Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11014


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^^**
I
i
1


AMO XLII. HUMERO 1U
Por irte! pag entro dos 10 dio o 1. mti ....
dem detoU dos i.0' lo das do conuco o deotro do quartel
Porte ao eorneio por tres mezes...........
$$ooo
6$ooo
75o
QDAHTA FE1RA II DE JLHO DE 1866
Por anno fago deitro de 1 odioseo l.mez...... 19|ooo
Porte oo eorreio por un anno ,..,,........ Uw
DIARIO DE PERNAMBUCO.
BITCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parehyba, o 3r. Antonio Alei?ndrino de Lima;
Natal; o Sr. Antonio Marques da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. .e-Lomos Braga; Cear, o Sr. J. Jos da
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filbos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS SUBSCRIPCAO DO SL.
i.
Alagoas.oSr.Franeisco Tavares da Costa; Babia.o
Sr.-Jos Marlins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, s'eada e estacos da Ta terrea at
Agoa Preta, todo es dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Gravat, Beierros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanbuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho, Aguas Bellas, e Tacarat, as tercas
feiras.
Pd'AlhoiNaareth, Limoero, Brejo, Pesquetra
Ingareira, Flores, Villa Bella, Cabrobd, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueho e Ex, as guaras
feiras.
Sennhem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar- Prlneira vara do eivel: tercas sextas aoaeio
reros, Agna Preu Pimenteiras, as quintas dia.
feiras. Segunda vara do eivel: quartas sabeedes a 1
ira da tares.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAE8 DA CAPITAL. ]
EPHEMER1DES DO MEZ DE JL'LHO.
Tribunal do commercio: seguidas e quintas.
Iielaco: tercas e sbados is 10 horas.
Fazenda : quistas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphios: tercas e sextas is 10 horas.
4
'^Joarto ming. as 11 b., 44 n>. e-ftfr-s. da m.
lt La nova as 3 h.. 15 m. e 53 s. da m.
Ift.Quario erase, a 1 h., 14 m. e H s. da t.
17. Ijoa ebeia a i k., 53 m. e 41- s. da m.
DAS da semana.
PARTIDA DOS VAPORES COSTKffiG*.
9. Segunda. Ss. Cvrillo e Bricio bb.; S. Anatolia. Para o sal at Alagoas a 14 e 39; para, o norte
J
10. Terca. Sv Silvano m.; S. Bianor b.
i 1. Quarta. S. Sabino m.; S. Abundio m.
11 Quinta. 3. Joo Gnalberto ab; S. Jason.
13. Sexta. S. Anacleto p.; 8. Joel e Esdras prof.
14: Sabbado. Ss. Flora e Jasta rom.
15. Domingo. S. Gamillo de Lelis rondador.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 3 horas e 43 m. da tarde.
Segnnda as 4 horas e 6 minutos da manhaa.
al a Granja a 7 e 21 de cada mez; para Persa-
Ido uos dias 14 io mezes da Janeiro, uroo< aeau
julho, setombro e'novembro.
ASSIGNA-SE
do Recife, nalivraria da praca da fod*j:-ea4ene;
los. 8, dos proprietarios Manoel Figneiroe de Pana
l& Fllho.
PARTE OFFIGIAL
.ovi-iivo no bispado.
Extracto do eipedienle da diocese da dia 6 de
. julho de 1866.
Qfl}elo.ao fctfm. vice-presidente da provincia.
Pra os Ons convenien'.es, tenho a honra de com-
municar a V. Exc. que nesta data acaba de ser
collado na igreja parochial de Nossa Senhora da
Conceicao da villa do Bonito, o Rvd. padre Joa-
qoim da Cnnha Cavalcanti. Contino a assegurar
a V. Exc. os meus protestos de eslima e respelto.
etcio ao Rvd. parocho encommendado da paro-
cha do Morlcy.Rescondendo ao seo offlcio de u
de malo prolimo passado, em qoe V. Rvroa. pede
autorisacao para administrar os sacramentos do
baptismo e matrimonio ero oratorios privados, por
distar a matrU dessa parochia dez leguas da ca-
pella que existe ; tenho de declarar que pela pur-
blicacJo do expediente do bispado no Dtario e na
Esperanza j devla V. Rvma. estar certo de que
podem os Rvds. parochos administrar aquellos sa-
cramentos em oratorios privados, todas as veies
que o baptisando ou a nubenie residir mais deuma
legua distante da matria ou capellas. as des-
obrigas, o baptismo e matrimonio podem ser ad-
ministrados onde quer que os Rvds. parochos es-
telara.
Dito ao Rvd. parocho da villa da Escada.-Accu-
so recebido. com o sea offlelo de 10 do prximo
passado, o rr appa topographico de sua parochia,
cabendo-me louvar o telo de' V. Rvma. na confec-
cao do mesmo. .
Dito ao Eiim. viee-presideote da provincia.Te-
nho a honra de communiear a V. Exc. que o Exra.
e Rvm. Sr. bispo diocesano tem de "chegar nesta
cidade no vapor Guar, qoe ha de tocar nesle por-
to a 14 ou 13 do correte. Prevalejjo-me da occa-
sio, para significar a ei-nsideracao e respeito que
consagro pessoa de V. Exc. a quem eus
guarde.
No mesmo sentido offieiou-se ao Rvm. Sr. deo e
aos Rvds. parochos das parochias do Recife, S.
Jos, Santo Antonio e Boa-Vista, assim como aos
Rvds. prefeito da Peuba, guardio de S. Francisco
e provincial do Corroo.
10
Offlcio ao Exm. presidente da provincia da Pa-
rahiba.Tenho a honra de communiear a V. Exc.
que nesta data acaba de ser callado na igreja paro-
chial de Nossa Senhora Ruara dos Aojos do Tai
p, o Rvd. padre Catisto Correa Nobrega. Apro
vello a occasio para renovar a V. Exc. os meus
protestos de coosidera^ao e respeito.
Dito ao iuiz da irmandade do Divino Espinto-
Sanlo do Collegio desta cidade.Tendo de vir n
vapor Guar, qoe se supp5e chegar nesta cidade a
14 ou 15 do crreme, o Exm. e Rvm. Sr. bi9po
diocesano o Sr. D. Manee! de Medeiros, e convindo
que esteja preparada orna igreja, na qual, em sea
desembarque, o mesmo Exm. sr. renda grabas ao
Altissimo pela sua prcepera- viagem. tenho por de-
ver pedir instantemente a V.S. se sirva providen-
ciar de modo que, ao tempo ao desembarque, es-
teja aberta e Igreja do Gollegio, para o flm qoe ve-
nho de declarar. Espero* da religiosidade de V. S.
que aoonira' a este meu pedido. Aprsenlo, por
esta occasio, a V. S. os meus protestos de consi-
deracao.
versas corles de Europa manifestando qual o pro-
gramma da poltica interna e exlerna do paiz, e a
liara de neutralidade em que o gabinete esl re-
solvido a manter-se.
Foi expedida pelo telegrapho urna carta dirigida
a Mr. Drooyo de
Napoleao III, e que
ingleza,

com nma barca que o capitao suppoe ser
pela falla da tripolaco.
O faci deu-se a*s tres horas da madrugada de 8
do crreme, a 75 milhas ao sal do nosso porto,
desapparecendo a barca no ramo do sal, em qoan-
Lhouis por S. M. o imperador lo o capitao da galera veriQcava as avarlas, qne
foi expedida para todos os consUtem na perda dos mastros grande e da gata
Fallecen bontem a' tarde o Rvm. Francisco
Xavier dos Santos, vigario collado da freguezia de
Santo Anto.
agentes diplomticos da Franca, depois ae Itda pa-
lo ministro Mr. Ronher no parlamento francez em
13 do correte. O nosso ministro dos negocios es-
trangeiros reraetieu-a para os jornaes da capital
que hoja a publicara. Remetto-lbe copia. T No da 8 do correte forara lidos na matni
- Foi approvado na cmara dos Mre,s o con-, da freguezia de Santo Antonio os seguinles procla--
trato de navegacao para a frica e Acores. Ha mas de casamentes :
muito qne eslava approvado. !. denonciacao.
No Jornal do Commercio de 13 vem poblioada Jos Francisco de Figueiredo, com Maria Mao-
uma representaco do subdito portugaet Antonio otila da Miita Bellro.
da Motta Marques, dirigida ao nosso governo so- Joaquim Das Marlins, viavo de Manoella Mana
bre actos praticados contn elle pelas autoridades I do Nascimento, com Nativa Joaquina Ferreira dos
brasileiras no Par* e Cear. A Correspondencia Santos.
-8-
Fclippe Santiago de Mendonca, Pernambuco, 50
educs, casado, Boa-Vista; tubrculos pulmona-
res.
Simplicio, frica, 70 anno, Boa-Vista; irritado
de intestinos.
Thereza Tiborcia dos Santos, Pernambuco, 15
aunes, soiteira, Boa-Vista; desinleria.
Miirgarida Maria da Conceicao, Pernambaco, 16
ao**, plleira, S. Jos; tubrculos pulmonares.
Um prvulo encontrado morto, Sanio Antonio;
espasmo.
francisca, Pernan\bnco, 14 mezes, Boa-Vista;
tenvnlsoes.
'Auna, Pernambuco, 14atetes, Recife; tubrculos
oeseoteri eos.
de Portugal, expedida pelo Onada, tambera se ee
cupa do mesmo assumpto.
Hontem bouve sessi > secreta na cmara dos der
putados para se discutir e approvar a eonvencao
feit entre Portagal, Austria, Blgica, Hespanha,
Estadls Unidos, Franca, Gr-Bretanha, Italia, Pai-
zes-Baixos e Saecia, por urna parte, e o sulto de
Marrocos por outra parte, para a adminislraco e
cooservaglo de um pharol construido no cabo
Spartel, assignada em Tnger, em 31 de malo de
1865. A proposito da sesso secreta comec>ram a
espalhar-se boatos de que al se tratara de pro-
postas do goveroo para armamentos, creaco de
batalh5es nacion'aes, e disse-se que urna potencia
estrangeira acnselhara ao geverno os armamen-
tos. Comtudo os boatos nio tem fundamento a|-
gam, ao que se deduz das actos pblicos do go-
verno e da linguagem da norensa ministerial.
Janto achara o parecerse a commUso de pe-, gs da Conceicao.
Eduardo Francisco Pereira Freir, com Isabel
Nepomucemo ausa.
Carlos Maooel Barbosa, com Franceliioa Fran-
cisca Je Jess.
Antonio Perreira da Silva, viavo de Josepha
Francisca Borges; com Beiisaria Hermenegiida de
Soasa.
Joaqoim de Oliveira Maia Jnior, viavo de Jose-
pha Demetria da Cnnha Maia, com Rosala Mara
Cesar do Amaral.
1.* denunciacao.
Albino da Silva Leal, com Francisca Gailherml-
na Goncalves Rosas.
Jos Pereira de Miranda Caoba, com Henriqneta
da Silva.
Silvino Juvencio Xavier de Oliveira Lima, com
Luiza Francisca das Neves.
CHROMCt WDICIARIA.
rKIBUMAI, DA BELl40.
SESSAO DS 7 DE JL'LHO DB 1866.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELIIEIRO
SOUU.
As l horas, da manlia, presentes os senhores
dbsembargadores Santiago, Gitirana, Goecra, pro-
carador da corda Loorenco Santiago, Almeida Al-
bnquerque, Motta, Assis, Soria, Domingues da
Silva e Uehda Cavalcanti, abrio-se a sesso.
Passados os feitos, deram-se os seguintes
roiiCABONTOS.
HABBAS CORPUS
| Negaram a soltura'a Antonio Raimundo de Mi
randa.
AGG*AVOS DS PKTIQO.
Aggravante, Goocalo Francisco Xavier Cavalcan-
j"o Elias de Ohveira, com Prancisca das Cha-j Uchoa; aggravado, Jos Paulino Correa de A.bu- de Souza.
A appellagaocivel.
Appellante, Lniz de Albuquerque Maranhao; ap-
peliado, Jos Francisco de Oliveira.
Do Sr. desembargador Motta :o Sr. desembarga-
dor Aesis :
A appellaco crime.
Appellante, o promotor -y appellado, Francisco
Thomaz de Aqnino.
A appellaco clvel.
Appellante, o tenente-coronel Francisco Caroei-
ro Machado Ros; appellado, o Exm. visconde de
Saassuna.
Do Sr. desembargador Assis ao Sr. desembarga-
dor Doria
As apppellaijoes crimes.
Appellante, o juizo; appellado, Joaquim Pinto da
Fon seca.
Appellante, o juizo; appellado Jos Joo da Silva.
Appellante, o juizo; appellado, Florentino, es-
cravo
Appellaco civel.
Appellantes e appellados juntamente, a cmara
municipal e Basilio Alvares de Miranda Varejo.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
gador Domingues oa Silva :
As appellacoes civeis.
Appellantes, os reedlbimenio de Olinda e Igua-
rass ; appellado o promotor de capellas.
Appellante, Francisco Coelho do Monto; appel-
lado Octaviano Rodrigues Lima.
O conflicto de junsdicco entre o merilissimo tri-
bunal do commercio e o superior tribunal da re-
iaco.
Do Sr. desembargador Ucba Cavalcanti ao Sr.
desembargador Santiago.
A appellaco crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Francisco Dias
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Pacheco & Mends; appellado, o Dr. Fran-
cisco Aminlas da Costa Barros.
DISTRIBUigOES.
Ao Sr. desembargador Accioli.
Appellantes, os administradores da nusa falli-
' da de Joo Baplista Gongalves Bastos ; appella-
dos, Linden Wild & C.
nada maishavendo a tratar-se o Exm. St. presi-
: dente encerrou a sesso a urna hera e meia
1 da tarde.
Cmara mnnicipal do Recife.
MATADORO PUBLICO DESTAlU)AOE.
Mataram-se para o consumo desta cidade no mez
de Janho do corrale anno 1831 rezes.
A saber:
Libanio Candido Ribeiro & C......-..... 736
i Jos Lacio Lins...............>...... 373
Virginio Horacio de Freitas........,
Joo Chrysostomo de Alboquerqne....... 189
Manoel Joaquim de Souza Tavares........ ..181
175
143
Manoel Francisco de Souza Lima
i Francisco Candido da Paz.... -,*...
Wenceslao Machado Freir Pereira
Silva./...........................
, Bellarmino Alves Archa........----
Maooel Paulo de Albuquerque........
! Geminiano Jos de AibtKfsrqae......
i Manoel Joaquim de Sorna Tavares.....
Jacob da Silva.....................
Ernesto Celestino de Mendonca.......
da
Gontadoria
de 1866.
tc5es da cmara dos depntados dea sobre ama pe-
ticao de um subdito brasileiro, que se queixa das
autoridades brasileira :
N. 110.-B.
Senhores. A vossa comraissio de pelicSes en-
tende que devem ser enviados ao governo os im-
pressos em que Joaquim da Rocha e Oliveira (que
se diz cidade brasileiro) se queixa das autorida-
des poriuguezas.
Conclue elle declarando qne nada pede ao tbro-
oo nem ao parlamento, e qoe o imperio da jastiea
dictar a resolaeio dos poderes do estado.
A' vossa commisso nao compete jdlgar do pro-
cedimento da magistratura portutaeza (que muito
respeito) nos factos expostos e celalivos a questo
judicial qae se wite entre o exponento e sea so-
gro Sebastio Jos de Abreo, negociante da praca
de Lisboa.
Limita-se por isso a dar a' eiposico imprensa
o desimi que entendea conveniente.
Sala das sessoes' Io de jooho de 1866.Antonio
Luiz Tavares Crespo. Framctico de Albuquerque
Couto.Anmbal Alvares da Silva.
Entrn a Guienne no dia 13 a' noite, dos por-,
tos do Brasil.
3.'
.Nones
denunciacao.
Leal, com Balbina Firmina
Antonio
Rosas.
Joaquim Antonio de Sooza, qoer mostrar-se livre
e deserapedido.
Angelo Francisco da Costa, viavo de Margarida
Leopoldina Alfonso, com Aula Veneravel Dativa.
Christovao Jaciotho de Lyra Flores, com Maria
Francisca da Paixo.
Nuroeracio dos bilheles da loteria 71* offere"
cidos pelo thesoareiro das loteras para auxilio das
des pesas da guerra. (
A saber:
Melos 3881 a 3900,
Os bilhetes da loteria 71a prxima,
24*000.
Total..... 2:2155200.
Remetlem-nos o seguinte, pedindo sua pabli-
cacio :
< Na propost do orcamenta do ministerio da1
agricultura, commercio e obras publicas para o
exercicio de 1866 al867, 'consigna-se no g 18 (eor-
reio geral) a quantia de 760.000* em vea da de
699:3899 contemplada no oreamento vigente ; pro-
COjIHANDO DAS ARMAS.
Quarlcl do eomuaad das armas 4e Pernambuco
O Sr. Mieira de Castro, depotado, partir breve-, vindo esse augmento de dever abonar-se do novo
mente para o Brasil, i exercicio em diante aos emprefados de lodoso*
Foi hontem approvado pelo* depntedos um pare- crrelos ama gratfleaco at SO*/, db respectivos
cer aulorisando ao governo a dispender 50 contos vencimentos
de rts com a remessa de productos para a exposi-: c Acbando muito justa esta medida, pois que
Cao de de Pars de 1867. geral mente reconhecido qaao exiguos sao os venc-
Foi tambem autorisado o governo a elevar a 950 meatos desses funccionarlos, nao podemos entre-
rarque
Relator o Sr. desembargador Domingues da Sil-
va.Sorteados os Srs, desembargadores Molla e
Loureoco Santiago.
Derara provimento.
As appellacSes crimes.
. Appellante, o promotor; appellado, Joaquim Xa-
vier Borba.
Improcedente.
Appellante, Feliciano, escravo ; appellada, a jas-
tica.
Reertmda a sentenca. .
Appellante, Francisco Btbosa Camello; appel-
rada, a Justina. "
Confirmada a sentenca.
Appellante, Belizario Jos FifDeira; appellada, a
prodotiram .>*? ......
1 A bovo jary. ,
Appellante,.o jaizo; appellado Ignacio Jos dos
Santos.
A novo jury.......
/Appellante, o jaizo; appellado, Onmuodo Mira
Tidigal. i io-
Improcedente. .^^^flB -
Appellante, -o promotor; appellado, Francisco
tes de Sonza. ;. ?t
A novo jary.......
As appellacoes civeis
A l ', hora da tarde encerroa-se a sesso.
113
107
99
80
73
64
44
2^31
monicipal do Recife, 2 de julho
O contador,
Caetano Silverio da. Silva.
TRIBCX.1L BO COM SIKRC IO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 5 DE,
JULHO DE 1866.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERETTI.
As 10 horas da manhaa, presentes os senhores
deputados Rosa, C Alcoforado, Basto e Miranda
Leal, S. Exc. o Sr. presidente abri a sesso.
Lida, foi approvada a acta da sesso antece-
dente.
EXPEDIENTE.
Foram distribuidos aos Srs.deputados,os seguintes
livros :
Diario da casa commercial,
finado Henry Glbsoo.
Copiador e diario de Lima & Cuoha.
PublicaOoes a pedido
contos a quanlia destinada para as obras da dca
de Ponta-Delgada ( S, Miguel) e a levantar um
crdito supplementar de 30 contos para estradas e
abisteciment de aguas na capital.
Parti bontem para Paria o Sr. Bellegarde,
commissario-geral da companhi geral de crdito
predial poringoez.
A viuva Hislop chegou a Lisboa.
No domingo, 17 do correte, partir toda a
familia real para Cintra.
Anda nao esta nomeado novo governador ci-
vil de Lisboa. Diz que se offerecra o lugar ao
tidas instancias.
- L
na cidade do'l'.Miff, 10 de julho de 1866.
ORDEM DO DIA N. 246.
Competindo a direcco das enfermaras militares
destinadas ao tratamento de pracas de mais de um
corpo da mesma guarnicio, ao conselho econmico par a0 reinoJos da Cosa Souza Piolo Basto e
do corpo, cajo comraandaDte fr mais graduado ou qae este cavalleiro nao acceitra, apezar de repo-
nais antigo, art. 41 do regulamento especial de 31' -
de Janeiro de 1861, e sendo o Sr. lente coronel
graduado e reformado do exerclto Jos Antonio |
Pinto, commandanle do deposito mais antigo que o
Sr. tenente-coronel da guarda nacional Mariano
Xavier Carneiro da Cunhi, vistas as disposi^oes
vigentes com respeito aos ofnciaes da guarda na-
cional em concorrencla com os do exercito, resol-
vi hontem sobre representaco do Sr. commandan-
te do Iocorpo provisorio, que a admioistrago de en-
fermara militar desta gnarnico fleasse a cargo do
conseibo econmico do deposito : o qae declaro e
faco publico para os Ons convenientes.
(Asslgnado) los Lucas Soares Raposo da C-
mara.
Esta' conforme. JJjlroao Jos Ferraz, tenente
ajadante de ordens encarregado do dealhe.
tanto deixar de notar qae a proposta fizesse depen-
der o pagamento daqaella gratiQcago do faci de
1 venflear-se accrescimo na renda de crrelo, com-
parada com a do ultimo exercicio fisaoceiro liqui-
dado, o de 1864 a 1865.
c Se a commisso do oreamento propondo aquel-
! le augmento, reconheceu a mesqainhez dos venci-
mentos daqaelles entongados, e por coosegaiote to^o Penira LoroTeTmo"
, qne os sens servicos nao enm pnporcionalmente Reformada a seDtenca.
, relribaidos, em gae se fuudou paa, conlinuando a | Appe,|ai)le Francisc9 Candido Paz ; appellado,
exigir osmesmos servaos, negar-Ibes essa justa re- Vl Kin~0Horac|0 de Freilas.
muoeracao no caso era que por qaalquer circums- Gonrraada a seDtenca.
taaea nao se verifique o cresclmeoto na renda do Ap|je,|anle) Antonio pereira de Audrade ; appel-
C7parece.nos que ha at rio ponto contrajo *?l>?ttA?!Je Arru,ta-
em con vir, como o fez a commisso, na necessida-
PERNAMBUCO.
' de d augmentar-se os vencimentos daquelles era-
pregados, e dlspr o mesmo tempo que so no ca-
so de elevaco da renda do crrelo abonar-se-ha a
graiihcacao esiabelecidi. Alm de que, em reta-
ceo essa classe de fueccionarios, cojo servido e
responsabllidade sao pesados e mal remunerados,
i tanto mais iniqa a condico com que se propOe o
seus vencimentos, quanto ella ex-
i cepcional, por quanto nao nos consta que as di-
! versas vezes era que se tem aogmentado os venc-
Fomos obsequiados pela respectiva redaccao roemos de outros faneelonarios, se fizesse depender
com o 1* numero do peridico Revista Ilustrada, 0 eu pagamento da subida da renda da reparti
E' assas lamentavel qoe apparega urna dissiden-
cia entre os fllh. legtimos da vio. acerca de
um acto to innocente e honesto, dando assim um
alegro ao profaols. ., fazendo estremecer as ve-
nerandas cinzas de Adonhir. -., rasgando o crep
da tristura, nico ornato de sua viu.-., nossa
man
Mu louvavel, mea Irm. o vosso telo pelo
Temp.' da virtude; mas para qae eoxolaes do
em liquiUco, do j sen recinto a tolerancia, a justica, a verdade e a
fraternidade ? Virtudes to imperantes em nossa
corporaeao t Queris o Temo. -. vasio.?!
Diario do trapiche allandegado Tasso. Chamar baile a expansao do honesto regosijo
Mandou-se archivar os mappas do movimento, orna injnsto susprobracaolt Iovocaes, meolrm. .,
havido durante o semestre prximo fiodo, nos aConst.-., os Estol.-. Ger.-. ,d/ftd ^.i^atr;
trapicbes .BarodoLivramento aocaes do Apollo, gia contra um acto puro, candido oupoMDta,
e Arria n. 26 ao largo da Assembla, remettldo como e a reoniao de nossas aneridas e resjwitave.s
pelos respective s adraininradores. aml has; nao isto. chamar > odu>sidade eaQar
despachos a discordia entre Irm. .? Nao isto tambem
Reqoerimento de Francisco Gomes de Oliveira, contrario aConsl.-.? Em flm nao -um contra-
_ agente de le'iloes desta praca, apreseatando a regis- sensorl .. .ai-nt,
Appellante, a^aiua. Gala da Misericordia ; af- +3XAjeaBhMilMBl0 M ^ 0 imposto gera Como diss.par as .brevas, janear Pf*08-
(le sea offlcio relativo ao anno flnanceiro de 1866 augmentar a cmhsaeo? Ihotendo ^o be lo sexo
a 1867 Reeistre-se a ignorancia e na suspelta 71 Nao, meu Irm. .,
Dilo'de F Hyvern'at & C, pedindo o registro da | tofo que se opp5*m os sent.mentos e benefl-
procuraco que Ibes derara David Block & Irmlo cenca e de candado : Ensinar aos Ignorantes e
e aue untara Regstrese das obras de misericordia I .
Dito de Paulo Jos Gomes, para ser registrado Vinde, pois, abandona! o" despeito, applandir
o distrato, que juma, da sociedade sob a firma de comigo um acto em que mnito realca a pureza e a
Pau o Jos Gomes &Mayer.-VistaaoSr.desem- candida intencao; vinde para unido comnosco,
barcador fiscal aodar a enrgica espada d Alexandre a dar um
Dito de Jos'de Mello Costa Oliveira e Mathias golpe mortal nos amigos preconcerios. Isto vos
Jorge da Silva, para Ihes ser registrado o distrato I pede om
social, que juntara.Vista ao Sr. desembargador
fiscal.
RESOLUCAO.
Sendo presente ao tribanal o parecer da com-
misso revisora proferido sobre as respostas que
deram as arguicSes que ihes foram feitas em vista q medicamento, que CODQ mais influencia
das irregularidades notadas na^.P^^ e energa tem poia*atido essa terrivel en
sens hvros, os agentes de leilftes desta praca Jos -,An ,nM ,-,An v,Pnno aii^hnlifn dp
Izidoro Martins, Francisco Ignacio Pinto, Jos Ea- fermtdade, teffl Sido O xarppe alCOOUCO ae
zebio Alves da Silva, Antonio Jos Cordelro Sim5es; veame. -7 '*
Francisco Gomes de Oliveira, resolveu que se Uma egcrava da ^ do gf m Francisco Fir-
pellado, Antonio da Silva Ferreira JanWr.
Desprezados os embargos.
Appellante, Joo Mariano Falco Sicupira ; ap-
pellado, Antonio Gomes Mariano e outros, *
Desprezaram os embargos.
Appellante, lias Emiliano Ramos ; appellado,
Jos Caetano da Rocha.
Continuada a sentenca.
Appellante, Luiz Felippe de Souza Leo ; appel-
lado, Manoel de Barros Cavalcanti.
Confirmada a sentenca.
Appellante, Ignacio Jos da Silva; appellado, An-
Mac.-. anciao.
Erlfel pella.
REVISTA DIARIA
Reune-se amanha o Instituto Archeologico e Geo-! de
graphico Pernambocano em essao ordinaria.
EXTERIOR.
COBHESPOXltESCIiS IIO BIA
BIO ME PEBS AUBIICO
Us%oa, 15 de jnoho
Foram approvadas as emendas feitas na cmara
dos pares aos estatutos do banco Portuguez.
oreamento geral do eslado, foi approvado era
O
am-
que ora se publica nesta cidade.
Na epigrapbe lectorem dtlectando, pariterque mo-
nendo, ti retrata esta publicacao, indicando qual
seja a irilha, qae teri de seguir em sua vida pra
tica ; e constando de olio paginas, a oitava dedi-
cada seccio de tUuslraqao. Nesle numero
vem os retratos dos dous hroes Maris e Barros e
Dr. Jos Paulino, atm de dous quadros satyneos
com referencia a oossa poliuca provincial e aos des-
vos da litleratora amena ou liberdade potica, qoe
electivamente entre nos nao tem limites.
Nesle terreno, e com a presenca do conveniente
criterio, pode a Revista Ilustrada prestar bons ser-
vicos.
Saadando, pois, o sen appareoimento no joroa-
lismo, confessamo-nos gratos i remessa do sen i
numero.
bas as cmaras.
O Sr. Iofante D Augusto que tem estado na
mais de 15 dias de cama em conseqnencia d ara ; A assembla provincial do Maranhao yotou, e
mordedara de om cysne n'uma perna, ja' se le-' a respectiva presidencia saneelonou uma le crean-
i e foi a passeio. A saude da familia real,
c boa.
Foram approvadas na cmara dos depotados as
alteracoes feitas na cmara dos pare3 do projecto
sobre o emprestimo dos 6:500 cntimos:
Foi lambem approvada ama proposta do br. Gar-
los Bento da Silva, para qne se consignasse na ac-
ta qoe as disposicoas do art. Io deste projecto nao
envolvem a responsabilldade da cmara em na-
ci a" sua opioio acerca da adjudicapao do ca
do o imposto aanual de 5:000$ sobre mscales de Souza, pira eorreccao ; e Manoel Pereira, por cri
a que elles periencem.
Repahticao da polica :
Extracto das parles do dia 10 de julho de 1866.
Foram recolhidos a casa de detenjjo no dia 9
do andante :
A' ordem do Illm. ur. chefe de polica, Jos Ru-
fino do Carmo, como recruta at que prove iseocao
1 egal do recrotamento.
-A' ordem do subdelegado do Recife, Jos Selle,
africano \\*tf, por crime de offensas physicas; Joo
Pereira e Loureneo, escravo de David Ferreira Sal-
tar, para curreceo.
A' ordem do de Santo Antonio, Loureneo, escra-
vc^4e Joaquim d'Assompcao Quelroz, a requerimeo-
lo d'este.
A' ordem do de S. Jos, Miguel Rodrigues dos
Anjos, para eorreccao.
A' ordem do da Boa Vista, Francolina Marta das
Neves, prra eorreccao.
A' ordem do da Capunga, Justina Galdina de
joias; de sorte que, segando a disposicao legal,
obrigada a esse Imposto cada pessoa, qne no inte-
rior da provincia qnizer commerciar comobjectos de
prata, onro, brilhantes e mato Joias preciosas, sen-
do o referido imposto pago tantos vezes repitlda-
ment quantos forera os municipios, era cujo ter-
ritorio queira a mesma pessoa negociar, ficando
porra isentos do mesmo imposto os negociantes es-
tabelecidos as localidades do interior, nma vez
nbo de ferro contratado em 14 d'oulubro de 1865. qae facam o seu negocio dentro dos estabereeimen-
O novo ministro das obras publicas apresentou l08 q08 tenham aberto.
duas propostas uma para levantar crditos sup- Esta le conforma-se com o que sobre idntica
plemenures para a construeco da dca de Ponto- materia foi volado na ultima sesso da nossa as-
Delgada (ilha de S. Mlgnel): outra para abastec-, g0mbla provincial ; e taes decretocSes pelos cor-
mentos de agua na capital. pos legislativos de differeotes provncus revelara
Na cmara dos pares dscutio-se e foi approvado am ,|C0, que assim se procura sauar ; pois o eres-
o prejeeto concedendo a" sociedade do palacio de ci(j0 do imposto toma o carcter de ama quasi pro-
crystai por'.uense ora subsidio, e aulorisando a i Dbico.
contrahir um emprestimo. I __ TflVe nontom logar o funeral em suffragio
Acba-se melhjar a senhora daqeeaa da lerceira, Jos Panlino da Cmara, na matriz desta
qae estove emperlge de vids. ,uv.Aa trMnezia de Santo Antonio.
Os jornaes politices tem discutido a possibihdade, K^u"J0,(La'U)Isolemndade, presidindo a elle
e conTeoiencia ou inconveniencia de ama dicudu- ,.."'*"r(>C0.6imenW proprio de um aentlmenlo
ra. A Htoote*. folha ministerial nega a exis- ^yX qae j via estampado no grande
tencia de tal pensamente por parte do actual gab-, P"1""^ "^ '^ aili reunidas em torno do ca-
ete. _^ ^__. M t.. ,fauA noe se ergua como urna recordacio vva da
E' notarel um artigo qne o Enano Mercantil do "3aqo0ea,rioUea de Pflrnamboco ao Blbo nene-
Porto inserio no dia 13 acerca da crine monetaria, saodaoe painow >
sua rela5o com aquella praca. O articulista i me.rU0; WM deeorado eom fonerea magniB-
nada aeha eslraoho qne os bancos portaeoses ha- '"P'0 lb fradt soon eloquente o pa-
jara reslrlogido as suas operacoe, onde as tenham **"*&* S? ,. ostro loado, cojas vinodes cvicas
limitado mesmo a ama pequea esphera mas, pas-; JJ^l^ZTcom eho sympitico em todos
sadas estas prlmeiras impressSi, de parecer qoe foram precomsaoM
ttr!&gz?^^ eo,rent ,taraerW4B"
"JflS mfnWilma ( de 13 pelo Oneiia Arribou hontem aja.erji emericana, Dffi-
Ihes communiqoei qoe o Sr Casal Ribeiro minis- z* de Orleons, qne la d'fanaat para^nuh
tro dos negocias estrangeiros) dirigir amo circa- \ more, com "W*to**" SSuJffi
lar a lodosos nossos agentes diplomticos as di- reparar s avartos qne seffrea n
rae de fenmeatos.
O chefe da 1* scelo,
/. G. de Maquila.
Casa dk detenqao. "
Movimento da casa de detenco no da V de
julho de 1866.
Exlstiam presos 389, entraram 9, sahiram H,
eiistem 387.
A saber: .
Nacionaes 185, mulheres 16, estrangeiros ,
mulheres 1, escravos 47, escravas 4, tola! 387.
Alimentados a costa dos cofres pblicos 114-
Movimento da enfermarla no dia 10 de julho de
1866.
Tiveram baixa:
Simo Jos de Oliveira, tumor.
Sirao Pereira da Silva, febre.
Teve alta.
Ignacio, escravo de Jos Pires Ferreira.
Fallecen :
Ignacio Francisco da Silva.
CehItrio publico.Obituario do ou 7 de
julho db 1866. ..
Hercolano Deodato dos Santos, Pernambaeo, 40
annos, casado, Santo Antonio; hypolomelfte.
Sergio Rufino Gorgonho, Pernarabuoo, 40 annos,
casado, Boa-Vista; desinleria.
Francisco Pedro Amerlco, Pernambuco, 50 annos,
casado, Boa-Vista; hepatite.
Jlo Patricio, Pernambuco, 15 annos, solteiro,
Boa-Vista; desinteria. ^
Angela Mara do Sacramento, Pernambaeo, TOj
annos, soiteira, Boa-Vista; graogrena senil,
Manoel, Pernambaeo, 16 mezes, Suato Amonio i
mtningite.
Rufino, Pernarabueo, 9 arjws, Reeito; febre
typhalde. ,
Rafloa, P||toBbacc, 2^ annos, escrava, Boa
Vista; fistola*.
Leopoldina,' PKoambuco, 11 annos, Boa-Visto;
dilatoria.
Ao carador geral.
diligencia cribe.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
jobtica. i
Appellante, o juizo ; appellado Sebastio Manoel
l dos Santos.
Appellante, o juizo; appellado, Jos Brilhanie de
Alencar e Souza.
diligencia civel.
Com vista ao Dr. carador geral :
Appellante, a fazenda; a.pellada, Mana Flrmina
do Rosario. a
Assignou-se dia para jalgamento dos seguintes
feitos: .
As appeliacoes crimes. _
Appellante, o promotor; appellado, Antonio m-
reira da Silva: .
Appellante, o promotor; appellado, Manoel Joes
do Nascimento.
Appellante, o juizo; appellado, Jos Gitirana la-
vares de Vasconcellos.
Appeli.nte, o juizo; appellado, Vicente Ferreira
da Costa.
Appellanie,'o juizo ; appellado, Marcolino Gomes
de Souza.
As appeliacoes clvels.
Appellante, Vicente Jos de Brito; appellado,
Joaqoim Antonio Pereira.
Apellante, Francisco Ferreira de Andrade; ap-
pellado, Manoel Jos Taboca. m .
Appellante, Antonio Carneiro de Qoeiroz; appel-
lado, os herdeiros de Francisco Bernardo da tonoa.
Appellante, Manoel Fernandos Pjmenta ; appel-
lado, Manoel Ferreira de Araojo Barreto Jnior.
PASSAOBNS.
Da Sr.desembargador Santiago ao Sr. desembar-
gador Gitirana : .
Appellante, Manoel Lobo de Miranda Henrqaes;
appellado, Manoel Elias de JMoora.
Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar-
gador Guerra :
As appeliacoes civeis.
Appellante, Ursollno Leite de ArrexeMas; appel-
lado, Jos Mana Cortes.
Appellante, Antonio da Cruz Ledo; appellada,
Andreza Maria da Conceicao.
Appellante. Anna Vlclorina de Son; appeiiaoo,
Fr. Joo do Amor Divino.
Appellante, Joaqoim Lopes de Albuquerque; ap-
pellado, Jos de Azevedo e Silva.
Do Sr. desembargador Guerra ao Sr. desembar-
gador Loureneo Santiago
As appellacSes civeis.
Appellante, Joio dos Santos Coelho ; appellada, a
innandade de Benedicto.
Appenante, Manoel Vicente Ferreira; appellado,
Leandro PereW 'Baftosk.
Ao Sr. daiembargador Molla :
A appellaco eivel.
Appellante, D. Mara Cordeiro: appellado, Pauli-
no Manoel de Souza Oliveira.
Ao Sr. desembargador Uchoa Cavalcanti:
' A* appeHacoee veis.
Appellante, Mruoel Fraoctoee Pieaenta ; appella-
do, Manoel rerreira Barreto Jantor.
Reliante, Antonio Carneiro de Qaeiroc ; appel-
lado, os herdeiros de Francisco Bernardo d*Ca-
Do Sr. desembargador Loorenco Senttod* ao Sr.
desembargador Almeida Albuquerque :
AppeiloDto, ^UbrdSo*^ ^Cr'oa i apelada,
a jastiea.
Appellante, o jolzo ; appelladp, Jos Marcolino
Cesar.
Ir
H?roaSdee SSSTm^S-S "tenmVu" t# Monteiro, pessoa bem conhecida nesta
conformidade do preceito da lei a respeito; aceres-! cidade, achando-se de cama, e com as per-
cenlando quanto ao agente Oliveira que nao deve Qas bastante inchadas, e cheia de tumores,
envolver a escripia de seus negocios Particulares d Q xopf de veame, acba-se boje
com a de seu offlcio, e que em geral o tribunal
releva as faltas encontradas, esperando que ellas
seno reprodasam.
E por nada mais bou ver a tratar-se, S. Exc. oSr. I rador na ra Direita n. 51, tendo
presidente, encerrou a sesso as 11 horas e meia, accommettida do mesmo mal, achare
boa, prestando servicos.
A mana do Sr. Jos Francisco Pinto, mo-
sido
tara-
do da.
SESSAO JUDICIARIA EM 5 DE JULHO DE
1866.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
A. F. PRRETTI.
Secrelatio, Julio Gumaraes.
s onze horas e meia da manhaa o Exm. Sr. pre-
sidente declaren aberta a sesso, estando presentes
os Srs. desembargadores Silva Goimares, Res e
Silva, e Accioli, e os Srs. depotados Rosa,Candido
Alcoforado, Basto, e Miranda Leal.
Lida, foi approvada a acta da antecedente
sesso. .
Foi apresentado o offlcio de 11 do mez passado
do Exm. Sr. conselheiro presidente do t-ibunal da
cdrle remetiendo os autos de revista interposla de
deciso deste tribunal e a final julgada por aquelle
tribunal, entre parles, recorrentes os administra-
dores da massa fallida da viava Amorim & vimos
e Thomaz de Faria, recorrido Antonio Rodrigues
Fernandos Vielra. E o Exm. Sr. presidente man-
dn que se recolhesse os autos ao complanle
cartorio.
Aaslgoaram-se os acordaos proferidos na ultima
sesso nos feitos entre partes.
Appellante, Joo Pinto Dmaso Jan>or, appellado
Jos Adolpbo de Barros Corroa.
Embargante a companhi brasileira de paquetes
a vapor, embargados Joo Francisco Pardlhas e
outros. ; ...
Appellantes, os administradores da massa latii-
da de Alves & Cruz ; appellado, Manoel Joaqoim
da Silva Leo & C ...,.
Appellante,a directora da companhi Vigilante,
appellados, Wilson & Helt.
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Joo Baptsla Goncalves Bastos ; appellados,
Hennaue & Azevedo,
JULfiAUSNTOS.
Appellante, Manoel Alves Ferreira; appellado,
Joaquim Elviro Alves da Silva.
Adiado a pedido de um Sr. depatado.
Appellante, Joaquim de Azevedo Maia; appella-
do, Jos Antonio de Almeida Guimares.
Dosprosaram-se os embargos.
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos. & C.; appellado,
Henrlqoe Jos Alves Ferreira.
Despresaram se os embargos. .
Recrreme, Carlos Coileman; recorrido, Carlos
Frederico Taylor.
Jalgaraovse provados oa artigos de preferencia
do reeer rento.
PASSJLGBNB. : "!
Do Sr. desembargador Silva Guimaries ao sr.
desembargador Reis e Silva. .
Aooeilantos Manoel Joaqaim Ramos e Silva &
Geros app^lado o Dr. rJeriUrdo Antonio de Men-
dnora Castello Branco.
Eto S* deiembargador Aeoioll ao Sr. desembar-
gador Silva Goimares.
bem boa.
A Sra. D. Senhorinha Umbelina dos
Santos, moradora na roa das Calcadas n.
38, achando-se atacada de erysipella as .c-
xas, com quatro tumores bastante volumo-
sos, no estado indolente, qoe a prima de
pr-se de p ha muito tempo, com o uso
do xarope alcohlico de veame e pillas pur-
gativas do mesmo, acha-se restabelecida, e
no uso dos medicamentos os tumores ter-
minaran, pela suppuracao.
A Sra. D. Rita, moradora na roa de Santa
Rita n. 13, primeiro andar, soffrendo do
mesmo mal ha muitos annos, pois que a ery-
sipella atacava amiudadamente, depois que
tem tomado esse remedio nunca mais Ihe
deu.
Outros maitos factos desta' ordem deixo
de mencionar aqui para n5o me tornar pro-
lijo e enfadonho.
Sendo a erysipella uma molestia que sem
duvida effeito de materia gerada no corpo
como expdem alguns escriptores de medici-
na, e em consequencia da febre lancada
na pelle, onde produz inflammaclo, e que
muitas pessoas, por nao se terem conve-
nientemente tratado, suecumbem com o
pernicioso uso de que, nos tres dias nao de-
vem usar de remedio algum, o que faz-se
estender o mal por oSe se tor a principio
combatido; por isso, pois, conveniente
que, logo que alguem se sentir atacado de
tal mal, deve provocar a transpirado toman-
do ao principio uma colherioha de cha do
xarope alcohlico de veame dissolvido em
uma chicara de infusio de flor de sabu-
gueiro quente, adocaddo-a oom mais assu-
car, continuando nos tres dias nease trata-
tamento, no fim dos quaes usara do xaro-
pe de veame na forma presenpta no recei-
tuano, tendo todo o cuidado de se abalar,
aflm de soar convenientemente, alem ae
conserfar o vealre correte, que conseguird
tomando uma ou duas pillas purgativas do
Todos quantos suaMirubem desta moles-
tia se diz :faeceu de eryaipella recomi-
da ; ao contrario, alguas expositores pre-
sumen ser o desentolvBe.nto da putrefac-



t
*.
T




V

c3o no sangne, taoto que o logar inflamaia-
do que, ento a sua cor era encarnada, se
troca en-lwidou negra, e lera na em gan-
grena, e por essa razio qoe conveniente
o xarope alcohlico de veame na infuso de
flor de sabugo, para se conseguir resolver a
inflammacSo, ou pelo menos terminar pela
supporacao, impedindo aasim a gangrena.
Os effeitos do xarope alcohlico de veame
applicado na flor de sabugo ao doente, nao
s de vantagem por sua qualidade diafo-
rtica, como pela anti-saptica para imped
a putrefacco as molestias.
Na ery8ipella nSodeve o enfermo nos pr-
meiros tres das osar -de comidas e bebi-
das que possam esquentar e inlammar o
sangue.
A comida durante esse tempo deve ser do
reino vegetal, como sag, farinha do Mara-
nhao, po torrado bolacha, etc.
Anda nao vi expositor de medicina que
acoselbase que nos primeiros tres dias de
accommettimentos do mal, nao se usasse de
medicamentos ; o queelles repellem sao os
ungentos, unturas que obstruem mais e
repellem do que promovem a evaca ?5o da
parte; o que convm trazer o lugar ata
cado e bem agasalhado para ajudar a trans-
piraclo e defender do ar.
O verdadeiro xarope de veame vende-se
na botica da ra Direila n. 88, de Jos da
Rocha Paranhos.
Tenho receido cartas de algumas pes-
soas de ouiras provincias que me commu-
nicam ter desta cidade sido remetlido o meu
xarope falsificado, que tero dalo resultado
ao descrdito de minba prepara^o, cujo cc-
nhecimento se tem verificado depois dos ef-
teitos que taes remedio* apresentara ; as-
sim, pois, tenho a declarar ao pnblico qae
no letreiro que vai pegado na garrafa do
xarope, sempre foi assignado por meo pu-
nbo, e daqui em diaote, alm desta assig-
natura o farei tambem no papel que cobre
a garrafa. Rogo ao mesmo publico que
quando forem assim engaados, tomem tes-
temonbas, rae remettam os rotlos falsifica-
dos e me participem para fazer effectivo
artigo 167 do cdigo criminal do Brasil.
Jos da Rocha Paranhos.
COMMERCIO
tartia filial do banco do Brasil em per-
nanibuco 23 de junlio de 1866
A caita descoca os saques de seo aceite pela
taixa de 8 0/0 ao anno, e saca sobre a caixa filial
na Babia.
\ovo banco de Peruauabneo
O novo baoco descinta letras do commercio a
lo0|0 ao anno, e ai do thesoero naciseal e do
banco do Brasil sobre a caixa filial a 8 0|0
ALFANDEGA.
fteodimento do da I a 9...... 196:9MJ087
Idea do da 10............... 17:7831*8
./
214:721*572
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Votases entrados com rateadas...
t eom gneros....
Votomes sabidos cem fazendas...
eom gneros....
118
415
------633
70
605
------673
Desearregam hoje 11 de jalho.
Escom iof lea.Island Queenmercaduras.
Barca fraoceza Mattriceen mereadorias.
Vapor inglezSaladin id era.
Brigue holdembargoez-BerfAdiversos gneros
de estiva.
Brigae nacionalAtMvano-charque.
Brigae portuguezLuzitanoidem.
Hiate portagnez Serra /dem.
Iniportaco.
Brigue hanoveriano Cathanna, entrado de Ham
burgo, consignado a M. J. B. e Silva & Genros;
manifestou o segointe :
430 frasqueitas, 200 barrica?, 700 garrafSes e
230 caixas genebra, 10 ditas vermouth, iO ditas
bitter, 2 caixas carretas, 1 dita transa, 30 saceos
pimenta, 92 ditos faretlo, 1 pacote amostras, 30
pranxoepara guarnico, 20 toneladas carvo ; aos
consignatarios.
50 caixas velas, 4 ditas objectos de barro, 1 dita
fitas, 1 dita carrinbos ; a Silva Cardozo.
50 amarrados junco, 1 fardo palhiuha, 1 caixa
armas, 1 dita fitas, 1 ditacadarco, i dita meias ; a
Prente Viaona &C.
I caixa biscontos, 1 dita objectos de vidro, 50 di-
tas velas stearnas, 34 barricas poussa ; a Jos
Mara Palmeira.
15 caixas cadeiras ; a Tasso Irmaos.
II caixas vidros a Bartbolomea & C
4 caixas drogas, 5 ditas vidros, 2 gigos agua mi-
neral ; a Joo da C. Bravo & C.
49 barricas potassa; a Jos da Silva Loyo & C
28 caixas vidros para \ draga, 1 dita amostras
de dito, 1 dita grampos, 1 dita tranca de la ; a
Ladislao Jos Ferreira.
3 caixas beserras eoverniaaiios, 1 dita agulnas,
1 dita meias de algodao, 1. barrica birimbaos, 1
embrnlbo amostras -, a Vaz e Leal.
4 caixas bezerros envernizados, 50 ditas velas
steariuas, 4 fardos lonas e brtns ; a hidoro Netto
& C.
4 caixas cooros, 50 ditas stearinas ; a D. A. Ma-
tbeus.
1 caita objectos de tapeceiro ; a Scnapbeillio
rC.
1 dita mrteteza ; a Linden Weydmaa i C.
2 ditas, mludesaa; a Alves Hamborg-r A C
3 ditas objectos de algodao; a J. A. d'Araojo.
1 dita objectos de algodao ; a Goaealves & Luis.
i drta objectos de laa; ;i Magalbes & Irma.
1 dita toaros-; a A. 5 barricas legumes, 1 dita avea, 1 dita farinha,
i dita cevadinba, 2 caixas sal, l dita presuntos o
cuencas; a Maternas l.em.
1 barrica e 1 caixa rilabas., 1 diu analto
turas, 1 dli* delicadezas, dita csaesiivei*; a H.
Niemejer.
4 caixas chales e meias de algodao, 2 ditas miu-
dezas e 1 pacote amostras ; a D. P. Wild & C.
Patacho prussiaao Aiert, entrado do Rio Grande
do Sal, coBsignado a Mj i di Espirito Santo, maai-
festou o seguinte '.
12,684 arrobas cbarqte, 67 cooros vacenns, 489
arrobas de gfaxa e 26 ditas de sebo; aos mesraos.
KKGEB8D0MA DE RENDAS. INTERNA* GB-
BAES DE PERNAMBUCO
Readimeaio do dia 1 a 9 ....... 12:086*075
IdemdodialO................ 1:809*340
do-S*aaao por B3o havef comparecido o respecti-
vo lente e era enviado a competente lista das
masroas. ....
1* anno.
Mauricio Francisco Ferreifa da Silva, 3 faltas na
1' cadeira e 4 inclusive 1 sabbalina na 2*.
2* anno.
Raymundo Braulio Pires Lima, 1 sab. na 2a ca-
deira.
3* anno.
Amaacio Ccacesso de Canalice, 1 falta na 2* ca-
dena.
Cornelio Forreira Franca Filbo, t dem.
Jote Joaqun Alves de Albuquerque, 1 na 1* ca-
deira.
Anaeleto Jos dos Santos, 1 na Ia cadeira 4 na
*dtti.
Jos Jorge de Siqaeira Filbo, 3 na 1' cadeira e
tlsab. na *.
Torquato Mendes Vianna, 1 na 2' cadeira.
Jos de Araujo Vtanna e Almeida, 12 Inclusive
1 sab. na 1* cadeira.
Antonio Paulino Cavalcante de Albuquerque, i
na 1* cadeira.
Jos Ignacio Fernandes Barros, i na i* ea*
de ira.
tjLuiz Caelano Pereira Guimaraes Jnior, 9 na 2*
cadeira.
Aurelio Numeziano Pontes da Silveira, 1 na 1*
cadeira.
Praxede Theodalo da Silva, 1 na 1* cadeira.
Vicente Ferrelra Gomes, 1 na 1* cadeira e 1
na 2.
Agesllao Pereira da Silva, 1 na 1" cadeira e 1
nal*.
Antonio Joaqalm de Senna Jnior, 1 na 1' ca-
deira e 2 inclusive 1 sab. na 2*.
Joaqulm Antonio da Silveira, Jnior, 1 na 1* car
delra e 1 na 2.
Goncallo Vieira de Mallo Prado, perded o anno
por excesso de faltas.
Tobias Barreto de*Menezes, 7 Inclusive 1 sab.
na 2* cadeira.
Joaquim Newton de Carvalho, 2 na 1* cadeira e
2 na 5.
rcenlo Simoes da Silva Atoa, 2 na Ia ca-
deira.
Elpidlo Jos de Carvalho Sonza, 3 na 2" ca-
deira.
4 anno.
Reinaldo Gomes de Oliveira, 2 faltas na 2* ca-
deira.
Joaqnira Rogerio de Oliveira, l idem.
Virgilio Angosto de Moraes, 1 idem.
Candido Alves Machado, 1 dem.
Joaquim Lopes Lo bao, 1 idem.
Antonio Estevo da Oliveira, 2 idem.
5o anno.
Joaquim Guedes Gondim, 2 .faltas na 3* ca-
deira.
Mari* de Peraamfcae Qaarta letra il de fulho de 1866.
pMtrtadk a:
O secretario do governe desta
imprimir publicar e correr.
Palacio do governo de Pemambdan, M iaabrtt
de 1866, 45* da independencia e tfoiraoerio.
, L.S.
Manoel Clementino Carneiro-i Cmk*.
Sellada e publicada a presente resfuco nesta
secretaria do gavera de Pernaaaoooo, 23 de abrti
de 1806.
O secretario Dr. Frmcisco i$ Patata SaM.
Registrada a fl. do llvro 7.* da lela provinciaes,
secreura do governo de Pernambuco, 23 de abril
de 1806.
O aoripturarto da i.1
Taaarw.
i\ta. ir. iaspeetor da tbesooraria provio-
cial, en camprimeoio da orden do Exm. 8r. pre-
sidente da provincia de 28 do correnle, manda fa-
zer poblie, qoe no da 30 de agosto prximo vrn-
douo, parante a junta da faieeda da aaesaia tne-
touraria, se ha de arrematar a quera por majus
Bzer, a obra do 9.' lanco da estrada da Escada,
na importancia de 16-9051000.
A arrematado sera falta na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 13 de raaio de 1854, e sob as
clausulas especiaes abaixo declaradas.
I As pesfoas qae se propuzerem a essa arremata'
ao comparecam na sala das sessSes da mesma
iota, no da cima indicado, pelo raeio dia e
competentemente habelitadas. '
E para constar se raandou publicar pelo jornal.
Secretaria da tbesooraria provincial de Pernam-
buco, 29 da malo de 1866.
O offlclal da secretaria
Migeel AIodco Ferreira.
Clausalas esaeclaes.
As obras do 9.* lanco da estrada da Escada se*
rao xecutadas de conformidade cora a piaa e
descripeo dos orcamentos, na importancia de
6:903j000.
II
O arreraaunte dever enmprir restrictamente as
instraecdes do socenheiro fiscal da obra e as con-
dicfdes de orcamento e contrato.
III
O arrematante dar comeco. as obras ao raso
de 15 das, e as coocluir no de 14 mezes, ambos
coatados dadata do contrato.
IV
Os pagamentos sero feitos em tres prestacCes
iguaes,-correspondentes ao Valor da obra feta,
menos o empedrameoto que ser* em ama s pres-
i tajao, quando fizer a entrega provisoria.
V
De cada prestado sera' deducido o qae deter-
mina o art. 83 do ragotameoto de 9 de ialbo de
1864.
VI
O recbimeoto definitivo de todo o lanco, e abras
taca qaeife-, ora asistencia do testm^nteiro, o prloci-
4 lowos qiw no mesrao conapeiia em vista do
rasittetrso balaa?o.
O contrato de soeiedade de Jos Joaquim da Cu-
aba e dailaavilie Jos de Souza, estabeloeldos nes-
Je
Exposi^So dos productos agr-
colas e IndHstrlaes u Perna sa-
buco
A commissSo directora da exposicio des-
a^r^S-4r"-0, Joigo.im. .d* ?aD,ha provincia, previne aos artistas que de-
sejrem conecrer com os seus proac'os a
raesraa exposifSo, e que nao o possam la-
zar por falta de recursos, que devem diri-
gir-se ao secretario da ,commisso para ob-
terem os auxilios necessarios a acquisic3o
destibadas aos ditos
tendo prlaasalij era 2 de Janeiro So eamDte, e
o capital da 14:0001, para o anal entra o socio
Cuaha con 16:0001, e o socio Souza con 8:0001.
Ea S do referido mez -
O contrato de soeiedade de Maaaal Jos Moreira
e Jos Aatoaes Pereira Braga, MObeleeidos nesia .
saecio. Tktodoro Jai cidade sob a firma de Moreira & Braga, qoe deve- s materias primas
f gyrar pngoipo indeterminado, teado coasac- productos,
do a 2 deJHMro do correte can a capital de
3S:38ll67J,aara o qual entra oaaeio Moreira can
29:6391425, e o socio Braga com 5:7221248 em
genero.* a divida existdota* aos esubeJeeinentos
perteocentes a ambos os socios.
Secretaria do tribunal !o commercio de Per-
oambneo 7 de jalho de 1866.
O offlcial-maior
Julio Guimaraes.
De ordem do lllm. Sr. inspector da thesou-
raria de fazenda desta provincia se faz pnblico, a
quem interessar posas, qoe no da 12 do correte
mez cometario na referida' ihesouraria os paga-
mentos das pensdes do Monte Pi dos Servidores
do Estado, vencidas at o ultimo de junho prximo
passado.
Secretaria da tbesooraria de fazeoda de Per-
nambuco, 10 de jalho de 1866.
Servindtrde otBcial maior,
________ Manoel Jos Pinto.
Correio Geral
Pera administracao do crrelo desta cidade se
faz publico ene em virtude da convenci postal,
celebrada p*ios aovemos brasrieiroe francez, se-
rio expedidas malas para Europa no dia 15 do
corrate pelo vapor ingiee ntida.
As caros sero recetadas at 2 horas antes da
qoe for marcada para a sabida do vapor, e os jor-
naes at 3 horas antes.
Administracao do correio de Pernambuco 10 de
jalho de 1866.
O administrador
DonHdfros dos Passos Miranda.
Sala da commissao 9 de maio de 1866.
M. Buarque derMacedo,
Secretario.__________
dee
Francisco Bodfignes Soareg, 3 Idem. ..... <* _., mttim
Secreuria da facnldade de direito do Recito, 9 ser* 1
de julbe de 18(6.
O offfclal no impedimento do secretarlo,
Manoel Antonio dos Passos t Silva Jnior.
VII
O r. Tristao de Alencar Araripe official
da imperial ordem da Rosa, juiz de di- \
reito especial do commercio d'esta cida-.
de do Recite de Pernambuco, e >eu ter-'
mo, per Sua Magestade Imperial e Com-
para todo mais qoe nao estiver aqnl especifica
do no contrato, seguir-se-ba o qoe prescreve o re-
ferido regolaaMnto das obras publicas.
Conforme.Miguel AHonao Ferreira.
-~_
DECURACOES
quem Santa Casa da Misericordia
do Recife,
titucional o Sr. D.
Deus guarde etc.
Fago saber pelo preeeote, aoe peraate este juizo I
e cariorio do eserivo que esta subscreveu, corre A Hlra.* junta administrativa da Sana Casa de
umaexecucao de senienca, entre partes de ama Misericordia do Recife manda faxer publico qoe
como exequente Tbeotonio Flix de Mello, e como' do dia 12 de julbo pelas 4 horas da tarde na sala
execntado Pedro Colbo da Silveira, e prosegnindo de suas sess5es tem de Ir i praga a renda das en-
dita exeeaeo os seos devidos termos, proeedea-se sas abiixo mencionadas por tempo de nm a tres
a penhora em dinneiro pertencente ao executado, annos.
pelo que em audiencia publica, pelo solicitador Vi-
cente Licinio da Cosa Campeilo, procurador do
exequente, me foi falto, o requrimento do theor
seguinte :
Aos 9 dias do mez de julbo de 1866, ne.-ta cida-
de do Recife, era audiencia do Dr. juiz de direito
especial do commercio Tristao de Alencar Araripe,
pelo solicitador Vicente Licinio da Costa Campeilo,
procurador do ezequenle fra acensada a penhora
feita em diobeiro, na guautia de 7-155*784 rs.,
existente no deposito publico, pertencento ao exe-
cutado Pedro Coelho da Silveira, requereodo qae
nao s cassera asslgnados os seis dias penhora,
como us dez dias aos credores lacertos, sob pena de
revelia, para cujo fira se Ihe desse os editaes do es-
tillo. O que sendo por rnirn oovido assim o defer!
Extrahi o presente do protocolo das audiencias e
junto a carta precatoria e termo da penhora.
Ea Manoel Silvino de Barros Falco, eserivo
adjunto o escrevi
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, eseri-
vo, o strbscrev
1:0671080
1811000
501000
1351000
E em observancia a dito meu deferimento o res-1 ^ jg casa
pectivo eserivo fez passar o presente editaj com o
praso de 10 dias, pelo theor do qual, chamo, cito e
hei por citados a todos os credores incertos do re-
ferido cxtcutado, para que dentro do dito praso
comparecam ante este juizo, por si oa por seas
procaradores, allegando e provando o qa for a
bem de sea direito e justica, sob pena d se proce-
der a suas revellas.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandei fazer o presente edital, que sera' afiliado
nos logares do costume e publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de
nambuco aos 10 de julbo de 1866.
Ea Manoel de Carvalho Paes de ndrade, eseri-
vo, o subscrevi.
Tnsfo de Alencar Araripe.
Os pretendemos deveo comparecer acompanba-
dos de seos fiadores ou munidos de caros destes.
Eslabelecinienlos de carida4e.
Roa Direita.
N. 8 sobrado de 2 andares ....
Roa do Padre FlorOno.
N. 49 cata terrea.......
N. 57 casa terrea.......
Ra do Fagnndes.
N. 31 casa terrea......
Travessa de S. Jos.
N. 13 casa terrea.......1531000
N. 14 ff easa farrea......1691000
Roa das Calcadas.
N. 36 casa terrea.......1761000
N. 38 can terrea.......1571000
Kua da Viracao.
N. 7 casa terrea.......2041000
N. 27 idem .......1801000
Raa larga do Rosario.
N. 24 segonde andar......3009000
Ra do Calabooee.
Arsenal le guerra.
O conselho de compras do arsenal de guerra
em virtade da ordeno" presidencia de 3 do cor-
rete precisa comprar o seguinte :
30 arrobas de polvbra gro' de boa qualidade,
oo 440 kilogramas e 688 gramas.
As pesseas qae qufiterem vender ditos artigos
apresentem suas propostas a as competentes ames-
tras na sala do coseibo, s 11 horas da manhaa
do dia 15 do oorrble.
Sala do conselho de compras do arsenal de guer-
ra 9 de julho de 1866.
O enearregado da escripturajo
Manoel Jos da Azevedo Santos.
Do ordem do Mu. Sr. inspector da tbesoora-
ria de fazenda dosta provincia se faz publico qae
fica adiaaa para o dia 11 ao crrente mez a arre
matag'o dos 146 sceos d farinha era mo es
Odo.
Secretaria da thesonrrta de fazenda de Pernam-
buco 9 de julbo de 1866. Servindo de olDcial-
mkiorManoel Jos Pinto.
13:80514*5
CONSLABO PR0VWCIAI>
Rendimento do dia 1 a 9
idem do da rO........
51:*371239
l:57llfJW
32:7061820
MOvTMBn'O M tflBTO
iVdcto entrado no dia 10.
Talcahnan46 dias, galera americana Dwmeza de
Orleans, de 79i tecelaaas, eapMlo H. Hineis
equlpageoj 18, carga borrado cobre e la; a
Henry Fwsto* & C.
Navios sahidoi no mesmo dio.
CanalBarca promana A'flio,capitao O. Borkhart,
carga assnear.
Gesai^-Pataeno poftaf Comtanctts, ea#tto Ma-
noel da Silva, sarga auucar.
MWlSl. ..'W'iWW"l'j"'iit "g1
E B I T E S
*? <*<*"
-..ni iVl i
EaouWaiie de direito.
Da orden da Eso, 8ir direetoavtofo pnblicaa
lisa das.(alus dos estudante) desta facoldade, con
relaeao ao mez de maio e qae foram IrJtidas nOo
abonadas em tsala da oatregacao da 30 de jn>
sao ultimo Dio se tendo tratado das da Ia cadeira
4' seceo.Secretarla do governo de Pernambu-
co, 14 de junho de 1866.
EDITAL.
Pela secretaria do governo de Pernambuco se
faz publico a quem interessar possa, qoe tendo o
Exm. Sr. presidente da provincia de dar execogo
a lei o. 667 de 23 de abril do correte anno, abai-
xo publicada, se convida todas as pessoas qae
queiraai contratar os ramaes de trilbos nrbanos, de
que trata a referida lei apresentem ao mesmo Exm.
Sr. at o ultimo de jolbo prximo viodooro as suas
propostas, afJm de seren examinadas e preferir-se
aquella qoe meihores vantagens offrecer.
O secretario,
Dr. Francisco de Paula Salles.
LEI N. 6*7.
O Dr. Manoel Clemeottae Carnelro da Canha,
vice-presdeateda provincia de Peroautoeo.
Fago saber todos os seos hablantes qae a as-
sembla legisfativa provincial decretos e ea saoc-
clonei a resologao seguinte :
ArL 1. O presidente da provincia contratar eo
os empreiteiros dos trilbos urbanos, on com quem
melhores vantagens offrecer, um ramal dos ases-
inos trilhos, que, partindedesta capital v terminar
na cidade de OHad, -paseando petos estradas de
Joo de Barros e Belm, de coja encrusilhada deve
partir otitro1 ramal para a povoago Bebera*.
Art 2. O contrato ser redigido oe modo i ficar
o contratante obrigado a concluir a obra dentro de
10 meces, contadlos da assignatura do mesmo con-
trato, sob pena de pagar a multa de o:000!, e de
ver acabar a obra a sna cosa.
8 Oprazo para o ramal deJBeberibn ser con-
tado da conelcsao da estrada pela lei n. 626 d* 16
de maio de 1065, ffcaodo o contraante responsa-
vel pela conservacao de dito estrada.
Art. 3. O presidente da provincia poder wti-
liar por orna s vez ao contratante, com ama snb-
vencio kilomtrica nonea snperlw a y* do capital
empregado.
Art. 4. Fcara o mesmo contratante snjefto is
condig5es segnlntes :
'_ 1* Submetter o orgamento da obra approva
gao do governo.
8 2* Bstabeleeer pelo meaos anafre viageos dia-
rias, sendo duas de ida e doas de volta.
3- lito poder exigir de cada passageiro mtls
e ^i!LTS- P01" viafem em ^*i*> de priraeira clas-
se ; 300 rs. nos de segunda; e de 200 rs. nos de
tercetra.
g 4.a A baixar estes precos a propergaO qoe aop
mentar a concurreacia, de modo a combinarem-se
os Interesses da empresa com os dos passageiros.
5* Estabelecer treosde carga logo qoe soasa}
veniencias poWree as reetamtrem, aso pod*ado
em caso atgnm exigir pelo transporte dos vulomes
mais do que se ex*go-n* va frrea do Recife ao S.
Francisco.
ArL O contratante gosar dos mesnos provi-
wgfee, concedidas a companrrta dos WHs orbaoas
do Recife Apipucos, mas por praao aonca sopo
rior a 30 annos, lindo os qoaes ficar a eaasreta,
em estado de fOocetoaar regularmente, pertoaeen-
da a provincia.
Art. 6. Ao governo Oca reservad o direito de
fiscallsar a coostrnego, conservago a isrvieo da
empreza, assim coma o de regular as respectivas
tarifas da Iraaaportes aas vaaogeas Aqoe dava ter
direito provincia.
Art 7. Pican revagadas as diposic6es em con-
traro.
Mando, portante, a todas as autoridades a qaan
a conbacineaio a exeeaeo da presente resolneo
pertencer, qoe a campram e facam conprir lio
Inteiramente como nella se conten.
terrea......1851000
Roa da Moeda.
N. sobrado de 3 andares.....4801080
Boceo do Qaiabo.
N. 8 idem, casa terrea ..... 1441080
Ra da Gloria.
N. 55 idem, casa terrea.....1441000
Roa do Encantamento.
-N. 3 idem, sobrado......4001000
Roa do Apollo.
N. 24 sobrado de 2 andares. 1:4001000
Roa de S. Bom Jess das Crioulas.
- N. 8 casa terrea.......13110OC
Patrimonio de erphes.
Ra do Rangel.
Casa terrea n. 56.......30OJJ0O0
Roa do Vigario.
0 i. andar do sobrado o. 27 1801000
S. Goncalo.
Casa terrea n. 22.......1891000
Roa dos Burgos.
Casa terrea n. 19........ 1911000
Roa do Encantamento.
Sobrado de 2 andares n......9001000
Senxala Velha.
Casa terrea n. 18.......2001000
Roa da Goto.
dem o. 29.........144J0O0
Raa do Pilar.
Casa terrea n. 105.......1681000
dem o, 103 idem.......-2009000
dem n. 99 idem 2551000
idem n. 94 idem.......200JOOO
dem n. 5 a Forno da Cal. 1501000
Secretaria da Sana Casa da Misericordia do
Recite 6 de julno de 1856.
O eserivo interino,
Pedro Rodrigues de Souza.
Santa Casa da Misericordia de
Recre.
A lllm* juna administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico que
no dia 12 do correte, pelas 4 horas da larde, na
saja de suas sassSes, on da ir a' praga pata serem
arrematados 309 palmos de terreno no logar dos
Arrombados potteocentes a esa Santa Casa por
eesso do dominio til e directo tollo por Manoel
Jos Lopes Braga, e sua mulher.
Sana Gasa da Misericordia do Recito 7 de ja-
lho de 1866.
O eserivo iptennp,
____________ Podro nodflfoes de Sonza.
JCMafMrfeiai'to MfaltaYM. t ttwtm-
tatv
Precisa-se contratar para fornecimeate da car
valhada da mesma cora pac bu ao 2 semestre do
corrate aao o aegoiU :
Capim de plana em arrobas. .
Mino em alqoatfes.
Farello em libras. <
Mei em garrafas.
todos estes gneros de primtua Tjualidade.
Os ptaponeoies/ apresanarao as mas nropostas
na secretaria da mesan companbia no. na 12 do
correaje a rela dia.
Quartel no campo das Prncasas 9 de julbo de
1866. *
Manoel Joaqalm Machado,
Tenentecoanaaadaiu^
Exposicio das aredaetas agrcolas, iadnstriaes
abras d'arles em Pcrnamlmco.
A commissJo directora da exposicSo des-
ta provincia resolveu, qne por meio de repe-
tidos anouncios se|publicasse o seguinte:
4."Que a inaugurado daexposi?5o foi
transferida para o dia 15 de agosto prximo;
2. Que a recepcSo dos pr( ductos desti-
nados exposiejo principiar no dia 15 de
julho prximo;
3. Que a demora que houver na remes-
sa dos productos ser nociva sna mais con-
veniente collocacSo, conforme a respectiva
importancia;
4. Que vindo todo atropeladamcnte as
vesperas jdo da da abertura da exposico,
nem se pode calcular o espato que elles re-
querem e se dever apromptar, nem fazer
sobresatiir os productos, espacando-os, e
collocando-os convenientemente;
5. Que ao agente designado pelo commi-
sario classificador, o 9r. Dr. Gervasio Ro-
drigues Campeilo, se deverao eDtregar os
productos no palacio do governo do referi-
do dia 15 de jolbo em diante, e desde as
9 horas da manhSa at as 3 da tarde.
6. Que a toctos os expositores se passar
Fecibo de seus productos, declarando, con-
forme elles determinar em, se o destino do
objecto exposto deixado ao arbitrio da
commissSo, se deve seguir para a exposicio
ia rrte, u ser restituido ao expositor, logo
depois da etxposicao; 4
7. Que podendo tersuccedido que nSo
tenham cheg.ido a sen destino algumas das
circulares e nsiruccus por ellas dirigidas a
todos os cidadios que julgou poderem con-
tribuir para a expesicao. Mies roga que pre-
cindido de convites especiaes, contribuam
para esta festa industrial, em cujo bom ou
mo xito vio de algum modo os bros da
provincia.
Sala da commissSo, 9 de malo de 1866.
M. Buarque de Macedo.
Secretario.
s
THt: vrito
DE
EIPIEZ4-C0IMBRA.
Quareafva tt de julho
Rrclta cxtrsiordiaaria.
Sobe a scena a brilhante e app audida opera c-
mica em 3 actos original brasilciro do Sr. Dr. J.
H. de Macedo
ph4ntis)ia mm.
Tomam parte os artistas l>. Eugenia Cmara,
D. Jesuma, D. Emilia Pontes, D] Leopoldina, e os
Srs. tRaymundo, Lisboa, Paiva, Couto, Teixeira
ele. O papel de capito Tiberio desempenhado
pelo artista Raymundo, qae j tem grangeado nao
s neste como em varios theatros do imperio in-
contestaveis applansos e ovacoes.
I)-ira tlm ao espectculo a aova e inleressante
comedia em 1 acto, original'francez.
A cabera do lartinlio.
Personagens.
Duran i de Amieas.....Raymnodo.
Wenceslao Durand.....Teixeira.
Izidoro Martioho......Lisboa.
Bertrand (estalajadeiro). Pinto.
Eodoxia Durand......Leopoldina.
Amenaide Durand.....Emilia Pontes.
Comecara' s 8 horas.
Em conseqoencia de se achar doente o artista
Sr. Pedro Joaqaim do Araaral, deixa de ter lugar o
espectauio annnnciado para terca-feira 10 do cor-
rete em beneficio do artista Paiva, o qual subir'
a scena quando for previamente annnnciado.
A empreza previne ao publico que esta em cn-
saios o drama original do Sr. L. C. P. Guimaraes
JniorAs Quedas Fataes.
Tribunal do commercio
Peto secreuria do trboaa ao eonaaereio de
Pernambuco se fas paaitoe au toram inscriptos no
rofiatno coaapeteate:
Em 3 do correte mes ;
O contraao da soejadada aa. Filil I) flil de
Souza Teixeira a, Aalarta>*aoatoa Sanpaio, es-
o*aloiaaktOk>aft ainada an cocbatra na rna das
Flor, sob a Urna aa Toiaira 4 S%naaio, que
portancia fornecida por ambos em partes iguaas-
tZ*i?m'*4*mb')f,**mt*' -<>'>ia*^<>*0-
0 dlstracto da. Soaiedade qoe fjran nesu cldado
soto afirma de Figoeitedc &~(*m, qaa aaoadis-
solvlda pela morte do ex-socoiJose* Antonia Far-
"o %gualredo, flai(i>.aoarfo do ex^oewToa-
quim Ribeirs da Gana todo o activo e passivo da
extlncU soeiedade, visto ter este pago a vlava da-
Exposl?o do productos agri
colas, Iadnstriaes e obras de
arte em Pernambuco.
Constando commissSo directora da ex
po8ic3o qse,' por falta dos necessarios escla-
recimentos, pela conrparaclo havlda entre
os dossos productos e ouiros similares de
diversas provincas, e por outros motivos
de nao rev completa sciencia, nao houve
a desejave gualdaJe na distribuico feita
para esta provincia das recompensas dadas
pela commissao central do Rio de Janeiro
nar ultima expolio, e qn por este acto
alguos dos antigos expositores se recusara
a concorrer com novos productos expsi-
to de 15 de agosto prximo ; resolveu, em
urna de suas sessotis, mandar fazer publi-
co o seguinte:
l." Haver na pwmniia, para os traba-
Ihos tfa exposico, um jury especial, no qual
nao terao voto os nemliros da commissao
directora, gue, jalear da excellencia, aper-
fefcoanrento e utilidade dos productos ex-
postos;
2. Este jury se dividir em duas sec-
c5es, sendo urna' para os productos agrco-
las, eoutra paraos industriaespropriamen-
te ditos, e obras de arte;
3." Farto parte a jnry as pessoas de re-
conhecida aptido e especialistas;
4. Segundo o juizo do jnry, a commissao
distribuir aos productores e demais expo-
sitores medalhas de duas classes, sendo as
da 1* classe de prata e as da 2a de co re,
ambas acompanhadas de diplomas.
5. A commissao far acquisicSo, medias-
te valor ajustado, dos prodoctos que para
isto forem jntgados dignos pelo jury, e que
d2o possam ser cedidos gratuitamente para
figuraren) na exposico central.
A commissao directora espera que estas
medida servirao de garanta ao verdadeiro
apreco dos prodoctos expostos, e qu f desapparecer e desanimo que a alguns ex-
positores causn a desigualdade que ci-
ma se referi.
Alm disso, a eommiss3o chama a atten-
gao dos Srs. expositores e mais industriaos
da provincia para a circumstancia de um
dos seus membros ter de acompaobar ex-
posi'cJo central os productos que d'aqui fo-
rem enviados, e fazer parte do jury julga-
dor na corte, aenando-se por esta forma
habilitado para ministrar todos os esclareci-
meotos neciissarios ao perfeito conhecimen-
to des productos, e fazer valer o direito de
cada aa da expositores desta provincia.
Por esta forma a commissao jnlga ter re-
movido mais na dos embarazos, com que
porventura venha a lutar Da acquisicao de
produetoe dettinades iexpesicao de 15 de
agosto.
Anda urna vez appella a commissSo para
es digaos Pernambucanos, pedindo-lhes com
instancia qne promovam com esforco a re-
messa de productos destinados a figurarem
n'aquetta festa industrial, onde se empe-
obam os bros da provincia
Sala da coirawsrtn, de maio de 1868.
Secretario,
ManatBuarque de Macedo.
Pila subdelegada da freguezia de S. Prot Pe-
dro Gonjatves se fas publico qae acha se reeolhi-
do a casa de deteoeao o arete Maximino, que di*
ser escrivo de D. Seobormaa da tal, quem se jul-
gar cem direita as* mesmo, coronareca nesta sub-
delegad manido de seus ttulos, qae provando Ihe
sera entregue.
Subdelegacia do Recife, 1 de jolbo de 1863.
Osabslegado
Luiz Antonio Gjncalves Peona
No dia terca-feira. 17 do correte, depois da
audiencia do lllm. Sr. Dr. jais nos orpbaei deste
arma di cidade do Recife, sera vendido por arre- nacional MONDEGO : quem nelte pretender
mata$3o ante o mesmo Sr. jolr, a qaem maior carregar queira dirigir-se ao seu cnsicna-
laaeo ofleracer, o sobrado de dous andares e solio tario Fraoeisco Ribwrn Pinta finimarsi *
n. roa Nova desta mesma cidade, o qnaV ten "" AT^^Jr* ra> ,aannar
38 palmos de frentes loCda rundo, cosiot iuteroa rna do ApOllO arfliazem n, 3.
em cada aodar, graode quiotal raraoo com dons 'tL'^J i: U~.T" "
porioes para a ra das Ptbres, cacitoba prpra
e dous tfilheiros, e em cliSbs frlros, avalialo
por 14:000#000. de-reis, por precisar de reparos.
A mesma venda sei-J effectaada livre de
qaaesquer despezas para os consenhores do pre-
dio, inclusive a da sin por inteiro, as qoaes Xi-
n correro por contado arrematante, porque foi
aeierisada a reqerlmeoto da totora dos referi-
dos consenhores, flibos do finado Hemetrio a-
CaPAMIA
oxs
afessageries Imperiales.
Al a fia 14
do cerr ale anas
espera-s da Kn-
ropa a vapor
franeea Navmrre,
oqoal depois da
demora de eoa-
ne segairi pa-
ra a Batta t Rio
de Janeiro. Para nndasaas fwte e passsfaas
trata-se na agencia raa do Trapicha n. 9.
Para o Ft3fto.
Segolra' con Bfsvlaade a fien conbecia e nal
veleira barca Claudina, por ter parte de sea earra-
gamento engajado: para o resto e passageiros, aos
qoaes offerece excedentes eommodos, trala-se asea
Cunba Irmacs 4 C, a' rita da Madre de Deas n. 3M
eu com o capitao a bordo._____________________
Para esa tlreitnra
segoe com carta demora o velelro hiate liada Wk
Qttele por ter qoasi toda a carga pro* ; para a
pouca que anda pode admettlr, trata-se eoaa asea
consignatario Antonio de Almeida Gomes, raa da
Cruzn. 23, primeiro andar. _
O patacho nacional SOL, segoe con brevida-
de para o Rio Grande do Sol, recebe carao a frete
para o qoe trao-se ne escrlptorio ao Aneein Ir-
maos roa da Cruz n. 3 on com o capitao aaaaoel
Ksteves Lopes:
Kio de Janeiro,.
O brigue nacunal Belizarw, que ja' te aaas de
metade da carga prompta para o Rio ^o Jaaeiro,
segoe eom brevidade : os qae nella ojnieran car-
regar queiram entender-se com os eonsicaaUrioa
Marques, Barros t C, largo do Corpa a*Bto b. 6
segunda andar, ou com o respectivo capitao m
praca._______________
Para o Rio de Janeiro.
O velelro pai ba bote nacional Piedai* par o Mata
seguir coso mnila brevidade tem parto desea
carregamecto prompta, para o reslo qoe ihe falla
e escravos a frete, para os quaes tem exealliatoa
eommodos; trata-se com os seos cnasrgtwterto
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo C ao asa
escrlptorio a roa da Cruz do Recife n. i.________
COMPANHfA PERMMBCAlA
DI
Navegace costeira pal ?**%
Transferencia
Para o da i i do correle as II horas da ana-
nhaa por ordem superior Oca transferida a sabida
do vapor Parahyba, com destino a Fernando de
Noronha : escrlptorio da eompaoiJa Peraanboea-
na, Forte do Matos n. 1.
^.- A. Struve, capitao do brigue escuna
hamburguez Marie Louise vindo da Baha
com carga de fumo e algodao con destino
para Hamburgo, arribado ne:t potto por
for?a maior, precisa tomar a risco ma iti-
mo sobre o casco, frete e carregamento do
dito navio a quantia de cerca de l:0O# :
as offertas devem ser entregues em carta
fechada no consulado de Hamburgo, roa da
Cruz n. 4, ate 13 do corrate ao meio dia.
LEI19EI.
De cerca de 350 barricas com farsa
de trigo.
56 caixas cem cha hyssai
3Jcai\as com biscontos em latas
(no armazem de farinha dos sbs. hbsrs roaarraa
& C. BOA DO 1MPEAAD0U.)
O agente Pinto fara' ieilo por cnaa a risco de
quem perteocer e para fechar facturas des geee-
ros cima mencionados, as 10 horas do dia cima
dito oo armazem de farinba, por baizo do Bastan
te Portuguez.

'ISaa.
AVISOS MARITimOS
COvfPAXHIl Hit \sn i:nt 1
E
PAQUETES a VAPOR
Bus porto* do norte esperado
at o dia 17 do corrale e vapor
Guar, commandaote o primeiro
leneote Pedro Hypeiito Duarte, o
qual depois da demora do cost-
me seguir pera os porto* do sol.
Desde ja recetem-se passageiros a engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera'
ser embarcada no dia de sua chegada, encommeo-
das e dinbeiro a fren at o dia da sahida as i ho-
ras ; as passageas s sero recebidas aa. agencia
ra da Croa o. i eseriptorio de Antonio Lnia da
Oliveira Azeveao A C ^^^
Para o Porto por LisLo a veleina e superior
batea portaguez rmelinda pretende sabir para
os indicados portos com muita brevidade por ter a
maior parte de sea carregamento tratado, e para o
qae Ihe falta, trata-se com o consignatario Joaquim
Jos Goncalves Beltro, na roa do Vigario n. 17.
Leilo
De 4 caixes com vidre
O agente Pinto fara' leilo, a requeriiaento do
depositario geral e por despacho do lllm. Sb\ Dr.
juiz especial do commercio, de 4 groadas candas
com canudos de vldro para candieir >s, existentes
no deposito geral, por exeeucao de Raymnodo Re-
migio de Mello Jnior contra Justino Antonia Pis-
to; o leilo sera' eff'Ctuado no mesma deposito,
casa em frente a secretaria de policia na roa do
Imperador.
lJ5ILA0~
Das dividas do tinado Joaqun
va Uses na importancia
26,595?370
Gordelro Slsadcs
a' requrimento do testamenteiro e inventar
do (nado Joaqaim da Silva Lopes e despacte do
lllm. Sr. Dr. juiz municipal da segunda vara, la-
vara' pela ultima ves a leilo as dividas activas
pertenceates ao espolio do mesmo finado, isto
Quinta-feira 11 do correte as i i asaras.
No armazem a roa da Gad*ia do Recife m. 30.
* Sil-
ie r

LEILAO
^k
m\ p
Um\M BRA8ILEIKA
D
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sol esperado
at o dia li-do correte o vapor
Crutem do Saf, commandaote
Alcoferado, o anal depois da
demora do eostume seguir para
os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
caiga que ovsper poder conduzir,*qual dever ser
dmoareaoa no da da sua ehOgada; encommendase
dlrmeiro a frete at o dia dosoa sahida as- S hbras;
a9 passagens' s serio recebidas na' agencia roa
da Croa o. I, escrlptorio de Aotooio Lnlz de Oli-
veira Azevedo 4 G.
io de Janeiro
Signe eom apossivetnretrdide o brigue

Para lasfeoa.

O arremataate do sobsidio oOiJrJOO por ta-
boca de gado vaceum do municipio da Roerte, ven-
de a cobranga do dmsuw subsiaia. das iragaasias
do P050, Varzei, S. Looren$o e Peres; o pretaa-
dentes procorem na roa das Cruzes o. 31
A barca portuf ueza Grahda* a sabir com teda
brevidade por ter piompto quasi todo e sea carre-
gamento ; para o resto que ibeXalta, e passageiros,
para os qoaes offerece boas accomroodacSes tra-
ta-se com Manoel Ignacio de Oliveira 4 Ribo
largo de Corpo-Saoto o. 19 escripterio, oa
Praca com o capitao.
Para o Eior6tede ITsal
Segoe mol breve o patacho nacional Bemca
parase1 ten a maior parte de seu earregamaoto
engajado: qaem pretenaar carragar a frete a
v!SoT?dM"'J'*M" mtT *<&wlra, raa do
De um sof de Jacaranda 12 cadeiras de dito, i
mesa de dito, 2 baaquinhas de dito, 1 guarda loa-
ca usado e 1 dito novo, 1 guarda vestido de ama-
relio, 1 cama fraaceza usada, i commoda asada, i
meso elstica asada, 1 rico guarda roopa 4e ama-
relio de raz, 1 secretaria osada, 1 mesa para po-
tar de amarello, 1 mesa elstica aova eom ra-
boas, cabides, marquezas, 1 albaca eoaa 70 estam-
pas, apparaderes, relogios e autras nauta artigos
que se torea enfadando taenelooar.
A manhaa 12 do correte as H k'wns.
Wo armazem a roa da Cadei do Recife at M.
LCIaLAO
Da loja de ourives da raa ds loai*i
n. 24 esquina i roa do lab05*.
O agente Hartins levara' novamenle a lei lio a
reqoerimenio de Jos Pddro de Alcntara- testa-
menteiro e inventarame do Ooado Pedro ao Al-
meida Guimaraes e por mandado do film. Sr. Dr.
juiz municipal da segnnda vara supplente en exar-
eicio da armacao, obras de ooro e prata da foja aa
ra do Rosario o. 24 A, esquina da ra do Cabac.
Quinta-feira 13 do crreme.
As 10 horas do dia em diu loja.
EILAO
De ama taberna na ra de S. Jssnt-
mera 2, -
Qninta-feira do correte.
O agente Pestaa regalmeofe amortado
leilo da armacao, gaz, gneros e mtt$
da taberna aeima por coala e risco do qoen per-
tencer na mesma : quinta-feira 12 do rmialtia
las 10 boras da manba. Este estabeleetaJea
proprlo para principiaote pofs qoe tea) i
fundos, aeha-se bem afreguezada e roraatosa a
casa i qaal tea ora sotSo para moradia. -
\J
fara-

O agente Mattins fara' leilao a reqoerlmeataii
curadores liscaas da raassa faiUaa de Jaac Jaa*
Silva, Villar & C, e Villar 4 (I, e por aosaach
do lllm. Sr. Dr. juiz especial do commercio dadi-
vidas activas da mesma mitssa oa imporoaciavS
5;UO*30lJr,
Qoiau-feira H do correte.
As 11 horas do dia aa roa da Cadela do Beca*
n. 9, primeiro andar, aonde pode ser n nasas
das ditas dividas. ..........
Leil&o
De 50 saecoaeoanfeljio fradlasasa.
Sexta-feira 13 do corrate.
O agaata Peitaaa fara' leilo per eoaa e strsa
de qoem perteacer de 80 saceos cora teijio aa~
dinbo moito novo o qual s%r venralo ess, loa a
lUflR
r.

i



atarle e MtaMMtfr ** _
atada dos tvern|||_
pelas 10 ijf hora? da maniaa no
I smlia-feira 13 do correte
armaum do Sr.
LEIUO
m MMrrk m pelxe.
Sexta feii-a (3 do corrente.
O agente Pestaoa hra'Jeilip, por conta o risco
dto mem ptitefer, dial larris com peixe de-
sembarcados altimainwU; o qual ser vendido era
totea a vont ade dos camprad. res : sexia-feira 13
a cdrrenu pala* j. wm da maoba do arma-
atas Ig Sr. Antes defronte da afhndega.
43
Clnb Peraambucano.
Exgese dos mrobros do ClutrternsdJboaoo, t ^ fMj/j "i i i
quetoem par cutame evarein as Stas caas Mofe, *** a,lw *-,t
e perMHeos da mesa do gabinete do nrtiaerflm,i A primeira COndicao I
S2,D9?fIi' das da tto Auga,u, a* se absrenba0 de" S*-1 ^Tr .T! ataaues da bumidade ^medr. f> **{ feitd com regularidad e
ihaote inadmlssivel proeed.meoto. | d'?Sh ^"I*"Tn nnirn nreVeria- PK>mptlrtao* om proa de qoe o propietario do
E' de pnraeir intuicio que essas folbas sSo pa- calcado bom e seguro e o nico preserva- bQtel Trav. f ge Jh a radar a08
rattrair, fio IrrAna na Mmhf>.M nno li'jruca 1A flri. a!.. J..MA mA I ah f a M i rUttfad O *iG (3CT3 Cal*' .... .. ...T r i___._
Giande hotel Iraviata.
O eroprietario de? te estabelecimento participa
ao respailavel puWico ana acaba de reformar o
sen hotel de nod a-(*er' aos sen fregaezes
ispensavl a COI *, escolenles eomrooe'idades, boa e acetada comida,
OPEKACdES
DE ,
OLHOS, OUViOOS E DAS VAS OURINARIAS.
O Or. Haiiiaug medico operador e oculista, rnembro titular da Aeademia
"Ji'V'JlW
9SP
MISOS DIVERSOS
_______d. .->--------J.. :--
fittituto Archedogiio e Qeo
col1-'
Cu-
leo |r nmfaaean*
aver aiseio ordinaria amata-reir 11 *
mili tornada alma
OIlDSJt DO OA. .
^fceyoie sofeinnn do sr. Br. los Banto da
fea Ftfaeii edo Jnior, cono socio effectivo.
Parteare*: mais irabalnos de coarnrijsoes,
Secretar! do Instituto Archeologieo a tsaegra
nhirn Peraimbucaou 9 de julho de 1866.
I Sares de Atevedo
Secretario perpetuo.
O qoe, pois, nao razoavel, qoe esses e que
taes>aWrabam(JomootrMavolo68oacasa, edades mtellectuaes dos calcante!
queiram depois, sem mais ceremonia, transportar
as foihas s snas casas I
Seraelhante (acaldado nao existo aos estatutos.
Um dos a$soctao$.

Aaxoato Goffies, sebdito
Ausente,
No dia 6 do csrrente ausentou-se de casa
i de seu senhor na Gaprjtiga, o preto Anto-
nio, muito coDbecWo por ser boleeiro e
comprador, usa de bigodes e levou vestido
lura casacao de panno azl com golla encar- Dl5!MlPSfBn868 fle Dezerro e
nada, tem andado por Gasa Forte e Gaidei-
portngueti ret.ra-se WF a Pr(*0^ sen^.las^^eldl!!!
44VHUA DIKEIl'A4*.
e attendam a' baratexa.
Homens. ,a
Borzeguins barc#llonezes de lus-
tro e de poroo ^^
Ditos de Bwdesrax .... 7^000
berra-
8($000
anda a servico, mas hontem fbi visto ni roa
1 do Pires por duas vezes; roga-se portanto
as autoridades policiaes e capitSes de cam-
po a sua apprebeoc59' e levar ao caw de
Apollo a. 55, que se gratificar.
CIOOOOOO
Ctrre 'torea-leira 17 dtceneite
Acbam-se venda na respectiva tbesou-
rara, rua do Crespo n. (5, os bilbe-
lek, ios e quinto da 20* lotera a be-
neficio das faaMias dos votontark>s> da pa-
tm(72*), sendo a ttracSo no lugar e
hora docostume.
Os'preioios de 6:000,5000 at 40)1000
Mr3opagfiiuaia hora depoi* da axtraccSo
Mana Perciliana Vi lata dos Santa* c*r-
dialmente agradece as pessoas que se digna-
ram assistir aos oltilnes iofn)a|io^ pela al-
ma de seu senpre eborado mando Herctira-
no Deodato dos Santos, e convida aoa-
amigos para assistir a urna missa que man
da calebrar oa matrii de S. Antonio no da
13 as 6 horas da mh3a.
cordatao ,t _
Sapatos de lona, sola
cha.....
Ditos avelodados .
Ditos de tranca bons
BM-zcgoa enfeitados
DOS dfflaco .
Ditos lisas .
Sapatostie borra
Seileiroa, cormiros e segeiros 1
a completo sortimento de calcado fa-
bricado nopaiz.
2<5OO0
1,5900
1*600
ioooo
4(J800
4$900
i^aoo
caixeiro para padarla,
14 a 10 annos de idade, prefere-se portaguez
tratar na Soledade n. UT
o estabeiecinwnto esta' aborto todo o dia, at al- botina *acajabada em bequeniao p de n- P!!ffiiiS5t!S??25?'-r*-
ta noue, e cYmos haver tmpo bastante par se; cantadora deidade alem de aecusar que-
tr a vooude, e o qae se qotter. bradeira hrripflarJte, pfota'cWitft as fccul-
e n3o ba
quem, tendo bom seuso, querr passar por
maluco, ou pobre de surrJo : ergo, cor-
ram a :
Anna Joiquina Mara di Conceieio, Se-
nhorioba-Jcaaoina Mara da GoneocJo, Ma-
aaJ tetras da tardo, O OS OlltfOS depon riaCaodida de Almeida, os pnmeiroa te-
m
da disiiwjico dH6 listas.
Aa oneommendi* serlo guardada* so-
Htttoat a noite dt- vespera da extraccao.
ftResoureiro.
AbtOPioXosl&odrignes de Sooza. ^
raa das Gruzs n, 42
veade-se*
Qat-jos do ultimo viipor.
Doce de gotaba em Uta*.
Wmrtf* Inglesa.
DfU franeara.
Cha do divtir-as quididades.
Tiotw do Porto, Lisboa e Figueira.
Gas em (atas e garrafas.
g otros allos gneros por mais rasos veis
presos o qoe eraoutra quaKjuer parte.
m
lotes da armada Manee) Lopes de Santa
Rosa (ausente) e Pedro Lopes da Conceicao,
francisco Lopes Cardim e o segando cadete
Justino Lopes Cardi o (ausente) irmaa o so
brinhos di P>acsco Gomes da Poniera,
pungidos do mais doloroso senlimenlo vea
pelo-presente oovldar a todos os seas ami-
gos e affelcoados para assUtirem a missa de
stimo dia na igreja de Saota Rita, no dia
12 do correle pelas 6 I \t horas da ma-
nha, antecipando desde ja os seas sinceros
agradec raen los.
YERDADElinr IE lOY
de SIGNORET,
Rus de Seine,
-Mdecin
4RBEM4T4C40
VIVA 0 PROtiHESSO
Ao systema mtrico decimal
Ja ninguem ignora que o governo imperial adop-
! toa este systema de pesos e medidas e al ja as
| rtiparlicdes militares por um aviso do ministerio
a primeira audiencia do jaro'de orphos des-1 da agricultura, commercio^e bra^Pa^casnB^)
ttetfade, qoe deveri ter lugar no dia 13 do cor-
rente tuer, escrivo Guimaraes, v,u de novo pra-
5a per arrendamento de seis anno-, o sob as mes-
mas e ligues, porqoe tem sido annunsiado o on-
fotthn Daus Irm5ns, siio em Aoipueos.
tiapaeada ca*xeiros
O padre Lemot tem na saa offlciaa urna mnem-
nica para nanea mais vos esquecerem qaaesquer
das murtas cenias, jaa ama r*i fkestes em qual-
qaer sseol, e que tos sao indspensaveis para aso
dos?tema mtrico ; a ellas, antes que se acabem.
A pataca, levando ama, a 320 levando mais : de-
fronte do convento de S. Francisco._____________
~^-Pede-se ao Sr. Joaquim Vieira Quaresma que
vaaha retirar o objecto que arrematon no leilao de
S do jalho do corrate, raa da Cadeia do Recife
u. 29, visto ignorar-se sua morada._______________
"CASAlA FORTOli
Aos 6:000#000.
lbete ^araotidos
A' ROA DO CRESPO N. 23 E GASAS DO COSTUMB >
Oabaizoassignadovendeunosseus muito feli- |
xes m leles garantidos da lotera que se acaben; j
deexiranir, a beneficio das familias dos volunta- 1
ros da patria, os egaintes premios :
N. J758 tres quintos com a sorto de 6:0008. N. 2212 bilbete ia'.ero com a sorte de 500#.
Botttras multas sortes de 100{, 40*, e 20*.
OsjiOsuidores podem virreceber seus respec-
tivas premios sernos descontos das leisnacasa
ola Fortuna rua de Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 20 parte da lotera
(72') i beneficio das familias dos voluntarlos da
arta, qne se extrWta* ter?a4eira 17 do cor-
reate.
PREGO.
Bilheles..... 6*000
Moios......3*000
Quintos.....1*200
as pescas *.e cooprarem de 10040GC
ara cima.
Bilhetee.....3*500
Meios......2*780
Cuintos. 1*100
MA.NORL Matins Fiza.
comprara se nao por taes pesos e medidas. O go
verno deu um prazo aos particulares para terem
tempe de se instrnirem, mas brevemente se acaba
e entao todos serio afeMnades a regalarem-se por
estes pesos e medidas o ote julgamos ser de molla
utilidade por ser esti medida tlmda da rtroerofe-
rencia do globo e pef oeditfilSMi mmfivin certa e
maisencta, Qnalmstt a-d&vld* eetava em ns
haver laes pesos e medtdaij. (frm esse ffi* )a'
esta' sanado, ja' temOpeto nfaiiifs tinte para
secco cerno para liquidnr*ssim-como pewfr dfc fer-
r de 50 kilograromas at 1|2 heto-grt'ma, de
latb de 500 grammas at um gramma, para sec-
eos desde 1(2 becto-litre al deciliiro, para liquido
medidas de estanto desde um litre at o decilitro,
assim como medidas de inaieira para as lojas e
medidas de extencao (ireinas), d>- 20 a 50 metros:
o nico deposito desles pesos e medidas na roa
Nova n. 38, aonde se vendem desde ja e se rece-
bern encommendas para dentro ou fora da pro-
vincia.
Hitada garrafa, ai, entre a rollia e o papel azul
lnr irra 11 mru sinelr, um rotulo lapHH em awa-
rrlln emii Sn.i.n lar-tMAL do covei.no fkincez.
N. B. H*meileinlO-e ama lettra de 600 franco^
i.'t*re Wfi,-ar.-u.ivrl a 60 da Je vbU, 10 mximo
***" # eVlInirnto e do malor deKonto.
I ',- *.-i*l*lt
B* Irflftl* I.e 1*0
( l'n rf *
Ktrto prt
tlir?f'*'**r* fiwmf* I.-
Tj < % r. BMW- t*
y^fterlev^j
M'rtlHWi-
-
m
Para
I :m s; ram de sitio para alagar.
Alsga-seom sitio na fassagem da Magdalena,
com esa de sobrado onde podem caber duas fami-
lias a vontade, agua, gaz e duas baixas do caplm,
lagar para horla e jardiro, com coxeira, estribarla
para tres oavallos, quartos para pretos, e ama casa
terrea separada para caixeiros oa mogos croe gs-
teos de estar a sua vontade ; para ver e examinar
a iaeaU4f.de, entre o sitio do Sr. commendador
Joo PiBto e do Sr. Jo) Ignacio de Medeiros Reg.
-^ OeilppaTeceo do eo^enho Dous Irmos, co-
Bitm do Porto Calvo, um eavallo castanho de se-
fixnl* a terceira muda, cora os dons pS brincos,
aeaoda.ecrtadaabaiiodo sabago quatro ou cinco |
alados, sendo ja a 2 mezds cortado, ardigo, tem car-
rogo um tinto obrigado, no esjlnhago teve ama be- i
siga velhii mas est encabellada, ama raladara (
o esqaadrllbo direito e raostra anda que soffreu i
am ataqao de sangae; podem eniregar na barreira!
do Bram a Manosl Beierra Cavalcanli de Albu-
qaerque, oa no engenho do teente coronel I'homaz
Aires Uaeiel, recompeosa-se bem
C4S4 DE B4INH0S
26 Pateo do Carne 26.
Neste estabelecimento tao impor-
tante para a saude e asseio do cor-
po, acham-se montados 20 banbei-
ros, que sSo servidos cbm a ordem
e asseio que para desejar-se. Qua-
tro destes banheiros s3o especial;
mente reservados para sehhoras e
por isto acliam-se collocados em lo-
gar reservado, aonde s tem entra-
da as pessoas de uffla mesma fami-
lia.
PRESOS DE BANHOS AVULSOS.
1 banlio fri, morno ou de
chovisoo...... 500
1 dito de choque .... lf$000
1 dito de farello...... i000
1 dito aromatisado 1#000
PREQOS POR ASSIGNATURA.
30 banhos por mez fri,
morno ou dechovisco. 100000
25 banhos com cartOes pa-
ra os mesmos .... 1O&00O
12 ditos ditos ditos,. 5*000
12 ditos ditos de choque. 10,5000
12 ditos ditos de farello.. 10)5000
O estabelecimento estar aberto
nos dias uteis das 6 horas da ma-
| nliaa as 10 da noite, nos dias san-
' tincados das 5 as 5 horas da tarde.
FERRO QUEVENNE
Avprovaddpela Academia de Jfediciso.
Avcteii$odo **** Wpata# do **.
O fkrho OMatmtml teo* dos os e-
aoi wt oo otio os ferreot oto. teocrrotoi; ato
fax os denles ficarem retos; be a preparafto a
mais aetlva-, a mif tftadivel e a manoeoa-
mica; multas veies-ust traSoo M uffieiente para
curar uaa chlorosis.
A experiencia ta* pforou otie nenliuma pre-
paracS ferr h* WpportSaY mtfi fitfhrtBto
oue o ferro euEVBNNE, em obaerrtBdo os
c limites de dose* multo reguladas.
Bodcharuat, Annwo da ikerapeutlc*, tSSi.
O Ftaao Qorrtm Teode* em trtteM So
O i 100 mMm, 8 M
jfeiM*. d. d.. MI
Deposito geral ota cojo do Gaille GhctoU.
14, rae des Be*ux-AiU, em Part, o em toda os
botica. Exigirlo Mi* Qvevenn* e a surca J
de Fabrica orfwo.
Ittenca .
Roga-se as autoridades policiaes e capites de
campo qoe apprebendam a escrava Aguida com os
sigaaes seguiotes: mulata, idade 21 annos, alta,
dentes perfeitos, vega, e venlrc um poucu cras-
cid : mef a-pegw revem- a rtr da Aorora n.
sa da fixro* Sr' baroooia da Vtflonnv que
recompensado ; proteti-so csn
coalta qim a tiver oaeuUa.
Precisa-'se de uiiia ama secca para o servico
onitevr de la Pharmaeia.
aAeleetricMade Me" empregada por todos os
. mdicos araados, poro o tratamento de muitao
.molestia, mesmopara os que resistenasoutrai
medica ces.
A electridade produxido pelo friccao tem urna
a superioridade inconlestavel, e a vanlaf em de nao
dar abalo*, e de poder ser graduada pelo doente.
>A cansa a mais frequente das molestia* a
estagnacaS do sangttt ou do* oertro* Kquido* vt-
taes. Restablecendo o a drenlaca no orp-
nismo, curacao-se as molestias.
Qnando se sent alguma dr em euelquet
parte dooorpologo, einsoctivamente, seerfrega
lugar endolorido com a ma, e isto allivia. Isto
explica o resultado incontestavel que deve pro-
duzir uta apparellio elctrico. Por isso temo*
prazer em aatranciar ao Publico que o Sur Buissoa
de Bivilliers residente, boalevart du Prince-
Eugene, 18," emParix, dotou a medicina de um
apparelho IIectro Magntico, sob a forma de
a uma escova, com o qual os doentes se podera
urar tem nehuma outra medicacad. Os medico*
fae a tem experimentado, attestara qae a
aUoora rJBCTROJaTaamaTica efficaz para
cagan 00 m tulotiwnoi, o >Tilytio, Oottm,
~ ii ji ir- l TT-n, orarttiti....... voo-
tebral. oiirilloiti geral, aVerralgM*, ote,
sEstasso* corto* que krere cada fatniHa possnira
esta escora qae prestara grandes servkos
t A pedido de muitas pessoas, o autor decidio-st
a establecer um deposito de seos apparelbos as
> Rio de Janeiro, em cata do 5n Didiul Roirri,
rua nova do Ouvidor, *' 83
"imia"-'
m aurora t
m
inirno e externo de uma casa de pouea
na cga larga do Ressrio n. i, 2 andar.
fawtlri

"Offerece-se um moco nacional pti'r|n*fttSf *
arromado: joem prechar ditlja-se aYd iMS Li-
ra n|eiras n. o.
Ainda o theatro.


est tambem
otn pouco dscarnido, o ferro conhecetn na barrei-
ra do Brum.____________________
PAC SI .'HILE tTETIQUETTi COR \)& ROSA.
100 oarlile's
PAISLEY
Oj Srs. James Carlita. Sons & C, Ranken J Mills,
tlilL fir"''*T'i IAnm-a boara de chamar a alten-
rao dos r nsnnjidores de liaba em novellos, que el-
las obtirerarn meclalhas de or/emio das exposieoes j
de Pars e Londres', poY sna- expelientes lmhas pa-,
raeTser, e'qds, todos ns nove los failos por elles,;
f ara t-'- mareado, tem no Um de cada maco, ama j
*. tn-Mci, na qual acha-se gravada o nome '
m chote, orna visti da saa fabrica, assim ol imparciae, Sr. Coinrbra, bo aesistem e
itimtrbs dis adra meocioosdas raedallias, 15na tareja em qnattto nio forem satisfettos dando
tv*li| tem utni otlquatta- cor de rosa s S" o desempenho da pane de Margarida a Sr- (
neto,-'e as palavras Carftle's; P^isley, e d. Bagenia Cmara. ~
tambem, jue qoa qunr imha de Tambour, manda- j Satlsfaja, senhor, estepedido, qae nada Ihe cus- ,
da a este mercado, ira sendo outra qualquer etiquet- ta ; d ao publicob diretto da apreciar as duas.
t**ia aaraa' tencioitada, nao drsua propria actrizes nomesmo ge'ride trabalmo ; mostr, |
taartc- Sr. Qolrabra, a sua imparcialidade-embora appa-
Sooahi'l, IWIa 4 C.,onicosagentes em Pernam- rentSmente -nao queira arredar a Sr" D. Eugenia
fcaei. dos p^pwrptineipjw; pan rjartoarro rwTMrs 5r*
Reliar, Soqtb Frontispicio do (3trmo
Or alia to asSlRnad s. eOctrgidos de festejar
este tan a Nusa Ssnh>ra di Carmo do Prorrtis-
rtei; roiim aos senhires procuradores da rpesma
tdsttTiJiia qaeiram comparecer no Io andar do
sobra-lia. i I da roa doLivrararato nodia 12 do
arrate, a- 5 horas da larde : Capitao Caetano
Cjrtaej ,a CosU lloreiw, Lsouel Raphael de Mo-
rese Stiv, Fraticiso Marcelino de Amara!, Her-
Mmigiid i Jos de Alcntara, Bemjamm vlraes
Ostra.
Ir. rgoacio Frm Xa'ler.
mino Jos de Ollveira.
da sua resoluco Qcam os
Imparciaes.
Aluga-se am criado para casa de homem
soltelfc ; a tratar no Cerrqdor do Bispo n. 15
\
i
eiino dos Santos Pinheiro.
Precisase d amaarlTpara cia de familia,que
engorme somonte : a tratar na roa do Imperador
o. 65, loja de bah?, oa no caes 22 de oovembro
n. o, loj de faiendas. ___
Bxperimems V on'pieW
hoaprtaes, i .ompleto d quina) uma ,p
i excepcional, por ser, privada dp.
[ la qn'nn. Agf'la por consryuinteas|ftsoas
| as mais intolerantes e aos paladares mais
!o'i/ad s, pois itern muito doce em' uHo
rlstfAa, sct'wtb de urna limpidez cofli inte.
KriijinMa-se de Etrlgia, ajtpepci;nerralgioj iae-
cnio, maroimo, cachfliai. magl a,
'iitin Mu ciuiaapparenti'teovalo sen-
I' ea cTemorad^is, chlbrosr e eierophalai
I K o especilirn das molestias febris.
T QfifNA UROCHE KMWmOM
IniiW ItUl II fflffWtllH I U! i f fiiai.
i ek mwi, jZJ!!ft* i
F. MAURER & C.
rua Nova n. 18.
Diheirt) a" premio.
i\o lar^ro da Penha h. (0 se dir' qaem.tm iU
gtm'adar. .__________ .,-
&W.W. WMKM.'iMW< mJmmiWlmm
0 Dr. Carollno Francisco' de Lima San-
tos contina a morar, na raa do Imperar
dor n. 17, segundo andar, tendo alias sea
gabinete de cuasu ras medusas, logo ao
entrar, no primeiro.
O mesmo d>*vtar, que se tem dado ao
estado tasto das operares como das mo-
lestias internas, prestase a qualquer cha>
madot qaer para dentro quer para fra
da cidade.
Continna-se a precisar de uma ama para en-
gommar e coser ; na rnr do Rangel n. 7, primei-
ro andar. ______ ______________
Ato rua do Trapich^n^, | ..
acham-se 9S^^intes^dem$ii99
Bourgogwj.
Vlnho Pbmmard tfnto.
Fraiffort:
Por meio de oro efigenboso instrumento de dilatacSo uretral, e pelo systema do
finado Dr. PeixotO, o Dr. Ramaug cura os estrSitamentos do canal da uretra-; este me-
thedo novo foi posto por elle em pratica na Corte em col oboiOjBCTom o s u collega e
amigo o finado Dr. Peixoto, e depois darante os quatro meze. di sua tstaija qa apital
da provincia de Minas, onde o Dr. Hamaugc operint.fjoitorie ofcfeftnite qu* seatham
boje no mesmo estado de desembarazo, que no dia: Std^MtnW; I *Bf|lilp'fouc;i
que moitos nao presumem ser operados, qtlano ja es desobstruido o caiial.
Os jornaes da Cortee depois o jornal Minas Gevomlo anuo passado lem publi-
cado um grande numero de curas, tanto de olhos (operares de cata-a us e depapill.t
artificial) como de estreitmentos do canai da nretra, elfectuadas peto Dri Ratoaug ;
convida elle portanto as pessoas que precisarerore' orrer a> su limita lo-iarestirno, para
apresentarem-se quanto antes consulta-lo. Cura tambem varias destornudada co corpo
taes eonro, ps tortos*/ olKos vesgos, beieo rachad, ele..
O NOVO DESTINO
DO
CoTion tinto.
> Santo Georges tinta
> Cbajnbertie lints.
Rlehehonrg tinto.
f Clos de Vougaot turto.
> Chablis branco.
DeH A.Wtrefea
Rheno.
Geisenbeimer.
Liebfranmilct.
Marcobrunner.
K,u cosa do Tneod Cbristiaaaen, roa do Tra
piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil
de Brandenburg (reres, Bordean*, eneootra se ef-
feclivamente deposito dos artigos seguiatas :
St. Jolien.
St. Pierre.
Larose.
Ciatean Lov.lle
Chateau Slargau. M' "T;
Grand vin Cbateau LaBtte 181*3.
Chateau Laoile. a<|4>l >
Haut Santernes.
Cbateao Saufernes.
Cnata'L tir'Bl'rjciW.''
RhatfW Yqnem,
Cognac em treaqnairdades.
Azeite doce. Presos de Bordeaux.
23 Largo 4o Terco 23.
Joaijuim S. des Santos, dono deste bems ftdo annaiem d mOlliadOs, p-rtripi
aoremMtavel publico, e principalmente aos amigos do bom e barato, qce est resolvido
a dmoHufros seus gneros por muito meos d qie em otrtfa qualquer, por tantb vspera
dos tem amigos e collegas queveiham comprareh a'prttneira vez para sairetha gran-
de dtffrencia do que se fosse comprado em outra qualquer paito, por isso fa;o annoncio
dealgons gneros epor estes podem regular os outros.
Cerreja de diversas marcas a 500 e 560 rs. a garrafa, < a 5,500 e'6# a dfa; vi-
mito de toda as marcas I'. S. E. P. a 4oo, 440 500 Citfts a garrafa e a canada a
8,5500 ; cafe do Uto das melho es marcas a VS. 240 e 280 rs. a libra, e a ti$, 7&, e
7d500; a arroba manteiga ingleza depr.meira e segunda sorte a 800 e 900 rs. a ibra;fras-
queiras com genebrade Hollandae hamborgueza a O e rT^fCO; matriafrlticeza de pri-
meira e segunda sorte a 560 e 600 rs. a libra; cti de diversa* qualidadesj t$8t\0,.'b,
WKtm 4>H800; arroz pilado de primeira sorte a 120 fs. a libra e a 35^00 e 3J58O0 a
twreba; guzamericano a 440 rs. a garrafa, e em latas a Utf ou duas .por I^OXT; frs-
queirs de genebra da Victoria a 10-> 500, e o frasco al S: queijos dn reino re ebidos por
todos oa vapores a 24^220O; papel de linho a 'i? a resma e azul e branco a 2$;
safiaoife'diveTsas qaarfrftdes amarello e mar a 20 >, 220 e 260rs.: a libra sardmhade Nan-
tesem quartos a 400 rs. cada unja e em porco a 360 rs.; copos lapidad a 50 atfczia
e toOO rs. cada rrm.
Alm destes gneros ba outros muitos quesera enfadonbo anmciar e quem
duvidar venha ver.
Aluga-se um escravo bom eoeatielre
tar na rua do Arago n. 14.
a tra-

O candidato
F.
Monte-Pio Fortuguez.
Ficando desde hofe'em vigor 09 estototes des-
ta associaco, cor** ^"uYeviamente anounciado
em comprioieoto du disposto no aix 78 da mes-
ma lei social, e tendo dudado bontem, 30 de ju-
nho, o recebimento de jolas a dei mil ris, pas-
sando de hoje em dfante a ser de vinle e cinco mil
rms ; eniquairt' se ulfimam diversos trabalhos pa-
ra) com a tnaior breidade si> proceder s eleieoes
e dar posse immeOiata a- admimstrafao que (dr
eleita. a dirr-ctoria provisoria- records a todos os
i5rs. asocfa'dos,' qnfe a ora m^dlnt pati' conTC-
Cao das propostas que houverem de fazer, de can-
didatos a sucios, dverSo ter em vista o art. 0* dos
estatutos. Para Ihes facilitar o trabalho, a direeio-
ria provisoria vai mandar imprimir propostas, po-
dendo entretanto servir de norma aos Srs. associa-
dos a formnla segnlnta : ^^
MONTE-PIO POJrfrtGOBZ.
Proponho para socio o Sr........por ser clda-
do portugnez em pleno gozo de seus direitos, ter
meios Helios de subsistencia, e bom procedlmento,
requisitos exigidos ne 3 do art. 8" dos esta-
tutos.
Recife... de... de 186.
O socio
F.
Natoralidade.
Etndo.
Emprego.
Residencia.
. Secretaria do Monte-Pio Portoguez em Pernam-
buco, Io de jalbo de 1866.
Jos da Silva Loyo,
Presidente.
Joaquina Gerardo de Bastos,
__________________2o Secretario^_____
Chapeos de manilha branca
Na pfaca < Independencia n. 14 e 26.
Offerece-se um rapaz~naconal para qualquer
arrumaco: quera precisar dlrija-se a raa das La-
ranjeiras n. 16.________________________________
Precisa-se de uma ama forra ou captiva para
compras e coziohar : a tratar na rua da Cadeia do
Recife o. 8. _
Precisa-se alagar nm escravo e ama escrav
que tejara fiis ; a tratar na roa do Rangel n. 24,
Precisa-se de dous criados; na rua das Cra-
sas, hotel n. 39.
mfSiimalSMKM
Foro de Macei
9 Os hachareis Jos Antonio de Maga- jm
IhSes Bi;t s e Miguel Filelo Bastos da UB
Silva, tem sea escriptoro no largo !e S
Pedro II, junte da secretarla d> 'olicia.
mmmmmmmmmmmmM
Gompanhia Vigilante de va.ores
de reboqne.
O escriptorio dests companhia madoa-se para a
rua da Moeda n. 3, onde poda ser procurado o sea
agente a qualquer hora do da para tratar dos ne-
-gpclos relativos a esta companhia.
Candid C G. Alcoforado,
Preposto.________
Quem precisar de ama ama paraj cozinhar e
comprar para casa de pouea familia, dirija-se a'
praa do Caldeireifo n. 3, qtfe "achara com quem
tratar. ______________._____________
__ Precisa-se de u.na ama para cozinhar e com-
prar para duae pesteas : na rua da Cadeia de He-
cife n. 29, 3
O 5
as
sg-
tu pi
-, o
O s $ V
a <
^Ja ST > O
. Jen"
vr ti =:&<= Ss
-s *..a % a X a o
a> a IS-SS
9 i S g-*
r)! O o 3 -o
I ?,*,*
r^3

a
2o2_=5 m
flS|?!ei
a 3"> W p ?
o
a-a
* O 3
Ct> CO.O a.
3 = = B5.
9-u
era. a
o a> b
* a
a|fi
3

3
3 9
cd a =r
ooo
S"3
il
|I|
a-a.
o
c a -
o c **
v> ^ D
TO t
S r -i
.-=
tn ? 5
C O
3 -B V O
!H
9 S
o. 2 _
i: V w ~
v> B"
9 2
B =o
Sa
-i T i c
Protesto.
Pelo jtilzo d Commercio cartorio do Sr. Ma-
noel Mana assignaram hoje.-tarmo de protest Se-
veriaoo de Seqnelra Cavalcinle, Joarjtm Ignacio
Pessoa de Sequeira e Joo Florentino Cavalcante
Aluga-se um sitio muito perto desta cidade
com cemmodos para uma grande familia : a tratar
na rua do Crespo n. 8 B.
Na rua do Crespo n7l8, priraeiro andar, pre-
cisa-se de duas amas uma para cosinhar e oulra
para o mais servico de casa. ________
Ato""Jos Gomes do Correio mora no
Montelro, e quando vem a cidade descanga em
ama de soas casas pa cidade nova de Santo Amaro
Aluga-se um molatinno para servico de casa,
quem precisar procure na loja da rua do Crespo
n. 20 B.__________________________,_____________
Francisco Roberto Machado de
Mallos, relojoelro e donrador na
rua da Impertirte n. 82, faz qual-
quer concert pertencente a sua
arte por prego mais barato do que
ootro qualquer e responsabllisa-se
pelo seu trabalho, assim como tam-
bem compra reTogios de aletbeira e americanos
em segunda mao e espera proteccao de todos.
Deseja-se rallar eora' o Sr. Francisco Jos d
Costa Rocha a negocio de sea interesse, por igno-
rar-so a sua morada que se faz este annnncio :
na rua Nova n. 10. _____________^_______
Precisa-se
de nm eatretre de 12 a 16 annos : ni toja de cera
da roa do Livramento n. 36.
A mesa regedora da rmandadT do Senhor Bom
Josu* dos Martynos da freguezta de S. Jos desta
cidade, fas scieoie ao respeitavel publico e Junta-
mente a senrifnwos que nao effectuou a festa de
tea Divino Padroelro no dia designado por se achar
de Alboqoerque JunioyMtra^imlfoet escriatara entre mo jm^vemoa reparo, que PTV*>
de hvpotheca de imsioWoufe p*her de osera-! decencia do mesa* acl*.; por linio que por ja es-
nado ou venha a assignar o seu ur prompto temos de celebra la no da lo do ci
vos que tenha assl
Hteder Joaqdim Jes* Cbimbra de Aodrade Jnior
era prejuiso de seus direitos. E por despacho do
mesmo jaleo se faz publico o referido protesto,
adrada qn* ninguem se chame a' ignorancia-
Recife, 9.di jilho de 1866^__________________
AM
se ami irtji firfra' casa de
desempeona"bem o su
pouea fami-
servigo : na raa
rente mez, conformo nos lar possivel, or ajo
flra pedimos a coadjuvago de todos os flots devo
tos do mesmo Senhor Bom Jess das Martyrlos.
Consistorio 6 de julho de 1866.
Cosme Manoel do Nascimento
Escrivo da irraandade.
AOPlTillCtr.
O abaixo assignado faz &*ii|> >" respeitavel pu-
blico que o fiscal da fregue'ia de Mutilieca mnl-
tou oo dia 6 do correle a Joj Rodrigues Paz, em
li de tres animaes que foram arriados deaire das
rftiohas lavouras ; assim como o mesmo no da 27
de juuho foi multado em 96$ de 2t boi* que en-
traram as lavouras d^ Jo Tnomaz dos Santos,
segundo distircto de Mnriheea.
Amaro Jos da Lrdt.
Ni fsta do orago da matriz d B a-Vista
deu-se uma iroca de chapeo; e como seja desvan-
ao anunnciaute, t>ede se a' nessoa com
se dea desfaze-la (se nesse nao houve pro-
tajasa
quem
psito) ro tltntntiiT o do anuunciantv. ao uardi da
mesma matriz, de quem recebera' o seu.
"3rb"sbixo sigoadis dprlaram ao publico e
com especialidad? a's repartfg3es flseaes para os
devidos effeitos que nunca venderam, nao t.-ndem
e nao vnderao (i to por nao IhesTut confaj mil-
pas fabricadas em paiz estrangeiro, e soment- as
de manufactura nacional.
Recife 7 de juino'de 1866.
Real & Lemns-_________
PrecM-stf-il um'catteiro ecrtn praitca de ta-
berna ; a tratar oa rua da Cinco Ponas n. 86, ar-
mazem do Prbpheti. cjffl^l/m-.' > '' ___
ao
Precisa
se de 2:000?000 a premio de Vi
mez, sobre hyaotvieea em nm predi.: ne qmzer
.:
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
n. 23.
Oitraos
l, que
das Crnzes n. 28.
Na raa da Uoio n. 40 precisa-se de um
criado para o servigo de uma casa de pequea fa-
milia. ii w -.
-* Offerece-se urna ama aira'casa de pouea fa
milia on homem solteiro : quera precisar dirija-se
a ruado Amcrlm.primelro andar n. 18, jnnto do
botequlra. .... ___ .-_______
1 .iiin.i i... .' ni ...ii ii'j ..i '
. ,Pj)mMis. M^ndeti pceieude satier se seu ma-
snoV o vivo ou morto a negocio de
Aluga-se uma escrava que cosala, compra
e engomma : quem pretfcaf dirija-se em Sanio
Amaro ao sobrado junt ao ceraiterio inglez.
wAinom
Cmpanhia yerat hespanhoba
de seguros mutuos sobre a
Capital subscfiuU at i ii de abril de
1866. rs. 12r4*4:*#O0.
Chega pelo ultimo paqae:e francer ExtrrmaiuA
n, D. Narciso Francisco dwVidal. que na quali-
dade de sub-inspexslor da companhia, esta' devida-
mente autorisado para ; desempenho de sua* func-
meresse, veio para o Rio d Janeiro em 181o e .5eSi De4ieando-se prujcipaloieoJe a fazer coo-
depois vejo para esta provincia onde se casoue ,ritos o seguros, e aaamenur s relac.aes da NA-
exerceu o emprego de guarda-llvro, e como nao qjoNAL dando a qnhecer vantagens positivas
tenba luto mais noticia, quera souber e quizer fazer _ne a mesma aprsseat.
i este favor, pie as dar a Freaerico Chaves, na rua ( iD8pec.cao do districto (rua da Cadeia
l da lrMonirtoo, Wi iobrdo_____^____ ; de julho de 1866.
----- O inspeclor
Jeronymo J^aquim Finia da onreira.
, ~-rp7e7saTe~dT?am cozlnbelro que enienda
rarlo probar de 2# btm.dp su arte, pagase bem : po Gyn,
a pramto drija-s i roa do Qnetmado n. ?3, 1 vtocial.
annancie.
Engoma-se
cora assete proraplidae ija rua de S..Jo',^
"L'ma ^enhora viova, desoja encontrar pessoa
honesta e de bons costnmes qoe queira alujar a
metddacasa ett'que ella reside : sar dirjase a' roa do Cotoveo n. 23.
S^ mm de vim g
FABRICADO NA CASA t)E DETENCAO JR
g| iittir ***; If; a Ahi se encontrarao obras de di- jas
2 versas qufidades, e por preco mni _
rVfJhhiffrrtbs, a retamo e emparedes, m
K S se vende a dinkeiro. "^
**^ai JlRBffiHS.m m f
~'r^isvs.-oeim ::ataia di tfcttt ; i rua da
Crui n. 50, segundo andar. ._____ ^_
Prerisa-i 0b ana aaia *ra cas* :di poca
familia: na rua da Peana a. 28, ? andar.
ftlIvKVKKfi1*
tanfl^dk
mr esta nelVc?5Wr
no'oa'quim Meod
62)1 6
iWirECiLiAO- M^AFlM <* Precisa-se de ama utirparl ccrsitihar een-(
Remedio infallivel as agnbrrhea's antigaii({0inraar para casada traa nassoas : airea do.
recen, tes,' anico deposito na pliarmacia Hospicio n. W.
e franceza rua da Crtn; 22 e ao prende
3tf0O0.
*o*Wro
!t onde
rHrj"prPio-
nn a' n a da C"UZ n 23v onde da cnsul-
as 2 da urde ; o Dr. itarftStfff exerce
igualmente tamo, a medirina corno a n-
ruwli, dei*a-* porm com wpecia.ida-
tratamento e
m
1 naqde? & Crn?.
wf hepIhd '
1
I
.


""
Uf* #tWW^Wf|-' Hfr** i**** ** ** #*H M*-

AGUA FLORIDA 80TIC,J! Ti^10, "55!?""
MURRAY & LANMAN
A agua florida de Murray & Lanmacd
olhada como um artigo de perfume, n5o
tem podido ser igualada pelas preparaces
as mais custosas: conserva seu aroma, co-
mo se formasse parle da prenda a que ella
se appiica.
Sua eficacia to delicada, como elegan-
tes s3o seus multiplicados usos, qur seja
empregada como artigo de toueador, qur
no uso do banbo, ou como soavisador da
pelle, depois que se tenha feito a barba;
j para impar as gengivas ou aromatisar o
hlito.
D suavidade, brilho e elasticidade as
complejces, depois de se baver lavado; al-
livia a irritaco de erupces ordinarias; faz
desapparecer o desagradavel aspecto dos
pannos, das sardas, do rosto, rugas e toda a
casta de cbuligoes, e d vigor e frescura a
parte onde quer qne se applique. Sua effi-
cieocia e elegancia sao igualmente infalli-
veis no&casos em que seja preciso applica-
la como .estimulante e antisptico, nos con-
cursos e assemblas numerosas, as loca-
lidades infeccionadas, na alcova de um en-
fermo, assim como um antidoto escolen-
te para os dosmaios causados por cansaco
ou suffocacao. Preparada nicamente por
Lanman & Kemp, Nova York, e a venda por
Caors Barbosa.
Joo da G. Bravo & C.
Deposito geral em Pernamtraco ra da
Cruz n.22 em casa de Caros
DR. SABINO O. L. PINHO.
Ra Nova n. 43 (loja de marmore.j
A experiencia tem demonstrado com a maior evidencia qne os medicamento homeopalbicos
preparados por meto do agitador dyimieo sao os que desesvolvem acco mais prompta, nais segara
I e mais efflca
E' sem duvlda pelo conbecimento desies resaludos qoe constantemente recebe esta botica en-
commendas do Rio Grande do Sul, do Rio de Janeiro ed Babia, apezar de bavir nessas provincias
l-rani bem sortidas e acreditadas boticas, d'onde se poderiam talvez obter remedios mais baratos, alten-
deido as desperas de porte.
A segaridado da accao dos medicamentos assim preparados se manifesta at mesno guando os
glbulos se acbam redolidos a massa.
Boticas de 24 tubos. ..... 18* a JO*
> de 36 tobos...... 55* a 30*
> de 48 tobos....... 35# a 40*
> de 60 tubos.....45* a 30*
Caias de medicamentos em glbulos e tintaras.
De 21 tintaras e 48 labos. ... 60* a 70*
36 e 60 tobos. 75* a 8J*
48 e 88 tobos.. 95* a 100*
0 e 110 tobos. 415* a 120* a
Vende-se igoalmeate o THESOURO UOMEOPATHIGO, obra esseoclalmeote poMlar.fiela clareza
coa que ensioa a conbeoer as molestias e a empregr (os remedios (2a edicao) 20*000.
O Dr. Sabino O. L. P. di consaltas todos os dias uteis desde il boras da manhaa tt da larde.
Das! boras em dame visita os enfermos em seus domicilios.
Em casos argentes e repentinos as consultas e visitas serio taitas a qualqier hora.
As consultas por escripto serao respondidas com a mak>r brevldade, preeedendo sempre o lem-
po neoesario para maduro ezame e reflexo.
-
MARTIMOS
CONTBA FOGO.
A companliia Indemnisadora, estabelci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercaduras e mobilias :
na roa do Vigario n. 4, pavimento terreo.
^o hotel ila ra do Trapiche n. 28 contina
receber assiguantes, tanto em casa como para
fra,__________________________________
Na roa a Crespo n. 18, segando andar, pre-
cisa-se de urna ama de leite.
Tbomaz Jetfenes faz sciente que desde o prl-
meiro da juiho correte tem dado soeiedade ao Sr.
Ricardo wconell, e que deste data em diante gy-
rara' a' sua casa sob a firma de Thoraaz Jefferies
& C, ficando esta firma com o activo e passivo da
antiga.
Recite 10 de julho de 1866-
de leite ; na ra de
Precisa-se de ama ama
Hortas n, 72.
A Salsaparilha
Trtn -VYKR.
Para a oura radical de .
Escrfulas, ulceras, chagas, fer-
iaos velhas, molestias sypiil-
iticas, e mercuriaes, Enferme-
dades das molieres, como re-
tenc&o, menstro doloroso, ulcer-
aco do tero, e flores brancas.
A NevraJgia, Convnlsoe, Eri-
sipelas, Enennidadss Cutneas,
borbulhas, nascidas, eto.
O Lacio composto de SAI.SAPAEILHA, confeccion-
h!o pelo Dr. AYER, c ui.ia combinneo dos melhores depura-
tivos e alterantes condecidos & medicina; i composto segundo
l* leis da ocienrin, approvado e rccelbulo pelos primeiros
mdicos dos Estados Cuido?, da America do 8ul, do Mxico,
das Indias e dos principad! Estados da Europa.
A A I.- Al'.VRII.II A de AYER especialmente efflcaz na
enrn das molestias que tem sua origem na escrfula, na
nfcecHO venrea, no aso excessivo do mercurio onem qualquer
impnreza do 8ang/oe.
Entre todasas.mekstla" qne allgem o genero humano, nao
lia um mais uni-crssl c terrlvel do que a escrfula ; por si
nio taodcstrucliy.i, porera a i-.m.-.i principal de multas cu-
fi rnddades que nao-lile alo senilmente attribuidua,
V, urna causa directa da lisien pulmonar d mal do
filiado, e estomago, j.m do cerebro, ttlu lunatismo
e affeecSes dos Jiltus : caire seos symptomas ha os segulntes;
Falta de apetito, Fraque e molcza em todo corpo; Mi
Huiro da boca, s;mMan)r plido e luchado, s vezes d'uma
alvura transparente, outr.i* vezes corado e umarello ao redor
ia boca; Digesto fraca e apetito Irregular; Ventre lachado
e evncuacao Irregular; Quinde ataca os pnhnoee urna cOr
azulada mostra-se a roda dos otos, qnando no estomago
sao avennellia dos, as pessoas de disposlco escrofulosa
ipparecera frequeaUmentu crupepu na pelte da caboca e outras
parte doVorpo; sao predJspdstas a ffecctla dos pultnfes, do
figiido, dos rtns e dos orgtos digestivos & uterinos. I'ortanto,
nao sao comente iquelle que pndecem das formas ulcerosa
e tuberculosas da escrfula qne neteealtam de proteceo
contra os sens estragos ; lodos aqueUes cm sujo sangue existe
o virus latente deste terrlvel flagelio (e s vezes hereditario),
esli expostos tambera a soffrer das enfirniadas que ello
causa.
oOerecemos a estas pessoas um abrigo seguro um anti-
doto efficuz contri esta molestia c suas conseqUencias, na
Salfiaparilha de Ayer
r,uv opera directamente sobre o sangue, purlflcando-o e ex,
ii'il-.iiitlo deUe a corrapfo o o veneno da molestia: penetra
todas as partes e todos as orgia do corpo humano, livraudo-
os da sua accao viciada e inspirando-lhcs novo vigor. E'unj
nllcraute poderos issimo para a reaoracio do sangue, e di ao
rorpo J enfraqueeido pela doenca forfa o energia renovadas
como as da Juventud*.
F. TAMBEM O MEIHOR -LXTI-SYP1IILITICO
COXKECIDOt
cura permanenmente as peiores forma de SYI'HII.IS e as
suas eonsoquendas. Pouca neeessldade ha de informar o pub-
lico do inestimavel valor de um remedio qoe, como este, fivra
o sangue deesa eorropcao e arrebata a victima das garras de
urna morte lenta e ignominiosa, porm inevltnvel se mal
uno c logo combatido com energia.
N'iio pretndenos promulgar, nem queremos que se lnflra
mentos humanos, o que Usemos i que a
*alHaparilha de Ayer
a mejkor prepai %cio ate hoje deseeberta para estas e ostras
molestias anlogas, que ama comblna^ito dos alterantes
mais cMeaze coa heridos, e que teme* coascieneia de effereoer
ao publico o mtihor resultado que posoUel produzlr, da
intelllgenoia e pericia medica des nossos lempos,
~
.tt'.
^5^lB!L5g;
Bi
a rs AOOML
(]ompaaliit. gem .kespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
ACJreiUSAfikA PELO REAL DECRETO DE "21 DE DEZEMBR0 DE 1859
Owi I*ic wo inheiro, e minietraco da compaahia.
BANQUEtfteS DA COMPANrtIA DIREGgO GERAL
Baoce de Heapanha Madrid: Roa do Prado n.
Bsta compeabia liga pelo systeraa natuo todas as combinacoes de supervivencia dos segu-
os ocre a vida.
Nella.pdes3Carera snbscripiio *e*UI l*e-'>erca 0- .f 8o to supreiiendentes os resaftaOT qae prodaiem as sociedades da ndole de^A NACIO-
r~*' ('06 amda-ineemo dimiaaindo urna terca parte do intcresse preduzido em recentes liquida-
coes eeombinando-ocom a mortalidade da tabella de Depareieaz que adoptada pela compauhia
Kljl/u?SB*calcolosei,Jui,la93es. em fceeurados de idade de 3 ai9 annos, ama mposicao annua.
*# iwour em afectivo metlico:
NO flm de 5 ae.......1:119*300
do-40........943*600
. de 45 .......11-108**00
de 20 .......30:256*000
de 15 .......80:331*000
as idades nreoores de 3 annos e maiores de 30, os productos lo mais considerareis.
Frospect is roas informacSes sero^restadas pelo sub-direetor nesta provincia.
Fiaza de Oveira, ra daCadeia n. 52, ou a Boa-Vista ra da Imperatriz n. 12, estabelc
ment dos Srs. ilaym-jado, Carlos.Leite A Irmo.
FABRICA VICIO AL A VAPOR
99 RA DO M0NDEG0 9
Deposito principal na ra Nova n. &o loja de relojoelro.
DeloHche dono deste estabelecimeDto partecipa ao respeitavel publico qoe tm
montado ama machina de fazer gelo, e que sua fabrica de chocolate poder fuacciouar
sem iaterrupc3o, e para mais facilitar aos Srs. compradores de chocolate tem orgatiisadd
um servico de carro, qae andar em todas as roas da cidade, os compradores podero
chama-lo. I

Meia libra.
Urna libra.
Urna arroba
PRECO.
IH0
400
, 800
19,5000
As pessoas qne quizerem gelo para soire ou bailes, poderau dar snas encommendas
ao caixeiro da casa, on na ra Nova n. 50 aonde tem um deposito As pessoas mora-
doras nos arrabaldes da cidade querendo levar gelo pela manhaa, podero deixar um
caixo na taberna junto ao porto da fabrica, que acbaro na volta suas encommendas
prompta s.
Na mesma fabrica fazem-se cadeiras franceza de todas as qualidades, e vende-se mais
barata que aquellas que vem da Europa.
REMEDIO DE AYER PABA SEZ0E3
Infalivel usa febres iatermittentes, remittenWs,
Febres Biliosas e torosa, msil do flgads). in-
cremento do bago, cecuaira. Dr noa u-
ouvidoa a palpitafea, quando
io oatuadoe pelas
FEBRES INTERTITENTES, O REMITENTES.
As prepsrafdei de Da, Atbr sao vendidas em todas a*
Boticas e Drogaras do Im|>erIo,
Vende-so em Pernambuco:
na
^PH^RMAJCIE FRANCA1SE
deP.VAURER&CLS
IjLLIj
**&
CONSULTORIO HEDIC0-G1RURGIC0
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSC0S0.
tlllHi O. PARTEIRO E OPERADOR.
3Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s 11
curas da manho, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepeo dos dias santificado.
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ba sempre o mais approprado sortimento de carteirat
tobos avulsos, assim como tinturas de varias dymaamisacoes e pelos procos seguiniet
Garteiras de 12 tubos grandes. 12J000
de 24 tubos grandes. 18<$000
> de 36 tnbos grandes. 24000
> de 48 tudos grandes. 30000
> de 60 tubos grandes. 35000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedio
que se pedir.
Um tubo avnlso ou frasco de tintura de mp Sendo para cima de 12 custarao os precos estabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopatbico do Dr. JarS
doas grandes voluntes com diccionario...... ,..... 20<$ol
Medicina domestica do Dr. Hering........... lOtfOOC
Repertorio do Dr. Mello Moraes............ 6^000
Diccionario de termos de medicina ........... 30O0
Os remedios deste estabelecimento sao por demais coahecidos e dispensam por
'.anto de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedid
verdadeiros, enrgicos e duradores: ba tudo do melhor que se pode desejar, globos de
rerdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservado, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparacao, e portanto a maic
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qnalquei
operaco, para o que o annunciante julga-se sufficientemente habilitado.
0 iratamento o methor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica,
funecionando a casa ha mais de qnatro annos, ba muitas pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, qae podem ser consaltados por aqueUes que desejarem mandar seo.
doentes.
Paga-se 24 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 15500.
As operacoes sero previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precw
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
MM JANEra
; 11-Rua da Cadeia-11
PEItlAlBICO.
TINTURARA
AO GRANDE S. MAURICIO
laOE^SOS APERFEIOADOS
TIngir, IIupar e lastrar a vapor.
S4LIN6RE & C.
29 Eua 7 de setembro 29
Defroate da roa nova Os proprietarios desle estabelecimento, o primeiro no seu genero no Brasil, por
trabalhar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que se faz uso na
Europa, eajadados por alguDS dos melhores officiaes de Paris e Lyao, podem assegu-
rar seos fraguezes urna perfeivo no trabalho, a qual seoSo pode chegar pelos proces-
sos ordinarios.
Tingem, lavam, limpam e demofa com a mai r perfeig5o e brevldade qualquer
qualidade defaaendas, tiramnodoas e limpam secco sem molhar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de horneo?.
A. JOREZ
EM
METAES
Roa da Matriz da Boa Vista n. 36..
Jo5o da Silva Ramos, iflgdico'i
pela universidade de Coimbra, d
consultas en sua can des 9 as !S
11 horas da manhaa, e das 4 as 6
da tarde. Visita os doentes em suasfl
casas regularmente as boras para
isso designadas, salvo es casos ur-
gentes, que serlo soceorridos em
qualquer eecasifo. D consultas aos
pobres que o procuraram no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
manh3a,
Tem sua casa de saude regular-
mente montada para receber qual-
quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e nallapratica qualquer
oppera?5o cirnrf ioa *
Para a casa de sade.
Primeira classe,.35000diaries.
Segunda dita...:35500
Terceu-a dita ..2cJ000
Este estabelecimento ja bem
acrediudo pelos bons servicos que
tem prestado.
O proprietario espera que elle-
continu a merecer a confianca de
[qae sempre tem gozado.


Macedo & Azevedo faiem sciente a esta pra-
Cj que nada devem da extlncta Arma de Castre &
Macedo, se algnem se jolgar credor aprsente suas
contas nopiaso de 8 das, qae sero promplamen-
le pagas. Reeife 30 de junho de 1866.
WMMMGUS jmukmk im^iMmwM%'*r
0 Dr. Miguel Joaqmm ule Castro Mas- |
. carenhas modoo a sna residencia da roa !5
I do Sol para a da Imperatriz n. 88, entra-
m da pela ra do Hospicio, onde coniinua JC
B no exercicio de sna profisso. O mesmo J
W\ Dr- ine e tm dado com sdiciiade ao wm
tm estado e pratica das molestias de ntero e XI
B de meninos, d consulta gratis aos pobres ^
M das 9 horas as 10 da manhaa. W
mmmm mmm mmmmmm
mmmmmmmmm mmmm
Companhia fadelidade de seguros m
martimos e terrestres
estabelecida do Rio de Jaueiro.
AGENTES KM PERNAMBUCO
Antunio Luii de Oliveira Azevedo k C,
competentemente autorisados pela direc- S
toria da companhia de segaros Fidelida- g
de.tomam seguros de navios, mercado- jff
rias e predios no sea escriptorio ra da K
Crui n. 1. IB
LOJA DA FRAGATA AMAZONAS
K. 5 Kua do Qoeimado n, 5.
Monteiroi GoimarSes, parlicipam a todos os seus amigos e fregnezes, que recebem
de corita propna por todos (S vapores da Europa, grande e variadissimo sortimento de
onjctosde ata novidade, e bem assim adornos proprios para casamentes, pois queseus
correspondentes de Hamburgo, Pris e Londres, na estiha de taes mercadorias tem
merecido a approvaco das encantadoras Pernambucanas.
A Fragata acaba de receber pelo ultimo vapor grande variedades de sedas de todas
as cores e qualidades, tambem recebe por todos os vapores luvas de pellica, (do afamado
Jouvn) saias de la com barras colloridas de grande novidade na Europa, vestidos de
granadina bordados agulba, e de grar,de ton, ditos de popelina muito chiques, ditos
ae esmeraldine (gostos novos,) riquissimos coninados bordados a ponto de crochet, ro-
tondas de seda, ditas de linho, ditas de algodao, chales de guipour de seda, e de al-
godao, pentes para cok, (de phantasia) enfeites para ditos, manguitos bordados e
gomabas, camisinhas ditas, transparentes pira jmilas com mui lindas paisagem, pre-
cales de apuradissimos gostos e padroes, chapeos de palha enfeitados pelas melhores flo-
risias de Pars, entremetes bordadas Anos de differentes larguras, riquissimos cintos
Cordados com figuras chinezas, (bordado naWsma fila) baloes de hasteas d'aco ameri-
canos, dittos de musselina, tapete para guarni de salas padroes muito bellos, chapeos
ae sol de seda para senhoras, ditos para homem, enfeites imperatriz Eugenia, ditos
a Mana Pa, cestmhas com todos os pertences para meninos de escolla, saias bordadas
para senhoras, golhnhas bordadas agosto novo) chitas escuras e claras, imdapoles, cam-
nrata de cor, ditas prelas, bolsas de tpete para viagem, ditas de vaquetas para guardar
dinneiro, e ontras muitas fazendas que fe vendem por menos preco qne em outro (iiialquer
estabelecimento. .,;.', M
Na padaria
um caixeiro.
da rna do Raagel precisa-se do
Trocam-se notas do banco do Brasil e das
caixas flliaes com descomo razoavel : na praca da
ndependeocia n. 22.
Samuel Power Jolmstoo Compaohi*i
Ruada SenzalaNova n. 4.
AGENCIA DA
Fnndlf&o dcLow Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d.' carro para um e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Ama de leit
Precisa-se de ama ama qae tenha bom leite: &
ra da Aurora n. 26.
Joaquim Martinho da Cruz Crrela, teodo de
retirar-se para a Europa temporariamente, deixa
por seas procaradores a seu socio Jos Gomes
Monteiro e aos Srs. Antonio Jos Gomes do Corris
e Valenlim do Valle Lobo.
COMPRAS
Riquissimas fivellas de cbrystal para cintos.
Meios aderecos de chrystal (novidade.)
Cintos muitos ricos, etc.
Perneiras de guthaperche para chuva.




DE
charutos da Babia.
RxposicSo.
Norma*.
Imperiae?.
Gaanabaras.
Parisiense.
Delicias.
Loidrtnos.
Saspiros.
Senadores.
Regalas imperiaes.
Los amigos.
VUU ai f.
Regala de la Reina.
Fomo de Havana.
E todos os demais artigos que e possam procurar
desta ordem.
Charutos do Rio.
Conchas.
Opars.
Trovadores-
Regalas.
Cigarros.
Suspiros.
Garlbaldis.
Papel de linbo.
Papel pardo.
Acadmicos.
Santa Reta.
Pomos estrangelros e naconas.
Rap.
Papel para cigarros.
tendentes a esiabeleeimentos
Pro/\ I Os adwgadoa Jos Easttqalo Perrelra laco-
JJill^aliUi bina e Joao Goncalves da Silva Montarroyos e sol-
Roga-se a' pessoa, qae por engao levon do es- licitador Hermenegildo Eduardo do Reg lioniei-
eriptorio de ABtonio Laz de OllveiraAzevedo & C,' ro, podem ser procurados na roa estreitado Rosa-
roa da Crot d. 1, orna caixinha vioda do Rio de Ja- Jio n. 17 primeiro andar, das nove as tres boras da
neiro, dirigida ao Illra. Sr. Dr. Manoel Bua-que de tarde, e fra destas boras em casa de saas resl-
Macedo, de a mandar entregar no dito escriptorio, dencias^_____________
qae ser generosamente recompensado, alm de se -_ pfecSi.59 de ami anM
DE
J. VIGNES.
X. 55. RA DO IMPERADOR N. 55.
a ^SSSSfSf^S^ jf* assJLC0Bnecid0S Dar 1Qe seJ necessario insisr sobre a
S nrK2Tm'70^iTnse Pranlias laeofferecera aos compradores, qualidades estas incontesta-
\s\Z2ZZS2E. deflnitivamee conquistado sobre todos os que tem apparecido nesu praca ; pos-
ZSTSS^!. e macfh,,,8mo ne obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas sem
g?_?^g rjB8MM fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramenlos imporun-
~?;0f P*ra. c'ima deste P" ; qn"to s vozes, sao melodiosas e flautadas, "e por isso maito agrada-
vais aos oovidos dos apreciadores.
Paienj-se conforme as encommendas, tanto nesu fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
orresponaenie de J. Vignes, em caja capital foram sempre premiados em todas as exposiedes.
ufr^J16*100 esUbelecimento se achara sempre um explendido e variado sortimeoto de msicas dos
netttores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo todo vendido por
orives commodos e razoaveis.
PILLAS de BLANCARD
,A0 I0DURETO DE FESRO INALI k' WE[>
Approvadas pela Academia de Mea -cia de Pariz
ADTOBIS1DAS PILO CORSU.IO HUIKAL M SA-l-r.TES*CB60
ERIMENTADAS KOS HOSPITAS DE FRANCA, DA RELGICA, DA IRLANDA, DA TURQUA. BTC.
Mencoet honroso* no Expoticoit Univercoit de Nevc-York, 1853, e de Pars, 1855.
Estas Pllulti envolvidas n'ama carnada rcsino-balsamica de urna tenuidad* excessiva, tem
avanlagem de terem inalteraveis, tem sabor, de uro pequeo volume, e de nao cansaren) os
rgaos digestivos. Goiando das propriedades do Iodo e do Ferro; ellas concern princi-
palmente as affeccos Chtorotitas, Escrofulosas, tuberculosas, Cancrosat, na leucorrkea,
menorrhea, anemia, etc.; enfim, ellas olTerecein aos pralicos urna aaedicaca das mais ener-
[icas para modificar as consliiuicoes tymphalicat, frotas ou debilitadas.
JV. B. O iodurclo de ferro Impuro ou alterada un medica-
meato infiel, irrianic. Como prova de purera e de aulhencidade das
ver^aelra Plalas de Blaucard, deve -te exigir nosso sello de
"ata reactiva e oossa arma, aqu raproduiida, <|ue se achina parle
lafenor de um roalo verde. Deve -se desconfiar das Calsilcacaes.
***** ** ^as aa FUaniaaelaa. Pkormactutico, raa Bonoparle, 40. Porti.
Vende-se na pharmscia de P. Maarer & C, ra Nova.
Compra-se
ama escrava qae seja boa figura e que saiba bem
engommar, nao excedendo de 23 annos de idade,
e paga-se bem : do escriptorio de Vicente Ferrei-
r da Costa & Filho, roa da Seniala n. 138, on em
sea armazem junto ao arco da Coneeicao.
Onro e pratt~
Em obras velhas : compra-se na praca da ln
dependencio n. 22, loja de bilhetes.
Compra-se onro, prata e pedras preciosa
em obras velhas : na roa da Cadea do Reeife
cia de onrives no arco da Coneeicao.
Compram-se libras sterliuas : na praca da
Independencia n. 22.
Compram-se as obras de medeclna borneo-
pathica do Dr. Jarrh e Cochrane, e tambem a pa-
thologia do Dr. Jarrh : qoem as liver deixe carta
com o preco de cada urna, e a morada para ser
procurado, no sobrado n. 27, segando andar, no
pateo do Terco.^_________
Compran) se doas Boargains em segunda
mo: na roa oova, escriptorio de Quinteiros &
Agr.________________________________
Comprase urna carreca com orna pipa, em
cima, igual as que servem para vender agua, e um
boi manco para a mesma : a tratar na roa estreita
do Rosario n. 6, armazem.
Libras eslerlinasT- T~
Compra-se na roa do Crespo n 16 primeiro an-
dan___________________________
Compra-se ama escrava de meia Idade e
vende-se orna meia agua : a tratar na roa da Ro-
da n. 21.
Compram-se libras sterlinas :
gario o. 17.
na ra do Vi-
VENDAS
Ibe Bear agradecido.
Precisa-se de orna prela engommadeira, sem
vicios e de boa conducta: na roa das Crazes n.
30, andar.
pateo do Terco n. 31, sobrado.
para coiinhar: no
Trocam-se com pequeo abatimento as s-
dalas da caixa filial do banco do Brasil na'B&bia :
na roa da Cadea do Reeife n. Si.
AMA
Precisa-se de ama ama para pouco servico pre-
ferir do-se de meia idade : na rna da Roda n. 48,
casa da esqaioa de nm andar.
Urna petaos qae tea babiliiacoes no foro,
tend') de Ir Porto Calvo tratar de arras cobran-
cas, *ncarrega-se de mais algamas para o mesmo
lugar : qnem de seo presumo qulzer utilisar-se,
aonuncle para ser procurado.
Na praca da Independencia n. 33, .
onrives, compra-se euro, prata, e pedras preciosas.! <*** n 36.
Vende-se um torno obra prima e todo no-
vo proprio para tornear metaes e madeira,
tendo dito torno cinco qualidades de rosca
differentes para faier parafusos com a pon-
la e a espera feicao do T, vende-se igual-
mente um rewolver feito nest* praca por
um dos mais peritos artistas; para ver
e i tratar dirija se ra da Matriz da Boa-Vista
e tambem se fax qoalqoer obra de encommenda
toaoe aaalqaer concert.
Guarda-litros
Um moeo estrangefro, inteiramente babililade
em todas as ecrlptorac5es commerciaes, deseia
prestar seas servicos em algamis casas de nego-
cie : qaem qulzer atilisar-se de seas servicos di-
rija-se a ra Nova n. H. v
vendem-se oito carneiros de bonitas figuras,
com o peso de lre3 arrobas poaco mais ou menos -.
qaem os pretender dirlja-se a roa do Encantamen-
to n. 13.
0.20,
Vende-se a taberna da ra do Fogo
muito arregostada ; a tratar na ra do
numero 69.
Vende-se a padaria da roa do Moodego n.
47 : qaem pretender dirija-se mesma.
*JT
y

'

\


-


\

w


<"
4iM4*if *-**m*m* ****** w^ijwmii1** ftjsee.
f

RA
EttCJCLCPEDICA
DA IMPERATRIZ ARMAPEM DA
PORTA LARGA N. 52,
din ato ,1 nadarla francesa
DE
Paredes Porto.
Neste estatelecimento encontrar o re-
peitavel publiio um variado sortimento de
fazendas francezas, inglezas, suissas e alle-
maes, que_aevenderloporprecocommodo.
Grande armazem de fazenda e
rosipa feita, rua da imperatriz
a. *%8. armazem da porta larga
Neste esubulecimeoto encontrar' o respeita-
vel publico um completo sortimento de roupas de
todas as qoalidades e preco commodo. como se-
jam : paletots de alpaca, de merino, de bombazi
na, panno, casemira, preto e de cores, calcas de
todas as qoalidades, colleles de diversas qualida-
des e precos commodos, cbapeos pretos franceies,
fazenda de 10# a 6*, ditos de sol de alpaca e seda,
sobretodos de puno proprios para vi a ge na a 1 1*,
meias croas de boas qaalidades e precos commo-
dos, e outras muitas fazendas e roopas feltas, que
se vendera mono barato : no armazem da porta
larga n. 52.
600 rs.
Admiravelfpecblncha.
('.araisinhas de cambraias a 600 rs. para acabar :
a roa da Imperalriz o. 53, armazem da porta lar-
ga junto a padaria franeeza.
Casemira
Vende-se casemira de cor a 4* o corte : na roa
da Imperalriz o. 52, junto a padaria franeeza.
Baloes
Vende-se baldes (crinolinas) de todos os tama
nhos a 2,1 e 2430O : a roa da Imperalriz o. o-
tonta a padaria franeeza.
10500
ntremelos.
Vendem-se pecas de ntremelos cora 12 varas a
1450O : a rna da Imperatriz n. 52, porta larga.
Chales le renda a 4
Veodem-se chales de renda pretos, fazenda de
boa qual dade, a 44 por ter porco : armazem da
porta larga n. 52.
ftetendas bonrno?.
Recebe u ltimamente um sortimento de retondas
e boornus de seda e de algodo por barato preco,
sontembarqoes de grosdenaple, capas e manteletes
por precos commodos : armazem da porta larga
n. 52, roa da Imperatriz.
Cmtraas lisas finas.
Grande soriimento de cambraias lisas, que se
vendem a 34, 3*S00 e 44, dita muilo fina Victo-
ria a 54 54500, cortes de tarlatana de bonitos
gostos a 34500 e 44 : rna da Imperatriz n. 52,
junto a padaria fraaceza, armazem da porta larga.
Ricas cortinados.
Rico sortimento de cortinados bordados de boni-
tos desenbos a 24, 24500 e 34, e de outras quall-
dades para o mesmo fin : no armazem da porta
larga tu 52, na roa da Imperatriz.
Grosdenaple preto e de cor
Vende-se grosdenaple preto e de cor a 19500,
14809, 24 e 24560 o covado, seda preta la viada a
gorgorao a 14600 e 24 o covado : ra da Impera-
triz n. -32, armazem da porta larga.
Tiras e entremetas bordados
Grande soriimeoto de liras e entremeios borda-
dos, pelo preco de 500 rs. a peca : rna da Impe-
ratnz n. 52, jonto a padaria franeeza._________
RIVAL SKM SEGUNDO.
Hna do Qucimad o. 49
Est dl posto a continuar a vender por prego
que a todos admira queiram apreciar e vir ver para
crer.
Grozas de pennas de aro multo boas a 320 rs.
Bonets muito fios para meninos a 1*.
Pentes de alisar com costas de metal a 508 rs.
Capadlos redondos e comprldos a 500 rs.
Polceiras de conlas para senboras a 500 rs.
Caixas de papel amizade a 600 rs.
Quadcmos de parKH muito bom a 20 rs.
Pentes de tarta raga a 24500 rs.
Realejos para meninos a 100 rs.
Escovas para limpar denles a 200 rs.
Baram s rooito finos a 200 rs.
Caixas de p de arroz muilo superior a 800 r6.
Caixas de lamparillas para tres meze6 a 40 rs-
Caixas de obreiae de massa a 40 rs.
Grozas de bol5es de Jooca a 160 re.
Ecuadores de cordio e fila a 60 rs.
Pegas de fila de eos com 10 varas a 320 rs.
Cartas de alfinetes franeezes a 100 rs.
Libras de altinele franeezes 1" qoalidade a 24.
Novellos de linba com 400 jardas a 60 rs.
Ditos dilos com 200 jardas a 30 rs.
Caixas com alfinetes a 20 rs.
Pares de luvas brancas e de cores a 400 rs.
Grvalas de todas is qualidades a 500 rs.
Resmas de papel al mago superior a 24400.
Caixas redondas com estampas a 100 rs.
Livros para assento de roopa lavada a 100 rs.
Bunecos do eboro muito bonitos a 160 rs.
Frascos de superior agua de colonia a 400 rs.
VENDE-SE
No armazem de M. f. Ramos e Mira enro, rna do ligarlo
n. 11, constantemente, osseguintfs artlgos, que
rece bem por encommenda proprla de
XEW-YORK.
Legitima salsa parrilha de Brlstol, preparada por Lanman & Kemp.
Verdadeira agua florida, preparada pelos mesmos. ,
Gai em latas de cinco galoes, o mais purificado qoe se'pode desejar da acredi-
tada marca f. W. D. & C.
Relogios perfeitos reguladores, com corda de quatro a oito dias, dos afamados fa-
bricantes E. N. Welch.
Graixa em latas grandes da bem conhecida marca las. S. Masn (de Pbiladel-
G&4SDE E^TABELECIIEMO
DO
phia).
Superior oleo para machinas de costura.
Agulhas para as mesmas.
Breu em banicas grandes e pequeas.
Vende-se tambem:
BORDEAUX
i.1 qoalidade.
St. Estepbe.
St. Julien.
C. Margaux.
C. Lafltte.
Medoc.
PORTO
Ia saudade,
Principe Real.
Pedro V.
Mara Pia.
Princesa D. Isabel.
Vctor Emmanuel.
Duque.
Malvazia.
Vinho fino do Porto embarris de 5/, 10/ e 20/.
Superior vinho do Rheno.
Cera de Lisboa em velas e em grume.
mmu mm&
HJitflt
iwoo
*1 RIA DO QLEIHADO Na ?*.
Madapolo^
Finas pecas de madapelao com 20 varas a 9#.
LENgOS, vi i
Lencos de cambraia branca, du/.ia 20.
dem de cores fixas para meninos, duzia 2;>400.
Cambraias.
Cambraias de cores a preco de 260 a 300 rs. o covado.
CUiardauapos.
Guardanapcs de linho, duzia 30500.
Algodo.
AlgodSo trancado de duas larguras, proprio para toalbas de mesa, a|preco de
avara.
Bramante.
Superior bramante de linho inglez e francez.
Cambraia de linho propria para lencos.
ATOALHADO.
Atoalhado bramo para mesa a I #600 a vara,
Entremeios de cambraia muito unos, preco 10.
Lencos de seda para algibeira a i600,
da imneratrlc, %. 60
DB
GAMA & SILTA.
L01A 1 ARMAZBH DE FAZ EN MS.
Tendo os propriatarios destavgrande eslabeleei-
toeDto feiio um grande abatiraento em muitas de
toas faxendas, pela occasiao do balaceo <|oe deraro
no pltimo de dezerabro de 18G5, resolvern) vender
muito mais barato do que costumam atim de cada
vez mais agradarem aos seus numerosos fregu-
zea ; por tanto Ibes offereeem om avulado sorti-
mento de fazendas francezas, inglesas, as quaes
vendero mais barato do que em cutra quaiquer
parte, comprometindose a mandar levarqeal-uer
lazenda em casa dos freguezes qoe nao poderem
vjr a loje, ou a darem as amostras, d'eixaodo Bear
o penhor, assim como convidam as pessos, qoe
iiegeclam em menor escala qae nesle grande e.-ia-
teleeimento encontrarao um grande sevtimento
tanto a realho como por atacado, vendendo-se-lhe
penas pelos precos que comprara as casas ingie-
ras, sendo com o dinheiro a' vista.
Reos vertidos a 80000 rs.
pee hincha admirare!.
So o Pavo receben pelo ultimo vapor francez
ii m grande sortimento dos mais ricos cortes de
vestidos transparentes com lindas barras enfeiles
de seda, sendo estes vestidos muito proprios para
baile e passeios, e vendem-se pelo baratissimo
preco de 8*000 rs. cada nm, na loja do Pavo na
roa da Imperatriz n. 60 de-Gama & Silva.
Osehales do pavo a 2ooo e 25oo rs.
Veodem-se chales de merino estampados a 2*
Novidade
Para vestidos.
Chegararn as desojadas cambraias on lariatana-
brancas com li.-trinbas (sendo transparentes e ven-
dem-se pelo baraiissimo preco de 5000 o corte,
na loja e armazem do Pavo na roa da Imperatrii
n. O de Gama* Silva.
Vestidos forneos.
Cfcpgararo para a loja do Pavo os mU bonita*
cortes da.vestidos de carrbraia branca com boni-
tas barras to(is brancas, assim como cum barr
de cores, sendo fazenda transparente e muito hoa.
lendo cada um coito batame fazeeda e amia ro-
da, e vendem-se pelo barMissimo preco de 84 e
10# : ja leja do Pavio na tu da Imperalriz d.
60, de Gama & Silta.
Cortes de tarlatana na 1- ja do pavo.
Vendem se os mais modernos cortes de tarlatana i
com as mais limlas barras de cor, pelo baratissimo
preco de 5 cada um, sendo nesle artigo o melbor
qoe tem viodo ao mercado : Jsto na loja e arma
zem do Pavo na roa da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Ombraii'S brancas,
Com S palmas de largurae
SO na loja do pari.
Vende-se cambraias brancas transparentes tendo
8 palmos de largura, on dnas larguras das regula-
res, qoe facelila fazer-se om vestido apenas.com 4
varas, e vendem-se pelos baratsimos precos de..
I000 reis, e i380 a vara, nicamente na loja e
armazem do Pavo, roa da Imperalriz n. 60 de Ga-
ma & Suva.
Atoalhado na loja do Pavo.
Vende-se superior atoalhado adamascado sendo
alvo com 8 palmos de largora pelo batato preco de
2J> a vara, dito de linho irlgueiro c. m a mesma
largura a 2,5500, goardanapos da mesma fazenda
Cera a ni,, relia.
Nal loja de Gama A Silva, ra da Imperatriz o.
6*0, tem para vender cera amarelia em .n;" senda
em barricas e em cuxO. s.
Grande Sortimento
fazendas" baratas
lina da Imperatriz n. &
Loja e armazem da Arara
Lourenro Perfila Mcndes Goimares.
Pchirrtfe chitas 200 rs. o covado.
Vende-se chitas escaras e claras a 200 ris o
covado, ditas francezas fiof.s a 240, '80, 20, 360
e 400 rls o covado. Una da Iroperairix ieja da
i Arara o. 56.
Arara vende brelanha'de rolo a 30C0.
Vende-se pc^as de bretanha de relo a 3000.
pegas de cambraia para vesfldos a 3000, 3500,
5000 e 5^000. Ra da Imperatriz loja do Arara
n. 36.
Cassas francezas finas a 240 o covado.
Vende-se cassas francezas para vestidos a 240
280, 320 e 400 ris o covado, ditas de hsias de
cores monto finas a 120 e 800 ris o covado. Ra
da Imperatriz loja do Arara n. 56.
Arara vende cobertores a I #560.
Vehde-se cobertores de pello a 1500, ce-bertas
de chita a 34000. corzas de damasco a 'JOOO, ditas
de fustao a o$QQO. Rna da Imperatriz n. 56.
Madapol5o francea a 3^500 a peca.
Vende-se pecas de madapoiao francez entestada
de 12 jardas a 3,5500 e 4000, ditas de dito inglez
de 2 i ditas a 4J000, 3*500, 6J300, 7C00, 8*000,
9*000 e 10*000, dias de slgooozmho m-jito fino
da Imperatriz o. 56.
Arara venda cortes de cambraias de papel
o 2*500 cada om.
ltos de merm liso a 3*500. I 3* a dizia : na loja e armazem do Pavo na roa a3*000 4*000, 55000,6*000,7000 e 8*000. Ra
Ditos estampados de crapoa a 6*, 7*, e 8*000. id Inwa'riz n. O, de Gama & Silva
Ditos pretos bordados com franja de seda a 14*. Qq l6S bai'Q tOS
Na loja e armazem do Pavo na roa da Impera- v~~a n .* n i
iriz a. 60 de Gama & silva. Vende o Pavao. a J* 00.
Para intn vpnrto n"Pavan Chegoo uro grande soriimento de balCes de ar Vende-se cerles de eambraia empapelabas Ce 7
^tim da rki..^ a aimn. ri. itnnr* rarA eos sendo americanos qoe sao os melhores e vea- varas a 3*000, de 7 du.a a 2*500. Roa da Impe-
laniL?. aC 6p lf.rBar'faren-;dem-se pelo barassiroo preco de 2*500, 3* e ratrlz lo a do Arara n. 56.
da preta paralnto, propria para vestidos e ronpas ^^jo v A p -" ^ "e ,***,.,*
para homens, seodo esta nova fazenda sem lostro el %r7 n'l'l ?,, rna aa lmPera!r,z D-
!60, de Gama i Silva.
Mretanhas de rolo a 2$800.
Vendem-se pecas de bjetaoha de rolo tendo 10
de moilo boa qoalidade, garantindo-se nao licar
i ussa com o tempe e vende-se pelo barato preco de
S!* e 2*306 o covado, assim como neste eslabeleei-
mento tem om grande sortimento de todas as fa-iwas eada Pfc5a Pel baratissimo prego de ?*S10:
rendas pretas como sejam cassas e chitas praus, a loja e armazem do Pavao na roa da Imperalriz
las upadas e transparentes, prlncezas, alpacas, D- 60> d' ,a & Silva.
MACHINAS AMERICANAS
verdadeira do fabricante N. Y. Cantttongln a c.
Moinhos americanos |ara moer millio.
2 ^ a a o o sr^< ? o o o o
2 5 2 &&-B BES 5go
= 3 q C5
0 erg C2
~&J..&- '"
9 3*
r> t o -1 2 S
?c!*-g-eo<3-3'^B
s
m a I
*% 15
&9 j 2
as i
2 %
* 2
i* B "S'
3 2.
3 "O .
~ o a> a>
fTu>
gJfflS^is
r> 1


?
C J "3
" 8 %
3 ?
M
ce ^
H
z
?
g
2
s
o
>
>
g
5EI
O
sarjas, etc. : na loja armazem do Pavo na roa
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os espartilhos do Pavao.
Vendem-se nma grande e variado sortimento de
espartilhos dos mais bem feitos qae tem vindo ao
mercado, sendo de todos os tamaitos, vendendo-se
, por om preco muito ratoavel : isto na loja do Pa-
, vio na rna da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Ronpafeita.
Na loja do PavSo
Vende-se neste estabelecimento nm grande sor-
iimento de ronpas, tanto de panno como caxemiras,
o bros e pelos baraiissimos preces como sejam
(leas de cazemira preta ab* 7* e 8*000 reis, pa-
letots de panno preto saceos a 6* 8* e 12*000 rs.
ditos sobrecasacos de paono flnissimo a 12* 18* e
23*000 reis, e ootros moitos artlgos qoe seria en-
fadonhos aqol relata-los; s na loja e armazem do
Pavo roa da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Ldazinhas a 200 rs >so
Pavo.
Vendem-se modernas lazinhas com lindlssimos
gostos, pelo baratissimo preco de 200 rs.; gran-
de pechincha : s na loja do Pavo, roa da Impe-
Na ra Nova 20 e 22, grande deposito
das verdadeiras machinas americanas de todos
os fabricantes; se enconlra ueste deposito
grande porcio de machinas, o se vendem por
menos preco do que em outr-a quaiquer parte,
por se receber -om direitara da America; se
fornece todas as explicaces necessarias ao
comprador -para consrvalo das mesmas;
neste grande estabelecimento se encontra mu-, nir^TM Gama & SiWa*
tos artigos americanos, que muito deve agr- Lencos forneos a 10OOO res a
dar aos agricultores qae usam de taes artigos, duzia.
ocontra-se tambem todas as COlleccoes de de- Vendem se lencos brancos fazenda muito boa
-senhos sobre os quaes se aceita quaiquer urna Pel baratissimo preco de '2* a dozia, Ditos com
encommenda, que com promptidao ser execu- **" de ^ ii*m ist0 P HMtDa W>
tada; ueste grande estabelecimento, -encon-
tra-se em grosso e a retalho, grsnde porfo
de ferragens, e mkidezas que se vendera por preco commodo, pedindo-se a altencSo j v
Pavo na roa da Imperatriz n. 60 de Gama Sio
va.
Um' lenaples pretos do Pavo.
L-m-se superiores grosdeoapies pretos pelos
ra Novan. 20 Carnei:o'Vianna.
DE
FAZENDA E ROPA FEITA
Itli OVA M* *4
Reg & Moura, proprietario da 4oja de fazendas e roupa feita, sita rua~va
n. 21, fazem sciente ao publico e particularmente aos seus amigos e freguezes, que
acabara de receber de sua encommenda, um perfeiio sortimento de fazendas finas, entre
ellas casemiras de cores proprias paracostumes; panno fino dos nelbores fabricantee
proprios igualmente para casacas e sobreoasacas e outras fazendas de variados gostos,
as quaes vendem com vantagem sobre outro do mesmo genero de negocio, tanto pela
modicidade dos precos como pela qualidadeespecial dos artigos que expe a escolha de
todos aquelles quesedignarem frequentar seu estabelecimento.
Os mesmos, continuando como sempre, escudados o robustecidos na aceitacSo e
confianca^ue Ibes tem sido dispensada pelo respeitavel pubco, no espaco de lempo em
que se acbam estabelecidos, proouram envidar todos os esforcos a seu alcance para cor-
respondern! suficientemente a expectativa deste e de seus numerosos freguezes e ami-
gos, por isto, admiltiram para sua officina de alfaiate, quatro contra-mesires
ovado, sendo fazenda muito boa, s para aca-
tar : na loja e armazem do Pavo, roa da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Bramante de linho do Pavo.
Vende-se superior bramante de linho com 10
palmos de largnra, proprios para lences, pelos
baraiissimos precos de 2* e 2*600 a vara, assim
como .panno de linbo muito n'uo pelos baraiissimos
precos de 640, 700 e 800 rs. a vara : na loja e ar-
mazem do Pav3o, roa da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Casemira*
a 4, aa loja do Pavo
Veode-se superior casemira eofestada, propria
para caiga, paletols e colleles. pelo baratissimo
preco de 2*400 cada covado, oo a 4* o corte de
calca, *endo fazenda que sempre se venden a 3* o
covado, ou a o* o corte ; esta grande pechincha
liquida-se pelo preco cima, na loja e armazem do
Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.


ALPACAS
de eeres, na loja do Pavo
Chegaram pelo oltimo vapor as mais lindas
al-
naad regularmente sob a" inmediata direccaodo muito hbil mestre Lauriano Jos de, c0r" "JjJ f2* 5ne,,,.m-vinc?0 ao merca"
Barros, o qual, activo e diligente como sde ser.flSo npnf^tM mais aturado^ cuidados BaMp oulras muaas Mr"?ni"ramente novas,
funecio- Paca* te nn>* ^6 cor, sendo lisas e lavradas, com
odernas que tem vindo ao merca-
vadias, rxas, lirio, cinza, perola,
m i- r
de sua arte quando tem desalisfazer com brevidace e presteza quaiquer obra de encom-
menda,
Ao'contrario dos muitos que enchem as columnas do jornal com a repeticao ociosa
de annuncios era estylo sedico, nao precisamos aqui a natureza dos artigos que possui-
mos para n5o collocar a sinceridade m noss^s tratas no perigo imminerrte que resulta
dessas aoiecipao&es sem fundamento.
vende.mse por barato preco : na loja e
do Pavo, rna da Imperatriz e. 60, de
Silva.
armazem
Gama &
BASTr>S
56 A MA DA CADEIA 5 A
Nesle estabelecimento como sempre contina ha ver grande e completo soriimento de machinas
para descaroear algodo, verdadeiras americanas, de 8 a SU serras, dos fabricantes j muilo cooheci-
dos Eagle New-York Cotn Gio e M. & C, estas sio as primeiras qoe vem a este mercado, tornando-se
recommendavec nao s pela segoranea com qoe sao feltas, eomo pelo graode augraen:o qoe offere-
eem no seo trabalbo, occopando mu pooco pessoal. Tambem aqoi os freguezes encontrarao todos os
oeeessarios avnlsos para aa mesmas bem como :
. Machinas para cor lar capia.
Machinas para debolbar mllbo.
Machinas para fazer parafozos de ferro a madeira.
Machinas para fazer a/.
Arados, carros de mi
9 os mais acreditados cylinaros para padaria, ludo pelos preco?.os mais razoaveis passiveis,
Madapoles a 3,500 rs. a pessa.
S na loja do Pavo.
Vende-se pecas de madapolio fino com 12 jar-
das, pelo barato preco de 3*300 e 4*000.
fahr.
Vende-se o diccionario homwpathiro do Dr.
Jlir : na ra da Cadeia do Recife n. 15, loja.
Balanzas decimaes.
Vende-se no escriptorlo de J. A. Moreira Dias, a
roa da Craz n. 30 primeiro andar.
PISTA s XABOPE de I1F da AR1BIA
e nKaLAivenn^iEn
f Sio M inleof Mltorjt. tpptOT4oi eloi proTnaarM t
/ PicsKU 4* MWlclM U rrutm, por M bWIui < Bm-
pliiM i* Ptrii, O** erUinrie luu a iot niMrU.
rididt Mbr todo* *t ontroi p.ion.i coma iua h4 ficioii eooln o ZMtaaef, rltf., irrtate** u
Affclofiea do p*Mo e da farfanta.
RACAHODT DES RABES
rana*
nico alimento apprTa p^Aeaaaariat Madletea4*
Paria. Eli* restabelee* *t patata* aa* aoSr do w\m-
aaa *d* miiUni; tortai MCrUncaa u puma
dabiEUaa, alta altas tm Tlrtud* d* na rprl*aad*
Uattaa ht o malhor pratarvallvo du rafera Mr*
liiiaoM*
Cada truc* cada oalxlaha dtMa* pwWMCia lm,
itmmre uU a tai JMaaaraa**-, roa RlehaUta, M,
tm Parla. (Faxar aarlxlo allane** coa a* falalcaceti.)
Dapotllarla* a* PanaatOat* : Oaan Barbara; Bac
Vende-se as pharmacias de Maurer e de
A. Caors.
AR
4.IMMH
AZEM
DE
Roupa feita e por medida.
26 Rna Nora n. 26.
Novidades l
Cambraias a Mara Pia.
Cnegaram as mais bonius cambraias com listas
de cores e com os mais delicados desenlies qne se
vendem a 800 rs. a vara, Qnissimos organdys do
mesmo gosto qoe se vendem a 1*200 a vara, cas-
sas de cores com diflerrotes e modernos desenbos
qoe se vendem a 240,280 e 320 rs. o covado, to-
do isto moito barato em alinelo a qoalidade :
na loja e armazem do Pavao na roa da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
brande pechincha en toalha*
para mo.
Vendem-se soperiores toalhas de linho proprias
para mao pelo baratissimo preco de 560 rs. ditas
a 640 rs ditas a imitacao das felpadas a 800 rs.,
ditas fe podas a 1* : pecbincha na loja e arma-
zem do PavSo na roa da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Chapeos para neoiaas a 6,000.
S na loja do PavSo.
Se vendem oa mais bonitos e mais bem eneita-
dos cnaposlnhos de palba da Italia, proprios para
meninas, pelo baratissimo preco de 6*000; na loja
e armazem do Pavao na roa da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
ATLANTA
yrande novidade a lOO rs.
Allaita a 200 rs.
Allanta a 200 rs.
Allanta a 200 rs.
Cbegon para a loja do Pavao o mais lindo sor-
Omento desta nova fazenda, com o litlo de allanta
Jos Antunes Guimares, propreUno deste novo estabelecimento de roppas e propria para vestido e roupas para meninos, en-
jse auiuuco uuiuiaioM, *r j, fpn0p7At! i do csu modemissima fazenda de lia com os mas
fazendas Anas, participa ao respeitavel publico em geral e a todos os seus rregiiezes, |JDdos gostos de qnadrjnh08 e |slras ,end0 eotre
e amigos, que estando sua casa sobre a direco de dous dos memores mastres de altaiate, etias de cor roa e prea, cora listras e qnadros
sendoom delles o Sr F E C. Miranda, e o outro o Sr. Manoel. J. G. Carneiro, ambos! brancos proprias para loto, e vendem-se pelo na-
com grandes habilita'coes tendentes a sua arte, pelos quaes dirigida a sua officina, e fj?}^\ gi^Si? S.no a
achando-se bem montada a desempenbar quaiquer encommenda por grande que seja, I g(J WSo rua ,n>Pera,r, > de Owaa a
se esforcar para sahir a contento de seus freguezes, vendendo ludo por menos do que
em outra quaiquer parte. Roga as pessas inleressadas que venham examinar seu estabe-
lecimento, e verificar por si mesmo o que declara, assim come faz sciente a todos em
eral, tanto desta praga como mesmo dos do cenlro, que quaiquer encommenda de obras
feilas que mandem fazer nesta officina nao sendo a contento de seus doos, pede que
as queiram devolver, afim de novamente se fazer outras que os satisfacam ; ass
As chitas do Pavo a 200 o covado.
Vende-se o mais bonito serlimenlo de chitas es-
coras e rosas sendo Inglesas, mas com os pannos
lio encorpados como os das francezas qoe se ven-
dem a 400 ris, e liqoidao-se pelo barato preco de
aa 4UCU01H uevuivci anu UC uuvauciiiu oc laiti vutma 1" "' ...-y-~ ----- -- im ,i, i, ja.iw. ""_: .'j
mo declaram que n5o ter5o nenhuma responsabilidade, esperando sempre servir bem ^J^X'vdos ca&T&^de'cores"
a todos e de todos espera merecer protecc3o, sendo estregu quaiquer encommenaa no fllM ,sl0 Da )oja e armazera oo Pivio na rua da
prazo de 2* horas ou em menos tempo se for de muita urgencia. Imperau-jz n. Wde Gama & Silva.
Chapes de sol.
Vende-se om grande sortimento de chapeos de
sol, sendo de seda e de varios precos e qaalidades;
ditos de alpaca e de panno, e vendem-se por precos
mnlto commodos, na loja do Pavo na iua da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Cortes de chitas.
Vendem-se cortes de chitas ioglezas, sendo pa-
dr5es escaros tendo 10 covados pelo barato prego
de 2*000 rs.; ditos com lie 12 covados a 2*200
e 2*400 rs; ditos de chita Iraoceza escora e ale-
gre, tendo 10 covadn* 3*200 ; dilos com II e 12
covados a 3*520 e 3*840 rs: pechincha. na loja
e armazem do Pavo, rua da Imperatriz n. 60 de
Gama & Silva.
Grande pechincha
em chales a 4$ Da loja do Pavao.
Vende se (inissimos chales de merino lisos com
franjas largas de reiroz tendo as cres seguintes :
encamado, aznl claro, azul escaro, verde, cor de
canoa, solferino, majenla, branco e rozo etc., esta
fazenda vende-se sempae a 6* pela sua boa qoali-
dade e agora liquida se pelo baratissimo preco de
4* por ter grande porco : na loja e armazem do
Pavo na rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
A 4)51 pechincha em chales de renda na loja
do PavSo.
Vende-se chales de renJa p'etos lendo 4 ponas
e sendo muito grandes pelo baratissimo preco de
4*, dites de renda de seda a 8* e 10 : na luja do
Pavo na rna da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Chales
pechincha a 6$ por ter um toque de mofo
Vendem-se lidissimos chales de renda de seda
prelos com um pequeo toque de mofo pelo bara-
tissimo preco de 6* sendo fazeDde que sempre se
vendeu por 18* e 20* e acabam-se por este preco :
na loja e armazem do Pavao oa rua oa imperatriz
n. CO, de Gama & Silva.
Chales de renda.
Vendem-se Qnissimos chaces de renda de seda
pretos sendo de tres ponas, porm maito grandes
pelo baratissimo prego de 6*. sendo fazenda que
sempre se vendeu a 12* e la* : isto na loja e ar-
mazem do Pavo na rua da Imperalriz n. 60, de
Gama & Silva.
Alpacas para vestidos
na loja do Pavao.
Receberam-se as rnais modernas alpacas de co-
res para vestidos com os mais lindos desenhos
sendo fazenda chegada pelo ultimo vapor e ven-
dem-se pelo baratissimo prego de 640 rs. o covado,
tendo estas fazendas largura de chita- francezas :
isto na loja e armazera do Pavo na rua da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Para mo
Lencos bordados
Vende o Pavo.
Este estabelecimento acaba de receber um va-
riado soriimento dos mais bonitos lencos de cam-
braia primorosamente bordados e proprios para
mo que vende pelo barotissimo prego de 1* e
1*600 caca um : n loja e armazem do Pavao na
rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Ultimo gosto em lazinhas
Acba-se om grande soriimento das mas moder-
nas : a Mara Pa, Garibaldioas, maibisadas, lisas
e de quadrinhos que se vendem por baraiissimos
presos e do-se as amostras : na loja e armazem
do Pavo na rua da Imperalriz n. 60, de Gama &
SIlv?.
Guarda han ti,
Vendem se bonitos guarda banha de laberynto
proprios para encostos de cadeiras, pelos brralissi-
mos precos de 29 a 3*000 rs. oa loja do Pavo na
rua da Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
os cortinados do Pavo,
Vende-se nm grande sortimento dos mais ricos
cortinados bordados, proprios para camas e janellas
pelos baraiissimos precos de 8*, 10*. 16*, 20* e
25*000 rs. o par, assim como pegas da cambraia
bordadas e adamascadas proprias para o mesmo
Bra por precos razoaveis, na loja e armazem do Pa-
vo na roa da Imperatriz n 60, de Gama & Silva.
Grande pechincha em cambraias
brancas na ioja do Pavo,
Vendem-se finissiraas pegas de cambraias bran-
cas transparentes, tendo cada pega 9 varas e com
mais de vara de largnra, pelos baraiissimos pre-
gos de 6*. 6*300, 7*, 8*. 9* e 10*000 rs, leud-
se sempre vendido esta fazenda por mais tres e
quatro mil reis, e liquido-se com este grande a ba-
timento nicamente na loja e armazem do Pavo
na rna da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os cacliias do Pavo.
" Vendem-se os mais bonitos caehins de raalba de
la com bonitos gostos, proprios para saludas de
tbeatro e bailes etc. etc. na loja e armazem do Pa-
vo na rua da Imperatriz 60, de Gama & Silva.
Ala,oflo.iiiho entestado
Vende-se superior algodosioho com 8 palmas de
largura proprios para lenges, pelo barato prego
de 1*000 rs. a vara, na loja e armazem do PavSo
na roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Organdy a' ..$000 oa loja do Pavo.
Vendem-se os mais Anos e mais modernos organ-
dyes de cores rom os mais delicados desenhos,sen-
do fazenda de 1*600 rs a vara, e liquido-se pelo
baratissimo prego de dez tostSes a vara por esta-
rem lomando um pequeo toque de raof.>, isto na
loja e armazem do Pavo oa rua da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Manguitos a 500 e 640 re s.
Vendem fe manguitos e calclnhas para meninas,
pelo baratlssjmo prego de 500 e 640 reis, oa loja e
armazera do Pavao oa rua da Imperalriz n. 60, da
Gama & Silva.
Lcbcos de seda a 1*000
Cortes de tarlataua de cores a P^OOO
Vende-se corles de tarlatana de cores (ara
vestidos a 5*000 ditos de cambraia branco borda-
dos e de cores a 4*000 e 5*000. ua da Imperatriz
n. 56.
Arara vende lasinhas a 200 rs. o covado.
Vende-se lasinbas para vestidos a 200, 240, 20
e 400 rls o covado, ditas muilo finas estampadas
a 360, 400 e 500 ris o covado. Rua da imoere'.riz
n. 56.
Arara vende os balites a 2AO0O.
Vende se barloes de 20 25 e 30 arcos a 3*000,
3*500, e 4*00^, dilos muilo f)n< s e moderoos de
cor elegante a 3*000, 3'U0, 4000 e 5*000, liles
para meninas a 3*000 e 35500, dit- s de morsulna
a 5*000, chitas largas com um ptqoeoo toque de
mofo a 240 ris o covado, ditas finas a 320, 360
e 400 ris o covado. P.ua da Imperatriz loja da
Arara o. 56.
Cylindiospara padaria
Na padaria da rua Direita
n. 84, ba sempre para vender
[por commodo prego os co-
nhecidos e acreditados cy-
lindros americanos para pa.
dara.
(UVAL"lm SEGADO
Rua do Inclinado a. 49, loja de
mludezas
DE
Jos Bigodinho
Est queimando as miudezas abaixo declaradas:
Frascos de oleo babosa fino 200 a 320 rs.
Ditos dito higo a 600 rs.
Ditos de macaca perola a 200 rs.
Ditos cim superior banba a 200 rs.
Caizas com 6 frascos dec heiro a 800 rs.
Sabonetes finos a 60, 160, 200 e 320 rs.
Ditos de bolla superior a 240 e 320 rs.
Livros nara meninos com estamos a 320 rs.
Caixas de 12 frascos Com theiro a !,>
Frascos de oleo babosa muilo Bno a 400 rs.
Duzias de meias superior ual"rie para seohora a
4*500.
Chegaram as agolhas balao (pape.,,. CO rs.
Caixas com bonitos soldados de cbui. i a 100 rs.
Ditos de agua para limpr denles a 50o r.
Pedras de escrever (pequeas) a 160 e 2ou is.
Sapaios de tranga para horneas e senhora a 1*500.
Pegas de fitas de la prela para vestidos a 600 rs.
Grozas de boloes de madreperola finos a 480 e
640 rs.
Caixas de clcheles Irancezes a 20 rs.
Pegas de froco de todas as ces a 200 rs.
Caixas com superiores envelope a 600 rs.
Parts de sapatlnhos de la para criaega a 500 rs.
Ditos de meias prelas para senhora. superiores a
360 rs.
Libras de pregos de todos os tamanhos a 240 rs.
Saboneles e familia, superior a 100 e 120 rs.
Resma de papel de peso moilo lino a 2*.
Frascos com tinta soperior a 100, 140 e 30.
Grosas de phospht ros de gaz a 2*200
Pares de botOes para ponho a,120 e 240 rs.
Carlo com linhas de 200 jardas a 160.
Meias eruas moito finas a 4*.
Caixa de pos para limpar dentes a ICO rs.
Caiza de soperior linba do gaz com 50 novellos a<
1*000 rs.
Purceiras de conla para meninas a 320 rs.
Talheres muito finos para meninos a 320 rs.
Cartilha da doulrina chrisia 320 rs.
Frasco moito bonitos com cheiro a 240 e 500 ??.
Caixa com soperiors iscas para charutos a 20 rs.
Hasso com superiores grampos a 30 rs.
Grande armazem de tin-S
tas medicamentos etc. p
Ja Rna do Imperador n. 22. |
galoo Pedro das Veves (ge-2
5 rente) fe a venda o
>W segaln* e:
I Productos chiraicos e pharma- ^?
ceuticos os m^is empregados em &"!
m
m
medicina.
Tintas para todo o genero de pin-
tora e para tinturara.
Productos industriaes e tintas
para flores, como botes de flores
e modelos em gesso para imitar
fructas e passaros com o compe-
tente desenlio.
Productos chimicos e industriaes
para pholograpbia, tinturara, pin- m
tura, pirotecnia etc.
Montado em grande escala e sup-
prido directamente de Pars, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa
pode offerecer productos de plena
confianca e satisfazer qnalquer en-
commenda a grosso trato e a reta-
lho e por preco commodo.
~,
Aguas mineraes naturaes de
Vichy.
De todas as aguas mineraes mpregadas em me-
dicina, nenhuraa geza de lo alta repuiacao, ci
- : a natural de Vichy. Estas aguas sao salinas e ga-
deJents^o'Eisstr^o le" *tt3 ^ f TTT
ura, manlinbas para grvala a 1*000, 800 res, na Jm ~m'"X"ffcnMaa^ na ili
ipja do Pavo na roa da Imperatriz o. 60, de.Ga- $^^Zl$!!ZtS% K!Z&
um a aiiM. gestivas, peso do estomago, digestao oiffl.il inape-
paN estornino. teacia, gastralgia dispepsia, meiriie tronica,
Compram-se diarlos velhos proprios para embru- ele.
Iho, na loja do Pav3o roa da Imperatriz n. 00, de Depo-ito oa botica do Pinio, rua larga di Ria-
Gama & Silva. rio o. 10.
1
1
**MBB*BBBa"*Bl


r
Diario de Peraurtae nar.a letra i i U Snhs e I86C.


0 que oecupa hoje mais a attentflo do mundo
econmico? o novo systhema do proprietano do ar-
mazem de molhados
NIO MERCANTIL
W 53 RA DA CADEIA 53 ^
PISS.tXDO O ARCO DJl COWCEICAOt c
Que surge de novo hasteando a baadeira da modicidade de pretfos era loaos os
mus superrores asneros. aa,10a
Que o publico reconheca as vantagens que de tal systhema me resulta, e cuqueo
proprietario do sitado armazem deseja, e a que d6de j o convida : passando tambera a
ootar-lhe os precos de alguns dos gneros do seu explendido sortimento, e para os quaes
pede
*?
ATTEN0O
e mllho braase
Ciorama de mllho brae* amerieaoa.
Esta estlente gomma, mnito se recomcommeoda como o alimento naais
Uncial e saudavel; servindo nao s para papa (no que superior de todas as outras
gammas e farinhas) m tamben della se pode fazer p5o-de-l, cangica, i
francez, podim, etc.: o preco de cadi pacote de urna libra 800 rs.,
t amento.
subs-
itras
bolo
era caixa tem aba-
MANTEIGA INGLEZA de superior qualida-
de a i,18o e 4,loo rs. a libra, em barril
se faz abatimento.
DEM FRANCEZA a mais nova que ha no
mercado a 6io rs. a libra, em barris ou
meios a 600 rs.
CHA HISSON de primeira qualidade a
MOLHO INGLEZ de diversas qnalidte, a
71o rs. o frasco.
MOSTARDA INGLEZA muito nova, a 800,
rs. o frase
DEM FRANCEZA a 64o rs. o frasco.
SALMO E LAGOSTIN chegado ltima-
mente, era latas de 1 libras, a 4,6oo. rs.
Groa de aples preto a 4500,1*600, U, H. 3,5800 e i* o covado.
GorgurSo preto de superior qualidade a 2500, 2800, 3* e 4* o co-
vado.
Superiores moreantiques a 2*500, 2*600, 3*. 3*500,
covado.
Bons cortes de nweantiqne.
dem de gorguro adamascados.
Bons pannos e caseairas.
Sop riores alpacas, priocetas, merinos e bombazinas.
Bons villudos pretos:
Grande variedade de chales "de fil preto e le gupate a 5*, 6*, 8*,
40*, 41*. da 46* 1 101, a de 25* a 80* cada um.
Superior*retondas de fil preto e da guipo?* 89; 40*. 42* e 25*,
e M 909 -Goleadaem:-
Soportares algerienes de fil preto e de guipara 30* a 60* cada urna.
Boos chailes de sed.* preU.
Ditos de Merm-reto bordados e outras mu i tas fazeodas pretas que
seria eifadonhe enumerar, na
F baratissimo!
E' baratisiimo!
E' baratissimo!
Neste imprtante estabeeetaenrtieneontra ores-
peitarol pobMcQ una vaciado soriinento de fazen-
das francezas, ingletas e suissas, e as qoaes se ven-
qero por.pr.eco aomacdo.a saber;
Chales de renda'preta a 5*500.
Vndese um sortimento de chales de renda pro-
la a Sume I*, ditos 4a seda a 12,1, 141 e 16*
islo pa roa da Imperatrii n. 73 de Guiarles & Ir-
pao.
Retorcas pretas a 8*.
Vendo-se retonda* pretas pelo barato preco de
84,8*>00 1*; na rm da IroaeraKii a. 74, loja
ide Guimares & lrmo.
Grande pexineha a 2* o corte.
Veatos eortes 4* easemlra d#bf% 2*000,
24300, 2*800 e 3*. ditas de brim a 1*280,4*400,
W Mll4)lvm/;tarlMaMr-de>tfi9 a 240
Este estabelecimento acaba de receber pe yendo* *m iS!S!u e ttrhiaoa de
lo vapor Extremaudrt, e-de sua proprra en-, ^e moiw proprias pata vestido, fateada mais
commenda, um completo sorimento de ob- moderna que tem viudo so mercado a %tot> ceva-
Loja do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
!
IOJI DAN CWLlJMJtfAS
DE ANTONIO CORRE! 4 DE VASCONCELLOS 4fc C
UTA BO CBH W. f 3
4,800 rs. a libra, almdesta ha muitas ou ARENQUES em latas a 64o rs. cada urna.
SARDINHAS DE NANTES em latas e mwaa
a 600 e 36o reis.
V1NHO DE COLLARES o legitimo vinho
desta localidade, muito superior e sem
confeso alguma, a 800 rs. a garrafa.
IDFM MADW) o veraadeiro do alto Dou-
roem barris de 4o em pipa por35,ooo
cada um. 1
VINHO DO PORTO de diversas quatida
engarrafado, inclusive o maisfino que ha
n'este genero, por 800, 4,000 4,2oo,
4,4ooe4,ooo rs. agarrad.
tras proprias para vender a retalho, que
se veodem de 4,600 a 4,800 rs. a libra.
DEM PRETO o mais especial que tem rin-
do a este mercado a 2,2oo rs a libra.
DEM regular de 4.600 a 4,8oo rs. a libra.
QUE1J0S DO REINO ltimamente chegados
pelo vapor 2,4oo: dito do vapor passado
a 2,000 rs.
LATAS DE CHOURICAS com 6 libras er-
meticameote fechadas, a 4,5oo, de barril
a 64o. a libra.
ESTRELINHA para sopa em caixas sortidas
de 8 libras, por 4,000 rs.
VINHO VERDE do verdadeiro sumo da ova,
e o mais proprip para se beber n'este
imperio, pela sua extraordinaria fresqui-
do e agradavel gosto a 64o rs. a gar-
ufa.
AMEIXAS FRANCEZAS em frascos de 4 e
2 libras, a 2,8oo, e 4,4oo rs. em caxi-
nbas muito enfeitadas com diversas estam
pas a 2,000, l,8oo, 4,5oo e4,3oo, reis.
BISCOITOS INGLEZES em latas contendo
diversas qualidades a l,ooo e 4,2oo rs. a
lata.
PRINCIPE ALBERTObolachinhas as melho-
res presentemente coohecidas a 4,600
rs. a lata.
SALAME HAMBURGUBZ chegados no ulti-
mo navio a 4,600 a libra.
PREZUN TOS verdadeiro de Lamgo, a 64o,
rs. a libra, e 56o inteiro.
TRAQUES n. t. em caixas de 4o cartas, por
8,5oo, e 24o rs. cada urna.
MARMELADA em latas de 4, 4
bras a 600 reis a libra.
JALEA DEMARMELLO em latas, a 800 rs.
FRUCTAS EM CALDA pera, pecego, alper-
ce, rainba Claudia, e ginja a 64o reis
a lata.
PHOSPHATO HE FERRO DE LERAS
I>R. KM SCIE1CIAS
V e 2 li-
t INSPECJOB DA ACADEMIA DE PARS.
No existe medicamento ferruginoso t5o notavel como o phosphato de ferro 86
Leras; assarmmdade medicas do muido inteiro adotaram-no comsoliciorhy sem igual
nos annaes da. scienjir. As cores patudas, dores de estomago, digestes panosas, ane-
mia, convalewencM.difffceis,!i4ad4 criticadas senhoras, irregularidade na menstcuacfr),
pebres do sangae^ .Ijtflaphatiamij.sao curados rpidamente ou modificados por este ex-
celleote composte. o- cansera ior por excelencia dasaude e declarado1 superior nos
hospitaes e pelas acidemias a todos os ferruginosos conhecidos, ao idoreto e ao citrato
.ai. de ferro, porque o nico qrfe convejn aos estmagos delicados, que nao provoca corrs'i-
JO verde a carrapato em latas m ^ ^ ^^ ^ ^h ^^^ ^ ^^ ^ Jim^
Era Paris m ra da Feuillade n. 7.
A venda em casa de Maurer. e A, Caors.
camente fechadas a 600 rs.
CHOCOLATE francez em pacotes de 4 libra
por 5oo reis.
AZEITONAS daschegadas ultmamete ue
Lisboa a 4,2oo rs. a^noara**.^5o> a
guarrafa.
CAF avado a 24o rs. a,llftra, e'7;o.ns
a arroba, e regular a 2o,a Ubra^AtT V*v
a arroba.
VINHO CHERRY do mai*. superior do met-
cado a 4,5oo rs. a garafa, e 45,ooo s.
a duzta.
MUSCATEL o verdadeiro de Setubal, a
4,8oo rs. agarrafa, e2o,ooo a duria.
VINHO BORDEA^JX das mais acreditadas
marcas, S. Emilion. Sant Julien Haut
Brion a "00 e 800 rs. a garrafa, e em
caixa deduz'w, a 7,5oo e 8,000 rs.
VINHO BRANC ) de Lisboa de excelente
qualidade, e proprio para missa, a 800,
rs. a garrafa, ou 8.000 rs. a caixa de duzia.
MADEIRA SECO a 4,2oo a garrafa, e 42;ooo
VINHO DO RHENO superior, a 2.ooo a
garrafa, e 22,ooo rs. a duzia.
VERMOUTH de superior qualidade em cai-
xas de 12 meias garrafas por !2,ooo,e
garrafas por I,2oo rs.
jectos de apnraJo gasto e algons^de eomple
U novidade, como seja:
Riquissimos necessaaios para costuras,
tendu de madrepola, mavfim, christal, e ou-
tras muitas qualidades.
Ricas caixiobas de paadeira maclietadas
i t idas de madrep la, com msica, e o neces-
sario para costura.
Ciiinbas de mnsica, tanto de veio como
de corda.
Riquibsimas malasinhas de madeira, for-
rad as de mfrreqnmi, oiftendo o necessarto
para costura, propria para meninas.
Lindos vasos para pos de arroz.
Lindos livrinhos com capa de tartaruga
para missas.
Riquissimo sortimento de' enfeites para
lenhoras e meninas.
Cintos intekamente novos. |
F vellas, de tartaruga, christal, e metal,
para cptos de senhora.
Leques de sndalo e de madeira.
Riquissimos porta bouquets.
Luvas verdadeiras de Jovin.
. Ditas de seda e de Escocia.
Lindos betoes de christal, tanto para po-
naos, como para cohetes e abertura de ca-'


PECHINCHA SEM IGU4L
Ric^s cortes de.gorgorSn de seda pretos adamascados para veatido cam- 43 metros
ou 18 a 20 covadas cada corte, largara de chita fraoceza, pelo baratissimo prego ffe 5Q
cada corte : na loja das columna da ra do Crespn. 13 cellos & C.

LOJA DO BftliO
DE
AZEVEDO i FLORES
MCA DA CAD19I* DO aECIFB M. 41
Vejam e admirem!!
Chapeos de sol de seda a bal5o que valem 125, o Bino vende
comprar de 6 chapeos para cima tem abatimento de 10 por cento.
Camisas.
de esguio pregas largas a 365 a duzia, a quem
,ento
a 40^, e quem

Superores camisas depeito de esgutao pregas
comorar de urna duzia para cima tem o descont de t O por
v Balde com cauda.
Superiores bales de murselina brancos e com lisias de cor.
Roupa felta
Caigas de lindas e superiores casemiras a 85^00.
dem escuras proprias para o invern a 75800.
dem claras mais inferiores a 55000. .... QKn\(\
Paletos saceos de panno preto fino a 405 e mais inferior a 85000.
Chitas para coberta a 28 rs o covado
Superior chita para coberta, cores que osdonos do BalSo affincam ser s mais
fbas a 980 rs. o covado, quem deixar de comprar chitas que todos vendem a 400 rs. e
28); o BalSo tambem tem para vender um benito sortimento de cbitas claras e escuras
MadapolSo que val 405 a 65500, lindos cortes de cassa de cor a 25800 ; vista
dos toreos cima, dirSo, a fazenda nSo presta.... e nos affiancamos que e ame-
Ihor possivel, e se vendemos por estes diminutos preces para grangear mator numero
Ouem duvidar da veracidade do que fica dito venba ver. J
__________________________________________-

ASsszSism
Tinta Inalteravel
Para escrever
de P. MAURER i C
PERJAMBITO
Esta tinta recommenda-se pela sua com-
posicaS e fltiielez como a melhor e a mais
segura de todas as tintas at hoje condeci-
das. Na ataca atr pennas de ac, d at
tres e*cellentes copias, mesmo mnitos das
depois de escrever, e preferivel a qnal-
quer ontras tintas particularmente para
livros de commeroio, documentos etc de
que se careca longa conservaca.
Vende-se na livraria fraoceza ra do Crespo
e ra Nova n. 48 de
------_--------------------------
.....
no
coa
irr-
v,
Ca&
Vapores.
.-a em casa de Saonders Brothers di C >
roo Santn. II, vapores ptentes
- js perteoces proprios para farer mover
oatro machinas para descaro?ar algodao.
.
Sola de lustre
grande e sem defeito para acabar a 465000
45--ftna Direita-15
M
-rmazem da roa do Imperador n. 3
i^ Pedro II n. i, tem para ,vsnder-se
bor sai existente no mercado.
ou no
o me-
\rasde-se na fnndijo da Aurora, as meiho-
Feitai caixlabas cometa de medir, e
ralvanisado, ado por pregos ra-
efili.
Velas de carnanba.
Na fahrica da roa da Guia n. 3, ha 'constaste-
menl -; rorco d velas de Re 14 por libra.
Selca
Vndese esta faieoda sendo eofe tada, com
malta largura a l a pe^a, com 53 varas bara-
tissimo pela srande largura : ruada rmperaWz
II. 82, armazea dl-|rta_rarjr.______________
~Z .Xa'rna larga do Roano d. 32, vendem-se
don? rotos de fumo por preg) comnwdo.
misas, estes botes tornam-se recommenda-
veis, por ser inteiramente novidades.
Ditos de cornalina, braneos e encarnados,
i para Golletes.
Finas tbesouras para onhas o costura.
Lindos porta jotas.
Kicos port relogios de porcellana.
Modernos peates de tartaruga e a imita-
cSo.
Albuus para retratos.
Agulbas e linhas para crochetes.
Lindos adetecos de christal.
Roseta e alfinetes de dito.
Aderecos completos para luto,
mo brincos e rosetas.
Netas de seda para senhoras.
Ditas para meninas.
Sapatinhos de seda e de mirin, para
ha pt isa dos.
Touquinhas o chaposinhos para dito.
Lias de todas as cores para bordar.
Capellas para noivas.
Gravatas e mantas para hornera.
Alflnetcs para gravatas.
Riquissimos livrinhos para notas, sendo
com capa de madriperula, marfim e cha-
grn.
Penas de ac de todas as qualidades, do
afamado fabricante Perris.
Froeo e-seda froaxa para bordar
do e WO, ditas mais Onas a 300 e 3*0, laastnbas
sceeas mmto modernas a 380 e 480 rs. o cova-
do, dMas omito Onas 400 e 900.
Cobertores de algod3o a 800.
Vende-se cobertores de aiod5o a 800 rs. ditos
memores a 14600 e itOO, eebertai de cbU 2,
#S00-e 3.
Quem duvidar venba ver.
Cambraia de cores a 240 rs. o covaOo dita fina a
280 e 320 ebitas flaas a 280, 300, 320, 360 e 400
rs., ditas percata! a 400 o 500.
Est se acabando chita* a 460 ra. o covado.
Vende-se hitas a 160, 180 e 200 rs. o* covado,
riscadinbos fraoeeies a 240 e 280 rs. o*corad*, roa
da lAperatriz o. 72, de Gaiaarea & irmc
Lencos braceos a 2$ e 24509 a duxia.
Ditos Boos a 3# e 3#600, dHOs de linbo a 5*000,
3*500, 6$ e 7*.
Cambraia branca a 33-
Vende-se uro grande sortimento de cambraia a
3 3*500. 4 4*300 e'S*.
BaI6eSa2^.
Veflde-se1al8es de arcos 2X1*500 e 3*, di-
tos americanos a 3*300 4 e 4*500, ditos de tnor-
cehna a 5*, .*i*5O01 6*, ditos para meninas a 4*
e 4*500; islo na ra da. Imparatriz b. 72, leja de
Gnimaraes $ IfaM.
a 3(JOO0 o corte.
a 3,5000 o corte.
a 3*000 o corte.
Vende-se cortes de lia rom 12 corados a 3*, di-
tos finos a 3*500 e 4*, ditos a Mari* Pia : 7*500
_y 8*500,9* e 12*, gravitas fioas para homem
a 640, 800 e 1*000, mantas muito finas a 4*200 e
19400; islo na ra da Imperatriz n. 72, loja de
Guimaraes ii Irmo.
RIJA DO BRII IV* m
0 proprietario deste estabelecimeoto deseja chamar a attencio dos senhores pro-
prietarios para os acreditados mecbanismos que continua a fotuecor; osqnaes garante
ser como serapre, d raelhor qualidade posswel':
Machiims de vapot
forca de um cavllo pa^a cima. As menores s5o mui proprias para motores de des- j
carofameotos dealgod5o; ellas-viajara armadas e podemtrabahar den ro de 2i horas,,1,'
depois de cheg*rem no logar. Ellas levam tudo quanto preciso para o trabalho, e
diversos sobreceUentes. As malinas maiotes s5o proprias para a moagem de canna, I
e ha deltas que podem junta e separadamente moer canna e descarocar. Ellas podem-
se applicar a qualquer moenda j ex-stentefsem outra radnQa do que a substituido das'
des.
Dedaes de marfim e metal.
Espelhos dourados grandes, o peqoenos
ditos de columna.
Dito especiaos para as senhoras fazerem
os pentiados.
Pulseiras tanto para senhora como para
meninas.
Riquissimas fitas lavradas e lizas.
Diademas do ultimo gosto.
Ligas de seda.
Ditas de seda e de algodao para mangui-
tos de senhora.
Contas e tubos de ac.
Suspensorios de seda e de algodo.
contVar comprndoos aos simples negociantes, os quaes por falta de conhecimento na ma-1 ^* dSfiriMntS afomas"
terianem^ie quer poda* garanti-ios de qn* as machinas que vendem sejam proprias ou .J a ^ ^^^^^
sufficientes pira o trabalbo em que se qoeira emprega-las, e nocaso de desastre ^ffSJ^^g^ bjeC,0S qUG S*
podem prestar-laes soecorroalgam; sendo que anda quando venham s fabricas para r
concertar as machinas alheias, toma-se-ha preciso faze* repentinamente moldes novos, I
etc. para as pecas estragadas. JSr numerosas vezes estes vendedores-tem representado |
seas vapores como sendo ^k forca mui superior sua actual o verdadeira forca; equi-
voco este que nao s engaa aocompEador acerca do trabalho que possa tirar do vapor,
mas tambem da lugar ao pagamento de um preco excossivo, vista da forca real da ma-
china que compram.
Tambem ha sempre prompto Rodas d'.igua de ferro Sarilhos com cruzlas para as
mesmas Moendas de canna de todo o tamanbo, Rodas de espora e angulares, Paroes ou idas meanm a estes collares nos e escazado
coches para receber o caldo, Crivos e portas de fornalha.'Taixas de forro-batido, fundido e fazer qualquer recoramendacSo,
de cobre, Formas de ferro galvanisadas para purgar assucar, Bombas simples e de repu- c
cho. Alambiques de ferro. Eixos e rodas de carro, Arados, grades, enchadas a cavallo
e outros instrumentos de agricultura, Moinhos eforms para fa?er farnha e finalmente
todo o objecto de mechanismo de que se costuma precisar.
Na fabrica se fazem obras novas encommenda e concertos, cap a mator p este-
za e solidez. O grande deposito de pecas e objectos habilitam-na muito para e: m.
rodas da almanjarra, ha tambem com moenda junta. Ellas tem depsitos d'agu* e boei-; Wnf# e chicotes de todas al queda-
ros de ferro, e n5o precisam para seu asseotamento de obra alguma, qar de carapina,
qnr dealvenaria. Otempo para assenta-las na> excefle d doze dias ao mais, eem
casos de mortas de animaes ou arrombamentos de acudes, etc,. garante-se o assentamen-'
to em oito dias. Todos estes vapores s3o simpssimos na construeco, e se regera por
qualquer pessoa intilligente, a facilidade da condcelo sendo especialmente considerada,
tanto que-n3o ha lugar em que nao so possam conduzir, qnr por trra, qur embarcado.
Lembra-se aos senhores deengeabo qwe a venda do? animaes eoservieoda'
gerleoccpada no sea tratamento os h3ode recuperar da maior parte da despeza do
vapor, deixando-lhes a vangem de urna moagem certa e accelerada; e acabando com a
despeza da compra continuada de novos aoimaes, e com os desgostos do trabalho que se
tem com elles.
Ser tatvez desnecessario lembrar aos compradores de vapores a vantagem que
Ihes resulta de comprarem suas machinas garantidas em urna fabrica, tendo artistas com-
petentes para assentar as mesmas o ensinar a maneira de trabalhar com ellas, e j pre-
paradas para arremediir qualquer desarranjo; facilidades estas que jamis podem en-!
S no Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7.
Verdadeiros
Cellares Rover
Electro Magnetice
Ou Collares Anodinos, para facilitar a den-
ticSo das enancas e contra as convulses
No armazem de azendas
baratas e-Santos Coelho
Itnailn qnelmada a. I.
Venif-se o setrninte :
Lencoes de bramante de nm s panno pelo ba-
rato preeo de 3J2O0.
Ditos de pwrmd'dr lint 2*200 e 2*600.
Cobertas de chita da India 12*400 e 4*800.
Lencos de cambraia brancas proprios para algi-
assim CO- beira a 2a000 e 2*200 a daiia.
Ditos de cambraia de linbo Oso a 4*500 e 5* a
duzia.
Aioalhado de algodSo braneo a 2* a vara.
Bramante de linho fino com- ID palmos d larga-
a 2*500 a var.
Panno de Iwbo fino com 9 1|2 palmes da larga
ra pelo barato preco de 2*400 a- vara.
Bramante de linbo fino de urna largara, pelo ba-
ratissimo prego de 800 a var*.
Toalhas de lioho acolcboadas para raaos, a 13*
a duzia.
Ditas felpudas a 13* 18* a djiia.
Guardanapos de lioho a 3*ti00 a dozia.
Flanpla de todas as cores para coelros, i 89) rs.
o covado.
Tarlauoa de cores a 800 rs. a vara.
Baloes de 35 arcos 3*500, de 40 a 4*.
Cambraia de linho fine a 4JJ500, 6*500 e 9J a
vara.
Cambraia para forro de vestido a 2*700 e 3* a
peca.
Pecas de bretanha de rolo com 10 varas, a
3*500.
Pega de madapollo Seo e largo a 7*.
LaziBba lisa de cores a 500 rs o covado.
Pecas de cambraia branca de saipicos com 8 e
meia va jas a 4*500.
Coeiros de casemira bordados pelo baratissimo
pre^o de 9*.
Esteira da India propria para forro de sala da
4,5 e 6 palmos de largara.
Cambraia:- finas de cores miadas a 560 rs. a vara
Neste armazem tambem se encontra um grand
sortimento de ronp? **z 3 uor medida.

O proprietirio ser sempre rauifeliz de poder dar informa cS ou eselareotoettb do Creapo m 7.
grande aoeitacao que tem tido, o que pode-
mos provar assim como, afiancar o effeito
que elles produzem, porque ha muito qcs
os recebemos e continuamos a receber por
todos os paquetes da Europa; e enconta-
r5o sempre- na loja do Mo VigWante, roa
aos senhores que se servirem ie seu presumo
D. W. Bowman engenheiro.
-' .-

RICOS VES\vm BR4I\C0S
A' loja de fazendas de Augusto Porto & C.
os mais bellos e modernos
camas,
rdadas.

11 Ra* do QueimadoIV
A' loja de fazendas de Angnsto Porto & C, chegaram
vestidos brancos e bordados agulha.
Superiores vestidos de blond Cortinados bordados para camas, e jaoellii_d% 12J a 80*.
Colzas de seda e de laa, e seda de core.
Baldes, espartllhos, lavas de pellica., e
Booros, algerponel e chales de rend
Sobriado* e panno de doas vistas e c
Qrsdenapoles de cores e prelo, e aboi
Encbovaes para bapimados com vest
Filos bordados, je saipicos e lisos, ca
Chapeos, bon'ets e gorros de palba d
Chpeos pretos'dir sed a para homens, acaios de sol seda inglezes.
Camisai francezas e inglezas para homjm, rntOinis e senhoras.
Tape4s para sala, plano e cama, e dilwpertor em peca. t i
Alcatifas destas, baraws pois se veod#%480 rs. o covaflo. .
Bre\anba de liuho saperior em pecinbas de 6 jardas eem pecas grandes da JO, ditas
Na roesma casa se vendem sempre as melbbres mais baratas
ir-
borracha.
de di venas qualidades.
dos qae ha de mais gosto neste genero.
Victoria-o transparentes,
para senhoras.
Esteiras da India para foliar salas
H-Spi do att*fttailo-it
A.
,---------
---------
-------"' ;.''
Novo e grande d^osito de superior carv&o de Cardiffna
Baha.
ABtom,o^5omwdosSant'& C, ru* de.Santa Barbara n. 1, esto. habilitados a soppnr de
etrvo em rondiflfles mais favoravels qcw em' oatro qaalqaer deposito, a todos os 1
' TearSEnTle corto. A rtnWtar desta com bimtngos Alves Matheus.,
navios a vapor aue-
Tasao Irmos
Vendem no seo armazem roa dt
Amorim 35,
Licor flno Carasio em botijas e meias botijas.
Licores Anos sortidos emfarrafas coa rolha dt
?idro e em lindos frascos.
VnoosCheres.
Santernes.
Chamberthr.
Hbrjnitage.
Borgonbe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeanx.
L Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol. ^
Joaquim Jos Goofalves Beiirao to* para
vender em seescriptorlo na ra do Vigario n. 17:
Vinho do Porto em barris de 4o e 8o
Dito de dito em caixas de 1 dazia.
Vinho superior da Figoeira. ffc I
Aieite de pene em barris.
Toros de Jacaranda'.
Tabaco americano em latas de 1 libra.
Caixas com pipel pautado. I
Cigarros do Rio de Janeiro.
Machinas para descarocar algodao, del Lerras.
Panno delilirodao da Bahia, preprio para
saceos de assocar e roupa de escravos ; tem para
vendar Antonio Luir, de Olivelra AzevedJ & C, no
seu escrfptorlo ror da Cruz n. 1.
"CH4PE0S DO CHILE
a 1:500 e aOOO r&.
Na praga da Independencia ns. 24, e 26.
PHOSPHATOdzFERRO
[de LEBAS doutor em sgiengiAs. j
INSPECTOR DA ACADEMIA DE PARIZ Et-
N5o existe medicamento ferrueinoso t3o notavel
como o Phosphato de ferro de leras; as summi-
dades medicaes de mondo inteiro adoptaram-no
com sollicitudc sem igual nos annaes da sciencia.
As cores pallidas, dores de estomago, digestes
penosas, anemia, convaUscencias difficeis, Hade
critica nos senhoras, irregularidade no mens-
truMcio, pobresa do sangue, lymphaHsmo, sao
curados rpidamente ou modificados por esse
excellente composto. E' o conservador por excel-
encia da saude, e declarado superior nos hospi-
taes e pelas academias a todos os ferruginosos
conhecidos, a iodoreto e ao curato de ferro,
poroue o nico que convem aos estmagos de-
licados, que nJo provoca constipacto, o nico
tambem que nSo ennegrece a bocea e os dentes-
A venda as pharmacias de P. Maurer &
G. o A. Gaors, em Pernambuco.
Vend-se em casa de M. I. de Uiiveirn
Iho, largo do Corpo Santo n. l :
Vinho verde supenor em barris de 5o
Dito do Porto de 8" e 10
Dito de dito engarrafado.
Dito de Lisboa Palmella tinto.
Farelloidero superior.
&PI-
Francisco Jos Gefmann
;rua nova n. 2i,
acaba de receber om lindo e magnifico aor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Enrepa o ocu-
los de alcance para observacoes epara o
martimos.
X-------------------
Piano
Chapeos do C blll finos a 4,5300,
U, 2*500, 3*, 44 e U-
S ha na loja da praga da Independencia ns. 23
e 23, junto da loja de funileiro, a elles que se es-
r5o acabando.
. Pira Santo Atonlp e S. Jq3o, algoiflares de Ge-
nova de todos os lmannos, milito baratos por ter
grande porao, jaTras finas, erHre-vts e gressas,
Sk tdffos os taannos, assaeriresi para ir i Ibrno,
vasos frapeeae em Verno< d seis, e toa amis
louca d Genota a trra : D roa do Rangol
Damero 4.
Botas russianas
Pettielra e nYelas pertieir't, tndtr W mlhor
qMaapde deseja/. cheaadas pelo lumo tapor
ijtlCT; pa'roa-Nnn n. 7,.l.o}'0 v>Pr._______
Vendem
fumo de Havaaa em '
a 4* cada caixa
1 como
1
i/




^PPQ^i^^Pi
Diarlo e
; ? I




; Sentios 4a Dr. J. C. Ayer, ex-leite
:'''4t Viiflrffstfcdrfle p8*yrtarf, i*s
Estados -Caifas,
Eilraeo composto de salsa par
rha de Ayer.
7m7 a tPeHbral de cereja.
p,nM Wl** Bf;.ltL? Remedie para sezde.
Fara o tratamento e cura rpida e completa das molestias syphiliticas, ensype- piinla* catharttcas
ah:6^3118111?' *ba8' *?*, d^i,idade d0. estomago, iofiammacoes chronicas do flgado o dep; sito ceatral para as provincias:
eMo, dores sciaUcas.cephalalgias.nevralgias, ulceras chronicas, hydropesias, pleori-1 Pernambuco, Alagoasl Parahyba e Rio-
COLLAfiES BQIER
Gil
Anodinos electro-magnticos etnlra as
cawiistt, e para facilitar a denti-
c4a idas. eriancj. k agaia-bianca,
8a roa da Queimado n. 8 recebe-es
per todos os vapores francezes.
Ja esto tao coohecldos, e Unto se ten) epalba-
o> v hraa dessfi prodigiosos coHars Rojer, qtfs
iS^ cbr0QCaS-e A*aI todaVW molwth,s "*" teahVm vistar"a"po- Grande do^o^Ss 7mS o"fa" 53o .T^Va%K e&; S
rmcacao do systema sanguneo. voravelmente conhecidos e acoihfdos em o teinniaabd fe mharesde pessoas, que tem vi*-
Consldera^oes geraes t0as as partes da America do Sul e do i a^ovellado o feu re&uiiado desses iSo atis,.
fermo o ialSi "* ^ Dapredave1' cuja imPortaQCa valor s est reservado ao en- Norte, acLse em casa de Throd Curia ^mm^i^^S^JSlS^^
ciuuu dYdiii-iu. .. .. ', tlawaen, 16 rita do Trapiche em que o numero dos prodigios te eleva com e dos
L ioeonte8tavel que o homem neste mundo e constantemente, e por todos os lados Pernambuco compradores, a aguia-braoca, porm, desejando
atacado por cima infinidade de agentes morbficos que todos tendero, dadas certas e deter- Os precos de
minadas circumstancias, a alterar o regular exercicio das funccSes orgnicas, resultando 33$ por duzia e estract de salsa-parrllba.
desse desequilibrio o que se chama-mofofta. 27A por duzia de peitora, de cere
A molestia nao e mais do que a desvirtuado das forjas vitaes, occasionada, se-' 270 por duzia de-rem dio para sezoea.
gundo as investigac5es e experiencias dos mais abalisado mestres da sciencia, pela depra- 7,3 ^Qt duxia de pjuiaa eatharticas
vaco dos humores geraes, consequencta da aec5o maligna desses mesmos agentes morbi- se entender diuheiro vista ccrn
fieos ntroduzdos no organismo pelo acto da respirarlo, pela via digestiva, pelo contacto 0 descont de.5 por cent em quardidades
inmediato etc. etc. etc. de 6 a 12 doaa, e de 10 por cento em
A syphilrs infelizmente tem sido a partilba da humanidade, e como fra de duvt- rmantidades superiores a 12 duzias
da que esse terrivel Proteo da medicina urna molestia hereditaria, ella tem sido obser-
vada em todas as idades, e debaixo de todas as suas formas tao variadas, enfraquecendo
constiluicoes robustas, produzindo mutilaces, e cortando anda em flor da idade vidas
preciosas.
Eliminar da economa esses principios deleterios. e purificar a massa geral dos
humores tem sido desde tempo immemorial o fim constante da medicina, e os purgati-
vos figuram em primeiro lugar para preencher esse desiteratum ou fim.
O Elixir depurativo do Dr. Sevial parece merecer a prefereneia. sobre todos: os
immensos snecessos obtidos pelo uso deste salutar agenle tatito na AUemauha. como em
Franca e Italia, o tornam c companheiro inseparavel deqoasi todos os doentes.
Sondo as melestias, como cima dissemos, devidas s ateraces dos humores, o
Elixir depurativo do Dr. Sevial poda ser empregado varicosamente na syphilis, erisy-
pelas, rbeumatismos. bebas, gota, debilidade do estomago, iaflammaces chronicas do
figado e bago, dores sciaticas, cepnalalgias, nevralgias, ulceras chronicas, hydropesias.
pleurisias, gonorrheas chronicas etc. e em garal em todas as molestias em que se lenha
em vista a purifica cao do systema sanguneo; pois que urna pratica constante tem feito
ver que elle indispensavel nos casos gravssimos para minorar os soffrimentos, e pre*
parar o doente para medicacoes superiores ; e as menos graves a cura a conse-
queocia do sea uso, convenientemente repetido.
As substancias que entram na composicao do FUxir depurativo do Dr. Sevial
pertencem todas1 exclusivamente ao reino vegetal, e grande cathegoria das substan-
cias depurativas e antisyphiliticas; assim, ao passo que este remedio depura o orga-
nismo, eliminando os principios nocivos saude, pelo mecanismo natural das evacu-
ares alvinas, neutralisa ao mesmo tempo o virus syphlitico quando este virus j
tem feito erupcSo no exterior debaixo de suas multiplicadas formas; e previne tam-
bem es estragos dessa terrivel molestia, quando por ventura se ache ella ainda no
eslavo de encnbaco, isto sem se ter manifestado sob formas exlernas: beneficio
immenso, tanto mais quanto neste estado os individuos igneram completamente se es-
tufo contaminados por este terrivel inimigo.
O sabor agradave d'este Elixir convem a todos os estmagos, a sua aefao so-
bre o tubo intestinal suave e benigna, e de nenhuma forma produz molestias medi-
camentosas, corno acontece ao porgante dito Le Roy, que na sua qualidade de drs-
tico forte irrita* mucosa intestinal, e consecutivamente a seroza, resultando deste es-
tado, moitas vezes, bydrpesia*, que quasi sempre terminam pela morte (.'0 doente.
Assim pois esperamos que o uso deste remedio justifique cabalmente as nos-
sas asseveracSes, porque sendo um medicamento to simples na sua composico, a
pratica tem confirmado sua ulilidade.
1 oleo deposito em Pernambuco
Na botica e drogara
DE
LNJECCAO E CAPSULAS
:VEGET AES A0M4TICOJ
fRIMAULT&CLEPHARM.'r,JTiwSEPABIS
Novo tratamento preparado com as fulhas de-
Matico, more de Por, para a. cura rpida e in-
fallivel da &onorrhea sem reccio algum da con-
traecie do canal ou da inflamma^ao dos intestinos.
O clebre doutor Ricord, de Pars, ter renonciado,
desde sna apparicSo, ao empreo de qualqaer
outro tratamento. Emprega-sc a Injeccao no
comco de fluxo;. as capsulas em todos os casos
chronicos c inveterados, que resistirlo-is prepa-
raedes do copahu. cubeba e as iDjecceescoo baiw
metallica.
A venda as pharmacias de P. Maurer &
C. e A. Caors, em PernambucOk
conaorrer para um flor de tanto aprotertameBto,
tem feito- os necessaxios pedidos, para qoe por to-
dos os vapores franceies Ihe seja remettida ceta
quantidade de ditos collares, para assim tornar-sa
infalUvei o fortimento delles, na loja d'aguia-bian-
ca, ra do Qnerma'do a. 8.
Mereoscopo de magno
Com bonitas vistas.
A aguia-branca receben bonitos stereoscopos de
roogno envernisados e com lindas e agradaveistft-
tas, e qoer vend los twrataMeate, sendo i cani-
nha com 24 vistas escolhidas por IO90OO. Pode
tambero veBder as vistas separadamente a conten
to do rompraoor,qnai8ditl8ipa' roo do Omina-
do d.,8, loja o'aguia-oraoca.
Botinas de merino
com salla, para enancas.
A anula-branca Ba tQa do Queimado d. 8 reca-
ben nm bello sortimento de botinas de merino
c*m soHa pan eriancas, sendo- o sortimento v.--
riado en tamanhos e differeotes cores.
Fitas largas labradas.
Alm do completo so tmenlo de-Otasqae-etas
tantemeote se acba na leja d'agoia-branca, esta re-
ceben novamente no eotroi sorMmenw-de Atas tar-
gas lawadas,cujps lindos e nevos desenbos a par
da superior qualidade as razeos apreciadas. Desse
simples dtier tatter o pretndame n5o faca a jffsta
idea, da apurado goao.de ditas fitas; mas, se so
dirigir, a' ra do Queimado loja d'agaia-branca n.
8, conhecer que nada ta de melhor neste genere.
Latas copos com banha fina.
ACS agriCOitoreS A aguia branca, receben novamente- a superior
Saunders Brotheni C. acabara de receberde banna em latas e copos de-vldro cootampa de
Liverpool vapores de-torca do 3 a 4 caaallos com 5" fomina>a,venat>*)*a 2 e 2*00 : na na
lodos os pertences, e mnl proprios para faser mo- Qoeimado, .loja. d'agma branca n. 8.
ver macbinas de descarocar algodo, podendo cada beques d madreperola, sndalo
vapor irabalhar ate com 140 sorras, tambem ser-1 e ac
vem para enfardar algodo on para ouirp,qualqawj Aapaia'.firaaBa, aa roa do .Queimado n& r*
servicp em que usam trabalhar com animaes. Os cebau.iwva raoessa.de bonitos leqoes deanadre-
* perola, sndalo e osso>, todos da lindos desenbis
se ao largo do Corpo Santo n. i i,
XAHOPE


Bartohomeo 34-RUA 00 ROSARIO LARGA34
_. LABYIMHOS
Cbegaram loja da roa do Crespo n. 7 A os
mais ricos sortimenlos de lencos de labynntbo, as-
sim como toalbas de dKo para baptlsados e para
altar, todo de mnito gosto.
Veade-sa urna pequea taberna com poneos
fundos na freguezia de 5. Jos, moito afreguezada
para a Ierra, e o aluguel mnllo commodo, qoe
ainda qne pooco negocio faca sempre vende de
aluguel para cima ; veode-se meUde a dinheiro o
metade a praso, e ae aiodo o negocio peis nada SS'ffStK a^-.!i.a-.i..[!
deve a' praca : ouem apreteder annuncie
16Ra dus Laranjeims16
Estabeecimento de molhados em
grosso e a retalho.
Manleiga ingiera a l&, 1200 i4280 1* quali-
dade, dita franceza a 640 e 720 rs. a libra, caf
em carogo superior 200. 220 e 240 rs. a libra, cha"
miado a 2J800, dito hy.-on a 25600 libra, bola-
xa de soda e ootras qualioades a 15200 a lata, vt-
nbo do Porto superior a 15 e 15600 a garrafa, di-
to -em barril a 800, dilobranfio a 640, dito de Fi-
gaeira a 500, dito de Lisboa a 500 rs, serveia boa
. conhak em
metas garrafas a 60b rs., -ciampanba a 15500, aiei-
paitoral edakifleaaU
DI
SAINT GEORGES
Prefar*4o por
GRIMALXT e C'*
phiraiacauliix de S. A. L
o prineipe NapeMW
Cura rpida de las
molestias seguemos:
tosse, catarrnos, pleu-
resa, oofiteUtehe, an-
gina, {trie* conspa-
fes, irritafdes dos
bromhos e d# peito,
ronekitcpht-icapttl'
monar, aslma, pneu-
monia,anginas,amyg-
dalites, tosse chronica,
touquido. Os mdicos recommendSo ao mesmo
lempo o oso das exeeltenu nnaman patH
roas oom o sueco d'sJtaco o laureiro-
oarajo, que se prepar* no mesmo eslabelo-
cimento.
A venda
Caors.
mesmos tambem tem a venda machinas
)sen : os preteiieatw. flr^Mr Tara^
Tinturas para faaer os cabellos
pretos.
! A aguia branca, na roa do Queimado n. 9, aca-
ba de receber novo sortimento das apreeiaveis tio-
turas para empretecer os cabellos, sendo caninhas
com tintara de chromaeome, frascos com colorlco-
me para lastrar os cabellos, dnos;.com oofcbromonv
tone para lioipar as unhas, ditos com hydrocalle-
, trichine para lavar os cabellos, sabao branco tam-
bera piralarao os diros carzinbas com tintara da
HoeWe Water, ditas com dita de L. Marques.
Boneeas que andarm.
A aguia branca, na roa do Queimado. n. 8, re-
cebeu novase bonitas boneeas, que movidas por
um macbjnismo, aodam perfeltamente, e pela per-
feicio e avidadedas- ditas se tornam exceilenles
para presentas : os. prelendentes as acharo na
loja d'aguia branca, roa do Queimado n. 8.
as pharma:ias de Maurer e A."
Vende-se urna mobilia nova de amarello, di-
versos toveis de coziaha : a tratar na travessa
do Poclirbe o. 37, casas de Barthotomen, ao p da
taberna.
ares
. I te doce a 640, dito de carrapato a S6 rs., gax H-
- Vende-so o diccionario homeopathicodo Dr q0Mo a 440 rs. a garrafa, cba' preto a 25200 a li-
Jabr : na roa da <,aden do Recife n. 15,a>ja. bra, papel almago e de peso, charutos e ootros
Panno de algodo da Babia, proprlo para sac-1 raolws objeotos qoe se tornam enfadonbo menclo-
cos de assncar e roupa -de escravos, do raemor qne : nar: garante-se bom peso e servir bem. O verdadeire vinho -desta localtdade, preferive-
vem ao mercado, e fio de algodo da fabrica Todos! Vende-se orna preta crloala de 30 a 35 an- oes,e paiz pela 8ua fresio'dao e agradave paladar,
os Santos, do Sr. commeodador Pedroso, tem para nos, ozinia e faz o mais -sorvieo de casa e mu-' vende se a ^W rs- garrafa, e em barrls de oital
-vender Joanirn Jos Goocalves Beltrao, na ra do \ t boa lavadeira, tanto de sabo como de'varella, e ivo : Da Li**> raa *'" *
Vigarlon. 17, escrlptono. vende-se tmbem aJguns trastes do uso de casa :' -------------------------------------------------__L^-
rua da Gonceicao n. 22.
IM4TTE EM P

Breu em barricas pequeas.
Cera en velas do todos os tamanhos.
Este excedente cha' tio usado boje no sul o Bcfias.
imperio, veude-se a 500 rs. a libra : na Liga, ra Mercurio.
Nota o. 90. Na raa do ario n. 19, primeiro andar.
Baldes
(ira de sor! i meato.
Cbegon a roa da Ioiperatriz n. 5% junio a
daria franceza, um grande sortimento;que
i de a 25500 re. paraacaabar.
pa-
6e ven-
XAROPE
D'HYPQPHOSPHITO DI CAL
de GRIMADLT e C*
Pharmactuticot ieS. A. I. o Prinpi NttpoleSo
Desde maitos secles os mdicos t os chimicos
linlio procurado um medicamento que podesse
curar as molestias de peito; todas as pequizas
feitas ath boje nSo tihao tido nenhum resultado.
Prem os trabalhos que forSo communicados
ltimamente Academia de 'Mediara de Pars,
as mais serias experiencias feitas no hospital
Bromp'/m de Londres, qn especiatmenle reser-
vado para o tratamento da tsica, provarao'que'
eesa terrivel molestia, quando ella1 nao estiva
inda no-sea ultimo grao, tinha no Xarope ifly-
pophosphito de Cal, um especifico poderoso. Ao
tosses, defluxos, catarrhos, broflchitis, grippa e
coqueluche, cedem tambem rpidamente ae uso
Teste Xarope, e es asthmateos achao n'elle um
elemento certo para eurarem-ee,
Reeommenda-seaos doentes de fazerem uso ao
mesmo tempo das deliciosas pastilhas peitoraes
ao snceo de al face e de louro cereja, dos S'** Gri-
uault e C". Esta excellente preparacSo se compoe
de duas substancia* aa man calmantes as
mesmo tempo as mais inoffessivas da materia
medica, e nao -contem opia.
Deposito as phaTmacias de P. Maurer
C. e A. Caors, em Pernambuco.
Kava sorliment de perfumara
usas.
Chegou para a antiga loja de mindezas a ra do
Queimado n. 16.
Bonitos vasos de porcelana dourada cera banna
muito fina.
Ootros ditos de p de pedra com dita.
Garrafas con) superior agua da Colonia.
Frascos coa agua balsmica para denles.
Dito de dita dentifrkse.
Dito de extracto de quinquina tambem para den-
tes.
Dito com superior agua flor de laranja.
Dito de dita flor de rosa.
Dito de dito vinagre de Venus para refrescar a
pe le.
Dito de dito agua ambriava para banbos do ros-;
to, corpo etc.
Dito de superior agua de Colonia ingleza, de Pi-
ver e Lubin.
Dtto de excellenle banba de Lnbin.
Sabonetes de Lubin,e outros de amendoa, irans-
prente, etc.
Co^melique (ou pomada) de superior qualidade.
Fiaos extractos, frarigipane, sndalo e outros
tambem de fios e agradaveis cueiros-
Opiata ingleza e franceza para denles.
Benitos vasos com p de arroa o pincel.
Caixinbas com aromtico p de arroz.
Oleo inglez. dito philocorae, babosa e ootras qua-
idades para cabello.
Chromaeome para Ungir cabellos.
Essa apreciavel tiotnra ebegou para a loja de
miodezas a ra do Queimado n. 16, assim como o
sbemele branco, para se lavar os cabellos antes de
se nsar da prepararlo.
Cabazes de vidro com perfumaras.
Vende se esses bonitos cabazes de vidro com per-
fumaras, proprios para presentes, etc.; na ra do
Qaetmedo loja de mmdetas n. 16.
Latasecopos c A bem conbecida loja de miudezas a roa do
Queimado a. 16, acaba de receber as estimadas-la-
tas com banba fina, assim como copos de vidro de
novo e bonito molde, com' lampo de vidro e ebeiros
de excellenle banba. Recebeu igualmente a pro-
veilose banba transparente que muito serve para
acabar as caspas, e a aromtica e agradave Lacha
japooeza e outras. Os pretindentes dirijan) se a
dita loja de miudezas a ra do Queimado n. 16,
qne serlo servido a contento.
Bouquct dos alpes,
Esse fino e agradave extracto, vem em um bo-
nito vaso de p de pedra e este dentro de urna ele-
gante caixiuba de papelo, de forma que a perfei-
co de urna cousa corresponde a superioridade de
oolra. Esse apreciavel extracto acba-se a venda
na ra do Queimado loja de miodezas n. 16.
Agua florida e tnica,
Vendem-se na loja do miudezas n. 16, ra do
Queimado.
Frascos cotngOmma arbica dissolvida
e pincel:
Vendua-sa aa ra. de Queimado loja de miude-
zas n. 16.
Tinta indelevel para marcar roupa.
Vende-se na roa do Queimado loja de miudezas
n. 16.
Fita elstica para eos de bal5o, e aspas de
ar;o para os ditos,
Vendem-se na ra do Queimado loja de miude-
zas n. 16.
Bonitos ntremelos e babadinhos bor-
dados.
Vendem-se por barato preco na loja de minde-
zas d. 16 na roa do Queimado.
Tinta rixa e azul que fleam pretas.
Na 1oja de miudezas n. 16 a roa doQueimado,
vendem-se frascos grandes e menores com essas
excellenle? tinlas, rxa e azul para ficar preta; o j
preco dos frascos 15000 e 500
Graxa econmica em latas e barrilsinhos. I
Vendem-se na loja de miudezas n. 16 a roa do
Queimado______________________________________
BOM E BARATO.
, Para liqnidaco se vendem exceilenles presuntos
de Melgaco, chgados recntenteme, os quaes se
vendem pelo barato preco de 320 rs. a libra, no
arm^zem da roa da Cruz n. 36, em frente ao nec-
eo da Lingoeta. Quem nao qoerer fazer um bom
tempero de panel la cora oxee lente presunt?, por
menos preco qne o toucinho 1 e por isso c apro-
veitar em quanto nao se acabam.
vela* de carnauba a Hft a
arroba.
Vendem-se caixas com velas pelo barato pre-
co cima ; na ra da Madre de Deo? os. 5 e 9.
fabrica vapor
DE
PAO E BOLACHA
i\s. 6 e 8
Praca da Santa Cruz.
Jlo Luis & Narciso, acabam de montar o seu
muito acreditado estabeecimento de padaria sito
na praca da Santa Cruz ns. 6 e 8, com maquinas
movidas a vapor, sendo esta a segunda nesta clda-
de, a mais aperfeicoada no irabalho desta ordem
at o presente; os donos deste eslabelecimente
participara aos seus numerosos fregOezes, que
se at boje os tem servido bem, de hoje em dianie
se lornaro mais bem servidos, nao s em pao e
.bolacha, como em todas as qualidades de massas
mu, pois os maquinas cooperara mnito para isso,
apresentando todo asseio e limpeza; pois os donos
deste bello estabeecimento procurara o quaolo
convier em soas torcas para sempre melhorar o
systema do seo trabalbo; os mesmos tomara a li-
berdade de convidar o respeitavel publico desta
cidade, como de fra, para no caso de querer
apreciar o trabalho das mesmas maquinas, movi-
das a vapor, todos os das das 6 horas da Mantua,
at as 4 da tarde; e aproveitam esta occasio para
agradecer a todas aquellas pessoas que Ihesfizerem
a dislioeta bonra.
gSma
ltimamente ebegada do Araeaty, a rus doAmorira
o. 40, armazera de Antonio Alfonso Horeira.
Escravos fgidos
.4 Henea*
Fogio do engenbo Jassir, em Serinbaem, no dia
27 de jonho do corrente.anno, o escravo de nom
Pedro, com os siguaes seguidles : estatura baixa
e reforcado do corpo, representa ter 35 a 40 an-
uos de idade, bem barbado, beicos grossos e do-
blados, olbos om tanto papudos, bem fallante, e
crioulo, ha pouco tempo fol preso pesia cidade do
Recife por andar frgido, e eteve rtcolnido a' casa
de detencao; a pessoa que o pegar e entregar ao
Sr. Lemos Jnior nesta cidade, ou delle der noti-
cia exacta, sera' generosamente recompebsado.
Aviso
Fugio sabbado 23 de junbo o escravo Jos, cri-
oulo, cor om pouco fula, idade 30 annos, pouco
mais ou menos, estatura regular, barbado, porm
usa de barba raspada, muito bbdo e multo re-
gri.-ia, levou camisa de riscado, chapeo de palba
de carnauba j vellio, e caiga de aiulo, intuola-se
de forro, temos ps malfeitos, nm mais grosso qoe
outro, os dedos um pouco levantados por causa de
moitos bichos qoe leve ; este escravo pertenceu ao
Sr. Manoei Alves Barbosa, foi vendido para a Co
lola de Pimenteiras, d'onde voltou, e foi vendido
ao Sr. Mendonca, com loja de fazendas na ra do
Queimado ; fugio e foi pegado em Ignarass mti-
tulando-se all como forro, e ltimamente perteo-
cia ao Sr. Manoel Autonio Vieira, com loja de lou-
ra na roa da Cadeia no Recife : quem o pegar le-
ve-o a ra da Concordia n. 8, que ser bem gra-
tificado.
Desappareceu no dia 2 de junbo do crreme an-
uo o escravo Raymundo, pardo, o qnal tem os sig-
naos segointes : estatar regular, bastante corpo-
lento, dentes inteiros, cara redonda, cor de garapa,
tem em om dos bracos tres grandes letras e mais
sigeaes no mesmo braco em qoe tem as letras,
representa ter 25 annos, porm nao tem barba
qoasi nenbnma, tem os ps bastante grossos e foi
do serto. J esta' perra no Recife de 8 para 1C
annos, bastante trabalbador, tanto do servico de
casa como de campe, ocenpava-se nesta praca em
servico de servente de pedreiro e trabalbava cora
o meslre Mangiriclo e tambem carregava agua.
Costomava trajar om paletot de bnm grosso em
forma de camisola ; snppde-se qne lecha ido para
o serio do Ico em algum comboy feito almoereve:
roga-se s pessoas qne o prenderen) queiram lva-
lo a sua senhora D. Marianna Augusta da Rocha
Bastos, na rna da Aurora n. 42, que ah generosa-
mente se recompensara' este trabalbo, ou ao Sr.
commendador Manoel Loiz Viraes.
Ketroz do Porto.
Ne escriptorio de J. A. Moreira Dias, a ra da
Cruz n. 50 primeiro andar, vende se retroz do Por-
(o da bem contienda fabrica de Antonio Jos Peres
da Mita a Alves.______.
Vendem-se dous cavallos de sella, um boi e
urna carroca : na Capunga-nova, casa de dous
portSes e grade do ferro, que fica em frente a ra
da Amizade.
O moleque crioulo de nome Cosme, de idade
de 12 a 13 annos, cor preta, corpo e felces deli-
cadas, fogio no dia 7 do crreme, as 7 oras da
noite, levou calca velba riscada de aznl, camisa
branca de madapolo, jaqueta de alpaca de cor ja
usada, eostnma dizer qne forro, foi encontrado
no da 8 na Estrada Nova : pede-se encarecida-
mente a apprehenso do dito moleque s autori-
dades policiaes, capites de campo e as pessoas
particulares, levando-o a travessa do Carmo n. 1,
ou a Santo Amaro ao Sr. commendador Vlanna,
que muito bem se recompensar.
19

LISTA




7i:


DOS PREMIOS DA ItJ. PARTE DA LOTERA CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 605. A BENEFICIO DAS FAMILIAS DOS VOLUNTARIOS DA PATRIA, EXTRAH1DA EM 10 DE JULHO DE 1866.
NS. P REMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
l 65 189 65 391 65
205 91 97
6 65 92 400
10 204 _ 2
11 14 8
19 16 m 10
20 19 .^ 11
25 1005 23 .^ 15
3* 65 32 _ 24
34 40 HM 32 -A
39 43 _ 41
43 45 _ 42
53 53 _ 61
56 54 8A 63
57 _ 68 ^ 64
58 t* 73 m 66 H
60 - 76 Mi 72 5
61 -<- n aU 81 -^
62 ni n 88
m 'l 86 _ 501 _
84 j 90 __ 8- _f
87 105 91 6 105
94 85 94 8 165
100 5 13 _
1 ^^ 98 SI M
4 .^ 99 28 -*
13 --- 303 M 27 __-
16 6 ^ 30
19 -- 7 n 31
22 8 --- 35 _
13 --- 42 ivi
27 18 --- 1 47 105
32 " S --- 48 5
34 405 23 -- 84
35 65 34 _ 57 wm
38 , 43 8 --
39 44 -- 61 ---
40 . 45 - 62 j
44-. V 47 65
45 __ 48 69
45 . 52 --- 72
48 -r 83 mm 7 t
59 60 79 205
60 3 . ,1 82
n> _ i 83 65
63 _ ' 86 ^_ 9& 40*
66 205 87 _ 91 5
70 5 88 -*-
84' 8r foon 00
86 90 5 2
NS. PREMS. PREM6. NS. NS. PREMS. NS. PREMS.NS. PREMS.INS. PREMS..
1390 65 1608 65
605
16
17
27
32
34
36
40
42
43
45
47
48
9
54
I 55
58
63
67
68
' 70
73
75
76
80
M
92
95
96
99
700
5
10
11
14
15
19
20
26
27
36
39
U
48
3
66
>T%
n
76
79
65
105
65
205
m
787
805
17
24
39
41
42
45
46
52
67
n
78
80
83
84
85
90
105f 90t
65 7
9
10
14
M
n
19
27
30
II 32
33 I
36
ata
42
i aa
88
53

56
tt
68-
72
78
B
89 .-,
W
-M08
M
13
II
26
65
1005
65
1005
05
2065
65
M
1017
33
34
38
40
44
47
51
53
58
61
65
69
70
72
75
77
81
82
63
86
1
93
NM
9
11
12
14
16
19
22
n
35
40
41
4
83
' n
57
6
6f
64
m
78
74
77
79
aa
88-
ys. NS. P
65 1191
92
. 1207
8
10
12
13
27
28
32
205 38
65 40
105 43
65 44
49
51
56
60
Um 61
68
69
*- 71
- ' 7t
_ 74
_ 7
1 u 76
s 92
97
m
ij mi
'lat 8
13
-a 23
24
29
'3fr
205 1 31
65 80
44
*i 48
Ut 31
-ti 5f
58
'68
t 48
w 71
73
tai. 84
m 85
1685 89
105
65
105
65
105
05
.
205
0*1
205
1408
9
16
18
27
29
40
42
43
44
47
48
50
53
' 54
58
66
68
71
73
76
79
82
86
88
90
" w
1800
8
17
23
28
26
37
40
46
80
51
' 6*1
66
\78
80
84
86
| 94
99
105
65
205
65
105
65
105]
65
15
17
20
30
36
41
a
54
57
58
61
66
74
93
97
1713
16
18
24
27
32
34
38
41
49
87
08
71
77
81
82
89
95
1800
3
4
6
-i 14
K
28
31
40
43
53
86
63
69-
72
NS. PREMS.
'3
1876
80
62
86
87.
89
93
98
1906
9
13
20
24
25
28
32
,33
^7
40
4
81
K
86
62
76
84
91
65

205
NS.
2052
, 61
62
64
65
67
71
73
PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. jNS; PREMS NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
405
65
_A 77
79
. 86
105 89
65 90
92
94
-_ 95
-> 2100
6
II
16
23
24
32
33
-i. 35
38
* 40
1 43
105
65
97
85 2008
4
8
1
- 14
M
_
_
10|
05
105
65
-HaT"-
28
a*
33
3*
36
36
41
48
80


M
- 48
- 48
- 52
54
56
61
60
68
74
78
81
S8
87
86
91
94
l
2212

16
21
2224
25
32
33
38
43
44
45
47
61
62
72
74
76
78
79
80
87
89
90
9fl
95
98'
2303
11
.16
22
2
21
28
32
33
35
38
48
46
48
49
80
82'
54
W*T 85
105
65
105
6*
6*
5005
20*
65
105
57
61
64
68
60
,68
70
71
65
105
105
105,
65
2977
79
82
87
88
89
90
.92
94
95
98
3001
4
10
20
22
24
28
*-t 33
38
38
48
50
Si
64
87
81
66
69
VO
71
ai
84
87
91
98
96
87
6104
$
. 19
33
'36
46
43
47
48
80
82
405
651
"3
i
265'
65 3154
67
58
66
72
78
84
88
W00
3
7
21
31
36
39
45
51
58'
59
60
61
76
78
76
81
ifll''
96
97
98
3308
6
%
U
48
21
23
28
27
26
34
36
41
44
48
f 40
88>
64
76
79
80
65
205
65
m
6*
li
65
ti
*j4
405
6
105
65
405
65
405
65
3381
90
95
3400
1
7
11
17
20
26
46
50
56
75
76
80
84
85
86
'84*'
91
H
3562

11
13
!*'
17
27
31
32
3
46
53
58
00
63
64
71
74.
87
91

8608
> 11
15
17
11
13
65
205
65
205
65
65
3627
36
02
60
61
67
72
86
95
3707
15
18
19
11
28
27
31
33
34
40
47
46
52
55
57
8816:0605
60 65
405
65
1
66
68
69
71
m n
78
79
80
81
88
96
99
3801
3835
36
37
43
44
48
81
60
62
63
66
72
73
78
'78
79
82
90
91
91
6*
W5
65
94
97
98
3902
3
8
_ 7
- 14
- 19
30
105
65
.M 5 _
--- 15 .
19
10 10
65 25
2005 30
65 31
33
31
38
39
41
44
4T
46
53
08
89
1
rs
78
79
84
86
92
93
185
6*>
205
65
105
85



s
Diarlo e #MMIkM Uara felra lile #wffto de 1866.

LITTEMTORA.
n'um tribunal terrivel, de que erom os
* os rm senhores absolutos. i
As Biblias falsificadas ,
Si quu autem libros ip'sos integras cum t
mnibus suis partibus, prout in Ecclcsia
Catholka consueverunt, el in veleri Vid- t
t/ata Latina editione kabenttir, pro so- t
cris et canomcis non susceperit, el tra-
ditiotics prce atetas sciens et yrudens *
contempserit, ana'hema stt (Gouc. Tri-
ilent., sesso 4.a)
i
CConUnuac-o.)
XXII
A INQUSIGAO.
X
\lguns historiadores sustentara que S.
Domingos fra o primeiro assoprador das
fogueiras da inquisico, e seu primeiro in-
quisidor geral, nomeaio por Ionocencio III
e por Honorio III, para proceder contra os
albigenses. Sobreest ponto, t3o victorio-
samente contestado, como sobre a origem
e phases diversas da inquisicSo, fale por
njs o anjo da tribuna calbolica, o grave e
eloquentissimo Lacordaire :
Foi a inquisico um tribunal outr'ora
eslabelecidoeapaizesdachrista dade.por
Esta confiss5o nos bastara, porque,em
verdade, o que ha mais decisivo para
quem sabe 1er ? Que importa que a com-
missao colloque S- Domingos entre os i"
primeiros inquisidores, si as armas des- '
tes eram a supplica, a paciencia eains-
trueco ? Que commuoidade pois ha
entre a obra de S. Domingos e a deFe-
ppe II, separados por tres seculos de
f intervallo ; urna religiosa, a outra pojit -
* c i; urna confiada a homens que supplicam
e instruem com paciencia, a outra a reis
que repellem os conselhos e assuspeitas
contra um tribunal de que punham e dis-
t punham como senhores absolutos? En-
tretanlo, em assumpto de tanta gravidade
nao se pode perdoar commissao um
erro, posto que inoffensivo. Si bem que
ella nao attribua a S. Domingos a inven-
cao do tribunal da inqoisicao, e nemo
acense de ter procedido com dureza, col-
loca-o, todava, entre os primeiros inqui-
t sidores, e este fado absolutamente inad-
missivel, como se vai ver.
< Fagamos primeiramente urna justa
idea da raquis cao.
bla a Egreja de Jess Chrislo f Seria
isto sob o patrocinio de ero, de Vespa-
siana, de Dedo, de lodos estes inimigos
cujo implacavel odio concorrett podero-
samente pr u flor escimento da plavra
de Deus ? Aquelles que 'se nutriam com
o seu propri trabalh, e que apezar dos
< senatusconsultos e dos edictos dos prin-
cipes, faziam reunies secretas, percor-
ran as villas, as cidades, as nagOes, as
As torres sombras dos contentos hespanbes e
portugaezee acordavam os chos que iam rebear
pelas muralhas do Kremlin), como aos coriseos
que solcavam os ceas a Italia scintillavaro os I i vi-
dos fulgores qae envolvim aspyramydes, a cojas,
bases repousavam no somno do esqueeimenlo rts-
tos de ioflndas geracoe?.
Os generaes de Napolea tinham dous grandes
sentimentos, qae a ferver-lhe no peito, dirigiam as
laminas dos seas sabres : a gloria pela patria, e a
gloria pelo compaubeiro que pulra por cima de es-
pedacados degros do llirono dos Capetos e ciogir
da idea; da idea qfle nao morra e viviflca-:-e no
crysol do tempo.
O congresso de Francfort o prlaeiro passo pa-
ra este fim. Ao genio do trabalh e o mesmo
tempo do (ator.
A Austria rompen com o passado, tanto qaaoto
lhe permute sua poslcao excepcional; acalenUjn a
idea predilecta da Allemanha intelligente, e o no-
mo de Hapsburgo, aioda ba pouco symbolo de re-
gresso, toroou-se o palinuro no progresso.
trras, o mar, nao tinham acaso as cha-' na bromeada frouie do soldado o diadema de S.
ves do reino dos Cos ? Ea douctrina Lui* e a ">"* iot >sares'
k de Jess Christo nao foi pregada com\ A velhaarmadora de Carlos Magno estremeca
tanto motor persistencia, quanto ^ catacombas de AU-la Chapello wUs as es
, .... qae o estridente grito da agota imperial anouncia-
motor a obstmacao com que se prohibta va raa9 ama corM e |our)> mtt om geinid0 d08
a sua pregacol Entretanto hoje ob- potos.
servo, com profunda magoa, quesuffra-\ Estes eram aiodunaEoropooseteravos dos reis,
t qios terrestre serven de recommenda- e s a Inglaterra sob a forma constitucional respi-
cm f divina, e que Jess Christo rava ,i"e'e eDtnQS'"* Ph,l09<**s e +
das alta noute pelos arredores de loa casa. Eis
aqal o mea sonho. Eis a razao porque sou visto
na toas anuos vagando tojas as noute? com os
olbas pregados em trra.....
Eoto esta a historia pela qual tanto mys-
terio fe?...
Eo qne qaer E'.
Ora nio seja besla. Leve o diabo a toc e
sua historia. O qne- qoit foi faier com qae desse
urna vlagem em tajlde. Nao se onde eton, qae
A" roda do descendente dos Cesares reaniram-se, nlQ ^ fl6 qaalro sopapapos. 0ra esta? I
sadores do crepsculo dtisse seclo em qoe os prln
cipes consumidos pela atropbia desesperada de urna
longacadea de escndalo contemplaran! na m-fheho da cWilisacao, a elandaffe da regenerado
os velhos Germanos chamados de todos os pontos.
uxali qae a idea fructifique.
E ba de fructificar.
Essas festas que presenciamos aqoi sao nma
idea do accordo da opioio, aioda longe.de seo
foco.
A Allemanha tem Tida e forca para ser nm
grande imperio, para accelerar na Europa a mar-
cha da sociedade poltica, aioda tao manietada aos
postes do.passado.
O labor ingrato de hoje apenas urna transiccao
para o fnluro de luz.
Qae ella espadae, pois, a bnmanidade precisa o
acousado de indigencia de poder por
aquelles gue julgam necessario fazer in- ,
rteos em seu favor A Egreia, que fra' res arbolos de.se pasclo, entre, os fachos Pa o complsmeoto da obra comecada aos c
confiada aguarda do exiUo e da priso, \ abraado* do borisoote as palmas tremendas da
est causando terror pelo exilio e pela reen'
priso Ella, que de si mesma sa-
crosanta, e que recebra o baptismo da
A Europa assombrara^e.
O eiurcilo imperial pesava sobre as naciooalida-
concursdas duas auctoridades ecclesias- j A nquisicao n5o consiste no estaheleci.
t tica e civil, com o fim de pesquizar e. ment ou promuigafao de leis penaes
t reprimir actos que tendessem ruina da contra a publica proflssSo da heresia, e
religio.
Accusam a S. Domingos de uaver sido
o inventor desse tribunal: accusam os
dominicanos de terem sido os promoto-
< reseprincipaes instrumentos de taof-r-
f midaval inslitui^o, e, com cspecUlidade,
os responsabiltsam pelos excessos da in-
em geral contra os actos externos subver-
< sivos da religio. Ha mil annos j exis-
tiam dessas leis na sociedade christSa.
t Constantino e seus successores promul-
< garam militas, que se podem ler no codi-
go Theodosiano tendo todas ellas por
fundamento e mxima de que, sendo a
religiSo o bem supremo dos povos, teem
estes 6 direito de a por sob a mesma pro-
tecgo que os bens, a vida e a honra dos
cidadaos. Nao tractamos de averiguara
c exactido desta mxima; limitamo-nos
< apenas a enuncia-la. Em outro tempo
tinham-na por incontestavel; todos os po-
< vos da trra a punham em pratica, e hoje
mesmo a liberdade religiosa existe apenas
< quisicao hespanhola.
Ora, preciso que se siiba que S. Do-
mingos nao foi o inventor da in juisicSo
i nem to pouco pralicou jamis acto al-
f gum de inquisidor ; que, por egual, os
dominicanos nSo proraoveram por qual-
' quer modo, nem foram nunca inslrumen-
tos de semelhante instituico; e que quan-
f toinquisico hespanhola, bem longe de' emfj0s pazes> que s{0 os Estados'-Uoi-
serem elles responsaveis pelos seus ex-1 f dos e a Blgica. Nos mais, sem excep-
tuar a Franca, dado que eofraquecido na
applicaco, a^tua anda o antigo principio.
Acreditava-se entao, como anda hoje se
acredita por quasi todas as partes do
i mundo, que a sociedade civil deve impe-
< dir os actos exteriores que forem contra-
ros religio que se professa, e nao
rasoavel expo-la aos ataques de qunlquer
" individuo que se proponha sustentar ucn
t novo dogma. O tribunal de Cassac3o,
mesmo depois da pevougo de 4830, tero


cessos, pois que nenhuma parte nelles to-
tnaram, foram ao contrario afastados della
pelos reis da Hespanha, desde que estes,
no fim do dcimo quinto e principio do
dcimo sexto seculo, transformaram esse
tribunal em urna instituico nova e de
carcter poltico, que exigia serventuarios
mais dependentes do que os religiosos.
i Estas nossas asserces podem causar
surpreza aquellos que creem na historia
tal como os protestantes e racionalistas a
escreveram; mas nao surprehenderSo de
certo aos que sabem que a historia oestes
ltimos seculos tem sido urna mentira
flagrante e perpetua, que os sabios de
Franca de Allemanha e Inglaterra j
destruiram era parte. Em todo o caso
daremos as nossas provas.
i Em 1812, as cortes hespanholas. reu-
nidas ua ilha de Li5o, nomearam urna
commissao de conslituic5o, a qual fot
encarregada, entre outros trabalhos, de
apresentar um relatorio e um projecto de
lei 4sobre tribunal da inqnisicSo. A
coatjHito fez era seu relatorio, urna ex-
po^fcrpa ongem e desenvolvimento des-
se tribunal, e concluio pedindo a sua abo-
licao em Hespanha. Este trabalh de fon-
i te racionalista, liberal e hespanhola, e que
t por todos os ttulos nao pode ser suspei-
i to r.parcialidade em favor da inquisico,
t ser o nosso primeiro ineio justificativo.
< Outro argumento nao menos precioso
t a Historia da inquisico publicada em
Amsterdam, anuo 1662, por Felippe
t Lymborch, professor d theologia no par-
f .tido calvinista dos Remonlrants. Esta
t historia, que demasiado hostil Egreja
catholica, inquisico e aos dominica ios,
ser o nosso segundo meio ju-tificativo.
t Nao diremos cousa alguma que n3o seja
baseada em um destes dois monumentos
inimig s, e, algomas vezes em ambos
elles. Servir-hos-ho de texto, e o resto
das nossas provas nao ser mais que o
t seu commenlaric.
preferido julgamentos neste sentido,* de-
perseguico, faz depender a sua aorte da deg sorpreas, os coracoes dos povos arquejavam,
t vonlade d'aquelles que acceilum sua com-
munho I (4).
Santo Agostinbo, que a principio segua
esta opinio, falava nos mesmos lerreos
dizeodo-lhes: Soffrei com paciencia a
e crueza d'aquelles que nao sabem quanto
t custa descobrir a verdade, e com que dif-
ficuldade o homem foge do catnmho do
erro. Soff-ei com paciencia os rigores
c d'aquelles que nao sabem quanto raro j ^j ensinvam
e dificultoso vencer os phantasmas do pari.
corpo por ineio da serenidade de urna pia
inteligencia. Soffrei com pactenca a
serenidade. d'aquelles que nao sabem
quanto trabalhoso curar a msta inte-
rior do homem, para torna-b tapaz He
ver o seu sol, nao esse sol que adoraisr e
t qae brilhm aos oihos camaes dos homens
e dos brutos, mas sim aquelle a respeilo
do qual disse o Propheta : o sol da jus-
TICA J SE EBGl'EC PAOA MIM ,'O il?t-
gelho : elle a luz que illunima a to-
t DO 0 HOMEt QOE VEM NESTE MUNDO. Sof-
* fre com paciencia aquelles- que nm\
sabem a troco de qmntos suspiros e de
que gemidos se chega a ter urna idea, e
c anda assim incompleta da grandeza de
Deus. Soffrei finalmente com paciencia
aquelles que mvexi alhetos ao.erro que
vos emawt(o)
e as bandeiras de Areola, AawterHu, Wagran eMa-
rengo, lisnadas pelo fumo das bataloas, agiuvam-se
sioistra-i para os povos conquistados.
Ha va no mundo esse momento fatal de orna cri-
se violenta: oo a mor te pea desesporanca, ou a
esperaca pela violencia, j
A nobre Hespairt desembainhara a espada do
Cid ; Portugal avocara os nobres de D. Joo IV ;
a Rassin esmagra sob seas monte de geloy n
amplid) dessas campiMS os velhos soldados de
todas as nacoes, em qaanto os coasacos vindos d*
a seo* cavados o eamiobo de
A AHimadna ahi eslava rostrada taartem aos
pos de Napoleo.
A Prossia sopportava aaeroea a pressao de Na
poleao, a Aostria era a medlaneira offlsiosa qoe
tentava amurcar ao marido *e soa arcn-doquea
as conquista aelladas por m combates.
A optaiio Bto se maoifestav poderosa.
As sociedades secretas trabaAbavam e miBuvam
o terre da vellia Germania ; orna moeldado r-
deme ja etrcada nos principios sociaes qoe entra-
vum de par a par as conquistas, inflama to-
dos os coraces patriotas.
As nveos agglomeravanwe, a atmoaphera
chombava-se.-o trovSo roncata- srdo nos bof iso-
tes do mondo, e a Inglaterra ioalitava o cosAaeter
para o peito-da Napoleo.
A campanha de alm do Ilberje loi a occasio.
As armas victoriosas anda a* decadencia d sen
astro empalledecldo dos gelos d Sarmacia, alada
ahi onqalstavam os looros de Lotsen, Batieo,
Wrtschen, mas as colioas de Leipzig parodiavam
* Para comecarmos, vejamos como se
exprime a commisso das cortes acerca
de S. Domingos : Os primeiros inqui-
sidores, e com especialidade S. Domingos
nao opposeram nunca oulras armas a he-
rsia que as da supplica, da paciencia e
da instrueco, como asseguram os Bol-
landtstqs e os Padres Eckhard e Toaron
(1) E mais abaixo continua: Felippe II
o mais absurdo dos principes, ro o ver-
DADEIRO FUNDADOR DA INQUISICO / SUU
ardua poltica foi que a elevou altura
t a que attingiu. Os-reis repelliram cons-
c tantemente os conselhos e as apprehen-
t sdes contra esse tribunal ; porque em
c suas mos tiveram sempre o poder de
< admittir os inquisidores, e porque nao
tinham alm disso, nada a temer da in-
quisicao, que s era formiaavel para seus
t subdito (2).
t Como se v, a commiss2o das cortea
distingue na inquisico dois termos extre-
mos : S. Domingos e Felippe II.O pri-
meiro, que nao tioha outras armas que
i as da supplica, da paciencia e da irntruc-
cao; o segundo, que fra overdaieiro
fundador da inquisico, converteu-a
(1) Uelatorio sobre o tribunal da inqui-
>icicLm o projecto de lei concernente
aos trirjunaes proctores da religiio, apre-
sentado s cortes geraes e extraordinarias
pela commissao do conatituicSo. Cdiz
1812.
(2) Relatorio, etc. pag. 89.
<- cid indo que a Carta Constitucional nao
da va direito a qualquer pessoa de abrir
um templo e crear urna tribuui religiosa,
t O antigo principio subsiste, pois na juris-
c prudencia, que interprete das nossas
leis; a magistratura julga anda hoje,
c como julga va a magistratura do Baixo Ira-
perio da edade media, como julgam os
mandarins da China, que ordenam estran-
guiar nossos missionarios; e pouco im
* porta que as penas sejam hoje menos gra-
a ves, pois que isto acontece a respeilo de
< todos os mais crimes. Abrandar urna
* pena n5o declarar innocente o acto a
a que se ella applica, nao declara lo livre.
c A Franca portento, solidaria, ainda
agora, com o principio d'onde nasceu a
inquisico.
At o fim do dcimo segundo seculo, os
attentad/Scontra a religio eram proces-
< sados e julgados pelas justicas ordinarias.
< Si a Egreja lancava anathema sobre urna
douctrina, aquelles que a pregavam com
i afiinco as assemblas publicas ou secre-
tes, por meio de predicas ou de escriptos,
< eram perseguidos e condemnados pelos
t tribuoaes de direito commum. A aucto
c ridade ecclesiastica intervinha algumas
i vezes no processo, como simples quei-
( xosa.
a Mas a par desse (acto social da repres
t sao dos hereges, ^e desenvolva ouiro
* elemento de origem puramente christa,
c o elemento da brandura para com os cri-
minosos, e particularmente para com os
criminosos de ideas. Todos os christos
estavam convencidos de que a f um
acto livre, cuja fonte nica a graca e a
persuaso: todos diziam, com Sancto
Alhanasio : O que proprio de urna reli-
0iao de amor, persuadir, e nao cons-
tranger (3). NSo estavam porra de ac-
cordo sobre o grao de liberdade que se
devia conceder ao erro. Esta segunda
questo lhes pareca muito differehte da
primeira; urna coisa nao violentar as
consciencias e ootra coisa abandona-las
i aeco de urna forca arbitraria intellectual
m. Os que desejavam urna liberdade
absoluta falavm assim pela bocea de Sanc-
t to Hilario, bispo de Poiliers: Deplora-
t mos a miseria do nosso tempo, e as es-
tullas opinidts de quem pretende que
t Deut seja protegido pelo homem, e a
r. Egreja de Christo pelo poder do seculo :
Dizei-me v, bispo que assim pensae,
que apoio tiveram os Apastlos para
pretor o Evangelho ? Que armas cha-
* maram em seu auxilio para pregar a
t Jess Christol Como conotrteram a
t nacSes do culto dos dolos para o do ver-
dadeiro Deus? Elles, .que esttoavam
t cnticos a Deus depois de manietados e
IH POUCO DE Tl'DO.
Sancto'AjgOstnliOpassou dpors" para a esSa torneas* epopa sangniDoteou do Wtetoo.
escola opposta por causa do furores dos
t donatists d frica contra a Egreja ca-
c tholica. Convenceu-se de que devia e>
c periancia de duas verdades, que a me-
< dttacito do Evaugelho nao lhe tinha feito
conhacer : urna que- o erro essen-
* cimlmente perstgutdor e nao conceda-
t verdade seno a menor somma possivel
* de liberdndi ; a otitra que as inieli-
c gencias fracas soffrem opnresso das
a indiligencias fortes, do mesmo modo que
e os corpos debis soffrem oppresso dos
corpos robustos. D'aqui, concuna ellt,
a represso do erro urna legitima de-
feza contra duas turamos, a tyrania da
perseguico e a Hyrania da seduego.
(fiontimar-se-ha,)
ERR *TA
No artigo Biblias falsificadas hontem
publicado deram-se as soguintes faltes:
Na primeira columna linnas 37 onde
diz pejes membros que la-se pelo*
membros da communbSo que, etc.
Na segunda columna; nhas 73 bode-"
l^se-o temor do c*sto temporal" diga-se
o temor do castigo corporal.
dem idem a linhas 74onde l-secom-
pelan os hereges a recorfer remedio espi-
ritual entenda-se compeirm os hereges
a recorrer ao remedio esperilual.
A bata I ha de Leipzig.
Ahi aioda, como mais tarde-a d(eceao, velo, la-
vrar a senteoca do deslino.
De om lado Napoleo e cento e tnnta e sa mil
bomens, de outro Schwaraembefg, dazenlo*e trin-
ta mil horneas.
De om lado a Fraoca, Ital e Polooia e-algons
outros alldos descorajados. de outro a Aartria, a
Prossia, a Roesia, a Baviera, o Wartemberg e lo-
dos os estados alleaes chimados em nomo da na-
cionalidade.
De om lado rtey, Bertrandj PonUtowiski, de oo-
tro Waehao, Blocber, Merfeld e Beroadotte!
Tres das doroo a batalba.
Priuctpiou a 18 e a noita victoria sorria a Na-
poeo..
Continuou a 17, e aiada as sombras da noite
trooxeaam a davida, ma% eotao comecava a vollar-
se a pagina escora do corso.
Nao existaim mais manieses.
Em quinte dias a artilharia despedir dozentos
e ciaco mil tiros, e a 16. e 17 fixoea noventa e cin-
co mil.
Os Saxnnios decidtram a victoria.
Doze mil bomens e quarenta peQas de artilharia
trovejaram contra seas emaradas de ha pouco..
A estrella de Kapoleao- sentio afogar-se na nu-
vem treda, e o desastre do Probitbeyd eoncloio a
derrota. ^
A praca de Leipzig eslava entregue, mais urde
Dresde e o exercito fraocez cortado pela exploso
de orna ponte.
Foi essa a batalha das afies, como a denomi-
nan) os AI lema es.
A Rossia fra o tneatro aa primeira scena, as
colimas de Leipzig da segonda., a ilha d'Elba ia
encerrar om dos actos grandiosos desse roagesioso
drama.
Mais tarde Waterlo sellava a pagina negra de
ambicioso conquistador, e Santa Heliana o classlQ-
A Allemanha commemora ainda om facto trans-
cendente para a historia de saa regeneracao social c;lT4 mrtyr a g\mi
e para o progresso de soa liberdade poltica. III
|I A Allemanha redime-se aos jorros de siogoe e
Ha emeoenta annos qoe pela toce da Europa, alo-; soiQ
da nao acordada de toda.do estremecimento qae a 1ae
revoloco franceza me cansara, desdobravam-se as] A regeoera?o. social comega aos acholos do pa
azas obumbradoras dessa agoia gigante qoe rasgn
o espago com seo vo e evacuou dos lymbos do
triotismo e da nacloaalidade.
A geracao qae saccede aos cavalleiros do feoda
acoitado, tiveram aceto alguma investi-
dura judtciaria 1 Foi por ventura com
edicto regio que Paulo, exposto ao publi-
t co como um celerado, reuna em assem-
(3) Carta ios Solitarios.
passado as sombras de Cesar e Alezaudre. ,
Napoleao, este nonte qoe se tornou para a gera-
cao actual om nome legendario, que eocadeou os
vos da fortuna aos ps da suas vtAimas, que ro-
cou pelos velhos pergaminhos da iddade media, sa-
codiodo o p de todas as glorias para rev-las em
si, assorabrava aioda a bomaoidade com seo nome
e enchia o mundo, maniatado ao carro de seos
trioophos, com os esplendores faustosos de seo
genio.
O bomem, em quem a historia encara daas faces,
o eppressor da Franca, escrava formosa e tolla de
seos caprichos, envolvida no famo de saas viete-
rias trajaodo as galas pomposas de tantas glorias
cooqaisladas pela bravura do soldado ao aceno de
genio das batalhas, era o oppressor dos povos pelos
quaes patsava como faraco; mas era tambo m o
parte da revoloco fraoceza, o fllho ds eirenms-
tandas qoe rodeiavara a Idea de qoe Mirabeau f-
ra o tribaoo, qaaodo as ameacas da forca despe-
da os ralos da eloqaencia patritica.
Napoleao era o orgulho, era a oppresso, era a
guerra, era a forca material avassalaodo as nacio-
nalidades no abaixamento dos principes ; mas tam-
bera era a espada qoe motilava e rasgava os lti-
mos restos do feudalismo.
Ao santo Imperio suLstitoia a confederacao do
Rheoo, s praticas absordas da corte da Roma da-
va aa llberdades moniclpaes, ao servilismo pelo di-
reito das tradieSes aotocraticas, sobstiloia a f na
forca de soa espida, qoe era de om homem, e co-
mo tal vsriavel.
O mando pareca pouco para as agolas victorio-
sas da vaina goarda. ___________________
"(4) Contra Auxencio.
(5) Contra a Epstola do Fundamento.
lisrao abre as aspirarles a' liberdade da patria;
a's reformas liberaes, aos progressos sociaes do
paie.
Da lodos estes actos, qae o herosmo provoca-
orna popularlo inteira qae se levanta contra o do-
minio eslrangeiro, brota a idea da regeneracao na
mente popular, e om tratado qoe zomba das llber-
dades publicas oa mete dos reis.
A Sania Atlianga o resultado funesto para o
progresso das sociedades.
E' aioda mais do qae isso : omeaca qoe tem
duas faces: orna a' sombra gigantesca de Napo-
leao que escota as vagas do ocano; ootra a's ten-
tativas dos povos qoe com os principios procla-
mados pela revoloco fraoceza exigem dos reis
as garantios qoe o passado ana- chronleo lhe ne-
gara.
Foi funesto para aquella actaalidade o trabalh
das chancellarlas europeas; proficuos para esta
poca os gerraens qae o saogoe derramado em Le
zjg produzk).
O acordar dessa Immeosa popolagao coucentroo-
se pouco a pouco na obra de soa redempeo, e na
ooiflcaco da Allemanha.
E por Isas qoe a batalha de Leipzig symbolisa
orna grande victoria moral para os Allemes.
O regimeq da idea e da opinio este qoe atra-
vessamos.
Ella trabalba em affastar as cansas qoe a enfai-
xam.
De 181 datoo para a Allemanha a reeonstroc-
olo social.
De 1863, cincoenta annos depois qoe n'am esfor.
co exlremo as nacSes domaram a fortaoa de Bo-
naparte, datar'a racoostraccio poltica da grande
familia allema.
Nlo pois, o trlompho da (orea, o triumpbo
E' do Sr. T. Fraoklio:
LM VIN7EM A' GYB0.
Joao Poleberio o nome do persooagem que
boje varees apresentar aos leitores.
Homem de um carcter esqaisito e excepcional,
lie dava-se a orna vida misteriosa.
Era alto-, magro, corcovado-, tlnba as faces en-
covadas e os oihos circulados de om aooel' azula-
do indicio das grandes vigilia*- i. que se entrega-
va dorante as- nootes.
Os seos visinhos frequenlenuBte o enconiravam
alta noote passear por lugares solitarioscabisbaixo
e sempre com es- oihos pregados no chao como
qoem andava a> procurar algum obieeto de vator
perdido.
Nenham desles-sabia dar a raeo porque erre
assm procedia, eesplicar o modo de vida d'aqoefle
ente mysierioso.
JOao Pulcberio nao se entregava a trabalh de
qoatidade algama.
Durante o dia permaneca em casa, e a noute
entao sahia como jdissemos, s suas excnrQdes.
Era o ente mais rmpresslonavel do mondo.
Acredita va em bro*arias, agoaros oatras san-
diees-semelhantes.
O vj de ama aveagooreira era para elle slg-
nal de nma grande- desgrana ; a queda de om
froetoem sexta-feira era aviso da norte de al-
gom prente ausente.
Ja veem portanto os leitores que o bera de
qoe nos occapamos, nao passava de om graodis-
sime- btstatho.
Pertencia a classe mais vulgar da sociedade,
a doeeredalos e tolos, que fazem d'ura argueiro
um eavalleiro.
Fazeudo especie (como vulgarmente se diz) um
da ceno individuo a exceotricidade do nosso
maniaco, pergooton-lhe o que significavam aquel-
les passeos nocamos.
Mea amigo, raspoodeo Polcherto, om se-
gredof Este segredo ea nao revelarei a nin-
goen f
Ora por quera senbor Polcberio me diga.
Qual I nem a ccete lhe comunicare! tal.
Eolio mysterio 1
Se I E' e- torna a s-lo.
Me cont, meu amigulnho. Eo promeuo-
Ihe, juro-lhe nopassar a ningoem.
Nao I meo. charo. Pode vir a acontecer-me
algama desgraca e depois do asno morto, entao
direi:. se en. soubesse I NSo senhor pode
mnito bem acontecer...
Eston certo qoe nao lbe acontece nada. Ve-
nba c. Eu lenho aqoi oos tabritos para lae dar.
Mm d'isso eo sonhei-----
O senhor sonboo ? I Oque?....
Soobei> cora o senhor esta ooute. Me appa-
recia em soohos om sojeito vestido de preto di-
zendo-me:-Val ter com o Sr. Pulcherto, indaga
da sua vida, e da-lhe os remedios para curar os
seas matos, porque elle- soffre multo. Ja' v
que....
m verdade o qae esta' duende ?
Noa e croa.
Eoto, sonhoo, com om homem de preto ?
Isto mesmo.
Ahi ba cousa, meu amigo ( Nao em vo
qae se sonra.
La, isto verdade.
Pois bem, venha at minha casae la* conlar-
Ibe-hei om sonho qae tambem.e que a razio por-
que aodo de eabeca balxa, olhaodo alta noute para
o chao. O senhor dar-me-ha depois o dinheiri-
nbo, nao assim ?
Nao seja esta a davida. Vamos.
E largaram se ambos para o lagarto, qae Pal-
eberio chamava sea.
Chegados qae foram, o maniaco fez entrar o seo
aovo amigo para um qaarto, mais parecido com
om covil de feras do que com um apozento onde
vivesse um ente sociavel.
As paredes eslavam coberlas de objectos, cujo
ozo nao se poderia advinbar qual fosse.
oo tecla peodlam ama iofinldade de teias de
aranh'a qae nreeaehiam o fim de bambioellas, e o
pavimento todo esbaracado fazia vacillar a cada
passo aquelle que all penetrasse atravez de tao
densa escuridao.
O oovo amigo de Pulcherio, apenas entrn
n'aquelle escoadrijo immaodo, nao pode soster
ama eiclamagao e deixar de sentir ama certa re-
pugoaacia acompaabada ao mesmo tempo de te-
mor.
Porm desejava a todo transa indagar da vida
do seo mysterioso compaobeiro, e assim caohe-
cendo que orna das. suas baldas era a dos sentios,
pregou-lne a mentira que vimos, certo de qae lhe
dara immediatamente crdito e lhe contarla o qoe
desejava saber.
E assim foi.
Meo amigo, veoha para aqoi, disse o mania-
co levando-o para nm canio da fnrna Algoem
oos pode onvr e assim....
- Deixe estar, qae ninguem nos escata. O
lagar lo solitario.
Mas qae um mysterio cono este...
Abra-se la', que estou impstenle.
Espere nm pouco.
E foi a porta do sea covil para certificar-se se
nio havia alguem por parto.
Voliandodepois.com urna voz montona e gutural
disse o seguate, tendo o cuidado de collocar a
mao oa bocea para qae as palavras nao se afas-
tassem muito.
Ha dias sonhe.... e era em um sobrado!
Urasabbadoll Ja'ogafehivia cantado tres ve-
zes qaando sonhei ser o homem mais rico do
mando. E qae riqueza era a minha 1\ ... Via
em torno de mim montes de ooro, e ros de pratal
Depois appareceo-me orna vlso dizsndo-me: Ta
has de sor rico, has de possuir todos ates cabe-
daes se encontrares om objecto, qae nio declara-
re! qual soja, e qae deveras procurar todos os
E o meco correado desappsreeeo, delxaodo o
pobre Pulcherio al^smado.
Este fulminado oo teve animo de embargar a
sua passagem, e ficou no mesmo lugar qaasi
prostrado.
Depois que passoo-lhe o sosto, levantndose
vagarosamente disse corasigo.
Aquillo um aviso de viso que me appareceu
em soohos para, que me precaveoha confra-as c-i
ladas dos inimigos. E' mysterio. E' mysterio ll .'
Assim continuava o nosso Joao Polcberio vl-
ver sempre Imbuido em saas apprebensoes, fazen-
do de todo om mysterio e a proeorar cootinaamen-
te a rlqaeza que lbe tinba sido offereeida em se-
ibos, quando um incidente, veio dar cabo de soa
maola.
Urna noite de luar pahindo elle para comprir a
saa costnmada obrigacSo, leve por aeaso de atra-
vessar um riacho. .
S havia passagem por ama pingela formaaa
de om tronco de arvore qae tinham all deilado, e
por ahi ousoo o nosso homem encamintwr-se. Che-
gando jastmente ao meio deeta tosca peote, seos
oihos depararam com nm objecto qoe caosoo-lne
espanto por acbar-se em om logar to difficil.
Era om vintem.
Dm vintem I elclamoo elle espantado. Como
pode esiar aqu. Isto mysterio. Ora; nao pode
ler cabido-do boleo de um pobre, porque entao-se-
ria impossivel delxar de rolar para dentro d'agoa,
visto como o pao rolic,o; nao foi collocado aqoi
por alguem, porque oo ba qoem seja tolo pata o
fazer; logo aqoi ha dent de coelho. Isto myste-
rio. Veremos. ,
Dizeodo isto escaochoo-se no pa como se losse
n'ura cavallo, e cemecoo a dar iregoas a imagina--
cao. ,
Olhaodo em roda de si vio qae enistiam une pe-
queos monticalos de barro- vermett, e reparan-
do qae em baixo coma o riacho, exclamou.
On 1... acbei emflm o-qoe proeoro ha tanto
Oh este vintem !'..
Sonhei qoe via em roda de mim montes de euro
e um rio de prata.
Temos aqun Aquelles montes de barro verme-
Iho Indicara o ooro, e este no "a praiai Logo este
viniem a mtnha riqneza. DeHe snpglra' toda a
minba fortuna. Eis o enigma decHrade -, esloo ri-
co, riqaissimo. Hei de se? om RotchWd... Que
da e hoje?.. sabbado l oh-!: sabbado-r. O eabbado
o dia dos mysterios.
E agarrn no vintem cora as daas mace.
Agora, disse elle continoando sempre na mes-
ma posico, -necessario r de ioe modo devo
empregar este vintem para vir om dia a sef rico.
Porque nao p8 entender se Isto de oetra manei-
ra; Este vintem-deve prodozirtoda a rsqaenque
vi em sonho?. Ani esu' o myslerie I. -
Depois de permanecer por om qaaruv de hora
n'qaella criiica.situa5o, extasiado pelo sen mag-
nifico achado, ergueu a cabeea e solt' nma gar-
galhada.
Achei I Acbei I J sel eomodeva empregar o
mea vintem para vlr a ser rit>. Comprawiom ovo.
peno a galhoha do vislobo emprestada a*eito-a.
Tirarei nm pintoi Quando este erescer oca-lo-
hei por urna gallinha; esta devtra' engordar bas-
tante, sendo orna boa poideira. Jantofti-os ovos e
logo que chegarem para formar ama boa Biabada,
terei em'pouco tempo gallos e gallinnas-a valer.
Oeste modo venho a ser un> grande talioaaeo. De:
dico-me ao estado desta raca e em Irtve .podere
dar licoes a lodos esereverei twUdos ganhando
com isso algum dinheiro. Ora muito bem.
Como onegocio de gallinhas nio. la dos
mais seguros, veode-las-nei. Neste lempo prova-
velmente hei de ter um puleiro cora quintoaotas ou
seiscentas gallinhas; e quem nao dar' 100#000
por tanta cansa?... Com os 100*000' liquidados
comprare! urna besta prenhe, a qol parir um po-
tro. Ensino o potro at tornar-se oro bom cavallo
de sella e vendo-o por 2005000-, com estes cof>r5
comprarei 10 no vi Ibas e um tooro. estabelecendo-
me com urna fazenda de gado. Sabem lodos que a
raca boviua produz moilo. Em dons oo tres ao-
aos estarei em posse de ornas mil cabecas de ga-
do, e portanio tornado om fazendeiro rico. Por es-
te tempo a besta devera' ja' ter parido oos dous
potros mais, estes sero dous bellos eavallos de sel-
la em que re passear pela povoacao fazendo inve-
ja a todos. Um ricasso deve ter um palacio somp-
tuoso; porm isto no mato oa no sertao ridiculo
Assim melhor qae eo me made para orna cidade
Nada l Nada 1 Vendo todo e liquido pelo menos-
nos vinte contos de cois, compro um rico palacete
na capital da provine, boto a joros o reato do di-
oheiro e entae, meu Palcnerio, poderas passar urna,
vida de Lopes, vivando repolbado lodo o da nes
teas di vaos: assim....
E o Sr. Joo Polcberio esquecendo qae eslava
escaochado na piugueb, e jolgando estar em um
macio dlvao, atirou-se para iraz com toda a torga.
Perdendo o equilibrio o irooco de pao despren-
den urna das ribanceiras, e levou comsigo o nosso
planejader, que quasi morre afogado, perdendo o
o infeliz viniera qae quera botar giro.
Desde esta occasio que o nosso maniaco deixou
de ser visionario e de aspirar grandes cabedaes.
Emeodou-se.
L-se na correspondencia de Vena,. do Diario
Offkiat :
Sahio altimameote dos prelos da livreiro Broc-
kaus, da cidade de Leipzig, o primeiro volme da
ioteressaote obra do Sr. Joo JaKob, de Tscbodi, in-
titulada Viagens pela America do Sol.
Esta obra, como declara o antor no prologo, se-
r composta de qualro volames, os tres primeiros
destioados descripgo dos saas viageos pelas
provlacias do Rio de Janelrq, Minas Geraes e pelas
principaes colonias das provincUs do Espirito San-
to, S. Paolo, Saota Catbarioa, e Rio Grande do Sol>
o quarto volame.loalraele, tratar das sois via-
geos a's repblicas hispano'americanas do Prata e
do Pacifico.
A merecida comderacao de qae goza o nome
Ilustre do autor da obra, o qual oceupoa no Brasil
urna miss j diplomtica importante nos annos de
1860 a 1861, chamara' a attencio dos Brasilelros,
afim de ver o modo porque os horneas distioctos e
iostraidos observam o seo o sea paiz as soas
inslituicoes polticas e econmicas.
Entre os principaes pontos de qae consta o pri-
meiro volme, merece particular attencjft os qoe
tratam dos hospitaes e iostituioSos pas do Rio de
Janeiro, da instrnecao publica,, das as30ciac5es
acientificas, da imprensa, dos diaristas, do estado
das sciencias e da lilteratura. Occopaodo-se desta
ultima, sobre a qual o autor dentara ter feito serios
estados e muito aprecia-la, assim se exprime :
cNeohum ramo de scieocia tem no Brasil um
desenvolvimento particolar, t independente : nao
existe all por ora originalidade scientlfie, mas
sim ama literatura independente e original, qae
tendo comecado ha dous scalos, desenvolveu se
sempre em augmento com molto brlbantlsmo. u
Brasil coala insignes poetas prosadores, bomens
aflamados em todos os paites eft qne se falla e co-
nhece a lingna porlngaeza ;...... conclue acoo-
selhaodo, os qae nada saneo do Brasil, qne leiam
a historia da litteratnra braslleira do Dr. Wolf, pa-
ra se convenceren! da verdade, a vista do qoe af-
flrma esse joiz imparcial e perfeito conhecedor das
linguas dos povos de origem latina; qne durante
a saa longa e noorada vida,- nSo sonwueo o sea
aparado juizo a nenbnm ioteresse porticular. >
O floado escripior ioglez Dooglas Jerrold tinha
fraude anHpathia u om sen visinho.
Um dia um ami|;o, qoe lhe (allou a respeito des-
se individuo, disse qae era nm homem qae tinha
escriptaT no rosto .is palavrasbom bomem.
Tera' respondeu Jerrold, mas eolio a penna
com qae foram esnriotas eslava mni mal aparada.
PERN^TYP. mu.\?. DE F. & FILHO.-1866



4
a
r
1
___
1


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ERI6U4NII_ZJY5HU INGEST_TIME 2013-09-05T03:11:37Z PACKAGE AA00011611_11014
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES