Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10997


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^^^^H^BaW^gfBa^HL-


iS-ry

>
1
i\
-

...
AKJO XLII. HOMERO 141
Br qaartcl pago dentro dos 14) das do 1." mez ,
dem deoois dos i.N lo das do coueco e dentro do qaartcl
Porte ao oorreio por tres nezes...........
Stff
S^ooo
6oo
75o
DE
.
QAKTA FEIRA 20 DE JRHO DE 1866
Tor auno pago entro de i o das do O mez.
Porte ao eorreio por nm anuo......
49eoo
S^ooo
RNAMBUCO.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexodrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
8r. A. deLeroos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maralo, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos ; Amazonas, o Sr. Jeronyrao da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO DO SL.
AJagoas, o Sr. Claodino Falco Dias; Babia, o
Sr. /os Martins Alves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparinbo.
PARTIDA DOS ESTAPETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacSes da via frrea at
Agoa Pret, todos es das.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanbuns, Buique, S. Bento, Bom
Conseibo- Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pao d'Albo, Nazaretb, Limoeiro, Brejo, Pesqoeira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, salgueiro e Ex, as qnarlas
feiras.
Serinhiem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta Pimentelras, bis quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relaco: tercas e sbados s 10 horas. -
Fazenda: quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orpbaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira tara do civel: tersas sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas sabbades a 1
hora da urde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JUNHO.
6 Qnarto ming. as 4 b., 53 m. e 58 s. da m.
11 Lna nova as 7 h.. 47 m. e 51 s. da .
19 Quarto cresc. as 9 h., 35 m. e 52 s. da t.
28 Loa ebeia a 1 h., 16 m. e 10 s. da m.
DAS DA SEMANA.
18. Segunda. Ss. Leoncio e Theodulo mm.
19. Terca. S. Juliana de Falconieri v.
20. Quarta. S. Silverio p. m.; S. Silvlno ro.
21. Quinta. S. Luiz Gonzaga jesuta.
22. Sexta. S. Pauiino b. -r s. Nicas b.
23. Sabbado. S. Agripina v.; S. Zenon m.
24. Domingo. O Nascimento de S. Joo Baptista.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 10 horas e 54 m. da manbaa.
Segunda as 11 horas e 18 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES GOSTKIROi.
Para o sol at Alagoas a 14 e 30; para o nona
al a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Paran-
do nos das 14 4os nM7.es de Janeiro, margo, mala
julho, seterobro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praca da Independencia
ns. 8, dos propietarios Manoel Figueiroa de Far'a
& Filho.
PARTE OFFICIAL
.OVJCKY DA l'ROVXICIA
LE N. 687.
O Dr. Manoel Clementino Carneiro da Cunha,
vice-presideole da provincia de Peroambuco. Faco
saber todos os seus habitantes que a assembla
legislativa provincial decretou e eu sancclonei a le
seguinte :
TITULO I.
hbspeza.
Art. 1-"A despeza provincial no exereicio de
1866 a 1867 sera' de 1:827:668*981 rs. efectua-
da pelo presidente da provincia de conformldade
com as seguintes disposicoes:
CAPITL"LO I.
Assembla provincial e secretaria da presidencia da
provincia.
Art. 2." Assembla provincial:
1. Subsidio de seos mem-
bros era tres mezes de sesso...
2. Ajuda de costo dos raes-
mos..........................
3.* Empreados da secreta-
ria inclusive 610* ao porteiro
interino.......................
4.* Expediente e asseio da
cssa, iDclusive a gratificacao de
'1OO* andqatfs ao servente......
5.* Pubiicaco dos debates
e outras impresSes.............
17:910*000
1:813*000
1:200,5000
Art. 3. SecreUria da presidencia
1. Empregados inclusive a
graliticago de 200* ao continuo
que serve no archivo...........
2. Expediente e asseio da
casa, inclusive a quota de 600*
a um collaborador encarregado
de copiar os iivros do archivo
cuja letra comeca a pagar-se...
I 3. Diaria de dous serventes
capitulo 11.
Instruccao publica.
Art. 4. Directora geral :
1. Empregados, inclusive a
S radica cao detOO* ao secreta-
rio.............................
2. Expediente a asseio da
casa............................
3. Diaria de 2* ao ser-
vente...........................
Arl. 5.* Gymnasio Provincial :
I. Empregados e professo-
res comprebendidos os repetido-
res e lente de desecho, ticando
suspenso o provlmento' Os (te-
mis cadeiras vagas emqoanto
o numero de alumnos nao fr
consideravel e se nao der a re-
mocaodo intrnalo para p novo
edificio e accrescentando-se a
gratificarlo de 400* ao secreta-
rio emquantoaccumularas fnnc-
c5es de ecnomo................
2. Aluguel da casa........
3. Expedienle, movis, as-
seio da casa e diaria do servente
4. Mensalidade dos alum-
nos pobres.................
5.a Muzeu, inclusive a gra-
tiucacao de 800* a uro conser-
vador e os vr-ncimentos do pre-
parador........................
Art. 6. Escola do commercio :
I." Professores............
2." Porteiro servindo de
continuo........... .........
3." Expediente............
Art. 7. Escola Normal :
1.* Professores e empre-
gados......................
2. Expediente inclusive a
diaria de 1*280a om servente..
8 3." Aluguel de casa......
Art. 8. Aulas de latim :
j !. Professores............
2.- Aluguel da casa do pro-
fessor de S. Jos...............
Art. 9." Escolas primarias :
1. Professores, inclusive
mais vinte e nove cadeiras, sen-
do dez do sexo mascolino dos
lugares da Passagem da Magda-
lena, Caxanga', Tigipi, Goyan-
ninha, Ponte dos Carvalhos, Al-
lianza, Queimadas, S. Caetano
da Rapoza, S. Jos de loRazeira,
e Serra Branca'; e dezenove do
sexo temioino nos logares de S.
Fre Pedro Gongalves do Recife,
Passagem da Magdalena, Barro
Vermelho da fregezia dos Ato-
gados, S. Lourenco da Matta,
Muribeca, Pedra Tapada, Flores,
Bezerros, Cimbres, Altinho, Sal-
gueiro, villa da Ba-Vista, Nossa
Senhora do O' de Goyanoa, In-
gazeira, Agua Preta, Trombetas,
S. Bento, Gapoeiras e Vanea ;
comprebendida a qnantia preci-
sa para o ordenado augmentado
as professoras da capital.......
% 2. Aluguel de casas, mo-
vis e expediente..............
Art. 10. Bibliotheca provincial
5 i. Bibliotecario..........
2.a Obras novas...........
% 3.a Alagael da casa e ex-
pedinte......................
CAPITULO III-
Auxilio industrial.
Art. 11. Sobvenco a compa-
nbia Pernambacana...........
Art. 12. Sobvenco a associa-
Cto dos Artistas..............
CAPITCLO iv.
Obras publicas.
Art. 13. Reparticao :
I i. Empregados...........
2.a Expediente e serventes.
Art. 14. Obras :
S i." Reparo e conservarlo
das pontes e estradas, incluindo-
se na despeza o producto dos
respectivos pedigios, sendo trln-
' ta e seis contos de ris com o
empedramento da estrada do
Caxanga' e 1:000* para obstruc-
codo caoal, pelo qual, no lem-
po das cbuvas penetrara as
aguas do rio Capibaribe na po-
voago da Vanea..............
2.a Conservago e reparus
1 de edificios pblicos, sendo....
1:500* paraencanamenlo dagua
para o tbeatro do Santa Isabel,
inclusive um deposito para a
mesma.......................
I 3. Calamento da cidade do
Recife......................,.
4. Construcgao e raparos
! de cadeiras no interior da pro-
i vincia preferindo as que foram
indicadas na le 635, a da villa
do Granito, e inclusive os repa-
ros de que precisam as cadeias
das villas de Flores e Ba-Vista
I bem como a de Bonito ja' come-
8:070*000 jada e coja obra deve ser con-
clnida de conformidade com o
6 do art. 14 da lei n. 596, e a
da villa de Bezerros que dever
i tambem ter aecommodacSes pa-
7:000*000 i ra as sessoei do jury e incloin-
3-------rrrfo-M a quantia de 1:000* ao
36:053*000 j major Alexandre Gomes de S
-------------pelo accrescimo de obras na da
I villa de Salgueiro.............
5* Matrizes e capellas, sendo
4:000*000 para as obras da ma-
triz da Gloria, 3:0005000 para a
de Nazaretb, 2:000*000 para as
obras de cada urna das matrizes
da Boa-Vista desta capital, do
Brejo da Madre de Dos, de
Santa Mara da Boa-Vista, de
Barreaos, S. Bento, Varzea, S.
Pedro Martyr em Olinda, e igre-
jas da Casa Forte, Santo Amaro,
recolhimento da Conceigo de
1 Olinda, Nossa Senbora da Penha
, de Gamelleira, e hospicio da Pe-
: nha do Recife, e para a construc-
I rao da nova capella de Santo
nn 1 Antonio de Podras de Fogo, as-
4:480*000 {S|m i:500* para a matriz de S.
I Lourenco da Matta e ootro tanto
549*000 para a de Nossa Senhora do Ro-
.-ario da cidade de Goiaona, e
699*200 i;000* para cada urna das ma-
------------trizes seguintes : Jaboato, Mu-
5.128*2031 ribeca, Iogazeira, Ouricury, Gra-
nito, Escada, Nossa Senhora do
O' de GoiaoDa,*Garanhuns, Ala*
ga de Baixo, Serinbem, Rio-
Formoso, Salgueiro, Tacarat,
Flcresta, S. Vicente, Pao d'Alho,
Limoeiro a Cano, e lgrejas da
Conceigo de Caruar, e de Ga-
rantan?, igreja de Nossa Senho-
ra da Conceigo em S. Serafim
de Flores, S. Gongalo do Recife,
Livramento, do Cabo, Tejocupa-
po, Ponta de Pedras, Rosario de
Serinhaem, Nossa Senhora do
41:540*000 Terco do Recife, Bom Jess dos
2:000*000 Martyrio0, Taquarltinga e Nossa
Senhora do Rosarlo do Cabo ; as-
oi3*000 sjm Como 800* para a matriz do
Altinho e BOO* para a capella do
3:360*000 emilerio do Rio Formoso e de
i Nossa Senhora da Gonceicao do
Peres.......................
i 6. Gymnasio provincial po-
2:600*000 ,jeDao ser contratada a sua con-
-----,~r^closao......................
50:143*000. 70 Controccao e melbora-
----------ment de estradas, pontes a agu-
des, sendo 10:500*000 reis para
5:100*000 melhoramento da estrada de Flo-
res Baixa Verde e a construc-
cao de um acude para aquella
134:000*000
6:500*000
140:000*000
^
25:000*000
20:16t'*000
3:052*000
1:460*000
1
21:672*000 \

Art. 16. sobvengao e conser-
vatorio dramtica............
capitulo vi.
Seguranza publica.
Art. 17. Forga policial :
1. Auxilio ao corno policial
da provincia em expedido de
guerra.......................
2. Corpo provisorio, inclu-
sive o sold do commandante
que devera' ser nm major, e po-
dendo o presidente da provincia
mandar addlr os offkiaes e pra-
vas de pret que voltarem do Sul
emquanto nao dissolver a mes-
rao corpo en qne se acbarem
as condicfos da lei n. 611 ...
S 3.* Educado dos Albos dos
voluntarios que fallecerem on
ficarem invlidos na guerra...
Art. 18. Casa de dettenclo:
1. Empregados inclusive
cirrurgiao, barbeiro e cabellei-
reiro...............
2 a Knfermeiro com a diana
de 2*500 reis.................
3.a Expediente............
I 4." Illuminaco...........
I jubilada Joaquina DelQoa de
2:000*000 Mello da gratificacao de que tra-
tara as- tefs n. 430 de 13 de junbo
de 18S7 e n. 473 de 9 de malo
de 1801 art. 35, desde o lempo
em que eompletou 12 aonos de
magisterio; restituicao a Joa-
150:000*000! quim Galeno Coelbo do que falta
para eompletar a sua gratificarlo
durante o lempo em que tem
exercido o lugar de engenhelro
do 4 districto, desde a sua no-
meacio al boje, devendo o mes-
mo Galeno de boje em diante
percebr dita gratificacao na ra-
zao de 400* em quanto exercer
147:000*000 as funccSes de engenheiro, as-
' sim como restiluindo-se a Antc-
I nlo Rodrigues de Albuquerque
10:000*000 a gratificacao de 10 por cento
----------------sobre o capital de 4:240* por el-
307:000*000 le arrecadada do imposto de
_ 1 consumo de gado vaccum nesta
cidade do Recife, abatido porm
' o ordenado de 3a escriturario
do consulado relativo aos dias
13:525*000 em qne este empregado nesta
commisso....................
Art 44. Eveotuaes..........

912*000
398*000
1:808*000
16:643*000
Art. 19.-Aluguel de casas pa*
ra cadas e qoarteis fra do Re-
cife.......................... 2:958*000
Art 80. Gonducao de presos. 792*000
CAPITULO Vil.
lllummacao publica.
Art. 21. Com 1,250 lampeoes
de gaz na cidade do Recife, sen-
do 8 para os Renados, 4 para o
porto de Jacobina na Capnnga,
4 para o do Lassare no raesmo
lugar, e i junto ao sobrado gran-
de da Magdalena e ficando a
inspeccio a cargo da repartido,
das obras publicas independenje
de maior estipendie........... 83:213*000
Art. 21 Cora 101 ditos de
azeiteem Olinda.....-........ 9:548*000
Art. 23. Com 30 ditos em
Goianna...................... 3:175*000
Art. 24. Com 30 ditos no Rio
Formoso..................... 3:175*000
Art. 25. Com 30 ditos na ci-
dade da victoria.............. 3:175*000
CAPITULO VIII.
Soccorro de beneficencia.
Art. 26. Auxilio a Santa Casa
de Misericordia do Recife...... 30M)*000
Art. 27. Sustento e curativo
dos presos pobres............. 40:000*000
Art. 28. Recoibimeoto:
i 1.a De Olinda............. 1:000*000
8 2.a De Iguarass.......... 1:000*000
3. De Goyanna........... 1:000*000
6:950*139
10:000*000
1,827:668*981
TITULO 11. m
BBCKITA.
Art. 45. Para effectuar a despeza fizada na tita
lo 1*desta le, o presidente da provincia Oca auto-
risado a determinar a arrecadaco da renda d
conformidade com os seguintes :
-I* 90 rs. por arroba de assncar exportado.
. I J*'20 rs. por caada de agurdente e alcool
dem.
3 5 por cento do algodo dem.
4 7 por cento do mel de furo idem.
5a V por cento dos couros dem.
6:000* por
pontes e estradas cobrado
na provincia, alm de urna Sanca de
cada um.
41. Pedagios das
pela tarifa em vigor.
42. Beos do evento.
43. Emolumentos e apprehensSo pela, polica.
44. Multas por lnfrae;des.
45. Restituirles e reposicoes.
46. Producto da venda e renda de gneros,
utencis, e proprios provinciaes, inclusive a fabrica
do Monteiro.
47. Metade da divida anterior -.0 biennio de ju-
lho de 1836.
I 48. Divida activa.
49. Producto do imposto estabelecido pela lei
n. 350 e pelo artigo 57 da le n. 596.
50. Saldo do exercicio anterior.
51. 5 por cento sobre as rendas dos bens de
raiz pertsncentes as corporacoes de mo
com excepcao das qne maniera estabeleclmentos
pos.
52. Producto das loteras do theatro de Santa
Isabel e do Gymnasio Provincial.
53. Saldo dos premios das loteras proscriptas
conforme o artigo 39 da lei n. 473.
54. Gusta? arrecadadas pelo juizo dos feitos da
fazenda.
55. Juros de 9 por. cento pela indi vida deten-
Cao da renda.
TITULO III.
MSPOSICOES f.EHAES.
Art. 46. Continan) m vigor as disposicoes dos
artigos 54, 62 e 63 da lei n. 596 : e 49 e 50 da de
n. 635.
Art. 47. O presidente da provincia Bca autorlsa-
do a adoptar as seguintes medidas.
1." A rever desde j o regulamento da repar-
ticao das obras publicas, podendo elevar o seo pes-1
soal e os respectivos ordenados, e ficando o novo j
regulamento dependente da approvacSo da assem-
bla sem prejolzo de sua execocao.
S 2.a A reformar desde j o Curso Commercial,
daodo-lhe nova orgaoisacio dispensando os estudos
preparatorios para a respectiva matricula e per
41. dem idem da Matriz da Victoaia.
42. dem idem do convento do Carmo de Olinda.
43. dem dem da igreja do Rosario do bairro de
Santo Antonio.
44. dem idem matriz de S. Pedro Martyr de
Olinda.
45. dem idem da irmandade doSenhor Bom
Jess da Via-Sacra da igreja da Santa Cruz.
46. Idetn idem da igreja matriz de Cmara'
47. dem idem de S. Sebasiio de Nazaretb.
Art. 51. A nanga que se prestar na tbesonrara
provincial pelos contractos para arremataco de
obras durante o presente exercicio, sera' de nm
terco do valor dos contractos. A que se prestar
para recebimeoto de productos de loteras ou quan-
tias votadas em beneficio de igrejas 00 outras obras
publicas, sera' equivalente a quantia que recener.
i Em todos estes casos porm, a flanea sera' consti-
* tuida independente de hypotbecas em bem de raiz,
quando u valor do contracto ou da obrigac,ao nao
exceder de 5:000*000
Art. 52. Fieam revegadas as disposic5es em
contrrio.
MjdJo, portanto, a todas as autoridades a quera
o conhecimento e execocao da presente resoiucio
pertencer que a cumpram e facam cumprir to in-
teiramente como nella se eontm.
O secretarlo do governo desta provincia a faga
imprimir, publicar e correr.
Palacio do governo de Pernambuco, 30 de maio
de 1866, 45a da independencia e do imperio.
L. S.
Manoel Clementino Carneiro da Cunha.
Sellada e publicada a presente le nesta secre-
taria do governo de Pernambuco, 30 de maio
de 1866.
O secretarioDr. Francisco de Paula Salles.
Registrada a follia do livro 7a de leis provin-
ciaes.
Secretaria do- governo de Pernambuco, 30 de
maw de 1866.
O escriturario da 4* seccaoTheodoro Jos Ta-
vares.
0* 5 por cento dos demais gneros exportados mittindo que as aulas func'cionem a noite.
exceptaaudo-se palbas de coqueiro, froctas, aves, 1 3. > promover o estabeleciment de urna fa-
lenha, e quaesquer outros gneros para gasto dos zenrja modelo, cuja direcQio ser confiada ao Insti-
navios e alimentacao dos passageiros e tripolagao. tQ(0 Agrcola.

67:800*000
20:000*000
500*000
50*000
5:650*000
8:500*000
714*000
villa de conformidade com a lei
n. 606 ; 5.000*000 reis para a
factura de um acnde em Bom
Jardim na comarca do Limoeiro;
5:000*000 res para a construc-
5e de um acude na Gloria do
Goit, assim como mais 5:000*
reis para a abertura da serra
Mascarenhas pelo lado do nas-
800*0001 ceDte> devendb a obra ser con-
"TT.TnrTcluida dentro do correte exer-
Arl. 29. Collegio de Papacaca
Art. 30. Hospital da Miseri-
cordia de Goyaona............
Art. 31 Ga.-a de beneficencia
de Grvala'..................
CAPITULO IX.
Culto publico .
Art. 32. Coadjutores que te-
o mais 200*000 de gratifica-
cao cada um................
Art. 33. Guisamento e fabrica
das matrizes tendo a de S. Jos
co Recife 100* e as demais 50}
Art. 34. Religiosos capuchi-
nhos.........................
CAPITULO X.
Arrecadaco e fiscalisacao das rendas.
Art. 35. Thesourana provincial :
jj 1 Empregados iocluslve
200* de gratificarlo ao continuo
Jos Luiz Salgado Accioly pelos
servicos que presta alheios ao
sen emprego.................
8 2a 6 % da cobranga judicial.
Desbezas judiciaes.......
4a Expediente e asseio da
casa.........................
5a Diarla de 2* a ora ser-
vente e gratifleagao de 600* a
um carteiro...................
3:000*000
5-000*000
1:000*000
-500*000
J' 25* por escravo exportado, guardada a dts-
posigao do S 7a do art. 41 da lei n. 431.
8 100 rs. por libra de tabaco (abricado, 600
rs. por arroba do nao fabricado, 2* por mUhelro
de charutos, 1* por milheiro de cigarros, 8001*.
por arroba de sabo, 50 rs. por caada de bebidas |
espirituosas, restiluindo-se o imposto quando o ge-
nero fr reexportado, 80 rs. por dita de genebra e
licores idem; 20 rs. por dita de vinagre, ficand
isentas as fabrica; da proviocia.
i 9a 20 por cento da agurdente de
30:500*000
3:100*000
1:200*000

33:646*000
5:165*000
2:491*000
1.442*000
do'paiz consumida na provincia, cobrados por ad
ministrago na cidade do Recife.
10. 2*500 por cabeca de gado vaccum consu-
mido na provincia, com excepcao dos creadores
as comarcas do Bonito, Garanbuns, Brejo. Flores,
Taearat, Babrob e Boa-vista, e dos que talharem
a carne para sen uso as mesmas comarcas.
Dizimo do gado vaccum pago pelos creadores as
referidas comarcas. .
11 Decima dos predios urbanos, que ser co-
brada al a povoago de Apipucos inclusive, e bem
assim at o Giquia e Caxanga inclusive.
12 20* doV venda de escravos exceptuados os
menores de 7joos quando forera vendidos com
as suas mais, devendo pagar-se 2 por cento do res-
pecilu valor quando a venda 1r 4#aua de um
e'scravo.
13. 10 por cento do seHo de berangas, legados
e doacoes de qualquer especie na forma do 13 da
lei o. 554.
14. 5 por cento sobre os premios de loteras
maiores de 400*.
15. 10 por cento de novos e velhos direitos
pela nomeagao dos empregados provinciaes,'e 20
por cento pela aposentadona ou jubilagao dos mes-
mos.
4.a A crear capataslas e a expedir nm regula-
mento no qual se eslabelega urna matricula e um
distinctivo com numeragio para os escravos e per-
cepgao do Imposto de que trata o paragrapbo 33 do
artigo 45.
S 5.a A crear agencias para arrecadago dos im-
postos nos logares de Mamangoape, Parabyba, Ma-
celo e Penedo.
6.a A contratar a construccio das pontes de
. I Pao d'Alho e Pirapama, o empedramento da estra-
produegao a fa Boaviagem acanalisago da agu potavel de
10:014*000
4:815*000
200*000
5.015*000
168:393*000
28:200*000
196:593*000
1:080*000
600*000
561*000
cicio; 20:000*000 reis pira
constrncgSo das pontes de Seri-
nhaera e Escada de conformi-
dade lei n. 661 ; 4:000*000
para um acude em Nazaretb,
1:500*000 para reparos do aco-
de Villa Bella, e 500*000 para
a villa de Ingazeira...........
8. Construcgao de 2 bom-
bas nos lugares t Ubaia e Jaca-
r on onde for mais conveniente
para evitar a innondagao das
estradas do Arraial e Aflictos e
2 outras nos lugares de Mos e
Macug......................
S 9.a Para auxiliar o lavanta-
mento da carta da carta da pro-
vincia 10.-O00*; para a casa de
detengao 40:000*; e para a em-
preza Mamede 30:036*........
8 10. Para execocao da lei n.
649, devendo a respectiva verba
on parte delta, segundo se exe-
cutar oo nao a lei dentro do
exercicio da presente resologo
ser applicada a qualquer das se-
guintes obras, preferindo a mais
urgentes: 40:000* para a estra-
da do norte, inclusive a de Pe-
dras de Fogo ; 2 0C0* para a
do Limoeiro; 17:000* para a da
Escada, podendo a presidencia
da provincia, contratar a soa
construcgao at o rio Gorja in-
clusive nma ponte oeste ro, e
mandando collorar parapeitos oo
guardas as pontes onde > es-
trada exfgi-lo ; 5:0004 para es-
tados graphicos; 8:000* para
Barreiros e 10:000* para com-
pra on construcgao de casas pa-
ra escolas primarias...........
ol:500*000
1:330*000
44:074*000
4:800*000
80:036*000
Art. 36. Consulado provincial
Ia Empregados, sendo por-
centagem 3 e 3/j por cento......
2a Expediente e asseio da
casa.......................
3a Diaria de 2* a um ser-
vente........................
Art. 37. Collectorias e agencias
Ia Promotores fl sea es......
I 2a Col lectores, sendo a por-
centagem de 12 por cento......
3a Escrves dos ditos sendo
a porcentagera 8 por cento.....
g 4a Agente .do fumo, tabaco
etc., sendo os seus vencimentos
de 10 por cento................
5a Agentes de liqoidos espi-
rituosos e vinagre, com os mes-
mos vencnentos supra........
49:577*500
1:380*000
600*000
51 -.557*500
2:241*000
60:000*000
2:000*000
26:120*000
2:400*000
MSOO
l(;00O*00O
"629:636*000
4:110*000
9:168*000
6:112*000
2:719*000
4:610*000
26:719*000
' que fazem uso actualmente os habitantes do mes-
mo luR.r, despendendo para esta ultima obra a
quantia que tor necessaria, assim como a canalisar
o rio Taquara na freguezia do Altinho, para abas-
tecimento d'agua potavel na povoago do mesmo
nome.
7.a A mandar acabar com a possivel brevi la-
de as obras do cemiterio da villa do Cabo e con-
tratar a construcgao de ama ponte sobre o rio Pi-
raparaa no lugar Bngenho Novo.
8.a A desapropriar o terreno ao sul do novo
edificio do Gymnasio Provincial necessario para ali
abrlr-se um tanque de natago.
9.a A contratar a construcgao de urna ponte
sobre o rio JaboaUu em cootinuago a estrada que
condurjajmypjgo de Muribeca e de ontra sobre o
rio Ipojuca no lugar denr>m!pado~Ottahy.
10. A mandar azer urna poote sobre o rio
Una no povoado de Trorabeta, e a despender a
quantia precisa com os trabalhos necessarios para
augmentar s aguas do rio Goyanna as do Capiba-
ribe-merim, de modo que venha este rio desembo-
car n'aquelle ao p da ra da Ponte na cidade de
Goyanna.
Art. 48. Fica o presidente da^provncia autori-
sado igualmente a contratar com' Jos Amatb urna
0 16. 4 por cento sobre a renda das casas em sere de espectculos lyricos no tbeatro de Santa
que se acharem estabelecimentos de commercio 10- Isabel, por 3 anuos concedendo de subvengao at
ra do cidade do Recife, e as prensas de algodao, a qnautia de 8:000* annoaes e tomando por base a
typograpbias cocheiras, bolequins, hote?, casas de' prposta feita pelo mesmo Amath a assembla pro-
pasto, cavallarices de aluguel, e fabricas, ficando vinciai.
isentas aquellas cujos caixeiros forem todos naci-
naes e as fabricas ruraes.
17. 8 % sobre a renda das casas em que se
acharem consultorios mdicos e cirurgicos, carta-
ros e escriptorlos nao denominados, sendo a im-
posigo (angada sobre a 4* parte da casa quando^o
esenptorio, carlorio ou consultorio fizer
residencia do contribuate.
Art. 49. A metade das loteras que tiverem de
ser extrabidas dentro do exercicio da presente lei,
pertencera' ao theatro de S. I-bel, ao Ginasio e a
Sania Casa de Misericordia desta didade.
Art. 50. A preferencia da outra metade das rete,
ridas 1 Heras, sera' regu ada pela forma segolnte-
parte da | Dao podendo sua ordem ser alterada.
1.a As partes das loterias concedidas pela lei n.
Expediente da dia 16 de junho de 1S66.
Officio ao teen te-corone I commandante das ar-
mas interino.Faga V. S. recolber ao deposito afim
de ter o conveniente destino o guarda do batalho
n. 43 de infamara do municipio de Serinhem Ma-
noel Joo Quirioo, designado o qual Ihe ser apre-
seotado por parte do commandante do corpo pro-
visorio.
Dito ao mesmo.Tendo o Exm. e Rvm. bspo
diocesano, segando me commuoicou em officio de
11 do correte, de embarcar para a provincia do
Para no vapor que se espera do sul, recomraendo
a V. S. que espega as snas ordens, aflm de que a
fortaleza do Brom d a salva do estylo quando o
referido vapor demandar a barra em sua viagem
para o norte. Offlciou-se ao coronel commandante
superior desta capital para mandar postar no caes
do campo das Princezas urna guarda de honra, afim
de asslstir ao embarque do mesmo Exm. bspo.
Dito ao inspector da thesonraria de fazenda.
Em vista do pret junto era duplcala a que se re-
fere o officio do tenente-coronel commandante das
armas, datado de bontem, seb o. 846, mande V. S.
pagar se nao houver inconveniente os vencimentos
relativos a primeira qoinzena deste mez, das pra-
gas do deposito.
Dito ao inspector do arsenal de marinha.Man-
de V. S. por a disposigao do Ezm. bispo diocesano,
que embarca para o Para no vapor que se espera
do sol a gatela desse arsenal, que dever achar-se
no caes do campo das Princezas as 4 horas da. tar-
de do dia em que o referido vapor seguir para o
norte.
Dito ao tenente de engeubeiros Jos Carneiro da
Rocha.Pelo seu officio de 12 do correle, fiquei
intelrado de haver Vmc. entrado n'aquella data no
exercicio interino do cargo de engenheiro fiscal da
estrada de ferro desta provincia.Communlcou-se
a Ihesouraria de fazenda.
Portara.O vice-presidente da provincia tendo
em vista o que requeren o arrematante da obra do
empedramento da estrada de Sant'Anna, Joo Chry-
sostomo do Oliveira, resolve de conformidade com
a informago ministrada a esse respeilo pelo chefe
da reparligo das obras publicas, em 11 do crlen-
te, sob n. 229, conceder ao mencionado arrematan-
te 45 dias de prorogacao para a conclusSo das
obras do seu contrato a contar do dia em que se
findar o prazo marcado para esse fim.Fizeram-se
as necessarias comraunicagdes.
Dita.O vice-presidente da provincia, tomando
em consideragao o que expoz o empreiteiro da re-
18. 20 por cento sobre a renda das casas onde! 665 e que deixaram de sor extrabidas dentro do gnstruccao do arco n. 6 no 5.a lango da ramiflca-
acharemestabflecmentos de commercio emgros- exercicio da mesma lei. gao do Cabo Feliciano do Reg Barros, rseolve em
se-
so ; de commercio relalho, armazens de recolner
e de depsitos e trapiches na cidade do Recito e
mais 50 por cento quando estes estabelecimentos se
abnrem para vender nos domingos e dias santos,
exceptuando-se as tabernas, padarias e boticas, Pi-
cando porm isenUH do priraeiro imposto aquellos
eslabelecimentos cujos caixeiros forem todos na-
cionaes.
19. 50* por casas de modas.
20. 30* por casa de um s bilhar e 20$ por
cada bilhar excedente.
21. 400* por casa qne vender roopa feita em
paiz estrangeiro, assim como selins, idem, excep-
tuando-se aqnellas cujos caixeiros forem todos na-
cional.
22. 1:000* por casa de operagdes bancanas
com emisso e outros previlegios.
23. 600* por casa com emisso sem outros
previlegios.
8 24. 400* por casa sem emisso, compannias
anonymas e agencias.
25. 200* por casa de cambio.
26. 400* por loja qne vender obras de maree-,
nana feitas em paiz estrangeiro
GAPITTJLO.V.
Theatro de Santa Isabel.
Art 15. Administracau e aobvengio:
S 1.a Ordenado do administra-
dor................
5 2.a Subveogo a emprexa
dramtica, ficando o emprezario
obligado a conservar o tbeatro.
I 3.a Sobvenco para os espec-
tculos lyricos qne forenreon-
tratados com Jos Amant......
2:160*000
12:000*000
8:000*0000
11. 0*000
Art. 38. Aluguel de barrelras
CAPITULO XI.
Aposentadorias e jubilacoes
Art. 39. Aposentados.......
. Art. 40. Jubilados...........
CAPITULO XII.
Divida provincial.
Art. 41. Exercicios fiados de
conformidade com o qoadro an-
nexo...;.....................
CAPITULO XUI.
Publicarles e impresses.
Art. 42. lmpresso dos traba-
mos das repartieses publicas...
CAPITULO xtv.
Despezas diversas.
Art. 43. Restltolges, inclusl-
ve 60* ao commeodador Ma-
noel Camlllo Pires, Falco ;
382*633 a Francisco Perelra de
Garvalho ex-arrematante 'de 12a
lango da estrada do sol; 395*176
como restituico de ordenados
ao 4a scriptararlo Alexandre
Americo de Caldas Brandao,
583*330 a Joaqnim Antonio de
Castro Nones-pela differenga do
aluguel que pagou da casa em
3ae funecionava como professor
e instroccio primaria da fre-
guezia de S. Jos do Recife, a
restitai;3o deyida a professor
336*000
23:953*207
16:873*000
18:818*95
4:283*000
Ia Urna parle da lotera concedida a favor do
patrimonio dos orphios.
3.a dem a favor das obras da matriz de Ouri-
cury.
4.a dem a favor da pubiicaco das obras do com-
meodador Antonio Joaqnim de Mallo.
5.a dem a favor das obras da igreja dos Marty-
rios de Golanna.*
6.a dem Idem da igreja de N. S. da Conceigo
em S. serafim de Flores.
7.a dem dem a favor do Instituto Archiologico.
8.a dem dem das obras da matriz de Jaboato.
9.a dem idem idem de Serlhaem.
10. dem dem da igreja do Monte em Olinda.
11. dem idem da matriz de S. Bento.
12. dem idem da igreja do Espirito Santo desta
cidade.
13. dem, idem do convento de Ipojuca.
14. Idem da matriz de Villa Bella.
15. dem idem idem do Bonito.
16. dem idem da igreja do Rosario na Villa do
Cabo.
da Esc < da.
17. dem idem da matriz
18. dem idem Idem S. Lourengo da Matt*
27. 100* por corrector commercial e agente j 19. dem em favor d irmandade de Sant Aooa
de'leiloes. i da Madre de Dos. _
|. 20. dem idem das obras da matriz deFlores.
28. 100* por casa de compra, venda e qual-
quer (ransaccao sobre escravos.
5 29. 1 por cenlo do producto de cada leilao,
pago pelo comprador, exceptuados os judiciaes.
30. 30* por escravo empregado no servfl) das
alvarengas e canoas abaras de que trata o para-
grapbo seguinte
21. dem idem da Igreja do Amparo de Olinda.
22. Idean dem da capella de Santo Amaro em
Serinhem.
23. dem idem do cemiterio de Ingazeira.
24. dem idem da igreja de Ponta de Pedras em
Goianna.
25. dem a favor, da irmandade Acadmica ao
gao -
vista da informago que a esse respeito ministrou
o chefe da reparligo das obras publicas em 8 do
correte, sob n. 223, conceder ao roeocionado em-
preileiro 2 mezes de prorogacao para a conclusao
d'aquella obra a contar da data em que se findar o
prazo marcado para esse flm.Fizeram-se as neces-
sarias commuoicages.
Dita.O vice-presidente da provincia, annuin-
do ao qoe requeren o empreiieiro de 300 bracas de
empedramento na villa do Cabo Felicianno do Re-
g Barros, resolve era vUta da informago dada
pelo Cheto da reparligo das obras publicas no Ia
do correle, sob n. 113, com referencia ao officio
n. 205, de 28 de maio ultimo, conceder ao mencio-
nado empreiteiro mais 30 dias de prorogagao para
a conclusao das obras do sen contrato a contar da
data em qoe se findar a qoe ltimamente obteve
para esse fim.Fizeram-se as necessarias commu-
nicagoes. .
Dita.O vice presidente da provmea, atienden-
do ao que requeren o empreiteiro dos rebocos in-
ternos do Gymnasio Provincial, Rofioo Manoel da
Crnz Cousselro, e tendo em viaja o que a esse res-
peilo informou o chefe da reparligo das obras, em
officio de 9 do correte, sob n. 228, reselve qoe fi-
que adiada a conclusao de taes rebocos para quan-
do estiver travejado a frente inferior d'aqoelle edi-
ficio ou tor exigido pelo mencionado cheto.-Fize-
rara-se as necessarias comraunicagdes.
31. 1* por tonelada de alvarenga e canoas a- ^ota conseiho.
berta empregadas no trafego de carga e descaiga. ;6. dem a favor das obras da igreja do Amparo
32. 10* por bote, savelro, baleelra 00 catraia de Goiaona.
empregados no servigo do porto. 27. dem idem da igreja do Livramento oe rao
33. 5* por escravo ganhador oa empregado a'A|h0.
no servigo de transportes e armazens na cidade do j& [dem idem idem N. S. do Terco desta cidade.
Recito, exceptuadas as escravas. 19. dem a favor da irmandade de N. b. do Bom
I 34. 16* por carro particolar de 4 rodas e etxo Prt0 ae oiioda. n ,kn
flxo, 10* por dito de 2 rodas dem. j 30. dem da matriz de N. S. da Bom Lonselho
S 35. 40* por carro de irodas de alugoeh, elxa ^Brejo^ ^ .^^ da ^.^ Mi)iures .
32. dem idem S. Sebastio da Olinda.
33. dem idem Sr. Bom Josas doe Martirios des-
filo, ficando isentos deste imposto os estabelecimen-
tos qoe mandaren! estacionar as pragas publicas
on ras mais de um carro, sugeitando-se a urna ta-
rifa organisada pela pollcia e em qoe se laxe o
prego dos transporte?, e 20* pelos de 2 raas as
mesmas condicSes.
S 36. 25* por mnibus, 6 por carrogas e carros
nao comprehendidos as deslgnag5es precedentes,
exceptuados os vehicalos empregados na agrienl-
| 37. 10* por cavallo de alngael e 5* por dito
particolar, exceptuados os dos soborblos.
38. Emolumentos do Corso Commercial e ma-
trcala da Escola Normal
S 39. 5 por eento sobre vend de capim na ci-
dade do Recito.
40. 2:000 por cada joalnalfo qne mascater
ta cidade.
34. dem idem Guadalupe de Olinda.
36. dem idem do Recolhimento de Iguarass.
36. dem idem. da Santa Casa de Misericordia
de Goianna.
37. dem idem idem idem de olinda.
38. dem de N. S. da Soledade de Goianna.
39. dem a tovor da ordem 3.' de N. >. do ur
uto, cujo producto sera' recolhido a nm estabeleci-
mento nanearlo, s podendo ser levantado depois
de extrablda a ultima parleta mesma lotera, pa-
ra ser applicada t* construcgao deTum no&plttL
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA
S. Exc. Rvma. embarcou bontem com destino a
provincia do Para', onde vai assistir a sagrago do
txra. bispo eleito de Goyaz.
Urna guarda de honra do 2a batalho da guarda
nacional, postada no embarcadouro, fez as devidas
continencias a S. Exc. no momento de sua chegada
aquelle poeto. __ a
Acompanharam a S. Exc. Rvma. at a bordo do
Paran, o Exra. Sr. vice-presidente, o Rvm. mon-
seahor Pioto de Campos, o Exm. Sr. commandante
das armas, varios ministros do clero e ootras pes-
soas gratas de nossa sociedade.
De caita de om oficial nosso comprovtocia-
de qne pertence ao SI" corpo de voluntarios,
d'esw provincia) copiamos
no,
os
(fusao dos 3a e a>
seguintes trechos,
t No dia 2 do oorrente 'Salo) fot o nosso bata-
lho (21a) tirado n;fa cobrir o campo com o 7 de
liona e o 38* ^,e ,0looarios.
1 ***, meio dia jogou o inimigo sobre nos mui- g
I1"'* projectis, e nm parque de aonara nossa, que
I tambem forman a vanguarda, princlplou a contes-
40. dem idem do cemiterio da ?j|U i*, Igua- ur os tiros dos eanhoes paraguayos. Com pouco
raja, Jouvimos fortes^escargas sobre o 7* baulhio; a

RiGlttt 1
I I IMti fl----1 '' '
mgmmmm

I.


.........
ate




>*rm

filarlo de Fernantrajcn QuaHa feira 1 de Jnnlio de 186G.
X
aooarecendo em nossa frente o gene'raTFTore, qelseiraora e urna IJi, lo<6 Antonio de Mendos;a
?Po commananle d vanguarda, isandou-nos * So,,.
avanear alia* de nrbtegermos o 7.. oque procu-
rando nos fazec, aem difflcil se toraou por haver
aquelle batatnao estenddO em llnh de aeradores
para a esquerda, de sorte qae quapd* nos prolon-
gamos com elle, e avistamos o inimigo, ja nos ha-
viam morndo alguus soldados, naanus distaa-
tes delles urnas cem bragas.
< O nosso balalho recebeu irme as descargas
dos paragoayos, porera retribatodae com tamaaha
certera que parece-ene nao baananos perdido nm
s0 ,ir0- _
c Carregaram os paraguayos pelos Bancos com
a cavallaria aflu de coNar-nos a reelaguardn, e
tomar-nos a bandeira, qsn- mullo bonita ; e 4ott-
raos asslm por mais o nosso commaodaute que sonamos victimas to-
dos da cavallaria inimlga, mandou apressadamen-
te retirar a bandeira, e o batalho retiren faaendo
fogo. N'essa occasiao, porem, hoove alguma con-
fusao no batalbao de sorte que muitos de
nossos offlciaes, qae se portaram mal, corre-
ram, e alguus soldados tambem pouco se poda-
ran) comer. Mas eu qae lintu a liberdade de
brigar em qaalquer companbia, uoi-me com a Ra-
mos Ferreira, que da o.", e ah fizemos o que
nos foi possivel.
t O capito Ramos Ferreira ura bravo : foi
am dos offlciaes mais valenles na batalha de 2 de
maio, dia qoe nos sera' sempre lembrado por ter-
mos escapado da morte.
- Entraran oeste combata os corp-is 40, 38, 30,
26, 2i, 11, 6 e i de voluntarlos, e o 1, 7 e 13*
de liulr. Os qae melhor brigaram foram o 21,
7, 13, 30, ( o segando destt provnola) duas
compaaias do 11 (e o priraeiro desta provincia)
1 da corte e o 26. O batalbao que nos auxiliou
muiio e com preslexa fot o nosea 30, de qae
commandante o Apolonio.
Na reiaoae des offlciaes que se distinguirn!
nessa batalha td-se o seguate com relacao ae 21 :
c Os tenantes seereurios Jeo Nepomuceno Alves
Macil, Antonio Gregorio Leile, os alferes ajudan-
tes Francisco Eduardo D*-njam:m e Henrique Fe-
liz de Dacia nao deixaram nada a desejar no cum-
primeato de seos deveres ; pelo qae se tornan sa-
lientes.
Com elfeilo, o Uacil fec o qae pode para con-
servar a 3* grande divisa, que era ooawnandasa
pelo Rases Ferreira, aa melbor boa ordem na re-
tirada.
< Muitos de nossos soldados foram lanceados pe-
la cavallaria paraguaya. Perdemos 83 pracas, en-
tre ellas um lente, nm outro ferino, o cpio
Ver contaso, e o capilo Albuquerque, qae foi
de polica e ora est em nosso corpo, farido na
perna.
< Xease comate fonos atacados por oito mil pa-
raguayos, e principiando o fefo ae meto da, ac-
bou se as o Uj da tarde, empenhando-se as tras ar-
mas, infamaba, cavallaria e artilharia. Entre mor-
ios, feridos e prlsioneiros talvex ande por 2.800 a
3,008 paraguayos ; e aos perdemos 4 pecas de ar-
tilharia, par qae eslava seo malas, e dentro do
mallo, tudo porque o exercito achava-se distante
de nos mais de }i legaa, qaasi un j e temos tora
de combate eeaiode o emrau obra de mil borneas,
sendo 200 memos.
t agora nosso commandante o major Jesnino
Olympio Saapaio, Babiano casado no Rio-Grande
do Sal: hemem de ben. E' mandante o capitao
Antonio Joaquim Bacellar, Fluminense, casado no
Rio-Grande do Sol tambem Ambos muit. va-
lentes.
t Ao 38 de voluntarios cabe a responsabilidade
de ter o ininigo tomado as 4 pecas.
u exercito argentino em si mesmo quasi nada
ba fello : tudo de-vemos a nos e a nossa esquadra,
de que o inimigo tem grande receto.
t O nosso 21 est bera visto.
O Fetfcissiaw de 14 passon a alfares. <
JEuiroa no exerricio da guardaowria da al
fandga desta cidade Dr. Carlos Rieael.
Seguiram no Tocantins o Sr. Carlos de Cer-
queira Piolo, cbefe de polica nomeado para a pro-
vincia do Espirito Santo ; e oRvd. cooeeo J. C. de
Paiva Torres, visitador da provincia de Alagaas.
Alos do Rvd. vigario geral, fica tambem
encarregado do rgimen e admioistraeo desta al-
cese o Rvd. cooego secretario Marcelino Antonio
Dornellas, dorante a ausencia de S. Exc. Rvma.
Em grao de recarso ei a volvido o Sr. Anto-
nio Marques de Amorira, processado como gerente
da|commraaadiiana Amorim, Fragoso, Santos k tJ.
que fallir-
OUlcioa como jaiz de direilo o Sr. Dr. Pedro Al-
fonso de Mello, 6 supplente do juizo manlcipal da
1* vara.
Representa-se hoje no Santa Isabel pela pri-
melra vez o apparatoso drama Gaspar tPHaueer.
De bello etfeito scenico, de siluacoes e peripecias
verdaderamente dramticas, deve por certo aga-
dar sobremaneira este drama, cujo desempenho
alm disto ha de ser c-jrrespondente ao ment dos
actores que nelle i imam parte.
O scenario acha-se decorado de novo, confmor
reclamara as xigencias do mesmo drama.
Prioclpiou no domingo no convento de Nossa
Senhora do Carmo, a exposlco do Santissimo Sa-
cramento, Andando com a benco, Tanlum ergo e
ladainha de Nossa Senhora : esta devoco conti-
nuar todos os domingos as 6 horas da tarde, sen-
do tambem resada e repelida pelos fiis, ama ora-
cao dada por S. Exc. Rvma. ao respectivo padre
provincial. A saotidade do acto, digna da devo-
co e concurrencia do povo pernambucano.
Hoje ao meio dia se extrabir a 17' lotera a
beneficio das familias dos voluntarios da patria
(68), sendo o maior premio 6:0004000.
Hoje faz leilo o agente Gordeiro Simoes de
movis, loaca, vldros e grande porcao de objectos
de oaro e prata, como seja salvas, paliteiros, co-
Iheres, etc.; a ra da Cadeia do itecife o. 29, as
11 horas.
REr.vnTiCAO M polica :
Extracto das partes dos dias 17 e 18 de junbo de
1866.
Foram recolhldos a ca de deteccao no dia 16
do corrate :
A' ordem do Dr. delegado da capital, Apolinario
Jos dos Santos, como sentenciado; c Manoel Vi-
cente Ferretra do Nasclmento, como pronunciado,
vindos do termo de Barrelros.
A' ordem do sabdelegado de Santo Antonio, Ma-
noel Josibo Floriano de Arauje, pronunciado no
art. 269 do cdigo criminal, combinado com o art.
272 do mesmo cdigo; Mara da Conceico e Ma-
ximiano de Santa Rosa, para correccao; Sllveria,
escrava de Serapbim Antonio de Faras, por em-
briague!.
- 17
A' ordem do subdelegado de S. Jos, Amaro
Ignacio Crrela, para eorreeco.
A' ordem do da Magdalena, Antonio Florencio
da Costa, para recruta.
18 -
A' ordem do Dr. delegado da capital, Jos Felip-
pe do Nascimento, vtmlo da provincia d Babia,
como criminoso de morte no termo de Papacaca.
A' ordem do subdelegado do Recife, Francisco e
Severioo, escfvo, este de Jos* Tarafes Cornelias
de Araajo, e aqnelle de Jos Laceas Raposo da
Cmara, o 1* por fgido, e o ultimo a reqoerimeu-
to do procurador do sen senhor.
A' ordem do de Santo Antonio, Amonio, escravo
de Gaspar Antonio Vielra Guimaraea, a reqoer-
mento deste.
A' ordem do de S. Jos, Maria Damaeia da Con-
ceico e Benedicta Mana dos Praseres, or briga;
Francisco Uadiiguas Machado, por embriaguez;
Luiz Antonio do Nascimento e Femando, escravo
de Auna de Albuquerqae Maranbo> para corree-
cao.
A' ordem do da Boa-Vista, Romana, escrava de
Joaquim lgnacia Ribeiro Jnior, a reoMrimento
deste.
O cbefe da 2' seceo,
J. O. de Mesfuita.
CASA DE nETE.NQAO.
Motlmento da casa de detencao no dia 18 de ju-
nbo de 1866.
Existan 351, entraram 10, sabiram 8, exlstem
353.
A saber:
Nacionaes 245, mnlheres 16 estrangeiros 38,
tnulhere? 2, esoraros 57, esoravas 5.
Total 358.
Alimentados a costa des cofres pblicos 190.
Movimento da enfermarla no dia 20 de janbo de
1866.
Teve baixa :
Liberalino Jos Perera, ferlmentos;
Tiveram ajla :
Antonio Florencio da Paitan.
Manoel Antonio Sobral.
Joajim de SontaTeixeira, Uomingos Jos de Son-
a Pefseto, liar, ttapumi, dsStas,tMHtte Ata*
Cordeiro Co'elbo -Ciutra, taante Tiboxtino Pinto de
Ataetda: c.nego Praticrsco RtTdiaTPeTerra de-Brt-
to e Medeiros e seu escravo, Jos Estanislao Dias
Braslleiro, Joio da Cunba Ribeiro, alferes Marti-
oiano de Gouvela Moura, 9t. Jeo Jaaqacs Amatn-
lio Ramnagc, Antonio Aogoau de latt Mm
de, 2 cadete Antonio Leocadio Ctam GoAaho,
Jos Carlos Afru d'Atawla fteitas, Gtwn Brs-
zilano des Sames, D. Marta las Sacramento,
B. AbbRt deluda e sra-sMimvo, t pncas poi-
ciaes e otn prew, 9 ei-pracas- o ennito, Vicen
Pemeira, Erasmo Jos de Mello, Jos fiemes Mon-
mt, Jeo Xavier da Peneecn, Atasajo Sfcraciseo
a Silva, aBraio irrael, Feee LoawPO, esent-
vo de Raymondo Jos dos Res.
Daniel Jos da Canon Sampaio saa senhora,
Joio Rodrigues Lins e saa senhora e um ftlbo, Sil-
vino Ramos, Joana Marta da Coaceicaa, capitao Jo-
s Candido Barrlo, aifer-es Felismlno Marques
Peixoto, lenle tan ThaoMlorgn da GnerH Ma-
chado, capito Tboraaz Alves Moreira, desernbar-
gador Jos Innocencro do Campos e saa'familia, l-
ente Antonio Pedro Gomes de Castra, tenente Alt
pi de Araujo Trindade e 1 eseraae, Jos Caetano
Vaz o 1 Qlbo e 1 escravo, 2 cadete Luiz de Alcn-
tara Araripe, Jof Pedro de Paivaf Antonio Cardo-
zo, Firmino Hercniano da Silva,- lente Jos de
Souza Abren, 2 pracas. da armna, ik evpracas do
exercito, 2 escravos a entregar.
Passagoiwj sonidos par* o -strl no -rapor 3o-
canttns :
1. P. Barroso de Mello, J. M. de Pontes, M. G.
Manhonca, Francisco P. Rodrigues de Azevedo, Be-
nedicto P. do Espirito Santo, Francisco da Cunba
Gadolha, Dr. Lazitaao de M. Sarment, sua senho-
ra, 2 lbos, 1 eserawoo 1 oreada, Dr. Carlos de S.
Pinto, sua sennora, 3 Olhos e 6 esorwos, Rodolpho
S. Ferreira, Bartholomen B., Gerna8 F. d'OlIvei-
ja, D. Amelia A. da Silva. Jotio C. da Silva e i
criada, Hereviuno J. de Atmeida, Y. A. Duarte J-
nior, Valerio J. da Graga, Manoel M. Silva. Pedro
F. de A. Pinte, Jos Jf. de Ataajo, Jos Coelbe P.,
Aotooio M. A. de Audrade. Joaqaira Castedie V.
vigario Titulo de A. Correia, Augusto de B. Cr-
rela, a l criado, Dominios A. de Pho, Augusto
J. de Azevedo, Adolpho S., Etelvira menor de 19
annos, Joao Cbrysostamo de Paiva Torres, 1 escrA-
vo de Domiages A. Ferreira Taesa, A. P. de Albo-
qaerque, 4 saldados, Maria Dorolbea do Amaral, 7
soldados do 1 carpo de previsorias, Pedro Fre*e
de Pioto recruio, Cesar F. B., 2 pravas de polica,
Ana-tacia Pires de AlioeMa.
Passageiros sabidos para os pjrtas o aorta.
no vapor Paran : I
Dr. Luciano de M. Lamenha, ana seohora e 2 G-
lbos, 1 escrava e 1 criada, Bartholaroen P., bisna
de Pernarabnco e 1 criado, Rvd. Rayzine Jacquas,
M. F. de S. Machado, meoste Ribeiro Goncalves,
Mendo da S. B. Sampaio, Antonio da Silva Pinto,
Antonio B. A di Fonceca, Francisco A. Falco,
Cantarna M. de Carvoiho, Y. J, de Oliera, F. M.
Figoeirae, F. Fost, Loft Manoel e 1 criado, Al-
toda Israel. Aatenio Cnvteio de Agoiar, Antonio
J. Gaspar e 1 criado, \V. Martineaax, Manoel R.
Cordeiro, Herculaoo J. de Alnatda, Victorino J.
Rapozo, Bernardo Noron.
CaaTtio penuen. Oarrlabio no A 16 dk
jnho de 186.
Jos Vicente da Ora, Peroambiieo, 18 annos, soltei-
ro, lioa-Vista ; tubrculos pulmonares.
Domingos Freitas de Sant'Auna, Pernambnco, 18
annos, soMeiro, Boa-Vista, tobercolos pulmo-
ran.
Luiz Francisco Gomes, Pemaubuc-, 40 anaos, sol-
leiro, S. Jos; espasmo. i
Miguel Soares de Barros, Pernambuco, 22 annos,
casado, li-ecife; des id ten a.
Benedicto Colho da Silva, Perambaco, 27 annos,
soiteiro, S. Jos, dosinteria.
Racbel, frica, 50 annos, S. Jos; conf estao eeie-
bral.
Umbelina Maria da Coneeicao, Pero annos, solteira, Recife; hypertrophia.
Anna Maria dos Pasaos, Pernacabuco, 70 anuos,
casada, Boa-Vista ; parabala t
Manoela Marques Vianna, Pernarabuco, 84 amos,
sol te ira, Boa-Vista; deein ter a.
Francisca da Coneeicao, Pernambaco, 13 annos,
Boa-Vista; adenite supurativa. i
Esperanca, Peroambueo, 5 annos, Santo Antonio 5
tubrculos pulmonares.
Fraootsco, Pernanboco, 1 anoo, Boa-Vista; desio-1
teria; !
Fellzmina, Pernambuco, 9 mezes, Santo Antonio;
deslnteria. ,
17
Nao houveram eoterramentos.
- 18
Joo Baplista Marinbo, Pernambuco, 72 annos,
casado, Boa-Vista-, ascite.
Belisiario Antonio Ferreira, Pernambuc), 40 annos,
soiteiro, Recife; afogado.
Maria Jos da Coneeicao," 66 annos. casada, Santo
Antonio; diarrhea.
Feliciana de Tal, Pernambaco, 60 annos, S. Jos: i
esraaftada pelo vapor da via farrea.
Margarida, Pernambaco, 7 dias, Santo Antonio;
mesmo raez, consultando a sua opiuila atondaos
projecus para a coostraeco de tim-puyatdn-nana aata-taWtta^a flm, B obrigandj a provincia
m nesta cidade, informa que ambos a
eatao incompletos de maneira qae nodnTl
mar am juio seguro, e qae m ambn
com as regras geralmente admittidas em arcbllec
tara.
Fas anda nutranfi andonc-' es a raspatto de um
e outro orojectey njiaalan tiizaaan qae -parece-lhe
ser mais conveital n" os naabicios -fossem re-
meainoaaas resMlMs natores para nampleta-los,
to,f.i*inUo.o de nm edificio cora reparti-
* oaai-dasaaaisparmanente de alugael ? Para qae
ora aatftoiaara vestir outro ?
o governo amorlisar forcadamen-
dlsposicoes qae nio estao em completa flartBOfftr tooHivKTa en> que se acha a provincia para com
o cofre geral por causa dos juros da -estrada de
farro
Quawro*. ministro do impsrtrj, apnr dJnaV
Pernambucano e progressista, dar-no mais ana
pro va d conan espirito de ceniraUaadn*4j.esamhA
todo ijili ata est sob proteaja raadMa
das po^irwi inanes T
e oomidnnr anra dnales, sondo conveniente
quntadaon infinnra nanr da aflada-on que de-
moracaoda raaravilhosa descida do Espirito Santo .Terfatno-. aiarb*rca.iatl6ba toikertn do
K toneladas, capitao Saltffle! Mrrflt, edn^-
aatite.os apostlos.
Nessa festividade, que foi precedida de edincan-
K% e smptnoas novenas, na'faltou, que podes-
so tornar menos edificante-sampluosa semelbante
commemoracao, por quaoto foi acertadissima a es-
colha dos oradores sagrados, apurado o gosto da
daaaracio do templo, sorprendente o pessoal e exe-
caoo da orchetra, abundante a illuinluago no re-
einlo da igreja e as aoas desendeoeias, immensa
a aantidade de manilestacaes xierieres, tradazi
an-por foguetes, balara, date bandas de msicas
anacaos e luz electrUa.
nato da referida ign;|a-ama ootemne procissao, e;
- o Divino Paracliaj'fciaoatluzldo com toda a^
pompa e veneraco por abetunas ras da cidade, I
a ao que o-para-terminar teo ao^ajosonaoi
Como querfje seja, chamamos a ataanao
julga ne- ncesidente da provincia para esa abinan, el
eraffBI ota lhe-paaeca canvanlMte oos aatteuciMlos nossos legisiatnm.qae de aer-
pWWngar'tadto niato inMea o>projecto. 2,n di- ro nao hao fltsahir n'uma tris conrrateco, to-
ticaco entre a ra da Florentina e o caes de Santa jetando uma-baraanha en que a proviaeia non ao i
Iseboi,oqne dn ma Dettn, at ro fnrdo quartei- mem retieber oTnnetro de contado, porque abi j lerantaade, foi"entoa'do pelos ministros do aliar o.
rao, a edilicacAA devt.seajnir am liaba recia, lar- est .a (aada'twnd-'para forar o ea mtontro. pela orchesira aiteriratfam.-me o sagrado bymno,
mando um aoguio agudo cora a direceo dessaroa. Nao;.aasseabi4ade Pernambnu nao ta de cao- qae comegaVem Crtator Spuitus.
Posto em discassao, dellberou-se qae os mesmos i sentir nesta barganha, em prejnizo de am esfane-
pri'jectns fcssom remeintlos aos seus autores acom- lecimento qae ha pouco Ihe mereceu mais algum
anbados de copias do offlcio cima, determinan-! cuidado.
o-se ao engenbelro cordeador que indicasse um Ja basta que os poderes geraes tenhim denegado
terreno qae fossetnaat aproprlado para nelle ser i ao Gymaasio a coocessao que concorrena para sua
edificado o pago municipal. prosperMauo, e qtra eewtstia apenas em permlttir
aMHilt;.eantfi2l7'barriM eoat'BafcaffMM i a
Saunders Brolbans i G.
Barcelona 41 das, smca rieSpAntioft' SibdHi*
de 120 toneladas, capito Luiz Casis, equipa-
gem H,carga vina e ouirosfeawos ; a Tasso
Irmio ;.seguio para o Rio VJooeiro.
Navios satoos no Mesmo dia.
Portos do aarte-Vapar nacional Ptrana', cora-
mandaate o capiMo'tJa frafata tanta Barbara,
dffawntes taoeros.
braatWra timen*, capito Joio
isla, carga, tnriostneros.
ujciuwwtc o iraj
EDHIES
Outro do advotado dedaraade que a detoaa do
fiscal dos Afogados Ibparece regular, e nos ter-
mos de ser apresentada, devendo accrescentar qne
aos alumnos no dardo estadio reoeberem o gran
conferido no collegio de Pedro II da corte.
Si a tendencia para a centralisacao afaga lo ca-
no sen pensar nao pvoeedeu o fiscal regularmente, rinhosanwnreo privilegio 9o idternato de Pedro H,
por que lavrado o termo de intraeca j, devia ser aVixem-nos ae roanas faaer medrar com os nossos
jiroceasaao paca qu depois da seotaiica se fizesse o
iiancjineutu, cuuiu puriu pruceileu por ordem
superior e de boa fe, de esperar que se julgne
improcedente a queixa.<}uo seofSsiasse ao advo-
cado, recomraendando-lbe que tome em cou-idera-
cosemelnante negocio,
Outro do engenheiro cordeador, informando so-
bre o que no reqaerimente, se dfcvnle, pede o
Sr. commendador Tnomaz de AqntaB Pdnceaa, de-
clara qae o sobrado de sua prajiriedarie sito a na
da Cruz n. 5 nao tem a altara requerida pelas pos-
taras em vigor para a coostrncoae da -otea que
elle pretende fazer, mais que em ignaes circuns-
tancias ja tem a cmara concedido o que elle pre-
tende.
prQpriog.recuxaos^.imparlanlft aatabelaoiment qae.
ja temos.
Nao contine a corle a w unw madrasta to
falta de caridade para nos...
1. fi. -C. F. Jnior.
I m voto de agradec aren no, ci-
dade de <-o i un na 13 de junbo
de 1866.
Nao olvido um feito generoso pata dehtar de
rander-lhe a devida bonaniinam
Sendo eu administrador da capaila de Senhor
Bom Jess dos Passos do cooveaio de'Carmo des-
ta cidade, a qual nao tem patrimonio sofflciente pa-
Quanto, porm, as portas nao prennde abrir no ra se reparar alguns ostratos qoe o lempo Ihe ha
pnmeiro e no segundo andar do mesmo sobrado, i Jeito, entender ccorer a'caridaie de alguns chris-
4.' secglio.SeerMria do gt>verbo Q> fifnam-
Bellissina buco 9 de junlio de 1866.
de grande" effeilo foi a coraposico musical do can-1 EDITAL.
tico, que, estribilhaado por um animadsimo coro,; Pela secretaria do governo, se faz pffbfieo a qnem
foi entoado, com acompanhamento a grande or- \ Interessar possa, que lendo o Exm. Sr. tlce-presi-
ebestra, por urna fresca e agradavel voz de sopra- dente da provincia de dar exeeueao a Id n. &7 do
no, a terminar os ejercicios religiosos em cada' 1." do eorrente aballo publicada, se eotfda to-
uma das novenas. das as pessoas, que quelram contratar a consiruc-
Informado de que semelhante traballio foi obra,' gao das pontes de que trata a referida tet, apre-
nso* de professional, mas de pessda dedicada por
mero gosto e vocaco a sublime arle musical, nao
nos podemos fuar ao desojo de dirigir ao autor as
nossas felicitaedes, que estendemos tambem ao
Illa. Sr. Francisco Libaaio Colas Fiiho.a qaam foi
rncambida a dtrecgo e regencia da orehestra que
fanecionou em todos os actos cima fallados, e isto
ja pelo agradavel elfeilo prodoztdo por todas as
entera at o ultimo do correle ao mesmo Exm.
Sr. as saas propostas afim de-serem examiaadjw o
preferida aquella qae melhores vantagaBs fte-
recer.
O secretario. Dr. Franciuo de Paula Sallen.
LE N. 6*7.
0 i)r. Manoel Clemeobno Carneirodn Conh, vi-
ce-presidente da-provincia de Pernambnco : ^go
suas composIgSes e pedags, qae foram executa- i saber a todos os ees 'habitantes qoe a eonibla
dos, j pela forma! e cafHlbelrosa recua, qoe ttze
ra, segundo somos informados, de receber quantla
alguma a titulo de paga ou gratlficscao de seu tra-
balbo, limitando-se u nica mente a acoeitar a impor-
tancia da paga dos profeasores, resottico essa qoe
Ihe foi dictada pela circomstancia de haver sido
legisletmpro-inct^doT-retoae--mTfrKttt-n-ri are-
soliicao seguate :
Art. 1." O presrdele da provincia ffea aotorisa-
do a conceder privilegio por 30 asnos rom o eta-
belecimento de nm pedaglo Andr de Abreu
Porto, ou a qoem meHiores vantagens offereeer,
pregiso, qae os encarregados de tal [eslividude se para a constraecode duas pontes de aderboa
pondo-as em cymetria com
terreo, diz que baveodo este pavimente tres por-
tas, duas uuidas e urna separada das -rrimeiras for
am claro grande, o que aprsente-urna perspectiva
defeitaosa,- e coaseguibtenente desagradavi-l, visto
este mao affeito sera aindaoon*derawelmate aug-
mentado, sendo reprodazide no orimeiroe no
gando andar do sobrado em qnestao.
Posto em discassao; resolve-e mandar oIBciar
ao engenheiro para declarar qual a altura que ten
o mesmo sobrado.
ijuando prlncipiou-se a taltara do naci, de ae
se trata, o Sr. Aquino Fonceca retiron-se da ees-
sao.
Outro do sal da freguezia dos Afogados, parti-
cipando qne ao obstante, a altura em que tem le
vadoo4>r. Joaquim Antonio Carneiro da Cunha Mi
pata
eipozessem a grande espesa para acquisigo de
cantores e iastrnmentisias mais dislioctos e em nu
mero crescido, attenta a coincidencia de outras fes-
tividades no mesmo da.
Por conclusao, felicitamos-aos illastrissimos, en
parias do pavimento titos por mim mais reooanesidos como rieis, as sa-1 oarregados da alludida festividade pelo bom resul-
lulares recomaeudago.ts en preceito-do nosso di-
vino redemptor.
Nao esqaeci o IllA. Sr. Dr. Ceetnio BstelKta C*
valcante Possda, actual jar* d diMito-da eemmar-
ca de S. Jos de Mipibu', porque quando juiz mu-
ee-1 nlcipal nesta oemarca, mostrava-se tao devotado
aas negocios qae desiam respailo ao eedesiastic
era to observador da tei divida, qae amirava a
sna nao bypocrita tidelldade.
A'elle, pois me dirijl.opoado as recisoes aa
referida cnpeHa, rogando saa ceadjuvaco aos con-
cortos precisos, por si, e por seas amigos d'aUi; re-
mettendo-l&e algumas cartas para em neme do
mesmo Senhor, serera per elle diatrrbatdao.
Ata* de recebar saa resposta qne acowpaneu
o nome dos Sts. abano, com a nota das qaanlias
tado, qae colheram seus esforgos, cortos de que
coasegnlram realisar actos, que estiveram em in-
leira relago com a sublimtaade do assumpto.
fTraaaoripto do Jornaido Recife do Recife.)
Agua Fkorlda de iiunaj k%l Lan-
randa, os^fegocios originados pata sua infraego, | que se dinoaram olTerecer as precisdes da mencio-
continua a mandar fazer a ana sem a menor at-1 nada eapelia.
tengo as postaras aaaawlpnea, e como nao possa a maneira eTectuosa- coraqoe si mostr o o Illm.
ete tisca4 proceder sem delibecao da cansaras as-1 Sr. Dr. Estellita, responden ao mandato de sim o soHcfta pava so esclarecer no camornaente oe encarregnei, me convencen de saa delteadeza pa-
ta Ihe ser grato eternamente, assia>,e*oo, qoe o
ente christao se manifesta pasar de qualquer sa-
seu dever.
Posto em discassao, dVHberoa-se mandar respon-
der ao fi-ca I que lavrasse termo de infraego'na ctjlicio.
reincidencia cootra o referido Dr. Miranda, e re-1 Receba pois, o llltn.
meltesse este ierro ne uwtiwndor para proceder a de eterno agradeclmea, tatto soten
nm embargo judicial. quanto ainda Ihe rogo, qne aprsenteos meas re *-
Nesta occasiao deliberon se tambem officiar ao peitos a'todos os seas aajnjM, que se dgoafam
proenrador doclarmdo-lhe que, lego ave me fosse! atleader-me; affiangandv-lhe, qae fe ea, o mesmo
entregue o mencionado lera se dirisisse ao advo- Senhor Bom Jess dos Passos oo proteger'.
nado para este requerer o embargo judicial. Desculpe-me, por hm, o Sr. Dr. EsajHtta, e seas
Compareeendo Antonio Jos Dnarte Coinbra, e amigos, se com a presente pnncaco tenho offeo-
apresentando sua carra de naturalisago de cida.-: dido suas delicadezas, cniboode dtw o moa fin nao
dio brasileiro presttt juramento reocaMBendadojl ontro senao Mo poder consentir qn* ajqatrem s
pala le, e asslgoeo o respectivo termo. enciosem a devida honjenagemde ninhaoarte actft
Dcspacharara-se as petigoes de Amino Jos Fer- de tanta.'magoitude, como o que praricaam. Jos
reir da Caoba, Antonio Gomes da C.sta Leite, Am- Cesar d Alouquerque.
Atravez de toda a America Hdspaahoki
desde o norte do Mxico at ao Estreito de
Magalhaes, este perfume tido e considera-
do como a agua aromtica a mais fina e de-
licada.
As senhoritas hespanholas, n5o s della
fazem uso como o mais delicioso perfume ;
mas sim tambem habitualmente o usam
n'uma forma de dituic&o como um excel-
ente meio pa'aalvejar e conservar os den-
tos e dar um suave e agradavel g. sto ao pa-
ladar.
Servindo de modesta e agradavel adver-
Sr: P/:..!58*^?' lSLIf!^ tencia, recommendamos aos senhores, que
* a mesma usada debaixo desta mesma forma
e ba vendo salpicado seu fato, isto depoi*
de baverem gosado as deliciosas tanacas
d'um bello charuto de Havana, os torna
presentaveis na preseaca e sociedade dobel-
touio Francisco de Barros, Basilio Atoes de Miran-
da Varejao, Bokbfor Francisco das Santos, Domin-
gos Correa Jnior, Joaqnim Goncaltes Ferreira, Jo-
s Dativo dos Passos Barros, Jos Aires da Silva
Goimares, Joaqaim Gonoaives da Silva Rocha,zJo-
s Ricardo de Lima, Joao da Canoa fteis, Lonrea-
go Jos de Santa Anna, Maaoet Aires Guerra (?)
Manoel Cabral Ferreira e levantou-se a sessio.
Eu Francisco Canuto da B wviapem, secretario a,
subscrevi.Perera SimSes, pro-presMente.Costa
Monteiro. Fonceca. Santos. Reto. Si iva d-
Brasil.
Commuiiicados
ttano.
Jos, Pernambaco, 2 metes, S. Jos; cmaras de
sanfne.
Maria, Pernambaco, Santo Antonio; espasmo.
Herculaao, Pernarabuco, 18 mezes, S. Jos; inte-
nte.
Caroiino, Pernambuco, 2 annos, Boa-Vista; desia-
teria.
Delmlra, Pernambaco, 6 annos, Boa-Vist; desin-
teria.
Guilhermioa, Pernambuco, 7 meces, S. Jos; ioter-
m itente.
Francisco, Pernambuco, 3 mezes, Boa-Vista; es-
pasmo.
Basilio, Pernambuco, 14 anuos, escravo, Santo
Antonio; menegite.
Rita, Pernambuco, escrava, Santo Antonio; ma-
rasmo.
C.4HAIUMIMG1P4L DO RECIFE.
SESSO EXTRAORDINARIA EM 2 DE MAIO
DE 1866.
Presidencia do Sr. Pereira Simoes.
Presentes os Srs. Aqoino Fonceca, Reg, Santos,
Costa Monteiro e Dr. Seve, abre-se a sesso, e foi
Hda eapprovada a acta da antecedente, com a re-
clamagao do Sr. presidente de qae a grati6cagao pe-
dida para os liseaes da cidade foi smente para os
das qoatros fregaezras do Recife, Saajo Antonio, S.
Jos e Boa-Vista.
L-se o seguinte
EXPEDIENTE.
Ura offlcio do Exm. presidente da provincia de
27 de abril ultimo, commuoicando que tendo ouvi-
do ao engenheiro da repartlglo das obras publicas,
acerca da materia do offlcio da mesma cmara de
18 do dito rae*, sob n. 32, declarou-lhe o mesmo
engenheiro era data de 26, que nao Ihe consta que
a bomba da estrada de Santa Anna, de que trata o
citado ollicio, tenha embaragado o transito, e qu
ainda naqnelle dr passaram por alli os carros e
mnibus.loteirada. -
Outro do mesmo, de 30 de referido mez, dltendo
qne para cumprimenlo do aviso expedido pelo mi-
nisterio da agricultura, commercio e obras publi-
cas de 23 d Janeiro ultimo, remette a cmara os
inclusos raappas impressos, para que os taca en-
ober com aa declaracdes nelies indicada?, relativa-
mente aos estabeleclmeotos commwclues desta ci-
dade, remetteado-llte os referidos mappas assim-
preparads at o ultimo de outnbro prximo vinv
; douro.
Posto enl discussao, dliberoa-se que fossem re-
medidos ao contador os referidos mappas para o
i fim exposto, e que se expedlsse ordem aos flseaes
para foroecererh. ao mesmo contador os esclareel-
! meatos de que elle precisasse.
Outro do secretarlo da presidencia, de 28 d
abril pas-ado, comrannieando a cmara, de ordem
da S. Exc. qde na mesma data e expedirn as ne-
oessanas ordens aos arsenaes de gnerra e marl-
nha, e a reparligo da polica, ao Molido solicitado
ao offlcio da referida cmara daquella data.lotei-
rada.
Uma peligo de D. Anglica Bernarda de Miran-
da cora despacho da presidencia da provincia de
23 de abril, mandando qne a cmara Ibe ministre
as copias exigidas no offlcio de 26 de miren, aa
qual a supplicante pondera a S. Exc. qae a copia
da acta da mesma cmara acha-se appeosa a peli-
go de recarso, bera como a dos pareceres, tanto
do eogenfieiro, como da commieaao do ediaoicdasi
Qae se satisQzesse a recommendaeao da presi-
dencia.
Oatra de Francisco Jos Regirte Brasa, tambera
com despacho do Exm. presidente da provincia,
mandando informar, em coja netieio o mesmo Ora-
Tendo chegado boniem do Rio de Janeiro, aonde
fura era consequencia de uma enfermidade, e para
consultar alguns mdicos qne sao fndnndos como
especialistas, a respeito da molestia de que so Uro,
nao sonbe senao denois de miaba chegada, das or-
dens do Exm. e Rvm. Sr. bispo diocesano acerca
do modo porque devem trajar os clrigos desta dio-
cese. Respeitando, como cosrnrao, e me compre
es preceitos de meu superior legitimo, sere prorap-
to em prestar-I he toda a obediencia; sendo que
tratei Ingo de dar as necessarias providencias.
Entretanto, sendo fcrgado por agora, era quaoto
seno achar prompto o traje Oxado, i nao usar
delle, para evitar qualquer escndalo e qnalquer
interpretaco menos conveniente ao meu carcter,
venho perante o publlen protestar pela mais com-
pleta obediencia, e afastar de mim quatqaer julio
temerario; tanto mais quanto, teatro S. Exc. Rvma.
de retirar-te hoje para o Para, nao desejo que o
meu procedimento seja interpretado como menos
respeitoso em consequencia dessa mesma ausen-
cia.
Recife, 18 de junho de IW6.
Conego Francisco Rochael P. B. de Medeiros.
ue eeatnboiram com %>
Ion Jess dos Passos de
Reiafta das pessrs
pertula para o Senhor
Goianna.
Custodio Rodrigues Ferreira Man 5*, Affonso
Leopoldo de Albuquerque Maralo Sfr Manoel
Francisco Ferreira da Cesta 55, Ignacio Jos Pa-
checo 5, Jos Joaquim de Medeiros 3J>, Manoel
ferro entre os logares, Gapooga e Poco da PaneHa,
no rio Capibaribe, e qae deem passagem para o
povoado da Torre, mediante as condieoes estabe-
lecidas no art. 3 da presenta le, devendo em
gualdade do circum=iancias ser proeTMo o dito
Andr de Abreu Porto.
Arl. 2. O mesmo presidente podora' enateder
igual privilegio e as raesmae cobdigoefl do ar-
tiga precedente a Arisiides Marte Carneiro da
Cunha Gama, Joaquim Francisco d Miranda
e Justino Pereira de Farias ou a quera meibore?
vantagens otlerecer, para a ceosirueeo ponte de ferro ou al venara no lugar deaonfnado
Sant'Anna de lora e que dassa(rea da' lrego*za
da Boa-Vista para o Poco da Paneila, devondo ett
igualdade da condieoes ser preferido Arisiides
Duarte Carneiro da Cuaba Gama.
Art. 3. Os concessionarios Searao sueeMrjs a?om
das que forem estabelecidas nos respecliros roa-
tratos a's seguintes condieoes:
1. A obra sera' construida de conforrMdade
com as preseripgoes foruecidas pela repardcao das
obras publicas.
1 A tarifa do pedaglo sera' regntada dt-ac-
cordo com o governo.
3." Findo o privilegio a obra cara' pertencen-
ao a' provincia, sendo-lhe entregue em estado re-
galar de conservacao.
Art. 4. Ficam revogadas as dispoeicOec en Con-
trario.
Mando, por tanto, a todas as autoridades a flucm
o conhecimento e execogie da presente resofncao
partencer, que a cumpram e faga camprir tao
inteiramente como nelta se entena.
O secretario do governo desta provine a faca
imprimir, publicar e correr.
Palacio do governo de Pernambuco, at li" de
junho de 1866.4o da independencia e do imperio.
L, S.
Manoel Ctementino Carneiro da Cunha.
Sellada e publicada a presente resoloeo ansia
secretaria do governo de Pernambuco, l.*de joobo
da depois de haverem feito a barba, pois
jque ella faz dissipar toda a ardeucia do
| rosto.
(Vede que os nomes de Murray e Lati-
nan se achem inscriptos sob cada envolto-
, rio, letreiro e at mesmo impressos nos vi-
Jos Henrique Triguoiro 3, caprimo Aa*to;dros das proprias garrafas, visto pois est
Rodrigues Sft Bellarmino Joaotiim de Vasconcel- falta dos napsmos toda a mais
tos 2& Tertuliano da Rocha Picado 2#, Antonio Gomes da Roctia Fagundes 2^, Anwrto Virrsstmo'falsa.)
de L'ma &, Marcelino Martms Benigno 2Ji, Andr Vende-se as pharmacias de Gaors &
Ciciano Airea Salgado 2#, Manoel Antonio Man-1 TjarD0S3 e j. a q# Bravo 4 (j.
gabeira 25, Joao Gualberto Soares Raposo da ca- i
mar 25, Miguel Joaqnim do Reg Monteiro Vas-
concellos 15, Jo' Gomes Ferreira 15. Jos Corf-
ta sexo.
Aquelles do sexo barbudo e que tem uma
pelle. delicada, acharSo com o maior prazer,
que esta agua ma verdadeira luxuriausa-ja^ taSS!
O secretario Dr. Francisco e Pattia Sater.
Registrada a Q do livro 7* de lels arevineHw.
Secretarla do governo de Pernarabuce, 4.' de
junho de 1866.
0 escriturario Theodoro Jos Tarare*.
booo Justo Pereira 15, Carlos Soares de Medeiros
15, capito Manoel Pegado Corlez 205 capitao An-
tonio Bento de Araujo Lima 95, Dr. Jos Alexan-
dre de Amorim Garca 55, lente Francisco Her-
cnlano Barbaibo 55, tenente Tbom Soares de
Carvalho 105, Antonio Eafrasino Barbalho 25,
capitao Francisco Solano Martins 45, Jos da Cos-
ta Maia 15, Miguel Leite Pereire t>, Joaquim Flo-
rencio 15,
COMMERCIO
PRAfA DO RECIFE.
Cota^ocs offlciaes.
19 de junho.
As 3 Ir-' horas da tarde.
Algodo I" sorte-I45G00 e 155 por arroba..
Descont de letras 10 0|0 ao attno.
Joaquim Rodrlgnes dos Bantos l*, Joao prele ,je a|g0do para Barceloua 30 reales sem
Correa da Cunha 15, Jos Joaquim deOliveira 15,:
Angelo Gomes de Leirs 15, Angelo Bwerra Jaco-
me 4005. Dr. Horacio Candido de Salles e Silva
25, Vicente Josc Borges de Castro 25, Dr. Caetano
Estellia Cavacante Pesa 25-
iracAo
llllO OOOrai. IMauuauuu luiuilliaitoui vja pv^ifav v ...v. ..., **im~
eiros viudos do Rio de Janeiro e por-' ga pede a S. Etc. Ibe coaeeda perralssio para fa-
ros do vapor Paran : I zef un cano em frente do sea predio n. 19 da roa
*3os intense'
Anastacl Pires de Almeida, Joo Bernardino
lijtelho, Herminio de Paula Mesqmta Cerqoeira,
Antonio Cardozo Sobral, Dr. Sebastiao do Reg
Barros de Lacerda e seos escravo, Dr. Jos P01-
geno Goncalves Fialbo, Valerio Jos da Graca, Jos
Rento de Carvalho, Joao Jos da Costa Lemos, sua
do Apollo, qne condeza os aguas pluviaes ao cano
njestre qoe me flea mais proximo.-Que o enge-
nheiro cordeador inforaasse.
Um offlcio do engenheiro director da repartiese
das obras publicas, de 30 de abril nltimo, decla-
rndoos resposta ao qae Ihe oi dirigido em 18 do
O gymaasio provincial.
E' geralmente reconhecido o^provetto que para
esta provincia e mesmo para as do norte resulta
de um estabelecimento de instraccao secundaria
como o gymnasio provincial. Ha coasas to in-
tuitivas qae dispensan) desmontracao, a qual po-
derla at conslderar-se uma especie de injuria ao
senso commura.
instituido sob condieoes auspiciosas,
lente regulamento, pessoal habilitado,
prudente e paternal, prometteu logo o Intrna-
lo, desde o sea corceo, um futuro' bem pros-
pero.
Como auxiliar para o encino das setnelas na-
turaes organizou-se em pouco lempo nm musen
importante, com alguns productos qne nao se en-
contrara no da corte, sabresatindo entre elles ama
primorosa colleccao de petxes croe chamen a alten
cao ilo Imperador quand) elle aqu este ve de vi-
sita.
Se hoje temo; collegios particulares era bom p,
agradecemos isto, era grande parte, ao poderoso
estimulo creado pela necessidade de competencia
vaotajosa com uma iasfltaJCaO ftoreseeoie pro-
tegida pelos poderes provinciaes.
Iofelizmaote as pMarelae ao praernso etiliveram
a cahir sobre o Gymnasio. Houve at presidente
que n."M leve acanbamontd em ir.er que eeno es-
tabelerimento se fondara em proporqoes afolladas
que nao eram para Pernambuco. Adevinha-ee qne
esta lisonja nao poda vir da bocea de um Pernam-
bucand.
Por maito lempo Bcou paralysada a consirUccab
de am ediflelo qae se delineara para o estabeleci-
mento, provisoriamente rastillado n'uma casa de
iosuffl'.iente capacidae. e cojo arrendamerrto esta
(indar.
Graca?, porm, a ama das ultimas adrainistra-
eoes, qae nao encarara com trorror os raelhora-
raemos materiaes, Continuos a factura da oba, qoe
o dominio do< quatorie annos delxra amntada,
e que podia este auno ottsreeer neontodacoa pa-
ra a transferencia do internat >, econooiisaneh>=e
o alngael qu presentemente se paga a am parti-
cular.
Mas ltimamente a ministro do imperio espedid
ara aviso presidencia desta prefnela ordenando
diliteacias preparatorias ala de se podar entrar
era ajaste sobre a compra do edificio, para o qual
se pretende mudar a facuklade ao direilo, segundo
consta.
O vendo mysterio anda oobre o nono do Per-
nambuco generoso qae, naturalmente por ser mui-
to amante da sua trra, soggerio ao governo esta
infeliz resoluoaoi
U que se sabe e qne a nossa assambla, em vez
de autonsar a alienacao desse proprio provincial,
concdenoste annoalguns favores ao Gymnasio, es-
pancando assim a idea da aniquiilaraente, e antes
manifestando o desejo banefleo de ver fruciicar
cada vez mais essa uiilissima instllalco.
Priraeiro que tudo, curapre observar que nao
licita similhaate alienacao sem ntervir aautoridade
da assembla.
Depois : sendo to difflcil encontrar nesta cida-
de urna casa com vastas accotodacQes para o
Gymnasio, para qae ha de o gorerno querer pre-
Srs. redactores.A vista da promesea, qne se fax
em seu conceiluado Diario de 19 do eorrente met,
a quem amarrar o meu amigo o chamado EL ES- j
TIGARRIBIA II, lenbo a di7?r qae : se ello esta
fgido nao por LADRAO; e mnito bem
esta dito, por que outros mais LaDROES ah
andam e eu os vejo todos os dias por estas ms;
e ( aqui para nos, que ninguem nos ouca, senhores!
redactores I ) Deus rae livre qne os LADROES
i todos fossem parar a cadeia. Eu la estava ba1
com excel-! mnito lempo, com uns ?0 J de abate.......
e direccJo | Mas emfim senhores redactores, ett qaero sem-
pre dar um conselho.
Deixam o pobre do meu amigo. Se eu proclamo'
qne elle vem passear a sea salvo por esta cidade
da de S. Joo, depois de jantr......
Pela manhaa, eu nao digo essas e ostras cousas; i
pois, estou bem certo que o nao deixam pizar em
ramo verde. Teoham compaixo do meu amigo ;
elle est reduzido a {ralzerla ; anda vagabundo la j
bem longo por esses raattos, exposto ( coltado, coi'
tadinho delle, senhores redactores 1... ) ao sol, a
chava, ao sereno; e at uma cobra cascavel ja Ihe
deu uma dentada, que o nao matou por qae elle ti-
nta bebido algum espirito ( obra de qsatro jarra-
fas da patricia, que eu tambem gosto as tetes dta-1
rtamente.)
A semana passada, senhores redactores, o mea
amigo ao apear-se do trem da via frrea, oa esta-
co de t Gamelleira > dos uma qaeda to forte qoe
atlrou-lhe a mandbula para onde o frade volta o
capello II *
E assim acoleceu por que o Sr. Souza, que ali
se achara disse-lhe : qae os capitdes de campo o
querais atarrar, em consequencia dos annuncios
publicados em seu eonoeHnado Diario,
Boa graca, Sr. Souza I
Fico-ibe jnulto oorfgado, peta parte qne me loca.
Tenbam compaixo delle, senhores redactores.
mes amigo est de mais SALGADO pobre,
sem viniem, as letra veneidm, os credores nao
qtterem vender-lite dado ; querem s o dinheiro
das ktras os a porta fech4*.....
Esi o diabo a quapt ITM
Endtn sto meu discurso est muito bonito, e
provavel qae os homent ma ansndam.
Por conseguinto
Viva a patria 1111(11
capa.
uubourcq Jnior,
Presidente.
Silveira,
Secretario.
Caixa filial do banco do Brasil em per-
iiaiiilmco 18 de jsnho o> 1866
A caixa descoma os saques de aes aceite pela
taixa de 8 0/0 ao auno.
Novo Banco de Pernambiwo.
o novo banco paga o i 6* dividendo be
razao de 60150 poFaocSe.
Caixa Filial do Banco do Brasil en Paraananoo
aos 11 de junta de A9K
A Caixa saca sobre a Caixa Filial na Baha.
\oto .bae deiPernam-
O Novo Banco descoma tetras a 10 por ceato
ao anno
ALPAffDEGn..
aendimeoto do dial a 48 .......
dem do da 19............-..-
347:623*278
3i:i83*206
382:10^181
MOVIMENTO DA ALFAXDliiiA
Volumes entrados con lateadas... *l
c com generes... 413
Volumes sabidos cem faiendas... 153
t c com gneros.... 610
434
793
Descarregam boje 20 da janbo.
l Vapor ing!ez-G/ati'a Escuna ineleza.Arelasideo.
Barca ingieraJmojea-ferro. .
Bfigue inglezZiiija/fl-machiaaagax.
Brigue noraeguense Ytiand Idat.
Brigae noraegaeose afinor-iaaiqna de trigo.
Barca ingleza lmpmraor farinha de trigo.
Polaca italiana -Clotildefarinha de trigo.
Sumaca beioanholaAauafwa -dem.
Patacho italianoSaradeu.
I Patacho nacional Jaboato diwraos gneros.
'Barca portugueza.CWadniaaidem.
Barca inglezaTicAirferro*
Barca inglezaSap/io*-arvo.
Barca InglezaAusnaWoau
Barca porluguezaMtmanna /idam.
Barca nacional Amiaadaenarqoe.
?Brigoe nacionalBeluarw ton.
Brigue nacional AureJiano dem.
alacho nacionalSe/-ide.
ate portuguez-Serra /iderro.
RECEBEORIA DE RESIDAS INTERNAS
RAES OB PERNAMtJtiO
2- ^ZISZS^J*^ Resdimento do dia lalS
estas liabas, qae Ibes fleo assasaaente grato
COSTA.
irmandade do Espirito Santo do
Coikgio.
E" ineootestavel qae nesta cidade se tem ltima-
mente desenvolvido grande esmero as fe;.tivida
des religiosas, o que serve de abono para 0 concel-
to de qoe merecidamente gozara os seus habitantes,
qae sao geralmente reconheeidos como amante dos
exercicios religiosos.
Dentro taes festividades, mallo prenden a atten-
5o publica a qae, a 20 do mez de malo prximo
Onda, teve lugar na igreja do Colegio em comme-
140 do dia 19.
CONSULADO PROVkNCIAL
flendimento do da 1 a' 18
Mem :do di* IQ>*.<.<
67:6434823
6:494.5415
7a:0*MO
IB01ME5W DO POITO
^
Navios entrado noSi It.
Liverpool68 dias. barca franceza Mana Nicols,
de 250 toneladas, capito A. Fauberi, equipa
gem II, cargacarvao* ferro;a Tesset Frere.
O I Moa. Sr. inspector da tbesouraria prbvm-
cial, em cutnpriraento da ordem do Etm. 5r. pre-
sidente da provincia de 28 do eorrente, manda fa-
zer publico, que no da 30 de agosto prximo rio-
don ro, perante a junta da fazenda da mesma ine-
souraria, se ba de arrematar a quem por menos
flier, a obra do 9." lanco da estrada da Ecada,
na importancia de i6:905000.
A arremaitcao sera feita na forma da li pro-
vincial n. 343 de 13 de maio de 185%, e >ofc as
clausulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propuzerem a essa arremata-
gao comparecam na sala das sessdes da mesau
junta, no da cima indicado, pelo meto ola e
competentemente habelitadas.
E para constar se mandou publicar pelo jornal.
SecretM-ia da tbesourarla provincial de Pernam-
buco, 29 de maio de 1866.
O offlcial da seeretarta
Mignel Alfbnco Ferreira.
Clausulas especlaeS.
I
As obras do 9. lanco da estrada da Estada se-
rie executadas de conformidade com a planta
descripeo dos orcamentos, na importancia da
16:903*000.
II
O arrematante dever cumprir restrictamente as
lastrucces do engenheiro fiscal da obra e as con-
dicedes do orcaraeolo e contrato
III
O arrematante dar cornejo as obras na praso
de 13 das, e as concluir no de 14 mezes", amaos
contados da daia do contrato.
W
Os pagamentos serao feitos em tres preslicoes
ignaes, correspondentes ao valor da obra frjin.
aenos o empedramento qae ser em ama s sres-
taco, quando flzer a entrega provisoria.
De cada prestaco sera' dednzido o qeodeler-
ioa o art 83 do regulamento de 9 de jalao da
?864. ,
VI
O recehnento definitivo de todo o lanco, e obras-
sera' 18 me Vil
-Para todo mais que nao estiver aqni espeeiSta-
do no contrato, seguir-se-ba o qoe prescrere o re-
ferido regulamento das obras publicas.
Contarme.Miguel Affonco Ferreira.
4* anecad.Secretarla do gorerno de Pernamba-
co, 14 de jaafao de 1866.
EDITAL
Pela secretaria do aovaros de Peruasnooeo se
Taz pnblico a quem inleressar possa, qoe lesdo o
Exm. Sr. presidente da pr jviocia de dar exeracoo
a le n. 667 de 23 de abril do corrale aooo,abal-
lo publicada, se pon vi Ja i todas as pessoas cae
qaeiram contratar os ramaes de trunos urbanos, de>
que trata a referida le apresen tera ao mesmo Exm.
Sr. at o ultimo de jaiho prximo vtadeuro as na>?
propostas, afim de serem examinadas e preferir so
aquella que melhores vantagens offereeer.
O secretarlo,
Dr. Francisco ie Paula Satn.
.LE N. 667.
O Dr. Manoel Cl-menUco Carnerro da
vce-presidente da provincia de Pernambnco.
Faco saber todos es seus habitantes qne a as-
sembla legislativa provincial decretoa e ao sane-
ionei a resoluco seguinte :
Art. i. O presidente da provincia contratar toa
os empreiteiros dos trilhos urbanos, ou com ajanan
melhores vantagens offereeer, am ramal dos raci-
mos trilbos, qae, partindo desta capital v terminar
fia cidade da Olinda, passando pelas estradas de
Joo d Barros e Belra, de cuja encrusilbada d***
partir outro ramal para a povoaco Beberifip.
Art. 2. O contrato ser redlgldo oe modo a Ocar
o contiaunte abrigado a coocluir a obra dentro de
10 mezes, contados da asignatura do mesmo con-
trato, sob pena de pagar a malta de &00O& e de
Ver acabar a obra a saa1 casta.
, Io O praz para o ramal deTBefcerrb mft den-
do da conclusao da estrada pela le n. AV 96
maio 4e 1865, ficando o contratante reponsa-
p'tla conservacao d dita estrada,
ift. 3. O"presidente da provincia poder* anxi-
liar Sor ara s vex ao contratante, com orna sab-
venco kiloffietrica nanea superior a V&. do capital
dm pregado.
Art. 4. Picar o BiesnJo coniratante snjeiK as
oondicOeasannintes :
g f Submetier o ornamento 4A obra nnif*l
cao do aprarno.
2 BStibelecer pelo menos qoatrWvttgOa**
fias, sendo duas de ida- e dWsde volla.
i 3' Nao poder exigir- de cada passageiro mais
de 400 rs. por viagera era wagons de prfmetW alft-
se 300 rs. sos de segaed*; e de 200 rR and e
tereetra.
S 4* A baixar estes preeos a proporco qne aag-
meatar a eoacurrencia, de moda a combinaren se
os intereses daamsrez* con os dos pass agojas.


i
i

i UGlva


ha

---V--

Urto4rrej.a-b.ro .arta Jet 4e ataah 4e 186*.
I
*..
=
~JTP Eslabelrter (reas de carga logo que as con-
HWi i. pahliras as retlamirern, Slo rodando
AMH alffam exigir pelo transpon dos voluraes
ai* deaue #e exige na.vja frrea do Recite ao S.
francisco.
Art 9* O contratante fasar dxis mesaras previ-
lgaa, eaaeedidos a eompanbia dos trunos urbanos.
dorUrffa* Apitiws, roMim praio nunca snpe-
ror a 39 annos, fiaJo os quaes ficar a emprea,
era sudo de fuaeeionar regularmente, pertencen-
do a prauaeja,* .-
Art 6. Ae-geveruo-fiea reservado o direlto de
iecaUsi a ejflfjupca, uftier.wspj e servieo.da
emarera, assim como o de regalar as respectivas
tarifavdetraasppries as vaotagess foa.deve ter
diratte iteviacia.
4rt 7, ftcatarevogadas as 4{>cifjps *m con,-
tfmo o contrato que haviara celebrado sob
de Gira.'-, Souza <& C, o qiul lindara o praso
de soa dfcaco eco o da agosto do auno prximo
passado, cando de posse do e-tabcleciraent o ex-
socio Sosia, e os ouiros.de todo exoueradoa a pa-
gos-do sen capital e luiros.
Secretaria dytrihnnai dp commaceio de Par-
aambuco 18 de juubo de 1869.
O ofiBcial-maior 1.
Julio Gnlmaraes.
Hipoeic* dos produet. agr-
cola e industria es m Pcr.aai-
bpca.
A commissao directora da exposico des-
' ta provincia, previne aos artistas que de-
~ sajtwio-concorwe os-wa* preMudtos a
jjtfda^partantota to^vas_auiridadta qftm meseta exposigo e que gfy.o p9i8am,fa-
i e-tedey-dfc*piite-fesoicio zer por fa]ta e recursos, que devem diri-
gmm?e4rC3T^-itfiT c*n,pnr ^'gh-se-aosecretirio di^ommiss5 para ob-
0 secreurio dogomne eata prvcia a [oa terem OS auxilios necessarios a acqaisc3o
ittprmif publicar e.corjer. ^ ^ das de
tvfc
aQrma Companhia de paquetes a vapor entre
- EslaOts-l nidos e o Brasil
At o dia 33
do correle es
pera-se de! New-
York.por S.Tho-
maz Para, om
dos vapores ame-
ricanos, o qnal
.depois da demora
de costme se-
ipica' para as porto* do api. Par fretes. passa-
gens etc., trata-se com os agentes Henrv Forster
$<1, ro do- Trapiche n. 8.
Paca Lisboa,
o brigue portuguez Bella Figurirense, capitao Jos
Comie da Carvtlbo Sobrioho, vai sahir at odia
25 do correte ; para carga e passageiros trata-se
com ES.fl. ftabeilo, roa de Trapiche n. 11, segn
argajM. ____________
Quaita-leir JO do correte" as 11 horas
-.. ftapinto.
no rmate, a- ran^Gadeia do Recife n.29.
- I T If |i.l
LOTERA
CASA Di FO
Ao 6:0"
i.
MI* Jg-fawop de Peusambooo, %i de,abJ: poio^o,.
Sala da commissao 9 de malo de 1866.
M, ftuarque de Macedo,
Jtatpfl ClmmUino Ganulro da Cunha.
Sefeda e^uWicaiU a.presen*., rasgue* nesta
secretaria dp^ove/no de Peipajpjbwsa, 23. de abril
de 4886.
O secretario Dr. Francisco de Paula Salles.
Regiatrada.a aYdo Ierro 7.* d* tais preaiaciaes,
secretaria, da goveroe de Pernambaeo, rde abril
de 1868.
O eseripturario da, 4." seceJO. Theodoro
Iteraras. _
Secretario.
do andar.
Deulgodo avariudo.
llan meheH, capftio da barca iogleza EWTH
MARIAN, fara' leilo.por coota e risco de qaem
perteocer e por intervengo do agente Oliveira,
precedida a competente autorisacSo do lllm. 8r.
inspector ja alfaodaga, eoa preseca de USO em-
pregado d*sta reparilcao e do nim Sr. coqsul de nefteio das fomiliH dos OluntarjQS
c. M. Bntanoica, de 298 sanees de atgo-iae em sa-'
cado, avallado e.sdimdo de bofdo-da dita barca,
que receotemenie pegp^f gone doiHo
WME
ao meio dia em posto, no annaxam alandegado
U-SBf^0 Ui,wM|Pto 1*f*-***<> Assem-
ftia Pfovinciajt.np Kofje d* a*8v
dia da sab
Jos
mtmnm
m
Gonsalad* areirtoiai
Pela .flpeM do manija pwTjaet. apubllco Jk
One no da 4* de juabo vindouro se principiara a
coaur os 3 das weis marcados para a cobra no a
bneea do cofre d* 2* semestre do an.no finaaceiro
correte des impo.-tos de decitna des predios urba-
nos, de 20 0|0 do consetoo de agurdente e de 5
0(0 sobr a.renda-.dpe baav. *e raiz perteoceotes a
c^wporac^es.dsxBiaQ msria. f
Mesado consulado provincial de Perjurabuco As
36 de maio de 1866.
O lllm. Sr.'nspWtor da thesouraria provin-
cial em cumprioeate daresolncao da junta da fa-
zenda manda fazei publico que se contrata por
lempo de 3 meaean contar do de julho ao ul-
timo da Mteraano nroumo viadenro o fornecimen- maro *
to d-alimentaoao e dietas dos presos pobres [da
casa de detenclo, serviodo da base a arrematacao
os precos seguinles:
Domingo, almoco e jantar
Segapda-eira.idem dem
Terp-feiaa idajn dem
Qua.a-reja idjm dem
Quaya-fafra idpra idem.
Sexaa (eite dem idera.
bba
COMPANHTA PKRTAJibtJCANA
bfc
Kavogaco eosleir pw vtfiar.
Para Acarac e escalas.
Segu no dia 22 do corren, o
vapor Mamanguape. Recebe car-
ga at nos dias 19, 20 e 21 ; en-
commendas, passageiros nejfi'
nbeiro a (rete al as 3 horas do
380
BO
Sabt
/.
ado dem idem.
N. 1 **"'.
N. 2.....
N. 3.....
U- 4.....
fj. 6 -
pessoas que se propozerem a
540
400
Qeorgiatu
-r-
'Ceaj'e HaranhSo" she
a trazar com Tasso lrmaos.
ahe
a encuna
Pam o l
ler*. I
olwra
A majlo veler*. bara| fbr
iptaaotaoiO#rapcijp da
seguir e#m m^jr bieviXde e
forto, j> teo a ib a i* aan
prompto e para o resto qne Ihe
traja-e epaj o capilao oo com
Marques, Barros & C., no largo
n. 6.
tu.
a ARMI.HOaV,
Iva Nunes, deve^
ireitura para*
do carregaroeate
ita e passageirov
os
do
-xr
Antonio Garneiro Machado Rios
Administrador.
640
400
480 pretende seguir uestes oito das d pancho porte
contratar, dito guez S. Jorge de Aveiro, o qual tem prompto pane
tornecimentoapresetuem'snas propalas era cartas, deeu ca/regaanato : para o resto que Ibe

(echadas no dia 14 de junho prximo vindouro, ao
me dia un me.-ma thesouraria onde encontraro
as tabellas das (oroeclmentos e condicces com
Santa Casa da Misericordia 2^^^?.^,^^.^^!?
sensandoa ptaeiicar oansente pelo jornal.
Secretarla da thesouraria provincial de Pernam-
buco 29 de maio de 1866.
O'oficial da secretaria,
Migj.1 Affepeo Ferreia,______
da Recife,
A ilni.' Mta dMfl4sfettva de Santa- Casa de
Misericordia do Recite manda azer publico qua
so dia 21 de juaho correte pelas 4 aeras da tar-
de na saa desuas sessdes tem de Ir peaca a ren-
da das casas abaixo mencionadas por lempo de um
a tres anuos.
Os pretendentes deveao comparecer acompanha-
dos de seas Dadores ob munidos de cartas destes.
Estabelecinentas de earidade.
Ra Direita.
rf. 3 idem e 8 idem, sobrado de 2
traUrse com o seus coosi,
de Olivera Aievado & C.,,
da Cruz a, i.
Salarios 4Mn
i seu esjrjjdo.
10
orio
raa
AOS OIOOOOOO
f>rre lerea-feira 36.
Acham-se veoda na respectiva thesou-
raria, ra do Crespo n. 13, os biibe-
tes^^ meios e quintos da 18* lotera a be-1
da pa-
tria (69.1), seodo,aXitrao3o no lugar e bo-
rt do GO*turae.
Qs_ prejnjos de
Da arnii il* lalewa da 19a d
Quaria-fQiraii2U-do.oareejate.ao aaal dia.
O aMta;Aei.na.iaf a' leilao ppr oeit%.dp Sr.
Joaquim Torres Pita, da armaco, gaz, caatelros e
mais eas.Mrtapceatae.a: amm em um so lo
,s ^SSSSiSfSS!! SmSha na tnesma
taberna ^iia^^Eordgn^^ ^
iii:ii\o
De urna mobiNa de]acsrand com lampo de pe-
dra, una dita de amarello, urna cama Iranceza te
jacaraam, um,commoda.de jacarapd*, 0,03 gran-
de banca paraadvogado com o gavetas, ama rica
secretaria de mogno, um grapde guarda. lQuoa da
araarello, tres solas de faia, 2.J cag>iras de li, um
sof de Jacaranda, 2 cadeiras de br.1505, sais oa-
consignataajpa, 9 de iei ama, cadeira de balaaco de amar el
Corpo Santo |o, 2 relogi^s .de cipja ie.iaeM, i-U^mjaiQUa para.,
fff*Mlal4lori^ajjaafeltoftii outros ob-
jecvis.
Quinta-feir*21 do crrente.
No amazes de rna da ladera do Recite n. M,
as Unen* era poeto- ^^^_
^ompanta do Beberibe.
No dia 33 do corrale ter lugar no es-
CCiptorio desta. companhia a arremalago por
um anno a decorrer do Io de julbo deste
anno a 30 de iunbo do anno vindouro do
y ame dem, sooraao ae rendimentQ dos chafarizes do lugar da Pas-
sagem da Magdalena, devendo ser as pro-
*i5'X)0 postas em carta fechada entregue nesta oc-
>ooo caso ou antes no escriptorio da compa-
ifioAOOO nn'a on^e roeibor os pretendente* se deve
informar das condieces do contrato.
1333000 Bazes SOuPe a8 qBaes se dTft laucar.
umoo
360,5000
Pretende segoir com nrBHa brevWade a velleira
sumaca nacional Hortrncia, a quil tem parte.de
seu carracamente prompto, para o resto que Ibe
falta trata-se.com os s-us consignatarios Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo & C, em sea escriptono,
rna da Crea n. 1.
S. Bigflel
1963000
73000
1833000
143000
144*000
6OO3OOO
1443000
838000
Ra. do Padre Fbrlaoo.
N. 5 dem e 49 idem, ca.-a terrea. .
M. i> idam e 47 idem. casa terrea. .
Ra do Fagundes.
N. 11 idem e 32 idem, casa terrea .
Travesa de S. Jos.
f. 13 dem e 11 idem, ctsa terrea.
r. u idem e o idem, casa terrea.
Roa dos Pescadores.
X. 16 dem e 11 idem, casa terrea .
Ra das Calcadas.
N. 20 idem e36 idem, casa terrea.
Ji. 21 idem e 38 idem, casa terrea.
Hua da Viracho.
N. 26.dem a 7 idem, casa terrea. .
Raa larga do Rosario.
X. 33 dem e 24 dem segundo e
ereeiro andares.......
Ma o, 34 particular e 20 A publica. 1:
Ra do Galabouce.
N, 40 Idem ai8 idem, casa tarrea.
Becco do Quiabo.
N. 49 idem e 8 idem, casa terrea. .
Ra da Gloria.
IC 51 idem e 55 idem, casa terrea.
Ra do Encantamento.
>'. 52 idem e 3 idem, sobrado.
Ra do Padre Floriaoo.*
N. 67 idem a 65 idem, casa terrea.
Raa do Apollo.
N. 'i idem e 24 idem, sobrado de 2
andares..........1:4003000
Ra de S. Bom Jess das Crioulas.
iV 61 idem e 8 idem, casa terrea. 1313000
Patrimonio de orplio*.
Ra do Rangel.
Casa terrea n. 6 particular e 56 pu-
blico........... 300300O
S. Gonzalo.
Casa terrea n. 10 particular e 22 pu-
blieo. .....1893000
Becco das Beta?.
Sobrado de dous andares n. 37 par-
acular e 14 puhlico.......3613000
Azeite do Pelxe.
Sobrado de 1 andar n. 68 particular
e 14 publico........
Raa da Cacimba.
Casa terrea n. 65 particular e 5 pu-
blico..........
dem q. 7 idem e 10 idem. .
Ra dos Burgos.
Ci=a terrea n. 68 particular e id
patuco...........1913000
Ra do Encantamento.
Sobrado de 2 andares n. 76 particu-
lar e 11 publico........9003000
Senzala Velna.
Casa terrea n.81 particular e 18 pu-
blico............2OO3OOO
Ra da Guia.
Casa terrea n. 83 particular e 27
publico..........
dem a. 84 idem e 29 idem....
. Roa do Pilar.
Casa terrea n. 91 particular e 108
publico..........
dem.o, 92 idem e 103 idem. .. .
ldeai o. 94 idem e 99 idem. .
Ideal*. 105 ideme 94 idem. \
dem n. 5 sitio no Foruo da Cal. .
A 8**sma Illa).* Jauti em virtude de
publico que os predios abaixo declarados vio de
nava a praga.com algumas coodiccoes que sero
apreaentadas no acto da arreowtaco.
EfrUbetoeiBealfts i* caridAil*
Roa Nova.
Sobrad de 1 andar n. 46 particu-
lar e 18 publico. ....... 1:0093000
Rna da Ifoeda.
BL 64 particular e 37 peblico sobrado
de de 3 andares.........4803000
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
RecJe 15 dejaabode 1836.
O escrlvo interino,
Pedro Rodrigues de Souza.
C.aaUa. de jymMfteafi. *p
r.ehla de Fre Pedro *3on
.tres do Recite.
D cooformidade com a lei e em virtude de or-
den do lllm, Sr. teuente-coronel presidente do
eonselho de qualiflcacao da parochja de S- Fre
Pedro Goncalves, aviso a todos que requejeram
passagem para a reserva, ha]am de comparecer no
consistorio da igreja matriz do Corpo Santo as.10
horas do dia 20 do jorrate a flm de serem inspee-
ciooados.
Sata ds conseibo 48 de jonho de 1866.
padro Paulo dos Santos,
Tegepte e sayetario 4.0 conaalho.
"T!ritokal o conunercao'
Pela secretaria do tribunal do eomtaereio de
rswftmi" se ai puMIeuquo foram registrados:
Em 15 do corrate o contrato de ociedade de
Joc Antonio de Soqz^ Jf Lppes fl> SUu Gni-
Mraee, estabweetde' esta eldade eoa negocie de
ferrage^.e laindans se a arana de Souza &
Guiunaaes, aue ivifiutv*! pai atjaeo. de tres
, epatados do l* do oorrente met..com o ea-
llha iic
Sabe com rao ita brevidade a,escaa.portagueza
EMA, para passageiros trata se coa Joao im Reg
Lima, a' ra do Apollo n. 4,
1693000
2163000 Dito entre as duas pontos..
Gbafariz do largo do metro.
6005000

seguir com brevidade a. barca porfuueza Xova
Marianna, de primeira classe, e recentemeniej
construida ; tem prompta a maior parte do sen
carregameoto ; e para o restante e passacrews,
para os qaaes tem excelleotes commodos, trata-se
corn Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, no largo
do Corpo Santo n. 19, escriptorio, ou com o capi-
tao na praga.
Para o Porto.
IMJUU
Dividas do Mptfit de Joaquim Silva
Lopes na i porto ncia de 16,59 > $370
ris,
Cordelro lmeos
a reqnerimento do tesUmenteiro e ia-vanfarjaQte
do tinado Joaquim da Silva Lopes e despacho do
litio. Sr. I)r. jmz municipal da segunda vara, (ara'
leilao u>s dividas.perlencentes ao.espolio do mes-
rao tinado na im.potancia de 26:595^370 rs., cons-
tantes de ttulos que seacham em poder do mesmo
agente a uzamede quem perteocer, cui) leilao je-
ra'. efttfltiuada-nQ te, w
Spx|a-(elra 22.do correte -
as 11 horas, no armazem a' roa da Cad*u- do Re-
cite e. 20.
r, "Mito
De movis, objecte d prala, euro e
4es escniva -e um sitio na Cv
O agente Martms fara'. leilao por auuisac.ao
deDoBMUgos RodfiRes de.AndM.de. de c_adair>,
marqoezaLmaas,,ap,ara.dprfts, urna. rjc.a cama de
Jacaranda, um lindo candelabro de. metal pratea-
e muiJdo, trem de cp.5in.ha, aparelh.gs.de pjata para cb^,
diversos (>h4c^afcde.aBr. osquaes nao poderae
Escriptorio da cornpanuja
2043000 ^e JUD'10 (le *8^
O secretario,
Dr, Joo Jos Biftto Justar.
6003000, ,- < a~
Qevendo ter lugar~jjpj[ia.ade agosto prjimo,
na capital da Parahyba, a esposiceo agrcola e in-
dustrial, o abaixo asslgnado, eacarregado pela
commisa> directsra de pceraiiver a acqpis^o de
objectos d'aite, ou arligos de industria dos para-
4003000 bybanos aqui residentes, declara e pede pelo pre-
sent aquelles que desejarem concorrer para maior
505000 brilhanlismo da referida eiposirio, que tenham a,
1 bpndade de dirigir-se a ra do Imperador n. 75 2o
andar, das 7 as 9 horas da manba, e das 4 da
tarte as 8 boras da aoite, onde o abaixo assignado,
no somente dar' as informaijes precisas sobre o
iraospojte dos objectos que se de&tinarem a refe-
rida exposico. (cojas re.messs deyerao ser reilas
at o da 21 de julho proximoj, como tambera fr-
necera' a materia prima aquellas senbores exposi-
tores cujas circunstancias assita o exigirem.
.So Recite poderlo igualmente entendor-se com
o lllm. Sr. Antonio Jos da Silva Brasil, na ra da,
Madre Dos n. 23.
Praa*aaco, 2aae malo de 1866.
JjsUDP Jos de Souza Campos.
CflRRElO GttL
Rlaco das cartas seguras existentes na admiuis-
tracio '4a carrejo desta cidade nara os senhores
abaj 10 declarados:
D. Francisca Bernardina de Senna.
Jacintbo Fartado Paes Lima.
Jos Martlos Alves Bcrges.
Dr. Manoel Buarque de Macedo.
Thomaz Gomes da Silva.
Seguir' com brevidade a bem conbecida
veWr*.barc* Citmdina, por ter parte do seu carre
18, Wneata engajado: para o rssto e passageiros, aos ser vendidos no leilao apierir. por falta de_temno,
lom^uflertw encllenles commodos, trata-se com bem como de mais doas ese/avos e um sitio na
CaJBlk* lrQS t C, a' ra da Madre da Dos n. 3, Capuuga ra das Peraambucanas junio ao siHo
que foido Capistrano.
Sexta-feira 22 do corrate.
No segandoaodar do sobrado da raa da Cnk
o. 33, ao meio dia.

1263000
I&43OOO
25
2003000
1503000
delibera-
THE A TRO
S. ISABEL.
E1PREZ4--C0IMBR4.
13a recita da assignatura.
Quartefeira 20dejnade 1866
Primeira representaco do magnifico drama em
4 actos de Antee! Bourgeois, traduzido por urna
babil peina : ~*f .
GASPAR HASR.
Personagens.
I Gaspar Hauser, moco de 16 an-
no?.......' Sr. A. Amara!.
ABaroneza........* delia:
| Mina, sua atibada. .... E. Cmara.
Conde de Raepach..... Sr. Coate.
Frederlce, joven medico. Paira.
, O coasalbeio ulico..... Raymundo.
Clauss, o tjNMtor- a Pontea.
Scbwartz, creatura do conde de
Ranspacb........ P. Joaquim.
Frita, criado, :'.,... > Teixeira.
1 caJBpoaez. ,.....> Pialo.
2 tUo......... Sania Rosa.
Sara, leaijeira. ....... Se Jesaioa.
1* mulher do campo......Joaquina.
2a dita dita........> Leopoldina.
> dita dita.........E. Pontea.
. Sr. Soler.
pedreiro, criados
Criado.
Campoetes, Hermann,
obreiros.
As decorfcoes d* e f acto sao-
novas, bem como ama parte do 3o e
lo sceaographo o Sr. DoraslUs.
Denominaco dos actos.
* A sepe Kara dos condes de Ranspaotb
2* Gaspard no subterrneo.
3 AvictBaaaoalfoz.
4 O veneno e a morte.
Terminara' o espectculo cora applaudide co
media em 1 acto
Lll DE FEL.
Ra/ to p*i de.earrMiamento queaBdttPtde Geno-
\y^mto*J*lt**-S3tra por Iss^-mh dse jar a.
barear genero* o>ei brevidade e ajbate enmmode : |
dinja-S aoconisoaiario Joaquifla Jos (j.-racalves
Reitrio, rna do Vigario n. 17,-ftrimeiro andar.
_Epljrai3ide di Sul
Segu em p raros dias o brigue nacional Tigre,
poie ja' tero a bordo parte da carga, ainda recabe I
alguma a frete e trata-se cpm Baltar & Oliveira,
raa do Virarlo n. 10. _________
JDiuiero a risco,
O capitp dabarca. brasileira tal Pedto, preci-
sa lomar a risco martimo a quantia de 10 a 15
contos de ris, sobre tres mil coy.ro-, parte do car.
regament.) da mesma barca procedente do Bio
Grande do Sui eoa destino a New-York, arribada
recentemeole a este porto, onde, foj condemoada,
cajos coaros seguem paja o referido porte de,
New-York, no patacho brasiteiro Pa'"? : os pre-
tendentes sienpm-se mandar a sua proposta em
carta fechada aos consignatario- Marques, Barros
& C, largo do Gerno Santo n. 6 qu na consulado
americano at a 1 hora da tarde do dia 19 do cor-
rete mez, aonde serao beitas. pelo respectivo
cnsul.
U 15 SE2.
i .i ..."... n
. L ,J ... ., ~r-
LESLO
De un*, escrava, obras de ouio e pata
Cordelro iue
a' requerimento ao ipventariapte dp tinado Anto-
nio Francisco Goines. e mandado do lllm. Sr. Dr.
juiz de orpbos, fara' leilao de urna escrava de
norae Mara, de nacao Costa, e diversas obras de
ouro e pra(a, isio
H as 11 boras em ponti no armazem a ra da Car
deia do Recife n. 29.
IEIIAO
De am plano forte, ama mobilia de Jacaranda
com lampos de pedra, 4 quadros com Anas grasu-
ras, casticaes e mangas, l relpgio, jarros, tapetef,
escarradeiras, A *sa elstica, 1 guarda lou$a,
leaea para alaaoco e-jaular, i guarda vestido, i
mti\nf"t\ f1ff"' cea eapllp\ 2 lavatorios,
1 jogo de wispora, 1 dit de xadrez, teotos para
voltarete, 1 commoda, 1 meia dita, cadeiras de
balance, ditas de guarnicao, diias americanas,
marquetas, mesas, 1 silbo. 1 cama francesa e
naaitos oujres artigas.. <>ue estar o ao e xa rae dos
concorrentes.
O agente Pinto enearregado por nm estrangelro
qne retira-sedesta provincia rara' ldao dos ob-
jectos cima mencionados, as K) horas do dia ci-
ma dito na raa da Cruz n. 97.
DectrfiadfcSQO kiWGo* con a*ggc9F
m asea vad a variado.
M?nnel da Silva capitao do patacho portugaez
emtANCIA, arribado a este porto por forc
maior, (ara' leilao por iptervencao da agente Mar-
tins por .utorisau/io Jo I|lra. Sr. cnsul uorLUguez
em sua presenta, com licenc da aifaadega e em
presenta de um empregado da mesma para este
tira nomeado, por coala e rjsso de qum pertencer
de cerca de,260 sacAos c.rai assucar mascavado
! avariado, sendo atgnns destes saecos pausados de
caixas quaestavam eseaogalhadas.
"Sexta-feira 22 de crreme.
No armazn) alfaedegado ao caes do Apollo do
baraeoe Livramento, as 11 oras em puuw.
Ds uhjinioss abanados.
A 22 do corrente.
O agente Oliveira fara' leilao por ordem de
Phipps B;rolbers & C, e por coota e risco de quem
pertencer de 264 pe^as de algodSo marca carne
de vacca, avadadas a bordo da barca Ingleza TI-
CKLAB, capitae Frjend, na sua recente viagem
procedente de Liverpool
Sevta fera ti dq cowente
ao meio ca em ponto, no armazem da raa da Ca
deia n. 24, Recite.
j muim-jutu-j- pm WBmsmeMaatpmk
AVISOS DIVERSOS
Compra-so um sobrado em bom es-
tado, de um a tres andares, as ras se-
.gmnlps: Cadeia, Cruz. Trapiche,, Impera-
dor, CrosjJb, Cabug, Nova, Quejmado, Cru-
zas, Liwj'amento, larga do Uoaario e Hor-
tas; quem tiver deite Mirla fechada com as
iniciaesA- CE.nativraria.n, 8daIpracada
Independencia,___________
llilheiet* garantidos.
A' R^DOCRESPO N. 23 B'CASAS DO COSTUMB
. Oa*aoas3ignadoveDdeu.ao6seus muito fell-
ees bilhetes garantidos da lotera qne se ac bou
de eitrahir, a beneficio o> eatrn de Santa Isa-
bel, os "seguinles premios :
-N. 3690 bilheteinteiroeom a sorle de 6:0009-
i iJdineio billitrte eum. a serte de 1:2004.
no bilheto intetro com a sorie de 500.
2 dav-ineio brdele oon a socie de 2O0#.
Boutras mqitas sortea de 100#, ata, W-
Ospossuidores podem vir receber seas respec-
tivos premios sea sdescontos das '
DBcuuiua u 6:000^000 at 100000 da Fortuna ruTd Crespo n. 23.
ser3opago*unMHira depois da extracc^c-ii JbpV*nee-a wsndaioa
at-a3'bofjM da tarde, os oh tros depois^ Maworda^rol1'
da dstribuigao das listas.
! A eacoaamaod sarao, gpe oda das so-
liente at a nta'te-da vesperada eatraccao..
O' tbftaoureiro,
AntomoJos Rodrigues de^ouza.
Arrendamento
0 dosetnbargador Doria arrenda e. tam-
be venda a sua c&acaja.no Maqguinbo,bem
como vende duas narelba de mudas, tres
carros snado urna, victoria, um con pe e um
cabriolet ooberio, tres \accas de leite sen-
do duas paridas, dous Uois de carroga
todos os trastes e utencilios das casas e ch-
cara : quem pretender pa le ir examinar e
entender-se cora o desembargados ou com
o Sr. Jos des Santos Neves, na roa do
Crespo n,, 4p.
lotera
rios da
anie)oee e^r^itra'-qaartjhfeara-W do cor-
reatei
PREGO.
Bilhetes. .... 6*000
Meros. ..... SfOOO
Quintos. .... IJrSO
aa peeaaat que cemprarem de 400(5000
para cima.
mu*.....5*3oo
ieins ....... JSO
Qujntps. 1*100
M*50EL MITINS PCZJ
Par
ROTA.
0ffej:ece-6C
Um moco coyn alautjaa pratica de armazem para
fora desta capital dando dador a sua conducta :
quem precisar annupele por esta fofba para ser
procurado.
Monte-Po pwtuguez.
A directora provisoria desta a^soeiago ten) re-
e cebido reclamares de varias pessoas, qne, havendo
assignado em diversas listas, dizem nio ter sido
procuradas para o pofamento das suas jotas. De
outras sabe esta directora que, soppondo seo fuc-
dampntp real pe oM.onte-Pio Prtpgui nao pas-
sara, ou deQbbara' no estado de erobrvo, reser-
van)-se para pegar ajota di dezmil ris, depois
que liet* asoedade instoilado.
Auendende, como le cuape^, as reolantacdes
dos primeicos, e u,o poO"ea,do dlxa/ de uer aos
segundos, qne laboram en erro, se se persaadem
i poder espaear at esse tempe- e pagamento a que,
I come pessoas de bro, se onrigaram e*io laclo da
convida
sua apsigaifUfa, diteet^ri* ^uviaoif
H;:iJl pe,a ultima v2l01j8i q_neiles, qu esiiverem
__ I em algum dos Indicados casos, a reatisarero o pa-
' i gamento das soas joias at ao dta 20 n ponen
i te mez, impreteriveiaenle, -r praenraado para esse
fiui os. respijciiva, ralbes em aru do Sr. thesou-
reiro. uterjop, o Sr. Jps AiWes LWna,, na p.a<;a da
on-Vista ns. i e 8 ; ou para maiur commpdfdade
doe interessaes-, e para de fcrturo ne afkgarem
flrtua d Santa Crin nu
rwo 17.
Novo deposite de vinhos finos das me-
iberes mareas, genebra de superior qoi- i
lidade, gaz, azeite de carrapato, dito de !
Lisboa, espirito de vinho a 1*900 a ca- S
nada e 240 rs. a garref, farelo de mais v
fleo que hajjo mercado, e muilos ootros 9
gneros que eetio destinados a se vender m
barato, porta nao fiada
(le e fiado me caasa penna j9l
O cobrar maior euidado
Se he i Oar para Peonas
Nao posgo vender liad*. 9B
wmmmmmmmmmm mmm
Obras dp Dr. Cbernoviz
Femularie ou guia medica
que contera a descripcao de todos os medicamen
los, com 194 figuras na texio; stima edicao, 186o,
1 vol. encadernado d* 838 paginas. Preoo 6*
Dicciojaarie de medicio popular
que contm, n'uma Ijaguagem vulsaj- e ciara, os
sigoaes, causas e trataHento das molestias; os
soccorres que se devtm preatar nos accidentes
i/aves e subcos, corceos afogados, aaphyiados,
asssmbrados. de raio, as pessoas mordidas por co-
bras venenosas ou caes damoados; as plantas
otis e venenosa?, ladlginas de Brasil e exticas;
a. prepracao dos re#eflias caseyos, etc.: terceira
edicao, lt2, 3 vols.,encadernados, com, 131 lisu-
ras no texto. Preco 20*.
Histeria nalnral rerreativa
ara os meninos.e meninas de 7 a lo anuos, ou
conversado de um pai.cooi seu< liilios acerca de
muilos animacs e vejjeiaes, 1, vul. elegantemente
eneadernado, de 17o paginas, com lo figuras no
texto, 1862. Preco 4*.
Modo de ceuOecer a idade da cirallo
do burro, das tiestas muars, do boi, do carneiro e
do porco. Brodiora de 32 paeipas.com 52 figu-
ras no texto, 1866. Pre(;o 1*.'
% ou le M-se a ra do Crespo n. O
________LIVAARIA fftANCEZA.__________
ADV0G4D S CORTE
O nOTOR
Aristides de Paula Dias Martins.
Tem o seu escriptorio de advocada na ra do
Hospicio n. 1, onde pode ser consultado sobre
questoes jurdicas, das 9 horas da manbaa as 3 da
tarde, Eucarrega-se de qualquer causa civel, co-
mercial, eeciesrasuca e n.....uoi, iW.ommu, aP.
pellaQdes, revistas e aegocios pelas repartieses. Os
negocios fra da,corte, alera das procurares, de-
vem vir.acompaohados das competentes ordens.
O abaixo assignado, proprielario do engenbp
Dous Bracos de cima, na freguezia da Escada, len-
do aceitado a favor de Joaquina Soares urna letra
da quantia de 510*, a qaal venceado-se em dezem-
bro ultimo findo, e nao tendo anparcido o secador
nem pessoa por elle para receber a importancia
da dita letra, tratou o abaixo asslgoado de.indagar
noticias de seu credor, e nao obtemlo noticias dil-
le, conserva: em sea pod.-r, e proieta pelo pre-
sente, que nao se sujeita aos juros decorridos nem
os que houverera de decorrer aqui em diaote.
visto como a falta de pagamento nao motivado
pelo abaixo assignado. tngenlio Dons Bracos 43
de junho de 1866.
Manoel Rodrigues da Silva Cmara.
AbBlMaria aa Roeba, subdito portoguez, t-
tira-se para o Para.
De barris com niaiieigt ingleza.
0 ageirte Pestaa ara* leilao por conta e risco,
de qnem pertencer de barris com manteiga ingle-
za era imq on mais lotes a voaiade dos comprado-
ras : qoaru-feira 20 do corrale pelas 10 horas
da manba no armazem do Sr. Annes derunte da
Beiu
E
Lo meio da do dia quarta-feift),
da ra da Cruz n. tT7.
De 9 barrios em copos moldad*
pm esle eapecOculo podem manol:losnusen,(>o-ypor contt e r|3C0 de quen pertencer fara' lailo
de 9^a/iMae com copos moldados marca F&L,
viadJaeaewverpoal e desembarcado ltimamente.
je segnnda-feira das 10 boras em dianle.
pital de 40:000* fornecido pelo spelo onza.
de referido met tyeontrat de Manoel Atri
tomad? ftoetn Jnior Francisco Joaquim da R-
eai (ea eoatiauacart ,rttbeiecldos na capi^l *o
Cearasob a Irn d Matee) Antate da Rocha;
Jofiiof & IssOiSU dav.erl gja itor aanjeo de;
don aonos, do J da mmt do correte, coin o
, 100:000* a o* pa 591000*.
WStS ttWTHWS
PvWa, a Porto par
^a^-f^fO, l
Joj^a^rua^Cadebr
hflras.
B.20.
CLUB PEl^aiBlJCVNS)
A partida do mez de jjjnbo corrente t ?-
ca lugar fla, r^Q do dj^, 21.
oaangos Antonia de Rindo, portugaez, vaj
ao Rio de Janeiro.
T
El &tigwibia ft
lOOvOO de -lalleacao
Fugio do engenbo Taquara da freguezia de
Iguaras, em dias Jo mez de noyambro do anno
prximo passado 1865, o escavo Luiz, crioulo, d
idade 22 a 24 annos, e com os signaes segrales :
cor fola, cabellos carapinhos, testa larga e bem
feita, nariz ajllajjo, bpeca bem. rinsenhaia, denles
alvos e sadios, tepdo eratiii as fecues extremamen-
te delicadas para escraves, tem oihos vermelhos
e o coalume de nao encarar as pessoas, e sempre
olba por baixo, nao levanta nunca a vista, como
quem anda atemorisado, teto o andar apressado,
e alguma eufrsa cabido para 'diante, falla pouco e
explicado, tem as pamas bastante grossas, tepdo o
dedo mnimo de um dos ps muito levantado, que
sobresane quasi por cima dos outros, tera as cos-
tas bastantes cicatrizes de chicote, assim como as
nadegas ; este moleque foi comprado no anno de
1856 ae Sr. FraQeisoo Correia, do Breje Fagonq],
dizendo ser o dito escravo desse lu^ar : portarito
roga-se as autoridades policiaes ou eapites de,
campo qup o apprahandim. e lavara a seu senhor
em dito engenbo, que teca a grafioaeao cima
raeacicnad, ou mesmo avisando o lugar nao que o
mesara estoja.
qualquer desculpa (que nac sera' atteadida),
aquelles qne nao pftderem dirigir-se a casa do Sr.
thesoureiro, queiram deixar nota de seus nomes
para serem procurados, no Recife, no Forte do
Mattos, armazem do Sr. Jos da Silva Loyo, na ra
da Mi Ir de D.u?, botica dos Srs. i .ao da C Bra-
vo & C, e na ra da Cruz n. 13, 1* andar; e em
Santo Antonio, na ra da Cre-po n.2, livraria I>-
nomica, e no Gabinete, Pwtuaaejbde Leitura,
Logo depois.que, per annwctns pblicos, se de
clararen) em vigor o enlutes, e isso tera'.ugar.
segando todas as probabilidades, depots dwdia 20
e antes do dia 30 dero^z eerreaM, a ioia, em con-
formidade ceaa o Sapoata no art. 70 dos mesmo-
etatutos, passar a ser de 25*000, tanto paraos
candidatos qne desde, essa data, em diante forera
prop.ostos, como ara. uqudL-s que untes ttverem
asstgmdo, wt*W pqg?, <90/ mfror. A*
vista,tyto, e pera, a directora provisoria que,
quem ainda nao tiver honrado a sua assignatura,
se apressara' a faze-lo at ao dia 20 daste mez o
mais tardar, ou a deiwr nota de seu nenie, na
forma supra indicada, para ser arada procu-
rado.
Sao bem conbecidos os metivos por qne o Monte-
Po Portuguez aihda uo fuaceiooa ; e agora que,
felizmente, esta' por assim dizer ultimada a arre-
cada(?o de listas e cobranca de recibos, agora que
novas quantias teem vindo juntar-se a primeira
somma recolliida ao Novo Banco de Peraamboco,
julga a directora provisoria que muguen mais du-
vidarj que possa levar-se a efleito o bello e hu-
manitario peosamento do Illra. Sr. Dr. Jos Henri-
ques Ferreira, nosso digno ex-consul nesta pro-
vincia.
Aos incrdulos a directora provisoria diz purae
siraplesmente : a installarao do ilonte-Pio Portu-
guez ter lugar no dia l'de julho prximo.
Secretaria do Monte-Pio Portognez em Pernam-
buco, 9 de junho de 1860.
Jos da Silva Loyo,
Presidente.
Jeao/un Gerardo de Bastos,
2* secretario.
Aos agricultores.
Um americano recentemente ebegado dos
Estados-Unidos, tendo 25 annos de expe-
riencia em cultivar algodo, asacar, millio
pi leciraento agrcola, e mesmo tem pm ven-
der o mellwr.es arados usados na America
do Norte, e ensina a maoeira de usa-Ios: a
tratar a' ra do Trapiche n, 48, pritneiro
andar.______________________________________
Precisa-se de urna criada para servi-
code pouca firailia: na ra Augusta n. 5,
primeiro an-'ar.____________________________
Precisa-se de urna ama para cosrahar em
casa de rapaz solteiro : a tratar na rna da Moeda
n. 29.____________________________________
Ha para alugajf-se um escravo possante pro-
prio' para todo servico : na ra da Cadeia do Re-
cife o. 52, terceiro andar.
Ama de leite.
Preclsa-se de nma ama de leite; na praca do
Corp.o Santo n. 17.
------------------r-
Conloiia fgido o Mr* JOA^rjIM SAL-
pbHo-el EsnGlaiBiA u,
Este perverso PARAfiL'AYO ten sido v*.
t<> dJsircado em alnwcreve, tr,ajando cba-
peo de eonro. camisa de algodo 0 seronla
|orta da mesraa- fezenda, a vender lenha e
Consti. qoe asatm d+sarcado eHe eostama. fre-
queotar, djnos de dei oras da noite," um prosti-
finio a rna das Lamparinas e que d'ahi retjra-se
as quatro boras da manhfla, qpando permrtte K
mbriag.ie,z.a que se eolrega.
Paga-se a quantia cima e da-se ma,is alguma
lOO' de grrtificaco
Fugio do engenbo Taquara, fregneaia de IgOA-
rass, a escrava Acacia, de 18 a 20 aunes de Ida-
de, cor fola, cheia do corpo, altura regular, cabel-
los corridos, rosto redondo, falta de denles, muito
' peituda, tem es ealea/iharea cpi marca de bicho,
e toda dpsaiUada quandjo a|d|t ;. pede-se a queoj.
a apprthealerive^Jb dito engenho, que ter a
aralificacao de 100*. Juiga-se .er seguido para
Pedras de Fcgo, onde fura a raesma comprada.
S
qnalquer onus; e porque tenha de retirar-se paja
tratar de sua sande, roga a quera se julgar san
credor lhe aprsente sua conta ncLpraae tres
dj#Barae|>jiaa.
EsciuyQ teda
Precisa-se do um
da Crnz n. 19.
Feitor,
fejtor casado
a tratar na ra
a ra da liuperatriz o. 40, 1 andar, preci-
sa-sa da jyna. .i_____________________ ____
Precisa-se aTuear um escravo e urad'escrava
que sejami ffes ;_'a trabar na r,o.a do Ua.ng.el n. 2i.
Aluga-se a easa delronte da icrej i de S. Jos
do Mangninno n. 24,com um bom quintal e carim-
ba : a tratar na ra da Madre de Dos n. 14,
" OTftn^raM'p'p'Kf.os lein orecjsao de dous
horneas nawws das.liba?, dnstes que ha^pouco
Qheg,arAz),e,asWi afl#allss^juje,.|e JMlgarem desoc-
copados para o servido do naesrao, dirija-se ao
masrao cllegio. ra da Gloria, a Callar com o di-
rector. ________________[______________
tmtt* uJaupjlBtl erada' ata cozinhar
on engommar para pouca familia : na ra do Mon-
d^go o- "'______________________________________
" Repbe.rn-S8,parla caixeirp^ de, ama toja dous
meninos aadonies que tenMin boa cnpdneta : na
roa Jova n. 7.
PwUa^e de amassadojes
ra larga do Rosario n. 16.
na nadarla da
VE6CTAES A MAtrCO
GRIMAOLT & C. PHARMACEUTICOS DE PAI1FS
Novo tratamento preparado com as folbas
de matico, arvore do Pr, para a cura rpi-
da e tafalivel da fooonttia tal receio al-
Joao Pereira Goucalvas faz scieate. as respai-
u.veii publico e com especialidade ao cobjo do cora-
mercio, que venden >o Sr. Custodio, Alves Rodri-
es da Costa asna taberna sHa na roa deCama-
on. 13, livre e desembaracada de dbitos e de. gW da Vff)mf&-W W1 CStO dp fflMwp- Q C^re dAWor Ricord.
de Paris, t^em rep.vciadP, desde sua, appari-
clo, a empergo de qualquer outro trata-
mento. Emprega-se a injeccSo no comeco de
ftMW HRrtas w toe>)s o caaots chroni-
cos e inveterado, que residirn! as preoara-
g.r|l4TO<;ao aqun o amarrar e eonJMifr a sua Fugio no dia 17 do correle opReto Theodoro. .Y
senhora a ra da Praia desta cidade, armazem de ada qae rrpresenta maia de 30 anuos, Angola, fijes da Ci^atba e.aj l\J^C^e4 W-lii liase
t1^"0 aur-m estalara regular, eoj**toto, .cara.._alM >>allo|meil|ioa>
ropa tratar deejaa.
A veleira e bem conhecida" barca
Tentador, pretende seguir cea mana
tem parte de sen carregamento engajado, pajM o
i De um piano
Mato, oama^
. i nW
mobilia
1 cama de ferro,
de ama
1 mesa
pounonexa. etaflca, 1 esa de jamar, 1 carteira, 6 giboes pa-
brevidade, ra ropa soja, 1 mesa de pinbo, 1 quartinbeira, l
rewolver de 6 tiros, obras de oaro e 1 salva de
n oe Jo Loses "da Silva -Catiro*- reato qoe me falta tratase com es seus cpnsiguata- grata, 1 paUleiro de dito, colheres de sopa e ch.'.
- d**MHee Vieeate Alves lia-1 rlns Antonio Lnlz le OtaVa Aaeveda & C, no su S dtmae^a ateas de eaos de metal, e outres arlt-
at, ieid Aatetai aVSeuaa e Vieente Alves Ma- \ rlns Antonio Lulz te uiivey A
cauto deetaram ter dissolvido em 80 e maio ol- escriptorio na raa da Cruz n. 1.
go* que te torna enfadonho mencionar.
JoHepb, gltMB.TsijfftvfrHa^ Fcanc._______
" Joma/nai Coetao Haebosa, subdito portoguez,
aatiraaaaaaa^nropa -
1 L=. Jiiiuimm.CaJMBAiiua. atibSuo portoguei,
retiraba para Europa.
- AagiriK' iW Momo T TarTSa
Branda) Cordeiro o wpecial favor de der
clarar a u residencia e as boras que po-
der4 sar eqceetrado en casa, aura de se lhe
fallar a negocio de grande urgencia a seu
mterwM.
SALGADO. cortado hrponco, tem unja, cicatriz pequea em
r*de~*ii a Eu- nma das pefjiai pintor, mt^,capb,eciflo pegu cidade PPr lar ido
'Uft'.S/'D. Caflj^a. (4p: (JieiDO
apprehender 5ve-o a' ^uji sanara a rtiaTireita
n. 32, segundo andar, on no escriptorio ta type-
grapWa da Ordem, qae sera baai recompensado.
Itoava fft gida

ovencia
recompensado.
ama
norae
ser
_ Precisa se de urna ama para eagommar e fa
zar mais algam servico intenso: na rna da Cadeia ,
n. 45, esquina da Madre d wq.
Remedio ntniiveT as agnorrheas antigs
recen, t8, unice ^eposi a pftarmacia
e fraoceza ra da Crdi n. 22 e ao preco de
3*000.
..II, m* nHZ*.
Wif*>
secreta-
da fogo
ILEGJVEl





Diarla de
*-- guara
de 1866,
AGUA FLORIDA
JXB
MURRAY & LANMAN
A agua florida de Murray & Lanmand
olhada como um artigo de perfume, nao
tem podido ser igualada pelas preparares
as mais custosas: conserva sea aroma, co-
mo se formasse parte da prenda-a que ella
6 3 applica.
Sua efficacia to delicada, como elegan-
tes sao seos multiplicados osos, qur seja
empregada como artigo de teueador, qur
bo uso do banbo, ou como suavisador da
pelle, depois que se tenha feito a barba;
j para limpar as gengivas ou aromatisar o
balito.
D suavidade, brilbo e elasticidade as
eompleices, depois de se baver lavado; al-
livia a irritaro de erupcoes ordinarias ; faz
desapparecer o desagradavei aspecto dos
pannos, das sardas, do rosto, rugas toda a
casta de ebultcoes, e d vigor e frescura a
parle onde quer que se applique. Sua efi-
ciencia e elegancia sao igualmente infalli-
veis nos casos em que seja preciso appiica-
la como estimulante e antisptico, nos con-
cursos e assemblas numerosas, as loca-
lidades infeccionadas, na alcova de um en-
fermo, assim como um antidoto exceden-
te para os desmaios causados por cansaeo
ou suffocacao. Preparada nicamente por
Lanman & Kemp, Nova York, e a venda por
Caors & Barbosa.
Joao da C. Bravo & C.
Deposito geral em Pemamnuco ra da
Cruz n.22 em casa de Caros
Aviso
*- i -
Amerieo Ferrelra da Silva tem a honra de par-
ticipar ao respeitavel publico que tem aberlo na
praca do a mmercio n. 46 um armazem de com-
missSes de compro e vendas de qnaesqner effel-
tos do que e ncombirem, tanto no sea armazem
como fra delle, tendo em boa guarda os que Ibe
forem remettidos, observando fielmente as instruc-
coes que Ibe forem iransmetlidas para o bom d-
se mpenho de seus deveres, a contento de todos que
Ihe honrarem com a sua coflflan?a. Outro sira
julga nada dever o anounciante, e se alguem se
julgar credor, aprsente sua conta que immediata-
mente ser satisfeito.
MARTIMOS
V
CONTRA FOGO.
A companbia Indemnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias:
na ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Em casa de Tbeod Christiansen, ra do Tra
piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil
de Brande"nburg frres, Bordeaux, encontra-se ef-
fectivamente deposito dos artigos seguintes:
St. Julien.
St. Pierre.
Larose.
Cbateau Loville.
Chateau Margaux.
Grand vin Chateau Latine 1858.
Chateau LaGite.
Haut Sauternes.
Chateau Sauternes.
Chateau Lataur Blanche.
'".hatean Yquem.
Cognac em (res qualldades.
Azeite doce. Pregos de Bordeaux.__________
A Salsaparilha
DE A.YER.
Para a cura radical de
VAKOl'i;
PEITORAL E DULCIFICANTE
ce
Saint utoiu.i>
Preparado por GRIMAULT C pharma-
ceticos de S. A. I. oprinci, e Napoleao.
Cura rpida das molestias seguintes:
tosse, catarrbos, pleuresa, coqueluche, an-
ginas, fortes constiparles, rritacoes dos bro-
neheos e do peito, bronchite, phtysica pulmo-
nar, astma,pneumona, anginas, amygdalites,
tosse enronica, rouquidao.
Os mdicos recommendam to mesmo tem
po o uso das excellentes pastilhas peitoraes
co:n o suco da alface o iaureiro-cerejo, que
se preparam no mesmo estebelecimeato.
A venda* as pharmacias de Maurer e A.
Caora.______________________________
Precisa-se de urna ama para cozinbar em
casa de rapaz solteiro : a tratar na ra da Hoeda
numero 29._________________________
Gasa de eommisso de escritos a roa do Impe-
rador n. 43, tereeico andar.
Recebem-se escravos tanto do mato como da
praca para serem vendidos por commissao, atlian-
a-se o bom tratamento e seguranca para os mes-
mos. O abaixo assigoado nao poupa esforcos afim
de os vender com promptido, nesta mesma casa
ba sempre para vender escravos de ambos os sexos.
Antonio Jos V. de Sonzi.
Os abaixo assignados, sennoces e possuidores
por titulo legtimo das escravithas crioulas Isabel
e Tbereza, ambas Irmas, de idade d 10 a 11 an-
uos, e que pertenceram ao casal do aado Manoel
Peregrino de Almeida e Albuquerque, desviadas e
oceultas ha quasi ora anno em lugar nao rbido,
.pelo depositario judicial Fralcisco Pereira de Assiz,
que tem urna pequea parte em urna deltas, de-
claran) que estao dispostos a usar dos roeios civis
e erimioaes contra qualqner pessoa que as tenba
iliegalmenle em seu poder ; outro sim azem pu-
blico que gratificarlo a quem Ihes descubrir e der
noticias das mencionadas escravinhas, e rogam a
todas as autoridades pollciaes desta e de outras
provincias a sua captura.
Jallo Gomes da Silva.
Pedro Paulo de Almeida e Albuquerque.
Precisa-se de urna ma forra ou escrava que
emenda dos servicos de urna casa de familia :
quem estiver nesta condicao dirija-se as Cinco
Pomas, defronte da estaco, n. 140.
Samoel Power Jahnston & Cempanhia
Ra da Senzala Nova n. 4.
AOINCIA DA
Fundios deLaw Hoor.
Machinas a vapor de 4 e -6 cavallos.
Moendas e meias moenda-s para engenbo.
Taixas de ferro cado e batido para enge-
nbo.
Arrotos d<* carro para om e dous cavalloi.
Relogios de o uro patente i-nglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
m Companbia fidelidade de seguros
maritimos e terrestres __
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTIS |M PKUMUBUCO
Antonio Laix de Oliveira iuvedo k C,
competentemente autorisades pela direc-
tora da companhla de segaros Pidelida-
de.emam seguros de navios, mercado-
rias s predios no seu escriptorio ra da
Croa o. 1.
a>'*iifw>a<>>uiii| mana me
Fogo fogo
Valdivwo da plvora com fabrica de fogo artifi-
cial na ilba do Haruim, se acha com pnrcao de
fogos do ar de 1* sorte ) postos as flexas, a espe-
ra de festejar os das que Uver noticias de .qualquer
triumpbo daenossas armas dentro doilumaiti; todo
aquello qne Uver a mesma satisfaco dirija-se ao
armazem de sal da ra Imperial n. 2X1 pouco alm
da fabrica de sabo.
i DEPOSITO DE CALCADO !
iS FABRICADO NA CASA DE DETEClO Pl
A Ra Nova ai. I. jH
mm Abi se encontrarlo obras de di- a
g versas qualdades, e por preco mu ;
I diminutos, a retalho e em potees. H
m S se vende a dinheiro. ttf
A NACIONAL
Compaiihia. geral hespaniola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO HEAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRG DE 1859
Urna finta em dinheiro, depositado nos cofres do estado, garante a boa ad-
ministra cao da companhia. ^
BANQUE1ROS DA COMPANHIA DIRECCO GERAL
O Banco de espanha Madrid : Ra do Prado*. 19
Esta-companhia liga peloeystema mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos sega"
o s sobre a vida.
Nella pode se tazer a sobseripcao de maneira que em nenhum caso mesmo por morte do
segurado e perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
M Sao-tao suprehendentes os resultados qae prodnzem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL,que ainda mesmo dimfnuindo urna terca parte do interesse produzido em recentes liquida-
coes e comb nando-o com a morlalidade da tabella de Depareieux qne adoptada pela companhia
f*r?n/?5B*ca,cll,<>9 e Iquidae5ee, em segurados de idade de 3 ai9 annos, ama imposico annoa.
e lOQf produi em eOectivo metlico:
No flm de 5 annos.......1:119*300
d AO........3:94if600
de 18 .......li:S061S00
de 80 i.......30:266*000
de U .......80:331*000
Aas icades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospeot )s e mais informac5es serio prestadas pelo sub-director nesta provincia.
im Pinza-de Oliveira, rna daCideisTn. 52, ou a Boa-ViU ra da Imperatriz n. 12, es ubelc
ment dos Srs. Ray mundo, Cark3s,Leite & Irmao.
TINTIURlF
AO GRANDE S- MAURICIO
A. JOREZ
FUNDIDOR E TORNEIRO
EM
METAES
Ra da Matriz da Boa Vista n. 36.
Criado.
Escrfulas, ulceras, chagas, lr-
idas velhas, molestia syphll- i Wt 3Q
' ni- M
itieM, 6 mercufiaes, Enfermi-
dades das mulheres, como re-
tencao, menstro doloroso, ulcer-
acao do tero, e flores brancas.
A Nevralgia, Convulsoes, Ery-
sipelas, Enermidades Cutneas,
borbulhas, nascidas, etc.
O extracto comporto de SALSAPARILHA, confeccion-
f.ilo pelo Dn. AYKK, c urna combinado dos melhores depura-
livo* c alterante^ couliecidos medicina; compesto segundo
as leis da fciencin, appioTado c reeeiudo pelos prlmeiroa
mdicos as Indias c dos principaes Estados da Europa.
A SALSAPABILHA de AYER especialmente efflca na
cura da* BKilutll que tem sua origem na escrfula, na
inlec^o venrea,no uo excessiro do mercarlo oueraqualquer
impureza do Sangue.
Katrc todas as meltstius qne afBigem o genero humano, nao
lia urna mais universal c terrivel do que a escrfula; por si
nao tao destructiva, porem a causa principal de maltas en-
ermidades qne nao llie sao geralmente aitribuidas.
E urna causa directa da tsica pulmonar do mu do
finado, e estomago, affees&es do cerebro, Rlteumatismo
c affeteses dos Illus .-entre seos symptomas ha os seguintes;
Falta de apetito, Fraqucia e molcza em todo corpo; Mo
cheiro da boca, semblante plido e incliado, s vezes d'uma
aivura transparente, outras vezes corado e amarcllo ao redor
la boca; Digest/io fraca e apetito irregular; Ventre luchado
< evncuaco irregular; Quando ataca os pulmoes urna cOr
rzulada mostra-sc a roda dos olhos, quando no estomago
sao avcrmelha dos, as pesoa de dlSBOslco escrofulosa,
apparecero frequentementc erupqSes na pelle da' caneca e outras
partes do corpo ; to predlspdstas i afecetet dos pulrntu, do
ligado, dos rins e dos orgos digestivos e uterino?. Portanto,
nao sao somente aquelles qae padecem das formas ulcerosas
c tuberculosas da escrfula que necessitam de protceco
contra os sens estragos ; todos aqueUes em cujo sangue existe
o tiras latente deste terrivel flagello (c is vezes i hereditario),
sto 'xpotos tainbem a soflVer das enflrmidada* que elle
cauFfi.
mi mimo* a estas pessoa a am abrigo seguro e um anti-
doto etliciiz coutra esta molestia e euas conseqoncias, na
Salsaparilha de Ayer
que opera directamente sobre o sangue, purlflcando-o e ex-
pulsando delle a corrupeo e o veneno da molestia: penetra
todas as partes c todos es orgaos do corpo humano, llvrando-
os da saa accio viciada o Inspirando-lhes novo vigor. E'um
aUerantc poderoslsslmo para a reaovafo do sangue, e d ao
corpo j;i enfraquecido pela doenca for^a e energa renovadas
como as da juventade.
tamui:m o .vii.uoi: Ai/xz-aTPjszi,ZTico
COJTBBCIDO l
cura permanenmente as peiores formas de .YPlIIJ.ls e as
suas coasequencias. Pouca neeessidade ha de Informar o pub-
lico do Inestlmavcl valor de nm remedio que, como este, flrra
o eanguc dessa eorrupcao e arrebata a victima das garras de
urna morte lenta e ignominiosa, porOm Incvltavel se o mal
nao logo combatido com energa.
Nao pretendemos promulgar, nem queremos que se inflra
que este remedio InfallveT para a cura de todo* os padeel-
meutos humanos, o-imc dizemos que a
Salsaparilha de Ayer
" a melhor pt
molestias
inais cfflcazes
ao publico o melhor resultado que posslrel produzir, da
iutelligencla e pericia medica dos nossos tempos.
CASA DE BAWIOS
26 Pateo do Carao 26.
Neste estabelecimento tao impor-
tante para a sande e asseio do cor-
po, acbam-se montados 20 banhei-
ros, que sao servidos com a ordem
e asseio qae para desejar-se. Qtia-
tro destes banheiros sao especial-
mente reservados para senhoras e
por isto acham-se collocados em lu-
gar reservado, aonde s tem entra-
da as pessoas de urna mesma fami-
lia.
PREQOS DE RAMIOS AVULSOS.
1 banhu fro, momo ou de
chovisoo 500
^ dito de choque .... 1^000
l dito de farello.. .... 1000
1 dito aromalisado i000
PREQOS POR ASSIG.NATURA.
banhoi ptr mez fro,
moroo ou decbovisco.
100000
25 banhos com cartes pa-
ra os mesmos .... 105000
12 ditos ditos ditos .'#000
12 ditos ditos de choque. 10,5000
12 ditos ditos de farello.. lOdOOO
O estabelecimento estar aberto
nos dias uteis das 6 horas da ma-
nhaa as 10 da noite, nos dias san-.
tincados das 5 as 5 horas da tarde.
Precisa-se de um criado de 10 a 12 annos: na
rna Dreita n. 68,1* andar. _______
Arrenda se um sitio no lugar da Piran-
ga, com trras de plantar epasto, e varas
arvores de frocto; na ra do Imperador es-
criptorio: n. 12._______________
"^^recisa-se Tallar com o Sr. .Antonio de Al-
meida Oliveira : na rna da Crnz n. 23, pnmeiro
andar.
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C tem
para vender no sen escriptorio, ra da Cruz n. 1,
vinho do Porto em caixa de duzia, fio hamburguez,
oola da Babia superior.
Na praca da Independencia n. 33, loja de
onrives, compra-se ouro, prata, e pudras preciosas,
e tambem se az qualquer obra de encommenda, e
todoe aualquer concert.
Trocam-se notas do banco do Brasil e das
caixas filiaes com descont razoavel : na praca da
ndependencia n. 22.
Engomma-se
com asseio,'promptidao e preces razoaveis: na ra
Augusta D.5, loja.________________________
Prec isa-se de nma muiber forra de meia ida
de que seqneira prestar a ser ama e fazer com-
panhia a urna senhora; a tratar na ra do Quei-
mado n. 69.
mtWHiwBimlimmrWl WHBmI metcSmll
<> hachare! I. Franklin S. Tavora?
pode ser procurado na roa das Crnzes
n. 33, pnmeiro andar, para os misteres
K de advocada.
REMEDIO DE AYER PARA SEZES
Infalirel aaa febres intermitientes, remitiente*,
Febres Biliosas e tercas, mal do finado, in-
cremento do baco, cegueira. Dr noa
ouvidos e palpitocoei, quando
i aio causados palas
FEBRES INTEBMITTENTES, OU REMirTENTES.
As preparasoes de Dn. Ates sao rendidas em todas w
Boticas e Drogaras do Imperio,
Vende-se em Pernambuco:
na

PHARMAC1E FRANCAI
deP.MAURER'&C1?!
RA NOVAN"
Na ra do Crespo o. 18, segundo andar, pre*
cisa-se de urna ama de leite.
Attengao
Eogomma-Se roopa com todo o aceio, perfei?ao e
promptido : quem pretender pode dirigir as suas
propostas na rna do Palacio do Bispo n. 38.
Precisa se alugar urna escrava idosa para
servir de ama secca a orna menina : na ra do
Imperador n. 27.
Precisa-se de urna ama para cozinbar e en-
gommar em urna casa de pouca familia fra da
cidade : a tratar na ilha dos Ratos n. 25.
O abaixo assignado faz sciente ao. respeitavel
corpo do commetcio que tem jnjlo e contratado
vender sna taberna sita na ra do Camarao n. 13,
ao Sr. Jos Francisco Coelno da Paz.
__________Joo Pereira Goncalves.
Precisa-se de
taberna, qne tenha
um menino bara caixeiro de
pralica e d conbecimenio a
sua conducta : na roa do Nogueira n. 29.
Peroeu-se na ra do Hospicio, do sitio do
leo at a matriz da Boa-Vista, nm roupinno de
vestido de cambraia branca com tiras bordadas,
embrolbado em orna toalba : quem o achou que-
rendo fazer o favor de restituir leve a ra da ma-
triz da Boa-Vista, casa n. 28, 2* indar, qne ser
recompensado.
Precisa-se de urna ama
Verdes n. 70.
na ra de Aguas
Na ra da Uoio
boa engommadeira
p. 40 precisa-se de nma
C0Z1MIEIR0
Precisa-se de um cozinbeiro ; na rna do Crespo,
esquina n. 8.
Quem precisar de urna ama para casa de
pouca familia para o servico interior dirija-se a
roa do Apollo n. 37, loja, que encontrara' com
quem tratar.
Grande hotel Traviata
O propietario deste estabelecimfnlo participa
ao respeitavel publico que acaba ~ reformar o
seu botel de modo a offerecer aos seus freguezes
excelieuies r.ommouidades, boa e asseiada comida,
delicados vinhos e magnficos buhares por preco
commodo. O servico feito cora regulandade e
promptido urna prova de que o proprietarlo do
botel Traviata muito se empenha em agradar aos
seus freguezes.
Este hotel, situado na ra do Rosario larga n.
37, no bairro de Santo Antonio sem duvida o
mais central e como tal o que proporciona mais
vantagens.
PAPIS PINTADOS
Sortimento de papis pintados e
lindas guarniges para forrar casas.
NvLIVRARlAFRANCEZA.
N. 9. Ra do Crespo N. 9.
mmm mwmm mmmmmm
tt O Dr. Carollno Francisco de Lima San-
I tos contina a morar na ruA do Impera-
I dor n. 17, segando andar, tendo alias seu
M gabinete de consullas medicas, logo ao
g entrar, no pnmeiro.
H O mesmo dontor, que se tem dado ao
IB estudo tanto das operacSes como das mo-
lestias internas, presta-se a qualquer cha-
mado, quer para dentro quer para fra
da cidade.
PROCESSOS APERFEICOA1IOS
PARA
Tlnglr. Ilmpai* e lastrar a Tapar.
F. i SALINGRE & C.
29 Ra 7 de setembro 29
Defronte da rea aova do Onvidor (Rio de Janeiro)
Os propietarios deste estabelecimento, o primeiro no seu gener no Brasil, por
trabalhar com as machinas mais aperfeigoadas para tingir e lustrar, de que se faz uso na
Europa, e ajodados por alguns dos melhores officiaes de Paris e Ly3o, podem assegu-
rar a seus freguezes urna perfei^ao no trabalho, a qaal senSo pode chegar pelos proces-
sos ordinarios.
Tingem, lavam, limpam e demofam com a mai t perfeicSo e brevidade qualquer
qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem molhar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de homens.
Vende-se um torno obra prima e todo no-
vo proprio para tornear metaes e madeira
tendo dito torno cinco quafidades de rosca
difieren tes para fazer parafusos com a pon-
ta e a espera affeic5o do T, vende-se igual-
mente um revolver feito nesta pra?a por
um dos mais peritos artistas para ver e
tratar dirija-se k Fu na matriz, da Boa-Vis-
ta casa n. 36.
. JigueIJoaqoim de Castro Has- m
carenhas mudou a sna residencia da rna !
do Sol para a da Imperatriz n. 88, entra-
da pela ra do Hospicio, onde cominea Wt
i no exercicio de sna proflssao. O mesmo ?
Dr., que se tem dado eom salir ilude ao I
estudo e pratica das molestias de tero e M
de meninos, d consulta gratis aos pobres *E
das 9 horas as 10 da manha. jtt
Precisase alugar nma escrava qne tenha
boa conducta e sem vicio, que seja boa engom-
madeira : na rna das Cruzes n. 36, primeiro an-
dar, paga-se bom ordenado.
Ana para easa
Precisa-se de nma ama para lavar, engommar e
coser para duas pessoas : a tratar na ra de A-
pollo n. 9.
Menino
O solicitador Pedro Alejandrino da Costa Hacha-
do precisa de um rapaz de 12 a 14 annos para ser
ajudanle : a tratar na ra Direita u. 68, primeiro
andar.
lM(gte
'


i
mmm mmmmmm mmm
Ama
Precisa-se de duas amas um para cosinbar e
outra para engommar : na praca da Boa-Vista se-
gundo andar, por cima da botica qne Taz esquina
com rna do Aragao.
Precisa-se de nma ama forra ou escrava, que
compre, lave e coziobe, para casa de pouca fami-
lia : na rna dos Pires c. 13.____________
Precisase alugar nma .ama que saiba cozi-
nbar e fater o mais servigo de dentro de casa de
pequea familia; na rna das Cruzes em Santo An-
tonio n. 41, 2 andar.________________
r Agencia de passaporte e por-
tarla.
Claodino do Reg Lima, despachante de passa-
porte e portaras, tira-os para dentro e fra do
imperio, por commodo preco e presteza ; na rna
da Praia n. 47, 1 andar.____________
Precisa-se
de nm caixeiro para padaria, desojando se que ja
Jfnba alguma pratica ; a tratar na rna de Joao
ernandes Vielr, taberna n. 64. ________
Precisa-se de nma ama ; na rna das unzes
n. 35.
O abaixo assigaado faz Miente ao respeitavel
publico e com especialidade ao corpo do commer-
cio, que fica sem effeito o annuncio qne fez publi-
car no Diario de 18 do coirente, relativamente
venda de sen estabelecimento de taberna, sito na
roa do Caaarao n. 13.__________________
Precisa-se de um cozinheiro que seja diligen-
te no seo trabalho; a tratar na casa de pasto da
ro larga do Rosario n. 33.
f.
Precisa-se alugar ama casa terrea as ras
seguintes : Cinco Pontas, Concordia, camboa do
Carmo e rna Augusta ; a tratar na rna do Rangel
numero 9.
Precisa-se de nma ama para cozinbar e fazer
as compras : na rna Nova n. W.________
Na padaria da Torre precisa-se de um .for-
neiro e nm amassador que vao entregar pao.
JPredia-ae de nm caixeiro de'l0~~12 annos
con pratica de taberna on sem ella, prtfere-se
portognez : na Soledade rna de Joo Fernandos
Vleira n. 64, se dir qoem precisa.
Precisa-se de officiaes de cbarutelrs na fa-
brica de Francisco Antonio de Almeida ni ra de
S. Goocalo n 2jT__________________ -
Manoel Ignacio da Silva Teixeira te sciente
aos sena freguezes qne contina a mandar fazer
era sna padaria sita no largo da Santa Cruz n. 1
ou rna do Rosario n. 85, e excellenle pao de to-
das as qualidades inclusive o excellente pao fran-
cez de tudos os tamanbos e da melhor farinha qne
ba no mercado podendo os seos portadoras leva-fo
quente e torrado, das 6 horas da manha at as 8
assim como bolacha forada de 6, 10, 15, 20 e 40
por libra, ararota, biscoutos finos, atias e bola-
chinha doce ludo do melhor que possivel fazer-se,
recebe-se encommendas de 'pao para mandar en-
tregar em casas particulares entregando o importe
ao portador.
Feitor
Precisa-se de nm feitor para nm sitio pequeo
perto da praca, qne seja pessoa capaz e trabaja-
dor, da-se casa propria e boa para morar ; na rna
| -Nova n 19,1 andar.
Um moco com bastantes habilitares qflere-
ce-se para ensinar primeiras letras era algum en-
genbo, mesmo que seja distante desta capital:
quem precisar dirija carta fechada a' loja n. 8 da
praga da Independencia sobras lnielaes H. H. H.
Precisa-ss alagar nm preTo qne saiba cozi-
nhar, para casa de pequea familia ; quem Uver
e queira alagar, dirija-se a roa da Cadea, 3* an-
dar, ou nonncie para ser procurado.
LOJA DA FRAGATA AMAZONAS
V. 5 liua do Qiieimado o, 5.
Monteiro& Gaimar5es, participam a todos os seus amigos e freguezes, que recebem
de conta propria por todos (s vapores da Europa, grande e variadisslmo sortimento de
objectos de alta novidade, e bem assim adornos proprios para casamentos, pois que seus
correspondentes de Hamburgo, Paris e Londres, na esclha de taes mercadorias tem
merecido approvacjo das encantadoras Pernambucanas.
A Fragata acaba de receber pelo ultimo vapor grande variedades de sedas de todas
as-cores e qualidades, tambem recebe por todos os vapores luvas de pellica, (do afamado
Jouvn) sai as de 15a com barras colloridas de grande novidade na Europa, vestidos de
granadina bordados agulha, e de grande ton, ditos de popelina muito chiques, ditos
esmeraldine (gostos novos,) riquissimos corlinados bordados a ponto de crochet, ro-
tondas de seda, ditas de tinhe, ditas de algodao, chales de guipour de seda, e de al-
godo, pentes para cok, (de phantasia) enfeites para ditos, manguitos bordados e.
gollinhas, camisinhas ditas, transparentes para janellas com mu lindas paisagem, pre-
cales de apnradissimos gostos e padres, chapeos de palha enfeitados pelas melhores flo-
ristas de Paris, ntremelos bordados finos de differentes larguras, riquissimos cintos
bordados- com figuras chinezas, (bordado na mesma fita) baloes de hasteas d'aco ameri-
canos, dittos de musselina, tapete para guarnico de salas padres muito bellos, chapeos
de sol de seda para senhoras, ditos parahomem, enfeites imperatriz Eugenia, ditos
Mana Pia, cestinhascom todos os pertences para meninos de escolla, saias bordadas
para senhoras, gollinhas bordadas fgosto novo) chitas escuras e claras, madapotoes, cam-
braia de cor, ditas pretas. bolsas de tapete para viagem, ditas de vaquetas para guardar
dinheiro, e outras muitas fazendas que se vendem por menos preco que em outro qualqaer
estabelecimento.
Sobretudos de duas vistas prova d'agoa.
Riquissimas fivellas de chrystal para cintos.
Meios aderecos de chrystal (novidade.)
Cintos muitos ricos, etc.
Perneiras de guthaperche para chuva.

DE
DE
J. VIGNES.
IV. 55. RA BO IMPERADOR N. 55.
O pianos desta antiga fabrica sao boje asss conbecHos para que seja necessario insistir sobre a
iua superioridade, vantagens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas incontesta-
reis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos-
imndonm teclado e machinismo que obedecer a todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
nunca ralbar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos importan-
tissimos para o clima deste paiz ; quanto s vozes, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-
rais aos onvidos dos apreciadores.
Faaem-ae conforme a* encommendas, unto nesta fabrica como na do Sr. Blonda!, de Paris, socio
orrespondeiite de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposicoes.
No mesmo estabelecimento se achara sempre nm expioOido e variado sortimento de msicas dos
Minores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tndo vendo per
presos commodose razoaveis.
Vndese na abobada da Penba n. 37. macas pa-
ra bolos preparadas cora muita perfeico e asseio.
Alugaoe a parte de urna casa : a
ra das Aguas Verdes a. 92.
lili 1 KUSSSIBSi
VAHELL\ I
Cantos e phantaslas.
Um volume in 12, impresso e en- II
cadernado em Paris: em casa dos H
edictores
LIVRARIA FRANCEZA
K 9 Ra do Crespo N. 9.
1III1II11I1I1I
Methodo Castilho
Manoel Jos de Faria SimSes, professor particu-
cular de instrueco elementar pelo methodo Casti-
lho, avisa aos pas de seus alumnos e ao respeita*
vel publico que mudou sua residencia do largo
do Livramento, para ra da Peuba n. 25, pri-
meiro andar, onde contina no exercicio de sea
magisterio.
Saques
Sobre o Porto e Lisboa: a tratar com
Camino de Nogueira na ra do Apollo nu-
mero 20.
Jo5o da Silva Ramos, mdico ,
pela universidade de Coimbra, d 1
consultas em sua casa das 9 as j
11 horas da manha, e das 4 as 6 I
da tarde. Visita os doentes em suas
casas regularmente as horas para 1
isso designadas, salvo os casos ur- fl
gentes, que sero soccorridos em
qualquer occasio. D consultas aos
pobres que o procurarem no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
manha,
Tem sua casa de sade regular-
mente montada para receber qual-
quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e nella pratica qualquer
opperacjio cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe..3i>000 diarios.
Segunda dita___30500
Terceira dita .. 20000
Este estabelecimento j bem
acreditado pelos bons servicos que
tem prestado.
O proprietario espera que elle
continu a merecer a confiaoga de
que sempre tem gozado.
mmm mnm% mmut
Para a loja 4a rna do Crespo n. 19.
Padres lindissimos e o sen preco de 7f0rs. o covado on IJ200 r. vira.
A elles Ejxellentissimas antes qae se acofeem.
%
DO. -w
. SGVIAJU
_JK Pari o tratamento e cura rpida e completa m mpiostia syphiiiticas, erisype-
las, rheunwttfsmo, bobas, gota, debilidade do estomago, infianoucoes chronicas do figado
e baco, dores sciaticaa, cephalalgias, nevralgias, ulceras ebronias, hydropesia*, fleuri-
sias, gooonseas chronicaae em ge al todas as molestias em que se tenha em vista apu-
rificacSo do systema sanguneo.
i nleo deposito em Pemambnco
Na botica e drogara
DE
Bartothomeo Companhia.
34-RUA DO ROSARIO LAR6A-3I
VIVA 0 PROGUESSO
Ao systema mtrico decimal
J niogoem Ignora que o governo imperial adop-
ton este systema de pesos e medidas e at ja as
reparticoes militares por nm aviso do ministerio
da agricultura, commercio e obras publicas nao
compram se nao por taes pesos e medidas. O go-
verno den um prazo aos particulares para terem
lempo de se instruirem, mas brevemente se acaba
e entao todos sero obrigados a regolarem-se por
estes pesos e medidas o que jnlgamos ser de muita
utilidade por ser esta medida tirada da circomfe-
rencia do globo e por conseguinte a nica, certa e
mais exacta, Analmente a duvida eslava em nao
baver taes pesos e medidas, norm esse mal Ja'
esta' sanado, ja' temos pesos e medidas tanto para
secco como para liquido, assim como pesos de fer-
ro de 50 kilogrammas at 1|2 becto-gramma, de
lato de 500 grammas at dm gramma, para sec-
eos desde i|2 hecto-litre at decilitro, para liquido
medidas de estanbo desde om liire al o decilitro,
assim como medidas de madeira para as lojas e
medidas de extencao (ireinas), de 20 a 30 metros:
o nico deposito destes pesos e medidas na rna
Nova o. 38, aonde se vendem desde ja e se rece-
bem encqmmendas para dentro on fora da pro-
vincla.
/IL _
Joao Baptista Gomes Peona lendo disposto de
sen estabelecimento de molbadoj na ra do Impe-
rador, mudou sea escriptorto de rommlssoes e
consigoacoes para a casa da rna do Crespo n. 18,
primeiro andar, ende podera ser encontrado das 9
eras do dia as 3 da larde.
os de manilha branca
a 14 464,48,31 e20A.
Ta praca da Independencia n. 21 e 26.
Miguel Arcnanjo de 0li7etra. Cardoxo reti-
ra-se par* a Europa a tratar de sna sande, julga
nada dever a esta preca nena era parte alguma do
imperio, mas quem te jnigar sen credor ruja de
apresentar-se no prazo de 3 dias, rna da Praia nu-
mero 10. _____
Caixeiro.
' Otferece-se nm caixeiro brasileiro para seceos e
molbados com pratica de ambos :.qoem 'pretender
dirija-se a ma estreiu do Rosario n. ti.
- Qnun tnnnnclonner t 000* obre hyMlhe-
ca dirija se a ruado Nogueira n. 26, 2 andar.'
Chapi

*
wmmmmmm
TT
'
-
'i!


i
fciflBaU**

OUrif 4c Fermambuco-izarla lelr, de Juuho de 1866.
F A BIIIC A
N Di CIO NAL
DE
YIIHtOS
Precisa-ie de um rapaz viado ltimamente de
Portugal para caixeiro : a tratar no largo do Car-
mbo. y1.
Preda-e d um perito oftoial de eolalh-
dor para (azer urna obra na greja de Nossa Se-
ahora dos Prazeres em Macei : quera se achar
oestas condic{5es queira apparecer na loja n. 2 no
largo da matriz de Sanio Aotonto.
*
;
Estabelecimento na ra da niao n. 11
PROPIETARIO MANOEL LOMBOS.
No deposito, roa do Carao d. 63, existe nm grande sorttmento de vidros e crystaes, que se
vendem por precos mais baratos do que era qaalquer parte : frascos de 1 al 8 libras, bocea larga e
bocea estreita ; copos de 6 cortes, de meta oitava at meio qoamlho ditos de 10cortes, de ns. 1 e 2 ;
globo para lampeSes de kerosene, lavrado?, lapidados e foseados; ditos para candlefro de gaz ; lam-
peSes ae kerosene grandes e peqoenos, lamparinas de metal ; vasos para centenaria com p e sem
elle, grandes e pequeos; chamins para lampeOes de kerosene de todas as dlraensoes; compoteiras
moIBadas de cortes largos, escarradeiras de cures para salao, ditas de mao com aza, pequea?; vento-
sas bicheiros, calixes moldados, copos liaos para agua vioho, pratos moldados, redomas, garrafas
para vioho e agua, grandes e pequeas, ditas para Leroy, ditas para licores, ditas para minas, ditas
para agua de Colonia, ps para planos, brancos e de crea ; tubos para machinas a vapor, de crystal ;
globos com guratelo de metal amarell, mantegneiras de vidro, vidros avalsos para galheteiros lapi
dados, vidros para lampadas de groja, gatbetas para missa, ditas para galheteiros, mangas para cas-
ticaes lisas, lavradas Japidadas; lampeoees de ptrrede para kerosene, ditos de pendnrar; copos gra
duados de i ate 16 eneas para pharmacia, garantindo-se a exactido da medida -, vidros para peixes
com p e sem elle, acucenas para castScaes, chamins para lampeoes de azeite, ditas de cores para Illa-
iniuacoes, vipros para agua forte com rolba. Compram-se vidros e crystaes quebrados.
O deposito desta fabrica en Pernatnboco na roa da Imperatriz n. 19, onde existe constante-
mente charranes para candieiro a gac du ns. 2 e 3 a 320 rs. edn, la 400 rs., lamparinas completas
a 2*, lampeoes completos a 7* e 8#, escarradeiras de cores a 2*800 o par, pratos para copos d'agua a
500 rs., copos'de dez cortes a 609 rs., finos lapidados e lavrados para candleiros a gac a 1 {800. O
proorietario deste novo estabelscmento convida ao respeitavel;publico para que visitem o mesmo, cer-
tos de ^ue compraran os artiges Indlspensaveis a urna casa e familia pela sua barateza e wiltdade,
principalmente aos Srs. pbarmaeeDticos pela grande quantdade de frascos e vidros proprios de pbar-
maei*. Tambera recebe encommendas. O encarregado do proprietario Joo Luiz Encrennaz.
CAIXEIRO
' Qoelo precisar de om* ama de'leue pode
procurar na ra do Corredor do Bispo casa nova
sem numero na sexta casa a esqnerda vlndo pela
roa dos Pires, e na mesma casa lava-se e engom-
ma-se com perfeicao e promptidao.
O agente de leudes Olympio pede a todas as
pesEoas que tem transacgp"es cora o mesmo, o fa-
vor de diriglrem-se a casa de sua residencia ra
Formosa n. 14, afim de as ralisar, visto nao ter o
mesmo agente mais armazem.
Tendo-me despedido hontem da casa dos Srs.
Monteiro & Irmao, onde tai empregado por espaco
de 7 anuos, e em cojo lempo cecupei os logares
de guarda ivros e caixa da referida casa, sendo
pelos referidos seahores sempre tratado com a
maior delicadeza e conflanca, venho por meio des-
te agradecer cabalmente aos Srs. Monteiro & Ir-
mao, o tratameoto que se dignaram dar-rne como
sea caixeiro. Recife 10 de juoho de 1866.
_________Joaquim Ildefosso da Motta Sllvetra.
Stteneo.
O abaixo assgnado participa ao respeita vel pu-
blico que na noite de 18 do crreme das 9 para
as 10 horas da noite, desapparecen de sen esiabe-
lecimentoda roa da Praia a. 37, o seu caixeiro de
menor idade Francisco Xavier da Sirva, e que nao
se responsabilisa por qualquer cobresca ou debito
que o sesmo faca.
Jos do Reg Mello. .
tsamn.
COMPRAS
i CALCADO.
45 Hua Vireila 45
A primeira coodicao indfepensave con-
' servado da sade trazer os ps bem de-
Tendidos contra os ataques da humidade;
1 calcado bom e seguro e nico preserva-
tivo deesas mil enfermidades a qoe.esta so-
jeito o nossoreu. Um chnelo velho cal-
cado por um dandy patuscante, ou ama
botina acalcanbada em pequenino p de en-
cantadora deidade alm de aecusar que-
bradera horripilante, prova contra as facili-
dades intellectuaes dos calcantes, e nao ha
quem, tendo bom sens8, queira passar por
maluco, ou pobre de surraV: go, cor-
ram a.:
4*RA DIREITA4.
e attendam a' barateza.
Homens.
Borzeguins barcellonezes de lus-
tre e de porco 6)5000
Ditos de Bordeaux : .. : 74OOO
Ditos parisienses de bezerro e
cordatao ........ 8i?000
Sapatos de lona, sola de borra-
cha. ....-;... 2#)00
Ditos aveludados ..... 1(5600
Ditos de tranca bons. 10600
Sentaras
oraega n enfilados s. 5000
Ditos de laco...... 4,5800
Ditos lisos ..."..,, 40500
Sapatos de borracha .... Io00
-Selteiros, corrieiros e segeiros l
Sola de lustre, meios grandes 200000
E mn completo sorimento de calcado fa- ] Lias'inJws
bricado oopaiz.
Grande Liquidacao de Fa-
zendas
Aruiazem da Arara rna da Im-
peratriz n. 56.
DE
Luurenco P. leudes Gimares.
Chitas da Arara 160 rs. ocovado.
Vend-se chitas escoras e claras a 160 e 200 o
covado, cortes de ditos a 2* e 25400. Ra da
Imperatriz lo}* da Arara, n. 56.
Gassas francezas Gnas a 240 o covado.
Vende-se casias /ramizas linas a 280 e 320
o covado. Cortes de cassa a"2,3400 e 3*. Ra da
Imperatriz loja do Arara n. 50.
Arara vende chitas franrezas a 240 rs. o
covado.
Vende-se chitas francezas esferas com pequeoo
loque de mofo a 240 o covado, ditas rance/as rjoas
largar a 280, 320'^ 400 rs. o covado. Roa da Im-
peratriz n. 66.
Bretanha de rolo a 30600.
Vende-se pegas de bretanha de rolo a 3*000;
brim lizo para lences a 500, 360 e 040 o covado.
Ra da Imperatriz loja do Arara n. 56.
Cambraias lizas do Arara a 301.00 a peca.
Vende-se pecas de cambraia finas a 3*, 4*, e
65- Roa. da Imperatriz loja do Arara n. 56.
Arara vende cobertores a .1(5500 e 1?>000.
Vende-se cobertoresa 1*000, ditos finos de pel-
los a 15500, cobertas de lista 2*000 e 25400.
cobertas de damasco.45000, cobertas defosto a
5J000. Ra da Imporaliiz loja do Arara o. 56.
MadapolSo francs do Arara a 3000.
Vende-se pecas de raadapoiao Irancez de 12 jar-
das a 35500 e jOOO, vende-se pecas de madapolao
Rodelas de borraxa
proprias .para atar massos de papis, e par ser-
virem de ligas para puchos, manguitos, etc. etc.
Vendem-se na ra do Qoeimado lojaTfaguia br;u-
ca n. 8.
Mui finas carias
fraocezas, com cantos dourados, e sem dourado.
Vendem-se na roa do Queimado loja d'aguta tria-
ca n. 8.
EnTelopfs azues
500 rs. o cenlo. -
Vendtm-se na ra do Qoeimado loj> d aguta
branci n. 8.
Apparelhos de porcelana
dourados e pintados.
Na la do Queimado loj? d'agua branca L. 8,
veraem-se bonitos apparelhos de porcelana para
lmoco e jantar de noneca?.
Bonitos quadros
para retratos.
Vendem-se na roa do Qoeimado loja d'agata
branca n. 8.
Perfumara iogleza
A agua branca roa do Queimado n. 8, receben
uro novo sortimento de finas perfumaras iogleza:
de I. Gosnell Si C.; sendo extractos dos agiSJa-
vels cheiros Bonq da Rainha Victoria, do P. Alber-
to, do imperador NpoleSo, da imperatriz Eogenc
G'aribaldi, Miss Lind, Joch Club, fraogipane, sn-
dalo, etc. etc.
O'eo fino para cabellos.
Opiai para pentes.
Agna da Colonia.
Sabonetes fios creme de amendoa para barba.
Penoas d'aco iDglezas
dooradas e sera a ser.
Chegou para a loja d'agoa branca ra do Que-
mado o. 8, um excellente sonimento de .. .:..
inglez 'de 24 jardas a 45,55500,65, U e 85000.1 *'af D.e'es, dooradas e sem a ser, porro todas
oifrS. TmHL.*m. > de quslidade extranoa, e continua-se a vende-la a
25O0, 2500 e 1500 a caixa.
FABRICA A VAPOR
99 RA DO M0NDEG6 99
-Oepost na rna Xeiva n. 50 loja de relojoeiro.
Deouche donos deste estabelecimento partecipa ao respeita vel publico que -a ja fa-
brica est montada com as melhores machinas que existem na Europa, e que pode
fabricareom melhor perfeicio possivel. Todo o chocolate desta fabrica est garantido, e
puro, o que nao se pode encontrar naquelle que vem de fra, baixo, visto os productos serem do paiz. Na eliquetaiem sempre urna guia.
PREQO. '
Meia libra.......... 400
Urna libra......... 800
Urna arroba........ 16,5000
Na mesma fabrica acaba de se montar urna officina cos serrara a vapor para
obras de marcinerria propria para edificio, para o que encarreg:;i-se de facer portac, ja-
dellas, assoalhos (parqu francez como se usa na Europa,) eawaaces, lado comferevi-
nade eperfeicSo. Toma-se qualfaer encommenda ,para fra da cidade, -entregaBdo-se
prompta a collar-seno lugar.
COSaJLlie fe FRfilT.iM
Rna da Gruz n. 1.
Cotinua a baver diariamente um sortimento de pastis, podios, botos inglezee.
empadas etc., etc. Os donos deste estabelecknento, aetem-se as roelliores condicQee
de poder etisfazer eDeommendas eoncernentes a sna arl, cm c&rsequencia do socio
Freitas ter sido administrador chefe de afumas das princ; aes fabricas na rete, sendo
urna a do Sr. Jo5o Gone*lves Guimar3es (coneitaria do Leio) antiga-casa.de Carceller.
Todos os trabathos sao differentes dos ue se fazem em casas .particulares.
Os proprietarios dste estabelecimento -n5o se tem jwupado s- despezas, nem se
pouparao, se houver concorrencia como espera; tendoconiinuad&menle bom sorti-
mento de doces para cha.; presuntos .e ditos em fiamhre, tambem se recebem para se-
rem preparados ; assim como doce de caj novo superior, secco e cryetalisado, dito em
calda em latas hermticamente fechadas, podendo dorar annos em perfeo estado.
Para jantares e partidas recebem-se encomfiendas dos seguinte6 objectos; ban-
deij'as ricamente enfeitadas sem armaco pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, pes de l enfeitados com dsticos anlogos a qualquer fim; ditos montados,
kechs simples e enfeitados com fructas ingleza; gaiieaux de Ja reine, eitos de le -u-
chese, tortas de fructa, masa folhada; tas de peixe e carne; cremes e doces de ovas
de diferentes especies.
Tambem tem um completo sortimento de vinhoseegarrafados, como sejam: vinbo
do Porto superior, Figueira, Madeira, Lisboa, Cberez, Bordeaux, Champagne fino, ser-
veja, Licores, charopes e conservas. Para festas: bonitas aixinbas eom amendoas, con-
feitos e mais enfeites. Mui los destes objectos mencionados podem-se perfeitcente ao
condicionar tanto para a provine, como para fra.
FIGFK.1S
Acabam de receber bonitas figuras para bandejas de doces, sendo grupos para
baptisado, casamento, annos, dtta a phantasia, bonitos enfeites para bollos e circular pra-
tos de doces finos, tado por preces razoaveis.
Vende-se licores em duzia muito em conto.
AMENDOA CONFEITADA
Em arroba e libra, para o S. Joo; reeebem-se eicommendas de bollos simples e
enfeitados e tambem recebem-se bollos para enfeitar.
JS baratissimo!
E' baratissimo I
E' baratissimo!
Veste importante estabelecimento erncontra o res-
peita vel pablice um variado sorttmento de fazen-
das francezas, roglezas e soissas, eas quaes se ven-
derSo por preQo commedo a saber:
Ctales de renda preta 3(5500.
Vende-se -um sortimento ta a 55568 e 5, ditos de seda a 125,145 e 165;
isto na rua-da Imperatriin. 72-de-Guimares & Ir-
mao.
Retonds pretas a 8<>.
Vende-se retondas pretas pelo baranpreoe de
85,*853) e 95; na roa da Imperatriz n. "72, loja
de Gimares & Irmao.
(Qrande pexincha a 2 o corte.
Veode-se cortes de casemira da Cbina a-25000,
255OQ, 25800 e 35, dkas de brim a 15280,15400,
15660,15800 e U-
E' mito barato, tarlatana de cores a 240
rs. ocovado.
Vende-se nm grande sortimento de tarlatana de
cores muito proprias para vestido, fazenda mais
moderna qne tem vlndo ao mercado a 240 o cova-
do e '280, ditas mais finas a 360 e 320, laasinbas
Compra-se urna eserm que seja sadJa e te- i eeooeetae muito modernas a :60 e 400 rs. < cova-
Comprarse
ama escrava qae seja boa figura e que -safe nem
engommar, nao excedendo de 25 annos de idade,
i % paga-se bm : no escritorio de Vicente Ferret-
ra da Costa Filho, ra da Senzala n. 138, on em
sen armazem junto ao arco da Conceigio.
Compra-se urna secretaria de Jacaranda
mogno, gaje amarelle, na roa Novan. 7.______
Oiito e prata.
Emofcras velbas : compra-sena firaca da la
dependeacio n. 22, toja de bilhetes. _
Compra-se unta borra de ferro, ingleza-00
mesmo das antigs; na roa Neva-n.31.________
'Compra-se um bom seliim ioglez em segun-
da mee, paga-se bes : na rua'BeHa n. 22.
-Compra-se aro, prau < pedras pree iosa
emybras velbas: na roa da Cadeia do Recife
cja-de onrivesoe arco da Gonoeicao.
Compra-se urna escrava -de meia idade, sem
vicios, e qoe satba engommar, a rna do Cabug n. 2, sobrade._____
A 95300 pagam-se as literas : na praca da
Independencia^ 22^
Roa da Imperatriz u. 06.
Arara vende pecas de algodozinho a 3oOO
Vende-se pecas de algodozinho encornado a 35,1
45, 55, 65 e 75. S na loja do Arara vende-se
azsim barato, ra da Imperatriz n. 56.
do Arara a 200 rs. o covado.
Vende-se laasinbas para vestidos de senhora pelo
barato preco de 200, 240,320 e 400 rs. o covado.
Roa da imperetrix n. 56.
Baloes do Arara a 2,>000.
Vende se banldt-s de arcos a 25000. ditos focs
de 20, 25 e 30 arcos a 35 35500 e 45, ditos de
morsulina para seubora a 55, ditos para meninas
a 35 e 35500. Ra da Imperatriz loja da Arara
n. 56. .
Lencos da Arara a 2G0O.
Vende-se a duzia de lencus braocos a 25000,
ditos com barras tambem de cores a 25000, meias
cruas para homens a 25400, 35500 e 45500 a du-
zia, aberturas para carnizas a 500. Ra da impe-
ratriz n. 56.
Roupa feita por medida.
Vende-se paletot? de panno e de casemira pretos
e de cures a 45, 65, 85 e 105, caigas de 11 mi a
25, 555OO. paletots de brim a 25 e 35, caigas de
casemira de cores a 35, 55, 65, 85, ditas pretas a
45, 65 e 85, camisas daocezas finas a 25 e 25500,
camisas ingiecas de prega tlarga de linha a 35.
355OO e 45. Cerouias de algodao a 15, de brim a
15600 e 25, roupa feita para escravos propria para
servico, calcas e camisas a 15 e 15120. S na
rna da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Arara vende as sedas a 10500 o covado.
Vende-se sedas para vestidos a 15500, oreandins
finos para vestidos de senhora a 640 e 800 o co-
vado Ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
ntaa pratica de -vender
Imperial n- 87.
na-ra: a tratar na ra **Vditos mnio finas 460e"500.
* i -
r% Compra-se na olarta o. 13 na ra do Monde-
te-,-cinco travs de 25 palmos de comprmeme e
albo em quadro, de qualidate.
MVAL SU
Ra 4a lcumado u. 49, leja de
mi ie ile zas
VENDAS
Cobertores de algodao a 800.
Vende-se cobertores de algodao a, 800 rs. ditos
melhores a 15600-e 158OO, cobertas de cbia a 2#, DE
ifm* %m dvidar venha ver. Jos Bigodinho
Cambraia de cores a 240 rs. o covado dita fina a ^"fiando as miudezas abaixo declaradas:
860-e 320 coilas, finas a 280, 300, 320, 360 e 400 Sr*sc^s.ide,0'eo b*"sl flD0 20 a 2 r-
rs.,ditas percalas a 400 e 500. Ditos dno talgo a 600 rs.
Est^ acahanfk rhitas a ^ffi r n rnvadn 5 ts de macaca Perola a 20 rs-
vtlt ,hi, i on TIr' co^aa.- i Ditos com superior banha a 200 r?.
wJi^ tHimii Sn200 r?- T*^: Caraas com 6 irascos dec beiro a 800 rs.
SiEKS?,I'^SSV r402^0 rs0,C0V5a!l0' rMJ Sabonetes linos a 60, 160, 200 e 320 rs.
da Imperatriz n. de Goimaraes & Irmao. Drtos de bolla sn ,'or >m e m rs
ite-*?os braocos a H e-.2g500 a dona.
Vende-se
a portara explicativa da le bypothecaria,
publicnda em 27 de abeil pelo thesouro 1 i^^os Draocos a t& e-.,mzu'j a auna. 1 Livros para meoinos com estamps a
nacional, 200 rs. cada-exemplar: na li- flf' 'i*J0S a 35 e35500, ditos de linbo a 55OOO, I Caixas de 12 frascos com cheiro a 15.
vraria Econmica ra do Cretpo n. % ?*"* 6 e 75- Frascos de oleo babosa muito fino a 400 rs. 1
Cambraia branca a 3f>. Dnzias de meias superior uualidade para senhora a
Vende-se nm grande sortimento de cambraia a! 45500.
35,35500, 45. 45500 e 55. i Cbegaram as agolhas balao (papel) a CO rs.
BalOes a 2$. I Cateas rom bonitos soldados de ctiumt-o a 100 rs.
Vende-se baldes de arcos a 25, 25500 e 3$, di- ^''os de agua para limpar denles a 500 rs.
Vende-se nalrvrana da praca da lude- tos americanos a 35500 4 e 455OO ditos de mur- Pedra* de escrever (pequeas) a 160 e 200 rs.
pendencia n. 8a i& cada exemplar, tambem celioa a 55, 55500 e 65, ditos para meninas a 45 Sapato* de .tranca para homens e senhora a 15500.
Avidente -ou sorfces lidas por
urna sonmbula.
ba papis da-mesma a 80 rs. rada um.
AOS SRS. ACADMICOS
Vendem-se as seguintes obras de direilo
com pouco mo : Manuel du Broil Romain
por Mackeldey, 1 volume por 41; Dkm-
natre daContenUem. Commeraat, por Mas-; a 640,800 e 1500Q, mants
s. 1 volume, por 5<$ ; Elemente du droit &4O0; isto na roa da Imj
romain, por Maynz, 1 volume por 45; Es- '
prit de la jurisprudence des suecessions,
por Confiaos, i volume, por 4 ; Codepra-
tigue des faillites, por Geofroy, i volume,
por 35; : na ra do Crespo n. 4, fabrica
de .chapeos de.sol.
;jsto na roa da Imperatriz tmA Irmo. l ""s de bol5es de madreperola finos a 480 e
640 rs.
e 45308
Guimar.
a 2AQOQ o corte.
a 'tfiau a enro ^'xas ce eolebetes francezes a 20 rs.
a 0UUO O corte. Pecas de froco de toaas as cores a 200 =,.
a 3#000 O corte. j Caiia6 com soperiores envelope a 600 rs.
Vende-se cortes de laa com 12 covados a 35, di-1 Pares de sapatinhos de la para crianca a 400 r,
tos finos a 35500 e 45, ditos a Maria Pa a 75500 Bito de meias pretas para senhora, superiores a j
' 85500,r95 e 125, ravatus finas para hornero 360 rs.
maito finas ?. 15200 e tihras de pregos de todos os tamanhos a 240 rs. 1
Imperatriz n. ,72, loja de Caivetes com unas folhas muito finos a 320 e;
Guimaraes.tt Irmao. -500 rs.
Khlina -fiifl Sabonetes de familia, superior a 100 e 120 rs.
y-iuujjtl lti l a. Resma de papel de peso muito fino a 25.
T?Alina fflffrfl Frascos com tinta superior a 100. 140 e 320.
ivuya iKjlia Grosas de pbosphoros de gaz a 25200
,Neste importante estabelecimento enecntrarao os | Pares de boloes para punho a! 120 e 240 rs,
freguezes um eorapleto sortimeolo de roupa feita Pecas de ntremelos milito finos a 500 rs,
__assrn como palitot, calcas, camisas finas a 15600, i Caixa de pos para limpar dentes a 100 rs.
So*'f P nflTHl SanTA A -nf/inA 1*800- 2* DUrWJB })dl d iJdiXUf AULOllIO, e 45^00, cortes de brim, ditos de casemira de co-
38
I
o-5
2 o--, -c
B7S
5?g\o sRa
f^llflli
?SsE:i8
US7 BB
*lh%n
HM|i
6 w
i
m
v>
o v
3-
i:
B

A-I
ffa-a
"5 3 .
. o. w
O _. H
ra?
|og.|
a ^
15000 r
1 res e gretas, seroulas de algodao a 15600 e 15800, ( Puneiras de conta para meninas a 320 rs.
i ditos de linbo a 25. 25500 e 9$. : Talberes muito finos para meninos a 320 rs.
Vendem-se na offleina de eocaternacao -a 15 Isto i ra da imperatriz n. 72, loja de' Cartilha da doutrina christaa 320 rs.
S. Jo&o e S. Pedro.
da roa do imperador,
avulso.
unto em fo&etos comom
fioimarSes e Irmaos.
Farello.
Vende-se arello superior de Lisbca, recente-
oiente chegado : no escritorio de Manoel Ignacio
pe Olivetra e na ra de llor-
ebegada nova remessa de favas da Ilfaa ta-
berna n. 2 em frente a roa do Vigario, pelo dimi-' OtSSiS de Of C8
noto prego de ,20 .jUibra._______________| ^^ ^^ sio ^ e bons padrSes, e
m Vendem-se nuas carrocas novas e bem eitas, melbar anda o dimwuio preco de 280 rs. o cova-
com ioi ou sem elles, sendo orna d'agua ; na ra; do; na Boa-vista, rna da Imperatriz 0. 20.
do Ja&mim n. 21, casa amarella. 1 ;-----VonAa ea 7M..n A. ..----------ru- i desembarcada do brigoe portoguez Cons/a/ //,
'!lr Vende-seDa fandieao da Aurora, as roelho-' vende-se por barato preco : no escriptorio de Ma-
ShMI Prrf6,tfS ca.,*'ato1cJ" flls de medr' e noel Ignacio de Oliveira & Filho, largo do Corno
teibas de ierro galvanisado, iodo or precos ra- Sanio n. 19. ">!?
Frasco muito bonitos com cheiro a 240 e 500 rs.
Caixa com superiors seas para charutos a 20 rs.
Masso com superiores grampos a 30 rs.
" ATrENgAOT""
Vende-se palba bamborgueza receollmente che-
para empalhador, por prego mais commodo
do qne em ouira qualquer parte
las n. 15.
Cal de Lisboa.
Farello a 5$.
Na ra da Madre de Dos ns. 5 e 9 vende-se a- soasis.,
relio de Lisboa novo, saceos grandes.
A preco commodo.
Vende-se a casa terrea Da roa de Joo Fernan-
das Vleira b. 14, na fregoezia da Boa-vista ; trata-
se na roa da Cadeia o. 34, sobrado.
SITIO.
Na roa larga do Rosario o. 32, vendem-se
doos rolos de fumo por preco commodo.
ATIERO
Vende-se o sitio da Capnoga Nova roa das Per-
namboeaoas jumo ao do finado (Japistrano, com '
i boa casa de vivenda, cosinha lora, copiar, quartos
para pretos, tanque para binbo, cajaeiros e vige >
e tantos ps de larangeiras, jardira na frente, torio i
morado : para ver no mesmo sitio cujas cbates I
eslo no sitio doSr. Santos Coelbo, logo adiante, e !
para tratar na roa da Cruz do Recife n. 33.
VIERAM ORGANDYSriRANCOS
para o Villar com loja a' ra do Crespo i
n. 17, padrSes lindisslmos e vende a 750 flf
rs. oxovado oo. 15280 rs. a vara, a ellas ^
ExieMenlisimasantes oue se acaben). M
..............'
Fechficli

Vende-se massa secca de mandioca para bolos
preparada com multa perfelco a 400 rs. a libra :
na ra dos Pires n. 44.
Tinta a^ul e preta
tinta rocha e preta.
Estas tintas cujas excellentes qualidades ja' :4o
bem conhccidas e apreciadas pelos entendedores,
acbam-se a venda na roa do Queimado loja d'agua
branca n. 8.
Lacre uo de cores -
com cheiro e sem elle.
>a lija d'aguia branca ra do Queimado n. 8,
vndese lacre fino encarnado aromtico e sem c
ser ; dito verde, e umas caixiubas com ditos ue
cores pelo barato preco de 500 rs. cada urna.
Papel inglez
* em caixinlias.
Na loja d'aguia branca a' ruado Queimado 2. H.
vendc-5e desse superior papel inglez em caixiiiha".
Luvas de camursa
brancas e amarellas.
Vendem-se na ra do Queimado leja d'afola
branca n. 8.
Meias pretas para padres
Venderr,-se na ra do Queimado leja d'aguia
branca n. 8.
Aspas largas e fortes
para balo.
Vendem-se na ra do Queimado loja d'aguia
branca n. 8. ______
Novo sorliincnlo de perfuma Mas
finas.
Chegou para a antiga loja de miudezas a ra de.
Queimado n. 16.
Bonitos vasos de porcelana douradacom l'uhi
muito fina.
Outros ditos de p de pedra com dita.
ii.-iral.i; com superior agua da Colonia.
Frascos com agua balsmica para dente-.
Dito de dita dentifrice.
D les.
Dilo com superior agua (Lr de laranja.
Dito de dita flor de rosa.
Dito de dito vinagre de Venus para refrescar a
pelle.
Dito de dito agua amb iava para banlios do ros-
to, corpo etc.
Dito de superior agua de Colonia iogleza, d" f
ver e Lubin.
Dito de excellente banna de Lubin.
Sabonetes de Lubin, c outros de amendoa, trans-
parente, etc.
Co-mcliqtte (on "pomada) de superior qualid.-dt
F;oos extractos, fraogipane, sndalo B outrot
tambem de finos e agradaveis cheiroft-
Opiata ingleza e franceza para dentes
l)3nilos vasos com p de arroz e pincel.
Caixinhas com aromtico p de arroz.
Oleo inglez. dito pbilocome, babosa e outras ota
i-Jades para cabello.
Cbrfliuacome para tiugi, rafceH.
Bssa apreciavel tintura chegou parr. a loja do
miudezas a ra do Qoeimado n. 16, assin .- mo (
sabenete branco, para se lavar os cabellos aLies <
Cabazcs de vidro cm ioWnHari??
Vende se essts bonitos cabazes de vidro com per
fumarias, proprios para presentes, etc.; na ra do
Queimedj Injq de miudezas n. 16.
Latas copos c m baiha fina,
! A bem con herida loja de miudezas a ra do
Queimado n. 16, acaba de--r*ceber as estimadas ...
tas com banha fioa, assim como cepos de vidro t
i novo e buuilo molde, coro lampo de vidro e cheiror
!de excellente banha. Recebeu igualmente a pro-
veilse banha transparente que muito serve pira
acabar as caspa?, e a aromtica e agrada vel baiiha
japoneza e outras. Os pretendentes dirijam se u
dita loja de miudezas a ra do Qoeimado n. iC
que sero servido a contento.
Bonqnct dos alpes,
Esse tino e agradavel extracto, vem em um bo-
nito vaso de p de pedra e este dentro de urna ele-
Gante caixioha de papelo, de forma que a nerei
gao de urna cousa corresponde a superioridade d^-
outra. Esse apreciavel extracto acha-se a venda
na ra do Queimado loja de miudezas n. 16.
Agua florida
Vendem se na loja
Queimado.
Frascos com gomma arbica dissolvida
e pincel.
Vendem-se na ra do Queimado loja de miu-je-
zas n. i6
Tinta indelevel para marcar roipa.
Vende-se ua ra do Queimado loja de miodea
n. 16.
Fita elstica para cs de bal5o, e aspas de"
ac para os ditos.
Vendem-se na ra do Queimado oja flp m:r
xas o. 16.
Bonitos "ntremelos e babadinhos bor-
dados.
j Vendem-fe por barato preco na loja de mr-.v-
) zas n. 16 aa ra do Queimado.
i Tinta rosa e azul que ficam pretas
1 Na lofa a male?? c 16 a roa d: Quei! .-',.
vendem-se fraseos rsodes e menpres ctfm pcae'
*to* timas rftrj e na] para ficar rrer,; c
e tnico,
de miudezas n. 16, ra
J
Vende-se om escravo moco, robusto, de
figora : quem o qoizer comprar dirlja-se a ra do
Imperador ao terceto andar do sobrado n: 52, por
cima da Hvraria, qne acbari com quem tratar,
--------
l2Ill?JkE.C; A2e6 e ^^ Vend.seumatabPrnabem.ocalisaaeareguezada W '***> "M
da LDIVerSldafli de Pe8ylvania, DOS! par% a trra, .jue vende de 165 a 24 diarios ; na GiVxa econonvea em latas
reguezia da Boa-Vista, a casa por muito commodo Ven?eBi se na loja de miudezj
prego de aloguel e t-rn coromodns para familia, as-: Queimado.
sim como se vede s a armacao : na ra da iin
peratriz 0. 6 se dir' quem vende.
S. Joao e S, Pedro

Estados-Unidos.
^ Extracto cosnposfo de galsa-par-
rllha le Ayer,
'eitoral de cereja.
Reaaedl* para sezes.
Plalas catharticas.
0 deposito central para as. provincias :
Pernambnco, Alagoas, Parahyba e Rio"
Grande flo Norte, destes remedios tSo fa-
e barrilsihos.
miudezas n. 16 a ra do
Vendem-se batedeiras e alguidares da fabrica
do Barbalbo do Cabo e mais loucas como, ejam
(arres para 4 e 5 raneos d'agua a 3500 e 4#,
qnartinhasa 10* e 16*ocento. bilhas grandes e
pequeas a 24* e a 40*, murlngues e resfriadores voravelmente conneciuos 6 acolhidos em
a 720 cada um, emuitos e mais loucas qoe tem de todas as parles da America do Sul e do
uj graode sortimento: tudo isto no nnico deposito do Norte, acba-e em casa de Thcod chrls-
pateo do Terco n. 18.
FOCOS
CHAPEOS DO CHILE
a 1:500 e 2;000 rs.
Na praca da independencia ns. 21, e 26.
Nossa Sfnho a do C*rrao e a gloriosa
Sanl'Anna.
Est a' venda defronte do convento de S Fran-
cisco n. 13 a novena, salve, versos, e a exposiclo
do Santo Escapulario, tres folhetos por 500 rs., e a
novena da gloriosa Sant'Aona em 1 dito por
320 rs.
tianaen, 16 rna do Trapiche em
I ermaMbuco
Os procos de
33($ por dnzia de estrado de salsa-parrllba.
27d por dozia de peitoral de cereja.
27 nnr duzia de rm 'dio nara sprfw> Vl0,e.ncia 'epefcao dos accessos desta mo-
Va orZ a i PL sez0es' Iwtia serao prevenidss, Impedidos e corados cora
| /0 por duzia de pimas calharticas | o oso constante deste remedio : botica do Pio
se entendem dlnhelro Vista, Com ra do Rosario larga n. 10.
Consu-nos ter sido moito applaudldo os fogos oc ^u---------------------------------------
artificiaos que se soltaram no da do glorioso San- 0 rW/mir. a H nnr ^0n0 om .,.,#:a.A-
te Aniomo, e eomiiioando a ex.sUr da melhor qoa- L ? i^ P ^ l? 6m ^uant,dades
lidade qne poss.vel, epera-se a continuacSo das de b a 12 duzas, e de 10 por cento em
encommendas na loja da roa Nova n, 39. quantidades superiores a 12 duzias. L
"*" i. ^. ti i
AlLeDvtlO, Panno de algodao da Babia para saceos de
_________ Vende-se a taberna da roa de S. Jos n. 1, moito assncar e roopa de escravo, vende Antonio Luiz
Chegou para a loja de miudezas da ra do ""auezada ptra a trra e mato : a tratar na rna de-Olivelra Azevedo & C, no seo escriptorio roa
Qoeimado n. 69, nm grande sorttmento de lindos do Nogueira n. 29, taberna._______________
*,?!!!??**"* **" ,razere? no bra5': Vendem-se tamancos do Porto tanto para no-
e outros manos ps,ra costuras e para botar mimos -mena como para senhora: na roa da Senzala Velha
e se venden) por preco maito barato?. o. 5a
- E. R. haelio tem para vender no seu escr.o-
torio na roa do Trapiche n. 44, segundo andar o
;segoinle: '
Vinho medeira superior em caixa de dnas duzia'
de garrafas,
dem do Porto idem em ancoretis.
dem de Lisboa e da Figueira.
Cera em velas.
Fogos
de artificio
Ha grande porcao de fogos de artificio na confie-
cida fabrica da viova Rufino, o qual vendido por
Cigarros aaul-astbmatlco de Voy commodo preio, e como seja penoso ir la pela dis-
tancia, as pessoas que quizerem fazer suas encom-
mendas. para S. Joo e S. Pedro, as podem drizar
no'armazem da bola amarella, no onao da secre-
taria da polica, onde ha vera' nm portador para
ir buscar e levar ao lugar eonvencionado.
ios agricultores
Saqnders Brothers A- C. acabam.de receber de
Liverpool vapores de forca de 3 a 4 caaallos com
todos os pertepce?, e mu proprios para fazer' mo-
ver machinas dedescrocsr agodio, podendo cada
vapor trabalhar ate com 149 serra, tambem ?fr-
vem para enfardar algodao on para entro qoa!qu'r
servico em"qoe asam trabalhar com snimaes. Os
roesrreos tambem tem a venda machinas -america-
nas de 35 a 40 serrss : os .pretendentes d'ljain-
se ao largo do Corpo Santo n. U.
Satas bordaras
Cbegaram a loja de Paredes Porto, ricas saias
bordadas, qoe vendem-se a 4*500 e 5* : no arnu-
zem da porta larga o 52, roa da Imperaiiu.
da Croz n. 1.
Vende-se orna pancadar-ia, bombo, rofo, pra-
os, em bom oso, e preco commodo: na ra do
torrern. 16, Recife.


TE
Diarlo de rerMMbneo Quarla felra to de Jnnho d i 866.
i-, ..
0 econmico? o novo systhema do proprietario doar-j
mazem de molhados
tedosos
53 RA DA CADEIA 53 .
P.lgS.13i O O ARCO DA CONCEICla
Que surge de novo basteando a bandeira da modicidade de presos em
seas superiores gneros.
Que o publico reconheca as vantagens que de tal systhema rae resolta, e o croa o
proprietario do sitado armazem deseja, e a que desde j o convida : passando tambem a
notar-lbe os procos dealguns dos gneros do seu esplendido sortimento, epata os quaes
(.oMna de millio brame* americana.
Esta exoelleme gomma, raoHo se recomcommeaaa como> ausento mais subs-
tancial e saudavel; servindo nao s para papa (no que superior de toda a* outras
go-mmas e farinhas) mas tambem della se p5de fazer pSo-de-l, cangica
francez, podim, etc.: o preco de cada pcete de urna libra 800 rs.,
timento.
crome, bolo
em caixa tem aba-
$^e4H"' MBSWbWKI
MANTflGA INGLEZA de superior qualida*
de a 1,28o e l,loo rs. a libra, em barril
se faz abatimento.
DEM F1UNCEZA a mais nova que ha no
mercado a 6io rs. a libra, em barris ou
meios a 600 rs.
CHA HISSON de primeira qualidade a
,800 rs. a libra, alm desta ha muitas oa
MOLHO INTGLEZ.d. diversas qoaHdades,a
72o rs. o frasco.
MOSTARDA 1NGLEZA muito non, a 800,
rs. o frasco
DEM FRANCEZA a 6io rs. o frasco.
SALMO E LAGOSTIN chegado ltima-
mente, em latas de 2 libras, a 4-,6oo. rs.
ARENQUES enralas a 64o rs. cada urna.
Groa: de aples preto a 1(5500,1)5(600,2,5, U, 30500 e 40 o corado.
Gorgurlo preto de superior qualidade a 20300, 21800, U e U o co-
|, vatio.
Superiores moreaatiques a 25500, 2600, 3*, 35O0, 4 e 55000 o
covado.
Bons cortes de moreantique.
dem de gorgurao adamascados.
Bons pannos e casemiras.
Sup riores alpacas, princetas, merinos e bombaziaas.
Baos vi lidos pretos.
Graade variidade de chales de fil preo e de gmpare a 5 W, H,
105, 12|, de 4W a 205, ede 255 a 805 cada um.
SuperiM*s*etoii e de 30* a 60* Superiores algerieaes de fil preto e de guipwe de 125 a 39ft e de
305 a 605 cada uaea.
Bons chailes de seda Ditos de Merino preto bordados e outras muitas fazeedas pretas que
seria enfadoohe easmerr, na
IiOJA DAS COIiUM*AS
DE .ANTONIO CORREA DB VASCONflRlLO* C.
RIJA JBO CRESPO W. 13
tras pro'prias para vender a retalho, qne SARDINAS DE NANTES em latas e meias
se vendem de 1,600 a l,8oe rs. a libra.
DEM PRETO o mais especial' quetem rin-
do a este mercado a2,2oo rs a libra.
IDSM regular de I.600 a l,8oo rs. a libra.
QUE1JOS DO REINO ltimamente negados
pelo vapor 2,ioo: ditos do vapor passado
a 2,ooo rs.
LATAS DE GHOURIQAS com 6 libras er-
meticamente fechadas, a 4,5oo, de barril
a 64o, a libra.
E3TRELINHA para sopa- em caixas sortidas
de 8 libras, por 4,000 rs.
VINHO VERDE do verdadeiro sumo da uva,
e o mais proprio para sa beber n'este
imperio, pela sua extraordinaria ^resqui-
dao e agradavel gosto a 64o rs. a gar-
afa.
AMEIXAS FRANCEZAS em frascos de 4 e
2 libras, a2.8on, el,4oors. em caxi-
nhas muito enfeitadas com diversas estam
pasa 2,900, 1,800, l.Soo et,3oo, reis.
BISCOITOS rNGLEZES emlats contendo
diversas qualidades a l,oooe l,2oo rs. a
lata.
PRINC PE AL8ERT0 bolachiDhas as melho-
res presentemente conhecidas a 1,600
rs. a lata.
SALAME HAM8RGEZ chegadosnoolri-
rao navio a l,6oo a libra.
PREZN TOS verdadeiro de Lamgo, a 64o,
rs. a libra, e 36o inteiro.
TRAQUESn. 1. em caixas de 4o cartas, por
8,000, e 24o rs. cada urna.
MARMLADA em latas de 1,1 ys e 2 li-
bras a 600 reis a libra.
JALEA DEMARVIELLO em latas, a 800 rs.
FRUGTAS EM CALDA pera, pecego, alper-
ce, rainha Claudia, e ginja a 64o reis
? ata.
a 600 e 36o reis.
V1NH0 DE COLLARES o legitimo vinho
desta localidade, muito superior e sem
oonfefcSo adorna, a 800 rs. a garrafa.
DFM MADURO o verdadeiro de alto Dou-
ro em barris de lo em pipa por 33,ooo
cada um. ,.. ,
VINHO DO PORTO de diversas qualidades
engarrafad, molsive o maisfino quena*
n'este genero, per 800, fc.ooo, l,2oo,
l,4oo e l,5oo rs. a garrafa.
FEUAO verde e carrfpato em latas ermeii-
carnete fechadas a 600 ps.
CHOCOLATE fralese empacotes de 4 libra
\>ot 3oo reis.
AZEITON'AS das chegadas ltimamente de
Lisboa a 1,2oo rs. a-anaorela.. a 3tw, a
guarna.
CAF avado a240 rs.a'lihr; e'7,oa>M
a arroba, e regular ito*ltoS.Jft',tofc
' a arroba.
VINHO CHEftM damaia aaperior doiner-
cado a i ,5o rs. abatato, 8'*9>ooo rs.
a duzia.
MOSCATEL o verdadeiro de Setubal, a
l,8oo rs. a garrafa, e 2o,ooo a duzia.
VINHO BORDEAUX das mais acreditadas
mareas, S, EbmUob. 5ant Jolien Haut
Brion a Too e 800 rs. a garrafa, e em
caixa de doria, a 7,5oo e 8,000 rs.
VINHO BRANC > de Lisboa de excelente
qualidade, o pnoprio. para missa, a 800,
rs. a garrafas 00181000 rs. a caixa-de duria.
MADEIRA SECO-al,2oo a garrafave 12;ooo
rs. a dazia.
VLXHO DO RHENO superior, a 2.ooo a
garrafa, e'22i000 rs. a duzia.
YERMOUTH de superior qualidade em cai-
xas de 12 meias garrafas por 12,ooo,e
garrafas por 1,2oo rs.
Novo estabelecimnto
Roupa feita de todas as qualidades
Faieudas por barato preco
Superiores baldes de mussellna coas cauda
Chapeos de sol balo que val m, e o Pa'So vende a 10.
O Balao vende paletots de panno preto fino a 85, por ter grande PorcaO'^1^8
branc j flao a 45; madapolao nno a m
PHOSPH ATO DE FERRO DE LERAS-
im. EM 8CIB1MIIA
WWECTOB Dk. ACADEMIA DE PARS.
Ni) existe., medicamento ferruginoso t5o notavel como o phosphato de ferro de
Leras; assummidados medicas do mundo inteiro adQtaram>oe comsolicitude sem igual
nosaoBaesida aciencia. As cores paluda, dores, de estomago, digestas penosas, ane-
mia>ooavah)r>MO0as-di&aia,>idaa> critica das senhoras-, irregularidade na enstraacSo,
pobres*'de sangae, jymphati6iBo-85o curajios rafdamene ou.mocUficados por este ex-
cellenteceraposte. fl^rooMerrartorpor excele86ia..da6a*de e dedarado sjjeerior no5
hospitaes e pelaa acid&miff a.todos os ferruginosos canhecidos. ao idoreto eao-citrato
de ferro, porqae..o.unicQ^ipe amvem aos estomago delicados, qie n5o provoca-cons-
pa?3o nico tamben que nS Hm> Pari* da venda em.casa de Maurer, e A, Caors.
PECHI\CH\ SEM IGliVL
Rieos cortes* gogarS 0>*la pretos adamaed8-pra' watdo com 16 metros
oni8 aiWcwrsdaRcaila 8aWe,.lar(tnra de chita fraoceza, Dftlo barMissimo pxe?o de 3(15
cada^wrt :j loja das columnas da ra do Crespo n. 13 de Antonio Coireia de Vasfiwi-
cellos & C
CONSILTOBIO MEDICO-CIRIRGiCO
00
OR. PEDRO DKlTTHprD^ WBQ BOSCOSO,
HEDICO, MKTfimO E OPERADOR.
3Eua da Sto&i casa do Fundlo g
O Dr..Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos osdias das 7 as if
horas da manhao, edas 6 e meia 8 horts da noite, excepcSo dos das santificado!.
t Pharmacia especial harneof alhim
No m*smo consultorio ha sempre o mais apgntprdo sortimento d carteirai
tabos-avulsos, issim. como tiaturas de varias drmncgatts e pelos precos leaiiiUfti-
Garteiras de 12 tibMrfl. I50( wwqumm.
de 24 tubos grandes. i&$P0O
> de S6 tnbos grandes. 24)8000
de 48 tudas grandes. 3M9Q0
> de 60 ttdwe grauto. 25|000
Prepara-se qualquer carteita conforme? o pedMo que Se fiter, e com. os remedios
que se pedir. vm*
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca OdO.
Sendo para cima de 12 custacao os precos estabelecidos par as carteiras.
Ha tobo mais pequeos cada um a 500 reis.
MYKOS.
K melhor obra da homeopathja. o Manual de, Medicina HojBaepathico do Dr JarS
doos grandes volumes com diccionario.............. 20Q0h
MedieinadomestieedoDr. Hering?...........J lOOOO
Repertorio do Dr. Mello Moraes........... 600?
Diccionario de termos de medicina .......,..,...[! 33qoo
Os. remedios daste estabelecimnto sao por dtm* oenheoidos e dfspensamDor
uuto de serem novimeote recommeidsdos as pesseas que qujierpm usar de remedioi
I wraadeiros, enrgicos- e doradores: ha tudo do memetquo se pode deseiar, globos de
rerdadeiro assucar de leite, notaveis pela sea boa coawrvacjfo, ta tura dos raa^acredi-
tados eetabelecimentos eunopeos, a mais exacta e acarada preparado, e portanto a maior
energa o certera em seusefleitos.
Casa de saudepara escravos.
Recebe-se escra?ofri>aia tratar aV^dltoer eefacnidade ou fazer-se-lhe onalouer
operacao. p;>ra o qne o annanciaMa jnlgp-s^nicin|iei|e fn**4Uado.
Olrttsmtntfli o merhor possjje], tanto na pafe aUmeatar, eame na medica
(unecionando a casa ha mais de qnatro annos, ha nrntus pejjni.il de-cjjo conceito se lo
pode duvidar, qae podem ser consultados jjpr aquelles qne desojaren) mandar seos
doentes.
Paga-se 2 per dia duraste 60 dase yald as diante 1550C.
As operaces serio previamente ajustadas,, seriase quizerem snjeitar aos precos
* razoaveis que eostuma pedir o annanetante.
VERDADEIR1 AG.l MKEIIAL
PASTILHAS DOS SAES NflTURAES DE VICHY.
VENDE-SE
Na botteaedrogaria de Bartbolomeu & C. Ra larga do Rosario n. 54.
B FAL Vil %S
SE .

Rli no BRU9I IV. 8
O proprietario deste estabelecimnto deseja chamar a attenclo dos senhores pro-
prj^arios para es oci editados mechanismos que continua a fornooer; os quacs garonte
ser como sempre, da melhor qtadade possvel:
Machinas de vapor
orca de um cavallo parama. As menores sao mu proprias para motores de des-
carocamentos de algodao; ellas viajam armadas e podem trabalhar den'ro de 24 horas,
dapok-dft chagfow n^tegorr Ettp-levwntado quanto preciso para o trabalho, e
diversos sobrecelleates. As machinas maiores s8o proprias para a moagem de canoa,
e ha deltas que podem junta e separadamente moer canna e descarocar. Ellas podem
1 7*aCr et 2?. 360 r,; p,!** de alpaca 1
chitas escuras proprias para^ _. -^ -^ ^^ ^ de ^^
s insignificantes. Quem
ijraias finas 3^ a peca;
ha muitas octras fazendas que todas se. vendem por prec/
dar venha ver.
A barateza do Balao
cam-
>4&
duvi-

Rc riiros decrvstal lapidados de diflerentes formas e cores, o que ha de mws moderno ew
tambara TU'es e bo"ioes para coletes Avallas modernas de madreperola para cinto : estes arti-
gos se venden por menos de seu valor no armazem da roa da Cadela do Recite n. 60.

Novo e grande deposito de superior earvao de Oardiffna
Baha.
Antonio Gomes dos Santos & C, raa de Santa Btrbara n. 1, esto habilitados a supprir de
oarvao em condicSes mais favoraveis qae ero ootro aaalqner deposito, a todos os navios a vapor qne
ccarem naquelle porto. A contratar nesta com Domingos Alves Matheus.,
JARABE DO FORGET.
Eate xarope esti ipprovado pelo mais eminentt mdicos de Pars,
orno ndo^o melhor para curar conitipacoes, tosse convulsa e outras,
aeccoes dos bronchioa, ataquea de peito, imttftea nervosas e insomnolencus: urna colhmda
pela manh, e outra i noite rto sufflcientes. 0 effldt d8te excelente xaiope satubs ao mesao
lemoo o doente e o medico. _. "L .
Sirop du
DrFORGET
Deposito na rUa larga de Rosario, botica de Barthotomeo & C. n. 34.
\
Calares Royer om colares ano-
dinos
pora facilitar a denticSo das crianjas e pieserva-
las das convnlsSee.
O feliz resultado obtido immeasas vetes pela
p- ligiosa forca magntica dos colares Royer, nos
ca.vs. 4e convDlsSes, e denticao das crianzas, tem
a:...'.nenie elevado o sea bem merecido prestigio,
e iioje j se pode dizer qae est3o geralmente con-
cpuoMOs, e estimados de innnmeraveis pais de
a^Hs : de nos porque do aso desses salntares
co: .res viram salvos do perigo sens charos fllhi-
Dli' s e de outros porque colheram daquelles to
/ uo exemplo para igaalmenie preservar es
seol Assim, pois, aaguia branca, tendo em vis-
taa utilidade e proveito desses pto*fiosos col-
lodinos oa Royer, mando* vir o ovo sorti-
^Ko rue agora receben, e Contlonar a recse-
lo- rara qae em tempo algara a falta delles possa
sjpr ''inesta aos pais de faBllia, os qsa ficario
rr ; de os acbar conatantemente na rna do Qaei-
msrio, k>ja d'agnia blanca n. 8.
--------------1
CUSTODIO CRTAMO
27 RUA0 CUEIMADO N. 27
Madapolao francez mnito Sao, tendo pouco mofo, cada
10,5000.
Lia de eres a 300 rs. o cmmt.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos, organdisapreepde800rs avara. -_ x_
LencjSkbnrieoi para algibeim. a 2ftO0 s dtisisi 1 *
Finas perclaras *prejo de-40d, 440* 360're. o covado.
Reos cortes.de 15a.- de bar de 10# a 300000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
* c.
peca com 27.varaf por
''H1 m* ** y^
Novidades do Vigilante
RUA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimnto apezar de sempre
se achar bem sortido como todos sabem,
hoje mais que nunca, n5o s peto que rece-
be de sua propria conta, mas tambem pelo
que recebe de ponsiguac5es; parece se^n
duvida que deve offerecer grandes yanta-
se applicar a qualquer moenda j existente sem outra mudanza do qne a substituicao das
rodas da almanjarra, ha tambem com moenda junta. Ellas tem depsitos d'agua e boei-
ros de ferro, e nao preetsam para seu assentamento de obra algnma, qur de carapina,
qur de alvenaria. O tempo para assenta-las n5^ excede de doze dias ao mais, e em
casos de mortes de animaes ou arrombamentos de acudes, etc,. garante-se o assentamen- 8ens P31"3 Fespeitave puDiico tanto em
to em oito dias. Todos estes vapores sao simplissimos na construccao, e se regem por. Prc,^omo n3 escoma aos onjectos, e co-
qualquer pessoa intilligente, a facilidade da condcelo sendo especialmente considerada,1.0 acM)J? ae cne?ar 8T?na<
tantoque n3o ba lugar em que nao se possam conduzir, qnr por trra, qur embarcado. I}
Lembra-se aos senhores de engenho que- a venda dos animaes e o servico da
gente oceupada no sey tratamento es hao de recuperar da maior parte da despeza do
vapor, deixando-lhes a vant3gem de urna moagem certa eaccelerada; e acabando com a
despeza da compra continuada de novos aDimaes, e com os desgostos do trabalho que se
tem com elles.
Ser talvez desnecessario iembrar aos compradores de vapores a vantagem que
Ihes resultado comprarem suas machinas garantidas em urna fabrica, tendo artistas com-
petentes para assentar as mesmas e ensinar a maneira de trabalhar com ellas, e j pre-
paradas para arremedhr qualquer desarranjo; facilidades estas que jamis podem. en-
contrar comprando-as aossnpies negociantes, os quaes por falta de conhecimenlo na ma-
teria nem se quer podeoa garanti-los de que as machinas que vendem sejam proprias>ou
sufficientes para o trabalbo em que se queira emprega-las, e no caso de desastre nao
podem prestar-Ibes socoorro algum.
' Igualmente n3o se eiqueceeSo os mesmos compradores de quanto podem perder
em ter suas machina? paradas por desarranjos no tempo das afras, sendo que ajada
quaodo venham s fabricas para Goncertar as machinas alheias torna-se -ha preciso fazer
repentinamente moldes novos, etc. para as pecas estragadas.
Tambera ha sempre prompto Rodas d'agua de ferro arilhns com cruzelas para as
mesmas Moendas de canna de todo o tamanho, Rodas de espora e angulares, Paroes ou
coches para reeeber o caldo, Crivos e portas de fornalha, Taixas de ferro balido, fundido e
de cobre, Forma* de.ferro galvanisadas para pnrgar assucar, Bombas simples e de repu-
cho. Alambiques de ferro. Eixos e rodas de carro. Arados, grades, enchadas a cavallo
e eutros instramento6 de-agricttitara, Moinho. e, foco >s para azerfarinha e finalmente
todo oobjecto de mechanismo de qae se costuma precisar.
Na fabricase fazemobras.novas encommenda e concertos, com a maior p este-
za e solidez. O grande deposito, de pecas e objectos tiabilitam-na muito para este fim.
O proprietario ser eempre awi feliz de poder dar informacoes ou esclarecimento.
iores que se servirem de seu prestimo.
D. V. .BosauH, engeheiro.
aos senhores que
Vendemrse
maohinas americanas de serrote para descarocar
algodao : na ra da Sewala ova n. 42.______
Loj
M4RQIEZ1
A laja Eperaosa oa roa do Qiwiamao a. 83 A,
ree.ci.ieu estas cintas, que ama consa IndispeDsa-
vai a aualqner senbora ; conslte soa ntllidae em
suspender a vootade a saia por meto de eordoe?,
em cujas extremidades esto preses clchale qae
se prendero agnardapisa do vestido : vndese por
2J500cada tinta ;amoscom riorpenh da-se.t
do beija-flor, na ra
(jiieimadan 6S.
Tendo recebido esfeites para cabello de senho-
ra, de cabellos, qne estasdo na cabera nao Mdiffe-
renca se feto do mesmo cabello : s quem tem,
oa loja do bei^-^pjr.
' Vendem-se afeits para coques de senhora
os mais modernos que se pode encostrar : na leja
do belja tbr.____________________________
Veadem-se quetjes de Serid asalto frescaes a
900 rs. a libra : so pateo do Cama, esquina da
roa de ikwlas, ascsawn n. i.________________
Feijo a .*>$.
Vendm-se saceos co Melas d* feijo branco,
pelo barato preco cima; na roa fla'Havre tf Dos
ds. 5 e 9.
i
2gpi 3pi iQ^rgn
neos mnm bmncos
A' teja 4 fneja%s de Augusto Porto & -C.
11Jlwa do Queimadoit
A' leja >. fa*nde dn Augusta Petto & C, ebegaram os mais beHos e modreos
vestidos braucos e bordados asalha.
Superiores vestidos de btond com nenia e sepels ftws aova.
Coitlnados bardados para camas e jaaai C0im fi aeda d* la, e sene de cores pa/a camas. '
tolA>es4>aiUlhe#,luwut.de peilica e saias bordadas. *.
BbnMs, afgrolA^Uchaleii? renda Me. fc-
Sobretodos dtfpaBnoWoovIstas e capas de borracha
Grsdenapoles de caee e prelo, e aboiv preto de diversas Encaoaaes pa/a batidos com vestidos bordados qaeba de nasi gosto neste genero.
Filos bordados, d slticos, e lieos, cambcaia&T-Victorii-jejrBeifcrentae. i(
Chapeos, bonets e gorros de palba da kaa naja sejabara<:. %
Cbpeos preo de seda para fcomens, e efcapees de ol sed* if lates.
Camisas francesas e Inglesas para hornera, meninas e senhoras.
Ta##s# *aia sala, Hat a cama, e dito sup*ri*r em pea.
Alcaiifs de Usas. aaraUs pois se veade a 480 rs. o cavado. <
Bretanba de liubo superior em peciflhas de 6 jardas em pacas grandes de 30datas, i
Na mesma casa se renera sempre as raeMaetea e mais barats* .
Eateijras da Iadia para forar satas
4iRna do QnelntailH
O castelt) de foasville.
Tramido do francez por A. J. C. da Cru.
Vende-se este bello romance em qnatr
tomos pelo baratisimo preco de 30OOG
oa praca da Independencia, livraria n.
6e8.
Solferino de
diversos objectos de gosto e proprios do
tempo dos quaes se mencionado algnns,
por nao ser possivel mencionar todos. O
dono deste estabelecimnto espera a pro-
tecc3o de todos.
Riquissimas caixinhas ornadas e com
msica propria para um delicado mimo.
Caixinhas de msica tanto de veio como
de corda.
Ricos porta joias e. necessarios.
Riqnissimos estojos a feitio de um bausi-
nho ou chapeuzinho.
fMtos em casca de noz e de outros gpstos.
Leques de madeperola de sndalo e. de
faia e madeira.
-Chaposinhoe e touquinhas de muito
gosto para crianzas.
Meias e sapatinhos de seda para as mes-
mas.
Meias de seda para senhoras.
Capellas e grinaldas de flores proprias
para casamento.
Enfeites e capellas de mnito gosto pare
seora. .
Riquissimos porta boquets.
Boquet de flfes cm vm berwcbioha
comch#ro.
Uuvas vecdedem d* lovin, *
Ditas, do sada- e4 fiaioeift.
rritlrtDiai plums) guMaicOts para
eofeitar <&>&#.
Conta* e t^ios Uc ac braigtt. fu* ba
mui+o se desafarva |ra enfeites.
Brincos, frM e eruzes de erystal.
FiveUas acnjzee.* UrUrog,
rola e dourados."
AUlnetesp4tawg4ita5.
Boioes C90MB&S J>ara punhof.
Graw4^aa e mwtehM do mato peto,.
nie&mitommcomtm* senhora.
Iquiasosa <*hrm com aawtee ?**.
4e ejoaa com cabo
q^ijdiaales, tuiM HMlfi
RiquissinaosfMtas *|irtarga
mo gesto; ass coo de rre,
menma, pois eeete artigo ba am
sortimoftU} o* toda* as qd4e.
DiasiMaW para cabeca do titm-,
Rkpjuaaw fttac Mbdas t feas.
netsco joi
RUA NOVA I. 24,
acaba de receber nm lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais aparado gosto da Europa e ocu-
los de alcance para observarles epara o
martimos.
Tasso rmos
Veodem sen armazm roa di
Amorim n. 35,
Licor fino Corceo em botijas a meias botijas.
Licores finos sonidos era garuaras com re!has dt
;Jro e em lindos frascos.
VinhosCheres.
Santernes.
Cbamba/tin. /
Hermitage.
BorgoQbe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaos.
Cognac. .
Od Ton.
PAezei lagniol.
armazem de azendas
baratas de Santos Coelho
Rna da Uueimade n 10.
Vende-se o segninte :
Lencoes de bramante de om s panno pelo ba-
tato preco de 3*800. .
Ditos de panno de llano, A 2*200 e 25600.
Conectas de chiu. da loma a 2*400 e 2*800.
Lencos de cambraia brancos proprios para algi-
beira a 24600 e 2*200 a duzia.
l>iios de cambraia de oho fioo a 4*300 e 5*
dula.
AloaibadD- de algedas feraneo a 2* a. vara.
Bramaste de Hubo fino com 10 palmos de largo-
a 2*50O-a vara.
Panno de linbo fioo com & lj2 palmes de largu-
ra pelo barato preco de 2*400 a vara.
Bramante de linno fioo Je orna lajgura, pelo ba-
ratisaimo preco de 800 a vara.
Toalhas de linho acolobeadas para maos, a 13*
a dona.
Ditas felpodas a 13* t5* adsa.
Goardanapos de linho a 3*500 a dazia.
Flaoela.de a>s as cofes para oniros, a 880 rs.
o espado.
Tarlatana dmtores a 800 n. a vara-
Baldes de 3awcos 3*50t, de 40 a 4.
Cambraia a,linho flae a 4S30O, 6*500 e 9# a
vara. __
Cambraia pasa forro de vestido a 2*700 e 3* a
peca.
Meas
3*WQl
Peca de madapolaj fioa taifo a 7.
Laazioha lisavae ceresa.600 rs. o covado.
Pecas de caaArait branea^* salmeas com 8 a
meia va jas a 4*500.
Cedros-de caaemjea bojdacloa neis baotissimo
prego de 9*.
Esleir da Iadia propria para forro le ala .da
., B -? patmos, de aVgJaTl
Camaraias finas de esjres najadas a S69t rs. a vara
Naste armaa tambe ae encnnxra- nm grande
sortimento de ibp !5*3 iicr nsedida.
Traniaa pMtaaflaWi'iidrHho 4a corea,
Puiseiras tarto para aetbora eomo^r
meninas.
Liga 4*mm ttiedao.
Sn&ynwiM iVaafe a de alfodto
toaootr otiattoa faa ae aaofo*
naneiar por imtwtorfHr esadoAo
So^Oitto Vallante roa
de breta*a de rolo com tO varas, a
Farifiha.
-, Na armazem de Vicente Eercelra d Costa &
FHhaJonto aoarco da Qaekao, venden sope-
lior farinha d>' raandioaa ntiltamejQte ehegada,
te saceos de mas aiqaes** en eiqpo anobas de
pasotpelo baraaaaimo pi*o> f** a sajeco.
5Ta,;
mecas, de asso* e roopa dn sera-m \ tem para
tender Aotoniajioiz de Olitera Azeedo C, do
tan escrlptorio wa da CijqK t.
Vende-se em casa de San*deu Basthers & C,
po lateo do Corpo Santo a- 4L vanares patentes
com lados os perteoces pnspjias f ara fajer mover
tres ou qnatro machinas patwlagcarocaT algodao.
.
--
1 alEfiflrH

>

Si
m



mm
Diarlo de perwMbo uarta Iclra 10 de lunho de 1SG6.
! --


4
* t Rna da Imneratrlz armazea
da porta larga *t.
junto a pagarla fradeeza de
Paredes Porto.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel
publico om variado sertimento de fazendas fraoce-
tas, iigleas, suissas e alletnaes, que se venderlo
por prego commodo.
Pintes Ptrt
Vende chiles de reua'de ores que se Vende-
rn a 18 esta vendandopor *,Altos'pretos, fa-
xenda nota, 8*, 6*, 8* a O*, omtoftimento com-
Sleto de manteletes, capas e.somambarqoes 14* a
5*. Rna da Imperatriz n. H, jamo a padarla frin
ceza, armazem da porta tarja.
Paredes Parte
Recebeu um completo sortimento de iaasinbas a
240, e 280 rs. covados, para acabar, cambralas de
cor a 240 rs. o covado, riscado escossez para roa-
na de menino, fusto de linho a 420. 400 e 500 rs.
Roa da Imperatriz n. 52 junto a padaria franceza,
armazem da porta larga.
Paredes Perla
Receben para cortinados para cama franceza a
ti* a pega cambraia lisa fina a 3* 4* at 10* a
peca, cortes de tarlatana de bonitos gostos a 3*600
* 4*, cambraia com fler de seda, costos inteira-
mente novos a 400 e 500 rs. o corado, no armazem
da porta larga n. 52, rna da imperatriz jnnto a pa-
daria franceza.
Paredes Parta
Receben pelo ultimo paquete um sortimento de
crnzes com pedras para o pesceco, bonitos etrdeis
de lia para pescoco de senhora. Roa da Imperatriz
n. 52, armazem da porta'larga.
Prete Porrte
Vende cortes de gorgurlo preto para vestido com
21 eovados cada nm 35*000, grsdenaple preto a
C*600,1*800 e 2* o covado, laas lizas finas a 400
rs. o covado, lias de qnadrinbo para vestido, enfes-
lada, a 320 rs. o covado. Roa da Imperatriz o. 52,
armazem da porta larga.
Ronpa frita
Roa da Imperatriz n. 52 armazem da porta lar-
ga junto a padaria francesa, encontra-se oeste es-
tabelecimento om completo sortimento de paletos-
saceos e sobrecasacos, de todas as qaalidades, cai-
gas, colletes, ceroulas, camisas, grvalas, meias,
chapeos de sol, ditos franceses para canees, por
precos commodos, roopa para menino e ontras
muitas fazendas por presos commodos, armazem
da porta larga.
No mesmo estabelecimento encontrar o respei-
tavel publico, sempre om completo sortimento de
roupas fettas de todas as qualidades, como sejam
paletos de alpaca preta e de eer, ditos aobreeasa-
cos a 4* e 5*, ditos de brim pardo a 1*800, 3*6
3*500, ditos finos a 4*, ditos metas cazemira a
3*500, 4* e 5*. ditos cazemira saceos a 6*, 7*, 8*
* 10*, ditos sobrecasacos a 10 e 12*, ditos de pan-
no saceos a 6*, 8* e 10*, ditos sobrecasacos a 12*
e 25*, ditos de merino preto a *, 7* e 10*, cal-
jas de brim de diversas qaalidades a 1*800 a 4*.
ditos brancos a 2*500 e 6*00, ditos cazemira 5*,
6* e 7*, ditos pretos a *"*, 6*, 8* e 10*, ditos
metas cazemiras a 8* e 4*, oeletes de diversas
ualidades, seroulas francezasde alpodao, ditas de
llnho, ditas de bramante a 2* e 2*500, carnizas de
algodo de linho f ranee zas de 2*500 e 3*. Gran-
de pee bine!) a neste genero, grvalas de todas as
qaalidades e brancas para casamento, grande sor-
timento de meias para seshoras, ditas para nomens
a 3*. superiores a 3*500 e 4*.
Um completo sortimento de chapeos de sol de
alpaca a 3*, ditos de seda a 5*, 7*, 19* e 14*,
ditos francezes para caneca, grande sortimento
a 6*.
Vestidos
Pechloeha sena Igual.
Chegou a loja de Paredes Porto trm bonito sor-
timento de vestidos de tanalata de cores e brancas
roe serve para partidas por ser ama pbantasia lo-
teiramente de gosto pelo barato prego de 4* t
brancos a 4*500, esto acabando-se : no armazem
d porta larga roa da Imperatriz n. 52, jauto a pa-
daria franceza.
Cortinados.
Cbegoo a loja de Paredes Porto om completo
sortimento de cortinados ricamente bordados a
prego de 25*, 35* e K* : na Toa da Imperatriz
n. 52, porta larga jomo a padaria franceza.
Ricas romeiras.
Paredes Porto receben pelo ultimo paquete om
sortimento de romeira de guipare pretas e de fil
a preco commodo : na roa da Imperatriz n. 52,
porta larga junto a padaria franceza.
1400
Chapeos de sol.
Vendem-se chapeos de sol de panno a 1*400
urna grande pechincha s pafa acabar : na roa da
Imperatriz n. 52 armazem da porta larga de Pare-
des Porto.
phia).
VENDE-SE
No amazen de m. *. Ramos e silva & capo, ra do ligarlo
). 11, constantemente, osegufnf* artlgos, qne
recebena por eneommenda propria de
xew-tohk.
Legitima salsa parrilha de Bristol, preparada por Lanman & Kemp.
Verdadeira agvja Florida, preparada pelos mesmos.
Gai em latas de cinco galoes, o mais parificado que se pode desejar da acredi-
tada marca F. W. D. & c.
Relogios perfeitos regaladores, com coda de quatro a oito diaa, dos afamados fa-
bricantes E. N. Welch. ..
Graixa em latas grandes da bem conhecida marca las. S. Masen (de Philadel-
Soperior oleo para machinas de costura,
Agulbas para as mesmas.
Breu em bar icas grandes e pequeas.
Vende-se tambem:
BORDEilM
1.a qnalidade.
St. Estephe.
St. Julien.
G. Margaiu.
C. La6tte.
Medoc.
I
PORTO
Ia rjHsrtidaae.
Principe Real.
Pedro V.
Mari a Pia.
PHnceza D. Isabel.
Vctor Eifittamrl.
Duque.
Malvazia.
Vinho flo do Porto em bafris de 5/, 10/ e 20/.
Superior vinho doRheno.
Cera de Lisboa em velas e ern-gramo.
. -
wm%



t* UVA BO QUEMADO NeUfVa
adapolo.
Finas pecas de madapeiSo (om 20 varas a 9$.
LENCOS,
Lencos de camm-aia branca, duzia f.
dem de cores fixas para meninos, duzia 2#400.
Cambra'as.
Cambraias de c&res a preco de 260 a 300 rs. o Covado.
Gnardanapos.
Guardanapos de linho, duzia 3,5500.
Algodo.
AlgodSo trancado de duas largaras, proprio para toatbas de mesa, a|preco de
1,5300 a vara.
- Bramante.
Superior bramante de linho inglez e francez.
{Cambraia de linho propria para lencos.
ATOALHADO. '
Atoalhado branco para mesa a 10600 a vara,
Entremeiosde cambraia muito finos, preco ^&.
Lencos de seda para algibeira a !(?600,
GiUNBE ESTABElECIMEVTO
BO.,
BU da imperatriz, M. 60 ;
DE
GAMA & SILVA.
U> I AHHAZM DE FAZENDAS.
ledky os 1>ro|rletat"tos- derte gr*M esbWci-
mento ferto ota-grande batimento em rositas de
suas fazendas. pela occaslSo do balnco que deram
no uWrob'de deztobro 8e 1865, nfcofveram verter
muito mais barato do qne costomam aflm de ais)
vez mais agradarem aos seos numerosos fregu-
zes ; por tamo Ihes otferert-m nm avalado sorti-
mento de fazendas francezas, ingieras, as qnaes
Chapeos para Beaiass a G,0(!0.
S na toja do Pav5o.
Se vendem os mais bonitos e mais bem enfeita-
dds ch'splosiDtios da plha i a Italia, propios para
meninas, pelo barausslmo pre?o de 6*000; na loja
e armazem do Pavao na rna da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
Attenco.
ULTIMA IVaVIDAOE
PUENTES, ENFE1TES, CTOS.
Gama & Silva, acabam de receDer pelo ultimo
por francez, um grande sortimento dos mata ri-
cos enfeites pretos e de cores proprios para cabeca,
sendo guarnecidos com as mais lindas flores, e com
rollas das alais bonitas perotes; as'im comosntals
modernos e engranados pentes da verdadeira tar-
venderao mais barato" do qu em boira quadoer '. "oga, marcbelados sendo a ultima novidade
parte, comptomMtenflo-se a mandar letarqttMsjnw !ne tm *de ^r^ e -n'5 neos cintos eom
fazenda em casa dos fregiuzes que nao poderem Blas malbisadas e flvelas largas, conforme ultima-
vir a loja, on a darem as amostras, deixando Bear enie 8 usa m9 PlmerTas espilaes da Europa, e
o penhor, assim como cotvidam as pessowj, que wne-M por. preco em conla por ter chegado era
neaociam em menor escala que neste grande e*tt- direitnra para a loja do Pavao, ra da Imperatriz
bleeimento eneontraro um grande sortimento D- 60"de l ,ma Slva-
imito a retalho como per atacado, reodendo-se-lne
apenas pelos precos une compran as casas ingle-
zas, sendo com o dinheiro a' vita.
nieoa resddoK a 8^000 rs.
pechincha admirvel.
S e Pavao" receben pelo ultimo raper francez
um grande sortimento dos mais ricos cortes de
vestidos transparentes com lintfas bartas e enfeites
de seda, sendo estes vestidos muito pmpries para
baile e passeios, e vendem-se pelo baratsimo
preco de'"8*000 rs.'caa m, na loja do PavSCna
rna da imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Osclafes do- paveo a 2ooo e 2ooo rs.
Vendem-se chales de merino estampados a 2*
e 9*800 cada ora. *
Ditos de meYao. liso a 3*300.
Ditos estampados de crepon a 6*, 7*, e 8*000.
Ditos otetos brdafles cem frafj de eda a 14*.
Na loja e armazem do Pavao na ra da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
pata fio tnde o Pavio.
Setim da China com 6 palmos de largora, da preta para loto, propna- para vestidos e roupas
para homens.'sehd esta nova fazenda sfem lustro
de muito boa qnalidade, garaetindo-se nao icar
-russa com o tempo e vende-se pelo barato preco de
3* e SSOfro+evadojaslm como neste estabeleei-
mento tem um grande sortimento de todas as fa-
zendas pretas como
As ratanilas do pavao a 8 e 1 Q.s,
Vendem-se as mais ricas rotandas de renda pre-
ta, sendo muito grandes, que sio as que mais se
nsam, pelo barattsstmo prf?o de 8* e *0* : na
loja e armazem do Pavao, ra da Imqeratriz n. 60,
de Gama & Silva.
Chitas pretas a 160 rs:
VenWern-se chHas pretas Inglezas, sendo fazenda
muilo boa, pelo baratssirao prego de 160 rs. o co-
vado, ou 5*500 a peca com 38 covados : s na
loja de'Ravao, ra da Imperatriz o. 60, de Gama &
1
ATLANTA
Novidades /*
Cambras a Alaria Pa.
Chegaram as mais bonitas cambraias com (Ittts
de cores e com os mais delieados desenhes que so
vendem a 800 rs. a vira, Bmssimos organdys do
mesmo gosto qne se vendem a 1*200 a vara, cas-
sas de cores com dlBerrntes e modernos deenos
qoe se vendem a 140; 280 e 320 rs. o covado, lu-
do isto muito barato era alinelo a qoalidade :
na loja e armazem'do Pavao na ra da imperatriz
n- O, de Gama St Silva.
Grande peeblneha em toaaa
para mSo.
Vendem-se superiores toalhas de linho nroprias
para mao pelo baratissimo prego de 560 w.. anas
a 640 rs ditos a imitaco das felpudas a 800 rs.,
ditas fe 'podas a 1* : pechincha na loja e arma-
zem do Pavao na ra da Imperatriz n 60. de Gi-
ma & Silva.
Atoalhado na loja do Pavao.
Vende se superior atoalhado adamascada sendo
alvo com 8 palmos de largura pelo barato prego aa
2* a vara, dito de linbotrigueiro com a mesma
largura a 2*500, guardanapos da mesma faztuda
a 3* a duzia : na loja e armazem do Pavao ua ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Baldes buratos
Vende o Pavao.
Chegou nm grande sortimento de baldes dd ir<
eos sendo americanos que sao os melhures e ven-
dem-se pelo baratissrmo prego de 2*600, 3* e
3*500 : na loja do Pavao na ra da Imperatn: o.
60, de Gama & Silva.
Aretanhas de rolo a 2^800.
Vendem-se pegas de bjetaaha de rolo tendo 10
varas cada pega pelo baratsimo prego de 2*S.0:
na loja e armazem do Pavao na rna da Imperatriz
n. 60, deGama&Stlva.
rtnde notIdadc a OO rs.
Arlan ti a 200 rs.
Allanta a 200 rs.
Altonla a 200 rs.
Chegou para a loja do Pavao o mais lindo sor-
timento desia nova'fazenda, com o tralo de atlanta
propria para "vestido1 e rompas para meninos, sen-
do esta modernissima fazenda de lia com os mais
lindos gostos de qUdrlntros e listras tendo entre
ellas- de cor roa e preta, com listras e nnadros
brancos proprias para luto, e vendem-se pelo ba-,
ratisslmo prego de 200 rs. o covado nicamente na-
toja^do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de Gama A
Silva.



sejam cassas e chitas pretas,
lias tapadas e;tran*part*ntes, printtfzas, alpnas,
sarjas, etc.: na lojawmaiem^lo Pavao na rna! 4s Caitas da PavO a 200 0 C0\a6\
4a Imperatriz n. 60^ de Gama A Silva. Vende.se 0 mais ^to .sorlimento de ebius es-
us C0TT1 nados rj Pavao. curas eroxas sendo' Innlezas, mas com os pannos
i Vendem-se soperibres cortinados adamascados o-encorpados como osarlas lilliwmi qne se'ven^
Tpara camas pelo baratissimo prego de i* cada par,, 1 ditos mdito flnos ricamente bordados para camas 200 ris o covado ou a 7*200 a pega, garantlndo-
ou janellas a IB*, 20 e 23* o par : na.loja e ar-1 b% terem 38- conades da.pega e sarn de creai
mazem do Pavao na rua-da Imperatriz n. 60, de | fixas isto na loja e armazem do Pavao na ra da
Gama & Silva. rmperatrijr n. 60de Gama & Suva.
Os esparfllbos do Pavao.
Vendem-se urna fraude e variado soillmeMoide
espartilhos dos mais bem feitos que tem 'vindo ao
mercado, sendo de lelos os tamanho?, vendendo-se
por um prego muito ratoavel : isto na-loja do Pa-

MACIIINAS AMERICANAS
Verdadeira do fabricante \. Y. Cantongln & C.
Hobbos americanos para moer miHio. *

Na ra Nova n. 20 82, .grande deposito
das verdadeiras machinas americanas de todos
os f bricantes: se encontra neste deposito
grande por?ao demaeiiinas, e se vendem por
Novidade

Para vestidos.
Chegaram'as desejadas cambraias ontariatana-
brancas com Ibtrinhas [sendo transparentes e ven'
vao na ra da Imperatriz-n. 60, ne Gama S sala* bordadas do paYao. !na lo}a-e armazem do Pavao na ra da Imperatriz*
Vendem;Be salas bordadas s>ndo; fazenda- malto'' n. 60 de Gama & Silva.
boa, sendo ricamente bordadas e eom moita roda
vendendo-se pelos baratos precos de 6* 8# e 10*
res cada-urna na* toja1 do Pavao mtw da Imper-
tri?. n. 60 de Gama & Silva.
Rou pa felfa.
Na'loja do PavSo
Vende-se neste estabeleciroenlo um grande ser-
tlmeotoderoopas, unto de paano-cooMManemiras,
i e brins e pelos baraiissimos precos como sejam
raROs preco do que m outra quaqoer parte, oai^ de ca;emira preta' a 6*'7* e' sjoooref* pa-
por se receber em direitora da America; se, letots de panno preto saceos a 6* 8* e 12*000 rs.
fomece todas as explicafes necessarias ao' ditossobrecasaros de padao flnisstmoa* 18*e
comprador para conservacSo das mesmas;
neste grande estabelecimento se encentra mui-
tos artigos americanos, qne mnito deve agra-
dar aos agrienrforesMM detaes artifos,
encontra-se tambem (tatas- as olleecoes dede-
senhos sobre os quaes se aceita qnalqner tana
eneommenda, qne con promptidao ser esecr>
tada; 1 este grande estabelecimento, encon-
tra-se em grossoe a retamo, rwde porco
de ferragens, emiudezas que se vendem por preco commodo, pedindo-se a altencae
de todos para este estabelecimento que muito lucrarao em faaer soas compras: .na
ra Nova a. 20 Carnei:o 'Vianna.
19
cortes o laa escocesa para vestido [a 3* o cor-
te : na ra o imperatriz jj. Si, toja da porta lar-
ga, junto a padaria franoe, esto se acabando.
f ara luto.
Las pretas com salpicos crneos a 400 e 500
rs. o covado : na rna da Imperatriz n. 52 junto
,?. jaria franceza armazem da porta larga.
A l#a00,
Vendem-se pepas de tranca preta para enfeite;
de vestido?, sootembarques, capas de seo hora a
*ti00 com 10 varas, urna grande pechincha : na
ra da Imperatriz n. 52 justo a padaria franceza
48000
Chales ae renda pretos.
Vende ce cuales de renda preto a 4*000, unicc
loja qoe pode vender na ruada Imperatriz n. 52,
armazem da porto larga, de Paredes Porto._____
ca>SixiB
Vendem-se modernas laazinhas com lindfssimos
postos, peto bWAtissimo pre^o de 200 rs.; gran-
de pechincfca : s na toja do Pavao, raa da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Seas Largas
Na toja do Pav3o,
Chegon para a loja do Pavao um odertissimo
sortimento das mais lindas sedas para vestidos,
sendo urnas de listrinltas e outrae Horznnas
Reg A Moura proprietario 4a loja de fazendas e roupa feita, sita ra Nova
n. 24, fazemeomrteaopablko e particularmente aos 6eus -amigos e freguezes, que
acabam de receber de W eneommenda, um perfeito sortimento de fazendas finas, entre
ella casemiras de cores prqprias paracosiumes; panno no dos melhores fabricantee
proprios iguakne&te para casacas e sobreca&acas e outras fazendas de variados gostos,
as quaes vendem com vantagem sobre entro do mesmo genero de negocio, tanto pela
modicidade dos precos como pela qnaMade especial dos arges <}oe exaei escolba de
todos aquellesqufisediMremfrequeDtaT sen estabefecimertfo.
Os mesaos, continuando como sempre, escodados a- robustecidos WM as mais nulas cores, e algomas propnas para
confiancaqae rbestem sWo di?pisada pelo respeitavel publico, no e*paco de tempo em as sent0ra5 qns estiverem de loto e vendem-se
que se acham estabetecidos, procuram enwdar todos os esonfss a sen alcanoe para cor-
responderem sufficientemente a expectah'a deste e de se us numerosos freguezes e ami-
bos, por isso, admittirara para.sua officina de alfaiate, quatro contra-mestres, ftroceio-
naBdo reguJarmetHe sob a uaaedkta (lireciJdo muito hbil aiestre Launano Jos de
Barros, o qnal, activo e diligente como se ser. nao se poupa aos ais aturados cuidados
desua arte quando tem desalate" combrenidade e presteza qwalquer obra de eneom-
menda,
Ao contrario dos e uilos de anuuncios em estyto sedico, ao precisamos aqu a natureza dos artigo* que possui-
mos para n5o collocar a sinceridade dos nosso* tratos no perigo itaminente que resulta
des6as.afltecipacoes.fiem fuud;metto.

c?. S c
0 12 tt56 l ts?2
3*3__E? i-*"*
ce
m OfS"
a a, a,
B
s'-s-Sgi-^g-?,
en
%
3*"^ 55.
11:
"tftSi!
OT .5?
i^rs


11'
0*1 w.
i-
2 .M B
o
DE
FAZENDA E ROUPA FEITA
RITA MOVA ]. 4.
35*000 reis, e oalros muitos artigos qoe seria eo-
fadonhos aqu relata-los; s na loja e armazem do
Pavorna a imperatriz d. OOiJe-Ganraa SHva.
Loja do pavao
.ira 11 des pecbinehas.
Sedinbas a 360 rs. e cevade
Sedinhas a 300 rs.
Sedrntas a 500 rs.
Venfle-se na toja do Pavao, um grande sertlmen-
to de sed folias listradas com as mais bonitas cores,
sendo os padros mais novos que tem vindo aojper-
cado, e ode-se pelo perfttieslnMcnreen devioco
tosiGes o covado, sendo fasenda que vaiem muito
mais dinheiro, e grande pechincha por se ter
compradouma grande'ponida dedta fasenda, na'
loja e armazem de fasenda do Pavao, rna da Ira-
oeratriz n. 60 de
Os diales de gnipure a lS#-o
16#000,
Vendem.se os mais ricos cuales de Guipure e de
renda de linho e seda, pelos baratsimos precos de
13* e 46* ; grande pechincha em reiaglio a boa
qualidade e tamanho delles : s na loja do Pave,
roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Laazinhas a 2W0 rs ,s o
Pando.
Di
Roupa fea e per medida.
20 Rna Xova n. 26.
Jos Antones GurmarSes, propriet?rio deste novo eetabelecimento de rosnas e
fazendas finas, participa ao respeiiavel publico em geral e a todos os seas freguezes,
que estando sua casa sobre a dirego dedous dos melbores mestreg de auaiate, sendo um
delles o Sr. F. 1 C. Hfrada> e o entro o Sr. M. J. G. Carneira, ambo com grandes
babilitacoes tendentes a sua arte, pelos quaes dirigida a sna efiema, e achando-se bem
montada a desempenbar qualquer eneommenda por grande que eja, se esforcar para
Sabir a contento dos freguezes, vendeado lado por menos do qe em outra qualquer
parte, roga aspeasas MweMMMjaMeaBMMBMr sea estabeioctoento, e verificar
por si mesmo q ojie declarai sendo entregue qualquer encommeada no praao de 24
eras. ... /'^-''..-' -*.._________
rSSBBSSBSBSBOBBKmaBBSBmamBSBSSBS ^^
Bren em barricas pequea
Cera em velas de todos o tamao**.
Bodas.
Mercurio. .
Na rna do vifatio n. W, prraerre aWsr.
~B Grande
oes
sorlimento.
Chegou na da Imperatriz n. S2,' junto a pa-
dar'ra Irancezi, nm grande sorlimentolque se ven-
de a 2*500 rs. paraacaabar.
AS
PLUS DE
COPA H u
DEPURATIF
SANG
DO DR. CIABLE
MEDICO E PROFESOR DE PHARMACIA, DE PARS,
>M* o nuiAiENTO t nutro ci-rativo
EHFfllSIBABIS SfetlAM, M HNI A AFMCOES COTMWM, VIRUS
Citrat* de ** C%^>le
Xaropemot BMfevivel ao
Ctpmt. as Caite-
*#, cura imiaadiauuDea-
te quatqaier purgacio ,
Mlaxacio e debilidade, e giulmeaie flua* e
flores brancas das ulberes. injee^ao de
ciMbie. Esta Bjeccio benigna eatprega-se mes-
no tempo do xarope de ciuato de ferro, una vez
de manaa, e urna vez da urde duraste tras das;
ella segura a e*ira.
lUMWinatiM. >sfaia ^oe as caaa em 8 dias. .
,-T I 1 I .i 'I I l.i
ALTBKA-fOSS BO SASOI.
DcaaratlT* d igne.
Xarope vegeul eoi tnef-
curio, 0 nico conheeido
e approvado para curar
con promptidao e radi-
calmtnte imuigens, pstulas, herpes, sarna, co-
mlxfts, scrhnoBia e altricfe viciosas de sin-
gae; virus, e qualquer afelo veneres. B-
bm ariarraaa Tomio-ie doui por semaai, se-
jrahido o tratament eparaUvq.n*
tthftcSiaa. De um tffeito maravilboso as af-
fecoes caumeas e comixes.
pelo barato preco de 3*000 o covado, tendo esta
fazenda quatro palmos de largnra, que facilita fa-
zer-se nm vestido com pencos covades, isto na-
loja e armazem do Pavao a rna da Imperatriz n
60 de Gama & Silva.
Leos MMM tjfOOO reis a
dacia.
Vendem se lencos brancos fajeada mnito boa
pelo baratissimo preco "de 3* a dtizla, Ditos com
barra de edr a '1*000 ieto para arahar na loja d-
Pavao na ra da Imperatriz o. 60 de Gama & Sio
va.
Grsdenaple* pretos do Pavo.
Vendem-se superiores grosdenaples pretos pelos
baraiissimos precos de 1*300, 1*600, 1*800 e 2*
o covado, sendo fazenda muilo" bea, s para aca-
bar : na loja e armaos-do -Pavao, rna da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Bramante de Imhe de Pavo.
Vende-se superior bramante de linbo com 10
palmos de largara, proprios para lences, pelos
baratsimos precos de 2* e 2*600 a vara, assim
como panno de linbo muito fino pelos baraiissimos
precos de 640,700 e 800 r?i a vara : na- loj e>
mazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Cambraias lisas do Pavie.
Vendem-se pegas-ae cambraia lisa muito supe-
rior, pelo barato preco de 3*200 e 3*500 a peca,
ditas mnito ftafii; a 5*, 6*. 7* e 8* : na loja e
armaem do Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de
Gama 4 SHva.
PENTEADOMS
on ronpSes de cambraia bordados proferto"*
para as senhoras vesrem de manbS.
Chegou su novidade para a loja do Pavfo,
muito lindos e to melbor gosto at boje, por pre-
cos muito razoaveis: na loja do Pavo, rna d
Ioperairiz n. 0, de Gama di Silva.
Grsdenaple preto a 10600.
E' grande pecbincha
Vende-se groidenipte preto, sendo mnito eneer-
pado e de boa largara, pelo baratissimo preco de
1*$00 o covado : na roa da Imperatriz n. 60.
Os cachinez do Pavo.
Ventfem-se bonitos cachinez de 15a ou spaztlhOs
para cabectt pelo baratlssrme preco fe 3*000, s
ua loja do Pava*, o roa d Imperatriz i. 66.
Castor a 3C0 rs. 9 cevade.
Rara caicas.
Vandem-se superiores castores mnilo encorpados
padr5es escuros pelo barato preco de 320 rs. o co-
vado, servrotfo esta Tzetraa tambem para esefW
por ser de muthi dnra?o; tloja e armaaemd
Pavao ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
ladapalecs a 3,500 rs. a fessa.
S n loja do PavSo.
Vndese penas da madapoln fino com 12 jar-
das, pelo barato pre$o de 3*800 e 4*000.
Chitas a 180 rs., s a Pavo,
Vende se o mais bonito scrlimento de chitas in-
gleas, padr9es'mitdrho?, ciaros e escuros, e ten-'
do tambem rezas para loto, afianzndose serezot
cores fizas, e vendem-se pelo baratissimo preco de
nove viotens o covado, ou a peca cm 38 covados
por 6*800 : isto na loja e armazem do Pavo, aa
rna da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Vestidos forneos.
Cbegram para a leja do Pavo os mais bonitos
cortes de vestidos de cambraia branca com boni-
tas barras todas brancas, assim como c,om arr..>
'de cores, sendo fazenda transparente e muito fina.
tendo cada um corte bastante fazenda e muita ro-
da, e vendem-se pelo baratissimo prego de 8* e
104 : naloja'doPavo'na rna da Imperatriz u.
60, de Gama & Silva.
Cortes de t&r!atana na luja do pavo,
Vendem seos mais modernos cortes de trlatana
comas mais lindas narras- preco de o* cada um, sendo neste artigo o melbor
rqae'tem vhWo ao mercado: isto na loja e arma-
zem do Pavo-na roa da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
(lumbral? s braacas,
eom 8 pahuas de largnrac
o na loja do pavo.
Vende-se cambraias branca:' transparentes tendo
8 palmos de largura, ou duas larguras das regula-
res, qoe facelita fazer-fe um vestido apenas com 4
varas, e venaein-se pelos baratiannMtH^aa..
1*000 reis, e 1*280 a vara, nicamente na loja e
armazem do Pavao, ru da Imperatriz-n. CO de Ga-
ma & Silva.
Chitas broii'-as a 280 rs,
Mende-se chitas francezas acentos brancos pa-
droes miudinbos, pelo baratissimo prego de 280 rs.
o covado, na loja e armazem do Pavo, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva. -
Chapees de sol.
Vende-se um grande iortimento de chapeos de
sol, sendo de seda e de varios precGS e qualidades;
ditos de alpaca e de panno, e vendem-se por preees
muito commodos, na loja do Pavo na ra.da Im-
peratriz n. 60, de Gama & silva.
Cortes de* chitas.
Veodew-se cortes de* ebius inglezfts, sendo pa-
drSes escoros tendo 10 covados pelo barato prego
de 2*000 rs.; ditos com He 12 covados a 2*200
e 8*400-rs; d+tos de ehHa franceza escura e ale-
gre, tendo 10 covados 3*200 : ditos com 11 e 12
covados a 3*520 e 3*840 rs: pechincha, na loja
e armazem do Pavao, rna da Imperatriz n. CO e
Gama & Silva.
Grande pechincha
em chales a k$ na loja do PavSo.
V*nde-se Snfsstaos chales de merino lisos com
franjas largas de retroz tendo as cres segnintes
encarnado, azul claro, azul escuro, verde, cor de
cawrv wlretino, majenta, branco e roxb etc., esta
fazenda vende-se sempae a 6* pala sua bea qaaii
dade e agora liquida-se pelo baratissimo preco de
4* por ter grande porcao: na loja e armazem Ao
Pavo na ra da Imperatriz c. 60, de Gama &
Silva.
A 4jJ pecaincha em chales deTnda na loja
do Pavlo.
Vende-se chales de ren'ia pretos tendo 4 ponas
e sendo mnito grandes pelo baratissimo prego de
i*, ditos de renda de seda a 8* e 10jf: na loja do
Pavo na rna da Imperatriz n. 60, de Gama 4
Silva.
Ctales
pecbiocba a G por ter nm toque de mofo
Vendem-se fidissimos chales de renda de seda
pretos com um peqaeno toque de mof pelo bara-
tissimo prego de 6* sendo fazende que sempre se
vendeu por 18* e 20* e acabam-se por este prego :
n loja e armazem do PavSo na ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Chales de renda.
Vendem-se finissimos chales de renda de seda
presos seon de tres ptltas, pWrm muilo grandes
pelo baratissimo prego de 6*, sendo fazenda que
sempre se venden a 12* e 15* : isto na loja e ar-
masen) do Pavao na nm da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Alpacas pata vesttdos
natos* *)Pato.
Reoeberam-se as mais modernas alpacas de co-
res para vestidos com os mais lindos desenbos
serrdo fazenda chgafta pelo olttmo vapor e ven-
dem-se pelo baratissimo prf go de 640 re. o covado,
tendo estas fazendas largnra de chitas francezas :
isto na loja e armarem do Pavlo na roa da Itn-
peratrlz n. 60, de Gama & Silva.
Para mao
Lencos bordados
fnde o PaV5o.
Este estauetecimento aerta d reeeber um va-
riado tortimento dos mais bonitos lencos de cam-
braia primorosamente bordados e proprios para
mao qoe vende pelo barotissimo prego de 1* e
1*600 cica m : na loja e armazem do Pavao -
roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Suva.
ltimo gosto em laazinhas
Grnete arttmzem de tin-#
tas medicamentos etc. ,1
Ra do Imperador d. 22. Sj
loo Pedro das Xevcs (se-2
rente) iem a venda o
seeHn Prodnctos chimicos e pharma-'j||
ceuticos os mais empregados em M
medicina. m
Tintas para todo o genero de pin- S
tura e para tinturara.
Prodnctos industriaos e tintas fl
para flores, conao botes de flores '^|
-e modelos em gesso para imitar fructas e passaros com o compe- |2
tente desenho. E
Productos chimicos e industriaes g
para pnotogrV)hia, t'miuraria, pin- Hj
tora, pyrotecnia etc. tif
Montado em grande escala e sup- -^
prido directamente de Paris, Lon- g
dres, lamburgo, Anvers e Lisboa
pode offerecer poductos de plena
conflanca e satsfazer qualquer en-
eommenda a grsso trato e a reta-
lho e por preco commodo.
m
Para Santo Antonio e S. Joao, algoidares de 'Ge-
nova de todos os tamaitos, muito baratos por ter
grande porgao, jarras finas, entrefinas e gressas,
de todos os tamanhos, assadores para ir ao ferm.,
vasos francezes em temos de seis, e toda a mats
louga de Genova e da trra : na ra do Katfgel
numero 4.____________
Xarua do Jasmim o. 24, officioa de ferr n ,
ha para Vender urna victoria, uro cabriole! amen-
cano de 2 e de 4 assentos, nm cabriolet de 2 i
lodos novse por commodos prfgos. Na m;sma
offleina se aprompta rom toda a peilelgao qua.QDcr
eneommenda, tanto de cara pina como de erreiFi-
qur sejam obras novas, qor concertos de ,toda
especie.
No armazem da rna do Imperador n. 3 o a tu
Caes de Pedro II n. 2, tem para .vender se o me-
hor nat existente no mercado.
111 U|UU
Roa do Qiioiniado n. 49
Est disposto a continuar a vender por prego
qoe a todos adMra queiram apreciar e vir ver para
crer.
Grozas de peonas de ac muito boas a 320 rs.
Libras de nozes muito boas a 40 r1
Pentes de alisar com costas de metal a 600 rs.
Capachos redondos e coropridos a 500 rs.
Polceiras de cenias para senhoras a 500 rs.
Calzas" de papel amizade a 600 rs. '
Qoadernos de papel muito bom a 20 rs.
Pentes de tartaruga a 2*500 rs.
Realejos para meninos a 100 rs.
Escovas para limpar denles a 2C0 r
Baralh s mnito finos a 200 rs.
Caixas de p de arroz muito superior a 800 rs.
Caicas de lamparinas para tres mezes a 40 rs.
Caizas de obreias de massa a 40 rs.
Grczas de botoes de louga a 160 rs.
EnfiadrM de cordo e fila a 60 rs.
Pegas de flta-de eos cem 10 varas a 320 rs.
Cartas de alfioetes francezes a 100 rs.
Libras de allinetes francezes Ia qualidade a 2*.
Novelles de linha com 400 jardas a 60 rs.
Ditos ditos com 200 jardas a 30 rs.
Caizas com atCnetes a 20 rs.
Pares de luvas brancas e de cores a 400 rs.
Grvalas de todas as qualidades a 500 rs.
Resmas de papel alnaago superior a 2*400.
Caizas redondas com estampas a 100 rs.
Livros para assento de roupa lavada a 100 rs.
Buoecos do choro muilo bonitos a 160 rs.
Frascos de superior agua de colonia a 400 rs.
Vnde-se uma taberna bem afreguezafla para
a trra* em bem local, fregueza de Santo Antonio:
na travassa das Cruzes n. 6 se dir quero, vende.
ai-Eua Direta^31
Vende-se
charutos da Havana a 4* cada caisa de 100, tam-
bemisevendfearetalho.______________________
Balanza,
Na ra da Cruz do Recife n. 33, vende-se nma
blanca romana de 2,300 libras para peso de cop>
ros, pipas, barricas, ferro, caixas etc., etc., assim
Como 60 duzias de escovas para calcado e armago
do armazem qne servio de assucar e uma cama
de Jacaranda de bom gosto para casados.
Pechincha
Vende-se sebo do Porto, coado e refinado, em
barricas : na rna da Senzala-nova n> 4,. refinagao.
Vinho ck caj
do afamado Carreira, do Cear : vende-se
mente no armazem d Liga, rna Nova.
nica".
Vinho Colares
Vend-se o verdadeiro vinho Colares em barril
de oitavo, e avarejo a 500 rs. a garrafa : no aroa-
ztm da L'ga, na ra Novan. 60.
Vende-se um lindo moleque de idade 13 an-
uos, ama escraVa por 400*, doas ditas para todo o
servieo : na travessa do Carmo n. 1.
na
Escravos fgidos
3G0# de gratificado.
Em H de outubro do anBO passado, fogtc a es-
Aba-se Bm gran* sortimeite dal manmXler-! crayaClaudioa, cabra alia e seca de.corno q;
ms : a MariTp^; Garibaldlta, mathisadas( lisas "
t de quadrinh09 que se vendem por. baraiissimos
pf ecos e ao^M as mosv: na loja e armae"W
flo Pavoana rna d Imperatriz p. 60, de Gama &
Silv?.
pertenceu oHfcnarnftrte aos Illms.Srs. JoseTJoaqaita
da Silva, Hanoel Mauricio de Sena e D. Mariana
Ignacia de Castro e Silva que a venden a Jos M-
meos Ferreira qne pagar 200*000 a quem Iba
entregar dita escrava na rna da Cadela o. 61

/




Di arlo le rema hoco Qnarta lelra e Inoho e 4866.
I
LinERATOU.
na confeccao do canon ? Sobre est* ponto de seus odios, e rivalidades, e a quem uma
temos que evitar dous escolhos egalmenlc trldiccSo immemorial de urna e outra. par-
perigosos: 1 o de sappor, com alguns te sem mais nada, tem feito seguir, o mes-
Padres da Egreja e certos auctores moder-' mo-pensamento.
As Biblias falsificadas.
Si quis autem libros ipsos ntegros cutn nos> que, havendo perecido as cbammas! E pois, os que setn raiSo tem querido
mnibus suis partibns, prout in Ecclesia *> incendio de Jerusalem e do templo todos dizer que estes litros, tendo-se perdido,
CUhoica consuevemnt, el in veten Vid- os livros sagrados dos Judeus, Estiras os ou nunca tendo existido, foram restaura-
ijata Latina iitione habentur, pro sa- dicloa de memoria : 2o o de considerar, j dos, ou compostos de novo ou alterados
cris et canonicis non susceperit, el tra- o010 alguns crticos, o trabalho de Esdras! por Esdras, alm de serem desmentidos
ditiones prwdictas sciens el prudens, c01110 simples resumo dos escriptos origi-J pelo proprio Esdras, como sepodevernaL Nao resta
contempserit, analheina $U (Conc. Tr- naes dent., sesso 4.a)
E se hoaver alguma ludisposico, corre o resto por Nao temos oficialmente conbecimento da decislo
. .,. nihi u' 91 nn* man ** bogado da corSa mas const qne na soa
sa cont.,.. Esta dito. Olbe la ? I.. por mea opjQilo 0 t(lQ|0 qae resnlta dQ d)reJU) d|| gente8) e
gosto nao irla adiaote. E'maito contra a minha que a Austria e a Prussia adquiriram pelo tntedo
rontde. Sic.jubct qui potest........ Nao se es- de Vienna, prevaleceu sobre todas as pretendes
pantera nao se espantera.... litio serve para BnrflSo,du^,e,da,e^t^^L^TJTl^ de
, ,,.. .-. .. duque de Aueusternburgo, e qoe, no sea modo ae
dir forci. A liogni (Idlomi para nio havar 3- veJ a sobera*u sobre *0 'sefieswig-Holtetn rever-
pro-quo) de Horacio tem a utilidad* de pre-star-se tea para as doas potencias.
a' prova de tudo quanto ha no mando, at mesmo O governo imperial que jamis se affastava for-
das asneiras. Mas deixemos os latiaoros : sirva
realmente do tratado de Londres, e que apenas usou
do seu dlreito de vencedor qaando reclamon de
isto de prologo e vamos dar o que razr por noje accor(j0 com a p^sia, a cesso dos ducados por
parte" da Dinamarca a faver do duque de Augus-
ao bem conbecldo Cafageste.
duvila, que o contieceis bem, nao
marco, linbam sido retorcidos. E, em 11 de abril,
o conde de Bismirk respendeu c que o governo
prussiaao ttaba recebido com jubilo a propost*do
invern luitriico, qoe logo qo Ibe fosse trans-
mitida a communieagio aothentlca do decreto Im-
perial, qne mandava suspender e maullar os mo-
v tr.entos dis (ropas austracas, o rei mandarla sem
demora redozir os corpos do exererto prossiano,
ouja torga effectiva uoh sido aogmentada desde
27 de margo, e que a Prussia seguira, passo pon
passo, no sea desarmamento, o desarmamento da
Austria.
t Era licito acreditar, n'aquelle momento, que
as cautas da guerra ja' nio existiam; que as duas
CContinuaco.)
CANON DOS JDEOS.
I 3o
tou.diminuee cortou tudo que julgou ne-
cessario.
Alguns Padres e interpretes, como flea
dito, abracaram a primeira opinio; outros,
porm, a regeitaram e combateram com
Consultando-se alternamente os monu- os ma.s p aus.ve.s argumentos. Os pri-
memos da antiguidade, chega-se a esta con-metros estribaran* no quarto l.vro de
eludo : que cenceamente do canon dos Esdras obra nao soraente supposta se
iuieus remonta urna poca peuco afasia- nao tamben recheiada de visees e prophe-
da davolta do capiveiro deBabylonia. As- cas, que nao se reputara filbas da inspra-
sim pensa toda a Egreja catholica; assim o So divina.
teem sustentado diferentes communhes De feito, este l.vro refero que ardidos
cLristas, e aqui temos as provas em que .no incendio os livros da lei, Esdras ctiamou
se estribara: primeira, que Jess filho de a si cinco secretarios, e lhes dictou por
S-ach, auctor do Eclesistico, depois deiordem de Deus- durante quarenta dias, du-
ter feito mensSo doshomens Ilustres e dos t(>s e quotro livros.
escriptores dos Judeus, nomeando Isaia,
Jeremas, e Exequiel, accrescenla os doze
Prophetas, sem lhes dar outra denominacao.
Ora, estas palavras demonstrara ao mesmo
tempo, nSo s que os escriptos dos doze
Prophetas menores estavam j reeolhldos
emudj s corpo de obra, se nao tambem
qae canon dos Judeus estava j encerrado,
visto camo os doze Prophetas menores vem
efectivamente logo depois de IsaK Jeremas
e Exequiel. Si por outro lado se conside-
ra, que entre o filho de Siracli e Nehemias
raedeou, cerca de cem annos, naturalmente
se pergunlar. como o livro deste escriptor
pode ser introduzido no canon ? Para nos
esta difficuldade se resolve fcilmente ; nao
icontece o mesmo aos crticos, que susten-
tam, que ao tempo de Esdras e Nehemias o
Ora, evidente-
mente falso, dizem os de opinio contraria,
que fossem devorados pelas cbammas todos
os ejemplares da lei de Deus ; pois que len-
do-se reflectidamente a narraco do auctor
do citado livro, se reconbece que os duien-
tos e quatro livros de que se tracta nada tem
de commum com os nossos livros snelos.
Era urna palavra, para admittir que Esdras
tenha realmente composto livros sagrados,
seria preciso suppor que todos os livros da
lei se tivessem submergido as cinzas do
incendio de Jerusalera. Esta supposico,
porm, nao resiste severidade do exame ;
porque incontrastavel qrjfe muitas passagens
de Daniel e de Ezequiel alludem evidente-
mente aos livros de Moyss, o que prova. a
todas as luzes, que estes livros existiam
durante o captiveiro. Nao s isto ; exis-
nm dos Judeus nao estava ainda encerra- tiam tambera outros exemplares da lei, afo-
ra os que estavam em Jerusalem, quaado foi
sitiada pelos chaldeos. Quando as dez tri-
bus foram par Salmanazar conduzidas para
o captiveiro, cerca de cento e trinta annos
antes do incendio do templo, bavia certa-
mente no reino de Israel muitos justos que
se nao involveram no scisraa de Jeroboam,
e que faziam seus estudos na lei do Senhor.
Ora, tudo persuade que estes verdadeiros-
Israelitas tinham comsigo os livros sanctos.
Tobas, nm delles, linha um exemplar, co-
mo o attesla o autor do livro chamado de
Tobas *
Accrescente-se, que longo tempo antes da
destruico do templo, os Samartanos pos-
suiam o Pentateuco. Ora, este exemplar
Samaritano nao estava de certo no templo
de Jerusalem,'e pois nao podia serahi de-
vorado pelas hammas. Importa ainda de-
clarar, que na Juda existiam livros da lei,
mesmo antes da volta de Esdras, visto como
desde o sexto anno do reinado de Daro
constituiram-se Padres e levitas,, para exer-
cerem suas funeces, conforme o que estava
escripto na le de Moyss. (Esdras, cap. VI
Assim, quando Esdras'voltou a Jerusalem
no sptimo anno do reinado de Artaxerxes,
ah encoutru o Pentateuco,
quencia nao leve necessidade de compo-lo
de memoria.
Esta demonstrado histrica asss ro-
bustecida pelo juizo do profundo Lamenais,
que, proposito da materia sugeita, assim
se exprime : Moyss anterior 1100 an-
do : segunda, que a este testemunho juncta-
mos o de Flavo Jos, ou antes o di toda a
sua naejo. em nome da qual fala. Como
ella dividaos vinte e dous livros. que os
Judeus tinham em conta de sagrados e di-
vinos, j vimo-lo anteriormente. Accrescen-
ta o citado historiador, que desde Ariaxer-
xes al seu tempo, escreveram-se outros li-
vros, mas que estes nao erara considerados
to dignos de f como os precedentes visto
que nao houve mais urna constante succes-
sio de prophetas.
Assim, aquella ininterrupta -re de pro-
phetas durou, entre os Hebreus, desde Moy-
ss at Artixesxes, e por conseguinte abra-
cando o canon esse espaco de tempo, nao
pode r alm. Demis, est provado que
Mjlachias, o ultimo dos prophetas exerceu
o seu ministerio prophette i pelos fins do
reinado deste principe.
Ainda ha duas razBes, que muito corro-
boran! o que precede : primeira, que a tra-
dticao judaica, no tocante collecco do
canon, nos invia timbem poca de Esdras
ojde Nehemias, sendo que o testemunho
m)3 Ctiriaso a esto iai>iAlu su aolM ikhjugI-
la parte do Thalmud, que da mais alta
antiguidade : segunda, que a volta do cap-
tiveiro foi urna poca de completa renova-
do, pois certo que talvez em nenhuma
outra os filhos de Israel mostraram mai3
amor e aferr sua lei.
Como, portante, imaginar que Esdras,
Nehemias, as Synagogas, os Synedrios, em
fim. tinham negligenciado a reuniao dos li-
tros sanctos, nicos elementos que podiam |J Heredte, o na antigo historiador
dar forca e estabilidade nova colonia, ain-
da to detol e vacilante ? Pois que Morto
Mahometh, foi recolhido o Alcorao por
Abubekr; como suppor, que homens como
Esdras, Nehemias^ os prophetas, que ain-
da viviam, mostrassem menos zelo e apres-
suramento em recolher os livros sagrados
de sua naco ? Isto incrivel. O absur-
ao de urna tal supposico to .transpa-
rente, que nao corre perigo de desvairar os
espirito atilados.
4.
Ora, assim determinada a poca do en-
cerramento do canon dos Judeus, tem-se
procurado averigua* qual ra o auctor
deste canon. Gravissimas auctoridades es-
tabeleceu como ponto inconcusso, que Es-
dras recolheu todos os livros que, nao obs-
tante j reconhecidos divinamente inspirados
nao formavam todava um s corpo de
obra, e que fe-Ios acceitar como laes por .to-
da a sua naco. Mas porque faiamos em
Eslras, nao se deduza disto que pretenda-
mos fa'zer crer, que s elle se oceupou des-
te traba'ho. e que desajudado de outros le-
vou ao cabo to vaste commettiraento ; vis-
to como os prophetas Aggeo e Zacharias
viviam ainda, e pouco tempo depois appa-
receu o propheta Malachias e Nehemias,
cujo livro foi inserido no canon apso
de Esdras. Isto posto, evidente as histo-
rias, que Esdras comecou o canon e
Nehemias o conluio, e como a auctori-
dade da Synagoga se achava reunida
dos prophetas, nada faltava do que era ne-
cessario para obrigar toda a sua naco a re-
ceber o canon assellado com esta dupla
auctoridade.
Tal a opinio commum dos Judeus e dos
christos, contra a qual nao podiam preva-
lecer as difficuldades de alguns criticos,
que Gzeram consistir o seu mrito na tena-
cidade em combater -os mais bgu funda-
dos sen timen tos.
Mas em que ge limita o papel de Esdris
grego. Era este contefbporaneo de Esdras,
que reuniu os livros cannicos, e os fez
iran^crever em caracteres caldaicos, na vol-
ta do captiveiro. Temos urna prova mate-
rial e incontrastavel do escrupuloso respeito
com que elle conservou a integridade do
texto sagrado. Os Samaritanos, separados
dos Judeus por um scisma, que ainda boje
dura, guardaram em si os antigos exem-
plares da lei. Nao crivel que os Samari-
tanos, assim distanciados dos Judeus por
odio mortal e reciproco, se combinassera en-
tre si para falsificar os seus livros. Ora, o
Pentateuco Samaritano, escripto em carac-
teres, que eram os de que usava origina-
riamente o povo judeu, existe ainda; acha-se
impresso as Plyglottas de Le Jay e de
Watton ; e, salvas ligeiras differencas, nas-
cidas quasi tedas da facilidade cora que os
copistas confundirn! muitas lettras simi-i
lhantes, o texto est perfeitamente confor-
M com o texto hebrea. A verso dos se- i
tenta, feita quasi trezentos annos antes de
Jess Cliristo, tambem nao offerece varia-'
presas vista do Pentateuco dos Samarita-
nos, tal como Eusebio de Cesrea, S. Jero-
nymo e outros auctores ecclesiasticos o li-
nbam lido nos primeiros secutes ; tal como
estes povos o tinham conservado desde a
sua origem ; podendo-se dizer, que urna
seita tSo fraca nao durou por tanto tempo,
se nio para dar mais esta prova da anti-
guidade de Moyss. (Disc. sobr. ahUtor.
niv.)
Do que precede, se comprehende fcil-
mente que o trabalho de Esdras consistiuem
reunir elle um grande numero de livros sa-
grados, escolher os verdadeiros, eliminar
os apocryphos que, ou por negligencia dos
copistas, ou por malicia dos inimigos da le
que os houve em todos os tempos, se tinham
introduzido ; e formou assim um corpo de
Escriptura mui correcto, que, tendo mere-
cido a approvacio da magna Synagoga,
se tornou o cdigo sagrado da naco ju-
daica.
O contraria disto, seria por certo estra-
nha empreza, e a primeira em todo o mun-
do, exclama ainda Bossuet. Lembrar-se
Esdras de introduzir a falar o grande Moy-
ss com tantos homens de carcter e estylo
differente, com urna linguagem uniforme, e
fazer acreditar de repente a um povo intei-
ro, que lbe apresentava de cor os seus livros
antigos, que eram o seu mimo e pelos quaes
tinham a mais inabalavel veneraco, e at
pelos jiovos que vira escrever, como se nun-
ca tivesse ouv:do falar de coisa alguma, ou
como si por ma fatalidade se visse sbita-
mente estupido e sem memoria do tempo
passado e do tempo presente, seria, repe-
timo-lo, a mais extraordinaria empreza do
mundo I Taes sae os milagros, que nos
querem forcar a acceitar, quando regeita-
mos osmilagres do Omnipotente, quando
nem queremos acceitar o testemunho de um
grande povo qu nos attesta que vio os seus
livros com os poprios olbos, e a quem se
diz publicamente isto mesnn, sem que elle
o possa negar !
vagancia possa entrar na cabega de alguem
que se presa de sensato Por isto a maior
parte dos nossos adversarios nao se vale da
primeira aberta, como injuriosa aos seus ta-
lentos ; deixam a innovaco dos livros tra-
bada de proposito, e recorrem a est'outro
alvitre. Esdra, dizem elles, podia inserir
nos livros que existiam os milagres, e pro-
pbec*B, que lhes do o carcter de divi-
nos. Mas nos respondemos, que este
erro nao menos grosseiro ; pois que aquel-
es milagres e prophecias estavam de tal
so-^e espalhados por,estes, livros, e tp in-
culcados e repisados por to differente esty-
lo, e to grande variedade de figuras im-
petuosas e valentes, e to estreitamente
e por conse- cosidos e enlatados, que preciso nao ter
aberto os livros sanctos, para nao ver qoe
era mais fcil refundi-los, digamo-lo *ssim,
do que introduzir sonegadaraente esses mi-
lagres e prophecias, de que tanto se affron-
tam os incrdulos. Mas ainda mesmo con-
cedendo-lbes tudo quanto pretendem, o so-
brenatural e o divino forma de tal sorte o
fundo destes livros, que se nao pode tirar
por mais que se queira. (Ibid.)
A' isto nao se responde. Continuemos
a orear por outros mares, sem perdermos
de vista a nossa estrella polar, que a ver-
dade.
(Continuar-se-ha.)
temburgo, nio julgi dever suscitar- contra a decl potenzas se linbam apasiguado, e que seria possl-
so dos syndicos da cori, objecgdes paramente ^ fac| ali res0|Ver diplomticamente as dais
tbeoncas. No caso porm desta decisao ser accei- onics qoestSe suscitadas al eato, isto a ques-
la e servir de base para o ajuste definitivo, que os 0 oi ducados do Elba e a questo da reforma.
tratados renovaram, qual seria a consequeneia federal; por qne, compre notar que a crise provo-
pratica qoe resultarla para as duas potencias ? ca(ja pe|0S movlraentos da Italia, alada nao tinba
Se os direitos da Austria e da Prussia exclus- dado ^gDil de sij e que a iU|a a[da na0 naVia
sem os direitos de qualquer outro preleiidenie, se- revelado, por um acto quaiquer offlcial, ou por
'< ra necessario dar om carcter definitivo partilha qualquer deroonstragao publica, o seu desiguio de
erever sobre este objecto, escreveram tambem so- provisoria estipulada pela coovengao de Gasteo. t aproveitar o ensejo, qoe lbe offerecerla a guerra
bre a raca cavallar, a opino que- este nome den- i El-rei da Prussia deverla addlcionar ao seu ti- da prassa conlra a Austria, para reivindicar a
tolo o de duque de Scbleswig; o Holslein tornar- pogse ^ Venea, nao obstante saberse qne a lt-
Primeiro qoe tudo vamos examinar a sua eu-
ro o logia da palavra e a sua origem.
Varias sao as oplnides sobre a palavra cafageste-
Pigmofftrilftzr, Bi3aftrron e ou'ros que alm de es
va-se da palavra latina gestos que quer dizer tre
geitos,- mongangon, como
con, obra alias ouito procurada para duvidas de
semelhante calibre, e accresceuto que a primeira
parteado nome perde-se nos tempos, presnmindo se
com multa razao que sigorncasse a cousa qae imi-
tv&o em seas tregeitos.
Abdel-Horaaauctor rabe maito conhecido sobre
esta materia diz qae se deriva de caaph e ghistith,
palavras rabes qae sigoirlcio os individuos da
tribu qae nao se oceupando em cousa alguma, ves-
tlao-se de maoiqulns para deverr os outros. D'a-
hl 'se v que o povo beduino inffectado de seme-
Ibaate borda de salteadores da paciencia.
Porm a verdadeira origem do nome a qne
dio os francezes fazeado derivar de cali e geste,
donde se infere a sigaiflcaclo de individuo maito
reqaentdor de botqttins e apurado as manelras,
modos e vestuario.
2 u V aehia orna provincia austraca, e o oosso primeiro Ua ^,3,, oegOCiando com a prussia, e nao obstan-
ve ao mgmm uxy CQjado seria regular as relacdes desse paiz com a ,e ser voz gerj| que os dous paizes conegairtm
confederaco germnica. entender-se e combinarse para abrarem de eom-
Como porm esta soloco nao correspondera aos; mom tceordo, ou at mesmo para se empenharem
votos das doas potencias, torna-se necessario pro- reciprooameote, por meio de nm tratado de allian-
cura-la n'outra parte que nao seja na-opimao dos : sa# Aioda m^ ,end0 corri,j0 0 bo,lo de ter sido
syndicos da corda. atacada a eidade de Rovigo por um corpo de vo-
Numerosas e graves consideracoes obrigam as inn^rios italianos, esse boato era formalmente des-
duaspotencias a occupai-se da reserva feita pelo meatdo em Florenca. A idea de om congresso
arL 3 do tratado de Vienna, tomando ao p da 0ferecla-se, por tanto, naloralmente aos espirilos
lettra, e a dispor dos ducados a favor de um ter- pratcos>, os quaes deviam considerar a soa adop-
i,'ao corno um mel de manter e consolidar a paz
da Europa. Tendo sido communicada esta idea
cefro.
* Na situaeo grave, mas n5o sem expediente, em _
que nos acharaos, S. M. o imperador considera de parls a- corte de Berlin, foi abracada immedia-
como om caso de conscienci recommendar ins- umeD,e Tudo isto se fez em menos de duas ho-
tantemente ao re da Prussia nma decisao desta 1 ras gra a. rapidez ^ communicacSes teiegra-
natnreza. O Imperador foi alliado de el-rei contra pncas
a Dinamarca ; ainda lempo de previnir que essa
aeco commum, emprehendida em nome da Alle-
manba, se na 3iransforme em discordia, e nao re-
sulten) delia aconlecimentos desastrosos.
O imperador nao pode admittir qoe o animo do
Mas por isso mesmo que a Idea -era simples 6
natural, assim como o oaerecimeolo de urna inter-
vencao diplomtica era opportono, parece qne sa
peosou nisso em Londres e em S. Petersburgo
quasi que ao mesmo tempo que em Pars, e a le-
vamos ver agora a soa origem. \
Como saliera todos, existi seopre urna seita de
adoradores da occiosidade e dos gozos, que intro-
ducida no meio da sociedade eotende, que della
dee viver, que n5o deve trabalbar, e slm desfrac-
tr o qoe ha de melhor, destribuida pelas familias
por onde tem acbado adeptos vai sugando-lhes a
vida e subsisten! assim coo parsitas ou corno-
ja' disse um escriptor do mesmo modo que um
saguim as costas de urna guariba.
Bem applicada comparaco 1 Deve o autor ser
'el citado.....
Nao teubo satlsfacSes a' dar, dizem os adep-
tos de tal seita qaando se lhes pergunta pelo modo
de vida que adoptam.
De facto, o cafageste o ente mais nullo da so-
ciedade. E' nma raga to infect a sua, qne como
a febre amarella vai tornando insuportaveis os la-
gares que invade.
Dizem ouitos que osla raca comecou 1 existir
logo que se ergaeram as grandes cidades do mun-
do opde principiou aremar o luxo, onde houve-
ram bons alfaiates, casas de jogo, botiqoins, boas
calcadas, bailes &. Em Babylonia os honveram
em grande quaotidade; visto ser no centro da po-
pulacho, une fervilha 00 coracao das grandes cida-
des, o ponto onde principalmente comecao a exer-
cer a sui incuicadt profissao, e entao vao-se tor-
nando condecidos.
Verdade que nem sempre foram conheeidos
por este nome.
A proporcSo qve hio atravessando diversas de-
nooiaacdes; poro isto pouco import por que f-
cil nos conhece-los pelo cunho que nao deixam
de trazer embora em tempos reootos. Assim ve-
mos, qae os garruli de qae falla o velho Horacio
nao passavo de cafagestes.
Passeraos a travar amisade coo o hroe qae nos
oecopi.
O cafageste apresent as vistas de queo o enca-
ra um conjuncto de variedades bem dignas de al-
tenco. E' magro por sua natureza, em razao das
grandes lidas em qae sempre anda, e tambem por
que ama das suas mais notaveis qualldades a' de
andar mntto.
Em menos de nma hora pereorre toda umi ci-
dade e eo todos os lugares encontrado a' oos
trar o seu bello material passeante. Se nSo fosse
ter en connecioento compleio da sua vida, dira
que o cafageste tem o dom da ubtquidade.
(Continuar-se-ha.)
re se recasasse, em ultima analyse. a deixar ae- ^ das ,res cflrleg fet-M smtir $imnltneamente
cidir pela dieta urna qaesto puramente allamaa, e, eQJ ^^^ e em yjBnna. Til segondd somos
que issim esta' reconbecid por sua natureza, as- j nforiDadoSi a orjgem das negociac5es qoe progre-
siro como pela resposta real dada aos deputados. diram> apeMr da QOVa C|.|se snscita(la peia attitude
prussiaoos em S7 de dezembro de 1863. begundo j e ^^ ^^0,3,,^ da ,a|,i e no meio das re-
essa resposta, a qnesto da snecessao devena ser | cente8 compUe^seg gobrevindas entre a Austria, a
1 Prussia e a dieta germnica. Estas negociacoes
>
IM POICO DE TUDO.
ERRATA.
As linbas 73 da primeira columna, em
lugar de aes livros authentictdade, deve-se
leraos livros cuja authenticidade.
As linhas 87 da mesraa columna, em lu-
gar ilosParaliponsenos, lea-se Paralipo-
menos.
Este despacho datado de Vienna, a 26 de abril,
do conde MendorfT, dirigido ao embaixador austra-
co em Berlin :
Quinto maior importancia o governo impcriil
gi s dclaracdes reciprocas, que felizmente ues-
tes ltimos dias teem servido para affastar o peri-
go immioente de um conflicto entre as grandes
potencias allemas, mais o imperador, bosso au-
gusto amo, qae se pemlisa de ver adoittir esse
perigo, desejaria previnir para sempre a sai re-
p'etlQo.
Para alcancar esse Qm, Importa que os gabine-
tes de Vienna e Berlin, depois de se baverem en-
tendido sobre om desarmamento simultanese
entendam tambem para affastar as cansas qae con-
duziram a esta sitaaco ditfil.
Manifestando este desejo, jolgo satisfazer a nm
senlimento partilbado por todos os amigos da paz,
da jostica, e dos Interesses da Alleminbi. Toroi-
se-me impossivel duvidar de que encontr junto do
governo prussiaao o mesoo serio desejo de ver a
Allemanha o a Europa inteira livres das inqniet-
cSes qoe, tornando-se todos os dias mais serias, sao
suscitadas pela qoestao dos ducados do Elba.
A responsabilidade que as duas potencias, cooo
alliadis, tomaram solidariamente neste negocio,
perante a Allema-
Typos a' moda.
O CAGAGESTE.
Eis-me agora a's volts coo a minia de descre-
ver typos.
Porem o que fazer ?
resolvida pela dieta germnica, com o concurso
Prussia, e a Prnssia nio deveria prejadicar em
cousa alguma esse exame.
Foi ao mesmo sentido qoe a Austria e a Prussia
se pronnnciaram por oceasio da conferencia de
Londres, e as potencias europeas, em exceptoar a
Russia, com quanto fosse Interessada na questo de
successao, testemonnaram por muitos modas o seo
respeito pelas dedsSes da dieta germnica, chama-
da a resolver a qubsto de saber quem deveria ser
escolhido para soberano legitimo do ducado do
Holstem, fazeodo este parte da confericao.
Fortes nestas consideracoes, propomos por con-
sequeneia a corte real da Prnssia que se ligue com-
nosco para se fazer urna declaracao em Francfort,
mostrando qoe a Austria e a Prussia resolvern!
transferir os seus direitos adquiridos pelo tratado
de vienna para aquelle pretndeme em quema
dieta reconhecesse mais direitos a successao do
ducado do Holslein.
No caso do governo prossiano nos offerecer o
seu concurso, nos pela nossa parte nos obrifaria-
mos a apoia-lo em todas as occasioe?, aOm de Ihe
asseeurar de urna oeaneira definitiva todas as van-
tagens es pee 1 aes que declaramos estar promptos a
ceder durante as negoeiacdes, e que ja foram con-
firmadas pelas disposiedes dos arts. 3 a 7 da con-
venci de Gastein.
A Prussia obtera' deste modo as posl?5es milita-
res de Kiel, de Rendsbourg e de Sonderbourg. E
verdade que Kiel se tornara' um porto e Rends-
bourg urna fortaleza federil; mas o governo prus-
siaoo ha de encontrar-nos dispostos a ir na frente
dos seus direitos, qaando, conformando-nos com
os arts. 2o e 3o da convenci de Gastein-, estiver-
mos no caso de apreseatar, de accordo com elle,
propostas a dieta de Francfort, debiixo da frm
de moci.
Estamos igualmente dispostos, tanto quanto a
Prussia o pode desejar e de commum accordo com
ella, a apresentar perante o futuro soberano urna
condicao das ces*3es lernioriaes pedidas pela
Prnssia, aim de fortificar Duppel e Alsen.
Julgamos tambem qoe nio bavera' difficuldades
em regular, por meio de urna convencao entre a
Prussia e o Scbtesvrig-Hoslteio, os subsidios qoe os
ducados devem foroeeer para a conservado da es-
quadra prussiana, at ao regulamento definitivo da
questo martima pela dieta.
Ha mesmo disposicSes que se contrahem a favur
da Prussia, nos artigos 4 a 7 da convengio de Gas
lea, e que teem por fim assegurar as coramonica-
c5es atravez do Holstein, e entrada dos ducados no
Zollwerein, e o estabeleclmento de um canal entre
o mar Bltico e o mar do Norte.
Considerando qoe, alm d'essas numerosas e im-
portantes concessdes, a Prnssia ja' adquiri o du-
cado de Lauenbourg, emqnanto que a Austria nao
pedio pela sua parte, mais do qoe o reembolso das
despezas da gueira, ja' estipuladas pelo tratado de
paz, impossivel julgar pouco consideraveis as
vantagens que a Prussia colheu de urna campanha,
qne nao fez s mas com o concurso da Austria soa
alliada, e difflcil admittir qoe a sua parte nos sa-
crificios seja superior aos que esta potencia sup-
portou, nem que a Austria seja egosta e esqecida
dos seos deveres de alliada leal sincera.
No caso porm da Prussia continuar i repelljr
as nossas propostas to justas como honrosas, nao
nos restarla outra resorcio a tomar seno expor
claramente a' confederaco qual o estado actual
do negocio, e convidar os uossos confederados a
deliberar sobre as medidas qae, 1' falta de um ac-
cordo entre a Austria e 1 Prussia, deveriam Jomar-
se para se chegar a urna solucio da questo dos
ducados, na conformidade das leis federaos.
Seria chegado o momelo de consultar os povos
do Holstein, que teem tanto mais direito de mani-
festar o seu voto, quanto que, em virlude da cons-
tituiQao em vigor, os estados holstenezas deviam
ser convocados no decorso d'este anoo.
Temos d'este modo exposto mais urna vez no seu
conjuncto, as ideas que inspira 10 imperador, nos-
so augusto soberano, a gravidade das circunstan-
cias.
E" a sabedoria e seniimeotos de justlca de S. M.
el-rei da Prussia qae compre apreciar e escolher
entre a cootinuacio de um conflicto cujas conse-
queneia sio incalcolaveis na situacao actual, e
urna solucao que deve terminar o desaccerto a res-
peito da sorte dos ducados, coja acquisicao pela Al-
lemanha leve logar, com satisfacio geral, aprovei-
tar de ama maneira incontestavel ao poder da
Prussia, e desenvolver consideravelmente 1 soa
gloria histrica.
Queira V. Exc. communicar este despacho 10
alargaram se depois at Italia, porque l Italia
entrn em llnhi e porque, ao annnnciir altamente
o fim que tem em vista, a Italia defini franca-
mente, ao lado das doas questdes allemas, as snas
proprias aspiracoes, pedindo a reslituicio das pro-
vincias italianas que 1 Austria conserva ainda em
seu poder.
O primeiro resultado obtido foi a defraicSo
daqnillo que se quer fazer.
J nao se trata de um congresso, mas simples-
mente de urna conferencia, ni qual tomarao parte
as tres potencias interessadas e as potencias nea-
traes, as qoe emprehenderam conciliar os interes-
ses qoe agitara. A conferencia s se occopari dis
tres questdes debatidas, isto do destino dos du-
cados do Elba, da reforma da eoofederacio germ-
nica, das reclamacoes da Italia contra a Austria.
Os representantes das potencias neutraes em Pars,
a saber : o Sr. Drouyn de Lbnys pela Franca, lord
Cowley pela Inglaterra, o btrio de Budberg pela
Russia, reuniram-se ni secretaria dos negocios es-
trangeiros afim de combinaren! sobre o que se po-
dei ii fazer e de commum accordo proporem as so-
lucoes a Vieona, a Londres e a Floren;. Nest
cooversacio foi elaborado um programa coja re-
dacgo foi incumbida i ji eonhecida e hbil penna
de Mr. Dronyn de Lbnys, que com arle sabe ven-
cer todas as difficoldades. A not assim prepara-
da (01 levada ao conhecimenlo dos gabinetes da
Londres e S. Petersburgo, para all ser examinada
e approvada, ou para que esses gabinetes facam
saber as emendas qne nella desejam introduzir.
Logo qoe o programan for definitivamente fixado,
sera' proposto ios tres estados Interessados, e sa
estes estados o acceitrem como base de disenssao
abrir-se-ha a conferencia.
A serem exactos estes esclarecimentos, como nos
asseveram que o sio, v-se que apezar do primei-
ro passo dado, a cooclasio da obra ainda dea dis-
tante. As tres potencias neutraes atada nao aca-
barao a sai propria obra, a qual nio mais do
que nm preliminar. Porm este preliminar sera'
brevemente levado 1 cabo. O qoe succedera' de-
pois? ueve-se prever qoe o programan, o qual
sera' necessariamente ama transaccao, poderi nao
agradar completamente nem Austria, nem i Ita-
lia, nem Prussia; porm ser-lbes-ba difflcil fn-
girem a discussio se a tentativa da Franca, da In-
glaterra e da Russia for igualmente seria e leal,
como mngnem duvida que o seja ; se estas tres
potencias snstentarem o seu projecto com autori-
dade que ninguem lhes recusa, e se se explicaren!
de modo que ninguem se illuda sobre os seus in-
tentos e sobre os riscos que poderia correr quem
as descontentarse. E' licito esperar, em vista
disso, que a conferencia se ha de reunir sobre um
terreno maduramente preparado d'aote-mao e
igualmente approvado por todas as partes.
Se depois da experiencia que acabamos de ter,
me aprsenlo insislindo novamente na necessidade
de dar i que-tao dos ducados do Elba ama soln-
cao definitiva, justa e equitativa para todar as par-
tes, com a esperanza' de que este passo ser
apreciado como merece pet corte de Berlin, e de
qoe as penosas irapressoes destes ltimos dias em
nada nio de prejadicar o sea juipamento.
Pela nossa parle, tratamos a qaesto seo 1 me-
nor prevengo ou paixao, como se oenhum Inci-
L-se no Conexo Mercantil:
Acabara de chegar do Sumidouro, di:trido de
Cantagalo, duas mangas, um menino e orna meni-
na, verdadeiros pbenbmenos. Tem o menino 7 an-
nos e 3 a menina. Sao irmios e entretanto apra-
sentam extraordinaria differenga na sua commuai
deformidad?.
As cabecas de ambas, achatadas ni frente com-
primidas na parte posterior, nio sao talrez maio-
res que nma laranja. Urna tem os cab*ios encara-
pinhados e.eutra tem-os lisos e corridos. Nio se
sustentam era p. Os gestos e wovimentos que
fazem nada tem de humano Nanhuma dellas
falla.
Os pais destas creancas, qa* sao brancos, e alias
pessoas bem parecidas, raonem o desgosto em qua
vivera s penas da maior miseria, e acham-se na
ra de D. Manuel o. oi, 2-* andar, onde esperara
a caridade das pessoas qne aili qoizerem mandar-
Ibes alguma esmola.
Alm daquellas doas creancas tm elles um ou-
tro filhos, o mais mogo, qoe intelligente bastante.
tanto Denote a Europa, como t
nha, imp5e-!he o dever de fazer cessar este Incer-, presidente do conselho, e expor-lbe ao mesnio tem-
teza ameagadora. P de8eJ Em algama' cousa devo me occopor ; portanto
em vez de eutoar hymnos ao saoto Ocio deitdo n -1 ea\e tivesse alterado 1 boa intelligencia entre as
cao aiguma importante, quanto ao essencral uma rede ,, M perus encruzadas, vou carica- j duas potencias, desse a soa primitiva cooperaco
da historia ou da douctrina. > (Lam. t. IV,' turar estes Importunos que quasi todos os das an-' contri 1 Dinamarca at boje.
Mais de oyn seculo antes, o grande Bos- ^r^'*Z "" dmd m^9 ]l!l
suet, ultimo Padre da Egreja, na phrase.de
Gregorio XVI, bavia descorrido sobre este r
mesmo ponto do seguinte modo: Dous
Vamos tomar 1 tarefa de descrever typos a'
Pelo art. 3* do tratada de Vienna, 1 Austria e a
Prussia nio se flzeram simplesmente ceder a sobe-
rana dos ducados do Elba, mas o re Cbristunu
IX renuociou los seus direitos em favor das doas
potencias, u proraetteu ao mesmo tempo reconhe-
cer as dlsposlcoes que esss doas poleadas tomas-
se ao menos fossem os taes senhores de chom-
povostaooppostOS (03,SamariUnos e OS Ju- to, fac seria para nos o trabalbo ; nao era mais' sem a respeito dos- ducado*. Estes pois tinham
* '~idutisse dis
deus) nao receberam estes livros um do do que ajunu-los todos e mette-ios n'um prelo.
outro,' mas ambos
tencio de fazer com que ei
nnnr9m na na poslcoes ulteriores. Da aHlfiHr*eIri 1 convel
os puasuiidiu ua ou Assim sibiriam perfeitamente reproduzdos era ,.$$ ae Gstelo nao fez mais do que separar o
Origem commum, desde O tempo de Salo-' ama grande folba de papel. Poro os de que al- exaVcicio os direitos de soberana entre a Austria
m5o e David. Os antigOS caracteres he- lo nem ao menos sao de caja'; sao de carne e osso:' a1JJJ*Jfl qw M contrahl89e DD1 -omiwonais-
braicos,que os Samaritanos conservam ainda, 8i0 ^P081ae re*Pi"m. qae comeo e bebem, que Trata-se portanto de se chegar a om iccordo
bemmostram que elles nao seguiram a wwraioe amo.ao, andam a' paseear pe as ras! sobrea natarez. to^*ft*
. H j I a*"! wn encommodar os seus corriligionarios -oes reser\radas pelo tratido de Vianna
h ^nrif ruin t\a muHnn Uav nr*tt\ nr\r\rii\ n ** < ^~ l.*r>.i.u
Esdras, que os mudou. Por este modo o
Pentateuco dos Samaritanos e o dos Judeus,
veem a ser dous originaes completos, que
nao dependem um do outro. A perfeita
conformidade, que se observa, na substan-
cia do texto, justifica a boa f dos dous
povo : sao testemunhas fiis, que estSo de
accordo, sem se terem ouvklo, 00 para me-
lhor dizer, que concordam entre si, apezar
das typograpbiis.
Ja' estou arrependido de oe ter mettido em
lies negocios.... teoho recelo de ir offender -
guem I___ As cousa podem-se complica' e eo
resollados de contis sabir tosquiado...... Nao ; tifio gernuici. No'entreunto a Prosita nao
nio quero oais haver-me com semelhanles iniivi- tea jalgado dever at agora precisar as snas Ideas
dos..... Porm o Sr. redactor do Pouco de tudo reil
talvez nao coasint que faga ponto final aqui. Nio
das disposi-
e convea-
o de* Gstelo.
A edrte imperial tem por muitas vetea declarado
3ue esta' disposta a resolver a quastio ao sentido
a declara;o feita pela Austria e Prussli na con-
ferencia do Londres em 28 de maio da 1864, de
acoordo asiim com o plenipotenciario daconfede
consente nao assim ? Pois bem ja' que nio
quer que d todo por acabalo eu vou continuar.
apenas jltimamenle se espalhoo o boato de qae
o ipveroo ret considerava a optnliio dada palos
syldicos 1 corda como decisiva para a oantirt
como avia aocarar a qaeitao da dlwiio.
ve a resposta do gabinete real.
(Asslgnado) De Mensdorf.
O Jornal dos Debates revelou 10 publico parisi-
ense que envolvii as tentativas teltas pela diploma-
cia, para conseguir nm accordo entre as potencias
que est o fazendo preparativos de guerra.
E' lio curioso o srtigo a que allndimos, qae nio
podemos deitar de o tnduzir.
Ei-lo :
O peosameoto de reunir om congresso, cuja
missio serii a de resolver de om modo definitivo
is grandes questdes internielomes, actualmente
pendentes, preocenpa neste momento todo os es-
pirito.
t-Os amigos di paz, qua sao os mais numero-
sos em todos os paizes da Europa, at mesmo na
Alemanba, accolberam-no com fervor ; e iquelles
qae preferem guerra esperam que as negocia-
c6es entaboladas trio de ibortar, e qne isso eootri-
buira' para melhor demoostrar a necessidade da
guerra. Liga-se, por tanto, de parte 1 parte, p
mais vivo tnteresse a tudo o qoe diz respeito 1
esta assumpto e a's informacoes tendentes a escia-
rere-lo.
Somos informados de qoe a iniciativa destas
tentativas parti do governo rancez, e qne as prl-
raeiras insinuacoes remontara a um raez, pouco
mai ou menos, isto a' poena em que os dous
gallineta de Vieona e Berlin acabavam de trocar
as mu otas da 18 e II abril. Na toa not
de 18 de abril, o onde de Manadorfnavli acla-
rado 10 conde de Btsmark qqe a Austria estiva
dispost 1 reconsiderar, por meio de om decrete,
qoe lerii 1 dita de 25 de abril, 1' cerct dos movi-
mentos de tropas que a Prustil considenra como
tendo o ciracter de preparitives militares dirigidas
contra ella; issim eomo a adoptar todas as medi-
das conducentes a asta rasnltido, sob a condicao
qae, de sea lado, o goveroo prussiioo se coopta-
oetless* a ordenar, a mesmo dii V5 le ibrii.ou
no da segante, a reducc&o 10 p de piz dos di-
reatM coros do axaretto qae, desde o ja V fl
L-se ni Esperanza, jornal da cidade de Corri-
entes :
Na qninta-feira foi recolhido, por um esealer da
uma di canboneiras brasileiras, um lofsliz sol-
dado paraguayo, que vinba montado o'nm tronco
de arvore, navegando a mered da correntesa e qua
preferir uma morte quasi certa no rio, 1 continu-
ar sob a oppressiva escravidio de qoe era victima.
[inmediatamente foi o desgrasado condnzido pa-
ra bordo da fragata Amazonas 1 presenca do vice-
almirante Tamandar, porm estava lio prostedo
da fligelicao, que bavia solfrido, e to extenuado
de fadiga e de fome pois navfao tras dias que nio
comia, que nao se podia ter de p e nem fallar, dei-
tndo-se logo sobre o tombidilbo do navio.
Se eomo o esperamos, os cuidados que os nossos
eolios adiados erapregam para arrancar das mos
da morte 1 este desgracado, curando-lhe as feridas
que o chicote do tyranno lbe abriu as espadis a
reanimando-lbe o corpo enflaquecido cora alimen-
tos, tlver em resoltado o fim qoe todos desejam,
euriosos devem de ser, bem qne nio extranbos
para nos, os detalhes qoe elle nos dar' das cruel-
dades, qne soffrero, e da desmoralisacio, que cada
dia gaoha terreno no exercito tyranno.


Ei-re Joio di Sixonii, qpe nio receia affrontar
is coleras do re Goilberme da Prussia, e do^seu
minbtro conde de Bismirk, j tem 64 anuos da
ldade, mas tio beilicoso e esforzado codo ins-
truido. .-1 -
Na idide de 20 annos entrn no ministerio da
faxeada, e era presidente do conselho quando em
1831 se retirou pin tomir o commando dasgaar-
das oacionaes do reino que conservoa at 10*0.
Como membro di primein cimari, tornou parta
activa nos trabalbos da dieta saxooia, pugnal-
mente quando se discuti a eowtituico de i&ii.
O rei di Saxonia uo dos sabios mais dislinctos
do sea reioo.
Pelos seus estudos arcbeologicos e Iliterarios foi
eleito eo 1824 presidente da sociedade doa anti-
qoarios da Saxonia.
Visitn duas vea* Italia, e pufelicoo noa tra-
duccao alleoia da Divina Comedia do Dante.
O nico faci"Botavel da poltica do sea reinado
o de ter-se mostrado hostil as potencias occiden-
taes na qnesto do Oriente.
O oiis novo dos sea doa filhos, Prederico Au-
gusto Jorge, casoa com a dosji inflte D. Miria
Anu.
PERN.-TYP. DE M. F. DE P, 4 RUQ-lW
*

-
r
<
t
a.
1


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8L3RLC1D_2NBDIU INGEST_TIME 2013-09-04T22:11:21Z PACKAGE AA00011611_10997
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES