Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10987


This item is only available as the following downloads:


Full Text
r-rmr%


AMO XLII, HDMEBO 131
Ptrqiifteliafietrtiwi0dia8dl."BMx.......
dem itpten i.04 i o das do eomeco e dentrt d qiartel .* .
teto wrrew *r tres mtm .."............
8o#o
6$oo
75o

*t*f* ar-* <
SEXTA FEIRA 8 E JRHO DE 1861
.
For amo paga entra de lo dias d 1, mez.
Porte ao correio por am anuo ,..,.,
......
19*
3*m
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Perabria, o Sr. Antonio Alexsndrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonia Marques da Silva; Aracaty, o
8r. A. de Lemos Braga; Ceara, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranbio, o Sr. Joaqoim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Aives &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoa?, o Sr. Claudino Falcao Dias; Babia, o
Sr. Jos Martins AI ves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Serinhlem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta PimenteJras. as quintas
feiras.
Oliada, Cabo, Eseada e estagftes da Tia frrea at
Agoa Preta, todos es dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Aliinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselbo. Aguas Bellas e Tacaral, as tercas Tribunal do eommereio: segundas 'ti pintas.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNABS DA CAPrTAL
feiras.
Pao d'Albo, Nazareih, Limoeiro, Brejo, Pesqneira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro e Ez, as quartas
feiras.
Relago: tercas e sbados is 10 horas.
Pazenda: quintas as 10 horas.
Jolzo do eommereio: segundas as 11 horas.
Dito de orphios: tergas t sextas as 10 horas.
Tara do civel: tercas sextas ao malo
Primeira
a.
Segunda vara do.'ciyel.':
hora da tarde.
quartas sabbados a 1
EPHEMERIDES DO-MEZ-DE JUNHO.
6\Qaarto ming. as lh., 53 m. a 58 s. da m.
II Loa nova as 7 h.,'47 m. e 32 s. da t.
19 Qoarto cresa a 9 h., o m. e 32 s. da t.
38 Loa ebeia a 1 b 16 m. e 10 s. da m.
DIAS DA SEMANA.
ii Segunda. S. Francisco de Caracciolo.
' !?" h Pcifico f-; Ss- m<*o e Murcia maL, Grania
6. Quaru. S. Norberto b.; S. Eustorgie b. "D)a.
7. Quinta. S. Roberto ab.; S. Sabiniano m. do nosdias 4
8. Sexta. S. Maxiroiano ab.: S. GiMardo b.
9. Sabbado. S. PelgU v.; Melania c.
10. Domingo. Ss. Gelulio e Primitivo mm.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 0 horas e 30 m. da tarde
Segunda asO horas e 51 minutos da manbaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTURO.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o norte
a 7 e 22 de cada mez; para Fsroaa-
4 ios mezes de Janeiro, margo, aui
julho, seterabro e novembro.
ASSIGNA-SE
.
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 8, dos propietarios Maooel Figueiroa de Faria
& Filho.
PARTE OFFICIL
C01MAIDO DAS ARIAS.
Cuartel do eommando das armas de Pernambuco
na cidade do Reeife, 7 de jnhe de 1866.
ORDEM DO DA N. 237.
O lente coronel commandante das armas inte-
rino, mediante antorlsacio da vice-presidencia ex-
pressa em offlcio de bontem datado, determina que
seja dispensado do servico como soliciten e como tal
desligado do deposito, o Sr. alteres reformado Jos
Mara Benjamn de Assis e nomeia para servir no
rnesmo deposito o Sr. 2* lente tambero reformado
Ascencio Minervino Meira.
Declarando o Sr. lente coronel director do ar-
senal de guerra em offlcio de 5 do corrate que
aquella estabelecimento ja' tem os pesos e medidas
decimaes pelo systema metrkso para serem destri-
buidos pelos estabelecimentos militares de coofor-
midade cora o disposto no aviso do ministerio da
agricultura eommereio e obras publicas de 6 de
abril de 1865, cumpre que os Srs. comaandantes
dos corpos, eompanhias soladas, deposito, enfer-
marla militar e fortalezas enderessem seas pedidos
no sentido de Ihe serem fornecidos semelhantes
peses e medidas, dos quaes devero faier nao, em
substituigo aos que actualmente existem.
(Assignado) Francisco Camello Pessa de La-
cerda.
Esia' conforme Estevlo Jos Ferrar, lente
ajudaote de ordeos encarregado do detalhe.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA
Na manbaa de ante-bontem cahio ao mar ca-
sualmente, de bordo do brlgue barca llamarac, o
grumete da armada Vctor Maaoel, nao sendo pos-
sivel salva-lo, apezar dos esforcos empregados, por
nao ter tpparecido a' flor d'agua.
O leilao de movis, prata, joias, escravos e
um sitio na Capunga, anaanciado pelo agente Mar
tins para boniem, ficou transferido para boje em
raza o do mo tempo.
Hoje ao meio dia se extrablra' a 2* parte da
2a lotera, a beneficio da matriz de S. Jos do Re-
cife (&&), sendo o maior premio 6:000#.
Fallecen ante-hontem o porteiro do juizo de
orphos Amaro Antonio de Parias, deixando no
seu testamento a verba : deixo a' minha intua
20,5000 para comprar urna corda para enforcar-se.
E' a maior pro va da miseria desse hornera, que
nem no leito de morte sentio o grito da misericor-
dia divina.
Do relalorio apresentado 4 assembla geral,
em 3 do passado, pelo ministro da marinba extra-
amos os segointes dados estatisticos :
A armada imperial compe-se de 61 navios,
sendo : 1 fragata, 3 corvetas, 6 encouragados, 42
vapores, 2 bombardeiras, 1 brigue barca, 1 brigue
escuna, 1 brigue, 1 patacho e 2 biates,, cora os
nomes :
Fragata Constitulgao, em disponibilidade como
escola pratica de arlilharia ;
Crvelas Bahian, Berenice e D. Januaria ;
Eocouragados Lima Barros, Rio de Janeiro, Bra-
sil, Taroandar, Barroso e Babia ;
Vapores Paraense, Ibicuhy, Cachoeira, Amelia,
Fluminense, Apa, Jaur, Corumba', Alpba, Guiaba',
Nictberoy, Belmonte, Parnahyba, Maracan, Mea-
rim, Mag, Itajahy, Beberibe, Iguateroy, Araguary,
Araguahj, Ivahy, Ypiranga, Amazonas, Recife,
Taquary, Chuy, Igurey, Onze de Junho, Uruguay,
Lindoya, Tramandahy, HeBrique Martin*. Gre-
enalgb, S. Francisco, Oyapock, Princeza de Joio-
ville, Marcilio Dias, Leopoldina, Isabel, Jaguaro e
Tamandatahv ;
Bombardeiras Pedro Affonso e Forte de Coim-
bra ;
Brigue barca Itamarac ;
Brigue escuna Tonelero;
Brigue Maranho ;
Patachos Iguass e Peperi-ass ;
Hiates Cayr e Rio de Contas.
Alm desles ha mais os don? novos encouragados
Meduza e Colombo, que estiveram ha poucos das
em nosso porto, e o nutro que eslava quasi promp-
to em Franca, do eommando do nosso comprovin-
ciano Vital de Oliveira.
A forga activa da armada compoe-se de 5387
homens, sendo 909 officiaes e 4478 pragas de pret
e de marinhagem. *
Desarmados tem mais : fragatas Principe Impe-
rial e Paraeassi; curveta D. Francisc ; brigue
tapanca ; e vapores Japora', Thetis e Tiete.
Os Srs.|depotados C. Alcoforado, MirandaJLeal e
Rosa apresentaram seus pareceres sobre os livros
dos correlores Mesquita Jnior, Patchel, Stopple,
Gats, Macedo, Doboureq Jnior, Mamode e Ber-
nardino de Vasconcellos.
-Nao tendo o Sr. deputado Basto examinado os
litros que Ihe foram distribuidos em a sessao pr-
xima' passada, o tribunal Incumbi ao Sr. deputado
Alcoforado o exame do protocollo do corretor Seve;
ao dito Sr. e ao Sr. deputado Miranda Leal o dos
protocollos des correlores Silveira e Gongalo Jos
Affonso,
RESOLUQ.VO.
O tribunal resolveu que seofflehwse ao prest-
dente da Junta dos corretores, para que (Taccordo
com os arts. 47, 48, 49 e 50, e ootros do cdigo
commercial e regulamento dos mesmes corretores,
formulasse um metbodo de escripturacio que, de-
pois de sobmettido a approvaco do tribunal, deve-
ra' ser seguido uoifornimente por todos os corre-
tores, em quaoto o mesmo tribunal nao resoive de-
finitivamente-sobre os pareceres dados pelos Srs".
deputados a cerca das irregularidades da eseriptn-
rago desses fonecionarios.
Comparecendo os agentes de leudes, abaixo de-
clarados, cora os Irvros com que fnneeionoo, e ve-
riOcou-se o segointe :
Francisco Ignacio Pinto. Diario de sabidas, eo<
megou em 29 de agosto de 1860, e findou em 26
de Janeiro de 1866. Dilo de entradas, comecou
em 20 de agosto de 1860, contendo a 7- folha em
branco, e terminou a 30 de malo de 1866. Coo-
las torrentes, eomega em 29 de agosto de 186o e
acaba em 30 de malo de 1866.
Jos Mara Pestaa. Apreseotoa nm Iivro de
| entradas que eomega em n. 316 e acaba em 1254.
Sabidas, o primeiro eomega em n.30l e acaba em
n. 1099, o segundo em n. 1100 acaba era 1233.
Contas correntes, comecou era n. 302 e vai at ..
1233. Os altimos langamenlos sao de 26 de maio
prximo passado.
Jos Isidoro Martins Deelarou que por nio ter
arroazem nao tem diario de antradas, julgando as-
sim poder dispensa-lo. Diario de sabidas, come-
DlSTRIBigOES.
Ao Sr. dezembargador Silva Guimaraes.
Appellante, Joio Pinto Dmaso Jonw, appella-
do Jos Adolpho de Barros Cprra.
Ao Sr. dezembargador Reis e Silva.
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Araorim, Fragoso, Santos & C; appellado, Nar-
ciso Soares Ferreira.
Ao Sr. dezembargador Aceioli.
Appellantes, os administradores da massa faili-
W /^h Bap,t9U GoD*,Tes Bastos; appellados,
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Jlo Baptista Gongalres Bastos
Rabbe Schamettau & C.
AGORA VOS INTEKPOSTOS DO JUIZO ESPECIAL DO
comneto.
Adgravante, Antonio Mara Ramos, aggravado,
Maooel Antooio de Azevedo.
O Sr. desembargador SHa Gainuras, negou
provimento.
ponte do rio B, logo que aprasentem o conbeci-
ras ato. de adiarse embarcada na Europa.
7.* A responsabilidade pela conservagao d ca-
da lanco ser de um anno, depois de entregue pro-
visoriamente.
estrada de ferro do Recife ao S. Francisco, que
dispense a garanta de joro?.
Por esta forma o thesouro nacional, sem maior
onus, vira em auxilio de urna nova linda frrea
.8.^0 recebimento definitivo dos laucos se bu* ^^T^ZlXnmS^mfPS' tZ? M V^t^^mV.T, iw"ceT-
somente dos que estiverem em segaimeoto a partir irucgo de tramwus u mEmaZZZaELZEn t eiccresc^^ IB ao tem noticia de estradas
dos doos pontos extremos, sendo, a emprexa res- dagem, que ligoemas diver
A'primeira das
parte tecbnica.
Pensa o Sr. Dr. Barros Barreto
conveniente que nao se marcasse
bases analysadas reere-se a
que seria mais
nm limite tao
estagdes daquella
ao esseocial. Eis
que dominen no
>u aquelle melbo-
\!t!KU?p-Ulu*> direc.ao proposuLKr.S.sIX^^rr^^
pela repartigap das obras publicas as plantas as- ramento. uob aquei meino-
signadas pelas partes cont.-attates, oa pela.
appellados, direcgio proposti pela ^mpreza, paesando iU.
SftC2filfrr\ II?'B .C0"i|2'l,,p,rM'\* <>U8 irammtM contraudo menos til do que a
L^.22 L tqv!il ma'S *m melr0S e *":*$* de Wo 'A,bS' abastecimento d'agua para
"JZnt^nJJ?00- ] ^,. Victoria, o cana? de Gofanha, estrada^T de LI-
Jffin^.^TtdJ^S*-serPfe,l"prt0 moelroL,te' enirttan estao adtorisa-
255?S?H B ^ C0"eD-t despezas por das peta maior parle m lei do ornamentp do futu-
contt aempreza e de conformidade com as indi- ro exerelelo e em leis especiaos
SSS ii?a!e!,?P-r15*0 dS ??'' Pi?bAicaf enB QoenD C0Bfcec offlo,dlrlgido,a_presideDc.a e U de abrl ultimo passar o tramway, proenrando as villas do Bonito,
que nao tem noticia de estradas
semelhantes eom pendones de 4 por cento.
Nos-tambera pensamos como o Sr. Dr. Barros
Brrelo, e diiemos que seria mais conveniente que
nno se marcasse- em nenhoma estrada de (erro
madores nem mesmo de 1 per cento. Mae o il-
taftre Sr. doatar sabe, melhor do qoe nos, que nio
Aggravantes, os administradores da massa fallida
de Seve PMbes & C, aggratado, Joaquira Ignacio publicado no D,arW de Penannco .27:dolo & n^o^^iZn^Mwl
'I
Ribeiro Jnior.
O Exm. Sr. presidente den provimento em parte
e em parte negou.
AGORAV0 DE IlSTRSnWTO VINDO DO IIZO MUNICIPAL
K DO C0MMERC10 DA VILLA DK PORTO CALDO.
Aggravante, Jos Antonio PrnanSes Predique,
aggravados, Francisco de Sales Cardoso Lins e
aa mnlber.
O Exm. Sr. presidente negou provimento.
Nada mais bavendo a tratar-se, o Exm. Sr.
presidente encerron a seesio as 1 hora e meia da
tarde.
Communicados
AoSr. Dr. Jos Leureaco.
Urna boa edoeago e nm amor proprio bem es-
clarecido, de um verdadeiro sentimento de buma-
gou em 23 de ootubro de 1865 acaba em 21 de maio nidade, e este nobre sentimento aatnralmente da-
de 1866. Coalas correntes, comecou em 23 de < do aos horneas instruidos e doceis.
ootubro de 1865, acaba em 24 de maio de 1866. Quaado o hornera tem tambem era vistas os n-
Antoaio Jos Gordeiro SimSes. Diarlo de en- teresses de seus semelhantes, sacrificando muitas
tradas, comecou em II de junho de 1863, acaba era veies os seus proprios. e muitas vetes sua propria
3 de maio de 1866. O segundo comegon em 3 Vlda em qoadras armadas e perigosas, esse bo-
de maio de 1866, acaba em 25 do mesmo mez. mem de nma alma tao nobre, generosa, e chela de
Sahidas, o primeiro eomega esa 20 de junho de 1863' virtudes, que deve serapre considerarse a salvo
estrada nm melhoramento problemtico. Pois e
Problemtica urna estrada, que, pelas condlgSes de
transporte que offereee, recebera todos on quasi
todos os productos do serto condozidos hoje pela
esirada da Victoria ?
Seria quasi que dizer que sSo problemticas to-
das as estradas desta provincia.
examinemos a neeessldade da subvengo para
mea.
11/ Importando o aovo brea ment em qoantia
menor que a orgada pela reparligo das obras pu-
blicas, terao os contratantes direito ao valor desle
contrato.
12.a Se o novo orgamehto exceder somente de
2 7, ao valor do orgamento leito pela reparligo
das obras publicas o govrno preferir a direc-
Ct!i,r.?8ta h1*1* enPr*M fr*'- e',a obrlgadi a depois entrarmos nraprecia7"o"dos"reparos" teos
executar as obras sem Indemnlsagaodesle augmen ] as eslipulag3es do contrato.
todedespeas. i j. Temos opinio diversa do Sr. Dr. Barros Barreto
m5 f'sP./ ; ^r^^Sflii ?e5iier.?a : 548?* da Pib"td le constrolrmos estradas
mais. de 2 'L e o governo preferir a dlrecgao ,de ferro sem subvenc5es
proposta; ser 11 ampreza lOdemnisada somente des-! Todos os casos que s' S. citou, com excepgo
tenoToexcesso. ^ ^ uivez dos irilhos de Apipucos, sao simples tentati-
o3l aLfbr'A88'*0 execdis, d conormidade vas, que o tempo nos vira mostrar a sua impro-
com as dlscnpcoes e ma.s clausulas que nao forem flcuidade, sende.certo que essas emprezas ao se
contrarias as estipuladas oeste contrato menciona-; podem dizer ne sobvencionadas no todo, porquan-
das nos ergaroentos mitos pela reparligo das obras
publicas para a factura do lanco da Chaa da Man-
gabeira ao engenho Bu, do lase de Itaplrema e do
de Bajar!. .
15/A empreza devera' prestar flaoga idnea na
to o tramway da Babia, por exemplo, teve urna
concess > de tinte leguas de Ierras.
O accionista inglez que empregon o seu capital
as linhas frreas brasileiras garantidas, visou a
nm lucro corto de 7 %: foi nm engaso. Albo da
desle contrato na importancia da terga parte do
seo valor, sob pena de nullidade do mesmo con-
trato.
16.' i>e cada pagamento se fara' urna dedocgo
de 10 7, para serem entregues depois do recebi-
acaba em 27 de marco de 1865 ; o segundo come- dos botes da maledicencia, por tosoqne tem em sea meato definitivo do lanco reaneetivo
ga em 27 de margo de 1865 acaba em 9 de maio, favor, a estima e o respeiio pessoal que Ihe ins-
de 1866. Contas correntes, o primeiro eomega pirado.
em 22 de Junho de 1863 acaba em 16 da dezembro! Essa posieio Sobre e generosa que o boraem tem
de 1864,0 segnndo eomega em 4 de Janeiro de 1865 adquirido com immensos sacrificios, mnitas vetes
acaba em 28 de fevereiro de 1866. Deelarou que arrasuda ao patbulo publico, por essesentes ab-
amos tem para langar leudes qoe tem feito.
Jos Eozebio Alves da Silva. Entradas, eome-
ga em 31 de jonbo de 1862 acaba em 5 de feverei-
ro de 1866. Sahidas eomega em 51 de junho de
1862, termina em 16 de fevereiro de 1866.- Con-
tas correles, de 31 de julho de 1862 a' 14 de agos-
to de 1865.
Francisco Gomes de Oliveira. Nao apresenion
o diario de entradas, e deelarou que como nao tem
armazem julgava poder dispensar este livro. Sa-
hidas, aprsentou om
de 1857 e cana em 2 de maio d 1866. Contas
correntes, eomega em 2 de Janeiro de 1857 acaba
em 30 de maio de 1866.
jectos, qoe costumam ostentar virtudes que n3o pos
soem.
Esses entes obrando smeale pelo primeiros mo-
vimentos de um ardor ceg e impeetnoso, de que
constantemente se acbam affectados, so mereeem
um despreso e maldicao publica.
A poslgo e repuiago de um bomem nao se im-
pde, mas adqoire se, e so se adqnire pelos boas ac-
tos que tem praticado de virtude e honestidade.
Essas nobres virtudes, ornam a fronte franzida
de om bomem estimado e considerando, onde a
o jim, a prodencia, ee Tastos-conne-
; cimentos scienuficos e praticos de longos anuos,
i teem-lbe firmado urna repolaco solida, que jamis
17.a Os contratantes se obrigam solidariamente,
e cada nm de per si, pela-Sel exeengao deste con-
trato.
18. Para ludo qne nao estiver previsto no pre
sent coatrato, seguir-se-ha o qne determina o re-
golamesto de 9 de junho de 1864.
E bavendo os contratantes declarado ojie aceita-
vare as condi ;3es cima estipuladas e bavendo el-
le* pago oa recebedorla de rendas Internas o sello
correspondente a importancia deste-contrato,-como
se v da verba langada na gula qoe se Ibes passou
e tica archivada na secretirla.do. governo mandn
o mesmo Exrn. Sr. presidente da provincia lavrar
o prsenle termo em que assignou com os contra-
untes e as tesiemuntias abaixo declaradas.
. MvPMscLseo de Paula Salle, secretario do go-
verno o flz escrever.Manoel Ciemeotino Csrneiro
da Cunta.Antonio Francisco Pao de dio B*r
J3!r\rinel^^J^^.2l!8S, 5JJ355porqoe 8 Jor q'Ber dllM
Mas asslm Iludido, nao se deixa arrastar fcil-
mate orna segunda vez e em peiores condigdes.
Sera urna subvengo, sem nm incentivo qualquer
como a expiorago de minas ja esiudadas, una gran-
de dasenvolvimenlo commercial conhecido por da-
dos estatisticos cerlos oa outras vantagens seme-
lhantes, dnvidamos qne baja emprezario bastante
onsado que arrisque seas eapilaes em espeeslagoes
de estradas de ferro no Brasil antes qne as actuaes
restabelegam o seu crdito. E se em principio is-
to nos parece certo, nao pode admlttir contestago
na actoalldade em que o diabeiro em Londres est
a 8 7, e cootrabimos empreslimos de 5 / a 74.
Portanto se a construego dos tramwyt nos
til, se concorre para o augmento das nossas ren
das, se habilita-nos a esperar novos favores do go-
verno, como pensamos, devemos autorisa-la em
condigdes exequiveis, concedendo vantagens s
emprezas que della se Incumbiris.
Quaes poderiam ser esssas vantagens dentro das
nossas forgas ? A garanta de jaros, serla sacrificar
por tongo tempo bom be* perte das rendas provln-
a avidentameote
Nao bavendo nada mais a tratar-se foi por S. xc ""S8.M" E "K5L R
o Sr. presidente encerrada
meia d da.
a sesso as 11 horas e
CHROMCA JUDIGURU.
THIBUML BO COM HERCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 4 DE
MAIO DE 1866.
PRESIDENCIA DO EXM. SB. DKSBHBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERETTI.
As 10 horas da manbaa, estando presentes os
Srs. deputados Rosa, C Alcoforado, Basto e Mi-
randa Leal, o Exm. Sr. presidente deelarou aber
ta a sessao.
Lida, foi approvada a acta da sessao antece-
dente com a nica alleragio de ser de 28 de maio
prximo passado a ultima trassagSo inscripta no
protocollo do corretor Seve.
EXPEDIENTE.
Offlcio da junta dos corretores datado de boje,
enviando a cotago dos pregos correles da praga,
durante a semana prxima passada.
Outro de Jesuino Barroso de Mello acensando a
recepeo do qoe Ihe fora dirigido como preposto
do corretor Mesquita Jnior, dizendo que passava
a providenciar no sentido de substituir por outros
os reforgadores da flanga prestada pelo dito corre
lor.-lnteirado.
Outro do agente de leiloes CHympio Ferreira da
Silva, datado tambem de hoje, allegando motivos
que o inhibem de apresentar os livros que Ihe (o
ram exigidos, e pedindo o praso de 15 dias para
dito fim.O Exm. Sr: presidente propoz ao tribu-
nal, e este approvou, que se passasse portarla pa-
ra se bir bascar ditos livros, sob as penas da lei.
E tendo voltado o offlel incumbido da deligen-
cia sem elles, o tribunal maodou aotoar dita por-
tara com a copia do offlcio dirigido ao sobredi lo
agente e a res posta por elle dada.
Distribuiram-sa aos Srs. deputados doos copia-
dores por machina, nm de Joaqoim Jos Goocal-
vei Beltro, e ootm de Antonio de Alroeida Go-
mes.
Comparecendo Jos Velloso Soares & Filho, foi
por elles assignado o termo de deis depositarios
dos gneros que receberem no trapiche Compa
nbia de qne sao administradores.
BESPACHOS.
Requerimento (j visto peto Sr. desembargador
fiscal; em que Paulino Ferreira da Cosa, e ostro,
pedem o registro do papel de sua sociedade com-
mercial.Regisire-se.
Dito (tambem ja visto pelo mesmo senbor), em
qoe Jos dos Santos Oliveira, e ostro, pedem o
registro do seo contrato social.Regstrese.
Informacio dada, pelo officiai-malor, nos papis
da Santa do agente de lellees Francisco Ignacio
Pipto.Vista ao Sr. desembargador fiscal.
ca que injustamente Ihe sao atiradas quotidiana-
mente.
Esse bomem estimavel deve olhar com desdem
para essas almas mesquinhas, contra as quaes os
homeus sensatos Ibes tee'm imprimido na a face
o ferrete da ingratido e da maledicencia.
Esse hornera porm de qoem fallamos e que tem
sido victima encanta, se o Sf. Dr. Jos Lourengo
de Castro e Silva residente na capital do Ceara' a
quem tributamos nossos respeitos e considerag5es,
fazendo vivos votos a Providencia Divina, para que
Ihe dilate os annos de sua existencia, para allivio
j da bumanldade, Ihe conservando ao mesmo tempo
! a precisa robusteza no tirio de sua penna afim de
esmagar com os recursos intellecluaes de que dis-
I pde seus detractores, que hoje devera vjver cober-
tos de vergonha e arrependidos, da roaneira van-
I tajosa porque foram recharadas todas a; suas allu-
sdes calumniosas que injustamente corren impres
sas, contra urna reputago
SESSAO JDICIARIA EM 4 DE JUNHO DE
1866.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
A. F. PERETTI.
Secretario, Julio Guimaraes.
s onze horas e meia da manhaa o Exm. Sr. pre-
sidente deelarou abena a sessao, estando reunidos
os Srs. desembargadores Silva Guimaraes, Reis e
Silva, Affonso Arthur e Aceioli, e os Srs. deputa-
dos Rosa, Candido Alcoforado, Baslo e Miranda
Leal.
Lida foi approvada a acia da precedente sessao.
Os escrives apresentaram os livros de protestos
de letras.
A ultima letra protestada pelo escrivo Albu-
querque foi a 29 do mez passado; e o escrivo
Aives de Brillo inscreveo o ultimo protesto a 2 do toda a prova.e qoe jamis sera' mesclada pela baba
corrente mez. i venenosa dessas almas que se acharo perdidas na
Assignarara-se os accordaos proferidos as opiniao publica, e em suas proprias conscien-
sessoes de 28 do mez Ando e Io do corrente, nos' cas,
feitos entre parles: Elles se devem convencer que urna repatagao flr-
Appellante, Virginio Barbosa da Silva ; appella-' madanose vai offender Impunemente,eque as per-
dos, Cardoso & Souza. seguigoes cobrem de infamia os perseguidores, e
Appellante, Joao Pinto de Lemos Jnior; ap- fazem immoriaestos perseguidos, como muito bem
pellado, Antonio Peregrino Cavalcante de Albu- disseCornelias Taeilus.
qu erque. ^ Elles se devem convencer da verdade proferida pe-
julgambntos. I la bocea de um poeta bnlanniCo, que dizia, qaando
Appellantes, os administradores da massa fall- a caballa predomina contra os homens benemritos
da de Joao Baptista Goocalves Bastos; appellados, e servidores do seu paiz. a estagao particular o
Keller & C. seu posto de honra, e esta justamente a posigao
Despresaram-se os embargos. que tem tomado o bomem de honra e digoidade, e
Appellante, Manoel Antonio Nogueira ; appella- que tem consciencia do quaoto merece perante o
do, Joo Perea Caslello Branco. juizo da alta sociedade.
Despresaram-se os embargos. Nao pertengo a escola de Vitellio Lucio, mas nao
Appellantes, os administradores da massa fall- pode resistir aos impulsos de meo coragio, vendo
da de Araorim, Fragoso, Santos & C.; appellado injusta e grosseiramenle offendfda a reputacio do
Jos Cordeiro do Reg Postes. Sr. Dr. Jos Lourengo de Castro e Silva, sem que
Despresaram-se os embargos. pela minha parte Ihe ajudasse a sentir tanta djus-
Appellanles, os administradores da massa fall-! nga, que Ihe tem feito, somente pelo mo goslo de
da de Amorira, Fragoso, Santos & C. ; appellado, detractar sua reputago
oiae a evidentemente esta' alm dos nossos re
i reto.Joo Cavalcante de Alboquerque.Joaquim cursos. As concessdes de trras? Nao as teuios, e
algnmas que nos chegam sao quasi dadas por es-
mola.
Restava urna razoavel e mdica subvengo. Foi
o que se fez.
' m Procedeuse irrefleclidamente? Innovamosalgu-
0 abaixo assignado morador no engenho. Campo m.a coasa ,?Qe i na tenna sido considerada reco-
Alegre da comarca de Bonito, pelo presente faz r
deS Cavalcante de Albuquerque.
Como tesleinonhas.Joo da Silva Ramos.Br.
Manoel de Figueiroa Faria.
1
publico para qae melhor possa chegar ao conheci-
menlo das autoridades locaes, qne, no dia 7 de
maio prximo passado, fez vir a esta capital seu
filho de nome Manoel Jos d'Albuquerque, encarre-
gado de receber do Sr. Jos Joaquim da Silva, o
producto sao s de 14 saceos com assucar que
elle acompanhou para o mesmo senhor vender,
como tambem ceoto e tanto* mil ris producto de
ontra remessa que a tempos Ihe havia consignado,
til por
mullo mais
paizes que se achara em
favoraveis que o nosso f
condigdes
Nao.
A idea da subvengo kilomtrica nao nova ;
tem sido adoptada principalmente nos paizes que
comegam a construir estradas de ferro : o meio
de auxiliar tao uteis emprezas sem grandes sacri-
ficios. Portugal, que iocontestavelmente est hoje
em uielhores condigoes do que nos para construir
estradas de ferro, que parece inspirar mais con
de auxiliar efficaz-
sao commettidas
este seu filho depois de receber do Sr. Silvana m-1 BanGa aos capitalistas industnaes, anda nao resol-
portancia das duas remessas de assucar, comprou !veu Problema de constru-las sem subvengo ; e
. algnmas encommenda que se achara na estagao jcom 9"an, Pareca ter. abandonado o systema das
rTrtndui "iiiih'art'r^ i de Una, e procurou vnltar pela va frrea, mas foi I ^aramias de juros, n
a quaodo se deu a interrupgo da dila estrada no i meDl as eompanhias a quem
dia 11 do passado, ento o dito seu filho resolveu aqoeiias emprezas.
voliar pela estrada de rodagera : e como, at o .Aos Srs- Warnsg Irmos foi confiada, naquelle
presente o dito seo filho nao tenha apparecido, e reiD0 a constraegao de urna hnha mediante sub-
nm tenha obtido noticia alguma, o mesmo abaixo I vePC>s recestemenie tem-se adoptado all o
assignado roga a todas as autoridades residentes: Pr,c|P10 da arantla de recaj-tas kilomtricas,
em direcgo desta cidade at aquella comarca, so D Na Noruega acaba de ser construida pelos Srs.
que dlsser respeito ao appareclroento do dito u Brassey & Peto urna linba frrea, Ramal da No
Jos Joaquim Ribeiro de Campos, cessiorio de
Magalhaes da Silva 4 Irmo.
Despresaram-se os embargos.
Appellantes, Jos Pereira da Cuoha e Manoel
Ignacio de Oliveira, appellados, a directora da
caixa ti lia l do banco do Brasil nesta cidade.
Despresaram-se os embargos.
Appellante Francisco Antonio de Britto, appel-
lados, Rocha Miranda filhos & C.
Receberam-se os embargos.
Appellantes, Flix -Saovage & C.; appellados,
os administradores da massa fallida de Amorim,
Fragoso, Santos & C
Appellante, Joo Cavalcante de Alboquerque
Mello; appellado, Bernardlno Joaquim da Silva.
Appellante Julio Coiombiez, como tutor dos filhos
menores de Hypoliio Daraond e Joio Cals Ain ;
appellada Mane Augustne Leonie Cals.
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Joaquim Jos Silveira ; appellada, a directo-
ra da Caixa Filial do Banco do Brasil nesta ci-
dade.
Appellante, Joo Pereira Bastos; appellada, D.
Josepba Leopoldina de Mello Mrisbo.
Adiados a pedido dos Srs. deputados.
PASSASENS.
Do Sr. dezembargador Silva Guimaraes ao Sr.
dezembargador Res e Silva.
Appellastes, os administradores da massa falli-
da de Amorim, Pragoso, Santos & C.; appellado,
Antonio Domingoes Pisto.
Appellantes, os administradores da massa (Alu-
da de Joo Baptista Goncalves Bastos; appellado,
Francisco Gomes de Oliveira tesUmenteiro de
Hesry Gibsos.
Appellante D. Mara Venaacia de Abren Lima
Bastos; appellado Jos Guilherme Guimaraes. -
Do Sr. dezembargador Aceioli ao Sr. dezembar-
gador Silva Gniraares.
Appellante, Joo Baptista Gomes Peona; appel-
lados, Deoker & Barroso,
Appellante, Domingos Jos da Costa Amorim.
appellados, os administradores da massa fallid.*, &
Amorim, Fragoso Sjaotos Um Ptmambucano.
i a i
Terne de contrate que fazem o Dr. Joio Caral-
easte de Albnqueraue. Antonio Francisco Paes
de Mello Barrete e Joaquim de Si Cavalcante de
Albuquerque, para a factora de mu estrada de
aerte, entre e lugar Chia da langaheira, ende
terminou a estrada da nafren Miaede,
engente Bnjari, com a eiteneio de 18,696 ate-
tres 38.
Aos 4 dias do mez de jonbo de i866coeaparece-
ram no palacio do governo o Dr. Joo Caaskante
de Albuquerque, Antooio Francisco Paes pe Mello
Barreto e Joaquim Cavalcante de Albuquerque,
afim de contrataren) com o Exm. Sr. Dr. Manoel
Clemenlioo Caroeiro da Cssha, viee-presideete da
proviscia, em vista da autorlsaco concedida pela
lei provincial n. 649, de 20 de margo oltiroo, a fac-
tura da estrada do norte entre o lugar denominado
Cha da Mangabeira, onde terminou o primeiro
contrato da empreza Mameds, e o engenho Bojari
com a ex ten gao de 18,698- 38, ortjada pela repar-
ligo das obras publicas em 167:5569358 sob as
seislstes condlcSes:
' !. Os contratantes oferecem o abate de 1 / so-
bre o valor do orgamento, nao sendo incluido nelle
o accresciroo de 12 /. eom qoe foi de boto a praga
o lango de Itapirema.
1* As obras tero eomeco no praso de 2 mezes
e sero concluidas ao de 2 annos contados da data
do prsenle contrato.
3.* Melado da obra pelo menos sera' exeeulada
so primeiro asno sob a peoa de ama multa de 5 /
do valor do contrato.
4* Os pagamentos serto feitos em proporgio das
obras execotadas em seuimento, e nunca de qnan
ta Interior a 10:0004.
5.a Contar-.ss.hao como pontos de partida da es
trtd! para execugio do artigo antecedente os doos
extremos e ama e outra margem do rio B.
6.' Os contratantes tero direito ao pagamento
de doos tercos 4 importancia da fenagem, pan i,
filho, tenham a bondade de fazer ebegar aocoahe
cimento do Sr. Jos Joaqoim da Silva morador ao
largo do Carmo desta cidade, ou em sua residencia
naquella comarca e engenho.
E para poder ser melhor averiguada a sua
ausencia, passa a descrever o seguate :
Seu filho, tem a idade de 30 annnos, casado e
tem cinco filhos, cor pardo, altura regular, grosso
do corpo, e tato da falla.
Recife, 7 de junho de 1866.
Bernardo Jos de Albuquerque.
a >ie
O contrato do tramway e
Sr. Dr. Manoel de Barros Bar-
reto.
Ha rauitos dias qoe se aonunciava nos circuios
da nossa sociedade a analyse do contrato do tram-
way, qoe o Sr. Dr. Maooel de Barros Barreto aca-
ruega, sob condigSes um ponco semelhantes s do
nosso tramway. O estado fornecen a metade do
capital da empreza, reservando-se apenas o direito
I de participar dos lucros at 4 por cento lao so-
mente e quando estes fossem superiores aos das de-
raais linbas garantidas do paiz.
.Se na veiha Europa, em paizes onde o espirito
de industria e associago esta' desenvolvido, assiro
se procede, parece qoe nio mullo qoe entre nos
anda precisemos de estimlos qoe levem por
, diante a realhago de to grandes melbora-
| mentos.
Admittida a necessidade da subvengo kilom-
trica para a eonstrocgao de um tramway tao im-
portante, como o contratado, vejamos se o Exm.
Sr. Dr. Manoel Ciemeotino Carneiro da Caoba con-
, cedeu essa subvengo dentro dos restrictos termos
da lei provincial ou se a tornos mais venta-
josa.
Da leitura da lei deprebende-se que ficou livre
ba de publicar no Diario de Pernambuco. Aneio- ao seu executor conceder a subvengo por urna s
sos aguardavamos esse trabalho, por que somos
dos que pensam qoe esse contrato tem tacanas qne
devera, com a experiencia que j temos, ser reme-
diadas na sua ratibeago pela assembla provio-'
cial; mas eslavamos bem longe de supoor qoe
essa analyse pretendesse tornar patentes erros gra-
vez e como simples donativo, ou mediaole reem-
bolso.
S. Exc. adoptoo a segunda istelligencia, Incon-
testavelmeote a mais conforme aos interesses da
provincia.
Assim procedeodo nao cabe a 8. Exc. a censura
vissimos, faltas imperdoaveis da adrainistrago se' de pouco zelador dos Interesses da provincia,
porventura procedessem as observagoes do severo O onus que eontrahimos depende do costo da
censor. | estrada, e este s pode ser determinado em pre-
Permitta-nos o Sr. Dr. Barros Brrelo que ve-; sesga dos estudos e orgamento. Parecen estranho
nharaos hoje opper algoraas hgeiras observaedes; ao Sr. Dr. Barros Barreto que se nao fixasse o ma-
lo seu esenpto, e levaaur a triste Iropresso que ximo desse costo ; para nos, porm, este expe-
lalvez deixasse a sua palavra autorisada. diente s revela a boa intengo que lemos de ver
Acredita o Sr. Dr. Barros Barreto qoe a ecos- realisado to til melhoramento. Esse mximo
trnego de ara tramway, qae ligue os centros po-; nenbum resaltado Iraria desde que o contrato ti-
pulosos e a zona productora do nosso serto com a, con dependente de ratibeago posterior aos estados,
tia frrea do Recito ao S. Francisco, n5o das e s estes nos podem dar verdadeira idea da impor-
obras mais uleis e mais urgentes desta provio- | tela e exequibilidade da obra. Esta coasideraeao
cia- i e taolo mais procedente qoaato vamos estudar a
Sem preoisarmos entrar em largas consideraedes, construego de ama linha para a qaal devem ha-
supporoos ser fnell demonstrar o erro de semelhao- ver doos projectos, em favor de eada um dos quaes
je tsiso. existem razos de grande valor.
Deve ser empesbo consume :desta provincia Nio lio vago lio indeterminado o contrato
desenvolver, quanto couber em suas forgas, os; na fixagio dos pontos extremos da liaba. A diffe-
meios de transportes; desles priocipalmeote de
pesderio o desesvolvimento da sua agricultura, a
creagio de novas industrias e a prospendade de to-
das : entre erees melos construego de linhas
frreas em procura dos esotros prodnetores, so-
bre todos o preferlvel. Dlspondo, porm, a pro-
vincia de pareos reetrrsos,e nio podando eslabelecer
eom o seo nnloo auxilio urna rede de estradas se-
melhantes, obvio qoe a bsa poltica manda qoe
renga de exienso qoe pode baver, qoer a estrada
se dirija ao Bonito, qoer a Bezerros, qoer Grva-
la, soppomos oo mximo ser inferior a ama legua :
ludo depende da estagao da via frrea escolbida
para ponto de partida, e qae for indicada pelos es-
tados. Nio maito quaado a latitude da escolha
pode apenas trazer aquella differenga em obras tao
importantes, differenga qae di em resaludo au
grande diminuigao nos pregos de transportes dos
habilitemos o governo geral a estender sobre nos I producios, e qaando essas obras sao vigiadas pelo
& bha .___ .. i..Aua aHKaHA Va Af\*tt**e>tr\ iotn a OA di IdMatA SDverno. No contrario, isto se o traen da nova
nha fosse desde ja asseotado, e aa preferisse para
o seo termo, sem dados positivos, ama das tres
convenientes, sim com os que poderem ser mais
eompntiveis coca o servico da iraegio e costo da
liana. T-rau-se da construego de orna, estrada
em terrenos moito accidentados e para-os quaes
aquelle limite nio to extraordinario como pare-
ce. Alm disso acreditamos que ser elle eviudo
sempre qae for possivel, e certo qae esto esla-
belecidas no contrato, de accordo com as prescrip-
ces qoe a arte recommenda, as condigoss em que
ser adoptado. A qoesto nao unto do limite,
quando se traU de pendores, como da maneira de
dislribui-tos.
O Sr. Dr. Barras.Barreto oio se deve admirar
daquelle limite, pois, illnslrado como sabe que
granas torca da modernas locomotivas opendo-
res qoe ootr'era aiungiam apenas 3 por mil leem
ebegado at 4 % %, E sobre isto diz-oosa comms-
sao de inquerilo dos earaiohos de ferro rrancezes,
qne os proqrtsm da industria determmam cada
dia tantas faetdadei acerca dos pendores- que nao
mais possivel fixar-Vus Imites.
Conhecemos algumas linbas frreas com pendores
entre lie 4*,, e as quaes ha a necessana segu-
ranza para os passageirss e um servico regalar de
raercadorias. Na Fraoga, na Italia, na Allemaoha,
na Inglaterra, nos Estados-Unidos a al no Brasil
existem estradas em semelbaotes coodigoes.
As seguiates linbas justifican a nossa aesergio:
Pendor de Saint-Germlamem Laye 3,4 %.
Estrada de ferro de Genova i Alexandria 3, 5 %.
Raroaes de Whiisuble e Folkatone so caminho
de ferrro de Soulh-Eastern 3, 3 /
Estrada da Virginia central 4 a 5 Vi-
Es irada provisoria de D. Pedro 5, /<> etc.
A circumstancia de se nio mencionar o pees dos
irilhos para cada ama das largaras da estrada,
mereceu la m bem notavel reparo.
Desde qae o Sr. Dr. Barros Barreto aceitoa o pe-
so de 20 kilogrammas por metro correte para om
tramway locomotiva, com pendores de 3 a 4 %
e Ulvez destinado mais tarde a sallsUier as condi-
gdes de urna estrada de ierro ordinaria, peso que
entretanto se encontra nos trilhos de algumas li-
nbas, devia considerar que nio pudendo a aova
estrada admittir ama largara maito ioferior
a do Recife a S. Francisco, para qae fcilmen-
te se possam construir locomotivas que galguera os
fortes pendores, era dispensavel fuer distlocgo
desse peso para um e outro caso, por que sem in-
conveniente elle pode ser o mesmo. O Ilustrado
Sr. Dr. Barros Brrelo deve conbecer um grande
numero de estrada de ferro onde se tem augmenta-
do consideravelmente o peso do seo material ro-
dante cooservando-se o dos trilhos; alem disso os
carros, wagons etc. podem ter o mesmo peso, qner
sejam destinados a urna estrada larga, quer a urna
.etreita, e 83 eondigdes de traegao nao mudam, ce-
rno bem observa o Sr. E. Flacbat
A dispensa da Danga no contrato foi objecl de
vivo clamor da pane do llustre engenheiro. Na
verdade o espirito vacilla, quando se diz que um
contrato de to graode valor, onde a provincia tem
de empregar parte das suas rendas nao est cerca-
do da garanta de um fiador.
Mas se aitendermos nalureza do contrato ce-
lebrado, s condigdes segnndo as quaes concorrem
provincia para a execugo' da obra, veremos que
anda neste ponto nao parece procedente a censura
do Sr. Dr. Barros Barreto.
O contrato vai ser executado por urna compa-
nbia. A construego das obras s lera comego de-
pois daquella incorporada e qaando tiver efectua-
do diversas chamadas. S entao, isto quando a
companbia tiver reaiisado cerca de nm quarto do
-seu capital que o governo enlrega-lbe a primeira
prestarlo, '/-, do orgamento. Essas prestagdes sao
salisfeitas d'ani por diante sempre depois de nm
emprego de capital por parte da companhia quasi
triplo daquelle com que concorre o governo. Por
este meio est satisfeito o principio e proporgo do
auxilio que presta a provincia. Mas se a companbia
fallir, pergaula-nos o Sr. Dr. Barros Barreto ?
Se asslm acontecer, depois decomegadas as obras,
a sbuvengo do governo dnve correr todos os riscos
e perigos por que passarem os accionistas, Nem
outras sao as condigoes segund) as qnaes se con-
cedem subvengdes s emprezas. A provincia nao
vai tentar nma especulago, nem accionisU pri-
vilegiado da empreza; nao faz nm empreslimo com
juros, e s peder baver o reembolso oa amor-
tsago do sea capital pela renda da eslrada quan-
do se derem certas e determinadas condigdes esti-
puladas no contrato. Em todas as emprezas que re-
caban] de juros garantidos esUbelecem-se condigoes
de amortisacao, mas qaando esta se nao realisa e
aquellas naufragara, nenbum direito lem o estado
de rehaver os joros ou capital despendidos, e mai-
to menos Ihe assslem privilegios que nao estejam
estipulados era contratos especiaos oa pela coodi-
go de ser possuldor de accots de preferencia.
E' assim quo entendemos a sabvengo da pro-
vincia.
a sua mi protectora, concedendo-nos favores
identleos aos di estrada do Reolfa ao 8. Francisco.
Mas as tristes condigoes em qne se acha o paix
qaal o meio par, vormoa realisado lio louvavel villas que suppomq| igualmente importantes,
desidertumT I'm onico se offereee a qualquer baveria erro.,
atrito ejjar-ecldo, e tornar Jio prospera a Passeiflos, iq* krtigos analysados.
Nio dos parece objecto de duvida a Corma por
qae deve ser regalado o auxilio da provincia. Fei-
tos os estados, approvado o contrato pala assembla,
a base por esta asseoUd* seri o mximo para o
calculo da sabvengo.
Se o orgamento for excedido aa cooetroccao da
obra, a differenga correr totalmente por conU da
empieza ; se, porm, o capital empregado for infe-
rior ao oreado, a provincia s lera de concorrer na
proporgio daquelle : o principio regulador de
todas as concessdes de estradas de- terco garantidas
oa subvenclooadas.
Sirva isto de resposia ao qne sobre este ponto
expenden o digno Sr. Dr. Brrelo.
A questo da tarifa pareceunos qne foi tratada
pelo Sr. Dr. Barreta com algam. descado.
O principio de qae a tarifa de ama estrada de
ferro deve ser regalada pelo casto desta, nio ver-
dadeiro : para lal dm sanca, servio esse costo de
norma principal, e apenas se leva em conta em ca-
sos especiaos. O que esubelece o prego da anida-
de de transporte em ajnaiqner liaba a importan-
cia do sea trafego. Assim qae as liabas qoe
leem grande cireolacio a tarifa maito iofe-
rior as dos ranuas e estradas de pequeo transito :
um faca que se observa por toda parte, e princi-
palmente na EscossU. O principio boje aceito, e
qoe parece ser geralmeote applicado, qne a U-
a das grandes linhas deve ser calculada poseo,
cima do limite ramsaerader ; o qoe incontesta-
velraente seria inadmissivel para as estradas de pe-
quea extensad e poseo movimento. ,
O mesmo acontece com as untas diSerenoiaes,
qne nao tem encontrado partidarios entre as em-
prezas das pequeas buhas.
O tramway contratado portinlo, embora tenha
de ensur menor soturna qne a estrada de ferro do
Recite a S. Fraaatseo, nio poda maoter o prego
de transporte dotta estrada e moito meos outro
ainda inferior, a oom estrada, da ferro diminuto
seusivelrHeJW snj urifa primitiva, e teri ulvez
oe;ealUM anda maiores redueges conforme o
I^Vi desenvolvimeato do sea tratogo a as vanugens qoe
' ver de conceder aos transportes aapeelaes. Nos-
lus condlcoas, qualquer qoe coaseea nm pouco is
I tUJtVH 1
.. .

**


-i
Ufe rio e rermamlme fttxtfa letra 8 le aiinho de 1866.

UCiH ",
_
tml
3C=
estradas de ferro nio pode asmlUit oua 0 MUL
que serve a urna zuoa rooHo mais limitada, pesa
cioeir-se a l*u# de urna grande linha.
Eoiendaaos artigo de cntralo relativa a le
obiecto.c guiando someutepara a aclual tarifa
da estrada de ferro, bu para qaalquer aMeracao
une nella se bouver de fazer. E' obvio que esta
no interesse da proprla emprett-do trammy dimi-
nuir quanio poder a tarifa da**M transporte te-
dias, e s vezes
heras, depois de
da a vez que dabi Ihe res
go, como acontece quasi
aafflMDto de traa-
presa do tramway
eoajat que por ello
laiM igualmente [
Pensamos que a idea
receber 10 /. dos reies
forera transportados e que
naestrada de ferro, i
zao plaasivel parecas jpti
Das aquella empremveri
buico miliar pelo sea materia'
estrada de ferro.
Desejamos corrigjr ama li
Sr. Di. Barro Barrete. Dk
do Recife ao S. Francisco logo que os rendimentos
excederem a 7 / o governo priociDiar a emboi-
sar-se sem restrieco alguma, applicaudo-se todo o
excedente daqaelia nada a amoriisacio. O artigo
relativo ao reembolso da garanta naquella estrada
ura pouco diverso do que afflrma o Sr. Dr. Bar-
reto. Ei-lo :
t A companbia embolsara o governo do que ti-
ver despendido em uluds da garanta estipulada
do joro, depois que ella liver realizado o dividendo
de 8 % goardada a seguinte escala de porcen-
tagem :
Pal ,. U
De ? %-l 171
Delll'/o-l
De II /-l 1/2
De 11 %3.
E assim por (liante. >
O reembolso da subvencao no contrato do Iram-
toa* tea logar depoto que a empreza realizar 8 sendo o excedente at W "/ toialmenie applicado
aquella fim. Tao somente dah por oante que o
reembolso se faca aa wraJte da metade do exceden-
te. Esta tara de i amartisagio nao nos parece se
Bao equitativa, e_ relacfio ao qoe esta esttpao
as demaisilinhas terrea do aa'* e se vermos
de altead** as coodicoe* que deve preeneber a
empresa tomando fundos de reserva para renova-
cao do seu mata*tal e obras, e outras despesas que
cao sarao contadas eitre as chamadas propria-
ineoie da anselo. _
Nao nos merece grande valor a qoesBo do arbi-
tro desempatados P~somimos que no eontrato
seestipalou que fosse o presidente oa ex-presiden-
te do Instituto do* Eneeuheiros Civis de LoDdres,
por que esse o eslylo seguido em quesi lodos 06
esntraelos semelbaotes do noo pali, e aexperien .
cia alada ao. mostrea qoe procedemos mal. |
Entretanto digamos de passagem que nao aceita-
oim a razao petoqaal o-St. Of. Barros Brrelo im-
pugnou essa estipulacSo do contrato. Crerots po-
der afflrmar qoe ae despeos cora os estudos gra-
phieos e coufercao de or^aaMMode quilquer es-;
tra da nao sao oais elwada* na Inglaterra qae en-
tre nos : o que all avalla s*o as concessoes pelas
respectivas desperas preliminares (inslgmilcaoles
entre nos) e as propriamente techinico.
Sempre que se tratar de melhorameotos como o
de que nos oceupamos, e que concorrem para o
augmento das rendas da provincia, nao nutriremos
as apprehentoes do Sr Dr Barros Barreto sobre o
nosso fatoro ftnaneeiro.
Pnamos que oaosse escripto guardn s alten
ctes erespeito dvidos ao Sr. Dr. Barros Brrelo.
6 de junho.
mesQKi| dentro de algum
se kaver tomad uan garratl do mamo.
A rouquido por lia, awtrnota apee-
funda qae seja prompiamente desvanece e*a
voz dentro em pouco recobra e adquire toda
sua eos toma da clareza e sonoridade.
Os broocbitdt te aBiviara mediante o seu
uso.
Cora os pulmoes feriaos e inflammados,
Os que padecem e astbma priaci
Arree com casoa.....
Ideaa descascado ou pilado -
Assucar mascavado ....
dem branco ........
Mem retinado.....-
Aceite de amendoim ou meao-
bim ........
latu de coco .... **v
den de mamona ....
Batatas alimemicia ....
Macea oidiMrw.prapriafara
t Boarquo.......
Um ftaa ....... -
it pnowpiam ^Jjn
veL Neauau ra-'por respirar com deatfogo e regularidade, idwa eaeolha o restomo.
eaaaBiedtaa: a pe- {0g0 epois de se haverem tomado aa pri
r*?*[ circulara me{ra o&t$.
' i O calarrho declarado incuravel desappa-
igeira nexactidio do Tece or linar amen te ao cabo de ama se-
S. S. qoe oa estrada

*
caaata
k
*
airaba
*

ro emeittattN
dewiitMo dos
mana,
Emlim, a ana excellencia e grande efica-
cia nao tere, nSo tem e nem ter igual por
meio de todas as mais medicinas tendentes
ao mesmo fim.
A' venda em todas as boticas e tojas de
porfumarias. "
Vende-s as pharmacias de Caors & Bar-
bosa e J. C. Bravo k C.
:

Correspondencias
Srs. Redaetoret.-E.' Infelizmente o povoado dos
Montes o local da provincia o qoe mais abunda em
potentados; e, assim se evidencia desde qne se de-
monstra o segnlnte faci:
O Exm. Sr. presidente da provincia mandn le-
vantar urna planta para senrirde base a edtflcacao
qne se precede n'este local, esta tem sido mantida
por todos os propietarios, menos pelo Sr. tenente-
coronel Jes Joaqulm de Almeida Goedes, o qual
nem s desrespeitou o aclo da presidencia, como o
direito de proprledade qnando fez abrir um valla-
do distrnindo de mmha propriedade parte de meu
terreno, resultando desvare qne, o terreno desti-
nado para servir de ra segondo a plaa, este se
acha ocenpado pelo dito vallado que fez o Sr. te-
nente-coronel depois de ser conhecida a menciona-
da planta ; e, islo porque? Porque a planta veio
ampliar a ediflcacao, a qual se achava tolbida pela
forma anterior, porque, um como o Sr. tenenteco-
ronel Guedes assim o entenda, apossande-se de
terrenos que o transito publico o reclamava para
ua serventa. "
Ete reclamo que o publico al agora tem. fcitp,
em pane ja esta salisfeiio, nem s em virtude da
plaa que ji observamos, como porque, a illustns-
sima cmara municipal deste termo por sen res-
peilavei despacho mandn me dar cordeaQo na
parte em qoe se pretenda fazer-se empossado,
em virtude de seu vallado, o Sr. lenente-coronel ;
assim, espera o abaixo asslgnado que, a lllustnssi-
ma cmara, nem s ine faca manier o seu direito,
como fazer respeitar o aclo de S. Exc. o Sr, presi-
dente da provincia.
Para melhor garanta do abaixo assignado, ja
enderecei urna petico de queixa a illustrissima
cmara, porque, o abaixo assignado reconhece que
na le e tnbunaes que est a garanta de sna pro-
priedade.
Povoado dos Montes, 4 de junho de lobo.
Caetano Delflno Monleiro de Carvalho.
Publicacoes a pedido
Alagoas.
NEGOCIO ECCLESIAST1C0.
Desta provincia nos communlcam o seguinte :
t Acha-se em trabamos a assembla provincial,
e entre outras medidas apparece a idea de transfe-
rir-se a freguezla de Poxim para o pequeo povoa-
do de Coruripe do mesmo municipio.
< Verdade seja que esta lembranca nio conta
com o apoio das pessoas inparciaes aos Ioteresses
das localidades, deste ou daquelle mdlvidno.
c A posi;Io topograpbica da antiga villa do
Poxim que conta urna antignidade superior a 60
annos, e a mais de 60 a creaco da freeuezla em
dita villa, Ihe do urna superioridade indisputavel
para ser a sede da parocba.
i E quando se qneira exaggerar o vulto da po
voa^ao de Coruripe, que apenas ostenta o brlIUt
de todo quanto ntvd, sto apenas influirla para
que se creasse att urna nova fre*Btta, menos para
se transferir de Pbxini a antiga sede da[qoe exWe.
Depois seria soturnamente prejudicial a regu-
lar admnfstraco do pasto espiritual, que fcaaMm
os freguetes moradore* pelo lado *o Norte, 11 le-
guas distantes da sede frtUnitfa em oruttpa,
quando de PoxnB apenas dhUan 6 pequea lefas
por ptimas estradas.
. S. Exc, Rvroa., a quea tai ser **to o egoato,
zeloso como pela Melhor auVMlDiMraeAO naroebiai
da diocese, nao se b* # deljaf Wiba*r,- uisMiuos
convencidos, pelos cnticos melodloses da quetn s
visa nessa transferencia extica clenlos polttieos,
adnbados por oitios de seas neressas propries,
A deliberacao da assembla provincial em soli-
citar a devida interven?5o do Erm. dloeesano aeste
negocio, qnando a pretencBe da transferencia todo
quera airopelar, dispensando o qoe ba de nnis
natural e betto no aceordo dos ffous poderes
temporal e espfriroal ja' ficoo per este lado con-
trariada ; tala' nao recorr por ontro as inexactl-
dSes, e exaggera^Ces de qne o espirito dte injnstiea
copioso.
t De ontra feta Ibe nondaraoos o qne for oe
corren do a semelhante respetto1.'
Macelo, S9 de maio de 1666.
HUMA VIDA SALVA!
Nio temoa, wl*ini*nU) algum de neahnai
cuso qne tto porfetainente moetre d'umn toa-
neira a mis clara e persuasiva o poder d
Sciencia Medica sobre a molestia; qual eja i
de Antokkj Joaojdiu Peubuia, da Babia.
Este homem infeliz bavia maie d'um anno qme
sofirla as dores as mais atrozes e pungente*
proveniente de
Trozo
TVrriveis Chajas Abertas
f-spnlhadas por sobre diffBrenlee paites de sea
corpo, sendo urna das qaaee obre o peto do p
nsu funda e maligna chaga, a qnal o priviva
de andar, cauzando-lhe as dores as mais agoni-
sarttes quer de dia quer de noute; continnaa-
mente atormentado por taes aBccftee e dorea,
e quasi que aborrecido da contlnnacSo de sbn.
ilbante vida, tendo posto de parte toda a f e
confiaKca enunedecinaa, o na roaluiade palada
qu para elle nao Ihe restara mata eeperanca
nlgmnn ; assrm pota resignado eaperava cora-
paciencia o termo final de sena mutipUcado*
sofrrimentos, eis que milagroaeanenta por for-
tuna sna lbe receitarSo o grande purificador
dosangue
A Salsaparrilha
DE BRISTOL
e mediante (. sua grande eficacia e excellencia
elle se acbou dentro de penes torupo, livre da
sen irremediavel estado de desespero, e a doce
e rtaonlia esperajua tornou de novo i reviver
em aeu oprafao; aob a poderoza e benvola Im
fluencia deste adiniravel medicamento, rs euaa
hagas em hreve prindplarSo assumir um ca-
rcter favoravel diminnindo o aspelo de ana
maUgnidade A mar do aaogoe t mata
hmnorea do syeterna tornou adquir: urna
spparencia clara e saudavel, s dores ator-
alentadoras d'outro ora o deixarao, e nma doee
s suave tranqnlllidade principlon precorrer
todo o aeu systema, reatanrando-lhe a desejada
paz e socego d'espirito; aa chagas ama un
se foro fechando at que finalmente se cica-
trizarao d'um todo, boje aclia-ee perfeita-
mente silo, gosando d'um peifeito estado de
ande, depois de se ter vtato privado d'eata
grende gozo durante mais d'um anno. Elle
durante + rur.. tipanoa-fe oao Ce
Desasis garrafas da Genuina Salsaparrilha
de Bristol, preparada exclusivamente por
LANMAN & KEMP,
De XOVA YORK.
aos
MaiOaTado...... libra
btibra........ mn
Xal.......... arroba
dem branca ....
Carne secca (xarquei ...
Carneiros ....... um
Carvao vegetal ..... arroba
Cavernas de sicupira uma
Cera de carnauba em bruto. libra
jdem idem em velas ...
Cha .......
Charutos ....... cento
Cocos (seceos) cento
Colla........libra
Couros de boi, salgados A. t
dem idem seceos espichados
dem idem. Yardas ....._- *
idetn idem cabra cortfoos ~ ul
dem idem de osea.....
Doces seceos .... libra
Mea em gela ou nussa
dem em calda ..... '
Espauadores grandes um
dem pequeos...... *
Esteiras para forro de estivas
de navio........cento
." arroba
de confurmidade com a planta e
oroamentos, na importancia da.
II*
ante severa camprir restrictamente as
. do engenheiro fiscal da obre e as con-
SJ506 dicooes do orcamento e contrato,
i JIM -r~-r' III v.*~*'-
11400 OKMpmsaante dar com semas rrns
1A800 de I* das, < as coocluir no de li mezas, am
cojuados smdata do contrato.
IV
Ospspntos serio feitos Ms praata
ignaes, oamispondentes ao valor 4a obra fi
v menos omapedramento que ser em ama s pres
440 tacao, qotaMIo flier a entrega psasinsJ'.
360 V '
4001 De C1^ prestacao sera' dedoiido o qoe deter-
Cteselho de conp as na>iies,
0 cooseio contraa ao da 9 do> correte mez V
forneciaento dos nasioa da armada e estabaleci-
mentos de marinha, no trimestre prximo vindou-
ro, des objactos aeaixo declarados :-
Objectos.
^ Assucar branco grosso, azeiie inferior, aletna,
raruta, assucar branco refinado, bolachinba ama-
ana, cevadinna, cha, ganbas, lenba, malte e
pioca.
Tambem contrata e consalho no referido dia 9
o correte mez, por igaai terapo o fornecimento
os navios da arnaade e mttbelacimentos de mari-
ha dos seguinte* o|ecto de fardameaaos.
Para a compaania a apreadlaes artces.
Bonets de nnifosamy hsmrts para o sanaco, bit-
fas de brlm branco, dttas de algodo azul, calca
*m
34800
i.
31500
329
500
21000
3*000
151000
009
660
1
mina
1864.
o art 8Xdo ragulamaato de 9 dejulbode
VI
ura
arroba
i
i
uma
arroba
>
amia ^ait;
sm achas..... cento
......... m
u steiiK nm
Estopa nacional .
Farinha de de mandioca .
dem de araruta ....
Feijao de qualquer qndlidade
Prochaes .
Fumo em tolha, bom ,
dem ordinario on restolho
dem em rolo bom .....
dem ordinario ou restolho. .
Gallinbas .......
Gomma........
Ipecacuanha (raz)
Lenba em
Toros
Linhas e esteios .
Mel ou melaco ......
Mimo.........
Papantes .......
PoSrasil '.......
dem de jangada......
, Pedras de amolar ....
Idemdeflltrarr .....
dem de rebolo .....
Plassava ........
Pontas, ou chffres de vaccas ou
novilhes.......cento
Pranchdes de amarello de dous
costados.......um
dem de louro...... >
libra
alqneire *#500
arroba -4*000
2SS00
51000
151000
81000
10*000
8*090
1*900
2*800
28*000
um
caada
arroba
um
quintal
um
uma
i
i
molbo
- O reeebimento definitivo de todo o laneo, e obras
sera118 rae-es depolsda entrega provisoria.
Vil
Para, todo mais qne nao estiver aqu especifica-
do no contrato, seguir-se-ba o qne prescreve o re-
ferido regulamenio das.obras publicas.
Conforme.Miguel Affonco Ferreira.
U Dr. Trisito de Alencar Araripe, offlclal da im
perial ordum da Rosa e jais especial de commer-
co nesta cidade de Rscife de Peraambnco, por
S. M. Imperial a Constitucional o Sr. D. Pedro
II, a quero Dos guarde, etc.
Fago saber aos que a praseata 0m"lM vlrem e .
delle oolicia tiverem, que no dia 25 rde junbo do
correte anno, so ha de arrematar por venda a
qaem mais dr, em praca publica deste juizo o se-
guinte :
A quarta parta das tflrrss, mallas e logradouios
do engenho Gurgucia, avallada por 1:500*000,
sendo a av&liacSo tbjtaf de todas as ierras e logra
donros do dito engenno Gurgucia por 6:000*000 ;
as bemfeiterias que seacham em dito engenho
u i Gurgueia avalladas por 433*000. A qual parte
de dito engenho e bemfeitorias foram penborada*
por execncao do vlsconde de Suassuaa contra Josa
E-tevao de Barros Lobo.
E nao havendo lanzador que cubra o preco da
avaliaco a arremataclo sera', feita pelo prego da
aijudicaco Da forma, da le.
E para qne chegua ao conhecimento de todos,
mandei passar o presente.qoe ser publicado pela
imprenss e s filiados nos lugares do coslume.
Recife, 15 de nfaio de 1866. Eu Mano el Mana
Rodrigues do Nasclmento, escrirao o subacxevi.
Triso da Alencar Araripe.
Araripe, ofUcial a im-
e juiz especial do com-
100
OA
101000
uooo
360
520
4*060
2*000
161000
de palba, froahas de algodozabo, frdelas da panr
no azul, lencos de seda preta para grvalas, len-
jes de algodaoznbo, sapat5es feitos no paiz, sac-
eos de guardar roopa, e travesseiros de lioho
ebeios de palba.
Para Imperlaos raarinbeiros e apren-
dlres ditos.
Booets de panno azul, camisas de brim branco, j
calcas de algodo azul, ditas de brim branco, ditas;
de panno azul, camisas de algodo azul, frdelas
de panno azul, leos Je seda preta para grava-
tas, sapaides feitos no paiz, e saceos de looa de
auiisauia. -^ ,.,. .
Pira razfterros navaes.
Bonete de chapa pata, calcas de brira branco,
ditas de algodo azul, camisas de brim braeco,
fardas de brim braneo, gravatas de cooro de lus-
tra, polaroas de panno pneto, sapatow feitos no
2*900
12*000 o Dr. Trislw da Alencar
6*V2x Per,l ordm da Rosa
180
1*600
3*000
6*000
Rap .
Sabo .
Sai.....
1 Salsa parrilha.
; Sebo em rama
dem em velas
.....
.....
.....
. .... .
......
.....
Sola empaqueta......uma
.- duzia
1 Taboas de amarello.
< diversas .
....
>
arroba
quintal
uma
cesto
'
>
000
380
10*000
8*000
6*400
800
Tapiocas. .
Tatajuba .
, Travs .
i Unbas de boi .....
! Vassouras de de piassava .
Ditas de timb ......
. Ditas de carnauba ....
Vinagre...... caada
Alfandega de Pernamuco, 2 de jonhe de 1866.
EADITAMMENTO.
i Cera de carnauba arroba
Cassueiras de Jacaranda, duzia
Knchameis...... nm
Esteiras de carnauba. nina
i Ossos........ arroba
Palba de carnauba molbo
Penna de ema .... libra
Sapatos de couro branco. par
Era ut eupra.
mercio n'asta cidade do Recite, de Pernambuco
por sna magestade imperial etc.
Fago saber aos que o prsenle edUal virem
d'elle noticia Uverero que no dia 2 de julho docor-
5*000 rente anua se ba de arrematar por venda a quera
900 por elles mais. dar o seguinte :.
800 um sobrado de um andar sito no caes do Apollo
1,5000 fregoezia da Recife. com o n. 32, com tres varan-
160 das de ferro na frente, e oiio dolado, cou quintal,
. tendo o 1* audar oous grandes saloes, oceupado
3*800 dito predio com armazem, avahado por 10:000**
Uma casa terrea sita no caes do Capibaribe fre
gamia m Boa Vnius. uum s 8 A. com mam part
larga e urna porta pequea na (rente com traveja-
mento para uma solea em caixao, avaliada por
I:SOOO*.
Uma dita no mesma lugan e raeuezia com o n.
8 B, com tres Jaoellde-Trente e seis- qoartos, com
; travejamento para nma solea, e cou quintal, ava-
liada por 2:500*.
2*000 As quaes foram penboradas por exe^ucao do
140*000' London and Brasiiiao Banks contra- D. Mara
Tneodora Alves Ferreira por si e como tntora de
seos filbos.
E nao havendo lancador que cubra o preco da
avaliago, a arremalagao sera' feita pelo preco da
adjudicago na forma da lei.
E para que ebegne ao coobecimento de todos
mandei passar o presente qne seca' publicado peta
imprensa e affixado nos losares do costume.
Recife 2 de jonbo de 1866.
En Manos 1 Mara Rodrigues Rodrigues do Na
cimento o subscrevi.
Tristao de Alentar Araripe.
20*000
10*000
1*000
160
alqueire 400
arroba 25*000
> 5*000
i 7*000
Goiascio. de coiu^'u^
O cssambafoomoTs no dia.l\ M ostaente mez
a compra dos segulotes objectos do material da ar-
mada : 300 agolhas de brim, 6 barquinhas de pa-
terna, 100 bandejas ferradas 209 dedaes de repu-
cho, 20duzias de praoebdas de amarello, po-car-
ga, sieopira, ou angelm atrarflM* com 35 psde
coBBpstBBSOto e talegadas de^passura, 20 duzas
de praaaMes daamaraUav pwaarga, sieopira, ou
ingana amargoso de TBkj* da> coraprmento e 5
patepdMdde gomMra^iQdu^Ws de pranchdes a
~ rgoso de 40 ps
. str.opwav.ou
de eomprlsaento-e 7 polapAttadmcrossora, 6 pru
._: mos- de patate. I-arrobas > pregos riparas de co-
JS.UI,Su's de SZlS!SJSS, 3T ? q^rnrrta* h. 70" patmoj brTmen.o
lila, colchas de algodo, eoteboes de Iralio cbeios<
II a 12 poiagadM empadra, 50-. amsbs* de pl-
vora, grossa, 500 pucaro; de folba, 20 (Tozas de
peonas de ac, JO'livros em Branco de 200 tomas,
20 dites dito de 150 fotnas, 20 ditos dito de 100
folhas, 20 ditos dito de 59 folUas, e maderas de
conslrucro para, am transporte de guerra.
Sala do conselbo de compras navaes 7 de jonbo
de 1866.
O secretario
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
De ordem do iiltn. Sr. tospeetoMla tbeeeur?.-
ria de fazeada de Peraambnco desta provin ia, se
faz publico, que tem de ser contratado peraote a
mesma tbesourarla, per qaem meae i'.er, o for-
necimento a* enfermara militar desta capital, des-
de a approvap #o caatraio al o On de dezem-
bro de.-ia anuo.
Os prrfendentBrdeTerao dirtglr sttas pr*rpost-.>
em cartas fechadas ao Illm. Sr. inspector at as 10
horas do da ti doy car reo M msi; a ser-lhesha
franqueado oa thesooraria o formulario que con-
paiz e sobrecaaaca de panno atol.
Contrata o conselbo sob as eendifdes do eslylo
e vista de propostas em cartao fechadas recebi-' lm os medicamentos preparados a os seus presos,
das so referido dia de jnaho al-as fl horas da a fim de que posso regolar-se as respectivas
manna. i propostas. Podero ver tambem na thesooraria, as
Sala do oonselho de compras navaes, 8 de junho I condiedes do contrato.
**'486&, Secretaria da thetoorarfa de rateada de Pernam-
0 secretario, baco, em 1 de jonbo de 188. Servtnde de offl-
- Alexandre BMMoes 'tos Anjos. ctM interino. Skmofl Jbst Pinte.
Governo da provincia.
4.* seccao.Secretaria do governo de Pernam-
bneo, em 1 de malo de 1866.
ED1TAL.
Elposcs das aroiluctes af ricolas, induslriaes e de
obra* d'irles en Pernambuco.
A commissio directora da exposic5o des-
Pe* sacreuria do govejpo, &e fa*. publico ,ta provincia cesolveu, que por meio derene-
quem ioleressar possa, que tendo o Exm. Sr. vica- tiils aQQUncioS se|cublicasse O SOguintt; :
presidenu! da provincia, de dar exeruco a.lei a.1 l^Que-a inauguia?ao da exposicao foi
1 ^dlsTpS ala"pre,etoamdcont!traDsferida ^ dfa de ^osl Proximo'
as lSco ssx es S 2- ^a rficeR3dos product?.s *-
ferida le, a apreseotarem ao mesmo Exm. Sr.' as nados exposica principiara nu da id de
7*000
65400
955000!
WOO
200
240
800,
200
800
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, offlcial da impe-
rial ordem da Rosa e juiz de direito especial
do commercio desta cidade do Recite de Per-
nambuco por S. M. Imperial e Constitucional
o Sr. Dom Pedro II, a quem Deus guarde
etc. etc.
Paco saber' aos qne o presente edital virem e
d'elle noticia tiverem qoe no dia 2 de julbo do cor*
rente anno, se ba de arrematar por venda a quem
por elles mais derem o seguinte :
Um sobrado de um andar sito no caes do
^ft PetnarabUC0 ****** i Apono,^gneziaUdo Rec.fTcom Z,Vm 3 va.
de 1866.
Agaignadoo) i
randas de ferro aa frente e 8 de lado, com quintal,
1 tendo o t- anaar2 grande sallos, oceupado, dita
predio com armazem, avallado por 10:000*000.
I Uma casa terrea sita no caes de Capibaribe,
freguezia da Boa Vista, com o o. 8 A, com uma por-
Reeommenda-ee mu particularmente
Doentea d'amboe oe Eexos, que empreguem
toda a cautella na eecolha d'eate admlravel
remedio, afim que nao obtenhSo ontra com-
poeicSo qualquer, qae nao seja a Salsaparril-
ha Genuina de Bristol, pois qne todas as
mala preparacSes e imita;5e8 d'eata natureza
sao falsas nao possoindo virtude alguma.
Vende-se as boicas de Caors d Barbosa
e C. Bravo & C.
eonferente, Jos Miguel de Ura.
O 2. eonferente,-Joao de Freitas Barboza.
Conforme. -0 4.' escripturario, Alexandrino
| SBEte^WENDAS INTERNAS GE-1 "JJM W^WfJg *&>&I
RAES DE PERNAMBUCO 'SPfSKiS? avanaua
Rendimento do dia 1 a 6 ....... 5:206*817 %fSffino mesmo logar e fregueia com 0 \
dem doHia 7................ 0tf5*l0U | n. 8 B, com 3 janellas de frenie, 6 quartos, com \
K-oniao77 travejamento para urna soleia, com quintal, avalla-
_*l i da por 2:500*000.
As quaes foram penboradas por execuco de Joao
Frederico Jorge Kladto contra D. Hara Theodora
CONSULADO PROVINCIAL
16:4285979
Rendimento do dia 1 a 6...... ^iSSSS Alves FerrelrV, por si e como tutor de seus Blhos. i marco de 1866.
dem do du 7.............. _____ i E nao havendo lancador que cubra o preco da ava- ] O escripturario da i
18697224 'ia9*> a arrematagq ser feila pelo preco da
suas proposUi.e mediante as bases nella esta Lele
cidas, afim de serem examinadas a preferir-se
aquella que melhor es. vanlagaus ollerecer.
O sec rea rio,
Dr. Francisca, de Paula Salles.
LE N. 640*
O Dr. lianoel Qeueutiooi Caroeiro da Cunba,
vice-presitkute da provincia, de l'ernambuco : Fa-
go saber a todos os seuibitanla que a assem-
bla legislativa provincial decretou e eu sancciooei
a resolucao seguinte :
Art. 1.a Fie*o presidente da provincia antonsa
da a mandar estudar e a contratar com urna ou
mais compaobias ou com pessoas reconbecidamen-
te idneas, uma r le de estradas, de rodagem ou
de carrls de ferro, conhecidas, sob a denominadlo
de tramways, que ligue, os centros' populosos do
interior da provincia com as diverjas e&tacdes da
estrada da ferro do Recife AS. Francisco, como as
actuaes estradas de communicacio para esta capi-
tal ou cora os pontos de liitoral de fcil accesso a
navegaco.
Art. 2. Para execuco du artigo precedente po-
dara' o mesmo presidente adoptar as seguiotes me-
didas :
g 1. Conceder as oompanhias ou aos particula-
res, que se euearxegarem da construcciio dos
tramways ou que os coilocar d'ora em dlanle as
actuaes estradas.,uma subvenco kilomtrica pro-
porcional ao capital empregado e por uma s vez,
ficando o contrato, que para isso se celebrar de-
pendente da approvaco desta assembla.
0 contratante podara' independente desta appro-
vacao dar cometo aos estudos e preparacao dos
planos das obras, os quaes ediQcro mediante in-
demnisaco pertenceote a provincia caso nao seja
approvado o contrato celebrado.
1 Contranir um emprestirao dentro ou (ora
do paiz, mediante condicoes qoe nao obriguem a
provincia a um dispendio superior a quatro ce-
ios contos de ris annuaes.
Art. 1. Ficam revogadas as di?posic,5es era con-
trario.
Mando portanto, a todas as autoridades a quem
o fconbeeimanlo e execogo da presente resolucao
pertencer que a chmpram e facam cumprr tSo m-
teiramente como nella secontm.
O secretario do governo desta provincias faca
imprimir, publicar e correr.
Palacio do governo de Pernambuco, aos 20 de
marco de'1866, 45* da independencia e do imperio.
L. S.
Janoel Clementino Cmaro da Cunha.
Sellada e publicada a presente resoluto nesta
secretaria do governo de Pernaraboco, aos 24 de
abril de 1866.
O secretario, Dr. Francisco de Paula Salles.
Registrada a Q. do livro 7o de leis provinciaes.
Secretaria do governo de Pernambuco, 20 de
ad-
seccaoTheodoro Jos Ta-
COMMERCIQ
judicicao na forma da lei.
E para qoe ebegue ao coobecimento de todos,
mandei passar o presente, que ser publicado pela
imprensa, e affixado nos lugares do coslume.
Recife, 2 de junho de 1866.
Eo Manoel Haria Rodrigues do Nascimento,
escrivao o subscrevi.
.Vodw saAidb no lia 7 Tristao de Alencar Araripe.
Rio de Janeiro e Babia,vapor encourajado Ingiez 0 Dr Trislo de Alencar Araripe, offlcial da Impe-
MOViMENTO DO FBTO
.Voto bano dcjPernam-
baco.
O Novo Banco desconta letras a 10 por cento
ao anno, toma dinheiro a praso flxo ou em conta
corrente pelo premio e condicoes que se conven
clonar, e saca sobre a praca da Babia
Novo Banco dePernambucoJ
o novo banco paga o 16 dividendo n*
razao de 6^150 por aeco.
Colombut, capito Furner, era lastro.
Re de Janeiro,vapor americano Isabella, capillo
George Bregg, em lastro.
Rio Grande do Sul,brigue portuguez Adelina, ca-
plto Manoel Joaquim da Silva, carga assucar e
agurdente.
Obstrvaco.
Nao houveram entradas.
nal ordem da Rosa e juiz especial do comraercio
nesta cidade do Recite de Pernambuco, por Sua
vares.
EDITAES
ALFANDEGA.
Rendimento do dia la6 ...... 135:9*4*441
dem do da 7................ 9:632*693
143:577*434
HGV1MENTO DA ALFANDEGA
Volomes entrados com fasendas...
< c com gneros... 231
Volnmes sabidos cem faiendas... 23
a com geaeros.... 203
331
228
Grande e importante descoberta.
Fez-se nma grande e Importane deseo"
berta as imineotes quadades medicinae
da Anacabuita, aore esta que creace na
immediacoes de Tampico, na Mxico.
0 Peitoral Anacahmia de Kwf, com-
posto e preparado com o balsmico sueco
d'atyiella arvore, tem enchido o mundo d
espauto e adaraco
Os propries laedicos coafesaom qa% nunca
se Ins bavia et-4c m idea, dque sepo-
desse extrahir dfe nennom prbdacto da trra,
um especifico to maraviiiiosO e completo
para a eu dos orgSos a nmwlto.
A tosse de nm caractw o ai confirmado
e violento, desapparece sob a sua mgica in-
Descarregam hoje 8 da junho.
Barca traaeeza Colqnufarinha de trigo.
Galera francezaAmeliafarinha de trigo-
Baa ingiera_c*krmarcador las.
Barca inglesamogemeidem.
Brigue italiano Adivinhos a sai.
Lagar porluguezA/iopedras.
Brlgue porluguexBella Figuercnseivte&Qi g-
neros
Escuna hamburguesa Calharine Jane alca-
trio e carvao,
Escuna portuguesa Emabarricas vasias.
Lugar ingiez Bri/wnlefarinha e macbiaM
Barca mfieza itabeilacarvao.
Patacho ioglexSowwucarvao.
Barca nglezaSaphoidem.
BaaoafortBgneaaUartana /dem. .
Barca aaeionmAiasmari* rtiraae,
Brgas aaioaisMjsaiarw i_om.
Brigue nacionalAmviwidem.
Sumaca hespaaisotaGuadalufeidsm.
Pataebo na_wU-Sotidem.
_an portuguez-Srra /-dem.
Patacho portugusi. Jo$-*eu.
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO.
PAUTA DO* PflKCOS DOS GtNERS SUJKIT0S DA itXlTOS
DI BXPOaTACAO. SEMANA DE 4 A 9 00 MU DE
WRHO 1866.
Iteeadorias. Unidades. Valores.
Abanos. ........ cento 2*500
dente de cana .... caada
resillada ou do reino
uca.......
lam geaalra...... 888
dem alcoof ou espirito de agua- 900
ardente.......
Algodo em caroco .... arroba 3*075
dem em rama ou em 13a 12*300
; O Dr. Tristao de Alencar Araripe, offlcial da impe-
rial ordem da Rosa e juiz especial do commerclo
nesta cidade do Recife de Pernambuco, por S.
M. Imperial e Constitucional o Sr. D. Pedro II, a
quem Deus guarde ele.
Faco saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverem, qoe no da 11 de junho du
corrente anno se ba de arrematar por venda a
qaem mais dr, em praca publica deste jako, os
escravos segoinies :
Mara Goocala, parda, representa ter 30 annos
pouco mais ou menos, com uma cria com 3 mezes
de idade, avalladas ambas por 700*000 ; a metade
da preta Antonia Prudencia, crioula, com idade de
22 annos pouco mais ou menos, com duas crias
uma de nome Mathias, com 4 annos de Idade pou-
co mais ou menos, e outra cria de nome Joanna,
com anuo e meio de idade, avadados todos por
1:400*000, sendo a metade de dila preta a snas
dnas lbas avalladas por 700*000.
Aa quaes foram penhoradas por execuco do
vlsconde de Suissuna contra os herdeiros d Jos
Eslevo de Barros Lobo.
E nao havendo lancador que cubra o preco da
avaliaco, a arremaia^o sera' feita pelo preso da
adjudicado na forma da lei.
I E para que ebegue ao eonnecimento de lodos
mandei passar o presante que sera' publicado pela
Unnransa e affiados nos lagares do coslume.
Recle, 15 de maie da 1866. Eu Manoel Mara
Rodrigue* do NaaeimeatOj escrivao a subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
- O Illm. Sr. inspector da uasaarati* provin-
cial, em cumprimento da ordem da Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 28 do corrente, manda fa-
zer publico, qae no du 30 de agosto prximo vin-
douro, parante a junta da fazenda da mesma um-
souraria, se ha de arrematar a quem por renos
flzer, a obra do 9. lauco da estrada da Eseada,
na importancia de 169054000.
A arremataban ser feita oa forma da lei pro-
vincial n. 343 de 13 de maio da 1854, a sab as
clausulas especiaos abaixo declaradas.
As pessoas qoe se propuzerem a essa arremata-
cio comparecam na sala das sessoes da mesma
junta, no dia cima Indicado, pelo meio dia e
competentemente habeltadas.
E para constar se mandn publicar pelo jornal.
Secretaria da thesooraria provincial de Peraam-
bnco, 29 de maio de 1696.
O offlcial da secretaria
. Miguel Aflooco Brreir.
Clausulas especiaos.
As obras do 9. laneo da estrada da Eseada se-
Companhia do Beberibe.
N) dia II do corrente pelas 12 horas do
dia ter lugar no escriptorio da compahhia
roa do Cabug n. 16, a arrematago dos
cbafarizes e bicas por bairros, n3o se ad-
mittindo propostas que comprehendam mais
de um bairro, nem por espago maior de
um anno; os Srs- licitantes comparecam
Magestade Imperial e Constitucional o Sr D. Pe-1 corn seus fiadores ou declarares dos mes-
dro 11 siquen Deus guarde, etc.. .. ._. I mos ne mencionado dia. devendo ser as
Faco saber pela presente, uue no da 2$do mex ficharla anrpvntida na
junho do corrente anno, se ha de arrematar por propostas em carta lecnatta apresennaa na
venda a quem mais der em praca publica, depois mesma occastao OU antes no escriptorio on-
da audiencia respectiva, o- scravo Manoel de na- (je melhor se deverao esclarecer e informar
cao, eom idade de140 annos, HMajnaiami me- dag condiCCoes do contrato da arrematacSo.
nos, avahado por 7001000, o qual val a praca por r-__T-
oxecuso de Joaqnim de Souxa Maia C, contra BazeS SODFe 88 quaes SC (leve hincar.
Bailar Oliveira, na execuco contra Joaquim Bairro do Recife.
Gongaives Cascio A C. Cbafariz do caes da alfandega. 6:000,5(000
E na falta de ancador que cubra preco da ava- r 7.gnrunnn
liacao serarrematicao feiu pelo prego da adjudi- Dito da ra da Cri........ 2*222___S
cacao com o a batimento respectivo da lei. Dito da ra du lirum. ...... .'UOUoUUU
E para qoe ebegue ao conbecimento de lodos Dito do Forte do MtttOS bica
mandei fazer o presente edital qoe ser affixado Q mesmo 4:500(5000
nos logares do costume e publicados pela im-, u M........... _____w___
PrDado e passado n'esta cidade do Recife de Per- i _. 22:700|$000
nambned aos 6 de junbo de 1866. Bairro de Santo Antonio.
Eu Manoel de Cavalbo Paaa de Andrade, escri- Chafariz do largo do Carmo.. 10:000)5000
vio o subscrevi.
jolbo prximo;
3. Que a demora que hrjtrver na remes-
sa dos productos ser nociva a sua mais con-
veniente collocaco, conforme: a respectiva
importancia;
4.9 Que vndo todos atropeladam^nte as
vesperas J^o da da abertura da exposico,
nem se pode calcular o espaco que elles re-
quema e se de veri apromplax, nem fazer
sobresahir os. productos, espacaado-os, e
collocando-ei crawerrienteflreite ;
5. Que ao agente designado pelo commis-
sario classidcadoc, o S_ DcGervesio Ro-
drigues Campe! o, se devero entregar os
productos no palacio do governo do referi-
do dia 13 de julho em diante,, e desde as
9 horas da manhaa at as 3 da tarde.
6. Que a todos os expositores se passar
recibo de seos productos, declarando, con-
forme elles determinare-, se o destino dr>
objecto exposto deixado ao arbitrio da
commissio, se deve seguir para a exposico
da (rte, ou ser restituido ao expositor, logo
depois da exposigo;
7. Que podendo tersuccedido que nao
tenham cheg ido a sea destino algunas das
circulares e instruccoes por ellas dirigidas a
todos os cidadSos que julgou poderem con-
tribuir para a exposicSo,. Ibes roga que pres-
cindido de convites especiaes, contribuam
para esta festa industria1,, em cujo bom ou
mo xito vo de algum modo* os brios da
provincia.
Sala da commissao, 9 de mato de 186fl.
Af. Buarque de Maccdo.
., Secretario.
0 Illra. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial era cumprimento da resolooio da junta da fa-
nda manda farer publico qoe se contraa por
tempo de 3 mezes, a contar do 1 de jolho ao ni
timo de setembro prximo vindoaro o fornecimen-
to de alimentacao e dietas dos presos pobres da
casa de detengo, servinda de base a arrematado
os presos segnlnt?s :
Domingo, almogo e jantar 386
Segnnda-feira idem idem 380
Terga-feira idem Idem 380
Quarta feira dem idem 360
Qulnta-felra idem dem 380
Sexta-feira idem Idem 310
Sabbado idem idem 346
Dietas.
N. 1...... 380
N. 2...... 400
N. 3...... 640
N. 4...... 400
N. S...... 400
As pessoas que se propozeTera a contratar dito
foroeciraento apresentera suas propostas em cartas
fechadas no dia 14 de jnnho prximo vindouro, ao
meio dia na mesma thesouraria onde enconlrarao
as tabellas dos forneclmentos e condiegoes com
qae devem effecloar o mesmo contrato sendo ha-
bilitados previamente os fiadores. E para constar
se mandn pnblicar o presente pelo jornal.
Secretarla da thesooraria provincial de Pernam-
buco 29 defhaio de 1866.
0 offlcial da secretarla,
Miguel Alfonso Ferreira._____
Tntm di Alencar Araripe.
DECURACOES

COMPANHA
ar
Dito do largo do Paraizo..... 8:000)5000
Dito do largo da praca de Pe-
dro II................... 4:SOO0OOO
;Dito da ruado So!......... 3:000*000
Dito da ra da Concordia..,,. 5:000000
3oT500000
Bairro da Boa-Vista.
Chafariz e bica do caes do
Capibaribe............. 3:500^000
2:0005000
6ilQ8lMS
53004000
1:200*000
2:100*000
t cafta desta companbia commendador Jijo da ra da Aurora......
Thomaz de Aquioo Fonseca, acba-se auto- Dito da praca^da Boa-Vista...
risadoapagar noseu escriptorio roa do ft^t^ff^ni
VgarionVl9, das 10 horas as 3 da tarde: Di W* adef-Gocato....
do dia 29 do correnteem oMfite o 36* di- ^355?*^f^n::
videndo dfsta companbia na proporcJo de Dito da cidade nova de Santo
U par cada acco; pMvine-e & Su., ao
ciemsus qoe este pagan eatod^-ert ser em
cobre visto ser na especi que o mesmo Sr.
caixa recebe dos arrematantes dos cha&f-
zes desta eomoaabia. DtodaTn^Imperial........ 7^0O!OO0
Eecriptorie da Goopanh.a do Bebenbe 1% %%%* da Cabanga. *i
de maio de 1866. Dit0 do )arg0 de Noss, seahe-
1 secretario, ra d Pat dos Albg*KW...
Amar...........?...... 3:000|9OQ
iSSobo
Bairro 4e S\ Jos. '
Claftrirdo largo daribeira.. i*00O,)K)O0
iHaL. ..____
vmm*
3:000000
Dr. Jo5o Jos Pinto Jnior.
0 admlnk:ador da recebederia de rendas
Internas geraes declara que no correata mez de
junbo qne os deudores da decloaadaa cororaopes chaftri do larao do fiveiro.
de mao mora, do imposto de 20 0/0 sobre>i_ e ^ w J* ^^
mais esubelecimento co_merciae, do imposto DrW entre as (Mas pomes.. .
especial sobre perfumarias, casas de movis e roa- -
pa fabrlcaoi em palx estrangero devem paaarr| v -V^
livre de mulu, o 2 semestre do exerccio corten-1 Escriptorio da coaapanbia do BeberiDe o
ter e OfftJl** referido mei, sao obrlgaos a* ^ jubq^ (M6v
26:5000000
Passagem da Magdalena.
2401000
3600000
multa
Recebedora de Pernambuco Io de junho de 1866.
Manoel Carnelro de Soaza Lacerda.
0 secretario,
Dr, Jo5o Jos Pinto Jnior,
O Illm. Sr. inspector da thesooraria prouin-
cial, em cumprimeolo- da.resaludo da junta de
fazenda, manda fazer publico que no da 14 de
juoho prximo viodouro, peraate a mesma junta,
se ha de arrematar a quem por menos flzer, o for-
necimento dos medicamentos e atenis para a en-
fermara da casa de detengo desta cidade, por
tempo de um anno, a contar do 1" de julho do cor-
rente noo, w im de junhe de 1867.
As pessoas que se propoterem a esta arremata-
cao comparecam na sala das sessoea da referida
junta, no da cima indicado, pelo meio da, com-
petentemente habilitada!), onde acbarao presentes
os formularios e condicoes da arrematacao.
E para constar se mandn publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 29 de maio de 1866.O offlcial da secretaria
Miguel Alfonso Ferreira.

Expsito do productos agr-
enlas e ladustrlaes m Peruaam-
k commissio directora da exposico des-
& provincia, previne aos artistas que de-
sejarem concorrr com os seus produc'os a
mesma exposigrio, e que nao o possam fa-
zer por falta de recursos, que devem diri-
gir-se ao secretario da commissSb para ob-
terem os auxilios necessarios a acquiaico
das materia primas destinadas aos ditos
productos.
Sala da commissao 9 de maio de 1866.
M. Buarque de Macedo,
Secretario.
Peta nma dcoilrtb p(o4HM te faz publico
qne no da 1 de junbo vindouro se principiam a
contaros 36 as otate marcado para a aobraaca
t bocea do cofre da 2* semestre do ame financeiro
carrele dos r~pois de decima prediM urba-
nos, de 20 0(0 do eoasu-o de sguardeate e de 5
0)0 sobre a renda dos beos l rali pertencentes
eoraeeacfci de mi awrta.
Mesa da eoamado pro vi acial de Pernambuco
26 de mato da ISte. '
Antonio CarMiro Machado Rica
Ae-immador.
AdminifitricJo do correk) desta ada-
de precisa de seis bomens para o servico
de caminiwiro, qaem estiver neitas condi-
coes e qofeer engajar-se dirija-ae a mesma
admirjistrac5o.

<
\
a-

i
.
-i
{



--*
V
BjfJ I
Mffla Mr ato .*.**> 4 tS66.
----------
Caiu filial J**( d* Brasil en Per-
De ordemda,drctoria sa faz publico
aquellas pesssas me'teio objetos de ouro,
prataetitfaMtVft -deptMos 'sob auicao
nesta calxa cojas letras se achala veneiaas,
que n5o sendo ditas letras pagas at odia
8 de jan!* vindouro se proceder' em hasta
publica i varita do MterMos ohjfcCtoscbn-
forme o prescrito nos estatutos.
0 guarda livros,
igaatto Noae Qwri,
EiptsicJ agricsU e .rfastral da
fvnirka.
Deveodo ter logar no diaSdeag-ofloproxTrio,;
oa cipital d Parahyba, a exposigo agrcola e in-'
dastrial, o abaito asignado, enearr&gado pea
commissae directora de promover a acqtilsicSo de l
objectos d'arte, oa artlgos de industria dos para-
tiybanos aqai residuales, declara e pode pelo pre-
sent aqnsiles qne desejarem coneorrer para maior.
brilhaolisano da referida exposiijio, ijfue tenbam a
hondada de driglr-se Na d Imperador i. ib 2*
andar, das 7 as, 9 horas da roanhaa, e das 4 da
(arte as 8 lleras da qoite, oode aaeixo assigoado,
nao somonte dar' as informabas precisas sobre o I
transpone-dos objeclos que se rlda exposlco (cujas- reraeesas devero ser relias j
at o da SI de julho proximoi. como tambis for-
astera' amatoria prima aqOMlrea aaaboree exposi-:
lores cajas circunstancias assira o exigirem.
-No Recite, pdero igDSfcnente oidodr-se cora
o Iflm. 8r. iDianib Joe'da.Silva Brasil, na Alt da
Madre Deas a. 23.
Pexsarabaco, Je niaio-de ItMl
Justino Jos de Soma Campo. Para" candi
O IIIm. Sr. inspector da tbesooraria pNarin- agencia Ja i
cial, em eoaeSrimento da ordem do-Exm. sr. pre- '
sidente da provincia de 28 do crreme, meada fa-
zer publico, que no dia 14 de junho prximo- vin-
donro vao engloba Jmenle a' praca para ser em ar-
rematadas as obras da estrada e passadieo do Cam-
po Grannde, rom o augmento de 1S 0/0 Do Valor
dos respectivos caanaanias ; os quaes senda da
importancia de 8:8O,Bcm elevados a 9:2005.
Secretaria da tbesooraria provincial de Peroam-
touoo 29 de maia de 1866.O offieial da secretaria
____ Miguel flflonso Ferreira.
pf vapor.
COMPANHIA PERNAMBUCAXA
DE
IVavogfeSo asteira
* p*B|a *
Paran**, Natal, Maco, Araeaty, Cear* e
Acarac.
No dta 9 do COrrepre segulfa'
para es porlos acina indicados
um des vapores da compinhia.
Ratea* carga al o da 8. En-
commendas. passageiros e di-
UMf *Smm a 3- lera da tarde do da Ha
sabida : escrptorlo no Porte do Mate i.!.
I&Hi de S Mxqud.
i iem+am mka\n<4d*i6o pMeU poflagoez
i GEORGENCE, para passageiros, trata-se com Joio
* do Reg Lima ra do Apollo *. 4.______________
AftBft ~~
'lessageries laaeriaies:
At o dia 14
doeorrewe raei
espera-se da Eu-
ropa o vapor
francez Extra-
madure, o qoal
depois da demo-
ra do costme
seguir' 'para
Baha e Rio de Janeiro.
Os passageiros de Pernarabuco para ee porlos
! da Europa que queiram segarar as suas passageua
, a bordo dos paquetes desta compaobia nos mezes
. de maior afflueacla, tsm a (acoidade de as tomar
no dia em que os vapores seguem para o sal, pa-j
I gando porm cojjp seJpssWio Rio de Janrfro.
assagens tra%-ss nai
__i
Se vender' ama mobilia de Jacaranda.
Urna casa terrea a. 50 a ra df\ Aragao.
Urna dita n. 71 aa rui da Pal*.
O preleedentes ueiram ir ejftmioar com ante-
eedshcia-afm de fczer urna eqppra favoravel na-
qalle df e as ltWanta rnTda Cadeja o. 55,
priaaeiro andar.
-- .-n-r i ..............
Transferencia doieo
Do aromen de raolhados silo oa na
favo sortimento de perfumaras
juna* m
!S P"1"*- *aa1 ^ de miuieza* Km da
Ama
do Imperador n. 46.
BOJE
O agente Pestaa nao podendo effectuar bootem
em conseqaencw da cbova o leilio da aMiazem de
molbados silo na roa do Imperados n. 46, tera' lu-
gar boje em nm oa raais lotes a vontade dos com-
pradores pelas 10 horas da manba no mesmo as-
ta beleeimento. m
IiBILAO
portantes bmi
CapfM.
HOJE
Domingos Rodrigues de Andrade tendo de reti-
rarse fara' leilo por intervengao do agente Mar-
lias em caa de sua residencia a ra da Cruz n-
33, o qoal nao pode ser effectuado hontem em ra-
zio do mao tempo, as 10 horas.
Beta
, trata,
guei
Sabe com malta brevldae a escaoa prtogueza
Erna ; para passageire trata-e eona
Lima, na roa de Apello l-4>
COMPAXilIA Kll\SII.K.IK%
DE
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesoora-
ria de fazenda d^sta proviocia se-ma publico, pera
intiecimento d4 quem ioteressar, que ne dia 13
4o crreme mer, peranie a mesrna tbesourarH, se- ports Jo soft
PUQIfETKIt VAPOR
Dos portos do norte esperado
at o dia 16 do correte o vapor To-
canlini, com mandante o capitao te-
nenie Parlas, e ajOal depois da de-
mora do coitunre seguir para os
rao arrematados por qaem raais der, os arreada
melos annuaes, que devoro ter principio no Io de
julb) prximo vin-iouro, dos propnos nacionaes,
abaito mencionados : os pretendentes devero di-
Tigirsoas propostas-em-artas lechadas ao Illm. Sr.
inspector, al as M)-horas do referido da 13.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
toco em 6 de juntio d- 1S66<
SerTiodo de oBcial-maior,
Manoel Jos Pialo.
Reiago dos proprios aacionaes a que se refere o
aununcio cima.
Casa terrea n. 21, sita na roa de Santa Tnerez
desta cldad*.
dem dem n. 19, sita na meema roa.
dem dem n. 10, sita na ra de Aguas-verdes es-
la cidade.
Sobrado de doas andares n. 71, sin na ra do Pa-
dre Ploriaoo.
fdem dem n. 11, sito na ra Direita.
Armazem a. 1, silo no Forte do Mallos.
dem n. 3, dem.
dem b. B dem.
As 10 horas da niJite do da 6 do correle
ful apprehendido a ora preto de nome Pedro, qa
diz ser escravo de Jos Teixelra Bastos, um em-
brulho de sedulas, prata e cobre, na importancia
de cincoenta a nove mil e tantos res : qaem se
julgar con direito a referida quantia, provando,
ihe ser enlregue.
Subdelegacia de polica da Capnnga 7 de junho
de 1866.O subdelegado em exerciem,
Francisco Antonio da Silva Cavalcanli.
msa% ja r.
i-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qoal devera'
ser embarcada no dia de ana chegada, encomraen-
das e dinbeiro a frete at o da da sabida as 2 be-
ras; as passagens so sere trecetoWas na agencia
ra da Cruz n. 1 escriptorio d Antonio Luiz de
Oliveira Azevede 4 G.
COIPiSB:A lUSILEIRt
M
IMQUKTES A VAPOR*
. Dos portos. do sul esperado
.1 -^k at o dia 14 do correte um dos
vapores da companba, o qnal, de-
ftf&K
_________L_
LEILilO
Da taberna a ra do Viga rio na
1
fts.
dores e por
es, de geoe-
cima dita,
>mla-
fllho le
e Hara
oa aoao do^ftes* j Sabbado 9 da
gas, Anleeta eoaa um
9 aanoa> alafia parda
preta. M
O agente arlfers-lara' leilo* requenmanto de
D. Francisca de PaMa Figuelrafc viuva O) Jos
Antonio FerrSo deFigueiredo e por maneado do
Illm. Sr. Dr.jwz municipal d segunda vara (sup-
plente) em exerctato, dos ****** cima.
Segunda-feira 11 do crreme.
No armazem da roa da Cadeia do Recite n. 53,
as 11 boras.
AVISOS DIVERSOS
* '.....' -i t ....
O abaixo asslgnafto dseja Tallar com
a pessoa que, tendo trazid di) Maranhao
urna carta e diversos papis, s se dignou
mandar-Ibe entregar, por terceir pessoa, a-
pois da demora docostume, segu- carta, Bcando-se^om os demais ptrpeis. fie-
ra para os portos do norte. Des-
de ja recebem-se passageiros, e engaja-se a carga
que o vapor poder conduzir, a qual de ver ser em-
barcada no dia da sua chegada; encommtndase di-
nheiro a frea at o dia da sua sabida as 3 boras;
as passagens so serao recebidas na agencia ra
da Cruz n. 1, escriptorio de Amonio Luiz de Oli-
veira Azevedo 4 C.
Para Lisboa
Seguir com toda brevidade a tares pertagueza
Mananta I por ter parle de saa carga carga en-
gajada, para o resto e passateiros para os qnaes
cfTerece excellentes coamodos ; trata-se com oa
seus consignatarios Tlwanz 4e Aqoino Poneeea
k. rundo Vigari a. 19 oooem o oepitko a*
pfsft
cife, 5 d' junho de 1866.
Dr Manoel de Figue'ra
Faria.
conidio m\i
Pela admlnistragao do correio desta cidade te faz
publico que de conformidade com o deereto n. 187
de 13 de maio de 1861 e respectivas ioslrucgoes,
leve boje lugar o processo da abertura das cartas
atrasadas pertencentes ao mez de maio de 1865,
condemnadis a con-umo pelo artigo 138 do regu-
la :nento dos correioi de 21 de dezembro de i8il,
assistindo a esse processo o commerciante Narciso
Jos Monleiro.
Desta abertura nada se havendo encontrado, pro-
ceden-se ao que i na de todas as cartas, do que
para constar se lavrou o respectivo termo, que o
que se segu.
Correio de Pernambuco 5 de junho de 1866.
O administrador e tbesourelro
Domingos dos Passos Miranda.
Termo de consamo das cartas em ser do mez de
maio de 1863.
Aos 5 das do mez de juobo de 1866, na sala'
da administracao do correio desta cidade, adiando-1
se prsenles os Sr?. administrador e thesoureiro
Domingos dos Passos Miranda e mais congrega-
dos abalxo declarados, proceden-se em vlrtude do
art. 138 do regulamento dos correios de 21 de de-
zembro de 1844 ao consumo de 266 cartas e 14
jornaes, sendo 113 selladas, e 153 e 14 jernaes nao
sellados, na importancia de 215090, que nesta data
Oca descarregada ao mesmo Sr. administrador e
thesoureiro.
E para constar se lavrou o presente termo em l
que assignaram o referido Sr. administrador e
thesoureiro, e mais empregados abaixo decla-
rados :
Eu Eduardo Firmino da Silva, ajudaote e con'
ador o escrevi.
O administrador
Domingos dos Passos Miranda.
Oflfciaes papelistas
Ismael Amavel Gomes da Silva.
Vicente Ferreira da Porciuncula.
Praticante
Manoel dos Passos Miranda.
Pcrteiro.
Manoel Marinho de Souza Pimenlel.
Compaobia de palete* a vaaortatre
s Estados-Unidos $, o 4frasfl
At o dia 9 do
correte espera-
se dos portos do
sol o vapor ame-
ricano Nort h
America, com-
mandante Tim-
mermann, o qual
depois da demo-
ra do costame seguir pare New-York tocando no
Para e S. Thomaz. Para fretes e passagens trata-se
com os agentes Heary Forster & C., roa do Tra-
piche n, 8.
COMPANHIA PERNAMBUCAWA
0E
[favegaco costeira por Vapor.
Para Aracaj e escalas.
Segu no dia 14 o vapor Pa-
rahyba, coiumandante Martins.
Rocebe carga at o da 13, en
commendas, dinheiro a frete e
passageiros at o dia da sabida
as 3 horas da tarde : escriptorio no Forte do Ma-
tos n. 1.'
- Para
Bernardino Pacheco dos Sanios,
o Cear e Maranhao sahe a escuna
a tratar com Tasso Irmos.
.

Para o P rto.
TH4TRO ,
S. ISBEL
mwn -coimcrv.
Recita vre da asignatura.
Sabbado 9 de junho de 1866
CP.SOBIO ll.V RSyITADItA BSASiLEIftA AS M6VAS
DO PARAN EM 27 DE MARCO DK 1866.
MARIS B HUIROS
GRANDE SCENA DAAMAT1CA REPRESENlABA PB-
LA SENHORA
ADELAIDE AMARAL
POESA DO TALENTOSO POETA PXRAHYBAN6 O
ILLM. SR. DR. ANTONIO DA CRTJZ OKDEIRO,
ESGHIPTA EM 4 DE MAIO DO CBRENTE ANNO.
Represeatar-se-lia o muilo applaudido drama
em 8 actos.
A ACTRIZ HEBHA.
Terminara' o espectculo coa a appiaudida co-
media em 1 acto, ornada de canto
LEA VE FEL
tomam parte as Sras. Eugenia Cmara e Leopoldi-
na e os Srs. PaIvS, Teixeira eManbonga.
Qfdfllli {lo MD#ft(ftClo, |M" i
!. Actriz hebr.
J. Marize'Bamjs.
%,- Loa de fe.
Comeewa' as 8 hwas.
Acham;3e em en>aJo a coaiada em i aptos
Mulhfiretleniveise o grande drama era .1 actos
Gaipard Rauer-; e ara prompflcagao de see-,_ i _
nario a mais accessorlos-o dramas em 5 actos- PgJP'^ SlSS^tSSS^uSL
A muilo veleira barct portugueza AltMlNDA,
capitao Antonio Francisco da Silva Xunes, deve
seguir com muita brevidade em direitara para o
Porto, ja tem a maior parle do carregameoto
prompto e para o resto que Ihe falta e passageiros
trata-se com o capilo oa com os consignatarios
Marques, Barros & C, no largo do Corpa Santo
Para o Porto por
Lisboa..
A veleira e bem coohecida barca portugueza
Tentador, pretende seguir com malta brevidade,
tem parte de sea carregameoto engajado, para o
resto que Ibe falta trata-se com es seus consignata-
rios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no sen
escriptorio na ma da Croz n. 1.__________^__
para o Rio de Janeiro.
O veleiro e bem coohocido brigne Adelaide,
pretende sahir com maita brevidade por ter a
maior parte do carregamento engajado, e para o
ponco qae Ihe falta e eseravos a frete, trata se com
o causignatario Joaqaira Jos Goncalves Belirao na
roa do Vlgario n. 17 primeiro andar.
rara Lisboa
spguir com brevidade a barca portugueza Vota
Mariamm. a>v|pNmeira oktm^ recente
constrelda ; lera prompta a maior parte d
carregameoto; e para o reatan passae
para os qnaee taaa excellentes cotiAdos, tn
com Manoel if naci de Oliveira & Who, no
do florpo Santo *f, mertftmw, Uh com o
>ee aa-prata.__________
Compra-se um sobrado em bom es^
tado, de um a tres andares, as ras se-
guirles : Cadeia, Cruz, Trapiche, Impera-
dor, Crespo, Cabug, Nova, Queimado, Cru-
zes, Lirramento, larga do Rosario e Hor-
tas; qaem ti ver dete carta fechada com as
inieiaes-A. C. E. na livraria n, 8da)pracada
Independencia.
Offerece-s* urna mulber para casa de
fwifli estrage4ra para todo o serripo de
portas a dentro; qaem precisar annuncie
para ser procurado.
Manee! JoaT]um Loureiro, subdito portnguez
retira-se para Europa.
Doniogos Genes Loureiro subdito portuguez
relira-se para a Europa.
Na botica e drogara
DE
Bartothomeo ,
34Km de Hozarle Lnga--3i
YENDE-SE
Preparados da America
Do Dr. Radways i
Pilulas regaladora.
Prompto alivio.
Rezolutivo peaoN-ador.
DoDr. Ayeir:
Salsa parrilha.
Pilulas ca tli rticas.
Xarope peitoral de cereja.
De Lammam A Kesap.
Verdadeira salsa parrilha de Bristel.
Pilulas assncaradas.
Pastilhas vermfuga?.
Ole puro de ligado de bacalhao.
Xarope peoloral de anacalmita.
Agu florida.
Qnera aBBtneioa dar 1 OOO sobre hyputhe-
ca dirija se a ra do Nogaeira n. 26, 3* andar.
LOTERA
AOS OIOOOSOOO
Corre qu lata-fe Ira 14.
Acham-se venda na respectiva thesou-
raria, ra do Crespo n. 15, os bilhe-
tee, meios e tintos da.-3a parte da 6a
lotera a beneficio do tbeatro de Santa isa-
bel (67.a), sendo a extracto no rogar e ho-
ra docostume.
Os premios de 6.000,JO00 at 1000001
serSopagos urna hora depois da extracco
at as 3 horas da larde, e os outros depois
da distribuiclo das" lista*.
As encommendas sero guardadas so-
mente at a noite da vspero da extraccao,
O thesoureiro,
odrigues da Souza,
Ch_
Queimado n. jj
Bow'tes vaso de pirclna dente*nr6tn Tan*R5
malto ota-* ^_1-
Oatros ditos de p6 de pedra cora^ltfc
ifarrafas com superior ana da Cotoar.
Trascoscoro agua balsalfiTca para dSljies.
-Dito d dia deiuifrice.
Dfto deea racto de quinqalna ambem para dea-
Dito com superior agua or de taran}.
Dilo de dita flor de mee.
.^Dito de dito vinaare de Vaos para mfreesar*
Dito de di.o agua.art*ve para baBhoi de-ros-
to, corpo etc.
^Dito de snperier agua de Colonia tog^a, **
Dito de excedente banba de LuMfe.
Sabonetas de Lubm, e oatrse a
prente, etc.
Cosmetiqae (oa pomada} d su^rlW-'qflln'lre.'
Finos extractos, frangipane, sndalo e outros
Umbem de finos ejaaradawa dMiro
Opiata inglezaeWMalkrtdedks. *.
Bonitos vasos com p de arrore placel.
ye'"n&?Wfl!tte%1b^^
lidades para eabeHo.
Chrfflaconre aara tfigir cabellos.
Besa- apr!iavel tiotera chegou para a loja de
ralodezas a n de Qoeimado n. M, aisim orno o
sabooele branoe, para se lavar os esbeltos antes de
se asar da preparacao.
i.abazes de viilro cm pe-fumarias.
Vende se esses bonitos cabazes de vidro com per-
fumarias, proprios para presentes, eR.; na roa do
Queimedo loja de mlodfcas o. 16.
Latas e cope c baha fia.,
A bem canecida loja de mtadezn a roa do
j Qaeimado n. 16, acaba de recebtr u BStimadas la-
I tas com banh i Ana, assim como copos, de vidro de
i novo e bonito molde, com tampo de vidro e cheiros
j de eioellente banba. Beebea ignatmente a pro-
veitose banha transparente que muito serve para
acabar as caspas, e a aromtica e agradavel banha
japoneza e ootras. Os preteodenles dirijam se a
dita loja de miudezas a ra do Queimado n. 16,
que s*o servido a bnteto.
| Btuqlet eos alpes,
Esse ano e afradavel entraeto, vem em ufa bo-
nito vsse ptie peora es dentro de am* ple-
gante cantaba de papelao, de forma que a pertW*
co de urna coosa corresponde a superioridade de
I ouira. Esse opreciavel extracto acha-se a venda
oa ra do Queimado loja de mlndezas b. m
Agua florida e tnico,
Yendem-.se na loja de miudezas o. 16, ra do
Queimado.
Frascos com gtfmma arbica dissolvida
e pincel.
Vendem-.se oa roa to Queimado loj de mluie-
zas b. 16
Tinta indelevel para marcar ronpa.
Voode-e un ra do Queimado toja de miudezas
P. 16.
Fita elstica para cs de balao, e aspas de
ago para os ditos.
Vendera-se na roa do Queimado !oja de miude-
zas n. 16.
Bonitos ntremelos e babadinhos bor-
dados.
Vndem-se per bareto preco na loja de miude-
zas n. 16 oa roa de Queimado.
Tinta r.va e azul que Gcam pretas.
Na loja de miudezas n. 16 a ra do Queimado,
vendem-se frascos grandes e menores com essas
encllenles tinta, roxa b aznl para ficar preta; o
reco dos fraecos l#00O-e 500
Graxa econmica era latas e barrilsinhos.
Veadera se na loja de miudezas n. 16 a ra do
Queimado.
Alu
quintal com cacimba,
do GdlMtkiro, coo/roote
gaz,.edn Acal.
ApeOPuO.
, G abaixo assigoado tendo noticia de que a Sr.*
a_para compraj e cozmhar j >. Mar* Cordelro pretende vider o engenho S.
t U, pri-; Manoel sito no termo e comarca do Hio Formoso,
pero-preseste previnHb'aie'm ioteress*r petsa qae
a Com iquarto?, semelhante negocio nao pedie ter lusar_por quauto
mWsaes ;. na ra
da fabrica do
una pessoa liabiliuda para co-
brantas testa pftea, dando fiador de sua condne-
a : a muer na me do Codorniz n. 12 A.
nns rnoos
SoftimenW #e ptpeis pintados o
lindas guarnieres para forrar casas.
Nt LIVRARIA FRANCEZA.
N. 9. Ra do Crespo N. 9.
^Tj
feito em, feaofle e0|ieiloSvdo abliie atiignado
queseado eredor da mesma sr hora em quantia
superter a Beve conros de res por parte da qnal
ja lhepropoz aceto em jufzo eiem protow Ihe-a
pelo res, al04MIMBenaima>( Idfs que garan-
lam-esse debito, tanto mus quaat aim' desta di-
vida tem o abaixo assigoado nina execcejo qae se
uMTPf MJ!f "V* *,,|l*f# 9 flMda
o*ftdhd|i''tBrage ed. -_i dtdlftijt MTWilW M termos
de*a)fpel!acliTBrt flesi'iirr- rtitffriir o^ abaixo
assigoado, que preveaindo a todo pelo presente
espera que mefwein Be^posaa posteriormente cha-
mar a gnoraneia, vte-dome e *eferdo engenho
S. atanoel It* 0-d oer do sen dasnao.
Recite de jonWejde 1^66.
WI J<>-_d_Oliveira.
^Sf tina 'vender
inraho n. fS,
Precisaddb4iBH*aM4Pue seja de bons costu-
mes para o servigo domesiieo de urna casa de fa-
mii|Ja> a.AWriPfl rv#rHftf*i>'ft48-_______
-~ Preciffl-se'alugar urna oseram de bons
costumes para o servico interno de can de
familia ou um moleque de idade de 1*2 a
14annos ; a roa do sel n. 24.
Prelsae anianr Urna e-erava que tenha
4oe-eBdae4-e sem vicio, qae seja boa engom- viado da roa ds PirBs, tado e?qoero
madeira: na ma das Cruzes n. 36, primeiro an-
dar, pagase bom ordenado.
Anmfateile
Precisa-se de uniBMU que launa bom leite e
em ahiu.ilmieu nao se ote* a MH* para criar
urna merrtne-eMonr eolria aa rtiipa di mesma :
quem pretender dlrija-se ao becco do Peixe frito
-*|Wpy* de'ae cnado iM para Isa de
poicallMna* f ndwfrreflBr dS frspo, Sexta casa
Casa deeemmissie e eseravos na ma do Impe-
rador n. 4o, terceiro andar.
Recbem-se eseravos tanto do mate como da
praga para serem vendid63 por commissio, afflan-
ca-se o bom trammedto>e segoranee para os mes-
mos. O abaixo assigoado aSo poopa esforexw aflm
de os vender com pron.jrtidao, oeste mesma casa
ha sempre pata Vender eseravos de ambos os sexos.
_________Anlonio Jos V. de Souzi.
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C. tem
para vender no sea escriptorio, ra da Croz n. 1,
vnho do Porto era caixa da dutia, lo hambnrgnez,
oola^da laida superior.
Arren
Jos Soares Sontelro retira se para Ble do
Cabo oeste previne, e d*n orno *eu baetrate
procurador a Joao Pellcio dos Satos Reii.
i i, i iirfit..... r-1 i, .
Precisa-se-de ama ama para casa de urna *
pessoa : na ra das Tfincheiras n. 17.
.......i tii l .......'...ii. .^ .^-w-._
Prfcisa-se de um arhassador bem que enteo-
da bem de massas ,
na
Ll
adarfoo Chora-menrno.
- Urna viuv precisa de iOO da o' sen raeio
srthlb para reCebera qtfeh Ihw adiiiat esta quan-
tia : quem tiver dirija-se a esi ivvographia em
ruta fichada com as iuioiae* n -H
FeilOi
Irmandade do Santissimo Sa
crmenlo da matriz da Boa-
Vista
Sao pelo presente convidados todos os nos.-os
canssiraos irmaos para domingo 10 do correle
mez, peles 10 Ws da manha reunirem-se em
mesa -geral a#m de proceler-e a eleicao de the-
sont*iro ee ceMM|iifne no domingo de Escrito Santo pedto a saa exo
erecn.
Consistorio, 7 de joche de 1856.
O esertvo,
Meet p*ty5rpo Melra it Azevedo.
Pedase ao St. JoSo Baptista d Nepemuwno
de vir ajnstar cestas coa o sen ex-pelrao, trasen-
do o quadernede lanfastentes qoe eemtrgo con-
di;io ; na rea de Hespicie n. 28.
-Precisa-se d wna ame para crzinhar : a
tratar na ra-do Cteepo a. 18, 1* andar das 9 as 3
da tarde, os na ra seva de Sania Rita .la. 69, ul-
tima casa.
| D. Cien
Camilla
Para o Para
pretende saniuf nftltt ni'A ^'? jftffhf jyrtih
guez S. Jormae Aveiro, o qaaltemnjj
de sea carrtgamento : paraba
trata-se con! os seas consig
de Oliveira Azevedo A C, no s" o escriptorio I
da Cruz n. I.
i Ucjria Beesoni daWlmHdl
soai de Almeida
SMesira Tavora,
larestes amigae
ueciao uibo, irmo e cunnado Joaquim An-
. ilico Bessoni de Almeida, para assisttrem a
ama missa fnebre qoe tem de mandar cele-
brar oa bjreja doCarmo no dia td do van
illecimento do- rt rida Joa-
Para
ara,
.*.
qne digoo, esper
SgStBT
este acto a
eram que
Pretende seguir com muila brevidWS a Urtletal
sumaca nacional Bfteneia, a qnal tem parte da
sea carregamento prompto, Aera o cesto,
falta trata- com os sas cdnsfcnatfrios*
Luiz de Oliveira Azevedo & V
ra da Crol n. 1. ^__
ParTMoa
Seguir com toda brevidade o logar pTra-
deixem de comparecer no
meiro an-
emnidade
pessoas
tallec i n'aquel-
de am ade, nao
referid lagar e
VERDADEIHO LE Hf
te SIGNORRT, Docteur-Mdecin
Ra de Selne, 51, a PAR.
a se u sitio o logar daPirati-
ga, coatrra3 de |laotar ei*aslb, c varias
arvores de tracto; na ra do Imperador es-
c'riptorip: ry li.
Ama de leteT
Preclsa-se de nma ama de leite; na praga do
Corpo Sanio n. 17.
** Precisa-se de Stna ama Torra oa captiva qae
cesiohe com perferca para orna ca>-a de familia :
a tratar na rua da Crol n. 8, terceiro andar.
lina mmu.imav m
W O Dr. Miguel Joaquim de Castro Mas- 1
carenhas mudou a sua residencia da roa *
I do Sol para a da Imperatriz o. 88, enlra-
g da pela rna do Hospicio, onde continua
no exerclelo da soa prolssa. O htesmo
Dr., que se tem dade com solic.itude ao
estudo e pratica das molestias de Mero e
de meninos, d consulta gratis aos pobres
das 9 horas s 10 da roabfa.
x
Precisase de na leitor que tenha praiict de
' plantadles de arvuredos : a tratar un armazem da
I rua estreita do Rosario n. 6.
A*rtiT
Oferece-se sma ama para todo o servieo Je sma
casa, a exc--p$io de eugo'omade : quero precisar
dirija se aa beCco do Padre l^snbrado. ^
Cartas da Ra r;.i4le do !%erO.
O Illm. Sr. Angoste Jr.aqiiiW le tarvslho tem
cartas recummendadas ho esrripl'oHo do Porte do
Matfs n. i. _______^_^,_________
Precisa-se d ama ama para a servieo Inter-
no e externo de urna casa de j>euci umtlu : a rua
do Livramenton. 11.
m
m

m
Urna ama e um criado.
Precisa-se de urna ama qne saiba e efzfnMr e de
um eriado, forros ou captivos, preferadede estes,
paga-se bem :, a tratar a roa do Hospiete n. 36.
Ama,
Precisa-se de ama ama para cozinhar e fazer o
ser vico externo de ama casa de ponca familia :
nos Afogados, na padaria da rua Direiia n. 66 A
cozinhar
familia :
*> Quem precisar de urna ama para
em casa de horaem solteiro oa de pouca
dirija-se a fu Augusta n. 7.
Ulna pessoa com pratica do foro offereee-se
1ra fazer qualqaer arreradaco, amigarel oa ju-
dicial, garante sua condeca e premette todo cui-
dado e actividade : quem precisar annuncie.
Precisa-se de um caixeiro para taberna, cem
16 ou 18 aonos de dad, com pratica da mesma :
tratar no Mangoinho, sitio do Sr. Amoriro.
Qnem precisar de urna ama para casa de
fdmem solteiro n de potrea familia, dirija-se a'
rua larga do Rosario*. 37 t andar.
PASTA X1B0PE de I1T da ARABIA
DE 1>KT,.%JVGHEHIKR
Sflo os unicos peiloraes tpproyadoi pelos profeuoret da
'Facullad de Medlcind HJig, t por aemadlcoi das Hoa-
piuei de Pariz, o quies cerliflcarlo tanta a ana superio-
ridade sobre todos os outroa peltoraes como saa poderosa
efBoacia ooitra oa Daaaoaae, f Ifpa, IiiM*|Iii u
Affaiotw do pello e di farfasta.
RACAHOUT DES RABES
ae DEUKRKiita
nico alimento apprsvade pela Academia de Medicina de
Pariz. Elle mtabelece as peasu qne Mffrtm do lo-
mifo e dos tatoatinoa; frtaleee a* criancas e as pesetas
debilitadas, alem aisso em Yirtude de sua propriedade ana-
lptica he o mplhor preservativo das robras maralla e
tTperaldo.
Gada frasco o cada caizlnba deslas preparacOes crie
impre o ello a firma Dtlanornltr, rua Richelleu, X,
em Pariz. (Fazer serillo attenclo com u fataicaQoes.)
Depositarles no Pernmmiuc : Oaere a art oro; Bar-
Uolomeo T" 4 toan* j ata.
Vende-se ns pliarmacias de Matirer e de
Caors._______
o Sr. Antonio de Al-
Cruz n. 23, primeiro
A.
Precisa-se fallar cora
meida Oliveira : na rua da
andar.
r.f*ati*rii..
Km cada :i-nfi, ral,
|nr Irva o me 11 slnrle, ul
rrlln ruin o Sii.iji iwrntH Dft tOViSn
.Y. B. l'cmelUinIu-se aaia lettra de i
Hietrr Par, acrilavrl a 6e dlM Ue vista,
|t- lii-|HiTM\irtfrA|iaS p'
Ma lritlDio I.e Roy /T^^^
h .u.'i do nos *^^^V tvx3
ir.M-.. .-reT-nte prto
|.i-jaa| a^Kjjaj-
Kic Iwsc: dr 1^-
ii na Babia e ,
ici04riiipa>i poaw-
ru
Engommadeira
Precisa-se de urna engoramadefra ; na rua da
Cadeia do Recite n. S, lerceire andar.
"~~ XnofE .
DE
HYPOPOHPIIITO OE C\L
DE
GRTMALT & G.
Pharmaceutico de S. A. I. o principe Na-
poleSo em Paris.
Desde muitos seculos os mdicos e os
chimicos tinham procurado um medicamen-
to que podesse cnral* as molestias do peito,
todas as pesquizis ieitas at boje sao ti-
nhatn tido nentrti resultado.
Ptorm os trablhos que foram commni-
cados ltimamente academia de medicina
da Pars e as mais serias experien ias feitas
\w hospital Broniptos de Londres, que es-
pecialmente reservad* para o tratamenlo da
Aisiea, provaram que essa terrtvel molestia,
guindo ella nao stava ainda no seu ultimo
M-i, tinha do wrope de hypophosptiito de
itMm especilico poderoso.
As tosses, deflexos, catarrhos, bronchi-
tk, grippa, coqatdtuche, cedem tambem ra-
Mdimente ao usenJeste xarope, e os asthma-
ticos acbam nehVi um elemento certo para
curwem-se. Re*commeadarju-se aos doentes
e faierem uso ao mesmo tempo das delicio-
pastrmas peitoraes do saco de alface de
ttfo cereja, dos senhores Griinautt & C
Esta excellente preparacao se compoe de
substancias as mais calmantes e ao mes-
tempo as mais inoffensivas da materia
medica, e nao contem opio.
.-KfWlaafaV BsfaWnambuco.
O Rvm. o> Estevss Vianoa dirija-se a rua
larga do Rosario u. ti, iiue :-: Iba quer fallar.
aoa
tk htim ,

AVISOS
Mi lili
' T1----- -
ftira a ftahia
sabe eem tudsaavevilain a patee aaeieeal
to Antonio ; para o resto da carga trata-se so lar-
go do toreo Ssttfo Palmeir*.
& C. rua lo Vigario n W Oh COcc
praca.
ib na'
Lllirli.
i>lll 11
LBLftu
Pelo agente Eazebio.
de m feitor
eirtMio.
passald) o qsartel
Precisase de u
-se scrav
aWatarna
AMA
peltavel
a ama forra ou ei
a comprar d ci
6VtoS'K6va
o e prrociparajehte
> jde aiWgavtelnxe dssi
trava, prefe-
ahar, paga as ,
11.
ciedade tfoe aSanasoo dttMriild da
]Am For de Pm-us ni ,76V que. rav:
depsito de heje em dame per ten &
aaaiiili imi hsi CawHi -dV
de 1866.
irnos ao res"
lo corpo do
Ivemos a so-
roa do Pilar
debaixo da
ido o mesmo
lo unicamec-
6 de junho
Baftw a 'mjtwmwd
O.UN&
LM M Vf fl C.
ELIXIfl Fefcrifigo e Forliiicait
anua im rawi i uum m a
fitio sem asuia |ipawtme, contalosoonv-
re- efawtnooiW^Mco>>isMa^nn>i
o especic das molestlM rcbrla.
M uunetit rBRuemesA
' I MBinfratleMde Nift e fc fiin,
u un
Diz Cosma Damiana do Amparo mai da fallec
Alesandrroa Theedof de Barro*; toe seoo*
falieuda tare da aed
previne ao reepeitavni m pii
lrJB6!
-, Uu .-rm > -, !-^l
nolm9mnaf ateN ijrs- #
pllra UWn>n^lJatS7dMMStiS fista na casa amarella terceiw sedar.
Uvranesariot-3 A.
i ama de leite : na roa
teude dar contas da thesouraria das sobres almas,
pofs que V. S t qulz arfcadir e qoando a mesa
cbamou-o a contas V, S. abandonan a quer cbi-
ar, pobres almas com tal thesoureiro, qu
Samuel Power Johnstou A (lonpanhia
Ruada SenzalaNova n. 4.
AGENCIA DA
Fundirlo de Low Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
raixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d carro para am e dous cavallos.
Relogios de onro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas pata descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Companhia fidelidade de seguros
sasaritreos terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGBjfrM; Bi| PEHNAMfiUSO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo k G,
competentemente autorisados peja direc-
tora da companhia de seguros Pidelida-
! de, tornara seguros de navios, mercado-
rias e predios no sen escriptorio rna da
Cruz u. 1.
A rrenwmentx*
cAnar^ pobre
O rJestmbargador Doria srrenda e tam-
bem vende a sua chcara no Manfulfiho.bem
como vende duas parelhas de molas, tres
carros sendo urna victoria, um coop e um
cabriole! alborto, tras vaccas de leite sen-
do duas paridas, doai si de ca-roca n
todos os traites e utrJherWS'das asas e ch-
cara : queiitijjretender pide ir examinar e
Sdpteftder-ss esa o dsssBbar^adsr ou com
o Sr. los* dos Sffltos Neves, na rua do
o. tL
nujaiM iTlln1'-**1l in mmaintlH ili i '"t-
mAwm+m
mrmtnb t.vtn'fcisttt
De ,
NAI\T tI 01UI2K
PMtJtfrt porltfM*UliT* \*if1na-
ceuticos de'/ A. I* owincir e Napo'eao.
Gura rpida des molestias. .-gimos:
tosss, catairros, prftnreat; cefwtodro, an-
gm, fortes coDStipacSail, irric<5es dos bro-
neheos- rW pe, rrntychfte, pW^'a pulmo-
nar, asima,fto(MtoWa\ -angUl*; fftygdalites,
tosse OanStNsios, rouqtiJdao.
Os mdicos recomnjepdam ? o me?rno tem
po o uso das excellentes pastilhas peitoraes
wp-fePNiti*) altivo MJM^jff^d/^'. fine
se^parSm" no* mesmo elebelecimeTo.
venda as jjnnRaas de Maurer e A.
Caors.
Precisa-a^de sjnaas
la das Aguas-Verdes o.
conn


8

Bnto JJSed' Garreia.
Joaquim Jos da Silva Santos.
rui Nen &. 9.
ff
Fogo fm
taldivlno da plvora com fabrica
ag^aJIha^oJaVrjjn^'
raTlaTesleJl^lsaTsTaenTeTBOlierasTie qaalq
triompho dasnos.-aa arrBKdjitlDdoHumail; todo
aquella que uvera mesma silstaQao dirija-se ao
armaaem de saJ tersatarpariaiii. SaH peucoatim
da fabricade sabia. ____
'_ Lava-setf' er^n^tf'rftpa1 W'nomei d
Iseuhora com peTfel^o e asseio : t trlar fia rna
da Croz do Recite d. 81, 3 andar, ,
-'sv W%HWVi4vv6*fMrl9 TOffRV f^- Utoftt tf fh>rBw
NicaMswMrvtil tMctonoiil* Wr Manoel,
tem 80 OMii'VS%t Wmf.fi m*!t)tffr\ unto
em baixo ccrWgS^^nWMIsW panzudo e
assim como caiuffrnrj^WTntwpWn, tem a* cosas
%BMfitfW^A4JMsM>;d sino, torera escorsedo,
vestido com camisa de algosa.acalca 4w orla es-
caro : qaem o pegar entregar a seu senhor, oa
rua da Gura h. 3, doe era Yebmpen*ado.
--------------------------fcAt, ______________
J,1ar,8Usa.I
cari
Joaql
Alcof
una
lio
Ivao
[ ILEG.MH





+r
c tfrMKHM -- sexta MM4teft
1866.
,
Irritacao dos pulmoer. angi-
nas, tosse, escarros de
sangue, crupo ou garro-
tilho, catarro, rouquido
e todas as innumeravei molestias que affec-
jSo aos orgos da respirado
DEAPPARECBH
ediaote a acgao da balsmica e irrev
ANMAHUITA

PEITORAL de KEMP.
a anacahuita mexicana que d o nome es-
pecial este incomparavel remedio, urna
arvore, cuja madeira por muito tempo se
ha usado no Ta^pico para a cara das n-
fermidades cima mencionadas. Foi tam-
bem ensaiada e approvada pela academia
medica de Berlim O peitoral de Kemp
um xarope delicioso inteiramente livre de
opio, acido hydrocyanico e outros ingre-
dientes nocivos.
A' venda as drogaras de Caors & Bar-
boza, Bravo A C. eeo. todos os estabeleci-
mentos pharmaceuticos do imperio.
Deposito geral em Pernamnnco ra d
Cruzn.22 em casa de Caros
SEGUROS

MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companbia Indemnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias:
na ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Engoiniua-se
mi asseio, promptidao e pregas razoaveis : oa ra
Augusta no, loja.
mmm mmmm mmmMwm
M O Dr. Carolino Francisco de Lima San- j
tos contina a morar na ra do Impera- |
dor n. 17, segundo andar, tendo alias seu *
gabinete de consultas medicas, logo ao |
entrar, no pnmeiro. ^
O mesmo doutor, que se tem dado ao
estado tanto das operacoes como das mo-
lestias internas, prestase a qualquer cha-
Mi mado, quer para dentro quer para fra
& da cidade.
WtJmiWTln HUaaaJaaUaniPaMaWl *m4^A*m&mK
Em casa de Tbeod Christianeen, roa do Tra
piche-novo o. 16, nico agente no norte do Brasil
de Brandenburg frres, Bordeaos, encontrase ef-
fectivamente deposito dos artigos seguintes:
St. Julien.
St. Fierre.
Larose.
Chateao Loviile.
Chateau Margaux.
GratJd vio Chateau Latte 1838.
Chateao Lalnie.
Haut Sauternes.
Chateao Sauternes.
Chateau Lataur Blanche.
Chateau Yquem.
Cognac fra tres qualidades.
Azeile doce. Presos oe Bordeaux.
Precisa se >te urna mulher forra de meia ida
de que se queira prestar a ser ama e fazer com-
panhia a lima senhora; a tratar na ra do Qoei-
nado n. G9.
Na ra do Queimado por cima da loja
de cera, vende-se um faldamento completo
dar official.
Precisase de um menino para caixeiro de
taberna, a' tratar oa ra Imperial n. 255.
Cosinheiro.
Precisa-se alugar om escravo que osinhe pelo
menos o trivial de urna casa : a tratar na ra do
Trapiche n. 41, segando andar.
As Pilulas Catharticas
di: ayer.
O purgante mal efeeaz at hoje conheeldo.
Estas pillas aso paramente veg-
itm-s. nao nmo na sua eompo-
sifo nem mtinurio nem antro
ingrediente mineral; so inno-
orotes para as crianzas e pessoas
mais delicadas, ao mesmo tempo
qae, impostas como sao de vegi-
tacs mu fortes, sao bastante acti-
vas e encases para as pessoas mais
robustas.
Estas pilulas catharticas purgao c purlflco todo systema
buniano sem mercurio.
Nao bc tem poupado trabadlo nem despeza para levar estas
ftalas a um grao de perfeceo tal, que nada deixa a desejar;
sao o resultado de anuos de estudos laboriosos e constantes,
l'nra alcaucar tedas as rantagens que resulta* de oso de catbar-
tieos, tem-se combinado smente as virtudes turnara da*
pluntas que sao empregada* na confoovo das pUulas. Su*
composico tai que as enfermidades que esto ao alea no*
vuas propriedade* penetrantes ezploro penetro, parifico e
dao vigor todas as partes de organissao human*; pols corrigen
a sua aeco viciada e fu recuperar a sua vitalidad*. Urna da*
consequendas dstas proprledadea qaa o doente, abatido de
r e debilldade pbvslea, admira-se de vnsontrar, to deprests,
sua saude e energa recuperadas por mel d' un remedio to
himples e agradavel.
As molestias que esto ao seo alcance ate.
Prizto de ventre Hh^umatitmo, Dtr da oaUsa, A Ifcvralgia,
F.n.r.aqueca, IndlguUo e mal do cttonage, Hemorrkoidat,
PADECIHEKT08 DO FIGADO,
Febre gaitre-ktpatica, Oattrite, afeeeSe BiHotat Lombrigat,
1 i'/" tu, lydrepsta, iturdez, eeguira pareiat, t I'mralytia.
J.'o almaaak e Manual de Saade do Dr. Ayer, que se publica
todos o* annos para distribuleuo gratuita, encontra-se um tra-
tado sobre as diversas deeaca* que esto ao alcance de
REMEDIOS PKOAITES.
Aclia-se em todas as Boticos e Drogaras de Imperto.
O Peitoral de Cereja
OE AYER,
PAHA A PROMPTA CURA DA
Angina, de Ooaatipaeoaa, Toa***, Beaqaldso Infla-
casa, Bronohit*, Tsica primaria, Tubrculo*
pnlmonarea, e todas as MOttlaa do
Peito, asaira oomo para aliviar
os ethiooi d*olara*k>*.
As preparaces do Db. Am sao rendidas nal principas
drogaras e boticas do Imparto.
Vende-se em Pernambuco:
na
PHAWrr-r,NCAIS'
deP.MAUREIC,e
FAB11I1 A VAPOR
99 RA DO MONDEGO 99
Deposito na ra Nova n. 50 loja de reiojoeiro.
Dekwche dono deste esubelecimento partecipa ao respeitavel publico qae sua fa-
brica est montada com as melhores machinas que existem na Europa, e qae pode
fabrkarcom melhor perfeicSo possivel. Todo o chocolate desta fabrica est garantido, e
puro, o que nao se pode encontrar naquelle que vem de fra, e qae se vende .por preco
baixo, visto os productos serena do paiz. Na etiqueta tem empre urna aguia.

PRECO.
Meia libra......... 400
Urna libra......... 800
Urna arroba ........194000
Na mesma fabrica acaba de se montar urna oficina com serrara a vapor para
obras de marcineiria propria para edificio, para o que encarreg'-se de fazer portas, ja-
dellas, assoalhos (parqu francez como se usa na Europa,) earmaeSes, ludo com brevi-
nade ej>erfeic3o. Toma-se qualqoer encommenda para fra da cidade, entregande-se
rompta a collar-se no lugar.
I OKI,IIO A FKEIT1N
Ra da Cruz a. it.

Continua a haver diariamente um sortimento de pastis, podins, bolos inglezes,
empadas etc., etc. Os donos deste estabelecimento, acbam-se as melhores condicoes
de poder satisfazer encommendas concernentes sna arle, em consequencia do socio
Freitas ter sido administrador ebefe de algumas das urinci aes fabricas na corte, sendo
urna a do Sr. Joo Goncalves Guimares (confeitaria do Leo) antiga casa de CarceUer.
Todos os trabalbos sao differentes dos que se fazem em casas particulares.
Os proprietarios deste estabelecimento nao se tem poupado a despezas, nem se
pouparao, se honver concorrencia como esperam ; tendo continuadamente bom sorti-
mento de doces para cha; presuntos e ditos em fiambre, tambem se recebem para se-
rem preparados; assim como doce de caj novo superior, secco e crystalisado, do em
calda em latas hermticamente fechadas, podendo durar annos em perfeito estado.
Para jantares e partidas recebem-se encommendas dos seguintes objectos; ban-
deijas ricamente enfeitadas sem armaco pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, pes de lafeitados com disticos anlogos a qualquerfim; ditos montados,
kechs simples e enfeitados com fructas ingleza; gatheaux de la reine, ditos de le d-
chese, tortas de fructa, massa folhada; ditas de peixe e carne; cremes e doces de "ovos
de differentes especies.
Tambem tem um completo sortimento de vinhos engarrafados, como sejam: vinho
do_ Porto superior, Figueira, Madeira, Lisboa, Cherez, Bordeaux, Champagne fino, ser-
veja, licores, charopes e conservas. Para festas: bonitas caixinhas com amendoas, con-
feitos e mais enfeites. Muilos destes objectos mencionados podem-se perfeitamente ac-
ondicionar tanto para a provincia, como para fra.
FIGURAS
Acabam de receber bonitas figuras para bandejas de doces, sendo grupos para
baptisado, casamento, annos, ditla a phantasia, bonitos enfeites para bollos e circular pra-
tos de doces finos, tudo por precos razoaveis.
Vende-se licores em duzia muito em conta.
3 7 ? o
Wa sr-
g.3||P-f|
Si HJ'-'g 4 ico
t -5 i C O
- o-1 e. s s a 9
a a.5 S a a. 9"
gm es
re 3
e o.
o-,

re a
U. = a s o 2 ?
< o
3 =
B C
>T5 =1
re o
9 *
O i^"
oeii
JoJS
2. B o- 5 N---->s
o, % o g -
re o w S* 9
E -> o % a 2-
" la-I
_ 3
-.252
-1 o
V f U K ^
*ej a,
_- aES
re u c

M
M
as
03 3 a>
e 3 7
s^ 1 *
" 2-S
2.0.H.S
o _-
. 5'
o a> a
o = m
MflB
2 S *
^ S
, B 5
_ e -
O o |
a -% 2.5
B T vi
?
re "3
so a o
2"g ?" "?
i?"a* f^s?
S *"" cr -2.
O o ST Q
o 2 S"
ffs6
c?2.o"
l*J
1:
s
I
s
B
ti
ce %.
=
e
o
re-



A NACIONAL
Companliia. geral bespanliola de seguros mutuos
obr a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Una lia..ca em dinheiro, deportado nos cofres 4a estada garante a baa ad-
miuisiraco da eampaatia.
BANQt'ElftOS DA COMPANHIA DIRECTO GERAL
Banco de Hespanba Madrid: Ra do Prado n. I
Esta campanhia liga pelo systema mutuo todas as combinacSes de supervivencia dos seg
os obre a vida.
Nella pode se taier a sabscripcao de maneira que em nenbum caso mesmo por morte do
segurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Saetlr,. prebndenles os resultados que prodnzem as sociedades da ndole deA NACI-
-"AL,qae ainda merno dlmlnuindo urna terca parte do interesse produiido em recentes liquida-
coecoaib8alo-o com a mortalidade da tabella de Deparieux que adoptada peta companbia
g*"* 8ealilo e liquidacoes, em segirados de idade de 3 a!9 annos, ama imposijaoannaa.
de 100a produz em effectivo metlico:
No fim de 5 anuo*. ...... 1:1194300
de 10........&942J600
de lo s.......11:968*200
de 20........30:256*000
de 25........80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sio mais considerareis.
Prospect is e mais inormacSes sero prestadas pelo sab-director nesta provincia.
Joaquim Fiuza de Oliveira, ra daCadela n. 52, oa a Boa-Vista roa da lmperatriz n. 12, estabeleci-
j> r meato dos Srs. Rayraundo, Carlos.Leite fc Irmao.
TINTURARA
GASA DA FORTWi.
Aos 6:000^000.
Ulitoetes garaattldos.
A'RA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTMR
O abaixoassignado venden nos seas maito feli-
ces bilbetes garantidos da lotera que se acaboo
de extrabir, a beneficio da* familias dos volunta-
rios da patria, os seguintes premios :
N. 2469 am raeio com a son de 6:000j.
N. 2650 nmmelo com a sorte de l:J0O*.
N. 2560 dous quintos com a sorte de 5(0*.
N. 768 doas iiaiutos com a sorte de 200*.
B outras maitas sortes de 100*, 40*, 20J.
Ospossuidores podem vir receber seos respec-
tos premios semosdescontos das leisnacasa
da Fortuna ra de Crespo n. 23.
Acbam-se a renda os da 2* pane da i- lo-
tera (66 i beneficio da matriz de S. Jos do Re-
cite, qae se extrbira* sexta-feira 8 po crreme.
PRECO.
Bilbetes .... 6*000
Meioa......3*000
Quintos. .... 1*200
Para u pesstas qae compraren de 1000808
ara cima.
Bilhetes.....8*500
Helos......2*750
Quintos.....f 100
Manoel Martins Fiza.
AO GRANDE S. MAURICIO
U

PROCfiSHOH APElIFEICOAIlOf
PARA
'fingir, llmp.ir e lastrar a vapor.
F. A. SAL

29 Ra 7 de setembro 29
Defronte da ra nova do Ouvidor (Rio de Janeiro)
Os proprietarios deste estabelecimento, o primeiro no sen genero do Rrasil, por
trabalhar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que se faz uso na
Europa, eajudados por alguns dos melhores officiaes de Paris e Lylo, podem assegu-
rar seos freguezes urna perfei^o no trabalho, a qual seno pode chegar pelos proces-
sos ordinarios.
Tingem, lavam, limpam e ilemofam com a mai r perfeicSo e brevidade qualquer
qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem moldar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de homens.

LOJA DA FRAGATA AMAZONAS
V. 5 Koa do Queimatia n, 5.
Monteiro& Guimaraes, participara a todos os seus amigos e freguezes, que recebem
de conta propria por todos c s vapores da Europa, grande e variadissimo sortimento de
objectos de alta novidade, e bem assim adornos proprios para casamentes, pois questus
correspondentes de Hamburgo, Paris e Londres, na escoma de taes mercadorias tem
merecido approvac5o das encantadoras Pernambucanas.
. A Fragata acaba de receber pelo ultimo vapor grande variedades de sedas de todas
as cores e qualidades, tambem recebe por lodosos vapores luvas de pellica, (do afamado
Jouvio) saias de laa com barras colloridas de grande novidade na Europa, vestidos de
granadina bordados agulha, e de graede ton, ditos, de popelina muito chiques, ditos
de esmeraldine (gostos novos,) riquissimos corlinados bordados a poDto de crochet, ro-
tondas de seda, ditas de linho, ditas de algodao, chales de guipour de seda, e de al-
godjfo, pentes para cok, (de phantasia) enfeites para ditos, nunguilos bordados e
gollinhas, camisinhas ditas, transparentes para jan Has com mui lindas paisagem, pro-
ales de apuradissimos gostos e padroes, chapeos de palha enfeitados pelas melhores flo-
ristas de Paris, enlremeios bordados finos de differenies larguras, riquissimos cintos
bordados com figuras chinezas, (bordado na mesma fita) baloes de hasteas d'aco ameri-
canos, dittos de musselina, tapete para guarnico de salas padroes muito bellos, chapeos
de sol de seda para senhoras, ditos para hornera, eufeitis imperatriz Eugenia, ditos
Mara Pia, cestmhas com todos os pertences para menioos de escolla, saias bordadas
para senhoras, gollinhas bordadas (gosto novo) chitas escuras e claras, tmdapoles, cam-
braia de cor, ditas prelas, bolsas de tapete para viagem, ditas de vaquetas para guardar
dinheiro, e outras muitas fazendas que se vendem por menos preco que em outro qualquer
eslabelecmento.
g CASA DE HAMOS
26 Pateo do Carme 26.
Neste estabelecimento to impor- I
5 tante para a saude e asseio do cor- !
| po, acham-se montados 20 banbei-
Wi ros, qae so servidos com a ordem i
I e asseio que para desejar-se. Qoa-
tro destes banheiros sao especial-
mente reservados para senhoras e
por isto acham-se colwcados em la-
gar reservado, aonde so tem entra-
da as pessoas de urna mesma fami-
lia. |
PRECOS DE BANHOS AVULSOS. i
i banho fri, momo oa de
chovisoo...... 5oo
1 dito de choque .... |J000
i dito de farello...... 1,5000
1 dito aromalisado 1,5000
PRECOS POR ASSIGNATURA.
30 banhos por mez fri,
morno ou dechovisco. 10,5000
25 banhos com cartees pa-
ra os mesmos .... 10,5000
12 ditos ditos ditos. 5,0000
12 ditos ditos de choque. 10,5000
12 ditos ditos de farello.. 10OCO
0 estabelecimento estar aberto
nos dias uteis das 6 horas da ma-
i nhaa as 10 da noite, nos dias san-
tificados das 5 as o horas da tarde.
Chocolate de Menier.
CHOCOLATE DE SAUDE.
CHOCOLATE DE BANILHA
CHOCOLATE DE CITRATO DE FERRO
CHOCOLATE LACTATO DE FERRO.
Vende-se
Na botica e drogara
DE
BaBTHOLoHEO & G.
34Ra do Rosarif larga3
DE


ai flavo
DO DR. CIABLE
MEDICO S PROFESSOR DE PHARMACIA, DE PARS,
AA 0 IkATANENTO E MPTO CCHAT1VO
AS EUrERMIDABES SEXCAES, DM TODAS AS AFFEC^OES CCIAIHAS, VIES E ALIMA5OIS D9 SANGUE.
tfbSMS* sle ferr*Clutble.
PLUS OE
COPAHU
Xarope mui preferivel ao
Copahiba e ai Cube-
bu, cura immediatamen-
te qualquier purgicso,
relaxacao e debilldade, e igualmente Huios e
flores brancas das mnlberes. i}eca* sto
citabie. Esta injecc&o benigna emprega-te mes-
o') tempo do xarope de curato de ferro, urna vez
de manba, e urna ves de tarde dorante tres das;
ella segura a cara.
steiMsrsUivo sle .
Xarope vegetal sem mer-
curio, o mico conbecido
e approvado para corar
eon promptidao r radi-
. psaaMasaej eerpes, sarna, co-
miso*, aerhnoeia e alterteees vteiosas do ssn-
goe; Tiras, e qualquer anecio venrea. u*.
DEPIJRATIF
SA1VG
shm larruesi. Tomio-se dous por semana, se-
guindo o traumento depurativo.
tiaurpaai. De um effeito Bwravilhoso bu af-
feces cuttneas e comixdes.
.Pomada que as euaa em 3 laa.
Deposito oa rna larga do Rosario Mica de Bartholomeu & C. n. 34.
WMmmm*mm*mmmxm
! DEPOSITO DE CALCADO
FABRICADO NA CASA DE DITENCiO II
s
ces. I
DITENCiO
0 Ro nt o.
Abi se encontrar5o obras le di-
versas qualidades, e por preco mui
! diminutos, a retalho e em porces
I S se vende a dinheiro.
Attenco.
1
RA NOVA W
Qaera no dia 4 do correte na alfandoga, pardeo
algom dinbeiro, diiendo a especie e qoantia certa
qae fol, pagando as dispeas dos aoounelo, pode
procorar na roa da Imperatrii d. 10 qae ihe sera'
estregu.
1
GARRAUX, DE LAUHACAR & C.^
[LIBRARIE FMNCAISEj
RA DO CRESPO N. 9.
- Livros naciooaee e estrangeiros.
Retigi&o, dtreito, litteratura, etc.
^Papelaria, objectos partescriptorio^J
Papis pintados para firrar casas.
Assignaturas para os jornaes da Eu-
ropa.
DE
J. VIGNES.
X. 55. Rl i DO IMPERADOR N. 5a.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje asss conhecidos para que soja aecessario insistir sobre a
na superioridade, vantugens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas incontesta-
reis que elles tem defiuitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos-
tulado um teclado e macbinismo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
cunea falbar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos Importan-
tissimos para o clima deste paix ; quanto s vozes, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-
reis aos ouvidos dos apreciadores.
Facem-se conforme as encommendas, unto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as expsicSes.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um explendido e variado sortimento de msicas dos
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
precos commodos e razoaveis.
CffiSTlRRO:
Grande sortimento de camas de ferro lisas e com enfeites, veade-se barato : tu ra da
Cadea do Recife, armatein n. l'O.
Jo5o da Silva Ramos, medico
pela universidade de Coimbra. d
I consultas em sua casa das 9 as
i i horas da manhaa, e das 4 as 6
E da tarde. Visita os doentes em sua?
casas regularmente as horas para
* isso designadas, salvo os casos ur-
I gentes, que ser5o soccorridos em
| qualquer occasiao. D consultas aos
I pobres que o procurarem no hos-
j( pital Pedro II, aonde encontrado
L diariamente das 6 s 8 horas da
. manhaa,
? Tem sua casa de sade regular-
I menle montada para receber qual-
^ "qufr doente, ainda mesmo os alie-
I nados, para o que tem commodos
f apropriados e nella pratica qualquer
opperacao cirurgica.
m Para a casa de sade.
I Primeira classe.. 3^000 diarios.
i Segunda dita____3|$500
l Terceira dita .2^000
l Este estabelecimento j bem
r acreditado pelos bons servicos que
L tem prestado.
?- O propnetario espera que elle
y continu a merecer a conianca de
[que sempre tem gozado.
Precisare de urna ama para conohar e com-
prar para duas pessoas : na ra da Cadeia n. I,
armazem.
Aviso.
------------
Na ra do Crespo o. 18, segundo andar, pre-
cisare de urna ama e lene.
Tint Iaalteravel
Para escrever
de P. M41RER k C\
PERNAMBUCO
ita recommenda-se pela sua com-
posica e fluidez como a melhor e a mais
segura de todas as tintas at hoje oonneci-,
das. ISa ataca as pennas de ac, d at
tres excellentes copias, mesmo mui tos dias
depois de escrever, e preferivel a qual-
quer outras tintas partiomtarmente para
livros de oommercio, documeiitt) oto de
que se careca longa consei*va^6r'
aa.^ i l mam "i I
Vende-se oa livraria franceza ra do Crespo e ra Nova n. 48 de
Roga-se ao Sr. Tbomaz de Figueiredo a bonda-
de de apparecer na ra da Praia n. 23 a' iraiar ne-
gocio de sen interesse.
INJECglO CAPSULAS'
VEGETAES AO MATICO
GRIMAULT de C. PHARMACEUTICOS DE PARS
Novo tratamento preparado com as folhas
de matico, arvore do Per, para a cura rpi-
da e infallivel da gonorrhea sem receio al-
gum da contraccao do canal ou da inhmma-
c5o dos intestinos. O clebre doutor Ricord,
de Paris, tem renunciado, desde sua appari-
cSo, ao empergo de qualquer outro trata-
mento. Emprega-se a injecc5o no comeco de
fluxo; as capailas em todos os cases chroni-
cos e inveterado, que resistiram s prepara-
edes da copahiba eas iojecedes com base
metlica.______________________
Na praca da Independencia n. 33, loja de
ourives, compra-s ouro, prata, e pedras preciosas,
e tambem se faz qualquer obra de encommenda, e
todo e ooalquer concert._____
Trocam-si notas do banco do~Brasil e das
caixas flliaes coa descont razoavel : na praca da
ndapendencla n. ii._______________
S. Antonio.
A apreciada e mui procurada tresena do glorio-
so S. Antonio, acha-se a venda na roa do Iperador
a. i5 defronte de 8. Francisco.
Criado.
Preeisa-se de um criado de 10 a 12 annos : na
ra Direiu n. 68, t* andar.
Eageahe para arrendar.
Arreada-se o eogenno Qalaombo, em Sanio A-
maro de Jaboatao, o qnal tem mallas e eicellentes
trras e ptimas matas: a tratar na rna do Seve
(Una dos Batos), sobrado confronte ao ehafariz.
Houino
O solicitador Pedro Alejandrino da Costa Macha-
do precisa de um rapaz de 12 a 14 apnos para ser
ajodante: a tratar na rna DlreiU n. 68, primeiro
andar. _______*
Aluga-se a casa terrea n. 4 da ra do Nas-
cente : a tratar no escriptorie de Jlo Qoiriao da
Aguilar & C., rna da Cadeia u. 62, |1* andar.
L
>

%
(





...ji

Diario de erauaabaco --- Seita elra 8 de Junho de 186C.
,
1
V>
-
I)
MACHINAS AMERICANAS
Verdad?Iras do fabricante X. Y. t auttongla C.
Moiibos aaerieaaos par* niocr aiilho.
Ha roa Nova n. 2T> e 24, grande deposito
das verdadeiras machinas americanas de todos
os fabricantes; se eojontra neste deposito
grande porcSo de machinas, e se vendem por
menos preco do que em outra qaalquer parte,
por se receber em direitura da America; se
fornece todas as explicaces necessarias ao
comprador para conservado das mesmas;
neste grande estabeiecimento se encontra ami-
tos arligos americanos, que muito deve agra-
dar aos agricultores que usam de taes artigos,
encontra-se tambem todas as colleccoes de de-
senbos sobre os quaes se aceita qualquer urna
encommenda, que com promptidao ser ejecu-
tada; ueste grande estabeiecimento, encon-
tra-se em grosso e a retalho, gr.nde porfo
de ferragens, e miudezas que se vendem por preco coamodo, pedindo-se a attencao
de todos para este estabelecimeoto que muito lucrarao em fazer suas compras: na
ra Non n. 20 Carnero Vianna.
n botn e ntuiu
DE
BARTHOLOMEO & C
34 RA DO R0ZARI0 LARGA 31
Vende se
Xarope de Guiy.
Granulos "atropina.
Capsulas d'apiol.
Vinho de quinquina de Belline.
am stii mm. tftL.i
E' baratissimo!
Rua do Qaeiuado n. 49
Est dlaposto a continuar > vender por preco
que a todos admira queiram apreciaf e.vir ver para
rer.
Gruzas de peonas de seo muito boas a 320 rs.
Libras de notes muito poas a 40 r
| Feotes de alisar com costas de metal a 500 rs.
Pgas de traeca lisa de todas as cores a 40 rs.
Capachos redondos e eompridos a*S(iO rs.
i l'ulceiras de coalas para seohorat a 500 rs.
Pastnhas deg_esbvas.de pepsina Wasmam. cairas de papelVmiude a goo n.
j
ORTH 1MB SEDA
Chegaram pelo paquete ingle riqaissimos cortes de moreantiqne de cores, e seda lavrada pa-
cei mteiramente novos.
Seda de quadros por 1#000 o covado
5RA DO CRESPO-5
regorlo Paca do Amara! m\ Companhla.



FABRICA
NACIONAL


"W-
DE :
viimos
Estabeiecimento na ra da Umfto n. 11
PROPRIETARIO MANUEL LOMBOS.
No deposito, roa do Carmo o. 63, existe am grande sortimeoto de vidros e crystae?, que se
vendem por precos roais baratos do que em qaalquer parte : frascos de i at 8 libras, bocea larga e
bocea estreita ; copos de 6 cortes, de niela oitava at oieio qoartilbo ; ditos de 10 cortes, de os. i e 2 ;
globo para larapeoes de kerosene, lavrados, lapidados e (aseados; ditos para caodleiro de gaz ; lam-
peoes de keroseoe grandes e pequeos, lamparioas de metal; vasos para coofeitaria com p e sem
elle, grandes e pequeos; cbamins para lampedes &e kerosene de todas a dlmensdes ; compoteiras
moldadas de cortes largos, escarradeiras de odres para salao, ditas de mao com ata, pequeas; vento-
sas e bicheiros, calixes moldados, copos lisos para agua e vinho, pratos moldados, redomas, garrafas
para vinho e agua, grandes e pequea?, ditas para Leroy, ditas para licores, ditas para mina?, ditas
para agua de Cotona, ps para pianos, 'forneos e de cores ; tubos para machinas a vapor, de crystal;
globos com guamicao de metal aroarello, maotegueiras de vidro, vidros avulsos para galneleiros lapi-
dados, vidros para lampadas de igreja, galheias para missa, ditas para galheteiros, mangas para cas-
licaes lisas, lvradas e lapidadas; lampeoees de parede para keroseoe, ditos de peodnrar; copos gra-
duados de 1 ate i6 on;as para pharmacia, garantindo-se a exactidao da medida ; vidros para peixes
cem p e sem elle, acucenas para castigaes, clumios para lampeoes de azeile, ditas de cores para illa-
mkiacoes, viprospara agua forte eora^rolba. Compram-se vidros e crystaes quebrados.
O deposito desta fabrica em Pernamhuco na ra da Imperatriz o. 19, oode existe constante-
mete chamios para candieiro a gaz de ns.2 e 3 a 320 rs. e de n. 1 a 400 rs., lamparillas completas
i 25, lampeoes completos a 75 e 89, escarradeiras de cores a 2,5800 o par, pratos para ropos d'agua a
300 rs., copos de dez cortes a 600 rs., globos lapidados e lavrados para candleiros a gaz a 15800. O
proprietario deste novo estahelscimenlo convida a respeitavel.publico para que visitem o mesm<>. eer-
tos de que conprarap os arligos indispensaveis a urna casa de familia pela sua barateza e otilidade,
principalmente atsSrs.pharmaceulicos pela grande quantldade de frascos e vidros proprios de phar-
macia. Tambem recebe eocommendas. O eocarregaao do proprietario Jlo Laiz Eucraioaz.
Granulos de Bismuth de Chevrier.
Licor e i ululas deLaville.
Iojecco Feaugs.
Xarope verdadeiro de Botigoy.
Granulos d'Ergotina de Bongean.
Capsulas e injeccSo ao matico.
Xarope hypophosflto de cal e soda.
Elixir anti-astbmat'reo de Guilli.
Cnfeitos de cubebina de Lalelonije.
Perolas deether.
Xarope antigotioso deBoub.
Ole de figado de bacalho desinfectado de
Chevrier.
Eixir de citro-lactatos de ferro do Dr.
Thermes.
InjeccSo Broo.
Essencias superfinas de Hermam, Piver e
Cbardrin Hadancoul.
Granulos de Digitalina.
Vinho de quina ferruginoso de Moitier.
Xarope de Ipdureto de ferro de Blancard.
Agua das caldas da Rainba.
Xarope de tndacio de Abbadie.
Confeitos de lactato de ferro de Gelis A
Coote. .
Ferro de Qnevene.
Rob de Laffecteur.
Agua dentiea de quinina.
Perolas de assafetida.
Oleo de figado de bacalho ferruginoso de
Chevrier.
Xarope de digitales de Labellony.
Ole iodado de persone.
Xarope de endeina de Berthe.
Emais as principaes drogas, productos,
especialidades pharmaceulicas e chimicas
dos principaes paizes da Europa.
liman
Cuadernos di papel mait'i boro a 20 rs.
Feotes de tartaruga a 25300 rs.
Realejos para meninos a lfoO rs.
Escovas para llmpar deotes a 200 is.
Baralh s omito Ooos a 200 rs.
Caixas de p de arroz muito superior a 800 rs.
Caixas de liona do gaz 50;novelies a 700 rs
Caixas de lamparioas para tres mezes a 40'n.
Caixas de obreias de massa a 40 rs.
Grozas de bornes de looca a 160 rs.
Ecuadores de cordo e ota a 60 rs.
Pecas de Ota de eos com 10 varas a 320 rs.
Cartas de alfloetes franceses a 100 rs.
Libras de alfloetes fraocezes 1* qaalidade a 2.
Pecas de tranca branca e de todas as qualidades a mode{2" 1ue tm .'do ao mercado a 240 o cova-
SNeste Iroportaote estabelecimeDto-eDCOLlia ores
fci^"1 nm var'ado oillmeoto de fazeo-
i ainteaas, ingiezas e suissas, eas quaes se ven-
; rao por preco comino do a saber:
Chales de renda preta a 3)0600.
i.', Blf? um,f""m''Uiode chales de renda pro-
la a 5J6I0 e 65, dnos de seda a 125, 14*' e 165 :
| isio na roa da Iroi ei-au iz o. dt Gunuaraes & r-
mao.
Kelpiids piolas a S$.
I o o-!3e retuDai,f (id i'elo barato preco 'de
I *, 85o00 e 95; na roa da Imperatriz o. 72, loft
I de Guimaiaes & Irnaj.
Grande pexincha a ^o corte.
! <..Sde"SB C0,,,S de casemlra a China a 25o00,
:k22' 5800 e s*dilas de Lrim a '28. 3wo.
15600, 15800 e 25. *-.
E' muito batato, larlatana de cores a 240
rs. o covado.
Veude-se um graode sorlimento de tarlatana de
cores muito proprias para vestido, fazenda mais

60 rs.
Novellos de lioha com 400 jardas a 60 rs.
Ditos ditos com 200 jardas a 30 rs.
Caixas com alfloetes a 20 rs.
Pares de lavas brancas e de cores a 400 rs.
Grvalas de todas as qualidades a 500 rs. ?!*'
Resmas de papel alraaco superior a 3*400.
Caixas redondas com estampas a 100 rs.
Livros para assento de roupa lavada a 100 n.
Buoecos do choro mallo bonitos a 160 rs.
Frascos de superior agua de colonia a 400 rs.
Fog'os
de artificio
Ha grande porcao de fogos de artlticjo na contie-
nda fabrica da viova RaQno, o qoai vendido por
commodo preco, $ como seja penoso ir la pela dis-
tancia, as pessoas qae qaizerem fazer suas eocom-
mendas para S. Joo e S. Pedro, as podem deixar
no armazem da bola amarella, no oiiao da secre-
taria da polica, onde havera' um portador para
ir buscar e levar ao lugar coavenclonado.
VAHEL
Canto* e phaatasias.
mvolume in li," impresso e en-
cadernado em Paris: em casa dos
edictores
LIVRARIA FRANCEZA
N. 9 Ra do Crespo N. 9.
KBHBSSS IHilll
Albino Baptista da Rocha, relo-
Frascos de bocea
larga com roldas de vidro de 1 a 15
libras.
Vende-se
na roa larga do Rosario n. 34, botica de Bartbo-
j |_____ A C _____________
RIVAL SE1 SEGUNDO
Roa do inclualo u. 49, leja de
miudezas
s
DE
W"
Jos Bigodinho
,- Est qaeimando as miudezas abaixo declaradas:
Frascos de oleo babosa fino 200 a 320 rs.
Ditos dito de pbilocome verdadeiro a 800 rs.
Ditos dito falco a 600 rs.
Frascos de cheiro muito bonitos a 200 e 500 rs.
Di los de macag pe rola a 200 rs.
joeiro e dourador portognz, faz itos ccm superior banba a 200 rs.
^oalquer concert perleoceate a ^Mias vaa frascos dec beiro a 800 rs.
sua arte, assim como tambem com- ^b0Deles uos a 60, 160, 200 e 320 rs.
pra relogios em segunda mi e Dltos de bolla superior a 240 e 320 rs.
obras de ouro : oa praca da lode- 5^*vros par meninos com estamos a 320 rs.
pendencia o. 12.
, do e 280, ditas mais Anas a 300 e 320, laaslnbas
escocezas muito modernas a 360 e 400 rs. o cova
do, ditas mnito Unas 460 e 500.
Cobertores de algoda) a 800.
Vende-se cobertores de algedao a 800 rs. ditrs
melhores a 15600 e 15800, cobertas de chita a 2,
1MB 8*
Quem duvidar venha ver.
Cambraia de cores a 240 rs. o covado dita fina
280 e 320 cbitas finas a 280. 300, 320, 360 e 400
rs., dilas percalas a 400 e 500.
Est se acabando chitas a 160rs. o covado
Vende-se chitas a 160, 180 e 200 rs. o covado,
riscadinhos francezes a 240 e 280 rs. o covado, roa
da Imperatriz n. 72, de Goimares & Irmo.
Lencos brancos a 2# e 2,5500 a dua.
Ditos finos a 35 e 35500, ditos de iinho a 35000,
55500, 6 e 75.
Cambraia branca a 3$.
Vende-se um graode sorlimento de cambraia a
35, 35500, 45, 45500 e 55-
Baloes a 2$.
Vende-se baloes de arcos a 25, 25500 e 35, di-
tos americanos a 350 4$ e 45500, ditos de mur-
celina a 55, 55300 e 65, ditos para meninas a 5
e 45300; isto oa ra da Imperatriz d. 72, loja de
Goimares Si Irmo.
a 3)JC00 o corte.
a 3,0000 o corte.
a 300J o corte.
Vende-se cortes de la rom 12 covados a 35. di-
tos finos a 35500 e 45, ditos a Maria Pia a "5500
85, 85300,95 e 125, grvalas finas para homem
a 640, 800 e 15000, mantas mallo finas a 15200 e
19400; isto na ra da Imperatriz o. 72, loja de
Goimares & lrmo.
Eoupa feita.
Roupa feita.
Luiza Aones de Aadrade Leal, professora
particular de primeiras letras, tem aberto sua ao-
ja oa ra Augusia o. 73, freguezia de S. Jos do
Caixas de 12 frascos com cheiro a 15.
Frascos de oleo babosa muito fino a 400 rs.
Duzias de molas superior oualidade para sensora a
45500.
5-MS *55 ^e"o^rece"o 2Btt&JS>iX
seu prestalo aos Srs. pais
esmerar-se no eosmo tanto
ludo porqoe se oferigou.
de familia, promette
de costaras como de
Neste importante estabelecimeoto euccotraro os
freguezes nm completo sortimeoto de rcopa feita
assim como palito!, calcas, camisas finas a 15600.
15800, 25 e 25500. ditas de Iinho a 35, 35500, 45
e 45500, cortes de brim, ditos de casemira de co-
res a pretas, seroulas de algodo a 15600 e 15800.
ditos de iinho a 25, 25500 e 35.
Lio na ra da Imperatriz n. 7, loja de
Goimares e Irm5os.
Aspas fortes para boles.
Na ra do Quelmado loja de miudezas o. 16, veo-
de-se aspas de ac fortes, e de dilterentes larguras
para baloes.
Bonitos quadros para retratos.
Vendem-se na ra do Queimado loja de miude-
zas n. 16, bonitos quadros con mordura preta e
dourada, todos por precos rasoaveis.
Garrafas brancas
e de cores com superior agua da colonia.
Vendem-se oa roa do Queimado, loja de miude-
DE
FAZENDA E ROUPA FEITA
KUA MOTA M. 4.
Reg & Moura, proprietario da loja de fazendas e roupa feita, sita roa'Nova
n. 24, verdaderamente penhorados e reconecidos para com feus amigos e freguezes,
pea aceiacSo e confianca que delles tem merecido no
se acham estabelecidos e perfeitamei.te escudados na sincendade dos seus tratos, decla-
ram para sciencia daquelles queo quizerem honrar com seus cilicios, que, em vista da
grande concurrencia que tem merecido o seu estabeiecimento, especialmente no que
relativo a roupa feita; acabam de adniittir para a sua officina de alfaiate maior numero
de artistas, inclusive o seu contraeaeslre, dirigido pelo hbil raestre Lauriauo Jos de
Barros, o qual nao se poupa aesfergos para saliafazer com a presteza possi-vl qualquer
vbra de encommenda.
Os mesmos annanoiam aos seus freguezes que acabam de comprar um novo e
muito variado sorlimento de fazendas Moas e de bom gosto, proprias para o tempo da
quarefima, as quaes esto dispostos a vender por precos muito oommodos e ais barato
que eai outra qualquer parte.
Como pmpre escusamos essa enfadonha prolixidade des annuncios feombasti-
cos; preferimos mostrar na singeleza deste nosso convite os boodesejos que nutrimos
para bem-eervirmos quelles que vierera ao'iiosso reclamo.
Fogio a 13 de abril do correte auno
o escravo Joo, cabra claro, ropresenta
ter 25 aonos, um pouco baixo, corpo re-
gular, ps e mSos um pouco grossos, na-
riz afilado, resto comprido, pooca barba,
cabellos carapiolios, hombros largos, fal-
la mansa, com alguma proza e diz que
forro, este escravo foi eocootrado em Ga-
raohuns em caminbo para o serio, pre-
sume-se que eeteja anda em -Garantios
^ ou em seos suburbios por ter coobecidos,
foi escravo do Sr. Amonio C\>rra da
jp; Rocha Muniz, de Garaohuns, e remettido
cuno espaco de tempo em que m P*!0 SI' v?"10 <*** 8r- Utaoet Ri-
.finrl^Pdrw^ncraL AJl, '* b6,fu.."Hf". Cun loja de fazendas
. 100 rs.
Frascos de opiata para deotes a 500 rs.
Ditos de agua para limpar denles a 500 rs.
Pedras de escrever (pequeas) a 160 e 200 rs.
Sapatos de tranca para meninos a 15-
Sapat<^ de tranca para homens e senhora a 15500. zas D-lb-
! Pec- i j fitas de la prota para vestidos a 600 rs. Novo gosto
G.....s de botes de madreperola linos a 480 e Peotes, fivellas, e brincos de feligraoa.
>j*0rs. A aotiga e bem conhecida oja d. 16 oa ra do
Oaixas de clcheles fraocezes a 20 rs. Queimado, recbeu um sortimeoto de diversos ob-
Pecas de Iroco de todas as cores a 200 rs. jectos de novo e bom gosto, sendo pentes brancos e
Caas com supeBores envelse a 600 ss. donrados de moldes enteiraraente novos e mu a-
Pares de sapaliohos de la para criaoca a 400 rs. gradaveis, tendo entre elles alguns de Qiigrana obra
litos de meias pretas para senhora, superiores a de muito gosto e deficil execucao, e bem assim fi-
CALCAO-
45 Hua Direia 45
A primeira condico indispensavel con-
servag3o da Sad* .4razer os ps brm de-
fendidos contra os alaques da bumidatle;
calcado bom e seguro o nico preserva-
tivo desas mil enfermidades a que est su-
jeito o nossoeu -. Um chnelo velh cal-
cado por um dandy "patuscante, cu orna
bolina actlcarrbada em pequenino p de en-
cantadora oeidade alm de aecusar que-
bradeiratiorrij.iisrite, prova centra as f cui-
dades intellectuaes-dos cagante?, e nao ha
quem, tendo bt,m stiisu, queira passarpor
maluco, ou pobre de surrao: ergo, ctr-
ram a:
44RA DIBEITA4*.
e attendam a' barateza.
Homens.
Borzeguins barcellonezes de lus-
tre e de porco .
Ditos de Bordeanx ....
Ditos parisienses de bezerro e-
cordavSo .....
Sapatos de lona, sola de borra-
cm.....;.."".
D.los aveludados..... i600
DiUi-- de tranga bous 1>600
Senhor^s
Borzeguins enfeitados. 5000
Ditos de lago...... 448CU
Ditos lisos......, 4_J5C0
Sapatos de borracha .... it,00
Selleiros, corriein-s e segeiros t
Sola de lustre, meios grandes 206000
E um completo sorlimento de calgado lu-
bricado no paiz.
wsm
6^000
7*000
85000
2*000
m
m
na ma do Queimado para ser veodido no
Itonife, prote.-ta so contra quem o liver
oceulto : quem o pegar e levar ao seu se-
nhor Jos Pertira de Miranda Cuaba, ra
da imperatriz n. 43, 2" andac, alm de se
pagar as desprzas o gratificar com ge-
nerosidade.
360 rs.
Lloras de pregos de todos os lmannos a 240 rs.
Caivetes com duas fomas muito lios a 320 e
EOOrs. _______
Sabooetes e familia, soperior a 100 e 120 rs.
Resma de papel de peso muito fino a 25.
Frascos com tinta superior a 100, 140 e 320.
Aos agricultores
Saunders Brothers & C. acabam de receber de
Liverpool vapores de forca de 3 a 4 caaallos com
todos os pertences, e mui proprios para fazer mo-
ver machinas de desearoc-ar algodo, pudendo cada
vapor trabalhar ate coni 140 serras, tambem ser-
vem para enfardar algodo un ara un qualquer
servico em que usam trabalhar com snimae?. Os
mesmos tambem tem a venda machinas america-
nas de 35 a 40 serras : os preteudentes dirijam-
seao largo do Corpo Santo o. II.
Acabam de reeeber G. Paes 5 RA DO CRESPO 5
Autiga easa de allhermc da *Iva GnlnaarSes
Bicoe cortes de vestidos de gros-de-naples preto, com lindas barras bordadas.
Moire-antiquepreto em cortes e em pecas, liso, ondeado e com palmas.
Gros-de-naples preto, de diversos pregos e larguras.
Gorgufj preo., azenda superior a todas pela qualidade, e borjitoiecido.
Este estabeiecimento
.<&a-se sonido com numerosa quantidade de filos pretos, de algodj, de iinho e de se-
-da, .manufactura Jos em
ckales
retodas
algerienes fbourniis)
anamites
africaines
pompadour
DE FANTHASIA
Receberam tambem bonitos cortes de popeline de listras de cores, e matisadas,
muito modernas, de gostos inteiramente novos; e o u tras mui tas fazenda's de gosto, viu-
das pelo ultimo vapor.
G. P. DO IM1RAL C.
5 RA DO CRESPO 5
Cvalio fgido. ^.r
Ha 4 dias qae fogio da la do Hospicio a. 34, If a /_
um cavallorusso, inteiro, andador de baixo a saeio,
tendo um lobinho no suvaco esquerdo e no direito
sigoal de ter sido curado do mesmo mal, bebe em
braceo e levoa ao pescoco um pedaco de corda de
Itabo com que eslava amarrado ; iquem o pegou ftnrfpo ntxrtn SatitA AnfnniA
qiMira leva-loa casa supracitada quesera recom-,^U1 ^"O ydld JdllW A11LUU10,
S. Joao e S. Pedro.
No armazem da ra do Imperador n. 3
Caes de Pedro 11 n. 2, tem para ; vender-se
bor gaz existente no mercado.
oo no
o me-
Precisa-se de um caixeiro de 12 a 16 anuos:
na ra& do Pilar a. 135, taberna.
COMPRAS
Compra-se
urna esorava que seja boa figura e qae saiba bem
tngommar, nao exeedendo de 25 ancos d-e idade,
e pagase bem : oo e&criptorio de Vicente Ferrei-
ra da Costa & Filho, ra da Senzala n. 138, on em
sea armazem junto ao arco da Cooceico.
Compra-se urna secretaria de Jacaranda
mogno, ou de amarello, oa roa Nova n. 7.______
Ouro e prata.
Vm obras velhas : comprare na praca da In
dependeocio n. 22. loja de bilhetes.
compram-se na praca da
Libras sterlioas
lodepeodencia o, 32.
Compra-se ama borra de frroT ingleza oo
roasmo da anligai na roa Nova 3L
Compra-se na prensa de algodo de Sauoders
Brothers & C. ementes de algodo a 800 rs. or
trroba. *^
(.imvdi:
ARMAZEM
*- Compra-se am bom seliim inglez em segun-
da mao,paga-se bem : na roa Bella o. 22.
Compra-se ouro, prata e pedras preciosa
em obras velhas: Da roa da Cadeia do Recife
cja de onrives ao arco da Conceicjk).
Compra-ge urna escrava de meia idade, sem
*Ww, e que saiba engommar, lavar e cozlnhar :
Bi re do Cabuga n. 2, sobrado.
Vendem-se na f ffleina de encadernac&o o. 15
da ra do Imperador, tanto em folhetos como em
a valso.___________
MIUIMIANIEV
IIAtlA
Vende-se urna mulatinba de idade 17 annos, ba
poaco vinda do Maraoho, qae engomla, cozinha
e cose : qaem pretender comprar dirija-se a roa
do Crespo n. 20 B.
Queyos do Siridm
Vendem-se qaeijos do serto, lugar do Sirid,
mullo frescaes : no pateo do Carmo, esquina da
ra de Hortas, armazem o. 2.
torio na roa do Trapiche n. 44, segundo andar, o
segotnte:
Vinho medeira soperior em caixa de dtaas dozias
Be garrafas,
dem do Porto idem em ancorets.
dem de Lisboa e da Flgueira.
Cera em Telas.
vellas e brincos as mesmas circumstancias.
Tambem recebeu alguns clotos o que de mais
moderno e bonito, se pode encontrar em tal gener".
Alm disso eocootraro os pretndenos um com-
pleto SOrtlmeuio tic fiTcllas fie maOiepcroln, chris-
tal, tartaruga, e dourados, brincos de christal, e
jaspe, voltas e cruzes de dito e muitos outros objec-
: tos de gosto, os quaes coolioaa-se a vender commo-
ilamente.
Penentes de madreperola, e enfeites filets
A loja de miudezas oa ra do Queimado n. 16,
recebeu bonitos peotes com chapa de madreperola,
e novos enfeites lets ornados de lanteioilas dou-
radas, moedinhas, aljofares, vidrilhos ric.,' tendo
grandes para toda caneca e pequeos pura coque,
reculando os precos de 25 a 45000 rs.
l mitas caixinbas
com arranjos dourados para costura, tendo com
; msicas e sem ellas. Vendem-se na ra do Quei-
i mado loja de miudezas n. t6.
Trancas pretas
com vidrilhos, e bicos com ditos e sera elles para
: enfeites ou vestidos.
Na ra do Queimado n. 16 loja de miudezas a-
charo os pretendemos um bello sortimeoto dos
objectos cima ditos, cascarrnhas, franjas etc. etc
i e todo est sendo vendido por presos commodos.
Botes pretos
de vidro enfeitados d'aco.
A loja do miudezas n. 16 ra. do Queimado
vende mui bonitos botoes*pretos de vidro com en-
feites de ac, os quaes muito se uzara para eofeitar
vestidos, quem os pretender pode dirigir-se a dita
loja n. 16 a ra do Queimado.
Vendem-se na loja de miudezas
a ra do Queimado n. 16.
Bonitos loques de sndalo e outras qualidades.
Bonitos cintos com fivellas de diversas qualida-
des e moldes.
Brincos e crazes de crystal.
Abotoaduras de dito para coleles. "
Buoiios port-relogios.
Delicaaas caixas com msica e sem ella, para
costura.
Agolnas e liobas para chrocbei.
Itetroz superwr em carreis. _
Beodas prota e bicos com vidrilhos.
Fitas; de. velludo com listras di cores para ea-
Dius de grosdenapoles, Usas e lavradas, brancas
e matisadas.
MGrande armazem de tia-S
j| tas medicamentos etc. Jj
Ra do Imperador o. 22.
?Ioo Pedro das nieves (ge-___
m rente) tem a venda o
Wc segulnte:
HI Productos chimicos e pliarma- ft
Jg ceticos os mais empregades em ^
gg medicina. L
^ Tintas para todo o genero de pin-
JP* tura e para tintoraria.
^ Productos industriaes e tintas 33
M para flores, como botes de flores _g
_H e modelos em gesso para imitar __g
3 fructas e passaros com o compe- ^_g
ag tente dsenbo.
Productos chimicos e industriaes P
para pholograpbia, tin'uraria, pin- 'M
JK tura, pyrotecnia etc. 3
'' Montado em grande escala e sup- -M
prido directamente de Paris, Lon- _5
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa _S
. pode offerecer productos de plena ___
m confianca e satisfazer qualquer en- ||
"fk commenda a grosso trato e a reta- $>;
_|_ Iho e por preco commodo.
Para
na
tiagir cabellos,
Hoild Walter.
ruado Qoelmado, loja miudeza?
w a-w ooro amoedado e noUs da cala
liai 6j naneo do Brasil na Bahia : na ra da Ca-
deia do Recife n. 54.
Compra se orna escrava qae seja boa quitan-
detra e qoe oo tenha vicios nem achaques : qaem
a tiver e qairer ender. procure na roa da Cadeia
n. 40, andar, qae achara com qaem tratar.
Vendem-se travs e enxams de Massaram-
doba e caibros de mangue, por preco commodo :
a iratar no Caes do Ramos n. 24.
Veode-se ama escrava de meia idade. boa
quitandeira por 1805000 no pateo da,S. Pedro n.
12, sobrado de um andar.
V
he
fioupa feita e por medida.
26 Rus .\ova n. 20.
Jos Antones Guimaraes, proprieurio deste novo estabeiecimento de ronpas e
lazendas finas, participa ao respeitavel publico em geni e a todos os seus freguezes,
que estando sua casa sobre a direcSo dedoos dos memores mestres de alfaiate, sendo um
delles o Sr. F. E C. Miranda, e o outro o Sr. M. J. G. Carneiro, ambos com grandes
habilitacoes tendentes a sua arte, petos quaes dirigida a sua oflicina, e acbando-se bem
montada a desempenhar qualquer encommenda por grande qoe seja, se esforzar para
sabir a contento dos frogrjezes, yendendo tqdo por monos do que em outra qualquer
parte, roga as pessoas interessadas que venham examinar sen estabeiecimento, e verificar
por si mesmo o que declara, sendo entregue qualquer encommenda no prazo de 2 i
heras. r
VENDAS
8. Antonio, 8. Joao e
Pedro.
Vendem-se batedeiras e alguidares da fabrica
do Barbalhoe muilas mais loueas que lea de
grande sortimeoto, lado por muito barato preco
por ser no nico deposito e pode vender mais ba-
ratodoqne todo : no pateo do Terco p. 11
Vende-se ama paocadaria, bombo, rafa, pra-
lo, tm bom oso, e preco commodo: na roa do
Tmjrw a. 16, Recife.
" Vende-se
D. 16.
Clironiaco-rue
Para Ungir cabellos.
Vende se na loja de miudezas, a ra do Quei-
mado d. 16.
Tintara de L. Maraes
Qara fazer os cabellos pretos.
Vende-se na roa do Queimado, a loja de mia-
dezas o. 10. I
Bissaogas aaiudas, aljofares imitando
ace vi4rj|i8 decores
para enfeites de vestido; vende se tudo isso por
precos razoavels na rua do Queimado n.l oja 16,
#e miodezas.
UU PCHINCH4.
Os chales do Parto a U 1* e U.
Veadem-se ricos cbalea pretos de
Grande Liquidado d Fa-
zendas
Armazem da Arara roa da Isa
peralrizn. 56.
DE
Lourenco P. endes Gainiurcs.
Chitas da Arara 160 rs. o covado.
Vende se chitas escuras e d a 160 ;i o
co-vado, fortes de ditos a 25 e :."-"<\. Ru. da
Imperairiz loja da Arara, d. S6.
Cassasfrancezas filias a 240 o co-.-do.
Vende-te cbpbs ti aoci-ias unas a 1 3*0
o covado. Coles de casssa a 250O e 35- hua a
Imperatriz loja do Arara n. SO.
Arara vende chitas franrezas a 240 rs. o
covado.
Vende-se chitas francezas escuras ccm pequ'ot
loque de mofo a 240 o covado, dilas franceza- Boas
largar a 80. 320 e 400 rs. o covado. Rua da Im-
peratriz n. 56.
retanha de rolo a 3#0.
Vende-se pecas de bretanba de relo a 35C0O.
brim lizopara leoce, a S00. SCO e 610 o covade
Rua da Imperatriz loja do Arara d. 36.
Cambraias lizas do Arara a 3t00 a pee*.
Vende-se pegas de cambraia finas a 35, 45, e
55. Roa da Imperatriz loja do Arara o. 56.
Arara vende cobertores a 1^500 e 1600.
Vende-se cobertoresa 15000, ditos Coos de pel-
los a 15300, loberas de lista 25000 e 2-34C0
cobertas de damasco 45000, cobertas defo:i.\ a
ojOOO. Rua da imperatriz loja do Arara n. 36.
Madapolo francez do Arara a 36000.
Vende-se peras de madapolo fraucez de 12 ar-
das a 35500 e -iOOO, vende-se pegas de madap'lao
loglez de 24 jardas a 45,35300,65, li e 85000.
Roa da Imperatriz o. 56.
Arara vende pecas de algodozinho a 3i
v_ode-se, pecas de algodozinho eocorpado a 35.
45, 55, 65 e 75. S oa loja do Arara vende-se
azsim barato, roa da Imperainz n. 56.
Laasinhas do Arara a 200 rs. o covado.
Vende-se laasinhas para vestidos de senhora pele
barato preco de 200, 240,320 e 400 rs. o covado
Roa da mppretriz n. 06.
Baloes do Arara a 2000.
Vende se bardos de arcos a 25000, ditos tinos
de 20, 25 e 30 arcos a 35 35500 e 45, ditos iie
mursulina para stohora a S, ditos para meo n?
a 31 e 355OO, Rua da imperatriz loja da Arara
o. 56.
Lencos da Arara a 2,5(00.
Vende se a dozia de lencos brancos a 25000,
ditos com barra? tambem de cores a 250OO, meias
croas para bomeus a 25400, 35300 e 45500 a d;i
zia, aberturas par carnizas a 5to. Roa da ir? -
ratriz n. 36.
Roupa feita por medida.
Vende-se paiek-ts de panno e de casemira creio*
Si VdK a 6*> ^ e 10*> calc!,s d- rim a
25, 55500, paletols de-brim a 25 e 35, calcas de
casemira de cores a 35, 35, f$, 85, ditas pretas ?
45, 65 e 85, camisas francezas floas a 25 e 25500.
oiS." lVlt%* de pr 35500 e 45. Ceroulas de alfodao a 15, de brim a
15000 e 25, roapa feiu para escravos propria para
servleo. ca'caa e camisas a 15 e 15120. S o*
rua da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Arara vende as sedas a 10500 o covado.
Vende-se sedas para vestidos a 15500, oraandins
Dnos para vertidos de seobora a 640 e 800 o co-
vado. Rua da Imperatriz loja da Arara n. 56.
da Babia para saceos-de
vende Antonio Laiz
sen escriptorio rua
Panno de algodo
assacar e roupa de escravo,
de Olivelra Azevedo & C, no
da Craz d. I.
Vendem-se
Avidente ou sortes lidas por
urna sonmbula.
Vende-se na livrarla da praca da Inde-
pendencia n. 8 a 14 cada exemplar, lambem
ha papis da mesma a 80 rs. cada uru.
Vende-se urna taberna cora pooces fundosTe,
multo afregaeuda para o mar e para trra, sita
DVoaJ Codorn11 o- : iratar com Jo5o Sl-
tD5M *?_iMta roa do Amorim n. 36_________
Vende-se excellente arroz de casca e milho
em saceos muito grandes: no caes do Ramos n. 4.
renda muito
grandes com qaatro ponas, sendo os mais moder-
r-_T~------- -__ i ns Por lerem chegado pelo ultimo vapor francei,
IllV VUW ki^k lVMIPkQ eTendem-se pelo baratissimo preco de 65, 11 e
/1"IJ HIJ, AVi/lIII^iTIIL\lo ** : "'i do Pavo, rua da Imperairiz n. 60, de
Vendem-se assegnintes obras de diroio1 -' "'^-------------------
com pouco uso: Manuel du Dro Ronmm '
por Mackeldey, i volume por W; Dico-'
natre du Contentiea Comnercial, por
se, < volume, por M; Elenients du
rotnam, por Maynz, i v
volume por 44;
Passarinhos mgicos.
Canta e at cernea.
Na roa do Qoelmado, loja de miudezas o. 16,
vendem-se a 500 rs. esees boa i tos passarinhos m-
gicos que canta e oaocomem, e servem mui bem
uqnt des faiUites, por Geoflroy, 1 volume,' 6 Uraoa de cores
Por 3|>; : na rua do Cresno n 4 fahric ^ pechlncha, porque sio finas e bons padrfles, e
de chaDos rlfl ni -"? melboraioda o diminuto preco de 280 rs. o cova-
lws ue S01- do : aa Boa-vista, roa da Imperairiz o. 80..
machinas americanas de serrote para descaroea/
algodo: na roa da Seniala Aova b. 42.
ATTKWCAO ~
Para Santo Antonio e S. Joao, algoidares de (Je^
nova de todos os tamaohis, muito baratos por tpr
Sraode porcao, jarras finas, entre-Boas e ero*<
e todos os tanuBBos, assadores para Iraofroo'
vasos francezes em temos de seis, e teda a ma-s
looca de Genova e da trra : na rua do Ransel
oumero 4.
rafrde ao sefirt e auU
Vende se im cofre de pao, dui* eartplras de
viagem, ooos pares de malas, indo Btimn "
do : quem pretender dirlja-se a roe das Coco
Ponas o. 140.
Vende-se oleo de ricino em latas de 3'J ii-
oras : na roa da Cadeia-velha no Recifd n. 1.
lUtHtl



anana*
UH de Feraaiabaeo ~>ttb. Mtf A *u.fco d^ife


.0 que occupa hoje mais a attenc&o do mundo
o aovo sj^thema &> proprietario do ar-
molhados
ecnomo
mazem
v
53 RA OA CADEIA 53 .
PASSAXOO O ARCO DA COMCEUpfcO. J
Que surge de novo baateahdo a baodeira da modicidade de presos en tudas-os
seus superiores gneros.
Que o publico reconheca as vantogens que-de tal syslhema Ihc resurta, o que o
proprietario do sitado armazem deseja, e a que desde j o convida : passando tambera a
notar-lhe os presos de alguns dos gneros do seu expleRdido sonimento, e para osqaaes
pede
ATTE\fA0
oaaa de mllho branca americana.
Esta exceliente gomma, multo se recomcommeada como o alioenio mais subs-
tancial e'saudavel; servindo n3o so para papa (no que superior de todas as oatras
gommas e farinhas) mas tamben defla se pode fazer pSo-ds-t, cangica, creme, bolo
fraccez, podim, etc.: o preco de cada pacote de urna libra 800 rs em caixa tem aba-
timento. ... .
MANTEIGA INGLEZA de superior qualida- MOLHO INGLEZ de diversas q*aldadt, a
de a 1,28o e l.loo rs. a libra, em barril I 72o rs. o-fcasco.
se faz abatimento. MOSTARDA 1N6LEZA muito aova, a 00,
ti
DEM FRANCEZA a mais nova qoe ha no
mercado a 6io rs. a libra, em barris ou
meios a 600 rs.
CHA HISSOiN de primeira qualidade a
2,8oo rs. a libra, alm desta ha muitas ou
rs. o frasco
DEM FRANCESA a 64o rs. o frasco.
SALMO E LAGOSTIN chegado ultima-
mente, em latas de 2 libras, a i ,6oe. rs.
ARENQUES em latas a 64o rs. cadauaw.
tras proprias para vender retamo, que SAftWNHAS BE tfANTES em latasmetas
se venden de l,6oo a i ,800 rs. a libra. a 600 e 36o reis. .
IDEMPRETOo mais esp-cial que temvin-VINH DE COLLARES o. legitimo vmbo
do a este mercado a 2,2oo rs a libra.
DEM regalar de i.600 a i,80o rs. a libra.
QE1J0S DO REINO iiltiraamente chegados
pelo vapor 2,4oo: ditos do vapor passido
a 2,ooo rs.
LATAS DE GHOURIGAS com 6 libras er-
meticaraeote fechadas, a 4,bV)o, de barril
a 64o, a libra.
E5TRELINHA para sopa em caixas sortidas
de 8 libras, por i.000 rs.
VINHO VERDE do verdadeirosumo da uva,
e o mais proprio para se beber n'este
imperio, pela 3ua extraordinaria fresqui-
do e agradavel gosto a 64o rs. a gar-
iafa.
AME'XAS FRANCEZA5 em frascos de 4 e
2 libras, a 2,800, e l,4oo rs. em caxi-
nhas muito enfeitadas com diversas estam
pasa2,900, 1,800, l,5oo et,3oo, reis.
BISCOITOS INGLEZES emlat?s contendo
diversas qualidades a i.oooe i,2oo rs. a
lata.
PRINC PE ALBERTO bolachinhas as melho-
res presentemente conhecidas a i,600
rs. a lata.
SA LAME HAMBURGUEZ chegados no ulti-
mo navio a 1,600 a libra.
PREZUNfOSverdadeiro de Lamgo, a 64o,
rs. a libra, e 56o inteiro.
TRAQUESn. I. em caixas de 4o cartas, por
8,5oo, e 24o rs. cada urna.
MARMELADA era latas de l, l / e 2 li-
bras a 600 reis a libra.

JALEA DE MAR MELLO em latas, a 800 rs.
FRUCTAS EM CALDA pera, pecego, alper-
ce, rainha Clan lia, e gija a 64o reis
a lata.
desta localidade, mufto superior asen
confeso alguma, a 800 rs. a garrafa.
mmm pretas
Groe de aples preto a U50Q, 1<*600,'2iJ, 30, 3.J380 e 40 o corado. I
Gorgorao preto de superior jjualidade a a#500, 25800, 3* e 4 o ca-
vado. '
Superiores moreantiqnes a 20500, 20600, 30, 30500. 40 e 50000 o
covado.
Bons cortes de moreanliqo*.
dem de gorgorao adamascados.
Boas pannos e casemiras.
Supriores alpacas, princetasfmerinos a beaabaaoas.
Boas vi lidos pretas.
Grande variedede de chales de fil preto e de guipure a.*n*, -60, 81/
100, 120, de 160 a 200, a de 250 a 800 cada um.
Superiores retondas de ,fil preto e de guipare a 80, 100* 120 e 250, I
e de 300 a 600 cada urna.
Soperiores'aigerienes de m.pneto e de guipare de i i a 230, e de I
300 a 600 cada urna.
Boas chailes de seda prela.
Ditos de Merino reto bordados e oatras mnitas fainadas pretas que I
aemenfadonbe emunerar, na
IiOJTJa DAS COIilJMSAS
DE A.XTQNIO ""' f>E TA9C0NCELL0S l8t C.
1IO CBKSPO !f. 13
CftNSLlTWtlO MEMCO-CfWiROCO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO HOSCOSO,
HKD1XO. 1MRTEIRO B OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa fe iBuadag
O Dr. Lobo Moscoso da consultas gratuitas aas fibtt tom mtm 4u 7 s l i
oras da manho, edas 6 e meia s 8 oras da grite*} auajcl das *as laataicadoi
Pharmacia especial iMmfMtiu
'No mesmo consultorio ba sempre o mais aaprqpftado soriaento do nrteiraj
tnbos avulsos, assim como tinturas de varias o^BaudaaJta e palos precos leguinte-
Carteiras de 12 tubos grandes. 12*000
de 24 tobos grandes. 180600
de 36 tobos grandes. 240000
de 48 lados grande. 300000
> de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedlo qwrclhTJr, a com os remedio*
jue se pedir.
Um tubo amlso ou frasco de tintura de meia onca 10000.
Sendo para cima de 12 custarao os precos estabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.

MMwmn&*m>
PHOSPHATO DE FERRO DE LERAS
i II. Eli SCIEICIAS
irsiPEcron oa academia de pars.
Nao existe medicamento.ferrqginoso taoaotavel como o ptospaato de ierro de
IDFM MADURO o veriadeiro do altopou-jj^^; wsuinmiiiade* awdicasdo oawdo inteiro adotaramno comsolicitude sem vgual
^ nos annaes soienoia. As eere pallidas, dores de estomago, digastbei penosas, ane-
mia, conraleuensas dffficeis, idade eriUea das senhoras, irregularidade aa awastruagio,
pobresa do sangue. lyaiahal'smo s5o curados rpida anete 00 mxlificadospor este ex-
cellentecop$to. e>coosrvalor por excelenc da sauje e declarado aoperier nos
bospies e pelas acidemias a todos os ferruginosos conhecidos, ao idoretoe ao citrato
de ferro, porque o^tfojc-qne eonvem aos estmagos deiieados, qa* n5o prowc eoasli-
paco nico tambera que nao enegrece a bocea e os deates.
Em Paris na roa da Feuillade n. 7.
venda em casa deMaurer, e A^Caors.
roem barris de lo em pipa por35,ooo
cada um. ,., ,
VINHO DO PORTO de diversas qualidades
engarrafado, inclusive otaaisfiaoqae ha
n'este genero, por 800, l.ooo, l,2oo,.
\ ,4oo e 1,5oo rs. a garraCi.
FEIJO verde e carrapato em latas emti-
camente fechadas a 600 rs.
CHOCOLATE francez empacles de l libra
por 5oo reis.
AZEITONAS daschegadas uUimamontede
Lisboa a i,2oo rs. a ancoreta, e 5oo, a
guarrafa.
CAF avado a 24o rs. a libra, e 7,ooo rs-
a arroba, e regalar a 22o a libra, e 6 5oq,
a arroba.
VINHO CHERRY do mais swperior do mer-
cado al,5oo rs. agarafa, e l,owrs.
a duzia.
MUSCATEL o verdadeiro de Setubal, a
l,8oo rs. a garrafa, e 20,000 a duzia.
VINHO BOREAUX das mais acreditadas
marcas, S. Emilion. Sant Julien Haat
Brion a 7oo e 800 rs. a garrafa, e em
caixadedzia, a 7,5oo e 8,000 rs.
VINHO BRANC de Lisboa de excelente
qualidade. e proprio para missa, a 800,
rs. a garrafa, 00 8,ooo rs. a caixa de duzia.
MADEIRA SECO a l,2oo a garrafa, e 12;ooo
rs. adazia.
VINHO DO RHENO superior, a 2.000 a
garraf,e'22,oro rs. a duzia.
VERMOUTH de superior qualidade em cai-
xas de !2 meias garrafas por l2,ooo,e
garrafas por l,2oo rs.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeoptico do Dr. Jai^
doos grandes volumes com diccionario..........- aAonh
Medicina domestica do Dr. Hering .-'. ^
Repertorio do ;>r. MrtyfM&rae* v fl_Jl q*qqq
Diccionario de termos de medicina......, 30000
Os remedios desle estabelecimento slo por demais conhecidos e" dispensan Dor
iaato de serem Bovameote recommendados as pessoas que quizerem usar de remedioa
verdadeiros, enrgicos e duradores: ha todo do melhor que se pode desejar, globos de
Terdadeiro assucar de leite, nota veis pela ata boa conservacao, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparado, e portante a maior
energa e certeza em seus effeito.
Gasa de saude para escr$ws*
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade 00 fazer-se-lhe qualquer
operacSo, p ra o que o aonunciante julga-se suficientemente habilitado.
O Iratameoto o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica
funccionando a casa ha mais de qnatro annos, ha muias pessoas de eujo conceito se qJo
pode duvidar, que podem ser consultados por aquellas que desejarem mandar teas
doentes.
Pega-se 20 por dia durante 60 dias e d*ahi em diante 10500.
As operares serlo previamente ajastadas, se n3o se quizerem sujetar aoi Bracos
razoaveis que costuma pedir o anauaciante.
PECIII\CH4 SEIH M4L
Reos eorte de toiVfSo de seda prelo ^damascados para vestido eom 13 metros
00 18 a 10 ociados eaa oowev largara de cW rraoceza. pelo baratisslroo prego de 50^
caa corte :.*a tola das oolamaas da roa do Crespo n. 13 Antonio CerTeia cellns & C.
VERDADEIRi AGUA JIITORAIj
PASTILHAS DOS SAES NATURAES DE VICHY.
VENDE-SE
Na botica e drogara de Barthetomeu & C. Ra larga do-Rosario n. 34.
* > .
AM 1EM 1112 IA/I\I>1S
Madapolo francez muito fino, teodo poaco mofo, cada peca eom 27 varas or
10^000.
Ua de cores a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos or gands a prei;o de 800 rs a vara.
Lengos brancos para algibeira a 2i!(000 a dnzia.
FinS perclaras a preco de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de la de barra de 103 a 30^000.
Chales de fil preto e nutras rauit; 1 fazendas.


LUJA DO B
Novo' estaheLecia^ato
RITA Di CADEIA DO RECIFE 49
Roupa feita de todas as qualidades
Faieudas por barato preco
Superiores baldes de musselina com cauda
Chapeos de sol ba!o que val 120, e o BaUo vendea Ig. _
O Balao vende paletots de panno preto fino a 8g, por tor grande porcao caigas
dccasemira superiores a 7f; calca de brim branca to^W^W"**
chitas escuras proprias para andar em casa a 360 rs.; p.etots deapzc braitca,.cam-
braiasflnasSSapeca: seroula de bramante muro superior; chales de mei mo a W,
ba muitas ontras lazendas que todas se vendem por preces msign.ficantes. Quena duvi-
dar venha ver.
A barateza do Balao
Ricos brincos de crvsial lapidados de didereates forraas e cores, o qoe ha de mais moderno em
"ans, tambera criues e botoes para coleles ; flvella* modernas de raadrepercla para cinto : estes arti-
gos *e vendem por menos de sea valer no armazem da roa da Cadea do Hecife n. w.
Novo e grande deposito de superior earvao de Cardiffna
Bahia.
Antonio Gome= dos Santos & C., ra de Santa Birbara n. i, esto habilitados a sopprir de
rvo, em condic.5es mais favoraveis qoe em ontfo qualquer deposito, a todos os navios a vapor qne
ccarem naquelle porta A contratar nesta com Domingos Alves Uaibeas.,
jileles dos broocb
pela manhl, e outra
tempo o doente e o medico.
JARABE DO FORGET.
Ete xaroM U approvado plos mais eminentes medkos de Paris,
___como sendo o melhnr para curar eonatipacoes, tosse convulsa e otras,
ios, auques de peito, irrittaaM NMM totowirtancits: una colberad
noite sTo sufflcientei. 0 effeitattte excelente xarope satisfaz ao mi
. *m. ~*Wik
tryr.~iH x>4tf'-Mr>'
i.
asas
----------r ni i.ui
Deposito na ra larga do Rosario, bouca de Baihotomeo & C. n. 34.

Far
colares Royer u colares ano-
daos
: facilitar a desti(3o das crianzas e presum-
as das convulsSes.
O feliz resallado obtiio immeaaaa vezes pala
prodigiosa forja magntica dos colares Royer, nos
:as.;s de convulsoes, e denticao das' crianjas, tem
'...-mente elevado o sen bem merecido prestigio,
e aoje jt se pod diier que esto geralmente con-
.eituaos, e estimados de inaumeraveis pas de
lamillas : de uns porque do uso Mses satntares M *-nZlZ.\L nn Urea da Ia-
colares viram salvos ao perlgo seas charos fllhl- a drogara aa rna larg
iac?, e de ontros porque colheram daquelles to SS-SfO. >*
jrocno exemplo para igualmente preservar os D* L *v,"* *
eus. Assim, pols, a aguia brisca, tendo em vis- R\RTHft|eyffO C
Veode-se farinha de mandioca em sacaos
des, recentemeot*. tetada % Bf%de Janalre,:
ra de Apoll n. b\ifcritorfo de Garvalho &
gueira, oo no >raptrliwa Aos Srs, fopeleifa$.
is a utllidade eproveit" desses prodigiosos cola*
res anodinos oa Rnyer, nwndMt vfr o novo sorti-
iceDto que agora receben, e continuar* a recebe-
>. cara que em tempo algura a fajta ielles possa
': 'atiesta aos pas de familia, o' tpas flearao
tantemente aa roa do3ei-
mado, loja d'aguia branca n. 8.
mm MAppr
A loja Esperanga na ra do fjueimado n. 33 A,
ri-ceben estas etntM, qoe urna eonsa indispensa-
vel a qualqaarsnftqta ; eowts(e st iiWdade em
uspender a vontade a aia por aia 4a eortes,
era cojas extremidades esto tratan cakaete qoe
re rri-odem agaardapisa o vesta* : nn4-se por
20500 cada cinta ; d-se amostra ewn penbor.
Ljmajlia, de ferr.q.
Dita de >o.
Dita iib do de Leap,
Salfee reflMJP de 1' rjuaUd^de.
Fai*euo.
fHp superior dq Lisboa, necente-
ite-B esc/iptono de Manoel Ignacio
meo
de Ollveira e P*W, targr do Corpo santo n. 49.
-I> n mIIHH|l T"" .'i....... "'
\mm
um terreno com 30 pairo -s d^.faraU *
ti i a 3Liie fladA na. ra. *j Lwua,
Amaro : a tratar aeaea do Baaci. armazem na-
mfro 10.

Novidades do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
so achar bem sor t ido como todos sabem.
RITA IO BRIH IV. 98
O proprietario Amis esiabelecimeato desoja chamar a attencao dos senbore? pro-
pietarios para os acreditados mecliamstoos que continua a fomecer; os qnaes garante
ser como sempre, da melhor qualidade possivel:
Machinas de vapor
forca de um cavallo para cima. As menores s5o mui proprias para motores de des-
carocamoatoft 4e%odo r"ttas Ywjam nrmadas e podem trabalbar dentro de 4 horas,
depois de cheg^rerirno lagar. Ellas levam tudo quanto preciso para o trabalho, e
diversos sobrecellentes. As machinas maio: es sao proprias para a moagem de canoa,
e ha delias que podem junta e separadamente moer canna e descarocar. Ellas podem- ,
se applicar a qualquer moenda j ex siente sem outra rotidanca do que a substituido das ^oje,mais ^ue DU.nca- n4ao ^ P^10 iue recf"
rodas da almaojarra, ha tambera com moenda junta. Ellas tem depsitos d'agua e boei- feiSJ^iSSS K ~S, P?
rosde ferro, eno precisam para ,eu assentamento de obra,al*oma qur de ^^^S^%SS!S^^VZ
qur dealvenaria. O tempo para assenta-las nao excede de doze das ao mais, cera J^?SaStrtSittaff^^
casos de mortes de aniraaes ou arrombamenlos de aceta, ele,, garanle-se o assentamen- ST!l^m!SlS!^!S!LSr f
to em o'tto dias. Todos estes vapores s5o simpssimos oa c.nstruccao, e se regem por Precos conio na escoma aos oDjectos, e co-
qualquer pessoa intiliigente, a facilidade da conduccao sendo especialmente considerada, "LJJ!!"jZJS^aSSSr a
tanto qne n3o ha lugar em queoo se possam condti/.ir, q-^r por trra, qur embarcado. | g?./.0?^ ,Mv1o_.' a*^>..>. fn
Lembra-se aos senlores deengei.ho que a venda dos animaes e o servico da diversos objectos de gosto e propnos do
genteoceupada no seu trmenlo os ho de recuperar da maior parte da despeza do temP A03'
vapor, deixando-lhes a vantagem de urna moagem certa e accelerada; e acabando com a
despeza da compra continuada de novos animaes, e com os desgostos do trabalho que se
tem com ees.
Ser taWeE dosoecessario lembrar aos compradores de vapores vantagem que
Ihes resulta de compvarem suas machinas garantidas em urna fabrica, tendo artistas com-
petentes- para assentar as mesmas e ensinar a maneira de trabalhar com ellas, e j pre-
paradas para arremediar qaalquer desarranjo; facilidades estas que jamis podem en-
contrar comprando-as aos simples negociantes, os quaes por falta de conbecimento na ma-
teria nem se quer podeta garanti-los de que as machinas que vendem sejam proprias oo
suficientes para o trabalbo em que se queira emprega-las, e no caso de desastre nao
podem prestar-laes soccorro algum.
Igualmente nao te esquecerlo os mesmos compradores de quanto podem perder
em ter suas machinas paradas por desamnjos no tempo das safras, sendo que anda
quando venham as fabricas para concertar as machinas albeias torna-so-ha preciso fazer
repentinamentemoMes novos, etc. para as pecas estragadas.
Tmbem'ba'sefflpre prompto Rodas d'agua de ferro Sarilhos com ernzelas para as
mesmas Mocndas da canna de todo o tamanho, Rodas de espora e angulares, Paroes ou
coches para receber o caldo, Criws e portas de fornalha, Taixas de ferro batido, fundido e
de cobre, Formas de ferro gatvanisadas para purgar assucar, Bombas simples e de repu-
cho, Alambiques de" ferro. Kixos e radas de carro, Arados, grades, eachadas a cavallo
e oatpos iastrumentos de agricultura, Moinho* e forn s para fazer farinha e finalmente
todo o objeeto de mechanismo de que se costuma precisar.
Na fabrica se fazem obras novas encommen ia e concerto3, com a maior p este-
za e solidez. O grande deposito de pecs e objectos babilitam-na muito para este m.
O proprietario ser sempre mui feliz de poder dar ioformaces ou eaclarmmento
aos senfaores que se servirem de sea prestala...
D. W. Bowman, engenheiro.
jtteos YEsnnos brancas
A5 loja de fizendas de Augusto Porto & C.
toa **!
i por nao ser possivel mencionar todos. O
dono deste estabelecimento espera a pro-
teceao de todos.
Riqoissimas caixinhas ornadas e com
msica propria para um delicado mimo.
Caixinhas de msica tanto de veio como
de corda.
Ricos porta jotas e aecessarios.
Riquissimos estojos a feitio de um bausi-
nho ou chapeuzinho.
Ditos em casca de noz e de outros gostos.
Leques de madeperola de sndalo e de
faia e madeira.
Chapostnhos e touquinhas de muito
gosto para criancas.
Meias e sapatinhos de seda para as mes-
mas.
Meias de seda para senhoras.
CapeUas e grinaldas de flores proprias
para casamento.
Enfeites
seuhora.
Riquissimos porta boquets.
Boquet de flores com urna borrachhma
com cheiro.
Lavas ver da deiras de Jovin.
Ditas de seda e de Escocia.
Riqoissimas plumas e guarnices para
enfeitar chapeos.
Contas e tubos de ac baca, que ha
mui lo se desejava para nfeita*.
Brincos, fivellas e cruzes de crystal. 4
Fivellas e cruzes de tartaruga, madripe-
rola e dourado.- .JgM.H S <(Ofes **?"*I tofe^om
H-~Rua do Qutimado-.-l
A' loja de {ain vestidos brancos e bordados agalha. *
Superiores vestidos de blond com manta e capella para noiva.
Cortinados bordados para camas e janellas de 123 a 80.
Collas de seda, e de laa, e seda de cores para cama.
BalSes, espartlfbos, luvas de pellica e satas bordadas.
Bonros, algernlnnel e chales le rendapreu.
Sobretudos de panM e doas vistas e capas de borraeta.
Gtaanapolw de cores-* preto, aiMiv preto da diversas qualidades.
Encbovaes para bnpttaadoa coai efUos bordados que ba do mais gosto nesle genero.
Filos bordados de salpicos e lisos, cambraiasVictoria -v-iaaispareatas.
Chapaos,.bonete e gorro de palba di Italia para seobora.
CtpfaBjretMtde sedafara ban^pae chapeos de sol seda ioglezes.
Caa/Uaaraaaxas'e ingnsas para bamem, meninas e ienhoras.
Tapetes ara sala, piano tama* e/dito sapertor can pe?a.
Alcatifa 4e lisias, haraus pas ae ende a 480 rs. o covaio.
Bretanha de lluho superior em necinbas de 6 jardas eMurpaas grandes MSti^nita*.
Na nresma easa se vetrdem sempre as raelhores e mais baratas
Esteiras da India para for ar salas
11Rna d <*uelmado-ti
O castello de Grasville,
Traniido da fraieei por A. J. C. 4a Crai.
Vende-se este bello romance em qttatr
tomos pelo baratissimo preco de 3300C
aa praca da Independencia, livraria ni.
6 e8.
Frameisco Jos Germano
RA WOVA N. 22,
acaba de receber nm lindo e magnifico sor-
timento de oeulos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa e oeu-
los de alcance para obsemedes e para os
martimos. ________^^^
Tasso Irmos
Vendem no sen armazem rna da
Amorim n. 3o.
Licor fino Cnraco em botijas e meias botijas.
Licores finos sortdos* em garrafas com rolbas da
"idro e em lindos frascos.
VinhosCberes.
Santernes.
Cbambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeanz.
Cognac.
Od Ton.
PAezei la'gniol.
o armazem baratas de Santos Coelho
alma do 4|ueiaaaa n. I.
Vende-se o segninte :
LenQoes de bramante de um s panno pelo ba-
rato preco de 3200.
Ditos de panno de Itabo a 2200 e 2*600.
Cebertae de chita da Indra a 2*400 e 2*800.
Lencos de cambraia brancos proprios para algi-
beira a 29000 e 1*200 a duzia.
Ditos de cambraia de iinbo fino a 4*o00 e o* a
duzia.
Aloalbado de algodSo branco a 3* a vara.
Bramante de Hubo fino com iO palmos de largu-
e capellas de muito gosto para a **500 *''f*: ,
Paono de lmho fino com 9 1)3 palmes de largu-
ra pelo barato prego de 2*400 a vara.
Bramante de lmho fino de orna largura, pelo ba-
ratissimo prego de 800 a vara.
Toalhas de linbo acolcboadas para mos, a 13*
a duna.
Ditas felpudas a 13* e 15* a dezia.
Guardanapos de linho a 3*800 a duzia.
Planeta de todas as cores para coeiros, a 880 rs.
o covado.
fcriaaoa dn cores a 800 rs. a vara.
' Bal5?s de 33 arcos 3*500, de 40 a 43.
Cambraia de tirito fin a j0, 6*S00 e 9} a
vara.
Cambraia para forro de vestido a 1*700 e 3* a
Alfinetes para I
Botoes com croas para punbos.
Gravatinhas e mantinftas de nTuito goSto,
tanto para homem oomo para seahora.
Riquissimos aderecos pretos, assim eoma
as com alfinetes pretps.
alias de aanajionamo dagmifl
de bal^^^rra^jt e_dtou
aaRUl qualidade SBta Wfo cfirWffhh
.Jbaaissimos peales de tartaruga do ulti-
mjhfbsto; assim como de arregaco par
tanjas, pois oeste artiga ba um completo
anmenlo de todas as#jMwAr4ai.
Diademas para cabeca do ultimo .gosto.
apiissimas fitas lavradas e tizas.
10 varas, a
Peea de mad*Do]o ano e largo a 79.
" Uafcinhi lie# Mcoa a 500 rs. o covado.
Pecas de cambraia branca de salpicos com 8 e
meia vejas a 4*000.
iros de casemira bordados pelo baratissimo
teira da India nrooria para forro de
,5 e 6 paitaos dtjwgurai*
mbraia* finas da**es rateis a 350 rs.
NeMVaraazeanamenr se eacontra nm
sortimenlo de roop? f^ta uor medida.
1 Farinha.
Ne arcaiem do Vicente Ferreir
FfTbo jonto aoarco A Conceico, v
rior farinha de mandioca nltimam<
aarwWcog^e tres a'qaeires oo clan
inoso, pelo barattolma. aceen:-de ft*,o aacao.
Baane aealgodAor -aa. BaianMPra
sacos de assaear e roana-de eSeeVos ; tei
vender Antonio fiort
sen escriptarto rna a.
n*am
az a. t
Trancas pretas com vidrilao e de ores.
Pulseiras tanjo para sea hora orno paral
meninas.
Ligas de seda e de alaadSo*
Saspeaaorios de seda eda algodSe emui-
nndflan nw*. I v>oaV^em,a4*aaiia*rs. Btniaers. & &
tea airas objectos cna nio poaeai M ]ugp do ^^ 5,^, fc ^ ^ pataau
nanotar por nao se tora ennraooie. eom todos os pertences proprfos tari faer mover
S no Gao Vigtlanta ra doGoespo n. 7.*ihs oaqaaro machinas par deatarofar aifndSe.

i
*
/
,




-
ar-
Blarn de f>j*aften UlM *** <86.
"i
ENKL0PEDIOA
* t Rus da, Inaperatriz armazem
*i parta larga *.
Jnmto a paferia fradceza dr
Fare#ea Porto.
Neste estabeleeimento encontrar* o respeitavel
publico um variado sortimento de fazendas france-
zas, iaglezas, sulsss % auemat
por prego commodo.
Pareis Porto
Vende chales de renda de cores que se vende-
ram a 18 est vendendo por 65, dilos preos, ta-
lenda.nova, 55, 65, 85 a 205, um sortimento com-
pleto de mantelete, capas esontambarqoes 145 a
25$. Ra da Imperatru a. 41, junto a padarla ran
cera, armaxem da porta larga.
tontee Porte
Recebeu um completo sortimeoto de laasinbas a
540, e 180 rs. covados, para acabar, carnala* de
c3r a 140 rs. o covado, rlscado escossez para ron-
pa de menino, fusto de linbo a 490, 400 e 500 rs.
Roa da Imperatriz n. 82 jauto a padana franceza.
armazem da porta larga.
Paredes Porto
Receben para cortinados para cama francexa a
(1$ a peca cambraia lisa fina a 35 4$ at 10* a
na, cortes de tarlaUoa.de bonitosgostos a 300
5, cambraia com flor de seda, gostos inteira-
mente novos a 400 e 900 rs. o covado, no armazem
da porta larga o. 52, ra da Imperatriz junio a.pa-
dana franceza.
Paredes Porto
Receben pelo Dltrmo paquete um sorlimento de
crazes com pedras para o pesclo, bonitos ouiaels
de lia para pescogo de senhora. Roa da Imperatriz
a. 52, armazem da porta larga.
Paredes Porto
Vende cortes de gorgurao preto para vestido com
21 covados cada um 355000, grsdenaple preto a
1*600, l$8O0 e 25 o covado, las lizas fioas a 400
rs. o covado, lias de quadrinho para vestido, enes-
tada, a 320 rs. o covado. Roa da Imperatriz n. 52,
armazem da porta larga.
Ronpa fetta
Roa da Imperatriz n. 92 armasen da porta lar-
ga junto a padarla fraoceza, eocontra-se oeste es-
tabeleeimento usa completo sorUmetito de paletos-
saceos e sobrecasacos, do todas as.qnalidades, cal-
gas, colletes, ceroulas, camisas, gravatas, meias,
chapeos de sol, ditos franceses para cabera, pon
presos coromodos, ronpa para menino e cutras
cuitas fazendas por precos commodos, armazem
da porta larga.
No mesmo e-tabelecimento encontrar o respei-
tavel publico, sempre um completo sortimento da
reupas feta-s de todas as qwHdade?, como sejam
paletos de alpaca preta e de de, ditos sobrecasa-
cos a 4 e 55, ditos de brim pardo a 2*800, 3*. a
3*500, ditas finos a 4*, ditos meias eazemlra a
3*500, 4* e 5*, ditos cazemira-saceos a 6*, 7*, 8*
e 10*, ditos sobrecasacos a 10 e 12*, ditos de pan-i
no saceos a 6*, 8* e 10*, ditos sobrecasacos a 12*
s 25*, ditos de merino preto a 6*, 7* e 10*; cal-
cas de brim de diversas cualidades a 1*800 a .4*,
ditos braceos a 2*500 -e 1*00, ditos cazemira 5*,
'* e 7*, Jilos pretos a 5*, 6*, 8* e 10*, dilos
metas cazemiras a 3*. e 4*, coletes de diversas
cualidades, seroolas francezas de algodo, ditas de1
linho, Utas de bramante a 2* e 2*500, carnizas de
algodao de liobo francesas de 2*500 e 3*. Gran-
de peonincha nesie gsnero, grvalas do todas as
cualidades e brancas para casamento, grande sor
tmenlo de meias para seoboras, ditas para borneas
a 33, superiores a 3JBC0"e 4*.
Uro completo sortimento de chapees de sol de
alpaca a 3*, ditos de-seda a 5*, 7*, 16*-e 14*
ditos francezes para cabeca, grande sortimeoto
aC*.
Vestidos
l*cohlncha sein Igual.
Cbegoo a .Ioja de Paredes Porto um bonito sor-
timento de vestidos d tartalau de cores e branca:
que serve para partidas por ser urna pbarrtasia ln-
teirameote de gosto pelo barato proco de 4* t
braceos a 4*500, esto acabando-se : no arraazeu
d porta larga ruada Imperatriz n. 52, junto a pa-
daria fraoceza.
Oerthiadbs.
Cbegou a Ioja do Paredes Porto um complete
sortimento de cortinados ricamente bordados a
precode 25*; 35* e 45* : nana da imperatrh
n. 52, porta larga joato a padaria -franceta.
Ricas Tomeum
Paredes Porto resebeu pelo ultimo paquete um
sortimeoto de romeirade guipare pretos e de fil
a preco coombooo : na ra da Imperatriz n. 52,
porta larga junto a padaria francesa:
moo
Chape** de sol.
Veodem-se ebapos d sel de panno a 1*400 e
ama grande peehmeba s para acabar : na ra da.
Imperatriz o. 52 armazem da porta larga de Pare-
des Porto.
k SALSA PARBILHA DI AYEE
PARA A CURA RADICAL.
de'escrofulas-e molestia escrofirosas,. tumores, ulceras, chagas, ferdas ve-
lhas, broncboeeto, papo ou papeira*. syphilis, enfermidades venerias oti mer-
curiaes.
AS MOLESTIAS DAS MLHERIS,
reteicjo,meastro doloroso, ulceraces do tero, flores brancas,.etc., ujeera
ci, debilidade,, expoliapao dos ossos, a nevralgia e convulsfies epilpticas
quando causadas pela escrfula.
ERYSIPEUS ERPES; ETC. _
Enfermidades cutneas, erupeo, borbulhttau itimtuias,
naseldas, etc.
O eatfacto composlo de salsa parrllha, cou'eccioDado pelo Dr. Ayer, e urna
combinagao dos melhores depurativos e alterantes conbecidos medicina; confeccio-
nado segundo as regras da sciencia, appravado ereceitado pelos pjinfiiros mdicos dos
Estados-Unidos da America do Sul e Central, da Anuiras, do Mxico e das indias, e
nanitas outras partes do mundo : o resultad de estudos apurados e minuciosos, e ae,
experiencias feits9 pessoalmente peto Dr. Ayer, por muitos anuos, nos principaes bos-
pitaes e enfermaras da" America; tcm sido approvado pelas.academias de.medicina e
juntas de bygienne das principaes capitaes da America do Norte; paraprova disto vede
J os attestados autherrticos no Almanak Manual de Saude do Dr. Ajer, os quaes se dis-
Iribuem gratuitamente nofiugares onde.se ende o remedio.
k SALSA PAfyLHA DE AYER m
Especialmente effteaz na cura das molestias que tem sua crigero
a escrfula, na InfeccSo venrea, no aso
excessivo do ntereucle ou qoalqiier Impureza do sangue.
A molestia ou infeccao^eculiar, conbecida pelo nome de escrfula, um dos ma-
les mais pjevalecentes e uoiversaes que La em toda a extensa lista das enfermidades qoe
atacan anossajaca; disse um celebreescriptor da medicina que mais de urna terca
parte de todos aquelles que morrem antes da velhice so victimas, ou directa ou indirec-
tamente de escrfula; por isso so nb t3o. destructiva, rj.orip.. a principal causa de
muitas outras enfermidades que nao Ihe sao geralmente attril uidas.
urna causa directa da tsica pulmonar, das molestias do figado. do estomago
e affeccoes de cerebro; entre seos numerosos symptomas^acham-se os seguintes: falta
de appetite, o semblante plido e enchado; as vezes de urna alvura transparente e outras
vezes corado e amarellento irregular, fraqueza e moeza nos msculos ao redor da boc-
ea; digestSo fraca e appettite, falla de energa; ventre enchado e evacuado irregular;
quando o mal tem seu assento sobre os pulmes urna c6t azulada moslra-se em roda dos
olbos ; quando ataca os orgaos digestivos, os olhos tornam-seavermefn'adOs'; obali-
to ftido, alinfioa carregada; dores decabeca, tonteiras, etc. Kaspessoas dedisposi-
c3o escrofulosa apparecem frequentemeote erupcSes na pelle d cabera e outras partes
do corpo ; s5o ptedispostas s affeccjoes -des pulmoes, do Ggadr, drs rins, dos orgos
digestivos e uterinos. Portanto, nSo s5o snente aquelles que padcem das fonflas *\ft-
RAXDE mABLElMbi\TO
Ba da Imperat
GAMA ^ SILVA,
LO JA B ARUAZM, DE FAZENDAS.
feodo os proprietarios deste grande estabeleei-
menlo (eito um grande batimento em muitas de
suas fazendas, pela ocoasUto do balance que doran
no ultimo de dezerabro de 1865, resolveram vender
multo mais barato do qne costumam am de cada
vez roals agradarem aos si*os numerosos fregu-
is ; por tanto Ibes olereetm um avulado sorU-
me*to de fazendas francezas, inglezas, as quaes
vendrSo mais barato do que era outra qualquer pelos baratos precos de 400 e 500 r?. o covado ua
parte, comprometteodo-se a mandar levar qnaiqner Ioja do Pavo oa ra da Imperatriz o. 60 de Gama
Cortes de cambraia com palmas na Ioja do
Par.
VeBdem.secortes de cambraia branca cora-pal-
mas, sendo fazeoda multo boa, pelo baratsimo
prego de 250O para acabar : na Ioja e arman -ti,
do Pavo ua ra da Imperatriz o. 60, de Gama &
Silva.
Lenco* ortico a JfOOO res a
dnzla.
Venino o lencos-braucos farenda molto boa
Selo baratissimo prego de i$ a duzia, Ditos-com
arra de cor a 2000 isto para acabar oa leja d-
Pavao na roa da Imperatriz n. 60 de Gama & Sio
va-
Poupelinas modernissimas a 400 e 800 rs.
o covado na Ioja do Pavo.
Veodem-se poopelioas muito finas sendo fazenda
muito moderna de quadrinhos e liza veodendo-se
fazooda em casa dos tregese* que nao p'. ,
vlr a Ioja, ou a darem as amostras, deixando ficar
o penhor, assim como convidam as pessoas, qa'
DeRociam em menor escala qae neste grande, esta-
beleeimento eOcontraro um grande- sortimeoto
tanto a retalbo como por atacado, veodeodo-se-lbe
apenas pelos precos qne compraro as casas ingle-
zas, sendo cosa o dinheiro a' vista.
As toilhas de li. lio do Pavae.
Veodem-ss superiores toalhas de linbes para
ro?i pelq baratissimo prego de 75500 a duzia ou
a 640 cada urna.
Gnardanapos de Iraho adamascado par* meza a
2,8800 a duzia ou a 240 rs. cada um.
Superior atoalhado de liobo com oilo palmos de
largura sendo branco e pardo, e vende-se mais ba-
rato deque em ontro parte, na ioja do I'avo na roa
da JBperatriz ti. 60 de Gama & Silva.
Os corpinhos-oe seda pretos do Pavao.
VeBdcm-se-os mais. ricos corptobos de seda t-re-
tos, ricamente enlutados, pelo barato (Tego de 12
cada um : oa Ioja do PvSo na ra da Imperatriz
n. 60, de Gama ira.
, Rica vestidos a ^000 rs.
pcchineUa admirareI.
S6 o paxo.rebeben pelo ultimo va,por francez
& Silva.
Cirosdenaples pretos do Pavae.
Vendem-se superiores grosdenaples pretos pek..-
baratissimos precos de 15500, 1U0, 1^800 e 2i
o covado, sendo fazenda muo boa. s* para ac
bar : na Ioja e aroatem do Pavao, roa da Impe-
ratriz a. 60, de Gama & Silva.
Bramante de liulio do Pavo.
Vndese superior bramante de liobo eum -lo
palmos de largura, proprios para lenges, pelos
naratissimos precos de 25 e 25600 a vara, assim
como panno de Iraho molto fino pelos baratissimos
preces de 640,700 e 800 rs. a vara : oa 4oja e ar-
mazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva..
Cubraias lisas do Pavo.
Vendem se pecas ae cambraia lisa muito supe-
rior, pelo barato preco de 35200 e 35500 a pega,
ditas muito finas a 55,- 65, 75 e 85 : na Ioja e
armazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama Si Silva.
PECH1NCHA !
a 2000, para calcas, s o Pirro.
Veodem-se superiores cortes de meia casemira
com msela de seda a 25. ditas GaribalUInas a
25800, ditas escuras a 258U0, ou a.15600 o cova-
cm grande sortimento dos mais ricos cortes de I do : na lojae armazem do Pavo, ra da Impera
vestidos iroDspsrentes com-lindas barras e enfeites
de seda, aendo estes .vestaos muito propries para
triz n. 60, de Gama & Silva.
PENTEADORES
baile*, o .passeios, eveodfmrse pelo baratissimo on roupes de cambraia bordados proprios
preco de I K) rs. cada um, na Ioja do Pava oa para ^ senhora8 ve8lirem de manhSa.
Chegoo esta oovidade paia a ioja do Pavao,
[osto al boje,
eos muito razoaveis : na Ioja do Pavo,
rna da Imperatriz o. 60 de Gama "Silva.
ili chleii i.rtv i* rn esva oovioaue paia a it>ra 00 ravw,
V^ ^ k V ^^ a, mnlI linds e d0 "el"*5'" os10 l Me, por pre-
VeodemT8e.os,mais ricos chalas pretcs de I(HU com quatro ponas, senda muito grandes pelo ba-
ratissimo preco de-85-
Dilos de gpep.ure a 155,185,205,255-
Retonda-s de dito a 105.
Manteletes de renda, laseoda muito superior a
Oschales d pavao a 2o*# e 25oj-s.
Veodem-se chales de metin estampados a 25
o 25500 cada um.
Uitos d merm liso a 35500.
Ditos estampa-Ios de crepon a 65, 75,' e 85000.
Ditos pretos bordados com franja de s**a a 145-
Na Ioja e armasen do-Pavio na ra da Impera-
triz 0.60 de Gas & Silva.
Para hito vtnd o Pav3o.
Setim da Chin com o" palmos de largara, fazen-
da preta para kito, proprta* para vestidos*eiwipas
para homens, sendo esta cea fazenda -sera lastro e
de mnito boa (ualidade, garantindo-se nao ficar
russa.com.o tampo e vende-se pelo barato preco de
25 e 25508 o covado, assim como neste estabeteci-
menlo tem ;nn grande sonimeoto de todas as fa-
zendas pretas como'.seja*' cassas-e chitas pretos,
las tapadas e transparentes, princezas, alpacas,
sarjas, etc. : na Ioja e armazem do Pav?o na ma
da Imperatriz o. 60,-de Gama & Silva.
0s- batees dt> Pavao i
VendesFSe "Superiores baloes de mugoltna com
mola roda a SJ'., ditos crinolioes com 35 arcos a
5SO00
Cortes te laa escocesa 4>ara vestido a 3p o cor-
te: oa ra aa Imperatriz n. 52. Ioja da .porta lar-
ra, junto a padaria fraoceza, estao se acabando.
Para luto.
Las pretas com salpico:- braceos a 400 e 300
rs. o covado : oa roa da Imperatriz o. 52 joato a
padaria fraoceza armazem da porta larga.
A 1#00.
Veodem-se pecas de tranca preta para enfeites
de vestidos, soutembarques, capas de senhora a
15000 com 10 varas, urna grande pecbiocba : na
roa da Imperatrizn. 52 junto a padaria fraoceza.
Olales de renda pretos.
Vestde-M coaMsde renda preto a. 45000, uoicc
Ioja que pode veodor na ra da Imperatriz o. 52,
armazem da poru larga, de Paredes Porto._____
SliliiidLfiJ
ff so^-. S o 5oa &-?'* a w 3
o S 3 B S'g-o.B S
TJ-33:
3 fi
= 5
o 2

3B
o
eri

r o *o
O Bi-
ta
ce .
cy _
S-2-
?&
a-
o
S


Bren em barricas peonsa*
Cera em telas do todos 00 umaahos.
Bogias.
Mercnrio.
Na rna do vifarwt, W, rtelro aBdar.
Baldes
Grande MrHito.
Chofon i rna dtofWmiL W, jauto a pa-
daria franceza, om grande sortloento que se ven-
te a 2*500 rs. paraacaabar.
cerosas e tuberculosas, da escrfula> que necessitam de protecejio contra os-sns estragos; 155000.
todos aquelles em cujo sangue existe o virus latente oeste, terrivel flagello s jez ^^^^^1^^$^
hereditario), esto exppstos tambem a sofirer das etffermidades qne elle cansa, que sao. b,,,^^,, em amrrf9t^St parte.
A tsica, ulceraces de rjgado, ruplivas da cutis, rosa ou erysipela, borbulhas, pastlas, nascidas, tumores, rheuina; pwairit o.fiO de.Gama kSotaa.
carbnculos, ulceras e cbaga6, rbewuatisiBO, dres nos ossos, as costas -na cabeca,
debilidades femininas, flores braocas cansadas pete ulcerado ititerior, e enfermiddts
uterinas, bydropesiai: indigesto, enfraqoecimento e debilidade geral.
Offereceows.a estas pessoas n abrigo seguro e um antidoto effitai contra esta
molestia e suas consequencias na
SALSA PARRILHA DE AVER
que opera directattenie sobre o sangue, porifleando-o e expeisand veneno do-os da sua acc3o viciada e inspirando-lhes novo vigor. E. um alteraute poderosissimo
para areno vacilo-de sarrgoe, e d ao corpo j enfraquecido pela doeuga, torcas e ener-
gas recovadas como as da joventude.
E tBSun. o melkr aRty-8yphitioo onhecido
cura permanenternente as priores formas de syptoilis e assnas consequencias. Poaca j
necessidade ha-de informar o publico do iaestrinavel vaor de vot remedio ^oe, come
este, ivra o sangueeefccormpcio e arrebata a \ietia das garras de uaw 'Baorte lenta
e ignominiosa, porm ineVitavei, se o mai-no logo combatido com energa.
om.' pederosisaiBio alterante para a reaovace do sangue epara dar nova tor-
ca ae carpo j eofraquecido pela doenea,
Sendo-composto d^mfc*^^*-., <* medicamflrto innocente eaon^ig^^^"^*^'^;
motempo efucas um facto de immensa importancia -para aquelles que o.toruam ; per- na ioja do Pavo^na ra da imperatriz msNpm
quenoBitos dosremedios alterantes offerecidos ao publico tem.por base o mercurio oa o; Gama & Silva
arsnico; e sendo assim, bem que s vezes podem effectuar cunas.comiado-deixam suas j Cambraias de forro a U60O e M na Ioja
climas empegadas; de orna langa seriedemales, rositas vezes -peior do-que omalori- o.Pavo.
ginal. A nica coaeatineeessaria para obter urna cura radical seguir com juizo e ceusr Veodem-se pecas de cambraia de forro com oo
,,.,: j._. ^m -ve varas cada peca, pe os barat ssimos precos d(
alacia as-difectioes qoewacompanbameada frasco. i^ooAfta iS*sW arome do Pavao na ro
Nao pretendemos promulgar, nemqueremos que se mfira qpe esta, com pos icao a da impcratriz o. 60, de Gama* Silva,
um remedio infallivel pataiacucadetodos os padr^cimentos humanos; infelizmente ; Os cortinados do Pavao.
esorofala ea sjjpfailis sfto-ieaermidadifs tao sutis nss suas natoreaas, e xueigam-se: t5o
firmemente no systemaj que mu tas veaes evadem e resistem aos remedies mais .pode-
rosos" que a sciencia humana-pode inveater para combate-las: o que dizeaws que o.
Extracto congosto de salsa parrillia de Ayer
a melhor pregaracao at hoje descoberta para estas e outras molestias anlogas, que
ama combinacto dos alterantes mais efficazes conbecidos, e qae-estjr comfctftcao tem srdo
regulada por longas e laboriosas experiencias* eBalmente que temos consciencia deof-
ferecer ao publico o melhor resultado que -possivel produzir, da intelligencia e pericia
medica doaneegaa nwipos.
Este remedio deve sertomado com systema e* regnlarklade, e n5o poie um remedio e nao bebida.
Quando ae molestias do figado nio tem saa origem na escrfula, o remedio
mais proprio asoulas catharticas de Ayer, qneeo efficates na cora da molestia, qae
m por causa um desacranjo dos orges digestives. Ped a salsa perrilha de AfW-e
nao aceitai outra preparacao.
Pernambuco, rna ffew n. i-8, pharmaciaffancezade P. Manrer C.
VENDE-SE


Xo armazem 4e H. a. Rmo silva dr Gentw* raa 4o vlgarlo
u. 14, (nNtiitrvncnk. ossegatiitcs rticos, que
reeebem poa*
encoiiimestda profMria de
Sir-TOJftK;


Legitima salsa arrilha de Brtstol, preparada por Lanma & Kemp.
Verdadeira agua Florida, preparada pelos mesaws;
Gaz em latas de cinco gales, o mais parificado que se pode desejar da a
tada marca. F. W. D. & C 3 t
Retogios perfeitos reguladores, com corda de quatro a oilo das,, dos afamados la-
bricantes E. N. Welch. m m ____.-----
nraiia>wi latas grandes da-beai coahecida marca las. S. Masn (dePmiatrel-
phia).

Superior oteo'para machinas de costura.
Agttllias para as mesma.
Breu em barucas grandes e pequeas.
Vende-se tambem:



BORDEIS
lf faaJiaae.
fSt. Bv^Hift
St. Julieta.
C. Margaux.
C. Lafitte.
Medoc.
PORTO
1M*atifttt>

Principe Real.
Pedro V.
Mara Pa.
Prioceza D. Isabel
Vctor Emmanuel..
Duque.
Malvazia.
Vinho fino do Porto ea bwrris &9/, 10^ e 20/.
Superior vinho doRheno.
Cera de.Lisboa em velas e em grume.
t 1U-A DO QUEI9IADO M* ft
Madapolo.
Finas pacas demadapelo com 20 varas a 9!.
UNCOS,
Lencos de cambraia branca, duzia 26-
dem de cores nas para menino, duzia 25400. w, n mr "
Cambraia.
Cambraiaa de cores a preco de 280 a 300 rs, ocovado..
Gnardanapos.
Guardanapos da linhrj, dtrzta* 9ff9d6\
....." AlgOdio.
Altoao t-mfado de duat largara^ proprio para toalhas de mesa a preco de
1^860 a- ?ar*.
.Bramante.
Saperior bramante da linho inglez e francez.
IGambraia da linho propria para leos.
ATOAtHADO. .
Atoalhado branco para mesa a l|6O0 a vara,
Entromtifti dt gafnKr"i''mnitft finos, preco ijj.
Lencos de seda para algibeira a 10600,
Veodem-se superiores cortiaados adamascados
para r.amatilojMu-oisimoDreco_de 1$ caa par,
dHos'cniito finos Tlcameote boraaffos para camas
00 jaoellas a 154, 20 e iSio par : oa Ioja -e ar-
mazem do. Pavo oa roa da imperatriz o. 00, de
Gama & Silva.
Panno preto a 2$ na toja do Pavio.
Veade-se paDoo preto. faeada moito boa, pelo
barato preco de IB o covado, dito muito lioo a
3o09. i, i$e$, assim eoeio casimira .preia de
cordao a 2jT o covado : oa Ioja do Pavao oa ra da
Imperatriz o. 60, te G*ma & Silva.
Os espartilhos do Pavao.
Veadem-se umajfraode e variado sortimeoto de
espartilhos dos mais bem feiios ijue tem 'viada ao
mercado, seodo de todos os tamaobos, veodeodo-se
porom'preccmoMO r*z vo na ra a lmperalriz o. 60, en Gama & Silva.
A salas bordadas do paTio.
Veodem-se saias bordadas seodo fazeooa moito
boa; seodo ricameaie'bordadas e rom mnita roda
veodeodo-se pelos*araio-preeosde*II'8a o 104
res cada orna oa leja do Pavao oa roa da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
Rpetaiiha*>fraa 3$O0O
Vettdem-eepeeae de r/retaoha de rolo cem 10
varas cada pega, pelo baratsimo prego de 2fi :
oa ioja e armazem do Pavao, ra da Imperatriz a.
60, de Gama & Silva.
Ronpa fella.
Na Ioja do PavO
Vn*e-se neste estabeleclmeoto um grande .-or-
tiaieoto de ronpas, tanto de paooo como cazemira?,
e bros e petos baraiissiaiea-precos como sejam
caigas de caxemira preta af> 7 e 8^000re s, pa-
letots de paooo preto saceos a 6 85 e 120OO rs.
ditos sobrecasacos de panno-flnissifflo a 12? 18^ e
mata rete, e 00tros 0101(06 ar-tigos qne serla en-
fadonlios aqui reltalo; Da Ioja e armazem do
Pavao roa da Imperatriz o. 60 de Gama & Silva.
Loja do |avo
,f fraudes pcebinchas.
Seaiahas a 300 rs. o cavada
Mdiuhas a 00 rs
Sediahas a S00 rs.
Veod-ge oa Ioja do Pavo, um graode sortimen-
to de sedinhas Iletradas com as mais bonitas cores,
sendo o padriis mais novos qoe tem viodo ae mer-
cado, e -vende-se pelo paratisslmo prego de cinco
tostoes o covado sendo faseoda qne valem mnito
mais dinheiro, e grande pechiocba por se ter
comprado orna grande ponida desta faaenda, oa 1
loja e armazem de faseoda do Pavao, roa da Im-
peratriz o. 60 dt
^Lasmhaf. matizadas a-320 rs,
Veodom-se as raart lindas lasinhas mattsadH
cota ot mais toarte* deseobos, palo cato pr*?o de
320 rs. o covado ; oa loja do Pavao a roa da Im-
peratriz n. 60 de Gama & Silva.
Os chales de guipure a 12$ e
16^000,
Vendem-se os otis ricos cbales de Guipare e de
Venda de 1100 e seda, pelos baratissimos precos de
4 a 164; grande eectaiaeha e relagi a toa
qnaildade o tanaobo deHes : s a.loja a itaft
rna da ImperatritD. 60,de Gama Silva*
Lazinhas a 2U0 nvto
Pavo.
L Venden-M awdaioaa iaaziaaat cora lra*inos
Stm, t&frmsMmiimdp n. > a-iaar
pechinena : so na, loja do Pavio, rna da nner
ratru n. CO*, de Gama & silva.
Sedas IWgss
a1 foftr Ao-fwftoh
Cbefow.para a loja do Pavio nur nMavntaohrt
aortiiMalo das mais. linda* sedas pan vestda,
sonda ornas da listrinbas e outras Oa floreim>s
com as mais lindas cores, e algumas propriaajwra
as senboras qne estrveTetr de loto- e veunuPM
pelo, barata pracp de 25000 o covado tenda esu
fazenda quatro palmos de largura, qoe fcnjt fa-
flbr^e n rotla con poneos m8t#, MUr-aa
loja e amasen do Pavao na roa da hnperairii n
60 de Gama & Silva.
roa da
imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
Cassas francezas a 240 rs. o eoudo.
Veodem-se bonitas cassas francezas de eores fl-
us pelo baratissimo preco de 240 o covado.
Ditas a 280, 320 e 3C0.
S na loja do Pavao, ra da Imperatriz o. 60, de
Gama & Silva.
Grosdenaple preto a 1$600.
E' grande peebiaehal!
Vndese grsdeoaple preto, sando muito eocor-
pado e de boa largura, pelo baralissimo prego de
14600 o covado : Da roa da Imperatriz n. 60.
Os cachinez do Pav3o.
Vendem-se bonitos eacbfoM de laa ou agazalhos
para cabega pelo baratissimo prego de 34000, s
oa loja do Pavao, na -roa-da1 Imperatriz n. 60.
MANTAS PABA O PESCLO
a 15, s o Pavio.
Vendem-se booitasanotas para pescoco, pelo
barato prego de 14 : na loja do Pavao aa rna da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Madapoles a 3,560 rs. a pessa.
S na loja do Pavo.
Vndese pegas de madapolo lino com 12 jar-
das, pelo barato prego de 34500 e 45000.
Chales de renda.
Na loja do Pavao.
Receberam-se os mais lindos cbales pretos de
renda, assim como as mais modernas e compridas
retoofles, e manteletes oa mesma tazenda, e veode-
se mais barato qoe em outra qualquer parte: Da
loja e ajmazem do Pavao na ra da Imperatriz o.
66 de .Gama & Silva.
Gastar a 31 0 is. a covade.
Para caigas.
Veodem-se superiores castores moito encorpados
padres escaros pelo barato prego de 320 rs. o co-
vado, servlodo esta faryvi tambem para escravos
por ser de muita durado; na ioja e armazem do
Pavao ra da lmperir o. 60 de Gama Silva.
Chapeos para meninas a 6,000.
S narloja do Pavo.
Se veDdem os mais bonitos e mais bem eofeila-
doe rhapaciiirias dejalba da. Italia, .proprios para
meoiDas, pelo baratissfmo prego de 65000; na roj
e armazem do Pavo na ra da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
Attencao.
BLTIH.BOVJDADE
FENTS, ENFEITES, CINTOS.
Gama & Silva, acabara de receDer pelo ultimo
vapor Irancez, um graode sortimeato dos mais ri-
cos enfeites pretos e de cores proprios paracabega,
seodo guarnecidos com as mais lindas flores, e com
voltas das mais bonitas perolas; assim como os mais
moderos e eogragados peDtes da verdadeira tar-
taruga, marebetados m nd.i a ultima oovidade
que tem viodo de Pars, e os mais neo0 cilos com
Blas- roathisadas e fivelas largas, conforme ultima"-
meole se usa as prlmoiras capitaes da Europa, e
vende-se por prego em cenia por ter ebegado em
direitora para a loja do Pavo, ra da Imperatriz
o. 60 de Gama & Silva.
As rotondas da pavao a 8 e \(\lt,
Venlem-se as mais ricas rotandas de renda pre
ta, seodo muito grandes, que sao as que mais se
usam, peto baratissimo prego de 85 e 105 : na
loja e armazem do Pavo, ra dalmqeratriz n. 60,
de Gama & Silva.
Chitas pretas a 160 rs:
Veodem-se chitas pretas ioglezas, seodo fazenda
muito boa, pelo baratissimo preco de 160 rs. o co-
vado, on 55300 a pega com 38 covados : s na
loja d Ravo, ra da imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
ATLANTA
Grande no vida de a OO rs.
Atlanta a 20O re.
Atlante a 200 rs.
Allanta a 200 rs.
Cbegon par a loja do Pav o mais lind'sor-
timeoto desta nova faseoda, coa o titulo de atlanta
propria para vestido e roupas para meojnoa* sen-
do esta moderoissima fazenda de laa com. oa-.niais
lindos gostos de quadrinhos e listras tendo antM
ellas de cor roza e preta, com listras e (giraros
braceos proprias para mo, e vendem-se peloba-
ralissimo prego de 200 rs. o covade nicamente na
loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de Gama i
Silva.
As chitas do Pavo a 200 o cavado.
Vende-se o mais bonito sortimento de cbitas es-
caras e rotas sendo inglezas, mas com os pannos
to encorpados coraocs da* fraoeeaas qae-so veo-
dem a 400 ri*, '9 ljanln-e pelo baram-prafade
200 ris o eovado on a 75200 a pega, garaotipdn-
se terem 38 covado cada jaca eserem de cores
fizas isto oa loja erm jOParSo Da fu di
Imperatriz a. 60 de<0anaPft*a**-
Armaze ao* Pavao,.
Vende-se cera de carnauba da melbor qnaudade
empaceos, mais batato que em ontra qualquer
parte no armazem do Pavao na rna da Imperairiz
pona, da fiama & Silva.......
As eabaias toEavSo a 2^0
(p ooirtido.
Chegaram para a leja 'do Pavo as nuf ludas
cabaias de seda paMivean^,'8endnnaa>eiia!ais
Haana iwtaa de flores e listas. tendfjajMglajtal-
gomas roxas e pretal para ojien .aa l Ipta,
tendo esu nova fazenda S pannos de largara, que
fteflin f*B>-e um venido eom enai>#>aio, e
vende-se pelo baratiiMne puta.aaiipl a) nnlea-
BMnla-aa-leja e armazem do ravaoi JOa, da-Impe-
ialrlML.60^dfi.Gama & Silva.
Nevidade
Cfiegaram as eseiada cambraijs oatariatana-
braircs com llstrinHi iseodo- transparentes e ven-
den-10 9*0 lartianna areeo de>5000 a com,
aa loja e armazn da Pavo na rna da Imperatru
o, 60 de Gama & Silva.
Chitas a 180 rs., s o Pavo,
Vende se o nrais- bonito scrtloteirto de chitas ic-
glezas, padroes mindiahos, claro* e escaros, e ten-
do tambem rxas i#* ?< luto, anancatidose s-.rem
cores fizas, e vendem te pelo baratissimo prego de
nove vinteos o covade, on a pega en 38 covados
por 65800 : isto na loja e armasem do Pavo, aa
roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Vestidos brancas.
Cbegaram para a loja do Pavio os mais bonitos
cortes de vestidos de cambraia branca com boni-
la berras todas brancas, assim como com barras
de cores, sendo fazenda iransparDte e-mnit fina,
tendo cada om corte bstanle fazenda e muii* ro-
da, e veodem-se pelo baraUssimo prego de 8 e
10 : na loja do Pavao na roa da Imperatriz n.
60, de Gama Aiiva.
Cortes entrlalaDa na loja do Pave.
Vendem se os mais modernos corles de taratana
com as mais Modas barras de cor, pelo baratissimo
prego de 55 cada um, sendo Deste ariifro o melbor
que tem vindo ao mercado : isto na lojae arma-
zem do Pavo na roa da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Cttiubraies brauc; Com 8 palma de largnrac
SO na leja do pavio.
Vende-se cambraiai brancas transparentes :. de
8 palmos de largura, on daae largara das'regie-
res, qoe facelita fazer-se om vestido apeoas c lii 4
varas, e veodem-se pelos baratissimos pregbile..
I5OOO res, e 15S80 a vara, uolcameote na-Jcis t
armazem do Pavao, roa da Imperatriz n. 00 t Gi-
ma & Silva.
Cbitas I raii as a 28a rs.
Mende-se cbiias francezas acentos brancos pa-
droes mlodinhos, pelo baratissimo prego de 280 rs.
o covado, na ioja e armazem do Parlo, ra da Im-
peratriz d. 60, de Gama & Iva.
; Chapees de sol.
Veode-se om grande >orlimeolo de chapeos de
sol, sende de seda e de varios pregos e qualidades;
ditos de alpaca e de panno, e vendem-se por pneos
mnito commodos, Da loja do Pavao-na ra da im-
peratriz n. 60, de Gama & silva.
Cortes de chitas.
Veodem-se cortes de china inglez*, sendo pa-
droes escoros tendo 10 covados pelo barato pro
de 25000 rs.; ditos com He 12 covados a 240
i e 25400 rs; ditos de chita fraoceza escura e ale-
gre, teodo 10 covados 35200 ; ditos rom 11 t 12
covados a 35520 e 34840 rs: pecbincha. na lija
e armazem do Pavao, ra da Imperatriz o. 60 do
Pama Silva._____
Rodelas de burra xa
proprias para atar massos de papis, e para ser-
vire de ligas para puobos, manguitos, etc. etc.
Vendem-se oa roa do Queimado luja 'agoia bran-
ca n. 8.
Mui fioas cartas
Iraocezas, com caotos douradus, e sem dourado.
Vendem-se na ra do Queimado loja d'aguia bran-
ca n. 8.
Envelopes azues
500 rs. o cento.
Veodem-se na ra do Queimado loja d'aguia
branca n. 8.
Apparelhos de porcelana
dourados o piolados.
Na roa doQoefmado loj d'aguia branca n. 8,
vendem-se bonitos apparelhos de porcelana para
Imogo e jamar de boceras.
Bonitos quadros
para retratos.
Vendem-se na roa do Qaeimado loja d'aguia
bracea n. 8.
Perfumara iogleza
A agua branca ruado Queimadoo. 8, receben
um novo sortimento de fioas perfumaras ioglezas
de I. Gosoell <& C. ; seodo extractos dos agn>da-
vels cheiros Bonq da Raioha Victoria, do P. Alber-
to, do Imperador Napoleao, da imperalriz Eugeora,
Garibaldi, Miss Lind.Joch Club, frangipane, sn-
dalo, etc. etc.
Oleo fino para cabellos.
Opiat para pentes.
Agua da Colela.
Sabonetes finos crerue de amendoa para barba.
Pencas d'aco iDglezas
douradas e sem a ser.
Chegou para a loja d'agua brauca ra do (Juei-
mado n. 8, um excellente soriimento de pencas
'ago ioglezas, douraoas e sem a ser, [orm todas
d? qualidade extrafina, e cootiooa-se a vende-las a
5300, 2,800 e 1500 a caixa.
Tinta azul e preta
tiDia rocha e preta.
Estas tintas cujas excelleotes qualidades ja' sao
bem conhecidas e apreciadas pelos eolendedcres,
acbam-se a venda na ra do Queimado leja d'asua
Lacre fino de cores
com ebeiro e sem elle.
Na loja d'aguia branca ra do Queimado n. 8.
veode-se lacre fioo eocaroado aromtico e sem o
ser ; dito verde, e amas caixinbas com ditos de
cores peto barato prego de 500 rs. cada urna.
Papel inglez
em caiziobas.
Na loja d'aguia bracea a' ruado Queimado d. 8.
veode-se desse superior papel ioglez em caixlcnas,
Luvas de camursa
braocas e amarelias.
Vendem-se Da ra do Queimado loja d'aguia
branca n. 8.
Meias preas para padres
Vendem-se na ra do Queimado lija d'aguia
branca n. 8.
Aspas largas e fortes
para balao.
Vendem-se na roa do Queimado loja d'agoia
branca n. 8.
"TEEENTjJ.
. Vende-se paiba bamborgueza reeentimeote ebe-
gada, para empalhador, por prego mais commodo
do que em outra qualquer parte : na ra de nor-
ias o. 15.
Vende-
se
um bom cofre forte bamburguez a secreto ; na ra
do Trapiche-novo n. 22._____________
Cal de Lisboa.
Desembarcada do brigue ponugnez Conitante 11,
vende-se por barato prego : no escriptorio de lia-
noel Ignacio de Oliveira & Filho, largo do Corpo
Santo 0. 19.
rayos fgidos
t 300! de gratifica^.
tira 31 de ootobro do aono passado, fogio a es-
crava Claudica, cabra alta e seca do corpo, qae
pertencea oltimaroeote aosIllms.Srs. Jos Joaqun-,
da Silv, Manoel Mauricio de Sena e D. Mariana
Jgnaeia de Castro e Silva que a venden a Jos Ma-
thees Ferreira que pagar 2005000 a qnem Ibe
fiD/zegar dju.escrava na ra da Cadeia n. 62.
JBJMppafeceu desde o dia 2 do correte mez, a
preta ViQtorifla, crlola, idade 26 aooos pouco
mais 00 menos, tendo os signaes segnlntes : altara
e corpo regalar, rosto redondo, tem o andar muito
aprestado, levoa as vestido de chita escora j
usado, chales de li encarnado, esta preta foi es-
orava da Ex-m.' Sr.* D. Maria Candida Salazar da
Veiga Pessoa moradora na ra do Hospicio, consta
que anda pelo Cacoang a vender rroctas: qnem
a pegar leva-a rna do Crespo n. M, segunde an-
dar, qno sera' recamaensadoi______________
' t)ee4p4receo no d 9 do cerrentej da casa
de D. Mariaona Augusta da Rocba Bastos, o sen
e*c*ayo RaymnDdp, mulato escuro, cabellos cara-
pinbidos, corpulento e gordo, com pouca oa ae-
nhuma barba, R-annos pouco mais oa menos e
qut repreeeata ter-mais, por ser baante eorpo-
leo, ten.o,den|fis leiros e ten nm dea bragoi
minados com |a|ra-e sleW^s : quen o aprebanr
dlr leve>o a sna senbora na roa da Aurora n. 42,
qa ser* recenJeosado.
11 ni. niimj.i r
'm bi"
-W
Fofio no da 4 do correte o moteqoe de nome
iat*tiM*J*dftd W annos, poseo mais oa ma-
nos, cc^l|tuiM,se|pmiei : uin ppnfio gago,
tem os olnos di saptrangi, anda sem chapeo, levan-
do cattft acflp de- Weado azal qnem appre-
hendelo tn*iHt ter a hondada da MtroffasM a* na
senhor Antonio da Silva Ferreira, ra da Impem-
triz n. 57, que ser recompensado.
llEEttfl ]



mm
>.,'
9
*
Diarlo de Pernattbueo Sexta lelra 8 de Jauho de 1866.
LITTERTRA.
Pasarei agora a faxer algumas consideragSes. excesso verba da le do ornamentoGaranta de
l'M POICO DE TLDO.
sobre o actual estado flnanceiro do paz. juros etc.
< Ja tive a honra de expor a cmara dos Srs.
deputados, na sesso que acaba de encerrar-se, os
encargos do governo no correte exercicio, e
meio* de que elle dispoe para deSeropenha-los en-' S3^OOO00o7bYde'pre'sumlr,
38,871:725*059
Sendo de grande interesse. para o publico em
geral sabSo esUdo das naneas do pan, comega- tretanio nio sera" intil repetir
rao; a publicar era seguida o relatono do ministro ,rac50) para qae n,|Ue bera joslflcada a necess-
res.iectivo, apresentado em 3 de maio ultimo a' as- dade qae aiada ha de recnrso suppleraentares.
SCO M zcrsl'
.Nao se podendo avallar desde ja' a despeza do
exercicio, nem estando arrecadada a maior parle
da receita, forzoso tomar as qae foram oreadas
na lei. i~-
Uespeza autorlsada as verbas
de lei.....................
Augmento:
Importancia do crdito extraor-
dinario concedido pela lei n.
1244 de 26 de jnnho de 1865
applieada as despezas do mi-
nisterio da guerra neste exer-
cicio.....................
dem idem as do da marnba..
Dita do crdito supplemeotar
aberto pelo decreto n. 3876
A de 30 de oezembro de 1865,
para ser em pregada as des-
pezas extraordinarias do mi-
nisterio de estrangeiros no
exterior.........;.........
Dita do supplementar de qae
carece o ministerio da ma-
rnba......................
Exifte, portanto.'um deflcit|de 43,586:060*778
o qual podera' elerar-se a 43,584:0604778, te a
s renda do exercieifo prodazir meis de.........
a vista dos
i Augustos e dignissimos senhores representan-
les da nago.
Tenho a honra de submetter ao vosso exame,
em cumprlmentO' do disposto na le de 15 de de-
zertbro de 1830, o relatoro da repartigo de que
fui encarregado por decreto de 7 de margo do cor-
rete anno.
-t Comegarei expondo-vos as razoes em qae me
fundei para avallar a receita do futuro exercicio
de 18871868 em 53,000:000*000.
t Gomo se v do relatoro, que vos foi presente
em maio do anno passado, a renda publica nessa
poca continuava a prosperar de tal maneira, que
no exercicio de 18641865 provavelmente subirla
a urna somma que nunca produzira.
A realidade corresponden a semelbante ex-
pectagao; porquanto, lendo-se calculado, pelos da-
dos que entao possuia o thesouro, em 56,146:893?
a receita d'esse exercicio, excluidos os depsitos,
verifica se agora, a' vista da respectiva synopse,
apesar de Incompleta, por faltarem anda alguos I
balancos das provincias, que montn a 53,574:374*
27,244:5665103
4,831:362*200
150:000*000
oairna que muilo se approxima da que fura or- Dita do crdito extraordinario
gsda. pedido pelo ministerio da
E, porm, de presumir que no actual de 1865 guerra....................
ibC6 nao allinja a receita esses algarsraos, por-,
que a arrecadaco do 1- ^ *""]* I Despeza nio classicada do mi-
tabella n. 1, produzo apenas 23,483:703*000, ao; mMt f Mlra ^ros....
pasao que em igual periodo do anterior elevou-se a Dis accrescidas Da d
20,089:233*000.
t As circamstancias em que se acha o paz, la-
vando por um lado com as consequenclas de urna
guerra, que pode paralysar algumas fontes de pro-
duccao, e sentindo ainda, por outro, os eifeilos da
crise commercial, porque passaram ltimamente a
praga do Rio de Janeiro e outras do imperio, pode-
riam influir para que a renda publica nao com-
nuasse a apresentar o progressivo augmento, que
se observara nos dous exercicios anteriores.
t Entreunto do quadro n. 2 v-se que nao sao
essas absolutamente as causas do decrescimento no
correte exercicio; a dimionicao mais importante
dase na renda de importago das principaespro-:
vacias do norte, se bem que nao se possa avaliar |
com certeza a da provincia da Babia, por faltarem
tres balancos do Io semestre observando-se pelo
contrario, que a de exportago augmentan.
c Este facto, que talvez provenha de superabun-
dancia dos mercados, por sem duvida passageiro!
pois que as causas, a que pode ser attribnido, nao
tem carcter permanente.
i Disto todava nao deve resultar urna conBanca
..i.mitada em sua prompta cessago; e conseguln- Vendidas ltimamente em vir-
temente, embora o progresso da riqueza publica lude da aotorsaa0 concedl-
uada soffra com os effeitos das interrupgSes d'esta | ,ja no art 15 da Clta(ja |e,
oalureza a que esta1 sujeito, a prudencia aconselha permntadas e a permuur por
acc5es da estrada da ferro
do D. Pedro II, em conse-
4,984:857*989
20,210:000*000
116,292:511*351
2,400:000*000
lerna, em consequencia de
terse contra h ido o empresti-
mo de 1865, e de haver fica-
do a cargo do Estado o per-
tencenie a estrada de ferro
de D. Pedro II, sendo do pri-
meiro um semestre de juros
e do segundo os juros e
araorllsagio annnaes.......
Juros de apolices emittidas e
por emittir, nao contempla-
das no orgamento que servio
de base S lei n. 1243, por
terem tido lugar as emissoes
ou transaegoes relativas de-
pois da organisago do mes-
mo orgamento, a saber :
Vendidas ao London and Brasi-
lian Banck e outros, desde
maio at junho de 1865, em
virtude de diversas disposi-
gdes legislativas, em paga-
mento de divida inscripta...

u
2,445:902*222




154:400*000
315:000*000
que nao nos affastemos do calculo baseadq na ex-
periencia.
A receita do Io semestre do correte exerci-
cio, seguudo os balancos existentes no thesouro,
montou a 23,483:703*, como flca dito; e, orcan-
dc-se a de lodo o exercicio sobre essa base, toman-
do-se para o semestre addicional a mesma impor-
unca da renda do anterior em igual periodo, ob-
tem-se a somma de 49,235:898*, a qual eleva-se a
o0,233:89S*, incluindo o liquido dos depsitos, que
se pode estimar em 1,000:000*000.
sendo, porm, conneclda maior arrecadago
por terem decorrido algans mezes do 2* semestre
ja' incluidos na tabella n. 3, avallase a recelta
pelo modo constante na mesma tabella, que da'
53,096:433*, ou 54.096:453*, com os depsitos.
Este systema de avaliacao seguido pelo the-
souro fallivel poucas veas, viaa qu wi *-
iende-se a's circurastancias que iofluem, ou podem
influir, em poca mais prxima p'ara a alteracao da
renda. Por isso nao dovido acceitar o resultado
que flca exposto, e que confirmado pelo termo i
medio dos tres ltimos exercicios na importancia I
de 53.052:775*, conforme se v da tabella n. 4,
bem como a arrecadaco avallada dos de 1863
1804 e 18641863, qae entra nos elementos desse
termo medio, moto contriba para o algarismo
qae elle aprsenla.
Entretanto, devendo-se contar com a receita
da estrada de ferro de D. Pedro II, que flcou a car
go do governo, em virtude do contrato de 10 de I
iuIIio de 1865, pelo qaal foi extincta a respectiva
companhia, podem-se augmentar 2:000:000*000 a' I
somata em que se calcula a renda que era at
agora arrecadada.
Avalio, pois, a receita do exercico de 1867
1868 em 55,000:000*, sem os depsitos; cumprn-
do, porm, notar que semelbanle clenlo assenta
tarabem na supposigo de que rutoriseis ainda no
raesmo exercicio a cobranga dos impostos de que
trata o artigo 13 da lei n. 1245 de 28 de junho do
ano passado, promulgada para o actual.
Nao val contemplado na tabella competente o
producto da taxa^ddicional, que tem de ser arre-
cadada com a dcima urbana, para fazer face a's
despezas resultantes do contrato celebrado com
a companhia Rio de Janeiro City Improve-
mensnos termos do artigo 11 3* n. 1 da lei de
28 de setembro de 1853, e artigo 17 2 da lei do
Io de ontnbro de 1836, porque, nao tendo sido fl-
xada at agora, falta a base para o clenlo d'esta
artigo de receita.
t A despeza creada do seguinte modo :
Ministerio do imperio........ 5,088:726*828
da jostga.......... 3,389:198*786
, de estrangeiros...... 907:986*662
da marrana......... 8,195:82*17
da guerra.......... 15,081.832*784
da fazenda........... 22,977:249*619
da agricultura....... 11,915:761*408
quencia da extineco da com-
panhia, a contar do 1 de ju-
nio do anno passado........ 152:772*000
Importancia pagavel em di-
nbeiro pela permuta das
raesmas acedes............ 21;224*90
Resto a pagar das presas da
guerra da Independencia no
Rio da Prata (le do orca-
mento artigo 13).......... 33:304*420
Pagamento f eito a companhia
Rio de Janeiro City Iraprove-
ments no 1 semestre do
exercicio, por coma da laxa
addicional, que tem de ser
ar recadiwU m a decima ar"------
baa, e em virtude dos con-
tratos de 29 de abril de 1857
e 12 de outubro de 1861... 72:565*000
dem orgado para o segundo
semestre................. 72:565*000
Bl beles do thesouro em circo-
lagio no da 30 de abril pr-
ximo passado............. 31,569:500*000
Entrega do dote da princeza a
Sra. D. Januaria, no caso de
realisar se no exercicio ac-
tual (le do ornamento, art.
13)...................... 1,500:000*000
Pagamento em apolices a Ulna,
cmara municipal da corte,
pelo dominio directo dos ter-
renos da Laga de Rodrigo
de Freitas idem (dita lei ar-
tigo 14)...................
dados que eiislem no thesouro.
i A tabella n. 8 menciona os saldos que havia
em diversas caixas das datas por ella indicadas,
mas estando esses saldos snjeitos a despezas, nio
podem alterar aquelle algarismo.
f A lei do orcamento vigente n. 1245 art. 15 au-
torisou o governo a fazer as operaedes de crdito
necessarias afim de preeneber o dficit, no caso
de diminuigio da renda para occorrer as despezas
votadas.
f A de n. 1244 de 26 de junho do anno Ando
tambem autorlsou o governo a tancar rao desse
mel para executar os servicos extraordinarios a
qne ella se retere.
Accresceram, porm, ontros encargos em con-
sequencia da guerra em que ainda estamos empe-
ntados e por isso torna-se necessaria a deeretaco
de novos recorsos.
t O quadro que flca tragado mostra qaanto im-
periosa na situago financeira do paiz a necessida-
de de promptas medidas legislativas.
i as despezas extraordinarias augmentara em
grande escala, e alm dos meios a que preciso
recorrer para acudir de prompto ao sea pagamen-
to, tornase indispensavel prevlnir o accrescimo
que do emprego delles resolta nos orgamentos or-
dinarios ja' to onerados, com despezas avalladas.
iNeatas circumsiaucias, compre tos diversos
ramos do poder poblico da nago proceder com
a mais severa economa na satisfacao dos servidos,
elevando algans dos aclaaes impostos, cnando on-
tros, alm da cootiauagao da faculdade para faier
operagoes de crdito, porquanto o resultado do me-
Inoramenlo e creaco de impostos nio pode ser
colbido de prompto.
< No artigoImpostasotTereco a vossa c
derago algumas ideas sobre esta assumpto.
Meto circulante.
t o estado anormal do nosso meio circulante
desperla a mais seria attengao dos poderes pbli-
cos. Resaltado de cansas eonbecidas, tem de aog
mentar os seos desastrosos effeitos, se medidas
enrgicas nao tolherem. a continuacao da influen
ca das raesmas.
Composto de elementos diversos, e algans del-
les r regula res em presenca dos p rece i tos da setn-
ela, devia necessariaraente na pratica presentar
consequencias em harmona com sua excepcional
composicao. -WB
' Presentemente, segando as infrmeles offi-
ciaes, compoe-se dos elementos seguintes :
Emisso de papel moeda, al
12 de abril, nio compreben-
didas as quantias adiantadas
ao thesouro pela caixa da
amorsaco para a subsiitui-
gao de notas.............. 28,090:940*000
Emisso de notas do banco do
Brasil e das caixas filiaos at
28 de feve/eiro ultimo com
curso forjado as respectivas
reas..................... 82,149:560*000
e o banco nio acha-se ainda
em estado de voltar ao estado normal; e conti-
na curso forgado de suas notas : e mais, a !
Tu nao temes atacar Anbangi ? I
' Sabes, bravo, este monstro quem t
Ver a morle, atfronla-la, cuspindoa,
Rir-se ap silvo das flechas, que bi vem :
- E' a divisa, que aos fortes eleva,
E que nos leva dos Andes alm.
Qaando o banco, em representaste do 13 de Nen as furias mira-Io se atrevem,
setembro de 1864, sollciiou do governo a suspeu- Nem o propno Anhang o accommette,
eio do troco das suas notas por onro, declaroa Qaando o bravo, entre os bravos, o primeiro
que a suspensao existira enguanto durassem os Va pujante e sobre ellos arremeti I
effatot da crise. Ja sao ecorridos mais de 19
*m -.,... *.,. .1^.lidr'.sicrr4Ta,
l Esta patria, que minba, que tna
! Vou salvar do impiedoso Anhang.
ua emisso tem augmentado. Parece qae era de-
ver do banco empregar todos os esforgos para te- Para 1 para I lial lidadar J
Jher a sua emisso, reeonhecendo os effeitos de-' Pols tu deixas a foogia Couramd TI
sastrosos da dorago da suspensio do troco. In-
felizmente assim nao tem acontecido, nao poden-
do eu ainda, por falta de informaedes, indicar as
causas vrdadeiras deste facto inesperado, leud-
se tornado o banco urna fabrica de papel moeda
como denominou um dlstincto economista da'
Franga.
Um dos effeitos da continuagao deste estado flo, anormal do banco a difflculdade da remessa de' Brioso guerreiro da tribu Tnpi,
dinbeiro de ornas para outras pragas do imperio,. E" mais do que morte, vil cobarda
como presentemente se observa entre a do Rio de IA guerra esquivar-me I goerreiro nasci.
Janeiro e algumas do norte, sendo a circotagao1
as mesmas effectaadas exclusivamente pelas notas!
bancarias, e com gyro limitado, o- producto dos
gneros que sao remettidos para a corte, da qual
nao se remettem gneros em qnant dade equiva-
lente, com dilUculdade .pode ser enviado. AIem
disso, estando- o cambio sobra Londres superior
ao do Rio de Janeiro, as pragas da Baha e Per- Qne as bao de abater-me a coragem,
nambnco, em razio da abundancia da prsenle \ Que son forte son bravo e valente.
safra dos proiuctos de exportago, o commercio'
procura cambiaos naquellas pragas, e para esse Qem qne se alegra d ouvir como en.
Qm, nio podendo remetier gneros, e nem as n> !!"' be'l,C09 ~ estr,den,e "* ? u
tas bancarias, emprega todos os me.os de obter Jaem 1e' lact"doos,en,a a,s bros ?
notas do thesooro, conseguindo-as mediante um \Qwm ma,s Puiaat8 mai* <** <*wm ?
Minha linda e gentil Conram,
Com dragoes me nao temo bater I
J o piaga divino me disse
Que as luctas rival nao bel de ter I
Veobam bastas phalnges d'imlgos,
Furiaes Aobangas ventura a' frente,
110,240:500*000
Deduz-se a dotagio da princeza
a Sra. D. Januaria e aluguel
de casa, se for effectuada a
entrega do dote...........
50:000*000
155,081:744*283
102:000*000
154,979:744*283
55,000:000*000
t Emisso de notas dos bancos particulares at
a mesma data, sem corso forgado 2,813:3009000.
De veramos considerar tambem a existencia da
moeda metlica, da qual tem-se cunhado desde
qne comegaram os trabamos do fabrico das novas
moedas :
Em ouro 39,718:540*0001 K, (no.,,,.
Em prata 15,261:183*500 ( M7-*"-
t Porm a superabundancia de papel com corso
forgado que tem enebido lodos os canaes da cir-
ouu5o, m-.iiio (tiem das necessidades ordinarias
das transaegoes, prodoxio o resultado natural de
expedir do mercado toda a moeda metallica, as-
senhoreando-se exclusivamente do mesmo.
t As notas do banco do Brasil e das caixas Q-
liaes, depois do decreto n. 3,307 de 14 de setem-
bro de 1864, que deu-lhes enrso forgado, devem
agio elevado.
< Por este motivo as notas do thesouro de pe-
queos valores desappareeem da eireulacSo da
corte, visto que sao activamente procuradas para
taes remessas, o que prodoz eonstrangimento as
transaegoes ordinarias, havendo falta at para as
despezas diarias.
> Este inconveniente espero que em breve ser
atteouado ou por medidas qae eslo as facilida-
des do poder executivo, ou por outras que depen-
den! do poder legislativo. Porem os males geraes
qae actuara sobre todos os valores, s desappare-
cerio pela redaccau da emisso das notas do ban-
co e das caixas filiaos, e conseqoenie volta ao
troco das notas por onro. Ja' apreseniei-vos urna
proposta, cojo Qm principal fazer com que o
banco volte ao estado anterior crise, pelo tolhi-
meoto de sua emissio ; e nio difflcaltar no futu-
ro ama reforma, em que convira resolver a grave
questo se con vem ter um banco de circnlacio
privilegiado, como o banco do Brasil, ou ter ban-
cos de circulagao, sem privilegio algum alm do
que as leis concedem s sociedades anonymas em
geral, os quaes sejam vrdadeiras .insttuigoes
commerciaes, sujeitas acgo repressiva de poder
judlciano exclusivamente pela sua gestao.
c Divida passiva.
t Divida externa.
< A nossa divida no exterior qne, ao terminar
o anno de 1864, importava em 7,947:100,
comprebendida a penencente a emprezas particu-
lares, te ve um accresslme de 6,788:100 e eleva-
va-se no ultimo da de dexembro do anno prximo
Qndo a 14,735:200, como se verifica da tabella
n. 9.
t A differenga notada resalta da importancia
do emprestimo que acabamos de contrablr as
pragas de Londres e Amesterdam e foi de

%..........
dedozidas as amortL-agdes, que
por conta dos de 183963 fo-
ram realisadas durante o tempo
decorrido entre as duas sobre-
ditas dalas pelos agentes do
Brasil em Londres, a saber (ta-
bella n. 10):
Por coma do de 1839 9,000
6,963:600

dem de 1852. . . 24,308
dem de 1888. . .55,000
> dem de 1859. . . 9,700
< dem de 1860. . .38,160
< dem de 1863. . . 39,400
175,500
6,788:100
Pols eu quero, meu bravo guerreiro,
Ir comtigo o ioimigo attacar ;
Da-me flechas e tacape pesado,
Da-me armas, qne eu as possa vibrar.
Vem na cinta apertar-me a arasoya,
Collocar-me na frpnte o ccar ;
Nao me falte urna s das insignias,
Que os guerreiros costnmam levar.
Vamos 1 vamos I caudilbo potente
Nossa patriado inlmigo livrar...
Morra I morra de morte affrontosa
Quem com nosco nio for batalhar.
Minba amada e gentil Couram,
Ja' qae queres me segu p'ra guerra;
Toma as armas, partamos fragueiros
Ja' por valle, planicies e serra.
Quero sim encarar o inlmigo,
Quero sim peito a' peito o baler,
Quero ver o cobarde, fugindo,
De fraqueza e de medo morrer.
Eia avante I marchemos briosos,
Minha brava e gentil Conram I
Eia 1 vamos qae havemos vencer,
Ja' nos chama o estridente bor.
No theatro de Nancy (Franca) leve logar ha pou-
cas noutes um triste accidente, dovido a impruden-
cia, o qual assim contado pelo Moniteur de la
Mturtht:
Representou-se no sabbado no theatro de Nancy,
os Sallibancos.
No lerceiro acto madameoiaselle Nolly aproxi-
mou-se dos bastidores, quando teve a triste lem-
branga de subir ama oseada, encostada a urna de-
corago para ver o flm da scena.
Cada bastidor illominado por tres bicos de
gaz : Mme. Noelly tlrazia urna sala de gaze multo
corta e mal linba subido algons degraus vio-se de
repente rodeada de chammas.
O espectculo foi interrumpido e nao se ac-
bou.
Com a rapidez do raio aecudiram a' actriz, mas
ja' a nio poderam livrar de ficar com o braco di-
reito e o peito quelmados.
Um macbinista, qae foi o primeiro a acendir a-
actriz, flcou com a mo dreila gravemente ferida.
u estado de Mme. Noelly mallo grave e os me-
dios receiara que ella venha a pagar com longos
soffrimeatos um pequeo instante de coriosidade
feminina.
Em Salzboarg (Austria) fez-se ha pouco orna
aposta, coja originalidade merece menguo.
0 violinista K. de H.....bem conhecida no mon-
do artstico de Vienta, apostou que tocarif um tre-
cho de msica aa sua rebeca, nadando ao mesmo
tempo de cosas.
A aposta verificar se-ha no. primeiro dia Que
bouYer de mnito calor.
O artista espera qne ama grande tnultidao assis-
tira' a este singular espectacu!
i' Eima. Sra. D. Idelaide do nural.
Delxemos os ioiros, as flores, as palmas,
E as velnas nromessas de inmenso por vi r;
Deixemo's. Os genios fecandam as almas
De novas Ideas, de novo sentir.
Nio venbo dizer-te qne aos fados affrontes,
De longe mostrar le por cima dos montes,
Dos mares, das nuvens, das sec'los alm I
O volto da gloria, pnantaslico, escuro...
Prophetas qae mentem, s dizem futuro,
Futnro, futuro, e o futuro nao vem.
Na lucta que sostn com o proprio genio,
Do arebanjo d'arte no combate rude,
Cada suspiro ten diz um tormento,
Cada lagrima vale urna virtude.
Ah f lagrimas de actriz que denunciara
De nm peito feminino a grata essencla;
Vindas da fonte em qoe as estrellas bebem,
Filbas d'alma e do co, como a innocencia.
E do tea rosto a pallidez sympalhica
Reflecte as emogoes qoe tu devoram;
Ten grande coragio tem ralos puros,
De qne todas as cores se colorara.
Nao has myster de e'roas e trumphos,
Na ruidosa effuso qae a ludo amela;
O mudo applauso da serenidade
Do co e d'alma qne te entende, basta.
Recitada no theatro em 2 de junho de 1866.
Tobias Barrete de Menetes.

.

?*-"
~r-
67,822:984*783
Comparada esta importancia
com a da receita orgada.... 55,000:000*000
Mostra um dficit de......... 12,522:984*783
i Apreseotando-vos as tabellas ns. 5 e 6, que
demonstrara o augmento da receita e despeza pu-
blica desde o anno de 184445, devo observar,
pelo qae resuelta i despera do ministerio da fosea-
da, que a differenga, que se nota entre o algarismo
cima orgado e o pedido no relatoro do anno pas-
sado, alias minuciosamente explicada na tabella
n. 7, provm, na maior parte, do accrescimo dos
joros, que o estado tem de pagar em consequen-
cia nao s da emissio de apolices e do emprestimo
cootrahido em Londres para occorrer s despezas
extraordinarias, qne o imperio ltimamente tem
feito, mas tambem de haver fleado a cargo do go-
verno o emprestimo cootrahido em Londres pela
estrada de ferro de D. Pedro O, em vlrtnde do re-
ferido contrato de 10 de julbo da 1963.
t Os algarismos do presenta orcamento mostram
a reprodugao do facto, que se tem dado oestes l-
timos annos, de exceder a despera 4 receita: cha-
mo, portanto, a vossa attancio para a convenien-
cia de equilibrar ama com outra em pocas ordi-
narias.
t Receita:
Orgada pela lei.............
Producto do. emprestimo con-
trahido em Londres........ 44,444:444*444
Producto da venda de 40,500
apoliees................... 9,450:000*000
Quinta-prestagao paga pela Re-
pblica Argentina por conta
dos emprestimos que coa-
tranlo nos anuos de 1851 e
1857........... ........... 51:623*728
Producto dos donativos feitos
para aa urgencias do estado
no exntalo t qoe se trata. 155:816*834
Importancia do. segundo rateio
que se receben ltimamente
da massa fallida de Antonio
Jos Alvos Sonto & C...... 43:796*499
Valor das apolices que o go-
verno esta' antorisado a emi-
tir :
Para indemnisacao das despe-
ras feitas com os casamentes
das serensimas princesas
as Sras. D. Isabel e D. Leo-
poldina, resto oreado (rosla- v .
gao a. 1236 de 20 de setem-
bro de 1864).............. 415:000*000
dem do pagamento feito em di-
nbeiro das presas das guer-
ras da Independencia e do
Rio da Prata (lei n. 1177 de
9 de setembro de 1862, art. _:
tt|2.*).................. 283:000*000
Para o pagamento do dote da
princesa Sra. D. Ja uarla... 1,500:000*000
Para o da Illma. cmara munl-
cipalda corte............. SOOOOfOOO
111,393:683*506
f Releva ponderar qne nao contemple! nesta de-
monstragao a despesa da estrada de ferro de D.
Pedro II, porque neste exercicio taita com o pro-
dacto da renda da mesma estrada, letando-se o
repntar-se verdadeiro papel moeda, embora nao |
tenliam gyro geral no imperio, como as emittidas
pelo thesouro.
c Assim o meio circulante, papel moeda, esta'
elevado enorme somma de U0,240:500}000.
f A ennnciagio do facto suficiente para esta-
beleeer quaes sao as consequencias naturaes que
tem produzido as transaegoes, que todas fleam as-
sim caractensadas pela incerteza.
t Pde-se figurar a bypotbese em que o valor do
papel moeda, sustentado pela sua quantidade rela-
tiva, terne-se menos variavel, indurado pouco so-
bre os pregos ;sera no caso de orna circu ago
mixta de metal e papel moeda, porm, este em
pequea quantidade, servindo como complemento
e auxiliar da circulagao metlica. Todava, ainda
neste caso, nao deixarla de sentir-se a sua influen-
cia nos pregos, porquanto, dando-se o caso de su-
perabundancia da massa geral do meio circulante,
em relacao s transaegoes, segundo as circamstan-
cias do mercado, a parte do meio circulante qoe
necessariaraente seria exportada, constara exce-
sivamente da moeda metlica, ento mais procara-
da para a exportago, fleando sempre o papel
moeda em condigno inferior, e fra da relagp or-
dinaria com o padrao monetario. E sendo forgado
o seu curso, necessariaraente operara differenga
nos valores, al que o equilibrio se restabelecesse.
t Porm, sendo o mel circulante composto ex-
clusivamente de papel moeda, nio podendo acom-
panbar as variagoes das circamstancias do merca-
do, pois qae nao pode conirahir-se pela irapossibi-
lidade da exportago, a sua influencia sobre as pra-
gas extraordinaria e damnosa a todas as indos-
trias e transaegoes, o a todas as raglees da soeie-
dade. Nem nm plano industrial pode julgar-se
bem assentado, qaando a base, a estlmaco do
pregos vaeiltanta, e na liqnidago final pode sol-
frer a desfatsjM qae o meto circulante presenta
perigos de operar.
A quantidade do papel moeda do thesooro,
28,090:940*00.), nao pode ser jolgada excessiva,
e nem por si s poderla prodoxir maltas resalta-
das funestos. Basta ponderar qne grande parte
desta quaotia deve ser mpregada as transaegoes
as doce provincias qae esto (ora das reas do
banco do Brasil das caixas flllaes. B os (actos
observados antes da extraordinaria emissio de
otas bancarias com curso toreado, tlram todas as
dnvidas a este respeito.
c Todava a sua esia noto, anda mesmo nessa
quantidade, nao poto deixar de ser nm mal, o
que tem sido recoateido oonstantementa pelo po-
der publico no impero.
f Hoje a experiencia deve ter convencido i to-
dos os eeplritos qne, emquanto houver papel moe-
da na drontaeio, aa insttalgSes de eredito enea
emisso devem ser rputadas perigosas: e este
nm de seos gravsslmos Inconvenientes.
A enorme quantidade de notas fas o banco do
Brasil langoo em cireutago, tendo enrso forgado,
levares todos os inconvenientes ao sea aofe.
c Os emprestimos de 1853 e 1860 foram contra-
bidos em favor de compaohias; mas, tendo sido
encampadas as de Mucury, L'niio e Industria e
extincta a de D. Pedro II, flcou a cargo do esta-
do o pagamento das quantias, que ellas levanta-
ran], na Importancia de 1,209:000, total circu-
lante do de 1860; figura ainda a de 391:350
porque responsavel a companhia da estrada de
(erro de Pernambuco.
i As despezas de juros, commissdes e correta-
gens, que se tem de fazer no exercicio de 1867
1868, sao orgadas, como do quadro n. 11 em
896:171 ou 7,985:964*444, sendo de juros e com-
missoes 690:711, de amortisagao e respectivas
commissdes e corretagem 205:460..,
c Cotejados esses algarismos com os aposenta-
dos na proposta para o exercicio de 1866-1867
(quadro n. 10 do anterior relatoro) nota-se um
augmento de 4,319:884*444, provenientes das
despezas exigidas pelos emprestimos de 1865 e
pelos de 1858, que, como acabo de expor, hoje
pesam sobre o estado.
c Nao val comprehendlda no orgamento a quan
tia que tem de ser paga pela companhia da es-
trada de (erro de Pernambuco, e est calculada
no quadro n. 12-
< Os fundos que em maio e junho de 1865 (o
(olba
ram movidos pira Londres importaran] (tabella
n. 13) em 400:000 qae ao cambio de 24 1|2,
castaram 3,918.367*346,
c Por conta de 80,000, que o thesouro ha-
via remettido para Londres por meto de cambi-
aos negociadas com a casa de Antonio Jos Alves
Sonto & C. tem-se por emanante reeebido
32,660-3-0 sendo 10,000 importancia do 1* e 2*
rateios da massa fallida desea easa, e 22,660-3
0 pagas em malo de 1865 por. Dovey, Benja-
mn & C.
c Pelas noticias commerciaes ltimamente che-
gadas, cotavam-se na praea de Londres, no da 7
do mes passado, os fundos brasileros de 8 0|0,
1839, da 93 a 95, dividendo pago; 1889, de 90
a 92 ; de 4 1|2, 1852, 1858,1860, da 66 a 68,
1863 de 64 a 6 ; de 5 OA 185, 72 ij4 a 72 3|4;
camellas, 2 a 1 1|2 de descont, dividendo pago.
c Por despachos telegraphicos, consta qie a
12 do paseado em Londres os nossos fondos an-
llgos de 5 0(0 cotavam-se a 94 e os novos a 71
i|4. i
O Globe, de Torento, reproduz de urna
americana um fado de inaudita malvadez.
N'um nueting de cidadios de Owyhu (Estados-
Unidos; resolveu-se que fossem escomidos 25 cida-
dos para Irem a' caga dos indios; aquelles que se
equiparem a' sua casta receberio urna somma es-
tipulada por cada crneo de indio qne apresenta-
rem; os que nio tiverem dinbeiro para se arma-
rem serao equipados pela commissio, e quando
trooxerem um crneo ser-lbes-ha abatido de pre-
mio o valor das armas que tiverem reeebido.
Por cada crneo de bomem dam-se 100 dollars,
por um crneo de mulber 50 dollars, e 25 pelo de
urna crlanga de menos de 10 annos.
Cada crneo devera' ainda apresentar o cabello
da cabega, e cada matador prestara' juramento de
qoe o crneo .que apresentar pertenceu a um in-
dio.
Os mais (erozes canibaes devem ser considera-
dos como gente moto civilisada se os eompararmos
aos selvagens brancos que flzeram o meeting em
que se tomou tio barbara resolngo.
Extractamos o seguinte do folhetim do Correio
Paulistano:
E' mo nao ser eu pensionista do Hotel de Italia,
para vos dizer com certeza quem seja a famosa lui-
da, a oartomaota, a magneUsadora, a multaer-ho-
mem, a mulner-Cagliostro.
E o primeiro mysterio que eu desvendarla seria
o da verdadeira cor de seas cabellos.
Sao rulvos, pretos, castaahos, flamengos ?
Empoa-os a diva de onro como os Romanos, de
perola ou de arroz como as (ormosas damas dos
bons lempos de Dubois, de Richelieu e da Regencia?
Eis a questo :
A Hilda tem o perfil das sobrinhas do cardeal
Mazarlno : algoma cousa do italiano de todos os
tempos: opulencia de carnes e flxidez de liaras:
e em face nm olhar... d'escamoiage qae faz tre-
mer.
A Hilda como me informam, nasceu na Hyreania
(montes Karpato) foi seu pai o famoso Nicolao
Ftammel que foi quem de nm raio do sol, (ez todo
o onro que possue a trra.
Venus nasceu das espumas do mar, Minerva, en-
couragada da cabega de Jpiter; a Hilda nasceu
bola; a bola se escamotea* depois em mulber.
Eis ah por que a Hilda boleta e rola por este
mundo, ha seclos e sem parar.
Em 1700 Hilda viajando no paiz da Patagonia
encontrn Cagllostro que andava fazer ama col-
leego de Indios e de cavados bravios para (azer
prosperar a raga paraguaya : viram-se (a Hilda e
Cagliostro) goslaram-se e se casaram.
Mas os dous esposos eram dous rivaes e breve
reinou entre ambos a discordia.
Um traiou de escamotear o entro ; era (em Frin-
ga) nesse lempo Cagliostro andava preso de amores
pela infeliz Mara Antonietu, em componsagae a
Hilda nao se cabla em si de frmito de terneza (por-
tugus aotigo) pelo visconde de Bargellone.
O resultado de toda a historia foi a Hilda soprar
sobre toda a Franga o espirito revolucionario e ta-
zar subir ao cadatalso a heroica filha de res e o
Cagliostro fazer em p e sopra-lo aos quairo infer-
nos o cavalleiro Visconde.
Depois eeslas faganhas, cada esposo tomn sen
camnho: Cagliostro com a recordagio de seus
amores; Hilda com um baraino de cartas.
Assim e desde entao tem ella percorrido o orbe.
Ha mezes esleve no Paraguay e indo consulta-la
Lpez, vaticnou-lbe ella grandes destinos : o gua-
reny meiten-se em guerra e eis explicada a rasao
do furor marcial do fiiho de Solano.
Ao principio todo la bem
algumas peloticas, peloticou
Olinda e depois o Salto.
: Lpez aprendendo
logo o Mrquez de
'"
Esta poesa americana de Sr. J. P. de Castro.
GPVA B COURASt:
Gupva inveneivet braaio dos Tnpis,
Amante da guapa e gentil Conram,
Dormido em seas bragos (erio-lhe os oar.dos
Os sons reflectdos do roneo bor.
Briosoescudado das armas, qne tem,.
Vai lodo em desdem, com rosto atrevido,
Affrontas cospir as faces fatigas.
Levando o tacape na dextra brandido
Ha um meio seguro de facilitar a operagao do
enserio das arvores (ructiferas, meio ja' assignala-
do em ^maltas obras de agricultura e sempre era-
pregado com successo, e que consiste no emprego
do pes liquido sem necessidade de ser aqoecido.
Poe-se a fundir 5 partes de pes branco, e qoaa-
do esta' (andido e nao mnito quente, deita-se lhe
ama parte de espirito de vmho, o mese-se at que
o pez comee* a arretocer. Se ainda esta' mnito
grosso ajaota-se-lhe mais espirito de vlnbo, e no
caso contrario, pez.'
Como conserva a consistencia do pes fundido es-'
tonde-se racllmaate sem qnetmaros enxertos, e co-
bre perfeiumente aadanctoSw feitas as arstres.
Endurece a' medida qne se evapora o esplnto de
vinho, e preciso urna quantidade muw menor do
qne qaando se aqnece o pes com ontros iagredien-
M, coate cera, sebo, etc.
Ha o projecto de transportar.pedra por pedra, de
Floreoga para Pars, nm palacio de arcbltectara
renaseinento destinado a figurar na nxposigao uni-
versal.
Esta empresa nao deve cansar admratelo.
Em Pariz v-se ao passsto da ratona um pavi-
ifain qne Francisco I mandn transportar de Fon-
taiaebtoau para all.-
la^ III >aa^
O governo japeaez acaba de conceder aos euro-
peus nm vasto terreno em Nangasakl, para ah (a-
zerem u/na doka, rmaseos e urna Bolsa.
O commercio europea possuira' pota no lutaro
estabeleelmenlos maiu Importantes as tres prin-
cipaes pragas do Japio ; Yokoham, Nangssakl e
Hieto. '
Mas como nio ha bem qne sempre dure, e nem
medalba sem reverso, Lopes den bem depressa de
ventas em Riachuelo.
Nessa ramosa batalha, Hilda se transformara em
homem e commandava nm dos navios da (rota goa-
reoy.
As cartas nio sendo bem jopadas: (oi-se petos
ares a petotica e a batalba... flamb.
Lpez nirio de raiva : de sosto o propno Hu-
ma y t velo qoasi abaixo. ^
O offlclal Hilda leve orden de ser (otilado. Seis
vezes arcanntaran-no; seta vetes esta de p: at
que temando da stima Hilda transformon-se em
bolelim e vooo desde q Prata ao Amazonas.
Eis a* rpida e pittoresca historia de Hilda a Car-
tomaos* : que sakio per urna porta e entro* por
outra e eir netso senhor que vos cont outra.
As excursoes artsticas de S. A. o principe Na-
poleo tocara o sea termo.
O principe, qae se achara ltimamente em Re-
me, visitn soccessivameote as residencias reaes
de Casera, Capodimonte, PorUc e a FaroriU;
Pompeia, Hercnlanum, Poszols, Mises e Rata ;
os ampbitheatros de Santa Marta e Gapoa; Castel-
tomare, Sorente e Amalfl ; finalmente as Unas Pro-
cida, Iscbia e Capri.
Organisa-se actualmente no palacio dos Campos
Byseos, em Pars, ama esposlgo retrospectiva de
obras de artistas morios, e procedentes exclusiva-
mente de collecgdes particulares.
Esta exposigao tara' logar ao mesmo tempo e
fhstto da dos artistas vivos.
.. A Concordia dansoo na das.
A Concordia urna moga (aceira, alafre e espi-
rituosa.
Sabe walsar eom a tocante morMesa das Unas
do Adriaiico, com a ternnra sonbadora das Unas
da Germania : com o chiste das francesas e o aco-
so das morenas de Sevima e Cdiz.
ResvaJAlniperiapttve^o p mimeeo por sob as
taboas : a maneira a fronte de onde peadam as flo-
res da estacio: rase nema sabem rir-se os quinao
e os vlnte annos: tem nm ollar longincuo da bel*
tosa sonbadora, e emquanto taso prende 4 mgica
cintura todos os elbee o todas aa altangoes.
rr......*" ......... iim.',......
Eia tndo qnanto me poeaMl ser do baile da
Concordia.
iWf.-w uaf i. r.. > tjm.-wk
1
I

;


h
s$
.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3N778P8G_1RKBQT INGEST_TIME 2013-09-05T00:25:18Z PACKAGE AA00011611_10987
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES