Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11012


This item is only available as the following downloads:


Full Text
i' ?
m*

\
n

r
i .

\
AMO XLII. ROMERO 156

Per qHartel pag deitrt des 10 dias do 1. mez
Idea deitis ts i." U iag do ctmeco e deutrt do qaartel
Porte a correio por tres mezes.....
% % % y

6*oe
75o
-- I US >->

SEGHDA FEIRA 9 DE JLHO DE 1866
.y
Por asno tago eitro de lodiasdoi.mez. ....... 19eee
Porte ao comi por im ano.......... Slooo
DE PERNAMBUCO.
NCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexjndrno de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lomos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhio, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filnos ; Amazonas, o Sr- Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPgAO DO SL.
Aiagoas, o Sr.Franeisoo Tavares da Costa; Bahia,o
flr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparinbo.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
OHnda, Cabo, Escada e estagoes da via frrea at
Agoa Preta, todos es das.
Ignarass e Goyanna as segnndas e sextas feiras.
Santo Antio, Gravat, Bezerros, Bonito, Carnar,
Altinho, Garanhans, Balase, S. Bento, Bom
Consi'Iho- Aguas Bellas e Taearat, as torgas
feiras.
Pi d'Alho, Naxaretb, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro e Ei, as qnarlas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
raros, Agua Preta Plmenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL,
Tribnnal do commercio: segnndas e quintas.
Relacao: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas as 10 horas.
Jnlzo do commercio: segundas as 11 boras.
Dito de orphaos: torgas e sextas s 10 boras.
Prmeira vara do civel: torgas sextas ao meiol
DAS da semana.
a.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades
hora da Urde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JULIIO.
5 Quarto ning. as 11 b., 44 m. 22 s. da m
12 Loa nova as 3 h.. 15 m. e 53 s. da m.
19 Quarto cresc. a 1 h., 24 m. e 41 s. da t.
27 La cheia a 1 h., 53 m. e 41 s. da m.
. 9. Segunda. Ss. Cyrillo e Bricio bb.; S. Anatolia
a 1 10. Terca. S. Silvano ro.; S. Blanor b.
l i. Quarta. S. Sabino na. ;.S. Abnndo m.
12. Quinta. S. Joo Gualberto ab; S. JasoD.
18. Sexta. S. Anacleto p.; s. Joel e Esdras prof.
14. Sabbado. Ss. Flora e Jasta raro.
115. Domingo. S. Gamillo de Lelis rondador.
PREAMAR DE HOJE.
IPrimeira as 2 boras e 6 m. da tarde.
iSegonda as 2 boras e 30 minutos da manha.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEROS.
Para o sal at Aiagoas a 14 e 30; para o norte
late a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Pornaa-
jdo nos dias 14 os mezes de Janeiro, marco, nue
julbo, setembro e novembro.
ASS1GNA-SE
no Recife, na livraria da praea da Independencia
Ins. 8, dos proprietarios Manoel Fignefroa de Paria
l& Filho.
parte ornciai
MIAISTERIO DA FAZEXDV
DECRETO N. 1307 BK 22 DK JUNHS DE 1866.
Declara que as Slbas dos ofilciaes do exercito e da
armada, embora casadas antes da morte de seus
pas, tena direito ao meto sold ou monte-pio
deixado por elles, nao existindo Albas solteiras
n viuvas, nem tunos menores de 18 auno<.
Hai por bem sanecionar e mandar que se exe-
cate a resoluco seguinte da assembla geral le-
gislativa:
Arl. 1." As Blbas dos efficiaes do exercito e da
armada lera direito, ua forma da le de 6 de no-
vembro de 97, ao mel sold ou monte-pio dei-
xado por seas pas, embora se teoham casado an-
tes da morie estes, se nao existirera filhas soltei-
ras ou viuvas, nem Qlbos menores de 18 anuos.
Art. 2. Ficam revogidas as disposigdes em con-
trario. ,
Joao da Silva Carrio, do meu conseibo, ministro
p secretario de estado do negocios da fazenda e
< O infmigo conserva-se entrinebeirado em lia-
pa, cora torca superior a 2,000 borneas, como foi
verificado por doos bombeiros, que por ordem do
general consegairam atravessar o rio e penetrar
Dito ao mesmo. Expela V. S. as saas orden?,
para que em vista dos inclusos documentos e nao
havendo inconveniente, seja pago ao sargento Ma-
noel de Gouveia Muoiz Feij, conforme solicilou o
delegado encarregado do expedienta da repartico i naqaell acampamento,
da polica em. offlcio de hontem sob n. 842, a Coostava que ia repetlr-se a espionagem, iodo
quantia de 69*410 despendida desde 16 de jnlbo! agora um offlcial intelligente, que podesse colber
at o ultimo de dezembro do anno prximo passa- loformaces mais detalbadas.
do com o fornecimento de luz e agua para o qaar- j Ja estavam promptas maltas chatas e jangadas
tel do destacamento de guardas nacionaes da ci- Pa a passagem, e trabalbava-se alada na coas-
dade de Goyauoa.Communicou-se ao predilo de-, trocean de oatras. Cada ama chata ou Jangada
legado. i Pode Passar 100 bomens de cada vez.
Dito ao mesmo. Nao bavendo inconveniente, I O exercito esperava ancioso e chelo de ver-
mande V. S. pagar ao negociante Francisco de dadeiro enthosiasrao a vinda das canhoneiras, e
Paula Mindello os vencimentos relativos ao mez de apenas ellas ebegassem em menos de duas boras o
juoho ultimo dos guardas nacionaes destacados no pavllbo braslleiro se ergueria victorioso sobre o
nomeado. para o lugar de ajudante do inspector da
alfandega do Espirito-Santo.
Foi detnit ;ldo:
O baclanil Kelfx da Costo Moraes, do lugar de
thesoureiro da thesonraria de fazenda das Aiagoas,
por assioj o haver pedido.
26
A camera dos depotados occapouse bontem em
primeiro luuar com a discussio do projecto que
coacede a todos os alomaos das faeuldade* de me-
dicina da curte, do 4 anno em diaote inclusive,
que forem para a guerra do Paraguay contratados
pelo governo para se eropregarem nos hospitaes de
saogue, o direito ao acto do anno que estiverem
[requemando, e a' matricula do seguinte se re-
Apipacos, pelo tempo que durar o seu contrato ce-
lebrado com o governo provincial, e no qual foi
estipulada essa isengo.
O art. 2* passa a ser 3.Silveira de Sonta.
Continuoa em ultimo lugar a 2* discasso da
| proposta do goverao para a le do ornamento, na
parte relativa ao ministerio da fazenda. Orou o
Sr. Dantas, fleando a discusso adiada pela bora.
Foram offerecidas as seguintes emendas :
Fica o governo autorizado a despender desde
ja.' a quantia de 663*750 com o pagamento de Cae
terminando que o governo pagara ao banco do
Brasil nao s os onze mil cootos equivalentes ao
resgate das notas do tbesouro, como tambem a
quantia correspondente s letras do thesouro pelo
mesmo banco descontadas; consideraodo que no
mesmo dia foi a proposta remettida s respec-
tivas commlssoes para darem sea parecer; consi-
derando que em lfr de maio foi tambem nomeada
| ama commissao especial para ioterpr o sea pare-
cer sobre a mesma proposta; considerndolas
desde 9 de abril al boje vio 78 dias, e que de 18
municipio de Nazaretb, como se v do pret junto
em duplcala, que me remenea o commandante
superior daqaella comarca com offlcio sob n. 263.
Commuoieou-se ao predilo commandante supe-
rior.
Dito ao director do arsenal de guerra. Autori-
tario de Souza Pereira, Francisco Rodrigues Velloso de maio tambem al-hoje vo 39 dias; coosideran-
e Tbomaz Jos Rodrigues Torres, ou dos procara- do que depois de tanto tempo decorrido, e apezar
dores ou cessionarios d'estes, divida proveniente da importancia da materia, nem todas, nem urna
ae qupie saccas de algodo que lhes foram toma- das commissoes apresentaram o referido parecer;
das pelo 1* lpente Joao Carlos Torres, por occasio; considerando que a* vista deste procedimenle das
douro. fTSr. Aragao e Mello offereceu un reque- da rebelhao de 1839 na provincia do Maranbo. commissoes, sera duvida algoraa de aceorto com
O estado sanitario do exercito era excellente, rmenlo de adiameolo por 48 horas, que foi appro- M. S. Dantas.J. Madnreira. os desejos do governo, nem podemos discutir nem
....... L *,Ao *V5 accrescenie-se : Inclusive o ordenado I decretar as medidas que sao clamorosamente je-
a seguate emenda snbstitutiva, t ao desembargador Severno Amorim do Valle, na clamadas pela sltuago ftnaneeira do paiz, fiue de
eotriacbeirameoto paraguayo.
sendo maito insignificante a morulidade, que mes-
mo assim raras vezes se dava.
O fornecimento estava sendo feito com abun-
dancia e promptido, sendo de boa qaalidade os
sando-me o Exm.Sr. mioistro da guerra, era aviso' gneros que se destrlbuiatn s tropas.
de 14 de junho ultimo, a elevar a 1*200 o jornal de
1*000 que vence nos dias nteis o soldado retar -
presidente do tribunal do tbesouro nacional, assim' mado da companhia de ariiBces, Miguel Lias da Piv
o tenba entendido e faga execntar. | rificacao, que est servlndo na offlcloa de ferrelros
Palacio do Rio de Janeiro, em 22 de junbo de desse arsenal; assim o daelaro a V. S. aflm de
1866, 45.' da independencia e do imperio.Com a qoe ^ abooar o salario desse operario eom o ac-
rubrica de S. M. o Imperador. Joo da Silva Car- crescirno concedido pelo citado aviso.
rao.
MINISTERIO A AGRICCLTC
RA COMMERCIO
E OBRA' PCREICAS.
deubto n. 3675 i-e 27 de inho de 1866.
Aidtta algunas dispostfes ao decreto n. 3443
de 12 de abril de 1865
Hei por bem approvar os arligos additivos ao
decret n. 3,443 de 12 de abril de 1865, que com
baiiam assignados por Antonio Francisco de _G
Dito ao mesmo.Mande V. S. fornecer ao eora-
raaodaote do batalhio n. 3 de infamara da guar-
da nacional deste municipio, como requlsitou o
< SSo estas as noticias que colboos da leitura
de oossas cartas. *
Na capital da provincia tlnbam sido jolgados no
dia 7 pela junta militar de Justica dous processos
remedidos da cldade do Jaguaro.
Foi relator do primeiro o Dr. Dias da Motta. O
reo era Maooel Googatves Pereira Lima, alteres ds
3.* companhia de iofantaria da guarda nacional
em destacamento.
A juoia, por unanmidade de votos, anoullou
respectivo commandante superier em offlcio de 3 todo o processo, porque flra elle Julgado por con
do correnje, os objectos mencionados era a nota in-' se'bo de guerra, quando devora ser pelo de disci-
clusa.Communicouseao commandante saperior.' Puna, em face da lei de 19 de setembro de 1850
Dito ao joiz da direito da comarca de Naxaretb. o. 602, e aviso do ministerio da justlga de 19 de
Remeti inclusa a Vmc, para os devidos effei-! outubro de 1858, que sujeitam os guardas naci-
los, a portara que lhe foi expedida pelo soprem naes s leis militares, quando organisados e desla-
tribuoal da justiga em 10 de juoho prximo fiodo.', cados para axliliarem o exercito, e oao quando es
Dr. Joaqaim Jos de Oliveira Andrade.
mnnico a Vmc, para sea eonheciraento,
gressareAit o flra de maio do auno prximo vin-
IfSi
_to
vado.
Foi offereclda
cuja discasso flcoa igualmente adiada :
A assembla geral resol ve :
< Art. i.* Picara dispensados da frequencia s
dos exames respectivos os estudaotes do 5 e 6*
anno medico qae segairam e seguirem para o
exercilo contra o Paraguay.
Art. 1 Gosario lambem de igual favor os j
estudantes do 4* anoo medico qoe ja' esto all
empreados ; assim como dos aanos qae freqaen-:
lavara os estudantes de outras faculdades e escolas
do Imperio.
Art. 3." Flcaro pertenceodo, se o requere-
rem, ;o corpo de saude do exercito e armada os
estudaotes do 5 e 6 anno medico empregodos ac-
tualmente no servigo do mesmo exercito em cam-
peaba.
< Art. 4. Serao empregados de preferencia!
as provincias oode estao asseoladas as faculda-
conformidade da lei n. 939 de 26 de setembro de | dia em dia peioraf considerando que o governo
Mejl- aDlasJ- Madureira.Aragao e nao J-le assim embaracar os Irabalbos das com-
missSes, nem estas as deliberagdes do corpo legis-
lativo; aulonsado pelo artigo citado do regiment
tairoa hootem do Rio da Prata e porlos do sul, ioteroo, requeiro qae a proposta a qae me tenho
do imperio o vapor Brasil.
De Baeoos-Ayres e Mootevido temos folbas
apenas at 16 e 17, um dia depois alm das que li-
bamos.
Nao contm noticia algama de interesse. As ffl-
uas de Baeoos-Ayres trazem alguns documeotos a'
respeito de disturbios em Calamarca, onde as mon-
toneras ou guerrilhas dominavam em varios depar
tamentos.
referido entre na ordem dos Irabalbos.
i Sala das ses:Des, 26 de junbo de 1866.Fran-
co de Almeida. >
este baiiam assignados pw' Aoionio' "nsclL.u.8,-Commn"nico"a"Vmc,'para"sea eonheciraenio, nciplos em servico ordinario.
Paula Sooza, do mea cooselbo ana tro e, secreta-1 Qcrm .Jg Constoa-me de par. a Relaloa o segaado processo o Dr. Crnx Secco.
maio prximo flodo, houve S. M. o Imperador por a que penencia o alferes
bem nomear a Vmc. para o lugar de jota de direi-
to da comarca de Baoaneiras de 1* entrela na
ci e obras publicas, que assim o tenba enleodido
e faca executor.
Palacio do Rio de Janeiro, em 27 de junho de
1866, quadragesimo quinto da ****" do | provincia da Parabyba. Communlcoa-.
imperio.Com a rnbrica de S. M. o Imperador. ;._...,. -
imperio,
Dr. Antonio Francisco e Paula Souza.
RTICOS ADDITIVOS A QUE SE EBFERE O DEC
n. 3675 oesta data.
Arl i.0 A laxa
art. 11 do regulamet- .
3443 de 12 de abril de 1865 ser de cem res da
raate o exerddo de 1866 a 1867 Vlofw deTh de direito da enaa do Cra-
Art 2" .^?."d.r SZKo?. /ion- E PriV raneu na provincia do Cear.-
processo.
Foram lambem jolgadas por conselho de guerra.
A junta profeno nnanimeote deciso que havia
sourarta de fazenda'. dado D0 primeiro, annullando o processo pelos
Dito ao Dr. Hermogenes Scrates Tavares da mesmos fundamentos.
Vasconcellos.Commnnico a Vmc para sen co- De Pelotas escrevem ao Diario em 8 :
coos- < Tivemos a honra da visito de S. Exc. o Sr.
de general das armas a esta cidade, o qual se hospe-
proximo flodo, nonve sna dou era casa do Exm. Sr. bario de Piratiny ; pou-
raagestade o Imperador por bem nomear a* Vmc. co se demorn entre nos, pois que bontem segnio
mm ""~ vasconcellos.L.omraunico a vmc. para sou
jo/a BB*Vf*cr. fl_.d. Bn I nhecmento que por decreto de 11 seguodo co
' Pa K2^i2^dereon! toa-rae de particpagao da reparl.co dajasliga
Ti !& A6rJ'rHX:; 2i ado do mez emaio proximo'flado, houve i
gy;.g!**>!!Pl*! tSStSfiSCommuoicou-se a thesonraria de fazenda.
vneta postees, pagar laxa d* norte V***W* i Dil0 ,0 julr de p presidente da janta de qaa-
for cobrada nos panes *l*"fjJS5 Hflcago da freguesa do Salguerro.-Constaudo da
pondencia bras.lelra, e ma. urna toxa Mdiclroa ; qualiQcago dessa tre-
guando o transporte lor feito por paquetes brasi- dQ ^^ ^ ^ g ^.^ jmU pr|n,
St k m^m* ,an rtfl rflpinrocidade cjP'aiJo os seas irabalbos no dia 21 de Janeiro
Observar-se-baa mesma rer /~K;! limo, e concluido a 17 de fevereiro, excedendo .
com a correspondencia official dos governos es 8jm g dijs dQ flMdo bq o w % M g Segul? para Jagoiro 0 Sr> ,,},. Mello Reg,
tra^eirwi,e de seos delegados no imperio 387 de 19 de agosto de 1846, qoe expressameute 'que foi transferido do commando da guaraigao desta
ArL S> F.ca estabelecia a classe de cartas re- de,ermina que"ae3 tr,ba,bos,(hs,*eni esur conclu- cidade para o daqaella.
Por decretos de 16 do correte foram exone-
rados :
Os Dr?. Jos Vieira Cont de Magalhes e La-
f ayette Rodrigues Pereira, o 1.* do cargo de presi-
dente da provincia do Para', e o 2* do da provln-
A Tribuna de Montevideo refere sem indicagao' ca do Maranhio.
de data : E por decretos de 22 foram nomeados:
Recebemos em boa foote as noticias seguintes: ; O principe Ismail Pacha', gri-eroz da ordem da
< As partes beligerantes cootlnnam a o;cupar ; Rosa;
des de medicina, se qoizerem obter seos ttulos de' as mesmas posicoes. De vez em quando apenas ba | O visconde de Soveral, enviado extraordinario e
dooloi, para o que serao obrigados a' sustentado ; alguns recontros de avangadas, mas de neahama ministro plenipotenciario de S. M. Fidelissima na
tpjam em destacamento dentro dos respectivos mu- de'lbeses, os estudantes de que ira o arl. 4." i importancia. c:t; de Madrid, gr-cruz honorario da referida
< Art, 8.* O mioistro do imperio pela presente Todos os dias ba trnsfugas paraguayos e Lo- ordem;
lei ncmeara' de preferencia para cathedratico ou pez ja' a tem, de ooite, liaba de avan.adas, por-j O Coode Debban, consol do Brasil em Alexan-
oppositor, as vagas que exlstem e as qae se qae jalgoa qae d'este modo suspenda a grande
Lima, reo no primeiro derem. d'enire os candidatos approvados em con- desercao qae spffria o seu exercito.
I corso os que apreseotarem documentos de servicos t A esquadra brasileira est defronle da batera
na guorra actual, e d'entre estes os qoe offerece- de Curupaiiy, prompla para avangar apenas se mo-
rem docamenlos de mais valiosos servigos de cam- vam asforgas adiadas.
panba. Os paraguayos esto em continuo movimento;
< Art. 6.* Ficara desde ja' suspensos os con-1 de noite fazem exercicio de fogo, e de dia levantara.
corso: as faculdades medicas al qoe se termine: trinebeiras.
a guerra. Por todo o mez de juobo nao haver operagdes,
Art 7. Ficam com direito a' jabllaclo, com! a nao ser qae Lpez torne a avangar.
os seus ordenados e vencimentos, os professores < Os fossos qae o exercito alliado abri oo cir i
calhedrailcos e oppositores das faculdades de me- cuodam toda a liaba. Cavaram-se apenas diaote
dicioa qae se acham no exercito e os qoe segu- de alguos balalhSes de iofantaria e artilbaria, com
rem 30 dias depois da promulgado da presente: o tira uoico de parar algum golpe repentino e es-
| perar qae chegaem as cavalbadas qae sao indis-
Sato das sessSes, 22 de janbo de 1866. 'pensaveis para continuar as operagoes.
Soato, ores, Fooceca Viaooa. O marecbal Lpez, antes de arremessar as
Adopton em seguida a mesma cmara o projecto soas tropas ao combale de 24 de maio, disse-lhes
qae iseoto de direltos de iraportagio a companhia I que quera voliasse seria arcabozado immediatamen-: Joo Gnnstovio Moaslnho, e mi do capito do 1.
oo contratadores que emprehenderem a constrnc-' te, pois mandava-os para aearaparem no campo al-1 balalbao de iofantaria Maooel Jorge Moasioho, fal-
cao de carrls de ferro que ligoem os centros no- liado. Por isso traziam os paraguayos a sua rago, lecido em Corrieotes, a de 30* meosaes, sem pre-
para essa cidade e depois ira' nereorrer as fron-
teras, providenciando sobre seos meios de defeza,
pois coasta qae no Estado Oriental alguns ebefes le
blancos exaltados aodam fazeodo rennides occoltas,
para fias lambem oceultos; e, como desgracada-
meote naqaell paiz as coasas marchara quasi
sempre na razio ioversa dos clenlos da pruden-
ui-! ca, bom estarmos prevenidos para o qae possa
as-' oceorrer.
dria, cavaltelro da ordem de Cbristo;
Gastinel, cavalleiro da mesma ordem.
Fez-se mere do titulo de conseibo ao bacharel
Andr Aog isto de Padoa Fieory, director geral da
secretarla de estado dos negocios da justiga.
Foram apresentados:
Os padres Antooio de S. Miguel Bastos, na igre-
ja parochial de Santo Antonio dos Qoeimados, do
arcebispado da Babia ;
Maooel Luiz Coimbra, na de Nossa Senhora de
Mambueaba, da diocese do Rio de Janeiro.
Foram concedidas as seguintes penques:
A D. Emerenciana Arcilla Silveira de Carvalho,
viuva do capitao do 1.* balalbao de iofaouria Joo
Bapiista Lopes de Carvalho, fallecido no hospital
militar do Sallo, a de 30* meosaes, sem prejuizo
do mel sold;
A D. Marta Manoela Moasioho, vlava do tente
gistradas conteni valores declarados, os quaes so
podero ser em diobeiro quando o correio nao sa-
car. Esta classe de cartas pagar era sellos, alera
das laxas exigidas pelo art. lo do citado regla-
mento, nma commissao de.dous por cento ao valor
declarado, que nunca exceder de 50* a 100*000,
sendo o correio por elle responsavel.
Arl. 4." As pessoas que conduzirem cartas para
onde boover correio sem eslarem devidamente
W^y* ^rin.!^^mmaaSS; vista para a organisagio das listas o dlspostono de
h!^al^^ri^l^APJJw^^^Tos cretoo. 2865 de 21 de dezembro de 186i e mais
t"ra?ser^
a___^^^____.. ..._____:^^ j, i...~nA*tA rlu ral. U('IU
dos dentro do prazo de 20 dias o mais tardar; e' O novo commandante desta gaarnicio ainda
sendo por isso nullos os mesmos inhalaos, em visto, nao aportou s nossas plagas, e por isso di
do qae deelaram os avisos n. 148 de 3 de abril de
1860, e 186 de 2l de jamo de 1864 5." de 26 de
abril de 1865, recommeado a Vmc. que guardados
os pratos e mais formalidades da le faca a nova
convocago e reona a junta no dia 16 de setembro
prximo vindouro, que para isso fica designado e
prosiga nos seus respectivos trabalhos tendo em
a cmara municipal de Salgneiro.
. __. c10i, o enr. Pode Vmc. fazer saguir paraos porlos do norte o
5 de *"* *#toJ&&!!Z: I wnor Persinunga no dia 7 do correte a hora in-
m ----- 1__ .!_. i^a m. uciu a cmara uiuuiuiuai uo oaiKueiru.
dos oceupados no servigo do transporte das ma ^ m (e da m Peroambncana.-
las do correio.
Art. 5." O _
respoolencia ao Pumente de P0"^]?, pc*r' dicada em sen offlcio de 3 deste mez.
ser expedida, 8 o autor da fraude sera punido com { PorUr|a _q vjC8 presidente da provincia, lendo
0 r.'g?rc. L. i... Li.. nin rtiractnr.ffpral ero vista QQe requeren o quarto escriptnario da I
Art. 6. As mullas importas Pf'0,^!.8^' thantft Am* >niii W^iirinnn da Noroha'
dos crrelos serao cobradas pelo tbesoureiro oa
carregado do commando dela o commandante do
destacamento de infantaria, Sr. capito Joao Bap-
lista Leconr.
c Com a estada do Sr. general commandante das
armas aqu, foram tomadas pelo mesmo Exm. Sr.,
de accordo cora o Sr. coronel commaodaote sape-
rior S Araojo, algunas providencias para retor-
cer a guarnigao desta eidade.
c E' assim que raandon-se destocar mais 40
pragas de infantaria, e Val crear-se um destaca-
mento de (-avallara, sendo nomeado para cora-
manda-lo o Sr. alferes Joo Joaqaim de Si Bri-
to.
Em 9 dizera da mesma cidade :
t A noticia de que a arroba de fio coslava no
exercito 6:000* lospiroa ao Sr. Dr. Garcez o dse-
o de mandar para la' algama porcao delle, e para
mesma repartigao.
Palacio do Rio de Jaoeiro, em 27 de juoho de
1866.Antonio francisco de Paula Souza.
GOVERAO A PROVJICIA
Expediente de dia 5 de jnlho de 1866.
alfaodega desia capital JosFeliciaoo de Noroha isso pz em contribnigao snas relag5es, de modo
Feital, e bem assim o que a esse respeito informa- qne tem feito regolar eolheito; e. pois, tera o
ram as repartigoes competentes, resolve conceder- prazer de fazer ama boa remessa de nos para os
lhe 3 mezes de lcenga com vencimentos na forma | nossos bospitaespelo primeiro vaporque para lapar-
da lei, para ir a corle tratar de seus negocios par-1 tlr, prestando assim importante servigo ao governo e
neniares.
uta.O vice-presidente da provincia, attenden-
do ao qoe reqaereu Augusto Rufino de Almeiia,
e ootas e es-
, _, ., Iln: labellio vitalicio do publico judicial e ootas e es-
Offlco ao tenente-coronel Francisco Umeno cnyio do crjm6i clye, eexecrjcges do termo do Rio
Pessoa de Lacerda. Receb o seu offlcio n. 87 do Formozo res0|Ve COnceder-lhe 6 mezes de liceo-
de 4 do correte, e fieaodo sciente de ter V. S. fei-
to entrega do commaodo das armas ao tenente-co-
ronel Jos Lacas Stares Raposo da Cmara, apro-
veito este ensejo para agradecer-lhe o louvavel zelo
e a^tividade com que coadjuvou a minha admnis- j
trago durante o tempo que exercen o referido
commando. Declaroo-se ao leoente coronel Jos
Lucas Soares Raposo da Cmara ficar sciente de [
ca para tratar de sna saude.
Dita.O Sr. gereule da compaohia Peroambu-
caoa, mande dar ama passagem de estado a proa
no vapor Parahyba. at o presidio
Mara Felicia, mi do sentenciado
ra de Aguiar.
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernamba
cana, mande dar urna passagem de estado a r oo
ter assumido o exercicio do commando das armas vapor Perillun?(Ii a, 0 Cearaj ao ex-segoodo ca-
e eommuuicou-se a' ihesourana de fazenda.
Dito ao commandante das armas interino. In-
forme V. S. sobre o qae pede no incluso requer-
meato o recrata Joaqaim Cavalcanle de Mello.
Dito ao inspetor da thesonraria de faieoda.
Em visto, da ioclusa conta mande V- S. pagar aos
proprietarios do Diarto de Pernambuco, conforme Nlc0|ao Rjguelra Costa,
solieltou o presidente da Commissao Directora da. _
Exposigo nesta provincia, em offlcio de boje, a| "
quantia de 148*000 proveniente de annuncios
mandados pablicar pela mesma commissao n a-
qoelle jornal.
Dito ao mesmo. Recommendo a V. S. que, se
nao houver inconveniente, e em vista dos Inclusas
documentos, mande pagar ao sargento Maooel de
dte do batalhuo n. 34 de voluntarios da patria Ao
tonio Leocadio Chaves Godinho.
Dita.Os seohores agentes da companhia Brasi-
leira de paquetes, maadera dar urna passagem de
estado a r at o Maranbo no primeiro vapor que
vler do sul, havendo vaga ao desembargador Jos
COMMANDO DAS ARIAS.
Qaartel do commaodo das armas de Pernambuco
na cidade do Recife, 5 de julhe de 1866.
ORDEM DO DIA N. 245.
O toncte corooel commaodaote das armas n-
bouveto Muniz Feij, conforme sohcitoo" o delega-1 terino declara a- gaarnigo para os flns convenien-
do encarregado doi expediente da repwticaoida po-, a Tice.presidenca lne commanicon em
,JtV,.e.mn0fl,c, de ^90Ta' >.u,dT\-' o^o datado de bootera ter approvado provisoria-
de 77*110 proyBniente da despeza feu desde o l ( mente ^^ da ava|iaco das ragSes, de etapa
de fevereiro at io d julho, todo do aooo pr-
ximo passado com o fornecimento de luz e agoa
para o qaartel do destacamento de guarda* nacio-
naes da cidade de Goyanoa, podendo V. S. mandar
tirar nessa repartlgo urna copia da conta corres-
pondente ao citado mez de jalho para servir de
duplcala a mesma conta.
Dito ao mesmo. Iatelrado de qnanto V. S. ex-
poz em seo offlclo de bontem sob n. -398, relativa-
mente aos vencimentos dos offlciaes de outros ba-
ulhdes. qae se acham servindo oo 2* de infama-
ra aqaarlelado na fortaleza das Cloco-Pootas, te-
nho a dizer em resposto qae, em visto da informa-1
tilo jnnta por copia ministrada a esse respeito pelo
commandante superior deste municipio, mande
pagar toes vencimentos, de conformidade com a
respectiva folba a qoe se refere o mea afflcio de 2
do errente.
Dio ao mesmo. Parlicipando-me o vgario-ge-
ral em offlcio de 3 do correte ter concedido ao
vigarlo collado da paroebia de S. Fcei Pedro Gon-
calvas do Recife, conego Placido Antonio da Silva
Saotos, 30 dias de prorogago de liceoga para tra-
tar de sua sade fra de sua parochia : assim o
declaro a V. S. para sea eonheciraento.
Dito ao inspector da tbesouraria provincial.
Recommendo a V. S. qoe mande recolher a' the-
para a tropa de liaba, de forragem para a com-
paohia de eavallana, e de pi alvo para os doeo-
tes, no correle semestre, o primeiro desses ven-
cimentos em 360 rs. diarios; o segaado em 700
rs.; e finalmente o terceiro em 70 rs- at qae o
governo imperial retolva definitivamente o qae
parecer mais convoniente. _
(Assignado) Jos Lucas Soares Raposa ia Ca-
ntara. m
Esta' conforme. Eslecao Jos F#rraj, teneote
ajudaote de ordena encarregado do detalbe.
aos eoferraos militares feridos nessas gloriosas jor
nadas do Paraguay.
c E' mais um acto patritico e humanitario que
pratica o Sr. Dr. Garcez, e que muilo recommeoda
sea carcter a' estima publica. >
L se no Commercu>, da Pelotas :
Alguos cavalheiros de industria, que aioda se
oe pode sabir quem sejara, tiveram a habilidade
. de lDlrodazir na circolaco desla praca urna qoao-
de Fernando a tldade regalar de oogas falsas, das quaes em se-
Malaquias Fer- i guida damos os sigoaes, para obstar a qae sejara
aceitas como verdadeiras.
Sao de caobo colombiano, lm o peso de 7 X
oilavas, som metallico, serrtlha, cor de oaro igual
s verdadeiras e anuo de 1832.
t As oogas e todos os seos letreiros sao fuodi-
dos.
t A prmeira syllaba da palavra Repblica est
maito separada das oatras syllabas e o nltimo A
da mesma palavra guarda perfeito desaliobo.
i A letra M de Columbia maito malor do que
as ootras.
As Odres e tractos, qae sahem das duas cor-
nucopias, nao apreseolara as hastes.e sendo muilo
salientes loroam-se logo esbranqoigadas.
< As oogas sao de metal braoco, o qae se re-
conbece esfregando-as em qaalquer objecto de ma-
deira.
Fallecer em Porto-Alegre o piloto do vapor de
guerra Fluminense, Joaquim Jos de Saol'Aaoa
Valle, e em Pelotas o antigo escrivo de orphaos
Jos de Assis Caudal.
O vapor Brasil, chegado ao Rio Grande no dia
12, largara a 14 para Mootevido. Ne mesmo
dia sahira tambem para o referido porto o vapor
General Flores.
m
pnlosos da provincia d Pernambuco com as esta-
cos da estrada de ferro do Recite ao S. Francisco,
com as seguintes emendas :
< Sapprima-se o 4 do art. 1.
< Sapprima-se o | ldo art. 2.*
Sapprima-se a condigo 4" do art, 2. Sooza
Carvalho. >
< Idntico favor referente a' isengo de direilos
de importago concedido a' companhia Hidru-
lica Porto-Alegrense, na provincia do Rio-Grande S. Pedro do Sul.
do Sul. Flores. Alfonso Alves. Nery. Pl- No Ro Grande havia ootcias do 2* corpo do
oheiro Machado. i exercilo de operagdes contra o Paraguay at 22 do
< Igual favor se conceda ao individao oa com- passado.
paobia que contratar a factura de urna estrada de Permaneca aquelle exercito acampado era S.
ferro ou de rodagem no termo de Santo Amaro, a Thoroaz, esperaudo os transportes em qne devia
partir desta cidade at a fregaezia do Bom Jardim.' effeetnar a passsagera do ro. A diviso do gene-
Ferreira de Moura. | ral Porloho chamara para a m?rgem do Paran'
Igual isengo de dlreitos fica o governo auto- porque os paraguayos em numero de 500 tioham
de carne e cordas para amarrar os cavallo?. | juizo do meio sold.
< E' fora de duvida qae Lpez oo assislio ba- i A D. Mathides Ermelioda Helena Roolioo Rabello.
tarea de 24 de maio. Todos os iransfogas deca-1 viuva do major do 3,* batalho de artilbaria a p
ram qae elle flcoa oa estancia de Acosia, perlo de Antooio Mana Rabello, morto oo hespital de Cor-
Humaita', com orna escolto de 4.000 bomeos, e as reotes, a de 42J raensaes, tambem sem prejuizo
malas promptas. i ds meio sold.
As dalas do interior sao : Porto Alegre 15, Rio- Foram naturalisados cidadaos brasileiros os sob-
Grande 21, e Santa Catbarioa 23 do correte: j ditos ponognezes padre Francisco Ignacio de
Nada occorreu de importancia aa proviocia de Cbristo e Jos da Cuaha Peixoto Leal.
Ante bontem, as 8 boras da ooile, em preseoga
de SS. MM.Imperiaes, oSr. Capanema dea ama li-
go em fraocez sobre geologa. O professor pas-
soa em revista os diversos modos de decomposi-
go das rochas, que no Brail, seodo quasi todas
de granito ou de granitoides, oflerecem Iraca re-
sistencia aeco da agua e do calor.
Tomando para exemplo, ora as das taontanbas
risada a conceder aos contratadores da lllomlnago temado sorprender a vanguard da mesma diviso, j do Rio de Jaoe.ro e de Santa CalbarU, M*g
gaz hvdrogenio carbonado da capital da provio-. passando na Candelaria. provincias do Norte, o Sr.'UDeneina teve occasio
Ca do Ceara' para ntroduegao dos maehinismos, Havia datas de santa Victoria at 13 do corren- de descrever os effeitos da secca sobre os minera
a ooticia de reuniSes do
para lotrodacgao
utensilios, aparelhos, tubos, corabustores e mate- te. Nao se coofirmava
ras primas qae forera precisas para a illnmnago, partido blanco na fronteira do Chny.
conforme obrigou-se o governo d'aquella provio- O major Joaqaim Gongalves de Faria assumira o
ca oo respectivo coatrato a solicitar do governo' commando daqaella fronteira, tendo segaido para
imperial. Jaguaribe. Ratisbooa. Pelotas o tenente-coronel Seraim Ignacio dos An-
< Igual favor de iseocao de direitos a favor da jos, cora destino a Bag, onde vai commandar ama
companhia do encaoamento das aguas de Cear. brigada.
Liberato.
Igual iseoco de direltos fica o governo auto-
rsado a cooceder para os objectos qae forera im-
portados pela companhia organisada aa cidade do
Recife para o estabelecimeoto da estrada de Ierro
desta cidade a Apipueos, dnraole o tempo do sea
cootrato celebrado cora o goverao provincial, e no
qual aquella isengo foi estipulada. Silveira de
Souza. Loiz Felippe. Soaza Carvalho.
t Depois do 2 do art 3 accrescente-se o se-
gninte :
A usar dos trllhos (ruming-potcrs) da estrada
de ferro do Recife ao S. Fraocisco, para o trans-
porte do material, machinas e eupregados durante
a constrnegao dos trarn roorfi, sendo o dito traus-
porte feito as locomotivas e wagons das-referidas
companhias ou coatratodores, e sojeitando-se e
Tinhara chegado al o Rio Grande os transportes
, a vapor Charra e Pedro I.
De Santo Catbarioa nada temos que noticiar.
------------ m m
Consta-nos qne se expediram decretos:
Coocedeodo as honras do posto de teoente coro-
i oel do exercilo ao major refrmalo Fraocisco Joa-
' qum P:oto Pacca;
Traosferindo para ol" batalho de infantaria o
' capito do 14, Manoel Joaquim Ribeiro;
Concedeodo as hooras de cirorgiao mor de bri-
gada ao 1 cirurgio reformado, Dr. Jooatbas Ab-
bott ;
dem do posto de brigadeiro do exercito ao coro-
nel commandante superior da guarda nacional da
Bahia, Evaristo Ladislao e Silva;
Nomeaodo commandante das armas de Pernam-
tofio aos regulameotos da compaohia da estrada DOCO Olni^to9^aMi^^nfU^
de ferro do Recife ao S. Francisco, para que nao
baja confaso no servico da estrada. Lalz Fe-
lippe. '
i Ao arl. do projecto: No | Io snppnmam-
se as palavras o de expedieote.
c No flm do 2* accreseentera-se as seguintes
palavras : Nao se comprehendem, porm, nesta
concesso as mioas de diamantes, qae continaaro
a ser exploradas, segando a legislago em vigor.
Lulz Felippe. i
Depois do 1* accrescente-se o seguinte
Reformando o capito Gongalo de Mattos Rocha;
dem ao pbarmaceulico Pedro Severiano Dantas;
Perdoaodo ao soldado Raymoado Jayme de Oli-
veira o resto do tempo de sentenca.
Conceden se ao bacharel Coriolaoo Augusto de
Loyola a deraisso que pedio do cargo de procu-
rador-fiscal da thesonraria de fazeoda de Goyaz.
Por baver Urbaoo de Moora tomado posse do sen
emprego a 21 do passado, nao foi declarado sem
efTdito, como bootera poblleoo-sn,- o decreto de 25
' de dezembro de 1865, que o nomeou ajudante- dol
.'J2A!i=E^=KrSrcZ;K^^
do direito de desapropriar, na forma das leis em
vigor, o terreno de dominio particalar que for ne- s M. o imperador bouve por bem comear o il-
cessario para lelo do caminho de ferro, estagoes, l |QStre gabi0( ^ AgasSiI) cavalleiro da imperial or-
dem do Cruzeiro.
> i
Por decreto de 9 do correle
selheiro de guerra o ebefe de
Hay mundo de Lamare.
foi nomeado con-
esquadra Joaqaim
INTERIOR.
RIO OEJAAEIRO
25 de juhe.
Pelo patocho Social, entrado bontem, recebe-
mos datos do Rio Grande do Sal al 15 do cor-
rete. '' .
O Commercial de 12 d noticias do 2. corpo do
exercito de operacSes contra o Paraguay nos termos
seguintes: ,
i Temos cartas do exercito do Sr. general ba-
alcaogam a 20 do
souraria "de fazeoda asqaantus resultantes dos rao do Porto-Alegre, qae alcingam a w ao pas-
de cootos qae de cooformidade com as ordena des- sado.
ta presidencia j se tvea feito, e se 6r effecloan- O Sr. tenente-coronel Maooel Jos de Alen-
do pela 5 parte do sold do alferes do corpo de easiro, qoe fra dspeosado do commaodo ao cor-
pelcia desta provincia, Bazilo Uix Cclno, para podeSaoi'Aona do Rio dos Sinos, jfonuoaava a
iademnisago da somma de 177*775, de qae tem servir no exercito como ajadante d ordens do qaar-
carga, segando consto de loformago- do iospeclor tel-general. ... ... An
daqaella Ihesjurara, datada de hootem e sob n.| O exercito eslava acampado a tres leguas do
393.Commnmcon-se ao lospector da ihesoprarla Paran, tendo as sqas avapcadas sobre a barranca
ije fazeoda. | do rio.
Por decreto de 19 do correle foi reformado o
imperial mariobero Manoel Ferreira do Nascimen-
to Barata, por estar Invalidado no combate naval
de Riachuelo.
Foram nomeados:
O 3. escriptorarlo da alf ndega da Bahia Eu-
tychio Mondim Pestaa, para igual logar oa de Per-
nambuco, e o 3.* deslr Antonio da Franga Atnayde
Moscoso, para igual na daqoelU, por assim o ba
verem pedido.
O 3* escriptorarlo da de Santa Calharina Fran-
cisco Jos Fialbo Filbo, para igual lagar na do
Rio Grande do Snl.
O 3.* escriplurario da de Santos Joto Antones
Pimental, para o de 4. escriplarario da de Per-
nambuco, por assim o baver pedido.
O 4.* escriplarario da dita alfandega Aotooio
Martins Fon tes, para de 3.* da mesma.
O praticaote Maximiaoo Antonio Correa, para o
de 4.* escriptarario do mesmo tbesouro.
Antonio Laiz de Carvalho Bastos, Joo Aotooio
Augusto de S, Joio Jos Teixeira e Jos Ribeiro
Sarmeoto Jaoior, para os de pratlcantes da mesma
repartilo. _
Foi aposentado Maooel Antonio Simoes do
Amaral no logar d ewrivo da receboria de Per-
narp^UCo.
, Pol declarado sem effeito o decreto de 27 de
I dezembro de 1865, pelo qaal foi Urbano de Moora
armazens e mais obras adjacentes, e pelo gover-
no Ibes serao gratuitamente coocedidos para os
mesmos flns os terreos devolatos e nacionaes, e
bem assim os comprehendidos as sesmarias e
posses, salvas as indemnlsagdes qoe forem de di-
reito. Tamben o governo Ibes conceder' o oso
das madeiras e oatros matenaes existentes nos
terreos devolatos e naelonaes, e as qae as eom-
paohias tiverem preclso para a construego dos
tram-roads. Lnlx Felippe.
< Igual favor para oe objectos neeessarios as
obras do hospicio de Nossa Senhora da Piedade,
na capital da Babia.Junqueira. >
Se passar o 4 do art. 1.', accrescente-se :
Assim como a zona privilegiada da estrada de fer-
ro 3o Recife ao S. Francisco, nao s presentemen-
te como no futuro.
Sapprima-se o i I." do art. !
t Snpprima-se a condico 4. do art. 2.Barros
Brrelo.
A* 1.* condlgio do arl. 1* accrescente-se :
Pagando alm disso ama malta de 4:000*000, e a
de 10:000*000 se nao concluir a obra dentro de 4
annos.
i A companhia, oa contratadores, ineorrero
na malta de 4:000*000, qae ibes sera' imposta
pelo governo geral, quando e todas as vexes qae
nao possuir a liana p trem rodante necessario,
marcando-se-lhes o prazo de 4 meses, para deotro
dalles satisfaier a companhia esta obrlgaco.Se-
rapbico.
< O art. 2* seja substituido pelo seguate :
Art. I A conceder igual uengo para todos os
objectos que forem importados pela compaoh a or-
ganisada na cidade do Recita, para o estabeleclmej.
ta & es.ira.dji de trro da (jila cidade povoacao de
- 27 -
Nao bouve bontem sesso no senado.
Continuoa bontem na cmara dos depotados a
2* discasso da proposta do poverno para a lei do
orcamento do anno flnaoceiro de 1866 a 1867, na
parle relativa a' despexa do ministerio da fazenda.
Orn o Sr. Junqueira.
Foram oerecidas as seguintes emendas :
Para ser collocado onde convier:
c Artigo. Queseja paga a' thesonraria provin-
cial das Aiagoas a quantia de 63:282*250, que a
thesonraria da telenda geral deve aquella tbesou-
raria provincial.Jos Angelo.
< Para ser collocado onde fr convenleole:
c Artigo. Qae seja restituida a u. Mara Isido-
ra Barrete Lins, viuva do coronel Beoto Jos La-
meaba Lins, a quaotia de 717*500 com que eo-
trou para a thesonraria da fazenda geral (por or-
dem do tbesonroj na provincia de Pernambuco,
proveniente do meio-soido de sea (loado marido,
qoe devidaraeote recebeo.Jos Apgelo.
Occopoo-se depois com a discasso das interpel
lacSes annunciadas na sesso de 22 do correte
pelo Sr. Barros Brrelo ao ministerio da goerra.
Oreu o mesmo sennor. I jBCt
Ambas as dlscossSes Acarara adiadas pela hora.
Ficou sobre a mesa, para ser sojeito hoje a
apoiatnento, o sogolnte reqoerimento:
i Determinando o art. 127 do regiment interno
qae e projecto sobre o qoal a eewnissao nao
der parecer dentro de 30 das podera' eotrar na
ordem dos trabalhos, se assim fr resolvldo pela
cmara; con8(deraudq que em 9 de rbril o Sr.
mioistro da fazenda apreseoloa ama proposta de-
de descrever os elfeitos
es, as plantas e mesmo sobre os animaes no ser
lio do Cear. Mostrou-se convencido de qae, com
algama providencia, podia-se evitar os horrores da
forae, qae era coosequeacia de saccas peridicas
flageila s vezes os babitaotes dessa proviocia, se a
popolaco era vez de e.-ur dissemiaada como acon-
tece, estivesse agglomerada em povoacods e se en-
tregasse a ama lavoara regalar.
-518-
A cmara dos depulados adopten hontem, sem
debate, com varias emendas, o projecto que auto-
risa o goverao a mandar (aier acto do primeiro
anno na facaidade de direito do Reeife o estudante
ouvinte da mesma faculdade Joaquim Moreira
Piolo.
Occupou-se depois com a prmeira discosso do
projecto que autonsa o goverao a conceder a Jos
Dias da Crnz Lima, oa a quem julgar mais Idneo,
llcenga para incorporar urna companhia que em-
prehenda a construego de urna estrada de ferro
da provincia de Santo Catharina de S. Pedro do
Sul. Orn o Sr. C. Ottoni.
Continaoa em ultimo lugar a 2." discussio da
proposta do governo para a lei do orgamento do
aooo fioanceiro de 1866 a 1867, na parte relativa
t despeza do ministerio d fazenda. Orou o Sr.
Tavares Bastos.
Ambas as discussoes fiearam adiadas pela bora.
Foi offerecida a seguinte emenda: .
c Fica o governo aotorsado a pagar a D. Luiza
Graodjean de Montgnv, viuva do professor da aca-
demia das bellas artes Vctor Angosto Grandjean
de Monlgny, a qaantia de 10:000*. dos desenlio?
qne a este pertenciara, e que ha 20 annos ornam e
ser vero de modellos na mesma academia.Joan, e
Souza Mello e Alvina.
Foram lidas as seguintes propostos: ^
Aowteedtgmssim(J3 Srs. represebantTda
oago. Cumprmdo qae seja estabelecido para S.
A. Imperial a Sra. D. batel Christina e seo aogas-
to esposo um patriawmo em ierras per temantes a
nagao, em cooformidade das disposigoes.do.art. 1
da lei o. 1217 de 7 de janbo de 1864 e de art, 5 da
let n. 166 de 29 de setembro de 1840, a que aquella
se refere, e em conformidade do respectivo contra-
to matrimonial, jalea o goverao imperial qne com
vantagem se pode fundar o referido, patrimonio oa
provincia de Santa Calbarina e na de Sergpe; fa-
zeodo parte do mesmo patrimonio o predio cora-
prado para habitaco de SS. Artezas, que ttcar
considerado como proprio nacional com o destino
qae lhe dado, nos termos da citado contrato ma-
trimonial.
t Sendo necessario medit e tombar as torras de
que se trata, tornase indjgpensavel qae seja con-
cedido ao governo para, oceorrer s despezas res-
pectivas o Crdito de 33;000*.
< Por isso, na fox ma da lei e do ordem de S. M.
o Imperador, tenbo. a honra de, apresentor 4 con-
sideragan da assamblea geral legislativa a seguate
proposta:
t Art L- Rea establecida para S. A. I. a Sra-
D. Isabel Visti* e seo augusto esposo, nos ter-
mos do respectivo cootrato matrimonial, um patri-
monio em torras constando de duas porgSes, cada
urna de 49 leguas quadrad*, sendo nma na pro.
a de Santa Catharina e ontra na de Sergipe.
. Este patrimonio, do qual far partoipradio
comprado para naHlacao 1^j^*%.fSL*
coosderatkTcome proprio wlWJS
qae lhe dado, e nos wrmos dQ nesrao oonirato
matrimonial.
Art. V As ditas trras serio medida e tam-
badas costa do tbesouro nacional, e DWftMte
fim ?0ftc*ilio ? governo o crdito ue *'-Wf-


MhhbO
*



==
*
...
-------

Mari* Je PeritHbiet Segunda felra 8e Julho de 186C.
-K

Palacio do Rio de Janeiro, en 27 da jubjo da uniros detendeudo por s la 'este em menofprtc.0,
1866.Marques de Oliua.
Augusto o dignisstmos senhores representan-
tes da naco.' Cumprrado (fue seja tttabeleeldo
para S. A a Sea. D. Leopoldina e sen augusto es-
poso nm patrimonio em trras perteocentes a na-
<;o, em cooformidade das dlsposicoes do art. 1.
viste dar-se-llie lugar inferior ao da presidencia,
pois que nao obstante ser p^ffinieiro ao id do dlrei-
to do presidente, ficava em linia com as de mals
autoridades a aseso fue a suprema aatoridade
civil llnba no centro do sato lugar elevado e es-
pecial, como representante do governo imperial.
da le n. 1,217 de 7 de juibo da 1864 e do art. 5." Emfim tem sido urna questao em que os nimos
da lei n. 168 de 20 de seiembro de 18*0, a oe a- estao divididos pofjima entra -parle e que nao
quella se refere, e em conforroidade do respectivo ha cessado al boje. O consmaodwte das armas
contrato matrimonial, jolga o governo tnerlal, igualmente nao assistto ao acto da inaoguraco da
que com vanlagem se pode foadar o referido pa- expoeicae, mu dlz-se que este por motivos de en-
trimonio na provincia do Paran' e na do Espirita eommodo.
Santo, fazendo parta do roesmo palrinwnlo o pre-1 Ja finalisaram-se os diae mareados eoncur-
dio comprado para habiiaeo de suas alteus, que renda-publica, e consta segando o Jornal do Ama-
ficara' considerado coevo proprk) nacional, com o zonas que o numero dos visitantes em quloze dias
destino que ibe date, nos termos 4o citado con-
trato matrimonial.
E sendo necessario medir e tornear as trras
de que se trata, torna-se ludispensavel que seja
concedido ao governo, para occorrer as despeas
respectivas, o crdito de 35:000$.
t Por isso, na forma da le e
M. o Imperador, tenh a honra
considerado da assembla gerai legislativa a se-
guirte proposta:
Art. 1.* Pica estabelecido para S. Alteza a Sra.
D. Leopoldina e seu augusto esposo, nos termos do
respectivo contrato matrimonial, um patrimonio
em trras, constantes de duas porcoes, cada urna
de 49 leguas quadradas, sendo ama na provincia
do Paran e outra na do Espirito Santo.
< Este patrimonio, do qnal fara' parte o predio
comprado para habitacao de Suas Altezas, sera'
considerado como proprio oacional, com o destino
que Ibe dado, e nos termos do mesmo contrato
matrimonial.
Art. 2." As ditas Ierras serao medidas e tom-
subio a 12,000 pessoas, ao passo que Diario do
Grao-Para, censurando de -todo quanto se fez e
quauto se vio na eiposicio, impugna semelbante
numero.
t Ainda aos domingos abnr-se-ha a exposico
ao publico al que ebegoe o professor Agassis para
de ordem de S. examinar e dar sua opinio obre os productos ex-
de apreseotar postos.
f Falla-se com a chegada do Paran em mudan-
ca de autoridades para esta provincia, e demonstra
isto as novas nomeacoes o inver.-ao feita uos vice-
presidentes.
c Este acontecimento tem desagrado seriamente
aos bomens da simaco dominante, ao passo que
ba alegra nos circuios 4a opposicao.
c Hoje segu para essa o Dr. Emilio de Moraee
Dias a visitar sua familia.
< E' juiz municipal defiraganca desta provincia,
mas em cojo termo ltimamente se desaveio com
as influencias loeaes, qaer da opposicao quer da
situacao actual.
< Em eertrs logarejos nao se pode ser juiz com
sememantes mordomos 1
< Acabam de cfaegar a esta cidade os bisos
dessa provincia e do C-ar, afim de sagrarem o
nomeado de Goyaz, enjo acto se diz sera* breve-
mente.
Das cachoeiras do Tocantin* onde se acha em
coramissao o Exm. presidente Couto de Magalhaes,
as noticias nao sao boas.
< Entre perigos e traba hos esforzados nial tem
podido vencer as difleoldades opposias pelas ca-
choeiras, o intento do dito presidente ; e tanto as-
sim que n'uma das xcorsdes em que ia n'oma
montana, esta se virn com a forja da correte, e
o impeto foi tal que milagrosamente escapon o Dr.
Couto de Magaibaes e outros individuos que com
elle tinham embarcado ; mas assim mesmo foi vic-
tima um dos mocos da tripolaco que desappare-
cendo na correnteza, la icou setn mais baver no-
ticias delle.
c As noticias da guerra com e Paraguay,' com
quanto nao nos sejam de todo desfavoraveis tem
com ludo esfriado os nimos, porque a todos os mo-
mentos se espera va a queda de Lpez I Assim nao
tem acontecido e elle la vai resistindo a' trplice
badas a' costa do thesouro naciooal, e para este
fim concedido ao governo o crdito de 35:0004.
c Palaelo do Rio de Janeiro, em 27 de junho de
1866.-Marqnez de Olinda.
II IH Sil H
Por decreto o. 1,026, de 22 d > correte, foi ap-
provada a aposentadoria concedida a Luiz Jos da
Costa, oo lugar de ajudante do tliesoureiro da sc-
elo de substitulcao e resgate de amorlisaco.
it|_
Hontem nao bou ve sesso no senado.
A .cmara dos deputados oceupou-se bontem com
a discussao do parecer da commisso de poderes,
que reconbece o Sr. conselbeiro Joo da Silva Car-
ra* deputado pelo 1* disiricto da provincia de S.
Paulo. Orou o Sr. Urbano.
Foram offerecidas as seguintes emendas:
c Que se declare nulla a votaco do Dr. Joo da
Silva Carrito, prevalecendo a eleico do Dr. Joo
Alendes de Almeida.J. 0. Nebias.
< Que sejam approvadasas eleicSes de eleitores
das paroohias do Senbor Rom Jess do firaz e Ju-
quia', perteocentes ao 1 dislricto da provincia de
S"^fa.',0Barf dC S- d0 R' 9"0\L, h lncJl de nra roaoetra inerivel I Hoje ja ne se
Contlnoou dapoia aV discusao da proposta do C0DtavConi afn as noticias de guerra, porque os
xamento do anno m ancei-, immos es|So MDsad08 poP xtai esperar na solo-
co prompta de ama guer/a que se afflgurava r-
pida e com os melhores auspicios para o Brasil.
t De Amazonas nada tem snceedido de impor-
Teve bontem lugar no sali da praca do com- ante; Pr estes dias espera-s a ebegada aqui do
mercio a assembla geral dos assignautes, convo-, D/- Epaminondas de Mello presdeme daquefia pro-
caga pela respectiva commisso, vinca, emregre so para o sol, Meando em sen In -
Abrise a sessao a 1/2 hora depois do meio dia., 8" Dr- Gustavo Adolpbo Ramos Ferreira, qoe
Lida e approvada a acta, da sesso anterior. all exerce o cargo de procurador fiscal da ttaesou-
0 Sr. presidente declarou que a coovocaco da rar"
governo para a le do oreameato
ro de 1866 a 1867, na parte relativa a' despeza do
ministerio da fazenda. Oreo o Sr. Raiol.
Ambas as discussoes fiVaram adiadas pela hora.
assembla geral era devida ao pedido de demisso
que havia feito o Sr. Fernando Schmid, do cargo
de memoro da commisso da praca ; pedido este
que se baseava em aliegaeoes que commisso nao
pareciam plausiveis, isto o nao ter anda ha vi do
No dia 24 a noite chegon o vapor Jetme, da
liaba de Liverpool, e boje a' noite regressa com as
mismas escalas que trouxe pelo Maranho, Cear
e Lisboa.
c Do commercio nada ba de notavel a nao ser a
ma soluco do governo representado que a sitaaco financeira do imperio e os recelos de
commisso havia apresentado i S. H. o Imperador, i BQerra na Europa, melhor e mais animadas seriam
Disse alada, que constando commisso que entre | s transaecSes nesta ultima quadra.
os membros da praca alguos havia, cuja opinio
era-lhe adversa, pedia que a assembla por nm
?oto de cooQanca manifestasse a sua opinio.
Leu se em seguida um oflkio assigaado pelos
Srs. Mooteori, Ilarrah e Cyrillo de Castro, que
tambera pediam a sua exoneraco.
Restara, pois, contiouou o Sr. presidente, quatro
membros que tambera resigoaro as suas cadeiras
se a assembla manifestar a opima o, que elles nao
cumpriram o seu dever.
Para que os seobores membros da praca Seas
sem scieotes do que houve, o Sr. presidente leu a
correspondencia trocada entre a commisso e o Sr
Schmid, e pedio aos membros da praca que se
achavam presentes que maaifestassera a sua opi-
nio com toda a nberdade e franqueza.
O Sr. Dr. Tliomaz Altes diz que o Sr. Schmid
emende nao poder sonimuar a fazer parte da com-
misso, porque a julga desamorada. O orador
pensa que essa questao nao pode ser discutida,
de escrpulo. S a commisso ficasse deeautora-
da pelo faci que se deu, ne ha vena quem d'ora
em diante quizesse sentar se naquellas cadeira*.
A commisso cumprio rigorosamente o seu man-
dato, nada mais liona qoe fazer ; resolver sobre o
que se deve ou oo fazer cabe ao governo, que
tambera ha de carregar cora a respons bilidade.
Coacluiodo manda a mesa a seguinte proposta :
< Que se nao aceite a renuncia de nenbnm dos
membros da commisso, declarando a assembla
dos negociantes que a eommisso da praca tem
bem merecido, porque cumprio religiosamente o
seu dever, e como tal Ibe da um voto de sincera,
cordial e reconbecida confiaoca. >
O Sr. Dr, Furqvim de Almda relata e que se j
passou entre o Sr. Schmid' e a commisso, e deca-1
ra qoe esta to pode aceitar a apreciacao daquelle
cavalheiro, porque esta convencida que cumprio o
seu dever, porqoe nao se contentando com apre-
seotar a Sua Magestade a representaco, tratia |
ainda naquelle sabbado, noite, procurado o Sr.
ministro da fazenda. sendo um projecto, no sen-
tido da representaco, apresentado cmara dos I
deputados na segundad ira seguinte, er que nao
ba razo para a commisso se )ulyar desau orada.
Julga que o commercio nao pode ler a prcleo-
cao de impor ao governo.
No ultimo cilicio do Sr. Schmid, diz o orador,
que a commisso julga ver urna censura, na qual
a generalidade dos membros da praca talvez con-
corden) ; se assim falta commisso a confiaoca
de quem a elegeu, nesse caso, pede o orador que
se pronuncie, porqoe a commisso abandonar as
cadeiras aos que forera eleitos pelos assignantes.
Concluindo declara que Julga ter compririo osen
dever, e se a assembla pensa que nao, pede qoe
baja urna manifestacao nesse sentido.
Nao havendo mais quem pedisse a palavra, o
Sr. presidente encerra a discnsso, e os Srs. Hon-
tefiori, Harrah e Cyrillo de Castro retiram-se das
suas cadeiras.
O Sr. Dr. Thmaz Altes, obleado a palavra para
orna explieaco, diz qoe, fallando na commisso,
refera-se a lodos os membros, e que considera
qoe o voto ser ainda mais significativo, porqoe
refere-se tambera a nm dos memores da commis-
so que no mesmo lempo gerente aqoi de um
estabelecimemo baneano qoe acaba de fazer estor-
bos inauditos para prestar servicos e salvar o corn-
os navios no pono sao os seguintes :
< Bahia barca ingiera.
i Therezina logre ingle?.
> Ledy Mar y brigue dem,
c Tamega brigue portoguez.
Estrella patacho dem.
< Reine Demerse patacho bollandez.
i Lucia Roodnka esenna idem.
< S. Luiz barca franeeza.
O vapor Paran parte hoje i meia noite.
L-se no Diario do GrSo Para :
< Publicamos em seguida algumas noticias da
Estrella do Panam, aceica dos aconteeimentos do
Per.
Um decreto Importante aqnelte que fez o
dictador um da depois da sahida de D. Castro.
t E" do theor segninte :
t Mariano Ignacio Prado, chefe sapremo provi-
sorio da repblica.'
Decreto :
t Art. 1." Probibe-se desta data em diante aos
subditas hespanhes entrar no territorloda rep-
blica. Os que coutrariarem esta disposicao sero
jolgados e condemnados como espas.
t Art. 2.* Serio considerados peruanos de as-
cimento os hespanhes residentes no Per desde
28 de julho de 1821.
t Ail. 3." Os hespanhes que tiverem entrado
no territorio nacional, ou no de algumas repblicas
allidas, depois de 28 de julho de 1821 e antes do
! de Janeiro de 1850, e qae residen actualmente
no Per, serao considerados peruanos por nalura-
lisaco, sempre que ante as respectivas municipa-
lidades renuncien), debalxo do juramento, sna con-
dico de subditos hespanhes e assumam a de ei-
dados peruanos. As municipalidades tero um
livro especial em que devem registrar-se as renun-
cias juradas, em virtnde das quaes se outorgam as
respectivas cartas de cidado.
< Para o objecto deste artigo se marea o termo
de 60 dias na repblica, contados desde a pdb llca-
(3o deste decreto.
Art. 4. Os hespanhes que tenham entrado no
paiz, depois do 1 de Janeiro de 1850, deixarara o
territorio no praso do 30 das.
Os qoe faltaren) a esta disposicao sero interna-
dos perpetuamente as montanbas do Pezuzo.
c Esto coraprehendidos na disposicao deste ar-
tigo :
< 1.a Os subditos hespanhes a qoe se refere
o artigo 3*, que nao tenham a renuncia prev
nida.
c Os que alada que tenham entrado no paiz
antes do 1 de Janeiro de 1830, tenham firmado oo
feito qualquer reclamacdo contra o governo do
Per.
Art. 5.' Poderao assumir o carcter de perua- ,
nos por naturalisaco conforme o que Oca Pres" oraphados, pagario a laxa' de "20" rs. por porte
cripio no art. 3# os Rvds. padres misionarios des-: SjmpiS de {o grammas (11 oitavas) ou fraeco de
de 2:400 combatentes, que V. Et anin para
os campos da gloria, na gu rra Ojs n repuntien
do Paraguas? desafbu ao Brasil
Confiando na causa da justica, esva amara aere-
dita que to importantes servicos rln tearto es-
quecidos pelo sabio governo do paiz* esi.
sauda a estrella feliz que levar V. Exc. aos cargos
mais eminente* do estado.
Bijae-se, pola, V. Exe. aceitar esta demonstraco
de reeoohecianraio da cantara nnicipat da capital,
nao soliente nato cae vtoi da expnr, orno peto
apoto qoe V. Bxc. Ibe tem prestado.
Deas guarde a V. ExcPaco da eanura rraai-
cipal de Tberesina, em sessao ordinaria, 11 de ju-
f*o de 1866.
Him. e Exm. Sr. Dr. Praolrlin Amsrieo da Me-
aeses Doria, digno presidente da provfnela.Salut-
tlaBo Rodrigues de Almeida, presidente.Antonio
Tavares da Costa.Jos Rairaoodo de Vaseoncei-
los.Silvestre Ferreira Torres.Jos Antonio de
Leraos.Antonio Lopes Grillo.
Urna communicaco offlcial do promotor da co-
marca de Principe Imperial de 4 do crreme, diz o
seguinte:
i Participo a V. Exc. que tendo o escrivfto d'este
municipio Floriauo Rodrigues de Araujo, sabido uo
dia 29 do passado, para a fazenda Espirito Santo,
de Jos Francisco de Macedo, acbamado d'este, a
noite desappareceu da casa do mesmo Sr. delxando
chapeo e roupa, isto a sobre-casaca e collete.
Gonta a gentada casa que elle estando a conversar,
das dez para as onze horas da noite pe ib licenc,a,
{ara ir fora, dlzendo que estava eneommodado, e
io voitou mais. At o presente nio tem-stdopos-
sivel ser descoberto, nem vivo, era morto.
< Os campos da fazenda sao mnito Itmpos; soa
Circumvisinnanca toda habitada ; mas se nao tem
acbado nem rasto, apezar de baver empregado n'es-
te servico mais de qoarenta pessoas.
Nao consta qoe llvesse intriga com Jos Fran-
cisco nem com pessoa de sua casa; mas o caso
difDcil de explicar-se.
Ja estiveram na fazenda o juiz municipal e o
subdelegado, mas nao me communicaram o resulla-
do d suas diligencias. >
CKAB.-Abrio-seno dia do crreme, a as-
sembla provincial, coja mesa administrativa ficoa
assim orgaaisada : vigario Corri de Carvalho,
presidente ; Joo Brlgido dos Santos e Joaquim de
Oliveira Catunda, secretarios.
A alfaodega renden, no mez de janhd..
92:414*942.
Nesse mesmo tempo entraran, na inspeccjSo
do algodo, 6114 saccas com 28,426 arrobas e IS
libra?.
L-se no Pedro II:
c Os estadantes do seminario roaolam celebrar
no dia 29 do correte, urna missa solemne para pa-
dir ao Deus dos exercitos por todos os que defen-
der a causa do Brasil na atoerra actual.
t O acto comecar as 8 1|2 da manha, e a 4
1(2 da tarde haver vesperas e Te-Deum em solem-
nisaco do dia do apostlo S. Pedro.
c 0 Rvd. Lazarista Mr. Enrile pregar ao Evan-
gelho.
Pab.uivba.Suicidou-se, no dia 21 do passado,
atirando-se de urna varanda do hospital da Miseri-
cordia, o Sr. Joaquim Thomaz de Aqaino, que ?li
fura recolhido por baver perdido o joizo.
a alfaudega renden o roer passado..........
16:240*509 e o consulado 8:8165850.
Na inspeceo do algodo entraran) 372 sac-
cas dese genero.
Cbegou bontem pela raanha do Rio de Janeiro
e Baha, o vapor americano Soufa Amrica, coro
datas daquelle at i e deste at 6 do correte.
Sob as rubricas Parle ofjictat e Interior vai por
extenso o que de mais importante occorreu; alm
disso, apenas encontramos mais o seguinte.
Ro de Janeiro.Acerca da nlttma reforma no
porte das cartas e jornaes, lemos no Correio-Mer-
cantd:
c Em virtude dos decretos ns. 3,443 de 12 de
abril de 1865, 3532 A de 18 de novembro do mes
mo aono e 3675 de 27 do mez passado, comecou
hontem o correio a cobrar as seguintes taxas de
po/te:
c Correspondencia para o interior.
As carias que elrcnlam dentro do imperio fl-
cam sujeitas ao pagamento da laxa uniforme de
100 rs. por porte simples de 15 grammas ( 4 oita-
vas), ou fraeco de 15 grammas. qualquer que seja
a distancia que tenham de percorrer por mar ou
por ierra.
Para as cartas de maior peso adoptar-se-ha a
seguinte progresso :
c At 30 grammas..... 200 rs.
c e 30 a 60 ditas...... 400
t De oO a 90 ditas...... 600
De 90 a 120 ditas..... 800
a E assim por diante, augmentando sempre dons
portes por 30 grammas (urna onc.a) ou fraeQao de
30 grammas que accrescer.
Os autos e mais papis do foro pagarlo se-
ment melade dessa laxa.
c Nao esto comprebendidas na precedente dis-
posicao as carias expedidas de um para outro pon-
to das cidades onde fOr eslabelecido o correio ur-
bano.
< As cartas desta calhegoria pagarSo a taxa de
50 rs. por porte simples de 15 grammas oo frae-
co de 15 grammas que accrescer.
Pagara, poiro, somente a laxa de 20 rs. cada
urna das carias especificadas nos paragraphos se-
guintes :
< 1.* Parteclpaces de casamento e de nasci-
menjo.
c 2.a Convites de enterro.
t 3.* Burieles de visita, nao excedend a dous
em cada capa.
t 4." Circulares, prospectos b avisos diversos.
Os objectos mencionados nestes quatro para
graphos devero ser Impressos, lytographados ou
autograpbados; nao exceder o peso de 10 gram
mas ; ser expedidos com o porte pago, e abertos,
m de que possa o correio verificar o sen conte-
do. Os que nao preeneberem estas condlcSes se-
rio laxados como cartas ordinarias.
c As cartas franqueadas abaixo da tarifa, ou
nao franqueadas, seio expedidas pelo correio; de-
vendo, porm, cobrar-se do destinatario o dobro da
taxa que fr devida.
i As pequeas encommendas, amostras de mer-
ca dorias, brochuras, livros encadernado-, caalo
gos, prospectos, papel de msica e quaesqner avi-
sos impressos, gravados, lylbograpbados ou amo-
tinados convercao dos inflis qoe tenbam entra-
do oo paiz antes do 1 de Janeiro de 1864.
t O secretario de -estado do governo, polica e
obras publicas flea encarregado no cumprimento
d'este decreto.
< Dado no palacio do governo, em Lima a 11 de
malo de 1866.Mariano I. Prado. J. M. Guira-
per.
Mara.nhao.Houve um incendio na loja de fer-
ragens do Sr. Antonio Jos Rodrignes, na ra dos
40 grammas, qualquer que seja a distancia que te
nbam de percorrer dentro do imperio. Esta tan
subir na segninte progresslo :
Al 80 grammas (22 oitavas) 40 rs.
t DeJO a 160 ditas.'......... 80
De 160 a 240 ditas......... 120
E assim por diaote, augmentando sempre
dous portes por 80 grammas oo iracc,o de 80
grammas que accrescer.
Para que possam estes objectos gozar da mo-
mercio desta pitea de urna erise que pareca iro- Baroeiros que reduzo i craza s ludo quanto havia | acdaae da laxa de porte, cima filada, devero:
minente. i d9atro della-
Procedendo-se votaco da proposta do Sr. Dr.l k~ Sa1b,0*.23 Paadorpra Liverpool, o pata-
ThomazAlves, foi ella approvada unnimemente, i cho ingles Kobb/w.
"JRfir rr'iai* am noma da commisso, aera- ~ toi marcado, para o 3o domingo do mez de
ieoeTelpressu dos mTme^^iTalsmWa ge- on.,nb3. ele*< de am depuUdo provincial
rnotrespnizes, cartas 200 rs. por 15 gram-
mas ; jorna"s n uiros impressos 40 rs. por 40
gramo.
I do dia Ia de julho em diante come-
rn a pfvnrfUidas as novas estampilhas com a
a8jH. o Imperador.
Opintdo Nacional transcrevemos a se-
grate caria scripta de Tuyolf oadVda passado:
Eserevo estas linhas do acampeato do exer-
cito ailiade. Dita-as o vivo desejo dnpor patales
os faetos, dar verdade o seu lugar,mostrar ao
paiz a toa anagao real para qoe a salve.
Qneai as descreve julga ter o dirrito laz-
lo; ha mu nano que soffre os traba* da carapa-
cha, tomando paite nos feitos d'araas e presenci-
ando o detwtolvimento de todos ossncoessos; er,
e oo sera razo, que enunciar nele momento o
seu jnrzo dever de bora cidado, e um servico
detxar ver a verdade acabranhada sob o peso das
byperboles offlciaes.
A 24 de malo demos urna baialha, a mais san-
grenta de que lm sido testemuohas os campos
sul-americanos.
< Trlumphmos porque rechazamos o inimigo,
que veio na sua carga at bater contra as nossas
linhas, e porque foi elle repellido com perdas
enormes. Cocotudo nio ebegam estas ao algarls-
Para a da Boa-Vista.Gemlnlano Joaquim de
Miranda.
Alguna jornaes e cartas, vindas bontem da
edrta, pelo vapor americano Soulh America, j
Irnoxeram s novas estampilhas, tendo no centro
o busto de S M. o Imperador, e dos lados por ex-
tenso o prego de cada urna, a no alto a palavra
Brasil. As cores variara segundo o valor.
A' bordo do South America foi o sabio pro-
(Nsor Agassiz at a provincia do Para'.
De New-York pelo Rio Grande 'o Norte e Se-
rtahem,cbegou hontem o pequeo vapor america-
no Dacotah, de 284 toneladas, afim de tomar agua-1
da, e segu para o Rio de Janeiro, ser vendido.
Tem 177 ps de comprimeo lo, 30 d bocea e 13 de
puntal ; demanda 8 ps d'agua carregado. todo
de ferro.
Resarticao da polica :
Extracto das partesdo dia 7 de julho de 1866.
Foram recolhidos a casa de deieoco no dia 6
correte :
A' ordem do Dr. ebefe de polica, Jos Rapbael
yointino, Manoel Passarioho da Silva, Simeo Pe-
reira de Oliveira, como suspeitos de serem criml-
Caixa filial do banco do Brasil cm fer-
nambuco 23 de juHh A e*** Oweonta os saques de seu aeite pela
taixa de8 O/Oao anno, e saca sobre a caixa filial
na Babia.
Novo Banco dePeraambuco.
o npvo banco paga o W dividendo at
razao de 6\JloO por acco.
Umvm baoeo de Petumbneo
O novo banco deseonta letras- do commercio a
10 0|0 ao anno, e as do thesonro nacienal e do
banco do BradU sobre a caiu ial a 8 OO
ALPANDEGA.
Reodimento do dia la 6 .*.... 147:394^778
dem do da 7 ............... 23:94J4S6
171:34i274
MOV1MENTO DA ALFANDEGA
Volumes entrados cora faseadas...
c com gneros...
231
378
Volumes sabidos cem fazendas..
c com gneros....
115
392
nosos na provincia das Alagoas.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Pedro, as-
mo que marcara as partes offlciaes daquella jorna- cravo do Dr. Jos Bernardo Galvao Alcoforado, a
da, assim como as perdas dos exercitos adiados requerimento deste.
sao rauito maiores do que indicara asmesmasj a' ordera do subdelegado de Saoto Antonio, Luiz
Parle*- i Gomes de Azevedo, para correceo. De^arrpcram l nie o Parece ter se arvorado em systema das nos- a' ordem do de S. Jos, Idal.na Mara da Con- Barca franceza-ManriceH-.mmdorias
sas guerras oceultar odamno que recebemos,di- ceico, Benedicto Marcelino, Raymondo Jos i Kna ioSa JstandoXSSlSSrtta.
minuludo-o consideravermente. Ao mesmo tempo; Ignacio, para correceo; Jos Perreira Xavier, por i pS0 SembtxrS-PM--S
a nossa impreosa com os documentos que qublica embriaguez; Joaquim, escravo, de Jos Ignacio de Barca oonaaeil-GVatJo-ned^
parece empenbada em pintar o exercito paraguayo -^-*t. ------------ *.....-*
como nm rebanbo de homens fracos e cobardes.
esta a propaganda : quo contrarios sao os
toctos.
Que feito dos 5,000 bomens que ha um anno
formavam o exercito oriental ? Em Yataby foram
dizimadas a soa cvallara e infamarla, no comba-
te de 2 de maio oo Estero Bellaco o loruarara a ser',
e mais urna vez anda o foram em Tuynty.
< Que resta do exercito oriental ? 300 bomens
e 9pecasde artllharia. Quaotos offlciaes tm ca-
C09
507
$^l^.&fiS^%*!!!>rocaradores I ^por. inglez-fo/adm-diversos gneros.
d.este o Sr. Manoel Ignacio de Oliveira.
O chefe da 2a seceso,
/. G. de Mesquita.
Paasageiros do vapor Persinunga, sahido pa-
ra os portos do norte :
Antonio J. P. de Camino, F. Ildefonso Eraeren-
ciaoo C, francisco B. Pioheiro, Rosa M. do Rosa-
rio, Antonio N. de Almeida e 1 escrav <, Francisco
A. de Carneiro, Joaquim A. Regada, capito M. A
. Baltar, 1 criminoso e 2 pracas, I. R. Pimentel,
hido 7 O general Flores commanda agora um cor- Antonio da s. PeixoU) vctoKriano M. Ferreira, Jos
po do exercito brasderro, a qoe esta aggregado p. c. Medeiros, Antonio B. da Fouseca, Jos S. E.
este punhado de valentes, a quem bem cabe o no- A. ^ Francisco T. R. Bezerra. R.cardo W. e 1
me de immortaei, por tao rodea prova que tm C(iado Francisco R. Pereira e 2 ainos xui0 B. c
passado, para sobrevivarem debalxo do chumbo j. R. de Carneiro e 1 fllho, Fiancisco B. C. de Al-
immigo. buquerqu, D. Emilia 0. de Menezes, 1 escravo e 1
5 exercito brastleiro tem sido severamente crlda,Kaocisco Melquades de Cerquelra, J. Ale-
maltratado pelo rigor do clima eentre morios, en- xaoar; s. i6 Mei| A"nt i0 L c God ^'
fermos nos diversos hosp.taes, desertores e perd- passageiros do vapor Paran vindo dos por-
dos as operaces da guerra custa4he a campanba tos do Mr. ^ ^
mais de 12,000 bomens. Joaquim Pedro Barrete do Reg, Jes Bente
. De quauos bomens secompi5e hoje em da o GraDra Ehas de Aimeida pn|0 jr^ Aolonio
exercito argentino? De 9,000, era mais nem me- j joaquia, de campos, Joaquim Francisco de Abreu
nos' n .i aaa k--0 n.u J"" Ocongresso pedio 25,000 bomens ao paiz. DornlUs de MeUo, Antonio Tbomaz Carneiro da
Este deu 13.000, e depois de nm anno de campa- Caab3it padre Jos Carlos Ayres de Almeida Frel-
Barca inglesaAvenacarvlo.
Barca nacionalAmizadecharque.
Brigue nacioalBeluariodem.
Patacho nacionalCardia idem.
Hiato portuguez-Sriro /-idem.
&ECEUEDORA DE RENDAS INTERNAS
RAES DE PERNAMBUCO
GE-
Rendimento do dia 1 a 6
idem do dia 7.........
9 ;392657
1:084^116
10:4765773
CONSULADO PROVINCIAL
una e quatro combates, nma batalha campal e nu-
merosos receiros parciaes, flcou reduzido a 9,000
homens.
f Sao fados estes do dominio do exercito, que
os loma pelo qoe valem, sem que Ihe franqueie o
valor, sem que Ihe falleca a f no triampbo futuro
e definitivo.
i Nioguera se forma illasOes. Estamos nos
umbraes do Paraguay, e ainda agora comecamos a
guerra cora ee.
c Temos diante de nos urna campanba toda io-
tas, Braz Jos Velbo de Luna, Manoel da Costa
Lima, sua senbora e urna escrava D. W.
Marteneau, Fraucellino L Tenorio, Antonio Jar-
dn), Salustiano Leboro Tenorio, Dr. Emilio Mo-
raes Dias e um escravo Maria daGlorla Mello
Sampaio, Lindoro Augusto d Moraes Reg "e
sed criado Grigorlo da Silva, Catharina Moreira
de Carvaibo, Ismael Quinteiro Carduzo Maia,
Joaquim Jos Pereira. Francisco Soares de Luna,
Raymundo Jas da silv-t, Manoel Soares de Lima,
Joo Francisco do Nascimeoto, Iouocencio Pereira
da Silva, Francisco Antonio Ferreira, 1 soldado
teira, um exercito poderoso que vencer, baterias e u
terflcac^quejomar, fe_m_todas et^j^ra*d; do carpo' de policia, Alfredo Weber.
Segu para o su
hio de'cahir moitos Argentinos. Preparem-se,
pois, novos bracos tados pelo ferro immigo.
Joo Jos da Rocha, M.noel Monteiro da Silva,
Antonio Pereira da Silva, Miguel Ribeiro de Luna,
As mis argentinas nunca foram esteris para Fe|ix 1^^^^ iliCi Hiignos, L W. HarUngos|
a patria. Venham para o exercito os seos Ulhos, B,,n,i.u,n Rm,iiann dfl Aimptda i-avaiMni Hnnn
ral, e levanta a sesso a 1 1/2 hora da urde.
30
Por decreto de 23 do correle houve 8. M. o Im-
perador por bem determinar que Cesar Saovan
Vianna de Lima, que rol seo ministro residente na
repblica do Paraguay, passe a servir no mesmo
carcter no Imperio da Rossla.
2'de Jumo.
Hontem nao houve sesso na cmara dos depu-
tados por falta do numero legal.
DIARIO SE PERNAMBUCO.
Procedente dos porto do norte do Imperio che-
gen sabbado o vapor Paran, sendo portador de
jornaes do Para at 27 e do Piauby at 20 do pas-
sado, do Maranho at 1, de Cear at 3, do Rio-
Grande tt 5 e da Paraliyba at 6 de correte.
Para.Eis & carta de nosso correspondente :
c Queria ser minucioso desta vez porqoe nao
deixa de baver materia para novdades, mas nao
posao s-lo por imprevistas circomstancias de afla-
zeres, assim como pela pequea demora deste va-
por Paran, que entrando hontem a' noite neste
porto, sabe hoje mesmo para o sul.
c EfJecloou-se no da 10 a abertura da exposico
pelo 2* distrteto, beMluie do tenente-coro
nel Ferro, que fallecen.
A guarda cvica, qne fazia o servico de ron-
das nocturnas dissolveu-se por accordo de seos
membros.
Noticias de Caxias dizem ter sido ali ferido-
no dia 9, o Dr. Severino Dias Carneiro, com dous
tiros ero nm braco e ps, qnando na varanda de
sua lias a couversava eom sua mae.
Piadhi. L-se na fwprensa:
c A cmara municipal da eapital acaba de di-
rigir a S. Exc. o Sr. Dr. Doria seguinte' felici-
tado, que por elle foi reeebida com o maior agr,
de e respondida em termos multo honrosos pin a
municlpalldade.
t Illm. e Exm. Sr. Esta caara munici-
pal, traductora do Densamente eommum dos ha-
pagar previamente devida*porte; ser dotados
de modo a conhecer-se fcilmente o seu contedo;
e nao conter outra declaraco manuscrita que nao
seja o endereco do destinatario, e qnando muito a
assignatura do expeditor. A falla de comprimen-
te destas condicoes sujelta-os a' taxa de cartas or%j
ninanas, para serem expedidos.
< Us jornaes, circulares e quaesqner impressos
avulsos, orna vez qoe praencbam as condlcoes do
precedente artigo, pagarao a taxa de 10 rs. de ca-
da exemplar. Se, porm, forem expedidos em mas-
so, pagarao essa mesma taxa na razo de 40 gram-
mas ou fraeco de 40 grammas de peso.
Correspondencia de a para o exterior nao sujeila
a conveccoes possaes.
i Da Gr Bretanba e suas colonias : cartas 240
rs. at 15 grammas inclusive (4 oitavas! 480 rs.
al 30 grammas (ama onca), 960 rs. at 60 gram-
mas, a assim por diante augmentando sempre dous
portes por 30 grammas oo fraeco de 30 grammas
que accrescer. Jornaes 40 rs. cada um.
De Franca e suas colonias : cartas 200 rs.
patria, venham para
tomar o logar dos que cahiram era defesa do pavi
iho nacional. O paiz salvar o paiz. >
Do Hi'uno do Rio Grande copiamos :
< Em poder do argentino Mariano Cabal, um
dos fornecadores do Io corpo dd exercito brasilelro,
e que g< sava da proteeco de alguos de nossos ge-
nerase, foram encontradas cartas de Lpez, pelas
quaes se verificou ser elle espio e encarregado de
executar um plano horrlvel.
Foi recolhido preso a tordo de um de nossos
navios de guerra. >
As fleavam de 12*800 a' 133000.
Sabio para Pernambuco, no dia 1, a barca
argentina Presidente Mitre.
Ficava a' carga para esse destino o brigue
portuguez Conceicao de Mana..
Baha. Foi nomeado interinamente fiscal do
Banco da Bahia o Dr. Francisco Maria Sodr Pe-
reira.
Arrlbon no dia 4, com agua aberta, a barca
Isabel, que sahlra a 27 do passado para a provin-
cia de Montevideo.
Ficava* n> porto o vapor Calypso, da linba de
Liverpool, em viagem para esto porto.
L-se no Jornal:
Apezar da copiosa chuva que houve no dia 2
do corrente, os festejos patriticos ostentaram-se
pomposos, como sempre. A' 1 bora da tarde hou-
ve a entrada dos carros triumphactes acompanba,
dos de povo, dos baiallioes patriticos e d guarda
nacional. Na Cathedral celebrou-se o Te Deum,
orando o Rev. Sr. eonego Rodrigo. -
c A' noote houve a illuminaco do eostume. >
c No da 29 noote houve ora espectculo, que-
por inesperado, e verdaderamente bello, merecen
o applauso de (oda a populaco, e deve ter II
geadoo autor da idea.
Sobre um grande carro puchado por seis ani-
raaes, e guiado por dous bolielros, armaram um
navio a vapor, era cuja popa se lia Amazonas.
t Os tripulantes aiaoavam fogo constantemente
pelas pequeas portinhola?, figurando nm comba
te. Por cima de cada portinhola se lia nm nome
raemoravel Paysandu, Riachuelo, Cuevas, Yata-
hy, l. do Carvalho, Itapiru, Passo da Patria, Es-
tero Bellaco, Tuynty, ele.
< Urna illuminaco interna fazia esses n
bem visiveis.
t O vapor levava algumas lanternas com as co-
res naclonaes, e outras com as cores italianas.
i Por tedas as roas por onde passou, foi acom
panbado de muito povo, que saudava com vivas
agradabilsima allegoria. >
< l\a noote de 4 do correle pereorreu as roas
da cidade, como eslava annnnciado, o vapor Ama-
zonas, Iluminado e deilando o fogo, acompanbado
de muflo povo, que dava continuados vivas. O
vapor estava mals aperfeicoado do que na primera
nonte, convenientemenle tripulado, e era acom-
panbado por urna gndola com nma bandado m-
sica, e diversos carros.
Consta-nos qne as olleras andaram por cerca
de 300*. qoe sao applieados em favor das familias
dos volnntarios da patria.
Segundo ioformon o Sr. commissario do vapor
americano, tinha begado a' corte, poncas boras
antes de sna sahida, nm vapor de Montevideo, sen
do portador de mis noticias do tbeatro da guerra;
onde es Paraguayes, tendo collocado diversas pe-
cas de artilbana n'oma adora, bombardearan o
acampamento alliado, destrocando ou matando urna
grande parte delle; ainda mais, que o general Mi-
tre deixira, com ni foren do seu eoromando, o
acampamento, rompendo o tratado de trplice al
llanca,
Damos essas noticias com toda a reserva, e raes
como cotitaram-nos pessoas de confian;*, que ou-
viram-nas aqoeile Sr.; porquanto achamo las de
grande gravidade, aguardando o vapor oglez, qne
aqm devo estar no da 14 do crreme, pooco valor
se devendo dar noticias de origem bespanbola.
Francisco Emiliano de Almeida Cavaleante, Hno.
rato Aires de Soua, II pracas para o exercito e
4 para a armada e 12 escravos a entregar.
Passageiros sabidos para o Aracaty, no hiate
brasileiro Sobrolense.
los Joaquim Ozorio, Joo Dias Ribeiro, Jos da
Cunha Pereira, Manoel Rodrigues Nogueira Lima
e 1 fllho, Maaoel Profiri S. Pmheiro, e Jos B.
Garjio.
Passageiro do brigue oldemburguez Bertha,
vlndo de Haraburgo:
D. Anua Margarida Dorolhea Mayer, e M. Molla.
PERNAMBUCO.
provincial pela 1 hora da Urde com as devidas for-
malidades. Reciten o presidente da commisso
directora am discurso sobre e assompio, assim
como o viee-presidonte da provincia respondendo
em nma pequea allocujo, declarou aberta a ex-
posico.
O Exm. bispo q ie se esperav camparecesse
ao acto tatoJMtt par, fazer um di#cursenaJogo,_e
hitantes d'este muhlciplo, faltara jo mais alto de- l^gfaSsJncTu'iveTaa'mesi
%,W,Ve2aS?Ad^nn,hiS,nr l L?*.C- esubeledd. "'a as cams fletas? amostras de
o sen votoeadneslo pelo aeerto, tino a fllnstra-1m6TCiioriis m Mpor 4grabas (onze oitavas);
joroaes, livros e outros impressos, 30 rs. por 40
grammas.
c De Portugal e suas colonias : carta* 300 rs.
at 15 grammas, inclusive e na mesma progresso
cima estabelecida ; jornaes 40 rs. cada um, ou-
tros Impressos 40 rs. por 40 grammas.
< Para Portugal e suas colonias a corresponden-
cia pagar somente as mesmas taxas a que est
sujeila a correspondencia para o interior.
ue ou para os Estados-L'nldos da America do
Norte: cartas 200 rs. por 15 grammas e na mes-
ma progresso cima estabelecida ; jornaes 40 rs.
cada um, outros Impressos 40 rs. per 40 gram-
mas.
De ou para as repblicas do Rio da Prata :
cartas e Jornaes, o mesmo porte territorial brasi-
co com que V. Exe. tem administrado esta pro-
vincia.
Segurado era tudo as vistas da poltica do go-
verno de Soa Magestade o Imperador, V. Etc. s
cura de promover os melhoramentos moraes e
raateriaes de que digna esta parte da Ierra de
Cabral.
De feito os faetos abi eslo para attestar a lar-
gueza que V. Exc. deu a instrueco publica, cre-
ando urna escola normal; a veneraco pelo callo
divino, tratando de melhorar o raao estado dos
templos e mandando levantar um outro n'esta ca- ;
pilal; a reconstrueco de urna nova aldela com i
maiores commndidades para os infelizes encarce-
rados; a eooperaco e sellfcitude pelo que diz res-,
peito a navegaco do nosso magesloso Parnabyba;
para cujo fim baria :iido convidado pela commisso a economa dos drabeiros publicas e sua boa arre- leiro ; e quando a cooduco se effectuar por io-
nio appareceu la. Por isto tem lo grande, cadaco, por modo que a provincia, outr'ora em-, termedlo dos paquetes brasileiro, cartas 300 rs.
questao nos jornaes, uns aecusando o bispo por' penhada, abre hoje a sua arca e encentra maltes: por IS grammas, jornaes e outros impressos 40 rs.
nao comparecer aos icios offlciaes da-provincia, contos de res ; e finalmente a acquisico de mais por 40 grammas,
REVISTA DIARIA
Tem boje logar no convento de S. Francisco a
missa com memento solemne, qne os estudantes da
Facnldade do Direite m ndam celebrar, em snf-
fragio d'alma do Sr. Dr. los Paulino da Cmara
Amanba ba na nutriz d'esta fieguezia de
Santo Antonio nm fnneral, mandado celebrar m
soffragio do mesmo Dr. Cunara, por diversos ami-
gos.
O escriv&o dos protestos de letras Alves de
Bnto esu' de semanaa' roa do Imperador- n. 46
1* andar.
Amanba ao meio da se extrabira' a 19* par-,
te da loteria a' beneficio das familias dos volunta-
rios da patria (71a), sendo o maior premio 6:0000.
De cooformidade com o art. 5 da lei provin-
cial n. 663 de 18 de abril ultimo, S. Exc o Sr. pre-
sidente da provincia resolveu nomear para regerem
as escolas nocturnas das quatro freguezias d'esta
cidade, cr jadas pelo art. 1* da referida lei, os pro-
fessores seguintes:
Para a fregnesia de S. Fre Pedro Goncalves do
Recife. Antonio Rufiuo de Andrade Luna.
Para a de Santo Anlonio.J*o Jes Rodrigues.
Para a de 8. JosLiberato Tiburtino de Miran-
da Maciel.
PublicacSes a pedido
Rendiraenlo do dia 1
dem do da 7 ....

a6
5l:t37239
1:3713381
52:7083820
iXJJkdC
US HBRRift
D'l'MA
Molestia Ulcerosa
Curada.
Todos aquelles que se acho aajitoe bo-
frer moleatiae scrofulosas, ulcerosaa, ou syplii-
liticas, anda mesmo as reputadas de peior
natureza, apenas necossitao de lr o seguinte
easo maravilhoBO, para que se sinti inteira-
mente convencidos que a sua propria cura,
nSo s meramente possivel mas sim absolu-
tamente certa.
Jlo Josn FEtr.EiJiA Basboz, residente
na Cidade de Maranho, tinha todo o seu
corpo coberto de chagas ulcerosas, e durante
algunos annos se achara deliiso do tratamento
de mdicos os mais afamados, tendo usado
durante todo este tempo quasi toda a especia
de medecinas que em taes casos empregada
pela faculdade medica, porm debalde sem
obter o menor beneficio ou alivio: achando-se
pois 6m taes apuros elle finalmente resolver-
se, depois de repetidos e baldados egforcos
fazer uso da]
Salsaparrilha
DEBRISTOL
No todo elle apenas chegou a tomar Oinee
Garrafas de Salsapan-/ia o quatro fraseos das
Piluia* Vegette Astwusradat, e o resultado
foi elle obter una completa e perfeita cura.
Os Bers. Fimbtha & Cia., Droguistas da
MaranhSo, fbrao quem fupprirSo os medica-
mentos, e aehSo-se perfeitamente ao facto
d'este caso, e os mesmos Senhores, nao s Be
achilo pmmptos confirmar o mesmo, como
tambera em fornecer o actual adresso do SeBr.
Barboza, a toda e qualquer peeeoa que por
ventura se dseeje Informar da verdade.
Recommenda se mu particularmente aos
Ptfhtus us toilifiT o mav>r cuidftd-^ na *>o deste exoeUeat* remedio, nao asando outro i
nao ser afllenuiua Salsaparrilha de Bristol,
a qnal exclusivamente preparada por
L ANM AN & KEMP,
De XO VA YORK,
fois ue todas as mais sao inefilcaaes e de aa
fcom proetimo
Vende-se as boicas de Gaors Barbosa
e C. Bravo & C.
COMMERCIO "
Cerveja........
Farinba de trigo.

PRAgA DO RECIPE
Y DE -H l,U BE i8.
AS TRES HORAS DA TARDE.
Revista senmial.
Cambios........Saccou-se sobre Londres de 25 a
25 X d. por #0OQt sobre Paris
de 273.8-380 revpor ir.; sendo
o valor des najaos sfleetnados
durante a semana de 5 .10,000.
Algodo......... Vender-e o de Pernatnboco de
159 a i t* por arroba, o de Ma-
ce, posto a bordo, de 133600 a
9 143 ; o da Paranyka a 173-
Assucar........ Vendeu-se o branco de 33000 a
33SOO por arroba, e somenos de
230OO a 23900, e o maseavado
purgado de 23000 a 23400, e o
broto de i 3800 a 23-
Agu arden te.....Vendeu-se a 603000 a pipa.
Couros ........Os seceos salgados venderam-
se a 100 rs. a libra.
Arroz..........Opilado da India vendeu-se a
33050 a arroba.
Azeite ddee......Vendeu-se o de Lisboa a 2f 500
o galo.
Racalbo.......Em atacado vendeu-se a 163000
a barrica, e a realho de 143 a
183 a dita.
Bolacbmhas..... dem a 33300 a iarrirjninha.
Caf...........Vendeu-se de 53000 a 53800 a
arroba.
Cha............dem de 13600 a 23200 a libra.
Vendeu-se de 53000 a 63500 a
dnzia de garrafas.
A de Philadelpnia e New-York
retalbou-se de 193000 a 243 por
barrica, a de Richmond de 223
a 2330O, a franeeza a 233000,
a bespanhoia a 223000 e a de
Trieste de 243000 a 253000;
Qcando em deposito, 800 bar-
ricas da primeira, 3,500 da se-
gunda, 600 da lercer, 3,000
da qnarta, 2,400 da quinta e
9,800 da sexta ; ao todo 20,100
barricas.
A ingleza ordinaria vendeu-se
com 310 por cento de premio so-
bre a factura.
Manteiga.......Vendeu-se a ingleza de 600 a
900 rs. a libra; e a franeeza de
460 a 500 rs. a dita.
Massas.........Venderam-se a 83000 a eaixa.
Oleo de linhaca.. Vendeu-se a 900 rs. o galae.
Passas.........dem a 73000 a caia.
Presuntos.......Venderam-se a 1430 00 por ar-
roba.
Queijos........Os flamengos venderam-se de
134OO a 23000 cada am.
Sabo.......... O inglez venden-se a 140 rs. a
libra, e o do Mediterrneo a 220
rs. a dita.
Toucinbo.......Vendeu-se o de Lisboa a 83800
por arroba.
Vinagre........O de Portugal vende-se de 85J
a 1103 a pipa.
Vinhos.........Venderam-se os de Lisboa de
1803 a 2OO3OOO a pipa, e 01 de
outros paizes de 1603000 a 1803
a dita.
As de composiQo venderam-se
de 590 a 600 rs. por paeote de 6
velas.
Descontos.......O rebate de letras regaln de
*$-""'" '-t 8 a 10 por cento ao anno.
Fretes.......... Para o Canal ingles, carregande
aqui 15/ por tonelada seas pri
magem ; carregaado na Para-
byba 30/ por tonelada 5 %, car-
regando em Macei 22/6 or to-
nelada 5 \ ; para Liverpoo Ipeto
algodo em navios oflereeldos a
'i d. por libra sem aehar frete.
M0Y1MENT0 DO P01TQ
Louca.
Velas.
Xovo banco dejPerna-
buco.
O Novo Banco descorna letras a 10 por cento
ao anno
Navios entrados no dia 7.
Para' e portos intermedios 9 dias e 2 oras e
do ultimo porto 12 boras, vapor nacional Paran,
de 840 toneladas, coraraandante o capito de fra-
gata Santa Barbara, carga differentes gneros ;
a A. Luiz de O. Azevedo & C.
Montevideo 24 dia?, brigue nacional Olmia, de
212 toneladas, capilo 1. G. Pesua, eqnipagem
11, carga 3100 quintaes bespanboes de carne;
a Bailar & Oliveira.
Navios sonidos no mesmo dia.
Aracaty Hiate brasileiro Sbrateme, capito A.
Gomes Pereira ; carga differentes gneros.
Aracaty Hiate brasileiro Novo Intencivil, capi-
to J. A. de Figueiredo, carga differentes g-
neros.
Rio da Prata Patacho bollandez Cato Aila, ca-
pito Klio, carga assucar e agurdente.
Parabyba Barca ingleza lmogene, capito Thom-
pson, em lastro.
Portos do Norte Vapor brasileiro Prrinngtr,
commandante Ralis, carga differentes gneros.
Navios entrados no dia 8.
Rio de Janeiro e Babia 6 dias, vapor americano
South America, de 2150 toneladas, commandante
Tenklepangb, equipagem 74, carga varios gene-
ros ; a B. rorster & C.
New-York pelo Rio-Grande do Ndrte e Serinhiera
25 boras do ultimo porto, vapor americano
Dacotah, de 284 toneladas, capito Hardy, equi-
pagem 15, em lastro; a H. Portier 4 C
Haraburgo50 das, brigue oldemburguez Btrtkm,
de 180 toneladas, capito D. Groneoger, eqnfpa-
gem 9, carga differentes gneros; a Ranbe Scba-
mettan & C.
Vatios sahtos no mesmo Ha
Rio de Janeira Barca portuguesa 'Henriqveta,
capito Francisco Pereira Dias, carga aesnea-.
Porlos do Sul Vapor nacional Paran, comman-
dante o capito de fragata Antonio Joaqun de
Santa Barbara.
Porto Barca porlugueza Arminda, capito An-
tonio Francisco da Silva Nunes, carga assuear.
Lisboa Barca portuguesa Beffa-Aatwsrcisay, ca-
pillo Jos Correia de Carvaibo Sobrina, carga
assucar.
New-York e p&rtos interm*to&> Vapor ameri-
cano South America, comnuadanie TenklepaBgk.

'

y

[
i


o^an^Bnnnnn
pppp

ii
1866.
,-
s
fDtTIES
O Dr. Tristo fe Aleneaf-Araripe, ontcul da im-
perial ordOra da R na e juii especial do commer-
eto nesta oiJode do ReeKe de Peroaaiouco, por
S. M. Imperial a Coasiitucioaal o Sr. D. Pedro
II, a qaem Deas guarde, etc.
Paco saber aos ona o presente edital virem e
delle noticia iroeram. qae m dia 9 de julho do
correte anuo, ?e h de arrematar por venda a
qaem mus dr, en praca publica deste juizo o se-
gainle : ^> rj3i.
As partes das loma, oo entenho Bmiilhc'
aullas e legradoures, avallada por I :!#I
conelulr4 uode U meaes, ambee
data do- contrato.
Os paga
i
de 15 das, e as c
contados
oto*..- sarao itios- eAres ronftans
iguaaa, coefespoadentes lo valor da abra le la,
menos o empedramenlo que ser em urna s pres-
tacao, quando flier a entrega provisoria.
V
De cada prestado sera' dedazido o que deteiv
mina o art. 83 do regulamenio de 9 de julbo de
i 804.
VI
O recebimento deflnilivo de todo o lanco, e obras
sera* 18 me:-. depois da entrega previsoria.
VH
sendo a avaJiacSo total de' todas asltras 1 a dito Para tudo mais que nao estiver aqoi especiflea-
engeoho do 6:0005000 e mais as bemfeitonlns se- do no contrato', segnlr-se-ho o qae prwereve o re-
friles : ferido regulamento das obras publicas.
Ires taaiboras Asierro coas boia de pie, casa Conforme.Miguel AHodqo Ferreira.
do engento- sobre esleirs a parte berta le ma-
deiras e parte de palba ; casa do caldeira nabera
Se taita ; tres taitas inutllisadas; om paro #e cai-
fa Irte; casa de viveoda da qual s resta ama ta-
Bisca; b f lfante de madeira, avalladas essas
bemaiorii por 435J000. As quaes oram penbo-
radas por t tecuca j do viscoode d Suassuna ontra
os berdelrcs de Jos Estevao de Barros Lobo e o
IBIer dos menores.
E nao b.vendo lanzador que cobra o proco da
avaliacao s. arreraataco sera' feita pele preco da
aliodicac j na (arma da le.
' E para qae chegue ao coohecimento do lodos,
maadei p*saro presente que ser publicado pela
imprensa amxaaos nos lugares do costme.
Recie, 3 de julho de 1866. Eu Manoel Mana
Rodrigues do Xascimento, escrivo o subscrevi.
Trislao de Alencar Ararlpe.
racmenlos, pelat coaaparaolo havid entre
os nossflp prodjaetos e ooMo similares de
diWsii proviec as, e pgr outros motivos
de na* leve completa afnela., nao honre
a desejavel igualdade na distribirjo feita
para est prorincia dir pecorftpfMs dadas
pela commtsslo central do Rio de Janeiro, dio, inclusive a da si*a per intrim, asju**t>
na ultima exposicao, e que por este ficto
algt.ns dos aagos expositores- se recusa*
a concorref con nevos prodwlo* SJpoei-
c3ode 15 de agosto prximo ; resolveu, em
urna de ios sessoes, mandar fazer publi-
co o seguinte:
{.""llavera na provincia, para os trabs-
-
DECURACOES
i O Illm. Sr. inspector da thesoararia de fazenda
d'esla provincia, em viriode da ordem do tbeeouro
a. US de 1S de jonbo ultimo, manda fazer publico
que tero marcado o da 15 de oniobro d'este auno
para o concorso que tem de abrir n'esta tbesoura-
na, para o preencbinwnto dos lagares vagos de 1*
e 2* conferenles e oflicial de descarga da alfandega
' do Rio-Grande do Narte.
Versario os eaanes.
Para ofllciai de deseara sobre as moleras de
que trata o S.l do art. Ia do decreto o. 3114.de 27
de jonho de 1863 a saber: leitora, analyse gram-
l matical, ortbograpbia, aritbmetica e suas applica-
SSes ao eommercio, com especlalidade a' redueco
as modas, peso e medidas, calclos de descont,
juros siaples e coropostos, theoria de eamblos e
suas applicacSae.
Para 2 eonferenta sobre as roesraasj mjfcrias
exigidas para oalcial de descarga e mais as segua
tes: theoria de escrlptaraQSo mercantil por parti-
das simples e dobradas e soas applicagoes ao eom-
mercio, traduecao eorrecta das Rogoas iogleza a
francesa ou pelo menos da ultima, principios ge-
raes de geograpbia e historia do Brasil, algebra at
as eqaaciee do segando grao, estastieo eomeoereiai
e ortica do ser vico di reparticao em que estiver
o candidato, se por ventura ja' for empregado; e
do lomar coohec.mento dos recursos, que versa- n'este caso ser dispensado de aiame eu qualquer
rosa (obro os casos iadieados no art. 33 e que da materias cima mencionadas em que mostrar
forera inlerpostos pea maoeira determinada no te? sido apprdndo.
art. 38 das ditas iostruecoes. E para 1" eoslereote obro as mesmas aterias
E paro constar a qaem convier, mandei publicar (dadas as rnesmas excepcS's) a mais as segoiotes
pela impreosa. i sereometria, areometria, e pratica dos melbedos e
Qoartel do commando superior do municipio do (uso ios instrumeotos moderaos de arqueaeo do
Domingos Arlonso Nery Ferreira, commeoddor
da imperial ordem da Rosa, e da de CrhUM, co-
ronel cooMoasMlante superior interino da guarda
nacional dedo capital o presidente do conselho
de revista do mesma guarda por S. M. o Impe-
trador, etc.
Faco saber qne, na tereeira dominga (13 do cor-
rate) se reunir' b con- nacional, como determina a segunda parte do art.
25 do decreto 1120 de 12 de marco de 1833 na
sala das sessSes da cmara municipal, o's 11
oras da meabas, na eooformidade do art 44 das
instruccoes n. 722 de 25 de outubro de 1850, afim
Recite, 7 de julho de 1866.
Domingos Alfonso Nery Ferreira.
navTos.
Os candidatos, qoe nio forem empregados publi-
icaniafa>aaanaJpat desta cidade, e visto'eos, devem apresentar documentos que provem :
da recoalBieodaelo qoe Ihe fot e Etm. Sr. vice- Idade completo de 18 amos, Isencao de colpa
presidente da prdvincia era efflcio de 16 do cor- pena, e bom comporlaroenlo. Os candidatos porm,
rente acoropanhado da portara de igual data, pe- ao logar de conferenle, qne s o podem ser em-
la qo'al o mestno Etm. Sr. noraeoa os sappientes pregados pnblicos, devem mostrar ter tido pelo rae
dos juizes mooicipaes da orpbios deste termo, con- nos 3 aooos de eiercicio de eooerente em alguraa
di da aos cidadaos na referida portara meaeona- alfandega.
?os a comparecerem no sea pago at o dia 25 de' Secretaria da thesourarla de fazenda de Pernam-
julho prximo viadouro as horas do expediente, i buco, 6 de julbo de 1866.

oflm de prestarem o juramento do esjyllo.
Paco da cmara municipal do Recite, 26 de ju-
nbo de 1866. Lulz'Jos Perelra Sim -s, pr-pre-
sidenteFrancisco Canuto de Ba-viagem, secre-
tarto. *
4* sec^ao.Secretaria do goveroo de Peroambu-
co, 14 de jaoho de 1866.
EUITAL.
Pela secretaria do governo de Pernambneo se
faz publico a quem interessar possa, qne ten Jo o
Etm. Sr. presidente da provincia de dar eiecucao
o le n. 667 de 23 de abril do correte aono, abal-
lo poi.iicada, se convida i todas as pessoas que
queiram contratar os ramaes de trunos urbanos, de
fue trata a referida lei apreseotem ao mesmoExra.
r. at o ultimo de jaitao protimo vindouro as snas
propostas, afim de seren examinadas e preterirse
qoella que aelhores vantagens offerecer.
O secretario,
Dr. Francisco de Paula Salles.
LEI N. 667.
O Dr. Manoel Cl^mentioo Carneiro da Cunha,
vicepresidente da provincia de Peroambuco.
servindo de orBefal-maior
Manoel Jos Pinto
Santa Casa da Misericordia
do Recife,
A Illm.* junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico que
no dia 12 de julbo pelas 4 horas da tarde na sala
de soas sessdes tem de ir pr ac a renda das ca-
sas abaito mencionadas por tempo de ama tres
annos.
Os pretendemos deveao comparecer acompanha-
dos de seus fiadores ou manidos de artos destes.
EsUbelecimeatos 4t caridad*:.
Rao Diraita.
N. 8 sobrado de 2 andaros .... 1:067*000
Roa do Padre'Pltano.
casa terrea.......181*000
casa terrea....... 50*060
Ruado Fafnndos.
H. 32 casa terrea "......158*000
Tf*AVA4LS3 Al*. ^ JOH
Faco saber 4 todos os seus habitantes que a as-N |3 cisaterrea# / 153*000
semblea legislativa provincial decretoa e ea sane- ^ ^ t CJua ^rej......169*000
n. 4 4 ron Nova deste aesma cidade, o qual tem desejarem honrar o- bonebciadb com a soa assis-
35 palmoa delruntoH HM> de fundo, cosinha interna teocia modero aaodar por teuobilhetes no escrip-
ere cada Jaf>r,rndqui4al n>grado< oon dona lorio do ibootM,.qee ahi se aetvam a disposi^o
porldes ptrat a roa das Plores, aacimba proaria dos mesmos aio-dia f do corralo,
e dous tefieiroaj e4 eaj eaosfretros, avahado
por 14:000*000 de res, poT precisar d reparos.
A mesma vendo sera erTectnada livre de
quaesquer despeta par os cnenhere, con
AVISOS MARTIMOS
---------
das corMf-ao por coiMa do orromatAnte, porque foi
autorizada a requerioiecto da lutora dos referi-
dos coDsenhores, nVnos do finado Hemeterio Ma-
elel da Silva.
' Pela raspec>> da alfindega se faz publico
que porta da mesma, no dia 10 do correte, a 1
hora da tarde, se bao de arasmaiar, i i wo de di
reilos, 7 saceos eooteodo 1,130. libras do sedientes
Par li>boa.
Ibobd^pos^e/umjaryespecial.noqual ^ft^S o? ISS SS.,
nao ter50 VOtO OS membros da CommtSSao abandonados aos reactivos direltos por Saonders barca ^.'ugueza oVowfcno (
A barca portuguesa Qratodaa a sahir com toda
brevidade por ter prouipto quasi todo o seu-carre- '
gameoto; para o resto que Iba f*Jl, e passageires, '
para os quaes offenee boas accooimodacoes, ira-
U-se om Manoel Ignacio dn Olivelra ( Pilbo
, largo do Corpo-Saoto Ov 4 escriptorio, ou
i Praca corneo capito. ._____f ._______'
Para o Porto por Lisboa a veleira
De23'harris e 24 meios diios
mautfitvi frmeeza.
Terea-ferra 10 do ebrrente as W 4^* horas
em punto.
O agente Pesjana far leiliOjfiorconla e risco
de quem perteneer, de 23 barris e 24 uieio-i ditos
coni manteiga franela, ser vendida nka. lotes a
voovade dos compradores : ljre-'eira 10 do cor-
rente pelas 10 1(2 horas da man* m eusyponto no
armazem do Sr. Aunes defronte da alfandega.
directora, que juigar da excelleocia, aper- Brotbaro & c.
feicoamento e utilidade dos productos ex- A
postos,
2. Este jury se dividir em duas sec-
ees, sendo urna para os productos agrco-
las, e ontra para os industriaos propriamOn*
te ditos, e obras de arte;
3. Farloparte do jury as pessoas de re-
conhecida aptido e especialistas;
e superior
sahir para
.p*M oonslar passoo-se o presen- os ^iM'fotUu eom uiuila brevidade por ter a
4a sercas da alfandega de Pernambneo 6 de ju-
lho de 1866.-0 4o essriplurario,
Jos Feliciano fle Ptoronha Feltol.
-O administrador do onsrfhdo provincial pa-
ro cooheiaeato ooaervaneta do lei o. 70$ de 0
do eorrsnte, manda publicar a postara do Ss. ins-
pector da thesooraria de 20 do correte que cabria
o otficio do Eira.. Sr. vice-presideota do provincia
4e 18 tambero deste mez, transmtttindo a copla da
4. Segundo o juizo do jury, a commtssao oitada ii roiaiivamsate aoassoear, algodao, coa-
distribuir aos productores- e demais expo- tos salgad ou seoooo e qoaeaqaer gneros impor-
sitores medalhas de duas ctasses, sendo as udl^.5e,aU*s,1ro,viw,*a.')^leSf-,. ,bRa .
, Lu... ,, ai a. .A ra Mesa doconsuado provincial 23 de junbo de
da I1 classe de prata e as da 2 de co re, m_ADlooio Ctteit0 MlchidQ R0'?> adml.
ambas acompanhadas de diplomas. i ustrotior.
5 A COgomissie far aoquieico, median- Cpta.Rmetbdo ao Sr. administrador do con-
t valot ajastae, dOS prOffcictOS que para l<\provincial .tara.aao xonbectoeolo.-The-
iTln3K- ML=mn inrt a mo 80uram provincial de Peroambuco 20 de junbo de
134o fordjin jnMBdos omqos o jury, e que i8S6.silva.
alo pogjpam s**r cedidp grapitamente para Copia.~a sei^ao.Palacio do goveroo de Per-
figuraren na expOSlcaO central. j nambuco em 18 da junbo da 186\-Ulm. Sr.
A onanmlasan ilirnrtnra esoera aue estas Trassaiito a V. S. para seo conaeoimento a iaclu-
apreco dos productos expOStOS, e que firao stecos e quaesquer gneros importados de outras
desappareeer o desanimo aae a aiguns ex- provincias paraeata.
positores causou a designadade que aci- .** '< .SMaooel Glementioo Car-
r ? neiro da tunha.Sr. inspector da laesourana pro-
ma se referi. vrociai.
Alm disso, i Commissao Chama a atteo- Conforojo;O prhaelro oscolpturarlo servindo
C3o dOS W&. Iftositoresft mais rjjfstriaos e secretario Mareooiro Panorsclo Perelra dos
da provioeia gjfa a cjJfcmstanSJde um Santos. ^^le^, 705
dos seus meofcros ter dTecompasriar a ex- 0 Df MaDoe, Clein#n|ja0 aroeiro da Cooha,
posico central OS productos que da|mir fio- vioe-presiJeute da provioeia do Peroambaco. Face
rem enviados, e fazer parte do jury julga- saber todos os sena nabitaotes qae a aasembla
dor na corte, acbanao-se por esta forma S^*^^} deeflu0 8 eu 8anc,Jl0flai a
habilitado para ministrar todos os esclarec- Aru i. o atanar, aigodo, cooros salgados on
mentOS necessarios ao petfeito conhecimeo- seceos e quiasqa to dos productos, e lazer valer o direito de provincias qu se bossoib oonfuadir com as de
ca^n nm rl>c ATnn<5itrrps data nrovincia producto dula, cooduzidos por mar ou por trra,
cada um a>s expositores aesw proMiiud. ser3o ^ fo f a) a u .&g
Por esta forma a commtssao julg ter re- da arrecadacodo confiado pravianal.
movido mais nm dos ernbaracos, com que Art. 2. as eatra-ias dever&o ser feus em vista
porventura venha a lutar na acquisc5o de dasguiaaa njaoie4oj, dociarando-ie o trapichei-
productos destinados expsito de 15 de %j$Jg? rooiwdos, seu peso, qoantidade a
agosto. Am. 3. Oj generes qae nSoestiverera Ungados
Ainda urna vez appeila a commissao para no livro competente ou qne nao forem acampa-
os dicnos Pernambucanos, pedindo-lhes com nhodoa de guia* e maoiesio, 'oerae repotedos de
instancia que promovam com e.forco a re- [^^K^e 0,DO uei
messa de productos destinados a flgurarem
S"

2j^^
N. 49
N.37
cionei a resolugo seguinte :
Art. 1. O presidente da provincia eoolratar4 com
os empreiteiros dos trilbos urbanos, ou com qoem
melhores vantagens offerecer, um ramal dos mes-
mos rilbos, que, partiodo desta capital v terminar
na cidade de Olnda, passando pelas e.-tradas de
Roa das Coleadas.
N. 36 casa terrea....... 176*000
N. 38 casa terrea....... 157*000
Ra da Viraco.
N. 7 casa terrea....... 204*000
IN. 27 idem........ 180*000
Ra larga do Rosario.
Joao de Barros e Belm, de cuja encrusilbada deve
partir outro ramal para a povoacao Beberlbe. N> 24
ArL 2. O contrato ser redigido ae modo a bear Ruk do Ca|aboace.
o contrataote obrigado a concluir a obra dentro de jj jg CJsa lerrea......185*000
3004000
10 mezes, cootados da assignatura do mesmo con-
trato, sob pena de pagar a multa de 5:000*, e de
ver acabar a obra a soa costa.
Roa da Moeda.
N. sobrado de 3 andares. ..... 480*000
_ O prazo para o ramal deJBeberibe ser con- N R .. t u 140OO
todo da conclusao da estrada pela lei n. 626 de 16 ,N- 8 ,aem' casa S* V 1*'*wu
de maio de 1865, fleando o contratante responsa-' 85 d ..... lii#000
vel_pela conservado de dita estrada. m \n'* Roa do Eocantamento.
ArL 3. O presidente da provincU poder4 aoxl-'N o idem
ir rwr nm eA ifa* nn or.ntr 111 na pnm nml vllh. *" IUCUI,
n'aqoella festa industrial, t'nde
obam os brios da provincia
Sala da commissa >, 9 de maio de 1866.
Secretario,
Manoel Buarque de Slacedo.
Exposicio dos producios agrl:
eolaneImdusrlaes sa iernara-
Art. Siio 9e poi-^i'proeeder s descarga da
Se empe- barcada ou de outro qualquer meios de transporte
daquelles gneros sew aileoia do coueraute
provincial, o qual sen obrigtdu a verificar o pe-
so, quantidade e qualidade dos gneros, remetteo-
do o sea resultado a seceo competente.
Art. 5. O trapicheiro, dono, consignatario de
barcadas e outros meios de transporte, qae iofrin-
girera a presente rosoiueao, soflrerlo a malta de
200*000.
Ibnee* Art. 6.* O- gneros no caso.do artigo primero,
A COOimiSSSO directora da exposicio des- ^ Perap ser recolbidos em armazeos e trapiches
-.. nn^ n,tai na A* a faodegados, e qoando liverem sabida para coa-
la prometa, preirjie aos artistas que de- sumo 0* par'a *Tom.^^^^ em arma:eas
sejarem concorrer com os seus produc'os a particulares, serio roputodos oomo da provioeia,
mesma exposicio, e que nao > possam fa- sujeitos aos respactivps Itoitos qwrndo exporta-
zer por Taita de recursos, gir-se ao secretario da jpomnvsslu para ob-
terem os auxilios nefcessarios a acquisico
das materias primas deslihadas aos ditos
productos.
Sala da commissao 9 de maio de I8CG.
M. Buarque deMacedo,
Secretario.
i
liar por urna s vez ao contratante, eom ama sob-
veocao kilomtrica nunca superior a l/ do capital
empregado. .
Art. 4. Picara o mesrao cootratante sojeito 4s
con Submetter o ornamento da obra approva-
cAo do governo. .
2* Estabelecer pelo menos qnatro viagens dia-
rias, sendo duas de ida e duas de volta.
3* Nao poder exigir de cada passageiro mais
de i "O rs. por viagem em wagons de primeira clas-
se ; 30: rs. nos de segunda; e de 200 rs. nos de
terceira.
4. A baixar estes preeos a proporjo qoe aug-
mentar a concurrencia, de modo a combinarem-se
os interesses da empreza com os dos passageiros.
5* Estabelecer trens de carga logo que as con
veoiencias publicas as reclaraarem, nSo podendo
en ca-o algom exigir pelo transporte dos vulomes
mais do qoe se exige na va frrea do Recife ao S.
Francisco.
ArL 5* O contratante gosar dos mesraos previ-
legios, concedidos a companbia dos trilbos urbanos
do Recife a Aplpucos, mas por prazo nanea supe-
rior a 30 aooos, flodo os quaes flear a empreza,
em estado de funecionar regularmente, pertencen-
do a provincia.
Art. 6. Ao governo oca reservado o direito de
flsealisar a eoostrucfo, couservago e sonriso da
empreza, a*sim como o de regular as respectivas
tarifas de transportes e as vantagens 4 qae deve ter
direito provincia.
Art 7. Picam revogadas as disposicoes em con-
trario.
Mando, portonto, a todas as autoridades a qaem
o coobecimeatoeexecacao da presente resoluto
perteneer, qoe a compram e focan cumprir to
loteiramente como nella se conlm.
O secretario do goveroo desta provincia a faga
imprimir publicare correr.
Palacio do governo de Pernambuco 23 de abril
de 1866, 45* da independencia e do imperio.
L.S. f ^
Mamri Clmcntino Carnelr* 4a Cunha.
Sobada o panucada a presente resoior^ao nesta
ooeretaria So governo de Pernambneo, 23 de abril
de 1866. ** **T1*
O secretario Dr. Francisco de P*ula Salles.
Begittrada a fl. do bvro 7.' do leia provinciaes,
secretaria do governo lie Pernambneo, 23 de abril
de 1866.
O escriptarario da 4.a seceo. Theoioro Joti
sobrado......400*000
Ra do Apollo,
i N. 24 sobrado de 2 aodares. 1:400*000
i Roa de S. Bom Jesos das Crioalas.
N. 8 casa terrea.......131*000
Patrimonio de rphss.
Roa do Rangel.
Casa terrea n. 56.......300*000
Ra do Vigario.
O !. andar do sobrado n. 27 180*000
S. Goncalo.
Casa terrea n. 22. 189*000
Ra dos Burgos.
Casa terrea n. 19........ 191*000
Roa do Encantamento.
Sobrado de 2 andares n......900*000
Seozala Veiba.
Casa terrea n. 18.......200*000
Ra da Guia.
dem o. 29.........144*000
Roa do Pilar.
Casa terrea n. 105.......168*000
dem o, 103 idem.......2000000
dem o. 99 idem.....\ 255*000
dem o. 94 idem. Jf. .. 2001000.
dem n. 5 no Forno da Cal. 150*003
- O Itlro. Sr. inspector da thesooraria (rovin-
cial, em cumplimento da ordem do Exm. Se. pre-
sidente da provincia de 28 do eorrente, manda fa-
ter publico, qae no dia 30 de agosto prximo vin-
douro, peraote t jnnta da fazenda da mesma me-
nsurad, se ha de arrematar a qaem por menos
flzer, a obra do t.* lanco da estrada da Bocada,
a hnportaocir de 16-Wf5*O00.
A arremataeao ser feita na forma da lei pro-
vincial d. 343 de 15 de maio de M54, e abo as
dmsotas especiaos aballo declaradas.
As pessoas qae se propazerera a essa arremata-
cao comparecen na sato 4a secado da Mesma
liento, no. dt cima indicado, pelo meio jflia e
competentemente babeiitadas.
E para constar so mandn publicar pelo jornal.
Secnuria da thesoararia provincial de Pgjnam-
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recie 6 do julbo de 1856.
O escrivJo interino, BnWanf
Pedro Rodrigues de Souza.
^anta Casa da Hisericardia do
Recife.
A Illm* junta administrativa M Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico qoe
no dia 12 do correte, pelas 4 horas da Urde, na
sala de soassessSes, tem de ir a' praca para'serem
arrematados 309 palmos de terreno oo lugar dos
Arrombados perteoceotes a esta Santo Casa por
oecasio do dominio atil e directo feilo por Manoel
Jos Lopes Braga e sua mulber.
Santa Casa da Misericordia do Recife 7 de jn-
Iho de 1866.
O escrivo interino,
Pedro Rodrigos de Souza.
Pela admnislraso do correi > desta cidad*
se faz publico para os flos eoovenieotes o otBcio
abaixo transcripto da directora peral dos cor-
re'os- ~ c ,
Admioistragao do crrelo de Pornambuco, / de
rulho de 1866.
O administrador,
DoaMwoos dos Pastos Miranda.
Rio de Janeiro, 20 de juoho de 1866.Direetoria
geral dos crrelos.Seccao central o. 674. Si r-,
fazer poblico que d'ora em diatte as cartas r?^,h"al''
.. *, l,rmoAin rt., rarrein rJUOno e
outros
Art. 7.' Ficam exlinctos os lugares de guardas
provinciaes e substituidos pelos de faitores confe-
renles que serio preenebidos pelos acwaes guar-
das previociaes.
Art. 8." Os conferenles nao podero ser dis-
trados para servico alheio ao da fiscalisacio nos
' pontos de embarque, flcaodopur isse equiparados
aos terceiros e-cripturarios do consulado.
Art 9. Ficam rev. gadas as disposic5es ea
contrrio.
M.iudo, portaolo, a todas as aotorldades a qaem
o cooh cimento e erecucio da presente resolugo
1 perteneer qae a cumpram e facam cumprir tao ln-
teirameote como neila se conlm.
Palacio do goveroo de Pe: nambuco, 5 de jonho
de 1866, 45 da independencia e do imperio.
Manoel Cletnentino Carneiro da Cunkn.
Sellada e publicada a presente resolacSo nesta
secretaria do governo de Pernambuco, 5 de
para a India HoJIandea, |r rnlernedio^corre.o '"J^ JJ^; tt^nciSc0 de Ma Salles.
fraocez, facam franqueadas at seo desuno cora o Reg|gtrada f,ha do w ?c ^ ,ei8 provin
ciaes.
mesma taza actual
seo destino com o
de 570 rs. por duas oitavas ou \
de Pernambuco, 5 de
e as qoe forem no art. 9 do haver de Franca, 4v:fl>rmo -Antonio Leito de Pioho
detenoo.se por aellas o oinato P. D e accrescentar f- ^^f ^,0 servindo
^^^"-l3l2!|a5l..da *UlrrAa- d. ^ro^^BsV! Paoeraco Perelra i
Qoanto as seguras observe-ce o disposto nos
arU. 7, 8, 9, 10 e 17 do regulamento coovenciona-
malor parte de san carregamento tratado, e para o
qoe Ihe falto, trata-se com o consignatario Joaquim
Jos Soagalves Beltro, na roa do Vigario n. 17.
Frea se nma barcaca oobiate para Penedo
oo outro navio de pouca loiacao : a, (rotar no ho-
tel fraocez._______________________________
Rio de Janeiro.
O Lrigue nac mal Belizar, que ja' tem mais de
metade da carga prompta para o Rio de Janeiro,
segu com brevidade : os qne nelle qaizere car-
regar qaeiram entoader-Si con os consignatarios
Marqoes, Barros de C, larga do Carpo Santo o. 6.
segando andar, ou eom o respectivo capilo aa,
praca.______________
Para o Rio de Janeiro.
O releiro paibabote nacional Piedade pretende
seguir coni moito brevidade leo parte desea
canegamecto prompta, para o resto que Ibe falta
e escravos a frete, para os quaes tem excedentes
commodos; tratase eom os seo* consignatari's
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo \ C. no seu
escripj^rto a ra da Cruz do Recife a 1. __
COMPANHi PERNAMBUCANA '
DE
Navegars costeira por vapor.
Para Fernando de Norocha.
No dia 9 do eorrente as II ho-
ras da manha seguir' para o
presidio de Fernando o vapor Pa-
rakyba, commandante Martins.
Recebe carga at o dia 7. En-
commendaS) passageiros e dioheiro a frete at o
dia di sabida as 10 horas da manba : escriptorio
no Forte do Matos n. 1._____________________
' COMPANHIA PEK>'AMBDCANA
DI
Navegace costeira por vapor.
Transferencia
Para o dia 14 do corrale as (1 horas da ma-
nha por oFdem superior flea transferida a sahida
do vapor Paraliyba, com destino a Fernando de
Noronba : escriptorio da eompaoLia Pernambuca-
na, Forte do Matos n. 1. _____________
ClPlNH|i
DAS'
^essaieiies Imperiales.
At o dia 14
do correte mez
espera-te da Eu-
ropa o vapor
fraocez Navarre,
o qual depois da
demora do cos-
to m seguir pa-
ra a Baha e Rio
de Janeiro. Para condicoes fretes e passagens
traase na agencia roa do Trapiche o. 9._______
Para o Porto.
Seguir' com brevidade a bem conbecida e mui
veleira barca Cfambua, por ter parte do seu carre-
gamenlo engajado: para o rasto e passageiros, aos
Saaes ofTeTece excedentes eommodos, trata-se cora
ooha Traaos & C, a' roa da Madre de Dos n. 3,
eu com o capito a bordo. ________
Para enTdlreitiira
segae com carta demora o veleiro hiate Lindo Pa-
quete por ter quasi toda a carga prompta ; para a
pouca qoe anda pode admettir, trata-se com o sea
consignatario Antonio de Almeida Gomes, ra da
Cruz n. 23, primeiro andar.________________
Para o Aracatv.
Segu impreterivelmeote ate o tim da presente
semana o veleiro e bem conhecido hiate nacional
Dous Amigos; tem dous tercos de seu carregaraen-
to prorapto, para o resto que Ihe faltt trata-se com
os seus consignatarios Antonio Luiz de Oliveira"
Azevedo & C", no seo escriptorio ra da Ucoi n. i.
Para o Rio Grande do Suk
Segu mui breve o pancho nacional Bemfica,
porque tem a raaior parte de seu carregamento
engajado: quem pretender carregar a frete no
mesrao navio, dirija-se a Billar & Oliveira, ra do
Vigario n. 10__________________________
O patacho nacional SOL, segu com brevida-
de para o Rio Graude do Sul, recebe carga a frete
para o qoe trata se a escriptorio de Araorim Ir-
mos roa d Cruz o. 3 ou com 6* capito Manoel
tsteves Lopes.
AVISOS DIVERSOS
Cahors & Jmve vo para os E-tados-Unidos
Jobos DoonWy rara-se para fra da pro-
vincia, f
Oww afiasliaa.
Acham-se venda na respectiva Ihesou-
raria, ra do Crespo n. 15, os bilbe-
les, meios e qoitwos cu 19l lotera a be-
necio das farsilias dos vol un arios da pa-
tria (71.*), send' a extracSo no lugar e
hora do costuwe.
Os premios de G:OO0#OO0 at 40^000
ser5o pagos urna -hora depois da eilraec2o
at as 3 hora da tarde, e o* outros depois
da distribuidlo das Usas.
As eucomroaolas serio gaardadas so-
mente at a noiie da ves per a da axtraeco.
O iQusoureiro.
AotoatoJos Eodrjgues de Soa/.a.
Prtcisa-se de nm coziaheiro qoe ontenda
bem de sua arte, paga-se bau : no Gymnasio Pro,
vmcial.
Precisa-se de nm caizeiro para padaria, de
14 a io aooos de idade. prefere >e porlugotz : a
tratar oa Soledade n. li.
mmm mmmm miamMmm
O Dr. Carolino Francisco de Lima San- )J|
tos contina a morar na ra do impera-
dor n. 17, segundo andar, tendo alias seo W
gabinete de consultas medicas, logo ao 9$
entrar, no primeiru.
0 rnesmo doutor, qne se tem dado ap
estodo tanto das opera^oos oreo das mo-
lestias internas, presta se a qualquer eha-
mado, quer para dVatro quer para fra
da cidade.
Continu?.-3 a precisar de ama ama para ea-
gommar e coser ; oa rur do Rangel n. 7, primei-
ro andar. _______
Precisa-se de una ama de lene ; na ra de
Moras o, 72.
U. Auua Fiauc.eliu da Uiiim afralete
cordialraeote as pessoas que digoaram-se
prestar seos servicos na enfermiJade de
seu chorado sobrinbo Mioervino Peregrino
da Vera-Croz, eom c*pecialidade aos Srs.
Manoel A. da F.raseca e Silva, Aquilino G.
Porto, Ctiristi.va de Birros G. Porto, Luiz
de Franca Baplista dos Santos, Pedro Fer-
reira dos Santos, Joaquim Ugolino da Silva
Fragoso, Deo leeiano Ferreira dos Santos e
convida aos amigo- do mesrao para assisti-
rera a missa que manda rezar na terca-feira
10 do corrente.setimo dia do seu fallecmeo-
to, oa igreja do E-pirito Santo era S. Fran-
cisco, as S horas da manida. __________
do entre b corrcio do Brasil e o da Franga para a
eiecucio da conveojo postal de 7 de julho de
1860,
Deus guarde a vossa merc.Luiz Plinio de
Oliveira, Sr. admioistrador do corraio de Pernam-
buco. .
Esta conforme,
Vicente Ferreira da Porauncula
Oflicial papelista.
Santos.
Cumpra-se e registre-se. Mesa do consulado pro-
vincial.23 de jonbo de 1866.Carneiro._______
Correio geral
Relajao das cartas segaras vindas do norte pelo
vapor Paraca para os senbores abaixo de-
clarados :
AI (redo Nanos de Castro Lavor.
Antonio HanoeJ de Sooja Oliveira (2).
| Constancio Jos da Silva Monte.
I Dr. Fraocisco Cordeiro da Rocha Campello.
Expesirao los productos agrcolas, industnaes de ]jr. j0-a0 Mauricio Cavalcaoti da Rocha Wan-
obras d'artes em Pernambneo. derley (Limoeiro).
A com**** (liroctora da exposicao des- ^'jS'S&SS^'
ta.protinciarsQlven, qoe por meio de repe- D Qujleria Marl, de Jeetw^porto).
* J ^. .-...aa" nnV1iii.lnnifA f\ cnmurtlA -
Feliciano Marques Vianna, cordealmente
agradece as pessoas que se dignaran, asektir
aos ltimos sufragios pela alma de sua sem-
pre chorada av D. Joaquina Mana da Con-
Ciio, o convida aos seus amigos para a>s>-
tirem a urna missa que mana celetirar na
matriz de S. Jos, no stimo dia, 41 do cor-
rente as 6 horas da manha.
Recife, 6 de julho de 1866.
LEIL0E2.

tidos annuncos se]pDicasse o seguinte
l.Quea inaugurar5o da exposicao foi
transferida para o da 15 de agosto prximo;
2'. Que a recepcSodos productos desti-
nados exposicao principiar no dia 15 de
julho prximo;
3. Qoe a demora qae bouver oa remes-
Crrelo geral
Relaco das carta- seguras viadas do sul pelo
vapor americano Sou<4 America para os seoho
res abaixo defwraSoV: '>I.I
Dr. Antonia de Castre Aives.
j Antonio Jos Rodrigues de Soaza.
i Antonio Pedro Ferreira Lima.
! Coronel Candido Xavier Perera de Brito (Pea-
0 oflicial da secretaria
Miguel Aoooco Ferreira.
Clausulas especlaes.
As obras Ao laoco da estrada da Escada se-
rlo ezecuta las de conOjMridade cora a planta e
Sesertpbto dos oreameotos, na importancia de
|6:905;0tO.
H
O arrematante dever cumprir restrictamente as
inatruegoes do engenbeiro fiscal do obra e as con-
diccO's do oreaoaonto e contrato.
O arrematante dar comeco as obras no praso
No dia 6 do correte, perante o Illm. Sr. Dr.
jude arponea, nndo a aodimiia, doooeo
matada por t^mpo de 3 annos, 4 renla oa casa de
2 andares too *f7#tf'WLW "ni efal,tdo 5'
sario, a raqnerbBeu do tolor das.filhss do tinado
Maxhniaoo Francisco Ri|berra BOarte. F a ulti-
ma praca. _
*- Pela subdelogacia da freguezla de S. Fre Pe-
droGougalves se faz publico qae acha se recolhl-
do a casa de detenco o preto Maximino, qne diz
ser escravo de D. Senborinba de tal, qaem se jul-
gar com direito ao mesmo, comparega nesta sub-
delegada manido de seas litotes, que'provando lne jofae lie* dc4CfMBirOaS.
sera entregue.
Subdelegada do Recife, 2 de iolho de 1866.
0 subdelegado
Luiz Antonio Gipcalvat Peona.
Oe ordem do Illm. Sr. inspector da theaoa-
raria de fazenda desta provincia, se I publico
qua no da 7 do correte me, i dirs horas da
tarde, peraote a junta .da mesma thesoararia, rao
a' Iraca para seren arrematadas por. qaem mais
dr, 146 saceos de farlnha de mandioca em n>ao
nhia Pernambucana, onde podo se* examinada
pelos preteodentes. As pessoas a quem convier essa
arrematacoe. deveroo oeapareeernt fefertda ttw-
sourara no dia e ora iadieados.
Secretaria da twsowaxia do tuandn de Per-
nambuco, em 4 de ja!ho do 1866.
Servindo do]offleial-maior
Manoel Jos Pinto.
Jos Rodrigoes de Soaza.
Jos dos Santos Neves Jnior.
Vice-coosul de Portugal.
Loiz Vianna.
i Luiz Jos da Silva Goimaraes.


sa dos productos ser nociva sua mais con- queira).
veniente coUocacSo, conforme a respectiva Dr. Joaq-no Pareit* da Silva Lobo.
imnnrtanria- ; Joio de Freitas. Barbosa,
importancia, i Jlo de qooir Perrlo.
4. Qoe vtndo todos atropeladam--nte as jo,4 fturtV da Oliveira.
vesperas Ido da da abertura da exposicao, Jos Pedro de Paiva Baracbo.
nem se pode calcular o espaco que ellos re-
queren! e so dever aprompUr, nem fazer
IfWlhr tf prnilyina- oapacando-ns. e
wrliocaftro-os t^iiveufeuteiTBrgpto \
" eafaWtetffMldo pdjo commis-
BflHj,r| Pfr. fvasio Ro-
rigtK41ittJMfcWdefcr5o entregar os
productos no palacio do governd do referi-
do dia 15 de julbo erA diantaje desde as
9 horas da nwoha at as 3 da Itrde.
6." Qud atados* t expositores se passar
recibo de seus productos, declarando, con-
se o destino do
is .Mi, oa ser redUtmdo ao expds.tor, logo ^^^SS^Tu^^ppUudfdo drafci
depois da expoi?io; ern c!nc# ,clos e set3 quadros de octave Feliw :
7. Que podando torsuccedidto que alo
s.
TIIEVTKO

EMPEEZA--COIHBRA.

ROMANCE
DS
ExposleSo
eolas, tm
arde
roductos agri-
es eobras de
tenham ebefudo aseoo^estmo aljumas dss
circulares e instruccoes por ellasjjirigidasnvjv.* ^wM.;;': ^
lodos os cidadaos 4u, jalgou oojeremoo.- I U MAfA f\\\\\[
triburrparaexposiglo, Ibes roga que pres-, Uill IIIVV" VlfllUt
diodox^JlSfZSSSSZ' A.*.D..M.JTa. -uta
LEILAO
De 30 latas com a;;iz, 2 consolos, 1 la-
vatorio de ferro, 2 carteiras e ob-
jectos de escriptorio.
HOJE
O agente Pinto fara' Isilo a reqaerim'anlo do
depositario da massa fallida de Pedro da Silva Re-
g e por mandado do Iilrn. ST. Dr. ]uiz especial
do eommercio, dos objectos cima meociooados
perteoceotes a dita massa, as 11 horas em potito
do dia cima dita em o armaiem da Praca do
Commercio o. 48, em frente a casa commerciai
dos Srs. Phlpps Brothers & C
n LEILaO
De tres cava los.
Obras do Dr. Chernoviz
Formulario on guia medica
que eontm a desciipcao de todos os medicamen-
to?, com 194 figuras no texto; selima edicao.!8tio,
1 vol. encaderuado de 838 patioa. Preco 6
Diccionario de medicina popular
qoe contro, n'oma iioguagem vulgar e clara, os
sigDaes, cansas e tratamento das molestias; os
soccerros qoe se devem prestar dos accideotes
graves e sbitos, como aos afogados, ssphyxiados,
assombrados de raio, as pessoas mordidas por co-
bras venenosas ou caes damnados; as plantas
atis e venenosas, ldgenas do Brasil e exticas;
a prepararlo dos remedios easeiros, etc.: terceira
edic3o, 1862, 3 vols., eocadernados. com 231 figu-
'< ras do texto. Prego 20.
i Uisioria natural recreativa
para os meninos e meninas de 7 a 15 annos, oa
conversarlo de um pai com seos lhos acerca de
moitos auimaes e vegetaes, 1 vol. elegantemente
1 encadernado, de 176 paginas, com 154 figuras no
texto, 1862. Preco 4*.
Modo de conhecer a idade do vallo
do barro, das bestas muars, do bot, do carneiro e
do porco. Brochura de 32 paginas, com 52 figu-
ras no texto, 1866. Preco 1*.
Vendem-se a rus do Crespo n.
LIVRAWA FRANCEZA.
O agente Pioto fara' lelo a reqaenmento de
Zeferino Ferreira Velloso etotor da menor Idaii-
na berdeira do fioado Angelo Martins de |Siquera
epor mandado do Illm. Sr. Dr. joii de orpboi|de
3 cavados pertencentes ao espolio, do dito finado,
as 11 horas do dia cima dUo, a Praca do Com-
mercio, em frente ao armazem "
PARS
n.
48.
k>;
LEILAO
De roupa feita.
HOelE
O agente Pinto autorisado pora consol de Fran-
ca fara' ieilao ao meio da do da cima dito de
diffexenles pecas de rquoa.eil*y a 30 volomes
em brochara, 2 armarrcs -oWeeWes objectos
pertencentes ao fallecido Jacoi* nraogttpho e exis-
tentes no armaiem da roa d Trapiche n. 48, on-
nf o1ffeclur' 'e"0 a0 me' 'a ^'a ac'ma
mo xito
provincia.
Salada
, de malo do 18-56.
M> Btwqw rotario
ydi4,v
ymuu- U
Sanu
-ib'aiHer*-^'^.! pWeir.Be?ofc da
audiencli dokn. 9 Dfcjttsfjlos orphaos
r*ernttMBSaeo. lermo ^ cidaje ,j0 RMife, gar- vendido por aaa*
Constando commrssSo directora da ex- maUcjo ante o mesmo 8r. la, a qaem rdaior
posicSo qde, por falta dos necessarios escla-! lanco offerecer, o sobrado de dous aoflaxe <
xeira, Pontea,
ler e o bnoBcldo.
ifera' o espectaootoeem o oanirinoM no
ajaatsnaaaico, noto ST. Mofnwndo, em obsequio ao
0 machin8ta inglez.
Os bilhetes podenter5 flroenrados na cosa do
Sannnnlanft tm^tk #rnsnino n. 39 oa no thea-
tro, das 10 oras da manba as 3 da tarde.
Os Srs. signantes de camarotes e cadelrss qae
I.J II.AO
ueoroa mobilia de Jacaranda, 1 relogio, 1 ton-
le com espelho. albans para retratos, 1 carteira de
chsrio, 1 guarda vestido com espelho, 1 guarda
roapa, 1 asesa elstica, lauca, 4 cama de araarel-
I), 1 diu e ferro, peles, 1 aqueiro, difieren tes
colheres de prata e outros objectos.
Po,r ipiervoocao do pgentePioto, no armazem
da Praca Corntriercio, em frente a casa com
roereial(fosg:'Phlpps Brothers C. ________
leHao
e 6 pipas, 15 quintos e 40 decimos
con virio do PorU. *
Terca-feira 10 do correle as 11 horas em
pomo. __
0 agente Pestaa farletlo por cenia *J}SC0
de qoem perteneer do 6^pas, SOSotcOo
elmos com superi t vioho do Porto a eanir a a
pelas lhoraSa manba em ponto no lafgo da
ilfendftga.
La compagnie Lyoanaise.
BOULEVABD DES CAPrJCINES N. ^7.
Entre o |rana note! e a maoeleine
Ru st-Arnaud m. 9.
K
Ru Seu ve des lasveioes, o, 16.
Sedas, manteletes, visitas, mantos, etc.,
cassas impressas, rendas, chales da India,
diales trancezes, pannos e tecidos do gos-
to o mais novo ensovaes para casamen-
tas.
A compagnie Lyoooaise estabeleceu manufactu-
ras emifoi ilinm iiIi anojamnisriiiiy e Brn-
xellas para a labrcaco das sedas, reodas e cache-
miras', pom s, em Pars qae tem s soa casa
do venda.
A eomjsagoie Lyonmiae tunea cessa de tratar
particularmente da escolha, do bcrm gosto, e das
qoalidades superiores dos seus artigos.
At agora, a nica casa em Paris que possa
oOerecer o maier sortmentoaas ftsenoaa o modas
da primeira ordem.
Por meio de suas manufacturas, a eompannia
pode fabricar e tambem comprar os artigos os
mais ricos e elegantes, as pocas mais favoraveis,
com pregos akcepcionaes e, por isso veode uas-
melbores coodic5es, emquanto a qualidade e ao^
NOTA. As offleinas de coslora da compagnie
Lyoonals, nnra a confoc' mediata dos vesti-
dos do raelhor gosto, e eettadot onna o -P*
os mais elegantes, sao as mais afamadas em toaa a
C*Veode-se na pbarnacia de P. Manrer A C., ra
i
.
I
no



"I
I
4666.
A LESIT1MA
SALSAPAIILHA

DE BRISTOL
PREPAH1B A WCAMENT POI
LAMAN k KEMP,
BOTA TOBE.
Composta de substancias, gozando ds
propriedades emi nentemente depurativasa
approvada pelas juntase academias de Me-
dicina; usad a Jnos principa es bospilae&,ei-
vis militares e da marinha as Antiltus e
no continente americano ; receitada pelos
Cacultativosos mais distnctos do imperio do
Brasil e da America bespanliol
CURA RADICAXJENTE
escrophulas, rheumatismo, escorbuto, en-
eradades venreas e mmtiaes, chagai
antigs, morphea e todas as molestias pro-
vcnieotesd'um estado vicioso do sangue.
Emqaanto existem varias imitaces e
faisificacoos, preciso a maior cautela para
evitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol veode-se por
CAORS & BARBOZA
JOAO DA C. BRAVO & C
Jlo da G. Bravo & C.
Deposito geral em Pernamrraco roa da
Croa n.22 em casa de Caros__________
SEGUROS
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companbia (odemnisadora, estableci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seos carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias :
na roa do Yigario n. 4, pavimento terreo.
Arrendamento
O desembargador Doria arrenda e tam-
bem vende a sua chac?ra no Maogoinbo,bem
como vende duas parelhas de muas, tres
carros sendo urna victoria, um coup e um
cabriolet coberto, tres \accas de leite sen-
do doas paridas, dous bois de carroca e
todos os trastes e utencilios das casas e cha-
cara : quem pretender pode ir examinar e
entender-se cora, o Sr. Jos dos Santos Ne-
ves, na roa do Crespo n. 19.
Noliotel da roa do Trapiche o. 28 "contina
receber assigoaoles, tanto em casa como para
fra,
A Salsaparilha
DE AYER.
Fara a cura radical de

Escrfula*, ulceras, chagaa, fer-
idas velhas, melestias eyphil-
iticas. e mercuriaes, Eafenni-
dades das mulheres, como r*-
tencao. menitro doloroso, nlcer-
aco do atoro, e flores brancas.
A Nevralgia, Convnlsoes, Ery-
sipelas, Enfermidades Cutneas,
borbulhas, nascidas, etc.
O extracto comporto de SALSAPARILHA, confccclon-
r.do pelo Dn. AYER, urna combinadlo dos melhores depura-
tivos e alterantes conliccidos medicina; 6 compesto segando
s lela dn Bolencia, approvado c reccitado palos primelros
mdicos dos Estados Unidos, da America do Sul, do Mxico,
das Indias c dos principies Estados da Europa,
A SALSATARILHA de AYER especialmente effieaz na
rura das molestias que lem sua orlgem na escrfula, na
infecto venrea, no oso excesivo do mercurio ou em qualquer
impureza do Sangue.
Entre todas as molestia que affligcm o genero humano, nao
lia urna mais universal c terrivel do que a escrfula; por si
nao to destructiva, pon m a causa principal de multas cu-
l'ermidades que nao llie sao feralmente atribuidas.
urna causa directa da tsica pulmonar do mal do
figado, c estomago, affecetes do cerebro, Mheumallsmo
<- affecetcs dos Itius : entre seos sympornas ha os seguate;
Falta de apetito, Fraqucza e molcza em todo corpo; Uo
semblante plido c luchado, s vezes d'uma
DO
D1U SEVIAL.
Para o tratamenioe cura.rpida e completa das molestias syphititrcas, erisype-
las, rbeumatismo, bobas, gota, dabibdade do estomago,nfiammac5es chronicas do figado
e baco, dores sciaticas, ephalalgias, nevralgias, ulceras ebronicas, bydropestas, pleura
sias, gonorrheas ebronicas e em ge al todas as molestias-em que se tenba em vista a pu-
rificacao do svstema sanguneo.
( ou*ldfra*fN geraes
A saude um bem aprecia vel, cuja importancia e valor so est reservado ao en-
fermo o avalia-o.
incontestavel que o homem neste mundo constantemente, e por todos os lados
atacado por orna innidade de agentes morbifleos que todos tendem, dadas certas e deter-
minadas circumstaneias, a alterar o regular exercicio dasitunccoes orgnicas, resaltando
desse desequilibrio o que se chamarinole&tia.
A molestia nao mais do que a desvirtuado das forcas vitaos, occasionada, se-
gundo as investigacoes e experiencias dos mais abalisado mestres da sciencia, pela depra-
vado dos humores geraes, consequencia da accSo maligna desses mesmos agentes morbi-
icos ntroduzdos no organismo pelo acto da respiracSo, pela via digestiva, pelo contacto
immediato etc. etc. etc.
A sypliilis infelizmente temsido.a partia da humanidade, e como fra deduv-
da que esse terrivel Proteo da medicina ama molestia hereditaria, ella tem sido obser-
vada em todas as idades, e debawe de todas as suas formas Uto variadas, enfraquecendo
consttuicoes robustas, produndo mutilaces, e cortando ainda em flor da idade vidas
preoiasas.
Eliminar da economa esses principios deleterios. e purificar a massa geral dos
humores tem sido desde tempo immemorial o fim constante da medicina, e os purgati-
vos figuram em primeiro lugar para prtencher esse desileratum ou Jim.
0 Elixir depurativo do Dr. Sevial parece merecer a preferencia sobre todos: os
limmensQS successos obtidos pelo uso deste salutar agenie lauto na Allemanha. como em
Franca .e Italia, o tornam o companbeiro ineeparavel dequasi todos os doentes.
Sendo as melestias, como cima dissemos, devidas s alteraoDes dos humores, o
Elixir depurativo do Dr. Sevial pode ser .embregado ventajosamente na sypbilis, erisy-
pelas, rheumatismos, bebas, gota, debilidade do estomago, inflammaces chronicas do
ligado e baco, dores sciaticas, cephalalgias, nevralgias, ulceras ebronicas, hydropesias.
pfeorisias, gonorrheas chronicas etc. e em geral em todas as molestias em que te tenha
em vista a purificacao do svstema sanguneo; pois que orna pratica constante tem feito
ver que elle indispensavel nos casos gravissimos para minorar os loffrimentos, e pre-
parar o doente para medicaces superiores; e 'as menos graves a cura e a conse-
quencia do seu uso, convenientemente repetido.
As substancias que entram na composicSo do Elixir depurativo do Dr. Sevial
pertencem todas exclusivamente ao reino vegetal, e grande cathegoria das substan-
cias depurativas e anlisyphiliticas; assim, ao passo que este remedio depora o orga-
nismo, eliminando os principios nocivos a saude, pelo mecanismo natural das evacu-
acoes alvinas, neutralisa ao mesmo tempo o virus fypbilitico quando este virus j
tem feito empello no exterior debaixo de suas multiplicadas formas ; e previne tam-
bem os estragos dessa terrivel molestia, quando por ventura se aciie ella ainda no
estado de encubado, sto sem se ter manifestado sob formas exlernas: beneficio
immenso, tanto mais quanto neste estado os individuos ignoram completamente se es-
tilo contaminados por este terrivel inimigo.
0 sabor agradavel (feste Elixir convem a todos os estmagos, a snt accSo so-
bre o tubo intestinal suave e benigna, e de nenhuma forma produz molestias medi-
camentosas, como acontece ao purgante dito Le Roy, que na sua qualidade de drs-
tico forte irrita- a mucosa intestinal, e consecutivamente a seroza, resultando deste es-
tado, muitas vezes, bydropesias, que quasi sempre terminam pela morle <'o doente.
Assim pois esperamos que o uso deste remedio justifique cabalmente as nos-
sas asseveraces, porque sendo um medicamento to simples na sua composjco, a
pratica tem confirmado sua utilidade.
I nlco deposito em Pcrnambiieo
Na botica e drogara
DE
Bartolhomeo Companhia.
34-RUA DO ROSARIO LARGA3*
A^NACIONAL
Compannia. geral faespanhola de seguros mutuos
obre a vida
AUTOMSADA PELO REAL DECRETO DE M. DE DEZEMBRO DE 1859
lea laicartm inheira, depositado nos cofres de estado, garante a boa ad-
ministracaa da canaaikia.
BAJWW1R08 DA COMPANHIA DIRECCAO GERAL *
laat de Heapaaha Madrid: lu do Prado i
os sobre** C^ySp*h* U* pe, 8y8,eina BBntu0 todas as combiiu(5es de supervivencia dos segu-
____..We*la Pdese farer a sabscrip^ao de maneira qat em 100110111 caso mesmo por morte do
efuraw se perca o capiul nem os joros correspoodentes a estes.
!o tao sapiieheodeotes os resaltados que produiem as sociedades da ndole deA NACIO-
7,at- mesmo dimtnuindo urna torca parte do mteresse prodnzido em recentesliquida-
s ecombioaodo^om a mortalidade da tabella de Depareleai que adoptada pela companhia
5??nft2n,ca.eal08* quidacSes, em segurados de idade do t a!9 aooos, orna imposico anana,
w produz em efectivo metolico:
No fim de 5 annos.......1:1191300
de 10 .......3:9431600
do 18........11:2081200
de 20 .......30:2561000
...... do 25 .......80:3311000
s laaaes menoces do 3 annos e maiores de 30, os prodoctos sao mais consideraveis.
#rospect)s o msiu informacSes serao prestadas pelo sob-dlroctor nesta provincia,
nuza de Oliveiea, ruadaCadeia n. 52, ou a Boa-Vista na da Imperatrli n. 12,
ment dos Srs. Raymundo, Carlos,Leile 4 rmao.
A. JOREZ
FUNDIDOR E TOBNEIRQ
EM

e stabelc
TINTURARA
AO GRANDE S. MAURICIO
JPROCESSOS APCRFEIOAIIOS
PARA x
____ Tingir, Iimp.tr e lusrar a vapor.
F. A, SALINURE & C.


29 Ra 7 de setembro 29
Defronte aa rita aova do Oovidor (Ria de Jaaeira)
Os proprietarios deste estabeleciment, o primeiro no seu genero no Brasil, por
trabalbar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que se faz uso na
Europa, eajudados por alguns dos melhores oflBciaes de Paris e Ly3o, podem assegu-
rar seus fregoezes urna perfcio no trabalho, a qual seno pode chegar pelos proces-
so6 ordinarios.
Tingem, lavam, limpam e demofam com a mai r perfeicSo e brevidade qualquer
qualidade de fazenda6, liram nodoas e limpam secco sem molbar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de homens.
HEXAES
Ra da Matriz da Boa Vista n. 36.
JoSo da Suva Ramos, mdico
pela universidade de Coimbra, d
consultas em sua casa das 9 at
11 horas da manha, e da* 4 as 6
da tarde. Visita os doentes em suas
casas regularmente as horas para
isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serio soceorridos em
qualquer occasiSo. D consulta aos
pobres que o procurarem no hos-
pital Pedro II, aonde encontrada
diariamente das 6 s 8 horas da
manbSa,
Tem sua casa de saude regular-
mente montada para recebar qual-
quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para e que tem commodos
apropriados e nelia pratica qualquer
opperacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe..3iJ000diarios.
Segunda dita___30506 >
Terceira dita .20000
Este estabelecimento j bem
acreditado pelos bdtas servicos que
tem prestado.
O proprietario espera que elle
continu a merecer a conflanca de
que sempre tem gozado.
1
1
s

Macedo di Azevedo fazem scieole a esta pra-
Si que nada devem da extlncta Arma de Gastro &
tacedo, se algnem se Jolgar credor aprsente suas
conlas no piaso de 8 das, que serio promptameu
te pagas. Recite 30 de jooho de 1866.
FABRICA A VAPOR
99 RA DO MONDEGO 99
Deposito na ra Nova n. foja de relojoelro.
Delouche donos deste estabelecimento partecipa ao respeitavel publico que sua fa-
brica est montada com as melhores machinas que existem na Europa, e que pode
fabricarcom melhor perfeicSo possivel. Todo o chocolate desta fabrica est garantido, e
puro, o que nao se pode encontrar naquelle que vem de fra, e que se vende por preco
baixo, visto os productos serem do paiz. Na etiqueta tem sempre urna aguia.

ebeiro da Uoc;.,
PREgo.
Meia libra......... 400
Urna libra......... 800
Urna arroba ........ 19,5000
Na mesma fabrica acaba de se montar urna officina com serrara a vapor para
obras de marcineiria propria para edificio, para o que encarrega-se de fazer portas, ja-
uellas, assoalhos (parqu francez como se usa na Europa,) e armaces, todo com brevi-
mrura transparente, outra rezea corado e amareiio ao redor; dade perfeiCeo. Toma-se qualuuer encommeuda para fra Ha cidade, entresando-se
la boca; Digesto fraca e apetito irregular; Vcntre luchado
CTacuaeao irregular; Quando ataca o pulmoes urna cor
azulada moatra-ee a roda do oltaot, quando i no estomago
eao uverinclluL do>, Naa peasoas de dltposlfo escrofulosa
apparecem fre>lneutemente trupqoes na pule da cabsca e outraa
partes do corpo; sao predispdstas as afftafltt dos pulmta, do
fig nao sao someate aqnelles qne padecer das formas ulcerosa
e tuberculosuo da escrfula qne aeeeatitam de Brotecco
contra os sens estragos; todos aqnelles em cojo sangue existe
o Tima latente deste terrivel flagello (e s vezes 4 hereditario),
esto expostot tambera a soSVer das enfirmidadas que elle
causa.
onereeento* a atas pessoas um abrigo seguro c um anti-
doto cfflcaz contra esta molestia t suas conseqendas, na
SalsapariHia de Ayer
que opera direstamente sobre o sangue, porifleando-o e ex-
pulsando delk a corrnpfao c o veneno da molestia: penetra
todas as partes t todos s orgos do corpo humano, lirrando-
os da raa aceao viciada e Inpirando-llica novo vigor. E' um
nlteraiue poderosissimo para a Wovasi do sangue, e d ao
corpo ja enfraquecldo pela doenja forja e energa renovados
como as da Jov< t 1AMBEJU O MEt.HOR AXII-8YPMLITICO
COXBECLDO l
cura pemutnonriente as peiores formas de SYPHII.I8 as
suas eonsequencias. Pouca necessidadu lia de informar o pub-
lico do inestiraavcl valor de uro remedio que, como este, Uvra
o anguc dessa itorrupcao e arrebata a victima das garras de
urna morte lcni a c Ignominiosa, porm inevitavel se e mal
nao logo eombitido com energa.
Nao preteadeaos premalgar, nem queremos que se iafra
que este remed o intalivel para a oarst de todos os nadeci
mentos humanon, o qne dlzemos i qne a '"
SoJoapariHw de Ayer
i a Mrkor preotraeao ate boje desceberta pan estas e osaras
molctiaa anlogas, qae ama eembinaio dos alterantes
mais cfflflases eoiibeeidos, e qae temos coascleasta de terecer
ao imbUeo o mc&or resaltado qne possivel producir, da
intelligeada e p< ricia medita dos nossos lempos.
prompta a collar-se no lugar.
LOJA DA FRAGATA AMAZONAS
n. 5 Kua da Queimado a, 5,
Monteiroi Guimares, participam a todos os seus amigos e freguezes, que recebem
ae conta propna por todos (s vapores da Europa, gradee variadissimo sortimento de
oojectos de a,ta novidade, e bem assim adornos proprios para casamentes, pois queseus
correspondentes de Hamburgo, Paris e Londres, na esclha de taes mercadorias tem
merecido a approvaclo das encantadoras Pernambucanas.
A Fragata acaba de receber pelo ultimo vapor grande variedades de sedas de todas
as cores e quaiidades, tambem recebe por todos os vapores luvas de pellica, (do afamado
JouviD) satas da 15a com barras colloridas de grande novidade na Europa, vestidos de
granadina bordados agulba, e de grande ton, ditos de popelina muito chiques, ditos
de esmeraldine (gostos novos,) riqoissimos cortinados bordados a ponto de crochet, ro-
tondas de seda, ditas de linho, ditas de algodSo, chales de guipour de seda, e de al-
godao, pentes para cok, (de phantasia) enfeites para ditos, manguitos bordados e
gollinhas, camisinhas diUs, transparentes para janellas com mu lindas paisagem, pre-
cies de apuradsimos gostos e padroes, chapeos de palha enfeitados pelas melhores flo-
ristas de Pars, entremeios bordados finos de differentes larguras, riquissimos cintos
bordados com figuras chinezas, (bordado na mesma fita) bales do hasteas d'aco ameri-
canos, dtttos de musselina, tapete para guarnico de salas padroes muito bellos, chapeos
de sol de seda para senhoras, ditos parahomem, enfeites imperatriz Eugenia, ditos
a Mana Pa, cestinhas com todos os pertences para meninos de escolla, saias bordadas
para senboras, gollinhas bordadas agosto novo) chitas escuras e claras, madapoloes, cam- have
Draia de cor, ditas pretas, bolsas de tapete para viagem, ditas de vaquetas para guardar *
dinneiro, e outras muitas fazendas que se vendem por menos preco que em outro qualquer '
CASA DE BANHOS
26 Pateo do Carao 26.
Neste estabelecimento tSo impor-
tante para a saude e asseio do cor-
po, acham-se montados 20 banhei-
ros, que sao servidos com a ordem
e asseio que para desejar-se. Qua-
tro destes banheiros siio especial-
mente reservados para senhoras e
por isto acham-se collocados em lu-
gar reservado, aonde s tem entra-
da as pessoas de urna mesma fami-
lia.
PREC0S DE BANHOS AVLS0S.
i banbo fri, morno ou de
chovisoo .. 500
1 dito de choque ... ,000
1 dito de farello...... .#000
1 dito aromalisado 1,5000
PRECOS POR ASSIGNATURA.
30 banbos por mez fri,
morno ou de dio visco. 10^000
25 banbos com caribes pa-
ra os mesmos .... 100000 j
12 ditos ditos ditos 5,5000
12 ditos ditos de choque. .0*5000
42 ditos ditos de farello.. .0,5000
0 estabelecimento estar aberto i
nos dias uteis das 6 horas da ma-
nba as 10 da noite, nos dias san- |
tificados das 5 as 5 horas da tarde, i
Sobretodos de duas vistas prova d'agoa.
Riquissimas fivellas de chrystal para cintos.
Meios aderecos de chrystal (novidade.)
Cintos muitos ricos, etc.
Perneiras de guthaperche para chuva.




REMEBIO BE AYEft PARA SEZOE8
InfaliTol as xsthrsM intermittenUa, remitteutos,
Febrss Bliooa* tercia, mal do flsade, in-
cremento d baso, cOsTueira. Dr noa
ouTido poipitoedM, quando
FEBRBS INTEBiriTBNTS, O RBMITTENIE8.
As preparaeoes da Da. Arca alo vendidas osa todas a*
Boticas DrofariM do Imperio.
Vende-se em Pernamboco:
na
Usl
CONSULTORIO 1MEDIG0-CIRUR6IG0
do
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, P1RTE1RO B OPERADOR.
3 Ra da Gloria, oasa do Fundo 3
0 Dr. Lobo Moscoso da consultas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 as i l
horas da manh5o, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepcSo dos dias santificados.
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteira.
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e petos precos seguimes
Car tai ras de 12 tubos grandes. 12*000
> de 24 tubos grandes. 18)5000
> de 36 tobos grandes. 24,0000
> de 48 todos grandes. 303000
de 60 tubos grandes. 35*000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido qoe se fizer, e com os remedio.
qne se pedir. m >
Um tobe avolso ou frasco de tintura de mra onca 1*000. V.
Sendo para cima de 12 custarao os precos establecidos para as carteiras.
Ha tobos mais pequeos cada um a 500 res.
LITROS.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. JarS
dous grandes votomes com diccionario...........* 20*001.
Medicina domestica do Dr. Hering........... 104000
Repertorio do Dr. Mello Moraes............ 6*000
Diccionario de termos de medicina ........... 3*000
Os remedios deste estabelecimento s5o por demais conhecidos e dispensara por
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedio.
verdadeiroa, enrgicos e doradores: ha todo do melhor que se pode desejar, globos ds
verdadeiro assocar de leite, notaveis peta sua boa conservacao, tintara dos mais acredi-
tados estabelecimentos eoropeos, a mais exacta e acarada preparacio, a portanto a maiof
energa e certeu am seos effeitos.
*asa de saude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar da qualquer enfcrmidade eu fazer-se-lhe quakraej
operaco, para o qoe o annunciante julga-se sufficientemente habilitado.
0 tratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica,
mnecionando a casa ha mais de quatro annos, ha muitas passaaa da cojo atmaaim aa alo
pode duvidar, qoe podem ser consoltados por aquellos que desojaren, mandar saoi
doentes.
Paga-ae U por dii dorante 60 dias e d'aht am diaote 1*880.
As operaedes serlo previamente ajustadas, se nao se quizerem aojeitar aos praaas
razoaveis que costuma pedir o annonc^inte.
DE
J.
DE
VIGNES.
. **' 55' RlJA D IMPERADOR M. 55.
.. anririeMilU*,".'ga ibTiCi sa0 boje *sss "dos para que seja necessario insistir sobre a
" SPJf"**e' yantMense garantas qne offerecem aos compradores, qnalidades es'tas incontesu-
JLaI?nm iiS? *efinlt,Tn?en'aqo'8Wdo sobre todos os qne tem apparecido nesu praca ; pos-
taLQdo um teclado e machinumo qoe obedecem todas as vootades e caprichos das pianls(s, sem
ranea ramar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melboramentos Kbportan-
nssimos para o clima deste paiz ; quanto s votes, sao melodiosas e flautada?, e por isso muito agrada-
rais aos ouvidos dos apreciadores.
Faiem-se conforme as eocommendas, Unto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
orrespondente de I. Vignes, em cuja capiul foram sempre premiados em todas as exposiedes.
no mesmo estabelecimento se acbar sempre nm explenddo e variado sortimento de msicas dos
Inores autores da Baropa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido or
precos commodos e razoaveis.
VIVA 0 PIIOGhESSO
Ao systema mtrico decimal
J niDguem ignora qoe o governo imperial adep-
tou este systema de pesos e medidas e at ja as
reparticoes militares por um aviso do ministerio
da agricultura, < nimercio e obras publicas nuo
comprara se no por taes pesos e medidas. O go-
verno du uro praio aos particulares para terero-
tempn de se inslruirem, mas brevemente se acaba
e enio todos sero obngados a regularem-se por
estes pesos e medidas o qoe julgamos ser de muita
utilidade por ser esta medida tirada da circume-
rencia do globo e por consegointe a nica, certa e
mais exacta, finalmente a duvida eslava em nao
aver taes pesos e medidas, porm esse mal Ja'
sta' sanado, ja' temos pesos e medidas tanto para
secco como para liquido, assim como pesos de fer-
ro de 50 kilegrammas at 1|2 hecto-gramma, de
lato de 300 grammas al um gramola, para sec-
eos desde l|2 hecto-litre at decilitro, para liquido
medidas de estanto desde um litre at o decilitro,
assim como medidas de madeira para as lujas e
medidas de exteogo (treinas), de JO a SO metros:
o nico deposito destes pesos e medidas na ra
Nova n. 38, aonde se vendem desde ja e. se rece-
bem eocommendas para dentro ou fora da pro-
vincia.
m, O r. Migue! Joaqmm *de Castro Mas- jR
5 carenhas mndoa sua residencia da rn H
B do Sol para a da Imperatriz n. 88, entra- C
B da pela rna do Hospicio, onde continua J
no exercicio de sua proflsso. O mesmo J
Dr., que se tem dado com solicitude ao B
estudo e pratica das molestias de tero e SUL
de meninos, d consulta gratis aos pobres "^
das 9 horas as 10 da manha. M
PILLAS de BLABCARD
,AO lOSOsUTO DI FISRO INALTIRAVXL
Approvadas pela Academia de Medecina de Pariz
ACTOIIS1D.9 MLO CSMUO staDICAL M SA-KTetliacu
raBIMENTAOAS NOS hospitas de FRANCA, DA blgica, da irlanda, da TCRQIIIA, ETC.II
Mtneoei honrosas nm Bsposifos Univ*rfait de Nta-York, 1858, e de Pars, 1855.
Estas Mojm ewolTlda n'uipa caada rcsine-baUamica de urna tenuidade eiccssiva, ten
avaniagem de Mi cal inalteraveis, sen sator, de udi pequeo idume, e de nao cansarem os
ao difesiiTos. Gotanste as proarMades do tono e do Vavave; ellas conrem princi-
palmente naa rectoes Ckiorotieas, Escrofulosas, tuberculosas. Concreta,, na leucorrhea,
amenorrhea, anemia, etc.; ealm, ellas offerecea aos pralieos urna medicaca das mais ener-
-cas para modlScar as constilaicoes tumpkaiicas, frota* va debilitadas.
JV. SV O isdtircto *> ferro hapora ou aWarsa aa aMtea-
ment mel. irrianis. Como pro, e purna c se auiheaeMaae as STjr
'frtrtrlrii lalas ** Haaeara', dee -se eiif i a*s*o aasto ale jf/ff/n/
Iy tyaMiraeaaasaairMa.a.uifeproduiiSs, qae testas as parte lafcriOT se asa ruus) verde Dte -se desconfiar as (slsicscses. f <-
**** HsaraiBelas. Mmt mmutieo, raa Mouaoarle, Para.
Vende-se na pharmacia de P. Maarer dt C, roa Nova.
AMA
Precisa-se de ama ama para pooco servico pre-
ferrndo-ie de meia HJade : na rna da Roda n. 48,
casa da esquina de nm andar.
Ama de leite
Preclsa-se de urna ama qae tenha bom leite: i
na da Aurora n. 96.
Na praca te independencia n. 33, toja de
onriTns, compra-re toro, prata, e podras preciosas,
?J2fnbe" ffM ***** eneommaada,
todo e aualqner coneerto. '
Copeiro.
Precisas' de nm bom copeiro e qne tenba
boas rewmmondag5es, para nma casa strangei-
ra : a tratar na rna do Tran'ek* > a
rna do Trapene n.8.
Companbia deiidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Janeiro.
AGENTES KM PIRNAMBLCO
Antoiis Liix de Olireira Isevede i C,
competentemente antorlsados pela direc-
tora da companriia de seguros Fideiida-
de.tomam seguros de navios, mercado-
rias e predios no sea eseriptorio roa da
_ Cruz n. 1.
um^eSo** *,**-l' ^-sede
A eommissao encarregada por diversos
amigos do fallecido bacbartt Jos Paulino da
Cmara, de manear celebrar um funeral em
suffragio de sua alma, avisa a todos os ami-
gos do mesmo hachare! e qnaesquer pessoas
que queiram assistir esse acto religioso, que
no da iO doeemate, tlM es* Wrae d
IVSSililSia Jo Ulkcima{0 v*
.lmrpr1SS..B0,UCWVitesw^-'
Recife, 5 de jaUK de i8d6.
eliciiino Joaqoika des Santos.
Angosto Coelho Leite.
Francisco dn Paola e Silva.
Trocam-se notas
caixas filiaos com
ndependeocia n. 12.
do banco do Brasil e das
razoavei : na praca da
Alnga-se para o servico interno de casa de
amilia orna escrava qoe engomma bem e com-
una : quam prerisnr dirija-se ae segnodo andar
da casa n. 48 na ra da Aurora das 0 as 9 horas
da manha e das 4 as 6 horas da Urde, qae acba-
ra pesioa para contratar.
Bernardina de Sena Dias precisa
o Sr. Simio Jos de Azevedo
do mesmo Sr. Santos.
fallar com
Santos, a ioteresse






1
7
i




II II!
. i* rita de tjtWfcp ... *egunda felra de atino de
86G.
I


9 Foro de Macei S
t
Os hachareis Jos Antonio de Maga-
lh*f Baatjs e Miguel Filici* Bastos da
Sirva, tem sea escriptorio co largo ?e
Pedro H, junto da ecretarla de Bllela.
s
Desappnceeea domingo 1 de jalho o prelo Je-
s, crloolo, moco, com a mao esqoerda cortada
pela munheca, foi comprado na villa do Cabo ao in-
gle Eduardo Devis, qoem o pegar leve a padaria
aetna Santo Amara, qoe pagara.__________
Alagase e mesa vende-se
Um sitio do Arraial com fructeiras diversas, de
boa qaalidade, baixa para capim, com ama vr-
teme d'agua permanente, de multo boa qaalidade,
com ama casa de madelra, cubertt de telba, e pro-
pones para ler de 4 a 6 vaeeas de leite : quem
precisar entenda-se com o Dr. Joio GoBcalves da
Iva Monnrroyos, na roa do Rosarb estrella em
sea escrlptorio, oa na roa do Sebo n. 14.
Chapeos de manilha branca
a 144,1W. m e SO*.
Na praca da Independencia n. 24 e M.
Offerecese um rapaz nacional para quaiquer
arrumaco: qoem precisar dirija-se a roa das La-
ranjeiras n. 18.
Aloga-se o soto do sobrado na roa Imperial
n. 87, o qual tem commodos para familia muito
fresco e em conta; que o pretender falle no mes-
mo sobrado.________________________,
Precisare alagar um primeiro andar nos
balrros de Santo Antonio e Boa-Vista, roas da Im-
pera triz, Imperador, Aurora e Nova; quem ti ver
para alogar podo dirlgir-se a ra do Cabug n. 4,
para traur.
Precisa-se de urna ama forra oa captiva para
compras e ooctobar : a tratar na ra da Cadeia do
Recite n. 8. _________________________
K 4C0ML
Companhia gerat hespanhola
de seguros mutuos sobre a
vida
Capitel sibscripU ate o de abril de
1866. rs. i2,41fci47$000.
Cbegoa pelo ultimo paqaete francez Extremada-
re, D. Narcizo Francisco de Vidal, que na qaali-
dade de sao inspector da companhla, esta' devida-
meote aolorisado para o desempenho de suas func-
cSes. Dedicndose principalmente a fazer coa-
tratos de seguro*, e augrauaiar as relacoes da NA-
'GiONAL dando a conhecer as vantagens positivas
Inspeccao do disricto (rea da Cadeia o. -62),O
4e jalho de 186$.
inspector,
Jerooyme Jia*;an Fioza de Oli vefc-a.
Em casa piche-novo n. 16, poico agente no norte do Brasil
-deBraodenburg frres, Bordeaux, encontrase ef-
"ectivamente deposito dos artigos segaintes:
St. Jalien.
St. Pierre.
Larose.
Cbateao Loville.
Chateau Marganx.
Grand vin-Chateau'LaOtte 1868.
Chateau Lafitte.
Hant Saaternes.
Chatean Saaternes.
Chateau Lataur Blancfce.
Chatean Yquem.
Cognac em tres qualldades.
Azeite doce. Presos-de Bordea ni. ______
Vontade de -ser arrumado.
Offerecese um rapaz com bastante pralica da
escripia para ser arromado em casa de em patro
que lbe derse estar das 6 horas da noite at as 6
da manba a jaoella ; ae algaem se qaizer atilisar
dos seas servico* com esta condicao, pode vir tra-
tar na roa aae nao tem priso, um tereeiro andar
n. 78.
PHOTOGR4PI1I4
11TISTIC1 AMEBICANa
RA DO IMPERADOR N. 38.
Artista americano
Artista americano.
Artisti americano.
Artista americano.
RetratosRetratosRetratos.
Em porcelanaNiepcotypier
Em lencosArchrotypie.
Em vidroAmbrotypie.
Em metal=Dagnerreotypie.
Em papelTalbotypie.
No grande salao da roa do Imperador n. 38
No grande sallo da ra do Imperador n. 38
Neste estabelecimento tiram-se retratos
em todos os systemas, com asseio e promp-
tidSo, desde as nove horas da manhia
at as cinco da tarde; assim como tem
sempre a venda grande sortimento de cai-
xas finas de diversas formas. Quadros
ovaes Passepartonts e todos os mais ob-
jectos e productos chimicos, relativos a ar-
te e reetbidos ltimamente dos melhores
foroecedores de PARS e Nova York, tendo
de tudo, para todos os gostos e para todo*
os precos.
Salao da ra do Imperador n. 38.
SalSo da roa do imperador n. 38.
Samuel Fewer JtaasUa Urapaniia
Ruada SenzaiaNova n. 4.
AGENCIA DA
Vundle&o deLow Moer.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavaltos.
Moendas e meias moendas para engenho.
latas de ferro coado e batido para enge-
nto,
Arreios de carro para um e dona cavallo*.
Relegios de ouro patente ingez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
iiiffii mmmm *f
* DEPOSITO DE CALCADO J
m FABRICADO NA CASA DR ETENC0 H
H Roa Nova n. M.
mt Ah se encootrarao obras -de di- m
. versas qualidades, e por preco mui '
diminutos, a retalho e em>perces. I
jft S se vende a dinheiro. 18$
nwam m m w mm&
Gruarda-livros
Um mo?a estrangeiro, inteiramente -habilitade
em todas as escripturacSes commerciacs, deseja
prestar-seus servigos em algamas casas de nego-
cio : qoem eulzer utilisar-se de seus servicos di*
rija-se a ra Nova n. 11.
Os advogados JosEustaquio Ferrcira Jaco-
bina e Joao Goncalves da Silva Montarroyos e sol -
licilador'HermenegildaEduardo do Reg Hontei-
ro, podem ser procurados na ra estrellado Rosa-
rio n. 17 primeiro andar, das nova as tresioras da
urde, e fra deslas horas em casa de seas resi-
dencias.
Precisa-se de ama preta engomroadeira, sem
vicise de boa conducta: na ruadas'ruzes n.
36,1 andar._____________________________
a ra do Crespo n. <$, segando andar, pre-
aisa-se de urna ama de leite. _____________
- Aloga-se um escravo bem cozinheiro a tra-
iar na roa do Aragao n. 14.________________
CMmitMfiUCANO
Apartida de correte .raez.terJugar na
poite-do dia JO-___________________________
Moate-Pio Poraiguez,
Picando desde 4ioje em vigor os estatutos des-
ta ascoeia era uir.prlmento do (dlsposto m art. "8 da mes-
ma le social, e tendo Andado bonlem, 30 de ju-
nho, o reeebimento de jolas a de; mil rdls, pas-
saado Aeihoje em diente a ser de viste e cinco mil
ris ; emuanto se ultimam diversos tra*alhos pa-
ra com a aior brevidade se proceder as eleigoes
e dar posse inmediata a' administradlo (jue lr
leita, a dinetoria provisoria record a iodos os
Srs. assodados, qoe d'ora em diante p*ra a oofec-
o das propasas que houverem de lazer.ae can-
didatos a socios, dsveri i ler em vista o art. 9 dos
-estatutos. Para Mes facilitar o trabalho, a directo-
cia provisoria n andar ,iiprimir proposias, po-
-deodo eotrdtaoto servir de orma aos Srs. associa-
MONTE-MO PORTUGEZ.
Propooho para socio o Sr........por ser cida-
do portuguez em pleno gozo de seas direlto.*, ter
raeios lcitos de subsistencia,eLam procediroento,
requitos exigidos no % 3* de art. 8* dos esta-
tutos.
Recite... de... de IW..,
O soeio O candidato
F. P.
Naluraliiade.
EUdo. I
Emprego.
Residencia.
Secreuna do Monte-Pio Portaguez em Peraam-
>OM,f* ejoteo de 1866.
Jos da Silva Loyo,
Presidente. .
Joaqnlm Gerardo da Batios,
S" Secretario.
,
Pungidos do mais doloroso seotimento Jo-
s Pedro Celestino de Hendonca, 'Francisco
llartins de Miranda, RuGoo Martins de Mi-
randa, Jos Pedro Celestino de Mendonca
Jnior, Ernesto C de M. Selle, arcolioa
alejandrina de Meodonca, Umbelina Lao
riada de Mendonca, Baziliana Olimpia de
Ki-ndoga, Emilia Celestina de ilendpogj.
Anua Marques Baeeibo, pais e irmaos de
Bonifacio Celestino de Mendoofa, morto na
capanba de Paraguay, vera pelo presente
cocvidar a todos os-sens amigos e iff-i^.oa-
des do tinado para assistirem a ama missa
qaedeve ser rosada na Igreja matriz de S-
JoSaodia9do corrate pelas .7 horas da
manba pelo ropoaso eterno da alma do
mesmo Bonifacio. .
GASA DA FWtTfiR
Aos 6:000^000.
fiBiihetes saratatl8. .
A'RUAaCRESPON. O BCASAffDQ GOSftM|
0 aali<4ssignado venden nos-sens mui fe
es bilbetes garantidos da ioteria qne se acabou
de extrahir, a beneficio da Santa Casa de Mise-
ricordia, os segaintes premios:
N. 170 Ires quintos xom a sorle d| 6:000#.
N. 3391 um raeio cora a sorte de l:20O#.
N. 2i78 ara mel com a sorle de 5O0#.
N. 3550 um meio eom a sorte de S00#.
E outras muilas sortes de 100*, 40*, SO*.
Ospossuidores podem vir receber seas respec-
tivos premios sem os descontos das ieis na casa
da Fortuna ra de Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 19a parte da lotera
(7l'J beneficio das familias dos volunurios da
patria, que se extrhira* terca-feira 10 do cor-
rente.
PRECO.
' Bilbetes.....6*000
Meios......3*000
Quintos.....1*200
Para ai pesssas que estupraren ie 1004006
ara cima.
Bilbetes...... 5*500
Meios......2*750
Quintos. 1*100
Manoil Maktins Fiuza.
8I11119111I
O Dr. Ramang medico-operador e ocu- i
lista estabelecen sen consultorio proviso-
rio a' ra da Cruz n 25, onde d consul-
tas todos os das,dan 10 horas la qanhaa
8 as 2 da tarde ; o Tr. Ramang exerce
igualmente lamo a medicina como a ci-
rargia, dedicase porm com especialida-
w de ao tratamento e cura das molestias J
1 dos olhos, ouvidos e das vas orinaras. <
jmWWtWtWam VlilKllinRPil
Grande hotel Traviata.
0 proprietario desle estabelecimenlo participa
ao respeitavel publico que acaba de reformar o
sen botel de modo a offerecer aos seos fregaezes
excellentes commodidades, boa e acetada comida,
delicados viobos e magnifleos buhares por preco
commodo. O servido feito com reguiaridade e
promptioo uva prova de qoe o proprietario do
hotel Travista muito se empenha em agradar aos
seas fregaezes. Este hotel, situado na ra larga
do Rosario n. 37, no bairre de Santo Antonio,
sem do vida o mais central, e como tal o qoe pro-
porejona mais vantagens.
Alagase o soto do sobrado da ra larga do
Rosario, o qual tem daas salas, um grande quarto
e varaoda: no tnesmo sobrado em o segando
andar._____________________*________^^
Rodas.
Amd Gobervilfe, mostr carapina francoz, eom
lenda na roa do Sol, casa qne faz esquina da pra-
ca do capta), oflertce o sen prestimo a todos os
donos de cocherras, qoe acbarao ja prometas ro-
das de todos os amneos, feitas de sienpira verda-
dera para carros de phantazia ; offerece tambem
fuer quaiquer -concert de carros com todo o es-
mero posslvol e com malta promplido e preco
rveUazoa
i PAPIS PISTADOS
Sortimenio de papis pintados e
1 linda guarnicoes para forrar casas.
Ss N i LIVRARIA FBANCEZA-
^ N. *. Ra do Crespo N. 9.
Vendeir-se os seguales ffvros uovos sabidos
da hvraria pur melaie de seu. viur, ijue quatdo
nao se os queira.lr val apena compra-Ios para
aformosear estantes : na academia a bedel Bruno
dir quem vende :
Savegoy D. Rom., 8 volumes."
ucourroy, 2 ditos.
Pellat testos sobre o duelo, i dito.
Dito 0. Privado dos Rom., 1 dito.
Poajalai historia de Jerusalem, i ditos.
Contrato social de J. J. Ronseau, i dito.
Ventura asmulheres do Evangelho, 2 ditos.
Bit a mai de Deo?, 1 dito.
Dito cnlto a Santa Virgem, t dito.
Vellemaiu historia moderna, 1 dito.
Visconde de Bonalo, ,6 ditos.
Ventora Bellezas da Fe, 3 ditos.
Ortolan deplomacla do mar, 2 difos.
Weator direito internacional, 2 ditos.
liante fenilli direito e deveres das naces, 3ditos
Ventura o poder publico, 1 dito.____________
CALCADO-
45 Htia 2>trita--45
k primeira condic2o indispensavel con-
servacao da sade trazer os ps bem de-
fendidos contra os ataques da bomidade;
calcado bom e seguro o nico preserva-
tivo dessas mil enfermidades a que esta su-
jeito o nossoeu. Um chnelo velho cal-
cado por um dandy patuscante, ou urna
botina acalcanhada em pequenino p de en-
cantadora deidade alm de acensar que-
bradera horripilante, prova contra as acui-
dades intellectoae dos calcantes, e nao ha
quem, tendo bom senso, queira patsar por
maluco, ou pobre de surrao : ergo, cor-
ratt a:
4*RA D1REITA41*.
e attendam a' barateza.
Homens.
Borzegoios barcellonezes de lus-
tre e de porco 6#OO0
Ditos de Bordeaux .... 7)5000
Ditos parisienses de bezerro e
cordavSo....... 8)5000
Sapatos de lona, sola de borra-
cha.....; 2(5000
Ditos aveludados..... 1600
Ditos de tranca bons ij>600
Senboras
Borzegam enfeitadoss. 3^000
Ditos de laco ...... 4(5800
Ditos lisos....., 4500
Sapatos de borracha .- 4<5600
Selleiros, corrieiros e segeiros 1.
E um completo sortimento de calcado fa-
bricado nopaiz.
la loes
Grade sortimento.
Chegou ra da Imperatrizn. 52T junto a pa-
daria Iraucea, oin Rr.inde sortimento que fe ven-
de a 2*W.0 rs. paraacaabar.
Offerece-se para caixeire com pratica 4e af-
mazem de molhados e de carne secca e tambem
para cobranzas um menino portogoez de W a 17
anaos na ra da Cruz n. 34,
Pecisa-se de ama ama de leile; a raa da
Cruz n. O, segundo andar.
Precisa-se de ama ama para casa de
familia : na ra da Peoha n. 23,1 andar.
INJECCAOe capsulas
^EGETAES AolvliTICO:
GRIMAULT&C'JPHARWACEUTICOSEMl'ARIS
Rovo tratamento preparado com as folhas de
Matico, arvore do Per, para a cura rpida e in-
fallivel da Gonorrhea sem reccio algum da con-
traeco do canal ou d a inflammacSo dos intestinos.
O clebre doutor Ricord, de Pars, ler renunciado,
desde sua apparicao, ao emprgo de quaiquer
outro tratamento. Emprega-se a njeccSo no
comco de fiuxo; os capsulas em todos os casos
chronicos e inveterados, que resistirlo s prepa-
raedes do copaba, cubeba e s injecces com base
metallica.
A venda as pbarmacias de P. Maurer &
C. e A. Caors, em Pernambuco.
poiu.
Remedios do Br. J. C. A ver, ei-lente
da l'niversidade de pensylvania, oes
Estados-Unidos.
Ex ti aeto comporto de MlM-par-
klha de Ayer.
l eltoral de eere|.
Kemiedle para aezes.
Ululas catharticas.
O deposito central para as provincias :
Pernambuco, Alagoas, Parahyba e Rio-
Grande do Norte, desles remedios to fa-
voravelmente conhecidos e acolhidos em
todas as partes da America do Sul e do
orna esorava que seja boa -figura e que saina bem I Norte, acba-se em casa de Tlieod Cris-
itngoromaj-, nao excedendo de 25 aonos de idade, tiansen, 16 ma do l"rapifiae en
e paga-se bem : no escriptorio de Vicente Ferrei- p--,
ra da-Costa & Filbo, roa da Senzala n. 13S, on em Z[T j
seaarmaem jonlo ao aroo da Conceigo. ( O* precOS de
------j 334 por duzia de estrado de salsa-parrllha.
da in ^^ Por ^uz'a dfl peitoral de cereja.
i 27(5 por duzia de rem dio para sezes.
lti- Uua das Laranjeirsl
Estabeleeimento de molhados (m
grosso c a retalho.
Uauteiga ingl.zj a 1*. 1*200 e 1*260 f quali-
dade, dita franceza a 640 e 7JO rs. libra, caf
em caroco tu&erlur 200, 220 e 240 rs. a libra, cha'
miudo a 2*800, dito Ifjflm a 2*600 a libra, bola-
xa de soda e outras qualidades a 1*200 a Uta, vi
nho do Porto superior a 1* e 1*0(0 a gariafa, di-
to era barril a 800, dito branco a 640, dito de Fi-
gneira a 500, dito de Msba a 500 rs serveja boa
qaalidade a 560, dita Bass a (5t0 rs., ronh>k em
meias garrbfis a 6('Grs., rlianiiauha a i*oC0, azei-
te doce* 640, dito de carrapsto a 560 rs., gaz ll-
quido a 440 rs. a garrafa, cha' preto a 2*200 a li-
bra, papel alrnaco e de pes, charutos e oolros
mullos cbjecios que se tornam enfadonho mencio-
nar : garante-se bom peso e servir bem.______
BOM BARATO.
Para liquidacao se vendem excellentes presnotos
de Melgacp, cbgados recentemente, os quaes se
veudem pelo barato preco de 320 rs. a libra, no
armazem da ra da Cruz n. 36, em frente ao nec-
eo da Liogneta. Quem nao qoerer fazer um bom
tempero de panella rom eieellente presont \ por
menos prego qae o toacinho ? e por isso c ;pre-
veitar em qoanto nao se acbam. _____
Vendem-se queijos do serlo, frescos : no
pateo do Terco n. 21, a 720 rs. a libra.
flfovo
le fumarias
ortimcHo de
Ins.
Ctegon para a sntiga loja de miudezas a ra do
QiH'imado o. 16.
Bonitos vasos de ponelana donrada cem tacna
rr.uiiu fina.
Outros ditos de i de pedra cora dita.
G.rralas csfr>operiir agua da Colonia.
Fra-ros i laisamna para denles.
Do (I-; dita dT'HlYiee.
Do de ex rack. ,:e quinquina tambem pira den-
les.
Dito com .nperior apoa flor de laranja.
iiiu de dita flor de rosa.
Dito de dito vinagre de Venus para refrescar a
pen.
Dto de dito agua ambriava para baohos do ros-
to, corpo etc.
Dito de superior agua de Colonia iogleza, de Pi-
vfr e Lubin.
Dito de excedente lanha de Lubin.
Sabonet s de Lubin, e outros de amendoa, trans-
parente, etc.
Cosmetique (en pomada) de superior qualidade.
Finos extractos, fraogipane, sndalo e ootros
tambem de Anos e agradaveis churos
Opiata ingleza e franteza para denles.
I3j0itos vasos com { de arroz e pincel.
Caixiiihas eom aromtico p de arroz.
Oleo nglez. dito pbilocome, babosa e outras qua-
idades para cabello.
Ui re maco ine para Ungir cabellos.
Es^a aprtciavel tintura chegou para a leja de
miudrzas a ra do Quimado o. 16, assim como o
sabonete tranco, para se lavar os cabellos antes de
se usar da preparaco. *-
labazes de vidro com perfumari^s.
Vende se esses bonitos cabazes de vidro com per-
fumarias, proprios para presentes, etc.; na ra do
Queimedo loja de miudezas n. 16.
Latas e eopos cm bauba fifia,
A bem conbecida loja 4c miudezas a roa do
Quimado n. 16. acaba de receber as estimadas la-
COLLARES ROYER
OU
Aiodinos eleitro-magnelicos contra as
COBVUlSeS, e para facilitara deitti- tas com^baoha^fio, assim como cipos ^de vid/n de
cao das enancas. A aguia-branca,
COMPRAS
Compra-se
a ra do Quimado u. 8 recebe os
por todos os vaporen francezes.
Ja esloto conhecidos, e tanto se tem e^paiia-
do a fama desses prodigiosos collares Royer, que
se torna desoecessario dizer mais alsama cousa
em abono de eos bons e efflcazes effeitos; basta
o testemunho de militares de pessoas, qae tem vis-
to e aproveitado o feliz resultado desses lao uteis,
quao necessarios collares Royer. A quotidiana e
cresclda extraego, que vio tendo, mostra ainda
qae o numero dos prodigios he eleva com o dos
compradores. A aguia-branca, porm, desejando
concorrer para nm flm de tanto aproveitamento, ,
tem feito os necessarios pedidos, para qae por to-
dos os vapores francezes Ihe seja remettida certa
qoanlidade do ditos coliares, para assim tornarse
infallivel o sortimento delles, na loja d'aguia-bran-
ea, raa do Quimado o. 8.
StereoKcopo de nngao
Com bonitas vistas.
A aguia-branca receben bonitos siereoscopos de
mogno envernlsados e com lindas e agradaveis vis-
tas, e quer vend los baratamente, sendo 1 caixi
nha com 24 vistas escolladas por IO3OOO. Pode
tambem vender as vistas separadamente a conten-
to do comprador, que se dirigir a' ra do Quima-
do o. 8, loja d'agoia-branca.
Hofiaas de merino
cora sola, para criancas.
A aguia-branca na rna do Quimado n. 8 rece-
beu um bello sortimento de bolinas de merino
com sola para criancas, sendo o sortimento vr-
riado em tamaohos e diferentes cores.
Fitas largas lavradas.
Alm do completo so tmenlo de Illas que cons-
tantemente se acba na k ja d'aguia-branca, esta re-
eebeu novamente um outro soriirnenio de lilas lar-
gas lavradas, rujos lindos e novos desenhos a par
da superior qaalidade as fazem apreciadas, uesse
simples dizer talvez o pretndeme nao faca a justa
idea do apurado gosto de ditas fnas ; mas, se se
dirigir a' ra do Quimado loja d'aguia-branca n.
8, conbecera qne nada ha de melhor neste genero.
Latas e copos eom banha Ana.
A agnia branca recebeu novamente a superior
banda em latas e copos de vidro com lampa de
dito, e contina a vende-los a 2J e 2*500 : ua ra
do Quimado leja d'aguia branca n. 8.
Leques demadreperola, sndalo
e ac.
A aguia branca, na ra do Quimado n. 8, re-
cebeu nova remessa de bonitos leques de madre-
perola, sndalo e osso, todos de lindos desenhis
Tambem receben outros pretos para luto.
Tintaras para fazer os cabellos
pretos.
A aguia branca, na ra do Quimado n. 8, aca-
oovo e bonito molde, cora umpode vidro echeiros
de excedente banha. lUcebeu igualmente a pro-
veilose baoha-tran-pareue que muito re ve para
acabar as caspas, e a aromtica e agradavel hacha
japeteza e outras. Os pretendeotes dirijam se a
dita loja de miudezas a rna do Quimado v. (6,
que sero servido a contento-.
Bouquet dos alpes,
Esse fino e agradavel extracto, vem em nm bo-
nito vaso de p de pedra e este dentro de urna ele-
gante caixioha de papelo, de forma que a perfei-
c ontra. Ee aprtciavel extracto acba-se a vtnda
na ra do Quimado loja de miudezas o. 16.
Agua florida e Inico,
Vendem-se na loja de miudrzas n. 16, tv.. do
Qot-imad.
Frascos com gomma arbica dissolvida
e pincel.
Vendem-se na ra do Quimado loja de miude-
zas i>. 16
Tinta ndeicvel para marcar ronpa.
Vtnde-se ua ra do Quimado loja de miudezas
n. 16.
Fila elstica para coi de balo, e aspas de
ajo para os ditos.
Vendem-se na rna do Quimado oja de miude-
zas n. 16.
Bonitos enlremeios e babadinhos bor-
dados.
Vendem-se por barato preco na loja de miude-
zas n. 16 na ra do Quimado.
Tinta rxa e azul que ficam prelas-
Na loja de miudezas n. 16 a rna do Quimado.
venaem-se frascos grandes e menores com essas
excellentes tintas, roxa e azul para ficar prela; o
preco dos frascos 1#000 e 500
Graxa econmica em latas e barrilsinlios.
Vendem-se na loja de miudezas n. 16 a ra do
Quimado.
praca
cisa-se de duas amas ama para
para o mais servico de casa.
coiinbar e ulra
Ouro e prata.
Em obras veihas : compra-se na
depeodencio n. 22, loja de -brinetes.
Coropra-se onro, prata e podras" preciosa! 7^ P01" duzia de pilulas catharticas
em obras veihas : na roa da Cadeia do Rocife, se entendem dinheiro vista, e< m
Na raa doCrespo n. 18, primeiro andar, pre- cja de oarives no arco da Concedo.__________! o descont de. 5 por centO em quaotidades
Compram-se libras slerk'aas : na pra^a da de 6 a 42 duzias, e de 10 por CentO em
independencia n. 22._________________ quaalidadessoperioresa 12 duzias.
Compram-se as obras de uedecina borneo- a._ -..oifti-^
paihica do Dr. Jarrh e Cochrane, e tambem a na- a*s "e* tiiuorv
1 thologa do Dr. Jarrb : quem as tiver deixe carta SaoBders Brothers & C. acabam de receber de
com o preco de cada nma, e a torada para ser Liverpool vapores de forga de 3 a 4 caaallos com
procurado, no sobrado n. 27, segando andar, no todos os perteoce?, o mui proprios para fazer mo-
pateo do Xetcn. I ver machinas de descarocar algodo, podendo cada
_ Cimorma. Hnnt RniaB Qm cQm.,.. ivaDOr fabalhar ale com 140 serras, tambem ser-
mal- 2 ?5T." a ILrKSft Quin efros A WB,-P'ra e0fardar a,Roda0 0n para on,ro *Mkner
a ova, escripiono oe Qumteiros s&vup em qne usam trabalhar com animaos. Os
i meemos tambem tem a venda machinas america-
nas de 35 a 40 serras : os pretendentes dirijam-
se o largado Corpo Santo n. 11.
Aviso-
As pessoas qae tinhaa penhores era mo do
falleeMo Narciso Perretra da Velga, podem vir re-
cobo-loa de agente Martins, na raa da Cadeia do
Recite n. uto so praso da oilo das, findos estes
serao vendidos em leilo.
Precisa-se alugar um escravo e urna escrava
qae sejam fleii; a tratar na roa do fiangel n. 2 i,
MI**A FNEBRE.
Qflinn fem prxima pelas 9 oras da
manba mandara os estadintes da Faculda-
de de Direito celebrar ana missa eom me-
j manto solemne pelo eterno reponso d'alma
do Dr. Paulino Caara, e pelo presente sio
convidados os prente* e amigos do tinado a
comparecern no eonvento dss religioso*
fiHitMinit, MOa ter logar aqaella so-
lemnidade.
4VIS0.
Comvido aos redores do Sr. OclaViano -de Sooza
Franca para.no dia terca-feira 10 d crrante com-
pareceris en mea escriptorio a ra do Crespo
o. 18 primeiro andar para convencionarmos acerca
do seas pagamentos.
_____francisco Laca* de Souza Rangel.
Trabalfeador de padaria.
Na padaria a vapor da ra Direita n. 84, pceci-
sase de um homem qae enteoda bem de-ser
amacador.
Ufferece-se ama ama para casa de bornea
solteiro : qaem precisar dirija-se a rna das Cru-
zet n. 42, qne se d*r quem._______________
Antonio Jos Gomeo do Crrelo mora no
Monteire, e quando vem cidade descanta em
urna de suas casas raiidade nova de Santo Amaro.
Oflerece-se ama seohora poriugoeza para
ama casa eslrangeira paracosinhar eootros quaes
qoer servigos : a pessoa qae quizer dirija-se a roa
dos Coartis n. 9.___________'. ______
~r Lava-so e eogomma-se por preco commodo :
no beceo do Pociobo n 15.
Precisa-se de urn peqaeno mesmo sem prati-
ca para ma taberna : a tratar na raa da Guia
-9.
Alaga-te ura molatinbo para servico de casa,
quem precisar procure na loja da ra do Crespo
n. 20 B.________________ _
O arrematante do subsidio de 2#500 por ca-
beca de gado vaceura do municipio do Recife, ven-
de a eobranca das (regnezias do Poco, S. Loaren-
(o, Varzea e Peres : os pretendentes procurara a
tratar da dita compra na roa das Crutes n. 32.
Aluga-se ara sitio muito perto desta cidade
eom commodos para ama grande amiia : a tratar
na roa do Crespo n. 8 B.
.0 abad* asaignado particip- ao respeitavel
corpo do commercio qae tem loja de fatenda* e
roanas feitas na povoaco dos Montes disricto de
Agua Preta, aonde na mesma proprietario, tendo
na dita loja no ealxeiro por nome Joao Tavtres
de Mello aatorlsado para vender os objectos da di
la loja e o nao tem autors do a comprar merea
dorias algumas, faz-se este para qoe todo respei-
tavel seja sabedor. Recife 6 de jalao de 186t>.
Antonio da Silva Carneiro.
Agr.
loe; aa rna das Crn-
Precisa-se de dous cria
m, frtela. 39.____________
Praeisa-ee de no neetre ie messeira
ra0aCoanr>n.4Kt antora *of.
na
ATOENCAO.
PrecUa-s* atacar ama casa terrea, oa 1.' andar,
as freguetiu de Boa-Vista, Sent Antonio, e S.
Jos.* ot-se ana grallflcaca* a qoem enculcar, na
Cainna do Camn. 16.
Compra-se un sobradlnho ou duas casas ter-
reas neta cidade, assim como de dei a viole ac-
edes da companhia de Beberibe, pagndose bem :
quem tiver dirjase a' roa larga do Resano, loja '
de lonca n. 26, onde se dir qaem pretende.
- Compra-fe una carroca com urna pipa em
cima, igual as qae servem para vender agua, e um
boi mango para a mesma : a tratar na roa estreita
do Rosario n. 6, armazem.
VENDAS
Vende-se um tomo obra prima e todo no-
vo propro para tornear metaes e madeira,
tendo dito torno cinco qualidades de rosca
diferentes para {azor parafusos com a pon-
a e a espera feicJo do T, vende-se igual-
mente um rewolver feito nesta praca por
um dos mais peritos artistas; para ver e
tratar dirija se i ra da Matriz da Boa-Vista
casa n. 36.
E&cravos
Ra do (aperador i. 45 tereeirt
dar.
D9 ama familia qne se retira para fra do
1 negra con algamas habilidades de 17 annos.
mulata dem de 10 asno*.
negra fota dem de 18 annos.
maloca fel, bonita Agora de 12 annos.
maleqoe dem de 9 annos.
in-
l
1
l
l
1 maleqoe dem de 15 sanos.
1 mulequeldem de 12 annos.
1 mulato dem de 18 annos.
1 negro da Costa de 37 annos.
Alee desies escravos se eneontraro mais a ven-
da : tempo de provetlar qaem precisar de es-
cravos de conducta.
Na ra das Cruzes n. 42
vende-se.
Queijos do ultimo vapor.
Doce de golaba en lata*.
Manteiga ingleza.
Dita francesa, -o--
Cbi de diversas qualidades.
Vinho do Porto, Lisboa e Figueira.
Gaz em latas e garrafa*.
ootros mullos gneros por mais rasoaveis
precos do qoe em ontra quaiquer parte.
XAROPE
peitoral e dulcificante
M
SAINT-GEORGES
Preparado por
GRIHAULT e Cu
pharmacauUcos de S. A. L
o principe NapoleSo
Cura rpida de las
molestias seguentes :
to$se, calarrhos, pleu-
resa, coqueluche, an-
ginas, fortes constipa-
ces, irritacoes dos
bronchos e do peito,
bronckite,phlica pul-
monar, astma, pneu-
| monia,anginas,amyg-
' dalites, tosseehronica,
rouquidio. Os mdicos recoramendao ao mesmo
tempo o uso das excellentes pastilhaa pito-
" O naooo d'tdface o laureiro-
qne se prepario no mesmo estabele-
nas pharmacias de Maurer e A.
RIVAL SEM 0M
Rita do Quimado n. 49, leja de
mlndezas
DE
Jos Bigodinho
Est queimando as miudezas abaiso declaradas:
Frascos de oleo babosa fino 200 a 320 rs.
Ditos dito falgo a 600 rs.
I Ditos de macag perola a 200 rs.
Ditos ctm superior banha a 200 rs.
Caixas com 6 frascos dec heirr WQ r=
Sahoneles linos a 60, 160. 200 t rs.
Ditos de bolla superior a 240 e 3zu i -
Llvros para meninos com estamps a ',.> rs.
Caixas de 12 frascos com cheiro a 15.
Frascos de oleo babefa muito flno a 400 rs.
ba de receber novo soitimento das apreciaveis tin-1 Dalias de meias superior ualidade para senbora a
turas para empretecer os cabellos, tendo caixinhas I 4*500.
com tintura de chromacorae, frascos com rolorlc- i Cbegarara as agulhas balan (papel) a 60 rs.
me para lustrar os cabellos, ditos cora ooychromon-' Caias com bonitos soldados de chumbo a 100 rs.
tone para Hropar as unhas, ditos com hvdrocae-' Dl?as de aua para limpar denles a 500 rs.
trichlne para Javar os cabellos, sabio brnco lam- Pdras de escrever (peqoenas) a 160 e 200 rs.
bem para lavar os diios, caixinhas com tintura de palos de tran?a para homens e senhora a IfioOO.
Hoelde Water, dilas com dita de L. Marques. PeCas d fi'as d la preta para vesiidos a 600 rs.
Bloneeas que andau. jGiozas de boioes de madreperola fios a ',', ,
A aguia branca, na ra do Qoeimado n. 8, re-'
Caixas de eolebetes francezes a 20 rs.
Pecas de Iroco de todas as cores a 200 rs.
Caixas com superiores envelope a 600 rs.
1 na I DtoVdnS!?rela!6 para CriaDca a
360 rs.
ceben novas e bonitas nonecas, que movidas por
um machlnismo, andam perfeilamenie, e pela per-'
eico e njvidade das ditas se tornam excelleniesl
para presentes : os pretenden .
ioja d'aguia branca, rea do Quimado n. 8.
Vende-se urna escrava com urna Sitia de 1
anno e um filbo de 7 snnos, a escrava c-zinha,
engomma e lava perfelUmente, de idade 2 a 25
annos : quem a pretender pode ir ve-la em Sanie
Amaro, em casa de Domingos Jos da Costa Goi-
mares, e tratar na ra de Apollo n. 35, primeiro
andar.
para senhora, superiores a
A venda
Caors.
Vende-se ama mobilia aova de amarello, di-
versos movis de cozlnha : a tratar na travessa
do Poclnbo n. 37, casas de Baribolomeu, ao p da
taberna.
Na ra do Trapiche n. 16
acham-se os teguintes depositas
De |. Bf DBis|baus en Niits.
Bourgogne.
Vinho Pommard tinto.
> Cortn unto.
Santa Genrges tiato.
Chambertia tiato.
Rlchebourg tinto. .
> Oles de Voogeot tinto.
> Cbablis branco.
DeM A.WoefeaiFraicfart:
Rnenc.
Geisenheimer.
Liebfraumilch.
Marcobrannor.
Cola res
O verdadeire vinho desta localidade, preferive-
neste paiz pela sua fresqnido e agradavel paladar,
vende-** a 500 rs. a garrafa, e em barrls de oital
vo : aa Liga, roa Mora o. 0.
MATTEIM P6
ao usado boi* l
rs. a libra : na Liga, raa
ntw a lifdjnW a
Esle eieellente cha' to asado boje ao
imperio, vende-se a 500 rs. a libra : na Li
Nova n. 80.
velaa de eama
Veiidem-se eaixas eom velas pelo barato pre-
co cima ; na ra da Madre de Dos os. 5 e 9.
Vende-se o diccionario homeopatfii.o do Dr.
Jahr : na ra da Canela do Recife n. 15, loja.
Veae-M a ttberna da raa de S. Jos n. 1,
commodos pm familia : a tratar na mesma.
XAROPE
DHYPOPHOSPHITO DE CU
de GRIMAULT e O
PXannaceuticoi deS.A.I.o Principe NapoleSo
ea Parie.
Desde muitos seculos os mdicos e os chimicos
tinhao procurado um medicamento que podesse
curar as molestias de peito; todas as pequizas
feitas ath hoje nao tinhao tido nenhum resultado.
Prem os trabalhos que Ionio communicados
ltimamente Academia de Medicina de Pars, e
as mais serias experiencias feitas no hospital
Brompton de Londres, qne especialmente reser-
vado para o tratamento da tsica, provarao que
essa terrivel molestia, quando ella nao estiva
anda no seu ultimo grao, linJia no Xarope dliy-
pophospho de Cal, um especifico poderoso. As
tosses, defluxos, calarrhos, bronchiiis, grippa e
coqueluche, cedem tambem rpidamente ao uso
d'esle Xarope, e os astbmaticos adulo n'clle nm
elemento certo para curarem-se.
Recommenda-se aos doentes de fazerem uso ao
mesmo lempo das deliciosas pastilhas peiioraes
ao sueco de alfaee e delouro cereja, dos S Gri-
m ault e C1". Esta excellente preparaciose conapoe
de duas substancias as mais calmantes e ao
mesmo tempo as mais inoffensivas da maten*
medica, e nao eontem opie.
Deposito as pharmacias de P. Maurer
C. e A. Caors, em JPernambuco.
600Tr
Adnilrayel|peehlneha.
Camisinbas de cambratas a 600 rs. para acabar:
a roa da Imperatriz n. 52, armazem da porta lar-
ga jnnto a padaria franceza.
Casemira
Vende-se casemir* de cor a 4# o corte : na raa
da Imperatriz o. Si, jauto a padaria franceza.
Bates
Vende-se baldes (crinolinas) de todos os tama
nhos a if e 21500 : a roa da Imperatriz n. 5i-
fanto a padaria franceu.
1^500
Entrneles.
Venden-te pecas de entrnelos eom 12 varas a
1J500 : a rna da Imperatriz n. 82, pona larga.
Retroz do Porto.
No escriptorio de J. A. Moreira Dias, a rna da
Croa a. 50 primeiro andar, vende se retro* do Por-
to da ban eenneeida fabrica de Antonio Jos Peres
da silva..* Aires.
[ ~ Vende-se em bilhar eom todos ea seos per-
naee* t na m* do Tractehe-novo n: ti________
' Vende-** o dieeroaario
Libras de pregos de todos os tamanhos a 240 rs.
Sabonetes e familia, superior a 100 e 120 rs.
Resma de papel de peso nuito fino a 2j.
Frascos com tinta sopericr a 100, 140 e 320.
Grosas de pbospboros de gaz a 24200
Pares de botdes para puoho a 120 e 240 rs.
Cario com lionas de 200 jardas a 100.
Meias cruas muito finas a 4.
Caixa^e pos para limpar denles a ICO rs.
Caixa de soperior iinha do gaz com 50 novel!o a
1*000 rs.
Fureeiras de conta para meninas a 320 rs.
Talheres muito finos para meninos a 320 rs.
Cartilha da doutrina chrisla 320 rs.
Frasco muito bonitos com ebeiro a 240 e 500 rs.
Caixa com superiors seas para charutos a 20 rs.
i Masso com superiores grampos a 30 rs.
(Grande armazem de tin-1
tas medicamentos etc. g
Roa da Imperador n. 22.
faeo Pedro das Nevea (ge-2
rente) tem a venda o
seguate:
Productos chimicos e pharma- jf?
ceuticos os mais empregados em |k
medicina. -
Tintas para todo o genero de pin- ?
tura e para tintnraria. W
Productos industriaes e tintas 0
para flores, como botoes de flores fe
e modelos em gesso para imitar m
frectas e passaros com o compe- g
tente desenho.
Productos chimicos e industriaes |
para photographia, tinturara, pin- M
tura, pjrotecnia etc. 0|
Montado em grande escala e sup- SU
prido directamente de Pars, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa
pode offerecer productos de plena
couanca e satiifazer quaiquer en-
commenda a grosso trato e a reta-
por preco commodo.
commem
I lbo e poi
HMlsli
liomeopalhico do Dr.
Jabr : na rna da Cadeia do Recife n. 15, loja.
Panno de algodo da Babia, propro para sac-
eos de sacar e roana de escravos, do melhor que
vem ao mercado, ejlo da algodo da fabrica Todos
os Santos, do Sr. commeedador Pedroeo, ten para
vender Joaonim Jos Goncalves Beltro, na raa do
________
de CUII Orne* a !50C,
S na na loja da praca 4a luiependeucia ns. 23
e SS, jnnto na loja defonileiro, a alies qne se es-
li acabando.


-.

i


^
J
Diarlo de Peraamrimc
e Jalho de 1866.
0 que occupa boje mais a attenc&o do muudo
econmico? o novo systhema do proprietario do ar-
ffiazem de molhados
UNIAO MERCANTIL
53 RA DA CADEIA 53 -
PASSAXIH O ARCO DA CONCISf9*0.
Que surge de novo hasteando a bandeira da modicidade de presos em toos o&
seas superiores gneros. ha <
Que o publico reoonheca as vantagens que de tal systhema lbe resulta, e o que o
proprietario do sitado armazem deseja, e a que desde j o convida : passando tamben a
notar-lhe osprecos de alguns dos gneros do seu esplendido sortimentj, e para os quaes
pede
ATTENfliO m
Ciaittina de m lili o hranco americana.
Esta excellente gomma, multo se recomcommeoda como o alimento mais subs-
tancial e saulavel; servindo n3o s para papa (m que superior de todas as outras
gommas e farinhas) mis tambem della se pode fazer pao-de-l, cangica, creme, bolo
fraacez, podim, etc.: o proco de cadi pacote de urna l.bra 800 rs., em cana tem aba-
timen to.
MANTElGA INGLEZa de superior qualida
de a 1,28o e 1,100 rs. a libra, em barril
se faz abatimeoto.
DEM FRANCEZA a mais nova que ha no
mercado a 6io rs. a libra, em barris ou
meios a6oo rs.
CHA HISSON de primeira qualidade
*
I
M0LH0 INGLEZ de diversas qualidade, a
72o rs. o frasco.
MOSTARDA 1NGLEZA muito nova, a 800,
rs. o frasco *
DEM FRANCEZA a 6lo rs. o frasco.
SALMO E LAG05TIN chegado u.tima-,
mente, em latas de 2 libras, a i,6eo. rs. j
2,8od rs. a libra, afm desta h muitas ou ARENQUES em latas a 64o rs. cada orna.,
tras proprias para vender a retalho. que SARDINHAS DE NANTES em latas emeas
a 600 e 36o reis. '
VINHO DE COLLARES o legitimo viBhe
desta localidade, muito superior e sem
confeso alguma. a 800 rs. a garrafa.
IDFM MADURO overdadeiro do alto Dou-
roem barris de lo em pipa por 3,ooo
BON SORTIHEYT DE
mmm pretas
Gros de aples preto a 1500,10600, 20, U, 30500 e 40 o covado.
GorgurSo preto de superior qualidade a 2*500, 2*800, 30 e 40 o co-
vado.
Superiores moreantiqoes a 20500, 20600, 30, 30500, 40 e 50000 o
covado.
Bons cortes de nwreantique.
dem de gorgueo adamascados.
Bons pannos e casemiras.
Sup riores alpacas, princetas, merinos e bombazinas.
Bons villudos pretos.
Grande variedade de chales de fil preto e de guipnre a 50, 60, 80,
100, 420, de 180 a 205, de 250 a 800 cada unr.
Superiores rotondas de fH preto e de guipure a 80, 100, 120 e 250,
e de 300 a 600 cada urna.
Superiores algerienes de fil preto e de guipure de 120 a 250, e de
300 a 600 cada urna.
Bons chailes de seda preta. y>-gr.<.Ai1.MC.
Ditos- de Merino preto bordados e outras muitas faiendas pretas que
seria enfedonhe enumerar, na
IiOJl 1S COI-UMITAS
DE ANTONIO CORRBU DE VA8GONCBLL08 & C.
rca me crespo IT. 13
[F baratsimo!
I
F baratissimo!
F baratissfeiol
Nesle importante eslabelecimeato encontra o res-
peiuve publico um variado sorlstenlo de fazen-
das franceta*, fagleras e rias; e n qaes se ven-
derlo por proco comaic do a saber
Chales de renda preta a 50500.
Ven Je se um -ortimento de chales de renda pre-
ta a 5J30e e 63, dil03 de seda a ita; \%3 e 16*
isto na rda da Iraperatffz r: 72 de Gofrraraes & Ir-
mio.
Relohdas pretas a 80.
Vende-se retundas pretas pelo barato preco de
8, 8&>00 e 93 i da ra da Imptratriz n. 73, loja
de Guimaraes & Irroo.
Grande pexinclia a 20 o corte.
Vende-se cortes de casemlra da China a IfOOO,
2*500, 3*800 e 33, dita de brim a 1*880, 400,
1*600,1*800 e 2*.
E' muitobarato, tartatanr de cores a 240
Este estabelecimento acaba de rceber pe- VendW!e ur gnie .ortimenio de tariataoa de
lo vapor Extremaudre, e de sua propria en- cores muito proprias para vestido, fazeoda mais
commenda, um completo sorfim.eo.to de ob- moderna qqe lera viudo ao mercado a 340 o cova-
Loja do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
se vedein de l,6oo a l,8oo rs. a libra.
DEM PRETO o mais esp :cial que tem viu-
do a este mercado a 2,2oo rs a libra.
DEM regular de l.Ooo a l,8oo rs. a libra.
QE1J0S DO REINO ltimamente cbsgados
pelo vap?r 2,4oe: ditos do vapor passado'
a 2,ooo rs.
LATAS DE CHOUfUQAS
mlicamente fechadas, a 4,5oo, de barril
a 64o. a libra.
ESTRELINHA para sop em caitas sortidas
de 8 libras, por 4.ooo rs.
VINHO VERDE do verdadeirosumo da uva,
e o mais proprio para sa beber n'este
imperio, pela sua extraordinaria fresqui-
do e agradavel gosto a 64o rs. a gar-
rofa.
AME iXAS FRANCEZAS em frascos de 4 e
2 libras, a 2,8oo, e l,4oo rs. em caxi-
nhas muito enfeitadas com diversas estam
pasa2,eoo, l,8oo, l,5oo el,3oo, reis.
B1SC0IT0S 1NGLEZES em latas contendo
diversas qualidades a l.oooe l,2oo rs. a
iata.
PRINCIPE ALBERTO bolachinhas as melho-
res presentemente conhecidas a l,6oo
rs. a lata.
SALAME HAMBURGUEZ chegados no ulti-
mo navio a l,6oo a libra.
PREZUNTOSverdadeiro de Lamgo, a 64o,
rs. a libra, e 56o inteiro.
TRAQUES n. 1. em caixas de 4o cartas, por
8,5oo, e 24o rs. cada urna.
MARMELADA em latas de 1,1 V e 2 li-
bras a 6oo reis a libra.
JALEA DEMARMELLO em latas, a 8oo rs.
FRUCTAS EM CALDA pera, pecego, alper-
ce, rainha Claudia, e giDja a 64o reis
a lata.
PH0SPHAT4) BE FERRO DE LERAS
liH. EM CIENCIAS
INSPECTOR DA ACADEMIA DE PARS.
N5o existe midicamento ferruginoso tSonolavel cmo o phosphato d ferro de
Leras; assummidades medicas do mundo inteiro adotaram-no comsoiieilude sem igual
nosannaes da seien;ia. As coras paludas, dore de estomago, digestSas1 penosas, ane-
jeclos de apura lo gosto e alguns de comple-
ta novidade, como seja:
Riquissimos necessaaios para costaras,
tendo de madrepola,marfim, christal, con-
tras muitas quididades.
Ricas caixinbas de madeira machctadas
t )das de midrep .la, com msica, e o neces-
sario para costura.
Caixinbas de mnsica, tanto de veio como
de corda.
Riqui:smas malasinhas de madeira, for-
radas de marroquim, contendo o necessario
para costura, propria para meninas.
Lindos vasos para pos de arroz.
Lindos livrinhos com capa de tartaruga
para missas.
Riquissimo sortimento de enfeites para
senhoras e meninas.
Cintos inteiramente novos.
Lr,S?,,AUmA nrtnrn u a; r,niirlils tnia,convlei;encas'difflceis,adade critica das senhoras, irregolaridade na menstraacjo,
comei.braser- VINHO DO PORTO de diversas ^Mes pob*resa o sangue, lymphatisma sao curados rpidamente ou modiacados por este ex-
engarrafado, inclusive o maistino qu na,
por 8oo, l.ooo, l,2oo, aliente composto.
._. a garra
FEliO verde e carrapato em latas eraftti
n'este genero,
l,4oo e l,5oo rs. a garrafa.
carnete fechadas a 6oo rs.
CHOCOLATE francez em pacotes de 1 libra
por 5ooreis.
AZE1T0NAS daschegadas uKimameete de
Lisboa a l,2oo rs. a*hrt*ta, e 5o, a
guarrafa.
CAF avado a 24o rs. alibra; e 7,ooo
a arroba, e regular a 22o a libra, e6'5e
a arroba.
VINHO CHERRY domis soperiordomf*
cafo a l,5oo rs. a garafa, e 15,ooo rs.
a duzia.
MUSCATEL o verdaddiro de Setubal, a'
l,8oo rs. agurafo, e 2o,ooo a duzia.
VINHO BORDEAUX das mais acreditadas
marcas, S. Emilion. Sant Julien Haut
Brioo a Too e 8oo rs. a garrafa, e em
caixa ded zia, a 7,5oo e 8,ooo rs.
VINHO BRANC ) de Lisboa de excelente
qualidade, e proprio para missa, a 8oo,
rs. a garrafa, oa 8,ooo rs. a caixa de duzia.
MADEIRA SECO a l,2oo a garrafa, e 12;ooo
rs. adazia.
VINHO DO RHENO superior, a 2.ooo a
garrafa, e 22,ooo rs. a duzia. ,
VERMOUTH de superior qualidade^m cai-
xas de 12 meias garrafas por 12,ooo,e
garrafas por l,2oo rs.
E o conserva lor por excelencia dasaHie e declarado superior nos
' hospitaes epeas acidemiaa a todos es ferruginosos conbecido, ao idoreto e ao citrato
. I de ferro, porque o nico que convem aes estmagos delicados, qae nao provoca consii-
pafSo nico tambem que n5o enegrece a bocea e o denles.
Em Pars na ra da Feuillade n. 7.
A venda em casa de Maurer, e A, Caors.
do e 280, ditas mais Anas a 300 e 320, laasinhas
escocers muiio modernas a 360 e 400 rs. o cova-
do, ditas moito Unas 460 e 50.
Cobertores de algodo 800.
Vende-se cobertores de algodo a 880 rs. ditos
memores a r*600 e tflOO, cbbertas de chita a 2*,
?*500e3.
Quero duvidar venha ver.
Camlraia de cores a 240 rs. o covado dita- fina a
280 e 320 chitas Anas a 380, 300, 320, 360 e 400
rs., dMas percala? a 400 e 800.
Est se acabando chitas a 1G0 rs. o corado.
Veode-se tollas a 16d, 180 e 300 r?; o covado,
riscadinnos francetes a 340 e 380 rs o coado, raa
da Imperatriz d. 72, de* Goimares & Irmo.
Lencos brancos a 2& e 2$500 a dmia.
Ditos finos a 3* e 3*109, ditos de lnbo a 5*000,
5*500, 6 e 7*.
Cambraia branca-a 3#.
Vende-se um grande sortimento de cambraia a
3*, 3*600, 4*, 4*590 e 3*.
Bales a 2(5T.
?a. c al, J^rl/^
mmu SEN IGUAL
Ricos crtente gorgarao deseda pretos adamascado para vestido com 13
18 a 20 covados cada corta, largara de chita franeeza. pelo barattsslmo
metros
o proco de 50*
cada corte: na loj da? columnas da roa da Crespo n. 13 de Antonio Correia de Vaseeo-
eelWS'tf-C-
LOJA DO BIliO
DE

AZEVEDO FLORES
BA Di ADBI4 1BO RECIFE W. 41
Vejam e admirem!!
Chapeos de sol de seda a balo que valem 124, o B.io vende a 10, e quem
comprar de 6 chapeos para cima tem abatimeoto de lu por cento.
Camisas.
Superiores camisas de peito de esguiao pregas largas a 36-> a duzia, a quem
comprar de orna duzia para cima tem o descont de 10 por ,ento
Baldes com cauda.
Superiores bales de murselina brancos e com lista; de cor.
Roaos felta
Calcas de lindas e superiores casemiras a 8)5000.
dem escura* proprias para o invern a 7(5000.
dem claras mais inferiores a 5,5000. olinnn
Paletos saceos de panno preto fino a 10i5 e mais inferior a 80001).
Chitas para coberta a 28a rs o covado
Superior chita para coberta, cores-que os denos do Balo affincam ser as mais
fixas a 280 rs. o covado, quem deixar de'emprar coitos" qne todos venden a400 rs. e
28); o Balo tambera tem para vender um benito sortimento de chites claras e escuras
Pan ^Madapolo qae val 10/9 a 60500, lindos cortes de cassa de cor a 25800 ; vista
dos "toreos cima, dir5o, a fazenda nao presta.... e nos afiancemos que ame-
lhor possivel, e se vendemos por estes diminutos precos para grangear mator numero
de freguezes. .
Quem duvidar da veractdade do que fica dito venha ver.

,l:21.?.:ite
Tinta Inalteravel
Para escrever
de P. MAIREK k C.
PERNAMBUCO
Esta tinta recoaamenda-se pela sua com-
posioa e fluidez como a melhor e a mais
segura de todas as tintas at lioje condeci-
das. Na6 ektaca as pennas de ac, da ate
tres e*ceiliates copias, mesmo muitos das
depois d screrer, e preferivel a qual-
quer outras tintas particularmente para
livros de comme^cio, documentos
que se careca loiga conserva cao.
llfJA DO BRUM V. 9
O proprietario deste estabelecimento deseja cbamar a attencao dos senhores pro-
prietarios para os acreditados mechanismos que continua a fornecer; osquaes garante
ser como sempre, da melhor qualidade possivel:
Machinas de vapor
forca de um cavallo pa-a cima. As menores sio mui proprias para motores de des-
carocamentos dealgodo; ellas viajim armadas e podem trabalhar denro de 2i horas,
depois de cheg*rem no logar. BMtas levam tudo quanto preciso para o trabalho, e
diversos sobrecelleiita. Hsma;hinas maiores s3o proprias para a moagem de canna,
e ha dellas qae podera junte e separadamente moer canna e descarocar. Ellas podem-
seapplicar aqualqaer raoendi j exstente sera outra mndanca do que asubstituicodas
rodas da almanjarra, ha tambem com moenda junta. Ellas tea depsitos d'agua e boei-
ros de ferro, e nao precisara para seu assentamento de obra alguma, qur de carapina,
qur dealvenaria. Otetapo para assenta-las ni) excede de doze dias ao mais, i
para cintos de senliora.
Leques de sndalo e de madeira.
Riquissimos porta bouquets.
Luvas verdadeirts de Jovin.
Ditas de seda e de Escocia.
Lindos bot5es de cbristal, tanto para pu-
nhos, como para collstes e abertura de ca-
misas, estes botes tornamse recommenda-
veis, por ser inteiramente novidades.
Ditos de cornalina, brancos e encarnados,
para cohetes.
Finas tbesouras para unhas e costura.
Lindos porta joias.
Ricos port relogios de porcellana.
Modernos pentes de tartaruga e a imita-
Clo.
Albuus para retratos.
Agulbas e linhas para crochetes.
Lindos aderecos de christal.
Rosetas e alfinetes de dito.
Aderecos completos para luto, assim co-
mo brincos e rosetas.
Meias de seda para senhoras.
Ditas para meninas.
Sapatinhos de seda e de mirin, para
baptisados.
Touquinhas e chaposinhos para dito.
Las de todas as cores para bordar.
Capellas para noivas.
Gravatas e mantas para homem.
Alfinetes para gravatas.
Riquissimos livrinhos para notas, sendo
corh capa de madnperula, marfim e cha-
grn.
Penas de ac de todas as qualidades, do
afamado fabricante Perris.
Froco e seda frouxa para bordar.
Bengallas e chicotes de todas a^ qml ida-
des..
Dedaes de marfim e metal.
" di Wcdum!ra!d0S "' e P*rMn08
Dito especiaos para as senhoras faterem
to em oito dias. Todos estes vapjres sio simpHssimos na construc?3o, e se regem por
qualquer pessoa intWigente, a facidade da conduccSo sendo especialmente considerada,! "'~f?'?r
tanto que nao ha lugar em qae a3o se possam conduzir, qor por trra, qur embarcado. Jjgg*', ,
Lembra-se aos senhores de engenho que a venda dos ammaes e o servico da m sfiras t?nl Para 8enora como Para
gente oceupada no seu tratamenlo os h3o de recuperar da maior parte da despeza do meJ
vapor, deixando-lhes a vantagem de urna moagem certa e accelerada; e acabando com a. ^m "fdn ?; 'oTosto
despeza da compra continuada de novos animaes, e com os desgostos do trabalho que se {STd?>eda
tem NMte vM de9nece58ari0 lerabrar aos comprad,res de vapores a vantagem que' WUs ^seda e de algodao para mangui-
Ihes resulta de compraren suas machinas garantidas em ama fabrica, tendo artistas.com-, JJKh de a0
Suspensorios de seda e de algodSo.
petentes para assentar as mesmas e ensinar a maneira de trabalhar com ellas, e j pre-
paradas para arremedi ir qualquer desarranjo; facilidades estas que jamis podem en-
contrar comprando-as aos simples negociantes, os quaes por falta de conhecimento na ma-
Grande e completo sortimento de perfu-
maras finas dos fabricantes mais afamados,
calina a 5#, 5#500 e 6f, ditos para meninas a i3
e 4^500; isto na raa da Imperatriz n. 72, loja de
GnimarSes Irmso.
a 30OO o corte.
a 35000 o corte.
a 3d00t) o corte.
Vende-?? corles de a rora 1S eorados 3#, di-
tos Ooos a 3*500 e i*, dttos'a Maria Pia a 7*$00
85. 8*500,95 e 124. ffravatas Ins para homem
a 640, 880 e 14080, manta* moito Oa a 15200 e
12*400; isto na roa da ImpH-Mrii d. 73, toja de
Goimares & trraio.
No armazem de tazendas
baratas de Santos Coelho
Roa lo inclinado n. !.
Vende-se o segninte :
Lencoes de bramante de um s paoao pelo ba-
rato prego de 35200.
Ditos de panno de llano a25200 e 25600.
Cobertas de chita da India a 25400 e 25800.
Lencos de cambraia brancos proprlos para algi-
beira a 2*000 e 25200 a duzia.
Ditos de cambraia de linho fino a 4*500 e 55 a
duzia.
Atoalbado de algodSo hranco a 25 a vara.
Bramante de linho fino com 10 palmos de larga- *
a 25300 a vara.
Panno d linbo fino com 9 1|2 palmes de larga-
ra pelo barato preco de 25400 a vara.
Bramante de linho fino de ama largara, pelo ba-
ratissimo preco de 800 a vara.
Toalnas de linho acolcboadas para mos, a 135
a duzia.
Ditas felpadas a 135 e 135 adozia.
Goardanapos de linbo a 35300 a dozia.
Flanela de todas as core? para coeiros, a 880 rs.
o covado.
Tarlatana de cores a 800 rs. a vara.
Baldes de 35 arcos 35500, de 40 a 4.
Cambraia de linho fine a 4?500, 65300 e 9# a
vara.
Cambraia para forro de vesUdo a 25700 e 35 a.
pega.
Pegas de bretanha de rolo com 10 varas, a
35300.
Peca de madapolo fino e largo a 79.
Lazinba lisa de cores a 500 rs o covado.
Pecas de cambraia branca de salpicos com 8 e
meia va jas a 45500.
Coeiros de casemira bordados pelo baratissimo
preco de 95-
Esleir da India propria para forro de sala de
4,5 e 6 palmos de largara.
Cambraia.- finas de cores miudas a 560 rs. a vara
Neste armazem Umbem se encontra um granda
sortimento de roup? 'siia uor medida.
PHOSPHATOdFERRO
[de lebas doctor em sctencias]
INSPECTOR DA AUALEMIA 3 FAF.IZ Etc.
teria oem se quer pode garan-los de que as machinas que vendem sejam proprias ou
em que se queira emprega-las, e no caso de desastre n5o afs,m,com? H?S,0Q!
eto de
Vende-se aaUvraiia franca ra do Crespo e ra Nova n. 18 de
Vapores.
V'nde-seem casa de Saanders Brothers & C,
so Urgo doGorpoSantn. 11, vapore* jatantes
coh todos os pertnces proprlos paja fazer awver
fres ou quatro m*chias para descartear akpdo.
G4Z.
H.) armare di roa do Imperador n. 51 ou ae
Ca de Pedro U n. teto para itftoJer-M o m-
bor eaz existente no mercado.
Veo*
res e mais perteitas
leiba* de ferro gaWaDiudo,
xoaeeis.
w MWftio M AAra triViho-
aitas caitbbw com Uta de medir, e
todo por procos ra-
Sola de lustre
grande e sem,defito gara acabar a i6#000
45-Ru l)jreUa-45
-
Vela* de earataaiba.
Na fabrica da roa da Guia n. 3, ha eonHae-
menle iiotrao de velas de 6 e 14 por libra. ___
Selecja. H
Vende -se esta fazenda seBdo nfe fada, com WOVO 6 $1
malla lafpur* IM5 ape?, com 23 nnt har-
Ussimo peia grande largura : r%a-da Impefatriz
o. 52. d* pona larga._______________
itosario n. 32. vend*m-se
flOBS r su&cientes para o trabalbo
podem prestar-lhes soccorro algnm; sendo que anda quando veaham s fabricas para,
concertar as machinas alheias, torna-se-ha preciso faze; repentinamente moldes novos,
etc. para as pecas estragad >s. J numerosas vates estes vendedores tem representado'
seus vapores como sendo de forca mui superior sua actual e verdaieira forca; equi-
voco este qne n3o s engaa ao comprador acerca do trabalho que possa tirar do vapor,
mas tambem da lunar ao pagamento de um preco excessivo, vista da forca real da ma-
china que compra*.
Tafbem a semprafromptoj Rodas d'.igua de ferro Sarilhos comcruzelas para as
mesmas Moendas de canna de todo-o tamanho, Rodas de espora e angulares, Paroes ou
coches para recebef o caldo. Grivos e portas de fornalha, Taixas de ferro batido, fundido e
de cobre, Formas de ferro galvtnisadas para purgar assucar, Bombas simples e de repu-
cho. Alambiques de ferro. Eixos e rodas de carro. Arados, grades, enchadas a cavallo
e outros instrumentos de agricultura, Moinhos e forn >s para faier farinha e nalmente
todo o objecto de mecbaaismo de qae se costuma precisar.
Na fabrica se faiem obras novas encommenda e concerios, com a maior p este-
za e solidez. 0 grande deposito de pecas eobjectos habilitam-na muito para este Om.
O proprietirio ser sempre mui feliz depoier dar ioformaees ot eselarecimento
aos senhores qne se servir -te sea presumo..
/j r D. W. Bowjian, engenheiro.
ftKOS VESTIDOS BBiNGOS
A' fjj* ie fezw*s de Augusto Porto & C.
41Aw do Queimadoit
A' loja de fatendas de Angosto Porto di C cHegaraat os mato DeHos e modernos
vestidos brancos e bordados ac Iba.
Superiores vestidos de blond com mana b canalla pan aoiva.
Cortinados BoTdados para camas e janeHai de 129 a 80*.
Colzas de seda e de la, e seda de cores para'eamas.
Bales, wpartilhos, lavas de pellica e saias bordadas.
Boorns, aliernlnnel e eales de renda preta.
nde do>s vistas e capas de borracha.
res e^reio, e aboiv preto de diversas qualidades.
Enctjoves para baptisados cora vestidos bordados qne ba de mais gosto oeste genero.
Filos bordados, de salpicos e lisos, eambralasVictoria-e transparentes.
Chapeos, boneta e gorroa e pama da Italia para senhoras.
Copos pretos de seda para lomen?, e chapeos de sol seda ingletes.
Camisa traaems rtogeeias para homem, meninas e senhoras.
Tapetes para, tala,plato e cama, e dito superior em pQa.
Alcatifas de listas, baratas pols se vende a 480 rs. o covado. .
Bretanha de Uutw superior em peeiobas de 6 jardas e em pecas grandes de 3U.auas.
Na mema ala se vanim sempre as melhores e mal baratas
Esteiras da ludia para fbrar salas
do Cguelmadoi i
"deposfde superior carvfto de Cardiff ua
Bahia,
Antonio GomesdajSaTs'JT C, ra de Santa Birbira n. t,esto habilitados a sopprir de
oarvao, em co4tJeeT*Avoraveis qae em ootro qaalqaer deposito, a todos os navios a vapor qu*
cares aaquile porto. .AooesjWar nesta com Domingos Alves Matheas.,.
ra enfadonho mencionar.
S no Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7.
Verdadeiros
Cellares loyer
Electro Magntico
Ou Collares Anodinos, para facilitar a den-
tico das erian^as e contra as convulsoes
das mesmas, a estes collares nos escuzado
fazer qualquer recommendago, visto a
grande aceitado que tem tido, o que pode-
mos provar assim como, ahancar o effeito
que elles produzem, porque ha muito qus
os recebemos e continuamos a receber por
todos os paquetes da Europa; e encontra-
rSo sempre na loja do Gallo Vigilante, ra
do Crespo n. 7.
Tasso Irmos
Vendem no sen armazem raa da
Amarim n. 35,
Licor fino Curaco em botijas e meias botijas.
Licores Anos sortidos em garrafas com romas dt,
idro e em luidos frascos.
VinhosCheres.
9a ntenies.
. ChamberluV__________"
. Hermitage.
Borgonhe.
Gnampagne.
Hoseatel.
Retno.
Bordean*.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
Joaqoim Jos Goncalves Bellrao tem para
vender em sea escriplorlo oa roa do Vigario o. 17:
Viaho do Porto em barris de 4* e 8*
Dito de dito em caixas de 1 duzia.
Vinho superior da Figaeira.
Atelte de pelie em barris.
Toros de Jacaranda'.
Tabaco americano em latas de 1 libra.
Caixas com papel pautado.
Cigarros do Rio de Janeiro.
Machinas para descarocar algodo, del Lerras.
Paoo de algodo da Babia, proprio paya
saceos de auecar e mapa de eseravos ; tem para
vender Antonio Lau de Oliveira Azevedo it C, Id
seo escriptorio raa da Cruz n. 1.
Axeite de carraaaiT" T
Vende-se mais barato do qae os malulos as
cargas em grossoe a reulbo: oa fabrica da tra-
vesa do Cariosa o. %, oses do amos. .
Cadeiras de jacaraud
Vende-se 12 cadetras de guarnicao e 1 ditas de
braco, todas em perfeilo estado : quem precisar
compra-las, pode dirigir-so a raa das Cruzes n. 16,
qae achara com quera tratar.
Nao existe medicamento ferruginoso to notavel
como o Phosphato de ferro de leras; as summi-
dades rnedicacs de mando inteiro adoptaram-no
com sollicitude sem igual nos annaes da sciencia.
As cores paludas, dores d estomago, digestSes
penosas, anemia, convalescencUu di[/icis, idade
critica as senhoras, irregularidaJe no mens-
truacio, pobresa do sangue, lymphatismo, sao
curados rpidamente ou modificados por este
excellente composto. E' o conservador por ezcel-
lencia da saude, e declarado superior nos hospi-
taes e pelas academias a todos os ferruginosos
conhecidos, a iodoreto t ao citrato de ferro,
porque o anico que conven aoa estomages de-
licados, qne nao provoca constipacao, o nico
tambem qne alo ennegrece o bocea e os dentes.
A venda as pharmacias da P. Maurer &
G. e A. Caors, em Pernambuco.
Vende fe em casa do M. I. de Uveirn
Ibo, largo do Corpo Santo n. 19 :
Vinho verde snpenor em barris de 5o
Dito do Prrto de 8o e tO"
Dito de dilo engarrafado.
Dilo de Lisboa Palmella tinto.
Parello dem superior.
kFi
Francisco Jos Germann
[RA NOVA H'.<1V"
acaba de receber nm hado e magnifico aor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gesto da Europa a ocu-
los de alcance para observacoes e para os
martimos. '",'~
topouj
Para Santo Antooio 3 S. Joao, amoldares
nova de todos os lmannos, moito baratos
grande porcia, jarras finas, enlre-ttnas e
de lodos es tamanos, assadores para ir ao|
vasos franceses em lomos de sois, e toda
louca de Genova e da Ierra : na .roa do
numero l.
Pt01
Perneiras e meias peroelras; tostoaa selnor
qo se p dettJar. cuma pelo ntttaro vapor
ingles ; na rna Nova n. 7, leja do vapor, m_____
3KS\>aI&Rta-^l
Veadem se ci caixa
de 100. tambe se van'cfe in como
ia em folha.



:'



PUrlo 4c ******** *WM* t*b* 9 de Julho de 1866.
>

--
NOVAiOJA
RA DA IMPERATRIZ ARMAPEM DA
PORTA LARGA 52,
Junio a padaria fraaceza
DE
Paredes Porto.
Neste estabelecimento encontrar o res-
peitavel publico um variado sortimento de
fazendas francezas, ingiezas, suissas e alte-
mus, que at venderlo por preco commodo.
Xo armazem de M. 4. panto* e Silva Genro, i rna do Vi garlo
u. 11, constan tcinrote. os segu tes artigo-, qne
recebes por enconiaenda proprla de
XEW-YOKH.
4.rande arnazem de fazenda e
roupa feita, roa da lotperatriz
a. A, araaazeoB da porta larga
Neste estabelecimento encontrara' e respeita-
vel publico nm completo scrlimenio da roopas de
(odas as qnalidades e prego commodo. como se-
jam : paletots de alpaca, de merino, de bombazi
na, panno, casemira, preto e de cores, caigas de
todas as qnalidades, colletes de diversas quallda-
des e precos commodo, chapeos pretos franeezes,
fazenda de 10 a 6*, ditos de sol de alpaca e seda,
sobretodos de panno proprios para riagem a 11*,
meias croas de boas qnalidades e precos commo-
dos, e outras mnitas fazendas e roupas feitas, que
se vendem mailo barato ; no armazem da porta
larga n. 51
Grande armazem da porta
larga, ra da Imperatriz
n, 52.juntapadariafrai!-
Cttfc
Neste estabelecimento encontrara' o respeitavel
publico uro completo sonimento de fazendas de
seda, la, linbo e algodo, qne se vende por presos
commodos.
Chales de renta a i->
Vendem-se chales de renda preto?, azenda de
boa qoalidade, a 4* por ter porco : armazem da
porta larga n. 58.
Reten das e bearaw.
Receben ltimamente um sortimento de retondas
e bournos de seda e de algodo por barato prego,
soutembarques de grosdenaple, capas e manteletes
por precos eomroodos: airaazem da porta larga
n. 52, ra da Imperatriz.
Cabris lisas linas.
Grande sortimento veniem a 3*. 3*300 e 4*, dita mnito fina Victo-
ria a o? e 53300, corte* de Urlatana de bonitos
gostos a 3*500 e 49 roa da imperatriz n. 53,
junto a nadarla fraocezii, armaiem da porta larga.
Rites cortuianes.
Rico sortimeoto de coi tioi-dos bordados de boni-
tos desenhos a 2*, 2*500 e 3$, e de outras quall-
dades para o mesmo flm : no armaiem da porta
larga n. Si, na roa da Imperatriz.
(iresdenapk preto e te cor
Vende-se greedenaple preto e de cor a IjJioOO,
15800, 2* e 55580 o covado, reda preta lavada a
gorgurao a 15600 e 2*'o covado : rna da impera-
triz n. 51, armazem da perla larga.
Tiras r entro nucios burilados
Grande sortimento de liras e ntremelos borda-
dos, pelo preejo de 500 rs. a pega : ra da Impe-
ratriz d. o, junio a padaria fraoceza.
RIVAL SED SECUNDO.
Ruda Qocimadao.49v
Est disposto a contlnaar a vender por prego
que a todos admira qneiram apreciar e vir ver para
crer.
Grozas de pennas de ac multo boas a 320 rs.
Booets mnito linos para meninos a 15.
Pentes de alisar cora costas de metal a 500 rs.
Capachos redondos e compridos a 500 rs.
Pulcelras de contas para seotioras a 500 rs.
Caixas de papel amizade a 600 rs.
Qoadernos de papel'multo bom a 20 rs.
Pentes de tartaruga a 2*300 rs.
Realejos para meninos a 100 rs.
Escovas para mpar dentes a 200 rs.
Baralh s mnito finos a 200 rs.
Caixas de p de arroz mnito superior a 800 rs.
Caixas de lampartnas para tres mezes a 40 rs.
Caixas de obreias de massa a 40 rs.
Grozas de botoes de lonca a 160 rs.
Enfiadores de cordo e tita a 60 rs.
Pecas de fita de eos com iO varas a 320 rs.
Cartas de alfioetes francezes a 100 rs.
Libras de alfinctes franrezes qoalidade a 25.
Novellos de lioba com 400 jardas a 60 rs.
Ditos ditos com 200 jardas a 30 rs.
Caixas com alfinetes a 20 rs.
Pares de luvas brancas e de cOres a 400 rs.
Grvalas de todas as qnalidades a 500 rs.
Resmas de papel almajo superior a 25400.
Caixas redondas com estampas a 100 rs.
Livros para assenlo de ronpa lavada a 100 rs.
Banecos do choro amito bonitos a 160 rs.
Frascos de superior agua de colonia a 400 rs.
Legitima salsa parrilba de Bristol, preparada por Lanman & Kemp.
Verdadeira agua Florida, preparada pelos mesraos.
Gaz em Utas de cinco galSes, o mais purificado que se pode desejar da acredi-
tada marca F. W. D. & C.
Relogios perfeilos reguladores, com corda de quatro a oito dias, dos afamados fa-
bricantes E. N. Welch. s .
Graixa em latas grandes da bem conhecida marca las. S. Masn (de Pbiladel-
pbia).
Superior oleo para machinas de costura.
Agulbas para as raesmas.
Breu em Dnicas grandes e pequeas.
Vende-se tambem:
Principe Real.
borde:ai x
1/ qoalidade.
St. Estepbe.
St. Julien.
G. Margaux.
G. Lafitte.
Medoc.
PORTO
Ia qaafidade,
Vinho fino do Porto em barris de 5/, 10/ e 20/.
Superior vinho doRheno.
Cera de Lisboa em velas e em grurae.
Pedro V.
Mara Pia.
Prmeeza D. Isabel.
Victor Emmanuel.
Duque.
Malvazil.
mmn
au r> < Ci 50 50 > D a s
B a
31 pe-IJil-
;:gC3.ecioo&0.5;'
ST 5 o, S el o
rji CE
3
._.*
a. Cu
O
s
3 03
as -i
-%
en ~j C t-: B
_ C s a
03 1}
O o
o.
13
O O JB
c
ce
0-
S s
Cu os
9 t
O A
sis;?

Cu
CD
o
2 ."o
^lli -i-S?
?#i 5?Ss
^J 03 O 2 o
^ o b_hb
<* 3
5M "
5 f

I
2.
s
f
-1 ex.
3
s?
09 09
Cu -,
O os
ce ta
Si
H
a
Cu'
03 %
Cu
O
3
g
>
o
>
a
c
pe
>
CHAPEOS DO CHILE
a 1:500 e 2;000rs.
Na praca da Independencia ns. 24, e 26.
Mangas decimaes.
Vende-se no es.uiplor.io de i. A. Horeira Dias, a
rna da Croz n. SO primeiro andar.
Vede te um sitio no logar denominado Es-
trada Aova, qoe tea cinco moradas de casas e
ama garapeira, todo dentro do me.-mo sitio, com
algans arvorede, manija, Muangeias, manguel-
ras, cajueiros e outros a pessoa que ijuizer diri-
ja-se ao mesmo s to para traiar.'
PASTiXiiiePSiitIAr4aARiWl
toM t Pwk. OIMM MTliiovio tMU .uU-
rldade ofcre Woi oatrof filonu eoaa ni poMNH
Iktck wtn ll ni.- iMU+m t u
AXM9SM do rlt<> d &**"**__________
RACAHIJUT DES ARIBES
nico UbmU tprTdpUAcdBlit MolclMd.
PmU. 1U MMahiibo* m putiu qM.rtM ^fr
x(o e di latwttaH; fortilM* critac*J*u
UpU ha o adhor prtMrraliT* daa FaferM "H
b|M|t.
Cada truc. ^aBWfwpajppaji ImjU
m Paria. (Tu"rli WHl W *ataaeti J
BaoMiniiM o Phm*m : 0r Barbera; 9*r-
Vende-se as parmacias
A. Caors.
de Maurer e de
99 RVA llO C>lEIWlDO tf. 9t.
A/adapoto.
Finas pecas de madapelio com 20 varas a 9.
LENQOS,
Lencos de cambraia branca, duzia Z&.
. dem de cores fixas para meninos, duzia 2400.
CaMbralas.
Gambraias de cores a preco de 260 a 300 rs. o covado.
Guardauapos.
Guardanapos de linho, duzia 35O0.
AlgAdSo.
AlgodSo trancado de duas larguras, proprio para toalbas de mesa, afpreco de
1)5300 a vara.
Brama ule.
Superior bramante de linho inglez e fraocez.
Cambraia de linho propria para lencos.
ATOALHADO.
Atoalhado branco para mesa a 1/1600 a vara,
Entremeios de cambraia muito finos, preco 1#.
Lencos de seda para algibeira a 1600,
MACHlM^~MRICNAS^ ~~~
Vcrd.idelras do fabricante N, Y. Canttongln & C.
Monhos americaBos para moer milho.
Na ra Nova n. 20 e 22, grande deposito
das verdadeiras machinas americanas de todos
os fabricantes; se encentra neste deposito
grande porcHo de machinas, e se vendem por
menos preco do que em outra qualquer parte,
por se receber em direitura da America; se
fornece todas as explicaces necessarias ao
comprador para conservado das mesmas;
neste grande estabelecimento se encentra mui-
tos arligos americanos, que muito deve agra-
dar aos agricultores que usam de taes artigos,
encontra-se tambem todas as colleccoes de de-
senhos sobre os quaes se aceita qualquer urna
encommenda, que com promptido ser ejecu-
tada ; 1 este grande estabelecimento, encon-
tra-se em grosso e a retalho, grnde porc5o
de ferragens, e miudezas que se vendem por preco coaamodo, pedindo-se a altenco
de todos para este estabelecimento que moito lucraro em fazer suas compras: na
ra Nova n. 20 Carnero Vianna.
GRAXDE ESTABELBUMESIO
DO


FAZENDA E ROPA FEITA
RA WOVA M. *4.
Reg & Moura, proprietario da loja de fazendas e rcupa feita, sita ra Nova
n. 2i, fazem sciente ao publico e particularmente aos seus amigos e freguezes, que
acabam de receber de sua encommenda, um perfeito sortimento de fazendas finas, entre
ellas casemiras de cores proprias paracostumes; panno fino dos melhores fabricantee
proprios igualmente para casacas e sobrecasacas e outras fazendas de variados gostos,
as quaes vendem com vantagem sobre outro do mesmo genero de negocio, tanto pela
modicidade dos precos como pela quadade especial dos artigos que expe a escolha de
todos aquelles que se dignarem frequentar seu estabelecimento.
Osmesmos, continuando como sempre; escudados e robustecidos na acettacaoe
confianca que Ibes tem sido di.-pensada pelo respeitavel publico, no espaco de lempo em
que se acham establecidos, procuram envidar todos os esforcos a seu alcance para cor-
responderem suficientemente a expectativa deste e de seus numerosos freguezes e ami-
gos, por isso, admtttfrm para sua officina de alfaiate, quatro contra-mestres, funecto-
nando regularmente soba inmediatadireceodo muito hbil mestre Launano Jos de
Barros, o qual, activo e diligente como s6e ser. nao se poupa aos mais aturados cuidados
de sua arte qua'ndo tem de salisfazer com brevidade e presteza qualquer obra de encom-
menda, .'.''.
Ao contrario dos n uitos que enchemas columnas do jornal com a repeticao ociosa
de annuncios em estylo sedico, nao precisamos aqui a natureza dos artigos que possui-
mos para nao collocar a sincecidade dos nossos tratos no perigo immtnente que resulta
dessas aotecipaces sem fundamento.
mm tas mwm&
BASTOS
56 A -RA A CABIA-=4a A
Neste estabelecimento como sempre contina haver trrande e eompteto aorUiBeiMO de machinas
para descarocar algodo, verdadeiras americanas, de 8 a 36 serras,dos (abrlc*ntwja mnito conbecir
dos Eagle New-York Cotn Gin e H. & C, estas sao as primeiras qoe vem a este mercado, tornando-se
recommendaveis oo s pela segoranea com qoe sao f.ilas como pelo grande n^r rJl
cem no sea trabalbo, occopando mu ponco pessoal. Tambem aqni os freguezes encontrarao lodos os
necessarips avulso para as mesmas bem como :
Machinas para cortar capim.
Machinas para debolbar milho.
Machinas para faier parafuios de ferro e madelra.
Maphinas para fazer caf.
Arados, carros de mo
0 os mais acreditados cyUnaros para padaria, tudo petos precosos mais raaca-ven paasiveig,
IRAMDE '
ARMAZEM
DE
Roupa feita e por medida.
26 Roa XoTa n. 26.
Jos Antones Gmmares, propr eterio deste novo estabelecimento de roopas e
fazendas finas, participa ao respeitavel publico em geral e a todos os seos fregus
e amigos, que estando saa casa sobre a direcao de dous dos melhotes mestres de atraate,
sendo um delles o Sr. F. E G. Miranda, e o outro o Sr. Manoel./ J. G. Carneiro^mbos
com grandes habilUagdes tendentes a sua arte, pelos quaes dirigida a sua omer,
achando-se J>em montada a desempenhar qaalquer encommenda por grande qne seja,
se esforcar para sahir a contento de seus fregones, vendendo- ludo por menos toque
em eutra qwquer parte., Roga as pessas interessadas qOe veobam eiamtrmr seaestaoe-
lecimento, e verificar por si mesmo o que declara, assim como taz aciente a todos em
geral, tanto desta praca como mesmo dos do centro, qoe qoalqtwr encommenda de obras
feitas quemandem fazer nesta officina, nao sendo a contento de seos dooos, pede que
as queiram devolver, aflm de novamenle se fazer outras qoe os satisafam; anua to-
mo declaram que.nao tero nennuma responsabilidade, esperaodo sempre servir bem
a todos e de todos espera merecer pioteccao, sendo entregue qualquer encomaenda no
prazo de 24 horas ou em menos tempo se fr de nraita urgencia.
Upa da imperatriz, N. 60
M
GAMA j SILVA.
LOJA I ARMAZEM DE FAiENDAS.
Tendo os proprletarlcs depte grande estabeleci-
mento feito nm grande abatimento em mnitas de
suas fazendas, pela occaslio do bataneo que deram
no ultimo dedezembro de 1863, resolveram vender
mnito mais barato do que costumam aflm de cada
vez mais agradarem aos seos numerosos fregue-
zes ; por tasto Ibes oifererem nm avulado sorti-
mento de fazendas francezas, ingiezas, as quaes
vendero mais barato do que em outra qualquer
parte, comprometindose a mandar levar qualquer
fazenda em casa dos fcvgnezes qoe nao poderem
vjr a loja, ou a darem ;is amostras, anisando flear
o penkor, assim. como eonvidam as pessoas, qoe
negocian em menor escala que neste grande esta-
belecimento encontrarao nm grande sortimento
tanto a retalbo^eomo por atacado, vendendo-se-lhe
apenas pelos precos qne compran as casas ingie-
zas, sendo com o dinheiro a' vila.
Hice vestidos a 80000 rs.
pechincfca admiran.
S o Pavao receben pelo ultimo vapor francez
nm grande sortimento dos mais ricos cortes de
vestidos transparentes com lindas barras e enfeltes
de seda, sendo este vestidos mnito proprios pan
baile* e passeios, e venem-se pelo baralissimo
preco de 8000 rs. cada nm, na loja do Pavo na
ra da imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Osehales do pavo a 2ooo e 2oao rs.
Vendem-se cbales de merio estampados a i}
e 2600 cada nm.
Ditos de merm liso a 35500.
Ditos estampados de crepoo a 6J, 7#, e 8*000.
Ditos pretcs bordados com franja de seda a 14J.
Na loja e armazem do Pavio na rna da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
Para luto vf nde o Pat3o.
Setim Aa Chica com 6 palmos de largor, fazen-
da preta para loto, propria para vestidos e roopas
para hmeos, seodo esta nova azenda sem lustro e
de moito boa qoalidade, garantiodo-se nao ficar
russa eom o tempo e vende-se pelo barato prego de
24 e 2*500 c covado, assim como neste estabeleci-
mento tem coa grande sortimeoto de todas as fa-
zendas preta;; como sejam cassas e cuitas pretas,
Iaas tapadas e transparentes, princezas, alpacas,
sarjas, etc. ; na loja e armazem do Pavao Da roa
da Imperatrii o. 60, de Gama & Silva.
0; cortinados do Pavao.
Vendem-se superiores cortinados adamascados
para camas celo naratissimo preco de I J> cada par,
ditos multo Anos ricamente bordados para camas
00 janellas a 18&, 20g e 2K o par : na loja e ar-
mazem do Pavo na ra a Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Os espartilbos do Pavao.
Vendem-se orna grande e variado sortimento de
espartilbos dos mais bem feitos qne tem "vrndo ao
mercado, sendo de-todos os lmannos, vendendo-se
por nm preco moito razoavel : isto na loja do Pa-
vo na roa da Imperatriz d. 60, de Gama & Suva.
a aalaa bordadas do pavo.
Vendem-se salas bordadas seodo fazeoda moito
bfla, sendo ricamente bordadas econrtnoita roda
veodeniio-se pelos baratos precos de 6* 89 e 10*
reis cada orna na loja do Pavao na roa da Impera-
triz 0. W de Gama & Silva.
Roupa feita.
Na loja do PaVSo
Vende-se neste estabelecimento um grande sor-
timento de roopas, tanto de paono como caxemiras,
e tirios e pelos baraiissimos precos como sejam
; calcas de caxemira preta a b* 7* e 8*000reis, pa-
letots dj panno preto saceos a 6* 8* e 12*000 rs.
ditos soareeasacos de paooo Dnissimo a 12* 18* e
25*000 reis, e outros moitos arligos qoe serla en-
fadonbosaqu reltalos; s na loja e armazem do
Pavio rtra da Iroperatriz n. 60 de Gama A Silva.
Laazinhas a 200 rs ys o
Pavto.
Vendem-se modernas laazinhas com lindIssimos
gostos, pelo bantissimo preco de 200 rs.; gran-
de peco Dcha : s na loja do Pavo, rna da Impe-
ratriz n. 60, de Gama t Silva.
I.cneos forneos a *000 res a
dozla.
Vendem se loncos brancos farenda moito boa
pelo baralissimo preco de 9* a dozia, Ditos com
barra de cor a 2*000 isto para acabar na loja d-
Pavo na rna da imperatriz n. 60 de Gama A Sio
va.
Cirosdeaaaplcs pretos do Pavio.
Vendem-se superiores grosdenaples pretos pelos
baratissimos precos de 1*500, 1*600, 1*800 e 2*
o covado, sendo fazenda muito boa, s para aca-
bar : na loja e armazem do Pavo, roa da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Bramante de linho do PavSo.
Vende-se superior bramante de linho com 10
palmos de largura, proprios para lences, pelos
baratissimos precos de 2* e 2*600 a vara, assim
como panno de linho moito fino pelos barassimos
precos de 640,700 e 800 rs. a vara : na loja e ar-
mazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Cantbraias lisas de Pavo.
Vendem se pecas ae cambraia lisa muito supe-
rior, pelo barato preco de 3*200 e 3*500 a peca,
ditas muito finas a 5*, 6*, 7* e 8* : na toja e
armazem do Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Casemiras
a 4$, na loja Ho Pavo
Vende-se superior casemira enfestada, propria
para calca, paletots e colletes, pelo baralissimo
prego de 2*400 eada covado, ou a 4* o corle de
caiga, sendo fazenda que sempre se vendeu a 3* o
covado, ou a o* o corte ; esta grande pecbocba
liquida-s pelo preco cima, na loja e armazem do
Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
ALPACAS
de < orea, na loja do Pavio
Cbegaram pelo ultimo vapor as mais lindas al*
pacas de ama s cor, sendo lisas e tarradas, coa
as cores mais modernas qne tem vindo ao merca-
do, como seja alvadias, rxas, lirio, cinza, perola,
avana e outras muitas cores mtt ramele novas, e
vendem-se por baratp prego : na loja e armazem
do Pavo. rna da Imperatriz ts. 60, de Gama &
Silva.
Grosdmple preto a 1$600.
1E' grande pichincha I i
Vende-se grosdenaple preto, seodo moito encor-
pado e de boa largura, pelo baralissimo prego de
1*600 o covado : na roa da Imperatriz n. 60.
Os cachinez do Pavao.
Vendem-se bonitos cachinez de Ka on apazaNwe
para eabega pelo baratissimo prego de 3*000, s
na loja do Pavao, na rna da Imperatriz n. 60.
Caslor a 3tt0 rs. a eavat,
Para caJcas.
Vendem-se superiores castores mnito encorpados
padroes escuros pelo barato prefo de 320 rs. o co-
vado, servlodo esta fazenda tambem para ujoralwi
por ser de muita duraeao; na toja e armazem do
Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Madapoltks a 3,560 rs. a pessa.
S na loja do Pavo.
Vende-se nee~*e nWapoH* eom 1J jar-
das, pelo barato prego de 3*500 e 4*000.
Novidades I
Cambraias a Marta Pia.
Cbegaram as mais bonitas cambraias com listas
de cores e com os mais delicados desenlies qoe-se
venden aSOOfs.a rara, Id issimos organdjrs e
mesa gosto qne se vendem a 1*200 a vara, cas-
sas de cores eom diOenntes e moderaos desenhos
qne se venden a 240,280 e 320 rs. o omdmctu-
do isto mnito barato em altenco a gualidada ;
na loja e armazem do Pavao na ruada Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Grande pechlncba cnt toalhas
para aaao.
Vendem-se superiores toalbas de linho propas
para mo pelo baratissimo pr$co de 560 rs- ditas
a 640 rs ditas a mitago das felpudas a 800 rs.,
ditas fe pudas a 1* : pneJneba na loja e arma-
zem do Pavo sa roa dalmperairit n. 60, de Ga-
ma & Sirva.
Chapeos para nieninas a So na loja do PavSo.
Se vendem os mais bonitos e mais bem enfeita-
dos cbaposlotios de palba da Italia, proprios para
meninas, pelo baralissimo prego de 6*000; na loja
e armazem do Pavo na rna da Imperatriz D. 60
de Gama & Silva.
. Attenc&o.
ULTIMA WMDADE
PENTES, ENFEITES, CINTOS.
Gama & Silva, acabam de rececer pelo ultimo
vapor francez, nm grande sortimeoto dos mais ri-
cos enfeites pretos e de cores proprios para eabega,
sendo guarnecidos com as mais lindas flores, e cora
voltas das mais bonitas perolas; assim como osmais
modernos e engranados pentes da verdadeira tar-
taruga, marebetados sendo a ultima novidade
que tem vindo de Pars, e os mais ricos cintos com
fitas mathisadas e fivelas largas, conforme ltima-
mente se usa as primeiras capitaes da Europa, e
vende-se por preg em conta por ter chegado em
direitara para a loja do Pavo, roa da Imperatriz
n. 60 de Gama & Silva.
As rotundas do pavo a 8 c IQ.y,
Venitm-se as mais ricas rotandas de renda pre-
ta, sendo moito grandes, que sao as que mais se
usam, pelo baralissimo prego de 8* e 10* : na
loja e armazem do Pavo, ra da Imqeratriz n. 60,
de Gama & Silva.
Chitas pretas a 160 rs:
Vendem-se chitas pretas ingiezas, sendo fazenda
muilo boa, pelo baratissimo preco de 160 rs. o co-
vado, on {>*500 a pega com 38 covados: s na
loja de Havo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
ATLANTA
Grande novidade a SOO rs.
Allanta a 200 rs.
Atlanta a 200 rs.
Atlanta a 200 rs.
Cbegon para a loja do Pavo o mais lindo sor-
timento desta nova fazenda, com o titulo de allanta
propria para vestido e roopas para meoinos, sen-
. do esta modernissima fazenda de ia com os mais
lindos gostos de qusdrinhos e listras tendo entre
ellas de cOr roxa e preta, coro listras e quadros
brancos proprias para into, e vendem-se pelo ba-
ratissimo prego de 200 rs. o covado nicamente na
loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
8Ura.
As chitas do Pavo a 200 o covado.
Vende-se o mais bonito sortimento de chitas es-
curas e roas sendo Ingiezas, mas com os pannos
| tao encorpados como os das francezas que se ven'
, dem a 400 reis, e Nqoldo se pelo barato preco de
i 200 ris o covado ou a 7*200 a pega, garaniindo-
se terem 38 covados cada pega e serem de cores
fizas isto na loja e armazem 'do Pavo na roa da
imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Novidade
Para vestidos.
Cbegaram as desejadas cambraias on lanaiana-
brancas coro ibirinbas.{sendo transparentes e ven-
dem-se pelo baralissimo prego de 5*000 o corte,
na loja e armazem do Pavo na ra da Imperatriz
n. 00 de Gama & Silva.
CUitas a 180 rs., s o Pavo.
Vende se o mais bonito scriimento de chitas in-
giezas, padroes miudlnhos, claros e escuros, e ten-
do tambem rxas para lulo, afiancando-se serem
cores fixas, e vendem-se pelo baralissimo prego de
nove vileos o corado, ou a pega c:m 38 covados
por 6*800 : isto na loja e armazem do Pavao, na
roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Vestidos brancos.
Cbegaram para a loja do Pavo os mais bonitos
corles de vestidos de cambraia branca com bom-
I tas barras todas brancas, assim como com barras
de cores, sendo fazenda transparente e muito fina,
tendo cada nm corte bastante fazenda e mnita ro-
da, e vendem-se pelo baratissimo prego de 8* e
10J : na loja do Pavo na i ua da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Cortes de ta ra lana na Inja do Pavo.
Vendem seos mais modernos cortes de trlatana
com as mais lindas barras de cor, pelo baratissimo
prego de 5* cada um, sendo neste artigo o melbor
qne tem vindo ao mercado: isto na loja e arma-
zem do Pavo na roa da Imperatriz o. 60, de Ga-
ma & Silva.
Cambraiits brancas,
Cem S palmas de largorae
* na loja do pavio.
Vende-se cambraias brancas transparentes tendo
8 palmos de largura, ou duas larguras das regula-
res, que facelila fazer-te um vestido apenas com 4
varas, e vendem-se pelos baratissimos pregosde..
1*000 res, e 1*280 a vara, nicamente na loja e
armazem do Pavo, rna da Imperatriz n. 60 de Ga-
ma & Silva.
Chitas br?n as a 280 rs.
Hende-se chitas francezas acentos brancos pa-
droes miudinbos, pelo baralissimo prego de 280 rs.
o covado, na toja e armazem do Pavao, rna da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Chapees de sol.
Vende-se um grande sortimento de chapeos de
sol, sendo de seda e de varios precos e qualidades;
ditos de alpaca e de panno, e vendem-se por precos
muito commodos, na loja do Pavo na ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Cortes de chitas.
Vendem-se cortes de chitas ingiezas, sendo pa-
droes escuros tendo 10 covados pelo barato prego
de 2*000 rs.; ditos com He 12 covados a 3*200
e 2*400 rs; ditos de chita franceza escura e ale-
gre, tendo 10 corados 3*200 ; ditos cem 11 e 12
covados a 3*520 e 3*840 rs: peebineha, na loja
e armazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60 de
Gama & Silva.
Grande pechlncha
em cbales a 4,-5 na loja do Pavo.
Vende-se finissimos chales de merio lisos com
franjas largas de retroz tendo as cures seguintes :
encarnado, aznl claro, aznl escuro, verde, cor de
canoa, solferino, majenta, branco e rozo etc., esta
fazenda vende-se sempae a 6* pela sua boa qua-
dade e agora liquidase pelo baratissimo prego de
4* por ter grande porgo: na loja e armazem do
Pavio na ra da Imperatriz n. 60, de Gama Silva.
A 4 peebineha em chales de renda na loja
do Pavo.
Vende-se cbales de renda preto* tendo 4 ponas
e sendo mnito grandes pelo baralissimo prego de
4*, ditos de renda de seda a 8* e 10 : na loja do
Pavo na rna da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Chales.
peebineha a 6# por ter um toque de mofo
Vendem-se fidissimos chales de renda de seda
pretos com um pequeo toque de mofo pelo bara-
tissimo prego de 6* sendo fazeode que sempre se
vendeu por 18* e 20* e acabam-se por esteprego:
sa loja e armazem do Pavo na roa da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Chales de renda.
Vendem-se finissimos cbales de renda de seda
pretos sendo de tres ponas, porm mnito grandes
pele baratissimo prego de 6*, sendo fazenda qne
sempre se vendeu a 12* e 15* : isto na loja e ar-
mazem do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Alpacas para vestidos
na loja do Pavo.
Recebera m-se as mais modernas alpacas de co-
res para vestidos com os mais lindos desenhos
sendo fazenda chegada pelo ultimo vapor e ven-
dem-se pelo baralissimo prego de 640 rs. o covado,
teodo estas fazenda* largara de chitas francezas :
isto na loja e armazem do Pavo na fu da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Para mo
Lencos bordados
Vende o Pavio.
Este estabelecimento acaba de receber um va-
riado sortimento dos mais bonitos lencos de cam-
bra'ia primorosamente bordados e preprios para
mo que vende pelo barotissimo prego de 1* e
1*600 caca om : na ioja e armazem do Pavao na
roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Ultimo goato em laazinhas
Atoalhado na luja do Pavo.
Vende-se superior atoalhado adamascado sendo
alvo coro 8 palmos de largura pelo barato preco de
2* a vara, dito-de liiibotrlgueiro cem a mesma
largura a 2*500, guardanapos da me.-ma [a:eada
a 3* a dozia : na loja e armazem do Pavo oa roa
da Imperatriz a. 60, de Gama & Silva.
Baldes baratos
Vende o Pavao.
Cbegoa um grande sortimenlo de baloes da ar-
cos sendo americanos qne sao os melborei e vea-
dem-se pelo baralissimo prego de 2*C0, 3* a
3*&0O : na loja do Pavo na ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Mrctanhas de rolo a 26800.
Vendem-se pecas de bjelanba de rulo lendo 10
varas cada pega pelo baratissimo prego de 2*S<0:
na loja e armazem do Pavo na ra da Imperalrn
n. 60, de Gama & Silva.
Grande Liquidado de Fa-
zendas
Armazem da Arara rna da Im-
peratriz n. 5t5.
DE
Lonrenco P. Hiendes Gnimares.
Chitas da Arara i60 rs. o covado.
Vende-se chitas escuras o claras a 160 e 200 o
covado, cortes de ditos a 2* e 2*400. Ra da
Imperatriz loja da Arara, n. 56.
Cassas francezas finas a 240 o covado.
Vende-se cassas francezas Anas a 280 e 320
o covado. Cortes de casssa a 2*400 e 3*. Ba da
Imperatriz loja do Arara n. 56.
Arara vende chitas fratirezas a 240 rs. o
covado.
Vende-se chitas francezas escoras cem pequeo
toque de mofo a 240 o covado, ditas francezas linas
largar a 280. 320 e 400 rs. o covado. Roa da Im-
peratriz n. 56.
Bretanha de rolo a 3t00.
Vende-se pegas de bretanha de rolo a 3*000,
brim llzopara lences a 500, 560 e 640 o covado.
Ra da Imperatriz loja do Arara n. 56.
Cambraias lizas do Arara a 30100 a pef.
Vende-se pegas de cambraia finas a 3*, 4*, e
5*. Roa da Imperatriz ioja do Arara o. 56.
Arara vende cobertores a 1^500 e 16000.
Vende-se cobertoresa 1*000, ditos Dnos de pel-
los a 1*500, cobertas de lista 2*000 e *400.
cobenas de damasco 4*000, cocerlas de fasio a
ojOOO. Ra da Imperatriz loja do Arara n. 56.
Madapolo trancen do Arara a 3$000.
Vende-se pecas de madapolo francez de 12 jar-
das a 3*500 e 42000, vende-se pegas de madapolo
inglez de 24 jardas a 4*, 5*500,6*, 7* e 8*GC0.
Roa da Imperatriz n. 56.
Arara vende pecas de algodozinho a 3/jeG
Vende-se pegas de algodozinho eucorpado a 3*,
4 5*, 6* e 7*. S na loja do Arara vende se
azsim barato, rna da Imperatriz n. 56.
Lasinhas do Arara a 200 rs. o covado.
Vende-se lasinhas para vestidos de senbora pelo
barato prego de 200, 240,320 e 400 rs. o covado-
Roa da impereiriz n. 56.
Baloes do Arara a 2000.
Vende se barloes de arcos a 2*000, ditos finos
de 20, 2o e 30 arcos a 3* 3*500 e 4*, ditos de
mursulina para sent ra a 5*, ditos para meninas
a 3* e 3*500. Ra da Imperatriz Ioja da Arara
n. 56.
Lencos da Arara a 2#C00.
Vende-se a tozia de lengcs brancos a 2*000,
ditos com barras tambem de cores a 2*000, meias
croas para bomens a 2*400, 3*500 e 4*500 a du-
zia, aberturas para carnizas a 5C0. Roa da mpa-
ratnz n. 56. __________
Breu em barricas pequeas.
Cara em velas de todos o umanhos.
Bogias.
Mercurio.
Na ra do vigano n. 19, primeiro andar.
CW91JMA
ltimamente chegada do Aracaty, a ra doAm-rm
n. 48, armazem de AdIobq Alfonso Horeira.
Vendem-se doos cavallos de sella e urna car-
roga : na Capunga-nova, casa de dous pondes e
grade de ferro, que fka em frente a roa da Ami-
zade.
Escravos fgidos
Fogio do engenho Jassir, em Serinhem, no da
27 de junho do correte anno, o escravo de nome
Pedro, coro os signjes seguintes : estatura baixa
e reforgado do corpo, representa ter 35 a 40 an-
nos de Idade, bem barbado, beigos grossos e do-
brado?, olhos om tanto papudos, bem fallante, e
crioulo, ba pouco trmpo fol preso nesta cldade do
Recife por andar fgido, e estere recomido a' casa
de detengo ; a pessoa qne o pegar e entregar ao
Sr. Lemos Jnior nesta cidade, ou delle der noti-
cia Piada, sera' generosamente recompehsado.
Furo do engenho Timb, de Jaboato, na
noite de 1 do corrente mez de julio, o escravo
crioulo de nome Pedro, baixo e secco do corpo, da
cor fula, sem barba alguma, olhos vivos, e ps
Eequenos, com 25 anuos de idade : quera o apre-
ender leva-lo a seu senhor o abaizo assignado
ser muito bem recompensado.
_______Filippe de Souza Leao.
Rogase as autoridades policiaes e capitae
de campo, que apprehendam a escrava Izidoria
com ossignaes s-gointes: crioula, alta, bam pare-
cida, dentes limados, com urna cicatriz no meio do
brago direito, proveniente de nma facada, illude a
lodos, costoma a vestirse de bomem : quero a pe-
gar leve-a a ra da Imperatriz n 2, qoe ser re-
compensado ; pretesta-se com todo o rigor da le
contra quem a tlver oceulta._________________
Aviso
Fogio sabbado 23 de jonbo o escravo Jos, cri-
oulo, cor um pouco fula, idade 30 annos, pouco
mais on menos, estatura regular, barbado, porm
nsa de barba raspada, muito bebado e muito re-
grista, levou camisa de riscado, chapeo de palba
de carnauba j veln, e calca de azulao, intituia-se
de forro, tero os ps malfeiios, um mais grosso qne
entro, os dedos om pouco leranlados por eausa de
rnuilos nidios que leve ; este escravo pertenceu ao
Sr. Hanoel Aires Barbosa, foi vendido para a Co
lala de Pimeoteiras, d'oade voltoo, e foi vendido
ao Sr. Hendenga, com loja de fazendas na roa 4o
Queimado ; fogio e foi pegado em Igoarass inti-
tulando-so all como forro, e ltimamente parten-
cia ao Sr. Hanoel Antonio Vieira, com loja de ton-
ga na roa da Cadeia no Recife : quem o pegar le-
ve-o a ra da Concordia n. 8, que* ser bem gra-
tificado.
Desapparecen nc dia 2 de junho do correte an-
no o escravo Raymundo, pardo, o qual tem os sig-
naos seguintes : estatu-a regular, bastante corno-
lento, dentes inteiros, cara redonda, cor de garapa,
tem em um dos bragos tres grandes letras e mais
signaos no mesmo brago em que tem as letras,
representa ter 25 annos, porm nao tem barba
qoasi nenhoma, tem os ps bastante grossos e foi
do serto. J esta' porm no Reeife de 8 para 10
annos, bastante trabalbador. tanto do servigo de
casa como de campo, oceupava-se nesta praga em
serrlgo de servente de pedreiro e trabalbava con
o mestre Hansirico e tambem carregava agua.
Costumava (rajar um palelot de brim grosso en
forma de camisola j suppoe-se qne lenha Ido para
o serto do Ico em algum comboy feito almocreve:
roga-se s pessoas que o prenderem queiram tora-
lo a sua seonora D. Marianna Augusta da Rocha
Bastos, na ra da Aurora n. 42, que ah generosa-
mente se recompensara' este tranalbo, on ao Sr.
cemmenador atanoel Luiz Yires.
Gaoocolnio-fngidt
Continte fgido do oolleg) do Bom Conselho o
eacravo GaidiBO,acabocolado, de lO.annps de Ida-
Acba-se nm grande sortimento das mas moder- ,de, cabelfos estranos, tendo uro *^*'~
as : aMaria. Pa, Garibaldinas, mathisadas, lisas e marcas de teiiatfm-na ^'^,;*
e de quadrlnbos qne se vendem por baraiiseimos i gue esteja acontado, pois tem sido visto comprando
pregos e do-se as amostras: na loja e armazem ] farinha na ribetra : nnem o levar ao dito cottegw
do Pavea aa rna da impexaift n. 60, de Gama &; na ra oajlurora a. 50, sera gratificado g*neroa-
Silva. mente.
':



Diaria e retmumbueo Megmm* letra e Sniho de 1666.
1 I*P!PPH i Iflfin i humana deve parar, e nao pender miis para Esmagae me maldigio do Bienio, esmagae me
Ll 11 tKA 1 UnA. um que para outro lado. Com tudo, os *> i 'T^J'001,!; qam le! *
As Biblias falsificadas.
um que para oulro lado. Com tudo, os
snelos Padres sao quasi unnimes em indi-
car a pena do fogo como a que se soffre no
Si quis autem libros ipsos ntegros cum Purgatorio, e por isso que ser temerario
mnibus sais pariibus, prout in E-clesia sustentar urna opiniSo contraria da tradi-
Catholica consueverunty et in veteri Vul- c5p ; anda que o Concilio de Trento nada
'/ata Latina edilione habentar, prosa- quizesse decidir sobre esse ponto. (Sess. 2oj.
cris el canoniets non sQsceperit, et tra-
ditines prce dictas sciens et prudens Quanto duracSo das penas do Purga-
contempserit, anothema sit
dent., sesso 4.a)
Conc. Tri-
(Continuaao.)
R'econhecia elle pois que liavia lambem
enmes inexpiavais. Domis o dogma do
Purgatorio, a5o est evidentemente cima
da razo, porque fcil de conceber que
baja faltas, que nlo sendo passiveis de urna
pena eterna, exijam todava urna satisfazlo
temporaria.
O Purgatorio digamo-lo asara, urna
transaeco entre a sanctidade, a jasliga e a
misericordia infinita de Deus.
Urna exige que nada appareca manchado
na presenca da magestade do Deus tres ve-
zes snelo; a oulra quer que nenhuma
falta fique sem expiacao ; e a'terceira coos-
titue*se advogada em pro da fragilidade hu-
mana. E' por esta ultima que as boas
obras dos vivos poaem estender at aos mor-
tos sua salutar influencia. O corado acha
nesta piedosa crenca urna fbnte de dois sen-
timenlos; porque em quanto a douctrina
contraria quebra de repente os lagos do san-
gue e da amisade, pondo entre os vivos e os
morios um espaco intransitavel, qae nao
deixa alma nenhuma consolado, o dog-
ma catholico deixa ao coracSo meio de dar
ainda, alm da morle, prora de sua ternu-
ra. Porque si urna esposa querida, urna
mi terna, um filho desconsolado nao po-
dem continuar a exprimir a veracidade de
seus senlimenlos pelos cuidados assiduo?,
que davam ao objecto de suas affeices, a
orculo, a esmola e o snelo sacrificio, substi-
tuem, na ordem sobrenatural, essas bebidas
calmantes que temperara o ardor de urna
febre abrasadora, e tornam assim mais sdp-
partaveisas dres que t5o cruel separacio
faz experimentar!
Cortar do symbolo o dogma do Purgato-
rio defraudar a.religio catholica de urna
de suas bellas harmonas : queremos falar
da Trindade em sua unidade.
torio, Orgenes a'creditou que ellas subsisti-
riam depois da resurreicao gerl; mas S.
Agostinho sustenta que acabao no juizo
final. Com efleito, Jess Chrislo, falando
desse juizo, s cstabelece duas classes de
pessoas, a dos eleitos direita, e a dos re-
probos esquerda. Mas cnto, dir-se-ha,
talvez, os que morrerem mesmo no momen-
to do julgamento, como satisfaclo Justina
de Deus, si lhe forem devedores de alguma
satisfago peccados nao expiados f Fica-
r3o isentos das penas do Purgatorio J A
isto se responde ordinariamente, qoe Deus,
augmentando a inlensidade dos soffri-
mentos, compensar com o que puder
faltar pelo lado da duracao; e que
assim suajustica ser completamente satis-
feila. Porm, que nos importa a soluco
de todas estas questoes acessorias que se
teem discutido nos ltimos seculos, ou que
ainda se pode rao suscitar ? Na ordem
puramente natural, ignoramos, nSo raro, o
porque e o como das coisas : ser para ad-
mirar que na ordem sobrenatural nao pos-
eamos conhece-las ? Baste-nos pois saber:
IoO Sacramento da penitencia, apagan-
independencia do rebelde; quero soltar a gargalba
da do triumpho.
IV
E depois penden a fronte, e, immovel e taciturno
oceultoo-a entre as azas desdobradas, qae semelha-
vara de ooro e esmeralda.
O qae passoa-lhe entSo pela mente t
Deus s o sabe, que s a Dos dado ler no co-
racao de arebanejo.
V
E desdobrando as azas, '.como o cysne que corta
as aguas mansas e crystallnas do lago em que se
banba. Lucifer atravessou os espagos immensos do
co, deixando aps si um sulco de luz.
A um aceno sea, acompanba-lbe o vOo cohorte
numerosa de anjos. Semeibam aves qae fogem dos
gelos do invern, e qae sulcara o ether em deman-
da de regioes em qae (ormoso e ardente o sol e
perfumados os campos.
E depois, na extremidade do espago, onde nao
chegam nem astros, e onde criara que nao podlam
penetraros olhos d'aquelle que em toda a parte
para a anglica legiio.
Dos labio3 do arebanjo qae a dirige prorempem
ento sardas estas palavras de revolta :
aojos do co, espiritos qae habitaes as regioes
ethereas, porque to descuidado vivis, dobrando as
frontes ao aceno de Jebovah 7
D'onde Ibe vem o poder immenso, seno da obe-
diencia que lhe prestan ?
Eseravos, porque nao reagis contra a vontade do
Senbor 7
Ab t nao vedes que nos obedece a natareza in-
teira 7 Nao comprebendestes ainda a extensao de
nosso poder T
Eia, arebanjos do co, soltemos o grito da inde-
pendencia, o brado ingente da liberdade t Grandes
como somos, Dio llevemos obedecer, slm dominar
nao devemos ser eseravos, porm sentares.
Corvar o eolio, de covardes; latar, de fortes.
Este eslava to gordo que nem mesmo tinba da-
do pela presenca dos seas ineoramodos hospedes,
qae viviam nicamente da sua gordura.
V-se que o porco nao pode s sustentar triebi-
nas ; lambem pode alimentar tribus de ratos.
Chegou a Londres no navio Yonng Engand,
procedente de Sydney (Australia), um enorme
reptil do genero sannano.
Segondo a opioiao dos naturalistas australianos,
este reptil dos qoe se assemelba mais, pela sua
conformacap, aos animaes ante-diluvianos.
Foi apanbado as regioes inexploradas do inte-
rior de Qoeensland, perto da origem do rio Fi-
ttroy.
O qae se coma das assolagoes praticadas por
este moostro nao merecerla crdito se nao se vis-
se as formidaveis maxilas do reptil, armado, alm
disso de dardos de um comprimento extraordi-
nario.
Tem garras de ama torga prodiosa, e a sua pelle
quasi invnloeravel.
Nao foi sem ter sustentado ama. grande lucta
qae o reptil se deixoo apachar.
No combate qae foi preciso dar-Ihe, flcou sem
ama das garras, mas o resto do corpo tem-no em
perfeite estado de conservadlo.
Eis Internos, internos, ainda qae sejamos esma-
do o peccado mortal, nao perda interamen- gadog g nte8 Mlqniliio qne vlda d le a pena devida a esse peccado ; mas esta
pena, que seria eterna, .commutada pela
virtude do Sacramento em urna pena tem-
poral.
2oSi esta pena nao soffrida na Terra
por satisfaces voluntarias, se-lo-ha na outra
vida pelos soffrimentos do Purgatorio.
3'A communbSo dos sanctos se esteu-
de da Egreja militante Egreja soffredora
ou purgante; assim como da Egreja trium-
phante Egreja militante, ou, em outros
termos, que podemos alliviar as almas do
Purgatorio pelas nossas orajes, pe'os sanc-
servo?, qae a submissio pasiiva i vontade do Se-
nbor.
Largo o co; des iobremos as azas e airaves-
sernos o espago ; sejaraos iivres, arebanjos, livres
como a immensidade I
Quer o Eterno ser senbor t... Qae o seja, qne
cree novos espiritos, novos seres Quanto a nos,
nao conbeceremos mais senbor : s as leis de nos-
sas vontades ebedeceremos.
O apostlo de S. Pedro e S. Paulo sao retratados
desta sorte:
A efflgie de S. Pedro descripa por Niceforo, liv.
2 cap. 87, como se segu :
Alto de estatura, e nao corpa leo to, rosto alvo,
mas paludo, os cabellos, tanto da cabega como da
barba, crespos e densos, mas nao moito compridos,
o olbos negros, e como tintos de saogue pelas con-
tinuas lagrimas, que aerramava, ai sobrancelhas
quasi sem cabellos, o nariz alguma cousa comprido
e nao agudo, porm chato e corvo.
Refere Ensebio ( hist. lib. 7 cap. 14), que os
ebristos convertidos do gentilismo flzeram retra
tos ao natural de S. Pedro e de S. Paulo, pelos
qoaes formn talvez Niceforo a descripgo dos dous
apostlos.
O apostlo de S. Paulo era pequeo de corpo e
alguma cousa corvado, o rosto alvo, e no sem-
blante demonstrava mais Idade do.que tinba, a tes-
ta pequea, os olbos engranados, as sobrancelbas
voltarara depois para os seas postes, onde todas se
conservaran] at oo Qm, menos a Villa de Ma-
drid e a Berengueia.
Explosao di ama batera peruana.
No principio da aegao a batera n. 3, qae conti-
una duas pecas de 300, de Armslrong, fez explo-
sao, desmontndose as pegas, e matando ou fe-
rindo quantos estavam prximos.
Na bateria n. 7, um canho armstrong, de 300,
fleon desmontado ao primeiro tiro ; mas apezar
d'este contratempo, era nada diminuio o fogo diri-
gido d'alli pelos peruanos, o que produzio fataes
resultados. Os bespanboes notaram logo qae ba-
viara soffrido revezos.
A's cinco horas cessoo o fogo pela sua parte,
e retlraram-se para fra do alcance das bateras
inimigas. O ultimo Uro de peca foi disparado
s cinco e alguns minlos pelo moniteor peruano
Victoria.
Os bespanboes jalgaram que ponco Ibes costa-
ra a fazer cessar o fogo das bateras peruanas,
com a artilheria da esquadra, mas aquellas eram
de multo mais aleance, e os navios tiveram que
ficar a urna distancia, de onde os seus tiros pouco
damno poderiam causar.
Conheceu-se que careciam de bombas, por isso
que as balas de que flzeram aso eram redon-
das. Provavelmente gastaram as primeiras em
Valparaizo, se as tivessem reservado para Callao,
o resaltado teria sido ootro. Dlz-se que alguns
dos navios ehegaram a esgotar todas as soas mo-
nicicSes.
Qoaudo termioou o combate, a esquadra hespa-
nbola voliou para a posfcao qne antes occapava,
onde se conservava a reparar as suas avarias, na
occasio da partida do Voudenilt.
Morios e ferldos.
a cidade que sacrifica os prophetas, pareceudo per-
gantar aos que pastam :'
Queco qoe vem perturbar o nosso repouso
no calado recinto do seplebro T
Qae braco poderoso oasa levantar as fra* la-
gos de nossos irregelados tnmnlos T
Quem, Imperioso, atrvese a despertar-no do
profundo lelhargo em qoe jaziamos ?...
- Urna mao invlsivel rasga o veo do templo, em
signal do prximo aeabamento|da synagoga...
Por toda a parte reina a consternacao, o tumulto
ea4ort!
Silencio II
Calai-vos interesses do mandoIII
L no centro de urna nuvem negra, que cobre a
trra, faz-se ouvir urna voz; nao doce afleotuosa,
como aquella qae resoou no Tbabor, nao attraben-
kd como as qoe sahem de ara coraco paternal nlo,
nao I
ET o grito da viuganca Divina ?
- K' o trovo que estala I...................
pendentes, o nariz curvo com graca,-e alguma cou-
Avante, arebanjos I Seja en o vosso ebefe na la- sa comprido, a barba densa, e igualmente compri-
da, e tanto esta, como os cabellos da cabeca cober-
tos de caos.
la ingente que vamos travar t Unidos, ergamo-nos
contra o co e esmagoemos o co I
VI
E rio-se o Eterno, e, ergnendo o braco, vibron
violento o ralo qae Ibe brilnava tus mos.
Um grito ingente, como o ruido de mil mondos
tos sacrificios, pelas esmolas, indulgencias e qo# flesp6da?a8sem( ^^ B0 espic0; EBChen.
A Egreja urna porque catholica:
Credo \n unam sanclam Catholtcam Eccle-
shim--Mas s elia tem semelhanca com Deus
por sua unidade, nao se assemelha menos
por sua trindade, porque militante, sof-
fredora (purgante) e trimnphante. A pri-
meira pessoa da Trindade divina encerra a
idea de poder, pois que a ella se atlribue
a creaco. Ora, quem nSo v que o combate
suppe o poder ? que idntico com a for-
<;a? Do mesmo modo que o Creador
combateu contra o nada, dando a existen-
cia aos seres ; assim tamben a Egreja w'-
lante combate o nada moral ou o peccado
para produzir a existencia moral ou a vir-
tule. Este ponto de semelhanca, posto que
nunca assignalado nao se poder de certo
contest ir.
A revelacao entre o Filho ou a segunda
Pssoa ea Egreja soffredora ou purgante
ainda mais sensivel, porque ambos sao victi-
mas do peccado, soffrem pelo peccado, ex-
piam o peccado; e do mesmo modo que o
Filho po r assim dizer, o termo medio
entre o Pai e o Espirito Sancto, e ainda
entre a divindade e a bumanidade, a Egreja
soffredora ou purgante, que est no Purga-
torio, tambem o termo medio entre o
combate e o triumplio, entre a Terra e o
Co. E assim como a Egreja da Terra nao
pode chegar ao Co seno por Jess Chris-
to, que o typo Supremo da expiacSo ; as-
sim a Egreja militante nao pode aspirar ao
triumpho seno pela expiacSo do soffriraen-
to, nesta ou na outra vida.
EtnQm, a relaco entre a Egreja trium-
phante e o Espirito Sancto nao menos real,
porque na crenca catholica, o Espirito Sanc-
to o amor divino personificado, Ora, [em
que consislem os triumpos da Egreja no
Co, seno no amor sobrenatural, levado
sua mais alta potencia e sua mais perfei-
ta manifeslaco ? Este triumpho, pois,
o resultado do combate do ospirito contra
a materia, a recompensa da victoria.
E' intil investigar em que lugar se acba
o Purgatorio, e que especie de pena l se
soffre.
Quanto q ti es to do lugar, j dissemos
que e sa palavra nao podia entender-se, em
relaco alma, do mesmo modo que em re-
laco ao corpo ; porque, ignorando a natu-
reza intrnseca dos espiritos, nao podemos
conhecer qual seu modo de ser no espa-
co. Ignoramos at o modo de ser de nossa
alma em nosso corpo, inda que nao possa-
raos duvdar de sua presenca.
Quanto nalureza da pena que l se sof-
fre, a opinio mais commum que as al-
mas sao purificadas por um fogo, cuja nalu-
reza se ignora; mas isso mesmo nao de f ;
porque a Escriptura nada diz a respeito, e
os Concilios nada teem definido sobre este
ponto.
Applicando ao Purgatorio o texto de S.
Paulo que citamos: quasi por ignm (como
pelo fogo), s prece que o Apostlo quiz
indicar ama certa semelhanca e nao ama iden-
tidade perfeita. Pelo que devemos nos apoi.r
nestas qaestdes de pura curiosidade, na
sabia reflexode S. Agostinho, qae diz que
quaado se disputa sobre coisas obscuras,
sem termos douctrinas claras e certas, tira-
das da Escriptura Sagrada, a presumpeo
quaesqner outras obras boas, que facamos
nessa intenco ; como os sanctos por sua
intercesso e mritos nos podem ser uteis
na obra de nossa salvaco.
Eis o que ha certo no dogma do Purga-
torio ; isso tambem o que nos basta sa-
ber.
Terminaremos por um bella passagem
tirada de um sermo de S. Agostinho, que
assim se exprime: < As pompas fnebres,
< a multidao que as acompanba, o esmero
t sumptuoso na estructura los mausoleos,
t sem servir de menor utilidade aos mor-
tos, podem muito bem offerecer alguma
se de fogo o Armamento, como se mil volcos es-
tourassem em um momento, e oovio-se como o ro-
lar de milhes de anjos qoe se precipitavam nos
abysmos.
" E em torno de Jehmh mil vozes anglicas re-
pellara :
Santo, santo, santo, gloria a ti, qne s omnipo-
tente f... Gloria a ti, que quebrastes o orgulbo de
Satn, e, como o vento que dissipa as nnvens, dis-
sioastes a cohorte que o segla I... Gloria a 11 por
toda a elernidada !...
E' do Sr. Jallo C. Leal esta poesa
A MORENINHA..
Tu pedes um verso, gentil raoreninha I
A pequenez da estatura ioferem-na os interpre-
tes das palavras do apostlo aos coriutbios. As car-
tas, dlzem algumas to graves efortes; mas a pre-
senca do corpo iraca. (2* Cor. i0.) e S. Cbrysos-
tomo na Hornilla de S. Pedro, t. S, diz: Qm trien-
bitalis ett, et Cxtum attingit.
especie de consolaco aos vivos: mas o Se qaeres mea canto, trntonho en i'o don;
i de que se nao pode duvdar e que Ibes "* sin'as le eo chore, que o choro mea canto,
aproveitem as oraces da Egreja, o sane-1Morrer,m n,eos 6s0S.'Poe' t l
lo sacrificio, as esmolas; nem de que Ihes; Tu pedes um verso, gentil mproninba ?
alean :em ellas o serem tratados mais mi- jVera prestes sentar-te bem perto de roim...
sericordiosamente do que mereceriam ; Eta historia dos lempos passados,
_. 1 .. lias, olba, nao chores, nao chores assim t...
porque a Egreja universal, instruida pela (
tradico dos Padres, observa que no lu-, E*nta orna historia dos tempos passados,
gar do sacrificio onde se faz menso ?is,oria *0 ,ris,e la'eQ ,emo conlar.e >
dos mortos, ora-se e se offerece por todos
os que morreram na commuobo do cor-
1 Amel urna virgem ; seu nome eraRosa...
Morena, tu coras I ? Nao quero enfadar-te.
i po de Jess Christo. (Serm. 172, cit
par M. de Trovero. Discuss. amicale sur
l'E'gse anglic.)
(Conlinuar-se-ha,)
El PODGO DE TUDO.
O itvm. Sr. Francisco Bernardioo de Souza es-
creve no Jornal das Familias o seguinte :
A REVOLTA DOS ANJOS.
I
cima do espago em qoe gyram as espheras do
co est collocado o tbrono do Altissimo.
Amei ama virgem ; seu nome era Rosa ;
To bella, (c pora, qual Musa do Pind I
Amava-a devras, minh'alma era delta,
Morrera por ella de amor me sorrinde.
Amava-a devras, minh'alma era del la...
Morena, lu sabes que vida eo gosava T
Amaste algum da T Responde, morena...
A vida era um sonbo, sonhando a passava I.
Amaste algum dia ? Responde, morena...
Sentiste no pello doguras de amor T .
Trocaste algum beijo nos frvidos votos
Cercada da brisa, dos ceas e da or ?...
n
Trocaste algum beijo nos frvidos votos,
Morena, trocaste na jora sagrada T
E' prce divina qoe os anjos entoam,
Se jura tao santa persiste guardada I
E no mais nobre dos logares, bem perto do tbro-
no da magestade snprema, Lucifer se acbava.
Formoso como elle, roas ebeio de grasas e de
perfeiedes, outro aojo nao bavia entre os que or-
mavam a corte de Jebovah.
Seu brilbo offuscava o do sol era meio do firma-
mento, e nem sciutillavam as estrellas com o des-
lumbrante renexo que despeda o arebanjo.
Formoso lambem tinba o nome : era Lucifer ; e
nem era possivel ser mais deslumbrante de luz.
nem mais revestido de gricas.
cima delle s o Eterno; abaixo, todas as potes-
tades do Empyrio.
Aninhon-se-lhe om dia uo coraco o orgolbo, o M"' w Do di;'' meQ # Ml* ,
o formoso arebanjo da luz, vaidoso de suas pertei- oove- essa vlrem Ues Jnfa8 qael)roa '
{oes, marmorou estas palavras de revolta : Morena, eu nlo digo... meu pelto se parte t
Qaemqaeno co me iguala em perfeiedes ? Distante da patria dous annos passel...
Quem mais poderoso do qne son ? j voltava eu contente correndo a chama-la,
Sentado ao p do tbrono do Eterno, cima de to- Nadava em prazeres quando ella'avistei i
das as potestades, sou o primeiro dentro todos, a
E' prce divina qae os anjos entoam ;
E ella jarava, jora va constante I.
:\a patria querida sorrtndo aos prazeres,
Com f protestava as juras da amante I
Na patria querida sorrindo aos prazeres
Nutria esperanzas n'um doce porvlr...
Um dia p'ra looge dos lares paternos
Jimais eo pensara to cedo sabir I...
Cm dia p'ra longe dos lares paternos
A sorte imprevista meas paseos guiou I
mais bella feitora das mos do Creador.
Obedece o universo ao meu aceno poderoso; cor*
vam-se os arebanjos ao som dominador de minha
voz.
Quem mais poderoso do que sou 1 Qaem qne
no co me iguala em perfeiQoes ?
Ob I s Elle... a cajo aceno en proprio son tor-
eado a obedecer, eonto se fra o mais humilde dos
arebanjos; s Elle... costra quem nenhum poder
ba qoe resista... s Jehovah I...
111
Mas ser invencivel o Eterno T To robosto (ac
o braco qne posea esmagar-me a legiio daquelles
qoe conseguir chamar a meu lado ?
Poder fulminar-me o ralo qne Ibe brilha as
rnos T
Fulmioe-me embora ; mas nao quero mais esta
vlda de escravo. Son poderoso, e no entanto ba
cima de mm nm poder ao qual me forcoso ce-
der.....
Toda a minha gloria, toda a minha grandesa
vem delta ; nlo son nada, nao valso nada, nao son
mais qae o retalo da sna gloria.
Quero ser llvre, llvre como o epaco, llvre como
o posamento; nao qaero ser dominado por vonta.
de nenbama; qaero dominar a todos. Primeiro
entre os primeiros, porqne haw algaem cima de
mlmT
Voltava en contente correndo a chama-la,
Mas vejo qoe Qm outro beijava-lbe a mi I I
Nio sou en teu noivo, Rosinha 7lhe digo :
A impa sorrindo me diz :-No s, nao (I)
Pediste-me nm verso, gentil moreninba T .
Se queres meu canto tristonbo en l'o dou...
Nio sintas que en chore, qne o ehoro mea canto;
Morreram meas gostos, poeta nao son I
Urna carta publicada no jornal de Nova York da'
os seguimos promenores:
Forcas e fortiQcagoes peruanas:
Ha ja' moito tempo qoe os peruanos, como se sa-
be geralmente, estavam levantando fortifleacoes ao
N O da cidade. As obras que coastrairam foram
dirigidas e levadas ao cabo por engenbeiros dex-
tros; e montaram artilheria, qae a inglaterra, com
toda a sua experiencia, deelarou ser a melhor, isto
: Armstrong e Blakely.
Possuam pois, do lado de oeste, as bateras se-
guintes:
1* com olio pe^as de 32, dando frente para a ba-
ha do Bellavista:
2* com seis peras lisas.
3* duas de 300, de Armstrong, raiadas.
4* seis de 32, lisas.
3* duas de 450, de Blakely, raiadas; ama de
oito poUegadas, raiada; cinco de 24, lisas, e urna
de 32.
0* cinco de 42 lisas.
Rateras do lado do norte:
7a orna de 450 de Blekely, raiada.
8* dnas de 490, Blakely, raiadas.
9 duas de 300 Armstrong, raiadas.
Navios:
O vapor Loa, de Ierro, com dais pegas de oito
poUegadas.
O moniteor Victoria, de ferro, com urna pega de
oito poUegadas.
Tres canhoneiras de madelra; que juntas monta-
vara cinco pegas de 32 e 24.
Desta maneira pois, v-se qoe com quanto o nu-
mero de canhoes fosse peqneno, comparado com os
das fragatas hespanbolas, todava era tal o sea ca-
libre, deviam tornar duvidoso o resultado do com-
bale, no caso de estarem bem servidas as pegas,
que era precisamente o que esperavamos succe-
desse, por Isso qae todos os consideravam faltos de
experiencia.
Combate :
Apparecen o dia escurecido com certa nebrina;
mas as 11 horas a Mwnancta den o signal de le-
vantar ancoras, em seguida comegaram a navegar
as seis fragata?, formando em linba de balaiba, em
duas columnas de ataqoe. A columna que devla
atacar os fortes do norte era formada pela Villa de
Madrid, Almanta Berenq*ela; esta ultima ia na
frente.
Contra os fortes de oeste tinham sido destinadas
para manobrar a Numancia; Blanca e a Resolu-
cin.
A columna do norte avangou para o combate na
dlrecgao do sol e poente, emquanto que a do sul
avangou para ste e norte; a canhoaeira Vencedo-
ra collocou-se entre ambas as columnas, para po-
der auxiliar a alguns do* navios que desappare-
lhasse.
As onze horas e dez minutos a bateria n. 1 dis-
paron o primeiro Uro contra a Numancia, a qual
lhe responden logo, e cinco minlos depois a ac-
vio tinha-se tornado geral em ambas as divisoes
da esquadra: a colomna do norinflternava o sea
fogo com a de oeste.
O fogo dos navios era muito rpido, e tanto, que
prenla destinado, provando qne se nio apontava
coa f altengo devida.
O fofo das baleras era de principio demorado e
inexacto, mas melboron pouco depois. Em menos
de seta hora, depois de romper a acgo, a Villa de
Madrid tez signal pedlndo soccorro, e a Vencedora
Nada se sabe com certeza, quanto o numero de
uns e de outros de ambos os lados, mas assegora-
se que Galvez, ministr de guerra peruano, mor-
rea quando vooo a bateria o. 3. Os feridos de
trra eram condazidos immedlatamente para o
hospital da Bellavista ou de Lima. As noticias
mais exactas trazidas pelo VowUnritt eram de
que os peruanos tinham.60 morios e uns 170 fe-
ridos. Igoora-se qual o numero das barias da
esquadra; mas, tendo soffrido lano, dvvem ter si-
do grandes.
Diz-se qae o almirante Nooez soffrvu, nada me-
nos, que olio feridas e coatosoes, urna d'ellas gra-
ve, na cabega.
Aos nossos elrorgies que foram offerecer os
seos servicos a ambas as partes, nao ibes foi per
mittido ve lo; e com verdade connece-se que dse,
avam occultar qoaoto era possivel o numero das
baixas, e o estado dos navios.
A bala qu* destruio a machina da VUla de Ma-
drid causn a morte de 18 borneas e ferio 21. Cal-
culando pelo damno feto por aquello projectil, as
perdas dos bespanboes devem ter sido maiores do
que as dos peruanos.
Avarias nos navios bespanboes:
O doutor Pecke, do Vandervilt, quando sa apro-
ximou da Villa i* Madrid, eontou n'este navio
doos rombos. Calculando o pouco tempo qoe osle
navio se conservou no combate, deduz-se que os
tiros nao foram desaproveitados.
A Blanca receben mais de 40 balas; a Altnan-
tea Berenguela soffreram quasi outros tantos.
A Resolucin tambem soffreu muitos Uros. A
Numancia sabio bem do combate, em consequen-
cla de ser blindada; todava, urna bala de oito
poUegadas da bateria n. 5 atravessou-lhe a cou-
raga, penetrando at a' madelra Para que nio
soffresse mais avarias, concorreu apreseotar-se de
frente no combate, de maneira que as balas
resvalavam pelo costado. A Vencedora sabio sem
avarias.
O que pensam os hespanboes d'esta acgo :
Dizia-se que teotavam renovar o ataqoe; mas
os officiaes do Vandervilt eram de opioiao que nao
estavam em condigoes para isso ; jnlgavam tam-
bem que Ibes faltavam as munigoes. Se se resol-
veren) a atacar, ho de provavelmente faze-lo do
lado da baha da Boavista, ao sal da cidade, onde
a esquadra poder' collocar-se em posigo de bom-
bardear a mesraa cidade e as suas fortalezas sem
se expor a ama derrota.
Diz-se que isto o que deveria ter feilo o almi-
rante i\unes, sem se expor a nm ataqoe directo,
urna vez que lhe constava a forga da artilheria
peruana.
E' todo tristeza e melancola, pesar e dor no mon-
te Calvario I
III
Quem aquello vallo, qae se levanta no meio
de estrepitosas gargalbadas de ama populaga infre-
ne, suspenso em ama cruz, supplicio somente des-
tinado a ladres e malfeitores ?
Que vulto aquello que se ergne do meio
dessa monianba de eterna maldigio, tendo em sua
fronte urna cora de espinos, em vez de ama dea-
dema de realeza 7
Que figura aquella toda coberta de sangoe,
o peito arqoejanie, a bocea eotre-aberta, os cabellos
em desordem, os olbos morios e o corpo todo trmu-
lo e ensanguentado ?
Porqne razio aquellos soldados descem da
mootanha batendo nos peitos e indicando as eon-
torses do rosto temor e assombro T
Silencio f f f..............................
IV
Olba para elle, oh Jerosalm ingrata, olha cidade
maldita, e responde, se aquellas roaos qae curavam
os teas enfermos a cojo simples contacto os teas
cegos viara, e os teas mortos como que tocados por
mo mgica, levantavam-se dos sepulchos,'mere-
caos por ventara ser ellas to barbara e deshuma-
namente ligadas ?
Olba ltenla para elle, oh cidade de escndalo,
e responde se aquella bocea, qoe easnava sempre
as verdades da vida eterna, e aqoeltes oavldos que
sempre estiveram to benignamente indinados a
escotar e satisfazer toas rogativas, meraciam ser
maltratados e aturdidos cora assovios de escarneo
e com as mais opprobriosas blaspbemias ?
Olha atienta para elle, oh synagoga obstinada,
olha.v* aquelle semblantedesBgurado.aquella bocea
eesaogueouda. aquelle corpo dilacerado,, e respon-
de, se por ventora, nao o mesmo qoe tena pro-
phetas descreviam :Ecce vidimus etm non ka-
btnlrm tptcitm eque decorent I
Olha para elle, ob vos lodos qne passals por es-
ta montanha, e vede se ba dr que se compare a
sna dr :Si ttt dolor sicut dolor mevsll
Grandes da trra, patentados do mundo, vos to-
dos os que vivis na opulencia, entregues ao laxo
e aos prazeres, nao cumprindo os deveres da vossa
posigao, olhano com tadTereuea para os vossos
irmos meos favorecidos da fortuna, cerrando os
ouvidos as soppticas da desgranada viova, do or-
pbao desvallido, da desamparada donzella, olhai
para elle, misera veis 1 e fallai f....
Vinde c, geragio desbragada, a quem ainda bo-
je pesa o anathema da maldigio eterna, vinde, oh
vos todos, que vivis sem patria, sem lei, sem coi-
to, sem religlio e sem Deus; vinde geragio mal-
dita, reuoi-vos em torno desle Golgolba medonbo,
olbai para este lugar de dr, e dizei :
Quem foi o autor de lio lastimoso e pathetico
espectculo 71
silencio 111..............................
O vnlto agita-se... sua cabega move-se... seu
pello arqueja... seus olbos lvidos se abrem... to-
do seu corpo treme... parece fallar..
Silencio, habitadores do mundo II
Um ronco trovo parece estalar de om a oulro
polo da Ierra...
Urna voz ronca e moribunda se faz onvir.
E o qoe diz ella 7
Consummatumest.
Est tudocoBsumraadolII
o vnlto, inclinando a cabega para a tena,
exhala o ultimo suspiro........................

Mas foi tao increpado por ler bombardeado Val-
paraizo, onde nao tinha resistencia, qoe resolveu
atacar Callao de frente, para provar que, se bom
bardeava urna cidade iodefeza, no comprimen-
to das ordens qoe bavia recebido, nao besita-
va em atacar de frente as forlifleagdes se fosse ne-
cessario.
A cidade soffreu pouco.
Nanea se vio na America nem taires em todo o
mundo porco to gordo como nm que acaba de ser
immolado em Newton (Oblo.)
Segundo diz o Crrelo dos Estados-Unidos, este
animal tinba engordado tanto qne nos tres nltimos
metes da sua vida conservou-se sempre deludo.
Sen dono, recelando qae a gordora o abafasse,
resolveu manda-lo matar.
Aqu porm que esta' o intaressante da his-
toria. .
Quando iam levantar o porco para o collocar no
banco fatal, eis qae se escap do corpo do animal
ama grande ni abada de ratos 1
Examinando a cousa de perto decobrio se que
tuna rataxana tinha procurado domicilio para si e
para os Glbos, na parte mais canosa do porco.
Transerevemos da Tribuna Catholica.
CONSUMMATUM EST.
I
E' tudo tristeza e melancola no monte Calva-
rio !
All nao se ouve nem o trinado melodioso da ave
sinha, saudando com seos gorgeios o despontar da
aurora ; nem ofdoce e saodoso balido do cordeiro,
procurando alegremente a verde relva t
As flores, que cercara essa montanha maldita,
nio exbalam aquelle perfume inebriante, e, nem se
quer, por momentos deixam contemplar sua celes
tial belleza I
Apenas o ruido da virago, que corre, abala
vagarosamente os verdejantes arbustos qne de es
pago em espago, bordara esse lagar de maldigo,
sacudindo suas florescentes palmas, indo sepultar-
se no meio da cidade doMHa.
Todos que passam por esse logar borrivel, apon
tam com desdem para a montanha, como um sig-
na! patente e visivel da destruicio do povo pri
vilegiado, e, borrorisados, voltam soas vistas
para nao contemplaren] por mais tempo a obra
da iaiqoidade, o drama tragi ;o da nagio dei-
cida.
L bem no meio da montanha ingreme, a multi-
dao desenfreada, no meio de estrepitosas gargalba-
das, levanta tres infames patbulos : duas victimas
esli j destinadas para este supplieio atroz mas.
falla ama....
E qaem seri 7
Silencio!!!
E' todo tristeza e melancola, pesar s dor na mal-
O homem eslava regenerado.
Jess deixara de existir.
Cear, junbo de 1866.
A's 10 horas da noute de 26 de malo ultimo, nm
sogeito bem vestido, qne pareca ter trinta e cinco
annos, e coja lingoagem tinba um acoento inglez
moito pronunciado, pedio om qnarto na hospeda-
ra da Europa, em Lille ( Franca).
Perguoiaram-lhe como se cbamava, para se as-
sentar o nome no registro policial da casa, e elle
responden.
-\o preciso dar o mea nome, porque me reti-
ro pela manhaa muito cedo.
E dito isto, fecbou-se por dentro.
No domingo, eram tres horas da tarde, e ainda
ninguem linba visto o estrangeiro.
O administrador da casa, foi ao qoarto, arrom-
bou a porta, e acbou o homem morto na cama.
Tinha dado om tiro de pistola no temporal di-
reilo; a arma estava ainda perto da mo.
Sobre urna mesa estava ama carta em inglez,
que dizla :
Pego ao proprietaro d'este estabelecimento qoe
perde a um infeliz o prejoizo qoe Iba causa, e
que me mande enterrar decentemente com as mi-
aas iniciaes F. W., a data e orna estrella na se.
pultora.
Achara' em mim 1:200 francos com os qaaes se
pagara' de todas as suas dspotas, e distribuir' o
resto, se o hoaver, pelos pobres da cidade. Ter
a mesma profunda gralido cumprindo as miabas
ultimas vontades. Como nio tenho amigos a me-
nos de mil leguas de aqoi, sera' intil demorar os
meus funeraes. Pego mais ana enterre commigo
o relogio, anoeis e mais objectos de prego.
No facto do solcidado achoa-se com effeto ama
qoantia de 1:243 francos em moedas de differentes
nagoes.
Mo se descobrio nenbum papel.
No fogio bavia cinzas que indlcavam que antes
do seu soicidio, o estrangeiro queimra todo o que
poderla provar a sua identidade.
II
Mudam-se as scenas.... os personagens sio ou-
tros H Ognras esli dissipadas.... vai appare-
cer a realidade 1
pactio, retirando-a do fogo: e quando a atmosphe-
ra limpou, vio-se qoe a machina estava damnifica-
da^MUunto por toda a parte se notasteis u diu monunha de Jerosalm I
nveosle fumo.
Depois da Villa de Madrid retirou-se a Beren-
guela, vinte minutos depois. Este navio tinha es-
tado, debaixo de nm fogo vlvlssimo. sustentado
pelas bateras ns. 8, f e 10, e om fogo cruzado
da don.8.
Quando esta fragata passou em frente dos na-
vios americanos, notoo-se qae ama baila de ar-
tilharia raiada a tinha atravessado ao lume d'agus
de bombordo a estlbordo, sendo neeessarlo quere-
na-la, para evitar qne se afandasse. Esta nio tor-
nen a entrar em aegio.
Continoou o combate com multa energa entre
ns bateras e os domis navios.
A's duai horas e meta a Blanca e a Resolucin
retiraram-se para reparar algunas avarias, mas
A ierra j treme; os astros lestemunbas desta
seena inaudita, cobrem-se de luto; e nem orna es-
trella scintlllana abobada celesta I
O sol recusa-se a allnmiar com ana luz arderte
este espectculo terrlvel I
A trra, agltando-seem seus fundamentos, mil-
la como nm homem embriagado I
Os roehedos voam em estilhagos; e os morios,
a qaem nio val* o proprio silencio dos tomlos,
quebrando as grossas ehrageladas paredes de sean
mausoleos, erguem-se das sepultaras I
Suas sombras Morosas] percorrem em confasao
1
'
f

At agora s se conhecia om dissolrente do
ouro, a agua-regia, composta de acido ntrico e de
acido chlorbydrico.
O Sr. Niekls, da Naney (Franca), acata de
provar qne laucando nma toma d*ouro n'uma dis-
solugio etherea de oromnroa (eombtnagdas da nm
extracto de grama eom om oerpo simples oombns-
lirel) o metal precioso disaolve-se eom a mesma
facilidade qoe nm ponco do assucar.
O papa preconisara, no dia 18 do crrante, os
bispos de Franca, reeentemante Borneados palo
Imperador.
MtB99*BSaWM--
Ha o projecio de orcamsar om Trouvilie (Man-
cha) no mez de agosto prximo, grandes regatas
entre a Fringa e a Inglaterra
PP!Tr-TYP. DE M. F. DB f, & ?IL.HO.-86?

T
i
T


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E68EEWPFW_DK404J INGEST_TIME 2013-09-04T21:19:58Z PACKAGE AA00011611_11012
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES