Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10995


This item is only available as the following downloads:


Full Text

Y. 30
i
_



\
AMOXIJl. IDMERQ 139
Por qnartel pago catra dts 40 dias 1.a mti A >i U,Q '. ,
idea 4epis dts l.65 i dias da caneca e deatro da qnartel ....
Parte a^correieitrtregBeies [''{ lV.\ .-. .
-?fc TauI* 'ti
.i^j^-j.

1 ->ft j i
SEGUNDA FEIRi II D JUNHO DE 1866
, --------------
Par anuo page dentro de H dias d i. mez.......' 49eee
Parte ae eorrefc per an aoaa ............. iff9%%


as
E.NCARREGADOS DA SUBSCRIPTO DO NORTE
Parahyba, o fr. Antonio Aleindrtoo de Llm;
Natal, o Sr. Amonto Marques 4a Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oiiveira ; Maranbo, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSGRIPCAO DO SUL.
Alagon?, o Sr. Claadino FaJcSo Dias; Babia, o
Sr. Jos Martins Alves;
Ribeiro Gasparinbo.
Rio de Janeiro, e Sr. Jos
PARTIDA DOS ESTAPETAS.
Oiinda, Cabo, Eseada e estafes da Tia frrea at
Agoa Preta, lodos es dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextasfeiras.
Santo Anto, Grvala, Bezsrros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Beato, Boro
Conselh. Aguas Bellas e Tacara!, nas tercas Tribunal do commercio : segundas e qaiutas,
feiras. ReJar;o: ter?as e sbados s 10 horas.
Pao d'Alho, Naiaretb^ Limoeiro, Brejo Pesaneira ftlMd qoimas s 10 ^^
Ingazeira, F ores, villa Bella, Cabrob, Boa Vis- ,mra^. ', ,, u i
ta, Onrieury, Safgaeiio e Ex, as qnartai Julzo do commercio: segundas as 11 hora*. ,
feiras. 1 Dito de orphos: tercas a sextas as 10 horas.
Serinhaem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar-
reiroa. Agua Preta Pfmentelras, as quintas
feiras. ,
AUDIENCIAS DOS TRlBUNAES DA CAPITAL.
Primelra Tara do cvel: tercas sextas ao meio
dia.
Segunda vara do clvel: quartas sabbades a 1
hora da larde.
EPrfEMERlDES DO MEZ DE JUNHO..
6 Qoarto aaing. as 4 b., 33 ra. e 58 s. da m.
12 La nova as7 b., 47 m. a 52 s.da .
19 Quafto eres? as 9 b., 25 m. e 52 s. da I.
28 Loa cbeia al h.. 16 o. e 10 s. da m.
DIAS DA SEMANA.
18. Segunda, Ss. Leoncio e Theodulo mra.
19. Terca. S. Juliana de Falconieri v.
20. Quarta. S. Silverio p. m.; S. Silvlno ro.
21. Quinta. S. Luis Gonzaga jesuta.
22. Sexta. S. Pauiao b.; s. Nicas b.
23. Sabbado. S. Agripioa v.; S. Zf non m.
24. Domingo. O Naseimento de S. Joo Baptista.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 9 horas e 18 m. da mannaa.
Segunda as 9 boras e 42 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sol at Alagoas a 4. e 30; para o norte
at a Granja a 7 e 22 de cada mex; para Feraaa-
do nos dias 14 ios mezes de Janeiro, marco, nula
julbo, setembro e noverabro.
ASSIGNA.SE
no Recife, na livraria da praca da Independencia
as. 8, dos proprietaros Manoel Pigoeiroa de Far'a
& Filbo.


PARTE OFFICIAL
i ni i
GOYEBXO A PROVNTICT.V
Expediente do dia 12 de janno de 1866.
Olllcio ao Exm. e Rvna. hispo diocesano.Res-
pondendo oofflcio de V. Etc. de 9 de maio ultimo
ao qual acompannou um ootro esa que o vigario
da freguezia de S. Pedro Martyr de Ollrida, xpSe
as difflculdades em que lata para recebar da the-
souraria provucut, a importancia destinada as
obras d'aquella ."reja, visto nao baver quera quei-
ra prestar-se a ser fiador, attenta as restrictas dis-
posicoss da let bypothecaria, jenbo a di'zr a V.
Exc. que em vista da informara.) junta por copia
ministrada a esse respeito palo inspector da mes-
ma thesouraria, pode V. Exc. autarlsar o referido
vigario a despender at a qnantia de 1:620#000
com a continuaco das obras de qne se trata, sen-
do indemnisado nao s com a quantia de um con-
t de res votada pelo art. 15 5- da le do orca-
menlo vigente para as obras daqoella matriz, mas
tambero, cora a de 620J00 proveniente do benefi-
cio da 4" partp da 5a e i* da 6* loteras exirahidas
em favor de taes obras, logo que preste o mencio-
nado vigario naquella thesouraria as respectivas
contas.
Dito ao teneote-coronel commandante das armas
interino.Informe V. S. sobre o que pondera o di-
rector do arsenal de guerra no incluso fflcio n.
655 de II do corrente.
Dito ao inspector da thesoararia de fazeada. -
Mande V. S. ajostar contas at o tlm do mez cor-
rente, e paesar guia de soceorrimeoto ao capilo
do 4 batalbo da aribaria a p, Joo Paes Birre-
ta de Mello, que tem de.seguir para o sol no vapor
que se espera do norte.
Dte ao commandante do presidio de femando.
Recommendo a V. S. que taca regressar para es-
ta capital o cabo Launndo Galvo dos Santos, e os
guardas do 9a batalbao de infamara do municipio
de Oiinda, Manoel Alves da Silva, Lat Francolino
da Silva e Matbias Jos de Mello, urna vez que se
apresentem ne>se presidio ignal numero de pravas
para os substituir no servico. Offlclou-S8 ueste
sentido ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Oiinda e Igaarass.
Dito ao commandaote superior da guarda nacio-
nal do Recite. Remello a V. S. para os Qns con-
venientes as inclusas relacoes de pagamentos e al-
terarles das pravas do 4 batalbao de infamara
deste municipio, destacadas no presidio de Fernan-
do relativamente aos mezes de fevereiro a abril
deste anuo.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Oiinda e Iguarass.Mande V. S. dispensar
do servico a Manoel Pialo Ribeiro da Silva, era-
quanto estiver oceupando o lugar de fiscal da c-
mara municipal de Oiinda, na povoac.o de Bebe-
ribe.
Dito ao juiz municipal da primeira vara desta
cidade.Mande Vmc. pdra disposigo do comman-
dante das armas, afim de serem empreados 80
servigo de fachina da fortaleza do Brum, dous sen-
tenciados de instiga que estejam cumprindo penas
menores de 10 annos de pnso.
Dito ao commissano vaccioador provincial.Re-
mello a Vmc. duas caixinhas contendo tubos com
paz vaccinieo.
13
Officio ao Exm. e Rvra. bispo diocesano.Pelos
oflicios que V. Exc. se servio dirigir-me em 9 e 11
do corrente, flquei inteirado de haver V. Exc. nao
s concedido mais 30 dias de licenga ao Rvd. pa-
rodio de Munbeca Joaquim de Arago Ebla, mas
tambem dado proviso de coadjuclor da parochia
de Jess Mara Jos de Papacaca, ao Rvd. padre
Jos Roberto da Silva.
Dito ao tenente-coronel commandante das armas
interino.Em vista doqueV.S.ponderou emseuof-
ficio n.819de lldo corrente,o autorisoa crear o de-
posito de segunda ordem para catadores a cavaho,
que deve ter esla provincia, segando as inslroccoes
publicadas na ordem do dia n. 505, e as disposicoes
constantes da de n. 509, empregando nelle como
commandante interino o capilo reformado do ex-
ercito, Jos Ignacio de Medeiros Reg Monteiro, e
como segundo commandante o lente de cavalla-
ria de Matto-Grosso, Manoel Joaquim Machado, por
V. S. propostos no sen citado officio. Commani-
coa-se a thesouraria de (azenda.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Mande V. S. pagar ao negociante Francisco da
blica, e Ibes confiscaram todos os bens qne no nnaeiadag, brilhou pela anco e eletafao dos pee
fer o negocio nao chegando a tanto sacrificio, a smenlos e pelo correlo da dic?o.
< De poliUca aada aqu ba de aotavel; apaaft
o Jornal dt Amazonas, acaba de publicar as snbs
maioria porm dos hespanboes liaba sido presa
para releo?, pelos (actos que a Ileapanha esta' pra
ticando as repblicas do Pacifico.
tituicoes d Juizes municipaes e de orphaos da pro-
Semoftnmes noticias foram dadas aqu pelo | vincja,. que reeabiram ero individuos no geral do
Diario da (ira Piar, em conseqsencia da. retira-: partido dominante.
da para esta, de varios bespanhoes habitantes do Do Exm. presidente Couto Magalhaes, nao ha
baixo Per, que efiegaram ao referido vapor do por. emquanto noticia alguma, alea do quavja' Ibe
Amazonas; entretanto, apesar de esur Isto em le- traasmltti; por anegninte aio Ihe anaae diier se
tra redonda, como outr'ora se dizia, nao don por Ooosegulo vencer as cachoeiras do Taautins e
complatamente confirmada a notiata de terem sido commuoicar com a provincia de Goyai.
sacriffelttos os hespanhoes do Ctlle.
< Esta quelao esta' mu complicada e seria, e
presumimos que a Hospanha nao desistir' dos seas
intentos; "por qae nacao que poaco se acomraoda
s intervencdes de estranhos, as suas conloadas
quer de casa quer de fora.
O mesmo Diarto do GrPrr trai uma.es-
tatistica do movimenlo commercial entre a provin- os seguintes aavios: inglezes 8, brasllelros 5, fran
cia de Loreto e esta praca no mez de abril pelo j ceies 3, americanos 4, bollandexes 2, austracos 2;
modo seguate : total 23. Estes navios deram a lotaeao de 9,665'to-
EBortaco. Sobe ao algrismo de reis..... neladas; trateado: 16 varios gneros, 5 carvo, 1
80:920^000 a saber: em raercadorias de transito lastro e 1 farinba; seado 5 vaporea, 1 barca, 6 bri-
Os rendimentos pblicos d'eata provincia sao os
seguales:
No mex de nuio.
Alfandega.. si........
Recebedona....., .. ..
Outras repartiedes..
Francisco Mapaai de Siqueir.
Thoroaz Marques da Cosa Soares.
Joaquim F. deSouza Leo.
Lourenco Beieraa A. da Silva.
Caparea de Pao d'Alho.
Dr. Cbristovodjag Santos Cavalcanti.
Dr. Joao A. de f. Beltro de Araujo Pereira.
Dr. Joo 8. Marques Bacalho.
Ignacio dos Baux da Fonceca.
Tbom Leo de Castro.
Virenaj;de Aratojo Pinbeiro.
Comarca de Santo Anto.
Termo de Santo Anto.
Joaquim Pesue* Cesar da Cimba.
Aristteles Carneiro da Caoba A.
Francisco Pedro Soares Brando.
4:200*000
c No mez de maio prximo passado, entraram
133:0004000
41-0004060 ; Manoel C. de Queiroz Monteiro.
30:3914000; ditas reexportadas) do nosso porto
17:9294000; ditas ja' despachadas para consumo
24:9164000; e gneros de prodcelo nacional....
7:6844000 reis.
< lmportaco. A importarlo de productos pe-
ruanos elevou-se nicamente, durante o mesmo pe-
riodo, a 23:7724000; cuja descrirninaco fazemos
pelo seguinte modo : chapeos de "palha 6216; ero
algodao 4:7604000; fio de tucum ll arrobas, salsa
gues, 6 patachos, 2escunas e 4 hiates.
t Sabidos no mesmo mez.Inglezes 6, fraucezes
4, brasileiros 3, americanos 2, portogoezes 2, bam-
b rguez 1, austraco 1; total 19. Estes aavios
deram a lotaco as 9,936 tooelladas, e levaram car-
gas ao valor ofBcial de 447:0524329 rs.; seado, 1
com gado, 12 com varios gneros, 6 em lastro (nao
entrando naqaella quantia a importancia dos di-
versos gneros qae levaram os vapores para os
a.







7 arrobas; egarrafoes de mantelga de peixeboi 23. porto* do sal); e tendo a seguinte deslgnaeo:
O raovimento de passageiros operon-se como
se segu: entraram 22 e sahiram 17; total 39.
c Comparada a nossa exporiacao com a impor-
tacao, evidente um balanco a favor daquella de
reis 55:1484000. as entradas de chapeos, a con-
tar de Janeiro at o mez de abril fiado, eUvarara-
se a 38:682, cujas entradas meusal mete oaaputa-
mos a saber: ao mez de Janeiro 2:890, em feverei-
ro 15:696; em marco 13:930 e em abril 6:216.
< Annonclam-se alterarles as tarifas peruanas,
incongruentes e anti-protectoras do commercio.
< Ja' era ootra oecasieo lhe noticiamos que a
impreosa tinba aonoaciado o iateato de vir irami-
graotes do sal dos Estados-Unidos para esla pro-
vincia.
a A ebegada de raajor Uastiagsaaaltim pa-
quete iVorfa Amrtca, fex entrever slgaaes percu-
sores de urna nova era para o Para' o Amazonas.
< Este viajante seglo e apenas desembarran,pa-
ra o vale do Amazonas no vapor Belem, a exami-
nar a uberdade e riqueza desse slo, visto ser um
dos principaes colonisadores, e o primeiro que di-
rigi ama expedicao aotavel de colones para a Ca-
lifornia.
c Estas noticias, o facto da chegada do major
Hastngs e a animaco da imprensa prodozio urna
reunio no gabinete de leilura desta cidade, para
se organsar urna associagao protectora da immi-
grafio estrangeira; a reunio, convocada pelos Srs.
Manoel Antonio Pimenta Bueno, Augusto Eduardo
Costa" e Dr. Jos Coelho da Gama e Abreo, teve ef-
fectivaawate logar ao da 26, estando ah amas
cincoenta pessoas das diferentes classes da nossa
sociedade; foi alm disto nomeada urna commlsso
que tem de organsar a associacio e promovela pe-
los melbores meios ao seu alcance, une ficon com-
posta pela seguinte forma : presidente Dr. Jos
Coelho da Gama e Abreo, vice-presidente Dr. Joa-
quim Fructuoso Pereira Gaimares, Io secretario
Augusto Eduardo da Costa, 2* dito Dr. Henrique
Roberto Rodrigues; tbesonreiro Fortunato Alves
de Souza, directores J. B. Bood, Bruno Alvares
Lobo, Deniz Cnillere e W. Brambeer. E' esta a
primeira associagao qu en favor da tmmigraco
se tem instituido no Para'. Prasa aos ceas qae .ibras.
.

barcas, 2 brigoes, 4 patachos, 1 escuna, 1 rlate e
5 vapores.
Naviot no porto.
Paraeose, patacho nacional.
Persia, barca ingleza.
Babia, dita dita.
Aracaty, brigae ioglez.
Aane Williams, idem dem.
Nortber Crown, dem ideas.
Los Amigos, patacho dem.
Isabella, idem idem.
Madeira, hiale idem.
Suzan, idem dem.
Jeune Ida, brigue francez.
Reine Demars, patacho bollandez.
Bellone, escuna austraca.
Feliz Ventura, brigae portugus.
Tamega, idem idem.
Estrella, patacho dem.
Maiunh.vo.a commisso da praca apresentou
assembla provincial urna representaco contra
os impostos sobre botes, alvarengas e escravos em-
pregados no porto, creados o auno passado por es-
sa corporaco.
Jos Esperidio Xavier de Lima.
Joaquim de Barras Correa de Q.
Termo da Eseada.
Dr. Sergio Dinizile M. Mattos.
Dr. Francisco de Caldas Lins.
Dr. Joo Carneiro Leo.
Antonio dos Santos Pontaa).
Antonio Marques de H. Cavalcanti.
Jos Pereira de iraojo-
Comarca de Nazareth.
Dr. Joaquim F. de Mello Cavalcaote.
Dr. Jos lgnacic.de Andrade Lima.
Dr. Jos Jeroorao Pacheco de A. Maranbo.
Joo Antonio da Silva Cabral.
Feliciano Jos de Mello.
Ignacio Xavier Carneiro de Albuqaerque.
Comarca de Goyanna.
Dr. Antonio Pereira Birrosd de Maraes.
Dr. Jos Joaquim Firmino.
Joao Joaquim da Cunta Reg Barros.
Antonio Francisjo Pereira.
Jeronymo Carneiro de A. Maranbo.
Jos Correa de Oiiveira Andrade.
Comarca do Rio Formoso.
Termo do Rio Formoso.
Leandro J. da SffVa Santiago.
Manoel de Miara Silva Aguiar.
Joo Antonio Altes da Silva.
Tbomaz Los de B. Wanderley.
Paulino Augusto da Silva Freir.
Fraoclsco Vctor de G >uva.
Termo de Seriabem.
Dr. Sebastio A. Accioli Lins.
Dr. Manoel Nicdlo Rigueira P. de Souza.
Dr. Jos Eugenio da Silva Ramos.
Dr. Gaspar Cavalcaote Ucba.
Manoel de Mosquita B. Wanderley.
Coriolano Velloso da Silveira.
Comarca de Palmares.
Termo de Barretros.
Dr. Sebastio Antonio Accioli.



No mez passado sepultarara-se ao cemiterio Joo Carlos de Mondonga.
da Misericordia 122 cadveres, sendo 72 livres e
30 escravos.
I A alfandega rendeu do 1 a 7 do corrente...
24:7744223.
Ficavam carga os navios: D. Prtncett e
Volunter para Liverpool, e traeioea para Peroam-
buco.
Pialhv -Nada occorreu que merec menco.
Cear.Deixra o exercicio de chele de polica
o Sr. Dr. Antonio Joaquim Buarque de Nazareth,
sendo obsequiado pelos seus amigos, com um baile
na noite de 11 do corrale.
Nesse mesmo dia chegra da Europa o va-
por ioglez Jerome, seguindo a 13 para o Maraoho.
Plcava servindo de chef de polica o Dr.
Joaquim Jorge dos Santos, juiz de direito 4a capi-
tal.
Duranta o maz passado entraram na inspec-
cao do algodao 49 saccas pesando 211 arrobas e 16
ella prospere e traga beneficios reaes ao paiz.
t O gabinete de leilura tambem acaba de fazer
a saa eleicao para o anno de 1866 a 1867 sendo
escolbidos para presidente Dr. Jos Coelho da Ga-
ma e Abren, vice-presldht Fortunato Alves de
Souza, 1* secretario Joo Gualberto da Costa e Cu
oba, 2* dito Feliciano de Souza Azevedo, thesourei-
ro Antonio Jos Carneiro e Silva, vogaes Leonardo
A. de Faria Vivas, Jos Gomes de Oiiveira, Anto-
nio Xavier da Silva Leite Filbo, Antonio Rodrigues
Quelhas. Commlsso de exame de contas: Cassio
Carlos MenJes, Bernardo Olympio P. de Souza,
Francisco Liborlo Fernandos.
< A sociedade portogueza
pela mesma sorte para o seu primeiro auno em
qae lem de faacciooar o respectivo hospital os se-
Costa Maa, conforme solicitou o commandante su- gnintes mordomos : Ignacio Pereira da Motta 32
- votos, Julio Cesar Cordeiro Lima 32 ditos, Fran-
cisco da Cunta Carvalho 30 ditos, Joaquim Fran-
cisco Fernandos 28 ditos, Antonio Luiz de Faria.
Guimares 28 ditos, Jos Alves Pereira 28 ditos,
Fortunato Alves de Souza 27 ditos, Domingos Jos
Martins de Albnqnerque 27 ditos, Francisco Gau-
dencio da Costa 26 ditos, Thomaz Xavier de Bar-
ros 25 ditos, Joaquim da Cunha Mesquita 25 ditos,
perior da comarca do Rio Formozo, em officio de
4 do correle, os vencimentos relativos ao mez de
maio ultimo, do destacamento de guardas naci-
naes existente n'aquella cidade, ama vez que este-
jam em termos a folha e pret untos em duplcala,
e nao baja inconveniente.
Dito ao juiz de orphos desta capital. Mande
Vmc. apreseotar ao director do arsenal de guerra
o menor Francisco, de que trata o seu officio de 12 l Joao Ribeiro de Aredo 23 daos
do corrente, afim de proceder-*e nos termos do re- Teve lugar na noute de 2 do corrente a ios-
calamento n. 113 de 3 de Janeiro de 1842. Offl-1 tallacao da nova sociedade denominada Corinna.;
*iou-se ao director do arsenal de guerra. A' ella esto associados os principaes cnefes |
Despaches des dias 12 e 13 de junan de 1866. de u
Requerimentos.
Aaaixo assignado de Antonio Fereira da Cmara
Lima, e oatros.Informe o Sr. engenheiro chefe
as reparticao das obras publicas.
FYaoci&co Jos de Campos Pamplona.Em vista
da infOfmico nao tem logar.
Francisco da Costa Gadelha e Benedicto Pedro
de Espirito Santo.Nao tem lugar.
Flix Jos de Seona. A vista da taformacao do lrnmento, violino
Sr. commandante das armas, no pode o sopph- j varias senhoras.
cante ser atteolido por ora.
Joo Chrysostomo de Oiiveira. Passe portarla
prorogando o prazo por quareata e claco das.
Rufioo Manoel da Cruz Cousseiro.Passe porta-
ra concedeodo o adiantamento pedido.
A alfandega rendeu nesse mez 89:6854431
ris.
L-se oo Ceartnse :
c At Janeiro de 1865 o numero das casas de te-
Iba comprehendidas oa planta da capital, elevava-
se a 1056 e o das de palha, nos arrebaldes, a 2525.
De ento para c a edificado tem progredido con-
sidera vel mente, sendo, portanto, de presumir que
esse numero seja boje muito superior ao d'aquelle
lempo.
No trimestre de Janeiro a margo do corrente
anno, mataram-se 1224 rezes para o consumo.
c otraram nessa estaco de Janeiro a mar*o des-
uenelicente elegeu le anno 37*>* saccas de algodao com 26.924 arro-
bas e 12 libras. >
Escrevem-nos de S. Matbeus :
< O invern tem sido rigorosissimo. O Jaguar -
be transbordla e ianandoa aquella villa; causando
ncalculaveis prejuizos a lavoura e aos propieta-
rios de casas. >
Ro Ghanuk e Pahahvba.Sao baldas de impor-
tancia as noticias deslas provincias.


PERNAWBUCO,
REVISTA DIARIA
Por portaria da sabbado (ez S. Exc. o Sr. vlce<
que tero por fimo deseuvolvimento e o cultivo da presidente as nomeacOes dos supplenles de juizes



.

arte da msica.
Os jornaes em geral applauderaesta associacSo;
porque ella tende ao progresso artstico do paiz e
aoimaco e amenidade dos boas costumes.
c O concert pbilarmonioo eompoe-se de exeeu-
c5es no piano a qaatro e a oito mos, diversas
phaotasias, variaodes e tereeitos para o mesmo ins-
e (lauta, alm da cantona por
DIARIO DE PERJAMBUCO.
Os trechos das differeotes msicas, foram de
Rossini, Beltint, Donizzeti, Vtrdi, Talberg, Mira-
gha, Beger, Mathieu e oatros; sendo especialmen-
te os amadores qae execataram semelhantes pegas
todos naeioaaes.
t Os jornaes tambem proclamara a sna admira
! cao na exeeacao de urna pequea phantasla para
| piano, pela lba do Dr. Moreira, que tendo oito
------ annos de idade e abrangendo smente a sexta do
Sabbado chegon, a' ooitlnha, dos portqs do norte! teclado, fet-se oovir briihantementa e eora uouvel
do imperio o vapor ToemtHnt, sendo portador de I desembarazo e cadencia sobre os motivos da opera
jornaes do Pararal 9,4o Maraahoat It.do Cea-' Beatnc* de Tenia; aada delxando a desejar, a
ra' at 13, do Rio Grande at 14 e da Parahyba at vista da pequmbez de suas roaos a apenas com dez
16 do correte. Eis o que delles colhemos. mezes de ensiao, e assim osespaetadores a amada-
Amazonas. Tudo la em pai nesta provincia. res a vfetoriaram entbasiaslicaroente, porque foi
Achava-se noporto deManos a canbonelra de | qoem mais brilhou em rela^ao a sua idade.
guerra Ibicuhy, coadurlndo a commisso de liml-' N'asu provincia nao se preocupa a alteaeo
tes com o P r. publica, se nao com a abertura da exposicio nacio-
Pab. Fallecer o Sr. Antonio Francisco de aal dos productos agrcolas e industriaos; diz-se
Lonrelro Santos, co-proprietarfo do Jornal do Para, ser urna fesla com toda a etiqueta, nao podando
Os hachareis natoraes da provincia,residentes i penetrar no edificio, qae o novo palacio do bario
na capital, mandaran* celebrar urna roissa eom t- de Jaguary, comprado a aaabfdo >para. o recolbi-
bera-me, pelo repouso eterno do Dr. Manoel Gomes: ment das educandas, seoo as pessoas conyladas
correa d? Miranda. Pr mngflraeSo, a nos dlaV consecqlrvos, as
1 qu) tiverem bilhete e decentemente trajadas. A
abertura depeh de aatoiata 10 do corroo te a
eoaea qae sera levada a effeito com o brilhaatis
mo que pessivel a'esia provincia.
t Pindou-se o Mes de Mirla eom grande concur-
rencia da fiis, mallos ais por curiosidade do
Alm desses faetos, qae colhemos dos jornaes,
diz-nos nosso correspondente.
t O commercio por aqu nao se acha satsfetto
com o estado de paz armada e ameacas de guer-
ra entre varias potencias da Europa, e aluda mais,
avista de varias quehras de baoqaeiros a casas
commerclaes; ste estado de eoosas de certo Influe' gao m& eom qae foram oovir na catnadral de
consideravelmente no animo de quem arrisca cap-; |aatt Marta 4a Be m as palavras e a, doctrina do
>.a. om miKw.Au ..! a uaim nnr ora Bim. bispo u. Antonio de acedo uista.
Saa Exc. prophllgou severamente o desprezo
taes em trausacc.oes mercantis, "e assim por ora
todos se reirabem a ver as causas em que param.
Do Chile e Per a gaarra com a Hespanha
corre com certa ferocidade de parta a parte, segan-
do as ultimas noticias viadas pelo Amazonas no
vapor Mandos, aqu ebegado no flm de malo.
c Dlz-se que depols do bombardameos de Val-
paraso os chilenos em vingaasa, sacrlficaram per-
to da 3:000 bespanhoes residentes naqoelta repu-
e indiBeraatismo religioso, quer do povo quer das
proprlas autoridades civis, qae oem appareeiam ao
templo a oovir a palavra sagrada; discuti larga-
manta acarea da preferencia a religiosidade da
doutrlna catholica sobre oatra qualquer; S. Exc.
emflm fot ouvido eom respeito a acatamento de to-
jos, porque no 19019 jas verdades cathollcas pro
municipaes, qae devem servir por am qnatnennio,
na forma do art 19 da lei de 3 de dezembro de
1841, a saber:
Comarca do Recife.
I* vara.
Dr. Francisco de Carvalho Soares Brandao.
Dr. Jacintho Pereira do Reg.
Dr. Francisco Amyntbas de Carvalho Moura.
Dr. Miguel.Jos da A. Pernambuco.
Dr. Joao Diniz Ribeiro da Cunta.
Dr. Joaquim Jos de AlasaMl.
. 2* vara.
Dr. Virgilio de Gusmo Coelho.
Dr. Manoel N. de Souza Bandelra.
Dr. Manoel Arthor Cavalcanti de Albaquerqae.
Dr. Antonio i. Ayres do Naseimento.
Dr. Graeiliano de Paula Baptista.
Dr. Manoel Joaquim Silveira.
Juizo de orphos.
Dr. Jos Eustaquio Ferreira Jacobina.
Dr. Cicero Odn Peregrino da Silva.
Dr. Francisco de Paula Peaaa.
Dr. Laurino de Moraes Pinheiro.
Dr. Antonio dos S. Siqueira Cavalcanti.
Dr. Jorge Dornellas R. Pessoa.
Comarca de OUnda.
Termo 4a Oiinda.
Dr. Francisco Lins Caldas.
Dr. Manoel Antonio dos Passos e Silva.
Carlos Martins de Almeida. -
Joaquim de Si Cavalcanti: .
Braz Machada Pimentel.
Joo da Cruz Fernandas da Souza.
Termo de Igaarass.
Bario de Vera-Ouz.
Epamioondas Vleira da Cuaba.
Francisco H. Baaarra de Maaezes.
Manoel Fraaclaco de Souza Leo.
Fraocisae Nrerra de A-rada Cmara
Joo Lata da Silva.
Comarca do Cabo.
Teraao do Cabo.
Dr. Antonio Luiz Cavalcanti da A.
Dr. Aadr Cavalcanti de nlbuqaerque.
Joaquim da Souza Leao. r
Jos de Moraes Gomes Ferreira
Braz Carneiro Leo.
Joao Paulo C. de Souza Bandeira.
Termo de ipojuca.
Dr. Victoriano da Si a Albuqaerque.
Jos Flix, ft Cmara Pimentel.
Francisco Furrio Caslello-Branco.
Thomaz Alvos Maciei.
Jos Francisco Bello.
Laurenlino c> .Rarros Lios
' rmo de Agua-Preta
Dr. Pairo AP 4 Ferreira.
Beroardo Jos ai Cmara.
Zeferioo da Caoba Bastos.
Francisco da C. Machado Pedrosa.
Jos A. Seraphicode Assis Carvalho.
Domingos Soriano de A. e Silva.
Comarca do Ltmoeiro.
Amaro Jos Lopes Coatinho.
Ignacio Corroa de M-llo.
Claadino Correa de Mello.
Jos Caetaoo Pereira de Queiroz.
Caetaoo Luiz Coliaco.
Maooel Antoolo Gayo.
Comarca do Bonito.
Termo do Bonito.
Dr. Jos Baptista Gitlraaa.
Manoel G. da Cunt 1 Pedrosa.
Francisco Quintioo da S. Vieira.
Amonio Jos Henriques.
Antonio Jos Pereira.
Jos Honorato Chaves.
Termo de Caruar.
Dr Kpaminnndas de Barros Correa.
Miguel Correa de Ponte.-.
Joao Salvador dos Santos.
Brasiliano de Barros Correa.
Joo Isidro Goncalves da Cruz.
Antonio Victor da Silva Vieira.
Comarca do Brejo.
Termo do Brejo.
Antonio Alves Campos.
Manoel Claudino Bezerra de Menezes.
Candido L. Cordeiro Mergulbio.
Francisco X. de Paula Cavalcaote.
Rogerlo Lucio da Silva Mergulho
Caetano de Oiiveira Mello.
Termo de Cimbres.
Candido X. Pereira de Brito.
Joaquim de Carvalho Cavalcaote.
Joaquim de Almeida Catanbo.
Joaquim Severiaao Leite.
Antonio Rodrigues de Preltas.
Joaquim Cavalcante de Albaquerqae.
Comarca de Garanhuns.
Termo de Garanhuns.
Dr. Jos da Costa Doorado.
Aotouio B. de Mello Pelxoto.
Antonio Paes de Lyra.
Joo Correa Brasil.
Francisco Pereira de Carvalho.
Candido Jos de Barros.
Termo do Buique.
Maooel Camello Pessoa C
Joo Hyppoiito da Souza.
Antonio de Araujo Cavalcante.
Tbomaz de Aquiuo Cavalcante.
Jos Jeronymo de A. Mello.
Lourenco Bezerra Cavalcante da A.
Comarca de Ttorts.
Termo de Villa-Bella.
SebastiSo J. de Magalhaes Copista.
Antonio Xavier da Moraes.
Braz Nones de Magalhaes.
Victoriano Lopes de Barros.
Galdino Goncalves Lima.
Jo Nanea de Barros.
Termo de Flores.
Joaquim Rodrigoes Florencio.
Galdino Pereira de Moraes.
Antoaio J. da Campos Barbosa.
Liberato Florentino de Magalbies.
Francisco Jos Diniz.
Antonio Pinto de Oiiveira.
Termo de aaaxeira.
Goncalo Jo.- do N. Leita.
Joao de Deas Siqueira.
Agostioho Ferreira de Carvalho.
Flix Ferreira da Silva.
Aadr Raposo de Souza Guerra.
Manoel Ferreira das Navas,
Comarca ia Boa-vista.
Termo da Boa-vista.
Manoel Jacome Bewra de Carvalho.
Joao Jos Rodrigues Coelbo.
Alexandre Gomas da Silva.
Benedicto 'toaario da Carvalho, -
Andr wues Braulio.
Jos, Ptreira Brandan.
Termo do Ourlenry.
Agostinho Correa de Mello.
Jos Francisco Ro irlgnes Coelho.
Joaquim Leonel de Alencar.
Benedicto Honorio da Carvalho.
Antonio Cesarlo Alves de Castro.
Severiano R. Coelho Macado.
Comarco de Cabrob.
Saturnino Jos da Silva,



!
.

Belormino Ferreira Padilba.
Antonio Ferreira Lostosa.
Josino Ribeiro Torres.
Francisco Pereira Lima.
Ignacio da S. Souza Araquan.
Comarca de Tacarat.
Jos Paalino Rodrigues de Barros.
David Barbosa de Souza Ferraz.
Antonio Jos da Cunha Cavalcante.
Mariano Francisco Sonto.
Jaouano Nones de Souza.
Francisco Lourenco de Araujo.
Depois do cholera ain la nao vi um tempo tao pesti-
lente.
t Continan) as ebuvas, e as endientes do rio-
1 Que passe ja' este invern, qae nos ha tanto
prejudicado na saude.
c Nada se do qoe vai pela polica, apenas me
consta que dous escravos do eogenbo Petrlbs que
de muito audam fgidos vao espalhaodo o terror
em S Pedro e seas arredores. Muito conveniente
sera' que o digno Dr. chefe de polica, qne tao
bons servicos tem prestado em Page tocasse por
aqu na sua volt para a capital, acredito que sua
Chegou sabbado o vapor americano Poneos,, vinda a Pao d'Alho nao sera' sera vantazera.
Chamamos a atunero de nossos leitores, pa-
ra, o cora mullicado que boje publicamos sobr a
epigrapheMimos ao Rsd. clero desta diocese.
Depois de amaaha ao mel dia se exlrahira.
a 17' lotera, a' beneficio das familias dos volunta-
, rios- da patria (48'), sendo o maior premio 6:000A.'
Esla marcado o da 2 de taino prximo, para, ,,,,,, v.
a abenura da 3- sesso jodela ia o jury 'd'aau -, -No d,a'6 do/T-,ei ?re8 J222&1
capital, a qual ser presida pelo Sr. Dr. jaiz de tomo,a Voss ***; fe ?t,m c?rso de.Pre-
l, !j se acha va regendoa dita cadeira, como profassor
Corre qae durante a ausencia de S. Exc. oterlao.
qae noticiamos acbar-se ao norte fondeado por fal-
ta de carvao. Tem 169 ps de comprmanlo, 28 e
meio de largara p 12 de pontil, demanda 10
ps de agua, e de 352 tmeladas. Foi outr'ora
de guerra e de presente destioa-se a ser vendido
no Rio de Janeiro, para onde deve seguir hoje.
Rvma., por occasiio de saa viagem ao Para', de
qae ja' demos noticia, icara' encarregado da go-
veroago do bispado o Rvm. Sr. padre Jos Ferrei-
ra Borges, que acha se noraeado vigario geral, em
consequencia da exonerado do Rvm. mego Joao
Chrysosthomo de Paiva Torres, a qoem foi eacar-
regada a visita da provincia de Alagoas.
Em razo de terem sido suspensos os respec-
tivos funecionarios, por falta da especlalisaco das
hypothecas dos seos dadores, foram nomeados pa-
ra servirem interinamente o lugar de tbesonreiro
da alfandega o Sr. conferente Francisco de Paula
Gongalves da Silva, e o de pagador da thesouraria
de fazenda o Sr. 3 escriptarario Manoel Antonio ; *86o.
Foram
O escrlvo dos protestos Jos Mariano est de
semana.
Nameraco dos bilbetes da lotera (68*) offe-
recidos pelo thesooreiro das loteras, para auxilio
das despezas da guerra.
Bilbetes ns. 486, 834, 1498,2259, 3053, 3684.
Meios ns. 688. 926, 1589, 2148, 2415. 2689.
Quintos ns. 1360, 1661, i927, 2862, 346L
Os bilbetes da lotera 67* produuram ISfOOO.
Total....... 1:1065000.
Reparticao- ba polica :
Extracto das partes do dia 15 de juaoo de
Cardoso.
Mogos qae se dedicara a vida comercial, pro-
movem urna sabscrigo, cuja assigaatura j val a-
vanfajada eom o fim de prepararen) manifestac,oes
festivas em regosijo da tomada de Humaita, deven-
do ter ellas logar logo que nos chegue aqu a com-
petente noticia.
Taes manifestarles cifram-se, alm de ama pas-
seiata pelas roas d'esta cidade, uniforroisados to-
dos os associados, e com urna banda de msica
marcial a' sua frente, em ama bella illuminacao
em frente do caes da ra do Trapiche.
Consta-nos que diversas familias d'esta capi-
tal preparara fios, afim de serem remettldos para
os bospitaes da campanha do sol, onde de presen
te grande a carencia d'elles, pols sacced'endo-se
os combates, augmenta-se o numero dos feridos
E' cortamente louvavel este concurso presllmo-
a casa de deteaeo ao dia 14
de Santo Antonio, Rc-
recolhidos
i do corrente :
A ordem do subdelegado
salia e Severino, escravos, este de Patricio Jos
Tavares, aquella de Maooel de tal, para eorrec-
cao.
A ordem do de S. Jos, Jos Ricardo., da Cuaba,
por embriaguez; e Manoel, escravo de Francisco
Lucio Colbo, para correoco.
A ordem do da Boa-Vista, Juvenoio Gomes de
Abreu e Olympio Francisco de Souza, por terem
I quebrado um lampeo da illnminacao publica e
insultado a patrnlba; e Jos Joaquim da Costa,
para recalla.
A ordem do da Capunga, Manoel Francisco Sales,
i por snspeilo em tarto de cavallo, a ter ameacado a
I mulheres com fanca de ponta e pistola.
-16-
A ordem do Dr. delegado da capital, Manoel
so, que prestam as nossas amaveis patricias, cojos cm Saturnino, para correcejio.
coracoes generosos nao podiara fechar-se a's dores
gloriosas dos nossos irmos, deixando de concor-
rer com o qoe possam para allgeirar-lhes taes sof-
frimetos.
Da ordem do dia n. 152 do qnartel general
do commando em chefe do 1* eorpo do exercito em
operac3e3 nos campos do Paraguay, copiamos o
seguinte trecho que se refere ao 11 corpo de vo-
luntarios (1 desta provincia), e que poe bem pa-
tente o valor e a coragem porque elle se portou
nos ataques de 16 e 17 de abril:
( Illm. Sr.Participo a V. S. que tendo o corpo
do meu commando passado para esta repblica na
na primeira turma qae desembarcou ai marcena
esquerda do rio Paraguay, no dia 16, tomaran)
parte no desalojamento do ioimigo, eom o 2 de
voluntarios, os capites deste c.jrpo Hermillo Peri-
grino David Madeira, Jlo Vicente de Brito Gal-
vo, alferes Jos Severiao Je
algumas pragas de pret; "obre o comportamen
to destes officiaess e praras, o Sr. commandante do
2 de voluntarios pode informar satisfactoriamen-
te. No combate do da 17 este corpo oceupoa o
seu lugar oa primeira llnha de reserva, e durante
elle foram feridos o 2 cadete da Ia companhia Ma
A ordem to subdelegado de S-. Jos, Vicente,
escravo de Francisco de Campos, para correceo;
i e Manoel Hespanho! oa Mancel Roema. de Queiroz,
I por farlo.
A ordem do de Saoto Antonia, Joaquim, escravo
de Luiz Baptista da Silva Jnior, a lequerimento
desle.
A ordem do da Boa-Vista, Manoel Francisco
da Silva, por crime de terimantos..
O chefe da 2' seccio,
1, G. de Mesquita.
CASA DE I>ETENi;~.;j.
Movimento da casa de detenco no dia 15 de ju-
cha de 1866.
Exisliam 359, entraram 5, sahiram 8, existen)
356.
A saber:
Nacionaes 251, mulheres 13; estrangeiros 29,
Almeida Pedrosa e mulheres 2. escravos 08, esetavas 3.
Total 356.
Alimentados a costa dos cofres pblicos 192.
Movimento da enfermarla ao dia 17 de junbo de
1866.
Tiveram baixa :
Maooel Framtisco Pereira, defluxo.
noel Ferreira de Moraes e anspecada da 6'Isidro Sibardo Antonio da Rocha,, diarrbea.
Francisco Romo, e contuso o furriel da 8' Jos Manoel, escravo do padre Gamillo de Meodeo^a
Athanasio de Souza. E'-me satisfactorio declarar Furtado.
a V. S. qae o Sr. major fiscal Joaquim Igoaco Ri- Rita Mana da Conceifao, defluxo.
beiro Lima, tenenle-ajadante Jos Aotouio Ribeiro Teve alta :
de Freas, todos os ofBciaes e pragas de pret ar-' Fraocisco Jos do Naseimento.
denteraente anhelavam o momento de apresenlar o Paesageiros. do vapor Tocantins, vndo-dos
reflexo do brilbo de nossas armas como verdadei-; portos do nortes:
ros brasileiros. Junto acompanha a relaco dos j Carlos Eduardo Radly, Pedro Cbermonl de
feridos e contusos. Miranda e l escravo Jos Feliciano de Noronba
k eos guarde a V. S.-Acampamento do 11". f-J'"1.. Manara e 1 escrava, Dr. Antonio Joa;
da patria junto an forte de: .nm Baarque Mareta, sua seohora, 1 Qlbo
ua seohora, 1 atoo e 7
escravos, Vicente Modesto da Silva, Jos Loarenco
do Amara), Miguel Joaquim Lobo, Dr. J- Alves da
Silva e 1 escravo, Vigario Amonio Das da Cunha,
Ignacio Jos Pacheco, Antonio Vericuno de Lima,
Marcolino Martins Benigno, Antonio Jos de M., A.
; B. da S. Lobo, Pranci'o Joaquim Pereira Barroso,
su seohora, 1 llho e loriado, Jos Martins Fer-
corpo de voluntarios da patria junto an
Itapir, na repblica do Paraguay, 19 de abril de |
1866.Illm. Sr. coronel Jacintho Machado Buten-
coart, commandante da 7* brigada. -Innocenclo
Jos Cavalcanti de Albaquerqae, major comman-
dante. >
Commuoicam-nos o seguinte:
r(tallri.*llH
mamehte chegados de Berln, com o 8m de estaba- Hermenegildo de Souza Travasso, Antonio de
lecer nesta cidade um novo sali de photograph.a g g ,w mn Sebaslio Tobiw de oiiveira
nao o podando facer repentinamente, mas quereado L viatorino Ion Raposo, Francisco Antonio
! SKLSSR5S! P0S"Vel i *TSL^ KI Amonto Jos de Souza Gulraares, Richard
mus traba hM de maneira a fodmmKWO,m' Jo,. Rabe||o de 0|vejr BrjU Ne|h Mara
acolbimeoto que mullas pessoas de eona^reeao \ffc da Je9as, joio Gaspar Galdino, David
lbe teem prestado, lomara a liberdade de nnun-! Fnac{ott AAolfbo scherraan, Henry Black, 1
ciar que flzerara urna associacao com c. Sr. M* escrav0 ZtSSt a Bailar Oiiveira.
dos Santos Peretra, propnetano do estabelectmento 1 JJ para o sul
da ra do Imperador n. 38; e como torna-se ne-1 ^ Antonio Angosto de Sooz* e saa familia, Dr.
cessario a todos os trabalbos urna grande obra no 1 JakBfl ^lvtslT Drummond, D. Mara Isabel dos
estabeleciraento. eslari este fechado por alguns ^^ 0liveira e 7 fllhos, Dr. J. de Carvalho Fer
dias a parr de boje at qoe m fseaminnWi-.' ^ Vje,ra Leoa Petter, Antonio da Conba Pe-
car os anouncios de abertura nos jornaes diarios, reJM B >ndi Atfredo Horacio Martins de Pinho,
dando ao mesmo tempo a nomenclatura de todos os > Mej p Francisco Ayres, 11 pracas do exereito,
trabalbos qoe se ario no referido estabetoai.|5 Morn,Md# m,ri0ba,Dr Antonio Manoel de Mei-
ment. > toe sua familia
Estesartistas, asseveram^nos, qae traftalhambem,. PasiaBe|ros sanido para o Aracaty no, hiale
send0__ difB0S_de ADe5?--P!-M.4 "^'i-!..?8108 Nicotu /. L. P. da Gama, I. M. de Carvalho, A. L.
seus estados as principaes capitae da Europa.
O Sr. Julio indo fazer melhoramentos em sua l
galera, afim delles poderem bem trabalbar, a da-
rem copia desses estudos e aperfeicoatneoto da
arte, faz por cerlo nm servico a esta, a recommen-
da-se ao aprego publico.
Remettem nos esta noticia:
P. da Silva.
Cbmitbbio pv6|,ica. Obituario po ma 12 de
junho Da 1866.
Joaqaim Rodriguss Ferreira, Pernambuco, 70
anuos, soltairo, Boa-Vista; cmaras, desaagua.
Manoel Antonio do Naseimento, Patnambuco, 38
annos, soHei/o, Recife; eoagesUo ecebra!.
Prepara-se para o dia em que obegar a asta pro-1 Harta Maapela da Conceico, Pernambuco, 30 an
vlnca a noticia do triumpb das armas atliadas
em Humaita, um batalbao patritico eomposto da
javentude da nossa noputai>o i a qaal percorrera'
diversas roas d'esta cidade, assim como, alm de
visitar o palacio do govern, e o commando das ar-
mas, visitara' as residencias das familias dos mili-
tares que M achara na campanha e que se tenna.ni
portado com bravura.
* A commisso encarregada de organsar este
eorpo, coovda a todos aquellas ateos que anda
nao m achara alistados, para o fazerem, dlrigindo-
se a loja da ra do Cabuga' n. onde se poderao
melbor informar do preciso para tal organisaco.
Este batalbao formara' no largo da fortaleza das
Cinco Ponas. >
O soldado do corpo provisorio Raymundo dos
PaMos Ferreira, tendo deixado as ordens do Sr.
subdelegado da Boa-Vista, agradece-lhe as anal-
ras com qae sempre o traton S. S.
falta de outro meio da mam fes lacio de mu
animo penhorado, .pede-nos elle esta pablicacio
aqoi.
De Pi d'Albo escrevem-nos em dalas da 14
do crrante:
1 As cmaras de sangne a as tosses convulsas
molestias qae as vezas accomettem Jautas o mesmo
indlvidao, ja' tem feito suas victimas, nio s em
creancas mais tamben ente 01 adultos.
t Nao ha casa, qna nlo tnh ado o sea doento
nos, casada, Boa-Vista ; peritoate.
Mara Jpaoolaa da Coneeicao, Pernambaoo, 30 an-
nos, soMeira, S. Jos; dlarrhea.
JuJU,Pernambuco, 11 mezas, Boa-Vista; convul-
soes.
iolio, Pernambuco, 4 mana.*, Boa-Vista; colite.
Eustaquio, Peroamboco, 8 mezes, Boa-Vista; con-
HamauM
Manoel, Pernambaoo, i mezes, Boa-Vista; desia-
leri.
Jos, Pernambuco, 4 annos, Doa Vista; deeiateria.
Jos, Pernambuco, 23 meses, Boa-Vista; coavul-
oaj
Theodoro, Peajambuoo, 7 annos, escravo, Boa-Vis-
ta ; dasinteria.
LnU. Paraambueo, 4 anaos, esaravo, Santo Anto-
aio; desiaterta.
*3 ~
Manoel Joaquim dos Aojos, Pernambuco, 32 annos,
casado, Boa-Vista; tubercatos pasmoaares.
Joio Jos dos Santos, Pernamnnco, 36 annos, sol-
teiro, Boa-Vista; tubrculo pulmonares.
Guilhermina Francisca da Conceico, Pernambuco,
14 annos. & Jos; frialdade.
Marta doCarmo da Conceico, Pernambuco, 23
annos, soltairo Boa-Vista; disinterla.
Isabel de Soasa, Pernambuco, 80 nanos, solteira,
Boa>fistt; lubarcntos pmmonares.
Marta na Conceicio, Parnambuco, 16 asnos, soltei-
aaaas
... .
J




'yyi
cr
**TT
^_
'*" "
rs:
Hitarle tle FeraamlMie cgaad* teira 18 de fanho de 1866.

\r.r
t
t,7

ra, S. Jos; tubrculos pulmonares.
Jos, Pernambuco, 2 mete*, Boa-Vista; espasmo.
Maria, Pernambuco, 3 dias, Recite; convulsdee,
liarla, Pemamjaaco, 3 ornes, S. Jos; desioteria.
' j ......
CHROMCA JUDIUiHIA.
TRIRT* VI DA RBfcAClO.
SESSAO DE 16 DE JUNHO DB 1866.
PRESIDENCIA DO BXH. SO. CONSHJUIBO
SOU1A.
As 10 horas da manlia, presentes os senhores
desembargadores Saoliago, Loorenco San tago, Al-
meida Aibnquerqae, Motta, Asis, Doria, UchaCa-
valcami, e Domingas da Sika, faltando ea Bn.
desembargadores Gitirana, Guerra; e procurador
da cora, abrio-se a sessao.
Passados os eitos, deram-se os segaintes
JLLGAMENTOS.
Kecurso coramercial.
Hecorrtnie, o vito; recorrido, Leonel Cavalcan-
li de Aibuquerque.
Relator o Sr. desembargado!- Santiago.Sortea-
dos os Srs. desembargadores Almeida Aibuquerque,
Uchoa Cavalcanti-e Motta.
Nao tomaram coohecimento do recurso por se
achar o reo ausente.
Recurso crime.
Recorren, bacharel Rufino Coelho da Silvas re-
corrido, o juno.
Relatir o Sr. desembargador Doria.Sorteados
os Srs. desembargadores Multa, Santiago, e Almei-
da Aibuquerque.
Reformaran) a sentones, para pronunciar o re-
corrido
. Appellacoe civeis.
Appellante, Firancisco Jorge de Sonta ; appella-
do,!Francisco Mariobo de Aibuquerque Cavaloantl.
Nullo o proeesso.
Appellante, alias Emiliano Ramos i appellado,
Manoel Germano Buarque.
Confirmada a seoteopa.
DILIGENCIA CRIME.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
j asaca.
Appellante, o promotor publico; appellado, Flo-
rencio aas Virgens Maximiano.
Appellante, o juito ; appellado, Joao Casslano
Freir.
Assignou-se da para julgameoto dos segrales
feilos:
Appetlaco civeL
Appellanie, Amonio Ferreira da Ponte ; appella-
do, Manoel Ferreira da Ponte.
BaMMIV
Do Sr. desembargador Santiago ao Sr. desembar-
gador Doria:
A appellacio clvel.
Apellante, Francisco Ferreira de Andrade; ap-
pello, Manoel Jos Taboca.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago ao Sr.
desembargador Almeida Aibuquerque:
Appellacio clvel.
Appellante, a Santa Cafa da Misericordia ; ap-
pellado, Antonio da Silva Ferreira.
Do Sr. desembargador Motta," ao Sr. desembar-
gador Doria :
A appellacio civel.
Appellante, o juizo; appellado, Agosnho Eduar-
do Pina.
Do Sr. desembargador As sis ao Sr.desembarga-
dor Doria
A appeilaraocrime.
Appell.ute, o jaizo ; appellado, Vicente Ferreira
da Costa.
A appellacio civel.
Appellante, Lourenco Bezerr de Siqoeira Cavai-
canti: appellado, Dr. Amaro Joaquim da Fonseea
Aibuquerque.
Dia de apparecer.
Appellante, Gabriel Antonio ; appellado, Manoel
de Barros Rocha Wanderley.
A 1 hora da tarde encerrou-se a sessSo.
da
da -fonseea, apnerflfloSc-s'adminisiradores
massa fallida de Siqueira & Pereira.
Ke foram propostos por Rio estar prenote o
Sr. desembargador Accioli.
PJtSSAGBHS.
Do Sr. desembargador Silva Guimares ao Sr.
desembargador Reis e Silva.
Appellaues, os administradores da massa fallida
de Amoriro, Fragoso, Santos & C ; appellados,
Ferreira & Mattheus.
Appellante, Joao Pinto Dmaso Jnior, appella-
do Jos Adolobo de Barros Correa.
Nada mus havendo a despacharle foi por S.
Exc. o Sr. presidente encerrada a sessio a i bora
da tarde.
Communicados
limo offerecido ao Rvd. clero desta diocese.
Senhores redactores.Como o Exm. e Rvm. 8r.
bispo diooesaoo vai mostrando loavavels Iniencdes
de moralisar o Rvd. clero secular desta diocese,
comecando por lerobrar-lhe a sua rigorosa obriga-
(3o de usar dos seus hbitos e dislincltvos propries,
e assat honroso*, era coja espinbosa missao Dees
ajude aquelle respeiuvei pastor ; e possuindo eu
tambera os melhores desejos de prestar algum ser-
vigo ao dito Rvd. clero,em orden v lo tornar-ser
em breve, tao exemplar, a acreditado como o da
Franja, e de outros paes catholicos, ui provoca.-
do a revolver cet tos papis velhos, que me foram
legados por um to padre que Uve, (o qual ja ba
uiuito subi eteroidade, e foi sempre estima-
do), e reSpeilado na localidade, em que morava
por suas ezcellentes virtudes, e ptimas qualida-
des, afim de descobrir algum, que contivesse bons
cooselbos, e aproveitaveis preseripedes para poder
oTerecer aquella veneravel corporacao.
Pois bem, Uve a fortuna e muito eiultei de acbar
entre os mencionados papis ja tocados do caron-
cho as seguintes copias de algomas salutares dis-
posices da Constituigo do nosso arceblspado re-
lativas ao vestuario^tonsura, e coroa dos clrigos,
as expressas prohibicoes delles pandaren ie nai-
fe, cohurem, btberem em tavernas, rem rodas t-
llalas, entraren em comedias, ou dansas, festas de
cavallo, dufarce com mascaras, jogos prohibidos,
exereitarem a profisao de medito, e Ctrurgio, e
quaesquer officios mecnicos, ou indecentes ao seu
liv. 3.titilo x.
De terem prohibidos os oficios de mdicos, cirurgi-
eos ou mchameos.
477. Conformando-nos com a dieposlcjto do Di-
Yeito Cannico, sob peta de excomnmnMo, e de
nhum Clrigo de Ordens Sacras de nosso Arcebis
pado exercile officio dt medico, ou eirurguo, nem
sangre, nem corte oh mande cortar memoro, tu
parte elle com ferro, ou foge.
478.Mandamos a
Arcebispado que neto
ja, e ato poderia accresceotar rauitos outros de i
ffefvnle pases, nos quaes nao s se subvencio- j
ntm Uei emprezas, mas tambem se onstruem es-
trada* de ferro* costa do estado.
Laogadaeontestar este facto, presto tambem o
vinte cruzados pagos do aljube, mandamos que*- 4Ne*ipkrde minhasleituras aseitacSes feilas.por
meu Ilustre adversario ; o que nao concebo, po-
rm, 4 a precedencia do argaaooto, que d'abi se
tira, sera a necessaria comparacSo das estradas
subvencionadas, sem o estudo previo de-que fallel
todas os Clrigos de nosso | em meu prlmeiro artigo, para veriletr-se a maior
sjp, nes eaurcitem otfieio, 9* ou menor tilidade respectiva : e o que mais,
mimlfeno algum vil, batto, e indecente seu estado sem aittooao a insufOciencia dos nasees recursos.
nem aemm, nem reeem, nem cortem eannas, ntm O dinheire do pobre deve ser mais eeonomisado a
facetm eemelhante Irabalho ni, post quesejaem mais seguramente empregado que o do opatteu.
suae proprias fatendas, etc., etc. Rendimemos que assentam era batea vaeUhmtes
v. 3,titulo xi. nao poenr ser repuudos Infalllvels para fazerem
Em me se ordena, aos Clrigos, (fue nao usen, de, face a langas e largos eompromissos, cerno os que
irato e mercanca nem facam tintas porganhos nos resoltan) do tOltAKi, que discuto.
ou interetses.
8i.Mandamos que nenhum Clrigo ie-Ordens
Sacras de nosso rcebispado seja tratante, rendeiro
ou mercaior de qutlquer especie de trato, () nem
compre furtos e mercadortas para as tornar d ven'
der, tratar, ou retfatear com ellas, nem seja fiador
por inletesse, m ganko, e os que fizerem o contra-
rio, pagarao pela primeira vez dous mil ris, e pela
segunda a penaem dobro a paga do aljube, e se de-
pois da terceira adraoestaco se nao emendaren),
se proceder contra ettes com mauw rigor.
liv. 3.titulo xw.
Da prohicao de ter mulheres.
433.Paranlo mandamos, que nenlium Clrigo
de Ordens Sacras de qualquer quaUdade, ow condt-
cao que sefa, tenha de portas a dentro, ou se sirva
de mulher atguma de que possa harer suspeila, ou
perigo, anda que seja escrava sua, E asomas, que
ttcerem para seu servico, serao a menos de cincuen-
ta annos de tdade,(**ftde tml vida eeostumes de que
nopissa haver ruim suspeiU : e (aecado alguns
delles o contrario, sera pela primeira vea adatos*
lado, que a laoce fura, e se nao sirva mais da dita
mulher em certo lempo.
485.E outro sim, mandamos gue as ditas pes-
Esta a non poiirao, que nao deve ser esqtre-
cid*, para evitarmos os periges de uraa,Jraittgo
pengosa.
A comparajo s pode ser estabeleclda proce-
dentemente entre palzes de iguaes recursos, em
idnticas condicfos de popula(ao e produclo.
N'este presuposto foi que provoquei a questo; e
na hypoihese da empreza Mornay as minhas duvi-
das referen se, altn das raides expostas, a cir-
camstancias particulares oossas de comparaco en-
tre os pontos de partida e direcgo, que o tramwav
podia ter. Esie o ponte principal da questo, no
qual tenbo a feliesdsde de achar-me de aoeordo com
a opiniaado digno director das obras publica*.
Ahi one desejava ver demonstrado o nosso er-
ro; e como isto nao fes o defensor do contrate,
continuo a pensar que techo razao.
Em quaru lugar, flaalmenta, nio preso Urar das
repugnaaeias ou dtfBcoJdades, que tiaha o capita-
lista iiglee, jd illudido em deixar se arrattar a no-
vas emtvecas de vas frreas no brasil, o ar-
gumento que extrae o meu illastre adversario.
I,''mbf ar-lhefiei que no ba divergencias a respe!-
to dos erroe que se deram nos trabalhos prepralo
ros da estrada de ferro de S. Fraecisco i e sem
soas (eclesisticas nao tnsinem mulhnes Qr,es- querer far.er offensa ao raraeter dc doos Irmios
crever, tanger ou tocar, i cantar,sem nossa licenga, \ concessionactes', deva aetar qae om selles e Sr.
ou do nosso Provisor, sob pena de se proceder com E. Mornay, o ooursriadbr da nova empresa. Mais
penas arbitrarias ejotra quem Oter e contrario. ; natural me parece que de facto assim expllca-
i do se tirasse motivo para fuer o contrato com mais
seguranza e restriegues em favor da provincia, da
IfRklWiy. que elevar as vantagens e cotcessoes para serv-
Estava annunciad que pessoa habilitada se pro- rem.??'. estado, usarem de trato, mercanca, fazeiem fiangas pUnba fazer claras e evidentes as conveniencias do\ <*9<> o cosHrato fala dados por en-
ae se sjDssa avallar, ao menos approiinedameate,
por ganhos ou interesses, em urna palavra, de terem
deportas adentro mulheres,em que possa haver sus-1
petta. Em rerdade, nesta conjunctora de prova^Ses,
melhor, e mais precioso mimo nao porso offerecer I
aos ditos clrigo;., os quaes por sua bondade, me
perdoaro essa limitacao, ao menos pelo com sinho
priacipto Memo dat, quod non Kabcl, me plusquam
habet. i
Por raen moto proprio deixo de mandar irans-'
crever as severas penas eommiaadas em cada urna
dessas disposic3es para o caso da respectiva trans-
contrato de tramway; e poneos dias mediaram
entre o annuocio e a resposti com qne fui honrado
no Diario de Pernambuco de 8 do corrente.
Tendo eu manifestado o proposito de nao discu-
tir com anonymos, sioto nao poder declinar o nome
de meu illustre antagonista, porque elle julgou
o quanitun do sacrificio Imposto a* provincia.
Este poni, que me paieee importante, licou sem
respeata. A r* pidez com qoe sobre elle pasera o
defensor, limiiando-se leves considera^fltes no In-
tuito de mostrar que temes garanta na raetinca-
mais conveniente trocar a sua assignatura por tres SSL"^ cuu"a* w
asteriscos; mas nao me queiicy nem tradozo este: __-!^* ? ser
seu procedimento em desejo de ficar sem replica
devo alias pensar que a summa bondade, com que'
se dignou tratar-me, a garanta qne me offerece
cao, a_qne o contraa eela; sajerto, sem lembrar-se
racbdeado sera'para nos
um motivo de des peas fortes, me dspen*a de
maior desenvolvimeoto.
.5* objaccoo : Parte tecanica. Os pendores de
gressao, porque considero que principalmente ao ffe maoter-se em terreno digno de su pena hbil,3 *' V. aaommto fortes para taes estradas. Peso
nVU. Clero lera mili unta innlitlninn : L .__>______. .. e .." 'A rernra Anm Irilhisa
TRIBIVVL DO COM HERCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 14 DE
JUNHO DE 1866.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERETTI.
As 10 horas da manilla, reunidos os Srs. de-
putados Bosa, C. Alcoforado, Basto e Miranda
Leal, S. Exc. o Sr. presidente declarou aberta a
sessao.
Lida, foi approvada a acta da sessio antece-
dente.
EXPEDIENTE.
Foram apresentados os pareceres dados pelos
Srs. deputados relativamente a' escriptoracao dos
agentes de leiles Francisco Ignacio Pinto, Jos
Mana Pestaa, Jos Euzebio Alves da Silva, Jos
Izldoro Martin?, Francisco Gomes de Olveira e
Antdnio Jos Cordelre SlmSes.
O tribunal resolveu mandar ouvir aos mesmos
agentes sobre as irregularidad.s encontradas nos
seus livros, menos ao agente Pestaa, ojeeertp-
luraqo o tribunal reconhece estar fetta com re-
golaridade e em termos de servir de modelo, salvo
as leves fallas apresentadas no parecer respectivo.
DISTRIBUtgOES.
Aos Srs. deputados foram destribuidos os se,
gointes livros :
Copiador (por maqoina) e diario de Calaca &
Rabello.
dem idem de Silvestre Ferreira Caminha.
DESPACHOS.
Reqoerimento de Jos de Aquino Fonseea, di-
zendo que tendo requerido ao Dr. jniz especial do
comraercio para prestar a Banca ordenada por
despacho de 21 de malo prximo passado, afim de
exercer o lugar de correior, houve dito juiz de
proferir o despacho que se v em sua peticao
junta, em vista do que viDha de pedir deferimeato.
Se o Dr. juiz especial do commereio intende
nao serem idneos os fiadores e reformadores offe-
recidos, exija outros.
Dito de Joaquim Francisco Lavra, pedlndo eer-
tidao de ser ou nao commercianle matriculado.
Como requer.
Diio de Joio Antonio de Araojo & C, para
serem regitradas dnas nomeacoes de caixeiros.
Registrem-se.
Dito de Joaquim Jos de Medelros, para ser
tambem registrada urna nomeaeao de calieiro.
Registre-se.
Dito de Jos Antonio de Araojo, e ontro (infor-
mado pelo Sr. desembargador Hscal) para ser re-
gistrado o seu contrato social. Reglstre-se.
Dito de Jos Lopes da Silva Guimares e oulros,
(tambem Informado pelo Sr. desembargador riscal)
para ser regislrado o seu contrato soefal. Re-
gistre-se.
Dito de Manoel Antonio da Rocha Jnior e
Francisco Joaquim da Rocha {ja' visto pelo raesroo
Sr. desembargador fiscal) para tambem ser re-
gistrado o seu contrato social. Registre.se.
Papis da lfen?a do agente de leudes Praneiseo
Ignacio Pinio. Nao iem logar a' vista do pareeer
fiscal.
Nada mais houve, e foi e ncerrada a sessio a'
11 "v horas do dia.
Rvd. elero ter mni justa appjcajoo
Oderunt peceare boni, virtutis amore,
Oderunt peceare mal, foimidine metu
Peco-ibes, seobores redactores, que se sirvam de
publicar no seu eonceituado Diario estas curtas e
mal tracadas linhas seguidas daquellas verbas co-
pias, deseulpando-me ao mesmo tempo de abarrta-
los tanto de trechos lataosalie bem cabiveis,
porque at nisto nao posso deixar de dar trovas
de que bonro-me de ser, ainda qae film legitimo
(bom sempre saber-sejde um cabo de esquadra.
O Sobrlnho de (meu to) padre.
Recife, 11 de junho de 1866.
CONSTITUYO SVNODAL DO RCEBISPADO DO BRASIL.
LIVRO IU-TIT. 3.
Dos vestidos de que os clrigos poderao usar, e dos
que Ihe sao prohibidos.
4400scleri9os se devem abster de toda a pompa,
luxo, e ornato desvestidos, para que seudouo esta,
do clrigos, nao parecam no habito seculares, e por
isso convra ramio que tragara vestidos decentes,
honestos, e convenientes s suas ordens, dignidade,
e estado, dfstlnguiudo-se em tudo dos que nao sao
do seu estado, mostrando na decencia, e nonestida-
de dos trajes exteriores pureza interior da alma,
e assim o encorarnendam os sanctos padres, e dis-
poem os sagradas Caones, e o santo Concille Tri-
dentino.
441 Mas, porque o mesmo direito nSo determinou
quaes devem ser os vestidos de que devera usar, e
prohibe era particular alguus, deixando o mais em
arbitrio dos prejados, conformando-nos cera a dis-
posico de direito, costme deste rcebispado, e do
reino, ordenamos, e mandamos que todo o dertgo
de ordens sacras traga vestidos exteriores cumpli-
dos at o arteiho dos ps pouco mais, ou menos, e
de cor negra, morando, ou residindo nesta cidade a
saber, loba fechada com cabecdo levantado, e capa,
e as mangas poderao ser do mesmo de que forem as
lobas, ou de outra cousa da mesma cor treta.
e professional, e eu acceito-a reconbecido, na espe
ran^a de tirar desta dlscusso argnma trtilidade
para a provincia, e para mim proveitosa licio em
materia de estradas de ferro.
E, si algum reparo cabe-me fazer, por ora, .
somente quanto ao desejo, que se me empresta; i ,?0,a!i
nsnras ao Eira. Sr. Dr. Manoel Ce- ,'z / ^
Para maior clareza, e como melhor methodo, eu
reproduzirei as objecc5es que me soggerio a leltu-
ra do contrato, e indicare, a proporco que as for
enumerando, as-que Acarara sera resposta; assim
como procurarei ainda sustentar as que foram com-
batidas.
1' objeccio : A prosperidade flnnceira da pro-
vincia nao fondada em bases solidas, e como tal
nao pode ser motivo para grandes emprezas e Im-
portantes eompromissos, cuja realisaco pode al-
gum dia at ser exigida em nome 'o direito da
forca.
Ficou sera resposta.
2* objeceo : Pouca ntilidade relativa do fra-
mwatj contratado, havendo outros melhoramentos
mais uteis e urgentes.
Neste ponto, como nica resposta ao defensor do
tramways, adduzirei aspalavras do digno Sr. di-
rector das obras publicas, indicando em seu olflcio
de 11 de abril do corrente anuo, por oidem da
pridoncia, o modo mais conveniente de executr-
*43 As meias ptnrerao ser de seda.ou de aa, par- se a le n. 649, em virtude da qual se fez a eonces-
djs escuras, ouroxas, e nao poderao trazer ligas de, sao requerida pelo Sr. E. de Mornay.
e largura doe trunos.
Concorda comigo o mea Ilustre adversario, na
primeira parle tltala objeccio; mas revelando o
seo adiantaraeoto em estados da estradas de ferro,
Indica o remedio. Gracas a for^a das modernas
diz ellle, os pendores teem ebegado
de dirigir'censnras ao Exra. 'Sr. Dr. Manoel* Ce- j /* */ K accressenta eiemplos que me devem
mentino Carneiro da Cunha, de quem s fa'llei! cnencer da dita sua verdada.
para fazer justlca s suas nualldades e boas Inten-1 ..Na0 Pnho isto em dovida, e at peco venia para
c5es, empregaodo expresses que ialgo nao ter fl,zer .1ue leabo no,lcia de pendores de 8,3 / em
delxado duvidas acerca do mea proposito. f>st"das percorridas regularmente per locomotivas.
Protesto, pois, contra a interpretacao qne se den Para atravessar os Alpes em Mont-Ceols entre
s miabas palavras, e peco ao meu nobre contendor ; baint-Micbel Suze, e deve ji estar construida
que nao insista era urna defeza, que sem motivo. Pels Srs- Brassey & C, urna estrada de trro, qoe
Longe de por era duvida, eu reconheco e proclamo J12 de servir a locometivas dasystema Fell, coja
os sentimeutos honrados e a boa f do digno vice- "v* da traegao com um pequeo aecresslrao de
presidente, que firmn o contracto, e da pessoa que '/b de seD Pezo duplicada; permitUndo assim gal-
o'fflcialraente deve ter sido consultada. Neste l* rampas com o declive mencionado. Oquenfio
ponto estamos perfeitamente accordes ; assim es-! acho Pssivel que possam foncoionar regolar-
tivesseraos em outros, de que passo occu- mtnle 'oc<>">o'>vs adequadas ao pendor de 4 /,
CURA
Espantoza e Ailmiravel
DE MA OHAQA
GANCROSA e roedora
POLYfO M NARIZ.
Urna creada de servir reejdente em Pernam-
buco pertenceai* Ex."" Seu; ViacoNDaesA
DK Qoiasna, foi attacada d'uma terrivel cha
ga cancrosa e roedoraon Polypo no Nariz.
A mesma involva e tomava todo a parte in-
ferior do nariz, amea^ando ja ditruir tanto a
parte cartilaginosa como o mesmo oso ; Come-
con prlmeiro por apparecer sob o beico supe-
rior e parte da lace, extendendo-6e por tal
forma e com tal rapidez, que em pouco amea-
?ava transformar todo o rosto n'nma enorme
charga viva e asquerosa. Durante todo este
twrirel estado, todos os recursos medicfnaes
que em taes cazos se uz&o fbrSo abundante-
mente empregados, sem que do leva fizesee
parar a marcha le* e dlstrnidora de o hor-
rivel enfermidade, e todos os melos e esforsos
lorio baldado*, e no m tanto o mal .creada da
ojm por milagrosa fortuna da infeliz estando
as couzas neste ponto, se experimentou pela
vez primeira a

SESSAO JUDICIARlA EM 14 BB JUNOO DE
1866.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
A. F. PKHKTTL
Secretario, inlio Gutmares.
A (nze horas e meia da manha o Exm. Sr. pre-
sidente declarou aberta a sessao, estando reonjdos
os Sr*. desembargadores Silva Gotmaries, Reis e
Silva, e os Srs. depotados Rosa, Candido Alcofo-
rado, Basto, e Miranda Leal.
Lida foi approvada a acta da precedente sessao.
AssigBsram-se os accordads proferidos na ul-
tima sesso nos feitos entre partes
Appellante, Joo Cavalcante de Afbuquerqoe
Mello, appellado, Bernardlno Joaquim da Bilva.
Appellantes, os administradores da maesa fallida
de Joao Baptista Gpncalves Bastos; apperlados,
Francisco Gomes de OHveira, testamenteiro de
Heary Gibsoa.
JULGAMEKTOS.
AppeHante, D. Maria Veoanete de Abreu Lima
Basto?, appellado Jos Guilherme Guimares.'
Adiado a pedido de um dos Srs. depotados.
Appellante Joo Pinto Regio de Souie, appella-
dos, os administradores da massa fallida de-Amo-
iim, Fragoso, Santos .
Despresaram-se os embargos.
Appellaates, os administradores da matea faUi.
da de Joaquim Jos Silveira ; appellada, a dlraelo-
ria da Caixa Filial da Banco do Brasil nesta ci-
dade.
Ordeooiwe urna deligencia com o-vofo.doExm.
Sr. preaideoie.
Appellantes, os. administradoraa da-maesa fall-
Appellaates, os admtaisuadorea a> atea faisV
R^iu^ffi^^ Ba*0'; **Uos>
Appellante, Oesainges Joa da Cosa A mor m
appellados, os administradores da rnaasA (ailid i d
Amorim, Fragoso Santos fi C
Appellantes, os herdeiro do Dr. Ignacio Nery
seda com rozas, comocostumara os seculares, nem
com ponas, ou rendas de ouro, prata, ou retroz; e
e poderao usar de Otas, ou sendaes para apertarem
as meias. Nao poderao (fcjser sapatos picados, ou
golpeados, salvo por atguma enfermidade.
444 Us barretes sero de quatro cantos feitos de
panno, sarja, on gala.ou cousa semelbante, forrado
de tafeta negro, ou de outro forro da mesma cor.
Os chapeos serao de formas ordinarias, e com sua
tranca de retroz, ou fita, mas nao os trarao cem as
abas levantadas cam presilhas ao modo dos secula-
res, senao cora a modestia que requer seu estado.
Diz o Sr. Dr. Campello : t Nao sendo Uto til
para a provincia a construeco dos tramways,
como a factura das estradas de rodagem, em direc-
gao aos centros productores, parece-me que nao se
deve auxiliar as companhias com mais de um terco
do capital por ellas empregado (oo o capital er-
(ad) a vootade do emprezario), e que se Ibe deve
sobre trilbos de 20 kilograramas por metro corren
te. Maior pendor exige maispesadas locomotivas;
e estas s ruaecionam regularmente sobre trilbos
mais pesados on mais numerosos.
Quanto a largara entre os trunos e o sea peso,
assegora o mea illustre adversario qne, nao poden-
do a nova estrada ter orna largura muito mferwr
a' de S. Francisco, era dlspensavel mencionar-se o
peso des mesmos trilbos em ambos os casos.
Note-seporm, que o contrato falla de coma linha
cora a largura entre os irilhos igual a' da estrada
de ferro de S.Francisco, e oulra com a largura que
os estados mostrarem ser mais econmica e con-
veniente.
D'aqui bem se qae estas clausulas nao sao
urna a a mesma cousa. Entretanto declaro que
oo dei malta Importancia a isto, e para nao tor-
nar este artigo muito ettoaeo, Bco aqui por boje, e
conlinnarei no seguate numero.
Recife, 16 de junbo de 1866.
M. de Barros Brrelo.
SALSAPARRILHA
DE BRtSTOL.
O effeito produzido, quasi que instantneo
por este lneatim a vel remedio foi verdacteira-
mentemaravirhosoesem Igual; este gTande
porifleador do sangue e doe humores do sys
tema, immediataaente pz um termo i mar-
aa diaastroza fatal da molestia, derramndo-
se e lnffltrando-se atravCs dos tecldos os mal
delicados do. corno, expel indo at i ultiaaa
propriedade ou vestiglo virulento da molestia,
teatro e'um curto espaco de tempo produzio
urna
CURA
Completa e Radical.
Este feliz quio admira vel resultado foi obti
do apenas com o simples uso
Duina s Hiiica Gnala!
d'eete Incomparavel e inapreciavol depuratorio,
recommendamos porUnto todos os Doemtes
que procurem obter com o maior cuidado a
nica e verdadeira Salaaparrilha de Bristol,
nnicamente preparada por
LANMAN&KEMP,
1H5 NOVA YORK,
na certeza de que, todas as mais preparaoSes
imitativas nao valem para eouza alguna
Vende-se as boicas de Caors & Barbosa
e C. Bravo & C
Couros........ Os seeeoe salgados veoderarn-
se a 160 r?. a libra.
rroe.......... O pilado da India venden-se a
- 3*050a arroba.e o do Maranbao
a3fl000.
Azeitedce......Vendeu-se o de Lisboa a 2j500
o gallo.
Bacalbo.......Retalhon-se de 16* a 18* a bar-
rica.
Batataa......... Venderam se a 1700 a arroba.
Carne secca.....A do RicGrande do Sul vendeu-
se de 2*400 a 3*200 por arroba,
fleando ara deposito 150,000 ar-
robas ; av.a do Rio da Prata de
2*000 a 3*000, fleando em de-
posito 40,000' arrobas, ao lodo
190,000 arrobas.
Caf...........Vendeu-se de 8*200a 6*200
arroba.
Cha............dem de 1*700 a 2*300 a libra.
Cerveja........Vndense de 3*000 a 6*300 a
duzla de garrafas.
Fannha de trigo. A de Philadelphia e New-York
retalhon-se de 21*000 a 23*000
por barrica, a de Ricbmond da
32* a 23*, a rranceta a 23*,
a hespanbola a 22*000 e a de
Trieste de 24*000 a 29*000;
fleando em deposito, 2,800 bar-
ricas da primeira, 3,800 da se-
cunda, 1,000 da terceira, 1,200
da quarta, 3.8C0 da quinta, e
Sjm da sexta; ao iodo 18,100
barricas
u>n5a..........A inglaza ordinaria veadea-se
eoca 318 por cente de premio so-
bre a factura.

Publicares a pedido
COMMERCIO
Monte-pio portDguez.
A directora provisoria desta associacao tero re-
bebido reclamares de varias pessoas, que, havendo
assignado em diversas listas, dizem nao ter sido
procuradas para o pagamento das soas joias. De
impor condices de prego de transporte, que com- outras sabe esta directora que, suppondo sem fun-
pensem, em beneficio da agricultura, os sacriflcios
da provincia. >
E depois de mostrar que o governo geral deve
auxiliar a provincia oasdespezas da subvengad aos
*. yaal1uer clrigo de ordenssacras, ou benefl- tramway, feilos na zona da estrada de S. Francisco,
ciado de qualquer qualidade, e dignidade que seja,' como o mais loteressado, que no desenvolvi-
que no habito, e trajes nao guardar o que flea dis-' ment do respectivo trafago, accrescenta o mesmo
posto, alera das penas que por direito mcorre.ser -Sr. Dr. Campello :
pela primeira vez admoestado com termo feito, e j i A estrada de ferro construida ao sul da pro-
cendemnado em dous mil res, e em perdimento da [ t vincla tem de extenso quasl o duplo de qual-
peca defeza, que !he fr achada, para o raeirinho; c quer das estradas de rodagem, parece-rae por-
e pela.segunda, perder a mesma pega, e quatro mil tanto mais equitativo e conveniente que se tmpre-
res pagar do aljube tambem para o mesmo mei-
rinho, e aecusador; e sendo comprehendido mais
vezes, se proceder contra elle com mais rigor, se-
gundo a qualtdade da pessoa circumstaneias da
culpa.
LIV. 3.*TITCLO III.
Da tonsura e corg dos Clrigos.
451.Justamente qutzeram os Sagrados Caones,
que os Cleriaos, e sacerdotes se dtversificassem des
Seculares pelo hablo clerical, e que tamben Uves-
sem tonsura,* cato: na cabeca, congruente mo-
destia do seu tetado, e nao criassem barba indeco-
rosa ao minieteno do Altar. Portanto, mandamos,)
que todos os Clrigos de Ordens Sacras, ou Benefi-
ciados traqam carn abatas, barbas e bigades ra-
paot, e sanca deixem eresoer o cabello da cabe-
, de serte que oo apparecarn as orelbas, o se
nao veja distmetanisate a cora.
uv. 3.titulo v.
Cono os Clrigos nao podem andar de ntile, e per
qmm poderao ser presos.
439.Mandamos que nenhum Clrigo ande de
noite nesta cidade e mam villas e lagares deste r-
cebispado, onde se correr o Sino, depois del I a aca-
bado da oorret} poste que seja em habito clerical:
e sendo ochado oelo nosso Ueirinho ser levado pe-
ante o nono Vigario Geral, ele., etc.
UV. 3.TITW.0 VL
Como os Cleiigos nao podem comer, nem beber em
tcernas, nem ir a vdas tllicitas.
464.Conformando-nos cora a dlsposico de di-
reito, orndeamos e mandrnosla todos os Clrigos de
Ordens Sacras, que nlto entreni em vendas, esta-
lagens, tabernas, e outras casas publicas a comer,
ou beber, excepto quando forem de caminho, e nao
tiverem outra asa, porque oestes termos os rele-
va a necessidade, e podero ponsar em estalagens,
e comer nertas; e Ihe enearregamos qne nao oe-
mam na mesa com mueres, anida que eslejam pau-
sadas na mema esialagem, nem com outras pes-
soas, de qne possa haver escndalo, etc., e|c.
466.(vutro slm, rhes prohibimos qne em suae
ctsas nao facam banquetes, o vdas ithcttae, sal-
vo sendo de seus prenles. E mes encomnendamos-
muito, que as licitas, hooestis, e graves em qae
se acharen), se bsjaoi coro raojta mooeraeao e mo-
destia, dando em ndo exemplo, como-de as-pee
sdas, e estado se deve- esperar.
. LW. 3.TTTOfcO Vil.
Como os Clrigos nio podem entrar em comedias,
ou dancas, nem em fe>ias de cavallo; nem disfar-
car-te com mascaras.
67.Couioruiaooo-uos com a disposicao de di-
reito, estreitamete prohibimos aot Clrigos de-Or-
dene Sacras, de qualquer grao, ou condicao que se
jan, entrar em dotyas, bailes, entremezes, come-
das, ou timelbanUe feslqt 4 p, e* a cavclla,ou
andarem em mascarados.
LIV. 3.-TITULO VIII,
Dos jogos prohibaos.
46AvrrE fiftW}6,. dlrgUo. Canooico, e Sagrado
CoqcUo, Ifidenlio prohibe aos, Clrigos jogar ce-
la edadps, eoqfocmando-nos com a sua disposi^ao
ordenamos, a manimtt qu/.nenhum Clrigo de
Ordens Sacras jugue cartas, dados ou outro algum
jogo de parar, or/invTie, nem qualquer oulros pro-f
hibido por direito, ou leis do Reino.
gue o producto do empreslimo as' estradas do
centro, que as despezas com a subveoejio as
c companbias dos tramways nao exceda muito da
c decima parte do valor do tmj res limo, e que de
< preferencia seja subvencionada a companhia
qoe estibelecer este sjstema de via de eoramu-
nicago as estradas da Victoria e de Limoeiro.
Os impostos sao cobrados igualmente quaes-
quer que seiam as difculdades de transporte e
c despezas de produccao dos gneros, e com toda
a justica os contribuiotes podem reclamar que
igualmente sejam repartidos as diversas direc-
(des da provincia, os beneficios das estradas de
rodagem e dos tramways.
As palavras transcriptas prestara s ideas que
etnitti tao grande apolo e autoridade, qne posso,
sem expraiarme em m a ores consideraedes, pas-
ear
3' objeceo : O tramway oo est no caso de
ser subvencionado.
Aqui o defensor da empreza se pronuncia clara
e decisivamente pela necessidade da subven cao candidatos que desde
Em seu conceito as emprezas de estradas de ferro propostos, como para
n^A Dnhtmpnfvnaflaii mili aaAia _X> i in_|.(I I _>>..u_ J> __~.
nao subvencionadas entre nos sao simples tentati
vas, de que o tempo mostrara' a iroprofleaidade.
A empreza Morgan e Deir, na Babia, leve a im-
portante concessio de 20 leguas de trra,
mais adiantados sobventionam emprezas. Para
nos ha necessidade especial deste mel; porque
t O accionista ingtez qoe eropregon o sen capital
t as linbas frreas brasflelras garantidas, vlsou a
um lucro certo de 7 /.': folum engao, fllho da
t irreflexo, porque garanta de juro nao quer di-
[i zer dividendo.
Assim illndido, continua o defensor' do rra-
mway, nao se deixa arrastar fcilmente urna se-
gunda vez e em peiores condic,3es.
Responderei por partes, Prfmeiramente nao
posso considerar simples tentativas, nem prophetl-
sar que sero improflcs, emprezas a coja frerrie
se acharo pessoas respeltaveis.que offerecero, alm
de ootras, a garaotiyla, experiencia adquerida em
melhoramentos que^lein promovido, Neste caso
est o Sr. baro de Man, eoncessronarlo de um ra-
mal de estrada de ferro oa provincia odS. Paulo,
sem subvengo ero garaotia de jaros.
Em segando lugar, se a coneessao de terrenos e
outros favores podem ser equiparados a'subvenejw
pecuniaria, o Sr. Mornay rev subvengo dupla
por que, alm da quarta ptrte em dlnheiro de con-
tado dos orgameatoS, que elle apresentar, espera
coneessao de terrenos por parte do governo geral e
oatros favores, dependendo d'isto a reaHsaco das
obras contratadas.
uro terceiro lugar, nao aoseoobeeo os exemplos
de estradas snbvenclouadas em Portugal e em No-
dameoto real qoe o Monte-Pio Porluguez nio pas-
) sari, ou deuhara' no estado de embryao, reser-
vam-se para pagar a joia de dez mil reis, depois
que virem a sociedade installada.
Attendendo, como Ihe compre, s reclamaQSes
dos primeiros, e nao podendo deixar de dizer aos
segundos, que laborara em erro, se se persuaden)
poder espadar atesse tempo o pagamento a que,
como pessoas de brio, se obrigarara pelo facto da
sua assignatura, a directora provisoria convida
ainda pela ultima vez todos aquellos, que estiverem
em algum dos indicados cases, a realisarem o pa-
gamento das sass jolas at ao da 20 do corren-
te mez, impreterivelmente, procurando para esse
flm os respectivos recibos em md do Sr. thesou-
relro interino, o Sr. Jos Alves Lira, na p.-aca da
Boa-Vista ns. 4 e 8 ; ou para maior commodldade
dos interessados, e para de fatnro nao allegarem
qualquer aasealpa (qae nao sera' aueadida),
aquelles que nao paderem dlrigir-se a casa do Sr.
thesouteiro, queiram deixar neta- de saus nomes
para serem procurados, no Recife, no Forte do
Mattos, armazem do Sr. Jos da Silva Loyo, na ra
da Madre de Deas, botica des Srs. Joo da C. Bra-
vo & C, e na Toa da Cruz n. 23, andar ; e em
Sansa Antonio, na roa do Crespo- b.2, livraria Eco-
nmica, e noiabioete Portugeez da Leitora.
Lago depois que, por annuucios pblicos, se de-
clarara* em vigor os estatutos, e isso lera' logar,
segundo todas as probabilidades, depois do dia 26
e antes do dia 30 do mez correte, a joia, em con-
formidade cora o disposio no art. 70 dos mesmos
estatutos, passar a ser de 35*000, tanto para oa
esea data em diante forem
aqnelles que antes tiverem
NovoBaneo de Pernambuco.
O novo banco paga o 16 dividendo db
razao de 6)5130 por accSo.
Caiga Filial do Banco do Brasil emPornambaeo
aos 11 de junlio de A86
A Caita saca sobre a Caixa Filial na Babia.
Aovo banco degPerna
buco.
O Novo Banco desconta letras
ao anno
Manle,ga.......Venden se a ingleza a 1*000 a
libra, e a franeeza de 480 rs. a
" 540 r,a dita.
Masas.........Venderam-se de 7*800 a 8*500
_. aeaixa.
Oleo de linha^a. .* Vendeu-se a l*70Qo galo.
Pass*.........dem a 6*500 a caixa.
Presuntos.......Venderam-se a 16*000 por ar-
roba-
QQeiJ0S........ Os flamengos venderam-se de
_ 24 a 2*200 cada nro.
**d*0:......... o inglez vendeu-se a 140 rs. a
libra, e o do Mediterrneo a '40
rs. a dita.
Toucinbo.......Vendeu-se o de Lisboa de 85000
... a 9* por arroba.
V"sTe........O de Portugal vendeu-se de 90*
a 110* a pipa.
Vinlos......... Venderam-se os de Lisboa de
180* a 190*000 a pipa, e o de
ontros palzes le 160*000 a 180*
a dita.
ve,as..........As de composigao venderam-se
de 590 a 600 rs. por pacote de
seis vetas.
Descontos.......O rebate de letras regnlou d
9 a 10 por ceoto ao anno.
Fre,es.......... Para Llverpcol, em navios prr mp-
tos para accellar a '{ d. por libra
para o Canal inglez 22/6por
tonelada, sem prlmagem.
MOVIMENTO DO POETO
a 10 por cento
ALPANDEGA.
Rendimento do da 1 a 15......
dem do da 16................
317:8484386
13:222*613
331:070*999
MOVIMEiVTO DA ALFANDEGA
Volnmes entrados com fazendas. .
* c com generas...
volumes sabidos ecm fazendas...
cora gneros-----
23
413
-----436
90
825
-----915



assignado, mas nao pago, quatia inferior. A'
vista disto, espera s.directora provisoria que-,
quem ainda nao ti ver honrado a sua assignatura,
Partes' se apressara' a* faze-lo al ao dia 20 deste mez o
mais tardar, ou a deixar neta de sea nome, aa
forma sopra indcala, para ser anda proco*
rado.
Sio bem eooheeidea osXncnvosper que o Monte*
Po Portuguez ainda oae fuoeciona ; e agora que,
felizmente, esta' por assim diier ultimad* a arre*
cadaco de listas eoobraaca de recibos, agora que
novas qoantias teem indo jontar-se primeira
somma recolhida.ao Nevo Banco da Pernambuco,
julga a directora provisoria que ninguem mais do
vidar, que possa levar-se a eflalto o bello e hu-
manilario pensamento do Illro. Sr. Dr. Jos Manri-
ques Ferreira, nosso dio ex-consul nesta pro-
vincia.
Aos incrdulos a directora previsoria diz purae
simplesmente : a installacao do Monte-Pio Portu-
guez ter lugar no dia 1* dejulho prximo.
Secretaria do Monte-Pio Portuguez em Pernam-
buco, 9 de junho de 1866.
Jos a Serva L>yo,
Presidente.
Joaquim Gerardo de Bastos,
2* secretario. .
....." ii i
() Pela Ord iiy, 4,.trt, Jd, ew prohibido aos Ec-
ciesiasilcos qualquer ctp,da mercadeiar.
O Cdigo Comuw^rrasiiero ari 2| 3disp3e
o segrate :
Sao prohibidos de commerciat as corporaco.es de
ao morta, os Clerjofit e ot Regulare*.
O Direito Canonifto ea aos EcelesasUcos toda
mercancaNento iw/M secutarte. Le prelre dottvivfe&rautel.
(**) E nunca duas de S nem 4 de IJ
1 annos.
Desearregam hoje 18 de jonho.
Barca ingleza-/Doe*-mercaderas.
Escona ingleza.Arelasidem.
Barca ingleza Imparaior farinba de trigo.
Vapor i ogleE-Gladiatormercadorias.
Brigue noruegueose Yelani idem.
Pataeho nacional Jaboatilo diversos gneros
Barca portugueza.Claadianaidem.
Patacho italianoSaraidem.
Brigue noruegueoseWa/fn Brigne hespanholTemoteo /.=14em.
Sumaca hespanholaAmiiaidem.
Barca inglezaSarp/wearvio.
Barca porluguezaMarianna /dem.
Barca nacional Amizadecharque.
Brigue nacionalBeluariodem.
Brfgue nacionalAurelianoIdem.
talacho nacionalSol-idem.
e fl;portuguez -Serra -dem.
ImporU^o.
Brigue nacional Princesa, entrado do Rio Grao,
de do Sul, consignado a Joio da Silva Neves; ma-
nifestou o seguate:
91% arrobas de charque, 239 ditas de graxa em
bexigas, 200 conros vaceuns, 20 barricas sebo, 500
resleas ceblas, 5 cascos taiohas; aos consignata-
rio?.
Hiate nacional Exhalaco, entrado da Araeaty,
consignado ao austre do mesmo Trajano Antuues
da Costa; manifestoo o ygaioio .
1 barrica 143 pares de calcado, ."i caixas 8 ar-
robas e t libras de vellas de carnauba, 125 eslei-
rn grandes, 10 saccas de algodad 36 arrobas e 7
libras, 35 raolhos 840 counnhos, 109 metes de sola
4 calas 6 arrobas 14 3/4 libras velas, 119 saccas
484 arrobas e 28 libras de aera, 1 pacote 120 pa-
res de spalos, 134 mol fies 1530 esleirs; a ordem.
Hiato nacional OartbtMe, entrado de Mecei;
consignad a Tasso Irraaos; maoihwttu o seguale:
37 pipes vasias; a orden.
RBCB8ED0RIA DE RENDAS INVERNAS GE-
RAES DB PERNAMBUCO
Rendimento dadla 1 a ID.... a.
Idam' de dia 16.............,..
16:115*280
2:112*178
18:227*458
PRAQA DO RECIFE
mao \
Constando ao abaixo assignade qoe fra avalla-
do o sitio denominado Petxinhos da ciaade de
Olinda por multo menos de sao vasar je bavende
quera o pretenda por maiar preep, deseca que e
Sr. Dr. juiz de orphios dlge-se mandar qoe dita
propriedade seja arremaiada era hasta punise, nao
s para d'ahi tlrar-se as despezas do inventario,
como por ser de mais inleresse para todos os ber-
deiros.
e meio
Um interessado.
A'STRESflORAS DAfABDC
Revista semanal.
Cantbiosi.......Saeonn-se.sobra Londres de 25 a
a 25 W d. por 1*, sobre Pars de
700410 rs* por Ir. saare Ham-
burgan^OO.r. por M/B, e sobre
Lisboa a 10* por oeotp, montsj*
do casaoue eHectaados duraota
a semana em ,6O,O002 pelo ya
por iogle de dia 13, oao ha ven-
do depois dnsse da uaosaccoes.,
VaMespSO o de Peroaaibuco de tez conclusos.
i '- A--.
Alodao.......
9k+U* no.
Assucar........ Vndenle o braoco de 2*900 a
3*700. osomaoos o
matoavado porgado d 1*900 a
2*200 por arroba e o bruto de
1*600 a 1*850.
Agurdente..... Vendeu-se a 60*000 a pipa.
-Vapioj entrados no da 16.
Para' e portes eutermedlos 8 dias, vapor nacio-
nal Tocantins, de 750 ton-seommandante o ca-
pitao lente Jos Rayraundo de Faria, equipa-
gem oO, carga difbreotes gneros : a Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Jr-Lon'on- 35 das, vapor americano Pancas,
de 3o2 toos, capiao Welliam. eqoipagem 24,
carga armamento ; a Heory Forter & C.
Navio sabido no mama da.
Cabe-Verde Brigue brasiieiro Mana & Alfredo,
capilao Jos Hermenegildo Santos Pena: em
lastro.
Navtos-entrados no dia 17.
Barcelona 40 dias, sumaca hespanhola Roza, da
99 tons, capito Pedro Corchs y Sast, equipa-
gem 10, carga 239 barricas, 60 meias ditas, e
198 saceos fannha de trig; ao mesmo ca-
pilo.
New York 35 da, patacho inglez Zinqara, de
2*0 tons, capitao Fodfrey, equipagem 7, carga
2*0 barricas cora farinha de trigo e outros gne-
ros ; a Johoston Pater & C.
Bueoos-Ayres 26 diaspaUcho bollandez Cato
Annetta, do 175 tons, capito H. C Klein, eqoi-
pagem 7, em lastro; a ordem.
Navio sahido no mesmo dia.
Araeaty Hiate brasiieiro Nicolau 1, capito Tra-
jano Tneodomino de Moura, carga ditferenles
gneros.
editaeT
O Dr. Tristo de Aleocar Araripe, offlcial da impe-
rial ordem da Rosa, e juiz de direito especial do
commereio desta cidade de Recife e capital da
provincia de Pt rnambuco por sua magestade im-
perial e constitucional o Sr. D. Pedro a quera
De us guarde, etc.
Fago saber pelo preseote que o Dr. Joaquim so-
t de Campos me dirigi a peticao do theor se-
grate :
Illro. Sr.Dr. ju* do commereio.Diz Joaquim Jo-
s de Campes, qae sendo credor de duas letras de
trra sacadas por Machado de Sooza,a primeira em
26 de oulobro de 1860, da quaolia de 461*060 a 6
mezes de prazo, aceita por Antonio Claudiano Alves
Gomes, indossadas pelos saceadores e pelo vis-
coade de Suassuo, e novamente peios saceadores
a segunda em 30 da mesmo mez de oatubro e au-
no de 1860, da qoanlia de 8:094*620 rs., a seis
mezes de prazo, aceita por Aotonlo Ctaudiano Al-
ves Gomes, da mesma sorte endossadas pelas roes-
mas lirmas, da antecedente qne do aceite de Joo
Mauricio Wanderley, e nao de Alves Gomes, co-
mo por equivoco, se disse cima, ambas as quaes
letras tendo sido descontadas na Caixa Filial do
Banco do Brasil nesta provincia, foram pagas dos
dias de seus venelmentos pelo vtscoode de Soas-
suna, de quera o sopplicaDte as hoove, por tran-
saego, e pois qae ao dia 27 do corrente, termina
o prazo de cinco annos para a preseripc.o da mais
aatiga, quero snpplicante interromper a presenp-
cao de ambas, para o que vero requerer a V. S-,
que se digne mandar tomar por termo o seo pro-
testo, afim de ser devidameote intimado pessoai-
mente ao presidente e directores da Caixa Filial
do Banco do Brasil, ou a seus bstanlas presara
dores e aos sacadores e acceiuotes das letras pc'r
carta de edites, visto se acbarem ausentes em i.u-
?;ar nao sabido, o que o suaplicaote justificara, se
or preciso : pede a V. S. deferimeotoDe. Joa-
quim Jos de Campos. r
E nesta peticao dei o despacho do ib-eo; se-
guate : Sim.
Recife, 26 de abril de 1866Alee/ Araripe.
E sendo feita a disiriboicao ao escrivo de.*io
meo juizo Manoel de Carvalho l'aes de And ra Je,
o^espectlvo escrivo interioo larrea o protesto e-
guiate :
Protesto.Recife, em meu canario comparecen
o Dr. Joaquim Josa de Campos.e peraote mim e as
teslemunhas iofra assignadas disse qoe reduzia a
termo o cooteado de sua peticao retro que ollere-
cla como parte do presente do que ffit o presente,
que depois de tido signos comas indinadas tes-
temunbaa.
Ea Manoel SHvrno de Barros Falcao, escrivo in-
terino o escresi.Dr. Joaquim Jos de Campos.
Ealbimia Fabo de Araojo Lima.Jos Vicenle
da Costa Bastas.
Depois do qae o mesma supplicaote me dirigi
a peticao do theor seguate :
IIira. Sr. Dr. juiz do commereio.Diz Joaquim
Jos de Campos, que leudo feito mierromper p.-r
raoio de proteste, uo carloria da Sr. Paes doAu-
drade, a prescrip^ao de duas letras de trra, suc-
cede que o proteste nao se tlnba podido intimar a
daos dos devederes Antonio Ciaadino Alves Go-
mos e Joao Mauricio Wanderley, qoe se acharo
ausentes em lugar nao sabido, como o suppUcanio
fez ver em sua pet i gao de proteste, oestascircan-
lancias requer o supplicaote que V. S. o admita a
justificar a, ausencia denles doos devedores, para
serem eiles intimados por caria de edites na for-
ma da, le. Assim pede a V. S. deferimenJc-Dr.
Joaquim Jos de Campos.
E nesta petigo dei o despacho seguate : Justi-
fique na primeira audiencia.
Recife, ii de maio de 1866.Alsncar Araripp.
Depois do qoe preduzindo o supplicaote soas
teslemunhas que depozeram. convenientemenie
acerca da ausencia dos supplicados, o respectivo
escrivo fazeoda setUr e preparar os autos me os
e nos quaes del a seoienga se-
grate
Hei por justificada a ausencia e assim mando,
aue os justificadas ausentes seja citados por etfi-
Sis de 30 trinla dias jiArA.e flm requeridq a ralbas
aas.
Recife, 2 de Jonho da 1866.Tristo de Alen*
car Araripe.

"*.,
mmm
mn
1
3
.
*

i
/
l

i
/

!

OH


t
y
mbrtm*IcMiBitft efunda lelm i9 de Iu.th 4c 1866.
Depois do que o respectivo escrlvo em obser-
vancia do dita mlia seateac f.z passir o presea-
te, pIo qaal o seu tbeortlrarao, cito e fcai por ci-
tados os referaos sopplldadns, para qae entro de
30 das cemaerecsn, ote esta juuo por si ou por
soasa rocaradores alicatoe provaado o que for
a bim de sea drello e jastiga scb pena de revelia.
Portanto toda e qaafd.uer pessoa prente, amigo ou
conhecido dos ditos supplicados, poder-lbes-bao
fazer scieote de todo o expendido.
E para que ebegae 4ppBbeclmento de todos
mandei passir o presente que ser publicado pela
imprenta e afiliado nos logares do costme.
Dado e passado nesta oidade do Recife de Per-
nimbuoe, aos H lano de 1860. .
Ea Miooel Silvino de Barros Falcio, sarivao
ibierlaa o snlwcrevi.
o mesmo contratante sujeilo a
gnlnte :
tterV orgameato da obra i approva-
o. _
pelo menos qutro viageos dia-
ida e daas de volts.
Nao- podar exigir de cada pasrageiro awls
ts. por Tlagam em wagons de plimelra tss->
se ; 300 rs. nos de segn di; e de WO ts. dos da
terceira.
i.AWxar utos preces a proporjo que aug-
mentar a concurrencia, de modo a combinaren) se
os intereses da empret cora os do3 passageiros.
5 Estabelecer trens de carga logo que ai con-
veniencias publicas ai reclamaren), nao podando
em caso algam exigir pelo transport dos vuluroes
ais da que se exige na va frrea do Recite ao S.
rra'isco.
Iii tl.UL^l.r.Xak't^JJ^Al/ron Art a contratante gonr dos mesmoi previ-
v tauataaB-arurier rraammrm anrau- legios, concedidos a companbia dos trllhos urbanos
da Leal Seve, eommandaoie do 3 batalho 4 ftecvfr a AptpaoM, as por peaso nanea apo-
de infantera da guarda nacional do man- r'or 30 aonos, fiado os qaaes fioar a mprea,
cipio do Recife, e presidente do conselho d ***faneoionar regularmente, perteoeen-
141*000
)c
105
de
168,
I
235*000
200|000
150*O0J
delibera-
lmm-catote fraoi
revisto da fregueiia di Bo-Yista, faz saber
aos guardas nacioaa ;s qualiftcados na refe-
rida freguesa qai M lrca-eira, 10 do
corrale, ao intb dia, tara" lugar a iftspec-
can de sade do mesmo conselho. ..'.,
" ni nii.. .... i .i .i m ni i ifcm li i
LE N. 69L
O ur. Manoel Clemeotino Carneiro da Cunba. vi-
ee-preoMoato 4k IWfo do Jtareattbaoo : Paco
i de a proviacia.
Art. Ao govarao fie* reservado o dirello de
; OscoJisar a oeoatractao, ooowrvacao o aervieo da
1 empreta, assim como o de regalar as respectivas
tarifas de transportes e as vntagns i que aove ler
direito a provincia.
Art. 7, Picam revotadas as disposiedes em con-
trario.
Mando, portante, a todas as autoridades a quem
o coaheeiaieato o temele 4a presente resolacio
saber a todos os sisas habitantes que a asseablea pertencer, que eampram o facam camprir lio
legislativa provincial decretou o ea eaoccionsi a re-
soluto sogaiate:
Art. 1.a O presidente da provincia Oca aatorlsa-
do a conceder privilegio ptjc 30 aanos eom o esta-
helecimento de ura pedaglo Andr de Abreu
Porto, oa a. quem raelhores vanlagens offerecer,
para a eonstraccao de daas sanies de madoira ou
ferro entre os logaras, Capanga e Poco da Panella,'
so rio Capibarfbe, e que deem passagem para
loleiraraeote tomo oella se eooto.
O secretario do governe desta provincia a faca
imprimir publicar o correr.
Palacio do governo de Pernambaco, 23 de abril
de 1866, 45 dHndagiDdtica e do impoflo. .
L. S.
Vanoel Clemtntin Carneiro da Cunda. -
Sellada e pubUcada a pfesento resoldfjo -esta
secretoria do glWerdtdevWnambuco, 18 de abril co, cora
dem a. Si idem o 29 dem. ..
Roa do Pilar,
sa torrea a. W particular o
pttWico
dem n, 91 idem e 103 id
dem n. 94 dem e 99. id
Idemn. tt3 rdemoM llorn.
Iem a. 8 Sitio no FTnaa 'Cali
A mesma Illm." Junta em vlrtude .
eSo tomada em sessio do 14 de jnnbo manda tkier
panuco que os predios attuxo edarados vo de
novo a prac,a com alguroas condiccoa que serio
presentadas no acto df arremauo. '>
Estatoiecimenlts de earidade
Roa Nova.
46 partteo^
Roa da Moeda.
N. 64 particular e. 37 publico sobrado ,_
do de 3 andares......... 48O0O0
Secretaria da Santa Cisa da Misericordia do
Recita 15 dejunho de 1856.
O eacrivao nterioo,
Pedro Rodrtjoea de Soaaa.
i' A sepultura dos condes do Ranspach.
i" Sa^pard oo subterrneo. '
A'vfctfmoooalfoa.
O votiauj a morte.
T media ora | acto
CUA DE FEL
m n Coraecara' as horas do pe-tome.
i. a. Oj 3r?. que tera encommddado Blthtes
para este ejpectoUl*totola mai-los bascar o-
je segn Ja ftfrdV/Hfinraj errllVate.
IIHfllS.
lar
r'Wftf,^":
:OOOOOO
. e que eeso pasaageai ra o
povoado da Torre, mediante os eondleSus estabe-, de 1866.
lecidas no art. 3 da presente M, deteodo em O secretario Dr.ft-andscode Paul Salles.
igaaldade de circumtanoias ser proferido o dito, Registrada a fl. dolrrtd 7. dtf Tels provincias,
A adr de Abreu P^rto. | secretarla do governo de Pernamboeo, 33 de abril
Art. 2.'O mesmo presidente podera' conceder, de 1866. l-fcrki ^*wb**
ignil prrvtogTo e as raesmas condicSas do ar- O oBertptnrario da 4.* eeojk). **0<<*p Jas*
receMte a ArlsUdS? triarte Carneiro da T&baf.________ ____________, ^
Gama, Joaqtffm Francisco de Miranda '
tiga precei
Canha
e Justino Pefeira d-Parlas
vantageas ofierecer, para a
ponte de (erro oa alvenaria ao lagar denominado
Sant'Anoa de fra e qae d passagetn da fregoezia
da H la-Visla para o Poco da Panella, devendo em
igaaldade de condicSes ser preferido ATTstides
JJaarte Carneiro da Cuaba Gama.
Art. 3. Os concessionanos ficario sugeitos alm
das qae forera estabelecidas nos respectivos con-
tratos a's segaintes condlc^ies:
!.* A obra sera' construida de conformidade
com as prescripews foraecidas pelo repartieso das
obras publicas.
2.a A tarifa do pedaglo sera' regalada da ac-
cordo- com o governo.
3.* Piado o privilegio a obra acara' pertencen-
do a' provincia, sendo-lhe entregue em oslado re-
gular de conservacao
Art. 4.* Ficam re rogad as as disposicSes em con-
trario.
Mando, por tanto, a todas as autoridades a qnera
o conbeeimento e execucao da presente resolnco
pertencer, que a conaram e facam cumprtr to
inteiramente como nerla se contm.
O secretario do governo desta provincia a faga
imprimir, publicar o correr.
Palacio do governo He Perdambuco, ao l. de
junho de 1866.43 da independencia e do imperio.
L. S.
Manoel Clementino Carneiro da Cunha.
Sellada e publicada a presente resoloeio aesta
secretaria do governo de Pernambaco, l.'de janho
de 1866.
O secretarlo Dr. Francisco ie Paula Salles.
Registrada a fl do livro
Pelo consolado do Ponugal nesta ftade se
fai publicar o segalnte aviso do mioisterio dos ne-
gocios da rnariob e altramar :
4* di receloRepa rtico dos pharoes
Arito aos navegantes n. 12.
Np di 8 de raaio prximo comecara' a faoccio
nar,o. novo appareibo illuminaiorio, collocado na
tofte do antigo pbarol de Nossa Seobora da Las,
na costa norte a' entrada da barra do Porte.
O novo appareibo lenticular de 4* ordem, sys-
(ema Fresnal. A lu branca fixa, apresenlando
clardss de minuto em minlo.
O fdeo laminoso om' 51",6I adra do nivel de
mar.
torrcrtm qae absenta A lantojha qaadratr-
r, lea|17-,3f/de altuM. esta otada de brafl-
a fadl vermelaa; de V.88 de largara,
Secretarla do governo de Pernambaco, i. de
Janho de 1866.
O escriturario Theoiero Jos lavares.
4.* seceo.Secretaria do goveroo de Pernam-
baco 9 de janho de 1866.
EDITAL.
Peta secretaria do governo, se faz publico quem
ioteressar possa, que tendo o Exm. Sr. vice-presi-
dente da provincia de dar execuao a lei o. 697 do
l. do correte abalxo publicada, se convida a' to-
das a* pessoas, que queiram contratar a constrac-
5I0 das pootes de qae trata a referida lei, apre-
senlem at o ultimo do crrente ao mesmo Exm.
Sr. as saas propostas aflm de serena examinadas e
preferida aquella que melhores vaotageos offe-
recer.
O secretario. Dr. Francisco de Paula Salles.
O Illm. Sr. inspector da tbesooraria provin-
cial, em cumprimeoto da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 28 do correte, manda fa-
zer publico, qae no dia 30 de agosto prximo vin-
doaro, peraale a junta da fazeoda da mesma the-
souraria, se ha de arrematar a ajuera por menos
fizer, a obra do 9. lanco da estrada da Escada,
na importancia de 16-905\5000.
A arrematacao ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as
clausulas especiaos abaixo declaradas.
As pessoas qae se propazerem a essa arremata-
cao coraparecam na sala 4as sessoes da mesma
junta, no da cima indicado, peto meio da e
competentemente babelitadas.
E para constar se mandoo publicar pelo jornal.
Secretaria da tbesooraria provincial de Pernam-
buco, 29 de maio de 1866.
O official da secretaria
Miguel AUongo Ferreira.
Clausulas espeslaes.
I
As obras do 9. lauco da estrada da Escada se-
ro executadas de conformidade com a planta e
descripeo dos ornamento-, na importancia de
i6:90oj000.
O arrematante devera cumprir restrictamente as
instruccoes do engenheiro fiscal da obra e as con-
diccO :s do ore, a ment e contrato.
O arrematante dar comeep as obras no praso
de 13 das, e as concluir no de 14 mezes, ambos
contados da data do contrato.
IV
Os pagameotos sero feilos em tres preslacSes
igaaes, correspoodentSs ao valor da obra feita,
menos o empedramento qae ser em ama s pres-
tarlo, quando flzer a entrega provisoria.
De cada prestacao sera' deduzido o qae deter-
mina o art. 83 do regolamento de 9 de julbo de
Mffc.
VI
O recebimento definitivo de todo o lan^o, e obras
sera' 18 mees depois da entrega provisoria.
Vil
Para tudo mais qae nao estiver aqu especifica-
do no contrato, segoir-se-fia o qae prescreve o re-
ferido regulamente das obras publicas.
Conforme.Miguel Aflbnco Ferreira.
~4' sec^ao.Secretarla do goveroo de Pernamba-
co. 14 de janho de 1866.
EDITAL.
Pela secretaria do governo de Pernambaco se
faz pablieo a qaem ioteressar possa, qae tendo o
Eira. Sr. presidenta da provincia de dar execoco
a lei o. 667 da 23 de abril do corrate aano, abal-
xo publicada, se convida todas as pessoas que
qa;(raoi contratar os raraaes de trunos arbaoos, de
ae trata a referida lei apresentem ao mesmo Exm.
r. at o ultimo de jalbo prximo viddaro as saas
propostas, aflm de serem examinadas epreferlr-se
Aquella qae melftores vantagens offerecer.
O secreUTlo,
Dr. Frdnctco de Paula Salles.
LE! J. 667.
O Dr. Manoel Clamentino Carneiro da Canha,
Tice-presidente da proviacia de Pernmbhco,
Pa;o saber A tofk of leus habitantes que a as-
sembl i icgiilatlva/projiacial deerlou o en saoc-
cionei a resolatii*jalate :
Art 1. U presidate fa proviaclaeooiratar com
os empeeif^iros dos trifhos nrbanus, on com qoem
melhores vaotagens offerecer, am raroar dos mes-
mo tritho, qae, parMfldodesta capital W terminar
na cidade de Orloda, passando pelas estradas de
joio de Barros e BWm. de cuja eaerasHhada deve
flartir outro ramal parta povoac.ad Bebrlbe. -
Art 2. O contrato ser redigMo ae arodo-A ear
o contrataota obtlgldo 1 erjncfnlr a obra de'htro de
10 meze<, cMttdos do asstgnatoTa do- mesmo con-
trato, sob pena de pagar >ado do S-.OOO^jB de
Ter aertar T-obTa w casta. _
O prazo par ramaf de Beberibe ser con-
tado da condosSo di estrada pala lei : 626 de 16
de malo de 186o, ficando o contratante fespodsa-
vel pela conservacao de dita estrada.
Art 3. O presidente da provincia podera auxi-
liar por ama s vez ao contratante, cota ama sob-
veaco kifomatrica nanea superior a BBBfOjadO.
Faco saber que em atea oartorio oAule.Baia cr-
oa a quem melhores j conslraccao de hma dr#rfl Sl)va gjj|0> par> ,,, prWwtaaa por falta de
paffaojento. E ignorando-se a residencia do dito
aceitate, pejojkreseute o inooo para paga-la, oo
dar alazo pnf qe o aao laz, floaudo desde ja ao-
tifieado do cdOMVtenta protesto se a nao pagar.
ReCife 13^ejBnOode 1866.
O esenvo dos protestos. Antonio Jos Alvet
Brillo.__________________________'
O Dr. Tristods Aleonar Araripe, official da impe-
rial ordem da Rosa e juizspecial docommercio
bta cidade do Recife de Pernambaco, por
S.M. imperial e- Constitucional dSr. D. Pedro II,
a quem Deas guarde, ole.
Fago saber aos que o presente edita! virem o
delle noticia tiverem, que no dia 18 de junho do
correte auno se ha de arrematar por venda a
quem mais dr, em praoO publica deste jaleo, os
escraves segoiotes :
Maria Gongala, parda, representa ter 30 annos
pooco mais oa menos, com ama cria com 3 mezes
de idade, avaliadas ambas por 7005000 ; a metade
da preta Antonia Prudencia, crioula, com idade de
22 annos pooco mais oa meaos, com daas crtas,
urna de oome Mathias, com 4 aooos de idade- poo-
co mais oa menos, e oatra cria de nome Joanaa,
com aooo e meio de idade, avadados todos por
1:400^000, sendo a metade d dita preta e suas
doas filbas avaliadas por 700#000.
As quaes foram peohorada* por oseeoco do
visconde de Soassana contra os befdeifs de Jos
Estevo de Barros Lobo.
E nao bavendo laoeedov que enbra o proco da
7"d"leis proviaelaes avaliacao, a arrematacao sera' feR* pe pre?o da
adjudicanao na formada I*.
E para qae chegu 0 wnhecimento de todo
mandei pssar o presente que sera' pabfieado pela
imprens e affixados o rOfWes do cosame.
Recife, 15 de maio de 865. Eo Manoel Hara
Rodrigues do Nascimento, escrIVao O subserevl.
Tristo de Alencar Araripe.
_______JJ
DECRrCS
Consulado provincial
Pela mesa do consolado provincial se faz publico
que no da Io Je junho viodooro se prlncipiam a
contar os 30 das utels marcados para a cobranca
bocea do cofre do 2a semestre do anuo financeiro
correte dos impostos de decima dos predios urba-
nos, de 20 00 do consumo de agurdeme e de 5
0|0 sobre a renda dos bens de raz pertencentes
corporales de mo morta.
Mesado consalado provincial de Pernambaco
26 de maio de 1866.
Antonio Carneiro Machado Rios
....._________^dminjstrador._______
Pela admioistracao do crrelo d'esta cidade
se faz publico qae hoje (18) as tres horas da tarde.,
fechar-se-hao as malas qoe o rapor Tocantlns, terr,
de coadnetr para os portos do Sal. As cartas se-
rao admtltidas a segaros at as daas horas da tar-
de, e os jornaes sero rebebidos at o meio dia.
Santa Casa da Misericordia
do Recife,
A Illm.* junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico qua
no dia 21 de junho correte pelas 4 horas da tar-
de na saia de suas sessoes tem de ir prara a ren-
da das casas abaixo mencionadas por tempo de um
a tres annos.
Os pretendentes deveo comparecer acompanha-
dos de seos fiadores oa munidos de cartas destes.
Estabelecimentos de caridade.
Roa Direita.
N. 3 idem o 8 dem, sobrado de t
andares..........1:067*000
Ra do Padre Florlano.
N. 5 idem e 49 idem, casa terrea. .
IV 6 idem e 47 idem. casa terrea. .
Ra do Fagnndes.
N. 11 idem e 31 idem* casa torrea .
Travessa deS. Jos.
N. 13 dem e 11 idem, casa terrea.
N. 14 idem e S idem, casa terrea. .
Roa dos Pescadores.
N. 16 Idem e 11 idem, casa terrea .
Roa das Calcadas.
e36 idem, casa terrea,
e 38 idem, casa terrea.
Kua d Viracho.
N. 26 idem o 7 idem, casa terrea. .
Roa larga do Rosario.
N. 33 dem e 21 idem segundo o
terceiro andares.......600#000
Loja n. 34 particnlar e 26 A publica. 1:806*003
181*000
N. 20 idem
N. 21 idem
153*000
o
133*000
169*000
216*000
176*000
157*000
204*000
na altura de 3m,92 medidos da base da torre.
A ior deve avistas sena distancia de 15 mllhas
em boas oircurastarfeias atmospherlcas.
Secretaria de estado dos negocios da marino* o
ultramar, 28 de maio de 1866. I
Antonio HanBaH fl jdrifues Selte,
E&pIf;o"d*8 productos agrl-
cIas e mdaastrlaeA in Pernai*-
bcff.
A doiTMiisso directora da expongo des-
ta provincia, previne acM artistas qoe de-
aejarem coa correr coa oa aeus prodac'os a
mesma exposic3o, e que nao o possam fa-
zer por falta re tecursos, que devem diri-
gir-so ao secrotrio d* Jnflcimisso para ob-
terem os auxilios necessarios a acquisic-o
das materias primas destibadas aos ditos
productos.
Sala da commisso 9 de maio de 1866.
M. Buarque de Macedo,
Secretario.
------------" -..... .. .i
O Illm. Sr. inspestot da thosouraria provin-
cial em cumprimentu da resolucao da junta da fa-
zenda manda fazer publico qae se contrata por
tempo de 3 mezes a contar do I" de jalho ao ul-
timo de setembro prximo vimlouro o fornecimen-
to de alimentacao e dietas dos presos pobres [da
casa da deten;o, servindo de base a arrematacao
os prec.es segulntes :
Domingo, almoco e jantar 380
Seguoda-feira idem idem 380
Terra-feira dem idem 380
Qoarta-feira idem dem 360
Quinta-felra idem idem. 380
Sexta fetra idem idem. 403
Sabbado idem idem. 340
Dietas.
14
f, 3
H. 4
K. B
As pessoas que se propozeren a
PRORAMl
DO
0aento roeal e Irrrtrnraco^I
ato al3o do
Tlieatro de S. Isabel
-torga-- fHra, r& ~f~jmK
D ao nuiaiiiiiui ^
MADAMA BAFlISrTA frERRO.
om a cotr}uvac3o 8os ff. 5r. Carlos
Steutwr.i. Bonanof, XMS'Coeitio Barbosa,
Nwstavo WWfteimet, Cafdldo Rodrigues, e
Adtorrio Wartins Viattfja; 'o"bas pfeWam-
se graciosamerjle, cabendo a beneficiada ao-
iecipar-tfes desde a da eos ag>mJd(Smen-
m-
#WMri i." Cavattria fle ipOT da opera normatio
M. V. Belini. canlada'pelo Sr. J. Coeflio
Barbosa.
2. Phantasia para flaatapefo*. Cfs
fMho sobre motivos da o?eraTraviaia de (5.
Verdi, wetada pelo 9?. Cabdlde Rodri-
"gue
3. Arta de basso da opera Cont de S.
Bottiazfo do maestro G. VerTJi, cantada pel
Sr. Gv Bo&anni.
4 A la ptima crciaa aria da opera
LoDfibardi do maestro G. Verdi, cantada pe-
l jevea mo d* beneficiada.
5." Aria variada pelo Sr. Pedro Saller,
executada no clarineito pelo Sr. Antonio
Martios Vianna.
SEGUNDA 1 CI.TIMA PARTE.
I i puaiiUs;a da opera Trovador, de G.
Verdi, executada na rabecapelo Sr. Carlos
Sieuber. -
2. Aria de tenor da opera Marco Vis-
conti do maestro Petrella, pelo Sr. J. Coe-.|
lho Bardosa.
3. Grande phantasia da opera Macoeth
do maestro G. Verdi, executada na flauta
pelo Sr. Candido R drigues.
4." Cavatina de Zacaras da opera Nibu-
co, del maestro 'G. Verdi, cantada pelo Sr.
G. Bonanni.
Principiar as 8 horas.
O piano sera oceupado pe'o Sr. Gustavo
Werlheimer.
A beneficiada pe3e para o seu concert a
valiosa proteceo do respeitavel publico,
assegurando desde j seu eterno reconheci-
ment de gratidSo.
Os billietes podem ser procurados- na ra
do Trapiche n. 5, secundo andar, e no dia
do concert no escriptorio de theatfo.
A mesma beneficiada estar a porta para
receber.
LEILiO
Be moi lia e escravos
Trca-feira 19 do crreme.
O agonle Pestao legkltmnie autorisado pelo
Sr. Manoel de Matos Machado qoe acaba de se re-
tirar p-ra a Eiropa fara' leilao de toda a soa mo-
billa consistindo em mobt'ia de Jacaranda, piano,
jarros, Bgoras, qoadros, cama franceta de Jacaran-
da, toillets, lavatorlis, guarda loaca, aparadores,
guarda vestidos, trens de mesa de jaotar, da almo-
co o fazer cafe, vidros, crystaes, barcos, mesa els-
tica e vatios obyectos de prata.
Aisliu como na mesma occaslao algn escra
'toscora nsrjlTflJaaes a sem eiias ae ambos o
setos.
O leilo tera' logar terca-feira Id do correte
eras 10 horas da manha na casa onde resida no
argo do Corpo Santo a. 13, segundo andar.
Veoder-seha tambera um molatiobo de 8 a 10
anaoo do idade.
LEILAO
Terca-feira 19 de corrate.
Pelo agente Euzebio.
De nma mobilia de Jacaranda aova.
Da casa terrea n. 67 na roa do Mondego
Do sobrado n. S5 na ra de Aguas-Verdes.
jDe dais meias aguas de Ds. 4 e 6 sitas dentro
o terceiro becCO da Gamboa do Carmo.
De ama casa terrea o. W, eom sota:, sita na
roa da Esperaopa oa Camiabo Novo, chao pro-
prlo, cosinba tora, cacimba, quintal murado, no-
va o a estrada de ferro passa na frente : os pre-
tendentes antocipem o exorne, eajo leilao tera' lu-
gar as 11 oras na ra di Cade;a a. oo, prlraeiro
andar.
LKIO'
contratar dito
3
fornecimento apresentem suas pfopostas em cartas
feehadas no dia lid-; janho prximo vindonro, ao
mel dia na mesma thesora\ril tole encontraro
as tabellas dos forneclmenlos e condicc5es com
qoe devem effectuar o mesmo contrato sendo ha-
bilitados previamente os fiadores. E para constar
se roandou poblicar o presente pelo jornal.
Secretarla da ttiesourarla provincial de Pernam-
baco 29 de maio de 1866.
O official da secretaria,
Miguel Affooso Ferreta.
Declarado.
A arrematacao de ama parte do sitio em tyglpi,
fregoezla dos Alagados, pertencente aos bens do
finado Joo Ferreira de Azoredo, de ver ter lugar
no dia 26 do correte, i pjrta da audiencia do l>r | seguir'c<
juiz de orphaos d"sta Cidade, esrivo Gulmaraes'_ Porto, j
Tribunal do commercio
Peta secretaria do tribunal do commercio de
Pernambaco so fu publico qoe Manoel Alvos Gon-
calves Ferreira e Francisco Domingues da Silva
Araujo dissolveram em data de 30 de abril ultimo
a soeiedade que lioham nesta cidade sob a firma
de Ferreira & Aranjn. de coja liqoidacSo floa en-
AVISOS MAf.IT.M0S
bi^^m^mi a fin mu un un ii iiii
CSfPAflHIA PER^aMBCANA
NaYognoao costeira por vapor.
Para Actrac e escalas.
Segu no da \i dj Correle o
vapor Maminjuape. Recebe car-
ga at nos dias 19, 20 e 21; en-
commendas, passsgeiros o di-
nheifo a frete at as 3 floras do
dia da sahiila : escriptorl j Oo Forte do Matos na
mero 1.____________________________________
- Para
Georgiang :
o Gear e Maranhao sabe
a tratar com Tasso Irmaos.
a escuna
Para o F rto.
A moilo veleira barct portugueza ARUINDA,
capltao Antonio Fraocisco da Silva Nones, deve
com multa breviaaue em ditcitara p&ra o
a tem a uraior parte do carregamenlo
i promplo e para o resto que 1 lie falta e passageiro.
trata-se com o capitn oo com os consignatarios
Marques, Birros & C., no largo do Corpo Santo
i a. 6.
i i ..... -
carregado o ex-socio F.-rreira, por papal particular
de 7 de maio fiado, qae rica registrado nesta data.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambaco 12 de janho de 1866.
O ofrkial-malor
Julio animarles.
Arrematado.
Por nao ter havido audiencia oo dia lo do cor-
rente, e deixado de serem arrematados os movis
penlurados a Fraocisco Alves da Silva pelo teen-
te-coronel Justino Pereira de Farias, o que ter
lugar oo dia 19 do corrate, depois da audiencia
do juiz municipal da 1* vara.
Correio Geral
pretende seguir oestes olio das o patacho portu-
uez S. Jorge de Aturo; o aual tem prompto parle
desea carregamenlo : para o resto qoe Ihe (alta,
trata-se com os seos codsrgnatrios Antonio Lniz
de Olivetra Azevedo & C, no sea escriptorio raa
da Cruz d. 1.
Relaco das cartas seguras viadas do norte pelo
vapor Tocanfins, para os senhores abaixo decla-
rados :
Amonio Vicente Magno.
D. Francisca Bernardina de Senna.
??*999 i Francisco Gomes e Oiiveir.
Joaquina Cabral de Mello.
Dr. Joaqun Lopes Lobo.
Jos Martios Alves Borges.
Jos Presciliano do Reg Barros.
Jos Rodrigues de Souz (t).
Jos Roberto Vianna (iuiion.
Leopoldo Cetar do Birredo.
D. Malfada Aoeosta Pitaloga de Olivetra.
Dr. Melcades Peretra da Silva:
Thomaz Gomes da Silva.
Pradre.
N. 40 dem e 15 idem, casa torrea. 185*000
Becco do Qotabo.
N. 49 ilem e 8 idem, cava larrea. lUJOOO
Raa da Gloria.
N. 52 Mem e 3 idem, sobrado. 4003000
Roa do Padre Floriaaa liL3\
N. 67 idem o 65 idem, casa terrea. Sufwn)
Roa do Apollo. _
N. 91 idem e 24 idem, solrdo da 2
andares...... *,/. a*
Ra de S. Bem Jess das Crioulas.
N. 61 idem e 8 idem, casa terrea. 9IH9&&
Patrimonio de trahds
Ru dO ftavdt^l. '
Casa tetrea ti. f pirrteartr o W pt>______-J
blico....... 308f000
S. Goocalo.
Casa tetrea n. 10 particular e 22 pu-
blico. .....IWAOOO
Becco das Bofa?.
Sobrado de dona andares nx t7 par-
'MAM
ticular e 14 pobllco.
^flelar
361*000
Sobrad de 1 andar
o 14 pnblteo.
Roa da Cacimba.
Casa terrea a pavrtctrtar a % pa-
blieo. ........
dem n. 67 ideen ojft idaa. .
^rj#B ntr|es.
Casa terrea n. 68 particular o 19
pablieo.
Tafi alaaadi
liiOOO
m
13
JEIFIEZ4-C01MB4.
\ aleeN da asslgaatura.
Ooartafeira 20 de junhl de 1866
Primeira representago do magnlfeco drama era
_e Anicet Bourgeor, tradatido por ama
GASPARD HAtISER.
Pertonagtok,
Gaspar Haoser, moco de 16 sa-
nos............ A, Amaral.
ABirc-nezS........> Clelia.
Mrai, st anlhada. .... > E. Cmara.
Gande do Raspad.....Sr. Cont.
Freaerleo, joven medico.. > Paiva.
O Conselheiro adfico.....f Raymundo.
aaaa-a aaotev. .- r--rta Pontes.
Schwaru, creatura do conde de
Raospacl. ......
Fritz, criado.
Ia umpoaex.
t dfto.
Sara, lenbeira.
Para o Porto por
Lisboa
A Veleira e bem conheid barca portugueza
Tentador, pretende seguir cos mulla brevidade,
tera parte de seu carregameuto engajado, para o
resto qae Ihe falta tratase com es sns consignata-
rios Antonio Lufz de Olvelra Azevedo & C, bo seo
escriptorio na ra da Crac n. 1.
Para o Para
;-----
Bahia.
para a
Pretende segair rom moita brevidade a velleira
sumaca nacional Hrtemela, a qoal tem parte de
seu carregamenlo prompto, para o resto que ibe
falta trata-se com os sus consignatarios Antonio
luia de Ollveira Aiovedo Cn ert son eseriplorlo,
ra da Croz n..K
Ilha de S. Mgael
Saiie com moita brevidade a escana portugueza
Reg
EMA, para passageiros trata-se eom Joo do
Lima, a' roa do Apollo a. 4. _______,.
Para Lisboa
aegntra com trevidade barca portugueza Nova
Marianna, de primeira classe, e recentemonie
construida ; tem prompta a maior parte do sen
carregamenlo ; e para o reatarte o paseatelros,
para os qoaes tena expelientes eommodos, tratase
com Manoel Ignacio de Olivetra k Pila, ao largo
do Corpo Santo n. 1, escriaterie, oa eom o capi-
llo na prae.
. n in.iii r>."Voaeii'a jiM "'
Para o Porto.
. Seioija'comJ3rejridae_ahemiohecida c mui
veleira barca ^toaYaMtiaaMor ijrte do seo carre-
gamenlo engajado: para o fisto e passageiros, aos
quaes offerece excellentes comnjodos, trata-se cora
Conba IrmSos 4'C, a' ruada Madre de Dos n. 3,
eu Com o capliao a bordd ( < ,.,
**- Par,a a Bahia sabe n'estes seis das or oeiwir
com parle ao carregameoo que condoli de Gao-
ial cogsiiia-fcrlo Jbaquim Jos Gondatfes
- i n. 17, primiro andar.
De nna escra va, obras de onr e prata
Cordelro lia o es
a' requerimento do inventarlante dd tinado Anto-
nio Francisco Gomes, e mandado do Illm. Sr. Ur.
juiz de orpbos, fara' lellto de ama escrava de
nome Maria, do naco Costa, o diversas obras de
ooro e prata. sio
Qaarta-feira 20 do correte
as 11 horas em pon ido armazem a' roa da Ga-
deia do Recife n. 29.
LEIXiO
De barris con maaieig > ingleza.
Quarla-feira 20 do corrente.
O agente Pestaa iara' leilao por coma e risco
de qaem pertencer de barris com maoteiga ingle-
za em um oa mais lotes a vootade dos comprado-
res : quarta-feira 20 do corrente pelas 10 horas
da manha no armazem do Sr. Aooes deronte da
alfandega.____________________^^__
ICII lO
De am piano forte, ama mobilia de Jacaranda
com tamposde pedra, 4 quadros com finas gravu-
ras, caslidaes o mangas, 1 reloglo\ jarros, tapetes,
escarradoiras, 1 mesa elstica, 1 guarda tonca,
louga para airaoco e jaotar, 1 guarda vestido, 1
guarda roupa, 1 toillet com espvlho, i lavatorios,
1 jogo de wispora, 1 drto de *drez, temos para
voltafete, 1 comraoda, 1 meia dita, cadeiras de
balaceo, ditas de guarolcao. diias americanas,
mirqoezas, mesas, 1 silhao. 1 cama fraocea c
moitos oatros artigos qae estaro ao exame dos
eoneorrentes.
Qoar'a-feira 20 de junho.
O agente Pinto encarregado por am estraofelro
que retira-se desta provincia fara' leilo dos ob-
jectos cima mencionados, as 10 horas do da ci-
ma dito na roa da Cruz o. 37.
LEILAO
De urna carroc* com boi.
Ao meio da do dia quarta-feira.
Em frente ao sobrad > da roa da Cruz n. 57.
LEILJL
Deolgodo avariado.
Vivan Miche, capitao da baica ingleza ED1TII
MARIAN, fara' leilo por eonla e risco de quem
pertencer e por iuterveocao do agenle Oliveira,
precedida a competente aotorisaco do Illm. Sr.
inspector da alftodega, em preseoca de um em-
pregado desta repartigo e do Illm Sr. consol fle
S. M Brilannica, de 203 saccas de algoiao em sa-
cado, avariado e salvado de bordo da dita barca,]
que recentemeOte pegirx t miimafa p<>m
Qoarta-feira 20 do correte
ao meio dia em ponto, no armazem alfaodegado
baro do Livraraento, Layoao largo da Assem-
bla Provincial, no Forte do Matos.____________
LEILAO
De 9 barricas eom copas moldados
marca fl*U, vililos de Liverpool.
CORDEIB.0 S(MES
por coota e risco de quem pertencer fara' leilo
de 9 barricas com copos moldados marca FAL,
vlndos de Liverpool e desembarcado ltimamente.
Quarta-feira 20 do correte as i i horas.
No armazem a roa da Cadeia do Recife n. 29.
*
am

AVISOS DIVERSOS
Compra-se um sobrado em bom es-
tado, de um a tres andares, as ras se-
guintes: Cadeia, Cruz, Trapiche, Impera-
dor, Crespo, Cabug, Nova, Queimado, Cru-
zes, Livramento, larga do Rosario e Hor-
tas; qaem tiver deite-carta fechada eom as
inicr*A. CE nliviana.ti. 8r|||pfaQada
Independencia.
aos :ooo.$ooo
Corre depois d'araauha
Acham-se venda aa respectiva theson-
raria, roa do Crespo n. 15, os bilbe-
tes, ffleios e quintos ch 17* Jotera a be-
neficio das familias dos voluntario! da pa-
tria (68.*), sendo a extraco tro tugar e ho-
ra docostume.
Os premies de 6:0000000 at iO|O00
serlo pagtrt tHAa bor depois da eitracelo
as 3 horas da tarde, e os outras depois
da distribni?ao das listas.
A8 encortroendas serlo guardadas so-
mente at a noite da vespera da extraccio.
o, r'na do vigaro
___ Antonio TbsS' BflUru
QnemaaauncJoaaar 1 --
ca dirija se1^iga04,t,fi(yneya|
Abel Maria da Rocha, subdito portoguez, re-
lirl-se HtlJgafi> ^ ^bnnm>i ,.,. fcir. ..jtiu
P.

Teei
Stdtt
Joaqoim.
ira.
u. va UAiiiuutai o i7 ( a*id, cutioua. ....
*>aW---- "*"jljBMr?S5S1V
tfOOfeO CrraW
Sobrado de 2 aodares n. 76 partlcu-
mk 11 pnblico. ... .
. Sentala.Velna,
Casa terrea tt. l prticntat 6 !8 jfh-
dita.
- ?. i
i .;. |
Bosa.
Sr.* Jesuioa.
i Joaquina.
> Leopoldm.
t E. Pont,
. Sr. Soler.
pedroiro, criaddl e
Casa torrea o.
pnblida. .
Rus Ba Gafa.
83 partiettttr e
. -. *=. .
17
200^000
|
6*000
Camponezos, ^Hermano, o
obrelros.
As deeoricSas db 1* o Ia actos sao inteir*
novas, bem como ama parte do 3 e pintad
lo iconographo o 16 Dorigtes. ~S. -,
DeaUBHuaW* Iftdi. *': v y
:j^
O prelo liberto Guiloermo da Costa y\-t Ha
cel- ._______________________
r; .1 ------------~-! '''.-I ---
i Domi
ao Rio de Janeiro.
i' i ;.l
CLUR
A partida do mA de ju
ri lugar__________
Pl
portoguez, val
Rio (frande dd M
pol^a* te*a^rdo p^e da carga, anda recet
algumi a frete trata-tt com Balfaf el Olireira,
roa do Vigattd t. 10.
O eaaWd ia'iaVca aSraofta P**r precl-'
SI lomar a risco martimo a quantia de 10 a 15
comas de ris; sobra tro m eonros, parte do oar- j. -*. O abaixo asaigaado iz scieate ao respeitavel
rjgamento da bmsom barca procedente do Rio corpo do eonMaercio qoe. lean justo e contratado
(Sftade do Sal eom.ddstlno a Sew-York, arribada YOBdtr sna uberaa aHauaa roa do Gamwio n. 13,
reeentemeate a oate aofto, onde foi eondemaada, 1M Sr. Jos Francisco Goelbo da Pac.
co|oaeoavos seaem para o referido porto de Joo Perojra GontMvoa-
New-York, no palacio fcrasiteiro Patota ; os pre-
tendoMes airvam-a aaaadar a ana proposti em
carta fechidu aos consignatarios Marones, Rarros
& C largo do Gorpt iaata n. fi ou oo ooosolado
americano at a 1 hora da tarda do dia 19 do cor-
rate mez, aonde serao abortas polo respectivo
COBMl.
- PrtelsMfl W nm esilolr dMUfM arata
de raldderas ? a tratar da raa da Impotatrlt n.84,
mtttoi Braslllro. ;-___________
-fc?cls^'d8"um 'memnj' b'ara rialielro de
laberna, qoe tenha pratca e d conheclmento a
sna coadacta : na roa do Ifdgeifa d. la.
GASA SA FORTOHA
Aos fi:000#0a
' A' roa m ea&rS*. &SSk%4x> c^stums
O abaixoassknadovdDdeatuu)S.eas muitofeli-
les bilbaMs garantidos da lotoria qoe se ac bou
de eisraAir, a beneficio do tbeairo deteuta a-
beL-w 'segolntea premios :
N- 3680 bilbete intejro eom a sorte do 6:000a.
N. 28A8 meo"bfrbete com a torte do l:i00.
1Z50 Di|heto intelro eom a ?orte de 800$.
. 1582 mel biKiele eom a sorte de 290$.
E outras moitas sortee de 100*, 40*, e 20*.
Osposaaidore podem vir receber seas respec-
tivos premios sernos deseontos das leis na casa
da Fortuna raa de Crespo n. 23.
Acta|m*se venda of df 17" parte'da lotera
(68*J* tdbeftio dis famHia dos vofcotartos da
patria que se exUablra* quarla-feira 20 do cor-
rente.
wwco.
Rilhetes..... 6*000
Meios. ..... 3*000
Quintos..... 1*200
Para tesinas ave morara ae 00^000
n flra" eifta.
Bilhetoa. ^ .. 8*500
Meio*. 7 2*750
Quintos. ... 1*100
1A.NOM. MART1NS FtfXA.
Ama ^e leite.
Preelsa-se de nma ama de leite; na praca do
Coreo Santo
nma ama
17.
Na raa da Uoiao
boa eoiotnmadeira
n. 40 precisa-se de ama
Na padaria da Torre f>reolsa-Je de om for-
neiro e nm amassador qoe vio entregar pao.
CASA M BAMOS
26 I*ate d C armo 26.
Neste estabelecimento tao impor-
tante para a saude e asseio do cor-
fpo, acham-se montados 20 banhei-
! ros, que s5o servidos com a ordem
i e asseio que paradesejar-se. Qua-
I tro destes banheiros sSo especial-
mente reservados para senhoras e
por isto acham-se coltocados em lo-
car reservado, aonde s tem entra-
da as pessoas de ama mesma fami-
lia.
PREQOS DE BANHOS AVULS08. |
l
banhe- fri, momo ou de
chovoo ......
i dito de choque ....
1 dito de arellu......
1 dito aromatisado .
PREgOS POR ASSIGNATURA.
30 banbos por mez fri,
momo ou decbovisco. K>($000
25 banhos com cartoes pa-
ra os mesmos ....
i2 ditos ditos ditos .
12 ditos ditos de choque.
i2 ditos ditos de farello..
O estabelecimento estar aberto
nos dias uteis das 6 horas da ma-
nha as 10 da noite, nos dias san-
tificados das 5 as 5 horas da tarde.
500
1*000
1*000
15000
10*000
.'AOOO
100000
10*000
">.

Perdeu-se
no dia li do corrente, as 2 1/2 horas da larde, sen-
do conduzido por um preto pela ra do Hospicio,
dentro de bandeija e toalha,-o corpinho de um
vestido braoco d- cambraia, Transido, com pala de
pona, feito com tiras bordadas e pregas, e babado
bordado a roda, aconteceu cahir da bandeija na
mesma roa, e ahi desappareceu ; por isso rogase
pessoa que o tiver acriado, o Obsequio de Ir ou
mandar entregar bo primiro sitio do largo do
Hospicio, aberto para seguimento dos trilitos urba-
nos para Apipnos, qde ser gruesamente grati-
ficado.
- -
Garlos Fraocisco Ferreira Borges, sa'dito
portagaez, vai Lisboa e leva em sua compaohia
suasobrjnba menor Candida Maria Soares.
No dia 19 do andante'mez7o^pim" cia do Dr. juiz de orohos, vai a praca de venda
o preto Gabriel, de 37 aonos de idade e refinador,
avaliado em 700*, e perteoce ao casal do finado
Joaqulm da Costa Yicira.
AM
OT;rece-se ama ama para cosiohar de portas a
dentro : na roa dosMartyrios o. 24.__________
Ama
Precisa-se de duas amas ama para cosiohar e
outra para engommar : oa praca da Boa-Vista se-
gundo andar, por cima da botica que iaz esquina
com a roa do Arago.______________.^^_^^_
Na ra do Crespo n. 18, seguodo andar, pre-
cisa-se d3 orna ama de leite.
Attencao
Eogomma-se roupa com todo o aceio, perfeieao o
promptidao : quem pretender. pJe dirigir as saas
propostas Da ra do Palacio do Bispo n. 38-
Precisa se alagar ama escrava ldosa para
servir de ama. secca a orna meoma : na ra do
Imperador" n. 27._____________________________
Preeisa-se de orna ama forra ou escrava qoe
eolenda dos servicos de nma casa de familia :
quem estiver nesta condicao dirjase as Cinco
Ponas, defronte da estadio* n. ItO.
Os abaixo assignadot, senbores e possuidores
por titulo legitimo das escraviebas crioulas Isabel
e Tbereza, arabas Irmas, de idade de 10 II an-
nos, o qae perteaqeram ao casal do floedo Manoel
Peregrino de Almeida e Albuquerqoe, desviadas e
oecoitas Ha qoaei nm sano en lugar nao sabido,
pelo depositarlo Jndlcral Francisco Pefeir de Assir,
que tem urna pequeaa parte- em ui dallas,- de-
claran] qoe' esto dispostos a usar dos meios civis
e eriminaes contra qualqoer pessoa qae as tenha
illegalmente em seo poder ; outro sim fazem pu-
blico que gratiQcaro a quem Ibes descobrir e der
noticias das mencionadas escravinhas, e rogara a
(odas as autoridades pollciaes desta e de outras
provincias a sua captura.
Julio Gomes da Silva.
Pedro Piulo de Almeida e Albuquerque.
-Lili II "
Precisa-se de urna m para coiinhar e en-
gommar em ama casa de pooca familia
cidade:
tfTnvt<*r** pnttsmm da
BaOt Fnac*. evtr M nwdlcei des Hoi-
.mece, .xr&r&trs
A(TIi do rallo a di |v|uU.
RACAHOUT DES RABES
IMIdnada
do art^
upMMas
iralU t
l tlU,
nlio atlme*
Parir. Ello
na(S e Jos
MiMiM, ate aM tlrtWo da tta
UatJM m> OBnrar arnarvalito du
tnhoM*.
Vende-se aas pbarmacias deMaurrede
A. Gaors. la.






Biai-U de l*entama..eo Segunda lelra 18 fc*irt> de 1866.
A LEGITIMA
SA1SAFARRHM
DE BRISTOL.
PREPARADA NICAMENTE POR
LAMA \ & KEIP,
NOVA YORK.
Composta de substancias, gozando da
propriedades eminentemente depurativas a
approvada pelas juntase academias de me-
dicina ; usadajnos principaes hospitaes, ci-
vis militares e da mariuba as Anuidas e
no continente americano'; receitada pelos
facultativosos mais distinctos do imperio do
Brasil e da America bespanbol
CUBA RADICALMENTE
escrophnlas, rheumatismo, escorbuto, eo-
ermidades venreas e mercuriaes, chagas
antigs, morpbea e todas as molestias pro-
venientesd'um estado vicioso do sangue.
Emquanto existem varias imitacoes e
falsificacos, preciso a maior cautela para
evitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAORS BARBOZA
JOO DA C. BRAVO & C.
Joao da C. Bravo & C.
Deposito geral em Pernamnnco rna da
Cruz n.22 em casa de Caros
f
REMEDIO BE ATES PARA SEZES
Inlalirel ua febrea intermittentea, remittente,
Febres Biliosa* a tercia, mal do figado, in-
cremanto do- baao, oacuera. DOr noa
ouvidoa e palpiUfea, quando
aio causados pelas
FEBRES IOTERinTENTBS, OH EEMirrENTES.
As preparaaet de DR. Ates aio raadidas em todu a*
Botica e Drogara do Imparto.
Vende-se em Pernambuco:
na
aV

PHARMACiE FRA
JdeP.MAUREIC
I RA NOVAN* El I
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia fndemnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seas carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias:
na ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Em casa de Theod Christiansen, roa do Tra
piche-novo n. 16, nnico agente no norte do Brasil
deBrandenburg rres, Bordeaux, encontraseef-
fectivamenie deposito dos artigos segaintes :
St. Jalien.
St. Pierre.
Larose.
Cbateau Loville.
Cbaleaa Marga ux.
Grand vin Cbateau Lafitte 1858.
Cbatean Latine.
Haut Santernes.
Chatean Santernes.
Cbateau Lataur Blancbe.
Cbateau Yquem.
Cognac em tres qcraldades.
Azeite doce. Precos de Bordeau.__________
Ha para alu?ar-se um escravo possante pro-
I tij para todo servico: Da ra da Cadeia do Be-
cf n. 52, terceiro-andar.________ _______
A Salsaparilha
DE A-YER.
I3ra a cura radical do
Escrfulas, ulceras, chagas, fer-
idas velhas, molestias syphil-
iticaj, e mercuriaes, Euermi-
dades das mulheres, como re-
teneo, ueustro doloroso, ulcer-
acao do tero, e flores brancas.
A Nevralgia, Convuisoes, Ery-
sipelas, Eafermidades Cutneas,
borbulhas, nascidas, etc.
O extracto rmpanlo ^lc SAI.SAPARILIIA, confeccion-
ado polo Dn. AYER, c urna combinaco dos melhores depura-
tivos e alterante? conliecidos medicina; composto segundo
s lela dn wiencin, npprovado c reeeitado pelos primeiroi
mdicos - Estados Unidos, da America do Sul, do Mxico,
las Indias a dos principaes Estados da Europa.
A SAI-SAl'AIULUA do AYER e especialmente efficaz na
cnr.i dM molestias que tem sua origem na escrfula, na
jnfeceo veneren, no uso execstivo do mercurio ouemqualquer
impureza do Sangue.
Entre todas as molestias que iffligcm o genero humano, nao
lia urna inais uuivcrsal c terrivel do que a escrfula; por si
uao i- to destructiva, porem i a causa principal de multas cn-
fermidades que nfo le sao geraJmente attribnidas.
K una causa directa da tsica pulmonar do nial do
fiando, e estomago, affeecies do terebro, Itlieumatismo
affeecSes dos I! i ni: entre seos svmptomas ha os seguintes;
Falta de apetito, Fraqueza e molcza em todo eorpo; Mo
ceiro da boca, semblante plido e Incitado, s vezes d'uma
nlvura transparente, outras vezes corado e amarcllo ao redor
la boca; Dlgestio fraca e apetito irregular; Ventre tachado
cvaeuaeio irregular; Quando ataca os pulmoes urna cor
azulada mostia-se a roda dos olhos, quando c no estomago
sao avcrmelha dos, Na peasoas de dlaposicao escrofulosa
appareccm frequentemente erupcoes na pelle da cabera e outras
partes do corpo ; sio predispostas s affecetts dos pulmiei, doi
Jgtulo, dos rins c dos orgaos digestivos e uterinos. Portanto,
uio sao somente aquelles que padecem das formas i
< tuberculosas da escrfula que necessltam de proteccio
contra os sens estragos ; todo) aquelles em cujo sangue ezIsU
o virus latente deste terrivel flagello (e as veses hereditario},
esto expostos tambem a soffrer das enrmidadas que elle
causa.
Oflerecemos a estas peaaoas um abriga seguro e un nti-
oto cfficax contra esta molestia e suas consequenclas, aa
Salsaparilha de Ayer
<(uc opera directamente sobre o sangue, purifleando-o e ex-
pulsando deUe a eorrupeo e o veneno da molestia: penetra
todas as partes c todos es orgos do corpo humano, Uvrando-
ua da sua aceito viciada o inspirando-lites novo vigor. E'um
alterante poderosiaslmo para a reaovaeao do sangue, e di ao
corpo j enfraquecido pela docuca torca e energa renovadas
como as da juventude.
J TAMBEM O MELBOK AXTI-a'TrMII.ITICO
COXHECIDO;
cura permanenmente aa peiorea formas de SYPHII.ls e aa
as coasequencias. Pouca neoessidade ha de informar o pub-
lico do inestimavel valor de um remedio que, como eate, llvra
o aanguc deaaa eorrupeo e arrebata a victima das garras de
tima morte lenta e Ignominiosa, porem lnevltavel se o mal
nao logo combatido com energa.
Nao pretendemos promulgar, uem queremos qae se InSra
que este remedio Infallvel para'a aura de todos os padecl-
mentos humanos, o que dlzemos e que a
Salsaparilha de Ayer"
a melhor preparaco ate boje descobarta para estas e outras
molestias anlogas, que urna combinas*o Jos alterantes
mais clcazes conliecidos, e que temos consclenda de offerecer
ao publico o melhor resultado que poaslrel produlr, da
ntclligencla e pericia medica dos nossos lempos.
Todo o pai que desejar acautelar o futuro de seus filaos deve, quanto antes,
faier ioscrever os seus nomes na lista dos socios da' Providente ,por que, com ama
pequea quaniia que, todos os annos, para all r applicando, tirada-do frocto das suas
economas, no fim de 25 annos alcancar-lbes-ha urna fortuna, que por nenhom outro
meio e com tao pequeo desembolso poder obter.
Os exemplos praticos de outras sociedadts -anlogas tem mostrado que:
I COJUDO pagos auuoalmente ptdem prodozir. .
k PREVIDENTE
Sociedade pertagoeza de seguros mirtuos sobre tTida, fnudada
administrada pelo
BANCO ALLIANCA DO PORTO.
I
Ponum menioo de 1 da a 1 anno..
> > de 1 a 2 annrs....
> de 2 a 3
de 3 4
t > de 4 a 15
Pon urna pessoa de 15 a 20 annos ...
j de 20 a 80
- de 30 a40
de 40 a50
Em 5 an-
nos.
Em 10
annos.
Em 15
annos.
Em 20 an-
nos.
Em 25 an-
nos.
l:100r$ 4:0000 9:0000 20:0000 47:0005
9000 3:0000 7:5000 17:0000 37:0000
860$ 2:9000 7:2000 16:0000 35:0000
8600 2:8000 7:1000 15:6000 34:0000
8600 2:7000 7:0000 15:5000 33:3000
8600 2:7000 7:0000 15:4000 33:300*
8000 2:7000 7:1000 15:6000 34:0000
8600 2:7000 7:2000 16:0000 37:0000
9000 3:0000 7:5000 18:0000 50:0000
Admittem-se subscripces annuaes de 80 para cima.
Qoem pretender sbscrever para a Providente ou desejar quaeaqaer esclareci-
mentes e ioformacoes, pode dirigir se sua direegao., no banco Allianca, estabelecido na
cua.Bellomonte, ou a Jos Ferreira Moutinho, inspector geral da mesma sociedade, mo-
rador na roa da Fabrica.do Tabaco n 19, do Porto, o aos agentes do mesmo banco e
sociedade na capital e provincia, que tamben darao prospecto gratis a quem os pedir,
Acbando-se de.passagem nesta cidade o inspector geral da referida soeiedade,
promptifica-se, durante o mentos que se lhe pedirem, todos os dias at as 10 horas da manliaa na ra da.Croz n.
l.em casa do Illm. Sr. Antonio Luiz deOliveira Azevedo, onde se acha hospedado.
Casa vazia.
Alofa.se am pequen casa roa do Nascen-
te n. 14 : a tratar com Azevedo A Irmo a roa do
Qqeimado.______________ ___________
Preci9&-?e de ama ama para eosiobar. Da roa
do Crespo d. 18 primeiro andar : a tratar das 9
boras da maobaa as 3 da urde ou sa roa Nova de
Santa Rlta|o.f)9 junto a fabrica de satoao.
Ama de leite
Precisa-se de urna ama de leite livre ou
va : na ra daPraia n. 13 e lo, armazem.
captl-
Ama secca.
Samuel Pewer Jthnston Companhia
Ra da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fandie9o deLow Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferr eoado e batido para nge-
nho.
Precisa-se de ama ama para comprar
nbar para pequea familia, livre ou captiva
roa da Praia n. 13 e lo, armazem.
PAPIS PINTADOS
Sortimento de papis pintados e
lindas guarnices para forrar casas.
NiLIVRARIAFRANCEZA.
N. 9. Roa do Crespo N. 9.
na
Arreiqs d<' carro para nm e dons cavallos.
Relogios de onro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
e cos- Motores para ditos.
Machinas de costura.
mmmmmmmmmm
Companhia fidelidade de segaros |
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PERNAMBUCO
Antoiiio Loii de Oliveira Azevedo k C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de segaros Fidelida-
de, tomam segaros de navios, mercado-
ras e predios no sea escriptorio ra da
Gru n. i.
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos contina a morar na ra do Impera-
dor n. 17, segando andar, tendo alias sea
gabinete de consullas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
O mesmo doutor, qae se tem dado ao
estado tanto das operares como das mo-
lestias internas, presta-se a qaalquer cha-
mado, quer para dentro qaer para lora
da cidade.
Fogo fogo
gabinete de consullas medicas, logo ao | Valdivloo da plvora com fabrica de fogo artifl-
entrar, no primeiro. *m cial na ilha do Maruim, se acha com purcao de
O mesmo doutor, que se tem E, fogos do ar de 1* sorte postos as flexas, a espe-
' ra de festejar os dias qae Uver noticias de qaalquer
triompbo dasnosias armas dentro doHamaiti; todo
aquello qae tiver a mesma salisfaco dirija-se ao
armazem de sal da roa Imperial n. til poaco alm
da fabrica de sabao.
"Preciza-e de m"amassador que saiba l>^ ^HJ|lV^||fSiK
deserope nbar sen lugar na padaria de Domingos: me nTf'DAeT'PA 1\V PlTilliA L
Antonio da Silva Beiriz : roa da Imperalriz n. 66. J ; UL Ul 1 U UJj bALuAlJU
FABRICADO NA CASA DE DETENCjO
a. geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUT0R1SADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
ma laica em dinaeiro, depositado nos cofres de estado, garante a boa ad-
p ministra cao da compaahia.
BANQUE1R08 DA COMPANHIA* DIRECCO GERAL
O Banco de Hegpanha Madrid: Rna d9 Prado d. 19
Esta companhia lgamelo systema mutuo todas as combinacCes de supervivencia dos sega'
o 6 sobre a vida.
Nella pode se tazer a subscripta o de maneira qae ea nenbam caso mesmo por morte do
(lado ie perca o capital em os jaros correspondentes a estes.
Sao to saprehendentes os resultados que prodozem as sociedades da ndole deA NAQO-
NAL,que anda mesmo diminuindo urna terca parte do interesse produzido em recentes liquida-
ooetveeombinando-o com a mortaudade da tabella de DepataietK que adoptada pela companhia
P**"aseuH clculos e liquidacoes, em segurados de idade de 3 al* anno*, ama imposicao annua.
de 1004 produz em efJectiyo metlico:
Nofim4e 5 annos.......1:1194300
de 10 .......3:942*600
* de 15 .......11:208*200
de 20 s.......30:256*000
. de 25 ........ 80:331*000
as idades menores de 8 annos e maiores de 30, os productos sio mais consideraveis. ..,
Piwpect js e mais informaedes serio.prestidas pelo sab-direetor nesta provincia.
Joaquimf tuza de Oliveira, ra da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista roa da Imperatrli n. 11, esUbelc
ment dos Srs. Ray mando, Carlos.Leite & Irmao.
AO GRANDE S- MAURICIO
--------------------------------------------
PROCEROS APCRFCICOAIIOS
PARA w
Tlnglr. Ifjnpar e lastrar a vapor.
F. 1SALMRE & C.
29 Ra 7 de setembro 29
Defronte da rna nova do Onvidor (Rio de Janeiro)
Os propietarios deste eslabelecimeDto, o primeiro 00 sen genero no Brasil, por
trabalhar com as machinas mais aperfeigoadas para tingir e lustrar, de qae se faz aso na
Europa, e ajudados por alguns dos molliores ofciaes de Paris e Lyao, podem assegu-
rar seos fregoezes urna per fe i ,ao do trabalbo, a qtral senao pode chegar pelos proces-
sos ordinarios.
Tingem, lavam, limpam e demofam com a mai r perfeigao e brevidade qualquer
qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem molbar as sedas e as vestimen-
tas de senboras e de bomens.
A. JOREZ
FUNDIDOR E TORNEIRO
EM
METAES
Ra da Matriz da Boa Vista n. 36.
LOJA DA FRAGATA AMAZONAS
N. 5 Kua do Queimado n, 5.
Precisa-se de nm portuguez para feitor de
eDgenbo : na roa Direita a. 30, segundo andar.
XAROl'E
PEITORAtr E- DULCIFICANTE
DE
II\T lOitaKN
Preparado por GRIMAULT C* pbarma-
ceuticos de S. A. I. opriaeiite Napoleao.
Cura rpida das molestias seguintes:
tosse, catarrhos, pleoresia, coqueluche, an- rw DlrdttVtt 1* andar,
gioas, fortes constipaces, irritaces dos bro- i
Roa Aova o. GI.
Abi se encontrarlo obras de di-
versas qualidades, e por precq mui
diminutos, a retalbo e em porcoes.
S se vende a dinheiro.
Criado.
Precisa-sc de nm criado de 10 a 12 annos
na
MontetroA GuimarSes, participam a todos os seus amigos e freguezes, que recebem
i de conta propria por todos (s vapores da Europa, grande e variadissimo sortimento de
objectos de alta novidade, e bem a?sim adornos proprios para casamentes, pois que seus
correspondentes deHamburgo, Paris eLondres, naesclha de taes mercadorias tem
merecido approvacSo das encantadoras Pernambucanas.
A Fragata acaba de receber pelo ultimo vapor grande variedades de sedas de todas
as cores e qualidades, tambem recebe por todos os vapores luvas de pellica, (do afamado
I Jouvio) saias de la com barras colloridas de grande novidade na Europa, vestidos de
granadina bordados agulba, e de grande ton, ditos de popelina rauito chiques, ditos
| de esmeraldine (gostos novos,) riquissimos cortinados bordados a ponto de crochet, ro-
tondas de seda, ditas de linho, ditas de algod5o, chales de guipour de seda, e de al-
godao, pentes para cok, (de phantasia)
para cok, (de phantasia) erifeites para ditos, manguitos bordados e
- Arrenda se um sitio no lucar da Piran- g1llm?a.s> camisinhas ditas, transparentes p2ra jaoellas com mui lindos paisagera, pre-
neheos edo peito,bronchite, phtysica pulmo- ca fJSS^enlnliT^ilSa. e varias c?les de,apurad,ssim',s gostos e Padres' chaPos de Palna enfeitados Pelas melhores flo-
nar, astma.pneumonia, anginas, amygdalites, ^^St^'^!St^ndl [,sl>de Paris, entremeios bordados finos de diTerentes larguras, riquissimos cintos
tosse chronica, rouquido. ; cnSio n 12 lmPeraaor {bordados com figuras chinezas, (bordado na mesma fita) baloes de hasteas d'aco ameri-
Os mdicos recommendam ao mesmo tem y '--f---------------------------------canos, dittos de musselina, tapete para guarnic5o de salas padroes muito bellos, chapeos
po o uso das excellentes pastilhas ptoraes {^JoS^'lSw Crun.^ffwaSatai %m de seda para senhoras' dilos parahomem, enfeites imperalriz Eugenia, ditos
com o suco da alface o laureiro-cerejo, que andar. a Maria Pia' cestinhas com todos os pertences para meninos de escolla, saias bordadas
se preparam no mesmo estebelecimenlo. i Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & c tem! para senDOras' gollinhas bordadas fgosto novo) chitas escuras e claras, madapoles, cam-
venda as pharmacias de Maurer e A. (para vender no sea escriptorio, ra da Cruz n. i, Draia .de cor' dilas pretas, bolsas de tapete para viagem, ditas de vaquetas para guardar
Caors. IvinDo ^ Port0 em caixa de daziafl0 hambnrgaei, dinheiro, e outras muitas fazendas que se venden por menos preco que em outro qualquer
Vende-se um torno obra prima e todo no-
vo proprio para tornear metaos e madeira
tendo dito tomo cinco qualidades de rosca
differeotes para fazer parafusos com a pon-
ta e a espera affeicSo do T, vende-se igual-
mente um revolver feito nesta praca por
um dos mais peritos artistas: para ver e
tratar dirija-se i ra na matriz da Boa-Vis-
ta casa n. 36.
ODr.
iel Joqaim'de Castro Has- j
Migoel Joaqoim
carochas mudoa a sna residencia da roa
do Sol para a da Imperalriz o. 88, entra-
da pela roa do Hospicio, onde continua
noexerciciodlsua proflsso. O'mesmo
Dr., qae se tem dado com soliciinde ao
estado e pratica das molestias de ulero e
de meninos, d consalla gratis aos pobres
das 9 boras ag 10 da maoha.
Precisase alagar ama ecrava qae teoha
boa conduela e sem vicio, qae seja boa engom-
roadeira: na roa das Orates n. 36, primeiro an-
dar, paga-se bom ordenado. ,
Ama para casa
Precisa-se de ama ama para lavar, engommar e
coser para duas pessoas : a tratar na ra de A-
pollo n. 9.
Preelsa-sdde urna ama para comprar e cosi-
nhar para um bomem solteiro : na roa Nova a.
26, loja de fazendas.
Menino
O solicitador Pedro Alejandrino da Costa Macha-
do precisa de om rapaz de 12 a 14 annos para ser
ajudante : a tratar na roa Direita a. 68, primeiro
andar.
mm
Vende-se aa abobada da Peona n. 37, macas pa-
ra bolo preparadas cora maita perteico e asseio.
Aluga oe a parte de urna casa: na
ra das Aguas Verdes n. 92.
VASIELL \!
Cantos e phantaslas. S$
Umvolume in 12," impresso e en- R
cadernado em Paris: em casa dos
edictores me
LIVRARIA FRANCEZA
N. 9 Ra do Crespo N. 9.
Methodo Castilho
Manoel Jos de Faria Simoes, professor particu-
cnlar de instraeco elementar pelo methodo Casti-
lho, avisa aos pas de seas alomaos e ao respeita-
vel publico que rondn saa residencia do largo
do Livramento, para roa da Penba n. 25, pri-
meiro andar, onde contina no exercicio de seu
magisterio.
Saques
Sobre o Porto e Lisboa: a tratar com
Carvalho & Nogueira na ra do Apollo nu-
mero 20.
Aluga-se ama casa na rna dos Praieres com
jrnodos para familia : a tratar na ra do Jas- j
n.21._____________________________
Joaquim do S Lopes Fernandes vai a Porlu-:
ga.1 tratar de sua saude, e deza por seus procara-'
dores, 1* a sea irmSo Ignacio de S Lopes Fer-
ndes, 2 Francisco Coelho Brando, 3 sea irmo
Jps de S Lopes Fernandes. __________
Precisa-se de ama ama para cozinhar em
asa de rapaz solteiro : a tratar na ra da Moeda
luroero 29.
DIJICCiO l CAPSULAS ;
VEGETAES AO MATICO
GBIMAULT 6c C PHARMACETICOS DE PARS
Novo tratamento preparado com as folhas
de matico, arvore do Per, para a cura rpi-
da e infallivel da gonorrhea sem receto al-
gum da contraego do canal ou da inflamma-
c5o dos intestinos. 0 clebre doutor Ricord,
de Paris, tem renunciado, desde saa appari-
co, ao empergo de qaalquer outro trata- j
ment. Emprega-se a injecclo no comeco de
fluxo; as capsalas em todos os casos chroni- j
eos e inveterado, que resistiram s prepara-
coes da copahiba e as injeeges com base
metlica..
oola da Babia superior.
AVISO
Fugio a 13 de abril do correte anno
o escravo Joo, cabra claro, ropresenta
ter 25 annos, om poaco baixo, corpo re-
galar, ps e mos om poaco grossos, na-
riz afilado, resto comprido, pooca, barba,
cabellos carapinbos, hombros largos, fal-
la mansa, com algoma proza e diz qae
forro, esle escravo foi encontrado em Ga-
ranbuns em camiobo para o sertao, pre-
sume-se qae esteja anda em Garanbnns
ou em sens suburbios por ter conhecidos,
foi escravo do Sr. Antonio Correa da
Rocha Muniz, de Garanbans, e remettido
pelo Sr. Pedro Chaves ao Sr. Manoel Ri-
beiro de Carvalho com loja de fazendas
na roa do Queimado para ser vendido no
Recite, protestase contra qnem o Uver
oceulto : qaem o pegar e levar ao sea se-
nfaor Jos Pereira deHiraoda Cunta, roa
da Imperalriz n. 15, 2a andar, alm de se
pagar as despezas o gratificar com ge-
nerosidade.

^--
Oaixeiro
Na padaria da roa Direita o. 48 preeiza-se
nm caizeiro qae atieste na conduca. ___
de
== O Dr. Joaquim Jos de Campos mu-
doo o sea escriptorio
casa n, 22 da roa do Imperador,
andar, san do fondo.
Precisa-se de um bom
das Crnzes hotel n. 39.
Na praca da Independencia n. 33, loja de
onrives, compra-s ouro, prata, e podras preciosas,
e tambem se faz qaalquer obra de encornmenda, e
todoe oaalqaer concert.______________
Troeam-se olas do banco do Brasil e das
caixas filiaes com descont razoavel : na praca da
ndependeocia n. 22.
de advocacia para a eom aceio, promptidao e preces razoaveis : na rna
primeiro Angosta n.5, loja.
coslobeiro : na roa
Casa deeemnissit de eseravoa na rna do lape-
rader i. 48, tereeire andar.
Recebem-se escravos tanto do mato como da
praca para serem vendidos por eommiesio, afflan-
ca-ae o bom traumeato e segoraDca para os roes-
mos. O abaixo assigoado nao poopa es torcos aom
de os vender com promptidao, nesta mesma casa
ha sempre para vender acravos de ambos os sexos.
AntoJrJoJosvTlelonzi,
Prec isa-se de orna mulher torra de meia ida
de que sequeira prestar a ser ama e fazer com-
panhia a orna senbora; a tratar na roa do Quei-
mado n. 69. '
tachare! J. Fraiklia 8.
pode ser procurado na rna das
n. 33, primeiro andar, para os
de advocacia.
vorai
Crnzes
mlsteres
Qaem precisar de ama ama para casa de
pouca familia para o servico interior dirlja-se a
rna do Apollo n. 37, toja,. qae encontrara' com
qaem tratar.
Grande hotel Traviata
Americo Ferreira da Silva tem a honra de par- O proprtetario deste estabelecimento participa
tWoar ao respelttvel publico qae tem aberto na; ao respeitavel publico qae acaba de reformar o
pra?a do a mmercio n. 48 am armazem de com-! sen hotel de modo a offerecer aos seos freguezes
Aviso
missoes de eorapm e vendas de qoaesqoer eflal-
tos do qoe o mcnmbirem, Unto no sen armazem
como fra delle, tendo em boa guarda os que lhe
forem remelUdoi, observando fielmente as instroc-
c5es qae Ibe forem transmettidas para o bom de-
sempenho de seas deveres, acontento de todoa qne
lhe honrarem com a sua confianca. Ootro im
jalea nada dever o annonciante, e se alguem ae
ulgar credor aprsente saa con que iromediata- mais central ecomo wi o qae proporciona mais,
mente ser ssltisfeito. Ivantagens, i- >l
excellentes comraodidades, boa asselada comida,
delicaaos vinbos e magnlflcos bilbarea por preco
eommodo. O servico felto cora regularidade e
promptidao urna prova de qoe o proprielario do
botel Traviata muito se empeotia em agradar aos
seos ref tiezes.
Este hotel, situado na roa do Rosario larga n.
37. no bairro de Santo Antonio sem duvida o
estabelecimento.

DE

DE
J. VIGNES.
X. 55. RA DO IMPERADOR N. 55.
Os pianos desia antiga fabrica sao boje asss conhecidos para que seja necessario insistir sobre a
na superioridade, vantugens e garantas qae offerecera aos compradores, qualidades estas incontesta-
veis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os qae tem app:recido nesta praca ; pos-
miado am teclado e macbinismo qae obedecom todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
nunca falbar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhorameotos Impo'rtan-
tissimos para o clima deste paiz ; quanto s vozes, sao melodiosas e Cautadas, e por sso mallo agrada-
reis aos onvidos dos apreciadores.
Faaem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris socio
orrespondeite de J. Vienes, em cuja capital toram sempre premiados era todas as exposiedes.
No mesmo estabelecimento se achara sempre am expleadido e variado sortimento de msicas dos
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
procos eommodo e moa veis.
alizahuts
Tinta Inalteravel
Paira escrever
de P. MAURER k CA
PERNAJUUJCO .
Cata tinta recommenda-se pela sua com-
posica e fluidez como a m.llaor a maie
segura d todas as tintas at liqje conheci-
das. Nao ataca as pezxnas de ac, d at
tres excellentes copias, mesmo mui tos'das
depois de escrever, prfriirmla,qual-
quer outras tintas particularmente para
livros de commercio, documentos eto de
que se careca longa conservaca.
Joo da Silva Ramos, medico j
pela universidade de_Coimbra; d i
consaltas em sua casa das 9 as j
11 horas da manha, e das 4 as 6 I
da tarde. Visita os doentes em snasl
t casas regularmeote as horas para
isso designadas, salvo os casos ur-
s gentes, que sero soccorridos em
Hg qualquer occas5o. D consultas aos
I pobres que o procurarem no hos-
Ipital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
I maoha,
Tem sua casa de sade regular-
fe* mente montada para receber qual- \
Jt quer doente, ainda mesmo os alie-
\ nados, para o que tem commodos
apropriados e nella pratica qualquer
opperac5o cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe. .3(51000 diarios.
Segunda dita____3500 >
Terceira dita .24000
Este estabelecimento j bem
acreditado pelos bons servicos que
tem prestado.
O proprietario espera que elle
continu a merecer a confianca de
'que sempre tem gozado.
VIVA 0 PROGBESSO'
Ao systema mtrico decimal
J niogaem ignora que o governo imperial adop-
ten este systema de pesos e medidas e at ja as
reparticoes militares por am aviso do ministerio
da agricultura, c mmercio e obras publicas nao
comprara se nao por taes pesos e medidas. O go-
verno dea um prazo aos particulares para lerem
tempo de se iostroirem, mas brevemente se acaba
e enio todos sero obngados a regularem-se por
estes pesos e medidas o qae jalgamos ser de muita
atilidade por ser esta medida tirada da circunfe-
rencia do globo e por conseguate a nica, certa e
mais exacta, finalmente a duvida eslava em nao
ha ver taes pesos e medidas, porem es.-e mal Ja'
esta' sanado, a' temos pesos e medidas tanto para
secco como para liquido, assim como pesos de fer-
ro de 50 kilograromas al Ij2 becto-grarama, de
lato de $00 grammas at um grarama, ^>ara sec-
eos desde )|2 heclo-ltfre al decilitro, para liquido
medidas de estanto desde am litre at o decilitro,
assim como medidas de madeira para as lejas e
medidas de exteDco ((reinas), de 20 a 50 metros:
o nnico deposito destes pesos e medidas na ra
Nova n. 38, aonde se vendem desde ja e se rece-
bem encommendas para dentro ou tora da pro-
vincia.
ara
Vende-se na livraria fraoceza ra do Crespo e ra Nova n. 18 de
filil fJlltttf8 llO
Para a loja dn rna da crespo p. 19.
Padroes lindissimos. e o stu preco de 750 rs. o covado ou i|280 rs. a vara.
A elles Eicellentissimas ai les que se acabem.
Joio Baplisla Gomes Peona tendo digposto de
sea estabelecimento de raolhadoi n roa do Impe-
rador, mudou seu escriptorio de commissoes e
consigoaedes para a casa da rna do Crespo o. (8,
primeiro andar, onde poder ser encontrado das 9
Di
lioras do da as 3 da larde.
:
Chapeos de manilha branca
a iw, m, m e 20*.
Na praca da Independiad, q. 24 e 26.
. O abaixo asignado, aei*ndo de ser caizei-
ro do Sr, Manoel Ribeird Fernandes, por assim ll.e
onvir, faltara a aa dever sWado, delaando de
itentear ao publico a saa gnilidlo, tanto ao Fr.
ernandes como a saa digna consorte, pelas ma-
netras urbanas e delicadas qae sempre se digna-
ram dlspensar-lhe, dorante o periodo de oito an-
nos e nm mea, qae esteve em sna casa.
Manoel Pereira de Magaihaes Jankr.

\
i '
' i





L
i
Bal
.?&** FfHffT-
yinT^I^EL
1666.
<4
"^'__.....*
II
FAUT.W

NACIONAL
DE
VIDKOS
Estabelecimento na ra da Uni&) n. 11
PROPRIETAMQ MANOEL LOMBOS.

No deposito, roa do Carmo o. 63, existe nm grande sortimento de vidros e crystaes, que se
Tendero por presos mais baratos do que em qualquer parte : frascos de 1 at 8 libras, bocea larga e
bocea estreiu -, copos de 6 cortes, de meia oitava at meio qoartilho -, ditos de 10 cortes, de ns. 1 e 2 ;
globo para Unpedes de kerosene, lavrados, lapidados e rascados; ditos para caodleiro de gaz ; laa-
peoes do kerosene mudos e pequeos, Iamparinas de metal; vasos para confeiuria com p e sera
elle, grandes e pequeos; cbamtns para lamp*5es de kerosene de todas 'as dimensoes; cornpoteiras
moldadas de cortes largos, escarradeiras de cores para salSo, ditas de mao com ara, pequeas ; vento-
sas e bicheiros, callxes moldados, eopos lisos para agua e vtabo, pratos moldados, redomas, garraas
para vinho e ana. grandes e pequeas, ditas para Lerov, ditas para licores, ditas para minas, ditas
para agua de Colonia, ps para pianos, brancos e de edres tubos para machinas a vapor, de erystal;
globos eom fotrnicio de metal amarello, mantegueiras de vidro, vidros avulsos para gaiheteiros lapi-
dados, vidros paralampadas de igreja, galhetas para issa, ditas para gaiheteiros, mangas para cas-
tictes lisas, tarradas e lapidadas-, lampeoees de parede para kerosene, ditos de pendurar; copos gra-
deados de 1 ate 16 eneas para pbarmacia, garantmdo-se a exactido da medida ; vidros para penes.
eom p e sem elle, adocenas para oastieaes, chamins para Iampe5es de azeile, ditas de cores para illa-
minacoes, vipros para agua forte eom rolha. Conrpram-so vidros e crystaes quebrados.
O deposito desta fabrica em Pernambuco na roa da Imperairix n. 19, onde existe constante-
mente cbamins cara candleiro a taz de ns. 2 e 3 a 320 rs. e de n. 1 a 400 r?., Iamparinas completas
a2& mpedes completos a 7# a 8, escarradeiras de cores a 20800 o par, pratos para eoposdragua a
500 rs., copos de dez cortes a 600 rs., globos lapidados e lavradoa^ara candteiros a gaz a 1#800. O
proprleurio deste novo estabelscimento convida ao respeitaveljpubtta para que visitera o mesmo, cer-
tos de que compraran os artigos indispensaveis a urna casa de familia pela soa baratera e utilidade,
principalmente acs Srs. pharmceotlcos pela grande quantidade de frascos e vidros proprios de phar-
ajacia. Tambera recebe encommendas. O encarregado do propietario Joo Loiz Encrennaz.

^goS^^Sg:
CAICMO.
Grande
T" *

FABRICA VAPOR
99 RA DO MONDEGO 99
Bepostto na rua era n. 50 leja de rolojoer*.
Belouche donos deste estabelecimento partecpa ao respeitavel publico que sea fa-
brica est montada com as melhores machinas que esistem na Europa, e que pode
fabricaroom melbor perfeico possivei. Todo o chocolate desta fabrica est garantido, e
paro,-o que nao -se pode encontrar r.aquelle que vem de fra, e que se vende por preco
baixo,-visto os productos serem do paiz. Na etiqueta 'teta sempre urna aguia. .
PREQO.
Meia libra.......-. 400
Uma.libra......... 800
Urna arroba........19)5000
Ka mesara fabrica acaba de -se montar urna oficina com serrara a-vapor para
obras-demarcioeiriapropria para edificio, para o qoe'encarregii-se de fazer portas, ja-
dellas, assoalhos (parqu francs como se asa na Europa,) earmacoes, ludo com brevi-
ado eiperfeicao. Toma-se qualqeer encommeoda ipara fra dt idade, enfcregando-se
prompta a collar-s no lugar.
PHOTOGRAPIIIA
artstica americana
RA DO IMPERADOR N. 38.
Artista americano
Artista americano.
Artista americano.
Artista americano.
RetratosRetratosRetratos.
Em porcelauaNiepcotype.
Em lencosArchrotypie.
Em vidroAmbrotypie.
Em metal=Daguerreotypie.
Em papelTalbotypie.
No grande sallo da ra do Imperador n. 38
No grande saBo da rea do Imperador n. 38
Neste estabelecimento tiram-se retratos
em todos os systemas, com asseio e promp-
tidSo, desde as nove horas da manha
at as cinco da tarde ; assim como tem
sempre a venda grande sortimento de cai-
xas finas de diversas formas. Quadros
ovaes Passepartouts e todos os mais ob-
jectos e productos chimicos, relativos a ar-
te e recibidos ltimamente dos' melhores
fornecedores de PARS e Nova York, tendo
de tudo, para todos agostos e para todos
os precos.
Sali da ra do Imperador n. 38.
SalSo da roa do imperador n. 38.
Ama
Precisa-se de urna ama para casa de pouca fa-
milla : na rna Bella n. 23.__________________
Domingos R idrigues de Andrade, sua senbo-
ra e genro Guilberme Augusto Ricardo, soa se-
nhora e filha menor vo para a Europa, e quem
se jolgar seus credores queiram apresentar suas
comas no prazo de 8 d/as para serem pagas.
Peraea-se na ra do Hospicio, do sitio do
leo at a matriz da Boa-Vista, um roopinno de
vestido de cambraia branca com tiras bordadas,
embrolhado em nma toalba : quem o acbou que-
rendo fazer o favor de restituir leve a ra da ma-
triz da Boa-Vista, casa n. 28, 8 indar, que ser
recompensado.
Precisa-se de urna ama
Verdes n. 70.
45 Huq Directa -- 45
A primeirt conato fndisfisavel con-
1 rvaco da sad e tratar olps he m de-
fendidos contra os ataques da bomidade;
' calcado tota e seguro o nico preserva-
tivo desjos mil enfermidadis a que est su-
jeto o aossoeu. Um helo veiho cal-
cado por m dandy patuscante, ou urna
botina acalcanbada em pequenino p de en-
cantadora deidade alem de acensar que-'
bradeira horripilante, prova centra as ficul-
dades iutellectuaes dos calcantes, e nao ba
qoem, tendo bom senso, queira passar por
maluco, ou pobre de surrao : ergo, cor-
ram a:
d*RUA DIRE1TAd. *
e attendam a' baraleza. .
Homens.
Borteguins barcellonezes de lus-
tre e de porco -.,... 6^000
Ditos.de Bordeaux ? 7^00C>
Ditos parisienses de bezerro e
cordavao....... 81JOOO
Sapatos de lona, sola de borra-
cha. ....;.. 2)51000
Ditos a\ eluda dos..... i<5600
Ditos de tranca bons 10600
Senhoras
Berzegum enfeitadoss. oOOO
Ditos de laco...... 4800
Ditos lisos......, 4,3500
Sapatos de borracha .... 40000
Selleiros, corrieiros e segeiros 1
Sola de lustre, meios grandes 200000
E na completo sortimeBto de calcado fa-
bricado no paiz.__________*_____________.
E' baratissimo!
E' baratissimo!
E' baratissimol
Liqui
zendas
de
Armazes da AMrt rua da Im
peratriz n. 56.
DE
Loameo f. lendcs Gaimitris. .
Chitas da Arar 160 rt. ocovado.
Vndese chitas escaras e claras a iO e 200 o
covado, cortes d ditos a t> e 2|400. Roa da
iBperatrix lo|a da Arara, a. S. HHU
Cassas francezas finas a 240 o covado.
Vende-se das^as hluiui Unas a Bo e'3J0
o covado.. Corle.- 'le *>sa ?3iC0 e 'i. Hua da
ln eeralru loja do Arar m 66.
Arara vende chitas franrezas a 2i0 rs. o
covado.
Vende-se cbitas fraocezas e:curas rom pequeoc
toque de mofo a JiO o covado, oiias fraocezas lioas
largar a 280. 30 t 400 rs. o covado. Ra da Im-
pera triz n. 56.
Bretanha de rolo a 300.
Vende-se pe;as de bretanha de rolo a 30C0,
brim llzopara len^es a 500. 560 e iO o* covado.
Roa da Imperatriz loja do Arara n. 86.
Cambraias lizas do Arara a 3(jk00 a peca.
Vende-se pecaa de cambraia isas a 3, 4, e
o$. Roa da Imperatriz loja do Arara n. 56.
Arara vende cobertores a 1(?500 e i 5000.
Vende-se cobertoresa 10C0, ditos Anos de bel-
los a 15500, robertas de h.-ta 2AO00 e ifiiC,
cobertas de damasco 4^000, cuberas de fotlao a
5|000. Ra da Imperatriz loja do Arara n. 56.
Madapoto francs do Arara a 3000.
Vence-.'e pe^m de maJapoiao fraocei de IS jar-
das a 3500 e ;OC0, vende-se pecas de madapolo
inglez de 24 jardas a 4fi, 5500,65, 7* e 85000.
Ra da Imperatriz n. 56.
na ra de Aguas
m
COMPRAS
Ouro e prata.
Em obras velhas: compra-se na praca da ln
pendencio a. 22. loja ele bilhete?.
Compra-se orna -burva de ferro, mgleu on
mesmo das antigs ; na ra Nova j. 31.______
Compra-se na prensa de algodSo de SauueYs {
rothers &C semeutes de algode a 500 r?. por, 35,35500, 45, 45500 e 55-
trroba.
\

tOKLIIO & FREIT1
Ra la Craz b. O.
Continua a faaver diariamente cm sortimento -de pastis, ^odins, bolos inglezes,
empadas-etc, etc. Os donos deste estabelecimento, -acham-se de poder -eatisfazer eocommendas ooBoernentes sua arte, ea consequeacia do socio
Freitas ter sido administrador ebefe de algumas -das-.prncii aes fabricas na corte, sendo
urna a do Sr. JoSo tioncaives Guimares (confeitaria do Leo) an Todos os trabaihos sao diferentes dos que -se tazem em casas particulares.
Os propriearios deste estabelecimento nao-se tem poupado a despezas, nem se
pouparao, -ae houver oncorrencia como esperam; tendo contrnuadamente bom sorti-
mento de doces para h; presuntos -c ditos em fiarabre, tambem se reeefcem para se-
rem preparados ; assim como doee de-caj novo superior,-secco e crystalisado, dito em
calda eu latas hermticamente fechadas, podendo durar annos era perfeito estado.
Parajaotares -epartidas recebem-se encomiDendas dos eguintes objectos; ban-
deijas ricamente enfeitadas sem armacc pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
-de ovos, pes de lo enfeitados com distiaos anlogos a -qualquer im; ditos montados,
kechs simples e enfeitados com frudas. ingleza; atfaeaux de le reine, ditos de le d-
chese, tortas de fructa, massa folhada; ditas de petxe -e carne; cremes e doces de ovos
de differeutes -especies.
Tmbete tem um completo sor ti miAo de \inhos engarra fados, comosejam: vinho
doorlo superior, Figaetra, Madeira, Lisboa, Cherez, Bordeaux, -Champagne fino, ser-
veja, licores, cbaropes-e conservas. Paraifestas: bonita* caisinhas com amendoas, con-
feitose mais enfeites. Mu tos d estes objeetos mencionados podem-se perfei lamen te ac-
condkionar tanto para a provincia, como para fra.
Acabam de receber Jbonitas figuras .para bandejas de doces, -sendo grupos para
baplisado, rasa.neoto, annos, ditta a phanlasia, benitos enfeites para bellos e circular pra-
tos de doces fio o*, todo por precos razoaveis. .
Vende-se licores em.duzia muito em.ceota.
AMENDOA CONFEITADA
Em arroba e tbra, para e S. Joao; recebem-se encommendas de bollos simples e
enfeitados e tambem reca>em^e bollos para enfeitar.___________________________
Se er'.'o
^llIli
|!!|!i!l
Pnlulft
siis&sf
ilIFtii
l-iSii
Compran-se libras slerlioas, e pagan-so
bem : a' roa da Cruz n. *j armazem.__________
Compra-se um bom seliim iDglez em segun-
da mao, page-se bem : na ra Relia n. 22.
Compra-se ouro, prata e pedras preciosa
em obras vertas: na ra da Cadeia do Recite
cja de ourives no arco da Concedi.________
Compra-se urna esersva de meia idade, sem'.
[--vicios, e que saiba eogommar, lavar e cozinbar :
na ra do Cabug n. 2, sobrado.
A 95300 pagam se as libras : na praca-da
independencia.n. 22,
Compra-se urna escrava que seja sadia-e te-1
oha pratica de vender na rua : a tratar aa roa
taperial n-OT.___________________________i
llcodego, i
tanto
-s
o
0
%
Compra-se
tusa escrava que seja boa figura e que siba bem
f ngommar, nao excedendo de 25> annos de Idade,
e paga-se bem : no escriptorio de Vicente Ferrei-
ra da Costa & Filbo, roa da Senzala n. 138, on em
sea armazem junto ao arco ria Concejero.
Compra-se urna secretaria de Jacaranda
mogno, ou de amarello, na 'roa Nova n. 7.
Neste importante estabelecimento encontra o res-
peitavel publico um variado sortimento de fazen-
das francezas, inglezas e suissa, e as quaes se ven-
derlo por preco commedo a saber :
Chales de renda preta a 5 300.
Vende-se um sortimento de chales de renda pre-
ta a 55508 e 65, ditos de seda a 125,145 e 165;
isto na roa da Imperatriz n. 72 de Gnimares & mo.
Retondas pretas a 8.
Vende-se retondas pretas pelo barato preco de
85,85800 e 95; na rua da Imperatriz n. 72, loja
de Guimares & Irmlo.
Grande pexincba a 24 o corte.
Veode-se cortes de casemira da Cbioa a 25000,
25500,23800 e 35, ditas de brim a 15280,15400,
15600,15800 e 25-
E' muito barato, tarlalana de cores a 240
rs. o covado.
Vende-se um grande sortimento de tarlatana de
cure muito proprias para vestido, fazenda mais
moderna que tem vlndo ao mercado a 240 o cova- """
do e 280, ditas mais Anas a 300 e 320, laasinbas
escocezas mnito modernas a 360 e 400 rs. o cova-
do, ditas muito finas 460 e 500.
Cobertores de algodao a 800.
Vende-se cobertores de algodo a 800 rs. ditos
melhores a I56OO e 15800, cobertas de chita a 25,
?55O0 e 3*.
Quem duvidar venba ver.
Cambraia de cores a 240 rs. o covado dita fina a
280 e 320 cbitas finas a 280, 300, 320, 360 e 400
rs., ditas percalas a 400 e 500.
Est se acabando chitas a 160 rs. o covado.
Vende-se chitas a 160,180 e 200 rs.
Arara vende pecas de algodlozinbo a 3C0O
Vend-se ecas e a!gooaozinbo encotpado a 35,
45, 55, 65 e 75- So ua loja do Arara vende se
azsim barato, roa da Imperatriz n. 56.
L3asinhas do Arara a 200 rs. o covado.
Vende-.'e lasinhas para vestidos de seohora telo
barato preco de 200,240,320 e 400 rs. o covado.
Rua da mperetriz o. 56.
Baloes do Arara a 2^000.
Vam i Rodelas de borraxa
propn'is pera atar massos de papis, e para ser-
virera de ligas para pochos, manguito?, etc. etc.
Ventm-se na roa do Queimado toja d'agnia bran-
ca o. 8.
Mu finas carias
francezas, com cauto* dourados, e sem dourado.
Vendem-se na na do Queimado lea d'agnia ^ran-
ea n. 8. .
En?elop a 5i0 rs. o cesto.
\.tdtm-se na roa do Queimado loi d'apuia
bttnrt n. 8. '" ** J^^
Ajiptrelbos de porcelana
orados e pintados.
Na la Jo yoelmado l.j? ^i'aguia branca o. 8,
veDdB-se*- bonitos appareHios de porcelana para
simojo e janiar de bnoera.
Bonitos quadros
par retratos.
Vendem-se na rna do Qoeimado loja d'agoia
branca n. 8.
Perfumara ingleza
A agua branca amado Queimadon- 8, receben
um novo sortimento de finas perfumaras iuglezas
de I. Gosnell & C. ; sendo extractos dos agrada-
veiy eheiros Bonq da Raioba Victoria, do P. Alber-
to, do imperador Napole3o, da Imperatriz Eugenia,
(iarlbaldi, Misa Lind, Joch Club, frangipaue, sn-
dalo, etc. ele.
O'eo lino para cabellos.
Oplat para peotes.
Agria da Cotona.
Sabenetes finos creme deamenda para buba.
Pencas d'aco icglezas
douradas e sem a ser.
Chegou para a lija d'agua branca rua do Quei-
mado n. 8, nm excedente sonimento de pennas
j 'aco ingleza;, douradas e sem a ser, porm todas
de qualidade extrafioa, e continua-se % vende-las a
25300, 2500 e i500 a cana.
Tinta azul1 e preta
tinta rocha e preta.
Estas tintas en jas encllenles qnalidades ja' sao
bem contiendas e apreciadas felos entendedores,
acham-se a venda na roa do Qoeimado loja d'agua
branca o. 8.
Lacre fino de cores
eom ebeiro e sem elle.
Na loja d'agnia branca roa do Queimado n 8,
*.MM<&& d6 o'f M.2Wda,nC it vende se lacre fino encarnado aromtico e fem o
de 20, 2o e 30 arcos a 35 35500 e ditos d r dil0 e caixiribag cwn dl05 de
?*.&" o a *' d. S 'r'a? a ?f C(>"s Pl0 "">"> PreC0 "e 300 rs. cada urna,
a 35 e 35500. Rua da Imperatriz leja da Arara papel inclez
Lencos da Arara a 25C00.
Vende-se a duzia de lenc>s brancos a 25000,
ditos com barras tambera de cores a 25000, meias
croas para homens a 25400, 35500 e 45500 a du-
zia, aberturas para carnizas a 5t0. Rua da impe-
ratriz n. 56.
Roupa feita por medida.
Vende-se paletots de panno e de casemira pretos
e de cores a 45, 65, 85 e 105, caigas de irim a
25, 55500, paletots de brim a 25 e 35, calcas de
casemira de cores a 35, 55, 65, 85, ditas pretas a
45, 65 e 85, cami-as francezas finas a 25 e 25500,
camisas inglezas de prega .larga de linba a 35,
35500 e 45. Ceroulas de algodao a 15, de brim a
15600 e 25, roupa feita para escravos propria para
servico, calcas e camisas a 15 e 15120. So na
roa da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Arara vende as sedas a 1(5(500 o covado.
Vende-se sedas para vestidos a 15500, oreandins
finos para vestidos de senbora a 640 e 800 o co-
Roa da Imperatriz loja da Arara n. 56.__
RIVAL SEM SKCSDO"
Hua do Queimado u. 49, loja de
miudezas
DE
Jos Bigodinho
Est queimando as miudezas abaixo declaradas :
Frascos de oleo babosa fino 200 a 320 rs.
Ditos dito falgo a GOO rs.
Ditos de macag perola a 200 rs.
I Ditos cera superior banha a 200 rs.
o covado, Qjujg coa 6 frasc08 dec heiro a 800 rs.
riscadinho6 francezes a 240 e 280 rs. o covado, roa: sabonetes finos a 60,160,200 e 320 rs.
da Imperatriz n. 72, de Gnimares & Irmao. Ditos de bolla superior a 240 e 320 rs.
l>rcos brancos a 2)5 e 2)5500 a dona.
TV' dos a 35 e 35500, ditos de linbo a 55000,
i -.',00, 6 e 75.
Cambraia branca a 3&.
Vende-se ata grande sortimento de cambraia a
Baloes a 2:3.
Vende-se baloes de arcos a 25, 35300 e 35, di-
tos americanos a 3*500 4 e 45500. ditoajle. mur-
celina a 5#, 55500 e 65, ditos para meninas a 45
e 45500; Isto na rua da Imperatriz n. 72, loja de
Goimares & Irmo.
a 30COO o corte.
a 30000 o corte.
a 35000 o corle.
Vende-se cortes d lia com 12 covados a 35. di-
tos finos a 35500 e 45, ditos a Maria Fia a 75500
85. 85500,95 e 125, gravatas finas para bomem
a 640, WQ e 15000, mantas muito finas a 15200 e
18400; isto na roa da Imperatriz o. 72, loja de
Goimares & Irmo.
Roupa feita.
Roupa feita.
Ltvros para meninos com estamps a 320 rs.
Caixas de 12 frascos cora ebeiro a 1-3.
Frascos de oleo babosa muito fino a 400 rs.
Dozias dmelas superior malidade para senbora a
45500.
Chegaram as agulhas balo (papel) a GO rs.
Caixas com bonitos soldados de chombo a 100 rs.
Ditos de agua para limpar denles a 500 rs.
Fedras de escrever (pequeas) a 160 e 200 rs.
Sapatos de tranca para bomens e senbora 15500.
Pesas de Otas de la preta para vestidos a 600 rs.
i Grozas de boioes de madreperola finos a 480 e
I 640 rs.
Caixas de colchetes francezes a 20 rs.
j Pesas de Iroco de todas as cores a 200 rs.
Caixas com superiores envelope a 600 rs.
Pares de sapatiobos de la para enanca a 400 rs.
Ditos de metas pretas para senhora, superiores a
360 rs.
Libras de pregos de todos os lmannos a 240 rs.
Caivetes com duas folhas muito fios a 320 e
500 rs.
Sabonetes de familia, superior a 100 e 120 rs.
: Resma de papel de peso muito Abo a .'-".
Frascos com tinia superior a 100. i iO e 320.
, Grosas de phosphoros de gaz
-Comprase umsiiiuoa Capuuga. Moodego, [ M ^TSV"T. P^P""" ae g" fW^Ln
Soiedade ou em outro qualquer lugar com tanto i Neste importante estabelecimento enecntrarao os Fares de botoes para ponno aiI20 e t0 r^
qaa seja o mais prximo possivel desta pra-ca e freguezes um completo sortimento de roopa feita Pesas de ntremelos moilo fios a 300 rs.
que se possa vir a p le nao cnste mais do que 8Sfim como pa'itot, calcas, camisas finas a 15600,' Caixa de pos para limpar deotes a 100 rs..
oito a dez contos.de ris : a jiessaa que tiver di- 1*800, 25 e 25500. ditas de linbo a 35, 35500, 45 Caixaide superior lioha do gaz com 50 novellos a
rija.^e a rua do Sol sobrado n. 31 que achara e 45500, cortes de brim, ditos de casemira deico- 15000 rs.
coiaouem tratar. 'res 8 Pelas, seroulas de algodao a I5&00 e 15600, Purceiras de conta para meninas a 320 rf.
-----------'--------------------rz ditos de linho a 25, 25500-e 35- Talheres muito fios para meninos a 320 rs.
- Compra-se orna taberna em bom local e bem aQ M rua i Imperatriz o. 72, Iota de Canilha da doutrioa christa 320 rs.
Goimares e IrmSos. 'Frasco BM)i,
afregsezada para a trra seodo na fregaezla
Santo Antonio : qoem tiver annnncle.
de
Compra-se
Farello.
duas casrosas que estejam em bom estado, que sir-1 Vendo-se farello superior de Lisbca, rcenle-
vam para um bol. qoem liver annuocie
VENDAS
mente cbgado : no eacriptono de Manoel Ignacio
1 pe (Jlivtiira e Pido, largo do Corpo Sania n. 19.
Cassas t cores
pecnjooha, porque sao finas e bons padrSes, e
melbor ainda o diminuto preco de 280 rs. o cova-
| do : na Boa-vta, rua da Imperatriz o. 20.
! Frasco rauilo bonitos com ebeiro a 240 e 500 rs.
Caixa com saperiors iscas para charutos a-20 rs.
Masso cea superiores grampos a 30 rs.
" ATTMQ07
Vende-se palha bamborgueza recenlimente ebe-
gada, para empalbador, por preso mais com modo
do que em ootra qaalquer parte: na rua de Hor-
Us o. 15.
*-
%
: i
s >
o
*
e
00
Vende-se
a portara explicativa da lei bypothecan'a, i Vendse na fondiso da Aurora, as melho-
nuhi-rvda m 7 puDncnoa> em V ae aoru peto *nesouro telha de ferro galvanisado, tudo por precos ra-' Santo n. 19.
nacional, 200 rs. cada exemplar: na U- zoaeeis.
vraria Econmica rua do Cre?po n. 2,
Avdente ou sortes lidas por
urna sonmbula.
Vende-se na livraria da praca da Inde-
Cal de Lisboa.
Desembarcada do brigoe portuguez Constante II,
vende-se por barato preco : no escriptorio de Ma-
is FiMio, largo do Corpo
SITIO.
Vende-se o sitio da Capuoga Nova rna das P4r-
nambocanas junto ao do finado Capislrano, com
boa casa de vivenda, eosinba fora, copiar, qoarts
npndpnra i a 1A eai\ a Axm lar lamhfltn P Pretos, tanque para banno, cajueiros e vinte
penaenean. o a 10 eaaa exempiar, mmnem.I#_UD(og ^ 4e ur.ngeiraa, jardim na frente, todo i
na papets da mesma a 80 rs. cada nm. |morado: para v,er no mesmo sitio cojas cbav
estSo no sitio doSr. Santos Coelho, logo
era caiziubas.
Na loja d'agoia branca a' rua do Qoeimado n. 8.
vende-e desse soperior papel inglez em ealxifhas,
Luvas de camursa
brancas e amarellas.
Veodem-s na ma do Queimado loja d'aguia
branca n. 8.
Meias pretas para padres .
Vendem-se na rua do Qoeimado u ja d'agnia
bracea n, 8.
Aspas Jargas e fortes
para balo.
Vendem-se na roa do Queimado loja (Tagala
branca n. 8._________________"
Xovo sortimento de perfumarlas
finas.
Chegou para a amiga loja de miadezas a rua do
Queimado n. 16.
Rooiios vasos de porcelana dourada eom banha
muito fina.
o.aros ditos de p de pedra com dita.
G .rrafas com superar agua da Colonia.
Frascos com agua balsmica para denles.
Dito de dita dentifrice.
Dito de extracto de quinquina tambera para den-
tes.
Dito com superior agua flor de laranja.
Uilo de dita flor de rosa.
Dito de dito vinagre de Venus para refrescar a
peil?.
Dito de dito agua ambriava para banhos do ros-
to, corpo etc.
Dito de superior agua de Colonia iogleza, de Pi-
ver e Lubin.
Dito de excellente banba de Lubin.
Sabonetes de Lubin, e ontros de amendoa, trans-
parente, etc.
Co'mdique (ou pomada) de superior quahdade.
F.nos extractos, frangipane, sndalo o outros
tambem de finos e agradaveis eheiros.
Opiata iogleza e Iranceza para denles.
Bonitos vasos com j. de arroz e pincel.
Caix'rchas com aromtico p de arroz.
Oleo inglez. dito pbilocorae, babosa e outras qua-
idades para cabello.
tare macme para tiD&ir rabellus.
Esa apreciavel timara chegou para a loja de
, miudezas a rua do Queimado n. 16, a.-sm rumo o
sabonete liranco, para se lavar os cabello.- antes de
i so usar da prepar^so.
iCabzcs de vidro c m perfumaras.
Vtude se esses bonitos cabazes de vidro.com per-
I fumarias, proprios para presentes, etc.; na rua Oo
Qjeimedo I-ja de miudezas n. 16.
Latas e copos c< m un lia n,
A btm confierida loja de miudezas a rua do
Queimado n. 16, acaba de recrbtr as estimadas la-
tas com baoha fina, assim cerno ci pos de vidro e
! novo e bonito molde, com tmpo de vidro e eheiros
de excellente banha. Receben igualmente a pro-
veitose banha transparente qoe muito serve para
acabar as caspa, e a aromtica e agradavel banha
; japoneza e outras. Os pretendentes dirijara se a
; dita loja de miudezas a rua do Queimado n. 16,
que sero servido a contento.
Pionquel dos alpes,
Esse fino e agradavel exlrclo, Vem em um bo-
nito vaso de pede pdra e este dentro de urna ele-
gante cantona de papelo, de forma qoe a perfei-
co de orna coasa corresponde a soperioridade de
oolra Esse apreciavel extracto acba-se a venda
na rua do Queimado loja de miudezas n. 16.
Apa florida e tnico, .
Vndense na loja de miudezas n. 16, rua do
Queimado.
Frascos com gomrna arbica dissolvida
e pincel.
Vendem-se na rua do Queimado loja de miue.
zas n. 16.
Tinta indelevel para marcar roupa.
Vende-se na roa do Qoeimado loja de miude:as
!0. 16.
i Fila elstica para eos de balSo, e aspas de
_I. r
ac para os ditos.
Vendatc-se na rna do Queimado ola de rp'itf.--
zas n.. 16.
40S SIS. ACADMICOS
Vendem-se as seguintes obras de direilo
com ponco uso: Manuel du Droit Romain i
or MackeIdey, 1 volme por 4$ ; Dicc-
naire du Con'tentieux Comtnercial, por Mas-
s, 1 volume, por 5fJ; Elenunts du droit
\romain, por Maynz, i volume por 43; Es-
pril de la jurisprudence des successions,
por Confiaos, l volme;-por 40; Codepra-
tique des failtites, por Geofroy, i volume,
por 34; : na roa do Crespo n. 4, fabrica
de-enapos de sol.
31-Rua Direita~31
Vende-se1
charutos da Havana a i cada caixa de 100, tam-
bem se vende a re talho.______ _____.
Vendem-se terrenos proprios em Belm a
porcio que o comprador quizar, cajos terrenos tem
arvoredos de froeto : quem pretender dirija-se a |
Santo Amaro roa do Lima deronte do sitio do
Sr. Sardanha em casa da Sr.* D. Joaana a tratar
eom a vinva do fallecido Manoel Alaxandriuo de
Mello Albnqoerqae.
ERM ORGlNDYS BRANCOS
ara o Villar eom loja a' roa do Crespo
17, padroes licdisslmos e vende a 730
rs. o covado on 1280 rs. a vara, a ellas X twmtos ntremelos e baDadinhos bor-
SIS Excaltentiaslnas antes qne se acaben?. JK dados.
*'MWWMM tttt V'endem-e por barat., pre^o Ba loja de ti.ifde-
"^^^^"w ^m^^ zaj 0_ jg na roa (Jq Qrjeloaclo.
Z*u.'o ^ki^ Trota rxa e azul mm; (team preas.
W f B f Ift. *0";.! ^ foja do rajo-I^a^.- 6 a rua do Qnf imade.
M. W 4 V> *Jie,9 venutawa i awua .des aennre f<*i e^.-
^rveodem-se oous carrosTrop^r.os para traba-! _, ^ ^^Sw^mS?" fi:'r *"*> *
Ihar na alfaodega, fetos de boas madeiras e fer-! Vende-se tuna taberna tem iocahsadaeafreguezada ^cv' tu*--*is*CK.i*lW* 9W.
ragena; no caes 12 de Novembro n. J6. ; para a trra, qoe vende de 1G a 2i di.rios; na Oraxa ecorom ca era latas e barrilsnho?.
p ~t:~, .-r ----- ;r fregaezla da Boa-Vitta, acata por muito commodo' Vendertseoa lbj'a de miodeus n. 16 a rua do
nemeaiOg 00 W. J. L. Ayer, ei-ienie preco de aloguel e tem commodos pgra fraila, as- Qoeimado.
da Inivmidade de pt-nsylvania, nos simco-mo se-Vrndes.a ua>>^9 n i-1
para tratar na roa da Cruz
adianto, e
do Recife n. 33.
i
Estados-Cuidos.
Exlra eo eonposto de alea-par-
rllha de Ayer.
Peftoral de eereja.
Remed* para sezdes.
Pllnlaa catharticas.
O deposito central para as provincias :
Pernambuco, Alagoas, Parahyba e Rio-
Grande do Norte, des tes remedios tao fa-
voravelmente conhecidos e acolhidos em
todas as partes da America do Sul e do
peratrjx o. 6 se dir' qoem vende.
CHAPEOS DO CHILE
a 1:500 e 2;000 rs.
Na praca da Independencia ns. ti, e 26.
Ntssa StBho a do Carao e a gloriosa
Sant'Anoa.
Esta a' venda defronte da convento de S. Fran-
cisco n. 15 a novena, salve, versos, e a exposicao
do Santo Escapulario, tres folhetos por 300 rs., e a
Norte, acba-se em casa de Theod Cfcrls-' JWU ** ,ort,s* 8n'Anna em i dito por
Balanca,
Na roa da Craz do Recife n. 33, vende-se ama
balanza romana de J.500 libras para peso de cou-
ros, pipas, barrica, ferro, caixas etc., etc., assim
como 60 duzia* da eseovas para calcado a araaejio
do armazem qoe servio da assucar e ama cama
de Jacaranda de bom gosto para casados
----------------Ti-------------------------
, 16 rna de Trapiche em
Mee.
tlaete
Peraa
Os precos de
33| por dnzia de estrado de salsa-parrllha.
27A pop dUzia de peitoral de eereja.
27)9 por dozia de rem dio para sezoes.
7i5 por duzia de punas catharticas
se entendern dimkelre i vlaa, Cvm
320 rs.
Ctgarroaail-ae(lraiatlco de Ioy
A violencia e a repetigo dos accessos desta mo-
lestia sern prevenan, Impedidos e corados com
o oso constante deste remedio: botica do Pinto
rna do Basarlo Urga n. 10.
Satas bordadas
Chegaram a loja de Paredes Porto, ricas sajas
deea.iaduataa. .eelO por cont em, ^ F^da&dia da Baha "
<3uaniidadaasuperioresalJduzias.
E. B. Rabello tem pata reoder oo seo escrip-
torio na roa do Trapiche n. 44, segando andar, o
seguinte :
Vinho medeira soperior em caixa de doas dorias
de garrafa*,
dem do Porto idem em ancorets.
dem de Lisboa e da r'iguelra.
Cera em vela*.
Fog*os
de artificio
Ha grande porcao de rogos de artificio na ccohe-
cida fanrica da vinva Rufloo, o qoai vendido por
commodo preco, e como seja penoso ir l pela dis-
tancia, as peasoas qae qoizerta fazer suas encom-
mendas para S. Joao e S. Pedro, as podem deixar
no armazem da bola araarella, no cilio da secre-
taria da pocia, onde ha vera' om portador^ara
ir pascar e levar ao logar couvencionado.
Aos agrievltores
Saunders Broibers j C. acabam de receber de
I de forca de 3 a 4 cuaMos com
AttencSio.
Jf*awaeaiaberava toa ai 8. Jos o. f, omito
vaaniaFaaS IsnWtamVVTaaBdo, ero arrejaezada para a trra e mato ; a trsiar pa roa
barricas : na roa da 8tazi!a-oova n. 4, reflnasSo.' do Nogaeira n. 29, taberna.
a raa^ i c i
para saceos de
MjMr e roopa de eaeravo, vende Antonio Xax
do Ollvelra Azevedo & C, no seo eseriptorio roa
daCrwn.l. ,. .
Veode-sa Biatisca Iogleza muito boa, de
primeira qualidade, a 700 e 900 rs. a libra : no
pateo do Terco o. 2i.
i'enJpllte5
se ao largo do Corpo Santo o. 11.
P|PP
IIE6VH



Diarlo c IVraaatiaaeo Seai
rali
Ju-Lo de 1866.
r
0 que oeeopa hoje mais a attenclio do mundo
eoonoHMCo? o novo systhema do proprietario do a>
mazem de molhados
NIAO
53 RA DA CADEIA 53
P\SSA\O O ARCO DA COWCEIClO.
Que surge de novo hasteando a bandeira da modicidade de presos em todos os
seas superiores genero.
Que o publico reconheca as vantagens que de tal systhema lbe resolta o que o
proprietario di sitado armazem deseja, e a que desde j o convida : passando tambem a
notar-lhe os presos de alguns dos gneros do sea explendido sortimento, e para os quaes
pede
AT!Ei\CiO
Ciomoaa e milho braneo americana.
Esta escolente gnmma, mnlto se recoracommenda como o alimento mais subs-
tancial e saudavel; servindo nao s para papa (no que superior de toda as outras
gammas e farinhas) mas tambem della sevpde fazer p5o-de-l, cangica, creme, bolo
francez, podim, etc.: o preco de cada paco te de urna libra 800 rs., era caixa tem aba-
timen to.
MANTEIGA INGLEZA de superior qualida-IMOLHO INGLEZ de diversas qualidades, a
de a 1,28o e I,loo rs. a libra, em barril 72o rs. o frasco.
se faz abatimento.
DEM FRANCEZA a mais nova que ha no
CONSULTORIO MEDICO-CIRlRGiCO
DO
IDR. PEDRO BE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
FAZENDAS PR
mercado a 6io rs. a libra, em barris ou
meios a 600 rs.
CHA HISSON de primeira qualidade a
2,8oo rs. a libra, alm desta ha moitas ou
tras pfoprias para vender a retalho, que
se vendem de l,6oo a l,8oo rs. a libra.
DEM PRETO o maisesp.'Cial qae tem fin-
do a este mercado a 2,2oo rs a libra.
DEM regular de i.600 a l,8oo rs. a libra.
QUEIJOS DO REINO ltimamente cbegados
pelo vapor 2,4oo: ditos do vapor passado
a 2,000 rs.
LATAS DE CHOURICA.S com 6 libras er-
mlicamente fechadas, a 4,5oo, de barril i
a 64o, a libra.
ESTRELINHA para sopa em caixas sortidas
de 8 libras, por 4,ooo rs.
VINHO VERDE do verdadeiro sumo da nva,
e o mais proprio para sa beber n'este
imperio, pela sua extraordinaria fresqui-
do e agradavel gosto a 64o rs. a gar-
lafa.
AMEIXAS FRANGEZAS em frascos de 4 e
2 libras, a 2,8oo, e l,4oo rs. em caxi-
nbas muito enfeitadas com diversas estam
pasa 2,900, l,8oo, l,5oo el,3oo, reis.
BISGOITOS INGLEZES em latas contendo
diversas qualidades al.oooe l,2oo rs. a
lata.
PRINC PE ALBERTO bolacbinhas as melho-
res presentemente conhecidas a l,6oo
rs. a lata.
SALAME HAMBURGUEZ chegados no ulti-
mo navio a l,6oo a libra.
PREZUN TOS verdadeiro de Lamgo, a 64o,
rs. a libra, e 56o inteiro.
TRAQUESn. I. em caixas de 4o cartas, por
8,5qo. e 24o rs. cada urna.
MARMELADA em latas de 1, 1 '/ 2 ,-
bras a 600 reis a libra.
JALEA DE MAR MELLO em latas, a 800 rs.
FRCTAS EM CALDA pera, pecego, alper-
co, rainha Claudia, e gioja a 64o reis
a lata.
MOSTARDA INGLEZA muito nova, a 800,
rs. o frasco
DEM FRANCEZA a 64o rs. o frasco.
SALMAO E LAG05TIN chegado ltima-
mente, em latas de 2 libras, a 1.600. rs.
ARENQUES em latas a 64o rs. cada urna.
SARDINHAS DE NANTES em latas e metas
a 600 e 36o reis. .
VINH DE COLLARES o legitimo vinho
desta localidader muito superior e sem
confeso alguma, a 800 rs. a garrafa.
Gres de aples preto a ItfoOO, L560O, SI, 3,5, 3^500 eio corado.
Gorgueo preto de saperior qualidade a 20500, 20800, 34 e 40 o co
tado.
Saperiores moreantiques a 2,5500, 20600, 30, 3/1500, 40 e 50000 o
covado.
Bons cortes de moreantiqoe.
dem de gorgurao adamascados.
Bons pannos e casemiras.
Sup ores alpacas, princetas, merinos e bombazinas.
Bous villudos pretos.
Grande variedade de chales de fil preto e de guipure a 55, 65, 80,
105, 125, de 163 a 205, e de 255 a 805 cada um.
Superiores relondas de fil preto e de guipure a 85, 105, 125 e 255,
e de 300 a 600 eada urna.
Superiores algerienes de l preto e de guipare de 125 a 255, e de
305 a 605 cada ama.
Boas chailes de seda preta.
Ditos de Merm preto bordados e outras muitas fajeadas pretas que
seria enfadonhe enumer. r, na
liOJA DSS COIiUMVAS
DE ANTONIO CORRE!* DE VA8CONCELL0S A C.
UVA me CBE8PO W. 13


PHOSPHATO DE FERRO DE LERAS
R. EM SCIEtfCIAS
INSPECTOR DA ACADEMIA DE PARS.
Nao existe medicamento ferruginoso t3o notavel como o phospbato de ferro de
._.. ----------1- J-- .,].. i_ ._J. :kI t\(\a C.im i (Tin I
PECHIMHA SEM IGUAL
Ricos corte de gorgurSo de seda pretos adamascados para vestido com 13 metros
ou 18 a 20 covado eada corte, largura de chita francesa, pelo baratisslmo preoo de 50*
cada corte : na loja- das columnas da ra do Crespo-b. 13 de Antonio Correia
cellos & C.
de Vascon
IDFM MADURO o verdadeiro do altoDou" Leras; assummidade? medicas do mundo inteiro adotarara-no com solicitude sem igual
roem barris de lo em pipa por 3>,ooo nos aBnaes di ^^,.3. a_s cores paludas, dores de estomago, d'tgestoes penosas, ane-
cada um. mia, convaleeencas difflceis, idade critica das senhoras, irregularidade na menstraaejo,
VINHO DO PORTO de diversas qualidades pobresa 0 s^gue, lymphat:sroo sao curados rpidamente 00 modificados por este ex-
engarrafado, inclusive o maisfino que ha cenente composto. o conservaior por excelencia- dasaude edeclarado superior nos
n'esle genero, por 800, l.ooo, l,2oo, nospitaes e petas acidemias a todos os ferruginosos conhecklofi ao idoreto e ao citrato
l ,4oo e i ,5oo rs. a garrafa. e ferr0) porque o nico que convem aoe estmagos delicados, que nao provoca cons-
FEIJO verde e Garrapato em latas ermeti- pa^0 nmc0 tambera que n5o enegrece a bocea e os denles,
camente fechadas a Ooo rs. Em Pars na ra da Feillade n- 7-
CHOCOLATE francez em pacotes de i libra Avenda emeasa deMaurer, e A, Caors.
por 5oo reis.
AZE1T0NAS daschegadas ulUmameBte.de
Lisboa a l,2oo rs. a ancoreta, &5oo, a
guarrafa.
CAF avado a 24o rs. a libra, e 7>ooors:
a arroba, e regular a 22aalibra( e* 5oo,
a arroba.
VINHO CHERRY domis superior do mer-
cado a i,t>oo rs. a garafa, e 15,ooo rs.
a duzia.
MUSCATEL o verdadeiro de Setubal, a
l,8oo rs. agarrafa, e 2o,ooo a duzia.
VINHO BORDEAUX das mais acreditadas
marcas, S. Emilion. Sant Julin Haut
Brion a 7oo e 800 rs. a garrafa, e em
caixa dedozia, a 7,5oo e 8,000 rs.
VINHO BRANC ) de Lisboa de excelente
I qualidade, e proprio para missa, a 800,
I rs. a garrafa, ou 8,000 rs. a caixa de duzia.
MADEIRA SECO a i,2oo a garrafa, e i2;ooo
rs.' a dazia.
VINHO DO RHENO superior, a 2,ooo a
garrafa, e 22,ooo rs. a duzia.
ERMOUTH d superior qualidade em cai-
xas de 12 meias garrafas por I2,ooo,e
garrafas por i,2oo rs.
Novo estabelecimento
UA Di CADEIA DO RECIFE *. 4
Roupa feita de todas as qualidades
MEDICO, PABTEIRO E OPERADOR.
3Ra da Gloria, casa do Fundaog
O Dr. Lobo Moscoso da consultas, gratuitas aos pobres todos osdias das 7 as ii
oras da manhSo, e das- 6 e meta i t horat 4a noite, excepcJo dos dias santificadog
Pkorrnttia especial homeopathim
No mesmo consultorio ta sempre o maia.appjmeiado sortimeoto de carteirai
avTilso, atsim como tinturas de varias dynma*ac e pelee precos alaine.-
Tf -T Carteiras di 12 t**fra*4i#. mtm m*m.
t de 24 tubos grandes. 181000
de 36 tubos grandes. ..' ,*., 240Q0
de tf tuda grande*. KW60
de 60 tubos grande. TKJfm
, Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se flzer, e couj os reajedioi
que se pedir.
Um tobo avolso ou frasco de tintara de meia once 1 KM30.
Sendo para cima de 12 custarao os precos establecidos para as carteiras
Ha tubos mais pequeos cada um a 900 reis.
LITROS.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Mediana Hoeaeepathico do Dr JarS
doos grande volnmes coro dicejonario......... avh
Medicina domestica do Dr. Bering......, \ '' TqJJ^
Repertorio do Dr. Mello Moraes........... *'$%Z
Diccionario de termos de medicina..........\ 3Q00
Os reroedios deste eslabelecmento sSo por demais coahecidos e disoensam n
, ta^jto de serem novamente recommendados as pessoas que qukerem usar de remedio
, verdadeiros, enrgicos e duradores: ha tado do melhor que se pode desejar dooos d
verdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa oaservacao, tintnra dos mais acrdi
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparacJo, e portanto a ma^r
energa c certeza em seus effeitos. '
Casa de saude gara escravos.
Recebe-seescrarospara tratar de fialner eafermtd*de ou azer-se-lhe analouer
operaco, p;ijra o que o anounciante julga-se suCBcinteaenA haldtftado.
O Iratameato o melhor possivel, tanto na parte altaenfer, com na medica
fonecionando a casa ha mais de quatro annos, ha rauias poimiL de cujo conceito se alo
pode duvidar, qae podem aer coasultados par aquelles que desejwea mandar seus
deentes.
Paga-se 2# per dia durante 60 dias e d'ahi em diante i ^500.
As operacea serSo previamente ajustadas, se ni o se querem lujeitar aoe precot
razoaveis que costuma pedir o annnneiaate.
ARMAZEM DE FAXE\DAN
BE
* c.
CUSTOIWO CARTAIiHO
27 RA DO gUElMADO N. 27
Madapolo francez muito fino, tendo pouco mofo, cada peea com 27 varas por
VER 1IIEIR 1 AGUA IMlTRAIi
PASTtLHftS DOS SAES NATURAES DE VICHY,
VENDE-SE
Na botica e drogara de Bartholomeu & C. Ra larga do Rosario'n. 34.
Faieodas por barato preca
superiores baldes de mnsselina
roa cauda
Chaons de sol balao que val IU, e o Ba ao venden 10^. _
O B$13o vende paletots de panno preto no a85, por ter rjg&*
mira superiores a 7tf; calca de bnm branco fino a 45; madapolSo fino
calcas
finUTS: Para5 S S KSS^la3=iS
la?as finas 55 a peca^ ?eroula de bramante muito s.perlor; chales de merino a 40;
hmuias outas ?azendas que todas se vendem por precos insignificantes. Quem duv,.
dar venha ver.
A barateza do Balao
Ricos brincos decrvstal lapidados de differentes formas e edres, o qne ba de mais moderno em
Pins, lambem cruzes e bo"loes para coletes; fivetlas modernas-de madreperola para emto : estes arti-
gos se vendem por menos de sen valor no armazem da roa da Cade do Recife n. 60.
Novo e grande deposito de superior carvao de CardiffHa
Bahia.
Amonio Gomes dos Santos & C, roa de Santa Barbara n. 1, estp habilitados a supprir de
oarvao, ShESUSS^W ontro qnalqner deposito, a iodos os navios a vapor qne
ccarem naquelle porto. A contratar aesla com Domingos Alves Mathens.,
Sirop du
nrFORGET!
JARABE DO FORGET.
Ene xarope est apomado pelo mais emhwntei awdleos da Paris,
jbbo i*ndo o melhor par curar conatipacoes, tosse convulsa e outras,
affeceftes dos bronchios, auques de peito, irriucse nervosas e insomnolecias: urna col
pela maona, e ontra i nolte sao svIBeientes. 0 efleito deste excelente xarope
lempo o doenu e o medico.
----------------------1..1' 11
, '*,e*Si HWiiW *i*,-^**'
satisfaz o meamo
Deposito na roa larga do Rosario, botica de Bartholomo & C. n. 34.
__________________________________________________________________i_________________________________ i i______________________________________________________________________________________i___________i
Colares Royer oh colares ano-
dinos
p. i facilitar a denticao das criangas e preserva-
las das convnlsei.
O feliz resaltado obtido immensas veces pela
pr iigiosa forc> magntica dos colares Royer, nos
ca.;>. de convalsoes, e denticao das criancas, tem
aii&meate elevado o sea bem merecido prestigio,
e hoje j se pode dizer qne estio geralmente con-
ce:tiados, e estimados de innameraveis pas de
aa:::iai: de tus porqae do aso desses salatares
cohres viram salvos do perigo seos charos filhi-
nhos e da outros porqae colheram daqnelles o
pr itieao exemplo para igaalmeBie preservar os
WKf. A?sim, pols, a agaia branca, tendo em vis-
toS4 mUidade eproveito desses prodigiosos cola-
re- anodinos oa Royer, mandn vir O novo sorti-
bw.o que agora receben, e continuar a receBe-
los ira qae em tempo algara a falta delles possa
ser funesta aos pais de familia, os qoas (Icario
oferto? de os achar constantemente na roa do Qoei-
a&'io, loja d'agaia branca n. 8.
ci\t\s mmm
A loja^peraoca oa roa do Qoemada n. 33 A,
reeebda.eius ciatas, qne ama coata iadispensa-
vei a qualqaer senbort; constate sm ntldade em
saspender a vontade a. saia por malo de cordoes,
em,cujas extramidadei esto preses cotebetet qoe
se pn-ndem a gaardapisa do vestido : veade-se por
2|S0Ocada cinta amoicom raorpeao di-se.t
Aos Srs. fegneleiras.
Ma drogara da na larga do Ro-
sarlo a. SI
BARTHOLOMEO' C.
Vemic-se
Limalha de ferro.
Dita de ac.
Dita db dito de Ledo.
Salitre^ refinado de 1' qualidade.
Vende-se urna pancadaria, bombo, fofo, pr-
os, em bom oso, precj commodo : na roa do
torres n. 16, Recife.
' Frascos de bocea
libras.
Vende-se
na roa lara do Rosario n. 3i, botica de Bartbo-
i'
lomeo 4-G.
>......'
----r-^- > i '-----W ... i i .
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descaroear
aigodio: na-raa da-Oomula flota tt. 42.
" .,T-r------'i! '" '
Vndese urna morada de casa ter*
dra e cal n, 27, sita oa roa da Palma,
rrea de pe-
tendo bons
commodos para ramilla: qaem pretender dirjase
a roa Direita da freguezla dos Afogsdos, padaria
a. 17, qae achirl ceta qnetn traur.
RA DO BRIIM IV. 3S
O proprietario deste estabelecimento deseja chamar a attengo dos senbores pro*
prietarios para os acreditados mechanismos que continua a fornecer; os quaes garante
ser como sempre, da melhor qualidade possivel:
Machinas de vapor
forca de um cavallo para cima. As menores sao mui proprias para motores de des-
carocamentos de algod5o; ellas viajam armadas e podem trabalhar den'ro de 24 horas,
depois de chegarem no lugar. Ellas levam tudo quanto preciso para o trabalho, e
diversos sobrecellentes-. As machinas motores s5o proprias para a moagem de canna,
e ha dellas que podem junta e separadamente moer canna e descarocar. Ellas podem-
seapplicar a qualquer moenda j existente sem outra mudanca do que a substituido das
rodas da almanjarra, ha tambem com moenda junta. Ellas tem depsitos d'agua e boei-
ros de ferro, e nao precisam para seu assentamento de obra alguna, qur de carapina,
qur dealvenaria. O tempo para assenta-las n3> excede de doze dias ao mais, eem
10,5000.
La de cores a 300 rs. o eo*aft
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Fiaos orgaadi&a precede 800 rs avara.
Leamos aramios para agibeir a 2^000 a durir.
Finisperclaras a pre?o de 400, 440 a 860 r. o covado.
Ricos cortes de 15a de barra de !0#.* 300000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.


O castelio de GrasviHe.
TraBrido do francez por i. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo prego de 30000
oa praca da Independencia, livraria ai.
6 e8.
Novidades do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
se achar bem sortido como todos sabem,
hoje mais que nunca, nao s pelo que rece-
be de sua propria conta, mas tambem pelo
que recebe de consignaces; parece sem
duvida que deve offerecer grandes vanta-
casos de mortes de animaes ou arrombamentos de acudes, etc.. garante-se o assentamen- JJJJ-f 2a to em oito dias. Todos estes vapores sao siraplissimes na construccao, e se regem por PreCos como na escoina aos onjeetos, e co-
qualquer pessoa intilligente, a facilidade da condcelo sendo especialmente considerada, I m ^cal^ ae CQe^ar grande remessa pelo
tanto que-nao ha lugar em que nao se possam condu/.ir, anr por trra, qur embarcado. I ^?Por t^ouro e o navio boienno de
Lembra-se aos senhores deengenho que a venda dos animaes e o servico da | f. obJectos de &ost? e proprios do
gente oceupada no seu tratamento os bao de recuperar da maior parte da despeza do l ns-
vapor, deixando-lhes a vaotagem de urna moagem certa e accelerada-; e acabando com a
despeza da compra continuada denovos animaes, ecom os desgostos do trabalho que se
tem com elles.
Ser talvez desnecessario lembrar aos compradores de vapores a vantagem que
lhes resulta de comprarem suas machinas garantidas em urna fabrica, tendo artistas com-
petentes para assentar as mesmas e ensinar a maneira de trabalhar com ellas, e j pre-
paradas para arremadiir qualquer desarranjo; facilidades estas que jamis podem en-
contrar comprando-as aos simples negociantes, os quaes por falta de conhecimento na ma-
teria nem se quer podem garanti-los de que as machinas que vendem sejam proprias ou
suficientes para o trabalbo em que se qoeira emprega-las, e no caso de desastre nao
podem prestar-loes soocerro algom.
Igualmente nao se esquecerao os mesmos compradores de quanto podem perder
em ter suas machinas paradas por desarranjos no tempo das safras, sendo que anda
quando venhams fabricas para concertar as machinas alheias torna-se ha preciso fazer
repentinamente moldes novos, etc. para as pecas estragadas.
Tambem ha sempre prorapto Rodas d'agua de ferro Sarilhos com cruzlas para as
mesmas Moendas de canna de todo o tamanbo, Rodas de espora e angulares, Paroes ou
coches para receber o caldo, Crivos e portas de fornalha, Taixas de ferro batido, fundido e
de cobre, Formas de/erro galvanisadas para purgar assucar, Rombas simples e de repn-
cbo. Alambiques deferro. Eixos e rodas de crto, Arados, grades, enchadas a cavallo
e outros instrumentos de agricultura, Muinhos efornis para faser farinha e finalmente
todo o objecto de mechanismo de que se costuma precisar.
Na fabrica se fazem obras novas 4 encommen la e concertos, com a maior p este-
za e solidez. O grande deposito de pesas e objecto3 habilitam-na muito para este fim.
O proprietirio ser sempre mai feliz de poier dar informaces ou esclarec ment
aos senbores que se servirem de seu presumo* / i\ fi
D. W. Bowman, eBgeoheiro.
REOS VESTIDOS BR4NC0S
A^ loja de fazendas de Augusto Port & C.
il Ra do Quemadol
A* loja de fazendas de Angosto Porto & C, chegaram os mais bellos e modernas
vestidos braacos a bordados agatha.
Saperiores vestidos de btond cora manta e cipella piara noiva.
Cortinados bordados para canas.e janellas de 12a a 80$-
Colxas de seda e de laa, e seda de cores para camas. ,
Baldes, espartllhos, loras de pellica e salas bordadas.
Beores, algerninnel e Chales de renda preta.
Sofcretudos de panno de doas vistas e capas de borracha.
Grsdeoapoles de cores e prek>, e aboiv preto de divena? qaalidales.
Enchov'es pira baptteados com vestidos bordados qne ba de mais gosto oeste genero.
Filos bordados, dB sfpTctte a risos, cambralas-*-Victoriae transparentes.
Chapeos, bonets e gorros de plha d Italia para' senhoras.
Chpeos pretos de seda para homens, e chapee de sol seda Ingleier.
anisas francezas e ingleas para hornero, meninas e senhoras.
ipets para sala, piano e cama, e dilo superior em pee. .
Alcatifas de listas, baratas pols se vende a 480 rs. o cavado. /A,
DrMMka de lioho superior em peciahasde 6 jardas eem pecas grandes de 3(Tditas. Na mesnaosa se vendem sempre as melhores e mais baratas
Esteiras & India para for ar salas
11mua do QaeiaBW#t>41
por nio ser possivel mencionar todos. O
dono deste estabelecimento espera a pro-
teccSo de todos.
Riquissimas caixinhas ornadas e com
msica propria para um delicado mimo.
Caixinhas de msica tanto de veio como
de corda.
Ricos porta joias e necessarios.
Riquissimos estojos a feitio de um bausi-
nho ou chapeuzinho.
Ditos em casca de noz e de outros gostos.
Leques de madeperola de sndalo e de
faia e madeira.
Chaposinhos e touquinhas de muito
gosto para crianzas.
Meias e sapatinhos de seda para as mes-
mas.
Meias de seda pira senhoras.
Capellas e grinaldas de flores proprias
para casamento,
Frameisoo Jos Germano
RA NOVA NL 12,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais aparado gosto da Europa e ocu-
los de alcance para observares e para os
martimos.________________________
Tasso Irmos
Vendem no sei armazem raa da
Amorim s. 35,
Licor fino Corceo em botijas e meias botijas.
Licores finos sonidos em garrafas com rolhas de
idro e em lindos fraseos.
Visaoseneres.
Santeroes.
Cbambertin.
Hermitage.
Borgonne-
Cbampagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeaox.
Cognac.
Od Ton.
PAflie lagniol._______________________
No armazem de azendas
baratas de Santos Coelho
Ra do laciniado u. 19.
Vende-se o segnlnte :
Lencoes de bramante de um s panno pelo ba-
rato preeo de 35200.
Ditos de panno de Ifnho a l900 e 25600:
Cobertas de chita da India a 2*400 e 2*800.
Lencos de cambraia brancas proprios para algi-
beira a 2*000 a 2*200 a dazia.
Ditos de cambraia de linho fino a 4*300 e 5*
dazia.
Atoalliado de atgodao branco a 2* a vara.
m
ramante de lioho fino com 10 palmos de largo-
Enfeites e capellas de muito gosto para a P? *"
soaien.
Riquissimos porta boquets.
Boquet de lores com ama borracbmha
com ebeiro.
Lnra rerdafleiras de Jdvte;
Ditas de seda e de Escocia. .
Riquissimas plumas e gurales para
eafeitar chapeos. ^,",
Cootas e tubos de ac branco, que ba
muito se tesejava para enfeites.
fivellas e crazes de crystal.
e cruzes de tartaruga, madripe-
aos,
para gravatas.
Moes coa croas para punhos.
Gfantinhas e mantinhas de Muito gosto,
tanto para homem como par*seohora.
BMBssimos aderefos pretos, assim como
aixinW mm*lm + eJMtean cabo de marfim.
DPa7W^MMPtor*acha e de outras
muitas qualidades, asaim como bioatinhos.
Riqusimos penlea d ta*a#oga da ulti-
mo gas; asan eeaa de arregaco para
menioat |Bl oeste artigo ha= um. completo
sortim*> de totk as qualidades,
WMhMlw paravcaDWa'do uiimo gosto.
RIotaMmu flua-laiinr^lliiii
Traciav preta crim vflrflka a de cores.
Puteeiras oto para seahon como fiara
merrjas.
Li9B**m e d algpdSo.
Suapmorioavdesedav* e n&pdeaian.
nunciar j^^M r eandoabfi
S no Gallo
Panno de linho fino com 9 i|2 palmes de larga-
ra pelo barato preco de 2*400 a vara.
Bramante de linbo fino de ama largura, pelo ba-
ratissimo preco de 800 a vara;
Toalhas de liuho acolchoadas para maos, a 13*
a dazia.
Ditas felpudas a 13* e 15* a dozia.
Goardanaposjle linho a 3*900 a doria
Flanela de tolas as cores" para coetros, a 880 rs.
o covado. _
Tariatana decores a 800 ra. a- vara.
Bafbes de 36l*rcos' 3*500, de 49 a .
Caaabraia doiinho fine a 4*00,6*SQ0 e 9# a
vara. *
Cambraia para forro de vestido a 2*700 e 3* a
peca.
Pecas de bretanha d roto cana 0 Varas,
3*506.
Peca de madamlo' fine e largo a 7.
Laaiinha iisaJEB cfres a 500 rs o-covado.
Jecas de cambraia branca de salpicoe com 8 e
meia vajas a 4*900.
Coeiros de catanwa bordadas pe baratissimo
preco de 9*.
Esleir da Inita propria naca farro de sala da
4,5 e C palmos de rargnra.
Cambraias Onaide cores mindas- a5SO rs. a vara
Neste armazea* taaabem se eneontr* nm grande
sortimento de reap? t:;a^ nor medida.
*Farinha~
No armazem de Vfeentt Ferrelra da Costa &
Filho Jnto ao nao da Conceicao, vendes* sope-
tior farinha dt^nandioca o I tima mente chegada,
m saecos de tfli alqueires oa cinco ambas de
peso, pelo baratMHmo praea d i* aaaBoo.
Panno dSgodo da BaUa, nraprie para
saccoa de assoca e ronpade asoxavoa;- tan para
ode Antonio epiz.de OUvaita AtevedaihC., no
escrlptorlo roa da Crnt a. 4..
/
al
t

i


;

-
\
Diaria 4c w*V*m**W* MM ,el* AM*4V#h*. *-.



VENDE-SE
w
-----------.104,
t Ra da Imperai
da porta larga ftt.
Junto a patela fradceza de
Paredes Porto.
Neste establecimento encontrar o respeitavel
publico um variado sortimento de fazendas france-
ias, ligleos, sotas** e tama, 40a se veaderso
por preso eommodo.
Prete Parte
Vende chales de renda de cores que se Tende-
rn) a..tfi est veadeado por 64, ditos pretoB, fa-1
senda nova, 54,64, 84 a 204, um sortimento com-
pleto de manteletes, capas e seutambaraues 144
154. Ra da Imperatriz n. 41, junto a nadarla fran-
ceza, armazem da per larga.
Prete Perte
Receben um compete sortlB/ento de lasinbas a
140, e J80 ra, eowdos, pan acabar, cambraias de
cor a 240 rs. o ovado, riscado escossez para rou-
pa de menino, fastio de llnho a 420, 400 e 500 rs.
Ra da Imperatriz n. 82 junto a padaria trancen,
armazem da porta larga.
Prete Perte
Receben para cortinados para cama franceza a
111 a pega cambraia lisa Qna a 34 44 at 104 a
peca, cortes de tarlatana;de bonitos gestos a 3*500
4, cambraia com H3r de seda, gostos integra-
mente novos a 400 e 500 rs. o corado, no armazem
da poru larga n. 51, ra de Impertir junto a pa-
daria franceza.
Prete Perte
Recetas pelo ultimo paquete' um sortimento de
ernzes com podras para o pescoco, bonitos caxinels
de lia para pescoco de sennora. Ra da Imperatriz
n. 52, armazem da porta larga.
Prete Perte
Vende cortes de gorgurao preto para vestido com
21 covados cada um 35*000, grsdeoaple preto a
14600,14800 e 34-o oovado, las lizas finas a 400
rs. o covado, las de anadrinho para vestido, enfes-
Uda, a 320 rs. o covado. Ra da Imperatm a. 53
armazem da porta larga.
Ref feita
Ra di Imperatriz n. 52 armazem da porta lar
ga junto a padaria franceza, encontra-se ueste es-
tabelecimento um completo sortimento de paletos-
saceos a sobrecasacos, de todas as qualidades, cal
cas, colletes, ceroulas, camisas, grvalas, meias,
chapeos de sol, anos francezes para caneca, por
procos com modos, roupa para menino e entras
mnitas fazendas por precos commodos, armazem
da porta larga.
No mesmo establecimento encontrar o respei-
tavel publico, sempre um completo sortimento de
roupas fetas de todas as qnalidades, como sejam
paletos de aJpaoa preta e da cr, ditos sobrecasa-
cos a 44 e 54, ditos de Mas pardo a 24800, 34 e
34500, ditos finos a 44, ditos meias eazemira a
34500, 44 e 54, ditos cazeesTra saceos a 64, 74,84
e 104, ditos sobrecasacos a 10 e 124, ditos de pan-
no sceos a 64, 84 e 104, ditos sobrecasacos a 124
254, ditos de merino preto a 4, 74 e 194, cal-
cas de brim de diversas cualidades a 14800 a 44,
ditos brancos a 24500 e 6400, ditos eazemira 54,
64 e 7, ditos pretos a 54, 64, 84 e 104. ditos
metas cazemlras a 34 e 44, catetes de diversas
qualidades, seronlas francezas de atgodo, ditas de
llnho, ditas de bramaste a 24 e 24500, carnizas de
algodio de linho francesas de 24500 e 34. Gran-
de pecbincha neste genero, grvalas ae todas as
qualidades e brancas para casamento, grande sor-
timento de meias para senhoras, ditas para borneas
a 34, superiores a 34500 e 4*.
Um completo sortimento de chapeos de sol de
alpaca a 34, ditos de seda a 54, 74, 14 e 144,
ditos francezes para cabeca, grande sortimento
a 64.
Vestidos
Peo hincha sen Igual.
Chegou a loja de Paredes Porto um bonito sor-
timento de vestidos de tarlalata de cores e brancas
que serve para partidas por ser urna pbarrtasia m-
teiramente de gosto pelo barato preco de 44
brancos a 44509, esto acabando-se : no armazem
d porta larga ra da Imperatriz n. 52, junto a pa-
daria franceza.
Oortiaadas.
Chegou a loj de Paredes Porro nm completo
sortimento de cortinados ricamente bordados a
preco de 254, 354 e 454 : na roa da Imperatri:
n. 52, porta larga jante a padaria francesa.
Eeas romeiras.
Paredes Porto receben pelo ultimo paquete um
sortimento de romeira de guipare ppetas e de fil
a preco eommodo : na ra da imperatriz n. 52,
porta larga junto a padaria franceza.
10400
Chapeos de sol.
Vendem-se chapeos de sol de panno a 1440G e
urna grande pechiaeha s para acabar : na roa da
Imperatriz n. 5i armazem da port larga de Pare-
des Porto.
3S000
Cortes de laa escocesa para vestido la 34 o cor-
te : na ra aa Imperatriz n. 52, loja da porta lar-
ga, junto a padaria franceza, estau se acabando.
Para luto.
Las pretas com salplcos brancos a 400 e 560
rs. o covado : na ra da Imperatriz a. 52 junto a
padaria franceza armazem da porta larga.
A 1#50(X
Veudem-se pecas de tranca preta para enfeites
de vestidos, soutembarques, capas de senhora a'
14600 com 10 varas, orna grande peoWncba : na
raa da Imperatriz n. 52 junto a padaria franceza.
Chales de renda pretos.
V*adee cuales de reada preto a 44000, uaicc
loja que pode vender na roa da Imperatriz o. 52,
armazem da pona larga, de Paredes Porto.
^ns 3 ;? s
Sis
ftB I sis .F & S
o 3,
S.O. -

a
o.
1 de H. J. Rimo e Uva & Gea.ro, roa do vlgario
. II, canataitmenrr, oooegvlBCTl artigo*, qoe
rehoa ow coaaicada propria de
\BW-YOKli.
Legitima salsa parrUba de Bristol, preparada por Lanmarj & Kefltp.
Verdadeira agua Florida, preparada pelos mesmos. '
Gaz em latas de cinco galoes, o mais purificado que se pode desejar da acredi-
tada marca F. W. D. & G.
Relogios perodos reguladores, com corda de quatro a oito das, dos afamados fa-
bricantes E. N. Welch.
Graixa em latas grandes, da bem conbecida marca las. S. Masn (de Philadel-
pbia).
Superior oleo para machinas de costura.
Agulnas para as mesmas.
Breu em bar icas grandes e pequeas.
Vende-se tambem:
koki>i:ai \
4.a ualidade.
St. Estephe.
St. Julien.
C Margaux.
C. Lafitte.
Medoc.
PORTO
Ia aaalidade,
Principe Real.
Pedro V.
Maria Pia.
Princeza D. Isabel.
Vctor Emmanuel.
Duque.
Malvazia.
GE1NDE EaTABEiSUIfilSTO
ne -.
Vinho fino do Porto em barris de 5/, 40/ e 20/..
Superior vinho do Meno.
Cera de Lisboa em velas e em grume.

s. l f* BA DO QUEMADO X.&S 9.
Madapotdo.
Finas pecas de madapelao com 20 varas a 90.
LENQOS,
Lencos de cambraia branca, duzia 2$.
dem de cores fixas para meninos, duzia 2&400.
Cambraias.
Cambraias de cores a preco de 260 a 300 rs. o covado.
Guardaaapos.
Guardanapos de linbo, duzia 3500.
AlgodSo.
AlgodSo trancado de duas larguras, proprio para toalbas de mesa, a|preco de
i){300 a vara.
Bramante.
Superior bramante de linho nglez e fraocez.
jCambraia de linho propria parlenlos. _\
Uta 4* laaperarlx, %. 60
Di1
GAMA A SILVA.
wai ajuom ni FAzaiasAs.
Tendo os proprletarlos dete graade eslabeleci-
Mto feo um grande aaatimento em muitas da
sitas fazendas, pela occaslao do balnco que deram
no ultimo de dezembro de 1869, moWeram vender
muito maii barato do aoe costomam aGm de cada
vez mais agradarem ara seos numerosos regae-
zes ; por lauto Ihes offerecem um avalado sorti-
mento da fazendas francezas, Inglezas, as quaes
vendera mais barato do croe em ultra quakfaor
parte, .comprornt-ttendo-se a mandar lavar qnalojoer
fazenda em casa dos freguezee que nao poderem
vir a loja, ou a darem as amostras, deixando flear
o penhor, assirri como convidara as nessoas, que
oegociam em menor eseala qoe veste grande esla-
belecimeuto eneomrarao um graade sortimento
tanto a ratelao nomo per ataaada, veodendo-se-lbe
apenas pelos precos que comprara aas casas ingle-
zas, sendo com o dinheiro a' vista.
Ricos vestidos o SflOOO rs.
pechincha idmiravd.
S6 0 Pavao receben pelo ultimo vapor francez
um grande sortmoetfto dos mais ricos cortes de
vestidos transparentes com lindas barras e enfeites
de seda, sendo este* vestidos- muito propries para
baile* e passeios, e vendem-se pelo baratsimo
preto de 84000 rs. cada nm, na foja do PavSft na
ra da Imperatriz n. SO de Gama & Silva.
Oschales do pavao a 2ooo e 2ooo rs.
Vendem-se rtiale de marin estampados a 94
e 2,5500 cada nm.
Ditos de merm Iica 34o00.
Ditos estampados de crepoo a 64, 74. o 84000.
Ditos pretos bordados com franja de seda a 14.
Na loja e armazem do PavSo na Ma da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
Para luto vende o Pavio.
Setim da Cbioa com 6 palmos de largura, fazen-
da preta para loto, propria para vestidos e roupas
para homens, sendo esta nova fazenda sem lustro e
de muito M qoalidde,- ganmtinoVle nao Bear
russa eom o lempo e veade-se pelo barato prego de
24 o 34608o covado, assim como neste estabeleci-
mento tem um grande sortimento de todas as fa-
zendas pretas como sejam cassas e chitas pretas,
lias tapadas e transparentes, princezas, alpacas,
sarjas, etc. : na loja e armazem do Pavao na rna
da Imperatriz a. 60, de Gama & Silva.
Os' cortinados do Pavao. 6S3S*
Ghatts para mtm a 4>,000.
So na loja do Pavao.
Se vendem os mais bonitos e mais bem eofeita-
dos cbaposlohos de palba da Italia, propios para
meninas, pelo baradssfmo preco de 64OOO; na loja
e armazem do Pavao na roa da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
Attenco.
ULTIMA RWIDADE
PENTES, ENFEITES, COTOS.
Gas & Silva, aeabnn de recener pelo ultimo
vapor francez, nm grande sortimento dos mais ri-
cos enfeites pretos e de cores proprios para cabeca,
sendo guarnecidos com as mais lindas flores, e com
voltas das mais bonitas perolas; assim como os mais
modernos e engranados pedes da verdadeira tar-
taruga, marebetados sendo a ultima novidade
que tem viudo de Pars, e os mais ricos cintos com
litas malbisadas e flvelas largas, conforme ltima-
mente se usa as prlmeiras capitaes da Europa, e
vende-se por preco em cenia por ter ebegado em
dtreitura para a leja do Pavao, roa da Imperatriz
n. 60 de Gama & Silva.
As rotandas 4o Pava a 8 e 1Q,
Ven jem-se as mais ricas rotandas de renda pre-
ta, sendo moito grandes, qoe so as que mais se
nsam, pelo baratissimo preco de 84 e 104 : na
loja e armazem do Pavo, roa da Imqeratriz n. 60,
de Gama & silva.
Chitas pretas a 16fl rs:
Vendem-se chitas pretas inglezas, sendo fazenda
mullo boa, pelo baratissimo preco de 460 rs. o co-
vado, ou 54300 a peca com 38 covados : s na I
loja de Ravo, rna da Imperatriz o. 60, de Gama & I
Sortea pira Santo* Antonio,
S, Jofto e S. Pedro.
Vendem-se na offleina de eoeadertuco n. 15
da rna do Imperador, tanto em folhetos como em
avnlso.
'" I lili *l il l ... i. ll. .i !-
Na roa do Jasmim o. 24, offleina de ferrelro,
ha para vender orna victoria, nm cabriole! amtri-
cano de 2 e de 4 ssenlos, era cabriole! de t rodas,
todos aovo e por commodos precos. Na mesa
offleina se aprompta comieda a peifeicao traalquer
encommeoda, tanto de cara pina como de ferreirc,
qur sejam obras novas, qor concertcs de toda a
especie.
Silva.
ATLANTA
Grande novidade a t OO rs.
AtlanU a 200 rs.
Atlanta a 200 rs.-
Allanta a 200 rs.
Cbegon para a loja do Pavo o mais lindo sor-
timento desta nova fazenda, com o titulo da atlanta
propria para vestido e roupas para meninos, sen-
do esta modernissima fazenda de lia com os mais
lindos gostos de qaadrinbos e listras tendo entre
ellas de cor roza e preta, com listras e qnadros
brancos proprias para luto, e vendem-se pelo ba-
ratissimo preco de 100 rs. o covado oniolmente na
loja do Pavo ra da Imperatriz o. 60 de Gama A
Silva.
As chitas do Pavo a 200 o covado.
Vende-se o mais bonito sortimento de chitas es-
curas e rozas sendo inglezas, mas com os pannos
Vendem-se superiores cortinados adamascados' tao encorpados como os das francezas que se vea-
Jira camas pelo baratissimo precto de 14 cada par, dem a 400 ris, e liquidao-se pelo barato preco de
itos multo finos ricamente bordados para camas 200 ris o covado ou a 74200 a peca, garantindo-
ATOALrTADO.
Atoalhado branoo para mesa a 1,5600 a vara,
ntremeios de cambraia moito finos, prego i&.
Lencos de seda para algibeira a !#600,



.

.
MACHINAS AMERICANAS
Verdadelras do tatoleante N. Y. Canttongln & C
Meinhos americanos para moer mil lio.
Na na Nova n. 20 e 22, grande deposito
das verdadeiras machinas americanas de todos
os fabricantes; se encontra neste deposito
grande porcjlo de machinas, e se vendem por

ou janellas a 154, 20 e 254 o. par : na leja e ar-
mazem do Pavio na roa da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Os espariithos do Pavao.
Vendem-sa urna grande e variado sortimento de
espartilhos dos mais bem feitos qne (em 'vindo ao
mercado, sendo de todos os umaobos, vendendo-se
por um prego muito razoavel : isto na leja do Pa-
vo na ra'da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As salas bordadas do pavo.
Vendem-se saias bordadas sendo fazenda muito
boa, sendo ricamente bordadas e com muita roda
vendendo-se pelos baratos preaos-de 64 89 e 104
se terem 38 covados cada Qt$a e ser era de cores
fizas isto na loja e armazem do Pavao na ra da
Imperatriz n. 60 de Gama $ Silva.
Novidade
Para vestidos.
Chegaram as desejadas cambraias o tariatana-
brancas com llMrinhas (sendo transparentes e ven-
dem-se pelo baratissimo preeo de 54000 o corte,
na loja e armazem do Pavo na ruada Imperatriz
n. 60 de Gama & silva.
Cbitas a 180 rs., s o Pava,
Vende se o mais bonito scrtlmenlo de chitas in
res cada urna na loja do Pavao na Toa aaflmpera- g|aiaSf pa triz n. 60 de Gama & Silva.
Roupa feita.
Na loja do Pavio
Vende-se neste estabelecimenlo um grande sor-
timento de roupas, tanto de panno como eazemira?,
!, i e brins e pelos baralissimos precos como sejam
menos preco do que em outra qualquer parte, | Ci]ls de ca5emira preta iBi % e_84ooore;s, Pa-
por se receber em direitura d America; se
fornece todas as explicacoes necessarias ao
comprador para conservado das mesmas;
neste grande establecimento se encontra nur-
tos rtigos americanos, que muito deve agra-
dar aos agricultores que usam de taes artiges,
encontra-se tambera todas as colleccues de de-
senhos sobre os qaaes se aceita qualquer urna
encommeBda, que com promptidSo ser ejecu-
tada ; t.este grande establecimento, encon-
letots de panno preto saceos a 64 84 e 124000 rs.
ditos sobrecasacos de panno finissimo a 124 184 e
54000 rei?, e outroe muitos arligos qne serla en-
fadonhos aqu reltalos; s na loja e armazem do
Pavao roa da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Loja do pavo
Crandes pechnchas.
Se dianas a 500 rs. o covado
Sedinlias a 500 rs.
SedMas a 500 rs.
Vende-se na loja do Pavao, um grande sertimen-
{Grande armazem de tin-!
tas medicamentos, etc.
Boa do Imperador o. 22.
Joo Pedro das nieves (ge-J
rente) tem a venda o
segnlnte:
Productos chimicos e pharma-
ceuticos os mais empregados em
medicina.
Tintas para todo o genero de pin-
tora e para tinturara.
Productos induslriaes e tintas
para llores, como botos de flores
e modelos em gesso para imitar
fructas e passaros com o compe-
tente desenlio.
Productos chimicos e industries
para photograpbia, tinluraria,. pin-
tura, pyrotecnia etc.
Montado em grande escala e sup-
prido directamente de Pars, Lon- j
dres, Hamburgo/Anvers e Lisboa '
pode offerecer productos de plena
conanca e satisfazer qualquer en-
commenda a grosso trato e a reta-
lbo e por pre^o eommodo.
Para Santo Antonio e S. Joo, aleaidares de Ge-
nova de todos os tamaohos, muito baratos por ter
grande porcio, jarras finas, enlre-finas e grossas,
de todos os tnjannos, assadores para ir ao forno,
vasos francezes em ternos de seis, e toda a mais
louca de Genova e da trra : na rna do Raogel
numero 4.
GIZ.
No armazem da roa do Imperador n. 3
Gaes de Pedro 11 n. i, tem-para vender-se
bor saz existente uo mercado.
on ao
o ma-
tra-se em grosso e a retalho, gnndeporpSo ^t^&t^^^^^ZZ
de ferragens, e miudezas qae se vender por preco coaamodo, pedindo-se a auenfao^ setdoos padrSs mais novos que tem vindoaa mer-
de todos para este establecimento que muito lucrarao esa fazer suas compras: na; cado, e vende-se pelo paratsslmo preco de cinco
ra Nova 20 Carnei o Vianna. \ SW^ffi^ f^J^^^l^. !.
1 comrJrado nma grade ponida desta fa senda, na
loja e armazem de leseada do Pavo, rna da Im-
peratriz n. 60 de
Os chales de guipure a 12$ e
16^000,
Vendem-se os mais ricos cbales de Gnipure e de
renda de linbo e seda, pelos baralissimos precos de
124 e 164; grande pecbndra em rei a cao a boa
qualidade e tamanho delles : s na loja do i'avae,.
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lazinhasa 200 rs,s o
Pavo.
DE
FAZENDA E ROUPA FEITA
UVA WOVA *4a
Vendem-se modernas Uazlnhas com lindlssimos
gostos, pelo baMlissimo preco de 208 rs.; 6 gran-
Reg & Moura, proprietario da loia de fazendas e roupa feita, sita ra Nova
n. 24, fazos scieuteao publico e particularmente aos seas *V*J!V& *
acabam de peceber de sua encommenda, umiperfeito sortimento de fazendas nnas, entre i de pecnjncna s na ^ do paVo, ma da impe-
ellas casemiras de cores praprias paracostmes; panno fino dos memores fabncantee rairn n. 60, de Gama & Silva,
proprios igualmente para casacas e sobrecasacas e outras fazendas de vanados gostos, Sedas Largas
as quaes vendem com vantagem sobre outro do mesmo genero de negocio, tanto pela Na loja do Patao,
modicidade dos precos come pela qualidade especial dos artigos que expoe a escoma de cbegon para a loja do pa+ao nm modernissimo
todos aquellesquesedignarem frequentar se "UboiodaioDto. %T^A!^^V$
Os mesmos, continuando como sempre, escudados e robustecidos na aceitacaoi e ccm ag majs ljndas coreSj e a|goma3 proprjas pm
confianca qne Ibes tem sido di.-pensada pelo respeitavel publico, no espapo oe lempo em|a6 sennora8 que estiverem de luto e vendem-se
aue se acham-estabelecidos, procuram envidar todos os esforcos a seu alcance para cor-, peio barato pre?o de 24000 o-covaaa, tendo esu
resnonderem sufficientemente a expectativa deste e de seus numerosos freguezes e ami-, fazenda quatro palmos de largura, que facilita fa-
resjjuuuerem auuiwoinouiciiTO a nm 0iota nMm cnntra^ipsfrp's fnnecio-! zer"se i"1 vestido cora poocos covades, isto na
gos, por isso,*dmtttiram paraeua offiema de alfaiate, quatro tontra-mestres anecio ^ g imuem dQ Pi^m raa da lB,peratrI n
do lambem rozas para loto, afiancando-se serem
cores fizas, e vendem-se pelo baratissimo preco de
nove vileos o covado, ou a pega c.m 38 covados
por 64800 : isto na lija e armazem do Pavo, na
ra da fmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Vestidos brancos.
Chegaram para a loja do PavSo os mais bonitos
cortes de vestidos de cambraia branca com boni-
tas barras todas braneas, assim como eom Larras
de cores, sendo fazenda transparente e muito ana,
tendo cada um corte ba.'laote fazenda e muita ro-
da, e vendem-se pelo baratissimo prego de 84 e
104 : na loja do PavSo da roa da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Cortes de tarlalana na loja do pavo.
Vendem se os mais modernos cortes de trlatana
com as mais lindas barras de cor, pelo baratissimo
prego de 54 cada um, sendo neste artigo o memor
que tem vindo ao mercao : isto na loja e arma-
zem do Pavo na ra da Imperatriz o. 60, de Ga-
ma & Silva.
Ombrais braneas,
fon 8 palmas de laraarae
SO Da Ivja Ou i'inu.
Vende-se cambraias brancas transparentes lento
8 palmos de largura, ou duas larguras das regula-
res, que facelita fazer-se um vestido apenas com 4
varas, e vendem-se pelos baralissimos pregosde..
IgOOO reis, e 14*80 a vara, unicamenle na loja e
armazem do Pavo, ra da Impenlriz o. 60 de Ga-
ma & Silva.
Chitas breu as a 280 rs.
Mende-se cbitas francezas acentos trancos pa-
droes miudinbos, pelo baratissimo prego de 280 rs.
lo covado, na loja e armazem do Paran, ma da Im-
peratriz n. 60, de Gama de Silva.
Chapees de sol.
Vende-se um grande sortimento de chapeos de
sol, sendo de seda e de varios pregos e qualidades-,
ditos de alpaca e de panno, e vendem-se por precos
muito commodos, na loja do Pavo na illa da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Suva.
Cortes de cbitas.
Vendem-se cortes de chitas Inglezas, sendo pa
drQes escuros tendo 10 covados pelo barato prego
de 24000 rs.; ditos com He 12 ovados a 24*00
e 244OO rs; ditos de chita franceza escura e ale-
gre, tendo 10 covados 34200 ; ditos cem 11 e 12
covades a 35520 e 3$840 rs: pecbincha, na loja
e armazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60 de
Gama dt Silva.
YERDADEIRO LE RO
de SIGNORET, Docteur-Mdecin
Ru de Seine, 51, PARS.
nando regularmente sob a ia mediata direccado muito habd mestre Uuriano Jos ae 60 de Gima & SHw>
Barros, o qual, activo e diligente como se ser. ao se poupa aos mais aturados cuidados -
de sua arte quando tem de saliafazer com brevidade e presteza qualquer obra de encom-
Ao contrario dos n uitos que enchem as columnas do jornal com a repeticao ociosa
deannuncios em sstylo sedico, nao precisamgs aqui a natureza dos arligos que possut-
mos para n5o collocar a sinceridade dos nossos tratos ao perigo imminente que resulta
desea* antecipages sem fundamento. '" _________
AR
CiRANDE
A
&M
EM


DE
o
si-
-; -. .
Eoupa feita e por medida.
26 Rha Wova n. 26.
Jos Antnes Guimares, propriet?rio deste novo establecimento dfe roupas e
fazendas finas, participa o reepeitavel poblco emgeral e a todos os seas fregaezes,
que estandoua msa sobre a direeSo de doasdos melbores mestres de alfawte, sendo um
delles oSr. F. E C. Miranda, e^euirocSr. U. J. G. Carneiro, ambos com grandes
babilitacoee tendentes a sua arle, pelos quaes diiigidaa suaofficina, eacbando-se J>em
montada a desempenuar qualquer encommenda por grande que seja, se esforcar para
sabir a contento dos freguezes, veqdendo lude por menos do que em outra qualquer
parte, roga as pessas inleressadas que vehbam examioar seu establecimento, e ver
por i meBmo o qne declara, sendo ontittgue qualquer encommenda no pTazo
beras.
7~ -gBBMgBB I II II mSBSSSSSSSSSSS'
de 24
--'Iream barril p^eW------------------
Cota ea vetos da todos os tanaaanos.
BoaiM.
Mercurio.
Na ra do vjgino.3 19, primefro andar.
mes i
Granee sortimeito.
darhiffaneeza, o grasfa ormEnlo;qne so ^ra-
de a JfflOO t. panacaabar.
mmtm
*,*,-.- '
mwram mm
DODR.CHABLE
mmm e fitofbsor e pharhacu, de pars,
PLUS nr
COPAHU
EPURA1IF
SAIVC
tal o tikWAiiewTO 1 narro ccmtivo
das wmimDAiCT *, toa* as aotwsooes cdtabas, vaos
Citral Je fefMOMMe.
Xarope mu preferivel ao
'9pMnwm't' e ae -c#e#^
bu, cura iIHdtotoHWi
te qualquler -purgacao ,
rriawclo e *blHaa, e Igaataienta flaaos e
unWirfcaeai iMM
'mo tempo do'xarop de 1
de mana, % uan vez de Urna date tres das;
ella segura a
E ALTIIK0M aa 5*KBX.
k> do xarope de cltrato dcTerro, tuna vez
a approvado para curar
con prompda e radl-
._ ii'dlgisi, pastulas, herpes, sarna, co-
atoftw, aarLaania e aUeaooW ivietoea .do -
gue; virus, e qualquer anecio venrea. Bm-
itM MbaeraM. ToBlo-se deus por semana, se-
gUMo tnwtmto toetatlv."! wi-
W*up9tfpm. De nm effeito Bwravilhoso bu af-
fecoe* cutneas e comixoe.

Lencos (brancos a #000 reis a
ttaziaa.
Vendem se lencos braceos fazenda muito boa
pelo baratissimo preco de 24 a duzia, Ditos com
barra de er a 2000 isto para acabar na loja d-
Pavao na rna da Imperatriz n. 00 de Gama & Sio
va.
Grosdenaples pretos do Pavo.
Vendem-se superiores grosdeuaples pretos pelos.
baralissimos precos de 14500, 14600, 14800 e 24
o covado, sendo fazenda moito boa, s para aca-
bar : na loja e armazem do Pavao, rea da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Hraniaate de llnho -do Pavo.
Veade-se snperior bramante de linho com 10
palmos de.largura, proprios para lences, pelos
baralissimos precos de 24 e 24600 a vara, assim
como panno de linho moito fino peles baralissimos
preces de 4540,700 e 800 re. a vara : na loja e.ar-
mazem do Pavio, ra da Imperatriz a. 60, de Ga-
ma & Silva.
Caabraias lisas Vendem-se pecas ae cambraia lisa muito supe-
rior, pelo barato preco de 34200 e 34500 a pega,
ditas muito finas a 34, 64, 74 e 84 : na roja e
armwem do Patio, roa da Imperatrh n. 00, de
Gama^ Silva.
PENTEADORES
on roupSes de cambraia bordados proprios
para as senhoras vestirem de manhaa.
Cbegon esta novidade paia a loja do Pavo,
muito liados e do meJbor gosto al boje, por pre-
ces jubito razoaveis: na loja do Pavo, raa da
Imperairfz n. 60, de Gama & Sirva.
Giosdenafite preto a I$60.
1' grande pehiucka
Veada-aa grosdeaaple preto, sendo muito encor-
padq e de boa Iargpra, pojo baratissimo .proco de
lJeOO o corado': na rna da Imparairh n. 0.
s cachnw dO ftao.
Yeao>m-se bonitos cachrnez de la oo-agaadaoB
para cabeoa pelo baratissimo preo de 34000, s
na loja do. patn, oa,jjj*jda Imperatriz n. 60.
>HW(,li3U0j:&.Coudo,
B.. VanaBrjfwapejiWi-ea, castores muito encorpados
padres escaros peto barato preco de 320 rs. o co-
vado, servlddo est ftraadii tambem para aaoaaN
por ser tlaasito dnete; na laja a armazem do
Pina rsMSs InpafinH n, 60 de Gama & Sil ta.
lataplies a 3,360 rs. a pewu
S na loja do Paiio.
VBiasa peca* de nadapalao loo com 13 jir-
dstj^tle^araio prec de 34500 e 44000.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Raa do Quei mador. 49
Est dlspesto a coolinaar a vender por preco
qoe a todos admira qaeiram apreciar e vir ver para
crer.
Grozas de pennas de aro muito boas a 320 rs.
Libras de neies multo boas a 40 r*.1
Pentes de alisar com costas de metal a 500 rs.
Capachos redondos e compridos a 500 rs.
Pulceiras de contas para senheras a 500 rs.
Calas de papel amlzade a 600 rs.
Quadernos de papel mullo bom a 20 rs.
Pentes de tartaruga a 2500 rs.
Realejos para mewncs a ICO rs.
Escovas para limpar denles a 200 rs.
Baralh s multo fines a 200 rs.
Caixas de p de arroz muito superior a 800 rs.
Caizas de lamparinas para tres mezes a 40 re.
Caixas de obreias de massa a 40 rs.
Grozas de botoes de louca a tOO'rs.
Eofladores de cordo e fita a 60 rs.
Pegas de fita de eos com. 10 varas a 320 ra.
Cartas de- alflnete* {raneases a 100 rs.
Libras de alfinetes francezes 1 qualidade a 24-
Novellos de llnba com 400 jardas a 60 rs.
Ditos ditos com 200 jardas a 30 rs.
Calzas coz alfinetes a 80 rs.
Pares de kiw brancas e de cores a 400 rs.
Gravaos de todas as qualidades a 500 rs.
Resmas de papel almajo superior a 94400.
Calzas redondas com estampas a 100 rs.
Livroe para aBsento de roopa lavada a 100 rs.
Bunecos do choro muito bonitos a 160 rs.
Frascos de superior agua de colonia a 400 rs.
----,-----1-----

Fm cada garrafa, vai, entre a rolda e o papel vti
que leva o me sincle, um rotulo mprosso em Mb<
relio eom o Skilo uhbiai do u>tkkkd FKiNcr;.
.V. B. 1'etnelleiiUft-se urna leltca de 60u .r.-.r..-.
sobre Pars, aceilatel a 60 das de rUTa, ao nuiimc.
n7aJse do riiMImnito e do maior dtsconto.
Ii.'posilo principal
'" iecitiiuo Le Ror
em Caza co nosso
iii;leo agente pilo
RlWil a Si Anto-
10 Fr.! criuu Babia e
nnf prineipaej |iliar-
macruteoi.
',
XEDALIIA DE OCRO. phmiodeis.soof.
auiNA
'ebrifogo e Foriiicante
ni nwi ij tums i iiioru ti tcui.
Experimentada cem pleno successo nos
hospitaes, a (ruina La roche (on extraeto
completo de qaioa} ama preparacao
excepcional, por ter privada do amargo
da quina. Agrada por consejuinteaspessoas
as mais intolerantes e aos paladares os mais
delicad s, pois oem e mullo doce nem muito
riscosa, sendo de orna limpidez constante.
Entprega-se om nrolto proveito nos casos
de g.rtrrJgi, dyipepci, MrralgU, ne
', marauno, cacheiia, magreza ,
fastio tem cauta ajiparente, ooavaleiecn-
f demoradas, chlotow escropbala l|
E o especifico das molestias febris.
QU** LMOCHE FEfiSUGJHOSA
luii Mu ai irf riadades 4a [erra da iaiu.
EM PAHiZ,
"lo, nu'Drouot.
P. MAURER &
roa Nova n. 18.
...... 'iii i.
Vende-se urna taberna bem afreguezada para
a trra, em bom local, /reguezia de Santo Antonio:
na travassa das Cruzes n. 6 se dir quem vende.
o
Vinho de caj
do afamado Carreira, do Ceara: wnde-se unita-
meole no armazem da Liga, roa Nova.

Vinho Colares
Vendfci-se o verdadelro vinho Colares em barra
de oitavo, e avarejo a 600 rs. a tarrifa : oa
zsm da Liga aa ma Nova n. 00.
Yende-ie um lindo molosle de tdade 13 an-
nos, urna escravapor 4O0JL doa, djtas para ledo o
servio : na travessa do Carmo n. 1.
.....
Escrayos fgidos

do bey a-flor, na ra do
Queimadon.ffl,
Tendo retenido enfeites..para cabellos de seabo-, ,
ra, de cabellos, que estando na cabeca nio se dffe-, theps Fer;
renca se feto do mesmo cabello : s quem tem entregar dita escw
*loj.Wier. > JttiiaB'Ut
de graMeafto.


Em 31 de outubro do anno passado, fugio a es-
crava Claudioa, cabra alta e seca do corpo. qa
perteou uRtmamente aoe Itlms. Srs. los Joaquim
da Silva, Haooel Maarkio da"8eiia D. Mariana
Iguaeia de Castro e Silva que a, veadeu a Jos Ma-
!-i que pagara 2004000.a quem Iba
escrava na rna da Cadela a. 62. ^
.o desde o da 14 de malo o es-
cravo cabra de Some Honorato, e tela os' signaes
i, _," ni i ......... i i i __ cravocanra ae nome uonoraio, e tem os signaes
- VaiataoweeBeltas par* coques de seniora gegaietfbabattai caranlaaoa,dWMa podres, poa-
os ais njotxnos que se.pde encontrar ; na laja'
bej^-fle
Vendem-sa queijos do Serjd mullo frescaas a
ca barbai^actntarabatxa 6 oaala t> eorpo, peraM
groasaa, pa peqoaaos e grosso?, muito apao.
B^ aoe sera
aaniaittaatM
<0*m
ma. L


-
;.'.-
mam
-
!ari*> r F*ra< megmm* teir* 99 *r mmh* t mb.
_____


LITTERATORA.
tiouou sob seus suecewores, e&iraffls n porque*est? terapo que Joathao. Achaz e Ezequiel rei-
nidade das Egrejas a que sao dirigida,
naram em Jud. Saasprophecias'refeietn- eoassompto fleque tractam, sen aten-
se principaimeote ao rein de Israel, lie- der datas reipettivas.. Estas Ipistolas,
prebende os Israelita* peloe enfries, idola- bem como as dos outrol apostlos, o|"
As Biblias falsiicadas.
Si quit aulem libros ipsos ntegros cum tria, sedicces e perjurios. Prediz depois cem commentars em tfafitol&fia_____
mnibus suispartibus, prout in Extesia a ruina do reino de Israel, a deporhcao dos 'volvida a doctrina de Jess Christo, tanto
Cainolica consueverunt, et iveter Vul- Judeus para Babylonia, sua Vol para a ju- para o mysterios da religio como para as
?zta Latina editione habonlur, pro-sa- di, a durado do coito do verdadeiro Deus regras da moral evanglica e os Sacramen-
criset canonicis non suiceperiL et ira- ea voeatfo dos Vestios, tos do coito divino.
dttiones prcedictas scierii el pnidens loel As propheas de Joelpredizem pistola de S Thlago S. Thia-
contempserit, anaihcnia su (Conc. Tri-, quatro grandes successos : primeiro, urna go menor, prente do Senhor, e que foi
eolio i su somkra. De repente, ehegou'se *] Desde 83 primeiros eompassos, o erthotiasmo (oi
dept., sesso 4.a)
(ContiQtiacfio.)
XVIH
DO CONTEXTO DOS UVRO do
oslo primeiro Bispo de Jerusalm- D-se
ANTIGO
nuvem de insectos que hiviam d'assolar .
campos e reduzir a lome o reino de Jud ; |o titulo de catholiea Epstola de S. Thia-' Analmente descobrio
segundo, um exercito eslrangero devastara go, porque nao dirigida a orna so Egre- ma0 a Dm* J*eD '""J
a Judea; terceiro, o tempo em que o dom ja, mas a todos os Judeus convertidos e "
testamento. da prophecia seria dado a grande numero .espalhados por differentes paizes. O apos-
fob.E'o livro que contm a historia de de pessoas de ambos os sexos, e de todas tolo reprova principalmente o erro dos
JoD, patriarcha celebre pela paciencia, des- as edades e condices; quarto, a vinda do que dizem que para a salvarlo, tendo-se
rafas, resignacao e'virtudes. Este sancto soberano juiz ou do jaizo de Deus, que ha'f, pode-se dispensar as obras,
personagem vivia na trra de Hus, que de ser no valle de Josapbat, isto o castigo I Epstolas de (i. Pedro.Temos-
julga pertencer Idumea oriental, nos ealrondoso dos i amigos de seupovo depois duas Epstolas de S. Pedro. S5o dirigidas
se
contornos de Bosra. A opiniSo raais se- do ultimo juizo, e a felicidade que reinar
gutda que foi o proprio Job o autor do eternamente.
livro que tem seu nome. Comtudo muitos. Amos. Propbetisou no tempo de Ro-
o attribuem a Moyss, e julgam-no raais an- boo II, re de Israel, e de Osias, re de Ibes "a digoidade da Religio de Jess
tio que o Pentateuco. i Jud :. Reprehende os Israelitas pelas infi- Christo, e exhorta-os a ter urna vida dig- ae lhe d,rig, 8- Efca- """*"'em SDa qQa"
r,,..*. a. j- a*. -.. oos [acales trouxeram
aos Judeus e pagaos convertidos ao chris-
tianismo e dispersos pelo Ponto,, Galacia,
a Gapadocia, a Asia e a Bihynia. Expe-
dootor um meato, o qaat Ibe disse era voz bal
que esperavam-n'o. v -
Flcai afii, disse malignamente o doutor a sea
jeven amigo, como'se este fosse capaz de mover-
te. J volto.
E sem deixar a Alberto lempo de lhe dirigir *
menor pergoota, raetteu-se, por eoire os grapos
e desapparecea.
> Qaanto ao limido joven, soffrendo empoxes ora
de nos ora de oalros, e julgando-se o ponto de
mira da atteneio geral, quererla estar bem looge
d'ali. O miaotos tcrnavam-se scalos para elle,
o doutor dando a
a quera segua de
peno ama dama de certa idadee de exterior agra-
davel.
Tem-se abasado tanto, em romanees de retra-
tos de jovens doozellas modelos, que apenas
ousamos dizer qaanto esta era arrebatadora de ra-
ga, belleza e innocencia. Seu coraco devia bater
bem (orte diante de ama assembla to respelta-
re; tanto mais qaanto ella nzfc> vinha a este lugar
para augmentar o numero dos corypheos da
gavota.
Na verdade, depois de um amavel comprimento
Psalmos. Os Psalmos, em numero deb lades, e prediz-lhes as desgrac*s de que
de canto e cincoenta, sao hymnos ou canti- estoameacados, bem cmoda restaurafo
eos consagrados ao lonvor do verdadeiro do reino de Davi.i.
Deus. N'elles se repele que Deus granv Afcdlas.Viveuno tempo do re Jecho-
de, eterno, todo poderoso, soberanamente (nas, captivo em Babilonia. Prediz aos Idu-
bom, justo e misericordioso ; que sancto meus. que conservavam os Israelitas em op-
e fiel as suas palavras ; que creou o uni- presso, que o castigo do seu crime esta-
verso, que o arbitro soberano d-s povos va prximo, queasdez tribus recobrariam
e dos res; que sua providencia estende-se a liberdade, e dominariam por sua vez os
a todos, e vela de um modo mais particular Idumeus e os Philisteus.
sobre o povo judaico, sobre esse povo que j lonas. Appareceu pelos reinados de
escolheu para si, e ao qaal tem prodigali-, Jos e de Jerobo3o II, re d'srael, e de Ju-
sado sempre seus beneficios. Falam tam- d. Teve ordem de Deus para ir pregar a
bem da vtnda do Messias como redemptor j penitencia em Ninive. Em vez de obedecer
do genero humano. Sua divindade, sua quiz fugir para Tarsis, embarcando; mas
doctrina e paix5o, sua morte, ressurreico Deus excitou urna tempestada, e os mari-
p gloria sao n'elles contados pelo poeta sa- nheiros deitaram sorte- para saber por cau-
grado. Us Psalmos encerram tanubem as sa de quem Ihes viera esta desgraca. Cain-
lagrimas e os gemidos do re penitente, i do a sorte em Joas, deitaram-no ao mar e a
Quasi todos estes emteos sao de David ; lempeslade apasiguou-se inmediatamente,
smente alguns pertencem a oalros autores Quiz Deus que um monstro martimo o en-
inspirados por Deus. gulisse o qual no fim de tres das o lancou
Proverbios.Este livro, escrpto por oa praia.
Recebe segunda vez ordem de- partir para
Ninive e obedece. Prediz que esta cidade
ser destruida em quarenta das.
Os Ninivitas assustados fazem penitencia
na do nome de christos. IP** de dono easa
Epstolas de droS.O apos- '" magnlflca harpa, obra prima de Sebastiao:
tolo S. JOO deixou tres epstolas, as Erar, e collocaram-tfa diante da recem ebegada.
quaes procura confirmar o* fiis as prin- Hi Sllenci pwfnndo. Pde-se nicamente
Cipaes verdade* da religio e premuoi-lbs ontlr o dontor dizer: Coragero, maderaoasellal
contra os erros- que se espalbavam a res- e a dama repetir com nm leve accento inglez
erros- que
peito da divindade de Jesue- Christo.
Epstola de S. Jad*.O autor
d'esta Epstola fei S. Judas, apostlo, ir-
mao de S. Th'iago menor, E' destinada
a exbortar os fiis a perseverar na fe
que abracaram, e a se acastelarem con
i coragem, minba Alna.
Coebiehavara ao oavido-: Parece qae elli
tem um talento mnito aotavel.
Alberto Acara como petrificado. Fsb incidente
tomava a seos olboa, as proporcSes de nm lm-
menso mysterio. Quem- era essa joven to ado-
do conservatorio, que apparecia pela prlmeira vez
em publico t E que relacSes o grave dontor poda
ter co ella ? Todas estas ideas crazavam-se em
sna-mate, e celia formaram nm chaos. Mas
qual nao- foi a sua admiracao quando a joven
preludiou, o depois tocn desembaracadamente
S-.ilomao, re de Israel, uaaa collecc5o de
senlencas sobre a verdadeira sabedoria, so-
bre os deveres propros a cada eslado.
Eecleslastes.Esta >palavra significa
pregador, orador de urna assembla. O e Deus lhes perdoa.
livro do Ecclesiastes, assim chamado por i .Mlqiias Durante os reinados de
que Salomo, qae geralmente considerado Joathan, Achaz e Ezequias, res de Jud,
como seu autor,- expuca n'elle a vaidade das o propheta Miquas reprehende aos Judeus
coisas d'este muido : Vanitas vanita-1 pelas iniquidades, e lhes predia o caplivei-
tum, dixit cclesiastes; vanitas vanitatum,' ro das dez tribus, o exilio das daas que for-
et omnia vanitas mavam o reino de Jud, sua liberdade sob
cntico dos conllco. Este li- o governo de Cyro, a reconstrucg5o de Je-
vro queatoda muito provavelmente de,rusalm e do templo, ea gloria do novo
SalmSo, urna pntu a viva dedois espo- templo em todo o universo. Designa Re-
sos unidos pelo mais puro e terno amor, thleem como lugar onde nasceria o Messias.
Era para os Judeus um svmbolo da unio | Aahiim. Propbetisou nos ltimos an-
de Deus com o povo de Israel, como para'nos do remado de Ezequias, ou no pnnci-
os chistaos o symbolo da uni3o de Jess'po do governo de Manasses. Prediz a rui-
Cliristo com sua Efreja, e de urna alma fiel na de Ninive, a desiruic3o da monarclua
com Deus. ^os Assyrios, que tinham opprimido os Ja
Mabedorla O autor deste livro, deus, e a restaurarlo do reino de Jud.
que posterior a Salomo, faz o elogio da Habacne. Nao se sabe precisamente
verdadeira sabedoria ; convida todos os ho- o tempo em que vveu porem suppoe-se
meus e principalmente os reis, a pratica-la; que prophetsava no principio do remado
e tala das recompensas do justo e do castigo' de Manasses. Fallou da derrota dos Judeus
dos impios para esta vida e a futura. I pelo exercito dos Chaldeus, do castigo dos
Eeeleslastleo Este titulo significa vencedores, e da destruirlo de Babylonia.
livro ou para uso das asambleas ou da' ophonlas.Suas predieces remoii-
Egreja. N'elle se acha, com n>s de Sa-tam ao tempo de Josias, re de Jud. An-
lowao. regras de sabedor.a e mximas denunciam o captveiro em Babylonia, a ruina
moral para as pessoas ue wuas oauj^oja PbiUctaue, Mnabilas. A in mnitas, Ethio-
...ndices. Acredita-se coramumente que pes e Assyrios, bem como a de Ninive, que
f >i escripto por Jess, filho de Sirach, cujo foi destru la pelos annos 62 antes de Jess
quem traz o nome
tra a-licenca e impiedade dos falsos docto-; rvei r S-ria masica sapralaiVi. mnawrfSMP
res, a quem ameaca> com o castigo de Deus*
Apocalypso ou- RevelacSo.S.
JoOi apostlo e autor d'este livro myste-
rioso e prophetico.. prediz os destinos da
Religio de Jess Christo, e- os acoote-
cimentos que sao relativos ao fim do
muDdo. Convida tambera os- christos-a!nm pedacode 6os5
perseverarem na; ethorta particular-; Tudo-manise tem escr.pto untas vem sobre a
mente septe Egrejas, que slo asd'EphesoJbwmoaladosanps, podwla ser reproduzdo aqnr.
Smyrna, Pergamo, Hyatira, Sardes, tti. o abosarenios do concert celeste e nos l.m.ta-
ladelphia, Laodicea, a conservarera-se fir- remos- a- declarar qae madama de Genl.s nao tena
mes- na virutde. >raelb0' toc*dt> a harpa'ins,n,ment0 entao em mo*a-
Depois de termos- dado a noro da Es- a partitura (oi seguida do qae se chama orna
criptura Snela e indicado as differentes trovooda de applausos. Foi entre todos esses altos
pastes-que a compoe, resta-nos reprodu- fonecionarios, essas grandes damas, esse^artisus
zir as bypotheses mais plausiveis a respei- [ e escriptores eminentes a qnem felicitara a-donztI-
to do cathalogo ou canon dos livros-Snelos, | u, qae eom muito casto se poz sob a egide-de sua
desde- o. tempo dos Judeus.
CConitnuar-M-Aa).
A prlmeira lmpressox
IV
Um baile.
(Couilnuao.) '
Be bom oa mo grado, foi predi s qae Alberto
acceitasse o convite ;. porque o priocipk) de sua
resistencia parecer affligir o dontor. Alem de
qae, poda ello tir a. Parit sem eiimprir sea dever
para com o eminente protector das jovens e br*-
liantes iutelligeocias ?
modestia. Finalmente o Dr,.assentou-a em um ean
to com a pessoa qae acompanbava, e foi depois
procurar Alberto.
Este ultimo, contra a especia ti va de Rllaad,nao
lhe dirigi nenbuma pergnota, sem dnvida- por dis-
emao, e limitou-se a duer :
Esta doniella muito babil; ella faz- a harpa
eaotar como ama voz humana.
E nao tendes curiosidade de saber qoem ella
, seja ? replicou o Dr. sorrndo-se.
Nao ; que me importa ? Nao sou desUnado a
eonbec-la.
Has eooheco-a ea.
Isaas.E' o primeiro dos quatro pro-
Chr3to.
Aggeo.S propbetisou depois do cap-
__ Vacio*, disse elle graciosamente, ea qoeie-
ria estrear no mea casamenta minba casaca azul Ah I na verdade, disse Alberto eom tom in
de botSes dourados miaba grvala bordada o mi- differente, o que-vi.
nha camisa de botos de renda, laxo immodeeado Mea Deo81 j^ casU niA q^ ea vo.ia no
a que me sojeUra... contra mea cosame. | mi posto qoe parecaes poneo carioso a seo res
Foi um verdadeiro deslombrament qaet expe-
rimentou Alberto quando, em companhia do dou-
tor que eatrava com uaa passq lento e ac grave,
penetroa nos salSes dourados e forrados de ricas
ais notaveis. suas predieces se; tiveiro de Babylonia, durante o reinado de
relerem ao reino de Israel e sobre ludo ao Darlo, filho de Hystaspes e re da Persia.
de Jud fbram feitas durante os reinadosJ Exhorta os Judeus a trabalhar com zelo na
de Osias' Joat an, Achaz e Ezequias; parece reedificacao do templo de Jerusalm, dizen-
uue viven at o tempo de Manasses. O fim do-lhes que a gloria do novo templo excede-
principal de suas prophecias reprehender na do antigo, porque tmha de ser visita-
aos habitantes do reino de Jud suas infide- do pelo Desejado das nacoes.
lidades, e predizer-lhes os castigos que hacharlas.- Era contemporneo de
Deus exerceria sobreelles, particularmente,Aggeo, e procurou com aquello reanimara
o captiveiro de Babil nia. Predi '.-lhes depois, confianca e o ardor dos Judeus para a ro-
que no reinado de Cyro, a quem chama por. conslrucco do templo. Prediz a rota de
seu proprio nome," vollarwm para a pa-: muitos povos e a prosperidade da verdadei-
tria ; que Jerusalm e o templo BBTitm ra religio. Falla no Messias quasi nos
reedificados; que entao as duas casas de mesmos termos que os Evangelistas, quando
Ismael e de Judn":o seriam mais que um prediz sua entrada em Jerusalm, onde foi
povo. Mas, e .treas predieces de Isaas, recetado com acclamacies do povo.
ha umitas que se referem a Jesos Christo,
e ao estabelecimeuto de sua Egteja; das
quaes urna c a em que diz que o Messias Nelu-miastrabalhava para rtstabelecer a per-
feita observancia da le de Deus entre os Ju-
deus.
Estes dous snelos personagens lhes re-
prehendem as mesmas desordens e a mesma
negligencia para o culto do Senhor. Pre-
tapecarias, onde ja uavia numerosa affineacia. O
que contribua para acanha-lo, era ver os homens
celebres da poca, que sea amigo Um indicara
oomeando-os, cada um de sua vez. noiuens ce-,
lebres do exercito, do senado, da corpo legislativo, I
do instituto ; polticos, escriptores disnctos, artit-1
la insignes, tudo isto passava diante de seas olhos
como as brilhaoles figuras do kaleidoscopo.
Comprenhende-se que, em tal reuniao, o pobre
Alberto se achou extraordinariamente latimidado,
anda que M. de FoultiM lhe llvesse dirigido aa
mais benvolas palavras, e se dignado lhe expri-
mir a satisfagio oom que soabera, por Ih'o 'dizer
o honrado dootor, a noticia do prximo casamen-
to de seu protegido,
o
alachias. E' o ultimo dos prophe-
tas menores. Appareceu no tempo em que
nascer de urna virgem, e aquellas emque
falla de sua paixo. As prophecias de Isaas,
bem como as dos outros prophetas do An-
tigo Testamento, foramredigiJaspor aquel-
es Je quem trazetn o nome.
Jeremlas. Suas prophecias falam diz a vinda do Messias. e que antes d'elle
nfio smente do povo Judeu, como de mu-1 vira um precuesor, a que d o nome de
las nacoes estrangeiras. Prediz ao povo de. Elia, porque tem o mesmo espirito. Aca-
Deus a dcstruigao de Jerusalm e do tem-. ba prophelisando o anatbema eterno que
po, os septeota annos de capt-veiro em Ba- pezar sobre os Judeus.
bilonia, a volta dos Judeus para sua patria,! Haehabos.Deu-se aos dois ltimos
a reconstrueco de Jerusalm e do templo e livros do Antigo Testamento o titulo de Ma-
a viuda feliz do Messias. chabos, por que nelles se refere a historia
Blrueh.Era secretario de Jeremas, destes hroes do povo de Deus, e das guerras
Escreveu seu livro em Babilonia, cinco que sustentaram contra os reis da Syria,
annos depois da ruina de Jerusalm. Re- para defeza e liberdade dos Judeus. Estes
corda aos Judeus que a verdadeira sabedo- (dois livros contm quasi os mesmos fados;
ra s consiste na observancia da lei; d a gnora-se porem quem os redigio, o que
Jerusalm palavras de desolacao, como de' n5o impede que sejam verdaderamente au-
viuva que chora o cmtveiro de seus filhos, thenticos.
e que por nica consolac5o tem o exemplar j ARTIGO IV.
casdgo de seos inimigos e a esperanca de o que tractam os livros do novo tes-
ver voltar para ella seus antigos habitantes ; tamento.
Barucb lhe fortalece essi esperanca. Krangelhos. Os Evangelhos, pala-
Ezequlel. Acbando-se < aptivo em; tra derivada de grego que significa boa-
Babylonia, deu-lhe Deus o dom d i prophe-' nova, s5o os quatro primeiros livros do
ca para consolar seus irmSos. Este pro-1 Novo Testamento, que contm a historia do
pheta descreve a tomada de Jerusalm, com nascimento, das accSes, doctrina, morte e
todas as circamstancias qne a acompanha- j resurreico de Jess Christo, fllho de Deus
ram e todo o rigor do castigo que o Senhor por toda a etemidade, e filho temporal de
devia exercer sobre seu povo. Deus mos- Maria, verdadeiro Deus e verdadeiro homem.
trou-lhe depois coi as mais consoladoras : Quatro s5o os Evangelhos: o de S. Ma-
a volta do captiveiro, o restablecimento de heus apostlo ; o de S. -Marcos, discpulo
Jerusalm e do templo, o reino do Messias de S. Pedro; o de S. Lucas, discpulo de
e a vojago dos Gemios. Prediz timbem a s. Paulo, e de S. Joio, apostlo, conhecido
sorte de muitas naedes. pelo-nome de Discpulo amado. Postojue
Daniel.Prediz os primeiros annos do estes quatro Evangelhos relatem todos os
captiveiro de Babylonia, desde o reinado de pnocipaes factos da vida de Nosso Senhor,
Joaqoim at ao de Cyro, re da Persia. com tu Jo o deS. Marcos pode comiderr-se
Fala ua estatua aysteriosa do Senhor de como supplemento ao de S. Matheus, o de
Nabucodonosor, v -o emblema de quatro S. Lucas como supplemento aos dois pri-
monarebias qoe tem de succeder-se e des- raeiros e o de S. Joo como supplemento
truir-se, para dar lugar a ontra que sobsti- aos tres.
tuir eternamente. F.xa em septeota se-1 Aeios dos Apostlos.Este livro
manas o tempo da vinda do Messias. EsHh f0i escripto por S, Lucas; contm a histo-
semanas eramdeannos, de sorte que com-,ria do eslabelecimento do ctarstianismo, e
prehendiam 490 annos. O livro d'este pro-' a decripc2o dos costumes dos prisioneiros
pheta contm oatras predieces, e fectos de christos. N'elles se referem os prodgiee
grande importancia para a historia do povo 'practicados pelos apostlos, e ludo que
de Deus. j fizeram para espalhar a lu da f entre os
Oxeas,E' o primeiro dos prpaetas Judeus e oiGeatios.
meaorea. Principiou seo miQisterio ob o Epstolas e 8. Paal*: Slo
governo de RoboSo II, rei de Israel, e con-' quatorze. Coosultam-se segundo a ordem
peito. ET mademoisella de L% boudraye; de ex-
cedente familia,, e sea dote nao se elevar a menos
de cem mil escudos.
Coogratfllo-me com, o feliz mortal qae ella
escolher, pfincipalmente se snas virtudes corss
pondem a sen dote.
B' k proprla pertel^ao.
Cielo bem... orna herdeira l
Albeito pronunciara com um accento soJreado
que aio lhe era habitual.
O Br. estudooo a's escondidas.
Felizmente houve orna diversao; madama Bran-
dba canten ama aria de Alceste; madama Saint-
Anbin, seu pedaco favorito de Colttte.
Looge de ser sgradavel a Alberto, esta msica o
i rr i lava extraordinariamente.
Partamos ? perguntoa elle ao deutor.
Oh t anda nao, disse este. Temos de ouvir
geral. Ambos os msicos te eiectrisavanr mutaa
mate. Tiveram de repetir multas paiugsas por
pedidos, Oi artistas, assim como u pessoas de dis-
tlnecio, compraziam se em reeoobecer qae nunca
mais lindo par de virtuoies exeeofaram nm do.
. Ros intervallos de descanco, Alberto tlnha os
olhos fltos na msica ; mademoisella de Coadraye
olbava para o tecto doorado. Quando aeabaram de
tocar, saDd.iram-se silenciosamente, ao mesmo
lempo que partiam applausos de todos os lados.
Alberto, acauhado com lautas ovacSes, pfoearou
com os olhos o doutor ROtlafld. Este nlo o tlnha
deiwdo; fez da parte de sea Joven amigo u* com-
primento mademoisella de Le Coudraye e errada.
zio o pobre rapar qae, saffocado sob as flOres, feli-
citado, recebendo agradecimeotos de todos, nao sa-
bia como- responder tana ra politica-
Finahaente, a entrada em scena de mademoisel-
la Raucoart, a bella trgica, interprete de Coroellle
e de Hacine, lbe permute oecoltar-se a atteneio dos
assistentes- e de escapullr-se dos saloes- do ministro.
Y
Quem pere, ganha.
O Dr. RoHaod nao quizera deixar seu-joven ami-
go sem coodazi-lo at Clony, para ser testemunba
de sua felicidade. Assim Alberto, qae viera s a
Pars, teve, de regresso para a- Borgoohav o mais
attencioso e benvolo compaataeiro. E todava, du-
rante essa viagera, Alberto apenas abri a-bocea,
nao pareceo prestar oeoboma atteocao s brilhan-
tes theorias do doutor, responden negligentemente
s expressoe obsequiosas dos outros viajantes, em
ama palavra, esteve fri, distrahido e desenxa-
bldo.
Sea eacelleste gua teve a disorioo de nao io-
terroga-Io sobre a madaaca de humor assaz admi-
ra vel em nm homem, de quem o espirito era vivo,
a conversaco Diienie, o carcter sincero e franco.
Mas de ama vez Alberto suspirou profundamen-
te sem que o Dr. parecesse ter netado esse signal
bem expressivo de pezar.
Finalmente ebegaram, porque- dflvam ebegar ;
mas, em logar de correr immediatamente a Slnt-
Sorlln, Alberto pretexton nm grande enfado aflm
de flear o resto-deste dia em Oooy.
Pois bero, disse Rolland.ea qoe me sinto
moto fresco e-mnito disposto, vos preceder* jun-
to da boi madama Ancelin, a qaem apreseo-me
em ver ; digna rnnlher que era breve tereis-a for
tuna de chamar vossa mal.
Alberto caloa-.se. Demais, Mr. Floque coaria co-
mo urna borrasca. O conservador de bvpotbecas
flzera, na aoseoeia de sea hospede, urna furiosa
proviso de palavras. Logo que vio o doutor af-
astar-se, elle-entregouse a todo o arrebammento
de sua amisade arengueira.
Ah I Bi-lo, esse andejoT Espero que- se te-
nham dado ferias e qae se tivesse feito /ror as
bellas reo6ioes da capital f .->. Oavi fallar em vos-
sos progreseos, meu galhasdo. O-secretario de Mr.
de Fontaaes, meu amigo 'Bbeodulo Glbert me es-
creveo r-.,. Casplie t Jolguei que oae voltrieis
mais, qoe ieis ser escriplarado para a orcbesla da
academia imperial de msica. Maspossuo vos e,
por certo I J*" que tivestesa delicada, attengo de
icar comigo em Cluny, pretendo obseqaiar-vos com
um jaitar de Luculius. Tenho um raelo e ervi-
Ibas qpe fariam por-se- de joethos \u.. Vamos I
fleastes mudo ? Que qaer dlier este olhar carie-
gado. ? A menos de nao.se ter apanhado urna cons-
tipaco em diligencia, od podis.persistir oesle
pagel de automato.
E para provocal as- condenaias do joven ad-
junto, elle fez cafa de tirar do armario um frasco
de cognac e dous-copos.
Mas Alberto,, deteodo-o com um gesto oobre, me
disse com docora chela de- tristeza :
Antes de minha partida para esta foaesta.
va, nS* JJssivttt... E todava ea a reeoahe-
ci I...Heusam|os,dlzef^ue nloestoavlooeo I...
Tranijsiiisii-va, diste RoHasi, cr doutor est
aqoL
Com os brabas estendldos par a porta de com-
munlcacao, Alberto tomara a poefeSo'de nm ho-
mem que suppliea. Essa porta se abri rentamen-
te. Urna linda donzelia, acompanbada de sua ala,
appareceu sobre o lmfsr, e a' soa vista, cabio de
joelbos marmoraodo f
Mademoisella de La Coadraye I....
Vem, minba Aotomette, diste alegremente
madama Ancelin. E' lempo de provar ao senhor
incrdulo que elle nao obren mal abandooando-se
a' geoerosfade de soa primelra impresso. >
Ha felicidades que nao se pode descrever. A
av, qoe tmha de todo reconstruido soa fortuna,
deo a seas filhos o bello casielto de Sologny nos
arrabaldes de Saiot-Sorlin. Ella foi morar com
elles. Alberto pedio demisso de sen emprego, e
soa vingaaca, para edm o desptico Mr. Feloque,
foi escrever-lbe r Ganbastes vossa aposta, ver-
dade ; mas... qtrnn perd, ganha.
Alfredo iJBssarts.
(Trad. de A. de Mentonca.)
UM PtUCO DI ISML
Esta poesa foi recitada no theatro da Santa Isa-
bel pelo Sr. Castro Al ves, dedicada a-3ra. D. Eu-
genia Cmara:
o veo DO GENIO.
Principalmente o circulo das molheres tinha de-novo ajmademoiselle de La Coudraye, qae vai
causado ao joven urna admiracao misturada de
entorpec ment.
Que reuniao de adornos e de bellezas I
Os diamantes corriam como regatos de fogo pe-
los hombros; as pennas ondulantes das gorras
tocar nm do de harpa e violoocello oom o famoso
Francescbinl.
Ha maita gente aqoi para aprecia-los. Per-
mittl qoe ea me retire; tenho dor de cabera.
Vos I Vamos l I... Nao apresentaes nenhum
dos diagnsticos da enxaqoeca. Emendo disto I...
eram presas por laye de perotas od taawras, ji^^, de M resigBar. Comtudo hoove om
longo entreacto depois da aria de Colette, e bavia
essas pennas, largas e cuitas, assombravam sem-;
blantes rlsonhos; os macollos presos de banda
eram quasi lodos de crep com om fio de ooro
passado pelo estofo; muitas damas bellas, em lu-
gar de govias, tinham ura circulo de pentes ou
ama capaila de fbres ; o marabuto edr de rosa-
nma certa agitacao. Os olhos se diriglam para a en-
trada do sali dos artistas; os convidados fallavam
em meia Voz, e pareciam ioqoietos; Mr. Mollieo
ia e vinha, como se procuraste acalmar sua impa-
ciencia. O proprio Alberto eslava embarazado;
entao rarisslmo, enfeilava algamas cabecas de ga- todava eUfl a g. tnha iasposto nma iei je n0 n
menhas; havia vestidos goamecidos, nas^ costa! ,errogaro doolor.
Mas como nao ficou admirado, quando Mr. de
Fontanes se approximoa delle dizendo com seo
bom modo habitual:
ras, de tranca hespaobola ; nos oouguls de rosa,
ama noica eslava abena, quereodo o bom gosto
qoe as ootras se eonservassenr em boto; a pa-
Iheta de ouro nao polido fdra applicada sobre
mullos vestido, em forma de flores oa de es-
trenas. Mma Recanuer qm tlnha empobrecido e
qae devera ter vendido seis diamantes, se mos
trava, oessa noute, toncada simplesmente a Ninon
Mea jovea amigo, ha nm grande favor a vos
pedir.
A mim, excellentisslmo senhor T
Parece-me, segundo o que sube de nosso caro
e assim eslava mais encantadora. Nao longo. dootor, qoe tendes am bello talento de violoncel-
della, urna outra heroioa da moda, Mma. Ta/lien, sla- >
boje priocea de Caima, pareca desapparecer Oh I senhor conde, apenas son nm carioso...
sob seas feixes de jacinthos e violetas. A famosa I Um corloso que farla inveja a mais de nm
eisadey&rt, na praca do palacio do triboaal,, artista. Or, Franceschini, fleando sbitamente in-
fornecera os brllhaotes estofos de todos os vesll- disposto, nao pode vir e envlou soas desenlpas.
dos, de lo diversas maneiras qoe ostentavam,6s me eomprehendels... Espera-se qae tereis a
de mil bogias, sea prisma scint.1- ^ndade de ,oc" dtt0 ****!*
sob o brilho
lanle.
Os petitt-mattres rivalisavam em elegancia eomj^^g^
as omnts-bellas (toutes bellet). Jamis elles exbiri-
amcadeias de relogio, de ooro, e sinete da pedrar
O ultimo gosto era ter om sioete de ramos fi-
nos com aza de cesto e ama chave flngindo |trevo,
suspensos a um cordo de seda de cor encarnada,
vivlssima.
Os bordados feitos de palbetas sobre fondo coi
de caslanha deviam oecessarlaroeote representar
olhos de Argus, e candas de pavo. Bavia mui-
tas casacas verdea com bot5ss brascos, a cintura
mallo carta, as mangas muito compridas e a
gola multo subida. Os calcOes eram geralmente
de catemira branca, as melas de seda, o escar-
pim guarnecida da pequeas flrelias. Alberto eer
Umesia, esuva mnito pertarbao para podar ad-
mirar o espectculo raais carioso qae poderla
'he offerecer a alta sociodade parisiense. Seos
olbos floctuaram sobre tantas moibefes esplendi-
das tem qae te detivessem para eonlemplarem
alguma. Demais, elle estava multo deslnmbrado
pata nada discernir perfeiumente. A alhmos-
pherao aalevava; ai cabecas, movandose em
diversos tentldos, faziam oacillarem diante dalle
as peonas, as gorras, os tardantes, aa fiares, a
greca o assetinado das fita como vagas agitadas
pela brisa. O dooMr obwrvava-o eos enriosa
atteo^Io, e Alberto, intlmida, a elle te ligara
Coadraye.
Esta proposigao cansn
a Alberto nm tremendo
Excellentisslmo... balbuciouelle... impos-
sivel. Nao poderei saster o arco.
Vamos, disse Mr. de Fontanes; nao somos tao
terriveis. O publico est prompto a vos applaudir.
Sim, sim, disse o Dr., e digne se S. Exc. de
me permittir qae en accrescente qae vos nio po-
dis nada Iba recusar,....
A allusao foi comprehendda pelo jo/en, qoe en-
controu toa prlmeira Impresso para exclamar:
Pois bem I farei o que poder.
Bravo I disse Mr. de Fontanes, encantado do enidsVfc>lBnl$ 4Hf para.
bom resoltado da negoeiacao. i vos defxar.
ODr. condoxi9 sen joveo anUgo para junto de; fcUJ ojUBM p^w en*la/atn4na a aiprlmiai
mademoijee de La Coudraye, qoe levanton-se,
com os olhos baixos e as faeet tintas de parpara,' B*W waPl'. Proeego.o madama A
celin. Idee ver mista Antoinette, e spero qae ata
agradeeorel. ^aj -.- ...
viagem..*
Funesta ? eim T
Aposlastes que eu poderia *um dia lamentar
miaba primelra impresso >...
Concordis 7
Nao temo vo-lo contessar, qualquer que seja
o triumpbo qoe Ureis desta conSssio': lamento ter
compromettido minha palavra...
E' possivel I.... Nao, isto nao me admira :
a promessa era to temeraria l
Era natural; a este respailo nao me acensa
a consciencla. Smente, ea nao poda prever o fu-
turo...
Nao se dir* pobre rapaz, que ea vos deixa-
rei arrastarao altar como nma victima offerecida
aos deases. Metler-me-hei de permelo. Ah I roas,
ah I mas I.... e saberei demonstrar a' velba que
ella ama intrigante I....
Alberto nao pode conter um movlmento de in-
dlgnaco.
Sr. Feloque, disse elle, se nao queris qoe
nos malquistemos para sempre, sede circumspec
to quando fallardes em orna mulher qae a pro
pria imagem da virtude madama Ancelin obroo
como devia obrar; ella nao me offereceo nada
soa ea, ea nico, qae propaz este casamento, lrei
al o fim em meo compasslvo papel, e desejo qoe
jamis a veneravel av nao saiba que sea sonho
to doce e to honrado podesse excitar em mim
uro pezar. Nao abuzeis da conflanca que vos tes-
temanbei : seria correspooder-lhe mal o levar a
perturbado a orna casa onde s se espera ter fe-
licidade.
Esta firme declaraban intimidon a Mr. Feloque.
Nio nos agastemos, casar-vos-hels, esta' en-
tendido.
No momento em que Aberto, montado a cavallo,
o qoal elle botava de vagar, ebegava a alguma dis-
tancia da casa de madama Ancelin, vio distincta
mente o dootor sabir e entrar fogo depois.
E' Isto, pensou o joven, viram-me, son indi-
cado___Vai ter logara apresentaoao t....
A amargura apossa va-se de sua alma, e aseo
pezar ella tornava sombro o sen semblante, nao
obstante teas esforcos.
A' sua entrada, madama Ancelin fez ouvir om
grito de satlsfaeo eom estas pa'avras :
Ah I ei lo emnra I
Alberto tioba chegado triste. Na presenca da
veneravel av elle sentio-se bom e franco como
ootr'ora. his^Jt^aata^ai^astoa. repello elle abra-
nunca ma*
Uj 'm- em que na trra a sos vagava
Pela estrada sombra da existencia,
Sem rosas nos vergeis da adolescencia^
Sem los/ de estrella pelo co do amor,
Sent aeazas de um arehaojo errante
Rocar-ms brandameote pela fronte
Como o eysne que adeja sobre a tote
As vezes-toca a solitaria flor.
E disse-entao < Quem i, paludo arotmojo,
Tu que o poeta vens ergner do pego 7
Eras arase tu que Milln ceg
Ouvia em sua noite erma de sol I
Qoem s tu?' Qaem stu? Ea sovgenio
Disse-meo aojo, vem segnir-me o passo-
Quero comiigo me arrojar no" espago
Onde tenho por c'ras o arrebol.
c Onde me levas, pois? Loagote levo,
Ao pala do ideal, ierra-de flores,
Oade a brisa do co tem mais amores,
E a pbaotaza lagos mais-azuet,
E foi___ E fui... ergni-me no infinito..
La' onde o vo d'aguia nao se eleva.
Abaixo via a trra abysmo em treva,
cima o-firmamentoabysmo em luz.
c Arehaojo l archanjol que ridente sonho I...
t Nao, poeta, o vedado paraizo
Onde os lirios mimosos do sorriso
Eo abro em todo o seio qoe chorou;
Onde a. loira comedia, canta alegre,
Onde ea-tenho o cordo de um geoio nodo,
Qoe a.sombra, de Moliere vem sorriodo
lieijar. na fronte qoe-o Senhor beijou. t
Oade me levas mais, anjo divino.
__., Vem ouvir sobre as harpas inspiradas
O canto das espheras namoradas
Quaodo eu enctio de amor o azul do- eo.
Quero levar-te das paixes nos maree,
Quero levar-te a ddalos profundos-
Onderefervem saes e cos e mundos,
Mais ses, mais mondos... e onde todo meo>..
t. Molhervmalher, aqu todo d volopia...
A brisa morfla, a sombra do arvoredo,
A lympha clera, qae murmura a raedo,
A lu que abraca a flor e os cos-o mar...
Oh I = princeza, a' razo j se me perdel
E's a sereia da encantada Scila,...
Anjo, qoe transformaste-te em Dalila
Talvez Deus mesmo te quizesse amar I
c Porm nao paras n*ste vo errante
A que oalros maodos elevar-me lentas f
Ja* nao sinto o soprar de aaras sdenlas,
Nem neb a taca de um fogoso amor...
Sinto qae rolo em bratros escuros....
Ja' nio tero izas, aguia da Thessalia
Maldico sobre ti t Tu s Omphala-,
Nlngaem f ergue das irevas e do horror.
t Porm silencio I.. No maldito abysmo
Onde cahi comiigo criminosa
Cania urna voz sentida e maviosa,
Qua arrependida sobe a Jebovab.
Perdol perdo, meu Deas, p'ra quem solace.
Talvez seja algum anjo peregrino. .
Mas, nao. Lndairas tu, genio divino.. .
Tambero sabes como Eloa* I ...

a vea
por cansa da eommocf.
- Mademoisella, KoJiand, o vos trago
apresentio o vosso concertante.
Ambos os joveas se saodaram.
. Tenho roedo, te aveoiorBb Alberto a dher;
de ter bem Indiguo de tocar..... oom aaademoi
sella.
- O tentar mallo Indulgente, reenoodea ma
deatolsella de La Coadraye.
Tomaram logar. Urna estante foi colloeada dian-]
te se Alberto qae tinha de ieltrar i partitara, e o
dooiaanftn,
Elle inclloon-te : soa
mittia faaer mais.
De repente, na tala vlzinha,
myitertoso. Era cono a votde urna harpa. Os son
tomaram se mais djstbKtos: forraon-se om cas-
to... Era a meloda do do n,oe Alberto tocara
pon mademoisella de La Coudraye 1..
atea Deas I mea Dea I exclamou o joven,
cambafeaBlo de cobdjocJo e de alegra io|iqeti-
iNo mais, o1 serafim! suspende as azas;
Que atravea das estrellas arrastada
Meu ser arqoeja lonco, deslumhrado
Sobre as constellages e os cus aznes. .
Arehaojo! arehaojo I basta. 1 comtigo
Mergolhei da3 paixes as vagas cralas. .
Mas nos meus dedos j' nao cabem perolast
Mas na minh'alma ja' nao cabe a luz I .. .
No Jornal da Baha l-se o segniote sobre a
batalha do dia i de maio prximo passado.
t De ama carta da nossa armada, com data de
12 de roaio, extrahirooso seguinte, a respeito desse
aconteciroento:
c Os Paraguayos espretavam sem serem vistos;
meditavam a sorpreza, qae no qae consiste a san
audacia, e apesar disso, oa antes apesar de dever
o seu carcter ser bem conheeldo do general Fi-
res, lograram sem intento.
Heuve grande, inqualificavel iocuria.
t Perdemos 4 pecas a la Hile, e foram prisionei-
ros, om major, 10 offlciaes subalternos, toldados,
etc., talvez mais de 50 petsoas.
i Isto horrlvel!
c A morlaadade tambero foi creseida, e grande
o numero de feridos.
i Embora as perdas paraguayas fossem cinco
vezes maiores, embora a victoria se decidiese por
nos com grande vantagem moral, por serem as
oossas forg-is em muito menor numero, nio hate-
ra qnem nao lamente os desgracados effeitos de
to desastrada confianca em trra de inimigos,
acostumados a emboscadas.
t Infelizmente os choques mais fortes foram
suppjrtados por filhos dessa heroica provincia, os
quaes anda orna vez a exaltaran).
O 38 de vdnntaries composto da minelros, e
creio qoe de cariocas, sob o commaSde de am
valeote bahiaoo, foi om baluarte contra forcas olto
vezes maiores; mas quaodo sea Intrpido eom-
mandante no iutuit > de mais fortificarse o evitir a
morundade, transmlttio nma evoloeio, on porque
a ordem fosse mal interpretada, oa porqae a evo-
locad fosee mal exeentada, o grosso dos Paraguayos
fez precba no paredo qoe se lbe pretenda oppor,
divWindo o batainlo em doas partea, qae foram
tomadas de inevita'vel eonfasio. Felizmente j
marchava em aeoaoxIUo o7'eUsha, que foi
gloriosamente engrossado pela gente doblad arte.
Agora o qoe resta saber se sobra qosm
recablram as culpas desse e-de oatrot lamentaveis
aeontecimentos deesa Jornada, qae Deo* permita
nos sirva de llcco proficua. >
A Italia, joraal florentino, diz qne-est autoriza-
do a declarar qae o exercito italiano coota actual-
mente 351,468 soldado, lodtponanttaitntd dos
contingentes de 1861 e 1863, qae eslo diapoai-
cao do governo, e do contingente da 1864, cojo pe-
riodo de enslno cemecou no dta 1 da abril.
O conUogente de 1866 tambe sera' hreveaastn
chamado s arm?,
PBr\N,TYP. DK M. F. Dfi F. 4 FIWO,-W
'
/

I arcilla i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EDJNNAH10_90SZW4 INGEST_TIME 2013-09-04T23:43:51Z PACKAGE AA00011611_10995
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES