Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10996


This item is only available as the following downloads:


Full Text

/
'


/

)
AMO XLII. HOMERO 140
|;. -

Por qiartel pago dentro dts 10 dias 4o i. mez
dem depois dos 1." dias dt comee e dentro do qoartel .
Porte ao correio or tres mezes...........,.
fytto
78
TUCA FEIRA 1 DE JWHO DE 1866
Por mm pago dentro de lo dias do i\ mez. .,.;.... i9^ott
Porte ao correio por am am.............. ZSoo*
DIARIO DE PERNAMBUCO.
.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO NORTE
Parahyba, o SrT Antonio Al?T?nflrino de Lima!
Natal, o Sr. Antonia Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
liveira ; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Futios ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falcao Das; Babia, o
Sr. Jos Martins Alves: Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAPETAS.
Onda, Cabo, Eseada e estafes dt va frrea at
Agoa Preta, todos es dias.
Iguarass e Goyanna nassegnndas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhnns, Buiqne, S. Bento, Bom
Conselho- Aguas Bellas e Tacaratd, as tercas
feiras.
Pao d'Albo, Nazaretb, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ei, as quartas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar-
reros, Agoa Preta Plmentelras, nas quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do comraercio : segnndas e quintas.
Rea? ao: tercas e sbados as 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 aeras.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira Tara do civel: tercas sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
hora da tarde.
EPHEMER1DES DO MEZ DE JfJNHO.
6 Qnarto ming. as 4 h., 53 m. e 58 s. da m.
13 Lna nova as 7 h.. 47 m. e 52 s. da .
19 Quarto cresc. as 9 h., 25 m. e 52 s. da t.
28 Loa eheia a 1 h., 16 m. e 10 s. da m.
DIAS DA SEMANA.
PARTIDA DOS VAPORES COSTRIR*.
18. Segunda. Si. Leoncio e Theodulo mm.
19. Terca. S. Juliapa de Falconieri v.
20. Quarta. S. Silverio p. m.; S. Silvino m.
21. Quinta. S. Luiz Gonzaga jesuta.
22. Sexta. S. Pauiino b.;. s. Nicas b.
23. Sabbado. S. Agripina v.; S. Zenon m.
24. Domingo. O Nascimento de S. J-fo Baptista.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 10 loras e 6 m. da manbaa.
Segunda as 10 horas e 30 minutos da tarde.
Para o sul at Alagoas a la 30; para o norte
at a Granja a 7 e 22 de cada ce*; para Pernal-
do nos dias 14 tfos mezes de Janeiro, marco, mal*
julho, setembro e novembro.
ASSIGN'A-SE
no Recife, na livraria da praca da Independencia
ns. 8, dos propietarios Manoel Figueiroa de Far a
& Filbo.
PARTE OFFICIAL
GOVERNO I V PBOVXICIA
Expediente do da 14 de juuho de 1806.
Offlcio ao Exm. e Rvm. hispo diocesano.Passo
as mos de V. Exc, afim de ter o conveniente des-
iaterino, Remetto por copia a V. S., aflm da de
ter a devida execugo, o aviso de 2 do corrente, no
qual o Exm. Sr. ministro da goerra declara o des-
tino que devem ter os dlsertores do 4" batalbao de
artilharia a p e do 9" btalho de infamarla a que
allude o oficio desse commaodo das armas n. 69
de 27 de abril ultimo.
Dito ao inspector da thesourarla de fazenda.
Recommendo a V. S. que estando ero termos a
lna a carta de apresetaiS "do"padre Joaquina da coma junta era doplicata, o qne se refere o offlcio
Cuoha Cavalcanti. na igreja parochial do Noisa do teoente coronel commandante das arma datado
Senhora da Concedo do^nito. *** hontem e so nr33, e nao tav^neonve-
Diio ao leoente-coronel commandante das armas- mente mande pagar a quaotia de 23*600 prove-
interino.Mande V. S. por em liberdade o guarda nlente da despeza feita pelo capilao Francisco An-
nacional Gorgdhbo Jos Ferreira, que segundo o
termo de inspecco annex.) ao seu offlcio n. 82b de
12 do corrente, foi considerado incapaz do ser^
vico.
Dito ao mesrao. Faca V. S. por em liberdade o
recruta Manoel Francisco da Silva, visto que se-
gundo o termo deinspeogo annexo ao seu offlcio
825 de 12 do corrente, foi considerado incapaz
damno aos Qeis se tivesse dado pressa em encar-
regar-se de seu rgimen, e oflerecesse nossa con-
sideragao as razdes mais en menos attendiveis para
a soa escusa.
-8-
Offlcio-ao Sr. presidente mais membros da ca-
tonlo de Sa' Padilha, durante os mezes de margo a
malo deste anno com o expediente da 4* companbia
! do 1* corpo provisorio qne cumulativamente com-
1 mandou.
Dito ao mesmo. Transmitto a V. S. para os
Qos convenientes as inclusas comas que me re-
mellen o tenente coronel commandante das armas
com offlcio de hontem, sob n. 835, e foram apre
emolumentos parochiaes, nos pede autorisaco pa-
ra celebrar aqpelles sacramenlosem oratorios pri-
vados.
Em res rosta d aclaramos a V. Rvma. que, tendo
muito em attenco a' essas diffleuldades, em bene-
ficio des fiis, toleramos que os Rvds. parocbos ad-
mira municipal da villa de Papary.Foi-nos en- ministren os sacramentos do baptismo e matrimo-
tregue o* offlcio, em que Vv. Ss. asseguram o reg- nio em oratorios privados, q'uando os baptisandos
sijo, de qne eslSo possuidos pela nossa posse epis-1 ou nubentes residirem distante da matriz ou ca-
copal, e o desejo que tem de que dirijamos por di- j pella mafcf de urna legua. Nas desobrigas podem
litados annos os destinos d'esta diocese. j ser administrados aqoelles sacramentos onde quer | que deixe de'ser amigo de todos e que elles
Sinceramente agradecemos a Ss Ss. essa man- qne estejam os Rvds. parocbos. I resintam de minhas palavras algumas vezes.
festac'io de sens piedosos sentimentos, e affirmamo- Nao sabemos porm qne ligago tenha a tabella
Ibes qne nutrimos em nosso coracao os mais since- dos direitos parochiaes com a antorisaeio ou nao
ros desejos de que sobre essa parocbia descam as autorisaco de os Rvds. parocbos administraren) o
beocaos celestes baptismo e matrimonio em oratorios privados-, por
Dito ao Exm. Sr. Dr. Felisardo Toscano de Bri- : qpanto, mareando a tabella os emolumentos, nao
to, vice-presidente da provincia da Parahyba. den nem era possivel qne desse autorisaco, veda-
Acbando-se em sens trabadlos legislativos a assem- da pelos Caones e Sagrado Concilio de Trenio; de-
b a d'essa provincia, joigo-me com razo de fazer sigoou sem o qne deveriam perceber os Rvds. pa-
cbegar so conhecimento e sabedoria de V. Exc. renos, quando investidos d'essa autorisaco.
urna providencia de palpitante necessidade, a qual, Dito ao Exm. Sr. Dr. Felisardo Toscano de Brit-
ca vallarla que Ihe deramos Paraguayos. Isto pelo
que diz respefto aos membros da familia, que sa-
| hiram saos, salvos e cobertos de louros, porquanto
no que respeita aos demais os boletins te dirao.
Nosso amigo Pauoerodestinguiose tambem, e
foi ferido por ama bala de espingarda n'uma
orelha. v
c Estou satis 'ello de todos tanto antes como
agora; e, se ouvires dizer que me incommodo com
alguns cheles, por causa do servigo militar, sem
se
fornecedor segundo me persuado, sendo lembrada por V. Exe. I to, presidente da provincia da Parahyba. Tenho
dowvTco" '*"""""" "" i sentadas pelo pharmaceutico A. Cabrs, .
Dito o mesmo-Pode V S expedir as suas or- de medicamentos a'enfermarla militar sob a ad- a mesma assembla teri por sua propna na ureza pa honra de communicar a V. Exc., para oi fins
;?ri-, SJSasKte, Mss... --**.. -! 5SSfWg r
servico mtoStoLsriilmnnto *" n- 836 de 9 lo corrente tenho a declarar-lhe qne classes do funcconalismo publico aspirara e de fac-
ciaron em seu offlcio n 827 de 12 do correte. ; em vista das refidx5es feitas pelo commandante das to cooseguem com instica umrasoavelaugmento em
"S ir-T5?l!in ? ffV^ o que pe-armas e o commandante doi- corpo provisorio i seos ordenados atiento o seu trabalho e a inoecli-
de o guardado batllbo de infaniaria do muni-: nos oficios de 14 do corrente de que Ihe remello I nayel necessidade de sua mdica, masi decente **
pi d Toiioda, AntookJSJoia d Santa Auna, no copia convemV cootinoem a ser pagos mensal-, pulencao em relacSo a caresta de todos os
objec-
iguaes beneficios.
Em verdade, se em cada parochia, anda a me-
reaerimento one'al" s com offlcio do com-1 mente os dficits que se verificar existirera nas! tos, de equidade e mesmo de justica que os coad-
maSTSSSXSSi SS de Onda e conus da enfermara militar por isso que nao tem gMmig tambem chamados partiepagao de
Iguarass. esU dinheiros em caixa com que possa supprir os
Dito ao inspector da thesouraria de fatenda. aogmentos de despeza.
Declaro a V. S. para seu connecimenlo, e, aflm de Dito ao inspecter da thesouraria provincial.
aue o faca constar a asm enmoetir oue por de : Accuso recebido o offlcio de hontem .sob o. zw em
creto de SS d! maio ultiSo Tefundo conloo de que V. S. me participou haver Manoel Thoraaz de : de um coadjuctor, preencher urna grande par e
avi o de 28 foi considerado sem effeito o de 10 de Albuquerque Maranho, dando por fiador o tenente dos seus deveres parochiaes; claro que a reli-
nomeara Leopoldo Ter- coronel Late de Albuquerque Maranho, arrema- giao tem de soffrer consideravel detrimento, toda a
tado com rebate de 1 / sobre o valor do respec-1 vez que as paroebias tiverem para seu rgimen e
tivo orcamento a obra do 4 laoco da estrada do adoomistracao apenas o parocbo
Pi d'Albo ao Limoeiro, e em resposla tenho a | E se qaizer-se perscratar a razio d esta ate boje
dizer que approvo essa arrematagao. lao tementavel falta de coadjuctores, facilmenwse
a Exl. etc.-Bartholomeu Mitre. -
Eis a carta do nosso correspondente, escripta
do Estero Bellaco as 10 horas da noote.
Qaerido amigo.No dia 20, ao toque da alvo-
rad;>, delxamos nosso acompamenlo do ontro lado
do primeiro brreo desta lagoas, e forgando as doas
pequeas guare \s, que estavam em observaQo nos
dous passos q atravessamos, nos installamos em
om extenso palmeirai que fica paralello aos tres
bragos do Este o Bellaco, em coja extremidade
opposta o loimitfo construio un reducto fechando
o camiobo para e sen acampamento de Humayt.
< No dia 22 as 3 horas da tarde, o general An-
drea receben ordem de bombardear o campo mi-
de Cabaeeiras ao Rvd. padre Antonio Francisco | migo e f-lo immediatamente com 20 pecas rayadas
lonculves Guimarnes. 112 de 24 e 8de calibre 8. As pontanas nao foram
Dito ao Rvd. padre Ignacio Francisco dos Santos.; mui cerleiras, pois que as bombas rebentavam na
Em 15 de novembro do anno prximo passado' maior parte a grande altura.
receben V. Rvma. do reitor do seminario episco- j U inimigo respondeu com 4 pecas de 18, e
pal de Olinda o Rvm. conego chantre Jos Joa-1 com pontanas cerleiras, que entreunto pouco
qulm Camello de Andrade, por ordem do Rvm. ex
vigario capitular o deo Dr. Joaquim Francisco de
Faria, a qnantia de oito centos e oitenta e quatro
mil quatrocentos e noventa ris, para mandar vir
livros da Europa. Como al ho]e nio tenham sido
fevereiro deste anno, que _
tuliano Vatdetaro, para o lugar. de segundo confe-
renle da alfandega desta provincia.
Dito ao mesmo.Com o aviso que me dirigi o
Exm. Sr. ministro da fazenda, em 28 de maio ulti-
mo, recebi o decreto de 25 d#3quelle mez. Hornean-
do o 3* escriturario dessa thesouraria, Herculano
Deodato dos Santos, para o lugar de segundo es-
cripturano da recebedoria de rendos nesta provin-
cia. O que declaro a V. S. para seu conheci-
ment, e, aflm de que o faca constar a quem com
petir.
Dito ao mesmo.Constando de aviso do mioiste
terio da fazenda de 4 do corrente, que por decreto
ae 29 de maio ultimo.Jfra nomeado o 4* escriptu-
rario da alfandega desta capital, Joo Rodrigues
Lins, para o logar de Io escriptorario da do Rio
Grande do Norte; assim o communico a V. S. pa-
ra seu connecimenlo e afim de que o faca constar
a quem competir.
Dito ao inspector do arsenal de raarinha.Trans-
miti a V. S. para os fias convenientes o incluso
exemplar do aviso da repartico da marinha, da-
tado de 22 de maio ultimo, declarando que nao sao
devidos os emolumentos aos membros da commis-
so de exame e vislorfa dos navios do commer-
cio.
Dito ao mesmo.Mande V. S. desaqurtelar da
companhia de aprendizes artfices desse arsenal a
Francisco Moreir Ao r,*~,k*> a,y u"'a Joa-
quina de Carvalho Paes de Andrade, que assim o
aoiieiioo, visto j ter essa praga atllngido a idade
exigida por lei, como consta do documento in-
cluso.
Dito ao engenheiro ebefe da repartigo das
obras publicas.Remelto incluso por copia o ofi-
cio que me dirigi o commandante das armas em
13 do corrente, para que V. S. d as providencias
que julgar necessarias, aura de ter luz o xadrez da
enfermarla militar.
Dito ao mesmo.Para dar curaprimento ao avi-
so da repartigo do imperio de 9 de malo ultimo,
mande V. S. examinar e orear com a posmver bre-
vidade as obras do edificio do Gymaasio Provincial
e bem assim as despezas necessarias para seu aca-
bamento.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Santo Anto e Escada.-Em detrimento ao
requenmenlo do tenente do batalhao n. 24 de in-
faniaria do municipio da Escada, Alexandre Jos
Gomes, sobre que versa a sua nformacao datada
de 28 de maio ultimo, autoriso V. S. a mandar
passar-lbe a guia de que trata o artigo 45 do de-
creto n. 1130 de 12 de margo de 1853, visto ter
esse oficial fizado a sua residencia no municipio
de Santo Anto.
Dito ao commandante do corpo provisorio de po-
licia.-Faga Vmc. alistar no corpo sob seu coro-
mando os paisanos Antonio Francisco de Avila e
Antonio Pae de Almeida, que foram considerados
apios para o servlgo em iospeccao de sade.
Dito ao Ur. juiz de direito de Flores. Nio leu-
do Antonio Pinto de Oliveira, segundo me deca-
ron o desembargador provedor da Santa Casa de
Misericordia em oficio de i2 do corrente sob n.
922, aceitado a nomeago de administrador da fa-
zenda Carnauba, propriedade da mesma Santa Ci-
sa, recommsndo a Vmc. que indique pessoa id-
nea que queira encarregar-se de administrar a re-
ferida fazenda.
Dito ao juiz municipal sopplente de S. Bento.
Constando de informago de 22 de maio prximo
passado, do juiz municipal do termo de Garanhnns,
que os oficios de escrivo desse termo aioda nao
se acham em concurso, recommendo a Vmc. nao
so que mande affixar editaes annunciando a vaga
dos mesmos e convidando os que os pretenderen),
a apresentarem seus reqoenmentos no prazo de 60
das, como que, a respeito destas vagas observe
Vmc. tudo mais que preceiiua o decreto n. 817 de
30 de agosto de 1831.
Portara,-O vice-presdente da provincia resol-
ve nomear o facultativo Joaquim Jos Alves de Al-
buquerque, para o posto de cirorgio alteres do
corpo provisorio de polica, e ordena que naste
sentido se expegam as convenientes coramumea-
eoes.=Fizeram-se as necessarias communicagoes.
Dita. O vice-presidente da provincia atienden-
do ao que requeren o juiz de direito da comarca
de Garanhnns Dr. Antonio Manoel de Medeiros
Fuado, resolve prorogar por tres mezes o praso
que Ihe foi marcado para exhibir o son titulo de
juiz de direito da referida comarca. Fizerao-se
as necessarias communicagoes.
ExpediMte. do secretario de aaverno de dia 14 de
jnrji de 1806.
Offlcio ao inspector da thesouraria de fazenda.
S. Exc. o Sr. vice presidente da provincia manda
transroiltir a V. S. as 6 inclusas ordens, sendo 4
do thesouro nacional sob hs. 101,104, 105 e 1U6,
urna do ministerio da gaerra datada de 4 da cor-
rente e orna em doplicata expedida pela reparucao
do ajadante general sob n. 516, bem eomo 1 offleo
da directora geral das rendas publicas de 2 desie
Oficio ao Exm. conselheire presidente da rea-
cao.-Rogo a V. Exc. que se digne de emillir seo
parecer a' cerca- do qae solicita o commandante
superior da guarda nacional dos municipios ae s.
Ailo e E-cada no incluso offlcio.
Dito ao Exm. desembargador provedor dasanta
Casa de Misericordia, Era vista do que V. exc.
pondera em seu offlcio de 12 do corrente sob o n.
623, autoriso V. Exc. a admitr no collegis de or-
phas a menina Isabel Mara, Alba de Angelo Cus-
todio de Abren que, tendo embarcado em novem-
bro ultimo como voluntario da patria, foi mono
sos campos de sol
nos em popolagao e territorio, o parocbo anda o recebidos esses livros, sirva-.-e V. Rvma. dizer-nos
mais diligente e robusto, nao pode, sem o auxilio. qual a razo d'essa demora.
PORTARA
+ Emmanuel de.Medeiros, por marte de Dos,
e da santa s aposftliea, bispo de Pernamboco, do
conselho de S. M. o Imperador, qne Deus guarde
etc.
Attendendo as reiteradas instancias que nos tem
felto o Rvm. conego Joo Chrisostomo de Pava
damno causaran). Nesse mesmo dia, pouco antei
de comecar o borbardeamento, sahio das fortifica-
c5es paraguayas orna columna como de 2,000 lio
mens de cava larla, que collocu-se pela nossa
direita como para evitar um ataque por esse
lado. Logo depois o exercito volton ao acampa-
mento.
i Esla manhaa receberaro as tropas ordem de
concentraren) se, sendo opioiao geral qne isso in-
dicava qne tam comecar as operagSes, que dariam
em resultado e desalojamento do inimigo de suas
posigoes no dia de amanha.
c Se isto se pretenda fazer, foi frustrado, pois
qoe as 11 e meia de boje um forte e contrino fogo
Dito ao mesmo Providencie V. S. para qne achara que a insuficiencia das congruas urna das Torres, para qne Ihe concedamos sua exoneragao poz em movimenlo o exercilo, annunciando um
arsenal de guerra, segundo conste do predito offl- corre para a manutengo da moralidade social,
co.Offlciou se ao engenheiro chefe da repartigo! Em data de 5 de abril prximo passado fiz ene-
das obras publicas, approvando a deliberaglo que ; gar ao conhecimento do Exm. presidente d esta
tomou de vender, por se acharem arruinadas as provincia de Pernambuco raz5es semelhantes em
madeiras de que se trata. iCiast idenlica; as quaes, tendo sido aprtsenudas
Dito ao commandante superior da goardalnaelo- ; por S. Exc. a assembla provincial, obtiveram nm
nal dos municipios de Serinhem e Rio Formoso. feliz resoltado.
A vista de sua informago de 5 do corrente, resol-! Julgome por tanto com direito ( permitia-me v.
vi dispensar do servico da gaerra para que estava I Exc. dizer assim ) de advogar perante S. Exc. a
designado o guarda do batalbao n. 44 de intentarla [ causa justissima dos coadjuctores d'essa provincia,
do municipio do Rio Formoso, Antonio Antones da; e a esperar qne S. Exc. dando-lhe a i
Silva por ser casado : o que declaro a V. S., afim
de qoe faga vir para esta capital outro guarda em
subsiituigo d'aqoelle.
Dito ao procurador fiscal da thesouraria provin-
al._Ei>*n< Aulooi Oarfioluiro d 01l-,
mais poderosas. E ss deve prevaler o principio da do cargo de vigario geral d'esta diocese, nos temos ataque do inimigo.
justica distributiva consignada no EvangelhoDig- por conveniente conceder-lb'a. E tendo em consi- Com effeiio, urna columna de 10,00 inimigos
us est operarius merced* sua, evidente que essa deraco sna moflo louvavel conducta e zelo no des- alacon nossa esquadri, frmala por corpos orien-
porgao do clero incumbida simultneamente com empenbo do referido cargo, e por muito confiar- taes e todo o exercito brasileiro.
os parocbos da cura das almas, merece ser alien- mos de soa illustrago e zelo pelo servlgo da igre- Algomas pegas de artilharia, cerca de 500 in-
dida em seu appello ante a sabedoria do corpo le- ja de Nosso Seobor Jess Cbristo, o nomeamos, (antes e 2,000 cavalleiros atacaram o 1* corpo do
exercito argentino, que formava o centro, e outros
tantos earregaram sobre a direita do 2 corpo e
aessa thesouraria seja recebida a quanlia de 96,
qae tem de ser remellida por parte do chefe da re-
partigo das obras publicas, proveniente de madei-
ras que venden a Bento Joaquim Gomes e Jos
Cardozo, per estarem arruinadas e nao poderem
ser empregadas na obra do Gymnasio, bem como
de 500 lelbas que ceden mediante a paga de 4*000 gislativo provincial,!* pelos servicos qne presta ao nosso visitador n-a provincia das Alagoas j ero vir-
para o relelhameoto do edificio onde foneciona o: cnllo publico, e ji finalmente pelo muito que con- lude do que, n esta dala Ibe mandamos passar a
poss'eiro do lerreno por ende tem de passar a es-; como sao dos sentimentos de justiga e equidade, ae
trada de Beberibe, disposlo a ceder o seu dominio decretar um augmento rasoavel das congruas dos
mediande Indemnisago rasoavel, recommendo a | coadjuctores, tanto mais quando esse augmento em
Vmc. que, em vista do que informa o edgenheiro rejago aos recursos d'essa provincia e
ebefe da repartigo das obras pob cas no offlcio
em original sob n. 222, titulo de doago por copia
as funegoes do respectivo ministerio.
Residencia episcopal da Soledade aqs 14 de ju-
cho de 1866.
14
PROVISAO
Nomeando ao Rvd. padre Manoel Ferreira Bor-
ges, vigario geral da diocese.
dem. nomeande ao Rvd. conego Joao Chrisos-
tomo de Paiva Torres, arcipreste da provincia de
Alagoas.
- 5
Offlcio ao Exm. Sr. Dr. Manoel Ciementino Car-
neiro da Cunba, vicepresidente da provincia.
Tenho a honra de commuoicar a V. Exc. qne nes-
. la data conced ao Rvm. conego Joo Chrisostomo
bem pequenino. Permita V. Exc. que, tomae-do | de Pa'lva Torres exoneragao ao cargo de Tigario
por base a quantia de 200*000 em cada parochia j geral d'esta diocese, e nomeei para exercer
competente proviso. Entretanto, esperamos que dos de eavallana qoe ahi estavam.
o referido Rvm. conego Joo Chrisostomo de Paiva Nao posso dar-te mais pormenores do combate
Torres, por vrlode da santa obediencia, aceitar de boje do qne os seguintes, que sao exactos :
o mencionado cargo; e Ibe reeororoendamos que,; [)o fogo da esquadra te digo qae foi bem sas-
quanto ames, siga par aquella provincia a' exercer tentado desde as H X at a*s 4 %.
gao, alm de recommenda la com sua palavra au-
tonsaja aos Ilustres membros da assembla, a
sobraettera a sua apreciagd. E estoo bem per-
suadido de qne os senbores deputados em sua sa-
bodorid < reiIgluMdado oio deliaraui, Ulludoo,
posseiro aqu junios, I a razo de 34, de qne se compe essa provincia,
enten la-se com este, e diga que o augmento na verbadespezasendo ae
i 6:8003000, nao excede era prejndica as rendas
provinciaes annuaes.
Sirva-se V. Exc. de ajudar com o merecido va-
| lor de sua legitima Influencia estas minhas humil
I des, mas valiosas considerag5es perante o illnstra-
0 exercito brasileiro tem cerca de 2,000 ho-
mens fora do combate, alguns ebefes morios e fe
ridos, o general Sampayo desapparecido e nos du-
zentos officiaes morios e feridos.
< Dos corpos orientaos nenhum dado pude obter.
a A cavallarla paraeoaya portou-se heroicamen-
te ; e, apezar de ter soffri'do bastante, fez nos com-
tudo grande mal.
i 03* de infantaria de linha, f )i debandado pe-
las cargas a bayoneta da cavallaria, morreado o
seu commandaute Lindolfo Pagote a soa frente.
Este batalhao flcou redozdo a cem homens, tendo
muitos officiaes feridos.
O 5* de lu.ha e o batalhao Tucumano foram
desbaratados com importantes perdas.
a o Ir, 4, 6 a legio Charlones, que se porla-
ram com valor, tem : o Io monos o major Dasai-
e requerfmento daquelle
que me sero devolvidos,
me declare o menor prego porqa elle eeUe o mes-
mo dominio, afim de lavrar-se a respectiva escrip-
tura e proseguir-se na factura da relerida estrada
Independente do processo de desapropriago que
nesse caso se torna desnecessano-
Dito ao commandante do corpo provisorio de po-; do corpo legislativo provincial.
lie a.-Conformando-me com o que ponderou Vmc. i No mesmo sentido aos Exm?. Srs. presidentes,
em seu offlcio n. 50 de 5 do corrente, acerca- do das provincias das Alagoas, e Rio Grande do Norte,
requeriraeoto do soldado do corpo sob seu com- 9
mando, Adriano Jos dos Santos o autoriso a dar- Offlcio ao Rvd. padre Joaquim de Araujo Ebla,
Ihe baixa logo que se Ihe ajuste conlas, visto j ter parocbo collocado de Muribeca.Acaba V. Rvma.
finalisado o seu eogajamenlo. ; de instruir-nos, em seu offlcio de hontem, do ino-
Dito ao director da colonia militar de Pimenlei- pinado reapparecimeto de soa molestia, em conse-
ras.Coneedo a permisso que Vmc. salicilou em quencia da qual, para continuar no conveniente tra-
seu offlcio de 13 do corrente, para vir a esta capi- tamento, oo pode assomir a admimstragao da sua
tal no prximo mez de julbo prximo vjnoooro, I parochia, e nos pedemais urna licenga de 30 dias
afim de ajusfar
fazenda.
fnnegoes do mesmo cargo o Rvm. vigario Manoel bilvaso, e dous oficiaos, e feridos* e fora de com
Ferreira Borges.
Reitero a V. Exc. os mens protestos de estima e I soldados'feridos; o 6 o capiao Bernal ferido, o
consideragao. major Campos ligeiramenie contuso, dous oficiaos
Dito ao Exm. Sr. Dr. Galdino Angosto da Nativi- e 54 soldados fora de combalfi ; e a legio diversos
"ade Silva, presidente da provincia Jas Alagoas. offlciaes feridos, entre os quaes o tenente Porlella.
Tenho a honra de commnnicar a V. Exc. para os q general Mathias Rivero morreo na aegio.
i fins convenientes que n*esta dala nomeei o Rvm. t A0 general Paunezo levou urna bala a parte inte
conego Joo Chrisostomo de Paiva Torres arcipres- ror a orelha direita. O coronel Chenant perdeu
le d'essa provincial das Alagoas. um cavallo no combate.
Reitero a V. Exc. os meus protestos de eslima e a cavallaria paraguaya, qoe carregau.sobre a
consideragao.
toridade syndique do facto pois por ahi talvez ve-
nha a levantar urna ponte do veo que cobre o
crime.
1 Consta-me, e um jornal da trra j o dlsse,
que val ser reduzlda a guarnigo d'esta cidade, fi-
cando apenas um destacamento de 50 pragas de
intentarla e 20 de cavallarla. >
Escrevem-nos de Pelotas, em data de bonte m
(3):
< \ triilcou-se a redocgo da gaarnigao desta ci-
dade, como Ihe participe! leria lugar.
< Foi um dia de festa para a pobre guarda na-
cional.
< Hontem, quando ihe noticiei o assassinato do
infeliz Antonio Ferraz de Oliveira, mal sabia que
ja' era conbecido o autor do crime.
a Ura prelo do coronel Thomaz Campos, que an-
dava fgido veio expontaneamenie apresenlar-se
priso, declarando ter sido elle o autor de tal as-
sassinato.
c E' celebre este procedimento, da parte de um
escravo.
1 Veremos se as indagagoes da autorldade do-
nos o conhecimento pleno de quera seja o crimino-
so, pois nao devemos jurar pamente nas palavras
do tal preto, que pode ter buscado esse expediente
por snas conveniencias. >
Do Comtnereial de 39 e 31 do passado trans-
cre vemos:
< Tem se espalbado a noticia, nao sabemos com
que fundamento, que o exercito paraguayo depoz
as armas, estando Hamayta' em nosso poder e a
esquadra em camiobo de Assnmpgo.
< Parece-nos qoe se procara advinbar o fim da
guerra, e a fuga de Lpez, a tanto lempo annun-
ciada.
< Tudo isso esperamos, por que passando nosso
exercito o Paran, & com felicidade nao esperada
pelo inimigo, intuitivo que o desanimo se infil-
trara' no animo d'aqueUes pobres estpidos, e que
a entrega das armas sera' a coasequencia do nosso
triumpbo.
c Oxala' qoe os vagos boatos confirmen, nma lao
agradavel nova, que alias aguardamos a todo o
instante.
< O seguinte periodo qae boje publicamos da
correspondencia de Buenos-Ayres :
< A explicage que se da' de nao te- o exercito
1 accommettido de novo o inimigo esperar-se pelo
bombardeamento da fortificag > deCompaity pe-
t la esqoadra a fim de, em combinafo com esse
1 ataque fluvial, ea&ir o ex-rcito adiado sobre o
t inimigo e verse o esmaga em urna so batalha.
< Esta aqu a opinio oficial, tanto como a
crenga popular, de modo que conta-se para o dia
1 25 do torrente, anniversario da independencia
argentina,, iestejar simultneamente a victoria
1 decessiva dos adiados.
Ro de jaseuio. O senado deixou de fonecio-
nar no dia 8, por falta de numero legal.
Fallecer no dia 6 a Sr. baroneza do Piraby,
com 84 annos.
A camara'dos depotados approvoo, no dia 8
era Ia discosso, o projecto sobre locacao de ser-
vigos.
Approvoa depois, em 2* discosso, com varias
emendas, o projecto que concede 20 loteras ao re-
colliimento de Santa Tneresa desta corte.
Approvoa em seguida, em urna s discosso, o
projecto que concede pensos a Manoel Verlssimo
da Silva, Manoel Jos de Oliveira, Antonio Francis-
co da Cuoha, Luiz Joaquim, Jos Joaquim de Sant -
Anna, Francisco Borges da Silva, Ignacio Francis-
co de Lima, Honorio Jos dos Santos, Victorino
Gomes de Andrade, Jos da Costa, Florentino An-
tonio do Espirito Santo, Alexandre Jos da Silva,
Jos Antonio de Parta, Joo aciano Gongalves,
Manoel Jos de Oliveira, Joo Francisco na Ctu,
PORTARA.
+ Emmanuel de Medsros, por merc de Deas e
da santa s apostlica, bispo de Pernambuco, do
conselho de S. M. o Imperador, qoe Deus guarde
etc.
1 Tendo nos de seguir para a provincia do Para',
as snas contas na thesouraria ae Concedemos a V. Rvma. a supplicada licenga pa-, afim de assisljr e ,omar ^ em uma das func-
Dilo a cmara municipal
,. do Recite.Concedo a .
autorisaco que pede a cmara municipal do Reci- fiis de sua parochia : e
fe era seu offlcio de 6 do corrente sob n- 43, pora com a possivel brevidade
despender mais a qnantia de 2:000V)00, at o fim
do corrente exercicio pela verba concert de pre-
dios, visto acbar-se quasl esgotada a de 3:0O0J00O
que esta presidencia em 9 de outobro ultimo auto-
risou mesma cmara a despender com a arre-
matago do concert da ribeira e agongne da fre-
saezia da Boa-Vista, e ter-se de fazer no referido
exercicio outras despezas pela dita verba.
Portarla.O vice-presidente da provincia consi-
derando vago o lugar de mordomo da Santa Casa
ra o seu trataraento, e Ihe dizemos que nao sactifi
que o seu restabeleciraenlo por amor mesmo dos
Ibe recommendamos qae
nos proponha uro sacer-
dote idneo para coadjoctor d'essa parochia ; visto
goes sagradas do nosso ministerio episcopal, faze-
roos saber ao Rvd. clero e a todos os fiis nossos
diocesanos que deixamos encarregado da admiois-
trago e rgimen d'esta diocese, durante nossa au-
, sencia, e Rvm. vigario geral Manoel Ferreira Bor-
eomo o actual allega com soffreguidao razoes par,^ COBjaoctamente com o Rvm. conego nosso se-
cretario Marcelino Antonio Doroellas.
Residencia episcopal da Soledade em 14 de ju-
uho de 1866.
+ Emmanuel, bispo de Pernambuco.
a sua exoneragao.
Dito ao Exm. Sr. Dr. Manoel Clemeotino Car-
neiro da Cunha, vice-presidente da provincia.
Communico a V. Exc. para os fins convenientes,
que conced mais 30 dias de licenga ao Rvd. paro-
cho de Murlbeca Joaquim de Araujo Ebla, visto
prolongar-se o eocommodo, que o lera privado de
entrar na adminslrago da parochia.
de Misericordia, para qae foi nomeado por porta- Reitero a V. Exo. os meus protestos de respei
ra do 1' de maio ultimo, o padre Lino do Monte tosa na.
Carmelo Lana, qoe nao qaiz aceitar, resolve no-
mear para o referido logar o sappleote Vicente de
Paula de Oliveira Villas-Bdas.-Communicou-se ao
Exm. desembargador provedor da Santa Casa de
Misericordia.
Governo 4o blspado.
Dito ao mesmo.Tenho a honra de communi-
car a V. Exc. para os fins convenientes, qae nesta
data dei proviso de parocho encommendado da
parochia de Nossa Senhora da Conceigo de Qui-
papa ao Rvd. padre Antonio Malaquias Ramos de
Vascouceilos.
Dito ao Rvd. padre Jeronymo Jos Pacheco de A.
Maranho, parocbo coliado em Nazaretb. Pelo
seo offlcio de 30 do passado, Seamos certos de qoe
V. Rvma. entrou na adminlstrago da sna parente
n'aquelte dala..
Acensamos recebido o mappa exigido em nossa
DIARIO DE PEEN1MBUC0.
direita, poz em debaodada a cavallaria correntias,
com grandes perdas, passou a' rectagnarda do
acampamento geral, sorpreodeu o acampamento do
general Hornos, o 1" de cavallaria de linha, que
sem embargo disso leve lempo de preparar-se e
carregar, e saqaeoa nosso commissariado de
guerra.
t Essa cavallaria ao retirarse foi diziraada pelo
fogo do 2 de linha o do batalhao de Matbeus Mar-
tnez. '
c O 12 de linha, com nma carga a bayoneta,
rechagon am regiment paraguayo, que corra so-
bre a artilharia do major Maldones.
t O combale de boje ei igual ao do dia 2 do
corrente, em escala maior. >
Na ausencia de pormenores acerca do nosso
exercito, damos os relativos aos alludos, aguardan-
do a chegada de qoaesqoer vapor que no-Ios traga.
Cartas escripias da armada dizem que prepara-
vam-se para atacar Humada' era 2? de maio, se-
gund nos communicam do Rio de Janeiro.
circular de 23 de abril. vivo fogo de fuzilaria, por volta de onze horas
Dito ao Rvd. padre Jos Luiz Pereira de Qoeiroz. ^ para 0 roeio dia, e dirigir-me para as
Expediente dadiecese dadla 7 de juana de 1866.
Offlcio ao parocbo da parochia de Ipojuca.Ac-
ensamos recebido o seu offlcio de 4 do corrente, co-
brindo o mappa topographico da sua parochia.
Cabe-nos louvar o zelo e nitdea com que V. __ pe|a recepcao do seu offlcio de 4 do corrente,
Rvma. conreccionoo o mencionado mappa. cabe-nos louvar a proroptidao e zelo, qoe V. Rvma
Dito ao vigarie da parochia do Cuit, o padre Ma-, mvt6Va aa coofeccao do mappa, que em virtode
noel Jacome Bezerra Cavalcanti.Temos a vista o at crcaiar da 13 de abril nos envou.
seu offlcio de 27 do passado, em o qual accoson a j Esperamos, oolro sim, qae V. Rvma. proseguir'
recepgo de tres circulares, uma de 19 e doas de no |0Uvave| empenho de animar com a sua palavra
22 de margo : e sobre orna de 22 d'aquelle mez,' aulongada> os seus parochianos a' mandarem as
refere V. Rvma. os inconvenientes que podem re- \ posslves amostras dos producios agrcolas e indos-
soltar de soa applcago relalivameole a prohibigai j ,rj,eg para a expo^gio.
dos Sacramentos do baptismo e matrimonio emora', __.,,;' rwnn d
inri nrivados Dito ao Rvd. padre Joas Tertuliano Ursino ae
Ji temos declarado e declaramos agora V-1 Macedo, coadjator da parochi, de Muribeca^-Fo^
Rvma. que toleramos que os reverendos parocbos nos entregue o seu offlcio hwtem, m qw ooj
administren) os Sacramentos do blptismo e matri pede solngap da suplica qne *,***~a|
Ao obsequio de nm amigo devemos a recepgo
de supplemento da Tribuna de Montevideo, trazido
para a corte pelo vapor Gerente; do qual extrahi-
mos as seguintes noticias mais minuciosas do que
as recebidas pelo ouro, que tocou em nosso porto
na qoarla-feira passada:
t Damos em seguida copia da carta particular
qoe o presidente da repblica Argentina dirigi a
soa esposa, depois do combale de 24.
Campo da victoria em Yojaqu, maio 24 de
1866.Esta manhaa me dispnnba a fuer um re
o
as li-
mis .
nhas. Era o principio da batalha
A's 4 da tarde disparon-se o ultimo tiro e as 7
da nonte voltei ao meu quartel general-, su agora
(10 >/i da noote) podendo escrever-ie.
Ha ama singular coincidencia, e que tenho
recebido toas tres cartas ultimas nas vesperas dos
reueumu ims nos ciio oi k------- tjt.rM. -> ,n, familia
combales desu campanba, e respoodo as ao volter offerec(?r.(,an.s" zSm,
do combate com felicidade e honra para minha -^0 tenenle eneral
patria e para mim. Ainda isto acontecen esta vez
pois que te escravo do mesmo campo onde acaba-
de Murbeea.- Foi- mos de obter a maior vlclor> da actual cam-
panba. ,
O inimigo aucou-nos, reunindo todas as torgas
monto em oratorios privados, qoaodo o baptizando reute nos dirigir, para que o
ou a nubente tlver sua residencia mais de uma le-
gua distante da matriz ou capelte. E nas desobri-
gas, onde quer qoe se achem.
Dito ao coadjoctor pro-parocho da parochia de
Mamanguape, o padre Francisco de Paola Mello
Cavalcanti.Com qaanto em, seu offlcio de 27 do, K1. ......r,
passado, qoe accosamos receido, allegases V. cbial. Oservigo qoe V. Rvma. esta preslando
Rvma. algoma razio para ser altendido na escusa igreja, eteva-se sobre todas as C0D9I*J*;.,,,.
qoe pede, da adraiolslMcIo da parochia da cidade N'esta'data recommeodei ao, aeo Rd. parocho
de Mamangoape, nao podemos dispensa-lo ; visto; que propozesse um sacerdote idneo para sobsti-
como nio ha alli algara Rvd. sacerdote com auto-
ixonerassemos da! qnetnha desde a Assnmpcio. at mesmo a
parocbo se aeha doente e em uso de remedios, sem, nos atacaranforami.^- ... d^. ao> M TVgea d'esta cidade, teve logar um assloa-
duzodo grande numero de feridos segundo dizem
risacio de rege-la, por caja Ma tem de seguir-se
gravissimo detrimento espiritual k aquella paro-
chia.
Em quanto nao providenciarmos no sentido de
ser V. Rvma. substituido, couvm que entre logo
no exercicio das funcedes parocteaes, para que o
nomeamos. ^
Serla muito louvavel e meritorio, se V. Rvma.
conbecendo, como cooclae, que o flear acptala a
Dio^oTeMnte'corooel eommandente das armas igreja parochUI de Mamangoane teri de spajio
qae propozesse um sacerdote idneo
tuir a V. Rvma. na coadjuctorla. Em quanto nao
recebemos essa proposta ou o Rvd. parocho nao
entrar na adminslrago da parochia, nao podemos
exonerar a V. Rvma.
-11 -
Offlcio ao Rvd. vigario Jos Fides da Silva Ro-
sa. Picamos de posse do seo. offlcio, sem date,
em que, depois de nos manifestar as diffleuldades
no cumprimento de nossa circular, otra a admi-
nslrago do baptismo e matrimonio em oratorios
primos, ghamanao era seu apoto a tabella dos
morios e feridos.
t Morreram 0 coronel Malbias Rivero, e com-
mandante Pagote e o major Basalbibaao, qne linha
sido terldo em Corrientes junto com Aldecoa.
Aldecoa portou-se valentemeote. Julio (Vedla)
e Frederico (Mitre) deUnguiram-se diriglndo a
artilharia, que causn coasiravals perdas ao inimi-
gos. Emilio (MHre) susteotu nossa direita e n-
pelllo em pesoa victoriosamente uma carga ae
; bate 69 ; o 4o dous capites morios, 4 fflciaes e 90 Marcolino Agostioho, Manoel Timoibeo Ferreira,
- Manoel Alves de Lima, Manoel Antonio. Pereira,
Rufino Bastamecnia, Ildefonso Jos de Asumpgo,
Antonio Jos da Paixo, Canuto Candido Ramos,
Manoel Claudio de Sant'Anna, Jos Leandro de
Barros, Jos Domingues de Oliveira, Antonio Fran-
cisco da Cru, Joo Francisco da Cruz, Joaquim
Jos de Sant'Anna, Mariano Joaquim da Costa, Joa-
quim dos Santos Paranaga, Victoriano Gomes de
Andrade e Manoel da Costa Guimares.
Approvou mais em Ia dlscussao o projecto que
autorisa o governo para subsetever. a cborograpbia
oistorica, chronographica, genealgica, nobiliaria e
poltica do Imperio do Brasil pelo Dr. Mello Moraes.
Approvou ainda o projecto que crea ura collegio
eleitorai na villa de Sant'Anna do Parnabyba, em
Malto-Grosso.
Occupoo-se em ultimo lugar com a cootinuago
da 2* diseusso da proposta do governo pedindo
um crdito supplemnetar para occorrer as despezas
do ministerio da guerra. Oraram os Srs. ministro
respectivo e Franco de A(meida, ficando a diseus-
so addiada pela hora.
L-se no Jornal do Commerto :
i Podemos obter do Sr. conselheiw Salles Tor-
res-Homero uma copia dos apontamentos qae en-
tregoo a ura dos membros do gabinete, contendo a
sua opinio a'cerca.das quest&es financelras que
ocenpam nesta occaslo a alteago publica. O seu
Iheor como sigue :
t Quaes sao os elementos de qoe se compoe a
crise flnanceira que afflige o paiz, e que o governo
chamado a. remover com urgencia ? Eis aqui a
sua enumerago summaria.
Desapreciago do agente da'circulacao, depres-
so do cambio, flotuaeao dos valores e todas as
perturbares inseparavels de nma emissao banca-
ria de notas, nio s ioconversiveis, como supera-
bundante* em relaca a' necessidade das permutas
nas senas em que sea gyro permnltido.
< Vm banco que- immohilisou por longos annos
o sen capital na mesma occasiio em qne exagera-
va sua emissao d aecordo com o governo Imperial,
collocande-se assim fora das condicOes fandamen-
laes dos bancos- de circolacao, condigoes que nio
podera' mais. reassoralr sem exercer sobre a la-
vonra e conwnareio terrivel pressao, e sem expor-
se a si mesmo e o publico em geral a's contingen-
cias das liqudagoes violentes.
. Vexame prolongado da popolago pela extrema
deficiencia da moeda de troces miudos, o qoe difi-
culta as. etesses menos favorecidas da furtona at
a saUsfago das prlmeiras necessid*des da vida, e
desfalca-Ibes os recursos, sojeitando-as a um agio
enorae. ,
O thesouro, exhausto e obrtgado a eobnr o
dficit de dous exercicios, que nao poda ser com-
putado em menos de 80,000:0004. Raretegao do
cap*lal no interior augmentado pela descodfianga,
e, impossibilidade de encontrar de novo dorante a
goerra grandes recursos nas pracas. da Europa, a
nao ser com gravamos, qoe complelem all a deca-
dencia de nosso crdito.
Esta somma de males, aire qs quaes existe
certa liaco lgica, nao pode ser melhorada com
expedientes isolados e parctees. Qnalquer plano
rasoavel deve reoni-los, e contar medidas qoe os
remedeem conjunciamente dentro dos limites do
3oe possivel faxer-se em orna siluagao econmica
esfavoravel em todas as suas taces,
t O problema a resolver consiste em achar pro-
videncias qne removam ou attenuem em grande
parte as difflenMadea que enumereL sem ferir in-
teresses rospeiuveis, sem impor ao novo e ao tne-
souro ?aori8olos actualmente snperiores as suas
Corea, e qne ao mesmo tempo dlspensem o empre-
go s meios que a desesperacio suggere nas crl-
Ses supremas das nagoes. Parece-me que a sola-
cio deste problema esta' Mita Os seguintes me-
didas legislativas :
Cbegou bootem dos portos do sul do imperio o
vapor Paran, cora datas do Rio Grande do Sul
al 3, do Rio de Janeiro at 9, da Babia at 14 e
d Alagoas at 17 do correte. Eis o qae delles
colhemos.
Ro grande do sul.A cmara municipal da ca-
pital proceder apurago dos votos para depota-
dos provmciaes pelo 2. districto, reconheendo co-
mo taes: os Drs. Joaquim Vieira Cunha, Raqui,
Florencio, Emilio, P. M. de Oliveira, Eleuterio
manas ag^ia oy- i s&xi&z^ySH^
mar a cavallo por se baver empenbado um ggg*J. JHBSS&KiB
Nuues Vieira
Tinbam chegado 4 capital, viudos de Porto
Alegre, 459. pnsioneiros paraguayos de Uroguaya-
na ; dos qnaes 100 foram mandados para a cOrte
pelo vapor fluminense.
Em Porto Alegre os amigos da bario do
Herval iam mandar-lbe tirar o retrata a' Qleo, para
Fernandos, commandante
das armaVda provincia, fica va a partir para Jagua-
ro, atim de inspecionar essa fronjeira.
No da 16 do passado foi condamnado a' mor-
te, em Uruguayana, o capito de voluntarios Or-
lando Robim de Medelros, como um dos autores do
assasinato de Jos Alves de Oliveira Coelbo, am-
pregado na alfandega d'aqnella villa.
L-se bo Diaria Ao ta Grande:
t Escrevera-no* de Pelotas em dau de hontem
Ferraz da Oliveira, que
de horuliceiro.
se occopava na proQsso
Vinba elle para o mercado com sua carroca
osprisioneiros. Tomaraos band$"****1,
memo e prisionelros, sendo''?'"^ ^JJ | ^ rduras, quando em caminho o assasino o
dos adiados pequeas em retepao, P^rgoanto julfo <^ ?mlt ^ diversas ooUlaaM>
que apenas tamos perda de doas mil homens entre, acf^n^rll oe qu, e,|e M rqaeada
do Sr. coronel Tbomax Jos e Campos, e era a
primeira vez que elle vinba ao mercado.
< Tenho ouvido dizer que esse infeliz fot vicii*
ma d'om engao, pois dizem aue um outro com-
panheiro (que que costumava ir ao mercado com
a carroca) ba dias tirara do poder do marido ama
mulbar, com quem esf vitando, a qoe telvaxdabl
proceda a fingiBCt ao sei, mas Iwm que a au-
8. Tirar ao baaeo do Brasil o direito de emls-
l conYte.lo em baoco de daswBtos, de depo-
sio, e cqaYte:lo eqi banco
I IIEEIVH I
-c*
m
->,. i r -111





*-*


tarto e 9m*mbmf
Terf* fefra 1
'le
sito e de emprestlno sobre hypotbeeas, etTrman-
do-se sua lei orgapica de cooformidadecem este
doto do lino.
Dar Curso geral em todo o imperio as suas
nous, depois depprovados" os decretos do poder
execotiro que autorisaram a suspensao do troco e
llie concederam .> qualidade de raoeda legal.
< O banco rearara' da circafafmeae urna vee
ama somma de notas igual oWlor 4a reserva me-
ullica existente na calxa aptric e as caixas Q-
liaes, e a importancia da divia de letras do the-
soaro, de qae credor.
t Elle amortisara', alm disso, do Io ne Janei-
ro de 867 em diante, a sua emissao na razio de 5
% cada anno.
. governo loraatVa sen cargoeffectoar op-
portunamenle, por cdm do banco, o resgate de
que trata o 3* e para este effeito recebera' desde
j a importancia da reserva metal tica pelo sen ore-
(o correte, e quitacSo da divida dos bilbetes do
ibesonro.
< O governo podera' applicar as despeas pu-
blicas estes landos anticipados, porm, no praso o
mais corto qbe as circunstancias do tbesoaro e o
estado dos mercados de capitaes o permittirem, re-
correr* a operarles de crdito para cumprir a
obrigacao do resgate que contrahlo.
c Pelo qae toca ao dficit do thesouro, j provi-
soriamente diminuido neste plano pela extinccao
de parte da divida fluctuaote, e pela transferencia
para o governo do fondo metallico do banco, ea
tembraria para preenche-lo os impostos e operares
de crdito que se seguem.........
Tal em resumo a combioacao de raeios, qae
no mea humilde entender considero a mais ade-
qoada para corresponder de prompto as diversas
exigencias da situacaO oanceira. Ella altamen-
te benfica para o banco do Brasil, que salva-se por
aprove la-
mento nos exames ananaes das escolares; por que
so assim serao as mesmas freqoeotadas, sendo re-
gidas por professores sabis e prados, Que mere-
cam conceito e inspirem conflanca, e nao por quem
anda nio fex oseo tyrocinlo magistral >.
Do Rio de Janeiro em data de 9 do crtente,
escrevem-oos o seguate:
t O Gerente acaba de chegar do ral com datas
do 1*.
O vapor Jaguaribe havia-se reeolhido a Monte-
do sem novidade, e segla para Corrientes, depois
de tomar a carga do General Ftoresf qao eoostava
de petrechos e artigos bellicos.
Kemettem dos o segninte :
Resoltado da elecao di soeiedade Gremio Scieu-
tiflco, para os cagos judlci&rlos do corrente mez:
Jaiz de dir'eito.Alcino Baptisla Monteiro. i
Joiz municipal. Manoel Rodrigues da Cunba
Vianna.
1 promotorClemente de Ollveir Meodes.
2o dito.Augusto Gurgel.
i delegado.Cometi Ferrira Fracca.
2 dito.Adolpho Lamenba Llns.
Escrlves de delegado.-Francisco Pires de Car
valbo e A. Joaquim de Senna Juoir.
Escrivao do jury.Joaqnrm Fefrt Daltro.
Amanha ao mettrula "se WlfWW a U* lo-
tera a benecio das familias dos voluntarios da pa-
tria (68a), sendo o mator premio 6:UOd*O0.
Prodamas do di* 17 de junho.
I* denunciaciio.
Francisco Xavier dos Santos, com Senborinha
Limlto-me a ests palavras, pir
o Sr. Dr. Manoel CumeoJioo nio q
"Remettm-nos o seguate :
t Plese ao Exro. Sr, residents da provincia,
que ha escolas nocturnas, ge dijne de designar os que ti- de e importancia dos doos conserva
verem mais habilitacfs, mals looga e proveitsa
pratica, e qoe tivessem dado prevas de
ram no mel e na eremo|d. lista pu
* o,fBVroo. Parece que deste ficto de-
Wf-a|f*>tar a lico, que elle ncerra, par
awwgnnia catela, que ao menos evltasse do
l>alW "Snidiz o contracto se
de
Entreunto, respeitando a boa intenco de'S.sfRf WBWw, verificado o menor custo da estrada,
agradeco em nome de cada um delles, como p-
rente e amigo,a honra que se dignou fazer-lhes.
Reclfe 18 de juobo de 1866.
Dr. JoSo Alfredo Corti* de Otveira.
na--
O tratado a trplice nlllau Va
ato fcallia tlarlYlbaaa.
Aprouve ao ratnisira dos negocios Mlraofeiros
da firan-Bretanha, lord Ro-sell, publicar o tratado
da trplice allianca, cuja copia Ibe fdra confiada
do tufillo pelo encarregado de negocios de Bue-
nos-Ayres, Mr. Lettson, que com exigencia amea-
cdora Sbtev'e'do Dr,Castro, ministro das relacBes
exteriores de Montevideo, uma codescendencia, que
tanto o veio amargurar, obrgaodo-o a pedir saa
i demisso. ...
D'este fato, tal vez sem exeroplo oa historia di-
plomtica, resoltaran) tres verdades bem lamenta-
reis: Ia o desprezo manifest no mloistro inglez
para com o Brasil, e as repblicas do Prata : 2'
a pro va mais plena da insufficienct da juventndi
os altos negocios, que exigem tonga pratica
quinte.
um
ama

Antonio Falcio de Mello, cora Maria Silvina Go-
mes Ferrira.
Joo Baptista do Naselmento, com Marcolina So-
esu transforma,co do que lucra einvz de perder com a suppresso do J Ferrira Guilhermioo de Araojo, com Julia
direito de emis#o, .porque alem das vanUgeosi Mana de Atmeida. ...
inherentes as novas operacoes fruir' em una li-1 J^ Fraoc.sco Xav.er de Souza, com Antonia
qaidaco longa e,portante mais segura e fcil, dos fcfquiDa Rodrigues.
beneflcios qoe Ihe procurou a emissao existente,
sem os onus e perigos da conversibilidade.
E' proveitsa ao coramercio, pelo raelhorameo- oapusu
to do cambio, que trara a maior amplido do es- Pnia ae oenna. .
paco aberto ao gyro do papel fiduciario do banco. *. aenanciaoao.
. Esta combiBaco de^assombra os lavradores, I Clementioo Moreira Pontual, cara Mana Silvina
cojos ttulos enchem a carteira do banco e que se- ] 25Sd __>*. u,ri
riam compelhdos a uma amorlisscao apressada e fWo BaptisU dos Santos, cem Cordolma Mana
ulvez desastrosa, se aauelle esUbelecimeoto boa- da Loucefjao.
vesse de pagar suas notas em caixa. Raimundo Nonato de Carvalho. om Antonia da
Pe termo imraediato ao vexame dos trocos Annuncia?ao Silva. .
mindos, fornecendo era abundancia os instrumen- ''toeslo Adolpbo de Vaseoncellos Chaves, c
cto de- veame mais enrgico para a prompta cura.
sePd- fsfttolestiat!, cuja fiase (essencil depend
da purificando do sangue; assim pois se
_s ubvenjo de ve i tem verificado per umitas pessoas qae se
achavam desengaadas, as quaes acbam-se
KZuJ^j^^nf^^W restbelecidareom o referido roj
nasoBpreaomeuilustreadversario,CTigQdom'<*oolico de veame; eutretanto qae al-
pmiwfio regulador de todas as conceiOet de *tra- guns, tendo usado do xarope de Curinier,
*"fl, foe de Larrey, de satea parrifca, de saponaria,
peleo de figado de bacalho, e ontros agentes Rap ...."!.'.*!] a^r3
lelta ordem nada consegtBram. E' eUe de 8ab*.......
woll digest3o, agftdavel ao paladar e ao oi-
peato. Alguns mdicos desta cidade e da
dat e ferro garanuaas ou _
de-ve orrer poi* coma do concessiaarbrtxcloBlva-
meate o etcesso da despea o^ada, e p>veRar ao
governo, que subvenciona, adifferencMraieaos
entre o capital oreado e o que for eSfcflvflwWte
empregado.
Este principio universal, pergunio en, regtrj'1
dem de jangada. .
Peoras de amolar .
dem de filtrar ..-....,
dem de reboto "
Piassava -..'.'.'.'. mollio
Pontas ou chifres le vaccas ou
novilhes......-_ qjho
Pranchdes de amarello de dous
v/ost*d8.......nm
dem dekmro
os oegocios da compauMa 'da estrada de' ferro de i de Maceio teQm recommendado para a CO-
S. Francisco? trallas
Eondeestoosarefto^qoftfros ItVrtrn d#re(!rto8,1lmpigens, tlifha, escrophrilas,
ahwmnno natnraesdiante- ImWwnjH eomp- TumSree, ukoras, escorbuto,
isto quanto ao augmento de snbvenco, que se Cancros, sarna degenerada, fluxo alvo.
pode prever. Agora quanto a diminuiQao, note bem Todas estaj aflfecc3es provm de unta can-
o defensor do tramway, que no contracto se exclue: sa interna : QO ha pois razio alguma em
a nypotbese, porque segundo sua letra e espirito, o Krr mi- piu, nfw&m rrar ri\m rpitiprlio-
governo nao tem dlrelto de alterar os orcamentos, que euas se Poaem curar com remeaios
ilhfw lronc n OXtemOS.
pode apenas eseolher entre o de trunos largos e o |
de trilhos estreitos. ou abandonar ambos, se exce-
para os altos negocios, que exigem tonga pratica derem 03 f da'prtwic";" bm^nteddoTae
Ite boam^eUtovur- >4mr*u~mi* ueste ca?o pagar a multa da rescisio, al t'rlnla
eontos, alm dos estados graph'lcos. Consegmnte-
mente, se o orcaroento adoptado-nao for todo con-
sumido, a Sbvncao ser masHe X to que 'fle'c-
tivamente se despedder.' IWo sel como a provincia
ha de verificar e guardar para si adlCferen^a entre
as quantras calculadas edespendidas, si nao p6de
alterar o orparoento, ama vez adoptado.
9* objeego. Tarifa de fre*smaiio elevada, mais
alta do que a da eSlnti dB fe'rro 'e'S.'Francrs,
governo do Brasil e seos adiados, em nao tomarem eontos
cautelas^ contra a perspicacia ambiciosa do gSine-
te de S. James.
A em ceremonia com que lord Rassel sem fazer
o menor aao do sigillo, atirou eom o tratado no
meio da ra, em conlesiasao uma prova irrefra-
gavel de despreso do contrario quando aquelle lord
se visee fustigado patas aterpellacdes dos seus ad-
versarios oo parlaniantii, bastarla elle empeohar
ht'tt d.e hWr,' de qT. *SS*A ,nclaMos os 10 H iBtabs esta strada
nha intento algum de conquista, declarando nada r^ ^,-an ^l/llt, nm^,u
mais poder diter, em quanto o acto da alliancaes-
tivesse secreto; para que as amaras inglesas ti-
cassem logo satisfeitas, ao menos si et in quantum.
Mas lord Rassel fiao.quiz estar com e-sas cere-
monias para com naratsinltas, que elle suppos de-
liaixo do protectorado da la^at-rra : e pois, dei-
Esu qaeWao'fei matada com algam descuid, dir
o hbil advogado do tramway. '^>a ter si serei
mais feliz desta veze si pdso expof agora mals a
seu contento as Ideas que tfieparectram errneas.
Insisto nellas.
Grganfsa-se urna tarifa ;de precos ^de transporte
para estradas de ferro com atieneo duas juali
xando de mais prembulos, J Rssel pespagoa (-latni de despezas. Uma refere se ao reembolso dos
L0n^^tt*Ud%?Y,Wr*'de,MSif^?,i5"'"to^de Porte propriamente dito, tracCao,
aendo-coswtu, Talvez mesrao que elle o cootas- admib,SIra5o e\c e /hM segundo o numero
amia, que a saa patavra honrada fMse;UMdi:<.de ,0ael4das transportadas. A outra relativa a
tada, e capaz de sustenta-lo ao poder, como esta
acuQtecendo entre nos : e ento o amor da pasta
Tambem se prescreve o xarope
alchoolico de veame para o tratamento das
afieccoes do systema nervoso e fibroso, taes
como:
Gotta, rheumatismo, paralysia,
ores, impotencia, esterilidade.
Marasmo, bypecondria, emmagrecimento:
O xarope alchoolico de veame sobr
tu do, da maior udde para curar radi-
calmente, e em pouco tempo o rbeuma-
tisnlb.
Adverte-se que o verdadeiro xarope s se
vende nesta cidade na botica cima indica-
da, de abaixo assignado; e em outra qual-
quer parte qae se tem annuaciado nao da
mesma conif osq5o, e nem o abaixo assigna-
do se responsabilisa.
Jos da Rocha Paranhot.
tos domovimento de fondos entre a capital e as
provincias.
E' til analmente ao thesouro, a quem ante-
cipa recursos avallados para mitigar os apuros em
que se acba, e permute adiar para lempos mais
prsperos e tranquillos a reorganisacao definitiva
das fioancasdo paiz.
Cbegara no da 8. precedente de Pernambu-
co o brigue Imperial lartnltetro, com 1S dias de
viagem.
Espirito Santo.No da 2o do passado foi ins-
ultada a sesso da as.semblea provincial, ficando
a mesa assim composta: commendador Monjardim
presidente, Dr. Muniz Freir e Torquato Simoes
secretarios.
Lemos no Jornaf da Victoria :
No da o do passado as 7 horas da noite, no mu-
nicipio do Rio Pardo, foi assassinado Domictauo
Jos Vianna, eferide gravemente Manoel Jacintbo
Vianna, pelo seu proprlo escravo Jjs. O brbaro
assassino confessou o enme no interrogatorio falto
pelo Sr. Dr. chefe de polica, e disse.que o pratica-
ra por Ibe ter seu senbor acollado, desconfiando
que bouvesse relceos Ilcitas entre elle assassino
e asenhora mgal
Baha.Chegara ao porto da capital o encoura-
cado Colomboao da li.
Fora muite festejada a victoria de 24 do pas-
sado.
No dia 12 arribara a barca ingleza Fregate
Bird, qoe ia de Liverpool para a India, por faltado
aguada.
L-se no Jornal:
i Converteu-se a' religio catholica, e foi no do-
mingo 10 do crreme solemnemente baptisado, eom
autonsago de S. Exc. Rvm., pelo Rvm. vigarlo
encommendado da freguiia de Nossa Stnhorada
Concelco da Praia, nm mojo natural de Marrocos,
que declarou querer chamar-ee Joaqnim.
O acte, que teve logar na matriz, esteve impo-
nente.
< Serviram de padrinbos ao baptisando os Srs.
Lucio Pinto Marques e Manoel Jos da Cunba e
Lima.
t Diversas pessoas gradas' da freguezia asaisti-
ram de tochas acezas ao baptismo do novo iilho
da igreja, e grande numero de Seis enchiam o
templo.
O baptisando deixava divisar no semblante a
alegra interior de sua alma : respondeu a todas
as perauntas qoe Ihe fez o Rvm. vigario, com ca
reza e convicio, com o que flearam os circums-
tantes bastante salisfeitos.
Sergipe.Apenas encontramos as seguinles no-
ticias no Corrtut srgwpntte:
t o Sr. "Horacio Urpia cedeu ao Sr. engenheiro
civil Joaquim Pires Carneiro Monteiro o contrato
que celebrou com o governo da provincia, para o
estabelecimento de urna fund cao a vapor nesta
capital, por escriptura passado no cart;rio do es-
crivao Silveira.
c O Sr. Carneiro Monteiro pretende qae o esta-
belecimento esteja prompto a fanecionar no prxi-
mo futuro vero.
Um facto praticado no dia 27 do passado no
Carolina Lins Meira de Vaseoncellos, viuva do Dr.
Jos Loorenco Meira Oe Vaseoncellos.
Jos Silvino da Co.'la, com Mara da Conceicao
de Almeida.
Leopoldina Melquades Bastos, quer se mostrar
llvre e desempedida.
Caetaoo Cosme Damiao, com Carlota Guilhermi-
na de Carvalho Pires.
Virgino Alves dos Santos, com Anca Joaquina
da Silva.
3* denunciaciio.
Jos Pereira Cezar, com Mana Neomida Bandei-
ra de Mello.
Jos Joaquim Barbosa Jnior, com Anna Joaqui-
na da Silva.
Manoel Elias Ventara, cora Rosa de Lima Rocha
Dunnemarcb.
tn
i : l
>
>
o
a
>
I : I
c l w L i 1 Masculino. 1 SI 31 > n
en 1. , 1 1 i I m \ feminino. 1 -al -o 1 > > 8 1
a. ce - . j M.I S Masculino. ffl B
1 1 1 Feminino.
c: * - 1 1 X 1 Masculino, j 1 ^j 1 H g 1
ai * k^ 1 Feminino. 1
Masculino.
- I .
Feminino
(8 g
1
-I i
le
Masculino.
FVmiuio.
i
i
TOTAL.
V
A
e

2.
C
I-
remuneracBo mais ou menweompleta dos capitaes:
erapregades 'na eonstroeco, ijuros 'mortlsaco',|
etc.; e independente 'da rmpomncladd traego.
Nos apaes' popofoos, onde as conslf o?Ses sao
1 barata?, e onde as Vas frreas podem conquistar
COMMERCIO
diversas...... > 87JWOO
Tapiocas......... arrol 34000
Tatajuba........ quintal 25000
Travs......... uma 6$00O
Unbas de bi ...... cento 380
Vassouras de de piassava > OSOOO
Ditas de timb...... > 85000
Ditas de carnauba..... 65400
Vinagre......... caada 800
Alfandega de Pernamaco, 16 de junhe de 14(66.
EAD1TAJUIENT0.
Cera de carnauba arroba 65400
Cassueiras de Jacaranda, duzia ^#000
Encbameis...... um i#300
Esteiras de carnauba. uma 200
Ossos........ arroba 240
Palha de carnauba molno 600
Penna de ema .... libra 2$'J0O
Sapatosdecoorobranco. par 800
Era ut supra.
Approvo-Alfandega de Pernambneo, 16de juno
de 1866. -A. Entallo.
(Assignados):
O !. eonferente, Antonio Carlos de Pinto Bor-
ges.
O 2." eonferente, Jos Marta Cesar do Amoral.
Conforme.O 4. escriptorario, Joo de A. Pe-
reira Rocha.
RECEBEDORIA DE RENDAS .INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO
obrigou-o a uma perQdia. Li e ca' mais fadas
ha.
Quanto ao Dr. Ca.-tro, apesar de recoohecido o
cavalbeirismo, e vistas patriticas eom que cahio .
nocenie aa sua a .,5. rt),.h-. .i/ui.ii..*.i. ..;. /. r,.Q?cn
negar, que S. Exc. fui victima in
juvenlude. Um ministro.matreiro, acoslumado a
ouvir impassivel os requevros da diplomacia, nao
leria meltido a mo oa combaca, e nem receiado
as bravatas do Sr. Lettson. O mais que poderla
fazer o Dr. Castro era consultar as potencias adia-
das, antes de dobrar-se aos requerios do enviado
inglez.
Sobre os protestes clamorosos do mesrao Sr. Dr.
Castro, protestos alias mui
A razao fmpres; para'eehhee-la nao preciso
ter tido todos os economistas;
portee a abundancia das cargas a transportar faz
com que, de-peqoena8"'parcelfas paga', se forme
uma grande somttra eapfcz de retribuir, assim nao
smeoteao9 caplWesg'astos-aas coosfrtccSes,como
as desperas d traego propriamente dita.
N3o assim nos pafzesuves, de popola^ao limi-
tada e de produtos "raros, onde as cotrstruegoes
.
?aACA DO REC1FE.
Cotabees ofciaes.
16 de junho.
As 3 1|2 toras da tarde.
Cambio sobre Londres90 d|V.26 d. por 150OO.
uuboarcq Jnior,
Presidente.
Silveira,
Secretario.
Caixa filial do banco do Brasil ein per-
nambuco i 8 de junlio de 1866
A eaixa descoma os saques de sen aceite pela
-Wff*t*,i:*s^
os denles, a o mesmo
tarmos.
Pois havera' quem ignore
fara' comnosco se iprotes-
que Inglaterra est
que ah preciso tirar do om peqaeno trafego,
I pouco snseptivel'de augmento, a refrlboicao de
avallados capitaes, eujos juros e araortlsa^ao sao
radependentes de mator clrcolaco.'Neste caso, o
o benediril a lord J Rnii ? tima va? mi ^ nui- cerl1 modo a JirTerenga de costo do ramal, comb-
L5SSS.; iemo' VSSfSSBSBi; afta t&J&JBtt&Z S
protectorado; porque nao combinaranTe nao pre- [aesi viniram logo essa "emergencia provave^ da rainba ZS!SSS32 Sft 9S5SL3
dos mares? V^ZSSSZZ*S^\^JH!f^XZ
rem agora na cama que lugar quenle \ e nao se[a,,D de ,0o/' 1e serao e
agastem, porque senao, senao... Queixem-se dal
juvenlude octavian, da juventud?, castrolina. e da
decrepitude olindina, e russellina os exiremos se
tocam.
Ora daixem Deasgovernar o sea mando... val
tudo ptimamente, as mil maravillas : o mais
uma Qlagrana de bomens fosseis.
^4
-
H
S5
ADVERTENCIA.
Na totalidade dos doentes existem 187, sendo 117
homens e 70 mulheres.
Foram visitadas as enfermaras estes dias :
As 6 3(4, 7, 7,6 3i4. 7, 7, 7, pelo Dr. Ramos.
A's 91|4, 8.1|4, 7 3|i, 8 1[2, 8 1|4,7 1|2, pelo Dr
Sarment.
Falleceram
termo do Rosario, pelo propnetario do eogenho
Catte-Novo-Jos Sute/o BarreteFilno nos iraz a VicenteFerreira da Costa tubrculo pulmonar
recordacao esses lempos em qae os principios de Isabel de Souza idem.
humanidade erara sacrificados a ignobeis paixfjes! Miguei Joaquim dos Aojos, idem.
dos potentados. Aquelle proprietarlo, por motivo j Antonia Maria dos Praieres, idem.
nimiamente fotil, mandou dar de chicote em seu Domingos Freitas de Santa Anna, idem.
alugado Mamede Jos dos Sanios 1
< A auloridade procedeo a corpo de delieto e
trata do processo. A victima veio presenca do
Sr. Dr. chefe de polica, mostrando anda fortes
contus5es, e o mesmo Sr. Dr. chefe, segando somos
informados, deu as mais serias providencias para a
punico do autor de semelhante barbandade. >
Alagoas.Nada occorreu digno de meneio.
PERNAMBUCO,
------------------------------------- --- i -- .
REVISTA DIARIA
Segu hoje para os portes do norte o vapor
Paran, tirando a mala no crrelo s 3 horas da
tarde.
A demora deste vapor na sua viagem, do Rio
de Janeiro ao nosso porto, foi de vida a' mo tempo
qae encontrou entre a Baha e as Alagas.
Volteo hontem da corte o nosso amigo Rvm.
conego Francisco Rocnaei Pereira de Brite Medei-
ros, assomindo logo a directora da Escola Normal.
Estamos antorisados a declarar qne falso o
boato, hontem espalbado, de qne o governo impe-
rial pee> ovos contingentes de tropas s provinci-
as do norte.
O governo apenas exige que sigam para a corte
as pracas da guarda nacional qae cada provincia
falta dar para completar o contingente qoe Ibe to-
cou na distribuirlo geral.
Pelo governo imperial acaba de ser determi-
nado, em 4 do crrante, que oe actuaes vicepresi-
dentes da provincia do Para', sirom na ordem se-
guate :
I. Bario de Arary.
2. Miguel Antonio Pinto Guimares.
3." Jos Coelho da Gima Abreu.
4." Domingos Antonio Raiol.
5." Joo Marta de-Moraes.
6. Jos da Gama Malcher.
S. Exea. Revma., o br. D. Emmaoel do Me-
deiros, segu boje, a' bordo do Paran, para a
provincia do Para', deixando enearrefado do go-
verno do bispado o Rvm. ligarlo geral padre Ma-
noell'erreira Borges.
O Rvm. Sr. conego Joao Cbrcsostnomo de
Paiva Torres, foi nomeado arcipreste da provincia
de Alagoas.
Acabara de cbagar do Rio de Janeiro a teja
de Ourives do arco da Conceicao d. 2 medaihas de
ouro e de prata. dadfcadas ao exereilo e armada,
cujo producto, dedazida as despezas, applicada
aos gastos da guerra.
E' de beilo trabalho a sua canbagem, e de tama-
nbo aproximado ao dollar.
A face snperlor tem a effigie de sua magestade o
imperador ara busto/ corvado de louro e de grande
semeinuca, baverido em circulo a nscripcaoD.
Pedro II Imperador.
A outra face cont* em seu centro a espners ar-
millar, cercada da* estrellas rlguratlvas'd provin-
cas brasileiras, e'sobre-Dosta da Corta Imperial; e
aos lados do escodo;-diferentes armas campa-
nha formara como Bm braiio d'armas ao mesmo
Em circulo ha a inscripcaoAo exeretto e ar-
mada do Brasil 1866.
Joo, escravo de Francisco Ceabra de Andrade, de-
siotera.
Mara 4o Carmo da Conceicao, idem.
Cemiterio publico. Obituario do da li dk
junho dk 1866.
Antonio Mara dos Prazers{ Pernambuco, $8 an-
uos, solteiro, Boa-Vista; tubrculo pulmonar.
Bernardo Ferrira da Costa, Pernambneo, 45 an
uos, solteiro. S. Jos; sezoes.
Bernardino Pinto Baptista, Portugal, 30 anuos, sol-
teiro, Boa-Vista; tubrculo pulmonar.
Joo Antonio, Pernambneo, 65 annos, Boa-Vista;
pneumona.
Mara da Conceicao Ignez de Jess, frica, 85
annos, solteira, S. Jos; apoplexia.
Germana de Oliveira Barros, Pertiambuco, 60
annos, casada, S. Jos; jnuacito.
Jbanna, Pernambuco, 50 annos, solteira, S. Jos;
lncefalite.
Emigdlo, Pernambuco, 18 mezes, Recife; con-
vulsoes.. .)
Mara, Pernambuco, 4 annos, S. Jos; ioQam-
maco.
Joo, Pernambuco, 20 annos, Boa-Vista, escravo;
desiniera.
Aguida, Pernambuco, 17 annos, escrava, Boa-;'
Vista; desiniera.
-18- .
Antonio, Pernambuco, 8 das, Santo Antonio; es-
pasmo. ,
Firmino, Pernambuco, 8 mezes, Santo Antonio.;
CjnvulsSes.
Tbereza, Pernambuco, 8 mezes, Santo Antonio;
diarrhea. .
Jalio, Pernambuco, 8 mezes, Santo Antonio; de'
siotera. ;
Candida, Pernambuco, 8 dls, Santo Antonio
espasmo.
Pedro, Pernambuco, C anuos, S. Jos; desinie-
ra.
Francisca, Pernambuco, 12 annos, escrava, S.
Jos; ttano.
Mara, Pernambuco, 7'annos, escriba, Boa-Vis-
ta ; cmara de sangae.
Mariana, Pernambuco, 2 annos,'Boa-Vista; de-
votera.
m
iiii i ii ***ji**mm*
Commanieados
Declaro em nome de meo tto e sofero, o Sr. Joo
Joaquim da Cunha Reg Barros, qtr elle nao pode
aceitar a noraeaeio'de 3a sopplente do julio muni-
cipal e de orphos de Goyanna, pois, ha mullos
annos, lera se eximido por sua idade e cansco de
exercer-cargos pblicos, com que nanea defxoa de
ser honrado pelo governo e pelo voto popular, ten-
do sempre os logares mais dislinctos da comarca,
em que nascea e reside.
A respeite da snppleocia do Juizo municipal, ac-
cresce qae elle excusou-se sempre de exerce-la,
procurando substituirle por tantas hablitacoes es-
peciaes, qae ha no termo.
' Supponho qoe mea prime,o tenente-coroBel Jos
Correa de Olireira Andrade, tambera tem qoasi
idntico;, motivos para alo aee.'tar a nomeaco de
6 sopplente, que em outras circumsiancias muito
o honrara.
Traanwy.
Continuarei com as observacSes incetadas no
meu segundo artigo, expendendo as razCes que le-
nho para estar convencido de que os argumentos
por mira apresentados contra a empreza do Ira-,
mway flearam prevalecendo, nao obstante a refuta-
cao qoe hbilmente se p-etendeu fazer.
6* objeccao por mim apresentada. Falta de flanea.
a tarifa" do tronco,
que serao devolvidos ao prirhelro
por contadd trafego que ella eocmin'har ao se-
gundo.
E nao diga 0 advogado da concesso, que inac-
ceftavel a idea dos 10 % exigidos da companhia
da estrada de ferro de S. Francisco; porque, aperar
de Ibe parecer que nehhoma razSo plauslvel justi-
fica esta medida, como tem a franqueza de dizer,
ella est consignada no contracto de que depende
a realisaco do mesmo (ar t. 31).
10* objerca j. Sustentei que havia dsvantagero
no modo de amortlsar-se a subvenco dada ao'fra-
mway ; mostrel que o rendfmento do seu proprie-
lario, embora flxado em 8 /sera realmente de
quasi 11 %, antes que a provincia comece a per-
ceber alguma reiribuicao, e comprelo que este j jalxa
respeito si corrvencionou com o qu se esfabefeceu
na estrada de ferro de s. Francisco.
sobre este ponto o mea musir adversario llmi-
tou-se a rectificar um pequeo engao, que nao
Novo Banco de Pernambuco.
O novo banco paga o 16 dividendo ne
razao de 60150'por acf3o.
Caixa Filial do Banco do Brasil em Pornambuco
aos 11 de junbo de A866
A Caixa saca sobre a Caixa Filial oa Baha.
Stovo banco dcjjiemam-
buco.
O Novo Banca descoma letras a 10 por cento
ao anno
ALFANDEGA.
Rendimento do da 1 a 16 ......
dem do da 18................
331:0703999
18:852*376
347:623*275
MOVIMENTO DA ALFAJDEGA
Volumes entrados com fazendas...
< c com gneros...
Volumes sabidos cem fazendas...
< < coa gneros....
117
478
~37
513
-----550
595
Para maior conciso delxo de trazer outros exem-! prova sino qoe elle conbece mais que eu a estra-
plos, cinjo me nicamente cilacao da concesso 'da de ferro de S. Francisco; mas nao destroe o que
das_eslradi^lj^ar#portogoora?, escotbida de pre- ou diese,
psito e trazida discusso por meu Ilustre con- O engao notado reduz-se a nma pequea dffe
renca na escala de porcentagem, que o governo
percebe para seu pagamento sobre os rendimentos
da mesma estrada. Quanto ao mals falla de paesa-
tendor, como a mais adeqoada para servir de com-
paracao empreza do tramway.
Quando o governo porluguez quiz animar a cons
trueco de uma rede de estradas de ferro em Por- gem sem disentir as minlus observares,
tugal, estabeleceu previamente, e deu publicidade I Nisto concordo com elle,
ura programma, contendo as bases fondamenlaes I H* objeccao. loconvemncia de ser o arbitra-
par as concessSes ; estipulou entre as primeiras ment dos estudos grapblcos feito em Londres.
clausulas, naturalmente por julgarmais importante,
a (que'dizia respeito Sanca ; exigi que os con-
tractadores prestassem uma caucao em dinheiro,
ou deposito, como garanta bona filie dos contractos.
Lembrarei a meu i I lustre collega... de discnss,
que em Portugal tractava-se com os primeiros em-
preteros da Europa, aos quaes nao se dispensou
a flanea. Tal o principio seguido em outros pai
zes. Vejamos qual apraxe seguida entre nos, ede
accordo com os regulamentos das thesonrarias.
Todos os contractadores, desde o menos abastado
ateo Sr. barao doLivramento,esiao-sujeitos pres-
tar flanea com o duplo tira de garantir as multas,
a boa exeeoco
Nao merecen grande valor, porque de tal condi-
cao em outros contractos anda nao resulten mal;
e por que os taes estudos oa Inglaterra nao cus-
tam mais do qae entre nos.
Julgo-me bem informado, e possoafBrmar que na
Inglaterra arbitram-se 50 a 100 por milita para
taes estudos, respectivas plantas e ornamentos; ao
passo que os raesmos trabalhos aqui nao chegara
nem metde da qoantia indicada.
12* Sjeccao. Deslgualdade de rondices para as
partes contractantes no caso de resciso, previsto
no mesmo contracto. Obrigaeo qne tem o gover-
no de pagar os estudos graphicos, que pode socee-
der serem de pooca uttlldade para a provincia.
Este poni, que pareeeu-me importadle, delxou
das obras, e de responder pelo
adiantameot on subveoco antecipada.
Qoe motivos excluiram desta regta, posso dizer de ser tractado por meo llustre adversario,
universal, o coucesslonario do tramway f Anda foi prudente o ao tocndo helle.
Diz o advogado da empreza, qoe este contrato Posso, pois, concluir este artigo pensando Vista
todo especial, nao precisando de flanea 'por iseo; e do qae expend nelle e ao anterior, que as propo-
por que accresce, que quando a companhia hou- sicoes por mim enjillidas no priraeiro artigo, Oca,
Descarregam boje 19 de junho.
Barca DglezaImogeaeraercadorlas.
fiscuna iagleaa.Arelasidem.
inglezaTicklerdem.
Barca ingleza Imparador farinha de trigo.
Patarhn naninn&i Jaboato diversos gneros.
Patacho italianoSaraidem.
Brigue norueguense Yeland idem.
Barca portugueza.Claadianaidem.
Brigue norueguenseHafinafarinha de trigo.
Brigue hespanbolTemoUo ~ii9a.
Sumaca hespanholaAnuaidem.
Brigue inglezZingala machinas, gaz e farinha
de irigo.
Pulaca italiana- Clotildesfarinha de trigo.
Barca inglezaSaphocarvo.
Barca portuguezaJfarianna /dem.
Barca nacionalAmizadecharque.
Brigue naciona Beluariodem.
Brigue nacionalAurelianoidem.
Patacho nacionalSol -idem.
Hiate porluguez -Serra /idem.
.
alqueire
arroba
Sal.
Salsa parrilha.
Sebo em rama.......
dem em velas ... -.....
Sola-enrfvamieta......ama
Taboas de amarello. droia 1401000
800
1*000
160
3*800
20*000
10*000
1*000
160
40
25*000
5*000
7A000
2*000
Rendimento do dia I
dem; do dia 18.....
a 16.
18:227*i58
2:765i62
20:9915620
CONSULAOO PROVINCIAL
Rendimento do dia 1 a 15.
dem 'tdo dia. 18.
57:878568
9:766*227
67:644'i95
MOVIMEiVTO BO PORTO
.Vacio entrado no da 17.
Trieste por Castellamare117 dias do 1* porto. 67
do segando, brigue italiano Clotilde, de 217 to-
neladas, caplto Mariano Ca Clero, eqnipagem 9,
caga 2,025 barricas com farinha de trigo ; a N.
0. Bieber & C.
y a no saludo no mesmo da.
BabiaLancha brasileira LinUo Escolha, capilo
Jos Mara ISraz da- Fonsec.
Navios entrados no da 18.
Trieste63 das, brigue hanoveriano Juno, de 225
toneladas, capitao Saeiken, eqnipagem 8, carga
2,520 barricas com farinha de trigo : a N. O.
Bieber & C.
Trieste67 dias, brigue norueguense Jarlen, de
229 toneladas, capno Andorson, eqnipagem 8,
carca 2,775 barricas com farinha de trigo; a N.
O. Bieber & C.
Portes do Sul8 dias e 3 horas, e do ultimo por-
to 13 horas, vapor brasitlro Paran', de 840
toneladas, comraandaute de fragata Santa Bar-
bara, equipagem 53, carga varios gneros; a
Antonio L. de O. Azevedo & C.
Navio sahido no mesmo da.
Portes do sulVapor nacional Tocanlms, com-
mandanteo capito tenente Jcs Raymundo de
Paria, carga differentes gneros.
9
EDITA ES
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO.
PAUTADOS PBECOS DOS GNEROS SJEIT0S DA IRE1T0S
DI BXPORTaCAO. SEMANA DK 18 A 23 DO MEZ DE
JUNHO 1866.
Mercaduras.- Unidades. Valores.
ver realisado cerca de % do seu capital que o
-governo entrega-lbe a primeira prestacb.
Respondere em primeiro lugar, que nao sei por,
que este contra lo todo especial.. Ser ..por ser a!
excepeo da regra geral observada aqui e era toda'
parte? ,
Em segando lugar a condlgo da entrega das
subvenedes ne como diz e meu Ilustre adver-.
savio. Ant se estabelece para o concessioDano e
direito de recebera primeira parte da subvenco
quando drcomeco aos trabalhos.
J en disse no meu primeiro artigo como pode
ser entendida esta coodicb: a primeira p de tr-
ra cavada no trago da estrada projectada Oxar a
poca do primeiro pagaeJento. -
E ao domis, conven notar que nao sabemos
com que condicoes se arrastaram accionistas para
a aova empreza; quaes as exigencias que serao
feitas pelos irtefleetidos capitalistas Ingleses tque j'
tendo sido aludidos a primeira vez, nao obstaote
todas as eoncessoes feitas pelo governo estrada
'de S. Francisco, de presumir,' qne tenbam apro-
veltado melhor qoe nos a primeira lico; e por
consegointe ho de ser mais cautelosos desta vez.
De modo qae puramente fraloita a aopposicao
de que a primeira parte da subvenco ser paga
posteriormente as entradas de % do capital subs-
cripto : assim pare claro'qnenlo se defende a
'entrega da primeira e segnintes prestacSes, qne
sahiro des cofres pool icos tem flanea ; e codse-
guinteraeote subsiste tambem a
7 obecefio, consistente nos* perigos qoe podem
correros capitaes da provincia desusados' a auxi-
lio do tramway.
O defensor da empreza o proprlo que diz,-qoe
elles devem realmente correr es riscos e perigos
por qae passarem os accionistas, visto como esta
a sorte dos adiantamentos ettos pelo governo,
quando nao gosam de privtgios estipulados tm
contractos esptetaes, ou qaando nao -ha a respeito
delles acco de prafereieia.
Mas por que nao se cttTeocionou assim? Esta
a minha ebjeoclo, rendo em'vista, trae ao pode-
mos perder a subvenco #romeUda, como pode-
rlam as nagoes rieas, e que j possnem amitos me-
Iboramento?. A perda de 800 oa 1,000 eontos para
ns|e imaensa; para burros paizes pouco arriscar
oa mesmo dar igual quantia.
b objeccao. De qae modo se regular o auxilio
da.provincia 7 Qual o orcamento, coja quarta par-
ta deve ella dar ?
Respoade-se qoe o orgarrwnio primitivo a nao os
supplemeniares quedev regalar ; nio por qae o
contracto assim determine, mas porque... assim
deve ser.
Ora. nos temos nesta mesma provincia o exem-
po, que cilei, da estrada de S. Francisco, qae val
com quatroorgamenlos;e ninguem ignora a magni-
ram inclumes, apezar da refutago que se preten-
den fazer.
Reclfe, 17 de jnnho de 1865.
M. de Barros Barreta.
ERRATA
do communlcado publicado no Diarto de 18 de ja- ldem de coco
nbo de 1866, sob o titulo Mimfofferecido ao rece-1 dem do mamona
Abanos.......... cento
Agurdente de cana .... caada
dem restilada ou do reino
dem caxaca....... >
dem genebra.......
dem alcool ou espirito de agua-
a rile n te.......
Algooao em carogo .... arroba
dem em rama ou em la >
Arroz com casca ...... *
dem descascado ou pilado >
Assucar masca vado.....
f dem branca .......
dem refinado......
Azeite de amendoim ou mendo-
bim ........ caada
rendo clero desta diocese.
Na 5* liaba onde dizdistincttvos la-se distme-
tinos.
Oparenthesis n&oei<>rrana falavra, estimado
qne se acha na 15* lioha, e sim oa palavra ja/i-
dades que se enconlra 18* iinha.
Na 24* liaba onde diz rodas la-se vedas.
Na Iinha 40* onde diz me ptusquam la-se nec
plusquam.
Na Iinha 47' onde diz formidine tnetu la-se for-
midine pana;.
i i i, V
Publicacte a pedido
Pastllhas vermfugas de Kenp*
Crianzas atormentadas por vermes podem
ser alliviadas com'ama s dose de pastilbas
vermifigas de'Kemp, que so incitantes me
apparencia, e deliciosas demais no seu gos-
to para seren regeitadas. 'Ests pastilbas
s3oiuito procuradas por qrjrtro motivos:
nio contm mineraes; nao precisam depois
de purgante; effectuam o qu,e se de;eja sem
causar dr; >s crianzas estao promptas a
tomar maior dse do que a* marcada na re-
ceita. Nenhuma rai que ja s tenhas expe-
rimentado uma vez quer ostro vermfugo
na sua casa.
A'venda por todos os primeiros drpguis--1
tas no imperio, e em Pernambuco por Caors
Barbosa e J. da C. Bravo & G.
-
Xarope alchoolico de veame, preparado
pelo pbarmaceutico Jos-da Rocha Paranhos,
estabelecido com botica na na Direita n.
88 em Pernambuco.
Este xarope ncontestavelmente superior
Batatas alimenticias
Bolacha ordinaria, propria para
embarque.......
dem fina........
Caf bom .......
dem escolha ou restolho.
dem torrado......
Caibros ...-..-.
Cal .........
dem branca ....
Carne secca fxaityie) .
Crniros...... .
Crvao vegetal .....
Cavernas de'sicapira .
Cera de carnauba em bruto. .
dem idem em velas .
Cha .........
Cnarutos .......
Cevados (porejps) .
Cocos (seceos).....
Colla........
Cobros'de boi, salgeos.,.' .
Ideta idem seceos espichados .
dem idem Verdes .
dem idem cabra cortidos
dem dem de onga .
Doces seceos ......
dem em gela oa massa .
dem em tilda .....
Espadadores grandes
dem pequeos .
Esteiras para forro *e estivas
de'nvfo.' .......
Estopa nacional .....
Fainha de demindioca .
dem de itraruta ....
Feijaode qualcraer qudlirlade .
Frechaes .......
Fumo em iolna, bom ...
dem ordinario oa restolho
dem em rolo bom.....
dem ordinario on restolho. .
Galliabas .......
Gomma .......
Ipecacuanha (raz).....
Lenha em achas.....
Toros.........
Linhas e estelos ......
*
arroba

libra
um
arrolla
i

om
arrttba
ama
libra

cento
um
cfiro
libra
-
>
i
um
libra
>
um
i
200
900
800
360
880
900
3*123
12,5300
15500
2*600
1*600
3*000
4*000
2*500
1*800
I*i00
1*300
3*000
7*000
7*000
6*300
440
360
9*60
4*000
1*600
3*M0
320
560
2*000
COflfd
artofta
alqueire'
arroba
c
nm
arroba
i
'V
uma
arroba
ceto
>
um
caada
te*ooQ
fviu ijusuu viyaujsinvs)) [qj- .__ __ *^ .' Mel OU mSlagO ,.....uuua
tade e alcanee das quesloes suscitadas pelas recia-1 composicao e O SCO mator WWOIO a salsa Milho......... arroba
mages da companhia, quesloes poltica?, de vida e parrilha, pois qne se tem conhecido ser O Papagaios........om
2*800
12*000
*0
1*600
3*000
O tenente-iwrODel Francisco de Miran-
da Leal Seve, commandante do 3 balalbrio
de infamara da guarda nacional do muni-
cipio do Rcfa. o praciiipntA do conselho de
revtso da freguezia da Boa-Vista, faz saber
aos guardas nacionaes qualificados na rele-
rida freguezia que na terca-feira, 19 do
correte, ao meio dia, ter lugar a inspec-
c3o de sade do mesmo conselho.
4.* seceo.Secretaria do governo de Pernam-
buco 9 de junho de 1866.
EDITAL.
Pela secretaria do governo, se taz publico quem
interessar possa, que tendo o Exm. Sr. vice-pmi-
denle da provincia de dar execucSo a lei o. 697 do
1. do correte abaixo,publicada, se convida a' to-
das as pessoas, que queiram contratar a constroc-
cao das pontes de que trata a referida lei, apr-
sentelo at o ultimo do corrente ao mesmo Exm.
Sr. as suas propostas afim de serem examinadas e
preferida aquella que raethores vantagetj ofie-
recer.
O secretario. Dr. Francisco de Pava Salles.
LEI N. 697.
0 L)r. Manoel Clementino Carneiro da Cunta, vi-
ce-presidente da provincia de Pernambuco : Paco
saber a todos os seus habitantes que a assemblta
legislativa provincial decretou aeu saneelonei a re-
solucao seguinte:
Art. 1." O presidente da provincia Oca anton-i-
do a conceder privilegio por 30 annos com o esta-
belecimento de om pedagto Andr de Abreu
Porto, ou a quem raelhores yantagens offerecer,
para a consiruccao de duas pontes de madeira ca
ferro enlre os lugares, Capunga e P050 da'Paneila,
ao rio Capibartbe, e qae deetn passagem para o
povoado da Torre, mediante as condicoes estabe-
lecidas no art. 3 da presente lei, de-vendo em
Igualdade de circum-tancias ser preferido o dito
Andr de Abren Porto.
Art. 2.* O mismo presidente podera' conceder
igual privilegio e as mesmas condicoes do ar-
tiga precedente a Aristides Ouarte Carneiro da
Cunha Gama, Joaquim Francisco de Miranda
e Justino Pereira de Parias ou a quem meihores
vantagens oilerecer, para a construccao de orna
ponte de ferro ou alveoaria no logar denominada.
Saol'Anba de fra e que d passagem da freguezia
da Boa-Vista para o Poco da Panlta, devendo em
igualdade d condicoes ser preferido Aristides
Duarte Carneiro da Cunha Gama.
.\rt. 3." Os concesionarios fkarSosogeitos alm
das que forem estabelecidas nos respectivos con-
tratos a's seguintes condicoes:
1. A obra sera' coustrulda de conformidad*
com as prescripeCes fornecidas pela reparlicao das
obras publicas.
V A'tarifl'iJo peflaglo sra'regblad eac-
eordo com o governo.
3. F|ndo o privilegio a obra Acara* perieneen-
do a' provincia, sendo-lhe entregue em estado re-
gular de conservacio.
Art. 4.* Fitam retdgadas as dispos55es *m eoo-
Mrarlo.
Mando, por'tanto, atodasas autoridades a qoera
oCoBhecmetnoetecugao dapreseate resolOfio
pertencer, que a cumpram e facam cumprir tao
tntfiramente eomouella se contm.
O secretario do governo desta-provincia a faca
imprimir, publicar e correr.
Palacio do governo de Pernambuco, ao 1.* de
junho de 1866.43 da independencia e do imperio.
L.S.
Manoel Clementino Carneiro da Cunha.
Sellada e publicada a presente resolocao nesu
secretaria do governo de Pernambuco, 1.* de jonLo
de 1866.
O secretarlo Dr. Francisco de Paula Salles.
Registrada a 11 do livro 7a de leis provincia?s.
Secretarla do governo de Pernambuco, i.* da
junho de 1866.
O escriturarlo Theodoro Jos Tajeares.
-
O Illm.'Sr. Inspector da tuesourarta provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 28 do corrente, manda U-
zer publico, que no dia 30 de agosto prximo vic-
ffuro, perante a Jamrda fazma da mesma tne-
souraria, sa ha de arrematar a qaem por menos
flzer, a obra do 9. lamo da estrada da Eseada,.
na importancia de lfc905*000.
A arrematadlo sera felta na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 13 de maio d 18fH, e sob as
clausulas especiaos abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem a assa amasia*

r?




\
l


i
1 .




.
*!

- Tera leira X9 ate ata*** ate 1866.
*
raraa sai
neteateaente haba*
anracoajtar hii
SamiiritdtikKov.
bawo, 2 de maio de 1*1
da mesma
eo da e
lo jornal.
Pernam-
,1 da -secretaria
MiguntABbeeo Ferreira.
Ciacrsulas especia*.
I
As abras 4o 9.a Unen Alastrada da Es*ada se-
rio eieentadas da- ogaNtaidade com a planta e
4serip$*(M()s orgamentoa, na imjortaocia e
. n _,_ ,.
O aarecataat djvera eafprir M>f Mwle *s
insarnBcdes d entenheto Iscai 4abtes coa-
Ral de S. Bom Jess das Crioulas.
N. 61 em e % Mera, cata terrea. tJrI$QO0
itt-ipAuio fe atpliaa.
Raa dojlangel,
C partfular e 86 pu-
N. 61 jjjem
lite
fcJh
MMK-*. r \ wojooo
8. Goagalo. .
Casa terrea n. 10 particular e 22 pu
bllC0- '.....
lara
10.
o sitio-em TWipi,
lote a o* bes do
_ devera ter lugar
da audiencia do Ur.
diceobs 4o orcarnelo comrato. i
III
. de 15 das, e as coocluir no de 14 mez.es, ambos
cotudas da data do contrato.
rv
Os pagamentos sarao felos era tres pf es taches
igoaes, correspondentes ao valor da abra fita,
. menos o empedrameete qne ser em orna s pras-
tacoo, qoaado. Uzee a entrega provisoria.
D Ada prestaco sera' deduzjdo o ojia deter-
art. 83 do regutameoto de 9 de julho de
i pma par
_adps, per
ira de Az>
rema, .
juii de orpbaas desta etdide, escrivo Uiimeres.
Cerreio gera?.
j^ ^oaiPU'i^iaQao das cartas segaras vlndas do sol, pelo
Becco das Botar. ap0r paraQ4 pj-g os senhores abaiso de-
o Serado de don lares 37 par- j cj4ao9. ; "H "
colar e 14 publico....... 361*000 ABdrade A Reg.
Aaeite Sobrado de 1 andar n. 68 partwUr cnAtnnrt Joaquim Ezequiel Barbosa.
e 14 pnbllco. ...... 600*000 jM^im Fraudso) de Mello Cavaleanti.
Roa da Cacimba. / Jos Antonio Biunconrt. _.fc
Cm^nva. m parttMlaTJ; i en- 1.._A11A I Jos Lata Goncaves Perretra Jnior.
bco......_. iu*uuu 0r jos M0bre de Almeida .-
UJampaBBia de pafnetest vaporeotre-
o Brasil
At o da 23
do correla es-
pera-se de New-
York por S. Tbc-
maz a Para, um
dos vapores ame-
ricanos, o qnal
depols da demora
do eostume se-
guir' para os portes do sol. Para fretes. passa-
gens etc., trata-se con os agentes Heery Forster
& C, roa do Trapiche n. 8. _______ !
03**

ss#art
VI
O reeebimeBto detnivo de todo o laace, e obras
14 aaerte aneas e-erefa peovfcoHe.
V '
Para todo mais qne nao estiver aqoi etpeeiOca-
do oo contrato, seror-se-na e-trae prescreve o re-
Uho regaramento dae obras pbMteas.
CoeJorm.Mlgael Alfonso PerreiTa.
"$ seccSo.Sseretaria do governo de. Paraambu-;
oo, li de juouo de 1866. i
EPITAL.
Pela secretaria do governo de Pernaabuoo se
tai pabhco a que iateressar peasa, qae tendo o
Eim. Sr. preaidafl*e,da.flfvia6ia.de.dar-exeou5o,
avlei o. 667 de t de Abril do correla anuo, abai- |
xo publicada, se convida i tedas as pessoas qne i
queirao contratar os rmaes d*tnJuos urbanos, de
Sr. at oofHoro-d*fa*prermo viadouro as suas
prafastas, as de :spem eranataadas e preferir-so
aquella qu melbares vantagess offerecar.
Idam d. 47 idem a 1 fden.
Rna dos Burgos.
Casa tarrea i. 64 aerttotalsr e 14
publico...........ittifOW
Ra do EoeaDtameeto.
- Sobrado de S andares n. 74 particu-
lar a 11 publico........9004000
Sanaela Tetba.
Casa terrea n. 81 particular a 18 pu-
blico......7.....200*000
Ra da Guia.
Casa terrea n. 43 particular e 27
publico..........126*000
dem n. 84 idem a idem. ..
Roa o Pilar.
Casa terrea b. 91 pertieolar e
publico..........
dem n. 92 idem e 103 idea.
dem n.94 idem e 99 idem. .
dem n. 1Q3 idem e 94 dem. .M
dem n. 5 seo oe Fono da Gal. .
A avsma pro." fantavem virtnie de
seqa|o ^ 14 de janholla
Marcos Franco de Paula Res.
Dr. Manoel Jos de Menezes Prado (2)
Major Raymondo de Sa Araojo (Salguairo)-
mwm fituL
Relaei* das cartas aenras liatentes
traeio "e earreia iesla ddaie para os sibImns
abaiie declarados:
D. Fraodsca Bernardina de Senna.
Jaclntlio Frtado Paes Lima.
Jos Marllas Aires Borges. -
JSK Dr. Manoel Buarque de Macedo.
m#uuv Thomal Gomes da SiUa.
105
148*000
2004000
265*000
DI000
9*009
Gorreio Geral
Relao&a das cartas seguras viadas do norte pelo
vapor Toeantins, para os senhores abano deala*
dos:
loioni Vicente
Fraaftisca
Go
Ibera
cao temada em sesafo de 14 de junhoam> tazer
publleo que 4b.preSosa*alxo declamaos .iao de
nove a pragaeom -algamas condicciee que ser- yr. Joaqum l*pes
apresentadas no acto da arrematado. I Jos Mar tros. AI ves. Borges
p-aociab Goc
baqoiaiCabr
ir. Jaaqaim [
Estabelecima.ia d> ctridae B*SIS?d? T'
m
Ra Nova.
Sobrado de 1 andar o. 46 particu-
lar 6 U publico. .......1:000*040
Ra*'da Moeda.
N. 64 particular e 37 publico sobrado
do de 3 aodares..........480*00*
lecretaria^jja Santa- Casa da Misericordia do

cafe lo
ia da
fe panno da 1856.
O escrivo interino,
Pedro Rodrigues de Soma-
Jos Roberto Viaona Gnillon.
Leopoldo Cezar de ;rredo.
D. Malfada AaiUBta *ubja*i(ai.Olivel4B.
Dr. Melcades Perelra da Silva.
Thomaz Gomes da Silva.
Pradfe.
O secretario,
Dr. EraneiKy da fin* Salles.
LEIN.667.
O Dr. Manoel Clrmeaiino Carnairo da Cunha,
vice-prasidente da provincia de Pernambuco. Pelo eonaalado de Portgal aesta cidade se
Paco saber todos as seus bsbitantes que a as- fas publicar-asegurare aviso do ministerio dos ne-
sembla legislativa provincial decretou e eu sane- gocios da marinba e ultramar :
cionei a resoracao seguinte : ..rM<. onm 1 1' direCCid-RMMIftifO dOS BharOCS
Art 1.0 presidenta da provincia contratar cora ,;, i
os entpreiteiros dos trllhos urbanos, ou.cota.quem, avise#-n^vogames n. ia.
melhores vanugans oflateeet, nr*" dos ojas-, No da 8 de mato prximo comeeara a fuuccio
mos ilbos, que, partiodo desta capital v terminar i nar o,novo apparelho llluminatorio, collocado na
na cidade da Olindi, passando pela estradas da torre deantrgo pnarol de Nossa Senbora da Lu,
Joae de Barros e Belm, da coja encrusimada der-!-B* coste nortee' entrada da barra do Porto,
partir outre ramal para a novoaso B*beribe. Ooovoapaareiboiieeticular de4' ordem, sys
Art 2. O contrato ser redigido Oe-modo ucar, tema Fresnel. A lu branca flia, apresentando
o contratanta onrigado a concluir a obra dentro de. clarSes da minuto em minuto.
10 mezas, costados da asslgnatuaa do mesmo con- O ideo laminoso esta' 5tm,62 cima do nivel do
trato, sob pena da pagar a multa de &0W*. e del mar.
A torre em qne assenta a laoterna quadran
ver acabar a obra a su. cusa.
g i* O prazo para o ramal de Beberibe ser coa*
tado da concluso da estrada pela lei n. 624 de 16
de maio da 1865, Qcando o contratante rasponsa-
vel pela conservado de dita estrada.
Art. 3. 0 presidente da provincia poder* auxi-
liar por urna s vez ao contratante, cora anta sub-
veuco kilomtrica nunca superior a 'A do capital
em pregado.
Art. 4. Ficar o mesmo contratante sujeiio s
condi?5es segnintes :
i Submelter o ornamento da obra approva-
gular, tem iT'M de altura, est pintada de bran-
co, com urna faxa vermelha, de lm,88 de largura,
na altura de 3m,92 medidos da base da torre.
A luz deve avistar se na distancia de lo milbas i
em boas circunstancias atmospherlcas.
. Secretaria de estado dos neaiocios da marinha a \ rZZ (
ultramar, 28 de maio de 1866. prnAl>rt(.n
Antonio Rapbeal Rodriguus Sstta,
P _______ ________Director.
Conselho i rochta de .Fre Pedro tioo
4*o do governo.
2* Estabelecar peto menos qoatro viageas dia- ^ calves lo baVeelie.
ras, sendo duas da ida e duas de volta. De conformidade-com a le a em virtode de or-
3* Nao poder exigir de cada passagerro m.ls { data do Hlm. Sr. taaenti'-coroaei prealdente do
de 440 rs. por viagem em wagons de primeira das- conjeibo de qualifleaeeo da paroeni* de 8-. Pfat
se ; 309 rs. nos de segunda ; e de 200 rs. nos de: Pedroiongalves, ruto a. tedea terceira. I peasagem para a raserva,.baja_da comparecer no 3. jta rijla
4* A-baixar estes presos a proporgo que aug-
mentar a concurrencia, de moda a combiiarem se
os intereses da empreza cora os dos passageiros.
5* Estabelecer trens de carga logo que as con-
veniencias publicas as reclamaren), nao podendo
em ca.-o algum exigir pelo transporta dos voluraes
mais do que se exige na va frrea do Recife ao S.
Francisco.
Art 5o O coatretaote gosar dos raesraos previ-
legios, concedidos a eorapanbia dos trllaos urbanos
do Recife Apipucos, mas por prazo nanea supe-
rior a 30 anoos, fiado os goaes ficar a- empreta,
em estado de funecionar regularmente, pertancen-
do a provincia
consistorio da igreja nstuaz do Corpo Santo as 10
boras do dia 20 do corrente a flm de serem inspec-
cionados.
Sala do conselhe 18 de afilio de 1866.
Pedro Paula dos Santos,
Tenente e secretaaio do conselho.
jExposl;5o dos productos agr-
colas e lat 11 si ra es cni Per na al-
buco
&.CQrnmiss5o directora da exppsico des-
ta provincia, previne aos artistas que de-
sejarem concarrer com os. seus productos a
EJffnEZi-COIIIBRi.
13a recita da asslgnatnra.
QBartaftif 20nmlttde i66
Primeira representafo do ragernco drama era
4 actos de Aoieet Boucgeois, traduzid) por urna
babil penna:
GASPARD HABSER.
Personagens.
Gaspar Hauser, moco de 16 an-
uo-..........
A Bwooeza........
Mina, sua aGlhada. ....
Raspacb.....
joven medico. i
O eonselbeiro ulico.....>
Clauss, o pastor.......
Schwartr, cceatura do conde de
Ranspach........>
Frite, criado.......
1* camponez.......
2 dito,.........Santa Rosa.
Sara, lenbeira.......Sr,* Jesuioa.
1 raulher da campo. .... Joaquina.
Leopoldina.
E. Pontes.
Do han* ro.iiiasWri^ iagleza.
Oarra-feir* 2 do corrente.
> agente Pestaa (ara* leilo por coota e risco
de quem pertencer de barris com mantelga iogle-
sa em ura on mais lotes a votMade dos comprado-
res : quarta-feira 20 do corrate pelas 10 horas
de- miahaa no armazem do Sr. Aobes defronte
alraadeca.
itofe-
eacaboo
Isa-
T--

Pr Lisboa
o brigne portoguez BeHa fgveirmse, capito Jos ,
Correia de Car val lio Sobriobo, vai sabir al odia j
25 do correnta ; para carga e passageiros trata-se
com E. R. Rabeilo, roa da Trapiche n. 44, segun-
da aedar.
..$n
C0PANH1A PBRlMaMBUCANA
na *
Navsfaei* casleira por vaaar,
p'ara Aeirac e escalas.
. Segu no da 22rdo corrente o
--A. vapor Mamanguape. Reeafce car-
ga at nos dias 19, 20 e 21 ; en-
cromendas, passageiros e di-
_______nbeiro a frete at as 3 horas do
dia di sabUaTeseriptorio no Porte do Matoj nu-
raero 1. _______^_____________
Para'e OeVa a Jttaraobo sabe a eictroa
Gtorgmtia : a'tratar coat Tasso Irmaos.______
A moiio veleira i barct eortugueza ARHINDA,
capltao Antonio Francisco da Silva Nanas, deve
seguir com minia bravidade em direitnra para o
Porte, ja tem< a mator parla do carregameeto
prompto e-para o resto que Ihe falta e passageiro.
trata-se com o capitao ou cora os consignatarios
Irqae, Barres 4 C, no largo do Corpo Santo
a. ". /
Para
Par^oPara
pretende seguir Oestes-'oito das o patacho portu-
guez S. Jorge de Avaro, o qual tem prompto parte
deseu carregameoto : para, o resto qne Iba falta,
trata-se coro os seus consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azeyedo i C, no seu escrjptorio ra
da Cruz n. 1.________________________
Para a Bahia.
Pretende segal* com moita brevidade a velleira
sumaca nacional Hortencia, a qal tam. parte de
seu campamento prompto, para o reste que Ihe
falta tratase com os sus consignatarios .Antonio
Luiz de CMivelra Azevedo & C, em sen escriptoriu,
ra da Crui o. i.
Sr." A, Araaral.
Clelia.
E. Cmara.
Sr. Como.
Paiva.
> Raymunda.
t Puntes.
P. Joaqoim.
Teixeira.
Pinto.
direit'i provincia.
Art 7. Feam revogadas as disposipoes em con-
trario.
Mando, portanto, a todas as autoridades a quem
o contiecimento e execuc,5o da presente resolugao
pertencer, qae a cumpram e (acara cumprir tao
loteirameole como nella se contm.
O secretario do governo desta provincia a fa^a
imprimir pnblicar. a correr.
Palacio do governo de Pernambnco, 23 de abril
de 1866, 45 da independencia a do imperio.
L.S.
Manoel Clementino Canuiro da Cunha.
Sellada e publicada- a prsenle resoluco nesta
secretaria do governo de Pernambuco, 23 de abril
de 1866.
O secretario Dr. Francisco de Paula Salles.
Registrada a fl. do livro 7. de leis provinciaes,
secretaria ao governo de Pernambuco, 23 de abril
de 1866.
O escripturario da 4/ secso. Theodoro Jos
Tavares.

Art 6. Ao governo Oca reservado o direito de mesma exposico, e. que nao 0 possam fa-
flscalisar a construece, conservagao e aemeo da j f u dfl recwsos que devenj diri-
emprea, assim como o da regular as respectivas i r* <*> %-~-, ." *
tarifas d transportes e as vantagens que deve ter: g>r-SB 30 secretario da 3commissao para OD-
terem os auxilios necessarios a acquisiclo
das materias primas desUadas aos ditos
productos.
Sala da commisso 9 de mato de 1866.
m. Buarque de Macedo,
______________ Secretario._________
O Hlm. r. inspestor da thesouraria provin-
cial em cproprimeato daresolugo da junta da fa-
zenda manda fazer publico que se contraa por
lempo de 3 mezes a contar do 1 de julho ao af-
umo de seterabro prximo vindauro o fornecimen-
to de alimentasao e dietas dos presos pobres fda
casa de detencao, servindo de base a arrematadlo
os preces segulntes:
Domingo, almoco e jaratar
Segunda-feira idem idem
Terga-feira dem idem
Qoarta-feira idem dem
Quinta-feira idem idem.
Sexta feira idem idem.
Sabbado idem idem.
Dietas.
N. 1 .;
S: : : : : :
N. 4...... 400
N. 5...... 400
As pessoas qqe se propozerem a contratar dito
forneciraento apresentem suae propostas em cartrs
fechadas no da 14 de junho prximo vinduro, ao
meio dia na mesma thesouraria onde encootraro
as tabefras dos forneclmentos e condieQ5es com
que devem efectuar o mesmo contrato sendo ha-
bilitados previamente os adores. E para constar
se mandn pnblicar o presente pelo jornal.
Secretarla da thesouraria provincial de Pernam-
buco 29 de maio de 1866.
O oficial da secretarla,
Miguel Alfonso Ferrea^______
mm
380
380
380
360
380
403
340
380
OECLARftCQES
Consolado provincial
Pela mesa do consolado provincial se faz publico
que no da 1 de junho viodouro se principiam a
cootar os 30 dias uteis marcados para a cobranca
bocea do cofre do 2a semestre do anoo flnanceiro
corrente dos Impostos de dcima dos predio* rna-
nos, de 20 0|0 do consumo de agurdente e de K
OJO sobra a renda dos basa de raiz pertencenies a
corporagoes de mao morta.
Mesado consalado provincial de Pernambuco
36 de maio da 1866. .
Antonio Carneiro Machado Ros
Administrador.
Santa Casa da Misericordia
do Recif,
A Hlm.* junta administrativa da Santa Casa de criptorio desta compaohia a arree
Misericordia do Recife manda fazer publico qua um aino a decorrer do i" de-jultlO
ao dia 21 de junho correte pelas 4 horas da tar-
de na saia de suas sessoes tem de Ir
. Sr. Salar,
pedrelro, criados
Cciado-
Camponezes, Hermano, o
obreiros.
As decoraeoesgdo 1" e 2* aetos sfio inteirameote
oovas.'bem como uraa parte do 3o e pintadas pe-
la scenograpbo o Sr. Djroellas.
Denomina^o dos actos.
1* A sepultura dos coodes de Raospacth
2 Gaspard do snbterraoeo.
3 A victima o o algor..
4 O venenpi e a morte.
Terminara' o espeetacufj coiy appUudida co-
media em 1 acto
LIA DEHEL.
Comeoara' a9 boras do eostume.
N. R. Os Srs. que tana eaeommeadado bilhetes
llha ilf S. Miguel
Sahe com muita brevidade a escuna portugueza
EM A, para passageiros Uata.se com Joo do Reg
Lima, a' roa do. Apollo n. 4.
tea Iisboa
seguir rom brevidade a barca portugueza Nova
Maiianna, de primeira classe, e recentemeoie
construida ; tem prompta a maior parte do seu
carregarienlo ; e para o restante e passaeeiros,
para os qaaes tan excellentes commodos. trata-se
com Manoel Ignacio dA Oliveira & Filbo, no largo
do Corpo Santn, i'.', escriptorio, ou com o capi-
tao na praca.
i......mu i ni "i 'i ii i ^^^^^f
Fura o forto. '
Seguir'com'brevidade a bem onhei da e mui
veieira barca Claudma, por ter parte do seu carre-
gameato engajado.: para o rssto e passageiros, aos
quaes offerece excellecles commodos, trata-se com
Cunha frmos 4 C-, a' ra da Madre da Deas n. 3,
eu com o wpiia> i bordo..__________________
Pare a tahia sabe n'eeles seis dias por segair
com pane 4o carregameoto- qaaeoBdosio de Geno-
va a polaca italiana Sara por. isso quem desejar em-
barcar gneros com brevidade ae frete oommodo:
dirija-se ao coosigaalarto Joaqeim Jos Uongalves
Beltrao, ra da V'iganj n. 17, primeiro andar.
Rio Grande do Sul
Segu em p >ucos dias o brigue nacional Tigre,
pois ja' tem a borda parte da carga, anda recebe
alguma a frete e irau-su com Bailar 4 Oliveira,
ra do Vigarlo n. 10.___________
Dinlieiro a risco,
De uBna oarrofa com feoi.
Ao meio du du di quarta-feira.
Em frente ao sobrado.da roa da Cruz n. 67.
De olgoMo avariado.
Vivan Michell.'capltao da barca ingiera EDITH rente
MARIAN, fara'- leilo por conta e risco de quem
pertencer e por intervengo do agente. Oliveira,
precedida a competente jutorisaejo do Illm. Sr.
inspector da alfaodega, em preseoca da um era-
pregado desta repailicao a do Illm Sr. cnsul de
S. 31 Britannica, de 203 saccas de algolo em sa-
cado, a variado e salvado de bordo da dita barca,
qne receotemente pegra f go neste porto
Quarta-feira 20 do corrente
ao meiortiaera ponto, no armazara alfandegado
baro do Livrameato, Loyoao largo da Assem-
bla Provincial, oo Fdrte do Matos ___________
LEILO
De 9 barricas com copos moldados
mirca F&l, viudos de verpotl.
CORDEIRO SIMES
por conta e riseo de quem pertencer fara' leilo
de ,9 barricas cora copos moldados marca FAL,
viodos de Llverpoal e desembarcado nltimameote.
Quarta-feira 20 do corrate as H boras.
Na armazem a roa da Cadete da Recife n. 29.
leElIiAO
De um piano de Jacaranda, 1 reobilia de amar
rallo, 1 cama fvaneeza, 1 eama da farro, t mesa
elaatica, 1 mesa de jaetar, 1 carteira, 6 gibdes pa-
ra roupa saja, 1 mesa da piobo, 1 quartinheira, 1
rewolver de 6 tiros, obras da ooro a 1 salva de
prata, 1 paliteire de dito, colheres de sopa e cha'.
2 duzas de facas de cabos de metal, a outres arti-
gos qae se torna eofadonho mencionar.
Quarta-feira 20 do corrente as 11 horas
em ponto.
No armazem a ra daCadeia do Recife n 29.
te* gara*
K 23 8 CASAS
venda oes
ctidos da lotera qe
neflcio do theatro de
bel, os '.eguintes premios :
N. 3650>'bilbeie inteiro com a sorto de 6:0009-
N 2648-meio bilhfte com a sorte de 1:200*.
N. 4750'bilheto inteiro com a sorte d S00*.
N. lS8i ateto buhe te eos a sorte de 200*.
E ouiras nanitas sortee da 100*, 40*, e 20*.
Oapossuiaies poden vir recebar aens respec-
tivos premios sera os descostes das leis na casa
da Pe-tuna roe, de crespo n. 23.
Acbam-se a venda os da I7> parte da lotera
(C81.) beneficio das familias dos voluntarios da
patria que se extrahira' quarta-feira 20 do cr-
alo
Theatro de S. Isabel
lilil ES.
Companhia do Beberibe.
No dia 23 do corrente ter logar no
a praca a ren-
da das casas abaixo mencionadas por tempo de um
a tres annds.
Os pretenfeotes deveo comparecer acompanba-
dos de seas adores ou munidos de cartas destes.
tsUbelecimento* de caridade.
Roa Direata."
N.:jideme8 idem, sobrado de SI
andares...........fc*000
Roa do Padre Plorlano.
J*. 5 idem- e 4 ideo, casa terrea. 181*000
N. 6 idea e 47 idem. caa terrea.
Roa do Fa(rondes.
?J. 11 idem e 32 idem, casa terrea
Travessa de S. Jos.
N. 13 idea e 11 ld*rn,. cisa terrea. 183*000
y. 14 idem e 5 idam, casa terrea. 1W*000
Ana d{>ft PosfAoroi
N. 16 idam e U idem, casa terrea 216*000
Roa das Calcadas.
N. 20 ide e36 ilem, casa terrea. 176*000
N. 21 iiern a38 idem, casa tarrea. 157*000
Raa da Virafao. <
N. 26 idem a 7 idem, casa tarrea. 204*000
Roa largado Rosario.
N..33 dem a 2b dem segundo e
terceiro aadares.......6WiP00
Loja n. 34 particalar e26Apoblicw 1:806*000
Rna do Caiabonce.
N. 10 lden184lenn cae terrea. 186*009
Bacco dbiQpiabo.
N. 49 i lera e 8 idem, casajerrea. 141*009
Ana da. filara. j
N. 51 ?deaae Sidaaey ceee^taerea- tt4*009j
Boa e Eoeanaamenio.
N. 82 Klee3 idee, sabredo. b00*00t]
Roa do adra Herate.
N.67 ieme5 Wem,cm tarrea. 90*009;
Roa do Apollo.
N. 91 ideo e 24 idem. sobrado de 2
res..........1:400*008
nbia onde melbor es pretellAtaUft sa-Owe
informar das condieces do contrato.
Bazes sobre as quaes se de*e "
Chafariz do largo de Vveiro.
iHftjiai
xonli
e
anoo a 30 de juoho do. aato vjodewa "1
rendtliento dos cbafriit-94fr <*a-*te-
sagen da Magdalena,, dexend.0. sex. tas^f--
postas em carta feebada aotrague nasia, od- '""
casiaoon antes no escriptorio da comga- ^ trQ Q ^^ exe|ut-ada na flauta
pelo Sr. Candido R drigues
djavatia de Zacaras ia opera Nabo
O capillo da barca brasileira Real Pedro, preci-
sa tomar a risco martimo a quantia de 10 a 15
contosde ris, sobre tres mil coaros, parte do car-
regameoto da mesma barca procedente do Rio
para este espectculo podan* manda-ios bascar bo-: Grande do Sul com destino a New-York, arribada
je seguna-faira das 10 boras em djaute. { decentemente a este porto, onde foi coDdemnada,
-------- ;rojos couros seguem para 3 refenoo pono o
I'ROI'R.IHHA I New-York, no patacho brasiteiro Palma : os pre-
o i tendentes srvam-se mandar a sua proposta em
un *aml lalriimpnfal carta fechada aos consignatarios Marques, Barros
l- 31 4 C, largo do Corpo Santo n. f. ou no consulado
' americano at a 1 hora da tarde do dia 19 do cor-
rate mez, aoede serao abertas pelo respectivo
consol.
Terca feira, 9 de junho \ ,
KM BENEflllIO DE
MADAMA BAPTISTA PERRO.
Cora a coadjuvaco dos Illms. Srs. Carlos
Steuber, G. Boaanni, Jos Coelho Barbosa,
Gustavo Wfirtbeimer, Candido Rodrigues, e
Aotonio Martins Vianna; os quaes prestam-
se graciosamente, cabendo a beneficiada an-
tecipar-lb.es desde j os seus agradecimen-
tos-
PRIMEIRA PARTE
l. Cavatina de tenor da opera norma da
M. V. Beliini, cantada pelo Sr. J. Coelho
Barbosa.
2. Phantasia para flaota pelo Sr. Collas
filho sobre motivos dXOpera Traviata de G,
Verdi, executada pelo Sr. Candido Rodri-
gues.
3. Aria de basso da opera Cont de S*
Bonifazio do. maestro G. Verdi, cantada pelo
Sr. G. Bonaoni.
4. A" la pria erociata aria da opera
Lombardi do maestro G. Verdi, cantada pe*
lo joven filho da beaeficiada.
5. Aria variada pelo Sr. fladra Sailer,
executada no olarineito pelo Sr. Antonio
Martins Vianna.
SEGUNDA ULTIMA PARTE.
1. Phantasia da opera Trovador, de G.
TBllM, eiMWBP'Ti.1 VdPai)elo Sr. Carlos
Da armneo da taberna da rui do
Cordn i z a, 5
Quarla-feira 20 do corrente ao meio dia.
O agente Pestaa fara' leilo por conta do Sr.
Joaquim Torres Pita, da armacao, gai, canteiros a
mais atenis pertencenles a' mesma em um s lo-
te : quarta-feira as II boras da raanha na mesma
taberna ra do Cordonla n. S._________*__^__
fiEILAO
De urna mobilia de Jacaranda com lampo de pe-
dra, urna dita de amarello, ama cama franceza de
Jacaranda, urna commoda de Jacaranda, uraa gran-
de banca para advogado com 6 gavetas, orna rica
secretaria de raogoo, um grande guarda louca de
amarello, tres sofasde faia, 23 cadeiras de faia, um
sof de Jacaranda, 2 cadeiras de bracos, seis ca-
mas de ferr-, orna cadeira de balaoco de amarel-
lo, i relogios de cima de mesa, i baaquinhas para
jogo, um lavatorio de amarello e mullos outros ob-
jectos.
Qaiota-feira 21 do corrate.
No armazem da ra da Cadeia do Recife n. 56,
as 11 horas em ponto.
iZvo
Dividas da expolio de Jo^qnim Silva
Lopes na imparta neis de 26,S9 >$370
ris,
Cordefro Stlmes
a requerimeoto do testamenteiro e invontarlante
do floado Joaquim da Silva Lopes e despacho do
Illm. Sr. Ur. juiz municipal da segunda vara, fara'
leilo das" dividas pertenceotes ao espoilo do mes-
mo finado na importancia de 26:595^370 rs., cons-
tantes de ltalos qae se acham em poder do mesmo
agente a exame de quem pertencer, cujo leilo se-
ra' eKectuado no d|a
Sexta-felra 22 do correte
as 11 horas, no armazem a' roa da Cadeia do Re-
cife b. 29.
_!_________J_____i11-11__________ I
maestro,.Petrella, pelo Sr. J. Coe-
le phantasia d^opera Macbeth
e|ooo Dit0 Dtre as duas Pontes
itaooo
Escriptorio da comyaaht do Beberibe 18
dejuihodel66.
O secretario,
Dr, Joo Jos Piaf Jnior.
Gustavo
LEILO
De mooiiia e escravos
IIOJE.
O agente Pestaa legalrnente autorisado pelo
Sr, Manpel Irar p ra a Eiropa fara' leilo de toda a sua mo-
bilia consisUndo ero mbilu de Jacaranda, piano,
jarros,; bgnrasj quadroe, cama^lraoceaa 4 Jacaran-
da, toillets, lavatorljs, guarda ouga, aparadores,
guarda vestidos, trens de mesa de jantar, de almo-
co e fazor cale, vidros, crystaes, berjos, mesa elas-
fica e verlos objeetos de prata.
Assim como na mesma oecasiao algns escra
vos cora nabihdades e sem ellas de ambos o
sexos.
O leSo tora-lugar terce-feira 19 do corrente
eae 10 boras da reaohaa na casa onde resida no
go oo Corpo Santo n. 13, segunde-andar.
Vender-se-ha tambera un mulalinbo de 8 a 10
annos de Idade.
w
Pelo agffMe Euzebio.
' Pe ama mobilia de Jacaranda nova.
Da casa terrea n. 61 na rna do Muodego
Do sobrado n. fifi ra* de Agoas-Vardes.
Dedoasmeiasageasde os. 4 e 6 sitas dentro
de tereaire.becco.4a.Gamboa de Carme.
Mr- m, Denattcatatercaae. 4b> com aetao, sita na
Aria e tenor da opoja Marco Vis- na "daESjJeraaca on Camlnha Novo,, chao pro-
prlo, costaba fota, caciuoija.ooiaial murado, no-
va e a estrada de ferro passa na frente : os pre-
tendemos antecjpera. o exame .cojo leilo tera'la-
gar as 11 horas Da roa a'Cadla n. 85, primeiro
andar. ., /
Pela, admfnfstraco do crrelo desta cidade se
faz publico qae hoje (19; as ?Wts dattrde.fe-
de conduzir para os portos do norte.
OsJornaij(sB^oflaa(*i*ps,ai a.naeififiai* ai
carias serao admettidas a seguro at as 2 horas
da. taede. )
Ceaxalo de Pertaanbuee tS de maio de 180C,
O administrador.
dej taegMt G. Yerdi,
BoBaom.
Principiar as 8 l)oras.
Qniano ser .ochado pf!o Sr. -------
WenUeitoer. ,,. mo^anai
A beneficiada pede para o seu concertajjj joji
yaltosa protCc? dp. respeitavel publica, nom,
assegordo desde j si etprflo reconh'w: ro^i
ment de gptrJ5o. rf as W bor,
OftbUnetfiS.ppdem. ser.propurados na rflVBIM
doTram^e.n^S^segiwdo ajidar. enodia1
dp concert np, escriptorio cH> theatro. *
A mesma beneficiada estar a porta p
fo+ior if ijtriirnriT-irr-
-1
centada pelo Sr.
;f4DeiMiascrafa,

Corder
daonraetrata
enadoAoto-
m. m D;-
umA e^ceafe de
e diversas obras da
artar.bil,20,dn corrtct j ,
*m eaat) no armazem a. roa da L.-
UVISOS DIVERSOS
Compra-se um sobrado em bom es.-
tado, de um a tres andares, as ras se-
guintes: Cadeia, Cruz, Trapiche, Impera-
dor, Crespo, Cabug, Nova, Queimado, Cru-
zes, Livramento, larga do Rosario e Hor-
tas; quem tiver deite carta fechada com as
iniciaesA. CE nalivraria n, 8da|prar;ada
Ind ependencia.__________________
LOTERA
tos :ooo$ooo
Corre amauMa.
Acham-se venda na respectiva thesou-
raria, rna do Crespo n. 13, os b be-
tes, meios e quintos da 17* lotera a be-
neficio das familias dos. voluntarios da pa-
tria (68.a), sendo a extracto no logar e ho-
ra do eostume.
Os premio* da :005000 at KWOOO
serao pagos una hora depois da extraccSo
at as 3 horas da tarde, e os outros depoil
da distriboicaedas listas.
i As encommendas serlo guardadas s
mente at a noite da vspera da ertraccao.
. II1L l.. ^) ih^Bftiirtrff i
Antonio Jos Rodrignes_deJ?oaw. _
Quem aaouncioudar 1-0004 sobre bypoihe-
ca, dirija se a roa dq Nogneira n. 20; i* andar.
ZTAbe Mara 4a'rtecaCsnMito portugne, re-
lira-se para o Para. ._____________________
PREgO.
'8K-::-; : : SH
Quintos.....14200
ai rebata-que oom/ratw de 100 para cima.
Bilhetes.....34900
Mate.....114760
Quintos. 4100
Manoel Martin Ftnza.
ladrte-pib partugiez.
A directoria provisoria desta assoctaco tem r>-
cebido n-cUmaes de varias pessoas, que. hayendo
assignado em diversas listas, dizer nao ter sido
i procuradas para o pagameoto das suas jotas. De
i oulras sabe- esta directora que, suppondu se fon-
! damento real que o MontePio Portuguez nao pas-
sar, ou dtjlinlwra' no-estado de mbry, reser-
vam-se para pagar ajoia de diz mil res, depois
''que-vire* asoeiade' instaltd.
Atleodeedo, come Ihe curapr, as reelanwcdes
l dos primeira, e, nao podeooa delxar de duer aos
segundos, qu labjraiu eui erro,- se se parsuadem
poder espacar at esse tempo o pagamento a que,
como pessoas de lirio, se obrigarsm pelo fado da
soaassigoatur, a directora previsor convida
aluda pela ultima frentudos aquelles, qae eslivorern
era algum dos indicados casos, a reamaren* o pa-
gamento das suas jotas at ao diai do corren-
te mez, impreterivehnenle, procurando para esse
fim os respectivos reelbos em mi do Sr. ttaesou-
reiro interino, o Sr. Jos Alves Lima, Da p aga da
Roa-Vista ns. 4 e 8 ; o para>Aaior coreutedidade
dos ioleressados, e para daflnro nao alligareni
qaalquer desculpa (jm nao. sera' at|ndida),
aquel les qoe nao p jderem dtrigif-se a casa do Sr.
thesoireiro, queiram deixar nota de saos nones
pera serem procurados, o Recife, oo Porte do
Mattos, armazem do Sr. Jos da Silva Loyo, oa ra
da Madre de Deus, botica dos Srs. Joo da C. Bra-
vo & C, e na roa da Cruz o. 23, Io aodar ; e era
Samo Antonio, oa ra do Crespo o.2, livraria Eco-
nmica, e no Gaujnea Portuguez de Leitura.
Logo depois qoe, por aDooocios pblicos, se de{
clararen) em vigor os estatutos, e isso tera' lugar.
segundo todas as probabilidade.-, depois do dia 20
e antes do dia 30 do mez correte, a jota, em coc-
formidade com o dispostu no art. 70 dos meemos
estaflos, passar a ser de 2540.00, tanto para os
candidatos que desde essa dala em dlante forem
propostos, como para aqnelles que antes Memas
asstgnado, tnas.ngo pago, quantia inferior. A'
vista di.-lo, e-p-ra a di/er.ioria provisoria que,
quem aioda nao liver honrado a sua assignatura.
se apressara' a faze-lo al ao dia 20 degie mez o
mais tardar, ou a deixar nota de sea nome, ua
forma sopra indicada, para ser anda procu-
rado.
Sao bem conheeidos os metivos por que o Monte-
Pio PortuguoZ aiada nao fuocciooa ; e agora que,
felizmente, esta' por assim diter ollimada a arre-
cadagao de listas e cobranca de recibos, agora qua
novas qoaotias teem viudo juotar-se a primeira
somma recolhida ao Novo Banco de Pernambuco,
julga a directora provisoria quenrglwm mais du-
vidar, que possa levar-se a effeito o bello e hu-
manitario peosameoto uo Illm; Sr. Dr. Jos Henri-
ques Ferreira, nosso digno ex-:onsul nesta pro-
vincia.
Aos incredolos a directora provisoria diz pnrae
simplesmente : a installarao do Monta-Pio Portu-
guez ter lugar no dia Io de julho prximo.
Secretaria do Monte-Pio Portoguez em Peruam-
buco, 9 de jonho de 1866.
Jos da Silva Loyo,
Presidente.
Jj.'iqoira.i'iir-lo de Bastos,
______________ 2* secretario.______
Precisa-se de um cozinheiro ; na ra do Crespo,
esguina n. 8. ^^________________
Precisa-se de urna ama forra onescrava, que
compre, lave a cozinhe, para casa de pouca fami-
lia : mnw ap Pirca-iw iU.__________
Precisa-se alugar urna ama que sa!F~cczi-
nliar e fazer o mais servco de dentro de casa de
pequea familia; na ra'das Cruzes em Santo An-
loaio n. 41, 2 andar. ______^^
Agencia de passaporle e por-
tarla.
Claudino do Reg Lima, despachante de passa-
porte e portaras, lira-os para dentro e fura do
imperio, por commodo prego e presteza : na ra
da Praia n. 47, Io andar.
..
CLUB rBN\aWi\N0
A nartirla do mz da iunho carrate t -
Apartida do miz da junho correte
r lugar na noite do dia jti._ _.______
"IZT^ormlilp'nronio'ue ^nbo; portuguez, vaiJ da}, oa nouncie para.ser procurado.
aofRo de Janeiro. '- -"
Ift. >
receber.
avisos atjtfTiatts
,i^. *w,Afto por
rretfffi^
I Por nao ter havldo audiencia o dia 15 do cor- A vetira e bem conbecida barca por(jagueza
rente, e debida de.snae^ireiiiaadei oa mevei Tentador, pretende segnir com-muita bra#ldade,
nenhorados a Francisco Alves da Silva pelo teen- tem parta de seo cajqregamenlo engajado:aira o.
le-coronel Justino Bareira de Paria*, o oe tera, resto qaa Ihe-alratrau-be com as seus cooe^nau-
lugar no dia 19 do corrente, depois da audiencia ros Antonio Lula de OlweiraAaevedo & no sao,
do r* wnteipai da vara. emipiodr na rea Ubre J;{UQU.I8AL-
"TU.
ATO tenj4M,9 vis-
Conlina .fgido o.
pre^o-el mr "
Este perverso PA.
. to disfarcado em almoefeve, trajano cha
hV4beoro. e4m|s*d algodo e serouia
curta di mcnn feaafla, f """r launa a,
ame secea.
Goneta qoe aasm dtsfargado- alie eoetema frj
qnentar, depea de dei'rior da aeit. um prosti
D uiB ftiano forl, orna mobtfla de iacarind
com tpaupos de pedra, 4 qnadros qom Bnasjlavu-
ras, eSaftcaes e mangasj 1 relogio, jarros; les,
eacarradetra?, 1 mesa elstica, 1 guarda pnga,
louga para almoco e jantar, 1' *'
gnarda roorra, 1 toiilei'eon espelho, 2 lavatorios,
H vottirete, 1 commode, 1 mala dfta, cadeiras de boro a' rna das Lamparma* eqne dabt retirase
balance, altas de gnarnrgo, dias americanae, as qnatro horas, qoaedo o perniltta embriaguez
marquexas, mesa, 1 allhio, 1 eama franaaia e qoe se eaweg. '' '
iiUm Miiri urlma rean tilrr'" ao eaame dos Paca-se a quantia cima e da-se mats alguma
OPInte? m*T gratcaciqaverno,amarrar, a.c^dnalr, a sua
QuarU-tbira 20 de jUBho. senhora a ra da Prata desta cidade, atmaiem de
Qagoi^Pinlo.eflcwea^oporttn^esirangeiN 9ro SAtjGAW).
oua retLra-se desta orpvfncla fara leilo dos ob-, __ ,.. >l
jectos aolm raeixclona*)s, as 10 Horas do dia aci- O padre Jos Bfbw> de Andrade m a Eu^
a dito m roa da Crui 87. ropa tratar it ana aanda.
Precisa-se
,de um caixeiro para padaria, desojando se que ja
teoha alguma pratica ; a tratar na ra de Joo
Fernn Jes Vieira, taberna n. 64.
na ra das cruzes
Precisa-se de urna ama
n. 35. _______________
' O baixo assignado fiz scieuia ao respeitavel
publico e com especiali Jade ao corpo do cummer-
cio, que Sea sera effeito o annuncio que fez publi-
car no Diario de 18 do corrente, relativamente
venda da sen estabelecimento de taberna, silo na
rae do Caaarao. n. 13._____________________
' Preclsa-ss de- um cozinheiro que seja diligen-
te no seu trabalho ; a tratar na casa de pasto da
ra larga do Rosario o. 33._________________
Prectsa-se alagar urna casa terrea as ras
segnintes : Cinco Ponas, Concordia, camboa do
Carme e ra Augusta; a tratar na ra do Rangel
numero 9. __
,"'-^ Pracisarsa da.,uma ama para coiubar e fazer
as compras : na roa Nava.. 2b'.
. ----------',!-,> ------"I-------TTH"-ir-.<-- '-''- ""-
Precisare,de, um.feiWr fiara nm, sitio pequeo
perto da praca, que seja pessoa capaz e trabaja-
dor, da-se casa peopria a boa pava mofar ; na ra
Novan 19, 1 andar.
Um mogo com bastantes haulitagoes o (Tere-
ce-se paraensinar primeiras letras, em algum en-
genbo, mesmo qoe seja distaste desta capital :
quera precisar dtrlja carta fechada a', laja n. 8 da
pragt da Independencia sob as iuiclaes H. H. 11.
' *Precsa-ss ajjige. um preto que saiba cozi-
nhar, para casa de pqnena familia ; quem tiver
e querr alugar, dirljarse a roa da. Cadeia, 3* an-
agricultores.
, j Unt americano recente meo t cbagado dos
Estados-Unidos, tendo 25 annos de expe-
riencia-em cultivar goiio, anear, milho
,etc,.,Pde^ wjjnr.figarrsa e aj^um estae.
4apimeat,aagri)t e-mesmo.-tem para ven-
der os naeiores arado usados na America
do Norte, e ensiha a maneira de usa-los: a
tratar a' roa do frapiebe n, 48, primeiro
3**lA*________________________
trecta-se dd urna criada paca, servi-
C&4apano*mia? aa rea A\ifQ9ta n. 5,
primen^ aflilar. '______
Precisa-WW WbT"'Smn)ara cosinhar em
rmMmi pa*if ?'.A!l|HftB da. Molda
r_ iosebb Wu* Mfra-a(baiia Wae^a.
----------------------------II'I' !'* 'Bi H i II .
Miguel Arcbaujo de Oliveira Tardozo rell-
ra-se para a Europa a tratar de sua saude, julga
nada dever a esta praca nem em parte alguma do
i se jojgar sen oreder ha ja de
o. prafp *a3 dias, roa da Praia nu-
aeccos e
atender
,!



i


4} Diario de reraamfcaeo Terca letra de Indio de 1804.
PASTILHAS
VERMFUGAS
DE KEIWP,
NOVA YORK.
DE COR CHEIRO E SABOR AGRADAVEIS
Infinitamente mais eficazes do que todos
os mais remedios perigosos enauseabundos
que existem para a expulsSo daslombrigae.
Nao causam dores e produzem seu effeito,
sem precisar logo depois de purgante ne-
nhum e taoincitantcs cm apparencia edeli-
ciosas em gosto, que as criancas estao
promptasa tomar mais do que marca a re-
ce ita.
Uteis como um excellente meio de fazer
remover as obstrucces do ventre, mesmo
no caso de nao existirem verme algam, as
PASTILHASVER&HPUGAS DE KK.MPS SO promp-
tas einfalliveis na saa operacao e por todos
os respeitos dignas deconfianca e approva-
cSo de todos os paes de familias. Prepa-
radas nicamente por Lanman & d,
Nova York.
Deposito geral em Pernambuco ra da
Cruz n.22 em casa de Caros
Aviso
Amerito Ferreira da Silva tem a honra de par-
ticipar ao respeitavel publico que -tem aberio na
praca do ci mmercio o. 48 ara armazem de com-
missoes de comprs e vendas de qnaesqner etle-
tos d que o lacambirem, tanto no sea armazem
como fra del le, tendo em boa guarda os qae Ihe
forera remedidos, observando fielmente as iostrnc-
(des qne toe forem transmettidas para o bom de*
sempeaho de seas deveres, a contento de todos qae
lhe honrarem rom a saa confianca. Outro sim
jolga nadadever o anuanciante, e se alguem ae
juigar credor, aprsente sua contaque immediata-
meoie ser satisfeito.
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, eslabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mereadorias e mobilias:
na ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Em casa de Theod Cbristiansen, ra do Tra
picbe-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil
de Brandenburg frres, Bordeaax, encontrase ef-
fectivamenle deposito dos artigos segointes :
St. Jalieo.
St. Perre.
Larose.
Chatean Loville.
Chateaa Margaux.
Grand vio Cbateau Lafitte 1858.
Chateaa Lafitte.
Haut Saoternes.
Chatean Saoternes-.
Chateau Lataur Blanche.
Chateaa Yqaem.
Cognac em tres qualidades.
Azeite doce. Precos de Bordeaux.__________
- Ha para alu?ar-se nm escravo possaote pro-
prio para todo servico: na roa da Cadeia do Re-
cite n. 52, terceiro andar.
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de lerte; na praca do
Ccrpo Santo n. 17. _____ ______
A Salsaparilha
DE AYEE.
Fara a cura radical de
Escrfulas, ulceras, chagas, fer-
idas velhas, molestias syphil-
iticas, e mercuriaes, Enfermi-
dades das mclheres, como re-
teni;ao, meustro doloroso, ulcer-
aco do tero, e flores branca*.
A Nevralgia, Convulsoes, Ery-
sipelas, Enfermidades Cutnea*,
borbulhas, nasudas, etc.
O extrmcto composto ilc SALSAPARILHA, confeccion-
ado pelo Dn. AYEH, c urna combinaco dos melliorcft depura-
tivos e alterantes conliecidos medicina; coroposto segundo
s Icio da ideada, approrado c receitado pelos prmciros
mdicos dos Estados Unidos, da America do Sul, do Mxico,
las Indias e dos principaes Estados da Europa.
A SALSAPABILHA do AYER especialmente efflcaz na
cura daa molestias que tem sua origem na escrfula/ na
infeceo venrea, r.o uso excessivo do mercurio oii emqualquer
impureza do .Sangue.
Entre todas as molestias que nffligcm o genero humano, no
lia urna mais universal e terrivel do que a escrfula; por si
nao 6 to destructiva, poreni a causa principal de militas en-
fermidades que nao ihe sio gcrtvlmente attribnidae.
urna causa directa da tsica pulmonar do mal do
fle/ado, c estamayOf affecclies do cerebro, Rheumatlsmo
e affer^Ses dos Rins: cutre seos svmptomas ha os seguintes;
Falta de apetito, Fraqueza c molcza em todo corpo; Mo
cheiro da boca, semblante plido e indiada, as vezes d'uuia
airan transparente, outras vezes corado e anurcllo ao redor
da boca; Digcstao frnca e apetito Irregular; Ventre luchado
? evacalo irregular, Qiiando ataca os pulmoes urna eflr
azulada mostra-se a roda dos olhos, quando no estomago
sao avermelhn dos, as pessoas de dltposlco escrofulosa
apparecem frequentemente empelles na pelle da caboga e outras
partes do corpo ; sao predispOstas s affeccSe* dos pulmoes, do
ligado, dos ras c dos orgos digestivos e uterinos. PorUsnto,
nao sao rnente aquelles que padecem das formas ulcerosas
** tuberculosas da escrfula que necessitam de protceco
contra 6* eens estragos ; todos aquelles cm cojo sangue existo
o virus latente dest terrivel flagello (e as vezes hereditario),
-Lio expostos tambem a soflrer das enflrmidadas que lie
causa.
Oirereoemos a eslas pessoas um abrigo segure e um anti-
doto cfficaz contra esta molestia e suas consequencJas, na
Salsaparilha de Ayer
que opera directamente sobre o sangue, purilicando-o e ex-
pulsando delle a corrupeo e o veneno da molestia i penetra
todas as partes e todos os orgos do corpo humano, livrando-
os da sua aceao viciada o Inspirando-lhes novo rigor. E'um
alterante poderosisslmo para a reaovaeo do sangue, e d ao
corpo ja enfraquecido pela docnca forja e energa renovadas
como as da Juventud.
TAMBEM O MI.T.UOIt A2TTI.8TPBILITICO
CDSHBCIDO l
cura permanenmente as priores formas de 8YPHILI8 e aa
suas coBsequencias. Pouca necessldadc ha de informar o pub-
lico do incstimavel valor de um remedio que, como este, lvra
o sangue dessa corrupcao e arrebata a victima das garras de
urna morte lenta e ignominiosa, porm lnevitavel se mal
nao e logo combatido com energa.
Nao pretendemos promulgar, nem queremos que se luir
que este remedio Infalive para u cura de todos os padeei-
mentos humanos, o que dizemos que a
Salsaparilha de Ayer
' a melhnr preparadlo at hoje descoberta para estas e outras
molestias anlogas, ase i urna comblnacio dos alterantes
mais efflcazes conhecldos, c que temos.consciencia de onerecer
ao publico o mellior resaltado que posslvel produlr, da
ntelligencia e pericia medica das nossos lempos.
\AMPK
LITORAL E DULCIFICANTE
DE
StlM I.IOIU;i>
Preparado por GRIMAULT & C.* pharma-
ceuticos-de S. A. I. oprinci|e.Napoleo.
Gura rpida das molestias seguintes:
tosse. eatarrhos, pleuresa, coqueluche, an-
ginas, fortes constipacSes, irritares dos bro-
neheos edo peito, bronchite, pbtysica pulmo-
nar, asirna,pneumona, anginas, amygdalites,
tosse ebronica, rouquidao.
. Os mdicos recommendam ao mesmo tem
po o uso das excellentes paslilbas peitoraes
con o suco da alfaee o laureino-cerejo, que
se preparara no mesmo estcbelecimento.
A venda .as pharmacias de-Maurer e A.
Caors.______________________________
Precisa-se de urna ama para cotinhar em
casa de rapaz solteiro : a tratar na ra da Moeda
numero 29;____________________________
Casa de commrsso de escraros na .mi do Impe-
rador n. 45, terceiro andar.
Becebem-se escravos tanto do mato como da
praga para sereno vendidos por commsao, affian-
ca-se o bom traumento e seguraora para os mes-1
os. O abati assigoado nao poopa esforcos aQm
de os vender com promptido, nesta mesma casa
ta sempre para^ender escravos de ambos os sexos.
________________Antonie Jos V. de Souza.
= O Dr. Joaquim Jos de Campos mu-
dou o seu escriptorio de advocada para a I
casa n, 22 da raa do Imperador, primeiro
andar, sala do fundo.__________________
Os abaixo assigoado.', senhores pessuidores i
por Ululo legitimo das escravii has crioulas Isabel;
e Thereza, ambas traas, de idade de 40 a 11 an-
uos, e qae pertenceraat ao casal do finado Manoel
Peregrino de Ahneida e Albuqaerqae, desviadas e
occultas ha quasi om auno em lagar nao sabido,
pelo depositario judicial Francisco Pereira de Assiz,
que tem orna pequea parte em orna della?, de-
claram que eslo dispostos a usar dos meios civis
e eriminaes contra qualquer pessoa que as tenha
illegalmente em seu poder ; outro sim fazem pu-
blico que gratificaro a quem ihes descobrir e der
noticias das mencionadas egcravioha?, e rogam a
todas as autoridades polleiaes desta e de outras
proviocias a saa captura.
Julio Gomes da Silva.
_____Pedro Paulo de Almeida e Albuquerque.
Precisa-se de urna ama forra ou escrava que j
entenda dos servicos de urna casa de familia :
quem estiver nesta condico dirjase as Cinco
Ponas, defronte da estacao, n. O.
Samuel Power Jehnstoo t Companhii
Ruada SenzalaNova n, 4.
AGINCIA DA
Fandl^So deLow Moor.
Mchicas a vapor de 4 e 6 cava los.
Moendas e meias moendas para engento.
Taias de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arries de carro para nm e doos cavallo*.
Relogios de ouro patente ingiez.
Arados americanos.
Mar binas para descarocar algodao.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
WI3MMM asKMCMSMsW
Companhia fidelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Janeiro.
AGINTI8 EM PBKKAMHKO
Atitoaio Uii de Oliveira Aivdo k G,
competentemente autorlsados pela direc-
tora da companbla de segaros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mereado-
rias e predios no sea escriptorio roa da
__ Croi n. 1.
s*
Fogo fogo
Valdivino da plvora com fabrica de fogo artifi-
cial na liba do Marnim, se acba com parco de
fogos do ar de i* sorte ] postes as fletas, a espe-
ra, de festejar os das qae ti ver noticias de qualquer
iriumpho cas nosas armas dentrodoHamait; todo
aquelle qae nver a mesma salisfacao dirija-se ao
armazem de sal da roa Imperial n. 221 pouco alm
da fabrica de sabo.
g BEPOSITO DE CALCADO g
B FABRICADO NA CASA DE DETENC0 91
M Ra Nova n. I. p
m Abi se encontrarao obras Je di- mt
! versas quaiidades, e por preco mui :
Si diminutos, a retalho e em porces. 9t
)K So se vende a dinheiro. jM
wmmm&stm & mmm
Criado.
Precisa-se de um criado de 10 a 13 annos : na
ra Oireila o. 68, i' andar. _______^____
" Arrenda se um sitio no lugar daPiran-
ga, com trras de plantar e pasto, e varias
arvores de frocto; na ra do Imperador es-
criptorio: n. 12.___________ _
Precisa-se fallar com o Sr. Antonio de Al
melda Oliveira : na roa da Cruz n. 23, primeiro
andar. ___________^_________
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C. tem
para vender no sea escriptorio, roa da Cruz n. 1,
vinbo do Porto em caixa de duzia, fio bamburguez,
sola da Babia superior.
****** s mmmmmmm
AVISO S
Fugio a 13 de abril do cotrente anno
o escravo Joo, cabra claro, ropresenta
ter 25 annos, um pouco baixo, corpo re-
gular, ps e mos um pouco grossos, na-
riz afilado, resto comprido, pouca barba,
cabellos carapinhos, hombros largos, fal-
la mansa, com alguma proza e diz qae
forro, este escravo foi encontrado em Ga-
ranbuns em caminbo para o serio, pre-
sume-se que esteja anda em Garanbuns
ou em seus suburbios por ter conbecidos,
foi escravo do Sr. Antonio Correa da
Rocha Haniz, de Garantaos, e remettido
pelo Sr. Pedro Chaves ao Sr. Manoel Ri-
beiro de Camino com loja de fazendas
na roa do Queimado para ser vendido no
Recife, protestase contra quem o tlver
oceulto : quem o pegar e levar ao seu se-
nbor Jos Pereira de Miranda Cunta, ra
da Imperatriz n. 15, 2a-andar, alm de se
pagar as despezas o gratificar com ge-
nerosidade.
A NACIONAL
Oompanliia. geral hespanhola A seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 24 DE DEZEMBRO DE 18S9
Urna laica em Maheiro, depositado nos cofres 4o estado, garante a boa ad-
miitstaaco da compaihia.
BANfiUElrtOS DA COMPANHIA DIRECCO GERAL
O Baneo de llcspanba Madrid : Raa do Prado n. 19
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos sega'
o s sobre a vida.
Nelli. pode se tazer a subscripc7,o de maneira qne em nenhnm caso mesmo por morte do
segurado e.perca o capital nem os juros correspondentes a ertes.
Sao to-3uprehendentes os resultados que prodazem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL,qoe atada mesmo dimtouindo urna terca parte do mteresse produzido em recentes iiquida-
oes e combinndolo com a mortaiidade da tabella de Depareieax qae adoptada pela companhia
Sara seus clenlos eliquidaedes, em-segurados de idade de 3 al9 annos, amaimposicSoannoa.
e 100J produE em effectivo metlico:
No flm de 5 annos. ...... 1:119*300
> de 10 s....... 3:942*600
de lo........11:208*200
de 20........30:256*000
i de 25 .......80:331*000
as idades menores de 3 annos e atores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospect>s e mais inforinaedes serio prestadas pelo sub-director nesta provincia,
im Fiuza de Oliveira, roa da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista raa da Imperatriz n. 12, estabelc
ment dos Srs. Rarmundo, Carlos,Leite & Irmio.
^TINTURARA
AO GRANDE S- MAURICIO
s
CASA DE BAMIOS
26 Pateo do Carino 26.
Neste estabelecimento tao impor-
tante para a saude e asseio do cor-
po, acham-se montados 20 banhei-
ros, qne sao servidos com a ordem
e asseio qne para desejar-se. Qna-
tro destes banheiros sao especial-
menle reservados para senhoras e
por isto acham-se collocados em lu-
gar reservado, aonde s tem entra-
da as pessoas de urna mesma fami-
lia.
PREQOS DE BANHOS AVULSOS.
I banho fri, momo ou de
chovisoo...... 500
i dito de choque .... 1)5000
1 dito de farello...... f 3SO0O
dito aromalisado i 000
PREgOS POR ASSIGNATURA.
30 banhos por mez fri,
morno ou e chovisco. 1000
25 banhos com cartoes pa-
ra os mesmos .... 1000C
12 ditos ditos ditos ..." r^OOO
12 ditos ditos de choque. l^OCO
12 ditos ditos de farello.. 10,5000
0 estabelecimento estar aberto
nos dias uteis das 6 horas da ma-
nhaa as 10 da noite, nos dias san-
tificados das 5 as 5 horas da tarde.
Quem precisar de ama ama para casa de
pouca familia para o servico interior dirija-se a
ra do Apollo n. 37, loja, que encontrara' com
quera tratar.
Grande hotel Traviata
O propietario deste estabelecimento participa
ao respeitavel publico qne acaba de reformar o
sea hotel de modo a offerecer aos seas fregnezes
i excellentes commodidades, boa o asselada comida,
i delicados vinhos e magnficos bilbares por preco
Na raa do Crespo o. 18, segando andar, pre- commodo. 0 servico feito com regnlandade. e
cisa se de urna ama de leite.________________ promptido ama prova de qae o proprielario do
7"77 Z hotel Traviata maito se empenna em agradar aos
J\tteilCaO seus fregnezes.
Eogomma-se roupa cora todo o aceio, perfeleao e Este hotel, situado na ra do Rosario larga n.
promptido: quem pretender pode dirigir as suas 37, no bairro de Santo Antonio sem duvida o
PllOCESSOS APCRFEICOAllOl
PARA 7
Tangir, liinpar e lustrar a vapor.
F. A. SALIN6RB & C.
29 Kua 7 de setembro 29
Befroate da roa nuva do Ouvidor (Rio de Janeiro)
Os propietarios deste estabelecimento, o primeiro no seo genero no Rrasil, por
trabalbar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que se faz uso na
Europa, eajudados por alguns dos melhores officiaes de Pars e Lyo, podem assegn-
rar seus freguezes urna perfei.ao.no trabalbo, a qual senao pode ebegar pelos proces-
sos ordinarios.
Tingem, lavam, limpam e demofam com a mai< r perfeico e brevidade qualquer
qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem molbar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de homens.
Na pra?a da Independencia n. 33, loja de
\, ourives, compra-;e ouro, prata, e pedras preciosas,
j; e tambem se faz qualquer obra de encoramenda, e
: todo e qualquer concert._______.____
Trocara-se notas do banco do Brasil e das
caisB iiiiacj com descont razoavel : na praca da
ndependencia n. 22.
Eogomma-se
: com asseio, promptido e preces razoaveis: na roa
Augusta n.5. loja._______________________
Prec isa-se de nma mulher forra de meia ida
de que sequelra prestar a ser ama e fazer com-
panhia a urna senhora; a tratar na roa do Quei-
mado n. 69.
mmmizm
[0 hacha re J.
Franklin S. Tavora]
pode ser procurado na roa das Crazes
n. 33, primeiro andar, para os misteres
de advocada.
LOJA DA FRAGATA AMAZONAS
N. 5 lina do Queimado n, 5.
MonteiroA Guimares, part'cipam a todos os seus amigos e freguezes, que recebem
de conta propria por lodos ts vapores da Europa, grande e variadissimo sortimento de
objectos de alta novidade, e bem assim adornos proprios para casamentes, pois que seus
correspondentes de Hamburgo, Pars e Londres, na esclba de taes mereadorias tem
merecido approvacjo das encantadoras Pernambucanas.
A Fragata acaba de receber pelo ultimo vapor grande variedades de sedas de todas
as cores e qualidades, tambem recebe por todos os vapores luvas de pellica, (do afamado
Jouvin) saias de la com barras colloridas de grande novidade na Europa, vestidos de
granadina bordados agulha, e de grande ton, ditos de popelina muito chiques, ditos
de esmeraldine (gostos novos.) riquissimos cortinados bordados a ponto de crochet, ro-
tondas de seda, ditas de nho, ditas de algod5o, chales de guipour de seda, e de al-
god3o, pentes para cok, (de phantasia) enfeites para ditos, manguitos bordados e
gollinhas, camisinhas ditas, transparentes para janellas com mui lindos paisagem, pre-
cales de apuradissimos gostos e padroes, chapeos depalha enfeitados pelas melhores flo-
ristas de Pars, entremeios bordados finos de differentes larguras, riquissimos cintos
bordados com figuras chinezas, (bordado na mesma fita) baloes de basteas d'aco ameri-
canos, ditlos de musselina, tapete para guarnico de salas padroes muito bellos, chapeos
de sol de seda para senhoras, ditos para homem, enfeites imperatriz Eugenia, ditos
Mara Pia, cestinhas com todos os pertences para meninos de escolla, saias bordadas
para senhoras, gollinhas bordadas (gosto novo) chitas escuras e claras, madapoles, cam-
braia de cor, ditas pretas, bolsas de tapete paraviagem, ditas de vaquetas para guardar
dinheiro, e ontras muitas fazendas que se vendem por menos prtco que em outro qualquer
estabelecimento.
:SKSS
Carlos Francisco Ferreira Borges, snbdito
portognez, vai Lisboa, e leva em saa companbfa
sua sobrinba menor Candida Maria Soares.
No dia 19 do andante mez, depois da audien-
cia do Dr. joiz de ornhos, vai a praca de venda
o preto Gabriel, de 37 annos de idade e reflnador,
avahado em 7004, e pertence ao casal do finado
Joaquim da Costa Vieira.
DE

: propostas na roa do Palacio
Precisa se alagar nma
servir de ama secca a ama
Imperador n. 27.
do Bispo n. 38.
escrava idosa para
menina : na ra do
-'
REMEDIO DE AYER PARA SEZES
Infalirel aaa febret intermitiente*, remittentes,
Febre* Biliosas e terca, mal do figado, in-
cremento do ba$o, cexueira. Dr no
ouTidoa e palpitares, quando
ato oaoaadoa pelas
fEBRES INTBRMITTBNTES, OU RBMITTBNTES.
As prepar*{dea de Dr. Ates o vendidas em toda* a
Boticas e DrOfarUi do Imperio.
Ven de-se em Pernambuco:
na
Precisa-se de nma ama para cozinhar e en-
gommar em ama casa de pouca familia fra da
cidade : a tratar na ilha dos Ratos n. ii.
O abaixo assignado faz sciente ao respeitavel
corpo do comraercio qne tem justo e contratado
vender sua taberna sita na ra do Camarao n. 13,
ao Sr. Jos Francisco Coelho da Paz.
_______ Joo Pereira Gongalves._____
Precisa-se de om calxelro qae tenha pratica
de raiudezas : a tratar na roa da Imperatriz n. 84,
Prefere se Brasllelro.
Precisa-se de om menino bara eaixeiro de
taberna, qoe tenha pratica e d conhecimento a
saa conducta : na ra do Nogueira a. 29.
mais central e como tal o qae proporciona mais
vaptagens.
CaseTvazia
Aluga-se ama pequea casa na ra do Nascen-
te n. 14 : a tratar com Azevedo & irmo a rna do
Queimado.____________________________
Precisa-se de urna ama para cosinbar, na rna
do Crespo n. 18 primeiro andar : a tratar das 9
horas da oanha as 3 da Urde ou na rna Nova de
Santa RiUjn. 69 junto a fabrica de sabao.
Ama de leite
Precisase de ama ama de leite livre ou capti-
va : na ra da Praia o. 13 e 15, armazem.
Ama secca.
Precisase de nma ama para comprar e cosi-
i nhar para pequea familia, livre ou captiva : na
' rna da Praia a. 13 e 15, armazem.
Constando ao abaixo assignado qne fra avalla-
do sitio denominado Pttxtnkos da cidade de
Olinda por multo teos de seo valor, e havendo
quem o pretenda por tnalor praco, deseja que o
Sr. Dr. jniz de orphos digne-se mandar qne dita
propriedade seja arrematada em hasta publica, nao
s para d'ah tlrar-te as despezas do inventario,
como por ser de mais ioteresse para (odos o her-
deiros.
PAPIS PINTADOS
Sortimento de papis pintados e
lindas guarnieses para forrar casas.
NaLlVRARlAFRANCEZA.
N. 9. Roa do Crespo N. 9.
Um interessado.
(C*a\
PHARWACIE FRANQAISE^
1,deP.MAURER&C,e|

RA NOVA N
Peraen-se na roa do Hospicio, do sitio do
leo at a matriz da Boa-Vista, um roupinno de
vestido de cambraia branca com tiras bordadas,
embrolhado em orna toalba : quem o achou qne-
rendo fazer o favor de restituir leve a ra da ma-
triz da Boa-Vista, casa n. 18, 2o ?ndar, qae ser
recompensado.
Precisa-se de ama ama : na rna de Aguas
Verdes b. 70._______________
Na roa da Uniio n. 40 precisa-se de nma
boa engommadelra.
Na padaria da Torre precisa-se de amjor-
oeiro e um amassador qao vio entregar pao.
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
toe contina a morar na roa do Impera-
dor n. 17, segando andar, tendo alias sea
gabinete de consultas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
O mesmo doutor, qae se tem dado ao
estado unto das operacOes. como das mo-
lestias internas, presta-se a qualquer cha-
mado, quer para dentro quer para fra
da cidade.
Ama
Precisa-se de daasamas ama para cosinbar e
outra para engommar : na praca da Boa-Vista se-
gundo andar, por cima da botica qoe faz esquina
com ra do Araglo.
DE
J. VGNES.
M. 55. RA DO IMPERADOR M. 55.
Os pianos desta aotiga fabrica sao boje asss conhecidos para qae seja necessano insistir sobre a
ina superioridade, vautugens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas incontesta-
vels que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os qne tem apparecido nesta praca'; pos-
inindo nm teclado e machinismo qne obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
Qunca falbar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos Imponan-
issimos para o clima deste paiz ; qnanto s vezes, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-
reis aos onvidos dos apreciadores.
Faiem-se conforme as encommendas, Unto nesU fabrica como na 4o Sr. Blondel, de Pars, socio
orrespondeate de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposiooes.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um explendido e variado sortimento de msicas dos
Minores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo todo vendido por
procos commodos e razoaveis.
?LlZAJtftO
Tinta Inalteravel
Para escrever
de P. MUREK k C.
PERNAMBUCO
Esta tinta recommenda-se pela sua com-
posica e fluidez como a melhor e a mais
segura de todas as tintas at hoje coxvheci-
das. Nao ataca as penuas de ac, d at
tres excellentes copias, mesmo mui tos dias
depois de escrever, e preferivel a qual-
quer outras tintas particularmente para..]
livros de commercio, documentos eto de
que se careca longa conservaca.
Vende-so na livraria franceza ra do Crespo e ra Nova n. 18 de
mmm mmmn mmm
Para a laja da raa do Crespo rn.lt.
, Padroes lindissimos e o sea prego de 750 r?. o cavado oa U980 rs. a vara
A elles Excel lenlissi mas a ates qae ae acaben.

A JOREZ
FUNDIDOR E TORNEIRO
EM
nKTAES
Ra da Matriz da Boa Vista n. 36.
Vende-se um torno obra prima e todo no-
vo proprio para tornear raetaes e madeira
tendo dito tomo cioco qualidades de rosca
differentes para fazer parafusos com a pon-
a e a espera affeicao do T, vende-se igual-
mente um rewolver feito nesta praca por
um dos -mais peritos artistas: para ver e
tratar dirija-se ra na matriz da Boa-Vis-
ta casa n. 36.
)r. Miguel Joaquim de Castro~Mas^
carenbas mudoa a saa residencia da rna
do Sol para a da Imperatriz n. 88, entra-
da pela rna do Hospicio, onde continua
no exercicio de sua profissao. O mesmo
Dr., qae se tem dado com solicitado ao
estudo e pratica das molestias de tero e
de meninos, da consulta gratis aos pobres
das 9 horas as 10 da manha.
Precisase alugar nma escrava que tenha
boa conducta e sem vicio, qne seja boa engom-
madeira: na rna das Cruzes n. 36, primeiro an-
dar, paga-se boro ordenado.
Ana para casa
Precisa-se de ama ama para lavar, engommar e
coser para duas pessoas : a tratar na ra de A-
pollo. n. 9. __________
" Precisa-s de urna ama para comprar e cosi-
nhar para am homem solteiro : na ra Nova n.
26, loja de fazendas.
Menino
O solicitador Pedro Alexandrino da Costa Macha-
do precisa de om rapaz de 12 a 14 annos para ser
ajudante: a tratar na roa Direita u. 68, primeiro
andar.
Vende-se na abobada da Peoba n. 37, macas pa-
ra bolo preparadas com maita perleigo e asseio.
Aluga oe a parte de urna casa: na
ra das Aguas Verdes n. 92.
VAHElIii
Cantos e phantastas.
Um volume in 12," impresso e en-
cadernado em Paris: em casa dos ffa
edictores m
LIVRARIA FRANCEZA
N. 9 Ra do Crespo N. 9.
Methodo Castilho
Manoel Jos de Faria SimSes, professor particu-
cular de instruccao elementar pelo methodo Casti-
lho, avisa aos pas de seus alumnos e ao respeita-
vel publico qae mudoa sua residencia do largo
do Livramento, para ra da Penha n. 25, pri-
meiro andar, onde conlioa no exercicio de seu
magisterio.
Saques
Sobre o Porto e Lisboa: a tratar com
Carvalho dr Nogueira na ra do Apollo nu-
mero 20.
!Joo da Silva Ramos, medic
pela universidade de Coimbra, d I
consultas em sua casa das 9 as j
11 horas da manba, e das 4 as 6 I
da tarde. Visita os doenles em soasi
M casas regularmente as horas para I
g| isso designadas, salvo os casos ur- n
f gentes, que serSo soccorridos em
qualquer occasiao. D consultas aos
pobres que o procrarem no hos-
Ipital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
I manha,
Tem sua casa de sade regular- ]
p mente montada para receber-qual- S
l| quer doente, ainda mesmo os alie- fl
Q nados, para o que tem commodos i
Sapropriados e nella pratica qualquer j
opperac5o cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe. .3i$000 diarios, m
Segunda dita___35500 > m
Terceira dita .2J000
Este estabelecimento j bem m
acreditado pelos bons servicos que i
tem prestado.
0 proprielario espera que elle H
continu a merecer a confianca de al
que sempre tem gozado. )%
VIVA 0 PROGRSSO*
Ao systema mtrico decimal
J ninguem ignora que o governo imperial adop-
tou este systema de pesos e medidas e al ja as
reparticoes militares por nm aviso do ministerio
da agricultura, commercio e obras publicas nao
comprara se nao por taes pesos e medidas. O go-
verno dea um prazo aos particulares para terem
tempode se instrairem, mas brevemente se acaba
e enlo todos serao obrigados a regularem-se por
estes pesos e medidas o qae jnlgamos ser de muita
utilidade por ser esta medida lirada da circumfe-
rencia do globo e por conseguate a nica, certa e
mais exacta, analmente a duvida eslava em nao
haver taes pesos e medidas, porm es;e mal ja'
esta' sanado, ja' temos pesos e medidas tanto para
secco como para liquido, assim como pesos de fer-
ro de 50 kilogrammas at 1|2 hecto-gramma, de
lato de 500 gramuias at um grarama, para sec-
eos desde 1|2 hecto-lure al decilitro, para-liquido
medidas de estanbo desde nm litre at o decilitro,
astlm como medidas de madeira para as lejas e
medidas de extencao (treinas), de 20 a 50 metros:
o nico deposito destes pesose medidas na roa
Nova n. 38, aonde se vendem desde ja e se rece-
bem encommendas para dentro ou fora da pro-
vincia.
Soao Baptisia Gomes Peona tendo discosto de
sen estabelecimento de moldados na ra do Impe-
rador, mudoa sen escriptorio de commisses e
consignacoes para a casa da rna do Crespo n. 18,
primeiro andar, onde podera ser encontrado das 9
horas do dia as 3 da tarde.
Chapeos de manha branca
a Ii, 165.185 e 200.
Na praca da Independencia n. 24 e 26.
O abaixo assignado, deixando de ser eaixei-
ro do Sr, Manoel Ribeiro Fernandes, por assim He
convir, faltara a u-n dever sagrado, delxando Ce
patentear ao publico a saa gratidio, tanto ao Sr.
Fernandes como asna digna consorte, pelas na-
Miras urbanas e delicadas qne sempre se dlgoa-
ram dispensar-lhe, dorante o periodo de oito an-
uos e om mez, qae esteve em saa easa.
Manoel Pereira de Magaihaes Junkr.
'

\
V .
i
I
\ \
' f

i
- ~
.


Diarle de f eraambace Tere leira 19 de Jucho de 1866.

faijmca
NACIONAL
DE
yidhom

Estabeleciment na ra da Uuio n. 11
PBQPRIETARIO MAML LOMBOS.
No deposito, roa do Carino o. 63, existe ara grande sortimento de vldrc* e crystaes, que se
vendern por precos mais baratos do que em qaalqaer parte : frascos de 1 al 8 libras, bocea, larga e
bocea estreiU ; copos de 6 crtes^de mela oiteva at meio qaartilbo ; ditos de 10 cortes de ns. 1 e 2;
globo para lampeos de kerosene, lavrados, lapidados e (aseados; ditos para candleiro de gaz; lam-
peos On kerosene grandes e pequeos, lamparillas de metal; vasos para confeiiara com p e sem
elle, grandes e pequeos ; chamms par lampeos de kerosene de todas aa dimensoes; compoteiras
moldadas de cortes largos, esearradeiras de cores para sali, ditas de mi com ata, pequeas; vento'
sas e bicheiros, ealiies moldados, coooa neos para agua e vinho, pratos moldados, redomas, garrafas
para vtnbo e agua, grandes e pequeas, ditas para Leroy, ditas para licores, ditas para minas, ditas
pan ngoa de Colonia, ps para planos, brancos e de cores; tubos para machinas a vapor, de crystal;
gtebosvom guamicio de metal amarello, mantegneiras de vidro, vidros avulsos para galheteiros lapi-
dados, vidros para lampadas de Igreja, galhetas para missa, ditas para galheteiros, mangas para cas-
licaes lisas, lvradas e lapidadas \ lampeoees de parede para kerosene, ditos de peodorar; copos gra-
duados de-i ate 16 ticas para pharmacia, garantndo-se a exactidio da medida ; vidros para peixes
com p e sem elle, actrcenas para castices, cbamins para lampeos de azeite, ditas de cores para illa-
mmacoes, vipros para agua forte com rolea. Compram-se vidros e crystaes quebrados.
O deposito desta fabrica em Pernerabuco na roa da Impetntrt n. 19, onde existe constante-
lenle cbamins para candleiro a gas de ps. 2 e 3 a 320 rs. e de n. i a 400 rs., lamparinas completas
a 2*. lampeos completos a 7* e 8#, esearradeiras de odres a 2JS00 o par,, pratos para copos d'agoa a
500 rs., copos de dez cortes a 600 rs,, globos lapidados e lavrados para candleiros a gaz a (5800. O
proprieurrio deste novo esiabelsclmenlo convida ao Tespeitavellpublico para qae vlsiiem o mesmo, cer-
tos de que-comprarap os arligos iaispensaveis a urna easa de familia pela su a baratera e uribdade,
* principalmente acs Srs. pbarmaceetfcos pela grande quaotidade de frascos e vidros proprios de ptiar-
macia. Tambem receto encommepdas. O encarregado do proprietario Joo Laiz Encrennaz.
y
'

^^Hsi!5e
(
I CALCADO-
45 Ra Direita S
Ama
Precisase de urna ama para casa de posea f-
mula : na roa Bella n. |3.__________..
domingos Rodrigues de Andrade, sua seohO- nrimin COndidfo indispensavel COI*
se jufgar seos credores queiram apresentar sas tecdidos contra OS ataques da humidaue;
cantas no prazo de 8 das para serem pagas. Calcado bom e seguro O nico preserva*
pl IV FID A I l'vo dessas mil eofermidades a que est su-
ti Al VuluU 'eil nosso~eu_ Um chnelo vtlho cal-
Precisa-.e de ora rapaz viudo ltimamente dvgj0 por iim daody patoscante, on ma
Portugal para caixeiro: a tratar no largo do Car-1 ootina acalcanhida em pequenino pe de en-
mon. a. ^ [cantadora deidade alm de aecusar que-
Predisa-se d-, um perito ofBctai de eotatha-. bradeira horripilante, prova contra as ftcul-
dor para fazer urna obra na igreja de Nossa Se-, dades ntellectuaes dos calcantes, e nao ha
nbora dos Prazeres em Macei : quem se achar
neslas condiccoes quelra apparecer na loja n- 2 no
largo da matriz de Santo Antonio.
Quem precisar de ama ama de leiie pode
procurar na roa do Corredor do Bispo casa nova
sem numero na sexla easa a tsquerda viudo pela
roa dos Pires, e na mesma casa lava-se e engom-
ma-se com perfeico e promplldo.
O agente de leiloes Olympio pede a todas as
pessoas que tem transaccoes com o mesmo, o fa-
vor de dlriglrem-se a casa de sua residencia ra
Formosa n. 14, am de as realisar, visto nao ter o
mesmo agente mais armazem. _;
tPrecisa-se de um caixeiro de iO'a 12 anuos
com pratica de taberna ou sem ella, prefere se
porluguez: na Soledade roa de Joo r'ernaodes
Vteira n. 64, se dir qoem precisa. _Y
Preelsa-se de offlciaes de charntelros na fa-
brica de Francisco Antonio de Alraeida na raa de
S. Concalo m ij._________________________
Manoel Ignacio da Silva Teixeira faz sciente
aos seas fregueses qae contina a mandar facer
em sua nadarla sita no largo da Santa Crac n. i
oa raa do Rosario n. 55, o exeellente pao de to-
das as qulidades inclusive o exeellente pSo fran-
cez de todos os tamanbos e da melbor farinha que
ba no mercado podendo os seas portadores leva-lo
quenteetorrado, das 6horas da manha alase
assim como bolacha furada de 8,10, 15, 20 e 40
por libra, ararota, biscoutos unos, latas e twla-
chinba doce todo do melbor qae possivel fazer-se,
recebe-se encommendas de [pao para mandar en-
trega* em casas particulares entregando o importe
aopertador.__________________________
farros IfiTS. Paulo
De fumo de Belem do Descatvado fabri-
cados pelo celebre JUCA.
Raa do Crespo n. 9.|
6)5000
.7,8000
8,5000
2,51000
1,5600
10600
5^000
40800
40500

FABRICA A VAPOR
99 RA DO MONBEGO 99
Bepoalto na roa Nova u,. -s% loja de relojoeiro.
Delouche donos dest3 estabeleciment partecipa ao respeitavel publico que soa fa-
briea est montada com as melhores machinas que existem na Europa, e que pode
fabricarcoffl melbor pereicSo possivel. Todo o chocolate desta fabrica est garantido, e
paro, o qae nao se pode encontrar naquelle que vem de fura, e qae se vende por preco
bako, visto es productos serem do-paiz. Na etiqueta tem-sempre urna agaia.
PREQO.
Meia fibra.......... 400
Urna libra......... 800
Urna arroba.........194000
Na mesma fabrica acaba de amontar urna officina com serrara a vapor para
obras ae marcineiria prepria para edificio, para o que encartieg<>-se de fazer portas, ja-
dellas, assoaihos (parqu francez cotao se usa na Europa,) e armages, ludo com brevi-
nade e.perfeic5o. Toma-se qualqaer encommeaa para A>; da cidade, entregando-se
prompta a collar-se no tagar.
qoem, tendo bom senso, queira passar por
maluco, ou pobre de surrao : ergo, cor-
ram a:
4RA DIREITA4*.
e atlendam a' barateza.
Horneas.
Borzeguins barcelionezes de.'ilas-
tre e de porco-. :
Ditos de Bordeaux ...
Ditos parisienses de bezerro e
cordaSo ,.....
Sapatos de lona, sola de borra-
coa. ....,...
Dito* aveludados ......
Ditos de tranca bons ....
Senhoras
Bontogum enfeiUdoss. .
Ditos de laco......
Ditos usos......,
Sapatos de borracha....
Selleiros, corrieiros e segeiros I
Sola de lustre, meios grandes 2O0OGO
E um copleto sortimento de cateado fa-
bricado opa iz.______________________
E'TSSSSimo!
E* baratissimo
E' baratissimd
Neste importante estabeleciment encontra o res-
pehavel publico trm variado sortimento de fazeo-
das fran,cezas, iDglezas e suissas, e as qoaes se ven-
derlo por preco commedo a saber:
Chales de renda preta a 50500.
Vende-se nm sortimento de diales de renda pre-
ta a 5*309 e 6*. ditos de seda a li&, ii*^ 165 i
isto na raa da-Imperatriz n.^ de Guimaraes & Ir-
mo.
Retonds pretas a 80.
Vende-se retondas pretas pelo barato -preco de
85, 85900 e 95; na ra d Imperatris n. 72, loja
de Guimaraes & lrmo.
Grande pexincba a 20 o corle.
Vende-se cortes de casemira da Cbiea a 25000,
35500,25800 e 35, ditas de brim a 15280,15400,
15609, 158*) e 25.
E' mu i te "barato, taratana de ores a 240
' rs. o ovado.
Vende-se um grande sortimento de tarlatana de
cores muito proprias para vestido, Taieoda mais
moderna-aue tem viode ao mercado a 240 o cova-
do e 280, ditas mais fiaas a 300 e 320, laasinhas
escocesas rauKo modernas a-360 e 400 rs. o oova-
do, drtas -muito finas 4G0 e 500.
(iwnpraw-se libree eslerlinas, epagam-sej Cobertores de algodo a 800.
tbem : a' rna da' Cruz *.-38 armazem. Veode-se cobertores de algodae 800 rs. ditos
GNBpra-se um beca seliim inglez em segn- [ 'm,e'*re8 a ,*600 '15800, cobertas de chita a 2,
da roJio, pagft-se bem : na rna'Bella 32. t:35o003a. -
-'ConipWiVouro," ,^ peoras preciosa Quem duvidar venha ver.
Grande Liquidado de Fa.-
zendas
Armazem da Arara ra da Im-
peratriz n. 56.
M
UariBCo P. leodes Guiaiii 1 ts.
Chitas da Arara i 60 rs. o covado.
Vndese chitas escoras e claras a 160 e 200 o
covado, cortes "e ditos a 25 e 25400: Roa da
Irtperairi! loja da Arara, o. 56.
Cassas francezas finas a 240 o covado.
Vende-se castas frfcuc o covado. Cortes de ctS'sa a 25400 e 35- Ru* Ji
Iinperatrii: loja do Arira o J6.
Arara vende chitas franrezas a 210 rs. o
covado.
Vende-se chitas franceas esturas com pequeo
loque de mofo a 240 o covado, ditas fiancezas linas,
largar a '.'80. 320 e 400 rs. o covado. Ra da Iin-
pr&trlz u. 56.
Kretanha de rolo a 35(00.
Vende-se pecas de breanba de rolo a 35000.,
brim llzopara lence* a 500, 660 40 o covado.
Roa da koperatriz toja do Arara n. 86.
Cambraias lizas do Arara a 30(00 a peca.
Rodelas de borraxa
proprias para atar masaos de papis, e para ser-
virem de ligas para pnobos, manguilo5, etc. etc.
Vendem-se oa roa do Qaeimado'loja d'agula bran-
ca n. 8.
Mu finas carias
fribeeza?, com caaios donrados, e sem doarado.
Vendem-se nhfna do Quetoado loja (Tagoin bran-
ca n. 8.
Envelop *a 500 rs. o cento.
Vendem-se na' roa do Qoeimado loja d'rguia
' braor.d o. 8.
Apparelbos de porcelana
_, giurados e pintados.
j Naiur. d'Q'oeimado loj? d'aguia branca n. 8,
veadera-se bonitos apparelhos de porcelana para
: almoco e jantar de brner-a?.
Bonilos quadros
para retratos.
Vendem-se na ra do Qoeimado loja d'aguia
branca n. 8. x
Perfumara iogleza
A agua branca ra do Queimado n. 4, receben
um novo orlimento de finas perfumaras mglezas
de I. Gosnell & C.; sendo extractos dos agrsda-
veis cheiros Booq da Rainha Victoria, do P. Alber-
to, do imperador Napoleao, da imperalriz Eugenia,
Vende-e pecas de cambraia finas a 35, 45, ejGarlbaWi, Miss Llnd, Joch Clob, frangipane, saa-
55. Roa da Imperatris loja do Arara n. 56. 1 dalo, etc. etc.
Arara vende cobertores a I #500 e 1$000.
Vende-se cobertoresa 1500O, ditos fios de pel-
lps a (.5500, cobertas de lista 25000 e 25400.
coberas de damasco 45000, cobertas de hniao a
6(000. Ba da Imperettiz loja do Arara o. 56.
Madapol5o francs do Arara a 3*3000.
Vende-se pefas de madapolao francez de 12 jar-
das a 35300 e -jOOO, vende-se pegas de madapolao
O.'eo tino para cabellos.
Opiat para pentes.
Agua da Colunia.
Sabooetes finos crcme de amendoa.para b^sba.
Pencas d'a^o inglezas
dooradas e sem a ser.
Chegou para a lija d'agoa branca ra do (Juei-
mado 0. 8, um exeellente sorirraenio de peonas
d'aco inglezas, dooradas e sem a ser, porem todas
inglez de 24 jardas a 45.55500,65, U e 85000.! ^ d ;xtr}iQa, e continua-se a vende-lav
Roa da Impmirtz n. 56. ulflA'5300, 2500 e 1*500 a caixa.
lJtiOO Arara vende pecas de algodaozmbo a 3>O0O
Vende-se pecas oe algodaozmbo encorpado a 35,
45, 55, azsim barato, ra da Imperatru o. 56.
Tinta azul e preta
tinta rocha e preta.
Estas tintas cujas excelleotes qnalidades ja sao
.o<^ beio conhecidas e apreciadas pelos entendedores,
L5astn*as do Arara a 200 rs. 0 co>ado. acbam.se venda na ma do Queimado loja d'ssua
COMPRAS
Comprarse
COS2JLIIO dfc FITA$
Raa da Cruz a. 46.
Continua a haver diariamente nm sortimente de pstete, podins, bolos wglezes,
espadas etc., etc. Os donos deste estabslecimeoto, acam-se oas melhores coadices
de poder satiefazer encommendas concecaenles soa arte, n consequencia do socio
Freitas ter sido administrador chefe dealgumas das priaci, aes fabricas na corte, sendo
urna a do Sr. Joo Goncalves Guimaraes (confeiiaria do Leo) antiga casa de Carceller.
Todos os trabalhos sao differentes dos que se fazem em casas particulares.
Os proprietarios deste estabeleciment nao se tem poupado a despezas, eca se
poaparSo, se houver concorrenci como esperam ; tendo continuadamente bom sorti-
mento de doces para cha; presuntos e ditos em fiambre, tambem se recebem para*e-
rem preparados ; assim como doce de caj ovo superior, secco e crystalisado, dito^m
calda em latas hermticamente fechadas, podendo dorar anuos em perfetto esutdo.
Para janlaros e partidas recebem-se encommeodas dos seguiotes objeotos; bao-
deijas ricamente enfeitadas sem armaco pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, pies de lo enfeitados com dsticos anlogos a qual^uer fira ditos montados, j
kechs simples.e enfeitados cem fructas inglesa; gatheaux de la reine, ditos de le du-
lese, tortas de frueta, massa folhada ; ditas de peixe e carne; cremes e doces de ovos
de differentes especies.
Tambem tem im completo sortimento de viahosengarrafados, como sejam: vinho
do Porto superior, Figueira, Madeira, Lisboa, Cberez, Bordeaux, Champagne fino, ser-
veja, licores, charapos o conservas. Para Cestas: bonitas caisinhas com amendoas, eon-
fettos e mais enfeites. Muitos oestes objectos mencionados podem^e porioilamente ac-
condie'tonar tanto para a provincia, como para fra.
FIGURAD
Acabam de receber bonitas figuras para bandejas de doces, sendo grupos para
baptisado, casamento, annos, ditta a phantasia, bonitos eafeites para bollos e circular pra-
tos de doces finos, todo por precos razoaveis.
Vende-se licores em duzia muito em coota.
AMENDOA CONFEITADA
Em arroba e libra, para o S. Joao; recebem-se encommendas de bollos simples e
enfeitados e taobem recebem-se bollos para enfeitar. ^^^^^^ __________
urna-serava qne-seja boa figura e que saiba.'bam
eogommar, nao eicedendo deto annos deidade,
e pnga-se bem : no eseriptorie de Vicente Ferrei-
ra da Costa dt'FHbo, roa da Seozala n. 138, on em
sea armazem junto ao arco da ConceicSo.
Comprarse urna secretaria de Jacaranda
mogno, ou de-amarello, na roa Novan. 7.______
aro e prala.
Em obras'-velhas : oompra-se na praea da ln
dopendimcio Gomprn-se urna borra de ferro, iogleza 00
mesmo das- artigas; na vja >"ova n. 31.
Vende-se Hasinhas para vestidos de senbora pelo
barato preco de 200,240,320 e 400 rs. o covado.
'Roa da imperetriz n. 56.
Balbes do Arara a 2000.
Vende se banldts de arcos a 2000, ditos fiocs
Se 20,15 e 30 arcos a 35 3J600 e 45, ditos de
mursulioa para senhora a 55, ditos para meninas
a 35 e 5500. Ra da Imperalriz loja da Arara
n. 56.
Lencos da Arara a 2 00.
Vndese a duzia de lencos branros a 25000,
ditos com barras tambem de cores a 25000. meias
cruas para homens a 2400, 35500 e 45500 a do-
ria, aberturas para carnizas a 500. Rda da impe-
ralriz n. 56.
Roupa feita por medida.
Vendase paleta? de panno e de casemira pretos
e de cores a 45, 65, 85 o 105, calcas de brim a
25, 85500, paletots de brim a 25 e 35, caigas de
casemira de cores a 35, 55, 65, 85, ditas pretas a
45, 65 e 85 camisas francezas finas a 25 e 25500,
camisas, inglezas de prega Jarga de linfaa a 35,
355OO 45. Ceroulas a algodo a 1,5, de brim a
15&0O e 25, roopa feita para escravos propria para
servico, calcas e camisas a $ e \&M). S na
roa da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Arara vende, as sedas a 10500 o covado.
Vende-se sedas para vestidos a 15500, oreandins
fiaos (ra vestidos de senbora a 640 e 800 o co-
vado. iRoa da Imperalriz loja da Arara n. 56.
RIVAL SEM SEGlfDO
Ruado Queimado n. 4, loja de
niindezas
DE
em obras verbas : na ra da Cadea do Recife
cja de oorives no arco da Conceicao.
Compra-se nma esorava de meia idade, sem
vicios, e que saiba eogommar, lavar eozinbar :
na ra do cabuga n. 2, sobrado.
A 45560 pigam-ee as libras : na praca da
Indepeodencia.n. 22,
Copra-se urna serava que sejasadia ete-
nha pratica de vender na roa : a lutar na rus,
Imperial n-- 87.
branca n. 8.
Lacre fino de cores.
com ebeiro e c.em elle.
Na lija fl'ajuia bracta a roa do Queimado n. i,
veode se lucre Ono encarnado cromatico e sem o
ser > dito verde, e urnas cajxiulias com ditus ae
cores pelo barato preco de 500 rs. cada urna.
Papel inglez
em caixinbas.
Na loja d'aguia branca a' ra do Queimado d. S.
vende-se desse superior papel inglez em caixichas,
Luvas de camursa
brancas o amarellas.
Vendem-se na ra do Queimado loja d';
branca o. 8. ec
Meias pretas para padres
Vendem-se
branca n. 8.
na ra do Queimado U
Veudem:se
branca n. 8.
"Aev
Aspa's largas e forte"
fcara balo.
o aguia
aa
ra do Que'
.mado leja d'aguia
ortiuieoto
r
de perfumaras
baoha
Jos Bigodinho
Est jueimandoas mindezas abaixo declaradas:
Frascos-de oleo babosa fino 200 a 320 r?.
Ditos dito (aleo a 600 rs.
Ditos de macaca perola a 200 rs.
Ditos com superior banba a 200 rs.
Catxas com 6 frascos dec heiro a 800 rs.
Sabooetes finos a 60. 160, 200 e 320 rs.
Ditos de bolla superior a 240 e 320 rs.
Livros para meninos com eslamps a 320 rs.
Compr
a-se
.uas carroeae que estejam em bom estado, que sir-
van!, para um tooi.quem t ver annuneie.
VENDAS
Yende-se
a portara es-plieativa da lei bypotbecaria,
publicnda em 21 de abril pelo tbesouro f
nacional, 206 rs. cada templar: na li-
vraria .Econmica ra do Cre.ij)o n. 2,
BTS.O
a 2
II
' Sii|?r
B a"8sa=2,
ssSir
o o.Bg X
5 So
O p 3 m g.
ffl
a la
xr-
B M.i
"o
I?
8 2.|
2 "3
2 a
3-!
O,
8
f
.
A?dnte ou sortes lidas por
umav sonmbula.
Vende-se na liwaria da praca da Inde-
pendencia n. 8 a l& cada exemplar, lambem
ha papis da mesma a 80 rs. cada um.
AOS SRS. ACADMICOS
Vendem-se as seguales obraste direito
com pouco use: Manuel du Droit fiomain
or Mackeldey, i volume por 4)J; Dicci*-
naire du Conieneux Commercial, por Mas-
s, 1 volume, por 5(5; Ekments du droit
romain, por Maynz, 1 volume por 40; Es-
prit de la jurisprudente des successioHS,'
porConans, i volume, por 4$; Codepra^l
tique des faillites, por Geoffroy, 1 volume, J
por 30; : na ra do Crespo n. 4, fabrica
de chapeos de sol.
Quem
Cambraia de cores a 260 rs. o covado dita una a
280 e 320 cbitas unas a 280, 300, 320, 360 e 400
rs., ditas percalas a 400 e 500.
Est se acabando cbitas a 160 rs. o covado.
Vende-se cbitas a 160,180 e 200 rs. o covado,
riscadinhos franceses a 240 e 280 rs. o covado, roa
da Imperalriz n. 72, de Gnimares & lrmo.
T "i ; fV'.. linos a 34 e 3JSO0, ditos de linho a 000, Caixas de 12 frascos com cheTroa
.000, 6# 7*V Frascos de oleo babosa muito fino a 400 rs.
Cambraia branca a 30. j Doiias de meias superior uualidade para senbora a
Vende-se nm grandeortimento de cambraia a' 4J5G0.
:3, 3f8O0v*J, **500 e U ; Cbegaram as agolhas balao (papel) a CO rs.
Balos a 20. j Canas com bonitos soldados de cbomno a ICO rs.
Vende-se baldes de arcos a JL 2^500 e 3& di- S".08 <* a#w para limpar dentes a 500 rs.
ios americanos a 3500 i e 4500, ditos de mor- edra* de serever (pequeas) a 160 e 200 rs.
celina a 8&4SG0O e 6JI, ditos para meninas a $ oapalos detranca para homens e senhora a 1oOO.
45500; isto oa ra da Imperatriz n. 72,.Joia de *,e5as 6^ de la preta para vestidos a 600 rs.
Calmara & Irmao. j Gr"s ,de *<>5es fle madreperola Anos a 480 e
a 10000 O corto. gaJSa colobetes francezes a 20 rs.
a 30000 o corte, rCy,e a y* *> tod. M cra8 a rs.
a 30000 0 corte. Canas com superiores envelope a 600 rs.
Veode-se corte de la com 12 covados a 35, di- Pares de sapatiohos de la para criaoca a 400 rs.
tos Anos a 35300 e 45, ditos a Mara Pia a 75900 Ditos de meias pretas para- senhora superiores a
85. 85500,95 e 125, gravatas finas para bomem 360 rs.
a 640, 800 e 15000, mantas muito finas a 10200 e Libras de pregos de todos os lmannos a 240 rs.
1*400; isto na roa da Imperatriz d. 72, loja de Caivetes com duas folbas muito finos a 320 e
Gnimares & Irmao. \ 500 rs.
'Rnnna "fAf t .Sabonetes de familia, superior a 100 e 120 rs.
lUlipa IUL !esnadepapeldepesornuito-finoa25.
T?Alinfl ffl-a f/ascos cora lDla superior a 100, 140 e 320.
xtuuiJcl J-OltU I Grosas de phospboros de gaz a 20200
Neste importante estabeleciment enecntraro os Paces de boldes para punho a120 e 240 rs.
fregoezes nm completo sorlimeoto de ronpa feita Pegas de ntremelos moli ffbos a 500 rs!
assim coma palito!, calcas, camisas finas a 15600, Caixa de pos para limpar dentes a ICO rs
15800. 20 e 25500. ditas da linho a 30, 35000, 45 &'* da soperior linha do gaz com 50 novellos a
e 45500, cortes de brim, ditos de casemira de co- 15000 rs.
res o pretas, seroolas de algodao a 15600 e 15800, funeiras de conta para meninas a 320 n
ditos de linbo a 25, 25500 e 30. Talheres muito finos para meninos a 320 Vs.
unas.
Clfcgou para a ar,,ga |oja de mJDdejas ra rf
Queimado n. Ib.
Bonitos vasoa de porcelana dourada com
mnito fina.
Outros ditos de p de pedra com dila.
arralas com supetior agua da Colonia.
Frascos com agua balsmica para -dente*
Dito de dita deolifrice.
Diio de extracto dequinr/oina tambem ,ira
les.
Dito com soperior agua flor rtslarania.
Hito de dita flor de rosa.
Dito de dito vinagre de Venas para refrescar a
pelle.
Dito de dito agua ambriava para banlios do ros-
to, corpo etc.
Dilc de suoen ; p.
'.'eo-
lito na ra da Imperatriz n. 72, loja de artiln* d dootrina christaa 320 rs.
r* .- w Frisen mnin K^nino <*> u-:_ -
Gumar5es e IrmSos.
Farello.
Frasco muito bonitos com ebeiro a 240 e 500 rs.
de superior agua de Colonia ng.'eza,
ver e Lubio.
Dito de eicellente banha de Lnbin.
Sabonetes de Labio, e outros de amendoa, trans-
parente, etc.
Cometiijue (ou pomada) de superior qualidade.
F.nos extractos, frangipane, saudalo < cu'.ros
tambem de Onos e agradaveis cheiros-
Opiata ingltza e franceza para dentes.
Bonitos vasos com p de arroz e pincel.
Caixinhas rom aromtico p de arroz.
Oleo inglez. dito philocome, babosa e outras (ma-
ldades para cabello.
Cbromacome para lin&i; tabello;. .
Essa apreciavel tintura chegou para a loja de
mludezas a.ra do Queimado n. 16, a.-s -n eomo o
sabooete branco, para se lavar os cabella untes de
se usar da preparsco.
Cabazes de vitlro c,m ptrnmati^.
\ ende se esses bonitos cabazes de vidro com pe
fumarias, proorfos pnra presentes, etc.; na ra do
Queimedo loja de miudezas n. 16.
Latas copos ctmbatha lin,
A bem con herida loja de mindezas a ra do
Queimado n. 16, acaba de receber as etttmadas la-
I tas com banlia fina, assim como copos de vidro se
! novo e bonito molde, com tampo de vidro e cheiros
de exeellente banba. Recebeu iguaiaente a pro-
i veitose banlia transparente que muito serve para
j acabar as caspa?, e a aromtica e agradavel banha
japoneza e outrss. Os pjetendenles dirijam se a
dita loja de miudezas a roa do Qoeimado n. 16,
que serao servido a contento.
Bouqaet dos alpes,
Esse lino e agradavel extracto, vem em um bo-
nito vaso de p de pedra e et.ie dentro de ama elr-
Caixa com superiors iscas para charutos a 20 rs. I e?DtS ca,xiaba de papelao, de forma que a perfe;-
Masso com superiores grampos a 30 rs.
Sortes para Santo Antonio,
S. JoSo e 8. Pedro.
Vendem-se na officina de encadernacao o. 15
da ra do Imperador, unto em folbetos como -em
avolso.
chegada nova remessa de favas da liba ta-
berna n. 2 em frente a raa do Vigario, pelo dimi-
nuto preco de 120 rs. a libra.__________
Vendem-se duas carrocas novas e bem feita?,
com boi oa sem elles, sendo orna d'agua ; na raa
do Jasmim n. 21, casa amarella.
Vende-se farello superior de Lisbca, rcenle-
mente chegado : no ascriptorio de Manoel Ignacio
pe Olweira e Filbo, largo do Corpo Saoto o. 19.
Cassas de cores
pechiacha, porque sao finas e bons padroes, e
melbor anda o diminuto preco de 280 rs. o cova-
do ; na Boa-vista, ra da Imperatriz n. 20.
- Vende-se na foodico da Aurora, as melho-
res e mais pereas caixinhas com fila de medir, e I noel Ignacio de'Hveira
telbaa de texto aivanisado, tudo por precos ra- Saoto o. 19.
mmm mmmmmm
VIERAM ORGANDYS BRANCOT^
& para o Villar com loja a' ra do Crespo
Vende-se o sitio daCapuoga Nova roa das Par- W "; ^^Xm^!^^
nambocanas junto ao no finado Uaplstrano, com W vi?Jlto.?}*. r a ""'"u e,,as M
boa casa de vivenda, eosinha fora, eopiar, guarios 2^^^^^" *
para prelos, tanque para banho, cajneiros e vinte ^JMSiMffM lllll SH^
j e tantos ps de laraogeiras, jardim na frente, todo m m m
morado: para ver no mesmo sitio cojas chaves,! V ^^ -~ _, ^ ^ __ .
esto do sitio doSr. Santos Coelho, logo adiante, e Si^il-* f WW ffl # "^ ;*.
para tratar a roa da Croz do Recife o. 33. I JC %J XjMJih MM \y UL tjl
AHENgAO.
Veode-se palha bamborgaeza recentimente che-
gada, para empalhador, por preco mais commodo
do qoe era ootra qualquer parte : na ra de Hor-
tas n. 15.________
Cal de Lisboa.
Desembargada do brigne portuguez Consfanie II, iliS n-.16
cao de urna cousa corresponde a superioridade de
oulra. Esse apreciavel extracto acha-so a venda
na ra do Queimado loja de miudezas n. 16.
Agua florida e tnico,
Vendem-sc na (oja de miudezas n. 16, raa do
Queimado.
Frascos com gomma arbica dissolvida
e pincel.
Vendem-se na rna do Queimado loja de miue-
SITIO.
vende-se por barato prejo : no escriptorio de Ma-
& Filho, largo do Corpo
Tinta indelevel para marcar roupa.
Vende-se na roa do Queimado loja de miudeas
n. 16.
Fita elstica para cs de bal3o, e aspas i!e
ac para os ditos.
Vendem-se na rna do Queimado ola de mtidf-
1 us m. 16.
Bonitos ntremelos e babadinhos bor-
dados.
Vendem-se por barato preco na loja de rnude-
! zas 16 na roa do Queimado.
Tinta rxa e azul que ficara pretas.
Ni loja tfA m'Dderas n. 16 a rna do Quei.r.at'o,
: vendem-se frascos randes e menores com es Farello a $0.
Na ra da Madre de Daos ns. 8 e 9 vendase (a-
rello de Lisboa novo, saceos grandes. ____
Feijao a 10$,
Vendem-se saceos com 24 eoias de feijao braneo,
pelo barato preco cima; aa ra da Madre de Dos
ns. 5 e 9.
A preco commodo.
Vende-se a casa terrea na ra de Joao Fernan-
dos Vieira n. 14, na fregdvzia da Boa-vista ; trata-
se na'rtfa da Cadeia o. 34, sobrado.
Vendem-se doos carros proprios para traba- i ~~* *- exc"^^; timas roxae azul para ficar pret^; u
lhar na alfaodega, fetos de boas madeiras e fer- i Vende-seumatabernabemlocalisadaeafregaezada I ^5 "os rrasc"^ e lOOO.e 500
ragens : nocaes 22 de Novembro n. 26. para a Ierra, qoe vende de 16* a 245 diarios ; na i Graxa econmica em latas e barrils'miios.
n.m,i- _, ,a wC~~ i~fi~ rrir- .. Iregaexia da Iloa-Vis, a casa por muito commodo' Vendem se na loja de miudezas o. 16 a ra Jo
netUCUlOh UO m. J. \m fljCT, CX-ieote preco de aloguel e tem commodos para familia, as-. Queimado.
dalunersidadede Peasylvaiia, oos ^nVlt^X'ai ruada lm" 7 ******te?p***rnliu.-
tono Da ra do Trapiche n. 44, segundo andar, o
Na roa larga do Rosario o. 32, vendem-se
doos rolos de fumo por preco commodo.
Vende-se massalcca de mandioca para botos4 tU8 as partes d America
Estados-lnidos.
Exlraeta comporto de salM-ppr-
rllha de Ayer.
Pcitoral de eereja.
Remedie para aesies.
Ululan cathartlcas.
O deposito central para as provincias:
Pernambnco, Alagoas, Parahyba e Rio-
Grande do Norte, detes remedios to fa-
voravelmente conhecidos e acolbidos
do Sui e do
g-
&
I
Norte, acha-se em casa de Theod Chrls-
____ tlaaigeH, 16 ra de Trapiche em
Vendem-se tamancos do Porto tanto para no- Peratamfonco.
n em como para senbora: na roa da Senzala Velna- j. Qg nrecOS de
33 por duzia de estrado de salsa-parrllha.
CHAPEOS DO HfLE
a 1:500 e 2;000 rs.
Na praca da Independencia os. 24, e 26.
Nossa Stoho a de Carreo e a gloriosa
Saat'Aaaa.
Est a' venda defronte do convento de S. Fran-
em 1 cisco n. 15 a novena, salve, versos, e a exposicao
* do Santo Escapulario, tres folhetos por 500 rs., e a
preparada com moita perfeleo a 400 rs. a libra
aa roa dos Pires 0.44.
1.50.
novena
320 rs.
da gloriosa. Sant'Aona era 1 dito por
Vende-se um eser'avo moco, rom 27A mr rlnria tnral a rprAi'
fignra : quem o qolzer comprar dlrlja-se a roa do, *;* PJ_ f j16 P*T. .... ,!i
robusto, de boa
wvrija-sa a roa 00. B
Imperador ao terceiro aodar do sobrado 0. por *'i por duzia de rem'dio para sezoes.
cima da llvraria, qae achara com qoem tratar. 7^1 por duzia de plalas catharticas
: se entendem |i dlakelro vista, cun
o descont de 5 por cento em quanWades
de 10 por cento em
T Joao e S, Pedro
Vendem-se batedelras e algnidares da fabrica' g a 19 Ani'\M a .
do Barbalho do Cabo e mais loops como sejam ? i^^JfL: "" w *SL
larrdes para 4 e 5 canecos d'agua a 3*500 #f4J, quantuladea topenores a 12 duzas.
quartlnbasa 10| lojoeento. bllbas grandes e A+fAnntA
pequeas a 24* a 40#, marlngues e resriadores LlWlL\iH).
a 7 cada, etanltos e mais lagas ne tem de Vende-ie a taberna da ra de S. Jos 0. 2, moilo
grande sortimento : tudo isto 00 nico deposito do afreguezada para a trra e malo : a tratar na roa
piteo do Terco 0. II do Noguelra n. 29, taberna.
Cigarros, antl-asthmatico de Joy
A violencia e a repetico dos accessos desta mo-
lestia serio prevenidss, impedidos e corados com
o oso codstante deste remedio : botica do Pinto
ruadoR jsarlo larga n. 10.
Satas bordadas
Cbegaram a loja de Paredes Porto, ricas saias
bordadas, qoe vendem-se a 4*500 e 5* : no arma-
xemda porta larga n. 52, roa da Imperan u.
Panno de algodao da Babia para saceos de
assnoar e ronpa de eecravo, veode Antonio Luiz
de Oliveira Aievedo & C, no sea escriptorio raa
da Croz 0. 1.
Vende-se ama paocadaria, bombo, rofo, pra-
os, em bom aso, e preco commodo : aa ra do
torres n. 16, Recife.
seguate:
I Vinho medeira superior em caixa de dnas dorias
de garrafa?.
dem do Porto idem em ancorets.
dem de Lisboa e da Figueira.
Cera em velas.
Fogos
de artificio .
Ha grande porcao de fogos de artificio na conbe.
cida fabrica da viava Rufino, o qoal vendido por
commodo prego, e como seja penoso ir l pela dis-
tancia, as pessoas gas quizerem fazer suas encera*
mendas para S. Joao e S. Pedro, as podem deixar
no armazem da bola amarella, no oiiao da secre-
taria da polica, onde havera' nm portador para
ir buscar e levar ao lugar coaveocionado.
II I .. 1 11 ... ^-_______________
Aos agricultores
Saunders Brothers & C. acabam de receber de
Liverpool vapores de torea de 3 a 4 caaallos com
todos os pertences, e mal proprios para fazer mo-
ver machinas dedescarocsr algodao, podendo cada
vapor trabalhar ate com ItO-serras, tambem ser-
ven para enfardar algodao onpara ontro qualquer
servico m qae asara trabalhar com animaos. Os
raesmos tambem tem a venda machinas america-
nas de 35 a 40 serras: os pretendentes dirijam-
se ao largo do Corpo Santo n. 11.


XH
-
T
w-
Diarlo de Per a* buco Terca lelra 1 de Junho de 1866.
0 que ,oeoupa hoje mais a atten$lo do mundo
econmico? 3 o boyo systhema do proprietario do. ar*
mazem de molhados
53 RA DA CADEIA 53
P VSSAVDO O ARCO DA COWCEIC** j
Que surge de novo basteando a bandeira da modieidade de presos em todos os
seas superiores gneros.
Que o publico reconheca as vantagens qne de tal sy3tbema lhe resalta, o que o
proprietario do sitado armazem deseja, e a que desde j o convida: passando tambem a
notar-lhe os precos de alguus dos gneros do seu esplendido sorliment), e para os quaes
pede
ATTEN(JiO
Cbmm de mllho braaco americana.
Esta excellenie gomma, multo se recomcommenda como o alimento mais subs-
tancial e sauJavel; servindo na"o sopara papa (no qne .superior de todas as outras
gommas e farinhas) mas tambem flella se pode fazer pSo-de-l, cangica, creme, bolo
francez, podim, etc.: o preco de cada pacote de urna libra 800 rs., em caixa tem aba-
timen to.
CO\Sl'LT0810 MEDICO-CIRlRGiCO
DO
DR. PEDMO BE ATTAHYDE L0B9 BOSCOSO,
MEDICO, PAtl^UW E OPERADOR.
-1
MANTEGA INGLEZA. de superior qualida-
de a i ,28o e Moo rs. a libra, em barril
se faz abatimento.
DEM FRANGE/A a mais nova qne ha no
mercado a 6 lo rs. a libra, em barris ou
meios a Goo rs.
CHA HISSON de primeira qualidade a
2,8oo rs. a libra, alm desta ha umitas on
tras proprias para vender a retalho, que
se vendem de 1,600 a i,800 ra. a libra.
DEM PRETO o mais especial qnetemvin-?
do a este mercado a 2,2oo rs a libra.
DEM regular de l.Goo a l,8oo rs. a libra.
QUEUOS DO REINO ltimamente chegados
pelo vapor 2,4oo: ditos do vapor passado
a 2,000 rs.
LATAS DE CHOURICAS com 6 libras er-
meticamente fechadas, a 4,5oo, de barril
a 64o, a libra.
E3TRELINHA para sopa em caixas sortidas
de 8 libras, por 4.000 rs.
VINHO VERDE do verdadeiro sumo da uva,
e o mais proprio para s beber n'este
imperio, pela sua extraordinaria fresqui-
dao e agradavel gosto a 64o rs. a gar-
afa.
AMEiXAS FRANCEZAS em frascos de 4 e
2 libras, a 2.800, e l,4oo rs. em caxi-
nbas muito enfeitadas com diversas estam
pasa2,Q00, i,8oo, l,5oo ei,3oo, res.
BISC0ITOS INGLEZES em latas contendo
diversas qualidades a i,000 e l,2oo rs. a
lata. .
PRINCIPE ALBERTO bolacmnhas as memo-
res presentemente conhecidas a i,600
rs. a lata.
SALAME HAMBURGUEZ chegados no ulti-
mo navio a i,600 a libra.
PRF.ZUM OS verdadeiro de Lamgo, a 64o,
rs. a libra, e 56o inteiro.
TRAQUES n. 1. em caixas de 4o cartas, por
S,5oo, e 24o rs. cada urna.
1KARMELADA em latas del, 1 72e2li-
bras a 600 reis a libra.
JALEA DEMARMELLO em latas, a 800 rs.
FRL'CTAS EM CALDA pera, pecego. alper-
,\ vaiaha Claudia, e ginja a 64o res
a 'ata.
MOLHO IN6LEZ de diversas quididades,
72o rs. o frasco.
MOSTARDA INGLEZA muito nova, a 800,
rs. -o frasco
DEM FRANCEZA a 64o rs. o fraseo.
SALMAO E LAG03TIN chegado ltima-
mente, em latas de 2 libras, a l,6oo. rs.
ARENQUES em lata a 64o rs. cada urna.
SARDLNHAS DE NANTES em latas e meras
a 600 e 36o reis. .
V1NH0 DE COLLARES o legrtimo vinfeo
desta localidad, muito superior e sen
eoofeicao alguma> a 800 rs. a garrafa.
IDFM MADURO o> verdadeiro do alto Dou-
roem barris de- 4o em pipa por35iOOO
cada um. _. .
VINHO DO PORTftde diversas qualidades
engarrafado, inclusive o mais fino (rae ha
n'este genero, por 800, i,000, l^oo,
l,4ooel,5oo rs. agarrafe,
FEJJO verde e Garrapato em lafas ermeti-
camete fechadas a 600 rs.
CHOCOLATE francez em pacotes de 1 libra
por 5oo reis. ,
AZEITONAS das ebegades^ ltimamente de
Lisba a 4,2oo rs. a,ancore^e,5ofl, a;
guarrafe.
CAF avado a 24o rs. a>ubr, e 7,000 rs.
a arroba,, e regular a 22o a libra; v$ Boa;
a arroba.
VINHO GHERRY doraa-tarsuperitIomer-
cado a l,5oo rs. a .garata,.- e i-SjOOO rs.
a duzia.
MUSCATEL o verdadeiro de Setubal, a
4,8oo rs. a garrafa, e 2o,ooo a duzia.
VINHO BORDEAUX das mais acreditadas
marcas, S. Emilion. Sant Julien Haut
Brinn a Too e 800 rs.a garrafa, e em
caixa de d.izia, a 7,5oo e 8,ooo rs>
VINHO BRANC ) de Lisboa de excelente
qualidade, e proprio para missa, a 800,
rs. a garrafa, ou8,000 re. a caixa deduzia.
MADEIRA SECO a 4,2oo a garrafa, e 42;ooo
rs. a dazia.
VINHO DORHENO superior, a 2,ooo a
garrafa, e 22,ooo rs. a duzia.
VERMOUTH do superior qualidade em cai-
xas det2meiis garrafas por 12,ooo,e
garrafas por l,2oo rs..
Gros de paples preto a I 5300, SOO, 25, 3, 35500 e 45 o corado.
Gorgura preto, de superior qualidade a 20500, 20800, 3J e 4 o co-
rada.
Superiores moreantiques a 25300, 25600, 35, 35500, 45 e 55000 o
covado.
Bons cortes de moreantique.
dem de gorgura adamascados.
Bons pannos e eaaemiras.
Sup riores alpacas, princetas, merinos e bombaztnas.
Bous Tillados pretos.
Grande variedad de chales de fij preto e de guipore a 55, 65, 85,
405, 420, de 465a 205, de 235 a 800 cada um.
Superiores rotonda de filo preto e de guipure a 85, 405, 13# e 255
e de 3001 a 605 cada urna.
Superiores algerienende fil preto e de guipare de 425 a 250-, e de
305 a 600 cada ama.
Bons chailes de seda preta.
Ditos de Merino preta- bordados e outras muitas fazendas pretas que
seria enfadonbo enumerar, na
MMl !>%* OLlJUAS
DE ANTONIO CORREA DE VASCOWCELEOSr AC
MU A DO CRESPO M. 19
3Ra da Gloria/casa do Fundaog
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os das das 7 s **
aoras da manh3o, edas 6 e meia is 8 horas da aoite, excepc5o dos dias santificado!
Phormacia especial hmneopathica
No m ismo consultorio ha sempre o mais- apnfapriide sortimeato de catteirai
tobos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamfcace* e pelos precos secainiA*
toteiras de 42 tubo* granjea. JTJl fgfoof -*ww.
de 24 tubos grande*. .. 480000
de 36 tobos grandes. 240000
de 4 todo grandes. 360000
> de 60 tubos grandes. 380AOO
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido qoe'sefizer, e com os remMin*
iroe se pedir. ucuw
Um tubo avulso ou frasco de tintura'de meia onca 10000.
Sendo para cima de 42 custaro os preces estabelecidos paca as carteira*
Ha luaos mais pequeos cada um a 500 ris.
1
IIVKOS.

n
6
Novo estabelecimeato
UJL BA ClIHHl o wuwLMamm 4V
Roupa feita de todas as qualidades
Fazcodas por barato pceo
Superiores bales de museelina com cauda
je sol balo que val 420, e o BaTio vende a 10&.
vende palptots de panno preto fino a 85, por ter grande porcao; calcas
leriores a 75; calca de brim branca fino a 45; madapolao fino a 70,
muras nara andar em casa a 360 n.;'p**i de alpaca branca; cam-
Cbapos de sol balo que val 420, e o Ba'ao vende a 105.
O Balo
casemira superiores
rhitas escuras proprias para andar eaa
Va^, finas S0 eca- seroula de bramante muito superior;
l mniKntal todas que todas se vendem por precos insignificantes. Quem duv,
venha ver.
A barateza do Balito
chales de merino a 40;
m
Ri-os brincos de crystal lapidados de differentes formas e cores, o qae ha de mais moderno em
?.;= tambem ru'.es e b'otoes para colotes ; flvellas modernas de madreperola para cinto : eaes MU-
COS se vendem por menos de sea valor no armazem da roa da CadeA do Recite n. bu.
Noto e grande deposito de superior earvao de* Cardiffna
Bahia.
Antonio Gomes dos Santos & C, ra de Santa Barbara n. 1, esto habilitados a sopprir de
oarvao, em condicoes mais fatoraveis qne em outro qoalqner deposito, a todos os navios a vapor que
ccarem naaaelle porto. A contratar nesla com Domingos Alves Malheas.,
Sirop du
urFORGET
JARABE DO FORGET.
Ete xarope esti pproTido pelo nuls eminent mdicos de Paris,
como ndo o melhor para curar conitipacoes, tosse convulsa e outras,
ieccOes dos bronchios, auque de peito, irritteftes nervosas e insomnolendas: urna colherada
pela manb, e outra i noite sao sufficientes. O effeito destt excelente xarope- satisAz ao
Udidq o doente e o medico._______ ,__ .
mesao
c-, fl|.
Deposito na roa larga do Rosario, botica de Bartholonaeo C. n. 34.
1 Otares Royer ou colares ano-
daos
f, -:\ facilitar a dnticio das enancas e presrva-
las das convnlsSes.
o feliz resultado obtido immensas vezes pela
p- Jigiosa torga magntica dos colares Royer, nos
ca; de convols5es, e denticao das crianzas, tem
altamente elevado o sen bem merecido prestigio,
enoje J se pode dizer que estio geralmente con-
eei:uados, e estimados de innnmeraveis pais de
fc-f.as : de uns porqne do uso desses salutares
coi.;res viram salvos do perigo sens cbaros filhi-
e- e de outros porque colheram daqnelles tSo
p-. i;'ao. exe.mplo para igualmeme preservar os
a>. Assim, pots, a agna branca, tendo em vis-
iis i-iilidade e_proveito desses prodigiosos cola
rea -.-.odiaos on Royer, mandn vir o novo sorti
uto que agora receben, e continuar a recebe-
lo~ -.'ara que em lempo atgnra a falta delles possa
ser f.mesta aos pais de familia, os qnas ficario
eertos de os achar constantemente na ra do Quei-
34}, leja d'aguia branca n. 8.
(l\TVS NMQUEZi
A loja Esperanoa na ra do Queimado n. 33 A,
receben estas cintas, qne urna consa indispeosa-
vel a qualqner senbora ; consiste sna nlllidade em
suspender a voniade a saia por meio de conloes,
em cujas extremidades esto presos clcheles qne
se prendera a goardapisa do vestido : vende-se por
2>'00cada cinta amoscom raorpenh d-se.i
r
-^r* \
Vettem-se

machinas americanas de serrote para descaroca
algodo: na roa da Sentada Nova n; 48.
Vende se urna morada de casa-terrea de pe-
dra e cal n. 27, sita na ra da Palma, tendo bons
commodos para familia : quem pretender dlrija-se
a ra Direiia da freguezla dos Afogados, padaria
n. 27, que achar* com quem tratar
dobeija-flor, nu ruado
(Jtteimado n 63.
Tendo recebido enfet^s para cabellos de senho-
ra, de cabellos, que estando na cabega nao se difl*
renga se feto do mesmo cabello : s quem tem
na toja do beija-flor.
Yedm-se e'nfelis para'coques de senbora
os mais modernos qne se [OJe encontrar ; na loja
do beija-flor.
LKIJOS M SEID
VeQdem*59 queijos do Serid mnito frseles a
900 w. libra : no pateo do Carao* esquina da
ra de Borlas, armatn n. 2.
PHOSMATO* DE FERRO DE LERAS
im. EM SCIENCIAS
J-*\i> IMMCT0B DA ACADEMIA B PAJtIS.
NJ-esiste medicswento ferruginoso tonotaiel como o pbosnhato de ferro de^
Leras; assaaraidadeimeditas do mundo inteiro adotarsra-no corsotickude' sem igual
nos-annaes-dasciencia. As cores paidas, dores deestomago, digestea penosas, ane-
mia, convaleiaencaa ditficets, idade tritca das senboras, irregularidade na maistruaco,
pobresa do sangoe,. Ijmpaftisrao sao- curados raplilamante-ou modiocados por- este cx-
cellente compostr>.- o oanserra-ior por excelencia da sanie, e declarado superkir nos
hospitaes e pelas actdem'ras a- todos os ferruginosos conbecidos, ao idoreto e ao eitrato
de ferro, porejue- o nico que convm aos estmagos-delicados, que nao provoca eons-
paco nico tambem que*nao negrece a bocea e os denles.
Em Pars na roa da FeaiMade n. 7.
venda- em casa de Maorer, e A, Gaors.
imerbor bnrda homeopathia, o Manual de Medicina BbSMopatbico do Dr, jarS
doas grandes volomes com diccionario TT dmh
Medicina domestica do Br. Bering........ inSvn
Repertorio do Dr. Melk. Montes..........'J ^m
Diccionario de termo de medicina....... I&qm
O remedios deste stabelecimento sao por demais eoahecide disoensam nnr
unto de serem novamente recommeadados as pessoas qoe qoizerem osar de rmJtin*
verdadeiro, enrgicos e doradores: ba tudo do melhor goe se poda deseiar eiobos d
verdadeiro assucar de leite, notaveis pela sea boa conservadla, titora-dae rinaerft.rii
Udos estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparacao, e Dortanto mainr
eaergw e certe em se effeitos. ^ aumr
Casa de saude para escravos.
Recebe-seescravo* para-tratar de czoalfjnereatacnudade ou fazer-se-lhe analonar
operaco, p.ira o que o annueciante julga-se sofBeptSHHnls, balwlitado
O tratneDtoi o mertfor possivel, tanto na-fwifc.aHOieaiar, ^^ na j^qajq.
f&necionaDfJ a casa ha matsde quatro anuos, ha muino^essoar de tojo conceito se nao
pede duvider, qae podem ser consultados ppr aquellos qoe-ttasejarem mdar seta
doentes.
Paga-se 2-5 por da durante 60 dias e d'abi em diante 15500.
Asoperaces serto previamente ajustada, se na*se quizerem sujeitar aos orecoe
razoaveis qne costuma pedir o annuaciante. v ^^

ii
PECHISCHi SEM IGliL
Ricos cortes-e gorgarn de seda pretos adamascadas para vestido com 3 metros
on |8 a 2# eovarios cada cortet'irgra de ehii* francesa, pelo baratsimo pre?o de 505
cada corte : na loja das columnas-da ra do Crespo n. 13- de Antonio Crrela d-i Vascon-
cellos & C.
ARMAZEM DE FAZEXDA*
TRDADEni.l AGUJl HITEKA1L
PJKTILHAS DOS SES NATRAES DE VICHT.
VENDE-SE
Na botica e drogara de Rftrtholomea & C. Ra larga do Rosario n. 34.
CUSTODIO tm VfilIO
27 RA DO QUEIMADO N. 27
MadapoSo francez muito fino, teedo pouco mofo, cada
L5a de cores a 300 rs. o covado.
Gambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs a vara.
Lencoe braeco para agibeir a 25^00 a dnziav
Finsperclaras a preco de 400, 440a 560 re. o covado.
Ricos cortes de laa de barra de 105 a 305000.
Chales de fil preto e outras Juilas fazendas.
* c.
peca com 27 varae por


Novidades do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
se achar bem sortido como todos sabem,
boje mais que nunca, nlo s pelo que rece-
be de sua propria conta, mas tambem pelo
que recebe de consignacSes; parece sem
duvida que deve offerecer grandes vanta-
Rll DO BRIMf 1. 3S
O proprietario deste estabelecimento deseja chamar a attenco dos senhores pro-
prietarios para os- acreditados mechanismos que continua afornecer; os quaes garante
ser como sempre, da melhor qualidade possivel:
Machinas de vapor
forca de um cavallo para cimak As menores sao mui proprias para motores de des-
carocamentos de algodo; eiis-viajara- armadas e podem traba Ihar den'ro de 24 horas,
depois de chegarem no lugar. Ellas levam tudo quanto preciso para o trabalho, e
aiversossoDreceirentes. As machinas maioi es s3o proprias para a moagem de canna,
e ha dellas que podem junta e separadamente moer canna e descarocar. Ellas podem-
se applicar a qualquer moenda j existente sem outra mndanca do que a substituto das
rodas da almanjarra, ha tambem com moenda junta. Elias tem depsitos d'agui e boei-
ros de ferro, e nao precisam para seu assenlamento de obra alguma, qur de carapina,
qur dealvenaria. Otempo para assenta-las n> excede de doze dias ao mais,. eem
casos de mortas de animaes ou arrombamentos de acudes, etc,. garanle-se o assentamen- Sens Pafa respeitavel publico tanto em
to em oito dias. Todos estes vapores sao sknplissimos na construccSo, e se regem por. Precos)omori1a esco''ia ^s objectos, e co-
qualquer pessoa iotilligenle, a facilidade da conduccao sendo especialmente considerada,!mo acab5 de cnegar grande remessa pelo
tanto que n3o ba lugar em que nlo se possam conduzir, qnr por trra, qur embarcado. I ^aPor *Donro e o navio t Solferino de
Lembra-se aos senhores deengenho que a venda dos animaes e o servico da j ^^^Ji^f.^ -_F^fto. e
gente oceupada no seu tratamento- os ho de recuperar da maior parte da despeza do
vapor, deixando-lhes a vantagem de urna moagem certa e accelerada; e acabando com a
despeza da compra, continuada de novos animaes, e com os desgostos do trabalho que se
tem com elles.
Ser talvez desnecessario lembrar aos compradores de vapores a vantagem que
Ihes resulta de comprarem suas machinas garantidas em urna fabrica, tendo artistas com-
petentes para assentar as mesmas e ensinar a maneira de trabalhar com ellas, e j pre-
paradas para arremednr qualquer desarranjo; facilidades estas que jamis podem en-
contrar comprando-as aos simples-negociantes, os quaes por falta de conhecimento na ma-
teria nem se quer podem garanti-los de que as machinas que vendem sejain proprias ou
sufficientes para o trabalbo em que se queira emprega-las, e no caso de desastre nao
podem prestar-Ibes soccorro algum.
Igualmente nlo se esquecerlo os mesmos compradores de quanto podem perder
em ter suas machina? paradas por desarranjos no tempo das safras, sendo que anda
quando venhams fabricas para concertar as machinas alheias torna-se ha preciso fazer
repentinamente moldes novos, etc. para as pecas estragadas.
Tambem ha sempre prompto Rodas d'jgua de ferro Sarilhos com cruzelas para as
mesmas Moendas de caima de todo o tamanlio, Rodas de espora e angulares, Paroes ou
coches para receber o caldo, Crivos e portas de l'ornalha, Taixas de ferro batido, fundido e
de cobre, FormaSi de ferro galvanisadas para porgar assucar, Rombas simples e de repu-i
cho, Alambiqots-dl'ierro. Eixos e rodas de carro, Arados, grades, enchadas a cavallo
e outros instrumentos de agricultura, Moinhos e forms para fazer-srinha e finalmente
todo o objecto de mecbanismo de que se costuma^recisar.
Na fabrica se fazem obras novas encommenda e concertos, com a maior p este-
za e solidez-, O grande deposito de pecas e objectos habilitam-na muito para este fim.
O propriettrioiser sempre-mui feliz de poder dar informaces on esclarecimentiuv
aos seohores qoe se servlrem de sen prestimo.
D. W. Bowman, engenheiro.
O casMo de Grasville.
Traniido de franez por A. J. C. da Cris.
Vende-se este bello romance em qnatr
tomos pelo baratissimo preco de 30000
ua pra?a da Independencia. livraria ns.
6 e8.

KICOS VESTIDOS HMNGOS
A' leja tic teeirfas de Augusto Porto & C.
i >' 11 fntt do Queimado-11

A'. U# < iacuias d Aitncto.Porto & C, ehegaram
vestidos braocos e bordados agarba-
os mls bellos e modernos
Superiores vestidos de blond com mu e apella para noiv'a.
Cortioados bordados para camas e jaoellas de I2# a 80^.
Colxaa d sed*e d lia, e seda de cores para camas.
Daloescespartilhos, tvas de pellica e salas bordadas.
Bauros, algeroional e chales de reoda prea.
Sobretudos d panno de doas vistas e capas de borracha.
GrTjsdenapoles de cores e prelo, e aborr preto de diversas qoaliAades.
Echowes { baptid*i etm vestidos bordados que ha de mais gosto neste genero.
Filos bordados, desalpioos 4ios, cambraiasVictoriae transparentes.
Chapeos, bonets a gorros de palha d Italia para senhoras.
Cbpos pretos de seda para homens, e chapeos de sol seda inglezes. .,
Camisas francezas e iogleza para hornero, meninas u sehhoras.
Tpeles fiara sala, plato e-cama, e dito superior em peca.
Alcatifas de listas, baratas pois se vende a 480 rs. o covado.
Bretanba de Hubo superior em peciahas de 6 jardas eem pecas graades.de 30^ditas.
Na mesma casa se Tendem sempre as memores e mais baratas
Esteiras te, India para for ar salas
9m
ll-Ilna do Quelnead*11
tempo dos quaes se mencionarSo alguns,
por b3o ser possivel mencionar todos. O
dono deste estabelecimento espera a pro-
tecc5o de todos.
Riqoissicaas catxinhas ornadas e com
mnsica propria para om delicado mimo.
Catxinhas: de msica tanto de veio como
de corda.
Ricos porta joias e necessarios.
Riqoissimos estojos a feitio de um bansi-
nho 00 chapeuzinho.
Ditos em casca de noz e de outros gostos.
Leqnes de madeperola* de sndalo e de
faia e madeira.
Chaposinhos e touquinhas de muito
gosto para criancas.
Meias e sapatinbos de seda para as mes-
mas.
Meias de seda para senhoras.
Capellas e grinaldas de flores proprias
para casamento.
Enfeites e capellas de muito gosto para
seuhora.
Riquissrmos porta boquets.
Roquet de flores com urna borrachinha
com chairo. .
Luva verdadeiras de Jovin.
Dita de seda e de Escocia.
RtqssrK plumas e guarnigSes para
enfeitar chapeos. -
Cootas e tobos de ac braneo, que ha
muiie^e'de^ipft para enfeites.
. Brincos, lifeitoi'-g.ernzes de crystal.
Fivellas e crazes de tartaruga, madripe-
rol e-dour.idos.
Alfinetes para grvalas.
Botes com aoas para punhos.
GrauMus e mantinhas de muito gosto,
tanto par fc,omem. como para senbora.
Riqusimos aderewnpretos, assim como
calimbas, con aMtes pretos.
Rengarlas de cama com cabo de nurim.
Djtas de baleia, borracha a> de outras
mnitas qualidades, assn como chicotinhos.
Riqoi8simoe peales de tartaruga 4o ulti-
mo gosto; assim como de arregazo para
menina, pois oeste ar^go ha um completo
sortimeato de todas as qualidades.
Diademas para cabeca do ultimo gesto.
Riquissimis fitas tarradas e lizas.
Francisco Jos Germann
!RUA NOVA If. 21,
acaba de receber nm lindo e magnifico sor-
timeoto de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais aparado gosto da Europa e oca-
Ios de alcance para observacoes e para o
martimos. ____________________
Tasso Irmaos
Vendem no sen armazem roa da
Amorin a. 35,
Licor fino Curaeio em botijas e meias botijas.
Licores finos sonidos em garrafas com rolhas da*
vidro e em lindos fraseos.
Vinhoscheres.
Santernes.
CbambertiD.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Mscate).
Reino.
Bordeaox.
Cognac.
Oid Ton.
PAezei lagniol. ________
No armazem de lazendas
baratas de Santos Coelho
Ra do Queimado u i.
Vende-se o segninte :
Lengoes de bramante de um s panno pelo ba-
rato prego de 3*200.
Dilos de. panno de Hnbo a 25200 e 25600.
Cobertas de cbit da India a 25400 e 25800.
Lencos de cambraia brancas proprlos para algi-
beira 9900 e 25200 a duzia.
Ditos de camama de Ifnho Ano a 45500 e 55
dazia.
Atoalhado de aigodio braoco a 25 a vara.
Bramante de iiobo fino com 10 palmos de larga-
a 2J300 a vara.
Puno de linho uno com 9 IrS palmes de largu-
ra pelo barato prego de 25400 a vara.
Bramante de linho fino de ama largara, pelo ba-
ratissimo prego de 800 a vara.
Toaihas de linho acolcboadas para maos, a 135
a duzia.
Ditas felpadas a 135 e> 185 a dezie.*
Gaardanapos de linho a 85500 a dazia.
Flanela de tois as cores pera coelros, a 880 rs.
o covado.
Tariatana deaspres a 800 rs. a vara.
Batees de 3&*rcos 3590% de 40 a 4.
Gambraia d linho fine a 49500, 65500 e 9# a
re.
Cambrala pata forro de vestido a 25700 e 35 a
Pecas de bretaqhe de rolo com 10"
vara.
varas, a
a de madapolio fino e largo a 7?.
sinha lisa-de cores a 500 rs. o covado.
Pecas de camarai branca de salpicos com 8 e
meia va jas a 45500.
L Coefros de caaemia bordados pelo baratissimo
preco de 95.
Esleir da Infla propria pan forro de ala de
4,5 e 6 pemos de largara.
Cambraia* 6nas de cores miadas- a SSOts. a vara
Neele armazea tambem se encentra acagranda
sortimento de rotrp? fsia-t uer medida.
Farinha.
tf No armazem de Vicente -Ferrelra da Costa &
filho innto ao arco da Cdneeicao, vndese supe-
Sor farinha de- mandioca ltimamente chegada,
Jn saceos de taat alqaeires- ou eludo arrobas de
peso, pelo baraulmo preca de #5 o-saeco.
Panno daelgodao da Babia, proprio pan
,., liceos de assncee roupa d escravos ; tempera
Pulseiras tanto, para senbora como para nderAntonioiaii de oiiwi Aieveda & c; no
meninas. j ; mo escriptorio rte da Cm-m.~4,
Ligas deseda e de algodSo. *~~~"
Snspaaawiasdeaeda e de aifiodSo e &-
tntitv rhiMtiM rrofl- rST!J^^SfSSJK, ^SJaR? olanodoCorpoSanton. II, vapores patentes
OBCUff'TW'aroaa^Mrllir^llBaeimo. 'oom todos os pertences proprio para raier mover
Ssi GaHo Vigilante ra do Crespo n. t. tres ou quatro macbinas pata descaro; aJgodao.
Trancas- pretas com vidrilho e de cores.
Yapares.
i tm
<
H I
I
,


i
**B


Diarlo de Pea
ffer<* felra IO de Juana de 1866.
VENDE-SE
!
ENCICLOPDICA
II Raa da Iaiperatrlz a r maza
da porte larga **.
Junio a padarla fradeeza de
Paredes Porto.
Neste estabeleeknento encontrar o respeitawl
publico un variado sorCimeoto de fazendas france-
zas, lagletas, suissas allemaes, que se venderlo
por prego commodo.'
- Paredes Para
Vende chales de renda de cores que ge vende-
ram a 18$ est ventando por 61, ditos pretos, fa-
xenda ova, 8*,61, 8* a 201, nm soriimento com-
pletp de manteletes, capas ejsoutambarqoes 14* a
18*: Raa da Imperatriz n. 42, Jonto a padarla fran-
ceia, armazem da porta larga.
Paredes Perte
Receben um completo sortimento de aasinhas a
40, e1280 rs. covados, para acabar, cambraias d
cor a 140 rs. o covado, riscado escossez para rou-
8a de menino, fustao de linbo a 440, 400 e 500 rs.
ua da Imperatrix n. S2 jnnto a padaria franeeza,
axmazem da porta larga.
Paredes Perl
Receben para cortinados para cama francea a
III a peca cambraia lisa fina a 3* 41 at 101 a
peca, cortes de tarlatanade bonitos gostos a 31500
**, cambraia cora flor de seda, gostos iuteira-
meote novos a 400 e 500 rs. o corado, no armazem
da porta lafga n. 52, rna da Imperatriz junto a pa-
daria franeeza.
Paredes1 Porte
Receben pelo ultimo paquete um sortimento de
cruzes eom pedras para o pescogo, bonitos caxfnels
de lia para pescogo de sfcnhora. Rna da Imperatriz
n. 52, armazem da porta larga.
Paredes Porto
Vende cortes de gorgoro preto para vestido com
21 covados cada um 35*000, grsdenaple preto a
11600,1*800 e -2* o covado, lias lizas finas a 400
rs. o covado, lias de quadrinbo para vestido, enfes-
lada, a 320 rs. o covado. Rna da Imperatriz n. 52,
armazem da porta larga.
Ronpa feita
Roa da Imperatriz n. 52 armazem da porta lar-
ga junto a padarla franeeza, encontra-se neste es-
tabeleeimenio um completo sortimento de paletos-
saceos e sobrecasacos, de todas as qaalidades, cal-
cas, colletes, ceroulas, camisas, grvalas, meias,
chapeos de sol, ditos francezes para cabeca, por
procos commodos, ronpa para menino e ontras
maltas azendas por pregos commodos, armazem
da porta larga.
o mesmo euabeleclmento encontrar o respei-
tavel publico, sempre um completo sortimento de
roupas fetas de todas as qnalidades, como sejam
paletos de alpaca preta e de cor, ditos sobrecasa-
cos a 4* e 51, ditos de brim pardo a 2*800, 31 e
31500, ditos finos a 41, ditos meias cazemira a
3*500, 4* e 61, ditos cazemira saceos a 6*, 7*, 8*
e 10*, ditos sobrecaros a 10 e 12*, ditos de pan-
no saceos a 6*, 8* e 10*. ditos sobrecasacos a 12*
25*,' ditos de merino preto a 61, 7* e 10*, cal-
cas de brim de diversas qnalidades a 1*800 a 4*,
ditos brancos a 2*500 e 6*00, ditos cazemira 5*,
6* e 7*. ditos pretos a 5*, 6*, 8* e 10*. ditos
meias cazemiras a 3* e 4*, coletos de diversas
qnalidades, seroulas francezas de ajgodao, ditas de
inho, ditas de bramante a 2* e 2*500, carnizas de
algodao de linbo francezas de 2*500 e 3*. Gran-
de pechincba neste genero,- grvalas de todas as
qnalidades e brancas para casamento, grande sor-
timento de meias para senboras, ditas para bomens
a 3*, superiores a 3*500 e 4*.
Um completo sortimento de chapeos de sol de
alpaca a 3*, ditos de seda a 3*, 7*, 10* e 14*,
ditos francezes para cabeca, grande sortimento
a 6*.
Vestidos
Peehlncha aern Igual.
Cbegon a loja de Paredes Porto um bonito sor-
HanM de vestidos de tartalata de cores e brancas
que serve para partidas por ser urna pbantasia In-
teiramente de gosto pelo barato prego de 4* e
brancos a 4*500, esto acabando-se : no armazem
d porta larga rna da Imperatriz n. 52, junto a pa-
daria franeeza.
Cortinados.
Cbegon a loja de Paredes Porto um completo
sortrmento de cortinados ricamente bordados a
prego de 25*. 35* e 45* : na roa da mperatrit
n. 59, porta larga jumo a padaria franeeza.
Ricas omeiras.
So armazem de M. J. Ramos e Silva A Ceara, A roa do vlgarlo
.i), ceastaa teniente, ossegaiatfs artigaa, que
receben por encommeada aropria de
HEW-IOtttt.

Legitima salsa parrilba de Bristol, preparada por Lanman k Kemp.
Verdadeira agua Florida, preparada pelos mesmos.
Gaa em latas de cinco galSes, o mais parificado que se pode desejar da acredi-
tada marca F. W. D. & G.
Relogios perfeitos reguladores, com corda de qutro a oito das, dos afamados fa-
bricantes E. N. Welcb.
Graixa em latas grandes da bem conhecida marca las. S. Masn (de Philadel-
phia).
Superior oleo para machinas de costara.
Agu has para as mesmas.
Breu em bar icas grandes e pequeas.
Vende-se tambem:
RORDEA17X
1.a qualidade.
St Estepbe.
St. Julien.
G. Margaux.
C. iafltte.
Medoc.
PORTO
Ia ijaalidade.
Principe Real.
Pedro V.,
'Maria Pia.
'Princesa D. Isabel.
Vctor Emmanuel.
Duque.
Malvazia.
Vinho fino do Porto em barris de 5/, 10/ e 20/.
Superior vinho doRheno.
Cera de Lisboa em vetas e em grume.







-
tu BIJA Ql SIMADO X.|?.
Madafolo,
FiDas pecas de madapelSo com ^Ovaras a 9$.
LENCOS,
Lencos de cambraia-branca, duzia 2>.
dem de cores fix^s para meninos, duzia 2#40O.
CaaMnraiaa.
Cambraias de cores a prego de 260 a 300 rs. o covado.
Guardanapos.
Guardanapos de linho, duzia 3#300.
Algedo.
Algodao trancado de duas largaras, proprio para toalbas de mesa, |prec de
46300 a vara.
Bramante.
Superior bramante de linbo inglez e francez.
ICambraia de linho propria para lencos,
ATOALHADO.
Atoalbado branco para mesa a 4#600 a vara,
ntremelos de cambraia maito finos, preco 15.
Leoos de seda para algibeira a 1#600,
ai|DLJ9I\B(MKI|HHX0
60
JMW da lsaaacrarL*. ft.
DB .
GAMA & SILVA.
LOJA I ARMAZEM DB FAZBKDAS.
teodooff-prprietarlos deste grande estabeleci-
meuto fcito-um grande abaiimunto em muitas de
suas fazendas, pela cccasiao do balando que deram
no ultimo de dezerobro de 1865, resorveram vender
muito mais barato do que coUumam afim de cada
vez mals agradarem aos seos numerosos fregu-
es ; por tanto Ihes oflerecem nm a volado sorli-,
meuto de fazendas francezas, inglezas, as qnaes ,.modernos_e engranados pentes
vendero mais barat do que em outra qualquer
parte, comprometindose a mandar tevarqualquer
fazenda em casa dos fregnezes que nao poderem
vir a loja, cu a darem as amostras, deixando flear
o penhor, assim como convidamos pessoas, que
negociara em menor escala qoe neste grande esta-
belseiaaito ecconlraro um graade sortimento
tanto a retalho coma por atacado, venden do-se-lhe
apenas pelos precos que compram as casas ingle-
zas, sendo com o dmheiro a' vista.
aUeea vestidos a t000 rs.
. iccliintLa adaiiravel.
S 6 Pavao receben pelo ultimo vapor francez
um grande soriimento des mais Ticos eorteade
vestidos transparentes cora Lindas barras e enfeits
de seda, sendo estes vestidos muito proprios para
baile* e passeios, e veadem-se pelo baralissmio
l-rt'o de 8*000 is..cada om,.na loja do Pavo na
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
chale do pavao a 2ooo c 2Soo rs.
Verjtfem-se thales de'merino estampados a.2*
e 2*580 cada na.
Ditos de merm liso a 3*500.
Ditos estampados de crepon a 6*, 7*, e 8*0G0.
Ditos pretos bordados com franja de seda a 14*.
Na loja e armazem do Pava o Da ra da Impera-
triz n. 60 de 'Gama & Silva.
Para Luto vende o Pavo.
Seiim da China com 6 palmos de largura, fazen-
da preta para-luto, propria para vestidos e-roupas
para hornees, sendo esta nova larenda srm lustro e
de muito boa qualidade, garantindo-se nao Bear
russa eom o lempo e Toe'S* pelo barajo preco-de
2* e 2*508.0 covado, asfim como neste e.-tabtleci-
mento tem um grande sortimento de todas as a-
zendas pretasconio sejam cassas'eehitas preus,igj'iva"
laas tapadas ,e transparentes, princezas, alpara,
sarjas, etc. : na loja e armazem do Pavao na ra
da Imperatriz Os Gortioadea Chapeos jara menUas a M00.
S na loja do Pavo.
Se vendem os mais bonitos e mais bem endita-
dos ehaposinnos de palba da Italia, proprios para
meninas, pelo baraiisslmo prego de 6*000; na leja
e armazem do Pavao na ra da Imperatriz n. 60
de Garaa & Silva.
AtteH<$o.
ILTBA ROVIDdDE
PENTESJ, ENFEITES, CINTOS.
Gama & Silva, acabara de receoar pelo ultimo
vapor francez, um grande sortimento dos mais Ti-
cos enfeiles prelos e de cores proprios para cabeca,
sendo guarnecidas com as mals lindas flores, e com
voltas das mais bonitas perolas; assim como os mais
s e engranados pentes da verdadeira lar-
taruga, marcbeados tencto a ultima novidade
qne tem vindo de Pars, e os,mais ricos cintos com
ritas matbisadas e flvelaa largas, conforme ultima-
mente se.ua as priraeiras capitaes da Europa, e
vende-se por prejo em conta por ter chegado em
direitura para a loja do Pav5o,rua da Imperatriz
n. 60 de Gama .i Silva.
As rotandis doPa\o a 8 e IQ.s,
Veniem-se as mais rica rotandas de renda pre-
ta, sendo muito grandes, que sao as que mais se
usa m, pe lo baratsimo preco de 8* e 10* : na
loja e armazem do Pavo, roa dalmqeratriz n. 60,
de Gama & Silva.
Chitas pretas a 160 rs:
VenTIera-se chitas pretas. inglezas, sendo fazenda
multo boa, pelo baralisslmo preco de 160 rs. o co-
vado, on 55500 a peca com 38 covados : sd na
loja de Ravao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
Silva.
ATLANTA

Navidades!
Cambraias a Alaria Pia.
Chegaram as mais bonitas cambraias com listas
de cores e com os mais delicados deseches que se
vendem a 800 rs. a veta, flnissiroos organdys do
mesmo gosto qoe se vendem a 1*200 a vara, cau-
sas de Sres com difler'nles e modernos desenbos
que se vendem a 2A0,280 e 320 rs. o covado,.to-
do Isto mnito barato em aitenco a qualidade :
na loja e armazem do Pavlo na ra da Imperatriz
d-60, de Gama*.Silva.
Ciraade peehlueha em toalhas
para mo.
Vendem-se superiores toalhas de linho propria
para mo pelo baratissimo preco de 560 rs.. ditas
a 640 rs;, ditas a imitaco das felpudas a 800 rs.,
ditas fe'pndas a 1* : pechincba na loja e arms-
zem do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Atoalhado'na loja do Pavo.
Vndese superior atoalbado adamascado sendo
alvo com 8 palmos de largura pelo barato prego de
2* a vara, dito de linbo trlgueiro cem a mesva
largura a 2<>00, guardanapos da mesma fazenda
a 3* a duzia : na loja e armazem do Pavao ua rna
da Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
Baldes baratos
Vende o Pav3o.
Chegou um grande sortimento de baloes de ar-
cos sendo americanos qne sao o meihures e ven-
dem-se pelo baratissimo prego de ?j$500, 3* e
3500: pa loja do Pavo na ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Mrctaataas de rolo a -2-shoo.
Vendem-se pecas de bjetanha de rolo tendo 10
varas cada peca pelo baratissimo prego de 2*SiO:
na loja e armazem do Pavao na ra da Imneratrlx
n. 60, de Gama & Silva.
Ciraade novidade a 900 rs.
Allanta 200 rs.
Atlanta a 200 rs.
Allanta a 200 rs.
Cbegon para a leja do Pavo o mais lindo sor-
timento desta aova fazenda, com o titulo de allanta"
propria para vestido e roupas para meninos, seo-
do esta modernlssima fazenda de la com os mais
lindos gostos de qnadrinbos e listras tendo enire
lias de cor mxa e preta, com listras e quadros
brancos proprias para luto, e vendem-se pelo ba-
ratissimo prego de 200 rs. o covado rticamente na
loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama di
As chitas do Pavo a 200 o covado.
Vende-se o mais bonito sortimento de chitas es-
coras e roas sendo Inglezas, mas com os pannos
Vendem-se superiores cortinados adamascados to encorpados como os das francezas que se ven
,

Paredes Porto receben pelo ultimo paquete um
sortimento de romeira de guipure pretas e de fil
a prego commodo : na ra da Imperatriz n. 32,
porta larga junto a padaria franeeza.
1^400
Chapeos de sol.
Vendem-se chapeos de sol de panno a 4*400.
urna grande pechincha s para acabar :' na rna da
Imperatriz n. ii armazem da parta larga e Pare-
des Porto.
MACHINAS AMERICANAS
Verdadelras do fabricante x. Y, Caattoagla & C.
Moinfeos americanos para moer milho.
Na rna Nova n. 20 e 22, grande deposito

para camas pelo baratissimd-preco de 1* cada-par.^
. ditos muito Anos ricamente bordados para camas
' ou janellas a 15*, 20$ e 25* o par : na loja e ar-
! mazem do Pavo na rna da Imperarrix o. 60, de
Gama & Silva.
Os espar-tilb.es do Pavo.
Vendem-se urna grande e variado.sortimento de
espartilnos dos mais bem feilos qne teta ;viodo ao
mercado, sendo de ledos os tamanho?, vendendo-se
por um preco .muito razoavel isto na loja do Pa-
vo na ralda,Impertrie'n.'60, de- Gamo & Silva.
s sala bordadas do pavo.
Vendem-se saias bordadas sendo fazenda mnito
boa, sendo ri'caroenie bordadas e com moita roda
venden do-se pelos baratos pregos de 6* 8J e 10*
reis cada nma na loja do Pavao na roa da Impera-
tris n. 60 de Gama & Silva.
Roapa felta.
Na loja do PavSo
Vende-se ueste stabelecimento um grande sor-
tfmento de roopas, tanto de panno como cazemiras,
dem a 100 ris, e liquidao-se pelo barato preco de
206 ris o covado ou a 7*200 a pega, garaotindo-
f e tereco 38 covades cada pega e serem de cures
fizas isto na loja e armazem do Pavo na ra da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Novidade
das verdadeiras macbinas americanas de todos
os fabricantes; se enoontra neste deposito,|
erando porcao de machinas, e se vendem por .
3 l i i bnns e pelo baralissimos precos como stiam
menos preco do que em outra qualquer parte, j ol{M de caPrnra preta a65 75 e 8*oooreis, pa-
por se receber em dirertura da America; se letots de panno preto saceos a 6* 8* e 12*000 rs.
fornece todas as explicaces necessarias ao dos sobrecasacos de panno finissimo a 12* 18* e
comprador para conservado das mesmas.; WSzI^tSS^ mT ar^os qae "** T
r t i_ 1 fadonhos aqu re ata- os; s na 01a e armazem do
neste grande estabeleciento se enoontra mui-ipav2o ri]aqda tSxtwit n. 60 de eXi1 Silva!
tos artigas americanos, que muito deve agra-
dar aos agricoHores qae usam de taes artigos,
encontra-se tambem todes-as colhsogoes dtle-|
senhos -sobre os quaes se aceita qualqner urna
encommenda, qoe coro prompdao era execu-i
tada; 1 este grande estabelecimenlo, encon-'
tra-se em grosso e a retalho, grande porcSo
Loja do Pavo
Graades peehiachas.
Sedianas a 500 rs. o covado
Sedinhas a 500 rs.
*edinhas a 500 rs.
Vende-se na loja do Payao, um grande serttmen-
I to de sedinhas listradas com as mais bonitas cores,
'O
Cortes de laa escocesa para vestido a 3* o cor-
te : na ra ua fapperatriz n. Si, toja da porta lar-
ga, junto a padaria franeeza, estao se acabando.
Para luto.
Laas pretas com -lpicos brancos a 400 e 300
rs. o covado : na rea da Imperatriz o. 52 junto a
padaria fraoceza armazem da porta larga.
A 1$500,
Vendem-se pecas.de tranca preta para enfeites
de vestidos, soutembarqnes, capas de senbora a
1*600 coro 10 varas, urna grande pechincba : na
ra da Imperatriz n. v,l junto a padaria franeeza.
4(000
Chales Je renda pretos.
Vende se cnales de renda preto a 4*000, antee
loja qne pode vender na roa da Imperatriz o. 52,
armazem da porta larga, de Paredes Porto.
(1BM1AR
os
=
O5^ 55 ft
!|]*S'
?f O w. 2 S B oa
S o. a w 3
8S.I
0,(1 10
&3
m o w ^
5
p 3 2.
w-
ui n - 9. n g
2 H 5- o. o. 2 ch o
* lilil*
|i|8|;|g:f
a -" 3 S
l3?g. Io-
8 -?
M
a> a -o
sr. o-
5.0
-BfS-
S "Si
o. 2 -2
IP
O OS
s
a
&

o
a
Breu em barrica* peqoenae. -
Cera em velas de todos os tamanhos. -
Bogias.
Mercurio.
Wa roa do vitario'a;'jWt prnelro andar.
Baldes
Grande sorltneito.
Chegou ra da Imperatriz n. 52,! jauto a
darla francea, nm grandesoriinientolque
de a 2*800 rs. paraacaabar.
de ferragens, e miudezas qne se vendem por preco coaimodo, pedindo-se a attenC3o j sendo os padrds mais novos qne tem vindo as mer-
de todos -para este estabelecimento que muito lucraro em fazer suas compras: na cado, e vene-*e pelo pasatissimo preco de cinco
rna Nws n 20 Panupi n Viann* tosiOes o covado, sendo fasenda que valem muMo
ruawovan. 2U upaei-o Vianna._________________________________________. tmais dinbeiro, grande pechincba por se ter
comprado nma grande ponida desta fasenda, na
loja e armazenyle fasenda do Pavio, rna da Im-
peratriz m 00 IP
Os chales de-guipare a 12$ e
16#000,
Vendem-se os : renda de linbo e seda, pelos baratissimos presos de
j 12* e 16*; grande pechincha em reiacao a boa
1 qualidade e tamanho delles : s na loja do Pavae,
rna da Imperatriz n. 60, de Gama & Sirva.
Lazinkas a 200 rs s o
Reg & Motwa, proprietario da loja de azendas e roupa feita, sita ra Nova ao'
. 24, fazemscienteaopublico e particularmente aos seos amigos e fregueses, que JgSSSS^S^S!ftS,
:acabam de r-eceber de sna encommenda, umperfeiio sortimento de azendas fina*, entre 15 pechincha: s ua loja do Pavo, ra da impe-
ellas casemiras de cores proprias paracostumes; panno fino dos memores fabricantee retnz n. 60, de Gama & Silva.
:proprios iguaimeBte f)ara casacas eobrecasacas e cetras azendas de variados gostos. Sedas Largas
as quaes vendem com vantagem sobre outro do mesmo genero de aegoejo, tanto pela n3 i(jja ,j0 pato,
modicidade dos precos como pela qualidade especial dos artigos que ^expe a escolia de chegou para a loja do Pavo um modernissimo
todos aquelle6quesedignaremfreqentar seu estabetcimento. sortimento das mais lindas sedas para vestidos,
smesmos, continuandocoao^sempre, escudados e-1*-"* SSSKl ^SS ^SSSZSSSSSi
-conflanca que mes tem stdo di.-pensada .pelo respettavel publico, no espado ae tearpo em as senboras que estmrem de loto e vendem-se
que se acham estabelecidos, procuramnvidair todos osestorcos a sea alcance para cor-' pelo barato preco de-1*000 o covado, tendo esta
responderem sufficientemonte a expectativa deste e de seus numerosos freguezes .e ami-; fazenda quatro palmos de largura, qne .facilita fa-
gos^por isso, admittiram para sua olfioma de alfaiate, quatro contra-mestres, funceJo-''
FAZENDA E ROPA FEITA
UCA IOTA Ufe 4.
ando regularmente'soba-iamediata drecQaodo muito babil mestre Lauriano Jos de
Barros, o qual, activo e diligente como de-ser. nao se poupa aos mais atorados cuidados
de sua arte quandoem de sali'sfazr com brevidade e presteza qualquer obra de encom-
menda,
Ao-contrario dos n-aitos que enebemas columnas do jornal com a repetico ociosa
de annuncios em estylo sedico, nao precisamos aqui a natureza dos artigos <}ue possui-
mos para o3o colloear a siaceridade dos nossos tratos no pertgo imminente que resulta
desaas antecipaces em {andamento.________j
j^. M* $nL A
EM
DE
Roupa feita e por medida.
26 Rna Vova a. 26.
Jos Antunes Guimares, proprietrio deste novo estabelectawato de xoopas e
azendas'finas,'participa ao respeitavel publico em geral e a todos os eet freguezes,
qoe estando sua casa sobr-a-directo desdos dos melhores -mestres de alfaiata, sendo um
delles oSr, F.JS C.Miranda, e o outro o Sr. M. J. G.Carneiro, ambo* com grandes
habiliacoes tendentes a.soa rte,,pelos qiiaes dirigida a sua oficina, e acbando-se bem
montada a deBemptnbar qualquer encommenda por grande que seja, se esfor,car para
sahir a contento dos fpeguezes, vendando ludo por menos do que em outra. qaalquer
parte, roga as pessas inleressadas que venham examinar seu estabeloemento, e verificar
por si mesmo oque deaUra,. sendo enicegue qualquer encommenda no prazo de 24
b6ras._
^^^IBggHi
DO0R.CHABLE
1CEDICO E PROFESSOR DE PHARMACIA, DE PlltlS,
I
pa-
se veo-
COPAHU
DEPURA1
SAK
TAIU O nUTABINTO E MMPTO CCRATlVO
EKFIRMIDADES SlfWAES, DH TOSAS AS AMC^OES CITANEAS, VIRLS
Cltr.to dp Terro Chable.
Jarope nii TWeferlvef ao
tpahiia, e as Cto-
*m, cuna imnediaumn;
te qualquier purpo,
rel*sAo aeUHdad*, e ifotiaente flixoi e
'tuoree brancas im mulberes. iajeeM o
Chable. EsU injesco Waigiia emr-setBe-
nto lempo do xarope 4* ctirato de ferro, una vez
dnM, e um vea de tarde dimite tres diac;
clawsgwata
e SANSCE.
auMeaou
Depurativa de sne.
Xirope refetot sea *r-
eurio, o wico couhecido
e approTado para orar
con.promptida e radi-
calmente impigens, pmtuUs, herpes, sarna, co-
mixftes, acrimonia e alterac&es viciosas do san-
gue ; virus, e qualquer sffeclo venere. -
bH Biineraea. Tomio-ie dt)US per HMU, se-
Tilndo o traumente- muuto.*~wm*lB**-
tiharaetiea. De mm tffeito marvilheso las.af-
fecoes cuuneas e comisles. ,_.
HeanrraaWaa,paatda qne as cuaa em 3 Alai. ._, __
1.....
zer^se um vestido coea poneos covade-s, isto na
loja e armazem do Pavio na ra da Imperatriz o
60 de Gama & Silva.
Lencos' brancos a $ daula.
Vendem se lencos brancos farenda multo boa
pelo baratissimo preco de 25 a dnzla, Ditos eom
barra de oer a 3000 isto para acabar na loja d-
Pavo na rna da Imperatriz n. 60 de Gama di Sio
va.
tresdeaaples pretos do Pavo.
Vendem-se superiores grosdenaples pretos pelos
baratissimos precos de 1*300, 1,3600, 14800 e 3*
o covado, sendo fazenda mnito toa, s para aca-
bar : na loja e armazem do Pavo, rna da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
liramante de Haho da Pavo.
Vende-se superior bramante de Hubo com 10
palmos de largura, proprios para lences, pelos
baratissimos precos de ii e 2*600 a vara, assim
como panno de linho muito fino pelos baratissimos
precos de 640,70O e 8001*.< a v*fa : na loja e ar-
maaem do Pavo, rna da Imperatriz n. 60, de Ge-
ma & Silva.
. CaaiLraas lisas do Pato.
Vendem-se pegas ae cambraia lisa muito snpe-
rlor, peta batato preco de 3IJ0O e 1*500' a peca,
ditas muito finas .a *. 6*, 7* e 8* : na loja e
arnuMm do Pavo, rna da Imperatriz a. 60, .de
Gama & Silva.
PENTEADORES
ou roupoes de cambraia bordado proprios
para as senhoras vestirem de manhia.
Ghegeu esta novidade pata toja ido Pavo,
mnito lindes e do melbor gosto at boje, por pre-
cos muito razoaveis: na loja do Pavao, rna da
imperatriz n. 60, de Gama V Silva.
Grsdenaple preto, a 1$600.
8' grande pwilaavll
Vende-se grsdenaple preto, sendo mnito encor-
e de boa largura, pelo baratissimo prego de
* o covado : na rna da Imperatriz n. 60.
Os cachinez do Pavao.
Vendern-se-botmos eactilnet d la u irszslfcos
para eateea pelo baraUssimo preco de 3*0005 s
na loja do Pavo, na ra, da Imperatriz d. 60.
Cwlar a 3t0 rs. 3 covada.
Para calcas.
Vendem-se superiores castores muito encornados
padroes esenros pelo barato preco de 320 rs. o ca-
vado, servluflo esta fazenda tambem para escritos
por ser de mana doraefo," tia loa- e arnmem do
Pavaloada Imperatriz a. 60 de Gama & Silva.
Madaaolaes a 3,5#0 M. pessa.
S na loja do PavSo.
, Vende-se nefas de madaoolie flao com *2 ar-
das, pele barato prego de 3*500 e 4*000.
Para" vestidos.
Chegaram as desejadas cambraias o tarlatana-
brancas com li.-irinhas {sendo transparentes e ven-,
dem-se pelo baratissimo prego de 5*000 o corte,
na loja e armazem do Pavo na roa da Imperatriz
n. 60 de Gama & silva.
Chitas a 180 rs., s o Pavo.
Vende se o mais bonito sortimento de chitas in-
glesas, padroes miudinhos, claros e escaros, e ten-
do tambem rxas para luto, afiangando-se serem
cores fias, e vendem-se pelo baratissimo prego de
nove vintens o covado, ou a peca c.m 38 covados
por 6*800 : isto na toja e armazem do Pavo, ca
ra da Imperatriz n. 60, de Gama i Silva.
Vestidos brancos.
Chegaram para a loja do Pavo os mals bonitos
corles de vestidos de cambraia branca com boni-
tas barras todas-brancas, assim como com barras
de cores, sendo fazenda transparente e muito fina,
tendo cada um corte bstame fazenda e moita ro-
da, e vendem-se pelo baratissimo prego de 8* e
100 : na leja do Pavao na ra da Imperatriz v.
60, de Gama & Silva.
Cortes de tarlatana na lija do Pavao.
Vendem se os mais modernos cortes de trlataca
com as mais lindas barras de cor, pelo baratissimo
prego de 5* cada um, sendo neste artigo o melbor
?ne tem vindo ao mercado : isto na loja e arma
em do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Ciiubraii s brancas,
Com 8 palmas de largarac
S aa loja t!o pavo.
Vende-se cambraias brancas transparentes tendo
6 palmos de largura, ou duas larguras das regula-
res, que facelita fazer-fe nm vestido apenas com 4
vara, e veadmrfa patos haralissimcs pregos de..
1*000 reis, e 1*280 a vara, nicamente na loja e
armazem do favo, ra da Imperatriz n. 60 de Ga-
ma & Silva.
Chitas bnn as a 280 rs.
Mende-se chitas francezas acentos brancos pa-
drees miudinhos, pelo baratissimo prego de 280 rs.
o covado, na loja e armazem do Pavo, ra da Im-
peratriz o. 60, de Gama & silva.
Chapees de sol.
Vende-se nm grande sortimento de chapeos de
sol, sendo de seda e de varios pregos e qnalidades;
ditos de alpaca e de panno, e vendem-se por precos
muito commodos, na loja do Pavo na ma da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Coi-tes de chitas.
Vendem-se cortes de chitas inglezas, sendo pa-
droes esenros tendo 10 covados pelo barato prego
de 2*000 rs,; ditos com 11 e 12 covados a 2*200
e 2*100 rs; ditos de chita franeeza escora e ale-
gre, tendo 40 covado; 3*200 ; ditos com 11 e 12
covados a 3*520 e 3*840 rs: pechincba, na loja
e armazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60 de
Gama & Silva.
Grande pechincha
em chales a 4 na loja do Pavo.
Vende-se finissimos chales de meria lisos com
franjas largas.de retroz tendo as cures seguintes :
encarnado, azul claro, azul escoro, verde, cor de
canna, solferino, majenta, branco e rxo ele, esta
fazenda vende-se s#ppae a 6* pela "sua boa quali-
dade e agora liqnida-se pelo baratissimo prego de
4* por ter grande porgao : na loja e armazem do
Pavo na roa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
A 4 pecbincha em chales de renda na loja
do PavSo.
Vende-se chales de rem'a.pretos tendo 4 ponas
e sendo mnito mandes pelo baratissimo prego de
4*, ditos de renda de seda- a 8* e lO : na loja do
Pavo na rna da Imperatriz n. 60, de Gama &
Sirva.
Chatos
pechincha a 6# por ter um toque de mofo
Vendem-se fidissimos chatos de renda de seda
pretos com nm pequeo toque de ,tnofo pelo bara-
tissimo prego de 6* sendo fazende que sempre se
vendeu por 18* e 20* e acabam-se por este prego :
na loja e armazem do Pavo na ra da Imperatriz
n, 60, de Gama li Silva.
Chales de reuda.
Vendem-se finissimos chales de renda de seda
prelos sendo de tres ponas, poira muito grandes
pefo baratissimo .prego de 6*. rsendp lazada que
sempre se venden 12* 6 fo* : Isto na loja e ar-
mazeai Gama & Silva.
Alpacas para vestidos
' "ta toja do Pavo.
Receberam-se as mals modernas alpacas de co-
res para vestidos com os mais lindos desenbos
sendo fazenda chegada pelo ultimo vapor e ven-
dem-se pelo baratissimo prefo de 640. rs. o covado,
tendo estas fazendas largura de chitas francezas :
Isto na loja e armazem do Pavlo na ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Para mito
Lencos bordados
Vende o Pavo.
Jaste stabelecimento acaba de receber um va-
riado sortimeot.dos mais botutos lencos de cam-
braia primorosamente bordados e proprios para
mo que vende pelo barotisslmo prego de i* e
1*600 caca um : na loja e armazem do Pavao na
rna da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Vltimogestoem lazi'nhm.
[Grande.armazem de tin-
| tas medicamentos etc.
Roa do Imperador n. 22.
Joo Pedra das .\eves (ge-1
i reate) tem a venda a
segHiaie:
Productos cbimicos e pbarma-
ceuticos os mais empreados em
medicina.
Tintas para todo o genero de pin-
tura e para tinturara.
Productos induslriaes e tintas
para flores, como botoes de flores
e modelos em gesso para imitar
fructas e passaros com o compe-
tente desenho.
Productos cbimicos e industriaos
para pbotographia, tiniuraria, pin-
tura, pyrotecnia etc.
Montado em grande escala e sup-
prido directamente de Paris, Lon-
dres, Hamtmrgo, Anvers e Lisboa
pode offerecer productos de plena
confianca e satisfazer qualquer en-
commenda a grosso trato e a reta-
lho e por preco commodo.
Para Santo Antonio e S. Joo, algnidares de Ge-
nova de todos os tamanhos, muilo baratos por ter
grande porgao, jarras finas, entrefinas e grossas,
de todos os tamanhos, assadores para ir ao forno,
vasos francezes em lernos de seis, e toda a mais
louga de Genova e da trra : na ra do RaDce!
numero 4. __
Na ra do Jasmim n. 24, offioina de ferrerro,
ha para vender urna victoria, um cabrioiet ameri-
cano de 2 e de 4 assentos, nm cabrioiet de 2 rodas,
lodos novos e por commodos pregos. Na mesma
officina se aprompta com toda a perfeigo qualquer
encommenda, tanto de carapina como de erreirc.
qur sejam obras novas, qar concertos de toda a
especie. ____
G\Z.
OU 00
ido-
No armazem da ra do Imperador n. a3
Caes de Pedro II n. 2, tem para vender-se
bor gaz existente no mercado.
RIVAL SM SEtillO.
Roa do Qucimado n. 49
Est dlsposto a continuar a vender por prego
que a todos admira queiram apreciar e vir ver para
crer.
Grozas de peonas de ac muito boas a 320 rs.
Libras de nozes muito boas a 40 rs.t
Pentes de alisar com costas de metal a 500 rs.
Lapachos redondos e compridos a oO rs.
Polceiras de contas para senheras a 500 rs.
Caixas de.papel amizade a 600 rs.
Qoadernos de papel muito bom a 20 rs.
Pentes de tartaruga a 2*500 rs.
Realejos para meninos a ICO rs.
Cscovas para limpar dentes a 200 rs.
Baralb s muito finos a 200 rs.
Caixas de p de arroz muito superior a 800 rs.
Caixas de lamparinas para tres mezes a 40 rs.
Caixas de obrejas de massa a 40 rs.
Grozas de botoes de louca a 160 rs.
Entradores de cordo e tita a 60 rs.
Pegas de fita de os com 10 varas a 320 rs.
Cartas de alfinetes francezes a 100 rs.
Libras de alfinetes francezes 1 qnalidade a 2*.
N'ovellos de lioha com 400 jardas a 60 rs.
Ditos ditos com 200 jardas a 30 rs.
Caixas com alfinetes a 20 rs.
Pares de lavas brancas e de cores a 400 rs.
Grvalas de todas as qaalidades a 500 rs.
Resmas de papel alnago superior a 2*400.
Caixas redondas com estampas a 100 rs.
Livros para assento de ronpa lavada a 100 rs.
Bunecos do choro maito bonitos a 160 rs.
Frascos de superior agua de colonia 400 rs.
Vende-se nma taberna bem afreguezada^ar*
a trra, em bom local, freguezia de Santo Antonio:
na travassa das Cruzes n. 6 se dir quero vende.
Vende-se
duraros da Ha vana a 4* cada caixa de 100, lam-
bem se vende a retalho.____________________
Manga.
Na ra da Cruz do Recite n. 33, vende-se ama
balanca romana de 2,300 libras para peso de coa-
ros, pipas, barricas, ferro, caixas etc., etc., assia
como 60 dasias de-escovas para calcado e armaea
do armazem qne servio de assucar e ama cama
de Jacaranda de bom gosto para casados.
Pechincha
Vende-se sebo do Porto, coado e refinado, em
barricas: na roa da Senzala-nova n. 4, reflnagao.
Vinho de cqjtT
do afamado Carreara, do Cear : vende-se
mente no armazem da Liga, roa Nova.
Vinho Calares
Vende-se o verdadeir vinbo Colares em barra
de oltavo, e avarejo a 500 rs. a garrafa : no arma-
eem di.Lig aa ma Nova n. fl)
unica-
Vende-se um lindo mcieque deldade 13 an-
uos, ama esc/ava. por 4005, duas ditas para todo
servifo : na trtvessa do Carran:-1.
Escravos ftgdos
W& 4e ^ifica^Q,
Em 31 da outubro do auno passado,, fngio & es-
Acba-se ora grande sortimento das mais moder- cravs Ctaomna, cabra alta e seca'to'cobo, qoe
as : aMaiia fta, Gai*hUM,-Kibisadai lisas perwicn^ltimaia.ae:aos]|lBs.t>fs. J^MW
e de qnadriqbos qne se vendem por baratissimos da Silva, ManoetHaoHcade Sena eD. Mariana
precos edao-se as amostras : na loja carama Igweia de rjastro estiva que avaden tJoe4hh
doPaviooaroadUaiferairitn.eo, de Gana A theo Pereelr* *>e pegar 200*000 a qoetn itw
Silva entregar dita escrava na roa da Cadeia n. 6t
-------

i -



ZsHHb
rwmn

Diario de remamboe* Perca felra i de Jnnh* de 1866.
TTERATRA.
[tolos, as constitoicSes chamadas Apostlicas, cluidos no caaow da Synagoga ; de oa-
Citam-se ainda differentes, epstolas de S. ira sorte os achariamos no meio das tribus.
Paulo aos LaoJiceanos e a Sneca, como separadas. Ora, coisa averiguada que ellas
As Biblias falsificadas. outras muitas deste a S. Paulo. ( J. H. s6 levaram comsigo 'o Peuthateoco, visto
Si quis autem libros ipsos inlegros cum ^sens, Herm. Sacr. cap. I, VIH, t. I) que O nico livro que legaram aos Saa-
omni'ms suis parlibiis, prout in Ewlesia
Catholica consueverunt, et in veteri VuU
f/ata Latina editione habentur, pro sa-
cris et canonicis non susceperit, et tra-
V rtanos. Tudo nos leva a crer. que nao
houve outro canon solemnemente reconhe-
Entre os lvros, qne nunca fizeram' parte cido> k|m do e aUribuiao Esdras.
do canon sagrado, mas que se acham refe- ^^ Qg mm ^ e[.ymm QUnca gem
pr(Bdt id Jaep.M Escr,Pl"ra' ^uer nos Padrf urna auctoridade competente, para declarar
deanes prm&cta. saens p, udens da Egreja) ha um certo numero que ja 5o camnicidade da3 obra9j e appareciam.
Louquinba qne fostes, virgem!
contempserit, anaihema sil (Conc. Tri-
dent., scsso 4.a)
(CRtinuacao.)
CANON DOS LIVROS SANCTOS.
> 1
Os interpretes sagrados tomaram a pala-
vra canon, ora no sentido de regra, lei,
como a etymologia grega o est indicando,
oa no sentido de catalogo, collecco. E'
principalmente nesia ultima accepcao, que
a empregaremos neste escripto.
Os incrdulos, es racionalistas allemes,
existe. Limitar-nos-hemos a indicar aquel- m e a e og prophetlg#
les, que pelos auctores sagrados forameta-1 ntelero extraordinar0 n3o faitava
dos em suas obras : taes sao : o livro da i _j _._u___:____,__: ;,,
Allian^a (Exod. cap. XXIV, t. I) o livro das,
guerras do Senhor (Numer. cap. XXI, v.
14); o livro dos Justos (Jos. cap. XV, v.
13 e II Reg. cap. I, v. 18); o livro do Se-
nhor (Jsa. cap. XXXIV, ?. 18); os livros
de Samuel, de Natham, de Gad, de Semeias,
de Addo, de Abias, de Jeb (I. Par. cap.
XXIX, v. 29 e II Par. cap. IX, v. 20, 30 ;
cap. XU, v. 15 ; cap, XIII, v. II, cap, XX
em oenhumi circumstancia importante.
3o
exercer orna vinganga estroudosa sobre a cidade
de Rom>, ao ver o vulto desgrenhado e paludo de
Veturis, Ihe disse: iMinha mae, Vmc. salva Roma;
mas perd eu fiho. E com effelto Dio atacou i
Roma, mas foi despedazado pelos toldados, a coja.
frente se chava.
O nosso celebre Joio Fernandos Calabar, o Co-'
riolano do Brasil, que inimigo ento dos Colonos
portuguezes, poz o servigo de saa inteligencia e
de sea braco aos conquistadores hollandezes,
quando teve de dirigir o alphaoge dos batavos so-'
bre diversos pontos do Brasil afastoa os .golpes :
delles de Porto Calvo, lagar de sea nasciraento j
Serla, pois o grande, sentimento de amor filial qne Mas en nao te maldigo, virgem bella, -
nsplroq ao Dr. Francia a excepeo a saa dontr.na Carpiadoapjnas m.n^a tna^tre.la,
em respeito ao Brasil T ; Gaardarei na lembranga esse passado,
Niogaem sabe. \ Emquanto o coragao nao or gelado
O qne, porem, se sabe qne o actual dictador, j Pelo gelo da morte.
oue devia ao Brasil todo, porque o Brasil veio am- _. __... "___.
.-. -\Z\ ,._____Nao te maldigo nem tamben se apaga
Mas, perdo... se, na vertigem,
as ancia.s que o soffrer tem,
Pelas dores desvairado,
Esqueci o mea peer do,
Porque loaco fnl tambera.
Mu qu importa ? Se perdi-me,
Quem de tal perda s'exime?,
Fui loucopor um amor;
Nao fui borboleta bella
Votar, como tu, donzella,
Affectos cada flor!
111
os protestantes, e, por desgraca, algu .s ca- v. 24); o Litro dos Annaes dos Reis de Ju-
tliolicos' mal preparados neste genero de da e de Israel muitas vezes citado no Livro
estados, taes erros nao proferido contra a I dos Reis ; os discursos de Ozias (U Par.
canonicidade dos livros Sancros, que nos'cap. XXXVI, v. 2 J); as Accoes de Ozias
propomos, mediante o auxilio do alto, escripias por Isaas (II Par. cap. XXVI, v.
combate-Ios, examinando successivamente o 26) ; tres mil parbolas, mil e sincoenta
canon dos Judeos e dos cliristos. Antes,' cnticos, a historia natural de Salomo (III
porm, de entramaos na materia, sobreleva Reg. cap. IV, v. 'i. 33) ; a epstola do
t'azer algumas importantes consideraces
II
Em tres classes- dividem OS Judeos OS parar em 185 com o sang*$ de seas filhos, cm feo retrato gravado nessa chaga
Vnle e quatro livros. que compoem 0 seu a frca de sen brago, a independencia do Para- Qae abriste no meo peilo ;
*nnn o nrimntM tno ^rtnim n rien li g>y cnlr a absorpgio calculada e ostensiva do Mas, amor... isso nao! agora tarde,
canon a pr metra que contem o sanco H- J v nma franca; Qae o conga.ofemg em **<'
vrosdeMoy3s.s<*a.natro,palavraqueietor^Sloo)Teroodo BrM(|> reconh6CMIdo al Jaz deddrooseule.io...
se interpreta lei e mais geralmente douctri- j ndepeodencia do Paragaay a 14 de setembro de Os sentimentos que inspirar soubeste,
na. ensino, instrucco : a segunda, que ; 1844, o aetual dictador, desconhecldo ainda ser-1 As illusoes, que mim sonhar fizeste ;
encerra Josu, e os litros, que se seguem vicos de ordem superior prosudos t^j^J^Uu, para JJra?! SSSaMnto,
Picou anda um nobre sentimento,
Resta ainda a amisade.
atMalachias inclusive, chama-se ncfrrmt,
isto prophetas; a terceira, que contem
todos os outros livros, designada sob o
nome de kthoubin, ou escriptos por excel-
Paragnay, Ibe declara vinte annos depois (1864)
nma guerra injusta, barbara e inqualficavel.
Dante da luz da historia e da razao, qual typo
mais repulsivo e hediondo Jos Gaspar Fran-
cia, ou Francisco Solano Lpez T Francia, fun-
Lopez o que faz I Que
Amisade sentir puro e sagrado
Arremedo do amor que ja passado
Sem sonnos, seta desejos;
Se mais nao te amo, przo a flor anda,
Que abre a folhagem perfumosa e linda
Dos favonios aos beijos.
lencia, idea que corresponde perfeitamente dava um Estado novo,
ao termo consagrado: agiographos ou ha- motivos levaram o actual dictador a fazer-nos a
. guerra ? 1 Estas reffexSes me s5o suggendas,
gtogr p .. porque boje Io de maio de 1866, cincoenta >annos' Farei votos ao co p'ra qne proteja
Atlesta-nOS S. Jeronymo, que esta divtsao d ta di d em Qae 0ntreM0 d0 paragoay A linda borboleta que doudeja
era a de tribuido observada entre os Israe-
litas do seu tempo. Remontando mais alto,
incontramo-U no Talmud, em Jos, em
propheta Elias ao re de Israel (II Par. cap.
XNI, v. 12); o livro de Joo tlrcano (I
os ?*Z*^^A7^m^SfTSJl[mm.nNoTO tmmm, eaorr,ogo
emomcos zaentero-canontcos. No Ango. \ l '
Testamento, os proto-canonicos sao os que lason Obd. v. 24 ; entfU a prophec.a
a Synagoga admittiu no seu canon, e os | f Henoch, citada pelo Apostlo S. Judas
deutero-canonicosos que a Egreja catholica ^v- >'
. .k^ O numero dos livros perdidos e tao
reun u com os pnmeiros no seu cathalogo. > u L- .nA.
. s considerave quanto acabamos de indicar ?
No Novo Testamento, os proto-canonicos s5o "*', ,.4 ,
t.V. lnAa, Estes livros eram ou na> cannicos ?
03 que foram recebtdossempre por toda? as
Esreias, e os deutero-canoncos os que, ha- \
J .. .-Jguns commentadores.
vidos a principio p >r duvidosos, foram mais
tarde reenhecidos pela Egreja catholica ^^ p<)r
orno fazendo parte da Escr.ptur Sancta 0 Uvro da AUianca, deque se
Os deutero-canontcos do Ant.go Testa-1 ^ do 1 ao
ment sao septe livros inteiros, a saber
Taes sao as duvidas suscitadas por al-
primeira, pensamos que se po-
que parece, seno urna collecco das leis,
das ordenacoes e instrueces, dadas por
. /vHIxI' a* Deus ao seu povo, e descriptas nos capitu-
Baruch: diversos fragmentos, a Orac-ao de v F
n .-. j -~, m^u^L h los precedentes do xodo. Muitas outras
Ataas, e o Cntico dos tres meninos he-, ,
, .. mj ni razoespodem determinar anda a restnc-
breos na ftrnalha ardente (Daniel, cap. III, j F ...
_, _.. ,.. i ,,., 0 ,. i cao do numero dos livros perdidos. Sena,
w. 2429) ; a historia da Casta Suzana ... "
' .. Annntn An porem, demaisiado longo e sem interesse
-id cp. XIII ; a destruido de Belo e do.F z
. Vi vii m j i?Dii,M para o nosso intento, o desenvolve-las
DragSo (id. cap. XIV) no livro de Lsther, ^.
os septe ltimos captulos, depois o capi-
Tobias, Judith, a Sabedoria, o E-xIesiastico,
o Primeiro e Segundo dos Maccabeos, e
do Ecclesastco. Segundo o testemunho
de Jos, cinco dos vinte e dous livros sa-
grados dos Judeos foram compostos por
Moyss ; treze peloj prophetas, no periodo
de Moyss at Artaxerxes. Ha outros qua-
tro, accrescenta elle, que contem os bymnos
em louvor de Deus e os preceitos moraes
para os horneas. Parace certo que os qua-
tro livros, que constituem a terceira classe
sao oa Psalmos, os Proverbios, o Eccle-
siastes, e o Cntico dos Cnticos. No v.
44 cap, XXIV de S. Lucas, Jess Christo
distingue perfeitamente estas tres classes
dizendo que a Lei, os Prophetas, e os
Psalmos delle davam testemunho.
(Continuar-se-ha.)
depois da data em que o congresso do Paragaay
fez dictador perpetuo ao Sr. Francia, escrevo esta
correspondencia de sobre as romas do Passo da
Patria, diante da magostada imponente do exerclto
brasileiro, a quem vou acompanbado, destinado a
vingar a offeosa com que o ero Borgia da Cbina
Guarany insultou ao imperio. Insondaveis de-
cretos da providencia 1 Hoje, meio seculo depois
qne nm congresso fecbava um povo com circulo
de ferro elvilisacao do mundo, outro povo, %b
o gulao venerando da luz e do progresso, derru
as moral has da fortaleza, e camlnha ovante e ale-
gre para libertar o povo escravo.
lulo X, v. 4 at o capitulo XVI, v. 24.
Esta nomenclatura dispensa-nos de indicar
por ora os proto-canonicas que sao, como
di sernos, os outros livros comidos no refe
rijo catalogo da Egreja catholica. No No-
vo Testamento, nao ha deutero-cononicos,
se nao o ultimo capitulo de S. Marcos, des-
de o verso 9 at o fim : os versos 43 e 44
do capitulo XXII de S. Lucas, isto osuor
de sangue de Jesus-Christo no monte das
Oliveiras, e a apparieo do anjo ; o cap.
VIII do Evangelho de S. Joao, conteni a
historia da mulher adultera, a comecar do
verso II at o verso 12 ; a Epstola d S-.
Paulo aos Hebreus, a de S. Tniago, a se-
ganda de S. Pedro, a segunda e terceira de
aqu
Deixemos ao sabio Dupin o encargo de
responder segunda questo. Oucamo-lo.
Prii-gunta-se, diz elle, si este? livros cita-
dos no Aotigo Testamento erara ou nao ca-
nnicos? Esta questao me parece preju-
dicada, visto como desses livros nao nos
resta nenhum. E' certo, porm, que elles
nao foram, nem sao cannicos, no sentido
em que temos explicado, isto jamis es-
tiveram no Canon dos Juleus, nem no dos
ebristos. Ninguem sabe si foram ahi pos-
tos, nem si anda existem, nem qualseja sua
anliguidade. Tambemse nao sabe si foram
escriptos por inspirado divina, ou si eram
obras simplesmente dos homens. (E. Dup.
Dissert. prelim. liv. 1, cap. 1 8.)
Dep jS destes ureliminaras, pedemos es-
tudar agora as duas quesles, que constituem
S. JoO, a de S. Judas, emfim o Apocalypeo
Os protestantes nao so discrepan dos ca-, ^ ^ e ^
tliolicos sobre a canonicidade dos livros -
Sanctos, senao tambem eotre si. Lntheroj
regeita todos os deutero-canoncos do Anti-
CANON DOS JL'DEOS.
i 1.
Canon dos Judeus actuaes encerra trinta
e nove livros, que se reduzem a vinte e
quatro, correspondente ao numero das let-
tras do alphabeto grego : a saber: Io o
jo Testamento, e quasi todos do Novo, ao
passo que Calvino admitte estes ltimos.
III
Aos livros cannicos oppem-se os apo-
cryphos. Os Padres da Egreja n3o ligara ( y q ^.^ ^ og
o mesmo sentido a esta palavra. Or.g.nes, Numeros g0 Q Deuteronoal0 6o Josu .
e em geral, os Padres gregos, chamara apo- ?0 q$ ^.^ g0 o3 dous (.vros de ^^ .
cryphos os livros seguidos pelos he-eges e ft0 o? dous |ivros dosRes 1Q0 Isaas ||0
infectados de seus erros : masS. Jeronymo, ^^ |fl ^ q$ ^ ?[Q_
os Padres da frica, e a mxima V***^ m0rt5 ^ qs psal(nos |5.
Latinos parece restr.i.girem esta qualiQca- pf0verbos. 16. Job
,c.o aos livros authenticidade nao ^-1 Cmlim. {8o mh ^ S Umntms.
va ainda ta, averiguada que abonasse a sua 2Q 0 Ecc|etaslico 21o Esther 22. Da.
inserso no canon tos Divinas E^cnpturas^ ^
C-.mo quw que seja, se da hoje o nome de
apocnjphos aos livros, que se nao acham
os
dos
comprehendidos no canon.
Importa, porm, declarar, que os antigos
Judeus, junct'ando Ruth aos Juizes, e as La-
Em duas classes podemos dividi-los: a.mentaces de Jeremas s suasprophecias,
primeira, comprehende os livros, que nSo prefaziam vinte e dous livros, para se con-
obstante compostos por auctores incertos,' ormarem comas vinte e duas lettras do seu
desconhecidos e sem auctoridade cannica, i alphabeto, como pela mesma razSo osGre-
podem ser lidos com proveito e fructo: gos dividiram a Iliada em vinte e quatro
taes sao o 3o e 4o livros de Esdra; o 3o e'cantos, niformisando o numero dos li-
4 lvros dos Maccabeos; a oracio de vros do canon com o das lettras do seu al-
Manasss, citada no 2o livros dos Parali-ipbabeto, o intuito essencial do povo de Deus
ponsenos,como tirada das palavras de Ozias- foi por um cravo na roda da falsificado :
o Psalmo CLL, incorporado em algumas tendencia universal dos hereges de todos
ediecas da Biblia dos septenta ; o Prologo os tempos 1
do Ecclesiislico ; um pequeo prefacio das j 2.
Lamentadojs de Jeremas; um discurso da Exponhamos rpidamente a historia do
mulher de Job, es;ripto en grego e posto canon dos Judeus :
no fim do segundo capitulo desta admiravel'' Entre os Hebreus, como entra todos os
epopea sacra ;. e urna genealoga do mesmo povos da anliguidade, a colleccSo dos livros,
Job, por egual escripto era grego e eolio- havidos como divinos e sagrados, era depo-
cada no fim do Livro : a segunda classe com- sitada nos templos e a sua guarda confiada
prebende todos aquelles livros apocryphos aos ministfos do culto. Defeito, vemos,
que,sej i compostos pelos Rabbinos, seja pe: por muitos passos do Penthateuco, que este
los hereges, rapios, ou'.christSos poneos es-' livro foi depositado as mSos dos Padres, e
clareados, se a'.bamrecbeiados de historias posto na arca ou ao lado da arca ; e que,
fabulosas, erros e falsidades :taes sao : o'antes mesmo de ser coocluido por Moyss,
psalmodeAdame.de Eva, o livro das ge- (fazia-se em certas circunstancias, leitura
racoes de Adam, o evangelho de Eva, a as- solemne das partes j concluidas. Assira, o
cenc3o c assumpgSo de Moyss, o pequeo primeiro canon do povo de Deas compu*
Gnesis, o testamento dos doze patriarchas. J nha-se do Penthateuco, escripto por Moyss,
A esta classe pertence ainda urna mullidlo ja sob a auctoridade de legislador, j sob a
de evaugelbos que j deixamos menciona-
dos. < Ha controversia entre os crticos,
diz Jansens, si se deve incluir na primeira
de propbeta e de maior dos prophetas.
Ora, provando sua missao pelos mais es-
trondosos milagros, Moyss propunha o seu
classe dos livros apocryphos a carta de Jess livro como sendo a palavra do mesmo Deus
Christo Abgar ou Abagare, principe d'Essa' rasada em caracteres humanos. Depois da
bem como os actos de S. Paulo e de Sane- 'poca de que falamos at o scisma das doze
ta Thecla, a epstola de S. Bernab, o livro | tribus, n3o faltaran escriptores inspirados;
do Pastor, os caones chamados dos Apos-ns seos livros on escriptos nSo foram in-
THEATKO DA GUERRA.
Esta data solemne, 1 de maio. Faz boje Jus-
tamente meio seculo que o dictador do Paraguay
J .arGaspde Francia foi proclamado pelo sea con-
gresso dictador perpetuo da repblica.
Aquelle bomem hbil e ambicioso, tendo supprl-
mido o governo consular, tinha-se feito a 3 de oo-
tubro de 1814 dictador por 5 annos.
Mas nao Ihe bastava ama dictadura temporaria.
No dia 1 de maio de 1816 foi dictador perpe-
tuo.
Investido em ama aatoridade absoluta, cojo
exerclcio ampio nao Ibe era tolbido, nao tema op-
posico interna.
Seus agentes eram escelha sua: seu povo estava
preparado para aquelle jago de (erro. Como Laiz
XIV, elle podia dizer: L'tat c'est moi.
Has o fogo da lberJade abraza com seus raios.
O dictador tema a mais ligeira faisca deste fogo
sagrado. Sequestrou sen paiz.
Temendo a irradiacao das douAas liberaos e
das ideas revolucionaris oue poderiam estender-se
no Paraguay, decretou o dictador previdente a in-
terdieco completa de toda a especie de relagSes
entre a repblica e os outros palzes do mnndo.
Nao foi mais permittido a nioguem sabir do Para-
guay, e aquelles qae ebegavam a entrar na China
narany eram obrigados a Bear nella. A edncacSo
primilliva do povo civilisado petos jesutas premittio
esta sequestracio social.
A doutrioa de bastar-se a si proprio, a separa-
gao do contrato externo, estabelecida pelos sabios
da corapauhia de Jess, as missoes por elles fon-
dadas, tlnba dado ao povo do Paraguay predispu-
sieses naturaes, se posso assim dizer, para vive-
rem separados do resto da homanidade.
O Parafeuay bastou-se a si proprio. Urna agri-
cultura !>ua e ama industria sua eram daas con-
digdes elementares a es*enciaes para o novo syste-
ma do Dr. Francia. O Dr. Francia era Albo de
um Brazlleiro e?tabelecldo no Paraguay afflrma-o
um historiador que tive j entre mos.
A recusa da mao de urna moga por quem o Dr.
Fraocia se tinha loocamente apiixonado, recusa
insaltuosa, porque o pal da moga lancou em rosto
ao Dr. Francia sua orlgem mestica, deu ao Dr.
Francia am typo especial, caracterstico, de odio
i sociedade em qae viva, nde tres.
No sen odio beben o Dr. Francia as iospirar58s
de soa ambigo para ser o que foi. Proclamado,
dictador perpetuo do Paraguay, tomou aquelle ho-
rnera celebre as mais minuciosas precaacoes para
impedir qualquer movimento cootra a dictadora.
Os mais respeitaveis cidados foram desde logo
mettidos nos crteres hmidos e (ros daqnelle
tyranno. Os gnllos (correte* grossas), cadeas de
ferro, prendiam a esses cidadoa ao chao onde
mais tarde deviam morrer.
A muitos sacriHcou sem piedade, em dolorosas
tortoras, talvez para inspirar o terror. Sem coo-
selheiros, sem amigos, o dictador, s por s, pre-
enchia todas as funegoes. Sua vonlade era a ni-
ca regra da administracio. Ninguem poda fallar-
Ihe, v lo, approiimar-s delle. Quando a SO de
setembro de 1840 atorren o Dr. Francia de om
ataque de apoplexla, qae entroa em sea qaarto on
gateinete nao achou nem papis nem correspon-
dencia.
O pensamento, e accao, nao tlnba brotado nan-
ea em orna palavra escripia. Nem om documento
ae aetno.de tastos erimes. A salamandra arden
oas proprias chamlas. A eiphynge nao deixara
slgnaes das garras destraillaras : o mesmo fogo
qae abrazara a todos.
Nessa requestraco completa, a qae o dictador
condeonara o Paragoay, houve orna exeepgio an
closa. O Dr. Francia permiUira somante relacoes
de commercio com o Brasil, por Itapa, boje villa
da Eocarnacao.
Embora insigniScaoles essas relagdes commer-
casi, embora eoneedldas as MtortsacdM para el-
las a am numero limitadissimo de peisoas, s
qnaes dava elle permisaio especial, assignada por
soa mi, essa excepco ao systema por aso de se-
qaestraeao social digna de attengo.
O odio do dicudor ls nagSes do mando nao se
estendeo ao Brasil.' Porque serla T Era am caito
posthamo do filbo i nacionalldade de sen pal ? !
Qnem sabe I O que oerto qae no estudo das
aberraedes do odio o pbilosopho e o medico eacon-
tram (setos imporuntissimos. Qaando Coriolane,
tendo-se alliado a am povo inimtgo, com alto teio
UM POICO DE TUDO.
E' de Sr. A este
ROMANCE INTIMO.
I
Amei-te, virgem, como um louco amei-te!
filas sonhos e amhigOes tudo sagrei-te
as anclas da paixao !
Os joelhos dobrei Junto aos teus ps,
os teus lauros cabellos nos anneis
Prend meu corago I
Segu teus passos, como o lonco segu
A idea que o atormenta, que o persegoe.
Na ioocura cruel I
Por ti fruir mil gosos de ventura,
Por ti prove os saibos d'amargura
Que tem o negro fel I
Ao tea ser me prend, louco, sem tino,
Como aos caprichos do fatal destioo
A sorte do mortal!
as salas te busqaei, qual inexperto
Peregrino que busca no deserto
A miiagem fatal 1
Impresso no meu peito o ten semblante,
Te va eui tod* parte, i. todo o instante,
No riso e at na dr,
Na estrella a divagar pelos espagos
E na rosa a exbalar dos seus regago*
Fragrancias e odor.
A sorte bemdisa, qaando om riso
Estremecer (ana o roseo friso
Dos poros labios teas,
Bemdisa a ventora de gosa-lo
E admirava,por saber forma-lo,
Os poderes de Deas i
Riso de esp'rangas, espinho de ciumes,
Pungir de dores e do amor perfumes
Tudo, a um tempo, prove,
Se, amas vezes, a dura realidade
Em prantos saspeitei...
Ergai no peito nm throno, ergai altares,
Quemei incensos, exalel aos ares
Meus cnticos d'amor,
Sonhel gosos comtigo no futuro,
Mas o sonho desfez-se em filmo escuro,
Mudou-se o goso em dor i.
II
Embora a dor que se anioha
Nos seios d'alma enlutadaJ
Embora veja minada
A verde esperanga minha,
Que era, inda hontem, to linda,
To chela de vgo e bella,
Fujo ao ten jugo, donzella,
Oh 1 fujo, que tempo ainda.
Embora um pezar profundo,
Seja embora um sacrificio,
A' borda do precipicio
Eu paro medir-lbe o fundo ;
Embalde, prezo ao passado,
O coragao magoado
Se arrasta aoabysmo voraz,
Qae o robfir, que a face cora,
Que em fogo o rosto devora,
Da razao a luz me trac.
Embalde Estatua sentida,
Carpindo a finada vida
E a existencia j sumida
iNa mudez do mausoleo
Sobre o marco do eaminbo
Sentado, triste, advinho
O doer d'acerbo espinho
Alemno futuro meu 1...
Pendido sobre a voragem,
L no fundo eu vejo a imagem
Da linda virgem que ame!...
E o triste esvaimento
Do mais poro sentimento,
Das illusdes que sonhei...
Embalde 1 Do abysmo s bordas,
Tangendo as sentidas cordas
Do triste alaade meu,
Nao prosigoo olbar filado
N'esse romance passado
De am aOeclo que,morrea...
De am amor, coja vertigem,.
Cajos thesouros a virgem
Nem, ao menos, entendea...
Qa'importa essa dor sentida
Porque nma esp'rauga querida
Se murchou no coragao?..
?a'imporla o prante que corre
orque am amor triste morro,
Porque gela ama paixao T...
Era tempo 1o escravo altivo
Foge a dura escravido,
Qoebra os ferros qae o prendiam,
As algemas qae doiam,
As eadas da prisio ....
Obi fojo, sim, quel Kwaura
Seguir, soobando ventura,
Um affecto que nao-dura,
Qae se evapora subttl 1
Bem como Iones ortanca, >
Soe se affadiga e se canea,
ae persegoe e nao alcsnea
A borboleta gentil.
Fojo ao affectoque mente,
' A nm sentirqae nao ssotf,
Ao amor qoe se reparte;
Porque (sise o seotisseato,
Qae moda a cada momento,
Qne voa por.toda a parte t
Fojo a varia borboie%.
Qae, em suas cores faceta,
DesUiboa os seus amores
Cos muitas diversas flores
Do .perfumado jardim,
Qae ora beija a rosa, amena,
Ora festeja a agooena,
Depois aliaga o jasaim I
Do jardim entre as flores,
Fra qne incauta nao queime as tenues asas
De escandeseenles e incendMas brazas
Nos rdanles qoeimores.
P'ra que a vadade nao sednza a virgem,
Gerando aoceios que sen peito aHigem
Em desejos sem termo.
Cabndo, assim, a flor do seu fastigio,
Se sentndo sem ebeiros, sem prestigio,
Qual mesquinba flor do ermo.
E quando. um da, co propicio e brando
Essa fronte gentil te for c'roando
Do laranjal com as flores,
Aos cos exalgare votos ardente*,
E Deus e aos aojos, em cangoes lervente,
Eu cantarei lodvores.
IV
Eis o romance enlutado
Que eu trazia bem guardado
No fundo do coragao :
Amel-te, nao me entendeste,
Dei-te tudo o qoe quizeste,
Fiz-me escravo da paixao t
Mas o escravo altivo um dia,
Sentio que o ferro doia,
Qoebra os ferros da priso!
Cborou seu triste passado
E vio sen sonho doorado
Desfelto como illusao ..
E, se hoje vota ainda
Ccusa algama virgem linda,
E' ludo mas amor, nao I
E, se essa febre, que agora
Me escalda o sangue, e devora
As torgas do corpo meu,
Traz um decreto da sorte,
Firmado por mao da morte
Na pedra d'um mausoleo -,
Se ebegado o momento
De r dormir ao relento
Sob as ramas do cboro
No leito fri e funreo
Sobre o chao do cemiterio,
Aos sopros da vrago;
Depois qoe a p do coveiro,
Tapando o triste canteiro,
Cobrir-me com o derradeiro
Punbado de negro p,
Como um record magoado
Desse romance passado,
Derrama sobre o finado
Urna lagrima de do...
E um goivo triste pendura
Na cruz, que, na sepultura.
Sobreia os restos do s..
Mas. qual a edocagao que pode formar taes
bomena ^
E' cortamente a edocagao religiosa, isto, aquel-
la qae incaica no espirito e no coragao a idea
exacta do justo, o verddeiro eonbeclmento e o
perfeilo amor de Deus.
E essa educagao s pode dar o bomem religio-
so ; logo a primeira qualtdada qoe se dsve exigir
no mestre ser amigo da religiao.
Ao monos por esse lado neutralise-se o funesto
effeilo do delelxo dos pais.
Supra o mestre com as suas doatrioas e bpns
exemplos o que falta aos pais; encoraren) as
creancas fra o qae nao acham em casa ; offere-
ca-lhes a escola o que Ibes recusa o lar domes-
tico.
Ento, o mestre se elevara' a altora de sua mis-
sao oobre e honrosa, elle que na pbrase do gran-
de phlosopho e orador romano, tem mais direlto
ao titulo de pal, do qae o mero procreador : Qut
fducal pater magis es quam qui genuit.
Ento, bem merecer da sociedade qoe vera'
nelle a garantir de moralidade da nossa mocidade,
e consegointemente contara' os bous cidados la-
toros pelo numero dos discpulos de am tal mestre.
Ja' houve qnem dissesse que am menino sabia
mais com o catbeclsmo na mao, do que qaantos
por ah se apregam de sabios, mas arredlos do
conhecimento de Deus em qnem reside 'toda a sa-
bedoria.
Em verdade, o que a sabedoria qne nao parte
de Deus, nao se desenvolve com Deus, e nao ter-
mina em Deus ?
Perigo e devnelo, deeepcb e loucura.
E a razio depravando-se e morreado no ractO'
tialismo ; o bomem tentando ser mais do qoe ;
o anjodiscutrndo como phlosopho e tornando-so
Salan, quando s d.-via clrcumdar o iDrono de
Deus para louva-lo : Rosana in excelsu.
III
Fujaraos, pois, dessa pbilosopbia paga qae es-
tanca todas as fon tes da verdadeira sabedoria, e
apegumonos pbilosopbia catholica, nica em
qoe achamos resolvidos todos os problemas qae
tanto embaragaram os suppostos sabios da anti-
guidade.
Para Isto necessario bem pooco.
D-se a' mocidade urna educagao religiosa ; o
mais vira' por si.

A Tribuna Catholica, do Cear. publica o se-
guinte sobre a
EDCAgXo.

1
Homines, quanti quantique sunf,
educationi deber.
croma poca em que preoecupa quasi todos os
espiraos, prende a maioria das attengoos, agita os
nimos de mallos, o gosto excessivo pelos interes-
ses materiaes, tem sua rasao de ser, e nao se rao
seno com aprado recebidos pelos coragoes anda
nao myrrados pelo positivismo dos tempos que
atravessamos, as poncas e humildes llnhas qae
vamos hoje confiar ao criterio e appreciagao dos
letores, sobre o tbema importante que tomamos
por epigraphe.
Em sentido limitado, como deve ser aqui enten-
dida, a educagao aquella parte do ensino que,
sem excluir a cultura do espirito, mais se occopa
entretanto de formar o corace a de polr os cos-
turaos. .
Como, pcis, gnnde e transcendente o papel
que esta reservado a educagao I
O coragao o bomem todo.
Os costomes reflecten nm sociedade inteira, a
dir.gem e dominara.
De feito,.o amor urna das molas mais podero-
sas das nossas ac|p"es, e a sede, do amor o cora-
rago. ,
a sociedade ser boa oa ma, secundo forem
bons ou mos os costumes.
Ora, coragao bem formado e costomes puros
nascem da educagao. '
Logo a educaga muito deve merecer de nos;
e tanto mais quanto todo o qooos borneas sao de-
vem-o a edueacgo: HomiHM quanti quantique
sunt, educationi deber.
U
Mas como tida em monospreso a educagao eo-
trejjs l ._
E' nma triste verdate, em qae deixamos a> in-
sistir para nao afeiar mais o qoadro, qne lodos
tem a vista.
Nos nossos pais de familia, com mui raras ex-
cepges, olvidam os sagrados deveres, qne Ibes
impoem a sociedade, a moral e a religiao ; e am
flea a nossa mocidade, alias em posse faaimis
pronunciadas tendencias para o bem e vinas,
solta e entregue a hediondez dos vicios, e a todas
as snas conseqoeneias.
Qaando muito, conseguem dos filhos, qae se aft-
zem a desobedecer-lhes desde ios mais tenros an-
nos, o receberem um ensino profano ou exclusi-
vista dos sios principios da moral e da religiao.
E etnmaos a isto edoeagao I!... -
NIo, isto nao edocaoo; nma simplesi e vaa
instrucio qae, no dixer do profundo Booald. po-
de fazer sabios, mas nao formar bomens.
Estes s o forma a edacaco, e Paremos pen-
sar mal mas pensamos assim; asoe^adetem
mais necessidade de homens do qoe de sabios.
De bomens, ooe caluvem a verdadeira seieteia
qae toda asseota na religiao ; e nao de sabios,
que embabeodo o sen .apirlto uas especulagoes
de ama philosophia at4l-eatholica, se mostrem as-
tranhos a todas as regras do justo e do honesto,
do dever o da virlude.
De bome'ns, qoe sejam bons paw, bons Di
bons esposos e bons cidadios; e pao de ranos
qoe escaroegam da imagsm da sociedade a fa-
milia, e da mesma sociedade. J
De homens, qne lemam a Deus; o qne _o
principio da sabedoria: Tmo r Dmmi prmci-
rntat sommtim; e nao do san para quem os
santos devana da reUfiaa sejam nma cousa do
Boaada.
Ob I que grande responsabilidade a vossa,
pis qae assim trataos a entes qoe todo asperam
de vos, e pra qaem sois lado 1 *
Qae grande responrabilidado pesa sobn vos,
protectores natos de voasos Alaos, dasprosaado 4e
um modo lio nprebenslvei asas taaoeeatas na-
tara, qoa unto amor e atteogo menceram ao
proprio Dos humanado : Sme prvulos vemre
ai me)
Havia em Pars, diz a Libert ; ama joven
nobre, rica e formosa, que tlnba por professor de
desenbo e pintura um mancebo sem libras nem
brazdes.
O resto advioba-se : amaram-se como dous lou-
quinbos.
O Argus maternal qaiz por termo a este casto
romance.
Pois concebe-se semelbante alrevimento T Casar
um pinta-telas com urna rica e nobre berdeira ?
A pobre apaixonada cborou, rogou, suppllcou
dbalde; a mil inflexivel comegoa por expulsar o
mestre e acabou por propor a' filba um marido
oobre, muitas vezes millionario... mas cincoentao.
Urna hora depois, a joven fogia do palacio par-
ternai e refugiava-se n'um convento, donde part-
nm respeitosas iotimagSes.
Os pais fizeram ouvidos de mercador e a joven
X.... sabio do convento para asar com o profes-
sor que elles Ihe tinbam dado.
Desde esse da, a aristocrtica joven, habituada
desde o bergo a todos os gozos do laxo, trabalba
noute e dia n'ama pobre casa, junto daquelle que
adora e de quem ella nao se canga de poelisar o
coragao e o talento.
O Progrs de Lion, coota a seguate estranha
descoberia:
Ha poneos das, os operarios qae trabalbavam
n'uma pedrelra situada ao p dos Alpes, descobri-
ram urna cova de om metro.
Entraram resolutamente nesta especie de gar-
ganta, e depois de darem multas voltas, ebegaram
a urna escada aberta na rocha. Depois de terem
descido uns qu are di a degros, ebegaram a ama
grata bastante espacosa.
Mas qual nao foi o espanto destes bomens qaan-
do viram,com o auxilio dos archotes que levavam
as mos, trinta e dous esqueletos perfilados oom
a parede, a' qual estavam ligados por aneis de
ferro I
A posigao dos esqueletos denunciava que os des-
granados tinbam morrido depois de soflrerem
todas as angustias da fome.
Voltando os pedreiros para fra da grata, om
delles batea com a cabega n'um objecto Informe
suspenso da abobada. Horror I era Inda outro es-
queleto suspeoso pelo pescogo da abobada destas
novas catacumbas.
Acreditase que esta caverna servio de covil a
urna dessas quadrilbas de salteadores que infesta-
vam outr'ora os Alpes.
As priocipaes bibliothecas de Paris sao sete, a
saber :
A blbliotheca imperial a de Maiarim, a de San-
ta Genoveva, a do Arsenal, ( da Sorbone, a do Lou-
vre, a do Hotel de Ville.
A bibliotbeca imperial ama das primeiras do
mando, pois possae mais de 1,000:000 volamos
impresso?, 90,000 manascriptos e 150,000 meda-
lbas.
A do arsenal abunda em poetas, e novellistas
dos seculos XVI e XVII, contem para mais de
200,000 volme?.
A de Sorbone 80,000.
A do Louvre 10,000.
A de Santa Genoveva ahonda em obras de theo-
logia.'
Nos flos do scalo passado (diz nm escriptor) urna
dama franceza conversava com outra italiana.
A franceza, apezar dos seos escassos conheci-
meotos do italiano, metleo-se a sustentar conver-
sa neste idioma com a saa ioterlocutora.
Sccedeu qae, a ama fineza da senhora italiana,
qnerendo a franceza exprimir Ibe que nao traba
tanto mereeiment j como ella, disse :
Non son tanto meretrice, como vostre sig-
norla.
Lemos em um jornal fraocez que se tiram do
enxofre multo bons resoltados contra a gota, por-
vilbando com elle as meias por dentro.
Diz que o enxofre tem ama acgo muito enrgi-
ca e faz cessar as caimbras.
Nao podemos garantir a eficacia do remedio ;
mas to fcil e lio barata a experiencia, qae va-
le a pena averiguar mais essa virtade do en-
xofre.
Diz am jornal qae antro as curiosidades qae or-
narlo a exposigjo de Pars em 1867 sera' ama
dolas om plano de Nev York, de K pos de com-
primento e 3 de largo, em que estarlo representa-
das cada casa com a saa forma e cor particular,
e numero e os nomos das pessoasque as oceupam.
parece-nos muito.
Em Siam existan sempre dous reis, cuja guar-
da real se compbe de om batalho de mulberes,
a cavallaria monta em elepbanles.
Um destes reis, que segando dizem os jornaes,
acaba de morrer, tinha o seguate aomeSomtch-
Phra-Paramendr Mallpvarai RaBgsarga Pbrai Pin
ciao Caooos Ya Roa.
PERN.-TYP. DE M. F. DE F. & FILHO.-1860



%

mrnf
m


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EF100IYJ5_IDJBBW INGEST_TIME 2013-09-04T21:54:57Z PACKAGE AA00011611_10996
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES