Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11025


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I*>
^^PVBVMi
"J
.'
,-'-

' -

.. '
AMO XLII. HUMERO 169
Por qiartel Mgt leitrt dw 10 dias t* 1." mei ....... 5wo
dem depisds i.0' 1 das do comeco e deotrt dt quartel
Ptrle ewrei ft tres Mezes ............ 75* ?
DIARIO DE

TERCA FEIRA 24 DE JDLHO DE 1866
forano fa|o deitro de lodiasdo 1, mcz........ l9|ooo
Porte ao crrete por bd m ,.............
*
PERNAMBUGO.
KNCARREGADOS DA SUBSCR1PCA0 DO NORTE
Parabyba, o Sr. Antonio Alex?n*rfno de Lima".
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
8t. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filnos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENGARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SL.
Alagoas,oSr.Fraoeino Tavares da Costa; Bahia.o
8r. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparinbo.
PARTIDA DOS ESTAFETAS. iSernhem, Rio Pormoso.Tamandar, Ona, Bar-
Olind., Cabo, Bseada e estac-e, d. frrea at '". *** *-**-" <">taU>
Agoa Preta, todos oa dias. tetras.
Iguarass Goyanna oassegundas e sextas feira3. .,. ~. ..,
Santo Anto, Gravat, Bezarros, Bonito, Caruar, AUDIENCIAS DOS TRJBUNAES DA CAPITAL.
Altinho, Garanhnns, Buiquc, S. Bento, Boro
Conselbo. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas Tribunal do commercio : segundas a qnlntai.
feiras. JRelago: tergas e sbados s 10 hora.
Piod'Alho, Naxarelh, Limoeiro, Brejo, Pesqu;>|Fazenda: quintas s 10 horas.
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis- Q coinnierc0: 86gondas as 11 horas.
feirar,COrT' ^^ "" 'Dito de orphaos : tercas e .extos s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas satas ao meto
a.
Segunda vara do civel: quartas sabbadss a 1
hora da tarde.
EPHEMBP.1DES DO MEZ DE JULHO.
5 Quarto ming. as 11 ti., 14 m. e 22 s. da n.
12 La nova as S h., 15 m. e 53 s. da m.
19 Quarto rese, a 1 b., 94 m. e 41 s. da t.
37 La ebeia a 1 b., 53 m. e 41 s. da m.
DIAS DA SEMANA.
13. Segunda. S. Apolloarlo b. nk ;S, Liborio b.
24. Terga. S. Christinav.; S. Francisco Solana f.
25. Qoarta. S. Thiago ap.: S. Cbnstovo o.
26. Quinta. Ss. Symphronio e Oiymplo mm.
27. Seita. Ss. Natalia, Lihosa e Aolboza mm.
28. Sabbado. Ss. Nazario e Celso mm.
29. Domingo. Santa Auna me da me de Des.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 2 horas e 6 m. da tarde.
Segunda as 2 boras e 30 minutos da manbia.
PARTIDA DOS VAPORES COSTBIROS.
Para o snl at Alagoas a 14 e 30; para o aorta
at a Granja a 7 e 22 de cada mar, para Paran-
do nos dias 14 ios mezes de janana mareo, aai:-
Jaibo, setembro e novembro.
ASSIGNA-S*
no Reeife, na livraria da praga da Independencia
os. 8, dos proprietarios Manoei Figueiroa de Para
& Filbcs.
EXTERIOR.
COBRESPOIWEXflAS 1 IA
MI DE PBBIAMBOCO
IiMB*A.
27 de junbo.
Chegou hontem dos portos do Brasil o Douro,
com 2% passageiros. Traz 13 dias de vlagem de
Pernambuco.
Desde a sabida do paquete Saladm, da noba de
Liverpool a 16 do corrente, tem se precipitado os
acontecimentos de tal modo, que procurare i orde-
nar a narrativa succinta delles, para conheclmeoio
dos nossos leitores.
s seos correspondentes de outros paizes da Eu-
ropa, que por esta malla tero escripto, os bao de
por ao (acto do aspecto decisivo que as nacoes bel-
ligerantes tem apresentado, sobretudo uestes lti-
mos dias, em que o fogo rompen as margena do
Mmcio, sendo ainda davidoso o resultado desea at-
titude bellica, dessas aventuras guerreiras em que
se acbam empenhadas as potencias europeas. No-
vas complicag5es tem agora surgido na pennsula
pelos recentsimos successos de Madrid, onde urna
formidavel revolucio rebenlou do dia 22, sendo
horrorosa a mortandade, como terao occasio de
ver nos-extractos e noticias que em separado Ihes
remeti d'aquelles trislissimos acontecimentos.
Qual a posicao de Portugal no mel desta coa-
fiagrago quasi geral da Europa 1 Stricta e leal
neutralidade fot o sen mole de paz, nem oulro nos
acooselnam as peculiares clrcumslancias, tanto po-
lticas como de adminisiracao interna deste paiz.
A circular dirigida pelo actual ministro dos ne-
gocios estrangeiros (Sr. Casal Ribeiro) aos nossos
agentes diplomticos de que opporlunamente Ibes
fallei, foi publicada na folba official, e den margem
aos respectivos commentarios da imprensa portu-
guexa.
Parece-me bom que se vejam na sua integra este
importante documento. Digo importante em reta-
cao a nos; pois eerto que a nossa neutralidade
nao tem peso multo significativo na balanca euro-
pea, pois o patriotismo nao deve ebegar-nos a es-
se ponto.
Eis a circular :
MINISTERIO O0S NEGOCIOS ESTRANGEIROS.
lllm. e Exm. Sr.Por decreto de 29 do corrente
mez dignou-se sua magestade el-re de me confiar
a pasta dos negocios estrangeiros, como ja' foi
commonicado a V. Exc. por oficio de 11 do cor-
rente. No desempenho dos deveres inherentes a
este cargo coube-me por diversas vezes a honra de
oxpr parante a representago nacional os princi-
pios do gabinete, no que respeita as relaedes inter-
nacionaes e a poltica externa na presente conjuoc-
tura. Estes principios, que V. Exc. encontrara'
desenvolvidos nos meus discurso?, publicados no
Diario it Lisboa ns. 107,111,113 e 115, sao em
resumo os segaintes:
!. Eslender e alargar as relagdes comroerciaes
do nosso paiz com as outras nacoes do mundo ci-
vilisado, e estreitar e fortificar assim por urna so-
lidariedade mais intima dos interesses econmicos
os lac-is de mutua amisade e benevolencia que fe-
lizmente nos ligam a essas nacoes.
2.a Manler na grande Iota que parece immineo-
te na Europa imparcialidade completa, leal e abso-
luta neutralidade, visto que as questoes que se
agitam, como se apresentam na acloalidade, uem a,
dignldade, nem os direitos, nem os interesses de
Purtogal sSo envolvidos.
3.* Estrellar muito particularmente os vnculos
de amisade e confiaoga que nos unem ao reino vi-
sinbo, vnculos que, no interesse de ambos os po-
vos peninsulares, convm que sejam cada vez mais
ntimos a cordeaes, dando a fraternidade de Portu-
gal e Hespanba a nica base solida, a nica com-
pativel com as tradicoes gloriosas dos dous povos,
a nica apropriada a acrescentar a felicidade com-
mum, o pleno e mutuo respeilo da independencia
de cada um.
Esta a poltica que na siluacao actual da Eu-
ropa o gabinete deseja e conta sustentar. Se even-
tualidades futuras, que Deus afasle, e felizmente
se nao afigoram provaveis, viessem a surgir, amea-
^ando a Independencia nacional, a iuviolabilidade
do territorio, a digoidade da bandeira on os direi-
tos da corda e da nace, na justa defeza d'esses
principios, incumbida ao gabinete pela conflanca
do re, o governo encontrara por sustentculo os
sentimentos mais vivos e unnimes do povo portu-
gus
Esta poltica merecen a approvago de ambas
as cmaras, e eu estou persuadido que merece
tambera a approvaco do paiz. Nem outro poda
ser o senlimenlo geral entre um povo que volveo-
do a vista ao passado se ufana oas tradic5e pa-
triticas de sete seculos, e das nobres licoes da sua
historia; e alternando no presente se gloria de ler
sabido em poneos annos consolidar a allianca in-
dissoluvel do Ibrooo legitimo eom as ampias libar-
dades garantidas pelas modernas insumieses.
Espero, pois, que V. Exc. nao s as suas rea-
goes offlcaes com os membros do governo desse
paiz, mas tambera as suas cooversag5es particu-
lares com os membros do corpo diplomtico e com
as pessoas mais importantes dessa corte, aproveite
todas as occasioes de declarar e sustentar a mesma
poltica, como a nica conforme aos principios de
direito das gentes, applicados a siluacao peculiar
do nosso paiz.
Nislo e em todo eu cont com a leal cooperago,
zlo e prudencia de V. Exc.
Deus guarde a V. ExcSecretaria de estado dos
negocios estrangeiros, em 29 de maio de 1866.
lllm. e Exro. Sr. conde de Lavradio. Jos Mara
do Casal Ribeiro.
Idntica a todos os chefes da missao de sua ma-
gestade fidelsima.
O 3* artigo desta circular deu fundamento ou
boato, que tem corrido com urna certa insistencia,
de que se trata de urna allianca (-(Tensiva e defen-
siva entre o nosso governo e o de Hespanba. Esta
boato, que se prenden as noticias da revolia de Ma-
drid, agora que ellas sao conhecldas, veio Influir
de um modo pouco agradavel e tranquilizador no
espirito publico. .
o dia 16 veriflcoa-se, como eslava annunciado,
e segundo o respectivo programma official, a cere-
monia do encerramento das cortes, a que sua ma-
gestade el-rei o Sr. D. Luiz, cumprindo o preceito
constitucional, assislio pessoalmente; sua magesta-
de a rainha, nao este ve presente. A famlli real
ntfou no palacio das cortes a's 5 horas e 35 mina
tos da Urde, e sabio a's 6 horas.
0 discurso lido por S. M. el-rei o seguale :
Digaos pares do reino e senhores depotados da
oacao porluguea.Venbo desempenbar entre v-,
como representantes do paiz, a mlsso que simbo-
lisa o acto mais importante da realeza constitucio-
nal ; a participaeao em lodos os actos pelos quaes
a naci exerce o supremo direito de se governar.
c iniciar os trabalbos legislativos, completa-los
pela sanccSo, encerra-los quando termina o seu pe-
riodo, resume o pensamenlo de identificar a accao
constitucional do rei com a accao constitucional do
seu povo ; por Isso qae sempre com prazer lo-
mo a parle qae pela constituico da monarebia
me incumbe nos aelo que representara essa
unio.
< O paiz gosa fezmeota sera alteracao e sam re-
celo as libertades polticas, que sao a seivado sys-
tema representativo.
Seguro destii conquista o movimenio nacional
dlrige-se para as grandes quesloes *de administra-
co, cojo desenlace nao pode ser retartada quinao
aquelles beneficios eliegam a entrar no patrimonio
da communidaq>,
t Completar as libertades polticas com a liber-
dade civil, com a liberdade da admioistraco e com
a liberdade econmica conforme as eondicSes do
paiz, o principio fecundo, que assegura os utets
resultados, que todos, rei e povo, nos devemos em-
penbar para conseguir e robustecer.
f Nesta senda, importantes passos foram dados
' na sesso legislativa, que hoje venho encerrar. A
flxacao de limites com o reino vizinho, determi-
nando na maior parte da fronleira a rala divisoria
entre Portugal a Hespanha, durante muitos annos
contestada ; outras convences internacloaaes ce-
lebradas no intuito de dar maiores facilidades aos
meios de communica^o e ao commerclo ; a desa-
mortisasao dos bens de mo morta, consolidando o
crdito do estado e prestando urna segur base pa-
1 ra o desenvolvlmenlo econmico de crdito local,
1 sao medidas legislativas que bao de concorrer po-
1 derosamenle para a prosperidade do paiz.
t No mesmo intuito liberal foi regulada a le-
gislaba da imprensa e flxada a sua jurispruden-
' ca, mantida por urna parte a ampia liberdade da
maoifeslacao do pensamento ; e por ontra garaoti-
I do o respeito pela honra, cuja inviolabilidade
sempre prova de civilisaco do povo.
< Ai Snancas publicas licam pelas leis que vo-
tasles, assegoradas com recursos sufflcientes para
se poder occorrer durante o anuo econmico futu-
ro aos encargos do servico ordinario e is exigen-
cias do servido extraordinario no interesse da ci-
i viliacao.
t Na presenca das occurrenclas que infelizmen-
te ameacam a paz entre aigumas nacSes da Euro-
pa, a Portugal convm, seguro na tranquillidade
interna, que Ibe garantida pela certeza e pelo
respeito das suas inslituic5es, maniendo firme a
dignidade, a honra e os direitos da naco, guardar
a estricta e leal neutralidade, que os intereses do
paiz acooselbam.
Se na direccao do desenvolvimeuto financeiro
a econmico, e no progreilo da adminislracao
constantemente se tem adiantado o paiz, nao des-
' conheceis todava que muito falta anda que se
emprehender.
I Confio em que a futura sesso legislativa se
Ilustrara' por largos commetlimeolos ueste senti-
do, applicando os representantes do povo as suas
luzes e a sua devocao pela patria, a* sensata e fi-
lustre resoluco deste grande problema social a
que esta' ligada a moralldade, o progresso e o bem
estar da nacao.
i Esta' encerrada a sesso. >
Nada se disse, no discurso da abertura, so-
bre a exposico do Porto, assim se guardn o
mesmo silencio no discurso do encerramento.
A liberdade da barra do Douro tambera nao u-
gorou no discurso que o governo deu a lr ao ebe-
fe do estado.
Insiste-se como v as declaracoes de neutrali-
dade, como na circular diplomtica expressamen-
te se anunnciava e declara va.
* Tem corrido porm nestes ltimos oito dias que
a Inglaterra de accordo com a Franca acoaselhara
ao gabinete porluguez a mobilisacSo do nowo exer-
clto. O certo porm que o governo ba dias pare-
ce dar muito mais atteoco ao estado deploravel
em que se acbava entre nos a torga publica, o
que em alto e bom sora tinba sido demonstrado e
mesmo com certa inconveniencia apregoado e as-
soalbado em pleno parlamento por varios deputa-
dos militares, e se a franqueza ama cousa pti-
ma em objectos de servico publico como em ludo,
a ninguem parecen que fosse to militar franqueza
urna cousa lisongeira para a nago, dita e profe-
sada do alto da tribuna parlamentar em sessoes
publicas. Ou fosse porque esse estado lastimoso
tosse por aquello modo plenamente conhecido das
potencias mencionadas, ou porque realmente acn
tecimentos e combinacoes polticas que o publico
nao pode avahar anda, determinassem taes raedi
das, a verdade que alguma cousa de positivo se
esta' fazendo com rapidez e Inergia. Realmente a
neutralidade apregoada solemne e offlesmen-
te sem as precisas garantas, para faze-la man-
ter e respeitar, eram palavras destacadas ao ven-
to que ninguem la' fra poderlam tomar bem a
serio.
Efectivamente no Diario de hontem (26) foi
publicado o decreto com data de 23 do corrente)
do tbeor segrate:
MINISTERIO DOS NEGOCIOS DA GUERRA
Repartigao do gabinete
Tendo em considerago as circunstancias
extraordinarias da actualidad^, a convindo preen-
cher flesde j o numero de pragas de pret eflecti-
vas do eiercito, que foi fixado na carta de lei de
28 de maio do corrente anno para te upo del
paz: bei por bem, usando da autorisago concedi-
. da ao governo pelo 8 3o do art. 4o da carta de le
de 27 de ulno de 1855, decretar o eguinte:
Art. 1." Os soldados e mais pragas de pret, que
em virtude das disposic5es do 4o d art. 4# da le
de 27 de julbo de 1855 tlverem sido licenceados
nos annos de 1864, 1865 e primeiro semestre de
1866, sao chamados ao servigo activo do exer-
I cito.
i Art. 2.* As pragas de que trata o artigo antece-
dente devero apreseotar-se no praso de quinze
dias aos generaes commandanles das divisdes mili-
tares do reino e ilhas adjacentes, os quaes Ibes
daro destino para os differentes corpas segundo
fr ulteriormente ordenado.
Art. 3.* O praso de quinze dias fixado neste
decreto ser contado da data da sua publicago
i por meo de editaes nes lugares pblicos do costo
me, e especialmente as portas das casas de admi-
Distrago dos concelhos do reino e ilbas.
O ministro e secretario de estado dos negocios
da rateada, encarregado merinamente da pasta
dos negocios da guerra, assim o tenba intend
e faga executar.
Paco, em 23 de julbo de 1866.Rei.Antonio
Mara de Fontes Pereira de Mello.
Entretanto as proprias folhas parciaes do gabine-
te extranharara.com razao.afrma dictatorial desta
providencia, com sensatas reflexdes.
E' notavel o artigo de fundo do Jornal do Com-
mercio de Lisboa de boje.
Entre outros periodos que analysam a medida
decretada, encontr os ogoinles que sao de maior
peso.
c O governo principia a serie das suas medidas
militares por um acto de verdadeira dictadu-
ra. Que necessidadea justifica? Onde est a im-
possibilidade de recorrer aos meios legaes T Quan-
do a patria se eocontra em situagoes extraordina-
rias, nao ba para o poder executivo outro recurso
seno a dictadura, mas a dictadura dissimulada, a
dictadura irrefleclida, a dictadura, que uos parece
ini'fflca para as grandes medidas, e que um erro
politlco sem a suprema juslifleagao da necessi-
dade. >
o exercito eima da forga votada pela carta de lei
de 28 de malo de 1866.
E porque exstem (antas vacaturas no exercito t
Porque ? Porque grande numero dos mancebos,
que foram sorteados, se remirara a dinbeiro. u
prego das remissSes acumulou-se. O exercito foi
padecendo diminuigo pelos licenceamenlos para
a reserva, no ora dos prazos legaes, e os governos
nao trataran) de appllcar, como deviam, o fundo
das remissoes.
t nde exstem estas sommas Qoantos solda-
dos representados en dinbeiro exstem nos cofres
do ministerio da guerra? Nao estao l mnilos
mais do que sao precisos para elevar o exercito ao
completo do p de paz ? Porque pois que o go-
verno, longe de obter soldados pelo processo legal,
applicando ao sea destino as quautias qae tem em
seu poder, vai enerar os eidadios que cumpriram
0 sea dever ? Que justica a Igaaldade constitucio-
nal esta, que duplica na paz o servico de nos
eidadios e dispensa o servigo dos outros ? Que
destino quer o governo dar ao diaheiro das re -
missoes t Gastou-se T 'Nao crivel, porque sena
urna fraude indigna de nenbum governo. Pretendem
applica-lo a outros servicos do ministerio da guer-
ra? K Ilegal e imposslvel. Reservamn'o para
eventualidades e urgencias futuras ? Nao podera,
porque esse diohefro representa soldados, que de-
viam estar as fileiras e nao esto, e deixam va-
gas, que h > de ser preenchidas illegalmente por
aquelles que ja' deraro a' sua patria o servigo que
a le Ibes exiga durante paz. Por este modo os
que se remirem Acarara exemptos de todo o ser-
vico. Os pobres e desgranados que entraram as
ileiras pagurara com o seu corpo a sua penuria,
servirn os anuos da lei, e flora o governo du-'
plica-Ibes o servico, razendo-es, por urna inversao
da lei, passar da reserva para o preenchimento
das vagas ordinarias, para as qaaes se decretaran!
i e se pedlram contingentes. Os contingentes nao
eogrossaram o exercito. A culpa foi dos governos
1 Pois a colpa dos governos bao de expa-la agora os
' cidados que cumprirara pontualmente a sua obn-
! gago.
i Pedimos n'estes pontos cathegoricas explica-
: c5es ao governo, e esperamos que por seu crdito e
pela sua lealdade nao ba de oega-las a' opinio e
ao paiz. Para contar eom a nacao nos transes su-
premos, necessario primevo qae todo que o go-
verno teaha por norma a jastica e a igaaldade.
Tem-se fallado vagamente na creagao de orna
segunda linha, guardas nacionaes, ou cousa que o
vaiba, mas por ora nao ha fundameoto official
para o boato.
Tambera se diz que em presenca das complica-
goes europeas, e em vista da oecessidade de aigu-
mas providencias extraordinarias, o governo talvez
coavoque as cortas para se discutirem essas pro -
videncias se se julgarem urgentes.
Seria rasoavel esta convocaco, porque o gover-
no nao havia de querer tomar a respoosabtlidade
d'am certa numero de medidas, quando seria cer-
co que se recorresse ao parlamento bavia d'abi en-
contrar o apoto necessario a devldo a todo e qual-
quer gabinete em circvmsuneias aparadas.
Assim, pois, nao natural qoe em Janeiro vela-
mos grandes reformas, sejam boas, sejam ms.
O gabinete nio pecea por aolivo a vendo-se demais
a mais embaragado j com a quesio de meies,
ja com outras questSes que Ibes sao inherentes,
nao pojera dedicar-se pro va v el mente ao estado das
reformas que prooetteo, que sio urgentemente re-
clamadas, e era que rauita gente acredita.
Foi assignado um contrato com Mr. Williams
para a compra de 18,000 espingardas do padro
actual. Vai o governo contratar com outro fabri-
eula a compra de mais 50,000 espingardas para a
infantera.
O ministro da guerra interino tem ido assistir
s experiencias qae Mr. Willi&ras tara procedido
com as espingardas que trouxe para amostra, o
que precedeu a assigoatura do contrato.
Aquellas armas, carregadas com a plvora de
qoe usara as nagdes estrangeiras, fazem cursar as
balas 5 kilmetros, e attingem perleramente o
alvo a 1,500 metros de distancia. Carregadas po-
rm com a nossa plvora, apenas do no alvu a
600 metros.
Vai-se expedir o ordem pelo ministerio da guer-
ra para recolberem-se aos corpos os corneteiros e
tambores que se achara no Asylo dos lilbos dos
soldados em Mafra.
f Hontem reumram-se os commandantes das re-
partieres e mestres das offleinas do arsenal do
exercito, sob a presidencia do sob-inspector interi-
no, afim de resolveren o modo cerno o arsenal po-
dera manufacturar diversos artigos de eqoiparaen-
to de cavailaria, e palamenta de artllharia, assim
como raiar on estriar vinte boceas de fogo, e fazer
as carretas correspodentes para o nosso exercito.
O commandante da guarda municipal de Lisboa
Casar de Vasconcellos, foi encarregado de effectuar
por ordem do ministerio da guerra a compra de
600 cavallos para a remonta da nossa cavailaria.
O general Casimiro Benevento recebeu ordem
para imowdiatamente marebar para o Algarve,
afim de tomar o enramando da 8* diviso militar/
Foram suspensas as guias aos militares. Ac-
tivara se as fortificarles da capital.
A commisso eocarregada da escolha do ar-
mamento para o nos>o exercito composta dos se-
guiotes cavalleiros : Fortunato Jos Barreiros, Ca-
oba Vianna, Pinto Caroeiro, Cunta Salgado, Silva
Ferreira, Jos Horta e Luiz Augusto Pimentel. Ku-
ta commisso receben ordem do mioisterio da
guerra para se reunir todos os dias, por serem ur-
gentes os seus trabalbos.
Falla-se em que brevemente se promulgara
um decreto, elevando a 30 mil borneas o exercito
portuguez.
Como ven pois, ten un certo carcter todos
estes preparativos, que devian estar feitos ba mui-
to lempo, se os governos que se ten succedido ha'
rauitos aonos a esta parte nao caidassem exclusi
vamente em commettimentos de onliaerdem. Nao
bastara que um paiz queira manter-se neutral e
deseje a paz; indlspeusavel, repito, que essa paz,
e essa neutralidade sejam garantidas.
Continuar-se-ha.
ora acha-se installada a escola diurna, a' ra dos
Gaararapes a. 26.
Na sexta feira prxima arrematase no jnlzo
municipal da Escada o engenho Bellomoote, situa-
do all entre as estagdes de Aripib e Frecheiras,
distante desta apenas urna legua. Este acto judi-
cial tem lugar por execuco de legados ; e o enge-
nho, tendo sido avallado por 18:000*000, vai ago-
ra a' praga com o abatimiento legal da 5* parte.
Hoje effectua-se o concert, que da-se no pa-
lacio da presidencia era favor da colonisacao pola-
ca entre nos.
Idea generosa, com josliga alagada por toda a
nossa populago, ha de ter por certo o assenso des- :
la tal manifestado de vltaJidade, que Ihe imprime
a commisso auxiliadora com o Um de promover
as eoodicoes reaes para a soa effectividade.
E* ara sarao de patriotismo que, atTeclando a iu-1
teresses do paiz. convida a lodos a coneorrereffl a
elle.
Namerago dos bilbetes da lotera 74 offere-
cidos pelo thesoareiro das loteras para auxilio das
despexas da guerra.
A saber:
Meios 1681 a 1700,
Os bilheles da lotera 73 prxima, produxiram
26X000.
Total..... 2:2634200.
_ No dia 22 do corrente foram lidos na matriz
da fregaezia de Santo Antonio os segaintes procla-
mas de casamentes:
1.* denunciago.
Antonio Paulino Ferreira Guimares, com Luiza
Francisca de Fraoga.
Joaqoim Aniceto dos Santos, eom Francisca,
Marta da Conceigio.
Joio Rodrigues de Almeida, com Francisca
Libaola do Livramento.
Raymuodo Soares da Silva, com Marlanna Ame-
lia Gralda.
Joio Francisco de Sant'Anna, com Rita de Cassia
Alves da Fonseca.
Joaqura Ribeiro Gama, com Francisca de Paula
Figoeiredo, viuva de Jos Antonio Ferro de Fi-
gueiredo.
2.* denunciago.
Paostino Jos da Fonseca. com Felicidade
Perpetaa.
Bacharel Jos Roberto da Conha salles, quer se
mostrar livre e deseropedido.
Vicente Aquino Albuquerqne, que se mostrar
livr e desempedido.
Felippe Heronides Alves Carneiro, com Manoella
Francisca Lopes, viuva de Antonio Lopes da
Silva.
3.' dennnciago.
Antonio Ferreira da Silva, viovo de Josepha
Francisca Borges; com Balisaria Hermenegilda de
Soa xa.
Jos Francisco de Figueireoo, com Marta Marcio-
nilla da Molla Beltro.
Joaqoim Das Martins, viuvo de Manoella Marta
do Naicimento, com Nanila Joaquina Ferreira dos
Santos. ,
Eduardo Francisco Pereira Freir, com Isabel
Nepomncemo ausa.
Carlos Manoei Barbosa, com Francellina Fran-
I cisca :e Jeso.
Repartiqao da polica .
Extracto das partes dos dias 22 e 23 de julho de
1866.
No da 21 nao houve prisao alguma.
Foram recolbidos a casa de deteogao ao da 22
do corrente :
A' ordem do lllm. Sr. Dr. chele de polica, Aoto-
.nio Jos dos Sanios, Antonio Francisco de Oliveira,
Feliciano Meodes, e Jos Malhlas Correa ; para re-
crutas; Manoei Matheos, como guarda nacional
designado para a guerra ; Joo Francisco e Maria,
como suspeitos de serem escravos foeido.
A' ordem do subdelegado de S. Jos, Luiza Ma-
ria da Coneeigo, para correegao.
A* ordem do da Boa-Vista, Joaquim Gongalves
Murta, e Romualdo do Nascimento Cavalcanie, pa-
ra recrutas.
O chafe da 2* secgao,
/. G. de Maquila.
Marcollno, Pernambuco, 6 mezes, S. Antonio; dar-
tros.
Maria, Pemamboco, 3 anno?, Reeife; broochites.
Jos Pernambuco, 7 annos, Boa-Vista; cmaras
de sangue.
Maria, Pernambuco, Reeife t no parto.
20
Capito Vicente de Moraes Mello, Pernambuco, 74
annos, viuvo, Boa-Vista j apoplexia cerebral.
Joaquim Pereira de Oliveira, Pernambuco, 22 ao*
nos, soltelro, Boa-Vista; tubrculos pulmona-
res.
Marcelino Gongalves da Silva, Pernambuco, 49 an-
nos, solteiro, Boa-Vista; interite.
Jos da Silva SanTiago, Pernambuco, 70 annos,
viovo, S. Jos; phthisica.
Rogeria Maria da Coneeigo, Pernambuco, 30 an-
nos casada, S. Antonio; congesto cerebral.
Amelia, Pernambuco, 8 annos, Boa-Vista ; espas-
mo.
Luiz, Peroambueo, 3 mezes, S. Antonio : desinte
ra. *
ra.
Mara, Pernambuco, 16 annos, escrava, Santo An-
tonio ; incepbalite.
H I W
B H
a 11
pir
: I :
: I :
: I:
o
>
5
>
I
o I SI 3
Masculino.
ve I o I oo
inino. |
Feminino
2
>-
3
>
Masculino.
Ftminino.

a.
I
s3
3.
3

I I I" I Masculino.
-i -
Feminino.
i
o
Masculino.
Feminino.
i
i e
>
S
PERNAMBUCO.
Masculino, i g
I
r.
Feminino.
m. I TiOTAL.
8
E n'outro lugar :
i Felizmente o governo retroceden do seu propo-
sito e julgou com bom juizo que Ihe cumpria com-
binar a prudencia e sagacidade poltica, as suas
relac5es Internacionaes com a sensata previsao nos
apercebimentos militares. O paiz inteiro applau-
diria este procedimeuto, se o decreto, que hoje vem
publicado nc Diario, Bao tivesse Inequvocos
slgnaes de Ilegalidades. Parece nos, porm, que
o governo nao estova aulorlsado para ordenar o
aoe se prescreve oo decreto, Cbamam-se por elle
novamente ao servico militar as pragas de pret
lieenceadas nos annos de 1864 e 1865 e as que o
"orara no primeiro semestre de 1866. Voltara pois
a preeneber as vagas, que exlslem no exercito no
p de paz, as pragas, que pagarara j ao paiz o
trbulo do sen servico, e que depois de licenceaaas
s poderlam e 4everi*m ser cBamjda para wew
REVISTA DIARIA
Quinta reir reune-se. o Instituto Archeologico e
Geographico Pernambucano em sesso ordinaria.
Chamamos a atteoglo do Sr. fiscal para os
atravessadores de gneros, qae de novo afflaem
ao mercado desta eidade com detrimento da popu-
lago, que dos mesmos gneros tem carencia, e por
conseguinte v-se toreada a hav-los por pregos
exorbitantes, sera proveito dos productores.
Anda no domingo foram contados na ribeira deste
bairro 22 desses zangoes de differentes eondigdes,
cores e idades; ealli flzeram a sua mercanca sem |
encommodo da autoridade fiscal, e com desespero
das pessoas pobres que iam prover-se principal-
mente de farinba, cojo prego elevaram bastante
pela ausencia da concorreocia dos productores, a
quera bavlam arredado d'alti pelo atravessamento,
que havlara effectuado.
E' este ara ramo do sea servico, que o Sr. flse |
deve ter em muita atteoglo por seos effeitos vela-
torios ; e assim Importa que se nao descuide de
ter a vigilancia, que at agora era empregada, pa-
ra espancar d'alll semelhanie raga.
Hoje a's 7 horas da noile abre-se a aula noc-
turna da friguezl di S. Fr. Pedro Gongalves do
Recite. Funcc|oaari no mesmo edificio, era que
ADVERTENCIA.
Na totalidade dos doeotes exstem 181, sendo 113
nomens e 68 mulheres.
Foram visitadas as enfermaras estos dias :
As 7, 7 l|4, 7,10, 7 l|t, 7.7 1|4, pelo Dr. Ra-
mos. mu
A's 8 1|3,9,8 1|2, 8, 9 1|4, 8 i|2, pelo Dr. Villas-
b6as, por ausencia do Dr. Sarment.
Fallecern!: .
Francolina Maria do Nascimento, tubrculos pul-
monsires. .
Francisca Mara da Coneeigo, tabercalos pulmo-
nares.
Marcelino Gomes da Silva, entonte ehrooica.
Joaquim Pereira de Oliveira, tubrculos pulmooa-
?Cdtkrio publico.Obituario do du 19 d
JLHO DI 18M.
Maria da Silva Costa, Pernambuco, 37 annos, viu-
va, Poco da Panella; phthisica.
Delfina da Costa, frica, 33 annos, solteira, S. Jo-
s; bronebites. ,
Delfina, Pernambuco, 80 annos, Santo Antonio;
apoplexia fulminante.
Manoei Gongalves Medina, Pernambuco, 40 annos,
caaado, Santo Antonio; tubrculos pulmonares.
Qairidonio liberto, Pmambaco, 15 aonos, Boi-vts-
ta; paenmonta. _.:.._
Miguel, parnambuoo, 9 aunos, Afogados; saram-
C\IAR\ MUMCI \L 1)0 RECIPE
SESSO EXTRAORDINARIA EM 6 DE JUNHO
DE 1866.
Presidencia do Sr. Pereira Simoes.
Presentes os Sr?. Aquino Fooceca, Santos, Gus-
tavo do Reg e Dr. Seve, abrio-se a sesso, e foi
llda e approvada a acta da antecedente.
L-se o segninte
EXPEDIENTE.
Um offleio do Exm. presidente da provincia de
28 de maio ultimo, declarando que a resolugo da
presidencia de 6 de fevereiro passado, contra que
faz ponderales a cmara municipal era sea offl-
eio de 21 daquelle mez, tem fundamento na den-
sao da mesma cmara de 3 de malo do anno pas-
sado, tomada em vista do parecer da commisso
de edificagdes, que foi aoeto era todas as suas par-
tes, como consta da inforroago da predita cmara
de 2 do mesmo mez de maio.
Essa deciso deve ser levada a effeito para se
abrir a trkvessa indicada e votada pela cmara,
qoe desse modo atienden tambem ao interesse pu-
blico ; e que oenboma ootra resolugo tem a to-
mar sobre este assompto, e sim recomroendar a
devida execogo das declsoes da mesma cmara e
da presidencia, ficando deste modo respondido o
supracitado offleio de 21 de fevereiro ultimo.Ad-
diado sob proposta do Sr. presidente.
Urna petigo de Fraoeisce Martins Raposo, cora
despacho da presidencia, mandando a cmara in-
formar, na qual queixa-se o peticionario de que a
mesma Ibe negara lleenga para edificar quatro ca-
sas com viole e um palmos e meto de largura em
seu terreno da ra dos Prazeres, e apresenlando
razes em sustentago do seu direito, contraria o
sentido da postura que prohibe a edficago de pre-
dio com aquella largura, e conclue reqaerendo a
S. Exc. para, mandar que a cmara reforme o seu
despacho e eonceda-lbe lleenga pedida.Posia em
discusso delibrou-se que fosse oovido o advoga-
do, remettendo-se-lhe copia da lnformagao do en-
genbeiro.
Outra tambem cora despacho da presidencia, re-
metiendo a cmara para proeeder como fosse de
direito, acerca do que na mesma petigao pedera di-
versos moradores da Venda Grande a Lorelo do 2
dislriclo da freguezia de Muribeca, relativamente
a probibigo de se crear gado vaceum ou (-avallar
solio uaqoelles logares.Posto em discusso, deU-
berou-se mandar ordem ao fiscal respectivo, re-
commendando-lbe que faga lavrar termo de infrac-
gao s posturas contra aquelles donos deanimaes,
que vagando soltos por taes logares, destruirem as
lavouras nos mesmos existentes ; e que se com-
munieasse semelhanie resolugo ao Exm. presi-
dente da provincia.
Um offleio do contador, informando que dos li-
vros de despezas a seu cargo nao consta que Joa-
qun) Jos Pessoa recebesse quaolia alguma pro-
veniente da arrematado dos concerlos que e mes-
mo Uzera na pontezinba do Maduro.Mandou-se
pagar nao s a importancia da arrematado, se nao
tambera o excesso de madeira que o arrematante
empregou na importancia de cinco mil ris.
Outro do mesmo, participando que da verba des
tinada para coocertos de predios no correle exer-
cicio, e do accressimo aulorisado pela presidencia,
apenas resto 253940, quantia que insuficiente
para fazer pagamento a Francisco Mendes Martins,
como foi determinado em 23 de malo ultimo, sir-
va-se a cmara de providenciar como for conve-
niente.Posto em discusso, e sendo apresentado
na mesma oecasiao um requerimento de Francis-
co Mendes Martins, pedindo se Ibe mandasse entre-
gar a quantia existente, que elle esperarla pelo
resto quando bouvesse autorisago ; resolveu-se
mandar entregar a mencionada quantia, e que se
officiasse ao Exm. presidente da provincia, pedin-
do autorisasse a despender por aquella verba mais
a quantia de 2:000* al o m do exerclcio cor-
reme. .
Outro do administrador do cemlteno publico,
renovando a participaeao que ja' bavia feito, acer-
ca da estrada daquelle estabelecimento; pede que
se mande reparar a mencionada estrada, visto que
continuando o invern, ficara' o transito Interrum-
pido.Posto em discusso, autorisou-se a commis-
so a mandar fuer os concertos que provisoria-
mente fossem necessario?.
Ootro do mesmo, pedindo que se Ihe fornega
urna nota da uumeraco que tiveram os carros f-
nebres, com designagao de classe, a que pertence
cada um oumero, para assim poder inspeccionar o
imposto.Que o procurador fornecesse.
Ontro do engenbelro cordeador, informando so-
bre o que em seu requerimento pede Cazimiro dos
Res Gomes e Silva, diz que nada ha que oppor a
prelengo do peticionario, urna vex que a solelra,
que pretende assentar, seja collocada ao nivel da
soleira da casa visinha para o lado do norte.
Cencedeu-se.
Ontro do mesmo, commomcaodo o segrate :
que sendo a estrada do cemiterio publico levantada
no meio de um alagado, como a cmara sabe, sem
nenbum muro que a guaraega dos lados, isto faz
cora que as aguas da chava no rigor do invern, a
deterioren! todos os annos, carregando a torra de
qae ella felta, de um para outro lado.E isto
mesmo o que agora (em lugar em ponto mais eon-
sideravel por causa da abundancia de chavas, que,
ha um mez tem cabido, produzindo grandes innun-
dagoes : Que os estragos feitos devem ser logo re-
parados, pois que de dia em dia tornara se maiores
pela accao continua da causa que os produtQue
para este Qm julga que obrara com acert, autori-
sando ao administrador a ordenar promptamente o
reparo de qualquer ruina que apparecer por si
mesmo, ou com audiencia dalle eogenneiro, sem
ser preciso recorrer antes a mesma cmara, visto
qoe o espago de olto dias, que separa as suas ses-
ses, nao Ihe permllle dar providencias com
presteza, viudo assim a despender multo maior
quaolia Iuteirada, por quaoto Ji se bavia delibe-
rado convenientemente.
Outro do mesmo, ioformaudo sobre o qoe peda
Antonio Manoei do Sacramento no requerimento
que devolve; diz que indo examinar a casa a que
o peticionario se refere, achou que as portas da
mesma tem apenas onze palmos de alipra, tendo
as soleiras da cas visinha ora palmo e duas po *
cadas sobre a calcada, de sorte que sendo assenu-
das as soleiras que elle pede ao nivel das desta ea-
sa, como devm ser as portas actfjo eom nove pal-
mos e seis poleaadas de altura, somante.A vista
da informage, qio tora, logar.
Outro do fiscal da freguezia de Santo Antonio,
informando nao baver inconveniente em permiltir-
se que o Dr. Joaquim Pires Machado Portella, ramo
tutor de seu sobrinbo, o menor Antonio Framsco
Pereira de Camino, faca construir na casa de seu
tutelado na ra da Concordia um cano de esgoto
de quintal da mesma casa, urna vez que se preste
o dito cano somento para as aguas pluviaes.Con-
cedeu-se.
Outro do fiscal da treguezla de S. Jos, infor-
mando o requerimento de Jos Soares Monteiro,
que pede lleenga para fazer um torno nadara na
caa o. 255 da roa Imperial, diz que nada tem a
oppor a semelbanle pretoogc.Conceden se.
. Oulro do fiscal da freguezia da Roa-visto", infor-
mando o requerimento no qual Jos Feroandes de
Monra&O, pedem licenga paraestabelecer urna re-
fioago na casa n. 3 da ra do Arago, declara que
esta casa lera as commodidades recommeodadas
pelas postoras muaicipaes de 8 de outubro de 1862,
por isso Ihe parece nao baver inconveniente em se
Ihe conceder o que requer.Concedeu-se.
Oulro do fiscal da freguezia dos Afogados, infor-
mando a petigo que devolve do bacbarel Antonio
da Assumpgo Cabral, que pede a demolico de
urna pequea casa de taipa qae se acha a desabar
sobre a sua propriedade, cita na povoago do Bar-
ro Vermelho, diz que dirigindo-se ao indicado lo-
gar encontrou exactamente o que allega o suppli-
cante a favor de sua prelengo, e segundo a visto-
ria que j son* eu no lempo de. sea antecessor, j
devia estar a mencionada casa demolida.Posto
em discusso, resolveu-se mandar ordem ao procu-
rador para fazer effectivo o que disp5e a vistoria
de que traa o fiscal.
Oulro do fical da freguezia da Varzea, communi-
cando qoe em observancia da ordem que leve por
portara da 9 de maio ultimo, mandn proceder aos
reparos lodispensaveis de que precisava a estrada
que vai ter a mesma freguezia, com os quaes dis-
peLJera a quantia de 37500, que pede Iha seja
paga.Que se passasse mandado.
Esteva em praga a foi arrematada por Manoei
Firmioo Ferreira, pela quantia de 73#, o material
da casa n. 47 da roa do Rangel.
Despacbaram-se as peligoes de Adriano Castro
& C, Associago Commercial Beneflcento, a mesa
regedora da contraria de Nossa Senbora do Livra-
mento, Bartholomeo Rodrigues Pires, Domingos
Rodrigues da Cuuha Oliveira, Francisco de Barros
Correa (2), Francisco Mendes Martins, Ferreira &
Araujo, Ignacio de Souza Leo, Jos Fernandas
Moura & C", Jos Soares Mootelro, Joaquim Jos
Pessoa, Jos Lourengo da Silva, Joo Feliciano do
Nascimento, Josepha Justina de Jess Gongalves,
Jos Dativo dos Passos Bastos, Jos Joaquim Coeiho
Brando, Manoei Branco, Narciso Jos da Costa
Pereira, e levanlou-se a sesso.
Eu Francisco Calo da Boaviagem, secretario o
sobscrevi.Pereira Simdes, pro-presidente.Re-
g. Fonceca.Dr. Seve.Sanios.
1
*



Rtlatorio da Companaia de leberibe apresentado
a aessio de 26 e maio otme peto presideite
da diroeeio Jos liaUquie Ferreira Jaco-
bina. (*)
Srs. accionistas da Companhia do Beberibe.
Tendo de oceupar hoje nata attengo hisltriando
os tactos occorridos no segundo emestre de mi-
nba directora, para isto espero algons momentos
de attengo, e lerei enmprdo mea dever; pro-
meti ser econmico no lempo, e fiel no resumo
dos acontecimentos.
A obrigago Imposta a esta companhia pelo ar-
tigo 2 do decreto n. 2,679 de 3 de novembro de
1860 foi executada quer respeito do governo ge-
ral quer provincial.
O Exm. Sr. conselheiro Paranago ex-presideo-
te desta provincia, concedeu-nos permisao para
cellocago de orna Irah de canos por cada um
dos lados externos da ponte, afim de nao soffrer
ioterropgao o abastecimento d'agua potavel no
bairro do Reeife.
Nos ltimos dias do mez de novembro do anno
passado ti ve repetidas participagoes, de que mul-
los, seno todos os carros, mnibus e carrogas
que se empregam no transporte de pessoas e g-
neros desta eidade para o Pogo, Monteiro e Appi-
pucos e vice versa eram guiados pela estrada par-
ticular da companhia desde o Parnameinm a en-
contrar a travessa do Arraial.
Solllcilo no cumprimento de miabas obrigagoes,
considerando o grande prejuizo que soffria a com-
panhia com tal aboso, e o risco de ficar esta eida-
de sem agoa potavel, tratoo a administragao de
evitar a continuago por meio des empregados da
compannia, mas, logo nos convencemos da insuf
Bciencia das pessoas, e meios, nessas cirenrastan-
cias dngirao-nos ao mu digno e illustrado chefe
de polica, que nos prestou o auxilio jndispensa-
vel. Entretanto tendo a administragao mandado
abrir dous vallados no mesmo logar afim de mais
garantir o direito de propriedade da companhia, e
evitar maiores prejoizos, sem prohibir o transito
de pessoas a p, ou a cavallo, foram os mesmos
vallados tapados por ordem da Cmara Municipal,
que (respeitosamente fallando) sem forma de pro-
cesso, scieneia nossa e respeito ao direito de pro-
priedade da companhia pretenden considerar a
estrada como serventa publica esquecendo-se que
o fim a qoe tem sido destinado, oso, couservagao
e largura, repeliera logo a primeira visto too ra-
fundada pretencao.*
Apenas tive parUcipago das vistos da Illma.
Cmara, reclamei ao Exm. presidente da provin-
cia contra tal vlolago por parte da Cmara, e n
ve era resposto a materia do offleio que vos onere-
go, da qual se va, que a Illma. Cmara devia se-
guir om dos dous alvitres apreseotados por seo
advogado; mas at e presante nenbom foi execo-
tado, fleaodo a admioistrago desconhecendo as
mtengoes e visto de to lustrada cmara a res-
peito d'aqueila estrada, e firme na convicgao oe
qae propriedade da compauhia e que jamis ioi
No archivo exstem as copias dos offlcios dirigi-
dos as antondades, e respostos das mesmas acer-
ca desse faci; por elles podis melhor connecer
o qae se passou.
Autorisada pela compaohla e depois de um exa-
me da commisso espacial composto des Illras.
Srs. comraendador Joo Gongalves da Silva, Drs.
Joo Jos Pinto Jnior, Symphronio Cesar Couu-
nho e Antonio da Conha e Figoeiredo, reallsou o
contrato com o Sr. Claudio Dubeox a 1 de feve-
reiro do corrente. Jateamos terem sido attendidos
os iateresses da companhia, e melhermenle podis
ajuizar a vista do mesmo contrato qoe se vos ofle-
rece. ~ ,
Cumpre, porm, nio perder de vista a na fiel
execuco, do contrario podemos ter desagrauaveis
occarrencias, qae eonvra evitar.
Semejantemente aos 8 de fevere.ro real'sou-sa
o contrato com os empreiteiro. dos>inboaiurba-
nos, os Srs. Dr. Jos Bernardo Galwo A ****',,
Antonio I-ulx dos Santos e barao do W^rw^nto ;
as eondigdes nelle inseridas poe m *jlT0> qUe
nm so momento nao se esqoecea as nougens
que esta companhia pedia B ,dfir da coocessao
qae fazia.
A vossa esoiareoid aneDco est sojeilo; po-
dis, pois precl'^
Rfc^RMA DOS ETATUTOS.
Promet?, e quero ser fiel a minba promessa ,
por 'so abstenhoma de qualqoer cooslderagao
"*(*) Por ter sabido com erres graves, repetimos
o presente relatorio, pedido do autor.
.4 Redaccao.






.- -


*-
3JC
=T
i m "
IHarlo e erwtnjtfmen
acerca deste ponto; tanto toarf qaaato el, qae ,genio mal ou niBUO IntEtrado desutinnocencia
wso precioso lampo, em omros mistares em- na questao de que se trata; sendo certo qoe, qaem
eapasw Mamas da dks*- nit.ata aad
loe se* approvardes as alteracSes faz.
present flMVormes. s ecigenelas aHimmente; Aonde esM r Mesa -de-S. Rvma. era-ledo o sen
prega
Has

fetas pelo ministerio da agricultura, datadas .
13 de marco, e commnoicadas a esta directora
em 12 do correte por oficio- do illusirado e dig-
no vice-presidente da provincia, dentro em pouco
estar terminada a preteadida reforma, que tan-
tos esforcos e lempo ha costado.
RENDIMENTu DOS CHAFARIZES E PENNA
D'AGUA.
J tos flz rr a elevacio, preco porqae foran
arrematados os chafantes, retta-ne infernar ros,
qae a arrecadaco natasal da 6:604*166 coulioa
regalar.
As peanas d'agua concedidas a particulares aos
31 de ontnbro de 1863 eram 202, Hoja sobem a
229, que produzem o reo Mjenlo semestral de
13000*000. Arrecadouse a somma de........
9:318779, inclusive dibilos atraxados, ficaodo
por arrecadar 2:650298,
da receila futura.
aranzel T sera' as calumnias revoltaotes e inju-
riosas que atrozmente atira contra sea denunciante
e sea compadre innocente Jos Damio M Souza
Mello T oo ser nos pacis Dojenlos da Rodrigo,
Rooaoaldo, de sea sacrtstao Comino, Aadroanho e
os qae este forgiooa em aome de seas velhos pas,
que altamente protestan contra semewanie falslda-
de, eoutroe de tal quilate? Nao por certo; nao
***
por que astea nadaexprlmem em faado eecripj
tos do proprio punbo da S. Rvata., osrqaaea tem dv boom por
ser apreciados por Junes de saa conscteneia.
Plisare! a responder afeaos desses pontos, dw
xaodo de parte o qae raais redicalo e proprio so-
mentada pessoa que o atlra.
Diz o meu detractor que soo, aelhacoqaesHo-
nando para nao pagar o que devo ; que lese ao te
nenie-coronel Antonio Goncalves em ama socledl-
qae passa a fzer parte de; que sou ingrato or qae o accuso, deveodo-lbe
1 favores, dinheiro e al alimento ; qae ja' occopai
vigario Francisco Jastno Pe
quero e era desejo eairar nos
questao oom *o tenente-corooi
d'Oliveira e Acevedo; nem roe;
publico qoe o Sr. vfgarlo Justino
processo engenbosamente formla
mas como vi no uiario de hontera o mea
estampado a danta de S. Rvou., mostraado o
parentesco apiitMe para eeafeo, pelo qae se es-
sera dentara*-Melabeapeao eW tal processo,
desteto que,**, tan consta, de tai acusa, e pele
dljoao proceaw ser, enieafl>se o
lar em meo
defeza a S.
Terca fe-a 14 de Jnlho e
1866:
rjr
Mu il^mmafao do peitO, do ligado, ou (endo fallecido nena freguezia, onde era moradora
* de especia> Icoolicas qoa^.K^'raAV'^fflftS
86 sam opm excesso, debilita as entranh*, agosto de J1861, e dqsejanqp o sunplipanje loterrom-
1 flnpee a digestao, destroe a foca dos oer- Per a prescripcd, ao passo que nao sabe o nume-
ma. poce o)nn)dea>se seqg.tM
joraoaato eir na servj de
a IH Wk
Mi.JkVuna *dB>Wilw da Santa Casa de
i L Corr,enle' Pelas 4 Dl>"* dilade, aa
sala de suas sessoes, tem de Ir Loraca oara serem
arrematados 30 pa,mos do rrePnot^0P"Sre,d5
*-<,...., j. iiuquo u quo aiiBj, ibiiij o que, manoo passar car- Arropbados pertencenu> *!' c
  • flll01 mgae, destroe .'iiaqtjalidide bal- u de ediios aflra 4a. sern citados iodo os herdei- ressio do dominio un -Sa"t u" ***
    tos, e campa enfermidada||M|U
    vlsiva*. Do roesmo A etqi
    . ro de seas herdeiros nem suas moradias, requer a
    flnpna a V-S- qae se dl6Qe Pern>I'r que o supplicante jas-
    r tiOque o qae allega, feito o que, mande passar car-
    ina, aoe r.
    10
    staucai oiotoma intil
    para uufcir o corpo.
    obstruoj. magreiras, hydroi
    Estes alo os caminhos orticios, wwa, q
    os bebado* fazem sua catrotM, o enferraida-
    C5o>e ros da supplicao. Natles termos: pede a,V. S.
    m jg detrimento.B, j, M.Jos Parnandei Moateiro.
    OBRAS, PEPAROS E MAIS DESPEZAS. a cadeija de reo ; que sou veoat reeebendo de un
    Despetideo-se com esta verba a qaantia de..... voluntario da patria paga para o dispensar ; ernOm
    11:288^765, cujas despezas especificadas podis que sou um hornera de raa'indole, adqniriodo por
    examinar na coma que apresentamos. i to a aotipatfiia de todos.
    A sollii:tt*c5es do honrado e illustrado chefe da Para que o publico possa com seguranga fazer
    repartirn das obras publicas, attence aos tote- ama idea do carcter do acensado vigario Justino^,
    resses da compaohia e aformozeamento da cidade, drei urna ligeira resposta a alguns dos pontos.
    fol removido o cbafariz do caes 22 de Novembro Era 1 lugar diz que sou velluco; mas, para dar
    para a praja de Pedro II. um solemne desmentido a Uto, invocarei o proprio
    Iafelizaieuie a experiencia mostrou, qae o local: tesiemanbo do mea detraetor; diga-me, Sr. viga-
    do chafariz da Capunga n5o fura bem escolbido ; rio, nao corto.que desda 1861 al 1865 eu fui o
    porquanic dava-se falta d'agua qaasi diariamente, I comprador das botadas de S. Rvma., sendo qoe no
    por isso resolvemos saa modaoca para um local j 1 anuo eieedea de 4:000# o importe helios, sene.
    tjaW)aix\ nao rauito distante da povoarao. do compradas a crdito, e oesses nege#los S. Rvmai
    OTir
    passasse letra? Porven-
    aiguma ve 7 Passemo
    ma__
    zimenio dos chafarizea aotorsados" indis- j nanea exigi qae eu lbe
    pensavel, e esta adminisiracao comecarta logo! tura deixei de lbe pagar
    que se tivesse concluido a remocao do que venho i adianto.
    de rallar. E' faiso que eu lenta losado ao, toaenjo-coroaei
    A despeza feita com as obras 00 acode form | Antonio Gongalves, para cojo teswraunbo appello ;
    bem empregatlas, nao foi capital iraprodacllto; aotes pelo contrario sempre nutrimos encera amtt
    visto como nao tiremos dorante o esli reclama- zade.
    cao por falla d'agua, o qu* outros attnbuiram a Disse mals o Sr. vigario que rae bavia feito roui-
    menor inlensidade do calor; mas anda assim tos beneficios e al alimentado e sea seio ; mu
    subsistem as outras vantagens d'aqnella obra, e nao v S. Rvma. que coni iato da! um* ma prova
    que ja por mals de urna vez tera-se apreseoiado. de si 7 So posao ser. grato a quem nuaea me fez
    fez rae.om mal, que j-
    Eotretanto jnfgo muito conveniente, qoe o ba
    do do mesmo e o aterro devem merecer toda at-
    tencao, aflra de qne no tenhanjos a lamentar al-
    gom rompin-nto occasfonado pela mator eleva-
    cao das aguas.
    TRANSFERENCIAS DE ACCOES.
    No prsente semestre efrectaou-se a venda de
    188 acedes, das quaes lavraram^e 6 termo, sen-
    do 167 por evoludes de heran^as e 21 por ven-
    da : os precM regolaram de 70#000 75#000
    cada orna.
    A rlaeo junta mortra quaes os accionistas, e
    acedes de qae sao possuidores.
    DIVIDENDO.
    Permanecen) as alesnas razoes apresenladas por
    neos dignos anteoessores; por isso nao se pode
    dar om dividendo mator de 35000 por cada aeco.
    FNDOO DE RESERVA.
    Ha para esta verba a quautia de 3i:477J>o49,
    sendo em 8* apolrees 5:265i87, em dinheiro do
    semeaire fiodo 2:168*176, e hqodado neste se-
    mestre 27:043*501
    DESPEZAS EVBNTAES.
    Entendemos ser mals conveniente aos interesses
    da Gompanhia qae a somma desta verba passasse
    para o fondo de reserva, aflm de qne fosse ella
    prudente e discretamente posta em movimento pe-
    lo caixa e produzisse malores lacros.
    Nao vamos inconveniente na adepoSo desta Mea
    porquant, se as despezas ercederem a' renda qoe
    se fr aparando, pode lancar-se mao dequalquer
    quanlia existente no fondo de reserva, vmdo assim
    a simpliflear-se a escripia, e augmentar a renda
    na bypothese contraria.
    * BALANCd ACTIVO. B PASSVO/
    Do balance qoe' esta prseme veris o estado ao-
    tivo e passlvo desta importante e un Companbia, e
    coaheeerels qno lisongelrn elle.
    OR^MENT-
    A* visU do preceito estabelecido no art. Si 3^
    dos estatutos, a directora vos aprsenla o orca-
    meoto formulado pela administracao para a receila
    e despea do presente semestre, no qual vai consi-
    derado o 36 dividendo no valer citado.
    Nao foi poisiveJ a est directora e a' administra
    co realisar a compra de um terreno, qoe rena a
    utilidade, boa situacao e economa, abra de ser col-
    locadoo novo e projaclado, dejlflsiio de agua.
    Estoa, porm convencido qae meu digno suc-
    cessor o far.
    Contiao a paftiar. 0,04,a,artcadao dos ch-
    fame* ser meis vantajoi, s fr feita por chafa-
    rizes separadamente lab menos por cada nm
    bairro. f"
    E' miaba firma convieco, ido: de ba maito arre i
    gada em meu espirito, que diminuir o bumero dos
    baldes d agua, e prego das pennas concedidas aos
    particulares animlos a procurar colloca-las nos
    predios ; com o que augmenta a renda da Compa
    nhia, anda mesmo qae nao suba o preco da arre-
    matado dos chafarizes.
    Portante entendo, que np ser mo ama medi-
    da qaalquer neste sentido.
    Ja vos. disse. qua temos coocasso para coUoca
    cao dos canos sobre os lados da nova poole de fer-
    ro, mas estou que seria meaos dispendioso e, de
    igual resaltado serup postos na ponte de raadeira;
    por isso espero, qoe antes de qualquer resolueao
    prestareis atiencao a esta idea, e taris o raelbor.
    CONCLCSAU.
    A' bondade dos Srs. accionistas, e nao sol licita-
    cao minha, devo oceupar o honroso lugar de que
    ora fallo, confesso-me grato, mas peco-vos qae
    guiados
    Iba do
    beneficio ; pelo contrario
    mals beneficio o (aria esqaeoar.
    Quaoto ao dlaec S. Ryma. qua Ja' eccupei a ca-
    deira da rao, nao exacto, apenas um meu desaC-
    fecto poltico dea ama denuncia contra mfm dixeo-
    do ter eu sobtrabido um autos d carlorio, o qua
    foi loco destruido por urna certlo do escriip e
    jugada joiproeedeote a.dennacia.
    Disse andaqne soa venal, recebando paga de
    voluntarlo da patri^ p^yy Q,dJ,sjrn*ar ; por aqu
    v o publica sensato o desojo quju tea o aeincioso
    detractor de botar para cima de mim o qoe pro-
    prio del le I Para que S. Rvma. ni declartu O no-
    me desse voluntario, dasse nosso amigo qae a nao
    conheco ? Bem, ficara' islo para ouira occaslo,
    logp S. Rvma. se vera' na nacessidade de declarar
    qual o nome desse voluntario.
    Disse finalmente que sou .boinem de ma' ndole;
    permita se-me aproveitar aqoi o resiinbo do vitu-
    perio que me deixuu o meu antagonista, visto qae
    me uxou de hoaieui, de ma' i noy le e eattigaaie.
    Motando eu no meo sitioSombro, ontr'ora
    da freguezia do Principe, desdo 1830, tem meu no-
    me corrido as ornas desde as eleiQes de 1832 at
    1863, e em todas tenbo sabido de eleitor bem como,
    vereador da cmara, nao obstante a variedade de
    edres polticas durante esse lapso da lempo. Crea-
    do, o termo da Villa do Jardira, (outr'ora Conceigo
    do Azevedo, assim chamada do nome de meu av
    Aulonlo de Azevedo, o qual lbe dea a origen) foi
    npmeado 2 supplente. do. jaiz municipal no qua-
    triennio passado, e perdendo o lagar o 1, Aquei
    efiacUyamonle nq presente qualrienuiu.
    Creado depois o batalbo da guarda nacional na
    freguezia. do Jardim, fui nomeado commaudanle
    delie, e lendo feito os e&forcos ao meo alcance para
    cumprr os deveres qoe me, eram iniu-rcnies nos
    trabalhos da guerra com o Uruguay, oom a minha
    pequea influencia apreseniei ao Exm. presidenta
    da provincia OJyniho Jos Meira, 24 voluntarios da
    patria, e entre estes um meu filho qu oecupava a
    cadeira da in.~trucc.ao primaria daquella villa o tres,
    sobrinlijs, sendo um d ses Gibo de ioaquim Ro
    musido, que nao obstante adiar opposicao da parte
    do pai, neip por issp deixon de seguir; aproyel-
    taudo o ensejo o Sr. vigario L me'ntop o desgosto
    para apaoba-lo de sen lado e bera aim um irm.io.
    Dei lanibera o contingente que oe foi distribu
    do,.sendo quasi todo de voluntarios, como attesta
    um dos numeras do Progresststu do mez de oata-
    bro fiado, o qual ?ccresc!entou-qae permiltisse
    Deas que as outros commandanjes me.jmi.lUsem,
    Como destroe S. Rvma. sta verdadeT
    Voltemes a'que|ao. Diz S. Rvma. em sua 010-
    graphta que gastou mais de iozt cantos de rit de
    seu bolstnho as obras do cemiterio e da matriz I'
    Como que S. Rvma. diz, semelhante cousa T I
    Ea desejava que S. Rvma. me apresentesse em
    A failanai nnm----------- aoooi 1 m -, ^
    m mea nome para manchar em ojjblico a ounjia, ^es ^esta casta> quando e produzem em am
    rspotaeio, o^mo om pertleoler o tem fette-mottas wrt- bboddf, Fapa-ve&^dmite capa,
    vezes, e com o.gaaUAhe d^nagoar-ne.: por, tanto. AlgUDS acruiaiun sua sade.bebodo mui-
    pe?o a S. S. Rvma. pela candado, que no ensinou tn. anda u panrrT 7ulilfue UiUi'
    e recommendon o Verdade.ro Mestra, oua delxe- ^k i 3 1ll1rjtfa-?^(Pl0C08talDe.>se.m-
    bebedem, posto que nao produza effeitostao
    me vlver tranquillo; porque os males da trra s
    afOlgem a alma, qae esta' vazia da futuro.
    Oliada, 20 de julho de 1866.
    O padre* Frmasco Adehno de Brito Dantas.
    Pastllhas vermfugas de Kemp.
    violt ntos, n3o sao menos perniciosos.
    Quando os vasos se conservara constante-
    mente cheios e dilatados n3o se podem fazer
    bem as digestejes, nem preparar-se devida-
    mente os humores- Por isso a maior parte
    Crtaneas atormentadas por vermes podem deslas pessoas ^ .
    JS a dose ^ pastbas chagas'nas pernas, abatimeitoSpir
    2?S de2'"P' qa? Sa,nC,t304M "" desordens hipocondriacas e outros S
    appareact, e deitciosaidemats. oasmO*- mas ^itidiostao,
    to para serem. regeitadas, EUs p.astilbas; A bahedii na s dostruidoia da sa-
    sao mu o procuradas por qaairo motivos: d6j mas dasfaCuldades da alma, o costme
    alo contera nwneraes; nao precisara.depois de embebeda/-se faz idiota os genios,
    de purgante; effectuam o que se de *ja sera j Assinv j,0s m ^^ das familias coa.
    causar dr; as enancas estao prompjbjs; a, vmsalvar aos seus faauios, a**arraigados
    ornar maior dosado quoa marcada xa. re- .aovicod* embriaguez nao os podem livrar
    rSS^JfiSKS!qUe Ji a.SteahaS ^ Pe!os m0s soassoFios, applicancio-lhe* o re
    Td?L ** ^ r vermrfl}gG: medio, que faz inteiramente enj/m a*, beb,
    \>.J!?fa^ .. a -i-. j 'ds que se vendem: nabotica oa laborato-
    bl na ZtSr 1 t'Pa nSe'r^dPTS": ri0 P^rmaceotico, ra ra DireHa n. 88, de
    tas oo imperio, e em Peruambuco por Caors jos da Rorrn Paranhns
    4 Barbosa eJ. da C. Bravo A C. J0'
    . A jurubeba.
    (SOtAHOMU PANIOJr.ATUM DB LTMSO.)
    A virtudes taerapenHcas- da juroteba de ama
    populandade immensa, appllcada pelos mdicos e
    peio aovo, aatmaram o abarro assignado. a facer
    dona planta am, extracto e diversas pruparacoes,
    de modo qae os mdicos podero escolher aquella
    qae mais Ibes convler, segundo a molestia que II-
    verera de combater. Os medicamentos aasna pee-
    parados sao, o emplastro, olio, tmiura, plalas, xa-
    rope e vlnho. .
    Os mdicos desta cidade.tem receitajo as piepa-
    rages de jurubeba do abaixo assigoado sempre
    couj proveilo :
    Em Pars e Rio de Janeiro e outras cidades j
    sao conhecldas as prepa,rac5es de jurubeba do
    abaixo assignado, fajendo-se apregoar pela impren-
    sa o elogio desse medicamento, O abaiio ass,tgna'.
    do comu;ova.o qua fica dilo. com os naojBjosps
    certificados das pessoas que destes med/camento*,
    tem usado,
    O abaixo assigoado, porm, previne aos incaulos
    contra as falsiqcag5e?, f^a certo qoe riesta cidade-o
    nico deposito de soas preparagSes dejarubeba a
    a sua pharmacia situad. oa,r-ua do Rozarlo n, 10
    jomo ao quartel de polica, e previne que procede-
    r com o rigor da le contra os, falsificadores.
    Ioaquim de Alneida Pinto.
    ATTESTA DOS.
    Illra Sr. Dr. Sergio Diniz de Moura Mallos.
    Sabendqeu que.V. S. psop o vlnho de jurubeba
    de minha composicb, em consequencia de inter-
    mitientes que sofTrja, deseja,ya que. V. S. se dignas-
    se dizer-me junto a esu .'qt\l o resaltado qae oo-
    COMMERCIO
    E nada mais eonpnha a Oitapetigo, a qual sen-
    *# do-me apreseoiada, em a margen deUa dei o des-
    pacho segainte :
    Justifique. Mareo o da 16 doeorraota as 9 ho-
    ras da manha. Jaboalio, 9 de Julho de 18W.-
    Mallo Barreta.
    E-nada mals cootlnha o dito despacho, por bem
    do qual se proceden a nquorieo detestemunhas
    qoe depozeram, debaixo do juramepto dos Santos
    Evaagelhos a respeito da incerteza do lagar, e au-
    sencia des snpplicados herdeiros, e sendo tildo au-
    toado me foram os autos retados conclusos, e sen
    dome apresentados e por mimlidos, nelles dei a
    minha sentenca do tbeor segainte :
    Jnlgo provada a ausencia e incerteza da residen-
    cia dos herdeiros da nada D. Mara Rosa de Jess
    visto os ditos das lestemoohas, pelo que se passe
    carta de edilos pelo tempo de 30 das para a cita-
    Cao requerida, pagas as cusl's. Jaboato, 16 de
    julho de 1866.-Antonio Francisco Paes de Mello
    Ba/relo,
    Nada mais conttnha a dttasentenea duda nos an-
    los, por bem da qual se passa ao sopplicanta Jos
    Fernandos Mooteiro o presente ediui por tmpo
    de ,10 dies, pelo qual chamo e cito aos sopplicados
    herdeiros da fallecida^. Mara Rosa de Jess, para
    qoe dentro dos> referidos 30 ds comparecam por
    al ou por sen bastantaprecurador para se proceder
    aos lejraos daeonciliacQ na forma do reqoeri-
    mentadeJosFernandes Monteico, e a qualquer
    cwiua pessoa do povo loa.s ag saber desu minha
    cttacao afim.de que eltes nao violndefezo. O por-
    leiro deste juizo publicar este nos lagares pbli-
    cos e o fixara paseando certido em forma.
    Dada nesla freguezia de Santo Amaro de Jaboa-
    to, aos 16 dejolho de 1866.
    Be Francisco Martins Ferreira dos Santos, escr i-
    vao que a escrevi.
    Aatonio Francisco Paes de Mello Brrelo.
    e directo, feito por Manoel
    -sua mulhar.
    Casa dl|seriea|dia(aV,Recifel7 de julho
    Jos Lopes Braga e
    Santa '
    de 186#.
    O eaerJpaoijajariBo,
    Pepro,Rodflaee_ de Souia.
    teve.
    De V. s. amigo obrigado e criado.Joaaoim de
    Alraeda, Pinto.
    Recife1, tO de julho de 1865.
    lllm. Sr. Joqaira de Almeida Pinto Respondo a
    soa carta supra, dlzeudo Ihe qa; flz aso da jurabe-
    ba por Y- S. preparada, depois de engolados todos
    os recursos da medicina, e consegai o mais vanti-
    joso resoltado as febres iotermtttentes, qa nos
    mortidearam aqu por mals de dous annos, usando
    nao s mioha familia, como outras pessoas esra-
    nbas.
    Pode V. S. fazer de.-la resposta o uso qae lbe
    convier.
    Son de V. S. amigo e criado obrigado.Sergio^
    de Maltas.
    Freguezia da Escada, 2 de agosto de 1863.
    Caiia filial'.de banco do Brasil cm per-
    nambuco Udejalko de18(i(i
    A caixa desconta os saqaes de seo aceite pela
    taxa de 6 0/0 aoanno^saea sobre a caixallal na
    Babia.
    Caixa Filial do Banco do Brasil cm Pornambuee
    as {3 de jalho de A8C6
    De orden d> directora se faz scienle aos senod
    rea accionistas que o ihesoureiro est aulorisa-i
    a pagar o 2a* dividendo das aejoas desta caixa a
    razQ da. 10$.
    O guarda-livro
    Ignacio, .\unes Correia.
    %* banco de|a*eroam-
    lenco
    O Noto Banco desconta letras a 9 por cento
    ao anne
    ALFANDKGA.
    Kendimento do dta 1 a il....... ol :I195I68
    Idemdedia 8:................ 48:4244649
    567:773*817
    MOVIMENTO DA ALFANDBUA
    '/olumes entrado* com faiendas...
    1 com gneros----- 278
    v*olames sabMos ocra lateadas.
    < con toaeros...
    que gastou tanto dinheiro, assim como o qae fez
    das esmolas que recebeo de todos os fregaezes, dos
    quaes s faltn tirar a camisa, e deixa-los n ;
    pois sei de freguezes /talvez dos qae S. Rvma. cha-
    ma boje mis-ravei) que defam para o cemterio
    2005 e para a igreja 400J, a lora outras cousas de
    meaos im ortancia; eootros quanto nao dariam ?
    Os mais pobres que nao linham dinheiro para dar,
    prestavam seus servicos ; o patrimonio de Nossa
    Senbora da Conceicao de 600 bracas da trra com
    urna casa de tijolio, doadas por mea avo, e a fa-
    zenda de gados qoe hoje pertence S. Rvma. todo
    islo foi empregado no servico ; anda mals a fa
    zenda de gados do Saniissimo Sacramento, qae .-en-
    do S Rvma. o thesourero,
    ., mandou por a saa mar
    por ontro motivo procedei a nova esco-1 ca, dizendo qae applicava o Importe dos ditos ga-
    sabsiitulft em cujas roaos raelbor se dos ao servico, tenha a bondade de dizer-mecon
    guardarao vossos direitos, se defendam e se aag-, quem S. Rvma. contraten esse negocio 1 Saiba o
    menlem vossos interesses, como eu o desejo.
    Aos meus colegas de adminlstrajao, que pode-
    re dlzer e anicular capaz de exprimir meo,reco-
    nbecimenlo pelas consianies e repetidas pro.vas de
    dedica cao e confianca, qae sempre me outorga-
    ram ? nada ; espelialmenie' ao lllm. Sr, commen-
    dador Joo GoncaJ-ves da Silva, Drs. Pinto Jnior,
    Symphrooio Cesar Coutinho, commeodador Tho-
    maz d'Aqaino e Villafa, a cada um dos quaes nan-
    ea esqaecerei; e sentirei nao ter eccasiao de ira-
    dazir por faclos o mea recoahecimenlo.
    Escripiorio da companbia de Beberibe, 26 de
    maio de 1866.
    O director,
    Jote Eustaquio Ferrara Jacobina.
    EXPOSlViO
    DOS
    Productos agrcolas, iidaalriaea e de abras darle
    da provincia de Peruambuco.
    SESSAO ORDINARIA EM 4 DE JULHO
    DB1866.
    As 6 horas da tarde em ama das salas do palacio
    do governo, com as,siste,ncia do Exm. vlce presi-
    dente da provincia, reaniram-se os membros da
    commissio directora os Srs'. Dr. Jos Joaqnim de
    Moraes Sarment, baro do Livramento, Jos
    Joo de Amorim e Gervasio Csmpello.
    Depois dolida foi approvada a acU da sessao
    anterior.
    O secreUrio declara nao haver expediente, e por
    isso paesoa a ordem do da.
    Por indicacao do Sf. Dr. Sarment fot delibera-
    do qae se addiasse a abertura da exposicao para o
    da 7 de setembro protimo, visto ter-se igualmente
    addiado a da corte para odia 19 de outubro, e
    mesmo em conseqoeacla das chavas qoe tem obs-
    tado o transito do interior da provincia com a ca-
    pital.
    Sendo apresentada nma conta dos Srs. Manoel
    Figueira ^de Para & Pilos, na importancia de
    cento e qoarenta e oito mil res, preveniente de an-
    nnncios publicados em seu jornal, resolveo-se qaJ
    se offlciasse a Exm. Sr. vicepresidente da pro-
    vincia para mandar pagar aquellos senbore.
    E nada mais havendo a tratar-se deram-se por
    flndos os trabalbos.Dr. Jos Joaqoim de Moraes
    Sarment, presidente.Bmo do Livramento.
    Jos Jo5o de Amorim. Gervasio Rodrigue
    Campano.
    Tendo a eoomisso directora da exposieaa desta
    provincia, em sessao de 4 do correte, resolvido
    transferir a abortara da exposicao para,o da 7 de
    setembro prximo fotaro, assim o uo publico aos
    industriaes e raais pessoas que tero de concorrer
    aqtfeila/esla; prevenindo-os de que a ramessa dos
    producios deve ter lugar de 16 de agesto
    dianle.
    0 secretario latnioo.
    Gttqmo Rodrigues Compeli.
    Publica(?oe8 a pedido
    -------u
    Qaem lea o in-folio de Bermrorees de papel par-
    do, Inserido no harto di HlUdlto&tl) di f J feVe-
    reiro, em defesa do vigario iWRIa o Jardim,
    Francisco Justino Perelra de Britto, e a sua f?iora
    Po tamben inserida no dia 17 de jalbo, deve ler
    publico que para a editicaco da matriz do jardim
    foi aproveilada toda a capella, aecrescendo somente
    24 palmos para o centro, fez-se sonente nm cor-
    redor o outrb ja' exista, levaotoo-se em todas as
    paredes seis palmos (salvo o engao) ; aprovei-
    tou-se toda a madeira ; o obreiro fez altar-mr e
    pintoa-o, tado gratis; a as-embla provincial dea
    um cont, oa am cont o qaatrocentos; no cem-
    terio s se gastn 3:000$, os materiaes nesse tem-
    po eram mnito baratos; portanto, Sr. vigario, res-
    oonda-me-onde se gastn esse dioheiro? Me pare-
    ce que das esmolas anda sobrou algama cousa para
    despeza do seu pukiro chtnez a qae S. Rvma. da'
    o ltalo depalacete.
    Nao querendo abusar da paciencia do publico,
    tratare! de concluir, apenas locarei de leve em uns
    dous tactos mais, ao qae fni provocado. O Sr. vi-
    gario Justino diz em saa biographia, que depoia de
    urna extensa viagem, cobron 20# por 2 casa-
    mento? de 2 Albos de Jos de Aieved Mello; S.
    Rvm. nao disse a verdade. A'jostra couda
    villa do Jardim casa de Jos de Azevedo Mello,'
    no Sa'lgadinho, 3 leguas e meia, S. Rvm. cobroa
    e receben do pobf''pi de familia 32*. Aioda
    mais S. Rvm. foi casar na fazenda Cobra, 4
    teguas distante da villa, 2 Albas do alteres Manoel
    -Norberto e cobroa 321, sendo qae este s lbe
    dea 30$.
    Mais ainda, Joaqaim Gomes dos Santo morador
    as Lages tendo de casar 2 Albas e recejan-
    do pagar os 2 camnhos que o vigario Justioo sem-
    pre costama cobrar, tirn urna llcenca d'esle. para
    o padre Targino de Sonta e Silva, coadjactor do
    principe, fazer os ditos casamento, e porque o
    dito padre naconfessou os nolvos, o vigario Jus-
    tino re val i dou os casamento dizendo estarem al-
    los, afjm de pescar,os 2 caminhos; note-se, elle nio
    fallava na licenqa nem na conflssao.
    Oalro caso, Sirao Pereira da Costa contou-me,
    que vindo casar na villa de Cabaceiras (Parahy-
    ba), deixou de tirar certido de baplismo no Jar-
    dim ; mas o parocbo daquella freguezia seo to o
    o Rvd. Tejo, fez o casamenlo de sen sobrinbo, po-
    rm logo qoe este chegon ae Jardim, o vigario
    Justino exigi delie os SfOOO da certido de bap-
    lismo, ditendo-lhe que seno pagasse eslava ami-
    gado nao casado, e enlo dea o moco 200Opara:
    poder flear casado. E assim outras ninbrias qoe
    fazem vergonha a iam n'a tem, be como o co-
    brar por cada teaco que rosa na igreja 5JO00, e
    cobrar dos devotos do terco as velas cbamaaas da
    banquetaqae senSo tiobam acendido, regeitan-
    do as que estiveram na banqueta.
    Nao pde-se tambera supportar o dlzer 8. Rvma.
    qqe tem sidp mpito zeloso no camprlroeelo de
    seas deveres, qaando os factos mostrara jasta-i
    mente o contrario,
    Se S. Rvma. fosse zeloso, como proclama em saa
    em i btographia, nao consenteri qae as suas ovelhas-
    (bicho) fizessem do patamar da matriz o seo dor-
    milorio, estercando as poftas de modo a nao se po-
    der passar por ellas. Quanto ao cemiterlo obser-
    vare o mesmo deleito do Sr. vigario, pois qoe ha
    bem. porteo, qaatro meninos, qae para la' conduii-
    ram o caixo de om anjinko, sabiram cobertos de
    carrapiebo.
    Pira qpjLSO possa fazer ama Idea de qnem seja-
    0 vigario Francisco Justino Pereira de BntoJalgo
    batante o qae expaz,
    Manoel Ildefonso de Olivetra e Azevedo.
    lllm. Sr. Ernesto Gongalves Preira Lima.Sa-
    bendo que V. S. fizera.oso do vinbo do jurubeba,
    ea consequeopia do febres iniermiitentes qqe sof
    fria por muito tempo, rogo-lhe o favor dizer-me
    junto a esta qual o resultado que obteve, favor qoe
    I*e agradec... t
    De V. S. amigDe criado.Joaquim de Almeida
    Pnlp>
    Recie, 12 de julho de 1863.
    lllm, Sr^ Joaquim de Almeida Pinto.Em res-
    posta a carta da V. S., tenbo a dizer-lhe qu, nos
    auuus de 18 j3 e 1864, eu e minha familia fomos
    atacados de sezes provenientes de inflaramacoes
    do bago e do Qgado, cajos iacommodos resistirn)
    a todos os medicamentos apropriados i molestia,
    que sa denomina febres intermitientes. Fui
    aconselbado que me mudasse para o Recife ; ah,
    cheguei, os meas fllhos de menor iJade nao resis-
    tirn) a urna molestia to cruel, fzemos eotao, eu
    e minha molber, uso do viabo de jurubeba e do
    emplastro, tudo de sua composicao, e Acarnos de
    lodo restabelecido e em poaco tempo.
    E' o quanto tenho a dizer, podendo V. S. fazer oJ
    uso que lbe contier desta declaracao.
    De V. S amigo obrigado criadoEsnasio Gon-
    ves Pereira Lima.
    Vicente Campillo, 28 de julbo de 1863.
    ----- 278
    181
    715
    -----896
    Descarregam hoje 14 de julho.
    Escuna dioaraarqaeza Pter& Launty meroa
    dorias.
    Barca ingleza Aielphoimercadorias.
    Patacho portoguez S. Jsediversos gneros.
    Bngue portuguezFfoWna=idem.
    Brigue merldemburgaezHenrick George-fsrinba
    de trigo.
    Brigae ausinacoCavalier Baumgartnerfarinba
    de trigo.
    Barca norueguense Chenesertm farinha de trigo.
    Barca inglesaMeleormewiadoria.
    Barca porlajguezaEsperanzadiversos geoaros.
    Patacho nacionalCardiacharque.
    lngue portugoezLuzUinoidem.
    Pancho portagoesParto idem.
    lmportaeo.
    Brigae portajjaez.ConceicSo de Mara, entrado
    1 do Rio de Janeiro, consignado a Manoel Ignacio de
    Olivera jiFilho, mahifestoa o segainte :
    Genero estrangeiros.
    1 caixSo carinchos.e espoletas, 15 ditos papel, 19
    ditos remedios, 1 volme machina para tapar gar-
    rafas, 423 barricas vaslas, 59 volnmes com ditas
    abatidas, 2 caixas mercadorias, i caixa ama ma-
    china de costura ; a ordem.
    Gneros naeionaes.
    500 caixas sabo, 50pi?as graxa, 187 arribas
    dita bexigas, 60 barricas sebo, 1 caixo cha, 5 rol-
    los malos de sola 1,564 saceos caf, 2 barricas di-
    to, 340 rotos fumo ; a ordem.
    Barca norwegueose Chtneseren, entrada de New
    York, consignada a Henry Forster 4 C'aianifes-
    tou o segainte' :
    60 caixas agua da florida ; a A. P. da Cunta.
    Santa Casa de Msericordia do
    Recife,
    A tilma, junta administrativa da Sania Casa de
    Misericordia de Recife manda, fazer publico qoe
    00 da 26 do correle, as 4 horas da larde, na sa-
    la de suas sessoes, se recebeao propostas para o
    arrendamento do sobrado de um andar n. 33, silo
    a' ra Direita de.-la cidade, que precisando de con-
    ferios sera' arrendado a quem se obrigar a faze-los,
    mediante condicoes qne fo/em previamente con-
    vencienadas, e qae devero ser especialisadas em
    ditas prapostas.
    Santa Casa de Misericordia do Recife, 17 de iulho
    de 1866.
    O escrivo inlerino,
    Pedro Rodrigues de Soasa.
    Subdelegada de polida.da fragata de S.
    Antonia da. Reaifo,i8-de jiilhjo (rf 1806
    No da 15 do cosreate foi mamado depositar por
    ordem desta subdelegada nm cavallo castnho que
    f/a encentrad sera guia na roa larga do Rosa-
    rio : quem ao m*smo Uve* direilft comnareca
    coroprovando o sea d.amioio p,isa Ihe ser entregue.
    O subdelegado,
    Manoel Antonio de, Jesns^Jqnior.

    Por orden de lllm. Sr. inspector da theon-
    reria de fazenda desta provincia te fat publico pa-
    ra conaecimeoio de todos os fuucr.ionarios pobli-
    co8 da proviaca, peasioaistas e mais pessoas qae
    recebera meosaltdade pela pagadoria, qoe, para
    regularidad do expediente desta e ordem no avia-
    ment das parte qae a ella afitaem no principio
    dos metes, preteadende tedas ser pagas ao mesmo
    lempo, o que.cansa confusao ao expediente e mo-
    tiva queixas tem deliberado o mesmo lllm. Sr.
    inspector que do Ia de agosto prximo em diante
    M observe na pagadoria a segninie tabella:
    Tabella dos dias em que se devem verificar
    os diversos pagamentos, que eslao cargo
    da pagadoria da luesouroria de fazenda
    de Peroamboco.
    No 1 dia uirl de cada mez.
    Presidencia.
    RelaQo.
    Faculdade de direito.
    Prets de tropj e folha de offlci'ae.
    Thesourana.
    No 2
    Correio geral.
    Justica de 1* instancia.
    Pessoal a polica.
    Folhas dos guardas e marinhagem da alfandega.
    Consignacdes de familias de officiaes e outras
    No 3.
    Arsenal de guerra.
    Rcebedoria.
    Tribunal do commercio.
    Officiaes reformados.
    Empregados da visita da saode e instituto vaci-
    nico. n .
    NoV
    Juizo dos feltos.
    Alfandega.
    Bispo, eathedral e parodio?.
    Aposentados e empregados de repartieses ex-
    t i oclas.
    Ne 5.
    Arsenal de mariaba.
    Capitaaia do porto.
    Apreodizes art i fices.
    Guarda nacional.
    Pensionistas do estado.
    No 6.
    Navios de guerra.
    Apreodizes raarinbeiros.
    E quaesquer fuucc.ionarios qae nao tenbam re-
    ce bido os seus venc:nentos nos das que lhes fi-
    cam marcados.
    Secretaria da tbesouraria de Pernambuco 11 de
    julbo de 1866.
    Servindo de official maior.
    Manoel Jos Piolo.

    *-
    Paaa execQcao da .rada.val a' .-poca saita4ei-
    ra 27 do eorreaie.na vjia da Escada o eogeoho
    Belmont, qoe sendo situado entre as estacos de
    Ariplb e Frtebelras, flea desta. distante apenas
    una legua. E' 001 bono engenho, com exceUentes
    proporcoes ; e teodo sido avadado por W^GO,
    vai do novo i. praca oom o ahaiimeato legal, da o"
    parte.

    Di rectora geral ees correit.
    -r Pela administrago do correio desta cidade
    se faz pnbrico a quem iateressar possa, que desta
    dala em dlante se.acba em execugo nesla admi-
    nistrado e suas agencias os decretos e instruccoes
    seguioies.
    Correio de Peroamboco, 23 de julho de 1866.O
    administrador,
    Domingos dos Passos Miranda.
    Em virtude dos decreto ns. 3,4*3 de 12 do
    abril de 4863, 3,532 A de 18 de novembro do mes-
    mo anao, e 3,675 de 27 deste. n\ez, cobrar o cr-
    relo do da de jalbo em dianre as segninies ta-
    zas de porte:
    Correspondencias paja e Inierjpr.
    As carias qae circulara dentro do imperio ficam
    sojeilas ao pagamento da laxa uniforme de 100 rs.
    por porte simples de l.fgramraas (4 oitavas), oa
    fraego de 15 gramroas, qnalquer qae seja a dis-
    tancia que tenham de percorrer por mar oa por
    torra.
    Para as carta de maior peso adoptar-se-ha a se-
    gainte progresso :
    At 30 graromas,.....20 res
    De 30 a 60 ditas......400
    De 60 a 90 ditas......600 >
    De 90 a 120 ditas.....800
    E assim per diante, augmentando sempre dous
    pones por 30grammas (amaonca) eo> fraccao de
    30 gramraas qoe accrescer.
    Os autos e mals papis do foro pagarao somente
    metade dessa taxa.
    Nao eslo comprehendidas oa precedente dispo-
    sicao as cartas expedidas de nm para outro ponto
    da cidades onde fr estabelecido o crrelo urbano.
    As cartas desta cathegoria pagarao a laxa de 50
    rs., por porte >imples de 15 grammas oa frae?o do
    115 grammas qne aecrescer.
    Pagar, porm, somente a taia
    DECURACOES
    lllm. Sr. commeodador Manoel Goncalves Perei-
    ra. Linfa.Constando-me qne.V: S. e saa Erma fa-
    milia e pessoas da mtimidade de V. S. foram ac-
    comraettidas de febres intermiltentes, setes.e que
    flzeram uso dot medicamentos de jurubeba de mi-
    nha compqgico, e achando-se hoje perfeitamente
    curadas, tomo a liberdade de pedir a V. S. que se
    digne diier-me jamo a sta os resultados qae ob-
    tHlram, favor que rauito apreciarei.
    De V. S. aalgo criado obrigadoJoaquim da
    Aimeida;Pinto. a-----
    Recite, Io de agosto de 1865.
    lllm, Sr Joaquim de Almelda-Pluto.E' verdade
    qqe tepdo sido s'te'engenT accominettido de se-
    zoes por mais de dous annos, e tendo ea e minha
    famili|e ajis pessoas aqu residentes, depois da.
    gttnde, uso de quinio, experimentado os aidlea-
    Ainda ment por. V. 8. preparados com Jurubeba, conse-
    guj vanlagns reaest e souhe-que outrae_nsram
    cora utilidade dos medicamento. V. S asar des-
    ta.resposta como quizer.
    Desejo-lba.sande, e_so^cota_jiraa
    De ?. S. amigo obrigado criadoManoel Gon
    galves.Pereira tima.
    Engenho Vtcenie Caoipello, l.de agoslo de 1865.
    60 ditas dita; a H. 4 Azevedo.
    50 ditos kerosene ; a A. P. da Cunba.
    26 ditos dita ; a Heorique & Azevedo.
    3 ditas dita ; a Caors.
    5 ditas drogas; a Caors.
    108 barricas breo ; a Beltrao.
    20 caixas machinas para algodo ; a ordem.
    20 dilas ditas; a D. A Malheus.
    26 ditas dita, 5 cadeira, 1 caixa doces, 3 vola-
    mes objectos diversos, 8 barricas graxa para cal-
    cado, e 1,758 barricas farinha de trigo ; a Henry
    Forster & C.
    Patacho nacional Relmpago, entrado do Rio-
    Grande do Sal, consignado a Francisco Jos da
    Costa Araojo, manlfestoa o segainte :
    12.066 arrobas charque, 60 coaros vaccans, 220
    arrobas de graxa em bexigas, 50 saceos com 160
    alqaeires de cevada, 3 barris carne salgada, 6 di-
    tos sebo; aos mesroos
    Barca portog ueza Flor de Sao Simio, entrada do
    Cear consignada a Carvalho & Nogueira, man-
    festn o seguinte :
    500 barrita* varias, 10,126 ponas de boi, 28 mi
    Iheiros de onhas de dito, 72 cadeiras de pao d'oleo
    e 4 marqoezas de dito ; a ordem.
    ECEBEDORrA DE RENDAS INTERNAS GE-
    RAES DE PERNAMBUCO
    Rendlmento do dia 1 a 21....... 26:8004062
    dem do dia 23................ 4:061*260
    ------1 y%Hia JHffi 1------
    Rciqelia contra a embriaguez
    A sade depende do estado dos; solidos, o
    dos fl|iidos, que os conserva idneos para
    mais |erfeita execucSo da&funecoes vitaes;
    emquanto estas se fazem com regularidade
    nosachamos sJos e robustos; porm de qnal-
    qMer manejra que se perturbem, inWitav^l
    o aherar-se a sade, aifjiteperaoca nunca
    deixa de desordenar toda a economa animal,
    iatpediodo a digestao, relaxando os ervos,
    fazendo irregulares as., secrecOes, viciando
    os humores e prodazindo infljias enfermi:
    dades.
    O raais alto grao da prudencia humana
    consiste em.regrar os nossos ap^petites e
    paixes, de maneira que se evitem os ex-
    tremos*
    Com quanta celeridadarruina a melbor
    cops^ituicSo o ab,so dos licores^jue embe-
    bedam I Pelo que vemos com tanu requen-
    cia os Revotados a embriaguez caf regados do
    males, correado com passos largos para a
    sepultara, e por isso commum proverbio,
    que todos os. ebrios .mofirem hydropicos..
    Tudo que embebeda poe a naturoza em
    estado de excitar febre, para da pessonha que tragara: equando se repe-
    te qoasi todos os das este veneno, fcil
    30:861*321
    CONSULADO PROVINCIAL
    Rendimenlo do dra 1 a 21...
    Idem do dia 29..............
    83:901*681
    5:816*402
    89:718*083
    MOVIMEHT DO POSTO
    JVaMo niratle m&2l,
    Rio de Janeiro9 das, vapor ingles de guerra
    Sharpshecter, commandante Har.
    Atote entrado no da 23.
    Liverpool -87*trla?, barca inglea Meteor, de 247
    toneladas, eaptto Joho^raig, equipagem 12,
    carga faiendas e ootros gneros; a Saunders
    Brother & C
    ^anla Casa da Misericordia do
    Recife.
    A lllm*. junta administrativa da Santa Casa de
    Misericordia do Recife precisa contratar o forneci-
    mento de camas de ferro para o collegio das or-
    pbas : qqem se, JMgar babijitado a fazer tal for-
    necimento cotnpareca na sala de suas sessoes, as
    4 horas da tarde do dia 26 do correte.
    Santa Casa, da Misericordia do Recife 17 de ju-
    lho de 1860.
    O eserlvo InterinOj
    Pedro Rodrigues de Souza.
    Santa Casa da Misericordia
    do Recife,
    A lllm.* junta administrativa da Santa Casa de
    Misericordia do Recife manda fazer publico qae
    no da 26 do julho. pelas 4 horas da tarde na saiaj
    de suas sessoes tem de ir praga a renda das ca
    sas abaixo mencionadas por tempo de nm a tres
    annos.
    Os pretendentes deveo comparecer acompanha.
    dos de seas fiadores oa manidos de. cartas, destes
    Eslabelecimeaio* de caridade.
    Roa Direita.
    N. 8 sobrado de 2 andares .... 1:067*000
    Roa do Padre Florano.
    N. 57 casa terrea....... 50*000
    Roa do Fagundes.
    N. 32 casa terrea 155*000
    Travessa de S. Jos.
    N. 13 casa terrea.......153*000
    N. 14 5 casa terrea......168*000
    Roa das Calcadas.
    N. 36 casa terrea.......176*000
    N. 38 casa terrea.......io7*U00
    Roa da Viracao.
    N. 7 casa terrea-.......204*000
    N. 19 idem........180*000
    Una larga do Rosario.
    N. 24 segundo andar......300|00O
    Raa da Moeda.
    N. sobrado de3 andares. ..-. 480*000
    Cinco Ponas.
    Casa terrea n. 90.......240*000
    Beceo do Qaiabo.
    N. 8 idem, casa terrea.....144*000
    Roa da Gloria.
    N. 65 idem, casa terrea.....144*000
    . Roa de Encantamento.
    Nv 3 idem, sobrado......400*000
    Roa de S. Ron Jess das Crioula.
    N. 8 casa terrea.......131*000
    Patrimonio de orpliaos.
    Roa da Cadeia do Recife.
    N. 61 sobrado de 1 andares. 902*900
    Roa do Rangel.
    de *0 rs., cad
    paragrapbos se-
    Navm saktdqs m mesmo dia.
    R da PrataBngue nacional UberiA, capilo Jo-
    s H. de Olive ira, carga assucar. _
    Rio da Prata-TBrlooe nacional Trovador, capillo C*88 ,errea .......300*000
    Joao Francisco Be leca, carga assucar. K. Raa do Vigario..
    O 1.a andar do sobrado n. 27 .
    !.._.__.. uapijif. S. Gencalo.
    FrjITirC Cas* terraa n. 2f.' ....
    " Casa terreA n. 1
    Renunciando qaalquer aecnsago coitra o Sr.
    Antqnio Francisco Paes de Mello Barjato, maio
    rerormade da guarda .nacional, fldalgo cavallelro
    da casa Imperial, cavaljeiro dajmperial ordem
    da Rosa e da de Cbristo, jaiz de paz do 2 anno
    do 1* districto da fregqezfa de Santo Amaro de
    Jaboato, e delegado supplente em exercicio do
    2 districto do lermo do Recife. por S. M. Impe-
    rial e Constitucional o Sr, D. Pedro II, etc.
    Pago saber aoa que a prsenle caru de edilos
    . por tempo de 30 dias vlrem, que por parte de Jos
    resultar P'fTrtndes Montelro, me fol fefta ama petieao do
    - theor segainn -
    prever-se as consequencias, que
    delie. As febres da bebedice nem sempre 1 f de paz d wgwllI de int0 AaM.
    terminam emnrn da ; acabam ardinanamen-' jo de Jaboato.-Diz Jos Fernandos Monteiro, qae
    180*000
    189*000
    191*000
    144*000
    168*000
    200*000
    25*O00
    Senzala Velha.
    Casa terrea n. 18.......200*000
    Roa da- Goia.
    dem n. 29........
    . Rtia do Pilar.
    Casa terrea ni 10;.....
    dem ni lOSJdem......
    dem o. 99 idea......
    dem n. 94 dem.......iOfOOO
    dem n. 5 na Forno da Cal. 150*000
    Secretan* da Sann- casa da-Misericordia do
    Recife II de julho de 1808.
    O eserivao interino,
    Pedro Rodrigues de Sonza.

    ama das carias especificadas nos
    guiles :
    !; Partiripacdes de casamento e de aaseimenlo.
    2. Convites de enterro.
    3. Rilbetes d-j visita, nao excedendo a doasem
    cada capa.
    4. Circulares, prospectos eovsos diversos.
    Os objectos mencionados nestes qaatro pa.ragra-
    phos devero ser irapressos, lithographados ou aa-
    tographados ; nao exceder o peso de 10 gramraas ;
    ser expedidos com o porte pago e aberlos, afim de
    qoe possa o correio verificar o seu cootedo. O
    qae nao preencherem estas condicSes serio taxados
    como carias ordinarias.
    As cartas franqueadas abaixo da tarifa, oo nao
    franqueadas, seri expedidas pelo correio; deveo
    ' do, porm, cebrar-se do destinatario o dobro da
    taxa que far devida.
    As pequeas encoromendas, amostras de merca-
    dorias, brocharas, livros encadernados, calbalpgos,
    prospectos, papel de msica, e quaesquer avisos
    impressos,gravados, lithographados oa autographa-
    dos, pagarao a taxa de 20 rs. por porte simples de
    40 grammas (11 oitavas) ou fraeco de 40 gram-
    mas, qaalquer qoe seja a distancia qae tenbam de
    percorrer dentro do imperio. Esta laxa subir na
    seguinte progresso :
    At 80 grammas (22 oitavas)........... 40 rs.
    De 80 a 160 ditas.................... 80 c
    De 160 a 240/.......................... 120
    E assim por dianle, augmentando sempre dous
    pones por 80 gramma oo fraeeao de 80 grammas
    que aecrescer.
    Para que possam estes objectos gozar da modici-
    dade da taxa de porte, cima tizada, devero pan-
    gar previamente o devido porte; ser chitados de
    modo a conbecer-se fcilmente o sea cometido; o
    nao conter outra declaracae manuscripta qae nao
    seja o endereco do destinatario, e qaando maito a
    assignatura do expedidor. A falta de cumprimen-
    to destas condicoes sujeita-o a' taxa de cartas or-
    dinarias, para sereno expedidos.
    Os jornaes, cirenlares, e quaesquer impressos
    avnlsos, ama vez qoe preenobam as condiccoes do
    precedente artigo, pagarao a taxa de dez ris de
    cada exemplar. Se, oorm, forera expedidos em
    masso pagarao essa mesma taxa aa razo de qoa-
    renta grammas oa fraeco de 40 grammas de
    peso.
    Correspondencia de oa para o exterior nao sugeito
    a convenees postaos.
    Da Gr-Bretanha e sos colonias; cartas 240 rs.
    al 15 grammas inelusive (4 oitavas), 480rs. at
    30 grammas, (ama onca), 960 rs. al 60 grammas,
    e assim por diante aograeniando sempre done por-
    tes por 30 grammas oa fraego de 30 gramraas
    qoe aecrescer. Jornaes 40 rs. cada nm.
    De Franca e soas colonias: carta 200 rs. por
    18 grammas, inelosive e na progressio estableci-
    da para as cartas inglezas; amostras de mercado-
    ras 200rs. por 40 grammas (11 oitavas); jornaes,
    livros e outros Impressos, 30 rs. por 40 grammas.
    D Portugal e soas- colonias : cartas 300 rs.
    at 15 grammas, inclusive e na mesma progressio
    cima estabelecida; jornaes 40 rs. eada nm, ootros
    impressos 40 rs.- por 40 gramraas.
    Para Portugal e saa cotonas a corresponden-
    cia pagara' somente as mesmas taxas a' que esta'
    sujeita a conespoodecia para o interior-
    De ou para os Estados-Unidos da America do
    Norte: cartas 200 rs por 13 graromas e na mesma
    progresso cima estabelecida; jornae 40 r. ca-
    da am, outros imoressos 40 rs. por 40 grammas.
    De 00 para a repblicas do Rio da Pra : car-
    las e jornae o raesme porte territorial brasttelre;
    e, quando a condaoco se etTectoar por intermedi
    dos paquetes brasileiros, cartas 300 rs. por M5
    gramma*, jornaes e outros impressos 40 rs. or 40
    grammas.
    Dos ootre paiies, carta 200>rs. por 15 gram-
    mas, jornaes e oalro impressos 40 r. por 40
    grammasv
    Tambera do dia l*-dejnno em diaate coraeea-
    ram a ser emllidas as novas estampllbas cora a
    efigie de Sua Mageslade o Imperador.
    Directora geral dos corrers, 30 de jaral de
    18>6.-L*s Plinto de Ojiteira.
    Depesito especial de instraegt para
    cacadore a cavallo
    O capilo coBnaodaote contraU para o.'orneci-
    mento da cavalhada do mesmo deposito, durante
    o 2* semestre do correte anno o segoale :
    Capim de plann-em arrobas.
    Os preponentes apresenuro as sua propostas
    en caru fechada no dia 24 do correte ao meio
    dia no qnartel do meses deposito.
    Qoartel co comoando do deposito no campo
    das Prlneeze*, 21 de jalbo de 1866.
    i. 1. de R*go Monteiro
    capilo commandante.

    >

    H
    i
    .-i

    ?
    I
    ^
    N


    :4M6.
    +*
    '
    W
    laspeeca do arf*al 4* atrinht
    A Inspeccin *a**Avt> ?dVv#Bte*,-i>arai
    as obras do arsenal.
    Iospeccio do arsenal de raaHoha de Pernam-
    baoo 10 de jamado 1866. ,j
    O MAt*tfWi-
    AleiaartrKodr1iaaa> OneiAnjos.
    "Hbje'floda a audiencia do t. jir de or-
    phaos vaiajraca de venda* saravo Gabriel, per-
    tencame ao iovoatarto de J-neuna da rosta Viei-
    ra, avaliad9 I I lili lia II I HU
    .1
    (ntOho 0110 BOW| awHerV vendido em ara oo
    >)* lates a WtHaOe dos compradores: qoarta-
    _U_. i Telra 25 do correle pelas 12 horas da wanhaa ra i
    fifflS wVAPORi P0Dt0 B0 lr*p'co< do Sr- Cunba o KorW d0
    fmMitNnM
    Aula publica
    Bos nanos do taor* esfWMdo, f2i
    ?r, *i
    l.l J

    THIMTItO
    S. ISABEL.
    Cnaetro do Suf, commandatrte ,
    8 ^* fabrica.t catdeireiro, fun
    4ico de fervo 4 metal, 13
    ctcnxcos de ambos os sexos,
    a ra Imperial <*#r 4M,
    nrma-coniBiiA.
    Recita extraordinaria.
    MI FAVOR O*
    lauewc Benefirante das Alfaiates.
    (Jlterto -pura ttde-julho.
    Representar-se-ba o muilo applaudido drama
    em 5 actos ou 7 qurtros
    RfJMfcWCE
    VE
    demota do cosanle aejair. para
    os orlos do sal.
    DesW} recebem-se- paasajBiros/e eugaja-se
    carga qae o vapor poder ooniuik.a qaal deveraer
    embarcada oo da da aja chenada; -aaeammetodaM
    dtobeirua frelcato Ota da sa saWda as S loras;
    as passagens s serlo recebfdas na ajnela ra
    da Cruz n. 1, eseriptorio da Amonto Laiz de li-
    veira ArevedflA C.___________;_
    tOMIV^atlA HRiMJLEIRA
    DE
    SAVIPOR
    relatar o snertaoaWiom a eogiactda co
    en-ladto
    A cabera do ilartmko.
    tOoiportas do sal esperado
    ateo dia 30 do correte o vapor To-
    (NMhsb.eoaiioaadMte o ca pito te-
    aantef/ariae, o qoal depeis la de-
    maaaalo co6lume seguir para os
    portos do norte. ]
    . Desde jairaabenv8)assafeiros e eagaja-se a
    carga que o vapar podar coadtrtir, a qoal davera'
    ser embarcada-noaia de sua chegada, eneoramea-
    das eUtnHelro a-Trele ale optada saluda asi ho-
    ras ; as passagens s sero recebidas na agencia
    ra da-Crax-n. 1, ascrtptorio da Antonio Laii de
    Oliveira Azeveao & C.__
    Rio de Janeiro
    Nesteaqainzeffa* seguir para o Rio dj( iaflftiro
    o pataoao nacional EmertUa, lera a maior par-
    te da carga prompta : para o resto que Ibe Hita,
    trata-se na raa do Bruta .n. 66, armazem de David
    Perreira Bailar, ou com o capillo do rahrie
    navio.
    Para iisboa.
    A barca pnrtugueza Gratidao a sabir com toda
    brevidade por ter prompto qaasi todo a sea earre-
    Principiar as 8 boras.
    A commlsio eaeiwregada-de promover esta re-
    ciuam lavor da^assoetao aciaa mencionada, dl-
    rigindo-se ao anulo digno am aramio do tbeatro
    de Santa Isabel, o IIIex.Sr. Antonio Jos Daarte
    Coimbra, hteve a metde do producto desla recita
    e mateas'prtala?, Bra de soecorret aos ocios i
    doeatuarasaitad*; ernprexario presaoLimenlt (aaer mais ao proveito
    de lio justo flm por serem bastante onerosas as
    obriga$5s a que esta sogetto com a actnal em-
    preza; prometiendo o mesmo senhor >a commlssao
    fizer aais,algun>a. oosa se para diante estiver
    menos sobrecarregado.
    de wrfHimiti* %*e t fWrtttf
    A professorada Sr.adaira de instruyes* prima-
    na do seso /amiomo da rwaeci^de 3.- Fre Pe-
    droGcmcarves, uUimimenie crada pea a^sewWa
    legislativa proviuMtvVWtai *tf ** a> raaHas,
    ATTNCAO.
    ImPWnfcoM idMpWWgr encontrar pessoa
    honesta e de bons costames que qoeira residir na
    mesma casaetn ifue ella reside pagando meiade
    do alogael : etiiendei^se rea a misma enbora
    roa do Cotovetio a. 3.
    qoe se acua p. 9 da radJcrTTg^ti; dtd-a - Naruado Aragio -SI, npteeisa se allar
    *m o Sr, Francisco josida *l,a |ma.
    Precis
    co : na ra
    av para
    para os quaes offerece boas accommoda^oes, tra-
    ta-sa com Mauoel Ignacio de Oliveira di Filbo
    largo do Corpo-Santo n. 19 eseriptorio, ou
    Praga com o capitio.
    Para o Porto.
    Seguir' com brevidade a bem conhecida e mni
    IHm. elBim. 8hA dtree^io -auxiliadora da co- veleira barea Claudina, por ter.parte do sen carre-
    ionisaco polaca leudo resolfido .a eieeuco de gamento engajado: para or9sto e nasaageires, aos
    quaes offerece excalletttes eomtnodos, trata-se com
    Canba Irmos & C, a' ra da Madre de Dos n. 3,
    en com o eapitao a bardo.______________
    Eio de Janeiro.
    m grande concert vocal, inslrumenUl e recita
    tifo, para o dia 2i- do corrente, no palacio datpre-
    sideneiat com o.flm depwwwra respectiva emi-
    gracio, lem a honra de soliertar a assistentia de V.
    Eic. em quem recosheue uui coraca patritico e
    fervoroso para ttido quaoto dix resucito ao deaen-
    ?olvimento desi* ptomncia. Recilp,-r8 de julho de
    1866. De V. Etc. respailosos veneradores,con-
    elheiro Pedro Auiran da Malta e Atbuquerqae, Dr. _
    Sabino Olegario Lodfro PiDbo.SanndersBrothers,|-^Moevrroe"& tf, iargo do Corpo Santn. 6,
    Dr. Antonio Witnrrio fmto Biodetra e Aceloli de seeQn(i0 n(iar oa coni 0 respectiro eapitao na
    VaacoooeUos, Dr. Diodoro.l^piMO.Cudlbo Catanbo, I praga
    Dr. Jos Eustaquio Ferreir Jacobina, D. abbade
    O trigue nacional Belizano, que ja' lem mais de
    meiade da carga prompta para o Rio de Janeiro,
    segu com brevidade : os que nelie quizeren car-
    aegar qoeiram entender-se cora os consignatarios
    rei Antonio do Patrocinio Arapjoe Jorge'Taseo.
    gara o Porto por Lisboa a veleira e superior
    *.T^sia"oamSo aeio^3wvdr a ves- barca portugueza Ermelinda pretende a*jr para
    pera do concert, msidera.se aceito o .presente s indicados portos com rantta l
    couviie ; e servir para I agres so no saldo, qoer ao
    Me 158.
    Quinta feira 26 doctrrfte
    as (1 horas.
    A viovade Sebastlao Jos da Silva .aotortaada
    Jielo lm. fir. Dr. Juiz de orphios, venmiem
    leilo por intervengo do agente ColdaiK) cfiialies,
    a sobredila fabrica contendo 2 engenbos > ; maobinas de tornear, furar e undir, faignr/aotnos
    para sinos e furo, esloras, ferrameoiaa, gmaode
    quantidadede imoldes, obras de ferro,
    brome por acafcar, e os seguinte escravos :
    Sarviooda fabrica.
    Daraiao/mestre ferreiro 30 annos.
    Jos, Metra marcineiro 30 annos.
    Caetano, offlcial de caldeireiro W annos.
    Baaadwto, offleial de cahleiienu 48 iubos.
    Antonio, offlcial de fundidor 40 annos.
    . Salostio, offlcial de oaldeiretro 16-aaaot.
    Macario, aprendiz de caldeireiro 14 annos.
    iao, cejo eervenle. I "^
    Sergio doggsstico.
    tita, 30jnnos.
    Vicente,* annae.
    JnqningJ 8 angos.
    Carino, Tanno.
    a'gdoMaaiinte d lovmtario em poder do so
    bredito agente, tendo lagar o leilo no dia e hora
    cima indicado no edificio da referida rabrica : as
    10 e meia botas-peAiratto afgg do Qagpo Santo
    um mnibus para transporte (gratis) dos concor-
    ren tesa^ereridoleilSo^^^^^^^^^^^^
    ~1jfnMe leilao "
    de mofis,joigBde ouro :prala itutros
    muitos-objectos tte gosto.
    Roa do Imperador a. i6.
    QUIrr AHfEIlA H6 DO OOJMB.tlE AS 1 i BOU AS.
    Martins fara'leMio por-eonta e ordem Ho Sr.
    AmericoF. Silva^tm seu armazem roa do Impera-
    dora. 40, demm ampielo sortimento de movis
    como sejam : 1 guarda louca .de mogoo, 1 dito de
    amareHo, 4-tlco apparador de mogno, 1 estante
    para litros, 1 secretaria, 1 guarda roopa, 1 cama
    para casal, i mobilia de Jacaranda' lampo de pt-
    dra, 1 dita de amarello, 1 commoda, 1 dita menor,
    12 cadeiras de rala, 1 mesa elstica, 1 retret, 2
    cadeiras d bataneo, 1 mesa de pinho, i tianqui-
    nhas, 1 cabide, 2 serpentinas, 1 santuario, i-mar-
    quezo, 1 apparelho para jantar, 1 dito para almo-
    qo e outros muitos objectos que se torna eafado-
    nbo mencionar. 'Na mesmaf, occasiSo levara' a
    leilo um completo sortimento de jolas de ouro,
    prata, sem reserva de prego.

    cavalheiro a quem ella perTeucer individualmente,
    quer a sua familia conjuntamente.
    -Os donativos fleam a volita de generosa dos aava-
    iheiros a quem (erem nJerecadas as cartas; e se
    difnaro de incluir aellas esses mesmos donativos,
    qae assim sero entregues entrada.
    GR4M
    Concert extraordinario
    vocal, Instrnmen(al e recitativo
    Terca-feira, 24 d# carrate, a 8
    horas da uuite.
    Promovido pela direccao auxiliadora da eoloni-
    saeo polaca, este concert lera lagar no palacio do
    governo, sob os auspicios das seguutes pessoas :
    Faro as honras da casa a Exma. Sra. D. Cle-
    mentina Sarment, que benignamente a isto se
    prosia, e a quem sero entregues os donativos (na
    entrada), e urna commis.-o de ceremonia, compos-
    ta dos Eiras. Srs. conselhelros Pedro Auirao da
    Matta e Albaqaerqae, Loarenco Trigo de Loare iro,
    Drs. Bernardo Pereira do Carmo, Jos B. G. Ateo-
    forado, Cypriano F. G. Alcoforado, Francisco de
    Paula Salles, Henriqoe do Reg Barros, Joaqaira
    Jos da Fooseca, Ayresde AlbaquerqaeGama, Au-
    gusto de Souza Leo, Igoacio Joaqaim de Souza
    Leo, Francisco de Carvaibo Soares Bcando, Luiz
    de Albuquerqae Marlins Pereira, Sarment Filho,
    Jos Eustaquio F. Jacobina, Gervasio Rodrigues
    Campeilo, Miguel Jos de Almeida Pernambocg,
    Alcoforado Filbo, Dioljro Ulpiano Colho Cataoho,
    Jo) Jos Pinto Jnior, Maooel de Figueirda Faria,
    Herraogenes Scrates Tavares de Vasconcellos,
    Joaquim Pires Machad > Portella, Francisco Cordel-
    ro a R. Campeilo e Mauoel de Siqneira Cavalcanti,
    acadmico Siglsmando Amonio Goncalves, Fran-
    cisco Xavier de Olivoira, Flonano Correa de Brito,
    Jorge Tasso, Felippe eedbam e Georges Possoz.
    Reiacao das pessoas qae se dignan de eiecntar
    O concert :
    Exmas. Sras. D. D. Giacinta Amelia Pierrl Ade-
    laide do Amara!, Srs. Inaocencio Sraoliz, Tobias
    Pierri, Cavalleiro Ramonda, Dr Jos Vicente da
    Costa Bastos, Rodolpbo Eichbaum, C. Stenber, Jos
    Colho Barbosa, Candido Filho, Antonio Martios
    Viaooa e Salosiiano Lbanio Tenorio.
    P10GR1MM4
    PRIHEIR PARTE.
    N. i.* Grande phantasia para flauta pelo Sr. Gia-
    eeppe Rabooi, sobre os motivos da opera Mackbeth
    do Maestro G. Verdi, ejecutada pelo Sr. Candido
    Filbo.
    N. 2.* Pbantasiade clarineta sobre o .motivo da
    opera Mackbeth do maestro Vardi, de Benedicto
    Carulh. executada por Antonio Martins Vianna.
    N. 3. Ella in poter del brbaro, sceaa e cavati-
    na n'ell'opera Attila del maestro G. Verdi, execu-
    tada de tenor canuda por Jos Colho Barbosa.
    J*. 4. Phantasia sobre um mottvo da opera
    Sapho-de Paclni. Phantasia sobre a opera Luiza
    M. Mller executada pelo Sr. Ur. Jos Viceule da
    Costa Barbosa, na rebeca.
    N. 5. Varlaeao para flauta extrahida de ama
    valsa ailemaa por Salastiana Libanio Tenorio.
    N. 6.a Duetto di Cbiara de Rosenberg executado
    pelos Srs. Pierrl e Ramonda.
    IXTERfALLO
    PRIMEIRA PARTE
    HTMLVO i POLONIA
    Os voluntarios da mortepoesia do Sr. Dr. Pe-
    dro Luiz recitada pela Bicha. Sra. D. Adeleide do
    Amaral.
    SEGUNDA PARTE DO PROGRAMMA.
    N. 7. (A Faeeira) linda polka de concert para
    fliata,-pelo Sr. Reichert executada pelo Sr. Candi-
    do Filbo.
    N. 8. Piano. 1. Bercease por Cbopm. 2." Sa-
    vane Kailade crele por Gottschalk executada pelo
    Sr. Rodolpbo Eichbaum.
    N. *. Cavatina da opera Mackbeth executada
    pela Exraa. Sra. Pierri.
    E.;iO. Poantasia de Bellinl para ratoeca execn-
    uda pato Sr. Steuber.
    N. Paantasfa para clarineta por D.Leveram,
    xeeuuda |nr Antonio Martins Vianna.
    N. 12 Diiette da opera il Columclla do maestro
    Fioravanti, executada pela xma. Sra. D. Pierri e
    J|r. Ramonda.
    As pecas vocaes serlo aoorapanhadas pela Sr.
    imoltz: a< pecas instrumentaes sero acompaoba-
    4as peioSr. Rodolpho Eichbaum.
    Os intervallos serao preenchidos pela msica dos
    menores do arsenal de marloha.
    O resto dos bilhetas acha-se venda na ra do
    Crespo n.'.) Iivraria raaceza.
    Prmepiiira as 8 horas.
    maior parte de sea carregameato tratado, e parao
    que Ihe falta, trata-se com o consignatario Joaqaim
    Jos Goncalves Beltro, oa ra do Vigarlom. 17.
    Para o Porto
    !>T-,* ,4-^ k Ul^ -i^ n n/^ viao a Mae rte Dsos posanegarlo estaoo aigno
    HMtatO ArCneOlOglCO O lieO-' dos Seis christaos orare*, nossa eterna proteo
    Seguir com brevidade afcam conhecida e velei-
    ra barca portugueza S. Mauoel II, por ler grande
    parte de sea carregamento engajado, para o fento
    da carga e passageiros.para os quaes tem magni-
    Bees commodos, trata se aom os consgnatarias M.
    J. Ramos e Silva & G*nro,toado Vigario tn. U,
    ou coa o eapitao a bacilo. ___ ___
    Para
    Pretende seguir nestes olto dias opalbabote na-
    cional PIEDADE, tem parte de seu carregamento
    prompto para o resto que Ihe falla trata-se com
    os seos consignatarios Antonio Luiz de Oliveira
    Azevedo k C, no sen scripterio roa da Cruz nu-
    mero 1.
    IIL OES.

    iti^a i
    1
    Vacante de-Mona erk,aideee cor
    deal mente s pessoas qne se dlgnaram assistir I
    ao funeral de seo presado pai o eapitao Vi I
    cente de Maraes Mello, e convdanos amigos |
    do floado assislirero a urna mista resada ,
    pilo mesmo na matriz da Boa-Vista no dia
    ro do correte s 8 horas da m -nbia.
    nico deposito de louga da
    fabrica .do Barbalho no
    pateo do ler^o n. 12.
    alegara jarros mnito -a*m (tiata, )arria*as
    para 4 e 5 canecas d'agaa, potes de 1 e meia cane-
    ca de agua, pelo preco mais barato do que todos :
    s pois no nico do pateo to Terco n. 12._______
    Aluga-se dous escravos, sendo um molecote
    para todo servigo; a roa da Cruz eseriptorio
    *" GiSiiASn,
    Aluga-se a casa da ra da Calcada o. 4o ; a
    tratar con Atwvett ft-IrttoSo a rna 'do Quelmado
    rreclsa-se'-fte' tima malher, honesta e
    I ramilla, nacional ou estrangeira, para casa de urna I g|jkgMaj|
    I senhora viuva ; cujo malcr servigo qne t^m a fa-
    zer, servir de oompaobia a done da casa ; a'
    tratar na roa 4a impmWi, ptimeiro andar do
    sobrado n. 1S.
    AVISOS DIVERSOS
    O abaiaoasstgoaoo convida os pareoUs e
    amigos do fallecido Dr. Ignacio Nery da en-
    seca, residentes na freguezia da Boa-Vista,
    para asslstlrem amanha (23 do corrente)
    dia annivBTsario do fallec ment do mesmo
    doutor, a urna missa pelo sen eterno repooso
    que se ha de celebrar, na respectiva matriz,
    pelas 7 boras da mantoa. *T
    Dr. Vicente Pereira do Reg.
    Aluga-se orna casa coas das* talas, qoatro
    Iquartos e cosinha.ua roa do Jusmim n. 16; quem
    a pretender dirija-se
    segando andar.
    a ra Velha sobrado n. 20
    Precisase de ora criado
    estrena do Rosario n. 10.
    escravo: a roa
    Os abaixo asslgoados autorisados por sen
    nnico credor Francisco Arves Monteiro Jnior,
    veodam a renacao n. 7 a roa de lionas; tratar
    na mesma.
    Moraes de Campos.
    Cosittheira
    Precisase de urna criada para comprar -e cosi-
    nhar : no estabelecimento da ra Nova o. 28.
    'Precsate de ama eesiobeira para casa de
    familia :a tratar,na,roa da Union. 48.
    O Sr. Francisco Xavier Cavalcanti Un*, ro-
    gado de novo e com urgencia a vallar a raa Bella
    n. 22smente Isto por agora.__________________
    Os SrsTManoel Rodrigues da Silva e Jos Pe-
    reira Santos, teem'eartas na raa da Madre de Deus
    armazem entre a botica e a igreja.
    Mudanza de jeesideacia
    Alloga-se urna escrava para ama de leite. O Dr. t\ Parteliat, medico opera-
    moca e muilo limpa-; arardo Raag andar.
    Beseja-se fallvr cem o Sr. JosCoraoibriDO
    de Araujo Piras senhor do engenho Castor ; m
    argo do Terco venda a, 4.
    ommissao administra
    A ommissao administradora da egrej de
    Nossa Senhora do'Resrto, da freguesia da Boa-
    Vi.-ta, tendo ha pouco recebido a Iraporlancia do
    beneficio da hteria extrahida em 18 de feverelro
    prximo passado, val jalar principio a factura das
    obras que tanto necassilaa mesma egreja, e sendo
    dentudo largo do Carmoapara a rna Nova n. 46,
    primerra andar, onde continua.a etercer sua pro
    Isso especialmente as molestias de olhos, das
    Eiallas-mdos^tMai das 6 as 10 horas da
    tHpiha. .J
    Chamadespor escri[jio na supradila casa ou
    a pharmacia (ranceza da mejoia rna
    O Sr. acadmico, filho do'finado Pedro Rodri-
    gues da Silva e da Exma. Sra. D. Gertrudes do en-
    a"quantia nsuhceiH^ roesmrparaTsTbVas"roais R^no Algrete, en S. Vicente do termo de Seri-
    urgentes, a commissSo pede aos devlps da vlr- nhaem tenha a bondade de d.rigir-se a roa Bella
    (em Santisiima do Rosario, e a todos raembros u.'22, das 4 horas da tarde em dtante, afJm de re-
    da respectiva irmandade que concorjam com anas ceber ama eocomi
    esmolas, a'fim de que a casa dedicada ao culto de-
    Ihe enviada do
    grapklco Pernambacano
    Haver sesso ordinaria quinia-feira 26 do cor-
    rente, pelas 11 hora* da maoba.
    ORDBM DO DIA.
    Recepcio solemne do Sr. Dr. Manoel Joaqaira
    Silveira, eamo socio effectivo do Instituto;
    Eaietww ejairtrahalhos de commissdes,
    hUiUlundiiWnllMmiia do Sr. .Dr. Rapuzo de
    ^linaMa^nunivomio de colleonstnar e organi-
    sar oa iiiaaimwtitniliWTirieos.
    aai nmili rntobaUrnta Archeologieo e beegra-
    phicoPernambucaBo-l de jolho da 1866.
    J. Soares de^Azevedo
    Secretario perpetoo
    Jos Pereira da CaohaU,
    bre Lisboa, raa da Cadea n.
    Filhos, sacam
    eseriptorio.
    so-
    Leillo
    HOafE
    Terca-feira 24 ao meia
    O agente Euzebio
    Aatorisado pelo Iiim. e Exm. Sr. desembargador
    Doria, vender em leilo publico asna chcara si-
    toada ao principio da estrada do Manguinbo,
    urna propriedada nobre e de grandes commodos
    para ramilla, alora de ora campo contendo muitos
    e diversas arvores de fracteiras escolhldas, baixa
    de capim e diversas pendencias ,ue sao precisas
    a ama easa de campo, e qae ao mesmo lempo
    perto da cidade, e em seguida ira' mais ontra pro-1>
    priedade situada na freguezia do Poco da Panella,
    em qne ltimamente oceupou o Illm. Sr. Dr. Car-
    neiro da Caaha, orna bella casa de campo, qae
    centm diversas accommodacoes para grande fa-
    milia, sao portanlo convidados os pretndanles ao
    previo exame, aflm de qae naqaelle dia e hora,
    aqaelle que melbor preco offerecer Ihe sera' entre-
    gue, tera' lagar o leilo a
    primeiro andar.
    ra da Cadela n. 55,
    LEILO
    DE
    10 pipas com viaho figueira
    . iio.ii
    O agente Pestaa rara leilo por conta e riscode
    quem pertencer de 10 pipas e barris com excel
    late viabo, marca acreditada da Figueira, a sabir
    da alfandega, terca-feira 24 do corrente pelas 10
    horas da manba, no largo da alfandega,_________
    i7i:ii vo
    De
    10 a 20 caimas com qneijos flamengos
    iio*ii:.
    O agente Pestaa far leilo por conta de qoem
    pertencer cerca de 10 a 20 caixas com qneijos Oa-
    meog )s o melhor que ba no mercado vindos pelo
    ultimo vapor : terca feira 24 do corrente pelas
    10 1|2 heras na porta do armazem do Sr. Aunes
    defronle da alfandega
    L.C2ILAO
    De 14 barrio com touelnho e 8
    eom chonrlcao.
    HOJE
    O agente Pestaa far leitlo por conta e risco de
    quem pertencer de 14 barris marca L, com touci-
    nbo e 8 barris marca M com chourlcas, ludo vindo
    de Lisboa oo vapor laglez QMialor, em asa ulti-
    ma viagem a este porto, e aeto vendidos em leilo
    boje pelas 11 oras da msMha na porta do arma-
    zem do Sr. Anoes defroate da alfandega.
    Liaro
    De appareiiosde loiea, pratos, chicras
    e pires
    Quarta-feira 25 do corrente.
    O agente Pestaa legalmente antorisado far lei-
    lo per conta e risco de qoem pertencer de S bar-
    ricas com apparelhos completos para jantar, 5 bar-
    ricas com ditas para aimoeo, proprlas para casas
    particulares, 10 barricas de chicras e pires e 12
    gigos com pratos fundos e rasos, lado ser vendi-
    do em lotes a vontade : quarta-feira 25 do correte
    as 11 boras no largo da alfandega._________^^
    Na ra das Crazes n. 42
    vende-se,
    Qneijos do ultimo vapor.
    Doce de goiaba em latas.
    Manleiga ingleza.
    Dita franceza.
    Cha de diversas qulidades.
    Vinho do Porto, Lisboa e Figueira.
    Gax em latas e garrafas.
    E outros mullos gneros por mais rasoaveis
    precos do qae em outra unalqaer parte.
    de
    Precisa-se ama preta escrava para servaos
    casa e roa: na roa Dirella n. 127,
    Precisa-se de
    Pires n. 24.
    urna ama de lelle : na roa do
    tora.
    Gabriel Felippe Jacmtho,
    Presidente.
    Manoel do Nasclmeato Rosas.
    Secretarlo.
    Jernimo da Matta Monteiro.
    Manoel Bauecdilo do Espirito Santo
    Canuto Basciano Ramos.
    Thftsou cairo.
    Precisa-se de 3:0004 a premio de 12
    cenlo ao anno sobre bypo,heeas de um sobrado
    oro andar e sotao na freguesla de Santo Antonio,
    cujo renda 504J> anauaes^anem quizar dar no-
    na ncie.
    matto. ^^_^^
    Justino Jos Baptista convida a todos os sus
    amigos e patricios para assislirem a ama missa,
    qae manda Uzer, na terca-feira 24 do correte, na
    matriz da Bea-Visla. pela alma do sea para .-ero-
    pre chorado pai o coronel Ernesto Jos Baptista.
    O mesmo agradece suromamente a todos os qne to-
    maran! parte na sua dor por to funesto e impre-
    visto, aconlecimenux__________________________
    Deseja-se aaber se existe nesta cidade ou fora
    deilao Sr. Alejandre Correa Dias, natural da villa
    Real de Traz dos Montes : na roa da Madre de
    por -Deus n. 18.
    preclsa-se alagar una aerara
    Que aaiba eogommar e cosiabar para casa de
    muilo pouca familia, paga-se bem : na roa da Con-
    cordn. 34, sobrado do arroaaem do Sol._______
    A jorHBeia v>Dia dis s C3mentoWS-' tj tal, e pertence classe ai s too:cos e des-
    obl|ues,.geiido empregaia co'|dtata-
    %*wcmn *s fel>r$ ia+aw.nHi'rrtls ijjcora-
    parlMKk barjb. Elkt tem sido applirada com incon-
    testavel prwreito contra a anemia ob 6bloro-
    se e hydropesia, catarreo da bexiga, e mes-
    mo pura combater a meastraafa difcil,
    resultado da taesma anemia ou chtortwe.
    extracto alooolico 'de jorabeba,
    Kroplastrc idem.
    Oteo idem.
    Ti|gra idem e idem.
    XOCopo idem.
    Pilul UdAsJlt ratto Mem.
    Deposio^phirimcia de Pinto, ia larga
    do Rr*arfofl7T). T
    JURttEBA AACliO .FfiMEA.
    Debaixo Jda'Menolnina^9o'(lejurubeba
    Dhnascem nos sitios arenosos!dorasil dous
    do mesmo genero, >obw nao do
    saeomosexo. Ambos oresceaucorn lindas e
    frondosas folhas, ambos prodose bagos
    gramneos reunidos a' maneira o^e cachos de
    uvas, pendentes de um pednculo curio. O
    prkoeiro, ieto >o taacbo, pesco .menor
    do qae a feaaea, apeoas creset- at altara
    de um bomom, tem fui has isonores, nao
    muito sinuosas, mas recortadas, com talos
    gaarmoiofi de algung'egpwho*.
    Has estnerardae'dos r amoRppodnzrpogue-
    nas flores como que juntas emorma'de um-
    bela, de cor lctea misturfida de aaoi oleste,
    asquaes retrosoatan exactaasroteturaa es-
    trella de oinco ngulos e consiam de urna
    j-t corla, modcdaila e como dividida em
    outros Untos tringulos, isanindoo cantro
    cinco estantes, ou (llmenlos, de maneira
    que ao longe tonj^r-se-hia por ama flor de
    borrag*em.
    O segundo, mais alto, mais .esptnhoso,
    tem folhas nniores, cuberas de pello pela
    parte inferior, elegantemente guarnecidas
    de espinhos, Tecortadas de um vefde tvo,
    tendo a mesma flor que o macho, porm
    mais nitida.
    Ambos, em virtode do uso qootidiati da
    medicina, sao bastante conbectdos as far-
    macias. Em verdade, suas folhas e onceo
    sao empregados para mitigar, como tempe-
    rantes, e curar as ferldas e ulceras, e mui-
    to favorecer a cura dabas. 'osto que as
    folhas e raizes tenbam um sabor amargo co-
    mo a cbicorea e a fumaria, -todava diflkil-
    mente poderiam ser c'assiflcadas entre as
    drogas quentes. Sobresae principalmente
    era virtude e eftleacia, e mais amarga a
    raz, com parriealaridade a do macho, ^ue
    consta de partes mni tenues. Por certo o
    rosimento deste faz despedir a ourinaretida;
    e applica-se muita vez com feliz resultado
    contra as obstrua;oes do figado e da prsta-
    ta em liuar das raizes apperientes. Sua urili-
    dade e excelencia sao taes, que nao s pelos
    doutos, mas tatnhem pelo povo rustico
    f roenradaje contemplada entre os remedios
    maravilhosos.
    (Traduzido do latim de Pisn e Marcgrave.)
    Smiclade Bella Harmona |ro
    A primeira partida da sociedade Bella Harroo- Prec|M se de nm meQQ0 portagU9I at
    hP- nos para caixeiro de urna loja na cidade
    a tratar na ra da Cadeia n. 35.
    ' VrSOS MMITIMOS
    TJOMPANflIA PERMAMBCAMA
    M
    Jiavestacao costeira oor vtpr.
    PABA
    Maeao. Araca^y e Ceari.
    o da 26 do corrente as S ho-
    ^Ip^^k ras da tarde seguir' para i
    Parabyba, Nlai,
    De vjliversos raofefs, om escravo pardo com
    offieio de cosinbeiro e bahnteiro e tratro
    de 40-ao os, crioalo, para tedo servlco.
    Cerdear* torteo
    par conta e ordera de ama pessoa qae se retira pa-
    ra tara da provincia far leilo de diversos trae-
    tes e os escravos cima mencionados, isto
    Quarta-feira 25 do corrente
    as 11 horas, no armazem a roa da Cadea do Re-
    cite n. 20.
    vapor
    [artios.
    portos cima mdicaoa o
    Parahyba, coramandante Martins.
    ___________^.i Recebe caria al o dia 25. En-
    commendas, passagelros e dinhelro a frete ateas 3
    horas da tarde dt da da sabida : eseriptorio .no
    Ferie do Matos n. t.
    LEILO
    De cerca de i 0 saceos com mimo.
    QUARTA FEIRA K DO CORRRNTB AO MEIO BU.
    O agente Pestaa tara' leilo por conta e risco
    de quem pertencer de cerca de 120 saceos com
    LOTERA
    JlOS CIOOOSOOO
    Corre segauda-feira 30.
    Acham-se venda na respectiva thesou-
    raria, i ra do Crespo n. 15, os bilhe-
    tes, meios e quintos da I* parte da i1 lo-
    tera a beneficio da cokmisacao polaca
    (74.a), sendo a extrajo no lagar e hora
    do costme.
    Os premios de 6:000^000 at fOjOOO
    serio pagos urna hora depois da extraccao
    ato as 3 boras da tarde, e os outros depois
    da distribuido das listas.
    As encommendas serio guardadas so-
    mente at a noite da vespera da extracto.
    O tbesoureiro.
    Antonio Jos Rodrigaes de Soaza.
    GASA DA FORTl
    Aos 6:000^000.
    Bllheteo earanldoa.
    A' RA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUMB
    Oabaixoassignadovendeunosseus mnitofeli-
    tes bi Ihe tes garantidos da lotera que se acabou
    de eztrahir, a beneficio da matriz de S. Jos do
    Recife, os segnlntes premios :
    N. 2902 meio bilbete com a sorte de OtfOOft.
    N. 162 tres qnintos con a sorte de 1:200#.
    N. 2048 meio bilhete com a sorte de 500J.
    N. 902 bilbete intelro eom a sorte de 200*.
    E outras maitas sortee de 106#, 40*, e 20*,
    Ospossuldores podem virreceber seus respec-
    tivos premios sernos descontos das leisnacasa
    da Fortuna i raa de Crespo n. 23.
    Acham-se a venda os da 1* parte da Ia lotera
    (74*) beneficio da colonisacio polaca, que se
    extrahira' aegonda-feira 30 do corrente.
    PRECO.
    Biltwtes.....6400
    Maioa......1*000
    Qointos.....1*200
    Para as pesstas qae eemprarem le iOO^OOQ
    para cima.
    Bilhetes.....0*800
    Meios......l#f0
    Quiatos. ,. 1**00
    Makqkl Mabtib Pibia.
    Qoem pergai-ata qer oaber
    Pergunta-se se existir' nesta praca oa na Ame-
    rica algum novo descubridor de machinas a vapor
    at boje anda nSoconhecidas de fazer pi a bolacha
    por aovo systama, qae deaeaar, Ootar-aa a farinha
    na machina o sabir pao bolacha arompto a aotrar
    ao (orno ; pois que as existentes botada na mas
    selra e tomada a massa pelo mesmo systema bra-
    Sl como as entras que nao tem maebmas, a vista
    s existentes nao vejo BeHnraaaaato no qne dit
    Itmpeza e aira por existir um ou outro padeiro que
    nao trabalbe com limpeu nao se deve quallflcar lo-
    dos, pois temos padarias qne trabalham com tanta
    liropeta como u qne trabalham por machina : isto
    desoja saber um padeiro que quer trabalhar por
    machina, mas com o meitoormenla cima.
    Cffl.padeiro-
    LOTERA
    O meio bilhete garantido n. 1902, aom a sorte
    de 6:000 foi vendido na (eiit laja da roa Nora
    n. 56.
    na estabelecida na casa n 5
    tera' lugar na noule do dia 28 do crreme mez.
    Roga-se pois aos Srs. socios, aojos cartSes da
    Ingresso anda nao Ihas tinham sido entregue, que
    os mandera receber na casa da mesma eoeiedade
    com a necesaria antecedencia.
    Boavealura Rodrigues de Amorim,
    Secretario.
    AO cofacrcio.
    Oflerecese um moco de 16 anuos de Idade e
    com algema pratica das haguas franceza e ingleza
    bem como do systema mtrico decimal, e qne nao
    pode continuar em sens estados, para cafxeiro de
    algnma casa commercial de grosso trato, quer
    nacional ou eatrangelra, afilaneando sua conducta;
    a tratar na lojaOe llvros do Guimares & Oliveira
    na rna de Imperador n. 84
    AUeiico.
    o
    Riga-se as autoridades noticiaos e capities de
    campo que apprehendaraa escrava gueda cora os
    slgnaes seguintes : mulata, idade 21 annos, alta,
    denles perfeito?, vesga e veatre um pouco eresci-
    do: quem a pegar leve-a a ra da Aurora n. 62,
    easa da Exm.* Sr.* baroneza da Victoria, que ser
    recompensado,protesta-s eom udo'O rigor dadei
    contra quem a,tiver-occnlta._________
    Qi
    14 an-
    do Ico:
    Precisase de orna ama forra ou captiva pa-
    ra comprar e costnbar para duas pessoas: na rna
    da Cadeia do "Recite n. 29, tercelro andar.
    O abaixo assignado teodo arrematado as di-
    vidas perteucentes ao espolio do floado Pedro de
    Almeida Guimares, participa a todos os deve jo-
    res do mesmo espolio para que dentro do prazo de
    15 dias, veubaro sati.-fazer seus debito?, visto qne
    passado eue prazo serao entregues ao procurador
    para se reeeberem judicialmente.
    Recife, 21 de jolho ie IS66.
    Jos Joaqtiun Gongalves de Barros.
    Narciso Irroo & C deixaram de vender des-
    de o Io do correle mez em seu estabelecimento
    na roa do Queimado n. 42, roupa feila em paiz
    lestrangeiro.____________^^_^_
    Montes
    O senhor morador de Uoa que deve 6* de bi-
    lhetes de lotera comprados a Ladislao a mais de
    5 mezes, naja de paga-Ios quanto antes, do contra-
    rio veri seu nome ueste jornal._______________
    Na~travessa da ra da Par u. 21, offerece-s
    orna mulher para cozinhar.
    Preeisa-se de urna criada forra ou escrava para pico n. 44.
    Trocam-se notas da* caixas flllaes do banco
    do Brasil, com descont razoavel: na praga da
    Independencia n. 22._________________________
    Precisa-sede nma mulher qae saibacosiobar
    bem para casa de pouca familia : na ra do los-
    andar com uro menino de um anno, sabir a passeio
    com elle e outro* e fazer. mais atOJOM servico ijue
    se ollerega a occasiao, de portas a dentro : na roa
    do Queimado n. 39, escaoa pelo largo de Pedro
    11, no terceiro andar.
    Precifa-se de nma eogommadeira
    da Cadeia do Recife n 31.
    na rna
    Manoel JosGuedes Magalhes com loja de
    fazendas na roa da Imperairiz n. 40, declara que
    em seu estabelecimento oa vende e nem nunca
    Aloga-se um sitio perto desta cidade com
    commodos -para orna grande familia : a tratar no
    pateo do Paraso o. 16.______________
    Aluga-se nm sitio em *. Jos do Mansruioho
    perto da igreja ; com grande casa de vivenda, co-
    vedeu" roana (alta astraagelra, e por isso o deca- estribaria chelra, qnartos para feltor e antas, Un-
    G\NBEBiZ\R
    uua Nov a 22
    loja de Car; eiro Vtaaaa.
    Acham se neste estabelecimento a' disposicio do cimento de mladesas e candieiros ajas, de Souza
    nesBerttvel ptftllco : Soares ^i Irroao, roa Nova n. 28.
    MaDDaS KBOCTaphiCOS -' Precisa-se de urna ama para casa de urna
    JUodaiinJaaui,^ s6 pessoa ; a'rn das Trtnchetras u. 17.
    ra em lempo. Recife 23 de julho de 1866.
    O baeharel tuiz Rodrigues Vfllates, pun-
    gido da mais vira dor peto allecimento de
    sua muit .presada mi 1). Eugenia Henri
    qoela Velloso de Oliveira Villares, convida
    os seus amigos e prenles, para assislirem
    | Tuissa que pelo repoosode sua arma, manda
    celebrar aroaoba qo^rla feira 25 da cor-
    paaotay polaa 8 horac, na-watriz dn Boa-Vista,
    e por to piedoso acto Ihes Acara' e e m-
    mente agradecido.
    que com bello banheiro, multas arvores de [rucios,
    grande balxa de capim a tratar no mesmo sitio
    com a dona a senhora viuva Carvaibo.
    Alaga tambem a mesma senhora um terreno
    grande propno para planta de capim, tendo sabida
    pela Capuana No-va._____________________
    Esta' justa e contratada a compra da taberna
    da ra de Hartas n. 16, se alguem liver alguroa
    reclamadlo a fazer dirija-se a mesma ao praso de
    tres Otes.
    ~KMA
    ma para c
    0.23.
    Grande notifiae"
    *
    Precisa-se de urna ama para casa de pouca
    milia ; roa do Crespo. 23.
    , > Msicas oationaes para piano* e caato, episodios
    da guerra do Paraguay, dedicadas at xercito e
    1 amBata bradtleira : vende-se b grande estahele-
    em grandes formatos.
    fachinas
    para as creancas aprenderem a andar e aos boas
    costamos.
    aioeiras
    eagenaossa, para apachar moscas, morlssocas e
    ralos. /
    Quadros
    A quem mteressar-ee
    Jos Coelbo Carbosa teuio ehegado a esta cida-
    de ande contlaua no exercicio de .ana pi oSsso,
    dedcase con especialidade a ensiaar a msica
    vocal, visto que se tem dado com solicltude ao es-
    tado pratlco de soa arte.
    O mesmo J. Coelbo Barbosa deiejando salisfaier
    a todas as pessoas qae quiterem utilisar-se do -seu
    representando a Enropa, e as principaes vistas da trabalho, presu-se tambera a qaalquer chamado
    Franca e Inglaterra.
    Moldoras
    doaraas para quadros.
    Servigo ooMBtico.
    Tornos de 8 linas de madeira para agna.
    Baldes amertcanosnpara compeas.
    Vassouras Ve palhas de arroz.
    Gamas de'ferro.
    Gaz.
    O verdadeiro .at llqaMo.
    Candieiros a gat.
    Prearos-para o mesmo
    Palacio de corista! portuense.
    Collee(dds de 30 vistas stereoscopcas do palacio
    de chrstal portnense; na ra Nova n. 10, loja de
    Carneiro Vianna
    Guerra da Austria com a Prussia,
    Cartas geographiras do theatro da guerra do an-
    da 1866; roa Nova n. 00, laja '
    para fra'aa cidade, podndo ser procurado na
    roa da Cadeia Nova n. 44, das 10 ae mel dia.
    Bei Matermis Leaz augO'
    komuiem.
    Ausgezeignoe Schiokeu und Schiack-
    warst, gruene gelbe gaaze uad gespaltene
    Erbsen, grosse weisse Bobtien, Hafergraet-
    ze, Buchweitzen-Groetze uad Graupea, alias
    wird in den billigslen Preison verkanft.
    iviaoai
    de Carnetro
    Na padaria de Swto Anuir de I.
    Leu,
    Vende-se arvllhas verdes e annrellis, ta*toOa
    teiras comopaHW, 0vfe(fOaaaeB>--8evadinha da
    diversas qulidades, dita de ava, ebegadas ultl-
    maaaaaMe.Mlo brigne haaovaruno CMharma. Oa-
    liiTiiia mi eacellente quaiidade.
    VIVA 0 PHOtESSO
    Ao systema mtrico decimal
    Ja nioguem ignora que o goveroo imperial adop-
    lou este systema de pesos e medidas e al ja as
    reparligoes militares por am aviso do ministerio
    da agricultura, c.mmereio e obras publicas nao
    comprara se nao por laes pesos e medidas. O r/o-
    verno den nm prazo aos particulares para terem
    lempo de se instrnirem, mas brevemente se acaba
    e enlo todos sero obrigados a regularem-se por
    estes pesos e medidas o que julgatoos ser de moita
    utilidade por ser esta medida lirada da circumfe-
    rencia do globo e por conse^uinte a nica, certa e
    mais exacta, BoalmeDle a duvida eslava em ne
    Iuvit taes pesos e medidas, porm esse mal ja'
    e>ta' sanado, ja' temos pesos e medidas tanto para
    secco C'iii para liquido, assim como pesos de fer-
    ro de 30 kil<'grammas al \\i hecto-gramma, de
    latao de 500 graromas al um gramma, para sec-
    eos desde i|2 hecto-litre at decilitro, para liquido
    medidas de estanbo desde um litre at o decilitro,
    assim como medidas de madeira para as lejas e
    medidas de extenco (treinas), de 20 a 50 metros:
    o nico deposito destes pesos e medidas na roa
    Nova n. 38, acude se vendem desde ja e se rece-
    ben) encommendas para dentro ou tora da pro-
    vincia.______________________________
    Va ra do Trapiche n. \ 6
    acham-se os seguintes depsitos
    le R. B ii n instila lis em Nui Is.
    Bourgogoe.
    Vrnho Porumard tinto.
    Cortn tiato.
    Santo Georges tinto.
    GbMMbertiU linio,
    i Rff behoorg tinto.
    > Cloo de Vougeollinio.
    > Chablis branco.
    DeH A. Waeftui Francfort:
    Rbeoo.
    Geisenbeiroer.
    Liebfraomilcb.
    MrcobrnnniT.
    Em casa de Tbeod Cbristian;en, ra do Tra
    piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil
    deBrandenburg frres, Bordeaox, encontraseef-
    fectivameme deposito dos artigos segointes :
    St. Julieo.
    St. erre.
    Lame.
    Chateau Loville.
    Cnateau Marga ni. *
    Grand vin Chateau Lafille 1858.
    Chateau Lahtte.
    Maat Sautwnes.
    Cbalean Sauternes.
    Chateau Lauur Blanche.
    Chateau Yquem.
    Cognac em tres qulidades.
    Azeite doee. Presos de Bordeant.
    A N404>IVAL
    Compauhia yerat hwpanhola
    oo seguros mutuos sobre a
    vida *
    Capital tlrstpipto at 18 de aliril de
    866. is. 12vtl2:i47$000.
    Cbegou pelo ultimo paque e (rancez Extremad*-
    re, D. Narcizo Francisco de Vidal, que na quali-
    dade de sub inspector da compauhia, esta' devida-
    meuteatttowsado para o desempenho de suas func-
    coes. Dedicando-se principalmente a fazer con-
    tratos de segnros, e augmentar as relac5es da NA-
    CIONAL dando a eooHacer as vantagens positivas
    que a mesma aprsenla.
    faspaceao doOistrioto (ra da Cadela n. 62), 6
    de juiho de 1866.
    rnsrJpcror,
    _ Jerouaoo JJ^aau^m Rujia de Oliveira. _
    Alugam-se dous acravos um para todo e ser-
    vico e mesmo farafcfislorrfr, e o outro para co-
    peira : a tratar aa rna do Hospicio n. o.
    GtTerece-#e urna pessoa para calxeiro ou para
    adiministrar engenho, quera do seu prestirao se
    I""1 ''ti'MaaMMavT*' rni ABin"n ____
    Alga-se
    orna aasii arta no Pnvoao dos Monies
    ,, com fcwao de pa-
    a tratar aa ra da
    povaado dos Montes
    aaaa qae salba cosiahar
    ma do Li vraaaanlo 4.4.
    I


    s
    , -..
    OUrl. e
    Terea felra 9 A te 4alftM te Mi.

    PASTILHAS
    VERMFUGAS
    martimos
    CONTRA FOGO.
    A companliia Iademoisadora, esiabeleci-
    da nesta praca, toma segaros martimos so-
    bre navios e seus carregamentos, e contra
    fogo em edificios, mercaduras e mobilias:
    na raa do Vigario n. 4, pavimento terreo.
    Attencao
    .Rogase a quera qaeira prestarse ao ensioo das
    materias exigidas para o concursa de offleial de
    descarga, a' saber : leitura, aaalyse etc, arithme-
    tica e suas applicacfos ao commercio, cora e.-pe-
    cialidade reducglo de moedas, pesos e medidas,
    calculo de descont, juros simples e corapostos,
    theoria de cambios e suas applicacSes ; deixe na
    typograpbte deste Dtatio o sea nome e o de sua
    residencia, para ser procuradlo.
    Muita attencao.
    No deposito de vidros a ra da Imperatriz d. 19
    concern se toda qualidade de loucas, vidros, por-
    celanas, alabastros, pedras preciosas e tambera
    todos os concertos concernentes a candieiros de
    gaz, garantindo-se a solidez dos mesmos, e por
    precos razoaveis.
    O Pcitoral de Cereja,
    DO DB. AYEB,

    V\l\\ A CURA r.ADICAI. E CER-
    TA (lo todas as molestias do poito
    e da SJSIganto, tosMS, constlp.ifjoes
    lironcliiu-, asma, dcfluxos, roqai-
    do, Coqueluche .ingina, Dipthcrla.
    Este xarops peitoral i o resul-
    tado de lougos anuos de estado
    por un ilos priuieros mdicos da
    Americp do Xorte, e de experi-
    encias uiuuciosas i:os principos
    hospitaes do mando; receitado pelos mdicos inais dlstlnctos
    deste seculo na sua clnica particular, portauto <; digno de toda
    confianza, 1*, por ser ejpcaz, alcaccando com urna certeza infal-
    ivel o assento da molestia e arrancando lhc as raizes, assim
    dando ao orgaos-affectndos urna aceao natural c su: 2, por
    scr innocente t applicaval a quaiquer pessa de qualquer idadt
    oh sexo, ao liomem robusto ou criauca da mala tenra idade,
    cada frasco sendo accompanundo de dirrecedes minuciosas:
    3", e Mimo, por na ser um remedio secreto, poli qualquer med-
    ico ou pharmaceutioo pode obter a formula da saa composicao,
    diriginde-ae pessoalmente ou por carta ao agente geral, H. M,
    LAXE, a ra Dircita No. 15. Kio de Janeiro.
    Mnitos casos que tinho zombado de todos os recursos
    da scicncia tem sido curados radicalmente com o uso do
    Peitoral de Cereja.
    As pessoas atacadas de tosse, defliyxos, Dr da garganta,
    Bronchite, asma, etc., c ostros symptomas da tsica prima-
    ria gcralmentc fazcm pouco caso do sen padecimento at
    que seja tarde para cura-lo. Nao descuidis d' nina tosse
    porque agora parece de ponca importancia ; urna tosse
    descuidada chega a ser chronica e induz a formaco de
    Tubrculos nos puimoes.
    Nenhuma casa de familia deve estar sem um frasco
    dste xarripe mfio ; pois nos ataques repentinos de
    Anilina, de Croup, e nos paroxismos do Coqueluche; ou
    tosse comprida a que esto sujeitas as enancas, nao ha
    tempo de chamar um medico, nem de faier remedios, e
    este xarope alivia inmediatamente e poe o lilho querido
    sao e salvo, fora de perigo.
    As molestias que esto ao alcance das virtudes curativas
    do PEITOUAI UM CERKJA HO
    Defluxos, Tosaes, Asma, Esquinencia, Bronchits,
    Coqueluche, Toase faria era convulsiva.
    Koquido, Todas as molestias do paito
    e garganta. Conaumpcao dos Ful'
    mes ou Tiaioa pulmonar.
    Acba-se em todas u Boticas e Drogaras do Imperio.
    MOTA YORK.
    DE COR CHEIRO E SABOR AGRADAVEfS
    Infinitamente mais efficazes do que todos
    os mais remedios perigosos enauseabundos
    que existem para a expulsio daslombrigas.
    Nao causam dores e prodazem seu effeito
    sem precisar logo depois de porgante ne-
    nhum e tloincitantes em apparencia e deli-
    ciosas em gosto, que ascriancas esto
    promptasa tomar mais do que marca a re-
    ceita.
    Uteis como um expeliente meio de fazer
    remover as obstruccoes do ventre, mesmo
    no caso de nSo existirem verme algum, as
    PAST1LHASVRM1FUGAS DE KEMPS S50 promp-
    tas einfalliveis na sua operacao e por todos
    os respeitos dignas deconfianca e approva-
    cao de todos os paes de familias. Prepa-
    radas nicamente por Lanman 4 d,
    Nova York.
    Deposito geral em Pernambuco ra da
    Cruz n.22 em casa de Caros
    Tnomaz Teixelra Bastos, vai para a Europa
    tratar de sua saude, e deixa por seus procurado-
    res : em primeiro logar a sea mano Domingos
    das .Neves Teixeira Bastos, em segundo ao Sr.
    Antonio Jos Leal Beis, e em terceiro ao Sr. com-
    mendador Antonio Jos de Castro.
    CONSULTORIO NEDICO-GIftlBGlCO
    DO
    DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO.
    MEDICO, PARTEIRt B OPERADOR.
    3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
    0 Dr. Lobo Moscoso di consultas gratuitas aos pobres todos os das das 7 as H
    oras da manhao, e das 6 e meia s 8 horas da aoite, excepcSo dos das santificados.
    Pharmacia especial homeopathica
    No mesmo consultorio ba sempre o mais appropriado sortimento de carteirai
    tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacOes e pelos precos seguintes
    Carteiras de 12 tubos grandes. 120000
    de 24 tubos grandes. 180000
    de 36 tobos grandes. 244000
    de 48 todos grandes. 360000
    de 60 tubos grandes. 35*000
    Prepara-se qualquer carteira conforma o pedido que se fizer, e com os remedioi
    que se pedir.
    Um tubo avulso ou frasco de tintura de nvia onca 1)9000.
    Sendo para cima de 12 custar~o os precos establecidos para as carteira.
    Ha tobos mais pequeos cada um a 500 ris.
    IXIROS.
    A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. JarS
    dona grandes volumes com diccionario >,........... 20tf0n
    Medicina domestica do Dr. Hering........... 10^000
    Repertorio do Dr. Mello Moraes............ 60000
    Diccionario de termos de medicina........... 30000
    Os remedios deste estabelecimento s5o por demais coahecidos e dispensam por
    tanto de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios
    verdadeiros, enrgicos e duradores: ha todo do melhor qu se pode desejar, globos de
    ferdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservacJo, tintura dos mais acredi-
    tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparado, e portanto a malo?
    onergia e certeza em seus effeitos.
    Casa de saude para escravos.
    Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qnalqnei
    operacao, para o qne o annunciante julga-se sufificientemente habilitado.
    O tratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica,
    fnnecionando a casa ha mais de quatro annos, ha mnitas pessoas de cujo conceito se ni(
    pode duvidar, qae podem ser consultados por aquellos que desejarem mandar sem
    doentes.
    Paga-se 2 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 10560.
    As operaces serio previamente ajustadas, se n2o se qnrzerem sujeitar aos precos
    razoaveis que costuma pedir o annunciante.
    ESTRADA DE FERRO DO RECITE A S. FRANCISCO.
    D i, de agastsijdel1866 at ootit avisd. a paHia ds trena de passa^eifs ser regulada tela tabella gegiint;
    SA O INTEHIOU
    ESTACOES
    Cinco Postas......
    Afogados .......
    Boa Viagem.....
    Prazeres .......
    liba.......
    Cabo .' .
    Ipojuea........
    Olinda........
    TimbAss......
    Escada...... .
    Frexeiras.......
    Aripib........
    Ribeirio.......
    Gameleira.....(chegada
    _ (partida.
    Cuyambuca .......
    Agua Preta......
    Una.......
    ututm de se-
    mana.
    kUHHAA
    ittb:
    8
    8
    8
    9
    9
    9
    10
    10
    10
    10
    11
    11
    1S
    12
    12
    i
    2
    30
    38
    S2
    24
    40
    20
    37
    55
    25
    45
    7
    30
    45
    5
    30
    TABDK.
    H.
    5
    5
    5
    5
    6
    6
    8
    25
    33
    15
    Domlofcns
    MANHAA
    H.
    8
    8
    9
    9
    9
    9
    10
    10
    11
    !'
    11
    12
    12
    30
    38
    52
    24
    40
    20
    37
    55
    25
    43
    2
    25
    43
    5
    30
    TABDI
    M.
    8
    ESTACOES
    Das de
    nana
    Una. .
    Agua Preta.
    25Cuyambuca.
    -v uujauuuta.
    ^Gameleira .j*
    15|Ribeir^...........
    chegada
    partida.
    Aripib..
    Prexeiras.. ..
    scada......
    Timb Ass ..
    Olinda......
    pojuca......
    Cabo.......
    _ liba........
    Prazeres.....
    # Boa Viagem ..
    Afogados .. ..
    Cinco Pontts..
    se-
    MANHAA
    DtimiiifjoN
    H.
    M.
    50
    8
    32
    40
    "AHHAA i aUHHAA
    H.
    11
    11
    12

    12
    1
    1
    1
    2
    2
    2
    3
    3
    3
    4
    4
    4
    I
    M.
    15
    45
    10,
    30)
    V
    Vi
    151
    33
    501
    18!
    30
    48
    12
    20
    34
    40
    H
    M.
    0
    18
    42
    50
    4
    10
    TARDS
    H.
    12
    1
    1
    fi
    2
    2
    2
    3
    3
    3
    4
    4
    4
    5
    5
    5
    M.
    45
    10
    32
    50
    10
    30
    50
    20
    38
    55
    10
    35
    53
    17
    25
    39
    45
    G. O. Mann, superintendente.
    TINTURARA
    AO GRANDE S. MAURICIO
    PROCESSOS %ll IU I iro \IH>*
    PARA v
    Tingir. Ilsnpar e Issiatrar a vapor.
    BOTICA E CONSULTORIO HOMEOPATHICO
    DR. SABINO "o. L. PINHO.
    fina Nova n. 43 (loja de marmore.;
    A experiencia tem demonstrado com a maior evidencia qne os medicamentos homeopaibicos
    preparados por meio do agitador dynamico sao os qne desenvolvis accao mais prompta, mais segara
    e mais efflcaz
    E' sem davida pelo conbecimento desles resultados qne constantemente recebe esta botica en-
    commendas do Rio Grande do Sal, do Rio de Janeiro e da lidl.u, spezar de havtr nessas provincias
    mui bem sortidas e acreditadas boticas, d'onde se poderiam tal vez obter remedios mais baratos, alten-
    dendo as despezaa de porte.
    A segoridade daaccao dos medicamentos assim preparados se manitesta at mesmo qaando os
    glbulos se acbam rednzidos a massa.
    Boticas de 24 tubos.....18,5 a 20J
    > de 36 tubos.....25* a 30#
    > de 48 tobos.....35 a 40*
    > de 60 tobos.....45* a 50*
    Caixas de medicamentos em glbulos e tintoras.
    De 24 tintaras e 48 tobos. 60* a 70*
    36 i e 60 tobos. 75* a 8 j*
    48 e 88 tubos. 95* a !00
    60 e 110 tobos. 115* a 120*
    Vende-se igualmente o THESOURO HOMEOPATHICO, obra essenclalmente popular pela clareza
    com que ensina a conhecer as molestias e a empregr jos remedios (2* edicio) 20*000.
    O Dr. Sabino O. L. P. d consultas todos os dias uteis desde 11 boras da manba at 2 da tarde.
    Das 2 horas em diante visita os enfermos era seus domicilios.
    Em casos urgentes e repentinos as consultas e visitas sero feitas a qualquer hora.
    As consultas por escripto sero respondidas com a mafor brevidade, precedendo sempre o tem-
    po necessario para maduro ezame e reflexao.
    F.A
    29 Ra 7 de setembro 29
    Defronte da raa iva da Oavidor (Rio de Janeiro)
    Os proprietarios deste estabelecimento, o primeiro no seu genero no Brasil por
    trabalhar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que se faz uso na
    Europa, e ajudados por alguns dos melbores officiaes de Paris e Ly5o, podem assecn-
    rar a seus freguezes urna perfeito nw trabalho, a qual senSo pode chegar pelos oroces-
    sos ordinarios. *Z F
    Tingem, lavam, limpam e demofam com a mai ir perfeic5o e brevidade qualauer
    qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem molhar as sedas e as vestimen-
    tas de senhoras e de homen*.

    ^^^sSXt^

    LOJA DA FRAGATA AMAZONAS
    n. 5 Ra do Quemado n, 5.
    F
    FABRICA PVACIO Ali VAPOR
    99 RA DO MONDEGO 99
    Deposito principal na rna Nova n. 50 loja de relojoeiro.
    Delouche dono deste estabelecimento partecipa ao respeitavel publico que tem
    montado urna machina de fazer gelo, e que sua fabrica de chocolate poder funecionar
    sem ioterrupeo, e para mais facilitar aos Srs. compradores de chocolate tem organisado
    um servico de carro, que andar em todas as ras da cidade, os compradores poderlo
    chama-lo.
    de rnniSS. i^ eS' Part,clPan] a todos os seus amigos efreguezes, que recebem
    obie?toS iffStf EmKI08 ( VapreS da/ur0pa' graDde e variadissimo sortiicento de
    corr^nnndPntS n h V?" a,dorn8 proprios Para casamentcs, pois questus
    m2^?SrilSiSS'a2?llS eLondres. naesclha de taes mercaderas tem
    merecido approvacao aas encantadoras Pernambucanas.
    as mtmJZSSiSfi deKrecebr Pelo ultimo vapor grande variedades de sedas de todas
    JmwiS Ltt r bKm recebe pcr lodos os vapores luvas de pellica, (do afamado
    Slfhnrd^nf4?m.hbarra!, ^^ de graDde novidade na Europa, vestidos de
    de esmrSSn t?"*' % de ?"# t0D' dilos de PPeIina muito chiques, ditos
    fonda?Sp Xf (gHT ?1% rTss,mos cortinados bordados a ponto de c/ochet, ro-
    iod nentl' J*i *& ,ta8 de alod3' ^ales de guipour de seda, e de al-
    Snhaf! milhfc S' 9* &1*) enfeites para ditos, manguitos bordados e
    SEfdS S h3S dlUs'transParentes para jaotllas com mui linus paisagem, pre-
    riL^SfSnSJBS: l padr?S;. Chapos de Palha enfeilados P* melhoresflo-
    hnrSadn f S tJ? T'S bordados fiws de differentes larguras, riquissimos cintos
    S dltSl r'f. chlDe,zas. (bordado namesma fila) baloes de basteas d'aco ameri-
    de l a,Zt Trt L,nK- tapee, Para guf nic3 de salas Padr5es muitobellos chapos
    lHara p, daPa"seDhoras' dllos Para homem, enfeites imperatriz Eugenia, ditos
    m nhSa?SiT f? .S Per,enCeS para raeninos de escolla, saias bordadas
    hraia 2 rZ '/Si ^ bordadas Cgosto novo) chitasescuras e claras, madap^oloes, cam-
    dnneirn I, f/f/ MfS de ^Pete para viagem, ditas de vaquetas para guardar
    e tabecimento S qe e Vendem por menos pref0 qne em ou*ro GASA DE BANHOS
    26 Pateo lo Caroso 26.
    Neste estabelecimento tao irapor- >
    tante para a saude e asseio do cor- I
    po, acham-se montados 20 banhei-
    ros, que sao servidos com a ordem Wk
    e asseio que para desejar-se. Qua- 1M
    tro destes banheiros sao especial-
    mente reservados para senhoras e
    por isto acham-se collocados em lu-
    gar reservado, aonde s tem entra-
    da as pessoas de urna mesma fami-
    lia.
    PREQOS DE BANHOS AVULSOS.
    i banho fri, morno ou de
    chovisoo...... 500
    1 dito de choque .... 0OOO
    i dito de farello...... 10000
    i dito aromatisado 10000
    PRESOS POR ASSIGNATRA.
    30 banhos por mez fri,
    morno ou dechovisco. 100000
    25 banhos com cartoes pa-
    ra os mesmos .... 100000
    12 ditos ditos ditos 50000
    12 ditos ditos de choque. 100000
    12 ditos ditos de farello.. 100000
    O estabelecimento estar aberto
    nos dias uteis das 6 horas da ma-
    nba as 10 da noite, nos dias san-
    tificados das 5 as 5 horas da tarde.
    Samuel Power Joliuston Companliia
    Ruada SenzalaNova n. 4.
    AGENCIA DA
    FundlcSo deLow Hoer.
    Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
    Moendas e meias moendas para engenho.
    Taixas de ferro coado e batido para enge-
    nho,
    Arreios de carro para nm e dous cavallo*.
    elogios de o uro patente inglez.
    Arados americanos.
    Machinas para descarocar algodo.
    Motores para ditos.
    Machinas de costura.

    Riquissimas fivellas de chrystal para cintos.
    Meios adereces de chrystal (novidade.)
    Cintos muitos ricos, etc.
    Perneiras de guthaperche para chuva.

    PRECO.
    Meia libra......... 400
    Urna libra......... 800
    Urna arroba........ 190000
    GELO
    As pessoas que quizerem gelo para soir ou bailes, podero dar suas encommendas
    ao caixeiro da casa, ou na ra Nova n. 50 aonde tem um deposito As pessoas mora-
    doras nos arrabaldes da cidade querendo levar gelo pela manha, po;ler!o deixar um
    caixo na taberna junto ao porlo da fabrica, que acharo na volta suas encommendas
    promptas.
    Na mesma fabrica lazem-se cadeiras franceza de todas as qualidades, e vende-se mais
    barata que aquellas que vem da Europa.
    WHftft%k

    J.
    O NOVO DESTINO
    DO
    Pilulas Catharticas do -Dr. Ayer
    .CTJEAO
    PrUao de vetare. Indio***, Cotutipaeao, Mkeu-
    matiimo, Hemmorrkoidat, Dir de cateem, A XevreU-
    gia, mal do eetotnmgo, F.nraqueca, ntal do Tigado,
    Gastrlte, Pebre gaetro-hepatieei, Zombriaat. JEryHp-
    ella, Uffdropiia, Incremento da boee.
    Toda* as laelettia que pnrm do ao exsetslro do
    Quddo.
    0 melhor purgante at hoje conhecido.
    Estas pilulas assucaradas too puramente vegitats.
    PTTBGO X FXmciO SEM KimCTTEIO.
    A venda em toda os Boticas e Drogaras do Imperio.
    AOEJfTE HEBJX.
    E. M. ZtcUnS, Boa OiMito Wo. 1,
    Bio de Janeiro.
    Vende-se em Pernambuco:
    na
    DE
    VIGNES.
    M. 55. RA DO IMPERADOR !. 55.
    pianos dest aot.ga fabrica sao hoje asss conhecidos para que seja necessario (asistir sobre a
    ,ua supenorldade, vantogenae garantas que oferecera aos compradores, qwSSd^to r^Sl!
    :rJl^lldfJl^T ^^^< R iS <- PVr^nL^aVraS^.
    s vontades e caprichos das pianistas, sem
    SSM' PuSereJn .fabrifados de Proposito, e ter-se Mt.i ultiniaroenterm'emo7amen7o7m"DoVtr^
    gS oKslTaSXe.1 ^ &> *" -d> l -S"S5S-
    Faiemse1 conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr Blondel de Pari snin
    orrespondente de J V.gnes, em cuja capital for.m sempre prem.ados emr?odas a TipsicSes '
    JSJSlUWa^^ "rt* sorUmeno'deScas dos
    nelhores autores da Europa, assim comt
    precos commodoae raioavels.
    sempre premiados em todas as exposicSes.
    im explendi,!,. e variado sortimento de mas.
    Heos e pianos harmnicos, sendo todo vendido por
    Joao da Silva Ramos," medic
    pela universidade de Goimbra, d J
    consultas em sua casa das 9 as
    H horas da manh5a, e das 4 as 6
    da tarde. Visita os" doentes em suasl
    casas regularmente as horas para j
    isso designadas, salvo os casos ur- |
    gentes, que sero soccorridos em j
    qualquer occasio. D consultas aos
    pobres que o procurarem no hos-
    pital Pedro il. aonde encontrado
    diariamente Jas 6 s 8 horas da
    manha,
    Tem sua casa de sade regular-
    mente montada para receber qual-
    quer doente, ainda mesmo os alie-
    nados, para o que tem commodos
    apropriados e nella pratica qualquer
    opperaco cirurgica.
    Para a casa de sade.
    Primeira classe.. 30000 diarios.
    Segunda dita___3500 >
    Terceira dita .20000
    Este estabelecimento j bem
    acreditado pelos bons servicos que
    tem prestado.
    O proprietario espera que elle
    continu a merecer a confianfa de
    [que sempre tem gozado. 1
    wsysa
    PHARMACIE FRANCAISE
    deP.MAURE1UC,e!
    RA NOVA N.
    23 Largo da Terco 23.
    Joaqoim S. des Santos, dono deste bem softido armazem de molhados, participa
    ao respeitavel publico, e principalmente aos amigos do bom e barato, que est resolvido
    a diminuir os seus gneros por muito menos do que em outra qualquer, por tanto espera
    dos seus amigos e collegas que veobam comprarem a primeira vez para saberem a gran-
    de differencia do que se fosse comprado em outra qualquer parte, por isso fago annuncio
    de alguns gneros e por estes podem regular os outros.
    Cerveja de diversas marcas a 500 e 560 rs. a garrafa, e a 5,500 e 60 a duzia; vi-
    nho de todas as marcas F. S. E. P. a 4oo, 440 500, e 640 rs. si garrafa e a caada a
    30500 ; caf do Rio das melho es marcas a 220, 240 e 280 rs. a libra, e a 60, 70, e
    70500; a arroba manteiga ingleza de primeira e segunda sorte a 800e 900 rs. a libra; fras-
    queras com genebra de Hollanda e hamburgueza a 60 e 0500; manteiga franceza de pri-
    meira e segunda sorte a 560 e 600 rs. a libra; cha de diversas qualidades a 10800, 20,
    20500 e 20800; arroz pilado de primeira sorte a 120 rs. a libra e a 30500 e 30800 a
    arroba, gaz americano a 440 rs. a garrafa, e em latas a 100 ouduas por 190500; fras-
    queras de genebra da Victoria a 100500, e o frasco a 10; queijos do reino recebidos por
    todos os vapores a 20 e 20200; papel de linho a 40 a resma e azul e branco a 20;
    sabao de diversas qualidades amarello e maca a 200,220 e 260 rs.; a libra sardinna de Nan-
    tesem quarlos a 400 rs. cada urna e em porca"o a 360 rs.; copos lapidados a 50 a duzia
    e a500 rs. cada nm.
    Alm destes gneros ha outros muitos qne seria enfadonbo anunciar e quem
    duvidar venha ver.
    a\<
    Sola de lustre
    grande e sem defeito para acabar a 160000
    45-Ina DireiU-45
    Na roa do Imperador b. 17 precisa-
    ama criada eogommadeira e ootra eoiinlufts
    de
    Pede-se ao Sr. Feliciano do Reg Barros qae
    est trabalbando na estrada de Beberibe, qae ve-
    aba restituir o qae tomoa emprestado na raa do
    Padre Floriano n. 71.
    Desejase fallar com o Sr.
    Patriota a negocio qae o mesmo nao
    pateo do Paraso n. 10.
    *
    OPERACdES
    DE
    OLHOS, OUVIDOS E DAS VAS OURINARIAS
    lsrsos!,is,?r-*'-4,"rt enMn,raV >Js -^^
    fimMn rrpm,e ff en/enh0S n8tru.meto de dilatacao uretral, e pelo systema do
    nt i Dr- RTaUge Cura ,n,sl*ntaNmente os estreitamentos do canal da
    n IlJ ? metbcdo seu collega e amigo o finado Dr. Peixoto, e depois durante os quatro mezes da sua estada
    na upitai da provincia de Minas, onde o Dr. Ramaug operou quaiorze enfermos que
    acnam boje no mesmo estado de desembarace que no dia da .operacao; ador to
    pouce que mitos n5o presuraem ser operados, quando j est desobstruido o canal.
    os jornaes da COrte e depois o jornal Minas Geraes do anno passado tem pubh-
    il n gran numero de curas tanto de'olhos (operaces de cataratas e de pupilla
    aruneai) como de estreitamentos do canal da uretra, effectuadas pelo Dr. Ramaug.
    convida elle portauto as pessoas que precisarem recorrer ao seu limitado prestimo, para
    apresentarem-se quanto antes consulta-lo. Cura tambera varias desformidades do corpo
    _____taes como, ps tortos, olhos vesgos, beico rachado, etc.
    Joaqoim Pedro
    ao ignora: no
    Ni praca da Independencia n. 33, loja de
    onrlvea, compra-te euro, pratt, e pedras preciosas,
    e tambem se fas qualqaer obra de encommeada, e
    todo e onalqqer concarf).________________'
    Alaga-se ama pieqaeni casa < ,m z quarfos,
    uintal com cacimba., por 101 men-aes : na roa
    lo Gaiometro confronte ao porlo da fabrica do
    I gaz, lado lateral.
    3:
    Chapeos de manilha branca
    a 140,160. J80 e200.
    Na praca da Independencia n. 24 e 56.
    Da-se gratuitamente morada a quem qaeira
    botar seotido a um pequeo sitio ua cidade de
    Olinda : a pessoa que quixer dlrija-se a raa de
    Agoas Verdes n. 5.
    FAC SIMILE D'ETIQUETTA COR UE ROSA
    100 carlile's
    PAISLEY
    Os Srs James Carlile, Sons & C, Bankend Mills,
    Paisley, Scolland, teem a honra de chamar a atten-
    cao das consumidores de linba em novetlos, que el-
    les obtiveram medalhas de premio das exposiedes
    de Paris e Londres, por suas excedentes linhas pa-
    ra coser, e qu?, lodos os noVe.los feilos por elles,
    para este mercado, tem no fim de eada maco, urna
    etiquetta branca, na qual acba-se gravado o nome
    da firma era cheio, ama vista da sna fabrica, assim
    como desenhos das cima mencionadas medalhas,
    e qoe cada novello tem urna eilgoeiia cor de rosa
    com o numero, e as palavras Carlile's, Palsley, e
    tambem, qae qualquer linha de Tamboor. manda-
    da a este mercado, traiende outra quaiquer etiquet-
    ta do qae cima mencionada, nao de sua propria
    fabrica.
    Soutruil, Mello- & C., aicos agentes em Pernam-
    bnco.
    Helior, SooUiall A C, rico agente na Bahia
    mmmmmmmmmm im
    Companhia ndehdade de seguros
    maritimos e terrestres
    estabelecida no Rio de Jaueiro.
    AGENTES EH PERNAMBUCO
    Antonio Liiz de Oliveira Azevedo k C,
    competentemente autorisados pela direc-
    tora da companbla de seguros Fidelida-
    de.tomam seguros de navios, mercado-
    ras e predios no sea escriptorlo ra da
    siisgsaaF
    ajsj ur. Urollno Franeisco de Lima San-
    M JP8 contina a morar na ra do Impera-
    dor n. 17, segundo andar, tendo alias sen
    gabinete de consultas medica, logo ao
    entrar, no primeiro.
    O mesmo doutor, 'que se tem dado ao
    estado tanto das operaedes como das mo-
    lestias internas, presia-se a qualquer cha-
    mado, quer para dentro quer para fra
    da cidade.
    .
    s
    Precisa-se
    De um caixeiro na nadara da raa Direita
    ti, que d conbecimento de oa conducta prefe-
    rlndo-se ura qae lenha pratica t tal negocio


    DUrlo de # eraamlmco jrertja leira 4 de lulho de ifitt.

    K
    ?


    Atten$o.
    Precisa-se de mu caueiru com capacidade para
    tomar conu de neo* taberna : na raa do Apollo a.
    43, armatem.
    Fugio honteri um mulatiobo de 12 annos
    com os sigaaes spanles : cor clara, cabellos pre-
    tos corridos, quaudo faila prooaacia alf amas pa-
    lavras mal, levos vestido calca de la escara com
    lis tras, camisa de meia e outra por cima de risca-
    dinho de listra larga aiul escara, mangas de risca-
    do dlfferente, chapeo de palba preto ja' roto: quera
    o pegar leve-o a roa do Sebe n. 16, que ser' bem
    recompensado.
    COMPRAS
    libras
    Compram-seHO escriptorio de Antonio Lalz de
    Olivelra Azevedo & C, roa da Crui n. i.
    VENDE-SE
    * araaun de M. I. Hanoi e Ilv* 6 Ceare, rna do Vlgarto
    Vil, constan temen te, oaiegnlntes artigo*, ne
    recebe ni por encomnienda proprla de
    IEW-YORK.
    Legitima salsa parrilha de Bristol, preparada por Lanman Kemp.
    Verdadeira agua Florida, preparada pelos mesmos.
    Gax em latas de cinco gales, o mais purificado que se pode desejar da acredi-
    tada marca F. W. D. & C.
    Relogios perfeilos reguladores, com corda de quatro a oito dias, dos afamados ra-
    bricantes E. N. Welch.
    Graixa em latas grandes da bem conhecida marca las. S. Masn (de Pbuadei-
    pbia).
    Onro e praa.
    Km obras velbas : compra-s na praca da ln
    dependencio n. 22. loja de bilbetes.
    Compra-se onro, prau e pedras preciosa
    em obras velbas : aa roa da Cadeia do Recite
    cja de onrves no arco da Conceico.__________
    Compram-se libras sterliaas: na praca da
    Independencia n. 22.
    Comprara se doas Boargains em segunda
    mi: na raa nova, escriptorio de Qointeiros &
    Aya.
    Libras esterlinas.
    Compra-se na roa do Crespo n 16 primeiro an-
    dar.
    Compra-se
    ama escrava qne seja boa Agora e que saiba bem
    engommar, nao ezcedendo de 25 annos de idade,
    e paga-se bem : no escriptorio de Vicente Ferrei-
    ra da Costa & Pilbo, roa da Senzala n. 138, on em
    sen armizem junio ao arco da ConceicSo.
    Compram-se moedas de 204 : na roa do
    Crespo n. 16, andar._________________
    Superior oleo para machinas de costura.
    Agulbas para as mesmas.
    Breu em barricas grandes e pequeas.
    Vende-se tambem:
    BORDEAUX
    4.a jnalieade.
    [St. Estephe.
    St. Julien.
    C. Margaux.
    C. Lafitte.
    I Medoc.
    PORTO
    1* qnalidade,
    Vinho fino do Porto embarris de 5/, 10/ e 20/.
    Superior vinho doRheno.
    Cera de Lisboa em velas e em grume.
    Principe Real.
    Pedro V.
    Maria Pa.
    Princeza D. Isabel.
    Vctor Emmanuel.
    Duque.
    Malvazil.
    w
    Compram-se moedas de 165 e 204 e libras
    sterlinas : na roa do Amorim n. 41.
    VENDAS
    NOVA LOJA
    RA
    ENCICLOPDICA
    DA IMPERATRIZ ARMAPEM
    PORTA LARGA N. 52,
    iiioto a padarla franceza
    DA
    DE
    Paredes Porto.
    Neste estabelecimento encontrar o res-
    peitavel publico um variado sortimento de
    fazendas francezas, inglezas, suissas e ali-
    ntaos, que se vendero por prego commodo.
    brande armazem de fazenda e
    ronpafelta, rna da Imperatriz
    n. 58. arnaazem da porta larga
    Neste estabelecimento encontrara' o respeita-
    vel publico um completo sortimento de roupas de
    todas as qoalidades e preco commodo. como se-
    jam : paletots de alpaca, de merino, de bombazi
    na, panno, casemira, preto e de cores, calcas de
    todas as qoalidades, colletes de diversas quaiida-
    des e pregos commodos, cbapeos pretos francezes,
    fazenda de 10$ a 64, ditos de sol de alpaca e seda,
    sobretodos de panno proprios para viagem a 114,
    meias croas de boas qoalidades e precos commo-
    dos, e ouiras mailas fazendas e roupas feitas, que
    se vendern maito barato : uo armazem da porta
    larga n. 52.
    600 rs.
    Adnilraveljpeclueha.
    Camisiohas de cambraias a 600 rs. para acabar :
    a roa da Imperalriz n. 52, armazem da porta lar-
    ga junto a padaria franceza.
    Casemira
    Vende-se casemira de cor a 44 o corte : na ra
    da Imperatriz n. 52, ionio a padaria frioceza.
    Bal5es
    Vende-se baldes (crinolinas) de todos os tama
    nhos a -2 e 24500 : a ra da Imperatriz n. ol-
    anlo a padarla franceza.
    ummu
    A DINHEIRO
    NA LOJA E ARMAZEM
    PA y A o
    Ba da Imperatriz n. 60
    DE
    GAMA k SILVA.
    Tendo os proprietarios deste grande estabeleci-
    Orabraias brancas,
    Cea 8 palmas de largurac
    S na leja do pavio.
    Vende-se cambraias brancas transparentes tendo
    8 palmos de largura, on duas larguras das regola-
    res, que acelita fazer-se um vestido apenas com 4
    vara*, e vendem-se pelos baralissimos precos de..
    1*000 reis, e 14*80 a vara, nicamente na loja e
    armazem do Pavo, roa da Imperatriz o. 60 de Ga-
    ma i Silva.
    Baldes baratos
    Vende o PavSo.
    Cbegoo om grande sortimento de balSes de ar
    eos sendo americanos qae sao o meihores e vea-
    dem-se pelo bamtissimo pieco de 24300, 34 e
    3^500: na loja rio Pavo na roa da Imperatriz n.
    60, de Gama 4 Silva.
    Hretanhas de rolo a 2,5800.
    Vendem-se pecas de bjelanha de rolo tendo 10
    ment resoivido diminuir o grande deposito das viras cada peca pelo baratsimo preco de 24St0:
    fazendas qne lem na sua loja e armizem, promet- na loja e armazem do Pavo na rna da Imperalriz
    (em vender mais barato do que em outra qaalquer o. 60, de Gama & Silva.
    HIEDAS MMW
    tu RA DO QUEMADO W. !*
    Madapolo.
    Finas pecas de madapelao com 20 varas a 9$.
    LENQOS,
    Lencos de cambraia branca, duzia 24.
    dem de cores xas para meninos, duzia 2400.
    Cambraias.
    Cambraias de cores a preco de 260 a 300 rs. o covado.
    uardauapos.
    Guardanapos de linho, duzia 36500.
    Algod&O.
    Algodo trancado de duas larguras, proprio para toalhas de mesa, a|preco de
    ,0300 a vara.
    Bramante.
    Superior bramante de linho inglez e francez.
    Cambraia de linho propria para lencos.
    ATOALHADO.
    Atoalhado branco para mesa a 14600 a vara,
    Entremeios de cambraia moito finos, preco l<5.
    Lencos de seda para algibeira a 14600,_____________
    ~~ i^iMas"-americaas
    verdadeira do fabricante \. Y. Canttongln C.
    loinbos americanos pira moer milho.
    Na ra Nova n. 20 e 22, grande deposito
    das-verdadeiras machinas americanas de todos
    os fabricantes; se encontra neste deposito
    grande porcao de machinas, e se vendem por
    menos preco do que en outra qualquer parte,
    por se receber em direitura da America; se
    fornece todas as explicaces necessarias ao
    comprador para conservado das mesmas;
    ppste graode estabelecimento se encontra mui-
    t->s arligos americanos, que muito deve agra-
    dar aos agricultores que usam de taes artigos,
    e.icontra-se tambem todas as colleccoes de de-
    senos sobre os quaes se aceita qualquer urna
    encommenda, que com promptidSo ser ejecu-
    tada; neste grande estabelecimento, encon-
    trare em grosso e a retalho, grande porcSo
    de ferragens, e miudezas que se vendem por preco commodo, pedindo-se a attenco
    de todos para este estabelecimento que muito lucraro em fazer suas compras
    ra Nova n. 20 Carneiio Vianna. ,.- ..-., ~;.'.: -.. _______
    parte, com o flm de apuraren) dinheiro e cada vez
    mais agradarem aos 6eos numerosos fregoezes,
    portante Ibes offereeem nm grande sortimento de
    fazendas ioglezas e francezas, as quaes venden)
    por atacado e a retalbo. Compromettendo ae a
    mandar levar qualquer fazenda em casa dos fre-
    goezes, que nao poderem vir a loja, ou mandar as
    amostras deixaodo ficar o penbor, assim como
    convidan) as pessoas que negoceiaiu em menor
    escalla que neste estabelecimento encontris um
    grande sortimento, vendendo se-Ihe apenas pelo
    preco que comprara em primeira mi as fazendas,
    ganhando-se apenas o descont, sendo a dinheiro
    a vista.
    As graiadiuas
    Na loja do Pav5o.
    Cnegaram pelo ultimo vapor da Franca aa mais
    Modas cambraias transparentes, granadinas, sendo
    com os padroes de listinbas e flores, conforme se
    naam ltimamente as prlncipaes cidades da Eua
    Grande yecklncka
    em diales a 44 na loja do PavSo.
    Vende-se bolsimos chales de merino lisos com
    franjas largas de retroz tendo as ceres seguales :
    encarnado, azul claro, azul escuro, verde, cor de
    canoa, solferino, magenta, branco e rio etc.. esta
    fazenda vende-se sempae a 6 pela sna boa qoali-
    dade e agora liquidase pelo baratissimo preco de
    44 por ler grande porcao: na loja e armazem do
    Pavo na roa da Imperatriz n. 60, de Gama &
    Silva.
    A 44 pechincha em chales de renda na loja
    do Pav5o.
    Vende-se chales de renda p-eto* tendo 4 ponas
    e sendo muito grandes pelo baratissimo preco de
    4J, dites de renda de seda a 8* e 10* : na loja do
    Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
    Silva.
    Para m5o
    na
    1#500
    ntremelos.
    Vendem-se pecas de entremeios cora 12 varas a
    1*300 : a ra da Imperatriz n. 54, porta larga.
    Chiles de renda a 44
    Vendem-se chales de renda pretos, fazenda de
    boa qualidade, a 44 por ter porcao : armazem da
    porta larga a. 52.
    Reten das e bou mus.
    Recebeu ltimamente ara sortimento de retondas
    e bournus de seda e de algodo por barato preco,
    sonlembarques de grosdenaple, capas e manteletes
    por precos commodos : armazem da porta larga
    n. 52, ra da Imperatriz.
    Cambraias lisas f as.
    Grande sortimento de cambraias lisas, que se
    vendem a 3*, 3J500 e 4, dita maito fina Victo-
    ria a 54 e 55500, corles de tarlalana de bonitos
    gostos a 3*500 e 44 : ra da imperatriz n. 52,
    junto a padaria fraoceza, armazem da porta larga.
    Rices cortinados.
    Rico sortimento de cortinados bordados de boni-
    tos desenhos a ij, 2*500 e 30, e de otras qoali-
    dades para 9 mesmo fim : 00 armazem da porta
    larga n. 52, na na da Imperatriz.
    ttrosoVnapIt preto e > cor
    Vende-se grosdenaple preto e de cor a ftoOO,
    14809, 25 e 24580 o covado, seda preta lavrada a
    .orguro a 14600 e 24 o covado : roa da Impera-
    triz n. 52, armazem da porta larga.
    Tiras e entremeios bordados
    Grande sortimento de tiras e entremeios borda-
    idos, pelo preco de 500 rs. a peca : roa da Impe-
    ratriz b. 52, junto a padaria franceza.
    Cortes de gorgurdo de seda
    preta.
    Vendem-se cortes de gorguro de seda preta
    para vestido com 20 covados, por barato preco :
    na roa da Imperatriz n. 52, junto a padaria fran-
    ceza.
    600 rs
    Cortes de ealea.
    Vendeo-se cortes de calcas para servico a 600
    rs.: aa raa da Imperatriz. o. 52, junto a padaria
    franceza.
    Lias de vestido.
    Cbe|ou a loja de Paredes Porto om sortimento
    de laas para vestido a 240 o coaado : na ra da
    Imperatriz n. 52, junto a padaria franceza.
    Chambres
    Cbegoo um sortimento oe ebambres para ho-
    rnera a 44 e o* na ra da Imperatriz n. 52, loja
    de Paredes Porto.
    Ra do Queimado n. 19
    No armazem de fazendas baratas de Santos
    Coelho, vende-se o seguate :
    Pechincha.
    Pecas 'de madapolae largo encorpado proprio
    para camisa e sala para senhora pelo baratissimo
    preco de 64 fazenda de 104. ___________
    vende-se um tscravo ; a' ra Bella n. 25-
    C* virgea.
    Vende-se na roa do Trapiche armazem n. 9
    a mais nova que na no mercado, por preco com-
    modo._____________
    ' Veooe-se um Bolecote de idade de 20 an-
    nos, bonita Agora: a tratar na raa Oireita a. 10.
    Vende-se
    ama pequea taberna a' roa da Conquista* n. 10,
    ni Caminho Novo, as pessoas qae preten le-la at-
    rija-se a raesma.______ _
    Vende-se orea em barris a 34 a arroba : na
    roa do Amorim a. 41.
    DE
    FAZENDA E ROUPA FEITA
    UVA XOVA M. *4.
    Ico & Moura, proprietario da loja de fazendas e roupa feita, sita rna Nova
    n 24, fazem sciente ao publico e particularmente aos seus amigos e freguezes, que
    acabam de receber de sua encommenda, um perfetto sortimento de fazendas finas, entre
    ellas casemiras de cores proprias para-coslumes-; panno fino dos meihores fabncantee
    proprios igualmente para casacas e sobrecamas e outras fazendas de vanados gostos,
    as quaes vendem com vantagem sobre outro do mesmo genero de negocio, tanto pela
    modicidade d> precos como pela qualidade especial dos artigos que expoe a escolha de
    todos aquelles que se dignarem frequentar seu estabelecimento.
    Os mesmos, continuando como sempre, escudados e robustecidos na aceitacaoe
    confianca que lbestem sido dbptnsada pelo respeitavel publico, no espaco de lempo em
    que se acham estabelecidos, procuram envidar todos os esforcos a seu aleante para cor-
    respondern fufficientemente a expectativa deste e de seas numerosos, freguezes e ami-
    gos, por isso, admittiram para sua officina de alfaiate, quatro contra-mestres, fonccio-
    nando regularmente sob a inmediata direceodo muito hbil mestre Launano Jos de
    Barro, o qual, activo e diligente como se ser. n5o se poupa aos mais aturados cuidados
    de sua arte quando tem de salisfazer com brevidade e presteza qualquer obra de encom-
    menda, .
    Ao contrario dos muitos que enchem as columnas do jornal com a repetido ociosa
    de annuncios em estylo sedico, nao precisamos aqu a natnreza dos artigos que possui-
    mos para nao collocar a sinceridade dos oosso* tratos no pengo mminente que resulta
    dessas antecipaces sem fundamento.
    ropa, e vendem-se pelo baratissimo preco de 640
    rs. a vara na loja e armazem do Pavo, na raa d-
    imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
    Oschales d pava* a 2000 e 250 r8. rild0 Ortimento dos mais bonitos lencos
    Vendem-se chales de merino estampados a 24
    e 24500 cada nm.
    Ditos de merm liso a 34500.
    Ditos estampados de crepon a 64, 74. e 84000
    Ditos pretos bordados com franja de seda a 144*
    Na loja e armazem do Pavo na roa da Impera--
    triz n. 60 de Gama & Silva.
    Para luto vende o Pavao.
    Setim da China com 6 palmos de largura, fazen-
    da preta para loto, propria para vestidos e roupas
    para bomens, sendo esta nova fazenda sem lastro e'
    de moito boa qualidade, garantindo-se nao ficar
    ! russa com o tempo e vende-se pelo barato preco de
    24 e 2*508 o covado, assim como nesle estabeleci-
    mento tem um grande sortimento de todas as fa-
    zendas pretas como sejam eassas e chitas pretas,
    lias tapadas e transparentes, princesas, alpacas,
    sarjas, etc. : aa loja e armazem do Pavao na roa
    da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
    Os espartilhos do Pavo,
    Vendem-se nma grande e variado sortimento de
    espartilhos dos mais bem feitos que tem aviado ao
    mercado, sendo de todos os tamaobos, vendendo-se
    por om preco muito razoavel : isto na loja do Pa-
    vo na ra da Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
    II o upa felta.
    Na loja do Pavo
    Vende-se neste estabelecimento nm grande sor-
    timento de roopas, tanto de panno como caxemiras,
    e bros e pelos baraiissimos precos como sejam
    calcas de caxemira preta a 64 74 e 84000 reis, pa-
    letots de panno preto saceos a 64 84 e 124000 rs.
    ditos sobrecasacos de panno inissimo a 124 184 e
    25*000 reis, e outros muilos artigos qae seria en-
    fadoohos aqu reltalos; s na loja e armazem do
    Pavao ra da Imperatriz n. 60 de Gama A Silva.
    Leos braneos a S Jfooo reis a
    dnzla.
    Vendem se neos braneos fazenda muito boa
    pelo baratissimo preco de 24 a duzia, Ditos com
    barra de cor a 24000 isto para acabar na loja d-
    Pavo na raa da Imperatriz n. 60 de Gama & Sio
    va.
    ftr deaaples pretos do Pavo.
    v- udem-se superiores grosdenaples pretos pelos
    : .; aissimos precos de 14508, 14600, 14800 e 24
    u covado, sendo fazenda muito bea, s para aca-
    bar : na loja e armazem do Pavo, raa da Impe-
    ratriz b. 60, de Gama & Silva.
    Bramante de linho do Pavo.
    Vende-se superior bramante de linho com 10
    palmos de largara, proprios para lences, pelos
    baralissimos precos de 24 e 24600 a vara, assim
    como panno de linbo moito fino pelos baralissimos
    precos de 640,700 e 800 rs. a vara : na loja e ar-
    mazem do Pavo, rna da Imperatriz n. 60, de Ga-
    ma & Silva.
    UM US -iWil
    BAST< >S
    50 ARA DA CalMBlA-=56 A
    Nete estabelecimento como sempre contina haver graode e completo sortimento de machinas
    par* descarocar alcodio, verdadeiras americanas, de 8 a 35 serras, dos fabricantes ja muito coohect-
    dos Eacle NewYork Co'.cn Gin e H. & C, estas sao as primeiras que vem a este mercado, tornando-se
    recommeodaveis nao s pela segoranca cem qae sao felUs, como pelo grande augmento qae offere-
    eem no seu trabalho, oceopando mui pouco pernal. Tambem aqu os freguezes encontrarao todoi os
    necessarios avulsos para as mesmas bem como ;
    Machinas para cortar apiro.
    Machinas para debolbar mllho.
    Machinas para fazer parafuzos de ferro e madeira.
    Machinas para fazer caf.
    Arados, carros de roo ...
    o o? mais acreditados cylioaros para padarla, tudo pelos precos os mais razoavew pessivets,________
    AE
    GRANDE
    A1EM
    DE
    Roupa feita e por medida.
    26.
    26 Raa JVova
    Jos Antones Guimaraes, propr efcrio deste novo estabelecimento de roopas e
    fazendas Unas, participa ao respeitavel publico em geral e a todos os seus fregoezes,
    e amigos, que estando sua casa sobre a direcao de dous dos meihores mestres de alfaiate,
    seSo um delles o Sr. F. E C. Miranda, e o outro p Sr. Manoel. J. G. Carnetro ambos
    !com grandes habilitacoes tendentes a sua arle, pelos quaes dmgida a s officina e
    1 achando-se bem montada a desempenl.ar qualquer encommenda por grande que seja
    ! se esforcar para sabira contento de seus freguezes, veudendo ludo por menos do que
    I em outra qualquer parte. Roga as pessoas interesadas que venham examinar seo estabe-
    lucimento, e verificar por si mesmo o que declara, assim come faz sciente a todos em
    geral, Unto desta praca como mesmo dos do centro, que qnalquer encommenda de obras
    feilas que mandem fazer ne'sta officina nSo sendo a contento de seus doaos, pede que
    as queiram devolver, afim de novamente se fazer outras que os satflfacam ; assim co-
    mo declaram que nao ter5o nenbuma responsabilidade, esperando iempre servir bem
    a todos e de todos espera merecer proteccao, sendo ectregue qualquer encommenda no
    prazo de 24 horas ou em menes tempo 6e for de muita urgencia.
    Clase mi ra>
    a 40, na loja do Pavo
    Vende-se superior casemira entestada, propria
    para calca, paletots e colletes. pelo baratissimo
    prego de 24*00 cada covado, ou a 44 o corte de
    calca, sendo fazenda que sempre se venden a 34 o
    covado, ou a 54 o corte ; esta graode pechincha
    liquida-se pelo preco cima, na loja e armazem do
    Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
    Hadapoles &3,5f)0 rs. a pessa.
    S na loja do Pavao.
    Vende-se pecas de madapolo lino com 12 jar-
    das, pelo barato preco de 34500 e 44000.
    ftovidades l
    Cambraias a Maria Pia.
    Cbegaram as mais bonitas cambraias com listas
    de cores e com os mais delicados deseches qne se
    vendem a 800 rs. a vara, finlssimos organdys do
    mesmo gosto que se vendem a 14200 a vara, eas-
    sas de cores com difirales e modernos desenhos
    que se vendem a 240,280 e 320 rs. o covado, lo-
    do isto muito barato em aiienco a qualidade :
    na loja e armazem do Pavao na ra da Imperatriz
    n. 60, de Gama & Silva.
    Craude pechincha em toalhas
    para mi.
    Vendem-se superiores toalhas de jinho proprias
    para mo pelo baratissimo preco de 560 r.. ditas
    a 640 rs ditas a imitacao das felpudas a 800 rs.,
    ditas fe podas a 14 : pechincha na loja e arma-
    zem do Pavo na rna da Imperatriz n. 60, de Ga-
    ma & Silva. _"
    ATLANTA
    Grande novldade- a OO rs.
    Allanta a 200 rs.
    Atlaata a 210 rs.
    Atlanta a 200 rs.
    Chegoa para a loja do Pavo o mais lindo sor-
    timento desta nova fa zenit a, com o titulo de allanta
    proprla para vestido e" roupas para meamos, ep-
    do esta modernissima fazenda de la com os mais
    lindos gostos de quadrinbos e lisiras tendo entre
    ellas de cor roza e preta, com listras e qnadros
    braneos proprias para loto, e vendem-se pelo ba-
    ratissimo preco de 200 rs. o covado nicamente na
    toja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama i
    Iva.
    Cambraias de .salpico a 2$500 e
    Vendem-se cortes de cambraia branca com sal-
    picos a 24500, ditos com palmiohas a 34000, cortes
    de castas indianas t< mo 8 varas e meia cada cor-
    te, tendo entre elles mullos rfos, pelo baratissimo
    preco de 24500, para acabar : na loja e armazem
    do pavao, roa Ai Imperatriz n. 60, de Gama &
    Silva.
    Vestidas braacos bordados a 60O0.
    Veadem-se os mais ricos cortes de tarlalana e
    cambraia branca com liadas barras bordadas, e
    trazendo todos os cortes enfeites suficientes para
    corpo e mangas, pelo baratissimo preco de 64000,
    ditos com barras de cores, tanto de seda como da
    mesma cambraia a 64, 84 e 104, todos estes cortea
    sio ebegados pelo ultimo vapor, e vendem-se por
    estes diminutos precos na loja e armazem do pa-
    ri, roa da imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
    Vestidos a U.
    Vendem-se bonitos corles de cambraia branca
    com barras de cores e todos braceos, pelo baratis-
    simo preco de 44 : na loja e armazem do pavo,
    roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva;
    Tapetes.
    Yendeffl-se lieos pete* para sala pelo baralissl -
    mo preco de 8*000 e 104000 : na loja e armazem
    do pavo, rus da Imperatriz o. 60, de Gama &
    Silva.
    Lencos bordados
    Vende o Pavao.
    Este estabelecimento acaba de receber um va
    de cam-
    braia primorosamente bordados e proprios para
    mo que vende pelo barotissimo prego de 14 e
    14600 cwa nm : na loja e armazem do Pavao na
    raa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
    Ultimo gosto em lazinhas
    Acba-se om grande sortimento das mais moder-
    nas : a Maria Pa, Garibaldinss, malbisadas, lisas
    e de qoadrinhos que se vendem por baratissimos
    precos e do-se as amostras : na loja e armazem
    do Pavo na roa da Imperalriz n. 60, de Gama &
    Silva.
    Goarda banha,
    Vendem-se bonitos goarda banha de laberynto
    proprios para encostos de cadeiras, pelos brratissi-
    mos presos de 2# a 34000 rs, na loja do Pavo na
    roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
    os coi -tinados do Pavo,
    Vende-se um g- ande sortimento dos mais ricos
    cortinados bordados, proprios para camas ejanellas
    pelos baratissimos prtcos de 84,104.164. -04 e
    254000 rs. o par, assim como pegas da cambraia
    bordadas e adamascadas proprias para o mesmo
    flm por precos razoaveis, na loja e armazem do Pa-
    vo na roa da Imperatriz n 60, de Gama & Silva.
    Os cachinas o Pavo.
    Vendemsa os mais bonitos cachins de malba de
    la com bonitos gostos, proprios para sahidas de
    thialro e bailes etc. etc. na loja e armazem do Pa-
    vao na roa da In>peratrz b. 60. de Gama & Silva.
    Algodo'inho enfeslado
    Vende-se superior algodosinuo rom 8 palmas de
    largura proprios para lences, pelo barato preco
    de 14000 rs. a vara, na loja e armazem do Pavo
    L-a roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
    Organdy a* l.sOOO oa loja do Pavo,
    Vendem-se os mais finos e mais modernos organ-
    dyes de eres com os mais delicados desenhos,sen-
    do fazenda de 14600 rs a vara, e liquido-se helo
    baratissimo preco de dez tostdes a vara por esta
    rem tomando um pequeo toque de mofo, Isto na
    loja e armazem do Pavo na ra da Imperatriz o.
    60, de Gama & Silva.
    Manguitos a 300 e 640 res,
    Vendem se manguitos e calcinhas para meninas,
    pelo baratissimo prego de 500 e 640 reis, na loja e
    armazem do Pavo na roa da Imperatriz n. 60, de
    Garm de Silva.
    Lencos deseca a tsOOO
    Vendem-se lencos de seda grandes com bonitos
    desenhos, pelo baratissimo preco de 14000 cada
    om, mantinhas para grvala a 14000, 800 reis, na
    loja do Pavo na roa da Imperatriz n. 60, de Ga-
    ma 4 Silva.
    para embrolho.
    Compram-se diarios velhos proprios para embru-
    Ibo, na loja do Pavo roa da Imperatriz n. 60, de
    Gama & Silva.
    Sedas largas a J600.
    So pavo.
    Vendem-se superiores sedas com 4 palmos de
    largura, sendo dos padrors mais bonitos que tem
    vindo ao mercado, e vendem-se pelo baratissimo
    prego de 14600 o covado, cortes de duas muilo
    bonitas com 18 covados a 354000 : na loja e ar-
    mazem do pavio, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
    & Silva.
    As colchas do pavao.
    Vendem-se bonias colchas de fuslo pelo bara-
    tissimo prep) de 64000, ditas a imitago a 35000,
    e grande sorlimenlo de cobertores, lano de la
    como de algodo : na loja e armazem do pavo,
    ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
    Alpacas de cores para vestidos.
    Cbegaram as mais bonitas alpacas de cores pro-
    prias para vestidos, sendo lisas e tendo de todas as
    cores mais modernas que tem vindo ao mercado, e
    vendem se pelo barato prego de 640 rs. o covado,
    ditas lavradas cora as mesmas cores a 720 rs., di-
    tas de accento branco com palmas de cores a bO
    rs., todas estas alpacas sao muito largas e vendem-
    se por estes diminutos pregos : na loja e armazem
    do pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
    Silva.
    Tambiaia da Cscossia.
    Vendem se as mais finas cambraias da Escossia
    todas transparentes lend mais de vara de largara
    com 9 varas cada pega, pelos baratissimos pregos
    de 64, 64500,74, i, 94 e 104, grande pechin-
    cha : na loja e armazem do pavo, ra da Impe-
    ralriz n. 60, de Gama & Silva.
    Casimiras de nadrlnhos.
    Vendem-se bonitas casimiras de qoadrinhos
    braBco e preto pelo baratissimo prego de 2480O
    cada covado on a 44800 o corle, ditas de cores, fa-
    zeoda muito boa, a 24460 cada covado ou a 44000
    o corte : na loja p armazem do pavo, ra da Im
    peratriz n. 60, de Gama A Silva.
    Madapolo a 3*500.
    Vendem-se pegas de madapolo com 12 jardas,
    sendo muito fino, pelo baralissiroo prego de 34500,
    dilo moito largo e encorpado a 44000 : na loja e
    armazem do pavo, roa da-Imperatriz n. 60, de
    Gama & Silva.
    Corplnhos pretos.
    Vendem-se bonitos cerpinhos de grosdenaple
    pretos, sendo ricaraentente enfeitados, a 104 : na
    loja e armazem do pavo, ra da Imperalriz n. 60,
    de Gama & Silva.
    Para nolvas.
    Vendem-se ricos cortes de seda branca lavrada,
    vindo cada uai armado no seu carlo, com a com-
    petente (.alma e capella : na loja e armazem do
    pavn, ra da imperatriz 0. 60, de Gama &
    Silva.
    Chales de renda a 4sOO.
    Vendem-se os mais modernos chales de renda
    pretos pelo barato prego de 44000 : na loja e ar-
    mazem do pavo,: ua da Imperalriz n. 60, de Gama
    & Silva.
    Cera ama re la.
    Na leja de Gama & Silva, ra da Imperatriz n.
    60, tem para vender cera aroarelia em porgo, sendo
    em barricas e em candes.
    los agricultores
    Sannders Brothers & C. acabam de receber de
    Liverpool vapores de forga de 3 a 4 caaallos com
    todos os perlences, e mu proprios para fazer mo-
    ver machinas de descarocar algodo, podendo cada
    vapor irabalhar ale com 140 serras, tambem ser-
    I vem para enfardar algodo on para outro qualquer
    Grande Sortimento
    FAZENDAS* baratas
    Rna da Imperatriz n. 86
    Loja e armasena da Arara
    DE
    Lourenco Pereira lendes Gainaraes.
    Pechincha chitas 200 rs. o covado.
    Vndese chitas escoras e claras a 200 res o
    covado, ditas francezas finas a 240, 280, 120, 360
    e 400 rdls o covado. Ra da Imperalriz loja da
    Arara n. 56.
    Arara vende bretanha de rolo a 30000.
    Vende-se pegas de breanha de relo a 34000,
    pegas de cambraia jara viudos a 34000, 34500,
    4000 e 54000. Roa da Imperatriz loja do Arara
    n. 56.
    Cassas francezas finas a 240 o covado.
    Vende-se cassas francezas para vestidos a 240,
    280, 320 e 400 ris o covado, ditas de listas de
    eres monto finas a 120 e 800 ris o covado. Roa
    da Imperatriz loja do Arara o. 56.
    Arara vende cobertores a 1#500.
    Vende-se cobertores de pello a 14500, eobertas
    de chita a 24000. corzas de damasco a 44000, ditas
    de fosto a 54000. Roa da Imperatriz o. 66.
    Madapolo francei a 3(500 a peca.
    Vende-se pegas de madapolo francez entestado
    de 12 jardas a 34500 e 44000, ditas de dito inglez
    de Si ditas a 48000, 54500, 645C0, 74000, 84000.
    94000 e 104000, dilas de Igoda^ioho moito fino
    a34000 44OOO, 54000,64000,7*000 e 84000. Rna
    da Imperatriz n. 56.
    Arara venda cortes de cambraias de papel
    a m 00.
    Vende-se cortes de cambraia empapeladas de 7
    varas a 34000, de 7 dii~s a 24500. Ra da Impe-
    ratriz loja do Arara n. 56.
    Cortes de tarlalaua de cores a f^OOO
    Vende-se corles de tarlatana de cores para
    vestidos a 54000 ditos de cambraia branco borda-
    dos c de cores a 44000 e 54000. oa da Imperalriz
    n. 56.
    Arara vende lsinlias a 200 rs. o covado.
    W-iule-e lasinhas para vestidos a 200, 240, 320
    e 400 iis o covado, ditas muito tinas estampadas
    a 360, 400 e 500 ris o covado. Ra da mperetriz
    n. 56.
    Arara vende os bales a 2000.
    Vende se bahloes de 20 25 e 30 arcos a 34000,
    34500, e 44OO", ditos moito finos e modernos de
    cor elegante a 34000. 34500, 49OOO e 54000, ditos
    para meninas a 34000 e 3-;500, ditos de morsuhoa
    a 54000, chitas largas com um pequeo toque de
    mofo a 240 ris o covado, ditas finas a 320, 360
    e 400 ris o covado. Roa da Imperatriz loja da
    Arara n. 56.
    X4ROPE
    peitoral e dulcificante
    BE
    SAINT GE0R6ES
    Preparado por
    GRIMAULT e Cu
    phanaaceuticos de S. A. L
    o principe Napolelo
    Cura rpida de las
    molestias seguentes :
    tssse, catarrhos, pleu-
    resa, coqueluche, an-
    ginas, fortes constipa-
    cues, irritacoes rfes
    bronchos e do peiio,
    bronchite,phlicapulr
    monar, aslma, pneu-
    monia,anginas,amyg-
    dalites, tossechronica,
    rouquido. Os mdicos recommendao ao mesmo
    tempo o uso das excellentes pastilhas paito-
    raes oom O BUCCO d'alface o laureiro-
    cerejo, que ae preparao no mesmo estabele-
    cimento.
    A venda as pharmacias de Maurer e A,
    Caors^________________________
    Meias de laa vegetal e de
    borracha.
    A agaia branca recebeu novamente essas pro
    curadas meias de laa vegetal, tio uleis qno pro-
    vellosas para quem soffre reslriagao nos ps; as-
    sim como ontras de borracha r-ra quem padece
    de enchagao as pernas. e vem.'. -"a por. 1 "gos
    razoaveis: ama do Queimado, luj guia bran-
    ca n. 8.
    ambaro :o>-s-risw*q-a.
    2 M aTp o o -1 g* ?ooSc
    3ggBE,ro.BDB-g = g =
    g.j ag. % % S I -:?B
    1 03 a x as 2^"c2o
    5 ._.2. o v. ex; & = 3 5-
    3 s3 jTg&si8.?f %$%
    Bs5."rBtt *:&
    2: ?.
    8 8
    =^S-
    o .
    =- S 2 o S a 5. 2. o
    -* o >
    M
    v r*

    o

    - -' M
    V.
    -1
    M
    -1
    c
    i
    fe
    5
    o
    &
    CE
    a
    09
    a
    f
    o n
    *{&
    - = ~> 7
    9 2 e
    C-r-T3 g
    m ?
    O
    o
    : CE
    en
    O
    O B .
    SJ
    -

    RIVAL m SlfilNHO.
    Ra lo Quciuiad* 0. 49
    Et disposlo a continuar a veuder por prego
    que a todos admia queiram apreciar e vir ver para
    crer.
    Groias de peonas da ac muito boas a 3z0 rs. .
    Bonets muito Unos para tflenicos a i.
    Pentes de alisar com cosas de rret?.l a 500 rs.
    lapachos redondos e compridos a 500 rs.
    Polceras de conlas para senhoras a 500 rs
    Caixas de papel amizade a 600 rs.
    Quad-rn de papel mullo Lom a 20 rs.
    Pentes de. tartaruga a 24500 rs.
    Realejos para meninos a 100 rsi
    Escovas para limpar dentes a 200 rs.
    Baralh s muito Onos a 200 rs.
    Caixas de po de txvi muilo superior a 800 rs.
    Caixas de lam^arinas pira Ires mezes a 40 rs.
    Caixas de obreias de massa a 40 rs.
    Grozas de fcftonde lenca a 160 rs.
    Eliad'.n a 8e cwdo e ota a 60 rs.
    Pecas de 6% de ees com 10 varas a 320 rs.
    Carlas de arfiiKtes francezes a 100 rs.
    Libras de alBaeles francezes qualidade a 24
    Novelloi dtfllnla com 400 jaraas f 60 r?
    Ditos ditos-wm 200 jardas a 30 rs.
    Caixas com alflneles ; 20 rs.
    Pares de lovas brancas e de cores a 400 rs.
    Gravatas Resmas de papel almajo superior a 24400.
    Caitas redondas com estampas a 100 rs.
    Lintjs para asscnlo de roupa lavada a 100 rs.
    Banecos do choro muitc bonitos a 160 rs.
    Frapns de superior agua de cofopia a 400 rs.
    /IMeiK
    ***

    Vende-se urna escrava e cria, com bstanle kiie
    i qual lava bem, cosinha e engomma rom toda
    perfeico. o motivo da venda dir-se-b ao ecu pra-
    dor : a rna do Uvramento n. 5, loja dejalcadi
    &F-
    Vende-se em casa de M. I. de liveirn
    servico em que usara trabalhar com animaos. Os |f,0) ijfgo 0 Corpo Santo n. 19 :
    mesmos tambem tem a venda machinas america
    as de 35 a 40 serras : os pretendentes dinjam-
    seao largo doPrpo Santo n. 11.
    -"Vende-se o diccionario homeopaihico do Dr.
    Jahr : na roa da Cadeia do Recife n. 15, loja.
    Viotio verde inperior em bn ,
    Ditodo Porto d* 8" e 10*
    Dito de dilo engarrafado.
    Dilo de Lisboa Palmtlla tinto.
    Farelioidem superior.
    d^



    i
    1


    DUrto de reraakae* Terca felm 4 de fiilh* de 1866.


    \
    0 que oceupa hoje mais a atiendo do mundo
    eowmico? o novo ^ysthema -4 f^pri^ri^do ar-
    mazem de molhados
    53 RA DA CADEIA 53 ,
    PASSAMIO O ARCO DA COWCIJfClO.
    Que surge de novo basteando a bandeira da modicidade de pretfos em todos os
    seas superiores gneros.
    Que o publico reconheca as rantageos que de tal syslbem lhe resulta, o que o
    proprietario do sitado arauzem deseja, a a que desde j o convida : passando tambem a
    notar-lbe osprecos de alguns dos gneros do sea explendido sortimento, e para os qoaes
    pede
    ATTE:\(i0
    (iomma de miliio brauco americana..
    Esta escoleme gamma, multo se recomcommeoda como o alimento mais subs-
    taocial e saudavej; aervindo (o s pira papa (no que superior de todas as outras
    gammas e arinhas) mis tambem detla se pode fazer po-de-l, cangica, creme, bolo
    francez, podim, etc.: o preco de cada pacote de urna libra 800 rs., em cala tem aba-
    timento.
    MANTEIGA INGLEZA de superior qualida-
    de a 1,28o e 1,100 rs. a libra, em barril
    se faz abatimento.
    DEM FRANCEZA a mais nova que ha no
    mercado a 6 lo rs. a libra, em barris ou
    meios a 600 rs.
    CHA HISSON de primeira qualidade a
    2,800 rs. a libra, atm desta ha muitas ou
    tras proprias para vender a retalho, que
    se vendem de l.Goo a l,8oo rs. a libra.
    DEM PRETO o mais especial que tem vin-
    do a este mercado a 2,2oo rs a libra.
    DEM regular de i,600 a l,8oo rs a libra.
    QUEIJOS DO REINO ltimamente chegados
    pelo vapor 2,4oo: ditos do vapor passado
    a 2,ooo rs.
    LATAS DE CHOURICAS com 6 libras er-
    m,eticamente fechadas, a 4,5oo, de barril
    a 64o, a libra.
    ESTHEIJNHA para sopa em caixassortidas
    de 8 libras, por 4,000 rs.
    .VINHO VERDE do rerdadeiro sumo da uva,
    e o mais proprio para se beber n'este
    imperio, pela sua extraordiQaria fresqui-
    dao e agradavel gosto a 64o rs. a gar-
    lafa.
    AMEIXAS FRANCEZAS em frascos de 4 e
    2 libras, a 2,8oo, e l,4oo rs. em caxi-
    nhas muito enfeitadas com diversas estam
    pas i2,oo, l,8oo, l,5oo e!,3oo, reis.
    BISCOITOS INGL'BZES em latas contend
    diversas qualidades a l.ooo e l,2oo rs. a
    lata.
    PRINC PE ALBERTO bolaehinhas as melho-
    res presentemente conhecidas a 4,6oe
    rs. a lata.
    SALAME HAMBURGUEZ chegados no ulti-
    mo navio a i,600 a libra.
    PREZUNi'OS verdadeiro de Lamgo, a 64o,
    rs. a libra, e 56o inteiro.
    TRAQUES n. 1. em caixas de 4o cartas, por
    8,3oo, e 2io rs. cada urna.
    MARMELADA em latas do i, i 4/t e2 li-
    bras a 600 reis a libra.
    JALEA DE MAR MELLO em latas, a 800 rs.
    FRCTAS EM CALDA pera, pecego, alper-
    ce, raiaha Claudia, e gioja a 64o reis
    a lata.
    Bfl tmimm
    MOLHO INGLEZ de diversas qualidades, a
    72o rs. o frasco.
    MOSTARDA INGLEZA muito nova, a 800,
    rs. o frasco
    DEM FRANCEZA a 64o rs. o frasco.
    SALMO E LAGOSTIN chegado ultima-
    mente, em latas de 2 libras, a i,600. rs.
    ARENQUES em latas a 64o rs. cada urna.
    SARDINHAS DE NANTES em latas emeias
    a 6qo e 36o reis.
    V1NH0 DE COLLARES o legitimo viuho
    desta localidade, muito superior e sena
    confeipao alguma, a 800 rs. a garrafa.
    IDFM MADURO o verdadeiro do" alto Dou-
    Gros de aples preto a I 500, 0600, M,U, 3*300 e4o covado.
    Gorgurao,proto-de superior qualidade a 20500, 20800, 30 e M o co-
    vado.
    ^jperioqes mofiaatiques a 20500, 20600, 30, 30500, 40 e 50000 o
    o>tada.
    Bons cortes de morcantique.
    dem de gorgurSo adamascados.
    Bons pannos 6 casemiras.
    Sup riores alpacas, princetas, merinos e bombazinas.
    Boas villudos pretos.
    Grande variedade de chales de fil preto e de-guipare a 50, 60, 80,
    100, 120, de 160 a 200, e de 250 a 800 cada un. ,1
    Superiores retondas de fil preto e da gtipure 8tf, O0, 120 e 250,
    e de 300 a 600 cada urna.
    Superiores algeriwes de fil preto e de guipare de 160 a 250, e de
    300 a 600 cada ama.
    Bods chailes 'de seda preU. >j
    Ditos de Merino preto bordados e outras maitas fazendas pretas qae
    seria enfadonbe enumerar, na
    ,T>E ANTONIO CORREIa'DE VA9C0NCELL0S 6 C.
    RVA B CRESPO N. 18
    Loja do Vigilante
    RA DO CRESPO N. 7.
    Mufta att#a$l)!
    Mtiita att-e^ao!
    Grande liquidagao -de**en tas nacionaes, naruadaJmpesalriz u. 72,
    loja de Gtrimaraes A irnHo.
    Os pfoprletayos deste imprtame estabelecimen-
    10 estaoTesolvidosariflQidar jior menos don por
    cent, do qfde eofootra qoalqner liarte, vejam
    Chales de renda.
    Vende-se Chales de reoda por tfOOO, taianda
    que ja' le vendeja por 124 e 144000, ditos de seda
    isto s na ru oa tape marina. 72.
    brande peobitcha.
    i Garabniae de eres nmitu Bas a ttO is. ueuva-
    i do, ditas melliores a 280 e.320 rs., ditas orgaudis
    de riqoissimos desenos a 360, 400 e 440 rs. o co-
    vado : i na ra da Imperatnz o. 72.
    Bretanha de rolo.
    Veode-se bretanba de rolo cora 10 varas a 35200
    a pega, dita de iuibo Ano f,<4-" 85500, ditas de
    caroe de vacca a 543O0 e 6 : s na roa da Irape-
    ratriz n. 72.
    Quem duvidar venha ver, cortes de
    cambraia a 30500.
    Grande sorlimento de corles de cambraia bran-
    1 a n riB core a 3J5Q0 *k$,i\\m bordados seda a
    44100 e U, cortM 4e la 3, 33900, t|. ^800
    e 3f, ditos uascochita a 3 e-3i}9U0 : s na roa da
    Impera triz o. 22-
    Laazinltas a 240 na. o corado.
    Vende-se um grande sorlimento de lamtaas
    Este estabeteci ment acaba de rceber pe-
    lo vapor Extremvutkt, ede suipropria-eii-
    commenda, uno eomaeto sorimenlo de ob-
    jectos de apura Jo goito e alguns de comple-
    ta novidade, como aeja :
    Riquissimos necessaaios para costuras,
    tendo deimadrepola, marfinu^bristal, e ou-
    tras muitas (qualidades.
    Ricas caixinlias de mndeira machetadas
    todas de midrep da, com msica, e o necee- \mitio,-m, So"w3wT-*d tI covado"
    PHOSPHATO DE FERRO DE LERAS
    I1R. KM CIENCIAS
    INSFECTOB'BA ACADEMIA DE PARS.
    N5o existe mdreamento ferruginoso t5o notavel eflmo o phosahato de ferro de
    sano para costara
    Cixinhas de mnsica, tanto dereio como
    de corda.
    Riquisimas malasinha de madelra, for-
    Mas de marioqalm,' cofitehdo o necessario
    para costara, propria para meninas.
    Lindos vasos para pos de arroz.
    Lindos livrinhos com capa de tartaruga
    para musas.
    VINHO DO PORTO de diversas qualidades
    engarrafado, inclusive o maisfino que ha PjS222T
    n'eVte genero, por 800, -i ,00o, l,2oo,;cellen^oaiPosto.
    l,4oo e l,5oo rs. a garrafa.
    FEIJO verde e carrapato em latas ermeti-
    camente fechadas a 600 rs.
    CHOCOLATE francez empacotes de 1 libra
    por 000 reis.
    AZEITONAS daschegadas tmameoteide
    Lisboa a l,2oo rs. a aneenrta, e 5oo, a
    guarrafa.
    CAF avado a 24o rs. a libra, e 7,ooots.
    a arroba, e regular a 22o a libra, eRSoo
    a arroba.
    VINHO CHERRY domis superior-do aer-
    eado a l.Soo rs. a garafa, e 15,oootb.
    a duzia.
    MUSCATEL o verdadeiro de Setobal, i
    l,8oo rs. a garrafa, e 2o,ooo a duzia.
    VINHO BOREAUX das mais acreditadas
    marcas, S. Emilion. Sant ulien Hant
    Brion a 7oo e 800 rs. a garrafa, e em
    caixa dedazia, a 7,5oo e 8,000 rs.
    VINHO BRANG ) de Lisboa de excelente
    qualidade, e proprio para missa, a 800,
    rs. a garrafa, ou 8.000 rs. a caixa de duzia.
    MADEIRA SECO a l,2oo a garrafa, e 12;ooo
    rs. adazia.
    VLNHO DO RHENO superior, a 2.000 a
    garrafa, e 22,ooo rs. a duzia.
    VERMOUTH de superior qualidade em cai-
    xas de (2 meits garrafas por 12,ooo,e
    garrafas por l,2oo rs.
    LOJA DO BliO
    DE
    AZEVEOO & FLORES
    RIJA DA ADEI4 DO REIF N. 49
    Vejam e admirem!!
    Chapeos de sol de seda a balo que valem 12)51, o Balo vende a 10)5, e quem
    comprar de 6 chapeos para cima tem abatimento de 10 por cento.
    Camisas.
    Superiores camisas de peito de esguio pregas largas a 36/? a duzia, a quem
    comprar de urna duzia para cima tem o descont de 10 por ;ento.
    Baldes com canda.
    Superiores baloes de murselina brancos e com listas de cor.
    Houpa felta
    Calcas de lindas e superiores casemiras a 8#000.
    dem escuras proprias para o invern a 7)5WOO.
    dem claras mais inferiores a 50000.
    Paletos saceos de panno preto fino a 100 e mais inferior a 80000.
    Chitas para coberta a 28 rs o covado
    Superior chita para coberta, cores que os dorios do BalSo affhnc.am ser as mais
    fixas a 280 rs. o covado, quem deixar de comprar chitas que todos vendem a 400 rs. e
    28); o Balo tambem tem para vender um benito sortimento de chitas claras e escaras
    para vestidos.
    MadapolSo qae val 100 a 6J500, lindos cortes de cassa de cor a 20800 ; vista
    dos preces cima, diro, a faaenda nao presta.... e nos affiancamos que ame-
    Ihor possivel, e se vendem 0SP<>r estes diminutos preces para grangear maior n%mero
    de freguezes.
    Quem duvidar da veracidade do qae tica dito venha ver.
    i.i:zi.r.:its
    Tinta Inalteravel
    Para escrever
    de P. MAIRER i C.
    PERNAMBUCO
    Seta tinta recommenda-se pela sua com-
    poeica e fluidez como a melhor e a mais
    segura de todas as tintas at hoje cordieci-
    das. Nao ataca as peanas de ac, d at
    tres excellentes copias, mesmo muitos dias
    depois de escrever, e preferivel a qual-
    quer outras tintas particularmente para
    livroB de commercio, documentos etc de
    que se careca longa conservaga.

    Vende-se nalivraria franceza roa do Crespo e ra Nova n. 18 de
    Vap(
    jores.
    Wnde-se em casa de Saanders Brothers di C,
    no Urjio (lo GorpoSaotOB. li, vapores patentes
    ro!, indos os pertences proprios para fazer mover
    tres ou qnatro machinas para descarocar algodo.
    GiZ.
    oa no
    O IM-
    PO armftzem da roa do Imperador a. 3
    Caes de Pedro II d. i, tem para ,vender-se
    bor gaz exiajanu no mercada.__________
    Vende-se na fandiQio da Aornra, as melho-
    res e mais p^rfettas caixlahas com flta de medir, e
    tenas de fTro galvanistdo, indo por preces ra-
    zoaeeis.
    Velas de carnauba a H0OO a
    arroba.
    Vendemse caixas com velas'pelo brato pre-
    go cima ; na ra da Madre de Dos os. S e 9.
    _ Vemlem-se oito caroelros de bonitas figuras,
    com o peso de tres arrobas poaco mais on menos:
    quem os pretender djnja-se a roa do Encantamen-
    to 1^13________ "
    25po ~
    .rapdc pechlncha
    Selfria r'm ??Varas a pega, lattora de 5 pal-
    mos, a 154 : na roa da Imperatrrn. 5S, Paredes
    Porto.
    lyflfcphatismo s5o curados rpidamente ou modificados por este w-
    o conservador por excelencia da saude e declarado superior nos
    hospitaes e pelas academias a todos os ferruginosos conhecidos, ao idoreto e ao citrato
    de ferro, porque o nico que convem aos estmagos delicados, que nao provoca cons'i-
    paco nico tambem que nao negrece a bocea e os dentes.
    Em Pars na roa da Feullade u. 7.
    venda em casa de Maorer, e A, Caors.
    PECHI\CH4 SEN IGUAL
    Reos cortes de gorgorUn de seda pretos adamascados para vestido com 13 metros
    on 18 a SO corados cada corte, largara de chita franceza, pelo baratsimo pre$o 'fle 504
    cada corte : na loja das columnas da roa do Crespo n. 13 de Antonio orreia do Yaseon*
    cellos & C ,
    esto se acafea#)o.
    'E' baratissimo, chales a 20000.
    Chales de merino estampados a 2$, 24500 6 39,
    ditos finos a 44, 54o0 e 64 : s na roa da Impe-
    ratriz n. 71
    Cortes de brim a 1)9(280.
    Grande sortimeoto de cortes de brlra a 14280,
    14400,14600.14800 e 24, ditos de casemir a 24,
    54300, 34 e 34500.
    Cuitas a 180 rs. o covado.
    Riquissimo sortimento 4e enfeites para aJ/SeS^^
    enhoras e meninas. ; tas percales a 400, 440 e 900 rs.: s na roa da
    Cintos inteiramente novo. loperatriz n. 72.
    F vallas, de tartaruga, christal, e metal,! Lencos a 24 a duna.
    para cintos de santera. i &^i'aME&! ""fu -tlaiaafias.a^jt,
    24500, 34 e 34500 a duzia, ditos de Iinno a 4500,
    54 e 64, ditos bordados com ico a 44500 e 54,

    X-OF U&r <3cr' lw'*^w*,'n^Rl/"Ui!Sr,'0!r'
    RITA O BRirtf U
    O proprietao deste estabelecimente deseja chamar a attenco dos senhores pro-,
    prietarios para os acreditados mecbanismos que continua a fornecer; os qoaes garante
    ser como sempre, da melhor qualidade possivel:
    Machinas de vapor
    forca de um avallo para cima. As menores sao mu proprias para motores de des-
    carocamentos de algodao; ellas viajara armadas e podem trabalhar den'ro de 24 horas,
    depois de ebegarem do lugar. Ellas levam todo quanto preciso para o trabalho, e
    diversos sobrecelleRtes. As machinas maiores sao proprias para a moagem de canoa,
    e ha deltas que podem junta e separadamente- moer canni e descarocar. Ellas podem-
    se applicar aqualquer moenda j existente sem ostra mudanea do que a substituido das
    rodas d.i almanjarra, ba tambem com moenda junta. Ellas tem depsitos d'agua e boei-
    ros de ferro, e nao precisam para seu assentamento de obra alguma, qor de carapina, i
    qur de alvenaria. O tempo para assenta-las n3o excede de doze dias ao mais, e em!
    casos de martes de animaes oa arrombamentos deagudes, etc,. garante-se o assentamen-
    to em oito dias. Todos estes vapores sao simplissimos na construccao, se regem por
    qualquer pessoa intilligente, a facilidade da coBducg5o sendo especialmente considerada, Dito especiaes para as senhoras fazerem
    tanto que nao ha lugar em que b3o se possam conduzir, qur por trra, qur embarcado. t M pemiados.
    Lambra-se aos senhores de enger ho que a venda dos animaes e o ser vi f o da
    parte da despeza do
    Leques de sndalo e de mndeira.
    Riquissimos porta bouquets.
    Lovas verdadeiras de Jovia.
    Ditas de seda e de Escocia.
    Lindos botos de christal, tanto para pu-
    n ios, como para col leles e abertura de ca-
    misas, estes botes tornam-se recommenda-
    veis, por ser inteiramente novidades.
    Ditos de cornalina, brancos e encarnados,
    ipara colletes.
    Finas tbesouras para onhas e costura.
    Lindos porta )oias.
    Ricos port relogios de porcellana.
    Modernos pentas de tartaruga e a imita-
    C5o.
    Albuas para retratos.
    Agulhas e linhas para crochetes.
    Lindos aderecos de christal.
    Rosetas e alnetes de dito.
    Aderecos completos para luto, assim co-,
    mo brincos e rosetas.
    Metas de seda para senhoras.
    Ditas para meninas.
    Sapatinhos de seda e de mirin, para
    ba plisados.
    Touquinhas e chaposinbos para dito.
    Laas de todas as cores para bordar.
    Capellas para noivas.
    Gravatas e mantas para homem.
    Alfinetes para gravatas.
    Riquissimos livrinhos para notas, sendo
    com capa de ma-lripen-la, marfm
    gren.
    Penas de aeo de todas as qualidades, do
    afamado fabricante Perris.
    Froco e seda frouxa para bordar.
    Bengallas e chicotes de todas as quilida-
    des.
    Dedaes de marfm e metal.
    Espelhos dourados grandes, e pequeos
    ditos de columna.
    J
    gente oceupada no seu tratamento os ha o de recuperar da maior
    vapor, deixando-lhes a vantagem de urna moagem certa e aceelerada; e acabando com a
    despeza da compra continuada de oovos animaes, e com os desgostos do trabalho que se
    tem com ellos.
    Ser talvez desnecessario lembrar aos compradores de vapores a vantagem que
    Ihes resulta de comprarem suas machinas garantidas em orna fabrica, tendo artistas com
    ptenles para assentar as mesmas e ensinar a maneira de trabalhar com ellas, e j pre
    paradas para arremediar qualquer desarranjo; facilidades estas que jamis podem en-
    contrar comprando-as aos simples negociantes, os quaes por falta de conheGtmento na ma-
    teria nem se quer podem garanti-los de que as machinas que vendem sejam proprias ou
    suficientes para o trabalbo em que se qixeira emprega-las, e no caso de desastre nao
    podem prestar-Ibes soccorro algom; sendo que anda quando venham as fabricas para
    concertar as machinas al heias, torna-se-ha preciso fazo- repentinamente moldes novos,
    etc. para as pecas estragadas. J numerosas vezes estes vendedores tem representado
    seos vapores como sendo de forca mui superior sua actual e venia ieira forca; equi-
    voco este que nao s engaa ao comprador acerca do trabalho que possa tirar do vapor,
    mas tambem da lugar ao pagamento de um preco excessivo, vista da forga real da ma-
    china qne compram.
    Tambem ha sempre prompto Rodas d'dgua de ferro Sarilhos com cruzetas para as
    mesmas Moendas de canna de todo o tamanho, Rodas de espora e angulares, Paroes ou
    coches para receber o caldo, Crivos e portas de fornalha, Taixas de ferro batido, fundido e
    de cobre, Formas de ferro galvanisadas para purgar assucar, Bombas simples e de repu-
    cho. Alambiques de ferrp. Eixos e rodas de carro, Arados, grades, enchadas a cavallo
    e outros instrumentos de agricultura, Moinhos e forn is paja fazer farinha e finalmente
    todo o objecto de mechanismo de que se costuma precisar.
    Na fabrica se fazem obras novas a encommenda e concertos, com a maior p este-
    za e solidez. O grande deposito de pecas eobjectos habilitam-na muito pasa este fim.
    O proprietario ser sempre muifelii de poder dar informaoes oa esclareeimenk)
    aos senhores qne se servirem le seu prestimo.
    D. W. Bowman, fBgenheiro.
    G49HS4S FR.4NGEZ.4S E l\GLEZ4S
    A' loja de fazendas de Augusto Porto & C.
    11Ra do Queimado11
    A' loja da fazeadasde Angosto Porto & C. chegonom grande sortimento de camisas
    Inclezas para homem, moito superiores com colarinhos e sem colarinbos, continuando esta
    casa a ter sempre completo sorlimento de camisas de linho e de madapolao inglezas e
    /rancezas para bomens e meninos; seronlas de linho e naos coUrinnos de muitos goslos.
    Camisas franczai para senboras a 54,54500 64.
    Sobretudos de panno de dnas facas fazenda superior.
    Vestidos ae blonde com maota-eapella para noivas.
    CortiBadosde cambraia bordados para camas e jmelas de 114 04-
    Coixas de seda e de laa e seda para camas de noivos.
    Grosdenaple de diversas e lindas cores e acetos. j*
    Moir branco, luvas. mantas e cape'Ias para boivas.
    Liados cortes de cambraia branco ricama bordados.
    Bonets, gorros e chapeos de paiba de llanta para senhoras.
    Lindos cortes de foulard.de seda fazenda de moli gosto.
    Cambraias, lazinhas e percales dosgostos ais .modernos.
    Tapetes para sof, piano e cama e tapeteVm pagas.
    Alcatifa barat a 480 rs; o covado, que com nea/iena despeza se alcatifa urna sala.
    Bons pannos pretos e zoes e grade somatato de easemiras pretas e de eoree.
    Sortimento de espartilhs, fca46es, melas flws paca senbor.as e bomens.
    Superior bombazin, alpaca, oawio, princezas e merinos pretos.
    Panos vendados para cadeiras e panos finos para mesas.
    Malas e saceos de cooro para -iageme eorttmeatoide
    Esteiras da India para ft>r ar salas
    U-Rbi d Uuelaaado11
    Novo e grande deposito de superior carvo de Cardiffna
    Bahia. *
    Antonio Gomes dos Santos & C, roa de Santa Barbara o. 1, esto habilitados a supprlr de
    oarvo, em condi^Ses mais avoraveis que em ootro qoalqoer deposito, a todos os flacos a vapor qae
    ccarem naqoelle porto. A contratar Besta com Domingos Alves Matheus.,
    meninas.
    Riquissimas fitas lavradas e lizas.
    Diademas do ultimo gosto.
    Ligas de seda.
    Ditas de seda e de algodo para mangui-
    tos de senhora.
    Con tas e tobos de ac.
    Suspensorios de seda e de algodSo.
    Grande e completo sortimento de perfu-
    maras finas dos fabricantes mais afamados,
    assim conjp muitos outros objectos que se-
    ria enfadonho mencionar.
    S no Gallo Vigilante roa do Grespo n. 7.
    Verdadeiros
    Collares Reyer
    Electro Magnetice
    Ou Collares Anodinos,para facilitar a den-
    tculo das crianzas e contra as convulsbes
    das mesmas, a estes collares nos escuzado
    fazer qualquer recommendaQao, visto a
    grande aceitacSo que tem tido, o que pode-
    mos provar assim como, aancar o effeito
    que elles produzem, porque ha muito qr.s
    os recebemos e continaaipos a receber por
    todos os paquetes da Europa; e encontra-
    rlo sempre na loja do Gallo Vigilanie, ra
    do Crespo n. J.
    ditos muito linos a 64, 74 0 144 duzia : s na
    roa da Imperatrtz n. 7.
    A 50000 a peca.
    Grande sortimeoto de madapolao da 54, 54500 a
    64, ditos melhores marcas a 71, 84, 82500. 94,
    104,114 e 124.
    Grande pechincha.
    Vone-se ecai da algodao flaaa a 44, 44500 o
    54000. ^^
    Baloes a 3#00O.
    Vende-se um grande sortimeoto da baldes de ar-
    co a 34. 34500, 44* 44500, ditos de muwelina a
    54 e 54500, ditos par meninas a 34 o 34500: s
    na ra da Imperatn: o. 72.
    Gravatas a 500 rs.
    Vende-se nm grande sortimento de gravatas a
    500, 640,800 e 14,mantas fin s a 14200e t4o00 :
    s na loja de Guimaries & Irma >, roa da (apara-
    triz n. 72.
    No armazem de azendas
    baratas de Santos Coelho
    Riia do 4elHHi4o n. ft>.
    Vande-w 9 se*altrte :
    Lencoes de bramante de nm s panno peto ba-
    rato pre^o de 34200.
    Ditos de panno de linho a24200 e 24600.
    Cuberas de chita da lodia a 24400 e 24800.
    Lentos de cambraia brancos proprios para algi-
    beira a 2*000 e 24200 a duzia.
    Ditos de cambraia de linbo fino a 44500 e 54 a
    duzia.
    Atoalbado de algodao branco a 24 a vara.
    Bramante de linho fino com 10 palmos de largu-
    e cha-> 24500 a Tara.
    Panno-de linbo fino com 9 1(2 palmos de larga-
    ra pelo barato preco de 24400 a vara.
    Bramante de linbo fino de urna largura, polo ba-
    ratsimo preco de 800 a vara.
    Toalhas de tinao acolcboadas para maos, a 134
    a duzia.
    Ditas felpudas a 134 e 154 a dezia.
    Gnardanapos de linbo a 34500 a duzia.
    Planela de todas as cores para coeiros, a 880 rs.
    o covado.
    Tarlatana de cores a 800 rs. a vara.
    Baldes de 35 arcos 34500, de 40 a 4.
    Cambraia de linbo fino a 4#500, 64500 o 9J a
    vara.
    Cambraia para forro de vestido a 24700 e 34 a
    peca.
    Pecas do bretanha de rolo com 10 varas, a
    34500.
    Pe^a de madapolao fino e largo a 79.
    Laazinba lisa de cores a 500 rs. o covado.
    Pegas de cambraia branca de salpicos com 8
    meia vajas a 44500.
    Coeiros de casemira bordados pelo Laratissimo
    preco de 94-
    Esteira da India propria para forro de sala da
    4,5 e 6 palmos de largara.
    ] Cambraia finas de cores raiudas a 560 rs. a vara
    Neste armazem tambem se enooutra um grandt
    sortimento de roup? fafci 0 uor medida.
    PHOSPHATOdeFERRO
    [de LEBAS dotjtor em scienci
    NSPFC1UK DA AGAUrJUA QFPARIZ Et;
    erruginoso
    como o Phosphato de ferro de Leras; as summi-
    dades medicaes d< mando inteiro adoptaram-no
    com sollicitude sem igual nos annaes da scieneia.
    As cores paUku, dores de estomago, digestoes
    penosas, anemia, convaiescencias difficis, Hade
    critica nos senhoras, irregulariiade na mu-
    IruaoSo, pobresa do sangue, lymphatismo, sio
    curados rpidamente ou modificados por este
    excellente composto. E' o conservador por excel-
    encia da saude, e declarado superior nos hospi-
    taes e pelas academias a todos os ferruginosos
    contenidos, a iodereto e ao curato de ferro.
    T$sse Irmaos
    Vendem no sea armazem roa de
    Aaoriui u. 35.
    Licor fino Caracho em botijas e meias botijas.
    Licores finos sortidos em garrafas com rolhas s:
    , 'idro e em luidos frascos.
    Vinhosheres.
    Saoternes.
    Cbambertin.
    Hermitage.
    Borgontw.
    Champagne.
    MuscateT.
    Aelno.
    Bordeaox.
    i Cognac.
    Od Ton.
    PAezei lagniol.
    porque o nico que convem aos estmagos de-
    licados, que n2o provoca conspaplo, o unieo
    tambem que nSo ennegrece a bocea e os denles.
    A venda as pharmacias de P. Maorer 4
    C. e A. Caors, em Pernambuco.
    Francisco Jos Qermann
    Joaquim Jos Gongalves Bellrao tem para
    vender em seo escriptorlo na roa do Vigario n. 17:
    Vlnho do Porto em barris de 4* e 8
    Dito de dito em caixas de 1 dozia.
    Vlnbo superior da Pigoeira.
    Azeiie de petxe em barris.
    Toros de jacaraoda'.
    Tabaco americano em latas de 1 libra.
    Caixas com papel pautado.
    Cjfamos do Rio de Janeiro.
    Machinas para descarocar algodo, del Lenas.
    Pano^deTalgodo da Bahia, proprio para
    saceos de assucar e ronpa de escravos ; tem para
    vender Antonio Loiz de OHveira Azevedo 4 C, no
    seo escriptorlo roa da Cruz n. 1.
    cifjEos do mu
    a 1:500 o 2,000 re.
    Na praca da Independencia ns. 24, e 26.
    Vende-ee
    Verdadeira salsa parrilha de Brtstol por 34*00
    cada frasco : na botica da roa Dimita a. 88, de
    Jos da Rocha Prannos.
    RA NOVA N/tl,
    acaba de receber nm lindo e magnifico aor-
    timento de oculos, lonetos, binocnlos, do ul-
    timo e mais apurado gosto da Europa e ocu-
    los de alcance para obaervacoe eJparaos
    martimos. ______________
    Aguas mineraes naturaes de
    Vichy.
    De todas as aguas intooneoempicgadas em me-
    dicina, nenhuma goza de lao alta reputado, como
    a natural de Vichy. Estas aguas rao salinas e ga-
    rosas. Os mdicos de todo o mundo as roeomfnen-
    dam com vantagem os doencas dos rs, da bexi-
    ,a, as reas, nos .calclos urinarios, na gotta, na
    diabetes, na albuminuria, as doencas das vas di-
    gestivas, peso do eslonBo. dlfeatio difflcll. Inape-
    tencia, gastralgia diapesia, mmeita chronloa, etc.,
    Deposito na botica do Pinto, rna larga doJtn-
    HoftlO. ___________________
    ' "Pajino'de lioAoda Bahia, proprio para aao-
    cos de assoear e wwia.d6fCJvos, do melhor que
    nem ao-mercado, e lo de algodao da fabrica Todos
    toe Santos, do Sr.comroend.ador Pedroso, tem para
    vender Joaquim Jos Gonfalves BelU-ao, na roa do
    Vigario n/47, oaeH>*orto-
    -
    r
    ^;
    *
    .


    DUrUde
    b*c0 Kva felra 4 eie 4*lli de 1866.
    *
    M O
    a
    o
    o ?
    B

    obs

    c **a a o f
    ai ce?
    ,-b a
    o => =:.
    o a o.^: e o- ~
    B"|s.g4ig
    O 0 5
    5 a a
    ta_, Q ft3( A fts "I
    .flft Pkvo
    eWsLARES-ROER
    Unte.
    HVAI* S, SHGRM
    Ra do laciniado u. 49, leja de
    uiindezas
    DE
    fos Bigodinho
    Est queimando as miudeas abaixo declaradas:
    Frascos de oleo babosa fino 200 a 320 rs.
    Dilos dito (aleo a 000 rs.
    Ditos de macaQ perola a 200 rs.
    Ditos cem superior banba a 200 rs.
    Canas coro 6 (rseos dec heiro a 800 rs.
    Sabonetas fiaos a 60, 166, 200 e 320 rs.
    Ditos d bolla superior a 240 e 320 rs.
    Livrospara meswes com estampa a 320 rs.
    Caixas de 12 frascos com cbeiro a i*.
    Frascos de oleo babosa muio lino a 400 rs. .
    Dazias de meias superior uualidade para seobora a
    4*500.
    Chegaram as aguihas fealo (papel) a 60 rs.
    Calzas com botillos soldados de tumbo a 100 rs.
    Ditos de agua para limpar denles a 500 rs.
    Pedras de escrever (pequeas) a 160 a 206. rs.
    Sapatos de tranca para homense senbora a 1*300.
    Pecas 0e Otas de l preta para vestidos a 600 rs.
    Grozas de bolees de madreper ola finos a 480 e
    640 rs.
    Caixas de clcheles francotes a 20 rs.
    Pecas de froco de (odas as cores a 200 rs.
    Caixas com superiores envelope a 600 rs.
    Pares de sapatinfacs de la para crianza a 400 rs.
    Ditos de meias .preta* pan senbora, saperrores a
    360 rs.
    Libras de pregos de todos os lmannos a 240 rs..
    Sabonetes de familia, soperior a 100 120 rs.
    Resma de papel de peso multo fino a 2*.
    Frascos com tinta soperior a 100, 140 e 320.
    Grosas de pbosphoros de gai a 24200
    Pares de boioes para panno a. 120 e 240 rs..
    Cartao com Habas de 200 jardas 100.
    Meias croas muito finas a 4*.
    Caixa de pos para limpar denles a 100 rs.
    Oaixa de superior linba do gaz com SOnoreMos
    1 000 rs.
    Purceiras de coma para meninas a 320 rs.
    Talheres multo finos para meninos a 320 rs.
    Cartilba da douirina cbrisiSa 320 re.
    Frasee muito bonitos com cheiro a 240 e 506rs.
    Caixa com soperiors iscas para charutos a 20 rs.
    Masso com superiores grampos a 36 rs.
    Liquidaco de ferragem, e
    obras de cobre e bron~e a
    Grande armazem de tin-i
    ' tas medicamentos etc
    M Ra do .Imperador n, 22.
    Joo Pedro das Heves (ge-S
    rente) ten* a venda o
    cilnte:
    IH- Productos, chifioicos e pharma-
    |J ceuticos os ms empregados em
    jjg medicina.
    Tintas para todo o genero de p
    ~ tura e para tinturara.
    ^ Productos iwluslriaes e tintas
    M para llores,i como boties de flores
    gjS.e modelos .em.gesso para imitar
    fruelas e passaros coa o comper
    tente, des euno.
    I'o jiicios cbiniicDS e industriaes
    para pholucraptua, tnUiraria, pit> M
    lury pirotecnia etc. J0g
    Muuladu em grande escala e sup- j
    pi ido directamente de Pars, Loo- |
    dres, Hamburgo, Anyers e Lisboa !
    pode ofierecer productos de plena 5
    confianca e sasfazer, qualquer en- fl|
    commenda a grosso ira tu e a reta- $
    lito e por preco commodo.
    *&** mmm-mmwmmmQ
    IN JECCAO t CAPSIAS
    Qaeimado n. 16.
    Bonitos vasos 4* porelwa,4out*da com ktoba
    multo Ba.
    Outros ditos de p de pedra com dita.
    Garrafas com superior agua da Colonia.
    Frascos com agua balsmica para denles.
    Dito de dita dentlfri.
    Dito de extracto de quinquina tambera para den-
    les.
    Dito com superior agna flor de laranja.
    Dito de dita flor de rosa. >
    Dito de dito vinagre de Venus para refrescar a
    pelle.
    Dito de dito agna ambrlava para banbos do ros-
    to, corpo etc.
    Dito de superior agua de Colonia ingleza, de Pi-
    ver e Lubin.
    Dito de exceilente banba de Lnbin.
    Sabonetes de Lnbin, e ontros de amendoa, trans-
    parente, etc
    Cfvfee&, e parfewiliUf de*U
    cU* bi ruatW Quei4Mlo n. 8 recebe-os
    m M os ya|H>i'es frantezes.
    Ja^siaofo.Qonbecidos, ,e tanto, se.t'-m^paUu:
    o a fama desses prodigiosos collares Royer, qoe
    si tornaideaiMoeesarki dir maissltiurna causa,
    em abono de seus bons e eficaces efleitos; basta
    o testemunho de mbares de pessoas, to aproveitado o feliz resultado desses lo ulejs,
    qn8o necessartos collares Royer. A qootidiana e
    ^ CftLGMTO-
    4.5 Hua uireita -45*
    A priatira condieo indispensavel -a*o
    servac3o da sade trazer os pes.bem.de
    feodidos contra os ataques da bumidade;
    calcado bom e seguro o nico preserva-
    tivo dessag mil enfe/midades a qoe est sr> n,u" acre<,lta(l0 estabelecimeoiodepadaria silo
    jejteo nsc-r-em-. Un chnelo velho cal- M p?ca da SsDta 9"DZ D?- 6 e 8-com ma(iQI"s
    fado nnr um itondv natn^rant n m0v,d*8 vaPr> sendo e9, a egnnda oesta cida-
    CaOO por um lianoy patuscante^ ou uma de, a mais aperfeicoada no irabalho desta ordem
    botina acalcanoada em pequenino p de en- at o presente; os dono* desie estabeiecimenie
    cantadora deidade alm de aecusar que- Pa,ticipam aos seas npmerosos freguezes, que
    Fabrica vapor
    DE
    PAO E HOE.VCIIA
    Ns. 6 e 8
    Praca da manta Cruz.
    Joo Lals & Narciso, aoabam de montar o sen
    bradeira horripilante, prova contra asf-cul-
    crescida>..extn((rquV.\^'iVdorinoMm4 dos calcantes e n5o h
    quem, tendo bom senso, queira passar por
    maluco, ou pobre de. surro : ergo, cor-
    ram a :
    4*V*-RUA DIREITA4*t
    e.attendam a' barateza.
    que o cumero. dos prodigios se eleva com o dos
    compradores. A aguia-branca, sorm, desejando
    concorwr para utq fim de tanto aproveilamentoi
    tem feito,o*,necessfospeddcis,i/para.|ue P9r to-
    dos os vapores francezes Ihe seja remeitida certa
    Cosm'etique (ou pomada),de DS S, ra BS2S?
    Finos extractos, frangipane, sndalo e ontros
    tambero de finos e agrada veis cheiros.
    Opiata inglesa e franceza para dentes.
    Bonito vasos com p de arroz e pincel.
    Ganinbas com arwnaco p de arroz. -
    Olep ingles., dito pbilocome, babosa e outras qua-
    idades para cabello.
    Ghromacome pora tingir, cabellos.
    aguia-brao-
    icum
    M4ereot.eop de
    Com bonitas vistas.
    A agi}ia-branca receban bonitos slereoscopos de
    mogno enveraisados e comlind e gradavels-vte'.
    ta, e que* vend los barHanter sendo 1 taui
    nba coro 24 vistas, escolbidas por IOjOOO. Pode
    Essa apreclavel tintura chegn para aloja de ambem wdefis-vistas sfparaii?ewy cmim-
    mlodezas a ra do Qu.mado n. l,.aseim conwo .4 ffi ^ -Ii*rig*arB*.do..Queate
    sabonete branco, para se lavar os cabellos antes de,d0 n- ^JA^P^tl
    se usar da preparacao.
    labaies de vidro com
    Vende se esses bonitos cabazes de vidro com pe
    fumarias, proprios para presentes, etc.; na ra do
    Qneimedo toja de miodezas n. 10.
    Latas e copos com banba Abo,
    A bem conbecida loja de miudezas a ra do
    Qaeimado n. 19, acaba de receberaa estimadas la-
    las com banba fina, assim como copos de vidro de
    novo* bonito molde, com lampo de vidro e ebeiros
    de excellente banba, Receben igualmente a pro-
    veitose banh transparente que muito serve para
    acabar as caspas, e a aromtica e agradavel banba
    japoneza e oulras. Os pretendentes dirijam-6e,.a
    dita loja de mindezas a roa do Queimado c. 16,
    que serao servido a contento.
    Boaqoet dos alpes,.
    Esse finoe agradavel extracto, vem em um bo-
    nito vaso de po de pedra e este dentro de urna ele-
    gante caixiaba de papelao, de forma que a perfei-
    cao de urna cousa corresponde a soperioridade de
    oulra. Esse apreciavel eXIrscto acba-& 4 viuda
    na ra do Queimado, loja demiudezasn. 16.
    Agua. Herida e tnico,
    Vendem-se na. loja de miudezas. n. 10, ra do
    Qneimado.
    Frascos com gomma arbica dissolvida
    e pincel.
    Vendem-se na ra do Queimado loja de. miude-
    zas o. 16.
    Tinta indelevel [>ara marcar roupa.
    Vende-se na ra do Queimado loja de miudesas
    n. 16..
    Fita elstica.para eos de balao, e aspas dej
    ac para os ditos.
    Vendem-se na.ra do Queimado loja de miude- \
    tas n. 16: i
    Bonitos entremeios % babadinhos bor>
    Betiias de meriaO
    com sola, para criancas.
    A ,agnia;braoca .na.fua do .Qaeimado n.,8 reca-
    ben um bello sortimeno de botinas de merino
    com i sola, para enanca, sendo o sorlimenlova
    riado,em tamait|ms ,e dift;rsnies cores.,
    Fitas largas lavradfts.
    Alm do completo so tmenlo de fitas que cods-
    taaifmawjs^ftaha.naj. ia4'R*uta-branc, esta/ie-
    cebeu novamente um oulro sortimento de liras lar-
    gas lavrad?, cgfee diodos- uovos-ieseobo a par
    da,su^r'Q^19^l^l^1a simples dlzer talvez p pretndeme nao faca a justa
    idea do- apurado goslo de dilas fitas ; ms,e se
    dirigir,.' juh o,Quejmdp,Joja.d'guia-bxancai D.
    8, conhecer que nada ba de methor neste genero.
    Latas e cofre cem l>anha fina.
    A agqia trasica retttbeu novamente a sopeiiof
    banba em latas, e copos de vidro com lampa de
    dito, e contina a vende-ios a 2fte 2500 : na roa
    do Qneimadoj.loja d'aguia brancao.,8.
    Lequeg de madrepcrola, sndalo
    e :aco.
    A agnia branca, na rna do Queimado a. 8, re*-
    ce*n aova rernessa de booitoe leqoea,de.maidrt,
    perola, sndalo, e osso, todos., de lindos desenhi s
    TaTobem recebe ontros pretos para lato.
    Tlait uras pa r a f a e e r es ca bel i es
    pretes.
    A sguia brancada ra do, Queimado n..8, aca-
    ba de receber novo sortimento das apreclaveis tin-
    turas para com tintura de cbromacometrascos com colorico
    me para lustrar w cabellos, ditos com ovcnromott-
    tone para limpar as unbas, ditos com hydrcealto-
    tricbue para lavar es cabellos, sabao branco lam-
    bem para lavar os-drlcs, carxlnftas com tintara de
    Hoeto<*Watr. dllas com 4ita de L.^Marques. 8,
    lioneras <|e audam ,
    A guia branca, na rna -do Queimado n. 8 re-
    Homens.
    fBorzeguins barcellonezes de lus-
    tre e de porco 6OO0
    Ditos de Bordeaux .... 7(J000
    Ditos parisienses de-bezerro e;
    cordavao,....... 8^000
    Sapatos de lona, sola de borra-
    cha.....; 2,S000J
    Ditos aveludados..... 1)5600
    Ditos de tranca bons 106001
    Sanhora
    Borzegqios enfeitados.... 5^000 i
    Ditos de laco...... 4,5800
    M at boje os tem servido bem, de boje em diante
    se tornaro mais bem servidos, obo's em pao e
    bolacha, como em todas as qualidades de massas
    finas, pois os maquinas cooperan} muito para isso,
    apresenlando todo asseio e limpeza; pris os donos
    deste bello estabelecimenfo' procuram o quaoio
    convier em suas forjas para sempre melhorar o
    systema do sea i irabalho; os mesmos tomam a li-
    berdade de convidar o respeitavel publico desta
    cidade, como d Tora, para no caso de querer
    apreciar o trabalbo das mesmas maquinas, movi-
    das a vapor, todos os das das 6 horas da manb3a,
    at as 4 da tarde; e aproveitam esta'occasio para
    agradecer a todas aquellas pessoas que 4hes flzerem
    a distineta honra.
    Escravos fgidos
    Desapparecen no dia 2 destrabo do corrente ao-
    DitOS Usos 45500 v'no escr,vo Raymnndo pardo, o qual tem os sig-
    ivn*r.j a~ '.__l.i i'h.' i* j naes seguinies : estatura regular, bastante corpo-
    DltOS todo de merm Jolly, obra \em deDtes inteiros, cararedonda, cor de garapa,
    excedente......,. -i.-soCO tero em ura dos bracos iren grandes letras e ma>s
    SapatOS de borracha .... ljOO si8aes n0 mesroo braju em que tem as letras,
    Selleiros, corrieirps e segeiros 1 representa tir2S apnos, porm nao tem barba
    dados. I ceben aovas e bonita* booecas, que movidas por1
    Vendem-se por barato prlcr> na loja de miude- tim macbinismo, andan ptraitameau?, e pela per-1
    SEOBTAES aoMATICO ;
    :GRiMAULT&CLEPHARMAtidTiGOSEMPARlaS
    Novo tralamenio preparad* com as fulhas de.
    Matico, arvore do Per, para a cura rpida e in-.
    fallivel da Gconorrbea sem reocio algum da con-
    traccio do canal oo da inflammacSo dos intestinos.
    0 clebre doutor 11 icoR, de Pars, ter rcnonciado,
    | desde 6ua apparieio, ao emprgo de qualquer
    zas n. 16 na rna do Queimado.
    Tinta rx e azul que ficam pretas.
    Na loja de mkidezas o. 16 a rna do Queimado,
    vendem-se frascos grandes e menores oam essas
    ezcellentes tintas, roza e azul para ficar preta; o
    proco dos frascos 1*000 e 600
    Graxa ecooomica em latas e bawflsinhos.
    Vendem-se na loja de miudezas n. 16 a roa do
    Queimado.
    ?ara encrespar balados.'
    Thesooras de todas as grossuras. de duas, tres
    e cinco peroas.para encrespar babados : vendem-
    se a ra do Queimado loja de ferragess de Azeve-
    do & Irrao.
    tiWirt. a nMft| VUa I\0Va Otro )rl|lia. Emprcga-se o InjeccSo
    lojas ns. 99 e 35
    A yiava de Sebastio Jos da Silva aatorisada
    pelo jalzo de orpnaos vende para pagamento de
    seas redores as ferragens existentes as referi-
    das lojas,assim com obras de cobre e brome por
    muito commodo preco, como sejam : alanbiqoes e
    sinos a 600 rs. a libra, e tudo mais nestas propor-
    es.
    no
    comco de fluxo; as capsulas em todos os casos
    chronicos e inveterados, que resislirao s prepa-
    racoes do copaba, cubeba e s iajeccoes com base
    aneullica.
    A venda as pharmacias de P. Maurer &
    C. e A. Gaors, em Pernambuco.
    Vende-se oo neceo do Veras n. 22 urna preta
    oca, boa figura, qoe eogomma, lava e cozinba.
    Lotiza, vidros, porcelana e
    crystaes.
    lio a,ran4e araazm i fruirta, Pe-
    re ira k C:
    ima do crespo n. 16.'
    Neste eslabelecimento ba grande deposito destes
    artigos dos melhores fabricantes da Europa, de
    superior qualidade e domulbor goste possivel che-
    gados ltimamente, que se vendem por preces
    multo comraodos a dinheiro.
    . Vndese a posse e dominio de am terrena
    com 60 palmos de frente e oOO de fondo na estrada
    nova deUlinda, em estado de callara on edifica-
    cao: a tratar com o solicitador Manoel Lun da Veiga
    a ra da Gloria n. 94, ou com Elias Baptlsu da
    Silva Ramos na roa Ve iba a. 49.
    feico e novidade das ditas se tornam exceilenies
    para presentes : os preteadentes as acharao na
    leja d'aguia branca, roa do Queimado d. 8.
    Pap^ para flores,
    A aguia branca acaba de receber.novo sortimen
    %o de papel *ara Uores, dito para folhas, dito verde
    pardo para cobrir as basus, pes para rosas etc.,
    e contina a vender ludo isso petos amigos e com-
    Kodos preeos : os pretendentes que se dirijam a
    ra dj Queimado, leja d'aguia branca n. 8.
    Oapellas e flores finas.
    A aguia branca'recebea nevas e delicadas ca-
    pellas para nolvas, assim como bonitos caixos de
    flor de laranja, outros de rosas, e outros de flores
    zoes ardas, ludo de fina qualidade-e aparada
    gosto : os pretendentes que -se dirlgirem a ra do
    Queimado, loja d'aguia branca n. 8, serao bem ser-
    vidos.
    Ktroz francez em earreteis
    e miadas
    A agoia branea acaba de receber superior re-
    troz francez em earreteis e miadas. A excellente
    qualidade desserelroi o torna prefervel-ao ootio,
    e isso onhecer qaem o comprar i oa ra do
    Qaeimado, Inja d'aguia branea n. 0.
    VENDE-S
    A taberna sita na ra da Senzalla-Nova n. -9, a
    tratar oamesma.
    ' E nm completo sortimento de-calfado fa-
    bricado nopaiz.
    "* XAROPE
    D'HYPOPHOSPHITO OE CAL
    de GRIMALT e C"
    PUriMcwticot i* S. A. 1. o Pritep* NapoleSo
    em Ptrit.
    Desde muitos seculos os mdicos a os chimicos
    tinhlo procurado um medicamento que podesse'
    curar as molestias de peilo; todas as pequizas
    feitas ath boje nao tinho tido nenhum resultado.
    PVem es trabalhos que forao communieados
    Bltimamenie Academia de Medicina de Pars, e
    as mais serias experiencias feitas no hospital
    i rampln de Londres, que especialmente reser*-
    ' vado para o tratamento da tsica, pravarao que
    essa terrivel molestia, quando ella' nSo estiva
    aiada ao seu ultimo grao, tnha no Xarope d Hy-
    popliosphto de Cal, um especfico poderoso. As
    tosses, defiuxoa, catarrhos, bronchitis, grippa e
    coqueluche, cedem tambem rpidamente ao uso
    d'este Xarope, e os asthraalicos acho n'elle um
    elemento certo para curarem-se.
    Reeommenda-se aos doentes de fazerem uso ao
    mesmo lempo das deliciosas pastilbas peitoraes
    ao sueco de al face e de louro cereja, dos Sm Gb>
    MSBITiB C"- Esta excellente preparacAose oompoe
    de duas substancias as mais calmantes e ao
    mesmo tempo as mais inoffensivas da materia
    medka, e nlo contem opte.
    Deposito as parmacias de P. Maurer ,
    C. e A. Caors, em Pernambuco.
    Remfdiesdo Dr. J. C. Ajer, ex-lente
    da tniversidade de PcDSjhania, dos
    Bstados-loidos.
    Kxlr a co composto de salsa-par-
    rliba de Ayer.
    Pe Moral de cereja.
    Remedio para sezes.
    Plalas eatharilcas.
    0 deposito central para as provine as:
    Pernambuco, Alagoas, Parahyba e Rio-
    Grande do Norte, destes remedios to fa-
    voravelmente conhecidos e acoihidos em
    todas as partes da America do Sul e do
    Norte, acba-seem casa de Theod chcls-
    tlansen, 16 rna do Trapiche en
    Pernambuco.
    Os preeos de
    33 por duzia de estrado de salsa-parrilha.
    27(5 por duzia de peitoral de cereja.
    27jj por duzia de remedio para sezes.
    7> por duzia de pilulas catharticas
    se entendem dinheiro vista, c m
    o descont de S por cento em quantidades
    Rama larga do Rosamo n. 32, vesdem-eide 6 a 12 duzias, e de 10 por cento em
    ous rolos de (amo por preca nao tem
    quasl nenhoma, tem os ps bastante grossos e foi
    do serto. Ja esta' porm no Recife de 8 para 10
    anoos, bastante trabafbader, tanto do servico de
    casa como de campo, oceupava-se nesta prae em i
    servido de servente de pedreiro e trabalhava com
    o meslre Manglrico e tambem carregava agna.
    Coslumava irajar am paleto! de bnm grosso em
    fj-ma de camisola ; snppoe-e qne tenha ido para
    o serlao-do Ico era algum comboy feto almocreve:
    roga-se s pessoas que o preoderem queiram lva-
    lo a saa senbora D. Marianna Augusta da Rocha
    Bastos, na rna da Aurora n 43, qoe ahi generosa-
    mente se recompensara' este trabalbo, on ao Sr.
    commendador Manoel Luiz VirSes. ______
    Attengo.
    Recommenda-se aos senbores capules de cam-
    po e autoridades policlaes a prisio do esoravo de
    nome Adalberto, com os signaos segutotes : cabra,
    baix", pernas am poaco arquead is, barba cortada,
    maito prosista, anda sempre com a cabrea de lado:
    prendendo-se levem no a roa do Imperador n. 17,
    qoe ser recompensado o apprebensor.
    mmm \mm.
    Em fevereiro do corrente anno fugio o escravo
    Yicior, de idade 16 annos, crenlo, dentes grandes,
    tem nm talbo bem saliente no beico superior. Em
    jiiuho passado o escravo Justo, de idade 30 annos,
    cabra, estatura regalar, conserva grosso bigode,
    e nao tem qaasi barba algnma, tem falta de
    dentes na frente mas mostra ainda que os teve
    limados e trabalha de sapateiro: ambos naturaes do
    Piauhy ; pede se as autoridades e aos capitaes de
    mato poliefe sobre elle?. Paga-se bem a qaem os
    levar roa estreita do Rosario segundo andar
    n. 24.
    Do mosteiro de S. Bento de Olinda, aasen-
    tou-se o mulanho Jos, escravo do mesmo mos-
    teiro, com dezoito annos de idade, i pardo cor de
    canella, baixo, robusto, beicos grossos, e sali-
    entes, maca a do rosto tambem salientes,, cabel-
    los caracoiados, pescoco corto: levou chapeo
    de massa de cor clnzenta e de copa balxa, e toda
    a roupa que tinba, e que sendo criado do abbade
    tinba bastante roopa, e por (ante bem tratado:
    qaem o aprehender qneira leva-lo ao mesmo mos-
    teiro em Olinda que sera' bem recompensado.
    Aos Srs. agentes da polica e capes de
    campo, recommenda-se apprehenso do escravo
    Jo3o, com os signaes seguintes : baixo, ebeio do
    corno,espadaudo, dentes limados, pooca barba; le-
    l vou vestido palitot e bonei, tem sido encontrado na
    ribeira deS. Jos: qaem oapprcbender leve-o ao Po-
    co da Panella a sea Sr. Joo Cavalcanti de Alba-
    qaerqae Lins, qae recompensar bem.
    Desappareceu po dia 19 do corrente, o escra
    vo, crionlo, de idade de 50 annos, poaco mais oa
    menos, alto, barbado, cara comprida, fallas mansas,
    ps grandes e grossos. Este escravo faz parte dos
    bens deixados pelo finado Jacintbo Alfonso Botelho,
    e oceupava-se no servico de cortar lenha.
    Quem o pegar leve-o ao Reelfe a sua senbora a
    viuva do dito Jacintho ARonso Boteibo, oa ao sitio
    Sapucaia em Beberibe, que ser bem recompen-
    sado.



    3!

    t

    73:
    D0S PREMIOS DA O. PART^ DA M LOTERU' CONCEDIDA POR LE-PROVINCIAL-,N. 3S0, A BENEFIGO DA MATRIZ DE S. JOS DO REQFE, EXTRAHIDA EM 23 DET3ULHO DE 1866.
    NS. PREMS.
    4 63
    9
    11
    13
    1
    23 -
    27
    35
    46
    49 -
    53 -
    51 -
    57
    58
    61 -
    62 -
    63 -
    66 -
    69 -
    73 -
    76.
    78
    83

    101
    4
    T
    13
    18
    19
    20
    28
    29
    31
    36
    39
    40
    43
    46
    m
    53
    56
    88
    60
    63 1:2004
    64
    66
    77
    78
    84
    6*
    NS. PREMS.
    186 6J
    96
    9?
    : 98
    202
    3
    tai
    6-
    7
    10
    11.
    12
    28-.
    33
    34;
    40
    42
    5
    58
    4
    ' 71'
    73
    77
    81
    94
    95
    303
    13
    14.
    17
    24
    26
    27
    31
    38
    39
    40
    45
    46
    51
    52
    53
    54
    64
    NS. PREMS. NS. PREMS. PREMS- NS. XS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS^PREMS. NS.
    20*
    6#
    20J
    6*
    6* 62
    64
    M
    67
    68
    40*
    373
    74
    76
    78
    83
    88
    92
    400
    . J
    9-
    10
    21
    . 24-
    29
    32
    33.
    35
    O
    45
    47
    51
    52
    55
    58
    59
    61
    62
    70
    ! 71
    73
    80
    82
    84
    ,85
    89
    90
    504.
    5
    .. 7-
    9
    11
    21!
    32/
    33-
    37
    38'
    41
    44
    4S
    49.
    U
    100*
    w
    6*
    65o
    58
    61
    63
    76
    77
    78
    . m
    8
    600
    8
    -4 i*
    6*
    20*
    6*
    20*
    6*
    17
    6* 1
    23
    758
    59
    6t
    64
    75
    79
    85
    87
    90
    92
    97
    6*
    28
    ' 29
    32
    34
    39
    43
    45
    :49
    34
    SS-
    1 66
    82
    87'
    96
    97^
    704
    *
    9
    10
    15
    21
    22
    24
    20* 27
    6* 30
    1 33
    39
    41
    42.
    44
    ,48
    49
    91
    52
    10*
    6*
    10*
    *
    10*
    6*
    801.
    5
    12
    23
    33
    35
    38
    42
    43
    46
    47
    55
    61
    64
    70
    73
    76
    81
    80
    87
    91
    92
    1900
    2.
    8
    15
    17
    20
    53
    25
    34.
    37
    43
    44
    51
    52
    58
    62
    63
    200*
    6*
    966
    70
    72
    79
    85
    92
    93
    99
    1002
    6
    7
    13
    14
    15'
    17'
    28
    31
    33
    39
    42
    44
    46
    47
    51
    63
    '58
    59
    63
    68
    70
    rf*
    75
    '77-
    80
    86
    91
    92'
    94
    91'
    1 W
    1102,
    . 3
    7
    ,2
    14
    15
    *)
    21
    23
    25
    6*
    10*
    6*
    20*
    6*
    40*
    6*
    10*
    6*
    10*
    6*
    10*
    40*
    6*
    20*
    irsi
    32
    41
    42
    47
    48
    49
    54
    68
    69
    78
    79
    81
    87
    90-
    94'
    98
    99
    1209
    12
    13
    14
    19
    27
    28
    32
    37
    38
    41
    41'
    45
    48
    66
    56
    61
    64
    66
    67"
    68
    71
    72
    ; 73
    1 70
    19'
    81
    8T-
    89
    94
    95
    1302
    6*
    10*
    6*
    10*
    6*
    1305
    6
    7
    8
    12
    28
    29
    33
    34.
    36'
    39
    42
    46
    49
    50
    52
    56
    63
    70 -
    20*
    6*
    10*
    6*
    92
    93
    94
    96
    10*
    6*
    10*
    6*
    0|
    6*
    90'
    1401
    14
    17
    i20
    ,.*
    26
    33
    36
    40
    ^43
    80'
    ,54
    73
    '80
    1 84"
    85
    86
    90
    91
    91'
    9'
    500
    2
    10*
    6*
    100*
    8*
    1605
    8
    9
    10
    12
    13
    17
    21
    25
    31
    36
    38
    39
    4*
    49
    < 63"
    66'
    57
    50'-
    66-^
    67
    69
    78"
    79
    83
    89
    91
    '92
    97
    (603
    14
    I 15.
    , 18,
    21
    28.
    33
    l 35,
    30
    ,42.
    44
    *!
    47
    52
    54
    5Z.
    60
    63
    66
    6*
    20*
    6*
    6*
    1675
    76
    77
    78
    87
    89
    91
    1701
    6*
    12
    13
    21
    22
    2S
    24
    20
    29-
    38'
    1* 42
    10*
    *
    40
    44
    50
    58
    59'
    63
    71
    72"
    73a
    7*"
    78
    80
    83
    84
    93
    96
    _ 99
    1800
    - 1
    4
    7
    13
    1846 6* 2035
    53 37
    57 41
    6* 48
    64 56
    65 56
    68 68
    70 61
    71 ! 60
    70" 69-'
    | 81 73
    85 10* 78
    89 6* 81
    91 84
    92 87
    90 2100
    1914 ^_ 2
    10*
    6*
    10*
    6*
    24
    27
    30
    32
    40
    66
    56
    58
    61'
    63
    69
    70
    10* 74
    - 70
    -I 71
    20*
    6*
    100*
    6*
    17 -
    18
    21
    27
    31
    37"
    39,
    40
    40*
    6*
    75
    80
    81
    8ff -
    91
    98
    94
    95*
    97
    98
    2001
    4
    6
    9
    n
    23
    28
    -I 33




    Diario de sernaaifcae* rer$a felra 94 e Jwlho de 1866.
    UTERATORA.
    XV Que nSohavendo lagar de condem- inquisico era tomada por um Terbosinistro,
    nar a algum preso, n3o o obriguem a sabir
    no auto ; porm que nao sendo o reo, des-
    pachera logo ao dito, e o so I tem sem espe-
    cum rar pelo auto.
    XVI Que os chrisl3o3 novos possam
    qae em non infausta, irrompera dos labios
    da Egreja*, para ferir de exterminio a buma-
    nidade t Afflgorava-se-nos, por ootro lado,
    moralmente impossivel, que a divina Esposa
    de Ghristo, filha ao mesmo lempo de suas
    As Biblias falsificadas.
    Si quu aulem libros ipsos ntegros
    mnibus suis partibus, proui in Ecclesia
    ^tTlM^^Tt-^^^^^rlfa testeaDuaha~r contra os velhos, nao" tendoj amorossimas entranhas/fundasse umtribo-
    Irtset cZnLIZn Zc%rilPe\nira- exceptes legaes, e que nao os obriguem nal, com a aleada sobre a consciencia, para
    iHtiones prendidas scietis et prtidens a jurar, que nao attestarao contra christSos matare queimar creaturas humanas por mo-
    contempserit, anathema stt. (Conc. Tri- velhos.
    dent., sesso 4.\) ; XVII Que se todava subsistir o costu-
    on Duaca me de castigar os christSos novos, sem oui
    a inqoisicAo. ira ciusa que por deporem contra christaos
    velhos, que se annulle.
    XXVII
    Tem a inquisico de Roma suas leis' XVI11 D'onde 8e P0(le assegurar de
    por onde se governa; tambem as teem as,aelict0> c0100 sendo delicio permanente,
    de Hespanha e Portugal ; porm as destes n3 se possa constituir reo ao delatado, sem
    dois reinos sao tyrannas, porque excedem os limites da razio, justica e equidade. F x,x Que n3 se ju'gna por diminuto
    equidade, justica e razo tratar aos aecusa 1ue n5 comear em sua confissao urna tes-
    dos como reos antes que conste ao tribunal temonha comprehendida em as informacoes,
    da sua culpa ? (IU9 d3 k^3 deposto raais que como
    E'equidade, justica e razo reputar m^P lestemunha, ainda que seja de
    por testemunhas fidedignas a bomens vis, parente mui Proximo'
    infames, corruptiveis, ou a horneas de hoo- xx Que aquelle que em sua cooffssao
    Marechal Haba Mo oa grande vidrsca allego-
    rlea pira offerecer a S. M. a imperatriz.
    Esta preciosidade foi destruida tambem pelo
    fogo.
    Todos os homeos velhos confessaram qae nanea
    em Vizeo se liona feito ara acto religioso com mais
    pompa e mais editicativo.
    O revereodlssimo bispo diocesano estere presen-
    Entre as perdas mais notaveis, nota-se una te, as tribunas do lado da ordem terceira, e que
    vidraca admiravel, intitulada o Burgomestre >, i linnam entrada pela mesma ordem, esuvam todu
    que flguroo com honra na exposicio universal de' as senboras da arisioeracla, e do ootro lado s fo*
    Londres.
    in-
    Como se sabe, o ministro prussiano Bisraark
    timou a Saxonla para desarmar.
    tivos de religio 1 Mas esta em logar de obedecer a intimado
    . .. .... ... prussiana, contina a armar-se at os deotes.
    A dtfflculdade de conciliar abondade deF Esle procediraento porem do govemo saxonio
    um Deu de clemencia com os horrores esle a ponto de ter consequendas desastrosas
    e ferezas da inquisico nos conduziu ao es- para as cosinheras e a saude dos saxonios.
    tudo reflectido desse grande facto social, A cidade de Dresda, qae i capital da Saxo-
    para melhor conhecermos d'onde comecou e'oi*> MleTe *l|nD8 d,M domiMd Pel ,error-
    .. j -. i Tinha corrido o boato de que a Prussia ia ret-
    at onde chegou a accSo da Egreja, e desta m 0 ^^ fl exconHDal>ga.la commerciai-
    arte pdennos, com toda seguranca, julgar' mente.
    do mrito e procedencia das aecusacoes. Es-! Os saxonios nao possnem salinas todo o sal
    tudmos, senSo com atilado discernimento, i que consommem -lhes fornecldo pe* Prassla em
    ao menos, com sincera boa fe.-Estodmos,;Tir,ode, d'affl.\fif^f eolnc!u,da eo
    ' k. renovada em 1864, e pela qual o govern
    mas estudmos nos fastos da historia amiga Gailbera)e8e 0brjga a fornecerf ^
    e inimiga da Egreja. Colbidos todos os COBTenionado, 16 arralis de sal por
    dados pro e contra, pesamo-los na ba'aoca' mago de saxonio.
    do re
    uno preco
    cada este-
    da razao... E o cerlo que desde esse' Este sal entrego em globo ao govemo taxo-
    dia, soltamos no interior d'alma ura brado '> iue xea> n* 'da det "*
    uw, ou.wuiu! v Logo qoe se sonbeem Dresda a recosa do go-
    ra quedepemo quenosaemnemcreem, &* apostasia nao nomear urna testemooba t de SUDlime conviccao en iavor aa Egreja, vernoda saxooia s intimac5es da Prossia, ima
    para se livrarem ,de urna insupportavel e
    cruel vexafSo para salvar a sua vida ? E'
    quidade, j ustiga e razab n5o confrontar as
    testunhas com o denunciado, podendo suc-
    ceder que conheca o nome sem conhecer a
    pessoa. e que vendo-a se retrate do que
    depoz? E'equidade, justica e razo con-
    demnar por depoimento de testemunhas
    n3o contestes e muitas vezes falsas e sem
    receiar pena nem castigo ? E' finalmente,
    equidade, justica e r.izo que um tribunal
    ecclesiastico, que blazona zelar a honra de
    Deas e defender a sua causa, autue a sen-
    tenca contra o que manda Deus e di la a
    razo, quando em todos os tribunaes secu-
    lares da Europa se agitam as causas crimi-
    naes com toda a circuraspecco e recato,
    nao se dando jamis definitiva se4encasem
    constar evidentemente do corpo do delicto ?
    E' cerlo que nao.
    Cr a Egreja romana ser o Papa infalli-
    vel por inspirado em materia de religio : fs
    inquisidores de Hespanha e Portugal, como
    membros to consideraveis da Egreja, de-
    vem ter este dogma por incontestavel, e por
    consequencia devem executar os decretos
    pontificios-sem duvida nem repugnancia.
    Innocencio XI, em o breve promulgad)
    a favor dos chistaos novos dos reinos de
    Portugal e Algarves, que cometa -Roma-
    nas Pontifex- dado em 22 de Agosto de
    1681, manda que ;
    * I Nao se coofisquem os bens antes de
    se dar sentencia, pelo menos declaratoria.
    < II Nao se enapreguem os bens dos de-
    nunciados seoo nos seos elementos neces-
    sarios, e que se faca inventario diante de
    um parente do acensado, eaa cuja mo se
    depositem, dos quaes se deve sustentar a
    familia do dito aecusado e pagar-se a seus
    legtimos credores.
    t III Que si entre esses bens se acharem
    offeitos ou dinheiros que pertencam a ou-
    tro', constando judicialmente, selhes entre-
    guem.
    c IV Como tambem depois da sentenca,
    achando-se bens emphteuticos entregues pm
    confianza ou sujeitos a re>tituicio, seja como
    fr, se entreguem logo a quem pertencer de
    direilo.
    V Que se nao possa prender sem pre-
    cederem legtimos indicios, conforme as re-
    gras de direilo.-
    VI Qae se nao detenham os presos no
    carcere, debaixo de qualquer pretexto, mais
    do tempo necessario para terminar o pro-
    cesso, mas que se despachem o mais de
    pressa quo for possivel, sem esperar pelo
    anto def.
    VII Que o jurameoto que se exhibe
    aos advogados nonleados pelo Sancto-Oficio
    para defea dos culpados se nao insira nelle
    a clausula (se por ventura) nem outrss seme-
    lhanles ou equivalentes.
    VIH Que o advogado nomeado pelo
    Sancto-Oficio possa falar com o preso sem
    assistencia de outra pessoa, e que se lhe en-
    tregue a copia do processo, sapprimido nos
    nomes das testemunas e das circumstancias
    que as podem dar a conhecer.
    IX Pedindo o preso outro advogado,
    que nao seja o nomeado pela inquisico, se
    lhe dar e conceder sendo homem de boa
    fama ; e este depois de haver jurado de
    guardar segredo se lhe dar tambem copia
    do processo supressis suprimendis po-
    rm nao se lhe permittir falar com o preso
    sem assistencia de um deputado da inquisi-
    co.
    X Que os chrislos novos que nao ti-
    verem excepces legaes se sdmittam a depor
    em defeza dos aecusados.
    *XI Que no que toca a negativa do
    alibise proceda segundo a disposigo de
    direito,. e das ordenaces cannicas.
    XII Que na possam ser totores ou cu-
    radores daquelles a quem de direito se de-
    vem nomear, nem o goardio do carcere,
    nem outro official do Sancto-Oficio, mas
    qae se eleja para isso qualqaer outra pes-
    soa que seja grave, fiel e de boa vida.
    * XIfi Que totalmente se abstenham de
    todas assuggest5.es, concuswe, promessas,
    e causas semelbantes em os exames que se
    fizerem das testemunbas e dos aecusados.
    XIV Que nao se possa dedazir prova-
    do judaismo, por proceder de gerac5o #de
    Jadeas, particularmente, que nao se possa
    dedazir sufficente presumpeo para um acto
    judicial por ama tal descendencia.
    cmplice do mesmo delicio que seja prente ^opura das magoas dosangue da tnqui- glnoIl.8e qae est4 ia derrog>r a convenci de
    em primeiro grao, nao possa julgar-se di- *>- W*U> raios do 9o1 das ,mnmnd- *84, e qe os cosiahados m ser condemnados
    u i i -.- cas one tocam f a mais-triste insipidez,
    minuto, sem haver urna plena e legitimac,a**e acarar Na mimMt *> dia segointe.K todas as
    prova da complicidade voluntaria e fraudV D fo^ da verdade, entramos em eseru- J^ J esWam m abrig.
    lenta ommisso do dito cmplice, e qae nlo P^os si devenames conserva-la presa nocora-, gem M ,,,, d0 n] e ,ogo ^ estes se fran-
    ?5o. Por muito tempo excogitramos O mel q0earam aos consumidores, sofTreram ama ver-
    de fazo-la- irradiar no mundo exterior. Re- dadeira iwvasao de compradores.
    baja indicios que o acensado o nao tenba
    nomeado por esquecimento ou falta de me-
    moria.
    XXI Si um reo depois de haver con-
    fessado ter guardado algumas ceremonias
    da le de Moyss, quando creia neka, nao
    vesti-la das formas graves da historia era
    temeridade egual dos nimig da Egreja.
    Que fazer 7Vasar do papel todas as nossas-
    impresses- e ideas, daado-lhes; por salvo~
    conduelo o testemunho dos horaens compe-
    sendo convencido por testemunhas vafidas de ^^ ^ mm do ^lo e ^ metbodo .
    haver repetido as mesmas ceremonias que
    agora nega, nao seja condemnado a pena
    ordinaria, e mais particularmente sendo as
    novas ceremonias de que o aecusam indif-
    ferentes e equivocas.
    XXII Em caso de aecusaco de heresia
    ou apostasia, ainda que as testemunhas se-
    jam singulares a respeito das lugares e tem-
    pos, sendo conformes em outras circums-
    tancias, serlo admitlidas a depor contra os
    aecusados de judaismo, e no reino de Por-
    tugal segundo o seu antigo eos turne,, e em
    considerado de outras certas circumstan-
    cias recebidas em favor da f no dito reino,
    com quesejamas ditas testemunhas muitas
    em numero, consideraveis por sua qualida-'
    de, capazes de dar testemunho fidedigno,
    e finalmente que sejam taes quaes sejam,
    e se requerem por lei e por direUo, e par-
    ticularmente concorrendo em sea favor ou- i
    ou, para falar com mais propriedade, ten-
    tamos reunir em corpo todos os apontamen-
    tos que fizeramos-as nossas peregrinarles
    histricas
    mostrar, em esalinhad phrase, mas
    A-venda do sal dora sem ioterrapco at as 8
    horas da tarde.
    Todas as familias de Dresda fizeram provisao
    de sal para oitb ou dez raezes; podera agora rom-
    bar por muito tempo da ameacas da PruBsi.
    O Corroo PtnUistano publica
    O CACHOnMNHO DS MIS1IV AV.
    Junto ao convento bavia ama boa morada- de ca-
    sa, qae foi a praga, e a mandei arrematar em- no-
    sendo o nosso intento- supremo Ime de mlnna T0d0D* Pebrooia, senbor de 80
    com'anD0?' PorlD aiDda ,orle e direita.
    A familia se compunha de dona Febroni, ama
    todasegnridade d'mmoque tudo o que ha .n^uda de BOoe Consuncia, t.oha 20 aonos- de
    de sangue e fogo na inquisico ao per*, idade, e as ms linguas par zombaria diziam,. que
    tene a Egreja, ma* Sim cegueira e lana- Mal trazido para-casa dentro da manga do habito,
    tismo dos homens. Si estamos em erro,: e-Wado-a da bocea de ama ramana, o Sr. Domin-
    . .___,_. j. v .,^_._ I gos sf gando primo, rapaz de 2t annos, e qne, por
    este-erro houremo-lo do.estudo dabistona,l^ST^^S^mnto tetina, e da* meditaeoes sobre a ndole e espirito | recudo como o senhor dre, havia nma
    das fluctrinafe do Christo. E se- erro, esvettae formosa- criada grave com 25 aonos- de
    COnfOssemos qqe continuar a ser para nS, idade, urna aggregada Ja familia velha, de 58 an-
    umdogma eterno de consciencia t
    Cantinuar-se-ktii)
    V POUCO II TIDO.
    Na poca, actual a pobreta e um delieto.
    Nascer pebre quasi qae equivale a> nascer de-
    tras eonjecturas apparentes, havendo primei- Uaquente.
    ro considerado e examinado lodas aaoutras-l Nascer rico.e ficar pebre ama dasgraca que
    circircumslancias juntamente eom a egual*
    dade da pessoa contra quem se depoe, de
    sorle que nao fique lugar de presumir, qpe
    t^es testemunhas deponham falsamente.
    XXIII Que os depoimentos destas- tes>
    temonhas singulares, que constam de cou-
    sas impoSsives, nao sirvam de prova por
    nenhuma maneira.
    t XXIV Que a reputaQo das testemu-
    nhas seja indispensavelmente necessaria de-
    pois de se contestar o processo com citacSc
    parece oiu.crime.
    A pobreza to feia que iodos, l&o voltam as
    costas.
    O pobre como o- leproso, de qaem nioguem
    se quer aproximar coas medo de cotagiar-se.
    Um mendigo unj ente prosevapto.
    S- pelo facto de % ser inferior m seu seme-
    lhanie.
    Nioguem o traucomo creator^ que tem cabe-
    ca. para pensar, olbos para chorar, coracao para
    sentir.
    ' pouco mais que um inaecto, qne qoatqoer
    pode pisar com os ps
    At os ces aopatisaoa eom os lodigentes t
    E por Isso dizer-se mecdigo, o mesmo que di-
    que qer dizer, que seja com conhecimento
    do aecusado, e por artigos que sejam apre-. zer-se ladiao, cousa rain.
    sentados pelo procurador do mesmo aecu-' Dar esmola aiimeour o vicio e
    sado, ou que supram ex-officio, sem o que'
    as ditas testemunhas sejam de nenhum
    valor.
    XXV Que as testemunhas que depem I
    a preguiga.
    Compadecer-se do taigente fomentar a per-
    versSo. <*
    A capa da pobreza encobre as vezes lalsidade e
    malicia, porem se culpamos o pobre, culpamos
    tambem a sociedade que deixando a pobreza em
    abandono, permute qae ella se entregue ao com-
    de indicios, remotos de confissao extrajud- ii o fl4 ^^
    cial de judaismo nao fa<;am prova bastante Existem mil associacoes phiiantropieas e ata
    para condemnar o negativo pena ordi-
    naria.
    XXVI A validade dos depoimentos de
    testemunhas para outras penas ou efleitos,
    se remette consciencia e prudencia do
    juiz ecclesiastico temente a Deus.
    XVII Que as conflssSes tiradas por vio-
    lencia contra a forma jurdica, que sefazem
    verdaderamente caritativas : puem todo isto nao
    remdela o mal senio parcialmente, e somante
    para conlrabalancar as tendencias da poca.
    Presentemente s queremos o que prodox algo-
    ma cousa.
    . Bosea-se o valor e nao o homem
    Aprecia-se o producto e nao a pessoa.
    E om mendigo nada vale.
    E como o tempo vale dinheiro {timis is money)
    por suggesto, ou por promessa de vida ou: o mendigo que detem o mercador no sen,caminho,
    liberdade, que sao geraes e obscuras, e que'o estorva, e arrebau-lhe am insume qae um
    repugnam edade, sexo ou capacidade do .''J^JE, i0
    confitente, nao tenham forca de sujeitar
    confitentes a pena ordinaria, salvo si ratifi- j
    carem legalmente o dito por outra va. I graca, ha cem cabeoas qae
    1 na supplica do indigente.
    XXVIII Que os presos sejam tratados; Da civiisacao se pode dizer o mesmo, qne
    com car idade, e que os carceres nao sejam creveram sobre a sepultara de um asurarlo:
    t Fez estylos e hospltaes para a pobreza,
    rem tambem fez os pobre.
    O pobre qne for honrada ou farla para comer
    ou morre de fome.
    A tome nao sabe o qae virtude.
    Hontem a miseria.
    Hoje o pao fuado.
    Amanbaa a priso.
    Tal a historia do mendigo. ..
    nem to duros, nem to tenebrosos,
    t XXX Que se lhes nao negu ro
    qae da ama esmola, ha
    s cem lingoas que responder um insulto.
    Por cada am coraco que se compadece da des-
    enxergam Impostara
    es-
    DO-
    nem
    confisses, nem livros espirituaes.
    XXX Manda emfim que esUs ordena-
    res se ooservem inviolavelmente sob pena
    de interditoofc acelesia ao inqoisidor geral,
    e de excommunho latee sententioe, aos su-
    balternos inquisidores, e a seos officiaes e
    ministros.
    * Si os inquisidores destes reinos guar-
    daran estas ordenaces pontificias ou nSo
    as guardaram, se pode ver em a relaco
    portugueza de Vieira, e diferentes relaces
    posteriores ao breve de Innocencio XI, de
    todas as quaes claramente consta que nao
    guardaram as leis divinas, nem humanas,
    nem bullas pontificias, nem caones, usando
    somente certas constituieSes particulares e
    imperscrutaveis a todo o genero humano,
    nao excluindo o mesmo pontfice, a quem
    negaram a remessa de qoatro processos,
    qae mandava lbe enviassem I >
    XXVIII
    CANCLUSO
    Perguntar-se-nos-ba talvez, si teremos a
    velleidade de pretender os foros de AMforio
    para o que ahi flea esbocado ? Nao, (apres-
    samo-nos em responder) que para tanto nao
    foramos de geto, nem de animo to ousado.
    Desde qae comecmos a ver e ouvir eom
    algum criterio, percebiamos que apalavra
    De Met (Franca) dio ao tEvenemaot noticia
    de um sinlslro que quasi ama desgraca pu-
    blica.
    Um incendio, coja orlgem ae ignora, desuni
    ltimamente as offleinas de pintora em vidro da
    celebre casa marechal.
    Vidros amigos qae serviam de modelos; vidros
    modernos e qae serviam de espeelmeo; cartoes,
    desenhos, debaxos adqueridos por Marechal S-
    nior em todos os museos e em todas as igrejas do
    mondo, lado (oi desunido; de todas estas rique-
    zas artsticas, nao resta boje genio om montio de
    roinas.
    Este sinistro fert de um modo sensivel, na
    pessoa do sea mais habii e mais conhecido repre-
    sentante, nma das mais florescentes e mais glo-
    riosas industrias francozas.
    A nomeada da casa Marechal universal; era
    celia qae se eoaservavam como n'om musen aj
    tradigoes da grande arte da pintara em vidro.
    Este incendio alem da enorme perda material
    qae cansoo, destrato thesoaros inestimavels.
    O tracto de qaarenta annos de trabalbo e de
    ciencia perdeu-se em poncas horas t
    U imperador e a imperatriz doa francotes ten-
    cionavam visitar esla grande fabrica na saa pr-
    xima viagem a Lorreoa-, em attencio a esta visita
    dos, a cosinhelra, urna outra criada e nm criado,
    ao todo eram oite-pessoas, e nm gato e um eaohor-
    riabo.
    Quando ea mal>peosava, conbecea-se que > eeea
    era assootbrada do demonio.
    De noite sentaam-se almas do ootro mundo- ar-
    rasundo correales de ferro,.e com.tristes gamido*
    cbamavam por varios nomos, principalmente por
    D. Febronia.
    E" necessan saber, que Gonstancia dorma- no
    mesmo quarto oom minha ar, qne a tini* debaizo
    a sua vista e guarda.
    Junto ao quarto havia um gabinete onde estav a
    nm rico oratorio, no qual, eom liceoca do bispo, eu;
    todos os domingos e dias santos, dlzia missa.
    Quando a alma principiava com os seos gemidos
    a pobre vetoa corria logo para o oratorio, acendia
    dous cyrios, e fechava a porta do gabinete para a
    alma coodemnada nao poder entrar.
    Constancia ficava no. quarto, dizia ella,, rosando e
    deitand agua benta as portas.
    As doas criadas jaravam, que ja.' tiobam. fisto o
    pnantasma, que nao era o demonio, mas sim urna
    alma do outro mando, qae tinha em lugar de cara
    urna caveUa, e em lugar de bracos ama ossada de
    finado, que os ps eram redondos como os dos bru.
    tos.
    AlBrmavam, ( declarando a noite e a hora), ter
    bem visto a mortalba, que era branca, coberta de
    sangue, como lagrimas de fogo, pioladas pelo dia-
    bo, e que o sangue era to fresco, que s elle era
    capaz de diariamente ter as victimas para tal pin-
    tara.
    O criado jurou aerante o sabia barbeiro, que vio
    e apaipou a alma de mea ava II ver e crer como
    S. Tbom, dizia elle I
    O povo tambera tomoa parte n'este negocio, os
    velhos juravam que necessariamente bavia da ser
    a alma do fallecido Leonardo ( mea av6 ) qae vi.
    nha pedir, que se restitaisse as irmandades das
    almas, de S. Miguel, do Senbor dos Allictos
    das Senboras do Carmo, do Rosario, e das Sete
    Dores, os dinheiros qae elle liaba mal gasto, quan-
    do thesoureiro das mesmas irmandades, sem o que
    elle havia de continuar a penar no inferno. As ve-
    Ibas nanea mais qoizeram passar pela rna assonr
    brada, e entre ellas dizia a mais doutora ainda
    ha de vlr a Vizeu peiores coasas, lembre-se coma-
    dre qae estamos no anno dos tres setes.
    Vamos gente de casa.
    Aggregada s dizia que a alma do fallecido vinha
    embrolbada em nm lencol branco, e com am capaz
    da mesma cor.
    Constancia e*(ava magra, amarella, e seropre
    nauseada, e sendo insuda para dizer o que seotia,
    ella choraodo declaroo, que julgava qne o demonio
    tinha tomado eonta della ; que quasi todas as noi
    tes failava eom a alma do fallecido Sr. Leonardo,
    qae senta prazer em fallar com ella, qne pedia,
    iastava para qne ella todas as noites viesse t
    Eu nao era beato, nao era hypocrila, porm, con-
    venci-me, que na verdade o demonio tinha tomado
    conta da menina. ,
    Tratei multo seriamente de procurar os meios de
    repelllr o Salan*: combine! com minha av, e re-
    solvemos qae Constancia devia ser exorcisada, e a
    casa benzida.
    No da 8 de jnlbo de 1777 Constancia confessou-
    ae mas nio commangon : is 10 boras hoove missa
    com orgio, Anda a qual, o revereodo padre-mestre
    Fr. Antonio da Craz religioso de 70 annos, de so-
    brepelliz e com estola rdxa princlpioa a ceremonia
    segundo o ritual romano de Pi V e Benedicto XIV,
    aerante toda a commonidade e de ernz aleada.
    Depois do psalmo 53 e das respectivas oracoes-
    doas oovicos poxeram o missal sobre a exorcizada
    e o exorcista leo :Lectio Sancti Evangelli secnn-
    dum Joannem I el secnndam Marcam I et secnn-
    dnm Lacam I et Segaio-se Oremos I... Finda a
    oraco os doas no vicos tiraram o missal, e Fr. An-
    tonio lancou sobre ella nm dos lados da estola, e
    poz-lhe a mo direita sobre a eabeca, e cantn :
    Ecee crucem Domine, Cogite pars adversa.
    CoroVlcit leo de Uibu Joda, radix David.
    Domine exaud orationem meam.
    CoroEl clamor meus ad te veniat.
    Dominas vobiscum.
    CoroEt com spirita too.
    Depois dos psalmos e dos tres exorcismos, findou
    a ceremonia com a ultima oraco : Oremos te, Dens
    omoipotens, al spiriins lniaoitate amplios non ha'
    beat potestatem in boe fmula toa Constancia
    ec 1
    rara admittidas as pessoas nobres e de maior res-
    peito.
    A cmara, o corregedor, o jais de fra e o cap"
    tao-mr tiveram cadeiras.
    A igreja eslava apinbada de povo ; nao se oavia
    senao o chorar das beatas.
    O clero todo, os padres com suas sobrepellizes, e
    os conegos cem suas margas, os primeiros eslavam
    encorporades na commonidade e os segundos for-
    mavam o conejo do bispo.
    Confesso :en esteva eheio de gloria por ler
    felto ama tao brilhaote testa, nio caba em mim
    quando olbava para to respeilavel auditorio I I
    Excepto as senboras, porm, o bispo, clero, no-
    breza e povo, lodos acompannaram a minba fami-
    lia at casa ; e os sinos de toda a etdade davam
    demoDstraco de regozijo publico.
    Minba av ia pelo brac do padre Domingos, e
    Constancia entre o bispo e o vigarro geral, onico
    que raarshava muito zangado por nao ter visto as
    tribuna urna familia do sen peito, e doas vezes
    disse ao conego thesonreire-mr que ia a sea lado:
    a igreja, aegundo os caones, de todos f
    Nao ha formosa sem sesao, nao ba fesia sem
    desgosto.
    Logo que eatrei em casa a criada grave procu-
    ro u opportuna occasiao e me dtsse :
    Senbor goardio boje deve dormir ci.
    Fiquei espantado e respond 1
    E" impossivel.
    Ella replicoa :
    Trata-se de salvar a saa familia de am gran-
    de perigo, de um abysmo, no qual- tambem vossa-
    reverendissima seja devorado.
    Fiqoei assustado r mea corceo parecea-me que
    tinha deixado de palpitar, orna nuvem negra me
    tirou vista, cabi sobre urna cadeirar e respond :
    F100.
    Alta noite, com mullo mysterio, a eriada entrn
    em raeu-quarto, eu esta-va assentado e leudo o offi-
    eio divino-; ella em p me disse :
    Vossa revereudisaima tem feito loncuras so-
    bre loucwas, tem dado vulto e poblieidade^ a um
    crime, qoe-em si nada valla, pois havia nm'reme-
    dio legal, o casamento b e no dia de hoje talvet
    lodos vo arder as fogneiras da inqoistoao l
    Principiei a tremer como varas verdes, os oculos
    cabiram do chao, dei com o braco no eandieiro
    que cabio sobre 0 breviario, e quasi fleamos as es-
    curas, e priocipiei com os olhos esbugalbados a
    olbar para a triada I
    Ella coDtinuou :
    A Srav Constancia morre de amores-pelo Sr.
    padre Domingos, que um grande trtame, e diz,
    que tambem-morre de amores por ella. A alma
    do outro mundo o padre Domingos embraihado
    em nm lencpi e arrastando orna das velbas corren
    tes do amigo poco, sen fin foi sempre fiear era li-
    berdade com- a- menina, o roubar aSravtelba. A
    menina contaba senbora, que a alma do fallecido
    sen av pede missas pararemr seas peecados, que
    pede, porm, moilo segredo, e que s padre Do-
    mingos o-onico capaz de o guardar, a senhora
    velba cada vez tem acreditado mais- na alma do
    ootro mundo, e o brejeiro lem cernid mallo di-
    nheiro I A menina diz que o dlabo tomn conta
    della, e diz a verdade,pete o Sr. Domingos o dia-
    bo em corpo e alma.
    Levanten, fui ao pele, bebi prkneiro, segundo
    e terceir.*grande caneco de agna, prtnetpiel a pas-
    sear no coarto como om lonco I
    Um saarileglo real t: Peccado moiUb de sacrile-
    gio I! irreverencia grave s coasas sagradas l
    neceado- horrendo conua a virtude moral da reb
    gio t f
    A criada me disse. :
    Tenba prudencia e juizo, oaca o resto, e d
    as snas providencias, O. povo por bocea peqaena
    j falla na Inquisico, os inimigos do convento j*
    publicamente ceusaram, que esse santo tribunal
    na tenha mandado syndicar do mysterio da casa
    assorabrada. Tiaba jurado > menina segredo,
    vista, porm, do-estado das eoasas julgue^do meo
    dever contar-lhe todo tambem em segredo, e assim
    o espero. S so sel da verdade, a aggregada urna
    s vez vio a tal aluu chamada do outro mundo, e
    as duas criadas e o criado, nada viram, juram
    falso, tudo nelles. imagiaacao. E'.necessario^ po-
    rm, que entre a senhora velha, a menina e o Sr.
    Domingos naja harmoaia nos depoimentos.
    to extravagantes, to inveroslmeis qne o syndi-
    cante nao quiz que se escrevessem taes depoimen-
    tos, e no processo lavroo-se nada disseram so-
    bre os tactos. >
    No fim de qoinie dias em qae os ualei a vella
    de libra se despediram, e o syndicante me disse :
    Tive muito trabalho por canta do cachorri-
    nho de vossa av ; e qoem ha de pagar as cos-
    tas t
    Respondi-lhe mallo ligelro.
    A dona do animal,
    O syndicante continuoa :
    Estou convencido que o dfabo estava dentro
    do cacbornobo, bem como ja' esleve na manada
    dos porcosKvangelbo de S. Mareos cap. 8 verso
    13e por isso vou propr ao santo tribunal qae o
    mande matar e queimar.
    Ura nez depois, a titulo do padre Domingos ir
    aprender a tocar orgo, o fiz sabir para Lisboa,
    eom ordene muito rigorosas para seguir logo, logo,
    para o Brasil, e fui to feliz que oito dias depois
    da chegada a Lisboa elle segua mar fra para o
    Para'.
    Em novembro Coastancia fot para o campo to-
    mar ares em compaobla da creada grave, e eom
    tal segredo, que ninguem soobe a loeaiidade onde.
    Em raaio de 1779 morrea miaba av, e em tes-
    tamento deixou, como devia deixar, a Constancia
    por nica universal berdeira ; ella ja' tinha volta -
    do dos novos ares.
    O Inventario coostou, de ama boa me rada de
    casa, orna quinta, mnita prata, e oito mil cruza-
    dos em moeda.
    Teve logo um cento de casamentos, e afinal ella
    escolbeu, o eu approvei, o casamento eom o mor-
    cado Dlbo de capile-mr de Trancse.
    Fui a boda, e quando me despedi dase noiva :
    Tome eantella, e nunca mais se lembre do
    cachorrinho ie minha av.
    Kxtrahimos-do Bazar Volante o seguale-:
    PERFIL DE SHJLHER.
    Keconbeci, que a creada grave tinha cem mil
    vezes mais juizo do qne eu, nao obstante ser padre
    guardio i Mandei-lhe que fechasse todos os cor-
    redores, qae era necessario fallar ao padre Domin-
    gos immediatamenle.
    Entrei no quarto elle ja' estava dallado levau-
    tou-se, e quando lhe coatei toda a historia, e lhe
    flz ver o perigo em que estava, confessou-me todo,
    lancoa-se a meus ps chorando, pedindo perdo, e
    que estava prompto a casar-se I
    Qual casar nem meio casar, lhe respond
    eu, salvo se o casamento fr as fogueiras da in
    quisicao t
    Amanba as 11 boras va' tallar ao bispo, e pe-
    ga-lhe que quer vir para o convento principiar os
    seus exercicios, s no convento talvez possa ter
    seguranca.
    No outro dia depois de nma hora da tarde o es-
    ldante ordenando, Domingos, por ordem do bis-
    po estava junto com os novicos em boa guarda.
    Fallei francamente a minha av, qne se benzeu
    cento e nma vez quando lhe contei a maroleira do
    padre Domingos, concordando afloal com o meo
    plano.
    A creada grave tomn a sea cargo o instruir a
    menina Constancia.
    Oito das depois chegaram ao convento dous la-
    miliares do santo offlcio de Coimbra, pedindo pou-
    sada, o ecclesiastico era o sydicante, e o leigo ser-
    via de escrivo.
    O syndicante pedio-me informacoes : respondl-
    Ibe, qae tinba indagado da verdade, qae mesmo
    fai dormir ama ooite em casa de minha av, qne
    as almas do ootro mundo eram sustos e partos da
    imaginacao, dando a todo causa om facto muito ri-
    diculo.
    Contei-lhe que no solio da casa, onde se guar-
    dara lodos os trastes e miudezas velbas, baviam
    ons pedacos de correles de ferro pertencentes a
    am antigo poco, e em urna das ponas havia cr-
    relas de conro cr com as quaes se amarravam os
    baldes; o cachorrinho de minha av sabia de noi-
    te para o torro, e principiava a roer e a brincar
    com as correias, e por Isso arrastava as eorrenies,
    dava ladridos qae pareca na verdade gritos ou
    suspiros violentos.
    Emquanto a engaitada Constancia disse qae ella
    foi oa rea I idade atacada do demonio, qae leve vi-
    sos terriveis, ideas horrendas, desejos diablicos,
    e por mais agua benta qne deitasse no quarto Sa-
    tans lbe apparecla debaixo de varias formas, ra-
    zo porque a mandei exorcisar.
    Nos depoimentos todos eoocordaram com a brin-
    cadeira do cacbornobo, excepto as duas creadas e
    o creado.
    A aggregada declaroo que lhe parecen ver em
    urna noite ama sombra oom alva branca. Constan-
    cia confessQo visdes terriveis, e os desejos diabli-
    cos. As dnas creadas e o creado eram declamos
    Joama.
    Ha nomes que por si sos indicara cortos typos-
    om relacao s snas qualidades moraes \cartas
    vivas de recoramendaco para, aodarmos sempre
    com eiles prevenidos e acautelados.
    Se Deus por ventura nos conoedesse algnma filba,-
    qualquer ootro nome lbe daramos, nonoa porm.
    e deJoaana.-
    Nao sabemos- qne relaQo ou analoga' goarda
    elle com tudo o-que' ruim, qae quando outro no-
    me ne lembrasse para tornar eonbecida a-molber
    mi, bastara dar-tbe o neme deJearroa, para
    desde lago formarnos ura Juizo seguro a.seu res-
    pailo.
    Rarissimos io os ciempis- qne se oppoem a
    estaasserco; verdaderas copeles qne confir-
    man a regra.
    O perfil qae varaos tracar- vai dar aos leilores.
    nma prova exuberante d'essas rnoitas canoas
    qae consti tuero a-ma Idade personificada aellas.
    O perfil d'esta- mulber pessimo; apropria
    atoreza cmeseenearrega de demoostra-lo.
    E' rara a mulher chamadaJoanna que nao
    ebega a' idade senil.
    A nossa rasteja peles secs-80 annos.
    Lancemos urna vista rpida pelo sea. passado, e
    remos d'abi aconcluso do seo presente e do fu-
    turo que ainda a espera.
    I
    Verdadelro demonio, qoaado esle ^sse ura my.
    ibo, nma creacao oecessavia do espirito para desig-
    nar o flagelo das alma saas, Joanna desde
    menina foi sempre o algos, da casa paterna.
    Armazti*de pancadas^, como geratmente coamt
    o vulgo aquelle que vive sogeito ae azorrague da.
    disciplina, Joanna qnasi sempre era castigada,
    pelas diabruras que constantemente fazia.
    Sen gosto, sea melhor passatempo era seappt
    fazer mal.
    Tornando-se moca, os cuidado* pateras rede-
    braram; Joanna porm acbava meios de Hlu-
    dir seus pas, e o resaltado de snas. proeeas bem
    depressa demonstrava que toda a vigilancia por
    ella ainda era poaca.
    A casa de sua residencia era o. chamariz de
    quanlo peralvilbo oa. enamorado se presuma de
    seo merec menta.
    Joanna era o imaa qae auabia esses acos
    de m tempera, personificados nesses enlnvados e
    perfumados galans qae Ib crazavam a porta.
    Louvores sejam dados i sua subtilea,Joanna
    todos entrottnba, e toaos so iiludiara com ella.
    Um porra, mais feliz poe obier d'ella o eon-
    sentimento de sua mo.
    Como de crr, seas pas negaram-lbe; nem
    saa familia, nem sna posicio social podiam, garan-
    tir a felicilade de Joanna; e seos pais, zelaa
    do como Ibes cumprla o bera estar de saa. filha, on-
    puzeram-se com todas as torcas a realsaco d'esse
    casamento.
    Nao era necessario tanto para que Joanna
    contrariada na sna proverbial matdade, tomasse nm
    expediente decisivo e prompto.
    Abandonou com o seu preferido.a casa paterna-
    Todos os meios foram empregados para descobri-
    la e redazi-la a voltar a sea lar ; debalde.
    Quando seos pas a puderam denovo encontrar,
    Joanna j era mii; nma linda menina, frncto
    d'essa desobediencia e peonado, era o nico obsta,
    calo qae agora se opponha. i sna vida de dissola.
    cao e de crimes.
    Na crpula mais nojenta ; na vida a mais re,
    pugnante da sociedade, Joannateve ama idea,
    dea sinlstra, horrivel, medonba___ anda esta-
    va nos sens principios t
    Ja nao era um obstculo qae ella va na inno-
    cente creanoa que Deas se dignara conceder-lbe ;
    eram as glorias, as esperanzas, lisongeiras de
    nm futuro que a infamia lbe reservava ; era o
    sea salvaterlo quando ua posilg da miseria e das
    enfermidades sea corpo nao podesse mais attrahir
    o ouro dos visitantes.
    Joanna comecou acariciar Gerlrodes.
    II
    Ella abi esta'; sao ja' os gelos da velbice qae
    comecam a tolber-lbe os membros ; sen corpo
    tem experimentado todas as alternativas de orna vi-
    da dissoluta.
    Cmcoenta janelros pesam-lhe nos hombros ;
    saa vida de crimes esta' quasi extincla; s, desam-
    parada de todos, e na maior miseria, nem essa filha
    mais lbe resta para lhe pagar agora com osara o
    lacrimoso e amargo pao qae a alimentou.
    Ha quartoze annos que ella Ja' nio v Gerlrudes,
    nem sabe o que feito d'ella.
    Quatorze anuos passados em lagrimas e tormen-
    tos I
    E onde esta' sna filha.
    O qae serla feito d'essa moca, educada sob tao
    maos auspicios, sob a tutela de to desregrada
    maiT
    Por qae nio vem agora dar-lhe a mi, si que
    ella ainda vive ?
    Por ventara nio ella sna mii ?!
    '
    Fechemos os olbos, leilores; abandonemos por
    orna vez essa mulber, como tambem o mundo a
    abandoat
    Deas ja' a castigou; o hospital da Misericor-
    dia, a cova rasa do cemiterio, si m ao meaos o sym-
    bolo da f, breve a espera I
    Qnanto a Gertrudes, o perfil qne breve debuta-
    remos, no-la apresentara' de novo em caminho bem
    diverso do de sua mii; frocto porm de tal al-
    vore nio poda por certo tambem ser bom.
    PERN.-TYP. DE M. F. DE F. $ PILHOS-866
    )
    4

    >
    t
    V

    I
    f.


  • Full Text
    xml version 1.0 encoding UTF-8
    REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
    INGEST IEID E3TCI7NZD_TV1IE0 INGEST_TIME 2013-09-05T00:06:55Z PACKAGE AA00011611_11025
    AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
    FILES