Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10992


This item is only available as the following downloads:


Full Text

I
__.... AMO XLII. HOMERO 136
Ptf qttrtel Mgt Mfcf 4w 10 ias 4o 1.* mez ',' .^
Iden epw8dasi.,'l4ia8dctBe{oedeBtrf d# ajoarte! .
Ptrte McntiHf tw**?m........, ... .\
ta*tf.j
5#fO
75t
AMfif^ >^ v#r
QUIMA FEIRA 14 BE JHHO M 1866

rr i| eitrt de lt dias do 1. aez. 49#c*
Parte aa<*rreia por um aaaa ,..;. jgeo
DIARIO DE PERNAIYIBUCO.
S.NCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques 4a Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranbao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SBSCRIPgAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falco Dias; Babia, o
Sr. Jos Martina Alvos;
Ribeiro Gasparinbo.
Rio de Janeiro, e Sr. Jos
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Bseatfa e estafes da va frrea at
Agoa Preta, todos es dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e seitas feiras.
Santo Antao, Grvala, Beierros, Bonito, Carnar,
Altinho, Garanbuns, Buiqoe, S. Bento, Bom
Conseibo, Aguas Bellas e Tacaral, as tercas
feiras.
Pao d'Alho, Nataretb, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, uricury, Salgueiio e Ei, as quartas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta Plmentelras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relagao : tercas e sbados s 10 hora.
Fazenda: qaintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira rara do cival: tercas sextas ao meio
dia.
Segunlavara do clvel
hora da tarde.
quartas e sabbades a 1
. PHEMERIDES DO ME3 DE JUNHO.
6 Qnerto raing. as 4 b., 53 m. e 58 s. da m.
12 Loa aova as 7 fe., 47 m. 33 s. da t.
19 Quirto cresc. as 9 b., 25 m. e 52 s. da t.
28 La cbeia a 1 b., 16 m. e 10 s. da m.
DIAS DA SEMANA.
U. Segunda. S. Barnab ap.; S. Feliz m.
12. Terca. S. Joo de S. Facundo.
13. Quarta. S. Antonio de Lisboa f.
PARTIDA DOS VAPORES COSTURO!.
Para o sul at Alagou a 14 e 30; para o ncrw
at a Granja a 7 e 22 de-cada mei; para Fernae
14. Quii* S. Basilio ir i b. dout%e!?a**" 15. Sexta. Ss. Modesto e Vito rom.
16. Sabbado. S. Joao Francisco Regis.
17. Domingo. S. Tbereza rainba de Lyo.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 6 boras e 6 m. da manba.
Segunda as 6 boras e 30 minutos da tarde.
Ijultao, setembro e novembra
ASSGNA-SE
Ino Recife, na livraria da praca da Independencia
Ins. 8,-dos preprietarioe Manoel Figueiroa de Faru
I & Filbo.
As noticias que demos hontem no snp-
plemento, acham-se incluidas no presente
numero.
IWTERIOR
RIO 1E JVMIKO
3 de junho da 1866.
Hontem nao bouve sesso na eamara dos depu-
udos por (alta de numero legal.
Entrn hontem do Rio da Prata com- datas de
Buenos-Ayres at 29 e Montevideo 30 do passado
o paquete inglez Arno. Nuncio de nma grande vic-
toria dos adiados,.trazia as bandeiras argentina e
oriental no mastro de proa e brasileira no mastro
grande.
Desde o dia 21 tinba o exercito adiado occupado
alera do Estero Bellaco as posices avanzadas dos
Paraguayos, que as largaram sem muita resisten-
cia. A 25 devia ser o ataque gerl. Soobe-o L-
pez, qulz apressar a propria ruina, e na vespera,
sahindo das suas trincbeiras, o exercito paraguayo
accommetteu com to temerario como desgranado
arrojo.
Ja' prevenidos por nm desertor paraguayo de
que seriam atacados naquelle dia, e disposto para
as duas boras da tarde uno forte reeonbeeimento'
contra as iinbas inimigas, os alliados estavam de-
baixo de armas e bem apereebidos.
A's 11 1|2 horas da manhia do dia 24 o exer-
cito paraguayo, em (orea de 21,000 homens, sendo
8,000 de cavallaria com algoma artilbaria, met-
tendo-se pelos bosques que flaoquelam o acampa-
mento alliado, accommetteram com desesperada
furia por todos os lados. Por toda a parte, porrn,
encontraram muralbas de bronze nos nossos bra-
vos batalhoes. Debalde, levados por ura delirio,
que algons explicaran pela embriaguez, se arre-
messavam os Paraguayos contra os quadrados de
infantaria; .debalde, dizimada pela metralha vinba
a sua cavallaria esbarrar-se contra a bocea dos
nossos canhes. Cortado de ferro e do chumbo, o
inimigo teve de retroceder, rotos os seus batalhoes,
aniquilados os seus esquadroes.
Nao foi, porrn, sem dolorosas perdas que alcan-
zamos este brilbante triumpbo, que devia abrir a
estrada do Humayta', e em que Argentinos e Orien-
taes sao concordes em dar a maior parte ao exer-
cito braslelro. Teve este uns 300 fortos e 600 fe-
rios : entre os primeiros conta-se o tenente-coro-
nel Galvu de voluntarios da Babia, entre os se-
gundos o mesmo maree ha I Osorlo, o brigadeiro
Sampaio, o tenente-coronel Pinbeiro Guimares e
o major Peixoto Gnimares.
Urna columna paraguaya levando diante de si a
cavallaria correntiua, multo inferior em numero,
chepoo at Itapir, contornando o grosso do exer-
cito, e por um momento causou all alguma desor-
den). Cara pagoo, porrn a ousadia, e diante de
alguns batalhoes nossos Qcou qnasi completamente
esmagada.
A's 4 boras da tarde o inimigo, recbaeado em
todos os pooios, acolbia-se s suas posices forti-
ficadas, favorecido pelo terreno, que cortado de
bosques e lagas, impedio a perseguido.
Viubam os Paraguayos commandaoos neste ata-
que pelos generaes Resquin, Barrios e outrp cujo
nome se ignora. Perderam elles 5,000 morios,
muitos feridos e prisioneiros, seis pecas de artilba-
ria, quatro bandeiras e muilo armamento
Os Argentinos lamentam a perda do coronel Ri-
vro, commandante Pagla e major Bassavilbaso.
Tiveram elles uns 400 homens Tora de combate. O
general Paunero Toi levemente ferido.
' Os batalhoes orientaes tambem tiveram perdas
sensiveis.
As tropas dos tres exercitos rivalisaram em va-
lenta e denodo, e todos se cobriram de gloria. A
este respeito nenbuma duvida resta, embora por
ora se nao conhecam todos os detalhes da acgo,
A nica parte offlcial publicada a do general Mi-
tre, que os leitores eneontraro na nossa corres-
pondencia de Montevideo, ond?, bem como na de
Buenos-Ayres, se acham dados interessantissimos.
Essa raesma parte resumidsima, consignando
apenas o resultado do combate.
O boletim do siglo accrescenta que os Para-
guayos se retiraram para o Homayla' e abandona-
ran) o forte de Curapaity. A este respeito, porrn,
cumpre aguardar nforroacoes mais positivas.
As ultimas noticias da nossa esquadra do-a toda
no rio Paraguay prompta a atacar Curupaity, ape-
nas all se apreseotassem turcas adiadas de ierra.
Eis as cartas de Buenos-Ayres e Montevideo :
Buenos-Ayres 28 ie mato.
Anda bem I posso renovar as felicilac.>s ae
paiz e ao governo imperial I
Nova batalha, nova victoria, novo brilbo para
as armas brasilelras, com parlilha desta vez para
oossos alliados.
Hoja ao romper da aurora a populacho de Bue-
nos-Ayres acordava ao estrepido de bombas e lo-
geles, e momentos depois, ne obstante a bora
matinal, o novo acuda aos jornaes exigindo bole-
tn., e a essa hora receben-os elle-
At este momento, que o de fechar a corres-
pondencia para o alcance do paquete, nao temos
detalhes, e ainda menos as partes offlciaes, mas a
DOticia positiva, at pela circumstancia de vir
um vapor especialmente traz la.
Foi o vap( r Alliado, pertencente aos ornecedo-
res do exercito alnado, qne o Sr. Mariano Cabal,
um desses fornecedores, despachou do Passo da
patria com o encargo de a communicar aos jor-
naes, e outra para o Sr. Heitor Vrela, redactor da
Tribuna.
O Sr. Cabal escreve, como o declara, do mesmo
campo de batalha, e eis o que communlca :
i Campo da victoria entre o Esteiro-Velbaco e
Blanco, 24 de malo de 1866. Sr. D. Heitor Va-
relia.Querido amigo.Cumpro a minha proraes-
sa escrevendo lbe do campo de batalha, an-
nunciando-lbe orna esplendida victoria, e trans-
mittindo-lbe esta noticia com a celeridade da
rajo.
c O Alhado cao leva outro objecto que commu-
mca-la a esse grande poro.
< A baUlha foi hoje, renbida e sanguinolenta,
c Os Paraguayos bateram-se como ledes.
Cumo nao posso alongar-me em pormenores,
copio aqni a carta que dirijo i miaba seahora, e
na quat dou outros detalhes.
Seis mil Paraguayos morios, varias pecas
i cheles que os nomeados, pois assistl ao combate,
I e emp nhei-rae em estar em todos os eorpos do
exercito para dr nma noticia exacta.
t Felicito os amigos por um triumpbo to es-
plendido, e t recebe o affecto, etc. Mariano Ca-
bal.
Em urna carta escripia do porto de Goya re-
daccao da Tribuno l se anda o que segu :
c Os Paraguayos, em numero de 20,000 ho-
mens, ocenpavam fortissimas pasicoes, e bateram-
sa com um arrojo que frisa a' desesperacao.
c'A artilbaria adiada (brasileira) fex nm fogo
tremendo, laucando em seguida os batalhoes a'
bayoneta, o que nao obstou que os esquadroes de
cavallaria paraguaya viessem esbarrar-se em nos-
sos caofces.
i A' hora em que Cabal escreve ficavam 6,000
morios paraguayos no campo, mullidlo de pri-
sioneros, etc.
Recebendo a's 3 horas da manha esta carta, foi
o proprio Sr. Heitor Varella eommunica-la ao vice-
presidente da repblica e ao conselbeiro Octavia-
no ; e momentos depois dava a lypograpbia da
Tribuna o signal da victoria, laucando ao ar mi-
niares de loguetes.
Nao lia, pois, como duvidar da fansta noticia, e
ainda menos de que a parte principal da victdria
coube a's tropas brasileira.-. .
. O testemunbo que da' o Sr. Mariano Cabal In-
suspeito, por ser esse senbor pouco amigo do
Brasil, embora seja um dos fornecedores do nosso
exercii. Antes disso era mesmo declarado inimi
go nosso.
Seudo elle, portanto, quem certifica ter Udo o
exeretto brasileim e seu digno chefe a parte princi-
pal no combate, diz qne a victoria foi ainda nos
sa, e apenas com partilba para nossos vaientes al-
liados.
E foi espledido o triumpho, elle tambem o diz,
embora comprado a pre.o de moito sangue.
Hoje laivez, amanba em todo caso, chegar-nos-
bao as noticias detalbadas e as partes offlciaes, o
que ludo alcancara ainda o Arno em Montevideo.
Quando por qnalqner incidente nao aicancasse,
o que ja sabido aqu e venbo de transcrever
qnanto basta para que o paquete leve mais urna
gloriosa nova.
To gloriosa que importa quasi a terminaco
da guerra, pois evidente que Lpez, empenbando
essa batalha geral, e senda batido e desalojado das
suas fostissimas posicdes, ter ido encerrar-se em
sabio con tres-feri-
nao se julgam mor-
commandante da 3* divisao,
memos de bala, que todava
taes.
Morreu gloriosamente no combate o tenente-co-
ronel Jos da Rocha Galvo, commandante do 3a
de voluntarlos.
O tenente-coronel Dr. Pinbeiro Guimares lera
tres ferimentos, que nao se julgam mortaes. Este
joven hroe, depois de ferido, eonservou-se sempre
a' frente de seu batalbo.
Acba-se igualmente ferido e com bastante gra-
vidade o major Francisco dos Guimares Peixoto,
commandante do 1, e o major Innocencio Cavai-
canti de Albnquerqne, commandante do 11 de vo-
luntarios.
Temos mais como 60 offlciaes subalternos e ca-
detes feridos.
Finalmente na classe de tropa calcula-se em 300
o numero de mortos e como 800 feridos.
E' muitof angue vertido, sim, ma:- esplendente
a gloria do pavilbd imperial boje.
Tambem nossos adiados tiveram dolorosas per-
das contando tres chafes de corno, como SO offl-
ciaes e 500 homens de tropa ferido.
Em mortos parece que o numero nao alcanca a
200.
Varias pegas de artilbaria, bandeiras e nm
numeroso armamento Bcarana em poder dos allia-
dos.
o inimigo s conservou do seu exercit > os des-
trocos, isto mesmo porque o terreno nao permitiia
alcanca-lo em sna fgida.
Eis o qne foi a grande batalha de 24 de malo:
sangrenta, porm a mais gloriosa e decisiva para
as armas adiadas.
Depois dalla, parece iufallivel que os exercitos
alliados avancariam para desalojar os Paraguayos
das ultimas posicSes que oceupara at Hu-
mada.
Da esquadra ha noticias at o dia 25.
Nao se confirma o bombardeamento de Curupai-
ty, por terem os inimigos cortado o rio com urna
forte palissada, que o Tice-almirante propunba-se
i a romper.
Toda a esquadra, porm, achava-sa no Uruguay,
como 3 72 milbas abaixo do Curupaity, eso aguar-
dava a occasio em que o exercito podesse acom-
metter per trra aquella posicio para nella fazer
nm desembarque.
Ja estavam lanchas e grandes escalres armados
tmparcial, daquelles mesmos que ja' nos critica-
ram por nao nos conbecerem anda bem, e nos jal-
garem pelo prisma organisado com as desciip^oes
de nossos iniraigos.
Estes, porem, nao descansara em seus torpes e
clandestinos manejos, e ltimamente tem posto esta
?a-TlaJor i?,0_Bran,le exciu?a.e J0'10? b*9oa/ fazendo urna sortida de suas linhas fortificadas
posicdes, em cir-
a operar sobre as
nbes est emigrando para a Repblica Argentl
na, pela cordilbeira, com receio de medidas, mais
rigorosas.
Calbo esta va perfeitamente fortificado, e dispos-
to a resistir ao ataque da'esquidra inlmiga, que
cidade em alarma com falsas noticias de desastres ainda all nao havia apparecido, nem-se sabia onde
no tbeatro da guerra, e de reatcoes aqu e na Con- eslava.
(ederaco Argentina. Valparaso tambem se fortifica va com grande ap-
Estes rumores abalam a confianza publica, qne plauso da populaco.
com qualtjuer cousa estremece, mas os homens de Estalou urna revolucao no Panam,
criterio osdesprezam pois que conbecem a impor- Consta que ebegra ao chile e Per um emba-
tanda do# paraguayos ie c que ainda sonham com xador paraguayo escollado por 100 homens, e que
a restaurado deum poder que esta' a cabir para foi recebido com multas demoostracoes de sympa
sobre nossas
me dispunba
sempre, que nao poJe resistir aos bravos que
provocou.
o ministerio de eslrangeiros ficou servindo in-
terinamente o respectivo offlcial-raaior, o Sr. Flan-
gini. Consta que se descobrio urna tentativa de
assassioato contra o general Caraballo, e que foi
preso por sso um Paraguayo chamado Romero,
que outr'ora servio no exercito de Oribe.
tbia. Solano Lopes nao se descuida' de preparar o
terreno por onde ba de escapar nossa justa pu
nicSo, depois de fazer matar o ultimo paraguayo
em suas loucas tentativas. E nao ha urna bala
perdida que livre a humanidade deste raonstro I
30 de maio
Chegaram as noticias anciosamente esperadas de
Corrientes, e estas confirmara os rumores que cur-
Por causa destas machinacoes dos blancos se diz ram de um saoguinoleno combate no-da 24 do
que a guarda nacional val ser chamada as armas, crreme, no qual o inimigo foi completamente der-
Como medida de precaueao nao esta' por demais. rotado, deixanda o campo de batalha juncado de
A Amtrica publicou om Buenos-Ayres orna carta cadveres I
qne dizia ter sido dirigida pelo general Flores K mais nm esplendido triumpbo, em que as
sua esposa, sobre o combale do dia 2, na qual este armas brasilelras se cobriram de gloria. Nos
general aecnsava os Brasileiros de covardes, e fa- poneos momentos de que disponbo vou descrever
os aconlecimentos conforme a rpida resenba que
posso fazer de nma immensidade de cartas que te-
nbo vista.
No dia 20 avancen o exercito e tomn a posigo
que oceupava o inimigo, sem encostrar grande re-
! sistencta. Isto efiectuou-se na madrugada do dia
120, depois do toque ae alvorada. No campo fica-
12 feridos e alguns pri-
zia outras censuras idnticas aos alliados. O Sr.
Vctor Varella, encarregado de negocios da rep-
blica Oriental, desmentlo logo esta caria, e o filho
do general acaba tambem de declarar que ella
apocrypba. Posso afflrmar o mesmo, e aecrescen-
lar que o general esereveu exactamente o contra-
rio, exaltando muilo a coragera dos nossos.
E realmente nao se pode culpar nossos soldados ram seis ou oito morto
senao pelo denodo com qne avanc,aram, do que re- sioneiros do ioimigo.
sultou Qcarem alguns prisioneiros. E a pro va me- No mesmo dia subi a esquadra al avistar o
Ibor ora exame medico sobre as feridas, no qual Curupayti. All (undeou por algumas horas er-
se recoohecera' que nao ha um s soldado bra-' qnanto se flzeram os reconbecimentos das posicoes
sileiro une nao aprsente suas nobres marcas na j fortificadas do inimigo, de suas estacadas e ainda
frente. j problemticos torpedos.
Apezar destes desmentidos constantes estes ho- O Mag, em qne ia o almirante com osen estado-
mens nao arripiam carreira. Que recursos, porm, | maior, encalbou mui prximo trra, e logo ce-
ltios resta seno a falsidade ? E' preciso, portanlo, mecaram os Paraguayos, completamente oceultos
Humayt, onde a guerra questo de assedio, de ^S^^^^t"'^-9^4;
(orne, ou dispersar snas destrucadas forjas.
Resta-lbe essa dura alternativa, e qual o alvitre
adoptado amanba o saberemos.
Hoje sobejam-nos motivos para bradar :
Honra aes bravos soldados brasileiros I
Honra ao intrpido marecbal osorio I
Elles deram om novo dia de gloria naco bra-
sileira I
Elles esmagaram a tenaz resistencia do despota
paraguayo e suas fanatisadas legioes 1
Breve, mnito breve, a bandeira imperial tremu-
lara' alta e gloriosa sobre as muralbas de Hu-
mayta' I
29 de maio
Chega neste momento (meio dia) o vapor de
Corneles, e s disponbo de orna bora at o Ins-
tante de fecbar-se a mala para referir as impor-
tantes noticias que elle trouxe I >
Confirma-se em todas as circunstancias a gran-
de noticia do dia 24 de maio, e de cartas muito
aotorisadas, inclusa urna do Sr. marecbal Osorio,
e outra do Sr. visconde de Tamandar, que passo
a colher os principaes dados.
O general Mitre parece que resolver, de accordo
com os outros generaes em ebefe, dar no dia 25 a
desejada batalha. .
Mas com isso devia naturalmente contar o ini-
migo, e quiz antecipar-se para ter o prestigio da
aggresso e a escolba do terreno.
- No dia 24, pois, pelo meio dia e favorecido pelo
conbecimento dos bosques e lagas que circnlam o
campo dos exercitos alliados, adianton-se todo o
exercii paraguayo, em forc* de 20,000 homens
das tres armas, e atacon ao mesmo tempo pela
frente, direita e esquerda.
Porm, menos bem succedido que no dia 2 de
maio, desla vez acbou
para recebe-lo. Tendo
na de cavallaria correnlina
todas as mais forcas das tres nagoes receberam o
inimigo com intrepidez, e, operando com toda a
serenidade, coriaram-o e flanquearara-o em diver-
sos pontos.
Foi lodavia o exercito brasileiro que solfreu o
maior acommellimento de forcas inimigas.
Urna columna paraguaya como de 3,000 homens
penetrou por veredas s delles conhecidas e veio
surgir na retaguarda do exercito, e junto a' arti-
llara que a cobria. Mas pagou cara a sua ou-
sadia.
Urna divisao brasileira cortn essa columna, to-
mando-lbe todas as sabidas e a aniqnilou comple-
tamente, de modo que s dessa forca inimiga tica-
ram mais de 2,000 mortos.
A artilbaria dos tres exercitos (uimnava ao
mesmo tempo e em diversas direcces as columnas
paraguayas, de forma que nao sabiam ellas mais
onde firmar-se, nem a frente que tomar.
Sendo o ataque simultaneo aos tres exercitos, e
particularmente ao brasileiro na direita, e ao ar-
gentino na esquerda, igual denodo tiveram elles
occasio de mostrar.
Essa batalha, a mais sanguinolenta da America
do Sul, durou mais de 4 boras, fugindo afloal em
complota desordem os batalboos iniraigos, abando-
nando artilbaria, armamento, diversas bandeiras,
como 5,000 morios e mais de 900 feridos, que nao
tiobam forcas para marchar.
Observou-se que, anexar da temeridade que o
plano da batalha da parte dos Paraguayos revela-
va, elles nSo mostraram grande denodo em sus-
tentarle, mas desde a primeira resistencia trata-
rara de abrigar-se em suas posiodes, onde se em-
penbou mais renhido e duradouro o combate.
Nao ba palavras para ponderar a bravura que
nessa jornada mostraram as tropas brasilelras, des-
de o general em ebefe at o ultimo soldado.
Os batalhoes de voluntarios da patria mais novos
rivalisaram com os mais amigos veteranos. A ar-
tilbaria snstentou om fogo Infernal, e a cavallaria,
especialmente nm esquadro da brigada brasileira,
que primeiro carregou o Inimigo, (ex prodigios de
bravura.
Desta vez quasi nao ba a mencionar, pelo seu
brilbante comportamento, este ou aquella corno :
lodos poruram-se bisawamenie. O Sr. vica-almi-
Retiroa-se doente o capito de fragata Sobra
deixa-los explorar este.
O coronel Regules resignou o commando militar
do Salto, e foi uomeado para substilui-lo o coronel
Simo Martnez.
Geralmente as autoridades da campanba nao au-
xiliara aqu a administrado publica, e o governo
sempre encentra um estorvo. Consiituem-se
tomando o commando do encouracado Brasil o por rsaa coma e risco estado no estado e d'abi sur-
chefe Rodrigues. .....| gero conflictos interminaveis.
O governo deu ordena para se exhumaren) os
Tudo indicava na esquadra a proximidade de
operaces importantes, e agora qne os exercitos
alliados s teem dfante de si um exercito disimado,
a guerra toca seu almejado desfecho.
restos mortaes dos Italianos que suecumbiram em
Canelones por occasio de Quinteros, afina de Ibes
dar sepultura no cemiteno desta capital, depois de
Sem espaco para mais, encerr esta com Jim ||neg fMer honras fnebres, como j se praltcou
com os Franceses.
Tem reinado neste porto muilo mo tempo, de
tal'modo que o Oyapock, na noite de 14 para 15, le-
appello urgentissimo ao coraco das familias bra
sueltas.
Temos como tres mil feridos, compatriotas
nossos, e os fios e compressas vao faltar..... n0
preciso accrescentar urna palavra para ser com-
prebendido.
RELACAO DOS OFFICIAES QUE EMBARCARAM FERIDOS
PARA BORDO De TRANSPORTE MACHUELO.
Brigadeiro Antonio de Sampaio.
Tenente-coronel Francisco Pinbeiro Guimares,
coramandaDte do 4 batalbo de voluntarlos.
Rodrigo Luiz Baptista, fiscal do 22* de volunta-
rios.
Captes : Jos Joaquim Cesar de Mello, 12 de
lnba; Joo Pires Gomes Jnior, 13 de infanta-
ria; Francisco de Paula de Abren Seixas, 42" de
voluntarios; Guilherme de Barros Vasconcellos, 6o
de voluntarlos; Gil da Cunba Lustosa, 24 de vo-
luntarios.
Tenentes: Nicolao Mathlas Miller, t de volun-
tarios ; Jos Borges de Abren, 2- regiment de
cavallaria; Domingos Jos Martins de Lmar, 6a de
voluntarios.
Alteres: Domingos Luiz da Costa, 1 de volnnta-
tarios; Thomaz Caotuaria Moura, Io dito; Joo
Bautista Pereira Leal, 31* de voluntarios; Thomaz
Jos Labre, 13 de linha; Benjamn Gon$alves Car-
10X0,6" de voluntarios; Romualdo Antonio Mattos
no mato, a fazer fogo de (usuaria sebre o navio.
Felizmeote, apezar de baver muita gente exposta,
inclnsive o almirante, qne eslava no passadico,
nao houve nenhama desgraca a lamentar.
Quando os Paraguayos avistaran) a esquadra
metieran) a pique no canal, na nnica abertura que
bavia na estacada, um grande biate, naturalmente
carregado de pedras, e que ouiros soppdem ser
um torpedo.
A estacada tica logo abaixo da batera, e corre
de urna margem a entra. E' composia de grossos
madeiros.
Nesta posicao ficou a esqnadra, espera que o
exercito avangasse sobre o Cnrnpayli, qne deve ser
atacado simultneamente.
Assim estavam as consas, qoando no dia 24 o
exercito paraguayo em numero superior a 20,000
ve de deixar a bombardeira Forte de Coimbra, que non,ens atacou o nosso coro um impeto extranr-
trazia a reboque, porque s doas boras da noite
arrebentaram-se os cabos. Felizmente ella entrn
no dia 19, rebocada pelo mesmo vapor que a (oi
encontrar fundeada na onta Negra, sem avarias
sensiveis.
Essa (ormidavel machina de guerra j segnia pa-
ra Buenos-Ayres rebocada pelo transporte WA-
teinck, que foi receber a carga do transporte S.
Francisco naquelle porlo, e seguir inmediatamen-
te d. pois para reuni-la esqnadra.
dinario. Travon-se o combate com um encarni
(amento indescriplivel. O inimigo baten-se com
selvagem valor, mas os nossos o recbacbaram co
mo esforzados ltoes. Sobretodo o exercito impe-
perial, que teve a principal parte na peleja, por-
lou-se com um herosmo toda a prova.
. Lpez tinba flanqueado o nosso exercii com
poderosos regimenios de cavallaria, que, oceultos
pelos bosques, chegaram at mesmo praia de
Itapir. Esta manobra audaz, que elle contava
Consta que a outra bombardeira Pedro Affonso \ ,jar.|De' 0 trinmpbo, (o Dullificta pelo movimento
subi rebocada pelo encouracado Lima Barros, que
tirn es mastros em Buenos-Ayres, e ficou com
pouco mais de 11 ps inglezes.
No ultimo paquete de Corrientes ebegaram o Sr.
baro do Amazonas e capito de mar e guerra Su-
bra, ambos doenles de intermitientes, e o teneute-
coronel Carvalbo, do corpo de engenheiros, com li-
Juinio Gomes de Souza, 13* de infantaria ; Fernan-
o Jos de Arajo, 42 de voluntarios; Manoel Cor-
cinio de Oliveira, 13" de infamarla; Ernesto Jos
de S, 6 de voluntarios; Antonio Carlos da Silva,
1 de infamara; Patricio Emilio de Sepulveda
Everarte, 26 de voluntarlos; Geraldo Ignacio
Uiniz, 31 de voluntarios; Jesuino Sydonio de Sou-
za Navarro, 21 de voluntarios; Antonio Nogneira
Paranagu, 24 de voluntarios.
Cadetes: Antonio Ferreira Rabello Netto, 6 de
voluntarios; Luiz Kodrigues Monteiro, 26 dito;
Lourenco de Araujo Gs, 9* dito; Angosto Ribei-
ro de Miranda, 7 dito; Joao Rodrigues de Souza,
11 dito; Jos Amancio de Lima, 26 dito; Jos de
Alentar Araripe, 6 dito; Eiiseu Dantas Bacellar,
24* dito; Manoel Amaro da Silva, 24 dito; Jos
Lourenco da Silva Melanis, 1 de infantaria; The*
phelo Alves de Menezes, 3 regiment de cavalla-
ria; e o particular Francisco Pinto deArruda
Cruz, 7 de voluntarlos.
Montevideo 28 de maio de 1866.
O assumpto qne mais tem prendido a atleneSo
publica nesta quinzena, na (alta de noticias positi-
vas do theatro da guerra, a demisslo pedida pelo
ministro de relaces exteriores, o 8r. Dr. Carlos
Caslro, em eonsequencia da indiscreta publicaco
do tratado da trplice alllanca. O Sr. governador
delegado emenden que nao poda recsala, visto.
que aquelle alto fonecionario, embora levado por
cenca.
Por este mesmo paquete teve-se noticia da mor-
i te do coronel Simplicio, ajudante do general Osorio,
na occasio em que fazia o reconhecimento na
vanguarda.
O exercito alliado oceupava ainda as mesmas po-
sicdes, porque eslava passando cavalbada e gado,
para se poder mover sobre o inimigo. Este movi-
mento nao poda ser demorado, porque o campo era
demasiado eslreilo para tanta gente, e nao offerecia
recurso algom para o sustento dos animaos. -
Alm disso se tinbam desenvolvido febres inter-
mitientes, bexigas e outras enfermdades cansadas
pela proximidade dos pantanos, e pntre(accao de
tantos cadveres de gente e de animaos- que esta-
vam insepultos pelos bosques.
Na esquadra tambem se baviam manifestado as
mesmas febres, e por isso qnasi toda ella abando-
nara o (ondeadonro de itapir pelo das Tres Becas.
Acaba de ebegar o Vtpptr, que trouxe 7.0 feridos
nossos, e desembarcou-os para o hospital de mari-
nba, em Buenos-Ayres. Nelle veio o brigadeiro An-
drade Neves, o tenente-coronel Pacca, que o h-
roe do combate da ilba, e varios outros offlciaes
que se retiram doenles.
operado pelos nossos, que se aperceberam a tempo
da cilada, e cortaran) completamente aquelles re-
gimentos.
A batalha comecou s 11 boras da manha e
lerroinou s 4 horas e 30' da Urde. Todo o
&ti8BB3tt$eEBSBSgsaSi
po de reserva. Todos rivalisaram de ardor e emn-1,
raco,esmen.euns400 Correntines, de cavada- *k*l\*J
mal, disparando, e dizendo
ra, se portaran) mal, disparando, e dizendo que
ludo eslava perdido. Seria covardia s ? Seria
traicao para atterrar o resto do exercito ? Tudo
pode ser, e nelles nao tenbo a menor confianza.
Tem-se certeza de que (oi lodo o exercito ini-
migo que atacou o exercito alliado, viudo a sua
avallara acora metter o flanco direilo e pela (rente
infantaria, cavallaria e artilbaria,. arremetiendo
pela esquerda a maior forca centra o exercito bra-
sileiro. Mas elle pagou capo a sua ousadia por-
que deixou no campo 5,000 morios, varias ban-
deiras, 6 boceas de (ogo, muitos prisioneiros e nu-
mero de feridos proporcional, podendo segura-
mente calcnlar-se uns 8,000 homens (ora de com-
bate.
Do nosso lado tivemos tambem perdas, nao
tanto numerosas mas nem por Isso menos sensi-
veis.
O general Osorio, que o bravo do bravos, e
corra all que a esquadra bavia bombardeado a
batera de Curupaity, e tomado-a com o apoio de
orna ferte divisao do exercito que atacou os entrin-
cheiramentes do lado de trra, e os tomou bayo-
neta.
Dizia se mais que depois deste (eiio os encouraca-
dos sublro, e comecarao o bombardeamento de Hu-
mayt.
Estamos por tanto aaciosos pela chegada do pa-
quete do dia 29, qne nos ha de traxer a confirma-
gao e detalhes de mais este feilo de armas glorioso.
Todos os offlciaes passageiros do Vipper fallam
com Indlgnaco contra o procedlmento do capito
O general Sampaio, que nao Ihe inferior em bra-
i) dos melbores ohefes da infama-
rla do exercito alliado, teve tres feridas que nao
J

\
trouxe o ataque
cnmslancia que
suas.
c O resultado foi ser-elle completamente reebas-
sado em toda a linba, deixando no campe mais de
4,000 cadveres, levando maiur numero de feridos
segundo a declaragao dos passados e prisioneiros,
ficaodo em nosso poder eanbdes, armamento e
prisioneiros, cujo numero nao me pessivel pre-
cisar nesle momento; porque So recebi as par-
tes detalbadas dos generaes em ebefe e chefes de
divisao, nao me permiltindo o pouco tempo qne
di: ponbo para despachar o correo dar a V. Exc.
mais detalhes.
i As perdas por nessa parte foram comparati-
vamente pequeas.
< O inimigo velven a encerrar ee em suas-li-
nhas f o li tica das, tendo se f airado de nao ser des-
truido, antes de ebegar a ellas, pelas diflkuldades
do termo qne bos rodela que nao permttte urna
persiguicao activa e continuada, importunamen-
te terei a honra de remetier a V. Exc. o boletim
do exercito alliado, que farei publicar assim que
receber as partes a qne me refer sobre esta im-
portante victoria.
t Entreunto felicito a V. Exc. o as nagoes adia-
das por este glorioso triumpbo que assegura ala-
da mais o xito da campanba, euraprindo ao mes-
mo tempo am dever de rigorosa jnstica, ao dar
testerounho da hbil e valorosa. cooarraco de V.
Exc. o general Florea, e do Ssm. Sr. marecbal
Osorio, que se distinguirn) em primeira liana, as-
sim eomo todos os chefes, offlciaes e tropa dos tres
exercitos alliados que sem distineco, compriram
todos dignamente cem o seu dever.
5
Hoje teve lugar no paco do senado, pelas 11 bo-
ras da manba, a leunio da assembla geral le-
gislativa para deliberar sobre a proposito que
maiida prorogar o orcamento de 1865 a 1866, e
bem assim sobre a emenda oSerecida pelo Sr. vis-
conde de llaboraby, que cabio na cmara dos Srs.
deputa dos, limitando o prazo do prorogamento al
o fim de dezembro prximo fnturo, considerndo-
se como parte do dito ornamento as despezas que
tiverem sido creadas depois de sna data pelo poder
legislativo, e ontro sim autorisando a pgalas nao
obstante a clausula 14,0a le o. 1177 de 9 de se-
tembro de 1862.
Occnparam a tribuna a favor da emenda os Srs.
Paranbos, Jos Bonifacio, Pimenia Bueno e Juu-
queira, e contra os Srs. Nabuco, Silveira da Molla
e Zacaras.
0 Sr. Nabuco declaron qne nao aceiuva a pri-
meira parte da emenda, e admitlia a segunda.
Findo o debate, e bavendo o Sr. Jos Bonifacio
renunciado a palavra qne bavia pedido pela ordem
para responder ao Sr. Sacaras, procedeu-se a vo-
tacao, que foi nominal a requer memo do Sc^ Bar-
bosa de Oliveira, e por panes a requerimenlo do
Sr. Barros Barreto.
Votaram a favor da Ia parle da emenda, 44 de-
putados e 20 senadores a saber:
Depntados os Srs. Moreira, Brnsque, Raiol, Fran-
co de Almeida, Ferreira Valle, Carvalbo Reis, Gen-
til-Homem de Almeida Braga, Tavares Belfort, Pin-
to de Meudunca, Liberato, Rodrigues Jnior, Fi-
gueiredo, Ribeiro, Ratisbona, Moreira Brando,
Costa Machado, Urbano, Souza Bandeira, Godoy,
Serapbico, Jos Angelo; Barbosa de Almeida, Pimo
Lima, Pedro rando, Junqneira, Eduardo de An-
draJe, Valdeiaro, Pedro Luiz, Maoedo, Fernandes
Moreira, Jacobina, Moraes Costa, Mello Franco,
Maitinho Campos, C. Oitoni, Lima Duarte, Brutas,
Ferreira da Veiga, Ribeiro da Luz, Limpo de A-,
breo, Jos Bonifacio, baro de S. Joo do Ro Cla-
ro, Nebiase Silva Pereira.
Senadores os Srs. Cunna Vasconcellos, Chicbor-
ro, baro de Maroim, baro de Mnritiba, baro de



marquez de Casias,
Theopbilo Oitoni. Pompeo e visconde de lubora-
hy.64 votos.
Votaram contra 60 depulados e 19 senadoresa
saber:
DepuUdos os Srs. Leiio daCnnba, \ i ralo, Fia-
Ibo, Burlamaque, Jaguaribe, Duarte Brand.p, H.
de Aiu.eida, Correia das Neves, Aragi.o e Mello,
Joo Leite, Souza Carvalbo, Silvino Cavalcanti, A-
raujo Barros, Barros Barreto, Luiz Felippe, Xavier
de Brito, Brando, Tavares Bastos, E&perldiao,
Arisides Lobo, Lopes Netto, Bitienconfi Sampaio,
Barros Pimenlel, Barbosa de Oliveira, Sonto, Au-
gusto Chaves, Pedro Muniz, C. Madurara, J. Madu-
reira, Saraiva, Ferreira de Moura, Dantas, Spioola,
Frederico de Almeida, Horia de Araujo, Vascon-
cellos, saldanba Marinho, Jos Caetano, Paula San-
tos, Silveira Lobo, fonceca Vianna, Carvalho de
Mendonca, Domiciano, Cbagas Lobato, Jos Jorge,
Ce zar, Rabello, Affonso Celso, Paula Souza, Marti m
Francisco, Flenry, Theodoro, de Lamare, Abelardo
qneseexpoe mais. do qne,deve em sna elevada 0>'Sliveir' de Souza,' Alv.m, Nery, FI5res,
posicao, foi_ contuso _de bal^eperdeu um cavado, i pjBbeir0'Mactla(l0 AIIDS0 ^
Senadores os Srs. Ferraz, Sa e Albuquerque,
A'parUda deste vapor no da 21 de Corrientes Jvura^^^
sao graves
boas iDtences, como explica, nem por so deixou i jMte vapor _ae a n0 pass0 ,ja patria portou-se de
de commetter urna grave falta poltica, que pode- j 0ma'manelr ceusaravel, creando asmaiores dlffl-
ra ter serias consequenclas, e produzr grandes | edades para 0 servico. Felizmente o tempo de seu
males. contrato esl a expirar, e constt que mndalo
Um taomem de estado nao pode ser levlano, sob, reconjer c^e.
pena de decahir na opniao publica. Nao ba qne | Q mi^sVt0 hespanbol, o Sr. Creves, prohibi que
fiar em ninguem quando se trat de segredo que os gahlos ^ s m. Catholica, aqu residentes, en-
concerne a ontros loteressados em sua conserva- cari-ag^em sejs negocios a alguns advogados do
pait, que consUrera desairelos a cansa da Hespa-
nba contra o Chile. B* al onde se pode levar a
intolerancia I ,
Na vizinha repblica o aeto mais importante a
reapparico da renuncia "oo viee-presidente, o Sr.
O dislincto commandante do 4* batalbo de vo-
luntnos, o Dr. Pinheiro Guimares, Umbem rece-
ben o bapnsmo de sangue, mas sna ferida nao
de gravidade. Quando elle cabio, o valente gene-
ral Sampaio subsiituio-o a* frente de seu corpo, qne
fez prodigios de valor.
Oulro tanto (ez o 3 corpo de voluntarios expe-
dido pela provincia da Babia, que perdea o seu
cuele, o denodado tenente-coronel Galvo.
Estao feridos umbem o commaadaale do 11, o
major Peixoto, commandante do 1 de (uzileiro, o
des dos Santos, Herculauo Penna, Paranagu, A-
raojo Ribeiro, Silveira da MolU, Jobim, Das da
Carvalbo, Ma(ra, Nabuco, marquez. de Olinda, vis-
conde da Boa-Vista, visconde de Jeqoitinnonha, vis-
conde de Sapucaby e acanas.79 votos.
Votaram a favor da 3* parte da emenda os Srs.
depulados Moreira, Brusque, Raiol, Franco de Al-
meida, Valle, Carvalbo Res, Almeida Braga, Tava-
res Belfort, Viriato, r-'ialbo, Burlamaque, Pinto de
Mendonca, Jaguaribe, Liberato, Rodrigues Jnior,
Figueiredo, Ribeiro, Duarte Brando, Ratisbona,
Moreira Brando, Heoriques de Almeida, Costa Ma-

.
capito Seixas, do it batalhao de voluntarios da cbado, Correa, das Neves, Arago e Mello, Joao
Baha, e mais uus quarentas offlciaes e cadetes, cu
ja relacuo nominal me esforcaret em dar-lbe ao
terminar, se a obtver.
Avalia-se em 300 morios de nossa parle, e cerca
de 1,000 (eridos. O exercito argentino teve ferido
o general Paunero, e mortos o coronel Rlvero, che-
fe da 3' divisao do 1 corpo, major Bassabilbaso,
Leite, Urbano, Souza Carvalho,. Araujo Barros, Sil-
vino Cavakcante, Sonta Bandeira, Barros Barreto,
Luiz PliDne.i'ereirade Brito,Sodoy, Brando,Se-
raphlco, tavares Bastos, Esperidio, Aristdes Lo-
bo, Jos Angelo, Lopes Netto, Bitteucourt Snpaio,
Barros Pimentel, Barbosa de Almeida, Barbosa de
Oliveira, Sonto, Pinto Lima, Augusto Chaves, Pedro

SSfVSSSSCZSVX *.-^g*.----*
a
bandeiras sao os tropbos desta gloriosa jornada I rante escreve isto: E^s rivalisaram em valor
para as armas adiadas.
< Felicita-o o sen amigo-Mariano Cabal.
A carta para sua esposa diz assim :
Cumpro o qne bavia promettldo: boje trium-
pbamos sobre o despota do Paraguay : 6,000 Pa-
raguayos morto?, mais ou menos, porgo de pri-
sioneiros, qnatro canbftes e varias bandeiras estao
em nosso poder.
i A baulha durou das 11 } at s 5 da tarde.
O exercito brasileiro com sen digno ebee tiveram
a principal parte no combate, as desgracas da nos-
sa parte nao deixam de ser da signara considera-
So. Temos (eridos o general Sampaio e eooman-
ante Peixoto, brasileiros, signas que nao re-
cord neste momento:
c Do exercito argentino o coronel Rivero, oanv
mandante Pozlo a commandante Bteatttbasu Os
Paraguayos pelejaram com mnita bravura suas
cavallarias deram eargas nosaas Inransartaa, e
vieram al nossos cannoes estes homens, lio v
lentes, sacrificam-se pornaa'eamr* lio ruim.
a lio exareito arganuuo aio soffreram
e denodo em lodos os iamtss, e causa embustas
mo o praxer com qne nossa* chefes e offlciaes fe-
ridos relatam as (acauaas da seos saldados.
Honra e gloria ao soldado brasileiro I
Ao voluntario da patria e ao intrpido vetera-
no de Imperio, honra e gloria I
Todava ha orna mencao de juslica a (atar: o 4*
batalbo de volunurca, coa o seu commandante,
0 Dr. PMneiro Guimares, a' frente, jusUueou as
mais brlbantes esperaocas que n'elle se funda-
ran). Quasi s, teve 4a fater (reate a dons ou tres
batalbdes iumtgos, mmmiientwi sna posicao, e,
se sanio desimano d'eesa prava suprema, sabio
timboai coberto da maior gloria e com a Urna mi-
lur qoe nao pode aaU ser excedida.
1 O glorioso combate, o esplendida triurapno, aio
se alanos noraas, sea perdas ado sensiveis
para as exercitca HBidnt, e eamawres propor-
0 marecbal Osorio, alm de ter seu cavallo mor-
sanio eoBMtap 4a nma bala.,
p inuaptlo brtfaaeiro Auau> 4e -Sampaio,
ter nenbum dos ministros previo conheomentodes
al resoluc/io do viee-presMeWe, que trabaibava
com elles mono impasslvelmenie, emquanto appa-
recia no senado aquelle documento I
Ninguem pode deseeerir a eausa de semewante
proceder, que por demais slagolar, e parecer
(o.
Eu estimei que se divulgasse o tratado, por que
nelle nao ba urna so clausula que nao seja confes-
savel e digna para os alliados, mas sent que o
fosse por este modo.
O joven ministro oriental, ao resignar o poder,
dirigi a lord John Rnssel urna carta em qne cen-
sura o sen proced menso, por ter revelado um do-
comento qne lbe tora communcado eoandencial-
mente, e Mr. Letzon, o ministro ingles aqni resi-
dente, que todos se persuadan) que se oceupava
smente em astronoma, ficou em urna posieio falsa
neste negocio, mostrando ao mesmo lempo que *a inulto estranho em nosso pas, ende sa aeau mais
um fino farejador e hbil cacador. a coostituico. Seja eomo fr, este acto importa em
O Standart de Buenos-Ayres, fallando sobre o crear nm rande embanco na actualidad, que a
traudo em um bem escripto artigo de (ando, tai ufcedor do congresso e o patriotismo do 8r. Pat
consideracSes mui justas, a nosso respeito. Dis | reB)0TBrto. Porra anda nao houve deeisio, raes
elle, por exemplo, que se (osse convocado nm jury ; ^^^ qae 0 senado refeHe esta renuncia ; por-
de 11 bomens de bem para decidir qual dos allla-, _M lceitt.|, rocahiria o geverto as roaos do
dos tem (eito mais na presente guerra, que nao Teuo A|sina fl aesde logo se pode prever os n-
pode haver duvida de que a senlenca serta a favor conveniente da sitoacio, loando os destinos da na-
dos Brasileiros, que tem provado seu valor aos 5o em QQ^ento, uo solemnas, entreguen ao pai,
mais rudes encontros ama Inimigo. Accrescenu 15^ 0 pre5i(jee lo sana*, e os da provincia ao
ainda que ao celebrar-se a aUianca se ditia que um g^ rJ^iettgOTetnador de BueOo*AtrM.
Paraguayo era aars^asssfflalleiro ,aae que um H>Kxrna?M U ra>U anas eom pouco explen-
Oriental ou um Argentino era para duza e meia ^ ,_ mWB0 tortB, _aHo eopeorrr-
te lem provado o contrario, e quee imperio Miren
estes paires.
Ja' se v qae no meio das lujaras que nos eos-
pem diariamente os pfrlodieo mais rastelw ues-
tes paizs, nppafec^ empre um protesto sensato
Pagla, ebefe do 3 baulbo de llnba. Se calcula
de 350 a 400 homens fora de combate no exercito.
argentino.
Oe batalhoes orientaes foram ontra vez disia-
chefe do 1 batalbo de linha, e o tenente-coronel Moniz, C. Madurelra, K Madoreira, Pedro Brando, '
ferreira de Moura, Sajaiva, anus, Spinola, Fre- .
terico de Almeida, Junqneira, Horta de Aranjo,
Pereira-de Vasconcellos, Saldanba Marinho, Jos
Caeuno, Andrade Pipo, Valdeiaro, Pedro Luiz,
Macedo, Fernandas Moreira, Jacobina, Moraes Cos-
ta, Paulo Santos, Silveira Lobo, Mello Franco, Fon-
seca Vianna, Carvalbo de Mendonca, MarUnho
Campos. C Ottoni, Lima Duarte, Domiciano, Cba-
gas Lobato, Jos Jorge, Brotas, Ferreira da Vei-
ga, Ribeiro da Luis, Cesar, Rabello, Affonso
Celso, Lampo de Abren, Pama Sonta, Fieury, Jos
Bonifacio, Martim Francisco, baro de S. Joo do
Rio Claro, Nebias, Theodoro, Silva Pereira, de La-
mare, Abelardo de filo, SUveira.de Sonta, Alvim,
buna, que acabo de alcancar.
O exercito de Lopes, desmoralisado e disperso,
segua para Humaila', perseguido de parto por nos-
sos soldados que devem ter-Ibes .dado outro mu
golpe no da 36, que quando o general Mitre,
pensava auca-Ios, para soiemjwsar n grande dia
de sua patria, preveaindo tapes os seus iateulos
M vespera.
Consta que na noite de 23 os paraguayos se ti-
nham preparado em m baile geral para esta car-
nificina, e que n "
genero de licores

Nery, Flore* Pinbeiro Maet>a*> eAfeneo Alves,
se tinhara embriagado com todo o total 103; e os SrV senadores Silva Ferr. Sa e
Albajuerqne, Cnnba Vaseoncellos, Danus, Cbi-
Do Hda iiawajsn sioumbea importantes.
O govena p#aatjerrjt(aeaoa o sesaestro on einbar-
godu proprledades hetpautmlM-, o de Bol vaoro-
cedn da rpesma surte, e contt-se qaeo30Cbil
adopmri) p mesna aedids.
O cerrtaBiiooa que dispararam assim com os pa- chorro, bario de Maroim, bario de Mnritiba, ba-.
r^a?oVd"KX jrfpaA**. *g.r.m at rao de Pirapama, bario de ^ Loowa* Sooa
luniri e causaram grande alarme. I Franco, Carnetro de Campos, Rodrigues Silva, Fur-
lTmiha' opilan 8qae estes sugeltos lavam de lado, Aknelda MkH-nlrtMJ
combinaco com o Inimigo. Frreo Penna, Paranagu, Das Vieka, Pimeota
Como sTv, a lata continua lena, e se Hlode Bueno, Aranjo R.bare, fanal^^J^"*0''
quem se persuade que Lope ceder' ero qoanto1 JobirasDue de Gtfwir^, ll>t>^ Natuco, D.^ Ma-
no vir exiincto o ultimo paraguayo, que tiver que
atirar ao circulo da laulaiores.
Aparte offichlque oieneral Mitre dirigi ao
govemo argenUao a segante:
. Tenia ebonre. #P*0* ,v-^^
no dia de hoje as arma alliadas obtlver^ nma
compleu vkmra gfjn*-arcUj. alaipo, -
noel, Teixetra de San*, Marfuet de Csxlas, T. Ot-
toni, marquez eje OijBd, Pompen, visconde da Boa
Visa, a**** de rUboraby, tiattate. **
ntinVri i'lMiWiU da Sspucahye Zacaras, total 37;
Wblro, eoSr. senador Nones flraearvee, v>j
tai3.


1,





-



I
fe

- .1 .!-
.-.
pj3l'|]
. -i -
. ,
-
*.
u i
Dtart de Peraaab
O Sr. presidente declaro*, perianto, approvaa' ornado ao coramaode superior do mesmo munici-
a 2" parle da emenda, por 140-votos contra 3. po, nafa um batataiq de jnfantarja. de oito cora-
Antes da vetaalo r*iraram-se, por ineemmoda- pnabias, dm a dfeffacW d%WaVs6t*W aIW,
o qnai ter a suawtfa o logar eMftefc ar-
caad pelo presidente da provincia; na forma da le
dos, osSrs. senadores marquez de Itanbaem e
Son Mello.
Prados para
ionar durante
A cmara dos depatades appro
daccao do projecto que autorisa
der ao desembargador da relaja
Firminj Pereira Jorge nm anno
respectivos vencimentes, para
onde lbe convier.
Elegea em seguida o Sr. bari
presidente da mesa qae tem de
o crreme mea.
Reconheceo depois o Sr. Jos Jafafffl- Ferreira
Vae depaudo pelo i distrieto eieltoral da provin-
cia do Maranho.
O Sr. Jos Caetano offereceu a seguinte mocto :
Mais orna oaerawarvel vietoria alcauoana par
nossas briosas phalanges sobre as hostes do dicta-
dor do Paraguay acaba de enchernos do nobre or-
gulho que a santidsde da cansa qne guiou-uos
guerra pode inspirar-nos.
A batalba de Estero-Bellaco, pelejada no dia
24 do mez passado, [ mais ama pagina indelevel
nos fastos militares de noasa patria.
c Viogando o ultraje a qne se arrogou o despo-
ta, qne to trestoacadamente offendeu-nos, e co-
brindo d lonros iinmarcessivets os bravos do exer-
cito impenal, levar a posterfflade, ennobrecida"
por feilos to rimantes, a seguranca de que a ge-
racao que passa, cimontendo a paz e amando seos
encantos, jamis descdidoo-se de sustentado pen-
di auri verde no nonio mais eminente da dignida-
m
a coi
Joaqem. ismnni.
com o* e snord
saftt
redntlo se a eseuadrao com duas companbias, e a
_ se ao eonHMndo sperior do matan
mnoJepio, ama secoao da baumio,. M daas noni-
paaatas, com a designacio le 8 do sirvtoada re-
serva, a al ter a su* parada ao lagar que loa
fr marcado pela presdante da proviooia, na for-
ma da lela t relniio-se a Mis onpanntB o bata-
Ihad de infamara a. 44 da gnarda nacional, orga-
nisado com oftoeompanhla no ratmlcipio de "*yur-
uoca, da provincia
ment, pelas importantes noticias
mo mente pelo La Poriena
A do grande triumpbo se coadro
aaae.
i Sem mais conmenurio, damos a i
so amigo Hctor, o qual se exprime estes
Butntu-Ayns,
ara
felra 14 4Cf akn> de 1866.
Mi M
nz
irte,
Hr
flranam pintamente oa; e
bn partas seaaive I s e
oanas soldadas.
verana ouara vei a
no ardor oo com-
Teve boje logar no Hiesearo nacional a reuniao,
de qae hontem demos noticias, de algons negocian-1
tes a que o Sr. ministro da tazenda desojando on-
vir acerca do estado actual da nossa pr?a, convi-
do u para esse tiro.
Alm do Sr. ministra e do Sr. viseonde de Jequi-
tinbenba, presidente do banco do Brasil, estlverara
presantes os Srs. Candido Torres, conselbeiro Fa-
ria, Pigoeirdo Jnior, GaHop, Haddock Lobo, Joo
Jos dos Reis, Joaquim M- Baplist* de Leo, Lima
e Silva Sobrinho, Mayrioek, MllitSo M. de Souza,
MonteQori, e Paulo Santos.
_ 8 -
Foram hontem adoptadas pelo senado,
cetra diseussiro c sem deuate, as proposites ijue
Candida Ai-
de nacional, legando assim aos vmdouree ama pa- s Vatonoa e ontras, a viura e fllhos de primeiro
tria orgulbosa de sna oivilisaoe e altiva de sua ifi-, eiente armada Henrraue Francisco Martin?, i
dependaesoberana. *&*** F^isco Xavier Augusto JfttaMH re-
A cantara dos Srs. deputades, interprete Utivaa aposentadora de Loiz Jos a Corta ? *
dos sentimentes da naci, responde ates at vi fnorisando a manicata doBertoo^ntes Joao Bap-
vas e entbosiartleas Kfcataeoas aos byranos qne i'? P'nheir Corte Real, Norberte de Alvarenga
anda estrogem as margess Mrtiospitas do Para-1 'J*. J080,Bapcista da. t:oncei5ao, Tbeodoro Rodri-
cuav e Paran, consagra no livro delsaas aotasi0-.da Slrveir, Jos da Costa Valhm Janlor e iea-
ma's um testemuaho e recenlieofcnento e admira- oirn Fernanda- *
cao ao paiz pelos pro1|ioe valor praticados por
nossos bravos na gloriosa tiatalha de Estero-Bellaco.
Cmara dos desatados, 4 de junbo de 1860.

Coneedeu-se a demisso que pediram:
Ao bacbarel Francisco Pedro de Miranda e Cas
tro, do lagar de juiz municipal e de orbaos dos
termos raunles do Triompho e Taquary, na pro-
vincia de S. Pedro do Rio Grande do Sul.
Ao baeaarel Oiyssea de Barros Meadonca, do lu-
ear de juiz municipal e de orphos do termo de
Mara Pereira, na provincia de Cear.
Foram removidos a sen pedido :
O iuiz mnnicipal e de orphioa Joao de Anlar tf'ro,, Taeophilo Domingos Alves Ribeflro, Mi
Telles de Meaeiea, do termu da Esfaocia para o da | Ribeiro Lisboa, Franoisoo Gomes de Andrade
Sergipe
de Barros.
Continuou a discassiodo veto de gracjas, e ora-
ran) os Srs Pimeata Bueno, Nabace e katlo de S.
Loureoeo.
mu mu '
A cmara dos deputados appravou hontem, sem
DU'ina Pastora, ambos na provincia de
C juie mnalcipal e de orpbaas Joao Bapttsta da
Costa Car ralbo, do termo da Divina Pastora, para o
da Estancia, amaos na provincia de Sergipe.
O joiz nwinlcipal e de orphos Gntaerme Cor-
deiro Coelbo Cintra, do termo de 8. Romaov na
provincia de Minas-araes, para e da Parahybuoa,
na de S. Panto.
Foram nomeados:
O juiz de direito Daniel Accioli de Azevedo, para
o lagar de cbefe de noticia da provine de Sao
Paulo.
O bacharel Joao da Matta Correa Lima para o
lagar de juiz de direito da comarca de Campia
Grande, de primeira entrela, na provincia da Pa-
raliyba.
Ojaiz municipal Angosto Elisio de Castro Fon-
seca, parro logar de juiz de direito da comarca do
Alto Amazonas, de primeira entrancia, na provin-
cia do Amazonas.
O promotor pafeiieo Antonio Barbosa de Alvarea-
g, para o lugar de juix municipal ede orphos do
termo de It, na provincia de S. Paalo.
O promotor publico Braziliaho Marques Vieira,
para o lugar de juiz municipal e de otoaos dos
termos reunidos de S. Bernardo e Totoya, na pro-
vincia do Maranho.
Foi recondazldo o bacharel 1 Inocencio Marques
de Aranjo Ges no lugar de jniz municipal e de or-
phos dos termos reunidos de Aerantes e Mita de
5. Joao, na provincia da Babia.
Foi reformado :
Mignel Henriques de Paiva, major aggregado ao
commaodo superior da guarda nacional do muni-
cipio da capital da provincia do Piaohy, no posto
de tcuente-coronel.
Foram declarados vagos os offlcios de tabelliio e
escrivao do civel villa de PortoBello, hoje termo
da villa de S. Sebasliao da Foz do Tejocos, na pro-
vincia de Santa Catbarina, sendo obrigado o ser-
ventuario vitalicio que fr nomeado a prestar a An-
tonio Ramos Marlins, que os exrcla, a terca parte
do rendimento dos mesmos offlcios, segado a res-
pectiva totacio.
Por cartas imperiaes do 1 do correte, foram
naturalizados cidados brasilelros os subditos portn-
puezes: Antonio Manoel Ai ves de Araoriro, Joao
Ferreira Campos, Joaquim Das Medeiros Campos,
Jos Jacinlho da Rocha Lima, Manoel Alexaodre da
Fooseca, Roberto Pinto de Magalhes e Joao Mi-
guel Speoser, subdito inglez.
Por decretos da mesma data foram apresenlados:
Os padres Francisco Pedro da Cunha, na igreja
parochial de S. Joao da Terra Firme ;
Guilherme Teixeira de Castro, na de S. ebastio
da Itabapoana;
Jos Guedes Machado, na do Senbor Bom Jess
de Itabapoana, todos na diocese do Rio de Janeiro.
Tambera por decreto da mesma data, foi declara-
do que a pensio do 8009, concedida a Bernardino
Palavicino, pratico do vapor Amazonas, deve ser
entendida ter sido concedida a Beroardino Gustavl-
no, como por engao se escrevea.
Em sessao da directora do banco do Brasil de
ante-hontem, foi approvada a seguinle proposta do
Sr. director Das de Carvalho :
c Que liqueni autorlsadas as commlssoes de des
cont a descontar bilhetes do thesouro, quer sejam
oflerecidos pe.lo mesmo thesouro, qner por particn-
iares, anda que para esse flm seja necessario ex-
ceder o quantum fliado para osfldescoolos da sema-
na, e a emteso em eirculaeo.
< Qae fique entendido qae esse excesso nao pre-
judicara as operacSes ordioarias da semana. >
O Sr. presidente do banco suspenden execnc&o
desta proposta na parte relativa ao excesso da eruis-
sao em circuladlo, e a nao prejudicar este excsso
as operaejoes ordioarias da semana, sajeitando todo
a deciso do governo imperial.
Em consequencia desta resolocao do -fiscal do
governo, vinte assignantes da praca do commerolo
dtrigiram hontem a eommisso desta a seguinle re-
presentacco:
Illras. Srs. membros da eommisso da praca do
Rio de Janeiro.Os abaixo assignados, assignantes
desta praca, em viste des caNnidades que no sea
entender resultaran) para o commercio do paiz, do
acto do delegado do governo imperial no banco do
Brasil, sospendeodo a deliberaco da directora do
mesrao banco qae aatorisava a sna eommisso de
descontos a qualquer letras do thesouro, com o fim
de prestar auxilios ao commercio j abalado, e an-
da mais palas noticias irazidas pelo ultimo paquete
da Europa, e julgando da maior urgencia que o
corpo do commercio dirija urna rapresentacab aos
poderes do estado pedlndo providencias qae. pos-
sara conjurar a crise que de uro momento para on-
tro nos pode assaiur, pela impos^ibilidade a que
flea rednzido o commercio, e Outer no primeiro
debate, o projecto qne dispensa ao capito Francis-
co Antonio de Carvalho de embolsar o thesouro da
qnantia de 750*000, importancia das vantagens re-
cebidas do mesmo quando foi mandado marchar
para Matto-Grosso.
Approvoo mais, tambera sem debate, com varia
emendas, o projecto que a ulorisa e governo a man-
dar matricular os estadabtes Francisco Jos Mon-
Mignel
Li-
ma, Jos Pereira de Barros, Alfonso Carneiro de
Oliveira Soares, Manoel do tescimeaio Alaes 1>
nhares, Domingos Augusto Ferreira Bastos. Jos
Leopoldo Raaos, Migut 1 Archanjo Madareira da
Silva, Ignacio Rodrignes Vaz e Anloo o Tristo Ser-
pa Brandan Janior.
Approvou tambera, igualmente sera debate, a
emenda do senado a' proposlco desta cmara so-
bre o direito des Sihos manares dos effleiaes da ar-
mada ao monte-pio da marinha.
Approvou depois em segunda diseosso o projc-
to que approva as clausulas 5.*, 13." e li.' de de-
creto n. 3,351 A de 29 de novembro de a864, e 3.*,
4.a e 6. do decreto o. 3.888 A-de 30 de novembro
do mesmo anno.
Tratoo em seguida da primeira discussao de pro-
jecto setore leeaeio de servicos. Depois de alga-
mas observacoes dos Srs. Figueredo, Borlamaque
e Barros Brrelo, fleca a discussao addiaaa pela
bora.
Approvoo anda, em segunda diseosso, a pro-
pusta do governo pediodo nm crdito supptementar
para oecorrer as despezas do ministerio da mari-
nha, com a seguinle emenda :
< Substitua-se o ait. 2. pelo seguinle :
< Art. 2.* E' o governo autorisado, pata despen-
der, com os servicos cima decretados, a fazer ope-
racSes de crdito dentro on tora do imperio, como
for mais conveniente.Silviao Cavalcaoti.C. Ma-
durelra.Flores.
Occopoo-se em ultimo logar com a segunda dis-
eassao da proposta do governo pedindo nm crdito,
sapplemenlar para oecorrer s despezas do minis--
terio da guerra. Orarsm os Srs. C. Ottoni, Tava-
res Bastos e Mello Franco, (loando a diseosso adia-
da pela hora.
-'.s'jclfCiiTiDio oe crdito do paiz, e a troco das
mais solidas garantas,' os ndispeqsaveis recursos
.para o gyro de snas trasaccSes, e a solucjio de
seus compromissos, vem requerer a commussao da
praca a convoeagao de ama asseibla dos assig-
nantes da mesma praca, para o indicado flm de di-
rigirse orna representaco aos poderes do estado,
e espera qne a eommisso attendehdo as graves
clrcumstanciaaque Qcam indicadas, s dignar de
assim o decidir.
Fallecen nontenve sepulta'se boje, Vcbefe-de di
visao Antonio Leocadio do Couto, encarregado do
quarlel general de tarinha.
O fatteetdo conuva 40 hnos de bons-servioos, e
era contrnndador ftibrdm de 8. Brato de-AVfz e
da imperial ordeta aostriaca de Francwd Jo, e
cavallelro da do Cratlr.-
.ni i r ifci'liia' MU r
Por carta ia^artal de 27 de abril, bonvenor bem
8. M. nornaarao Sr. padre Fettx Barrete de Vas-
concsllos, profaeso da endeira de iaiimdoanrn
p repara torio des ttenldade.
7 -
Continao n bontam a* amara dos depasados a
eleien da mesa qne tam a> faaMhwar date
corrale mez, sendo eiallos os 8rs. MwWmraa-
eisco, Dantas e SaMwba Mariab, rtce-prnljden-
tesi Affoqso Cebo, Ia aacrelario \, Boaseoa Van.
na,- 8; Harta de Aranjo a Bittentoort Rampato,
3o a a?...
(^fHtnuottaUQ^A a. 2' discussao da.
pd-
governo pedindo, nm crdito suijp
corretaa d^pajiaadnsnisterlo i_.
o Sr. Jos Bonifacio, fleando a diseosso i
la bora.
Por decretos de 18 de maio foi. creado no muni-
cipio de Valonea 4a provincia do Piauby, e sabor-
Da ordem do dia n. loi de 17 de maio do cor
rente anno, publicada pelo commandante em che-
fe do 1. corpo do exercito em operacoes contra o
Paragaayo.^xtractamos o seguinle :
Licegas concedidas.Em 9 do correte, "ao Sr.
capito do 1. regfmento de cavallaria ligeira Ata-
1 iba Manoel Fernndes, dous raezes, para tratar de
sna saude na corte.
Em 10, ao Sr. tenente-coronel do corpo de enge-
nheiros /os Carlos de Carvalho, para tratar de sua
saude na corte.
Em 11, ao Sr. major em eommisso Luiz Anto-
nio Guerreiro Drago, para ir esperar na corte saa
reforma, visto acbar-se inspeccionado de saude e
julgado incapaz do servico de paz e guerra.
Em (2, ao Sr. major do corpo de estado-maior
de primeira classe Frederico Cavalcanti de Albu-
querque, dous mezes, para tratar de sua saude oa
c6rte.
Ao Sr. capito do 11. corno de voluntarios da
patria Alfredo de Barros Cavalcanti de Lacerda,
doas mezes, para tratar de saa saude na corte.
brn 13, ao Sr. capito do 4. batalhio de iafan-
taria Joao Vieira de de Agniar.-para ir esperar na
provincia de Sania Cathanna sna reforma, visto
acbar-se inspeccionado de saode e julgado incapaz
do servlco do exercito.
Em 14, ao Sr. coronel da guarda nacional Joa-
quim Francisco Pereira Lobo, dispensado do ser-
vico do exercito, como pedio, por doente, para re-
colher-se a' corte aflm de apresentar-se ao governo
imperial.
Em 17, ao Sr. capito do 30. corpo de voltinta*'
ros da patria Joaquim Albino de Gusmao, dons
mezes, para tratar-se oa corte em vista do resulta-
do da inspeccao por que passoo.Iunocencio Vel-
loso Pedernlras, coronel depdtaflo do ajodante-ge-
neral.
Sabemos agora, e podemos asseverar que, oio
seodo pelo governo approvada a licenca concedida
ao Sr. teoeote-coronel Jos Carlos de Carvalho, re-
gressa este para oexerelto; sendo inteiramente des-
titoidas de (andamento os boatos que se espalba-'
ram com a sua chegada a esta corte.
qu
<
*
da
''a
peidrTIki
bate.
03 68Tes"e offlcies'se portaram como lCeS.
O genarai toras, activo- como sempre, na
toda parle se acbava, excitando os soldados ao
combate, e mostrando aquella estoica serenidade
qae tanto o distingue.
< Segundo ama carta do general Gelli y Otoes
conflrmam-se todos os pormenores que damos
cima.
< Urna parte da cavallaria paraguaya passoa por
um flanco do exercito, chegaodo at parto de
Uapir, onde proadxia um conflicto' moment-
neo.
X) general Paunero foi levemente fertdo :
mortos o coronel K i vero, 0 tenento coronel Pagla
em ter- -o mejor Dsabllvaso. i ~
Carta do coronel Avalos.
< Acampamento Rincn de Carupaili, 14 de
mam de 186, a's 7 Vz horas da tWite.
Sr. D. Euzebfo Gonfez. Meo qoerldo a-
mtgo.
c Pelas li 3/4 noiras da Tnaflbfa os intmigos
deram um combate geral a' nsosa lmha, eome-
caudo o fogo de canhio pela nossa esqoerda, ao
qaal seguio immediatamente o mais vivo de azlla-
ra, resultando que, depois de mais de 3 horas de
rentiido combate, os Paraguayos deixaram no
campo de 6,000 a 7,000 homens entre mortos e
fridos.
* Chegoo emflm odia tie desetado. .0 batamio
santafeslno receben seo primeiro baptismo de fogo.
Conbe-rbe em srte representar tn papel impor-
tante, pois appresentou-jse a passo de carga, justa-
mente ba occasiio eln qoe vanos reglmentos de
cavallaria e batalbSes de infamara atacavam vi-
gorosamente a nossa artitharia, chegaodo at a
mistarar-se, sabr em ponbo, coto os arrirneiros
a' esqoerda de oesso batalbo
c Estabelecida dessa manelra a Iota, Ja' cora-
prenende qae etfa fm ludivldaal. braco a braco,
prolongando-se por W minutos pelo menos, em
cojo lempo, preciso ser franco, nossos iotmgos
disputaran) o terreno palmo a prma: at qne dm*
esforz.simultaneo poleos m precipitada e sangui-
nolenta derrota.
< Estou satisfeito com o proced ment do ba-
ta Ihao, e lastimo a escassez do tempo, que me nao
permute entrar em promenores. Contamos mi
poneos Individuos fra de combate, a maior parte
dos quaes levemente feriaos, tanto qne arada me
casta a crer como qae, depois de se ter superado
slioaC'Ves tao Tifflceis, qaa, depois de tt-se lutado
corpo a corpo, conte-se tao diminutas pedas.
< Tornando ao combate em geral, posso assegd-
rar-te que os Paraguayos receberam tima licio
mais tremenda qae a de 1 de maio. De todas as
partes foram sanguinolentamente rechassados.
Nossas per das, segando me\ informara, e a
julgar pelas do batalho santafesrao, nao gtrardam
nem remota proporco com as que solTreu o ini-
migo.
O coronel Rlvero, o commandante D. LindolTo
Patota e o major Basatfrvaso, els as perdas mais
ootaveis que temos a lamentar. O general Pau-
nero, ferido levemente de bala em ama orelha.
Sem tempo para mais, lbe sauda e felicita por
este glorioso triumpbo de nossas armas sen affec-
tuosissimo amigo e criado
t Jos M. Avalos.
O cambio regalava : sobr Loudres a 24 1/2
e 24 /8, sobre Pars 396 e 400 rs., sobre Ham-
bnfgo 773 rs. e sobre Portugal 127 a 135% .
Chegou. procedente de Pernambaco, a 7, o
brigue Santa Cruz, com 16 das de viagem.
Ficaram catga para Pernambaco o palha-
boie Piedade e a barca portogaeza S. Manoel T.
Baha. Nada occorreu digno de menci.
O cambio regalava: sobre Londres 28 1/4 e
S i/2, sobre Paris 375 rs., sobre Hambargo 668
rs. e sobre Portugal 100 /..
Taleone Francisco Antonio, Gayraud Alfred Gus-
tane, Berlioura Lois, Gabralle, Jasline, Boar Ade-
le, Camille Rorella, Manoel Cdlho de Magalhes,
Victorino Moreira de Sonza, JoSo A. Gomes.
Seguem para o sul:
Js Pereira Vianna, Domingos Francisco de
Sonta Leao 1 ciado, Dr. Madoel Buarque de Ma-
cede, Jos Francisco' vwr e'David BIoct.
~~ raosagoiros do vapor iuglex uouro, sabido,-
para Sowthampton e portos intermedios: Joaquim
jado de Santo Antonio, Jos Silva, fallando os Srs. desenbargadores SajUiago>
e Aasie, abrio-se a sessao.'
Pasaaasosfeitos, deranwoaangaaitai
Jl'LOAMINTOS.
AppallaeoM oiveis.
Appellante, Francisco Xavier dos Santos e sna
appellado, Maoai Ferreira CaUado e ana-
Francisco Jos do Nasci-
mxfo tr. juiz dos feitos da fazenda, Anto-
gl appeaMo, IgMelo
es Setie, per
depositorio.
lelegado do R<
a requslco do con
avo do padre Ca
uenraento'deste.
anto Antonio, Ignacio, Gregort*
o 1* de Antonio Porta,-n M) 4W
seo ultimo da Nandu Mar? ira.
correccao. Atnvojury
Jos, Estevo JosS dos Saotos,
por farto de eavaltes., Manoel Joaquim Gomes ga de Sena.
Alcororado e Joio Sabal de Escoderlo para corree- Improcedente.
nao.
O etiefe da t* seccio, i Com vista ao
J. G. de Mesquila. \ justiga.
Passageiros do vapor fraocez Extramadure, Appellante, Francisco Aatouio de Moara; appel-
enirado da Europa: Louver Jeao, Matbeo d'Andaa, lada, a justica. .
Appellante, Jos belippe deSant'Aoua e outros ;
'jTord _
eSanoel, esen
Jaanaim dos..
Carneiro, todos.
A ordem do di
mada a sen
liante, Loaren
i Brlto Taborda".
Cortlrmada a sentenflk.
AppellartMS ei
liante, o juizo ; ppellao Jos ten Fer-
Appellante, o promotor; appellado, Luiz Gonza-
PrtiGBtclA CRns.
Sr. desembargador
promotor da
apppellada-, a justica.
Appellante, o promotor; appellado, Antonio Jos
Pereira e outros.
Appellante, o promotor; appellada, Maria Tei-
xeira da Cruz e ootra.
Asslgnon-se dia para jalgamento dos segaiotes
feilos :
AS ftppCTi&COftS CITC1S-"
Appellante, Jos Pereira de Aadrade; appellado,
Jos de Soma, Manoel Joaquim de Sonza, Francis-' Jos Antonio de_Arroda e outros.
co Jos de Soaza Almeida, Antonio Fernndes I AppeMante, Elias Emiliano Ratnos *, appellado,
oqarte Almeida, Manoel do Couto Guedes, Fran-, Manoel Germano Baarqne.
cisco Jos Gomes, N. Jos Netto, Tbeotonio de OH-| Appellante, Joaqnim Vicente Marones-, appella-
veira Iveves, Hermeneigido pe Serqneira, Paulino do, Fracelmo FrreTra Chaves e outros.
F. da Costa, Paulo Gomes de Almeida, Manoel M.' Appellante, Joaquim Mauricio Wanderley ; ap-
Reis 2 fllhas 1 flfbo.TJomtzrgos A., Manoel de Ma-' pelladd, Lrao Fenira da SilVa.
tos Machado sna sentera e 3 Albos, Eduardo Gol-! Appellante, Ignacio Joo da Silva; appellado, An-
Iherme Menke, Francisco Jos Martms, Joseph Gal- tonto Pereira iobo de Britd.
mino, Paschoal Guilhermino, Jos Antonio Jordo, Appellante, Joao Barrozo deAraojo; appellado,
Jacorae Fenice, Antmto Texene, B. Marestany y Francisco Rogerio Correa.
Marestany, G. A. P., Bardes Jnior, Manoel Joa-' Com risu ab Dr. carador geral:
quim Loureiro, HenrV Darls Bowmab %)a mil e A appeltajaC civel.
irmar; e 282 vrhdos do sol. Appellante, Loarengo Bez'erra de Siqueira Cavai-
- Passageiros do brigue poriuguez Consfanfe,' canil; appeflado, "Dr. Amaro Joaqaim da Fonseca
sabido para Lisboa: Marra da Concelcio e 1 filbo Albuquerflue.
tfreaor.
Apnammos, w aftdMaistrddoVe
"reparara
Correspondencias
1 f-5?
O'
: I : l
!


! I i \ Mmenlino.
sUJiJi*1 ***
o
z
8
J.U
8
Masvniiia.
U.IA
Feminirw.
I I
Masculino.

t
Por decreto do 1. do correte foram nomeados:
O offlciat do contencioso do thesouro nacional
bacbarel Eleoterio Augusto de Albayde, para o lo-
gar de Inspector da alfandega do Rio Grande do
Sol.
O bacbarel Antonio Pedro da Gasta Pinto, para o
de offlclal do contencioso do thesouro nacional.
DIARIO DE PEHNlfflBUCO.
Recebemos jornaes do Rio de Janeiro at 8 e da
Baha at HdCcorretate, traMos-pelo Vapor Inglez
Oouro.
Sob a rubrica Interior vio por extenso as noti-
cias do theatro da guerra, alm das qnaes apias
encontramos mais o seguinle.
8. PAur.o.Apenas lomos o segninte na Revista
Commerctat :
Domingo, 47'do passado, appareeea 'prtoda1
trra, no mar freotelro'i, prala da-Bara,nm ffVfporto amanhaa.
ar, qae addnn bricando por algara tempo naj
qaella ahora e enalhou por dons vetes, sendo a
primeira na praia de Gdes, e a segunda naima db1
Jas Menino, logrando porm safar-se.
Pelas dimns5es qtfff-apTesentilva, devia este
eetacedoresroor WpaWeraa'lffteptide mais ow
aaenos.
Gor.AX.Leines-no Comi Offieial :
< Da capal haviam segoido mais qwatro carros
cem destino as foretis BipedicRmrtas elm Mallo-
Grosso, oonddxiado 143'3j* alquetres de farinha
e 27 arrobas e 28 libras de touelnho.
< Da cidade de BoaaSm tinba a eommiaso mu-
nicipal remettido, com o mesmo destioo, nove ene-
res, levando 159 aJtjneijres de larnba, H de arroz,
25 de sal, 1 degomnU, 67 arrobas de caf, 29 ar-
rebas e 21 libras de assucar e 107 arrobas e 14
libras de loocinho. >
Ro de jAHEao.Chegara a fragau ranceza
Maaicieue, com o pavilhao do almirante Conprent
des Bois:
Por decretos de 30 do passado foram nomea-
dos :
REVISTA DIARIA
O Douro, hontem ebegado do sal, trooxe-nos a
noticia de um novo combate, e por conseguate de
urna nova victoria para as nossas armas nos cam-
pos do Paraguay.
Esta noticia foi-uos logo annunciada pelo tele-
grapho, d'onde subiram aos ares foguetes, cujo es-
talar festivo precoaisava n'uma eloqueote syntbese
a toda a cidade mais um feito de valor braslleiro.
E logo apo>, repicaram os sinos de varios tem-
plos : de pontos diferentes da cidade subiam de
instantes a ioslaotes foguetes ao ar ; e apezar da
ebuva que caba, percorren as roas dos dlfferentes
bairros urna passeaia patritica, composta de em-
preados da alfandega e de pessoas do commercio,
precedida de urna msica marcial e tendo a saa
frente as bandeiras das nacoes adiadas.
As casas consulares icaram seus pavilbSes e os
navios surtos no porto, nacionaes e estrangeiros,
embaadeiraram se, commnngando assim de nossas
alegras, a mesado triumpbo que festejavamos.
A ooite bouve representacao dramtica no Santa
Isabel, e muitas outras demonstracoes populares
baveriam, si as chovas tivessem-n'o permittido.
Coasta-nos que S. Eic. Ilvma. o Sr. bispo dio-
cesano, D. Manoel de Medeiros, vai no primeiro pa-
quete a. provincia do Para', onde se demorara' o
tempo estrictamente necessario para assistir a lo-
mar parte no acto da sagraoio do Sr. bispo confir-
mado de Goyaz, D. Joaquim Goncalves de Aze-
vedo.
A compaobia da estrada de ferro d'esta pro-
vincia paga o seu quinto dividendo de jaros das
respectivas acedes, relativo ao semestre ndo em
dezembro prozimo passado.
Da roa das Plores enviam-nos queixas contra
o proceder de empregados de una cocheara d'alli,
que todava nao determinada precisamente ; e
segundo taes queixas, preciso por corto qae taes
individuos sejam chamados a' orden ou comidos,
Visto que molervel qne faeno d'alli ponto para
zombelearem de quem pasea indislinctaraente, o
quando fepellidos cobrirem de baldees a pessoa por
elles insultada.
Hoje ha SssSo flo fdttltatb ArcWologlco
Geographco Pernambocano.
Foi preso pela delegacia do Bolqoe TbOmat
Villa Nova de Sonza, antor do assassibato de Clan-
dio de tal, que teve lugar a 19 de malo ultimo
no Caldaro, termo de Bom Conselho.
, Pela mesma delegacia foi preso Frankllm Be
nico Cavalcaoti, que acbva-se processado por ten-
tativa de morte no proprltario Jos Alves de Al
buquerque.
A sahida do vapor Paran, para oa portos
do nene do-imperio, toi transferida para odia 9
do crreme, peto ane s ebegar elle ao nosso
J
Fbmnmo.
t
Masculmo.

SI
Femenino.
5t
Masculino.
Feminino.
s
>
a
TOTAL.

s.
o
f
s
I

t

FASSAGNS.
Do Sr. desembargador Guerra ao Sr. desembar-
gador Lourengo Santiago
A appellacao civel.
Appellante, a Santa Casa da Misericordia ; ap-
pellado, Antonio da Silva Ferreira Jonlor1.
tlb Sr. desembargador Loarenjo Santiago ao Sr.
desembargador Mona -.
A appellacao civel.
Appellante, Antonio Ferreira da Ponte ; appella-
do, Manoel Ferreira da Ponte.
Do Sr. desembargador Almeida e Albaquerque
ao Sr. desembargador Hotta:
A apnellacSo civel.
Appellante, a fazenda; appellado, Agostinbo
Eduardo Pina e outros.
Ao meto dia encerrpu se a sessao.
iim i m afc*
TniHllAL IMadMfXnEHCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 7 DE
JUNHO DE 1866.
PRHMDGNCTA DO EXM. SA. DBSKSBARGABOR
AfSELMO FRANCISCO P1RSTTI.
-
tados Rosa, C. Alcoforado e Basto, faltaaaa por
incommodado o Sr. Miranda Leal, foi por S. Exc.
o Sr. presidente aborta a sessao.
Lida foi approvada a acta da sessao antecedente.
EXPEDIENTE.
Foi resolvido qne se ofJflciasse a junta dos corre-
tores, para exhibir ae tribunal em sua sessao de
segunda-feira prxima vindoura, os livros das co-
U(5es da mesma junta nao so es Qndos como os
qae se ch em *xercicio.
DBSPAOdeS.
Requerimento de Joo da Cruz Macdo eorrector ^Z^ff^J ? fi "5",ma,or ,oa,Bodi<,aie
..iiu. -------a_____<.___ ,h,Hr.,r a, dob interessados, e para de futuro nao allegaren
desculpa (qne nao sera' attendid*),
geral desta praga-offereceado, eomo abonadores da ""*'""Jf
Banca prestada'para exercer dle offlcio aos eida- SJSLu
daos Albino Jos da Sriva e Edaardn Candido de! fiSSM'SS poder.eiD dir|8,r"e casa do Sr.
Oliveira, proprfetarios nesto cidade.-U Sr. Dr. jote tesou'e'ro. I^iram denar nota de seos nones
ADVERTENCIA.
Na tlalidade dos doentes existem 188, sendo 117
homens e 71 mu I he res.
Foram visitadas as enfermaras estes dias :
As 6 1|2, 7,7,7, 7,1, pelo Dr. Ramos.
A's 91j4, 9 1|2, 9, 9 'lft 9,^, 9, 8 3|4, pelo Dr.
Sarment.
Fallecerjm :'
JoSo Polycarpo, desimana.
Thomaz de Aquino, tubrculo pulmonar.
Jos Pereira da Silva, delataco da norta.
Antonio, eplerile.
Jos Antonio Moreira, entente.
Clodemira Maria, tubrculo pulmonar.
Hermina Gomes da Silva, tubrculo pulmonar.
CEMITEnjO PUBMflO. OBITUARIO DO DIA 9 DK
lUNiro de 186C.
Josepba Victorioa de Sam'Anna, Pernanbuco, 50
annos, soltelra, S. Jos; apoplexla.
Flora Francisca Colbo, Pernambaco, 8 annos,
Recife; pthysica.
Maria Joanna, frica, 30 annos, soltelra S. Jos ;
paralisia.
JoSo Francisco da Cunha, Pernambuco, 40 annos,
casado, S. Jos; cmaras de sangue.
Vctor Manoel, Pernambaco, 22 annos, solteiro, Boa
Vista; aspbixias.
Antonio, Pernambaco, 2 mezes, S. Jos; desinte-
ria.
Francisca, Pernambaco, 2 annos, Sanio Antonio;
desinteria.
7 mezes, Boa-Vista; inte-
7 anuos, Boa-Vista; desin-
mezes, Boa-Vista; infeccio
l.^aicriptarari
) Rodrigues Lii
ss?tt
0 4
Joo
raro da djT-Rio urau
O cbele de seccld'
a c- ascriptrlri d'acTi
Ton Lentas no Otan
cbo.'qardpm'priaaj
ItroMajar: --
7 c Do sajafrieateatn VT*fav da Mantevido.
do dia 30 do passado, tradazraos o seguate :
f Anticipamos com grande presta esta supple-
Pelo Dr. delegado da capital foram apprehen-
ddos em o armazem n. 13 da roa do Vigario, um
calxio dentro do qual estavam acondicionados cin-
co barra com plvora, sendo ae foi lavrado o
respectivo autoypara praeedlment posterior.
Por intermedio do Sr. teoeatoronel director db
arsenal de tnecra toram racoUtides ao deposito da
fortaleza d Bfum s basan anima referidos.
Hoje ao meto du, se ea(rbr a 3* parle
da 6 lotera, a beneneto do ibeau?o de Saau Isabel
(67-), sendo o maior premio 6:0O0OO.
. RspARTiftAo-oamucu:
Extracto das parta dodias 10 a 11 da jttnbo da
foram reeaJMas a aasa .a^4alaac>o no da 9
do corrate :
A aa^^Pr^agaA da capital,
e Bank eoraos<^BtP!dp r
e ?quellede Ja^ Majbaw,
fgido a *.a
Lblz, esaravq de Fi
incommunioayej ai
Ji da^Cuf ha,p,
a ordam do(iMSffi^i^m
pCJctorlno
^AofdM^StdMiio Jota fle Mello,
pa)ra correccao.
Manoel, Pernambuco,
rite.
Joanna, Pernambuco,
tena.
Jos, Pernambuco, 2
paralaste.
Manoel, Peroambuco, 7 dias, Boa-Vista; espas-
mo.
'Frederico, Pernambuco. i mezes Boa-Vista; espas-
mo.
Matheus, frica, 5o annos, escravo, Recife; he-
pallte.
Francisco, frica, 98 annos, escravo, Recife; indi-
gesto.
- 10 -
Alfonso Lamos Leal Reis, Pernambuco, 13 annos,
Santo Antonio; cmaras de sangue.
Maria, frica, 60 annos, Santo Antonio; desinte-
' ra. ;
Herminia .Gomes da Silva, Pernambuco, 30 annos,
Boa-Vista; tubrculos pulmonares.
11 -
Caelano Segismundo Travasso, Pernambuco, 15
annos, Boa-Vista; desinteria.
Francisco Teixeira Bastos. Portugal, 37 annss, sol-
sol teiro, Boa-Vista; feriment com arma de
foge- i i ..
Paulo Leito Lourairo de Albuquerqtie, Pernam-
baco, 70 annos, casado, Boa-Vista; cestiie.
Vicente Ferreira da Costa, Pernambaco, 60 annos,
Boa-Vista; tubrculos pulmonares.
Antonio, Pernambaco, 80 annos, solteiro, 5. Jos;
congeslao celebraL
Mariana Carolina de Carvalho, Peroambuco, 18
annos, casada, Boa-Vista-; febrea taxica.
Josepba Maria de Jesps Cavalcanle, Pernambuco,
80 annos, casada, S. Jos; congeslao celebral.
Maria Francisca da Aonunciaco, Pernambuco, 19
" annos, casada, Boa-Visia; pibysicd.
Maria Joaquina, Pernambuco, 60 annos, solteira,
. Boa-Vista;. bepaiite
Maria, Parnatubuco, Santo Antonio; convulsoes.
Joaquim, Pernambuco, 4 mezes, S. Jos; eclampsia
milia, Pernambuco, 3 annos, S. Jos; denticao.
m prvulo, e neo airado mor to, Recife.
aria, Peraambuao, 9 mezas, Racifa ^ desinteria.
anoel, Pernambaoo, 6 anuos, Boa-Vista; desin-
teria.
Marlmiano, Pernambuco, i2 mezes, escravo, Boa
Vista ; pennimonia.
Marw, Pernambuco, 40 annnos, escrava, Boa-VisU
amolecimenio celebraL
Pergeano, Pernambuco, escravo, Santo Aatonio;
'espasmo,
lsTSrica, JOaun, escravo,Boa-Vista; mena-
gil. v
Nasepha, Ari.a, 40 annos, escrava, Boa-Vista; ai-,
feccao no coraco. ,
Beotof Pernambuco, 2 meze?, escraTO.Doa-Vfstt;
tosse convulsa.
' naimiiji......hn "
zmam JiftKttAiA.
lUDViai uu WUJIUCI171U11W nicuao lumai pi wiuiv j,,. .___' t j a o*i t
abonacoofferec.da palo supplicante n forma de ^l^afrta,,dohSfr- Jos da Silva Uyo na ra
i. remetiendo ao tribooal ^rtido do referido Madreadne,D*n.s',5rdi^M 5?-Z-fi Br"
rm. vo & L., e na ra da Cruz n. 23,1 andar; e en
d*
fe|tarjr.0ivcara^aaaapei>n% 'A o*dem d}r. aatofado da aapiui, Franaisaatj
Jos Ramos de Oliveira, Joe SnpeUao a Jps, a- _
cravo de Manoel Goncalves da Silva, para eorrec- cora,
co. iMotta,
PRESIDENCIA DO XM. SR. CONSlL1
souu.
da manbia, presentes os aores
'es Gitrs rar,procoraddr da
...renco Santiago, Almeida Albaqtierqae,
Doria, Ucboa Cavalcanti, e Domingnes da
especial do commercio que mande tomar por lamia
a
lei
termo.
Dito de Bernardioo de Vascoocellos, tambera
corrector geral cfferecende Joao Pinto de Lemos
Jnior para substituir a Joo Bernardioo Botelbo
um dos abonadores de sua anga.Remettido ao
Sr.'Dr. juiz especial do-coarmertio -para proceder
oa forma da le.
Dito de John Gatf!, na meenM conformidade
apresentando Jos' Joaquim da Sirva Gomes em
substituico de Xisio Vieira ColhoIgual des-
pacho.
Dito de Luiz Amavel Dubourcqen Jnior, para
semelbante flm apresentaado o Dr. Aagnsto Frede-
rico de Oliveira, e Luiz Antonio Sequeira em subs-
tituido de Joa i de Sequeira Perro a Antonio Pe-
reira da Silva.Igual despacho.
Dito de Henrrque Guilherme Stepple, offereeendo
Jos Antonio de Brito Basto em lugar de Antonio
Joaquim Alves Ferreira.-Mem.
Dito de Francisco Mamede de Almeida, apresen-
lando Domingos Alves Matheus em substituirlo de
Marcellino Jerobymo de Azevedo.dem.
Dito de Francisco Gomes de Oliveira agente de
leiloes, offerecendo Francisco Ignacio de Tinoco de
Sonza em lugar de Joo Fernandos Prente Vian-
na, que era ama das testemonbas abonadora da
flanea que prestara para exercer dito offlcio.
dem.
Dito de Antonio Jos Cordeiro Simoes, offerecen-
do o termo de responsabilidade qne, ante o juiz
especial do commercio desta cidade, assigoara Joa-
quim Manoel Ferreira -de Souza, constitoiodo-se
um dos abonadores da flanea prestada pelo sappli-
caote para poder servir o offlcio de agente de lei-
loes.Depois de resalvada pelo escrivo a palavra
emendada na certidSo junta, volte o supplicaote
com esta.
Dito de Jos Gomes Villar, commerciante matri-
culado, pediafio a inser peo no registro publico,'
da nomeagao de caixeiro e proposto dada a Jos
Gon$aives Villa Verde.--Registre-se.
Dito de Manoel Antonio da Rocha Juuior e Fran-
cisco Joaqaim da Bocha, apresentaado o addita-
mento qoe, em observancia do despacho deste
tribunal de 7 de malo prximo passado, lizerarn ao
en contrato social, cujo registro pedem.Vista
do Sr. desembargador fiscal.
Auteamento da portara expedida para serem
entregos ao offieial de justica do tribunal, que os
foi bascar, os livros do agente de lelles Olympio-
Ferreira da 8Hva.Vta ao Sr. desembargador
fiscal.
Nada mais ha vendo a despachar foi por S. Exc.
o Sr. presidente eocerrda a sessao s 11 horas a
meia do dia.
SESSAO JL'DICIARIA EM 7 DE JUNHO DE
1866.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBAUGADOB
A. F. PERETTI.
- Secretario, Julio Gutmaraes.
As onze horas a meia da manhaa o Exm. Sr. pre-
side ote declarou aberla a sessao, estando reunidos
os Srs, desembargadores Silva Gnimaras e-Accio-
II, e os Srs. deputados Rosa, Candido Alcoforado
e Basto.
O Sr. depwado Miranda Leal parliopou que por
doente nao poda lomar parte nos trabalbos da
presente sesse.
Lida foi approvada a acta da precedente sessao.
Assigaaro>se os aooordos proferidos na ultima
sessao nos feilos-entre partes.
Appeltaate Francisco Antonio de Britto,appej-
lados, Rocha Miranda F I nos & C.
"Appellante, Manoel Antonio Nogueira; appelfa-
dO, loao PereiaGasteHa'Braaeo.
Appellantes, os administradores d nassa nVi
da de' Amerlm"Fragoso, antas C.; appellado
Jos,Cordelro'B'fte6d' Appellantes, adminvaWorea da anassa aUn-
aadeATOorm, Fragoso, -*ea*es & -Q; appettado,
Jos JoaquiatWeirouia laadavv
WUAMMSTOS.
AppeUtmtas, PVtmciseoatoajes Pamnlaa e ou-
tros; appellados, a vinratoilaaaximGoa^a*iBa
Stlv eoutra
Despreaaraossa aa-embaago*.
Appellante Joio Pawira Rj*aHkaa ; appailar
da AtiWto tos*' denOaatro; i ^n^H
apresenta-
m o adia-
- da mansa talu-
da de Jo
ri da
dada.
Adiados na ultima i
dos pelos fes. deputadoa que
meoto
PaSAGEN8.
Do Sr. nmaaargadar AccMB ao 8r. dse mbar-
gador SIM Gaimaret.
AppeBtmtes, os curadores fiscaesda massa fall-
dade Joao Baptista Goncalves Bastos; appellados,
AGGflATOS !NTEP6rOS 00 BISO E8PCCUL
DO COMMEROO.
Aggravante, Jos de Castro Redondo, aggravado,
Joaqaim Antonio da Silva.
Aggravante, a amara municipal desta cidade,
aggravado, Ignacio Luiz de Brillo Taborda.
O Exm. Sr. presidente negou provimenlo.
Nada mais honre e eneerrou-ae a saaad a meia
bora da tarde.
Peveade des Moafeg.
Srs. redactores.Tendo o Sr. Jos Gorgoalo Pae
Barreto, subdelegado qaa foi de povoado dos Mon-
tes, reepondido a urna nossa correspondencia, com
a qual parece que maito se espiabou, a pona da
atirar-oos um cartel de desafio, s por qoe loca-
mos no seu pelit-enfant.o prestimoso e pacifico Vi-
cente, temos a dizar-lhe que sin mar de ectoma-
co alguma, appellaaios' para o jaiao imaarcial do
povo sensato deste lugar, o que em aquella corres-
pondencia relatamos, e nao para S. S. que, strictis
um, nao deve entrar oa aporecncaa dis ma-
terias.
Como o passaro j esteja apachado, neohnm pro-
veiio se poderi alcancar das discassdes.
Agora s esperames ver o desaggravo das leis
e da sociedade, que altamente bradam contra este
seelerato.
Assim, pois temos respondido ao Sr. Gcrgonio,
aguardando-nos para a final decisio dos nmnaes,
para entae dizer-!iie se Vicente com effeito nm
cordeiro on urna fera Indmita, segando o conside-
ramos em a nossa passada correspondencia : assim
o espera
O mndo.
Publicares a pedido
............
Nonte-pio portoguez.
A directora provisoria desta associacae lea re-
cebido reclamacoe. de arias pessoas, qaa, baveodo
assigaado em diversas listas, dizeon nao ter sido
procoradas para o pagamento das esas jotas. Be
outras sabe esta directora qoe, euppondosen fun-
damento real que o Manta-Po Poriuguez nao pas-
sari, oa deflobara' no estado de ainbrye, reser-
vam-se para pagar a joia de dezmit ris, depois
que viren a sociedade \nstaUaia. -
As W horas da manha, presentes os Srs. depu- ,nAUB,Bdenao' "i110 lhe ****** 4s "I*00?063
tr,o d. .i ni...j d*a fu,*a nnr do> primeiro?, e nao podendo deixar de duer aos
segundos, que lab>ram em erro, se se persoadem
poder espacar at esse tempo o pagamento a qne,
como pessoas de bro, se obrigaram peto (acto da
sna a.-siguatura, a directora provisoria convida
ainda pela ultima vez todos aquelles, que esliverem
em aigum dos indicados casos, a realisarem o pa-
gamento das saas Jolas at ao da i do cnen-
te mez, impreterivelmente, procurando para esse
fim os respectivos recibos em mu do Sr. ibesan-
reiro interino, o Sr. Jos Alves Luna, na praca da
Boa-Vista ns. 4 e 8
para serem procurados, no Recife, no Forte do
AdtaneinffedMen*iam-*rtdenee*o. ^ ,^ ..- y..,.
Appeaaaa; Jaae ntilialaaai^iaanib>4ai D. AaiiMUiai Faenan Una
JosepW-LedpaMt! daMaBoiartaba -r.- iliatjinnaaiiii isinjantajirnt n
AppeMaaaav Valia iamvagn-* C v JpyBajUj dDAvitoaMphode
c administrador*. iMnaasMlaMial>.*afn), *s Euzebio Alves da Silva.
Praga, amos MarluanoJoadna farta.
Wm^MApOmm ar anfiei:
.^irtuir^Wt'daairo >Hit)ermaiaaanalraiU Consta,
ilva e o Sr. ****** Mtrtnjfla ^ei.-Pwtkadtaiafalteeaaaw
JosiAnwnio* Ataoa.
bargador Res
AppeUapte Julio Colombiw, como tutor dos II,
Sanio Antonio, na roa do Crespo 0.2, livraria Eco-
nmica, e no Gabinete Portuguez de Leitura.
Loga depois qoe, por aoooncios pblicos, se de-
clararen) em vigor os estatutos, e isso lera' logar,
segando todas as probabilidades, depois da dia *>
e antes do dia 30 do mez correte, a joia, em eus-
formidde com o Asposto no ari. 70 dos amaos
estatutos, passar a ser de 25^000, tanto pata os
candidatos qoe desde essa data em dianle forena
proposlos, como para aquelles que ante$ tiverem
assignado, mas nao paga, quantia inferior. A'
vista disto, &pera a directora provisoria qoe,
quem anda nao liver honrado a sna assignatnra,
se apressara' a faze-lo at ao dia 20 deste mez o
mais tardar, ou a deixar nota de sea osee, nn *
forma sopra indicada, para ser ainda procu-
rado.
Sao bem eenhecidos os motivos por qne o Monte-
po Portuguez ainda nao fnneciona ; e agora qne,
felizmente, esta' por assim dizer animada a arre-
cadaclo de listas e cobraaca de recibos, agora que
novas quamias teem viodo junlar-se a primeira
somma recolbida ao Novo Banco de Pernambuco,
julga a directora provisoria que ninguem mais dn-
vidar, qae possa levar-se a effeito o bello a bn-
manitario pensamento do Ulra. Sr. Dr. Jos Henri-
ques Ferreira, nosso digno ex-consui nesta pro-
vincia.
Aos incrdulos a directora provisoria diz pora*
simplesmeole : a installacao do Monte-Pio Portu-
guez ter lugar no dia 1 dejuUio prximo.
Secretaria do Monte-Pio Portoguez em Pernam-
buco, 9 de junho de 1866.
Jos da Silva Loyo,
Presidente.
Joaquim Gerardo de Bastos,
2* secretario.
... *-.^..
des devotas qae tem de cnidar da aliara festejar
Santo Ignacia da igreja do Diviso Espirito Santo
do Collegio, no aane de 4866 a 1807.
Jola perpetuo e zelador do altar.
O illm. Sr. Joo da Silva Lopes.
Juiz do anno.
O Illm. Sr. Joaquim de Sonza Teixeira Janlor.
Jatzes por devecao.
Os Illms. Srs.:
Joaquim Jorge da Fonseca Bastos.
Jobo Flix de Mello.
Alfonso Moreira Temporal.
Manoel Moreira de Souza.
Procurador geral.
O illm. Sr. Francisco Belarmino dos Santos Frailas.
Escrivo do anno.
O Illm. Sr. Alfredo Cardoso Pereira.
EscrlvSes por devocd.
Os Illms Srs.:
Manoel Fernandos da Stlva.
Antonio Jos Pereira.
Joo Aodr Coatinbo.
Antonio Machado Pereira Vianna.
Thesoareiro.
O Illm. Sr. Jos da Costa Mala.
Proctrrjidores.
Os Illms. Srs. :
Joaqtrtm dos Santos Azevedo.
Mandl Coelho Guimares.
Antonio da Costa Maia.
Jos Atves Machado Goimaries.
Ignacio Bezerra Pessa.
Jas Manoel dVWvefra Vianna^
Eduardo Luiz de Siqoeira.
Francisco Jos Carneiro.
Mignel Jos de OHveira.


'*
-,..
Protectores. .
Us litas. Srs.:
Ignacio de S Lopes Fernandos,
knacio Beato de fcoyoHa.
Dr. Ignacio Joaquanraa Seoaa aanaw.
Ignaeto Gomas da Iva.
FrandseWlfnaciO' Pinto.
Joaqnim Coacto Ribeiro Jnntofcc
Manea! igaaelada OHvaira/Lobo.
Antonio Joaqaim Leite Bastos.
Manoel Ganen! vas Afra. I
Aaioato Joaadia Banaaorias da SHta.
Joa JosdaaaasaMiB-eiaa.

'kaeMeaenas,
t.


Adaman-
Sra.-.alar-apaaa*ir.
Sonza Limoeiro.

:
BJBJBj


'
' .1

ti



HHm t Wenmmm
1863,
A
Jala do aneo.
da Vejga, esposa
Jalia do
A Eira. Sra. D.
do Sr. afanae
Mata par bvo^o.
As EX0s.ras :
O. Laoaor Bastos da Saate :"f\>rto, espesa do Sr.
Antonio Angosto ios Sanios"'Pjtfi.
D. Maria Amelia do Prejta Gatotiraas Moraes Pi-
nbero, esposa do Sr. Dr. Moraes Pinheiro.
cADm i^!iinll212l* G,neiro Posado
D. ClemeniffiSoYneflsft'fSttara, esposa do Sr.
Marcoliao DoHwMM'Calntr.
D. Mana Margarlda da Cruz Lobo, lha do Sr. Va-
lentim do Vae Lobo. '
D. Toereza GoniaJva da Jasas Atete..
D. Carolina Ttaeari Lopes de Sena, esposa- do Sr. L
Trime Lapes de Ser.
D. Emilia FeraaalMaStfra, posa do Sr. Anto-
nio Joaaojm Fernanda da SUva. .
D. Jovina Candida da .i&ito Gmmarai,.efiDsa do
Sr. eaoiao Joo da CunbaSbares Goimaraes.
' Prmeotttrs.
Aa Exmaa. Sras.:
D.. Autopia Amalia da Cuaba Bar roa esposa 4o Sr.
capjtlo STino Goilhaxma de. Barros.
. Maria Amalia Pinto Lelte da&lvaNogneira, es-
posa de Sr. Manoal da Silva ifogaeira.
D. Senhoriaha. da Um. Oimara, flift* do a Do-
mina a SHra-^ejpo.
D. Amellada Silva Campos, filha do Sr. Domingos
da Silva Campos.
D. Narcisa Sophia da Silva Ma, esposa do Sr. Jos
Joaootm da Costa Mala.
D. Mana da Silva Campo? Gaimares, espwa do
Sr. Castodlo Jos Alvas Gaimares.
Mordomos e mordomas, todus os devotas da San-
to gnacio.
Consistorio da irmandade do Divino Espirito
Santo do Coilegio, em 4 de junho dfe 1866.
O vigario eocomraendado
Joo Jos da Costa Rtbeiro.
ew-
xofre, 51 volamos papel para escreier, 18 calas
castanhas; a Fezzato ri Fil "
Brlgue neru^gaense We,
York, conaignadt/a J.
seguate:
lOnVberrfs, l.flOO ealtas kerosene, 17 Iris i
salsa-parrilba, fjfhotxxu machiats para algodo,! _.
8tfrins agatr l Florida, 1 barrls freo/ malo de
volumes cha, 1 barrica graza para, sapatoe, 783
saceos milbo, 34 rolamos ebjectos versos; 4 ca-
xas lagostaa 5 dita drogara, l barris pregos,
20 dasias vassoiras e 4 caitas ostras: aos cnsig-
aatarles. i; .. r
180 barrls banha, 150 caixas kerosene ; a G.
G. Stremam.
100 caixas* kerosene; a Katrup.
Naata secrevari se daro oa eselsreelmeotoa.de;
os concorreate precisaren^ e no aeto da arre-
50 devero Mea conjpaflier coro seos *}ado-
flyH|dosjg> eartas desifB, qne ficarao res-
isavefe palo timo cu m pigmento dos respeeti-
* de Misericordia v Reeife 8 de
O escrivlo Interino,
Pedro Rodrluoee de Sonxa.
SR
Mooaj Augusto Gandido Perera.
Itesolrmo.
Tmm Vienta tmmrM (Hfizeira).
ii -i 1 1 1 niMiDt.il
200 caixas kerosene ;* M. Aaetln C.
entrado de Monte vi-
C. maoif eston o se-
Tt ditas thacbinas para algodo; a J. P. VI
auna.
30 ditas ditas ; a ordem.
Patacho nacional Carita,
do, consignado a Bailar &
gointe:
3,663 qatataes hespanhoes de charque, 60 cou-
ros vaceuns seceos; aos mesmos.,
Brigoe nacional imperial tedro, entrado do Rio
Grande do Sol, consignado a M. Jos Aires, ma-
n teston o segalote:
11,33.3 arrobas de charque, 195 ditas de sebo
em rama, 650 lingoas seecas, 70 couros vaceuns
seceos; aos mesmos.
Patacho portugus Fasto, entrado de Montevi-
deo, consignado a Amorim Irmaes, raaniestou o
segalnte:
3.996- quiataes de charque e 80 coaros seceos ;
s aomesmos.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO
Rendlmenlo do dia 1 a H....... Ih081fx9!
dem do dia 13................ 3481495
J
s
THEATKO
DE
Ima caa terrea do mesmo lagar n. 16, Jacto
ao sobrado, rom S grandes salas, sendo a da freo-
I forrada de estaque e ladrilbadaa marmore, cora
terrado coberto, j qaartos, cesinha fora, gaiinbei-
ro, quarlos para pretos, logar proprio para estri-
bara ecocheir filiando s a cooerta, encana-
mento a'agna do prata, deposito e baoheiro de ci-
mento, coberto, arveredos e estrada de rodagem na ;
frente.
t4il|787
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimento do dia i a tt.
dem do du 13.........
Os abaixo assignados estabeiecidos com lojas de 1
ourives nesta cidade, em consequencia da noticia,
publicada pelo Diavto.de Pemambuco de hootein,
de ser o Sr. Jos Antonio Maia saspelto de partici- 1
pactes do roabo, qae saccedea na laja do Sr. Her-
mino Ferreira da Silva, pela cirenmstaocia de se
haver apprebendido era ama barcaga, qae segua
para Goianna, nm caixo que se suppde pertancer 1
ao dito Sr. Mala, em quanto qae este segis por
trra viaggm para o mesmo lagar, vem ao publico
declarar qae, com effeito, seguio elle por tari no I
dia 12 db correte as 10 e meia horas da manba !
viagem para o .dito ragar, mas que "os objeetos de :
ouro qae levou, na Importancia de 3:265#370 reis
recebeu dos abaixo assignados a qaem passoa reci-
bo com declaracao da qoalidadedas differentes pe-
gas, sujeitaado-se ao pagamento ou a' entrega
delias.
Por unto, declarando anda os mesmos abaixo
assignados qae o dito Maia sempre Ibes deu conta
da iguaes earregamentos em outras occasiSas, em
qae hia a vende-las, protestam desde ja' deffsnder
a sua propriedade, entregue ao mesmo Maia, como
foi, caso se pretenda por em dnvida o direito qne
Ibes assiste.
Recita 13 de junbo de 1866. .
Manoel Ferreira Pinto Malhriro.
Jos da Conceioa Oitveira e Figueiredo.
40:0154756
41:975*199
Companhia doEfeferibei
No dia 15 do correte pelas 42 horas do
da ter legar 00 escriptorio da companbia
j roa do Cabg n. l, a trrefliatac5o dos
cbaariies e bieas por bairros, n?to ae ad-
mittindo propostas que comprehendam mais
d um bairro, neru por espafo maior de
um armo; os Srs. licitantes eoraparecam
com seos fiadores otr declaracOes dos mei-
mos no mencionado dia, de vendo ser cl,ao'
propostas em carU fechada apresentada
mesma occasio ou antes no escriptorio o#
de meinor se dewrlo esclarecer c informar
das condccSes do contrato da arrematado.
Bazes mhrt as qoaes se deve lanar.
Bairro do Recife.
Chafariz do caes da alfaudega. 6:000.-)00
Dito da ra da Croi........ 7:200kH
Dito da ra do Brum....... S.O00*000
Ditodo Forte do Matos e bica
do mesmo.............. 4:500000
S: 700^000
airrorde Saato Arjfcnio.
Ctafarizdo la#o do Qrmo., 10:0000000
Dito do Rlrgo do PTfaizo..... 8:0000000
Dito do largo da ppaga de Pe-
Dito da ruado Sol......... 3:0000000
006
MOYIMENTO DO POBTO
Navios entrados tu Ha 13
Liverpool por Lisboa 24 dias do primeiro porto
a 17 do sagudo, vapor wglez Gladiator, de
467 toneladas, capitao J. Gaard, eqaipagem 23,
carga faxendas e outros generas; a Thomaz
Jeferies & C.
Rio de Janeiro e Babla-5 diaa vapor ingles Dou-
ro, de 2026 toneladas, commandante J. A. Bavis,
eqaipagem 132, carga diferentes gneros.
Navios saktdos no mesmo dia.
Sootriampton e portos intermedios vapor ingloz
Douro, commandante Bavis.
Canalbarca ingleza Jane, capitao G. E. Jyeit,
carga assucar.
Lisboabrigne portogaez Constante JI, capitao
Eugenio Jos da Costa, carga assucar.
Dito darna da onoordi.... {UfOO0OQ>
30:50000001
Bairro da Boa-Vista.
Chafariz e bict do cae do
Capibaribe.w......U.. 3i$D0OOO
Dito da ra d Aurora...... 2
MIEZA--COWWU.
Lirre da **lgm*tur*
mvera* tRsre rhal^MrflMj e variado es-
pectscuto qae sera* dWtHWtaSMaTaitehle aoan-
cudo. *
Dr. Joaqui* Jos de Campos mu-
don o sen escriptorio de advocacia para a
cssa n, 2f da roa ib Irapefador, pr^iro
ana, ata do fundo.
avisos Emitimos
......m........... w
Para Lisboa
Segair com toda breviffade a barca portuguesa
Mdramira / fot'Ur parte gaada, aara o rto e passageiros para os qnaea
ofUmtt eximentes WMbodo's : trata-se com os
seosconsigofllicos Toomar de Aq*lno fonceea
& C. i ra do Vigarte n. lf m eom o capitao na
ora?.
Soita-feira 1-Wejnih.
O agente Pinto legalmeote autorisado tara' leilio
dos doos sitios cima indicados na poate de Ucboa !
n. 15 e l, as lf horas do da sapradiio em sen es-
criptorio rna da Cruz t. 38.
De casas, a saber:
l>l casa Ierre a roa Imperial n. 263.
Urna dita na roa do Forte n. 26.
Urna dita na rna da Soledad n. 6i.
Sexta-feira 15 de junbo as 10 horas.
Por interwtco 9 ageste Pinto, era sea escrip-
ro raaja Cri n. 3a _____________
kykt
De urna burra (ofre) francejta
em perfeo estado
Sxfa-feira-15 de junbo.
Porlntervencao do agente Pinto, as 111|1 horas
m ponto, em sea escriptorio a rna da Craz n. 38
mnmis. brasileirv
DE
PAf>HfiTfi9A VAPOR*
Dos portos do sal espralo
at o dia 14 do crrante nm dos
vapores da compinnia, o qnal, de-
ools da demora-do costme, segui-
_____r para os portas do norte. Dea-
de ja recebem-se passageiros, eaa*aja-se a carga
qae o vapor poder conduzir, a qnraBrer ser em-
barcada no di da saa chegada; encoramendase di-
Dito da pra?a da *oa-Va;..' eimoO, as^aTsag^ls^ rtmM'Z* SncTS.5
Dito da cala (Tagua dos Pires. 5:5000000 daCror n. l, escriptorio de Antonio Luz de011-
DitDdarttadeSwGoncalo.... 1 -sonflonn'Tetf Azevedo&-c ________________
Dito do largo da Soledade___ 2:1000000' Para c^"^ e Maranho sabe a escuna
Dfto da cidade nova de Santo Gmgtane
Amaro................. 3:0000000
EDITAES
Parguota-se ao Sr. Dr. Bacellar, juiz da dlceito
da comarca do Cabo, o motivo por qae tem dexa-
do de dir as raz5as da appella^o qe interposera
da senten?a proferida pelo jary, absol vendo a Jos !
Coelh) de Albuqaerqae e Soaza, dentro do praso idar a raza0 Pr 1aB n*0 '*> fleaodo desde ja no-
que Ihe e asslgnado por lei, taodo para esse lim tacado do competente protesto se a nao pagar.
Fago saber que em mea cartorio exista ama or"
dem da guarna de res 4:0813000, aceita por Pe"
dro da Silva Rago, para ser protestada por falta de
pagamento. E ignorando-se a residencia do uto
aceitante, pelo presente o intimo para paga-la-, on
era sua conclazao os respectivos autos de:-de o da
2 do met prximo Godo, nao obstante as reclama-
508S que Ihe ha feito delles o escrivlo do feito co-
mo Ihe curapre.
Recifu 13 de junbo de 1866.
O imparcial.
Recife 13 de jnnho de 1866.
O esenvo dos protestos. Antonio Jos Mves
Britto.
COMMERCIO
Z >sa Filial do Banco do Brasil em Peraambuco
aos 11 de janho de A866
A Clisa saca sobre a Caixa Filial na Babia.
\'ovo banco de|l*ernaaa-
buco.
O Novo Banco descoma letras a 10 por cento
ao anno
Novo Banco de Pemambuco,
o novo banco paga e 16 dividendo ne
raz5o de 60150 por aefao.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 12...... 231:044*306
dem do da 13................ 4:681*529
DECLmCQES
23:3000000
Bairro de S. Jos.
Charariz do largo daribeira.. 13:0000000
Dito da ra Imperial.....
Dito dito defronte da Cabanga.
Dito do largo deNossa Senho-
ra da Paz dos Afogados...
7:0000000
3:5000000
__a tratar com Tasso Irmos.
Baca a Bnhia
sabe com tola abrevidade o patach nacional San-
to Antonio; para o resto-da carga trata-seno lar-
go do Corpo Santo n. 4, escriptorio de Jos Maria
Palmeira.
Passagem da Magdalena.
Chafariz do largo do viveiro. 2400000
Dito entre as duas pontes 3600000
Para o P'rto.
A omito verra barc* porttrgaeza ARM1XDA,
capitao Antonio Francisco da Silva Nones, deve
seguir com muita brevidade em djrettora para, o
----------------, Porto, ja tem a malor parte do carregamento
26:5000000' proropto e para o resto que Ihe falta e passageiros
trata-se com o capitao ou com os consignatarios
Marques, Barros &C, na largo do Corpo Santo
o. 6.
3:0000000
6000000
Escriptorio da companbia doBeberibe 11
de j anuo de 1866.
O secretario,
__^ Dr; Joao Jos Pjnto Jnior.
O Illm75r> inepeetor da thesoarazia provin-
LEILIO
Da metada da casa da rna da Ponte n. 2.
Urna casa na rna de Coracao de Jasas n. 9.
Duas ditas aa rna da Barra de-Gaarabira.
(Na provincia da Psrahvfca.)
Seua-fira Ift de JHho'
_0 agente Picio fata'le 13 a requerlmenlo dos
administradores da raassa fallida de Manoal de
Azevedo Pontes e por despaedo da Iltm. Sr. Dr.
juiz especial do cemmerelo das casas terreas ci-
ma nseneionadae pertanceotos a mesma raassa, as
10-ljt horas do da cima dito em sen escriptorio
a" ra da Crns n. 38. ____^__^^_
IEIAO
De una taberna sita na rna de Brum
nufluro 33.
O agente Martins far leJlao por anzorlsacao do
Illm. Sr. Dr. Claujino de Araujo Gulmaiaes con-
sol portnguez, da arraaco, caixSes, depsitos, li-
teiros, canteiros, gneros e mais perteaces da ta-
berna da ro do Brum n. 33, pertaqcente ao au-
sente Francisco Marques da Costa, cojo bataneo
se acba em mao do mesmo agente onde pode ser
examinado pelos pretendentes.
Sabbado- 16 do corrente.
As 11 hora- da manhaa na mesma taberna.
Clikb- Pemayibucano.
DorntagelOdo corrente hatera reuna
familiar. ^
Hu jul mim
A'a**0CIW TJR. 2* ECaSAS DO COSTMB
.^ a;,x,0iss^(li*endea<* seas muitofeli-
XMhtlhetes garanttfos daloten a qne se acabou
dtftttrahir, a beneftftlo da matriz-de S. Jos do
Recife, os "egaiotes premies :
N. SMjres (juirnos oom a sorte de- 6:000j>.
N UlgBilheteiBJirte&m a aorte de 1:200*.
N. 3fbrther-inteiroeom a swte de 200*.
E outras rauitas sortes de 100*, 40*. 20*.
Osf)osoi*res nodeai vir receber seus respec-
tivo* prewio* saan a9 detcoato das ieht aa casa
daFdVajBa*rna>C*spoa>.23.
AWianr-se-a vffldi Os da 3' partir dV6- lo-
tera (67*) beneOei-do theatro de Santa Isabel,
que se extfthlra" quintafeira 14 do corrente.
Bilhetes. .... 6*0O&
':: il&m
Para as pessoas que compraren de 100*000
para cima.
Bilhetes.....5*300
Meos......2*730
Quintos. .... f*l00
jhdjaat Martins Pipa.
Amerco Ferreira da Ssrra t*rt"-a'nra de par-
licipar aorTespfitavel pobHca q*e tem anerto na
praca do c. mmercio n. 48 um armazera de com-
mistes de compras a Vendas de qhaesqner effei-
tos dii qne o ineomteirem, tanto n5 sen armasen)
como fora del le, tendo em boa guarda os qne Ibe
forem remettidos, observando iiai mete as inslrac-
50es qae lbe forem tranimettidas para o bom de-
sempenho de seos deveres,' a contento de tds qne
Ihe hoftrarem edm' a sua confianza. Ot&ro slm
I julga nada deyer o auuuncianlev e se algtteorse
jalgar eredor, aprsente sua canta qne immeduu-
menle sr aatisfeito.
LTVRfjTDE SORTES
PABA AS NOITES DE
S. JOO E S. PEDRO
venda, na Horaria ranceza
IV. O Roa do Crespo IV. n.
233:725*835
MOViMENTO DA ALFANDEGA
Volumes entrados com fazendas...
com gneros... 223
Volumes sabidos cem fazendas...
c 1 eom gneros....
------ 223
34
208 .'
------ 242
Descarregam hoje 15 de junbo.
Barca inglezaImogene -mercaduras.
Barca mglezaTtcklerdem.
Escuna ingleza.Arelas idem.
Barca ingleza lmparador farinha e mais g-
neros.
Barca ingleza SteWabacalhao.
Barca inglezaCorabacalhao.
Barca portugneza.Cfaadianadiversos gneros.
Patacho nacional Jaboalilo idem.
Brigue norueguense Yelani Idem.
Patacho italianoSoraidem.
Barca inglezaSopAocarvo.
Barca portaguezaMarianna /dem.
Barca nacionalAmtzadecharque.
Brigue nacionalBeluario dem.
Brigue nacionalAareliano idem.
Patacho nacionalSolidem.
Hiate portogaez -Serra /dem.
lmportaco.
Barca ingina Stetla entrado de Terra-Nova,
consignado a Sannders Brothers & C, monifestoo
0 sepilite:
2,000 barricas de bacalhao e 130 ditas farinha
de trigo aos mesmos.
Barca ingleza imperador, entrado de New. York,
consignado a Matheus Austhln & O, nnnifestoa o
seguale :
2,912 barricas farinha de trigo, 200 saceos fa-
rello, 200 barrls banha de porco, 500 latas petro-
leura, 21 volumes objeetos diversos para padarla ;
Matbeus Anstia & C.
6 ditos ditos; a J. L. Machado.
Patacho brasilelro Jaboalao, entrado de New-
York, consignado a H. Foster & C. manifestoo o
seguinte: Azeit doce idem.
30 caixas salsa-parrilba, 1,210 barricas fartaba Dito de carrapato dem
de trigo, 36 caixas cadeiras, 1 carro e perlences, Ceblas canto.
1 fogo, 1,000 resmas papel, 6 volomes machinas Fa re lo, sacca.
para algodo, 50 barris bren, 1 caixa livroc, *! Carne verle libra,
mesmos.
20 barris banba, 200 barricas bolaxinhas, 11
machinas para algodo ; a Ramos Silva & Gen
ros e mas M barrls bren ; ao raasmo.
6 barrls brea, 5 caixas' biscoatos, 10 volumes
objeetos diversos, 30 caixas agoa-tlorida ; a A. A.
Gomes.
30 machinas e pertances; a Yaz k Leal.
7 ditas ditas ; a Manoel GoacaJres,
64 ditas ditas, 200 caixas kerosene ; a Izidoro
Nato & C.
25 caixas kerosene ; a C. F. Martins.
14 caixas machinas; a LP. Vianna.
Patacho bespanbol Temotkeo II, entrado de Bar-
celona, consignado a ordem do capitao maoifeslon
o segnlnte:
460 barricas, 40 meias e 40 saceos, farinha de
trigo, 70 pipas, 30 barris de quinto a 40 ditos de-
cimos vnho Unto ; 50 ditos da quinto e
de dcimo branca ; a ordem.
Patacho italiano Sara, entrado de Genova, con-
signado a ordem, manlfesinn o. sagainie:
17 fardos cortualbas, 2 caixas vermatb, 1 bar-
ril vinho ; a A. Tara.
29 barris violto ; a Champion.
1 calza cora trabamos, 20 ditas tatone de
marmore, 20 ditas lages de dita, 42 barris alaista,
2 ditas cal nydrauhca, 13 volumes flo de forrite,
20 barris azeltefde ollreira, 229 barritas farinha
de trigo, 4 caixas mana, 60 saceos nrilho, 270 cai-
xas l'rtrhna de marmore, 4 vonunaa df"gf, 1
caixa pantos de raartm, 600 ditas flgos, 123 Has
marmore trabalnado, 1,876 pedras para calca-
nteoto, 300 saceos feijao, 500 ditos farello.
Consulado p*ii*cial
Pela mesa do consalado provincial se faz publico
que no da 1 de junbo vindouro se principian) a
contar os 30 das uteis marcados para a cobranca
bocea do cofre do 2 semestre do anno financeiro
corrente dos impostos de decima dos predios urba-
nos, de 20 0|0 do consumo de agurdente e de 3
0|0 sobre a renda dos bens de raz pertencentes
corporagoes de rao mora.
Mesado consulado provincial da Pernambuco
26 de mao de 1866.
Antonio Carneiro Machado Ros
*____________Administrador.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria prouin-
cial, em cumprimento da resolacio da junta de
fazenda, manda fazer publico que no dia 14 de
junho prximo vindooro, perante a mesma juota,
se ha de arrematar a quem por menos flzer o tor-
nea" ment dos medicamentos e atenis para a en-
fermara da casa de detengo desta cidade, por
lempo de um anno, a contar do 1 de julho do cor-
rete anno, ao lim de janho de 1867.
As pessoas que se propozerem a esta arremata-
cao coraparecam na sala das sessSas da referida
junta, no da cima indicado, pelo mel dia, com-
petentemente habilitadas, onde acharo presentes
os formolarios e condicoes da arrematacao.
E para constar se mandn publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da tesonraria provincial de Pernam-
buco 29 de mao de 1866.O offical da secretaria
Miguel Affouso Ferreira.
Para o Porto por
Lisbau
A veleira e bem conhecida barca portagueza
Tentador, pretende seguir com malta brevidade,
tem parte de sea carregamento engajado, para o
resto qae ma falta tratase com es seus consignata-
mi, emeaflinaatVe ordenTdo~Em? s7."pre-1 fLUm^AVSSt^ & C" D ***
sideate da provincia d-28 do corrente, manda fa- esCflforiQ na roa da Grnz "'.-______________
zer publico, qae no dia I i d-; janho prximo vm- PlVA C\ PlT4
donro vio englobadaraente a' pra?a para seren ar- x oa u x aiO
rematadas as obras da estrada e passadico do Cam- Preten,le seguir oestes sito das e patacho porlu-
po Granuda, com o augmento de 15 0/0 no valor i 8aez s-loroe Aviro, o qnal tem prompto parte
dos respectivos orcameotos ; os qnaes sendo da ide sea carregameolo : para o resto que lbe falta,
importancia de 8:000*, fleam eievados a 9:200*. lrala"se com os seus consignatarios Antonio Lniz
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-'de Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio ra
buco 29 de maio de 1866.O offleial da secretaria da Cruz B- *
____ Miguel Allonsu Ferreira.
AVISOS DIVERSOS
Compra-se um sobrado em bom es-
tado, de um a tres andares, as ras se-
guimos : Cadeia, Cruz, Trapiche, Impera-
dor, Crespo, Cabug, Nova, Queimado, Cru-
zes, Livramento, larga do Rosario e Hor-
tas; quem tiver deite carta fechada com as
iniciaesA. C. Ernalivraria n, 8da'pra?ada
Independencia.

^auta Gasa da Misericordia do
Recife.
A Illm0 junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico qae no
da 14 do corrente, pelas 4 horas da tarde, na sala
de su as sessoes, tem de ser arrematado o forneci-
ment dos gneros em seguida declarados, qae
boaver de consumir os diversos estabelecmentos
pos cargo da mesma Santa Casa, no trimestre de
julho a setembro prximo futuro, a saber :
Estabelecimento de earidade.
Manleiga franceza, libra.
Caf em grio idem.
Cha' preto idem.
Cha' hysson idem.
Assucar refinado Ia sorte, idem.
Dito de 2* sorte idem.
Dito em torro Ia sorte idem.
Arroz pilado do Maranbao idem.
Toucinbo de Lisboa idem. '
Bacalhao idem.
Tapioca idem.
Aletria idem.
Carne secca idem.
Sabo amarello idem.
Fumo idem.
Velas de carnauba idem.
Ditas de espermacete idem.
Farinha ae mandioca da trra, alqaeira nove.
Feijo malailne idem
Vinho tinto de Lisboa, garrafa, .i *_
Dito branto dito, Idem.
Vinagre dito, idem.
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesoura-
ria de fazenda desta provincia se faz publico, para
eonhecimento de quem interessar, que 00 dia 13
do corrente mez, perante a mesma thesouraria, se-
ro arrematados, por qaem mais dea, os arrenda-
memos annuaes, que devem ter principio no 1* de
julbo prximo vindonro, dos proprios nacionaes,
abaixo mencionados : os pretendentes deverao di-
rigir suas propostas em cartas fechadas ao film. Sr.
inspector, at as 10 horas do referida dia 13.
Secretaria da thesouraria de fazenda da Pernam-
buco em 6 de junbo de 1866.
Servindo de offlcial-maior,
Manoel Jos Pinto.
Relacao dos proprios nacionaes a que se refere o
annnncia cima.
Casa terrea n. 21, sita na rna de Santa therezs
desta cidade.
dem idem n. 19, sita na mesma rna.
dem idem n. 10, sita na ra de Aguas-verdes des-
ta cidade.
Sobrado de dous andares n. 71, sito na ra do Pa-
dre Floriano.
dem idem 0.11, sito naraa Direlta.
Armaiem n. 1, sito no Forte do Matto?.
dem n. 3, idem.
dem b. 5 dem.______
Conselho de compras
Para ?t Bahia.
Pretende seguir com mnita brevidade a velleira
sumaca nacional Horlencia, a qul tem parta de
seu carregamento prompto, para o resto que lbe
falla irata-sp com os s us coasignatarios Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo & C, em seu escriptorio,
ra da Cruz n. 1.
S. Mignel
11 ha de
Sahe com muita brevidade a escuna porlugueta
EMA, para passageiros trata sa com Joo do Reg
Lima, a' ra do Apollo n. 4.
Para Lisboa

.

1
Bolacha idem.
Pao idem.
Agurdente branca, garrafa. .
-Collegio daorphos.
Manteiga franceza, libra.
Assucar refinado Ia sorte, idem.
Diio 2a sorte idem.
Caf em grio idem.
Coa' hysson idem.
Arroz plalo do Maranho dem.
Bacalhao Idem.
Batatas idem.
Aletria idem.
Toocinbo de Lisboa idem.
Ceblas, dent.
Farinha da mandioca da trra, alquelre novo.
Feijo mulatinbo Idem. -
Azelte doce, garrafa,
25 dilos Vinagre de Lisboa dem.
Sal, cnla.
Lenha em acras, canto.
Carne verde, libra.
Dita secca idem.
Pi ida* idesa.
Bolacha idem.
As propostas <
taaelecimeotos~{
sao lambem ace
V
navaes.
O conselho contrata no dia 16 do corrente mez,
o aviamento do receitnano da enfermara de mari-
nba e os servidos de barbeiro da mesma enfermarla,
bem como a lavagem de roupa do estabelecmen-
tos de marlnba, e o fornecimento a estas e aos na-
vios da armada de ambulancias, e carvao de pedra;
tudo por lempo de nm anno a decorrer do 1.* de
julho prximo vindouro.
Tambem o conseibo no referido dia 16 do cor-
rente mez, promove a compra de 300 agolbas de
brim, 61 barquinhas de patente, 100 bandejas fer-
radas, 20 duzias de pranchoes de amarello, po-
carga, sicoplra ou angelim amargoso de 33 pos de
comprimento e 5 pollegadas degrossura ; 20 duzias
de prancbSes de amarello, po-carga, slcopra {on
angelim amargoso de 35 ps de comprimento e 6
pollegadas de grossora ; 20 duzias de* pranchoes
de amarello, po-carga, slcopira ou angelim amar-
goso de 40 p3 de comprimento e 7 pollegadas de
grossora; 6 presmos de patente, 4 arrobas de pre-
gos npares de cobre, 4 arrobas de pregos de batel
de cobre, 8 vigas de qoalidade 65 a 70 palmos de
comprimento ella 11 iinllpaartas em quadro, 500
pucaros de rolha, 20 grozas de peonas de ac, 20
livros m braaea Ae 200 folhas, 20 livros em bran-
t eo de II 9 folbaa, 20 livros era brageo de 103 fo-
TBSts; Hr IIMUS Ttn branco de 50,-e madeiras de
ceastrucgao-jiara q rrirasporte de gojerra.
Effecttaacansflhcyos contracto e promove a
compra dos objeetos, sob as coodid|5es do e?tylo e
a vista, deropostas em eartas fechadas recebidas
naqueHe dta at as 11 horas da manhaa.
Sala do conselho de compras navaes 12 de junho
dt 18B6.
O secretario
Afe'xandre Rodrigis dos Anjos.
seguir com brevidade a barca porlugaeza Mn
Marianna, de primeira classe, e recentemenie
construida ; tem prompta a maior parte do sen
carregamento; e para o restante e passageiros,
para os qaaes tem excelientes coramodos, trata-se
com Manoel Ignacio da Olveira & Filho, no largo
do Corpo Santo n. 19, escriptorio, oa com o capi-
tao na praga.
Far o Porto.
Seguir' com brevidade a bem conbecida e mui
veleira barca Claudina, por ter parte do sea carre-
gamento engajado: para o resto e passageiros, aos
qoaes offereee excelientes cotnmodos, trata-se com
Caoba Irmos & C, a' rna da Madre de Dos n. 3,
ou com o capita) a bordo.
Para a Baha sabe n'estes seis dias por seguir
com parle do carregamento qae condazio de Geno-
va a polaca italiana Sara'por lsso quem desejar em-
barcar gneros com brevidade e a frete commodo :
dinja-se ao consignatario Joaquim Jos Goncalves
Beltro, roa do Vigario n. 17, primeiro andar.
LSIL6ES.
LEIliO
De cerca de 7#} folhas de cobre Ye'ho
Manoel da Silva capitio do patacho portogaez
CONSTANCIA, arribad a este porto or torga
maior fra* leil) por autorisacodo Illm. Sr. cn-
sul poruguez, em sua presenta e de um empre-
ga*> da alfa niega para este Om nomeado, por in-
lervencio do agente Martins de cerca de 700 fo-
lhas de cobre velho, aa qoae sao vendidas por
eonia e risco de qutm perteneer.
*CBjrias:
No caes do Apello armazem do Sr. baro do Li-
tranwnto as 11 botas do da. '
IIII.AO
fe uma taberna la roa do Cordoniz
muer 5.
Instituto Archeologico e Geo-
graphico Pcrnambticano
A sessao ordinaria qae nao pode ter lugar quin-
ta feira passada, em consequencia do mo lempo,
celebrar-s-na quinta-feira, 14 do corrente, as 11
horas da manba.
ORDEM DO DIA.
Recepto solemne do Sr. Dr. Francisco Manoal
Raposo de Almeida, como socio effectivo.
Relatnos e pareceres da commissoes,
Secretarla do Instituto Archeologico e Geegra-
phico Pernambucano 11 de jo oh o de 1866.
J. Soares do Azevedo
________________Secretario perpetuo.
LOTIA
aos g:oooooo
Corre quarla -feira 20
Acham-se venda na respectiva thesou-
raria, ra do Crespo n. 15, os bilhe-
tes, .meios e quintos da 17/ lotera a be-
neficio das familias dos voluntarios da pa-
tria (68.a), sendo a extracto no lugar e ho-
ra do costume.
Os premios de 6;000000 at 10500C
ser3o pagos uma hora depois da extraccSo
at as 3 horas da tarde, e os outros depois
da distribuido das listas.
As encommeudas seo guardadas so-
mente at a noite da vespera da extraccSo.
O thesoureiro.
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
25000
Na botica e drogara
DE
Bartothomeo C.
%^
Arremata*;
oisda
337
O agente Pestaa tara' latlao da armacio, gaz,
eros e mais uteocllios existentes na taberna si-
na ra do Cordoniz n. & em um s lote on a re-
|Mbo. Esta'estabeleclmnto tem todas as propor-
jdes para cajraiquer principlante pois qae tem boa
_ maca, pwtos generes e boas, casa barata,
wo ata ib db eerrente enols da audiencia do bem Ingar e^>era afregaezada Sera vendida *m
joizo. mnafcrpal da primeira vara, tem da se arre- tflao qoinu-felra 14 do correte palas 10^ horas
m maebSa no mesmo estabelecimeoto.
34-Rna de Kazario Larga34
VENDE-SE
Preparados da America
Do J)r. Radwys;
Pilulas reguladoras.
Prompto alivio.
Rezolutivo renovador.
DoDr. Ayeir:
' Salsa parrilha.
Pilulas catharticas.
Xarope peitoral de cereja.
De Lammam & Kemp.
Verdadeira salsa parrilha de Bristol.
Pilulas assucaradas.
Pastilhas vermfugas.
Ole puro de figado de bacalhao.
Xarope pectoral de anacahuita.
Agni florida.____________________
Quem annonciondar 1-090,1 sobre hypothe-
ca dirija se a roa do Nogueira n. 26, 2a andar.
A roda da destino, novo e
completo Hvro de sortes, tcompa-
nhado de um mechanismo espe-
cial. um vortrme e o mechanismo
Cartas fatdicas, respustas in-
falliveis todos os problemas da
vida humana, nm estojo contendo
100 cartoes......, 1^006
logo da conversaco, con-
tendo 100 petgunias e 100 res-
postas : dous estojes cartonados.
Llvro do destino, 1 volume de
156 paginas, acompanhado de 32
cartes para homens e senhoras.
Cartas da Pytfioalssa Pari-
siense, 1 caixinha com um fo-
Iheto e 36 cartas......2A'000
Orculo das mocas.. 1 volu-
me brochado......10280
O Fado, novissimo livro, ou jogo
de sortes engranadas, 1 volume
brochado ....... l280-
Pacotilha potica, a mais
completa coileccao de sortes, 1 vo-
lume brochado.....
Revelaces do elgano, 1 vo-
lume adornado de grande numero
de vinlielas burlescas .
2)5000
100(10
10280
1:5000
s
O Dr. Carolrno Francisco de Lima San-
tos contina a morar na ra do Impera-
dor n. 17, segundo andar, tendo alias seu
gabinete de consultas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
O mesmo dontor, que se i d&io ao
estudo tanto das operarles como das mo-
lestias internas, prestase a qualquer cha-
mado, quer para dentro quer para fra
da cidade.
CALCADO
45 Hua ireila 45.
Abel Mara da Rocha, subdito portogaez, re-
tira-se para o Para.
Domingos Gemente Gnimaraes, portoguez,
val para a Earopa tratar de sna saade.________
Antonio Jos Gaspar retira-se para fra da
provincia a' tratar de sqa saade.
Leilao
De ama casa terrea sita oa roa da Ponte Vaina
*AfnJB ^pjjmos dajrentee 75 de fundo eam
caixas massas, 3S rsccos cominbos, 60 caixas en-' tos ueste eiUl.
ser especiaeaja'
somante de
verde on de pao e bolacha, pac eoosaane dos boa-
pitaes Pedro II, dos Lasaros, e para casa dos ex-
ptMtOS.
Reeommenda se aos ooncorrentes qae observem
em suas propostas a ordena, pesos, medidas e ena-
770 lidades indicadas na reanlo dos gneros descp-
vapor iaglefr Rhone para os senberes abaixo de-
D. Anloaquina de A villa.
Candida Pinto Lobao.
D. Carolina Lins Meira de Vascoocellos.
Carralbo &. Nogueira.
Wttrta'ia-e Hevtepaie. restbjin.
ercolano Geraldo de Souza Magalhes.
"vierdosSaatoa
ro Brroso do Reg.
Dr.JoIeaUriaSeva. 7
Joo Baptista de Castro e Silva.
Dr. Jos da Cuota Teikelra.
Jos Luiz Goncalves Peana Jnior
Jos Rodrgaos deSonza.
Jos des Santos Neves.
i Luz Jos da Silva Gotmaraes.
matar diversos movis per eaacucSo do tenente-
eoronel Justino Pereira da Faria, como inventa-
rianle dos bens do fallecido Francisco Gongalves
Bodrtgoes, contra Francisco Al ves dos Santos. Es-
crWo^aaaa._______________
Correio geral.
Relacao dts cartas seguras viudas do sal pele Mei Je de um casa terrea a mesma roa n. 13
' costaba fora
A primeira condicao indispensavel con-
servacao da sade trazer os ps bem de-
fendidos contra os ataques da humidade;
calcado bom e seguro o nico preserva-
tivo dessas mil enfermidades a que est su-
jeito o nossoeu. Um chinlo velho cal-
gado por um dandy patuscante, ou urna
botina acalcanbada em pequenino p de en-
cantadora deidade alm de aecusar que-
bradera horripilante, prova contra as acui-
dades intellectnaes dos calcantes, e nao ha
quem, tendo bom senso, queira passar por
maluco, ou pobre de surro : ergo, cor-
ran a:
4*~RUA DIREITA4*.
e attendam a' barateza.
""-v Homens.
BorzeguIils4)arcellonezes de lus-
tre e de porcT.^j 60000
Ditos do Bordeaux >^. -W^'
Ditos parisienses de bezerr^- ^
cordavao....... 80000
Sapa toe de lona, sola de borra-
cha.....; .
Ditos avelodados .....
Ditos de tranca bons ,
Senhori
Borzegam enfeitadoss. .
Ditos do laco......
Ditos lisos ....
Sapatos de borracha .
Selleiros, -corrteiros e segeiros 1
Sola de lustre, meios grandes 200000
E nm completo sor timen to de calcado fa-
bricado no paiz.

20000
10600
10600
50000
40800
40500
10600
Por inteuwbcaodo aanw Pialo, em saa escrip-
torio a' roa da Croa 38.,
LEILAO
DE
Recife a Sao Francisco.
AVISO
Os Srs, accionistas desta companhla queram
comparecer no escriptorio do calx na estaeo de
Cinco Pontas afim de rceberem o 9* dividendo de
juros de suas acedes coocerueute ao semestre An-
do em 31 de derembr uffmo.
G. O. Mann,
* Tbeeonrelro.
Vida do Cabo 11 de joaao da 18*3.
.-i '' "*


Ama
"M "
Precisase de ama ama para casa cTe hornera sol-
teiro : na roa do Llvrataento n. 11. t
Precisa-so de ama aaaa para coztnbar em
i casa de rapaz solteiro : a tratar na roa da Moeda
numero 29. .
O
de um andar sito u ponte
te ao sitio do Sr. Dr. Augusto
oom i salas, 6 qurtos, cos-
sobre oT^fbaS^^daffidaem 2a 'cado. pelo celebre JUCA.
frente e terreno pan jardn a arvoredos. |
Cigarros de-S- Esnlo
De ramo de Belem do Descalvido fabri-
Raa do Crespo d. 9,
XARfPE
PEITORAL E DULCIFICANTE
DE
SAIXT-&EOKC.JBS
Preparado por GRIMALT A C." pharma-
ceuticos de S. A. I. oprimir NapoleSo.
Cura rpida das molestias seguintes:
tosse, catarrhos, pleuresa, coqueluche, an-
ginas, fortes consti pagos, trritaeoosdOs bro-
neheos e do peito, bronchile, phtysica pulmo-
nar, astma,pneumonia, anginas, amygdalites,
tosse- BTMM,- roca,***
Oa medico^ recomawodam ao menm tem
po o uso das excelientes pastilhas peitoraes
cont o suco d Vistee* o lorfro-cerejn, que
se prepara flo mesmo o^betecimeato.
k tenda bm pharma;ias de Maurer e A.
Caors.
itigas
macia
afrecode
"'



JB
Blarl* *e # ALE6ITIMA
SALSAFAIMU
Atien$k>
PREPARADA 1KCAMENTE POR
Ll\Mi\ A KMP,
NOVA Y.OEK.
Composta de substancias, gozando ds
propriedades eminentemente depurativas a
approvada pelas juntase academias de me-
dicina; usadajnos principaes bospilae&,-ci-
vis militares e da marinha as Antilhas e
no continente americano ; recetada pelos
acultativosos mais distinetos do imperio do
Brasil e da America hespanboi
CUBA RADICALMENTE
escropholas, rheumatismO, escorbuto, &>-
ermidades venreas e mercur iaes, cbagas
antigs, morphea e todas as molestias pro-
venientesd'um estado vicioso do sangue.
Emquanto existem varias iaoitacoes <
(alsificacSos. preciso a maior cautela paca
evitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol vende-e por
CAORS BARBOZA
JOO DA C. BBAVO & C
Joo da C. Bravo & C.
Deposito geral em Pernambuco ra da
:rnz b.22 em casa de Caros
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companbia Indemnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias :
oa roa do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Em casa de Tbeod Christiansen.raa do Tra
piche-novo n. 16, nnico agente do norte do Brasil
de Brandenburg (reres, Bordeaax, encontrase in-
fectivamente deposito dos artigos seguintes :
St. Jalien.
St. Pierre.
Larose.
Cdateau Loville.
Cbateau Margaux.
Grand vin Cbateau Lafitte 1858.
Chatean LaGtte.
Haut Santernes.
Chatean Sauternes.
Cbateau Lataur Blancbe.
Chatean Yquem.
Cognac em tres quaiidades.
Azeite doce. Precos de Bordeaux. _________
Ama de leite.
Prerisa-se de nina ama de; leiie; na praca do
Corpo Santo o. 17.
O Peitoral de Cereja,
DO DR. AYER,
Pika A CCRA RADICA!. E CER-
TA de todos na molestias do peito
e da gargantn, toases, cons(ip9de9,
Bronchitr, nsmn, defluxoa, roqui-
rlio, Coqueluche, angina, Diptlieria.
Este xr.rope peitoral o resul-
tado de longos annos de estado
por um dos prhneiros mdicos da
America do Norte, de experi-
encias minuciosas nos principaes
hospitaes do mundo; ( reccitado pelos mdicos mais distinetos
deste seculo na sun clinica particular, portanto digno de toda
confianca, 1', por ser (fien-, alcanzando cora urna certeza infal-
ivel o assento da molestia e arranenudo llie as raizea, assim
liando aos orgos aflectadoa urna aceiio natural e s: 2, por
ser nnoc'ide e applicaral a qualquer pessa de qualquer idade
ou sc.ro, ao liomem robusto ou crianca da mais tenra idade,
cada frasco sendo accompaniado de dirrecces minuciosas;
.T", e ultimo, x>r n&o ser im remedio lecreto, pois qualquer med-
ico ou pliarmaceutico pode obter a formula da sua composico,
Laxe, a ra Direita No. 15. Rio de Janeiro.
Muitos casos que tinho zointiado de todos os recursos
la scicncia tem sido curados radicalmente com o uso do
Peitoral de Cereja.
As pessoas atacadas de tosse, clefluxos, Dhr da garganta,
Bronchite, asma, fie, e outros sympttmias da tsica prima-
ria feralmente fazem pouco caso do scu padecimento at
que seja tarde para cura-lo. N6o descuidis d' urna tosse
porque agora parece de pouca importancia ; urna tosse^
descuidada chega a ser chronica e induz a Ibrmaeuo de
Tubrculos nos puliocs.
Nenhuma casa de familia deve estar sera um frasco
diste xarope mo ; pois nos ataques repentinos de
f,.jip.f, de Croup, c, sos paroxismos do Coqueluche; ou
fMM compria a que esto incitas as crianca, nao ha
tempo de chamar um medico, ncm de fuer remedios, e
este xarope alivia inmediatamente e pe o filho querido
sRo e salvo, fra de perigo.
As molestias que esto ao alcance das virtudes curativos
do PEITOBAI. DE CEREJA. sao
Defluxoa, Toases, Asma, Esquinencia, Bronchite,
Coqueluche, Tosse ferina ou convulsiva.
Boquidao, Todas as molestias do peito
e garganta. Oonsompcao dos Pul-
mes ou Tsica pulmonar.
Acua-se cm todas as Boticas e Dragarlas do Imperio.
Pilulas Catharticas do Dr. Ayer
CUBAO
Prtzo de venire, Indigesta, ConrUpmeio, Jtheu-
matismo, Jlemmorrhoidas, Dir de cateto, A Xerral-
yia, mal > etfmago, Enxmqueem, mal 4o Eigad,
fastrite, Ettore gastro-liepatien, Zombrigas. Eryslp-
tlla, Ili/dropsia, Incremento do baeo.
Todas as moles'jas que provm do use ezeeMlvo do
Quinino.
O mlhor purgante at hoje conhecido.
Estas pilulas assucarsuiat sao puramente vecitaes.
PRGAO Z PUBiriCO SEM HXXOVBIO.
A venda a todas as Boticas e Drogara* do Imperio.
ASKim OtllL,
H. M. LAE, Boa Direito No. 15,
Blo de Janeiro.
Vende-se em Pernambuco:
na
EngONanaa-se
eom. asseio, promptidao preces razoavets: a roa
Augusta d.o, ioia.
O padre"francisco Joao cprofessor Eduardo Gadaalt prop8ft-se a
abwr na casa n. & do caes 4o Ramos, lo- |
go que baja numero suffieienle de alum- ^jm
.neg', um curso de dezenh consprebec- *
atado figuras, paisagem. ornamento e fg|
rrhitectura, pintura a oleo e aaoarella, *t
adicionando ao mesmo curso as mate- *
ras precitas como o .sao o desenlio Ji- 1
. aeareomelrico e perspectiva. Os DFe- me
tendentes podero entender-se com o f.a-
dre-Frtncisco Jalo de Atevedo na refe- H
rida usa.
Samuel Ptwtr lofcflt(iH & MftohU
Ra da enwila Kova n, 4.
AOCHCIA DA
FOBtl.C&O fie E.W MT,
Machiuas a vapor d 4 e 6 cavallos,
Moendas e taeias meeodas apa engenho.
Taixas de ferro ooado e batido.para enge-
nho,
T'- rx
Arreiosdv- carro para om done calilos.
Relogios de ouro patate inglez. t
arados amertcaaos.
Machinas para descarocar algode.
Motores pera dite&.
Machinas de costara.
Um -oco com habilitc*oecessarias seolTerece
p*r caixeiro de seceesi molbados, o quil d oo-
' ahecimento de sna xondocta : <|nem precisar diri-
|ja-eAO boceo da Linsueu no Recite n; 8. que
' achara' com qoem tratar.
? 1rwoda4c de Saiassmo Saciaaienlo
. ( frfguezia d Jts do ReHfe
I Geovida-se a todos es irmaos da^rman-
Idade do Sntissimo Sacramento d.fregue-
iiiade S. Jos do Itectfe, a comparecerem
i so ceosistorio da igreja matriz domingo 17
do oorreote pelas 10 horas da manha, pa-
ra proceder se em mesa geral a eleicao dos
foncoionarios qiie tem de reger a irmanda-
de-no futuro anno de I8M a 1667. Espe-
ra-se a maior concurrencia para o boa exi- I | Companhia dedade de segaros
toe acert da eleic5o. *' martimos e terrestres
estabelecida 10 Kio de ianeiro.
AGENTES SM PERNAMBUCO
intoni Laii e Wwaira Awvede k C,
eempetentemeote autarisados pala direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
4e, tomam safurea Ae navio*, mercado-
ria e Aradlos na seu efecriplonio ra da
Grax i. *T* CV
mmmmmmmmmm mwmm
Fogo fogo
Valdivioo da plvora eom fabrica de fogo artifi-
cial na Iba do Afaruim, se aeba com waio de
(ogos do ir de 1* sor te ja poste* us fleai/a espe-
ra de festejar os das qae ti ver noticias de qvalqaer
triampho das no&tas arma6deairodoHamait; todo
aqaelle qae tlver a mesma satistaco djrija-se ao
armazem de sal da ra Imperial n. 221 pouco alm
da fabrica de sabao.
Preeiaa-se de urna ama de leite: na roa das
Crnzes n.: 3.
ummmmkmmmmmmnm
^a rua do Rosario da Boa-Vista n. 4J fl
precisa-se fallar com o Sr. Antonio Fran- S
cisco de -Souza (estudante.)
mmmmmmmmmmmmmm
Na padaria n. 55 da ra do Rosario.junto.ae
e. 1 largo da Saeta Cruz precisa-se de um caixei-
ro que a booesua capaeidade.
A abaixo 3sstgoada encarregada pelos ber-
deiros do tinado Manoel Jos Goncalves Braga da
liquidaco do activo e passivo do espolio do mes-
mo, convida os respectivos credores para qae no
dia23 do correte apresentem seus titules legali-
sades atlm de se ultimar sua liquidaco; as i ho-
ras .da tarde na roa da Cadeia n. 48, segundo an-
dar.. Recife 9 de juoho de 18G6.
Mara Cordeiro.
Vianna & Gaimaraes declarara que desde o
da % do corrate deixou de ser seu caixeiro o Sr.
Manoel lemeolino de Alboauerque Maraoho.
Na ra do Cordoniz a 3 nrecisa-se de um
menino de 12 a 16 annos para caixeiro de taber-
na, prefere-se desses chegadus agora.
Precisarse de urna ama
n. 35.
Predsa-sc "lugar urnaeseravFqbriba'en- mcTa.%&".**!% &' ASftjSJ
goraroar e coser : no pateo do Carino, sobrado D. me-lda 01lVfi,ra : Da rQa da n- 23' Primeiro
i
(fempanhia. geral ltespaiihola de seguros mutuos
sobre a vida .
tTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
anea em dinheire, depositado nos cofres de estad, garaite a boa ad-
ministraeo da companhia.
AiNQUEIROS DA COMPANHIA I DIBECCO GERAL
A. JOREZ
FUNDIDOR E TORNERO
EM
Ra da Matriz da Boa Vistan. 36..
O anco d Henpanha
Madrid : Rna do Prado n. 19
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos sega'
os Mfcre a vida.
Media pode se tazer a subscripcao de mxneira que em nenhum caso mesmo por morte do
epu-ado e perca o capital nem os juro oorreepondentes a ettes.
Sao 45o suprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL,qae anda mesmo dlmfnaindd urna terca parte do interesse prodazido em recentes liquida-
otes eeombioando-o coro a mortalidade da-iabell de Depareeux qae adoptada pela companhia
P seus'&akulos e liquidacoes, em segurados de idade de 3 a!9 annos, urna imposicaoannua.
de iOOf pFodoz em eflectrvo metlico:
No fim de 5 annos.
de 10 .
de 15 .
de 20 s .
de 25
...
....
....
1:1194300
3:942*600
11:2084200
30:256000
80:331*000
DEPOSITO DE GALCAM g
FABRIQDO NA CASA DE DBTEN(0 JPI
K Rna Mova n. 61. H
#<, Ah se ncontrarao obras Je di-
versas quadades, e por preoo mui 7
diminutos, a re taino e em porcoes. H
S se vende a dinbeiro, fl
m
m
as idades menores de 3 annos e maiores -de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospecos e mais informacoes sefio prestadas pelo sab-director nesta provincia.
Joaqmm Fiaza de Oliveira, ra da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista ra da Imperatrix n. 12, es tabelc
______ ment 4os Srs. Ray mundo, Carlos.Le i te & Ir mao.
TlTmvRlA
Vende-se um torno ob*a prima e todo no-
vo proprio para tornear metaes e madeira
tendo dito tome eiqco qual'rdades de rosca
'dfferentespara fazer parafasos com.a pon-
; ta e a espera afleicJo do T, vende-se igual-
mente um rewolver feito nesta praca por
um dos mais peritos artistas: para ver e
iratar dirija-se roa na matrii da Boa-Vis-
ta casa ft, 36.
J 0 Dr. MigulJoaquim de Castro Mas- j
AO GRANDE & MAURICIO

mmmmmmm ac mmm
Na ra do Crespo o. 18, segundo andar, pre-
cisa-se de ama ama de leite.
PROCfiSSOS APERFEICOAlftO
PARA *
Tiugir, limpar e lastrar a vapor.
"1
Criado.
Precisa-se de um criado de 10 a 12 annos : na
r.ua Direita n. 68,1 andar.
F. A. SLMK

iguel Joaquim"
carenhas mudoa a sua residencia da ra
do Sol para a da Imperatrlz o. 88, entra-
da pela rna do Hospicio, onde continua
no exercicio de sua proQssao. 0 mesmo
Dr., qae se tem dado com solicilnde ao
estado e pratica das molestias de tero e
de meninos, d consulta gratis aos pobres
das 9 boras as 10 da maona.
29 Kua 7 de setembro 29
Defroule da roa nuva do Ouvidor (Rio de Jaieiro)
Os proprietarios dese eslabeleciment, o primeiro no sen genero n Brasil, por
j trabalhar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que se faz uso na
,-.. .1 OU5"l"'c*'t/' Europa, eajudados por alguos dos melhores officiaes de Paris e Lyao*, podem assegu-
mnfStSWSiTSf t k q.raur0ina ruaP do: rar seus freguezes urna perfei;o no trabalho, a qual seno pode chegar pelos proces-
Trapiche n. ii, segundo andar.
Arrenda-se um sitio no lugar da I'i ran-
ga, com trras de plantar e paito, e varias
| arvores de fructo; na ra do Imperador es-
sos ordinarios.
Tingera, Iavam, limpam e demofam com a mai r perfeicSo e brevidade qualquer
qualidade de fazendas, tiram nodoa e limpam secco sem moldar as sedas e as vestimen-
tas de senboras e de bomens.
Precisa se alagar ama escrava que tenha
boa conducta e sem vicio, qae seja boa engom-
madetra: na roa das Cruies u. 36, primeiro an-
dar, paga-se bom ordenado.
Furtaram do engenho Trombetas, da estriba-
rla ao amanhecer do dia 8 do correte junbo, dous
cavallos, ora cachito grande com as duas mos
brancas at os Joeihos, p esqnerdo calcado, listra
branca na testa, ama malba na barriga, mnito bom
! andador de baixo at esquipar, faca o ootro
ruco, castrado, de bom tamaito, grosso, andador
de baixo at esqaipar, ambos sao multo liberaes no
1 andar, e andam muito bonito; pertencem a Jos
Gorgonio Paes Brrelo no engenho cima dito.
Lava-se e engorama-se roupa d senhora com perfeicao e asseio : a tratar na ra
da Cruz do Recife n. 51, 3* andar.
Ama para casa
Precisa-se de urna ama para lavar, engommar e
coser para duas pessoas : a tratar na ra de A-
pollo n. 9. ______
Prec isa-se de ama moher forra de meialda
de que sequeira prestar a ser ama e fazer com-
panhia a urna senhora; a tratar na ra do Qaei-
mado n. 69.
nerua das Cruies crjptorio : n. 12.
2, esquina da ra de Hdrtas, 2 andar.
Aluga-se
andar.
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C. tem
para vender no sen escriptorio, ra da Cruz n. 1,
aloja do sobrado da ra do Hospieio n. 13 com1 ffi*iff*Hf* *"* ltlbnr0.
bonscommodos para morada, qnintl separado, 130la-aa Ba-ia ***--------------------------
para
com cacimba, cozinha,
sobrado.
etc. : a fallar no mesmo
Moleque.
Precisa-se ahogar um moleque de 14 a 16 annos:
na ra do Cabuga' n. 2B._________________
aro
Joo Baplista Gomes Penna tendo disposlo de
sea estabelecimento de molhados na rna do Impe-
rador, mudou sea escriptorio de commissoes e
consignacSes para a casa da ra do Crespo n. 18,
primeiro andar, ande poder ser encontrado das 9
horas do dia as 3 da tarde.
Bernardo de Cerquelra cCosta Monteiro faz
sciente ao publico e com espeialidade ao corpo
do commercio que, a taberna que tinha na rna da
Concordia n. 36, na qual era interessado Antonio
. Jos Teixeira, o qual gyrava com a firma de Cas-
tro Monteiro & C, de commam accordo com os
credores da mesma taberna passou no dia 28 de
malo prximo passado o direito que neiia tinha ao
mesmo Sr. Teixeira, ficando este responsavel pelo
activo e passivo, e o abaixo assignado sem respon-
sabilldade alguma par;, com a praca.
Bernardo de Cerqoeira Costa Monteiro..
M."c Janette tem a honra deannunciar ao
respeitavel publico, que acaba de abrir o seu esta-,
belecimento de charutos e outros artigos concernen-
tes aos senhores fumrates, na ra da Cadeia do;
Recife n. 11, para o qual pedee espera a benvola
protecc,ao e concurrencia do mesmo.
Precisa-se de urna amanara cosinhar, oa ras
ao crespo n. 18 primeiro andar : a tratar das 9
horas da manhaa as 3 da tarde ou na ra -Nova de
Santa Rita n. 69 junto a fabrica de sabao. ____
^^jj*aBMMMMBfliriini"t"i|,MXBtaMaaBai~
8*9
PHAR1Y1AC.E FRANQAISEi
deP.MAURER&C'.e|
RA NOVA N
O cororaendador Tbomai de Aquino Fon-
seca, D. Leopoldina Carolina da Fonseca,
Manoel Jos de Carvalho, seus irmos e co-
nfiados agradecem as pessoas que se digna-
ra m assistir ao enterro de sua entiada, til ra
e consorte Marianna Carolina de Carvalho,
e de novo solicitam que tenham a bondade
de comparecer a missa do stimo dia, que
se ba de celebrar na igreja matriz do Santis-
slmo Sacramento da Boa-Vista, sexta-feira
lo do corrente as 7 boras da manlia.. Por
mais este obsequio desde ji se confessam
sobremaneira agradecidos.
__Sao convidados jis ami#os do fallecido. Ma-
notl Joaquim de Sant'Anna a assistirem a
missa do stimo dia que lera lugar amaaha
as 7 horas no convento de N ssa Senhora do
Carmo. E' esta ainda urna occasio pro-
pria para patentear-se a Extn.* viuva o seo-
timento de que se achara possuidos aquelles
que liveram a felicidade de coohecer aquel-
le prestiraoso amigo e excellente esposo.
Menino
O solicitador Pedro Alexandrino da Costa Macha-
do precisa de um rapaz de 12 a 11 annos para ser
ajudante: a iratar na rna Direita u. 68, primeiro
andar.
LOJA DA FRAGATA AMAZONAS
N. 5 Kua rio Queimado n, ,'i.
Monteiro & Guimar5es, participam a todos os seus amigos e freguezes, que recebem
de conta propria por todos | objectos de a ta novidade, e bera assim adornos proprios para casamentes, pois questus
correspondentes de Hamburgo, Paris e Londres, naesilha de taes mercadorias tem
, merecido approvaco das encantadoras Pernambucanas.
A Fragata acaba de receber pelo ultimo vapor grande variedades de sedas de todas
as cores e quaiidades, tambem recebe por lodosos vapores luvas de pellica, (do afamado
Jouvin) saias de la com barras colloridas de grande novidade na Europa,' vestidos de
granadina bordados agulha, e de grande ton, ditos de popelina muito chiques, ditos
de esmeraldine (gostos noves,) riquissimos cortinados bordados a ponto de crochet, ro
tondas de seda, ditas de linho, ditas de algodo, chales de guipour de seda, e de al-
god5o, pentes para cok, (de phantasia) enfeiles para ditos, manguitos bordados e
gollinhas, camisiohas ditas, transparentes pra jaotllas com mui lindas paisagem, pre-
cales de apuradissim s. gostos e padroes, chapeos de palha enfeitados pelas melhores flo-
ristas de Paris, enlremeios bordados unos de dfferentes larguras, riquissimos cintos
bordados com figuras chinezas, (bordado na mesma fita) baloes de basteas d'afo ameri-
Fugio do engenho Taqara da rreguetiade igna-' ^nos dittos de musseina, tapete para guarnicao de salas padroes muito bellos, chapeos
rass, em os dias do mez de novembro do anno ?e .se(la Para MBBOMO, ditos para homem, enfeites imperatriz Eugenia, di los
prximo passado 1865, o escravo Luiz, crioalo, Maria Pia, cestinhas com todos os pertences para meninos de escolla, saias bordadas

100# de fin tilica rao
idade de 22 a 24 annos e
tes : cor fula, cabellos carapinhos. testa larga
com os signaes segura- para senhoras, gollinhas bordadas (gosto novo) chitas escuras e claras, madapoloes, cam-
bera feta, nariz liado. S^-4M&d 15S!ftif &d^J2*l*. *.I5? VF* TffP? **??.Ae Va^D??8 Paraguardar
W
-
Cosa vazia. ./
Aluga-se ama pequea casa na Toa do Naneen-
te o. 11: a tratar com Azevedo & Irmo a aua do
Queimado.__
Casa detommissao de escravos na rna do Impe- ou capitaes de camp que o apprebendam e levem
rador n. 45, tereeiro andar. eu senhor em dito engenho que lera" a gratifl-
Recebem-se escravos tanto do mato como da
uciii lena, uawl duiduu, iwi-t* ycui UC>CUU, i __. i m *_ *-w
denles alvos e sadios tendo emiim as feicdes ex-1 umneiro, e outras mmtas fazendas que se vendein por menos prego que em outro qualquer
treiuameute delicadas para escravo, lera os olbos, estabelecimento.
vermelhos.e o costume dj nao encarar as pessoas
e sempre olhar por baixo nao levantando nunca a
vista torooqjdem anda atemorisado, tem o andar
apressadte alguma coosa cabido para dinte, tal-
la netico explicado, tem as pernas bastante gros-
sas", tendo o dedo mnimo de om dos ps muito
alevantado qae sobresane quasi por cima dos ou-
tros, tem as cestas bastante cicatrizes de chicote,
assim como as nadegas, Este moleque foi com-
prado no anno de 1896 ao Sr. Francisco Correia
do Brejo Fagunde, dizendo ser o dito escravo des-
se logar : portanto roga-se as autoridades policiaes
cacao cima mencionada ou mesmo avisando o lu-
gar em qae o mesmo esteja.
praca para serem vendidos por commissao, afilan-
ca-se o bom tratamento e seguranca para os mes-
mos. O abaixo assignado nao poupa esforcos afim
de os vender com promptido, nesta mesma casa J coDtBua.8e a receber encomraendas dos mais
ha sempre para vender escravos de ambos os sexos, odog e apropriados fogqs com esoecialidade pis-
________________Antonio Jos V. de Souza. t0)as de 12 Dalas, para os festejos dos gloriosos S.
Precisa-se alugar urna escrava debons Antonio, S. Joo e S. Pedro : na ra Nova
costumes para o servico interno de casa de ''
familia ou um moleque de idade de 12 a
i & annos ; a ra do Sol n. 11.
Fogos artificite*
****** mwmmmm
DE
Ama de leite
AVISO
DE
J. VIGNES.
%. 55. Rl'A DO IMPERADOR X, 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje asss conhecidos para que seja necessario insistir sobre a
oa superioridade, vantugens e garantas que ofterecem aos compradores, qnalidades estas incontesta-
veis qae elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos-
toindo ora teclado e machlnismo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
nunca falbar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos importan-
tissimos para o clima desle paiz ; quanto s vozes, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-
reis aos ou vides dos apreciadores.
Fazenj-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
o. 39, orrespondeite de J. Vignes, em caja capital foram sempre premiados em todas as exposicSes.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um explendido e variado sortimento de msicas dos
melhores autores da' Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
preces com modos e razoavets.
Precisa-se de urna ama de leite livre on
va : na roa da Praia o. 13 e 15, armazem.
captl-
Ama
secca.
Precisa-se de ama ama para comprar e
nbar para pequea familia, livre oa captiva
roa da Praia n. 13 e 15, armazem.
cos-
: na
Destilador
Um mogo com habilitacdes aeseja-se empregar
como destilador em algom eogeoho : a tratar na
ra da Guia o. 3.
Fugio a 13 de abril do corrente anno
o escravo Joo, cabra claro, ropresenta
ler 25 anuos, um pouco baixo, corpo re-
galar, ps e ruaos um pouco grossos, na-
riz afilado, resto comprida, peuca barba,'
cabellos carapinhos, hombros largos, (al-
ia mansa, com alguma proza e diz qae
forro, este escravo foi encontrado em Ga-
ranhuns em caminbo para o serto, pre-
sume-se que esleta anda em Garanbons
ou em seos suburbios por ter conhecidos,
foi escravo do Sr. Antonio Correa da
Rocha Muuiz, de Garanhuns, e remettido
pelo Sr. Pedro Chaves ao Sr. lfepoel Ri-i
beiro de Carvalho com loja de fazendas
na rna do Queimado para ser vendido no
Recife, protestase contra quem o tlver -
oceulto : quem o pegar e levar ao seu se- I
nbor Jos Pereira da Miranda Guoh, ra S
W da Imperatriz n. 15, 2" atdar, alm de se
S pagar as desptzas o gritlricar com ge- p|
nerosidade.
ll'fffil tiKsViKWSMta
ATlKMiO
O coofeiteiro Zacaras residente'*ya de S.
Francisco n. 42, onde offerece-se a ipiomptar qual-
quer quaotidade de bollo, bandeijas para bailes,
, ToTTd casmemo-, bera como arma-lis do tnelhor gx>sto
do e.oaalqaw concert. -----prest e aceto, o mais fi(iBiDod
Trocam-se notas do banco do Brasil e das qualquer parle,
caixas 01ia.es com descont ruoavel : na praca da -------rr----------------__
ndependencia n. 22. _________ 7" A,aga'M an" ,P/T
^------r*::r-K--------... on-. ~.n.*An. com outras mais qnalidades, i
- Francisco Apolooio Bezerra da Silva morador fa pretender dirija
nav,lladeS.Jos de Bexerrps. estebelec.do ^lvaq^sm-a0)PDJl PM mJ
jalea nada devar nesta cadiUl, porm se algaem __' --------------
se jolgar seu credor, quaira presentar seu titulo
afim de ser pago.
Saques
Sobre o Porto e Lisboa: a tratar com
Carvalho & Nogueira na ra do Apollo nu-
mero 20;_________________'
' Ha para alugar-se um escravo possante pro-
prio para todo servico: oa ra da Cadeia do Re-
cife n. 52, tereeiro andar.
AMA
Preeisa-se de ama ama para cosiohar e engom-
mar para casa de pouca familia : a tratar na roa
do Sebo n. 24. ; _____
Na praca da Independencia n. 33,
roa das Crazes a. 42.
alizaeius
Tinta Inalteravel
Para escrever
de P. MAIRER & C.
PERNAMBUCO
Vende se na abobada da Penha n. 37, macas pa-
ra bolos preparadas com maita perteir;o e asseio.
Santo Antonio, S* Joo e S.
Pedro
Na ra oova de Saola Rita, confronte a ribeira
do peixe, sobrado de azulejo n. 13, 2o andar, pre-
parara-se encommendas de bolos de todas as qua-
iidades para os dias de Santo Antonio, S. Joo e
S.Pedro, assim como de podios, po-del, boli-
obos e bandeijas com as mais elegantes armacoes
para casamentes e bailes, tudo por preco comrno-
de e com a maior promptido e aceio que possi-
vel encontrar-se.
Aluga-se um escravo cozinheiro : qu-m pre-
cisar procure na ra larga do Rosario n. 40, pri-
meiro andar.
Aluga oe a parte
ra das Aguas Verdes n
de urna casa
92.
na
Aluga-se o 1 anlar do sobrado da .ra da
Senzala-velha n. 22, recentemente acabado de pin-
tara : a tratar na ra da Cadia n. i, loja de 1er-
ragens.
Cantos c phanfitsias.
Um volume in 12." impresso e en-
cadenado em Paris: em casa dos
edictores
LIVRARIA FRANCEZA
N. 9 Ra do Crespo N. 9.
i
Joo da Silva Ramos, mlico
pela universidale de i.oirchra, d
consultas em sua casa das 9 as
1 i horas da manha, e das 4 as 6
da tarde. Visita os doentes em suas
casas regularmente as horas para
isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero soccorridos em
qualquer occasio. D consultas aos
pobres que o procurarem no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
manha,
Tem sua casa de sade regular-
mente montada para receber qual-
quer doente, anda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e nella pratica qualquer
opperaco cirurgica.
Para a casa de, sade.
Primeira classe. .3^000 diarios.
Segunda dita-----3500
Tercetra dita. ..24000
Este estabelecimento j bem
acreditado pelos bous servicos que
tem prestado.
O propietario espera que elle
continu a merecer a confianca de
[que sempre tem gozado.
Sata tinta reoorruaenda-se pela sua com-
posica e fluidez como melhor e a xnais-
segura de toda as tintas At h.oje oouheci-
das. Nao ataca as pennas de ac, d at
tres excelleutes copias, mesmo rauittos dias
depois de escrever, e preferivel a qual-
quer outras tintas particularmente para
livros de commercio, documentos etc de
qu se careca longa conservaca.
i. i '
Vende-se na livraria franceza ra do Crespo e ra Nova n. 18 de
fmu mumn iios .
Para a leja 4a roa do Crespo m. 11.
Padroes lindissimos e o seu preco de 750 rs. o covado oa 14280 rs. a vara.
A elles Excellentissiiuas lites qae se aealem.
k^C/^fln ftanneo fn*> ^m (f-, iSOQ flfTl ifagn fSTt fMfl ^Bf> fsftTT
N abaoixo assignado, tbesoureiro da irmandade
do Divino Espirito Saoto (do Collegio) roga a to-
das as pessoas qae tiverera contas da irmandade de
Ih'as apresenttrem no praso do tres das para se-
rem conferidas e pagas. Roga Igualmente aquel-
les senhores qoe teem capas em sea poder, de as
mandarem reolber ra do crespo n. 7.
Coslodio Jos Alves Goimaraes.
O abaixo assignado preleodendo fazer a sua
residencia no engenho Peres, alaga sea sobrada e
sitio na povoacao de Afogados.
______Manoel Joaquim do pego Alboquerqne.
Precisa-se alagar orna escrava idoa para
Iervir de ama secca a ama menina : na roa do
msperador n. 27.
Deseja-aa saber da Sr* D. Maria Ritoeir da
Figuira, a negocio de sea interesse, por Isso ro-
ga-se a dita senhora oa a qnem dalla soaber, o fa-
vor de dirigirse a ra do Vigario n. 19, andar,
Precisase de ama ama forra oa captiva pa-
ra comprar, cosiqbar e engommar para casa e-
trangeira de pequea familia : na roa Nova o.
SO, loja.___________^__________^
O agente de leiiSts Olyopio pode ser, \,ro-
curado para exercicios de suas iaoe$Se?,.dji1; 9 ho-
ras da manbaa as 3 da Urde, no werlptorio da
roa da Cadeia do Recife n. 9, nao tendo gerencia
algama do armazem da praca do Commercio n.48.

--






f
i

a
*. -- -
M


Dirte e.Qrto**ce *uinta era 14 e JuuUo de 16CG.
***


FABRICA
NACIONAL
VIVA 0 MOGHESSO
A J DiBgaem ignora que I goveroo imperial adop-,
DE
YIDKOS
I
Estabeleciment na ra da Unio n. 11
PROPRIETARIO MANOEL LOHROS.
No deposito, roa do Carmo n. 63, existe m grande sortimento de vidros a crystaes, que se
Tendn por presos mais baratos do que era qualqoer parle : frascos de 1 .t 8 libras, bocea larga e
bocea estreita -, copos de 6 cortos, de mela ottava at meio qaarniho ; ditos de 10 cortes, de ns. 1 e 2 j
globo para lampeos de kerosene, lavrados, tardados e foseados ; ditos para candleiro de gaz ; lam-
peles de kerosene grandes e pequeos, lamparinas de metal; vasos para- centenaria com p e sem
elle, grandes e pequeos; chamins para lampeoes de kerosene de todas as diruensGes; compoleiras
moldadas de cortes largos, escarradeiras de cores para sallo, ditas de mo com aza, pequeas; vento-
sas e bidheiros, calixes moldados, copos feos para agua e vinho, pratos moldados, redomas, garrafas
para visti e agua, grandes e peqqetis, dltn para Le rey, ditas para licores, ditas para minas, ditas
para agua de Colonia, ps para pianos, crneos e de cores tubos para machinas a vapor, de erystal;
Slobos com guamicao de metal amare fio, mantegneiras de vMro, vid ros misos para galheleiros (api*
ados, vidros para lampadas de igreja, galhetas para mtssa, ditas para galbeterros, mangas para cas-
ticaes lisas, lanadas e lapidadas; lampeees de parede para kerosene, ditos de pendorar; copos gra-
duados de 1 ale 16 ongas para ptrarmacia, garanliodo-se a exactido da medida -, vidros para peixes
com p e sem elle, acocesas paracasticaes, chamins para lampeoes de akeite, ditas de cores para illa-J
minacoes, vipros para agua forte com rolba. Compra O deposito desta fabrica ea Peruambuco na rna da Imperante b. 19, onde existe constante-
mente chamins para caodleiro a gaz de ns. i e 3 a 330 rs. e de n. 1 a 400 rs-, lamparinas completas
a H, lampeoes completos a 7f e 8a, escarradeiras de cores a 15800 o par, pratos para copos d'agaa a
600 rs., copos de dea cortes a '600 rs., globos lapidados e lavrados para caodleiros a gaz a 15800. O
propietario deste nevo estabetscimento convida ao Tespertavet publico para que visitem omesrao, cer-
tos de que comprarap os arligos indispensaveis urna casa de familia p>*la sua baraleza e utilidade,
principalmente acs'Srs. pnarmaceutlcos pela grande qoantidade de frascos e vidros proprios de pliar-
macia. Taabem recebe encommendas. O encarregado do proprietaTio Suo Luiz Enwennaz.
at
as
E' baratissimo!
E' baratissimo!
E* baratissimo!
Neste importante estabeleciment encomia o res-
toa este systema de pesos e medidas e
repartieses militares p:r ura aviso do ministerio peuavel publico um variado sor decent de fazen-
da agricultura, cmmsrclo e obras publicas nao das francezas,ingieras e suissas.eas quaes se ven-
comprara se nao por taes pesos e medidas. O go- derio por prego commedo a saber:
verno deu um prazo aos particulares para terem Chales de renda preU a ^300.
lempo de se instroirem, mas brevemente se acaba Vende-se um sorlimento de chiles de renda pre-
e ento lodos sero obrigados a regularem-se por ta a 55306 e 65, ditos de seda a 125, 145 e 165;
estes pesos e medidas o que oigamos ser de muita isto na roa da Imperalriz n. 73 de Guiroares <5c Ir-
utilidade por ser esta medida lirada da circomfe- -
rencia do globo e por cinsegainte a nica, certa ja-
mis exacta, finalmente a duvida eslava em nao
baver taes pesos e medid as, porm esse mal la'
esta' sanado, ja' temos pesos e medidas tanto para
secco como para liquido, assim como pe?< s de fer-
ro de 60 kilograramas at 1|2 liecto-graiuma.da"
para sec-
mao.
Retonds pretas a 80,
t Vende-se retondas pretas pelo barato prego de
85, 85500 e 95; na ra da imperalriz o. 72, toja
de Guimaraes & Irmo.
Grande pexincha a 2 o cuite.
Jalao de 600 gramm as ai um gramma", para sec- MYnndS?2rffrld5-?,e.ID,'a.* ^'Kb^HSSR* ^""d'e'a
eos desde 1,JIhec lo l.lre at decilitro, para liquido Jg^* 5g8o e S ,*W*J"W0,
medidas de estanbo desde um Une at o decilitro,
assiiu como medidas de madeira para as lojas e
aedidas de extencao (treinas), de 20 a 60 metros:
o rico deposito oestes pesse medidas na ra
Nova n. 38, aonde se vendem desdeja e se-*ece>
hura encommendas pera denlro ou fora da pro-
vincia.
E
FABRICA A VAPOR
99 RA DO MONDEGO 99
freposf t> na rna Nova n. O lo ja de relojoeir*.
Deloucbc donos deste estabeleciment partecipa ao respeitavel .publico que sen. fa-
"briea est montada com as melhores machinas que existem ea Europa, e que pode
fabricarcom'melnor perfeicSo possiwl. Todo o chocolate desta fabrica est garantido, e
puro, o que Dio se pede encontrar naquelle que vem de fra, e que se vende por jwaco
.baixo, viste-os productos seren do poiz. Na eliqi t*'tem serapre urna aguia.
PRECO.
Meia hbra......... 400
Una libra..........- 600
Urna arroba........ISjfOO
Ns mesma fabrica acaba de se montar urna officina cota serrara a vapor para
obras ae maretneiria propria para edificio, para o que encarreg-se de fazer portas, ja-
nade enerfec5o. Toma-se qualqeer encommeor'i "jaera fra de cidade, atreganda-se
prompta -. collar-se bo lugar.
COEJLHO dfc FHEIT1S
Roa da Cruz o. 46.
Continua a baver diariamente um sortimento de pactis, podkts, bolos glezes,
enejadas etc., etc. Os donos desteestabelecimeoto, acba-se na de poder -satisfazer encommendas concernentes sua arte, em consequencia do socio
Fretas ter-sdo administrador ebefede algumas urna <: do 6r. Joo Goncalves Guimaraes (confeitas do Leo) antiga casa de CarceHer.
Todos os trabalbos sao difereotes dos que-.fie fazem em casas particulares.
Os proprietarios deste estabeleciment nao ee tem poupado a despezas, nem se
pouparSo, se bouver concurrencia como esperam ; tendo eoBinuadameete bom serti-
mento de doces para cbi; presuntos e ditos em liab*e. tamtem se recebem par* se-
rem preparados ; assim como doce de caj novo superior, secco e ccystalisado, dito em
calda em latas hermticamente fechadas, podendo durar annos em perfeito eetado.
Para jactares e partidas recebem-se encommendas dos segaintes objectos; ba&-
deijas ricamente enfeitadas sem armacao pecas de ameedoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, pie6 de l enfettados com distioos anlogos a qualquer lim; ditos montados
kechs simples e eofeitados.com fructas ingleza; gafeeaux de la reine, ditos de le d-
chese, tortas deructa, massa folhada; ditas de peixe ecarne; cremas e doces de ovos
,de diferentes espeeies.
Tambem tem um completo sortimest de \ inhos engarrafados, como sejam: vinho
.4& Porlo superior, Figueira, Madeira, Lisbaa, Clierez, Dordeaox, Champagne fino, ser-
veja, licores, charopes e conservas. Para festas: bonitas earxnbas com amendoas, eon-
eitos e mais enfites. Mnitos destes objectos mencionados podem-se perfeitamente ae-
conicionar tanto pava a provincia, como para fra.
FIGURAS
Acabam de receber bonitas figuras paca bandejas de doces, sendo grupos para
aplisaavO, casamento, annos, dittaa pbantasia, bonitos enfites para bollos e circular pra-
tos de.doces finos, tudo por prcos razoaveis.
Vende-se licores em duzia muito em corita.
AMENDOA CONFEITADA
Em arroba e libra, para o S. Joo; recebem-se encommendas de bollos simples e
enfeiUdos e tambera recebem-6e bollos para enfeitar. ________ _______^^
No da 16 do correle (sabhao| as 8 ho-
ras da maohaa teri lufar nafa missa pelo
eterno repouso uo capito Caelaoo Xavier
de'Oliveira, morto no combate do dia i de
ma4o, em qne tomn grande parta como of -
total do 7 batalbao de liiiha.
Sea irmio Antonio Joaqaim Brito de Ol-
veira couvida a lodos os seas parentes, ami-
gos e companhelros d'armas que presente-
mente se aeharem nesta cidade, para |assis-
tirem ao mesmo acta na i?reja matni[de San-
to Antonio no dia e hora designado.
o'cova
Grande Liquidacuo de Fa-
zeudas
Ai-untzcm da Arara
peratriz n.
rna
56.
da I cu-
de
Lmese P. Meides Guimarais.
Chitas*da Arara 160 rs. ocovado.
UIVAL M SEGUNDO
Rna do Qnelmado n. 4, leja de
mlndezas
PE
Jos Biyoinko
Esta queimaodo* miodezss abaixo declarad
Frascos de ok-o babosa fino 200 a 320 rs.
Ditos dito de plu'o-'-in* terdadelro a 800 rs.
Vende se chitas escaras e claras a 160 e 200 o, Ditos dno Meo 6w-rs.
covado, rortes de ditos a 2J e 2J40O. Ra da Frasees de cheiro n.uito I unitos a 2C0 e 500 -
Imperairi loja da Arara, d. 56. (-urtos de macaca perola a W9ts.
Cassas francezas fioas a 240 o covado.. i D"os c'm -cup?ripr hacha a 200 rs.
Veode-se cascas tmeus oas a %i e Wt\%\>ffi?& dP*f ^ \B r"
irr^^r^t^as .240 rs. o fl^^SXXil"-
COVadO. Frascos de oleo bati"?a muiu fino a 400 rs.
Vende-se chitas francezas escoras com pequeo; Dunas dmelas superior (.nalidade paaa stohura
240 o covado, tita francezas Uuas, 4oO0.
Boa da Im-
Na ruada Unio
boa engommadeira.
o. 40 precisa-se de ama
Fngio a 3 de joeIio a preta Angela, idade de
35 annos, poaco mais ou menos, altara regular,
(ola, tem sardas no -rosto, e tem o oiho esqoerdo
muito barato, tarlalana de core.a 240
rs. o covado.
Vende-se um grande sortimento de tarlauna de
cores muito proprias para vesudu, farenda- mais
moderna que tem viudo ao mercado a 240d cova-
do e 280, ditas mais tinas a 300 e 320, laasinhas
escocers muito modernas a 360 e 400 rs.
do, ditas muito Unas 460 e 600.
Cobertores de algodao a 800.
Vende-se cobertores de algodo a 800 rs. ditcs
melhores a lf600 e 1800, cuberas de cbiu a 2$,
2*500 e3|.
Quem duvidar venha ver.
Cambraia de cores a 240 rs. ocovado dita loa a
'280 e SO chita finas a 280, 300, 320, 360 e 400
rs., ditas percalas a 400 e 500.
Est se acabaodo chitas a 160 rs. o corado
l Vende-se chitas a 160, 180 e 200 rs. o covado,
riscadinhoslrancezes a 240 e 280 rs. o covado, roa
* Imperalriz o. 72, de Guimaraes & Irmo.
"Lencos brancos. a 2$ e 20500 a duiia.
Nitos finos a 'i e 3J500, ditos de linbo a 5,5000,
JRKJO, 69 e 7.
Cambraia branca a 3.
Vende-se nm grande sortimento de cambraia a
U, 3*500, 4*, 4500 e 3
Balees a 2<$.
Vende-se baldes de arcos a 24,2*500 e 3*, di-
tos americanos a 3A500 49 e 4,5500, ditos de mur
a 3*000.
o covado.
largar a 280, 320 e 400-rs. o covado
peralriz o. 56.
Bretanha de rolo a 35fcO).
Vende-se pecas de bretanha de rolo
brjm lizo para lences a 500. 560 e 640
Ra da Imperalriz loja do Arara c. 36.
Cambraias lizas 'do Arar a 3^(00 a peca.
Vende-se pecas de cambraia finas a 3, 4, e
6*. Roa da Imperalriz loja do Arara a. 56.
Arara vende cobertores a 1500 e 1$000.
Vende-se cobertoresa 1*000, ditos finos de pel-
los a 1*500, coberta de lista 2*000 e 2*500,
cobertas de damasco 4*000, cobertas de fastao a
5(000. Roa da Imperalriz loja do Arara n. 56.
Madapol5o francez do Arara a 3000.
a 60 r?.
Ghegaram s aguli.as Lalo (papel) a
1 Calas com botifos soldados dp chumbo a ICO
Frascos de opiata para denles a 500 rs.
Ditos de agua para liropar denles a 500 rs.
; Pedras de escrever (pequea:-) a 160 e 200 is.
Sap.'itos de Irania para meninos a I*.
Sapaios de tranca para homens e senhoja a !5i'tjl).
i Pecas de lilas de laa preta para vestidos a 600 r:-.
i Giozas de botdes de madreperola fiuos a 48b t
640 rs.
Canas de eolebetes francezes a 20 rs.
Pecas de lr I Caixas com iuperiores envelope a 600 rs.
Pares de sapaunhos d la para criauca i 400 r .
i Ditos de meias prelas para senhora, superiores
I 360 rs.
r?
cetina a 5*, 5*500 e 6*, ditos para meninas a 4*
magoado de" ama encada de urna" q'neda quV dea, i gj^^g^raQ0a da ImPera,riz D" 72'.'Ja de
a 3^000 o corte.
consta que tem estado nos Afogados K quem a pe-
gar leve-a-a ra -des Trincaeiras n. 17, que ser
recompensado,
COMPRAS
Compra-se
urca escra-va que seja boa figura e que sama bem
tngommar, nao excedendo de -2- ancos de idade,
e paga-se'bem : no eseriptorio de Vicente Ferrei-
ra da Costa & Filho, rna da Semala n. 138, on em
sen armatem junto ao arco da Conceicao.
Compra-s urna secretaria de jacaraDd
mogpo, Oiiro e prata.
Em obras velhas : compra-se na praca data
depeodeocio n. 22, loja de bilbetes.
Compra-se urna barra de ferro, ingleza ou
mesmo das antigs ; na ra Nova a. 31.
Compra-se na prensa de algodo de Saunders
Brotfcer-s A C. semeotes de algodo a -500 rs. por
arroba.
Cocipram-se libras eslerlinas, e pagam-se
bem : a' ra da Cruz n. 18 armazem.
Compra s de eheoatra de sopa : quem
snnuoce.
colheres de prata
tiver para vender
Compra-se um bom seliim inglez em segun-
da mao, fugo-se bem : na ra Bella n. 22.
Compra-se ouro, prata e pedras preciosa
em obras velhas : na roa da Cadeia do Recife
cja de ourives no arco da onceie_5o.
Compra-se urna escrava de meia idade, sem
vicios, e qne saiba eagommar, lavar e cociabar :
na rea do Cabus n. 2, sobrado.
A 9*500 pgam se as libras : na praca da
Independencia n. 22,
Compta-se urna escrava que seja sadiee te-
nha pratica de vender na roa: a tratar .na roa
imperial n- 67.
VENDAS
a 341000 o corte.
a 3)5000 o corte.
Vende-se cortes de la com 12 covados a 3*, di-
tos finos a 3*500 e 4*, ditos a Mara Pia a 7*500
8*, 8*500,9* e 12&.gravatas finas para hornera
a 640, 800 e 1*000, mamas muito finas a 1*200 e
i$400; isto na rna da Imperalriz o. 72, loja de
Guimaraes di Irmo.
Roupa feita.
Roupa feita.
Neste importante estabeleciment enecntrarao os
fregaezes um completo sortimento de re upa feita
assim como palitot, caicas, camisas finas a 1*600,
1*800, 2* e 2*500, ditas de linbo a 3*. 3*500, 4*
e 4*500, cortes de brim, ditos de casemira de co-
res e pretas, eeronlas de algodao a 1*600 e 1*800,
ditos de linbo a 2*, 2*500 e 3*.
Isto na ra da Imperalriz n. 72, loja e
______Guimaraes e Irmaos._______
Sortes pira Santo Antonio,
S. Jo&o e S. Pedro.
Vendem-se na offleina de eneadernacao n. 15
da rna do Imperador, tanto em folbetos como em
a-valso._________________________________
Farello.
Vende-se farello superior de Lisboa, recente-
mente ehegado : bo eseriptorio de Maooel Ignacio
pe Olfreira a Filho, largo do Corpo Santo n. 19.
RML SIII SEGUNDO.
Rna do Queimado 11. 49
crer.
Grozas de peonas de aoo muito boas a 320 rs.
Libras de nozes muito boas a 40 rs.
Pentes de alisar com costas de metal a 500 rs.
Pecas de tranca lisa de todas as cores a 40 rs.
Capachos redondos e compridos a 500 rs.
Pulceiras de comas para seubor n seo r*
Caixas de papel amlzade a 600 rs.
(nademos de papel mnilo bom a 20 rs.
te?
i*
9
A vidente ou sortes lidas jpariJ^pSfafeRlt
Escovas para limpar dentes a 200 rs,
1 Raralh s maito fiaos a 200 rs.
urna sonmbula,
Vende-se na Irvraria da praca da Inde- ;$** de pode arroz maiio superior 11800 rs.
necdonci* n R a A & caria .vemnlar lamhpm Gaixas de "Dna do az oO:novellos a 700 rs.
pendencia n. ai# caa exempiar, lamoem TCaUas de lamparinas para tres mezes a 40 rs.
ha papis da mesma a at) rs. cada nm. Caisas de obreias de massa a 40 rs.
1 .. ,-,... t ,, n u^mm i r n. c* Grotas de botdes de louca a 160 rs.
IIW vll^1 h \ IllillSrilV Enfiadores de cordao e fita a 60 rs.
W'iJ kjHkJ. /iLlllLIfl8H/0 Pegas de fila de eos com 10 varas a 320 rs.
Vendem-se as seguintes obras de diraito f^J^e*J|^f.,S!S^,,.,0SLSLj.. >
., 1 j r> n i Libras de alnneles francezes 1" qualidade a 2*.
com pouco USO : Mamiel du Droit fonuun Pecas de{ranga branca e de todas as qualidades a
|.or Mackeldey, 1 volume* por i&; Diceio*' ors.
mire du Contentieux Commercial, por Mas-, Novellos de liaba com 400 jardas a 60 rs.
s, l.vulome, porBJ; EUments du drit\gImmmmt^m^mra
rmatn, por Maynz, i volme por bfi; Et- Pareg de lavag brancas e de cflres a 400 rg.
pr de la jurisprudence des successions. Grvalas de todas as qaalidades a 500 rs.
BOfConflans, ( volme, por 4<$ ; Code pra- \ Resmas de papel almago superior a 2*400.
quedes fale* JorGeoffiroy, I ^^^'^^^^J^^^ r&
por3#: : na ra do Crespo n. k, fabrica Bunecos do choro mnito bonitos a 160rs.
Vende-se pecas de madapolao francez de 12 jar-1 Lmas de pregos de lodos os tamanhos a 240 rs
das a 3500e'.JOOO, vende-se pecas de madapolao caivetes com duas oluas muito finos a 3't
inglez de 24 jardas a 45, 5*500, 6*. 7* e 8*000.; 500 rs.
Ra da Imperalriz o. 56. Sabonetes de familia, superior a 100 e 120 rs.
Arara vende pe^as de slgodaozinllO a 3)j000 Resma de papel de peso mnito fino a 2.
Vende-se pegas oe algodaozmho encorpado a 3*,' Frascos cora tima superior a 100, liO e 320.
4*, 5*, 6* e 7*. S na loja do Arara vndese >* -1^ jtiaa. 3M&& Mita?
azsim barato, ra da Imperalriz n. 56.
Laasinhas do Arara a 200 rs. o covado.
Vende-se laasinhas para vestidos de senhora pelo'
barato prego de 200, 240,320 e 400 rs. o covado.
Ra da imperetriz n. 56.
Bales do Arara a 2fj000.
Vende se banlo>s de arcos a 2*000, ditos finos
de 20, 25 e 30 arcos a 3* 3*500 e 4*, ditos de
mursulina para senhera a 5*, ditos para meninas
a 35 e 3A500. Ra da Imperalriz loja da Arara
n. 56.
Lencos da Arara a 2#00O.
Vende-se a 'uzia de leogos brancos a 2*000,
ditos com barras tambem de cores a 2*000, meias
cruas para bomens a 2*i00, 3*500 e 45500 a du-
zia, aberturas para carnizas a 500. Ra da tmpe-
ratriz n. 56.
Roupa feita por medida.
Vende-se paletots de panno e de casemira pretos
e de cores a 4*, 6*, 8* e 10*, caigas de tnm a
2*, 5*500, paletots de brim a 2* e 35, caigas de
casemira de cores a 3*, 55, 6*. 8*, duas pretas a
4*, 6* e 8*, cami-ns francezas finas a 25 e 25500,
camisas inglesas de prega ilarga de linba a 3*,
3*500 e 4*7 Ceroolas de algodo a 1*, de brim a
1*600 e 25, roupa feita para escravos prepria para
servico, calcas e camisas a 1* e 15120. S na
rna da Imperalriz loja da Arara n. 56.
Arara vende as sedas a 10500 o covado.
Vende-se sedas para vestidos a 1*500, oreandins
linos para vestidos de senhora a 610 e 800 o co-
vado Ra da Imperalriz loja da Arara o. 56.
Voy sortimento de pe-fumarias
finas.
Chegoo para a autiga loja de miadezas a ra do
Queimado n. 16.
Bonitos vasos de porcelana acurada cem baoha
muito fina.
Outros ditos de p de pedra com dita.
Garrafas com soperior agua da Colonia.
Frascos com agua balsmica paia dente?.
Dito de dita dentifrice.
Dito de extracto de quinquina tambera para den-
tes.
Dito com superior agua flor de laranja.
Dito de dita flor de rosa.
Dito de dito vinagre de Venus para refrescar a
pede.
Dito de dito agua ambrlava para banbos do ros-
to, corpo etc.
Dito de superior agua de Colonia ingieza, de Pi-
UlttnitPekceiieuits Uduiid ue uuinu. 1
Sabonetes de Lubm, e outros de amendoa, trans-
parale, etc.
Cosmetique (ou pomada) de superior qualidade.
Finos extractos, fraogipane, sndalo e outros
tambem de finos e agradaveis cheiros-
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Bonitos vaeoe fnm [ de arroz e DDCel.
Caixinbas com aromtico p de arroz.
Oleo inglez. dito philocome, babosa e obtras qua-;
idades para cabello.
Ciirviiiacome para tingir cabellos.
Essa apreciavej tintara chegou para ^ loja de
mlodezas a ra du Queimado a. 16, assim como o
sabonete branco, para se lavar os cabellos
Grande armazem de tin-g
g tas medicamentos etc.
Ra do Imperador n. 22. lr
7foio Pedro das nieves (ge-^
M rente) tem a yenda e
fm seguate:
$ Prodactos chimicos e pharma-
*& ceu ticos os mis empregados em
s^ medicina.
Tintas para todo o genero de pin-
J tura e para tintnraria.
Productos induslriaes e tintas
W para llores, como botes de Cores
^ e modelos em gesso para imitar
S fructas e passaros com o compe-
5 lente desenho.
Productos chimicos e industriaes
I para photograpliia, tin'uraria, pin- M
jp tura, pyrotecnia etc. g|
^ Montado em grande escala e suji-
B prido direclamente de Paris, Loo- **
B dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa ^
S pode offerecer productos de pen;! ,*!
W confianza e satisfazer qual^uer en-
jfc* commenda a grosso trato e a reta- fj
Jg lho e por prego commodo.
mmm mm&MMmmw^ i
Rodelas de borraxa
proprias para atar massos de papis, e par:. :r
virem de ligas para punbos, manguitos, el ck'
Vendem-se na ra do Queimado loja d'aguia va*
ca n 8.
Mu finas cartas
francezas, com cantos dourados, e sem donrado,
Vendem-se na ra do Queimado loja d'agcia \rr'.
ca n. 8.
Envelopes azues
na ra do Queirpado loja dagti=
'ina
.nca
a. :
jar.'
Vendem-se
branca n. 8.
Apparelbos de poi
dourados e pintado.
Ka rna do Queimado loja d'aguia !
vendem-se bonitos apparelhos de porc
almoco e jantar de tuecas.
Bonitos quenios
pai a retratos.
Vendem-se na ra do Queimado loja d'-.tu
bracea n. 8.
Perfumara ingleza
A agua branca a ra do Queimado n. 8, recebo:
aa
tes de um novo sorlimento de fioas" perfumaras' ir
soasar da preparacao. de I. GosoeH A C ; sfndo extracios dos.-.-;,
labazes de Vldre CSm perfOiariaS. eheiroi Bonq da Rainha Victoria, do P. A
Vende se esses bonitos cabazes de vidro com per- ?? do .'mpwado Japnlelo, da imperalriz BocearJ
fumarias, proprws para presentes, etc.; na roa do i?,rJ f,.'...188 k^'Jocn ^l0D' frangipane, un
5 55".'O
- 2 c = a *
2
B,
ai o
S.w a> a m o 3
g'l
3 = 2.
Sf ~ ta. o a
?8^2SBg-
P
0
oaB" S-S
S
a
Si
O X-
sr
O o
lilil!
8 8js.i.f.
g *4j
til
M '
as
|i>
*
fes
o a
SI- &
ar^. x
fll
SO-- -
il!
S B-
0
a
a
fc
e
S
s
81
m
decbaposdesol.
Saias bordadas
Frascos de soperior agua de colonia a 400 rs.
Cassas de cores
pechincha, porque sao Unas e bons padroes, e
cova-
Cbegaram a loja de Paredes Porto, ricas saias.
bordadas, qae veudem-se a 4^300 e 5 : no arma-1 "Ibor ainda o diminuto pre{o de 280 rs. o
tero da porto larga n 52, roa da Imperan ir. na Boa-vista, r
ATTKMCAO
Para Santo Antonio e S. Joo, algoidares de Ge-
nova de todos os tamachos, muito baratos por ter
grande porco, jarras finas, entre-fin e grossas, i
de todos os tamanhos, assadores para ir ao torno,
vasos francezes em temos de seis, e toda a mais
louca de Genova e da trra : na* rna do Rangel
numero 4.
Vende-se oleo de-ricino em Utas de 30 li-
bra? : na roa_da_Cadeia_-velha no Recife n. t."-"*~\
Vende-se a taberna da roa Imperial n. 201:
a tratar na mesma.
ATTENgAO.
Vende-se paiba bamborgueza recentimente che-
gada, para empalbador, por prego mais commodo
do qae em oulra qualquer parte : na ra de Hor-
tos n. id.
Gal de Lisboa.
Desembarcada do brigoe porloguez Constante II,
vende-se por barato preco : no eseriptorio de Ma-
oel Ignacio de Oliveira & Filho, largo do Corpo
Santo n. 19.
Queimc! > loja de miudezas n. 16.
Latas f; copos emo bai.lia fina,
| A bem conhecida loja de miudezas a ra do
Qaeimado n. 16. acaba de receber as estimadas la-
tas com banha fina, assim como copos de vidro de
novo e bonito molde, com lampo de vidro e cheiros I
de excellente banha. Recebeu igualmente a pro-:
veilose banha transparente que maito serve para
acabar as caspas, e a aromtica e agradavei banha
japooeza e outras. Os pretendentes dirijam se a
dita loja de miudezas a roa do Queimado o. 16,
que sero .servido a contento.
Booqaet dos alpes,
Esse fino e agradavei extracto, vem em um bo-!
nito vaso de p de pedra e este dentro de ama ele
gante caizioba de papelo, de forma qae a perfei-
cao de urna coosa corresponde a soperioridade de
oulra. Esse apreciavei extracto acha-se a venda :
na ra do Qaeimado loja de miudezas n. 16.
dalo, ele. etc.
Oleo fino para cabellos.
Opial para pentr".
Agua da Colonia.
Sabonetes finos creme de amendoa para barba
Pencas d'aco inglesas
douradas e sem a ser.
Chegou para a Jeja d'agua branca ra de .);=-,
mado o. 8, um excellente sorlimento de r
d ago inglejas, douradas e sem a ser, porm : a
&2m *&& ex'rafina' e continua-se a vend,-:a> a
2loO, 2^00 e 18500 a caixa.
Tinta azul e prela
tinta rocha e preta.
Estos tintas cojas excellenies qualidafies ja a
bem conbecidas e apreciadas pelos entendedures
i florida e nico,
na loja de miudezas n. 16, ra
)YSBRANCOS
para o Villar com loja a* ra do Crespo
n. 17, padroes lindisslmos e vende a 750
rs. o covado on 10280 rs. a vara, a ellas
_Excellenlissimas antes que se ac bem. __
HmMM ^^HflinB WIHR1H
Antonio, 8. JoSo e 8.
Pedro.
Vende-se urna parte de trras na proprteda-
de Virago distante da estacao de Gamelleira meia
legna : a tratar com Jos Carlos Leito de Albo-
querque na estagao de Una._______________r
CHAPEOS O CHILE
a 1:500 e 2;00O rs.-
Na praca da Independencia ns. 24, e 26.
Pechincha
Vende-seamatabprnatemlocalisadaeafreguxada Nossa Sfnho a U C" a gltrtsa
para a trra, que vende de 160 a 240 diarios* na Sjuil'anna
fregaezia da Boa-Vista, a.casa por mnito commodo .... >-uim.
prego de aluguel e tem coromodos para familia,-as.! ,EsU venia defronte do convento de S. Fran-
sim como se vende s a armacao : na ruada Im- ?,s^? n- '** a vena, salve, versos, e a exposigo
Vendem-se batedeiras e alguidares da fabrica
do Barbalboe mullas mais lougas que tem de
grande sortimento, todo por muito barato freg
{ por ser no nico deposito e pode vender mais ba-
! rato do que todos i no pateo do t'ergo n. 19.
acham-se a venda aa ra do Qaeimado loja d'aRu;
branca n. 8.
Lacre fino 'de cores
cora cheiro e sera elle.
Na loja d'aguia branca roa do Qaeimad, a
do |'ende se lacre fino encarnado aromtico e .-
ser ; dito verde, e urnas caixinhas com din d*
cores pelo barato prego de 500 rs. cada orna.
Papel inglez
em caixinhas.
Na loja d'aguia branca a' ra do Qneimado n. fi
vende-se desse superior papel inglez era caix; >r;
Luvas.de camtirsa
brancas aroarelias.
na ra do Qaeimado loja d'aguia
armacao : na
peratriz n. 6 se dir' quem vende.
Vende-se um escravo
mero 14.
ra do Destino nu-
Vende-se na faodicao da Aurora, as melho-
res e mais perfeitas caixiahas com lita de medir, e
letbas de ferro galvanisado, lodo por pregos ra-
teis.
do Santo Escapulario, tres'foloetos por 500 rs., e a
novena da gloriosa Sant'Anna em 1 dito por
320 rs, .
Vendem se
Queimado.
Frascos com gomma arbica dissolvida
e pincel.
Vendem-se na rna do Queimado loja de miude-
zas n. 16.
Tinta indelevel para marcar roupa.
Vende-se na roa do Qaeimado loja de miudezas
Fila elstica para cs de balad, e aspas dJbrSSft!!&e
.'.__ a?o para os ditos. Meias pretas para padres
Vndenme oa roa do Qaeimado !oja de mlode- Vendem-se ua ra do Queimado
Bonitos entremeios e babadinhos bor-
darlos.
Veodem-se por barato prego na loja de miude-
zas n. 16 na roa do Qaeimado.
Tinta rxa e azul que ficam pretas.
Na loja de miudezas n. 16 a ra do Queimado,
vendera-se frascos grandes e menores com essas
excellotes timas, rxa e azul para ioar preta; o
prego dos frascos 10000 e 500
Graxa econmica em latas e barrilsinbos.
Vendem se na loja de mindeas n. 16 a roa do
Queimado.
Vinho de jurubeba
Atten$lo! sitio grande.
Vende-se um grande sitio com bastantes trras
para extraegao do bom barro e para planlagao e
eriagao, alguus arvoredos de frocto e com excel-
lente caja de vivenda no lugar do Lucas denomi-
nado Bongl, entrada pela Passagem da Magdalena-:
quem pretender dirija-se o segundo andar do so-
brado n. 12. ra d Hortas.
Si n .n.
emedios,
com ama boa olaria, barro para toda obra, dona
viveiros, tres casas de pedra e cal, arwredos de
frocto : a tratar no sitio Eugeooca no mesmo Io-
gar; tambem arrenda-se.
superior a todos os" tnicos conbecidos contra a
anemia, cbloroge, bydropesia, obbtrucgao do abdo-
men. E-tambem empregado nos casos da mens-
trnagio difflcil, nos catarrhos, da bexigactc. Depo-
sito na botica do Ploto ra larga do Rosario o. 10,
do Donrado, Rio de Janeiro, do Claadino as Ala-
goas.____________________
Cigarros anil-asthataclco de y
A violencia e a rspetigao dos accessos desta mo-
lestia sero prevenidss, Imped-Jos e carados com
o uso constante deste remedio : botica do Pinto
ra do Resano larga n. 10.
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarogar
algodo : na roa da Senzala jNova n. 41
E. R. Rabello tem para vender no seo eserip-
torio na. rna do Trapich n. 44, segundo andar, o
seguinte:
Vinho medeira superior ero caixa de daas dnzias
defrrfas.
dem do Porto dem em ancoretas.
Ideo de Lisboa e da Figueira.
Cera em ~velas. _______
Panno de algodio- da Babia para saceos de
assocar e roupa de escrvo, vende Antonio Luiz
de Oliveira Azevede & C, no sen escriprorio ra
da Cruz n. 1.
L1MIAS EN SAL-
MMlA
Cnegaram oltimamente do Rio Grande do Sul no
brigue Mondejo, as quaes estao a venda ea roa do
Trapiche n. 18, confeltarii.__________________
Attonoo.
Vende-se urna arroagSo de taberna com todos os
pertences, propria para um principiante ; na rna
de S. Joao : a tratar na roa Augusta o. 25.
leja t'agui.'
branca n. 8.
Aspas largas e fortes
para balo.
Vendem-se na rna do Queimado loja d'acu; i
branca n. 8.______________
Fagos
de artificio
. Ha grande porcao de fogos de artificio na conhe-
cida fabrica da vi uva Rufino, o qoal vendido p< commodo prego, e como seja penoso ir J pea dis-
tancia, as pessoas que qnizerem fazer suas eccom-
mendas para S. Joo e S. Pedro, as podem deixr.r
no armazem da bola amarella, no oito da >ecri'-
taria da polica, onde havera' um portador au
ir buscar e levar ao logar coavenclooado.
os agricultores
Saunders Brothers & C. acabam de reeeter de
Liverpool vapores de forca de 3 a 4 caaallos rom
todos os pertences, e mal proprios p?ra fazer mr-
ver machinas de descarogar algodo, podendn ^ada
vapor trabalbar ate com 140 serras, tambem m i
vem para enfardar algodo on para outro quali>u-'-
servigo em que usam trabalhar com anmae-. 0<
mesmos tambem tem a venda machinas a ti
as de 3o a 40 serras : os pretendentes di; p'i
seao largo.do Corpa Santo o. 11.
U.
No armazem da roa do Imperador n. 3 on rn<
Caes da Pedro II n. 2, teta para .venderse c a--
bor gaz existente no aereado._____
Vende-se manteiga iBgleza mono Ina. d--
primeira qualidade, a 700 900 rs. a libra r...
pateo do Terco, n. 21.
^
____mm^^>jH
"


tmfr


Dlirie de PernanUmerj galota teira 14 de Jnnho de 1866.
0 que ocoupa hoje mais a atiendo do mundo
econmico? o novo systhema do proprietario do ar-
mazem de molhados
NIAO MERCANTIL
53 RA DA CADEIA 53 ,
F.ISSAWDO O ARCO DA COMCElClO.
Que surge de novo basteando a baadeira da modicidade de pregos em todos os
seas superiores gneros.
Que o publico reconheca as vantagens que de tal syslbema lbe resalta, o que o
proprietario do sitado armazem deseja, e a que desde j o convida : passando tamben a
notar-lhe os precos de alguns dos gneros do seu explendido sortimento, e para os quaes
pede-
ATTENCiO
a de miliio branco americana.
Esta exceHentegomma, mnito se recomcommeada como o alimento mais subs-
tancial e saudavel; servindo nao s para papa (no que superior de toda as atrs
gammas e farinbas) mas tambem della se pode fazer pao-de-l, caagica, reme, bolo
francez, podim, etc.: o preco de cada pacote de urna libra 800 rs., em caixatem aba-
timento.
$&&&&&*&&&<
MANTEIGA INGLEZA de superior qualida-
de a i,28o e l.loo rs. a libra, em barril
se faz abatimeato.
DEM FRANGEZA a mais nova que ha no
mercado a 61o rs. a libra, em barris ou
meios a 600 rs.
CHA HISSON de primeira qualidade a
2,8oo rs. a libra, aim desta-ha muitas on
tras proprias para vender retalho, que
se vendem de l,6oo a i,800 rs. a libra.
DEM PRETO o mais especial que tem vm-
do a este mercado a 2,2oo rs a libra.
DEM regular de i ,60o a l,8oo rs. a libra.
QUE1J0S DO REINO ltimamente ebegados
pelo vapor 2,4oo: ditos do vapor passado
a 2,000 rs.
LATAS DE CHOURIGAS com 6 libras er-
meticamente fechadas, a 4,000, de barril
a 64o, a libra.
ESTRELINHA para sopa em caixas sortidas
de 8 libras, por 4,000 rs.
VINHO VERDE do verdadeiro sumo da ova,
e o mais proprio para se beber n'este
imperio, pela sua extraordinaria fresqui-
dao e agradavel gosto a 64o rs. a gar-
iafa.
AMEiXAS FAANCBZAS em frascos de 4 e
2 libras, a 2,8oo, e 1,400 rs. em caxi-
nhas muito enfeitadas com diversas estam
pasa 2,eoo, l,8oo, l,5oo ei,3oo, reis.
BISCOITOS INGLEZES em latas contendo
diversas qualidades a 1,000 e l,2oo rs. a
lata.
PRINCIPE ALBERTO bolachinhas as melho-
res presentemente conhecidas a i,600
rs. a lata.
SALAME HAMBURGUEZ chegados no ulti-
mo navio a l,6oo a libra.
PREZN TOS verdadeiro de Lamgo, a 64o,
rs. a libra, e 060 inteiro.
TRAQUES n. 1. em caixas de 4o cartas, por
s.ooo, e 24o rs. cada urna.
MARMELADA em latas de 1, 1 '/j 62 li-
bras a 600 reis a libra.
JALEA DEMARMELLO em latas, a 800 rs.
FRUCTAS EM CALDA pera, pecego, alper-
ce, rainha Claudia, e gioja a 64o reis
a lata.
MOLHO INGLEZ de diversas qualidades, a
72o rs. o frasco.
MOSTARDA INGLEZA muito nova, a 800,
rs. o irasco
DEM FRANGEZA a 64o' rs. o frasco.
SALMO E LAGOSTIN chegado ultima-
mente, em latas de 2 libras, a l,6oo. rs.
ARENQUES em latas a 64o rs. cada ama.
SARDINHAS DE NANTES em latas e meias
a 600 e 36o reis.
VINHO DE COLLARES o legitimo vinho
desta locahdade, muito superior e sem
confeicao algama, a 800 rs. a garrafa.
IDFM MADURO o verdadeiro do alto Dou-
ro em barris de lo em pipa por 39,ooo
cada una. .
VINHO DO PORTO de diversas qualidades
engarrafado, inclusive o-mais fino que ha
n'este genero, por 800, *,ooo, 1,20o,
i,4oo e i,800 rs. a garrafa.
FEIIO verde e carrapato em latas erme ti-
camente fechadas a 600 rs.
CHOCOLATE francez em pacote de 1 libra
por 5oo reis.
AZEITONAS daschegadas ltimamente de
Lisboa a 1,300 rs. a ancorete, eoo, a
guarrafa.
CAF avado a 24o rs. a libra, e 7,0o rs.
a arroba, e regalar a 22o a l&ra, efcSoo,
a arroba. .
VINHO CHERRY domis sapertordomer*
cado a l,5oo rs-.a garafa, e l&fiw *
a duzia.
MOSCATEL o verdadeiro de Setubal, a
l,8oo rs. a garrafa, e 2o,ooo a duzia.
VINHO BORDEAUX das mais acreditadas
marcas, S. Emilion, Sant Jolien Haut
Brion a 7oo e 800 rs. a garrafa, e em
caixa dedozia, a 7,5oo e 8,000 rs.
VINHO BRANC) de Lisboa de excelente
qualidade, e proprio para missa, a 800,
rs. a garrafa, oo 8>ooo rs. a caixa.de duzia.
MADEIRA SECO a IJsn a garrafa, e 12;ooo
rs. adazia.
VINHO DO RHENO superior, a 2,000 a
garrafa, e 22,ooo rs. a duzia.
VERMOUTH de superior qualidade em cai-
xas de 12 meias garrafas por 12,ooo,e
garrafas por I,2oors.
Gros de aples preto a 10500,1^600, H, U, 3)9500 e 4? o corado.
Gorgoreo preto de superior qualidade a 2(5500, 2800, 30 e 4J o co-
vado.
Superiores moreantiqnes a 250O, 2*600, 3*, 34300, 40 e 5*000 o
covado.
Boas cortes de raoreantiqae. -
dem de gorgorito adamascados.
Bons pannos e casemiras.
Sup riores alpacas, priacetas, merinos e bombazinas.
Bons villudos pretos.
Grande variedade de chales de fil preto e de guipure a 55, 6*, 8*.
104, m, de 16* a 20*, a de 23* a 80* eada um.
Superiores retondas de fil preto e de guipure a 8*, 10*, 12* e 25*,
e de 30}l a Cuacada urna.
Superiores algerienes de fil preto e de guipase di lisj a 25*, e de
30* a 60* cada ama.
Boas chailes de seda prela.
Ditos d' Merm preto bordados e outras rositas tzaselas pretas que
seria enfadonhe enumerar, na
LOJV DAS COluUM* AS
DE ANTONIO CORREIa DE YASC0NCELL0S C,
BA M CRKSPO N. 13
PHOSPHATO DE FERRO DE LERAS
R. Gil SCIE1CIAS
INSirBCTOR,DA AGA.9BMM- BB MKT9.
Nao existe nwd'tfamento Ferruginoso tSo notavel como o phosphato d'ferro de
Leras; assummidades -medicas do mundo inteiro adotaram-no comsolicitude sem igual
nosanDaea dasdeneia. As oores peludas, dores de estomago, digestoes penosas, ane-
mia, convalejcencas difflceis, idade criticadas senhoras, irregularidade na menstruaeSo,
pobrsa do sango, lympbatismo sSo curados rpidamente ou modificados por este ex-
ceHente coraposto. -ocoaseryaftr por excelencia dasaa-ie edecterado superior nos J
hospitaes empelas academias a todos os ferruginosos conbecido3, ao idoreto e ao citralo
de ferro, porqu o nico que convem aos estmagos delicados, queTiao provoca cons-
paco nico tambem que nao enegreee a bocea e os denles.
Em Paris na roa da Feuillade n. 7.
k venda em cas de Maurer, e h, Caors.
i
PECHIXCBA SEM IGUAL
Reos corte de gorgofio de seda preto adamascados para vestid cora- 13 metros-
00 18 a 20 corados cada corte, largara de chita francesa, pelo baratisstmo preco de 50*
cada corte : oSloja das colmaoas da toa do Crespo n. 13 de Antooto-torreia de Vasco*-
cellos & C.
LOJA DO
Novo estabelecimento
ntl DA C1DEI4 DOHECIFEM.
Roupa feita de todas, as qualidades
Pateadas por barato preco
Superiores baldes de musselina coa cauda
Chapeos de sol balo que val 12& e o Ra!So vende a I0&.
O Bal5o vende paletots de panno preto fino a 8, por ter grande porcao; calcas
de casemira superiores a 70; caiga de brim branco fino a 4#; madapolao fino a 70;
1 :iitas escuras proprias para andar em casa a 360 rs.; pi'etots de alpaea branca; cam-
i.raias finas 50 a peca; serouta de bramante muo superior; chales de merino a 40;
ha moitas ontras fazendas que todas se vendem por precos insignificantes. Quem dovi-
cijr venha ver.
A barateza do Balao
YERDADHR1 AClTA MI\ERAL
PftSTILHflS DOS SES NATURAES DE VICHY.
VNDELE
Ra botica e drogara de Bartbolomeu di C. Ru larga do Rosario b<. 34.
CONSULTORIO MEDKMIRMGCO
DO
W PEDRO JM ATTAHYDE LOBO M500SO,
MEDICO, PARTEIRO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundo g
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os das das 7 la j i
horas da manhao, e das 6 e meia s 8 bert- de noite, excepcao dos dias santificados.
PhatmacU especial komeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais apprfqrU*) sortimenlo de cirteini
tobos avulsos, assim como tintaras de varits drmDiu|it#( e los>nrecos sssniM*
f'J Carteiras del2 tubos grandes. l^O "*" ">.
> de 24 tubos grandes 180000
de 36 tnbos grandes. ^^M
I de 4* tudoe gra*d#? a IPIIj
de 60 tuboe graAMf 5 :1- '
Prepara-se qtialqner carteira conforme o pedido que se ftzer, e com os rtiuAiM
que se pedir. romanos
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 10000.
Sendo para cima de it custarSo os precos estabeleeidos para u carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 reis.
LITROS.
A melbor obra da bomeopathia, o llannal de Medicina Homeopatbico do Dr JarS
doas grandes volumes com diccionario ...*.... ninnh
Medicina domestica do Or. Hering.......\ uf
Repertorio do Dr. Mello Moraes........." (fluSn
Diccionario de termos de medicina........' ?J2
Os remedios deste estabelecimente s2o por demais coahecidos e disneniam nnr
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar LTmuJOm
verdadeiro, enrgicos e duradores: ha tudo do melhorqtie se pode deseiar ctobmn?
ferdadeiro assucar de leite, notaveis.pela sea toacoaserracSo, tintura doi m*.acrl
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparacao, e nortantn al^i
energa e eerteza em seos effeitos. ?*****) oaior
Casa de saude para escravos.
Recebe-se escravos para, tratar de qnlqstr eaJerafcMe ou fazer-se-lhe analmwr
operac3o, para o qne o annuneiante jnlga-ee soflcieatemeite habflitado
O iratamento o meihor possiwl, taate arparte alimentar* como na medica
fomeciemando a casa ha mais de quatro annos, ha muas pessoM de cojo conceito se nao
pode duvidar, qae podem ser consultados por aquelles que dese)wm maBdar seas
Paga-se 20 por da durante 60 das e d'ani es 'diante 10500.
As operaces serSo previamente ajastadaa, se nao s qnizerem taieitar aos nreeoa
razoa veis qae costuma pedir o annnnciaote. v ^^
CUSTODIO CARVALHO CV
27 RA DO filTElMADO If. 27
Madapolao francez muito fino, teodo pouco moto, cada peca com 27 varae por
100000.
Laa de enres a 100 rs. o covado.
Cambraia franeeza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a pre^o de 800 rs a vara.
Lencos brancos para algibeira a 20000 a du2f.v
Finas perclaras a preeo de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de la de barra de 100 a 300000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
Novidades do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apeaar de sempre
se achar bem sortido como todos saben,
hoje mais que nunca, n3o s pelo que rece-
be de sua propria conta, mas tambem peto
que recebe de consignac5es; parece sem
duvida que deve offerecer grandes vanta-
Ricos brincos de crystal lapidados de difireme? formase cures, o que ha de mais moderno em
Paris, tambem cruzes e boloes para coletes; flvellas modernas de madreperola para cinto ; estes arti-
gos se vendem por menos de sen valor no armazem da ra da Cadeia do Recite n. 60.
Novo e grande deposito de superior carvo de Cardiff na
Baha.
Antonio Gomes dos Santos & C, roa de Santa Barbara n. I, esto habilitados a supprir de
otrvao, cm condicoes mais favoraveis qae em oatro qaalqner deposito, a todos os navios a vapor qae
ccarem naquelle porto. A contratar nesta com Domingos Alves Matheus.,
Sirop du
DrFORGETI
JARABE DO FORGET.
Eite xarope Mt pproTado pelos mait eminentes mdicos de Parta,
10 sendo o meihor pan curar conttipacpes, tosse convulsa e outras,
aft'eccoe dos bronchios, ataques de peito, irritaooes nervosas e lnsoranolencias: urna colberada
pela manba, e outra a noite sao sufficientes. O etoito del le excelente xarope satisfaz m meaaao
lempo o doente o medico.
RITA DO BROI l. 38
O rirnnripin/\. floc'o n(.i/.i/.iivifiiij/i n^*i<, ,.i.n~.- .u...vv aia uyi j/iu-
pnewnos para os acreditados mechanismos que continua a remecer; os quaes garanto
ser como sempre, da meihor qualidade possivel:
Maehinas de vapor
forca de um cavallo para cima. As menores sao mu- proprias para motores de des-
carocamentos de alg.edao_i_ellas viaianuarmadas e podem trabalhar den'ro de 24 horas,
depois aecTigarem no lugar. Ellas levam tildo quanto preciso para o trabalho, e
diversos sobrecelleates. As machinas maioi es so proprias para a moagem de canna,
e ha dellas que podem junta e separadamente moer canna e descarocar. Ellas podem-
seapplicar aqualquer moenda ^exstente sem outra modanca do que asubsttucao-das
rodas d almanjarra, ha tambem. com moenda junta. Ellas te depsitos d'agua e boei-
ros de ferro, e nao precisara para seu assentamento de obra alguma, qur de carapina,
qur dealvenaria. Otempo para assenta-las n3o excede dedoze dias ao mais, e-em
casos de mortes de-animaes ou arrombamentos de agudes, etc,. garante-se o assentamen- ?ens Para respeitavel publico -tanto
to em oito dias. Todos estes vapores slo simpssimos na construcc5o, e se regem por i*6008 co0 aa escolha dos objectos, e co-
qualquer pessoa intilligente, a facilidade da ondueclo sendo especialmente considerada, 1mo acaba de-chegar grande remessa plo^
tanto que nao ha lugar em qae nao se possam conduzir, qnr por trra, qur embarcado. yj'P0_r DQf e o navio Solferino d^
Lembra-se aos senhores de engenha que a venda dos animaes e o servico da
gente oceupada 00 seu tratamento os h3o de recuperar da maior parte da despeza do
vapor, deixando-lhes a vantagem de urna moagem certa e aceelerada; e acabando com a
despeza da compra continuada de novos animaes, e com os desgostos do trabalho que se
tem com elles<
Ser talvez desnecessario lsmbrar aos compradores de vapores a vantagem que
Ihes resulta de compraran suas machinas garantidaem ama fabrica, tendo artistas com-
petentes para assentar as mesmas e ensinar a maneira de trabaiter com ellas, e j pre-
paradas para arremediir qualquerdesarranjo; facilidades estas qne jamis podem en-
contrar comprando-as aos simples negociantes, os quaes por falta de conhecimento na ma-
teria nem se quer podem garanti-ls de que as machinas que vendem sejam proprias ou
sufficientes para o trabalbo em que se queira emprega-las, e no caso de desastre nao
podem prestar-Ibes soccorro algum.
Igualmente nao se esquecero osmesmos compradores de quanto podem perder
em ter suas machinas paradas por desarranjos no tempo das safras, sendo que anda
quando venhams fabricas para concertar as machinas albeias torna-se ha preciso fazer
repentinamente moldes novos, etc. para as pegas estragadas.
Tambem ha sempre prompto- Rodas d\igua de ferro Sarilbos com cruzetas para as
mesmas [Moendas de canna de todo o tamanbo, Rodas de espora e angulares, Paroes ou
coches para receber o caldo, Crivose poetas de fornalha, Taixas de ferro baiid, fundido e
deeebre, Formas-deferro-garlyaTrisadas para purgar assucar, Bombas simples e de repu-
cho, Alambiques de /erro. Eixos e rodas de carro. Arado, grades, enchadas a cavallo
e outros instrumentos de agricultura, Moinhos e forn is para fazer farinha e finalmente
todo o objecto de mecbanismo de que se costuma freclar.
Na fabricase fazem obras novas eocommenda e concertos, com a maior p este-
za e solidez. O grande deposito de pecas e objectos babilitam-na muito para este fira.
O proprietario. ser sempre mui feliz de poder dar informacoes ou esclarecimeoto
aos senhores que se servirn de see presumo.
D. W. Bowma, Qgeoheiro!.
O castello de Grasville.
Traando do franeei p*r A. J. G. da Cnj.
Vende-se este bello romance em qoatr
tomos pelo baratissimo preco de 3S00Q
na praca da Independencia, livraria ni.
6 e8.
de
Deposito na ra larga do Rosario, botica de Bartholomeo C. n. 34.
colares Royer on colares ano-
dinos
para facilitar a denticJo das enancas e preserva-
las das convolsdes.
O feliz resaltado obtide immensas vezes pela
prodigiosa forca magntica dos colares Royer, nos
ca ios de convolsdes, e denticao das crianfas, tem
ak-raente elevado o sea bem merecido prestigio,
e t_>je j se pode dizer qne esto getalmente con-
cdiuados, e estimados de innameraveis pas de
aciilias : de ans porque do aso desses sarntares
colares viram salvos do perico seas charos fllhi-
obi-S e de ontros porque colheram daqnelles to
pr )tm exemplo para ignalmeme preservar os
eu?. Assim, pols, a aguia branca, tendo em va-
Ui a niilidade e proveito desses prodigiosos cola-
ros anodinos on Royer, mandn vir novo sotti-
rcDto qne agora recebea, e contlnaara a recbe-
lo- para qae em lempo algtrm a falta delles possa
s-- funesu aos pais de familia, os qaaes flearao
cortos de os achar constantemente na roa do Qnei
mi >, loja d'aguia branca n. 8.
Aos Srs. fegueleiros.
N drogara da rna larga do Ro-
sarlo n. 34
DE
BARTHOLOMEO
Vende-se
Lioialha de ferro.
Dita de ago.
Diu dt dito de Leso.
Salitre refinado de 1* qualidade.
c:
Vende-se ama paocadaria, bombo, rufo, pra-
os, em bom aso, e prejo commodo: na roa da
torres o. 16, Recife.
15
CINTAS MAR01EZ4
A laja Esperanza na, roa do Qaeimado n. 33 A,
rebeben estas cintas, que osa coosa Indispensa-
vel a onalqaer senhort; coMlste sna ntilidade em
suspender a vooiada a uia por oaeo de eordoes,
em rujas extremidades eatto presos cseebOes qae
se prendem a gnardapisa do vestido : vende-se por
2#W0cada cinta^unoseom raorpenh dase.t
Fraseos de bocea
larga com rolhas d vidro dla
libras.
Vende-se
na ra larga do Rosario n. 3i, botict de Bartho-
lomeo & C.
\mwm
RICOS VESTIDOS RR4NC0S
A* loja de fazendas de Angosto Portp^&4G
A' loja de fatOJdjs di Angosto.Porto tC, chegaram os mais bellos nsoderoos
vestidos brancos .bordados agolba.
Supertofes-vestidos de blond com manta e caaella para noiva.
CorUsttdsi bwOadoe pira camas e jaoeitas de m a 80*.
Coilas de seda e de lia, e seda de cores Dais camas.
Baids, efpanilbos, Iras de pellica e saias bordadas.
Beows, J*rr+oil chales de renda |
- ,(5P
e aboiv preto de diversas qaalidadee.
mas de
pas de borracha.
orna casa terrea, sitt en Mokcolootb n. 44, chaos
foreiros, por 4:200*000 qaem oreteader dirja-
se a' roa do Imperador n. 15.
Vende-se no avallo atollo novo com anda-
res proprio para sella : quem pretender dirij-se a
rna do Calabooco n. 20.
Sobretodos de panno de doas vistas e 1
.(B'ds!Mrj6lSsrle cSrea e pretq,"e boi
ISriJoVae} parbapoloiaoii vestidos bordados que ha de mais gosto nesre genero.
Pilos bordado, de sabucos e lisos, cambratas-Vteterra-e traMprentos.
Chapeos, bonetse gorros d* paiba d Italia para ieoborw. *U
Chapeos prstos de seda para fcomens, e chapeos de sol seda inglexes.
Camisas francezas e Ingietu para bomem, raeninis e senhoras.
TapeMs para sal^ plano e crna, e dito snpero em pee*. "
Alcatifas de listas, baratas pois. so vende a 4S0 n. o cavado.
Breranba de liqbo superior em pecinhas de 6 jardas esa pecas grandes de30;iWm.
m mesma casase vendem sempre as naaioores e mais baratas
Esteiras da India ^para fer ar salas
il-Una do
diversos objectos de goste e proprios do
tempo dos quaes se mencionado algnas,
por n5o ser possivel mencionar tedos. O
dono deste estabelecimento espera a pro-
tec?5o de todos.
Riquissimas caixinbas ornadas e com
msica propria para ua delicado mimo.
Caixiohas de mnsica tanto de veio como
de corda.
Ricos porta joias e necessarios.
Riquissimos estojos a feitio de un bausi-
nbo ou chapeuzinbo.
Ditbs em casca de noz e de outros gostos.
Leqnes de madeperola de sandato e de
faia e madeira.
Gbaposinbos e touquinhas de muito
gosto para enancas.
Meias e sapatinhos de seda para as mes-
mas.
Meias de seda para senhoras.
Capellas e grinaldas de flores proprias
para casamento.
Enfeites e capellas de muito gosto para
seobora.
Riquissimo* porta, boqusts.
Boqoet d, Qf es con ni borracbinba
fiomcheirs.
Lnvas verdadeiras de Jovin.
Ditas de seda e de Eisoeu.
TliTfinnM ptama gornicSes para
enfejtar cbapsoa.
Coritas e tobos, de aos branco, qoe ha
muite^e deseja para afeites. ^
Brincos, fivefa ecnwsade 1730!.
Fwellas e cruzes. de tafisnaga, madripe-
rola e dorjrtdos.
Alfinetea para gMxataa.
Botoes cflOajaiijtfa punbos.
Hjnm\toimAe AiVHln> TafttaVkA *o nm y.Man j
aiiumqpstajyio **J^L* BU*"
Dptas dsbal^a.
mokas qualidades,
Riquissimos peales da
mo gosto; assim como
menina, pois oeste art
sortimento da tote aa
Diades|Mr^ tbido
Riqusimas fitas lavrste a lina.
Frameisco Jos wermano
MJA NOTAN. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lanetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa e ocu-
los de alcance para observares e para 01
martimos.
Tasso Irmaos
Vendem no sea armazem rna
Amortm i. 35,
Licor fino Cnracio em botijas e meias bWijas.
Licores Anos sortidos em garrafas com rolhas de
vidre e em lindos fraseos.
Vmbosliberes.
Santernes.
Cbambertin.
Hermitage.
Borgonbe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cosas*.
Od Ton.
PAezei lagnioi.
No
armazem de fazendas
baratas de Santos Coelho
Rna le Qnelnaaoo n. I.
Vende-se o seguiste:
Lenooes de bramante de nm ao panno pelo ba-
rato preco de 3*200.
Dilos de panno de Hnho a fifjt) e 81600.
Cobertas de chita da India a 1*400 e 2J800.
u ren*0i,^i!aaibrai* francos proprios para algi-
beira a 2$Q0Q e 34*00 a dnzia. 8
Ditos de eambrau de linbo fino a 4*500 e 55 a
dtfzla.
Aioalhado de algcdSo branco a 2* a vara.
BramatMe d Hoto fino com 10 palmos de laren-
a 25300 a vara.
Panno de linho fino com 9 1|2 palmes de larga-
ra peto barato preco de 2*400 a vara.
Bramante de linbo fino de urna largura, peto ba-
ratissimo preco de 800 a vara. *
Toaihas de linho acolcboadas para mios, a 13*
adexia.
Ditas felpadas a 13* e 15* a dais,
Gnarianapos deJinho a a*S0O a dosia.
Planela de todas as cores para coerroe, a 890 rs.
o covad*.
Tartana de coras a 800 rs a vara.
Baldes de 35 arito 3*500, de 40a t
Cambraia de itabo fine a 4>50e, 6*500 e 9* a
vara. er*
Cambraia para^rro de vestido 11*700 e 3* a
Seas de bretajkha Peca de madapoUo ftao e largo a 7#.
natita^into gosto, %ff *^*^* *
cambraia branca de saipicos coa 8 e
a vaaas a 4*50r>.
Iros de caseatlra bordadas pala baratissimo
dV8*<* 3* u
ilr* drindianroptia paca ocre de sata da
Tranca pretas com tUriUto e da cares..
Polseiras tanto pan saabxn cono
meninas. '*i*ri
Ligaa de seda ede algod3o.
SaspejwoeioaVaaooadai
tos-outros objeetos ose ss
BoTreiarpai: asoeatsrsi ?*
S no Oello Trgilams roa dj)Q \W & bafroDs dearcara.
ambrais finas de^pres miadas a 560 rs. a vara
Naste armazem itnibMn se eneontra nos grande
joctiaesiode ronisa a or asedada.
nr o ii mi ni
armazem de Vicente Fetreir da Gosia &
jonxb ao arcoj^a Conceielov vende-se sope,
fardia de ajandioca oiuauaente chegada,
ceos de tresfijaeires ot einco arrobas de
peta paratlsslB preco-da*p saeco.
~ Panno de a^io da Berna, proprto para
saceos de assnoar erfoopa de escravos ; test pera
vendar Antonio Lo* de Olivera dzevedo 4. C- no
seftescrigtorio roa ft Crnz a f.
Vaporesi
. leo em casa de Saosdees Broto* 4 C.,
largo do Corpo Santo n. 11, afore* petantes
Btedos os pertences proprtavpara fasev ntaver
tresouqoatro machinas para destarocar algodao.
V
-

p
H
i

>
M
Sk
X
1 UErrl



1

>
''





*>

Diarto de Peraahoco -V teto Iclra 14 de Jiinlio de 1866.
NOVA LOJA
ENCCLOPEDIOA
t Ra da Inperatoiz aratazen
da atoa larga *a.
junto a aadarU fradceza de
Paredes Porto.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel
publico om variado sertiaento de fazendas trnce-
las, iiglezas, sulssas e aliemes, que m venderao
por prego commodo.
Paredes Porte
Vende chales de renda de corea qne se vende-
ram a 18$ est Tendeado por 6*, ditos pretos, fa-
lenda nova, 5*, 6*, 8* a 20*, um sortimento com-
pleto de manteletes, capas e sontambarques 14* a
15*. Ra da Imperatrwn. 49, junto a padaria fran-
ceia, armazem da porta larga.
Paredes Porto
Receben am completo sortimento de laasinhas a
140, e 880 rs. covador, para acabar, cambralas de
cOr a 240 rs. o covado, riseedo eseosset tara rou-
Ki de menino, fusto de Moho a 490, 400 500 rs.
na da Imperatriz n. 2 junto a padaria franeeza,
armazem da porta larga.
Paredes Porte
. Recebeu para cortinados pera cama ranceza a
lia a pera cambraia lisa flna a 3* 4* at 10* a
peca, cortes de tarlatana.de bonitos gostos a 3*500
e 4*, cambraia eom flor de seda, gestee inteira-
mente novos a 400 e 500 rs. o covado, no armazem
da porta larga n. 52, ra da Imperatr ii junto a pa-
daria ranceza.
Paredes Porte
Receben pelo ultimo paquete am sortimento de
cruzes com pedras para o pescoco, bonitos caxinels
de lia para peseeee de seetrara. Rna da Imperatriz
n. 52, armazem da porta larga.
Paredes Porto
Vende cortes de gorgurio preto para vestido com
21 covados cada um 35*000, grsdenaple preto a
1*600,1*800 e 2* o covado, lias lizas finas a 400
rs. o covado, lias de qaadrinho para vestido, enfes-
lada, a 320 rs. o oovrto. Roa da Imperatriz n. 62,
armazem da porta larga.
Rcapa bita
Roa da Imperatriz n. 52 armazem da porta lar-
ga junto a padaria franeeza, encontra-ee neste es-
tabelecimento um completo sortimento de paletos-
saceos e sobrecasacos, de toda as qaalidades, cal-
cas, colletes, ceronlas, camisas, grvalas, meias,
chapeos de sol, ditos francezes para cabeca, por*
presos commodos, reupa para menino e ootras
moitas fazendas por pregos commodos, armazem
da porta larga.
no mesroo estabelecimento encontrar o respei-
tavel publico, sempre nn completo tortimento de
ronpas eius de todas as qualidades, como sejam
paletos de alpaca preta e de cor, ditos sobrecasa-
cos a 4* e 5*. ditos de brim pardo a 2*800, 3* e
3*500, ditos finos a 4*, ditos meias eazemlra a1
3*500, 4* e 5*. ditos cazemira saceos a 6*, 7*, 8*
e 10*, ditos sobrecasacos a 10 e 12*, ditos de pan-
no saceos a 6*, 8* e 10*, ditos sobrecasacos 8 12*
a 25*, ditos de merino preto a 6*, 7* e 10*, cal*
cas de brim de diversas qualidades a 1*800 a 4*.
ditos brancos a 2*500 e 6*00, ditos cazemira *
6* e 7*. ditos pretos a 5*. 6*, 8* e 10*. ditos
meias cazemiras a 3* e 4*, coletes de diversas
qualidades, seronlas francezas de algodao, ditas de
llnbo, ditas de bramante a 2* e 2*500, carnizas de
algodao de linho trancezas de 2*500 e 3*. Gran-
de peebincha neste genero, grvalas de todas ae
qualidades e brancas ara casamento, grande sor-
timento de meias para senboras, ditas para bomen
a 3*, superiores a 3*500 e i*.
Um completo sortimento de chapeos de sol de
alpaca a 3*, ditos de seda a 5*, 7*. 19* e 14*,
ditos rrancezes para cabeca, grande sortimento
a 6*.
Vestidos
Peehtaeha sena igual.
ChegoQ a toja de Paredes Porto um bonito sor-
timento de vestidos de tartalata de cores e branca?
qne serve para partidas por ser ama pbantasia in-
teiraroente de gosto pelo barato prego de 4* e
brancos a 4*500, estao acabando-se : no armazem
d porta larga ra da Imperatriz n. 52, junto a pa-
daria francesa.
Cortinados,
Cbegoa a toja de Paredes Porto orn completo
sortimento de cortinados ricamente fcordadps a
prego de fSS, 3o* e 45* : na roa da hnperatrit
n. 52, porta torga junto a padaria ranceza.
Ricas romeiras.
Paredes Porto receben pelo ultimo peqaete am
sortimento de romeira de gaipure pretas e de ril
a preco com modo : na ra da Imperatriz n. 32,
porta larga junto a padaria franeeza.
1#4G0
Chapeos de sol.
Vendem-se chapeos de sol de .panno a 1*400 e
urna grande peohiocba s para acabar : na rna da
Imperatriz n. 52 armazem da porta larga de Pare-
des Porto.
VENDE-SE
IV ailaae.1 de H. *. Ramos e silva eatro, A rna de ligarlo
11, constantemente, os sega lates ariigos, qne '
recebem por en co maten da proa ra de
uRAKDE ESTABELECIIEKTO
DO
IEW-TORK.

Legitima salsa parrilba de Bristol, preparada por Lanraan & Kemp.
Verdadeira agua Florida, preparada pelos mesmos.
Gax em latas de cinco gales, o mais purificado que se pode desejar da acredi-
tada marca F. W. D. A C.
Relogios perei'os reguladores, com corda de quatro a oito das, dos afamados fa-
bricantes E. N. Welch.
Graixa em latas grandes da bem conhecida marca las. S. Masn (de Pbiladel-
hia).
Superior oleo para machinas de costara.
Agulhas para as mesmas.
Breu em bar icas grandes e pequeas.
Vende-se tambem:
BORDEIS
4.a qialidade.
St Estepbe.
St. Julien.
C. Margaux.
C. Lafitte.
Medoc.
PORTO
Ia euliadt,
Principe Real.
iPedro V.
Marta Pa.
Princeza D. Isabel.
Vctor Emmatiuel.
loque.
Malvazia.

te w
loja do
Cortes de cambraia com palmas na
Pavo.
VeHdem-se cortes de cambraia branca com pal-
mas, sendo fazenda multo boa, pelo baratissimo
preco de 2*500 para acabar : na toja e armazem
do Pavo na roa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
dazla.
Tendem se lencos b/ancoa (are
lo "baratissimo pe
ata da imperatriz,
DI
AMA & SILVA.
LOJA ARMAZl* DB FAZ8SDAS
Tendo os proprietarios de* grande eetabelec* ftaSb 3?T- il^M
nenio feito um grande abatnsaSTem mittrat n!v2&rVJ^,J?***
as fazendas, pela occasiao i Balance qne deram "* d toperatru a. i
W ultimo de dezembro de 868, resolveram vender
moito mais barato do que ctstomam aura de cada
vez mais agradaren) aos seus numerosos fregue-
ses ; por tanto Ibes offerecem nm avulado sorti-
mento de fazendas francezas, ingieras, as quaes
venderao mais batato do que em outra qualquer
parte, comproraettendo-se a mandar levar qualquer
Chitas a 180 rs., so t Pavo.
Vende-se o mais bonito scrtimento de cbilas in-
glezas, padrSes mfudinhos, claros e escoro, e ten-
do tambem rozas para loto, aflangando-se serem
cores fizas, e vendem-se pelo barattslmo prego (>e
nove viotens o covado, ou a peca c m 38 ovados
, por A800 : isto na Joia ev armazem Leoees areos a 9|fOOtJ res a roa da Imperatriz n. 0, de Gama & Silva.
va. "~
Ponpelinas modernissimas a 400 e 500 rs.
o covado na toja do Pavo.
Vendem-se poupeliaas muito finas sendo fazeeda
moito moderna de qnadrinhos liza vendendo-se
pelos baratos precos de 460 e 500 rs. o covado na
toja do Pavo na ra da Imperatriz n. 60 de Gama
fazenda em asa dos freguezes qne nao poderem St Silva.
a leja, 01a a darem as amostras, deixando flear Cirosdenaples prc tos do Pavo.
Vinho fino do Porto em barris de 5/, 10/ e
Superior vinbo doRheno.
Cera de Lisboa em velas e em grume.
20/.
Kli DO QUEIMIDO M.|f9.
Madayoio.
Finas pecas de madapelo com 20 varas a 9$.
LENCOS,
Lencos de cambraia branca, duzia 2.
Mem de cores fixas para meninos, duzia 2^400.
g Cambralas.
Cambraias de cores a preco de 260 a 300 rs. o covado.
CSnardauapofl.
Guardanapos de linho, duzia 3#500.
Algodao.
AlgodSo trancado de duas> larguras, proprio para toalnas de mesa, a preco de
1)5300 a vara.
Bramante.
Superior bramante de linbo inglez e francez.
|Cambraia de linho propria para lencos.
ATOALHADO.
Atoalbado branco para mesa a 1<$C00 a vara,
Entrcmeios de cambraia muito finos, preco 4<5.
Lencos de seda para algibeira a i)j600.


Vendem-se superiores grosdenaples pretos pelos
baratissimos preyos de i*SO0, 1*600, 1*800 e 2*
o covado, sendo fazenda omito boa, s para aca-
bar : na loja e armazem do Pavo, ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Bramante de linho do Pavo.
Vende-se superior bramante de linho_com 10
palmos de lergera, prcprlos para leoces, pelos
baratissimos pregos de e 3*600 a vara, assim
como panno de linho moito fino pelos baratissimos
pregos de 640,7G0 e 800 rs. a vara: na loja e ar-
mazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Cambraias lisas do Paro.
Vendem se pecas ae cambraia lisa muito supe-
rior, pelo barato preco de 3*200 e 3*500 a pega,
ditas muito finas a 5*, 6*, 7* e 8* : na loja e
armazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
PEGHINCHA 1
a 2000, pa*a lew, ti aJave.
Vendem se superiores cortes de meia casemira
com msela de seda ?*, ditas Garibaldlnas a
2*800, ditas enras a 2*8uOrou a 1*600 o cova-
do : na loja e armazem do Pavo, roa da Impera-
MACHINAS AMERICANAS
Verdadelras do fabricante \". Y. CanttonglB & .
loiobos americanos para moer niiilio.
Na ra Nova n. 20 e 22, grande
das verdadeiras machinas americanas
os fabricantes; se encontra neste
grande porco de machinas, e se venden por
menos preco do que em outra qualquer parte,
por se receber em direitura da America; se
fornece todas as explicacoes necessarias ao
comprador para conservacao das mesmas;
neste grande estabelecimento se encontra mu-!
o penhor, assfm como convidara as pessoas, qne
nejoclam em menor escala que neste grande asla-
belecimento encontrarp nm grande sortimento
tanto a retalho como por atacado, vendendo-se-tbe
penas pelos precos que compran as canas untar-
a?, sendo com o dinheiro a' v;|l
As toalhas de li. lio do Pavo.!
Tendem-ss snperiores' toalnas de Ihihos -tara
rosto pelo baraMssime pr*<*o de 7*SO0 a doria ou
a 640 cada urna. ,
Guardanapos de Itabo adamascado para meza a
2*800 a duna eu a 140 rs. qada,nnju .
Superior atalbado de linbo com oito palmos de
largura sendo branco e nardo, e vende-se mais ba-
rato do qae-em entro parte, qa loja do Pavo na rna
da Impenirlt n. 60 de Gama i Sirva.
Os eortohos na.seda .pretos do Pavao,
Vendem-se os mais ricos corpinbos de seda pre-
tos, ricamente entenados, pelo barato preco de tf*
cadannt: na lojt do Pavo na roa da fmpesatriz
n- ^na*6 Ganu & Silva. .....
Wlcos Teatldos a 8f000 rs.
pechincha admiravel.
So o Pavo receben pelo ultimo vapor francez
umgiaade isoriimenlo dos mais reos cortes .de
vestidos transparentes com lindas barras e etifeites! trie n.60, de Gama & Silva.
dsea, sendo estes vestidos muito propriee para) PENTEADORES
baile e nasseios, e vendem-se pelo baratissimo
prego de 8*000 rs. cada nm, na loja do Pavo na
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Os chales pretos de renda de Pavie a 8000 rs.
Vendem-se os mais ricos chales pretcs de renda
com qnatro pontas, senda nraito grandes peto ba-
ratissimo precoide 8*.
Ditos de guepure a lo*, 18*, 20*, 25*.
fetondas de dito a 10*.
Manteletes de retida, tazenda moito superior a
, 15*000.
Capas e sauthambarques de grosdenaples bor-
dad*, fazenda ioteirameate aova, por pregos mais
baratos qne em ontra qnalquer parte.
; feto na loja armazem do-Pavao na ra da fm-
peratriz q. 60 de Gama & Silva.
i Oschalcs da pavo a 2ooo e 2ooo rs.
Vendem-se Chales de merino estampados a 2*
e 3*000 cada um.
Ditos ue merm liso a 3*500.
Ditos estampados de e-repon a 6*, 7*, e 8*000.
Ditos pretos bordados com franja de seda a 14*.
-Na toja-e armaiem do Pavio na ra da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
Para iuto vende o "Pavao.
Sem da China om 6 pannos de largara, fazen-
da preta para luto, propria para vestidos e ronpas
para homens, sendo esta nova fazenda sem lustro e
de muito toa qoalidade, parantiodo-se nao iear
rnssa eom.o tempo e vende-seneto barato preco de
deposito
de todos
deposito 8* 2*500 o covado, assim cmo neste estabeleci-
mento tem nm grande sorroooto de todas as fa-
zendas pretas como sejam cassas e chitas pretas,
laa? tapadas e transparentes, princeza?, alpacas,"
sarjas, la : na loja e armazem do Pavao na roa
da mpertriz n. 60, de Gama & Silva.
Os ba-bes Vendem-se superiores balees de mneulina com
trnt arlions amoripanne niw mnin Aava .iwo. i pnita roda a o*., ditos crinollnes com 35 arcos a
tos arugos americanos, que muilo deve agr- 3#500> dilos com ^ e 25 s 3*, ditos para meni-
dar aos agricultores que usam de taes artigos,! as, sendo brancas e encarnados a 2* e 2*500 :
encontra-se tambem todas as colleccoes de de-; a loja do Pavo na ra da imperatriz n. 60, de
seguir sobre os quaes se aceita qualquer urna aDBa'* ?il?a-
.encomi enda, qne com prompl*d5o ser execu-
tada; neste grande estabelecimento, encon-
trt-se em grosso e a retalho, grande porco
de ferragens, e raiudezas que se vendem por preco cotnmodo, pedirido-se a attencao
de todos para este estabelecimento que oito Uicrarap em fazer suas compras: na
Tua Nova n. SO.Carnei o Viatma.
4000
SIS? ,
X9
Cortes de laa escocesa para vestido > S* o cor-
te : na rna da Imperatriz n. 52, loja da porta lar-
ga, junto a padaria franeeza, esto se acabando.
Para tato.
Lias pretas com salpicos brancos a 406 e 500
rs. o covado : na roa da Imperatriz n. 52 tonto a
padaria franeeza armazem da porta larga.
A 1*300.
Vendem-se pecas de trapea preta para eafeites
de vestidos, sootembarques, capas de sendera a
1*600 com 10 varas, nma grande pechineba : na
roa da Imperatriz n. ui junto a padaria franeeza.
48000
Chales de renda pretos.
Vende se cnales de renda preto a 4*000, udcc
loja qne pode vender na rna da Imperatriz 52,
armazem da porta larga, de Paredes Porto.
a 1
tu as
os O
ll
a> as
o
a
3>
m
< o so w > >-r. st
s a o o H sr^* o
3 v u c-B P o-
&S" s.k-9 Ib
&vSlffflt1f
g o Boa e.=y* a w
o B' S*c> S.-S
cu o. Si
o L
a 5 B siST =rB *
30 ^
O
1-3
7 o>
o

o
Si -3
t
IB|f
Hi3
o.
i
*
B
2.
o.
*
Bren ero
Cera em velas de todos os umanhos.
Bogia.
Mercurio.
"Na rna do vigano n. 19, prlmelto andar,
Baldes
Grande sortimento.
Cbegon i rna da Imperatriz n. 62, jado a *4
daria ffaaeeai, grande aermente que se en>
* a J*!W rs. naraacaabar. :1

FAZENDA E ROPA FEITA
RIJA MOVA W. 4.
Pego & Moura, proprietario da leja de fazendas e roupa feita, sita rna Nova
n. 24, verdaderamente penborados e reoonhecidos para com seus amigos e ffegaezes,
pela aceitacSo e confianca que delles tem merecido no curto espaco de tempo em que
se achara estabelecidos e perfectamente escudados nainceridade dos seus tratos, decla-
ram para sciencia daquelles que o quizerem honrar eom seus orBoios, qne, em vista da
grande concurrencia que tem -merecido o %eu estabelecimento, especialmente noque
relativo a roupa eita; acabam de admittir para a sua oflBcina de alftate maior numero
de artistas, inclusive o seu contramestre, dirigido pelo babil mostr Lauriano Jesde
Barros, o qual nao se poupa aexfor?os para satisfazer-com a presteza possivel qualqBer
vbra de encommenda.
Os mesmos annunciam aos seus fpeguezes que acabam de comprar um novo o
muito variado sortimento de fazendas finas de bom ^osto, propriaa para o tempe da
quaresma, as quaes esfiSo dispostos a vender por preco* muito commodos e mais barato
que em outra qualquer parte.
Como sempre escusamos essa enfadenha prolisidade dos atmancios bombsti-
cos; ;preferimos mostrar na sing-eleza deste nesso- convite os bous defiejes que nutrm06
para bemaervirmos quelleS que vierem ao nosso clamo.
AR
ORAIDE
AZEM

DE
Roupa feita e por medida.
26 Rna .Vova n. 20.
Jos Antunes Guiawres, proprietaTio deste nevo estabelecimento de wpas el
fazendas fiDas, participa ao respeitavel publico em geral e a todos os seus freguezes,
que estando sua casa sobre a directo de uoos dos melhores mesttes 4e alfaiate, eeodo um
delles o Sr. F. E C. Miranda, e o outro o Sr. M. J. G. Carneiro, ambos com grandes
habilitaces tendentes a sua arte, pelos quaes dirigida a sua officina, e achndo-se bem
montada a deserapeabar qualquer encommenda per grande que seja, se esforcar para
eabir a contento dos freguezes, vendendo tildo per menos do que em outra qualquer
parte, roga as pesadas interessadas que venbam examinar seu estabelecimento, e verificar
por si mesmo o que declara, sendo mittegue qualquer encomindala praro de 24
leras.___________
Cambraias de forro a 1,^600 e 2^ na loja
de Pavo.
Vendem-se pecas de cambraia de forro com no-
ve varas cada peca, pelos baratissimos precos 4*609a 3*-. na-toj* armazem do Pavao na roa
da Imperatriz n. '60, de Gama & Silva.
Os oortinados do Pavo.
Vendem-se superiores cortinados adamascados
para canas pelo baratissimo .preco de i* cada par,
ditos muito Anos ricamaata ornados para camas
odjSnellas a ifi*. 20 e 23* o par : na loja e ar-
mazem do Pavao na ra da Imperatriz n 60, de
Gama & Silva.
Panno preo a 2,5 na loja do Pav5o.
Vende-se panno preto. fazenda muito boa, pelo.)
barato preco de 2* o covado, dito muito fino a
3*jOO. 4*, 5*-e>6*,assim como casimira preta de
rordo a 2* o covado : na leja do Pavo na roa da
Imperatriz n. 60, de Gima & Silva.
Os eepartilhos de Pavao.
Vendem-se nma grande variado sortimento de
esparlilhos dos mais bem feitos qne tem "vindo ao
mercado, sendo de todos os tamanhos, vendendo-se
por om preco mnito razoavel : isto na loja do Pa-
vao a ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
M saina bordadas do pavo.
Vendem-se saias bordadas sendo fazenda moito
boa. sendo ricamente bordadas e com moita roda
vendendo-se pelos arates precos de 0* 8 e 40*
res eada nma na loja do Pavao a rna da Impera-
triz n. 60 de Gama Silva.
Bretanhasdcroloa 3$000
Vendem-se pecas de bretanha de rolo com 10
varas cada peca, peto baratissimo preco de 3* :
na Jo>a e armazem do Pavie, roa a Imperatriz n.
60, de Cama 4 Silva..,
Roupa feita.
Na loja do Pavao
Vende-ce neste estabelecimento na grande sor-
timento de ronpas, tanto de panno cobo cazemiras,
e brins e pelee baratsimos preco* coma sejam
calcas de cazemira preta a 6* 7* e 8*000 reis, pa-
letots de panno preto saecos a 6* 8* e 12*000 rs.
ditos sobrecasacos de panno fintssimo a 12* 18* e
25*000 rei, ootros matos artigo* qne seria en-
fdennos aqu relata-lee; s na loja e armazem do
Pavao rna da Imperatriz n. 60 de Gama i Silva.
Loja do pavo
Gramdes pedainchas.
Sedinaas a 00 rs. e eovade
Sedabas a 500 rs.
Selnbas a SOO n.
Vende-se na toja do Pavo, nm grande sortimen-
to de sednhas Uetradas com ae mais bonitas cores,
sendo os padrSs mais novos que tea viudo a* aer-
eado, e vende-fe peto .paratisslmo prego de cinco
tostoes o covado, sendo fasenda qne valern mnito
mais dtnbeiro, e' grande peentncna por se ter
eoapradooaa grande ponida desta fasenda, m
loja e armazem da fa*eada do Pavo, roa da Im-
peratriz n. 60 ie
tdaginhas matisadas a 320 r
Vendem-se as mais lindas laasinhas matisadas
com os mais bonitos desenbos, pelo barato preco de l-1
320 rs. o covado ; na loja do Pavio a rna dalm- '
n roupoes de cambraia bordados proprios
tara as senhoras vestirem de manha.
begon esta novidade paia a loja do Pavao,
muito lindos e do melhor gosto al boje, por pre-
cos mnito razoavefs : na loja do Pavio, rna da
imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas francezas a 240 rs. o covado.
Vendem-se bonitas cassas francezas de eores fi-
zas pelo baratsimo preco de 240 o covado.
Ditos a 280, 320 e 360.
S na loja do Pavao, ra da Imperatriz'n. 60, de
Gama& Silva.
Grosdenapte preto a JJ60O.
E' grande pichincha!!
Vende-se grosdenaple preto, sendo muito encor-
pado e de boa largura, peto baratissimo prego de
4*600 o covado : na ra da Imperatriz n. 60.
Os cachinez do Pavo.
Vendem-se bonitos cachinez de lia ou apazalho*
para eabeca pelo baratissimo preco de 3*000, s
na loja do Pavao, na ra da Imperatriz n. 60.
MANTAS PABA O PESCLO
al*, s o Pavo.
Vendem-se bonitas mantas para o pescoco, pelo
barato preco de 1* : na laja do Pavao na rna da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
ladapeloes a 3,360 rs. a pessa.
S na loja do Pavo.
Vende-se pecas de madapolio fino com '! jar-
das, pelo barato prego de 3*o00 e 4*000.
Chales de renda.
Na loja do Pavao.
Receberam-se os mais lindos cbales pretos de
renda, assim como as mais modernas e compridas
retonds, e manteletes da mesma tazenda, e vnde-
se mais barato que em outra qualquer parte: na
loja e ajmazem do Pavao na rna da Imperatriz n.
66 de Gama & Silva.
CaMor a 3.O rs. 9 covado.
Para caigas.
Vendem-se superiores castores muito encorpados
padrees escaros pelo Lirato preco de 320 rs. o co-
vado, servlndo esta fazenda tambem para escravos
por ser de mnita duraglo : na leja e armazem do
Pavao roa da Imperatriz o. 60 de Gama & Silva.
Chapeos para meninas a 6,(jO.
S na loja do Pavao.
Se vendem os mais bonitos e mais bem enfeita-
dos cbaposinnos de palba da 'taiia, proprios para
meninas, plo baratissimo prego de 65000; na loja
e armazem' do Pavao na raa da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
Attencao.
DLTIIA NOVIDADE
FENTES, ENFEITES, CINTOS.
Gama & Silva, acabam de receoer pelo ultimo
vapor francez, nm grande sortimento dos mais ri-
cos enfeites pretos e de cores proprios para cabeca,
sendo guarnecidos com as mais lindas flores, e cm
vohas das mais booitas perolas; assim como os mais
modernos e engranados pentes da verdadeira tar-
tarnga, marchetados sendo a ultima novidade
que tem vindo de Paris, e os mais ricos cintos com
fitas mathisadas e fivelas largas, conforme ltima-
mente se Bsa as primeiras capitaes da Europa, e
vende-se por preco em conta por ter chegado em
direitora para a loja do Pavo, ra da Imperatriz
n. 60 de Gama A Silva.
is rotandas do patito a 8 e 1Q,
Venem-se as mais ricas rotandas de renda pre-
la, sendo moito grandes, que sao as que mais se
usam, pelo baratissimo preco de 8* e 10* : na
loja e armazem do Pavo, ra da Imqeratriz n. 60,
de Gama 4 Silva.
Chitas pretas aiGQ rs:
Vendem-se chitas pretas inglezas, sendo fazenda
muito boa, pelo baratissimo preco de 160 rs. o co-
vado, on S#S00. a peca com 38 covados : s na
loja de liavao, rUa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Vestidos brancos.
Cbegararo para a loja do Pavao os mais be*ws
cortes de vestidos de eatnbraia branca com tcu-
tas barras todas braneas, assim eomo com barras
ae cores, sendo farenda transparente e muito Soa,
tendo cada om corte bastante fazenda e milita re-
da, e vendem-se pelo baratissimo preco de h* e
fi.'^SfSE' *?
Cortes de tarlatana na loja do pavo.
Vendem seos mais modernos cortes de tarlaiaoa
com as mais lindas barras de cor, peo baratsimo
preco de 5* cada um, sendo neste artigo o me bor
que tem viudo ao mercado : isto na lojae arn-j.-
zenfdo Pavo na roa da Imperatriz n. 60, da Ga-
ma & Silva.
Cambrai?* brancas,
Ca 8 pelmas de largnrae
t na loja do pavao.
Vende-se cambraias brancas traopareulos :?ndo
8 palmos de largura, cu duas larguras das regula-
res, qne facelita fazer-se um vestido apenas c ai 4
varas e vendem-se pelos baratissimos pregos de..
1*000 reie, e !*80 a vara, nicamente na loia e
armazem do favo, ra da Imperatriz n. 60 de'Ga-
ma 'Silva.
Chitas brB as a 280 rs.
Mende-?e chitas francezas acentos brancos pa-
croes miudinbos, pelo baratissimo prego de 280 rs.
o covado, ua loja e armazem do Pavor, ra da Iro-
f eratriz n. 60, de Gama & Silva.
Chapees Vende-se om grande ortimento de chapos do
sol, sende de seda e de varios pregos e gnalidacs -,
ditos de alpaca e de panno, e vendem-fpor preges
mnito commodos, na loja do Pavao na ra da im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Cortes de chitas.
Vendem-se cortes de chitas Inglezas, sendo pa-
drSes escuros tendo 10 covados telo barato prego
de 2*000 re.; dttes com fl e 42 covados a S^itO
e 2*400 rs; ditos de chita franeeza escura e ale-
gre, tendo 10 covados 3*200; ditos cera 11 e 12
covadera 3*520 e -3*840 rs: pechincha, na rja
e armazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60 de
Gama & Silva.____________^_
Na ra do Jasmim o. 24, officina de ferreiro,
ha para vender urna victoria, um cabriole! ameri-
cano de 2 e de 4 assenlos, um cabriole! de 2 rodas,
lodos novos e por commodos pregos. Na mesma
officina se aprompta com toda a perfeiglo qualquer
encommenda, tanto de carapina como de ferreirc,
qnr sejam obras novas, qar concertos de toda a
especie.
Vende-se om cabrlolet de duas rodas com co-
berta e os competentes arreios, ludj em nielo uo .
a tratar na eocbeira da rea do Imperador n. 17.
Escravos fgidos
300$ de gratificado.
Em 31 de outubro do auno passado, fugio a es-
crava Glaudina, cabra alia e seca do corpo, qne
pertenceu ltimamente aos Illms.Srs. Jos Joaqu^m
da Silva, Manoel )Iauricio de Sena e D. Maruca
Ignacia de Castro e Silva que a vendeu a Jos 'l-
meos Ferreira que pagar 200*000 a quero Ud
entregar dita escrava na roa da Cadeia n. 62.
Fogio da ex villa de Cabaceiras, na noi'.e do
26 para 28 de margo deste aono de 1866, om mu-
lato de nome Antonio, cujo escravo do vigar Jos Fidelis da Silva Rosas, morador na mesma ex-
mela villa, o dito mulato fugio por sedueco, e le
accordo com os escravos do Sr Dr. Jos Fraur
co Lopes Lima, que do mesmo lugar serefn i:
Tomou o mencionado escravo a direegao para o -
dade de A'atareth, engenbo Terra-Nova, sonde >i
visto, e d'ahi suppoe-te ter seguido para a ( n --
ca do Cabo, engenho Aragnary, Wndo sido ja' v.-:o
no Recife, Tem a estatura e signaes wgmnle :
de pouco corpo em taroanbo e gressora, de pouco
mais de vinte annos, cabello pixainho, testa ve-
quena, tem deleito na vista, qucolha com teda .:>
i a um dos lados, falta de-dentes na frente, mu
se divulga ao nr-fe, e quando de propo>ik t i a
bocea, cambeta de ambas as perns, que sao ti-
nas, e os fes deeiluosos por cansa de tuses m
pequeo, e os dedos Mr txcessos desordiua: .-.
levou camisas de algodao azm, branco, caigas, pa-
letol e cbapo de bata copa baiza, e orna espin-
garda velha. Quem c;m elle se encontrar, qner
autoridades, quer capitaes de campo, on particula-
res, apprehenda-o; e a ser no Recife entregar na
loja do Sr. Manoel Ribeiro de Carvalho, na rna ao
Qoeimado n. 18, e > ser em lugar distante otrar a seo dono, que sera' recompensado.
Fugio do engenho Rola urna escrava muita
com os seguintes signaos : estatura regular, ca-
bello acaboclado, o dedo indez da rao direita abi-
jado, falto de denles na frecte, moito astuciosa,
costuma inlitular-se forra, e este ve fgida qua^i
um anno nos arrabaldes da villa da Escada :
quem a apprehender qoeira levar a ra da Ctai
n. 45, on ao sen senhor Pedro Barbosa da Silva
no dito engenho. _______
Desappareceu no dia 2 do correte da casa
de D. Marianna Augusta da Rocha Bastos, o seu es-
cravo Raymnndo, mulato escuro, canellcs carapin-
hados, corpolento e gordo, com pouca ou nenbum
barba, 22 annos pouco mais ou menos e que repre-
senta ter mais, por ser bstenle corpolento, *.ezn
os denles intelros e tem om dos bragas marcados
com letras esignaes: quem o aprehender leve o a
sua senbora na ra da Aurora n. 42, que ser re-
compensado.
ATLANTA
Grande novidade a tOO rs.
Allanta a 200 rs.
Atlanta a 300 rs.
Atlanta a 300 rs.
Cbegon para a loja do Pavo o mais lindo sor-
timento desta nova fazenda, com o titule de allanta
propria para vestido e ronpas para meninos, tea-'
Q esta modernissima fazenda de 13a com os mais
lindos gostos de qnadrinhos e listras tendo entre
ellas de cor rosa e preta. com listras e quadros!
brancos proprias para tato, e vendem-se pelo ba-
ratissimo prego de 200 rs. o covado nn'icamente na
loja do Pavao rea da Imperatriz n. 60 de Gama 4
Silva.
a roa
peeatriz o. 90de Gama & Silva.
fizas i.-to na loja. armaaam
w-_
DO DR. CHABLE
MEDICO 1 PROFESSOR DE FHHJUCU, DE JUUS.
.!.
tARA 0 THATAMENTO E FRHHO CURATIVO
Plo .
COPAH
DEPRATIF
SAJVG
AS ENFf RH1DABIS SIICAES, DN TODAS AS AFFECgOES CUTAMA, VUUS
riererroChable.
ope mu preferivel ao'
Ctpmfa. a as Cubi-
to, tm immediatamen-
te qualquier purgigao i
relaxacio e diABfditte, e ignilmnte fluxos e eaHWWe
flores braacas
Clutble
rao tempo
"i -- ....." ------
1 Metes etftaneas e comnei.

E ALTEHAgOfiS O SAMOS.
ella segura
AtopurMjv* de
Xarope vegetal sm mer-
eurio, ontaie coabeeide
approvado pasa curar
fl con prqmptida e radi-
psul, erjws, rn, c*-
.-Pomrft efue as cuta em 3 tea. /Tr^_ ''
T+.tt*,m tm*,., ..^.. 6lAm nai Jf .!Midya*pliigm
BfiBasssBBaaaaBBaiwBSSBSi
Deposito na rna hirga do Rosario htica ^e-Barttofoflleu ft C. n. 54.

Os chales de guipure a 124 fi
weoo,
Vendem-se os mais ricos chales de Guipure e de
renda de llnbo e seda, pelos baratlssfnros precos de
12* e 400; rinde peehineba na relagSo anea
qualidade e tamanbo delles: s qa loja do Pavie,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva,
drfminhat a 200 rs,+so y,
Puvo.
Vendem-se modernas ISazInnas com lindlsimes
jostos, pelo baratissimo preco tieOO rs. gran-
de peefeirjcha i a na leja 4o Vt<*o, raa da Imps-
ratnzu. 6Q.de Gama iiSilM.
Sedas Laf|as
Na toja doPaao,
Cbegon para a loja do Pava a .rafldernisimo j^"D "'
rumento das mais lindas sedas para vestidos,
sendo urnas da llstrihas e ootras de florzinhas
tflm asmis Unas edre? algamls proprias pira
as senboras que estiverem de luto e vendam-st
#alo barato prega te 2*000 a covado, tendo esta
azenda quatro palmos de largura, que. facilita fa-
zbt-s nm vestido eom ptPos^viics, isto na
lofae armatem do Pavao na ni' a ImTOWtrllt n
60 de Gama & Silva.
As chitas aPavo a 200 o covado.
Vende-se o mais bonito sortimento de chitas n-
caras e rozas sendo Inglezas, mas.com os pannos
lio encorpados cerno os das francezas que se ven-
de a '*00 reto, e liquidao-se .pelo jarato preco de
200 ris o covado ou a 7*200 a pega, garanlindo-
fe tere 38 ovados cada pega eserem de cores
fi
VILLA DO LIMOEIRO.
30*000.
A essa villa ebegra ha poneos meies um escra-
vo fgido, intitulaodo-se llvre e com o nome de
Manoel, em coropanbia de nos italianos e allemaas,
e ah estiveram fazendo cigarros, e ha doos mezes
qne se retfron. Elle mnito preto, erienlo, muito
ladino e hbil, falla bem, pedretro, bebe e as
vezes muilo, lera' 40 annos, de estatura ordina-
les, cabeca flna, resto afinando muito para o quei-
xo inferior, olbos nao grandes* vjw -e vermelho*,
tem no rosto nns carocinbos com as pontas ver-
meibas como espiabas mnito pronunciadas, e pare-
ce qne teve bezigas, puxa por nma das pernas
qaanoo anda, secco, espadando, de bracos gros-
siks-e.de maita forga ; o seu verdadeiro nome
Gregorio : seu senbor o Dr. Affonso de Albuquer-
q-je paga 30* e as despezas da condngao a quem
aprehender e Ihe flier entregar em sua casa, na
ra estreita do Rosario- n. 34.
da favo na jua da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Armazem do Pavao,
Vende-se cera de carnauba da melbor qualidade
empaceos, mais barato que em ontra qnalquer
parte no armazem do Pavo na ra da Imperatriz
n. 60, de Gama Silva.
As cabalas do Pavao a 2JO0O
covado.
Ghegsram para a loja o Pavo asmis lindas
cabalas de seda para vestidos, sendo coro os mais
lindes gostos de flores e listas, leude entre ellas al-
Acba-se fgido desde o dia 14 de maio o es-
cravo cabra de nome Honorato, e tem os signaes
seguintes: cabellos carapinhos,dente* podres, pos-
ea bafna, estatura baiza e cheio do corpo, pernas
proseas, ees pequeos e groases, mnito apasio-
nado a batuque* e gosta de tomar agurdente, te-
vou roupa de castor Iletrado, sendo abena na fren-
te a camisa : quem o aprehender teve o ao auge-
olio Tres Dragos na freguezia da Escada on nesta
praca na rna do Imperador n. 24, que ser bem
recompensado.
- No dia 9 do correte desappareceu urna mu-
latinba de 7 a 8 ansas de idade, eor escura, ca-
bellos cortados, bem nutrida, e levou um vertido
de chita rdxa ; esta muhrrmba livre e chamase
Amelia : quema ver acbado perdida netas mas,
ou que a tenha omisiada em casa, queira leva-la
ao sobrado da rna do Aragio n. 32, no 3* andar,
que sera gratificado.
Furto na segunda-feira, 4 de junho, o preto
de nome Emilio, de idade 35 annos, perneo mais
09 menos, de corpo regular, estatura media, ievcu
vestido caiga de brim pardo ja desbotada, e um
gumas roM6 e pretas para quem estiver de luto, paletot preto, e o signal mais visivel ser calvo
tendo esta nova fazenda 4 palmos de largura gue
Tacirlta fazer-se um vestlde cem poneos eovados, e
vende-se peto !haratissiao. wC JUrOOO. nica-
mente nijpja e armazem dp raVio. i rna da Impe-
H'
Novidade
Para vesldoa.
Cbegaram as desejadis cambraias ou tarlatina-
itavas tem liartnbaalsendo transparentes e ven-
dem-se pelo baratissimo preco de 6*000 o corte,
na loja e armazem do Pavao^M rt da fmpewtrlz
a, 80 e Gama silva.
este escravo dcsconfia-se que ande para as bandas
de Santo marlnh : quem o pegar leve.em Fofa
de Porta?, ra do Pilar n. 118, remucto, qne ser
recoropensaao. ,
Fugio no dia 90 le maio um escravo de An-
umio Jos Goncalves, morador na praia de Haba-
tinga, crionlQ, de nome Loiz, idade 35 annos pouco
ntall ou cenos, eontendo alea diseaas segainte
caracterisUcoa :esUtura alte, rosto comprilc,
um dente podre na frente, sem deleito algom as
pernas, bem fallante, TOr fula. Qoem o appreben-
ler e entsagir a sen dono, sera' gratflUato gene-
rosamente.

es
1 IUBJVH
Jfe



8
F>!rU de PeraaMbne Quinta fclra 141 de Jnnho de 4866.
LITTERATORA.
As Biblias falsificadas.
Si tais autem libro ipsos- ntegros cun
...-,-------.------..i,..- ~-~.* jn Ecclesia
gumentacSo, qae, contra a canonicidade Egreja : Quia a Patribus isia accedi-
dos deutero-canonicos formulam os nossos, mus in Ecclesia legenda.
antagonistas, apadrinbados com a aulorida- 7o_ qm 0mtam ^1^ ti)S padres
de de S. Jeronymo, de S. Gregorio Mag-jde Trento, ^jue, lendo o citado Concilio no
& de Cartlago mandado esta sua collecgao
no, etc.
mnibm suis partibus prout ^Ecclesia Resta,.desa,oja.los do redQCto do ^eal
ikitholtca consiteverunt, el m reten \ul- r J
gata Latina editione hcbentur, pro sa- Metano, ertujue muito se escorara; e a
m-is.et canonicis non susceperit, el ira- e-t9,respewbasta dizermos, que nao fnlt-
Ut iones prmdictas sciens el prudens ram antes e depois do Concilio de liento
cotitempserit, analhema sil (Conc. Tri- theologos doctiscimos, que por escripto 4m-
rlent., sesso 4.a) pugnassem de errneas e inda de hereti-
(Continuaco.) : cas as assercoes de Caetano, como notorio
yjj que as comba teram Ambrosio Cathariao,
E por que nao havia o Concilio de Tren- Melohior Cano> Affonso de Cas,r0 e osDoc-
io de incluir os deutero-canonicos no senjlores tle Paris'
ala-logo? Seria porque muitos Padres dos' Ignorando as linguas orientaes, diz
priineires seculos, corno Orgenes, S. Hila- Mr- Du &omr, tomou o cardeal Caetano por
no. S. Alhanasio, S. Cyrillo de Jerasalem, interpretes alguns rabbinos, que por mais
3. Epiphanio e os Padres do Concilio de de uma vez induzrameta erro.*
Laodicea tinham omittido nos seus catlogos! c Qoanto versao do Novo Testamento,
.ilguns d'estes livros ? Mas esta objeccjo se se llie exprobra o ter seguido servilissima-
desvaneca aos olhos do Concilio, logo que mente a versao e notas de Erasmo
se advertisse, que os mesmos Padres, qne,
ao formar o catlogo dpi* livros cannicos,
otnittiam, por exemplo, os livros de Judilh,
ue Tobias, da Sabedoria, do Ecclesiastico e
os dois dos Maccabeus, n'outras partos de
>oas obras os allegavam como Escripturas
inspiradas e divinas; o qce era sigoal ma-
nifest de que os ditos Padres, na omisso
tos referidos livros, n5o propunbara a sua
propria sentenca, mas e de outros e prin-
cipalmente a dos Hebreus.
Mas, diz o christo-velho S. Jerony-
mo, Rufino e S. Gregorio Magno chamaran,. Em outro luSar d'este escriPt0> teremos
O grande Bossuet. tanto nao considerou
o cardeal Caetano escriptor de mrito em
materias cannicas, que d'elle disse o se-
guinte: Era o cardeal Caetano um es-
pirito ardente, impetuoso, e mais hbil em
subtilezas de dialctica, do que profundo
em antiguidades ecclesasticas.
Eis aqu o escriptor, em quem o chris-
to-velho tanto se aslribou em sua crusada
contra a canonicidade dos deutero-cano-
nicos !
de caones para que o Papa com os outros
Bispos confirmassem com sua approva?5o,
a Sancta S com effeito a con firmn.
t Se a ort'ooa e o mrito poderam collocar-vos honra e delicadeza de V. Exc. para qae se strv
em orna posicio invejada pelos reis nao pooco diter-me ao p desta se sao certos os tactos re-
ten contribuido para isso a vossa honradez e leal- laudos que servem de fundamento a miaa re-
dade. juncia.
i Qaaodo o nobre povo inglez tinba mais direi-' Co tal motivo, -me grato comprlmenlar a V.
to a exigir da vossa' velbice esta honradez qae Exc. com distinecao.
constitue a gloria dos grandes horneas, am terri-
vel desencanto velo apagar todo o passado.
i Ministro, ainda que por vinte e quatro horas,
de orna naco iodependente e livre, venho lanzar-
vos em rosto am abaso ioqualiflcavel de eonfianca;
Carlos de Castro.
c Casa de V. Exc, 12 de maio de 1866.
Montevideo, i 2 de maio.
Particular e confidencial.
8- Que C0 m OUtro Sim aos Padres Mfflpo antigo e esperto diplmala Inglez sor' Senhof.-Respcndeodo como me pede em sua
*,____ r....-_ jT_....1 carta particular e confldeuclsl desta data, e qae
devolvo, devo diier que eerlo qae V. Exc. me
de Trento, que o grande Doctor da Egreja prendeu o pundonor da sua pobre naco-.
Sancto Agosthho, no livro 11 di Doctrina, Se uma das mais explanadas conquistas para comraanicou conntcialuienle oma copia do ira
Christtm, capit. 3, mudado as auctorida- ia dip'T* 2 Tr ST ll 2 **> "a e dos quatro arttgos addieeiooaes,
. ._ i *1 __ .,____ eabua f, acaba lord Russell, de dar-lbe am rude __ ______* .. ae,r......
nao cannicos estes livros: ergo, etc.
Respende-se com egual facilidade e proba-
be.idade: que ocbamarem aquelles Sanc-
!os Padres nao cannicos os dictos livros
nao significava outra coisa, seno que, por
aquelles tempos, nao estavam elles geral-
rnente por toda parle declarados cannicos,
como os que se continham no catlogo he-
braico. Entretanto, certo que o meamo
S. Jeronymo, na prefacao ao livro de To-
ma, confessava, que, ainda que o nao lives-
e encontrado no canon dos Hebreus, se
resoltara traduzi-lo em Latim, estimando
mais obedecer ao mando dos Bispos, que
gradar ao juizo dos phariseus. E na
piefago do livro de Judilh da por averi-
guado, que o Concilio de Nica o contara d;\;;^os"pa(i;"Te'"7ren7o"pro"ced"esm
em o numero das Sanctas Escripturas; o
qual fado, posto que seja contra vertido,
sempre mostra que S. Jeronymo nao f-
ainda occasiao de fallar em especial de cada
um dos dictos livros, ex'hibindo o grande,
o immenso numero de Padres e Doctores
da Egreja, que sustentaran a sua canoni-
cidade. E' preciso que este negocio fique
betn delucidado. Nao com bravatas e pi-
ques de amor-proprio que se decidem ques-
tus d'esta ordem e gravidade.
IX
Quaes os fundamentos, em que se baseou
o Concilio de Trenlo quando estabeleceu o
catlogo dos Livros Cannicos ?
Estes fundamentos, diz Pereira, foram
os mais solidos e os mais firmes, que se po-
diam imaginar, de sorte que nenbuma ra-
zo teem os protestantes- para se queixar
ra contra a canonicidade d'este livro. Fi-
na'.mente, o mesmo Sancto Doctor, como
observa Melchior Cano, quando chegou a
commentar a Jeremas, logo no principio
citou o livro da Sabedoria como um livro
prophtico. e commentando a Isaias, citou
o 1. livro dos Maccabeus debaixo do no-
v. de Esaipttira.
Fallando dos deutero-canonicos, diz o pro-
;;r!o escriptor allemo, o Dr. Hanaberg:
i A querer-se fallar com todo o rigor- da
express5o,.8e deveriam contar entre os deu-
wi j-canonicos os inco livros mais novos
do canon judaico, a saber: os dois dos Pa-
ralipomenos, Esdras, Nehemias e Estb.er,
pota que s se tornaram cannicos depois
do periodo que termina pela ruina de Jcru-
salem. Mas, como existiam longo tempo
autos de Flavio Jos, que d'elles servio-se
., foram logo umversalmente reconhecidos
pelos Judeus da civilisagao hebraica, conla-
ram-se entre os proto-canonicos, ao passo
qce o nome de deutero-canonicos ainda
dado aos outros septe.
Boa parte de sabios protestantes re-
conhece com imparcialidade a importan-
cia de alguns d'estes livros ; e que es-
pirito recto poder esquecer os servicos
prestados pelos livros dos Maccabeus tais-
Wria dos Judeus, desde Esdras at Nosso
enhor Jess Christo ? Sera o livro da Sa-
bedoria s imperfeitissimamente poderia-
mos saber qual a posico, que havia tomado,
em frente da philosophia grega, a theologia
judaica e como esta se desenvolver depois
n'este ponto com precipitaco acelerada-
mente
Taes sao, em resumo, os dictos funda-
mentos :
.1. A tradifao, que desde os primeiros
secles at os ltimos se conservava iamter-
rupta na Egreja Romana, ainda considerada
por s s, dava aos Padres de Trento toda a
seguranza para infallivelmente se persuadi-
rem, que todos os livros da .Escriptura,
comidos no seu catlogo, eram os mesmo
que os Principes dos Apostlos, S. Pedro e
S. Paulo, fundadores da mesma Egreja,
tinham declarado cannicos aos Papas
d'aquelle primeiro seculo, e estes a seus
successoreS.
2. Qae esta tradlc^o esta va viva na Egre-
ja Romana, no principio do seculo 5.9,-como
era constante aos Padres de Trenlo pela
carta do Papa Sancto Innocencio I, que no
anno de 405, consultado por Sancto Exu-
prio, bispo de Tolosa sobre que livros ti-
nha a Egreja Romana por cannicos, res-
pondeu: que eram taes e taes, isto lo-
dos os que boje vemos contados e nomea-
dos no catlogo de Trento.
3. Que de Sancto Innocencio passou a
mesma crenca a seus immediatos successo-
res, como era constante aos Padres de Tren-
to pelas actas do Concilio Romano de 494,
presidido pelo Papa S. Gelasio, ou, se-
^uudo outros, pelo Papa S. Hormisda?.
4. Que desde o tempo de Gelasio ou de
Hormisdas continuou esta crenca na Egreja
Romana at" o seculo'15., como era cons-
tante aos Padres de Trento pelo recentissi-
mo Decreto pro Jacolnnis, passado no Con-
des das Egrejas Romana e Africana, deu golpe) il{6aio, saa marcha pr0gressiva e fazeodo
por catalogo fixo e absoluto das Divinas' estragos verdadeira civilisagao.
Escripturas O mesmo que OS SObredlctOS I Quando os potos chegaram a comprebender
Concilios de frica tiuham tambem deter que systema de Macbiave era o suicidio da
minado e fixado ; e que no livro da Predes- nnica P<>qae condaz ao porto de salvado,
... a deitando-a para a poeira do sepalchro, lord Kos-
tinacao, que too Ultimo que COmpoz,affir- 2,, preteade restaurar ama poltica coademnada
mou O Sancto Doctor, que uma vez que O inexoravelmenie peto dever, pela bonn e pelas
livro da Sabedoria se continha no dicto cata- convenieecias.
logo, n5o o devia ninguem regeitar como! Agitase no Rio da Prata ama grate qnesto
Koo cannico, visto que desde os teptfOS \* ^^ ^tt^lm^a?^o,tanM^:^.
t O estrondo dos canWes destinados a derrubar
prximos aos Apostlos era lido este livro 0 aIt|mo ba4Darte do retroCesso e da barbaria, vao
as cathedraes da frica. >.. repercutir do- ootro lado deoceaao.
Cumpre advertir que O liWO de Barucb A Inglaterra, sempre rtosa e prerora mos-
r V ira-se inquieta,
era o nico, que se nao achava, nem no ca-| f SQbscrevl ^ minlstra 0m tratado de ai-
talago de Innocencio I, nem no de Gelasio,, 1)Bn5a) qoe aCredhava proveitosa para o mea paiz,
nem no Africano, nem no de Sancto Agosti-; para os povos beligerantes e pera o moodb m-
nho; mas os Padres de Trento o incluan t re.
no catalogo dos livros cannicos,fundados:
primo, no exemplo do antiqusimo Conci-
lio de Laodicea e na auctoridade de Sancto
Athanaiio e de S. Cyrillo de Jerusalem, que
todos nos seus catlogos tinham mettido
expresssmente Baruch ; s(cund&, por
que sabiara que outros Padres ainda -mais
antigos, como Sancto Ireneu, S. Clemente
de Alexandria, S. Cypriano, Lactancio Fir-
miano, Sancto Hilario, e depois dflles- S.
Basilio, Sancto Ambrosio, Mario Mercaeor,
S. Fulgencio, e o Papa Pelasio I, todos te-
nbam citado a propbecia de Baruch debaixo
donme de Jeremas, talvez porque era
suas Biblias achavam Baruch confundido'com
Jeremas, para cuja confusao poleria< ter
concorrido o fado de constar que Barucb
tinba sido amanuense de- Jeremas ; ter-
rto,dar isto sufficiente motivo' aos Padres
de Trento para se persuadirem de queo^ao
terem os Papas Innocencio e Gelasio, como
Sancto Agostinho cornos Padres de-frica
incluido Baruch em seu* catlogos, nofora
porque o nao conhe9iem por escriptor
cannico, mas sim por consldera-lo um
mesmo com Jeremas.
Aqui temos, alm de outros que omitti-
mos, os fundamentos do Decreto do Conci-
lio de Trento relativamente escolo*, nu-
mero e catalogo dos livros Sagrados- >ca-
nnicos.
fGontinuar-se-h.)'
sob a promesea que Ihe Gz da mais estricta re-
serva.
< Deixo agora ao juizo de V. Exc. depois que
baja lido o que se segu o ver se de algara modo
me separe dessa promesea.
f Dei couhecimeuto do tratado ao mea goveroo
emamofflcioencabecadoconfldencialmenle eque
continua o paragrapho segainte que traduzo tex-
tualmente do mea livro de coplas :
Devo ao Dr. Carlos de Castro estes doco-
t mentos, a respelto de cuja posee S. Exc. pedio*
c me que mantivesse a mais estricta reserva.
Cora tal motiv, -rae grato, etc.
W. G. Letmn.
i O representante- da Gra-Bretanha nesta rep-
blica manilestou instancia para conheeer aqaeHe
documento parecende incerto sobre a sorte de
ama nacionalidade qae talvez acreditava compre-
mettida.
i A' vista das exigencias do honrado cavalbeiro
Lettson nao tive inconveniente em revellar, sob
palacra de honra do representante da GrSa-Breta-
nha am tratado a respeito do qual o aeu dever
de funccioBarlo e a raiuha honra de cavalbeiro
protestaran guardar segredo.
i Chamo a Deas e a minha consciencia por tes-
temanbas de qae ced aquella exigencia tmpellido
pelo mais poro patriotismo.
c Acredite)-fater o mais eminente servico a essa
mesma trplice allianca evitando complicegoes,
talvez mesmo-nos momeotoe mais graves porque
atravessava.
Devo declarar em honra- da verdade que o ca-
valhelro Lettson permaneces fiel a' sua palavra
empenhada como diploraata e como bomem.
t Sr. LetlsoD empenboa por saa vez a-pala-
vra de honra eonfiando o segredo-a ama da* mais
proemineotes figuras do mundo diplomtico.
HE.VIUO i UlERR.
de Salomo. Isto nao pode ser desconhe- ci|io de Zorenca, em 1441, o qual no seu
cido nem por aquelles mesmos, que duvi-lcayjogohaviaji^emjido todos os livros ca-
nnicos, que e de Trento recebeu como
daram da canonicidade d'estes livros.
E quem determioou a canonicidade
taes.
d'estes livros ? Determinou-a uma autori-
dade, que se encadea rigorosa elstoiica-
raente a uma fonte inspirada por Deas.
c A Synagoga n3o pode ser para os enlis-
taos uma autoridade de tal sorte reguladora,
que exclua a autoridade da Egreja; porque,
de quem, n'este caso, receberiamos.o canon
do Novo Testamento ? Si nos atiramos ao
terren da obediencia ao juizo dantiga
Egreja, a questo da canonicidade d'estes
livros se resolver do modo segrate:
1. Desde qu houve litteratuTa eccle-
siaslic, vemos estes livros citados e em-
pregados como meios de prOvas dogmti-
cas, absolutamente do mesmo modo que to-
dos os outros livros cannico;
e 2." A Egreja Grega, como a Egreja
Latina, serve-se de uma traduccSo do. Anti-
go Testameoto, que encerra estes livros junc-
tamente com todos os outros;
c 3. Muitos d'estes livros, o Ecclesias-
tico, por exemplo, serviam de textos de ex-
plicado as Egrejas; de modo que o uso
d'estes livros na antiga Egreja tao fir-
memente estabelecido como o de qaalquer
dos outros (I). >
XIII
Cremos que o que ah deixamos estabele-
cido, firmado em testemenhos irrecusaveis,
bastante para deitar por trra toda a ar-
(i) Dr. Hanaberg, Hist, da Rtv. Bibl.
pag. 385 |7.0e8.
5. Que, alm da tradicSo da Egreja Ro-
mana, saMfnr,oi Padres de Trento, que an-
da arite U^iTesposta de Innocencio .1 a Eku-J
prio, tinham os bispos da Egreja de frica
manifestado estar no mesmo sentimiento a
respeito da catlogo dos livros cannicos,
declarandOBO 3. Concilio naetena de Hip-
ponia, celebrado no anuo 393 e no 3.a Con i
cilio provincial de Carthago, celebrado no
anno de 397, que reconheciam como can-
nicos os mesmos livros, qne por taes con-
tou pouco depois innocencio I, na sua ci-
tada carta a Exuprio, sendo,qoe do catlo-
go dos dois sobredictos Concilios faz men-
A Tribuna escreve o seguate :
, Oremos ter dado com o busilis, o vamos com
maiMca-lo aos nossos letfores.
Quando se tirmou o tratado de ailianga entre
o imperio do Brasil e as repblica- Argentina e
Oriental, todoi uitraobaram .jae H* M BatLauJl.|
casse.
E' qae se eslipalara, notratado^ que-elle per-
manecera secreto, emquanto se nao consegnissem
os fins que os ainados tinham em visu, ao empre-
beader a guerra do Paraguay.
Saccedeu qae alguns membros do parlamento
inglez interpellassem o gabinete de Loadres sobre
as ioleacSes do Brasil a respeito do Alto Paran'.
Cada Vez a opposicSo, preparada de autemo pelos
agentes qae Lpez tem na Europa, apertava mais
com o ministro lord Russell, o quaL vendo qae to-
das as raides que dan, nao couvenciam os inler
pellantes, escreveu ao sea encarregado de negocios
entre nos qoe fizesse quanto padesse por obter
ama copia do tratado da trplice allianca, porque
com ella i vista applacana os opposiciouistas.
c o Sr. Lettson vio ento ao Dr. Castro, partici-
poa-lbe as inslracces que tinba do sea governo,
pedio-lbe a copla, e como nada conseguase, re-
correa as ameacas. Explicamo-nos ; disse qae se
Ihe nao flzessem coqhecer as bases da allianca qae
impedira que ella puzesse por obra seas planos e
coaseguisse sea objecto; porque o silencio indica-
ba que havia intentos de conquista,
i Nosso mloistrou protestoa que nao perigava a
independencia de uenham dos estados do Rio da
Prata. Nem assim o Sr. Lettson manteve-se duro.
< Crendo qoe evitarla am conflicto aos aluados,
resolveo-se o Dr. Castro a dar-lbe copla daqoelle
documento qae devia flear secreto at o Ora da
guerra actual.
i ti o fez por se Ihe as segurar qae se ha verla m
com elle, como de cavalheiro a cavaUutro.
t 6 Sr. Lettson reraetteu ao conde Russell a
copla que Ihe (acollara, aeompanbando-a com ama
nota c(w/dfflcial em qae se Ihe recommendava
segredo l
c O chele do gabinete inglez, uma vez qae te ve
as mos o tratado, olvidando a recoaueeodacao
do sea encarregado de negocios, leu-o ao parla-
mento e publicou-o com a bou do Sr. Lettson, ten-
do tido porm o cuidado de sapprtmlr o confiden-
cial e o paragrapho em que se ihe recommendava
eegredo.
t Esta a verdade do occorrido.
Mas esta poblicaco (cita pelo governo inile,
Cao Sancto Agostinho, que tinha assisti-, tem $ido diacnUda pelo jornaea de ambas ^s mar-
do ao Gartbago, na sua carta 64, a Quin- 9 Logo depois da aolicia dessa poblicaco, o Sr.
c,aD0- I Dr. Carlos de Castro, ministro das relajSes exte-
6o Que cmstava por egual aos Padres | riores do Estado oriental, dea a saa demisao,
de Trento, que duzentos e deseaepte bispos' aaaamlndo exciasivamente a responsabilidad, do
da mesma Egreja de frica, r^upjdos no 6# **
Como uSo esparar do primeiro ministro dua
patria aquillo que pode exigir-se do ultimo Bft da
pobre Irlanda ?'
t Com raides qae ao se coaeebem e meses se
justtficam, reveiastes am segredo em queeetava
interesada a beora de Inglaterra.
Se vos vistes orgido pelas exigencias de par-
lamento nao era duvidoso o procedimente de ho-
mem de honra.e de conseteacw.
c o nobre lord .devia ter preterido ama nda
honrosa antes do qne commetter ama ioBdeli-
dade sem eieroplo nos annaes da diplomada mo-
derna.
t Quando Str Robert l*eel iBaugorou ama-era
de prosperidade para Inglaterra, levautava o estan-
darte das liberdades comaaerciaes, assigualando
uma roU luminosa, assegorava a sua patria a su-
premaca dos mares, deraocava o negro passado
de ama poltica prfida e desleal, apresenttva-se
como o grande colosso da seo seclo.
c Mas quando teve a grandeza de.alma de con-
fessar os seos erros cobrio de gloria osea nome.
c Se alie pode orgnlbar legtimamente a Ingla-
terra 4 parque s seus actos troaxeram.sempre o
cuabo de eleva^ao de carcter.
< Ponbo-vos em. lace do gladio taexoravel. da
opiniaoe da bistoria.
De um lado estar' o joven representaste de
uma fraca repblica, para a qual s tem bavido
das de gloras e de infortunios.
c Do ootro o nobre lord que,, ptesidindo- es con-
solbos de um gabinete poderoso, nao soube guardar
a ( pronuttida.
So a minha modesta posico exiga reserva,
se com ama oobre leviandade pode constituir tima
culpa, se tive temeridade em confiar-me na pala-
vra da primeiro homem de estado de Inglaterra,
comn.se podera' qualilicar o diplomata qae aspira
marcar uma nova poca em seu scalo e a quera
nada disseram os sentimentos de bonra 1
c A altara em qoe vos ooltecaram o talento e a
sorte attrahira' todos os olbares e amargas censu-
ras sobre aquella que teve a triste coragem de
oompromelter a .ciKamspeeeao dn modesto cidaao
de ama repblica.
Gtorio-me de ter sido victima de ama impro-
videncia qae sao sera* estril no otaro, descendo
contente aa uma posico qoe me era assas pa-
nosa.
t De boje em diante mais am camiabo esta* tra-
cade paja a diplomacia emqoanto lord Russell pre-
sidir aos cooselbos do gabinete inglez.
t Se a Inglaterra actual, fascinada por vosso
brilho, nao .vos pede estrella coot, a Inglaterra ta-
lara sacudir' o p da deshonra para cobrir o l-
malo de um mi inglex qae nao soube correspon-
der a eonfianca nacional.
Mas nao. Entre a bonra nacional e lord Rus-
sell, nao devo, nem quero duvidar da escolha do
parlamento se qoe esse parlamento se mostra fiel
a sua proverbial honradez. '
Tanta eonfianca tenboe lio grande a (alta do
grande homem,quesaoappello paraos meosconci-
dados, sena o que espero jusca do governo e do
povo brltansico.
< Ajonto nesta a miaba demisso e a declarac&o
do representante 4a Graa-Breunha nesta repblica
para qoe o mando julgue a diflerenca que existe
entre vos, primeiro ministro de nma grande naco
e o ctdado de ama repblica.
Carlos di Castro.
Montevideo, 18 de malo de 1666.
t Exro. Sr. gevernador delegado, Dr. B. Frao-
cisco A. Vidal.
> Depois de assignado o tratado de aluenga em
Baeoos-Ayres-, acreditando dever eliminar as des
confianzas que podesse preduzr este facto na Eu
ropa e mais especialmente na Inglaterra, dattrain-
do.em seb governo os temores sobre a poestUilida-
de de ter-se pataado a' exMosiva navegaco dos
rios interiores com o resultado da guerra, acredi-
te!, repito, dever responder com ora acto de eon-
fianca s exigencias do Sr. Lewson, encarregado de
negocios de S. Jl. Britnica.
Com esse effeito, conflei-lbe eom carcter re-
servado, oma copia do dito tratado, pera que po-
desse de um modo confidencial inetruir o seu go-
vem das garantas dadas ao eemaiercio estran-
geiro.
- Nao obstante a plena reserva exigida e a deli-
cadeza do assumpto. o gabinete do-Sr. Russell, fus-
tigado no parlamentle* oso desse documento para
deleza- de soa poltica, incorrendo aesim em nm
aboso de eonfianca extranho em a governo lio
cireamspeclo como o de-Inglaterra.
Posto qoe eu estejn persuadido-iiue o fim pro-
poete de attrahir a poltica inglexa- aes interesses-
da alliauca (ol alcangad, o (acto da*poWicaQo nao
deia de comprometter o governo oriental, embor
as estlpulacoes substancias ja' (oeeeae eonbecidas-
em pabkcagoes (eitasr prlmeirQ pelos diarios do vi-j
sinbo laiperio e posteviormente pelee do Rio da
Sea liado eolio de nev
Rdo aceda com fervor, \
Offegante de saudade
Recordando r trovador-
Purpreos labios nao soltam
L'm sorriso ocanudor,
Do suspiros d saudade
Mormurando o trovador.
As rosas de suas faces
J nao tem carmnea cor,
Compartilham da saudade,
Que lacera o trovador.
Azol iris, que circunda
Os seas olhos, cos de amor,
Diz alliaoca em saudade,
Co'o proscripto trovador.
Mar lia, prenda querida,
Meus santos soahos de amor,
Coin o bouquet de saudades,
Qae te enva o trovador.
Se nosso amor to paro t
Se a virtade sea peabor t
Chela de f e saudade,
Aguarda tea trovador.
Um da, Deas compassivo,
Pungido de nossa dor,
Dir coeio de bondad*,
S (eliz com o trovador.
-

TI .

Em principios do correte met, am magnifico
cao da Terra-Nova pertencenle a ara oidado de
Rocbester (Inglaterra), tuicidoa-se, (aosaado-se ao
rio Medwajr.
Este cae ebamava-se Brace, e tinha sido eseerra-
cado de casa por jalgaremqae apresestava os pri-
meiros symptomas de bydropbobia.
Era uiuainjustca qae tne faiiaro, apara pro-
testar conira etla dirigio-se a casa de na amigo de
sea dooo, residente em Ilposi; ehegado & porta la-
ti para se fazer ouvir; a porta ficoa (echada.
Eato o pobre animalxinho nao pode ser superior
sua desgrasa diriglo-se correndo paraaleira
do rio, voltou-se para a casa isbospitaleira, soltou
um lonco latid como em signa! de despedida, e
preclpitoa-se resolutameate na agtae, ^oade-mergo-
Ihoaa cabe{a>ineervaodo-a nesta posiso al se
declarar a aspbixia.
Maltas pessoas presencearem este facto, qoe
tanto mais sigoificativo, qoanto o genero de-morte
escomido pelo cao indcava que cao tinba a deanes
qae Ihe attribulam.

Infeliz brutioJio !

Pru.
Para remediar qaaa4o possiveeete mal, cum-
preme declarar que, sevhouve leviandade e se se
den occasiao ao referido abuso, a oolpa exclusi-
vamente minba, e o goveroo oriental e a chancel-
larla-das selafCes exteriores nao iWeraea nem teem
n'islo responsabilidad alguma.
ue resto, esse dseumento em- qae se pactooo
p respeito independencia da nao paragnaya e a
livre navegaco dos grandes ros sierlores, nao
enesrra eosvenco algaima que-na pasea ser acei-
ta como nm timbre de honra a-de gloria para a
dc ssa patria e para ss alliados.
Os nos da alli3ica pode dieer-se qne ja' estao
eesseguidos: portaste a pubfleaeae d'esse deca-
memo ja' nao pode affeciar e seas interesses-d'es-
de s cansas que eaigiram n-sagrdo desappaseee-
ram ja', on estae prximas adesapparecer comple-
tamente.
V t Por ultimo, Exm. Sr., considerando qne i al-
Utode do encarregado de senecios da Inglaterra
poda ser n'aqueiles momealos lavoravel para nos,
quando os partidarios da cansa do presdeme do
Paraguay, padiam tambem por sua vei influir no
animo do Sr. Lettson em nosso damno, aereditei
que com ese rasgo de cavalbelrismo da minba
parte era-raa dado restaselecer a verdade.
t Com este despjo proced assim, a o proprio
procedimoBto de lord Russell no parlamento velo
corroborar os meas, temores, pois bem se de-
preheude-da dita poblieaso que la' eeaao ca', bou-
veram igoses desenancas.
t Tsmo a liberdade de chamar a Ilustrada at-
tencae de V. Exc. para o lucidente que enri der-
rama grande lu no assumpto, justificando as. mi-
nbas-mais sans iaiencSes.
Nao obsunt, estoa a's ordess de V. Exe..pela
responsabilidade qoe me cabe n'isto, e d*esde ja'
elevo a's. roaos de V. Exc. a miaba renuncia do
sargo de ministro de estado.
Sirva-se V. Exc. e sen governo de aceita-la,
dispoodo ao mais o que julgar conveniente.
Dos guarde etc.
C. de Castro. '
Montevideo, maio 11 de 1866.
ajsaaaa]
-

; Pelo ministerio- da guerra de Hala foram paali
cadas as disposl(oes para a orgameaco das tropas
italianas mobilisadas em di visees astivas.
Eis o quadro dessas disposigoes .:.
j 0 rei Vctor Emmanoek toma eommaade su-
premo.
O general Lmar mora ser estere de eetado-
maior do exeroilo-e o general Peiti sab-ehele.
O 1 corp d* exercito, lendo sea quartel-ge-
neral em Lodi, sera' commandada-pelo general Du-
rando.
O J corae.de esereilo, tendo w* aoartel-ge-
neral em Ccemoaa, ser commasdado pelo general
Cuccbian.
0 3 corpa.ds exercito, lendo o seo qaartel-ge-
neral em Placencia, ser commaadado neto-general.
Della Rotea..
0 4* corno da exercito, com o qaartet-geaerai
em Boloaha, ser eommaodadc- pelo general Ciai-
dini.
Estes qpatro corpos de exercite compde-se ue tf>
divisoes activas commaodadas pelos teaentes-gese-
raes Blxao, Brigaone, Cadorna, Casanowa,.Qera*e,
Chiabrera, Cosesy, Coga, Gavina, Mediei,.Meua-
capo, Mtgnano, Planelli, principe Humbezto.Ricetn,
Sirtori.
0 general Mauricio de Soanaz commacari sma
diviso de cavallana de reserva.
Os vinte balalhSes de voluntarios (oemaraoama
(orea de perto de 10,000 homens e sero dsssolvi-
dos quando esliver terminada a guerra.
0 principe Amadeo oi promovid ao- pasto de
major-geoeral e ao mesmo tempo aomeado cora-
mandante da brigada de granadelnos da Lom-
bardia.
O.Sr. Hctor Berlola Viola, eoaonet de estado-
maior, chefe de esisdo-maior do departamento mi-
litar de Tarn, foi nsmeado intsadeate geral do
exercito.
0-commando geral da esquadra italiana sera
confiado ao almiraste Persano, que lera' por chelo
de estado-raaior-gsseral o centra-almirante de
Amico. A esquadra compor-se-ha de doas di-i-
soes, orna commaadada pelo contra-almirante Al-
bini, e outra pelo eootra-almlrante Vacca.
A esquadra da Spezzta, qoando tlver feito a saa
jonecio com a de Trente, reunir os vasos Mara-
ados : Re de Italia t San Martino Prin-
cipe de Carignao Gaeta a, t Terriblle tFor-
midable >, L'Afibodatore >, < La Mana Pa ,
La savlgnno > -, os vasos nao couracados :
t Cario Alberto Re Galantuomo c Doca di
Geuova Maria Adelaide t Eurydice t. Zb-
phiro Montebello t Messageiro Bridan se
mais vinte e duas a vinte e cinco corvetas de
gaerra. imm ,
0 almirante Persano arvorou o pavvmao aheran-
IH POICO DI ll'DO.
Acaba de se fundar em S. Francisco da Califor-
nia ama sociedade qae tem por fim segurar a bel-
leza das mu Iberes.
0 prospecto da compaubia exprime-se do segua-
te modo:
Qualquer dama pode segurar a sua belleza pelo
prego que Ibe parecer, e nesta conformidad pagar
o seguro por ama s vez on em annuidades.
A sociedade segara desde a idade de 13 anaos
at 30. .- '
Comprometiese a pagar segurada orna aemma
de.....no ca-io de qae ella perca a son nelleza
por effeito do doeaca, accidente ou qaalqser
outro.
Esta nova sociedade (as recordar o famoso pro-
jecto de am ministro de estado que pretenda lin-
ear, imposlos s malheres de 20 a 30 nonos.
O ministro entenda qae este Imposto prodaxiria
o cntuplo do qae se imagina va, porque, dina elle,
todas as mulheree da mais de 30 anno se apre-
seatanam a darem es sena nomes para aerea ool-
lectadas.
te na trgala < Maria Adelaide >.
O Times, jornal multo conhecido eu todo o mun-
do, publica (requemes vezes. aanaacies sumrna-
mente burlescos.
ltimamente inserto elle na sos primeira pagi-
na, as segaintes linbas:
y Meu queridinho, vslta tmmediaumeste para
os bracos da tua inconsolavel esposa. Bem o sei,
tunos culpado de os teres abandonado. A tan
ausencia nao apruveita a ningaem e cnasa-me a
maior anciedade. Pelo amor de Deas, peasa em
mim e nos teas filos. A tua terna pomba>.
Este annaoeio servio de debiqve para a inmren-
sa satyrica, e niagaem acreditoa qae o queridinlw
voltasse para os bracos da lerna pamba, e qoe esta
ficasse iucousotavel por essa caosa.
A acreditada (bina de Loadres tinha anterior-
mente publicado ootro anonado qae sao meaos
curioso do qae aquetle.
Dizia assim:
i_ Minha querida fllha.es impacientemente es-
perada por teus pas, qoe te araam; sao os deixes
por mais tempo entregues a' desesperado; el es
(echarao os oaos s toas (altas passadas; em soma
do cu, vem depressa 1 Se,por desgrana,sao que-
ras voltar para casa, manda-nos ao menos a cha-
ve da garraleira.

Coneiliouacional de Garthago, anno 419,
Antes porm de deixar a pasta, escreveu o joven
ministro am* arla alora RssseH, eiprobrando-
tendo estabelecido e formado alli O Cdigo |D0 0 K{0 qae prstican. gacreveu oatra ao Sr.
dos Gaones, pelo qual se devia regular Lettson, represeotaote briunnico em Montevideo,
toda a mesma Egreja de frica, metteram' para que ihe decurasse com que condicoes ibe (6-

entre estes caones o vigsimo quarto, que
era formalmente, o trigsimo oitavo do 3
Concilio de Hipponia e o qaadragesimo do
3o Concilio de Carthago sobre os livros Ca-
nnicos, smente com esta notavel clausula:
Para confirmado' d'este canon faca-se
saber ao nosso Irmao e Con sacerdote, Boni-
facio e aos outros Bispos d'aqunilas partes,
que este sSo os livros, que recebemos
dos nossos Padres para serem lidos na
ra commontcada a copia do tratado de iripleea al
lianca. A carta a lord Russell, a caria ao Sr. Let-
tson, a resposta desta, a carta ds demlssao, (oram
t Particular e confidencial.
. ^^ .SS&Si itoHTa IsU
Sana demlssao do cargo de ministro ds sitado, (Qn-( '* |; ijMagoada lyr nao canta,
dado em que, teado confiado em V.'fex?. commn- Soiotn. gente de dflr,. j ;^,,
nlcando-lhe uma copia do tratado da trplice allian-
ca, atteodeudo as suas exigencias, mas com
carcter confidencial e sob a promessa da mais es*
rttptrlosa reserva, acreditando arastnr toirumj
servico ao man pala, afim d t,"
(osse favoravel aos otereasesdaallranca/esse do-
amento (oi panucado pelo govsrno oglex, nao
Fer 5 a nota da saudade
O soffrer de am trovador.
publicadas nos jaraaes do Pos da Prata. Aqoi as lobstaoM a palavra empenhada por V. Exc. com-
transcrevemoadas : I promettendo desse modo a minha.
i A S. Exc. lofd John Russell, primeiro miis- r A Iwpakttnade qoe me caw Sr. Lettson,
V. xc coroprBendert* qojo peido para mim
embora o abandono da posigao ofllcial nao seja am
*tro da coros do reino da Cra-Breusna, etc.
ase., etc.
< Senhor.No mel da etevv*ao polines em asa sacrificio,
o mondo vos contempla e admira, ama vox ines-
perada val turvar a trauquilidade da vos-^omnl-
potencia.
Mas precisando resgaardar-me de sac-
ulliilnu i iiises illTiTilT
(actos e o isobil honesto aos me indnclo a prestar
me is anas instancias, invoco os sentimentos 44
Vende aovo*
Defluhar o i
Sola nm ai, i
Ain*igoado
'! 'Tfc'nni vergel 4 anUdo
Fit.i orna virgem ou flor,
E' i fonte da saalade,
Qo'3 pranta o'tflrVador.


A virgem flor, Marilia,
Par ella jax de saudade,
Delirante o trovador.
0 fallecido economista Jobard, depois de atara-
do estado, tinha achado finalmente um meio infa-
livel de prevenir o enjo de mar.
A morte arrebatoo-o aotes da ter podido easaiar
aappllcaco da saa descoberta; mas am disncto
nnisiologisia, o Sr. Cbarbonnier, consegnio reatisar
a ideia do Sr. Jobard inventando o cino costra o
o de wutr.
este cinto, de nm tecido especial, e sobretodo de
utta (orma perfeitamente calculada, obrlga os in-
testioos a Bcarem dlspostos de tal (orma, qae nao
provocara o diaphragma ao vomito.
E' esta ama exclleote noticia para os qoe sao
sogeitos ao enjo de mar, se (dr verdadeira, como
oo6 (az crer ama (olha de Londres de onde a ex-
tt^stoni.____________________ta
Achum-se ja' na alfsndega os nevos sellos man-
dados gravar nos Estados-Unidos para oso donos-
Isa nrralo. -,
A gravara flnissima, am aada sendo inferior a
dos memores selles asados pelos crrelos geiros.
Estas novas estampihas comecaro a ter corso
do i* de jolho prximo. __________
i. .. ii *imh .1 |i i. ii i i I '
PERN.-TYP. D M, F, F. Dfi & FU*Ha-l8S
y


K


i

i
>
.
i

X

!
i

\


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECAPBT4TD_ZT9ZCJ INGEST_TIME 2013-09-04T23:59:22Z PACKAGE AA00011611_10992
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES