Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11007


This item is only available as the following downloads:


Full Text
.
*-*-
.'
-

K
i
iPO XIII. MESO I

fw qaartel pagt dtttrt dw 10 das do t.* mez .
dem de^iis d*s 1.* it das cmeco o entre dt qnartol
/Porte ao eerrei p tres mezes..........
75o

TERCA FEIRA 3 DE JULBO DE 1866
v
\
Por anno ago deitro de tediando i. mez.
Porte ao correio or am ano ,..,..
*9lPm
DIARIO DE PERNAMBUCO.
1NCARREGAD0S DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Pafnyba, o Sr
Natal, o Sr. Antn
*8r. A. de Ltaos
Oliveira; Maranr
drigues; Para, c
Filhos; Amazonas
Antonio Alex?ndrino de Lima;
is Marques da Silva ; Aracaty, o
Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
o, o Sr. Joaqnim Marques Ro-j
s Srs. Geraldo Antonio Alves &
o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SL.
Alagons.oSr.Fr&neiseo Tavares da Costa; Baha,o
Sr. Jos Martins Aires: Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparinh).
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacBes da Tia frrea at
Agoa Preta, todos os das,
guarass e Goyaana as segundas e sextas feiras.
Santo Antlo, Grvala, Bei9rros, Bonito, Caruarii,
Altinno, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conseibo- Aguas Bellas e Tacarat, as tergas
feiras.
Pao d'Albo, Naiaretb, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingaxeira, Plores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Oaricnjry, Salgueito e Ex, as quarias
feiras.
(Serinhem, Ro Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reros, Agua Preta Pimenteiras,nas quintas
feiras.
AUDISNCfAS DOS TRIBNAES DA CAWTAfc.
Tribuna) do comraereio: segundas e quintas,
Relacao: tergas e sbados is 10 horas.
Paseada : quii as as 10 horas.
Juizo do commercw: segundas as 11 horas.
Dito de orphios: tercas e sextas as 10 hora.
Primeira Tara do civel: largas sextas ao meio
da.
Segunda Tara do clTel: osaras sabbades a> k\
hora di tarde.
EPHEMER1DES DO MEZ DE JULHO.
5 Qnarto ming. as II h., Um. 22 s. da m.
12 La nova as 3 h 15 m. e 53 s. da m.
19 Qnarto cresc. a 1 b., tfcm. e 41 s. da t.
27 Loa ebeia a 1 h.. 53 n. e 44 s. da m.
DAS DA SEMANA.
2: Segnnda 9. Otbon b.; S. Mainiano m.
3. Terga. S. Eulogio m.; S. Heliodoro m.
4. Qaarta. S. Oseas prof.; Lauriano b.
5. Quint. S. Pbilomena v.; S. Trlfina m.
6. Sexta. S. Domingas t. m ; 8. Isaas prof.
7. Sabbado. Ss. Clandio e Nieostralo mm.
8. Domingo. Ss. Procopio e Priscilla mm.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as horas e 18 m. da manbia.
Segunda as 9 boras e 42 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROf.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o nortt
at a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Peraan-
do nos das 14 ios mezes de Janeiro, margo, a*.;
Julho, setembro e noTembro.
ASSGNA-SE
no Recite, na liTraria da praga da independencia
os. 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa de Faria
& Filbo.
PARTE OFFICIAL
govi;r\o da prov.mciv
Expediente do da 28 de jaaho de 1S66.
Olficio ao tenenie-oronel commandante -das ar-
mas Interino. Informe V. S. sobre o que pede no
Incluso requer ment o recruta Jos Fernandos Pi-
mentel.
Dito ao mesmo. Informe V. S. sobre o que pon-
dera o inspector da ihesourana de fazenda no in-
cluso officio datado de 27 do crreme.
uilo ao inspector da tbesouraria de fazenda.
Expeca V. S. as suas ordeos para que no dia 1* de
julho prximo viodouro, as 8 horas da manhia, se
passe revista de mostra ao 2* batalbo de infama-
ra acuartelado no forte das Cinco Ponas.
Dito ao inspctor da tbesouraria provincial. Re-
comend a V. S. que em vista do competente cer-
tificado, mande pagar ao empreiteiro do calgamen-
to desta cidade, a quantia de 12:060J540 reis a
que tem direito por haver executado durante o
mez de maio ultimo, servigo correspondente a essa
quantia como se v do officio junto por copia que
me dirigi o chefe da repartigo das obras publi-
cas, em 23 do correte sobre n. 240.
Dito ao mesmo. Responflendo ao officio de hon-
tem sob n. 268, em que V. S. parlicipou nao haver
crdito para pagamento da quantia de 1:600830
reis, proviniente da 24 prestaco, a qne tem direito
o arrematante oaobra do reboco do Gymnasio Pro-
vincial, techo a dizer que esse pagamento, deve
ser effectuado por meio de um crdito suppleraen-
tar que sera' aberto de conforraldade com o art. 3o
da lei n. 575, de 5 de abril de 1864. Incluso de-
volvo o certificado que veio annexo ao citado of-
ficio.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Recite. Mande V. S. postar em (rente da
igreja de Nossa Senhora do Paraso no dia Io de
julbo prximo viodouro, as 10 horas d* manha,
urna guarda de honra a flm de assis.ir a todos os
actos da festa que all se tem de fazer ao Senbor
Bjui Jess das Cbagas.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Olinda e guarass. Alegando a mal do
guarda nacional da 2* companbia do 9 batalbo de
infamara do municipio de Olioda, Bellarmino Vi-
rissimo de Barros, achar-se elle destacado no presi
dio de Fernando ba qoasi 11 mezes, recomend a
V. S. que faga substituir no mesmo destacamentos
nao s aquello guarda, mas tambem os que estlve-
rem em idnticas eircumstaneias, dando logo as
necessarias providencias, para que os guardas que
vo substituir aos qne all se acham siglo a sen
destino no prximo vapor qae partir para o men-
cionado presidio, certo de que os guardas s re-
gressaro a esta capital, depois qne all cbegarem
os seus substitutos.
Dito ao commandante do corpo provisorio de po-
lica. Mande Vmc. apresentar ao delegado encar-
regado do expediente da repartigo da polica, no
di* 30 do crreme as 10 boras da manbaa, 2 pre-
gas do corpo sob seu commando, para escoltaren)
um criminoso at a capital da Parabyba.
Portara. O vice-presidente da provincia an-
nuindo ao que sol>citon o inspector da tbesouraria
provincial em officio de bonlem sob n. 267, resol-
ve nos termos do art. 3 da lei n. 575 de 5 de abril
de 1864, abrir um novo crdito supplementar na
importancia de 2:082>694 reis, para conlinuago
das despezas evenluaes no corrente exercicio e no
respectivo trimestre addicional, visto ja'achar-se
extincto o outro crdito aberto para esse flm. i
Communicou-se a thesouraria provincial.
Despachos do dia 28 de jando de 1866.
Andi Barbosa Soares. Indeferido.
Alexandrioa de Paula Borges Ucha. Informe
o Sr. desembargador provedor da Santa Casa da
Misericordia.
Abaixo assignado em diversas ras da freguezia'
de S. Jos desta cidade. Informe o Sr. eogenhel-1
ro chefe da repartigo das obras publicas
Francisco Antonio da Silva Cavalcante. Como'
requer.
Irmandade do Senhor Bom Jess das Cbagas da
igreja do Paraso. Dirija-se ao Sr. commandante |
superior da guarda nacional do Recife.
Joanna Mara da ConcelcSo. Prove a suppli-
cante o que allega.
John Donelly. Requeira ante a repartigo da
polica o que Ibe convler.
Jos Joaquim Duarte Pereira, Informe o Sr.
inspector do arsenal de mannha.
Miguel Ribeiro Pavo. Informe o Sr. inspector
da tbesouraria provincial.
Maria Alexandrioa Das de Toledo. Informe o
Sr. director da iostrucgo publica.
tovcruo do bispado.
Expediente da dioeese do dia 22 de juahe
de 1866.
Officio ao Rvm. doutor Joaqun Francisco de!
Faria, deo da s de Olinda. Commnnico a V. i
Rvma, que a 20 do corrente assuini a administra- i
gao desta dioeese com o Rvd. secretario o conego!
Marcellino Antonio Dornellas, por nomeago de i
S. Exc. Rvma. que segnio no dia 19 para a pro-
viucia do Para.
Tenbo por dever, fazendo'esta communieago a
V. Rvma., significar ibe meus protestos de estima'
e sincero respeito, e offereeer os meus servigos pu-
blicos e particulares a V. Rvma.
- 23 -
Dito ao Rvd. padre Francisco Freir do Carmo,
parocho encommendado de Taquarelioga. Pico
de posse do seu officio de remessa do mappa topo-
graphico dessa parocbia com data de 15 do cor-
rente.
Devo affirmar a V. Rvma. que digno de
louvor o seu trabalbo na confecco do referido
mappa.
Dito ao Exm. vice-prestdente da provincia.
Tenho a bonra de passar a's mos de V. Exc. os
documentos juntos da irmandade do Divino Espiri-
to Santo do Collegio, que se acba em litigio com a
irmandade de Nossa Senhora daSoledade da paro- j
cha da B-a-Vista d'esta cidade, sobre a entrega
da imagem de Nossa Senhora da Paz, perteneenle
a'quella irmandade.
Sendo conveniente despachar a petigao qne me
foi dirigida, pego a V. Exc. se sirva ordenar que
me seja eiviajo por copia o contrato celebrado
pelo governo com a irmandade supplieante sobre
o negocio em qaeslio.
Reitero a V. Exc. os meus protestos de conside-
rado e respeito.
-25-
Dito ao Rvd. parocbo de----- Acabo de rece-
bar o seu officio de 28 de maio prximo passado,
em que V. Hvma. consulta, para descanco de sua
consciencia, se um casamento nato, Ignorando um
dos conjoges o impedimento, Acara' valido pelo
lapso de tOannos?
Respondo : a simple) defiaico de impedi-
mento do matrimonio deTla por a V. Rvma. de
sohreaviso na solugio da questo vertente. c Ira
pedimento matrimonial (Monte tom. 3) a ludis-
poslgo dos contrahentes, qae fax Ilcito on inva-
lido o matrimonio. Se o faz Ilcito e nao invali-
do, o impedimento simplesmente mpedtente; se
porm o torna irrito e aullo, o impedimento se
cha xa dirimente. A respeito do prmeiro se diz
Impediunt fieri, permiltunt faca teneri: a respeito
porm do segundo prevalece a regra Hcec facten-
da vetant connubio, (acia retractant.
Isto posto, versando a sua consulta sobre os i-
pedimentos dirimente, evidente que o lapso do:
tempo, seja qual for, jamis tornara' valido o sa-
cramento, que pelo Cooc. Trid. foi considerado
nullo. E' o que exprimem aquellas palavras
faca retractant. Nao se pode admittir prescripcao
de impedimentos. Mas como o matrimonio pode,
ser nullo por falta de consentimento, ou por algum
outro impedimento dirimente, oe primeiro caso',
revalida-so o ma rimonio, quando o conjoge ou i
coojuges prestarem o consentimento, que nao ha-
viam prestado no acto do casamento; o que pode
ser foito particularmente entre os coojages, se o
impedimento for oceulto, ou na presenca do paro-
cho e testemunhas, se tiver sido publico.
No segando caso, i-to provindo a nullidade
de qualquer onlro Impedimento dirimente, mister
obter se primeiramente a dispensa, para ier lagar
a revalidago, que sera' seeret ou pnblica, confor-
me for oceulto oa notorio o impedimenta
Dito ao Rvd. padre Francisco Xavier da Rocha,
parocbo coilido da Araruna. Respoudendo a'
consulta que V. Rvma. fez sobre a administraco
do baptismo e matrimonio em oratorios privados,
tenho a diter que s permittlda essa administra-
gao nos referidos oratorios quando o baptizando ou
a nubente' residir mais de urna legua distante da
matriz ou capella.
as desobrigas, porm, podem os Rvds. paro-
cbos administrar aquel les sacramentos onde sel
acharem.
Dito ao mesmo. r- Nesla data aotorisei o Rvd.
parocho da villa de Baoaneira a numerar e rubri-1
car, por esta vez somente, os tlvros de baptizados,
casamentos e registro dessa parocbia de Araruna.
Dito ao Rvd. padre Joo Paulino > Borba Grillo,
parocho collado na villa de Bananeiras. Autoriso
a V. Rvma. a numerar e rubricar os livros para
langamento de bapsados, casamentos e registro
da parocbia le N. Senhora da Conceigio da Ara-!
runa, por esta vez somonte.
-26 -
Dito ao Exm. vice-presidente da provincia.
Tenho a' vista o officio de V. Exc. datado de 23 do
corrate, solicitando a remessa de um quadro de-
mostrativo de todas as parocblas da provincia,
cora a declarago dos nomes dos respectivos pa-
renos e coadjutores, data de seus provimentos, e
qaaes os seas vencimeotos.
Em resposta, cbeme significar a V. Exc. qae1
ja' oraenei a confecgo do quadro exigido, e que '
em breve sera' a presentado.
Reitero a V. Exc. os meus seotimentos de esti-'
ma e respeito.
Dito ao Rvd. vigario forneo da 18* vigararia,
Nesla data fiz sciente ao Rvd. parocho de S. Ritta
que a sua perochia Qeava pertencendo a' 18* vi-
gararia fornea, visto como nao esta va ella cora
prehendida no quadro syooptico da circumscripgo
ecclesiastica desta dioeese, mandada execotar pela i
portara episcopal de 16 de maio prximo passado.
0 qae communico a V. Rvma. para sua intelli-1
gencia.
Dito ao Rvd. padre Jos Goncalves de Vascon-
cellos Ourique, parocho collado em S. Ritta. Nao
se achando comprebendida essa parochia de S.
Ritta na qaadro synoptico da circumscripgo eccle-.
siasllca desta dioeese, mandada executar pela por-'
taria episcopal de 16 de maio prximo passado,
scientiQco a V. Rvma. que a refer Ja parocbia Oca
perteocendo a' IB" vigaria roranea
27 -
Officio ao Rvd. padre lennque Leopoldioo da
Cunha, parocbo da Cajazeira.No sea officio de
13 de maio prximo passado, agora recebido. ac-
cusou V. Rvma. estar de posse da circular de 22
de margo do anno vigente. Entrando V. Rvma. em
dovida sobre a sua lilterai disposigo, pergonta
sem exerccio das desobrigas poder administrar
os sacramentos do baptismo e matrimonio onde se
achar.
Respondo: fra de dovida que os reverendos
paroehos em desobriga, no interior de suas paro-
chas, coosideram-se como se estivessem as res-
pectivas matnzes ou capeilas, assim o tem enten-
dido todos os prelados, attendendo a que os fiis,
j pela loogimde dos caminhos, ja por sua pobre-!
za, e molestias, ou quaesquer ootros impedimen-
tos, nao podiam comparecer as matrzes para
cumorir com a obrigagao da confisso e commti-
nho quaresmaes, pelo qae, em suas visitas epis-
codaes, autorIsaram, por seus provimentos as deso-
brigas em oratorios particulares, prevalecendo o
principia de direito. Quod non est luitum m le-
ge, necessitas fcil licitum.
E, pois, pela lei da necessidsde foi nermittido
que em oratorios privados, por desobriga, se cele-
brasse o incruento sacrificio da missa, se confes- i
sassem e commangassem os Deis, torga concluir
que podem os reverendos paroehos, n'essas occa-!
stdes administrar to bem os sacramentos do bap-
tismo e matrimonio. A excepgo porm das deso-
brigas, S. Etc. Rvma. s tem nermittido a admi-
nistrago do baptismo e matrimonio em oratorios
privados, quando os baptisaodos oa as nubentes
residirem mais de ama legua distante da matriz '
ou capella, concesso alias maito benigna, em fa-
vor dos fiis.
Dito ao Exm. vice-presidente da l'arahyba.
Tenho a bonra de coramunlcar a V. Exc. que nes-
ta data exonerel do cargo de coadjutor de S. Joo I
de Cariri o Rvd. JJercnlaoo Xavier da Rocha, e o I
nomeei parocbo encommeodado-da nova parochia >
de N. S. das Dores da Lagoa do Monteiro, d'essa
provincia.
S rva-se V. Exc. de aceeitar os protestos de mi-
nha alta consideraco.
Dito ao Rvd. padre Hercalano Xavier da Rocha,
parocbo eocommendado da parocbia da Lagoa do
Monteiro.Convindo instantneamente qae os fiis
da nova parochia de iN. S. das Dores da Lagoa do
Monteiro nao estejam privados da saudavel admi-;
nistrago do pasto espiritual, com tao grave, qaao-,
to lameniavel detrimento da igrea de Jess Chris-
lo, ne.-ta data exonere! a V. Rvma. do cargo de
coadjutor de S. Joo de- Cariri, e o nomeei paracbo
encommendado d'aquella parocbia, coja proviso
achara inclusa.
Permaneco na convlcgo de qne V. Rvma. am- '
mado de um zelo lodo religioso, se fara um dever 1
de seguir logo a eiercer as sagradas funeges do
ministerio, para que foi designado.
Dtono Rvd. padre Bento Jo de Barros Men-
doea, parocbo de loga.Fco certo, pela ieilora |
do sea officio sem data, de qae fra V. Rvma. elei-
to deputado assembta legislativa d'essa pro-
viada < em conseqaencla do qqe, devendo tomar
parte nos trabalbos da mesma assembla em agos-
to e setembro do corrente anno, pedio perraisso
para se ausentar de sua parochia, dorante esses
mezes, deixando na administrado parochial o sea
coadjutor.
Respondendo a sua communieago, cabe-nos dl-
zer-ibe que dispenso a V. Rvma. da residencia
em sua parocbia dorante as sessoes ba referida
assembla,
-28 -
Dito ao Rvd. padre Francisco Freir do Carmo,
parocbo encommendado de Taquaritinga. Em
1 seu officio de 4 do corrente declarando Vossa
Rvma. que a capella-mr da matriz se acba
caiada, pede permlssio para n'ella administrar o
baptismo e matrimonio, e algumas vezes celebrar
. o sacrosanto sacrificio da mlssa. Quanto aos sa-
cramentos do baptismo e matrimonio, pode v.
'Rvma. administrar, porque, se esta permis-
so foi concedida para os orotorios privados
! as casas de residencia os baptisados oa as nu-
bentes das matrzes ou capeilas, raelnrmente se
permute, (caso proposto) Ua matriz d'essa paro-
chia.
Pelo qae respeita a pelebrago das missas, nao
permeitido conforme a disposigio do sagrado
Conc. Trident, e Const. Syn. liv. 4* tlt. 16 ; sendo
que,, depois de reedificada a igreja, preciso que
n'ella se faga a visita, para se saber se est ms
oircumstancias de obter a llcenga para a celebra-
{o das missas. E tanto importa, n'esta hypo-
tbese, a visita episcopal, que a Const. Syn. logar
citado, n. 685, eslabetece as penas eontra os que
celebraren em taes Igreja, devendo porm no-
tarse que esta disposigio nao pode ser applica-
vel ao caso em que preciso celebrarse para a
commuDbo de enfermos.
Dito ao Rvd. parocbo collado de..... Pesando
graves impntacdes sobre a conducta da padre.....
residente n'essa parocbia, compre que Y. Rvma.
me informe com a posslvel brevidadw qoaes os
retaguarda,
grande parte
sea (lineo, e al a retaguarda, acbavam-se defeo-1 s entrn o t corpo, acbando-se o 2
didos por bateras, eoberte com reductos oa ootras Demais as milicias corn-ntina ion
obras, alm de fortes defexaa-de infamarla. | deltas fngiram ao pncipiar a a'cgo.
Quando, pois, vio as colomoas inimigas bastante i Porm para ver que a batalha foi pelejad oom
avangadas pelo seo flanco, fez avangar forgas con-i encarnigamento de parte a parte, e que, guardada
He. I a proporcao da forga dos exercitos
ellas e as que atacavam a frente,
de modo que estas se acharam flanqueadas, e aquel-
las cercadas pelo seo flanco e retaguarda.
Ah travou-se urna peleja horrivel, um fogo do-
inferno, segundo a expresso do general Osono
que durou4 > horas....
Mas tempo de ver o qne occorria na direila.
nao foi menos
sanguinolenta que quaiqner das da guerra norte-
americana, vamos considerar as enormes uerdas do
inimigo.
Segando a ordem do dia do general Mitre os Pa-
raguayos deixaram sobre o campo da batalha mais
de quatro mil e dtizentos mortos-e trezentot e si-
seas costames moraes e ciris. AproTelto esta op-1 fantaria e tres regimentos de cavallaria inimiga.
loto, rompendo na frente e esquerda, foi o an lenta prisioneiros, qnasi todos feridos.
nuncio de que o inimigo avangava, e o exercito Esse algarismo nao exagerado, e antes parece
argentino acbou-se logo cm termos de recebe-lo. redondo, pois todas as cartas dos exercitos allia-
Lonira elle avancavam qaatro baulhes de in- dos do cinco a seis mil morios do inimigo.
portunidade para declarar a V. Rvma. qae ama
das priocipaes obrlgages dos Rvds. paroehos
procurar opportunamente corrigir os maos hbitos
do clero de sua parochia: sem o qae nao conse-
guir a reforma nos costumes de seus parochia-
nos. Deixar qae um sacerdote corra aps de to-
dos os vicios, sem por um dique essa torrente
de males, autorisar com o silencio o mair dos
males. E qual sera o remedio? Ei-lo multo
fcil de ser applicad: &' pecaverit frater tuus
(S. Matk. 18 15 e teg.), corrtpe eum inter te et
ipsum soltm... Se te non audient, ai hlbe tecum
nnum vel dos.... Quod, si non audieret eos, dtc
Ecelesia.
Aguardo a informado de V. Rvma. para pro-
videnciar de modo qae nao sejam, como esto
sendo, inquietados os habitantes dessa parochia.
Ao menos razoavel acreditar qne o general em
alem de ama colaraua, que pareca flear de re- chefe s mencioaon os cadveres inimigos ja aeha-
"' aos. "*o contando com alguas centos delles que fl-
O corpo do exerolo argentino is ordens do gene- cassem pelo mato as lagas etc
ra Paanero foi quasi o nico qae teve occasio de Mas dando s os 4,200 morios paraguayos, qne
combate-, acbando-se o 2* a retaguarda. corresponde ao sxtuplo do qoe tlveram os allia-
Do 1 corpo foi a divisao do intrpido coronel; dos, sendo a perda destes em feridos 2,645, se na
COMMANDO DAS ARIAS.
Qaartel do commando das armas de Pernarnbueo
na eidadedo Recife, 2 de julho de 1866.
ORDEM DO DIA N. 241.
O tenente-coronel commandante das armas inte-
rino faz certo para os dos necessarios, que bontem
se apresentou viudo da corte o Sr. tenente-coronel
do corpo de es ado-maior de segunda classe, Jos
Lacas Soares Raposo da Cmara, qae foi nomeado J "^"D "" '"'?
commandante do presidio de Fernando, por porta
ria do ministerio da guerra de 4 de junbo ultimo,
segundo constou de officio da Tice-presidencia da-
tado de 23 do mesmo mes, oom referencia ao aviso
daqnella data, do qual constou tambem que fra
approvado o acto da referidla Tice-presidencia de
ter incumbido do commando interino do citado pre-
sidio ao Sr. capitao do 4* batalho de artilharia a
p, Tibarcio Hilario da Silva Tavares, em sobsti-
tuigo ao Sr. capitao do batalbo n. 11 de infama-
ra, Manoel Joaquim Bello, qae o exercia, sendo
mais moderno que aquelle Sr. capitao.
Faz certo igualmente, que o Sr. atieres do 9*
batalbo de infamarla, Feliciano de Lira, obtere do
governo dous mezes de licenea para tratar de sua
sade nesla provincia, como foi declarado em offi-
cio de S. Exc o Sr. conseibeiro visconde de Ca-
mam ajadaole general do exercito de 21 do su-
pradito mez 4o junbo.
(Assignado) Francisco Camello Pessa de La-
cerda.
Esia' conforme Eslevo Jos Ferraz, leneute
ajudante de ordens encarregado do detalne.
Rivas (Oriental) que coube fazer frente ao inimigo,
o qual com tal impeto o alacou que o 3* de linha
argentino foi envolvido e diimado, sffreodo tam-
bem grandes perdas ootros batalbes.
A cavallaria paraguaya, varando a llnba dos ba-
talbes, ebegoa at i artilharia argentina, mataodo
a langa, dspersoa alguns dos seus artilbeiros. Mas
poucos desses furiosos chegaram a escapar : ca-
ve! los e cavalleiros paraguayos juncaram o campo
de batalha.
Pooco mais de duas horas durou o combate no
campo argentino, sendo afinal os Paraguayos re-
peiiidos com enormes perdas, se bem que grandes
fossem as dos no*sos bravos alliados.
No cento tambem o inimigo recuou logo depois
de quebrado o seu desvairado Impelo, pelo deoodo
com qae os recebeu o general Flores, a frente das
tropas, orientaes e brasileiras e de regiment ar-
gentino. Sobreludo a 3* divisio imperial concor-
reo para esse resultado.
Mas resiava a feral bataglia na esquadra.
O marechal Osorio nao se satisfez com repellir
o ataque do inimigo, seno que tendo-o cortado em
indique!, procurou, e conse-
guio, aniquilar am delles e deixar o outro bem di
zimado.
De facto, colhdos os inimigos debaixo de um in-
mesma proporgo se calcular os do inimigo, qoe
enorme na> resoltaria essa perda t Como 15,000
bomens I
Em todo caso o menos qne se pode calcular
um numero igual de feridos e de morios, o qoe fa-
ria anda subir a perda do inimigo a 8,500 ho-
mens I
O facto de nao se acbarem feridos no campo de
batalha seno erq peqneoo numero expliea-se pela
circunstancia de poder grande l>arte delles ser
transportados por seus eompanbeiros, que, embora
derrotados, retiraram-se sem ser perseguidos.
Demais, a proximidade das posiges paraguayas,
I e a grande abundancia de matos e palmares qae
; bordam %terreno, permlttiam aos feridos menos
graves escaparse durante a noit que segoio
, batalba.
Comparada a perda dos alliados com a do inimi-
go, nao pode leixar de proclamarse que a batalha
, de Tuyoty foi urna victoria importante, embora
cruenta, e que, provocada por aquelle, enstou-
lbe um espantoso desastre as suas melbores
tropas.
Os trophos da victoria foram tambera propor-
cionados a ella, e o Sr. general Mitre declara os se-
grales :
4 pegas de artilharia de bronze. 3 bandeiras (de
DIARIO DE PERNAMBUCO.
erno de balas e demeiralhas, eram exterminados corpos), 4 estandartes (de esqoadVes), i2calxas
aos milbares, e qnando, amparando-se dos malos e de guerra oa tambores, 15 cornetas, 4,700 espin-
esteiros, aoeriam fazer frente i baioneta, eram gardas, 400 davina?, 400 langas, 200 macbadinbas,
d'ahi desalojados. 50,000 tiros de espingarda, e urna qaantidade pro-
0 marechal Usorie foi, segondo os mesmos cor porcional de equipamentos, etc.
respondentes argentinos, o beroe do dia, accrescen- Eis agora a parte qoe conbe ao exercito brasiiei-
tando quasi todos que elle moslrou possuir as ro nos resaltados da victoria, e pondo em frente do
qualidades de om hbil general. total esse qainho, farei resaltar a sua preponde-
De facto, se nao excedeu em intrepidez ao gene- rancla, e portanto a idea de que ainda a victoria de
ral Flore?, e em sangue fro ao general Mitre, teve
mais do que lies a iospirago de general em che-
le, que procura tirar vantagens des errosdo inimi-
go, e continuar a Victoria al onde a pde'levar.
Tanto como e marecual Osorio, mostraram sum-
ma bravura e pericia todos os oossos generaos de
divisao, brigadeiros Argollo da 1*, Sampaio da 3*
Maiet, commandante do 1* regiment de artilharia
montada, entre muitos ou entre todos os offlciaes
dessa arma, que foram igualmente bravos e peritos.
A cavallaria nao concorreu cm iguaes propor-
c k.____. u. goes aa xito da batalha, porm fez muito, e o ge-
r-5iBba,a. de m, folhemos de I neral Netto, frente de 200 voluntarios, realisou
n! tt'** a"lorisadasI "*" P" corte prodigios m jc|a>
hL"2 n I06-"1308. S5EL T Se^'da "' e M 1asi um nJwMC especialisar nomes,
H!?Q^a"eLnaoaffwlemao/?Ddodaqueli,g.rTqaandonosas cartas e noticias particulares,
de feto de nossas armas, determinara com ludo raas as mesmas offl(.iae diIeKm tMiai0
eircumstaneias, que convem saberse. das iropas brasileiras : do general ao ultimo sol-
0 exercito paraguayo esta acampado alm de am [dad ^S mosIraraiD gUal dedicado a bravura.
Oblsim. nao houve nessa grande batalha, a
Tuyuty foi especialmente brasileira.
Sendo o numero total dos morios do inimigo
4,200 bomens, no campo de batalha das tropas
brasileiras acbaram-se, segundo a communieago
offlclal do marechal Osorio, 3,000 morios, para
mais.
Dos 370 prisioneiros feridos, 180 foram tomados
Guilherme X. de Sooza da 4\ e Victorino Urnelro p0r tropas brasileiras, observando-se que se a pro-
da 6, iodos de mfaotaria. porgo menor, lalvez porque no exereito ar
A artilharia brasileira teTe urna parte ramio gemino os Paraguayos penetraran) mais, e derro-
principel na batalha, cilando-se o tenente-coronel tados ahi, nenbom ferido poda mais escapar.
grande esleiro, que tem dous ou tres largos ramaes.
A sua frente acha-se defendida por am fosso com
pallssada, e apola sea flanco esqaerdo em om co-
mo de ara, ao qual segu logo um bosque.
O Qaoco direito do inimigo dobra-se sobre si mes-
mo, deixando um espago limpo como de dez varas
entre suas fortificages e o mato que Ibes tica pr-
ximo.
A nica batera paraguaya at agora descoberta
urna sobre o flanco esquerdo.
Os exercitos alliados, simados qoera do esteiro
e em um campo recortado por pequeos banbados,
palmares e linas de mato, apreseotam seguinte
disposigo :
A sua frente forma ngulo, cajo vrtice corres-
ponde a altura do flanco esquerdo do inimigo, e
cujos lados prolongan)-se extensamente, abrfndo-se
em proporgo.
No centro, e pouco. vanguarda, acha-se o pe-
queo exercito oriental, que era si mesmo consta
de menos de 1,000 bomens, sendo o mais composto
de forgas brasileiras de infamara e um regiment
de cavallaria argentino.
A' esquerda est o exercito braslieiro formado
por dises, e seu flanco e trente defendidos por
bateras de pegas raiadas. Este systema de defesa
estende-se at retaguarda, ocenpada pelas bag&-
gens e transportes.
O exercito argentino, dividido em dous corpos,
oceupa a direita, tendo o 1 corpo (general Paane-
ro) a frente, e a retaguarda, o 2 corpo (general
Em trophos houve
Tola I dos alliados.
4 pegas de artilharia.
3 bandeiras.
4 estandartes.
12 caixas de guerra.
15 cmelas.
4,700 espingardas.
Parle dos Braslieiros.
4 pegas de artilharia.
3 bandeiras.
1 estandarte.
9 caixas de guerra.
12 cornetas.
3,523 espingardas.
E os outros objecto: em proporgo anloga.
Consignando estes dados comparativos na histo-
maior da America do Sul, um s bomem, levando
o tope imperial, qae nao se mostrasse bravo e dig-.
no do nome brasileiro.
Honra nossa patria I
Gratido ao imperio a seus dignos filhos 1... i ria da batalha de Tuyuty, nao o'fago por um prin-
A batalha de Tuyuty, como a denominara os do-1 elplo de emulagao cora nossos vientes alliados;
cumentos offlciaes, ou da Lagoa Branca (2), como fago-o apenas para consolar o imperio de ter tido
tambem poderia chamarse, lerminou as i ,' d) ama perda to crescida nesse grande pleito.
tarde, a cjja hora, cessando o fogo completamente, as forgas que Lpez apresentou naquelle dia fa-
e repellido com immensos desastres o inimigo, os zem-se subir a 20,000 homens e mais.
hymnos nacionaes proclamavam a victoria sobre o
campo do combate.
Era, todava, urna victoria tao sangrenta, a ser
quasi deploravel.
Notemos as perdas, segundo as partes offlciaes
dos generaes em ebefe, alias jumas a esta carta.
Eierciio brasileiro.
General em chefeContuso.
General de dlvisoFerido........ 1
Offlciaes superioresMorlo. ...;...
Ditos feridos ........... 10
Ditos subalternosMortos........ 29
Ditos ditos, feridos...........183
Pragas de pretMoras.........413
Ditas rendas..............2094
Nao Indurado o general em chefe, cuja contusa^
foi leve, as pardas do exercito brasileiro sobem, co-
mo se v, a 2,730 bomens fra de combate.
Se o nome de voluntarios da patria nao esti-
vesse ja mmortalisado no imperio pelos feltos do
!re).-- KTambea> a'dmas baterias cobrem I 7MliTbo^ia^rd^ e 11 no
>ua segunda linha, formando a cavallaria correnti- combate da 2 de maio.s-lo-hia agora pelo qae fez
oa a extrema direita.
Nao se confirma a primeira noticia aqu vioda.
e pelo que soffrea o 4 batalho no combate de 24.
da patria teve feridos : o
commandante, o major, qaatro cap taes, dous l-
enles, cinco alteres, como doze cadetes e sargen-
tos.
a. nZ m m\T,i Zr?" a, 'qu a Aasire o P. admire com profuodo enternec-
de que um oflkial paraguayo, tendo-se passado na m8n,0 ., ,PBin;ft, dadft5 y
manbaa de 24, havia prevenido o general Mitre de. n i- de vorantriof
que o exercito inimigo viada ataca-lo.
Se to promplos para receber a batalha se mos-
traram os exercitos alliados, que eslavam, como
continuara a estar, na maior vigilancia, e, qoanto
era possivel, cada soldado no sea posto.
as primeiras boras do dia 24 nenhum raovi-
raento de forgas inimigas se tinha presentido, al
porque a abundancia de matos e palmares, e a si-
nuosldade do terreno Ibe permittir sempre oceul-
**"]*'* .,. .. i 'entrou no combate nao flearo 200 illesas.
Eram apeoas 11 W horas da manbaa, quando : com este facto pungente, embora glorioso, en-
appareceram pela trente e Banco esquerdo duas ;cerrea)09 adolorosa estilstica de nossas perdas na
grossas columnas. batalba de Tuyuly.
A que aiacava a frente compunba-se, segundo os
D'abi parece qoe dedazem os generaes em chefe
1 ter ainda Lpez poder militar maior do qae Ibe it-
i tribaiam ; e porque em todo caso est provadissi-
, rro o arrojo cora qoe as tropas paraguayas comba-
ten), calculam que sem sangremos e repetidos
combates nao pedero avangar at Homaita e de-
bellar aquella fortaleza. <
Nenhum dos tres exercitos pode receber dos res-
pectivos paizes, com brevidade, novos contingen-
tes ; e mesmo os qae com alguma demora po-
dessem ebegar seriara de tropas irregulares e bi-
sonbas.
Emfim, carecem os exercitos alliados de meios
de mobilidade, e esta o quasi Impossibililados de
Ulillsar as snas eavallanas, que no enianto repre-
sentan) um sexto da forga total de que dispoem.
Destas eircumstaneias faz-se resaltar a necessi-
dade de aguardar a qae o 2* exercito brasileiro de
operages, s ordens do bario de Porto-Alegre,
nossa entrar no thealro da acgo, passando o Para-
n aeima, para vir pela sua margem direita, oa,
desee ido pela propria margem esquerda, vir pas-
sar as proximidades do Passo da Patria.
Chegaram hornera Urde (12 de junho) dous
vapores de Corrientes, e por elles tivemos ntelas
do thealro da guerra at 7.
Nenhum incidente noiavel tinha oecorrido,
continuando os exercitos as mesmas posiges, e
nao bavia probabilidade de batalba, ou combate
guayos bao de brlgar at ao ultimo momento ; a
guerra de exterminio, e em quanto om Paraguayo
existir terernos-cora quem pelejar.
O xito da cootenda nunca pode ser duvidoso,
e boje arada menos pela prostrago em que o inimi-
go se encomra, o qoal nio pode contar mais de
12,000 a 14,090 homens, j em parte consclos de
sua impotencia, porm, sem a menor duvida, deci-
didos a morrer. >
Ootra correspondencia do exercito diz que o ini-
migo pareca aceomular (oreas sobre sua esquerda,
direita dos alliados, onde se acba o exercito argen-
tino, tendo se mesmo presentido algum raovimento
sobre o flanco direito deste. Conclue daqui o cor-
respondente que se os Paraguayos trouxerem um
novo ataque ser especialmente contra esses nossos
alliados?
Isto dara razio para crer que Lpez desacoro-
coou de tirar vantagem dos Brasileros.O eosino
matou-lhe seis a sete mil homens, conformando o
adagio bespanhol de que la letra con sangre en-
tra.
Finalmente ontras correspondencias tambem do
exercito dizem que constava por alguns passados,
qae Lpez tinha mandado trazer as forgas de Matc-
Grosso, leodo destacado das qne tinha em frente
dos alliados 5 ou 6,000 bomens para irera reforgar
a columna que faz frente ao Sr. bario de Porto-
Alegre.
Em regra as noticias dos fassados sao para mim
paseadas, mas algam carcter de verosimilbanga
tero as que preceden).
Vendo Lpez qae ama expedigao da esquadra,
sobe o rio Paran dedus sem grande esfrco de
penetrago qae para passar a sea territorio o
2. corpo do exercilo brasileiro de operages, e na-
turalmente manda fazer-lbe frente com forgas res-
peitaveis, qae lalvez impossibililem esse exercito
de avangar, e eis-abi os nossos dous exercitos im-
possibililados de se coadjuvarem.
Quanto ao enIraqueciment do seu exercito prin-
cipal pela separago daqnellas forgas, Lpez trata
de compensa-lo tornando cada da mais fortes suas
posiges em frente dos alliados com a artilharia
qae traz de Homaita e Curupaity, segunao o que
antes communiquei.
Se esta realmente a disposigo das cousas por
parte do Inimigo, para deplorar que a nossa es-
quadra nao possa realisar algam feite no rio Para-
guay, qoe para ahi Ibe cbame a alinelo, e ao mes-
mo tempo que de Malo-Grosso nio se possa ao me-
nos fazer om ameacp se quer pelo alto Paraguay, e
contra a Assumpgio.
Em definitiva de mera espectagao o carcter da
guerra, no momento de partir o paquete ; e a me-
nos de qae o inimigo se eocarregue de a trazer,
oo (eremos batalba lio cedo, nem incidente algam
qae adiante a terminago da campanba.
Na manbia do dia 28 de maio, percebendo os
Paraguayos ama batera brasileira basiaot adiau-
lda, avancaram em forga de quatro batalbes, que
sahindo dentre o malo vinham a marche marche ;
a batera nao tardou, porm, em romper om fogo
vivissimo qae os fez recaar. Tambem a artilharia
oriental e argentina Ibes dispararam muitos tiros, o
que acaboa de os por em derrota.
O fogo de artilharia e de fuzilaria qae o inimigo
fez nossa occasio pouco damno causou, contndo-
se apenas 17 homens fra de combate, nos adiados.
Entre elles houve um official de artilharia brasilei-
ro ferido e mais gravemente o major Yancei, chefe
da artilharia oriental, que trazldo a Montevideo
suecumbio dous das depois.
O inimigo, shd, sofTrep perda consideravel, cal-
entada em 300 bomens, on mais, o que nao admira
no grande alcance da nossa artilharia, e jogando
ella contra massas de infamara.
Este pequeo feilo de armas ainda nma ve; veio
certificar qae Lpez nao poupa seas soldados na
monomia, que o possae, de tomar artilharia aos al-
liados. O facto de arrebatar 4 pegas no dia 2 de
malo servio-lhe de funesto engodo, pois eosta-lhe
lalvez 8,000 bomens t
PERNAMBUCO,
REVISTA DIARIA
Teve mais feridos : o ajudante, o qoartel mes-! mais oa menos formal, seno no caso de ser trazida
tre, o porta-bandeira e como 200 soldados I
Teve morios : oa capitao, quatro tenentes, dous
I alteres, seis a sete cadetes e sargentos, como 100
pragas de pret.
Assim, das 490 pragas com que esse batalbo
melhores dados de quatro grandes batalhes de in-1
fantaria, e ootros tantos regimentos de cavallaria ;
e a qae vinba sobre o flanco esqaerdo, de dez ba-
talnes de infamara quatro regimentos e seis pe-
gas de artilharia.
Parece qae o piano de ataque de Lpez basea-
va-se na idea de ser elle repentino e impetuoso,
sendo geral, anda que parece pouco verosmil a
opiuio de qae fizera embriagar, ou quasi
As do exercito argentino ;
Offlciaes superiores : morios 4 e feridos 2 ; offl-
ciaes subalternos : morios 7 e feridos 35; pragas
de ret : moras 115 e feridas 443.
O total das perdas de nossos bravos alliados (os
Argentinos) soblram a 606 homens, inclusive um
coronel e dous majores mortos.
O pequeo, mas denodado exercito oriental leve:
Offlciaes superiores : raorto 1 e feridos 2 ; offl-
ciaes subalternos : mortos 11 e feridos 15 ; pragas
embria
i gar todas as tropas, e com "especiaiidade a caval-1 d'pretTmortas 121 e'frdas lio!
un*' i
O que est fra de duvida que jamis se vio O que di 296 homens fra de combate, perda
am accommetliment mais desvairado : a cavalla- enormissima se se considerar que esse exercito
ra arremessava-se eontra a infamara, procurando; nio chega hoje a contar 1,000 homens.
chegar aos canhes, tosse como fosse. Restmindo, v-se qae na sua lotalidade as per
Se, porm, o ataque era furibundo, a resistencia, das dos alliados foram a 701 mortos e 2,645 feri-
aSSr iDVeDCiVe,, UD, M rent C0O M" ^NZu^mer ^ que estes I ohonei-
Traeule nviou logo o general Osorio as duas | dadosno sao os da ordem dojiiUgenerll Mitre, | K.E'^Jh^^SI?^^ t IT-
brilhantes divites de infamara, a 1' do bngadeiro e das partes offlciaes dos generaes em cuele, aei-
Argollo e 3' do bngadeiro Sampaio, qae formavam xem de exprimir a mais estricta verdade; e, sendo
a segonda llnba do centro. assim, nao podem essas perdas deixar de conside-
As grandes columnas inimigas adiaotavam-se | rar-se enormes, posto que representan) doxe a trexe
pelo flanco esqaerdo, com a esperaoga qulg de i por cenlo das torcas que entraran) em acgo por
pelo inimigo.
De facto, os alliados tendo entrlncbelrado ama
parle do seu campo, e especialmente os pontos
mais vulnerareis, parecan) dispostos a aguardar
nessa siluago os elementos de mobilidade qae ne-
cessilam.
Considerando se necessario sopprir as baixas qae
o exercilo brasileiro tinha tido pelos combates e
pelas doengas, fez-se desembarcar orna parte da
infamara qoe eslava a bordo da esquadra, e seguir
para o acampamento toda a forga que havia dispo-
nivel em Corrientes.
Isto levon um augmento de 1,500, ou qnasi 2,000
homens" s fllelras imperiaes.
Diz-se que tambem o Sr. Mitre pede ao governo
argentino novos auxilios de gente e de cavados, po-
I rm nio vejo probabilidade de qoe Ibe possam ser
mandados.
A melhor esperanga qae resta para dar impulso
a guerra que o exercito do baro de Porto-Ale-
gre possa vir em apoio dos alliados ; porm nao se
sabe at onde pode isto ser possivel. .
I Nio se confirma as cartas ebegadas hornera, ou
melhor, desmente-se a noticia do bario de Porto-
Alegre ter vindo ao Passo da Patria. Smente cons-
ta que se tiveram noticias d'elle, em coosequencia
chegar i retaguarda, e, descobrindo qualquer pon-
to mais vulneravei, cortar por ahi alguma divisio
brasileira.
Felizmente dir-se-hia, que esse piano paraguayo
parle dos alliados, isto menos de 30,000 borneas.
De facto, se do exercito Imperial, e confirme
urna carta do Sr. marechal Osorio, que tenho vis-
ta, nao ncou de reserva un) s batalbo, entran-
tioha sido advinhadq pelo r- marechal Osorio, pois do o ultimo djles enj fogo, do exercito argentiQo
Presidente e varias chalas para pasear o seu exer
cita onde conviesse ou fosse possivel.
A esquadra tambem nenhuma operagio tinha
realisado, de modo que anda por esse lado as ope-
rages da guerra sao deespectativa.
Nio aventurar urna opino, l se no Nacio-
nal, dizer que a guerra prolongar-se-ba mais nos
tres mezes, attendendo aos immensos obstculos
que a naturexa nos oppde neste paiz, e a qqniade
de inimigo brbaro, tenaz e phanatlcg.
Por forga de contrato celebrado por esta empreza
com o Exm. Sr. vice presidente, acbamo-nos in-
cumbidos da publicago official do expediente do
governo da provincia.
Foi ba lempos publicados no Rio de Janeiro,
e distribuido por est provincia, um folheto, com
o titulo de Efraim, em qoe diversos pontos essen-
ciaes da nossa rligio foram atacados pelo Ilus-
tre escrptor ; e porque seria vergonboso nm
povo caiholico, que esse folbeto corresse sera pro-
testo, cMncangavel Sr. monsenhor Joaquim Pinto
de Campos resolveu se a combater no seu es-
cripto, que hoje publicamos na 8* pagina alguns
dos pontos atacados por Efraim.
Como tlohamos noticiado, veriflcou-se no do-
mingo a installago do Monte-Po Portuguez,
acbando-se presentes os Srs cnsul e vce-congul
de Portugal, o presidente e mais membros do
cooselho deliberativo do gabinete portuguez de
Leilura, e cerca de 500 socios do Monte-Pio.
O presidente da sociedade, o Sr. Jos da Silva
Loyo, proferio nma pathetica e eloqnenie allocago
anloga ao acto; prendendo depois a attencao dos
circomstantes os Srs. Antonio de Souza Pinto e
e Joaquim Gerardo de Sastos, que recitaran), este
um discurso e aqoelle nma poesa; amanha pu-
blicamos estes trabalbos.
A Sociedade musical Bella Uniao prestou-se a
abrilbantar o acto tocando diversas pecas,
Da ra Velha queixam-se algumas pessoas
do procedimento de orna outra, que allf mora, e,
sem respeito ao decoro das familias, qoe habitara
prximamente, emende dever converter o quintal
em banbelro, onde por entre grotescas vsagens
lava-se em pleno campo e sem reserva alguma.
Um semelbanle proceder nio carece documento;
relrata-se por si mesmo em toda a sua hediondez
incivil; e assim cumpre que o seu autor se abs-
temia d'elle, mesmo porque nao esti bem que as-
sim pratique quem, por seu logar de guarda, tem
deveres restrictos de respeitar a moralidade pu-
blica. '
Com 2? jecebldos neste porto, condnzlo para
a Europa o Extremadure 263 passageiros; e o
Oneida para o sul 121, senio 8 tomados nesta ci-
dade.
L e no Apostlo a seguinte :
A bella igreja dos capacbmbos, sempre con-
corrida durante todo o Mez Martanno, no ultima
da apresentou um espectculo digno dos primelros
lempos do cbrstiwistno.
Qoatro confnsores desde as 6 horas da ma-
nbaa at as 2 twras da tarde, segundo nos consta,
ouviam de coifisso e distribuan) o corpo adora-
vel de Jesas Cbristo i centenares de pessoas.
Houve missa cantada no dia 31, e tarde pe-
las 5 horas, doas flleiras de numerosas meninas,
vestidas.de branco, com eutos de fita azul e lindas
eoras semelhando coros de aojos desfilaran) da
igreja trazeodo em piopissio em um rico andor a
imagem de Nossa Senhora do Bom Conseibo qoe
ellas proprias carregavam.
< Ao reoolner a proclsso, o doto que ama
Aquella qne a imagem representava corre a a bei-
; ja-la.
; c Foi necessario para satistaier esse desejo de
todo?, tlra-la do andor, % ento era tocante o ardor
oom qae cada um reeetda o retrato dessa Mi ce-
' leste, apenava-o o peito e Ibe imprima um sculo
de filial amor.


i
l
1
:
P*



I
T
V
I

, -J
....-^
larlo de reninhic Teres felr 3 de Julho de 1866
~
. S. Exc. o Sr. Internuncio dignoo-s* m* *>*Amew-Rft^-d*-Ftta, que virara se tara-
esu esliv.dade abundo igualmente o Te-Den, bem toreados a reiirarein-se do comba te, volundo
que servio da enoerrameoto ao Mez Martanno oa.esta, logo depeis de i
igreja do Casteflo.
Teraaa nelioias do Gear at 24 do passado,
trazldas pelo vapor Persinunga, ebegado domingo
a' tarde.
S. Exc. Revm. o Sr. D. EmnalnBvJe Medeiros
saliou na capital dessa pro**, para ver w
Exma. familia, e seguio, do mano vapor para o
Para, accodipanhado do Exm. ^tocesaoo do Ceara.
Fallecern) o negociante Amonio Jpaqom Lar-
nero e o empregado da senaria do governo
Francisco Adrio de Paula Freiro. .
As ebuvas foram eitraordatias etn Btante,
causando' serios estragos a' lavoora.
Eserevem-oos do ^moerro, qoe o Sr. Dr.
Adelmo Antonio da Luna Freir ebegara all de
Pajeii no da 23 de jaoho, entrando a 25 no eier-
'icioflo cargo de juiz do ireito da comarca, para
que (oi ltimamente nomeado.
Conhecedor do carcter do Sr. Dr. Adelino, fpli-
ctanos aquella comarca pela acquislgao de lio
digno magistrado; o quaL na judicatura conti-
nuara' ao paiz os boos servidos que ja' tein pros-
udo.
Na noule de quarla-feira, 4 do correte, d-
6>sas
da Sil-
Mr de Manoel Josa Fernandas
Ouei Alves Ferreira.
Idea OOIHMm & Colho.
DESPACHOS.
JtWeMfsaseml'o de Joo Francisco Aqtunes estabe-
Iecldo com prensa de algodao no Forte do Mallo,
armazejfjfjf^fcjediodo que sejaa*| Mido a assig- lee prolongue os das para continuar em seus tra
com nm offlcial inimiiro j
, armas, um bravo ; dita loao Pai
1 orto na trincheira, 2o cadete Luiz
camauro a sua ferida. va tambem mono na trinebeira, 2*
t O corno do meo iMIarina- eooperon Marques de Santiago, ferido no com1
moito para o aprisionamento de 3 canhoes inirai- j Candido Lopes de Moraes, idem, Adol
gos e varios prislonelros; e depuis de bavermos, I de Sant'Anna, msico Manoel Joaquim Alves
com oulros cuspes rechazado a eolumoa que nos Oliveira o tambor Mamed* Jo.- de Sant'Anna lar-
aggredira pela esquerda, e reonindo algumas pra- naram-se dignos da mangan por seo enthusiasmo.
cas quose acluvam dispersadas desenvolvemos para t Todos as meta praoasoo dignas da elogio pe-
a direita, e avaocamosom proteceo as liphas da lo sen comportanonto.
vanguarda al as proximidades das fortificacSes t E' de lamentar que o capltao Jos Luir Perat-
latmigas, doade vollasos para o bosso acampa- ra eomnsandanis da v^oompaohia e teaente Manoe;
melo as 6 horas da Urde, como lodo foi por V. de Carvallo Paes te Andrade Govm, eovmnandao-
S. presenciado. As pracas qne compoem esle cor- te da 8 fossem lato tendea no oomeco do combate,
po'porttram-se cora verdadelro valor e embustas- por isso privados de presorremos servlcos qua do-
no militar e permiu me V. S. que de entre ellas las eeperava, porm at psse momento ptrtaram-
reoommende a considerado os nomes de alguns se com toda dignidade.___________________
offlotaes d pracas que mais se destioguiram nesse Todas as mals otacas lambern. se con&utram Oe aria fl*tjCa.-.Igual despacho, !
glorioso combate e sao : o capilao Jos Antonio dignas de elogio. i Dito de Mana Eugenia da Cruz Brito, pedindo_o
Ribeiro de Freitas, que serve de mandante sendo i 8So ea, film. Sr., as ocurrencias,qoe se
ferido da perna direiu por urna bala de fuil, e derara durante o combate no terreno que percor-
iodo ao hospiul corar-se, d'alli vollou incontinente \ reo o batalho do mea commando.lonoc^ncio
a reunir-se a seus companheiros animando-os ja' '
com sua voz, ja' com seos actos de bravura, mos-
tranJe raais ama ves seu valor ao combate. O le-
um bello cemiierio constraido em pouce tempo, e
avaliaab em oito conlos de res, e deveo iaqueso-
navolnente aos esforcos do flv. pad/e fre Sera-
fim de Catania, aqaem 03 babiUOtae desta povoa-
gao tributara a mais sincera e cordial gratido ;
e nao.cesso d dirigir ao allissimo fervorosas
preces para qoe o tenba em sua saeta gaarda e
mmm
ar tertno da Bel depositario a '\m obrigado por
brea do art. 7 do cdigo conmerciVisU do
Sr. deseabaitedor fiscal. L
Dito de bUarlque Guilherme SMto eorreclor
eral, apreaoaUldo certidao do lera 4a responsa-
blidade que aasigtiara o actual abooadaC da so a
firma, Jos Aatoaio de Brito Baslos.Afslve-ae.
|' Dito de Jlo da Cruz Macedo, naba* correlo'
I geral, junuiidarabera certidvWMB de*W
i pensabilidade que assignarara os novos abonadores
balhos aoostolioos, dos quaes Unto proveito se ha
colhido. Nao a lisonja que me leva a escrever
estas linhas, mis a forca da verdade, para que
todos a saibam e prestem o devido louvor aos
actos lao meritorios do Rvd. fre Serafim de Ca-
tamra actual prefeito 4a Penka.
O padre, Joaquim Slaooel Correa a Silva.
-------------- ii i
Gana filial 4o Sane d# BratH n f*>t-
A caixa desconta os saques de sea aeeWe peto
una de 8 0/0 ao anas, e saca sobro a eaixa filtol
na Babia.
Novo Banco de Pemambuca
O nevo banco paga o 16* dividendo nr
razo de 6dl50 por acio.
oto Daaeo) defvPeroai
buco.
O Novo Banco daaconU letras a 40 pero*-
ao auno
Jos Cavalcantl de Albnquerqae, commaodante.
De Pao d'Alho escrevem nos em data do 1*
do correte:
t O invern parece querer tocar ao sea ter-
mlno.
As cmaras de sangue vio a melhor, entre-
levado a mullos, especialmente cr-
neme Manoel Lauriudo Fernandes da Rocha ; alte-
res Fernando Pacifico da Aguiar Mootarroyos, MI
nos a empreza do theatro d Santa Isabel urna gQel Joaquim do Reno Barros, Francisco Vidal
grande recita em qoe o publico intelligente apre- Aranha Montenegro, Guilherme Manoel dos Passos | taDn0 tem
ciar ama das raais elegantes composiedes drama-' Ramos, Jos Marta Marques de Carvalho, Jos F. aQQiS.
ticas do moderno theatro francez: o drama de Correa de Araujo, Hehodori. AveUno de Souia 4 Falleceu desea molestia Igoacio Gomo* de
Octavio Feuillet O Romance d*Nm mofo pobre. Monteiro, PcrHrio Hygino da Costa, Manoel Corlo- Siuz, escrivo de oxpnios e ausemes desta villa,
OcUvio Feoillet ce a rara suWileaa de espirito, hmo dos *mtos, Sa'mael Lopes TOlffaao TSIarnjo, j^^eixoo naimserra sna mnlhere -fitlro, -entre oa
que tono* n'elle reconhecem, passou para as taboas ajudante Francisco de Paula entunes Hudson, Jos q0aes coma doos rapaaes
do tbeatro o seu ruaMDce do mesmo ltalo, que!Cor|0|(D0 Pendes LfnS. qae/ol ferido, Mariano do Coosia que ha multas pretendettes ao lugar,
tantas enveres causn em todo o mundo pan- Reis EsplBdoia, Jdao Deoclesi da Silva Paula, que o ossmlw hora para 4Ueaj o sabe roer
siense, e era todos os tbeatros em qoe lem sido re- i urobem foram eridos, porlarara-se cora bravura e j. Oaeneros allimeoticloi eslo baratos uto
presentado. ; energa dando os memores lestemtfnbos fle verdaj barato lisongeiro para madre Banga, que as
O drama de Feuillet am poeau dramtico, deiros soldados. vrzes Uoai e*i**te, e a omita cousa obrtga, aos
perteoceot a escol* qne fuodou no gymnaaioi o alferee Dominaos de'SuuaaLeao Reg Barros, que nao se limhao somenie a enchila, a qneea
francez e no prlmeiro theatro elatsieo da Franco \ ,jQe c,Daaua 0 estoa0jrie ei> balalbo, pottoa- tntupir. Qaaoto a novidades de nada sei
Mto apurado do dialogo e as doces se corfl bravura e en,haslasm0i seajpre a frente, na _Hje ao meio dta, se calrah'r 7' partefla K.
Ilnha de fogo, animando com o seu exemplo a seu ), ieria, beoeficTb da Santa Ca-a da Misericordia
(Xinpaoheiros. W1), sendo o nuior premio 6:O0OJOO.
< 03. cadete sargeoto quartel niestre t __ Pa5sagelrM v,Ddo8 no wpor Mamanguope,
dos partos do norte.
,- Antonio t^rtela./Fraocoi Pincoo, Raymando Nei
Jk Biblias falsiQcadas.
Nada se desmascara com mals facilidade do qoe
Impostura I
G rardes, ha muito fallecido.Como requer. AnUria a Pflrin i,rhrei dn niciaes I F S fono
, de Manoel Patr .cimento, pedmdo ^"^^^^^
do Exm.
sabir da
d8Cor
M^^XJSSXS* iTvwStoi
vaotada para medir com elle as armas no campo
2,l:TTio\
'SJJTAim
M0V1MENT0 DA ALFANUEGA
xeiro aodito Hespainol.Como requer.
Dito de Joaquim Francisco Lavra, para se le .
u ognma iotellectual, e qoaodo todos esperavam
dar por certidao a qaantos ea.xe.ros tem dado s,^ J |evanUo ei8 seQao a^do ,olu
nomeacao.-Como requer. caora,Pia ,nhre o mesmo pktmtmn das iniciaes aobreditas, nao
Consuiu do offlcial-maior d sec/etria sobre o'
como se deve entender vanas disposiQoes da no
Iliteraria o
emocoes da convivencia social.
A emprrja doSanu Isabel fas uraa grande es-
colba e um verdadelro servico offertando ao pala-
dar do publico am manjar tao delicado e mo til.
. no Nap leo do Reg Barros, 2. cadela 1.* sargea-
Depois dascommoedes de Bourgedis-, a pureza t Jas Mara Mar4ues Cesr,.uue ejerce as lunc-
o Humo do estyllo de Feuillet; depols de Gas-: -5e8 ^ M l0auJante araiado de fuzil, coraba-
pard Hauter, o Moco Pobre. Em ambos os dramas,
a ar uta Adeiaide pateola nos o seo robosto U-
lento, e no Romance tfum moco pobre, Paiva,
dizem, mostra ama firmeza e una compreheaso
arlistica admiraveis.
A platea, estaraos cor Ha, applaudir dignamen-
te a eriacao eos arttetae; o poeta e os e oler pro-
les do poeta.
Na !.* sessao do trlbonal do jury do termo
da FloresU, que durou ue 21 a' 24 de maio, foram
julgados tjaatro processos eouipienrodndo 4 reos,
sendo eomlemoad06 ires'a' priso simples, e absot-
vido um.
Depoi1 d'amanhaa pelas 8 horas d'amanha
manda celebrar no convento de S*. Francisco o Sp.
Antonio Jos Duarte Coltobra um otwwnfo emsuf-
fragfo da alma do Sr. Dr. Jos Paulino da Cmara.
Temos inferonedes de pesseas fidedignas,
que o Sr. D. Jos Heorique, calisU que ora se anha
n'e-ia cidade, tem praiicado as suas opera^oes
com. pericia ootave, e proveito d'aqoelles que a
elle tem recorrido.
As pesseas qoe seflrwB d'esse mal, devem apro-
veitaf o eosejo de soa estada entre nos para pro-
ceder a extirpago d'elle, oio devendo espaear a
procara daquelle seobor, dma vez qoe elle pouoo
se demorara aqu.
Visitamos hotem a galera-pbotographica do
Sr. Julio dos Santos Perelra, roa do Imperador,
e ahi Acarnos com effello sorprehehdldos em pre-
sen^a dos bellos trabalbos que se achant em expo-
si(3o, execotados pelos dous artistas alleroes os
Srs. Xtoert Heuschel o Cari Qatzdoff. ahimameote
ebegads. "Era verili.de eses tratjalhos rivalfsam
com "os dos melhor es photogra^hos do mundo,
qur na execncio em si, qar Oo esnerado do co-
lorido, de modo que cooserva-se som alterajio o
irabalbo photographico.
Alm disso, fomos obsequiados pelo Sr. Jalio
com alguns etemplares das soas phniographras
maRicas, nova e sorprendente invene<\ que nos
maravilhou asaz pela rapidez com me nma sim-
ple: lira de papel, apenas molbada em agua pura,
se transforma n'um retrato, pay>agens etc.
Dentro em poneos dias estaro concluidos os
arranjos que se fazem aelalfmente nesse esUbele
cimeut'i, para come^arera entSo os trabalbos pho-
lograptiicos. Mas no eounto ja' tem o Sr. Julio
abertoa'exposlco a sua galera, caja visita elle
facilita ao publico dorante o da.
ConsU-uos qoe ja' foram submettidas a' apre-
ciai;o de S. Exc. o Sr. viee-presideole as clausu-
las para a ce!ebra(o do contrato para a coosiruc-
cao da pon, qu deve coramunicr o povoado da
Torre com Punte-d'Uehoj; ea vista da importan-
cia d'essa coramnicacao, de suppor que S. Etc.
uc-s dole'deiitro em pouco com este melhoramenlo,
de que tem de provir alm disto vaotagens para
as rendas pablicas.
Tendo procedido no domingo passado a so-
ciedade dramtica Thalia Pernambacana, elei;ao
para os no)os erobros de seu conselho adminis-
iraiivo, foram e eilos os seguiotes Srs. :
Presdeme.
Francisco de Paula Lima.
Vice-Presidente.
Epaminondas Pinto Bandeira e Aceioli de Vas-
concellos.
1* Secretarle.
Augusto Jos Gon^alves Lessa.
1 Olio.
bernardiaodaSoooaafook (reeleito).
Tbesooreiro.
Luiz Francisco de Pauta Ramos.
Procurador.
Juveocio Miguel da Costa.
L-ee o seguate no Pariamentmr, jornal, re-
unido pelo conseibelro Jos Bonifacio :
< Na sesko de hootero 22 do correte a opposi-
\ nobre e honroso de um deputado pela provincia da
Pernambuco, o Sr. Barros Brrelo, qne se declarou
separado da maioria, e ligado a phalaoge uppesicio-
nista.
Nao s um voto de mais que contamos nao:
orna bella intelligeneia, e sobreludo um carcter
altamente estimado por sua independencia, e um
typo de probidade por iodos nomo tal reconbecido,
que vm reaicar a cossa patritica opposico par-
lamentar.
Honra ao Ilustre deputado Pernambaeano Bar-
ros Brrelo I
Cotnmoaicam-oos o segointa :
< Srs. redactores da Revisla harta. ~A bem da
moralidade publiea pedimos encarecidamente a
Vmcs. a inserto em sua conceituada Revista a
seguime8 linhas:
c Aconselha-se a eertos-----nue aodam nos do-
mingos petas roas desta cidade como verdadeiros
rcoleques a iosultarem s familias e pessoas
ni Ife.nsivas, que, por interesse proprio, te abste
oham de renovar o repreheasivel procedimento de
vitos domingos a esta porte, posto por el les em
pratica oa roa Augusta ; do contrario, alm de
verem seas nomes por extenso expostos a' execra-
i;ao das pessojs sensatas, possivel que suas cou-
unuas provocagSes colloquem alguem na dura ne-
ce a sua ducac.ao.
< Se esses enbores sao Idiotas, recolbara-se ao
Hospicio de alienados; se sao malcreados, nao ha
na ra Augusta quem queira encarregar-se de soa
difficl educago. a
Damos em aguida a'sciencia dos leltores as
ordeos do da do oosso. primeiro corpo de volunta-
rios (II*), publicadas depels dos combates de 24
-; maio e 2 de junho ltimos
< Acampamento do i(a corpo de voluntarios da
patria em Rojas na repblica do Paraguay, 25 de
de maio de 1868. l'lm. Sr. Em comprimidlo
as ordens superiores, cumpie ue levar ao cooOe
i'irurule de V. S. a occorrencias qua se deram no
corpuda atau interino.corwnauto, ou combate qua
ir-ve lugar no dia 24 do correte. A's 11 horas
poueo mais ou menos, ouvindo se o toque de sen-
tido no oxercito, o corpo- de meo interino coraman-
do, ianceu mo das armas, e fol loio obrigado a
formar quadtado, por isso qoe a cavallarla inimi-
gas ja' se aproximava s nossas linhas, e a urgen-
te uecessidade nos a conselhou romper foso, o qoal
fez essa arma desfilar pela nossa direita, vindo a-
pr ama grande columna de infamara, cera a qjal,
desenvolvend Immedlalamenie em liaba, ticemos
de nos bater por longo espaco. Este corpo '.ogo
no coraeco do combate, leve de lamediar a
de sus chefes, o Sr. major commandale nn
co Jos Cavalcaate de Albuquerque e major fiscal
Serafim Plix de Paiva, que foram ferldos por ba-
la> de fuzil, quas qde semaUaneomecf
Toreados pela naturez de seos fetiraentos, a reti-
rarem-se do combate. Esta perda, se bem qua
Seorf "
sna or
leu sempre oa leira com saogue fro, porlaram-se
muilo bem l> cadete largento Jos Ignacio Ri-
beiro Roma, que eooperoo para a lomada de um
dos canhoes ioimtgos, raereceodo os applausos de
Sr. comraaudante do 13.a balalho de infamara de
linha, 1 cadete 2." sargento Amonio Deoclecio
Gonzaga, 2. sargento Cvnllo Soares de Medeiro-,
2* cadete Joaquim Velluso da Silveira, Wcadelo 2.
sargsolo do 1.* batalho de intentara da lloba que
s aorta preso de correeeao ueste corpo Francisco
I tao', Alexandrlno Araogenes, Jos Flix do Reg
Barros, Joo Vielra Azevedo, Mara Rosa de Aze-
vedo e 2 escravos da mesma, Manoel Paulino, Ale-
xandre Pedro, Manoel Po da Silva Lourelo, Jos
da Silva Lourelo Jnior, Olimpio Dias Maxado,
i vissima le by'puihecaria.
Nada mais bou ve, e foi por S. Kxc. etcerrada a
i sessao dada a hora de estylo.
SESSAO JDICIABL\"eM 28 DE JlTNHO DE
1866.
PRESIDENCIA 00 &XM. &&. DltSEMBARGADOB
A. F. PBRBTT1,
Secrelufo, Julio Gutmaraes.
s onze horas e meiada manbaao Exm. Sr. pre-
sidente declarou abena a sessao, estando reunidos
os Srs. desembargadores Silva Guimares, Res e
Silva, e Aceioli, e os Srs. depulados Rosa, Candido
Alcoforado, Basto, e Miranda Leal.
para discutir, como cavallelro leal, mas sim para
i revelar sob a transparente capa do incgnito mal
Un de Magalbaes Fontoara.e larriel ^^'Oeiro, Alexandnno Cfirislllano de Oliveira, Ma-
Boa-Vista da Silva Maeieira ; cabos Aotero T* vares
Barnab Jo-i-
da Silva, Vicente Ferrara de Lima,
de Lyra, morlo no combate, Joo
cha Farla, tambem morlo oo com
dos Manoel de Livrameoto Ferretra.
da Silva, Jos Salvad,r dos Sautos, Joaquim B*p
lista Goedos da Moun, Antonio Barbea de Carva-
lho, Anto Jos da Crnx o Coo^untino Pcreira d
Carvalho, sao lodos dgaos da especial meneo por
seo valor.
Succuuoiram no combata, o teneute Rutiuc
Marques Camach i, que commaodava a 8.a cjtp^a'
nhfa, e vanas pragas, teodo se portado aquefTe, as
slm como esus com verdadeiro beruismo.
< Jante achara V. S. a relaco nominal das pra-
cas que ficaram lora de coinhale oo da 24 do cor-
rele. Ueus gaaide a V. S.Illm. Sr. coroael
Jacioiho Machado iiituocourt, digno commaodanle
da 7.a brigada. Assignado, Jos de AimetOa Dar-
reto, capilao coromandante interino. Conforme,
Joaquim Silvano de A'.evodo Pimental, alteres se-
cretario interino.
i Acampamento oo Passo da Patria na repblica
do Paraguay 8 de maio de 1866.Iilm. Sr.-Era
cumprunento as ordeos superiores, cbeme a hon-
ra de relatar a V. S. as difierantesoceuiarisque
se deram oo combale de hootem, em qua t 11.*
corpo de volntanos da patria do raeu c minando
teve tambem a gloria de temar oarle n le desde o
priocipio al o oal, guando o inimigo t reclinado
precipitadamente retirou se do campo Ueixaudo em
sna fuga urna esleir de cadveres.
Pouco antas de meto dia ouvi o toqao de reu-
nir, e logo o de avancor, immedulamenU o corpo
de meo coaainaodo poi-se era. marcha, reuoiodo-se
a brigada.
Ao chegar oroiirao ao acampamento da 6.a di (
vis recebi ordemde V. S. para seguir em esca-1
toes de columnas de baialbes, e logo aps a de t-1
mar a vanguarda : ea consequencia do que z a .
passo acceleraJo adiautar a marcha at gaflhar a
frente da 7.a brigada e abi descobnndo o inimigo ,
multo prximo, dos fazia um vivissimo fogo, deseu .
^olvi em liaba, e respoudi-lbe da mesma forma le-:
vando o por diante at chegar ao grande banhado |
e lagoa, que nos Qcava em frente, cojo obstculo
dos releve um pouco a marcha, e per.-gUKo do
inimigo ; e por que este leniasse fazer se forte n >
lado opposto da referida lagoa, mysler fui desfilar
pelos leos, islo a ala direila commandada por
mim, e a esquerda pelo meu fiscal o major Joa-
quim Ignacio Ribeiro Lima; e apezvdo mortfero
fogo de infantaria, anilharia e fogoetes a congrevo
que nos fazia o inimigo, conseguimos vencer esle
obstculo e continuamos a persegui-lo at a matta
que nos fleava a direita, na quai elle procurava
abrigo, e onde descobn urna forte columna de in-
famarla e cavallara que vinba era sea soccorr., e
eomo eu reconhecesse a superioridade numrica
nessa columna, cranosla de duas armas, entretan-
to que eu s dispuura de urna ala do corpo de meu _
commando e algumas pracas de outros quena m.ii-, *.
cha reun, flz alio continuando o fogo cpm activida-
de qoe a occasio requera, como ludo foi por V.
S. bem de perto presenciado e S. Exc. o Sr. gene-
ral em chefe.
c O major Joaquim Ignacio Ribeiro Lima, que.
seguio a otra ala peta Uaaco esquerdo cem parle
de um batalho oriental, foi acossaodo tambem o
inimigo at urna trioebeira que se acbava na boc-
ea da mana fronieira a essa lado muiio coopdrou
para desalojar o immigo, que d'abi fazia grande
darano as nossas forjas, ievaodo-o de veuda at
fra do campo, qoe ficava entre as duas malas,
sendo at abi contuso por ama bala de fuzil, no
estomago.
c Nesta occasio recebi ordem dada pessoa i men-
te per S. Exc. o Sr. general D. Venancio Flores,
cemmandaote do exercilo oriental para retirar me
e asaim o fia, dispondo a forca como conviaha em
taes eircumstacias, e procurei repassar a lagoa e
banhado, poslando me oa linba em qoe se acbavam
outros corpos, at qoe com a divlso occupaiuos
ouiro ponto d'onde seguio as 7 eras da noite com
o corpo do-meo commando guiado por S. Exc. o
Sr. general emchef-, a tomar posiclo a direita da
animarla onde me con ervo de protaeco a mesma
arma.
t O corpo de nwn commando fez cinco prisio-
neros qoe os roandei entregar sob a
Jos da Silva Llal, J. Borow Claudiuo do Reg j Lida, foi pprovada a acta da pecedenlb sessao
Barros, Antonio Ferrelra Bailar, Joaquim Arito-, Assgoaram-se os acordaos proferidos na ultima
nio Pereira Vinagre, Manoel "Xavier dos Santas, sesso nos felos emre parles.
Laiz Nicolao da Rocha, Joo Btzerra Pireli, Julio Appellantes, os admiaisiradores da massa fall-
Cesar Llal e sua seohora, Jos Joaquim L. Mello,, da de Joo Baptista Goncalves Bastos -, appellados,
Joaqolio Idelfooco E.C^ Jos Paulo da Gosta Me- pjx Sauvage & C.
Appellantes, os adraimslradores da mis'sa fallida
de A'morim, Fragoso, Santos "V C ; appetlado,
Manoel Antonio de Carvalho.
JCLGAMENT0&
Appellantes, osdmfnlstra'adres da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos & C.; appeilada,
a junta administrativa do hospital Portuguez.
Despresa'ram-se os embargos.
, Appllante, a directora da corapanhia Vigilan-
te j appellados, WHieo jptaHn
ta Lulza, Amelia Anecieta Llal e 1
cisco Tneophllo da Rocha Braga,
eria-to, PraO-
Miguel Rosa
. Joaquim Liait jua0 praoelseo de Sodza, Trlstao F. de Alen-
- a 0;.e-^ i\ti !Cr LIa. Js Satornlho Garnelro da silva, Joao
ira, Vtrauto j.im RllJr(-ufls Pimente| Manoel ptrera s9 Carvalho,
" Antonio Francisco da Silva, Slmoes, Manoel Fer-
relra Tavar. s; Antonio Morelra Viobas e 2 es-
cravos do mesmo, Jos Joaquim de Souza Ribeiro,
Jos da Costa Terres, Manoel Francisca de Aze
vedo, teneote-coron! Cassimiro Pinto Nagaeira,
Adtonio Francisco Codillo, Antonio Ferrelr, Jos
Lourenco Gongalves, Hebfique Joaquim dos San-
tos Pinto, Manoel Felippe Basto, Jos Raymundo
de Carvalho e Joo Raymopdo de Carvalho.
Passagefros sahidos na barca franceza, F-
garo, para o Havre:
O menor Antonio da Silva Magalbaes.
Mappa do hospital portuguez de beneficencia
no raez de juobo sob a directo do Dr. Ptaoga.
Exlstiam 47, etraram 18, sahiram 29, raorre-
rara 4, exisiera 32.
Os faltecldos foram : 1 de anemia, 1 de hryn-
ge pulmonar e 2 de tubrculos pulmonares.
incgnito o dedo do tartufo, qne, estragado
no terreno di logrea, e da erudico pelo Sr. Pinto
da Campos, procura traicoeiramenie lancar sobre
ton ImponasUssimo trabatbo a baba do m;x>, que
ah vivo a polar pelas calcadas a divertir as bou-
queaberlas do progresio com paehocbadas bolivia-
nas, qae, verdade seja, sao enguliiat como-gem-
raas da mais alta erudico ineyrlopedica i
Pobre hornera, que nao v e nao ente qoe est
serviodo de instrumento a odios de teroeirot I
Ento os artigos do Sr. Pinto de Campos nao sao
mais lida* T
Qae triste desabalo /
Qaando ellos nao fossem lidos, qoe diramos
daqoel a sarrabulhada qne por lanos dias sabio
no-Jornal do Reetfe, rapsodia servil dos escriptos
protestantes.'
Descance e Iranquilise-se o Sr. Pinto de Campos.
Os seos servicos actuaes loe vieram adquirir noves
loaros, em questoes desta ordem.
Assim peosa o
M. B. A. F.
P." S. Estou prorapto a declarar o meu oome,
se o I. F. S. declarar o sea.
Volames entrado* com rotondas..
c com gneros.
Volqmes sabidos cem fazendas...
< com gneros....
33
318
------231
187
38
------ ;*
v

Descarregam hoje 3 de julhc.
Barca portugeetaflraifSdiversos peo*r
Polaca hespaahotaCatalun fariola oof*t
Barca francezaRio Gratulemercadorias.
Escuna ingleza.hkmi Hueen'ietn.
Barca ingleza^vmooa'rvatf.
Barca nacionalAwwandeahorque.
Brigue nacinalBeluariodem.,
Brigue nacionalAurelianodem.
Tatacbo nacionalSof dem.
Potacho nacionalCardiadem.
Biate porloguei -Serr r-idem.
RECEBBDOWA DE RENDAS INTERfv"flS GR-
RAES DE PERNAMBUCO
Rendlmemo do dia 2 de jolbo___ 2:oTO929t
S S? S1 ?
i 5 t. 5 1
0 3 B p 3
.
: .' 1 : i : 1 :
; : : : : i
>
>
o
s
'.. I
I I 9 00
s
Masculino.
*- I *' o I I,'. ,-.
2
>
G
o
z
>
i-LIJal*-**
si
Feminino.
- I -
Masculino, i
FemiRiao.
I
5
i
'o

3
S?
a.
s
B
&
8
Masculino.
-I
S I.
S
Feminino.
K
n
f %
Masculino.
S
Feminino.
TOTAL.
ADVERTENCIA.
Na totalidade dos doentes existen) 186, sendo 118
homens e 68 molheres.
Foram visitadas as enfermaras estes dias :
As 7 !|4<7 1)4, 7, 7,7, 7, pelo Dr. Ramos.
A's 8 l|, 8 1|J, 8 li2, 7, 8, 8 1|4, pelo Br. Vil-
i Ias-b5as, por aosencia do Dr. Sarment.
I Falleeeram:
| Canuto Francisco de Llma.fistnlas.
| Mara da Conceico, anazarca.
i Antonio Goncalves, desinleria.
Mara Fraocnca Caroltoa, erysipeta.
Mara, desinleria.
Isabela Mana da Conceico, desinleria.
Cosme Jos Manrique, phlbysica pulmonar.
Cemiteiuo publico;-Obituario do da V db
JCMIO DE I86G.
Joio Jos do Motta, Portogal, 34 annoa, Boa-
Vista, tubrculo potmonar.
Antonio Jos da Costa, Pernambuco, 50 annos,
I casado, Boa Vista, hvpatite.
i Idelfooco'Francisco da Silva, Pernambuco, 14
anuos, Samo Amonio, ntrax.
Embargante a compaubia brasil ira de paquetes
a vapor, embargaos Joio Vroelsco PardUIhas e
ouirus.
Adiados a pedido Sos Srs. depbtados.
AopeliiDte, Jo-Jo Pinto Dmaso Joo-or, appella-
do Jos Adoipbo de Barroe^Corta- -
Nao pdJer-proposlopOMpOOoBr. Mirando Leal
nao apreseotau ste fsrlo.
Do Sr. dezembargador AOciol ao Sr. desembar-
gador Silva Guimarae.
Appllante, Joaquim de Azevedo Maia ; appella-
do, Jos Antonio de Atmeida Golmartes.
Appellanies, os administradores da massa falli-
da de Amonm, Fragoso, Santos &C ; appellado,
liennque l Azevedo.
Appellantes, Lniz de Moraes Gomes Ferrelra e
outro, appellada, a directora da Caixa Filial do
Banco do Brasil aesta eidade.
Haja vista o Dr. curador geral.
MSTRIBUIC5*S.
Ao Sr. desembargador Silva Guimares.
Appellantes, Manoel Joaquim Ramos e Silva
Genros appellado o Dr. Bernardo Antonio de Men-
dooca Castalio Hraoeo.
Ao Sr. desembargador Res e Silva.
Appellanie, D. Francisca de Salles Gandida da
Rocha e outro; appellado, Joo Gaocio Gomes
da Si.va.
AOGRAV0S 1NTERP0ST0S DO JUIZO MUHICIPAL E DO
C0MMSRC10 DA VILLA 03 CARO.
Aggravante, Antonio Jos Pereira da Cunha;
aggravado, Jos Marques Alves.
0 Exm. Sr. presidenta deu provimeoto.
Aggravame, Pedro Alexandnno da Cosa Ma-
chado ; aggravado, Augusto Cesar Pereira de
Meodonca.
O Exm. Sr. presidente nogon provbnento.
DO JUIZO ESPECIAL DO C0MMERCI0.
Aggravdota, uetaviaoo de Souza Franca -, aggra-
vados, os caradores Oseaos-da massa fallida- do
aggravaDter
Aggravame, Pedro Alexandrlno da Costa Ma-
chado; aggravado, Aogusio Cesar Pereira de
Mondonga.
O Exm. Sr. presidente den provimeoto.
Aggravante, Jos Guilherme Guimares; agra-
vada D. Mara Veoancia da Abren Lima Bas-
tas.
Aggravan' -'. David Blok&Irmao; aggravado,
Roque Perreua da Costa.
Aggravame, David Blok & Irmio; aggravado,
Jos Rodrigu-s de Senoa Sanios.
O Exm. Sr. presidente negou provimento.
nada mais hoove o encerrou-se a sessao ao meio
dia.
Amaro Gomes de'Lima, 23 annos, solteiro, Boa-
?.M^d$|Vista,desiotena.
qoe se acnavam a retaguarda : e o prejuizo que Major toj Anmio Blrbosa pernamboco, O
solfren no combata consta da relaao ,ja remelUda nno) viav0j Sln|0 An,onj0) henit
* a i.i_ o -a ik. h,. Felippe, Pernambuco, 11 winos, Reeife,'febre
t Nao devo Illa. Sr. por amor de micha.apara i perncsa
e da jastica, deiwr em silencio o nve|ado wsapor-1 p|0rlpe8'ciar4 e ArM0 fertwmrjnco, an-
ta ment dos offlciaes e pracas qoe nesse nos, solteira, Santo Antonio, oougestao cerebral,
bnwmde glor,eperaitta-meV.S. que declare! Anna perpe^ de Catnrarf*Meidotic., 19 an-
nesse momento que muito rae orgulho de os pos- t|MS ovaiBoa-ViSta, onfesto-ctebral.
Maria da Conceico, frica, 52 annos, Boa-Vista,
jrtrw I'
muito me
sota ao corpo qne commando, os. quaes sao os te
guales:
i O major Joaquim Ignucio Ribeiro Lima, sem-
pre bravo desde -o prineipo do combate e locao-
aavel na conservacao da ordem, coube-lbe i raba
a honra de aer o primeiro que com a forea a sea
mando penetrou a-trincheira, obrigando o iniwgo
anazarca.
Emilia, Pernamboco, 2 annos, Recie, ctevol
cei. '
Maooel, Pernamboco, 3 mezei, Boa-Vrta, hir
nopethes.
Lidia iftarreto, Peroanroacb,*'annos, Boa-Vista,
desinleria.
a uaaa-#rao i oatada tafia
Oscapiues oio Vicenta de Brit GaJvoqe! ".'^'.''parnaiaDUC0 tsttmm San ATJHmi(r4lugar Pto Rvd-P*" "?' Serfl,D. derrabar as
Herraillo Peregrino David Madeira, proceder da ,ttbrol& S) *"""' 9"a""ar """ *"
mesma maneira e conrmaram mais a re[>utaao. Maoe| firnamboco, 36 annos, eseravo, 'Boa
que-odqueriranano'eombale Oo da odo mezpaa.| yigla> bypelropt,ia.
do.
c Otaoonta ajodame Jos Antonio Ribeiro de
Freiitas, pela dioerioeo, bravura actividade qoe
desenvolvea durante o combale coadjuvando cora
denodo o major Qscal no desalojamento do inimigo
oa trmebeira, se lornot digno da atleocao dofixm.
Sr. general commaodwte ora chefe.
Os taantes Hvpelitoda Silva, que comraoada
va a Ia corapanhia moito eooperoo para o boa ar-
deos dedo e saoapre activo, deu pravas de o o v-
leme soldado, Francisco Gome* da Silvelra-e Ru-
fiuo Marques Camacho, os alfares Jos Severino
de Almeida Pedros, Antonio de Cerqueira Torres,
Fernando Pacfico de Aguiar Mootarroyos, Francis-
co Vidal do Araaba Moownegro, Jos GeraJdes.de
Arogao, Mariano dos Rals Espiodola, Manoel.Lau- j
rindo Fernandes da Rocha e Manoel Corialaoodos
Santos, briosos e enrgicos desempeoharara os de
Rayratrfldo, Pernambuco,
Allogados, desinleria.
Luiz, Pernamboco, 38 annos,
dos, pibystea.
Josepha, Pernarabneo, SO annos, escrava, Santo
Antonio, apopleXla.
M 'annos, eseravo,
eseravo, Affoga-
GHR0LXIC4 JUDICUUU.
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 28 DE
JUNiJO DE 1886.
PRISIMNCIA 00 ttl. 9R. DESBMFAMABdB
ANSEtOO rRAUClSCO >BB1*n.
As fO Horas tfa raanbla, presentes os senbares
depatdos Rosa, C. Alcoforad), Basto e-Miranda
xeres oue Ibes era ohererHes. eothasiasmStido os Lefl, S. xc. o Sr. presidente abri a sessio.
sudados "com o seu exemplo. Llda, foi approvada a acta da ulttma ,O-particular sargento-ajudante Jos M/la' iwfnmrmi. t
iM*We* oe Carvalho, quena Ia companhla fez' fo-:( OfBclo do agente de IWIoes Franeiseo Goteos
vdkoara o baulbao com todo nacalteroa 3*1^ oafileira como simples soldado, raostroa seu> de Oltaelra, datado de SI do correare, llanao eipll-
>fdem, "foranao-se cada ampara meHiorfnre enNasiasraade; o 2o cidet 1* sargento Efeodro eacSes sobre s faltas encontradas em seas
' toria- Iivr09.-
Fevamdistribuidos aos Srs-depalados, par serera
baleu se rubricados, os seguales livros :
Oommunicados
Nisso do Rvd. padre fr^i Sera tira de
iJalaHa em S. Jos de Paje de
Plores.
, Nao baada mals acertado, nem mais conve-
niente para animar e e promover a pratica das
boas aegoes, do que patentaar ao publico as qne
ja so teem praticado, para qae os seus amores
recebam da oplnio publica, tsse tribunal incor-
ruptivel, os loavores qoe Ihes sao devidos.
Em 1860, qaando pela vez primelraL aqu mis-
"
Pttblieacoes a pedido
Monte-Pio Portuguez,
A directora provisoria desia humanitaria asso-
ca^o, em extremo pennorada pela prompta e be
nevla condescendencia com que a disiincta socie-
dade musical, denominada Ma UniSo, se prestan
a vir boje abrilhaniar o acto solemne da insulta-
cao do Monte-Po Portuguez.tocandoecolbidas pe-
cas de msica, com o maior prazer se apressa em
dar a todos e a cada um dos dignos membros da
raes na sociedade esta publica demonstraco do
sen -acero reconbecimento.
Secretaria do Monte-Plo Portogaei em Pernam
buco, Io de julho de 1866.
Jos da Silva Loyo,
Presidente.
Joaquim Gerardo de Bastos,
2o secretario.
Paslhas verxnffagas tic krmp
Criaogas aioraieutadas por vermes podem
ser aliiviadas com urna s dse de paslilhas
vermfugas de Kemp, que sao incitantes me
apparencia, e deliciosas demais no seu gos-
to para seren regatadas. Estas pastilhas
sao muito procuradas por qaatro motivos:
nao conlm mineraes; nao precisara depois
de purgante; effectuam o que se de jeja sem
causar dr; as cr i ancas es'.ao promptas a
tomar maior dse do que a marcada na re-
ceita. Nenliuma mai que ja as teulias expe-
rimentado urna vez qaer outro vermfugo
oa sua casa.
A' venda por lodos os {trmetros droguis-
tas no imperio, e em Pernambuco por Caors
4 Barbosa e J. da C. Bravo & C.
Remedio contra a embriagaez
A sade depende do estado dos solidos, e
dos fluidos, que os conserva idneos para a
mais perfeita execucao das funeces vitaos; e
emquanto estas se fazem com regalaridade
nos adiamos saos e robustos; porm de qual
quer maneira que se pertrbela, inivitavel
o alterar-se a sade, e a inteperanca nunca
deixa de desordenar toda a economa animal,
impedindo a digesto, relaxando os ervos,
fazendo irregulares as secreces, viciando
os humores e produzindo infinitas enfermi-
dades.
O- mais alto grao da prudencia liuufa.ua
consiste em regrar os nossos appetites e
paixoes, de maneira que se e vi tem os ex-
tremos.
Com quaota celeridade arruina a melhor
consiituico o abuso dos licores, que embe-
bedam 1 Peto que vemos com tanta frequen-
cia os develados a embriaguez carregados de
males, correnJo com passos largos para a
sepultura, e por isso commum proverbio,
que todos os ebrios morrem hydropicos.
Tudo que embebeda pe a natureza em
estado de excitar febre, parade:embaracar-se
siooou o Bvd. padre fre Seratim de Galana, es- rja pessOOa que tragara: 6, qutldo se repe-
Uva em eomeco a cape la do povoado, e torca lft miaR inan. 1Vi ai ma wmpnn -fcil
confessar qoo aos esforcos do meamos Rvd. frei le P16 *0d0 OS dos osle veneno, e lacil
que aos esforcos
SeraSm se devero os melhorameotos da dita ci-
pella. Ento obom nissionario conbecen a ne-
cessrdade indeelinavel deum cemiierio no povoado.
Mas a obra demandava trabalho extraordinario,
altalo* localidade designa!, e por isso era mis-
tar adta-la para occasio opportuna.
No da a de fevereiro deste anoo, para aqu tor-
nou de volta de Villa-Bella, o digno padre frei
Serafim de Galana, e o oso primeiro cuidado
prever-se ts- consecuencias, que resultara
delle. As febres da bebedice nem sempre
terminara emum dia; acabara ardinariamen-
te ti'urna inQammacao do pe lo, do ligado, ou
do baco e produzem fataes effeitos.
A bebedice de especies alcoolicas qaando
se usara com excesso, debilita as entranhas,
levar a efleito o projeoiada obra do cemiierio
Nao obslaota amo wmpoea penuria dos vive-
res, consequenota da eeca,- o povo acudi a mis-
so, logo qoe souOe qoe Ha eslava aberta. Ento
o Rvd. frei Seraam fe-IUe ver qoaoto importa va
a consirn^ao de nm cemitario, lefo o bom povo
nio besltou em prestoMeo realiaacao da Idea.
Feitas as iodaga^oes para a escoiha da localidade,
foram marcados cento e cincuenta palmos em
quadro, era ama colina fronleira povoaeXo, e
distante del la nos tresentos passos. Indicado o
' impede a digestao, destroe a forca dos er-
vos, e causa enfermidadesparalyticas, e con-
comprir eom sens .res. IA veHooNe Soa Monteiro cumprio .atisfactoria- livros.AotSf. deputado m*ff:
.Duas horas depols oorevAMoo eombe4prani [menie 0SVus deveres ourante w combale,
ferldos os capittes JoSo Vicente de Briw Galvao o o caboFrancisco Jos TbemUeo, toe b
arvores, arrancar as rafias, cotlar os arbusto,
alimpar eaplamar o terreno, foi dito e feito. O
povo dcil a vos do misionario, sem distiaeco de
pessoa, nem seno, eorreu as maltas a buscar a
(-loaba para as caieiras, e a trazia como nao em
tropto. Fireram-se paro mals de 10,060 lijlos
demro em ponco Wmpo.^endo para notar que o
mesmo Rvd. frei SeraSm trabalhava com aquelles,
qoe os fabricavam. Nao fallarum pedreiros,
nem serradores, estes qne se apreseniarara 'em
grande numero, oceuparam-se era serrar um
moastraoso madeiro de balsamo, que o Rvd. padre
mestre mandn bascar a orno lego de distancia,
e apear do ser o caarinho lotransitavel, o povo
abri picadas para o transportado. ^Joe- parecer
fmpossivel I I I aem earplnas; e codo um porflava
em desempenhar, a qual raeMwr tarefa de qoe esla-
va encarregado.
Todo se fasta edm promtldo e alegris, e oob a
dlreeio do fncn^tvel mlsskmario. ff assim qoe
o povo sabe tributar respelto e obediencia aos sa-
cerdotes qae o edificara com seas eiemplos, e
trabalham em proveito delle. Nio ha difflculda-
des, qoo sa oio -venci, ao menor aoeeno do ca-
puchioho: o povo iranspde os montas, atravessa
os ros, nao "ha distancia qoo o affadlgue nem ca
lor que o Incoramode, nem chava que Ihe embar-
gue o paeso. qoaodo ae trata de camprlr a ordem
do missionarto eapnebinho.
Esti pois dotada a povoacSo de S. Jos com
vulsivas. Do mesmo modo esquenta e in-
flamla o saogue, destroe sua qualidade bal-
smica, e o torna intil para a circalaeo e
para nutrir o corpo. Dabi proceden as
obslrucoes, magreiras, bydropesias eti icas.
Estes sao os caminbos ordinarios, com que
os bebados fazem sao carreira, e enfermida-
des Tiesta casta, qaando ie prodoietn em um
forte bebedor, rara vez admitem cura.
Alguos arruinara su sade bebendo mui-
to, ainda que rara vez (pelo costume)'se em-
bebedem, posto que nao produza effeitos t3o
vioUotos, n3o sao meaos perniciosos.
Quandoos vasos se conservam conslante-
tdem do dia...................
2:008*2*
CONSULADO PROtWaAL
Rendimemo do dia 2 de jnlho~.. It.-OSTaS
Iftam An rii>
dem do du.............
1I:08SJ763

MOVIMENTO DO FOBTO
Navio entrado no dia 1 dejulno-
Rio Grande20 dias, palhabole poriaguez Terna-
ment, de 130 toneladas, capitn Antonio l>*&
Franco, equipagem 8, carta 8,800 arroba 4o
carne secca a BalUnr & Oliveira.
Navios sahidos no mesmo dia.
Havrebarca franceta Hgare, capilao R Kicfcel,
carga caf e algodao.
Canal- patacho inglez Romeo, capilao WilWam o-
lersoo, carga assocar.
.Vatios entrados no dia i.
Bahia S dias, barca portugoeza Novo Kmr, ie
409 toneladas, capillo Joaquim Goncalves Car-
resso, equipagem 15, carga charutos e eolios te-
neros ; a Amonm kmaos.
Rio de Janeiro 12 das, palhabole nacional Ptt-
dade, de 2.1 toneladas, capilao Jos Manaes
Viaona, equipagem 13, carga 5:400 arroba le
carne e oolros gneros ; a Antonio Lua c O-
veira Azevedo & G.
Aracaiv13 das, palhabole nacional Santa Cruz,
de 100 toneladas, capilao Jas Viclorioo da Ke-
ves, equipagem 8, em lastro ; a C. C. da C
Moreira.
Santander 41 dias, sumaca hespanbola Ai*!/*,
de 116 lonelladas, capilao O. Gomes Vela, equi-
pagem 11, carga 1,030 barricas com farla* de
trigo ; a N. O. Bieber & C. succe?sores.
Cadx32 das, patacho hespauhol Fomente, e
190 toneladas, capito Tbomaz Alsina, equi;;.-
gem 12, carga sal ; a Amorim Irmo.
OOircacfio.
Nao hoove sabida.
EDITAC'S
O Illm. Sr. inspector da thesooraria provin-
cial, em camprimento da ordem Oo Eira. r. pre-
sidente da provincia de 18 do crreme, naodo fa-
zer publico, que no da 30 de agosto proxim rn-
douro, perante a junta da fazeoda da mesma ffir-
souraria, se ha de arrematar a qaem por rneeos
flzer, a obra do 9.a lanco da estrada da Escoria,
na importancia de 16:9035000.
A arrematacaa ser taita oa forma da tai pro-
vincial n. 343 de 13 de maio de 1854, t b ae
clausulas especiaos abaiso declaradas.
As pessoas qae se propazerem a essa arrenau-
cao comparecam na sala das sessoes da iBeMsa
jonla, no dia cima indicado, pelo meio dia
competentemente habeliladas.
E para constar se mandn publicar peta jornal.
Secretaria da thesooraria provincul de Pernam-
boco, 29 de maio de 1866.
O ofBcial da secretar
M i gue I A Ifo neo- Per reir
Clausulas especiaos.
I
As obras do 9. lanco da estrada da Eseods so-
ro eiecmadas de conformidade com a planto
descripcao dos ornamentos, na importaaeia Oe
16:90S;000.
U
O arrematante deveri qumprir restrietamesta a--
instrucQoes do engenheiro fiscal da obra o ae u>a-
diccocs do orcamonto e contrato
IU
O arrematante dar comeco as obras no- pran
de 13 dias, e as conctnTra no deT4 ntwes, aaibvs
contados da dau do contrata.
Os pagamentos sero ftitos em tres preae
iguaes, correspondentes ao valer da obra Rta-
menos o empedramento qne sera en ama s pr*
tacao, qaando flzer a entrega provisoria.
De cada prestacao sera' deduzido o qae tm-
mina o art. 83 do regulamento de 9de>nltod
1864.
VI
O recebimenlo definitivo de todo o lanco, e obras
sera' 18 metes depols da eptrega provisoria-
Vil
Para tudo mais qae nao estiver aqal especiSr-
do no contrato, segnir-se-ba o qoe prescreve o ?e
ferido regulamento das obras publicas.
Conforme.Miguel AQonco Ferrelra.
tm^mmmmgtnssmBBmmmsaBatsamaaaBBmm
DECLIMCOES
ospeecao oarsenl e arh
A inipeccao compra am bote de 4. remos par'*
servico da capitana do porto.
Inspec0o do arsenal de marinha de Pernamfwf>
20 de jaoho de 1866.
O secrotario,
Alexandre Hdrig*** So$ Anjte.
De ordem do Illm. Sr. inspector a'vbosow-
ria de fazenda desta provincia, se eelaro no? ir>-
Eduardo Francelino Frllon, Joio Jos- de 9oom
Abreu Lima, Ro'flno Manoel da Crol Coossee:.
Antonio de Sonta Mariano, Frederieo Skiner r
Joio Jos Damasceno, que para sern pog>oo>
mente cheios e diata'dos'no'se podem fazer! 9e lnes *' ^Mnd* na1cri0^, pweooooio a**
k^, aiMiis. j. : j- .I exercicios nndos, devem primeirameava roooerer >
bem as digestOes, nem preparar-se devida- esta ,bes0oraria a respectiva i.qoidacao.ooTtar,--
mente os humores Por isso a 'maior parte da circular de 6 e agosto do Mt7.
destas pessoas padecem, sol, pedras, areiaft, Seeretoria da tbesourarta de fazenda de Poroac -
buco, 2 de julho de 186o.
hagas as pernas, abattmento de espirito,
desordens hypocondnacas e outros sympto-
mas de indigesio.
A bebedice n80 s destruidora da sa-
de, mas das faculdades da alma, o costume
de embebedar-se faz idiota os genios.
Assim, pois, aos chefes das familias oou-
vm salvar aos seus fmulos, que arraigados
ao vicio da embriaguez nao os podem livrar
pelos meios suassorios, appUcando-lbe o re
medio,
Servindode official maior,
ilJsiPivAK
Do orden do Illm. Sr. inspector da ihosowa -
ria dosta provincia, se faz publico, qae a nosoa.T
Ihasonjwru, em virtude oa ordem do ttiesoorc
u. 114 de 22 ds junho ultimo, acba-se autora s,
pagar aos credores de dividas de ejercicios ioo-^
coa-tantee da relaco qne aoompanboo a aesop-
ardera.
das
As-pessoas ialaxessadas deverao roqoerer a-cata
que iaz inteiramehle enjoar as bebi- thesouraria o paamemo de suas nivida.
%n vorKtam n tifa mi-atn- Secretaru da thesouraria de azenda de PbWa
que se venuem na ronca ou iaoi o- boc 2 de ]ulbo de ,866
rio ^barmaceutico, na ra Direita n. 88, de serviodo oo oalcut-mak>rr
Jos da Rocha Paranhos. Manoel Jos Pinto
s



/
I .--------*^^Bi

Bferfl
Sala da coratnissiJo 9 de mato Ai
M. Buarquc deMadS
/ Secretar.
IW0.
O administrador do consolado protiplal pa-
ta CBheimeoio observancia di le o. 705 de 5
4o eorrnte, marnii panucar a portar do Sr. ins-
pector da, thsooraria da 20 do corrente quecobria
a oflfcio do Bioi. Sr. vice-presideule da proviucia : qQ -.*._ 11~*0 J-
de 18 uiubem desle mez, irausmilliodi a copia da, OtlULa Uaocl lia Jajfcuil
citada lei relativameate ao assucar, aigodo, coa- ja pani"ilU
ros salgad j> ou seceos e quaesquer gneros impor- UU XloOll",
todo de oolras provincias para esla. A Illm." junta administrativa da Santa Gasr-de
Mae do eonsutado proviociat 23 de junbo de Misericordia do Becife manda fazer publico que
1866.Antonio Citoeira fachado Rios, admi- no dfa 5 de julho peas 4 horas da tarde na sala
nistrador. _a| dasuas-sessdes tem d*lr a praca a renda das a-
Copla.Remetlfdo ao Sr. admiiplrador do con-1 sas abaixo mencinalas por lempo de
sotado provincial para sea conhjelmeato.The- annos.
aouraria provincial de PeroambaSFao de jaaho de' Os preteadeotes dev5o comparec^BPorpaiha
66.Silva. dos de seas fiadores on iniinirfi>*lA^Brul4e$toS.
-m>,m ^^gUMa^UJ|A tato4aM
Crfl ictrM > Nvalnf mC TaffO.

carga sicopira ou angelim
e 6 polcgadas
dAawarWio,
rgoSde 40
de grossur,
e cada o
pucaros da
dido em v
cano de chu
struccao Mj^transporte
do es'
Os preteadentes deveao cornparecd(R(
i dos de seus fiadores ou munidos de vrU
Copia. 3* sec^.).Palacio do girverno de Per-
i
amiiuco em 18 J junbo de 186.Illm. S
Transmiti a V. S. papa seo cooAtaiento a Id
sa copia da lei n. 705 de 5 do dPeole, relativa-
mente ao assucar, aigodo, cauros salgados ou
eeccos e qaaesquer gneros importados de outras ;
provincias para esla.
Dos guarde a V. S. Maooel Clementioo Car-
eiro da Cunta__Sr. inspector dajatesouraria pro
acial.
Conforme.O priraeiro e'cri^rario serviodo
de secretario Marcomiro Pancrajioj Eareira dos
Santos.
COPIALBl N 70.
O Or. Manoel Clemenuoo Caraeiro da Conlia,
tice-presidente da provincia da Pernambuco. Faco
saber todos os seus tiabjuntes que a assemblea
legislativa provincial decreYou e eu sancelouei a
resolvicao sefuinle :
ArL 1. O assucar, algodo, eouros salgados ou
seceos e quaes ju^r gneros importados de outras
provincias que se possam confundir cora as de
produccao desia, condutidos pw mar ou por trra,
sarao lancados em livro especial a cargo da seceju
da arseeadagjo do o>osulado provincial.
Art. 2. As entradas deverao ser eltaa-em vista
das aulas e manifest! declarand-se o Srapictiei-
ro onde forera rec'nidos, seo paso, qcraatida ie>e
^atildadas.
Art. 3.a Os gneros que nao esliverem lancados
no livro competente oa que nao forera acompa-
ntiades de guia< e ma ni fastos, serio reputados de
produccio da provincia, o como laes sugeitos aos
dreftos provinciaes.
Art. a.* .\o se podar proceder a descarga da
bareaca oa de ontro qualquer melos de transporte
daquelies gneros sem asssteaeta do confereute
{irovtnefal, o qtnrl sera obrigado a verlBear o pe-
so, quantfdnde e qualidade dos gneros, remetien-
do o sea resultado a seccao competente.
Art. '.m O trapicheiro, dono, consignatario de
barcadas-e outros raeios de transporte, que infrin-
girn! a presente rosulugo, soffrerio a aulla de
Airt. O. Os genefos no caso do artigo fpnraeiro,
9 podetoser recolhidosem arroatercetrapiebes
atfaarfega/ros, e qaando liVerem sahida para coa-
sume ou-para sireui benetloradtjs em armeos
paf*ku^r^-serao-rvpara*oj,'coiiio djr gprjvtoeia,
sujeitos aos respectivos direitos quindo erkporta>
'dos, sem que posea, o trapicheiro sutwlitui-lo por
outros.
Art. 7." Ficara extractos os lugares de guardas
provmeiaes e substituidos polos de feitores confe
reates que serio preenchido* pelos actuaos gu*r~
das provineiaes.
Art. 8.a Os conferentes nao podero -er dis-
trahidos para servico alheio ao da fi^calisarao nos
pantos de embarque, ti.iatido'por isso equiparados
aos teroetros eschptara/ios do consulado,
Art. 9. Fioam fe gadas as disposiges em
conlrrio.
Mando, portanto, a rodas as autoridades a quera
o conheimento e eieruoao da presente resolugo
pertencer qne a cumpram e facam cumprir tao in-
teiranieote como nelia se contm.
Palacio do governo de Pernambuoo, 5 de junbo
d 1866, 48* da independenoia e do imperio.
Manoel C'rmenlino Carnetro m Gunha.
SHIada e publicada a presente resolacao nesta
ecreiaria do governo de PernambocO, 5 de
junho de 186.
O secretario.Dr. Francisco de Paula Saltes.
Kegistraia a lomado livro 7 de leis provin-
ciaes.
Secretaria do governo de Pernambuco, S de
junho da 1866.
O escriturario da 4" seccioTheodoro hm Ta-
vares.
Conforme.Antonio Leite de Pinbo.
Couforme.O priuieiro escripturano servlndo
de secretario.Marcomiro"Paocracio Pereira dos
Saoto*.
Carapra-se e registre-se. Mesa do consulado pro-
vincial 23 de junbo de 1866.Carneiro.
N.dMd
taate do sabsid
vaceum do mu
Jo
e a cobranza d^he^u^a do P<
TcWaboanl
153*000
169OIX^gfed
^Hqo, Sanio AinarirTaboaTiW; Muribe
216*000 i Peree, os pretendentes comparecam cofa* suas pro
pos as declarando os fiadores no dia 4 de julho
las 12 horas da manha, oa roa das Cruzes o.
144*080
176*000
l5?*0OQi
Correio gejp
i cartas segaras viadas
do norte
para os sen
RelaQo das cartas segaras
vapor coste! ro Mamanguape,
I abaixo declarados:
2Q*#0O0 Balarmino de Barros Correia.
IJfOOO D* Francisco de Assis Pereira iani#
Francisao Borges Leal.
^___ Hlrculano de Aadrade Pessoa fCabo.)
6H&000 inralo Caetano de Abreu.
Dr. Irineu Ciciliano Pereira J.
Jos Frauclseo Bibeiro Machado. .
Manoel de Quelroz Moateiro BegaJas.
Dr. Tbomaz Porapeu de SjuzaBraiil (Rio de Ja-
neiro.)
18o*006
141*000
144*000
400*000
50*000

/
i
'*
Evpsifio des preductes agrcolas, induslriaes dee
obras darles em Pcrnarabuco.
A commis83o directora da exposico des-
ta provincia resolveu, que por rae i o de repe-
tidos annuncios sej^ublicasse o segainte:
1. Que a inauguiacao da exposicSo foi-
transferida para o dia 15 de agosto prximo;
2." Que a recepgo dos productos desti-
nados exposi(ao principiar no dia lt> de
julho prximo;
3. Qu a demora que houver na rwnes-
sa dos productos ser nociva sua mais con-
veniente collocacao, conforme a respectiva
importancia;
i." Que virtdo todos atropeladam 'nte rus
vesperas {do da da abertura da exposico,
ero se pode calcular o epaco que elles re-
querem e se dever apromptar, nem fazer
sobresaliireos productos, espacando-os, e
collocando-os convenientemente;
5.a Que ao agente designado pelo commis-
sario clarificador, o Se. Dr. Gervasio Ro-
drigues GampeHo, se deverf o entregar os
productos no palacio do governo do referi-
do dia 15 de julliu em dianle, e desde as
i) horas da manha at as 3 da tarde.
6. Que a todos os expositor** se passar
recibo de seus productos, declarando, con-
forme dles determinaren!, se o destino do
objecto exposto deixado ao arbitrio da
cannissao, se deve seguir para a exposicao
da i rtey oo ser retJtituido ao expositor, logo
depois da.expoStcfo;
7," Que podendo tersuccedido que nlo
tenham chegido a sea destino algumas das
circulares e iostnieces por ellas-dirigidas a
todos os cidadSos qu-, julgou poderem con-
tribuir para a exposico, Ihesroga quepres-
cindino de oonvkes especiaes, contribuam
para esta festa industrial, e cojo bom ou
mo xito v5o de algum modo os brios da
proviacia.
Sala la comuiscin, 9 de malo de 1886.
M. BmrquedeMacedo.
Secretario.
-
\ cimara rouaicipai desia cidade, em vista
d* -ecommendicjo qoe Ihe fez o Bim. Sr. vlce-
pr- -i J :ul da provincia era offlcio de 16 do cor-
rete. ------Ritit"4n da portarla d igual dala, pe-
la 4 ui o mesmo Bxra. Sr. noraeou os supplentes
dos juize-s raunicipaes de orpbios de-te termo, coo-
ti^auidad&os aa referida portara menciona-
dos a AK no sea paco al o di S de
jptria prsSM&o tadniro as taras do expediente,
iin d* arestarem o (ramalo do estyllo. ,
i'a?4 i-caaiar ttaauta fVJfi. -Lh* Porelra Simos, pr-pre-
sideotaFraaatseo Canato de Ba-viagem, secre-
Uriov
- P-.-la siaadalagatia dafregaezla de S. AM Pe-
dro lioncaIvs se rm ihsoMoo qa aaaa-ae Bolhi-
to a casa de dUaaoio a preU MaxtaMoa, mk dlt
YflMrW ^V^li8 < iQ'm Ju|-
fW^Hr^mRVnln'srKb; rompareca esta sub-
delegada munido de,,4eus ttulos, que provando Ib*
sera' entregue. JjDf,
Subdelegada df %fm i de julho de 1866.
O subdalagada
_________ Lu Afltoap GoatalKe Peana
. prd>Mitt> agrf
EstaoelecimenloV fie
Ra Direlta.
3 dem e 8 idem, sobrado
res.........
Padre Floriano.
dem ^Bjdem, casa terrea,
idem I PUaaa. casa terrea. .
_ Farnnda,'
IJL 11 dem e 38 idem, casa
^^ TMBaasa de S.
N. 11 dem e tTldem, oasa terrea.
N. 14 idem e 5 idem, casa terrea. .
Raa dea Pescadores.
N. 16 idem e 11 idem,-casa terrea .
Ilua da Senzala Velha.
Sobrado de ura andar n. 25 publico
e 71 particular.........
Roa das Calcadas.
N. 20 Idem e36 idem, casa terrea.
#21 idem e 38 idem, casa terrea.
Kaa da Viracao.
N. 26 idem e 7 idem, casa terrea. .
N. 19 idem a 27 idea.....
Raa largado Rosario.
N. 33 dem e 24 dem segundo e
lerceiro andares .......
Ba do Calabouce.
N. 40 idem e 18 idem, casa terrea.
Boceo do Quiabo.
N. 49 idem e 8 idem, casa terrea. .
Ba da Gloria.
N. al idem o 5'3 idem, easa terrea.
Boa do Encantamento.
N. 32 idem e 3 idem, sobrado.
Ba do Padre Ploriaoo.
N. 67 idem e 63 idem, casa terrea.
Boa do Apollo.
N. 91 ideoaa24 idem, sobrado de t
andares..........1:400*000
Buft.de 8. Bom Jess das Crioalas.
N. 61 dem e 8 idem, casa terrea. 131*000
Patrimonio de orphos
Ba do Baagel.
Casa terrea n. 6 particular e 66 pu-
blico...........
Boa do Vigario.
O 1. andar do sobrado n. 7 particu-
lar e STnblleo.......
S. Goncalo.
Casa terrea n. 10 particular e 22 pu-
blico. .....189*000,
Ba dos Burgos.
Casa terrea n. 68 particular e 19
publico........... 191*000
Kua do Encantamento.
Sobrado de 2 aodares n. 76 particu-
lar e 11 publico........
Senzala Velha.
Casa terrea n. 81 particular e 18 pu-
blico...........
Ba da Guia.
Casa terrea n. 83 particular e 27
publico........
dem n. 84 idem e 29 idem. .
Kua do Pilar.
Casa terrea n. 91 particular o 1001
publico. __ .... lttfOOO
dem n, 92 idem e 103 idem. .. 28OOO0
Idem n.9S i.iem e 90 idem. 286*000
dem n. 103 Iderste 94 toau 2004080 ,
Idfcw n. 5 sitio nJtaa*4fe Caf. 130*009 Mimo Odiot,.
A mesma Ulm. fcati enr virmde de- delrher*-' n Z******'
cao tomada em sesada+te*e- jantro manda tazer Sr- de-Bwallaa; 3* annos.
poblico que os-predwrtalrj -flielarada- vao de Sr- Pawpu.^iaJagpnario. .
nova a praca com alguBm eaudlcj^ o^usBtaa>Lauhepin,
aarawoniadas no acto da arrematando.
Ks 1 a be kci falos de cridatie
Ra. da Moeda.
N. 64 particular e 37 poblico sobrada I
do de 3 .andares. .'.....480*000
Ser.rtaria da Santa Usa da Mwtricordla do
Recite 2 de julho de 1836.
O escrivao i uterino,
______ Pedro Rodrigues de Soma.
do
bem como
do mabM0k(
pras nH
O secreurio7
agpdrlgoes ->Anjos.
p.u-a a Bdhi
seu^ poi||es di< i paiachu brasiieiro Sanio
AhIohu por i<-i part-i da carga a bordo: para o
resto tratarse com colsigavitarfe Jos liara Pal-
a, pra<;a do commarcia n. i.
Para o AracalY
guerimpreierivelmenle ato o ttm da presente
tt a o veleiro e bem coonCtBo hiate nacional
JbtAjoi; teifl dus terf.os de sea carregamen-
lihlHii, para o rusto que Ihe falta traia-.su com
us consignatarios Aotooo Luit de Jiveira
'+ym) iio Graude do Sul.
Se mui brpvo o p tem a maior parte de sdu carregamento
quem pretender carregar a frete no
o, dirija-se a Bailar h OHveira, roa de
!0
CafcocoWiMro fi*i4f
Contina fogido do collegw lo BJb> Conselho o
escravo Galdmo, arSfioccfado, d" K itnno5 de id?-
du, cabellos estirado?, tendo nm hoabrn derrl?d
e marcas de queimadura n barriga ; dmdJnOa-se
que esteja acontado, pois tem sido visto nnfpiaod .
farinba rt i ribelra : iiuem o levar ao#iflcollegio
na ra da Aaror* rr. 30, ser gratiricaaoPnerosa-
mente.
Precisa-se de om caixeiro p>ra taberna
ra do Codorniz n. 8.
i
i.U0U.
- '- ''____________________________
urna taberna
IIOJE.
te Petana fari lellao por conta e tasco
perteacer oV arroaeao, gaz, gneros e
ncilius mi.sicnla* na taberna sita ni ra
iinH d."4, sera' vendida em m ou mais to-
niaii-i dos compradores : terca-fejra 3 de
" noe da' inanh d nfesrna la.

^
> LBIJLAO
'alreroa- sita oa roa da Paz
nosAr%do.
tara leilap poaerdem do Illm.
Arrojo Garmares cnsul
wMarllns
,^iaudiao de
CORREIO litRlL
Relaf das carias legaras eiistentes na admnis-
traeio 'do correio desla eidade para os senberrs
ahaixo declralas:
Firrafno Theotonlo da Cmara Santiago.
Dr. Francisco bacas de souza Bangel.
G. Moreira da Costa Lima.
Cooego Joaquim Ferreira das Santos.
Joao Sil ve rio de Ara ojo.
Jos fobre de Almera.
Jos Velloso Soares & Filbo.
300*000 p- Gonzaga de Sani'Anoa.
Pedro MauDel da Silva Borges (Fiores.)
180*000

unisiSo directora da exposiclo des-
ta proviueia, previ.se sas artisUs que de-
sejardMtorKorref o aeas prodacos a
mesm i etmjfk* o 4ue n3 possam fa-
zer
gir-SB
tered..,p6
prmu
e devem diri-
,i0o para olj-
a ag*iisic"J
m
900*000
200*000
126*000
14A*000
THE iTHO
DE
S. ISABEL.
Et.PBEM--C0U8R1
15' reeia da asignatura.
Qwrla-fcir 4 de julho de 1861
Prlmeira represenlacao do erande drama ent 5
acto e 7 quadros, de Octave Fenillet :
ROMANCE
DE
m MOCO POBRE.
PfBSONAGENS.
mvquez da-
;.,;;:
^auta Casa da Misericordia do
ftecife.
A Illm junta administrativa da Saata Casa-de
Misericordia do Becife manda fazer poblico aos
prenles e Interessados das menores aoaixo deca
Staam eriado velbo
O Dr. Desmarets. .
1 Gastaa do Luasaa .
| Vaaberger, guarda-port
' Chamvlea, raasire escola.
Ivonnet, guardador r) oaioeiros
Marganda, tllha de Madama ,a-
roqoe.........
I Mad.ma Laroque, fiiba do Sr.
Laroque. .......
Mademeselia Helooln, mestra.
Madama Aubry, parela armi-
ada e que reside no casteiio.
Ctiristina, aldeaa......
Madama Vauberger......
A sala do 2acto e a vista das
Sr. Pava.
* Cont.
P. Joaquim.
Baymundo
. Pintor
S.Guimaraes
IVixeira.
Ponles.
Santa Rosa.
Soler.
% pi. de ua taberna sita na roa djltfoz n..
percfHCeoie' ao epolio de Narciso Ferreira da Vel-
ga, awit coraode'diverws movis o ronp* de sen
m iioji:
11 horas do dia aa mesma taberna a ra da
noa Afgados.
So cat do comaiercio a' ra do Trapi-
che u. 22, a saber
| L ni bilhar com seus perlences, ama machina pira.
fizer limonadas, mesas de pedra marmore com
psilO'ferro, cadeiras de diversas qaalldades-,
! J^narqn>*a, t consolos, i lustres, 1 relOgio, 1
\JJkmcnri coramoaa, arrafas e Irem de cosinha.
Qarta-feira 4 de julho. -
O agente l'ialo fara leilao precedida a compe-
tente aulorisaca* d.)s oti^ctos cima mencionados
existentes no caf do cmmercio roa do Trapl-
chs, as 10horas do da: cima ditau .
De f imo (warmdtK
A 4 do cerr-enle
A. Struvo capitSo Jd brigu escuna harnbiirguez
Morir Lvisa, f*tk Wlaj por conu e riwo de quem
pertencer e por iniKivunc..io do agente Oliveira,
com prt-vu auiunauao-do litote S*. impeoiar da
alfande^rf, en presenc de um empregado fiscal
desta reparticio como do Illm. ir', cnsul de Him-
hurso, de'c-rca 400 saceos d- fumo a cranel in-
clusive o toreado, e'de mais cerca 150 mangotes,
tudo avanado mais e menos d'a^ua salgada a b t-
do de diio brigue e esc.'ria, na rcenle viagem
que fazia procedente da Baha com destino a Ham-
burgo e fftra toreado a arribar a este porto com
agua aberla.
Qaarta-feira 4 de jfllha-
ao meio dia em ponto, oo armazetn alfandegado
baro do Livrameoto, caes de Apollo.
io 0:000^000
torre terca-feira 10.
. Aeham-w veoda na respectiva lesou-
raria, ra do Crespo n. 15, os blhe-
tes, raeios e quintos da 19a lotera a be-
neficio das familias Jdos voluntarios da pa-
tria (71/), sendo a exlrac3o no lugar e
hora docostume. w
Os premios de 0:000*000 at 40#00
seio pagos urna hora depoi* da extracto
at m 3 horas da tardece os oatros depoifcjna
a distnbutcaodas listM-
As encommendas fRlo guardadas sor
mente at a noite da vespera da b|Ijucc5o.
4* ^ O thlbureirW
Antonio Jos Rodrigues de Sotua.
na
Vende-s om pretn pe/llo eanoero e raiador:
na ra Direita n. 43, 2 andar. ^
Na ra do Crespo n. 18, segundo andar, pre-
cisa-se de urna ama da leite.
Ama de leite
sa-se de ama ama que tenha
nova i
da nbeira do ujyjy^pa^^e bem.
- Mpol
receber as"
fra,

Antonio Jos Duarie Coimbra, convida aos
seus amibos e aos do Ilustre ftaada^Dr. Pau-
lino da Cmara, capitao de voluntWos per-
nambucanos, a asslstrem a ama raissa fu-
nebre que por alma do distincto patriota
manda celebrar na quinta feira 5 do corre-
le as 8 horas da manha oo convento de S.
Francisco.
Aquelle que recorta nestas IrnMas o nome
do Dr. Paulino da^amara, procora reamir
oa ultima lembraoea concedida ao mort >, o
duplico diadema de que era ornada aquella
cabega nobre, distincti e Jovero a virlude
do homem e o valor do soldado.
9 Idado tao dlstlacto quanto admiravel, fi-
Iho querido e raro, qoe cima do amor a'
familia poz o amor da- patria e esquecendo as
lagrimas pelo sange do coi bate, preferio
as neniaos de om povo interro e de urna pr-
xima posteridad* ao tchgo do lar, a termi-
na da familia, a soaveamisade do tdrrao-ifta-
tal. A essea grandes illustres deve o pai
erguer o Arco do Triumpho ; a esses noaies
iocontestaveis deve o povj ahrir o-.archivo
das glorias populares, s ualc q ie resis-
tem o temple 'e a-adite do esowciflieato.
Pouco exprimem stas palayra*. Os ami-
gos e admiradores do distineto finado sabe-
Jo compTPhendei' nests ccrtrvHe o senil-
mente que preside a urna idi que enlacaa
consolagao que a igreja offerta ao que so-
frem, a lagrima qje a amizade deposita nos
altares de Cbrlsto.
ugltyiag^e
llB'dnr;
lanPr; tasto
boa
ra
Precisa* de um bom cope
;: "m
rec TjmeodacSes, para urna
a tratar na rna do Trap c
GARRAUXj DE LAILH.
[LIBRARIE FRANCA
ItA DO CRESPO N. 9.
Livros nacionaes e estTangei
RelijfiOj direio, litteratu
Papelaria, otfjeetos para
Pape'u pintados para f
Assignaturas para os jol
^ropa.
Antonio Pedro da Silva e
scieote a qnem inleressar possa qoe
effectuuu a compra do hotel Valanle
treiia do Bosarlo o. 10, a proprictaria
neiro da Concelr;o. Recite 30 de juaho oV 186
Ao desembarcar (hojf 30 de junho) perdeu se
un relogio orizontal eeseoherto;eom vniro direrys-
* tal, de prata dourado, peqin-no ;'. a pessoa foe o
aeh^r leve-o ao caf dos arcos que seri^recom-
pensado.
------------1-----------------------------------------.-------------------------------------------------------
Precisa-se de nm carroceiro forre oa escra-
vo : na praca da Boa-vis, botieii do Sr. Ignacio
do Cont.
ijfcr
a.
Sr." Adelatle.
. Clelia.
Leopoldina.
Jesuloa.'
> Emilia.
loaquioa.
Boioas de Elven
De, 2:1 barris com Piooteif? in
Quar a-feira 2 do corrente.
O agjmie Pestaa fara 'eiMo par conta e risco
cVTJ itlh pertenc-r de O batrinco-n maatoigt in-
gl'za ; sahir da alfandega : sera vendida em krtes
a v mi ide dos compradores : qaarta-feira 4 do
correte a p irla do rraatem do Sr. Aonjs as II
horas da inanha em-panto.
IiIJITi\
ladasv qoe devem quanto antes comparecer nesta esclarecida pelo laar, sao pialada* pelo scenogra-
secretana para assigaarem o termo de responsabi-! pho o Sr. Doroellas.
lidade de que trata o g 3 do art. 66 da lei provin-
cial n 596 de 13 de maio de 1864, afim de serero I
ditas menores admeitidas no collegio das orphas.
Isabel, til ha te Arcbangela Bernardina.
Antonia, lilha de Diogo Stares de Albaqaerqae.
Firmina, Alba de Francisca Silvina de Barro-.
E neblina, Riba de Francolina Mara Borges,
Mura, sobrinha de Manoel Po da Luz.
Mari, lilha de Candida Continhe Punce de Len.
Mara, tllha do Isabel Vtrgolioa de Miranda.
Saata Casa da Misericordia do Becife 2 de jn-
Iho de 1866.
O escrivao interino,
i Pedro Bodrignes de Souza.
Principiara1 as 8 horas.
B-
-'J-"
AVISOS frUBmOiflS
....... II lili
COMPANHIA PEBAMBUCA XA
cosleira por vapor.
PARA
Parahyba, Natal, Maco* Aracaty, Cear e
A carac.
.No da 7 do -orrente as o ho-
ras da tarde, seguir', para us
O administrador da recebedoria de rendas V^aBfc/T^k portos cima indicados o vapor
internas geraes declara que no corrente mez de .'^WjL|j Pirstnunga, commandante K ti-,
junho que os devedores da decima das corporales ^Cfl W Hecebe carga al o da 6 En-
de mo mora, do imposto de 20 0|0 sobre lojas e eoomn-nda, passageiros e diohero a (rete at as
mais estabelecimentos commerciaes, do imposto 3 horas da larde do dia da sahla1: esciipiorio no
especial sobre perfumaras, casas de movis e roa-' Forte do Matos n. 1.
pa fabricados ero paiz eslraogeiro devem pagar,
iivre de multa, o 2 semestre do ejercicio correte,
k! qoe, lindo o referido mez, sao obrigados a multa
de t 0/0
Becedoria de Pernambuco Io de junho de 1866.
Manoel Carneiro defioaza Lacerda.
Acha-se recolhido a raa de detengo por f-
gido, ManoeJ, que diz ser escravo de Francisco de
Melle Cavalcanlt de Albuqaerque : quem pois se
julgar com dlreito ao mesmo escravo, apresentan-
do o respecttvo'litalo, matricula e conrfecimento de
laxa, ser-lbe ha entrego
COHPtMM BKASILEIKA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sul esperado
at o dia 30 do corrente o vapor
Cruzeiro do Sul, commandante
Alebrado, o qual depois d.i
tem'oiadacostuiiit s-^uira jara
S *
De urna casa terrea e soto en chaos
proprios, na travessn do Carcereiro
n. 8,
Cordeiro tiiaes
obtida a coup-ie-ite aalorisagao fara' leilo da ca-
sa terrea com soio sita na travessa do Carcerei-
ro n 8, em do proprios, a rende 12.5 maosaes,
a qual desdi ja p > te ser eliminada por quera pre-
tender, cajo leilao ser effcetuado no da
(juinta-feira 5 do crreme
as 11 horas, u j arm >ze n a ra d i ldela do Be-
ciie n. 29. ^_^_^________
TLIO
De lima lucia agfla ao pateo do Parai-
?o b. 47.
CORDEIRO" SIMES
a' requerimento deloventarante do finado Joo
Martiniano Coelho b mandado do Illm. Sr. Dr. juz
municipal da prlmeira vara, far reilo de urna,
meia agua no pateo do Pftraizo n. 47, em chaos fo-
reros, iste
Uilnta-fir.i o dj corrente
Consultorio cirntgieo
raa Han, 60, airada peta- ra do Sel.
Principiis obsta.
U Sr. Jo- Francisco Pinto Guimaraes, cirutgiao
pela escota real dexirurgia de Lisboa, assas coatie-
cido oesta cidade, onde a l uumerosas quao bri-
Ihnies car'as, como a bom numer de (iperarjocs
at ento desconhecidas na pral nambucana (lalha, ectomia, enlerotomia, reseocao
de iodo o mt3Uar tuperioi; de metade do' mixtnr
inferibr, ennd'.aQao de um polypo fibroso nao pe-
dicnlado ou corpa fibroso uterino com o peso de 20
oogis, etc.), une lougo exercicio de irinta e latios
nos, que tecem o recooheciraento de to relevantes
seraicos prestad* a humanida.de sofTredora, e ex-
prmem o glorl iso impiilsi por elle dadu a ari-i de
curarenrosaoi>il': sendo tambera o primeiro que
Oerinaaaaapreijarliy os a8esih'lcos ether, chlo
roformio, amyleniv*para fi<*HUar a espacio del.'
las, uem um fille.-endiu'un* sene de 40 operados
da segaada operaco: e, d'enlre as outras, algu-
mat s par elle tem sido praiicaaas nesta provin-
cia, etalvez fossera prlmeiras que tiveram lu
(?*<- tosmo no imyei i \ segundo se deprehende das
eiaiistican da obra de Sigaml Du Climat Et De*
MaUdies Ou Itrsil, impressa em Pars "'-n 1844 :
transfer1-, seu consultorio a roa Nova n. 60, primei-
ro andar, em que poda ser c rastillado todos os das
alais das 7 as 10 horas da manbaa, acerca das
doen;as lea minadas cirarg cas on externas com
especialilade daquellas, ea cojo tratamento mais
frecuentemente intervem a meiicina operatoria.
O abaixo assgoadn dechra ao poblico e es-
pecialmente ao corpo do cmnmeacio que al esla
lata oada d>;ve a pessoa iiauna nesia- pra^a nem
lora dola, p-wm t alcuem e jnbjtar seu rredor
por litul-s a veDcer-.-e uu tontas de \\nrut, tnjdein
apre.-entar-se em sua rasa at ;\< 10 huras da lua-
nhai das 3 at as 6 h ras. Reclfe 30 de jmho
de 1866.
Jamtho J>s do Millo.
mi O Dr. Ramaug rnei|iB-o|-radfr iocli- 33
^ lida eslaaetecu sm connll-ir> proviso- S
^ no a" ra da C'ua n 15. onde da ronnl- f$,
gf tas todos os dia<,rjas 10 huras da manlia
^5 as 2 da larde; o Dr. Mamaug eaew
JJK igualmente tanto a medicina jamo a w
iM rurgia, dedica--e porm coaawKpi'fialida-
jS de ao tratamento a caja das molestias
'>fl? dos olbos, oaviljs e ds vas urinarias.

Precisa-se alugar
sitvco de rna e casa :
guodo andar.
urna preta escrava para o
na roa Dimita n. 127, se-
Sortlmento de papis pintarlos e
lindas gtiarniees para forrar casas.
N i LIVRABIA FRANCEZA.
N. 9. Ra do Crespo N. 9.
O Su Ju5t doeUego Pachaoo, que mo-
ra na Camboa do Carmo, tem orna carta de
importancia, nalivraria n. 8 da prafa" dal;>
dependencia.
Contina-se a precisar
Livranirio n. 14.
*
de una ama na ra do
Irmradade acadmica de .\ima Seahora do M
Mmmn
Convida-se a lodos os noor.s irmos para com-
parocerem na igreja dos religiosos Franciscanos,
quinta lena 5 do correte, pelas'10 horas da ma-
nha, afim de SS8tfuYrrtos a urna irfssa, pe|o eterna
repoaso do nosso fibj Dr. Jos Paulino da C-
mara.
C-rasistono da irmandade acadmica, 2 de julho
de 1866.
AntGnio dos Passos Miranda
Secretario.
4ViSOS DIVERSOS
osaoriiiad
Desde j recebem-se
passageiros, e engaja-se a
Tambero acba-se nesta subdelegacia.iendo sido carga qne o vapor poder conduzir.a qual dever ser
apprehendido a um individuo, por sejalfar furtado,
uro chapeo de sol qujtsi novo de alpaca, um com-
paco de torueiro, urna escala, um par de botoes de
pnnho e 15920 em dmheiro : quem se julgar com
direilo aos mesmos objeelos, provando, Ibes sero
entregues.
Sabdelegacia de polica do dislricio da fregu-
zia da Boa-Vista, 27 de janlio de 1866.
O subdelegado,
Decio de Aqoino I'ouseca.
FApooieao agrcola e industrial da
Parahyba.
Deveodo ler lagar no da 5 de agosto prximo,!
na cj pital da Parahyba, a exposigo agrcola e in-
dnstrlal, o abai(o. asslguad,. gucarregido ugia
coramissao direelfli de promover a acquisii;5e de
objeelos d'arte, ou artigas de industria dos psra-
hybajios aqui residenles, declara e pede pelo pre~
sema aqoelles <|ue desejarem concorrer para maor
brilhantismc da referida exposigo, que tenham a
bondad* de dirigiros* a roa do Imperador n. 75 2
andar, das 7 as 9 horas da manha, e das 4 da
(arle as 8 horas da noile, onde o abarxo asslgaado,
nao somonte dafa* as informacoes precisas sobrem
transpojle dos objectos que se destinaren! .a_ refe-
rida exposico (cojas remessas dMfO*8aBJl#
at o da 21 de julho prximo), como tarobem for-
oecera' a materia prima aqoelles senhoras exposi-
tor es cajas cireumslaBcias asakn o exigir ajo io-.
.No Recife, podero igualmente eotender-s com
o Illm. Sr. Antonio Jos da Suva Brasil, na roa da
Madfe Deas a. 29.
Peraambaco 22 de maio-del808.
ImHMJtt.e Saazagamaf*
Cotsefho de coflirig mrraes,
O conselho-contrata no da 8'da' JoHro prximo
viadoava o farnasimaalo de carvaa ie pMra aaa
navios da armada e estabelecimentos de majaaa, i
e a lavagem de roupa dos mesmos estabeleclmen-'
tos, portfeflipo a aacorrer a Jonho de I86T; bem'
como ptomove.oo-resfilatdia a compra dos ob-!
jectos do matriar d* rasada seguales
ij|i.niratt|iliMi, 10aMPas limirt) 6 tm
embarcada no da da sua chegada; encommenlase
dinheiro a frete al o dia da sua sahida as 2horas;
as passageni s serio recahidas na agenciara
da Crot n. 1, eecriptorto de Aotoaio Lulz de Oli-
veira Azevedo & G. i ao ,,
Para Lisboa
Lourenco Pereira Mendos Guimaraes, com to-
ja de fazendas a ru3 da Imperatriz n. 56, declara
para os fias convuoientes qoe deiioa de veoder em
asllhcn-aB,n"rmT;:mr^^rCdeiado Re- ** **' roapa fabricad, em pal, eslran-
.eifeo-. *2l---------------------------------------------------
i> uima roupa, a ra da. Ioiperalriz o. 72, declarara para
os flns convenientes que delxaram de vender na
referida loja, roupa latineada em paiz estrangeiro.
No dia 1 do correle mez a noile, na igreja
Francisco Joli* Machado sobdilo portugus de Nossa Senhora do Paraizo, na occasiao de can-
i para o Rio de Janeiro. _____^_______ lar-se o' feni Snete Spiritus, perdeu-se urna pol-
- AptonioJaciotho deMedeiros Sampaio, sabdlto seira de ouro coral i boave quera visee urna seobo-
portuguez vai a Euruoa.
Joao do Rofjo
senhora e.tres flih'1
a barca portagueza Marianha I, de primelra clas-
se, pretende sahrr no dia 10 de julho. por ter a
maior parte da carga prompta ; para o re3to e pa-
saRriros trata se com os consignatarios Thomaz da
Aquino Fonseca & C, roa do Vigario o. 19, oa
cora o capitao na praca.
CMPANIUA BKA*ll,HIIt
OH PMHfflbii VAPOR
E esperado dos portos do or-
alg i .4%at o da 8 de -jUJr) Alutpor
Pavana, ;command.iutj .i capitao
IraiaiaSaoU'Harbara, o qual
depois Ja demora do costume se-
gaira' para os portus do-sul.
Desde ja recebern-se p^sageiros e Migaja-se a
earga qne o vapor-podtr-feoodtizir, a qnaI dever'
Myig^reada oodia de soa chesiada, eucommea.
OTTBTmibeiro a frete at o dia da sabida as 2
ras; as passageas s s.ero recebidas na agen
rna da Cruz n. 1 ftscriptorie de AoUjuo Li de
OHvelra Afo*eao *. C.
fH^
0Ki
Segaira' ao* awida.de > bea>oooaeetda a mu
vebisatarca Claudiw, pw ter paita do seu carre-
ga,meoto ongajado: para, o rasto e oassageiros, srW
qaaea'offTeee^tcerielues eorrnpodw, tratare- cor
Canto rrntM C, a' rus dtt'ladra d> Dad n. i,
wtaat-p raaiMWifcaaUfc,' .^ Y\
A barca portugaeza Gratido a sahir com
, brevidade porMtfMfMj qoasi todo o seu carra
r", gamenlo^ara res que loe falta, e passageiros,
para os o^aesMiteafcaibatoatcarnaadacees, Ira-
OCUl?.
V.
r?Th*;fr5^\,~22iL^2aa?a-h 'n4r d0 CorP*^"' escrAVrVirfi. 4* U) aufl fWajjW1- JaOplWll|P i
0 ftIDaa, 20 ditosam braaca ato fatuas, praca Com o capitao. ^ f Secretario.
dataa e> anos aattete
ftloaSv
braaeo de 100 folhas, 20 Hos em; _
folhas, 20 dozias de pranchSes de A Wrrca Oacfonal
carga, sicopira on angelim amargo- va, a segoir ijnt brevidade para
de eonrprimento e 5 polefadas de um Testo de carga afrete', nafa o
ditaf de praodiSes d amarevfo, po
'Csil;
Lima suhdiio poriuguez, sua
s menores vao a Europa.
Francisco Aiwasto dn Araujo, sua senhora e
sua sagra va.-a Eurajia. _________
lcee'sa-se-de.urna ama,para casa de rapaz
slteiro, sendo esla para cmnprar e cosioliar para
tres pessoasaa ra da Cruz n. 68.
Joo J)t6 Itibeiro Cuimaraei, poruguez vai
a Europa. _______________
x^Ioiite-Pio Portuguez.
Ficando desde hoje em vigor os estarotos"das-
ta associacao, como foi previamente a anunciado
era cumprimento doi|diaposio no art. 78 da raes-
nia le social, e tendo Dudado hootem, 30 de jo-
nho, o recebmeato ae jolas a de? mil rls, pas-
*anrio de hdj em dianra ser tedala1 o cinco mM
xiis ; emquanto se ultimam diversos irabalhos pa-
ra com a maior l.rcidade se prceder is aieicoes Alagaawadoas amaseserava* ama
e liar poiso iminediau a' adaiiuisira$c qua for
eleiia. a directora provisoria recorda a lodos os
Srs. associados, que d'ura era dante para a coaifee-
ra apauuar oa occasiao que cabio do braco, tal vez
tivesse vonlade de onrrega-la paren o aperto du
povo era raode uoo.deu lempo ; e assim se tem
consciencia pode entregar na casa do sachnsio
da Ordem Terceira de & Praoceeo que ser re-
compensada alui de se Ihe a.radecer.
Desappareceu om bilbele inleifo d*-lolera
70 desta provincia, coja ettracao tem lagar ama-
ahaa, n. 8IJ7, ja' seaehaodo sigoado por Joaona
P I.ins; prevlne-se a> Illm. Sr. thesoureiro das
loteras qoe o nao pague se nao ao abaixo as signa-
do, caso saia premiado^. 4V>
Recif*, 2 de julbo de 866.
Manoel Severino Daarte.
Quem precisar morar em ama casa boa e
em boa ra, sendo'slteiro, deixe caria fechada
nesta typographiacom as iuiciae A. B. D.
Declrracu
O abaixo asonado como empresario da Praga
do Mercado da cidade da Cacaoeira, (provincia da
Baha) lendo-se obrigado na quaotia de 3:0000
em cinco Ultras passadas ao Sr. leoeole-coronel
Jos Pinto da Silva, importancia esta qne esta na
mesma Praca de M-icado, a qual acha-se em aban-
dono; e como J tenha pagt, ao mesmo Sr. ttnen-
le-curooel Piolo a quanlia de 2QdO000, e reste
smente 9o0000 em duas letras, declara que viu-
do estes ao poder do Sr. Manoel Joaqaim Hamos e
ilva para terera pagas, acontece perderem-se em
poder do mesmo seobor. Kniretant.j, o ?b.ixo as-
sigoado para substituir esta* duas etras perdidas,
paas u oalra no valor das duas que se acham ven-
cidas.
abaixo assignado declara, que a qaaotia de...
950JOOO se acta prompta, uu em soa m5o, ou em
roao do seo ttlbo o Sr. Ju- Ozorio de Orqueira,
logo que i]ual jiier pessoa eocarregada aprsente a
dita letra de 9SOf00, como laubem ouas lenas
pagas aoSr. leoeote-co uuei lutts Cinto da Si|v;i, de
cajo valor, apenas o abaixo assiiinado lem um re-
cibo do mesma r. unMiie-cuuael lltii", assim
cuino tambera deseja nina dcdar(ac p"r parle do
mesmo seobor, taien-lo vr (|ue se a ha livre e
deaeiiiharagado de todas trau.sac^.'s .mu o abaix
assignado; e que ficaro'de nenhum elTeito as do >
letras perdidas em poder dy Sr. Manoel'Joaqoim
Ramos e Silva.
Fa7endo esla declara^o, o abaixo assiguado fez
ver nada dever era praca comiiwrcial al^unia. vis-
to como suas lraosac.es reali.-ain-.-e toda a iuhei-
ro a vista.
Asura, poiSj o abaixo assignado desde ja Mesu-
ra o prouipto pagamento da letra, u^o-que li
jam restituidas as duas primeiras que se aeliain
em poder do Sr. tenente-coronel Jo Pinto da Sil-
va oa cidade de Cichoeir.
Pernambuco, 1" de jalbo de 1866
Francisco Melchtades Ae Cnqnru.
Offereoe-se um rapaz Bacu..ujl para quaiqur-r
arrumafo : qoeaj pr*sai dinja-se a ma da? La
raujewas u. 16.
Precisa se de*um caixeiro deldade 13 a ll
aaoos para padar.a qaa abona a asa conducta: a
tratar na ra Dir ?ita n. 129.
de leite
e outra secca,que faz lodo servco de. casa de fa-
milia Unto exierno como iaterno ; no Corredor d
Bisiio casa sem oumero que' fTc* rMrbale da do tr.
gao das prupostas que houverem dej|HM|fS",WLW'. B> nvirn casa vndese ama salva de prata
diJatos a socios, devrro ter era
esiatata) Pan ^QaeWar'o tratwlho, a directo
iror proposta?, po-
lio- ra provisoria val mandar Irapr
telido entretanto servir de norma aos Srs. associa-
dos a formula segOinte :
MONTE-PH) PORTUGUEZ.
'iProponho para socio o Sr......... por ser cida-
d*o portugaez em pleno goao de seos direilo-, ter
meio> lanos de subsistencia, ebom procedmentu,
reiju.sits exigidos no | "Io do art. 8o dos esta-
tutos,
tiento., aa... a*l8dufo ftftj< ,oI^ts(j*-w| eb 0*nji4a4
Na turalidade. .
Nab, ttoaiiiaan-
Secretaria do Maaie-Pio Porluiuei em Pernam-
buco, 1' liejulhode 1866.
Joec-dlr Silva Loyo,

ana tendo 600 o lavas.
'treersa-se'de ara' menino de 12 a 14 annos
para cdikstra'de ^taberna, prefere-se destes che
gadoenitimamaots:a tratar aa nudo imperador
o.S^tatoraa.____________________________^_
fMa casa de
Peaha n. 23,
Oferecase urna portuiaeaa
pouca. familia : a tratar na roa da
primeiro andar.
Quem livcr um sitio peri ide, cun
casa ae morada s-bastavifr tervfnt: fifocure ni
ra ddf Pires sobrado o. 37, *^l*raorisco al. de
Cerqueira,________ '_______
-Pcacisa-ser daa pteta-eagoiiHHadwra, sem
vicios e de boa conducta : na ra das Cruzes o.
36.1* andar. ______________
Mara Ricarda, subdita portagueza: retira se
*ara.Brepa;
STfatt
Na ra do Crespo n. 18 segund andar", de-
sata se faliarcom os Sis.: .
< 9k Ma VtaaoiVai StUao^a. .triar f
fiMtf tnoat, Jim* aaftaaa^Uau.
J^aQui^r1r"BrF*%Qi,rb<>-
, JoSo l>Tte Hijaovaino. v
Antonio Jos Gomes o>
AaraHaMinklMtih
.CaacMaLeal F-
Perden-se- umasso-)Com sedulas de 3,
10 e 2>, (azeudo a quanlia de iO0o, da paga-
ariamitM a rua*oa*a: aaam-v achoo, que-
raada. restituir, anaan&ie, pois que pwieoca a um
-^ogieial refuimado do ex
toowtovs asnear aakaiWrir soifn
com cornm4o*pOM'fr tar-sen^ ra da Pijia, venda p. .43.
Na roa do Crespo n. 18 ailar precisa-se
de duas amas, urna para cozutiar .e outra para o
mais jjfTTlco de ca s*.*
- Psadeaaa. uaniaanii a>pfclraissaB>que-
no, desde a igreja da Sania Crl >t a roa di Glo-
i ri^eaVa^K^pifVllafVpMMMM*-
que sera' recoaipensad" nan?'
'I ar 'W.'
i de Basil-
io.
~ Qnem tiver omt*liMiaiacosn>a dT
SenolVebdVdirla^ha roa'Ki
em bom estado, e
ft?
; trata-Se no'J vender dfrlja-se a raa ova n. 20, loj i
escriplorlo Amorim Irmos ra da'Grt p. 3. (ro Vianna, que achara com qaem tr
MFIHHR FXFMPIAR FNCUNTRAnn k
^ Oj' i< --9
^ MUTILUO
T r






}
^evafJBVJBfJ MflMseaeeeti
NMM
na
WBi
^i
(M
I
Blarf* 4e rtrMMKM
PftSTILHAS
VERMIFU6AS
i '-J 1 1 1 lili

dm SEVIAL.
Para o tratamenio e cura rpida e completa das molestias sypbjliticas,^
las, rheuraatismo, bobas, gota, debilidade do estomago, inJlameoaes cnromcas^
e baeo, dores sciacas, eephalalgas,1nevralgias, ulceras chronieas, hydrepesia,
sias, gonorrheas chronica* e em ge al todas as molestias em que setenha ejnuv
rifieaco do systema sangoineo. ^krY,
YORK.
AjjglADAVEK
suo que todos
IEIRO SABOR
imente mais efficazes u HUO
|s remedios pergosos enauseabupdoe^^a
sm para a^expulsao daslombrigas.
sam dores e produzem seu effetto,
sem .precisar logcdepoisde purgante ne-
jjmm e taoincitaotes em apparencia e deli-
*^Kas em gosto, que as criarlas esto
sa tomar mais do que marca a re-
como om excellente meio de fazer
fer as ob&tructfie* .do ventre, mesmo
nao existirem verme algum, as
MIIFUGAS DE ,KEMPS S50 promp-
sis na sua operado e por todos
dignas decoofianca e approva-
5 os paes de familias. Prepa-
Sanente por Lanatan d d,
Tork.
. Deposito geral em Pernamnaco ra da
Croa n.22 em casa de Caros___________
SEGUROS
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabeleei-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias:
Da rna do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Em casa de Theod Christiaoten, ra do Tra
che-novo n. 16, onico agente no norte do Brasil
e Brandenburg frres, Bordeaui, encontrase ef-
ectivamente deposito dos artigos seguales :
Si. Ja lien.
St. Pierre.
Lame.
Guatean Loville.
Cbateau Marg&ux.
Grand vin Cbateaa Lafitte 1858.
Cbateau Lafitte.
Haut Santeraes.
Cbatean Saaternes.
Cbateaa Latanr Blancbe.
Chateaa Yqaem.
Cognac em tres qaalidades.
Azeile doce. Preeos de Bordeaux.___
Coosllera<:5es geraea
A sauTe um teminapreciavol, cuja importancia e valor -est reservad'
^fermo o avalia-lo.
incontestavel que o bomem- neste mundo constantemente, e por
atacadjppor umajnfinidade de agentes imorbiticos que todos teadein, dadas.
minadW circurjtancias, a alierar o regular exercicio das fanoooes organl
] fe A molestia nao mais do que a desvirtuado das toreas vilaes,
i gmrao.as investigacow e experticias das mais abalisado mestresdaojjencia, pe
vacuo dos humores geraes, consequencia da acco maligna desses mesmos agentesO
^cos intwduzdos no organismo pelo ato da respirado, pela via digestiva, ,pelo co
immediato etc. etc. etc.
A yphlis infelizmente tem sido.a partilha da humanidade, e como .fra
ess terrivel Proteo da medicina. ama molestia hereditaria, e'la teni*
vada em todas as idades, e debaixo de .todas as suas formas tao variadas, enfil
constituirse* robustas, propindo mutilares, e cortando anda em flor da tf
preciosas.- ^
Eliminar da economa esses principios deleterios. e purificar a masan*
humores tem sido desde lempo immemorial o fim constante da medicina, e "
ve* flaaram em primeiro lugar para priencher esse desiteratum ou fim. ^m
. X) Elixir depurativo do Dr. S&viaJ parece merecer a preferencia sotW
inmensos suecessos obtfdos pelo oso deste salutar agenie Unto na AMem
Frasca e Italia, o tornam o companbeiro inseparavel dequasi toros os doentes.
dissemos, debidas, s alteracoes dm-
CLONAL
oatimst 9k seguros mutuos
e a vida
RETO DE 21 DEDEZEMBRO DE 1859
o ios cofres de estadfcjjaraate a
da compankia.
DIRECCO GERAL
MQf
que.

O Sr. Jesuino Machado Braga, queira
dirigir-so livraria n. 8 da praca da Inde-
dendenca, negocio de seu interesse.
Criado.
Precsase de utr menino para rcmpras e reca-
dos : a tratar na roa Dlreita n. 63. i adr.
O Peitoral de Cereja,
DO DR. AYER,
P.IBA A CCRA RADICA!. E CER-
TA de totas as molestias do peito
e da garganta, toases, constlpacoef,
Broiicliile, asma, denxop, roqul-
dio, Coqueluchc,angina,Dlpthcrla.
TMe xarope peitoral f o resnl-
tado de longos annos de coludo
por um dOB primelros mdicos da
Amrica do Norte, e de experi-
encias minuciosas nos principal
liojpiaes do mondo; receitado pelos mdicos mais distlnctos
deste secuto na siu clnica particular, portant; c digno de toda
conianea, i; por ttr tfeaz, alcanzando com urna certeza infal-
i vi-1 o assento da molestia e arrancando lhe as rolzcs, assim
dundo nos orguos affectados urna aceo natural e si:2, por
ttr innocente apptcovai a qualqwr pesio* d qualquer idadt
cu texo, ao bomem robusto ou crianca da mais tenra idade,
cada frasco sendo aocorapanhado de dirreccoes minuciosas:
V, e ultimo, por nao ser um remedio secreto, pois qualquer med-
ico on pliarmaceutico pode obter a formula da sua oomposico,
irigindo-se pessoalmente ou por carta so agente geral, II. H.
Lase, a ra Dircita No. 15. Rio de Janeiro.
Muitos casos que tinho zombaxlo de todos os recurso*
Peitoral de Cereja.
As pessoas atacadas de tosst, deflusoe, Dbr da garganta,
Brandte, asma, etc., e outros symptomas da tsica prima-
ria geralmente fazem pouco caso do seu padecimento at
que seja tarde para cura-lo. Nao descuidis d' urna tosse
parque agora parece de pouca importancia ; urna tosse
descuidada chepa a ser chronica e induz a formaco de
Tubcrailos nos pulmoes.
Nenltuma casa de familia deve estar sem um frasco
deste xarope i raio; pois nos ataqnef repentinos de
Andina, de Crottp, e nos paroxismos do Coqueluche; ou
tom comprida a que esto sujeitas as enancas, nao ha
ampo de chamar um medico, nem de faier remedios, e
este xarope alivia inimcdiataraeBte e pe o filho querido
sao e salvo, fra de perigo.
As notostias que esto ao aleaaee das virtasa curativas
do PK1TOBAZ DE CEXJEJJ. SM
Defluxos, Toases, Asma, Esquinencia, Bronchite,
Coqueluche, Tosse faria ou convulsiva.
Boquidio, Todaa as molestias do peito
garganta. Consumpcio doa Pul-
moes ou Tisioa pulmonar.
Acha-se em todas as Boticas e Drogaras do Imparto.
Pilulas Catharticas do Dr. Ayer
CTJRJLo
Frigio de entre, ItUiaemteU, Conetlpueie, Mkeu-
mafUtne, Bemmerrhoidat, 2NV b ee*eem, A Xerrml-
gtm, MSI de eetemtmgo, Xmmmqueem, utrnl 4 remele,
trise, reere amitro-hepuUem, InitKwi. EryHp-
Om, gVssl, Iaii'wam de tof. | ^.
Tnas as saetosUas qae provm do as* exeesstro d*
Quiaiaw.
0 mlhor purgante at hoje eonrucWo.
Estas pilulas assucarajae se puramente vegitaes.
*ines\e i rramcio tsx smonio.
- Drararias do Imperio.
fgado^anTajosamente^na syDh^ jeisy-
chr .raido
Sendo as melestias, como cima
Etotr depurativo do Dr. Sevial pode serenvpregado vanTajosamente na s;
pelas, rbeumatismos, bebas, g6ta, debilidadeao estomago, inflammacoes
figado e baco, dores sciatica?, cephalalgias, neiralgias, ulceras ebronicas bydr,QDesias
pieurisias, gonorrheas chronicas etc. e em geral^m todas as molestias em que i tenha
em vista a puriflcac5o do systema sanguneo; pois que omapratica constante i^^feit
a o
unre
queaiodamei
* orp b iaaado-ocfl
caloaos eW
rid : Rata do Prados.I
combinacoes de supervivencia dos sejarj
ir
ere tkenhnm caso mesmo por
ndentes a estes.
96 qae produzem as sociedades da^BJle deav ^v
ama terca parte do ujf.cesse prod^S receD||ui
uos, urna imposicaoaun
do
p liaiiareiein
x que
19 anuo!
ca^un
ao-
ida-
nhia
ua.
orialidade da tabella de
qoldacoeav em segea-ados de i
m effectiTO JjaVo: ~W
No fim JaW annos.......t:119*3"XI
JR % de 10 >i-t......3:942*600
r^ wi de tS .^F......il:S08200
* de *s.......30:256*V000
s de 98 >.......80:331*000
JKac idadac enores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveia.
Pr<*pect >s/ mais informales serao prestadas pelo sub-director nesta provincia.
Fss*a4e ment dos Srs. Raymando, Carlos.Leite & Irmo.
re-
tra-
la no
constante
ver queeile inTispensavel nos casos"gravssimos para#minorar os offriment'j?
parar o doente para medicaces superiores ; e as menos graves a cu
quencia do seu uso, convenientemente repetido.
As substancias que entram na composicSo do Elixir depurativo do Dr. Sevial
perteoeem todas exclusivamente ao reino vegetal, e grande calhegoria das substan-
cias depurativas e antisyphiliticas; assim, ao passo que este remedio depura o orga-
nismo, eliminando os principios nocivos saude, pelo mecanismo natural das evacu-
ares alvinas, neutrasa ao mesmo tempo o virus rf/pbilitico qaando este v^us j
tem feito erupcSo no exterior dtbaixo de suas raulliplseadas formas; e prev,
bem os estragos dessa terrwel moiestia, quando por ventura se ache ella
estado de encubado, !sto sem se ter manifestado sob formas externas: beneficio
immenso, tanto mais quanto oeste estado os individuos ignoran completamente se es-
to contaminados por este terrivel niraigo.
0 sabor agradavel d'este Elixir convem a todos os estmagos, a sua acc3o so-
bre o tubo intestinal suave e benigna, e de nenhuma forma produz molestias medi-
camentosas, como acontece ?o purgarte dito Le Roy, que na sua qoalidade de drs-
tico forte irrita a mocosa intestinal, e consecutivamente, a seroza, resultando deste es-
tado, muitas vezes, bydropesia?, que quasi sempre terminam pela morte <'o doente.
Assim pois esperamos que o uso des.e remedio justifique cabalmente as nos-
sae asseveracoes, porque tendo um medicamento Ufo simples na sua composieie/
pralica tem confirmado soa ulilidade.
nico deposito em Pernambtice
Na botica e drogara
DE
Bartothomeo Companhia.
34-RUA DO ROSARIO LARGA34
^ggLATDB *gr


. .
a IBUItl A VAPOR
99 RA DO MONDEGO 99
Deposito oa rna Nova n. & lo Ja de relojoelro.
Delouche donos deste estabelecimento partecipa ao respeittvel publico que sua fa-
brica est montada com as melhores machinas qne exstem na Europa, e que pode
fabricarcom melhor perfeicao possivel. Todo o chocolate desta labrica est garantido, e
puro, o que n5o se pode encontrar naquelle que vem de fra, e que se vende por preco
baixo, visto os productos serem do paiz. Na etiqueta tem sempre urna aguia.
TINTURARA
AO GRANDE S. MAURICIO
PROCESSOS APERFEI^OAHOS
PARA
fingir. Ilntpar e lustrar a vapor.
F. i SALINfiRE & C.
29 Ra 7 de setembro 29
Defroite da ra imva dt 0u>idor (Rio de Janeiro)
Os propietarios deste "estabelecimento, o primeiro no seu genero no Brasil, por
trabaihar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que se faz uso na
Europa, eajudados por algun6 dos melhores officiaes de Pars e Ly5o, podem assegu-
rar senefreguezes urna perfeijo no trabalho, a qual seno pode chegar pelos proces-
aos ordinarios.
TDgem, lavam, limpam e demofam com a mai r perfeicSo e brevidade qualquer
qoalidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem molbar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de homens.
i
Joo da Silva Ramos, medico g
pela unversidade de Coimbra, d 9
consultas em sua casa das 9 as
11 horas da manba, e das 4 as 6
da tarde. V sita os doentes em suas
casas regularmente as horas para
isso designadas, salvo os casos ar-
gentes, que serSo soccorridos em
qualdjer occasiao. D consultas aos
pobres que o procurarem no hos-
pital'Tedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
manba,
Ta^sua casa de satrde regular-
menlPmontada para receber qual-
quer doente, anda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e nellapratica qualquer
So cirorgica.
ara a casa de sade.
eir classe..3(J000 diarios.
da dita-----34500
Terceira dita .24000
Este estabelecimento j bem
acreditado pelos bons servicos que
tem prestado.'
O proprietario espera que elle
continu a merecer aconhanca de
que sempre tem gozado.


PREQO.
Meia libra......... 400
Urna libra......... 800
Urna arroba........194000
Na mesma fab ica acaba de se montar urna officina com serrara a vapor para
obras emarcineiria propria para edificio, para o que encarregi-se de fazer portas, ja-
aellas, assoalbos (parqu francez como se usa na Europa,) e armacbes, tudo com brevi-
dade e.perfeicio. Toma-se qualquer encommenda para fra da cidade, entregandb-se
prompta a collar-se do logar.
LOJA DA FRAGATA AMAZONAS!!
K. o Kna do Qoeimado ti, 5.
Montero& Gniraaraes, partcipam a todos os seus amigos efreguezes,que recebem
de conta propria por todos objectos de alta novidade, e bem assim adornos propros para casamentts, pois questus
correspondentes de Hamburgo, Paris e Londres, na esclha de taes mercadorias tem
merecido approvaco das encantadoras Pernambucanas.
A Fragata acaba de receber pelo ultimo vapor grande variedades de sedas de todas
as cores e qualidades, tambem recebe por todos os vapores luvas de pellica, (doafamado
Jouvio) saias de la com barras colloridas de grande novidade na Europa, vestidos de
granadina bordados agulha, e de grande ton, ditos de popelina muito chiques, ditos
de esmeraldine (gostos novos,) riquissimos cortinados bordados a ponto de crochet, ro-
tondas de seda, ditas de linlio, ditas de algodao, chales de guipour de seda, e de al-
godo, pentes para cok, (de phantasia) enfeites para ditos, msnguilos bordados e
gollinhas, camisinhas ditas, transparentes para jaoeilas com mu lindas paisagem, pre-
cales deapuradissimos gostos e padroes, chapeos de palha enfeitados pelas melhores flo-
ristas de Paris, enlremeios bordados finos de differentes larguras, riquissimos cintos
bordados com figuras chinezas, (bordado na mesma fila) baldes de basteas d'aco ameri-
canos, dittos de musselina, tapete para guarnico de salas padroes muito bellos, chapeos
de sol de seda para senhoras, ditos para homem, enfeites imperatriz Eugenia, ditos
Maria Pa, cestinhas com todos os pertences para meninos de escolla, saias bordadas
para senhoras, gollinhas bordadas /"gosto novo) chitas escuras e claras, nudapoles, cam-
braia de cor, ditas pretas, bolsas de tapete paraviagem, ditas de vaquetas para guardar
dinlieiro, e outras muitas fazendas que se vendera por menos prreo qae em outro qualquer
estabelecimento.
Sobretudos de duas vistas prova d'agoa.
Riquissimas fuellas de chrystal para cintos.
Meios aderecos de chrystal (novidade.)
Cintos muitos ricos, etc.
Perneirasdeguthaperche para chuva.
CONSULTORIO MEIMCO-CIRIRGCO
BO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LORO MOSCOSO.
MEDICO, PARTEIRO B OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os das das 7 s ti
(toras da manho, edas 6 e meia s 8 bons da noite, i excepeo dosdias santificados.
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ba sempre o mais appropriado sortimento de caeirai
tobos avalaos, assim como tintaras de varias dymnamisaces e pelos precos seguintes
Carteiras de 12 tubos grandes. 124000
de 24 tubos grandes. 184000
i de 36 tubos grandes. 244000
de 48 todos grandes. 304000
> de 60 tubos grandes. 354000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se flzer, e com os remedio
que se pedir.
Um tobo avokso ou fraseo de tintura de aw'a coca 14000.
Sendo para cima de 12 custaro os preCjOf estabelecidos para as carteiras.
Ha tobos mais pequeos cada urna 500 ris. ^,..,"
IMVItO.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. JarS
dooa grandes volumes com diccionario............
Medicina domestica do Dr. Hering...........
Repertorio do Dr. Mello Moraes............
Diccionario de termos de medicina........... 340O0
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecides e dispensan poi
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedio*
verdadeiroi, enrgicos e doradores: ha todo do melhor qae se pode esejar, globos da
verdadiro assucar de leite, noUveis pela soa boa conservaco, tintura dos mais acredi-
'^ estabelecimento eoropeos, a mais exacta e acorada preparaco, e portante a auior
"erteza om seus efifeitos. 9
"asa de mude para escravos.
% para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-ss-lhe foalqm
^unciante iolga-se sufficientemente habilitado.
vMiTeT, tanto na parte alimentar, como na medica,
^08, ha mokas pessoas de cojo conceito se ufe
ts por aqoeHes qae desejarem mandar ana
'ah em disate 1*600.
- se nSo se quizerem enjertar so prOOM
XAROPE
peitoral e dulcificante
M
SAINT- GEORGES
Preparado por
GR1AIXT e C1*
phanaiceulicos de S. A. I.
o principe Napeleo
Cura rpida de las
molestias seguerrtes :
toue, calarrhos, pleu-
resa, coqueluche, an-
ginas, fortes constipa-
cOes, irritacoes dos
bronchas e do peilo,
bronchite,phli*ica pul-
monar, astma, pneu-
monia,anginas,amyg-
daliles, totse chronica,
rouquido. Os mdicos recommendao ao mesme-
tempo o aso das excellentes pastilhas peito-
raes com o sueco d'alface laureiro-
, cerejo, qae se preparao no mesmo estabels-
eimento.
venda as pharmacias de Maurer e A.
Caors.__________
Hacedo & Azevedo faiem sciente t esta pra-
ca qae nada devem da eilincu rma de-CatUo &
Macedo, se algaem se julgar credor aprsente suas
contas no piaso de 8 das, qae serao promtiamen-
te pagas- Recite 30 de joqhode 186C.
Qaem por espaco de seis metes qaer 600
sobre hypotheca de escravo, procare na roa da
Praia n. 36, qae achara' com qoem tratar.



f X.
DE
DE
J. VIGNES.
X. 55. RIJA DO IMPERADOR N. 55.
Os pianos desta amiga fabrica sao boje asss conbecidos para qae seja oecessano nsisr sobre a
na superioridade, vantugense garantas que offerecera aos compradores, qualidades estas incontesu-
eis qae elles tem deflnltiamente conqalsudo sobre todos os qae tem apparecido nesu praca ; pos-
inindo om teclado e machinismo qae obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sen
nunca albar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos Imporun-
ssimos para o clima deste paii; quanio is voies, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-
reis aos ouvidos dos apreciadores.
Faiem-se conforme as encommenda*, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
orrespondente de J. Vignes, em cuja capital forana sempre premiados em todas as exposiedes.
o mesmo estabelecimento se achara sempre um explendidoe variado sortimento de msicas dos
nelhores anlores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo todo vendido por
oreos commodos e raioarels.
Hio duvida-se pagar alguns mezes adivina-
dos por alopuel de ama escrava para todo servico
de ama casa de pouca familia, pr cujo aluguel
offerece se 25 mensaes : na roa Bella o. 22.
Na ra Bella o 22 preci.-?.-.e de um criado
para andar com ama pessoa a cavallo pelo malo,
e qae entenda de cczinha, ao qual ordenado.
mwMM mam mmm mmmm
m CASA DE HAMOS I
26 Pateo do Carao 26.
Neste estabelecimento to impor- v
tante para a saude e asseio do cor- S
po, acham-se montados 20 banhei-
ros, que sao servidos com a ordem IB
e asseio que para desejar-se. Qua-
tro destes banheiros sao especial- a
mente reservados para senhoras e >.
por isto acham-se eolio ados em lu- W.
gar reservado, aonde s tem entra-
da as pessoas de urna mesma fami- &$
>ia- m
PREgOS DE BANHOS AVULSOS. g(
1 banho fro, morno ou de Jft*
chovisoo...... 500 S||
1 dito de choque .... 14000 I?
1 ditodefare'lo...... 14000^
1 dito aromatisado I 000 sfe
PRECOS POR ASSIGNATRA. &
30 banhos por mez fri, K
morno ou dechovlsco. 104000 ^
25 banhos com cartes pa- ^
ra os mesmos .... 104000 ag
12 ditos ditos ditos :4000 '
12 ditos ditos de choque,. 104000
12 ditos ditos de farello.. 104000
0 estabelecimento estar aberto
nos dias atis das 6 horas da ma-
nba as 10 da noite, nos dias san-
tificados das 5 as 5 horas da tarde.
v.


A
0 3
METHODO NOVO E INFALLIVEl.
Tra taen te iistaitaneo o cora radical das callos o oolros excrescencias des
es oor i. Jos Heorique, callista da casa i, ecrial de Fraico.
Tendo chegado esta cidade com o m de visita prcVssional, d consultas da-
rias das 7 horas da manha s 4 da tarde no
Hotel a
bode pode ser procurado para tratar ou ir a casa dos doentes.
Por um novo systema este prolessor extrabe os callos e qualquer outra excres-
cencia, sem cortar ou molestar os ps, assim como as das unhas. O mesmo possue
um elixir de sua invencSo mnito efficaz para a cura dos callos, anda mesmo em esta-
do de supuracao. k operacSo por tal forma executada que, pouco depois da conclui-
da, pode a pessoa osar o mais aportado calcado. D. Jos Henrique possue um grande
numero de attestados de pessoas de todas as classes da China, Java, India, Japao, Bra-
sil, Benos-Ayres, Lima. Pero e de toda a Europa, que mostrar ao publico.
Preteodendo oanennae poneos dias entre nos; este professor, desejando satiifa-
VITA 0 PROfiliESSO -
Ao systema mtrico dcimo 1
Ja ninguem ignora qae o governo imperial adop-
too este systema de pesos e medidas e at ja as
repartieses militares por om aviso do ministerio
da agricultura, e. mmercio e obras publicas nao
compra m se nSo por taes pesos e medidas. O go-
vrrno dea um praio aos particulares para terem
tempo de se iostruirem, mas brevemente se acaba
e enlo todos serao obrigados a regularem-se por
estes pesos e medidas o que julgamos ser de milita
ulilidade por ser esta medida lirada da cirenmfe-
reneia do globo por coisegniote a noica, certa e
l mais exacta, finalmente a doviua eslava em nao
, baver taes pesos e medidas, porm esse mal ja'
[ esta' sanado, ja' temos pesos e medidas unto para
secco como para liquido, assim como pesos de fer-
j ro de 50 kilograromas at 1)2 becto-gramma, de
lato de 300 grammas at um gramma, para sec-
eos desde l|2 hecio-litre al decilitro, para liquido
medidas de estanto desde um litre at o decilitro,
assim cono medidas de madeira para as tojas e
medidas de extencao (treinas), de 20 a 50 metros:
o nico deposito destes pesse medidas na ra
Nova e. 38, aoede se endea desde )a e se rece-
bem encommendas para dentro ou fora da pro-
vincia.
ttMIMMx OJwalnl aaaannl W d"
Or. MlgBeTToaqflmKSB U
5 careohas modoa a soa residencia da roa "5
ffBJ do Sol para a da Imperatriz n. 88, Irotra- al
nj da pela ra do Hospicio, onde^ontinna M|
no exerelelo de soa proflsse. O mesmo 2
Dr., que se tem dado com solicitude ao m\\
estado e pralica das molestias de tero e KK
de meninos, da consulta gratis aos pobres *S
das 9 horas as 10 da msela. flf


zer todos, itj tambem por casas particulares.
Saqi
es
Sobre o Porto e Lisboa: a tratar com
Camino A Nofoeira aa roa do Apollo nu-
mero 20.
rtecaa-se da om ama qm tatta eoiihar" e
enCoaunar com perfeicao para casa de doos mocos
aoltetres.: a tratar na ra da Madre de Dos n.
18, ummm.
Theatro
MHOR EXEMPUR ENCONTRADO
Patento mu digno empresar o Sr. Osarte
Coimbra qae coa o dramaHomaece de um mo-
co pobreleve i scena a inieressaBte comala o
estadaote e a lavadeira.
Na praca da Independen^ 1
ourlves, compra-e oaro, prata, efJns pr
e tambem se faz qualquer obra de el
todoe oualquer concert. O
O
AMi
Precisarte de urna ama forra on escrava, que
Hiba coxiphar : ne rea de S. Francisco n. 5i.
- CadHe aeeloOleaa aaaMe'f *u praca
qae dieaolvenm aatfgaeeaaean sodadede que
tinbam na taberna da rna larga do Rosario n. 50,
desde o dia 19 de fevereira do oorrente aneo, II-
cano todo o activo passivo a cargo da nova Ar-
ma Hacedo dr Azevedo ; e o socio Cutre desene-
rado por delxar de fazer parte da sobrediu firma
desde aoeella data. Rece y de janeo de 4866.
Prjetsa-se dematnMssador oypajarll oa
jnJBW*< nneaidtlra aprender o fabrib do
V-Xdos Pires ayl.
ja oa m*..-


*.
toa
DI rio de erBambuco
-- Terca Iclra 3 de lulho de leco.

i

>
I
?

>
V
!
i
/
(.

M As Dossas provifit', quando annuoca-
mos em agosto ultimo a pubcacSo das la-
boas comparativas do Sr. Jos Antonio Go
mes Jnior, a:abamde realisar-se lateral-
mente. Poneos mezes apenas sito passados,
e ja o Sr. Gomes Jnior se v obrigado a
fazer sahir do prelo urna segunda tiragem
das suas nocoes do systema mtrico, agora
augmentadas, e divididas em duas partes,
de ocerdo com os padroes ^stabelecidos
pelo governo: al.* contendo explicacoes
clarissimas do novo systema .applicado as
velhas medidas de extensao, peso e capaci-
dades como numerosos exemplos e casos,
para uso do commercio e estafes oficiaes:
a 2.1 expondo o modo de ^ber-se n'uttf
momento o importe de qualquer numero
de arrobas, libras e oncas Je qualquer mer-
cadoria, a um preco dado, fazendo-se uso
. das respectivas taboas, independente da en-
fadonha regra de tres cometo, aqaal no
caso contrario 27, em lugar^re il queti-
nha a primeira edico, e o trabalho eompleto
do Sr. Gomes Jnior agora quasi tres
vezes maior que o primeiro. Por urna
simples multiplicacao ou divisSo chega-se a
con verter rpidamente a un i da de mais com-
plexa do antigo systema as unidades actuaes
de metros, litros, e gramos, e suas respecti-
vas fraccoes.
Se da primeira ves aconteceu que as no-
coes do systema mtrico fossem consummi-
das pelo publico em Uto curto espaco de tem-
po, ni acreditamos que agora, refeitoe
romaniado o trabalho como se cha, com
urna paciencia extrema, serio poucos os
exemplares que o Sr. Gomes Juaior ter
fe i to estampar para satisfazer a anciedade
com que a nossa praca, e as outras provin-
cias do imperio esperavam por semelhante
publicaclo. este o maior elogio que pos-
sa fazer-se a ulilidade e importancia da
broebura pe de novo aonunciamos, e de
que damos os parabens ao Sr. Jos Antonio
Gomes Juator, como um dos homens de bem
que mais servicos ha prestado ao commer-
cio ntrenos.
(Da Revista Diaria. Diario de Pernatn-
buco, de l i abril de 1866.)
111 m. Sr. Jos Antonio Gomes Jnior.
Rio do-Janeiro, 25 de marco 18G6 Neste
momento acabo de receber a sua carta de
16 do correte mez, acompanhando o folhe-
to das nocoes do systema mtrico decimal,
que teve a bondade de offereoer-mefce que
agradeco.
Sou de V. S. atiento venerador e criado.
Mrquez de Olinda.
lio de Janeiro, 29 de abril de 1866.
liba. Sr. Jos Antonio Gomes Jnior.Ac-
cusando recebida a carta de V. S. de 17 do
correte, que acompanhou a um exemplar
da obra que V. S. fez publicarN ces do
-systema mtrico decimal, segunda edicco
que teve a bondade de me offerecerl mu i
cordialmente lhe agradece essa pro va de sua
lembranea para contigo. '
Sou com toda a attencao e estima de V,
.-. atiento venerador e criado.Jos Tho-
maz Nabuco de Araujo.
Paco da cmara mur.icipal do Recife, 11
de abril de 1866. Hlm. Sr.A cmara
municipal desta cidaite, tendo recebido o
officio de V. S. de 14) do corren te, acompa-
nhado de um exemplar da segunda edieco,
da obra denominadaNocoes do sysiema
mtrico decimaldeclara a V. S. que nuaito
agradece semeibaate ofierta.
Deus guarde a V. S.Illm. Sr. Jus Anto-
nio Gomes Jnior.Luiz Pereira SlmSes,
pro-presidente.Francisco Canuto da Boa-
viagem, secretario.
Illm. Sr. Jos Antonio Gomes Jnior.
Falto das habilitaeoes .precisas para apreciar
asNocoes do syslema metiico'deciraal
das quaes teve V. S. a Jjondade de miroose-
ar-me com um exemplar, todava, lendo-o
convenci-me que .-em-raaior forca de estudo
e s com o emprego de cuidado, se compre-
bender fcilmente o i importan te e tilsi-
mo trabilbo de V. S.,, a vista da simplicida-
de-e clareza com que.est confeccionado.
Sou como sempre, de V. S. amigo e obrga-
dissuno criado. Sua-casa 11 de abril de
1866.Manoel Mara JVdrigues do Nasci-
meoto.
Illm. Sr.Com o alucie de V. S. de 14 do
corrate, foi presente a este tribuna! o exem-
plar da segunda ediccSo dasNocoes do
systema mtrico decimalque V. S. fez pu-
blicar, V3 o qual se >Cabe-me em nome do mesmo tribunal, n5o
sagradecer a V. S. a .sua. apreciada offerta,
mas
balhos, e a cuja obra esta coiurnUsiio tem ligado o
maior apreco de iuteresse e utilldade. Por esta
caso offereeemos a V. S. o incluso exemplar do I i o i. A jv
relalorlo de aossa assoclaco comraercla* perten- fr O ----- fitiU UDMilld ~ 'ID
CALCADO-'
ceu'.e tos trabalho* do auno prximo pagado.

A primeira condicJo indispensavel ajon-
servagji^a sade frazer os p&bem de-
fendftontra os Taques da htindeT
por s(
Hue
Inoras
m e seguj^po nico l>
essas mil enfiP Hades a qu
ihada em pe<
ranteidade Mpx
a Hwripilante^ro
Densguarde a V. S. Jse Antonio Gomes Ju
nior, aotor do systema mtrico decimal. Jacintho
Jos da Silva, presidente.Garaelro e 9llv|r 4" se-
cretario.
Para', 23 de malo de 1866.-Illm. Sr. Jos Auto
nio Gomes Juuior.O Sr. Ur. Joaquim Baptista
Moreira, a quena V. S. dirigi a ana carta de 16 do jeito O nosso4h. Um chfelo
crrante, diguaudo se ofierecer-lhe um exemplar! cadO pOl^Nj dandv patuscaate
da segundadiccao das suas-ooces do systema -
mtrico decimalrecommenda-rae, como eroprega-
do de sua casa, Ibe dirija estas linhas nara agrade*
cer a V. a sua preciosa lembrancjpaqnal tem-
na mais sabida coosideracao. U Sr. Or. Moreira
pede desculpa de nao lhe escrever pessoalraeote,
por se achar prohibido pelos mdicos de se^l
uer trabalho, atienta a gravidade 4a nioH^
e tem estado de cama, nao obstante -sroM
raras que neste_gltimos dias ha conseguido ^^
Anf#eito aJ0Aslo para comprimentar a V. S.
e erever rT^B mantima e consderacao. de V.
S.jittento veneradotw-% criado JoaqukL, Antonio
dflftuuza Luna. ^t^ ^B
^ode-se a SjOOS o exemplanrJogoes do sys
tema mtrico decimal, segunda edlcco, de canfor-
mldade com os padrOes naciooaes.por Jos Anto-
nio Gomes Jnior, as Hvrarias, Universal, Acade-^^-5 parisiens
mica e Fraoceza, na roa do Imperador, Economa j cordavSo
ca.arco de Santo Antonio, e em casa do autor rna Sapatos de lona, sola de borra-
do Destino n J, onde os compradores de 2o exem-1 ',i -
piares, e d'abl para cima, teem um beneficio na
razSo de 23 exemplares por cento.
;o,
bolu acaicanl
cantador,
hpdeira TWPripilanteT'Prova conf.
dades intellectuaesdos calmateB, e f
qiiem, tendo bom siiso,^Bra nassa
majj|p, ou pobre *de sumo :
e attendao^t' bag^za.
flkmens.
Borzeguios barceiTortetes de lus-
tre e flborco Wk.
^os de ordeaM ....
Wkos parisienses^e bdfcrro e
A
mmwMWMm mmmm mm
8* DEPOSITO DE CALCADO
FABRICADO NA CASA DE ETEXCO
Ra Moran. I. fe*
Ahi se encontrarJo obras de di- m
Tersas qualidades, e por preco mui l
diminutos, a retalho e em porces. I
e vende a dinheiro. flf
mmmm **w un
r. JoSoCasemiro da Silva Machado, queira
nvraria o- 8, da praca da Independencia a
Grande Liquidacao de Fa-
zendas
Armazea da Arara ra d:i Im-
I crarl/ n. 56.
Rio-Formos
__ nass;
pobre *3 sWrJ Jpc.
(E1TA-^*.|
gflel Tolentino Pires Falco vem por rano do
i prevenir ao publico que o padre Jou de
go Accioli nao pode vender o engento
silo no termo do Rio Formoao, como
; o pretende t.ner, sera o comprador
Ka scffrer exerujao em dito engenho, a
loe <1|sp5e a nossa lei hypfthecaria
Attencao.
No deposito de vidros da ra da Iraperatriz n.
19 concerta-se toda a qnalidade de vidros, crys-
taes, porcelana, louca, alabastro e pedras precio-
sas, garantlddo-se o solidez dos concertos, e aprom- gola
frta-se com brevidade qualquer concert.
Trocam-se notas do banco do Brasil e das
caixas tiliaes com descont razoavel : na
ndependencia n. J.
I Ditos aveludados.....
i Dito- de tranca bons r .
Senhoras
Borzegnm enfeitadoss. .
Ditos de laco......
I Ditos lisos .....,,
Sapatos de borracha. -
Selleiros, corrieiros e segeiros t
de lustre, meios grandes
E um completo sortimento de calcado
DE
Lonrenco Y. Mendes Guimares.
Chitas da Arara 160 rs. ecovado.
Vende fe chilrs ppenras e claras a ItO e 200 o
covado, corles oe ditos a 2 e iUO. liua da
Juiperairix loja .a Arara, n. 56.
Cassas francezas finas a 240 o covado.
Vende-se cas>as (rauetza- Unas a 280 e 320
i o covado. Corle- de <*<*# a ffliOO e &. Ra da
: Imperatril loja do Arafa*. 56.
Arara vend chitas franrezas' a 250 rs. o
covadf?
Vndese chitas /raucezas e^(ura.s com pequmo
loque de mi fo a 240 o curado, ditas dancezas boas
largar a 80. 320 e 400 r. o covado. Ra da Im-
pera irii d. 36. f
Bretanha de rola a 3&00.
art. 3o; por quanto sendo chamado pelo Vende-se pegas de bretoha de rolo a 3$00.
a auiliuiia pelas bemfrilorias do ec- briro lizopara leoces a 500. 560 e 640 ocovado.'
ho~Sa>U Ros^^nao possuindu outros bens de Ra da lipperatnz loja do Arara n. 56. ^^
r suficiente, f o dito engenho sujeito ao dito Cambraias lizas do Arara a 3(5k.OO a peca,
amento. E para evitar futuros pleites, fax o Veade-se pecas de cambraia finas z 2}, 4$, e
o presente annnncio. Recife, 28 de 5$. Raa da imperatrlz loja do Arara n. 56.
________ ._ Arara vende cobertores a I 3500 e 15000.
Vende-se cohertoresa 1,8000, ditos finos de pel-
los a l500, robera- de lista 2*000 e 25400.
V Jpprielario deste estabeleciment participa coberias de damasco 45000, cobertas d fnsto a
ao r .eitavel publico que acaba de reformar o {5)000. Ra da Iraperatriz loja do Arara n. 56.
sen||Al de modo a oflterecer aos seos freguezes MadapoBo francez do Arara a 3^000.
Jffibles commodidades, boa e aceada eomtda. Vende-.-e recns de madapolao francez de 12 jar-
!# fcs vinbos e magnficos bilbares por preco l dag a 3,5500 e^OOO. vende-sp wntde madapolo
nMo. O servico feito com regularidade e oglM t 2i jsras t 550fo, 7# e 85000.
lioao urna prova de qoe o proprtetario do Roa da imueratriz 11 56
viata mnilo se empenha em agradar aos Arara ved(J pep ^ a,god3oii->lo a 3fiCQ0
Vend-s pecas ue algodoznho encorpado a 35,
45, 35, 65 e 75. S na loja do Arara vende se
84000 ^nhjt de 1866.
ande hotel Traviatj.
'goezes. Este botel,
osario o. 37, no bairre de Santo
[ida o mais central, e como ta
lais vantagens.____
t-,
do
aos
situado na rna larga
Antonio,
o qne pro-
praca da **?*? P1
= Na ra das Crues n. 20, segundo
Sr. Feliciano
seu inte-
'1
Precisa-se alosar um scravo e urna escrava andar, deseja-se fallar com 0
que sejam fiel ; a tratar roa do Rangel n. U Rodrigues da Silva, a negocio de
CASA DA F0RT8 ^
Aos 6:000^000.
ullttetcs garantidos.
A' RA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUMB
O abaiioassignado vendeu nos seos nito feli-
ces bilhetes garantidos da lotera qae se acabou
de extranir, a bcncBcio das familias dos volunta-
rios da patria, os segointes premios :
N. 3198 ara raeio com a sorte de 6:800p.
N. 351'J um meio com a sorte de r.2005-
N. 3513 nm meio com a sorte de 5005.
N 2548 dous quintos com a sorte de 2005-
E outras mutas sortes de 1005, 405, 205-
Ospossuideres podem vir receber seus respec-
tivos premies sernos descontos das leisnacaaa
da Fortuna i rna do Crespo n. 23.
Acham-se a venda 03 da'7* parte da 5' lotera
(70"J 'beneficio da Santa Casa 4* Misericordia,
que se'asrahira* terca-feir3 de|ulbo.
PRECO.
Bilhetes.....65000
Meios......350OO
Quintos.....l|200
Para < p essa ai fie Mainrca de 100(500(1
para eiaa.
Bilhetes.....55500
Meios......25750
Quintos.....151OO
Makol M-artins Fiuxa.
te Mil ris por mez eada
na.
Piecisa-se de tres escravos para trabalhar de
e%ctada no sitio da Sapucaia em Beberibe, paga-se
a-jBHantla cima : a tratar do mesmo sitio ou na
Jdo Livramento n. 5 loja.
A rrendamento
0 bem vende a sua chcara no Maagninbn,bea
cos) vende duas parelbas de muas, tres|
carros sendo urna 'victoria, um coup eum
cabriolet coberto.tres caceas de leite sen-
do duas paridas, < lodos os trasteseutencilios das casa e cua-
cara; quem pretender pooe ir (xamtoar e
entender-se con -o Sr.Jos dos Santos Ne-
ves, na rna do Crespo n. 19.
Chapeos de maisiUia branca
a 14^46,5.18e20d.
Ka praca da Independencia a. 24 e 26.
O agentes dileflSes lympio pode
orado para os misit-f^ de sua profisso
o sua residencia oa ra Forraosa n. 14.
Foro de Macei
Os hachareis Jos Antonio de Maga-
Ihes Basts e Miguel Filicio Bastos da }M
Silva, tem sen escriptorio co largo 'e t
Pedro II, junto da secretaria d ooticia.
tt*K*K Umm BBfllB
Precisa-se de um criado : na roa da Cadeia
do Recife n. 40.
__ O xternato Gadaulf *
&$$ principio da riK do llusuieiuH
porta de Ierro.
Recebe alumnos de primeiras letras XK
desde as 9 horas da maobJa at as 3 da m
urde. Preco por cada um 55- De dous I
para cima os pas tero urna reduccao de I
10 por cento.
Profe.-sor de prrmeiras letras Tito Au- g|
gnstn Porto Garre 1 ro, ensina leitura, es- g
K cripta, ta Loada, dealr na, gramma ica na- !
p eionai e as operacoes at as fraccoes
Professor de franc-z, geographia, M|
arUhm.-tiea e geometra H Gadault. Pre-
co de cada materia 55, de 2 para cima
tambera ha di uinuico de 10 por cento.
Professtr.de desenho Eduardo Gadaott.
Preco por cad au ~>t, sem diminuic'o.
ttMI
Roupa engommado,
Na ra de ApoUo o. 37, loja, eogomma-se com
perfeico a prefocommodo.
O sorvete da roa da Imperatriz n. 3 se vende de
hoje em diante a 240 em lugar de pataca.
Precisa-se saber quem seja cesta pra$a cor-
respondente dos Srs. Lonrenso Luir das Neves e
Seraphim Ignacio Paes Brrelo, este da comar
Rio Formoso 00 Una,e aquelle do engenho Per-
osa, do termo de Porto Calvo; podendo fazer
favor annunciar, ou dirigirem-se a rna Bella o.
22, das 4 horas da Urde em dianie, a negocio de
Immtdiato interesse destes senhore?.
Urna pessoa habilitada offerece-se para cobrar
pelos sertoes desU e outras provincias, mediante
urna comroissao coavenciooada; qnem pois preci-
sar de ul servico dirjase a ra do Queimado n.
31, loja do Sr. A. M. Rolim.

!_________ ^^
arsim liarato, roa da Irrperainz n. 56.
LSastnhas do Arara a 200 rs. o covado.
Vende-.-e lasrohas para vestidos de senhora pelo
barato preco de 200, 240,320 e 400 rs. o covadj.
Ra da iraperetriz o. 56.
Balites do Arara a 2,S()()0.
Vende se banldts de arcos a 25000, ditos linos
i de 20, 25 c 30 arcos a 35 35500 e 45, ditos de
murmlma para senhora a 55, ditos para meninas
a 35 e 3500. Ra da Iraperatriz loja da Arara
u.56.
Lencos da Arara a 20COO.
-Vende-se a dozia de lencas brancos a 25000,
ditos com barras tambero de cores a 25000, meias
cruas para homens a 25400, 35500 e 45500 a do-
zia, aberturas para carnizas a 500. Roa da impe-
ratriz n. 56.
llYAL Sl MIMO
Rna lo Queimudo u. 49, loja de
mliidfzn
UE
Jos lUuoilinlto
Esta queiroando as miudez:.- abaixp^fXU/das :
Frascos dexileo baboa fino 200 a 320 rs.
Ditos dito falco a 600 r.
luios de macaca percla a 200 rs.
Din- <\m superior banna a OO rs.
Canas com 6 frascos dec heiro a 800 rs. '
Saboneles fiuos a 60, 160, 200 e 320 rs.
Ditos de bolla) superior a 210 e 320 rs.
Livros pxn rreciiios com enamps a 320 rs.
Caixas de 12 fia.-( o com cr.e.ro a 15.
Frascos de oleo babo-a muiloflnoa 400 rs.
Uuzias de meias soperior ualii'ade para senbera a
455OO.
Ghegafam as agulbas balo (papel) a 60 tsms^
Caixas com bonitos .'oldados de rnomDo aTO rs.
Dilus de (oa para lBipar denles a .'00 rs. ?
Pedral de escrever (pequeas) a 160 e 200 rs.
Sapatos de tranca para homens e senhora a 15500.
Pecas de fitas di
Grozas de bot
640 rs.
Caixas de clcheles francezes a
Pecas de Iroco de todas as cores
Caixas com superiores envelope a
Pares de sapatiotus de laa para
Ditos de meias pretas para senhoi
360 rs.
Lir ras de pregos de todos os tamanbos a
Caivetes cora duas folhas mnito
500 rs.
Saboo'tes e familia, soperior a 100
Resma de papel de peso muito fino a 25-
Fra-cos com tima superior a 100. 140 e 320. -
Grojas de (ho.-phoros de gaz a 252C0 Pares de botfles tara pnnho a 120 e 240 rs.^^
Pecas de eptremeios mr.iio finos a 500 rs.
Calza de pos para lirapar denles a IQfta.
Caixa de superior iinha do gaz com otiHUilosa
15000 rs.
1'ui'tiras de eor.ta para meninas
Taiheres muito linos p*ara menino:
Camilla da doutrina cliii.-:."ia320
Frasco muito bonios com rlieir
Caixa com soperiors breas para 6
Ma>so com .-uperiore.s granitos a
prea para
madrvpe

.
00 rs.
ores a
QOJ^We
el s.
COMPRAS
Compra-ee
urna escrava que seja boa figura e que saiba bem
e ngommar, uao excedendo de 25 annos de idade,
e paga-se bem : no escriptorio de Vicente Ferre-.
ra daCesU de Filho, roa da Senzala o. 138, on em'
seu armazem jnnto ao arco da Conceieao. 1
INJECCAOe CAPSULAS
LVJEGET AES aoMATICO^
GRIMAL"LT&GLEPnAftMACEUTIGOSEM?ARIS
Novo tratamento |ireparado com as folhas de
Mtico, aore do Per, para-a cura rpida e in-
Mivel da Gonorrhea sem reccio algum da con-
traccio do canal ou da inflammacSo dos intestinos.
0 clebre doutor Ricord, de Pars, ler renonciado,
desde sua apparico, ao emprego de qualquer
outro traUmento. Emprega-se a Injecco no
comfico de fluxo; as capsulas em todos os casos
chronicos e inveterados, que resisro s prepa-
raedes do copahu, cubaba e s injecces com base
mttallica.
A venda as pbarmacias de P. Maurer
C. e A. Caors, em Pernambuco.
Ouro e prata.
Em obras velhas : compra-se na
dependencio n. 22. loja de bilhetes.
Compra-se urna burra de ferro, ingleza ou
mesmo das antigs; na ra Nova n. 31.
Na ra do Queimado, botica n. 15, precisa-se
de um caixeiro que tenha pratica de pharmacia.
Claudio Oubeux, proprleurio das iinhas de
mnibus, faz soieote ao publico que d'ora em da li-
te s manda dous omoihm para a Iinha de Apir
eos, os qoaes p*ctroi> do Recife a6 4 e 5 horas daK
urde, e voltario de Appucos as 6 1)2 e 8 f|2 ho- f,^
ras da maohiki. Outro sira que os mnibus das ,
Iinhas de Oliada e l'assagem continuara, como al segianuo anoar. ___
agora, iodos os dias de manha e de urde, e o ora-; Compramse as obras
nibus de Jatoor.ao dar duas viageos por semana,' pathica do Dr. Jarrh e Cochrane,
partindo do Recife para Jaboaio as quartas e sab-! thotogia do Dr. larrt : quem as Hter deixe carta
ser firo- DJ(j0S j,, tarde, voltando de Janoatao para o Recife com o nreco de cada nma. e a morada para
oa oesa 1------:------->-- -------'- ..-..-1-
Obras d Dr. .Chernoviz
Foraulariu ou yu medica
qae contera a desenipcao de todos os medicaroeo
KM, com 194 figuras no texto; stima edico, l*Co,
1 vol. encaderoade de 838 paginas. Preco 65
Dieeitiat de medicina popular
q*e contera, n'uraa inguagem vulgar e clara, os
sigoaes, causas e tratamento das molestias; -os
soccorros que se devem prestar nos accidente.-
graves e suintos. como aos afogados, asphy&iades,
assomnrados de rata, as pessoas mordidas por co-
bras venenosas ou caes d cunados; as plantes
atis e venenosas, indgenas do Brasil e exticas ;
a preparado dos remedios caseicos, etc.; terceira
edico, 1862, 3 vols., eocadernados. com 231 (ibe-
ras o texto. Preco S05.
Historia natural recreativa
para os meninos e meninas de 7 a 15 annos, a
cooversaco de um pal com seus ihos acerca 4e
Uiaoem louvar os seus constantes es-! mullos animaes e vegetaes, 1 vol. etegantemeote
encadernado, de 176 paginas, com 154 figuras te
texto, 1861 Preco 45.
Mudo de coukeatr a idade ia.cavada
do burro, das bestas muars, do boi,. do carneiro e
do porro. Brochura de 32 paginas, com 52 figo-
ras no sexto, 1866. Preco 15.
\enem-e nade Crespo m.
UVRARIA PRANCEZA.
for<;os em traba Ibo to .ut:, juo necessario
na actual idade.
ens jarde a V. S.*ecretarii do ttx-
bunal do cammercio de Peraambuco, I6ie
abril de.lJtt.lilm. Sr. Jos Antonio Go-
mes Janier. o secretarte os Marcelino
da Rosa.
Tribunal de commercio da Babia, aos 3
de mate de 1860.Illm. $t.~-Foi presente
a este teibunal o escriptor da.ebraNocoes
e sys tenia mtrico decimal, gegnuda edi'c2o
que teve a bondade de offerecer-
Ibe, aco^)anhado do seu officio de 13 de
abril proumo pausado. V. &. acceite pois
os devidosagradecimentos.
Deus guarde a ,V. S. Illm. Sr. us Anto-
nio Gomes Jaior.Maaoel Joacj.uim Sabia,
presidente do tribunal do coauaercio da
ahia. q
mm. Sr.a direccao da associacao oKinerciai! Machiaafi para descarbcar aigodo.
desta praca, tem prazer de aecusar a cepQao Motores para ditas.
daodBcio de V. S. de 19 do prximo passadrvacom-
paatudo de ura exeapUr-rfioodes do syMtmt me
trico.decimalque T. S. edignou de leraeer
SMmud Power Johnston i tempanliia
Ra da Seazaia Nova n. i.
AOKHCtA DA
F^adf^io dr f.ow Mr.
Uacbinas a vapor de 4 & 6 cavallo*.
.Vloeodas.e meias moendas para esgenho.
Taitas de ferro coado e batido parcenge-
nbo,
Arreioa.di- carro para oaa-e dona catvtlot.
Relogtofi de ouro patente tcglez.
Arados americanos.

as quintas e segundas-feiras de maotia ; a linba
I de Cachaoga fia interrompda, visto que a respec-
; tiva estrada esta' Intransitavei, mas principiara'
logo qne diu estrada esteja cooceruda.
Precisa-se de um hornera para andar com
; urna carroca : na padria da roa Imperial o. 179.
AROP
D HYPOPH0SPHIT0 DE CAL
de GRIHAULT e C*-
Pkarmoctmiicot dtS. A. I. o Principe Napoleao
en Par.
Desde muidos seculos os mdicos c os chimicos
tinhSo procurado um medicamento que podesse
curar as molestias de peilo; todas as pequizas
ti-itas ath boje nao tinliao tido nenbum resultado.
P6rem os trabalhos que lorao eommunicados
ltimamente Academia de Medicina de Pars, c
as mais serias experiencias feites .no hospital
Brompton de Londres, que especialmente reser-
vado para o traUmento da tsica, provaro que
essa terrvet molestia, quando ella nao estiva
anda no seu Itimo grao, tinha no 'Karope dHy-
pophosphito de losses, defluxoe, caurrhos, broncliiiia, grppa e
coqueluche, eedem tambera rpidamente ao uso
d'este Xarope, e os aslhmaticos aclio a'elle um
. elemento cedo para curarcm-se.
Recommenda-seaos doentesde azerem nso ao
mesmo lempo des deliciosas paslilhas -peitoraes
jo sueco de aluce e delouro cereja,dos-6r,,GRi-
Jd AULT K C". Este exeellente preparacao secompoe
de duas substancias as mais calmantes e as
mesmo lempo as raais^inoffensivas da materia
medica, e nao ooottm opio.
Deposito as pbarmacias de P. Maurer
C. e A. Caors, em Pernambuco.
Rodelas de borra xa
proprias para atar massos de papis, e para ser-
virem de ligas para punbos, manguito?, etc. etc.
Vendem-se na ra do Queimado luja d'aguia bran-
praca da ln ca n. 8.
Mui finas cartas
francezas, com cantos doorados, e sem dourado.
Vendem-se na ra do Queimado loja d'aguia bran-
ca n. 8. %
Envelopes azues
a 500 rs. o cento.
Vendem-se oa roa do Queimado loja d'agoia
sterliuas : na praca da branca n. 8.
__ __ Apparelhos de porcelana
= Compram-sa duas soleiras de canta- __ orados e pintados.
m roa.00Queimado loi d'aguia manca d. 8,
veodera se benitos apparelhos de porcefana para
almogo e jamar de b-necas.
de medeclna borneo- Bonitos qnudros
e umbem a pa- para retratos.
Vendem-se na ra do Queimado loja d'aguia
branca n. 8.
Compra-se ouro, praia e pedras preciosa
em r-'-i velhas : na ra da Cadeia do Recife;
*" onrives no arco da Conceieao.
Compram-se libras
Independencia n. 22.
ie Lisboa: na roa daituperatiiz n 12,
procurado, no sobrado n.
pateo do Terco.
27, segando andar, no
--
Libras a 9#800.
No escriptorio de Vicente Perrelra da Costa &
FHho ra da Senzala n. f38 primeiro audar, otn-
pram-se libras sterlioas a 95809.
Compramse dous Bourgains em segunda
mf.o: na roa nova, escriptorio de Qulnteiros &
Agr.
w^
VENDAS
.-
e
**.-.
a
osU associacao." Dando o davido apreco a asa va-
iiosa prodocio a direceo se Jfie conessa grat, e
proveundo a oecasiao, tea e prazer de eoovur
a V- S..para seu socio hoaorariq, boora qne especa
V. Jhe.aao negara' cooeeder.
Deus arde a V. 8.Ceanf, 2f de maio de Mdd.
Uto. .Se- Jos Antooio Gasea Jnior. Heory
Kalkoann,presidente.lose Luir,de Souza, aeere-
tario.
Illm. Sr.pecoso a recepto o oBeio de V. S.
dligplo a osle iribooat era data 4e 12 de abril lin-
do, aeorapasbaodo um exempiar da ubra publica-
da por V. S e que tem o titofoooec do syste-
ma mtrica deaimalcoja obra fui co especial
Deus guarde iiHi.Tribunal do commercio do
Maranbo, 9 de aaio de 1866.Ilim. Sr. los An-
tatio GootM JaMar.-Mawel Cerqueira Pinto.
Um. Sr. Jos Aatooio Gomes Jnior.Presad-
simo enbor. J\* a dwtncu honra de receber a
presada carta de V. 6, sob data de 19 do mez fia-
do, e Jautamente um exemtJar de sua mui inte-
ressante obra eoeWs do fstema mtrico deci-
malde frauda o ti l idade para su praea, por ja'
estar em execocao. Apraeto omito este trabalho
da V. S., tanto mais porque veto un orna occasio
qjte se faz muito preciso.
Taabo a dutiaeu hoara de ser tota particular
estima de V. S., altalo venerador e criado.-Fran-
cisco CoelLo da Pooceca.Ceara' 17 de maio de
18M.
Sala da eommlssio da praca do commercio do
Pau' ao 54 da ato da 1866.Hlm. Sr.-B
eowavio acema a reeeaeo dos offlcios de V.
de 13 de etpmbra nUlmo, a II de abril do corr.
te aoao/dcorapanhaado o* dops esemplares J
systema trico dannai -digne ti3mte seWa
Macbioaa de costara.
ajmm mmm^m bWBkM^mm
gf O Dr. Carolino >Pranctoco de Lima San- "
mt tos contioa a mocar na ra do mpera-
2 dor o. 17, segando adar, tendo as seo
[j gabinete de consultas medicas, ligo ao
j( entrar, ao pruoeiro.
O mesmo doutor, qae se tem dado ao
estudo tanto das operaces como das mo-
lestias interoas. presu-sa a qualquer etia-
mado, quer para denme quer para fca
da cidade.
mmmmmmmummmm
Casa de caaaissie de eacraves aa ra da late-
radar i. 4a, tareaira aviar.
Recofaem-se escravos tasto do mato como da
praca aara serena vendidos por commisso, afflan-
ca-se o bom traumeoto e sagoraoca para os mes-
mes. O abaixo assigoado oaa poupa esforcos aQra
de os vender com promptialo, aesu aaasma casa
ba sempre para vender escravos de ambos os sexoa.
Aatooio Jos V. de Soma.
Cempanbia idedade de aefoc
maritimo^ terrestres
estabelecida no ilio de Janeiro.
AGENTES M PEBNAHBUCO
latoaia Luiz de Oiwetra Iteveda L <.
coaapeteD temen te antawsados pela direc-
tora da compaahU de eguros Fidelida-
de.totaam seguros da atavos, mercado-
riaa a prodios ao sea eeoriptorio roa da i
Crasa, i.
Na ra tas Crzes n, 42
endose.
Quecos do ultimo vapor.
Doce de gofaba eoi latas.
Maotetga inglexa.
l)iu franceza.
Ct de diversas qaattdades.
Vtobodo Porto,.LisOoa e.Fiyueira.
Gaz em latas e garrafas.
E -outros muitos gneros per mais rasoaveis
preco* do qoe em outra qualquer parte.
~^~ **ode-se na foadicao-da Aorora, as melho"
res e.mais perfeiUs c*ixiuhas com fita de medir, e
telbas de ferro galvawsado, ludo por preces ra-
zoaeei*.
i
Perfumara inglesa
A agua branca a ra do Queimado n. 8, receben
ura nevo sortimento de Anas perfumaras inglezas
de I. Gosncll & C.; sendo extractos dos agrada-
veis cheires Booq da Rainha Vtctoria, do P. Alber-
to, do imperador Npoleao, da iraperatriz Eugenia,
Garlbaldi, Miss Lind, Joch Cleb, frangipane, sn-
dalo, etc. etc.
Oleo lino para cabellos.
Opial para pentes.
Agua Colonia."
Saboneles finos creme deamendoa para harba.
Penras d'aco inglezas
douradas e sem a ser.
Chegou para a luja u'agua branca ra do Quei-
mado n. 8, um exeellente sorlimenlo de peonas
d'aco Inglezas. douradas e sem a ser, porra todas
de quatidade exiranoa, e continua-se a vende-las a
250OQ, 25OO e l5O0 a caixa.
Tinta azul e preta
tinta roera e preta.
Esta* tintas cujas excelleoles qualidades ja' sao
bem cocheadas o apreciadas pelos entendedores,
acham-se a venda na ra do Queimado loja d'agna
branca o. 8.
Lacre lino de cores
com cheiro e sem eWe.
Na loja d'agoia branca roa do Queimado n. 8,
vende-se lacre tino encarnado aromtico e sem o
ser-; dito verde, e urnas cixinbas rom ditos de
cores pelo barato preco de 500 rs. cada urna.
Papel inglez
^^_i .Arm em caixinhas.
qp 1 uanwi m 51^ jqj, d'aguia branca a' ra do Queimado a. 8.
Saooders Brothers 4 C. acabam de receber de veile-se4es>e soperior papel inglez em caixlohas,
Liverpool vapores de forca de 3 a 4 caaallos com! Luvas de camursa
todos os pertences. e mal proprios para fazer mo-'. brancas e amarellas
ver machinas de desearoear algodio, podendo cada1 Vndenme na roa do Queimado loja d'agoia
Rovo orliraeiilo de
liiias.
Chegou para a aniiga loja de miudezas a ra do
Queimado o. 16.
Bonitos vasos de porcelana donrada cem tcnba
muito fina.
Outros ditos de p de pedra com dita.
Garrafas com superior agua da Coknia.
Paseos com agua balsmica para denles.
-Dito de dita dedifriee.
Dito deexiracto de quinquina lambem para den-
tes.
Dilo com superior agua flor de laianja.
Hilo de dita flor de rosa.
Dilo de dito vioagre de Venus para refrescar a
peile.
Dilo de dito agua ambriava para banhos do ros-
to, corpo etc.
Dito de superior agua de Colonia ingleza, de Pi-
ver e Lobio.
Dito de exeellente banha de LuLm.
Sabonetf s de Lubm, e outros de amendoa, trans-
parente, etc.
Co>metiqae (ou pomada) de tupertor qualidade.
FiBos extractos, frangipane, sndalo e odres
lan.rem de finos e acradaveis elniros
OpiaU ingleza e franceza para denles.
Iionilos vasos com 10 de arroz e pincel.
Cantabas com aromtico p de arroz.
Oleo inglez. dito ph lotome, babosa e outra.- o,ua-
idsdes para cabello.
t leo macme para liogir cabellos.
Essa apreclav! tintura ebegou para a loja de
miuJezas a rna do Queimado o. 16, assim c< tito <
sabonete branco, para se lavar os cabellos antes de
se usar da preparacao.
Cabazes de vidio com perfumaras.
Vende se esses bonitos cabazes de vidro com per-
fumarias, proprios para presentes, etc.; na ra d>?
Queimedo loja de roindezas o. 16.
Utas e eopos c< m bat ha fia,
A bem conhecida loja de miudezas a ra d
Queimado n. 16, acaba de receber as estimadas ta-
tas cora banha fina, assim como ci pos de viro !e
novo e bonito molde, com lampo de vidro e cbeiros
de rxcellentetanha. Recebeu igna'aente airo
vense Mnlia tiansfarecte qoe muito serve para
acabar as casjias, e a aromatk!1 p agradavel br.&ha
japoceza e ootras. O* pretetk. s dirija!, -c a
dita loja de mladezas a ra do v imado n 16
que serio servido a contento.
Bouquet dos alpes,
Esse lino e agradavel extracto, vem etu om bo
nito vaso de p de pedra e este dentro de una e<-
gaote caixinha de papelao, de forma que a perfei-
co de urna coosa correfponde a supenoridade de
oaia. Esse apncuvel extiacto acha-se a venda
na ra do Queimado loja de miudezas n. 16.
Agua florida e tnico,
Vendem se na loja de miudezas n. 16, ra do
Queimado.
Frascos com gomma arbica dissolvida
e pincel.
Vendem-se na Tua do Queimado loja de miude
zas n. 16
Tinta indclcvel para marcar roupa.
Vende-se na ra do Queimado loja de minCeras
0. 16.
Fila elstica para cus da balao, e aspas de
ac para os ditos.
Vendem-se na roa do Queimado loja de m.uao
zas n. 16.
Bonitos entremeios e babadinhos bor-
dados.
Vendem-se por barato ore$o na loja de miude-
zas n. 16 oa roa do Queimado.
Tinta rxa e azul que ficam pretas.
Na loja de miudezas n. 16 a roa do Queimado.
vendem-se frascos grandes e menores com essas
excedentes tintas, rxa e azul para fiear preta : o
preco dos frascos 15000 e 500
Graxa econmica em latas e barpilsinhos.
Vendem se na loja de-miudezas u. 10 a t.... Co
Queimado.
mmmmmm mmmmmm
vapor trabalhar ale com 140 sorras, tambem ser- Jaranea n H.
vem para eafardar algodo oa para outro qualquer
servieo em qae usam trabaur com auimaes. Os
mesmos umbem tem a venda machinas america-
nas de 35 a 40 serias : os pretendeotea drijam-
se ao largo do-Corpo Santo n. 1L___________
Na roa langa do Rosario a. 32, vendem-se
dous rolos de 'fumo por preco commodo.
pretas para padres
ra do Queimado Kja d'aguia
Aviso-
As pessoas qoe iinham peoboroc em mo do
Mecido Narciso PVreira da Vefga, podem vir re-
ctenlos do agente Martins, na roa 4a Cadeia do
Heeife n. 9, isto no praso de oito das, lindos
serao endidos em leilo.
Jkfeiae
Vendem-se m
branca n. Aspas largas e fortes
para balo.
Veodem-ee na roa do Queimado loja d'aguia
branca a. 8. ___
SSSTi M500-affi?4.Dr.JC.Aw?.|e.te
da Unveroidade de feosvlvanio, ios
Esladas-liiidos.
Chapeos i
n, man, u, 4
S ha na loja da praca da Independencia ns. 23
a 25, jnnto da loja de fu ni le r o, a eiles que se es-
le acabando.
, Ama de leite
Precisa-se de urna ama ^ue tenha bom
roa da Aurora o. 26.
UUe
AlOga-se nm grande sitio com boa casa, es
tribaria e cocheara, com muitos arvaradot de truc-
10, calleles baixas a pasto ao vario uta 20 a
30 canecas de gado, e mnito perlo da cidade, que
se pode aadar a pe ; quem o pretender dirija-se a
rna da Cadeia do Recie, loja 0.54 A, ou aa Pas-
sagem, segondo sitio antes de cfaegar ao hospital
poriuguaz, a fallar com 0 Sr. Antonio Botelho Pla-
to de JesquiU.
OSr Miguel Alexaodrfno da Pomada Galvio
presente nesta cidade, tenha a baadade, de ao-
dfcretirar se para seu engeaho, dirigirse a roa
Bei^P.22, das 4 hora* da tarda em diaptr, a ne-
gocio.
Amaro de Barros Crrela e seos Albos
cordialmente agradecen) u pessoas qne se
dignaram assistir aos ultimas suffragios pe-
la alma de soa sempre chorada consorte e
mal D. Carolina Thereza de Barros Correa,
e convida aos seos amigos e pareles para
assilirem a ama miss que mandas) cele-
brar oa capella do eeruiterio, no stimo da
3 de jaiboa< 7 hora* da maohaa.
. staV
Aos amantes da boa pinga.
Joao Luiz Ferrelra Ritteiro acaba do receber do
Porto pela barea Claudia barra com alaaode de
abo tinto, bastardo do Alto Douro, asseoelbado
ao viobo erde.o meihor qoe tem vindo nele gene-
ro,eOfO inho rtmeltido|pelo mesmo agrkoltor.e
para eoawnodidade dos compradores o deposilon
no armazem dos Srs. Gaimaraes & Carioso, na
1 oa da Madre de Dos n. 20, juaM a airanega, em
sen escriptorio aa praca da Santa Cruz ns. 6 e 8,
na Bea-vista.
ARRENfttlKNTO.
Arrenda-se por nm aoao, o sitio que foi do te-
ncute-eorooel PlorMicio Jos Carneiro Monleiro na
estrada do Monteiro para Aplpocos, com casa da
vivenda, cocheira, qaartos para preto?, estribara,
otaria com muito bom barro: a tratar com a viuva
do mesmo e seui lierdelros, aa na da Impefatril,
1* andar. E
Precisa-se alogar nm naro oo raoleqae que
seja fiel, para um sitio : quem tfver anniacie.
Exlraelo eonaposto de salsa-par-
rllha e Ajer.
Peloral de crejai.
teaniealla para aeztea.
Plalas eathartlcaa.
O depisito central para as provincas :
Pernambuco, Alagos, Parahyba e Rio*
Grande do N01 te, destes remedios Uto fa-
voravelmente conhecidoa e acolbidos em
todas as partes da America do Sul e do
Norte, acba-se em casa de Tkcod Chrla-
glaieai, 16 rna do Trapiche eaa
Peraaaanea?.
Os preoos de
33^por dazia de estrado de salsa-panllha.
i" por duzia de peitoral decereja.
27f5 por duzia de rem dio para sezoes.
16Ra das Laranjeiras16
Estabelecimento de molhados em
grosso e a retalho.
Manteiga inglexa a 15.15200 e 15280 1* quali-
dade, dita trncela a 640 e 720 rs. a libra, daf
em caroca superior 300, 220 e 240 rs. a inL ena'
iodo aalfiOO, do fcysoa a 25600 a libra, bola- .
xa de soda e outras qualidades a 15300 a Jifa,, vi- 7# por duzia de pilulas catharticas
lSASE? **&"'*e ^tn* sWt'*' M enteodem dinheiro vista,
to era barril a 800, dito branco a 640, dilOweri- .^.^,!^ j k .^____
gueira a 00, dria de Lisboa a 300 rs, servek boa d?eo?*0 .de.8 Pr "nt0A <**'
qaalidade a 50O, dita Qats aftaOrs., conhak em e 6 a <2 dazia8> e de 10 '
metas garrafa* aOOOrr., champaoba a 15500, iei- quanlidades Superiores ? '
te doce a 640, dito de carrapalo a 860 ra^ gaz II- i 'jrs--------
quldo a 440 rs. a garrafa, cha' preto a 25200 a li-' ) 1 ^-KT,'
K, papel almacp e de peso, charutos e ootros
'tos objectos qve se tornara enfadonho mencio-
nar : garante-se boa peso e servir bem.
cLm
pa
IGrande armazem de tin-i
tas medicameiitos etc.
Ra do Imperador i. 22.
*oao Pedro das Meves (ge-J
rente) lena a venda o
aegnlnte:
Productos chimicos e pharma-
ceuticos os mais empregados em K
medicina.
Tintas para todo o genero de pin- !
(ora e pira tinturara. m
Productos indostriaes e timas Ik
para Homo, como botes' de flores %%
e modelas em gesso para imitar M
fructas e passaros com o compe- -^
tote desenbo. S
Productos chimicos e industriaes
para photographia, tinluraria, pin- S
tura, pyrotecnia etc. ^
Montado em grande escala e sup- ;'3i
prido directamente de Paris, Lon-
dres, Hamborgo, Anvere e Lisboa 5
pode offerecer productos de plena *
confianca e satisfazer quafcM1'"
( comBenAi "........
i
Venda-se nm par da dragonas para capillo:
na rna do Cabuga a. 9 A.
_ Vende-se me eocascado por menos qne er
outra qualquer parte : na ra do Amorira o, 18
Vendem-se
de 100. tar
fUOK
i
-*.
i
i MUHR EXEMPlHB ENCONTRADO







O que occupa heje mais a attencjl.o do munw
economice? E o novo systhenja do proprietario do ar-
mazem de molhados
53 RA DA CADEIA 53
PASSAff DO 0 AHCO DA COMCfilX'lO.
gue surge de novo hasteando a bandeira da modicidade de pre*os era todos os
superiores gneros.
Que o publico reconneca as vantagens que de tal svslhema le resulta, o que a
proprietario do sitado armazem deseja, a a que desde j o"convida : passando tambera a
otar-lbe osprecos' de alguns dos gneros do seu esplendido soriimentt, e para os quaes
seas
ATTE^iO
Ciomma de mllho branco americana.
i expeliente gomma, muUo se reeomcommenda como o ali-aento mais subs-
saulave!; servindo nao sopera papa (ni que superior de todas as ootras
e arinhas) mis tambem della se pode fazer pSa-de-l, cangica, creme, bolo
podim, etc.: o preco de cada pacote de urna l.bra 800 rs., era caixa tem aba-



1GA INGLEZA de superior qulida-
a 1,280 e I,E00 rs. a libra, em barril
se faz abatimento.
fjjPBM FRANCEZa a mais nova qae ha no
^^ mercado a 6io rs. a libra, em barris ou
meios a 600 rs.
H1SS0N de primeira qualidade a
3oj rs. a libra, alm desta ha muitas ou
meic
MOLHO INtSLEZ de diversas qualidades, a
72o rs. o frasco
MOSTARDA INGLEZA muito nova, a 800,
rs. o frasco
DEM FRANCEZA a 6io rs. o frase*.
SALMEO E LAGOSTIN chegado ultima-
mente, em latas de 2 libras, a l,6oo. rs.
-r ~ 1 ARENQUES em latas a 64o rs, cada urna.
s propnas para vender a retalho, que SARDINHAS DE NANTES em latas e meias
"tem de 1,600 a 1,800 rs. a libra, j a 600 e 36o reis.
!T0 o mais esp ;cial que tem vin-; VINHO DE COLLARES o legitimo vinho
ie mercado a 2,2oors a libra. desta localidade, muito superior e sem
ular de l,600 a l,8oo rs. a libra. I confeso alguma, a 800 rs. a garrafa.
DO .REINO ltimamente chegadosIDFM MADURO overiadejro do alto.Dou-
lo vapor 2,4oo: ditos do vapor passado' ro em barris de i o em pipa por 35,ooo
a 2,000 rs. I cada um.
LATAS DE CHOURICYS com 6 libras er- VINHO DO PORTO de diversas qualidades
Groa de aples p
GorgurJSo preto
vado.
Superiores moreantiqu
covado. lU
Dons cortes de.m".
Iiiem de gorgur
Bons pannos e c
Sup riores alpa
Boos vi lidos pru
Grande variedade
m, l*, de !6,f a 205, e Sp'^n a
Superiores retondas de ium
e de 30* a 60* cada uraa. f>
Superiores algerienes de f preto
. 30 a 600 cada urna. f r#
Bons chailes do sed* ta.
Ditos de Merino prefi fc
seria enfadnos enumerar
los e bombazin
le fil preto e de guipare a s^<
* OA- cadnm. M
Km
U, 8#,
e25i
LOJA
DE ANTONIO
guipur^a 8^05,
e de guipare de 120 a 250, e de
bordados e outras muitas fazendas pretas
E' baratissimo!
E' baratsima!
E' baratissimo!
Nesle importante estabeleeimento enoontra o res-
peitvel publico um variadu sortimento de bren-
das franceras, inginas e suissas, e as qaaes se ven-
dero ior prefr>eemmcdo a saber:
Cliale6 de renda prett a 30BO&
Vade-E' ara sortimenlo de chale d renda pre-
U a 5*508 e 6*, ditos de sed* a 1& I4J e 16* ;
isto aa ra da Imperatriz o. 7&de Guimare 4 Ir-
mo.
, Retonds pretas a 84.
Veedora* ret.-ndaspreas pelo barato preco de
8f. 8#S0Oe %i; ua ra da ImperatrU n. 7i loja
de UiMmafies & Irmo.
Grande pexincba a 2(5 o corte.
Vetide-se nones de casemtra- da Cbina a MOOO
2*500, 8*800 o 3*. dilas de brioi a 1*188,1*400
1*600, 1*800 o 2*. ^ *^'
E' muito barato, tarlatana de cores a 240
atfrielecimeiito acaha de rcHr pe- v A r*L, covado-
lo vannr Frlrpmaudrp p de sus nrnnri-. L vend^Wm grande soriiroeato de larlauna de
o wpor axiremauare ecie sua propna en- cores multo proprias para vestido, fazenda mais
commenda, ua completo SOlimentO de 0b- moderna que lera vlndo-ao mercada a 240 o cova-
jectos de apuraJo gosto e alguns de comple-1 ti novidade, como seja :
Riquissimos necessaaios. para costaras,
tend de madrepola, marfim, christal, e ou-
Loja do filante
RA DO CReK N. &
o cota
DE VASCONCELLOS & C.
mmpm%Mg. ^^m^^m^
PHOSPITAW
Dfal
N5o existe ndicamenlo .
Leras; as summidadei medicas do
nosannaes da scien;ia. As cores
E FERRO DE LERAS
K ACADEMIA DE PARS.
noso to notavel como o phosphato de ferfo de
lo inteiro adotaram-oo com solicilude sem igual
r-,:iidas, dores de estomago, digestoes penosas, ane-
meticameote fechadas, a 4,5oo, de barril ''en^arra^drinclusiveTmalsfinr^^a^ lr7nTiV,^nd^?JfS 8e^raS' ip/eQ,aridlafe m^struacSo,
n'Ste geneVo,. por 8oo, l.ooo, i^o^^SS^^' ^55^*-^* raP,daineD4rou ^^cados por esteex-
a 64o, a libra.
ESTREUNHA para sopa em caixas sortijas
de 8 libras, por 4,ooo rs.
YftiHO VERDE do verdadeiro samo da qv*,
e o mais proprio para s beber n'este
)mperio, pela sua extraordinaria fresqui-
dai e agradavel gosto a 64o rs. a gar-
ufa.
AMEiXAS FRANCEZAS em frascos de 4 e
2 libras, a 2,8oo, e l,4oo rs. em caxi-
nhas muito enfeitadas com diversas estam
pasa2,wo, l,8oo, l,5oo el,3oo, reisl
WSGOITOS INGLEZES emlatis contendb
diversas qualidades a l.oooe 4,2oo rs. a
lata.
PRINCPE ALBERTO bolachinhas as melho-
res presentemente conhecidas a l,6oo
rs. a lata.
SALAME HAMBURGUEZ chegados no ulti-
mo navio a l,6oo a libra.
4,4oo e ,5oo rs. a garrafa.
FEIJO verde e carrapato em latas ermeti-
cameote fechadas a tioo rs.
CHOCOLATE francezempcete df 4 libr*
por Joo.reis.
AZE1T0NAS das chocadas. ultner*p|te de
Lisbi a l,2oo rs. aaocWf^-.'^loo, a
guarrafa. "^DBBLS
CAF avado a 24o rs a lwa, #o7I,ooo rs.
a arroba, e regular a 22o a ltpr fi'f *o*i
a arroba.
VINHO CI1EHRY do raart,jpwQi^ mer-
cado a l,5oo rs. a garaf-4, e i^koo nH
a duzia.
MUSCATEL o, verdadero de Setohal, a
l,8oo rs. ag-wa'a, e2o,oe a da^ia.
VINHO BORUEAUX das mai aovtitadas
mareas, S. Emilion. Sant Julin Haat
E o conserva lor por excelencia da saa-le declarado superior nos
hospitaes e pelas acdmias a todos os ferruginosos conhecidos, ao idoreto e ao citrato !
de ferro, porque o nico que convem aos estmagos delicado*, que nao proroca cons- :
paco nico tamtem que nao enegrec a bocea e os denles.
Em Pars na ra da Feuillad%n. 7.
'venda em casa de M-iurer, e A, Caors.
tras muitas qualidadas
Ricas caixinlias de madeira machetadas
t idas de raidrep la, com msica, e o'neces-
sario para costura.
Cixinbas de mnsica, tanto de veio como
de corda.
Riqusimas malasiuhas de madeira, for-
' radas de marroqnim, contefldo o necessario
para costura,"prppria para meninas.
Lindos vasos para pos de arroz.
Lindos livrinhos com capa de tartaruga sSw'$li
para mi.sas. Cambraia branca a 3*. -
Riquissimo sortimento de enfeiles para1 Vende-se om grande sortimento de cambraia a
senboras e meninas. 3*, 3*890,4*, 4*00*.
Cintos inteiramente novos. Baloes a 2)5.
F veltes, de tartaruga, christal, e metal,!, Ven.-se baleesmtmm*M, i*soo e 3*, di-
Dara Cintos dfl Mnhnra \m ana"cas 3*l04jke 4*500, dilos da mor-
P 1122? 1 1 ? a* j : cel,5La 3*'*500 e 6** d'tosTara menioas a 4*
Leques de sndalo e de madeira. ; e 4*500: isto na rna da Imperairiz n. 72, loja de
Riquissimos porta bouquetS. Goimaraes & rmeo.
Lovas verdadeiras de Jovin.
escooezas mua modernas a 360 e 400 re.
do, ditas muito linas 460 e 500.
Cobertores de aJgodao a 800.
Vende-se cobertores (Ualgodio a 800 rs. dilos
melhores a 1*600 e *80O, cobertas de chita a 29.
J*500 e 3.
Quem duvidar venta ver-.
Cambraia do cores a 240 rs. o aovado dita fina a
280 e 320 cbilas fina* a 280, 300, 320, 3W e 400
rs., dilas percalas a. 400 e 300.
Est se acabando chitas a 160 rs. o covado.
Vende-se chitas-a 160, 180 e 200 rs. o covado
riseadinhos franeezes a 240-e 280 rs. o covado, rna
da laperairiz n. 72, de Guioare & Irmo.
Lencos b#anees a 2 e 2^500 a dutia.
Dilos linos a 3* e 3*500, dilos de linbo a 5*000.
Brion a 7oo e 8oo re. a garrafa, e em
PREZUN TOS verdadeiro de Lamfo a 64o i caixa de d.zia, a 7,Soo e 8,ooo rs.
rs. a lihra. r Sfin intpirn i VINHO BRANC > de Lisboa dj excelente
qualidade, e proprio para isissa, a 8oo,
rs. a libra, e 56o inteiro.
TRAQUES n. 1. em caixas de 4o cartas, por
8,5oo, e 24o rs. cada urna.
MARMELADA em latas de I, I /. e 2 li-
bras a 6oo reis a libra.
JALEA DE MAR VELLO em latas, a 8oo rs.
FRUCTAS EM CALDA pera, pecego. alper-
ce, rainha Claudia, e ginja a 64o reis
a lata.
rs. a garrafa, ou 8.000 rs. a caixa de duzia.
MADEIRA SECO a l,2oo a garrafa, e 12;ooo
rs. a dazia.
VINHO DO RHENO superior, a 2.poo 1
garraf-, e 22-,000 rs. a duzia.
VERMO'JTH de superior qualidade em cai-
xas de 12 meiis garrafas por!2,ooo,e
garrafas por I,2oo rs.
CHIMBA SEM IGUAL 8
Ricos cortes de orfBrao d seda pwios adamascados para vestido com 13 metros
0a* lJr cov^cail*curte,4arttra de cbiu franceza, pelo baratissimo preco de 30*
cell^K Da Ja colamnas da rua Gre3lw n- 3 de Amonio (jrrela de Vascoa-
LOJA DO

.
Novo estabeleciineuto
HUA UA CADEI4 DO HECIFE W. 49
Roupa feita de todas us qualidades
Fa^idas par barat > preco
Superiores baldes de masaellna vom cauda
Chapcus de sol ba!5o que val 120, eoBa o vende a 10.
O BalSo vende paletots de panno preto fino a 85, p ter grande porc3o; cairas
semira superiores a 7(5; ca^a de brim branc fino a 41; madipolao lino a 7/J;
n.-nn-'-a proprias para *n<^lr prn f.n*a a 3RO v*.: mlptnt; il.' -jIii:i'm hranf-T ram-

Ditae de seda e de Escocja.
Lindos bolSes de christal, tanto para pu-
nlios, como para colletes e abertura de ca-
misas, estes botes ternam-se recommenda-
veis, por ser inteiramente novidades.
Ditos de cornalina, brancos e encarnados,
para colletes.
Finas thesouras para unhas e costura.
Lindos porta Joias.
Ricos port relogios de porcellana.
Modernos pentes de.tartaruga e a imita
Cao.
Albuus para retratos.
Agulhas e linhas para crochetes.
Liados aderecos de christal.
Rosetas e alfinetes de dito.
a 3(!K)O0 o corte.
a3^00r>o corte.
a 8#3O0'ocorte.
Vende-se corles da la com 12 covado* a 3*. di-
tos linos a 3*500 e 4*. dilos a. Mari Pa a 7*500
8*. 8*500, 9* e 12*, grvalas finas para homem
a 610, 800 e 1*000,' mantas" multo Bnas a 1*100 e
18400; isk> na ro da Imperatrir n. 72, loja de
Gu+mares & irmae.
para
4*600t5* n
d; ca_
chitas e.-cu:as proprias para andar ea casa a 380 rs.: pi'etoti de aloaca branca; cam
braias finas 5(J a peca; seroula de bramante' muro S'iper! )r; chales de merino a 4$;
fe i m jilas ootras fazendas que todas se vendem por prec -s inignificanies. Quem duvi-
dar ven ha ver.
A barateza do Balito

si

2 c B
= vi-a
B ^- <^ ^ C) o
l>lfi|||l
9 3 Bq>
c cr
gpsss
C-3SS*'SSr
i. o.- -
RIJA io me | TI w.
O proprietario deste estabelecimento deseja chamar a attenco-dos senhores pro-
pnetanos para os acreditados mechanismos que continua a fornecer; os quaes garante
ser como sempre, da malhor qualidade possivel:
Mackiaas de vapor
fo[C^eum cavallo pa--a cima. As menores s3o mui proprias para motores de des-
carocamentos de algodao; ellas viajim armadas e podem trabalhar den ro de 24 horas
depois de chegrem no lugar. Ellas levam todo quanto preciso para o trabalho, e
diversos, sobrecalientes As ma-Linas maio es sao proprias para a moagem de canna,' afanlado 7^^ pZ*'
e ha defeft qno podo j.uWfa 0 ^ridaiuciiie moer canna e descarocar. Ellas podem-1 K s frS? Sa l
se applicar a qualquer mendj j ex siente sem outra mudanca do que a substituirn das mS^JSS!^SL ,v
rodas da almanjarra. ha tambem com moenda junta. Ellas tem depsitos d'agua boei-' (ip, l
ros de ferro, e nao precisa* para seu a5sentamento de obra aluma, qur de carapina, i eda de marfim p. mPt>l
quer dealvenaria. Otempo para assenta-las ni excede dedoze dial ao mais een SS h a'
casos da mortes de animaes ou arrompemos de acudes, etc,. garanle-se o aSentam]-' ditosftumSa *' *' ^^
to em orto das. Todos estes vapores sao simpfissinos na construce5o e se resem or n,;*^^
qualquer pesaos intilligeota, a r&fldtde da oJndoccJo Zh^^Ll^^jJ^S^6 **" aS SOnboraS fazerem
tanto que nao ba lugar em qoc nao se possam conducir, q >r por trra our embarcado d Z!. .
Lembra-se aos senhores de engenh fl-i*a v'eL do7 aaS'esTo^S da meS fant Para KBbn ^
geole oceupada no seu trmenlo os nao de recuperar da maior pirte da despera do' Samas fitas lavradas s lizas
vapor, deixando-lhesavantagemde urna moagem cistare acelerada; e acabando com al Sm fdo u timo Isto
?em Sm eailTPra C0DUDMda de D'W0S animaes'. e (Dm 0S desgostos do trabalho que se J Ligas de seda
mSer7alvez desnecessario lembrar aos comprad -res de vapores vanlagem que'' to8^e*eb?!? # *lg0d% ^ ^^
Ihes resulta de comprarem soas machinas garantidas em urna fabrica, tendo artistas com-: Contas e tiihns dP arn
plenles para asseoar as mesmas v ensinar a maneira de trabalhar com ellas, e j pre-1 sSLoS L l\T Ha *\a^n
paradas para arremedfir qua quer desarranjo; facilidades estas aue imais nndem n ^Us)e1QSOnos da seda e de algodao.
centrar comprando-as aos LpesnegociantS,\>sau^
tena nem se quer podeai garantidos'de que as machinas aue vendem seiam oronrias on !S os roncantes mais afamados,
sufficienles para o IrahJ em que se'queira emprega-C TS^^iS^^^i^^^ tb^ *" *
podem prestar-I oes soccorro algum.
Igualmente nlo se e-quecero osmesmos compradores de quanto podem perder
em ter suas machina? paradas por desarr-njos no t-mpo das safras sendo qae anda
quano venham s fabricas para concertar as machinas ameias torna-se ha preciso faze
repentinamente molde* nows, etc. para as peca> estragad s.
Tambem ha sempre prompto Rodas #ua de ferro Sarilhos com cruzeias para as
mesmas Moendas de canna de todo o tanjbo, Rodas de espora e angolaws, Paros ou
coches para receber o caldo, Ci vos e portas, de formina, Taixas de ferro batida, fundido e
de cobre, Formas de ferro gaUanisadis para pursar assucar, Banbassimples o de renu-! T" "
cbo, Alambiques de ferro. Eixos e rodas de carro. Arados, grades, enehadas a cavafo*;Mftf; **8*'*M' le,:,'-"n#>d*c>, visto a
e outros instrumentos de-agricultura, Minho< efom para faier fannha e finalmentelgrane aCeiU^' 1ue lem tkl- que Pa-
tudo o objecto de mechanismo de que se cosluma precisar. |mos P,,ovar ;'"s"n C0;0- *wr o efiVito
Wa fabrica se tmk obras novas encoramenia e concert*, com a maior p este-! qne n' porque ^a muit0 qis
sa e solidez. O grande deposito de pecas aobjaeloj- habilita^na miio para este fim Ios receemi)S fi continuamos a receber por
0 proprietirio ser sempre mui feliz de poier dar iafarmaee ou eselarecimento '2^ ^ PW-4etes da Jaropa; e encontra-
aos senhores que se ser viren),de seu presumo, .' rao.a}AR aa-oja do Gdlo Vigilante rua
____________ f. W. Bowman, engeheiro.
No armazem de t^z^td^
baratas de Santos Ooellio
K ua do tuelinado o. I.
Vende-se o sejtHinte :
Lengoes de bramante de nm s panno nelo ba-
raia prego de 3*iOa
Ditos de paimo de lloho a a#OO e 2*600.
Coberta de rha da India a 2*400 e 2*800.
Lencos de cambraia blancos proprlos nara ai-
Adere?os completos para luto, assim co- neira a 23000 e 2*200 a daxia.
mo brincos e rosetas.
Meias de seda para senhoras.
Ditas para meninas,
Sapatinhos de seda e de mirin,
ba plisados.
Touquinhas e chaposinhos para dito.
Lias de todas as cores para bordar.
Capellas para noivas.
Grvalas e mantas para homem.
Alfinetes para gravatas.
Riqusimos livriahos para notas, sendo
com capa de-madriperula, marfim
greo.
Penas de ac de todas as qoalidades, do
Dilos de caatbraia de IWw fino
doria.
Aloalhado de algodao braaeo a a* a rara.
Bramante d Imho flno eo* 10 palmos de lanra-
a 3*500 a vara.
Panno de linbo ftno eom l\i palms de larga
ra pelo barato prego de 2* {00 a vara.
Bramante de lino lino de-ua* largura^ pelo ba-
ratissimo prego de 800 a vara.
Toalhas de linbo acolcboadas para m"os, a 13*
a dnzia.
Ditas felpudas a 13* e lo* a jzia.
Guardaaapos da linbo a 3*590 a .duzia.
Flanela de todas as cores para coeiros, a 880 rs.
e cha- o ovad..
Tarlaiana de cores 800 rs. a rtrt.
Baldes de 3& arcos 3*500, de 40 a 4.
Cambfaia de linbo fias a 43500, 6*500 e 9a a
vara*
Cambraia para forro de vestido a 2*300 e 3* a
-;a. ~
'egas de bretanha da rolo com 10 varas, a
Pega de madapolo fino e largo a 79.
Laarinha lisa de cores a 500 rs o covado.
Pegas de cambraia branca de salpicos com 8
meia vajasa 4*300.
Coeiros de caseoaira bordados pelo Urassimo
prego de 9*.
Esleir da India propria para forro de sala da
4,5 e 6 palmos de largara.
Cambraia-. floas de cores miadas a 560 rs. a vara
Nesie armazem tambem se encoutra om frauda
sortimento de ronp? '-' i*>r medida..
S.no Gaflo Vigilaata. rea do Crespo n. 7.
Verdadeiros
Collares Royer
Electro ttagaetico
Ou Collares Anod nos, para facilitar a dji-
lieSo dis enancas e conlra as convulseS
das mesma. & estes. :|jres nos escuzjdo
v
PHOSPHATO^rERKO
IJ)E LEBAS DOTOR EM SGIENOAS-1
inspector u&kmmMnz a,
Nao existe medicaraento ferruginoso liio notavel
como o Phosphato de ferro de Leras as surami-
dades medicacs donando inteiro adoptaram-no
com sollicitoide sem igual nos annae da sdencia.
s coret pallidas, dore* do etlotnayo, digestoes
penosas, anemia, convalecencias difficeis. Hade
critica nos senhoras, irregularidade no mens-
trnacao, pobres do sang%e, lympkatismo, sao
curados rpidamente 0% modificados por este
excellente composto. E' o conservador por excel-
encia da saude, e declarado superior nos hospi-
taes e pelas academias a todos os ferroginosos
conhecidos, a iodoreto 5 ao citrato de ferro.
Do nica que eoivem aos estmagos d-
os, que nao provoca consiipavao, o -nnico
tambem que nao ennegrece a bocea e os denles.
A venda ras pbarmacias de P. Maurw 4
G. e A. Gaore, em Peraambueo.
-^ Veode-*e em casa de M. I. de OHveirn
^auaia
**urr a .ratafia d fscravo*. do metaon que
'arlo, e b, de algoda da fabrfea Todo?
. lera para
'i \ wfa tfn
MBllWV
no
le-
MCeSVE,
A' loja de uzeadas ifo Augusto Porto
11 Rua d(miQueimadol\
A- loja de aiendas de Augusto Port: & C rh?garam os mais bellos e 1
SvetMo* brincos eborflados A a^alha.
Superiores vestidos de Mond eom manta e capella para noiva.'
Cortteaos bbrdados para camas e janellas da ij a 80*.
Colxas de seda-aila lia, e seda de cores para cama.
Bal9?; epartilbou, lavas de pellica e saias bordadas.
Beura.algefoloT? e chate 4 renda prea.
Sobrefudos'de pswio de tfoas vistas e capa? de borracha. '-
Grsd^napoles de cores e preto, e aboiv preto de dtveraas qualidade?. ""
* ; BWliovaes par baptlsados com vestidos bordados qaa Ita de mais gseU aasie genero.
' FHfts'borda*?, do Chapeos, bonets e gorros aepfliwda Italia para senhoras.
Cnpos prelos de seda para honiensyAgtaA^^L^rfa^yi^ijfci^^,^,^^
Cimbas frsnreta* e inglzas para hjLaiiip nin" e senhoras.
Tapies p.waMa4>aM,a cama, e dio .superior em pega.
Ido a 480 r*. o covado.
has de-6 jardas eempegas grani*s da30 dita-.
meiaares a mais baratas
^Tasso Irmios
Vedem no sen armazem rna da
Amorim n. 35,
Licor ftnn Ctraglo em botijas e meias botijas.
Licores tinos sortidos em garrafas com rolbas d>
i "idroi em liado fraseos.
VinhosCberes.

mmmwmm'^
- w
AVcaiifas de lias, baratas pois se
Breuuilia de liuhj superior em pt.
Na mesial cafa se fendem sempre
peen
- .i'
. V* *" i__Raa
,a .J .,') ',',', ,'.
I
para' for ar salas
J31 Lf3i^ak BfhlTi i^*1
Ibft, largo 4 Corpo Saaio n. 1 :
VinJio vutd# sup#fiar barris de
Oiio do Porto de 8o e 10
Dito de dito engarrafado.
Dito de Lisboa PalroeU* Unto.
Farello dem sapunor.
6Fi-
Sautemes.
Chaoibertin.
Confie.
uimpagpe.
Moscatel.
Reino.
Bordeaux.
k- Cognac.
Od Tod.
Paezeflagnio!.
1-
H i
Cilindros para padaria
Na.padaria da rua Wreila
8i, ba sempre para veder
coanmode preco os co-
nhecidos e acreditado* cy-
liadros americanos para p-
d*#
Francisco Jos G^manu
"?ai-: Wk M0VA N. a,
acaba de receber um. lindo e nagaifioft aor-
timento de oculoa, luoetos, biooenloa, e ul-
timo e mais apurado gosto da Europa a ocq-
los de alcance par.a observacoes e para oa
martimos. a
Noto e grande, deposito de superior carvp de Cardffna
Bata.
"kHtfrifbir & C, rin d^ Slrffv Rrbnra n. i, esta
JoaqtftmJos GaBfalvps Beltro tem para
vender ww *m oecwfHwN* roa do Vifarfo o. 17:
. ?tnlio do fort em barris de 4 e 8*
Blto-da orto fm-eafxajt de 1 dnrla.
VfMio suprior da flgo^rt.
Aielie de pene em barris.
Teros-ftwanih'. "T*1
Tabaco amerieano eni'latas de I libra.1
Caixas com-papel pautado.
Cigarros de Hio de-Janeiro.
Machina para descarocar al
- Panno da algodao di Babia, prcfr
saceos de assocar e ronpa de esera
\ Ua grande porjfo dr fcW^f arUflew n Tfiatin
cida fabrica da viava.RDflha,^ quaj, vendido por
commodo prego, e como seja penoso ir l perdis-
la neja, as pessoas que quuerrm fuer saaa-4*apm-
n^ndas para S. Jco e S. Prdr. ejftdSar
maz^m da
taria da polica, aoraara
ir bnscar e levar a o ,]q_
""""7 r'T "'" <-, u u sjnn- mmara n: i, esnra irtWWWd a supprir de' saceos de assocar e roupa de eseravos ; ter
oarvao, em conJicoes mais fatofAYBis que am entro qoala'J-T depjsuA_a_tojLa. os .najeioia Tjqjr'qoe, 'vander Antonio Luir dB Oliveira Azeved^k
ama aaatietiw porta. A.cootratar nesla com Domingos Atos Matheut.. seu scriptorio rua da Cruz n. 1. *W
Veode-s a t.berna da.rua de Jos o. i tpoi-
to arreguezada para a trra e mato ; a tratar na
roa du Nuguer
Veadwe ama macMaM pata-fazer lidawdas
l e habidas ar. *t**
m nieta e mais m>
^| rua a^Trplc*e I*ov> o. I
Nie
ME1H0R EKEMPLAR ENCONTRADO
4

)

*

J



*
Diarlo de pernajnbnco Terca lelra 3 de iiilho de
1866.
NOVA LOJA
RA
ENCICLOPDICA
OA IMATR AUMAfEM DA
PORTA LARGA N. 52,
a nadarla franceza
DE
Paredes Porto.
Neste estabelecimento encontrar o res-
peitavel publico um variado sortimentojje
VENDE-SE
So aranazean de M. I. Ramos
. 11, atan
recebe na
Legitima salsa parrifc
Verdadelra agua Floridfl
v* & Genio, ra do ligarlo
latea artlf of, uc
da proprla de
tttiXDE EiTABELEOlESTU
M
arada por Laoman & Kemp.
pelos mesraos.
fazendas francezas, iglezas, suissas e *n-, fricantes F N Wplrh
Gaz em latas de cinco galoes, mais purificado que se pode desejar da acredi-
tada marca F. W. D. 4 C.
Relcgios perleros reguladores, com corda de quatro a oito dias, dos afamados fa-
mes, que sa.veoder.o por prego comiaodp. |
brande armazem de fazenda e
. roupa fetta. rna da Iinperatriz
n. a*, armazem da porta larga
Neste eslabelecimento encontrara' o respeita-
vel puMico aaj completo sortimento de roupas de
odas as qualidades e prego coramodo. como se-
jam : paletots de alpaca, de merino, de bombazi-
na, panno, easemira, preto e de cores, calcas de
lodas as qaalidades, colleles de diversas qualida-
des e pregos comrnodos, chapeos prelos fraocezes,
fazenda de 10jt a 6e, ditos de sol de alpaca e seda,
sobretudos de panno propnos pata viagem a 11 >,
meias cruas de boas qaalidades e pregos commo-
dos, e oulras muitas fazendas e roopas feitas, que
se venden nimio barato : no armazem da porta
larga n. 52.
Grande armazem da porta
larga, ra da Imperatriz
n, 52juutoapadariafrafi-
cez-i-
Neste estabelecimento encentrara' o respeitavel
pubiico om completa priimento de fazendas de
sed,!, 15a, liubo e algodo, que se vende por pregos
comrnodos.
Chiles de renda a i$
Vendem-se chales de renda pretos, fazenda de
boa qualidade, 4# por ter porgao l armazem da
porta larga a. 52. #
Retan das e bouran?.
Recebeu ltimamente um sortimeoto de retondas
e bournus de seda e de algodo por barato prego,
soutembarqoes de grusdenaple, capas e manteletes
pjr prreos cornrnodos : armazem da porta larga
n. 52, i ua da Imperatriz.
Cambraias lisas finas.
fraude sortimento de cambraias lisas, que se
v -i lem i :)&, rifioOO e 4*, dita rauito fina Victo-
ria a 5j e 8*S00, cortes de uriatana de boaitos
gostos a 34500 e 41: roa da Imperatriz a, 52,
junto a padaru frasees*, armazem da porta larga.
Ricos cortiaadts.
Rico sortimento de cortioados bordados de boni-
tos desenhos a 2J, 2300 e 3#, e de onlras qaali-
dades para o sesmo flm : no armazem da porta
larga n. 32, na rna da Imperatro.
liri*>leuaple arete e de cor
Vende-se grosdenaple preto e de cor a Iai.00,
i&SOQ, ;>$ e 25300 o covado, seda preta lav ada a
orgurlo a 1J600 ejo covado : ra da Impera-
triz n. 52. armazem da porta larga.
Tiras e entrometes bardadas
Grande sortimeato de tiras e ntremelos borda-
dos, pelo prego de 500 rs. a peca : rna da Impe-
ratriz n. 52, junto a padaria franceza. _______
phia).
Graixa em latas grandes da bem conhecida marea las. S. Masn (de Pbiladel-
Superior oleo para machinas de costura.
Agirlhas nara'as mesmas.
Breu em bar icas grandes e pequeas.
Vende-se tambem:
BORDKAIV
1.' aoaliriaae.
St. Estephe.
St. Julien.
G. Margaux.
C. Lafitte.
Medoc.
PORTO
1* qulidade.
Principe Real.
Pedro V.
Maria Pi.
Princea t>. Isabel.
Vctor TSmmanuel.
Jjuijue.
Malvazia.
Vinho fino do Porto em barris de 5/, 10/ e 20/.
Superior vinho do Rheno.
Gera de Lisboa em velas e em grume.
1*300
rival m\ segundo.
liua do Qneimado n. 49
E?t dlsposto a eonttnnar-n veoder por preco
-.je a todos admira queiram apreciar e vir ver para
<:rer.
Grozas de peonas de ac muito boas a 320 rs.
Bonets muito linos para meninos a 15-
Pentes de aligar com costas de metal a 500 rs.
Capachos redondos e coenpridos a 50 rs.
Pulceiras de cenias para seaboras a 500 rs.
Canas de papel amizade a 600 rs.
Quadernos de papel moilo bom a 20 rs.
Peotes de tartaruga a 2300 rs.
Realejos para meninos a 100 rs.
Escovas para limpar denles a 200 rs.
Baralh s muito oes a tUU rs.
Caixas de po de arroz muito superior a 800 rs.
Caixas de lamparioas para fres mezes a 40 rs.
Caixas de obreias de massa a 40 rs.
Grozas de boioes de louca a 160 rs.
Eofiadores de cordo e rila a 60 rs.
Pe;as de Ota de eos com 10 varas a 320 rs.
Cartas de alflnetes fra*eies a 100 rs.
Libras de allim-tes francezes 1* qualidade a 2jL
Xovellos de liaba ota* 460 jardas a 60 rs.
Ditos ditos com 200 jardas a 30 rs.
Caixas com alflneles 20 rs.
Pares de luvas brancas -e e> cores a 400 rs.
Grvalas de todas as qualidades a 500 rs.
Resmas de papel alisaba superior a 2f4O0.
Caixas redondas com estampas a 100 rs.
Livros para asseoto de roupa lavada a 100 rs.
Bunecos do choro ikrilc bonitos a 160 rs.
Frascos de sqperior agua de colonia a 400 rs.
t* RA DO QUKiniADO
hiadapoldo.
Finas pecas de madapelSo com 20 varas a 94.
LENCOS,
Lencos de cambraia branca,, duzia 2*5-
ldem de cores fixas para meninos, duzia 2r$400.
Caasb ralas.
Cambraias de cores a preco de 260 a 300 rs. o covado.
Ciuardauapos.
Guardanapos de linho, duzia 3300.
Algodo.
Algodio trancado de duas larguras, preprio para toaibas de mesa, *|preco de
a vara.
Branaatr.
Superior bramante de linho ingles e fraBcez.
|Cambraia de linho propria para lencos.
ATOALHABO.
Atoalhado branco para mesa a 1600 a vara,
Entremeios de cambraia muito unos, preco 1.
Lencos de seda para, algibeira a 1600,
Chabeos para uicaiBas a ri).
S na loja do PavSo.
Se vendem os mais benitos e mais bem enfeita- Mvocom 8 pa fm oXd e"! r ; uia" ."""!'"'
dos cbaposlnnos de palba da Italia, proprios para a
meninas, pelo baratissltc prego de 6#080; na loja
do Pavo na ra da Imperatriz n. 60
aam da imperatriz, tf. 60
DE
GAMA & SILVA.
LOJA X ARMAZEM DE FAZENDAS.
Tenda o propietarios dete grande eslabeleci-
mento feko um grande abatinaeoto em muitas de
sua fazendas, pela occasiao do balnco que deram
no uimt de dezembro de 1806, resolveram vender
muito mais barato do que costumam aBm de cada
vez mais agradarem aos seus numerosos fregu-
zes ; por tamo Ibes otTerecem um avulado sorti-
mento de fazendas francezas, inglezas, as qiiaes
venderao mais barato do que era outra quaiquer
parte, compromtttendo-se a mandar levar quaiquer
fazenda em casa dos freguezes que nao poderera
vir a loja, ou a darem as amostras, deixando Qcar
o penhor, assim como convidara as pessoas, que
negociam em menor escala que neste grande esta- direitura para a loja do Pavo, ra da Imperatriz
beleeimasto ent-onlrarfio om g/aede sorUmento n. 60 de Gama & Silva,
tanto
e armazem
de Gama & Silva.
Attenco.
ULTIMA MYIDADE
PENTS, ENFEITES, CINT08.
Gama & Silva, acabam de receoer pelo ultimo
vanor francez, um grande srrtimento dos mais ri-
cos enfeiles prelos e de cores proprios para cabera,
sendo guarnecidos com as mais lindas flores, e rom
valias das mais booilas penlas; assim tomo os mais
modernos a engranados pontea da verdadeira lar-
taruga, marcheiados M-ndi a ultima novillada
que ten vindo de Paris, e os mais neos cintos com
Utas maihisadas e ti ve las largas, conforme u 11: m-
mente se usa as primetras capitaes da Europa, e
Vende-se por preco em eonla por ter chegado em
-------,_------
MACHINAS AMERICANAS
a retalho como por alacadp, vendendo-se-lhe
apenas pelos precos qne eoropramuas casas ingle-
zas, sendo con o dinheiro a' vista.
nicer- vevlldos a 8000 rs.
pechincha admiravel.
S o Pavao receben pelo ulluno vapor francez
um grande sertimento dos mais ricos cortes ds
vestidos iran^pzrentes com lindas barras e enfeiles
de ssda, sendo estes vestidos muito proprios para
baile* t pa.-seios, e vendem-se peio aratissimo
preco de 800 rs. cada um, ua loja do Pavo na
toa da imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Ose bales da pava a 2oo e 2ooa rs.
Vtndtm-se chales de merino estampados a 1f>
t 21500 cada um.
. Ditos de merm liso a 3500.
Ditos esiaippao&de crapoD *6#, 7#, e 8#MJ0,
Ditos pretos bordados coro franja, de seda a. 14.
Na loja e armazem do Patio na ra da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva,
Para.ltJto vtftde Pavjyo,
Setim da China com 6 palmos de largura, fazen-
da preta pasa lata, propria para vestidos e rotfpas
para homens, sendo esta nova fazenda sem lustro e
de maito boa qualidade, garantindo-se nio ticar
russa como lemiio e vende-se pelo barato preco de
2j$ e 25QO p, ovado, agsjni, como aesie eslabeleci-
mento tem Um grande sortimeoto de todas as fa-
zendas preas como sejam cassas e cbilas pretas,
laas Upadas e transparente*, princezas, alpacas,,
sarjas, etc. : na loja e armazem do Pavao na roa
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os cortiaados do.Pa^Jo.
Vendem-se superiores cprtinadps adamascados
para camas pelo baratsimo pre^o de I cada par,
ditos nwito ioos ricamente brdanos para camas
00 jane 11 as a, lo, 20 e Sfff n par : na loja e ar-
mazem do PavSo na ra da Imperatriz n. 60, de
Gama t Silva.
Os espartijfco&.dQ P^vao,
Vendem-se urna grande e variadp sorliroepto de
espartrlhos dos mais bein fekos oe tem 'vindo ao
mercado, sendo de todos-os Umankos, vendeodo-e
por um prejo muito moa ve J : isto na loja do Pa-
vao na roa da Imperatriz d. 60, de Gama A Silva.
4 anta* bordad** do pavo.
Vendem-se saias bordadas sendo lazeoaa milito
boa, sendo ricamente bordadas e com muita roda
veudendo-se.pelos baratos precos de 6* H e 10*
reis cada orna, na loja do Pavao na ra da Impera-
triz. n. 60 de Gama Silva.
Koiipa fria.
Na-loja d Pwo
Vende-se neste eslabelecimento um grande sor-
tmenlo de roupas, tanto de panno romo cazemiras,
e briss e peles baraiistimos prefos como sejam
Verdadalraa do fsbrlraoe \. Y. Canttonglu & C.
Noinhos anerkaias para moer mi I lio.
Na ra Nova n. 20 e 22, grande deposito
das verdadeiras machinas americanas de todos
os fabricantes; se encontra ueste deposito
grande porcSo de machinas, e se vendem por
menos preco do que em outra quaiquer parte,
por se receber em direitur* da Aiaerica; se caicas .de cas. mu a preta d 7e'ounres,'pa-
fornece todas as explicaces necessarias ao leiots de panno preto saceos a 6 8 e ljOOO rs.
comprador para conservaco das mesmasj diossobrecai-(is de panno Bnissimoa 12# I8*e,r
tos artigos americanos, que muito deve agr- pvo-ra da impecatrii n. 60 de Gama a Silva.
dar aos agricultor^qua.ujuu de taes artigs, Lazinlias a iUO rs S O
encontra-se tambem todas as colleccoes de de- u -
senbos sobre os quaes se aceita quaiquer urna (XVao.
encommenda, que com promptidSo ser execu- Vend'.'rooderBa8 laazinbas cora lindissimos
tada; teste grande eslabelecimento, encon- gosios, pelo baraussimo pr^o da 200 rs. gran-
tra-se em grosso e a retalho, grande porclo d v".ri
de ferragens, emiudezas que se vendem por preco commodo, pedindo-se a attencSo
de todos para este estabeieciaiento que-muito lucraro em fazer suas compras: na
ra Nova n. 20 Carnet- o Vianna.
_.---------------------1---------------

~,-------,
CHAPEOS DO CHILE
a 1:500 e 2;000 rs.
Na prac> da Independencia ns. 24, e 26.

DE
FAZENDA E ROUPA FE1TA
KUA NOVA M. t.

5 a o o -1 s-v* S o o o
=-ao.g=:o Oigo
% a> 0.0
3 B
M 9
-"a g,j=
a rg
5 "3
2
O. m
o.S 2-S KZ
- 5". "
ce
CJ
Jt
a O COOQ
O
= i S. o 'S
T Sa
Ja.
=k B
m
3-2
S3
B -sr

_ 00 *0 a>
3
a
2 o
-3

g.
*3
g

flp
cu
=
aa

S
O
O
a, a^
9
5.

2. 2
1 I
S f
m
3L
a>
m
-------
Brea em barricas pequeas.
Otra em velas de todos os tamanhos.
fcogias.
Mercurio.
Na roa do viganos. 1, primeiro andar.
rainz o. 60, de Gama & Silva.
I.o ti o* brauco a KOUO reis a
duela.
Vendem se leudos brancos farenda muito boa
pelo baralfcsnno i barra de cor a 000 isto para acabar na loja d-
Pavao na ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Sio
va.
Ciresdeataolea press do Pavo.
Vendem-se superiores grosdenaples pretos pelos
baj-atissiinos prei.-os de 1*500,. 1*600, 1*800 e 2*
o covado, sendo fazenda touio bea. para aca-
bar : oa loja e ;rn azem do Pavo, roa da Impe-
ratriz n.fi, d Gama '-Silva-.
Bramante:de linho do Pavo.
Vrude -e sut^ner bramante de linho com 10
palmos de largura, proprios para lences, pelos
baratissimos precos como panno de linho muito riao pelos baratissimos
precos de 640,700 e 800 rs. a vara : na loja e ar-
mazem do Pavo, ra da Imperatriz o. 60, de Ga-
ma & Silva.
Cambraias lisas de Pavo.
Vendem-se pegas ue cambraia lisa muito supe-
rior, pelo barato preco de 3*200 e 3*500 a pega,
ditas multo Anas a 5*, 8*, 7* e 8* : na loja e
armasen do PavSo, rna da Imperatriz ; 60, de
Gama l Silva.
1
Reg & Honra, proprietario da loja de fazendas e roupa feita sita ra Nova
d. 24, fazem sciente ao publico e particularmente aos seus amigos e freguezes, que
acabam de receber de sua encommenda, um perfeito sortimento de fazendas hna9, entre
ellas casemtras de cores proprias paracosturaes; panni fino dos melhores fabricante*
proprios igualmente para casacas e sobrecasacas e outras fazendas de variados gostos,
as quaes vendem" com vantagem sobre outro do mesmo genero ~!de negocio-, tanto pela
modicidade dos precos como pela qualidade especial dos artigos que expoe a escolba de
todos aquelles que se dignarem frecuentar seu eatabeiecimento.
Osmesmos, continoandocomo sempre, escudados e robustecidos na aceitacoe
conflanca que lhestem sido di>pensada pelo respeKavel publico, no espago de lempo em
que se acham establecidos, procuram envidar todos os esforcos a seu alcance para cor-
respondern sufficientemente a expectativa deste e de seus numerosos freguezes e ami-
gos, por isso, admittiram para sua yfficina de alfatate, quatro contra-mestres, funecio-
nando regularmente sob a mediata direccaodo muito babil mestre Lauriano Jos de
C | |/ui v airo, (/Jinuis O LUIICIOCf
Barros, o quai, activo e diligente como soe ser. nao se poupa aos mais aturados cuidados preco de 2*400 cada covado, on 4* o corte de
de sua arte quando tem de sali&fazer com brevidade e presteza quaiquer obra de encom- caiga, sendo fazenda que sempre se venden a 3* o
menda novado, ou a ,*>* o corte ; esta grande pechincba
' Ao contrario dos. ritos que anchem as columnas do jornal com a repetica* ociosa 'fgg^ESS^ 60, dlVamaT uva!
de annunctos era estyk) se iico, nio precisamos aqut a natureza dos artigos que possui-
mos para nio coUoear a sioceridade dos nossos tratos ao perigo immiffente que resulta
As retandas da pa>aa a 8 e 1%
Vendemse as mal ricas rotandas de renda pre-
ta, sendo muito grandes, qne sao as que mais se
usan), pelo baraii>simo prego de 8* e 10* : na
loja e armazem do Pavo, ra da Imqeratriz a. 60,
4 Gama & Silva.
Chitas prelas a 161' rs.
Veodem-se chitas prelas ingieras, sendo fazenda
muita boa, pelo baratsimo prego de 160 rs. o co-
vado, on 5*500 a pega com 38 covados: s na
leja de avao, ra da lmnerarizq. 60, de Gama &
Silva.
ATLANTA
Grande uovldade a tOO rs,
Allaata a 200 rs.
Atlanta a 200 rs.
Allaiila a 300 re.
Chegoa para a.loja do Pavo o mais Indo sor-
timeoto desia nova fazenda, com o titulo de allanta
proprla para vestido e roopas para meninos, sen-
do esta mcderniMina [aseada de lia com os mais
lindos gostos de quadrinbos e lislras tendo entre
ellas de cor roa e preta, coro listras e quadros-
brances propris para lulo, e vendem-se pelo ba-
raiisaimo p.rego de 200 rs. o covado nicamente na
loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama Sl
Silva.
As chitos da Pavao a 200 a cavado.
Vende curas e roas sendo lugkzas, mas com os pannos
lo encornados como os das francezas que se ven-
dem a 400 ris,,e liqoido se pelo barato preco de
200 ris o covado ou a 7*i00 a pega, garanimdo-
se U-rem 38 covados cada tega eserem de egres
nas istq na loja e armazem do Pavo na ra da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Noyidade
Para vestidos.
Gbegaram as desejadas cambraias oa tariaiana-
braneas com .-iniohas [.sendo traDSparenles e ven-
dem-se pelo baratissimo prego de 5*000 o corte,
na loja e armazem do Pavo na ra da Imperatriz
D. 60 de Gama A silva.
Caitas a 180 rs., o Pavo.
Vende se o aais bonito scnimenio de chitas in-
glezas, padrees nriudinhos, claros e escuros, e lc-
do tambem jaas para luto, aOangando se serem
cores fixas, e vendem-se pdo baratissimo {irego de
nove vintent o covade, ou a peca e m 38 covados
por 6*800-: lito na loja e armazem do Pavo, es
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Vestidos trancos.
Cbegaram para a loja do Pavo os mais bonitos
cortes de vestidos de cambraia branca com boni-
assim como com harr...-
de cores, seodo fazenda transparente e muito fina,
leudo cada um corte bstanle fazenda e mua ro-
da, e vendem-se pelo baratissimo prego de 8* e
10$ : na bja do Pavo na roa da Imperatriz n.
60, de Gama & -silva.
Coi-tes de Utilataoa oa. luja do Pavo.
Vendem se os mais modernos cortes de trlatana
coa as mais lindas barras de cor, pelo baratissimo
prego de 5* cada um, sendo neste artigo o melbor
i zea d% Pavo na roa da Impt-ratriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
C inbraii s brancas,
Com 8 palmas de largurac
na I* Ja do pava.
Vende-se cambraias braceas trasparentes tendo
8 palmos de largura, ou duas larguras das regula-
res, que faceMla fazer-se om vestido apenas com 4
vqras, e vendem-se pelos baratissimos pregode..
1*000 reis, e 1*280 a vara, nica mete na loja e
armazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60 de Ga-
ma & Silva.
Chitas linn as a 280 rs.
Meode-se chitas francezas acentos brancos pa-
drts mindinhos, pelo baratissimo prego de 280 rs.
o Covado, na toja e aimaz-n: do Pavo, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & va.
Chapees de sol.
Vende-se um grande ;ortimento de chapeos de
sol, sendo des*da e de varios pregse qualidades;
diios de alpaca e de panno, e vendem se por pregos
muito comrnodos, na loja do Pavo na ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & .--va.
Cortes de chitas.
Vendem-se cortes de chas inglezas, sendo pa-
dree escuros tendo 10 covados pelo barato prego
Atoalhado na luja do Pavo.
Vende-se superler atoalhado -adamascado eed*
vo com 8 palmos de largura ,je
2* a vara, dilo de lirjhotrlguciro etm a m.'sina
largura a 2*500, guardauapes da me.-rna fabada
a 3* a duzia : oa loja e armazem toPavo ua :aa
da Imperatriz o. 60, de Gama 4 Silva.
Baldes bar utos
Vende o Pav3o.
Cbegon um grande sortimento 4e baldes de ar-
cos sendo americanos que sao os melhores e ven-
dem-se pelo baratissimo prego de 2*5t0, 3*
3*300: na loja do Pavo na ra da Imperatria b-
60, de Gama & Silva.
Mretanhas de rolo a l/r>R00..
Vendem-se pegas de bjelaoha de ii> tendo la-
varas cada pega pelo baraH9imo prego de 5*S :
na loja e armazem do Pavo na ru da (mperairtf
n. 60, de Gama & Silva.
FarefloaSg.
Na ra da Madre de Dos n?. 5 e 9 Vende se fa-
rello de Lisboa nevo, saceos grandes.
PASTA X AROPE de IAF da RAB
DE DI I *\.IIKMI H
' Sfo os nicos peitoraes tppravodoi polos protoasorw tt
I Facultad do Medidca ds Fruca, s por M mdicos dos Baa>
pllass do Pariz, os quaes certificarlo laalo a sua suurla-
ri Jado sobre todos os ontres peitorass como sua panrieaM
efficacia contra os Deaioi, rlpp*. irrltacftaa a aa
ASalfoas do pello e da jar|anu.
RACAHOUT DES RABES
ie nKHVtini
nico alimento approvaJo pela Academia de Medicina 1*
Paria. Elle restabelece as pessoas que soffrem do Bat*-
ma(o e dos intestinos fortaleee u enancas s aa pessfiaa
dehilitadas, alem alase em rlrtude da ana propredade ansv
leptlca he o melhor presarrativo das Tabres amas-alto
tnheatev
Cada frasco a cada calziaha dess preparacSea lert
ttmprt t leU a /Irma DUonfrimitT, ra Ricbolien, J.
em Paria. (Faier ssrizlo altenclo coa aa falsilcacsai.)
Depositarles na Psraaaitaee I
i r da Bewaa j ola.
Vende-se as pliarmacias de Maurer e de
A. Caors.
Escravos fug*id m
VISO

ni era ^
a $, aa loja do Pavo
Vende-se superior easemira infestada, proprla
i para calca, paletots e colleles, pelo baraiissimo
dessas anteciparoes sem fuadaneoto.
Baldes
Grande sorlimento,
Chegoa a roa da Imperatriz n. 52,* jnnlo a pa-
daria franeeta, n*n (fraw* sortlment croe se ven-
de a 2*5dO tu paraacaabar.
Attea^o.
cheaad nova reinessa d favas da lian a' ta-
berna" d. i em frente a'-ra do Vinario, pelo dimi-
nartopiegod_UOja^jJi^
Hajft o Mico fte#fir to Barblho
b'o pateo do Terco B. 12, e iem
crande sortimento de longa vldrada, e tattbem Jar-
ra de resrrfar na, jrF6%s nava 4 e 5 canecas d
agua a 3*500 e 4*. rotes da 1 a 1 1|2 caneco de
sgtHaSOOea H80 ; isto someate no pateo do
IVeco n. 12. ^^^ ^___
Vap)res.
Vende-se em casa de Satandera Brothers & C.
no largo do Corpo Santo n. 11, vapores patentes
ota toderos pe leiwea praaries para fazer mover
ire> oo austro mtebhws para eaearoar alaoiao.
yiM m
BASTAS
50 A-UA IIA C%BlA-=5a A
Neste estabelecimento como sempre contina haver grande e completo sortimento de machinas
para descantear algodo, verdadeiras americana?, de 8 a 38 serras, dos fabricantes ja muiio cooheci-
dos Eagle New-York Cotn Gia e H. & C, esias sao as primeiras que vem a este mercado, tornaudo-se
recototnendaveis nao s pela seguraoca com qae sao feitas, como pelo grande augmento que offere-
cem no seu trabalbo, occapando mu pouco pessoal. Tambem aqu os freguezes encelflrrio todo* os
necssrios avulsos para as mesmas bem como i
Machinas para cortar capira.
Machinas para debulhar milno.
Machinas para fazer parafuzos de ferro e madeira.
Machinas para fazer cale.
Arados, carros de mi
a os mais acreditados cylindres para padaria, tudopelos pregos.os mais razoaveis passiveis,

<.KA\I>1
ARMAZEM
DE
Roupa feita e par medidae
26 Rna Xov u. 26.
ALPACAS
Jos Antunes Gultnaraes, prpt etio deste novo estabelecimento de roupas e
fazendas finas, participa ao respeitavel publico emgoraj a a todos os seus freguezes,
qne estando sua casa sobre a dw-eeao deois dos melhores mestres de ajftiate, seadd um
dHk oSr. F. E C. Miranda, e o oulr-o o Sr. M. J. G. Garneiro, ambos com grandes
haWlitaeoes tendeles sua arta, pelos a,aaes dirigida a sa ofiQcina, e achando-se bem
montada a desempenbar quaiquer eiicoamenda por grande que seja, se esforgar para
sahir a coattato dos fregueaet, vendtw ludo por menos do que em outra quaiquer
parte, roga as pessoas intereeadas que ventiam examinar seu estabelecimento, e verificar
por si mesmo oque declara, sendo erregue quaiquer encommenda no Tprazo de 24
bofas. e?
de carea, na loja do Pavo
Cbegaram pelo ultimo vapor as mais lindas al-
pacas de ama 5 cor, sendo lisas e lavradas, com
as cores mais modernas qne tem vindo ao merca-
do, como seja alvadias, lxas, lirio, cinza, peroia,
avana e oulras muitas cores inteirxmente novas, e
vendem-se por barato prego : ua loja e armazem
do Pavo, ra da Imperatriz a. 60, de Gama &
Silva.
Grosdenaple preto a.Jj600.
E' grande pechincha 11
Vende-se grosdenaple preto, sendo mui'.o encor-
pado e de boa largura, pelo baratissimo prego de
UCOO o covado : na ra da Imperatriz n. 60.
Os cachinez do Pavao.
Vendem-se bonitos cachinez de lia ou agazalhos
para eabeca pelo barartssiaio preco de 3*000,
na loja do Pavao, na ra da Imperatriz n. 60.
Ganar aotftts covado.
Para calcas.
Vendem-se superiores castores muito encorpados
pad'roes escuros pelo baraj prevo de 320 rt. o co-
vado, servlodo esta fazenda tambem para escravos
por ser de saita duracao; na leja e armazem do
Pavao roa da Imperatriz n. 60 de Gama Si Silva.
Madidioles a 3,oj0 rs. a pessa.
S na loja do PavSo.
Vende-se pegas de raadapolo 6no com 12 jar-
das, pejobaralo prego de 3J500 e 4#O00.
Novidades!
Cambraias a Marta Pia.
Cbegaram as mais bonitas cambraias com listas
de cores e com os mais delicados desenhos qne se
I vendem a 800 rs. a vara, finissimos organdys -do
, mesmo nio que-se vendem a. 1200 a vara, cas-
sas da cores comdifler< nles e modernas desenhos
que se vendem a 240,280 e 220 rs. o covado, to-
do Isto muito barato em att?ng$o a qualidade :
oa loja e armazem do Pavao na ra da Imperatriz
n. 60, de Gama i uva.
Crande pechincha aa ioalhaa
Fugio sabbado 23 de junho o escravo Jo.-, at-
onto, cor um ponco fola, idad 30 annos, ponea
mais oo meos, estatura regular, barbado, poica
nsa de barba raspada, e muito bebaoo'e moito re-
alista, levou camisa de ri-cado, chapeo de paltu
de caroauba ja velho, e caiga de azulo, ioutola-sa
de forro, tem os ps maleitos, um mais grosso qua
outro, os dedos um pooro levantados por c-;!sc. da.
muitos bicho qqe teve ; este escravo pertenceui?
Sr. Manoel a I ve? barbosa, foi vendido para a <*
loma de Pimtnteiras, d'oqde voltou, e foi vendida
ao Sr. Meod' nga. rom loja de fazendas na rna do
Queimado ; fuplo foi pegado em Igoarass :au-
tulando-se all como forro, e ltimamente perten-
cia ao Sr. Manuel Antonio Vieira, com loja de len-
ca na ra da Cadei'a no Recife: qnem o pegar le-
ven a rna da Concordia n. 8, qne ser bem gra-
_______tincado.________________________
200$
de 2,8000 rs.; ditos com lie 12 covados a 25^00
Vendem-se superiores toalhas de linho proprias
para mao pelo baratissimo prego de 560 rs,. ditas
a 640 rs ditas a' imitacao das felpadas a 800 rs.,
ditas fe pudas a 1 : pecbincba nn loja e arma-
zem do Pavo na rna da troperatrii a 60, de Ga-
ma & Silva.
e 2#*80 rs; ditos de chita franceza escora e ale-
gre, lendo 10 eovadv 1#200 ; ditos am 1L e 12
covados a 34520 e 380 rs: pechincha, na loja
e armazem do Pavao, ra da Imperatriz n. 60 de
Gama & Silva.
- Grande pechincha
em chales a ca loja do Pavo.
Vende-se finissimos ehaks de merino Usos com
franjas largas de retroz tendo as ceres seguinles :
encarnado, azul claro, azol escuro, verde, ct de
cann, solferino, rnajet, branco e idxo ele...esta
fazenda vende-se sempae a (i pela sua boa quali-
dade e agora liquida se pelo baratissimo prego de
\f> por ter grande porgio : aa loja- e armazem do
Pavao oa ra da Imperan iz o. 60, de Gama &
Silva.
A H pechincha em chales de renda na loja
do ravSo
Vende-se chales de reada p-etos tendo 4 ponas
e sendo muito grandes peto baratissimo prego de
4, ditos de renda de seda a 8 10a: na loja do
Pavo na rna da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Chales
pechincha a 6fi por ler um toque de mofo
Vendem-se fidissimos chales de renda de seda
pretos com om pequeo toqoe de mofo pelo bara-
tissimo prego de O seodo fazeode que sempre se
venden per 18 e 20 e acabam-se por esteprego :
na, luja e armazem do Pavao na ra da Imperattiz
n. 60r de Gama & Silva.
hales tle renda.
Vendem-se ttaissiurus chais de renda de seda
prelos sendo da tres ponus, poim ojuiIo grandes
peio baratissimo prego de 6, sendo fazenda qOe
sempre e veodea a 12 a Sf isto oa loja e ar-
mazem do Pavao na ra da Imperatriz n. 00, de
Gama & Suva.
Ahaacas para vestidas
na loja do -Pavao.
-Receberaoi^e as mais modernas alpacas de co-
res para vestidos com os mais lindos desenhos
sendo fazenda chegada pero ltimo vapor e ven.
dem-se pelcrbaratissimo prveode 640 rs. o covado,
tendo ess fazenda largara de cbilas francezas :,
isto na k ja o ai.mazem do Pavao na ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & silva.
Pera mo
Lengos bordados
Vende o Pav5o.
lisie eiabeleclmeotc acaba de receber om va-
riado sortimento dos mais bonitos lencos de cam-
braia primorosamente bordados e proprios pata
maoqao vende peio batotissimo preco de ief e
liKiOO caca um ; na loja 9 armazem do Pavao na
roa da Imperairiz n. 60, de Gama & Suva.
Ultimo y oslo emldazinhas
Acha-seom grande sor|imepto das ma nas : a Maria pa, GaribaWinas, maihisadas, lisas
e de quadriohos que e vendem por berarissimos
preene-a dao-se as amostras : aa loja e armasen
do Pavao na ru d Imperatriz n, 60, de Gama &,
Silva.
Fugio no da 6 de fevereiro prximo passado. da,
casa do abano assignado, mi rador na p> *
de S. Pedro, fregoezia de Pao o'Alho, a sua escra-
va de nome Vicencia, com 20 a 22 aonos de ida-
de, com os signaes seguinles : cor mulata, da-
tura baia, cheia do corpo, cabellos corridos, pea-
lanas compridas, nariz afilado, bocea pequea, den-
tes perfeftos, tem paonos brancos pelo pescocee
pelos peilos, (sendo esle o signa! mais \ ,- i v<-. dra-
gos um pouco pellndos, e quando anda com <-llee
araoeados, ps grandes e seceos. Esta escrava ut
spdu2ida per pessoa do logar, e esteve em casa o.i
delegado de polica acioal o Sr. Antonio Vieeote
Maria de Araojo ; depois foi dabl condu7ida pa diversos lugares por mandato do mesmo sedon!o,',
e consta agora que no da 4 do correte partir >+
vando em soa companhia om outro, que a coodn-
zira para acidade da Parabjha (-u. seus arra^5l-
des; c nsta mais que est ou esteve em ca*a ce
Sr. Aotonio de Lemos Sooza, que dizem ter eai
dita cidade urna casa de bilhar, ou que arrorrava
em outra quaiquer parte consia tamhem ine
dita escrava mudara o nome para o d? Joaquina :
portanlo roga-se ao Ule Sr. Dr. che fe de polica
e mais autoridades competentes, qne empregues
soa vigilancia para que dita escrava seja presa,
podendo entregar ao seo senhor na mesma povoa-
go de S. Pedro, oo na roa Nova n. 28, na cidade
do-Reeife, em casa das Srs. Sooza, Soares & Ir-
inan, qne ser gratificado com a quaotia cima.
O mesmo aballo assignado protesta desde j ter
o direito de haver do mesmo seductor as despeus
e todo o mais que occerrer.
Jo> Francisco de Arroda.
Pogio no dia 27 do coi rente o crioulo de ne-
me Ivo, de idade 20 anuos, baixo, alguma cocsa
magro por se achar doeote de cinzeira pelo coroc,
levou vestido caiga de riscadioho de qoadrmbo,
camisa azol de riscadioho americano, e tambem
orna trouxa com om panno da Costa e om leego-,
julga-se ter segnido para Moribeca, tendo sido
comprado ba pouco tempo ao Sr. Dr. Bernarda
Joaqtiim Pinto Bandeira : qoero o appreheoder di-
rija se ao becco das Crioolas o. 3, no Recife, qoa
ser generosamente recompensado.
= Ainda est fugid desde o di 3 do correte
a preta Angela, de idade 35 annes, mais oo menos,
eslatora regular, fula e tem sardas no rosto, tea
o olho esquerdo magoado proveniente de orna que-
da : qoem a pegar leve a roa das Triocheirav a.
17, que ser recompensado.________________
fugio do engenho Giodaby da fregoezia de
Serinbem no mes de margo do correte anne
escravo Flix, crioolo, com os signaes segnintes:
alto e grosso do corpo, oem parecido, peroas groe-
sas, cara larga, barbado e coa algons cabellos
brancos, tem por costumo quando falla mais apres-
sado gagoejar, e gosta sempre de fumar cachim-
bo de qoe muito vicioso, representa ter de ida-
de 45 a ik) anuos, pouco mais on menos, e tem o
o c-fficio de carteiro ; ba suspeita qoe tenba s>
goido para a fregoezia de BoBrio : portanto roga-
se as aotoridadrs policiaes e capitaes de campo a
captura do dito escravo, e lvalo ao seu senhoc
FelippeNery de Barros Wanderley, no enuenha
Gradahy, oa nesu praga aos Srs. Leal & Irmaos,
na roa da adeia do Recife n. 56, que gratiBear*
coca a qoanea de IQOat.____________
Oesappareceu no dia 2 de junho do correte ao-
no o escravo Raymundo, pardo, o quai tem os sajf-
oaes seguinles : estatura regalar, bstanle corpo-
lento, denles oteiros, cara redonda, cor de garapa,
tem em um dos bracos tres grandes letras e mais
signaes no mesmo braco em que tem as letras,
representa ter 25 aonos, porm nao tem barba
quasl nenboma, tem os ps bastante grossos e tai
do serian. Ja esta' porm no Recife de 8 para 10
aonos, bastante trabalhador, tanto do servigo Os
caaa como de campo, oceupava-se nesu praga en*
servigo de servente de pedreiro e irabalbava con
o mestre Mangirico e tambem carregava agoa.
Gostnmava traar on paletet de bnm grosso ea>
forma de camisola ; suppoe-e qne tenba ido para
o sertlo do feo em algom oomboy (sito aimocreve;
roga-se as pessoas que o prenderem queiram lea-
lo a sua senbqra O. Marianna Augusta da Rocha
Bastos, na roa da Aurora a. 42, qoe abi geoerosa-
menta s*> rtoonapeosara' este u-abalbn, oa ao Sr.
commendador Manoel Loiz Viraes.
No dia terga,-feia 26 de jooho do con-enta
anno foglo o escravo Silvestre, crioolo, da vHla dn
Igoarass, com os gneas segaiotes : reptesenia.
ter 22 a 24 annosde idade, alto e secco do corpo,
tem a falla atrapalbaa, gosta de beber agoarden-
panaficoflue leve ba pqucos das, levou caiga da
brim pardo e camisa de algodo H BaWa eem a
mangas cartas e pannos redondos : roga-se, poi-
tanto, a Jnaa^ Autoridades, capitaes de campo
Ems d povo qoe o pegarem o wvem a villa da
rass, ao sea senhor Francisco das Cbaga
eir Dias, oo na Boa-vista, no rorredor da S#-
ledade, em casa do Sr. Br. Antero Manoel de Me-
deiros Fnrlado, que serao generosamente .j-ecam-
pansado.
r,
n
t
^M
ssMssssssssssssssssssl


s.
s
Diarlo de rernaabaeo rere* felra a 4c Jnlho de (866.


jjTIEMTORA.
As Biblias falsificadas.
raeios de orar juntes e juntos, 1er a palavra combinagao se tem dissolvido, e de necease
___^e Deas- dade 6 forga optar por um ou outro, isto ,
Taes sao os dois partidos que teem lutado ou l0l'Par-se catholicfb, preferndo ele-
at boje noseio da Egreja estabeleeida, e lnent0 Posilivo- ou tornar-se incrdulo,
S quu autem libros ipsos initgros um coja influencia rival, dominando successi'va- ligando-se exclusivamente ao' elemento n-
s^zessia zx& r fe je, f<* *8a,ivo-
gato* Latina editione habentur, pro si- SraDr*> catalogo de contradices que se
cris et canonicis non suscepert, et tra- P^e imaginar.
ditiones prcedtetas sciens et prudens
contempseril, ana/fiema sit (Cono.
dent., sesso 4.a)
Para escaparem a esta alternativa, e para
repellirem a incredulidades sera o auxilio,
angli-
(Gontiouaco.)
XVIII
MOTIVOS PARA ESPERAR A CONVERSO
INGLATERRA..
II
Tr'- tJT^\ T* T deSde aIgU.DS ann08-9e d0 "rtholksano, debaldeos doatores
tem 1 vanado um terce.ro partido, que, .o- canos tentaram iaveslir sua egreja da aQC.
significante era sua ongem, parece destina- ,.j A ..
ha o a^m,.- a a r tondade qua arrancaram a Egreja de Roma,
do a esmagar os seus dous predecesores.
, E' o portido racionalista, chamado a egrjja A meD08> porm, que rasgassem a sua
DA larga. Os seas adlierenles j nao teem de consilaiga"o, nao podiam faaer que a sua
l christo seno o nome ; oao acreditan na e8reJa deixasse de 9er dependente do Esta-
0 |oiz de direilo do lugar acompanbao.
12m eaminho o Sr. Bonifacio qaeixava-se dos ps
quj Jtie doiam moflo, e diz :
Ja no posso mais, tenho estas ps*w tavns.
Ao ebegarem ao jardim botaoieo do logar,
gantou-lbe o jaiz de direito, ao deparar eom o
grande depoiito de agua.
Sr. Bonifacio, est> agua potavel t
Pde-se, pois nao, pde-se carregar em polea,
se V. Exc. quizer.
Pelo que o Jaiz de direito resolveo, em sua alta
8abedorla, dispensar lo araavel companbia.
III
O Sr. Bonifacio dos Pasaos convida ama familia
para ir ao tbeatro. 4
Vamos, mmbas senboras, representa selioje
o Uogue de Veneza. Eo j Imagino o qne far o
divindade de Jess Consto era na insoira- ^ e de so^rer irresistivelmente todas as grande JooCaetanoi dizem qoe vo oflerecer-
E como explicar o odio da Inglaterra ao'^ das saafs EscriPlu' ontom Z^T^tJ^ll^T VT
cathoIicis.no f Como conciliar esta sym.i^nataral, nem nos mysterios, nem nos ""*V J* direito,pode ser ludo,
h a -. a 'milagros. A sua reliman delta niJn cnni men09 cbnstao, e qoe, defacto, cada da
prthia do carcter nacional ao espirito da i"*. A sua ren8,d0 "enes nao consis- *.; m.j *
*., ..i- 1 tesenSoem urna r-pria mnri nnramanta se tornB n^oos. Esto termel estado ae
nossa snela rel.giao, eom o profundo des-1 i. na 3oral Puramente .
humana, cujos preceitos fluctuam no vagoe coisas, que successivamenle se torna mate
no indefinido. Quanto ao dogma, olham-no manifest- pelas recentes decisoes, era seu
cora toda indiffcrnca ; e, si elles podesem complexo, favoraveis ao racionalismo, de
ter alguma predilec3o, seria descarto pelo re'C3 a ftlzer pantheismo da escola alleraa, onde sogam ts almas sinceras, cujoe preconceUos as
prezo que todo bom inglez vota ao papis-
mo?
Duas causas explicara este desprezo e
este odio: os preconceUos e os interesses.
O inglez nao v a Egreja catholica e suas
instituiQSes seno alravs de um espesso
veo, que Ihe impede de penetrar no amago
caracterstico destas instituyes. No seu
conceito, o catholicismo se resume na
adoracao sancta Virgem -Mara, na sribsfi-
tuicao de sodas virtudes por practicas ex-
teriores, e na corrupcao erafim da verdadei-
ra moral christ5a. A volu da Inglaterra ao
centro da unidade Valeria a seus olbos a
substituido do jugo erabrulecedor de um
pa Ir italiano essa independencia nacional
to cara a seu patriotismo.
Os interesses, mais que as preoecupacoes,
pnoarn obstculo mais serio tornada da
Inglaterra vedadeira fe. E' sabido que
o governo inglez, at hoje, tem estado as
mos de urna aristocracia, que indubita-
veniente a mais poderosa do mundo.
Ora, esta aristocracia, por mais opulenta
que seja, por suas immensas possesses ter-
ntoriaes, nao deixa de ter suas vistas pre-
gadas as riquezas quasi por egual conside-
raveis da Egreja estabeleeida, afim de nel.as
encartar seus Qlhos mais mocos, e mentor
deste modo sua influencia. D'ahi resulta
que emquanto a aristocracia conservar o seu
poder, haver como sua a causa do angli-
canismo, e resislar cora todas as torgas s
conquistas da verdade.
Mas nisto que Deus parece querer pu-
nir a este povo pelo raesmo lado p r onde
elle peccou; ou antes nisto que, resolv
do a salva-lo, pe o remedio no mesmo
mal. Esta aristocracia to altiva e poderosa,
que at aqui s tem feto servir seos ins-
tinctos de conservado proteceo de suas
' riquezas, hade desafiar um dia, por essas
mesmas riquezas, as cobicas do espirito de
destruicjfo. Converteu contra a verdadeira
Egreja os bens que havia usurpado a esta
fonte sagrada ; estes mesmos bens se hSo de
tornar para os inimigos da aristocracia um
thema permanente de aecusacoe recrudes-
centes. Conservadora por carcter, a aristo-
cracia quiz ser, contra a Egreja s, revolu-
cionaria por interesse. O espirito revolucio-
nario far de suas inconsequencias armas
contra ella, e lhe pedir conta desses bens
que j nio applica ao fim para que foram
dados Egreja. Sob o nome de radicalismo,
este partido, que a um tempo jurou a ruina
da aristocracia e da Egreja anglicana.adquire
todos os dias maisnotavel influencia. Pos-
to que anda era mmoridade, j todava o
arbitro dos partidos mais numerosos, a que
impe suas leis. E' em bem seu que se
fazem todas as pretendidas reformas, e a
julgarii.os do futuro pelo | assado, podemos
concluir da rapidez com que este movimen-
to de destruigao se accelera, durante os lti-
mos annos, que dentro em *pouco, veremos
o radicalismo entrar em Westminster, cora
a sua triumphante raaioria. Nesse dia se
rao celebrados os funeraes do anglicanismo,
e nesse dia cahr tamhem a principal br-
reira que separa Loedres de Roma,
IU
Ao passo que os interesses da revolugSo
trabalham activamente em remover o obs-
tculo, que os interesses da aristocracia op-
pem converso da Inglaterra,os precon-
ceUos tendem a se d>sipar sob a influencia
des estudos mais serios que vo fazendo os
protestantes e da posigo mais franca dos
catholicos.
D'omlado todos os anglicanos sinceros e
esclarecidos vo todos os dias melhor com-
prehendendo a necessidade de se faze-
rem catholicos, como meio nico de se con-
servaren christos. As iuvasoes do mais
espantoso racionalismo geram irrestivel-
menle esta conviego.
At hoje s se conheciam no seio do Es-
tabelecimento duas seitas, que se chamavam
a alta e a baixa Egreja. A alta Egreja,
que tem rauito mais afinidades com o lu-
theranismo, concede s tradiges urna certa
auctoridade para a interpretagao da biblia.
No seu conceito, a hierarchia de insti mi-
elo divina, os Sacramentos necessario para
a regenerago d'alma, e as mesmas ce-e-
monias exteriores lhe nao sao infferentes.
Resume-se em duas palavras esta seita, cha-
mando-se-lhe um catholicismo decapitado.
A baixa egreja, ao contrario, representa no
seio do Estabelecimento a seita calvinista.
Na sna mente, a biblia a nica auctorida-
de, a regra nica de f e de costme. O
ministerio sacerdotal nao tem nenbnm ca-
rcter divino, e s emana da communidade.
Os Sacramentos sao ceremonias sem ef-
ficacia propna; o servigo divino no tem
outro 6m,. que o de ministrar aos fiis os
lbe boje o arbitrio ( o Sr. Bonifacio qoeria reerir
se ao basto do artisla). Vamos, miohas senUoras,
vamos.
AOnal, depoia de maltas instancia,- declaroo
orna menina, rollando ingenmenle o rosto, que
nao poda ir por ter tomado o'aqaelle dia um pr-
game.
Nao faz mal, mmba sennora, acode o 8r. Bo-
nifacio, eu earrego com os effntot do purgante.
IV
Urna occasrlo o Sr. Bonifacio dos Passos conava
o pestfero favo de toda a sua douctrina. 1teem al ao presente aftadas de nos, e a'" caso em usa sala.
Era, cora efeito, mpossivel oe opro-|lhes ^^ .acarar com menos despreso a
testantisrao inglez escapasse por mais ten>! "f Egrf' cfstl u,^ *v">* """
poa^su irresistivel-inftaencia da lgica,^ Pre8s3 do Pder ^^ ^m
que, no continente, tem forgado o principio,'femo^as 6 tonWM a esta *"*> oltar ai
estabelecido por Luthero a produzir suas n098as '^'ta.ces cramenos preverbo :
ultimas conseqwncias e a destruir as bases T?T'fT^ comParam' remontamJ
da propriarevejo. E' verdade que o es- *fonte9,da ****** esle e3,Rf tem c-
pirito inglez timbra muito mais em obe^/^^tovej resulta convencas de qne,
cer aos dictames praucos do bom senso. do
que s rigorosas dedueces da lgica ; mas
anda assim, -nao pode de todo subtrabir-se
a essa tendencia natural que imperte a in-
telligencia humana a exibir-se a si propria
a razo de sna crenca.
Quando pois se apreseotam as theorias
da escola allemaa, minando peta base a re-
nao s nao ha nada no catholicismo, que
seja contrario ao christianismo primitivo,
mas que s no cathoKctsmo que- o chris-
tianismo primitivo se tem conservado.
De outro lado, a posi$8& cada vez mais
No meio do tonto faltoir-lhe o nome de um per-
sonagsm que emrava nelle como Plalos no Gredor
Em vo batendo na testa, peocurava o mesmo-
lembrar-se do tal tmme.
Chamava-se.... dizia elle.. r oom'os diabos; ja
estou fleando sem memoria, eer que a linha lo
boa!
Nao faca caso^Sr. Bonifacio, ioterrmpe-lbe
9 sojeito, continu.
Sira. .-.-o, que diatoo nao posso me lembrar....
Ouviram ee circamstaotes o flm da historia; de-
pois do que- o Sr. rfoniacio coraecoo silencioso a
passear pela sala, como quera procurava lembrar-
so de alguma' eonsa.
X-am canto discuta um grupo sobre -dtrisoes
de terrenos, etc.
franca e mars decidida dos catholicos nao j O terreno o predior dvnam sajoite, ie a
Krma de.om trapezio; ora,..
conspira poucopara constranger, mogra
do- delles,- os- protestantes a se desprrem de
seus precooceitos. Longo tempo forgados
velacSo e atacando os dogmas positivo do j pelas leispenaes a esconder sua f eadei-
christianismo com argumentos- muito mais Xar sem resposta os ataqnesde sen inimi-
fortes, que aquellos em virtade dos quaes gos. M catholicos inglezes- teem depois da
se havia repellido o catholicismo, que a
theologia protestante se acha fraquissima.
Em quanto estas theorias ffuctuavam soladas
ao longe da Egreja e das universidades,
apenas se lhes oppunha a resistencia" pae-
si va do desdem. Mas o negocio mudoo de
sua emaneipaco, edificado Egrejas, eseripto
livros^ sustentado contrwwsias, enviado
misses. Sendero, ojue pr ogressiv^oaen-
te cresce-e-se opolenta do membros- mais
distinclos-do- clero anglicano, impoe j res-
peito por soa* virtudes, captiva ? alten-
aspecto quando o inimigo entrn triumph. ^ por ^^ gcteocia. N8*> duas casas do
mente no coraco mesmo da pra$a e quan^! parlamento Tozes intrpidas se levantarn
do o racionalismo logrn enthronisar-se n Bara reflar a5 caiumnia6. ft pr0var aos mais
pessoa do^outor Hampden sobre urna das- fanatJcosy qye a-religilo satbolca nao.mais
cadeiras de Oxford. Grande foi entao o 00,^ independencia nacional qe
espanto, grande foi o ardor desses ho nens uienidade- individual
que tanto linham declama lo contra a intole-j ks^ ao que ^.avan os ^^
ranea do Vaticano, em tomar as armas, Uveisdo radicalismo e fr.,!^^ ^
que podeiam para rechassar o1 protanador. dem inCMBilleil|ei|te a ^hr a baiwira
Vaos esforcos! nao s o profanador resisti a, nere3ses opp5e(B ,recoQeiiia?5o da
seos ataques, como bem depressa se choo'|DgljltorfaiC01|| a EgreJa+ ^ rewlocao ^
elevado dignidade episcopal, e grangeou mea0s irresistivel se opera as almas e tai
deste modo o poder de ensinar em nome IMnio.eMModjg8pani>. os precoaceltos. i
da egreja anglicana a negar.no de todo m
christiaBismo.
Repila, repila, senbor, esta palavra istra*
ttra, que acabo de pronoatiar, diz-lbe o Pr. Bo-
nifacio.
Callaram-se lodos.
Trapezior dn-lhe o terpellado admirada
B-voltando se para osseo grupo, diz o Sr. Booi-
faeio com alegra:
Moreira, se-ctamava o homein.
V
Gm> dia, indo-' lazenda de um amigo, oftearro-
goa-lhe este da-trazer un per*, danda-lnoao
mismo- tempo urna carta par a pessoa, a qaeaa
devia ser entregues.
No meio do caminho morroMM os inneoontes
animaos, com o-que o Sr. Bonrfacw> dea seriamen-
te o oavaco.
Chogando a' dade entregoa arta ao sijeito,
que depois de l'-la, dlz-lbe :
Mas aqu ve.dous peras.
Ora, anda- bem, respondeo Sr. Bonifacio,
porqjM os que ou -Uaxia morieram aa estrada.
VI
No lempo dos-seus amores, porque o Sr. 3o>-
facio ja-teve Sazonaos, coiu qualquer de nrpor-
guotou urna occasiao namo'rada.:.
A-.senbora nao me v- passar todos os dios
pon aqui?' Pois-- nao tem qoe sabor; quando vir
passar um cavHo rttsso eaM6rM,aiba qae--seo
e*t"
Esta carta -escripia da Italia por Petrucei ati-
)a GaUina M-Jtrtul dos debats, de Parix.
Cremona, .24 de maio.
Frezado amigo:
i Cremona. tem sido al aqui o posto avanzado
Que resottedbs nao podemos esperar deste U, exorciio^ ama sentineJIa. enearregada do dar
movimenfa). Combinado-?' Qnem nos aCCU- o grito de rebate, no caso.em que os austriaooa se
Desde esse tempo o movimento assumio sari de presumpoio, siproclamarmos a fir-4 decidisseo- a atravessar o.Uincio para invadirem
enormes proporces. A numerosa e poderosa me esperanca de que* no est looge o diav tonibadia.
escola do doutr Arnold veio prestar seu em que aquella naco a mais jadiciosa, a Hoje aaosmo vai comajar um movimento. parta
apoio ao p*artido racionalista (I). A maxi- mais enrgica e a mais naturalmente religio-'rente; e a'me n0****** onvindo por baixo
....... ds miabas ianella? o aasso accelerado das colom-
ma parte do partido puseysta, que nao <,que todas as qoepovoam aterra, voto-' ^Ja cosena.r>general Cnccba, qoe
veio buscar no seio da Egreja catholica um r Egreja uoica^ que lhe pode dar urna commanda o 2 corpo do exercito, continaara' a fl-
apoo solido era favor de sua f, foi engros- douctrina capaz de- satisfazee sua inielli- car aqui; porm as suas divisSes comecama por-
sar as lileiras dos adversarios de to la a re- gencia, um culto em rela#te.eom a su* pie- ** wn movimento, o qpo prova que a hora, soiemno
ligio positiva. A bracos com os ataques dade, e um fim digno da sua energa M *P*o*a. O general Caderna, que substituio
incessantes desta liga formidavel, e acossa-;
dos por outro lado pelos catholicos os an-
glicanos, que querem permanecer christos,
sentem a -na posi^ao empeiorar todos os
dias.
Todas as armas que empregam contra os
catholicos, os racionalistas convertem-nas
contra elles, e, para repellir os racionalis-
tas, nao podetn servir-se de nenhum argu-
mento que lhes n5o demonstre a necessida-
de de se azerem catholicos.
{Continuar-se-ha,).
IU POLCft BE TUDO.
O Diario di S. Pauto publica o segointe :
.PASSOS DO SR. ANOKL B0NIFAC DOS PASSOS.
O Sr. Manoel Bonifacio dos Passos da' um baile.
O Sr. Maaoel Bonifacio um lypo, como ba pon-
eos na prgvinciado...
E' gordo, baiio, cabeca enorme que desmente o
Sirtori, o qual passoa para o corpo do e&ercit
commandado pot Bella Rocca, parti esta, manha
de Asquanegra pana Casalmaglore, as- margeos do
P. O general.Gossenz sabio de Pizzighettone para
tomar posigo em Canneto e em Marcara, as
margeos,- do Qglio, aproximando-se de Maatova.
Mignano demora-se aqui; mas urna parle da sua
diviso avanca para Piadona.
Os tancelros de Novara esto em Bozaolo. Ao
mesmo lempo, o corpo de exercito de Durando, o
qaal se acha em Lodi, para oade partirei amanba,
xecota tambem um movimento para a trente lau-
cando urna diviso em Croma, onde ainda ba pon-
Gall, pois o Sr. Bonifacio teve a infelieldade de
nascer um socolo depois da descuberta da polvo-1 0 apenas vi alguma cavatlaria.
O protestando contera em si dois ele- 1T^S^'7^,1^| Por outro lado, o genera, Sonnaz, com urna
mentosjDppostos, ump -sinvo^ outr_nega- qaxao ^ um ^ deQta M (renle> que ^ ^
ares de dizor :
tivo. Seu elemento positivo s5o os dogmas
do sjTbolo cbrislo, que, separando-se da
Egreja, os tem conservado : seu elemento
negativo o direito que se arrogou de re-
pellir todos os ogmas que pareciara re-
pugnar raz3o. At hoje estes dois ele-
Neste campo solitario
Onde a desgraca me tem,
Chamo, ningnera me responde,
Olbo, nao vejo ningoem.
Acommodem os leitores em ama cara vermelha
meatos podiam, bem ou mal, combinar-1 todos esses elementos, com os quaes o melfaor es-
se. Sob a influencia da critica allema a tataarfo nao poderla por ceno esnocar o Apollo de
'___________________________I Belvedere, accesceniem-lhe ama cabeleira ralva,
(brea de cavallana, em Bagnoio, alm do rio Mel-
la, na estrada de Brescia a Cremona, e alguma ca-
vallaria tambem sa v em Cbiavini, qoe fica a pe-
quena distancia de Montecbiero. Todos estes mo-
vimentos provam qoe o exercito comeca a formar-
se em liaba de combate. O corpo de exercito do
general Cuccbiari acba-se por esta forma em posi
gao as margeos do Oglio.
< A posicao qoe at aqui havia guardado o exer-
cito italiano era absolutamente defensiva.
Postado no seml-ctrculo da Lodi, Placeneia e
Bolonha, com destacamentos avancados na Lom-
bardia, o exercito estava plenamente garantido de
fI) Deia-se ver em seu recenfe numero e5r de ^ dte nilh0e ,wio oma ld P"*
da Revista dos Dois Mundos (15 de maio de ^ "ae da ba"-
t86t)a analyse de urna Obra puramente ra-| Ora, um baile tem ama razo de ser, como to-jum ataque dos austrlaoos, prestes a tirar partido
cionslista, publicada pelos discpulos de Ar-! das as coosas neste mondo. das imprudencias e dos erros do inimigo. Hoje 18
nold, com o titulo de Essays and reviervs p gr B
Causou grande estrondo em Inglaterra esta d Bm tlln,T
obra, chegando em poneos mezes, oitava ^ f ^ Senhor d09 d
edicao. O auctor da analyse. Mr. Scherer, I imi( mesarj0 ?J
eotrincheirando-se em nm ponto de vista,
fronteiro ao nosso, vem a coincidir comnos-, Ser porque biptiaoo Igom iibo?
co exactamente na tendencia do protestan-1 sr porqoe morreu-lhe a mnlner T
tisrao. Sent, como nos, que esta heresia, Ser porqoe Scou mal com algum amigo?
vai passaudo por urna crise peremptoria, e sera porque... digamos logo porque foi:
que irresistivelmente forjada pelo desen-! O Sr. Bonifacio, despenado por nio ter sido con-
volvimento de seu principio negativo, que vidado para nm grande baile, qoe abaloa toda a c-
a liberdade de exame ao aniquilamento do dade, levanton-se no dia segointe, batendo na testa
principio positivo, que a auctoridade da. e dizendo a' soa moiher:
biblia.A seus olhos, pois, aproxima-seo mo- Venina, estou vingado, voodar um baile enio
ment em que ha de desapparecer toda eren- convido a ningoem.
ga positiva, para levantar-se < urna especie Beconhecendo ao depois que o qoe acabava de di-
de racionalismo christo OU de christianis-1 ser era orna tremenda asneira, sabio parafazeros
mo racional, que, sem excluir o fervor, dei-' convites, comecando pela pessoa mais grada do la-
xar intacta a liberdade de pensar. Mas garo presidente da provincia, a qoem encontrn
elle nao se esqnece de perguntar, si ura tal na mesado jantar em trajea domsticos,
christianismo < acaso nao se assemelbar Seobor, dlz-lbe o nosso beroe, venbo convi-
muito com o desmo, pelo descarnado e es- da-io para temar amanhia em nosso chiqoeiro (foi
teril que lhe traz > e si, passado este mo-, expressau mais modesta qoe encontrn o Sr. Boni-
viraento em que o- bomem rasga todos os faci para designar a sua casa) ama cbicara de
veos e regeita todos os mysterios, < nao agai soja.
vira Deus a ident'ficar-se com 0 homem, j e querendo dizer que nao havia ceremonia nem
personificando-se na consciencia e razio da etiquetas, accrescentou :
humanidade. > Tal, accrescenta elle, o! y, exc. pode ir assim me*mo> porque l nao vai
formidavel problema que tanto interessa as ningum de brm.
trgicas controversias actuaos do protestan- e sabio com a mesma modestia que linha en-
tismo. Permita-nos o auctor enxergar- ,r^0.
lhe demasiada modestia e advertir-lbe que, i i n
no tocante ao protestantismo, resolveo 0 O Sr. Manoel Bonifacio doa Passos vai a um pas-
sen artigo claramente o problema. seio.
dlvisSes do eiercito luliano parece terem em vis,
pelo movimento qae executaram para a frente,
sabir dos seus acantnamenos e aproximarse do
Hincio, na direccao de GrKo, onde o exercito pie-
montea alcancou em 8>8 ama brtlbante victoria,
i At a Lombardia tinba fleado desguarnecida
de tropas, protegida nicamente pelo nome da
Franca e pelo tratado de Villa Franca qoe a Aus-
tria v mo grado sea, surgir contra ella e a Fran-
ca. Mas o general La Harmora toma as snas pre-
caueoes, na provisao de qne a Austria, aflnal, ae
enfastie e atravesse o Mineio.
Portanto 2,000 bomens trabalham para perem
Cremona em estado de defesa. Fortificar Cremona
tem sido ba muito tempo ama idea Qxa do general
La Marmora; porm, tendo conseguido apenas qne
a cmara votasse algaos miiboes, a ultima ora ac-
tivam-se os trabalbos o mais qae se pode, aflm de
pol-a em estado de proteger ama retirada e de in-
nundar as planicies.
Todava para mim mui duvidoso qoe este baja
de ser o theatro dos futuros acontecmentos, sobre-
todo no pnmeiro periodo da guerra.
Nio ha vemos de debutar sitiando fortalezas;
enmpre porm preparar-so para todas as eventali-
dades e para os planos do inimigo, cojo accesso
menos perigoso para o slo italiano, lbe proporcio-
na a linba do Mineio.
Cremona esta simada no centro da Italia do nor-
te, na frtil planicie da Lombardia.
A cldade i cercada de muralhas arruinadas e da
fossos entulhados. O rio P corre a orna distancia
de al gamas centenas de metros das ultimas casal
tendo all a largara de um lago, porque a ponte
de barcos qne serve de commnnicaco entre as
%ajBBinas>aas dais margeos mede, de ama a ouira
57 passos. Aqai, como em Tarim,
em Valeaza, como em toda
rvaa soa pbysionomia carran-
Mristeza e de mo humor,
accelerada a' imitaco dos zuavos e
et* A- marcha segu ama
pessoa am "Tyl5 o aspecto d'este rio. Qaem
sabe? Os cadveres que teem devorado e o sangos
ras mais encarnecidas balaibas da Italia que teem
pagado, sao, talvez, a causa da sua tristeza. Que
(Merenga d'essa Adda, qoe ba poucas horas atra-
vesad em frente de Castao I E se agua ervstalli-
na e lmpida como as papillas de orna joven eseos-
seza, tem om ar risoobo, o corso do rio Adda lam-
bem rpido, mas graciose. Aqai o P achare
engrossado eom as aguas do Adda, qoe ebeb a em
Castelnuovo, com o Tressino que se rae aggregoo
em Pevia, co o Sesia em Gangia, com o Dora em
Verrua.
O vasto panorama- que ae descobre lo alto da tor-
re de Cremona e nmravilboso. Toda a Lombardia
encerrada entre s mootaohas de Bergamo e de
Brescia e os Apaninos da Emilia desenrola-se sob
o olhar como ama mesa de malacbites corlada por
filetes de prata. Avista-se a Spla de Sofferino, a
torre de Crema, Lodl, nacencia, a sombra vaporo-
sa de Mantova e Pizzlguettone que recorda fran-
cisco 1 e o famoso dito dessa poca.
Acba-se aque a diviso-de Mignaao, da quat faz
parte a brigada Regina, Bota brigada tem raa
pagina do historia oo exoroiio do velbo Piemonte,
urna iradicco de bravura-excepcional e a medaifea
de ooro. Alada oestes ltimos lempos, o seu regv
melo o. 9 decidi da btalo de Palesiro ; o sea
h. 10 coatpletou a derrota de Casletftdardo. Esta-
brigada era eommandada por Caldini; boje esta ac-
ordeos de general Carini.
Batre os generaos de diviso, eoolaaa-se alguoa-
qooja servlram no exerci'de Gartbaldi: Bixlo,
Coseos, Sirlori, Medici e doas geoerae do antigo
exercito napotaao : atignane e Piaoetti. Os ge-
neraos desta doas cathegorias-teem deveres pes-
soaes-a-cumvir e nao bao- de fallar a elles. A
emuMcoetevu a om subido grao a aptidao dos
oflciaesde tiaribaldi ; a responsabilidade particu-
lar que pesa sobre a cabeca- do ox-geieraes de
Napoles-oupitcou-ibes o zolev adedieacao a auda-
cia.
O general GoccWari, que-eu tiafea visto no par-
lamento; sempre silencioso, nada tea aqai modado
das saae-prosaica maneiras, do seaar imperlaba-
vet, guHMhido e geomtrico, tallaret do generaos
de divisa a medida qae forera pratieaado aegoes
de valor ou quaado cahirea nos campos de bata-
Iba ; porm-esoocarei a biograpbla-ouo retrato dos
chefes das -corpo de exercito quando o encontrar
no me oamiobov como acontecen, coa Cucbiari,
que acabo de ver.
Oizia ha poueo o marechat Benedek, na sua or-
dem do da ao exercilo, quo-'ioba fe na soa anttga
e boa ettrella. Deus me livre de-dar om desmen-
tido aquella valeoie general.;. ma de que boa es-
trella (alia elle f porque ha. tantas-t D boa estrel-
la daraot a guerra I a historia, fot cega talvezja
seorespeito escreveodo lao-poucov E eerto, em
todo o aso,, que esta bo estrella o trabio em S>
atarlioo, oodo Cuccbiari ootriboo. moito para se
alcaocar a victoria deste nome; Verdade qae Be-
aedek, fes coostar qae o imperador o baria mac-
dado chamar, qoe tinba Keebido ordem de retirar
justamente no momento emqne ia esmagar o e-xar-
cito piemoowt, Nao quero augk o marechat Be-
oedeawooia esta recticaco. Cono sabido, ha
mullas-formas para expeimir as-cousas cujo nome
proprio petulante.
0>general Caechiari. ana bomem de sesseota
anuos, do Carrara, Uha d m irmao do ueliz
conde Rossi, o economista, o soaador francez, o
amigo de Guizot, o embaixador de Franga em Bo-
ma, feito depois mioistro Pi IX e miseravel
monte assassnado. Cuccbiari era ad vogado. leodo-
aocompromelttdo na revoluco de 1831, na Emita
emgrou para Franca, depois para Portugal, oade
entrn em serviep.no exercito de D. Pedro. Dis-
nguio-se e recebea.om lehmento no combate que
se travo sobre as-muralhas do Porto.em 833.
Foiprcmovido ao pesio de lente e condecorado
com a cruz da Itorre-Espada. Em 1833, Cuccbiari
passou ao setvico do Uespnba com.o posto de ca-
pitao. Na tomada de Coma veja ganhou a meda
ib; no combate de Cberta, a cruz de l* elasse de
S. Fernando; em Cbiava, (oi uoyamonte ferido e
condecorado. Ejn 1838, na bataiba de Morella,
Cuccbiar. recebeu urna lerceira ferila e a cruz de
Isabel a. catholica. Em' 18iO era-tenante-coronel,
quando o seu regiment foi dissolvido. Logo que
eslaloa cevolucao de 1818 na Italia, Cuccbieri i
um dos primeiros a apreseniar-se com os seas col-
legas, Cialdini, Fanti, RbboUi. Tendo sido promo-
vido ao posto de coronel em. Modena, tomou parte
com o seu regimentlo combate de Volta,as oidens
do. general piemontez Sonnazj em seguida foi inves-
tido oo commando de Pava. Admittido no. exerci-
to piemontez como coronel do 4 rogimenlo de Mi
oba, Cuccbiari balarse em Novara, e d'aqui al
Oleozo o seu regiment perdeu 300 borneas, entre
monos e (eridos. Foi recompensado com a rneda*
Iha militar. Em 1859 foi nomeado general da 3r
diviso, a mesma qae sostentoa, execataada ata-
ques successivos, lodo o peso do corpo d'exeroito
do general Benedek nessa batalla que daroo desde
as 7 horas da manba at as 9. da noite, as alturas
de Sao Marllno, ao passo qae os Francoies triom-
phavam em Solferino. Vctor fimmanael promo
vea Cuccbiari ao posto de lenenia-general no cam-
po da batalha. O commndante do J* corpo, como
se v tem urna grande experiencia da guerra. ET.
alm disso instruido, dotado de moito sangae fro,
de urna percepgao clara falta-lhe, porm, essa
centelba, qae embriaga e arrasta os soldados a
grandes coramettimenlos, qae Ibes da a certeza da
victoria.
N'uma retirada, Cuccbiari seria admiravel; na
reserva excedente; no sitio de urna praca, ebeio
de experiencia e de solidez, mui babil n'uma guer-
ra defensiva; um ponco lenta talvez na guerra
offensiva, mas por isso mesmo vibrando golpes
certelros. La Harmora collocon-o aqui no seu
verdadeiro posto, em qae preciso obrar com pru-
dencia e manter-se Arme em caso de ataque. Por
qne persisto na idea de qae o corpo de exercito
formado as margeos do Oglio ou nao ba d tomar
parte na aegao, ou nao far vais do'que simples
demoustracoes de diverso, ou ser a vaogoarda
no caso de urna converso de frente para a esqua-
dra para se dar bataiba no alto Mineio, onde se
tem decidido qoasi todas as grandes guerras da
Italia.
oo vi sanio aulheres na agua doa arrones qae
ellas sacham, oo trepadas as amoreiras, colhendo
folhagem para os bichos de seda. As malberea de
Cremona sao mui bellas. De resto, aqui que
Guido Reni e o Gorreggio vinham de ordinario
escolber os seos modelos. Ah se os viajantes qua
vio admirar a gallera Pitti e a Loggia dei Lanzl
soubessem quanlos tbetouros de curisidade esto
aqui occullosl Cremona est esperando um reve-
lador.
Ha al mesmo para os sabio am excedente guia
de Cremona e seos arredore?. Alm disso, Cre-
raooa pgejpe urna maravilha : ara bispo liberal,
senador do reino, que teria mandado cantar am
Te Deum para os voluntarios, se estes nao hou-
vessem proferido o bymno da Broffdr/oy eoja9 pala-
vras sao admiravel, a a msica um poseo somno-
lente que foi escripta por Brizzi.
aoo<--"
L-se no Bazar Volrnfe o segointe :
Era un dia um padre.
Era vigario collocado da-freguezia de... oo mu-
nipio de... e chamava-se fret Santa Cecilia d*Na-
tlvldade.
Ha eertos nomes fataes que sao epilapbios- de
quanta aspirago generosa ha por esle mando.
Um earBerro raras vezes fWrz como o matrk
monio.
Igual orle tem os Tourinhos.
Conhe'i ura moco, que tinba grandes habilita-
goes para eserever folbetins, e que rabiscava de
vez em quondO meaos mal o seu vrtmho.
Pois este iofeliz nunca publicou ou s folbelim .'
E saben? porque T
Para nio assiguar-se em baixoCamello.
Por mai fhzes aoagrammas qae-escogtasse,
nnnea cooseguio esconder o epigrama do tal no-
me de famil.
J vem o le teres que am bomem qne se- chama
Santa Cecilia da-Nativfdode nao pode por eerto ter
sido o inventor da bussala nem da plvora.
Fre santa Cecilia da Nslividade foi rade e gor-
do, (descttlpea>-ne o plecaasmo de frade- gordo ;)
boje padre, ene> mmietro de Deus as direitas,
como requer o scalo e ae- avessas, como eatre a
igreja.
A direitas, por-que fre-Salividade um gastr-
nomo, como ba ponaos ; as avessas por qne eomo
pastor cura mais de gado que lem em caso, do qae
das ovelbas do Seobor.
Svbarita no rigor.da panora, o vigario soilocado
passa as maoblas .-potreado n'uma cadeira de
bai*co, com as duas mo descansando- sobre o
ventre, a ar rotar; o -almoco,a ardes passo o mes-
ma posigo a arrotaro jnarr o as noites a-arrotar
a-c.
Prei Nalivldade nio coabeco a modestia --, para
elle essa virtude -a-hypecriei do orgolho.
Btenle que nao ha em lodo a froguezla nm bo-
mem que o exceda- em sapiencia e talento.
Por isso qoando lbe voooosaltar sobre qooiqaer
ponto, o ex-frade ronca como ao> porco no ehirraei-
ro, toma urna pitaJa stroodosa comprimilo eom
o- dedo indicador a> venta dtroia para qoe a esqaer-
da possa receber ara ebeio o rap, fazeodo depois
a mesma operaca>oma veat equerda, pucha os
ocuk para a testa* cosper eoo nma voz de Flo-
riodo nos Dous Renegado, orna asneira mi qae
seria eapaz corar de vergoao o eonego FeHppe.
Um dia appareoeu na matria nma mulber eom a
Qlbiahaao collo pan ser bapHsada.
Como se chama ?-pepguolou-lhe o bojudo vi-
gario.
Lucila.
Laclla I t'replicoa-lhe o mesmo, acorapa-
abando o ponte de admir-acao eom nm reaeo, se-
naelbante ao tro vo ao loage. Este nome-oio est
no calendario ?i
Depois de pensar maduramente, bateu>na testa e
gritn, como Archimedes
LucioU:Lueiola vai por hora horm^ logo tu.
E gragas a. esta infet inspiragao a-erianga foi
baptisada.
Urna ouira occasioy naostrava elle a presidente
da provincia.as obras da matriz; e gabando lbe
este a solidez da consiruccao returquio4be o emu-
lo do eonego Felippe.
Temos.aqai igreja, al para meus tuts l
Um candidato pedio-lhe o sea voto para a pro-
vincial.
Sm que se occapa V. S. T norgpntoa-lBo-o
espirituoso fre f-
Ba sou lente de Historia Palsta.no Lyceu.
Ah 1 sei, tornou-iho o vigario, historia, da.
Franga, da Inglaterra, de toda estranja eraSm... .
Pois, meu charo, ba de ser servido.
lato fazia o bomem, quando eleitor.
Mas a serlo que cega, deu-lbe um.dia nm pon-
tap, e com tanto geito que atirou-o n'ooaa, cadeira
ida provincial.
Nem aexcedenciafoi capaz.de alterar os h-
bitos do reverendissimo.
Era ainda o mesmo bomem I
Um dia pedio a palavra na cmara, (movimento
geral de attengao,) e como, todos que. pedem a pa-
lavra pela primeira vez, fre Santa Cecilia, depois
de tirar o exordio de si,enlrou na materia, qae era
a falta d'agoa no districto que o tuba eleito.
E como remedio para corar lo grande mal, elle
apresentou um offerecknento das freirs do coa-
vento de... nos seguales tersaos :
As freirs do... offereoom o reg do conven-
to ao publico, cor a condico de lhe prer urna
loroeira fiza.
Escasado dizer qoe o presidente nao teve mais
(oreas para reclamar ordem.
A uilaridade to: tanta que a sesso ievaaton-se.
E' destes que levara pontaps da sor le as cama-
ras esto chelas l l.l
Na Solivia leve lugar um phenomeoo notavel
cora a desapparico de um povoado inteiro.
Um tal caiaclysma nao pode deixar de causar
ama impresso penosa e profunda no espirito.
La poca, diario publicado na Paz, conta o tac-
to e explica esse phenomeoo do modo segointe :
No Qm do mez de margo, desappareeeu quasi
completamente a povoago de Ayata, era conse-
quencia de ama especie de terremoto ou movi-
mento do slo que se den em nma grande ex-
tenso.
Dorante esle phenomeoo, mnitos babitanes, pa-
ra nao perderem as suas coibeJlas, arriscaram-sa
a reeolhe-los, e emqaaoto fauam esta operago,
qoe poucas horas dorava, apparociaoa ellas em
lugares muito dflereates da taa posigo primi-
tiva.
No espago de ama noite, as casas tomaram di-
reegoes oppostas ; as qne linham as frentes para o
oriente appareceram no dia segointe com ellas pa-
ra occidente, e vico-versa ; as plaas e arvores
desviaram-se moito da sna poslcio vertical.
Eflecinou-se este movimento gradaal e insensi-
Cremoaa dea cerca de 700 voluntarios que j velmente no espagu de tres dias.
d'aqni partlram. Em Milo, cerca de 4:000 se Examinemos a causa deste phenomeoo.
linham inscripto no dia da minba partida, maj Exlslem em toaos logara conUgoos aos nos-
Tarim mais 3:500. Esle numero foi sucedido nos
dias seguales.
O comboyo em qae part eslava chelo de volun-
tarios. Crazamo-nos com outros comboyos igual-
.
UEfiiVEL
-.
sos Andes cavidades subterrneas considera veis,
prodazidas, como julgamos pela elevacao desta cor-
dilheira de mootanbas. Ora, oo pel decorrer do
lempo, ou pela aegao da aguas pluviaes, a super-
ficie da ierra soffre esta especie de abalos, lenta e
monte carregados desta mocidade cheia de fogo e' agradualraenie em alguna casos e promptamente
dtMMhOiasmo. em 0Qtras.
'iKada encontr, rompa nm salva de vwas a &*** lerremoe tm-se repetido com freqaoncia
Sorioofdt, comparavel ao estrondo do trovao. 'noa no dias, em qoasi toda a extenso dos An-
J4%m comega asentir ahita detrabamado-'dea situados na Bolivla.
re'*> Dorante o mea trajelo dcMllio ato amil,' PEB.N,-~TYP. E H F. DE V, 4 PUJO.-IW5


\

x
, i
\
^

"!


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3N36D7U5_GKOCKE INGEST_TIME 2013-09-05T02:22:26Z PACKAGE AA00011611_11007
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES