Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11028


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I
>

ft

ANUO ILII. HUMERO 172
i
Ht qwriel igt ieitrt des 10 lias 1.a mez
idea eps Porte ao correio por tres mezes......

do qaartel
6|ooo
75o
-
M
SEXTA FEIRA 27 DE JULIO DE 1866

Por ano tafo doitro de lo das do 1. mez.
Porte ao eorreio por un ano ......
Slooo
DIARIO DE PERNAMBUCO.
INCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexmdrino "e Lima;
Natal, o 3r. Amonto Marques di Silva; Aracaty, o
8r. A. de Letnos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Futios; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Aiagoas.oSr.Franeino Tavares da Costa; Bahia,o
8r. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparinbo.
PARTIDA DOS ESTAFETAS. jSerinhem, Rio Formosojamandar, Una, Bar- Primeira Tan do clvel: tergas sexta* ao meto
Olinda, Cabo, Escada e estacSes da t farrea at
Agoa Preta, todos es dias.
Ignarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruari,
Altinho, GaranbQBS, Buiqne, S. Bento, Boro
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pi d'Albe, Naiarelh, Limoeiro, Brejo, Pesqaeira
Ingazeira, Flores, VllJa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as quartas
feiras.
reiros, Agua Preta Plmenteiras, as quinta
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relacao: tercas e sbados is 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Oto.
Segunda vara do civel: qnarias sabbades a 1
hora da tarde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JOTRO.
8 Quarto ming. as 11 b., 44 m. 22 s> da m.
12 Loa nova as 3 h.. 18 m. e 83 s. da ai.
18 Quarto cresc. a l b., 34 m e 41 s. da t.
37 Loa cheia a l h., 83 m. e 41 s. da m.
DAS DA SEMANA.
33. Segunda. S. Apellnario b. m.; S. Liborio b.
24. Terga. S. ChrisUna v.; S. Francisco Solane t.
38. Qnarta. S. Thiago ap.; S. Cbristovo m.
36. Quinta. Ss. Symphronio e Olvmplo mm.
37. Sexta. Ss. NataKa, Liliosa e Anibnza mm.
138. Sabbado. Ss. Nacerlo e Celso mm.
39. Domingo. Santa-Anna me da mae de Den.
PREAMAR DE HOJE.
jPrimeira as 4 horas e 30 m. da Urde.
I Segunda as 4 horas e 84 minntos da manbaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEMOS.
Para o snl at Alagoa* a 14 e 30; para o norte
at a Granja a 7 e 22 de oada mez; para Farnai-
do nos dias 14 ios metes de Janeiro, marco, sanie
jolho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 8, dos proprietarios Manoel Figneiroa de Paria
& Filhcs.
PARTE OFFICIAL
(.OVEIHO 3A PBOV.VICIA
Expediente do dia t3 de jolho de 1866.
Officio ao Exro. Dr. Adelino Antonio de Lona
Freir.Remetiendo inclusa a carta imperial pela
qual foi V. Exc. nomeado para o cargo de presi-
dente da provincia'do Piauby, ten to a declarar-Ibe
qoe, segundo coostoa-me de aviso de 6 do cor-
rente, o Exm. Sr. ministro do Imperto, expedio or-
dem para ser posta a dlsposgo de V. Exc, na
thesoorara de faienda d'esla provincia a ajuda de
-costa de 3:000000 qoe lbe compete.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Mande V. S. com nrgencia, ajusfar contas, at o
lira do mez correte, e passar guia de soccorri- >
ment ao tenente do 9." batalbo de infantera
Herculano Geraldo de Sooza Magalbes, e ao alfe-
res do exondo corpo de gnamico, boje perten-
ceDte ao 8.* batalbo de infantera Francisco do
Reg Barros, qoe na forma das ordeos imperiaes,'
tem de seguir para a curte no vapor Guar.
Dito ao messe.Accoso recebido o officio de
hontera sob n. 416, em qne V. S. parlieipou haver
Antonio Francisco Martins de Miranda, arremata-
do os 146 saceos de farinha de mandioca, qne ha-
viam sido comprados para fornecimento da guar-
oirn e sentenciados do presidio de Fernando, e
d'alli voltaram em roo estado.Em resposta tenho
a dlzer qoe approvo essa arrematado pelo prego
de 1,5720 cada sacco, segundo consta do citado >
officio.
Dito ao mesmo.Providencie V. S. para qoe de |
conforroidade com o qoe sollcitou o director do ar-
senal de guerra, en officio n. 673 de 10 do cor-
rente, e nao havendo inconveniente, seja paga ao
pharmaceattoo A. Caors a qoantla de 1065701 rs,
em que iropertarara os medicamentos por elle for-
necidos para a enfermara dos meoores d'aquelle
arsenal, dorante o semestre de Janeiro a jolbo des-
te ana, como se v das receitas e cootas junta em
duplcala.
Dito ao sesmo. Tomando em consideraclo o
que expoz no incluso reqoerlmento o bacbarel An-
tonio Colombano Seraphico de Assls Carvalho, re
4. Pedro do Reg Chaves Pelxoto.
8.a o 6* Antonio de Araujo Miranda.
6. Flix Paes de Carvalbo.
EDITAL.
Secretaria do governo de Pernambuco em 13 de
jolho de 1866.Pela secretaria de governo se faz
publico para conhecimento de qoem interessar
possa, que os despachos proferidos pelo Exm. Sr.
minislro da justiga, em reqoerimentos de partes
desta provincia, do 1 a 30 de jonbo de 1866, foram
os segointes:
Data 11 de jnnho, Antonio Jos Leal Reguarda
nacional, indefertdo.
O director geral interino,
J. Cunha Barbota.
O secretarlo,
Dr. Francuc da Cunha Sales.
commendo a V. S. qoe mande pagar ao suplicante offerecido pele consocio
os seos vencimentos correspondentes aos das 1.* a
U de maio d'este auno, em que por motivo de mo-
lestia oeixou de exercer as funecoes de sea em-
prego de jais municipal e de orpbos do termo
do Bonito, considerando assim abonadas essas
/altas.
Dito ao Inspector da thesouraria provincial.
liecommeodo a V. S. que, em vista das dnas in-
clusas contas, e nio bavendo inconveniente mande
pagar a companhia de Bebente a qnantia de
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA
Funccioneu hornera o Instituto Archeologico e
Geograprrico Pernarabucano sob a presidencia do
Exm. monsenhor Moniz Tavares e com asistencia
dos Srs. Drs. Soares de Azevdo, Figueiredo Jooior,
Torres Baodeira, Witruvio Pinio Bandeira, Rapo-
zo de Almeida, Cicero Peregrino, Soares Brando,
Nascimento Peitosa, e Amaro de Albuquerqae, pa-
dre-mestre Lino e major Salvador Henriqoe.
O secretario perpetuo di conla do segoiote ex-
pediento :
Um officio do Sr. engenheiro Francisco Apoll-
gorio Leal aceitando e agradecadlo a honra de sua
efeico de socio correspondente.Inteirado.
Ootro do Sr. Dr. Joaquina Jos de Campos, par-
ticipando, qoe tem deixado de comparecer para
ser empossado de socio enVctivo por iocoramodos,
mas qoe o fara na prxima sesso.Inteirado.
Differeotes dameros do Diario de Pernambt
continuar. da offerta do consocio commendador
Manoel Figoelroa de Faria.Recebidos com agra-
do, manda-se archivar.
Um volnme brocborado de varios nmeros do
Diario da Administrado Publica de Pernambuco,
tara exposta devoclo dos liis at as 8 horas da dgff commonicar a S. Kxc. qne nada consta a
nuile ; e no domingo, 39 do correte, lera logar. r0fgu>-
na mesma capella a festa da Gleriosa San'Anna, w*to do mesmo, de 16 do corrente, dirigido ap
padroelra dos novicos da mesma ordem, da qual, Sr. presidente da cmara, reroettendo-lbe om
ser orador o Rvd. padre Antonio Manoel Oa As-. exemplar da portarla daquella data, pela qoal do
sumpgao, seodo o da noite o Rvd. padre Antonio de ,"pu sopplentes dos juizes mooieipaes e de or-
Albuquerque e Mello. I O?108 de*18 termo, recommenda que anda mesmo
O viwir Pr portos^oTortef7&^^^ SS^KS^r ^
sua escala nol.cu qoe mereca orna consignado | i^J^S^SZS:SS^^SX
na forma dos arligos 3* e 4 do decreto n. 3,012 de
especial.
4 de novembro de 1887, deveado communiear a
data do juramento de cada um dos nomeados, os
quaes recebero seos ttulos dos respectivos Joizes
raunicipaes.Que se publiquen edilaes no sentido.
cororosso.-Resolveu-8e em vista [ 0 sea principio, no jaizo- de capellas, e
nbeelmenlo da
"S!?DeJ0s?.e,?ies sa?ca.S5era sqaeHaquan-' mreza, propriedade, coosa. temporal da igreja, bem
ecclesiastico, ele, que oa opioio de Reinsfeiiael se
tia para o Rio de Janeiro a favor do Dr. Gabglia,
e que a este se eommunieasse o oecorrido, rogan-
do o favor de remetler ontras med Ibas.
E nada maijrnaveodo a tratar-se deram-se por
nndos'os trabTbos.
pode classiflcar em tres gneros, comprthendendo
o 1* os templos edificados Dos e os cemiterios,
os vasos sagrados, as sanias imagens, as vestes sa-
cerdotaes, etc., cousas que teem sagraco e ben^o:
Br. Jos Joaquim de Moraes Sarment, presiden- 0 qoe pede ver-se tambem em os Elementos deDir.
te.-Barao do Livramento.-Jos Joao de Aoorim. Eccles. do conde de Irai tom. f cap. 16 5 1H4
-Gervasio Rodrigues Campello. | inmunidades dos bens- ecelesiastieos.
A legislacao a este respeito varia malo segan-
do os pazes, em qoe a questo se discale, e mes-
mo tem soffrido notavel modificaco, conforme os
tempos e circomstaacias, muito principalmente des-
c .. de a epocha da chamada revolucao franceza (L. de
5>rs. redactores.Nada ha mais inconveniente e 2 de novembro de 1792), o que observa o tCon-
uuire do mesmode 31 deste mez; commoolcan-1^^^l^^XV^, t^alZ*'?*Z^ SSoo? iri?
8I de 16 de abril de 1847, designoo o oa 36 do gVs SSJSSm sao Ues, qoe nc podemos! 3S COn8SsSe8 ***** 8eCQl"isao do be8
correte para o exame a qne tem de proceder o deixar de chamar sobre elles a attencao do illos-
juit de direilo da r vara desU comarca, em vista trado administrador da provincia, am
Correspondencias
. No interesse de regalarlsar a recepto dos
dooativos do concert promovido peto oommisso
auxiliadora da coloolsaclo polaca, acha-se incum-
bido o Sr. Dr. Sabino Olegario Lodgero Pinbo, a
roa Nava o. 43, de receber daqoelles senbores, qoe 4o recommeodldo oot&Sh.
anda nao tenham entrado com os seos, aem dovi- uatro do a
da por igoorarem a quera deveriam remeti-los, do a cmara,
as offertas com qoe se dignara de concorrer para
om im lio meritorio, podeodo-o fazer em carta fe-
chadadirigidaquee Sr. Dr. Sabino.
A qaem possa competir, pedimos que faca
cessar esse adjuoto de pretas qae com bolos seo- j do "reqaen uento do promotor poblc, oos li- Exc. procure por" rneo de sVbTaV"me^'d^0faze-los
ecelesiastieos nio paron em Franca, estendeu-se
! Allemanba, Blgica, Suissa, Hespaoha, Portugal,
lam-se na esquina da roa do Crespo para a do Im-
perador, toas ai noites. Taes gnins e crioulas
fazem insopportavel gritara, lngara palavradas
que as (azem credoras de chicote, e praticam os-
tro actos, por aquellas adjacenctos qne encommo-
daro e escandalisam as familias qne all morara,
e as qae passam por esses lados.
ros da receita e colleetas da mesma cmara atira
de proseguir no processo qae se maodoa instau-
rar contra os ex-empregados Jorge Vietor Ferrei-
ra Lopes e Jaaqoim Tavares Rodovalbo.Que se
expedisse ordem ao contador para apresentar os
livros de qne trata o officio cima.
Ootro do delegado de polica deste termo, ro-
Faca a aotoridede com qae ellas levantern o vdo gando a cmara, para poder comprir o despacho
d'alli. I do Exm. vice-presidenle da provincia, datado de 23
Ante-hontem appareeeo janto a nm dos na- <*<> frrente, qne se digne nfermar-lhe se as tres
vios sorlos no porto o cadver do preto Joo Ma-1 casiohas da Ribeira da freguezla de S. Jos, qoe
ranbo, escravo do Sr. Manoel Custodio Pelxoto: ervem da qnartel a respectiva goarda, foram ar-
goareg rematadas por Jo Francisco Ramos, e desde
Erapregava-se este preto em servlco de atoaren- qoando.Qae se satisfaca o pedido do Dr. dele-
gas, e do corpo de delicio verifleoo-se haver mor- t**\
rido asphyxiado por submerso. 0atr do i11 municipal da vara Dr. Hermo-
- Em Tlmbaba, districto de Goyanna. foi 8eM.Soc"' ttwre. de Vasconcellos, commn-
morto no da 18 do corrente a' noite o inspector
Pavanna foi wm lararo uo tcuuconu, tuu
i A inn*rinr '<=**> loe tendo ido nomeado por decreto i
mpe-
; nal de 11 de maio do correle aono, jaiz de direilo
Pernambuco,' de qnarteirio Feliciano Mendos d'Azevado por om
pistola disparado por om qdividao iadtoto-, ca e jaiI mt no dia 19 desle mei,_ia.
do em crime de morte, em eccasiio em qoe Meo- ^,."4^ uui^m uu ui a cio me*.
ks 'saasa'srs:ssz (Wi*-rs.t!ii4i^Tst=s:
major Salvador Heorique.
des d'Azevedo dava-lhe voz de priso.
O respective sobdelegado tratou logo de realisar
a priso desse criminoso, mas s no dia seguate
lbe foi possivel cercar a eapoeira onde se coceen
trara elle
nm tiro
I Recebido com agrado, manda-se archivar.
i O 1* numero do peridico A Lu, offerudo pela
respectiva redaeco. Recebido com agrado, man-
da-se archivar.
i Os l" e 3" nmeros do Oriente, offerta continua-
1 da pela respectiva redaccao.Recebido com agr-
1 do, manda-se a archivar.
i Duas brochuras denominadas Norts da Geoqra
phia do Brasil adaptadas as escolas primarias e ou-' .rr.aicar
tra Elementos de Historia Universal, composico do SEw man n. nn Rnn dA 1
3G5200, proveniente do fornecimento d!agoa para ; consocio Dr. Francisco Manoel Raposo de Almeida,'
a secretarla de governo e repartlco das obras pu-, que onerece-as ao Iosliloto.-Recebidas com agr- om'bolsos; os qoaes se dio a1 pilhagem do
blicas, a contar de Janeiro a junho d este anno. | dot mandase archivar. ______; algodao dos matulos. Juntando-se elles em turba,
' vo-se laucando sobre as cargas, e correado, e o
Ouire do Dr. Miguel Jos de Almeida Pernambu-
co, jniz municipal supplente da i' vara desta cida-
de, de 19 do corrate communicando ter entrado
, em resistencia desesperada, dando at.SiStJ^iS^iw-^SS ^ ""
Dito ao commandante superior da gnarda nado- I Um exemplar
nal do Recife.Expeca V. S. soas ordeos para qae i lidade das 4 fregaezias do Recife
seja postada era frente da igreja de Nossa Senbora '
do Carmo d'esta cidade, urna guarda de honra de
urna goarda
um dos batalboes da goarda oaciooal sob sea cora-
mando superior, aflm de assistir a todos os actos
da festa da mesma Senhora, que all se tem de ce-
lebrar no da 16 do correle.
Dito a cmara municipal do Rio Formoso.
Tendo-me declarado o Exm. ministro do Imperio,
em aviso de 31 de maio ultimo, que o governo im-
perial attendendo a que se acha sufficientemente
provado ter sido presidida a junta de quallcacao
da freguezia de Una, desse municipio, pelo 4.
juiz de paz do quadrienio Ando, no impedimento
do 1., 3.* e 3.a jniz de paz, approvara a delibe-
ra;ao que tomei de expedir a cmara municipal
do Rio Formos o officio de 10 do referido mez,
Rodrigues Fernandos Cha-
vea, de 21 do corrale; communicando ter na
mesma dala entrado no exercicio de juiz munici-
pal da Ia vara desta capital, para o qoal foi remo-
vido por decreto de 11 do mez prximo passado,
coja parcipacao receben a 30 do andante.fn-
teiraia.
Ootro do sobdelegado da freguezia do Recife,
cargo.loteirada.
Ootro do contador, dixeodo ser necessario, para
poder eumprir o qoe lbe foi exigido por officio de
3 de maio ultimo, qoe se proceda a ama nova col-
lecta em todas ai fregaezias desta cidade, senda
npssa collecta declarados todos os esclarecimentos
pedidos no mappa qoe foi remetttdo para tnedello,
igualmente,acontecen ser elle ferido de modo mor-
tal. Sera embargo do qae alada mmto latn, an-
tes de ser capturado, sendo isto j pelas 7 horas da
noite.
Remeltem-nos esta commanicacie, cuja ma-
!; teria coosiilue um vicio velbo, qae compre seja
sanar, ecouomisaudo assim ot dinheiros do pobre
povo.
Nao nos cansaremos em aposto los, elles sao de
fcil intoicio, e por Isso trataremos do qae nos pa-
rece mais importante.
Aquartellam-se de dons em doos mezes de 180
a 340 bdmens, que nao prefazem 3 companbias em
estado completo, e se da a essa meia duzia de ho-
rneas o pomposo nome de batalbo, qoe comman-
dado por ora tenente-coronel, estado-maior e com-
petente msica, quando esse puntudo de horaens
mu bem poderiam ser coramandados por um ma-!
jor, como mui sabiamente ordenou o Sr. Silveira'
de Souza, quando presidio esta provincia, baseando
. #?.a.8i?.' I Sardenba, a Europa quasi inteira, de sorte qoe
hoje pde-se dlzer : cqoe o coosentiment da au-
loridade temporal nestes e n'outros casos seme-
Ibanles exigido por toda a parte. As inmuni-
dades de que gozara os bens das igrejas, em enjo
numero entrara as sagradas imagens, nao excluem
o juiz secular. Abi pode dar-se lei diocesana e ju-
risdieco episcopal at certo ponto; da maior
conveniencia, Indispensavel mesmo, qne S. Exc.
Rvma. o bispo da diocese, seja ouvido e requerido
acerca da volta da imagem para sen altar primi-
tivo na igreja, que fra profanada etc.; mas a
grande, a principal questao a da propriedade da
imagem, cuja deciso compele ao juiz secular, na
forma da legislacao em viger, sendo qoe a dlsposi-
cao do Canon 37, qoe diz omnium rerum eccle-
se S. Exc, em qoe, tendo lodos os batalbOes desle siasltcarum curam episcopus gerto et eos dispensa-
municipio 600 pracas cada um e do servlco acti-; o quasi inspirante Deo etc., Gao. dos Apost. oudos
ia, nao se poderia considerar batalbo completo o
numero de pracas que cima mencionamos ; e sim
ala esqnerda, cojo commando compet ao major.
Foi o qne ento se fez, a qoe se deveria continuar
a fazer, se como eoto se tivesse em vista a rega-
laridade do servico, e economa dos dinheiros p-
blicos poupando-ae assim boas desnas de conlos
de ris.
Esperamos pois, que o que cima levamos dito
cale no espirito do Exm. presidente da provincia, e
nesta convneco Ocamos.
Recife, 36 de julbo de 1866.
O amigo da economa.
do Ia de marco pflpMV^0 m|Qt0 a01 grtos; mas cala-se aQnat por
de 188110 i; de marco de 1853. ^0 ler am (ido rai0e| e assiaj con,.
trodoccao aoalyse da cooslitiu.cao, pelo Dr. Joao : ^ exh{em & JJ JJg; dQ ^^
Jos de Moara Magalhaes. E- asslm e se fazetn as laes mm ebmi.
Dito do mappa eslatistico do cholera-morbus na rr.n,., f !>._ ,
comarca de Pb d'Albo, de 18 de jaoeiro at 30 de Cr,oalas
abril de 1856. RBP*BTig\o da polica.
Offertados estes objectos pelo coosocio Dr. Ma-
noel de Figoeiroa Faria.Sao recebidos com agra-
do, e manda se archivar.
Achando-su na ante-sala os Sr?. Drs. Joaquim
Jos de Campos e Manoel Joaquina Silveira, que
, devem ser recebidos socios effectivos, nomeia o
declarando validos os trabalhos da dita quallGcacao Exm. presidente os Srs. Urs. Figoelredo Jooior | A ordem do de Saoto Antonio, Innocencia Mana
visto ter o mencionado cidadio presidido a esse | Raposo de Almeida para inlrodnzir no recinto os Borges, por briga.
acte no carcter de 4.a jniz de paz d'aquelle qaa-: mesmos Srs.: os qoaes tomaodo assento-drigem A'ordem do de S. Jos, Silvano Marques, para
drienio, e nio no de 1.a dentre os qne foram elel- j a cada nm a seo turno, paiavras ,de agradecimen- correceo ; e Ismael Francisco de Lima, por ferl-
tcs na eleicao ullimamente annullaaa pelo mesmo lo ao Instituto pela sua recepcao, respondendo-lhes mentos
governo; assim o communico a
para sen conbeclmento e direceo.
Dito a cmara mnnicipal do Bonito. Declaro a
cmara mnnicipal do Bonito, qne em tempo com-
pleme, ser lomado em consideraco o que expde
a mesma cmara em sea officio de 30 de juoho
prximo Gado, acerca da cuosiroceao do ramal de
Irilbos de ferro deoomnado tramway, qoe tem de
terminar nessa villa ou na de Bizerros.
Dito a mesma.Tenho presente o officio de 30
1' em seguida o orador do Instituto era congratulado.
O Sr. Dr. Witrovio Ploto Baodeira, relatando a
A' ordem do da Boa-Vista, Manoel DelQno do
Espirito Santo, para recrula.
commisso deadmisso de socios, faz aleilnra de um O chele da 2" seccao,
parecer approvando varios Srs. propostos socios. J. G. de Mesquita.
correspoodentes.-Adiado para a segoinie sesso. i Passageiros sahidos para o norie no vapor
Vera a mesa a seguinte indicaclo : i Parahyba: ,,,,
Em vista dos servlcos importantes prestados Florencio Domingnes da Silva, Dr. Jos Vicente
este Instituto pelo Rvmo. Sr. arceaiago e vigario ID. Brando e 3 escravos, Lnlz Ferreira Maciel Pi-
Joo Jos Pereira e cirurgio Aodr Ferreira de nheiro, Dr. Antonio Jos Baptista, Elviro da Silva
Almeida, ltimamente approvados socios correspon-: Caldas e 1 escravo de Miguel ArhcaojodeFigueire-
do corrente, em que a cmara municipal do Boni-! dentes do Instituto, indicamos que se expecam aos | do, Lucio Ribeiro Guimaraes, Joao Paquele, Aoto-
10 participou me ter eilo a apuraco geral dos vo- mesmos, gratuitamente, os respectivos diplomas. ; nio Pereira da Caoba. Custodio Ribeiro Guimaraes,
tos para vereadores da cmara mantcipal da villa Sala das sessoes, 36 de Jolbo de 1866._Padr Lino Francisco Monleiro Zenha, padre Manoel da bilva
de Bizerros, novamente creada, e nomeado para do Monte Car mello.Salvador Henrique de Alba- \ Cid, Luiz da i Id e sua senhora, Antonio da
dar posse a estes no dia 16 do corrente, e veador querque.
Manoel Toomaz Viilanova. Sendo submeltda a dlscosso, approvada e
Era resposta tenho a dizer a mesma cmara do' votada a sua materia.
Bonito, qoe 00 juramento e posse dos vereadores e Em seguida, sendo dada a palavra ao Sr. Dr. Ra-
inslallaco da villa, deve observar-se o disposto no poso de Almeida, faz este Sr. a leltora de urna sua
decreto de 13 de novembro de 1833, por nao se: memoria sobre o processo mais fcil de Investigar,
dar excessiva distancia entre essa e aquella villa, e ; coleccionar e orgamsar os materiaes da historia, {
qoando se desse, seria o veador mais votado da; trabalho esle importadlo, qoer pelas indicocoes
nova villa; depois de Juramentado e nao nm dos que contm, qoer pela Idea grande qae avena,
vereadores dessa, o competente para defferir jura- \ sendo alm disto molaorado por am esiylo florido,
ment aos novos vereadores, como se v do aviso .que o torna duplicadamenie recommendavel:
de 23 de jolho de 1833. Terminada a leitora, qae foi feita sob a mais
Dito ao delegado de polica do termo de Santo pronunciada approvaco do auditorio, o Exm. pre-
Anio.Respondendo ao officio de 19 de jnnbo' sidente coogratola-se em nome do Instituto com o
ultimo, em que Vmc. acensa a recepcao da circu-1 sen autor, quo igualmente cumprimeotado pelos
lar desta presidencia, de 19 de abril do corrente | deraais consocios.
com elle contador paraos orientar do que preciso.
Que ueste sentido se officiisse aos flseaes; mar-
eando-lhe o prazo para a entrega da collecta oa
contadoria at o dia 31 de jolho futuro.
Oalro do (i-ral da fregoezia de Santo Antonio,
Extract das partes do dia 36 de jolbo de 1866. commuoicaodo que Jos Caetaoo de Carvalho,
Foram recolhidos a casa de deteneao no dia 35: mandara arborisar a frente de sna propriedade i,
do correle : roa da Concordia, voliando para a praca projecta-,afim de ser collocada em seu respecuvo altar: per-
A' ordem do subdelegado do Recito, Manoel I da oa ra do Sol, dizeodo-lbe ter tido lleenca para unta-se pois Ia, quem perlence a imagem ;
Francisco da Silva e Manoel Francisco do Nasci- i |SSo, e nSo Ihe apresenlando esta licenca, trazia ao 2, qnal o juiz competente para jalgar esta queslao,
ment, para correnlo .... conbeclmento da'cmara para deliberar o que jal-, atiento seu principio e naturezaf
gasse conveniente.Posto em dscassio, deliberoa- Kcsposta.
se maodar ordem ao eogenheiro para verificar se A imagem, qae liaba, segondo refere a consulta,
as arvores plantadas por Carvalho esto no devido am aliar especial oa igreja qoe fra profanada oa
aliohamenlo, e nao estando, fa;a cem qae elle as : polluta, e entregue por Isso irmaodade, de que
colloqae no-mesmo alinhamento. falla a mesma consnlta, afira de nessa outra igreja
Ontro do fiscal da freguezla de S. Jos, informan-
Pereira Cardoso, que
Cauones Apostlicos, nao tem applicacao actual-
mente ao caso vertente.
Eis o meu parecer sob censura.
Recife, 30 de julbo de 1866.
Dr. Villeta Tavares.
Cmmsmltm.
Teodo-se profanado orna igreja, foi della remo-
vida para outra, por proviso do juizo municipal,
capellas e residuos, sob eondica de renovaco trie-
nal da dita provisoUrna imagem.
Reconciliando-se porm mais tarde a igreja pro-
fanada, reclamam os seus actuaes administradores
a restituico da dita imagem ; reeusam-se a isso
os administradores da igreja onde se acha a ima-
gem, apezar mesmo de nao baverem renovado ja'-
mais a dita proviso.
Pergiinta-se.
A Igreja reconciliada tem direilo a' reclama-
gao T
E no caso affirmativo, qual o juizo competente
peraote o qual deve ser intentada a accaoT
Parecer.
Quanto ao primeiro qnesilo da presente consul-
ta calendo, que indisputavelmenle perlencendo a'
igreja reconciliada a imagem, de que se trata, ca-
be-loe o direilo de reiviodica-la ; porqoanto, as
imagens, embora sagenas ao cuite publico, sao
. 1 sosceptiveis de adquisicao, constiloem proprieda-
Snccede, porm, qoe a igreja polluta.!^ e ^f lss0 mesmo ^ive\ a sua reivindica-
Publicacoes a pedido
Consulta
Urna imagem de Nossa Senbora, qoe tioba am
altar especial em ama igreja, qae foi profanada oa
polluta, fot por essa razao entregue por qoem quer
que admuistrava essa igreja nma irmandade de
urna outra igreja, aflm de poder receber o callo
divino ; e esta irmandade, mediante proviso
triennal do jaiz de capellas, aceeitou a Imagem da
Senbora saluda do teo>r>t profanado, e como qoe
goardou a em deposito na sua igreja, por ella ad-
I ministrada.
foi reconciliada devidaraenle, e acbando-se rehabi
litada e sob a administrado de orna Irmandade,
i qne a tem posto em estado de fnoccionar, reclama
i esta irmandade, qnem o governo entregou a
I igreja, qae aquella irmandade recebeo, como flea
dito, a Imagem de Nossa Senbora Ib'a entregue,
Silva
Silva Cid e om escravo, Francisco Xavier Soares
de Almeida, Luiz Pedro Bezerra, Joaquim Bezerra,
Joaquim Bezerra da Costa Alendes, Mariano Mar-
Ijos, Dr. Manoel de Barros, Jovelio e Flix Feistel,
Alexandrino Ferreira Alcantino de Miranda, 1
criado e i escravo, Emilio Joaquim de Oliveira,
Fraocisco Boaveolara da Luz Looreiro, Looreoco
Jos Rodrigues, Paulino Jos Ribeiro e Joaquim F-
lix de Araujo.
ju-
anno, a 14 daquella mez, razo porque anda nao
remetteu os mappas, que Ihe cumpre ministrar em
face do decreto o. 3533, de 30 de dezembro de
1865, tenbo a reeommendar-lbe, que remeta os
referidos mappas com a maior brevidade, que lbe
fr possiveL
Portara.O vlce-presidente da provincia, coo-
formando-se com a proposta apresentada pelo
commandante da seccao de reserva n. 3 da guarda
nacional do municipio de Nazaretb, sobre que in-
forawu o respectivo commandante superior em
officio de 35 de jonbo ultimo, resolve nomear para
a mesma secgo os officiaes abaixo declarados.
1.a companhia
Tenente o alteres da mesma, Joo Bypollto Pereira
de Moraes.
Altores, Manoel Firmino Rodrigues da Silva.
1> companhia
Altores, Jerenymo Cavalcante de Albuquerque
Mello.
Dita.O vlce-presidente da provincia, coofor-
E nao bavendo nada mais a iratar-se, levautou-
se a sesso.
Foram encontrados no corrente mez os se-
gointes navios, qne iam sera inconveniente alguna
at ento era sna viagem.
A II, na lat. N, 10" 50" e long. O. do nosso me-
ridiano 39a 30" a barca italiana Gtnha, procedente
de Buenos-Ayres para Genova, com 37 dias de via-
gem.
A 13, na Lat. N. 9a 58" e Long. O. dem 39a 30"
a barca ingleza F. A. Palmer, de Akiab para Li-
verpool com 106 dias.
A 31, na Lat. S. 3a e Long. O' dem 33, a barca
franceza Detu; Euhlie do Rio de Janeiro para Mar-
seille.
Sobre proposta do Sr. Dr. ebefe de polica,
foi creado com denominado de Districto do Ria-
cho de S. Domingos ama outra subdelegada no
termo de Villa-Bella, de que acha-se nomeado sub-
delegado o Sr. Joo Goncalves de Araujo Lima, e
seus supplentes os Srs. Antonio Damiao Nones,
CASA DE DBTEWQAO.
Movimento da casa de deteneao do da 35 de
Ibo de 1866.
Exisliam 355, entraran) 6, sabiram 6, existem
j 355, a saber: nacionaes 358, molberes 15; estran-
geiros 36, molberes 3, escravos 50, escravas 4,
total 355.
Alimentados a eusta dos cofres pblicos 301.
Movimento da enfermarla no dia 36 de jolbo de
1866.
Teve baixa :
Joaquim Jos da S. Vieira, cbagas.
Teve alia:
Antonio Felisberto Monleiro.
ete
receber com todo o respeito e veneraco o coito de
hyperdulia, que lbe devido, mediante proviso
triennal qoe Ihe fra dada pelo respectivo juiz de
capellas, etc., propriedade da igreja profanada oa
polilla, mas depois reconciliada e devidamente re
habilitada, na forma dos Can. e leis ecclesiasticas;
e pelo s faci de sua transferencia d'abi para o
poder da irmandade, qne a receben, nao pode ti car
ella pertencendo ; nem essa Irmandade arrogar-
se o direilo de propriedade sobre a referida ima-
gem, allegando posse 00 qualquer Ululo de compra,
negocUco, etc., etc., aflm de recusar entregar e
reslilui-la igreja, d'onde ella sabio, quando pro-
fanada, mas boje legalmente rehabilitada e com a
capacidade necessaria para celebracao do Santo
do coito divino e de todos os
do o requerimento de Jos
pede licenca para eslabelecer ama refinaco na ca-
sa n. 15 do pateo do Terco; declara ter examina-
do a dita casa e eonhecldo qoe tem ella as accomo-
dacoes oecessarias para o estabeleciment, confor-!
me determina o artigo nico da postara de 8 de
ootubro de 1863, devendo porm o peticienario |
elevar a chamio a altura que nao faca encommo-
dar aos moradores do sobrado de nm andar qae
lbe Ac vlslobo.Concedeu-se no sentido da infor-
maco, devendo a chamin ser feita de pedra e
cal.Foi approvado um parecer da commisso "de
polica no sentido de se permitlr a Manoel de Sou-
za Tavares estabeiecer am taino de acoogoe a sua
costa no quartelro do lado do sol da Ribeira de j Sacrificio, exercicio
S. Jos, pagando a qnantia de 400f por tres annos. actos ecelesiastieos.
Concedeu-se a licenca com a condico de pagar I Digo que nao pode allegar posse, porque a que
Tavares a qnantia mencionada no parecer, e man- tem, inherente a acceitaco que se prestou a
dou-se pedir approvtcodo contrato ao Exm. pre- irmandade da igreja para onde foi a imagem irans-
sidente da provincia. ferida ; posse, qoe nao nem pode ser considera-
Despacharam-se os peticoes de Antonio Joaquim da titulo jurdico para se ficar com a Imagem como
de Saot'Anna, Antonio Alves de Carvalbo Veras, sendo sna ; pois abi se acba ella desde aquello
Bernardino Jos Monleiro, Candido Aflonso Morei-
rajAo da Cooba Magalbes Jnior, Jos Doarle
das Neves, bacbarel Jos Vicente Duarte Braudo,
Malaquias Premenefo Ribeiro, Maooel de Sooza
Tavares, Marcelino Pinto Cabral, PaaloJos Gomes,
e levaotoa-se a sesso.
Eu Fraocisco Canuto da Boaviagem, secretario a
escrevi. Pereira Simdes, pro-presidente.Costa
Miteiro.Reg. Pinto.Santos.
mandse com a proposta do director geral dos Cosme Damiao Nones, Galdino Ramos da Rocha,
indios, datada de 11 do andante, resolve nomear, i Martinho Jos ooes, Manoel Joaquim Looreiro e
de conformidade com o art. 80 do decreto o. 436, j Antonjo Gomes Tavares.
de Sooza Ferraz para o logar, que se acha vago,
de director parcial dos Indios da aldeia do Brejo
dos Paires na comarca de Tacarat.
Dita.O vlce-presidente da provincia, era vista
do officio do Dr. ebefe de polica, n. 871, do 10 do
aodaote, resolve nao s exonerar dos cargos o sub-
delegado da villa de Garanbnns, Jos de Barros
Silva Jooior, por ter concorrido com seas conse-
fhos para o grave atteotado, qoe se dea no districto
da Palmeira dos Indios, em o anno passado; o 1'
supplente do mesmo subdelegado Manoel de Pon-
tes Jardim, por se ter mndado do districto, e o 5a
J io Correa dos Santos Rocha, por ter reunido
gente armada para a temada de presos, o que nao
consegnio por haverem as autoridades providencia-
do convenientemente; mas tambem nomear para
os eargoe policaes daquelle districto os cldados
segointes:
Subdelegado.
JooJtoptisla Chaves Pelxoto.
Sopplentes,
La o 4* Maooel Correa Santiago Villela.
do nascente da fazeoda Barreiros, em linba recta
ao norte, a dar oa fazeoda S. Miguel; e desla, em
lioba tambem recta ao poepte, a sahir na barra do
riacho, de qoe tira o districto o nome, na fazenda
Sacco.
Deste ponto, anda em linba recta ao sul, com
inc'luso da Lagda cercada, Pindoba e Oiho d'agua,
em ramo direilo ao nascente a encontrar o ponto de
partida na referida fazenda Barreiros, fechando as-
sim os limites assignados a aste districto policial.
Os Srs. Jeronvmo Alberto Maia e Aotonio do
Reg Barret > Pnho foram nomeados e 4* sop-
picotes da subdelegada de Pimeoteiras, comarca
do Beoite.
P01 transferida, para qoando for deliberado,
a festivdade da Senhora Sani'Anna, qne devia ter
logar oa matriz de Santo Antonio, domingo 39 do
corrente.
Hoje pelas 5 horas da tarde ter logar na ca-
pella dos novloos da ordem tercera do Carmo, a
bencao d> imagem do Sensor do Borofim, que pg-
CAIARi MUNICIPAL DO RECIFE.
Aos 33 de junho de 1866, tendo comparecido os
Srs. pro-presideote Pereira Simes, Gostavo do
Reg, Santos e Costa Monleiro, nao pode haver ses-
so por falla de nomero.
Eu Fraocisco Canato da Boaviagem, secretario
a escrevi.Pereira Simdes, pr-presldeute.Costa
Monleiro.Reg.Santos.
Aos 35 de jonbo de 1866, achando-se presentes
os Srs. pro-presidente Pereira SimSes, Aquino Fon-
seca, Gustavo do Reg e Santos, nao bouve sesso
por falla de numero.
Eu Francisco Canuto da Boa-viagem, secretario
a escrevi.Pereira Simdes, pr-presidente.Reg.
Fonseca.Santos._______
3a SESSO ORDINARIA EM 36 DE JUNHO
DE 1866.
Presidencia do Sr. Pereira Simoes.
Presentes os Srs. Aquino Fonseca, Gustavo do
Reg, Costa Monleiro, Dr. Seve e Pinto, abrio-se a
sesso, e foi llda e approvada a acta da antece-
dente.
Lo-se o seguate
EXPEDIENTE.
Um officio do Exm. presidente da provincia de
15 do corrente, dizeodo que para dar comprimen-
to ao aviso circular da repartlco do imperio de
30 de maio ultimo, informe a cmara qae execa-
cao tem tido oeste municipio, e particularmente no
qae respeila aos arligos 19 e 30, do decreto o.
3069 de 17 de abril de 1863, que acompanhou a
tircolar da presidencia de 33 de agosto daquelle
anno, regulando, o registro dos casamentos, nasci-
mentos e bitos das pessoas que professQ religio
d:w :u 3 do estado.Posto eqj qiscassSo, oan,
KXPONIV-IO
Preduetes agrcolas, industriis e de abras d'arles
da pravincia de Pernanbnco.
SESSA ORDINARIA EM 18 DE JULHO DE 1866.
A's 6 horas da tarde, com asslsteacia do Exm.
Sr. vlce-presidente da provincia, reuniram-se era
urna das salas do palacio do governo, os membres
da commisso directora os Srs. Dr. Jos Joaquim
de Moraes Sarment, bario do Livrameoto, Jcs
Joo de Amorira e Gervasio Rodrigues Campello.
Depois de lida e approvada a acta da sesso de
4 do corrente, o secretario da conta do segoiole
EXPEDIENTE :
Um officio do coronel Luiz de Carvalho Brando,
delegado auxiliar da commisso na freguezia de
Sani'Anna da Boa-Vista, declarando qoe da soa
freguezia era de suppr que nao fossem presentes
exposicio productos agrcolas
nao os haver.loteirada.
Passando-se a ordem do dia, o secretario declara
tempo como que em deposito, mediante licenca do
joiz de capellas, etc., etc. : digo qae oo pode alle-
gar ootro qoalquer litlo de compra, negociaco,
etc., porque a irmandade, regente, administrador
oa o qoer qae seja da igreja d'onde a Imagem sa-
bio, pela circamstancia de achar-se profanada, nao
poda fazer negocio algom de semelbante natureza
sem expressa licenca do governo, por quanto se-
gundo a Ord. do liv. 3a til. 34 a prata, ooro,
jolas e ornamentos das igrejas nao se podem ven
der sem essa licenga, D-gest. Porluguez, seccao 3'
o. 33 pag. 39 e art. 596 $. 6a da consolidado das
leis; e as sagradas imagens, oroameotes e objec-
tos sagrados nem em basta publica poem ser ven-
didos, tendo apenas logar a penbora nos casos da
L. de 33 de fevereiro de 1779 e art. 53 Ia do Reg.
Com. n. 737.
Mediante ama justa causa, as imagens sagradas
eollocadas em orna igreja sobre a qual am patrono
tem direilo, podem ser transferidas para outras
com o encargo das missas etc., doctrina que se
acha ensinada e explicada convenientemente oa
obra de Mign, diccionario dos decretos das Congreg.
Romanas, quando trata das Coog. do Conc, epig.
Imag. n. II a pag. 663 ; e parece, que achando-se
ueste caso a imagem, de qoe se trata, com relacao
igreja onde actualmente est ele, e d'onde sa-
bio, nao ha razio, qoe legitime a recosa, qae faz a
irmandade de entregar a referida imagem igreja,
riaes por da Io*' ella sanio Para essa em 1ae boe esla
; sendo qae, alada qoando o administrador, gerente,
etc., da igreja d'onde a imagem sabio, praticasse
que em 13 deste mez dirigir aos Srs. agentes da algura acte, que podesse ser traduzido joridica-
compauhia Brasilelra de paquetes um officio acerca mente como alienaco da imagem, isso nao pode
do descantono que vera a calxacom as medalhas aproveitar, nem vir em soccorro da irmandade re-
qoe do Rio de Janeiro viera com destino a esta casante, e qne nao qner entregar a imagen; por-
commisso e procurando saber se havia probablli- qoe aa igrejas tambem gozara do beoeflcio de res-
dade de achar-se a referida caixa ; ao qae aquel- iolcao : art. 41 da Coos. das Leis, Ord. do Iit. 3a
les seohores respondern em 13 Informando que til- i* S 6a, assento de 3 de agost de 1779 Ord. do
ja' baviam annunciado tal descantono, e que espe v. 3a tu. 41 4a, sdo ampio o beneficio de resti-
ravam pela volta do vapor Guar qae havia segal- tuicao, que geralmenie refere-se ao Direilo Roma-
. i.r..,ci 0 fazem extensivo ao estado.
do para o norte, aflm de saberem se por engao; no; e os oraxistas
leria seguido para all a predila caixa ; no caso oe-1 mxsfrtc'>fi^*>. confranas, t
gativo commanicariam a esia commisso para so-
licitar do Rio de Janeiro outra remessa, obrigan-
do-se elles pelas despeas que se tiverem de fazer.
Cbegaado o vapor Guar, os referidos agentes
declararam qae com effeilo nao tioba seguido para
o norte, como sopponbam, a cala com as meda-
lhas allndidas, e que sendo a importaooia della:,
5504, dosejavam saber se esta oommisso quera
aqui receber esta qaantia oa qoe soja en tresne e a
qoem qo Rio de Janeiro. O qw ndo trszi ao co-
etc, pelos
e administra-
mandar
toctos e omissSes de seus agentes
dores.
Que joiz, porm, o competente para
entregar a imagem, havendo questo T
Nao posso dovidar um momento, que se a ques-
to correr pelo foro clesiasttco ella sera decidida
em favor da igreja, que reclama a en rega da ima-
gem ; mas me pareen razoavel e jnsto, que seja o
foro temporal e civil e o joiz de capella? o compe-
teole para conhecer e decidir esta, juirtio, ,lf,n,
cao, (provando-se o respectivo dominio) contra
aquella qae iodebitameote as estiver possuindo.
Para assim opinar baseio-me as seguintes con-
siderares :
Parece-me inqnestionavel, avista do qne insi-
nuara Rocha 807, Dig. Pon. liv. 3 os. 310 e 311,
e as disposicoes dos projectos do cdigo civil de
Portogal at 1617 e do Brasil aris. 1,189,1,185 e
1,194 ect., 3 cerca das coosas, que podem ser ob-
jeclo de compra, qoe nesse nnmero esli as sa-
gradas imagens, ornamentos e mais ulensis do
altar.
Mas, pela legislacao civil patria vigente, Ord.
liv 3a til. 34, Alv. de 32 de fevereiro de 1779, nao
se podem vender em hasta publica, omento por
convenco particular. Este mesmo alvara' no art.
5 dspe, qoe taes objectos possam someote ser
penborados, nao bavendo ontros bens.
Entretanto, pelo art 530 1, do reglamento n.
737 de 35 de novembro de 1850, as mesraas ima-
gens e ornamentos do altar, (seodo de graode va-
lor) sao sugeitos a' penbora, nao bavendo absolu-
tamente ontros bens ; e por conseguinle tambem
susceptiveis de arremalaco, porquanlo isto suc-
cede a todos os bens penborados.
Indicando, porm, estas nltimas disposigSes le-
gaes (Legem habemus), nao pretendo por certo jus-
tifica-las, porque as considero em diametral oppo-
sicao, e poro desrespelto s salotares recommenda-
ces feilas pelo Concilio de Trento, sesso 35, (re-
ferindo-se ao decret eucumenico do de rtica do
anno de 787) acerca da profunda veneraco s sa-
gradas imagens; formosas e vivas allegorlas iodis-
oensaveis, segundo a propria Escriptora Sagrada
(Gnesis cap. 3 v. 8 e 18 cap. 38 v. 13 ; xodo cap.
35 v. 18 ; Nmeros cap. al; Jon v. 14 etc.) e a
boa razopara celebracao da gloria e immortali-
dade do reino de Jess Cbrlsto e santldade essen-
clal a' casa de Dens (Psalmo XCII) mxime tendo
sido accelto em Portogal o dito Concilio Tridenti-
no, pela lei de8 de abnl de 1589, e por consegran-
te no Brasil qne adoptou e mandou vigorar toda a
sua legislacao pela carta de le de 30 de ontubro
de 1833,ainda mais sendo a religiao catholica apos-
tlica romana, a religiao de estado, art. 5 da coos-
ti lu gao do Imperio.
Se pois, as sagradas imagens sao sasceptivels de
adquisicao, sao objectos de dominio (sob o titulo
respectivo detroca), si am dos priocipaes direi-
tos Inherentes e constitutivos da propriedade (ju*
in re) o de qnem legtimamente o Irrer, poder
asar da accio de reiviodicacio, para baver, 00 re-
petir a coosa de qualquer injusto possoidor della
L 13 pr., L17 Ddepubl m rem acl, L. 69 D. de
rtinvid., Ord. liv. 3 til. 45 10, M W g 16 etc.;
consecuente, que a' igreja reconciliadaeom le-
gitimo domino sobre a sagrada imagem em ques-
to, tem pleoo direilo para propor essa aeco de
reivindicado, aflm de obter a restituido della, que
foi confiada a' outra Igreja por mandado tempora-
rio do juizo municipal, o qual caducou por ter-se
prebenebido o praso estipulado, e nao haver sido
renovado. *
O contrario seria nma verdadeira usurpaco da
propriedade albela, oa a conservaco dessa ima-
gem contra a vontade lo seu legitimo dono,alias
om paro sacrilegio.
Ao segundo ponto da consulta supra respondo ;
que o jaizo municipal o onico competente para
propositara daquella ac?o de relviodicacoda
dita imagem, porqoanto a mesma accao toda de
oatoreza cif e ordinaria (Corr. Tell. Dont. das
aeces 8 68 e Mell. Fr. liv. 4 iit 6 % 10.) e s a elle
compite conhecer e julgar difintttvamente taes cau-
sas (e a tummarias) intentadas no seu termo, sal-
vo aquellas que Um prevegio do foro por torca do
art. 18 1 do regulameoto de 15 de margo de 18M.
Nem essa aeco de reivindicagio pode ser com-
prehendida entre as que toca V**f> Mi *
por coosegante excluida da competencia do /oro
civil, porquaoto ningoem c,flncIlom.tn1te *
qoaliflc.riq na ordem do j. w"*?*^.
materia puramente fWrtualJfM.to ***
8T334 Tas aoaeVso'exclosIvamente as dos
c\-amtti,"partioula,mente ^^'"T^Sjt
vareta e nultUad de casamento ) ; dos OeUctos te-
XXJioolTZuidade de profissao religiosa1; cu-
tarisacao dos religiosos ; as btnefiaaet; sov a fe.
costumes, sagrados ritos, direot, tosmuniAloVs dos
prelados t efnf05.=Eleo}entos dos pireito BcclO-
>:




-
siasticos pelo Exm. -conde de Iraift-^-if?, >
Scbolio,e arts, 1316 e 1317,
O luiaatcjiltsiastkio em primeira instenci re-
presemaao 'pelos vigarfos-geraes, oa oCQciaes dos
bisposMoa que destes ellas recebero-jupisdiocio
delegada, para conhecer e decidir aquellas cousas;
bem como pela relaco metropolitana, que julga
as mesmas cousas em segunda instancia, oa por
appellacao citados elenjeotos M 443 1281 e
1415, lei de 27 de agosto de 483%
Ora, se aquella jurisdiceieacha-s assam tracjtOi
em primeira e segunda iiuWncia, aa'parte conten-
ciosa, evideote que Delta nao -se pode cornee-
bender ama causa de wwndieecjo de natureza
toda civil, e oao puramente espimnal.-rAon ce*'
setur concesta jurttMcti. mti exprrssa dedaretur
Ord, liv. 2-tit. 4W gg, J, 3, 9, 10, 12, t9,3i,
30, ele.
E' certo qne FerrariBibttaibeca Cannica, t 4
pag. 49 n. 37 eosioa,.qua nao deve ser oncedi-
da, n-rn approvada a transalo de imagen)-snii
jeiu ao culto publicoem una igrejj para ootri
sem beneplcito apostlico. Imagines devola non
possunt ex ttna m aliam ecclesinm tratuferri sin
beneplcito apostlico, et si stne beneplcito apost-
lico translatio non suUtnetur, nec est approbane
Sac. Congres. -Comal, m Nullius Fetentilltt-3l Jm-
lii 1706,
Mario de Vrr**w**f HftUa felr* #* de nltio de 1860.
Ieai tenlo, no fim dos #ua
'**- ^ d* vc,ame "a ^na'd Pr
'^80*39
usado.
\oftotlr?a?SS|S "Ita"df^ ^ano, tendo todo o cuid
deo uicvii^sttftewfts^MpHlsea'detortS- afim de soar converjentei
ba a soa pharmacia siloada na roa larga do fio- conservar o venlre corrente, qu'
oeres. Wesmo vt.
Joc&m deMmetaPvm. Todos fatutos suceqv4esta dd
II m. Sr. Joaquira ie Aknelda Mlo.-hvend*-|a ar>Mlro al'nwlii J
appucado a mmba Oflier o vtoho de jprabeha .^L J^T^SSET?^
ura emplazo da mesrna, tn vista o sea W5elti8*uOWK sWO'Rierwolwmentp^a put
porse aebar ella-wiTrado do baeo, leve em-resul-'iiOWBsaqif&e, tanto que-o lugar infla
lato icar eUa completamente restatwreci, o qw do qe, eotaoa wia CQ> ra encacaidat.
tff naro ma Afttp IM- ... ... i K
Grl/U
SUI.AOO PROVINCIAL
Ha 1 a 23...... 94:055
I Participares de casamento e de nascimenlo.
Sp." Con,vite,s de epterro,, ffJ
1M" Rradeeo, e taco votos para quesie -' troca .fi i^ -
dicamento continu a ser aproveitado pela humant- "^J md uu !^lljl na em an"
j,*. *-----' VTWKtm. Btf Plflt* 'i*t*H TTTT? Ti IIIIH O tnwriiFaiiaii4*g
gremr,- e -poressa" iniSonuBr coumuiente;
dado, soflredora
Pode fazer o uso que Iha confiar.
SOo com eslima.
D Y. S.
Amare Gomes 4a Silva Ramos,
liecife, i dejulbode 1866.
Fllm.-Sr. Joaquim de Almeida Pinto.Soffrcndo
en immensaaieBte do r}gado,depoiade tarpop mtrt-i ^ a j .
apud CaPd.Petrimtom 3. Comment ai m lempo rae medicado, fui mandado para a Earor \J ue vania8eni por sua quaiiae UiafOr
Const.5Paulilln.20. ropa, e tendo feito essa viagem nada com ella |Uf 'retaca; COfflO pelaantt-seplica para imped
Mas, neos esta doutrina conslitue jarlsdicgao, cre, nao obstabtetne ter demorado em Lisboa poa putrefBcciO as molestias
nem pJe ser applicavel a'j espexie verieate, em mais de cineo-oseie, doaAe vohei no mesmo esta' Na erfSiDeMa irao dev O enfermo nos rMt
que apenas se trata de reivindicar e nao trasladar do de enfermidade. FeMpejite, chegande a esta ,:_,,,. .,. ,i, ..^ ja nnmnnnr, J^J:
]i aquella imagem ; ero aOna! poder* ser den*- cidade, comecei a osar do vinho da jurubeba por, ''lt311 5 ires um' us?r ae wHi'^as e *0D1*
gada a netta concesso apostlica, comprovapdo-- V. 3 fabricado, e totei stee a parle alSclaila e> aagque possam e&qentai: e inllammar 0
ir V fi failA o hnia ira ftftlu I C lIUTua -"
Menry, de 668
toqeladas.capnao G, T. Crocker, ejiiiugeiB 16^
earga laotfede aseeear ; a-Jotmston- f ater & 6.
o ix*r.opfe,alcholico de wanie.Ja.in/M^ad -4e .Mtm*nkiti no mesmo dio,
! flor de sabugo, para se conseguir resolver a W'^rpoolf?i*^o bambur^ue 4rw Luna,, ca-
inflammajo, ou pelo manos tecipiw pel HahfaA' "'cara a neSma que lronxe da
SU^P.0Sa^mPed|nd_. a.S,S.'^ a;.gaiJgrefl.a- Ri Prat ~ b"gae argentino Volante, capito
phos deverao serlOMtBssjp, liijiographados ou au
tographados; nl^Reeoero peso de 10 grammis ;
ser expedidos com o psrtepago e abarlos, am de
que possa o correio verificar o seu contedo. Os
qoe nao preeneberem estas condicoes serio tasados
Navios entrados n*a como cartas ordinarias. ^
S pJ?.r,--T%el?'0tt As carias franqoeadat abaixo da larMa, oa to
.nSL!ZT,'a^ Sl^1^ '^"i", *** expedidas pWa correio deven-
r, Jn3'^- e1u^^-i*' cf* l^1 do, porm, cbnar-ie do^esSaMario o dobroia
ros gneros. at, f. h.._,-j.
s, barca ingle:
, Aza que far dewd..'
As pequeas encommendas, amostras de merca-
douas, broeburaa, livroa acaderoados, Crlhal"g"|f,
prospectos1," papel de msica, e quaesquer avisos
impreSsos,graado, nthog/apbmto ou autograpba-
Os effeitos do xarope alcohlico de veame
applicadoaaflr de sabugo ao doerle, n5o
se o direito ja reconhecido e julgado defiuitiva- plastro de jurubeba por V. S. kilo, e hoje me acho aRgue.
mente-da igreja (fie a reclamo, etodd a decen- retabelecldo e bomi
a do lagar para receb-la. Nao pesso pois deizar de vir "agradecer a V. S.
Foi sem duvida por este^prinlrtos, qne a ir-; por ter facilitado a bqmanidade meio seguro de li-
mndale do saotisslmo -fiaeramento da Tregvezia vrarse do mal do figaiio.

> *. '
de Santa Antonio desta cidade propot a' contraria
de Santa RUa'Bma ae^to-perante ojnizo mnnlcT- '
pal da 2* vara, para'reivindrwr ama imaiem, que
lbe per|eoee;' e estava ein'pde^della; sendo que
aqoeila< autora acaba de bter seotea^a favoravel,
segundo rae constt:
Tambem1 pelo joita anieipal da i* vara, por
estes mesmos motivo?, propoi/em ovare'di Rvd.
De V.S-4
Criado e obrigado.
Manoel Dias da Silva Saltos.
Sua casa, 11 dejjulho de IS6.J
Acomida durante esse tempo deve"Mldo
reino vegetaf, como sagfj; farinha do Mara-
nbo, pi torrado, bolacba, etc.
Anda nao \i e.\p aconseHta)8e> que noe prfmairos tres dias de
Jpao Rearo, earga a.isucar e agurdenle.
Cear e porlos intermedios-vapor naeionat
buba, comiiuacante i. I. Martms.
Para
E P t T ft E S
Por orden 'drrfllra. Sr.'inspector da theioa-
reiia de faienrhidesta"jjriviuca se faz ptrbtico pa-
ra lonhecimento de todos os funccionarios publi-.
eos da provincial pensionistas e mais pessoas que
reeebein meamtidades pela- pagadoria, que, para
regniaridifdeTio expedn meilo das partes qne ella affluem no principio
dos mere,'|ireiepnendo todas er pagas ao mesmo
lempo, i. que aosaconfusS' ao expediente e eaO'
Uva qjeixas tem deliberado o nresmo film. sr.
Reine o cont-a a euiliriagnez
accomettimeatos do mar, 'nao fe usas de, ipMwiiie to* denosto prei^eb, a
medicamentos; o queelIesropellen^s^tkQ a-ob*ir*e.*sefBlnt"tabell':
unguentos, untaras qu obstruem ais _e:Tabe^a dos rJfas^rriTiue'sedevem verificar
osd"i,yersos pagamentos que eslo cargo
A sade depende do estado demolidos, e rn^l8m do prior do convento do-Carmode-oiioda, a-rman. dos lluidor que'osfwrva kloaeos para a paIt?;. que conyem e trazer o rogar ata-
desta cidade, accio par reivindicar urna imagem__K .. vwuVn" "" lu"^uv,J ..'. Braco e deferMlw (lo r.
deNossoSeribor jsuM.risio emOescendimenio,,mqanto oslasefazem com regalandade*"ff*'l^^T^Z^Ly^^
ane ao ri.io cavenm m,,,,., i nos acharaos s5os Orobustos: porm de qual-! uJeiro ? f'X B?7 ^"y6-?6
qu(ffInawra.qaesepel^bWAiDivtoTellS^^daaD,re^,n 88'de Jos da
qoe aodito convenio nertence.
Por todas estas TiraSeS; a mew'r plaosjveis, as-
sim peBSo e'ojrioo. Comlod, o.) ouso conside-
rar-me tn arrancia, e fstarel sempf prompto a
sabmetter-me a' cefisdr'dos'doulos.
Recite, 23 dejulho d-- 186.
Dr. Antonio de VasconctHos M. de Drtimmottd
------
33CXJ3V1

tmrm* sb '

Molestia Ulcerosa
Curada.

'A

Todos aqi*ell8 que se achgo gniitog i sof-
frer molestias scrofaloM, kjeposas, ou syphi-
liticas, *ind meemo as reputadas de peior
nature, apenas neoossita de 1er o seguiste
caso maravilhoso, para que se eintao inteira-
mente convenddoe que a sua propria cura,
nao b meramenta possivel maa aim absolu-
tamente certa.
Joao Jos Ferhstra Babbosa, Teaidenta
aa Cidade de *a*M,-lhAa- todo o sen
corpo coberto de chagas ulceroaaB, e durante
algunos annoe se chava debaizo do tratamenlo
de medieoe os mais afamados, tendo usado
durante todo este teinpo quaai toda e, especie
de medednaa que em taea caso empregada
pela faculdado medica, porm debalde sem
obter o menor beneficio ou alivio: achando-se
pois em taes apuros elle finalmente resolveu-
e, depoie de repetidos e baldados esforcoaa
fazer uso da'

Salsaparrilha
DE BRISTQl.
No todo elle apenas chegou a tomar Oine*
Garrafas de SaltapprriUm s qualro fraseos das
Piluiu Vegttae Assucaraa$, o o resultado
foi elle obter una completa e perfelta cura.
Os Seiirs. Fbbkbhm. & Cia., Droguistas de
MaranhaO, forSo quom supprirao os medica-
mentos, e acbo-*e perfeilamente ao &cto
d'este caso, e os meemos Senores, nao e ee
achao promptoe confirmar o mesmo, como
tambem em fornecer o actual adresso do Ser.
Barboza, toda e qualqner pessoa" qne por
ventura se desejd informar da verdade. "
BecommeBda-ee mui particularmente aoa
Doentes que tenLSo o niaior cuidado na eacollit
deste excelente remedio, nao usando outro i i
nao ser a Genuina Salsaparrilha de Bristol,
a qual exclusivanieme preparada por
LANMAN & KEMP,
De NfVA YORK,
foia que toda as mais aio inemoaxe de awav.
4om pnetime
Vende-senas boicas deCaors4Barbosa
e C. Bravo & C
A \nacatiQita peitoral de Kemp.
De cojas virtudes especificas tantos an-
nnncios appareceram em nossos joraaes,
urna cooi|;osic5o de vegetaes, petoraes, e
nao comm nenbura adtri agente veneooso
oa niorlalmente narctico. E preparada
em forma de um xarope delicioso, etc.,
um poderos) e efltcaz remedio para irritagao
dos pulmoes, anginas catarrbo, tosse, res-
Irtameoto, rouquido, aff eces catarrhaes,
escarros de sangnee todas as innumeraveis
molestias qne affectam os orgaos da respi-
raco.
Cuidadosa e scientiQcamwat. preparada
poi Lanman e Kemp, em Nasa-York.
Acha-se venda as pr>armacias*de A
Caors e de J. da C. Bravo drC.
o.alterar-se a sade, e a iRteperan nunca
deixa de desordenar toda a economa animal,
impedindo a digestSa, relaxando os ervos,
fazendo irregulares as secrecea, viciando
os humores 6 produaindo inlinitas enerim-
dades.
O mais alt grao da prudencia bumana
consiste em regrar os noss^s appeiites e
paixoes, de1 maneira q"e se ev'rtem os -ex-
tremos.
Com quanta celeridade arruina a melbor
1 constituido o abuso dos licores, que embe-
bedam! Pelo que vemos eom tanta frequeti-
cia os devotades'a embriague?, carregads de
males, correndo com passos largos para a
sepultura, e por so commum proverbio,
que todos os ebrios merreo bydropwos; i
Tudo que'embebeda poe a natureza em
estado de excitar ffibre, parade^embaragar-se
da possoiilia que tragara: e, quand-j se repe-
le quasi todos os das este veneno, *fcU
prever-seas cormequencias, qae resultam
delle. As febres da bebedice nem sempre
terminam em um dia; acabam animadamen-
te n'uina inammagliodo pcito, do figade, ou
do bago e produzem asaes efSettos-.
A bebedice de especies a4oooric*s quando
seusam com excesso, debilita as enb anuas,
imperte'a digestSo, destroe a forra dos ner^
vos, e causa enormidades paralyticos, e con-
vulsivas. Do mesmo modo tiquela e ior
flamma o sangue, destroe sua qualidade bal-
smica, e o torna-inntil para a circulaco e
para nutrir o corpo. Dabi proceder as
obslrures. magreiras, hydropes as eti-kas.
Estes sao os caminbos ordifiarios com que
os-bebadosfazem sua carreira, e enfermida-
des desta casta, quando ^ejiroduzenaem uro.
forte bebedor, rara vezadmitem cura.
Algans arruinam sua sade bebendo mai-
I to, anda que rara vez (pelo costume) se em-
I bebedera, p< sto que nao prpdza effeitos tao'
vioKntos, nao sao menos perniciosos.
Quando os vasos se conservara constante-
mente ctaeios e dilatados nao se podem fazer
bem as digesties, nem preparar-se devida-
mente osliuiores Por isso a raaior-parle
destas pessoas padecem, gota, pedias, areias,
chagas as pernas, abatimento de espirito,
desordens bypoebdrtaeas e outros sympto-
mas de indigesto.
A bebedice nao so destruidora da sa-
de, mas das facilidades da alma, o costume
de embebedar-se faz idiota os genios.
Assim, pois, aos chefes das familias con-
vm salvar aos seus fmulos, que arraigados
ao vicio da embriaguez nao os podem livrar
pelos meios suassorios, applicando-lhe o re
medio, que faz inteiramente enjoar as bebi-
das que se vendem: na botica ou laborato-
rio pharmaceutico, na ra Direila n. 88, de
Jos da Rocha Paranhos.
Bocha Paranhos,
Tenlio recebid cartas de algumas pes-
soas de ouiras proWBcias que me commu-
nlcam ter destcida;o!B s,do remettido o meu
xarope fa'silicdo, que tem dalo resultado
ao descredi lo de miaba prepanagao, cujo hacmentoseteia'Tet'rfloado-epois dos ef-*
teitos que taes remedios apresntava ; as-
sim, pois, tenbo a declarar ao -puJilioo que
no letreiro que va \ regad na' garrafa do
i&wpe, semprefoi assignado por meu pu-
nto, e darjui em diante alm desta assig-
natura o farei tambem rio papal que cobre
a garrafa. Rogo ao mesmo publico que
qup.do forem'assim engaados, tomem es-
lerrranhas, me remettam os rotlos falsifica-
dos eme participen! para fajer efftctiw" o
artigo 167 do cdigo criminal, do lr>5I.
Jos da fockaPetranfm.
ATTESO.
Xarope aleboolico de veame, preparado
pelo pbarmaceticp Jgs da Bopha Paranhos,
esialielecido- com botica na,- rua^irgita a.
88 em Pemambueo.
da,.pagadoria: da thesouroria de fazeoda
deiPen>aaibiHxi.
No-ldiaiil"de cadamez.
Presidencia.
Retalio.
Facudade'de ireito.
Preif de iropi* folna-de IBelaeft.
TWiouraria. -'
1*0 a>-
lowfcio eral.
Justina (W.friotaacia.
Fessoal a-potatia; i
Flbs do guardas e marinbag#ai da alfandega.
Cou&iBOiQO** defaiBalias.de oiBuaawouutrai
N3.t
Arsetal de guerra.
Keefltawi,
Trlbanal do commereio.
OlfiqiaesiHforaadQcv.
Empregados da visita da saade e instimto *
nico, .. .
So 4'
Alfandega.
U)spo, oaltie;r^e.niirQchos..
Aposentadas, e empregwfoB -de repartieres ex-
l indas.
No S.
Arsenade'fnaTjnha.
Capitana do porto.
ApfenrflM artice?.
Guarda nacional'.
-Peosionras do estado.
No-6.
""Navios de guerra.
Aprendits marinhefros.
E qini-squer funeciosarios que nao tenbam re-1
cehido o' sen veneimMt'os' nos das- que ihes -
40 grlrnms (11 oiuvas) ou fraejao a 40 gram
mas, qoalquer que seja a dfstaucia qne lenham de
percorrer dentro do imperto. Esta taxa 9ubir na
seguinte progreseao :
Al 80 grammas (Ji oilavas)........... 40 rs.
De 80. a 160 duas..................... 80 t
De 160 a 240.......................... uo
E assim por diaite, augoienlando sempre dous
portes por 80 grammas ou.fracQa de 80 grammas
Que accrescer.
C0fflP4i\H!\JWILEIIIA
PAtUErf^APOR.
al odfa^J0 Durte esperad0
J!;' J. Crutmo d^,%ut, commandante
^colorado,.o qual depois da
'tiMMiaimme segnira para
os porto do sol. v
Desde j recebem-se passageiros, e engaja-se a
eafM qne OTapwrpoiter^omroTrir,a qnal dever ser
embarcada no da da sua chegada; encomm(;niase
dnherro a frele al o dia da mi sabida as inoras-
da Croz d. I, senptorio de Antonio Luj de Ol
velra Azeve^o & C. '
COMPANHIA PERNAM1JCANA '
DE
Kavegco costeira per vaper.
lihcei e escalas.
Seguir no dia 31 do corrente. as 5 horas da tar-
de om dos vapores da companhla. Reoebe carga
Para que possam estes objectos gozar da njdfci-,"' o da 30; encommendas, passageiros e dinhei-
-dade da laxa de pflUuv acia fijada, deverao pa- r9 a ,T(*e *' as 3 horas da larde de 31 : escripio-
gar previamente o devido oorte^ ser cin'ladog de i rio da companbra Pernambncana: Forte do Mates
modo a conhecer-se fcilmente seo comeado ; e
nao conter outra declaraco aiaDusoripla que nao
seja o enderece do de-iinaiario, e quando muilo a
assignatura do espedido*.-" A falta de cumprimen-
to dess condicSes sujeia-os af laxa de carias or-
dinarias, paca ssrom espedidos.
Os jornaofi, circBlares, e quaetqntp. mpressos
avaisos, urna **i que preeoohara as cendicges do
precedente wligo, pagar a taxa de dea cis de
oad*x#iDpJari- Se, porm, forem expedidos em
ajasso pagarao essa mesma laxa na razo de qua-
renta grammas on fraeco de 40 graaomag de
pato.
Correspondencia de oa para o exterior nao sngei ear|?a1ae vaDor Potler condnzir, a quat
aconvences postaes. *" embarcada no dia de sna chega . ven^.-s no
Da GrBcelanha,*auas\colonias; cartas 2i0 rs.
at 15 graouaas inolasive (4 oitavas), 480 rs. at
30 grammas, (urna noca), 960 rs. al 60 grammas,
e assim por diante augmentando sempre dous por-
tes por 30 grammas ou frjcgo ,de 30Vramraas
qne accrescr. Joro*es 40. rs. cada no.
De Franca e sMs--*oJoHia8 : carias 100 rs. por
15 grammar, inctasrve-B na progressSo esrabeleci-
da para as cartas, uagl^as; arno>|cas de mercado-
rias 200 rs. por iOgrflimaB (14 cNa*!); jornaes,
livros eoutres impressos,
n. i.
(OltiMAIllA BRt^riteiKl
U
PAQUTES4VAP0J.
Dos porlos do .suI esperado
at o da 30 do correte o va por To-
canlin.conrtnandante o capilao l-
ente Farias, o qual depois da de-
mora do cosame seguir para 03
porlof do norte.
Desde ja recetemse passageiros e engaja-se a
devera.*
das e dinheiro a freteat o dia.da iatid's 2 ho-
ras j as passagens s serlo recebidas na agencia
ra da Crnz n. 1, escripio'rlo. de Amonio Luiz do
Olivelra Azevedo 4 C.
Lisboa
Vai sabir, para Lisboa em poucos das por >ler a
maior parle da carga engatada a barca
mrdeS. SimQ
M rs. por 40 grammas.; para o resto da carga e paisaoea irata.se eon
De. Portugal snas eoloous-: carias 300 rs.; Garv,n,o 4 Nogueira na ruadeApetJ n. 20.
al 15 grammas, inclusive e na mesma progressao
cima eslalielecida; jornaes 40 rs. cada un, outros
impressos 40 rs. por 40 raromas.
l'ara Portugal e soas eolonlas a corresponden-
cia pagara' somonte as mesmas laxas a' que esta*
sujeia a eonespoodecia para o interior.
De OB^jaraos-Estadfls-lWdos daAmertea do
Norle : carias 200 rs por 15 grammas e na mesma
progressao anima etUjelr-cidas; ji-rnaex *0 rs. ca-
da 11 m, ovaros imwessos 4Prs. por 40 grammas.
De ou para as repblicas do Rio da Prala : car-
ias e joraaes o meste porte territorial bfasiieiro; i
e, quando a condueco se effectuar pur intermedio;
dus paqueies brasileiroa, carias 300 rs. por lo


DAS
He*feaftiies IraperiaUs.
At o dia 30
do crreme mee
esper-se dos
partos do sul o
yapor irancez.Va-
carre, comman-
.daoje Masuiiet,
o qaat depois da
deDora do eos
a XXlP!^n anteS^e,,?^e9^0r ^artda Ibesoafarrade Per^bnoo
a todos os. jaropes uparai:^ s, de cuja juiho'de-taeer
composco o^eu maior ele-j eotoa salsa
II de
parrirt, >pois que-e lea conaewdoi ser o
veame mai6 enrgico para a prompta cora
das molestias, cuja base 'essencial depende
d purjficaca do sangrae; ssjm ppis-'ae
tem aerificado por muiUri pessoas que se \ para o concofao one tem de brfr n'esu thesodra
l-achavam desengaadas, as qoae8^aohro-gel,laP^rV|,^.eeDt'nl^0J(,*1? togresygos de i
SefTrodo de-efflctal maior.
^________Manoel Jos Pinto.
O lUm. Sr. inspector da;tlesflrafl dlzeUda
d'esia provtncia, em viriode ifa drirem do ibesouro
n. 112 de lo de junlu ultimo, manda fazer publico
que tem marcado o dia 15 de ou rubro d'este anuo
firamattvjorBae&e.outru6 4mpre*5O6 40rs. por 40 lame seguir,para Bordean! toeando.em S. Vi
cente e Lisboa.
Em S. Vicente ha um vapor em corresponden-
cia com Gore.
Para condicedas,. fretes e pas.-ageos trala-se oa
agencia ra do Trapiehe n. 9.
PMM
Dos outros paizes, carta- .200 rs. por 15 gram-
mas, jornaes e outrus impressos 40 rs. por 40
grammas.
Tambe 111 do dia 1? de julbo o diante cometa-
ras a ser emitiidas as novas eslarapllhas com a
efigie de Sua Ma^eslaiie o Impera.lur.
Directora geral dos. correios, 30 de junbo de
18>e\ Luiz Pluo de 0iveiru.
P&ra o Porfo
boje restabelecidas coto 'o refferidd xarope.
aleboolico de veame; entretanto que, al*
gnus, tando usado do xarope de Curinier,
e 2o conferidles e offlcii de descarga da alfandega
do Rio'-6rande do Norte.
Versarao os examps.
Para offldlal de descarga sobre as materias de
A jurubeba.
ESrisipelIa.
O medicamento que com mais influencia
e energa tem combatido essa terrivel en
fermidade, tem sido o xarope alcohlico de
veame.
Urna escrava da mai do Sr. Francisco Fir-
mino Monteiro, pessoa bem conbecida nesta
cidade, achando-se de cama, e com as per-
as bastante incoadas, e ebeia de tumores,
tomando o xarope de veame, acha-se boje
boa, prestando servicos..
' A mana do Sr.'Jos Francisco Pinto, mo-
rador na ra Direita n. Si, tendo sido
accommettida do mesmo mar, acha-se tata*'
.bembo'a.
A Sra. D. Senhorinba Umbelina dos
Santos, moradora na ra das Calcadas n.
38, achando-se atacada de erysipella nae c-
xas, cgm quatro tumores bastante volrno-
sos, no estado indolente, que a privava de
pr-se depeba muito tempe, com o osos
do xarope alcohlico de veame epiralas pur-
gativas do mesmo, acha-se restablecida, e
no uso dos medicamentos os tumores ter-
minarais, pela suppurafo
A Sra. D. Rita, moradora na rna de Santa
Rita n. 13, primeiro andar, soffrendo do
de Latrey, de salsa parriWia, de saponaria,! oleo deftgadodebacalhSo, e outros agentes d*j'?#}dem'*J*ber }eilar*> "'> gram-
de^ta ordPmnada rnnspcrnirim F' pIIa Ho ^,cal' or,hoK!"'!>. awrbmelica e suas applica-
uea oroem naaa conseguiram. L elle de ces ao eommrciq, com especialidade a' redaeco
fcil aigestao, agradavel ao paladar e ao ol- das. mods, pesWmedirtas, clculos de descomo?,
phato. Alguns mdicos desta cidade e da juros4simples-e compbstos, iher(a d cambios e
de Macei o teem recommendado para- a cu- "LTfc^L k.
-.4.- v^ Para 2 coufereme sobre s mesmas materias
1 .. l. V i exigaparaofflbis(l'Ji*(l>oarjaa maisas segnin
lmpigens, tinna, escropbUlas, tea: Ibeona, de esetiptnracao mercantil por par-
I umores, ulceras, escorboto, ""idas simples e dobradas e suas applicaeoes ao cera-
Gancros sarna degenerada, fluxo alvo. ES! "*hK?ao* f inguai ingieza e
tj ,.., ^ franunta ou pe o esos da ultima, orine Dios ae-
Todas estas affeccoes proremde urna can- raes de geogrVpt.* e historia doXasiiaigePb?a L
sa interna; nao ha pois razao aiguma em as eqaiac5 do segundo gra, estastlca commercUI
crr que ellas se podetu corar om remedios'e Pral|ca do servigo da repartigo em que esiiver
externos. Tambem se prescreve o xarope' ?."nd,'to' p?" TeBf4ra^ia'for mprenado; e
lftkknr:wu j. 1 r/4V'ovl'"w *a"fo ueste cato sea dispeosado de>exame era na qaer
aleboolico de veame para O tratamentO da* das materias cima mencionadas em que mostrar
aieccoes do syslema nervoso e.fibroso, taes I ter_sido approvadai
como:
Gott, rheumalismo, paralysia,
Dores, impotencia, esterilidade.
Marasmo, bypwcobdria, emmagrecimento.
O xarope aleboolico do veame sobre
tudo, da maior ntilidade para curar radi-
calmente, e em pouco tempo o rbeuma-
timo.
Segifir com hrevidade a bem eotrbeelda e ve-
leira barca poriogoeja S. Manoel II, por ler gran-
Tfndo comMfssad directora d:%xpdsQrjo desta de Par,e de se carregamenlo engajado, para o
provincia, em,,sesso de 4 do correle, resolvido resto da carga e passageiros para os quaes lem
transferir a jprtiwa da eiposico para o dia 7 da i magnficos eommodos irata-se com os consignata-
setembro prximo tuoro,- assim o fago publico aos;rios M- J- Ramos e Silva & Genro, ra do Vigario
indusiriaes a mais pessoas que lera de concorrer D- t^ ou ftofB cP'lao a bordo.
aquella fe.-ta; pre'venindo-os de que a remessa dos
prodaclos deve ter logar de 15 de agosto, em
atante.
O secretario interino.
___________GercastoRodrigi^s Compeli.
Santa
E para 1 conterente sobre as mesmas materias
(dadas as mesmas exceptes) e mais as segaintes
sereorn*tria,arometrla, e pralica dos metbodos e
uso dos instrumentos modernos de arqueacao de
navios.
Os candidatos, que nao forem empregados publi
eos, de vem a presentar documentos que provem
Hade completa de. 18 annos, Isencao de culpa e
pena, e bom comporlamento. Os candidatos porm,
ao lagar de 1* conferenle, qae s o podem ser em
1 asa de Misericordia
do ft ec?ife.
0 Sr. comraendador Jos Pires Ferreira, thesott-
reiro desta santa Casa, manda faier publico, que
no da 30 do_corrent"(segunda leira), pelas 10 ho-
ras da.manha, no salo da casa dos expestos, ta-
ra pasamento das mentalidades vencidas at 30
de junho prximo Ando a todas as amas, qoe se
apiu;ealarem acompanhadas das crianjas, que
Ibes forana confiadas. '
Secretaria da SantaCasa de Hisericordia do Re-
cite, 24. de julho de 1866.
O escrlvSo interino,
_____PedroiRodrlgues de Sonza.
, O Ulna. Sr. inspector .da_the?ouraia de a-
zenda da provincia de Pe^oambuco, manda fazer
publico que se acha devoluto o ttrreno de marioha
n. 33 A, sito na ra de Santo Amaro do bairro de
Sauto Antonio desta cidade para ser aforado a
queui o requere/ ao Exm. Sr. prndenlo da pro
viocia.
Secretaria) da tbesouraria de Pernambuco, 26 de
julode 1866.Serviudo de ofBcial-maior, Manoel
Jos Pinto.
I'oi lo por Lisboa.
Segoir com brevidade o brigue portu-
guez Esperanca, por ter parte do seu
carregamenlo engajado, para o resta e pas-
sageiros aos- quaes effwece excedentes eom-
modos, trata-se com Conha Irmos & C,
ra da Madre de Dos n. 3 on com o capi-
to a bordo.
Rio de Janeiro
Nestes quinze dias seguir para o Rio de Janeiro
o patacho nacional Esnieralda, tem a maior par-
te da carga prompta : para o resto qae lbe falta,
trala-se oa ra do Brum o. 66, armazem de David
Perreira Bailar, oa com o capito do referido
navio.
v. n
Para Os
Adverte-se que o verdadeiro xarope s se! Prefcads pblicos, devem-mostrar ler tido pelo roe-
vende nesta cidade na botica cima indica- ,fo3^nos e ^roieio de.ooi.ferne emaiguma
da, do abaixo assignado; e em outra qual-
quer parte que se tem annunciado nao da
mesma composic;3o, e nem o abaixo assigna-
do se responsabilisa.
Jos da Rocha Paranhos.
"COMMERCIO"
Se< retaria da tbesooraria de azeoda de Pernam-
baco, 6 le jalbo de 1866.1
serviudo de offlcial-maior
Manoel Jos Pinto
DECUMCOES
.....' Olll Lir'-
Ca xa filial do banco do Brasil em per-
nambuco 13 dejulko de 1866/
A calza descoma os saques de sen aceite pela
de 6 0/0 ao anoo,*saca aoar* a caixafllial na
|iT|f'"iii iii -l .IJ1ILU'
Wo dia 27 do corrente, depois
taxa
Babia.
da audiencia
do lllm. Sr. juiz de orphaos, teemde ir a praei por
lempo de tres anoos, a renda da casa de sobrado
n. 17, da ra e.-treita do Rosario, por menos a 5*
paste do sea presente reodiwanto. E'* ulma
praca.
"^^ArrtmtaWnr^
No dia 28 do corrale, depois da audiencia do
Caixa Filial do Baae do Brasil em PornaaMe I"ID- Dr- Juu municipal da 2* vara, vai a praca.de
yenda o escravo Joo, com 36 aonos de idade, ava-
hado por oOOfi, por execu^ao do te nenie coronel
Justino Pereira defera cantr Joo Mauricio Cu-
idoso.
aos 13 de julho de A8C6
De ordem da directoriasefaz selente aos senod
res accionistas $*.'<*RMWRMif!o*3sl autorisa-j
raz1ol%2/Vda^^^^ dpSt *i,a*
O goarda-lrvros
Igaaoto Xomta Gorreia.
\oto banco de| Per nam-
buco.
O Novo Banco descorita letras a 9 por cont
ao auno
604:687^774
........
(SOLANUMDM PANICULATLM DB LYNIQ )
As virtudes tberapootreas da juaubeba de-iwM.ln:i Pe'le- oade produz inflammaejo,
popolarldademimensa, applrcada pelos medteos e multas pessoas, por n5o
pelo povo, anlmaram o abaixo assignado a iacer nientemente
de-sa planta am extracto e diversas preparaedes,
de modo qoe os mdicos poderse escoMnr
aquello
qua sais me convior, se#ODdo a molesUa qoe Uve
rem de combeter. Os medicamentos assim prepa-
rados sao o emplastro, olio, timara, pillas, xarope
e vi DDO.
Os mdicos desta cidade lem receilado ai prepa-
raqSes de joro beba do abaixo assifoado sempre
com proveito: *
Bro Paris e Riode Janeiro e oairas cidades ja.
sao eoobeeidasaspreparaedes dejarobeba do abai-
xo assignado, azendo-se apregoar pela imprensa o
elogio desse medicamento. O abaixo assignado
comprow o qoe flea diio com os nomeroos certifi-
ALFANDiSOA.
mesmo mal.ha mudos anoos, pois que a ery^ Hendimemo do da i a ib,.....
sipeWa ataca va amiudadamente, depois que dem 4o dia 26. f/..
tem tomado esse remedio nunca mais lbe
den. -^
Outros muitoatactos destajordem doixo; HgmtEtftQ,J)kaleand^^
de mencionar aqu para nSo me tornar pro- Volnmes entrados com fazeadas... 87
lixo e enfadonnoi com ^eneros.... ^63
Sendo a erysipella urna mol^sa que sem. diurnas aa*do cem axendaadJ
duvida eeffeito de materia ge rada Boeorpo i Com gneros?'.,,
como expoem algn esenptores de raediel-
na, e em consequencia da febre lancadi nir, :nI?escarWq Me? de jnjuo,
a 'nno Birca '"'a-Jffor-mereadblas.
nw Barca agleu^-rAdfphoidem,
Se tertin con ve- Galera francezaAietedem.
tratado, suecumbem COM 0 Barca norueguensa-rC*nsr-farinha de trigo
pernicioso uso de que, nos tres diasnSo de- tJ^V^T^'
vem usar de remedio algum, o que faz-se, ^IV^lTs^V^r^1^1"^
esiener o mal por nao se ter a principio Bngtw portoguezF/-iBa-pedraj, .
combatido; por isso, pois,
Pela administra^ae 4o crrelo desta cidade
se faz publico a quem ialressar. possa, que desta
data em di .ote se cba em execuco nesia admi
nistrag4e.e suas agencias os docreio e iosiroccoes
segaintes.
Correio de Pernambuco, 23 ae jalno de 1866.O
administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Directora geral do car reos.
Era virtud* dot deereles ns. 3,443 de 12 da
abril de 180S, 3,532 A de 18 de novembro do mes-
16;#98|26 ^mo anno, e 3,675 et il'ttm mez, cobrar o cor-
~. relo do dia Io de jolbo em diante as segaintes ta-
Irispecco do arsenat t\ marinha
A iuspeccao recebe pedreiros e serventes para
as obras do arsenal.
Iasuec^o do arsenal de marinha, de Pernam-
buco 20 de julho de 1866.
0 secretario,
Alexaadre Rodrigues dos Aojas.
Correio peral.
Pela administracao do crrelo desta cidade, se
faz publico para fias convenientes, que em virtde
do disposto no artigo 138 do regulamento geral dos
correios de 21 de dezembro de 1844, e artigo 9 do
decreto n. 185 de 15 de maio de 1851, se procede-
r o coasummo das cartas.existentes nesta admi-
nistrado, pertencentes ao Diez de julio de 1865 ao
da 4 de agosto prximo, as 11 boras da mapha na
porta do mesmo correio, e a respectiva lista se acJu
desde j exposU aos interessados.
Adroinistracao do crrelo de Pernambuco. 26 de
jalho ae 1866. .
Odministrador.. ,
_______ Domingos dos Passos Miranda.
Carrero gera,
Pela idministraco do correio desta cidade se faz
publico, qae em vfrtnde da convenci postal cele-
brada, peles governos brasileiro e francez, serao s
pedias'malas para a Europa no da 30 do corren
le, celo .vapor francez Navarre. As. cartas serao
recebidas. at 2 boras antes da qae for marcada
para a sabida do vapor, e qs jornaes at 3 horas
antes-
Administrado do correio de Pernaoibuco, 2?de.
jqlbn.de, 1866. J* *
O adnrralstrador
Domingos dos Passos Miranda..
- '1. .- UJi'lJJJ-JJJBULi-J,J. I..-_1-JJU
A barca, portugueza GraUdaa a sabir com toda
brevidade por ler prompto quasi lodo e seu carre-
gamenlo ; para o resto qoe lbe falta, e passageiros,
para os quaes (fferece boas accommodacoes, tra-
ta-se com Manoel Ignacio de Oliveira & Filbo
largo do Corno-Sanio, n. 19 escriplorio, oa
Praca com o cap nao.
Pnra o Porto.
Segnira' eem brevidade a bem conbecida e mui
veleira barca Claudina, per ter parte do seu carre-
gamenlo engajado: para o resto e passageiros, aos-
quaes olfcr>*: excelientes eommodos, Irata-se com
Cunta Irmos & C., a' ra da.Madre de Dos n. 3,
en com o capito a bordo.
UIUES.
L1SI1.AO
Da taberna no becco do Garapello n. 4
Cordciro Slmes
por conta e risco de qaem pertencer fara leilo
dos gtneros, armaQo e mais utencilios da taberna
cima dita, a qnal propria para algum princi-
plante por ler poucos fundos, cajo balanco est em
poder do referido ageole a exame de qoem pre-
tender.
IIO JE
as 11 h .ras na mesma taberna.

mi; trico
DE
21;386*W0 xas de porte :
GorreflpendeHcias para interior.
As cartas qoe circulan) dentro do Imperio flcaa
sujeitas ao pagamento da taxanoiforme'de 100 rs.
por pone simples do l^graromas (4 oitavas), oa
630., fraceao de 15 grammas, qnalquer que seja a dis-
tancia qae. tenba derp-coTrer por mar oa por
trra.
Para as cartas de maior peso adoptar-se-ha a se-
guala progressao :
At 30 gramtwrs...... 200 rls
De 30 a 80 ditas...... 400 .
De 60 a 90 ditas......600 i
De 90 a 120 ditas..... 800
an,\o
-
...
O agente Marlins levara' novamenlea leiriopor
despacho do lllm. Sr. r. jofz especial do com-
titerero as dividas activas da massa fallida de Joao
Jos da Silva Villar & C. e Villar A C, n>1m-
portancia ae 5:140^360 rs.
Seganda-feira 30 do corrente.
Emaeoescripwio ra da Gatfia n. O, primeiro-
andar, as II horas.
ll
EMPRBZ-COHIttB.
13* recita da assignatura.
Sabbado 28 de julho
Hepresentar-se-ha o muito inleressante o sempre
applandida drama em 4 actos
748
GASPARD HASER
Terminara o espectculo com
acto doSfPettna
m
comedia em 4
E assim por diante, augmentando sempre do
US
pules por 30 grammas (anjagnea) oufraccao.de
30 grammas qoe accrescer.
Os tutos e mais papis do foro pagarlo somente
e conveniente- Barca, portoguezaEs^raufa-diversos gneros, njiiade dessa taxa.
DotQohn niAi.nal__f n /n ahmina V. V --t.___.
que, logo que algoem' e sentir atacado de **?** naci"nai-Car*an-enaraue.
tal mal. deve provocar a transpiracdtomao.- ?r,goe **>-^-
do ao principio urna colherinba de cbi do
xarope alcohlico de veame dissolvido em
urna chicara de infoslo de flor de sabo-
gueiro quente, adocaddo-a com mais assa-
car, continuando nos tres dias nesse trata-
Pa tacho
SBCEB"
ORIA DE
RAES DE
StdSxe^.:^:::::::
rem.
..^'INTlBUMS GE-
PERNAHBUCOr
33:406*317
77963
33:882*280 jolotes
Nat estao comprebendldas na precedente dlspo-
s|cao as cartas expedidas de nm para outro ponto
das cidades oode for eslabeleeido o correio urbano.
As carias desta calnegoria pagaro a taxa de 50
rs.. por porta simples de 5 grammas oa fraeco de
15 grammas qae accrescer.
Pagara, porm, somente a taxa de 20 rs., cada
ama das cartas especificadas nos paragrapbos se-
0 inglez, maGhinista.
Gainer, iogtei...... Sr. Rayando;
Fe'ioio........ L*m*t>
N^rretr....... pbiou
Alberto........ Pones. :
Clemencia....... Sr.' Jesoioa.
MariquioJjas....... Leopoldina.
Jo1'......... Hewiquet*'.
Principiar as 8 horas.
AVISAS MARTIMOS
LEILiO
Da refiaaeo da ra de Hortas n. 7
com lodos seos perteaces.
Cttrdelro Hnen
competentemente antorisado faca' leilo da refina-
c*o airoa dita com lodos o^perienees propria pa-
ra principiante por ter poneos fundos e toma-se
recommendate! pela graode fregnzia qtir aetwl-
mente tem. O balaoco acha-se em poder le as-
mo agente, cojo lertaoter lagar
Segonda-feira 30 do corsete a? 44 horas
No armazem a ro* da Gada* doeeife d. 20.
lil^ILV
_ A SAB
Lm onradode om andar e sojo com
armazeos na raa do Apollo n. 8.
ma casa. ,ltpea con irea parta* de-reBle a raa
Terca-felra ?1 da Juloo.
0 agente Pilo hgalmente antorisado tari leilo
dos pi edios cima mencionados, edificados em boas
ras, as 10 horas do dia cima dito em sea escrip-
torio a ra da Craz n. 38.
AVISOS DIVERSOS

Para o Porto por Lisboa a veleira e superior I retira-so para a Europa.
Joao Felisardo d Amerite, obdilo porirjgnei,


-
j



>1-J
t*mv*<9*m *

-v
Anua na matriz ae Saa-
to. AUhi >. ,<_
w wignrg'w t>ma jjsrTffir
pnblletp a f**4a de ima: heroica
ftdrtimr* Sehora"Santa Ana fica
tr9ferMM|ar'Wiill:sJuitHnc
vista qie ato nie ter ig*H 29 do
6#freo1e pop mtiv'os imprtfisios.
Coa^islwio'da iltvoefy 26 tc jallio
do 1866.
Mm
0 escrivo
Jnior4
Bfliarminnd.$;S*.ilod Bolao
ra das Orlizes ni 42
vende-se.
Qiieijos lo ultimo vapor.
Doce de golaba A latas.
;< Manieigailorleza.
Ojta fraaaeza
Cha de'4iver-as qoMidades.
Vtho do Porto, Lisaa iguBira.
Gaz em latas garrafas.
E oatros muios gneros por mais rasoaveis
procos do qae em outra quilquer pa rte.
om
Corre
j)^M|i-8o aven
rana, ra do
tes, meios e quio1
tena-a beneflcitfTTla colonhacSb olactl'
(7i.7, sendo a exracSo no!-lugar o tora
do costume.
Os premios de-' &OOO000| aj iwooo
serao pagos ma b%rr*a epotffya'txtriacaoj
atas"3 bofatf iaM-de, e os.outros < epoig
sero guardada so-
"vespera da xtric|j5o._
" O jhesoreirb. j
Rodrigues da Soda*
FORTQM
Irmandadeft Senhora Santa
Attksul j
tete "senas oenvi*t*-sVaosinaos da manda-
da da Senbora Saola Anna, erecta na igrsfa da
8aolGrM a rJotbeartterem 9omig0 29 do cor-
- rente as 9 hora* da anhaa, para- em-mesa geral
' prdceerse aelelcouue lera de funcdouar as au-
no crreme de t% a {867.
OsecrMario
_______Franoeliao Beatero Ferreira Chafes.
avao e bu-m frtaos
I503D de rat.Hcaoe
Ao amanbecer segunda feira 33 do correte, fnr-
taram da estrada de Joo de Barros sitio da bosbba,
um eavallo e ama burrinha, o oavallo levou freio e
sellim, sando eosado e tora de eornmud por
ter o assento differente dos outro-, o cavado tem os
segalntessignaes : di meio rodado apatacado,
tero oVirablgo mallo katfeilte ponto de parecer de-
' feito, tem era um dos -lados no parta a marca A
moito visivel, a canda e dina bastante compridas
cascos grande ;* humaba prela, moito viva; pas-
seirs, eom um caito n:eita ra, a caada bastante coiapr-ida e os casos muilo
tem (eitos : a pessoa que os -pegar pola leva-Ios
na e-ticio das Cineo-Pontis di-9 horas da nuaha
-as 5 da tarde Nascimento Silva & C, agentes de
transporte de genero oo a qnalquer hora na estra-
da de Joo de Barros sitio da bomba qae proapta-
cnente receber a gratiftcspao cima declarada a nao
seqaer saber pem toram os autores da brlnca-
leira.
Reclfe 23 de jnlbo de 1866.
. I! II

flUillVV^
O bacharel Jorge Doruellas Ribelroi Pessoa mu-
dou o saa residencia para a ra de Santo Amaro
o. 14 (freguezia de Santo entonto ), onde peser
procurado.
Aluga-se urna eserava para o servico interno
de urna casa, nao engomma, faz as compras : na
ra do Rangel n. 60, segundo andar.________
Precisa-se de 2:000,5000 por 4 mezes cora ju-
ros rasoaveis, dndose por garanta parte de um
predio, que val mais do qae a quanlia cima e tres
escravos mais : quem tiver e quizer fazer este ne-
gocio annanciepara ser procurado oo va a ra do
Livra meato n. 38, que ah tara ioformacSes.


>'
**ti0
<& .distrtbuicle.
As .enasta,
mente at a noU*
"Arjtp.atoe
AA
i /

*
5 ^B

&A 5
8
MO

xVa ra dd'lrpmwhe n. it>
arMtis v*^tM#s depsitos ^0W]
] Pcu.B unighausera!\luits.
''"l- XtiamT)rtin tmto.
Rtebehoore tinto.
-i,i Chabs brani'o.
T\^Del *;Wotfta Fraicforl:
Haeno.
fiflfeejthaj}f.
!
n,.r
Bllhetes saraotldos.
A' RABHIRESPO N. 23 E CASAS DO COSTHB
O abaixoassignado veodao nos sens muit^fli-
tes bilhates gaBntflbsfljlotera qneJfcaBboj
de extraMr, a neirato aa raatrit de S. -Joat da
Heeife.oi segaBteagprlios :
N. 202 mio#lb N. m tres rlrntos'cotft sotte de HhH)>:
N. 2048 meio bilhete copa a sorte de 600,1,
N. 902 bilbete iiiralro-.com a m |f 200*f
E outras rauilas sbres de 100J, 40J>, '20>r
Ospossuidores podem virrecebersBTirrespBe-
tivos premias sanaos desaonios das laismacasa
daFortnnairaadoGrespon.23.
Acham-se a venda os da 1* parte da 1* lotera
(74*) beneficio da colon U ac o polaca,, qae se j
extrabira'seguoda-felra 30*do cerrete.'
PRECO.
BilHaie*. 8#0e
Meio......35000
Quintas.....1*200
Pffa as peatn qn camparen de 40600(1
part cia.
Biihetes. ... 5*500
Meios......2*750
Quintos.....1*iW> uO
MmioBL Martins FlBZA.
.yiD^^|.


ii
ft**?^ m-
De nra*ra Je Illem- 6r. pre>idnte.siir iQuselM dfliberativo, convido Udus os Rrs. conse-
I^M*^ re.<71?n:-* rs>5aaB##*inaria,
na salabas respectivas esiOes, .-.bbad,) 28 do cor-
tW#t*M*9,0*'rsv1airr^:
Secretaria de;coBlho deliLeraiivo duviabinete
Pjrtuuaf;iefj|ara :f PaiJUatuco 25 de
Jll^$66.

f

UlttUE LE rJE
E>te eacouracado saludo hontem do esialeiro, fez
a sua primelra viagem o'este Diario e dpois de ter
se>o que era para qm assestado sobre nos as suas
bateriasi aoltou urna torta granada, julgaodo que
os eslilhacos nos tinbam causado avarias. Nao sa-
bia porra o*encouracado qae nos eramos neutros,
e que tambem procuravamos os verdadeiros belli*
gerant-is que alada se acham oceultos. Este rom-
piraento hostil, hostilisou nos de v ras, e em defeza
de nn=sos bros ultrajados responderemos ao Mi-
getele que se continuar a fazer-nos taes perrices
teremos de Ihe avariar o beque de proa.
Os neutraes._____
Fabnc dt c Udeirei ro.
A mu imperial ts I o, 156 e |58.
Nao s* tendb reilisaio o leilo da fabrica de
caldeireiro do osat d) faliaeido S-Imsii.o Jos la
Silva, o agente Cordeiro Simos competentemente
autorlsailo recabe propinas para a venia da raes-
mi f-tbrlca, consistinli em machinas, metaes,
obras yara acabar, fornis ept-iocilios, onforme o
iavenlano que o rai-mi franpear aos preten-
dentes, ate o dia :1 di crranle maz, quando ser
effactaada a vend a quera mais der.
Prcisa-se de um caneiro que tenha pratica
de taberna e qae d Halar a sua conduela : na
ra da Pate Veiba n. 39.
PH0T0Gfi\PHI\
artstica americana
RA DO IMPERADOR N. 38.
Artista americano
Artista americano.
Artist t americano.
Artista americano.
RetratasRetratosRetratos.
Em porcelanaNiepcotypie.
E;n lencosArchrotypie.
Em vidroAmbrotypie.
Em metal=Daguerreotypie.
Em papel Talbotypie.
No grande sali da ma do Imperador n. 38
No gra i Je salo da ra do Imperador n. 38
Nest'j estabelecinadnto tiram-se retratos
em todos os systemas, com asseio e promp-
tiJao, desde as nove horas da manha
at as cinco da tarde ; assim como tem \
sempre a venda grande sortimento de cai-
xas'oas de diversas formas. Qnadros
ovaes>Bopartoots e todos os mais ob-
jectos e prodnetos chimicos, relativos a ar-
te e rebebidos Itimamente dos melhores
fornecedores de PARS e.Nova York, tendo
de todo i para todos es gostos e para toaos
os precos.
Salo da na do Imperador n. 38.
Salotla roa do Imperador n. 38.
O Dr. Gustavo Adolpho Walbaum
tem aberto seu consultorio medico a' roa
hda Cadeia n. 36, segundo a idar casa do
rHhographia Caris, e d coi sullas todos os
dias das 6 as 10 1|2 horas da manha e das
3 al as'6 horas da tarde. Chamados por
escript} podem entregar no primeiro andar
da mesma casa, no escriptorio do Sr. Ta-
vares & Caris. Tambem aceita chamados pa-
ra fora da cidade.
Precisa-se ama preta eserava para servicos e
casa e ra: na ma Dire.ta n. 127.
Precisa-se de urna ama de lelle.: na ruado
Pires n. 24.__________________ ___________
Sera' bera recompensado quem prender e
tronxer a raa do Imperador n. 17, am escravo de
nome Adalberto, pardo, baife^anafro, aae *epre-
senta ter 30 annos mais ou renos, da pernas li-
geramente arqueadas^ aara Unos grandes ex-
primindo no iodo bumildae a ianoceacia, quando
o ele o maior velhacoyfiWDtirDSO,.retinado adrao.
Alera de andar sempaaamlH iaWlri) bita encaar a cabeci para* lade diaeile *rapar
cblfode quaodo se acna refido.
I ti
na padaria da
t! I
r r'l I
> a, m 5
S S M
Kt
? & ? L



-
-
aplIZI^ !
ufradmiich.
.-rco/ntitier.
Efe casa de Tneod bristiansen, raa do Tra
pierre-nevo n. 16, nico agente no norte do Brasil
deBranderturg W.res, Bordeanx, encontraseef-
taotvaBeaaj deposito dos artigos seguintes : ,
ItS-a.
Larose.
Chateau Loville.
Gaaleau Margaox.
asai^ru**lS-
Uaal Sautemes.
Ctlatean Saalernes.
Ghateau Latanr Blanche.
Coalaan Yqueiw.
Cognac em tres qualldades.
Azeite doce. Precos de Bordeaux.
godo que Ihe dil respells.___
$f ttCOO* a premio de 1 1/2, pelo
eres, nUire ti*uthera nesia ci-
qutrii quizer fa-
Precisa-s
lempo de C a iii_.
dade, em beosile #otrado varef^w. H -
zer esle aegefectu tarta nera Kpographia com
gs iniciaos R..A. H
Sr. J0>e Columbrino d
,?g /
Aranjo Lim, senhor d' rwajrahfi Caetar, no
dQ TtfJB> 4- ___________ --..
larg
Wk 0 PiSOiHESSO
Ao^y^teiDame^ito decimal
Le ii. .107 d 26 de janln de 1862.
fJl"jf\lcla-' sJMetVfWMFar,9aas se'
r SStlfrt'J'i ni todo o iioperio p<-lo sy>t< ra ihp-
tc Iraoe*?! na p>rfe eerresprhfih ntc *? medidas
j lineares, de *op6t*ci<, ua^acui*.' e peso.
Art. 2.a E' u guvcriio uUirisa.. para mandar
vi di Europa i s Ofcesstr^s pSoroes do referido
Lompannia nevat hesoanhola *y*i*n>''' ***>*'>*ib fovmrrt-Die ateridos petos pa-
x '.'" r "oioes legaes.
d^, seguros
vida
mutUOS SObre a\ t l.^'^ttowaTwtriMSMjni^uirAgradwIfaeii-
I la, vi aciuaj sjieuia dc.pesos e medidas em lodo o
[ Imperio, de modo que em 10 annos cess'e inteira-
Capial subscripto at 15 de abril de !^<>o>ietao*ayiito8pe?osmedida.
fifi 4l9*4A7nnn ^ Du ^'e^P"""*. asWolade Inattoc-
louir. i. i.,iiw.i i/,,iim.. .jiDiiiipuarla, tanto publica* tomo i*rneniares,
Chegftu pelo nltimo patpe e trances Bxtremadu- compn hendero no nnsino de a.rUim< tica a expli-
re, D. arclio Francisco- do Vidal, que na quali- cacu do syslema rnetriccct mpaisdcom osy^tema
dade de subinspector da companhl^, esta' devida- de pesos e medidas que est artoalmente em uso.
mentwaotorisado paTa o desempenbo de suas func- Ari. 3.a O-gavernu..., podara-'impOr aos iotrac-
o6es. Oedinando-ge priacipalmenie 8'fazereoo-. lores a ina de prt.-:io at um mcz, e artilla al
tratos de seguro, e augmentar as MlaeSes da NA- 100#O.
; CIONAL dando a conhecer as vantagens positivas Altencio.
que a mesma aprsenla. Cheaaram a ra N.v n. 38, vindos de Pars e
InspeeMo dndistrieto (wa da Cadea n. 62), 6, all e ianvnte ahrldas. as meiidas nalrieas de
aejaino-ae-WbO. q*J irata o 2 anigo da le aafaW e vendem sapor
O inspector,

*- Precisa-se de tUtearnadores
ra do Rosario larga n. 81.
U$ que ilinal apparecea em letras
gordas o nvsso anigo da raa
Crespa.!!!
Ora bem vindo seja Sr. Simo 111 Gistei de ver
neste joraat osea norn* somo padrinbo de crisma
de varios dos seus cullegas. Que habilidado 11 Que
engeoho de rapiz II Eu te boto a minha, para
3ue sempre gozes de todas as cousas boas 1 Ora,
iga-rae l amigo, anda nimora, e calca pela
mesma forma. Desejo saber, para apetecer-lhe
manos mimiahos, pois o Sr. digno dissot t Mo-
qo, elegante, barbinha ruiva, parece mesuio um
belga 11 Kiga para os que te iavejam, e ba sorte
para es qae te admiram, como por exomplo, o tea
amigo
_______Migetele._______
A Prndente.
Tendo de retirar-me desla provincia no vapor
Tocirtiins, prximamente a seguir viagem para as
do Gear, ifaranho e Para, previno a todas as
pessoas que quizerem fazer Inscrever os sens no-
mes na lista .dos subscriptores daProvidente__
qae podem dirigir-se aos Srs. M. J. Ramos e Silva
& Genro, na ra do Vigario n. II, os quaes por
obsequio ao anaunciaate, daro lodos os esclarec-
meatos que se desejarem e prospectos gratis a
quera os pedir.
Pernambuco, 26 de julbo de 1666.
Oiuspecior geral da Previdente,
______________ Jos Pavaaira Moatinho.
Mulla allencao
Pede-se ao Illm. Sr. capitao do porto, que man-
de ver a bordo da sumaca hespanhola Ftmento o
estivador Manoel Epifaneo, pois consta que este,
sem ter matricula de mestre, nern llcenca de V. S.,
arvorou se em meslre e>tivador, poisxom este sao
doos navios que ell estiva, tratando por esta for-
ma cora desprezo as ordens de V. S., a tirando o
direito a qaera compele bola-la.
tfl
n
f
*
QP
Winiaiiiiii m mu
Jeronymo Jiaquim Fnua de Oliveir.i.
M Kpestoa qae pardefcua embrulho coeiendo
DM*steas para pteuo, daalo ns signaes certos ihe
ser entregue nesta typograpbia.
* PreciA-a de uta flbixelro com pfatica" de
balclo : na padaria da ra do Rosario da Boa-Vis-
ita o. 55.
a cima, e
paveo e mmodo ; tambera se vende a toem contie-
cida obraNucdes do Syetema Netrice, por Jos
AnlotMo Gomes Jooiorcompreheadendo aa preci-
sas explicares do iencionado tystema e laboas
couiparalivas da conversao das,,medidas de ora
sytlema as do oulro, aa eoofo? audade prescripia
pelo i do art. 2 das citada tei.
I
Cosinheira
Precisa-sede uraa criada para comprar e cosi-
nhar t no estabelenimento da ra Nova n. 28.
Precisa-sede ama mulher, h'dnes'ta e sem
familia, nacional on strangeira, para casa de pma
senhora vjuva ; cujo malcr servir que t'm a fa-
a'
do
ter, servir de enmparmia a donada casa
tratar na ras da Imperatri', primeiro andar
sobrado n. 15.
Precisa se de urna cosinheira para
familia : a tratar na ra da Unio n. 48.
casa de
enea
INJEGTION BROU
H jgi tnlc iDfaiiivci c VrcMrvattva, kfotaumeiuo a nica que mu* n
Vende-se na ra Nova n. 18, pliarmacia franceza de
P, MAURER i C.
No pateo de S. Pedro toja de biYbeiro vende-
se agna de tirar nodnas ferrfginosas em roupa
branca, muito apreciavel para os particulares e
engomraadeiras por tirar as manchas a' roupa d-
pois fella engomraada.
Deseja-se tallar com o Sr. Jos Colombnno
t Arauj- Piraa senhor do engenho Castor; no
largo do Terco venda n. 4.
Precisa-se de urna ama para comprar e cozi-
nhar : na ra Direila n. 2, Io andar.
Socielade Ki-.lla Harmona
A priraeira parlida da seciedade Bella Harmr-
i*aslabe.lecidaTja casa a 5 da ra do Trapiche,
lera' lagar na nonle do dia 28 do crreme mez.
Roga-se pois aos Srs. socios, cujea candes da
i Ingresso aiudj nao Ihes tioham sido entregue, que
I os mandem receber na casa da mesma sociedade
! cora a necessaria antecedencia.
Boavenlura Rodrigues de Amoritn,
Secretario.
Precisase de urna ama
do Rangel n. 9.
na padaria da raa
Os Drs. Antonio de Vasconcellos Menezes
de Drummond, Gaspar de Menezes Vascon-
cettos da Drummond, Jos Nicolao Riqueira
Costa e Antonio M ma Ramos, Albos e gen-
ros do primeiro matrimonio do brigadeiro
Gaspar de Menezes Vasconcellos de Drum-
mond*, convida m aos seus pareo tes e amigos,
bem como aos do dito seu presadissimo pai
e sogro para que se dignem de assistir a al-
guraas missas e memeou que por alma dalle
sero celebradas na igrata de N. S. do Cartae
desta cidade das 7 as Moras dalnaufia 8o
dia segunda-feira 30 do crreme mei, pri-
meiro annlversario do tal lee i ment do mas nao
brigadeiro.
II
I
Demppareceu da fabri-
ca de ca Ideireiro da
ra do Brum
O- menor de nome Graciano aprendiz de
caldeireiro com os signaes seguintes; cor
parda, idade 12 a 14 annos, corpo regalar;
j quando faUa apressado gagueja^ levou ves-
tido calca e camisa de riscado azul com que-I
seachava notrabalho, cujo menor orphSo
je foi entregue pelo illm. Sr.; Dr. juiz de-
;orpliosaiiin dossoeio'Jo estabelecimento
e4esdej protesta-se centra qnalquer pos-
PERFUMERA da casa oger
Bouleyart Sebastopol,
Des medalhas, a condecoracfto da Legin
d'hoaaenr e a grande reputacao que tem Ihe
dado o publico, taes sao as recompensas que os
servicos prestados a industria merecer a
esta importante casa desde sua fundacao am
1804.
N'um sortimento de mais de 500 artigas, d*
as pessoas elegantes escolherao os seguintes: d*
ROSEE OU PARADIS, extracto superfino d*
para lenco. d*
POMMADA CEPHALIQUE contra a cal- d*
vicia.
AGUA VERBENA para o toucador. d*
OXIMEL MULTIFLOR. d*
VINAGRE OE PLANTAS HYGIENICAS. d*
TINTURA virginale de beijoim. d
ROSEE DE LYS, verdadeira agua d d*
Jeuveaeio.
S5, Parla:.
CREME LABIALE de sueco da Rosas.
POMMADA VELOURS para amaoiar
pelle.
ELIXIR OOONTOPHILE.
SABAO dedicada as damas americanaa.
SABAO de bouquet de Franca.
de flores de alcea rosea.
de flores priatanires.
de bouquet do outano.
de perfumes exticos.
aurora, dedicada aos dedos cor da
rosa,
de flores das mentanhas.
de clieiro de foias aouveaux.
de bluets ebeirosos.
de atthea balsmica.
diapr, caixa rica, fantesii pari-
sieabe.
mmm)
O Dr. Ramaug medico-operadnr e ocu
lista estabeteceu seu consultorio proviso- ^.
no a' ra da Cruzn 25, onded cnsul- ^
t^ tas tolos os das,ilas 10 horas da manha g
5 as 2 da larde ; o Dr. Ramaug exerce ^
I igualmente tanto a medicina como a ci- jjkj
k rurgia, dedica-se porm com especialida- j
5 de ao tratamenio e cura das molestias
3R dos olhos, onvidos e das vas urinarias. JK
******* mmmmmmmm

M&k
PILLAS de BLANCARD
,ao sanunETO de fuiho, ikaiiteiiave*
Ap5rovadas pela Academia>cte edecma de Paris:
ADT01I3ADA9 PELO CONSEUIO Ur.ltC. | srf-PKeSBl*00
|eXPERIMENTADASNf>S HOSPITAS F. FRANfA. D CBV.r.FTA. tiA IM.AWliA, M TURQUA, BTC.
Matftm honrouu as F.xpuiiot Unieerfaet aeV#r'*, a853j e. de Par, 4855.
EsUiPHulas envolvidas n'uma carnada ii-sino-lialsaroica de una tcnuilnde exccssiia, tem
avanlagcm de seren inalteraveis, sem sabor, de um pequeo volume, e le nao cansaran o
orgas digestivos. Gozando das propiedadesdn Iodo e la Xerkc; ellas conttHn princi-
palmente as afieccos CMoroticus, Escrofulosas, tuberculosas, f.'ancrosas, na teucorrhta,
amenorrhea, anemia, etc.; enfim, ellas olTerecem -aos pralicos urna nicilicara das mal ener-
ficas para modificar astfealMiuic'Cs'ymp/iuiica, frats o Militadas.
*JV. aJoduae*"* awoa tatnle infiel, ianunle. Coaiscra** de pureza e -!e au'henridail das
verdaSelraa Pllulas de Blaacard, deve -e exl*> K>ellB de
pralaraacttaaoiua ayaM,aq r^rdSattda, qu taclia na parle
infcnar de um i-tala verde. Uen -aadaactotifiar das faUficaco*.
AeMaa -ae em ludan a NwrmaelaA. narmaeeuliro, ra Manaparte, 40. Pars.

FUNDIDOR E TORNEIRO
EM
METAES
Roa da Matriz da Boa Vista n. 36.

iSoaquoo ti ver em ana companhia.
I *k-r Pecsi-se oV bo* ama- tjne compre e coslnhe
i para urna casa de pouca Xamilia : a raa aova 46
.-SaaOtaB.-33.___________________________^
Precisa se e una ama para
fewimarparattrs* de pouea* fmilia
Crespa n. laVngaraao .andar!
INJECCAO BROW.
Renwdio iofaflivel as agriOirteas antigs Qliem pfeclsSf dA um
recen, tes, nico deposito na piarmacia ,f0pi i dirijn-je rm w-iva n. m.
cosinhar a en*
na' ra da
isinneiro porta-
mmmmkmmmmm
H DEPOSITO BE GiLCADO
IR ABBIGAO0 KA CASA M DBTBNCi
fiS llHS \OT II. I.
m Ahi so eneontrarao obras ie di- aV
S feraa8quaiidade,por precomoi 2
a diminutos a retalbo e sai ponyes, #1
S so vende a4iohro. i-fjjf
Escriptorio,
Urna pessoa hablWad pela locg-a pratica
artporaeo?rece-|ta^agum* cwa eommer-
cial : ajaem poiatpeaiitsae *rf9rse* roa do- R:iti-
gel n. 17 ou annuncie para ser procurado.
1 o Sr. Francisco Minol ae Siqueira.
GARIUUX, -Ofi'LltlLHAGAR S'C:
ILIBBA'
RA DO CRESPO N. 9.
LivnoB Mcionses e estrangeiros.
RtUgis* dtretf,Htemtura, etc.
i
Precisa se de urna ama dando-se preferencia es-
crav : pa ra do LiTrametito n. H.
Precisa se de ama ama para casa de ponca
familia : na rna da Penha n. 23, 2" andar.
Precisa-se de tima ama para o servico de
urna aaga. de pou-a firairrr: na raa da Crac na-
mero 21.
P.PBS POTADAS
Sortimeulo de papis pintados e
91 lindas guaroicops para forrar casas.
98 N t LIVRARIA FRANCEZA.
H N. 9. Ra do Crespo N. 9.
Mudanza de residencia
O Dr. F. Portella, medico opera-
dor pela faculdade de Paris, transferid a sua resi-
dencia do largo do Carmo para a raa Nova n. 46,
irimeire andar-,ende continua a exeroer sua pro-
Qsso especialmente as molestias de olhos, das
vias urinarias e de pelle.
Consaltas-todos os dias das 6 s 10 hora- da
tnauBa.
Clamadospor escripto na supradita casa ou
oa pliarmacia franceza da mesma ra.
-Mugs um sitio era s. Jos do Man*uinho
rio da igreja; com grande casa de *ivioda, co-
iribara clelra, juartos par* fattor a pretos, tan-
e com bello ban&eire, mu tasar varas de froctos,
ande baixa de capim : a tratar no masmo sitio
com a dona a senhora viuva Carvalho.
Alaga lambem a mesma senhora um terreno
grande proprio para planta de capim, tendo sabida
pela Capunga Nova.
Pa pelanas o lijeatos para escriptorio.
Papis pintados para ferrar casas.
Assigiiaiuras para os jomaec da EtfJ
ropa*
vocal, visto que se tem dado com solicitode ao es-
tado pratico de sua arte.
O meslo J. Celho Barbosa desejando salisfazer
a toias as pessoas qae qaiterem ulilisar-se de seu
trabalho, presta se tambem a qualqoar Mamado
para fra da cidade, podeado ser procurada na
ra da Cadeia Nova n. li. das 10 ao meio dia.
Aula pblica"
de iusU-icao primaria do sexo femluino
A professorada 3* cadeira de iaslrucgao prima-
ria do sero femicino da freguezia de S. Fret Pe-
dreGoncalves, nHimamente creada pela assemblea
legisiauva provincta, avisa aos pas de laaaiHas,
qoe se acba abena a respectiva matricula na casa
n. 9 da.rua de yigario, onde,a aula fpnccionara'.
Precisa-se de unu ama parlailamente : na rna do Li/rament a 4.


D. Mari* Iti.-arda .1^ S--uza llego e seu
Hlhos agradecem mui cor lalmenle a toda?
as pesoasqne tiveram a onda'de de assis-
tir ao-luneravol '- si u muito presado mari-
do e pai, bem como ao inulto digno Sr. vi-
gario de Campia Grande que gratuitamente
se diguuu de cWehrar ini->a por teoi;o do
mesmu fallecidi. 0< u-sinos novamente
pedem a srus pareles e amigos o ob.-equio
de asM.-iirtm a niisa e memento que no >e
timo dia se ha de celebrar no cenilerlo pe-
las 7 horas da manha de 27 *do correte.
Oulro sim previoem e rogam aos Rvms. Srs.
sacerdotes e religiosos, que nesse dia pode-
ro celebrar missa com a esmola j estipu-
lada.
mmamammmmzt

*v2L%
v
1
A quem iuteressar-se
Jos Coelho Carbosa tea 'o chegado a esta cida-
de onde continua no exercicio de sua profissao,
dedica-se coa espeaaliade a-ensinar a msica medicina,Sao bastante condecidos oas pbar-
WMMW
Os Srs. Perclllano Pe- -^
res (Jaupello e Felielaoo ^
Rodrigues da ilva, diri- ^
jara-sesi loja da ra do Crespo n. sfe
17, aregocio. M
mmmmmmmmmmm
lUaUBEBA
A jorubeba urna das subst,ncias medi-
camentosas, que pertencem ao reio vege-
tal, e perlence clas.se cus ton coa e des-
obslraentes, sendo empregada com vanta-
gem contra as febres inlermittentes acom-
panliadas de engorgilamento de figado e
baco. Ella tem sidoapplicada com incon-
testavel proveLto contra a anemia ou chloro-
se e hydropesia, catarrbo da bexiga, e mes-
mo para combater a menstruacao difBcil,
resultado da mesma anemia ou cnlorose.
Extracto aicoolico de jurubeba.
Emplastro idem.
Oleo idem.
Tintura idem de idem.
Xarope idem.
Vinho idem de idem.
Pilulas de extracto idem.
Deposito, pharmacia de Pinto, ra larga
do Rosario n. 10.
HflvIitilBA -MACHO E PEMFA.
Debaix'i da denominagn dejurubeba
nascem nos sitios arenosos do Brasil dous
arbustos do mesmo genero, mas nao do
mesraosexo. Ambos uescem com lindas e
frondosas folhas, ambos prodnzem bagos
gramneos reunidos a' maneira de cachos de
uvas, pendentes deum pednculo curto. O
primeiro, isto o macho, pouco menor
do que a femea, apenas cresce at altara
de um hjmem, tem folhas men' res, nao
muito sinuosas, mas recortadas, com talos
guarnecidos de alguns espinhos.
as extremidades dos ramospioduz peque-
as flores como que juntas em forma de nm-
hella, de cor lctea misturada de azul celeste v.
as qiyes representam exactamente urna es-
trella de cinco ngulos e conslam de urna
s corla, modelada e como dividida em
outros tantos tringulos, sahindo do centro
cinco estames, ou lamentos, de maneira
que ao longe tomar-se-hia por urna flor de
borragem.
O segundo, miis alto, mais espinhoso,
tem folhas maiores, cobertas de pelo pela
parta infeor, elegantemente guarnecidas
de espinhos, recortadas de um verde vivo,
tendo a mesma flor que o macho, porm
mais ntida.
Ambos, em virtude do uso quotidiano da
Precisa-se de um escravo moco oa de mei*
idade, prJmJori9_*aM o servico diario de ama
Precua-se da m,aoaa para eminhar a eo-rca*a te Jasoibat qaesa o livor nesias condicoes a
#iranteai ra aa cruz n. vz e a proco B, Na rna do Crespo o.24 B, ha.umeampa** gommar para urna s pessea : na roa do Vigaria^ueira alogar,diri|a-se a ruada Cadeia do Raera, para casada horneen soltir-o : aa pxaca 4a-*ude-
_ 3^000.
n. 33, segando andar. Paga-se bem.
: I escriptorio n. 56, que achara com quem tratar.
macias. En vordae, suas folhas e sueco
s3o emprega*le para mitigar, como tempe-
jantes, e cuiaj as feridas e ulceras, e mui-
to favorecem a cura deltas. Pcsto que as
folhas e. raizes tenbam um sabor amargo co-
mo a chicorea e afumara, todava difcil-
monte poderiam ser c'assifioadas entre as
drogAS,-<}HwUes... Sotaes^, jar^jaluente
em virtude e efficaca, e mais amarga a
raz, com particularidade a do macho, que
consta de partea flau- Itattes. Por certo o
wsimenlp fjfijte faidespedir a ao mi na retida;
eapnji.carse..-,muita vez com feliz resutado
contra as obstruccoes do figado e da prsta-
ta em Uaaaajilasi ^Taireaaapperientes. Sua ulili-
dade e excellencia Oo taes, que n5o s pelos
s(*o^ustico
entre os remedios
Precisa-se de orna ama par comprar e co.'inhar
pendeacla a. 34.
\Ksoir-e .Hartgravt.)
wemeW aaaas'flliaes do banco
com ^esconW raicavel : aa paara da
^aaa
i
i


i

IiHa e re
- exUMraftf ele .Ji.ll le f 8M>.
Irritac&o dos#ulmoer. angi-
nas, tosse, escarros de
sangue, cr*po ou garro-
tilho, catarro, rouquido
e todas as innumeravei molestias que affec-
jao aos orgos da respirarlo
DESAPPARECEM
ediante a aeco da balsmica e irrev
ANACAHUITA
/
PE1T0RAL de KEMP.
a anacahuita mexicana que d o nome es-
pecial este incomparavel remedio, urna
arvore, cuja madeira por muito lempo se
ha usado no Tasipico para a cura das en-
fermidades cima mencionadas. Foi tam-
bem eosaiada e approvada pela academia
medica de fierlim O pe toral de Kemp
um xarope delicioso inteiramenle livre de
opio, acido hydrocyanico e outros ingre-
dientes nocivos.
A* venda as drogaras de Gaors A Bar-
boza, Bravo 4 C. e em todos os eatabeleci-
meotos pharmaceuticos do imperio.
Deposito geral em Pernamouco ra da
Cruz n.22 em casa de Caro__________
Thinaz Teiaelra Bastos, vai para a Europa
tratar de sua saude, e deixa por seas procurado
res : em primeiro lagar a sea mano Domiagos
das Neves Teixeira Bastos, em segundo ao Sr.
Antonio Jos Leal Res, e na terceiroao Sr. eoai-
mendador Antonio Jos de Castro.
SE6UM0S
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias:
na ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Attenoo
Roga se a quera queira prestar-se ao ensino das
materias exigidas para o concordo de offlcial de
descarga, a' saber : leilara, aoalyse ele, arilhrne-
tica e saas appllcacojs ao commerclo, rom f-ne-
cialidade redcelo de moedas, pesos e medidas,
clcalo de destnalo, jaros simples e compostos,
theoria de cambios e suas applicacOes; deiie na
typographia deste Diano o seu nome e o de sua
residencia, para ser procurado.
Os Srs. Manoel Rodrigues da Silva e Jos Pe-
reir Santos, teera;cartas na ra da Madre de Deus
armazem eotre a botica e a igreja.
A bem do sea interesse deseja-se failar com
a Sr." D. Antonia Mana Rodrigues, viuva do Sr.
Ricardo Chrisostorao Rodrigues, na ra da Senza-
la Nova n. 38, oaannuncie sua morad para ser
procurada.
O Pcitoral de Cereja^
DO DR. AYBB,
PA1U A CORA RADICAL E CER-
TA de todas as ioicstias do poito
c da garganta, tOaaes, constipajc,
Ji"ncJiit., aama, defluxos, roqui-
do, Coqueluche, angina, Diptheria.
Este xarope pcitoral o resul-
tado de longos almos de < -lino
por um dos prlmclros mdicos da
America do Xorte, o de experi-
encias Kiiunciosas nos principos
hotpilaes do mundo; reeeiudo pelos mdicos mais disUnctos
dc6te seculo na sua clnica particular, portauto digno de toda
contianca, 1, por ser efcni, alcwcando com urna certeza inal-
Ivel o assento da nioleiii e arrancando llie as raizes, assim
dando aos orgos afleetsdo* una aeco natural e s:2o, por
ser innocente e applicavtil a qualquer pessa de qualquer idtide
ou sexo, ao hamem robusto ou orlase* da mais tenra idade,
cada frasco sendo accompanliado de dlrrecces minuciosas:
.*'., e ultimo, por n&o ser un remedio secreto, pola qualqucr med-
ico ou pharmaceutioo pode obter a formula da sua composico,
dirigindo-se pessoalmente ou por carta ao agente geral, II. M.
Laxe, a ra Direita Xo. :5. Hio de Janeiro.
-"Muito- casos que tinlio zorabado de todos os recursos
da scicncis tem sido curados radicalmente com o uso do
Peitoral de Cereja.
As pessoas atacadas de tosse, deflu-xos, Dr da garganta,
Brondiite, asma, etc., c outros symptomos da tsica prima-
ria geralmente fnzem pouco caso do scu padccimvnto at
que seja tarde para cura-lo. Nao descuidis d' urna tosse
]>orque agora parece de pouca importancia ; urna tosse
descuidada chega n ser chronica c induz a formaeao do
Tubrculos nos pulmcs.
Nenhuma casa de familia deve estar sem um frasco
(leste xarope mo ; pois nos ataques repentinos de
Angina, de Croup, c nos paroxismos do Coqueluche; ou
tosse comprida a que esto sujeitas as enancas, nao ha
tempo de chamar um medico, nem de fazer remedios, e
este xarope alivia inmediatamente c pc o filho querido
silo e salvo, tora de perigo.
As molestias que esto ao alcance dos Yirtotles curativas
uo PEITOBAX. DE CEREJA sao
Defluxoa, Toases, Asma, Esquinencia, Brenchits,
Coqueluche, Toase ferina ou convulsiva.
Boquido, Todas as molestias do peito
e garganta. Consumpco dos Ful-
mes ou Tsica pulmonar.
Acha-se em todas as Boticas e Drogaras do Imperio.
tOildlL I RIO 1IKI1#1UV V1IIUHURW
DR. PEDRO DEATTAHye-OB^ gSC0Stt
MBII1CO, PARTEIRO E OPRAIIOB.
3 ua da Gloria, casa do Fundto *-*3
O Dr. Lobo Hoscoso d consultas gratuitas aos pebres lodos os dias das 7 as it
ooras da manho, etias- 6 e meia as 8 Loras da aoite, excepto dos das santificados.
Phartfiaciff espeeial homeopah&ca
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sorUmeuto da carteira.
tobos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos precos aeguinee
Ctrteiras de i i lubos grandes. 125000
> de 24 tubos grandes. 180000 .
de 36 tubos ranrjgg. % 245000
de 48 tudos graades. 3O00OO*H
da 60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualqaer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedioi
que se pedir. g ,
m tubo avulao ou frasco de tintura de mHa onca 1^000.
Sendo para cima de 12 castaro os pnecos astabelecidos para as carteiras.
Ha tobos mais pequeos cada um a 500 ris.
A melhor obra da homeopatbia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. JarS
dous^randes volumes com diccionario 1 .p ; .401. 200b
Medicina domestica do Dr. Hering ." & S..T!. lOdKMO
ftepertono do Dr. Mello Moraes........S** 6 Diccionario de termos de medicina M r > J2* 3^000
Os remedios deste estabeleciment sao por dentis coahecidos dispensan pet
unto de serem novameote recommendados as pessoas que qoizerem usar de remedio.
verdadeiros, enrgicos e doradores: ha todo do melhor que se pode deeejar, globos it
rerdadeiro assucar de teite, notareis pela sua boa conseracjo, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparagSo, 8 portanto a mato i
anergia e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para escrotos.
Recebe-se escravos para tratar de qoalquer enfermidade ou azer-se-lhe qualquei
ooeracSo, para o que o aoeunciante julga-se suficientemente habilitado.
0 tratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica,
mnecionando a casa ha mais de quatro annos, ha muias pessoas de cujo coneeito sa nii
pode duvidar, qae podem ser consultados por aquel i es que desejarem mandar sea
doentes.
Paga-se 25 por dia durante 60 dias e d'abi em diante 15500.
As operares serao previamente ajustadas, se nao se quhwrem sajeitar aos precet
razoaveis que costuma pedir o annunciaste.
ESTRADA DE FERRO DO RECIFE A S. FRANCISCO.
AVISO *
Da ,.u de ageste 4e j86>ait o tiro ayif, a partida des tifeHsjJe pigm^eires ser regulada pela tahUa egiinl^
____________ ? iviEMiot* aao ir\11 miow
''" i ji ii- .------- _, it'
ESTAgOES
Cinco Pootas
Afogadojtra.
Boa Viage
Prazeres .
Ilha .
Cabo .
Ipojuca. .
Olinda. .
Timb Ass
Escada .
Frexeiras .
Aripib. .
IUbeirao .
Ganeleira .
Cuyambuca
Agua Prela
Una. .
W : :
(crteRida
'(partida.

^f .
Ulan le se-
mana.
MAMA
li.
8
8
8
9
9
9
10
10
10
101
11
11
12
12
12
1
1
2
15
38
52
21
4Q
20
37
53
2.
43
r
no
45
5
30
TA fiDE.
H.
M.
8
25
33
15
Dominaros
MASHAA
H.
7
7
7
8
81
8
9
-9
9
9
l
U
!"
li
12
12
30
38
52

40
20
37
Ki
25
43
"*l
25
43
S
30
TARDI
H.
M.
ESTAgES
Una. .. .. .,
8 Agua Preta.......
2.v Cuyambuca.......
HGameleira '.'
UuRibeirio.........
-Aripib........f.
rrexeiras........
Escada......
rimb Ass ..
lnda ./ .. ..
poiea
Cal
..lik
(chegada
(partida.
. .
..
ibo.
Iha......
raaeres. ..
oa Viagera
Afogado ..
Cinco Pontas
lias 6m_
un
MASHAA
H.
M.
.. .
50
8
32
40
54
J*N"AA MANHAA
Dominicos
H.
11
11
2
12
12
i
1
\
8
2
1
3
451
10
30)
i;'
25
45|
15
331
so!
15!
30
48
12
20
34
40
M.
0
18
42
50
4
10
TARD3
1l
1
1
1
2
2
2
3
3
3
4
4
4
i
5
U.
4
10
31
50
10
30
50>
20
38
5
10
35-
53-
17
25
39
45
G. 0. Mann, superintendente.
TINTURARA
AO GRANDE S- MAURICIO

PROCESftOg tl>l 1(1 !< OMOS
PARA
Tlngir, llmpar e lustrar a vapor.
BOTICA E CONSULTORIO HOMEOPATHICO
DO
DR. SABINO 0. L. PINHO.
Ra Nova n. 43 floja de mannorej
A experiencia tem demonstrado rom a roaior evidencia qae os medicamentos homeopatblcos
preparados por meio do agitador dynamico sao os qae desecvolvem accao mais prompta, mais segura
e mais eflteaz
B' sem duvida pelo conhecimento desees resultados que constantemente recebe esta bolita en-
commeodas do Rio Grande do Sal, do Rio de Janeiro e da Baha, apezar de bavir nessas provincias
mu bem sorlidas e acreditadas boticas, d'onde se poderiam talvez obter remedios mais baratos, atten-
dendo as despezas de porte.
A segundada da accao dos medicamentos assim preparados se manifesta at mesmo qoando os
glbulos se acbam redazidos a massa.
Boticas de 24 tubos.....185 a 20*
de 36 tubos.....2o* a 301 .'-
> de 48 tobos.....335 a 40*
> de 60 tubos.....45* a 50*
Caixas de medicamentos em glbulos e tinturas.
De 2 tintaras e 48 tobos. 60$ a -70*
36 e 60 tubos. 75* a 8J* -
48 e 88 tubos. 95* a 1005
60 i e 110 tubos. 115* a 120*
Vende-se igualmente o THESOURO HOMEOPATHICO, obra essencialmente popular pela clareza
com qae ensina a conhecer as molestias e a erapregir (os remedios (2* edicaoj 20*000.
O Dr. Sabino O. L. P. d consultas todos os dias uteis desde 11 horas da manha at 2 da tarde.
Das 2 horas em dianle visita os enfermos em seus domicilios.
Em casos urgentes e repentinos as consaltas e visitas sero feitas a qualqaer hora.
As consaltas por escripto sero respondidas com a maior brevidade, precedendo sempre o tem-
po necessario para maduro exame e reflexio.
F.A

29 fiua 7 de setembro 29
Defroitea ? i Oavidor (Rio de Janeiro)
Os propnetanos deste estabeleci ment, o primeiro no sen genero no Brasil or
trabalbar com ai machinas mais aperfeicoadas para Ungir e lustrar, de que se faz uso na
Europa, e ajudados por alguns dos melhores officiaes de Pars e Lyo, podem assecu-
rar seos/regoezes urna perfeitfo no trabalho, a qual seno pode chegar pelos oroces-
sos ordinarios. e F yw
... J'Dlem' h\am' !imPam e demof,im com a maior perfeicSo e brevidade qualauer
qualtdade d>fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem moldar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de homen?.
a

H
LOJA
FABRICA MAGIOVAIi A VAPOR
99 RA DO MONDEGO 99
Deposito principal na na Xova n. 50 loja de relojoeiro.
Delouche dono deste estabelecimento partecipa ao respeitavel publico que tem
montado urna machina de fazer gelo, e que sua fabrica de chocolate poder funecionar
sem interrupcao, e para mais facilitar aos Srs. compradores de chocolate lem organisado
um servico de carro, que andar em todas as mas da cidade, os compradores podero
chama-lo.

*.
Pilulas Catharticas do Dr. Ayer
CURAO
T'rizan de nentrt, Indigest*, Constipaeao, Xheu-
maiUm, HetnmorrHoidas, J>ir de embeca, A. Xevrml-
VU, mal do Mtommgo, r.nxaqucem, mal do rigado,
liastrte, Feore OMStro-hepaticm, Lombrtovs. Erysip-
rlla, Hydropsia, Incremento do orneo.
TodM aa maleatiaa que provea do nao exeeuiro de
Quinino.
0 melhor purgante at hoje conhecido.
Estas pitillas anacaradas sao puramente vegitaa.
piTBGio i rramclo sem mekctjbio.
A venda em todaa as Boticas e Drogaras do Imperio.
Afiarnt eial,
H. M. LA1TE, Bu Direito Wo. 15,
Bto de Janeiro.
Vende-se em Pernambuco:
na
PHARMACIE FRANCAISE
IdeRMAURER^C
ra nova Nr
PREQO.
Meia libra......... 400
Urna libra......... 800
Urna arroba ........ 19)5000
GELO
As pessoas que quizerem gelo para soire ou bailes, podero dar suas encommendas
ao caixeiro da casa, ou na ra Nova n. 50 aonde tem um deposito As pessoas mora-
doras nos arrabaldes da cidade querendo levar gelo pela manhaa, po:!erio deixar um
caix5o na taberna junto ao portao da fabrica, que acharao na volta suas encommendas
prompta s.
Na mesma fabrica lazem-se cadeiras franceza de todas as qualidades, e vende-se mais
barata que aquellas que vem da,Europa.
DAs FRAIA:rA1 AMAZONAS
. 5 Huh do Qoeimade n, 5.
MonteiroA GuimarSes, participam a todos os seus amigos e freauezea me rprphpm
cor?e nondentS TSltollZVS* *d r^Inlv de ?amburgo, Pars e Londres, na escllia de taes mercadorias tem
merecido a approvacSo das encantadoras Pernambucanas. mercauonas tem
as cores eaaSSb?ihrr;Ceber ,pel ultlB, vapor gran(!e ^edades de sedas de todas
ll^l^^e^SL"^, P.r lo,dos os vapores luvas de pellica, (doafamado
Sdinabordadnfi uZt collor,,da de graDde novidade na Eur0Pa> vestidos de
Z^M^J^?t!u\ graCd6 t0n' dUS de Ppelina mui^biques, ditos
ondas de seSf dSJ 2 TT,00?^05 tord.dos a ponto de cochel, ro-
Wd oentes na rk ?Hp' mdlt? de alod3' <**ta, de guipour de seda, e de al-
Snha f Srmisfnh?, S?; P,,antas,a) enfe.tespara ditos, manguitos bordados e
foatainnnto^^^^1" P3ra JaDtllas mni lindas paisagem, prc-
rite dePpifh ZiJT pf7\ Chapos de Palha enfeitados Pelas melhores no-
11 i ntremelos bordados Anos de differentes larguras, riquissimos cintos
c^dta^SS,Chn^.(b0rdad0 namesma fila) ba,f^ de hasteqas-7a?o ame"
5e sol d seda r,B, Pa''a gU.arnC de Sa,aS padr5es ******* chapeo,
Maria Pia rp\n ^^ JSk ditos
Lro cIk cestin,ialscora todos os pertences para meninos de escolla. aias bordadas
l^ttf'iE^^^ "> &sesXs e claras, BffS
dnheiro nnJn?V Dolfs de taPete Pa^ vagem, ditas de vaquetas para guardar
eslabXimento aS qU6 "?flndem Pr menos pref0 que em O'ro
Riquissimas fivellasde chrystal para cintos.
Meios aderecos de chrystal (novidade.)
Cintos muitos ricos, etc. ''
Perneiras de guthaperche para chuva.
CASA DE BAMIOS
26 Pateo do Carino 26.
Neste estabelecimento t5o impor-
tante para a saude e asseio do cor-
po, acham-se montados 20 banhei-
ros, que s5o servidos com a ordena
e asseio que para desejar-se. Qaa-
tro destes banheiros sao especial-
mente reservados para senhoras e
poristo acham-se collocados em lu-
gar reservado, aonde so tem entra-
da as pessoas de urna mesma fami-
lia.
PREgOS DE BANHOS AVULSOS.
1 banho fri, morno ou de
chovisoo...... 500
1 dito de choque .... 1,5000
1 dito de farello...... 1,5000
i 1 dito aromatisado l000
PREgOS POR ASSIGNATRA.
30 banhos por mez fri,
morno ou dechovisco. 10*5000
25 banhos com cartoes pa-
ra os mesmos .... 10,5000
12 ditos ditos ditos 5000
12 ditos ditos de choque. 1O0OCO
12 ditos ditos de farello.. lOrJOOO
0 estabelecimento estar aberto
nos dias uteis das 6 horas da ma-
nha as 10 da noite, nos dias san-
tificados das 5 as 5 horas da tarde.
L\
a\
DE
O NOVO DESTINO
DO
11
23 Largo da Terco 23.
Joaquim S. des Santos, dono deste bem sortido armazem de molhados, participa
ao respeitavel publico, e principalmente aos amigos do bom e barato, qee est resolvido
a diminuir os seus gneros por muito menos do que em outra qualquer, por tanto espera
dos seus amigos e collegas que venham comprarem a primeira vez para saberem a gran-
de differencia do que se fosse comprado em outra qualquer parte, por isso fago annuncio
de alguns gneros e por estes podem regular os outros.
Cerveja de diversas marcas a 500 e 560 rs. a garrafa, e a 5,500 e 6$ a duzia; vi-
nbo de todas as marcas F. S. E. P. a ioo, 440 500, e 640 rs. a garrafa e a caada a
3)5500 ; caf do Rio das melbo es marcas a 220, 240 e 280 rs. a libra, e a 6, 7#, e
7,5500; a arroba maoteiga ingleza de primeira e segunda sorte a 800 e 900 rs. a libra; fras-
queras com genebra de Hollanda e bamburgaeza a G> e 6,5500; manteigafranceza de pri-
meira e segunda sorte a 560 e 600 rs. a libra; cha de diversas qualidades a 1,5800, 2,
2,5500 e 2*5800; arroz pilado de primeira sorte a 120 rs. a libra e a 3*500 e 3800 a
arroba', gaz americano a 440 rs. a garrafa, e em latas a 100 ou duas por 19500; fras-
queras de genebra da Victoria a 10^500, e o frasco a 1,5; queijos do reino recebidospor
todos os vapores a 20 e 20200; papel de linho a 40 a resma e azul e branco a 20;
sabao de diversas qualidades amarellc e maca a 200,220 e 260 rs.; a libra sardmha de Nan-
tesem quartos a 400 rs. cada urna e em porcSo a 360 rs.; copos lapidados a 50 a duzia
e a500 rs. cada om.
Alm destes gneros ha outros muitos que seria enfadonuo anunciar e quem
duvidar venha ver.
DE
J. VIGNES.
n. mJ*' 55\T n*?\ llPEADOR X. 55.
O pianos desta antiga fabrica sao hoje asss Mohecidos para que seja necessario insistir sobrr a
.na soper.or.dade vantugense garantas que olferecem aos compradores, qualidades esias ocotesu
res qne lies tem definitivamente conquistado sobre todos os qne tem parecido""2 praca S-
'^T^f^r 6 macfhr.sm T obedecem ,od asvontade^eaVichosdaspiaS.'Km
Sl^ & aiifT abr,c*los-d PrPsit. e er-se feito ltimamente melhoramentos mportr
No mesmo estebelecimento se achara sempre am explendido e variado sortimento de mus'icas dn
saibores antores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo Vdo wndido do
precos conimodoae razoaveis. B Tenaiao Pr
Samoel Power Joboston k Companhia
Ruada senzalaNovan. 4.
AGENCIA DA
Fundi$3o de Lov Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos,
Moendas e meias moendas para engenho.
Tanas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d<: carro para um e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Joao da Silva Ramos, medico
pela universidade de Goimbra, d
consultas em sua casa das 9 as J
H horas da manhaa, e das 4 as 6
da tarde. Visita os doentes em suasi
casas regularmente as horas para j
1 isso designadas, salvo os casos ur- '
! gentes, que sero soccorridos em
qualquer occasio. D consultas aos
' pobres que o procurarem no hos-
I pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
manhaa,
Tem sua casa de saude regular-
: mente montada para receber qual-
quer doente, anda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropnados enellapratica qualquer
opperaco cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe. .30000 diarios
Segunda dita... .30500
Terceira dita 20000 >
Este estabelecimento j bem
acreditado pelos bons servicos que
tem prestado.
0 proprietario espera que elle
continu a merecer a confianca de
[que sempre tem gozado.
OPERARES
Sola de lustre
grande e se|a4eilo para acabar a 160000
45-Rua Direita-45
( Na rna do Imperador a. 17 precisa-se
i urna criada eogommadeira e outra cozinhrira.
de
Pede-se ao Sr. Feliciano do Reg Barros qne
est trabalbando na estrada de Beberibe, qne re-
nha restituir o que tomoa emprestado na rna do
Padre Floriino n. 71.
Deseja-se tallar con o Sr. Joaqnlm Cedro
Patriota a negocio que o mesmo nao ignora : no
pateo do Paralzo n. 16.
DE
OLHOS, OUVIDOS E DAS VAS OURINARIAS
w..r^ -t0rl0r"aJdaCr/n- 25' 0de8er el horas da manhaa as duas da tarde.
n a n ernmei0 de ara enKenQ0S0 instrumento de dilatarlo uretral, e pelo systema do
nnaao ur. Peixoto, e Dr. Ramaug cura instantneamente os esu eitamentos do canal da
uretra; este metnedo novo fei posto por elle em pratica na Corle em colioboracSo com o
seu collega e amigo o finado Dr. Peixoto, e depois darante os quatro taeiei da sua estada
na tapitai da provincia de Minas, onde o Dr. Ramaug operou qoaiorze enfermos que
acnam hoje no mesmo estado de desembarace que no dia da operaco; a dor tQ
pouca que m itos nao presumem ser operados, quando j est desobstruido o canal.
Os jornaes da Corte e depois o jornal Afnas Geraes do anno passado tem publi-
cado um grande numero de curas, tanto de olhos (operacSes de cataratas e de pupilla
artificial) como de eslreitaatentos do canal da uretra, effecluadas pelo Dr. Ramaug
convida elle portanto as pessoas que precisarem recorrer ao seu limitado prestimo, para
apresentarem-se quanto antes cnsulta-lo. Curatambem varias desformidades do corpo
taes como, ps turtos, olhos vesgos, beico rachado, etc.

Na praca da Independencia n. 33, loja de
onrives, compra-se eero, arela, e podras preciosas,
e tambem se faz qualquer obra de encommeada, e
todoe Qualquer concert.___________________
Aluga-se ama pequea casa com 1 quarfos,
quintal com cacimba, por lOi meosaes': na rna
do Gaiometro confronte ao porfi da fabrica o
gaz, lado lateral.
Chapeos de.manha branca
a 140,160.180 e 200.
_Na pra^aVja^IadepeDdeneia n. 2. e J6. -
Deseja-se saber se existe nesta cidadTTfera
dellao Sr. Alejandre Correa Dms, natural da vftta
Real de Traz dos Montes : na rna da Madre de
Deus n. 18.
FAC SIMILE D'ETIQUETTA COR UE ROSA "
100 carlile's
PAISLEY
t>l\ Sf5 ,,me Crt. Sons & C, Bankend Mills,
faisiey, Scotland, teem a bonra de chamar a aiten-
ao dos consumidores de liaba em novellos, que el-
les ohtiveram medalhas de premio das exposicoes
de Paris e Londres, por suas excelleBies linhas pa-
ra coser, e qu, todus os noveilos feitos por elles
para este mercado, lem no lim de cada maco, urna'
etiquetta branca, na qual acba-se gravado o nome
da firma em cheio, orna vista da sua fabrica, assim
como desnhos das cima mencionadas medalhas
e que cada novello tem urna etlqnetu cor de rosa
com o numero, e as palavras Carlllfc's, Pauley e
tambero, que qualquer linha de Tambour, ma'n'da-
da a este mercado, traienda ontra qnalqoer etiquet-
u do que cima mencionada, nao de sua prooria
fabrica. v
Soothall, Mello: & C,nicos agentes em Pernam-
boco.
Mel|or, Soothall A Cnico agente na Baha.
Alagase um mnlatinbo 'pira"criadn senin
do umbem para vender mirnifz s : na rna i ,
Aragao n. 43, onde se dir quem \m Dina DJfcao
de mel para vender. ^^ v-<* Companhia fidelidade de seguoTS
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro. 5
AOKNTS RM PKRNAIODC0
lateis Lniz de Oliveira Azeredo k C, ft
competentemente autorisados peladirec- toa
tona da companhia de safaros Fidelida- 2
de, tomam seguros de navios, mercado- JR
ras e predios no seu escriplorio ra da SH
Crui n. i. m
'Mmmmm m *m#.
0 O Dr. Carono Francisco de Lima San- Wt
8 tos contina a morar aa rna de Impera- S
der n. 17, segundo andar, tendo alias sea W
gabinete de consultas medicas, logo ao W
entrar, no primeiro.
O mesmo dootor, qae se tem dado ao
estodo tanta das operares como das mo-
lestias internas, prestase a qualquer cha-
mado, quer para dentro quer para fra
*-j cidade.
\
.



1
1
l



MI ti
.VfcAU&WltVr- ?"u '*'" "W 4 '*
I.

*


-v
A PREVDBNTE
Sociedade trlugueza de seguros muaos stbre a vitta, fun iada e
administrada pelo
BANCO ALL ANCA DO PORTO.
Todo o pai que desojar acautelar o futuro de seos filhos dte, quanto antes,
azer inscrever os seus nomos na lista dos 'socios daPrndentepor que, com orna
pequea quantia que, todos os annos para all fr appficwdO, tirada do (rudo das suas
ecooofttiat, no fim de 25 annos alcancar-lhes-ha urna fortuna, que por nenbum outro
mek e com Ufo pequeo desembolso poder obte -.
Os eiemplos prattcos de outras sociedades anlogas tem mostrado que:_______
OITerece-se urna ama pira casa de homem
solieiro para lavar, n^cnoanr e fazer ouiros er-
I vico da oa ; a tratar m roa da ?<** do CaMei-
1 ro o. 35,
LGA00-
,43 'jml)ireila-t
-------
.UOgUO aagtfl walmeate p*tfVw rodftt;tr.

Por um menino de I
i de i
> de 8
> de 3
de 4
Por urna pessoa de 15 a 20 annos
> de 20 a 30 .,
> de 30 a 40 .
de 40 a 50
da a 4 anoo..
a 2 anncs....
a 3 .....
a 4 .....
al5 .....

Em5 au
nos.-
IrJOO;? 4OOOj5 9:f'0O 20:000 A 47:000JH
OOOyJ 3:000tf 7:5UW i7:000* 31:000$
86flo 2:900o 7:2000 16:000tf 35:000(51
860o 2:800,5 7:1000 15:6000 34:0000
8600 2:7000 7:6000 15:5000 33:3000
8600 2:7000 7:0000 15:4000 33:300,1
86041 2:7004 7:1000 45:6000 34:0000
8604 2:7000 7:2000 16:0004 37:0000
..... 9000 3:0000 7:5000 18:0004 50:0000
Admittem-se subscripcoes annuaes de 84 para cima.
Qoem pretender subscrever para a Providente ou desejar quaesquer esclareci-
mentos e informacSes, pode dirigir-se sua direccSo, no banco Allianca, estabelecido na
ra Bellomonte, ou a Jos Ferreira Moutinho, inspector geral da mesma sociedade, mo-
rador na ra da Fabrica do Tabaco n 19, no Porto, eaos agentes do mesmo banco c
sociedade na capital e provincia, que tambem darao prospecto gratis a qoem os pedir.
Achando-se de passagem nesta cidade o inspector geral da referida sociedade,
promptifica-se, durante o pouco terapoque aqui tem de demorar-se, a daros esclareci-
mentos que se Ibe pedirem, todos os das at as 10 horas da manhla na ra da Cruz n.
1, emcasa do IUm. Sr. Antonio Luiz de Oliveira Azevedo, onde se acba hospedado.
Em 10
annos. s
Em 151 Em 20 an
nos
Em 25 an-
nos.
COMPRAS
| A primeira condicao indispensavel co-u
seivac3o da sade trazer os ps bem de-
_ fendido8 contra os ataques da humidade;
calcado bom e legnro o nico preserva
Lbl**dS I f'y ^8lw nl enfermidades a que est su-
Compram se.oo escritorio de Aatonio Lulz de 6'*0 nossoeu-. Um chnelo velho cat-
Olivelra Azevedo & C, roa da Crot n. 1._______ caa<> por um daildy patuscante, OU uma
Ouro prata. botina acalcanhada em peqoenino p de en-
Km oim loas; cow(.ra-> o praca-ua H ^^Udora deidade alm de acensar qne-
dependencio n. ti, luja de wibetes. nradeira horripilante, prora contra as f icul-
Compra-s ooro, prau e pedra preciosa dadas intellectuaea dos calcantes, e nao ha
m obras veihas: na roa da Cadeia do Recife qoem, tendo bom sen so, queira passarpor
cja de oarives no arco da Conceicao.__________ maluco, ou pobre de surrao : ergo, COT-
Compram-s libras sterliuas : na praca da ram a :
^dependencia o. 52. 4*rnRUA DIRE1TA4*.
- ; atiendan a' barateza.
-,.< Ikmens.
Libras esterlinas.
^Compra-se na ru. do Crespo n- 16 primeiro a* Boneguias barcoKze7delus-
Comppa-se
' '<
Antes que se acabem.
Cortes de seda de lindos gustos a 304000 : s na laja do barateiro roa do Crespo a. 1.
Aproveitem amigos da economa.
Este estaheleciraento esla' revolvido a torrar por todo preco o sea grande sortiment de lazen-
das de escoltados gostos e quadades, esta' a exposicao dos compradores.
A 20$ capas brancas de borracha
Das toelhores que tem viudo ao mercado, tem a especialidade de nao se estragaren) com o calor.
Roupas feitas.
Calcas de casemira a 64,74,84 e 94 palitots de panno preto e de casemiras de cores a 84,
34 e 10*000.
Lindos gostos de casemiras e diversas fazendas para mandar fazer qaalqaer obra a gosto do
comprador para o qoe tem um babil mestre de alfaiate.
Chapeos de sol.
Chapeos de sol de seda com cabos de marflm obra rica para 174, ditos de diversos gostos de
74 a 154. Cbegoem a ra do Crespo n. 1, loja do barateiro.
orna escrava qae seja boa ligara e que saiba bem
ngommar, nao excedendo de 2o asnos de dad*,
e paga-se b ra da Costa & Filho, roa da Senxala n. 138, on em
sen armazem jnnto ao arco da Conceicao.
Comprm-se moedas de M)4 f na ruando
Crespo ii:_16, I andar._______________A
Compram-se moedas de 164 e 304 e Ubras
Merlinas: na roa 4o Amorim n. U.
Corapra-se ama escrava qae saiba engom-
mar : a tratar na saboaria do Recife a roa do
Brom n. 1.
VENDAS
YINHO C0LL4RE\
-
Chegon pelo bngne Flonnda, aova remessa do
superior e verdideiro vinbo collares da bem co-
ebeeida marca de Dejante & C, em calas de dnas
dnas ee garrafas : a ra da Oadeia n. 49.
Vendemse cebollas aovas a 14000 o cento :
na roa da Madre de Dos o 5 e 9.____________
Brea em barricas pequeas.
Cera em velas de todcs os umanbos.
Bogias.
Mercurio.
Na roa do Vigario n. 19, aaar.
GRANDE ARMAZEM
DE
LOUQfl, VIDROS. CRYSTAES E PORCELANAS.
T DE
Ferreira Monteiro & Guimaraes.
Xa ra larga do Rosario b. 38. Junto a botica do Sr. Bartholomen.
Os proprietarios deste novo e grande armazem de louca participara ao respr-itavel publico que
em sea armazem teem um completo sortimento d luuc-i e vidros corao seja ricos apparelhos para
jaatar e para almoco, braceos, doarados ecem filetes de rores, garrafas, copos, clices, rompotelras,
ricos porta licores, galheteiros, guarni^es para lavatorios, ricos vasos para Dores, caodieiros a gaz,
iaa eruase maitos oatros artigas que tude f romettem vender pelo mais diminuto preco possivel, a di
obeiro per serem principlantes.
ATTDM^AOo
Para Santo Antonio e S. Joao, algaidares de Ge-
nova de todos os tamaitos, muito baratos por ter
grande porc.o, jarras finas, entre-tinas e grossas,
de lodos os tamaitos, assadores para ir as forno,
vasos francezes em temos de seis, e toda a mais
looca de Genova e da trra: na roa do Rangel nu-
mero 4.
VNDESE
ama masseira de amarello em perfeito estado
padaria da ra Direita n. 2i.
na
VENDAS.
6.JO00
74000
84000
24000
14600
14600
54000
44800
44500
tre e de porco .
Diu de Bordewx ....
Ditos parisieases de bezerro e
ordavo .....
Sapatos de lona, sola de borra-
cha.....; .
Ditos aveludados .....
Ditos de tranca bons ....
Senhoras
j Uorzegains enfeitados....
^Ditosdelaco......
Ditos lisos.......
Ditos todo de merino Jolly, obra
excellente......445C0
Sapatos de borracha .... 14600
Selleiros, corrieiros e segeiros I
E ana completo sortimento de calcado fa-
bricado do pa._______________________
Liquidacdo de ferragem, e
obras de cobre e brome a
800 vi. a libra, ra Nova
lojas ns. 33 e 35
A yio*a de Sebastian Jos da Silva autorisada
pelo jntzode orpbos vende para pagamento de
seos credores as ferrageos existentes as referi-
das lojas, assim como obras de cobre e brenze por
multo commodo preco, como sejam : alan iques e
sinos a 800 rs. a libra, e todo mais nestas propor-
Cftes.______________
&F1-
Vende-se em casa de M. 1. de Uliveirn
Ibo, largo do Corpo Santo n. 19 :
Vinbo verde sopenor em barrls de 5*
Dito do Porto de 8* e 10*
Dito de dito engarrafado.
Dito de Lisboa Palmella tinto.
Farelio dem superior.
A NACIONAL
Oompanhia. geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
ATJT0R1SADA. PELO REAL DECRETO DE 21 BE DEZEMBRO DE 1859
5Jma fiaaca em dinheiro, depositado dos cofres do estaco, garaite a Hoa ad-
mini^raco da eompaabia.
B4NQCEIR0S DA COMPANHLA* I DIRECgO GERAL
O Banco de Hespaaba Madrid: Roa do Prado o. i
Esta companhia Hga pelo systema mutuo todas as comMoages de supervivencia dos segu
os sob re a vida.
Nella pode se fazer a subscrip^o de roaneira que em e -egarado se jjerca o capital nem os juros correspondentes a estes.
So'to suprehendentes os resultados que produzetn as sociedades da iodole deA NACIO-
NAL,que a-inda mesmo dimlnaindo uma ter^a .parte do toieresse produzido em recentesliquida-
edes e corabmando-o com a mortalidade da tabeiia de Depareieox que adoptada pela companhia
para seos clcalos e liqaidacdes, em segurados de idade de 2 a!9 annos, urna mposijioannua.
400# proaz em eflfecivo metlico:
Nomde 5 aaoos.......1:119*304)
de 10 .......3:942*600
de 15 .......U:208*00
de 20........30:256*000
j de 25 .......80:331*000
as ida des menores de 3 annos-e maiores de 30; os productos sao mais considera veis.
Prospeet e mais wformacoes serio prestadas pelo subdirector nesta provincia.
Fiuza de Oliveira, roa da Cadeia n. 62, ou a Boa-Vista ra da Imperatrz n. 12, estabeiec
ment dos Srs. Raymundo, Carlos.Leite k Irmo.


Cano?, curvas e bacas de ferro para esgoto : na
ra do imperador n. 18, loja.
Botas russiauas
Perneiras e meias perneiras.tudo do melhcr que
se pode desejar, chegadas pelo ultimo vapor inglez:
na ra Nova n. n. 7, loja do vapor.
31Ra Direita3l7~
Vendem-se charutos de Havana a 4* cada caixa
de 100, tambem se vende a relamo, assim como
fumo de Havana em folha. __________
Gal virgeni.
Vende-se na ra do Trapiche armazem n. 9
a mais nova que ba no mercado, por preco ccp.
modo.
Vende-se a taberna da ra da Santa Cruz
n. 11 : a tratar na taberna n. 7.
Na mesma precisa-se de um caixeiro de boa
conducta.
Florinda
Chegado no dia 18 do correte, condozlo 56 bar-
ris de ptima cal de Lisboa, contendo mais de 4
arrobas cada uto e bem condicionado : vende-se
por preco commodo, na roa da Croz n. 30, pri-
meiro andar.
Vende-se
Na ra do Qoeimado o. 18, segundo andar, ven-
de-se 25 travetas de boa qaalidade com 8 a 10 po-
rgadas de grossura e 24 a S8 palmos de compri-
dos, por preco commodo.
Para encrespar babados.
Tbesouras de todas as grossuras, de duas, tres
e cinco pernas,para encrespar babados : vendem- [
se a roa do Qoeimado loja de ferragens de Azeve-
do & Irmo.
Eouca, vidros, porcelana e
crystaes.
No grande anaazem de Dnarte, Pe-
reira & G.
Roa do Crespo n. 16.
Neste estabelecimento ba grande deposito destes
artigos dos melhores fabricantes da Europa, de
superior qaalidadee do melbor gosto possivel che-
gados ltimamente, qae se vendem por precos
multo commodos a dinbetro.
Vende-se breu em barris a 3* a arroba : na
ra do Amorim o. 41."
Cyndros para padaria
Na padaria da ra Direita
n. 84, ha sempre para vender
por commodo prego os co-
ndecidos e acreditados cy-
ndros americanos para pa
dara.
PASTA e XABflPE do IAF oa ARABIA
DE delaigbevtch
} Slo os anteo peltortei tpproTidoi oloi profeuorti a
I Faculud de Mtdidoi ( Fitina, e por M medIch te* Hot-
pilaei de Part, o qaaaa cartlBeario taat* a loa upario-
ridade sobre talos a* antros aaitorsas como sus poderosa
efneacia contra oa flaaoo, arlppa, irrlUcftos a a*
AfJoloSos do palto a di (arfinta.
RACAHOUT DES RABES
BM DBLAKSSREmieR
nico slimenlo ippraTido pala Academia da Medicini da
Piriz. Bita restabeloee is pessSai qae soffram do Bsia>-
nsa(o e dos lavaMiaou; fsrtaioaa aa criincas o u psaaSaa
dehilUadas, slem sisso eu Tirtad da lupropriedada ana-
loptlca ha o msUor proaortiro iu filil aasrall a
tjrpbaMo.
Cada frasca a cada calxlah daitai propiracoos Int
temrrt o < tw Mmgrmitr, rna Rlcbeliaa, M,
coi Part. (Faior aarialo allnelo eom u faliiBcacoaa.)
Beposiurios na finwtiw .-
Uoloenoo T" U aaaan y Oa.
Vende-se as pharmacias de Manrer e de
A. Caors.
Ra do Queimado n. 9
No armazem de fazendas baratas de Santos
Coelho, yende-se o seguate:
Ui4MIEB.Z-,R
ra Nova n. 22
loja de Cariieiro Vianoa.
Pechincba.
Pecas de madapolae largo encorpado proprio
para camisa e saia para senbora pelo baraUssimo Acham se osle esubelecmeoto a' disposicio do
pre^o de 8 fazenda de 10.__________rejpeiuvel pablico :
Veade-se as olarias de Jos Carneiro da Co- MHIiDilS fiTPOIiTiJihifiOS
oha. Ulnas e tijollos de todas as qoalidades, por ^VV*10 t>Wpl iiyniKAJO
menos Si em milheiro do que em outra qoalquer Bxin'SS"8 cappas do ftro.sil mappas maudis
olaria : ua roa dos Prazeres o. 38 e Colhos o. 12. eH1 rantles formatos.
Macniuas
Vestidos bordados.
Cbegou a roa da Imperatrz n. 52, ricos cortes
de cambrata, bordados a croch, fazenda de 20f
por 12 : ua loja de Paredes Porto.
para as creancas aprender o a andar e aos boas
costames.
Ratoeiras
eogennosas, para apanhar moscas, morissocas e
Viahe verde. ratos n..a. c
Vende-se vinbo verde moito especial, em barris i -aarGS
de quarto ; na roa da Cadeia n 27 aodar representando a Europa, e as prtoctpaes vistas da
Franca e Inglaterra.
Carro ame cano
novo de 4 asientos e 4 rodas com os competentes
arreios: vende-se na ra da Ponte Velba n. 8.
Meias de ia vegetal e de
borracha.
A agula branca receben novamente essas pro
caradas meias de la vegetal, to uteis quo pro-
veltosas para qoem soffre resfriaco nos ps; as-'
sim como outras de borracha para qoem padece
de encba^ao as pernas, e vendem-se por precos j
moa veis: na rna do Qoeimado, loja d'agnia bran-
ca n. 8.
Vende se um molecole de idade de~8 annos I
e compra-e ama escrava, que saiba eogoramar e
na roa Angosta sobrado a. 114.
cosinbar
Molduras
douradas para qaadros.
Servido domestico.
Temos de 8 linas de madeira para agua.
Baldes americanos para compras.
Vassoura de palhas de arroz.
Camas de ferro.
Gaz.
O verdadeiro gaz liquido.
Caodieiros a gaz.
Preparos para o mesmo.
Palacio de christal portuense.
Gollecces de 30 vistas stereoscopicas do palacio
de christal portuense ; na ra Nova o. 20, loja de
Carneiro Vianoa.
Guerra da Austria com a Prussia,
Cartas geographieas do theatro da guerra do an
ffevt soiIuicpIo de pe fumarias
tinas.
Cbegou para a'-iptiga loja de mipdezas a ra do
Qnelbado o. f6.
Bonitos vasos de porcelana doorada com banha
moito fina.
Outros ditos de p de pedra com dita.
Garrafas com superior agua da Colonia.
Frascos cora agua balsmica para dentes.
Dito de dita demifrice.
Dito deex racto de quinquina tambera para den-
tes.
Dito com superior agua flor de laranja.
Dilo de dita flor de ret*
Dito de dito vioagra de Venus para refrescar a
peile.
Dile de no agaa ambriava para bandos do ros-
to, corpa ttc.
Dito de superior agua de Colonia ingleza, de Pi-
ver e Lubia.
Dito de excellente banha de Lubin.
8abonMe de Lubin, t oatros de amendoa, traes-
parete, etc.
Cosmetique (ou pomada) de superior qualidade.
Pidos extractos, frangipane, sndalo e outros
tambera de tinos e agradaveis cheitos
Opiata ingleza e franceza para denles.
Bonitos vasos com po de arroz e pincel.
Caixinbas cora aromatice p de arroz.
Oleo inglez. dito pbilocome, babosa e ootras 'ua-
idades para cabello.
Ckrouaetme para ungir cabellos.
Bssa aprecfavel tintura chegou para a loja de
mlodezas a roa do Queimado n. 16, assim como o
sabeoete branco, para se lavar os cabellos antes de
se osar da preparar ao.
Cabazcs de vidro com perfomarias.
Vetide se esses bonitos calares de vidro cm per-
fumaras, proprios para presentes, etc.; na roa do
Queimedo loja.de miudezas u. 16. ";
Latas e copos c-m banha lina,
A bem conbecida loja de miudezas a ra do
Queimado u. 16. acaba de receber as estimadas la-
tas coro banha una, assim cerno copos de vidro aovo e bonito molde, eom lampo de vidro e chetros
de excellente banha. Ilecebeu igualmente a pro-
veitosa banha transparente qoe muito serve para
acabar as caspas, e a aromtica eagradavel hacha
japoneza outras. Os prelendentes dirijam se a
dita loja de miodezas a ra do Qoeimado n. 16.
qae seri servido a conteni.
Boaquel des alpes,
Esse Sno e agradavel extracto, vem em um bo-
nito vaso de p de pedra e este dentro de uma ele-
gante caixiuha de papelao, de forma que a perfei-
(ao de uma coosa corresponde a superioridade de
outra. Ease apreciavel exiracto acha-se a venda
na ra do Queimado loja de mlodezas o. 16.
Agua florida e nico,
Veodem-se na loja de miudezas c. 16, ra do
Queimado.
Frascos com gomma arbica dissolvida
e pincel.
Vendem-se na roa do Queimado loja de mine-
las n. 16.
Tinta iodelevel para marcar roupa.
Vende-se na roa do Queimado loja de miudezas
O. 16.
Fita elstica para eo de bailo, e aspas de
ac para os ditos.
Vendem-se na ra do Queimado oja de miude-
zas n. 16.
Bonitos entremeios e babadinhos bor-
dados.
Vendemse por barato preco na loja de miude-
ms n. 16 oa ra do Queimado
Tinta rxa e azul que ficam pretas.
Na loja de miudezas n. 16 a ra do Queimado,
vendem-se frascos grandes e m< ores com essas
excedentes (iotas, rxa e azul para, ficar preta ; o
preco dos frascos 1*?000 e 500
Graxa econmica em latas e barrilsinhos.
Vendemse na loja de miudezas n. 16 a ra do
Queimado. ->
.uval si mim
Roa do Queimado n. 49, loja de
miudezas >
DE
Jos Bigodinho
Esl queimando as miudezas abaixo declaradas:
Frascos de oleo babosa fino 200 a 320 rs.
Ditos dito Meo a 600 rs.
Ditos de macaca perola a 200 rs.
Ditos ctm soperior banha a 200 rs.
Caixas com 6 frascos dec heiro a 800 r?.
Sabonetes finos a 60, 160, 200 e 320 rs.
Ditos de bolla superior a 210 e 320 rs.
Livros para meninos cora estamps a 320 rs.
Caixas de 12 frascos com ebeiro a \>.
Frasees de oleo babosa muito fino a 400 rs.
Duzias dmelas superior coalidade para seohora a
4J500.
Chegaram as agulhas balo (papel) a GO rs.
Caixas com bonitos soldados de chumbo a 100 rs.
Ditos de agua para limpsr dentes a 500 rs.
Pedra s de esrrever (pequeas) a 160 e 200 rs.
Sapatos de'tranca para homens e senhora a IJ300.
Pecs de titas de la preta para"Vestidos a 600 rs.
Grozas de botCes de madreperola Baos a 480 t
640 rs.
Caixas de colchetes fraocezes a 20 rs.
Pecas de Iroco de todas as cores a 200 rs.
Caixas cotn superiores envelope a 6U0 r-.
Pares de sapatintus do la para crianca a -O rs.
Ditos de meias pretas para senhora, superiores a
360 rs.
Libras de prego* de todos os tamanhos a 240 rs.
Sabonetes de familia, superior a 100 e 120 rs.
Resma de papel de peso muito fino a 2.
Frascos com tinta superior a 00, 140 e 320.
Grosas de phosphoros de gaz a 25200
Pares de boldes parn punho a 120 e 240 rs.
Carlo com linhas de 200 jardas a 100. .
Meias ernas muito tinas a 4*1.
Caixa de pos para limpar denles a 100 rs.
Caixa de superior linba do gaz com 30 novellos a
1*000 rs.
Porceiras de coma para meninas a 320 rs.
Talheres muito finos para meninos a 320 rs.
Cariilha da doutrina chrislaa 320 rs.
Frasco muito bonitos com ebeiro a 240 e 500 rs.
Caixa com snperiors seas para charutos a 20 rs.
Hasso cora superiores grampos a 30 rs.
INJECCAOe CAPSULAS
^EOETAES aoMATIM
GRIMAULT&CPHARMACEUIiCOSEHABIS
Movo tratamento preparado com as folluu de
! Mtico, aore do Per, para a cura rpida e in-
fallivel da Gonorrhea sem reccio algum da con-
traccSo do canal oa da inflammacao dos intestinos.
0 clebre douior Ricoro, de Pars, ter renunciado,
desde soa apparicao, ao emprgo de qualquer
entro tratamento. Emprega-se a Injeceao no
eemco de fiuxo; as capsulas em todos os casos
chronicos a inveterados, que resisiiro s prepa-
racoes do copahu, cubeba e as iajeccOescom base
meulliea.
A venda as pbarmacias de P. Manrer
G. e A. Caors, em Peraambnco.
A verdadtira grana numero 97 recebida di-' Viaona.
rectamente da fabrica de Day & Martin, chegada I -.____
agora para vender no escriptorio de Bdward Fru-'
too, n. 17: roa do Trapiche.
Nov* pechiocOa de chapeos do Cbili de 2*?,
3ae, 4 e 5j e dos mais precos qoe os freguezes
qotzerem, assim como chapeos muito rico de pa-
Iba para senhora, meninas e meninos, ludo por
precos baratsimos : aa loja do Jos Barbosa, o
Pequeo, na praca da Independencia os. 23 e 25,
junio do fonileiro.
no de 1866; roa Nova a. 20, loja de Carneiro
Aluga-se
ou vende-se uma casa sita no Povoado dos
largo da feira a margem do rio, com foroo
darla, masseira teodedeira : a tratar na
Praia armazem n. 37 ou no povoado oVi
com Joaquina Rlbeiro da Cruz.
Monles
de pa-
rir da
Montes
Grande novidade
Masicas nactonaes-para planos e canto, episodios
da guerra do Paraguay, dedicadas ao exerclto e
armada brasileira : vende-se ne grande estahele-
cimenio de miudezas e candieiros a gaz, de SODza
Soares & Irmao, ra Nova u. 28.
Remedios do Dr. J. C. A ver, ex-lente
da Uiiiversidade de Peusvlvania, nos
Esiads-I nidos.
Exlra co composto de salsa-par-
rllha de Ayer.
Pekoral de cereja.
Remedio para sezes.
Punas eatharticas.
O deposito central para ss provinc'as:
Vende-se na praca da Independencia ns. 37 e 39, Purnamhnrn AUrrnoe n,r,i,,.i, n-
capellas mortuarias, iS mais bonitas que tem vln^! ern?,mb1UC' Alaoas' Parabyba o RtO-
do a este mercado, para os stimos das e dia de j urDlle d0 Norte, destes remedies t3o fa-
Vende-se a taberna e padaria contiguas, na i finados se boUr as catacumbas e tmulos S* M- VOravelmente conhecidos e acolbidos em
,'od?8 as partes da America do Sul e do
: Norte, 5Cba-se em casa de Theod Chrla-
tiausen. 16 rilK do Trapico,? em
Peraambnco.
' Os precos de
i 335 por duz'a de estrado de salsa-pa.rl.ba.
27o por duzia de peitoral de cereja.
127I pordzia de rem dio par* sez5es.
1& por doria de,pulas eatharticas
, se entendem diabeiro tIsa, c. m
i o descont de 5 por cont em quantidades
de 6 a l duxias, e de 10 por cento em
quantidades superiores a 12 duzias. ,
esquina da travessa
bem afreguezada : a
do Lima, em Santo Amaro,
tratar na mesma.
Na fabrica da (ravessa do Carioca n. 2, ven"
de-se oleo de ricino e azeite de varias quadades-
Vende-se om cavalio de sella por pre?o com-
modo : a tratar na fabrica da Iravessa do Cariota
o. S.
a U o cento.
Ra da Madre de Dos n. 5 e 9.
-= Vode-se a taberna multo afreguezada"
largo do Carmo n. 5 : a tratar oa mesma.
no
milerio publico com as Inscripcoes segulntes:
A meu pai.
A minha mai.
A meo esposo.
A mioha esposa.
A meo Biho.
A mioha filha.
A meu irmo.
A minba irma.
A mea amipo.
Uma lagrima.
Amtzade.
Saudades.
COLLARES ROYER
Anodinos elet ti o magnticos contra as
codmiIscs, e para faci'ilara ttciiti-
tao das eiiaiif^s. A a&uia-branca,
la ra do Queimado n. 8 recebe os
por todos oa vapores trnceles.
Ja estaotoconhecios, e tanto se tmi espalha-
do a fama desses prodigiosos collares Royer, qoe
sa torna desoecessario dizer mais nluma cousa
em abono de eos bons e elficazes cITeilos basta
o te?lemimhu do miibares de pessoas, que tem vis-
to e aprovciudV feliz recnnado desses tao uteis,
quao nectbsanos collares llover. A quotidiana e
crescida extraego, que vSo tendo, mostra anda
que o numero dos prodigios >e eleva rom o dos
compradores. A agula-branc, aorm, desejando
coocorrer para um nm de tanto aproveilamento,
tem feito os necessailoe pedidos, para qoe por to-
dos os vapores francezes Ibe seja remeltida certa
quantldade de .tos collares, para assim torearse
iofallivel o fortimento delles, na loja d'agoia-bran-
ea, ra do Qoeimade n. 8.
fltercoacopo de mogao
Com bonitas vistas.
A agufa-branca recebeu bonitos stereoscopos de
mogno enveraisados e com liadas e sgradaveis vis-
tas, e quer vend los baratamente, sendo 1 eaixi-
nha com 24 vistas escoihidas por 1U;0G0. Pode
larobem vendr as vistas reparadamente a conten-
to do comprador, qoe se dirigir a' rna do Queima-
do o. 8, loja d'aguia-braoca.
icotloa* de merino
com sola, para crioacas.
A agula-braoca na roa do Queimado n. 8 icee-
beu um bello sortimento de bolinas de merB
cem sola para mangas, sendo o torilmente v?
hado em lmannos e diferentes cores.
Fitas largas lavradas. <
Alm do completo so tmenlo de fitas que cens-
laotemenle se acoa na I. ja d'aguia-branca, esla re-
ceben novamente um outro sortimtnlo de fitas lar-
gas lavradas, dujos lindos e noves desenhos a par
da superior qaalidade as fazm apreciadas, nesse
simples dizer laivez o pretndeme nao laca a justa
Idea do apurado goaio de ditas fitas ; mas, se fe
dirigir a' roa oo Queimado loja d'aguia-branca n.
8, couherer;'' que nada ha d" melhor neste ctrero.
Latas e copos rom banba flna.
A agoia branca recel.eo novan.'-nte a sopenor
banha em latas e copos de vidro com i.mpa de
d!."-, e contina a vende-los a2jt "300 : ca ra
do Queimado lija d'aguia branca u. 8.
Lcques de madreperola, sndalo
e ac.
A a?uia branra, na rna do Qoeimado a. 8. re-
cebeu nova remessa de bonitos leques. de madre-
perola, sndalo e osso, todcs. de liddis deseci, s
Tambera recebeu outros nn tos para luto.
Tintaras para fazer os canchos
pretos.
A aguia branra, na roa do Qoeimado n. 8, ara-
ba de rece'er novo sottimento das apreciareis Hi-
taras para empretecer os cabelles, sendo caixinbVs
com tintura de chromacome, frasees com colcrice-
me jara lustrar os rabellof, ditos com onyebre moa-
tone i ara limpar as ufibas, dilos rom hydrccaile-
trichine para lavar os cabellos, saLo branco tam-
bera par.-: lavar os rjito, caixinbas com tintura de
Hoelde Water ditas cem dita de L. Marques.
Bonecas que audam.
A aguia braoca, na ra do Qoeimado n. 8, re-
cebeu novas e bonitas l ecas, que movidas por
om machlnsmo, sndam perfeilamente, .- pela ; rr-
fefo e n ividade das ditas se tomara txctlir.ies
para prsenles : os prttendentes in acharro na
loja fl'aguia b'anra. rta do Qneimco d. 8.
Papel para flores.
A sgoia branca acaba de receber novo criitreD-
to de pajel para flores, dito para^clhas, dito verde
e pardo rara cotrir as bastas, p* para rosas etc.,
e contina a vender todo isso pelos nligos e cem-
modos precos : os pietendentes que se dirijsma
rna di Queimado, leja d'aguia branca n. 8.
Oapellas e flores finas.
A agnia branca receben novas e delicadas ca-
pellas para noivas, assim cerno bonitos caixos de
flor de laranja, outres de rosas, e outros de (lores
zoeseroxas; ludo de lina qualidace e iiir<.do
gosto : os preteodeBtes que se dingirem a rus do
Queimado, loja d'aguia branca n. 8, serio bem ser-
vidos.
Retroz francez em carreteis
e miada?
A aguia branca scala de rec-
Iroz francez em carrete;? e miadas.
qua'idad-' desse relrox o torna preft-rivi I .
e is.-o ci.nhecera quera o coaprarjna
Queimado, luja d'acuia branca n. 8.
r superic re-
A excelletie
outro,
; i.a do
LU
[Grande armazem de tiu-|f
tas medicamentos etc.
Ra do Imperador n, 22.
ajoo Pedro das IVeres (ge-2
reute) tem a venda o
segnlnte: W.
Producios cltimicos e pbarma- %fe
ceulicos os mais empregados em 0
medicina. S
Tintas para todo o genero de pin- 1^
tura e para tinturara. g*
Productos induslriaes e tintas 5fc
para flores, como botes de flores ^
e modelos em gesso para imitar %:
fructas e passros com o compe- ^
tente desenho. B
Proouctos chimicos e industriaes ffi.
para photographia, tinluraria, pin-
tura, pyrotecnia et?. $1
Monlado em grande escala e sup- i.
prido directamente de Pars, Lon- |
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa .,'
pode offerecer productos de plena i"
confianta e sajisfazer qualquer en- 'f
commeeda a gmsso trato e a reta- J3j
lho e por preco commodo. S
m
XAROPE
DHYPOPHOSPHITO DE CAL
de GRIMALT e C"
PktmtcevKcot ieS. Lo Principe NaptkSo
m Part.
Desde maitos seculos os mdicos e os chimicos
tinhiO procurado om medicamento que podesse
curar as molestias de peito; todas as pequizas
feitas atli hoje n3o tinhao tido nenhum resultado.
Pdrem os trabalhos que forSo communicadoe
ltimamente Academia de Medicina de Pars, e
as mais serias experiencias feitas no hospital
Brompton de Londres, que especialmente reser-
vado para o tratamento da tsica, provarao que
essa terrivel molestia, quando ella-nSo estiva
ajada ao sea ultimo grao, tinha no Xarope dHy-
pophospho de Cal, um especifico poderoso. As
losses, defluxos, catarrhos, bronchitis, grippa e
coqueluche, cedem tambem rpidamente ao uso
d'este Xarope, e os asthmacos acliao n'elle om
elemento certo para curarem-se.
Recoramenda-se aos doentes de fazerera uso ao
mesmo lempo das deliciosas pastilhas peitoracs
ao sueco de alface c de louro cereja, dos Sr" Gri-
MAULT B Cu. Esta excellente preparactose compoe
de duas substancias as mais calmantes e ao
mesmo lempo as mais inofensivas da materia
nediea, e oto cont* opio.
Deposito as pilara *> P. feure^
C. e A. Caors, em Pernambuco.
VNBB-SE
Vende-se ceblas a M)0 rs
Rangel n. 3.
o cont : na ra do
Na ra larga do Rosario d. 31, vendem-se
dous rolos de fumo por preco commodo.
Panno de algodaoda Babia; preprio para sac-
eos de aatseare roupa de escravos, do melhor qoe
vera ao mercado, e So de algodo da fabrica Todos
os Santos, do Sr. commendador Pedroso, tem para
vender Joaqoim Jos <3on$alves Beltro, na ra do
Vigario n. 17, escriptorio.
Queijos do serbio
demauteiga mnito frescos a 800' r ^ a libra : n>
largo do Paraso d. 14.
mi





.



i ..tu iii'i ; .i i-' -t-.- iMtj -m .-. ___
o de Peraaaibaeo Sexta felra 91 Ir Julho de 1866.

0 quo. ocenpv boje mais a atoe-ao do muu
econmico? o tiovo systhema do proprietoio do &
mazen! de molhados
53 RA DA CADEIA 53 t
Que surge de novo basteando a bandeira da modicidade de presos u>ao6os
eus-superiores eneros. ... ,
Queopuiblico reconbeca as vantagens que de tal systbema llie resulta, e o^queo
proprietario do iWfcifj arrmem desoja,'n a que desde j o convida.; passando tambera
notar-lhe os presos' de alguns dos gneros do seu esplendido soriimento, e-foraosquaes
pede
->f> t|o-v >fc\ I fclliAO
Ciouima de mllho brinco americana. 1
Esta exotilleiite gomtaa, multo se recomcommeoi como o ali-aento mais subs-
tancial e saudarel; servindo n3o s para papa (no que superior de toda as oatrai.
gom/oas e farinhis) ms tambem della se pode ftee* po*de-l, cangia^ Male, bolo
fratieez, podim, etc.: o prego de cadi paeotede urnalibra 800 rs., na caixa4eaaba)
tinento. .
MANItiiGA INfiLEZA de superior qualida- MOLHO INLEZ de diversas qualidades, a
im.
Gros Tiptm preto H'ffcOfrPffr^W/WO M o covado.
Gorgrao preto-de sdpertor quaUdadeA-2l00, 2*800, 3 a 4*o co*
(Kliqi IT-. :vl
iaui
S I

78o re. o feasco.
MOSTARDA 1NGLEZA muito nova, t 8oo,^
n. o frasco
de a 1,28o e 4,4oo rs. a libra, em barril
se fiz abatimento.
DEM FRA.NCEZA a mais nova qne ha no
mercado a 6 lo rs. a libra, em barris ou DEM FRANCEZA a 6io rs. o frasco.
meiosat*>rs. i^i.l ISALMO E LAGOSTIN chegado ultim
CHA HISSON de prirneira qualidade a mente, em latas de 2 libras, al.6oo.rs.*
2,8oo rs, a-libra, alm desta ha muitas ou ARENQUES em latas a 64o rs. cada urna.
tras proprias para vender a retalho. que SARDINHAS DE NANTES em latas e metas
Siiperiore^Kttb$iifes %2*300,i2^600,30, 305OOt-40.e,60OOO
Dotado-.
Bottsorte^einlofearttfqBe. 1
dem de gorg^uraoadatascacWs.
**--48eM pniro'e"ClMfeiras. ,
Sup rWesalpaasy prlncetas, merinos e bombajJnas.
Bofs>tflos pretos. aittam ..
MQWMvivfa&tik e HMs de fil riiPeto e de guipare a U, U, 8. 103, 120, de 160WM&- e fle<2o a 800 cada tmr. ~-
Superiorlds tfe flWpreto e de guipto-SWJiltMW e 250,
e Je 300 jf'feOJ cW'Uma.
Superiores algerieiM(s-de%lprel6 e de gttipaf de 120 a 250, e de"
300%'600'feadaiima. *'i "
Bons coailes de -seda pWt. .'
Ditos -de MrtrtSPp^eto !W^ddos e ontrs maitas faxendas pretas que
seria enfadonb;*itittrtr,:"(ia'
ij* -
Muita atten$o!
A'jY. i*,*n*l 4 vMtoety nairoarda4a^Bratriz n. 72,
toja de MA)r9e^ 4 'IrtMo.
io eMfires*los} ItquitHf >p*r Mttw^ por
CMHO, 4^lwi*aVrMqiifinirje, i:
.Obalos (fcfcfeada-,
\*ai$n *\St J*r}f* rf8000t limda
:; ^V>mi*WWm >' iWOOO, ditos de seda
lt# e'l8#000-, retonda.' preUs
Loja do Vigilante
i
Ei DO tofl&& titrft
I(te estabeloiraento acaba de i*oeber pe-
t Vapor Eireteu oommenda, un completo soriimento da ob-
f l 'iBpwu; rewnaai prens a 7#(W0 8jl:
to s Da roa da Imperatriz n. Ti.
Grande pechincha.
__ ------ Cambraias de cores mullo Anas a 2i0 rs. o cova-
do, dtu alhere^ 280 ^^^.tM^rgMdis
de riqoissisios desenos a 360, 400 e 440 rs. o cc
VadorsFtf^oda^nlpeiWJi o. 78.
..... f)referrna W rolfl.
Veade-se BreAihl d roto rom 10 varas a 3?20O
jctos de apura Jo gosto e alguns de eomple- i peca,, ditar'de fikno ioo ai 8^ 8500.

DE ANTONIO '50RRKU DE VAffCNCEtLOg RVA CRFS l'O S. 13
se vandem de l,6oo a l,8oo rs. a libra.
IDEMPRSTO o mais espacial que tem viu-
do a este mercado a 2,2oo rs a libra.
DEM recular de i,6oo a l,8oo rs. a libra.
a 6oo e 36o reis.
VINHi) DE COLLARES o legitimo traho
desta localidade, muito superior e sena
confeiclo alguma, a 8oo rs. a garrafa.
QEIJOSDO REINO ltimamente chegados IDFM MADURO overdadeiro do alto Dou-
pelo vapjf 2,4oo: ditos do vapor passado I ro em barris de lo em pipa por 35,ooo
a 2,ooo rs. cada um.
LATAS DE CHOURig
mlicamente fechadas
a 64o, a libra.
ESTRELINIIA para
de S.lihras, por 4.ooo rs.
VINH j VERDE do vei-dadeiro sumo da uva,
e o mais proprio para sa beber n'este
impeno, peta sua extraordinriafreftjui-
do e agradavel gosto a 64o rs. a gar-
iafa.
AME'XAS FRANCEZAS em frascos de 4 e
2 libras, a 2,8o(< e l,4oo rs. em eaxi-
n*ias muito enfeitadas com diversas estam
pasi2,qoo, l,8oo, l,5oo e,3oo, reis.
BISCOITOS INGLEZES emlats contendo
diversas qualidades a l,ooo e l,2oo rs. a
lata.
PRLNC PE ALBERTO bolachinhas as melho-
res presentemente conhecidas a l,6oo
rs. a lata.
SALAME HAM8URGEZ chegados no ulti-
mo navio a l,5oo a libra.
PREZUNrOSverdadeiro de Lamgo, a 64o,
rs. a libra, e 56o inteiro.
TRAQUES 6*. 1. era caixas de 4o cartas, por
8,5oo, e 2io rs. cada urna.
MARMELADA em latas de 1, 1 '/j e 2 li-
bras a 6oo reis a libra.
PHOSflATJM^RRCW&f
____ MR. EM (SCIllCMlfS Ajl/l /
ISRiMOt* DA ACADEMIA^E PARS.
'No existe mdicaraento ferruginoso Ufo ndtavel cmo o phsphato de ferro d
Leras; assumm'ulades medicas do mundo inteiro dotarm-no cora soliciiude sem igual
nosantraes d scienj. ;>As '-cores fallidas, doreadeeatoraago,. digeste penosa,jane, i ^ cQtes ^ ^,0,-,;
Riquisimos bectetaalos para costures,
tendo de madrepola, marflm, chrlstal, eou-
IrefrtnuiUs qualidades.
Ricas caixinhas de madeira mtflhetadas
t )das de atidrep la, com msica, e o neces-
sario par; costura.
Gtiinbas de mnsica, tanto de veio como
deilor-daiso!
BMipfesaas malasinhas de madeira, for-
radas de marroijuim, contendo o necessario
para costura, prop ia para mebinas.
AiiiTiudos vasos para p de arroz.
Lindos livrinhos com capa de tartaruga
para misa?.
Riquissimo soriimento de enfeites para
sehhoras e'meninas.
Gifltos inteiranante novos*-
F ve lias, de tartaruga, christal, e metal;
JALEA DEMARMELLO em latas, a 8oo rs.
FRUCTAS EM CALDA pera, pecego, alper-
ce, rainha Claudia, e ginja a 64o reis
a lata.
carnete fechadas a 6oo rs.
CHOCOLATE francez empacotes de llibra
por 5oo reis.
AZE1T0NAS daschegadas ltimamente de
Lisboa a l,2oo rs. a afltoreta, 6'5oo a
guarrafa. ,.
CAF avado- a 24o rs. a libra, e 7,ooo rs.
a arroba, e regular a 22o a libra, 6 5
a arroba. 9
VINHO CHERRY do mal* superior do mer-
cado a l,5oo rs. a garafa, e 15,obo rs.
a duzia.
MUSCATEL o verddeir de Setubal, a
l,8oo rs, ag^ra'a, e2o,ooo a duzia.
VINHO BORDEAUK das mais acreditadas
marcas, S. Eimlion. Sant Julien Haut
Brion a 7oo e 8oo rs. a garrafa, e em
caixa ded.izia, a 7,5oo e 8,ooo rs.
VINHO BRANC ) de Lisboa de excelente
qualidade, e propria para missa, a 8oo,
rs. a garrafa, ou 8.000 rs. a caixa de duzia.
MADEIRA SECO a l,2oo a garrafa, e 12}ooo
rs. adazia.
VLNHO DOT\HENO superior, a 2.000 a
garrafa, e 22,ooo rf. a fliKia.
VERMOUTrI de superior qualidade em cai-
xas de 12 meias garrafas por I2,ooo,e
garrafas por I,2oo rs.
pacao nico tambem- que no^riagrece .bocea e os denles.
Em Paris na ra da Feuillade n. 7. "T"
Avaada emeas*do-Matfrer, e A, Caors. O,
PECHM4 SEM IGU4L
Ricos cortes de gjrgoro de- seda pretos adamascados para vestido eom i metro
ou 18 a 20 ovados cada corte, largara de chita franesza, pelo baratsimo preco de 505
cada corte t aa \\i Jas columnas da rus do Crespo n. 13 de Antonio Correi* de Vascoa-
cellos t _.,
LOJA DO
DE
AZEVEDO & FLORES
RA DA CADEIA DO RECIFE W. 49
Vejam e admirem!!
Chapeos de sol de seda aballo que valem 125, o Bilo vende a 10$, e quem
comprar de 6 chapeos para cima tem abatimento de 10 por cento.
Camisas.
Superiores camisas de peito de esguio pregas largas a 36$ a duzia, a quem
comprar de urna duzia para cima tem o descont de 10 portento.
BalSes com canda.
Superiores bales de murselina brancos e com listas de cor.
Roapa felta
Calcas de lindas e superiores casemiras a 8AO0O.
dem escuras proprias para o invern a 7#Q0O.
dem claras mais inferiores a 50000.
Paletos saceos de panno preto frao a 10(51 e mais inferior a 8,5000.
Chitas yaracoberta a %&<> rs o covado
Superior chita para coberta, cores que os donos do Balo affhncam ser as mais
fixas a 280 rs. o covado, quera deixar de comprar chitas qua todos vendem a 4'.)6'rs. e
28); olBalao tambera tem para vender um benito soriimento de chitas claras e escuras
fiin vestidos.
MadapolSo que val 40/5 a 6,5500, lindos cortes de cassa de cor a 2#800 ; -vista
dos precos cima, dio, a fazenda n-o presta.... e nos aflhncamos que ame-
Ihor possivel, e se vendaraospor e$tes diminutos pre^s para grangear maior numero
de freguezes. ^ f^l ^
Quem duvidar da veracidade do que flea dito veaha ver.
4

-m.
.lizas:we
Tinta Inalteravel
Para eserever
de P. II41RER & C\
PERNAHBVCO
1,


Esta tinta rcottittienda-se pela sua com-
posica fluidez como a melr a mais
segura de todas as tintas at hoje conheci-
das. Nao ataca as'pennas de ac, d at
tres excellentes copeas, mesmo anuitos dias
depois de eserever, e preferivel a qual-
quer outras tinta particularmente para
livros de commercio, documentos etc de
que se car^a'TOWrg^i conservaca.

Vende-s n livraria franceza ra do Crespo e ra Nova n. f8 de
.____________________---------------------------------- '/. ____________________________________________________,---------------------------___-----------------------------------------------------------
Vapwes.
-era cas* de Saatders Brothws & C,
u<-. -.rgo drpo Santo a, 11, vp*fes paleatas
co-i'.)do3os perteocespoartoiparv fazer i
tro? ou (jcutro machioas para descarogar a
fiiZ.
No apmawm da raa do Imperad* a "
Ga& u edfo II o. I, tem para ,WB*er-e me-
har e eiiatente no mercado.
Venle-se na faodlQo da Aurora, imelho-
res e mais p-rfeitas caulahas cora Ota de medir, e
teibS> 14 ferro gaWaauado, tudo por precos ra-
iumI.
velas de eanaaaba a U*jOOO a
arroba.
Vendem ?e caixas cott *elas;peJo barato re-
co acuna ; na ra da Midre d Do os. S e 9.
, AC DO BRUH ] 8
O proprietario deste estabelecimento deseja chamar a attenco dos snhores pro-
prietarios para os acreditados mchanismos que continua a fornecer; os qtiaes garante
ser como sempre, da mefcdr quaffilale possivel:
Mackmas de vapor
forca de um cavallo ptra e'tma. Artenores s5o mui proprias para motores de des-
caro?amentos de algoda elfes riajam armadas e podem trabalhar den'ro de 2i horas,
depois de chegarem no tgar. Etft levara, tudo quanto preciso para o trbalho,
Leques de sndalo e de madeira.
Riquissimos porta bouquets.
Loras verdadeiras de Jovin.
Ditas de seda e de Escocia.
Lindos boles de christal, tanto para p-
rihos, cmo para colletes e-abertur de ca^.,
misas, estes botoes tornam-se recommenda- ]
veis, por ser inteiramenle 'navidades.
Ditos de cornalina, brancos e encarnados,
para colletes.
Finas tbesouras para unhas e costura^ ,
Lindos porta jias.
Ricos port relogios de porcellana.
Modernos pentes de tartaruga e a imita
Cao.
Albuus para retratos.
Agulbas e linhas para crochetes.
Lindos aderecos de christal.
Rosetas e alfinetes de dito.
Aderecos completos para luto, assim co-
mo brincos e rosetas.
Meias de seda para senhoras.
Ditas para meninas. ,
Sapatiohos de seda e de mirin, para
baptisados.
Touquinhas O chaposinbos para dito.
L5as de todas as- cores para bordar.
Gapellas para noivas.
Gravatas e mantas para homem.
Alfinetes para gravatas.
Riquissimos livrinhos para notas, sendo
com capa de madriperHa, marfim e cha-
grn.
Penas de ac de todas as qualidades, do
afamado fabricante Perris.
Froco e seda frouxa para bordar.
Bengallas e chicotes de todas as quilida-
des.
Dedaes de marflm e metal.
Espelhos dourados grandes, e pequeos
Grande aedioc.
Vende-se .pecas; feataodjo finas 45, 4i550O e
carn d Vacca *3$W) 6$ : s na ra da trape-
ratri o: 72."
Qnem iluvfdar MiBIr' ver, -cortes de
: Grarrfe orrtmwo tttne* #eeamb'aia bran-
nda a
44eo fJ4, cortes ; ,e 5JI, ditos caf'coebfa i Sf e'f|SOO : s na ra da
Itaperiftrtt'e. 7-
i'Laataha 2rS.-o:Cov*!'^
Vende-se om grande Mllfllrito de lazinbas
Boa a 40,880, 08, 390, 3flO 9400re. niowdo,
alo se acabando.
E' baratissimo, chales a 2,5000.
Cffanfe de mer.inO "escafnjados 'f, SOO e 3,
ditos finos a 4J>, 54500 e 6* : s na ra da Impe-
ra tr n. 72.
Corte* d#brf*a |*280.
Grande soriimetitf de Arfes de brlm
11400, l|600. J3I0 1$, dltoi de as
Coita a 180 r. ocov'ado.
Grande sorliwenio de chitas a 180, 200 e 240 rs.,
Iritis fftcezal a 240, 280, 300, 320 e.360 rs., di-
tas prcales a 400, 440 e 500 rs.: s aa roa da
Impratrii n. 72.
LencoaaWa duzia.
Vende->e oro granee ortimeoto de lencos a li,
2*500, 3* e 3*500 duzia, di tos de lioho a 4*600,
5* e 6*. ditos bordados com bico a 4*500 e 5*,
Vitos mutin Un -s 6*, 7* e 14* a duzia : s aa
ra'da I copera Iriz n. 72.
A :)-J0OO a peca.
ua u uipc-
'II
t IB280,
sea*ata2*.
ditos de columna.
Dito especiaes para as senhoras fazerem
pentiados.
-Pulseiras tanto para senhora como para
diversos sobrecellentes.-ASHfcrcHiiws maiores s3o proprias para a magem de canna,
e ha deltas que podr jlfrrtff e 'separadamente moer canna e descarocar. Ellas podem-
seappliear aqualrpier oenda jexstente Sera outrarandanCa do que asubstitmeaodas
rodas di almaniarra, ha tambem cota moenda junta. Ellas lera depsitos d'agua e boei-
rs de ierro; e na precisan* para seu assentamento de obra alguma, qur de carapina,
qur Jealvenaria. O lempo para assenta-las nao excede dedoze dias ao mais, eem
cafcosde nwrt>is dean'iffieee'ou arrombamentos de acudes, etc,. garante-se o assentamen-'
to em oito dias. Todos estes vapores Bo'simp'issimos'na construccSo, e se regera por
qualqur pessoa intrnig^nte, a facilidade da coadueQ5o sendo especialmente considerada,,
tarvtO'qne a5o harlagarieBi'qieTio se possam conduair, qor por trra, qur embarcado. ( 0s-
Leortra-so awenhores deerigenho que a venda dos animaes eoservicodal
genteoceupada no seu tratamento os hao de recuperar da maior parte da despeza do meo,i^1- ,_... fit3l! ,._-.,! A k,,,
vapor, deixando-lhes a-vaetagem do urna moagem certa e accelerada; e acabando com a BS? ftifun SSf
despeza daooittpnvoMrtinuada donovo animaes, e com os desgostos do trbalho que se: y^s e seda
^^rttWdesPecessariolembrar aos compradores de vapores a vantagemque'. ^;de.seda *e dealgodJo para mangui-
IhestesoKa de-eomprarem suas machirias garantidas era urna fabrica, tendo artistas com- r~^WtUi
peteutes para assentaf as"mesmas e ensinar a maneira de trabalhar com ellas, e j pre-
paradas para arremedwr qualqur desarranjo; facilidades estas que jamis podem en-
contrar cemprando-as aos simples negociantes, os quaes por falta de conhecimento na ma-
teria nem se quer poden garanli-los de que as machinas que vendem sejam proprias ou
suficientes para o trabalbo em que se queira emprega-las, e no caso de desastre n5o
podem prestar-Ibes soccorro algum; sendo qda ainda quanflo vnham as febricas para
concertar a6 machina! albeias, toena-se-ha preciso-faze^ repentinamente-moldee novos,
etc. para as pecas estragad is. J numerosa? vezes estes vendelores tem representado
feas vaprjres cmo Senao de frca mui superior sua actual e verdaleira for?a; equi-
voco este que n5o s engaa ao comprador acerca do trbalho que possa tirar do vapor,
mas tambem da lu?ar ao pagamento de um preco excessivo, vista da fjrca real da ma-
china que compram.
Tambem ha sempre prompto Rodas d'.'gua de ferro Sarithos eom cruzelas para as
mesmas Moendas de canna de todo o tamanbo, Rodas de espora e angulares, Paroes ou
coches para receber o caldo, Crivos e portas de fornalba, Taixas de ferro batido, fundido e
de cobre, Formas de ferro galvanisadas para purgar assucar, Bomhas simples e de repu-
cho. Alambiques de' ferio. Etis e rodas de carro. Arados, grades, enchadas a cavallo
e outros instrumentos de agricultura, Moiahos e forn para fazer ferinha e finalmente
todo oobjecto de mechanismo de que se costuma precisar.
Na fabrica se fazem obras novas encommena e concertos, cotii a maior p este-
za e solidez. O grande deposito de pecas eobjectos habilitam-na muito para este fim.
O proprietario ser sempre mui feliz de poder dar informacoes oa esclarecimento
aos snhores que se servirero 1e seu presumo.
D. W. Bowman, engenheiro.
de ac.
Suspensorios de seda e de algodo.
Grande e completo sortimento de perfu-
maras finas dos fabricantes.mais afamados,
assim como muitos outros objeclos que se-
ria enfadonho mencionar.
S no Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7.
Verdadeiros
Collares Royer
Electrt flagoelico .
Ou Collares Anodinos, para facilitar a den-
tc3o das criancas e contra as convulses
das mesmas, a estes collares nos escuzado
fazer qualqur recommendaclo, visto a
grande aceitac3o que tem tido, o que pode-
mos provar assim como, afiancar o effeito
que elles produ/.em, porque ha muito qcs
os recebemos e continuamos a receber por
todos oa pMpsfctes da Europa; e encontra-
rSo sempre na loja-do Gallo Vigilante, ra
do Crespo o. 7.
--------------------------------------.,..
Vent-se'urna taberna na ra Imperial nJ
160 com piucos fuios, pnpria para principiante :
quem nrtiDder dlrijase aqualqner 1>ora qoe
achara .eom ^e m tratara mama taberna.
......
C4HI84S FII4NCEZ4S E I\GLKZ4S
A' loja de fazendas de Augusto Porto & C.
11Ra do Queimado11
A' loja de fazendas de angosto Porto & C cheoOm graade sorUmaatp de umius
Inclezas para homem, mmto superiores com colarinhos e sem colarinhos, continuando esta
casa a tersenipre completo sortimento de camisas de linho e de madapolao mglezas.e
frezasrahomeas e menino ; aeralas de jmho flus colarinhos de muitos gostos.
Camisas fraocezas para senhoras a 5*, 503UU e o#.
Sobretodos de fttnao de do faces Jazenda snpenor.
Vestidos de blonde com manta,apella P* aem?.
CorUnados de cambraia bordados para camas e jselas de 12* a iO*.
Colxas de seda e de la e seda para camas de aatws.
Grosdenaple de diversas e liadas cores e pretos.
Moir braneo, tvas, mantas e capellas para noivas.
Lindos cortes de cambraia braneo ricamente bordados.
Bonete, gorros e chapeos de palha de Italia paTa senhoras.
Lindos corten de foulard de seda fazenda de muito gosto.
Cambraias, ISazinhas e percales dos gostos mais modernos.
Tapetes para sof, plano e cama e tapetes em pe$as.
Alcatifa barata a WO'r. o covado, que com peonen* flespeza se alcatifa urna sala.
Boas pinoos pretos e azues e grande sortimento de casemiras pretts e de cares.
Sortimento de espartimos, balofs, meias finas para geanoras e homen.
Superior bombazin, alpaca, cantao, prineezas e merinos pretos.
Panos vendados-para cadeiras panos Unos para mesas.
Malas e saceos de cowe para viagem e OTtrmento de
Esteiras da India para for ar salas
11 Una do iHeimaUo11
.mM-.
brande peelilaelia
Selecia. rtn 26 Trase pega,, tatgora de 0 pal-
mos, a mi: na roa da Imparatr n, 52, Paredes
Porto.
Novo e grande deposito de' superior Wvo Bahia.
Antonio Gome* dos^aatei & C, ra de Santa Barbara n. t; esto habilitados a sopprir de
oarvo, em cot|HlQ5es sil ivof>is qae era ootrp (jaalqner deposito, nttodot es navios a *ifwr aue
ccafem naqelle porro.' A contratar nesla eom DottHnft Aires Mathens^
Tasso Innaos
Veodem n sel arnaiem nH
Abw ri S5,
Licor fino Curasao em botijas e meias botijas.
Lteores finos sonidos en garraa* com rolhae *
?idro e em Itndos fraseos.
Vinhosheres.
Santeroes-
ChaoMlf*.
fieraaftafB.
Borfonhe.
Ghampagne.
Mnseatel.
Reino.
Bordean.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagnol.
Grande sortiraenio de madapolao de 5*. 55300 e
8*' ditos 'methores mareas a 7*, 8*. 85500.9*,
10*, 11* e 12*.
BaTO esr 3^000.
Vende-se am grande sortimento de halSes de u-
3*; 1*500, 4* e 4*500, ditos de musselia a
:> e 5550i), ditos para meninas a 3* e 3*500: s
na ra da Impralrt: n. '72.
Gravatas a 500 rs.
Vende-se nm grande sortimento -\a gravatas a
500, 640,80a**;aMK Hws a 1*200 e 1*600 :
s na loja dn-Gatmares & Waavrua'da Impera-
triz n. 71
No armazem de lazendas
baratas de Santos Coelio
Rna-io Qmlmado n. 19.
Vende-sflio sninte :
Lencoes de bramante de um s panno pelo ba-
rato prego de 3*200.
Ditos de panno de llnho a 2J200 e 2*600.
Cobertas de chita da India a 24O0 e 25800.
Lencos de cambraia ftraftfto* proprlos para algi-
beira a 2)000 e 2*200-a duzia.
Ditos de cambraia de linho fino a 4*500 e 5* a
duzia.
Atoalhado de algodSo brasco a 2* a vara.
Bramante de linho fino cora 10 palmos de largu-
a 25500 a vara.
Panno de linho fino com 9 1|2 palmes de largu-
ra pelo barato preco de 2*400 a vara.
Bramante de linho fino de urna largara, pelo ba-
ratsimo preco de 800 a vara.
Toalhasde linho acolcboadas para mos, a 13*
a docta.
Ditas felpadas a 135 e 15* a dezia.
Guardanapos de linho a 3*500 a duzia.
Flanela de todas as cores para coeiros, a 880 rs.
o eovado.
Tarlatana de cores a 800 rs. a vara.
*- Baldes de 35 arcos 35500, de 40 a 4*.
Cambraia de linho tina a 4^500, 6*500 e 9J a
vara.
Cambraia para forro de vestido a 2*700 e 3* a
Pecas de bretanha de rolo eom 10 varas, i
35500.
Peca de madapolao fino e largo a 7jj.
Laazinht lisa de cores a 800 rs. o eovado.
Pecas de cambraia branca de salpicos cora 8 e
meia vajas a 4*500.
Coeiros de casemira bordados pelo haratissimo
prego de 9*.
Esleir da India propria para forro de sala da
4,5 e 6 palmos de largara.
Cambraia- finas de cores miadas a 5J0 t%. a vara
Neste armazem tambem se encostra nm grande
sortimento de roiiD* '"";. o uor medida.
PHOSPHATOdeFERRO
[DE LERAS DOtiTOR EM SC1ENCI&J
INSPECTOR DA ACADEMIA DE PARtZ Etc.
NSo existe medicamento ferruginoso lao notavel
como o Pkosphale da ferro de Lera*; as sumrai-
dadffs medicaes de inundo inteiro adoptaram-no
com sollicitude sem igual nos anuas da scieneia.
As cores fallidas, dores de estomago, digtslSes
fenosas, anemia, convalecencias dif/u-eis,idad
crilic* as senhoras, irregularidade no mens-
truacio, pobresa do sangue, lymphatismo, sao
curados rpidamente ou modificados por este
encllente composto. E' o conservador por excel-
encia da saude, e declarado superior nos hospi-
taes e pelas academias a todos as ferntginoses
conliecdos, a (dereto e ao cilrato de ferro,
porqae o unicn-que convenaos estomagas de-
icaao, qne n^o provoca conslipacto, a nnico
taibero que naaHnnegreoe I bocea e-o denles.
i
A venda navaliarmacias-4o P.iaurer A
A. Caors.^era Pernambuco.
Jeaqoim Jos Goocalves 'Betria tem pata
vender em sen escriptorlo na roa do Vigario n. 17:
Vinbo do-Porto em barris de 4* e 8*
Dito de dito em caixas da f Hazla.
Vinho superior da Figaetra.
Azeite drpeixe era barris.
Toros de jacareada'.
Tabaco americano am latas de llibra.
Caixas com papel paatado.
Cigarros do Riode iaaeiro.
Machinas para deeeaYogar algo-lio, del-Lenas.
Pano~da!geda da Bahia, nroprto par
saceos deasaear mapa esaraloi > >tesn para
vender AoasnU Lon de OUveira Axavedo & C., no
sea esortpwrrt rea dfctCrnz n. 1.
s<
a 1:500 e 2;0(X) rs.
Na praga da Independencia ns. 24, e 26.
-------i------------1-------*__------l..-----......... ,i ,---------:----------
Yenae-se
-Veraadeira salsa parrilha de Bristol por 3*200
cada frasco.: na botica da roa Direita n. 88, de
Jas da Rocha Paranbos.
FrancisoS Jos Gennann
RA NOVA N. 21,
*sba de receber uta lindo e magnifico tor-
Jimento de ocuios, lunetos, binoculoa% de ul-
Imo e aais apurado gosto da Europa o oerj-
los de alcance -?aara observacoes e,*para"os
aaritinios.
Aguas miieraes uaturaes de
*Vichy.
Be todas as aguas raineraes nspreRada em me-
dleina, twnhuma goza de t alta rpatacio,-como
a natural^le Vichy. Estas aguas sio saliaas e ga-
6ss. Os mdicos de todo daada as recongnen-
dam com vantagem oas doeocas-dos rlns.-aa aexi-
ta, nas-eas, nos clculos nrars, na fotu, na
diabetes, na albuminuria, nat *wn?as das vas di-
gestiva peso do estomago, digestao difflcll, inape-
tencia, gastralgia dispepsia, matrite chroale, etc.,
etc.
Deposito na botica do Pinto, ra larga do Rosa-
rioaUO__________ ^
^ Vende-se na becco da; veras 22 omanreta
noca, boa figura, que engptrma, lava e coziaba.
\
" I
V
t


..
7
_____
DlarJp ilf ihW^ff-^*^.kMr**#^(r
t

RA DA MPHWTOffi ARMAPEM DA
PORTA LARGA N. 52,
Junio ti paitarla franceza
O
Paredes Porto.
Neste estabelecuaeuto encontrar o res-
peitavel publico uro variado sortimento de
fazendas francezas, inglezis, suissas e alle-
m5es, aue se veqderao por proco commodo.

VENDE-SE
o arnaxcn de M. J. Ramos e Silva iimur*. ra do vigarlo
o. 1 \, eonstautemeuc, os seguirte .ftrU&ea* <|Uf
receben por encommenda propria de
lEW-YOfUI
.Ui'J .1
Grande arnazem de fazenda e
roupa fcita, rna da Imperatrlz
. 59, arnazem da porta larga
Neste estabelecimeato eocoutrara' o respeita-
vel publico utn completo sortimento de roupas de
todas as qualidades. e prego commodo. como se-
jam : paljetofs de alpaca,de merino, de bomban
na, panno, casemira, preto e de cores, caigas de
lodas as qualidades, colletes de diversas qualida-1
des e precos contrataos, chapeos pretas francezes,
fazenda de 100 a 62, ditos de so! de alpaca e seda,
sobretodos de panno proprios para viagem a t 12,
meias cruas de boas qualidades e prego cora'tno-
dos, e outras mu tas fazendas e roupas feitas, que
se vendem moito barato : no armazem da porta
larga n. Si.
60.0 re.
Admiravcl pcchlncka.
Camisinhas de cambraias a 600 rs.^ara acabar :
a roa da Imperatriz n. 52, armazem da porta lar-
ga junio a padar ia (raneeza. .
Casemira
Veode-se casemira de cor a 42 o corta
da Imperatriz n. 32, junto a padaria franceza.
Ti 1 *< ^
Legitima salsa parrilba de Bristol, preparada por Lanm'an 4 Kemp.
Verdadeira agua florida, preparada pelos mesmos.
Gaz em latas de cinco gales, o mais purificado que se pode desejar da acredi-
tada mar K. W. D. & G,
Relogios perfeilo& reguladores, cora corda de quatro a ojto dias, dos afamados fa-
bricantes E. N, Welch.
Grajxa empatas grandes da bem condecida marca las. S. Masop (de Pbiladel-
phia).
Superior oleo para machinas de costura.
Agulbas para as mesmas.
Breu em bar icas grandes e pequeas.
Venderse tambem;

BORDEAUX
1.* Snalidade.
St. Estephe.
St. Jtilien.
G. Margaux.
C. Lafltte.
Medoc.
PORTO
Ia qHalidade,
Vinho fino do Porto em barris de 5/, 10/ e 20/.
Superior vinho doRheno.
Cera de Lisboa em velas e em grume,
Principe-Real.
Pedro, V.
Maria Pia,
Princeza D. Isabel.
Vctor Emmanuel.
Pticra.
Malvaaia.
vmm
na ra
Veode-se baldes (crinolinas] de todos os tama
nhos a -2 e 2230Q; a roa da Imperatrl* n. 52-
lunto a padaria (ranceza.
10500
ntremelos.
Vendem-se pegas de ntremelos com 12 varas a
1*500 : a roa da Imperatriz n. 52, porta larga. -,
Chale 4* reata a 1
Vendera-se chales de renda, pretos, fazenda de
boa qualidade, a 42 por ter porgao : armazem da
porta larga o. 52.
KrUadis t bourans.
Receben oltimamente um sortimento deretondaa
e bonroas de seda e de algedo por .barato prego,
sootembarques de grosdenaple, capas e manteletes
por pregos commodos ': armazem da porta larga
B. 52, ra da Imperatriz.
Cambraias lisas linas.
Grande sortimento de cambraias lisas, que se
vendem a 3, 350Q e4, .dita muito fina Vcto-
ria a 52 e 55300, cortes de tarlatana de bonitos
gostos a 31500 e 42 : rna da Imperatriz n. 52,
janto a padaria franreti, arrumen da porta larga.
Ricos cortinados.
Rico sortimento de cortinados bordados, de boni-
tos desenos a 22, 22500 e 3$, e de outras qnali-
dades para o mesmo fim : do armazem da porta
larga n. 52, na ra da Imperatriz.
lirosdcuaple pifio a de car
Vende-se grosdeoaple preto e de cor a 1#>00,
12800, 22 e 22560 o covado, seda preta lavtada a
gorgoro a 12600 e 5 o covado : rna da Impera-
triz n. 52, aruMZbOi da porta arpa.
Tiras e estroncios bordados
Grande sortimenlpxliUtfa&.fi_eotremeios borda-
dos, pelo prego de 500 rs. a pega : ra da Impe-
ratriz n. 52, junto a padaria fraoceza.
Cortes de qoro urdo de seda
preta..
Vendem-se corlas de corguro de seda preta
para vestido cora 20 covaos, por. barato preg :
na roa da Imperatriz n. 52, junto a padaria frao-
ceza.
60r*
Cortes de calca.
Vendem-se cortes de caigas para servido a 600
rs.: na ra da Imperatriz d. 52, jonto a padaria
fraoceza.
JLas de vestido.
Che|ou a loja de Paredes Pono un sortimeot*
de laas para vestido a 240 o cooad i : na ra da
Imperatriz n. 52, junto a padaria franceza.
- Chambres
Cbegoa um sortimento oe chambres para, to-
rnera a 42 e$2 na ra da Imperatriz n. 52, loja
de Paredes Port.


Sil-,
A DIMHEIRO
E ARMAZEM
i .flfiJ^g,
Ra da Imperatriz n. 60
DE
. um & SILVA.
Tendo.os. propietarios deste
-i
grande estabelecir
Caiuiirai. s braitcits,
Cora 8. palmas Sdna loja do parlo.
V>nde-se e-arooraiae" brancas transparentes tendo
8 palmos- de (largura, op.duas largura uas regulan
res, que faceljla fazer-te um vestido apenas, com,
var*S vendem-se petos oaratissfmos precos e,.
120Q0 reif, e 12280 a vara, nicamente na loja e
armazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60 de Ga-
ma <5 Silva.
Baldes baratos
Vende o Pavio.
Chegou um grande sortimento de baldos de ar
eos sendo americanos que sao o melhores e ven-
dem-se pelo baratissimo prego de 22500, 32 o
32500 : na loja do Pavo na ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Mretanhaa de rolo a 2-5800.
Vendem-se pegas de bjeianha de rolo tendo 10
Grande Soitrauento
DE
Su Zl 11 dlfnmn|f. Prand dePslt0 das varas cada pega pelo baratsimo pregone 22^0:;
tem^ende'r mllf hD," f/^'6 WMn, Wmy oa loja e armazeVdb Pavao na ra ria Iraperatrli:
m?i# 1 ? fiibirat0 d? qnV" .^r' qQ?l(u?r n- W> de Graa S Silva,
parte, com o fim deaporarem mheiro e cada vez /___ j
mais agrjdarfrB aos seu*.numerosos freguezes,
porlanto Ipes oferecero om grande sortimento de
fazendas inglezas e francezas, as quaes vendem
por atacado e a relaloo. Comprometiendo se
.pandar levar_ qnalquer fazenda em casa dos fre
jiuezes, que nao poderem ivjr a loja, oa mandar as
amostras delxando Gcar o penbor, assim como
convdalo as pesaoas qne negoceiam em meoo/
esc&lla o^ne nest,e e.sta^jecjmentp pncpntram nm
grande sortimento, vendendo se-lhe apenas' pelo
prego que compram .em prraeira mo as fazendaf,
gapbandoTS.6, apen^.p d,esflojty, sendo a dinb^ro
As ira-rMdinas
Na'-loja do Pao.
FAZENJJAS BAHATAS
Roa da Imperatriz n U
Loja e ariuuzein da- Arara
HE
Loomico Peiciii- Mendos Guimaros.
Pecbincba chitas 206 rs. o covado.
Vende-se chitas escoras e claras a 200 r$is o
covado, ditas francezas finas a 240, 280, .20, 360
e 400 iris o ovado, Ra oa In^ erairiz loja da
Acara n. 56.
Arara vende bretanlia de rolo a 3<$0T0.
Vende-se pegas de bretanha de rrlo a 32006,
{egas de cambrala para vestidos a .32CC0, 32500,
2000 e 52000. Roa da Imperatriz loja do Arara
o. 56.
Cassas frarjeezas finas a 240 o covado.
Vende-se cassas francezas para vestidos a 240,
280,320 e 400 ris o covado, ditas de listas de
(ores monto finas a 120 e 800 tefe o ovado. Roa
da Imperatriz loja do Arara o. 56.
Arara vende cobertores a 10500.
Veode.se cobertores de pello a 12500, ciertas
...000.corzas de damasco a 4000 ditas
de faslflo a 32000. Roa da Imrerstriz o. 56.
fazenda v%ndes stropae'a 62 pela sa boa quali- MadapolO francs, a 3|J500 a|eca.
dadee agora li.juida se pelo baratissimo prego de Vende-sa pefas de martapi;,. f/^w^z.'lTestado
42 por ter^rande porgao : na loja e armazem do de 12 jardas a 32500 e 4200O ditas"'!) diio ingle
Pavao a ra da Imperatriz n. 60, de Gama &; de 2i ditas a 4JO0O, 52500, 62500,72000,82''00,
Grande peeldncha
em chales a 4l na loja do Pavao.
Vende-se finissi.mos chales de merino lisos com
^ franjas largas de retroz tendo as cores' segointes :, .
encarnado, azoMpr, azul esenro, verde, cor de Lh' L a Sn D 1 ?Wil"' *''
canna, solferino, majepta, branca e roxo etc.. esta ,de f !lfl0 a 3*0- Boa da Imrer.-ln?
2 K 2 c o O -n as O O o
sSIsse-loEsSB
o1 S"S? ^-9 3 g .o.g'.S
g.O.j
Bft
o mixi Bt5f
I-b s.g ..g-i-a
O a P
. B
o
CE
"8 S
rftn
a
a.
Si*
5
?* Ri i lO QIED1 IDO ]%
v Madapolao*
Finas pocas de madapelao com 20 varas a 9.
LENCOS,
Lencos de cambrala branca, duzia 2.
dem de cores fixas para meninos, duzia 2400.
Cambrala.
Cambraias de cores a preco de 260 a 300 rs. o covado.
Guardaaapos.
Guardanapos de linho, dnzia 3)51500,
AlgedSo.
AlgodSo trancado de dus larguras, proprio para toalbas de meea alpreco de
liJ300 a vara.
Snpenor bramante de lmno mglez e francez,
Cambraia de linho propria paraKlencos. ^
ATOALHADO.
Atoalhadp branco para mesa a i 600 a vara,
Entremeios de cambraia muito finos, pFeco 10.
Lencos de seda para algibeira a 1(5600,
JiWCHiNAS aSrKJAAS "
vcrdadclras do fabricante x. v. Cancioingln &
Moinhos americanos para moer milhn.
Na ra Nova n 20 e 22, grande, deposito
das verdadeiras macotes amewoanas e todos-
os fabricantes; se wicootra ueste, deposito/
grande por cao de machinas, e se vendem por
menos preco do que em outra qualquer parte,
por se receber em direitora da elerica; se
fornece todas comprador para consef\*ac5o das1 meaaias';
neste prande estabeiecimenl se encentra mui-
tos artigos ammcaaosu que muito de ve agra-
dar aos agricultores queusanjudetaes artigps,
enccmtra-se tambem todas as colleccoes de de-
senos sobre es quaes se aceita ..qualquer. na
encommenda, que com tada ; ueste grande! es labe lee ment, encon-
trare em grosso e a retalbjp, grande porepo
*ie ferragens, e miudezas que se vendem por preco coaimodo, pedindo-se a attencao
Chegaram pelo m^mo j^f^ da Fra.Ma as fMs.iW^djlo.s.'d, .
unoas cambraias transparentes, tranadinas, sendo ; Pavao na ra da Imperatriz n. 60, de Gama
ilva.,
A 4|$ pecbincba em chales de renda na loja
do Pavo.
Vende-se chales de renda p-etos tendo 4 ponas
e sendo.muito grandes pi lo bataih-simo prego de
'.de renda de, seda f 8f e.40*,:.fa loja.-fl
com os padiis de listinbas e flores, conforme-w^Silia,
usara uliiaiaiueute as principats cidades da Eaa
ropa, e vendem-se pelo haratissimo prejjo de oaO
rs. a vara oa loja e armazem do Pavio, na ra 4-
Imperatriz o. CU, de Gama,&,&;va.
OscMcs iQwi'itoi* 2^o e 2$owjl.
Vendem-se chale de merino estampados a 22
e200drjm. "TS
UitQS 4ftArifl4i *,Mm-.i i*ouu caca um : ua Ida e ara
Ditos esumpados de crepon^ a 62,. 72..e 82000 rw.fla.fmperatm n. 60, de Gn
Para^mao
Lencos bordados,
Vende o Pavo.
KstfcesUbelecimeotu acaba de receber om va-
riado sortimento dos mais bonitos lencos de eam-
(braia primorosamente bordados e proprios para
mo que vende pr lo baryj>.-inK. prego de 12 e
12600 caca um_: ua li^a e armazem do f^avao oa
ma .& ?'la.
Ulbimuyo&to tin lazinhas
Acba-se i.m giiiuuc .o tmenlo das ma>s moder-
Ditos prels-bordados com franja de seda a 142"
.Na loja e armaaem da Pavo oa ra da Impera--
triz n. 60 de Gama & Silva.
Para luto vende o Pavo. P> ,;> Mfrja Pj?,. Garibaldipa^, math^da^dias,
Setim da Cirio comj 6toalmo& de largura, fazeo- e ^e qoadrinbos que se vendem por baratissimos
da prela, para Ipio, prqprja para vestidos e roupas' Prvps e dorse as amostras : na Joja a armazem
do Pavapna roa. da.lmperalfiz. n. 69, de Gama
pata homens, sond sta novo fazenda ser lustro e
de moit boa: alidada, paranunde-sa nao ticar,
jussa cpm 0.lempo e venrje-sepelo barato prego de
12 e zpcW covado, assim como neste estabeleei- -
ment lea nm glande sorownto de toda* as (a-
Silv.
Guarda lia 11 lia,
Veodeo-sie bonilus guarda baoha de laberyoto
proprios para .encestes de radeiras, .pelos brratisti-
I 1
V
zendas pretas como seiam^.cafsa.s e chitas .pretas- nos'precM'e S a "32000 r. na lja do Pavo na
i?J e ,1ra.nsP,rTOtes. pnn*as, alpa-as, | ru4l ^ iropeMiriza. 60, de Gama i Silva,
sar as, eto. : na lo* armazem 4o Ba-va ua ru* ftl *0,.iB1,a An *\ha
da Imperatriz u. 60, de Gama. & Silva, es COI 1188068 00 WKfmi
Os espartilhOB do PavSo. I Vende,-sp pm j-an.de sort'mtnto' dos mais ricos
,... cortiodo5 bordados, proprics para camas ejanellas
" pelos barissinif pr- eos de 82,102.162- 202 e
Jem-se urna grande e variado sortimeoto de'
esfaitilhos dos 11*1* Itera leitos mercado, eodo 4e todos.os.tamobos, vendendo-se
por um proeo moHo razoavei :isio na loja ro P
f*252000 rs. o par, assim, eomp^egas da .cambfa^
bordadas e adamascadas proprias para o mesmo
firo Ler,precr^.r<|Zf^vei>, pa lija e prjnazem.do Fa-
Vao na roa da imperatriz n. 60, de Gama &**?-,. vo na roa da Imperatriz n 60, de Gama & Silva.
RounafcUa.
Na loja do Pavo
\T a -------. .. ------ Yenuein'-i> iai tutu irfciiiBes ue mai* ue
Vendr oeste estabelecimento nm grande ser- iaa com bopjio aplat pr. crios nara sabidas de
ra Nova n. 20 Carnero Vianm.

timeBioiJerpopas^ i?.uio.do panoi como ca espiras,
e brios ,# oelos .barajiss^psipreco? como sejaoi
caigas decaxemira preta >t2 ^2 e t^OOOre1, pa-
letts\de'paono preto saceos a 62 82 e 152000 rs.
ditos.sobreeasacos depanoo Onissimo a 122 182 e
232e0 res, o outros mrjrtos artigos qne serla en
fadonnos aqu.relatarlo?; ?{> qa loja e.armazem do
Pari roa da hrrperatrit rr. 60 de Gama Silva.
Lvafos lrnc*a a O*) res a
V-endem,se engos, bapcqs. farcoda muito boa
pelo baratissimo prego de 22 a duzia, Ditos com
Os ca liibs 'o Pavo,
Vendem** mai* l.cniu^ ccdios de rralta de
btrrai de afir "a 3200 wto.para ooabar a4oj-|d- baratissime prego de dez tostdes a vwa por esta
II
a-a g
2 o w
O w
Z 3
ls |
2 r b
3
o
f
a05 S>
2 S?
2 ?
o
o
W
m
c
:
>
o
50
K
uval sem mam.
Koa d Qaeimado u. 49
Est dlspoMe" a oMinuar a veoder por prego
que a lodos admira queiram apreciar e vir ver para
crer.
Grozas de penoas de ago moito boas a 320 rs.
Bonete murt tinos para meninos a 12-
Pea tes de lisutcm -coHts e meaJ t-bOOrs
Capachos redondos o compridos 500 ti.
Pulceiras de coalas para senhe-ras a oOO rs.
Caizas de papel amlzade a 660 rs.
Quadenosde papel motto'bom a Ors. .
Peales do 'tartaruga a 22^00 rs. i
Realejos para meoincs a 100 rs.
Escovas para llmpar denles a 200.
Barato rmoito finos IOO-ts.
Caixas de p de arroz moilo superior a 800 tu
Caijtaa de -iampanoa pari tres mezes a 40r.^
Caixas de obreias de massa a 40 rs
Grozas de boloes de loucs* a 160 rV.
Enfiadores de cordo maa 60"r%.-
Pegas e ado'oosecra.10 varas a 320 rs. -
Cartas de alQnetes francezes a 100 rs.
Libras de alflsetes francezes qualidade a 22.
fVovellos de liona com 400 jardas a 60 rs.
Ditos dift cemtOff jardirs a 30Ys.
Caixas com alflnetes a 20w*
Pares de lovao bfancas e de cores a 400 tu
Grvalas d tedas as, qualidades a 500 rs.
Resmas de papel almajo superior a Sy&OO."
Calxas-redeems eooresrampa8'3 100 r.
I i mi j aiiwi de rimft. lavada a> tOMBic
Buoecos do choco ms*Ur bonito.a tfiOrs,,.
Frascos de.soperior gt de colonia a 400 es.
FAZENDA E ROUPA FEITA
HCA MOTA We 4.
Reg & Moura, propietario da teja de fazendas e rcapa feita, sita ra Nava
n. 24, fazem cente ao publico e particularmente aos seos amigos e freguezes, que
acabam de receber de sua encommenda, um perfeito sortimento de fazendas finas, entre\
ellas -casemiras de cores proprias paracostumes; panno finlos melberes fabricantee
proprios igualmente para casacas e sobrecasacas e outras fazendas de variado* gastos,
as quaes vendem comdvantagfimsobre outro do mesmo genero, de negocio, tanto pela
modksdade dos precie como pela qualidade especial dos artigo* que expoe a esco.la de
todos aquelles que se rgnarem frecuentar *eu eslabelecimento.
Os mesmos, continuando como sempre, escudados e robustecidos na acettac5oe
confianca que Ibes tem eido.dispeHsada pelo respeitavel publico, no espa,co. de tempe em
que se acbam estabelecdos, procuram envidarv todos osesforcos. a seu alcarice para cor-
responderem sufficientemente a expectativa deste e de seus numerosos freguezes eami-
gos, por isso, adraittiram para sua oficina de alfaiate, quatro cootra-mestres*, funecio-
nando regularmente sob a immediala direccio do muito hbil mestre Lauriano Jos de
Barros, o qual, activo e diligente como se ser. n5o se poupa aos mais aturados cuidados
de sua arte quando tem de salisfazer com brevidade e presteza qualquer obra d encom-
menda,
Ao contrario dos nuitos que encheraaseoluranas do jornal coma repeticSo ociosa
de annoncios em estylo sedico, n3o precisamos aqui a naturoza dos- artigos qae possui-
mos para nao collocar a sioceridade dos oossas tratos no perigo imaiirreBte' qae resulta
dessas antecipaces sem. fundamento.
Pavao p.a ja,d# Imoeratriz -b. 60 de Gama 4 Sio
va.
< rosdnaaplcs prrtes d Pari.
Vendem-.e sojief|opies( grosdenaples pretos pelos
baratissimos precos de 12500, 42600, 12800 e 22
o covado, sendo iazeoda muito boa, so-para ac-
'*. o la.o arrojuMudo. Pa*o,.roA, H Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Bramaste le Haba do Pavo.
Vender superior bramante de linbo eomrlO,
palmos de largura, proprios para lenees, pelos
taratissrmes precos-do 22 e 2-600 a varo, assim
como panno de liolw moilo fioo pelos barntissimos
p reos de j40,700 o^fiOO es. antara : na laja ar-
mazem de Pavo, ma dalmperetrrz o. 60, de Ga-
ma Silva.
.
i
ni ira*
a 4. na loja do Pavo ..
Vende-se superior casemira ofestada, propria
parra caiga, paletots e colletes. pelo baratissimo
prego de 2SO0 cada covado, oa a 42 o corle do
alca, sendo, fazenda que sempre se venden o 32 o
covado, ou a 52 o corte ; esta grande peehineba
liflUida-8e pelo prego cima, na leja e armazem do
Pfivo, ra da Imperatr o. 60, de Gama & ilva.
Madapoioes a 3,500 rs. a pess.
S na loja do Pavio.
Vende-se pecas de madapolio tino com 14 jar-
das, peip barato prego de 32300 e 42000.
Iheatro e bailes etc.etc. ua toja e armazem do. Pa-
va na ra da imperaniz o. 60. de Gama i Siiva.
AljSO Vende-se uperior alpc-Oosiriho com.8 palmas de
largura proprios para lenges, pelo barato prego
de 12000 rs. a vara, na lq}a e armazem do Pavao
ua ra da.Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
Organdy a' 1;000 na loja do Pa^o.
Veodem-se os mais Anos e mais modernos organ-
dyes de cores com os mais delicados desehos,sen-
do fazenda de 12600 rs a vara, e liquidao-se pelo
50 A RA A CAOEIA50 A
Neste estapelecimento como sempre continua baver grande e completo sortimenio de macbmas
para descarocar alodcv.verdadeiraa americanas, de 8 a 33 serras, dos fabricantes Ji mallo cooheei-
dos Eagle New York Cotn Gin e H. & C, estas sao as ptlmeim qo vem aosle en4jtorntndose
recommeodavers ntos-peta segnranga com qne sao fetus, como pelo gr*ad,.augBX!ftt.. que offerer
cetn no sea Irabalbo, oceopando raul poooopessoaj. Tambom.aqo:08 regqeze6 eocontraroo. todos os
necefsarios avalsos para as mesmas bem como :
' Machinas para corlar capira.
ai Machinas para debotbar mt\ho.
AfacMoas para /azor paraamd*tam:0ciM4trt
Machinas para fazer caf,
o Aradoay carros 4a mao
o os vais aAMdiiadjO ra.

AGUA DE MRfiER
Ptoa.ngir pexfetamente,
os
< %itrt:i,i os.
Vea4etae i rna (lo Qwlnaio b. 0, primelro
andar.
GKAMDE
ARMA %E M
ulm
BE
Boupa feita e por medida.
| I 26 Rna ora 26.
Jas lAotunes- Golaiie8,rropr:efcrio deste. novo estabelecimento de roupas e
fazendas inae..participa w> respeitavel publico emgeral e a todos os seas freguezes,
eamigeSi que-e6taBdocaa sobre a diFecSo de dons dos mellwres mestres de alfarate,
sendo um delles o Sr. F. E C. Mirand* Icom-grandfis.naUiliUcoes ,t.eqdeotes a sua arte, pelos quaes dirigida a sua officna, e
acnandorse benj,.montada adesempenhar qualquer encommendi por grande que seja,
se esforcar para sahira contento de seos rejoezes, vendendo tudo por menos dr> que
em ontra qualquer parte. Roga as pessas- inleressadas que venbam examinar sen estafce-
lecfmento, e verificar por si mesmo o que declara? a99H-ome4ax seante, a .todos..em
geral, tanto desta praca como mesmo doS^o centro, qoe qualquer eneommendl de obras
feitas que nrandem fazer nest* offleina, no sendo a contento de seas doaos* pede que
as qneiram devolver, aflm de novamente se fte# outr que os satiafctami ass -0r
mo declamen qu naoterSo nentruraa responsabilidade, esperando sempre servir be
a todos e de todos espera merecer p?etec5ao,r ende entregue qualquer encoBHneeaa no
prazo de 24*horas ou em menos tempo sefor de muita urgencia.
Novidades /
Cambraias a Maria l'ia.
Ctwgaram as mais bonitas cambraias com listas
de cores e com os mais,delicados desenbos qae se
vendem a 800 r. a vara, nissimos organdys 4o
mesmo gosto qne se vendem a 12200. a vara, cas-
pas de cures com diflerfntese modernos desenbos
qne se vendem a 340,280 320 rs. o covado, tu-
do islo fe muito barato em attencao a .qualidade :
na loja e armazem do Pavao oa- roa da imperatriz
n, 00, de Gama & Silva.
Grande pechlneha era toalbas
para mo.
Vendem-se superiores toalbas do linbo proprias
para mo pelo baratissimo preco de 560 ns- ditas
a 640 rs ditas a imitaclo das felpadas a 800 rs.,
ditas fepodas a 12 : pecbincha-aa loja e araa-
tem do Pavo na roa da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma A Silva.
ATUNTA
Grande uovldac a tOO
AllwUaJOOn.,
tilinta a 200 rs.
Atlanta f20e rs.
Chegou pora, a tola do Pavao q mais lindo.sor-
lmenlo des (a nova fazenda, com o litlo de allanta
prepr/a para vestido e. roupas para meninos, tea-
do.erta mo lindos gostec de qoadrlohos e listras tendo errtre
eHa ie.odr jioxa o profaj cora lirao, o q*irot
orticos proprias para, loto, e ven ratissimo prego de 100 rs. o covado nniearaenteoa
laja do Pari rua:dalsi0fra(n-a q. 60 deiGaaia,*
Silva.
Cambriias de salpico a 2*500 e -
Vefidem-se crte de cambraia^ braoea com stt-
picos 250O, ditos ooqj palrainbas a 32000,cortes
de cassas indianas Undo 8 varas e meia cada.cr-
w, teodo entre elles maltos rotos, peto baratissimo
prec.o de $2500, par&ocabar : na loja e armazem
do pavo, roa di Imperatriz o. 60, de Gama 4
Silva.
, Vestidos brancoa bordados a 65O0.
Vendem-sp os mala ricos cortes de tarlatana e
cambraia branca coro lindas barras bordadas, e
traiendo todos os tttes eoteiteo suficientes oara
corpo e mangas, pelo, baratissimo preco de 62000,
ditos coa barras de cores, lanto de seda como d
meso cambiaba 62, 82. e 102, todos estescrte*
sao ebegados pelo ultimo vapor, e vendem-se por
estes dWHOOto preces- na loja e armarem do pa-
vio, ra da UBerawii p. 60, de Gama & Suya,
Ye&tios a 40.
VendPl-se bonitos corles d*e'cambraia branoa
conj.barwsd#(<6re#e todos Jjrangoi peto paiAlis-
simo prec^dft 42 \, na leja e armatf m do pavo,
roa ds Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
IflMtM.
Vendem-se ricos tapet para sala pelo baratisst
tno pr ?eo de 2000 102M : na laja o Umnny
do pavi>v- ra 4t, Imperatm n. 60, dt Gama 4.
Silva..
re lomando- um pequeo tuque de, mofo, isto na
loja e armazem do Pavao oa ra da Imperatriz n.
GO, le Gama & Silva.
Slaiguitts a o 0 e,A re s,
Veodem c manguitus e calciohas para meninas,
pelo baratissimo prego de 500 e 60 reis, na loja e
arm&zem do Pa Gama & Silva.
Leos de se Vendem-se lencos de sed* grapdfs cora bonitos
eseBlios, pelo baratissimo .prega de 12000 cada
um, mantiubas para grava ia ,a liooo, 800 reis, na
toja do Pavao na ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
f ara embralhow
Compram-se diarios velaos proprios para embru-
Hto, na loja do Pavio ra da Imperatriz n. 60, de
-Gama&'Silva.
Sedas largas a 1 .siOO.
S e pave.
Vendem-se superiores sedas com 4 palmo de
argora, sendo dos padrees mais bonitos que tem
Wodo ao mercado, e vendem-se pelo baxatlssHoe
preco. de 12000 o covado, cortes de ditas moito
bonitas com 18 covados a 352000 : na leja e ar-
mazem do pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
As eolehas do pavo.
Vendem-se bonitas colchas de fuslo pelo bara-
tissimo prego de 62000, ditas a imitago a 3JC00,
e grande sortimento de cobertores, tanto de la
como de algodao: na loja e armazem do pavo,
ra da Iqperatriz n. 60, de Gima S; Silva.
Alpacas de cores para vestidos.
Cbegaram as mais bonitas alpacas-de cores pro-
prias para vestidos, sendo lisas e tendo de todas,as
cores mais modernas que tem viudo ao mercado,
vendem-se pelo barato preco de 640 rs. o covado,
ditas lavradas com as mesmas cores a 720 rs., di-
tas de accento branco com palmas de edres a 600
rs., todos estas alpacas sao muito largas e vendem-
se por, osles, diminutos p re cus; na laja e, armazem
do pavio, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Cambraia 4a Escos&ia.
Vendem se as mais linas cambraias da scossia
todas transparentes tendo mais de vara de largara
com 9 varas cada peca, pelos baratissimos precos
de 62, f*500,72,82, 92 e 102, agranda peqbiB.
cba : na loja.e armazem do pavo, roa da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
taalnaira de quadi iuhos.
Vendero-se bonitas casimiras de qnadrinhos
branco e preto pelo baratissimo preco de 32800
cada covado ou a 42800 o corte, dita* de cr^s, fa-
zenda muito boa, a 22460 cada covado U a 42000
o corte : na loja e armazem do pavao, ra 0a Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
HadapoISo a 3<$o0.
Vendem-se- pega., de madapolao com ,19 Jardas,
sendo muilo fino,pelotaratissimo p.reco de 32500,
iiio mallo largo e ebeorpado a 42600 : na oja e
armazem do pavao, rn da Imperatru n. 60, dt
GArpa.iS|lva.
Corplnho* pretos.
Vendem-se boaitos corpinhos de grosdimaple
pretos, senda rica (tintente enfeit.d os, a 102 : na
loja e armazem do pavo, ra da imperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Para nolvas.
Vendem-se ricos cortes de seda branca lavrada,
vindo-cada nm armado noseu carto, com a com-
petente palma e capella : na loja e armazem do
pavo, rna da Imperatriz n. 60, de Gama &
Chales de renda a 4x000.
Vendem-se. os mais modernos chales de renda
pretos pelo tarato prego de 42000 : na loja e ar-
mazem do pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
< Cera amareUa.
Na Jojde Gma & Silvft.rpa.da, Imperii/^ n.
60, tem para vender cera aroarella em porcao, sendo
em barricas eem caixoes.
92000 e 102000, dias e-lgftcMur.. muito fin
a 32000 42000,52000,62000,7000 e 82000. Rna
da lmpertriz n. 56.
Arara venda cortes de cambraias de papel
a 3#' o'.
Vende-se cortes de cambraia empapeladas de 7
varas a 32000, de 7 dn> a 2230. Ra da Impe-
ratriz loja da Araran.;56.
Cortes de tarlataua de cores a ?0O0
Vende-se corles de tarlatana d^ cores para
vestidos a 52000 ditos de earr braia branco borda-
dos e de cores a 42000 e52t00. ua d* Imperatriz
D. 56.
Arara veDde lsinlias a 200 rs. o covado.
Vendo-se laasinbas para vestidos a-20G/i240, 320
e 400 res o covado, ditas muito finas estampadas
a 360, 400 e 500 ris o covado. Ra da impertir
n. 56.
Arara vende os bales a 2O0O.
Vende s*..bantes de 20 98 k 30 arcos a 32000,
32500, 42600, ditos mnim fiaos e mcdtroosdfl
cOr elegante a 32000. 32500, 4*000 e 52000, dits
para meninas a 32000 h :ir500, djttia de n a 52000, chitas largas cpm ora ptqueoo toune de
mofo a 240 ris o covado, ditas finas a 320, 360
e 400 ris o covado. Ra da Imperatriz loja da
Arara n. 56.
XAKOPT
peitoral e dulcificante
DI
SAINT GEORGES
Prepando pr
GRIMAL LT e U"
phiriiculK> de 8. A. L
o principe NapeleSo
.Cura rpida de las
molestias seguentee:
tense, ealflrrbot, pleu-
resa, coqueluche, dii-'
ginas, forUt constipa-
cues, irrilacdes dos
bronchos e do peito,
, bronchite,phtica pul-
monar, astma, pneu-
m onia, angina s,amy g-
I dtiles, totsechronica,
rouquidao. Os mdicos rccommendSo ao mesmo
tempo o aso das excellentes pasthas peito
raes com o sueco d'alface o laureiro-
cerejo, qne se preparad no mesmo estabelo-
nenlo.
A venda as pharmacias de Maurer e A.
Caors,
mmmr~i*nmuMi
Escrtivos 'ugi4

Furo do engenho S. Joao do termo de Seri-
nbaem, no da 23 do arrele, o earavo crioolo de
cor fula, por nome Viceote, vdate de 40 anoos pun-
co mais.ou ment*, altura regular, corpu grossoj
barba grande, porm nao muito espeosa, belfos
grossos, ps pequeos e seceos, ma.s sae-ibe as ve-
res cravos, e anda vagarosu : muito ladino as-
tucioso, intitulndose por forro. Pcde-se, portan-
to a qnalquer autoridade policial m capi^o de
campo, a a prehemo de dito esclavo, pelo que s.e
recompensar generosamente^ no mesmo engt-nbo
aeima mencionado, cu nesta prac no. largo do Car*
mo u. 1.
-

t*
V*

Desappareceu no dia 2-de juubo do correla an-
uo o escravo Rajmundo, pardo, o qual tem os sig-
naes segnintes : estatura regular, tstame, corpe-
lento, denles inteiros, cara redonda, cor de garapa,
tem em um dos bracos tres grandes letras e mais
signaes no mesmq braco em qoe iim1; as letras,,
representa ter 25 annos, porm rao tem barba
qoasi nenhema, tem os ps bastante gressos e fot
do serto. Ja esta' perm no Recito de 8 para 10
annos, bastante trabalhador, lanto do servico de
casa como de campo, ocenpava-se nesta praca em
servico de servente de pedreiro e trabalbava coa
o mestre Mangirico e tambem rarregava agua.
Gosinmava irajar um paleto! de bnm grosso em
frmade camisola ; suppoe-e qne tenha Ido para
o serto do Ico em algum comboy feto almocreve:
roga-se s pessoas qoe o prenderen queicam lva-
lo a sua senbora D. Marianna Augusta da Rocha
Bastos, na ra da Aurora n. 42, qoe ahi generosa-
mente se recompensara* este irabalbo, ou ao Sr.
commeodador Manoel Loiz Vires.
Attencao*
o
Roga se as autoridades policiaes e capitaes de
campo que apprehendama escrava gueda cora os
signaes seguintes : mulata, idade 21 annos, alta,
denles perfeitos, vesga e ventre um penco cresa-
do: qnem a pegar leve-a a rna da Aurora n. 62,
rasa da Exav sr.' baronezada Victoria, que sera
recompensado, prolesta-se com todo o rigor da le
contra qnem a tiver occnlta.
'I Ul IIIMUI'I .. 1 .------"------1-------r~
Attengao^.
llecommendase aos senbores capitaes de cam-
po e autoridades policiaes a prisao do escravo de
nome Adalberto,.com os signaes seguintes : cabra,
baixo, pernas or pouco arquead as, barba corlada,
muito prosista, anda sempre com a caneca de Jado:
prendendo-se levem-no a roa do Imperador d. 17,
que sera recompensado o apprehensor.
Ausenion'se da casa do abaixo assigoado,
no dia 22 do crreme, a escrava cnoula de gome
Felieidde, moga, bem parecida, rlieia do corpo,
reprsenla ter vinte asnos de idade, levou vestido
de chita branca com palmas com tres babados,
chale azul. J foi urna vez (ha lempo) pegada em
um sitio,, na ponte de Ucba, pelo ordenanca do
subdelegado da Capunga; foi saduzida : roga-se
s autoridades policiaes e capitaes de campo a
prendara, e a mauera a' ra da Cadeia velba n.
I, que se recompensar.
Jo> Gonfalve8 Ferreira.
Em 19 do corrente
Fugio do engenbo Jurlssaca, fregnezia do Cano,
o escravo Rundo, crioulo, bem preto, de Idade de
8 anuos, mais ou menos, secco do corpa estatura
regular, nm ponco corcovado, ponca barba, com o-
rtelo de carreiro, e bastante esperta Foi compra-
do am. 24 de novembro do anno passado ao Sr.
Leal & Irmo, nesta pra$a, tendo sido escravo do
Sr. Henrique de.Maraes Campelloe Castro, do en-
genbo La&a secca, comarca,, de Saiarpih : querp
o pegar e levar ao dito engenbo, oo, nesla prafa,
Saoodtps Broliiora C acabam de reeeoer de ao ,Sr. Aniooio GWnaeo ttireira Temporal, com
Liverpool vapores de torga de 3 a. 4caaallos com escrlporlo rna da.Cruj n, 30, primeira andar,
todos os pertences, e mu proprios para faser "mo- recebera orna gratineacao.
vor BMicriinas de dfioarpar algd^o, podendo cadji '_ Fuglo bolStm nm' m'ulttrin de 12 nnos
vappr traha|bar ate com 140 serras, tambem ser- C0W.nfe8lj|aae6,*#gift* idf cla/a, cabellos pre-
ver para enfardar algodao oo para.oiroqaali|oer ios corridos, qoaado falla prqnoncia algomas pa-
servico em que psam traballiar ^m a^maei, Os |aTras m), levon vestido cafca de 15a escora coro
mesmos,tambem tem a venda machinas amer.ira- siras, caojls* de,meja.a outra por cima de risca-
as d 35 a 40 serras : o* ppeiadMMes dirijam- dinh0 de lisfra larga aiol escora, mangas derlsca-
iMQilmbfrJmoSmW1^ dediaenole, cbapiodepalbaprolo ja' roto: quena
- Ve*d#-w,o djcciOBAri^bomopathlca do Dr. o pagar, levfWl.a rpA Jo Sepo-o. 16, que ser' ben?
Jabr : naroa da Cadeia do Recl/e n. 15, Toja. recompensado.
Ai agreaUores
HIW1I1
s


8
Diario de ^eraaabaeo ... %ttf* felra t f de Jnlho de 4866.
.

LITTERATORA.
As Biblias falsificabas.
Si quis autem libros ipsoi ntegros am
mnibus suis partibus, prout in Ecclesia
Catholica consueverunt, et in oeteri Vl-
gala Latina editione habentnr, pro sa-
cris et canonicis- non susceperit, el ira-
ditiones prceUtctas seiens el prudens
contempseril, anathema stt (Conc. Tri-
dent., scsso 4.a.)
(Continuaco.)
A INVOCACAO DOS SA.NCTOS.
VIII
Mas a invocaco dos sanctos i sujeita a\
grandes abusos; o meio'de coria-los aca-
bar com esta idolatra.
Eis aqu o ultimo argumento dos sophis-
tas e dos protestantes "contra cada institui-
dlo religiosa e social, que se torna objecto
de suas censuras Depois de esgotafem
todas as falsidades, que a impieJade ca-
paz de suggerir, nio cessam nunca de nos
repetir : E' necessario supprimir este
uso, este costurae, esla instituicao. Em
cma palavra, Ievam o seu furor iconocls-
tico ao excesso de de dtzcrem, que o culto
das imagens excita a sensualidade! Esta
monstruosa blasphemia lemos, lia pouco, na
lmprensa Evanglica, redigida na corte do
Imperio 1
Ha grandes abusos, dizeis vos ; logo ris-
que-se dos nossos costumes o culto dos sanc-
tos I A heresia pode saber tudo, menos
lgica 1
Si porque se abusa na invocado dos
sonetos se deve abolir este costume, deve
tambem ser abolida a propria religio, e
todas as instituicoes sociaes, porque deltas
o de ludo se abusa neste mundo !
Mas respondei-nos, habis censores ;quaes
sao os abusos occasionados pela invocaco
dos sanctos f Ser porque os catholicos
invocam como sanctos a individuos cuja vida
equivoca, cuja sanctidade duvidosa, cuja
existencia mesmo incerta ?
< de piedade nos excite raais vivos sen O proprio Homero esclareceu a sua my-
t mentos da amor o devocJo, tanto psra com tbologia com urna loz qusi divina, pondo
aquelles aquem podemos milar, como na bocea de Phenis o celebre discurso diri-
t para com Aquelle. mediante a graca do' gido 'Acbyles: Os mesmos deuses se
< dobram s oraces... Todos os das os
homens, depois de os haver offendido,
coseguem applaca-lus por meio de vaos,
c donativos, sacrificios, oblagoes, libacoes
e oracoes. (Iliada, caht.IX, V. 497 512).
SalomSo, quasi "pelo mesmo lempo, j
bavia dito : Penetrar as nuvens a oracio
< do que se hurailha; e nao se consolar
< em quanto ella nao ebegar l ; nem se
t retirar, em quanlo o Aliissimo Iba nao
t volver os olhos. Oratio humiliantes nubes
t penetrabit: et doee -propinquet non
consolabitur : et non discedit doee Al-
t tissimus aspiciat. (Ecelesiast. XXXV,
XI
qual, podemos consegui-lo. Honramos,
pois, os martyres no mesmo espirito de
piedade e de sociedade om que nesta
vida honramos os servos de Deus, que es-
to, como nos eremos, preparados para
derramar seu sangue, como martyres, pe-
Ja verdade do Evangelho. Toda a diffe-
renca est em que honramos os primeiros
com muito maior confianca, pelo conheci-
ment ceno que temos de que nao po-
dem decahir do estado de sanctidade em
que se acham ; e pois qae sabemos que
elles, victoriosos do inferno, gosam de
* urna inalteravel felicidade na outra vida,
publicamos seas loavores com mata segu- 21).
ranea, que os dos sanctos que combafem
ainda no meio dos perigos da vida pre-
sent. Mas, quanto ao culto de adora-' Por aa'8 &e nma vez teBi0S dwtorado,
co e servidSo. s o tributamos ajDeus, e 1ue a contradico o triste caracteristeo do
n3o cessamos de ensinar, que s Dem protestantismo! A Historia das Variares,
seja tributado. E porque o sacrificio per- fC*da l:ea m3 Pgante de Bossuet, ser
tence a esta especie de culto, nao o offe- sempre o processo etoqueote da Reforma l
recemos nunca, nem ensinamos, que se *seas sectarios se eontradizem-, todos os
possaofferecer queraosmarlyres, queras'testantes as palavras, as douctrinas,*
almas snelas, queraos aojos. Todo aquel- ** 0Dras!
le que cahisse neste erro seria reprehen- Jto passo que escalar a bocea com blas~
< dido pela saa douctrina, afim de que se feaias contra a invocaco dos sanctosda-
corrigisse, e nao contaminasse com a quees, que pelo martyrio e penitencia se
sedcelo. (Lib. 20 contr. Faost. eap. 21). fizeram hroes do christiawsmo e credores
vi da bemaventuraoca eterna os protestantes
Como quer que seja, nao o horror aJn3 8e wgontam- de seguir coa**
suppostos abusos, que impede aos proles- A mdroduos. qw 8U* ceguetra, nao
tantes o renderemcuites aos sanctos; por i ***** render cultos aoa pbtlosopbos
que elles sabem, 15o perfeilamente como nos P''3**'
que a sollicitude, as luzes e a vigilancia dos Abram-se os h^& Lothero' e',a *"?
past:res da Egreja nao se fazem nunca es- Pagoa> se ver a.fpequencia tatuque faz ette
intervip as mais graves discuasoes taeoto-
gicas os deuses do CMympo, os-semi-deosesi
e os hroes do paganismo Som pejo dV
perar na expurgado do qualquer pratica
abusiva, que se iotroduza as formas r cere-
monias do culto. E pois, a repugnancia que I
mostram o* protestantes em render cuite asj clara> ^e a sua Pa"5 Pfra cjom'os auctore*
imagens, o triste resollado das ouctri- P5o9> e8tes moMs' vtda' wtes me*
as de orgullo, que osdesvairam, hamasrw do doucJ*(?>"* saas)no *
de tres seclos, e que Ibes bao extibgaido ^ompanhava desde a infancia,
N3o; os catholicos n3o invocam sen8o
os sanctos canonisados pela Egreja, cojo
culto nao approva seno depois de longo e
maduro exame sobre a vida e milagres d-'a-
quelle, que ella expe nos altares venera-
cao dos povos.
Mas, insistem os sophistas, ha pessoas
que depositam mais confianQa nos sanctos
que no Senhor. Si se d este abuso, nao
deve ser imputado Egreja ; nao cta a
sua douctrina nem as suas praticas. S
pir ignorancia de seus ensinos se pode ca-
hir ueste erro. Os ebristos instruidos as
verdades catholicas sabem, que todas as ho-
menagens de respeito tributadas aos sanctos
so relativas ; sabem que Oeus o centro
de todo o culto, que nada podem esperar
e alcancar, que nao seja pelos mritos e
gracas de Jess Christs. Sabem mais que,
qualquer que seja a sua devoclo para com
os sanctos.lhes u3o licito viver ao sabor
das paixes, nem imaginar que a jtistica di-
vina, nao obstante a repetico de erros e
crimes dos pretensos devotos, ser desar-
mada pela estril invocaco dos sanctos. A
base do culto a sioceridade ; nao pode
haver sinceridad onde nao ha fervor nem
pureza; como nao pode haver fervor nem
pureza onde n3o ha, pelo menos, firme pro-
posito de emenda.
Temos por Mara Sanctissima a maior de-
vogao e singular confianca; o culto desla
soberana Rainha dos anjos e Mae dos ho-
mens, universal e popularissimo neste Im-
perio ; este culto se maoifesta por todas as
praticas, que a piedade inspira ; mas tod is
os que cullivam esta devogao consoladora
nao perdem de vista as regras tracadas por
S. Bernardo, o qual, depois de nos haver
exhortado invocaco de Maria Sanctissima,
em todos os nossos perigos, angustias, ten-
taces; e a4er sempre na bocea e ni cora-
cao o seu sancto nome, nos adverte que,
para merecemos e alcaocarmos os soccor-
ros, que lhe pedimos, devemos [nos esfor-
zar, no tanto que podemos, para imita-la na
sanctidade e pureza da sua vida. (S. Bern.
hom. 2 sup, Mimescst, n. 17)
Mas os protestantes chasqueam mesmo a
maneira porque a Egreja invoca os sanctos,
as oraces e ceremonias que emprega, sem
se lembrarem. que estas ceremonias, que
estas oraces sao sanctas e auctrisadas pelo
uso de tantos aeculos, e pelo consenso da
Egreja universal, nica encarregada de re-
gular o nosso culto, a nossa devocao, assim
como a nossa f.
Em urna palavra, os protestantes, criti-
cando a maneira porque invocamos os sanc-
tos, outra coisa nao fazem, que reproduzir
os sophismas de todos os scalos; sophismas
refutado?, por S. Agostinho em sua respos-
ta ao manicheu Fausto, que aecusava os ca-
tholicos de terem substituido o culto dos
deuses do paganismo pelo culto dos marty-
res. O povo christao, diz o grande bis-

tyres com tanta pompa religiosa, com o
fim de excitar imitaca'o de seus-exem-
pos, e, mediante o seu valimento, serem
ouvidas as suas oraces. N3o para os
c martyres que levantamos altares nos luga-
res onde se conservam suas reliquias,
c mas sim para o Deus dos martyres: qual
o bispo ou o padre que, sobindo ao al-
< tar, nos lugares onde repousam as sanc-
c tas reliquias, diga : Nos vos ofrecemos
* este sacrificio, Pedro, Paulo, Cypriam ?
t
a f e o amor no coracSo.
Apenas a mo da morte cerra aspalpe-
bras de um bomem, os protestantes o esN-
quecem inteiramente ; j nao ha entra- elles
e o finado nenhum lago de caridade que os
se nao
tamben* que a sua maior ambicao era go-
sar de-r-epouso, para fazer-se grego sua*
vontade !
Zwiaglio invoca tamoem, ent> seus ser-
mes, de involta cornos nomes de Moyss-j
e deS. Paulo, o de-Bunio, e, sobretudo, o
c graca de Christo Ibes poda abrir as portas
t do co: por conseqoencia,foram transpor-
< tados para urna regio media, onde, repou-
c sando no seio dos limbos, souberam da
c vinda do Minias pela bocea de seus anjos
t ou pelo org5o dosjprofetas, que habitavam
"na mesma regio. ssim, os pagaos, co-
< mo os Judeos, primeiro pela esperanra,
depois pela presenca de Gbristo. foram
t collocados entre os deeses. (3)
Eis aqui realisado n'uma fraccao dos pro-
testantes o que S Paulo izia dos puiloso-
phoSs pagaos, Dos incorroptivel em semelhanca de figu-
ra de homem corruptivel. Et mutave-
runt gloriam incorruptibilts Dei in simi-
litudinem imaginis corruptibili* hominis.
(Rom. cap. 1 v. 23). Com a nica diffe-
renca, que l os gemios adoravam homens,
Zue se chamavam Saturno, Jpiter, Pluto,
Marte, Mercurio, Apollo, Fsculapio, Her-
cules ; e c os zwingltanos adoravam outros
chamados Scrates, Plalao Zeao, e Aristte-
les, que so notados por S. Jo3o Cbrysos-
thomo do abona i nave 1 vicio de que falla o
Apostelo no verso 27 da meams Epstola
XII
prenda. Os cathoheos, ao contrario, nao de Seoeca> qae elle compara a S.Basilio
esquecem nunca seus irmaose seus amigos|dzeQ(to,: Esleera christao egrande theoA
que morrena ; nao cessam, de Ibes mandar toff0 aquelle era-pagao e maior Iheologo.
celebrar suffragios, que Ibes apreseem o
alli-io epurificacaono fogo do purgatorio i VrSe' P'8' a09"15"110 em Lutbero, como
al que inteiramente satisfacao justica di- em Zwingli0' a ^^^^ M ach" V9an^
vina, e vao gosar da visio beatifica. sada> ^undo a expreasSo de Erasmo. Nao
, porm, s a 1 nguagem ; os sentimentos
Esta mesma caridade aos une aoasaactos e ascrengas deslesdous chefes da, Reforma
que estaono Geo : nos os mame; elles tMBtm M papnigaram i ZMDgUo, na
nos amam ; rogam por nos a Dew, como
nos Ibes rogamos, tendo viva confiaca na
efficacia de suas oracoes perante Deus. Nesta
profunda e doce cooviccao, nao- perdemos
momento de lhes pedir, que cootinuem a
orar a Deus em nosso favor pelos mereci-
mentos de Nosso Senhor Jesos Christo, afim
de que, como dizem os fiis de Smirna, na
sua admiravel carta, em que referemo mar*
tyrio de S. Polycarpo, possamos entrar na
sua sociedade e glorificar com os sanctos a
Jess Christo, Nosso Rei, Nosso Senhor.
Ainda ha ontro sophisma, que importa
desfazer. Si os sanctos, dizem osprotes-
f
suaprofisso de f, oflerecida Francisco I,
explicando o artigo da vida eterna, diz a
esto principe Veris no Co os-dous Adao*
o resgatadn e o< redemptor: veris Abel,
Enoch, No-, Abraliaam, Isaac,. Jaob,
Jod, Mbyss, Josu, Gede3o, Samuel,
Phinas Elias Elseo, Isaas, e a Vrgem
Mae de Deus, que e'le aaounciou, Eze-
c qoias, Josias, Joo Baptista, S Pedro, S.
t Paulo, Hrcules, Theseoy Scrates^ Aris-
tisdet, Antiguo, Numa, Comillo* Clao,
t os SeiptScs. Que pode haver abi mais
< bello, mais agradavel, mais glorioso que
t esse epeetacolol(i)
< Quem jamis se lembraria, exclama
Lutbero, em um dos seus lucidos inter-
vallos, (provavlmente ante das suas con-
ferencias aocturnas como o diabo, em que
este he aeomelhou a aboliese do sacrificio
da missa, como elle proprio confessa (I)ao
ler a celebre confissao de f- de Zwiaglio,
declaroa fraacamente : < Que desesperava
de sua alvacSo, porque, nao satisfeito de
< comba ler o sacramento, se faera pago,
coilocando pagaos- impos, e at um Sei-
c pio epicurista, e um Numat orgao do
demonio na instituicao da idolatra em
Roma, na ordem das almas bemaventu-
c radas I De que nos serve > baptismo,
brada o hensiarcha, e os outros sacra-
mentos, e a eseriptura e Jess Christo, si
os impos, si os idolatras, si os epicuris-
i tas sao santos !>emaventurados ? Isto nao
c mais que ensinar, que cada um se p-
de salvar na sua religiSo e na sua cren-
t ca > (4)
Este Luthero foi um desgracado exemplo
de incoBsequenciaSi. e aberraces humanas !
As suas obras sao-'orna serie vergonhosa de
pros e contra as mesmas materias e as-
sumptos de que tratou! Mas em nenhnma
occasiao se mostrou mais lamentavelmente
contradietorioi de- que na hora extrema;
pois que,, sendo ahhstao, morveu como uuvj
pago obstinado, nao abjurando um s dos
seus erros e heresias t
Entretanto ha quem sustente que o mes-
mo Luthero fra> um instrumento de Deus
na grande obra da revolucSofrancea, re^
sultado da liberdade proclamada no sesulo
XVI)
Continuar-se-ha.
Qalato.Piaalmeate, qae todos aquellas a qaera
Deas elegeo, aaaca podem descahir do sea amor.
O calvinismo d lambem grande importaecia
doulrina da satisfagao oa da expiac&o, meio de qae
se valeu Jesos Christo para satisfazer a Justina de
Deas.
Taes sao as bases do dogma calvinista, randadas
no fatalismo, caja sombra face foram modifican-
do pouco a pouco tanto na America como na Euro-
pa os mesmos discpulos do reformador.
Nos Estados-Unidos as seitas calvinistas contara
com a quarla parte da popalaeo.
Esla pi-imeira e grande divisao das sellas ame-
ricanas muiio mais notavel, peta saa disciplina
do que pelo sea dogma, algara tanto variado des-
do o sea principio : eocoaira-se nella a para or-
gaDisaca presbiteriana com as suas formas de go-
yerno, babeis e absoluta*, obra a ans atrevida e
mais bem acabada de Calmo.
Para dar ao seu irabalho larga duracao e orga-
nlsaco poderosa, instiluio o Cdigo presbiteriano
ou governo synodal, O Consistmo lormou o pri-
meiro elemento deste eogeoboso poder, o qoa) era
a representaco immediata da igreja coraposta de
sacerdotes e leigos; de maneira que os deputados
de ans e oatros, eompoem o presbiterio americano
e eseocez, qae Calviao deaominsa Conferencia ; os
presbiterios oa conferencias da urna provincia eom-
poem o synodo provincial; e analmente os delega-
dos de tolas a provincias ecclesiasticao formara
o ultimo termo da jarisdieco, o synodo nacional,
que os americano? condecen pelo nome deassem-
Wa feral.
FacHmente se dais-a ver qoe- este go verso col-
lecTiv pode exercer urna activa vigilancia sobre
todas as igrejas, e por meio das- assemblas erar-
Mea, qae indicamos- conhecer e castigar quakjuer
falta1, tanto moral como dogmtica*; e assim qae
esta representadlo democrtica, arada qae contra-
ria- ao eitame e independencia sacerdotal, forma
um estrello laco de poder qae tora impresso os
signaos do-carcter organisador e absoluto do seo
aator CaWiao.
O baptisias americanos teem minislros e igrejas
proprlaroeate sais, sem qae entrem ees numero
os templos dos-mennooltas, nem os estabeleeimen-
los la Mita monstica dos fwtfw e todos professam
a disciplina cougregaaonalitla oa mdependente.
Compoe-se esta dos amigos proslitos da reforma
e dos restos dos wickelitas, dos lollardos, dos ana-
baptistas, dos vedenses e dos albigeoses, os quaes
lambem nao reconhecem o baptismo dos recem-nas-
cldos, e convocara cada tres anuos ama convencao
geral qae se occapa dos negocios coraraoas mas
sem poder tornar obrlgativaf. as snas dedsSes.
Esla grande sena compoe-se de differeotes ra-
mos, qoe fo os baplisas de itere alcedno, que ne-
gara a predestinagao e a corrupcao absoluta do bo-
mem ; os baptistas do stimo da, qae celebrara o
sabbado em ves de domingo, e cojas commaoMa-
des oceupam parte de Nova-York, da Virginja e do
Ohioos baptistas dos seis principios, reduiem asis
pontos a saa confissao de f; e finalmente, os
emancipadores que obrgam os seas adeptos li-
bertar os escravos.
Tambera perteaee i grande familia baptista a
igreja dos ebristos, seiu qae esta faxendo rpidos
progressos, e qae tere origem em Portsmoatb no
Estado de New-Hampobire ao anno de 1804.
Estes abjurara toda a appellacso de nomes de
selta oa de homens, e nao- tomim simplesmente o
titulo de chnsfSos ; exigem como prora de f ama
simples declaracao pela qmd o Individuo eonfesse
pertencer reltgio christaa, s baptisam os adul-
tos -, e regeiiam a maior parle dos dogma chama-
dos orthodoxos, e mal particularmente a doctrina
da predestinagao e da trindade.
A sua tolerancia- os fax parecer tibios e- raJiffe-
rentes aos partidos do antigo calvinismo, cuja se-
vera tbeologia reformaram.
Esta seita tanto pela disciphaa como telo sea
dogma pode collocar-se entre o> verdadeiros raew-
nalula.
(Contnuar-se-tku)
tantes, oram pelos homens e lhes conhe- Bassuet'.
t cem as necessidades, inntil implorar a
sua protecc5o, por isso que sabem melhor
que os bomens oque mais lhes convem.
cuamente com os Sanctos, e de ajunctar aos
nomes dos patriarchas, dos prophetas, dos
Apostlos, e do mesmo Salvador, o nome
! de Numa, o pae da idolatriaromana, o de
Veoham c, sectarios do erro : Pois Oeus Cal0f 0 farioso suicida, e nao somente os
tambem nao conhece as nossas mais occullas de m[os adoradores das falsas divindades.
elta* Mllgl8M bm Eatodasr
l Midoy sen amurro, sema ri-
to* sema adeptos.
As oairinas das differeotes seitas Religiosas da
repblica dos Estados-Unidos, suas tendencias,, saa
admfoistraco e s-us ritos foram um conjuncio da
quesJoes interessantes e cariosas, ssbse as qoaes
ainda se-nao forma na Europa ama Idea bastante
exacta. Neste grande povo de dezesseis milhoes
de babitaates nao se conhecem remides aV estado;
todas tem igual proteccao da Darte do governo, e
oe oidados dlscutero os dogmas tbeologicos com
tnteira liberdade.
A'ecresceote-se a este dogma e a esta disciplina
am nt simples, commuahoes, jejutWj eullo auste-
ro, Ifthargia casta, falta-de ornamente, de cere-
monias, de msica, e da altares e terse-ha ara
Idea exacta do calvinismo presbiteriano era toda
a sua purera.
Os presbiterianos da assembla gerat'ibs Estados-
Unidos, suboetlidas sera appellaco a aotoridade
de ara synodo nacional, eompoem a primeira das-
se de seitas calvinistas e coatam perto de 3,000:000
de sectarios.
Esta- vast>associacao, numerosa me Estados-
do centro, actn-se espalbada por todos es do sal o
oeste, e aulla nos da Nra-Inglaterra, onde an-
da domina a antiga organaco puritana.
Os presbiterianos caMatstas conroeam o sea
synodo aonaal na PhiladeiDba.
Os beneficios- destes ministros, qne-geralmente
gosam de grande repatacSa de saber rirtnde,
sao diversos.
Na Nora-York, nio barxam de 5:090'francos*
nem passara de 15;000 : na Pbiladelphia-a propor,
cao igual; nos district raraes, os benedeio-
sao de 2:000 por termo media: oa Virginia de....
200 e as cMades de Geargia de 5:008 a 10:000
francos.
As snbscDpcoes qae consagra esta igreja para e
maoatenco das missoes- estrangeiras atonta an-
nualraente 573,475 francos, e as snas despezas
as escolas e-collegios particulares 30i,54S fran-
cos.
Ao lado da igreja presbiteriana encontramos os
presbiterianos-de Cumberlani; comoraaidade bas-
tante importante e-digna de atteocao, pelo violento.
e tumultuoso zelo de qpe animada.
Esta seila faodou-se no anno de (StO em conse--
qneneia de-eertu divergencias qae medaram en-
tre o presbiterio de Camberland* e o synodo de
Kanluckjt,.o-qaal, segundo os regnlamentos calvi-
nistas, exilia nos botos miniaros eertos estados
claesicos,.
O presbiterio apoz-se e deelaron formalmente
qoe a tnspira;o valia muito mais qae a scieocia,
resultando d'atjai' am sclsma qae desmembrou da
antiga commaobo calvinista! os presbiterianos de
Curoberland, que foram estabelecer-se nos es-
ados de Teoaesee, Kentacky, Albania e Mis-
souri.
UM POUCO- DE TUDO:
Perguoiava um indi vida- a outro, se na nata-
rea poda- haver alguna consa'qoe- fosse ama
e tres > ao> mesmo lempo.
N2o senhor, responden o interrogado.
Sim, senhor, pode. Ora diga-me qae av
aqaella qae all vae ?
B' un-pito.
NSo senhor, ama pata.
Pois bem, seja.
E quaatas patas tem aquella pata r
Dnas.
Logo -dnas e ama-, tres, v" pois- qne
nma pata sao aires patas.
Tres das ventorosos ha para o bomem e saa:
O da em qoe se casa.
O dia em qne Iba dio am bom eraprego.
O dia em qne lhe morra a-sogra.
Ha ootros tres das que sao de pesar':
O dia em- qne demtttdo.
O'dia do juarto anni versado do sea- consorcio.
O da em qne se convaaee de que-nie poda des-
asar-se.
necessidades, e, como pae previdente, n3o
sabe o que melhor nos convm ? Entre-
tanto, nao obstante, nao nos prescreve a
seno o dos deoiea e hroes, como Hercu-
les e Theso, que elles adoravam. Nao sei
porqne tambem nao foi incluido o nome de
oraco, como eondico de alcancarmos o que, Apoito ou fc0e0) e Q propro Jpiter!
desejamos ? Nao nos diz, por S. Jo3o, que \Sen, porqQ6 as infamias que os poetas at-
tudo o que quizermos t pedirnos se nos fa- triDuem a- esJes> ^m meaores, que as de
rd ? Quodcunque voluentis, petetis et nercuies?
Eis aqui de quem se compSe o ce,
no conceito d'este segundo chefe da Refor-
ma l Eis o qne elle escreveu na sua pro-
fissSo de f dedicada ao maior rei da rjhris-
tandade, e isto o que Bullinger, sen suc-
cessor, nos offerece como oftro prima e
fiel (S. Jo5o XV, 7). Todas as coisas que
pedirdes, farendo a oracSo com f, haveis
de alcancar': Et omnia quoecunque petiebi-
tis, n okatione credentes, accipietis (S.
Math. cap. 21, v. 22). Diz, Analmente :
Conseguiris tudo si tiverdesf, podendo
at dizer a este monte : tira-le e hmca-te no
mar, assim se far: Si habueritis fidem et
non hasitaveritis... et si monti huic dixe-
ritis: folie, et jacta te in mare, fiet.
(Ibid. v. 22).
c Jess Christo, diz Bossuet, serve-se
c destas comparares tao extraordinarias,
c para mostrar, que tudo possivel quem
t ora. E accrescenta : Eis o prodigio
ultimo canto do cisne melodioso! E poder
a humanidade deixar de escandalisar-se ao
ver que individuos taes pretendem passar
por homens extraordinarios, enviados por
Dos para reformar a sua Egreja ? I (2)
E antes de Zwinglio j nao tinha Erasmo ^JS"^^^0^
aberto as portas do co Scrates ? J o nSo tatistica comparada.
S a enumeracao destas saitas offerecer i a moi
pouco interesse aos leltores, e ainda serla bastante
obscura para maitos; Isto oos inda nao s a dar
nma noticia cireamstanctada destas diferentes re-
ligioes, como tambem esludar os principios funda-
mentaos dallas, e remontar-nos s coosas que as
Qzerara nascer.
As seitas americanas sao dinas da grande rovo-
lacio protestante do scalo XVI. Todas ellas pre-
tendem prefessar o christianismo, tal qual o fnn-
dou o Salvador, e o ensinarcm os Apostlos; mas
a saa rerdadeira origem sao os systemas de ideas
dogmticas, qae prepagaram os reformadores.
E' assim, qae aos Estados-L'aides esto repre-
sentadas, e rigorosas ainda as opinioes lotheranas,
calvinistas, anabaptistas e sociniaaas.
Fignre-se a qualquer a Baropa dogmtica do s-
calo XVI, renunciando de repente s snas guerras
rerrgiosas, s perseguicoes, a aMianca do sacerdo-
cio e da poltica, colioeando-se espontneamente
sob a lei de orna igualdaie absoluta; mas conser-
vando sempre o dogma em toda a saa pureza, e
assim poder ter ama idea aproximada da sitaacio
religio a dos Estados-Unidoj. Com tndo para cera-
prebender de vida mente esta organisa^o particu-
lar, baseada na f e na liberdade, necessario ter
presentes as differentes oplnides dos primeiros doc-
tores protestantes qae bao ioradido j ha lempo as
na nossa es-
perfeico, a sua mesma fraqueza se tona
urna forca. A. oraco eguala e excede al-
gumas vezes ao poder de Deus. Ella
i tinha raeido na ladatnha dos Sanctos: Sane-
dos prodigios! o homemrevestidordaom-j,S>c,"a,S' ora Pbis? E Pomponio,
nipotencia de Deus (.Medit. sobre o em Roma' J n3 linha deific,do *m'0'! E
gTao antes de Erasmo e Pomponio, Fiemo, em
Florenca, nao tinha cahido nos mesmos er-
Quando o homem se decide a orar, r0J M reprovam emZwinglio? Coa-
D sa horrivel e pasmosa Emquanto os seus
successores (os protestantes) se tornam os
malsn,dos Sanctos do catholicismo, os
Renascentes do seculo XVI te arvoram em
canonisadores de Sanctos do paganismo I
A lei natural, diz o cora d'Ensideln
(Zwinglio)jconsiste em duas coisas: o cul-
to de um s Dos, e urna s vida mortal.
Pytbagoras, Scrates, Plalo, e seus simi-
lhantes, adoradores de um s Dos, de
urna exemplar puresa de costumes, disci-
putos de Moyses ou da lei natural, nao
t podiam ir para o inferno. Mas s
po, celebra em commum as festas dos mar-' c triompha de sua vontade, de sua colera,
< de sua propria justica.
Pela pracSo, aiz ainda este eloquente
prelado, o homem se torna um poder
< irresistivel eformidavel ao mesmo Co.
c Omm'pofent'ta supplex.
< Todos os povos do mundo, diz Monta-
lembert, reconbeciam a forca, a grandeza,
* a necessidade da oraco. Todos admit-
tiam, que o maior beneficio do Co so-
c ore orna nac9o, sobre urna familia, der-
ramar-lhe na seio o espirito de oraco.
Nao ; o sacrificio, que se offerece em sua' ( Todos, emfim, comprebendiam, todos pro-
' memoria, offerecido a Deus, que os co-' f clamavam que a oracSo, esla cbammaar-
rooudeglom: ouerece-se uestes sanctos dente 0 coraco, va, at aothrono de
t lugares, para qaeto digno espectculo1, Deus.
(1) Deinde sperandum est Ubi visurum es-
se... Herculera, Theseum, Socratem, Artsti-
dem, Antignum, Numam, Camillum, Cato-
nem, Scipiones: hic antecessores tuos,
Seitas calvmulas.
Segaem estas a dontrina qoe ensinou em Gene-
bra pelos annos de 1610 um emigrado francez, en
to prior de Noyon, chamado Calvino, dontrina a
mais propagada as Importantes comarcas da ame-
rica do norte.
O seo dogma mal lacnico, e decide com o
maior atrevimento as qaestSes pbilosopbicas mais
importantes.
Segundo as ideas qae Calviao desenvolveu com
admiravel lgica ne sea llrro fundamental intitula-
do *Anutituicao christaa >, seus adeptos tem qne
admitur as proposiQoes segaintes : A
Primeira.Que por causa do delicio do primeiro
homem, a saa posteridade se encentra depravada,
nascendo d'aqui morte eterna miseria.
Seganda.Qae Deas escolhea, antes de crear o
mando, am certo namero de homens para gosa-
rem da eternidade, em quanto qae o resto esti
predestinado perdico.
Terceira.Que Jess Christo com a saa morte
nao poriflcoQ mais qae os neceados dos eleitos.
Uuarta.Que todos estes recebero, a sea lem-
po, do Espirito Santo o estado de graca^________
Outras doas igrejas aonwrosas e torescentes
nascerara assim como a anterior do presbyteri
calvinista.
Compostas na saa origem dos enligados hoJten-
dezes, belgas e allemes, mostram ainda reoonda-
oes da saa antiga patria, e professam um cirvinis-
mo menos rgido e mais Ilustrado.
A igreja reformada ailemaa est bastante dores-
cente na Pensilvania e nj Oblo: seas ministros
pregara era geral em allemo e recebem pensSes
de 1,000 a 4,000 francos.
A igreja bollan leu occapa principalmente os es-
tados de Nova.York, Pensilvania, a deNora-Jersej
tendo nasta ultima muit09 templos.
Enconiram-se tambemespalbadas por differentes
estados duas seitas, mais rgidas ainda do qoe a
que segu a grande familia calvinista presbiteria-
na, conhecidos com o nome de seila de presbylerta-
nos associados e reformados associados.
Esta nltima deve a sua origem a nm scisma in-
troduzco oa igreja de Escocia no anno de 1783, o
qual se propagou logo ao Novo Mando.
Os congrtgacioaahste* ortlwdoxos faraum tam-
bem ama das associacdes poderosas dos Estados-
Unidos.
Mais de 1,300:000 adeptos herdaram o dogma e
o telo dos amigos puritanos ingieres, qae arroja-
dos do sea paz foram colloaisar aquelle qoe boje
se chama Nova Inglaterra.
- Todos os estados do centro, excepeo de Rhe-
de-Island, professam o dogma calvinista, mas sem
admitlir a disciplina synodal de Calvino.
Estes sectarios republicanos adoptaram desde o
principio a mxima de qoe cada Igreja basta a si
mesma, a nenhnma ontra tem direito de ntervir
nos seas actos.
Eis o Qne trgico qae- tiveram algn* ambicio-
sos celebres*
Antfocbo- TDbas, rei Ja Syra, morrea enveae-
Mdo no anno 217~ antes de Christo.
Antiocho, o grande, tambera rei'da Syriay Bor-
ren desastrosamente na anno da- 188 antes de
Christo.
Persea, re da Mauedenia, morrea de toare, 167
annos antes de Cbristo.
Calo Graccho, tribuno do povo, morrea apa-
nbalado, 121' annos antes do Gbristo a lambem
sen irroao Tiberio Graccho morrea de morte vio-
lenta.
Jogurth, rei daPTamidia,.merrettdnfome, 105
annos antes de Cbristo.
sertorio morrea assasslnwto 73 annos antes de
Christo.
Espartaco, autor da soblevagio do gladiadores,
morrea de morte violenta- no anno de 71 antea,
de Christo.
Mithrdates, rei de Poato, saiidoa-se 63 ancos
antes de christo.
Alejandro- Magno mearen precoeemente e em
consequencla da devassidao a qae se dar.
Ricardo Coraco de Laao inorreu de am aecha-
da no creo de ama pequea praca.
Napoleio morrea em Santa Helena.
Em Bacciano (Estados Pontificios) derla, ter ho-
gar, das passados, nma execogo capital.
O paciente j eslava ligado e esperava o golpe
fatal, mas o cateto, ao cahir, enterrou-se na barra
do madeira qoe taantinba a cabrea do condem-
nado, e nio tocn D'este.
O povo gritn.
Perdao I perdi I
Poi recoaduzdo o paciente para a cadei, aflm
de sua santidade ser informado do aconteci-
mento.
Sua santidade ordenoa qae, visto ter a provi-
dencia poapado o desgracado, ao golpe do entelo,
este se nao erguesse mais sobre a eabeca do cri-
minoso.
Commutoa-lbe a pena de morte na de prlso.
Comtado vai-se faier todas as diligencias para
saber se o dedo de Deas nio tea sido aaxiltado
a'este ponto, por algaraa cnmplicidsde secreta.
As autoridades pontificias mandaram prender
o carrasco qne deveri explicar perante os mem-
brosda sagrada consulta o motivo por que a saa
machiaa de morte fanclonoa tao mal.
na-**
(3).... Hinc gentiles simiUter atque Judti
sub ipsa Christi spe primune, deinde prctm
et\entia Christi superos repetebant (Epist.
quot quot in fide htm migrarunt majoret. dile V. p. 779.)
Imos vidbis, {Pian clara expot, 1536). (4) Prov. confess. Luth. Hospin, pag.
(2) Hist. das Variac, liv. U, pag. 30. 1187,
A esta forma disciplinaria qae nao reocahece
nenhnma aotoridade nem jerarebia eceiesiastiea
da-se o nome de congregacionahsta ou independen te,
e a qoe segnem as sociedades religiosas mais il-
Instradas dos Estados-Unidos.
Sitios baptistas.
As seitas baptistas formam a seganda dlvisio da
grande familia religiosa dos Estados-Unidos, qae
mullos lera chamado impropriamente anabaptistas,
nio obstante qae segando os principios da saa re-
ligiio nio se pode ministrar nanea o primeiro sa-
i eramento.
O dogma dos bapttstas um calvinismo modera-
do, pois difiere algum|taDto dalle em cortos pontos
determinados.
Snsientam que o baptismo nao deve adminis-
trarse senao qaeiles qae possam por si mesmos
raxer nma profissao real do christianismo, e conbe-
cer perfeilamente os principios em que sa fonda ;
d'aqui resolta qae nao conferem este sacramento
seno aos adultos e 4epo do correspondente au-
lita,
Compadre (disse am andalai a am sea ami-
go) necessario qoe Vmc. me pagua o qae me
deve, ou qae se disponha a segair-rae a casado
alcaide.
Vira Vmc mil annos (replicou o devedor)
com a mesma vontade qoe dara a minha alma a
Deas darla a Vmc o restosinho qae lhe dero.
Nio darido, porem Vmc dir lsso diante do
alcaide
Nio ba inconveniente, porm Vmc v qne
nao decente qoe eu ra' a casa de S. S. com este
trajo. Se Vmc. me emprestasse a sua capa. -.
Prompto, ajonton com saiisfacio o arador e
emprestou-lbe a capa.
Dlante do alcaide.
O Sr. dix (exclamou o alcalde) qoe Vmc.
lhe deve dtenlos reala*.
iT ceno, porem V. S. nio eenhece (replicn
o deredor, qae este senhor asta dondo ? Ha mais
da am mex qae lhe di a manta de dnar qae todo
o mando lhe dere. Maito qoe Iba nao traba
lembrado diier qae esta capa dalle.
Digo qoe ella minha, porque l'ha empres-
te!.:.
Basta Iba (replicn o alcaide ) vi* Vmos.
com Daos. E sa Vmc nio quer dormir na ca-
da disse ao credor, ao me ineommode com suas
loncaras.
PERN.-TYP. E M. F. DE F. & FILH08--t6,

i-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EMFNW2ISW_5DSWNT INGEST_TIME 2013-09-05T01:16:29Z PACKAGE AA00011611_11028
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES