela
laxa de 6 0/0 ao aroo^saea
Baha.
sobre a caixalilial na
Caixa Filial do Banco do Brasil en Pornatnboco
aos 13 de jiilho de A866
De ordem da directora se faz sciente aos sendo
res accionistas que o ihescnreiro est aultorisa-
a pagar o 25 dividendo das acc,5es desta caixa a
razao de 105-
O gnarda-livros
Ignacio Nunet Correia.
\'oto banco de Pernam-
buco,
O Novo Banco* desconta tetras a 9 por cento
ao anno
Kendimento do
dem do dia 28
ALFANDKGA.
da 1 a 27....... 641:6935038
............... 27:7695222
669:4525260
MOV MENT DA ALPANDBtiA
Voiumes entrados cora fazeodas...
t c com gneros....
Voluntes sabidos cem fazendas...
t com gneros
522
194
328
78
747
----- 828
15000
160
400
255000
55000
75000
na, para o preenctiimeoto ios logares vagos de 1
e 2* couferentes e otllcial de decaiga rta ail'aodeaa
do Rio-Graude do Norte. -
Veraro os exames.
Para offlelal rte desearg ibr*s malprls' de
que trata o do art. do decieto o. 3114 de 27
1405000
875000
35000
25OOO
65000
380
105000
05000
65400
800
64400
Sola em vaqueta.....ama
Taboas de amarello .... duzia
1 diversas......
Tapiocas.........arrota
Tataju'ba ........quintal
Travs.........urna
Unbasdeboi ......oento
Vassouraa de de piassara >
Ditas de timb.......
Ditas de carnauba.....
Vinagre.........caada
Alfandega de Pernamuco, 28 de julho de 1866.
ADITAMMKKNTO.
Cera de carnauba arroba
Cassueiras de Jacaranda, dutia
Enchameis......nm
Esteiras de carnauba > urna
Ossos........arroba
Paiha de carnauba mciho
Penna de ema .... libra
Sapa tos de couro branco.
Era ut supra.
ApprovoAfandega de Pernambnco, 28 de julho
de 1866. Paes de AnimOe.
(Assignado):
O 1. conferente, Jos Affonso Ferreira.
0 2.* conerente, Cicero B. de Mello.
Conforme.O 4." escripturario, Joao de A. Pi-
rara Rocha.
HECEBKOBIA DE BENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO
Rendimento do dia 1 a 27....... 34:6015633
ldemdodia28................ 8085091
25000.! d9 )onnu de '^63 a sber: leitora, analyse gram-
mrtical, orllMgrapi, ariihmetioa e suas applica-
cSes ao eoromercio, com especialidwle a" re'iucc,ao
da* rooddas, pes 'medidas, calentes de deseootos,
juros simtdea e roipostos; tbeorla de cambios e
suas applicacoes.
Para x> couferrnte sobro as fsesmOs materias
exigidas para oTBola 1 de de-carga e mais as seguio'-
tes: tbeoria de escriptora^ao mercaMil por parti-
das simples e dobradas e toas appUcacdes ao com
mercio, tradue^ao correcta das linguas ingleza e
franceta ou pelo meno* da ultima, principios g-
raes de gengrapbia e historiado Brasil,algebra al
as equagdes du segundo gran, estastica^ommernial
e pratica do servico da repartic^io em que estiver
&5#OO0 o candidato, se por ventura ja' for erapn-pado;
\ (5500 i n'este caso ser -dispensado de etaine. em qu >lqBer
2QQ' das materias cima njenciooadas em que mosirar
9'l Iler s"'0 'Pi"0*31**.
E paiw cosorerrte sobre > mesmas materias
8001 (dadas as mesmas exe^pc^s) e mais as segu ules
2# '/W! seeometria, areoroetria e ortica dos methodi. e
par
800
Descarregam boje 30 de julho.
Barca ingieraJfeformercadorias.
Galera francetaAMedem.
Barca inglezaAdelphoiidm.
Barca porlogoezaEsperanzadiversos geiieros.
Barca norueguenseCttwseremfarinha de trigo
e diverso gneros.
Brigue austracoCavalier Baumgartnerfarioba
de trigo e diversos gneros.
Patacho inglezSpraf *-bcaHto.
Patacho nacionalCardiacharque.
Brigue portnguezLuzUanoidem.
Patacho portugueFarroIWtd.
Iinporlaeiro.
Vapor nacional Persinunga, entrado dos portos
do Norte manifestou-o segoote:
Do Ceara'.
100 barricas farinna de trigo, 6 voluroes com
100 meros le sof; a ordem.
Do Acarac.
56 sacras algodao, 12 eowoi salgados; a Ray-
mundo Ferreira Passe.
240 mefos da sola; a Luz Goncalves da Silva.
91 couros salgados; a Jos Rodrigues PeVrelra.
08 conros salgados, 730 meios de jola ; a Joao
Jos de Cor val ho Montes.
4 couros salgados, 1 pacote pennas de
1,237 meios de sola; a D. R. de And/vade.
2510 ttelos de sola, 20 raros curTraos, 3 matos
com 500 di** muidos1; a Jos 00 Bk'^Leirto Jd^l
36:4095724
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimento do da 1 a 27....... I00:o3o*377
dem do di. 28............... 3:7535666
104-.-2895043
PRAQADORECIFE
2 DE JI I IIO BE IS6.
A'S TRES HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios........Saceou-se sobre Londres de 24
u-o dos Instrumentos modernos de arquraco de
navios.
Os candidatos, -jue ofio forem empregados pobh-
eos, devem presentar documetilos que provem :
iJade eompleta do 18 anaos, i.-enca de colpa e
pena, e bom compertamento. Os candidatos porm,
ao Ingar4*48 oooferNrte, que s o podem ser em-
pregados pblicos, devem mostrar ter tido pele me
nos 3 aunes deezercioio deconfereote em algama
alfandega.
Secretaria da thesoararia de fazenda de Pernam-
buco, 6 de julbe de 1866.
serviodo de odlcial-maior
Manoel Jos Pisto
DECLARKOES
Pela adminisfrcio do correio desta cidade
se faz publico a quem ipleressar possa, que desta
data em duotese acha em exuco oesta admi
nistracAo e suas agencias os decretos e uisii ui-ces
Seguintes.
Correio de Pernambuco, 23 de julho de 1866.O
administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Di recio ra geral dos
Em virtude dos decretos ns.
crrelos.
3,443 de 12 de
a 24 tf d. por 15000, obre Pa- abra de 1865, 3,532 A de 18 de novombro do ms-
enla,

mor.
2,843 meios de sola, e 98 conros salgados; a or-
dem,
2 voloms petfW?, 29 cobros salgados e 383
meios de sola ; a viov* Manoel OonCalves da-Sl'.
vaj
Do Natal.
2 saccas algodSo ; a ordem.
Do Macan.
4 volumes com 14 arrobos
Ashs i Brito.
4 ditos cafe 42 ditas de dita, .
sebo; a Antenio Affons Moreira.
de carne secc'; a
1 di:o 9 arrobas de
de
1 rflt 8 arrobas de'carne secca; a Manoel
Xarope tnico refrigerable devlame eiQ.^^.1^^!^^?- -lMi.4 ^.^
foro preparado pelo pharmaceatico Jos!. 06rdd^ **drtM ** 81 ca,M0 ^ 0m>
da Rocha Paranhos,estabelecido nacidade 1 caiiote queijos; a Claudio Dobeux.
do Recife provincia de Pernambuco, ra
Direita n. 83.
Este xarope, que d tom ao movimento
muscular-por sua qualidade frrea, ao
mesmo tempo purgativo pola parte do ve-
lame que encerra, e refrigerante pela par-
te acida, altfi da precisa para perreita so-
lucao e combinacSo do ferro; este atacado
pelo acido fica em eitrma dirisao, e as-
sim o mais soluvel que possivel,
queja nao tao dependente de ser dtgerico
pelos cidos fracos, que se acham no suedo
gstrico durante a dgesOio. Os expositores
de mediciua s5o de opiniSo qae o ferro e
todas as soas preparacSes gozam das virtu-
Eslrangeiro.
1 canlo caxiatbos; a, Antonio Alfonso Morelr.
Do Aracaty.
97 saccas, 558 arrobas de algodo em pluma; a
L. A. Siqoeira.
iu
ALPANDBGA DE PBRNAMBUCO
PAUTA DOS PBBCOS DOS OBNBROS SUJEIT0S A DIRKUOS
DK BWORTACAO.SEMANA DB 30 DO MEZ DB JULHO
A 4 DE AGOSTO mS'lSfJR.
,Arfa Mercaflorta*. Unidades. VWores.
^ sore Abano.........flmq 25500
ris a 400 rs. por ir., o sobre
Lisboa a 115 por cento de pre-
mio ; sendo o total dos saques
effectuados durante a semana de
1 ,50,000.
Algodao......... Vondeu-se o de Pernambuco de
159000 a 155300 por arroba, au-
tos da cfaegada do vapor da Eu-
ropa, e depois a 165 i o de Ma-
ce, posto a bordo, a 145 an-
teo e depois a 155500, e o da
Parabyb* de 185300 a 185600.
Assucar........ Vendeu-se o branco de 35000 a
35800 por arroba, o somenus a
25900. o mascavado purgado de
Agurdente.....Vendeu-se a 605000 a pipa.
Couros ........Os seceos salgados
se a 1611 rs. a libra.
Arroz.......... O pilado da India vendeu-se a
35050 a arroba, e o de Mara-
nhao i 35100.
Azeite dSce...... Vendeu-se o de Lisboa a 2400
Bacalbo.......Em atacado vendeu-se a 195000
q t r barrica,, e a retalbo do 145 a
175 a dita ; ficando em deposi-
i to 2,000 barricas.
Batatas.........Venderam-se a 35000 a arroba.
BobMbinbas..... dem a 35500 + barriqfllnba,,
Caf...........Vendeu-se de 55000 a 556o a
arroba.
Cha............dem de 15600 a 25300 a libra.
Idea de 55000 a 65500 a dula
de garrafas.
A de Piiladelphia retlbou-se
a 235009 por barrica, a de New-
York do itfJtOOO a 235000, a
fraoceza a 235000, a hespa-
nhola a 225000 e a de Trieste
da 245000 a 255000,, ficaudo
em doposilo, ^3,000 barricas,
sendo : 400 da primelra, 2,600
da seganda, 800 da tercetra,
2,000 da qu arta e 7,200 da quinta.
A ingleza ordinaria vendeu-se
de 310 a 320 por cento de pre-
mio sobre a factura.
Maateifa.......Vendeu-se a ingleza, ,4o 900 a
950 rs. a libra e a fraoceza de
460 a 500 rs. a dita.
Maesas......... Veuderam-se a $5000 a caixa.
Oleo de linhaca.. Vendeu-se a 15900 rs. ofalao.
Presuntos....... Venderam-se a 165000 por ar-
roba.
Queijos........ Os flamengos veoderam-se de
15700 a 2520O cada um.
Cerveja..,.,
Fannha de trigo.
mp anno, e 3,675 de 27 deste mez, cobrar o cor
reio do dia 1 de julho em dianie as seguintes la-
xas do porte:
Correspondencias para e interior.
As cartas que circulara dentro do imperio ficam
sojeitas ao pagamento da laxa uniforme de-100 rs.
por porte simples de 15 grammas (4 oftavas), ou
fraeco de 15 grammas, qualquer que seja a dis-
tancia que tenham do percorrer por mar ou por
trra.
Panras cartas de unlur peso aduptarise^ii a se-
guinte progresso:
At 30 gramttfos...... 200 ris
De 30 a 60 ditas......400 >
De 60 a 90 ditas......600 >
De 90 a 1:20 ditas.....800 >
E assim por diaote, augmentando sempre dous
portes por 30 grammas (urna onga) ou fraccao de
venderam- 30 grammas que accrescer.
Os autos e raals papis do foro pagarlo somente
metade des.-a lata.
Nao esto corapreheudidas na precedente dlspo-
sijao as cartas expedidas de um para ontfo ponto
das cidades onde for estabelecido o correio urbano.
As cartas desta cathegoria pagaro a taxa de 30
rs., por porte imples da 15 grammas ou fraccao de"
15 grammas que accrescer.
Pagar, porm, somente a taxa de 20 rs., cada
urna das cartas especificadas nos paragraphos se-
guintes :
l. 'PartcipacOes de casamento ede Bastimento, j
"!. Convites de enterro.
3. Bilbees de tisiia; n exeodendo a dons em -i
cada capa. 1
4.' Ciroolares, trespe o vlsoo diversos. 1
OsoBJeetestoencionados oestes qnatro paragra-
phos deVetSo ser impressos, liHwgrophados ou'*-
tdgrapnRus
da para as cartas inglezas; amostras de mercado-
rias 200 rs. por 40 grammas (U oliavas); jornaes,
livros e outros impressos, 30 rs. por 40 grammas.
De Portugal e suas colonias : cartas 300 rs.
at 15 grammas, Inclusive e na mesma progresso
cima estabeieclda; joroaes 40 rs. cada um, outros
impressos 40 rs. por 40 grammas.
Para Portugal e suas colonias a Corresponden-
cia pagara' somente as mesmas laxas a' que esta'
sujeila a corie.-pondecia para o interior.
De ou para os Estados-Uoidos da America do
Norte : cartas 200 rs por 15 grammas e Da mesma
i-rogresio cima stabelecdas; jornaes 40 rs. ca-
da um^iMfOi Mopresses 40 rs. por 40 jwamuias.
De ou par as repblicas do Rio da Prata : car-
tas jM-na* o mesma porte territorial bracileiro;
e, quando a cobdueco e elTectuar por Intermedio
dos paquetes brasileiros, cartas 300 rs. por 15
gramriw*, jornaes e outros impressos 40 rs. por 40
gra mufla?.
Dos- outfos paizes, cartas 200 rs. por 15 gram-
as, jornaes e oorros impressos 40 rs. por 40
gramma.
Tambem do dia 1* de julho era diante comega-
ram a ser emltfirfas aSiovRs estampllhas com a
fCffie de Sua Magestade o Imperador.
Directora geral dos crrelos, 30 de junho de
1810.Uiiz Phnio de Ojiveira.
o jjorreio geral.
Pela dmraistntcSodo rrreio esta ddae se fas
pnbUce, qao em virtude da conveoico postal cele-
braila pelos goveraoa brasileiro e francez. serlo es-
pedioWnraias pata-a uYopa nJam'Odo corren-
te, pelo yapor Jrancez Navarre. As cartas sero
recebidas ate 2 horas ante da e for marcada
para a sahida do vapor, e o jeraaes at 3 horas
antes.
Adminlotraco do correio de fornambuco vi aa
jalbodel866.
O aflmioistrador
______ Domingos dos fatsos Mlrapda.
No da 31 do correte mez, depois da au-
diencia do 8c. juli de pai 4a freguezla de Saoto
Antonio, tem de Ir em praea peronte o ditojuii,
aflm de serem arrematados nm foles c una safra,
de ferro, nenberedea a Joao Marttnho do L01 por
. exeeoco de Severino Antonio Peretra da Silva,
estabeleci-! ambos os objectos feram avallados por 405.

Sauta
da Misericordia
Reeifo
Coneiogeral.
Pela admioistracao do correio desta cidade, se
fax publico para Gns convenientes, qno em virtude
do disposlo no artigo 138 do regulamenio geral do
crrelos de 21 de dezembro de 1844, e artigo 9 do
decreto n. 185 de 15 de. mato de 1851, se procede-
r o consummo das cartas existentes nesla admi-
mstraesu, pertencentes ao mez de julho de 1865 no
dia 4 de agosto prximo, as 11 horas da manba na
pona do mesmo crrelo, e a respectiva lisia se acha
desde j exposta aos interesados.
Adtnmi>tracao de crrelo de Peroarahoeo, 20 de
jujbo de 1866.
O dmiolstrador
Domiogos dos Patsos-Miranda.
^^ i.. .
Correio geral
Bfelacao das canas seguras vindis do sal pelo
vapor Manuruguape, fiara os seahores abaixo
declarados:
Christovao Gomes Moreira.
Francisco Canuto da Boa-Viagem.
Pr. Joao Goncalves da Silva Moutarroyos.
Jos Candido MarlDbo de t>.
J*s Jorge de Siqoeira Ribo.
Manoel Mara Botfrigues do Nascimento.
1---------------------------1_____________________1 ii
i
s
THEATRO
DE
EWRF4-C0ISBRA.
19a recita ua assfgnatnra.
Quarta feira Io. de agosto
Primeira representago do drama, dividido em
5 actos, original brasileiro do acadmico o Illm.
Sr. Guimares Jnior
AS
OlEAS F.T.4ES
PERSONAGBIS."
Cypriano de Aguiar.......... Sr Pedro Joaquit
Dr. Luiz Vieira.
?Jasa
do
A Iilm.' junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico que
00 dia 5 de agosto pelas 4 horas da tarde na sala
de suas sessOes lera de ir praca a renda das ca-
sas abaixo mencionadas por tempo de um a tres
anDos.
Os preteadentes deveo comparecer acompanha.
dos de seus liadores ou munidos de carias destes
Eslauelecimeote le candado.
Boa Direita.
N. 8 sobrado de 2 todares .... 1:0675000
Roa do Padre Florlano.
N. 57 casa terrea....... 505000
Roa do Fagondes.
N. 32 casa lerrea......1555000
Travessa de S. Jos.
N. 13 cisa terrea.......1535000
N. 14 6 case lerrea......1695000
Roa das Calcadas.
N. 36 esa terrea...... 17650C0
N. 38 casa tarrea.......,57^0001 Alberto Vieira.............. >
Moa da Viracao.
X. 7 casa terrea.......2045000
N. 19 dem........1805000
Ba larga do Rosarlo.
N. 24 seguodo andar......300j000
Roa da Moeda.
N. sobrado de 3 andares.....4805000
Becco do Quiabo.
X. 8 dem, casa lerrea.....1445000
Ra da Gloria.
N. 85 idem, casa terrea.....1445000
Roa do Encantamento.
N. 3 idem, sobrado.....4005000
Ra de S. Bom Jess das Crionlas.
N. 8 cas terrea.......1315000
Patrimenio de orphos.
Ra do Rangel.
Casa terrea n. 56....... 3005000
Ra do Vigario.
O 1.' andar do sobrado n. 27 1805000
S. Gonzalo.
Casa terrea n. 22.......1895000
Ra dos Pescadores.
Cas .terrea n. 11.......2165000
Ra das Calcadas.
Casa lerrea c. 32.......1285000
Idem o. 30........1745000
Ra dos Burgos.
Casa terrea n. 19........ 1915000
Senzala Velha.
Casa terrea n. 18.......2005000
Boa da Guia.
Idemn. 29.........1445000
Ba do, Pilar.
Casa terrea n. 105.......K85000
Idem o. 103 dem.......20OS000
dem o. 99 idem.......2555000
dem n. 94 idem.......20OS0O0
dem d. 5 no Foroo da Cal. 1505003
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife 28 de julho de 1836.
O escrivao interino,
Pedro Rodrigues de Spuza.
de"
1
Couto.
Palva.
Lisboa/
Graca.
Teixeira.',
Raimondcr.
Saeta Casada Misericordia
Reeife
A IHma. junta admiolslrativa da Sania Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico que no
da 2 de agosto, as 4 horas da tarde, na sala de
suas sessSes, se recebero propostas pira o arren-
daraento do sobrado de um andar o. 33, sito a roa
Direita desta cidade, que precisando de coocertos
ser arrendado a qnem se obrigar faze-los, median-
te condfgdes qoe Forem previamente conveociona-
das, e qae deverao ser especializadas em ditas pro-
posti.
Santa Cam de Misericordia do Reeife, 28 de ju-
lho de 1866.
O escrivao interino,
Pedro Rodrigues de Souza.
Santa Casa de Misericordia
do Recife.
A IHma. junta administraba da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico que no
dia 2 de agosto, pelas 4 horas da tarde, na sala de
suas sesees, tem de ir a prarja para serem arrema
tados 309 palmos de terreno, no lugar dos Arrom-
bados, pertencentes a esta Santa Cata por cessao
de domioio ol e directo feito por fanoel Jos Lo-
pes Braga e sua mullier.
Santa Casa de Misericordia do Reeife, 28 de ju-
lho de 1866.
O escrivio interino,
Pedro Rodrigues de Souza.
Tendo a commisso directora da expsito desta
provincia, m sesso de 4 do corrente, resolvido
transferir a abertura da exposicio para o da 7 de
setembro prximo futuro, assim o fago publico aos
industriaos e mais pessoas. que tem de concorrer
aquella feu; preveuiodo-os de que a reroessa dos
productos deve ter lugar de 15 de agosto em
diante.
O secretario Interino.
Gertajio Rodrigues Campella.
a4a Cmi ole HisericArdia
Adelaide. \
Eugenia. \
Jesoioa.
Emilia.
Leopoldina..
Luciano Tavare
Conselheiro Antero da Silvefra
Pedro JaciDtho..............
Lucas Amor i m..............
Margarlda de Aguiar........ St'.CIelia.
Luiza de Aguiar...........
Adriana....................
Leocadia da Silveira.........
1.* dama..................
2. ...................
1.* convidado............... Sr. Guimares.
2.* ................ Emiliano.
!. jogador................. Pontes.
Criado...................... Soller.
Convidados e jugadoresfigurados por artista
da corapanbia.
A scena -no Rio de Janeiro.
ACTUALIDADB.
Os Srs. que encoramendaram camarotes e cadei-
ras para este espectculo podem desde j mandar
buscar ao e-criptorio do theatro.
ATs 8 horas.
X.
-
1
'
Lonca..
d Recife.
CSr. eommendodor Jos Pires Perrelro, tboson-
, tro exdeder peo de 10 grammas -, reir? deta 'Sa.nl> Ci?a- ma1,<,a ra,er pohHco, que
ser expedidos com o pefte pago e obwto, aim e B0 'a 3 do correte (segonda felra), pelas 10'to-
que possa o correio verificar 6* se contedo. Os ra "a onanhia, no salo da caso- dos expostos, f
qno nao preeneberem ests condlcbes serie lanados ra pagamento das meoslidodes vencMos 30
como cartas Ordinarios. de junho prximo rindo a todas as amas, qoe se
As cartas franqueadas abaixo da tarifa, ou nio opresentarem acompanhados das crianzas, qae
franqueadas, erad expedidas peja correio; deyen- ines roram confiadas.
do, porm, cobrar-se do destenatario o obro da Secretaria da SaotaiCasa de Miierlcordla do Re-
taxa que fer devida. ctfe,2i dVjalho de 1806.
As pequeas encormendas, amostras de merca- O escrlvo inierinn,
dorias, brochufas, livros ncderudos, camalogos, _^ v^dr0l^*9 "^ Sonto.
prospectos, papel d msica, e qdaesquer avisos O I10. Sr. inspector da Ihesourarta de fa-
impressos,gravados, lithographados ou antographa- zonda da provincia de Pernambuco, manda fazer
dos, pagarao a taxa de 20 rs. por porte simples'db publico'que se acba devoluto o terreno de marraba
40 grammas (I! oftavas) on TraetSo de 40 grim- n. 33 A, sito na roa de Santo Amaro do balrro de
mas, qualquer qoe seja a distaucia qae lenbara de
percorrer dentro do imperio. Esta taxa subir na
sefointe progresso:
Al 80 grammas (24 oitavas)........... 40 r.
De80 a40ditas.................... 80
De 160 a 240.......................... 120
fl emineotemeqte tnicas, ^ aorovoita..aiJShJ c^q"
Agurdente de can* ....
dem restilada ou do reino
dem* caraca.......
dem genebra......
dem alcool ou espirito de agua-
ardente
caada
900
880
900
t I I
Nrota
Santo Antonio desta cidade para ser aforadb a
quem o requerer ao Exm. Sr. presdeme da pro-
vlucia.
Secretaria da rhesooraria de Pernamtooco, 26 de
julho de 1866.ServiDdo de offlcial-tnaior, Manoel
Jos Pinto.
Sabo.......... O inglez vendeu-se altrs.a
libra, e o do Mediterrneo a 220 portes por 80 grammas ou fraccae de 80 grammas iHSpeec (lo arseflSi 4f UaciDlia
rs. 1 Vil. que accrescer. A ipec?So recebe pedreiros e setventeo para
Toucinho.......Venden-se o de Lisboa a bfSQO Para que possam estes objectos gozar da mocilci-, as obras do arsenal.
por arroba. ( dade da taxa de porte, cima fkada, devero pa.-' Inspercao do'arebal de raarlnh de Pernam-
Vtnagre........O de Portugal vendeu-se de,855 gar previamente o devidd porte; ser clntados d buco 2> de julho de 1866.
a 1105 a pipa. 1 modo a conbecer-se fcilmente o seu conledo; e O secretarlo
3,5750 Vj^-m-.m Yaoraai-?e 93 d LislwHv'iifo water PRtrdeclara54oaaBwipw qwno1 AlejandreaodrigueMMAnjes.
AVISOS MAfilTimOS
imwi !. m^^ i.. ..... i.. ^^^mm
COMP.SIIIA lUUSlLEllA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do norte esperado
at o dia 30 do corrente o vapor
Cruzeiro do Su/, commandante
Ale. forado, o qual depois d
demora do costume seguir para
os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros, e engaja-se a
carga que o vapor poder condnzir.a qoal deveri ser
embarcada no dia da sua chegada; encommendase
dioheiro a frete at o dia da sua sabida as 2oras;
as passagens s sero recibidas na agencia ra
da Cruz n. 1, escriplorio de Antonio Lniz deOll-
veira Azevede & C.
COMPANHIA PEBNAMBUCAiNA
M
Ka vegacao eesteir per veper.
Parahyba, Natal, Macan,"Aracaty, Ceara e-
Acarac.
No dia 7 de agosto prximo, as
5 horas da tarde, segu para os
portos cima indicados, o vapor
Persinunga, commandante Ratos.
Recebe carga at o dia 6. Eocommendas, pas-
sagens e dioheiro a frete, at 3 horas da Urdo do
dia da sabida.
Escriptorio no Forte do Mattos n. 1.__________
COMPANHIA PERNAMBCANA
DK
Navegacao costeita. per vaper.
Macei e escalas.
Segu amanilla (31) as 5 bo-
ra s da tarde, o vapor Jfwanjwa-
pe, cemmaDdante Belmiro.
Recebe carga boje, tncom-
meadas, passagens e dioheiro a frete al amanha
s 3 horas da tarde.
Escriptorio no Porte do Mattos n. 1.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
Di
Savegacao costeira per vaper.
Mncei e escalas.
Seguir no dia 31 do corrente as 5 horas do tar-
de om dos vapores da eompanhia. Recebe carga
at> o da 30; eneommendas, passageiros e disboi-
ro a frete at as 3 horas da tarde de 31 : escripto-
rio da eompanhia Pernambocana Porte do Mato
a. 1.
<01I1VL\IIIA UlttIl.i:iltl
t
PAQUETES A VAPOR
Dos portes do sl e esperado
ateo dia 30 do corrente o vapor To-
(anirts.commandaoteo eapttao l-
ente Parlas, o qoal depois da de-
mora do costura* segoir par* o
portes do norte.
Desd ja recebennee passageiros e engaja-se a
carga qoe o vapor poder condnzir, a qoal devera*
ser embarcada no dia de sua chegada, eneommen-
das e dioheiro a frete at o dia da sahida as t ho-
ras ; as passagens s sero recetadas na ogoneia
roa da Cruz n. 1, escriptorio de Antonio Lua 4o
Oliveira Azeveao & C.
DAS
Messaieries Imperiales.
At o la 30
do correte mee
espera-sedos
portos do sul o
vapor francezNa-
varrt, comman-
dante Masenei.
o qual depois da
demora do cos-
tme seguir* para Bordeaux tocando em S. Vi-
cente e Lisboa.
Em S. Vicente ba um vapor em corresponden-
cia eom Gore. m .........
Para condicedes, fretes e passagens trata-s
agenda ru Oo Trapiche n. 9.
r
\ 1
BW I



*
Ufarle anflk *f 1866
Lisboa
Vai sahir, paraXL-boa pourwMias for-.ter a
maior parte da carga engajada a barca
Flor de b Si indo
para e resto da earga e passagens irau-se com
Carvaltio & Nognelra, na ra do Apollo a. 20.
Para, o Porto
Seguir con h??tilade a bera eoohecida e leira barca portu>?neza S. Mmoet II, por lar ran-
da parte de seo carregarneoto engajado, i para o
resto da carga e jwssageiros para os quaes lem
magoiflcQS corarcodos trata se com os consignata- !
ros M. J. Ramos e Silva & Genro, roa do Vigario
n. il, oo eom o eapitao a bordo._________________
Rio de Janeiro
Nestes qainze das seguir para o Rio de Janeiro
o patacho naeional Esmeralda, ten a maior par-
te da carga prompta : para o resto que Ihe falta,
trata-sena roa do Brnm n. 66, armaze de David
Ferreira Bailar, ou cora o capitio do referido
navio. I__
Rio Grande do Sul.
O brlgue brasileiro Prtnceza, segu com brevi-
dade, recebe alguma carga a frele : trata-se com
o consignatario Joao Francisco da Silva Novaes,
travessa da Madre de uaus o. S.________________
Para o Porto por Lisbea a vekeira e superior
barca porluguea. Ermelinda pretende sabir para i
os indicados ptrSs com nsita brevldade por ter a !
maior parte de seu carregamento tratado, e para o '
?ue Ihe falta, irata-se com o consignatario Joaquim
os Goncalves Beltrao, na ra do Vlgarlo n. 17.
Para em Hreltura.
Segu com corta demora para o indicado porto
* velelro blata Lindo Paquete, capillo Perestrello,
por ter prorapto quasi todo o sea carregamento,
para opouco qae atada p ide almittir trata-se com
o seu consignatario Antonio de Almeida Gomes,
ra da Cruz n. 23, primeiro andar.__________
Maramho e Para
Pretende seguir om brevtdade o bem condeci-
do brlgue esco-:a Graciosa, capliao Silva Satis,
tendo contratado mais de m-la la do seu carrega-
mento, para o resto trata-se com Antonio de Al-
meida Gomes, ra da Cruz n. 23, primeiro andar.
LIIIOII.
LE IX O
O agente Martins^levara' novamente a leilo por
despacho do Illm. Sr: Dr. joiz especial de, eom-
mereio as dividas activas da massa fallida de Joio
Jos da Suva Villar & C. e Villar & C, ua im-
portancia iie 5:140360 rs.
IIO JE
Em seu escriptorio ra da Cadeia n. 9, primeiro
andar, as i 1 oras.
LElUO
Da refinaca da ra de Hurtas n. 1
com lodos seos perlences.
Gordeiro SSiuides
competentemente aotorisado fara' leilo da refina-
da o cima dita com todos os perlences propria pa-
ra principlante por ter poneos fondos e torna-se
recommendavel pela grande freguezia que actual-
mente tem. O balauco acha-sa em poder do mes-
ar) agente, cajo leilo ter lugar
Terga-feira 31 do correte as 11 horas
Noarmazem a roa da namesma._________
lkTmT
DE
A SABER :
Ura sobrado de um andar e solo com dons
rmateos na ra do Apollo n. 8.
Urna casa terrea comires portas de frente a ra
Imperial n. 16.
Terga-feira 31 de iulho.
O agente Pinto legalmente aotorisado far leilo
dos predios aeima ra-oeiouados,edilleados emboas
ras, as ID horas do da cima dito ora seu escrip-
torio a ra da Cruz n. 38^_________________
LEIEAO ~
De umi taoerna.
Terga-feira 31 do correte.
O agente Pestaaa legalraeate auiorisado fara'
leilio por cont. e riso de qaam perteocer da ar-
magao, gaz, gneros e mais ulencihos existentes
na ta&ernasita na ra do Rmgei a 39, s q tal 6
propria para om principiante por ser em bom lo-
cal e ter poucos fuios : sera' vendida em lotes a
vjutode dos compradores : terca-feira 31 do cor-
reate pelas 10 horas da raiahla na mesma tabsroa.
AVISOS DIVERSOS
IaslUat) Archeologic<> e G*oraphic&
peraarntiuctiii).
A commiss&o de trabarnos histricos e archeolo-
gioot faz publico que, no dia 2 de agosto prximo,
tera' lugar a transferencia dos ossos eueoitrados
na sepultura qua se suopcla ser de loo Fernan-
des Vteira, da igrej la Jizerkordu de Oliuda
pira a do Parauo nesia rilad*, aflm de proceder-
sa ao exara* medico dMberalo p*lo In-titito.
Convida, pois, a comraissi em gerai a t idas as
pessoas, e especianneote ais membros do mesmo
Institu) qu8 quizerem (azer parte desse acorapa-
uliam"iio, para se a-harem em Olioda a's 11 ho-
ras da maoha do referido dia.
Sala das sessoss i) Instituto, 28 de julho de
866.
Salvador H'.nque de Albuquerque.
Padre Lino do Monte Cartnttlo Luna.
LOTIA
aos 0:0001000
o re sal) >i Id 4 de agosto
Aehim-se venda na respectiva thesou-
raria, ra do Crespo n. 15, os bilbe-
tes, meios e quintos da 6* pirte da 4* e
da 5a lotera a beneficio do Gym asio Per-
mit tucano (75 *), seni) a extragSo no
lugar e bora do costume.
Js premios de 6:000^000 at 40j5kK)C
sarao pagos urna hora rlpois da extracc5c
at as horas da tarde, e os-outros depoif
di listribuigodas listas.
As eaconamen las sero guardadas so-
mente at a noite da vespera da extraccSo.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Soaza.
Na ra das Oruzes n. 42
vende-se.
Qoeijos do ultimo vapor.
DuM de golaba em latas.
Manleiga ingleza.
Dita francea.
Cha de diversas qualidades.
Vinho dcfPorto, Lisboa e Piguelra.
Gaz em latas e garrafas.
& -outros inuitos. gneros por mais raseaveis
precos d-i que era outra qualguer parte.
^-- Wanoel Froetuoso da Silva, sobdito porlnguez,
retira se para Portugal a. tratar de sua gande.
g"~\drlani Maria da Conceico, com os seus
quatro ttihos brasilelros e todos de menor idade, re-
tiram se para Portugal.
A i' esa regedora da irmaodade de Nossa
Senhura da Coaceico dos milares, tendo de tra
lar em mesa geral de coasas qae por si s nao
p i-- r^solvar, convida a todos os irmos a se reu-
nirem no consistorio da i;reja no dia 3 de agosto
futuro a's 5 horas da tarde para o flm mencio-
nado.
O secretario
. Jote Caetano da Silva.
r^W-lw"'-^< -Jt
KgrT.il 'faaiwaiiMniRBiwwBtir^,
INJECTION BROU
.flSlSl'"1"!" Pr^*f""v. '>so<'"*n>e'WO <">ea que cura Km neobum addilivo. Veuie-st
Vende-se na ra Nova n. 18, pharmacia franceza de
P,
:r & c.
PERFUMERA da casa oger
Boulevart Sebastopol, 56, Parlz.
Dex medalhas, a condecoraco da Legin
d'honneur e a grande reputacao que tem Ihe
dado o publico, taes sao as recompensas que os
servicos prestado! a industria merecerao a
esta importante casa desde rea fundacao em
1804.
N'um sortimento de mais de 500 artigot,
as pessoas elegantes escolherao os seguintes:
ROSEE OU paradis, extracto superfino
para lenco.
pommada CEPHALIQUE contra a eal-
vicia.
AGUA VERBENA para o toucador.
OXIMEL MULTIFLOR.
VINAGRE DE PLANTAS HYQIENICAS.
TINTURA VIRGINALE de beijoim.
ROSEE DE LYS, verdadeira agua de
Jouvencio.
CREME LABIALE de sueco de Rosas.
POMMADA VELOURS para amaciar a
pala.
ELIXIR ODONTOPHILE.
SABAO dedicad* as damas americanaa.
SABAO de bouquet de Franca.
4* de flores de alcea rosea,
d* de flores printameres.
d* de bouquet do ouono.
d* de perfumes exticos.
d aurora, dedicado aos dedos cor a
rosa,
d* de flores das moutanbas.
d* de cheiro de foins nouveam.
d* de bluets cheirosos.
d* de althea balsmica,
d* diapr, caixa rica, fantesia pari-
sieoce.
PILDLAS de BLANCARD
tA0 IODURETO DE FEREO INAlTERAVEt
Approvadas pela Academia de Medecina de Pariz
ADTOlItlBM PELO CONSELHO MEDICAL DE SA-PETESBl ROO
|XPEH1MENTADA8N0S HOSPITAES DE FRANCA, DA BKI.GICA, DA iniACDA. DA TURQL'IA, BTC
Menfoet honrotas as Exposifoet Unherfocs de Scw-York, 1858, de Par, 1855.
Estai Pllulu envolvidas n'iima carnada resino-balsamica de nina tenoidode excessiva, tem
avantagein de terem inaltoi avnis. tem sabor, de um pequeo volunte, e de nao cansareui os
orpas digestivos. Gozando das propriedades o Iodo e o Ferro ellas conven princi-
palmenle as aflerfos Chloroticat, Etcrofnloias, tuberculosas. Cana-osas, na Uncorrhta,
amenorrhea, anemia, etc.; enfim, ellas ofTerecem as pralicos urna medicaca das maijenpr-
[icas para modificar as consumieses lymphaticas, frotas ou debilitadas.
K. B. O ioilureto de ferro Impuro ou alterado um medica-
mento infiol, irriamc. Como prova de pureza e ile auUieocidade da*
verdarlclras Plalas de Blaucard, deve -se exigir nosso sello de
rala reactiva e nosu* Hrma, aqu rcproduiida,queseacha na parle
inferior de un rotulo verde. Deve -w dasconflar das falsiflcaroes.
Acbam -e em todas as Pharmaelas. Pharmacrutico, ra Bonaparte, *0. Purix.
m
m

DEPOSITO DE CALUBO
m FABRICADO NA CASA OE DETENQJlO
Ra Siofa a. 61.
*m Ahi se encontrarlo obras Je di-
g versas qunlub^s, e por preqo rntii
* diminutos, a-retslho e era porcCes.-
S S se veiids a dinheiro.
~- T8do de st oaaeMda a cobaru da igreja
de >ossa Sl'D. ii,. ".j dos milares, sao
convidados os teuh i>s iirf-; qutzerem se engarre-
Rar dodlt n*i ora oremen
minucioso na aaosto vindaoro, a's
seis horas da Urue ou eoosittonu da mencionada
igreja, aon.1e acturio por cripto o plano da re-
ferida obra.
O secretario
Jos Caelano da Silva.
u Encrespada 20 do torrente.
Laeisbfrgj ,cu aniso o arCi-
Ihciro ttitieletc.
Seis horas e trinta "minutos,
i Grande nWehde! I abriram-sc as lojas a a.ra-
pazeada corre a porta de Diario em punho per-
guntamlo ai visinho : j leste o anooncio da gra-
nada? iiuem ser o anilheiroT t-ima cuidado que
\ nao te pe^ue aj^um esuinaco! I Va' de retro!!
Set horas.
erogamos patras e ampuaham os Diarios;
liU.p^na ver as olicas do Janjao Azatetro, qu>-ro
dltera ijao tas azeitonas os Saraivada-- e o Pole
borrriro, sio o Q llecas acabralbado, que se-
gundo me i'fo mam f i o ioveotar da ujrnencla-
tura ; portaoto deve v. S. com toda attencao faz-r
urna crrteira pontana do sua granada sobro esse
icavaln-iro de iid..
0to hora.
Os pobres cuitado^ oo perito;n os patroes de
visia.leireailoa hora era que recebem p^las venias
; alguma .lescarga d-i fo ;uet'8 a c-^greve, (iue Ihes
faca bj'n pr.vriio.pn nao sen n senleirost! I)
Novr horas.
Um enorme pic-it- m? rem-tildo, cooleado as
chrooicas dis p .bres diab >*, qu om avidez p3
jsti pela vita, e na v^dade esli iateressmtissi-
nias, e s por falla d- lempo deUi d* remetle-las
(o aue mu breve farei) par i compl-m-rilj da me-
iralha que deve couduzir a granad) II!
O ttlncraphisia,
Zimborio.
GARR.\UX, DE LAILHACAR &
LIBRAfilE FRAidOAIS
RA DO CRESPO N. 9.
Livros nacionas e estrangeiros.
Religto, dtreito, titleratura, etc.
=
Papelaria, objectos para escriptorio. i
Papei pintados'para torito casas. \
Assignaluras para os jornaes da Eu-j
ropa.
TERDADEIRO LE ROY
de SIGNORET, Doctenr-Mdecin
Ru d Seino, 61, PARS.
*/.

"o
| Km rjiia carral, vai, entre a roHia e o papel aiu!
< n nuil Miele, um rotulo impresso em ama-
;-.-M. i ,o Sillo Di'lun M covibni ih.nciz.
i. R. icmelU'wlo-seuina lettra de 50 iranros
-I-iilir* l'arjs, aceilavrl a i 'i das de visla, au raaxime,
J.-.'7-se da an'i'i -i.li- r Hi maior descanto.
| I'.-- -.'. :i,nr..j| ^
1' < a.r /~i ,ft
igrtl" .hi
', '. :aril Sis I Uto.
l. M" 1'r.lM: : .1. 1.4-
;,.!' i tu Kahil e
a phasy
f 'li:i-'- :! CASA DA FORTOMi
Aos 6:000^000.
AVMJA DO Q1USSPO ,N. 43 E GASAS DO COSTUMM
O-aba.ioassignadovendeuuosseus rauitofeii-
es bilhetes uaraiuidos da'lotera que se. acaboc
de extrahir, a. beneficio da matriz de S. Jos do
Kecife, os segaioles premios :
N. J902 meio bilh-te com a sorte de 6:000$.
N. 163 tres quintos con a aorte de :200ji.
N. W43 meio bilhete com a sorte de SOO,}.
N. 90i bilhete inleiro com a sorte de 90U.
E outras rauitas sortes de 100, 40, a 20,
Ospossuidores podem vir receber seus respec
tiVos premios sernos descontos das leisnacast
da Fortuna ra do Crespn. 23.
Aenam-se a venda os da l' parte da 1" lotera
(7f'j beneficio da eolonisaco polaca, que se
extr.-.hira'seguuda-feira 30 do crreme.
PREgO.
Bilhetes.....W009
Meios......3&000
Quintos.....1200
Para as pessoas que compraren de 40000(
para tima.
Bilhetes.....BJsSOO
Meios......2JI730
Quintos.....15100
_________________Masqkl Martins FlKlk.
Cnmpnnhia (jerat hespanhola
d* seguros mutuos sobre a
vida
Capital snbscpipto at 18 de abril de
1866. ?s. 12,4.2:.47$O0.
Chegou pelo ultimo paque e francez Extremadu-
r, D. Narclse Francisco d- Vidal, que na qoali-
dade de sub Inspector da companhia, esta' devida-
| mente aotorisado para o desempenao deuas func-
| edes. Dedicaodo-se principalmente a fuer con-
tratos de seguros, e augmeniar as relacoes da NA-
; CIONAL dando a conhecer as vantagens posivas
que a mesma aprsenla.
Inspeccao do districto (roa da Cadela n. 61), 6
de julho de 1866.
O inspector,
Jeronymo Jiaquim Fima de Ollveira.
Precisa se de urna cosinheira para
familia : a tratar na rna da Unan n. 48.
eseja-se fallar eom o Sr. Jos Colombrmo
de Araoje Pima enher do engt-nho Castor ; nu
largo do Terco venda n. 4. .
Precisa-se de urna ama para comprar e cozi-
nhar : na rna Direft* b. 2, 1* andar.
FERRO QUEVEKNE
Approvado pela Academia de Medicina,
Auctoruado por circular especial do Ministre:
O ferro QBVBNrTl! se usa em todos u ca-
aos para as qnies os ferreos sio preseriptos; nao
tu oa denles 8carem pretos; he a preparado a
mais activa, a mais agradatel e a mais econ-
mica; multas vezes um fraseo nt aufficiente para
curar ama cliloroii.
A experiencia me provon qae nenhuma pra-
parauso frrea li supportada mais fcilmente
t que o ferro 0UEVENNE, em observando as
limites de doses muito reguladas. >
BoocHiBDAT, Annuario d Ikerapeulica, 1S6S.
O Faaao Qsyekne vende-se ala frucos de
Medida da i. ** VI*-. >
Deposito geral em casa de ErulIei Genevsls,
14, rae des Beau-Arts, em Part, a em tedas ai
boticas. Ezigir-o Slaiie QueMUM a tarca
de Fabrica adata.
Manoel Cardoso Ayrrs irao-iio prla mor
te de seu filno prmogeuio, Mano I Cirdozo
Ayres Juoi r, manda re-ar urna mi<-a as
6 horas da manha de t*xca-f^ira 31 do cor-
.reme, stimo rto seu fail'T-im-nio, na igreja
da Matre de Oeos, rosa as pe<>oas de sua
familia e amitade que acompanharam u .- u
enterro aocemiierio e as i>utra< oue quize
rem assistir a esse acto de caridade e n li-
gio, a quem desde ja .uminamenie agra-
dece.
Le se no Uonileur de la Pnormarte:
Aelectricidade boje empreada por todos oa
mdicosafamados, para o tratamento de muitai
molestias, mesmo para as que resistem as outras
medicaces.
tA elcctridade produiida pela friccao teto urna
ssuperioridade inconlestavel, ea vantagem de dh
dar abalo, e de poder ser graduada pelo doente
A causa a mais frequente das molestias e
estagnaca do sangue ou dos ouiros liqnkkw vl-
taes. Restablecendo se a ckculaca no orga-
nismo, curacao-se as molestias.
Quando se sent alguma dr em quelqaer
parle docorpologo, einslinctivamenle, seerfrega
o lugar endolorido com a mao, e islo allivia. Isto
explica o resallado incontestavel que deve pro
duiir nm apparelho elctrico. Por isso temw
prazer em annunciar ao Publico que o Sur Baissoa
>de Bivilliers residente, boulevart du Prince-
Eugene, 48, em Parir, dolou a medicina de um
>apparulbo Electromagntico, sob a forma de
urna escova, com o qual os doenles se podera
acarar sern nebumn nutra medicacad. Os medico*
que a tem experimentado, attestarao que. a
. Isaova Electo MioiiiTic e ellkai para
curar: es R-boumatismos, Paralyjia, Ootta,
rraquera dos membros, e da Columna e-
tebral. debilidad* geral, Nevralgiau, eto,
Estamos certas que breve cade familia possuira
> esta aseova que prestara grandes servicos
s A pedido de umitas pessoas, o auter decidio-M
a establecer um deposito de seos apparelb.es ni
B.iu de Janeiro, em cata do Sn DiBiaa Roirrf,
mu nova do Ouvider, a* 33.
tes- .- Sffwesaa -"'- ^^aaaaaajasaajBaTattfaai
4 MK l-11 \ "W H i H. PREMIO DE I6.600F.
Batiliano de Magalhaes Castro tendo de
coromemorar na c.ipella do cemiterio publi-
co no dia 31 do correte, o primeiro ani-
versario do fallecimento de sua muito pre-
sada mulher Maria Clem-ntina da Cruz
Castro, com acelebracao de algumas msa<
e memento, pede a todos os Seos amicos qoe
o qa religio, se digoem de comparecpr na mes
ma capella a- 8 horas da manha d'aquelle
da, pelo que desde ja' aprsenla os seus vo-
tos d <>irn.' r-conhec-monio gralidao.
O Sr. Joaquim Corii Leal queira apparecer
; na livraria n. 8 da p/aea cu Independencia, a ne-
gocio que Ihe diz respeiu
Precisa se da urna ama para cosinhar e en-
gommar para casa de pouca familia : na ra do
Crespo o. 18, sgundo andar.
na padarla da ra
Precisase de urna ama
do Rangel n 9.
Precisa-se de urna ama que compre e cosinhe
para urna casa de pouca familia : na ra nova de
Santa Rita n. 33.
liXIi Febriiflu t fortificante
: rtRloa KtllIBU!! IllOItl 114(111. *
((tpi-riniPiifeidn co'm pleno succeaso nos
hi'.s|itl;ics a quina Laroclie (oa extracto
nmrilfta de quina) ama preparacao
"trepciiiaul, por ser privada do amargo.
'Inquina. Agrada pnr consiyuinte as pessoas
i mais intolerantes eaos paladines os miis
leltead.arpis nuan muito doce ncmmuilo
sendo de una iimpides constante..
Empicase om muito prnreito nos casos
de gastralgia, dyspepcia, uovralgia, me
ma, matiimo, eachexin magreas ,
< 5ai demorndft\, chlorosr e sarophulas
E o esperlRco das molestias febris.
QUINA LROCHE FERRUGINOSA
l>ai:,il I*iai ai prapriedada h !m> t> aaiij.
EM PAIHZ. ^-^7?!^ ,
15, r..e Druiuit. ,Ul ~, --^p&nf
P. MARER & C.
ra Nova n. 1.8.
Na ra do Crespo n. 24 B, ha umi caria para
Sr. Francisco Manoel de Siqaeira.
Na praca da Independencia n. 33, loja de
ourives, comprare ouro, prata, e pedras preciosas,
e tambera se faz qualquer obra de encommenda, e
todoe onalqner concert.
Vhapos de inmtia branca
a ,.$,,80.180 6 20*.
Na praca da ludepeodencia n. 2i e 26.
Ama deleite.
Precisa-se de uma ama de leite: na ra do
Qielmado, p ir cunt da loja de cera.
AeHa-se fugido d bordo do patacho nicional
Bemfica, o 9s ravo imrinSeiro, de naga i, de none
Antonio, com os sigoaes seguintes : rosto compri
do, nariz chato, beigos gros regulares e qu! representa ter de idade 49 annos:
quem apprehender dlrija-se a roa do Vigario n.
10, escriptorio, que sera' generosamente recom
pensado.
Joo da Silva K>nm, edico
pela universidarJe de '.oimlira, d
coDSoltas em sua casa das 9 asi
;^ ? i horas da matibaa, e das 4 as 6^
W a tarde. Viwta os dnetites om stu
W casas regularmente as lioras para
S isso designadas, salvo os casos ur-
w gentes, que serao soccorridos em
' qualtjuer occasiao. Dconsultas aos
;' pobres que o procurarem no hos-
Kpial Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
fr. manha,
Tem sua casa de sade regular- I
| mente montada para receber qual-
K quer doente, anda mesmo os lie- 1
J nados, para o que tem commodos.l
Sapropriados enellapratica quaquer
opperacSo cirurgica.
Para a casa de sade.
W Primeira classe. .30000 diarios.
m Segunda dita....305OO
^ Terceira dita .20000
Este estabelecimerrio j bem
s* acreditado pelos bous servicos que
^ tem prestado.
O proprietario espera que elle
" continu a merecer a conflaDca de
:;,'que sempre tem gozado.
wmm m-^
JUaUBCBA.
A jurubeba ama das substancias medi-
camentosas, que pertencem ao reieo vege-
tal, e perience classe ts toncos e d-
obstruentes, sendo empregada com vanta-
gem contra as rebres intermitientes acom-
panhadas de engorgilamenio de ligado e
baco. Ella tem sido appli> ada com mcon-
tesiavel proveito contra a anemia oa color-
se e bydropesia, catarrho da bexiga, e mes-
mo para combater a inenstruacao difficil,
resultado da mesma anemia ou cblorose.
Extracto alcoolico de jurubeba.
casa de Emplastro idem.
Oleo idem.
Tintura idem de idem.
Xarope idem.
Vinlio idem de idem.
Pilulas de extracto idem.
Deposito, pharmacia de Pinto, ra larga
do R sario n. 10.
JURUiJEBA MACHO E FEMEA.
Debaixo da (enrminaeodejurubeto
nascem nos sitias: arenosos do Brasil dftus
arbiistos do mesmo genero, mas nao do
mesai'i sexo. Ambos cresoem com lindas e
frofrosas folhas, ambos prodozem tratos
gramneas reunidos a' maneira de cachos de
uvas, pendentes de um pedunc ,Io corto. O
primeiro, i?to o macho, pouco menor
do que a emei, apenas cresce at altura
de um homim. tem folhas men'res, nao
muito sinuosas, mas recortadas, com talos
guarnecidos de a'guns espinhes.
as extremidades dos ramos produz peque-
as flores como que juntas em forma de um-
hella, de cor lctea misturada de azul celeste,
as quaes representam exactamente urna es-
trella de cinco ngulos e constam de urna
s .-orla, modelada e co.mo dividida em
piltros tantos tringulos, sahindo do centro
cinco estaes, ou filamentos, de maneira
que ao longe tomar-se-Lua por urna flor de
berragem.
0 segundo, mais alto, mais espinhoso,
tem folhas maiores, cobertas de pello pela
paru inferior, elegantemente guarnecidas
de espinhos, rec"Tiadas de um verde vivo,
tendo a mesma flor que o macho, porm
mais nitida.
Ambos, em virtude do uso quotidiano da
medicina, sao bastante conhecidos as phar-
marias. Em verdade, snas folhas e sueco
sao empregidos para mitigar, como tempe-
rantes, ernar as feridas e ulceras, e mui-
to favorecer a cura d ellas. .. Posto que as
folhas e raizas tenham um sabor amargo co-
mo a chicorea e a fumaria, todava diflicil-
mente poderiam ser clasificadas entre as
drogas quentes. Sobresae principalmente
em virtude e efcacia, e mais amarga a
raiz, com parlicularidade a do macho, que
consta de partes mui tenues. Por certo o
-osimento deste faz despedir a ourinaretida;
e applica-se muita vez com feliz resultado
contra as obstrueces do ligado e da prsta-
ta em lujar das raizes apperientes.Sua utili-
dade e excellencia sao laes, que nao s pelos
doutos, mas tambem pelo povo rustico
procurada-e contemplada entre os remedios
maravilhosos.
(Traduzido do latim de Pisn e Marcgrave.)
Trocam-se ooias da- raixas filiaes do banco
do Brasil, com d-wconti ramawel: na praga da
Independencia u. 22.
Precisa-se de urna ama
triz n. 82, segundo andar.
na roa da Impera
Preciga-se de um cosinheiro para urna Casa
, eslraogeira, purera que seja acia lo no seu traba-
lbo e que entenda perfeitamenie de sea oLUcio :
quem quier e estiver nestas condicgdjs dirija-se
. a ra Ov Trapiche.n. 36, escnptpno de Matheus
'Anitln &C, das 10 hars da manha as 3 da
larde.
O Sr.' Domingos Jos Atitoalo de Sonza tem
arta de sua familia : na ra da Cruz n. 36.
Aluga-ie urna metate de casa cora porio
a ra das Cinco Ponas : a tratar na ra de San-
ta Thereza junto ao o. 20.
Aviso-
papis pivniws
Sortimento de papis pintados e
lindas guamices para forrar casas.
NvLIVRtftlA FRANCEZA.
N. 9. Ra do Crespo N. 9.
Mudaaca de residencia
O Di*. <\ Porlella, medico opera-
dor pela faculdade de Pars, transferio a sua resi-
dencia do largo do Carmo para a ra Nova n. 46,
primeiro andar, onde .continua a exercer sua pro-
fisso especialmente as molestias de i-lhos, das
vas urinarias e de pelle.
Cqpslias -lodos os dias das 6 s 10 horas da
manha.
Chamadospor escripto na supradita casa ou
na pharmacia franceza da mesma rna.
Commemorando-s* araanbaa o dia do inclyto
Santo Unacio de Loyola, os encarregados do culto
do mesmo santo mandara celebrar urna mis-a ,
cantada na igreja do Divino Espirito Santo do Col- j Le II.
leglo, que principiara' a's 6 horas e tres quartos
'da manha, e a noite a's 7 horas havera' um la-
i dainha ; depois da qaal se reuniro os devotos do
mesmo santo no consistorio da irmaodade do Di-
; vino Espirito Santo, para iratar-se deobjectos ur-
I g intes.
VIVA 0 PHOG ESSO
Ao systema mtrico decimal
1o7de 26'le jMBh > e 1862.
Arl. 1." O actual sistema;deoe:OB-eedidas se-
r substituido em todo o imperio pelo sy-traa m-
trico francez, na parte correspondente as medidas
lineare-, de superficie, capacidade e pesa
Arl. 2." E' o governo &utori?ado pijra maudar
vir da Europa os necesarios padroes do referido
systuma, sendo alli djridamcole aferidos pelos pa-
droes legaes.
l." u ^ysteraa mtrico subelituir gradualmen-
te o actual systema do pesos e medidas era todo o
Attencao.
i 0 dono do Hotel Dous Amigos participa aores-
- peitavel publico que lendo dado ura impulso no as-'imperio, de modo que ein 10 ann^s cesse icteira-
A&S0UK1C30 ^OmiUCfCial DI'Hl'Ucente seio da casa, fornece comida para fora ; na mes-! mente o oso legal dos antip' medidas.
A'dircga i de-la a>soriarao, de conformidade ma casa eneenira'ro todos 09 dias lunchedeva-! -2. Du ante est .-escolas de instruc-
como partico ares,
anlhmetlca a expli-
c.im 0 dlspdsto' no* rt. O dos e-Ututos, convida riados praios, as 2 horas da'.arde acharo caf de gao primarla, tanto publica
os Sr. ani'i;.d s a aeri-unirem em asamblea ge- leite, chocolate e pascas, das 6 em naote prepara- eomprehenderao no eusiao de
ral no da l^de agosto prximo vindouro ao meio s iocoromendas particulares, aprompta-se presun- cagao do syrtema ineWioo comparado com osystema
""* de pesos e medidas que esta actualmente en uso.
dia, n i liria a erjuirij da mesma as-cciaciio, am t'-1 Peixe infeilado de bom gosfo a Mallreneza :
de proceder-se a le.tjra do relatorio annuo e elei- l^m quizel" veoha ver na roa estreitadoRosario
.0. .
%#
oova direccao. D.
McSo Oimmerctal Beneficenle de Pernam-
Offeri'ce- e para caixeiro de quaquer a:
leclmentoe mesmo para cobranga, um mogo de boas
onalidades, o qual da flador du seu bom comporta-
meoto : e.nem precisar dirija-se a ra de S.Jos n.
38, que achara com quem tratar.
buco 30 de julno de 1866
Candido C. G. Alcomrado
Secretario.
______________1___,______________
Oabaixo aislgnado declara ao respeitavel pu-
blico que somonte elle d'ora ero diaote quem re-
cabera' osrendime8tos.de seus predios e dividas
que Ihe perlencam, e qoe eadoca todo-e quaquer
instmmeBto qne para esse Hm leoha dispensado.
Hecife, 27 de julho de 1866.
Antonio da Costa e S.
Ama
Precisa-se ainda de urna ama : na ra do Cres-
po loja n. 23.
Precisas alagar orna esorava a ra da
Arl. 3.a O goverao.v*, podera imjKir aos infrac-
tores a pena de prlso al un mea, e multa at
1005000.
Cbegaram a ra N*va n. 38, vindos de Pars e
|niflf^rjd^uasmfldld(- mtricas de
'"artigo da lei a,cima, vendem se por
gommar e cozmbar para casa de familia
Imperatriz n. 17, Io andar.
Quem precisar de um caixeiro de 16 a 18 an 8
nos de idade, chegado ha pooco, dirjase a ra Di- e~
relia dos Afogados n. 18, que achara com quera f
tratar, o qual j tem pratlca de taberna. pe
lo ; lambom
^^pss do Sys
s da
do outro, na e
an. 2 da
a bem conhe-
, por Jos
preci-
a e laboas
^^^Bas
cripta
i-



Diarlo de I*
- M|Ma letra 3 de JnJho de 1866.

1
1
A LEGITIMA
JALS1FABMLH
DE BRISTOL.
PREPARADA MCAMENTE POR
LAMAN & KEIP,
NOVA YORK.
Composta de substancias, gozando das
propriedades eminentemente depurativas a
s-pprovada pelas juntase academias de me-
dicina; usadaJnos prjncipaes bospitaes, ci-
vis militares e da marinha as Antilbas e
no continente americano ; receitada pelos
facultativosos mais distinctos do imperio do
Brasil e da America hespanbol
CURA RADICALMENTE
escrophulas, rheumatismo, escorbuto, en-
ormidades venreas e mercuriaes, cbagai
antigs, morphea e todas as molestias pro-
?enientesd'um estado vicioso do sangue.
Emquanto existem varias imitacoes e
alsificacoos, preciso a maior autela para
evitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAORS & BARBOZA
JOO DA C. BRAVO 4 C.
Joo da C. Bravo & C.
Deposite geral em Pernambuco ra da
Cruz n.22 em casa de Caros__________
Thomaz Teixeira Bastos, vai para a Europa
tratar ce soa saade, e deixa por seos procurado-
res : em prlmeiro lugar a seu mano Domingos
das Aleves Teixeira Bastos, em segundo ao Sr.
Antonio Jos Leal Re?, e em terceiro ao Sr. com-
mendador Antonio Jos de Castro. N
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabeleci-
da nesta prac, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias:
na raa do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Attencao
Rogase a qaem queira prestar-se ao ensino das
materias exigidas para o concurso de offlcial de
descarga, a' saber : leitura, aoalyse etc. arithme-
tica e suas appIlcacSes ao commercio, com espe-
cialidade redoeco de moeda?, peso* e medidas,
calculo de descont, jaros simples e compostos,
theoria de cambios e suas applicacSes; deixe na
typographia deste Diario o seu nome e o de sua
residencia, para ser procurado.
A Salsaparilha
DE AYER.
Jpara a cura radical de
Escrfulas, ulcrac, chagas, fer-
inas veihas, molestias syphil-
( iticas. e mercuriaes. Enfermi-
Jy^ dades das mnlheres, como re-
tencao, menstro doloroso, nlcer-
acao do tero, e flores brancas.
A Nevralgia, Coavulsoes, Eri-
sipelas, Enfermidades Cntaneas,
borbuihas, nascidas, etc.
O extracto comporto de SALSAPARILHA, confeccin-
da pelo Dn. AYER, 0 orna combinac'io dos melliores depura-
tivos e alterantes conliecidos medicina; compesto pegando
s lcis da scicncin, approvado e receitiido pelos priineiros
mdicos dos Estados Unido, da America do Sal, do -Mxico,
das Indio* e dos principaes Estados da Europa.
A SALSAPARILHA de AYER especialmente efficaz na
cura das molestias que tem sua origem na escrfula, na
infeccao venrea, no uso exccsslvo do mercurio o em qualquer
impureza do Sangue.
Entre todas as molestias que affligcm o genero humano, nio
lia urna mais universal e terrivel do que a escrfula; por si
nao tic. destructiva, porcm a cansa principal de multas en-
fermidades que nfio lhc sfio ger.-iimente attribaidas.
urna causa directa du tsica pulmonar do mal do
fiando, o estomago, affiwfies do cerebro, lllieumatlsmo
c nffeerfies do* Sins : entre seos symptomas lia os segutntcs;
4 Falta de apetito, Fraqueza c moleza em todo corpo; Mo
ebeiro da boca, semblante plido e luchado, s vezes d'umo.
aivura transparente, out ras vezes corado e amurello ao redor
da boca; Digesto fraca c apetito Irregular; Vcntre indiudd
e cvaciiaco Irregular; Quando ataca os pulmoes urna cor
azulada mostra-sc a roda dos olhos, quando no estomago
sao avcnnellia dos, as pessoas de dlsposicito escrofulosa
apparccem freqnentemente erupcati na pelle du cabeca e outras
partes do corpo ; sao prcdispCstos s affeccoes dos palmees, do
figiulo, dos rint c dos orgios digestivos e uterinos. Portanto,
nio so somente aquellos que padecem das formas ulcerosas
e tuberculosas da escrfula que necessitam de proteccio
contra os sens estragos ; todos aquclles ein cujo sangue existe
o Tiras latente deste terrivel Oagello (o s vezes hereditario),
esto expojtos tambera a soflrer das enHrmidadas que elle
causa.
Onereccmos a estas pessoas um abrigo seguro e um anti-
doto eracaz contra esta molestia e suas eonsequendas, na
Salsaparilha de Ayer
que opera directamente sobre o angue, purlflcando-o e ex-
pulsando delle a corrupcao 0 o veneno da molestia: penetra
todas as partes e todos os orgos do corpo humano, lujndo-
os da sua aeco viciada c iasplrando-lhcs novo vigor. K* um
alterante poderossimo para a rcaovaeo do sangue, e d ao
corpo j enfraquecldo pela d>enea foros e energa renovadas
como as da juventude.
TAMBEM O MEI.UOR AXTI-SYPHIZITICO
CONHECIDO ;
cura permnnenmente as peiorca formas de SYPHILI8 e as
suas eonsequendas. Pouca nocessldade ha de informar o pub-
lico do inestimavel valor de um remedio que, come este, fivro
o saugue_ dessa corrupcao e arrebata a victima das garras de
urna morte lenta e Ignominiosa, porm inevltuvel se o mol
nao logo combatido com energa.
Ko pretendemos promulgar, nem queremos qnc se infira
que este remedio fnfalivcT para a cura de todos os padecl-
mentos humanos, o que disentos e que a
Salsaparilha de Ayer
<: a mrlhor preparaco at boje desesberta para estas e outras
molestias anlogas, que urna combinaco dos alterantes
mais efcnzes conhecidos, e que tema* eonscienda de ofTerccer
ao publico o mvltior resultado que posslvel produzir, da
intelligencia e pericia medica des nossos tempos.
REMEDIO DE AYER PARA SEZOES
Infalivel as febr! intermittentes, remittentes,
Pebres Biliosas e torcas, mal do figade, in-
cremento do bsco, cegueira. Dr nos
ouTidos e palpitacoes, quando
sao causados pelas
PEBRES INTERMITrENTES, O REMITIENTES.
As preparacoes de Da. Atbb sao rendidas em todas as
Boticas e Drogaras do Imperio.
Vende-sj em Pernambuco:
na
y/y
CONSULTORIO MED1C0-C.RIRG.C0
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO.
MEDICO, PARTEIRO E OPERADOR.
3 Kua da Gloria, casa do Fuodo 3
0 Dr. Lobo Moscoso'd consultas gratuitas aos pobres todos osdias das 7 as i i
ttosas da manhao, edas 6 e meia s 8 boras da noite, excepto dos^dias santificado*.
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio na sempre o mais appropriado sortimento de carteir
lobos avulsos, assim como tintaras de varias drmnamisacoes e pelos precos seguintet
Carteiras de A 2 tubos grandes. 12)5000
de 34 tubos grandes. 184000
de 86 tubos grandes. 240000
s de 48 tudos grandes. 30*000
> de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualquer carteara conforme o pedido que se fizer, e com os remedn*
qoee pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de mra onca 10000.
Sendo para cima de 12 cesurao os precos estabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
A melhor obra da bomeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. ivS,
dooegrandes volumes com diccionario............ 20000b
Medicina domestica do Dr. Hering.....-...... 100800
Repertorio do Dr. Mello Moraes............ 60600
Diccionario de termos de medicina........... 30000
Os remedios deste estabelecimento s3o por demais coahecidos e dispensan por
tanto 4e serem novamente recommendados as pessoas que quizerem asar de remedioi
verdadeiros, enrgicos e doradores: ba todo do melhor que se pode desejar, globos de
rerdadeiro assucar de leite, nota veis pela sua boa'conservacao, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, i mais exacta e acurada preparado, e portanto a max>'
energa e certeza em seas effeitos.
Casa de saude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lbe qnalquet
operacSo, para o que o annunciante julga-se suffieientemente habilitado.
0 Iratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica,
fonecionaado a casa ha mais de quatro anuos, ba militas pessoas de cujo conceito se ni
pode duvi-dar, qae podem ser consaltados por aquellos que desejarem mandar sea
doentes.
Paga-se 20 por dia durante 60 das e d'ahi em diante 10500.
Asoperaces serio previamente ajustadas, senSose qarzerem sujeitar aos precci
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
TINTURARA
AO GRANDE S. MAURICIO
BOTICA E CONSULTORIO HOMEOPATHICO
BO
DR. SABINO O. L. PINHO.
Ra Nova n. 43 (toja de marmorej
A experiencia tem demonstrado com a maior evidencia qae os medicamentos homeopathicos
preparados por meio do agitador dynamico sao os qae desenvolvem ac{So mais prompta, mais segora
e mais efBcaz
E' sem duvida pelo conhecimento destes resultados que constantemente recebe esta botica en-
commendas do Rio Grande do Sui, do Rio de Janeiro e da Baha, apezar de bavtr nessas provincias
mui bem sortidas e acreditadas boticas, d'onde se poderiam talvez obter remedios mais baratos, alteo-
dendo as desperas de porte.
A segundado da accio dos medicamentos assim preparados se manifesta al mesmo quando os
glbulos se acbam reduzidos a massa.
Boticas de 24 tubos. .... i6*1 a 300
> de 36 tubos. .... 254 a 300
s de 48 tobos.....355 a 401
> de 60 lobos.....450 a 500
Caixas de medicamentos em glbulos e tinturas.
De 24 tinturas e 48 taos. 600 a 70
36 > e 60 tubos. 750 a 8>
48 > e 88 tobos. 950 a 100*
60 e 110 tubos. 1150 a 1200
Vende-se igualmente o THESOURO HOMEOPATHICO, obra esencialmente popular pela clareza
com que ensina a conbecer as molestias e a empregr |os remedios (2* ediclo) 200000.
O Dr. Sabino O. L. P. d consaltas todos os das uleis desde li boras'da manbia at 2 da tarde.
Das 2 horas em diante visita os enfermos em seas domicilios.
Em casos argentes e repentinos as consultas e visitas serio feitas a qualquer bora.
As consultas por escripto se rao respondidas eom a maior brevidade, precedendo sempre o tem-
po necessario para maduro ezame e reflexao.
Jg^T"J^ggt
^
FABRICA NACI *AIi A VAPOR
99 RA DO MONDEGO 99
Deposito principal na roa Nova n. 50 loja de relojoelro.
Delouche dono deste estabelecimento partecipa ao respeitavel publico que tem
montado urna machina de fazer gelo, e que sua fabrica de chocolate poder funecionar
sem interrupcao, e para mais facilitar aos Srs. compradores de chocolate tem organisado
um servico de carro, que andar em todas as ras da cidade, os compradores poder5o
chama-!o.
PRECO.
Meia libra......... 400
Urna libra......... 800
Urna arroba ........ 190000
GELO
As pessoas quo quizerem gelo para soir ou bailes, poderlo dar suas encommendas
ao caixeiro da casa, ou na ra Nova n. 50 aonde tem un deposito As pessoas mora-
doras nos arrabaldes da cidade querendo levar gelo pela manh5a, poilero deijar um
caix3o na taberna junto ao porlo da fabrica, que acharo na volta suas encommendas
promplas.
Na mesma fabrica fazem-se cadeiras franceza de todas as qualidades, e vende-se mais
barata que aquellas que vem da Europa.
O NOVO DESTINO
23 Largo do Terco 23.
Joaquim S. des Santos, dono deste bemsoftidoarmazem de moteados, participa
ao respeitavel publico, e principalmente aos amigos do bom e barato, que est resolvido
a diminuir os seus gneros por muito menos do que em ontra qualquer, por tanto espera
dos seus amigos e collegas que venham compraren a primeir vez para saberem a gran-
de differencia do que se fosse comprad em outra qualquer parte, por iss fago annuncio
dealguns gneros epor estes podem regular os outros.
Cerveja de diversas marcas a 500 e 560 rs. a garrafa, e a 5,500 e 60 aduzta; vi-
nho de todas as marcas I'. S. E. P. a 4oo, 440 500, e 640 rs a garrafa e a caada a
30500 ; caf do Rio das melho es marcas a 220, 240 e 280 rs. a libra, e a 60r 70, e
70500; a arroba manteiga ingleza de primeir e segunda sorte a 800e900 rs. libra; fras-
queras com genebra de Hollanda e hamburgoeza a 60 e 605CO; manteiga franceza de pri-
meir e segunda sorte a 560 e 600 rs. a libra; cha de diversas qualidades a 10800, 20,
20500 e 20800; arroz pilado de primeir sorte a 120 rs. a libra e a 30500 e 30800 a
arroba, gaz americano a 440 rs. a garrafa, e em latas a 100 ou duas por 190500; fras-
queras de genebra da Victoria a 100500, e o frasco a 10; queijos do reino recebidos por
todos os vapores a 20 e 20200; papel de linho a 40 a resma e azul e branco a 20;
sab5o de diversas qualidades amarello e maca a 200,220 e 260 rs.; a libra sardmha de Nan-
tesem quartos a 400 rs. cada urna e em porc3o a 360 rs.; copos lapidados 50 a duzla
e a500 rs. cada nm.
Alm destes gneros ha outros muitos que seria enfadonuo anunciar e quem
duvidar veohaver.
Sola de lustre
grande e sem defeito para acabar a 160000
45-Raa Direita-45
Na roa do Imperador a. 17 precisa-se
orna criada engommadeira e ootra corinh?ira.
de
Pede-se ao Sr. Feliciano do Reg Barros que
est trabathando na estrada de Beberibe, qne ve-
aba re-muir o que tomou emprestado na raa do
Padre Floriino n. 71.
B= Precisa-se de om caixeiro com pratica de
balco : na padaria da raa do Rosario da Boa-Vis-
tafo. 55.
PROCESAOS APERFEICOAUOS
PARA W
Tioglr, I impar e lastrar a vapor.
F. i SALINSRE & C.
29 Kua 7 de setembro 29
Defronte da raa nova do Oavidor (Rio de Janeiro)
Os propietarios deste estabelecimento, o primeiro no sea genero no Brasil, por
trabalhar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e lastrar, de qae se faz aso na
Europa, e ajudados por alguns dos melhores officiaes de Pars e LySo, podem assegn-
rar seus freguezes urna perfeicao no trabalho, a qual sen3o pode chegar pelos proces-
808 ordinarios.
Tingem, lavam, limpam e demofam com a maior perfeicao e brevidade qualquer
qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem molhar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de homens.
LOJA DA FRAGATA AMAZONAS ff
R. 5 Kua do Qoeimado a, 5,
MonteiroA Guimaraes, pariicipam a todos os seus amigos efreguezes, que recebem
d^6001 propria pt-r todos is vapores da Europa, grande e variadsimo sortimento de
objectos de ata novidade, e bem assim adornos proprios para casamentes, pois queseus
correspondentes de Hamborgo, Paris e Londres, na esclba de taes mercadorias tem
merecido a approvacao das encantadoras Pernambucanas. -
A Fragata acaba de receber pelo ultimo vapor grande variedades de sedas de todas
as cores e qualidades, tambem recebe pr r todos os vapores lavas de pellica, (doafamado
Jouvm) saias de 13a com barras colloridas de grande novidade na Europa, vestidos de
granadina bordados a agulha, e de graed-j ton, ditos de popelina muito chiques, ditos
de esmeraldina (gostos novos,) riquissimr s corlinados bordados a ponto de crochet, ro-
tondas de seda, ditas de linho, ditas de algodSo, chales de guipour de seda, e de al-
godao, pentes para cok, (de phantasia) enfeites para ditos, manguitos bordados e
gomabas, camisinhas ditas, transparentes para janellas com mui lindas paisagem, pre-
cales de apuradsimos gostos e padroes, chapeos de palha enfeitados pelas melhores flo-
risljS.de Paris> enlremeios bordados finos de differentes larguras, riquissimos cintos
bordados com figuras chinezas, (bordado na mesma fila) baloes de basteas d'aco ameri-
canos, dittos de musselina, tapete para guarnido de salas padroes muito bellos, chapeos
de sol de seda para senhoras, ditos para homem, enfeitss imperatriz Eugenia, ditos
a Mana Pia, cestinhas com todos os pertences para meninos de escolla, saias bordadas
para senhoras, gollinhas bordadas (gosto novo) chitas escuras e claras, msdapoles, cam-
braia de cor, ditas pretas, bolsas de tapete para viagem, ditas de vaquetas para guardar
dinheiro, e outras muitas fazendas que se vendem por menos preco que em outro qualquer
estabelecimento.
Riquissimas fivellasde chrystal para cintos.
Meios aderecos de chrystal (novidade.)
Cintos muitos ricos, etc.
Perneiras de guthaperche para chuva.
DE
DE /
J. VIGNES-
N. 55. RA DO IMPERADOR X. 55.
Os pianos desta antiga fbrica sao hoje asss conhecidos para que seja necessario insistir sobre a
na superioridade, vantugense garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas incontesia-
eis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos-
inindo um teclado e raacbnismo que obedecen). todas as vontades e caprichos das pianistas' sem
ounca falbar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos impo'rtan-
tissimos para o clima deste paiz ; quanto s voies, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-
rais aos oavidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
orrespondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposieoes.
No mesmo estabelecimento se achara sempre om explendido e variado sortimento de msicas dos
nelhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
precos commodos e razoaveis.
Desappareceu da fabri-
ca de cadeireiro da
ra do Brum
0 menor de nome Graciano aprendiz de
cadeireiro com os signaes seguintes: cor
parda, idade 12 a 14 ?nnos, corpo regular,
quando falla apressado gagueja, levou ves-
tido calca e camisa de riscado azul com que
se achava notrabalbo, cujo menor orphao
e foi entregue pelo Illm. Sr. Dr. juiz de
orphaos a um dos socios do estabelecimento
e desde j protesta-se contra qualquer pes-
soa que o tiver em sua companhia.
;***& mmmmmmm
O Dr. Ramaug medico-operador e vea* R
lista estabeleeeu sen consultorio proviso-
rio a' ra da Cruz n 25, onde d consul-
tas todos os das,das iO boras da maohaa
^ as 2 da tarde ; o Dr. Ramaog exerce
igualmente tanto a medicina como a ci-
K rurgia, dedicase porm con espeeialida-
5 de ao trata ment e cora das molestias*
3R dos olbos, ouvidos e das vias urinarias, ft
**** ****$*
Precisa-se de orna ama para casa de ponca
familia : na ra da Penba n. 23, 2o andar.
MUDABA
0 bacharel Jorge Dornellas Ribelro Pessoa an-
dn a soa residencia para a roa de Santo Amaro
d. 14 (freguezia de Santo Antonio), onde pode ser
procurado._________
Precisase de 2:000*000 por 4 mezes com jn-
rosrasoaveis, dndose por garanta parte de nro
predio, que val raajs do que a quantia cima e tres
escravos mais: quem tiver e quizer fazer este ne-
gocio annuncle para ser procurado ou v a roa do-
Livramento n. 38, que abi ter informacoes.
mmmmmmmmm **
Companhia fidehdade de segaros Mg
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro. S
AGENTES EM PERNAMBUCO 3l
Anloiit Liiz de OliTeira. AzeveJo A C,
8 competentemente autorisados peladirec- igf
toria da companhia de segaros Fldelida- ^s
de.tomam seguros de navios, mercado- JP*
rias e predios no sea escriptorio raa da &S
m Cruz n. I. S
mmmmmmmmmmmmmm
S
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos contina a morar na roa d Impera-
dor n. 17, segundo andar, tendo alias sea
gabinete de consultas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
O mesmo doutor, qne se tem dado ao
estudo unto das operacSes como das mo-
lestias internas, presta-se a qualquer cha-
mado, qaer para dentro quer para (ora
da cidade.
Samuel Power Jolinston \ CompaBhia
Ra da Senzala Nova n. 4.
agencia na
Fundl^So deLow Hosr.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos,
Moendas e meias moendas para engenho.
Taias de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d;- carro para um e dous cavallos.
Relogios de o uro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costara.
OPEKCOES
nir '
DE
OLHOS, OUVIDOS E DAS VAS OURINARUS.
O Dr. Ramaug medico operador e oculista, membro titular da Academia
Imperial de melicina do Rio de Janeiro, faz sciente, ao respeitavel publico que eslabe-
leceu sen consultorio ra da Cruz n. 25, onde ser encontrado, todos os dias, das 10
horas da manliaa as duas da tarde.
Per meio de um engenhoso instrumento de dilatacSo uretral, e pelo systema do
finado Dr. Peixoto, o Dr. Ramaug cura instantneamente, os estreitamentos do canal da
uretra; este methedo novo fei posto por elle em pratica na Corle em colloboracao com o
s-u collega e amigo o finado Dr. Peixoto, e depois durante os quatro mezes da sua estada
na Capital da provincia de Minas, onde o Dr. Ramaug operou qualorze enfermos que
acham boje no mesmo estado de desembaraco, que no dia da operacao; a dor to
pouca que amitos nao presuraem ser operados, quando j est desobstruido o canal.
Os jornaes da Corte e depois o jornal Minas Geraes do anno passado tem publi-
cado um grande numero de curas, tanto de olbos (operaces de cataratas e de pupilla
artificial) como de estreitamentos do canal da uretra, effectuadas pelo Dr. Ramaug .
convida elle portanto as pessoas que precisarem recorrer ao seu limitado prestirao, para
apresentarem-se quaoto antes consulta-lo. Cura tambem varias desformidades do corpo
taes como, ps tortos, olhos vesgos, beico rachado, etc.
FAC SIM1LE D'ETIQUETTA COR DE ROSA.
100 carlile's
PAISLEY.
Os Srs. James Carlile, Sons & C, Bankend Mills,
Paisley, Scoiland, teem a bonra de chamar a atten-
co dos consumidores de linba em novellos, que el-
les obtiveram medalhas de premio das exposieoes
de Paris e Londres, por suas excelentes linhas pa-
ra coser, e que, todos os nove los feilos por elles,
para este mercado, tem no flm de cada mago, urna
eliqoetta tranca, na qnai acha-se gravado o nome
da firma como desenhos das cima mencionadas medalhas,
e qae cada novello tem ama etiquetia cor de rosa
com o numero, e as palavras Carlile's, Paisley, e
tambem, qae qaalqaer linha de Tambonr, manda-
da a este mercado, trazando outra qualquer eliqoet-
ta do qae cima mencionada, nao de sna propria
fabrica.
SouUiall, Mello- & C, aicos agentes em Pernam-
buco.
Melior, Soothall'S C, nico agente na Baha.
Os Srs. Manoel Rodrigues da Silva e Jos Pe
reir Santos, teem.cartas na raa da Madre de Deas
armazem entre a botica e a igreja.
Aula publica-
de instrigo primaria i* sexo feral nio
A professorada 3'cadeira de iustruccSo prima-
ria do sexo feralnino da freguezia de S. Fre Pe-
dro Goncalves, ltimamente creada pela assetnbla
legislativa provincial, avisa aos pas de familias,
que se acba aberta a respectiva matricula na casa
n. 9 da roa do Vigario, o le a aula funecionara'.
Precisa-se de ama ama de leite : na rna do
Pires o. 24.
Cavallo e burra furtados
150^00 de gratificado.
Ao amanhecer segundafelra 23 do correte, fnr-
taram da estrada de Juao de Barros sitio da bomba,
um cavallo e ama borrinha, o cavallo levou frelo e
sellim, sendo este j asado c fora do coramum por
ter o assento differente dos outro--, o cavallo tem os
seguintes signaes : de meio rodado apatacado,
tero o umbigo muito saliente a pomo de parecer de-
feito, tem em om dos lados no quarto a marca A
multo visivel, a cauda e dina bastante compridas,
cascos grao 1e ; a burrinha preta, muito viva, pas-
seira, com nm cailo no peito proveniente da colei-
ra, a cauda bastante compnda e os cascos muito
bem feilos : a pessoa que os pegar pode leva-Ios
na estacao das Cinco-Pontas das 9 horas da mauhaa
as 6 da tarde a Nascimenio Silva & C, agentes de
transporte de gneros ou a qualquer hora na estra-
da de Joo de Barros sitio da bomba qae prompia-
mente receber a gratificarlo cima declarada e nao
se qaer saber quem foram os autores da brinca-
deira.
Reclfe 23 de julho de 1866.
O Dr. Gustavo Adolpho Wabaum
tem aberro seu consultorio medico na ra
da Cadeia n. 36, segundo andar, casa do
lilhographia Caris, e d consultas "todos os
dias das 6 as 10 1(2 horas da manha e das
3 at as 6 horas da tarde. Chamados por
escripto podem entregar no primeiro andar
da mesma casa, no escriptorio do Sr. la-
vares or Caris. Tambem aceita chamados pa-
ra fora da cidade.
CASA DE HAMOS i
26 Pateo do Carao 26.
Neste estabelecimento tao impor- *
tante para a saude e asseio do cor- B
po, acham-se montados 20 banhei- t
ros, que sao servidos com a ordem K
e asseio que para desejar-se. Qua- gg
tro destes banheiros sao especial- k
mente reservados para senhoras e l
por isto acham-se collocados em lu-
gar reservado, aonde s tem entra- >fe
da as pessoas de urna mesma fami- W
lia.
PRECOS DE BANHOS AVULSOS. jg|
1 banbo fri, morno ou de g
chovisoo...... 500 ag
1 dito de choque .... 1,5000 m
1 dito de farello...... 1^000^
1 dito aromatisado I 000 Si
PREQOS POR ASSGNATRA.
30 banbos por mez fri,
morno ou dechovisco. 10#000 W
25 banhos com cartoes pa-
ra os mesmos .... 10000 |g
12 ditos ditos ditos ii^OOO
12 ditos ditos de choque. 10lOOO W.
12 ditos ditos de farello.. 106000 |
O estabelecimento estar aberto Sis
nos dias uteis das 6 horas da ma- $g
nhaa as 10 da noite, nos dias san-
tificados das 5 as 5 horas da tarde, m
Na ra do Trapiche n. i 6
acham-se os seguintes depsitos
DeR. B unioghausemNoits.
Boargogne.
Vinho Pommard tinto.
Cortn tinto.
> Santo Georges tinto.
Ctiambertin tinto.
Riebebenrg tinto.
> Clos de Vougeot tinto.
Chablis branco.
De !H A. Woef em Francfort:
Rheno.
Geisenheiroer.
Liebfraumilch.
Marcobruoner.
Em casa de Tbeod Christiaosen, ra do Ir
piebe-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil
de Brandenburg frres, Bordeaux, encontrase e-
tectivamente deposito dos artigos seguintes :
St. Jolieo.
St. Pierre.
Larose.
Cbateaa Loville.
Chateaa Margaux.
Grand vin Chateau Lafitte 1858.
Chateaa Lafiae.
Haut Saulernes.
Chatean Sauternes.
Cbateau Lataur Blanche.
Chateaa Tqaem.
Cognac em tres, qualidades.
Azeite doce. Precos de Bordeaux.__________
Precisa-se de ama ama qae salba cosiahar
perfeitamente : na roa do Livr.raento a. 4.
Fabrica de cildeirei^o
4 raa Imperial as. 154, 156 e {58.
Nao se tendo realisado o leilio da fabrica d
cadeireiro do casal do fallecido Sebastio Jos da
Silva, o agente Cordeiro SimSes competenlemente
autorlsado recebe proposlas para a venda da mes-
ma fabrica, coosistiodo em machinas, metaes,
obras para acabar, fornos e utensilios, conforme o
inventario qae o mesmo franquear* aos preten-
demos, at o dia 31 do correte mez, quando ser
effectoada a vend i a qoem mais der.______
______ Precisa-se de nm caixeiro que tenha pratica
Precisa-se ama preta escrava para servieos de I de uberna e qae d fladar a sna condueu : na
casa e ra: na roa Direila n. 127. I rna d Pjnte Velna n. 39.

V
II


Diarlo de aFeraftmfcaeo eganda felra le Julho de 1866.
A PRNDENTE
Sociedade portiigaeza de segaros muaos sobre a vida, fon ladae
administrada pelo
BANCO ALLIANCA DO PORTO.
Todo o pai que desejar ac u te lar o futuro de seos filhos de ve, quanto antes,
aaer inscrever os seus nomes na lista dos socios daPrevidentepor que, com urna
pequea quantia que, todos osannos para all frapplicando, tirada do (rucio das suas
economas, no fim de 25 annos alcanoar-lhes-ha urna fortuna, que por nenhum outro
meio e cora to pequeo desembolso poder obtef.
Os exemplos praticos de outras sociedades anlogas lem mostrado que:
4OO$000pagos aonualmente podern prodozir.
Em 5 an-
nos.
1:100,51
900A
8600
8604
860
860,5
860^1
8605
Em 10
annos.
4:0001
3:0005
2:9005
2:8005
2:7005
2:7005
2:7005
:7005
3:0005
Em 15
annos,
9:'005
7:5'05
7:O05
7:1005
7:0005
7:0005
7:1005
7:2005
7:5005
Em 20 an
nos
20:0005
17:0005
16:0005
15:6005
15:5005
15:4t)05
15:6005
16:0005
18:0005
Em 25 an-
nos.
47:0004
37:0005
35:0005
34:0005
33:3005
33.3005
34:0005
37:0005
50:0005
Por um menino de 1 dia a 1 anno.
> de 1 a 2 ann< s...
de 2a 3 > .....
> de 3 a 4 .....
de 4 a 15 > .....
Por urna pessoa de 15 a 20 annos ...
> > de 20 a 30 .....
, > de 30 a 40 .....
> de 40 a 50 ..... 9005
Admittem-se subscripcoes annuaes de 85 para cima.
Qaem pretender subscrever para a Providente ou desejar quaesquer esclarec-
montos e informaces, pode dirigir-se sua direcco, no banco Allianca, estabelecido na
ra Bellomonte, ou a Jos Ferreira Moutinho, inspector geral da mesma sociedade, mo-
rador na ruada Fabrica do Tabaco n 19, no Porto, e aos agentes do mesmo banco e
sociedade na capital e provincia, que tambem daro prospecto gratis a quem os pedir.
Achando-se de passagem nesta cidade o inspector geral da referida sociedade,
promptifica-se, durante o pouco tempo que aqui tem de demorar-se, a daros esclareci-
mentos que se lhe pedirem, todos os das at as 10 horas damanha na ra da Gruzn.
1, emcasa do IUm. Sr. Antonio Luiz de Oliveira Azevedo, onde se acha"hospedado.
ir
Os L)rs. Antonio de Vasconcellos Menezes
de Drummond, Gaspar de Menezes Vascoo-
cellos de Drammond, Jos Nicolao Riqueira
Costa e Aotonio Maria Ramo-, fllhos e gen-
ros do primeiro matrimonio do brigadeiro
Gaspar de Menores Vasconcellos de Dram-
mond, convldam aos seus prenles o amigo?,
bem copio aos do. dito sen presadsimo pai
e sogro para que se digoem de assislir a al-
gumas rais-as e memento que por alma delle
sero celebradas na igreja deN. S. do Carino
desla cidade das 7 as 8 oras da manha do
dia seganda-feira 30 do crreme me:, pri-
meiro anniversario do falleciraeolo do mesmo
brigadeiro.
T
JiUAOARCDDIS,
Antes que se acabem.
Cortes Se seda de lindos gostos a 304030 : s na toja do barateiro ra do Crespo n. 1.
Aproveitem. amigos da economa.
Este esUbelecimento osla' resolvido a torrar por todo proco o sen grande sortimento de fazen-
das de escolbidos gostos e quatidades, esta' a exposicao dos compradores.
A 20$ capas brancas de borracha
Das toelhores que tem viudo ao mercado, tem a especialidade de nao se estragaren] com o calor.
Roupas feitas.
Caigas de casemlra a 6J, 7$,85 e 9*, pilitots de panno preto e de casemiras de cores a 8,
U e 10*000.
Lindos gostos de casemiras e diversas fazendas para mandar fazer qaalqaer obra a gosto do
comprador para o que tem um babil mestre de alfaiate.
Chapeos de sol.
Chapeos de sol de seda com cabos de marBm obra rica para 175, ditos de diversos gostos de
75 a 155- Cbeguem a ra do Crespo n. 1, loja do barateiro.
A NACIONAL
Companhia. geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Urna flanea em dinheiro, depositado nos cofres de estado, gara ule a boa ad-
ministraco da companhia.
BANQUE1R0S DA COMPANHIA* J DIRECgO GERAL
Banco de Hespanha Madrid : Rna do Prado o. 5
Esu companhia liga pelo systema muteo todas as combina^oes de supervivencia dos segu
os sobre a vida.
Nella pode s tazer a subscripelo de maneira que em nenhum caso mesmo por morte do
segurado se perca o capital nomos joros correspondentes a estes. A %> r-n
Sao tao suprehendentes os resultados que prodeaem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL,que ainda mesmo dimlouindo urna terca parte do mteresse produiido em receutes liquida-
c6es ecombinando-ocom a mortalidade da tabella de Depareieux que. adopUda pela companhia
para seus calculse liquidases, em segurados de idade de 3 ai9 aunos, urna imposicao annua.
de 1004 produiem effectivometlico:
No fim de 5 annos.......t:H9:iftG
. de 10 .......3:942*ti0
i de lo .......11:2085200
* de 20........3:2o6OGO
de 25 ."......80:3315000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao uiais consideraveis.
Prospectos e mais informaces serao prestadas pelo sub-direelor nesta provincia.
Fiuza de Oliveir*, ra da Cadeia n. 52, ou a Roa-Vista ruada Imperatriz d. 12, eslbelec
memo dos Srs. Kayoiundo, Carlos.Leite & Irmao.
O abaixo asslgnado declara ao respeitavei
pnblico qne somente elle d'ora em diante quem
recebera' os rendimenios.e dividas qne lhe per-
tencam, e que caduca qualquer instrumento de
seus predios que para esse fio tenba dispensado.
Recite, 27 de julho de 1866.
_____________Antonio da Costa e Si.
Desappareceu
No sabbado 21 do correnie um caiorrinbo ca-
belludo preto e braneo : a pessoa qne o acbou o
qouer restituir leve-o no caes 22 de Novembro,
segundo andar, por cima do bilbar dos arcos que
se recompensara'._________________^^_____
Precisa se de urna ama para casa de poueo
familia, para coziohar e comprar : na ra larga do
Rosarioji. 21, loja de calcado.________________
Perdeu-se o quloto de billete n. 2389 (Ha lo-
tera 74') Ia parte da 1* loleria a beneficio da colo-
nsacio polaca, garantido, cojo quinto se acha as-
signado no verso por Antonio Juvencio da Silva e
mais outra pessoa, pede-se ao Sr. tbesoureiro que
Bao pague se nao aos donos.
Aluga-se orna ama de leite, escrava, parida
ha poucos das: a tratar na esquina da ra do Se-
bo para a Soledado n. 37._____________
Gylindros para padaria
Na padaria da roa Direlta
n. 84, ba sempre para vender
[por commodo preco os co-
nhecidos e acreditados cy-
liadros americanos para pa-
daria._________________
INJECCAO BROW.
Remedio infallivel as agnorrheas antigs
recen, tes, nico deposito na puarmacia
e franceza ra da Cruz n. 22 e ao preco de
30000.
COMPRAS
Libras
Compram sc'no escriptorio de Antonio Lult de
Oliveira Azevedo & C, ra da Cruz n. 1. ______
O uro e prata.
Era obras velhas : compra-so na praga da ln
dependencia n. 22, loja de bilhetes.
Compra-se ooro, prata e pedras preciosa
em obras velhas : na ra da Cadeia do Recite
cia de ourives no arco da Conceicao.__________
c- as
O a t B1
B 7 5
o s ^ S ;;" a :r-
** w^ w __ r*
5 B>. O- g g w
a
D52.
a co
V3
s e
a a =" = g-5.
05 "5, "* O T' <"
i .:;.! i.3 s-
2LS-ST5
o -,
Sw2n___
o-og2.E.%.
u U) m O & V>
13 OH w
% 2-B
o B
- .
os a> te
=>=
S M V
9
s
ss
g


MI
00
Compram-se libras sterlioas : na praca da
Independencia n. 22.___________________'
Libras esterlinas.
Compra-se na ra do Crespo n 16 primeiro an-
dar.___________________________________
Oompra-se
urna escrava que seja boa figura e que siba bem
engomen;.r, nao excedendo de 25 annos de dade,
e paga-se bem : no escriptorio 8e Vicente Ferrei-
ra da Costa & Filho, roa da Semala n.^138, on em
sen armazem junto ao arco da Conceicao.
Cooopram-se moedas de 20l i na ra do
Crespo n. 16, Io andar.
Compram-se moedas de 165 o 205 e libras
sterlinas : na ra do Airurim n. 41.
Corapra-se ama escrava que saiba engom-
mar : a tratar na saboaria do Recite a ru do
Briim n. 1.
CALCADO-
45 Hua Direia 45,
A primeira condicSo indispensavel co-u
servarlo da sade trazer os ps bem de-
fendidos contra os ataques da uumidade;
calcado bom e seguro o nico preserva-
tivo dessas mil enfermidades a que est su-
jeito o nossoeu. Um chnelo velho cal-
cado por um dandy patuscante, ou urna
botina acalcanbada em pequenino pe de en-
cantadora deidade alm de aecusar que-
bradera horripilante, prova contra as f .cui-
dados intellectuaes dos calcantes, e nao ha
quem, tendo bom seaso, queira passar por
maluco, ou pobre de surrSo : ergo, cor-
ram a :
4*RA DIREITA4*.
e attendam a' barateza.
Homens.
Borzegains barcellonezes de lus-
tre e de porco 60000
Ditos de Bordeanx .... 70000
Ditos parisienses de bezerro e
cordarJo ....... 8)J000
Sapatos de lona, sola de borra-
cha.....; 2)5000
Ditos aveludados..... 1*600
Ditos de tranca bons U600
Senhoras
Borieguins enfeitados. 5000
Pitos de laco...... 4,J8O0
Dito lisos .,...,, 4*500
Ditos todo de^merin Jolly, obra
exce'lente......40500
Sapatos de borracha .... 10600
Selleiros, corrieiros e segeiros I
E um completo sortimento de calcado fa-
bricado no paiz.________________________
Liquidac't de ferragem, e
obras de cobre e brome a
80(1 rt. a libray ra Nova
lojas ns. 33 e 35
A yiuva de Sebastio Jos da Silva aotorisada
pelo julzo de orphaos vende para pagamento de
seas credores as ferrageos existentes as referi-
das lojas, assim como obras de cobre o brome'por
mnito commodo preco, como tejam : alambiques e
sinos a 800 rs. a libra, e todo mais nestas propor-
c5es.________' ________
Vende-se em casa de M. I. de Uliveirn & Fi-
Iho, largo do Corpo Santo n. 19 :
Vinho verde superior em barrls de 5*
Dito do Porto de 8 e 10
Dito de dito engarrafado.
Dito de Lisboa Palmella tinto.
Farello dem superior.
Louca, vidrosT porcelna^e
crystaes.
No grande armazem de Duarle, Pe-
reira k C.
Rna do Crespo n. 16.
Neste estabelecimento ha grande deposito desles
artigos dos melhores fabricantes da Europa, de
superior qualidade e do melhor gosto possivel che-
gados nltimamente, que se vendem por precos
multo comrnoos a dinheiro.
PASTA e XAROPE de IAF da ARABIA
OK BBIAIVOIIEIIIIBR
* Slo m aicos paitara! ipirartfoi peloi prafauarai H
(Piculud da Medicina 4a Pruea. a por M medico at Hoa-
pluai da Priz, oa qnaaa carticarlo taita a ana auparla-
ridade aakra taooa aa eatroa paitoraaa cama lai podaraaa
efSc- contra oa adlma, rrpa, tiiltatlaa a u
Mrio'aa davatto a da farganU.
ACAHOUT DES RABES
De DILAKCREinER
nico alimento appravada pala Icadamia da Medicina da
Paria. Ella reatabalaca aa paaaoai 40a aoflram do Bato-
mato e dos Intaatlaoa; (artalaaa aa crianca a aa paaaoaa
debitadaa, akm aisao em Tlrtoda da ana propriedada aaa-
tavtle* he o melfcor praaarratlTo daa rbn* uduiUi
MMali
Cada (naca a cada caiiinha datai preprra;lei InU
umrrt lello frmt Dtlanfrenitr, roa Rickelian, 26,
em Parla. (Fuer leriilo atuncto com ai falilBcacoaa.)
Bepoaitariaa no rantawana*.- Oa*w aa*aa; Br-
ttoloiao r do Man y Oka.
Aovo boiiiiueiito de perfutuai-ias
S-BS"
S|
'
OS
"O ea
te- ct>
* 1
O O %
^-ra ai o
a
a
"2-e!
&O&S.
Grande novidade
Msicas nacionaes para planos e canto, episodios
da guerra do Paraguay, dedicadas ao eiereiio e
armada brasileira : vende-se Be grande estahele-
cimento de mindezas e candieiros a gaz, do Souza
Soares & Irmao, rna Nova n. 28._________
Aviso

Perguoia-se de Portugal, se ainda vivo < u
esu' residindo nesta provincia o Sr. M tn jei Uau-
lista Barbosa eu Barbora, nataral d'aqjelie reino,
e que consta ter vindo para Pernamburo depois
de baver residido par algum tempo na B ihU. Pe-
de-se a este senbor ou a quem delle poder dar io-
forrnaeoas, que se digne de as tra os utir ao Dr.
J. Campos, em sea escriptorio, ra do Imperador
n. 92, primeiro andar.
trocam-se cinco imagens sendo urna o Se-
nbor CrociQcado, tre Jess, Maria e Jis e uno
Santo Antonio de Lisboa todas muit) bem feitas,
e vende-se alguns trastes ivos, tudo por cjmmo
do prego : na ra da Concejero n. i.
Alaga-se o sitio da estrada de Joo de Bar-
ros, que Oca logo depois ao da cscala : a tratar
no mesmo sitio.
C.i vallo
Corapra-se um cavallo bom para cabriole!, que
-ca manso : na rna da Cadeia n. 37.
VENDAS
VENDAS.
Canos, curvas e bacas de ferro para esgoto: oa
roa do Imperador n. 18, loja.____________^^
Botas russinas
Perneiras o meias pemeiras.tado do melhor qe
se pode desejar, chegadas pelo ulHmo vapor inglee:
na ra Nova o. n. 7, loja do vapor.
31Ra Dirwta3T
Vi-niem-se charutos de Havana a 4cada caixa
de 100, tambem se vende a retalno, assim como
fumo de Havana em felha.
Gal virgem.
Vende-s na ra de Trapiche armazem n. 9
, a mais no* que ha no mercado, por prego com-
modo.
Jg VVn-se a laberna e padaria contiguas,aa
esquina bem >'rftjaeuda.: a tttar na mesma._______
Vendo-ee um moteeole de idade de 18 annos
e compra- ama escrava, que saiba engornmar e
^osinbar : najua Aogosu sobrado n. 114.
A verdadira raixa numero 97 recebida 4i-
rectamente da (brica de Day Ifariin, ehegaa
agara para veorter no esemptorio do Edward Fru-
tn, o. 17: ra o Trapiche._______
Os Percllfano Pe-
res campello e Fellefaao
Rodrlgnes d jara-se a loja da ra do Crespj n. i
17, a negocio. I
mmmmm\
Pede-se ao digno.subdelegado da freguezia
da B ja Vi-U, que lance suas vistas para a laberna
da ra da Gloria o. ., <>nie constantemente em-
briaga-se um Individuo, por nome i... R..., o
qual valrodo-se do ost1o d betieilice em que se
acha, insulta com palavras obscenas as pessoas que
all transitara sera re.-pein a moralMaie publica.
Um pai de familia.
Alua-je o sobrad> a. I i da ra do Seve ou
CniSo, com excellentes ommodos para urna gran-
de familia : a tratar cora Alanoel Gome^ de Mi-
randa Leal, ra da Ctdeia do Recife n. 56, pri-
meiro andar.
Alga-se
ou vende-s urna casa sita no P-v,iado dos Monles
largoda feira a raargem do rio, com forno de pa-
daria, masseira e tendedeira : a tratar na ra da
Praia armazem n. 37 ou no povjado dog Montes
comJjiqairj) Ribeiroda Cruz.
Vap:
5res.
Vende-se em casa de Sauoders BroUiers & C,
oo largo (I i."'irpoSanto-n. II, vapores patentes
coto todos o> pi-neocfs proprios para facer mover
tres aa qnatro raacl*uias para ^^scaroQa-r algodao.
GiZ.
No armazem da ra do Imperador n. 3 oa no
Caes de Pedro II n. 2, tem para vooder-se o me-
nor saz existente no mercado.
Vende-se na fundico da Aurora, as melho-
res e mais perfetas caiziabas om fita de medir, e
temas de ferro galvanisado, tudo por precos ra-
zoaeet.
Vcade-se
machinas americanas de serrotes para desearocar
algodo : na ra da Senralla Nova n. 43.
Por 400$.
Vende-se om escravo de meia idade, proprio pa-
ra sitio, e corta carne : na travessa do Carmo nu-
mero 1.
Qaeijos do serto
Vende-se queijos do Serid de manteiga e de
coalha muito frescaes a 900 e 600 rs. a libra, lin-
gua seccas e carne muito gorda : no pateo do Car-
mo esquina da ra de IIorlas n. 1
Veude-se
urna boa escrava, bonita figura e perfeita cot-
nhera : a tratar oa ra da Seozala n. 138, pri-
meiro andar, escriptorio de Vicente Ferreira da
Cosa & Filho._________
Cbegoo a multo condecida e acreditada la-
berca que M do finado Cehstlno, delraz da ma-
triz de Santo Antonio n. 18, a verdadelra carnee
queijos do serlo por barato preco ; a elles ames
Vende-se Bas pharmacias de Maurer e de
A. Caors.
Vende se na praca da Independencia ns. 37 e 39,
capellas morluarias, as mais bonitas que tem vin
do a este mercado, para os stimos das o dia de
finados se bUr as catacuu.has e tmulos no ce-
miteno publico com as Inscripcoes seguintes :
A meu pai.
A rutnha raai.
A meu esposo.
A miaba esposa.
A meu filho.
A miaba filha.
A meu irmo.
A minfaa irma.
A met araipo.
Urna lagrima.
Amizade.
Saudades.
na ra do
Pi
Vende-se ceblas a 800 rs. o cento
Rangel o. 3._____________________________
Panno de algodao da Batua, proprio para sac-
eos de assucar e roupa de escravos, do melhor que
vem ao mercado, e fio de algodo da'fabrica Todos
os Santos, do Sr. commendador Pedroso, tem
vender Joaqaim Jos Goncalves Beltrao, na rn
Vigarlo n. 17, escriptorio.____________
Ra do Queimado n. 19
No armazem de fazendas baratas de Santos
Coelto, vende-se o seguinte :
Pechincha.
Pecas de madapolao largo encorpado proprio
para camisa o saia para senhora pelo baratlssimo
preco de 8 fazenda de 10*.
Vosde-se as olarias de Jos Carneiro da Cu-
nba, (elhas e tijollo* de todas as qualidades, por
menos 5 om milhoiro do que em ootra qualquer
ciarla : na ra dos Prazeres n. 38 Colhos n. 11
Vinho verde~
Vende se vlnho verde muito especial, em barris
dedpiarto : na rna da Cadeia o. 27, 1 andar.
Carro ame iesno
novo de 4 assentos o 4 rodas com oe competentes
arrek : vende-se na ra da Ponte Velha n. 8.
Kov pechincOa de etiapos do Ctiili de if>,
3tJ, 4J eU} e dos mais precos qne os fregoezes
quixerem, assim como chapeos muito rico de.pa-
Iba para senhora, menioas e meninos, todo por
precos barassimos : na luja do Jos Barbosa, o
Pequeo, na praca da Independencia ns. 3 o 23,
junto do funiieiro.
Velas de carnauba a UJOOO a
arroba.
Vendem-se caias com velasjpelo barato pre-
co cima ; na ra da Madre de Dos os. 5 e 9.
Para encrespar babados.
Thesonras detodas as grossoras. de doas, tres
e cinco peroas.para encrespar babados : vendem-
se a ra do Queimado loja de ferragens de Azeve-
do & Irmo.
VENDE-SE
ama masseira de amarello em perfeito estado : na
padaria da ra Dlreita n. 24.
F brinda
rrente, coodutfo KA bar-
ris de ptima cal de Lisboa, contendo mais de 4
arrobas cada om, e b?m acondicionado : vende se
por preco commodo, oa roa da Croz n. 30, pri-
meiro andar.
Chegou para a amiga loja de miudezas a roa do
Queimado n. 16.
Bonitos vasos^de porcelana donrada cera banba
muito fina.
Oulros ditos de p de pedra com dita.
Garrafas cora superior agua da Colonia.
Frascos com agua balsmica para denles.
Dito de dita deotifrice.
Diio deex.racto de quinquina tambem para den-
tes.
Dllo com superior agua flor "de laranja.
Dito de dita flor de rosa.
Dito de dito vinagre de Venus para refrescar a
pelle.
Dilo de dito agua ambriava para banhos do ros-
to, corpo ele.
Dilo de superior agua de Colonia ingleza, de Pi-
ver e Lobin.
Dito de excedente banha de Lobin.
Saboneta de Lubin.e outros de amendoa, trans-
parente, etc.
Cosmetique (ou pomada) de superior qualidade.
Finos extractos, frangipane, sndalo e outros
tambem de finos o agradaveis cheiros.
Opiata ingleza e franceza para denles.
Bonitos vasos com p de arroz e pinoel.
Caixinbas com aromtico p de arroz.
Oleo inglez. dito philocome, babosa e outras qua-
idades para cabello.
Chromaconie para Ungir cabellos.
Essa apreciavel limara chegou para a loja de
mindezas a ra do Queimado o. 16, assim como o
sabonete braoco, para se lavar os cabellos antes de
se asar da prepar;o.
Catases de vidro com perfumaras.
Vende se esses bonitos cabazes do vidro com per-
fumaras, proprios para presentes, etc.; na ra do
Qaeimcdo loja de miudezas n. 16.
Latas e copos com Itanlia fina,
A bem conhecida loja de mindezas a ra do
Queimado n. 16. acata de receber as eslimadas la-
tas com banha fina, assim como copos de vidro de
novo e bonito molde, com lampo de vidro e cheiros
de excedente banha. Recebeu igualmente a pro-
veitose banha transparente que muito serve para
acabar as caspas, e a aromalica eagradavel banha
japoneza e outras. Os prettndenles dirijamse a
dita loja de mindezas a ra do Queimado n. 16,
que sero servido a contento.
Bouquet dos alpes,
Esse fino e agradavel extracto, vem em um bo-
nito vaso de p de pedra e este dentro de ama ele-
gante caixinba de papelao, de forma que a perfei-
go de nma coosa corresponde a soperioridade de
oulra. Esse apreciavel extracto acba-se a venda
na roa do Queimado loja de miudezas o. 16.
Afilia florida e tnico,
Vendem-se na loja de miudezas n. 16, ra do
Queimado.
Frascos com gomma arbica dissolvida
e pincel.
Vendem-se na roa do Queimado loja de miude-
zas n. 16.
Tinta indelevel para marcar roupa.
Vende-se na ra do Queimado loja de miudezas
n. 16.
Fita elstica para cs de balo, e aspas de
ac para os ditos.
Vendem-se na ra do Queimado loja de miude-
zas n. 16.
Bonitos sntremeios e babadinhos bor-
dados.
Vendem-se por barato prego na loja de miude-
zas n. 16 na ra do Queimado.
Tinta rxa e azul que ficam pretas.
Na loja de miudezas n. 16 a ra do Queimado,
vendem-se frascos grandes e menores com essas
excellentes tintas, rxa e azul para ficar prela; o
preco dos frascos 1,8000 e 500:
Graxa econmica em latas e barrilsinhos.
Vendem-se na loja de miudezas n. 16 a ra do
Queimado.____________________________
TUL S.1I SEIMIO
Roa do laciniado n. 49, loja de
miudezas
DE
Jos Bigodinho
Esl queimandoas miudezas abaixo declaradas:
Frascos de oleo babosa fino 200 a 320 rs.
Ditos dito f .Ico a 600 rs.
Ditos de macaf perola a 200 rs.
Ditos ctm superior banha a 200 rs.
Caixas com 6 frascos dec heiro a 800 rs.
Saboneles finos a 60, 160, 200 e 320 rs.
Ditos de bolla superior a 240 e 320 rs.
Livros para meninos coro estamps a 320 rs.
Caixas de 12 frascos com cheiro a 15.
Frascos de oleo babosa multo fino a 400 rs.
Duzias de meias superior oualidade para senhora a
4J500.
Cbegaram as agulhas balao (papel) a 60 rs.
Caixas com bonitos soldados de chumbo a 100 rs.
Ditos de agua para limpar denles a 500 rs.
Pedra de escrever (pequeas) a 160 e 200 rs.
Sapatos de tranca para homens e senhora a 15300.
Pegas de fitas de laa preta para vestidos a 600 rs.
Grozas de boloes de madreperola finos a 480 e
640 rs.
Caixas de colchetes francezes a 20 rs.
Pegas de troco de todas as cores a 200 rs.
Caixas com superiores envelope a 600 rs.
Pares de sapatinhos de la para crianga a 400 rs.
Ditos de meias pretas para senhora, superiores a
360 rs.
LiDras de pregos do todos os lamanhos a 240 rs.
Sabontes de familia, superior a 100 e 120 rs.
Resma de papel de peso muito fino a 2.
Frascos com tinta superior a 100. 140 e 320.
Grosas de pbosphoros de gaz a 2200
Pares de botes para punho al20 e 240 rs.
Cario com linhas de 200 jardas a 100.
Meias ciuas muito finas a 'i5.
Caixa de pos para limpar denles a 100 rs.
Caixa de superior linha do gaz com 80 novellos a
15000 rs.
Purceiras de conla para meninas a 320 rs.
Talheres muito finos para meninos a 320 rs.
Carlilha da deulrina cbrisla 320 rs.
Frasco muito bonitos com cheiro a 240 e 300 rs.
Caixa com superiors iscas para charutos a 20 rs.
Hasso com superiores grampos a 30 rs.
m INJECCAO e CAPSULAS
llGET AES A0M4TIC0
GRIMAULT&C'JPHAnMACEUTICeS
Novo tratamento preparado com as folhat ie
Matico, arvore do Per, para a cura rpida e in-
fallivel da Gonorrhea sem reccio algum da con-
traccio do canal ou da inflammaco dos intestinos.
0 clebre doutor Ricord, de Pars, ler renonciado,
desde sua apparicao, ao emprgo de qualquer
otro tratamento. Emprega-se a lnjeccao no
eomco de fiaxo; as capsulas em todos os casos
chronicos e inveterados, que resistiro s prepa-
rares do copaba, cubeba e s injeccBes com bate
MUllica.
A venda as pharmacias de P. Maurer &
C. e A. Gaors, em Pernambuco.
Remedies do Dr. J. C. Ajer, ex-lente
da Inivcrsidadp. de Pciisylvania, nos
Estados-I nidos.
Exlraeto composto de salsa-par-
rllha de Ayer.
Peltoral de ce reja.
Remedio para sezSes.
Ptala tatuar ticas.
0 deposito central para as^ provincias :
Pernambuco, Aiagoas, Parabyba e Rio-
Grande do Norte, desles remedios tao fa-
voravelmente conhecidos e acolhidos em
todas as partes da America do Sul e do
Norte, acba-se em casa de Theod Cliris-
tiauser, 16 rtia do Trapiche em
Peroambiice.
Os precos de
33$ por duzia de estrado de salsa-pairilba.
27)4 por duzia de peitoral decereja.
27)$ por duzia de rem dio para sezoes.
7$ por duzia de pilulas catharticas
se entendem dinheiro vista, c m
o descont de 8 por cento em qaantidades
de 6 a 12 duzias, e de 10 por cento m
quantidades superiores a 12 duzias.
* Vode-se a taberna multo afreguezada nc
largo do Cuino n. 5 : a tratar na r^esma.
COLLARES KOEE
OU
Anodinos electro-maguelicos ronda as
eonvolscs, e para facilitara denti-
co das enancas. A agnia-branca,
a ra do Queimado n. 8 recbeos
por todos os vapores francezes.
Ja esiaoiao conhecidos, e lano se tem espalha-
do a fama desses prodigiosos collares Royer, que
se torna desnecessario dizer mais Itoma consa
em abono de eus bons e < fficazes efieilos; basta
o testemunhn de migares de pessoas, que lem vis-
to e aproveado u feliz resu'tado desses tao uteis,
luso necessarlos collares Royer. A quolidiana e
rrescida exlracro, que vio sendo, moitra anda
que o hornero dos prodigios *e eleva com o dos
compradores. A aguia-branca, porm, desejando
ixneurrrr para um fim de tanto aproveilamenlo,
lem feito os necesaiios pedidos, jara que por lo-
dos os vapores francezes lhe seja remeltida certa
quanlidade de diios collares, para assim tornarse
infallivel o w riurento delles, na loja d'aguu-bran-
ca, ra do Queimado o. 8.
itereoscopo de magno
Com bonitas vistas.
A aguia-branca recebeu bonitos siereoscopos de
mogno envernlsados e com lindas o agradaveis vis-
tas, e quer vend los baratamente, sendo 1 raixi
nha com 24 vistas escolhidas p<>r 10JO0O. Pode
tambem vender as vistas separadamente a comen-
to do comprador, qne se dirigir a' ra do Queima-
do n. 8, loja n'aguia-brar.ca.
Botinas de merino
com sola, para criangas.
A agula-branca na ra do Queimado n. 8 rece-
beu um bello sortimento de botinas de merino
com sola para criancas, sendo o sortimento \
riado em lamanhos e differentes cores.
Fitas largas labradas.
Alm do completo so lmenlo de fitas que cons-
tantemente se acbi na l< ja d'aguia-branra, esia re-
cebeu novamente um outro smtmenlo de filas lar-
gas lavradas, enjos lindos e noves desenhos a par
da superior qualidade as lazem apreciadas, uesse
simples di/er talvez o pretndeme nao faca a josta
idea do apurado gosio de das fitas ; mas, se se
dirigir a' ra do Queimado loja 'jguia-branra D.
8, conhecer que nada lia de melhor neste pinero.
Latas e copos rom banha flua.
A aguia branca recebeu novanieule a superior
banha em laias e copos de vidro com lampa ce
dilo, e ronlina a vende-los a 2? e 2500 : na ra
do Queimado, loja d'agoia branca n. 8.
Lcques de madreperola. sndalo
e ac.
A aguia braBca, na ra do Queimado n 8, re-
cebeu nova nmessa de bonitos leqnes de madre-
perola, sndalo e osso, ludos do lindes deseobts
Tambem recebeu oulros pretos para luto.
Tinturas para fazer os cabellos
pretos.
A aguia branca, na roa do Queimado n. 8, aca-
ba de rece! er novo sortimento das apreciaves iio-
turas para empretecer os cabelles, sendo caixinbas
com tintura de chrcmacomc, frascos cem colora-
me para lustrar os ral)* I los, dilos cem cnychrcmoc-
tone para limpar as ondas, dilos cem hydrrcalle-
Irichine para lavar os cabellos, ato braneo tim-
bera para lavar os dios, caixinhas cum tintura de
Hoelde Water dilas com dila de L Marque?.
lioneras que aodam.
A aguia branca, na rna do Qoeimado n. 8, re-
ceben novas e bonias turecas, que movidas rir
um machinismo, andam perfeitamenir, e pela ler-
feicao e n.vidade das ditas se toicam excedente
para presentes : os pri tendentes as acbarSo l
loja d'agola b-anca, rea do Queimado c. 8.
Papel para flores.
A aguia branca araba de receber novo sortimen-
to de papel para flores, dito para folhas, dilo verde
e pardo para cobrir as haslas, ps para rosas ele.,
e contina a vender Indoisso pelos amigos ejeem-
nodos presos : os prctonitentps que so dirjam a
ra d ; Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
("apellas e flores finas.
A agoia branca rec?beu novas c delicadas ca-
pellas para noivas, a^sim como bonitos caixos de
flor de larf.rij3,oiiir azues e rosas, ludo de lina qualidade e apurado
goslo : os prrtendecles que se dirigir ni a ra do
Queimado, loja d'aguia branca n. 8, serao bem ser-
vidos.
Efttroz francez em carreteis
e miadas
A aguia branca rala d<> redhci i Tiorre-
troz francez em carreteis e miadas. A t>'.'ente
quabrfade i'esse reiroz o terna prefcrlvel a> i.tro,
e isso conhecer quem o comprar; na na do
Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
Meias de laa vegetal e de
borracha.
A aguia tranca receben r...van,ente essas pro-
curada^ meias de l;a vegetal, i5o uleis quito pro-
veitosas para qiirm selre resfriacao nos ps ; as-
sim como ouiras de borracha para qutm padece
de encluco as peroas. e vendem-se por preco?
razoaveis": na roa do Queimado, loja d'aguia brac-
ea n. 8.
":S
(Grande armazem de tin-i
tas medicamentos etc. ]
Ra do Imperador d. 22.
o
foo redro das Seves
rente) tem a venda
seguinte:
Productos chimicos e pharma-
ceulicos os mais empregados em
medicina,
Tintas para todo o genero de pin
tura e para tinturara.
Productos indusiriaes e tintas '
para fli res, como botes de flores $P*
e modelos em gesso para imitar
frmMas e passaw cora o compe-
tente desenbo.
Productos ciiimicos e mdustries
para pholograpbJa, tiDinaria, pin-
tura, pyrotecnia ele.
Montado em grande escala e sup-
prido directamente de Paris, Lon- ^
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa !
pode offerecer productos de plena *
confianza e satisfazer qualqoer en-
commeda a grosso trato e a reta-
lho e por prego commodo. S

&
m
I
) lbo e
XAROPE
D'HYPOPHOSPHITO DE CAL
de GRIMAULT e C"
PtonuuiiHm de S. A. Lo Princin NapS1***
. m Pri$. -i
Desde mnitos seculos os mdicos e os chimicos
tinhSo procurado um medicamento que podesse
curar as molestias de peito; todas as pequizas
feitas ath hoje nSo tinhSo tido nenhum resultado.
POrem os trabalhos que forao communicados
llimamente Academia de Medicina de Paris, e
as mais serias experiencias feitas no hospital
Brompton de Londres, qne 6 especialmente reser-
vado para o tratamento da tsica, provarao que
asa terrivel molestia, quando e'la nSo estvi
inda no sju ultimo grao, tinha no Xarope dUy-
pophosphito de Cal, um especifico poderoso. As
tosses, definios, caUrrhos, bronchitis, grippa c
coqueluche, cedem tambem rpidamente ao uso
Teste Xarope, e os astbmucos ackao n'elle um
elemento certo para curarem-se.
Rccommeoda-se aos doenles de fazerem uso ao
Memo lempo das deliciosas pastilbas peitoraes
o sueco de alface c de louro cereja, dos S'M Gri-
aUWjT b C". EsU excellente preparacose compoe
de duas subsUncias as neis calmantes e ao
meamo tempo u mai inoffenaivas da mttei^
mtiw, nlo contera opte.
Deposito as pbarmacias efe P. '-
C. e A. Caors, fm Pernambuco.
1


Diario de Perauafetao ... legaada feira 8* de Jullif de fSOfi.
0 que occupa lioje mais a attencio do mundo
econmico? o novo systhema do proprietario do ar-.
roazAin de molhados
53 RA DA CADEIA 53 .
PASSAiVf 0 O ARCO DA CONCElClO.
Que surge de novo hasteando a baodeira da modicidade de pre'os ena todos os
seas superiores gneros.
Que o publico reeonheca as vantagens que de tal syslhema lhe resulta, o que o
proprietario do sitado arnazera deseja, e a que desdej o convida : passando tambem a
notar-lhe os precos de alguns dos gneros do seu esplendido sortimento, e para os quaes
pede
TI
FAZENDAS P
ATTE\(JiO
Goraraa de mllho forneo americana.
Esta excdeme gomtna, multo se recomcommenda como o alinetto mais subs-
tancial e saulavel; servindo nao s para papa (no que superior de todas as ontras
gomroas e (arlabas) m s tambem della se pode fzer pao-de-l, cangica, crerae, bolo!
francez, podim, etc.: o preco de cadi pacote de urna libra 800 rs., em caixatem aba-'
timento.
MANTEGA INGLEZA de superior qualida-iMOLHO INGLEZ de diversas qualidades, a,
de a 1,28o e t.ioo rs. a libra, em barril
se. faz abatimento.
DEM FIUNCEZA a mais nova que ha no
mrcalo a 6io rs. a libra, em barris ou
meios a 600 rs.
CHA HfSSON de primeira qualidade a
2,800 rs. a libra, alm desta ha rauitas ou
72o rs. o frasco.
M0STARDA INGLEZA muito nova, a 800,
rs. o frasco
DEM ^RANCEZA a 6io rs. o frasco.
SALMO E LAGOSTIN chegado ltima-
mente, em latas de 2 libras, a 1,600. rs.
, ARENQUES em latas a 64o rs. cada urna,
tras proprias para vender a retalho, que! SARDINHAS DE NANTES em latas e meias
se vendem de 1,600 al,800 rs. a libra, j a 600 e 36o res.
IDEMPKSTOo mais especial que tem vin- VINH) DE COLLARES o legitimo vtaho
do a este mercado a 2,2oo rs a libra. desta localidade, muito superior e sem
DEM recular de 1.6oo a l,8oo rs a libra. confe'cSo alguma, a 800 rs. a garrafa.
QEIJOS DO REINO nltimamentechegados'iDFM MADURO overiadeiro do alto Dou-
pelo vapir 2,4oo: ditos do vapor pasaado ro em barris. de lo em pipa por 35,ooo
a 2,000 rs. cada um.
LATAS DE CHOURICAS com 6 libras er- VIH0 DO PORTO de diversas qualidades
mlicamente fechadas, a 4,5oo, de barril
a fiio. a libra.
ESTREUNHA para sop era caixas sortidas
de 8 libras, por 4,000 rs.
VINHO VERDE do ve-dideiro sumo da uva,
e o mais proprio para ss beber n'este
imperio, pda sua extraordinaria fresqui-
do e flgn avel gosto a filo rs. a gar-
lafa.
AME XAS FRAXCEZAS em frascos de 4 e
2 lihras, a 2,8oo, e I,4oo rs. em caxi-
nhas muito enfeudas com diversas estam
pas;:2,ioo, 4,8oo, 1,000 et,3oo, reis.
BISCOITOS INGLEZES emlat-s contendo
diversas qualidades a i.oooe l,2oo rs. a
lata.
PRINC PE ALBERTO bolachinhas as melho-
res presentemente conhecidas a i,6oo
rs. a lata.
SALAME HAMRURGUEZ chegados no ulti-
mo nnvio a 1,600 a libra.
PREZUNfOSvenladeiro re Lamgo, a 64o,
rs. a libra, e 56o inteiro.
TRAQUES n. I. era ca:xas de 4o cartas, por
8,000. e 2io rs. cada rima.
MARMELADA era htas de I, i /i 2 l-
bns a 600 reis a libra.
JALEA DE MAR MELLO em latas, a 800 rs.
FRUCTAS EM CALDA pera, pecego, alper-
ce, ninha Claudia, e ginja a 64o reis
a lata.
engarrafa lo, inclusive o maisflno que ha
n'este genero, por 800, 1,00o, l,2oo,
i,4oo e 1.5oo rs. a garrafa.
FETJO verde e carrapato em latas emti-
camente fechadas a 600 rs.
CHOCOLATE francez em pacotes de 1 libra
por 5oo reis.
AZEiTONAS das che?adas ltimamente de
Lisboa a 1,2oo rs. a ancoreta, e 5oo, a
guarrafa.
CAF avado a 24o rs.libra, e T,0oors.
a arroba, e regular a 22o a libra, sHWo,
a arroba.
VINHO CHERRY domis sbpeHfr Amer-
cado a l,5oo rs. a garafa, e 15,ooo rs.
a dnzia.
MUSC.ATEL o verdadero de Setubal, a
l,8oo rs. ag'rra'a, e 20,000 a duzia.
VINHO BOREAUX das mais acreditadas
raucas, S. Em linn. Sant Julien Haat
Brion a 7oo e 800 rs. a garrafa, e em
caixaded.iz'a, a 7,5oo e 8,000 rs.
VINHO BRANC ) de Lisboa de excelente
qualidade, e proprio para missa, a 800,
rs. a garrafa, oa 8.000 rs. a caixa deduzia.
MADEIRA SECO a 1,2oo a garrafa, e 12;ooo
rs. a dazia.
VINHO DO RHENO superior, a 2.000 a
garrafa, e 22,ooo rs. a duzia.
VERMOUTH de superior qualidade em cai-
xas de 12 mes garrafas por 12,ooo,e
garrafas por l,2oo rs.
Gros de aples preto a I #50fc 1,51600, 2,5, 35, 3|500 e 45 o covado.
Gorgoreo preto de superior qualidade a 20500, 2*800, 30 e 40 o co-
vado.
Superiores moreantiques a 20500, 20600, 30, 30500, 40 e 50000 o
covado.
Bons cortes de moreantique.
dem de gorgnrJo adamascados.
Bons pannos e casemiras.
Sup rires alpacas, princetas, merinos e bombazinas.
Bons villudos pretos.
Grande variedade de chales de fil preto e de guipare a 50, 60, 80,
100, 120, de 160 a 200, e de 210 a 800 cada um.
Superiores retondas de fil preto e de guipure a 80, 100, 120 250,
e de 300 a 600 cada urna.
Superiores algerienes de fil preto e de guipure de 120 a 250, e de
300 a 600 cada urna.
Bons chailes de seda preta.
Ditos de Merino preto bordados e ontras muitas fazendas pretas que
seria enfadonho enumerar, na
IiOJl RAS COIiUiWVAR
DE ANTONIO CORRBfa DE VA9C0NCELL0S A C.
nr\ 1H9 CRESPO IV. 13
f^afcsv;
PHOSPHATO DE FERRO BE LERAS
IR. EM SCIE3 CAS
INSPECTOR DA ACADEHIA DE PARS.
NSo existe medicamento ferruginoso t5o rtotavel como o phosphato de ferro de
Leras; assummidades medicas do mundo inteiro adotaram-no com solicitude sem igual
nosannaes da scienoia. As cores paludas, dores deestomago, digestSes penosas, ane-
mia, convalej^encas difficeis, idade criticadas senlioras, irregularidade na menstruacJo,
pobresa do sangue, lf mohil'snio sao curados rpidamente ou modificados por este ex-
cellente composto. E o conservador por excelencia dasaude e declarado superior nos
hospitaes e pelas academias a todos os ferruginosos conhecidos, ao idoreto e ao citrato
de ferro, porque o ubico qiio convem aos estmagos delicados, que rk> provoca cons'i-
paco anico.tambera que nao enegrece a bocea e os denles.
Em Paris na ra da FenRlarle n. 7.
A venda em casa de Maurer, e A, Caors.
PEC1IIXCIIA SE I614L
Rico3 cores de gorgurSo de seda prelos adamascado para vestido com I? metros
on 18 a 10 covados cada cofrte, larrnra de cbita (raoceza, pelo barahsslmo preco de 90
cada corte : Oa foja das colamnas da ra do Crespo n. 13 de Antonio Correia de Vascon-
cellos & C.
,;..^
DE
AZEVEDO & FLORES
A MA.CUIEI4 DO IICIPG 49
iam e admirem!!
a 100, e quem
Vej
Chapeos de sol de seda a balo que valera 120, o B.ilio vende
comprar de 6 chapeos para cima tem abatimento de 10 por cento.
Camisas.
Super'ores camisas de peito de esguio pregas largas a 36$ a duzia, a quem
comprar de nma duzia para cima lera o descont de i O por ,ento.
Baldes com cauda.
Superiores balees de murselina brancos e com lisias de cor.
Ronpa fel4a.
Calcas de lindas e superiores casemiras a 80000.
dem escuras proprias para o invern a 70000.
dem claras miis inferiores a 50000.
Paletos saceos de panno preto Oto a 100 e mais inferior a 80000.
Chitas para coberta a 28 rs o covado
Superior chita para coberta, cores que osdoms do Balo affi-incam ser as mais
fu* a 280 rs. o covado, quem dejxar de comprar chitas que todos vendem a 4^0 rs. e
28); o Balao tambera tem para vender um benito sortimento de chitas claras e escuras
para vestidos. /
MadapolSo que val 100 a 60500, lindos cortes de cassa de cor a 20800 ; vista
dos presos cima, dirao, a fazenda no presta.... e nos a Ufaneamos que ame-
Ihor possivel, e se vendanospor estes diminuios preces para graagear maior atunero
de freguezes.
Quem davidar da veracidade do que oca dito veuha ver.
RA DO BRUM IV* SIS
O proprietario deste estabeleciment deseja chamar a attencc- dos senhores pro-
prietarios pera oe-acredUados mechanismos que continua a fornecerj os quaes garante
ser como seropre, da melbor qualidade possivel:
Machinas de vapor
for?a &e am avatlo pa""a cima. As menores sao mui proprias para motores de des-
carocamentos de algodao -T ellas viajara armadas e podem trabalhar den ro de 24 horas,
depois de cheg^rem no lugar. Ellas levam tudo quanto preciso para o trabalho, e
diversos sobrecelleates. As machinas ores sao proprias para a raoagem de canna,
e ha dolas qe podera junta e separadamente moer canna edescarocar. Ellas podem-
se applicar aqaalquer raoenda ja-.ex'teate sem outra mndanca do que asubstituicaodas
rodas da almanjarra, ha tambem com moenda junta. Ellas tem depsitos d'agua e boei-
rosde ferro, eno precisara para eu asentaraento de obra alguraa, qur de carapina,
qur dealveoaria. Otempo para assenta-las nao excede dedoze das ao mais, eera
casos de raortes dean'rmaes-ou arromhamentos de acudes, etc,, garante-se o assentamen-i
to em oito dias. Todos estes vapores ao simp'issiraos na construcco, e se regem por,
qualquer pessoa intilligente, a facilidade da condcelo sendo especialmente considerada,!
tanto que nao ha lugar em que nao se possam conduzir, qur por trra, qur embarcado. os Pent'dos.
Lembra-se aos senhores de engenho que a venda dos aniraaes e o servico da I Pu'seiras tanto para senbora como para
genle-occupada no seu tratamento os hao de recuperar da maior parte da despeza do'oieninas.
vapor, deixando-lhes a vantagem de urna raoagem certa e accelerada; e acabando com a Riquissimas Atas lavradas e lizas,
despeza da compra continuada de novos ananaes, e com os desgostos do trabalho que se Diademas do ultimo gosto.
tem com elfos. J Ligas de seda.
Ser talvez desnecessario lembrar aos compradores de vapores a vantagem que! Ditas de seda e de algodo para maogui-
Ihes resulta de comprarera suas machinas garantidas em urna fabrica, tendo artistas com- tos ^e seohora.
Loja do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estahelecimento acaba de rceber pe-
lo vapor Extrenkuilre, e de sua propria en-
commenda, um completo sortimento de ob-
jeclos de apura lo gosto e alguns de comple-
ta novidade, como seja :
Riquissimos necessaaios para costuras,
tendo de madrepola, marflm, christal, e on-
tras muitas qualidades.
Ricas carxinhas de madeira machatadas
1 todas de midrep la, cora msica, e o neces-
;sario para costura.
Cixinbas de mnsica, tanto de veio como
de corda.
Riqusimas malasinhas de madeira, for-
radas de raarroqnim, contendo o necessaro
para costura, propria para meninas.
Lindos vasos para pos de arroz.
Lindos livrinhos com capa de tartaruga
para missa*.
Riqoissimo sortimento de enfeites para
senhoras e meninas.
Cintos inteiramente novos.
F vedas, de tartaraga, christal, e metal,
para ciotos de swihora.
Leques de sndalo e de madeira.
Riquissimos porta bouquets.
Luvas verdaderas de Jovin.
Ditas de seda ede Escocia.
Lindos boloes de christal, tanto para pu-
nhos, como para cohetes e abertura de ca-
misas, estes botes tornam-se recoramenda-
veis, por ser inteiramente novidades.
Ditos de cornalina, brancos e encarnados,
para cohetes.
Finas tbesouras para unhas e costura.
Lindos porta joias.
Ricos port relogios de porcellana.
Modernos pentes de tartaruga e a imita-
Cao.
Albuus para retratos.
Agnlbas elinhas para crochetes.
Lindos aderecos de christal.
Rosetas e alflneies de dito.
Aderecos completos para mo brincos e rosetas.
Meias de seda para senhoras.
Hitas para meninas.
Sapatinhos de seda e de mirin, para
baptisados.
Touquinhas e chaposinhos para dito.
Las de todas as cores para bordar.
Capellas para noivas.
Gravatas e mantas para homem.
Alfinetes para gravatas.
Riquissimos limnos paranoias, sendo
com capa de madnuerola, marfim e cha-
grn.
Penas de ac de todas as qualidades, do
afamado fabricante Perris.
Froco e seda frooxa para bordar.
Bengsllas e chicotes de todas as quiliia-
des.
Dedaes de marfim e metal.
Espelhos dourados grandes, e pequeos
ditos de columna.
Dito especiaos para as senhoras fazerera

Cootas e tubos de ac.
Suspensorios de seda o de algodo.
Grande e completo sortimento de perfu-
maras finas dos fabricantes mais afamados,
Verdadeiros
"ollares Royer
Electro Vagnelico
Ou Collares Anodinos, para facilitar a den-

2&2ZARMI
Tinta Inalteravel
Para escrever
de P. MIRER k C.
PERNABIBUCO
Esta tinta recommenda-se pela sua com-
poeica e fluidez como a melbor e a mais
segura de*tods as tintas at hoje conheci-
das. -Nao ataca as pennas de ac, d at
tres excellentes copias, mesmo muitos dias
depois de'escrever, e preferivel a qual-
quer outras tintas particularmente para
livros de commercio, documentos eto de
que se caroca longa conservaca.
petentes para assentar as mesraas I ensinar a maneira de trabalhar com ellas, e ja pre-
paradas para arremediar qualquer desarranjo; facilidades estas que jamis podem en-
contrar coraprando-as aos simples negociantes, os quaes por falta de conhecimento na ma-
teria nem se quer podeii garanti-los de que as machinas que vendem sejara proprias ou
suficientes para o trabalbo era que se queira emprega-las, e no caso de desastre n5o! a?s,m cnmo muitos on tros objectos que se-
podera prestar-Ibes soccorro algam; sendo que anda quando venham as fabricas para'ria enfadonho mencionar,
concertar as machinas alheias, torna-se-ha preciso faze- repentinamente moldes novos, \ s no Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7.
etc. para as pegas estragad s. J numerosas vezes e-Ues vendedores tem representado i
cens vapores como senio deforga mui superior sua actual e verdaleira forga; equi-!
vocoeste que nao s engaa ao comprador acerca do trabalho que possa tirar do vap'-r,'
mas tambem da lu^ir ao pagamento de um preco excessivo, vista da forca real da ma-
eoioa que comprara.
Tambem ha sempre prompto Rodas d'.'gua de ferro Sarilhos comcruzelas para as'tico das criancas e contra as convalses
mesmas Moendas de canna de todo o tamanho, Rodas de espora e angulares, Paroes ou das mesmas, a estes collares nos escuzado
coches para receber o caldo, divos e portas de fornalha, Taixas de ferro batido, fundido e fazer qualquer recommendaco, visto a
de cobre, Formas de ferro gakanisadas para purgar assucar, Bombas simples e de repu- grande aceitacSo que tem tido, o que pode-
cho. Alambiques de ferro. Eixos e rodas de carro. Arados, grades, onchadas a cavallo mos provar assim como, afiancar o effeito
e outros instrumentos de agricultura, M< inhos eforn s para fazerTarinha e finalmente! que elles prodnzem, porque ha muito qrs
todo o objeelo de mechao'smo de que se costuraa precisar. os recebemos e continuamos a receber por
Na fabrica se fazem obras novas encommen la e concertos. com a maior p este-' todos os paquetes da Europa; e encontra-
za e solidez. O grande deposito de pecas e objectos habilitam-na muito para este fim. rao sempre na loja do Gallo Vigilante, ra
0 proprietario ser sempre mui feliz de poder-dar informaces on eselarpeimento do Crespo n. 7.
aos senhores que se servirem de sea prestirao.
D. W. Bowman, engenheiro.
JBOSt
Vende-se na livraria franceza ma do Crespo e ra Nova n. 18 de

OVO
s
depositi )\mm
PARADESCAROCAR ALGODO
Manoel Bento de Oliveira Braga.
o.3-Rna Dlrelta n. -53
Neste estabelecimento se encontrar5o as verdadeiras machinas americanas chega-
limamenle, as quaes sao feitas pelo mais afamado fabricante da America, por is-
s) a todas as pessoas que precisarem comprar, de se dirigir a este estabelecimento
mprarao das mais^erfetas neste genero, si,\m coaio nuis barata do que em oulra
parte, pora isso se recebe por conta propria, aondsencontrara-se-ha tambem
le orticuento de fmTagaas e miudezas.
CAMISAS F14NCFZ4S E I\fiLfZ4S
A' loja de fazendas de Augusto Porto & C.
11Ra do Queimadorll
A' loja di fazendas de Augusto Porto.A C chegouum grande sortimento de camisas
inglezas para homem, muito superiores com coljrinhos e sem colarlnhos, continuando esta
casa a ter sempre completo sortimento de camisas de lioho e de madapolo ingieras e
francpzas para liomens e meninos ; seroalas de hnho e Anos colarianos de muitos gostos.
Camisas fraueexas para senhoras a Si, 5)8500 e 6.
Sobretodos de panno de duas faces fazenda superior.
Vestidos de blonde com manta e apella para noivas.
Cortinados de cambrala bordados para camas e janelas de 12J a 80.
Coisas de seda e de la e seda para camas de noivos.
Grosdenaple.de diversas e liedas cores e pretos.
Molr branco, luvas mantas e capellas para noivas.
Lindos cortes de cambraia branco ricamente bordados.
Bonets, gorros e chapeos de palha de Italia para, senhoras.
Lindos cortes de foulard de seda fazenda de muito gosto.
Cambraias, laazinbas e percales dos gostos mais modernos.
Tapetes para sof, piano e cama e tapetes em pe?s.
Alcatifa barata a 480 rs. o covado, que com pequea despeza se alcatifa ama sala.
Bons pannos pretos e azues e grande sortimento de casemiras pretas e de cores.
Sortimento de espartilhos, bales, meias Qnas para senhoras e horneas.
Superior bombazina, alpaca, canto, prlncezas e merinos pretos.
Panos vendados para cadeiras e panos finos para mesas.
Malas e saceos de conro para vlagem e sortimento de
Esteiras da India para for ar salas
41Roa do Quelmalo H
Irmos
ma 4t
Tasso
Vendem no sen a-rmazenj
4merim n. 35,
Licor fino Curado em botijas e meias botijas.
Licores finos sortidos em garrafas com rolhas di
iJro e em lindos frascos.
VinhosCberes.
Sanlernes.
hanbertin.
Hermitage.
toTKobe.
Champagne.
Museatel.
Reino.
Bordeaoz.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniel.
Muita attenca)!
Muita attencHo!
Grande liquidagao de fazendas e roupas fei-
las nacionaes, m ra diemperatriz n. 72,
loja de Guimar5es d Irmao.
Os propriPtarios deste importante estbelecimen-
to estao resolvitfos;a liquidar por menos SO por
eenlo, do que emfaitra quaPnutr parte, e)am :
Chales de renda.
Vende-so chales de renda por 5,8000, fazenda
qtw }a' se venden por i? e ib&fm, dttos di seda
por f4 e 1X0000, retonda- pretas a 7^500 e 85 :
isto s6 na roa da fmperatrfz n. 7*.
^ Grande pechincha.
Cambraias de cores muiio finas a 240 rs. o cova-
\ do, ditas melhores a 280 e 320 rs., dilas organdis
de rqoisslmos desenbos a 360, 400 e 440 rs. o co-
vado : s na ra da Imperairiz d. 72.
Bretanha de rolo.
Vende-se bretanha da rolo com 10 varas a 3520O
a pe;a, dita de Hnho fino a 85 e 85500.
Grande pechincha.
Vende-M pecas de aigddSo Onas a 45, 45500 e
carne de vacea a 5590 e 65 : s na ra da Impe-
ratriz n. 72.
Quem duvidar venha ver, cortes de
cambraia a S)J5( 0.
Grande sortimento de corles de cambraia bran-
ea e de cores a 35SOO e45, ditos bordados a seda a
45300 e 55, cort de lia a 35, 35500, 45, 45800
e 55, ditu cascocbia a 35 e 35500: s na ra da
Imperatriz n. 72-.
L5azinlias a 210 rs. o covado.
Vende-se om grande sortimento de tazinhas
finas a 240,280, 300-, 320, 360 e 400 rs. o covado,
estao se acabando.
E' baratissjmo, chales-a 20000.
Chales da merm estampados a 29, 25500 e 3?,
ditos finos a 45, 55500 e 65: s na ra da Impe-
ratriz n. 72.
Cortes de brim a 1(4280.
Grande sortimento de caries de brim a 15280,
15400,15600, 45800 e 35, ditos de casemira 25,
253OO, 35 e 35500.
Cbilaa <80 rfc.- oeovado.
Grande sortimenio de chitas a 180, 200 e 240 r3.,
ditas Iraocezas a 240, 280, 300, 320 e 360 rs., di-
las percales a 400, 440 e 500 rs.: s na roa da
Imperatriz n. 72.
Lencos a 20 a duz.
Vende-se nm grande aortimento de lencos a 25,
25a00, 35 e 35500 a dnzia, ditos de Hnho a 45500,
55 e 65, ditos bordados com bico a 45500 e 55,
ditos muito tinos a 65, 75 e 145 a duzia : s aa
ra da Imperatriz n. 72.
- A 5*300 a peca.
Grao* soriimenio de madapolo d&55, 55500 e
65, ditos melhores marcas a 75, 85, 85500. 5.
105, 115 e 125.
Baloes- a 30000.
Vende-se om grande sortimento de baJoes de ar-
co a 35, 35300, 45 e 45500, ditos de mnsselina a
55 e 55500, ditos para meninas a 35 e 35500: s
na ra da Imperatn: n. 72.
Grvalas 500 rs.
Vende-se um grande sortimento 4e gravatas a
500, 646\ 800 e 15, mantas fins a 15200-e 15600 :
s na luja de Guimaraes & Irma), ra da knpera-
triz n. 72.
No armazeni de tazendas
baratas de Santos Coelho
Ra do tnclmado n. I.
Vende-se o seguinte :
Lencoes de bramanie de ucn s panno pelo ba-
rato prego de 35200.
Ditos de panno de Hnho a 25200 e 25600.
Cobertas de chita da Tndia a 25400 e 25800.
Lencos de cambraia brancos proprlos para alei-
beira a29000 e 25*00 a duna.
Ditos de cambraia de linno tino a 45500 e 55 a
duzia.
Atoalhado de algodSo branco a 35 a vara.
Bramante de lioho fino com 10 palmos de lareu-
a 25500 a vara.
Panno de linno fino com 9 1|2 palmas de largu-
ra pelo barato preco de 25100 a vara.
Bramante de nnho floo de urna largura, pelo ba-
ratissimo prego de 800 a vara.
Toalhas de linho acolchoadas para roaos, a 135
a duzia.
Ditas felpudas a 135 e 135 a dozia.
Guardanapos de linho a 35300 a duzia.
Flanela de todas as cores para coelros, a 880 rs.
o covado.
Tarlatana de cores a 800- rs. a vara.
Baloes de 35 arcos 35508, de 40 a 4.
Cambraia de linbo fino a 4*800. 65500 e M a
vara.
Cambraia para forro de vestido a 25700 e 35 a
pega.
Pegas de bretanha d& rolo com 10 varas, a
35500.
Pega de madapolo fino e largo a 7$.
Lazinha lisa de cores a 500 rs o covado.
Pegas de cambraia branca de salpicos com 8
mefa vajas a 45500.
Coeiros de casemira bordados pelo baratissimo
prego de 95-
Esleir da india propria para forro da sala da
4,5 e 6 palmos de largura.
Cambraia* finis de cores miadas a 5*50 rs. a vara
Neste armazem tambem se encentra nm grand
sortimento de roop? '- _. 0 uor medida.
PHOSPHATOdeFERRO
[DE LERAS DOl'TOR EM SCIENCIAS
PECTOROA ACADEMIA OEPABIZ Etc
NSo existe medicamento ferruginoso tJo nolavel
como o Phosphato d ferro de Leras; as snmmi-
dades medicaes de mundo inteiro adoptaram-no
com sollicitude sem igual nos annacs da sciencia.
As cores palliias, dores de estomago, digestoes
penosas, anemia, convalescencias dif/iceis, idade
critica as senhoras, irregularidade no mens-
IruacSo, pobresa do sangue, lymphatismo, sao
curados rpidamente ou modificados por esst
excellente composto. E' o consenrador por excel-
lencia da saude, e declarado superior nos hospi-
taes e pelas academias a todos es ferruginosos
conhecidos, a iodoreto e ao citrato de ferro,
porque 5 o nico que convem aos estmagos de-
licados, qne nSo provoca oonstipac3o, o anico
tambem que 1180 ennegrece a bocea e os dentes.
A yenda naa^harmacias de P. Maurer &
C. e A. Caors, em Pernambuco.
Novo e grande deposito de superior carvlo de Oardiffna
Bahia.
Antonio Gomes dos Santos & C, roa de Sant Barbara n. 1, estao habilitados a snpprir de
oarvao, era condigoVs mais favoraveis que em ontro qnalqoer deposito, todos os navios a vap.r que
ccareto naqnelle porto. A contratar Desta com Domingos Alves Matheus.,
Joaquim Jos Googalves Beltrao tem para
vender em seu escriptorlo na rna do Vigario n. 17:
Vinbo do Porto em barris de V e 8*
Dito de dito em caixas de 1 dazia.
Vioho superior da Figueira.
Azeite de peixe ero barris.
Toros de Jacaranda'.
Tabaco americano em latas de 1 libra.
Caixas com papel pautado.
Cigarros do Rio de Janeiro.
Machinas para descarogar algodo, del Lenas.
Panno de altjodio da Babia, proprio para
saceos de assucar e roupa de escravos ; tem para
vender Antonio Loiz de Oliveira Aievedo & C, no
sea escriptorio roa da Crnz n. 1.
CHAPEOS DO GHlLK
a 1:500 e 2:000 rs.
Na praga da Independencia ns. 24, e 26.
Vende-se
Verdideira salsa parrilba de Bristol por 35200
cada frasco : na botica da roa Direlta n. 88, de
Jos da Rocha Paranhos,
Francisco tfos Germann
RA NOVA N. 2i,
acaba de receber nm lindo e magnifico aor-
timento de ocnlos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa e ocn-
los de alcance para observacoes e.'para'os
martimos.
Aguas mineras naturaes de
Vichy.
De todas as aguas aineraes empregadas em me-
dicina, nenhuma goza de lio alia repuiacao, como
a natural de Vichy. EMas gaa* sao salinas e ga-
zosas. Os mdicos de iodo o mundo as recoromen-
dara com vantagem as; doengas dos rlns, da ben-
Ka, as reas, nos calcJlos urinarios, na gotta, na
diabete?, na albuminuria, as doengas das vJas di-
gestivas, peso do estomago, digesiq difflcl!, inape-
tencia, gastralgia dispepsia, metrite clironica, etc.,
ftt(*
Deposito na brica do Pinto, ra larga do Rosa-
rio n. 10.
A'
c
vi

'
Vende-se breu era barris a 35 a arroba
fu do Amorimn. 41.
na



*
i.
Diario fie 'phwUMufeo tfaia fcfra ^d* ulho de" 1866.
RA
ENCICLOPDICA
DA IMPERATRIZ ARMAPEM DA
PORTA LARGA N. 5a,
Junto a padarla francexa
Paredes Porto.
Neste estabelecimento encontrar o res-
peitavel publico ara variado sortimento de
fazendas francezas, inglezs, suissas e alle-
m5es, que se vendero por preco commodo.
VENDE-SE
Na armazem de M. J. Ramos e mllra > .euro, ra do vlgarlo
n. ii, constantemente, osaeguintes artlgos, que
receoem por encommenda propria de
lEW-lOItft.
Legitima salsa parrilba de Hrlstol, preparada por Lauman & Kemp.
Verdadeira agua Florida, preparada pelos mesmos.
Gaz em latas de cinco galoes, o mais purificado que se pode desejar da acredi-
tada marca F. WTD. & C.
Relogios perreros reguladores, com corda de quatro a oito da, dos afamados fa-
bricantes E. N. Welch.
Graixa em latas grandes dabem conhecida marca las. S. Masn (de Philadel-
phia).
4.a qualidade.
Crande armazem de fazenda e
ronpa lefia, rva da Imperatriz
b. 5, armazem da porta larga
Neste eitabeleelmento encontrara' o respea-.
vel publico um completo sortimento de roupas de I IiAI. A.
todas as qnalidades e prego commodo. como se-
jam : paletots de alpaca, de merino, de bomhazi
Da, panno, casemira, preto e de corest calcas de
todas as qualidades, colletes de diversas qualida-
des e preces commodos, chapeos pretos franeezps,
fareDda de 10# a 65, ditos de sol de alpaca e seda,
sobretodos de panno proprios para viagem a 114,
meias cruas de boas qualidades e pregos eommo
dos, e outras muitas fazendas e roupas feitas, que
se veodera maito barato : no armazem da porta
larga o. 52.
600 wk
Admiravel peclilncha.
Camisinhas decambraias a 600 rs. para acabar :
a roa. da Imperatriz n. 52, armazem da porta lar-
ga junio a padaria franceza.
Casemira
Vende-se casemira de cor a 44 o corte : na rva
da Imperatriz n. 52, junto a padaria franceza.
Bal5es
Vende-se baldes (crinolinas) de todos os tama
nhos a 24 e 2o : a ra da Imperatriz n. 51-
funto a padarla franceza.
risoo
ntremelos
Vendem-se pegas de ntrenselos com 12 varas a
14500 : a roa da Imperatriz n. 52, porta larga.
Chales de renda a \$
Vendem-se chales de renda pretos, fazenda de
boa qaalidade, a ii por ter porcao : armazem da
porta larga a. 52.
Retias e boonras.
Recebeu ltimamente um sortimento de retondas
e bournus de seda e de algodo por barato prego,
soutembarques de grosdenaple, capas e manteletes
por precos commodos : armazem da porta larga
n. 52, ra da Imperatriz.
Cambraias lisas fina*.
Grande serticnento de cambraias lisas, que se
ventora a 35, 34500 e 44, dita rouito tina Victo-
ria a 54 e 54500, cortes de tarlatana de bonitos
gostos a 34500 e 44 roa da Imperatriz n. 52,
junto a padaria fraoceza, armazem da porta larga.
Tiras e entromeios bordados
Grande sortimento de tiras e ntremelos borda-
dos, pelo prego de 300 rs. a pega : ra da Impe-
ratriz n. 52, junto a padaria fraoceza.
Cortes de gorguro de seda
preta.
Vendem-se cortes de gorguro de seda preta
para vestido com 20 covados, por barato prego :
na ra da Imperatriz n. 52, junte a padaria fran-
ceza.
6W rs
Cortea de calca.
Vendem-se cortes de caigas para servigo a 600
rs.: na ra da Imperatriz a. 52, junto a padaria
franceza.
I/Sas de vestido.
Cbefoo a toja de Paredes Porto um sortimento
de las para vestido a 240 o couado : na raa da
Imperatriz n. 52, junto a padaria franceza.
Chambres
Cbegou um sorlimeato oe chambres para ho-
rnera a 44 e 54 na ra da Imperatriz n. 52, luja
de Paredes Porto.
Vestidos bordados.
Cbegou a ra da Imperatriz u. St, ricos corles
de cambraia, bordados a croch, fazenda de 204
por 124 na loja de Paredes Porto.
25^000
raode peehint ha
Selecia com 26 varas a pega, largura de S pal-
mos, a 254 na ra da Imperatriz n. 52, Paredes
Porto.
Superior oleo para machinas de costura.
Agulbas para as mesmas.
Breu em banicas grandes e pequeas.
Vende-se tambem:
St. Estephe.
St. Julien.
G. Margaux.
C. Lafitte.
Medoc.
PORTO
Ia qialidade,
Prncipe Real.
Pedro V.
Mara Pia.
Princeza D. Isabel.
Vctor Emmamiel.
Duque.
Malvazia.
Vinho fino do Porto em barris de 5/, \0 e 20/.
Superior vinbo do Rheno.
Cera de Lisboa em velas e em grumo.
Ffl2ID&
m
tu se a 9 o -y. st'.oj goSo
-B = az g
'3HIB&3
a, r, ZL U u >_u D D ^
* 3 =?* ~ 0O a
SBw. 2 O Cn 00 ft. :_
a 3 K r? c
c/i
8? -o.
o a>
"i
SI
2 2 3 S
I 3 s.
2
o s
S" ^ Xi: ^ O aa Q. *r> C- -r
S1B
|
a
aS
O B O
-p &p3 _ O CD a>
5.2-9:
"'si8"?
#3-*
a. c o,
2.5" 5
<=*? S 3
S.o

C5
2?
111
O
8.* 5
e
^3
o
B9
5
O
>
RIVAL SEN SEGU1VD0.
Raa do Qaeinude a. 49
Est disposto a contuutar a vender por prego
que a todds admira queiram apreciar e vir ver para
crer. oa/_
Grozas de peonas de ago .muito boas a 320 rs.
Booets mnito finos para meninos a 14-
Peales de alisar com costas de metal a 500"rs.
Capachos redondos e eompridos a 500 rs.
Pulceiras de eoatas para seuhoras a 500 n.
Caizaa de papel amizade a 600 rs.
Quadernos de papel rouito bom a 20 rs.
Pentes de tartaruga a 24500 rs.
Realejos para meninos a 100 rs.
Escovas para limpar denles a 200 rs.
Baralh 8 muito fiaes a 200 u.
Caixas de p de arroz muito superior a 800 rs.
Caixas de lamparioas para tres mezes a 40 rs.
Caixas de obreras de mas? a~40rs.
Grozai de botoes de louca a 160 rs.
Enfiadores de cdrdo e fita a O rs.
Pegas de Wa de eos eom K) varas a 20 n.
CarU9 de alOnetes francezes a 100 rs.
Libras de alflBetes francezes qualidade a 24.
Novellos dellnha com 400 jarda a 00 rs.
Ditos ditos eom 200 jardas a 30 rs.
Caixas com alfineles a 20 rs.
Pares de uvas brancas e de cores a 400 rs.
Grvalas de todas as qnalidades a 500 r?.
Resmas e papel almago sopwior a 24400,
Caixas redondas com estampa* 00 rs.
Livros para assaoto de ruupa lavada a 100 rs.
Bunecos do choro muito bonitos a 160 rs.
Frascos de superior agua de coloirla a 400 rs.
aljjl-o'eento.
Ra da Madre de Dos n. 5e9.
" Na fabrica da travesa do Carioca n. 2, ven-
c oleo de ricino e aieite de Tartas qualidades.
V Rll DO QITEIJIIADO M t
Madapoio.
Finas pecas de madapelao com 20 varas a 9#.
LENCOS,
Lencos de cambraia branca, duzia 20.
dem de cores fixas para meninos, duzia 20400.
Cmbralas.
Cambraias de cores a preco de 260 a 300 rs. o covado.
Cinardauapos.
Guardanapcs de linho, duzia 30500.
AlgodSo.
AlgodSo trancado de duas larguras, proprlo para toalbas de mesa, a|prec de
10300 a vara.
Bramante.
Superior bramante de linbo inglez e francez.
Cambraia de linbo propria para lencos.
ATOALHADO.
Atoalbado branco para mesa a 10800 a vara,
ntremelos de cambraia muito finos, proco 10.
Lencos de soda para algibeira a 10600,
MACHINAS AMERrcNAS
Verdadeira do fabricante M. Y. Canttongta & c.
Monhos americanos pera moer milho.
Na.ra Nova a. 20 e 22, grande
das verdadeiras machinas americanas
os f bricantes; se encostra neste
grande porc3o de machinas, e se \endem por
menos preco do que emoutra qualquer parte,
por se receber em direitura da America; se
forneoe todas as eiplicacoes aecessarias ao
A DIMHEIRO
NA LOA E ARMAZEM
no
C^rabrars brauc; s,
Com 8 palmas de lirgurae
Sena loja ttopave.
Vende-se cambraias branos trausparenles teDdu
8 palmos de largura, ou duas larguras das regula-
res, que facelita fazr-se uru. venido apeaas com 4
vara*, e vendepi-se pelos baratiseimos prejoo de..
14000 reis, e 14280 a vara, nicamente na loja e
armazem do Pavao, ra da Imperatriz n. 60 de Ga-
ma & Silva.
Baldes baratos m
Vende o Pav3o.
Cbegou om grande sortimento de baloes de ar
eos sendo americanos que sao os melhrres e vea-
dem-se-pelo baratissimo prego de 24500, 34 e
34500: na loja do Pavo na ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
llretanhas de rolo a 20800.
lenao s propietarios deste graade estabeleoi-' Vendem-se pegas de bjetanha de rdlo teDd<> 10
ment resolvido diminuir., o grapde deposUo-da varas cada prca pelo baraUssimo prego de 24S 0:
fazendas que lem na sua loja e armazem, promet- na loja e armazem do Pavo na ra da Imperatriz
tem-eider mais barato floqne em ontra quaiqger" n. 60, de Gima & Silva.
}o flm de apwarem dinbeiro cad vez (fraude peclllncha
llua da Imperatriz n. 60
DE
UM k SILVl.
Grande Sortimento
DE
FAZENDAS BAKATAS
Ra da Imperatriz u C
Loja e aruiazem da Arara
mais agradarem aos seus numerosos freguezes,
portanto Ihes offerecem om grande sortimento de
fazendas iDglezas e francezas, as qoaes vendfim
por atacado e a retalbo. Comprometiendo se a
mandar levar qualquer fajeada em casa dos ira-
guezes, que nao poderem vjr a toja, ou mandar as
amostras delxando ficar o penhor, assim eerao
convidaru as pessoag que ntguenauj em menor
escalla que neste estabelecimento encontram om
grande sorlimento, veadendo se-lhe apenas :pelo
preco que comprara em primeira mao as fazendas,
gannando-se apenas o descont, sendo a dinbeiro
a vista.
Na loja do Pavo.
Cbegaram pelo ultimo vai-or da Franga as mais
lindas cambraias transparentes, granadinas, sendo
com os padrSes de lUtiohas e flores, coBforme se
usara ulilmmente as prlncipaes cidades da Eoa
ropa, e vendeu-se pelo baratitsimo prego de 640
rs. a vara na loja e armazem do Pavo, na rna d-
Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Obchales da pao a 2ooo e 2o'oo rs.
Vendem-se chales de merino estampados a 24
e 24600 cada om.
Ditos de merm liso a 34600.
Ditos estampados de crepon a 64,74, e 84000
.Ditas ptetos bordados eom franja de seda a 144*
Na loja e armazem do Pavao na rna da Impera--
triz n. 60 de Gama & Silva.
Para luto vende o PavSo.
Selim 4a Chioa cora 6 palmos de largura, razan,
da preta para luto, propria para vestidos o roupas
para horneas, seodo esta nova fazenda sem lustro e
de muito boa qaatdade, garantinde-se nao Itcar
russa eom o lempo e vende-se peto barato prego de
24 e 24508 o eovado, assim cerno neste estabeleci-
mento tcm nm grande sorlitr/eoto de todas as fa-
las tapadas e transparentes, princezas, alpacas,
sartas, ate. : na loja e armazem do Pave na ra*
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os espartltoo* doPIvio.
VeDem-se urna grande e variado sortimento de
sparmos dos mais bem feos que lem 'vindo ao
mercado, sendo de todos os tamanhos, vendendo-se
por im prego rouio razoavet : lo na loja do Pa-
vo na na da Imperatriz n. 60, e Gama & Silva.
Ronpa felta.
Na ioja do PaV5o
Vende-se neste siabelecimento n grande soi-
timen-:o de roupas, tanto de papno como caxemiras,
e brrs e peos baralissteos pregos como sejam
caigas de caxemtra preta a64 74 e 84000re:s, pa-
leoi de panno prelo saceos a 65 84 e 124000 rs.
PAmnraflnr iara car rvarn 25 sobree de panno nissimo a 124 184 e
comprador para conservacao aas mesmas, gg^n^ reis eM)uiros mwtos wt Be $erla en.
neste grande estabelecimento seencontra mu-, fadoohos aqu wlata-los; s na loja e armazem do
tos artigOS americanos, que muito deve agr- i Pwao ra da Imperatriz b. 60 de Gama Silva.
dar aos agricultores qae usam de te rtigns, I leseos tVraneo a *j(io> refa a
encontra-se tambem todas as eolleccw* de dav-l duzia.
seahos sobre os quaes se aceita qualquer ama! Venden engos brancos fazenda muito boa
deprwHo
de todos
deposko
em diales a 40 na loja do Pav5o.
Vende-se nissimos chales de merino llsos.com
iranjas largas de retroz tendo as ceres seguinles :
encarnado, azul claro, azul escuro, verde, cor de
eanna, solferino, majenta, branco e rxo etc., esta
fazenda vende-se srmpae a 64 p'-la soa boa quali-
dade e ag;ora liquida se pelo baratissimo |>reco de
44 por ter grande porgo: na loja e armazem do
Paveo na ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
A 40 pechincba em cbales de renda na loja
do PavSo.
Vende-se chales de renda p-eto tendo 4 ponas
e sendo muito grande .pelo bar,iOi, preco de
44, ditos de renda de seda a 84 e 10$.: na loja do
Pavlo na rna da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Para mo
Lencos bordados
Vende o PavSo.
tfieeatabelecirneDi; acaba de reeeber um va-
riado sortimento dos mai- bonib^ Ungos. de cam-
braia primorosamente boi dados e proprios para
mao que vende pelo barotissirso. pregT 4e 15 e
IfGOO cara um : na luja e ama/em do Pavao na
rna da Imperatriz i>. 60, de Gama & Silva.
Ultimo yostu emiazin lias
Acha-se uro grande sortimento das mais moder-
nas : a Mara Pa, Garibaldinas, mathisadas, lisas
e deqoadrlBhts que se vendem por baraissimos
precos e do-se as amostras : na loja e armazem
do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
SUR'.
(niiii-da tianha,
Vendem-se bonitos guarda banna de laberynlp
proprios para encost? de cadeiras, pelo brrassi
DE
Lonrenco Pereira lleudes Guimares.
Pechincha chitas 200 rs. o covado.
Vndese chitas escoras e elaras a 200 ris o
covado, ditas francezas tinas a 240, 280, ,20, 360
e 400 ris o covado. Ra da Imperairiz loja da
Arara n. 56.
Arara vende bretanha de rolo a 3#0( 0.
Vende-se pegas de bre'lauha de wlo a 34000,
PeCs de cambraia para vestidos a 34000, 34500,
45000 e 54OOO. Ra da Imperatriz luja do Arara
O. 5.6.
Cassas francezas finas a 240 o covado.
Vende-se cassas francezas para vestidos a 240,
280, 320 e 400 ris o covado, ditas d listas de
cores munto Anas a 120 e 800 ris o covado. Roa
da Imperairlz loja do Arara n. 56.
Arara vende cobertores a 10500.
Vndese cobertores de pello a 1500. coberta
de chita a 24000.'orzas de dama-co a 44OOO, ditas
de fusio a 54000, Ra da Imieratriz d. 66.
Madapoio francez a 3^500 a peca.
Vende-se pegas de madapoio francez entestado
de 12 jardas a 34300 e 44000, ditas diio iBgle
de 24 ditas a 4J000, 54500, 65500, 75000, 84000,
94000 e 104000, ditas de algoiW^mho muito fino
a34000 45000,54000,65000,7000 e 85000. Roa
da Imperatriz n. 56.
Arara venda cortes de cambraias de papel
a U 00.
Vende-se cortes de cambraia empapeladas de 7
varas a 35000, de 7 diUs 250. Kua da.Impe-
ratriz loja do Arara n. 56.
Cortes de tarlataua de cores a f^OOO
Vende-se corles de tarlaiana de rotes para
vestidos a 55000 ditos de can.braia branco borda-
dos e de cores a 45000 e 55000. na da Irrperatru
n. 56. ,
Arara vende lasinhas a 200 rs o covado.
Vende-se ISasinhas para vestidos a 200, 240, 320
e 400 ris o r.-vad-, ditas muito oas e.-iarapadas
a 360, 400 e500 ris o covado. Ra da imperelru
n. 56.
Arara vende os baloes.a 241000.
Vndese banISes de 20 23-e 30 are/. a 34006,
34500, e 4500", ditos muito finos e> naedernos da
cor elegante a 35000. 35500, '000 e 54000, ditos
para meninas a 34000 e 3;500, iUS.de mcr^ulina
a 55OOO, cuitas largas com um pftqtieno loque de
mpf a 240 ris o covado, dias fioJs a 320, 360
e 400 ris o cavado. Ra da loipmir.iz loja da
Arara n. 56.
zendas pretas como sejam cassas e chitas pretas,, mes aregoe de 2c a 35000 rs, na loja d Pavo na
encommenda, que com prompdao ser execu-! Psl ratissfaio_preSp de 24 a dzia, Ditos com
barra d cor a 25000 isto para acabar na loja d-
tada ; ueste grande estabelecimento, con- pavir na roa da Imperaww n. 60 de Gama 4Sio
tra-se em grosso e a retamo, grande porreo1 va.
de ferragens, emiudezas que se vendem por preco commodo, pediado-se a attencSo rosdemaples prctoa de Pavo.
de todos para este estabelecimento que muito locraro em fazer suas compras: o
ra Nova n. 20 Carneiio Vanna.
DI
FAZENDA E ROPA FEITA
KCA TfOVA M. 4.
Vendem-se superiores gresdenaples pretos pelos
bareussimec pregos de 15560, .14*00, 14800 e 04
o covado, sendo fazenda muo oea, s para aca-
bar : na loja e armazem do PavSo, rna da Impe-
ralrirn.-fX), de Gtma 4 Silwi.
lira man te de llnho do Pavo.
Vndese superior bramante de linho com 10
palmes de largura, prnprlos para lenges, pelos
baratissimos pregos de 25 e 24600 a vara, assim
-como panno de linbo multo Uno pelos baratissimos
pregos de 040,700 e 800 rs. a vara : na -foja e ar-
mazem do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Case mira
%
Rege & Moora, propietario da loja de faeendas e roupa feita* sita i na Nova
n. 24, fazem-scienteaa publico e particularmente aos seus amigos e freguezes, que
acabara de receber de sua encommenda, >um perfeo sortimento de fazendas finas, entre
ellas .casemiras de cores proprias paraGostumes; panno fko dos methores fabricantee
proprios igualmente para casacas esobrecasacas e oatras fazendas de vanados gostos,
as qaaes vendem com antagem sobre outro do mesmo genero de negocio, tanto pala
modicidade dos precos como pela qualidade especiaUos artigas que exjwe a escolha de
todos aquellesquesedignaremrequentar*eu estabelecimento.
Os mesmos, continuando como sempre, escudados e robustecidos na acertado 1
confianca que lbestem sido dispensada pelo respeitavel publico.no espaco de tempo em
que ee acbam estabelecidos, procuram envidar todos ee esforcos a sea eieaota para cor-
respoaderem safficientemente a expectativa deste e de seus numerosos faeguezes eami-
gos, per isso, admittiram para saa officina de alfaiate, quatro ontra-mestres, fanecio-
nando regularmente soba inmediata direccaodo muito babil mestre Lauriano Jos de
Barros, o qual, activo e diiigente como sote ser. n3o se poupa aos mais aturados cuidados
de sua arte quando tem de salisfazer com brevidade e presteza qualquer otea de encam-
menda,
Ao contrario dos amitos que enchem as columnas do jornal om a repettcao ociosa
de annooeios em estylo sedico, n5o precisamos aqu a natureza dos arligos que posso-
mos para aao collocar a siaceridade dos oossas tratos no perigo imminente qae resulta
dessas antecipaees sem fundamento.
CiRAXDE
AZEM
DE
Roupa feita e por medida.
26 Rna Xova n. 26.
Jos Antunes Guimares, propr eterio deste novo estabelecimento de roupas e
a 4|f. aa loja do Pavo
Vende-se superior casemira infestada, propria
para caiga, paletots e colletes, pelo baratissimo
prego de 24400 cada covado, ou a 44 o corte de
alga, sendo fazenda que sempre -se vendeu a 35 o
evado, ou-a 54 o norte ; esta grande pertiiDcba
liquida-se pelo prego cima, na Ioa e armazem do
Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Madaptles a 8,360 rs. a pessa.
S na loja do Pavo.
Vende-se pegas de madapoio fino com 12 jar-
d*, pelo barato prego de 34500 e 45000.
Novidades !
Cambraias a Maria Pia,
Cbegaram as mais bonitas cambraias com listas
de cores e coa os mais delicados deseches que se
vendem a 800 re. a vara, Gnissimos organays do
mesmo gosto qae se vendem a 14200 a vara, cas-
sas de cores com di Gerentes e modernos desenos
que se vendem a 240,280 e 320 rs. o eovado, to-
do isto muito barato em attengo a qaalidade :
oa loja a armazem do Pavao na ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Grande pecblucha em toalbas
para nio.
Veadm-se superiores toalbas de linho proprias
para mao peto baratissimo prego de 560 r?.. ditas
a 610 rs ditas a imrtagSo das felpadas a 800 rs.,
ditas fe pudas a 15 : pechincha na loja e arma-
zem do Pavo na ra da Imperatriz a. 60, de Ga-
ma Jt Silva.
ATLANTA
Grande novldade a tOO r.
Atait a3O0r.
Atlaala a SWri.
Allanta a 200 rs.<
Chegou para a loja do Pavo c> mais lindo sor-
timento desta nova fazenda, com o ltalo de allanta
propria para vestido a roupas para meninos, sen-
do esta modernisslma fazenda de lia com os mais
lindos gostos de quadrinhos e litteas tendo entre
ellas de cor roxa e preta, com Iistras e qndros
fazendas finas, participa ao respeitavel publico em goral e a todos os seus freguezes,
e amigos, que estando sua casa sobre a direcSo de dous dos melhores mestres de alfaiate,
sendo um delles o Sr. F. E. C. Miranda, e o outro o Sr. Manoel. J. G. Carneiro, ambos
com grandes babilacoe* tendentes a sua arte, pelos quaes dirigida a sua offioina, e
achando-e bem montada a desempenhar qualquer encommenda por grande que seja,'brancos proprias para inte,e vendetu-se pelba-
se esforcar para sabir a contento de seus freguezes, vendendo ludo por menos do qae nmao prego.de 200 rs, o ovado "wwnj?0^ D
em outrqualquer parte. Roga as pessoas interesadas que venhamewmioar seu estabe- j*> pvao rua da ImPera,m D" 60 de Gama *
lecimenlo, e verificar por si mesmo oque declara, assim come faz sciente a todos em fj,'mkr-a a. salnifi a 2.'i0 p
geral, tanto desta pracacomo mesmo dos do centro, qne qualqoar encommenda de obras ^,orM JII:
feita aue mandem fazer nesta officina nao sendo a contento de seus doaos, pede que : o*"
as ,;fSnTdLver, afim de mm 8e ter

mo declaram que nao terSo nenhuma responsabihaade, esperando sempre servir bem fe casias indianas tmd 8 varas e nMiadaedf-
a txi/i da todos esuera merecer protecc3o, sendo entregue qualquer encommenda no.ie, teaoo entre ellenwitosrxo?,pelo baratissimo
pmade 24 boraa oa em menes tempo sefordemuita urgeacia.
_^_i---------------^__
GRANDE ARMAZEM
DE
L0U(la ViOROSv CRYSTAES E POBCEUtWS.
Ferreira Monteiro & Guimaraes.
Ma ra larga do Rosarlo n. 3. Janato a botica do Sr. Bartholomea.
Os proprietarios deste novo e grande armazatn de loo?a partielpam ao respertavet pablieo gae
em seu arroaem imid uro completo ortimanto de louga e vidros como seja ricos aaparelhos para
Beiro par serem principiantes.
do pavo, rna da taperafrii n. 60, de Gama
Silva.
Vestidos braveas bardadas a 650O0.
Vendem-se os mais ricas corles de tarlatana*
cambraia branca com lindas barras bordadas, e
[ trazendo todos os orles enfeltes snffleientes para
corro e mangas, pelo baratissimo prego de 64000,
.ditos com barras de cores, tanto de seda como da
[ mema cambraia a 64, 84 e 104, todos estes cortea
| sao ebegador pelo uftialo vapoti e vendem-se por
: tales dkainolos pregos aa loja e armazem do pa-
vo, raa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Vestidos a 4.
Vendem-se bonitos corles de cambraia braaa
com barras da cores e todos brancos, pelo baratis-
simo prego de 44 : na loja e armazem do pavo,
TtN da Imperatriz n. 60, da Gama & Silva.
Tapete*.
Vendem-se ricos tapatesjnara tala pelo baratissl
" e 104IOO; na loja e armazem
Imperatriz a. 60, da Gama &
ISUfl,
roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
es cortinados do Pavao.
Vende-se nm g-ande sortimento dos mais Mees
cortinado" bordados, propries para ramas ejam-llas
pelos barilissimos pr gos de 8$, 104. 164. -04 e
254000 rs. o par, assim cobio pegas da cambraia
bordadas e adamasradas pr< pnas para o mesmo
Om por prego wtwwel*,a l vo na roa.da Emperatriz n 60, de Gama.& Silva.
Os catbifis o Pavo.
Vendem se os mais bouitos cachins de rralha de
la oom bonitos gost s, propiroa (.ara sabidas de
tbeatra e bailes ele. etc. ua lija eArroazem do Pa
vio na rna da Imperatriz n. 60. de Gama & Silva.
Algodo'inho entestado
Vende-se superior algrdosinho com 8 palmas de
largura proprios para lenges, pelo barato preco
de 140OO rs. a vara, na lija e armarem do PavSo
ua rna da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Orfaody a* isttOO oa laja da Pava,
Vendem-se os mai- finos e mais modernos organ-
dyes de eflres com os mais delicados desenhos,sen
do fazenda de 14600 rs a vara, e liquido-s* pelo
baratissimo prego de dez tost5es a vara por esta
rtm lomando um pequeo toque de mofo, isto na
loja e armazem do Pavo na ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Manguitos a 500 e 640 res,
Venden se manguitos e calcinitas para raenmas,
peto baraUssimo prego de 500 e 640 reis, na loja e
armazem do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de
Gamt 6: Silva.
Lencos deset'a a IsOOO
Vendem-se lengos de sed grandi-s c< m bonitos
desenhos, pelo baratissimo prego de 14000 cada
aro, mantinhas para grvala a 14000, 800 res, na
loja do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Sedas largas a 1.s600.
Sea pavo.
Vendem-se superiores sedas com 4 palmos de
largara, sendo dos padr5^s mais bonitos que tun
vlodo ao mercado, e vendem-se pelo bratlssin>
prego de 14600 o covado, corles de (lilas muito
bonitas com 18 covados a 354000 : oa loja e ar-
mazem do pavao, ra dalrapeatrizn. 60, de Gana
& Silva.
A eolehas do pavo.
Vendem-se bonitas colchas de fusio pelo bara-
tissimo prego de 64000, dita- a imitaco a 34000,
e grande sortimento de cobertores tamo de la
como de algodo : na loja e armazem do pavo,
raa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Alpacas de cores para vestidos.
Chegaram as mais bouitas alpacas de cores pro-
prias para vestidos, sendo lisa? tendo de todas te
cores mais modernas que tem vindo ao mercado, e
vendem se pelo barato prego de 640 rs. o covado,
ditas labradas copa as mermas cores a 720 rs., da-
las de aecenio branco com palmas de cores a 600
rs., todas estas alpacas sao muito largas e vendem-
se por estes diminuios precos : na loja e armazem
do pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Suva.
Cambraia da Escossia.
Vendem se as mais finas cambraias da Escossia
todas transparentes tendo mais de vara de largara
com 9 varas cada pega, pelos baratissimos pregos
de 64, 64500,74, 84, 94 e 104, grande pechin-
etaa : .na loja e armazem do pavo, rna da Impe-
ratriz p. 60, de Gama & Silva.
Casimiras de quadrinhos
Vendem-se bonius casimiras de quadrinhos
brBca e. preto pelo haratissinio prego de 24800
cada covado ou a 44800 o corte, ditas de cores, fa->
zenda muito boa, a 24460 cada covado ou a 44000
p corte: na loja. e armazem do pavo, rna da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Madapolloa 35500.
Vendem-se pegas de madapoio com i2 jarda,
sendo mailo fino, pelo baratissimo prego de 34500,.
dito mnito largo e encornado a 44000 : na laja e
armazem do pavq, roa da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Corplnhos pretos.
Vendem-se bonitos cerpinhos de grosdenapte^
relos, senda manteniente enfeiudea, a 104 : na
loja e armazem do pavo, ra da Imperatriz n.60,
de Gama & Silva.
Para no i vas.
XiltOPE
peitoral e dulcificante
DE
SAINT- GEORGES
Preparado por
Gimiali.t e C1'
pharmactuticos de S. A. L
o principe Napolefio
Cura rpida de las
molestias seguentea:
_ tie, (Mtarrhot, plern?
' resia, coqueluche, an-
ginas, fortes constipa-
(5es, irrilaedes dm
bronchos e do peiU,
bronchite,phti*icapulr
monar, astma, pnew-
monia, anginas, amg-
daliles, totse chronica,
rouquidao. Os mdicos recommendo ao mesmo
tempo o uso das excelentes pastilhas peito-
raes com o sueco d'alface o laureiro-
oarejo, que ae preparSo no mesmo eslabele-
eimenlo.
A venda as pharmacias de Murer e A.
Caors.___________________.
Chegou pelo brigue Flonnda, nova remessa do
superior e verdadeiro vinho cullares da bi-m co-
abecida marca de Dejante & C, em caixas de duas
duzias de garrafas : a ra da Cadeia n. 49._____
Breu em barricas pequeas.
Cera em velas de todcs os tamauhes.
Bogias.
Mercurio.
Na roa do Vigario n. 19, Io andar. ____
Vende-se om cavallo de sella por|irego com-
modo : a tralar na fabrica da travessa do Carioca
n. 2.
Escravos fgidos
Vendem-se ricos cortes de seda branca lavrada,
vindo cada nm armado no a cartao, com a com
ptente palma e capella : na oa e armazem do
pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Chales de renda a 4,s000.
Vendem-se os mais modernos chales d*e renda
pretos aelo barato prego de 44000: na loja e ar-
mazem do pavo, rna da Imperatriz n. 60, de Gama
&'SHv.
Cera a mar el la.
Na loja de Gama 4 Sirva, rna da Imperatriz B.
60, tea para vender cera amarella emporgio,sendo
em barricas e em caixSes.
Cascmtras pretas a 4|'flO
Vendem-se cortes de casemira preta superior
qualidade pelo baratissimo prego de 4500, gran-
de pechincba ; na loja e armazem do Pavo na
raa da Imperatriz n. 60, de Gama & gilva.
Aos agricultores
Saunders Brothers & C. acaham de receber de
Liverpool vaporesde'forga do 3 a 4caaaHs coa
lodos es periences, e. mol ptoprios para fazer mo-
ver machinas de descarogar algodo, podrid cada
vapor trabalhar ate com 14 >rras, tambem seri
vem para enfardar algodo o para cuiro qnaimer
servico ero que osam trabalhar com anmaes. us
mesmos tambem tem a venda machinas america-
nas de 35 a 40 erras; os preieodentes dirijam-
se ao largo do Corpo Sanio n. II,
Fogio do tngenbo S. Joo do termo de Seri-
nhem, no dia 23 do correte, o esrravo crioulo de
cor lula, por nome Vicente, idade de 40 annospou-
co mais ou menos, altura regular, corpo grosso,
barba grande, porm nao muito espessa, beigos
t;rostos, pos pequeos e seceos, mas sae Ibe as ve-
zes cravos, e anda vagaroso : muito ladino e as-
iucioso, intitulndose por forro. Pdese, portan-
lo a qualquer autoridade policial ou capito de
campo, a a prehenso de dito escravo, pelo qne se
recompensar generosamente, no mesmo engenbe
..(lina mencionado, oa nesta praga no largo do Car-
ino n. I. ________
- 0>iJ
Oesappareceu no dia 2 de junho do corrente au-
no o escravo Raymundo, pardo, o qual tem os sig-
naes segointes: estatura regalar, bastante corpo-
lento, denles inteiros, cara redonda, cor de garapa,
lem em om dos bracos tres grandes letras e mais
siguaes no mesmo brago em qae tem as letras,
representa ter 25 annos, porm nao tem barba
qoasi neuhuma, lera os ps bastante grossos e foi
do serto. Ja esta' perm no Recife de 8 para 10
annos, bastante trabalbador, tanto do servigo de
casa como decampo, ocenpava-se nesta praga en
servigo de servente de pedreiro e trabalhava con
o mestre Mangirico e tambem rarregava agna.
Coslumava (rajar um palelot de bnm grosso em
(rnia de camisola ; suppoe-.-e qne lenha Ido para
o serto do Ico em algom comboy feto almocreve:
roga-se s pessoas qne o prenderem queiram lva-
le a soa senbora D. Marianna Augusta da Rocba
Bastos, na raa da Aurora n 42, que ahi generosa-
mente se recompensara' este trabalho, oa ao Sr.
eommendador Manoel Luiz Vires.
Attengo.
Recommenda-se aos senbores capites de cam-
po e autoridades policiaes a priso do escravo de
uome Adalberto, com os signaes segointes : cabra,
baix", pernas nm pouco arqueadas, barba cortada,
multo, prosista, anda sempre com a cah.ga de lado:
prendendo-se levera-no a ra do Imperador n. i7,
que ser recompensado o appreben>or.
Em 19 do corrente
Fogio do rogenho Jurissaca, freguezia do Cabo,
o escravo Rufino, crioulo, bem preto, de Idade de
28 annos mais oa menos, secco do corpo estatura
regular, na pouco corcovado, pouea barba, com o-
ficio de carreiro, e bastante esperto. Foi compra-
do om 24 de novembro do anno passado ao Sr.
Leal k Irmao, nesta praga, tendo sido escravo do
hr. Henrique de Moraes Campello e Castro, do en-
genbo Lagoa secca, comarca de Nazareth : qoem
o pegar e levar ao dito engenbo, &u,' uesla praga,
ao Sr. Antonio Climaco Moreira Temporal, com
escriptorio a' roa da Cruz o. 30, primeiro andar,
receber urna gratificago._________________
Fugio hootem um mulatinho de 12 annos
com os signaes seguintes : cor clara, cabellos pre-
tos corridos, quando falla pronuncia algumas pa-
Uvras ota), levou vestido salga de la escora com
listras, camisa de meia e outra por cima do risca-
diihe de littra larga azul escora, mansas derisca-
do differenle, chapeo dapalhapreio ja' roto: quem
e pegar leve-o a raa do Sebe n. 16, que ser' bem
recompensado._______________
Ser' bem recompensado quero prender e
trouxer a ra do Imperador n. 17, um escravo da
nOfte Adalberto, pardo, bailo, magro, qae repre-
senta ter 30 annos mais ou meaos, de pernas li-
geramente arqueadas, cara e olhos grandes ex-
r'inundo no todo humildad* e innocencia, qnaado
pf-e o maior velhaco, mentiroso, refinado ladrao.
Alm do andar sempre multo ligeiro, tem por ha-
bito encllnar a cabega para o lado direilo e apar
o Mgode qaando se acba fogido.




I
Mari* 4e jeratneo cgamda felra e ilho 4e 186b.
LITTERATRA.
Foi tal o seo comportamento, que mere- Dessa nuneira consegaio melhorar a con-
ceo sempre grandes elogios era Ordem do
da. O Brigadeiro Drummond tinha quali-
dades importantes para soldado, por que,
alem da soa bravura, era muito delicada,
leal, franco, e subordinado. Foi por isto
XECHCiLOiaA
DO
Brigadeiro Gaspar de Heietes Vaseoneellts de
Dnmmond (')
Ko pretendemos rever a biographia- semPre ami8 inti dos seos Ghefes,
do nosso finado amigc-outros que o facao. e ^emo como devia s-io por todos os Ibe fug.sse ura escravo se nao por haver
Queremos tao somente cumplir un dever.oaIciae8 do*ioK> ejercito-era de urna leal- ~
lie anisado, consignando nesle papel recor- dade a toda prova.
Derrotados os Portuguezes na Babia, fu-
dic5o dos seus escravos, e augmentar pelaj
procreaco legitima as suas fabricas, entre as
quaes distribua um certo numero da pre-
mios a titulo de recompensa por bons servia
eos, e de animac3o para outros; aendo o re-
sultado desse rgimen, que era raro que
daces de meio seculo.
De 1812 detam nossas relaces de oan- 8itivos' deixando esta trra, que por tan-
da ; elle e toda a sua familia nos ero! m annos bavia0 desfructado, o exercito
conhecidos, e vivamos era estrella familia- brasileiro nada mais tinha que faser. Por-
ridaJe. Muito novos ambos, frequentava- tu?al nl ,inha n,eios Para renovar a lut8'-
mos a Academia militar ; elle segua o curso I **<>-" por tanto a paz, por que a guer-
ra esta va acabada. O Capitao Drummond
voltou pois para Pernambuco, onde deinara
mulher e filhos; voltou em fim ao seio da
sua nova familia. _
de infanlaria, que era a sua arma, e nos o
de Engenheiros.
Condiscpulos, ligaaio-nos era sincera ami-
sade ; nossos caracteres- se casavlo ; ambos
alegres e joviae>, arabos sinceros, tornamo-
nos por assim dizer inseparaveis : vivamos
no centro de sua familia com a franquesa de
ntimos amigos.
Todos seus irmSos e irmaas noserao
igualmente affeicoados: nossa araisade era
p3rtilhada por todos, e ainda boje conser-
vamos as mesmas relacoes com o nico ir-
mo que resta, o Conselbeiro Antonio de
Menezes Vasconcellos de Drummond.
A familia do Brigadeiro Gaspar de Mene-
zes Vasconcellos de Drummond, gozava no
Rio de Janeiro de urna eslima quasi geral
distincta por seus vos, era frequentada por
pessoas de alta gerarebia.
Sen pae era um desses caracteres severos,
que legitimao a nobresa da sua extirpe, e a
elevao sobre os preconceitos do vulgoera
nobre sem altivez, Ihano sem baixesa. Fran-
co por natureza, a sua caza era urna das
que naquella poca figuravo na Corte do
Rio de Janeiro como mais relacionada, e de
mais generosa recepcSo
All conhecamos us Thomaz Antonio Vill-
Nova Portugal, Chanceller Mor do Reino,
e oConselheiro Silvestre Pinbeiro, ambos
depois ministros d'Estado d'el Elrei D. Joo
VI; os Desembargadores do Paco Jos Al-
bano Fragoso, e Jos Fortunato de Britlo,
e os Monsenhores Almeida -e Miranda, tam.
bem Desembargadores do Paco, e muitos
outros homens respeitaveis d'aquella poca
no Rio de Janeiro.
Seos irmaos Luiz(l) e Antonio (2) j figu-
ravo, e seo irmo Jos era naquelle lempo
1. Tenente de artilharia (3); alem do me-
nor, tambem Jos/ que morreo em Franca
j Doutor em medicina com urna reputacao
colossal. (4)
Em.1817, depois da infausta revoluco
de Pernambuco, veio o nosso amigo em com-
panuia do Marocha! Luiz do Reg Barreto,
que o fez Official, e seo Ajudante de Campo;
e depois elevou-o a Tenente nos ltimos
momentos do seo governo. Estabelecida a
uta entre a me patria e o Brazl!, o nosso
amigo nao esitoa, e adherio a independen-
cia, como j o havia feito toda a sua familia.
Com a primeira expediento, que desta pro-
vincia parti para a Bahia, afim de debel-
lar os Portuguezes, que naquella Cidade se
tinho fortificado, e ainda disputavo o ulti-
mo reduelo de seo ephemero poder, seguio
o Tenente Drummond, como Ajudante de
Campo do General Labaitut.
Na Bahia concorreu com todas as suas
forjas, ajudando aquelle General para a or-
gamsacdto do Exercito, bateo-se denodada-
mente em todos os encontros, sendo ferido
gravemente no de Cangur; pelo que teve
logo a graduaco de Capitao., e foi nomeado
depois Cavalbeiro da Imperial Ordem doCru-
sero, creada expressamente para recompen-
sar os servicos prestados independencia do
paiz. .________
O nosso amigo era homem de felizes ins-
ptracoes; pae de familia, convinba-lhe cui-
dar no seo futuro. Acabada a guerra, a
carreira militar estava parausada, e pouca
vantagem offerecia, principalmente a qoem
tinha outros devores a eumprir. Fez-s
por tanto negociante com o mes-mo ardor,
com que se fez depois agricultor. Homem
de boa f,- a quem o infortunio anda nao
avia tocado, lancou-se na sua nova- carrei-
ra com todo o senso pratico, de que Dos
o havia dotado, com toda a honestidade do
seu carcter sisudo.
honra
ordem. Decretada a medalha de Todava, ninguem soffre naquella idade
pela Independencia, fii elle um dos impunemente um acto de to revoltante in-
primiros contemplados.
Mas, o servido activo j Ihe nao convinha
em tempo de paz,era mister cuidar doi
seus hiveres jcrescidos pela .a Jquisico de
nova:? propriedades, e passou para a se-
gunda linda como Coronel de Artilharia,
posto emqre ?e conervou at ser refor-
commettido um crime pelo qual merecesse
grave castigo; ou que rara vez fosse obrgado mado co'm Brigadeiro em 1861.
a empregar castigos violentos, como se prati
caem outras parles.
nha, dedicou-se eBto cod todas as suas
O carcter distinctivo do Brigadeiro Drom-forcas a0 trabalhodos seos Engenho?, ma-
mond era a simplicidade; sem embargo o'dando para eljes 0 seu domicil o. Senhor de
tratamento nos seus Engenhos era de ora 8eis |egoas desta, em lugares muito po-
rico proprietario, posto que sem ostenta?*), voados> ellera considerad0, por aS9m dizer
asna mesa tarta, e mesmo delicada, era wmo 0 chefe de oma grande famila Todos
franca para todo aquelle que chegava a hora' 08 seog moradores er5o para elle como mem-
do jantar.
A sua bolsa estava sempre abert para os com paternal desvello. Era um gosto ve-lo
pobres; os seus moradores tinho nlle um entre aquella gente simples, que o re-
pae cheio sempre de solcitude peta po- cebia sempre como a om pae, e para que
bresa ; olhava para todos elles, como para reservavam eom cuidado o melbor fracto-
entes que Dos Iravia collocado debaiso da | dos seus rodos, ou das suas hortas.
sua proteoca. jjm dja me dsse e|je gestando no Enge-
0 BrigadeiroDrummond foi sempre consi-1 nho Agua-fria); vs come sou obsequiado
derado entre a sua familia de Pernambne pelos aeus moradores; pois-bem, vende m-
como um especie de orculo, velando peta me caramente aqaillo que n,e dao, por que
harmona de todos- como om legadb d% sua eu os recompensa com usura e isto me
(*) Gaspar de Menezes Vaseoncellos de Drum-
mond, fllho legitimo de Antonio Luiz Ferreira de
Menezes Vasconcellos de Drummond (cavalleiro na
ordera de Christo. Administrador d'alfandega do
Rio de Janeiro) nasceo na Corte a 23 de novembro
de 1791, e fallecen nesta eiiade a 30 de julho de
1865. lira, brigadeiro reformado d exerclto, Com-
mendador'oa ordem da Christo, Cavalleiro da Im-
perial Ordera de Cruzeiro e na de S. Bento de Avw.
condecorado com a Medalba de Distincgao dos"
Restauradores da Independencia na Baha, socio
da Sociedade Aaxiliad6ra da Industria Nacional,
etc., etc. ^_ .
(1) Lai de Menezes Vasconcellos de prnmmona,
foi l." cadete do exercito. Dando baixa, exercen
por longos annos os cargos de Inspector d Alfan-
dega da Corte do Imperie, e Prezideote da sua II-
lustrissim Cmara MunicipaWna epocba da maio-
ridade de S. M. o Imperador. Era Commendador
na Ordem de Nossa Senhora da Conceigao, Caval-
leiro'na de Christo, etc. Foi na Corte nm dos malo-
res enthuslastas, e collaboradores da Independen-
cia e da maioridade, etc. Fallecen nesta Cidade as
i. de Dezembro de 1846em casa de seu sobri-
nho e genro o Dr. Antonio de Vasconcellos Mene-
zes de Drummond.
(2) Antonio de Menezes Vasconcellos de Drum-
monddo Consemo de Sua Magestade o Impera-
dor, VeadOr da Casa Imperial, Ministro Plenipoten-
ciario aposentado, Gr-Croz as rdens de Nos-
sa Senhora da Conceigo de Villa Vicosa, da
Real Ordem Sarda de S. Mauricio, e S. Lzaro,
Commendador na de Carito, Cavalleiro da Impe-
rial Ordem do Cruzeiro, Socio de ranitas Socieda-
des scientiOcas Nacionaas e Estrangeiras, etc. Foi
nm dos patriarchas da Independencia do Imperio,
como dizEogoe Monglave as notas Justificativas
da sua obra sdb o titnlo Correspondance de Don
Pire Premier. Os sens relevantes servidos ao
paiz, e o subido mrito, que o distingueicham-se
estampados na Bwgraphu des Contemporams (1836)
tom. 2*. pag. 1421, e na Corographia do Imperio do
Brasil pelo Sr. Dr. Mello Moraes, tom. 1.a
(3) Jos de Vasconcellos Menezes de Drummond,
tinha o Curso de Artilharia pela Escola Militar da
Corte. Foi abi Director do Arsenal de Guerra por
loagos annos, onde admittio muitos melhorarnentos
bem como do desta cidade, ondeem 1818foi o
(nadador da Companhia dos Aprendiies Menores, e
prest ontros muitos servico Importantes, ele.
Fallecen na Corte em 1836 no posto de coronel de
artilharia de primeira linha, e eom diversas con-
decoraedes. ^
(4) Jos de Menezes Vasconcellos de Drummond
gozou em Paria, (onde sedoutoron em Medicina,) de
alia reputacao, por sens admirareis tlenlos a vas-
ta illostracao. Dos seas importantes trabalnos seien-
tifeos, e subidos crditos lem dado solemne teste-
manbo os seas contemporneos n'aquella Alhenas,
como os Bajas. Srs. Conselneiros Jobim, Paola
Candido, Meirelles, Aulran, A. Peregrino Maciel
Monteirohoje baro de lumaraci, ontros
jMtW.
Bem depressa levon suas relacSes eom-
mercaes s principaes Pravas do Brasil e
da Europa. O seu crdito crescia com o seu
modesto capital,a sua firma tornou-se de
um tal preco, que nao neCessrtava de refor-
jo, nem de outra garanta.
Socio de urna casa de cambio,- que tinha o
costume de emittir ailhetes ao portador, por
cauza do pezo do cobre, nica moeda que
ent5o circulava no mercado, succedeo que-
essa casa fosse saqueada pela soldadesca de-
senfreiada nos aziagos das de setembro de
1831.
Ha ahi om rasgo brilhante do nesso ami-
go, que nos fora referido por muitos nego-
ciantes, que n5o por elle. O socw-quiz pre-
valecer-se dessa inste circurostancia para
negar-se ao pagamento de todas as notas pro-
misorias da casa; mas Drummond repeHe
esse arbitro^que elle classifica de infame;
chama a ?i a liquidacSo da casa; convida os
possuidores das ditas notas, e aos que ti-
nho nella depsitos, paga a todos integral-
mente, dando ao seu crdito um impulso,
que Ihe valeo muitos contos de reis.
Entretanto tinha-se feito proprietario de
dous dos principaes Engenhos do sul, um
por compra, e outro que lbe coubera em
partilba. J era um grande peso para ain-
da acummular cuidados de outra especie ; e
por isso foi pouco a pouco deixando a vida
do commercio, para tornar-se to somente
agricultor. Nessa tran-iccjto sofreu elle
grandes perdas, por que querendo liquidar
de prompto s tratou de encerrar as suas
contas, pagando aos seus credores sem se
importar com os devedores.
Circunstancias, independenles de todo o
calculo, meramente fortuitas, lbe propor-
cionaram depois comprar outros dous En-
genhos na mesma Comarca, formando assim
um patrimonio respeitavel pelo valor dos
predios, e pela situaco, em que se achavao
colocados. Ento foi mister dedicar-se in-
te na mente vida do campo.
Essas compras obrigaro-no a compromis-
sos alem das suasforcasj uros enormes es-
gotav5o todo o fructo do seu trabalho, e a
pesar de haver pago mais de 300 contos
do juros, isto mais do dobro do que
devia, esses juros foro complicando a soa
fortuna, e enchendo-o de desgostos. Era
o Tntalo de Alciatoquasi pebre no meio
de urna immensa riquesa.
Todava o seo ardor. nSo afrouxiva. Ao
passo que fazia frente a esses compromis-
sos, cuidava elle de melborar o fabrico do
assucar; introdusia nos Engenhos, que n5o
podiomoer com agoa, amachina de vapor;
tentava por outro lado algumas innovacoes
aconselhadas pela experiencia, j usando do
arado, melhorando os assentamentos, e os
meios de conduccjto ; j fazendo estradas, e
outros muitos melhorarnentos desconbecidos
na provincia.
Nada Ihe escapava, tudo prevena com
urna ordem admiravel. Era mister que
um estabelecimento em to grande escala,
tivesse urna marcha regular, principios in-
variaveis de rgimen, e de moral; por Un-
to, comecou logo por estabelecer nos seus
Engenhos um sistema de ordem, e de adminis-
tracSo, que servisse de regra para todos os
escravos, ou empregados, quer forros, quer
cativos.
Creou um aorerno e orna polica,* arregi-
mentou os escravos sujeitanda-os por seus
nomes e nmeros a duas revistas diarias:
creou um hospital, onde er3o tratados os es-
cravos por um CirargiSo de partido, e por
ultimo, por elle mesmo, tao hbil pratico se
avia tornado. Era um gosto v-lo na sua
pharmacia preparar os remedios, e aplca-
los pesssoalmen te. com esse dedicaclo, com
essa bondade, que se tomn proverbial entre
os proprios escravos.
Depois da saude e da nutrico de seos es-
eravos, a quem tratava como a subditos, sem
essa brutalidade to commum entre os nos-
sos senhores de Engenho, cuidava igualmen-
te de seas costuraes, e de sua moralidade.
Tratou pois de crear a familia, casando os es-
cravos entre si, e castigando o adulterio, em
i coja pena era sempre rfceioraveU
primeira esposa, a quem tinha amado- com
idolatra.
Com effeito, o nosso amigo tinha mr* taf
respeito pela ExceRntissima Senhora- D-
Anna Ufara do Sacramento Btegueira Pinto
de Dvummon, sua primeira mulher, que pa- j
ra elle a sua venlade era nma ordem. Nes^-i
ta mil vezes respeitavel Senhora, o nosso
amigo considerava, nao a meieira do lar do-
mestico, mas a providencia da familia, i eon-
selheira a quenbouvia cem tanta* venerado
e acatamento, como se fosee sua nao. E na
verdadeella o-mereca, por que poacas Se-
nhoras temos cenhecido tSo corditas, tao
amigas de seus alaridos, e de seus filhas;
Um das aaasas. que mais concorrerao
pana o desnimos, que se apoderou ltima-
mente do nosso amigo, foi sem dovida a
raorte du sua primeira Esposa. Faltou46e
o quer que seja, os seus clcalos- cometa-
rao a falhar, desde-qpe cessou o raio-de lnz,
que os. illuminava
Todava, o Brigadeiro Drummond fez
muito mais do que era de esperar dessO
abandono des mesmo; porque nao-sa'.con-
serven intacto^ como augmentou o- patrimo-
nio de seus filbos, apesar de todas.as contra-
riedades da serte, e dos homens ; das esta-
cos e do cholera, dess peste que Ihe ma-
tott perto de cem escravos.
Ninguem Ihe tocasse- no deposito sagra-
do da sua f poltica, a religiosa. Catho-
lico sem hypocrisia ; a conscieocia para el-
le era a medida de suas ctencas; assim
como em poltica linha como um dogma a
monarebia; e niogue pensasse em demov^
lo desses principios, 'sobre que erte n3o
admittia discussloera sem embargo libe-
ral de boa tempera, e nunca transigi com
o despotismo.
Tinha ideias claras, acompanhadas de nma
certa inslruccao, o que tornava a sua con-
versado muito agrada ve I. Jovial com todos,
nunca traspassava os limites da benevolen-
cia, nem feria a susceptibilidade de pessoa
alguma era o bom senso aliado com a
mais delicada educaco.
Sabia ser amigo-era amigo s direitas na
boa frase portugueza, como os amigos d'ou-
tr'ora. Os seus servicos estavam sem-
pre promptos para os seus amigos; a sua
bolsa, os seus recursos, os seus passos, na-
da poupava quando eram reclamados pela
amisade. Para elle era sempre grato pres-
tar-se aquelle que elle tinha por amigo.
Urna das qaalidades que mais o recom-
mendava como amigo, era nao abusar uunea
das relceos de amisade, guardando sobre
tudo para o seu amigo todas as considera-
c5es e respeitos devidos poslo de cada
um. Nunca faltava a urna s conveniencia
social, e por isso as suas amisades ero do-
radores ; e para prova ahi est a nossa, que
durou por mais de meio seculo sem quebra,
hem desgosto, nem o menor re^saibo de in-
difTereoca.
Conservava sempre para si urna especie
de dignidade propria, pela qnal media tam-
bem os outros. Nunca o vimos despropo-
sitar com ninguem; e se alguma vez o vimos
encolerisado, foi para mostrar somente a
sua boa ndole, porque essa colera nao pas-
sava de um desafogo comsigo mesmo.
A sua urbanidade, a soa benevolencia
ero outras tantas virtudes, que real o seu carcter bondadoso. Era incapaz, de
fazer mal, se nao por ignorancia do que fa-
i; e se o mal era reparavel, nao era pre-
ciso que lh'o advertisiem. Fallamos do ho-
mem como o rahecemos ; e ninguem po-
der desmentir nos, porque escrevemos (K-
ante do nico juiz, que hoje pode jalga-lo/e
nao mentiramos a Dos!
justica sem menoscabo da sua saude, sem
grande quebra de forcas physicase apesar
das consoiacoes da amisade, dos esforcos
dos seus mais dedicados amigos, que nunca
o abandonaram, elle concebeo um pesar to
grande que lbe minou a saude para sempre.
Sem embargo resignou-se ainal, quan-
do escoimado de tu !o quanto poda offen-
Livre do pesado encargo da prinvira i_jdol-o em seu melindre, ou no sen pundonor,
foi completamente jusfllcado.
Era seguida a este contratempo casou-se
ero segundas nupcias com urna sobrinha de
sua primeira esposa, da qual teve aintfa dous
filaos, que deixoa em tenra idade Os seus
srlTriroentos physicos- e moraes crescram eom
o tempo; para o que muito concorria o pou-
co caso que delle fasia. Bebelde a toda
especie de dieta, despresava esse onico
meio que sostena a velhice.
O uso immoderado das- sangras e bichos,
por effeito de repetidos ataques hemorrot-
daes,debilitaro-no a ponto de cahir emuma
anemia complicada com|ama afec?5o do pe-
ricardio, tornando-se desliarte urna moles-
tia rocuravel. Pinalmenle. sucumbi np>
meio de soffrimeotos atroses ; mas conser-
vando1 sempre a sua lucida intelligencia e o
seu saogoe fri habitual.
bros de urna communho, que presidia
Era tal a sua sinceridade, que muitas ve-
zes foi victima della. Era-lbe impossivel acre-
ditar nos manejos, com qne por vezes foi U-
laqueada a soa boa f. Respeitava sempre
a*s opinioes alheias para nao escandalisar a
ninguem; e quanto as suas proprias opi-
nioes, nunca o vimos pertioas, salvo nos
seus dogmas favoritos, sobre os quaes nSo
admittia discusso"?
Entretanto ganhava os postos, que Ihe
eram devidos por antiguidade ou por mere-
cimento. Foi capito effectivo e major, ao
passo que teve tambem o habito de Aviz,
alem do do Cruseiro j obtido desde a crea-
causa muito praser, por que- faco o que fa-
zia a Senhora D. Anua (sua primeira espo-
sa) cuando era viva t Com effeito, ouvindo
aquella pobre gente,, nada sa poderia com-
parar memoria que ella conserva da fales-
cda esposado Coronel Drummond.
E porem urna da cousas, que mais rae
impressionoa foi urna especie de asylo pa
ra a infancia desvalida, que elle creara na-
propria viveada do Ehgeobo, onde coaser-
vava cerca de 50 creancas de ambos os se-
xos, desde a idade de % at a de-6 annos,
todas suas eseravas, desde urna quasi bran-
oa, qne elle Hbertou depois at outras de4
cor preta tedas bem vestidas, muito lim-
pas, e cuidadosamente tratadas.
Era assim, que elle recompensa-va os ser-
vico' dos paes dessas- creancas, e- que ao-
mesmo tempo formavaum viveiro-de bons
escravos, educados debaixo de soas vistas,
com aquelle cuidado e sello, que revela, tia*>-
o srdido mteresse do proprietario, mas
a bondde d'alma do homem christSo, a quera
a Frovidentia confie'o dominio-de tante
entes desbordados da.fortuna.
Essa creanca quasi branca, o tu verdader-
ramente baanca, era. filba de um Inglcz seu
machinista, com orna escrava de cor pard&.
Em um da que o Engenho boava, o Coro-
nel Drummond cbamou o machinista, e en-
tregou-lhe a carta de alforria da filha; man-
dando ao mesma tempo a creanca para, um
colegio no Recife,. onde devia educar-so a sua
costa.
Desses exemplos ba poucos, e eonvem
que semelhantes raigos de ph.ylantropia nao
fiquem no esquecimento, para que ao menos
sejam honrados na pessoa de quem os pra-
tica, quando nao imitados por senhores, que
ainda conservara em escravido entes mais
brancos do que elles. He este um dos horro-
res, qae pesam sobre a escravido no nosso
paizcumpre cuidar nisso seriamente, qae
o tempo marcha.
O Brigadeiro DrummoBd exerceo em cri-
ses arriscadas lugares de polica, e fra por
vezes Delegado do termo de Serinhem. Em
urna dellas vio-se abarbado com a revolta
liberal de 1848. Entretanto nunca perse-
guio a ninguemfez o seu dever sem em-
pregar a menor violencia, nem cometter es-
ses actos de puro arbitrio, que estavam fra
do seu carcter, e quando vio que o que-
rio torear a dar um passo alm, deixou a
autoridade, e recOlheo-se sua caza com a
eonsciencia tranquilla, e sem remorsos.
Tambem exerceo cargos de elleico popu-
lar, como Juiz de paz, Elleitor, Presidente da
Cmara Municipal, sem que nada disso in-
fluisse jamis em seo animo, ou em sua
conducta para arreial-o da senda, ou nor-
ma que se havia tracado. Era sempre, o mes-
mo homem, sempre o mesmo modo de pro-
ceder. Nunca foi iustrumento de ninguem;
servia como entenda, e Ihe pareca, seoo
recolhia-se a sua caza, e deixava o lugar com
a mesma sincera franqueza com que o ac-
ceitava. Tinha para si que devia servir ao
paiz, mas sem sacrificio da sua honra, ou
da sua eonsciencia.
Ha um episodio infeliz na vida do nosso
amigo, que Ihe custou milhoes de pesares,
e que Ihe acarretou essa molestia, a que al-
fim sucumbi foi a injusta, e iniqua pri-
so, que soffreo em 1855 por occasio da ap-
prehenco qne elle fizera de um Pilotbot
(Palhabote) negreiro com Africanos na sua
propriedade da Barra de Serinhem. (5)
Um engao do Capitao do Palhabote, pro-
corando o nosso amigo eaa vez de outro,
a quem vinha consignado, deu lugar a esse
facte, qae se tornou para e le fnte de urna
perseguido atroz, calumniosa, e injusta,
mas que s servio para realcar-lhe o mrito,
revelando a sua conducta prudente, atilada,
e ao mesmo tempo justa e legal.
Nao-assistimos ao seu passamento; ma-
pessoas-presentes nos disseram, que mor-
rn como vivera, isto c, to tranquillo de
espirite- e to resignado, como se fosse para
urna vigem de aigons diasv Entretanto
deixava- nrolher e filhos em tenra idade,
alm dos^ i filhos de-primeiro- matrimonio.
dous dos- quaes assistiram aos ltimos mo-
mentos de- seu pe.
O Brigadeiro Drummond nopassou des-
apercebido neste mundodeixa urna pro-
le orescidtw Todos os- quairo fflhes do pri-
meiro matrimonio Ihe-deram muitos netos,
e he prevavel, que entre elles haja'quem
sustente a- categora da familia, de modo a
nao fazel-a>decahir do seu brilho.. Ao menos
tenho o praser de consignar, aqui^ que pou-
cos paes se-esmeram mais que o Dr. Anto-
nio de Vasconcellos Menezes de Drummond
(6). na edutacao de seas -filbos. e que estes
prometten; n desmerecer de seus paes,
e avs.
O nossoamigo nao foi sorprehendido por
urna monte prematuradous mezes antes
elle a annunciava em urna, carta aquelle seu
filbo Antonio, com um >toisa-mo digno de
phylosophos da antiguidade, he que corar
prehendia. perfeitaraente o mundo como
elle he.
Dotado de um coraoo bondadoso, ao
qual nunca entrn nem octlofigadal. nem
a vingaca de perversocheio de bensvo-
lencia e de phylantropia, ignorava o- que
fosse o remorso;: nem Ihe passava pela
meBto o que deixava na trra, quando. tinha
os efihos postos em Dos. Assim se foi
lentamente desta. para melhor vidr..,. como
um escolhido entre os muitos chamados.
A trra Ihe seja leve.
Recife, ift de Janeiro de 1866
/. /. de Abren, e Lima.
EM POLCO M I tDO.
As foerras eoropeas desde 817 al 1864, eos
tarara a vMa a J,782:000 nomens; desles 3,148,000
europeos o 014:000 adversarios' de fra da Eu-
ropa
O termo medio por anno sao 43:000 borneas.
Nestas cifras nao se eomprebeudem os paisanos
morios, por caosa das epidemias qne produzera as
guerras.
A guerra do Oriente cnstou a vida a 521:000
homens, dos quaes morreram no campo de batalha
ou em cons^quencia de ermentos 177:000, e por
caosa de nferroidades 331:300.
Estas perdas distribaem-se do modo segainte r
Ru.5903 iiKWO ;
Tureos W:000;
Franceies 107:000;
loxlezes 43:500;
Italianos i6:000.
A goerra do Cancaso (1829 a 1860) custou a
vida 330:000 homens.
A goerra das ludias (1837 a 1859) a 186:000.
A goerra turco-rnssa (1828 a 182) a 193:000.
A iiisurreigo polaca (1831) a 190:000.
A guerra civil em Hespanha (1833- a 1840) a
172:000.
A independencia da Grecia ( I8f a 1829) a
148:000.
Todas as campanbas dos franceies em frica
(1830 a 1839> a- 146:0e#i
A insorreieo hngara a 142:000.
A guerra de Italia 129:874.
Esta ultima cifra dish-ibue-se as qaantMades
segointes : morios em campo de batelba ou de-
vido a ferimentos 96:874i de diversas enftrmr*-
des 33:000.
De todos elles eram anstnacos 39:864, france-
ses 30:220, italianos 23:6*8*- napolitanos 14:0,
soldados da papa 2:370.
As perdas totaes da Europa dorante as goerras-
de 1792 a 1815 tem sido d*&V3O:O0e homens, o
qual se calcla em cada um ios 23 annos240:000:
A guerra dos 77 annos rttSft a 1863> onslou a
v4da a 642:000 homens-; calcule aproximado por
aono 91:700 homens.
A guerra do Oriente cnslen a Rossia 2:388- mi
Ihaes de francos,, a' Franca 1*348, a' Inglaterra
4:320, a' Turqua 1:069 e a' Atistria por seos ar-
mamentos 470. Total*6:326i.
A guerra de Italia custou em 2 meres- e meio
a* potencias coBprometlidas na mesma >:48 mi-
Ihoes de francos. -
A cifra total des 2,772:608- soldados merlos des-
do- 1814 at ese* da, nao- estao coraprehendidas-
as perdas occasiaeadas pela, guerra dos fistados-
IjQidos nem pelas-da China e Hespanha. contra
JUrrocos, insorre5$es de 1848 e goerra- dos- Du-
cados de Schles-irig-ilolstei*.
O total desta eslatistica de destrnlcao asceode a.
2^772:000 homens-mortos aas guerras da Europa
ao espaco de 5i: annos.
Vctor Eiiiirunuel.Mara Alberto Eogenio Ber-
aando Thornaa, rei de Italia, nasceu a 14-de mar-
cp de 1820. E*. fllho de Carlos AlberlOy.rei.do Pie-
monte, e da orinceza Mara Thereza, filha do de-
(nnlo Fernando, grao duque de Toscaoa.
Victor Emmanoel casou em 1841 ooma ara-
duqueza de Austria, Adetalde.
E' sabido, que em coasequencia do desastre de
Novara, sotfrldo pelos piemontezes- no dia. 23; de
margo de 1849, Carlos-Alberto, para, livrar-sa das
doras condi{oes. que a vencedora. Austria quera
iropr-lbe.abdicou a eora de Saboia em sea Slbo
Victor Emmanuel, pnijeipe que, pelo seo casamen-
to, era tido naquelle lempo por muito afleato po-
lilica aostriaca.
Victor Emroanoe,cirecendo.de forcas para pro-
longsr a guerra, ajustoo a paz cora a Austria no
dia 6 dejagosto de 185.
Em. 1833 Victor Euiruanuei etreitoa as suas re-
lac*s com a Flanea, tomn parte na goerra con-
tra a Russia, e- enviou Crimea, sob as ordens de
La Marmora, um exercito de 20.00* homens, que
se distinguiran pela sua bravura intrepidez na
batalha de Tcbernaia.
Era por certo moho exigir da lealdade e cava- Em 1856. asslstio ao ctogressa- i Pari?, e nelle*
Iheinsrao do sm carcter ; foi al desconhecer______._ ._____ ...
aquellas circumsunc.as lockes. q.ue ento acta. :por me,. do'*eu wP""*aaCavoor, estabeleceo
ram I t
Eotretanto assim obscarecen-se e olvidou-se o re-
levantissimo servico, ue havia prestado o mencio-
nado Brigadeiro Drummond de (nao obstante ser
agricultor) ler apprehendido.210 Africanos, que j
estavam irremissivelmente rednzldas dura es-
cravido, ao passo qne assim forsm por ello resti-
tuidos fruicao de soa doce liberdade I
Conbe-lhe apenas a gloria de haver sido reco-
nhecido o apprehensor delles, nlo s por senten-
ca de 27 de maio de 1836, proferida pelo Auditor
de marinha dest provincia, a qual por apppllaco
ex-IBcio foi confirmada pelo Conselho de Estado,
como se v do Jonai do Commercio da Corte de 2
de abril do anno segrate, seno tambem por ha ve-
lo assim declarado expressamente o Presidente do
Conseibo de MinistrosMrquez de Parana-na ses-
so do Senado de 24 de maio de 1836, e o Minis-
tro da justiQa (o Exm. Sr. Conselheiro Naboeo) em
seu relatori a' Assembla-Geral nesse mesmo
anno
Tal foi ainda o desinteresse do dito Brigadeiro,
que nem ao menos sollicliou o premio, qne por
aquelle facto Ihe garanta o art. 3 da le n. 381 de
4 de sembr de 1830 1
Cumpre por m rememorar, qne o capitao da tor-
ga, que pelo mesmo Brigadeiro foi mandado chamar
na distancia de duas legnas ( na Cidade do Rio-
Formoso) onde se achava, para auxiliar aquella
apprehensao, e declaroo em nm seo depoimento
que sua chegada j achou-a consummada
ordem do mesmo Brigadeiro nao deixoa de ser
condecorado.
Cumpre porm rememorar qne o capitio da for-
rea, que pelo mesmo Brigadeiro foi mandado chamar
na distancia de duas legoas (na Cidade do Rio-
Forraoso) onde se achava, para auxiliar aquella
apprehensao, e, declaroo' era um seo depoimento
que i sua chegada ja' achou-a consummada
ordem do mesmo Brigadeiro nao deixoa de ser
condecorado.
E pois fra de toda a dovida, qae anda quan-
do fosse verdadeira aquella impntaco feita ao dito
Brigadeiro (caso sempre negado), a qual aquelle
Presidentede Ministros no 8enado, qnalifleou de >ou-
co uto ua diltgencta da apprehensao, nem por isso
ellese tornaramenos digno de benemerencia, a' vis-
ta daqaelle sea seto de sabida dedlcacao a causa
publica, dignidade nacional e a' propria bumani
dade111
Parece, qae com mais alguma brandara e Igual
dade se proceda as antigs e ferrenhas eras.! 11
Haja vista o segrate documento aseas precioso,
publicado no Diario do Rio de 17 de novembro de
1854, e com bastante applicaco, ao caso vrteme.
Para o Mrquez de Aloma, Vice-Rei da India.
A' S. M. se queixaram prximamente alguns ne-
gociantes gentos, vassaltos e moradores desst Esta-
do, que V. Exc. venda, e estancava os lucros do
commercio com prejuao evidente dos sobrdaos;
isto ao mesmo tempoque chega aS. M.a nohaa das
heroicas acedes, que V. Exc. obrara na guerra, em
honra e defeza do Estado; e porque convm a con-
servaco deste, e ao crdito da Nacas, para servir
de exempto aos que servem o reino, e defendem a
Cora, que V. Exc. seja presentemente remunerado,
(8) A impotaejio, qne soffreo o Brigadeiro
Drummond foi por nao haver elle prendido o capi-
tio do dito palhabote. Mas, como faie-lo T Este
individuo viera sua casa por um equivoco; a- t agradecido; istm o praheou, o mesmo Senhor,
quelle Brigadeiro nao se achava aioda em exerct-
cio da delegacia o respectivo Termo (por suas an-
tigs eafermidades), e por conseguate sem aquel-
la restricta obrigacio, como se dednz 'o disposto
no art. 131 do cod. do Proc. Crira.; a Comarca do
Rio-Formoso estava em perfeita acephaha de Auto-
ridades; em&m o mesmo Brigadeiro nao tinha a
soa diaposicao torca alguma para eflecluar aquella
prisao, nem lagar segnro ( a nao ser algam car-
cere privado) para o recolher, etc., lodo como foi
plenamente provado no Parlamento, na imprensa,
e de qne ainda ha documento? iutbentlcos e irre-
Jra|veU-..
faxendo a V. Exc. as mercit, e dando Ihe os agro-
deementos, que h&o de constar das Cartas Regias, e
da Secretaria de Estado. Porm nao etauecendo o
contede da dita quetxa manda lembrat a V. Exc,
que nSo abuse da bondade, com que agora procede,
em todo o referido, etc.
Ueos Guarde a V. Exc. Paco, 6 de Marco de
1747.
Alexandre de Gusmdo,
(61 Um dos amigos Advogados desta Foro, La-
la- da Facnldade de Dlreito desta. Cidade etc. te.
, (Do edulorj
a qoestao italiana, obleado era Franca e Inglaterra
o apoio iadispensavel para comecar os seus traba-
Ibos a favor da unidade- ilaliaaa.
Victor Emmanuel,. alliado eom Mapoleo W.-de-
claroa guerra Aostria,
Na combate de Spezia, o rei italiano ponoo-sa
com tanta bravura, qae o lereeiro de zuavos fraa-
cexes nomeou cabo, de esqoadra a soa naagistade.
A batalha de Solferino ganba pelos feaneexes e
italianos no dia, 24 de janbo, dea a Vctor Emma-
nuel a Lombardia, e os soecessos posteriores pro-
duxiram a anuexaco de Palma, Modena, Toscana,
parte dos oslados pontificios e as Dqas Ski lias.
Na actualidade, Victor Emmasaal depois da ter
ajustado ao que parece ama alaoca offensiva e
defensiva com o rei da Prussia, declaroo a goerra
Austria.
No da 34 de junho, aniversario da victoria da
Solferino, bouve a acgo de Coslozza, qae abri a
campanha de 1866, e na qual os principes Hum-
berto e Amadeo combateram com mais heroicida-
de que fortuna.
Vctor Emmanoel tem soffrido grandes desgostos
de familia.
Sea pai Carlos Alberto morreo no Por.
Soa mi Mara Thereza, prioceza loseana, mor-
rea de pexar.
Sua esposa, a archiduquesa Adeiaide de Austria,
suecumbio muito nova.
Perdu sea nico irmio, de norte quasi sbita.
Urna doenca ernel e quasi repentina ihe arreba-
tou sea fllho mais nova.
Vctor Emmanoel ainda nao dea esposa a ne-
nhom de seos filhos varos.
O principe Humberto ] tem 22 annos, 21 sao
irmo Amadeu.
Em troca casou em moi tenra idade suas Alnas,
a princeza Mara Pia com soa magestade el-rei o
Sr. D. Luiz, e a piinceza Clotilde com o principe
Napoleo Jos Carlos Paulo Bonaparte.
Vctor Emmanuel rei titorar de Chypre e da
Jerosalem.
A rainba de Inglaterra confeno-lhe a ordem da
Jarreteira em 1834.
i^^
O conde de... orea ptlos setenta e tres annos;
mas sustenta qae nao coala mais de sessenta tres
primaveras.
Anexar disso ainda nao cede o seu poste aos
mais jovens a elegantes aristcratas trnceles.
Sna esposa, que ponen a iocemmoda com 56
annos feltos, deixa-lhe completa liberdade de ac-
cio, vingando-se de tempos a lempos com dlrigir-
lhe alguns epigrammis:
Fallando-se das mnlheres em geral n'oaHsoir de
Pars, dizia o conde :
As aminores sao eomo os cataventos: nao
param aenao desoja de enarrnjadas.
_ E' o que constltue ama grande dlfferenca en-
tre ellas e os homens, qae nao param nem mesmo
depois de enerroja*, wapoada-lhe a esposa.
PeRN.-TYP. DE M. F. DE F. FlLROs1866.
'
i
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EBH6T3073_T7TFXI INGEST_TIME 2013-09-05T01:21:27Z PACKAGE AA00011611_11030
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES