Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10999


This item is only available as the following downloads:


Full Text
'"
',ci
'!.
AMO XLI1. HOMERO 143
Fr!|iartelM^itr80diasl.#M *,.. ,
dem depois dos 1.' id das da ctmec* foitrt do fiarte! .
forte ao correio por tres mezes ,....... ^
L"'A't**r:3 "

*b
3#fJM
DIARIO DE
*:
SEXTA FEIRA 22 DE JWHO DE1866
Por asno pago dentro de lo das do 1, mez. .
Porte ao corre por im anoo ...... ,.,, ,.

ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alaxudrino d.e.Lima;
Natal, o Sr. Antonia Marques da Silva ; Aracaiy, o
gr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Marauhao, o Sr. Joaquim Maraues Ro-
drigues; Pari, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filbos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claodino Palco Das; Bahia, o
Sr. Jos Marlins Al ves: Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olioda, Cabo, Eseada e estagoes ix via ferr at
Agoa Preta, todos es das.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruard,
Altinbo, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
.Conselho. Aguas Bellas e Taearai, as tercas
feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Umoeiro, Bt^o, Pesqoelra
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrobo, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro e Ex, as quartas
feiras.
Serinhaem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agna Pete e Prmenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS. BOS TR1BUNAES DA CAPITAL..
Tribunal do commereio: segundas e quintas.
Relaco: tercas e sanados s 10 horas/
Fatenda : quintas is 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: toreas e extas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: qaarae sabbades a 1
hora da Urde.
EPHEMER1DES DO ME DE JUNHO.
O Qnarto ming. as 4 h., 53 m. e 38 s. da m.
12 Lna nova as 7 h.. 47 m. e- 52 g. da .
19 Quarlo crese. as 9 h., 25 m e 52 s. da L
28 Loa ebeia a 1 b., 16 m. e 10 s. da m.
DAS DA SEMANA.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
18. Segunda. Ss. Leoncio e Theodulo mm.
19. Terca. S. Juliana de Falconieri v.
20. Quarta. S-.Silverio p. m.; S. Silvino ro.
21. Quinta. S. Luix Goozaga jesuta.
21' Sexta. S..Paoiinob.; S. Nicas b.
23. Sabbado. S. Agripina v.; S. Zenon m.
24. Domingo. O Nascimento de S. Jco Bap&ta.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 11 horas e 42 m. da manha.
Segunda as 12 horas e 6 minutos da tarde.
Para o sal at Alagas a 14 e 30; para o non
at a Granja a 7 e 21 de cada mez-, para Fernn
do uos das 14 ios mazes de Janeiro, marco, mal*
ulbo, Miembro e no7embro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praca da Independencia
ns. 8, dos propietarios Manoel Figueiroa de Far-a
& Fiibo.
PARTE OFFIGIAL
Tinba fallecido em WestPoint, a 29 dopassado
o general Winlleld Scott, com 80 anuos de idade.
Esse decano do exercito da Uniio oi o bere da
iovaso do Mxico em 1847, e tinba sido premiado
.Hl, .-0 n proWICIV com Ptent dB teneirte i"eral, que desde a loo-
60VEBXO VT ,om A** d repoblica apenas tem sido occupida por
Expediente de dia 19 de jnane de lobo. Washington, scott (coja morte noticiamos) e Grant.
Offlcio ao tenente-eoronel commandante das ar- Scott no principio da oltima gnerra civil com-
mas interino.Sirva-se Y- S. de informar sobre o mandava o exercito em chele, eapezar de ser na-
que pede Leopoldino Ezequiel Correa de Noronha toral da Virginia, conservou-se fiel ao governo le-
o incluso reqoerimento. r61***. m .*
Dito ao roesmo.-Ioforme V. S. sobre o que sol-1 Ao ex-presldent
cita no inclaso requerlmento o teuenle reformado
do exercito Manoel Antonio Marinho Falco.
Dito ao inspector da tbesouraria de fazenda.-
Expega V. S. as suas orden?, para que em vista
da foltia junta em duplcala a que se refere
ooffl-
dos Estados Confederados
JefTerson Davis foi concedida por homenagem a for-
taleza Monroe, tendo a liberdade de passeiar den-
tro do recinto da mema, desde o nascer at o por
do sol. Corra qae o processo de Davis seria ad-
diado at noverobro prximo. O New York Herald
t:io do commandante superior desta capital, datado diz que JelTeraon Davis Insistir para ser migado
de 16 do crreme e sob n. 161, sejam pagos se
tilo hoover inconveniente, os vencimentos corres-
pondentes aos dias 1 a 3 deste mez do alteres do
6 batalho de infantaria Alfeo Odom da Cunba
Goyanna, qae esleve destacado no Forte do Bu-
raco.
Dito ao me3mo.Attendeodo ao que expoz o Da-
cbarel Joaqoim Theotonio Soares de Aveilar no in-
cluso reqoerimento, recomroendo a V. S. que
mande pagar-lhe os seus vencimentos como juiz
municipal do termo de Cimbres correspondentes
aos dias decorridos de 21 at 30 de abril ultimo,
em qae por molestia deixoa o exercicio do seu car-
go considerando se para esse fira abonadas taes
faltas. .
Dito ao inspector da thesooraria provincial.
inmediatamente on sollo debaixo de flanea, pres
tando-se a dar esta at qoantia de cinco ou dez
milhoes de dqllars.
Continuava a ho.-tilidade qae, desde o flm da
guerra civil, existe entre o presidente Johnson e o
I partido radical, que tem a maioria no congresso.
O presidente tinba opposto o seu veto 'lei que
elevara o territorio de Colorado cathegoria de
estado da Unio.
Na camarades representantes tinha passado urna
nova lei respeito dos libertos, a qual natural-
mente tambera ser negada a saoccao, por ser qua-
si idntica le (Freedmen's burean) coja execu-
cao se oppozera o presidente,
i Em New York tinba rebentado om grande
incendio. As chammas destruirn) a academia de
pausen, Eleonora Hompson, Sfatty Ellen, Campane-
ro, Jereynt o Rocoland Evans.
c Do Rio-Grande do Sal: Sarah Crowell e Pirra.
- c De Pernambuco: Mate John Rose.
Do Para: Bertha Remtorff e Enchantress.
< Partirn para e Rio de Janeiro: o vapor akotah
e brigue Semina.
t Para o Rio-Grande do Sal: Harritt, Ella, e
Savagt. W I
c Pata a Babia : barca Ztngara.
c Para Pernambuco: laboalao, Talismn, Anttg,
tope, Amanda a Chineseren.
< Para MaranbSo : brigue Ida Abbott.
* Para Maranbao e Cear : navio Eunice.
* Para o Para: navios Suzan, Los Amigos e
Oztll.
P. S. Todas as eotae5es devem-se comprehender
em moeda papel, se o contrario nao for expressa-
mente mencionado.
BM
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA
Hontem entrn em exercicio da primeira vara
municipal desta capital o Sr. Dr. Paulino Fernan-
dos Rodrigues Chaves, que do termo da Victoria
foi removido para este.
O Sr. Dr. Paulino despacha na ra estreita do
Rosario, n. 17, primeiro andar.
Em dias desta semana, perante um auditorio
autorisado, foi lido no salao do tbeatro de Santa
Em'vUtVdo7aoM^ndusos0prets"em doplicata que !msica (Opera), ocolleglo da Unlversidade, a igre- fsa"e m dramaVasilero" denominado As que-
acompanharara ao offlcio do commandante *^ l.'?1^.?!!'.^Tl.S?22'.I da,-/,<*l*i P#> P *> Sr' Lulz Caeta- coohecen-se ter
rior da comarca do Rio Formoso de 2 do corren- Os prejuizos sao avahados em dons mitnoes ae aoi- no p Gaimares Jnior, joven qae por sea talento
No 5 acto ha o cerramento. Ella despede-se de
Alberto,'.lonco de dor, e pede entre palavra ambi-
guas asna mi perdo doerimeque ella possa
anda comnetter. Esse criflie o suicidio; ma-
ta-se. E'-lhe impossivel supportar a presenca de
Luciano e o desespero de soa alma. D a satista-
cao a socieJade pelo casamento (que como ella diz
fu um sacriflcio feito em nome de Alberto) e ma-
la-se em nome de suas angustias.
Luciano perdoado por ella na hora da morte,
invocando o nome do Olbo. 0 miseravel solre os
sarcasmos e a ira de todos e embora expulso da
casa pelo pai de Lorza, e castigado severamen-1
te pelas palavras fortes do Dr. Vieira (Desgenaifado
drama) Oca na posico idiota e vaga contemplando
sempre o cadver. Alberto tem os tragos de sea
pai; cojas ultimas phrases consoladoras e religiosas
feoham o drama.
Sao typos na pecaCypriano de Aguiar, Mar-;
ganda de Aguiar, Lulz Vieira, Luiza de Aguiar (a
protogonista) Adriana, conselheiro Anlhero da Sil-
veira, carcter importante no ridiculo social, Leo
cadia da Silveira, soa mulher, Alberto Vieira, Lu-!
cieno Tavires; e no (estim de Adriana, Jacintbo
(galn amoroso) Luccas-Amcrim, velho ridiculo,
adamado e afrancezado, convidados, damas no 2
etc., o de baile etc. v
Actualidadf-Rto de Jnetra.
O papel de Luiza de Agutar vai ser desempenha-
i do por D. Adelaide do Amaral, e de Margarida, D.
Clelia, e o de Adriana D. Eugenia.
No dia 19 do crreme fei encontrado junto
aos mangues dos Milagres do termo de Olioda, o
cadver do sentenciado Beluario Antonio Ferreira,
que se achava na fortaleza do Brum; da vestoria
ido a morte produzida por asply-
Ferreira Alves da Silva, e Aire Francisco. Rodri-
gues, per erime de roubo.
A ordem do Boa-Vista, Jos Antonio Botelho
Mara do Nascimento de Jess, para correccao.
Ochefe da 2"secco,
/. G. de Mcsguila.
-6ASA DB DBTKNQAO.
Movimento da casa de detencao no dia 20 de ju-
nbo de 1866.
Existiam 355, entraram 4, sahiram 3, exlstem
354.
A saber:
Nacionaes 2i6, mulheres 18 estrangeiros 28,
mulheres 2, escravos 55, escravas 5.
Total 354.
Alimentados a custa dos cofres pblicos 187.
Movimento da enfermarla no dia 22 de luuno de
1866.
Teveram baixa :
Jos Gomes das Neves, febre.
Thom Virginio Correa, rheumatismo.
Antonio Roberto de Albuquerque, diarha.
Tiveram alta :
Benedicto Jos Joaquim
Francisco, escravo de Jos Ignacio.
te, e nao bavendo inconveniente, mande V. S. pa
gar os vencimentos correspondentes ao mez de
maio ultimo, dos guardas nacionaes destacados
na villa de Serinhaem e na pevoaco de Gamel-
leira.
Dito ao mesmo.Remetto a V. S. para seu co-
nhecimento e devldos efJeitos dez exemplares do
Jornal do Recife n. 140 desta data, no qual esta
publicada a lei n. 687 de 30 de maio do correte
anno, tizando a despeza e oreando a receita para
o exercicio de 1866 a 1867.
Dito ao mesmo.A Claudino do Reg Lima Ju- correspondentes do Neto York Herald.
nior, mande V. S. pagar se nao hoover inconve- Sant'Anna, ex-presidenle do Mxico, achava-se
niente os vencimentos relativos ao mez de maio em Washington. Tinhamse feito varias eonjeetu-
ullimo, dos guardas nacionaes destacados na cida- ras sobre o fim da sua visita aili, o qnal anda era
de da Victoria como se v da relacjio junta em du- ignorado.
plicaia que me remetteu o commandante superior j
da comarca de Santo Anto com offlcio de 15 do
xia por imroerso.
lars. Suppunha-se que esse incendio nao era ca-1 Ji-iante euma "inleigncia ^cultivada honra a Foi roubada na quarta-felra,nltlraa a taberna
sual. I nossa Facoldade. da roa do pilar perteocente ao Sr. Jos Bernardo
Do Mxico do os jornaes americanos que te- As mDresS5es & enlhnsiasmo que prodozio a I de Sooza ; mas o inspector dejFquartelrlo J. N.
mos vista noticias, que devem ser recebidas com |elora ,jest arita, forana vivas, e o seu autor de- j oelho da Silva, que eoto rondva per all, des-
reserva. i va ter por certo experimentado om sentimenlo de cobrio os dous larapios, aos quaes prenden, toman-
Segundo os mesmos, as tropas Impenaes tintum pnnt e org0|h0 Dem legitimo, em preseoga de
solTrido novas derrotes em diversos pontos. A no- ma jpprovacao tao unnime e desenteressada,
(ida da retirada das tropas francezas tinna causa- qQe se |evanUva ,je tojos os aeos era homenagem
do grande desalent no partido raonarchista, e di- a Dtellgencia creadora,
zia-se qae o imperador Maximiliano abiieara antes q draaia cq, que 0 gr, Gnimaraes Jonior enri-
da partida dos seus alliados. Isto o que diaem os | qaece a mSi |lteratara dramtica, carece de al-
corrente.
Dito ao mesmo.Tomando era consideracao o
que no incluso reqoerimento expoz o profesor de
grego do Gymnasio Provincial bacharel Luiz Car-
los de Magalbes Breves, recommendo a V. S. que
de conformidade com a sua inforraacao de 9 do
Eis os p rejos correles de New-York, da
casa commercial de L. E. Amslnck & C, em data
de 29 do passado, vespera da partida do presente
vapor :
> Algodo. A baixa continuada neste artigo
em Inglaterra, aasim como as difficuldades mone-
tarias as pracas d'aqaelle paiz, teem tido pouca
influencia no nosso mercado. Os precos aqui tem
crreme e sob o. 238, mande pagar ao supplicante subido gradualmente e esta) bastante firmes agora
a gratifleagao que lhe compete nos termos do art., as nossas cotQ5es. As chegadas do interior tem
145 da lei n. 369 de 14 de maio de 1855 por ha- diminuido o em vista dos precos baixos em Liver-
ver regido Interinamente a primeira cadeira de pojl foram ja' ordens para all, aftm de reembarcar
historia e geograpbia do mesmo Gymnasio a con- algodo para este porto,
tar de 6 de junbo do anno prximo passado at o > Colamos 38 40 cent, por libra para middling
dia em que assumio o exercicio desta cadeira o americano.
professor cathedratico.
Dito ao mesmo.Nao havendo inconveniente,
mande V. S. pagar era vista dos dous inclusos
prets que rae remetteu o commandante superior
deste municipio com offlcio de 16 do crreme, sob
n. 160, os vencimentos relativos a primeira quin-
zeui deste mez dos guardas nacmnaes destacados
na freguezia do P050 da Paneila e na povoacao da |
Caponga.
Ditoao mesmo.slande V. S. pagar ao
ciante Jos Mara Ferreira da Cuona, se nao hoo-
ver inconveniente os vencimentos relatvosao mez
de maio oltimo, do destacamento de goardas na-
cionaes existente na villa do Lmoeiro, os quaes
constara do prel junio em duplicata que me remet-
teu o commandante superior daquella comarca com
MOVIMENTO NESTE MERCADO.
Importado.
Desde 1 de setembro 753,984 fardos.
Desde o Io do mez 20,916 ditos.
Exportaco.
Desde 1 de setembro 454,626 fardos.
Desde o Io do mez 23,810 dito?.
Assucar. O mercado tem se tornado frouxo
em coesequencla das ultimas flucluacoes no pre-
nego- mi do ouro.
c Colamos:
c Mascavados de Pernambuco 10 '/< ** cent,
por libra em ouro.
t Masca vados ioferiores 10 -10 '/ cent, por
libra em ooro.
Arroz. Firme e em boa procura para qua-
lidades Inferiores. Para pilado 9 1/2 WVz cent-
gaos traeos rpidos sobre o que elle seja; e desde
ja' vamos satlsfazer a isto, mesmo porque o Sr.
Coimbra, procurando sempre animar o qae se
prende ao theatro, sen importar se cera saeriBcios,
obteve daqaelle seng-or permtsso de leva-lo a ace-
a mediante oondieSes estipuladas entre si.
Este drama pertefice a escola realista, e move-
se n'um entrecho, enjo resumo a seduccao de
urna moja distlncta, rilb de importante familia,
que longe da casa paterna, em compaohia de urna
amiga inexpenente e moja como ella, nao pode
fechar os ouvidos s palavras seductoras do tenta-
dor (Luciano Tarares) e perdeu-se, sob ama falsa
idea de casamento.
Ergoe-se o panno, e asedozlda (Luiza de Aguiar,
protogonista da pega) mostrase ao publico sob o
aspecto de orna filha que quer evitar constante-
mente a idea de soa perdico e trmula ao menor
CAMAR1 MUNICIPAL DO RECIFE.
SSSO EXTRAORDINARIA EM 16 DE MAIO
DE 1866.
Presidencia do Sr. Pereira Simoes.
Presentes os Srs. Aquiao Fooceca, Santos, Gus-
tavo do Reg, Silva do Brasil, Costa Monteiro Pin-
to e Dr. Seve, abre-se a sessao, e lida e approva-
da a acta da antecedente.
L-se o seguinte
EXPEDIENTE.
Um aviso do ministerio dos negocios do imperio
de 26 de abril ultimo, declarando haver S. M. o
Imperador mandado communicar a cmara rauni-
cicipal desta capital, para seu conhecimeoto, que
. i por decreto de 24 do mesmo mez, houve por bem
do-Ibes ludo quaolo naviam subirahido da mesma i conceder ao conSe|hero Joao Lustosa da Conha Pa-
taberna. j r4nagu a exoneraco que pedio do cargo de pre-
Remetiera-nos o seguinte: ; sidente da mesma provincia.Inteirada.
O Sr. Dr chefe de polica dirigi as auton j Outro do Exm. presidente da provincia de 15 do
dades policiaes ama circular, solicitando-Ibes in-' correte, commonicando ter approvado o contrato
orma^So por qtwsrtos, e a om d'elles.que Inque- qUe a cmara celebrou com o cidado Manoel Al-
ria que os e riachos, montes ou montanhas
baria; em qne sentido corriam; onde io parar;
e oaes lis distancias- (oi respondido por um
subdelgalo desta forma:
O" rius sao es mesmos qne existiam, e os ria-
chos lamben, menos o Tapado, que foi para o
enfeobo do compadre tenente-eoronel.
1 Os montes e montanhas esto quasi todos co-
bertas de mattos, e quando chove, a> trras e folbas
correra para baixo, e vio terminar as baixas e
ros; e estes vio para o mar, que Qca multo lon-
ge, e so cora dous dias de viajera em bom ca-
vallo pos-o cnegar l. >
O Sr. Dr. Roano Aagasto d'Almeida, admi-
ves Guerra, nico concurrente qne se prpoz a ar
rematar o servigo de arborisacao desta cidade, de-
vendo ser realisado, depois da entrega das arvores
o segando pagamento, estipulado as coudicoes
do contrato, que por copia acompanhoo o offlcio da
mesma cmara de 9 do crreme sob n. 38, e pro-
ceder-se acerca da anga nos termos da legislaco
em vigor.Que neste sentido se flzesse o termo de
contrato.
Outro do secretario de S. A. o Sr. duque de Sa-
xe, remetiendo de ordem 10 mesmo Sr. e de S. A.
a Sra. doqueza do mesmo titulo, ao Sr. presidente
da cmara a quantia de 500 para ser distribuida
entre os pobres desta cidade.O Sr. presidente
nistrador da casa de Dettecao, pede-nos esta pa- I apresentando a referida quantia declaroa que ten-
blicaco: do contado-a achou 5014, e Qe a cmara delibe-
Casa de detenco 20 de Juoho de 1866. Ulm. | rasse o destino que se devia dar a dita quantia de
gesto de seo pai, (Cypriano de Aguiar), hornera se
vero e recto, que adora-a como a mals pura e in-
nocente das Qlnas.
Luiza de Aguiar nao teve s a deshonra, leve no
seo o germen desse desgranado amor. E' mi, e
o filbo confiado a urna escrava, est na propria ca-
sa dos pas, que inieiramente ignoram a verdade.
Luiza naturalmeote raostra-se doente e em des-
maios e tremores sbitos treme a idea de que o
. Sr. Em virtude de suppresso dos srvenles
informaco do engeobeiro cordiador, de 27 de junbo
do mesmo anno, e que neste sentido se offlciasse ao
e dito engenhelro para apresentar allanta do lugar,
indicando a altereco a Um de se pedir approvaco
de semelbante alteraclo a presidencia. Foi ap-
provado.
Tendo sido apresentada ama informaco do advo-
gado no requerimento em que Antonio Jos de Olt-
veira Braga, pede o pagamento de 60 palmos de
terreno occapado com a estrada do cemiterio pu-
blico, na importancia de 3505000, e bem assim a
de 2235480-reis de cusas em que foi condemnada
a cmara, em consequeneia da qaesto que teve
pelo mesmo terreno, deliberou-se qae de novo se
consaltasse ao mesmo advogado, se, nao obstante a
seoteoca passada em jalgada, devia a cmara exi-
gir, para pagar o terreno, que se passasse escrip-
tura.
O Sr. Santos pede a palavra, e seodo-lhe conse-
dida, propon que quando chegar nesta capital a no-
ticia de que as bandeiras dos exercitos alltados. se
acbao tremulando na Assumpcio, deve a cmara
no dia immediato a essa enegada, fazer cantar em
consequeneia da victoria alcaocada, um Te-Deum
solemne em accao de gracas ao Todo Poderoso.
Feita a proposta e estando aindo com a palavra o
mesmo Sr., contina a sustenta-la, declarando que
quando se atreveu apresentar a proposta de que se
trata, sera consultar aos seus collegas, foi pela cor-
tesa era qae eslava de que nenbum delles se oppo-
ria, por quanto semelbante noticia sendo realejada,
como era de esperar brevemente devia produzir
grande praser nos coragSes de todos os bresilei-
ros. Posta em discusso a proposta foi unanimen-
te acceita, e approvada.
O Sr. Santos continuando, requer qae seja no-
raeada ama commissao para se encarregar do Te-
Ueum. Foi approvado o requerlmento eo Sr. pre-
sidente nomeoo a mesma commissao, que ficou
composta do mesmo Santos, e dos Srs. Dr. Seve e
Pin:-.'. Em segnida o Sr. Silva do Brasil, propoe a
nomeacao de outra commissao para dar ingresso
as pessoas convidadas, e disliuar-lhes os seus luga-
res, foi approvada, nomeando o Sr. presidente para
fazerem parte dessa commissao o secretario, pro-
curador e contador. Mandou-?e officiar a presi-
dencia para solicitar da assembli provincial auto-
risacao para dispender a quantia necessaria, ou
conceder-lbe a mesma antorisacao, se por ventara
nao bouver na assembla tempo para este fim.
O Sr. Dr. Seve pede a palavra, e propoe que se
mande desapropriar a casa da ra dos Pires, de
propriedade da baroneza de Cimbres. Posta era
discusso, foi approvado, votando contra o Sr. Gus-
tavo do Reg, qae declaroa assim o fuer por qae
existem nesta cidade outras desapropriaedes mais
necessarias a realisar-se. Foi encarregado o Sr.
Aquino Fonceca de entender-se cora a proprietaria
a respeito.
Dispacbaram-se as peticoes de Casimiro dos Res
Gomes e Silva, Francisco de Barros Correal 2),
Francisco Pereira Meirelles, Feliz Jos Soares Mon-
teiro, Manoel Tavares de Aquino, Manoel Fguerda
de Faria & Filho; e levantou-se a sessao.
Eu Francisco Caonto da Boaviagem, secretario
subserevi.Pereira Sim5es, pro-presidente.CotU
qoeGaviara nesta casa, delerminou a lei provin-
cial n. 511 de 11 de junho de 1861, no servico de
fachina do estabelecimento se empregassem de
preferencia os escravos.
Tem se entendido, desde a aotlga cadeia, por
servico de fachina, nao s todo aquello que diz
respeito a limpeza interna e externa do estabele-
cimento, como tarabem o de eonducco de gneros
>, 5015-Deliberob-se officiar a S. Exc o Sr. bispo, I %%ZFoBcca -^S otos Reg Silv d
1- I remelteodo a citada quantia, e lhe ped.odo expe- %1- Dr s""
disse soas ordens como fr conveniente para a des
2 1 A cent.-por bushel de
MoDSrre^adVos',rdo 05 VS^^^JffBJffS^ *
offlcio do P do corrente.
Dito ao commandante do presidio de Fernando. por libra, em casca
Determinando o governo imperial, segundo me 40 libras,
constou de aviso de 8 do corrente, que sejam rece- Borracha. Depois da venda de algumas1 par-
bidas nesse presidio as mulheres e Blhos dos reos; tidas da fioa, do principio do mez, a 70 71 Vj
Gil Eostaqoio da Malta e Maooel Rodrigues Car- ( ceDt., os possuidires recusarara fazer mais vendas
dozo, coodemnados a dez annos e oilo mezes de a pregos to baixos e comegaram a pedir 77 Vi
gales, endo tambera recolhidos ao mesrao presi- 'cent, por libra. A este prego fizeram-se somente
dio, trinta e sete presos da cadeia da capital da algamas vendas Insignificantes, porm o mercado
Parahyba, condemnados a pena maior de 14 annos; esta' rauito mais firme agora, isto era parte devido
de priso : asslra o commonico a V. S. para seu tambera ao premio do ouro mais alto. A
ser-
conhecimento.
Dito ao mesmo.Faga V. S. recolber a esta ca-
pital oa primeira opportuoidade o i" cirurgao do
corpo de saude do exercito Francisco Gongalves de
Moraes, afim de ser inspeccionado de saude como
coobecef no seu estado
oceulta.
Vieira tem um fllho (Alberto Vieira) mogo dis-
linctissimo e de qaalidades raras, que adora Lui-
za, sem confessar-lh'o todava.
Convm nolar que Luciano Tavares (o seduc-
tor) aioda nao conhecido pela familia de Luiza,
e quera o aprsenla na casa de Aguiar Alberto
Vieira, que o aprecia, (raras as amabilidades e
tratamento elevado, de que o cercou Luciano.
Move-se o drama, as duvldas continuas de Lui-
za que reconhece em Luciano nicamente o seduc-
tor que quiz goza la, sob falsas promessas, e que
apresentando raz5es serias vai abandoana-la. Lui-
za araou Luciano Tavares; foi o principal motivo
de sua queda. Os desesperos crescem
lenta fugir de casa levando seu fllho.
No 2 acto, acto de baile em casa de Aguiar (fes-
se tem necesidade em um estabelecimento da or-
dem deste.
At boje semelhante servico se tena feito com
regularidade possivel, come pois V. S. e seus an-
tecessores tem sido observadores saindo os escra-
vos, e na falla destes, presos sentenciados devl-
damente escollados.
tribaigao della.
Urna petigo vinda da presidencia pra a cmara
ioformar, na qual o tenente-eoronel Fernando Fran
cisco de Aguiar Mootarroyos, representa a S. Exc. |
que o cidado Nereu de S e Albuquerque, sendo
morador no 2o districto da freguezia de Muribeca,
no engenho Guararapes, fdra eleito, apezar disto
2juiz de paz au 1* imi.i> nuuu fregutzia :
prestou juramento, e nao obstante continuar a resi-
dir fora do districto por que foi eleito, entrou em
exercicio presidio o ultimo conselho de qualifica-
go. E depois de fazer diversas ponderagoes, con-
clue declarando que espera de S. Exc. ura termo a
toembarac)sa situago, sendo annllada a qualifi-
cago feita, e mandaodo-se proceder a nova. Pos
Brasil, e Dr. Seve
KXPOKIVAO
DOS
Prodnetos agrcolas, industriaes e de obras d'artes
da provincia de Pernambuco.
SESSAO ORDINARIA EM 14 DE JUNHO
DE 1866.
As 6 horas da tarde reunido em ama das salas
do palacio do governo, os merabros da commis-
sao directora os Srs. Dr. Jos Joaquim de Moraes
Sarment, baro do Livrameoto, Jos Joo de
Amorim e Gervasio Campello, com assistencia do
Exm. vice presidente da provincia, foi declarada
abeila a sessao, sendo designado o Sr. Gervasio
Como costume muilo amigo, alguns escravos, to era discusso, resolveu-se informar presidencia | Campello para exercer o cargo de secretario du-
kOnlunAmlne ^/ihaiIiyi n-tnir cv n 1 i i ("1 a n3l*S iiiq pnn.linln ilii ltFf>/t ,1 1 inl w i% t'l'H';i(l ti** lili-' r i n t .1 n irni.lim.inti 'ir, flr \I-ir\nal RiiimilQ (14
ou sentenciados, aproveitara estas occasioes para
venderem alguns artefactos de sua industria, como
v. g. chapeos, vassouras, tranca-, pentes, etc.
Isto posto, succedeu que hoje pela manha sa-
hisse era servico de fachina, acompanbado pelo
B soldado de polica Antonio Mendos, om escravo
a infeliz I de Q,jme Benedicto, de propriedade de Miguel Au-
I gusto de Ollveira, que aqai comprio urna senlenga
de agoutes, e mandado continuar preso a disposi-
fosse encontrado
naraby colamos 5560 cen, nomioalraente.
t Cacao. Mais firme ; o do Para cotamos no-!t0 jodavi, e deiza-a rduzida',
rainalmenie 2425 cent, por libra.
Caf. As existencias continuara grandes e o
cheio da colero e
do desprezo
Aguiar, mi
que ella lhe langa. Margarida de
de Loia; nada sabe ao certo, posto
determinou em aviso da repartigo da guerra de 8 ruez. Qualidades ordinarias
mercado tem mostrado pouca aniraago dorante o 1 ae a a|vorecera os raoffnmentos e palavras que
_____ A_ill.l>. ^^j:___; ,..,,j.i,m t*t% enmanta : .. m- ..
do corrente.
Dito ao cnsul de PortugalRespondo ao offl-
cio que era 14 do corrente, me dirigi o Sr. Dr.
Claudino de Araojo Gaimares, cnsul de Portu-
gal nesta, dizendo-lheqae resolvere! conveniente
mente sobre o assumpto de outro offlcio seu, fir-
mado em 23 de maio ultimo, logo que a thesoura-
ria de fazenda ministrar informag5es que lhe fo-
ram exigidas por despacho de 24 daquelle mez.
Renov ao mesmo Sr. cnsul os meus protestos
de estima e considerago.
Dito ao chefe da repartigo das obras publicas.
vendem-se sraente
qae as superiores
com dilculdade, era quanto
achara prompta venda.
; < Cotamos era ouro :
t Rio, ordinario-regular 1516 Vi cent.,
; superior 18 '/j cent.
bom-
Rio, carregamentos regulares, bons, 16 '/i ciano perdida por Luiza na sala em qne toda a bis
18 i/a cent, corla se conta
Cear, nominal 1619 cent, por libra em
ouro.
Existencias 134,158 saceos do Brasil e 58,8i3
dade vendendo alguraas vassouras, foi isto motivo
bastante para que dissesse algaem, certamenle
com fim sioistro, que aodava elle gaohando 400
reis diarios para mim ; facto este que levou o Dr.
juiz municipal suppieote da 2.* vara a vir (inme-
diatamente a esta casa verificar a verdade do que
se dizia.
E como nao desejo estar desprevenido para res-
ponder a aecusagoes futuras, rogo a V. S. que se
digne mandar ir a sua preceuga o referido escra-
vo, bem como o soldado qne o aeompanbava, para
. interrogar a respeito do motivo' qae me levou a
fiia ordenar a sua ida a ra, procedendo V. S. a on-
za determina fog.r e apresenta-se para 11 Elle ^ |n(Ua?5e8 qoe jolgairDece8sarias> para o des-
lhe dirige a filha continuamente .
N'esse acto Alberto Vieira declara seu amor. A
pobre moga repelle as saas palavras e para acal-
mar a angustia de Alberto convida-o a nao aban-
donar ainda a casa.
Cypriano descobre lado por urna carta de Lu-
Apparece justamente quando Lu-1
enta-se para isso.
e sabe todo ao certo;
ditos de outras procedencias.
Caslanhas.O mercado tem finalmente melho-
fallou cora a escrava
priano duvidara ainda.
Segue-se a scena era que Luiza desvairada re-
corre a soa mi, que desmaia a noticia da exis-
Respondendo ao offlcio que V. S. me dirigi I rado em consequeneia dos pequeos aPPrimenios tencja de nm fl|ho e e 6b|de Do sea amor de ----- -. ~'-55- -- -j dllida
hontem, sob n. 234, tenho a dizer que convenho \ qae vieraro, e a partida chegada peloBertAa Rn- ma) lu,pl()rao p^do a Cypriano. Luiza sahe de | ^ P5._._-?p.e50. q
em que o ex-jadante de engenbeiros Feliciano Ro- stoiff vendeu se ao prego alto de 15 cent, por Ib. casa e a proprJa bengo de Margarida, Cypriano
drigues da Silva, seja incumbido de fazer os eslu-1 Couros. Sem animago. Para verdes n/w de,eai com 0 foror e a colera immensa de qoe es-
dos graphicos da estrada de ltapissuma a Naza-
reth, venceodo a gralificagao mensal de 2005000.
cobrimsnto da verdade, ouvindo se julgar coove
niente, o senhor do escravo, a quera se atinboe a
noticia de andar elle ganhando para mim.
Jolgo a imputago qae se me faz, bastante gra-
r>h
da morall-
Dilo ao commandante do corpo provisorio de po
lcia.Mande Vmc. alistar no corpo sob seu cora-
mando o paisano Sebastio Simoes de Araojo, qae
oi considerado apto para o servigo em Inspecgo
de saude.
PortarlaO vice-presidente da provincia, em
vista do disposto 00 aviso da repartigo da guerra
4e 6 do corrente, resolve exonerar a Alberto de
BrO Civalcanti Arco verde, do posto de capliao
de voluntarios em commissao.Fizeram-se as ne-
cessariai communtcagoes.
Despachos do dia 19 de jonno de 1866.
Agostmbo Marico de Mello.Indeferido.
Clesina Mara de Siqueira varejo.-Informe o qoalidade 60-77 cen por libra.
Para verdes 35/40
libras 7Vzcent. por libra "em ouro: Minas seceos i j"a""~sudo
nominal 15/16 Ib. cent, por Ib. em ooro. Maranhao
e Pernambuco salgados seceos 26/30 libras 10
cent, em ooro. Bahia salgados seceos 30/32 libras
9 V2 cent, era ouro por libra.
Coaros de veadoEm procura forte e especu-
lativa. Cotamos os do Para 77 Vt 80 cent, por
libra.
> Cnmaru. Nominal.
t Yutaby secco. 3032 cent, por libra, para
boas qaalidades.
t Oleo de capahiba. Socegado, 60 cent, por
libra em ouro.
< Uraco. Snbio bisiaute, porque faltara sup-
primentos para as necessidades. Cotamos o de 1*
Sr. director da instrucgo publica.
Claodino Jos de Sonza.Informe o Sr. com-
mandante superior da guarda nacional de Olinda
Jcuarass.
Izidoro Gongalves de Mello.-Informe o Sr. ins-
pector do arsenal de marinha.
Justino Francisco do Nascimento.Fica marca-
do o praso de viole dias para provar iscngo
Jos da Rocha Prannos.Informe o conselho da
compras navaes.
Pedro Gongalves da Rocha.Informe o Sr. di-
rector geral da instruego publica
Pedro Gongalves de Mello.Informe o Sr. ins-
pector do arsenal de marinha.
Tiburtlno Ploto de Almeida Jooior.Remettido
ao Sr. inspector da tftesooraria de fazeqda para
proceder dos termos da deteminago do ministe-
rio da guerra. ,
Wilsoos & Hett.informe o Sr. inspector do
arsenal de marinha.
Alberto, nebre carcter, esquece as faltas de
Luiza e diz-lheqoe cima de tuds p6e o seu amor ;
quer embargar-lhe os plano*; ella todo recusa por
ura grande iostincto de dignidade e o seu deses-
pero ameaga-o longe da familia. Recorre a ami-
ga com companhia do fllho, qoe subirahio a pro-
hicSo severa de sea pai.
O final, isto o 3, 4 e 5o actos, sao,a appan-
go de orna grande mulher formosa por quera se
apaixona Luciano e noe eobre-o de motejos, e
tera' em annoir ao meo pedido a bem
dade e da justiga.
Pego permisso para este offlcio.
Dos goarde a V. S. lllra. Sr. Dr. Lulz d'Al-
buqoerque Marlins Pereira, delegado encarregado
do expediente da polica.
O administrador,
Rufino Augusto d'Almeida.
1.a Seceo. Secretaria da polica de Pernam-
buco 11 de jomo de 1866.
Ulna. Sr.Respondendo ao sea offlcio de hon-
tem datado, cabe dizer qoe proced a auto de per-
guatas ao preto Benedicto, escravo de Miguel Au-
" sao suficientes
apaixona Luciano e qoo coure-u uo uiwjj, /^-.j.. -., .aoostis
:*l zxirxrsrjziss: is;! SSRssfi
dito calcio; sendo qoe taes respostas dispensara
quaesqner outres deligencias, e por mim as dis-
pensara, porque o considero incapaz do proced
ciano o filbo qne elle julga ter sido roobado [
DIARIO DE PEEJAMBCO.
Pelo vapor americano South America recebemos
o New York Herald, sendo o numero mals moder-
no datado de 30 de maio ultimo.
Farinha de trigo. A superior ainda flea alta,
porque ba muita falta de trigo bom. Cotamos:
Marcas de Baitirnore family dollars 1313 V*.
208600-215600. ,mnnn
Ditas dito extra dollars W17'A 245900
t Ditas de New-York La Plata dollars 13-13 Vi
205600205900. nnn
c Ditas do Oeste Plants dollars 17=18,263300 -
275700. _
DI las dito St. Lois dollars 12 tf-H, 195^00
225000.
Ditas dito Ohlo arcos-redondos dollars 10^
11 /a. 165&00-185500. -
i Ditas dilo Richmond oomioal dollars 1415,
225000-235400.
< Por barril posto no Brasil com (rete de dollars
1e 5 % e seguro maritimo ao cambio de 27 d.
Cambios. Em ooro. Loadres 60 d/v 109 a
109 Vz7- fW 60d/v 51S Vi w. 5.*5- Ham-
bargo 60 d/v 36 }/i-37 kceot Lisboa e Porto 3
ro/d 960 rs.
, Ooro. 137 Vi188V- n
t Dorante o mes de maio de 1866.
i Chegaram doRiode Janeiro: o rapor Soulh
America, via esdHas, navios, Skemmer of the Seas,
Contest, Miranda, Mary Ida, Rheiiah Queen, Uller, .
Lord Baltimort, Amanda, Olma Doe, G. Ruy- f
sea sedactor, e qae uo entant > o fflra por ordera
de seo pal, qae oscllla eotre a dovida de recebe-la
e o sea coragio angustiado, corao por abragar a fi-
lha querida.
Nesse acto Loiza arremessa a fronte de Laciaoo
palavras amagodosas e as cartas em que alie ce-
rno ella o diz : Inscreveo todos os opproprlos de
sua alma t > Luciano quer no sea desespero ae-
gar-se; Adriaooo (o nome da nova amanle) cobre-
0 de motejos continuos. Entre convivas desalma-
dos, Loixa treme de vr-se s e invoca comigo o
nome de soa mi,' qoaodo Alberto, que a segu
como urna sombra vem arrraooa-la dessa casa.
Luciano lenta om novo passo. O clume e a co-
lera do-lbe torgas para*aceitar o papel de
marido de Loiza, Ida osplrada pelo proprlo Al-
berto, que soffoca o sefl amor, 00 ratono de ver
Luiza recebida por seu pai, por sua mal moribun-
da e pela sociedade qoe casada recebe-la-ha de
bragos bertos.
O filbo de Loiza sobtrahido por Cypriano morre.
Qoandoa infeliz entra em casa.langa-seaopde sua
mal que est muilo doente e abatida, e de sen pai
qae treme a vista della sem ter animo de expolsa-
la, mesmo porque Margarida no seo desespero
qaer segoir a filha, dao-lhe entrecortadamente oo-
ticia da morte do Wbo, e ella qaer sahir novamen-
te qoaodo Alberto e Vieira oppo"e-se e ella anbja-
gada pela idea da aboegago de Alberto, aceita a
proposta de casar-se com Luciano pensando ^
palavras, de Adriana sobre o mando.
qoe coostaododo livro das actas da eleigo de jai
zes de paz e vereadores procedida na fregoezia de
Maribeca no dia 7 de setembro de 1864, que aquel-
lo cidado fra eleito juiz de paz do Io districto da
mesma freguezia, a cmara o coavidou, em virtu-
de da lei para se juramentar, e tendo elle compa-
recido para esse fim prestou juramento do cargo
em 31 de margo do anno passado.
Um offlcio do escrivo interino da irmandade do
Divino Espirito Santo, Jos Joaquim da Costa Leite
convidando a cmara de ordera da mesa regedora
da mesma irmandade para acompanbar era corpo-
rago aprocisso de seu divino padroeiro no dia
20 do corrente s 3 yi horas da tarde.Iotelrada.
Oo.tro do administrador do ceraiteno publico,
participando que a estrada em frente do mesmo
estabelecimento ficou consideravelmente desmoro-
nada pelas maros e aguas pluvaes que ltimamen-
te houveram, e achandose alnlda no cenlro, e se
quanto antes nao fr reparada, Irar grave prejnizo
ao transito publico.Que o engenhelro cordeador
informasse.
rante o impedimento do Dr. Manoel Buarqoe de
Macedo.
O Secretario d conta do seguiote
EXPEDIENTE.
Um Offlcio do Sr. ur. Manoel Buarque de Ma-
cedo, declarando nao poder comparecer.Intei-
rada.
Outro do delegado auxiliar da commissao na fre-
guezia de Bezerros, dirigido ao Exm. vice-presi-
dente da provincia, declarando Mear seiente da sua
nomeago, e que empregara' os seus esforgos para
cumprir a commissao de que incumbido.Intei-
rada.
Outro da cmara municipal da villa do Salguei-
ro, tambem dirigido ao Exm. Sr. vice-presidente,
aecusando a recepcao do offlcio e iostruegoes da
commissao e prometiendo fazer quanlo fosse pos-
sivel para que concorram a' exposigo os produc-
tos agrcolas e industriaes do seu municipio.In-
teirada.
E nada mais havendo a tratar-se deram-se por
(Indos os trabalhos. Dr. Jos Joaquim de Moraes
Outro do mesmo fazeodo chegar ao conhecimen- sarment, presidente. Baro do Livramento.
to da cmara, que os coveiros e serventes daquel-
le estabelecimento, reclamo augmento de salario
em vista do excessivo trabalho que esto tendo em
consequeneia do resumido pessoal empregado no
servigo do mesrao estabelecimento, ponderando-
Ibes elles, que em qualquer obra paga-se maior
jornal, sendo obrigados a um trabalho, nao tao pe-
noso, e aturado como a que esto sojeltos. Posto
em discnsso o Sr. Santos, memoro da commissao
do cemiterio pede a palavra, e nao desconheceado
Jos Joo de Amorim.Gervasio
pello.
Rodrigues Cam-
Communicados
As biblias falsificadas.
Temos lido com toda attencao e cuidado a serie
asa^y%& 55 asan t EsffLTsu.
propoe, que a' estes se d mais 200 res diarios, e
aquellos 100 reis, fleando os priraeiros com o ven
cimento de 15600, e os segundos com 15200.
Foi approvado.
respeito da grave questao, qne, ha tempo, se agi-
tou sobre biblias falsificadas.
Em alguns pontos desses artigos temos encon-
trado obscondade, tahrex porque oo somos profis-
Outro do engeobeiro cordiador, informando sobro ^ISJf^^tm^XSSXSS&
n nnn norto im sivannr n Silva Brasa, no re-, mais, cumpre dizel-o com franqueza, e sem ")
oque pede Jos salvador 5>'rfr 5!'T.Lt:!n5,'i>1,nKnn r.imno ment qae se ihe qaz attribair; tanto mais qoao-
do nao tenho recebido qaeixas, 00 informaedes
eontra V.S. de irregalarldade oa comprimeoto de
seos devores, e isto qaer na qnaiidade de encar-
regado da inspeocao das prisoes, e qaer oa de
encaregado da direccio do expediente deata repar*
ligio na ausencia do Dr. ebefe de polica.
Dens guarde a V. S. Ulm. Sr. Dr, Rufino
Angosto de Almeida, administrador da casa de
detteng;io.
O delegado encarregado do expeteote da po-
lica. Luis d'Albuquerque Marlins Pereira.
aoje faz lello o agenta SimSes de movis,
ooro, linca, vidrot|e ootros maitos artigos de goslo
a rna a Cada do Recife n. 19, as 11 horas.
Sepabticao oa roucu :
Extracto das partes dos dias 20 e 11 de junho de
1866.
Foram recolhidos a casa de detenco no dia 19
do crreme : .....
A ordem do subdelegado 4o Recife, Manoel Jos
da Caoba, jara correccao.
A orfem do de S. Jos, Mara Magdalena dos
P'lres, por sospelta de ser escrava.
k ordem do da Magdalena, Cesarlo, escravo d
Jos i Brillo Bastos, para corregi.
A ordem do subdelegado do Reelfa, Antonio
quenmeoto que devolve, diz qae nao lhe parece o Sr. Pinto de Campos tem brilbado
conveniente, nem de accerdo com as posturas, per-, e ai
mittir-se que, o peticionario snbstitua os cachorros!
de pao que sustenlo a varanda de sen sobrado a'
roa da Lapa, bairro do Recife n. 1, por ootros de
pedra, visto que nao ba perigo em sobstitui-los por
saccadas de pedra, ama vez qoe esta substituigio,
seja feita por artista habilitado. Coneedeu-se a
llceoga, collocando o peticionario saccadas.
Ontro do mesmo, informando sobre o reqoeri-
mento de Manoel Alves Guerra, dis que tendo pou-
ca largara a praga que fica em frente do caes da
Lingoeta do bairro do Recife, nao lhe parece con-1 dos j
Na nossa frac* oplnio o Sr. Pinto de Campos
tem respondido cabalmente, at boje, no tocante
aos segointes pontos:
1. Quanto eenraenicidade do concilio de Tren-
lo; e sua ateettaeo em Portugal e no Brasil.
I. Quaoto a falsifieagio das biblias impressas
em Londres, qoe at nos eonslderavamos isemptas
de delurpagoes.
3.* Qnanto caoonicidade dos llvros dmUero ca-
nnicos, e o motivo de sua justa excluso do canon
%SSS^J^KUm, sendo ama a artigo de boj.*J^>g^*g ach.-se
qu! ja' existe, e outra parallela ssa pelo lado do Jgf^ tKSJf gStaf? de
imparcialidade.
stas qoestdes, que ioteressam a' f e aos costa-
ntes de um povo, 0S0 devem ser disentidas apaixo-
poenie, na distancia d 33 palmos.- Concedeo-se
de conformidade com a informago.
Oatro do mesmo, nformaodo sobre o reqoeri-
mento de Manoel Jos do Nascimento e Silva, diz
qne fazendo elle cornija nao somente emfeiMM* l^R| pat0 08 r^mV(a w sido nm mode-
f ron to, nada ha que oppor.
me a informago.
Ootro do fiscal da freguezia de Muribeca, parti-
cipando que por ter andado enoommodado, deixa-
va da oomparecer a sessao do correte mez. In-
A oommissao de edifleagoes dea verbalmeote o
sea parecer a* cerca da preteogo de Luiz Jos da
Costa do Amorim, seodo d opiniao, qae se ceoce-
desse o qae elle pede em sea reqoerimento de 15
de Janeiro de 1861, porm, de confbrmidade 09H l
.
Recife 21 de junho de 1866.
Qbacharel/. Y.C. Bato*
P.S. Acabavamos de eserever esta* ":'aaan.
do oovimos orna du nolAbil^ies d-'esu provln-
VmP^'Si!mS^W,*-'"f80 nomeroso de pessoas,
t?,"SnJSEff^Bte a qne acabamos de asseve-
B .0 e reconhecendo o mrito do traba-

lho
0 Jr. Pinto de Campos.
1
\ iiBfm.
wmmmm

s



-..__
I' -" '


-
-
lllarfo 4c esta letr t ^nntao de 1866.

Gaspard Hasser,
Este drama nao s.ura granda a^teciBWdte
dramtico, nena revelacao mdiscutivel. Adelai-
da do Amdtah a loteressot d Moca'.Rica, da Ri-
cis e efflcares e arrecadafo, <>em veame eper-
seguicao dos exactores, e dimiaiiindo o numero de
agems--d9(irsfvlS'd *Mm#-, niJWMlr
em repartiese dessa arden.
' NSo dstod no caso do gemetra A'rchimedes. que
Volumes saMdos cem faseerdas...
com geaeros
Descarregam hoje 22 de^aaao.
Vapor iaglezGladiatormercadortt.
ardentes dostruia os avos e Polaca itallana-Ctotildefarroha defngo.
rioso do tbeatrocoratemporeo, sa*dou ptirttie*
no Gaspard Haustr o phailna aeAsi apagado I
affastadas eras; porque es* 'artista, temio peder
de Iluminar com urna pal* o gedero qtl todos
admirara, e animar cem Urna lairlma a escol
que todos adrairam.-MelSWf*io'priene- rea-
lismo, nao pertenca -O' romaUti**, nao f pte-
sente nem do passado, da alma. Nao quero le-
vantar eeteanus IHtefarls. Affasto tIb nrtra a1tttaihjstr(rarims tirstrnios, qUBr nas~screTtclas, quel
qualincativa de dramas esoolai; de aawpc5es i as artes, sao eams Mslfcfetaks as minas
respettasse a vid do celebre (repartir, o qtje en BMQW
trdHolo oleaconteeea eotrtemf pelo seo amor Bana-tnglezt dJWi"i 'erro,
sohttfto dea* problema ltneitMSteo;pBrm.lreio HMNt *>glej-i4i1**^ferrwvao.
ler dffeitoHfum eenteplac.;> de meus onolda- "fcrom ttgle* 0*|j*o Tcarvio.
daos. ftaa^lexar?*vaa*adeB.
SOttretado se verdkde que a -entuse* *i oirviOarafniugan aWinarl-idMi.
dicSiMWHtes, a veTrntcao das pessoas de aualM*arca*Bom#^nnB*-'lirqae.
dada e merecimeoto, o esqueoimeuto adeaprexo Brigue naclonal-^fl/uanottam.
~ Brigua uat!luu1Anrtaano-iasm.
ftMaena"Hrtoarwrt-idem.
a M a. 6674o ^3 do abril de corrente-aono, abal-
-*pWiav* convida i todas as pessoas que
,73 qMMi acera tar os ramaes de trilbos urbanos, de
i*erida le apresentem ao mesmoExm.
o4aUmo de joiho prximo viodoaro as suas
^repastas, flm de seren examinadas e preferirse
aquella que melhores vaoiagens oflerecer.
O teeretario,
Dr. Francisco fotmla Salles.
LE N. 667.
O Dr. Jmoel Clsmeulino Garoetro d finohat~
vteaprarHaate da provincia de Eii'ibnco.
Paeo*a*>r todos os sens habita ae a ae-
sembla Hftslativa provincial decreten eaano-
cionei a Itaalugo siguite :
Aru 1. presidente da prevlaaia eeatratara'Boa
os emprelWtros dos trilbos urbano?, Tra com quem
inapeceao do arsenal de
urlartia.
Paz-se publica .|i#. a ***-*O ^peritos
examinando, na (rma determinada no regulameo-
to annexo ao decret n." 1,314'de 5 de feveeiro de
1851, o casco, machina, caldeiras, apparelbo, mas-
a-cacao, veame, amarras e ancoras do vapor Jfa-
manguape da compaafcta pernambucaoa de navega-
do costeira, ache*doi osses ojelos em estado
coe^por'a"nes u".sp^r\c5e7 per'djdas no pa"ssa-1 imperlos^egundo o celebre BoaoJ, dua^do Sally. J^g"^^' ob^koas" INTERNAS GE-
do. Moliere seta" sempe Moliere; ScheHer sera-1 Agor resta-me tmprlr ipraslverment^ o dote
pre Scbeller Vctor Hugo prende-se ao passado e dever de apresehtar respettosament-s ao Dr. Rufino
ao presente e a cadela que o detm triumphante Auguswde Alejelda, digno Mftiflistrador do esta-
nqoaliflcavel como iaquallGcavel a lagrima, o oelecimeoto de MeticSo etpfessao do mas vivo
enthusiasmo, 'a (ebre, o dilirio, o talento 1 O que | e eterno reertheeimemo pelos oflrcips de dlstltrcto
certo que lado palplu e sent, o que indisculi e nobre aviHeHo que cflrolgo proi'Ki'jsop Ia **"
vel que a alma ergue-se e vfia I
Gaspard auter patenteou-nos um novo lado ca-
racterstico, do talento de Adelaide do Araaral.
Aqaelt* m*nlno, frao, fleMI, rraoso, remend-
se na palba irregelada tiuha de erguer-se gtgate e
admiravel, e aooella vo partida de dor devia-nos
arrawcar raUTlta por ragrtma,Baoc5o por emo^at),
essa corda tnysteriosa cem qe Deas doro* o Re-
nto e fajaasMt depositada era ledos os eraews hu-
atanos. ,
A Franca entregou-a a fachel a Mafia Uorval,
Pertaijal eatr^ga-a fremilMi *as Nevase -Adelaide?
Adelaide sentia cahir a' seus ps n'um sotuco de
Marar4da a 'na (agrMaa de Magdalena I
O Ibeatro eeeeeita dos verdadetres-art^ta?, ecr
que preetsa "de ama verdadeira (rtala. O talento
artstica daoa e senmeato de soleada a trra *j jarvattea a aaa revelfacSo
intenia e profartd, que descotere a voc do coraede dorerida o ae wvlmeato divine da
alma que deaeerta -oas tagrtma* e|Btaeas.
En sawdo-a' empreta do theatro de sata Isabel,
egareatc-ibe aoiaiaQSo easteate *> nta ptelea
qoe abe recetnaensar o serito e -adanrar as ta-
lentos reaes.
O Sr. Comer tem adiaste de si vastos horison-
-tes : com^tasswftrmeswbflRa-sea teiit'termo.
Gaspard Havter *ra drama de (emite senti-
tando-We cew toflaa treUrao, urtjjralrjttre B deli-
cadeza, j animando-ole com expressoes cheias de
doQura e amablldade indeniveis na perturba^o
de espirites, m qtre o vt'slvel e "profundamente
me engaHfava.
Foram Unitivos odaraaes -pafa-aaaviaar mms
srjffrinwntos. So amsiacffs Vivas TfTeTftfSVels
de ana alta MaHigeBeia, eplrtto' coktadosarnnte
cultivado, vehemente s cleneitrs artes : sao f >
Balente teetemoateas evidentes e ponderosos de
conlwcedOT protendo das teeotwegea fla fortona,
das ptraaes da bamaaidade, e dos sublimes precei-
tos do-utaislMiseo. .. ,
Son de Vmc. Atiento ve*erOT Wa*o otortga-
do.A. F. R. Sel te.
mmp
DE RENDAS
RAES DE PRNAMBUCO
endlmenlo do dia 1 a 20.:..... *:J5SK2?
dem do dia 21................ 1:097*83
2o:64i667
CONSOLADO PROVINCIAL
Rendimeuto do dia 1 a 20.
[den do du "21
79:7530*
8:5WJWt
nos'trunos, qoe, partindo desta capital v terminar
na rjdade 4eOMd<, p*swle pelas estradas *e
Joao de Barros e Bien, partir outro ramal para a povoa;o Beberibe.
Art. 2. O contrato ser redigido ae modo & car
o contratante obrigado a concluir a obra dentro de
16 meres, contados da assigtmura do me,rao cori-
trato; sob pena de pagar a multa de 5:000j>, e de
ver acabar a odre a ta coila.
1 O anco para o ramal da}Bebaribe ser con-
tado da conclus&o da estrada pala le n. 626 de 16
de maio de 1865, fkaudo o contratante responsa-
vel peia eonserraeSo tre 'dita estrada.
Art. .1. O presidWMe-Oa VWVincra poden li-
le poder o vaporascegar.
i Inspeccao do aMaal da araeM de
eo, 19 de juoho de 1866.
WnsjajBtOT,
A. gayooiaxl Atmmia
lawaouraria
O Illm.Sr.VHBS tawamraW prM-
Tial em cumprimentO'nrTesoluctro da Trrota da fa-
melhoros vaBtagaagogaroaer,- "ramal -dos :aws- -aeaoa manda aicr pablioo -gao se oaatrata -twf
Si2il70S, liar por urna vu aa aaalutaato, oca ama wtb-
TBOao iniomeTrrca trawainiierior Vs aowptai
Publicacoes a pedido
ment. Anleet Boongeois, sa*e com
abalar as roaisTeaondttas bras da 4a. A FMa
io Lavrador attesra-o eibaberaoterneate.
Os eteres ^oe se eecarregaram dos diferentes
typos, com rarissi'mas exoepcoes, loraoa dignos de
encomios. .
Pedro Joaqhn-iDteTretouocafaeier de Schoarle
adroiravelmeote. Eugeeia Cmara e Paiva, cao
podiam M rcN)1e qoe sa aohavam, demoostrar
forca oo Iraba+ho, qe areodesse MeoQao. Clelia
bastante talante e m varias sceaas sustenlou
dignamente o brilhaote carcter de qoe se eaear-
reaou. .
Termino aqu e sinto qoe eotaetiei. Erafeora,
reservo om pequeo especo anda para dedarar
Adelaide,-para certiflear a'graade artista qoe se
estas WBbag'Botem o frescor e o aroma das flores
?jae jB.iearam-lhe os ps, .poasnem ao mOBos asin-
ceridade das almas qoe lanearam-lbe ssas co-
Toas.
Recif4866.
mmc
Un remedio vegetal asom-
broso.
Atnal chegou-se a' descobrlr na essenoia con-
Centrada de am produelo vegetal, ura efflcaswaao
remedio positivo centra todas as eoermidadas #re-
cursoras da phtysica.
A arvore da saude, peis que asim verdadewa-
meote que se deveria.ehraar, da qaal se extra-
6xil0^?r he este iodestiniavel tbesouro, a Aaacahuita do
MOYIMCTTO 10 POSTO
' arifl ferwrfos n4ia 21.
Ntxa-lfork jct 5. iRiews e 9*4r-1 ae do
ajrtaetft parto e S ao"S#8nio, aqW" South America, de % daane E. L. Toaklepanfe, rapai^m 74, carga
wrrios generes f a He*t Nrswr *C
NeW'Yerk ><* eataohoaatMWariajB
daav, de 18 teeetadas, .ja^t Ce*er
easpregado
Ari. 4. Picar o matan oootrataote Mjetto s
condices seglDtes :
1* Submattet o uijaaauaJto da obra t approva-
5ao do porerno.
11* Estabelecer PWWW rroctiafUi dia-
rlas, sendo duas de ida e duas de volta.
| 3 Nao fdder:exgr de arta eai*eira nais
de 400 rs. por viagem em wagons de priraeimcla-
se; 30D rs. nos de MgwU; o e .-*$.nts de
ireeira. >
4." A baixar e"stes procos TM-eporco me swg-
raentar a concerre*aa. tle modo a eomtiiaaniin-so
lempo de 3 mezes a contar do V de jolho
timo de Bate ajero'protimo viodoaro o forneclmen-
to de alimentacao a dietas ds presos pobres da
casa do detencao, servlodo de base a arreajatasao
os pregos seguintes :
Domingo, almoco e Jantar 380
Segonda-felra dem Mera 380
Terca-feira idemWera 380
Qnartafeiraidom dem 360
Qointa-feira dem dem. 380
Sexta ferra dem dem. 403
Sainado. dem dem. 340
Dietas.
N. 1
N. i
N. 3
N. 4
N.
380
400
46
460
460
contratar
oal 4a kafuaiu da Co*-iia tu cente
a qoem rateressar posaa, que se aeha, rem drposito
datas aaimaea da tac, raeaom-qoa toraa pagados
em PoBie>4e Ucba, jjo sitio, do Dr. Beato Jas da
Costa uolor: as pessoas qoe se jotgarmn cepi di-
reilo a ditos animaos, qneiram dirigir-se ao res-
pectivo fiscal para satisfaeartM iaposigoes do art,
16 do til. 9a das postura aatatetoees de 30 de ju-
nhode-1849. .
Piseattsaco da freganta 'da Boa-vista 21 de ja-
nbt>la866.
JerMno Joa Ferr ira.
Pela iubdaiOiacii % fregania de Santo An-
toaia Joi fMso a tela rtaalad nome Saturnina,
qawtfh arcscrM de tstMto alomes de Araujo,
seo%or do eogeoee Taqaara, o4o que priroeira-
htiU e ter o mime de llaru da
TO^. 10uucei(3u, arqnal se acha recollilda S Casa de de-
teaio : quem sejalgar aanteor-della drija-se a
este juizo, manido de suas proras, para poder ser-
Ibe entregoe.
O subdelegado,
Maaoel Aotaoio de Jess Jonior.
de
Pela subdelegada de S. Pedro Martvr do
Oliada ioi aprehendido no dia 12 do corrate, ato
cavallo melado, castrado, com cangalha, que anda-
va vagando pela estrada. *
THK1TKO
DE
1 -
ftr varios fders^a H. F(
Gorrespoa^ncitis
Stmkorts rdac casa de deec*o por vontade despotioa capr icho-
sa de algem, e teodo Vmcs, aoouaciado esse des-
acato na parte competente de seu oonceitaado jor-
nal de 43 4o eorrente, declaraedo baver sido ,por
nao comprir exactamente os deveres de fiel deposi-
tario, curapr>-me4ariHHmBS*xplicacoes a res-
peito em ordem sustentar ooonoeito e roputacao
que merejo dos homens nleUigentes e teoaeslos
e do publico Ilustrado era feral.
era faltas no prorapto
Mxico, e oPeitoral de Anacabufla deKettpfor-
ma a preciosa composicao tjoe alcaoga sempre a
victoria sobre as enTermidades ibimlgasdos orgaos
da respiracao. -samis teoove remedio algum que
se fizesse OeoJro em to pouco lempo to aniver-
salraeatefwprilar.
Os gratos testemunbos dos coraoes agradecidos,
que padeceram de toases, esquinencias, rouquido,
iDflammacO'doipoMo, bronofcites, suuaa, caiar-
rbos, constipacoes, ^ihsyslca, etc. se recebewca-
da dia eos centenares de todas as quatro^attes4o
mundo.
Acba-se de venda as pbaraias4e.A. Gaors
e de J. C. da Concel^o Bravo & C.
flTTEKC*0.
Xarope aleboolico de vlame, .prepaw
pelo phar-maceutko ^es da Rocha P*rsfibos,
esatierecido combetica na ToaiTOtta.
88 em Pernattibaco.
Esle xarope mcontestavelmeBle-superior
a todos os xaropes -epurativos, demaja
corriposicSo -o sen matar eteo-en' a-salsa
86 das oiroa JTaofletra *=
toneladas, oaprtSo AofaMS f*dh C*l &*
va, equfptffem 14, -cairt* t,660 !* oaa
fariaba de trigo e outros genere; 'a Aeaonm
Tmiaos.
Ncotos Miniis M mtsuu 4ia.
Wo a Prata -Wieebo ^poWtjgw aw^, m-
plio Pedro Casimiro de
e agurdente.
Wo-Orande-do Solfiawa nc*oOil 1-d*i*,OapRao Alfredo P. os Sanios, cwajp aseii-
- car a outros fevaros.
Rio de Janeiro e Babia vapor raertatuO Sottft
America, cnmmndaote TenklepSogh.
HP .....I L 111BJ i J1J-L-LL-UUHJ-IJ
EOiTtCS
C.! os interessos da eorpreza com as dos passagtiro.
4: eo{o.--!9ecrtria do goverao 'de Peroam-
truCO '9 de IntMe de 866.
EDWAL.
Peta secretiT'dti overeo, sefrz pnbMco a ojoeni
interessar possa, que tendo o Eim. 9r. vlceipresi-
deote 4a prffrracia de dar etecagao a le n. 97 do
l.'Oo correte batao oablwada, se convida a' to-
das as pessoas, quequeiram contratar a coostruc-:
oia das fwnas de ajoe Trata a Teferida -lei, apre-
seotm atoltinio do correarte ao inesmoExm.
. ascuas lMpotes afim preferida aquella qne melhores vantagens flo-
recer.
O secretario. Dr. Francisco ie 'aula Salles.
LE N. 697.
0 ur. Manoal Cloneotmo Caroeiro da Cuaba, i-.
oe-prosidente da provincia de Pernambuco : Faco
6' statKeaar areasda larga tago que as con"
veniencias publicas as reclamaren!, nao rodeado
am ase teiaai wajir acto traasfwirte oes I v aura es
raais do que isa exige a ata torreado Recito ao S.
Francisco.
Art. 5o O contraanle gosar dos mesraos previ-
legrfos, ooneetldos a coojpalihraflos tffltios nrtaoos
AtnreMa, carga caeros do Recife JIpraaot.t.vBB aorfirazo atuaca supe-
rior a 30 aooM/ lado os aaadMflevi a empreza,
era estado de faaaaiaaar refuiaraieate, perteaeen-
do a provincia.
Art. 6. AotveatieJ|ca'reara8o o dreito de
Qscalisar a ooostracso, conaerva^ao e servio da
eaapreza, a^sira orna o de regalar as vespecirvas
tawlas devraaapertes o as -vaatageos 'anjadere er
dreito provincia.
Aru 7. Fnsm revocadas as dispoeicoes eta con-
trario.
Mando, .portanto, a todasas autoridades a quera
o coBbeciaenio e execacao 4a prosete resolucao
pertencer, qoe a cumpram e iacam cumprir o
iDleiraraente cerao Baila se ceotm.
O Secretario do^ovema desu provincia a faga
imprimir publicar e correr.
Palacio do governo de Pernambuco, 23 de abril
de 1866, 45 da independencia e do imperio.
L.S.
Manoel Clementino 'Camelro da Cunha.
Sellada e publicada a pre-ente resolucaa nesla
parTilha, DOis Me se tem COrmectdo Ser 0 saber a todos os seas habitantes qoe a assembla
veame mais enrgico para a prompta cura legislaUvaprowocialdecretou e^aaancclooaUre
das molestias, caja -base sseocial d^ieode
da Tmrificaco do angne; assim pois se
tem verificado per martas pessoas qoe se
DEtlftRAtS
soluco segointe
Art. 4." O prasiueote da provincia tica aoiorisa-
do a conceder privilegio por 30 annos cora o esia-
beleciraento de ura pedaglo Andr de Abreu
rhavarn laaanaiiailaft as tians acham-*e Port. oa a uem raolhores vantaaens oMaecer, Coiwulado provincial
achavam aeseoganaas, as quaeb ^" ^n 'a COnstrucgo de duas pontes de madeiraoa Pela mesa do consulado provincial se faz publico
hoje restabelectdas com o rele ido Mrape ferro.eBk.e og lugar^, Capunga e Poco da Paaeila, qoe no da f de junbo viodoaro se principTama
aleboolico de veame; entretanto qoe al- oo Capibaribe, e que deem passa^era ^ara o contar os 30 dias nteis marcados para a cobranca
deCormier, povoado da Towe, mediante as caadicSes estabe- f bocea do cofre do 2 semoelro do aireo finarmeiro i ^e
secretaria doaoverao de Pernambuco, 23 de abril
de 1866.
O secretario Trr. Francisco de Tauta Salles.
Registrada a fl. do livro 7. de leis provinciae-,
secretarla do goverao de PerBamoaco, 23 de abril
de 1866.
O escriptorario da 4." seceo. Taodoro Jai i
Tavares.
Aa 'pessoas que se aropozerem a contratar dito
ftwaeatwmm lapraaaiitem snas'proaostas em art?s
toiadaw>idta4444alio-twoiirBo laadonro.ao
meto dia na meema thasnmria onde ncaatrarao
aiafeeltas- des foroeermeaios e ooadiec&s com
que deven) effeeanr aaesaao aoatnto sendo ha-
Wastadas-yraviamniftaa tadnres. E para constar
se maadoa pobltear *aTesente pelo Jornal.
Secretarla da thesourarla provincial de Peraam-
bace 44e-aiaio 0*1866.
O oOoial da secretarla,
Miatiei AIoobo Serreta.
i:\poslvo dos prodnetoa agrl-
eolas, taaalBastrUes e brava de
arte ena Peraianifonco.
Constando commrssSo directera da x-
posicao qoe, por falta dos necessarios escla-
reettaentos, pela comparaco havida entre
os dossos prdootes e outros similares de
drvwsas provine as, e por eutros motivos
de nao eve completa sciencia, nao lionve
a desejavel igualdade na .distriboico eita
para esta provincia das recompensas dadas
pela commisso central do Rio de Janeiro
na ultima eiposiclo, eque por este fado
algons dos antigos qiwitoFas se recasamj **4iu ate.
Heda extraordixtari.i
Sabbado 23 ite junho
Segunda representaco do magnifico drama em
aactosdoAucetBoargaoM. tradaiulo por ama
oainl Beaoa :
GASPARD HAUSER.
Pcrsonageos.
Gaspar Jdausor, moco de 16 an-
oos..........Sr.1 A, Amara).
A Bareaeza........ Clelia.
Misa, afra aJUaada..... E. Cmara
Conde de Raapacb.....Sr. Cauto.
Frederico, joven medico. Paiva.
O cooselaetra aaiico. .... Raymuodo.
Clanss, o pastor......i Pontes.
Schwartr, creatara do ooode de
Rasach........
Fritz, criado.......
1 caataanez. .....
2dito.........
Sara, ieaaeira........
i* mulher do campo.....
guns, tendo asado do xarope
Tt-ndo por vezes cnido era faltas no
paRameoto4asdeelroas,fiaqoe Injustamente col-
lectaran aro peqoeno e iaseaiSaante sitio comea- ^ Larrey de salsa parrilha, de saponaria,, ecidas no art. 3 da presente UU devendo em
sa seasiretmeaie arruinada, silo na estrada de Joao ^.'SJrAJiu. ft outros acentos LBaald/e ^ circumtancjas ser preferido o dito
de Barros, em que infelizmente moro, seado dalle Igfl e OgadO de tiacalhao, 6MW afMBW ^Andr d Abreu Porto,
propnetario. esta ordem nada conseguiram. E' Be 'de | Art. 2. O mesrao presidente podera" conceder
Eotrelaoi havondoquasi consiaBtemeole pago fcil digestSo, agradavel ao paladar eaool-j Igual privilegio e as mesmas condigoes tfo ar-
essas decimas depois de precessadas peU fatenda,: hatQ AiguDS mdicos desla cidade e da g precdeme a Anslides Drarrle Carnejro da
| phato. Alguns
de Macei-o teem recommendado para a oa- i Jognn Pereira d FitiS
radas vantagens oflerecer, para a
Impigens, tinha, escrophulas,
Tumores, ulceras, escorbuto.
Cancros, sarna degenerada, fluxo alvo.
Todas estas affecces provm de urna cau-
sa interna; nao ha pois razo algnma em
pr&r (uta pllac cp por1" waaaa aaaa rfmwdicw
de modo que era logar 4e Ifi&veobo a pagar se-
tenta e tantos mil ris, aconleceu qae a eaecucao
que produzlo a minha deteogo, tendo chegado ao
termo de me obrigar despejo da oceupaco, que
oella fazia, rae submetti a coadlgao de pagar men-
salraente urna cena quaoua, prestando fiador, que
se sujeitou a lei de depositario, como de faejo as-
si ra se fez.
Mas nao tendo podido exactamente cumprir as
condicoes desse termo no prazo marcado,bouve
arSop&a di? 2E^tii^.ni8*&! ss*
Clin ha Gama, Joaquim Francisco de Mioanda
ou a quem meliiores
constraeco de ama
ponte~de ferro en aivnaria no logar denominado
Sani'Anna de tora e que d passagem da fregaezia
da Boa-Vista para o Poco da Panella, devendo em
igualdade de condicoes ser preferido Aristides
Duarte Cameiro da Cunha Gama.
Art. 3." Ostoncessioaarios'flcarao sageitos alm
-t>- y-fuiuui miaboieudas tos rOpectlvosb'D,'
tratos a's seguintes condi^Ses:
1. A obra sera' coostrurda de conformidade
lide agostode 1865, e 3 de oovembro do mes- j aleboolico de veame para 0 tratamentO das | com as prescripcSes ornecdas pela repartigo das
mo anuo passado pagnera em Olinda ao respectivo1 afieccoes do SYStema nervoso 6 fibroso, taes obras publica"
collector 19^240, importancia da decima qne fazia
o objecio da execugao, que sao jr8,f, e o mais de
cnsias.
Feto isto persuadi-me estar quite com a fatenda
quanto a essa execuoio ; porm oa depois avisa-
do que anda restava alguma eoasa de cufias, que
nao mootariam nunca a mais de 10.
Nao tendo por tanto alisfeito ao escrivo Miran-
da 9800, resto dessa execocao soa levado casa
de detencao 111
Daodo-se de mais acireumstancia de intimado
dessa pnso me oflerecer para ir em companhia
dos offlciaes pagar essa qoatia; porm Bem'atten-
Sao alguma a minha .profiasao de engeoheiro, sem
consideragao a minha patente de oficial da guarda
nacional, se insisti em -executar semelbanre vio-
lencia.
E' revoltante, ntoleravel semelhante procedi-
mento III
Se accrescenlar ao que tenho expendido decia-
racao de que por deermas do valor de 4$800 dedu-
zidos do rendjmeoto de urna pequea casa da n-
beira de Olinda, dehrada-por meo toHeeido to eso-
gro Lnrz Rodrigues Selle, ti ve o auno passado de
levar ero conta os alugueis atrazados da mesma
proprledade, no valor de cento e trintae tantos mil
ris, pagos pele aquilino Francisco 'Paisano -por
duas execucoes movidas pela fazenda, se manifes-
ta eviderrtemenle a vontade de persegair-ine, de
hurailhar-me perante o publico.
Sebease o .proposit, .iatam tan mal acatadas as
linhas de semejante plano, que por sua grosseria,
.-ua ausencia completa e belleza, su roao gosto,
me obrigam a despreza-lo soberanamente. .
Imputar aos que governam as infelicidades de
que elles sao es aaenos .reaaooaaweto, -ednjusiica
ordinaria do povo, especialmente de ura povo liare;
porm reclamar remedios proroptos e eCBcazes as
enfermidadas do corpo social dever de todo cida-
do inlelligente e honesto.
Soi que todos devera contribuir parias despezas
da repblica perra tambera aSo ignoro que sys-
t-mas de iuaoslos, imprudenlerauote esubeledos,
e outros de arrocada^o louca e ferozmente execu-
tados hio oxciado iuiiisoagao dos oovos, e ane*mo
rebelllo em differentes paizes, sejBOdoas lajoes
da historia.
' ao me mora monto, ao a per feoaamento das-
se ramo de servico publico que 4eyo Aristides o
como
Gotta, rheumatismo, paralysia,
Dores, impotencia, esterilidade.
Marasmo, hypecondria, emmagrecimento.
O xarope alchoolico de veame sobre
todo, da maior utilidade para curar radi-
calmente, e em pouco tempo o rhenma-
tismo.
Adverte-se que o verdadro xarope so se;
vende nesta cidade na botica cima indica-1
da, do abaixo assignado; e em outra qnal
2. A tarifa do pedaglo sera' regalada de ac-
cordo com o governo.
3. Findo o privilegio a obra ficara' pertencen-
do a' provincia, sendo Ihe entregue era estado re-
gular de cooservagao.
Art. 4." Ficam revqgadas as dlsposigoes em con-
trario.
Mando, por tanto, a todas as autoridades a quera
o conhecimenloe exeenfao daoreseote resolugao
pertencer, qne a enmpram e facam comprir to
inteiramente como oella se contera.
O secretario do governo de&ta provincia a faca
imprimir, publicar e correr.
Palacio do .governo de Pernambuco, ao 1." de
quer parte que se "tem annunciado 5o daj jonho de 1866."4S da independencia e do ir
mesma composigo, e nem o abaixo tmsigna
do se responsabilisa.
Jos da Rocha Paranhos.
COmMERCJO
PRACACO RECIFE.
Cotafees flelaes.
21 de jnnho.
As 31|2 horas da tarde.
Uontem.
Algodao de Pernambuco poslo a bordo 16} por
arroba.
Cambio.sobre Londres-60 div. pagavel em iterii-
nas, 25 3/ d.
Hoje.
Algado 1'sorte-135000 por arroba..
Cambio sobre LondresH0 d/v25 1(2 e 2o 1|4 d.
por 15000.
Uescaato de letras 10_e 12 0|0 ao anno.
aboarcq Jnior,
Presiden te.-
SUveira,
Secretario.
Manoel Ctemenlino Cameiro da Cunha.
Sellada e .publicada a
secretaria do governo de
de 1866.
O secretarlo Dr. Francisco de Paula Salles.
Registrada a fl do livro 7" de leis proviaclaes.
Secretarla do goverao de Pernambuco, 1. de
junho de-J8t6.
O -escrjpturario Theodoro Jos Tavares.
a concoprer osan -nows productos expest-
c5o de 15 de agosto "projcrmo ; resolven, ^m
urna de suas sesses, mandar fazer publi-
co o soguioie:
i.* Htrver na previBcaa, para os traba-
lbos da exposicSo, um jury especial, noqual
nao tet'o voto os membros da commisso
directora, que julgar da excellencia, aper-
fetcoanteoto ulirroVade des productos -ex-
postos;
2. Este jury se dividir em duas seo
coes, sendo uaaa para os producios agrco-
las, e-outra paraos industriaespropnamen-
t ditos, e obras de arte;
3. Farao parte de jury as pessoas de re-
conhecida aptide e especialistas;
4." Segundo o juize do jury, a commisso
disifiboir aos productores e demais expo-
sitores medalhas de duas classes, .sendo as
da ia classe de prala e as da 2a de co re,
ambas acempanhadas de diplomas.
5. A conrmissao fer acqoisic3o, median-
valor ajustado, dos productos que para
correte Oos-lrripoitos de dcima dos predios urba-! j9t fopem pU^lin dignos pelo jury, e que
%&!&%S2S erirperTSoeino possam^codidol grato^mente para
corporapses de mao morta. figurarem na exposi?ao central.
Mesado consalado "provincial de Pevntmbacoj A commisso directora espera que estas
6 de maio de tf xaedidas aervirSo de garanta ao verdadeiro
iapreco dos productos expostos, e qu farSo
Antonio drrueiro Maohado Mios
AOmim'strador.
t,maajms**mmm a.|&SEP2&BEEZS.
ma se referi.
obra darles esa Peraanlraeo.
A commisso directora da exposi^o des-
ta provincia resolveu, que por meio de repe-
Alm disso, a commissio chama a atten-
c3o dos Srs. expositores e mais indastriaes

Caia Miial 4o banca-do Brasil *eai #w-
nambirco 18 ae jmtha e 1^*56
A oa&a descoma os saques de seu aceite, jwta
taiaa de 8 0/0 ao anuo.
O aovo banco paga o 16 dividendo >ne
soa mmorlalidade.
iieditaodo seriamente sobre essa execucao dos
agentes da fazenda de meu pair, descubro maai-
lesia mjustiga injtuliga, desigualdade profuada, e
arbitrio imfimio oa desiribuicao .dos impoitos, es-
pantosa enormidade de castas no procasso da ar-
recadacao judicial, finalmente poder injusto, dejpo-
lico, e typanflicodos mesroos.
Oe sorie qoe, no imperio di Cbwa, depeilo da
poseuir eos poderosas e absolutos maudarias, no
imperio do Turquia, apezar da seos pacMs com
eseola de poderes at o de tres caudas, na menos
persegu cao, ha menos despotismo 'do. que ai Per-
nambuco emrcem os agacles subalternos da fa-
zenda.
Pe o menos Moatasqaiao auston*, fazendo Rusti-
ca as boas lea a a.encllenle .moral dus Chinas, .e
Voltaire afflrrna que os principlos.do despotismo, a
ioa-da ayraaaia nao seo bem aceitas pelos pro-
prios Tarc3S.
Por certo que osiaaizaros se aboletando na ha-
bitacaodo devedor do Oseo at o real embolso do
debiTOi menos desptico, menos tvrammcoqae
privar ocTnadao de.sua Ilberdade por 3J8G0HI
felizmente a sm4esse ramo ffa admlnitraeao
los negbcros poWtcos se'adba hoje um magistrado
peroamotfeaaefiiae por SOa att raielllgencla sea
patriotismo acrisolado, zeto inconKejvel, e justa
influencia poltica, pode mallo 'bem Imprimir ama
direceo sabia o paadaala -aa. su a marcha dos ne-
gocios sea cargo, estabelecendo igualdade, justi-
ca na destrLalgo dos imposto?, meios brandos, fa-
raz3oa>ft#il.Opr.ao.
Caisa Filial do Banco do
aos H dejanhO'de'A86G
,1 Caixasaca sobre a Cana Filial na Babia.
%ovo banco de{Peraajn
bateo.
O Noto Banco descoata ao anno
- 0 Illm. Sr. inspector da tbesonraria provin-
cial, oatripriineoio Oa ordemdoEam.Sr.ipre.
sioenie da provincia de 28 do corrale, manda fa-
i ter'poblico, qoe no da 30do agosloproiUmo vin-
douro, parante a junta da faxai
soararia, se ua de arrematar a qoem por menos
8zer, a obra do 9. leco*la asteada da Sscada,
na importancia de 16-903*000.
'A raemalaoao .aera feita na erma da lei 'pro-
vincial a. 3i3 de lo de maio de 18S4, e -sob as
clausulas especiaos abaixo declaradas.
As pessoas que se prapuaewm a eesa arremata-
caOvcoaaaareeam na jala 4as sasades da uwsma
junta, no da cima dcado, pelo raeo -dia e
competentemente babelltadas.
E para constar se raaadou publicar pelo jornal.
Secretaria Oa ihasourarta provincial de Per na m-
baeo, 46 da aaaio de 1866.
O offlctel da aecretaria
Mifudl A-aooco Per reir.
Ctaasulas eepaclaes.
I
As obras do 9. Janeo da-estrada da Eseada .se-
rio ex aculadas de conforaardade com aplaatae
descripcao dos oreamaotos, aa importaaacia 'de
i6:90tc60.
II
I O arramaunte dever ca murar taslrielamearte as
raslroccoes do ensanbairo fiscal da obra* ascoo-
btkI em Parnaartoeo dicoea do orcamaoio e cntralo
O erseantante dar eaanaoo acataras oorpaao
de t8 dUs, eas uoacinlri o'de l4.oeB8, ambos
contados da daia do contrato.
-IV
| Os-pagaasentas aerao fe i tas em tres prestacoes
iguaes, correspondentes ao valor da obra fetta,
menos o.eaaaedramealo queaecBa ama s pres-
taco, qoaado fizar a nntrap prnyiacria.
d,l rjsp&siEZsL 9bs rft: as zzsz
jultwprximo, fcnniM1P n,TOmoc nabiliado para ministrar todos os-esdareci-
V Qoe a demora que fconver na Temes- neCessarios ao perfeito conhecimen-
sa dos productos ser nociva asuamats con-; dosprod(lcU)^ e fJr vaier o dreito de
ventente collocaclo, conforme a respectiva Z^bAm^tou desta provincia.
importancia, _^ Por esta forma a commisso julga ter re-
i Que vtndo todos vesperasjdodia da abertura da exposicao, eQtQra Tflnha a ^r na acquisiQo de
nem se pode calcular o-espaeo que ellos re- v d destinados exposico de de
querem e -se de ver ariromptar, nem fazer I." t0 F
sobresahir os productos, espasando-os, e^Amdauma^ez ,,a acOTmnissao para
colloca^o-oseonvenienteniente; 'os dignosPernambucanos,pedindo-lnes com
?- Quef agente desudo-pelo commis- ca ^^ esforgo ,a re_
sano chffisiGoador, oSr ^-.^sio Ro- de productos destinados a figurarem
dr.gues Campellp, se deverao entregaros { industrial, tunta se empe-
^nictSe juabo; P}^ ? ^^T^^ltZ ** bos da provincia
do-dra 45-de fulbo 4m dwnie, e desde as. & ^urnto, 9 de maio de 1866.
9 horas da manhaa ate 3 da tarde. Secretario
6. Que a todos os expositores se passar,
recibo ^de seus productos, declarando, con-1
forme elles determinaremi, e e destina do;
objecto exposto deixado ao arbitrio da;
commisso, sedeve seguir para aexposicao
dacrte, ou serirefilituidoao expositor, logo etptoriodestacornnanliiaa atfreanatacao por
- depois da eaposicSo; um anno a decorrer do 4o de julho deste
7. Que podendo terwWBedrde que ulo anno a 30 de junho do anno Ttodouro do
tennam chegado a sea deslino algumas das renduneoto dos coafaciies do lugar da Pas-
ciroulares e instruasespor.ellasdirigidaaa age da Migdaleua, devendo^er as pro-
tedos^B oidadios qoe olgou podoremoen- postasem fjwtesriada -entregie nesta oc-
triboirpara a exposico, Ibes roga -que pres- .asiso ou antea no escriptorio da compa-
Manoel Buarque de Macedo.
Ijompanhia do Beberibe.
No dia 23 do eorrente ter lugar no.ee-
Sov twwa rVraawrWfo
Convoco os accionistas do banco & rennirera-se
em assembla ge ral extraordinaria no dia i!> do
correte, ao meio dia, oas casas do banco, para
deliberaran sobre as letras ltimamente desconta-
das por Pedro da Silva Reg.
Jos Bernardo Galvao Alcoforado.
*CPAWEGA.
etroimeoto de la 1 a *>...... 4M8MMf
Idemdodia2l................ 29:3W#W
441:786*833
MOVBENTO M ALPANOE^A
Volumwti*doecomftaaadaB... 517
a < com gneros... 395
612
De cida prastacao sera' dadaxido o que deter-
mina o -aru 83 do regolauaolo da 9-dejulho de
1861.
"VI
O reeebimenlo definitivo de todo o lango, e'-bras
leta' 18 raaies dapois da.enlreja provisoria.
faca ludo .mais.qoo nao estiver anal especifica-
do no Cdnirato, segotr-se-ha o qne prescrave o ra-
ferido Fegkmeiuo das obras public.8.
Conforme.Mi'Ol Affqjrco rerrelra.
4* eeoao^SeawWlaoaxiveroo deParoanabu-
co, 14 de juobo de 1866.
-JfftL.
rala secretaria do ovaron .de Barnambuco se
faz pnblico a quem interessar possa, qoe tendo o
Exm. Sr. presidente da provincia de dar execoco
cindindo de convites especiaes, contribnam biaoadednelaor os pretaadeotes .aedeve
informar jk condicees de cooirato.
Bazes sAre as fiares se deve tanewr.
Ghafariz do largo do meiro. 24jEMBQf0a>
para esta festti industria!, eracujo bomou
mo xito vao de algum-modo os bros da
provincia.
Sala a commisso, 9 dejnalo de 1866.
M. Enarque de Mmcedo.
-Seevetario.
Dito entre as duas .puntes.,
360^000
asj)eccao 4o arail de mirlia
A inspeccie ocmprs um-aote de .quatro remos
para a aervicoan capianllo porto.
iaapeacao do a -seal de marioba de Pernambuco
ae de junho de 1866.
6 secretario,
Alexandre Rodrigues da Anjos.
6000060
Escriptorio da companhia do'Beberibe "18
de junho de 1866.
-Oaeerekario,
Dr, Joo Jos Pinte #rjnior.
Eiposico agrcola e mdustrial da
fimrijba.
Beveado ter .logar no da 5fle-agosto-pnrilme,
na capital da Parahyba, a exposicaoarricola e in-
dasUiel, o abaixo assignado, errearregado pela
commissaedirectora de promover cqtftsI{o>de
COTBpafahii
* t^a^aaialBaaH
cionutas, a ^ V'XVaTSS'^rSo f %Z^%*W^^1^
* P. Joaquim
* Teixeira.
. Pinto.
> Santa Bosa.
. Sr.' Jesaioa.
* Joaquina.
> Leopoldina.
> K. Pontes.
. Sr. Soler.
pedreiro, criados e
3' dita dita.
Cniado.......
Caraponeies, .Hermano,
obreiros.
As decaraees do 1 e 2* actos sao inteiramente
aovas, bem como ama parlado 3o e pintadas pe-
lo scenograpbo o Sr. Doradlas.
Denominacio dos actos.
Io A sepultura dos condes de Ranspacth
2 Gaspard no subterrneo.
3 A victima e o algoz.
4* O vaaeno a a marte.
Terminara o espectculo com o IriaJogo quasi
cmico
Tdmng-Tciiiitg'-Bong.
Comecara'.as horas do costme.
KALAO DO THEATRO
DE
SANTA ISABEL.
O conseno j armnnciado de mandada Perro,
ricou para hoje sexta-fera 82 de jnnho de 1866.
Ser a abertura da opera GoMtaome Reil do
maestre Ros-i ni, execotada petos films. Srs. C.
Steuber e Gustavo Werrhermer.
A mesan beneficiada estar a porta para
rereber.
AVISOS MlftlTlMOS
Para o Porto por
Li$bam
A veleira e bem coohecida barca porttrgueza
Trtfator, pretende seguir com malta brevidade,
tem parle de sen carregamento engajado, para o
resto que Ihe falta trata-se com es seus consignata-
rios Antonio Lnlz de Oliveira Azevedo & C.| no sea
escriptorio na ra da Cruz n. i. ^__
Com pan hia de paquetes a vapo r entre
os Estados-Luidos e o Brasil
At o da. 2J
de eorrente es-
pera-se de New-
York por S. Iho-
roaz e Para, om
dos vapores aroe-
ricanos, o qnal
depois da demora
do costnme se-
guir' para os.portes do sal. Para frotes, passa-
pens etc., trata-se com os agentes flenrv Forster
& C, roa do Trapicha n. 8.
Para L8boa
o brigue portagoez Bella Figueirense, capitao Jos
Corre ia de Carvalho Sobrinho, vai sahir at. odia
25 do correte ; ^para carga e passaejehros trata-se
com E. R. Rsbello, roa do Trapiche n. 4, segun-
do andar.__________________________________
COMPAHIA PElt.NAMUL'CANA
DE
Kavogaeo costeira por vapor,
Para Aciraca e escalas.
Segoe no dia 22 o -correte o
vapor Mamanguape. Recebe car-
ga at nos dias !9, O e 21', eo-
eommendas, passageiros e di-
-nheiro a (rete at as 3 eras do
dia da sahida : escriptorio ae Forte do Matos Da-
mero 1.
Paira o P rto.
meamos sentiore:,.
ExposIcSd '#mmo*hii *fH-
eolas e ladraMtrtaca m Peroain-
\Gommiss3 direotofa da eaposicao des-
ta provincia, previne aos artistas >que de-
sejarem concorrer com os seusjrrodoc'os a
mesma exposiio, que nio o possam fa-
r .-portfaita-de leowsos, que devem dtfi-
grr-ee towtJfatai^A^amiMaao -pRa ob-
terem os arjxi'iosrreeeawrios a aequisrr^o
das materias .primas destinada' aos Hitos
productos.
. Sala da commisso 9 de.maio de 166.
M. Buarque de Moeedo,
Secretario.
aeadade de dirigir-se a roa do.Imperador
andar,das Tas 9 horas aanradbaa, etttt & da
tarta-as 8.horas da ooite, onde o abaixo asslgoado,
nlo somnre dar* as Motmgt* ir nw sobre o
transpoate dos objectos qoe se-ue^ftmtrem a refe-
rida xposTto 'cojas Teroessas deverao -ser (bitas
at o da 21 de julho prximo), eomir'fJnibeTit'foT-
Beeera' a asareiia ptlma*aeltes aabores aaposi-^
torBS.uJas'ewamUBaiasaaim o^aigirem.
Mo Reoife, padero ignalmenle enteodar-se com
o-HIm.ar. Antonio Jo da Silva Drasi1, na ra .da
HadreDeoso. 23.
Pernambuco, 22 de malo de 1866.
Justino Jos de Sooia Campos.
A.raultovelerra tare portogneza AUMINDA,
capUo .Antonio Francisco da Silva Nunes, de ve
segmr com moita brevidade em dfrettora para o
Porto, ja tem a 'nrator parte -do carregamento
prompto e para o resto qoe (he falta e passageiros
trata-se com o capitao ou com os consignatarios
Marques, Barros & C, no largo do Corpo Samo
"J:_______________
forgtaaaa para CJeari
BeveaWriairjreterivaTmente -00 dia 23 do cor-
rente : para a-pouca carga qoe hita trata-se com
gaseo rrroios.
o de Janeiro
O brhroe aadiotml Trovador, qo]*atBal||uma
carga pTomptapara o Rio de Jaaerro, dave agnir
com aquella bHlldade qoe for paash*l 4 os que
elle oaizerem earteirr, qtwiram oaBB08r-a om
os consignatarios 'Marques, Barros <& C, largo do
Corpo Santo n. 6, egaudo andar, oa -ooan o res-
pectivo capitao na praca.
^araoPar
pretende seguir oestes oito das o patacho portn-
gaex S.torgcie Aveiro, o al ta proaaptt parte
desea carregamento : para oruiaaefn ^a Jalla,
trata-se com os eos comigaatartoe Aaaaaa Loia
de Oliveira Azevedo C., ao aw aaoaaplaria roa
"OaGrtr'B.l. ____-
paloteneDte-tajroTllitrstiao PereWde Fatlaeon-
tr Franctseo -Atves oe Santo*, depois da i*B-
ci do jaizo municipal da 1* vara.
UhatteS. iipel
atnueoat muita brevidade a ascua portugueza
EMA.para paaaagoires trata se ajM Joao do ftego
Lima, a' roa do Apollo n. 4.
"-.fu i-1. ,. 1 it_
Tara
4iova>
Mm>taimQ, *a paaaiaa aatue, e raaeaiamenie
corrstr*da^adai'aaipte a tdoaiir parte o sea
ArreWttOOrjO. carregamento ; epara o restatrB o -passatetros.
Hoie tem e-aearrematar nsTmoveispohorado paraKTjmmimiieattiUiwtM>nmmim, Use
om Manoel igoawo de Oliveira ai Filto, ao Jargo
do Corpo Santo n. 49, escriptorio, oa Nave capi-
tao na praca.
. '".

~



*



Diario e Pe
meo Sestx tele m _ki-_l_o #9 86.
Pura o Eorto.
Segalra' coa brevidide a bera coahecMi e nai
veletra baa Ctmdim, oeraer parle da-sao carra-
gauaato eaga]M>A par* Mal e passafatto?, aos
qajtes off-rece exeelleaias cesoaodo-, trata-so cora
Ctrotra fruaos C, a' roa dadrir de Dos n. 3,
en com.a aaf lat a Itards. ___________
Rio Grande do Sul
Segaa erf-(**- arfcue nacional Tigre,
pois ja' lera a bordo parte da carga, aiada recebe
alguma a rate e iraw-o altar & Oliveira,
roa do Vigarlo n. Id.
- tasa o Car* Masa-O-o. san ~a escuna
Gaorgtt : a tratar ftra TSssa Iraaae.
ALERTA!
El SstigarrilHa IL
600^000
I.EII.AO
Dividas do exp lio de J*><[i_a Silva
Lopes 1 iaipertaieia oe 5U>,59>$37
Pfea)
CorJeiro sin.efe
a recaer .atento 4u ustanseateiro a iarvaatarUnte
do tinado Joaquim da Silva Lopa* a despacho do
lllm. Sr. Dr. juu la-wcio-lda-iw^uflv vara, tara'
leito das *tria_i parteaawBaes ao esparte da>es-
mo flaado aimoortaocta d _0-305*.70 rs.r esns-
lasKes de tilatos aB se artant ea peder do a_-rrro
agente a aaatae d que pdHooeer, cojo leiaao se-
ra' efJectoada ao da
Comina fgido o celebar JOAQUIM SAL-
PREZO-EL ESTta_*IBIA II.
Este perverso PARAGUAYO tem sido vis-
I df-rado eroabaocraa, iajaado cha-
peo de cooro, camisa de algodo e seroula
corta da tnesmt fazends, a tender lenha e
carne secca.
Consta' que ssim drrfarcado elle costoma fre-
quentar, depois de dez horas da notte, um prost-
bulo a' rot* das Lamparnos e qoe d'ahi retira-se
as quitro horas da mantraa, qnando o permttte |a
enjbrbgwti'a qw-eutref;
Pa__-s# a qtraWra aelm e d-se mais algoma
graliflcacao a quem o amarrar e coodozir a soa
senbora a ra da Prnia desta cldade, armazem de
genero
_______________ SALGADO._________
Joaqaim Coeih Brboa, subdito portngaez,
retira-se para Earosa.
Haoaei Igaasio Rodrigue Prassa retira-se
paca frs doioapwnx
Jos Joaqaim da Geatw PeKh* *a~diss-bra1-
sileiro val fazer ama viagem (ora do imperto.
'*
as 11 oras, ao armaiem a ra da Cadau de Re-
cite a. 19. _____________________ I
Leilo
ftr arareis' tbjectw di prata, onro e
dos escravos e m sitio it Ca-
O ageste M*ta* (ara* \Mn per aoorisac&o
da Domingos IWratwde raanjuatas, aaeaas, apara-tere, uaa riea cama de
Jacaranda', Din liodo caad**o i me**t pratea-
do, trem de cosiaha, aparelbos de prats para aba, I
diversos-objeclos de oaro. os qaaes nlo podero !
ser vendidos no leilo sotenos dot faltada tempo,
bera coa de aais doas escravos e ara sitio na I
^apanga rara, das Perrnra-ucanas janto ao sitio
qnefoi deCapwtrauo.
AOS :O0O$HM>
Corre terca-feira 26.
Acbam-se veoda. na respe-tiva thesou*
raa, raa do Crespo n. 15, os buhe-*
tes, meios 0 quintos da 18* rotera a be
Defiero tr fsmias dos voluntarios da pt*
tria'(63.a). sendo* a-extracSe no fugar e ho-
ra do cok ama.
Os premios de 6:0004000 at 10#00G
serao pagos urna hora depois da estraec?fo
at a 3 horas da tarde, e o* otros depoi*
d distribuirlo da-s .istas.
As encommendas seru guardadas so-
mente at a noite da vspero da extracto.
O tbesourairo.
Antonw Jos Rodrigues de flooza.
^"Precita a* a urrTcaixeiro para taberna : na
roa da Detenfo n. 7.
No segoado andar ao sobrada, u ra da Crnz
n. 33, ao meio da.
Leifo
Be eerca de 20D saceos com i&sncar
mascaiad* Yria.
Manoel da Silva capito do patacho portogoez
CO.VSrANCTA, arribidj a este porto por (orea
maior, fara' leilo p jr tias por aatorisacaod i Iil-fir.coaKul sortaguez
era sua preseoga, coa eeaf da alfaadega e em
preseaca de ara emprogado da mesma para este
Qm aomeade, por costa e rwcu it quem pertaocer
de cerca da 309 sacra- coa aasacat nascacado
a variad), sendo aigans dileo saceos pausados de
caixas que estavaa escaogalaadas.
iio.ii:.
N'o armazn aKasde^ado no eaes do Apollo do
barodo Livramento, as 11 hora* em poni.
LEILO
De algodes avanados.
A 22 do corrente.
afate Oliveira fara' leito por ordem de
Phipp* Brotlws 4 ., e por coota e risco de quem
perteacer de 264 pecas de algodo marca carne
de vacea, araadas a bordo da barca iogleta TI-
CKLAR, capito Frieod, na sua recente viagem
procedeate de Liverpool
MNTE.
ao roeio4ia m ponto, no armaze da raa da Ca-
deia a. 2i, Recie.
GASA DA FORTOtte
Aoi OOO^OOO..
nilhte gOMraatldo*
A* RA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUMB
O abaixoassignBMvaaienao* set muitfel*-
es bilhetes garantidos da foteri qoe seacaboo
de extrabir, a beneficio das faroras dos vohrats-
riosaa patria, o saguiaie**reaiwi : .
N. 3817 Qm bk9 cam a sorte de OAOOf.
N. 3395 um meio icon a sorte de 1:2005
N. 1016 tres qaiotos com a sorte de 2001.
E outras muitas sorteyre 100J 40#," '< *20#.
Oa possuidores podem vir reeaber seus reaaaav
tivos premios saraos desconaos das leisa*eaaa
da Fortona raa du Craaa/o a.4*.
Acrram-s", % tres da os da t&> parte da lotera
(69) beneaaa dbs faeultas d >s voluntarios da
parrtrque se ttttrahiraJ terca-feira 26 do cor-
rente.
PRECO.
Bilbetas.....65000
Meies......3*000
Ooanto, .... 1*200
Pan ai pesaaas quf ca-afrarem da 100*5000
pan atan.
Biihetes. .... o30
Meios......2*750
Qaiotos.....1*100
Maivoel SUrtins FrtrzA.
LEILO
De movis e outros objectos
CORDELO SI.MOE5
por coata de qaem perteacer fra' leito de diver-
sos movis oovos e asados, obras de ouro, vidros,
I .';)< i etc., etc.
HO*E
No armazem a rna da Cadeia do Recife n. 29.
LEILO
'O
(Jm grande sobrado de ora andar sito na Ponte
de Uchoa, era (reate ao sitio do Sr. Dr.' Augusto
Frederico de Oliveira, coa 2 sala, 6 quarlos, co-
siaha (ora, estribara, galiabeiro, magaifica vista
sobre o Capibaribe, ptima estrada de rodagem na
frente e terreno para jardira e arvoredos.
Uraa casa terrea so rae^mo lagar a. 16, junto ao
sobrado, com 2 grandes salas, seado a da (rente
forrada a estuque a ladrilhada a mar more, com
trra?) cotK-rto, 5 qoarW3, cosioha (ora, gaiinhei-
ro, quar'.os para preto?, lagar proprio para estri-
bara e cocheira altaodo s a coberta, eocana-
) ::.t j o'agaa do Prati deposito e baabeiro de ci-
mento, coberlo. arvoredos e estrada de rodagem ua
freote.
HOJTB
O ageate Pinto levara' novameate a leilo os
dous sitios cima mencionados serviado de base o
maior preco obtido, as 11 horas da dia cima dito
1 no armazem da raa da Cruz n. 57.
Arrendamento
O desetnbargador Doria arrenda e tam-
bem vende a sua chcara no MaaguinJboJbeni
conu vende duas pirelhas de millas, tres
carros sendo urna victoria, um coap e um
cabriolet coberto, tres \accas de leite sen-
do duas paridas, dous boi% de arroca t
todos os trastes e utencilias tas casas e cha-
cara : quem pretender pal ir -xaiaiaar e
entender-se com o Sr. Jos aos Santos Na-
ves, na roa do Crespo n. 19.
C
Preeasa se de um
para caiseiro : a tratar aa larva d Carato Ba-
ulera 6. ________ ______________
-j- Pretisa-se comprar para ama encoaaaiend a
e pedido do Rio de Janeiro, vrm--pssaro de neeje
cooo^oe, paga-se bem a quera o levar ao cartorio
do scrivo Motta.___________________________
-^ Cmara & Guimares fazeie sciente ao res-
peitavel publico que o Sr. Domiagos, Soriaoo de
Oliveira Sooza deixou de ser caixeiro dos mesraos
desde o da 18 do correte.
ATTENCAO
No dia 18 do corrente, indo o abarxo assigoado
a Timboass, perdea tres letras, na importancia de
6:240*035 sacadas por ralm em 22 de malo de
1862, todas vencidas e aceitas pslo Sr. Antonio Pe-
regrino Cavalcanti de Albuquerque, por isso pre-
vine ao mesmo senbor que as nao pague seno ao
abaixo assigoado, que nao fez irau-acco aaahama
coa Ottes- letras, e portaato Ih pertencem : roga
a qualijuer pessoa que as achou de as entregar ao
abaixo assignado, que aera bem recompensado.
Recife 20 de junbo de 1866.
______Joo Bapthsta de Barros Machado.
Antonio Carlos da Costa e S declara que por
haver ootro de igual nome, d'ora em diante assig-
nar-se-ba eaaao se v.
Aotoaio da Costa e -S.
Cozinheiro.
Preaisa se de ua antehako qae eqt-Dda perfei-
tamente da arta aaiiaari* a da boaa cestumes, nao
se (az reserva no preea : ao hetat Trarviata, na rna
larga do Rosario a. 37._____________ _
Aluga-se um sitio oa estrada de Joo de Bar-
ros n. I, com casa para familia, qnartos para es-
craaosifta.ni ps da frualeiras, eacimba. banhei-
ro, a todo sitio masado : a tratar na roa do Pa>
laida do Eflpo n. *, 'abenat graafc a Soledade.
\m 0 PBOGIIESSO"
Ao faryfitefn^Bietrico decimal
Jaifaeat ignora qae o goveroo imperial adop-
LEILO
Da
c isa terrea da rna velha n
8, em chaos proprlos.
HOaf
O agente Pinte levara" novamsnte a leilo -ser-
vio lo de baze a maior preco obtido, a casa terrea
da ra Velha n. 8, com 40 palmos de frente, 75
de fundo e com grande quintal, as 10 horas do da
cima dito no armazem da roa da Cruz n. 57.
~TELA0
Da taberna da roa do Cordoniz n. 4.
5abbido23 do correte as 11 horas,
na mesma taberna.
A re uerimento de Candido-Alberto Sodr da
Motta e mandado do lllm. Sr. Dr. jaiz de diretto
especial do commercio o age ai* Crdeira Sjaioes
fara' leilio dos genero!, armaeo e oteocllios de
dita taberna, a qaal fra arrestada a Miguel dos
Aojos M icbado, isto era am oa mais lotes a vonta-
de dos eonoorreotes.
Preeisa-se (aliar aos Srs. Ramos & C. a neg
ci do Rio de Janeiro, e porque ignora-e a soa
inorada, pede se que lenha a boadade appareeer a
raa das Crazes o. 32, oa aaoaocie por este jornal
a sua morada.
Laixeiro
Precisa-se de um meoioo qae teoha boa letra ;
no armazem da raa da Cadeia do Recife a. 29.
Aviso
Leilo de predios.
Pelo agente Pestaa.
oi-ca-feira 26 do correte.
O agente*Pestaa legalraente autorisado vender
m leilo por coota de quom perteacer os predios
segaiotes :
Urna easa tarrea oa raa do Caldeirelro o. 78,
foreiro a cmara de Oiinda, paga 260 rs., rende
por anao 240*.
Urna casa terrea oa raa do Marisco o. 12, rende
annual mente 180*.
Das -asis terreas ns 11 e 13 oo Corredordo
Bisno meaos ama pane de 490*, rendem por sa-
no 530*.
Urna parte na casa da roa do Padre Floriaoo o,
07, rende 29* per anno.
Urna parte oa casa o. 34 di ra da Assampolo,
rende 7*440 measaes.
Todas estas casas e parles se achala daraaaeote
desembaracadas e o agaata se acba prompu a dar
qaalquer e-clarecimento teado logar o leilio ter-
a-feira 26 de corrate pelas 12 horas da maofaa
do largo do Carpo Santo junt onde (oi a Aasoeia-
cio Coauaerctal.
AVISOS DIVERSOS
Abet Maria de Beefta, rebdflo poftogwr, Te-
Ura-se para o Para.
Baa-fegaeitttMio de e**, aorta^aafr-vai
ao Rto d Jaaain;_______.
Manat Ratrello de Almeida retira-*e para
Portugal.
Teodo-se vencido o ultimo pagamento da concor-
data do abaixo assigoado, e nao teado os seohores
credores, Franciscu Alves dePiabo, Francisco Lata
de Oliveira Azevedo, Bdoardo Ate k C- Jas
Buarque Lisboa, Joo BaptisU dos Saatoa Lite,
Aotoaio Joaqaim de Sooza Mximo, Manoel Car-
neiro Leal e Luiz Borges de Siqaeira, se apresen-
tado a reseber a importancia qoe Ihes toca sao
convidados os mesmos seohores, oa qaem legal-
meote os represente, a vlrem ruceber o qae Ihes
perteaee at o dia 28 do corrate raez, pois qoe
aquellos qae o nao lizorem al aquella data, ser
saa importaocia reeolkida a deposit pablico. Re-
cife -l de jnnho de 186C
raac-wo Antonio Correia Cardoso.
Feitor.
Precisa-se de am para um sitio pequeo port
da praca, que teja pessoa capaz e trabainador,
d-se eaaa propria e boa para atorar : aa rna No-
va n. 19, priraeiro andar.___________________
ton este systerna da pesos e medidas e al ja as
repartittojIMlanper-na fca do ainisleri_
da agricultura, commercio e obras publicas oso
comprara se nao por taes pesos e medidas. O go-
-BfW'OtjB nal pta-o aos particulares para terem
tarapode s* iostraHem, mas _avemenUB-a*_tcaba
e entw todaa seraswbngadot a regulaaraa-se por
estes pesos e medlOis o queJMamos sef Oa muita
atilidade per ser asta medida lirada da crenmfe-
ren-ia do gtofco a par coMefOinae a nica,ena e
mais exacta, Saaleate a-dirMl. eslava >eai nao
havar taes pesos laedidas, porm esse mal ]a
esta' sanado, fa' tetaos pesos e medidas tanto para
secco como para liquido, assioacomo pesos de fer-
ro de SO kilogrammas at 1|0 becto-gramma, de
lata de 000 gis-anias at aa framata, para sec-
eos desda 1|2 hectlitre al decilitro, para liquido
medidas de eslaobo desde um iitre at o decilitro,
asfim como medidas da ma>teira; para as lejas e
medidas de .ed?* ^reteatf, de 20 a 80 otaros:
o nico deposito destes pesos e medidas aa raa
Nova n. 38, aoade se veodeffi deeda ja e se rece-
bem encommendas para dentro oa fora da pro-
vrncia.
O abaixo assigoado faz pabhco pelo presente
que teodo sea finad lio Lourenco Bazerra de Si-
qaeira Cavalcaali, em margo do aouo passado, por
mera proteceo a Manoel Ignacio de Siqueira, da-
do a este o sea engenho Caxoeira do termo da Es-
cada* fara vender e com o seo producto pagar ao
abaixo assigoado, qoe Iba era dito Manoel Ignacio
devedorrsuccedea, que uo fosse realisada a veoda
daqoeUe engenho, por nella nao coovir a mnlher
do mesau tinado, mas desojando elle levar a e(-
fetto a aoaproteccao, com que doou a Manoel Ig-
nacie per am recibo que Ibe eolregou da seis ao-
mi daarwindaattt-io do eogeoho Caxoeira oa ra-
zo da 1:S'J0* total 0:000*, soraeote para o Qm de
appisea-4os-qi_-v omh tica dito, devia Manoel
Ignacio ao aaaiaa tMljido. Consta agora, que
Man I Ifaaoa, anapasaando a oatro o eageoho
Caaaetra, aMeaaaaaa.roa doada.amasatco im
daao serea appticaa aos paganaates, para
qae fra destia-4a ; e, cerno seja saaWftaate pro-
cedime-to tseos ao qoe por causa OacsoatU doa-
(o, setal se pode chamar, cooseguio Mauoel Ig-
nacio do abaixo assigoado, obleodo, pelo que era
devedor ara lelas aeocidat, _tof os prazos as que
d-.novarrrenle aceitn, declara o abaixo assigoado
para oenhecimeato dos herdeiros de seu referido
tio, sob cojo arbitrio se acba a validase de seme-1
Ihatrte doacao, que val temaros meios que julgaj
de seu diretto,ala de qoe os arren-araentos do;
engenho Casoeira aso s-jiu exirahldos para ontra
qualquer arraojo que nao aquella, segando os de-
sejos do doador, se por ventura nao fr comuna-
do por ditos herdeiros, os qoies, aso s de espe-
rar, qoe vao de encontr ao lira obre e generoso
que leve o sea finado pai, como qae vallidando-o
por meio de escriplura publica de arrendamento, |
qoe Manoel Ignacio oo tem, se.a esta obrigatria
a consecacaodaqoelleflm, visto como sera aquella I
escriplura qae deve ser firmada por todos os ber-:
deiros e pelo respectivo juiz de .robu >s, effeit al-
gum pole produzir tal recibo, enibora se diga ser
elle obligatorio aos tierdeiios e se deseja que elles
exitexa firmar a esenptura de arrendamento, per-
qu oeste caso do mete-mor gabina a pagamento
do citado recibo, dando-se pre____iva>_nle a en-
tender qae com effeUo Manoel Ignacio (causa nun
ca vista) pagara ao tinado todos os arreodaments
do eog-Bho Caxoeira adiamados111
RecifelS de junbo de 1860.
Joaquina S. Pessoa de S. Cavalcaali.
D. Mana Atexaadrina Pereira retira-se para
Franca a tratar de sua saude, levando em saa com-
panhia saa mi e saa fllha de menor idade_____
Precisa se alugar urn escravo e urna escrava
que sejam fiis: a tratar na raa do Raogel n. 21.
Offerece-.e am moco portugaez com babili-
taces aecessarias e pratica de qualquer casa de
negocio, despaeba, eabarea, desembarca, veode
assucares, embarca saceos, faz qualquer corres-
pondencia para tora, laz aaifasto de carga edes-:
carga de barca*,. eotende da esariptoraco algo- 1*0 grana* satio da ra do Imperador a. 38
om coasa: qoem de seas servi$os se qaizer utiii- No grando salo da r.ua do Imperador o. 38
sar dirija-sa a u\ Neste estjjblciraento tiram-se retratos
em todos os systesm, com asseio e promp-
PHOTOGAPUU
artstica americana
RA DO IMPERADOR N. 38.
Artista americano
Artista americano.
Artista americano.
Artista americano.
RetratosRetraaRetratos.
En poreeia_ia---P Em lencosArchrotypie.
Em vUk~Ambrotypie. *
Em metal==Daguerreotypie.
Em papel lalbotypie.
Ha paras alugar ana ama de leite e o otra
secca : na roa do Corredor do Bispo, casa aova dos
Sra. Amorlns, que flcadefraale da casa a, 12.
OUerecese ama ama para casa de pouca fa-
milia oade mocos aotteiros : a tratar aa raa da
Campia da Alegria o. 3.
lidio, desdo as nove horas da manota
at as cinco da tarde ; assim como tem
seapre a venda graado sortaento do ca-
xas finas de dirersas formas. Quadros
ovaes PasseparouU e todos os mais ob-
jectos e productos chmicas, rdativos a ar-
te e rectbldtis nltrmamerite dos melhores
fferecf-se
= Baailael- GacBo, diaactoc dos aviMahos
de pa,paJkipaao.*esp_Wivel pubjtca qt mu.-
doa seo dlfertimento da roa dos Gaararapes para,
a raa do Gas, teodo principio no dia 24, entrada foroecedores de PARS e Nova York, tendo
160 rs. de tudo, para todos es gostos e para todos
espraoaa.
Sali da raa da taperador a. 38.
Sanada raa do -aoparadar a. 3#.
GabocotMfoo fo^tlo
Conna fogido dp eellegte do Bom Conserho o
ea-n-6t-no, anUaialado, de 10 anoos de ida-
de, cabaUde Mitades, tendo om hombro derrlado
e mareas de qoetmadura oa barriga ; desconfia-se
qoe esteja acontado, pois tem sido visto comprando
compre, arinha na ribelra : quem o levar ao dito collegio
casa da na ruada Aurora a. 50, ser gratificado geoerosa
ment.
aaaacoeaa aajana pran de araaatem pan
fra desu capsiaf, dando fiador a sua coadacia :
qaem precisar anouncie por eta folha para ser
procarado.
ANA
Precisa-se de ama ama qoe cozinbe e
prefere-se qae seja de maior idade, para
duas pessoas ; a tratar oa roa da Cadeia o. 29.
INJECTION BROU
Hrsleatc- InfaUlvel e FrcM-naUTa, _b-oluu-K_io uuica que cur Km oenhum ddilite. Veu_e-se
nu p-ieipscs beUeai do mondo. (Exigir a iotiruocM do ojo). (M ano do exUtucii.) Pii. em eM
s i-teof aaao, -o-iew- njmB, ^^
Vende-se na ra Nova n. 18, pliarmaoia franceza de
P. WftUREfl & C,
PERFUMERA oa casa oger
Boulevart Sebastopol, 56 Parlz.
Dez medaftas, a condecoracao da Legin
d'boaneur e a araada reputacao que tem lhe
dado a publico, taes sao as recompensas que os
servicos prestadas a industria merecerao a
esta importante casa desde saa fn-dacao em
1004.
N'na sortiaena de mais da 500 artigas,
as pessoas elegantes escolherao es segura tes:
ROSEE DU paradis, extracto superfino
para banco.
POMMADA CEPHALIQUE contra a cal-
vicia. *
AGUA verbena para o toncado..
OXIMEL MULTIF.OK.
VINAGRE DC PLANTAS HYG1ENICAS.
nterun* virginale de beijoim.
ROSC OE LYS, verdadeira agua de
Joavanoia.
CREME LABIALE de succe de Rosas.
pommada velours para amadar a
pal,
ELIXIR OOONTOPHILE.
SABAO dedicad* as damas americana.
SABAO de bouquet de Franca.
d* de floras de alcea rosea.
> de flores printaaieras.
d* de bouqoet do outeno.
d* de perfumes exticos.
d* aurora, dedicado aos dedos car da
roa.
d* de flora das montanhas.
d* de cheiro de foins nouveaax.
d* de blueti -h-irasas.
d* de althea balsmica.
d* diapr, caixa rica, fantesia aari-
sieace.
/wLIlZAHIXr
Tinta Iiaalteravel
Para escrever
de P. IHAIBER i GV
PERNAMBVCO
Esta tinto reoommenda-se pela sua com-
posica e .fluidez cojno a mell-or e a mais
segura de todas as tintas at hoje conheci-
das. Nao ataca as pennas de ac, da at
tres excellentes copias, mesmo rcuitos das
depois de escrever, e preferivel a qual-
quer outraws tintas particularmente para
livres de commeroio, documento* a>to de
que se careca longa coiiservaca.
:
Vende-so aa tvraria franceza ra de Cresoe e rus Nora n. 48 de
Feitor.
Precta-aae oa towr asada : a tratar oa raa
da Cruz a- lt.
.los Das da Conha & C, fazem scienle ao
corpa docaasnarti-, qae aaedeiw a passetv al*
guma- teadaate a seu aataMiacmMip d roa do
Cordoniz a. lp*m uo c*o que alguem se Jol-
gae sen credor preeate snas coalas oo praio de
I Oiaa a aavda Cras o. 3, f*ra serero iinme**-
taaenw paaaa. Reeie 10 da janao de 1866.
'fteetsa-ss de aat aBuTforra ou capuva para
cosabrr e oeaprar potanaasa- de rapa wWeiro :
aa mt daijrtsliwlii,.?..____________________
Aotoaio de Farias Brandan Cor Jeiro pode ser
procai.-ada aaruada Triacheiras o. 48, das 9 ho-
ras da aaobaa as 2 da tarde.
ATTENCA.
Precisa se de 2:0005 a jaros, dando se por ga-
raniia proariadat nesta praga, assim eorao om
caixeiro portoguez para botequiui: &as .Cinco Pon-
as Da alale guernlro o. 9L_______________
Prec-sVsTde urna criada para servi-
, co de pouca fimilin: na ra Augusta n. 5,
1 primeiro an ar.
Pre.iss-stMiu.eiHa m% imm fosmtiar em
casa d rapaz sult- r> : a tratar n,i ra da Moeda
n. 29.
frapora afurar-sauavasom-B possante pro-
prifcpais iplDSeimco: na ra da Cadeia do Re-
cita a. K, tercra andar.
Amade leite.
Precisa-sede aaiaaaa de Leite; na praga do
Corpo Santo, a. 17.
O QsBagte-da e*p_*o tefls.precisao de dou
homens ntarsas dalaaaa, distes qae ha ponco
chegaram, e assim aquella, que ie julgarm desoc-
copados para o sarvico do mesmo, djrija-se ao
mesmo coilegia, ra da Glotis, a UUu com o di-
recto* ____
INJECGAO BROW.
Remedio ioatlival aa ajast.tu_is antigs
recen, Im, anteo deposito na pliarmacia
le franceza ra da Cru n. 22 e ao preco de
3*000.
aa -a-a aw --aa i-o a>
* ffo^)MMlMks (minen
a U|uitf|, m*p*
Na prara da IadpadacU o. ii 06.
Roga-se aa Sr. Antonio de Farias
Brandio Cordeiro o especial favor de de-
clarar a sus residencio e as horas que po-
der ser encontrado em casa, aflm de se Ihe
faltar a negocio de gr nde urgencia a seu
interesse.
VERDADEIRO LE ROT
de SIGNORET, Docla_r-_A- Ruo de Seine, 51, PARS.
E_-_^_______MB_-------_-_______---B-_--__
Em cada nrni, vai, entre a rolha e o papel azul
que leva o me sinote, um rotulo imprrsso ra auj-
relio com o Sello Imperial do coverno suata.
If. B. ReOMltendet urna lettra de 500 franco
-obre l'.'.rls, aceilarrl a 60 diai de viU, ao
ftt$t du alulimeiilo e du uiai.M- itoulo
OeporitO principal
lr,:iliii:.i Le Roy
mi Caza do nosso
tnico agrnte pelo
Iraill a Ssift Anto-
^l" Fr^ic : de La-
CCRBA na Baha c
nospriucipas pir>
luacrutcoi.
FERRO QUEVENNE
Approvado pela Academia de Medicina,
Auctorisado p&r circular especial de 3inisro.
0 FERRO QUEVENNE se usa em todos os ca-
sos para os quSes os -ferreos sao prescriptos; nao
las os denles ficarem pretos; hfc a prepara?.o a
mais activa, a mais agradavel e a mais econ-
mica; muitas vezes um frasco b sufficienU para
curar urna chlorosis.
A experiencia me provon que nenhuma prt-
. ^MtSn Urrea h supportada mais fcilmente
. que 0 FERRO QUEVENNE, t obictvudo as
limites de dosee muito reguladas.
Booch-BDat, Annuario ia thtrapeuHca, 1863.
O Pirro Qcitsi Tde-e em Crocos de
.lO.CBHTICL-------
Medida da due.
Deposito geral em casa de E-alla GencToli,
14, rae des Beau-Arts, em Pars, e em tedas as
boticas. Eiigir-o Suu Qut.ennt e a etrea
* Fthrict aeim.
ADYOli.lDtt \_ WRTE
0 DOi'TOa
Artstidts ef Paute Bhs hrtfns.
Temo s*_ eseriptorro de adr%ataata raa do
i o*picio a. 1. oade pode ser eonsaltado sobre
; quesle juridtcaa, dss 0 horada aaobaa as 3-da
tarde. Eucarrega-se de qualqaer cana cWel, com-
' mercial, ecclesiasitca a criuuoat, inventarios, ap-
' pellas-oes, revistas e aegaelos pelas reparligoes. Os
| oegoeos f/a da certe, alera das procoracScs, de-
I vem vir aeorapa abados das competenlas ardeos.
Ka rea da imp'ersrtrit~. 40, i* andar, preeT-
I sss da ama. ^______ _
i Precisa se de urna ama para tnaoiaaar a fa-
zer tpais algam servtey iaseraer; aa roa da Cadeia
1 n. 45, esquina da Madre d. Peo*.
>Le se no Jtomlear a ia fkarmacie.
A eiecricidade a boje empregada per todos es
medise afamados, para o tratamento de muitas
molestia-, Biesmo para as que resisten) as outras
modicaces.
A i'kxti idade produiido pela friccao ten urna
i su per orilla de incontesU vel, e a \ anta ge m de na.
i dar ab-los, e de poder ser graduada pelo doente.
A causa a mais frequente das molestias a
-estagnaca do sangue ou dos outros lquidos vl-
taes. RcsJablecendo se a ckculaca oo orga-
nisino, curacao-se as molestias.
Quando se sent al guma dor em vuelque
parte do corpo logo, e insucti vamentc, se erfrega
> o lugar endolorido com a mao, e isto allivia. IstO
explica o resultado incon testa vel que deve pro
duzir usa apparelho elctrico. Per isso temes
prazerem annunciar ao Publico queo Snr Buisson
>de Blvilliers residente, boulevart du PriBce-
Kugne, 18, em Pariz, dotou a medicina de um
>apparellio Electro Magntico, sob a forma de
i urna escova, eem o qual os doentes se podera
curar sem nehuma outra medieacao. Os mdicos
que a tem experimentado, attestsra que a
.Escota S-bctbo HAiirnoi emea. pera
curar: w EUteuiif-imoi, Tmftjm, Ctott-_
Traqueu doa membro., e d Oul _
lebr-t, SmUtm geral, -ferralgia., %
Estemos certos que fcreve cade familia possira
psta eoo qme pregara grandes serricos.
> A pedid* de muitas pessoas, o autor decido-s
.a est-hleogram deposite de sass i>wltoido
Rio de Janeiro, em cmea do Sn Duua Roirrt,
ra -- do Otuidtr, SS..
i^ltttl M rTaii.oair.
K*U!!MA
II. ftlM i ,(UIH i UWBI SI til-I
Apci inn'iiiad;. ciirp jilcno succesjso nos
liiStM". a quina Laredie .(# aU-oto
enmpleto do quina) ama prepara^ao
ecerpcioBiil, por ser privarla rl amargo
"Ia quiua, grada f_w convjunle_soesa
Mm* HMk'niiiti e aas pnladj es ruis
dclitrad *, r>! ivew e umi**.. flrr.e n^m winr+t
tinoes, '!!.lo de una limpulc. coiulante.
Kuiprga se om mullir pmveito nos casos
.d-_>.u-ln. --(~*, o+emlaf*'**'
mn+, anauMao, ..nUi.t. -,
f_jto,r^oyJ.n|)u- fe o e*pef.ilii:'> *1a> mol^tia- frbrby
QUlaA LA&iO. FSaWJSUtM
tMlind* \ti M ftantni" i'M ii Itiu.
. .KMsfaPISv
4. mtttrvam.
p. TffnrrM- & c.
ra Nova n. 18
r

14I\11U)
i
Prntoa.* aa aiaaaf qt
aii-------------------------
ir
praii
SO,.
alO|
- Jtairtaii-aioiiniiiki ira si .agamriz o.
paaaa-se d> aaVfro psra<.serfae
lenlu bastante
aa ra
para
jmmmtmmm
m, iruP


HMMDH
Diarlo de feraamftawo sexta lelra de^Jmoho de 1866.
Irritado dos pulmoer. angi-
nas, tosse, escarros 4e
sangue, erupo ou garro-
tilho, catarro, rouquido
e todas as innumeravei molestias que affeo
ao aos orgSos da respirado
DE8IPPARECEM
ediante a aceito da balsmica e irrev
ANACAHUITA
PEITORAL de KEMP.
a anacahuite mexicana que d o nome es-
pecial este incomparavel remedio, e urna
arvore, cuja madeira por muito tempo se
ba usado do Tava pico para a cara das <;n-
fermidades cima mencionadas. Foi tam-
bem ensaiada e approvada pela academia
medica deBerlim O pe toral deKemp
um xarope delicioso iuteiramenle livre de
opio, acido hydrocyanico e outros ingre-
dientes nocivos.
A' venda as drogaras de Caors & Bar-
boza, Bravo 4C. eemtodososestabeleci-
mentos pharmaceuticos do imperio.
Deposito geral em Pernaniooco ra da
Cruz n.22 em casa de Canos

MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fego em edificios, mercadorias emobilias :
na ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Em casa de Teod Christiansen, rna do Tra
piche-novo d. 16, nico geme no norte do Brasil
de Brandeoburg frres, Bordeani, encentra se ef-
fectivamente deposito dos artigos seguales;
St. Julien.
St. Pierre.
Larose.
Cliaieau Loville.
Chateau Uargaux.
Graud vin Cbatean Latitte 1858.
Chateau LaQtte.
Haut Santernes.
Chatean Santernes.
Chateau Lataur Blanche.
Chateau Yquem.
Cognac em tres qualidades.
Azeite doce. Precos de Bordeaux.
Recebemse para eaixeiros de urna loja dous
meninos nacionaes que teobam boa conducta : na
ra .Nova n. 7.
Roupa engonimada,
Na na de Acollo n. 37, loja, engomraa-se com
perfelco a preco commodo.
A Salsaparilha
DE -A.YER.
Para a cura radical ele
Escrfulas, ulceras, chagas, fer-
elas velhas, molestias syphil-
iticas, e mercoriaes, Enermi-
dades das mtilhn.., m ts-
tencto, menstro doloroso, ulcsr-
acao do tero, e flores brancas.
A Nevralgia, Convulses, Ery-
sipelas, Enfermidades Cutneas,
borbulhas, nascidas, etc.
O extracto romposlo dr> SALSAPARILHA, confeccion-
ado pelo Dr. AYEIt, i lima combinado dos melhores depura-
tivos c ulterantes couliecidos medicina; composto segundo
s leiB da Bolencia, approvado c reeditado pelos primeiros
mdicos dos Estados Unidos, da America do Sul, do Mxico,
la Indias c dos principies Estados da Europa.
A SALSAPARILHA de AYER i especialmente efficaz na
cura das molestias que tora sua origem na escrfula, na
infeceto veneren, no uso excesslvo do mercurio ou em qualqaer
Impueza do Bangoe.
Entre todas as molestias que aftligcm o genero humano, no
Jia urna mais universal e terrivei do que a escrfula por si
nao to destructiva, porem a causa principal de multas en-
ormidades que nao Ihe sao feralmente attribuidaa.
E urna causa directa da (lea pulmonar de nuil do
finado, e estomago, affcapes do cerebro, Sheumatlsmo
uffrrroc* dos Rlns : entre seos sy-mptomas ha os seguintes;
Kalta de apetito, Fraqueza e moleza em todo corpo; Mo
rlieiro da boca, semblante plido e incluido, s vezes d'uma
airara transparente, outros rezes corado e amarcllo ao redor
la boca; Dlgcto fraea e apetito Irregular; Ventee incitado
evacuaco irregular; Quando ataca os pulmoes urna c8r
azulada, raostra-se a roda dos ollios, quando no estomago
Rio avermclha dos, Na pessoas de disposieo escrofulosa
npparecem frequentemente erupqStl na pule da cabeea e outeas
partes do corpo ; sao predisponas as afecraes dos pulmla, do
futalo, dos rM e dos orges digestiros e uterinos. Portante,
nao sao somente aqueUes qne padecer das formas ulcerosas
tuberculosas da escrfula que ncccssiim de protercio
contra os seas estragos ; todos aqacUes em cajo sangue existe
" \ uns latente deste terrivei flagello (e reces hereditario),
esto xpu.-t.t, tambera a sourer das enfirmidadas que elle
causa.
iiiiti ci-mos a estas pessoas um abrigo seguro e um anti-
loto eflicaz contra esta molestia e suas conseqUenolas, na
Salsaparilha de Ayer
>'' opera directamente sobre o aangue, pvrificando-o e ex*
ImIkiumIo delle a cormpcao e o veneno da molestia: penetra
i i. as partes e todos oh orgos do corpo humano, l.vrando-
os da sua aeco viciada e lnnpirando-Ilie* novo rigor. K'um
iiltfnnttc poderosff simo para a reaovaeao do sangue, e di ao
r-orpo ja cufraquecldo pela doenca forca e energa renovadas
cuino ss da juventud*.
/: TAMBEM O MEKHOR AJfTI-STPHLLITICO
COXBECIDQ; 0
cura permaneamente aa pelores formas de 8YPHILTS e as
Kuas coaet^quendae. I'ouca neccsRfdade ha de Informar o pub-
lico do inrtimftvfl valor de um remedio qne, come este, fivra
o unjrue densa corrupeo e arrebata a victima das garras de
urna morte lenta e ignominiosa, porm inevitavel se o mal
nao logo combatido com energa.
Nao pretendemos promulgar, nem queremos qne se infira
< este remedio infalivel para a cura de todos os padec-
iiuntos humanos, o que dlzemos e que a
Salsaparilha de Ayer
t u melkor preparaco at boje descoberta para estas e outros
molestias anlogas, que urna combinacao dos alterantes
mais enlcazes conheeidos, e que temes consciencia de Merecer
ao publico o mclhor resultado que possivel produzir, da
iutelllgencia e pericia medios des nossos tempos,
XAROPE
peitoral e duleifleant
DI
SAINT GEORGES
Preparado por
tisUMAULT e C'"
-. phairsaiiutlcoi de S. A. L
o principe Napelste _
Cura rpida de las
molestias seguentes :
tone, catarrhos, pleu-
resa, coqueluche, an-
ginas, forte conttipa-
cSet, irritafSes dos
tronchos e do peot
bronchite,phticapul-
' monar, astma, pneu-
monia,anginas,amyg-
"dalites, tossechroniea,
rouquidao. Os mdicos Becomaiendo ao mesmo
tempo o uso das cxcel lentes pactilhas peito-
rasa com e sueco d'aKace o laureiro-
ownjjo, que se prepaio no masmo esubela-
cinwnto.
di Maurer e A.
vsoda as pharmajias
CaofS.
Casa Je comaissao ie escraog na na da Impe-
rador n. .la. lerceiro andar.
Reheliem -se esclavos tanto do mato como da
praca para s%rem vendidos por commistao, affian-
ca se o bom traiameoio e seguraoca paca os mea-
mos. O abaixo assigaado nao poupa esforcos aflm
de os vender com promplido, nesta mesma casa
ba sempre pan vender estravos da ambos os sexos.
Antonio Jos V. de Snuxa.
mmmm mmm mmm mmmm
i CASA DE BAiMIOS
26 Patee da Carmo 26.
Nesteestabeleemento to impor-
tante para a saude-e asseio do cor-
po, acham-se montados 20 banhei-
ros, que sao servidos com a ordem
e asseio que para desejar-se. Qua-
tro destes banheires sao especial-
| mente reservados para senhoras e ,
i por isto acham-se coilocados em lu-
; gar reservado, aonde s tem entra-
! da as pessoas de urna mesma fami-
lia.
! PRESOS DE BANHOS AVLSOS.
1 banbo fri, momo ou de
chovisoo...... 500 i
1 dito de choque .... 1^000
1 dito de farello.. .... 1)5000
I dito aromalisado 10000
PRESOS POR ASSIGNATURA.
30 banbos por mez fri,
momo ou decuovisco.. iO000
22 banhos com cartues pa-
ra os mesmos .... O^OOO
12 ditos ditos ditos o000
12 ditos ditos de choque. 1O0OOO
12 ditos ditos de farello.. 104000
0 estabelecimento estar aberto
nos das uteis das 6 horas 4a ma-
nhaa as 10 da noite, nos dias san-
tificados das 5 as 5 horas da tardo.
CALCADO.
45 fm Direita45
A .primeira condicio indispenrjavet con-
sevaco da sade trasver oe ps bem de-
fendidos contra os ataques da homidade;
calcado bom e seguro o muco preserva-
tivo dessas mil enfermedades a que est so-
jeito o nosso-7-en. Um cbmelo velho cal-
cado por um daody patuscante, ou urna
I botina acalcanhada em peqoenina;p de en-
cantadora deidade alem de aecusar que-
I bradeira horripilante, prova contra as acui-
dades intellectuaes dos calcantes, e nao ha
i quera, tendo bom senso, queira .passar por
i matuee, ou pobre de surraa : rgo, cor-
ram a :
4*RA OlHElTAat
e .attendam a' barateza.
Homens.
Bonegoins jtaifiellonezes de lus-
tre e
Ortos de Bo
Ditas parisienses
Sapatos de lona, sola de borra-
cha. > _
Ditos aveludados .
Ditos de tranca bons .
Seniora
Borcegun enfeitadoss. .
Ditos de laco ^ ?
Ditos lisos 800
Sapatos de borracha ..... 4#ti00
Selleiros, corrieiros e segeirosl
Sola de lustre, meios grandes O^OOO
E um completo sortimeoto de calcado fa-
brcado no paiz.
bezerro e

*
6^000
7<000
85000
2000
1,5600
4^600
36000
40800
Samoel Power Johusloi CoHi^uliia
Ra da -enzaia Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fundido de I,ow Moer.
Machinas a vapor de 4 e 6 cava I los,
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coade e batido paraenge-
nho,
Arreios d carro para nm e dous cavslloa.
jRelogios de onro patente inglez.
Aradus americanos.
Machinas para descarocar algedo.
i Motores para ditos.
I Machinas de costura.
mm ******** ****
g Companhia fidelidade de seguros ^
martimos e terrestres xm
estabelecida no Rio de Janeiro.
AfiKNTsU EM PEHNAMBCO
I Antonio Luii 4e Oliveira Atevedo i C,
competentemente atrtorlsados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam segaros de navios, mercado-
ras e predios no sen eseriptorio ra da a
Crui d. i. m
A NACIONAL
(>Hii)aibu gertl hespanhola de seguros mutuos
sotoe a vida
AUTOlirSADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Cea fiairca em diaheire, depositado nos cofres do estado, garante a boa ad-
inistraeao Ha companhia.
BAN0HR8S DA COMPANHIA % MRECCAO GERAL
O Banco de Hespaaha | Madrid: Hua do Prado n. I
Betacompaotria liga pelo systema mctr.o todas as combinacoes de supervivencia dos sega'
o sobre a rtcla.
Nella pode se lser a subscripto dananeira qne em nenbum caso mesmo por morte do
segarado e perca, o Sao-tao supretendentes os resaltados qne produzem as sociedades da ndole deA NACIO-
At,que atada -mesmo dimlnaindo urna ter^a parte do interesse produiido em recentes liquida-
Joaaecorbia.ild-ooai a mortalidade da tabella de Depareieu que adoptada pela companhia
r?.rw?Sa*'c*lculo&e l'quila?oes, em seguradas de idade de 3 ai9 annos, ama imposlcao annoa.
lOOf produaom efectivo metlico:
No nm de 5 annos.......1:119*1300
de 10........ 3:942*600
' d 15........11:208*200
de 20 s.......30:256*000
__ -.: de 25 .......80:331*000
Kas idadee menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospct)s-e mais informacSes serio prestadas pelo snb-director nesta provincia,
im Fiuza ne-Sliveira, ruadaCadeia n. 82, ou a Boa-Vista ra da Imperatrix n. 12, estabelc
ment dos Srs. Ray mundo, Carlos.Leite & Irmao.
.___________________________._________________________________________________
A. JOREZ
FUNDIDOR E TORNEIRO
BU
Ra da Matriz da Boa Vista n. 36,
r_f
Na ra do Crespo o. 18, segundo andar, pre-
cisase de urna ama de leite._______________
Precisa se alugar urna escrava idosa para
servir de ama secca a urna menina : na roa do
Imperador n. 27.
Fogo fogo
Precisa-se de urna ama
Verdes n. 70.____________
Na roa da Unlo
boa engommadeira
na ra de Aguas
n. 40 precisa-se de urna
Valdivino da plvora com fabrica de fogo artifi-
cial na i lia do Maroim, se acha com purcao de
fogos do ar de i' sorte ja postos as Cetas, a espe-
ra de festejar os dias qne tiver noticias de qualquer
triumpho dasnosas armas dentro doHurnait; todo
aquello que tiver a mesma satisfacao dirija-se ao
armazem de sal da roa Imperial n. 221 poacoalm
da fabrica de sabo.
KM
AO GRANDE S MAURICIO ,
PRO_2S$0$ APERFEI()OAE0
'Ungir. I impar e lustrar a vapor.
F. A. SALINgRE & C.
29 Ra 7 de setembro 29
Defronte da rna nva do Onvidor (Rio de Janeiro)
Os proprielarios deste estabelecimento, o primeiro no sen genero no Brasil, por
trabalhar com as machinas mais aperfeicoadas para Ungir e lustrar, de que se faz uso na
Europa, e ajudados por alguns dos melhores officiaes de Paris e Ly3o, podem assegn-
rar sens freguezes urna perfei;o no trabalho, a qual senao pode chegar pelos proces-
o ordinarios.
Tingem, lavara, lirapam e demofam com a mai r perfeic5o e brevidade qualquer
qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem molhar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de homens.


Venderse um torno obra prima e todo no-
vo proprio pora tornear metaes e madeira
tendo dito torno cinco qualidades de rosca
dffereotes para fazer parafusbs com a pon-
ta e a espera affeicao do T, vende-se igual-
mente um rewolver feito nesta ppaea por
um dos mais peritos artistas: para ver e
tratar dirija-se ra na matriz da Boa-Vis-
ta casa n. 36.
O Or. Miguel Joaquim de Castro Mas-
carenhas mudoa a sua residencia da roa
do Sol para a da Inperalriz b. 88, entra-
da pela ra do Hospicio, onde continua
no exercielo de sua proflfso. O mesmo
Dr., qne se tem dado com solicitude ao
estudo e pratica das molestias de ntero e 2jC
de meninos, d consalta gratis aos pobres m
das 9 horas as 10 da manlia.
Precisase alagar ama escrava qne tenba
boa conducta e sem vicio, qne saja boa engom-
madeira: na roa das Cruzesn. 36, primeiro aa-
dar, paga-se bom ordenado._______
Ama para casa
Precisa-se de urna ama para lavar, engomaar e
coser para duas pessoas : a tratar na roa de A-
pollo n. 9.
m
Si __
Vndese na abobada da Pelia 37, macas pa-
ra bolos preparadas com ronita perfeico e asseio
Aluga oe a parte de urna casa : na
ra das Aguas Verdes n. 92.
Saques
Sobre o Porto e Lisboa: a tratar com
Garvamo dr Nogoeira na ra do Apollo nu-
mero 20.
Ittenc
el
h
COZIMIEIRO
Precisa-se de ora cozinheiro ; na ra do Crespo,
: esquina n. 8.
Precisa se alugar urna ama que saiba cczi-
nhar e fazer o mais servlco de dentro de casa de
pequea familia; na ruadas Cruzes em Santo An
ionio n. 41, 2 andar.__________
Agencia de passaporte e por-
tarla.
Claudino do Reg Lima, despachante de passa-
1 porle e portaras, jraiis_jiaia-taiuro --lrsrdtrj
imperto; rmrHnimoo prejo e presteza ; na ra |
da Praia n. 47, Io andar.
Precisa-se de urna ama
n. 3o.
DEPOSITO DE CALCADO
FABRICADO NA CASA DE DETENClO
Roa Nova n. i.
Ah se encontraro obras Je di-
0 abaixo assignado participa ao respeitavel pu-
blico que na noite de 18 do crreme das 9 para
as 10 horas da noite, desapparecen de sen estabe-
lecimento da roa da Prala n. 37, o sen ra-xeiro de
menor idade Francisco Xavier da Silva, e qne nao
se responsabilisa por qaalquer cobraBca ou debito
que o mesmo faca.
___ Jos do Reg Mello.
Na roa do Rosario da freguetia da Boa-Vis-
ta o. 34, ha urna pessoa habilitada para cobrar
qualquer divida tanto amigavel como judicial, fa-
zendo despezas a soa custa conforme tratarem :
i quem de seu prestimo se quizer utilisar dirija-se
a roa cima mencionada que ah achara cem
quem tratar sendo das 8 horas da manhaa as 4 da
I tarde, o aaounciante d fiaoca a sua conducta.
LOJA DA FRAGATA AMAZONAS i
r. 5 Kua do Queimade n, 5.
I Monteiro Guimaraes, participam a todos os seus amigos e freguezes, que recebem
* y,?rs.as qualidades, e por preco mm^Sdecontapropria por todos i s vapores da Europa, grande e variadissimo soi tmenlo de
\m j'minut08;a re^lh1 .e em Porcoes. II objectos de ata novidade, e bem assim adornos proprios para casamentes, pois que stus
S se vende a dinheiro.
iBKffS*
na ra das cruzes
XAROPE
D'HYPOPHOSPHITO DE CAL
de GRIMADLT e C"
Pharmaceuticos deS. A. I. o Principe Napoleao
em Paris.
Desde muitos seculos os mdicos c os chmeos
tinho procurado um medicamento que podesse
curar as molestias de pcilo; todas as equizas
feitas athe hoje niio tinhao tido nenbum resultado.
Prcm os trabalhos que toro communicados
ltimamente Academia de Medicina de Paris, e
as mais serias experiencias l'eitas no hospital
Bronipton de Londres, que 6 especialmente reser-
vado para o tratamento da tsica, provarao que
essa terrivei molestia, quando ella no estiva
simia no scu ultimo grao, tinha no Xarope il'lly-
pophosphito de Cal, um especifico poderoso. As
tosses, defluxos, catarrhos, bronchitis, grippa e
coqueluche, cedem tambem rpidamente ao uso
d'cste Xarope, e os asthmaticos achao n'elle um
elemento certo para curarem-se.
Recommeuda-se aos doenles de fazerem uso ao
mesmo tempo das deliciosas pastilhas peiloraes
ao sueco de alface e de louro cereja, dos S'** Gri-
Mault E C". Esta excellenlc preparacSosc compoe
de duas substancias as mais calmantes e ao
mesmo tempo as mais inofensivas da materia
medica, e nao contem opio.
Deposito as pliarmacias de P. Maurer .&
C. e A. Caors, em Pernambuco.________
Arrenda se um sitio no lugar da Piran-
ga, com trras de plantar epaslo, e varias
arvores de fructo; na ra do Imperador es-
criptorio:n. i2.____________
. Precisa-se fallar com o Sr. Antonio de Al-
melda Oliveira : na roa da Cruz c. 23, primeiro
andar.___________________________
Na praca da Independencia n. 33,' loja de
onrives. compra--e ouro, prata, e pedras preciosas,
I e tambem se faz qualquer obra de encommenda, e
; lodo e qualquer concert.
Trocan-se notas do banco do~Brasil das
(caixas flliaes com descont razoavel : na praca da
ndependencia n. 22.
logomina se
com asseio, proraptidaoe preces razoaveis : na rna
Augusta n.5, loja. "______
._ proprios para casamentos, pois que
correspondentes de Hamburgo, Paris e Londres, na esclha de taes mercadorias tem
merecido approvaco das encantadoras Pernambucanas.
A Fragata acaba de receber pelo ultimo vapor grande variedades de sedas de todas
as cores e qualidades, tambem recebe por todos os vapores lavas de pellica, (do afamado
Jouvn) saias de 15a com barras colloridas de grande novfdade na Europa, vestidos de
granadinabordadosa agulha, e de graede ton, ditos de popelina muito chiques, ditos
de esmeraldine (gostos novos,) riqoissimos cortinados bordados a ponto de crochet, ro-
tondas de seda, ditas de linho, ditas de algodao, chales de guipour de seda, e de al-
godao, peotes para cok, (de phantasia) enfeites para ditos, manguitos bordados e
gollinhas, camisinhas ditas, transparentes para janellas com mui lindas paisagem, pre-
cales deapuradissimis gostos e padroes, chapeos de palha enfeitados pelas melhores flo-
ristas de Paris, entremeios bordados finos de differentes larguras, riquissimos cintos
bordados com figuras chinezas, (bordado na mesma fila) baldes de basteas d'aco ameri-
canos, dittos de musselina, tapete para guarnico de salas padroes muito bellos, chapeos
de sol de seda para senhoras, ditos para hornera, enfeites imperatriz Eugenia, ditos
Mara Pia, cestinhas com todos os pertences para meninos de escolla, saias bordadas
taes e pelas academias a todos os ferruginosos Para senhoras, gollinhas bordadas (gosto novo) chitas escuras e claras, imdapoloes, cam-
braia de cor, dilas pretas, bolsas de tapete paraviagem, ditas de vaquetas para guardar
dinheiro, e outras muitas fazendas que e vendem por menos preco que em outro qualquer
estabelecimento.
Sobretodos de duas vistas prova d'agoa.
Riquissimas fivellas de chrystal para cintos.
Meios aderecos de chrystal (novidade.)
Cintos muitos ricos, etc.
Perneiras de guthaperche para chuva.
PHOSPHATOdeFERRO
[DE LERAS DOUTOtEM. SMCIASJ
INSPECTOR DAACADMIADEPARIZt
Nao existe medicamento ferruginoso to notavel
como o Phosphato de ferro de Leras; as summi-
dades medcaos de mundo inteiro adoptaram-no
com sollcitude sem igual nos annaes da sciencia.
As cores paludas, dores de estomago, digestSes
penosas, anemia, convalescencias difficis, idade
critica as senhoras, irregularidade no mens-
truacio, pobresa do sangue, lymphatismo, sao
curados rpidamente ou modificados por esse
excellente composto. E' o conservador por excel-
lencia da saude, e declarado superior nos hospi-
RENEDIO DE AYER PARA SEZES
Infali-el as febres intermittontes, remitientes.
Febres Biliosas e tercas, mal do figade, in-
cremento do baso, cegueira. Dor nos
ouridos e pslpits^oes, quando
sio cansados palas
FEBRES INTERMITENTES, OU REMITENTES.
As prepar_;5es de Dii. Aeb sao rendidas em todas as
Boticas e Droguiu do Imperio.
vende-se em Pernambuco:
na
88*
i*
PHARMACIE FRANCAISE
deRMADRERCLe
RA NOVA ii:IEI
Joao Baptista Gomes Peona tendo disposto de
sea estabelecimento de naolbados na rna do Impe-
rador, modon sen eseriptorio de commissoes e
consignacoes para a casa da ra do Crespo n. 18,
primeiro andar, onde poderji ser encontrado das 9
horas do da as 3 da tarde._________>_________
Precisa-se alagar um escravo e urna escrava
qne sejam Bel ; a tratar na ra do ltangel n. 24.
Aloga-se a casa defronte da fgreja de S. Jos
do Mangoiobo n. 24, com nm bom qolnial e caelm-
i ba : a tratar na ra da Madre de Dos n. 14.
Joo Pereira Goncalves tu scieote ao respei-
tavel pnblico ecotn especialidade ao corpo do com-
mercio, qqe venden ao Sr. Custodio Alves Rodri-
gue da Gesta asna taberna sita na rna do Cama-
rio o. 13, livre e desembarazada de dbitos e de
qualquer onus; e porque, tenba de retirar-se para
tratar de sua saude, raga a qaim se julgar sea
r.redor ibe aprsenle soa conta no praao de Ires
das pura er paga.__________^^^^^^ '
_ O 8r. JoSo da Costa Mello Jera ama caria na
: praca da lo tependeneia n. 13 e 15,
conheeidos, a iodoreto e ao curato de ferro,
jorque o nico que convem aos estmagos de-
icados, que n8o provoca constipacSo, o nico
tambem que nao ennegrece a bocea e os dentes.
A venda as pbarmacias de P. Maurer A
C. e A. Caors, em Pernambnco._________
Quem precisar de ama ama para casa de
pouca familia para o servico interior dirija-se a
ra do Apollo n. 37, loja, que encontrara' com
qoem tratar.________,____________________
Obras do Dr. Chernoviz
Formulario ou guia medica
que conim a descripcao de lodos os medicamen
tos, com 194 Bgoras.no texto; stimaedicao, 1865,
1 vol. encaderoado de 838 paginas. Preco 6
Dieeionaria de medicina papular
i que conim, o'ama lioguagem vulgar e clara, os
sigoaes, causas e tratamealo das molestias; os
soccorros que se devem prestar nos accidentes
graves e sbitos, como aos afogados, asphyxiados,
ahombrados de raio, as pessoas mordidas por co-
bras venenosas ou caes da ainados; as plantas
uteis e venenosas, Indgenas do Brasil e exticas ;
a preparaco dos remedios caseiros, etc.: terceira
edicao, 1862, 3 vols., encadernados, com 231 liga-
ras no texto. Preco 20*V
Histeria natural recreativa
para os meninos e meninas de 7 a 15 annos, ou
conversaco de um pai com seas Blbos acerca de
mallos animaos e vegetaes, 1 vol. elegantemente
encaderoado, de 176 paginas, com 154 figuras no
texto, 1862. Preco 4
lodo de conheeer a idade do eavallo
do barro, das bostas muars, do boi, de cameiro e
do porco. Brochara de 32 paginas, com 52 figu-;
ras no texio, 1866. Preco lf. >
Vendem-se a ras do Crespo n.
LIVRABIA FRANCEZA.
abaixo assignado tendo ba dias comprado a
Francisco de Carvalboe Souza um sen escravoea-!
bra aeaboclado de oome Ambrozio, este Ibe desap-
parecera na tarde do dia 19 do corrale mex, con-
juntamente com o dito sen ex-senhor e descon-
fia-se que embarcara nessa mesma tarde para
provincia do Para no vapor que d'aqui partir
annnnciaote protesta contra o referido Francisco
de Carvalho e Souza pela faga ou desaparec
ment do dito escravo, tanto mala quaoto elle an-
naociante spndo sea legitimo senhor tura com in-
do peo hora do pelo Dr. Deodoro Ulpiano Coelho Ca-
tanho, na suposico de aioda e-se escravo penen-
cer ao predi lo Francisco de Carvalho e Sonta, e
do qual escravo elle aoranciante havia assignado
o deposito. Hecife 20 de junho de 1866.
Bernirdino Jos da Silva.
' Joao Jos da Silva Guimaraes, natu-
ral de S. Luiz provincia do Maranbao, e
membro da Arma Daniel, GaimarSes & C

DE


J.
Jo5o da Silva Ramos, medico
pela universidade de Coimbra, d i
consultas em sua casa das 9 as j
11 horas da manhaa, e das 4 as 6 I
da tarde. Visita os doentes em suasfi
casas regularmente as horas para \
isso designadas, salvo os casos ar- )j
gentes, qae: serlo soccorridos em
qualquer occasiao. D consultas aos
pobres que o procurarem no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
manhaa,
Tem sua casa de saude regular-
mente montada para receber qual-
quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e nella pratica qualquer
opperac5o cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe. .3$000 diarios.
Segunda dita____36500
I Terceira dita .20000 >
Este estabelecimento j bem
I acreditado pelos bons servicos que
| tem prestado.
I O proprietario espera que elle
j continu a merecer a confianca de
^que sempre tem gozado.
Grande hotel Traviata
0 proprietario deste estabelecimento participa
ao respeitavel publico que acaba de reformar o
seu hotel de modo a ofTerecer aos seas freguezes
excellentes commodidades, boa e asselada comida,
del i caaos vin nos e magnficos buhares por preco
commodo. O servlco feito com regulandade e
promptido urna prova de que o proprietario do
hotel Traviata muito se empenba em agradar aos
seus freguezes.
Este hotel, situado na roa do Rosario larga n.
37, no bairro de Santo Antonio sem duvida o
mais central e como tal o que proporciona uiais
vanlagens.
o V>
mu uumn mum
Para a loja da roa do Crespo m. 17.
Padroes lindissimos e o sou preco de 750 rs. o covado ou 1*5280 rs. a vara.
A el les Excellcntissinias antes qae se araben.
%
DO
DR. SE VIAL.
Para o tratamento e cura rpida e completa das molestias syf
PAPIS PINTADOS
Sortimento de papis pintados e
lindas guarnicoes para forrar casas.
NvLIVRARIA FRANCEZA.
N. 9. Ra do Crespo N. 9.
Ama
Precisase de duas amas ama para cosinhar e
ontra para engommar : na praca da Boa-Vista se-
gando aadar, por cima da botica qae faz esquina
com ra do Aragao.
DE
VIGNES.
S. 55. RA DO IMPERADOR 55.
Os pianos danta antiga fabrica sio boje asss conheeidos para qae seja necessario insistir sobre a
toa snperioridade, vantagens e garantas que offerecera aos compradores, qualidades estas incontesta-
eis que elles tem deflnitivamente conquistado sobre todos os qae tem apparecido nesta praca ; pos-
nindo nm teclado e machmismo qne obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
onnea falbar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos Importan-
tissimos para o clima deste pala ; quaoto s vozes, sao melodiosas e flautadas, e por isao muito agrada-
reis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, Unto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
aorrespondente de J. Vignes, em caja capital foram sempre premiados em todas as etposiedes.
No mesmo estabelecimento se achara sempre nm esplendido e variado sortimento de msicas dos
ttibores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo todo vendido por
precos commodos e razoa veis.
Precisa-se alagar orna casa terrea as roas
seguintes: Cinco Ponas, Concordia, camboa do
Carmo e roa Angosta ; a tratar na ra do Rangel
bamero 9.
O Dr. Carollno Francisco de Lima San-
tos contina a morar na rna do Impera-
dor n. 17, segando andar, tendo alias sen
gabinete de consultas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
m O mesmo dontor, qne se tem dado ao
estudo tanto das operacoes como das mo-
lestias internas, prestase a qualqaer cha-
mado, qner para dentro quer para fura
da cidade.
B m mmmmmm wmmm
-* Predsa-ss alagar nm preto qae saibi rozi-
nhar, para casa de pequea familia ; quem tiver
e queira alagar, dirija-se a roa da Cadea, 3* an-
eriSVDe- J>r'00 attot|ncie para ser procurado.
las, rbeumatiamo, bobas, goUdrtilidade do.estomago, iofiammacoes el, rbnicas do figado1^"^^V^^^t^^b
e naco, dores sciaticas, ceghaMgias, nevralgia, ulceras chronicas, hydropesias, pleuri- nbora ^ praieres em Mat^io quem se achar
m
em liqaidaca'j nesta praca, tendo mudado I sias, gonorrheas chria^aiJsA'ge al todas as molestias em que se tenha em vista a pu- nesus condiccCes qaeira apparecer na loja n. 2 no
rificacSo do systema sanguieo.
sua residencia para a provincia das Ala-
goas e em virtude dj t( tencontrado all
pessoa de igual mijrsttera, tem resolvido
da data de 15 do corfeflti mez em diante
assignar-se.
JoSo farcond GoimarJes.
Pernambuco 0 d johno de'T8^6.
laico deposito em Pernambuco
Na botica e drogara
DE
Baro/iomeo Companhia.
34-RUA DO ROSARIO LARGA3
largO-da matriz de Santo Antonio.
Precisa-se de amassadores : na padaria da
rna larga do Rosario o. 16.
Manoel Fraaasao Muinoa subdito bea^aatiol,
retira se para Porto-Alegre provincia do Rio Gra-
de do Sol, levando em soa companhia sua fllha
uunor Emilia Hermelioda Muinos, tambem hespa-
nbo'a.


\\

I
\

PIP
m



Diarlo de rer_.an.lmco Sexta feira tt de lunho de 1866.
---------

FABRIC4
N 410 N4L
.
DE
YlftltOS
. Attengo.
Precisa-se lagar um preto escravo oa forro pu-
ra o servigo interno e externo de ama casa : na
ra dos-Piras n. 41, se dir qoem precita.
Livraraeoto
Srecisa-se de una ama
D.14.
1
_a ra do
E' baratissimo!
E' baratissimo!
E' baratissimo!
Neste importante tabelecimenW'aneoiitra o res- franceIa,
COMPRAS
Estabelciment na ra da Unio n. 11
PROPIETARIO HAROEL LOHBOS.
No deposito, roa do Carmo o. 63, existe um grande soriimento de vidros e crystaes que se
veneem por presos mais baratos do que em qualquer parte : frascos de 1 al 8 libras, bocea larga e
bocea estreita ? copos de 6 cortes, de mela oitava al rneio qoartilho ; ditos de 10 cortes, de os. 1 e 2 ;
globo para lampeos de kerosene, lavrados, lapidados e foseados ; ditos para candielro de gai; iam-
peoes de kerosene grandes e pequeos, lamperinas de metal; vasos para confeitaria com p e sem
elle, grandes e pequeos ; chmines para Iampe5es de kerosene de todas as dlmensoes; compoteiras
moladas de cortes largos, escarradeiras de cores para saJao, ditas de mo com aza, pequeas ; vento-
ata e btctieiros, calixes moldados, copos lisos para agua e vinho, pratos moldados, redomas, garrafas
para wnho e agua, grandes e pequeas, ditas para Leroy, ditas para licores, ditas para minas, ditas
pare agua de Colonia, ps para planos, brancos e de cores -, tobos para machinas a vapor, de erystai ;
tobos com guarnicao de metal amarello, mantegoeiras de vidro, vidros avnlsos para galheteiros lapi-
o*os, vidros para lampadas de igreja, galheus para missa, ditas para galneteros, mangas para cas-
caes lisas, lvradas e lapidadas s lampeSees de pareos para kerosene, ditos de pendurar; copos gra-
duados de 1 ate 16 oncas para pharmacia, garanlindo-se a exactido da medida ; vidros para peixes
coa p e sem elle, ccenas para castgaes, ehamiitfs para lampeos de aceite, ditas de cores para Illa-
raioagoes, vipros para agua forte com rolba. Compram-se vidros e eryataes quebrados.
O deposito desta fabrica em Pernambuco na ra da Imperatrlc n. IV, onde existe constante-
mente eharains para candleiro a gaz de ns. 2 e 3 a 330 rs. e de n. 1 a 400 rs., lamparinas completas
a 24, lampees completos i7iiq, escarradeiras de cores a 24800 o par, pratos para copos dagna a
500 rs., copos de dec cortes a 600 rs., globos lapidados e lavrados para candlerros a gaz a 14000. O
proprietario deste novo estabelsciraenlo convida ao respeitavel'poblico para que visitera o mesmo, cor-
tos de que comprarap -os artigos indlspensaveis a orna casa de familia pela sua bartela e ntilldade,
principalmente aos Srs. pharmaeeotlcos peta grande quanlidade de Irascos e vidros proprios de pbar-
toacia. Tambera recebe encommendas. O encarregado rto proprietario Joo Luiz Encreunaz.
Compr;
a-se
urna escrava que seja boa figura e que siba bem
tngommar, nao excedendo de 25 aonos de idade,
e paga-se bem : no escriptorio de Vicente Ferret-
ra da Costa & Filbo, ra da Senzala n. 138, on em
seu armazem junto ao arco da Conceicao._______
Compra-fe ama secretarla de Jacaranda
mogno, on de arriarello, na roa Nova n. 7.______
Ouro e prata.
Km obras velhas : compra-se na praga da In
dependencio n. 22. loja de bilhetes.
Compra-se nma barra de ferro, ingleza on
mesmo das antigs; na roa Nova n. 31.
Compra-se onro, prata e pedras preciosa
em obras velhas : na roa da Cadeia do Recife
cja de ourives no arc da Conceicao.
Compra-se na olaria n. 13 na ra do Honde-
go, cinco travs de 25 palmos de comprimento e
palmo em quadro, de qualidade. __________
Comprara-se libras sterliuas : na praga da
Independencia n. 22.
Compram-se daae soleiras de cantarla, de
Lisboa -. na roa da Imperatriz u. 12, 2 andar.
VENDAS
peiiavel pnblico um variado sor Omento de fazen-
das francezas, ioglezas esuissas.eas quaes se ven-
der por prego commedo a saber:
Chales de renda pela a 5500.
Vende-fe nm sorlimtuto de chales de renda pre-
ta a 54500 e 64, ditos de seda a 4, i i* e 16,8 i
isto na roa da [mpealrizn. 72 de Guimaies Je >r-
mo.
Helonds pretas a 8<>.
Vende-fe retondas preas pelo barato preco de
84, 8*300 e 94; na ra da Imperatriz n. 72, luja
de Guimares A Urrao.
Grande pexincba a S/f o corle.
Vende-se cortes de casemira da China a 14000,
24500, 24800 e 34. ditas de hrim a 14280, 14.0(1,
1*600, 14800 e 24.
E' mu i Lo baralo, tailatana de cores a 240
rs. o covado.
Veade-se um grande soriimento de tarlatana de
cores Quito proprias para vestido, fazenda mais
moderna que lem vindo ao mercado a 240 o cova-
do e 280, ditas mais finas a 300 e 320, Iflastahas
escocezas muito modernas a 360 e 400 rs. o cova
do, ditas muito Unas 460e 500.
Cobertores de algodao a 800.
Vende-se cobertores de algodao a 800 rs. ditcs
memores a 1*600 e 14800, cobertas de chita a 2$,
?4o00e 3.
Quem duvidar venba ver.
Cambraia de cores a 240 rs. o covado dita fina a
280 320 chitas finas a 280, 300, 320, 360 e 400
rs., ditas percalas a 400 e 500.
Esta se acabando chitas a 160 rs. o covado
Vende-se chitas a 160, 180 e 200 rs. o covado,
riscadinbos francezes a 240 e 280 rs. o covado, ra
da Imperatriz n. 72, de Goimaraes & Irmao.
Lencos brancos a 2# e 20509 a doiia:
Ditos finos a 34 e 34500, ditos de lioho a 54000,
54500, 6 e 7*.
Cambraia branca a 3.
Vende-se om grande soriimento de cambraia a
Rodelas de borraxa
proprias para atar massos de papis, e para ser-
virem de ligas para puobos, manguito?, etc. etc.
Vendem-se na ra do Queimado loja d'aguia bran-
ca n. 8.
Mu floas carias
rom cantos dourados, e sem doarado.
Vendem-se oa roa do Queimado loja d'aguia bran-
ca d. 8.
Envelopfs azues
a 500 rs. o ceuto..
na ra do Queimado |cia d'aguia
Vendem-se
branca n. 8.
Apparelhos de porcelana
dourados e piolado*
Na roa doCjuejuiudo. fojv d'aguia branca n. 8,
vendem-se 'bonitos apparibos de porcelana para
almoco e janur de lonetas.
Bonitos quadtos
para relraii.-.
Veodem-se na ra do Queimado loja d'aguia
tranca n. 8.
Perfumada ingleza
RIVAL SEN SECUNDO
Rna do lueiinado n. 4. leja de
miudezas
DE
Jos Digo din ho
Est queimando as miudezas abaixo declaradas :
Frascos de oleo babosa fino 200 a 320 rs.
Ditos dito Caigo a 600 rs.
Dilos de macaca perola a 200 rs.
Ditos c.m superior banha a 200 rs.
Caixas com 6 frasco? dec beiro a 800 r.
Sabonetes finos a, 60. 160, 200 e 320 t.
Ditos de bolla superior a 210 e 320 is.
Uvros para meninas com eMamps a 320 rs.
Caixas Ue 12 na-, i,- com che ro a 14.
Frascos de oleo batuca muito (ion a 400 rs.
Dunas dmelas soperior o*|i>>ace para senfora a
4^500.
Cbegaram as agulhas lialo (papel) a 60 rs.
Caixas com bonitos .-oldados de chumbo a 110 rs.
Ditos de apoa para limpar denles a 500 rs.
! Pedras de e.sciever (pequea?) a 160 e 200 rs.
A agua branca a ru* do Quedado n. 8, receben l^TJ^W"^! US SR
Vende-se
a portara explicativa da le hypothecaria, usjmo^uTJSaolul
publicnda em 27 de abril pelo thesouroi
nacional, 4 200 rs, cada exemplar: na li-
yraria Econmica ra do Crespo n. 2,
Avidente ou sortes lidas por
urna sonmbula.
Vende-se oa livraria da praca da Inde-
pendencia n. 8 a 1(S cada exemplar, lambem
ha papis da mesma a 80 rs. cada um.
Beuquetspara bulos.
Eocontram-se booquets de flores de laranja, de
papel fino e de cera, a 24 e 34: na roa
40 Rosario n. 21, 2o andar.
Baloes a 2.
Vende-se baloes de arcos a 24, 24500 e 34, di-
tos americanos a 34500 4 e 44500, ditos de rour-
celina a 44, 54500 e 64, ditos para meninas a 44
e 445OO; isto na ra da Imperatriz n. 72, loja de
GuimarSes & Irmo.
a 3(>000 o corte.
a 34000 o corte.
a 300(> o corle.
Vende-se cortes de ia com 12 covados a 34, di-
tos finos a 345OO e 44, ditos a Mara Pia a 74500
84, 84500,94 e 124, gravatas finas para homem
a 640, 800 e 14000, mantas mnito finas a 14200 e
, 1*400; isto na roa da Imperatriz n. 72, loja de
estrena Gaimar&es & ,rm0#
FABRICA A VAPOR
99 RA DO MONDEGO 99
Deposito na ra Nova n. 50 leja de rclejoeiro.
Delouche demos deste estabelciment partecipa ao respeitavel publico que sua f-
brica est montada com as melhores machinas que existem na Europa, e que pode
fabricarcom melhor perfe'n;ao possivel. Todo o chocolate desta fabrica est garantido, e
puro, o que nao se pode encontrar naquelle que vem de fra, e que se vende jior preco
baixo, visto os productos serem do paiz. Na etiqueta tem s&sipre urna aguia.

PREgO.
Meia libra......... 400
Urna libra......... 800
Urna arroba ,...... 49(5000
Na mesma fabrica acaba de se montar urna officina com sorraria s vapor para
obras ae marcineiria propria para edificio, para o que encarreg'-se de fazer portas, ja-
dellas, assoalhos (parqu franeez como se asa na Europa,) earma'es,'ludo com brevi-
nade e'perfeicao. Toma-se qualquer eocommenda para fra da eidade, entregndole
prompta a collar-se no lugar. ______________
Vendem-se doas moradas de casas sitas em
Olinda, na ra de Mathias Ferreira ns. 22 e 23, |
cbos proprios : os pretendentes podm ve-las em
toda occasiao, e tratar com o vendedor na ra do
Pilar n. 127.
Roupa feita.
Roupa feita.
om novo soriimento de fioas perfumaras ioglezas
de 1. Gosnell & C. ; sendo extractos dos agjada-
veis cheiros Booq da Rainha Victoria, do P. Alber-
to, do imperador Napoleio, da imperatriz Eugenia,
Garlbaldi, Miss Lind, Joch Club, (rangipane, sn-
dalo, etc. etc.
O'eo fino para cabellos.
Oplat para peo tes.
.Agua da Colonia.
Saboneles Irnos creme de amendoa para batba.
Penuas d'ago ioglezas
douradas e sem a ser.
Chegou para a loja d'agua branca a roa do^uei-1 Re? m, de papel de peso 'olio fino
madon. 8, um excellente sonimentc de oeana s PraiCog co^ \iDU sul(lCrJor a ,00. I40
f?2 'ff' d.Ura"aS e -^ ? Sef' .P"*? u t Grojas de phosphoros de gaz a 24^00
de qualidade extrauua, e continua-^e a vende-las a -
24500,. 2400 e 1J300
Pecas de fitas de Ia preta para vestidos a 600 rs.
Grozas de botdes de madreperola finos a 4HG e
640 rs.
Caixas de eolebetes francezes a 20 rs.
Pecas de froco de todas as cores a 200 rs.
Caixas com superiores envelope a 800 rs.
Pares de sapalinhos de laa para crianca a OO rs.
Ditos de meias pretas para senhora, superiores a
360 rs.
Libras de pregos de todos os tamanhos a 240 rs.
Caivetes com duas folhas mnito finos a 320 e
I 00 rs.
1 Sabonetes e familia, superior a 100 e 120 rs.
a ZJ
e 320.
a raixa.
Tinta azul e preta
tinta roclo e preta.
Estas tintas cujas excedentes qualidades ja' sc
bfm conhecidas e apreciadas pelos entendedores,
acbam-se a veuda na ra do Queimado-. loja d'sjua
branca n. 8.
Lacre fino de cores
eom cheiro e sem elle.
Na loja d'aguia branca ra do Queimado n. 8,
vndese lacre fino encarnado aromtico e sen, o
ser ; dito verde, e urnas caixinhas com ditos de
cores pelo barato preco de 500 rs. cada urna.
Papel inglez
em caixmbas.
Na loja d'aguia branca a''ra do Queimado n. 8.
vende-se desse superior papel inglez em caixiohas,
Luvas de camursa
brancas e amarelias.
Vendem-se oa ra do Queimado loja d'anuia
branca n. 8.
Meias pretas para padres
Vendem-se na ra do Queimado leja d'aguia
branca n. 8.
Aspas largas e fortes
para balo..
Vendem-se na ra do Queimado loja d'aguia
branca o. 8.
Para S* Joao
Neste importante estabelciment enecntrarao os
tregeles um completo sortimento de roupa feita
assim como palitot, calcas, camisas finas a 14600,1
14800, 24 e 24500. ditas de linbo a 34, 34500, 44 .
A I45OO. e 44'00, cortes de brim, ditos de casemira de co-
Vendem-se na loja da roa do Cabog n. 12 da-' res e pretas, seronlas de algodao a 14600 e 14800,
zias de pistolas com seis tiros, pelo preco de 14500, ditos de linbo a 24. 24500 e 34- .
fenas pelo afamado e bem conhecido fogueteiro lito Da ra da Imperatriz n. 72, loja 1
Bei-.to. a
Grande Liquidacfio de Fa-
zendas
Armazem da Arara roa da Im-
peratriz n. 56.
0E
UOfiJLHO l?R2ITA$
Rna da Cruz n. 16.
ContiRoa a ha ver diariamente um sortimento de pastds, podins, Ltxos inglezei),
empadas etc., etc. Os donos deste estabelciment, acbam-se as melores
de poder satisfazer encommendas cooternenles a sua arte, em consequencia do socio
Freitas ter sido administrador chefe de algumas das princijaes fabricas nacerte, sent
urna a do Sr. Joio Goncalves Guimar5es (confeitaria do Leo) antiga casa de Carceller.j
Todos os trabalbos sao differenles dos que se fazem em casas particulares.
Os proprietarios deste estabelciment tiSo se tem poopado a despezas, nemw;
pouparSo, se houver concorrencia como espera ; tendo continuadamente bom sorii-
mento de doces para cha; presuntos e ditos eia fiambre, iaaibem se recebem para se-
rem preparados; assim como doce de caj novo superior, secco e crystalisado, dito em
calda em latas hermticamente, fechadas, podendo durar aooo em perfeito estado.
Para jactares apartidas recebem-se encomiendas dos seguintes objectos; bao-
4eijas ricamente enfeitadas sem arraacQ pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, pSes de l enfeitados com disticos anlogos a quaLquer fim; ditos montados,
kechs simples e enfeitados com fructas ingleza ; .f atbeaux de la reine, ditos de le d-
chese, tortas de fructa, massa folhada; ditas de peke e carne; remes e doces de ovos
de diferentes especies.
Tambem tem um completo sortimento de vinhos engarrafados, como sejam: vinho
do Porto superior, Figueira, Afadeira, Lisboa, Gherez Bordea ux.. Champagne-fino, ser-
veja, licores, cbaropes e conservas. Para featas: bonitas caixinbas com amendoas, con-
feitOfi e mais enfeites. Muitos destes objeetoc menciocados podem-se perfeitamente ac-
condicioaar tanto para a .provincia, como para fra.
FlCiCBAN
Acabam de receber bonitas figuras paca bandejas de doces, sendo grupos para
baplieado, casamento, anuos, ditta a phantasia, bonitos enfeites para .tollos e circular pra-
tos de doces fiaos, tudo por preoos razoaveis.
Vende-se licores em duzia mnito em coola.
AMENDOA CONFEITADA
Em arroba e libra, para o S. oo; recebem-se encommendas de bollos simple* e
enfeitados e tambem recebea-se bollos para enfeitar.. _________ ____
iPecbifch
Vende-se umaitalieToa bem localisada e afreguezada
para a trra, que vende de 1G a 214 diarios ; na
frepnezia da Boa-Vista, a casa por muito commodo
prego de aluguel e lem commodos para familia, as-
sim como se vende so a armaco : na ra da Im-
peratriz n. 6 se dir' quem vende._____________
Vende-se urna pancadaria, bombo, rufo, pra-
os, em bom uso, e prego commodo: na rea do
orres n. 16, Reelfe._______________________
Cassas de cores
pechincha, porque sao finas e bons padref.--
melhor anda o diminuto preco de 280 rs. o eevV
4o : na Boa-vista, -roa da Imperatriz n. 20.____
CHAPEOS DO CHlLf
a 1:500 e 2:000 rs.
Na praga da Independencia ns. 24, e 26.
GuimarSes e lrmos.
Vende-se massa secca de mandioca para bolos
condicos i preparada com mulla perfeigao a 400 rs. a libra.:
o* ra dos Pires n. 44.
Remedios do Dr. J. C. Ayer, ex-lente
da loivcrsidade de peDsylvania, eos
Estad os-toidos.
Uxiracto composto de salsa-par-
rllha de Ayer.
Peiloral de cereja.
Remedie para sezes.
Plalas catharticaa.
1 O deposito ceBtral para as provincias :
Penvmbuco, Alagoas, Parahyba e Rio-,largar a 280,320 eMOra. o'covado.
! Gr' i ue do Norte, destes remedios to fa-
' avelmente conhecidos e acolhidos em
ividas as partes da America do Sul e do
Norte, acba-se em casa de Theod Chris-
! tunasen, 16 rna do Trapiche em
Pernambuco.
Os precos de
i 33)5 por duzia de estrado de salsa-parri I ha.
127 por duzia de peiloral de cereja.
127I pw dozia de remedio para- aezrjes.
. 7-> por duzia de piiulas catbarticas
i se TOieodem a Afa-rihei-f vtsa, cm
' o descont de S por cento em quantidades
, fl ._ .. _. r : iA .Z Qm das a 34500 e iOOO, vende-se pegasde madapolao c
de 6 a 12 duzas, e .de 10 por cento em iD&|ei 24 t*M 4>m(?0t)&> u e 84000 o
Pares de botCes para ponho a 120 e 240 rs.
Pegas de ntremelos mnito linos a 500 rs. -
Caixa de pos para limpar dentes a ICO rs.
Caixa de superior inha do gaz com 50 noveilrs a
140OO rs.
Pun-eiras de coola para meninas a 320 rs.
Talheres muito finos j.ara meninos a 320 rs.
Carlilba da doulrina clirislaa 320 rs.
Frasco muito bonitos com cheiro a 240 e 500 rs.
Caia com superiors isras para charetos a 20 rs.
Ma--'.> com superiores grampos a 30 rs.
\ovo f-orlimeolo de perfumaras
(iuas.
Chegou para a antiga loja de miudezas a ra Jo
Queimado n. 16.
Bonitos vasos de porcelana dourada com banha
mnito fina.
ui.ii os ditos de p de pedra coro dita.
Gurafas com superior agua da Colonia.
Frascos com agua balsmica para denles.
Dito de dita dentifrice.
Dito de extracto rte quinquina tambem para ejo-
tes.
Dlo erm superior apua Qor de laranja.
iio de dita flor de rosa.
Dito de dito vinagre de Venus para refrescar a
pelle.
Dito de diio agua ambiiava para banhos do ros-
to, corpo etc.
Dito de superior af ua de Colonia ingleza, le P-
ver e Lubin.
Dito de excellenie bantia de Lubin.
Sabonetes de Lubin, e outros de amendoa, trans-
parente, etc.
Cosmetique (ou pomada) de superior Qoaiht>de.
Finos extraaos, frangipane, sndalo e ostros
tambem de finos e agiadaveis cheiros
Opiata ingleza e franceza para denles.
bonitos vasos eom [ de arroz e pincel.
Caixinbas cora aromtico p de airea.
Oleo inglez. dito philocome, babosa-e ouira- -
idades para cabello.
throinacomc para Ungir cabellos.
Lssa apreciavel tintura chegou para a loj de
miudezas a ra do Queimado o. 16, assim e mo o
saboneta uranco, para se lavar os cabellos anus de
se usar da preparago.
(abazes de vidro com perfuma?i*.
Vende se esses bonitos cabazes de vidro con; per-
! quantidades superiores a 12 duzias.
ATTENG10.
LooreBCO P. Mondes Guimares.
Chitas da Arara 160 rs. o covado.
Vende-se chitas escoras e claras a 160 o 200 o
covado, cortes de ditos a 25 e 4400. Hua da
Imperatriz loja da Arara, n. 06.
1 Cassas francezas tinas a 240 o covado.
Vende-se cassas francezas Tinas a 280 e 320
o covado. Cortes de casasa a 2i00 e 34. Ra da
Imperatriz loja do Arara n. 56.
Arara vende chitas franrezas a 240 rs. oj
covado.
Vende-se chitas francezas escuras com pequeo !
toque de mofo a 240 o covado, ditas francezas Unas: fumarias, proprios para presentes, ele.; na rna ov
largar a 280, 320 e 400 rs. o covado. Ra da fm- Queimado loja de miudezas n. 16.
peratriz n. 56. UtfBe COBOS CB (< Da fil*,
Brelanha de rolo a 340O. : \ tm conhecida loja de miudezas a n:a do
Vende-se pecas de bretanha de rolo a 34000. Qu.mado n. 16, acaba de receber as estimadas U>-
brim lizopara lenges a 500, 560 e 640 o covado.. tas com DaDha f1Dil) as,n cl.mo c, pos de vldio de
Ra da Imperatriz loja do Arara n. 56. DOvoe bonito molde, com tmpode vidro e ch iros
Cambraias lizas do Arara a 3' 00 a peca, de excellente banha. Reeebeu igualen i"..
Vende-se pegasde cambraia finas a 35, 44, e, veitose banha lrancparecle que muito serv<
64. Ra da Imperatriz loja do Arara n. 56. !acabar as caspas, e a aromtica agradayei ranha
Arara vende cobertores a 1^500 e 1-5000. japoneza eoutras. o* pr>ten; ~ dirij
Vende-se cobertoresa 14000, ditos finos de pe- dita loj. de miudezas a ra do w imado u 16.
los a 14500, cobertas de lista 24000 e 24400, que ser;:o servido ?. conteni,
cobertas de damasco 44OOO, cobertas de fusto a UOOqUCl OS alpes,
5J000. Ra da Imperatriz loja do Arara n. 56. 1 jj^g fID0 e 9trave\ extracto, vem em om bo-
MadapolO franeez do Arara a 3;>0O0. nito vaso de p de pedra e este dentro de unta el. -
Vende-se peras de madapolao irancez de i% jr- v,,,i, c_i.iah_ e i.'.'pelao, de i rti.. que a perfei-
o de nma eonsa corresponffe a sup^noridade ue
onira. liase apri clavel extracto acba-se a-.nda
S. Joao e S, Pedr ?
Yendem-se baiedeiras e alguidares da fabrica, i Vende-se palha bamburgoza recenliraente che-
do Barbalbo do Cabo e mais Tongas como sejam gaa, para empalbador, por prego mais commodo
larroes para 4 e 5 canecos d'agna a 34300 e 44,; do que em ouira qualquer parte : na ra de Hor-
quartinbas a 104 164 o cento. bilbas graodes e las n. 13.
pequeas a 244 e a 405, muringues e resfriadores
a 720 cada um, muios < mais loucas que tem de
grande sortimento: luo isto no nico deposito do j
o "O as,
3 2 a
o?
Z_r_; E'S-O
, ce 3 c <
vi-}
*9 2.s
f|
o.
I ^illiilf
a 5.5 2^_r g "
OO O O g jo
CB
n> a
ai r o JE- o s-
K B -i 5" !l
" a E m S S *
2B,.ff.Ss
o E3 ?SBo
*S a. o. o c
6> v o a <*
pateo-do Tergo o. 12.
prc^o coinmoda.
Vende-se a casa terrea na ra de Joao Fernn-
des vieira n. li, na fregoeria da Boa-vista trata-1
eina-rca da Cadeia n..3i, sobrado.
'VrERM^ORGTfOYSr BRANCOS
para o Villar com loja a' ra do Crespo
n. 17, padrees lindissimos e vende a 750
rs. o covado oa 14280 rs. a vara, a ellas
Excelleotis.-knas anies qne se acabero.
G4Z.
No armezem da roa do Imperador n. 3 on no
Caes de Pedro II n. i, tem.para ,vender-se o me-
bor gaz existente no mercado.
Vende-se na fantNgao da Aurora, as melho-
res e mais perfeitas caixiohas cora fita de medir, e
por pregas
Fotros
b
Ra da Imperatriz n. 56. na ra do Queimado loja de miudezas n. 16.
Arara vende pecas de algodaozinho a 3#000 .igua florida e tnico,
Vende-se pegas ocalgodozmho encorpadu a 34,' yend-'m .-e na loja de miudezas n. 16. na de
44, 54, 63 e 74- S na loja do Arar?, vndese QUPmad0.
azsim baralo, ra da Imperairn n. 50. : j,-rascos cum gornma arbica diasulvida
Laastnhas do Arara a 200 rs. o covado., D e -I)Cel
Vende-se laasinhas para vestidos de senliora pelo J 0 imado ,0a de _. .
barato pre$o de 200, 240,320 e 400 rs. o covado.
Roa da imperelnz n. 56.
Baloes do Arara a 2f)000.
Vende se banloes de arcos a 34000, ditcs finos
de 20, 25 e 30 arcos a 34 34500 e 44, ditos de .
mursulina para senhora a 54, ditos para meninas 1 a elstica por.
a ;5 e 3500. Ra da Imperatriz loja da Arara
n. 56.
Lencos da Arara a 2#G0O.
Vende-se a duzia de leogos brancos a 24000,
dilos com barras tambem de cores a 24000, meias
zas n. 16
Tinta indelivel para marcar roupa.
Vende-se na rna do Queimado loja de miuiea?
n. 16.
de artificio
cruas para bomens a 24400, 34500 e 44500 a du
zia, aberturas para carnizas a 6X0. Ra da impe-
ratriz n. 56.
Roupa feita por medida.
Haranda porgae de fqgos de artificio na coohe- Vende-se paletols de panno e de casemira pretos
ac para os dilos.
Vendem-se na ra do Queimado loja de miodc-
zas n. 16.
Bonitos entremeios e babadinhos bor-
dados.
Vendem-se por barato prego na loja de nvude-
zas o.* 16 oa roa do Qoeimado.
Tinta rxa e azul que Gcam pretas.
Na loja de miudezas o. 16 a rna do Queimado.
vendem-se frascos grandes e menores com mas
teli^s de ferro galtaaisado, todo por pregos nr\^^^?^^^ i^'-i^J^ ^ *_*.!__ I
t0**e'8- tancia, as pessoas que qaizerem fazer suas encom-, casemira de cores a 34
commodo prego, e como seja penoso Ir la pela d.s- n> 5^500, paletols de brim a 24 e 34, caigas de prec0 dos fSm 14000 e*500
__^-------------------_ tancia. as pessoas que urea fazer suas encom-, casem.ra de cores a 34, 54, 64, 84, ditas prelas a fpa\a pc/innmica em latas e barrilsitiirUS
"Vendem-se tapancos do.Porto tanto pata*o- mendasparaS. Joao*& Pudro, as podem deixar 44 64 e 84 caminas francezas finas a 24e 24500 Graxa econmica em tatas e ramisinnos.
mero oaoo para senbora : na ra a Senzala Velba i no arjnaeem da bola amareila, no odo da secre- f,it8 ioglezas de prega ilarsa de rta a it I VQlB se na loja de miudezas n. 16 a ra o
n. 50. taria da polica, onde llavera' om portador para 3500 e 44. Ceroulas de algodao a 14, de brim a Qusimado.
Farinha.
No armazem de Vicente Ferreira da Costa *
Filbo juate ao arco da Conceicao, vattde-se sope
ir buscare levar ao logar couvenciooado.
Aos agricultores
Saunders Brothers & C. acabara de receber de
riorfarina" de1 "mandioca aS_naMMe chegada, t>werpooi voresde forga 4a 3 a 4 asaltos com
em saceos de tres alnelres oa cinco arrobas de
peso, pelo baratissimo prego de 64 o saeco._____
Panno 4e algodao da Babia, proprio para
accos de aseoear e roupa de osemos ; tem para
.vender Antonio Luiz de Oliveira Azevedo .4 C, ao
sea escriptorio raa da Craz n. 1.______________
Veode-se em casa 4e Saunders Brothers & C, \
no largo do Corpo Saato n. H, vapores patentes,
eom todos os pertenees proprios para fazer mover :
tres oajuatro machinas para descarogar algodao. 1
"^~ Na ra olrella n. 40, tereeiro andar, en-;
dem-.-e duas espada e doas talins em bom estadr.
Vende-se um escravo eom 20 asnos de idde,
sem defdto, vicios, nem achaques, bom coroo, e
proprio para qaalquer servigo, ptimo criado, e 1
eozinha sofjrivelmente : quem o pretender dirija- i
se aos Afogados, easa n. 58, na roa fireita. I
Azeite de car rpalo.
Vende-se mais barato do qne os matates as
cargas em grosso e a retalho : na fabrica da ira-'
vessa do Carioca o. 8, caes do Ramos. ________ j
Vende-se orna taberna com poucos fondos,
na freguezia da Boa-vista, com bastante freguexia :
quem qulzer annancie pasa ser procurado. ____
todas os perteoces, e mal proprios para fazer mo-
ver machinas de desearocar algodao, podendo cada
vapor trabalhar ate com 140 serras, tambem ser-.
vem para enfardar algodao cm para ootro qualquer I
servigo em que neara trabalhar com animaos. Os'
merinos tambem tem a venda machinas .america-
nas de 35 a 40 serras : os pretendentes dirijam
se ao largo jo Corpo Sanio n. li.
14600 e 24, roupa feita para escravos propria para
servigo, caigas e camisas a 14 e 14120. S na
roa da Imperairiz loja da Arara n. 56.
Arara vende as sedas a I 500 o covado.
Vende-se sedas para vestidos a 14500, oreandins
linos
vado
para vestidos de senhora a 640 e 000 o co-
Rua da Imperatriz loja da Arara ;.. 56.
mmu

INJECCAOe capsulas
rVEGETAES aoMATICO,
GRIMAULTaC'>"BMACEUTicosLvPi\RIS
Novo tratamento preparado com as folluu de
Mutico, arvore do Per, para a cura rpida e in-
fallivcl da Gonorrhea sem recejo algum da con-
traeco do canal ou da intlammagao dos intestinos.
clebre doutor RiCORD, de Pans, ler renonciado,
I desde sua apparicao, ao'emprego de qualquer
j outro ratamento. Emprega-se a InjeccSo no
! comgo de tluxo; as capsulas em todos os casos
i enronicoa e inveterados, que resistirn s prepa-
raedes do copahn, cubeba e s njecedes com base
I metallica.
A venda as pharmacias de P. Maurer &
C. e A. (Jaors, em Pernambuco.
rival sem mmw. Wm
Hna do Queimado o. 49
ariliciaes
Manteiga ingleza
a 960 e 14120 a libra, franceza a 610, vinho muito
bom a 360 a garrafa, ti 24600 a caada, dito verde i
a 480 a garrafa, gaz liquido a 440 a garrafa, e
104 H lata, cartas de traques a 200 rs. ; oj arma-'
aem da estrella, larno do Paraizo n. 14._________.
Na roa da Imperatriz n. 2, vende-se por roe- Cousla-nos ter sido muito applaudido os fogos .
nos de sea valor por querer o dono acabar com o artificiaea que ae soliaraoi no di do glorise San- fe Pr* \5seniode roopa lavada a 100 rs.
negocio ama mobilia propria para gabinete, cadei- f? Antonio, e continuando a etistir da melhor qua- 2u,nAcnA.^?Mmi?_ jTJ^J r.
ras de balango americanas, ditas para criingas do l'dade qoe possivel, espera-i* a nllnaagio das Frl8C0S de Penor agua de colonia a 400 r.
uliio o gosto. encom meadas na loja da roa Nova o, 39.
Eta disposto a continuar a vender por prego
ae a todos admira queiram apreciar e vir ver para
rer.
Grozas de pennas de ago muito boas a 320 rs.
Booels muito finos para meninos a 14.
"entes de alisar com costas de metal a 500 rs.
Ca pactaos redondos e com pr id os a 500 rs.
Polceiras de cenias para senhoras a 500 rs. '
Caixas de papel amizade a 600 rs. -
Quadernos de papel muito bom a 20 rs.
Peales de iararoga a 24500 rs."
i Realejos para meninos a 100 rs.
Escovas para aspar denles a 200 rs.,
Baralh s muito fluos a 200 rs.
Caixas de p de arroz mnito superior a 800 rs.
Caixas de lamparinas para tres mezes a 40 rs.
Caixas de obrefas de massa a 40 rs.
Grozas de bodes de tonga a 160 rs.
Bufiadores de Cordao e tila a 60 rs.
Pegas de lita de eos com 10 varas a 320 rs.
Carlas de alBoeies francezes a 100 rs.
Libras de alflnetes francezes Io qualidade a 24-
Novellos de linha coro 400 jardas a 60 rs.
Ditos dilos com 200 jardas a 30 rs.
Caixas com alfoetes a 20 rs.
i Pares de luvas brancas e de cores a 400 r?.
Grvalas de todas as qualidades a 500 rs.
Resmas du papel alieago superior a 24400.
Caixas redondas com estampas I 100 rs.
;!erando armazem de tin 5*
H tas medicamentos etc. M
I
Casos reservados.
Esta' a renda na otDcioa de encadernagao, o>
roa do Imperador n. 15, defrooie do cooveotde Cbegou'pr a loja i
P. Antonio, o impon nie opsculo sol re os lasos Queimado n. 68, am gr
reservados, obra red^gida polo RvJ. aite whut balaios proprbM para
Leonardo J^ao ljrpgi, obra b*^ai?rtit-i indi;- e outros muitos par*
pll*ivt>| ao Rvds. parachos'e cyDfe-sores.
miudezas da roa do
mto de lindos
rem no braco
par* costaras e para botar mimos
Sortes para Santo Antonio,
S. Jofio e S. Pedio.
Vendem-se na officina de ecadernagao n. 15
da ra do Imperador, tanto em fallieres como em '
avnlso.
Rua do JtaffirMr u, 22.
; ?io.i Pedro das Ve ves lge.
- rente) tem a venda o
seguate: M
Productos chimicos e pharma- gg
ceticos os mais empregados em m
medicina
Tintas para todo o genero de pin- :
tura e para tinturaria. H
m Productos indusiriaes e tintan %
m para Acres, como bot5es de Aeres 3$
j| e modelos em gesso para imitar '*
m frucas e passaros com o compe- .&?
h lente desenho.
Pro actos cbimicos eindostriaes 8
I para photographia, tin'uraria, pin- m
^ tura, pyrotecuia et-.
j|> Montado em grande escala e sup- m^"
me pridf-/irectamefie de Paris, Lon- ,''_
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa SE
pode offerecer productos de plena R
confianca e satisfazer qualquer en- H
commenda a grosso trato e a reta- $p
I i ho e por preco commodo. m
mmm mm-mmmmmm
Farello.
| Ven4e-e Tarelio superior de Lisboa, recrnie-
mente cnegado : ne escriptorio de MinoeJ Ignacio
' pe Oliveira e Fiihb, largo do Corpo Santo u. 19
c
fe
;
I
e se vendero por pregos mallo baratos.


Diario de Perambueo sexta felra ti de Juaho de 1866.
0 que occupa hoje mais a attentfio do mundo
econmico:1 o novo systhema do propietario do ar-
mazem de niolhados
53 RUI DA CADE1A 53 ,
PASS.l*UO. O ARCO DA CO\tKf^liO.
Que surge de novo hasteando a bandeira da modicidade de presos em todos os
seas superiores gneros.
Que o publico reconheca as vantagens que d tal systliema Ihe resulta, o que o
proprietario do sitado armazem deseja, e a que desde j o convida : passando tambem *
notar-llie os precos de alguas dos geoeros do seu esplendido sortimento, e para os quaes
pede
ATTENflO
Comota de uilllio forneo americana.
Esta- expente gomma, multo se recomcommema como o aliment' mais subs-
tancial e saudaval; servindo nao sopara papa (no que superior de todas as Miras
gammas e farintm) mss tambem della se pode fazer p5o-de-l, cangica, crema, bolo
baaeaZi podini, etc.: o preco de cada pacote de urna libra 8oo rs., em catea tem/aba-
timento. ... .
MANTEIGA INGLEZA de superior qualida-1MOLHO INGLEZ de diversas qualidades, a
de a l,2&o e i,loo rs. a libra, em barril 72o rs. o frasco.
se tai abatimento. MOSTARDA INGLEZA amito nova, a 800,
DEM FRANCEZA a mais nova qae ha do rs. o frasco
mercado a 6o rs. a libra, em barris ou' DEM PRANCEZA a 6
meios a 6oo rs.
CHA HISSO.N de primeira qualidado a
SALMO E LAG03TIN chegado ltima-
mente, em latas dj 2 libras, a l,6oo. rs.
2,8oo rs. a libra, aim desta ha muitas ou I ARENQUES em latas a 64o rs. cada ama.
tras proprias para vender a relamo, que! SARDINHAS DE NANTES em latas e metas
se vendem de 1,6oo a l,8 iDEMPRETOo mais especial que teto vin- VINHO DE COLLARES o legitimo 1
Gros de aples preto a 10500, IfBOO, U, U, 38800" tM o covado.
GorgurJo preto de superior qualidade a 2(5500, 20800, 3(5 e 40 o co-
vado. u
Superiores moreaatiqrjea tfflD, 2,51600, 3& 350O, 4,5 e 50000 o
covado.
Bons cortes de mcreatrtique.
dem de gorgorito adamascados.
Bons pannos e caseajira*.
Supoiovas alpacas, prinaetaa, merinos e bombazinas.
fioot vi lidos pretos.
Grande variedad da caries de fil preto e de guipare a 5& 60, 80,
100, m, de 160 a 205, a de t$$ a 800 cada um.
Superiores retondas de fil preto e de guipure a 80-, I0# 120 e 250,
e da 300 a 600 cada- uma.
SnjWf ioflrtf algarte* de fil preto e de guipure. d 12* a 25& e de
300 a 000 eWa ama.
Cflo Bons chils de seda preta.
>m Ditos de Merino preto bordados e outras mnitas fastndas pfetas qae
seria enfadonhe enumerar, na
CONSULTORIO MEDICO-CIRlMiCO
do
UK. PEDRO DEATTAHYDE tOB >MOSSO,
MEDICO, IMRTEIRO B OPERADOR.
3Ra da Gloria, casa do Fundao g
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os das das 7 s 11
loras da manhao, e das 6 e me s 8 horas da loite, excepto dos dias santificados.
Pharmaeim especial Itomeopathica
iorttmento* de oarMras
1800*0 '
240000
3O0M
35(^80'
No mesmo consoitorio la sempre o mais apprc
uiaos avolsos, assim orno tiotuFas do varas drmnon
'-
Carairas de 12 tobos grandos. .
de 24 tubos grandes. .
de,36 tnbos grandes: .
de 48 tfldos grandes. -
de 60 tubos granAea.

IiO.lt OVH COIiOtTOAS
DE ANTONIO CORRBU E VASCONE.LO h 6.
BA BO CRESPO fr. l
MI /jUH!'. '
do a esto mercado a 2,2eo rs a libra.
DEM regular de l.Oco a l,8oo rs. a libra.
QUEIJOS DO REINO ltimamente chegados IDFM MADURO
pelo vapor 2,ioo: ditos do vapor passado
a 2,ooo rs.
LATAS DE CHOURICAS com 6 libras er-
meticamente fechadas, a 4,5oo, de barril
a 64o, a libra.
ESTRELINHA para sopa em caixas sorlidas
de 8 lihras, por 4,ooo rs.
VINHO VERDE do verdadeiro sumo da uva,
e o mais proprio para se beber n'este
imperio, pela sua extraordinaria fresqui-
dad e agradavel gosio a 6io rs. a gar-
iafa.
AMElXAS FRANCEZAS em frascos de 4 e
2 libras, a 2,8oo, e l,4oo rs. em caxi-
nhas muito enfeitadas com diversas estam
pasa2,Q00, J,8oo, l,5oo el,3oo, reis.
BiSCOITOS 1NGLEZES em latas contendo
diversas qualidades a l,oooe l,2oo rs. a
lata.
PUINC'PE ALBERTO bolachinhas as melho-
res presentemente conhecidas a l,6oo
rs. a lata.
.-LAME IIAMBURGUEZ chegados no ulti-
mo navio a l,6oo a libra.
P rs. a libra, e 56o inteiro.
IB \QUESn. 1. em caixas de 4o cartas, por
8,5oo, e 2io rs. cada urna.
MA AMELADA em latas de 1, 1 /* 92 li-
bras a 6oo reis a libra.
(ALEA DE MAR MELLO em latas, a 8oo rs.
f [tl'CTAS EM CALDA pera, pecego, alper-
ce, rainha Claudia, e gioja a 64o reis
a lata.
desta localidade, muito superior e 3ent
confe-eSO alguma, a 8oo rs. a garrafa.
FM MADURO o verdadeiro do alto Dou-
roem barris de lo em pipa pof35,ooo
cada um. ,..
VINHO DO PORTO de diversas qualidades
engarrafado, inclusive o maisfioo que ha
n'este genero, por 8oo, l.oo;- l,2eo,
l,4ooe l,3oo rs. a garrafa.
FE1J0 verde e carrapat em lata ermeti-
camente fechadas a too rs.
CHOCOLATE francez em pacotas da 1 libra-
por 5oo reis. .
AZE1T0NAS dascbegadas ultimAteWB'de
Lisboa a l,2oo rs: a anfreta, e 5oo, a
guarrafa.
CAF avado a 24o rs. a libra, e 7,ooo rs.
a arroba, e regular a IS&VWW, e 8"So,
a arroba.
VINHO CHERRY domis superior do mer-
cado a l,5oo rs. agarafa, e 15ooo rtf*
a duzia.
MUSCATEL o verdadeiro de Setubal, a
l,8oo rs. agrra^e2o,ooo a duzia.
VINHO BORDEAUX das mfs acreditada^
marcas, S. Emilion. Sant Julien Haut
Brion a 7oo e 8oo rs. a garrafa, e em
caixa ded.'zia, a 7,5oo e 8,ooe rs.
VINHO BRANC ) de' Lisboa de excelente
qualidade, e proprio para mtesa;, a 8oo,
rs. a garrafa, ou 8,boo rs. a caixade duzia.
MADEIRASEC al,2ooa garraf,e 12;ooo
rs. adazia.
VINHO DO RHENO superior, a 2,ooo a
garrafa, e 22,ooo rs. a duzia.
VERMUTH da superior qualidceemCar-
xas det2meias garrafas porr2,ooo,e
garrafas por l,2oo rs*
PHOSPHATO DE FERRO DE LERAS
INSPBGW I>A AdBSWA' DE P*#.
N5o existo medicamento ferruginoso1 to adtawt como- o phosfsbato da^ fertro- e
Prepara-se qualquer carteira conforme aedido qwsa fizar, e com os ramadioi
9W se pedir.
Um tuba avulso ou frasco da tintura de meia anca 40000.
Sendo parasia de cuataro a procos estabelecidos paraarcarteras.
Ha tirtws mais pequeos cada urna 500 risv
IIVROS.
i
A melor obra da faomeopathia, o Manual de Medicina Hoaaopatbtco io Dr larS
owgsaade vetamei eoni diccaonario........... 20J00
Medicina domestica rtrDr.' Hering......... if^ono
Repertorio do B. Mello Slbraes......... ] ^q
Diccionario de tormos deuediciria .....,,..." 3S00
Os rsmoiioa kste^estabelacimentosao por dintel* eonhecidos e dispansaBnor
taflw da serera^tievatcnte'recommendados as pessoas1 qae-quzarcia. usar d remedios
^2#-{*tt&dtitos, enrgicas e duradores: hatudo do melhorque se poda desojar, gtobos'de
faFdadairo assacar de Jeito, nota veis pela sua boa coosrv*c3o, liatwra dos mais acredi-
tadoa estabelecimeBtos eunopeos, a mais saeta e aaoradt' preparaese, e portanto a ma;or
energia" e certeza em seas etfeiros.
^c;
Casa de saude para escravos.

Recebe-seescravoepara-Uraar de qwtquer enfarmidwfat ou fazer-se-lbe oualaaer
n flirt n rinn n .rvAMn/iInnlA nrlon *"' ^_u ?>l^..i >
Leras; aasnafiftidade media de mondo inteiro actotartWNto com soicitde seffl' igwd I operaco, p;ra o qae a anooncfeoto Jutga-si sutieBtinnte tabiliod.
nbarmaes da'seierteiaY As cores pHidas, dore#deestomago, &stiWpm*W*li&
miajConVltftn^^dm^el^^daffe'criffca das senhoraav irregularidade na menstrua?3o,
pobrsa do saoge, lymphaPsm sao curados* rapItfaentB" od modificadd* pof* esite'ex-
eellentecomposto. o coesarvaior por excelencia rfasabda o dadaredar superior nos
hospitaes e pelas acadortas-a todos os ferruginosos eonhecidos, ao idoreto e ao curato
de ferro, porqueounico que convem aos estmagos delicados, que nao provoca'ns'.i-
pa En Partsna'TW daTttiriade n. 1.
A venda em'casabe M&irerv e A, Caors.
mmmk sen u\i
Ricos cortes de frorgrart de-seda pretos adamascados-para ves-Sdc coro meWos
oo(8 a2covadoscfl'corle,largara de chitafranceza, pelo baratissimo pre?o de 004
ycada corte : na'loj ds-erbmnsdi ra do Crespo n. 13dfrAdtoQlrCorra' d* Vascon-
rceir6s a C.
T^IDAEIA ACUA 9EIMEHAI
PftSTiLHflS DOS SUS NTURAES DE VICHY.
VENDE-SE
Na botica' e*drogrRf de" Bartholotoeu fc G. Ra larga do-Rasario n. 3b.
O tratamenta a o meihor possivel, tanto -aparte affmWb^ coso na medica
tanecionando a casa ba mais de qaatro annos, ha mahas'pBSseatwde cuj conaerta se nao
pode duvidar, qae podem ser consultados por aquel les que desejarem mandar saos
doentes.
Paga-se 2^ por da darn te 60 dias e d'abi em dame 1-5500.
As operacocs ser3o previamente ajasadat, sanaosa quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que eoetm pedir o anflooeiaotf. r-yv-
Novo estabeleciniento
Roupa feita de todas as qualidades
Faeudas por barato prejo
baldea de mu8elina com canda
T. 4*
RtTAJ
1W> BRC^fl
O piUpTietarlb deste estabeleclraento deseja chamar a- attenco dos senheres pro-
ios para os-'acTCcrharlos nf^liarismos que continu a forncce.r; os quaes garante
AKVIAXfiM IE FAXfVI %S
iTSTOf O C1RY1LHO C.
27 RA DO QOf fMADO N. 27
MadapolSo francez muito fino, toado pouco mofo, cada peca coa 27 vara ae?
100000.
La de ores a 300 rs. o covado.
Cambraia fraoceza a 260 rs. o covado.
Finos orgarxlis a preco de 800 rs a vara.
Lencos UrtwwB para algfteira a2#00:a dazrt.-*
Fins perclaras a preco de 400; 440 a 56 rs. o covado.
Riae cwtew dala de barra da 10# a 30^(000;
Chales de fil preto e outras martas fazeadas.
prietano's para
sen como sempre
superiores
f hin us de sol bi'ao que val 120, e o Ba ao vende a 10->.
o' ZS .* L*\ P-o rt ao ..por r rto %
branca fino a 4^; madapolao fino a 7fc
;' moiKnms Sendas que todas se vendem por prea^ mstgml.cantes.
chr venha ver.
Quem duvi-
A barateza do Buliio
m
Ricos brincos decrystai .apidadosde diflerentes formase^cores c^ qae ba de moderno en
iamumcrures"e botoes para coletes ; fivella modernas de madreperla para cinte, : estes arti-
' "os se vendem por menos de sea valor no armaiera da roa da Cadea do Rec.fe n. 60.
Novo e grande deposito de superior carvo de Cardiffna
Bahia.
Antonio Gomes dos Santos & f, ma de Santa Bjrbira n. 1, e a,,
oarvao em condiQoes mais avoraveis qne em ontroqnalqner deposito a tndos
* Tr.remhaauella porto. A contraur nesta com Domingos Alves Malheos.,
habilitados a supprir de
navios a vapor que
Sirop du
LSJiajj
JARABE DO FORGET.
Eie xarope eU approvado pelo* mais eminentes mdicos de Paris,
como sendo o meihor pira airar conitipacoes, Wsse convulsa e oiini,
Teccoes do. bronebios, auqnes de peito. irriuces nervosas e iosomnolenaas: colherada
e ouua a oiw sao suIScienie. O effeito deste excelente xrofe saUsbi ao mesao
pea manb, .
temoo o doente e o medico.
*1HT-*~**1,'Mt .*<(' ">*'.* JfSC-Jl**'
da mBlhtr qnaiidsdt possivel:
MaGhJnas de vapor
fora de* ubj? cavallo para cima. As menores s5o mui proprias para motores de des-
carwrmentos de algodo; ellas- viajam armadas- e podem trabalbar den'ro de 24 horas,
dcppis de chegarera no lugar. Ellas levam tudo quanto preciso para o trabalho, e
4wree~eoferoee4rentoR- As malinas maiores sao proprias para a moagem de carina,
e hp dellas qae podem junta e separadamente moer canna o descarocar. Ellas podem-
sepplicar a qualquer moenda jjex'stente senfc outra mudanca do que a substuicSo das
n .1- aXte n*in Man Kn UmknM AAm mnnJ'i i u n 11 l,'l!-i taiY\ [ ,t \: > \ :. i i r 11 t 1> Krvo.
Loja do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento acaba de rceber pe-
lo vapor Extremaudre, ede sua propria en-
commenda, um completo sor/imento de ob-
rodas da aimanjarra, ha tambem com moenda junta. Ellas tem depsitos d agua e boe- eclos de apuraio g(t0 6 alguns de comp|e.
ros de ferro, e nao preeisam para seu assentamento de obra alguraa, quer de carapina ta novidade, como seia :
qu r de alvertaria: Otompo para assenta-las naa ezaede de doze dias ao mais, eem] Rjquissimos necessaaios para costaras,
cas)S de'mortes de animaes oh arrombamentos de agudas, etc,. garante-se o assentamen- tendo de jq^^qq^ marfim, christal eou-
to smoitodias. Todos estes vapores s5o simplissimos na construcc5o, e se regem por; trag mundS qualidades.
qu lquer pessoa intilligente, a facilidade da conduccao sendo especialmente considerada, Ricas caixnhas de madeira machetadas
tan o qua nao ha lugar em que nao se possam condu/ir, q-.er por trra, quer embarcado.
Lembra-se aos senhores de engenho que a venda dos animaes e o servico da
aos sennores ae eugenno que a venda uos animaes e
gente oceupada no seu tratamenlo os ho de recuperar da-maior parto da despeza do
vapor, deixando-lhas a vantagem de uma moagem certa e accelerada; e acabando com a
despezada compra continuada denovos animaes, ecom os desgostos do trabalho que se
tem pom elles.
1 Ser talvaa desnecessario lembrar aos compradores de vapores a vantagem que
Ihes resulta de comprarem suas machinas garantidas em urna fabrica, tendo artistas com-
petentes para assentar as mesmas e ensinar a maneira do trabalhar com ellas, e j pre-
paradas*para arremediir qualquer desarranjo; facilidades estas que jamis podem en-
contrar comprando-as aos simples negociantes, os quaes por falta de conhecimento na ma-
teria nem se quer podeoa garanti-los de que as machinas que vendara sejam proprias ou
sufficiintes para o trabalbo em que se queira emprega4as, e no caso de desastre nSo
podem prestar-Ibes soccorro algum.
I Igualmente n5o se equecero osmesmos compradores de qaanto podem perder
em tersaas machinas paradas por desarranjos no tempo das safras, sendo queainda
quando venhams fabricas para concertar asmaehmasalbeiastorna-se-ha preciso fazer
repentinamente moldes novos, etc. para as pegas estragados..
Tambem ha sempre prompto Rodas d'.igua de ferro Sarilhos com cruzelas para as
mesmas Moendas de canna de todo o tamanho, Rodas de espora e angulares, Paroes ou
coches para rebeber "tfcald, Crivos e portas de fornalba, Taixas de ferro batido, fundido e
de cobre, Formas de ferro galvanisadas para purgar assucar, Bombas simples e de repu-
cbo, Alambiques de ferro. Eixos e rodas de carro, Arados, grades, enchadas a cavallo
e outro instrumentos- de agricultura, Moinhos e foro s para fazer farinha e finalmente
todo o bjecto de meennisma de que se costuma precisar.
Na fabrica se ftfzem obras novas eocoraifienia e concertos. com a maior p este-
za e solidez; O grande deposito de pegas eobjectos habilitam-na muito para este fim.
O proprietario ser sempre rnoi feliz de poler dar ioformagoes oa esc1,1
aos senhores que se servifem de-s prestimo.
D. W. Bowman, engenbeiro.
oa esclarecimento
Deposito na roa larga dOTlosario, botica de Bartholomeo 4 C. n. 34.
C alares Roycr oa colares ano-
dinos
l 'aeibtar a dentisao das erian?as e preserva-
las das convulses.
feliz resultado obtido immensas vezes pela
(: iosa forja magntica dos colares Rpyer, nos
es -de convalsSe, e denticio das erlancas, tem
ai':.ieate elevado o sen bem merecido prestigio,
e a; e 4 se pode dizer qne esto feralmente con-:
ce; ados, e estimados de mnnmeraveis pas de
faii as : de nns porque do aso desses salatares
colares viram salvos do perigb seas ebaros fllhi-
to: e de ontros porque colheram daqnelles tao
pr "ao eiemplo para ignalmeme preservar os
6r Assim, pols, a aguia branca, tendo em vis-
me; o qae. agora receben,
Francisco Jos Grman
RA NOVA N. 21,
acaba de recbr uin lindo magnifico sor-
timento de oculos, hinetos, binculos, do'o-
timo e mais apurado gosto da Europa e den-
e"contnuartu"recebe-! los de alcance part obsefvcCes e para 01
los .ra qae em tempo algum a falta deljes possa martimos.
s'- nesta aos pais de familia, os qnaes ficaro
ceit-.s de os achar constantemente na roa do Qaei
g\. : loja d'agaia branca n. 8.
A ioja Esperanza na ra do Qoeimade n. 33 A, I
rereoa estas ciBtas, que uma conaa MlitOM-
vel a qualquer senbora ; consiste sua ntiiidatfe en
su-ipender a vontade a saia por mel de eordSes,
em cijas extremidades estiro presos clcheles que
sepr-ndem agaardaplsa do vestido : veprtese por
2#50cada cinta ;amoscom raorptt dse.t
Vertdem-se
machinas americanas de serrote pafa descaro^
altod^n .naTui^^la^va.n^l .
. ofelies para coques de senbora
rnos qu se pode encontrar : na leja
findem-se eat
RICOS VESTIDOS BRAMOS
A' l0j de foseabas de Augusto Porto & 6
II Ra do Queimadol\
A' loja de fazendas de Angosto Porto 4 C ehegaram os mais beHos e modernos
vestidos braucos e bordados agalha.
Superiores vestidos de blond eom inania e capella para oolva.
Cortinados bordados para camas e janellas de 13# a 801
Golis de seda ede las, e seda de cores,para camas.
Baldes, espattilbos, lavas de pellica e saias bordadas.
Booro8, algernionel e chales de renda preta.
Sobreradb de panno de doas vistas e capas de borrad;
Grsdmtpoles de cores e prelo, e aboiv preto de diversas qoaffifades.
EncMavaes pd>akptiudos com vestidos bordadas quTi domare gosi-nesl8 genero.
Fil**ofd*da,fe salpteo e lisos, cambistasVictorsa-e transparentes.
Caadlos, onjts* gorros dVpafha d Italia para senharas.
Coapis pTeffls flb seda pafl b'omen?, cfrapos-d sol seda ingieres.
Camisas francezas e inglezas para hornera, meninas e senheras.
Tapetes para Sala, alano e cama, e dito npirior em- peca.
Alcatihs da \tSM, lais pur se vende a 480 rs. o ovado.
Breraoa da rrnW superior em pecinhas de 6 jardas eearpecas grandes de 30.*a*.
Na mestrft' asa se vendem sempre as melhores e mais b;
ffljSo a m
Veriltah-ae tecos 'com 24 cuias d feij'o branco,
pelo barato preco cima; aa roa da Madre de Dos
DS. 5 e 9.
Egfoiras da India para for r salas
IIUna 4o QuelmaloU
todas de madrepc la, com msica, e o neces-
sario para costura.
Cixinbas de mnsica, tanto de veio como
de corda.
Riqusimas malasinhas de madeira, for-
radas de marroqaim, contendo o necessarto
para costara, propria para meninas.
Lindos vasos para pos de arroz.
Lindos livrinhos com capa de tartaruga
para missa?.
Riquissimo sortimento de enfoites para
senhoras e meninas.
Cintos inteiramente novos.
F vellas, de tartaruga, christal, e metal,
para cintos de senbora.
Leqoes de sndalo e de madeira.
Riqnissimos porta bonqnets.
Lo vas verdadeiras de Jovin.
Ditas de seda e de Escocia.
Lindos botoes de christal, tanto para pu-
nais, como para colletos e abertura de ca-
misas, estes botoes tornam-se recommenda-
veis, por ser inteiramente novidades.
Ditos da cornalina, brancos e encarnados,
para colleras.
Finas thesonras para anhas a costura.
Lindos porta-joias.
Ricos port relogios da p orce llana.
Modernos peales da tartaruga e a irtta-
c3
Albuus para retratos.
Agulhas e liabas para crocheles.
Lindaa adere?** o>carretal.
Rosetas e alBBUia^e dito.
Aderemos coHfdetos para teta, assim co-
mo brincos-o rvetas.
Meias 4 seda para iiharas.
Ditas para mmm
SapatirAaa 4a te* a da mwii, para
baptisados.
Touqaiates a cbapiuaiadini paca dito.
Laaa s tadaaatr irm para bordar.
Gravaiaia aunas pira han.
Alfeettt pajfrgfmtt*.
Riquissimo* livrhmas para notas, sendo
com capa de nadriparat, marfim acta
gren.
Penas de ac todas as quadadas, o
afamado fiatate Perris.
Froco a aada frooxa part bordas.
BengaMass cttwtas de todas ai qualida-
des.
Dedaea da aaarfii masv. M
Espaitaes-d ijiisi pis, e pniii'
Dito esWi p Wrrt n jofiTisias I
Rquis8hss fitas lavradas a lizas.
Diademw do ultimo gosto.
Ligas de seda.
Ditas de seda e de algodo para mangui-
tos de senhora.
Contas e tubos de ac.
Suspensorios de seda e de algodiSo.
Grande e completo sortimento de perfu-
maras finas dos fabricantes mais afamados,
assim como mudos outros objectos que se-
ria enfadonho mencionan
S no Gallo Vtgilanta roa do Crespo n. 7.
Verdadeiros
Coliare Rayer
Electra Magntico
Ou Collares Anodinos, para fecililar a den-
tigao das crianzas e contra as convulses
das mesmas, a estes collares nos escuzado
fazer qualquer recommenda?o, visto a
grande aceitaco que tem tido, o que pode-
mos provar assim como, aftaocar o effeito
que elles produzem, porque ba muito qcs
os recebemos e continuamos a receber por
todos os paquetes da Europa ; e encontra-
do sempre na loja do Gallo Vigilante, ra
do Crespo n. 7._______________
Tasso Irmos
Veadem no se* arjoazem na d
Amorim i. 3o,
Licor Abo Curaco em bottjae e meias botijas.
Licores finos sortides em garrafas com rolhas &*
vidro e em lindos frascos.
VinhosUberes.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Museatel.
Reino.
Bordeau.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.

J7
armazem de azendas
baratas de Santos CoeDio
Roa do Racimado a. 19.
Venderse o seguiDte :
Lencoes de bramsiite de um s panno pelo ba-
rato preco de 3*iOO.
Ditos de panno de llnho a 2^300 e 25600.
Cuberas de chita da India a 2J100 e 2800.
Lengos de cambraia brancos proprlos para algi-
beira a 2^000 e 2,5*00 a duzia.
Ditos de cambraia de linrfo lino a 4S09 e 53 a
duzia.
Atoalhado de algodao branco tlfi vara.
Bramante de linbo flno com 10 palmos de larru-
a IJ50O a vara.
Panno de linho flno com 9 1[1 palmes de larga-
ra pelo-barato prende 2400a vara.
Bramaoie de Infria flno ds nma largara, pelo ba-
ratissirae preco d#*0 a vara.
Toalhas de linn acolchoadae para ruaos, a 133
a duxia.-
Dias felpudas a 133 e 153 a duna.
Guardanapos deMinho a 33500 a dtuia.
Planeta de todas as cares para coeiros, a 880 rs.
o covado.
Tarlatana de cores a 800 rs. a vara.
Baloes de 35 aiaw 33500* de 40 a 4.
Cambraia de linho Ose a 4#9d, 63000 e 93 a
vara.
Cambraia para lacro de vestido a 13700 e 33 a
de bretaafaa de rolo eom 10 varas, a
JS-
Peca da madapolao flno e largo a 7}.
Laiifna lisa da-core* a 500 rs. o covado.
Pecas de cambraia branca de salpicos eom 8 e
aaia va jas a 43500.
Goeiroa de casemira bordados pelo baratissimo
tratada w.
fttelra da India propria para forro de anta da
L 5 e 0 salmos de- largura.
CaHbraias Snas deberes miudas i 830 rs. a vara
Ueste armazem tambem sa eacanlra am-'grande
NOamentode rotyia-as s att medida.
O castell de Grasvle.
Trataiid do franeei por A. J. t. da &w
Vend-se este bello romanea am craatr
[toaos pelo baratissimo proeo doS|DO0
Puls^#oi^d#lahora>coaopaw pra^a da tadepen meninas^ '* 8,

.



' ^


n
,
Ufarlo de reman bnro -- Sexa felra tt de Junho de 1866.
K
ENCICLOPEDIOA
t Ruada
azea
da porta larga nt.
Junto a padarla fradeeza de
Paredea Pnrto.
Neste esubelearneo eacaatrar* o reapeftavel
publico nm variado sortimento de fazendas trnce-
la*, iicieus, IDIS8U e alleasaea, me se wn*Wo
por praeo coromodo.
PareeVi Perl*
Vende chales de renda de cores que se vende-
rn) a 189 est vendendo por 6*, ditos pretos, fa-,
xenda nova, 5*, 6*, 8* a 2Q*. nm sortimento eom-
wSmo nianteletes capas e^sonlambarqaes 14* a
*. Raa da Imperatriz u 42, jauto a nadarla ran-
cea, armazetn da porta larga.
Paredea Porto
Receben nm completo sorUmento de iadainbaa a
540, e 280 rs. eovado*, para acabar, cambraia* de
cor a 240 rs. o eovado, riscado escossez para ron-
Bi de menino, rosti da linbo a 420,400 600 rs.
na da Imperatriz n. 62 junto a padana francea,
armazem da porta larga.
Paredes Parto
Recebes pare cortinados para cama franceza a
11 a peo* cambraia lisa fina a 3* 4* at 10* a
peca, corte de Urlatanade booitosgostos a 3*800
4*, caatbraia cem flor de seda, gostot tateira-
meote novos a 400 e 800 rs. o corado, no armazem
da porta larga n. 32, roa da Imperatriz junto a pa
dara franceza.
Partitt Porto
Receben pelo nltimo paquete nm sortimento de
cruzes com podras para o pescoco, bonitos caxinels
de laa para pescoco de seobora. Ra da Imperatriz
n. 52, armazem da porta larga.
Paredes Porto
Vende cortes de gorgurao preto para vestido eom
21 covados cada op 33*000, grsdenaple preto a
1*600,1*800 e 2* o eovado, lias lizas finas a 400
n. o eovado, lias de quadrinbopara vestido, enfes-
uda, a 320 rs. o eovado. Roa da Imperatriz n. 32,
armazem da porta larga.
Roapa feita
Roa da Imperatriz n. M armazem da porta tar-
ea junto a padarla fraaceza, eaeoolra-se Mete es-
tabelecimento um completo sortimento de paleis-
saccos e sobrecasacos, de todas as qaaliades, tal-
cas, eoWetes, ceroulas, camisas, grvalas, alelas,
chapeos de sol, ditos francezes para caneca, por
presos commodos, roapa para menino ostras
muitas fazendas por procos commodos, armazem
da porta larga.
No mesmo estabetoeimeoto encontrar* o respei-
tavel publico, sempre um completo sortimento de
roupas fetas de todas as qualidades, como sejam
paletos de alpaca preta ede cor, ditos sobrecasa-
ros a 4* e 5*, dHos de briro pardo a 2*800, 34 e
3*300, ditos 8nos a 4*, ditos meias eazemra a
3*500, 4* e 5*. ditos cazemira saceos a 6*, 7*, 8*
10*, ditos sobrecasacos a 10 e 12*, ditos de pan-
no saceos a 6*, 8* e 10*, ditos sobrecasacos a 12*
e 25*. ditos de merino preto a 6*, 7* e 10*, cal-
cas de brinde diversas qualMades a 1*800 a 4*,
ditos raseos a 2*500 e 6*00, ditos cazemira 8*,
6* e 7*. ditos pretos a 8*, 8*, 8* e 10*, ditos
metas cazemiras a 3* e 4*, coletes de diversas
qualidades, serouias francezas de algodo, ditas de
linbo, ditas de bramante a 2* 2*500, carniza de
algodao de linho francesas de 2*500 e 3*. Gran-
de pecbincba nesie genero, grvalas de todas as
qualidades e brancas para canamente grande sor-
timento de meias para senhoras, ditas para boraens
a 3*, superiores a 3*500 e 4*.
Um completo soriimento de chapeos de sol de
alpaca a 3*, ditos de seda a 5*, 7*, 18* e 14*,
ditos francezes para caneca, grande sortimento
a c*.
Vestidos
Iechincha sena igual.
Cbegou a loja de Paredes Porto um bonito sor-
timento de vestidos de artalala de cores e branca:
jue serve para partidas por ser orna phantasia tu-
teiramente de gosto pelo barato prego de 4* e
brancos a 42500, estSo acabando-se : no armazem
d porto larga roa da Imperatriz d. 52, junto a a-
uara franceza.
VENDE-SE
Nn
de H. Ranea e Silva eatro, ra da vlgarfo
11, constan 1 caat^aite. os seguate artigo*, nue
uechessi por encomasenda propria de
lEW-lORE
Kmp.
Legitima salsa parrilha de Bristol, preparada por Lamwm &
Verdadairaagna florida, preparada pelos mesmos.
Gax em latas de cinco galoes, o mais purificado que se pode desejar da acredi-
tada marca F, W. D. & C.
Relogios perfeUos regaladores, com corda de qaatro a oito dias,- dos afamados fa-
bricantes E. N. Welch.
Graixa em latas grandes da bem conheeida marca las. S. Masn (de Pbfladel-
phia).
Sopertor oleo para machinas de costura.
Agulhas para as mesmas.
m Breu em ban cas grandes e pequeas.
Vende-se tambem:
.DEAt'X
4.* valMade.
St. Estephe.
St.'iWien.
C. Marga. *
. La8tte.
Medoc.
PORTO
Ia saudade,
Principe Real.
Pedro V.
Mari a Pia.
Princeza D. Isabel.
Vctor. Emmanuel.
Duque.
Malvazia.
Vinho fino do Porto em barris de 5/, 10/ e 20/.
Superior vinho do Rheno.
Cera de Lisboa em velas e em grume.
i .

fe fl BA SO QUE11HADO M.E*V
Madapolo.
Finas pecas de madapelao com sobaras a 9$.
BENCOS,
Lencos de cambraia branca, duzia 2$.
dem Caaara:as.
Cambraias da cores a preco de 260 a 300 rs. o eovado.
Guardanapos.
Guardanapos de linho, dozia 3#500.
Algodo.
Algodao trancado de duas larguras, proprio para tochas de mesa, tareco de
,0300 a vara.
Bramante.
Superior.bramante de linho inglez e fraocez.
|ambraia de linho propria para lencos.
ATOALHADO.
Atoalhado branco para mesa a 1<$600 a vara,
ntremelos de cambraia muito Anos, preco i 5.
Lencos de seda para algibeira a 10600,
-
.
Cortinados.
Cbegou a loja de Paredes Porto nm complete
sortimento de cortinados ricamente bordados a
preco de 252, 3o* e 45* : na rna da Impertid:
n. 52, pona larga junto a padaria franceza.
Ricas romeiras.
Paredes Porto receben pelo nltimo paquea om
sortimento de romeira de guipare pretas e de a prego commodo : na ra da Imperatriz o. 52,
porto larga junto a padaria franceza.
1^400
Chapeos de sol.
Vendem-se chapeos de sol de panno a 1*400 e
urna grande peohincha-s para acabar : na roa da
Imperatria-n. 52 armaaem da porta torga de Pare-
des Porto.
MACHINAS AMERICANAS
Verdadciras do fabricante X. Y. Canttongin & C.
Moinhos americanos para moer aiilho.
Na ra Nova n. 20 e 22, grande deposito
das vertladeiras machinas americanas de todos
os fabricantes; se enjontra neste deposito
Ba da lamperatrtz, 1. 60
GAITA & SILVA.
LOI* I AM|M11|T)B rAZWOAS.
fDdo os iToprieUrios deete grande esubeieci-
ment feito um grande abatimento em muitas de
suas fazendas, pula occasiao do talanto que deram
no nltimo de.dezembro de 1865, resolvern) vender
muito mais barato do que costumam afim de cada
ve* mais agradai-em aos sans numerosos fregne-
zes ; por tanto Ihes offerecem um avulado sorti-
Gbapos para neaiaas a 6,000.
So na loja do Pavao.
Se vendem os mais bonitos e mais bem enfeito-
dos cbaposlnhos de palba da Italia, proprfos para
meninas, pelo baratissfmo preco de 6*000; na loja
e armazem do Pavao na ra da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
Atenlo.
ULTIMA KOYIDADE
PEHTES, EBTEITES, CINTOS.
Gama & Silva, acabam de receoer pelo ultimo
vasar traseez, nm.grande sortimento dos mais ri-
cos enfeiles pretos e de cores proprios para cabeca,
sendo guarnecidos com a? mais lindas flores, e com
voas das mais bonitas peroles; assim orno os mais
ment de fazendas franceras, higlezas, as quaes modernos e engranados pentes da verdadeira tar-
vendero maie barato do que em outra qnalqner toroga, marchetados tendo a ultima novidade
parte, comprometindose a mandar levar qualqner 909 tem vindo de Paris, e os mais ricos cintos coro
lateada em cas. dos frega-zes que sao pedern Qtas malhisadas e fivelas largas, conforme ultiraa-
vir a loja, ou a darem as amostras, de'izando ficar BWDle w prlmeiras capitaes da Europa, e
o penhor, assim eomo eonvidm as pessoas, que eode-se por preco em conta por ter chegado m
negoclam em menor escala qne neste grande est- direltora jiara a loia do Pavao, rna da Imperstriz
belecimento encootrarao nm grande sortimento
tanto a reniho como por atacada, vesdendo-ee-lbe
apenas pelos precos que compram as casas ingle-
zas, sendo com o dinbeiro a' visto.
Rlena veatldns a tafOO ra.
aoofciwfca adniravcl.
S o Pavao receben pelo ultimo vapor francez
um grande sortimento dos mais tieOs cortes de
vestidos transparentes oom Iradas barras eeneites
de seda, sendo estes vestidos muito proprios para
baile* e psenos, e vendem-se pele baratlssimo
preco de 8*000 rs.cada um, na loja do Pavao na
rna da Imperatriz n. o#e Gama &Silva.
OsekaJes d pavo t tata 1$ n.
VendeHhse ckjiles de merino estampados a 2*
e 25500 cada nm.
IXtoe de oMin liso a 3A500.
Ditos estampados de crepen a 6*, 7*, e 8*000.
Ditos prtbs'bordados om franja de seda a 14*.
- Na loja -armazem'dd'9i*ao:Ut-ra&'da Impera-
triz a 60 de Gama & Silva.
Para hito vt?Dde o Pavao.
SelimdaChiBii coro 6 palmos de iartura, azen-
da preto para loto, propria para vestidos e ronpas
para horneas, sendo esta nova fazenda sero lustro e
de muito boa quaiidade, garanliodo-se nao Scar
russa rom o lempo e vende-se pelo barato pre^o de
2* e 2*308 o eovado, assim como nesle esubeleei-
meoto tera um grande.sortiroento de todas as fa-
zendas pretas como sejam assas e cbttas pretas,
laas tapadas e traasparentes princesas, alcanas,
sarjas, etc.: na loia e armazem do Pavao na roa
da Imperatriz n.-0O,-defama & Silva.
Os cortinados do Pavao.
Vendem-se superiores cortinados adamascados
para camas pelo baratissimo prego de 1* cada par,
ditos muito Qooe ricamente bordados para camas
ou janellas a 153, 20! e 25 o par : na loja e ar-
mazem do Pavio na roa da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva. .
Os eepartHho8 do Pavao.
Vendera.se orna gtaade e variade sortlmeeto de
espartaras dos mais bem eitos que tem viodoao
mercado, sendo de todos os lmannos, vendendo-se
por um preeb~raulto razoavel : rsto na loja do Pa-
vao na roa da Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
As saiaa bordadas do pavo.
Vendem-se saias bordadas sendo fazenda multo
bda, sendo ricamente bordadas e rcm muia roda
vendendo-se pelos baratos precos de 6* 80 e 101
res cada ama na loja do-Pavao na roa da Impera-
triz n. 60 de Gama A Silva.
itonpa felta.
Na loja do Pavao
Vende-se neste estabelecimento nm grande sor-
granie porc3o de machinas, e se vendem por ^|^pas. ante de panno comocaxeroiras,
b pelos baraiissimos presos como sejam
calcas de caxemira pm e* 7* e 8*000reis, pa-
menos pVeco do que em outra qualquer parte,
por se receber em direitara da America; se letdts de panno preto"saccos"a 6*~8*V2*oob rs.
fornece todas as explieacoes necessarias ao | ?iif0[l*?hr^casac0s depaooo naiseimo a 12* is* e
comprador para conservacao das mesmas;
neste grasde estabeleckoeato se euconlra mu-
tes artigos americanos, que muito deve agra-
dar aos agricultores que usan de taes artigos,
encontrare lambem todas as cellecces de de-
senhos sobre es quaes se aceka qualquer urna
encommenda, que com promptidao ser execu-
ta Ja; > este grande estabelecimento, eocon-
tra-se em grosso e a retalho, grine percSo
de ferragens, e miudezas que se vendem por preco coaimodo, pedindo-se a atlenso
de todos para este -estabeiecioaento que muito lucrarlo em fazer suas compras: na
ra Nova a. 20 Carnei o Viaona.
siooo
SI itl
Cortes ae laa escocesa .para vestido 'a 3* o cor-
te : na rna ua Imperatriz n. 52, loja da porto lar-
ga, junto a padarla lrasoeza, estao se acabando.
Para luto.
Laas pretos com salpioos brancos a 400 e 500
rs. o eovado : na roa da Imperatriz n. 52 junto a
padaria franceza armazem da porta larga.
A I#500.
Vendem-se pecas de trasca preto ara afeites
de vestidos, soutembarques, capas de seobora a
42600 com 10 varas, urna grande pecbincba : ns
ra da Imperatriz n. m junto a padaria fraaceza.
Chales de-renda pretos.
Veode-se cuales de renda ^reto a 4*000, nnicc
loja que pode vender oa ronda Imperatrtz o. 12,
armazem da porta larga, de Paredes Porto.____
3
S S.g.
3 5 K o o.
x "0 ta.t
a
Q.B R ero B P S
Ba
-p a. b.
-8-^*2 S.*
S u 2 w "~
o
5 .
O.'
Bfga
3 B
o 2.
co a an
gB o

< 8 B S> ** ff-S
Miriifti
fftf
OQ O 3 g
es y
Cu
tt
P
5 o w
**> *
erg MF
> a t
|a |
F B
n
f
a|.|is
3*:.
all
8-1?
m
o
-o
f
^TSreu em barricas perraeSO
Cera em velas de todos os tanwnbo?.
Bogiaa.
Mercurio. ___ ..
a rna do vigarrop. 19, .fjnrnefffl azmaf.
ams
Grare oriiBeiio.
Cbegou i raa da Imperatriz n. 82, Junto t pa-
daria franceza, um grande sortimento;que te ven-
de a 2W0 rs. pn-Meoalnr. ?
DE
FAZENDA E ROPA FEITA
IIl A XOY.1 X. 94.
Reg & Moura, proprietario da loja de fazendas e roupa feita, sita rua~~Nova
n. 24, fazem sciente ao publico e particularmente aos seus amigos e freguezes, que
acabam de receber de sua encommenda, nm perfeito sortimento de fazendas finas, entre
ellas casemiras-de cores proprdas paracostumes; pannu fino dos melhores fabricantee
proprios igualmente para casacas e sabrecasacas e outras fazendas de variados gestos,
as quaes vendem com vantage sobre outro do mesmo genero de negocio, tanto pela
nodicidade dos precos como pela qualidade especial dos artigos que expe a escolba de
todos aquelles que se dignarera frequentar seu esiabeociraento.
Os mesmos, continiandocomo sempre, escodados e robostecidos na aceitacaoe
oonfianca que rhestem sido dispensada pelo respeitavel publico', no espaco de tempe em
que se acham establecidos, proeuram envidar todos os estorcos a seu aleante para cor-
respondern suflicientemenie a expectativa deste e de seus numerosos freguezes e ami-
gos, por isso, admittiram para sua offleina de alfaiate, quatro contra-mestres, funecio-
nando regularmente sob a iodmediata direccl)do moKo hbil mestre Lauriano Jos de
Barros, o qual, activo e diligente como se ser. nao se peupa aos mais aturados cuidados
de eua arte quando tem de salisfazer com brevidade e presteza qualquer ebra de encom-
menda,
Ao contrario dos n uitos que encheraas oolumnasde jornal com a repetico oeiosa
de aannncios em esh-Io sedico, n5o precisamos aqui a natorea dos artigos que possui-
mos para na"o collocar a sinceridade dos noss tratos no perigo immiaente que resulta
dessas antecipaces eem fundamento.

AE
SE
Roupa feita e por medida.
2G Ra Xova n. 20.
Jee AnWnw -GurmarSes, proprit?rio deste novo estabelecimento de roopas e
fazendas Anas, participa m respeitawl nublico em geral e a todos os seQS freguezes,
que estando sua casa sdbte a diref3o fle'doas dos melhores mestres de"1falate, sendo "fim
delles oSr. F. E C. .Miranda, eoe'uiro o Sr. M. J. G. Carneiro, anbos tom grandes
haMitacoes tendentes a sua arte, pelos quaes dirigida a sua officiia, e achaudo-se bem
montada adewiapesliw t|rjalquwtlcemmenda por grande que seja, se efbTcar para
sahir a corrtCTr dos tregorres, tendmdo ludo por menos do que em outra qtrarauer
parte, rogaas aestas mteressadas que veriham examinar seu estabeechnentrj, e verificar
por si mesmo oque declara, sendo datoQgQ* q*a*fer acoawnenda o prn tte 24
eras.
2000 reis, e outros muuos artigas que seria eo-
fadoobos aqu relata-los; s na loja e armazem do
Pavao roa da itsomtriz n. 60 de Gama A Sirva.
Laja 4aP\o
brande* nechtncbas.
Sedioaaa a SM a. o cavado /
Sediiitas a 500 rs.
SedMas a i>#0 rs.
Vende-se- na loia de- Paveo, nm grande sortimen-
to de sedinhas htradas eom as mais bonitas coree,
sendo os padrSs mais novos que tem vindo ae mer-
*?> MHnjsn pelo parartestmo prego dfewnco
lestoes o eovado, sendo fasenda que valem muito
mais dinbeiro, grande pecbincha por se ter
comprado urna raodporttda desta fasenda, na
loja e armazem de fasenda do Pavao, roa dalm-
peratris a. 60 de
Os chales (te guipare a 12^-e
Vendem-se os mais ricos chales de Gulpure e de
reMa de loho e *da, pelo? bar iii e 164 ; rinde pechracha em reiacao a boa
qualidade e tamanho delles : s na loja do Fave,
roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lazinhas a 20 rs s o
Favao.
Vendem-se modernas lazinhas com lindlsslmos
gestos, pelo tarttissioio pre^o de 205 rs.; gran-
de pecbincha : s na loja do Pavao, ra- da Impe-
ratriz o. 60, de Gama & Silva.
Se4s Largas
Na bija do^&vSo,
Cbegoa para a loja do Pavao um nodernissimo
sortimento des mais lindas sedas para vestidos,
sendo amas de listribbas e entras de fldrznfees
eom as mais lindas cores, e algamas propnas para
as sennoras qae estiverem tfe loto e vetNfui-se
pelo barate preco de-2#000 o eovado, lendo esta
fazenda quatro palmos de largura, que facilita fa-
zer-se um vestido com poneos covades, isto na
loja e armazem do Pavao na ra da Imperatriz n
60 de Gama & Uva.
Lencas araaeas a t^09 res a
dazla.
Vndense lencos brancos fazenda muito boa
pelo baratissimo preco de 24 a duzla, Ditos com
barra de cor a 24000 isto para acabar na loja d-
Pavao na ra da Imp*eTlri n. 60 de Gama & Sio
va.
GreadcHatf prefeg do Iav5o.
Vendem-se superiores, rosdenaples pretos pelos
baraiissimos precos de 14500, 14600, 14800 e 24
o eovado, sendo fzebda mullo boa, s para aca-
tar : oa leja e armazem ao Pavo; roa d Impe-
ratrii n. 60, de (..ama 4 8itva.
Bramante de llnhn dn Parfn.
Vende-se superior bramante de linho eem 10
almos de largura, proprios para leoces, pelos
aratlsemras precos de 5J 24600 a vira, assim
como peone de linbft multo Bn |>losl)aratlsimos
prefos oedO, 700 e #601*. a vara Ba 1 jja e ar-
mazem do Pavao, roa da Imperatriz o. 60, de Ga-
ma & Silva. -
Cambraias lisas do Pari.
VfelWbAtfsd peejas ae nlnWala- Usa thito supe-
rior, pelo barato preBd-Vaj -a'39MO peea.
ditas muito feas a 54, H P4 e 4 : b !o]b e
gjwtem do Pavao, roa da toperatrie n. 60, de
TJama & Silva.
UEDK.Q E PGFSSOR DE PHARMACIA, DE PARS,
>aTia 6 YnMtmro E PRIPTO CUHM1VO
MXOAES, DK TODAS AS "AfrecCOES CUTNEAS, VIRUS
I
a
L V I]
mi w
DO BR. CHABLE
AS KHIHM*M
PLUS Df
COPAH
>mi ptelsnvel -ao
iba e -as ids, cura imiaedlatarflen-
ie gaal^nler piltgi<),t
DEPURA, i
SANG
E ALTERACOES DO SANSCE.,,
Depura!t de iii;f.
fctpope vsgei^ tem.er-
curio, o nnico cnhecido
pprovado para enrar
con promatidaO radl-
sna, co-
anaaW
relaxacao e deblidade, e TJgmilineBte ftapH e JASmt'lmlFgii,.pfttuhs, nerpes, si
flores tjrancas das finriires. -inje**^ ^vt'^T^.i^!Ti^Tn Z2T
moterapo o xaropefle clirato-de W"" -gtarnd o trasmosto ^rav^-*Mna* s
de anl, Urna tx fletare dorante tre flus; uberretiea. De o efleo EsatavHhoeo as Af-
eita segura -a -car. fecoes cnuneas e comizoes.
' ^^"2!!.**i,9^'?4nnaVflt*naA^ -
'BNlr\D0RES
m rotjp&es de cambraia bordtw preprios
para as sennoras vesrett de nianiBa.
Ctwsjou na novidMe ana a soja do Pavao,
muito lindos e dooMlber gosto at hoje, por Ye-
cos multo razoaveis: na ioja do Pavo, roa da
rnirrerarri-U. 60, Se Gama & Silva.
ftosdeaple prto a I#60.
E' jraude pecbincha 1!
Vende-se grsdenaple prto, sepdo muito encor-
rraOo e detioa (argdM, pero bamissrmo prec'de
14600 o eovado : na ra da Imperatriz a. 60.
Os cadbinez o Paaoo.
Veridem^ilponisesaaohnezdeaaaai.agaiaibos
jra eabeca pelo baaau'ssioio pre na loja do Pavao, na ra da Tmperatrlz n. 60.
(Mter 3U0 rs. a cavada.
Para cateas.
Vendem-se superiores castores muito encorpados
padres escuros pelo barato preso de 320 ls: o to-
bado, 8ervdo'ma?MefaintBfomiOT*,mB
por ser deaaorta aosnalr-; a toja e ar-matem do
L'avo raa da Imperalriz n. 60 de Gama & Silva.
la4aelt's-*A,S#0r&-^*esf'a- j
Vende-se peeag de
das, pfletJafitrjprejo'l
S na loja do favSo.
"Sftoo
n. 60 de Gama & Silva.
Is rafeadas 4 F>ao a 8 e H}>\
Veniem-se as mais ricas retandas de reada pre-
ta, sendo muito grandes, que sao as que mais se
ussm, pelo baratissimo preco de 84 e 104 : na
loja. armazem do Pavao, ra da Imqeratriz n. 60,
de Gama & Silva.
Chitas pretas a 160 rs:
Vendem-se chitas pretas inglezas, sendo fazenda
muito boa, pelo baratsimo preco de 160 rs. o eo-
vado, on 54500 a peca com 38 covados: s na
loja de Ravao, ra da Imperalriz o. 60, de Gama &
Silva.
* ATLANTA

brande novldadc a O rs.
Manta a 200 rs.
Allaila a 200*s.
Allanta a 200 rs.
Cbegou para a loja do Pavao o mais lindo sor-
timento desta nova fazeDda, m o tittrm d* allanta
propria para vestido e roupas para meninos, sen-
do esta moderoissima fazeDda de lia com os mais
lindos gossos de quadrinhos e listras leudo entre
ellas de flr roa e preta, com listras e qnadros
brancos proprias para lato, e vendem-se pelo ba-
ratissimo preco de 200 rs. o eovado nnicameote na
loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
As chitas de Pavao a 200 a cavado.
Veode-se o mais bonito sortimento de chitas es
curas e roas sendo Inglezas, mas com os pannos
tao encorpados como os das francezas que se ven-
dem a 400 res, e liquidid-se pelo barato preco de
200 ris o eovado ou a 74200 a peca, garanliodo-
se terem 38 covados cada peca e serem de cores
fizas isto na loia e armazem do Pavao na ra da
Imperatriz n.60de Gama A Silva.
Novidade
Para vestidos.
Cnegararo as desejadas cambraias ou tariataca-
braocas con listrlnbas {sendo transparentes e ven-
dem-se pelo baratissimo prego de o4O00 o corte,
n* leja e armazem do Pavao na ra da Imperatriz
n. 60 de Gama & Silva.
Cbitas a I NO rs., s o Pavao.
Vende se o mais bonito sertimento de chitas in
glezas, padrdes mludinhos, claros e escuros, e ten-
do tamben roas para luto, afiancando-se serem
cores fizas, e vendem-se pelo baratissimo preco d&|
nove vintens o eovado, ou a peca c:m 38 covados
por 64800 : -isto na leja e armazem do Pavao, z
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Vestidos linincos.
Cbegaram para a loja do Pavlo os mais bonitos
cortes de vestidos de cambraia branca com boni-
tas barras todas brancas, assim como com barr,..-
de cores, sendo fazenda transparente e muito lina.
tendo cada um corte bstanle fazenda e muita ro-
da, e vendem-se pelo baratissimo preco de 84 e
10$ : na loja do Pavao na ra da Imperatriz n
60, de Gama- & Silva.
Cortes de Urlatana ua l*ja do pava*.
Vendem se os mais modernos cortes de trlaian
com as mais Iradas barras de cor, peto baratlssimc
prego de 54 cada, um, sendo neste artigo o menor
que tem vindo ao merca o : isto na loja e ar ma-
lera do- Pavo na roa da Imperatriz n. 60, de Ga
ma & Silva.
OmbraiS brancas,
Com 8 palmas de largurac
S& na loja do pavSo.
Vende-se cambraias brancas transparentes tendo
8 palmos de largura, ou dbas larguras das regula-
res, que facelita fazer-se um vestido apenas com 4
varas, e vendem-se pelos baraiissimos precos de..
t400(i res, e 14280 a vara, nicamente na loja e
armazem do Pavao, ra da lmperairirn>W>tle~s*
ma & Silva.
lliilas lu'f a as a 280 rs.
Mende-se cbitas francezas acentos brancos pa-
drees miudinbos, pelo baralissimo preco de 280 rs.
o eovado, na ioja e armazem do Pavao, roa da Ira-
pera tntn. 60, de Gama & Silva.
Gbapes de sol.
Vende-se um grande sortimento de chapeos de
sol, sendo de seda e de varios precos e qualidades;
ditos de alpaca e de panno, e vendem-se por precos
muito commodos, na loja do Pavao na rna da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Suva.
Cortes de chitas.
Vendem-se cortes de chtas inglezas, sendo pa-
drdes escuros tendo 10 covados pelo barato preco
de 24000 rs.; ditos com 11 e 12 covados a 24200
e 24400 re; ditos de chita franceza escora e ale-
gre, tendo 10 covado. 34200 ; ditos cora 11 e 12
covados a 3520 e 3480 rs: pecbincha, na loja
e* a*aem do Pavao, ra d- Imperatriz d. 60 de
Gama & Silva.
Grande' pechlncha
em chales a 40 na loja do Pavo.
Vende-se flnlsimos chales de merino lisos com
(ravjas largas de rem-z tendo as cSres seguinies :
encarnado, azul claro, azul escoro, verde, cor de
cnna, Sorfeflno, majenta, brinco rOio ele, esla
fazenda vende-se sempae a 64 pela sua loa quali-
dade e agora liquidase pelo baralissimo preco de
44 por ter grande porgao : na roja e armazem do
Pavae tarea da Imperalriz n. 60, de Gama &
Silva.
A t& pecbincha em ctiates de renda na loja
do Prvo.
Vende-se cbales de renda pelos tendo 4 ponas J
e sendo muito grandes pelo baratissimo preco de
44, dito? de renda de seda a 84 O: n loja do
Pavao fia roa da imperatriz n. 60, de Gama k.
Silva.
chales
pfchiocha t 0 por ter ran toque de mofo
Vendem-se fidissimos chales de renda de seda
pretos com um pequeo toque de mofo pelo bara-
tissimo prefo de 64 endo fazene que sempre se
vendea por 184 e 204 o acabam-se por este preco :
na loja e armazem do PavSo na ru da Imperatt iz
n. 0, ie ama & Silva.
chaira de renda.
Vendem-se finissimos cha es de renda de seda
pretos sendo de (ts ptratas, forrn marte fraudes
pelo baratissimo prece de'4. seodo fazenda qne
BMMAIftlvd. .; ,
Wf :Jr*f *: na loia So PavSo. .
TeiWBtanrte titots odetws- alpacas ft * res para vestidos eom os mais lindos desetfbos
sendo fazenda chegada pelo nltimo vapor e ven-
de m-se pWo'baratrSinjo pre^o de 640 rs. o eovado,
tendo estas fazendas largura de chitas Tranceaas :
Isto na loja e armazem do Pavo na ra da Im-
peratriz n. 60, d Gama & SITva.
Pora1 mo
Lencos bordados
Vende o PavSo.
'Bsie este*el8etaflKi ataba deT*ce*eram va-
rdo eertiOento dos mate bonitos lencos de cam-
braia prlmorosamen,te bordados e proprios para
Wovidades!
Cambraias a Alaria Pia.
Cbegaram as mais bonitas cambraias coro lisias
de cores e com os mais delicados deseohes que so
vendem a 800 rs. a v?ra, fimssimos organdvs do
mesmo gosto que se vendem a 14200 a vara, cas-
sas de cores com difler-ntes e modernos desanos
que se vendein a 240,2S0 e 320 rs. o eovado, la-
do Isto muito barato em attencao a qaahdade :
na loja e armazem do Pavae na ra da imperatriz
o- 60, da Gama 6 Silva.
Grande peenlncha em toalbaa
para mo.
Vendem-se superiores toalhas de linho proprias
para mao pelo baratissimo preco de 560 rs.. rilas
a 640 rs ditas a imitacao das felpudas a 800 rs.,
ditas fe podas a 14 -. pecbincha na loia e arma-
sen do Pavao na ra daImperairiz n. 6", t (i,
ma & Silva.
Atoalhado na loja do Pavo.
Vende se superior atoalhado adamascada sendo
alvo com 8 palmos de largura pelo barato preco de
24 a vara, drto de linho trlgueiro com a nu-sma
largura a 24300, guardanapos da mesma fazenda
a 34 a dozia : na loja e armazem do Pavo oa rna
da Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Baldes baratos
Vende o PavSo.
Cbegou nm grande sortimento de baldes de ar-
cos sendo americanos qtre sao os melhores e ven-
dem-se pelo baratissimo preco de 24500, 34 <*
345OO : na loja do Pavo na ra da-Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Mi-ctanlias de rolo a 2800.
Vendem-se pecas de bjetaoha de rolo lenJo 10
varas cada pea pelo baratissimo preco fle SjtS'.O:
na loja e annaeem do Pavo na roa da inperalnz
0. 60, de Gama & Silva.
Rutea Senho a do C*rmo e a gli;. sa
Sant'Aona.
Est a' venda defrimte do convenio de S i'ran-
cisco n. 15 a novena, salve, versos, e a ei pos cao
do Sanio Escapwlsfio, tre* lolhetos por 500 rs., e a
novena da gloriosa Sant'Aona em 1 dito por
320 rs._________
Cigarros antl-aslbmatlco de loy
A vkjhsncta e a repetico dos aeeessos desta mo-
lestia sero prevenidss, impedidos e curados vom
o uso constante deste remedio : botica do Piol)
ra do Rosarlo larga n. 10.^
Saias bordonas
Cbegaram a loja de Paredes Porlo, ricas sajas
bordadas, que vendem se a 40500 e 54 : no arrua-
zera da porta larga n 52, ra da Imperan iz.
Para Santo Antonio e S. Joo, algoidares de Gt
nova de todos os tamanhos, muito baratos por. ter
grande porcao, jarras finas, entre finas e ffsgas,
de todos os tamanhos, ai?dorcs para ir ao .\i..
vasos francezes era ternos de seis, e toda S~-;,. -
looca de Genova e da trra : na rna do ftaOfei
numero 4. _______ ________
Na ra do Jasmim n. 2i, offleina de ferr-Tfc,
ha para vender urna victoria, um catriolet amri-
cano de 2 e de 4 anete*, ora cabriolet de 2 roas^
todos novos e por << mmodos precos. Na mesrr
offleroa se aprornpla rom toda a peifelcao qoalauer /
encommenda, lano dt earftpioa como de Ferieiro,
qur sejam obras novas, qo-r concerlos de toda a
especie.
chegada nova remessa de fnvas da liba ia-
bema n. 2 em frente a ra do Vigario, peio dimi-
nuto preco de 120 rs. a libra.
Farelh>a$$.
Na ra da Madre de Dos ns. 3 e 9 vende >e la-
rello de Lisboa novo, sarcos grandes.
PASTA e XAROPE de HAF da ARABIA
DE ii;i.*\Ri:in:it
; Sfio os rnilcoa peitoraes approvadoa pelos profesaores da
/ Facultad de Medicina de Franca, e por M mdicos b& Hoa-
pitaes de Parir, os quaes certificarlo laa te asna supeno-
ridade sobre todos os outros peiloraas como sua poderosa
efcacfff contra os Beflnxoa, Grppa, Irritacfies e II
Affelcei do peto e da garfanU.
RACAHOUT DES RABES
nr iiniKiiiviiK
nico alimento pprovadope'.aAcademladaUedicir.sde
Pariz. Elle reslabelece as petadas que soffrem do Eaio-
nu(o e dos Intestinos; fortalece as crlancas as pesadas
debilitadas, alem aisse em virtade de sua propriedade ana.
Ieptica he o melhor preservativo das rebrai amarilla e
trphoid.
Cada frases cada caiilnha destas preparacHes UvJo
tempre o tello a /Irma hilangr'nter, roa Iticheliea, 20,
em Part. (Fazer sarillo sunelo com u falsificares.)
Depotllariamo ttrtambuco : Otan Barbera; ar-
tholomao r Mu j Ota.
Vende-se aas pliarmacias de Maurer e do
A. Caors.
Escravos fgidos
300^ de gratificado
Em 31 de outubro de anno passado, fugio a es-
crava Claudina, cabra alia e sera do corpo, qu&
pertencen ltimamente aoelllms.Sra. Jos Joaquim
da*Sllva, Manoel Mauricio de Sena e D. Mariana
Ignacia de Castro e Silva que a veDdeu a Jos Ma-
(heos Ferreira que pagar 20000 a quera Iba
entregar dita escrava na ma da Cadeia n. 62.
4OJJ00 de gratifleaco
Fugio do eogenho Tarjuara da f'reguezia de
Iguarass, em dias do nez de novemhro do anno
prximo passado 1863, o esc avo Luir, crioulo, de
idade 22 a 24 arlnos, e cora os sfgnaes segrales :
cor fula, cabellos carapinhos, testa larga e bem
feita, nariz afilado, bocea bem desenbada, denles
alvos e sadios, tendo emflii as feicoes extremamen-
te'delicadas para escravo?, tem olbos vermeihos
e o costme de nao encarar as pessoas, e sempre
i tha por balso. 03o levanta nunca a vista, como
quem anda ateanorisado, lem o andar apressado,
e alguma cousa cabido para diante, falla pouco e
etplicado, tem' as ptrnas bastante grossas, tendo o
dedo mnimo de um dos ps muito levantado, que
sobresahe quasi por cima dos outros, tem as cos-
tas bastantes eicatriies de chicote, assim como as
oadegas ; este moleque foi comprado no anno de
1856 ao Sr. Francisco Correia, do Brej* Fgunde,
drzendflet o He eseravo desse looar : portanto
roga-se as autoridades poli:iaes on capitaes de
campo qne o aoprehendam e levem a sen senhor
em oKe eogenho, qne ter a gTatlBcaco cima
mencionada, ou mesmo avisando o lagar em qae o
mesmo esteja.
.OOOO de grrticaco
Fugio do engenho Taquata, fregneiia de Igua-
rass, resera* Acacia, de 18 a 20 annos de ida-
de, cor fula, ebeia do corpo, altura regalar, cabel-
los corridos, rosto edondo, falla de dentes, muito
peituda, tem O calcanbares com marca de bicho,
e toda desalisada cuando anda : pede-se a quera
a appnhender leve o dito engenho, que ter a
trMmcaao de 100,1. Julga-se .er seguido para
Fedras de Fogo, onde fra a raesma comprada.
Eseravo fgido,
OMlMeadaa, lisas
btatisslmes
Fugio d# da 17 do eorrente o preto Tbeedoro,
klade que representa mais de 30 annos, Angola,
estatura rejolar, corpulento, cara larga, cabello
cor tato ba poico, lem orna cicatriz pequea em
ama das fiemas, canoeiro, eaiador, e trabalba de
pintor, mult canhecido tresra drade por tet-eMo
eseravo da IHan* Sr* D. Candida Las-rer : quen o
apprehender leve-o a' sua senbora a' roa Direita
n. 32, segDadb andar, oa no eseriptorlo da tyeo-
gTapbraoa Ordena, qae sera bem reoempeaeada
Enraya fgida"
Na noite de domingo 17 do trrente regio ama
escri-r* de a asnos de idade, cor preta, de oome
Jovenca: raoem a levar a-roa da Cruz n. 19, ssr
recompensado.
Desappafeceu no dia 2 do correte, da casa
1*600 caca um : na loja e armazem dftv.o na ^Ka" u da"^taS o u
rna da Imperatriz n. 60, de Gama -n Silta.
Ultimo gosto em lazinhas
eseravofiaymusdo, ovulatj escaro, cabellos cara-
plnbos, eorplento e gordo, com pbnca on nenhu-
Aenaf** gtoade K-rim8iiTe'an>>nafci.jaaa kanhoi 22*nr0 pqaco-rais eumenos, que
m : Maria Pa, Garibaldioas,
e de quadrinnos que re vendem por _
precos e do-se as amestrae imadaja -e aaaninimjdoa con rtrrrs e sigrraes : X r-nm 12 ia*. do Pavo na r da rmperatnr n. 60, fle Gama & leve-o a sua senbora na ra da Aurora n. 42, que
IWm T I Silva. ser recompensado.
representa ter mais por ser bastante corpulento,
tem es defttes Melros e um ora -dos bracos marea-
q'.'.em o


J
8
Diarlo de rernaatmeo Sexta letra tt de lunho de 1866.
LITTERATRA.
As Biblias falsificadas.
, a satisfago ou pord5o que pede o auctor da Ticas, Snelo Ignacio de Antiochr, Origines,
historia das faltas, que se lhe podemencon-i Sancto Atbanazio, S. Gregorio Nanziazeno,
trar. S.Fulgencio e Rufino de Adrtl ear
Si este bom homem Ricardo tivesse ollios favor dos
Siquts autem libros ipsos ntegros cum para enchergar a vrdade elle qoe a cada
mnibus suis partibus, proullnEcclesia passo, invoca em seus opsculos o testemu-
Catholica consueverunt, et in veteri Vul- nho do Padre Pereira (invertenoVlhe sem-
gata Latina editione habentur, prosa- 0 sntido dag pil,avra f) t |
mset canomcis non s^scepent, el Ira- in_, enK ^.....^ *;_,**_._ ..__
LContinuacao
^LTTSSrSTirpSim "' b" *"** oiWos ver-
eontempseril, anaihema sil (Conc. Tri- sos> as DOlas de que Pereira os fez acom-
dent., sesso 4.a) panhar ? Escolhendo antes morrer no-
bremmte do que verse sugeilo a peccado-
res-diz o referido verso 42, ao qual p5e G
canon dos jl-deus. padre pereira esta judiciosissima nota :
VH Esta expsito do facto deve-se tomar, na"o
No seu furor contra os deutro-canonicos como p(tlavras de qum approv(t 0 que
nlo adverta que brandia espada de dous escrevet mas corno pa[avras de quem ex-
{jaoios! Si a circumstancia de nao serem primtm0 jiZ0t que Razias faza da 8uaac.
ettes livros citados pelos Apostlos e Evan- ?50j ^g^,^ os prncpos em que estavam
gistas fosse argumento contra a sua ca- os Judeus daquel|e lempo# quando davanj
nonicidade, falsos e apocryplios soriam al- por UQS )ieroes djgnos do to(te 0 louvor 08
guQS daquelles. que catbolicos e protestan- que em taes circumstarxias se matavam por
tes veneramos como cannicos, visto qae n3o vrem g mgos Gom os seus [,,95,
nio foram absolutameulc citados pelos onde pois o encomio do suicidio'! O pro-
Apostolos e Evangelistas *E si nao, pro- testantismo horrorisando-se do suicidio !
vara os protestantes, que livessera tido a .......
% -~, ^,.-^i, a Anno "uma das notas immediatas,diz anda
menor refereucia nos escriptos -dos Apos- ....
; o Padre Pereira, qae Santo Agostinho, S.
lotos e Evangelistas, os seguintes livros ca- T
i o .i. io L. ,.. nc /in.-* Thomaz e outros interpretes condemnaram
nonicos: Jutzes, Ruth, l dos Rets, os aois ,
dos /W^nos, o liatas**, o Cm- \^ totowi.com contraria le, de
* rfo* Sfc o de Esdras e o de Nehe- ?eus que' *Mar,d.f>' n! e,xaram
i, a de Jftrffc, o de &M, e aparfe dereconhecer a canonicidade do litro em
i n ,.^. f* : Que 3e refere a accao
proto-canomca de Esther iH ^
E nao obstante a omisso d'esta referen- j Quauto desculpa pedida pelo auctor no
cia, quem j poz em duvida a canonicidade verso 39, veja o bom homem Ricardo a
Maceabeus (4o e 2V
temos TerluUiaqo, S. Clemente de lexan-
!dria. Origines, S. Cypriano, Lucifer de Ca-
gun, S. Gregorio Nanziazeno, flaacto Am-
brosio e Santo Agostinha.
XIj $
Quanto aos deutero-cannicot' do Novo
Testament em favor do
Ultimo capitulo de S. Minos
trra com o ralo de fogo, como Moyss, por entre
os povos, qae os ouviam de joelhos.
Porm a palavra de Deas, mallo maior, mals
admiravel, e sobretodo mais digna dos nossos res-
peitof, quando desceodo daquellas magoiflcenclas,
se homila at Ornar as mantllbas da infancia, para
evangellsar o pobre; quando o qae os prophetas
appellidavam o ralo qae despedica os cedros do
Libano, moda-se orna voz cheia de doguras, quan-
do o leo de Jada', qae assasta a trra com seos
rugidos, enebe sua bocea deleite para alimentar
'seos fllhinho;; quando a Biblia e o Evangelho tii-
mam o Cathecismo. ,
Lembrando-se do presepio, em qae se aprsenla-
: va ao mesmo tempe tanta divindade e tanta seme-
| Ihanga com nova raqueza. S. Bernardo exclama :
Dos grande, Magnus Dominus.
a beraoca, gnarda depois de sna minoridade, para
reve-los mniua veres, para conserva-Ios sempre, os
escriptos qae comprovam orna lio nabll e lo ge-
nerosa intella, elle guarda na sua biblloiheca, na
primeira Qleira dos livros qae lhe sao caros, que
amar sempre sea eathecismo, qae ama lembran-
ga da pia sotlicitude de sna mil, ama prova da
boarosa tutella da religio, que tambem foi sna
mal.
3 .
temos o Aactor das Constituic5ef Apostoli- ^^ esle livro> que t3o dignamente lem este
cas, Snelo Irineo e Snelo Ajbstinho dopce carcter, nao posso deixar de ter a mesma
em favor da .,-.. jngaagem.
Passagem Je'S. Lucas sobre Q\tgonia do
Senhor
d'e-tes livros ?
Outra contradieco nao menos flagrante.
nota do Padre Pereira, que diz :
Esta satisfago que o auctor d para
Os nossos adversarios regeitam como apo-' aciuir aos reparog; qae ||)e poder3m fazer,J
cryphos O de ulero cannicos pelo facto de;e 0 perdao que pede, nao tem por objecto
nio terem sido incluidos no canon, de E a substancia da historia, mas seu-estylo. E
uras, ao passo que admittem como canoni-1 aSsim nada se oppoem a inspiracao e assis-
cos o livro de Nthemias, o do propbeta Ma- tencia do Espirito Saocto, a qual prescinde
nclitas, o Io e 2o dos Paralipomenos, que da qualidade do modo de falar.
foram escriptos depois da raorte de Esdras! Tambem faz grande escarca Qpadn R._
e por conseguinte nao pod.am ter sido in- cardo contra canonicidad4 dos dois iivros
cluidos no canon organisado pelo as*\to8 Maccabeoa, porque o auctor diz que
Hidras epitomou n'um s volunte o que Jason de
E si duvidam, abram o capitulo XII. ver- Cyrene coinprehendeu m cinco livros Que
so 2, e ahi vero Nehemias falar de coisas imporla jst0 ? Para um ,ro ^ ^
acontecidas depois da morte de Esdras : ve- co> dz ainda Q padpe perejraj bageado ^
rao Malachias falar dodesprezo emque se opiaiao dos theoiogos, nao basta que tendo
acbava o culto dos sacrificios por parte dos sido elle escrpt0 gem iaspirac3o> revelasse
sacerdotes e do povo, oquesuppe a com- depois 0 Espjrta Sanct0 que tudo Q
pleta restaurago do templo, que de certo nelle se contm verdadeiro mas neces.
si nao elTectuou em vida de Esdras : vario Srf0 que as mesmas noticlas que 0 aDCtor
no Io dos Paralipomenos, o capitulo III, a tirou dos documenlos pQramente humanos,
genealoga dos descendentes de Zorobabel as escrevesse elIe iI)Spirado por Deus-,e
pur dez successivas geracoes, isto e, cerca; movendo-lhe e dirigindo-lhe a penna.
de trezentos anuos depois de Esdras.
Que dirao a isto os protestantes e
auxiliares ? o mesmo
quando balidos na brecha : tergivetsam
E
assim que devemos crer que succedeu
seUa como o auctor do presente livro dos Mac-
er>lcabeus, ainda quando elle valia-se dasMe-
vanam
VIH
moras de Janson de Cyrene, ou d'outros
auctores nao inspirados .. Do que podem
servir de exemplos os testeinunhos, que do
livro apocrypho de Enc allegou o Apostlo
S. Judas, e os que de Epiaenides, Arato e
.Menandro allegou S. Paulo.
IX
Si opinioes soladas de alguns Padres a
Como vimos, todos os livros deutero-ca-
vonicos foram repetidas vezas citados por
Apostlos e Evangelistas, e por este lado
se acha completamente alluido o grande
finca-p dos nossos adversarios.
Na veneracSo d'estes livros a Egreja gre-
ga, embora separada da Sancta S, est de' respeilo da canonicidade desle ou daqueUes
pert'eito accordo com a latina. Os protes-! livros lem tamanho peso no animo do padre
untes, alardeando co:i mu nidada de sentir,' Ricardo e do christo-velho, parece aue,.
eutre elles e essa Egi'iiia, ao u>eaote ex- \ por maiorta de razo, devem prevalecer
clusSo dos deittero-canonicos; della rece- sobre essas opinioes soladas as opinioes
beram a seguinte catbegorica resposta, pelo compactas de uma ininidade de Padres da
orgo do Concilio deJerusalero, anno lfi"0, Egreja, acerca da canonicidade dos. dente-
presidido pelo patriarclia Dositheu : De-
claramos que reconhecemos eStes livros
ro-canonicos ^quando nao fosse mais que
bastante a referencia que delles fizeram os
(os mesuios que se achara no canon do Con- Apostlos e Evangelistas, como ficou pr'o-
C10 de Trenlo) como cannicos ; que os
reconhecemos como Escriptura Snela,
porque como taes nos foram transmitidos
por um antigo costme, ou antes pela Egre-
ja catholica.
vado). Vejamos : e desde j advertimos
que nenhum dos Padres, que vamos citar,
de auctoridade suspeita, como o Cardeal
Caetauo.
temos os mesmos Douctores Ja favor da
Historia da mulker adultera (S. Jq5o)
temos Ammono de Alexandria S. Jerony-
mo e Sancto Agostinho em favor da
Epstola aos Hebrea*
temos o Auctor das ConstituicSes Apost-
licas, S. Clemente de Alexandria, S. Dini,
Origines, os Padres do Concilio de Anto-
chia, anno 264 ; Sancto Athanaaio, Eusebio
de Cesrea, Sancto Epiphanio a Dydimo de
Alexandria: em favor da *
Segundo Epstola de S. Ptdra
temos Sancto Irineo, Origines, Firmiliano,
Snelo Athanazio, S. Cypriano de Jerusa-
lem, S. Jeronymo e Sancto Agostinho
em favor da
Segunda e Terceira Epstola de S. Joo
temos S. Irineo, TertulliaBo, S. Clemente
de Alexandria, Sancto Athanazio, S. Cyrillo
de Jerusalem, S. Jeronymo e Sancto Agos-
tinho em favor da
Epstola de S. Thiago
temos o Auctor das vConstitui?5es Apost-
licas, Sancto Irioeo, Tertulliano, S. Ole-
mente Alexandrino, OrigiBes, Saocto Hila-
rio, Sancto Atbanazio, Ensebio de Cesrea,
Sancto Ambrosio, S. Jeronymo-, Sancto
Agostinho, S. Cbrisostomo e S\ Paulino
em favor da
Epstola de S. Judas-
temos S. Agostinho, S. Jeronymo, Rufino de
Aquilea, Sancto Epiphanio, S. Gregorio
Nanziazeno, S. Cyrillo de Jerusalem, Ori-
gines, S. Clemente de Alexandria e Ter-
tulliano em favor do
Apocalypse
temos S. Paulino, Sancto Agostinho, S.
Epiphanio, Dydimo de Alexandria, S. Gre-
gorio Nanziazeno, S. Basilio* Ensebio de
Cesrea, Sancto Hilario, S. Cypriano, Ori-
gines, S. Ilypolito, S. Clemente de Alexan-
dria, Tertu Miao e Sancto fcineo.
llavera anda que replicar contra esta
torrente de teste munhos in contrasta veis '1
Ha um s meio peremptorio de dirimir a
questo -- convencerem-nos de falsario os-
nossos antagonistas, e provarem luz da
historia que citamos de falso l
Estamos, porm/ longe de desconhecer
que antes- do V seculo, em que as coisas da
E2reia S8 Bao achcala miormomoaie or-
ganisadas pelas perseguices de que sahira,
houvesse algamas Egsejas particulares, que
duvtdassem mais ou menos da canonicidade
ora de uns, ora de outros iivros. Mas esta
duvida mais fortifica do qae invalida, a Ira-
dicejo apostlica : prova que os dButero-
cannicos nao foram recebidos por essas
Egrejas, se n5o depois de amadnracidas in-
vestigages e exame, e, que s depois d'es-
tes esforcos, da mais apurada e escrupulosa
critica, a creaca d'essas Egrejas foi reconhe-
cida e authenticada por toda a parte. Nao
Mitto-Grosso, o infeliz Mallo Grosso, tem direitos
mottos sagrados.
Talve ja tenbam resolvido are si as quesloes
relativas a este assumpto os Iras^iiieraes.
Dos o queira e os inspire bem.
Bem dilerente a grandeza de Dens, da do bo-
mem.
Deas collocado mni alto para poder sabir -, sua
gloria consiste em descer.
Quando um soberano delxa sea throno, no dia
das calamidades, e vem no meio de seo povo para
compadecer-se de suas dore?, qaando seo po-
vo o applaude, e Ibe tribata as maiores bomena-
gens.
O raio do sol o mais vivificante e o mais sympa-
tbico, nao aquello qae doura o carne das monta-
abas, aqavlle qae vai no fundo dos valles aques-
eer a cboopana do lavrador E' o mais sympa-
tbica, aqaeile tambem que nos da' a mate justa
'dea daquelle astro.
E' preciso brbar bem alio- para ebegar at
all.
Qae os outros- astros cuja loa emprestada, della
sejam avaros, qae o sabio coja sciencia adquiri-
da e limitada, seja della cioso, qae no sea orgolho
a conserve captiva, que componha uma lingoa qae
e-ignorante nunca entender' eu o comprebendo ;
porm esta' na natureza de Deas,, qae leva em si o
principio de sua luz, e d-la, e derrama-la sobre
tedas suas creataras desde a maior at a mais pe-
qa eaa.
ffnecessario que se mostr a todos, para ser
bemdlto por todos, e accrescento-, f oi elle que o dis-
se, para salvar-nos todos.
Eis porque, quando quiz qae sea Evangelho qae
a irradiadlo de sna alma e o verdadeiro sol da
nossa fosse eusinado as naedes, ordenon qae fosse
ensinado a todas.
Coavinba que niogoem fosse subtrahido a sua
infleaeia.
Ha um nome qae nao podemos pronunciar, prin-
cipalmente qnando aq'uelle qae o honrou ja'nao
existe, sem qae nosso coracSo esteja commovido
ba ama imagem qae nao podemos entrever, mes-
mo pelo peesaraento, sem que nossos olbos se arra-
zem de lagrimas, sem que am sopro paro e suave
como a memoria dos nossos mais bellos ancos pas-
sasobre nossa alma: Esta imagem-abencoada,
este nome querido, e a imagen, e ome .de uma
mi.
Pois bem t nao podemos abrir o Catheaun, sem
qae este nome, sem qae esta imagem, qne nelle
permanecen sempre viva, nao se aprsente a nos
por todos os lados nao ha nesie livro orna nica
pagina qae nao nos record- ama scena locante ;
ama verdade que nao tenha entrado no noseo espi-
rito acompaabada de ama caricia, maltas vexes de
orna explicaeao sublime, que teria escapado a am
sabio, mas qae o amor materno soube aehar.
Lembrancas do lar domestico, innocentes alegras
de am passado, to depressa dissipado pelo sopro
das tempestades, quem deixoa de enconlrar-vos na-
qoeile livro t
Quando orna grande teticidade desee na familia;
quando depois das dores de parto, ama mi tem
dito com inefavel alegra : Tenbo am herdeiro do
mea nome e da minba f ; quando lem exclamado
segando expresso da Escriptura: dei aluza
um homem, seu paimeiro cuidado do aze-lo
christao. .
Ora to unnime concert entre as diffe- Ooe os deutero-canonicos foram sempre deve maravilhar que esta enCa respeito
notes Egrejas do Oriente e do Occidente collocados no numero dos U divinamente da inspirado divina dos eutero-canonicos
inspirados pelos Padres eauctores eclesis-
ticos dos primeiros seculos da Egreja, coisa
que se acha evidentemente averiguada,
como vamos ver j. Attendam os nossos
leitores ; e provocamos a todos os christos-
velhes e novos que nos desmintam : Em
favor do .
Litro de Tobas
temos S. Clemente de Aloxandria, Origines,
S. Cypriano, Santo Antonio, S. Bento,
S.Basilio e Sancto Agostinhoem favor do
Livro de Judith
temos Sancto Agostinho. S. Jeronymo,
Sancto Ambrosio, Origines, S. Clemente
de Alexandria, Tertuliano, o Auctor das
prova com toda a evidencia, diz Gousset.que
a crenca na nspirago divina dos livros
dtutero-canonicos, remonta de seculo em
seculo at os lempos dos Apostlos. E
com effeito sem falar no Decreto de Eugenio
IV aos Armenios, onde se acham enumera-
dos os mesmos livros, que est5o no canon
do Con lio de Trento, j citamos em outra
parte o Concilio de Roma, celebrado pelo
Papa Gelasio, anno 4!4 ; a carta de Inno-
oencio I a Exupero, bispo de Toulosa, anno
404 ; o Concilio de Carthago, anno 397,
que motiva a adopeo uestes livros, dizendo:
De nossos Padres os recebemos como dig-
nos de serem lidos na-^igreja : a pa-
tribus isla accepimu in Ecclesta legenda.
Acharaos tambem os deutero-canonicos na
Versao Itlica, que esleve em uso as Egre-
jas latinas, desde os primeiros -tempos do temas S. Ihrysosthomo, S. Cyrillo de Jeru-
Christianismo at S. Jeronymo.
O padre Ricardo e o chrislo velho julga-
ram saccar immenso partido do facto de ter,
no seculo 7., S. Gregorio Magno posto em
duvida a canonicidade ao i." e 2.* livros
dos Maceabeus. verdade, como j disse-
mos. Mas isto o que prova, diz o Padre
Pereira de Figuerdo, qae ainda por
aquelles lempos nao eslava a tradiccSo Uto
explicada, que nao fosse licito duvidar da
canonicidade destes livros, por falta de de-
finido expressa da Egreja universal, qae
tivesse decidido esle ponto. Mas depois qae
ttssa Egreja congregada no Concilio Ecume-
nico de Trento, 'explicon a tradiccjto ; re-
colhidos, combinados e concillados os votos
dos antigos Padres : quem, si nao algum
heregt pode davidar que sejam cannicos
os dous primeiros livros dos Maceabeus ?
A. proposito dos Maceabeus, loma o pa-
dre Ricardo grande escndalo, Io do qae
est escripto no verso 42, do 2o livro, acer-
ca do suicidio de Razias; 2 do que est
escripto no verso 39, do citado livro, sobre
se niio tenha fixado to a tempo, como a da
inspiracao divina dos proto-canonicos, pois
que estes, sob o ponto de vista religioso,
sao mais importantes, que os primeiros, e
a tradiccSo da sna canonicidade era incon-
troversa e universal.
(Continuar'se-ha.)
O Cathecismo.
(Extracto da pastoral de monsenhor Debreu, arce-
bispo de Avinhao.)
O Cathecismo nao nossa doutrina, nem a uossa
obra; nao foi o homem qnem o compoz, obra de
Deas.
Dens o fez no Si nal, qaando com sea luminoso
dedo tragava sobre as taboas de pedra o declogo,
Constituicoes Apostlicas e Sancto Hilario fle 1ae Cathecismo o commentario; uando es-
crevia : adorars a om so Deas verdadeiro
de Poithiers em favor do
cro de Baruch
salem, S. Basilio, Eusebio de Cesrea,
Sancto Athanazio, S. Hypolito e S. Diniz de
Alexandria em favor do
Livro. da Sabedoria
temos S. Clemente de Roma, Sancto Irineo,
Tertulliano, S. Gemente de Alexandria,
S. Diniz, bispo desta -,idade, Sancto Hypo-
Immortal legislaca d'oode lem sabido rodas as le-
gislacSes humanas, mas qae permanecen superior,
unto quanto o pensamento de Dens superior ao
nosso, tanto quanto a agua do nascente superior
as agnas qae se sffastam do sea leilo.
O Cathecismo, obra de Jess Cbrislo, quando
sobre a monlanba onde eosmava as bemaveniaran-
cas, uuica theoria da verdadeira felicidade ditia :
Bemavenlarados os qae tem lome e sede da justica,
porque serao fortes.
E' Jess Cbrislo qae o fez ao deserto, qaando os
. novos todo abaodonavam para segoi-le, e as ma
polito. Origines, 8. Cypriano, Ensebio de eres de Joda, mebaUdIS ^ SM ;ioqaencil>
Cesrea, Sancto Hilario, Lactancio, S. Ba- |exclamavam: Felizes as eniraohas quetegera-
silio, S. Epiphanio e Dydimo de Alexandria'ram.
1 em favor do
Ecclesiastico
temos Tertulliano, S. Clemente de Alexan-
E' Jess Christo qae o tez com seas actos, os ea-
sinos de sua vida, seas milagres, suas lagrimas e
su cruz.
Sem duvida, sao origens de altissima nobrexa, e
dria^Origines, S. Cypriano, Sancto Atha-1 qaem dlsari de inclinar- pnate am livro
nato, S.Basilio, Sancto Epbrem, Sancto cojos matlnaes levam a imprensa de to angostas
Epiphanio, Sancto Ambrosio, Sanc'o Agos- naos?
Sel qae sea estylo simples, despido de ornatos
tinho, S. Paulino e S. Fulgencio em fa-
vor dos
Tres Artigos de Daniel
temos todos os Padres, que sempre incloi-
ram, sem restricc5o no cathalogo dos livros
santos em favor da
Historia de Suana
temos o Auctor das Constituices Aposto-
e pouco em harmona, a' primeira vista, com lio
grandes causas.
Com lado, nio duvido afflrmar, qae por isto
mesmo mais digno dos nossos respeiios.
E' grande e admiravel a palavra de Deas, seja
considerada como ama incarnago do pensamento
divino na palavra humana, seja considerada, posta
pelo Espirito Santo sobra os labios e no genio des-
tes borneas extraordinarios, qae passaram sobro a
Quem poderia dizer todas as innocentes astucias
todo quanto emprega para lhe fazer pronunciar o
nome de Dens com sen nomo, para lhe fazer chu-
par a piedade com o leite, para d'elle fazer-lhe am
iastncto, urna segunda natureza, para fortlBca-lo
aos das nefastos que sua affectuosa providencia
tem ja' visto e temido de longe.
Ella Un iuocola, Ibe implanta no coradlo o amor
de Dos e o seu; para qae este o guarde: elle sa-
be qne Dens recochecera' esta atteneo.
Quando vier a idade das paixSes, elle qae
guardara' o amor da mal, e instando estas omitie-
res de Israel qae ensinavam seos filhos a' 1er no
livro da lei, ella ensina ler ao sen no Cathecismo,
cojo- ensino no lar domestico ama tradiecjio qne
nunca perdeo-se.
Depois qaando ebegar a idade em que, beijando
a seio do Orgenes, sen pal dizia: Deas esta' all.
Elle aspirara' por sua vez a felicidade de dizer o
mesmo.
Como Maria ella levar* sea Qlbo ao templo, o
entregara' aos doutores da lei, para que com mais
ampios (nsinos tornera sua inielligencia mais ele-
vada sea eoracao maior para receber sea Deas.
Acontecer' mu tas vezes, que, como Jess ao
sabir dos bragos de Maria, assombrara' os doutores
pela sabedoria de suas respostas, e os aneldos in-
temecidos bao de appreender, maisnma ves, bem-
dizendo o co, teudo qaantos tbesonros de gracas
e lates ama mi ehrislaa pode pdr no coracSo de
am filho.
Vira' logo o tempo, em qne depois de baver snr-
prebendido os doctores, elle o sera' de si mesmo;
logo vira' a hora em qae sua razio, mais madura
e mals desenvolvida, tora' de estndar os philoso-
pbos da antiguidade profana, meditar Scrates e
Platio, sem rivaes as suas celebres escolas.
Percorreudo suas obras lio ootaveis, conhecera'
quanto estas intelligencias chelas do sol, estiveram
ebeias de trevas e atenuados pelo erro; ver quan-
to as mais fortes natnrezas sao incompletas, qnan-
do nio sio acabadas pela graca, e lado quanto lem
taludo aos bomens, os maiores, qaando por ella
nio teem sido prestados
ReBecUra' sobre si mesmo, e iancando nm olnar
sobre sea passado, lembrar-se ha qae tantos tracas
levam ck vicios, elle as acbou pnras e sem maca-
las junto de seo berco-^ ^.* -^ j
Lembrar-se-ba que esses conbecimentos, essas
descoberlas que nos dias de paganismo foram o su-
premo usforco do espirito humano, maltas vezes, o
fructos dos peuiveis trabalhos de urna longa vida,
foram juicamente o ponto de partida sna e os jo-
gos de sna infancia.
Dar' gracas a Deas por isso.
Comcara' a comprehender tudo qnanto a Provi-
dencia faz a' favor do am bornea), qaando o faz
ebristao; indo quanto a relegio faz para a criao-
5a, qaando a abriga sob suas aus; quintos ger-
mens preciosos, foroa e vida pos no leilo robusto
com qne ella a aumenta....
Elle comprenendera' quinta raijo e quanto ge-
nio tinaa ella posta na sna f...
THEATRO DA
O Standard, jornal ioglez, escripto porto do lugar
dos aconlecimentos da guerra, apreciandd a psrti-
cipaco qae os Brasileiros tem tido na mesma e
especialmente no penltimo combate, se exprime
do modo que damos em seguida.
js' ama apreciacao estrangetra, feita coo^coobe-
cimento de cansa, e portanto iasnspeita, notando se
qne um escriptor Inglez que falla.
Chegon hontom (8 de maio) o Espigador, traten-
do a importante noticia de um terrivel combate,
no qual a coragem, bravura e herosmo dos Brasi-
leiros notavelmente conspicuo.
Com effeito, como se ver pelos segulhtes dea-
Ihes, a totalidade da vanguarda dtr Floro teria
sido completamente aniquilada sem a_ aroteegao de
ama diviso de heres Brasileiros qae-atravessou
am forte quadrado paraguayo, e salvo assim a
Flores.
Nao ba elogio suficiente para elevar o brilhante
comportamento dos Brasileiros, to mal apreciado
at agora, e nio temos- inconveniente em dizer
qae, at ao presente, a gloria e os reeontros mals
fortes desta eampanha teem sido mooopolisadoi
por nossos alltados os BrasHeires.
Eis como urna carta particular refere o oeeor-
rido:
No dia 3 do corrate os Paraguayos,. em torga
de 8,600 bomens dlrigiram-se- a uma hora do da
sobre o general Flores, e atacaram snas pos! -
c5es.
Lpez em pessoa eslava a sna-frente. Sendo os
Paraguayos quatro contra um, a empresa toruoa-se
fcil.
A peieja foi sangainolenta; como 1,600 bomens
e 31 offlciaes acharam-se prompte fra de coa-
bate.
Flores portou-se com a maior bravura animando
com vehemencia os seas soldados-at acbar-se lio
ronco qne mais nao poda fallar.
Teve dous cavallos morios, perdendo tambem
cinco ajudantes, porm o acommetlimento do ini-
migo foi tal. que os orientaes tiveram de ceder com
grande perda, e os Paraguayos victoriosos entriste-
can! o es paco com terrivel gritar.
Tomaram a artilharia da Flore*, e quasi esrm-
gazaeo o bere de Yatay.
Osorte, com o golpe de vista de Napoleo, vio
que era chegado o momento de carregar o inimigo
para salvar a Flores.
Levanten comsigo um brilhante batalhao de
voluntarios, os melhores-soldados ao campo, carro-
gando sob om fogo cruel do inimigo.
De cada arvore, de eada canto do caminho sa-
hiam militares de Paraguayos, porm esse bravo
P'.z de-lado a esperanza, e sen hesitar segoio !
bayoneta,cortn um forte quadrado paraguayo.
Flotes foi salvo I
Este heroico lerco de Brasileiros que entrn na
peieja eoostando de tigata eentos, ficoa redozdo
a horneo*.
Um correspondente do Jornal do Comtnercio da
corte, tratando do mesmo combate, dit o se-
guinte :
Foi igual a improvidencia de-Flores a de Hornos,
qaando atacaram a vanguarda argentina a 30 e 3i
de Janeiro os Paraguayos.
Ditem que poncas hora* aales do ataque de 2
maio Goyo Soarez avisara a Flores do perigo da-
qnella posigao e da vigilancia necessaria. Recu-
so u Flores acredita-lo, a nao approvou as medidas
lembradas por Goyo Soarea.
Os tactos que se snceederam naquelle dia justi-
Qcando as providencias qae nao linbam sido toma-
das, desgostaram tanto a Goyo Soarez que no dia 3
obteve licenga por. doente e refrou-se.
ni penco di tudo.
O telegrapho annaneion ba dias ama proclama-
8.o do general Benedeek dirigida ao exercito ans-
laco.
Cela proclamagao qne produno orna forte baixa
na bolsa de Berln, porque foi considerada como
um manifest de entrada em eampanha, be a se-
g unte :
Quartel general de Vienna, II de maio.S. M.
nosso gracioso soberano, e amo, dgnoa-se ordenar,
que eu tome o commando do exercito do norte,
que deve estar formado.
O mea qaarlet general, desde 15 deste mer, sera
estabelecido provisoriamente em Vienna: desde
esse dia, os generaes, tropas, ramos de aoministra-
gito e estabefeclmeotos militares, que fazem parte
deste exercito, ftcarao debaiio do mea com-
mando.
Tendo feltos minfras pravas como soldado Bel
e dedicado, sei obedecer com satisfagio a todas as
orden imprtaos, lias estes sentiroentos de dftver
sao desta vez animados, pela eoavlccao qae tenbo
de qae cada um em particular dos memoro do
esereno qae ba de reuoiF-se sob as minbas ordens,
votar a sua dedicago para repeilir e combater
todos os inimigos qne oosarem ameagar inconside-
rada e injustamente o nosso augusto imperador o
amo, a sua Ilustre dynaslia- e asna monarcbla,
nossa cara patria.
O exercito estar reunido dentro en pouco, com-
pletamente orgamsado e equipado, excedente, forte,
valent-, animado do meibor espirito, espirito de
ordem, disciplina, honra e Bdelidade, bravura, a
dedicago-absoluta.
As vistas do imperador e asen nobre? eoragao
bao de seguir por toda a parte o exercito.
- A resol ocao do sacrificio e o enibusiasrno- de todos
M povos da Austria nos segotrao tambero.
As sympathias, accorde, e as- esperancas dos
nossos compatriotas, e de todos que nos sao caros,
estarlo eomnosco. Mas qaando se aproximar a
Inta dlcisiva pelo direito sagrado do imperador e
da patria, o exercito aastraco, cheio de enrbneias-
rao, e mostrando a tenacidade da velba Austria, ha
de saber sempre vencer ou morrer com fidehdade
e honra pelo imperador e peh patria-
Soldados I offereco vos para leso todo o mea eo-
racao ardente de soldado, a micha yonlade de
Ferro, a firme eonnanca que tenbo em vos, a minba
humilde coooftoea no bom Dens;.e a confianza que
tenho na minba veiba foriuna de soldado.
Com Dens, eu vos saudo, soldados, vos que a
vuntade e a ordem do imperador' confiou ao mea
commando e a minba solicitnde; saudo-vos coro a
Brrae conviegao de que a benoo de Deus nao ba
de faltar a nessa-jasta causa, a nossa Bdelidade, a
nossa bravuray e- a nossa constante persevo-
ranga.
Assigoado.Beaedeck.
Flores um gooeral pira guerrilhas. Soffredor,
bravo; mas, moldado ao typo dos Fructuoso Rive-
ra, e mais guerreiros do estado Oriental, nao tem
mais outra qualidade alm das daqoelles com-.
bates. ,
O systema
de guerra naquelle estado uma
cousa inconsistente e irregular.
Uma sortida de goerreiros. ataca uma dos adver-
sarios, vence ou vencida. Retira-se do campo da
balalha para renovar 15 ou 30 dias depois em lu-
gar diflerente o combate.
Assim se contina a guerra nesses estados annos
e annos, dependendo a victoria do maior numero
de sortidas felizes, do maior numero de derrotas
dos adversarios.
Generaes formados nesta escola habituam-se a
imprevidencia, entregando a sorte da guerra as
emergencias do acaso, a que devem sempre suas
victorias.
Pensam pouco.
Nao ha nelles um plano Bxo, determinado para
nma guerra de importancia.
Nao ha o estudo da topographa do terreno em
que combatem; o estado dos hbitos do inimigo; a
prudencia necessaria para o qaando e o como das
operaedes.
Os atares felizes devem ser excepgao e nao re-
gra geral na arte da guerra. Toma-Ios como nor-
mas e dormir sobre os loaros arriscar a posigao
ocenpada.
E' d'ahi talvet o mal que experimentamos. Nao
ba nm plano regular de eampanha.
Nossos ebefes estao todos na altura de Flores a
esse respeito.
Suas providencias denanciam uma falta de ac-
cordo, uma descentralisagio de medidas qae o
espirito pensador de qnem estnds e medita essas
coasas nio poda deixar de reconhecer. Fazem a
gneira jour le jour.
Devo-ao pait toda a verdade.
Nossas victorias devem ser antes attribnidas ao
valor dos nossos soldados de-qae ao tino de nossos
generaes.
A disposico irregular em qae estavam na van-
guarda denunciava a imprevidencia.
A guerra ama sciencia : tem principios impor-
tantisBimos, qae servem de fundamento as opera-
gdes.
Compre estadar esses principios e depois appli-
ea-tee toete#ewdi0eeeees leaaasias aetae ciroams-
tancia de lugar, de tempo, de condigoes especiaos,
que o tino do geoeral deve pesar.
A guerra feita ao acaso ba de trazer muitas la-
grimas, multa dor a enlutar as victoria?.
Crelo qae cooviria baver om accordo de ideas
entre os tres generaes, a jen prete que asilo
entregues os nossos destinos no territorio para-
guayos.
Nioi
A Gazeta r NMM publica *-9eHite procla-
magao do mareehal da dieta da Baixa Austria, a
do maireque exerce as suas fuaegaes na capital do
imperio:
Habitantes de-Vienna e da Baixa Austria t
A patria chama por nos.
Volton a peea das grandes provacoes, e o mo-
mento grave- e solemne.
Ousa-se levantar mao criminosa sobre os desti-
nos da Austria; viVse de uma raaoeira injustiflea-
vel abalada a paz as suas basas toadamentaes, e
suUlciente um ligeiro impulse para deseBcadear
com todos os seos terrores, a faria da guerra que
ameaca as froaieiras do nossa- imperio.
Cidados I Se jamis bouve causa justa, a
nossa; se jamis houve orna iajustlca flagrante,
a que os nossos inimigos lem tengo de eom-
meiter.
E' um confederado, que ameagando a patria, nos
impeli ao cmbale, a nos que tanto desejamos os
beneficios da paz. Has o povo austraco espera o
futuro com ooragem e resolugao, perqu tem con-
flanga em Deas, egide do- direito, e coma com o
nio da Austria.
E' verdade qae vivemos- n'uma poca difflcil, 9
que grande o encarga qne pesa sobre cada um
dos particulares; mas o amigo senlimento de fide-
lidade patritica ainda existe assim como a sua
dedicago multas vetes- sojelta a todos os sacri-
ficios.
Queremos mostrar qpa a forga experimentada
da Austria nao esta destruida; queremos oppCr-nos
com tonga e uniao a todo o iaimigo qne insultar o
direilo^e Vienna, a primeira eidade do Imperio, ba
de ser a. primeira tambera a sustentar a boara e a
grandeca da Austria..
Em presenga de semelhantes perigos, os-abaixo
assigaados dirigem-se aos sentimentos patriticos
dos eidados de Vienna e da Baixa Austria.
Dediquemo-nos a trela de engrossar as forgas
defensivas do imperio eom a formacao de corpos
de voluntarios; todava devem s ser actos-volun-
tarios, qae depositamos no altar da patrie.
Calcle pois cada om a sna torga.
A mais insi^nicaaie otTeria ha de sor bem reee-
bida, porque 1 s com a uniao das toreas, que se
poder crear alguraa causa realmente grande.
Para a ezecugao desta empreza patritica,, occo-
pemo-nos da formagao de ama comroisso de ami-
gos coobeciojos da patria, cajos noraes sejam publi-
cados deairo em poneos dias.
Reeebera-se desde enlao offerlas peeuniarias
para a reeeita geral, e na chancellara do bourgon
estre se passar o recibo.
Estas subscripedes serio publicadas.
Deus proteja o imperio, e a patria I
Vienna, 13 de malo de 1863.
Assignados__Colloredo.Andr Zelinka.
E cooo uo popttlo, cojo Itrettr lem coDvsmpitdo
sei se o tratado de alliaoga prevenio o caso
da oceupaco do Paragaay, em respetas ao com-
mando do exercito alliado.
Estava disposto qae commandaria o exereito o
general de cuja naclonalldade fosse o territorio em
qne tivessem lugar as operacoes. '
Agora estamos do territorio paraguayo.
Qaem deve comauodar o exercito 1
A quem cabera a gloria do triumphos nos com-
bates qoe temos de dar agora aos ParaguaosT
A quem caberao as honras da ultima victoria?
En peofo qae deve ser ao general brasltelro,
porque nma provincia do Brasil qae est ainda
occapada pelo Paragaayos, porque demals foi o
1^ gf^ n & allftr na ata l^llaf Ifl
Ainda nao Ibes dei parte de quem tomn o om*
mando desse vapor depois da lamentavei peda do
valenle Marit e Barros.
Foi um dos mais distinctos dos nossos offlciaes de
marinha.
E o capito-teeente Elisiario Jos Barbosa, enja
babilidade e bravura j foi recenbecida pelo ge-
verno imperial as promogoes e coadecoracoes,
pelo feito de Riachuelo.
Esse brioso mancebo de nm typo. especial, pro-
prio para o brilhante papel que deve representar
nossa esquadra.
Fronte larga e espacosa, onde a razio e o talento
parecem ter sua sede, olbos expressivos, indicando
a energa que lhe vai n'alma, caractetisam a bra-
vura a prudencia de um brioso cabo de guerra,
que tem aprendido com o estudo. e com a pratica
a vencer todas as difficuldades de momento em
lances de guerra.
Modesto em extremo, o Sr. tlisiario Barbosa,
nio procura nunca fazer sobresabir as altas quali-
dades de qae dotado, mas seos digaos compa-
aheiros Ibe fazem justica.
Em 15 de maio do anno passado veio na Mtarim,
de qne foi commandante at 38 do mez passado,
proteger o desembarque das torgas argentinas em
Corrientes; depois, estando ama bonte na van-
guarda da diviso soffreu fogo das barrancas ini-
mgas, fatendo-o calar com coragem inaudita; a
ais larde, aildejonno, demonstran, em Ria-
chuelo, o tino e a bravura de nm verdadeiro cabo
de guerra.
Para prava de qnanto presara seus companbei-
ros o carcter desse dislincto moco, aqui lhe re-
aaetto a seguinte carta que a oCcialidade da ca-
nheneira Itajahy brindou-o, offereeendo-lbe ao
mesmo tempo ama rica commeoda do ufficialato.
do Cruzeiro.
Sei dessa carta pela revelago de um dos signa-
tarios, encarregado de entregar a carta e o pre-
cioso mimo no mesmo dia emque ella tomn coala
4o commando do Tamandar.
1 Os amigos e camaradas, abaixo assignados,
offerecem ao Illm. Sr. capltao-tenente Elisiario Jos
Barbosa a inslgna de offlciai da ordem do Cruzei-
ro, com o qoal Utnlo foi S. S. agraciado pelo go-
verno imperial, pelos relevantes servlcos por S, S.
prestados as campanhas do Estado Oriental e do
Paran como commandante da canboneira Mea-
rim.
S. S., porua nimno sbi a dade desculpar i
posea importancia da offreoda, apreciando apenas
a inteoeio da offerta, que exprime o alto apreco, a
disiincta considerago e sincera amisade que os
abaixo assignados denotam a nm dos mais dignos
e nobres caracteres da marinha imperial.
c Bordo da canboneira Itajahy, em oparagoes
no Rio Paran, 11 de fevereiro de 1806. >
Seguem-se as assignatoras.)
irnos tamo esses boaram aquelles qae os ofe.-
recem, tanto quanio ao que o recebe.
I




.
: i
tEW'-W?. DE M. F.-PS F. 4 FiLH.0,MW<1


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EO7MRHX5G_2PY8D1 INGEST_TIME 2013-09-05T04:14:10Z PACKAGE AA00011611_10999
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES