Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10974


This item is only available as the following downloads:


Full Text


E=i*
-/
AMO XLII, HOMERO 118
P#r qBrtelM#dc,ltr#d*sl0<,iasd1-'"ez '<*'
dem depos #s i,0411 das de cfmeco e deitrs dt qortl .
Porte as csrreio sor tres mezes..............
DIARIO
S#s
6^00
7-5
*
3S3C
ENCARREGAD08 DA SUBSCR1PCA0 DO NORTE
Parabrbt, o"Br>Antooio AIax?ndflno de Urna;
Natal, o Sr. Amodo Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lamos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oveira ; Mranbao, o Sr. Joaquira Marques Ro-
drigues ; Parar, s Srs. Geraldo Antonio Alves &
filbos 5 Amazonas, o 8r. Jeroymo da Costa.
encarregados^ da sbsgrpcao do sul
Alagoa.% o Sr. Clandino Falcc Das; Baha, o
Sr. Jos Marus Al ve; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Rlbeiro Gasparlnbo.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagoes da via frrea at
Agoa Preta, todos es dias.
Iguarass a Goyanna as segundas s Sextas reiras.
Ir
OARTA FEIRA 23 DE MAfO DE 1866
fsr ibis jago deitre deis dias Parte aa correio lar nm aana.......*'.
19i
Slaaa
RNAMBUCO.
Serinhem, Rio Foraoso.Taniindar, Una, Bar-
reiron, Agua Preta Pinaeartelre, as quinta*
terna.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Ciroar.J AUDIENCIAS DOS TRlBSAlH DA CAPITAL.
Altinho, Garanhans, Bdique, S. Rento, Bomj
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas Tribunal do commercio: segundan e quintas.
feiras. iRelacao: tercas e sbados ie 10 horas. >


rtb, Limoeiro, Brejo, Pesqneira Fartda: Quintad i 10 ha
res, VillaB lia.Cabrob, BoaVis- Jn|t0 ****: ^^ M hons.
Pao d'Albo, Nazareth
i, 1
Salguen o eEx, as
ta, Onricury,
feiras.
I Dito de orphos: largas e sextas s 10 horas.
Ho-
nrado cirel: tercas ihiimm
44a. .i
Segunda vara do civel: quarias sfnbades
hora da tarde.
;1 EPHEMER1DES DO ME2 DE MAIO.
ai
rto ming. as 7 b., 22 m. e 3i &. da t.
14 Loa nova aos 38 m. e 58 s. da t.
arlo rese, as 7 b., 38 m. e 46 s. da m.
ebeia as 10 h., 52 m. e 25 s. da m.
'1 .LEllHU til '.
n. 749 de 17 do corrente resolve nomear o capito
[de polica aposentado Jos Pereira Texeifa, para
! servir em commisso no corpo provisorio, e or-
' deoa que neste sentido se expecam as convenlen-
' tes ordens. Fizeram-se as necessarias commis-
i s5ea.
Dita.-O vice-presidente da provincia atienden-
do ao que requeren o tabellio do Publico desta
cldode Francisco de Salles da Costa Monteirore-
solve conceder-lhe mais 6 metes de licenga para
tratar de sua saude continuando a ser substituido
co da presidencia, afim de poder receber^decente- d esse [o actaal ^emuarlo int-
rnente S. A a Serenissiraa Prlnce Leopoldina p d ,09Kn Ramos que servir com
e seo augusto esposo o Sr. duque de Saxe, no caso mMmo .,.,-
de quererem desembarcar oesta capital, qoando 2 "5~ "TwreUri. d, a0.erH0 do d. i a a.
passaram por esta provincia na viagem que vo pemente ao secretario a governo ao uia 10 ne
fazer a' Europa no paquete ioglez que ultimamen
PARTE OFFICIAL
GOVEHVO MPBUriSCTA.
Expediente uu dia 18 de'maio de 1866.
Offlcio ao Exm. commendadnr Dr. Dominios de
Scuza Le5o. Tendo V. Exc. aceiudo fazer parte
da commisso que nomeiei para preparar o pala
te veio do sal, agradeco a V. Exc. o servico que
prestou empregando com os outros dous membros
da commisso sens esforcos e solicitude para o
estado de asseio e decente decoraco em que ticou
o mesmo palacio. Ignaes aos Kxms. baroes da
Vera-Cruz e do Livramento.
Dito ao inspector da tbesouraria de fazenda.
Recommendo a V. S. que, estando em termos o
maio de 1866.
Officio a Clandino do Reg Lima.Pela secre-
taria do governo, se commuuica ao Sr. Clandino
do Reg Lima para seu conbecimento que segun-
do constou de avise da repartirlo do imperio de
3 do corrente nao foi approvado, por nao terem
sido observadas as formalidades do decreto n. 655
de 29 de novembre de 1849 a contrato de afora-
ment que Vmc. eelebrou com a administrado do
caso de licar sem
a admiuistiago do
pret junte em duplcate e nao bavendo inconve- convento da Piedade de um pedaco de capoeiras
niente, mande pagar os vencimentos corres pon- com 100 bragas de frente ao norte do mesmo con-
dentes a' Ia quinzena desle mez -do 1 corpo pro- vento fleando como declara o citado aviso sem
visorio, visto assim o haver solicitado o marechal valor algum enlre as suas estipuladles a de ser
comraandante das armas em officio de 16 do cor- obrigado o mencionado convento a entregar-lbe a
rente n. 741. quantia de 2005000 reis no
Dito ao inspector da tbesouraria provincial. effeito dito contracto.Igual
Providencie V. S. para que estando em termos o convento da Piedade.
pret junto em doplicata e nao bavendo inconve-
niente sejam pagos a Joaquina Jos Gomes de
Sonza conforme solleitou o core-mandante superior
da comarca do Brejo da Madre de Dos, em officio
de 29 de marco ultimo os vencimentos a contar de
19 de fevereiro at 8 do citado mez de margo dos
guardas nacionaes destacados na villa de Pes-
queira.
Dito ao metmo. Tendo o arrematante da eor-
nija do Gymnasio Provincial executado a terga par-
te das obras do sen contrato, segundo consta de
officio do ebefe da repartigo das obras publicas
datado de hontem, e sob b. 193, recommendo a
V. S. que em vista do competente certificado man-
de pagar ao mencionado arremtame a importan-
cia da 1* prestaco a que tem elle direito.
Dito ao mesmo. Mande V. S. pagar a' empreza
COMANDO DAS AMAS.
Qaarlel general do eomuando das armas de Per-
nambuee na eidade do Retire, 22 de maie de
1866.
ORDEM DO DIA N. 230.
Havendo o Exm. Sr. marechal de campo Fran-
! cisco Sergio de Oliveira sido infelizmente acom-
mettido de grave enfermidade, e acbando-se por
em quanto impossbilitado de continuar no exer-
etcio do commaodo das armas desta provincia,
resol veo por bem do servlgo dar-se por impedido
: e passar o commando a quera por lei compe-
SS22H?& ^S^com^moicSo aj -bo tuSS'J^SSBS
publica da mesma eidade durante o mez de abril; g Jjg ^T. SfJSmlt
nn m- "____-^ a --- j -hofo: provincia na data de hontem ; o que fago certo a
-.ys^SsWas^^lS'para sea conheciman,e finsconve-
Pessoa de La-
e sob n. 191 haver sido receido provisoriamente
a obra do 2" lauco da estrada do Limoeiro, em
conseqnencia de ja' se achar concluida de confor-
midade ctm o respectivo contrato; assim o com-
mmico a V. S. para seu conbecimento, e afim de
que em vista do competente certificado pague ao
arrematante daqnella obra a quantia a que tiver
direito.
Dito ao mesmo. Em vista do incluso pret que
me remetteu ocommandante superior deste muni-
cipio com officio de hontem, sob n. 134 e nao ha-
vendo inconveniente mande V. S. pagar os venci-
mentos correspondentes ao mez de abril ultimo dos
guardas nacionaes destacados na freguezia de S.
Amaro de Jaboato.
Dito ao mesmo. Se nao bonver Inconveniente,
e estando em termos o pret junto em duplicata,
mande -V. S. pagar a Joao Jos do Camino con-
torme solicilou o commandsnte superior da co-
marca do Bonito em offlcio do 1* do corrente os
niente?.
(Assignado.)francisco Camello
cerda.
Est conforme.Estenio Jos Ferraz, tenente-
ajudante de ordens interino encarregado do deta-
Ibe.
DIARIO DE PEMAMBUCO.
Pelo vapor americano North America recebemos
jornaes de New-Yofk, cajas ultimas datas sao de
30 do passado.
A respeito do jalgamento do ex-presidente dos
estados confederados o Weekly Herald diz o se-
guirte :
< Corren a noticia de que o presidente tinha or-
denado ao procurador geral dos Estados Unidos
que preparaste o jalgamento de Jefferson Davis, pa-
rante o tribunal da Virginia, pelo crime de alta
vencimentos relativos ao mez de abril ultimo dos traigo. Nao exacto, pois, taes instrucc5es nao
guardas nacionaes destacados oaquella villa. __ ; foram dadas ; mas tem havido freqoeotes cnsul-
Dito ao mesmo. Tomando em consideragao o, tas com os mais eminentes legistas a respeito de
que expoz o vgario da freguezia de Barreiros pa-' Jefferson Davis e de outros comprometiidos na ul-
dre Joao Baptista Soares no incluso requerimento i tima rebelhao, com o tira de preparar o seu julga-
documentado sobre que versa a sua informagao de ment futuro.
30 de abril ultimo n. 164, recommendo a V. S.. Na cmara dos representantes tinha sido nova-
que em vista do parecer e inlormagao juntos por mente apresentada urna proposta declarando que
copia, sendo o 1 do procurador flseal dessa the- na opinio da casa o prompto julgamento de Jef-
souraria e a 2a do chefe da repartigo das obras ferson Davis e a sua immediata execago, se fur
publicas, mande entregar ao mencionado vigario o condemoado, sao imperiosamente reclamados pelo
"1-.0005000, que a presidencia acha-se autorisada
a despender, em virtude do artigo Io da lei pro
vincial, o. 619 de 9 de maio do anno prximo pas-
sado, afim de que possa elle occorrer ao pagamen-
povo dos Estados Unidos.
A esposa de Jefferson Davis tinha obtido per-
misso para vislta-lo na priso.
Clement C. Clay, ex-senador pelo estado de
to das despezas ja eitas com a construego de que Alabama, e aecusado como cmplice no assassina-
foi incumbido, de urna ponte sobre o rio Con j to de Abraham Lincoln, tinba sido posto em liber-
m como se v do mencionado requerimento. da Je por falta de provas.
Dito ao procurador fiscal da thesonraria de fa- j a commisso de orgamento (Commlee of
zenda. Recebl o seu cfOcio de 16 do corrente e Ways and Means) tinha apreseolado a cmara dos
ico sciente de haver V. S. resignado o resto da representantes urna nova lei sobre as rendas in-
ultima licenga que obteve do governo Imperial, re* | ternas, na qual se nolam importantes reduegoes de
assumindo n'aquella data o exercicio de seu em-: impostos. Segundo as disposig5es dessa lei, o im-
prego. posto sobre a renda particular (Incometax) actual-
Dito ao chefe da repartigo das obras publicas, j mente de 5 por cento sobre quantias superiores a
Pode V. S. addiar para o dia 27 de junho proxi- 600 dullars, s sera' cobrado sobre as quantias in-
mo vindonro a coocurso a' que s tem de proce- feriores a 100 dollars, e esse imposto deve acabar
der para preheochimento dos logares vagos de no fim do anno de 1870.
praticantes dessa repartigo, conforme indicou era o imposto sobre o algodo manufacturado ficara'
seu offlcio de bontem, sob n. 194 o qual Oca assim rednzido de 6 por cento, pago actualmente, a 3 por
respondido. cento. O algodo em broto, porm, pagara' cinco
Dito ao inspector do arsenal de roarinha.Fago | cnfa^por libra, em lugar de oms cents, que era o
apresentar a V. S. para ser alistado na companhia imposto actual.
o i do mez -41 526 fardos.
xpoiiafBt ...
Desde 0 Io de setembro r-416^92 fardos.
Desde o f do mez UOS lardojs,
e foram recebidos do interior, em todos os partos
deste paz desde o i de seirabro 1,730,230 fardos.
Assocar. Nao obstante es npprimentos aval-
lados, os procos tem-se sustentado com Qrmeaa, e
as transaegoes foram considerareis. Colamos:'
Mascavados 4ePernambuco4Q 3AU cent, plor
1 ibra em euro.
Mascavados inferiores 10-10 ^ cent, por fi-
bra em doro.
Existencias 14.W7 saceos do Brasil.
- DAS DA SEMANA.
21. Segunda. Ss. Marcos e Thepempo b. .
22. Terga. S. Rita de Cassia viuv.; S. Qoiteria v.
23. Quarta. S. Basilio are.; S. Desiderio b. m.
24. Quinta. S. Antonio b.; S. Manaham prof.
25. Sexta. S. Gregorio Vil p.; S. AJbano p. m.
.. Sabbado. S. Eleuterlo p. m.; S. Heraclio m.
27. Domingo*. S. Joo d. m.; S. Raaulfo ra.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 11 horas e 42 m. da manhla.
Segunda as 12 horas e 6 minutos da Urde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTURO!.
Para o sol at Alagoas a 14 e 30; para o noru
at a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Panu-
do nos dias 14 Jos mezes de Janeiro, margo, znaia
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Reeife, na livraria da praga da Independencia
ns. 8, dos propietarios Mnoel Figueiroa de Fana
& Filbo.
tina.
seu embarque, dando assim significativas
do aprego e consideragao que tributan) ao
te que tanto se tenr eSforeado para dotar a
de melhoraments reaes^ nao se poupan-
0 conseguir a sacrificios e esforcos, taes
o que emprehendeu na viagem a que se des-
f Ji o dissemos e com prazer o repelimos, o
Exm. Sr. Dr. Couto de Magalbaes na rdea e dif-
ticll ttrefa que tomn sobre seus hombros de abrir
o VwttftUns e o Araguaya ao commercio das pro-
vinclnJo Para' e Goyaz, tem sobejamente demoes-
tra#qte a voniade do homen eaaprehendedor nao
contrariara obstculos que o estudo e a sciencla
e Arroz.Tem mostrado mais animacao. e os podem remover.
pregos esto flrmes..Part o pilado 9 tf10 K cent i t K. aio se diga que qnera como 8. Exc, toman-
por libra em casca. do a' si a realisagao de orna empreza como a de
< Borracha.O mercado tem continoaa na que se trata, e sendo o pnroeiro a expoV-se ao boca
maior apathla, e a chegada de 5 navios do Para ou mo resultado della, pretenda nm impossivel.
com cargas consideravqls, trazendo ao mesmo lem-
po noticias de urna baixa gradual nos precos da-
quelle mercado, tem cansado ama nova baixa aqu.
Colamos boje a fina a 72 >a' cent. 75 cent., a
grossa a 55 cent por libra e mesmo a estes precos
fallara compradores. As existencias em primeira
mo raontam a cerca de 500,000 libras.
Cacao.Nominal a 2324 cent, por libra pa-
ra o do Para.
Caf.Chegadas grandes do Rio de Janeiro e [Toi
de ootras procedencias caosaram mulla frouxidao
no mercado dorante todo o mez. Hoje o artigo lem
pareoias de maior firmeza, na expectativa dos
avisos que vamos, receber do Rio, pelo vapor South
America, o na esperanca de embarques pequeos
daquelle porto para este paiz. Colamos em ouro :
< Rio ordinario,' regular 1617 cent., boro, su-
perior 18 X20 cent. .
t Rio, carregamentos regulares, bons, 17 X
18 X.cent.
i Cear, nominal 1719 cent, por libra em
onro.
Existencias 88,150 saceos do Brasil e 54,460
ditos de ontras qnalidades.
t Caslanbas.Q mercado contina supprido de
partidas da ultima colbelta, e as pequeas partidas
da nova que chegaram pelo Madeira e Los Amigos
venderam-se a 9 cent, por libra.
Couros.Mallo frouxos. Para verdes 35/40 a |
Exc. tendo maduramente estudado a possi
da navegacao que emprehendeu nao con-
realisago a outrem, qoiz pessoalmente le-
' ito seos bens combinados planos, e, sem
que o de prestar um importante servigo
z e especialmente a daas provincias que
a fortuna de administrar, metteu mos a
l a'ahi vai cami'nbo de Goyaz levar a ctvilisa-
e a riqueza aos povos que babitam aquellas
nltanangibaf.
Dtiemos a civilisago e a riqaeza, por que a
fcil navagacao dos rica que separa esses povos
trara' a elles esses bens, sem os quaes nao podem
desenvolver sua industria e sea commercio.
c E, pois, como verdadeiros interpretes dos sen-
timentos que animam s. Exc. nos Ibe desojamos
um completo triumpho na reallsago de sua. empre-
za eqneem breve o vejamos restituido no lugar
que dignamente oceupa nesta provincia.
MaranhXoContinuava a assembla provincial
a fonecionar*
O Tpor Gurupy, ao sahlr da barra, atraves-
sou-se na .proa da canboneira franceza La Molhe
Piquet, eausaodo-lhe algamas araras.
Perdera-se, prximo a barra das Preguicas,
o patacho austraco Mana en) viagem de Hambur-
go paria Maranho. .
A' eaw respeito diz o Paiz :
Voltau o Shermann das Pregoigas, onde foi par*
libra 7 >{ cent, em ouro, Minas seceos 15/16 a II- soccorrer o patacho austraco Afana, que all na li-
bra 1617 cent, em onro, Maranho e Pernam- > fragoo, viodo de Hamburgo para esta eidade. Nes-
buco salgados seceos 26/30 a libra 1010 /< cen. te vapor foram empregados da alfandega com al-
Ja' se acbavam recolhides a alfandega todos
os salvados do brlgue Lastiga.
Em Batarite lavrava com intensidad?, as
cmaras de angue. Entre as victimas que teem
felto, cont-se o commandante superior Manoel
Antonio de Oliveira.
Falleeeraro: o professop aposentado Clemente
, Barbosa de Moraes, com 70 annos; o lenente-co
! ronel Joaqnim Cesar de Mello Padilha, comman-
I dante da fortaleza da Assumpgao ; e o major Ben-
; to Villar de Carvalho, fazendeiro da Telba.
I No Aracaty, com as chovas que continoavam
cada vez mals copiosas^ dusenvolveram-se as c-
maras de sangue, com tal intensidade que Bierara
44 victimas no mez de abril.
Em 14 do corrente, estava a eidade ameagada
de ama nova chela no Jaguaribe, e isso (aiia com
que a populagaoj se estivesse mudando para os
altos.
I A canboneira franceza La Mothe Piquet, che-
gara ao porto da capital no dia 18 do corrente,
procedente do Maranho, e devia largar para Per-
nanbucq a 20:
I L-se no Ctarense:
< De Janeiro a abril do corrente anno Iraportoo
esta provincia das do Rio, Babia e Pernambuco
1667 arrobas e 25 libras de assocar branco; 2100
arrobas e 14 libras do refinado, perfazendo 3768
; arrobas e 7 libras.
< Um cagado r descobrio no serrote da Rola,
junto villa de Sant'Anna do Acaracu, ama ossa-
, da humana, que mal se conlinha n'uma pequea
1 grata de pedrae.
< As tibias, oa canas das pernas estavam frac-
. taradas.
O delegado de polica mandou proceder a exa-
me por peritos, e estes declararan) que a ossada
1 era amiga, e pareca de om bomem de alta esta-
! tura, morto ba annos. Aquella aoloridade conti-
nuava era soas pesquisas com maita solicitude.
Ro Grande.Nada occorreo digno de menguo.
Pabahyba.No dia 9 do corrente foi collocada
! a cumieira do edificio destinado ao tbesouro pro-
vincial.
De 1 16 do corrente rendeu a alfandega
9:679*847 e o consolado 6:049*22 res.
Nesse mesmo lempo ontraram, na inspeegao
do algodo, 558 saccas desse genero.
Um oficio do secretario do governo, remettendo
as informagoes pedidas sobre a petigo de Manoel
Gongalves Nunes Machado.A quero fez a requi-
sigao.
Outro do mesmo, remetiendo nm exemplar da
falla com que S. M. o Imperador encerrou a 3* e
abri a 4* sesso da 12 legislatura da assembla
geral.A arebivar-se.
Outro do mesmo, communicando a assembla
que nos termos do art. 16 da lei de If de agosto
de 1834. S. Exc. o Sr. vice-presldente vai sobmet-
ler a decisao da assembla geral o projelo de lei
que foi approvado por dous tercos, e que relativo
ao compromiso da Irmandade das Almas da ma-
triz de S. Loureneo da Mata.-inteirada.
E' approvada a redaecio do orgamento provin-
cial com nma emenda do Sr. Costa Ribeiro, man-
dando contemplar na le a qoota para o acode da
Gloria, de conformidade com o que havia sido adop-
tado na casa.
Ld-se e jolga-se objecto de deliberago um pro-
jecio de le aotorisaodo o empedramento da estra-
da de Jo3o de Barros.E' dispensado da impres-
sao a requerimento do Sr. Amvntas.
ORDEM DO DIA.
3* discosso do projecto n. 88 deste anno, con-
cedeodo ama lotera a scciedade promotora da co-
lonisagao polaca.Approvada sem debate.
2* discussio do projecto n. 99. que abre om cr-
dito sopplemeour ao orgamento vigente.Appro-
vado sem debate.
2* discosso do de n. 86, qne eleva os vencimen-
tos do professor substituto das aulas de latim desta
eidade padre Joo Jos da Costa Ribeiro.Appro-
vado sem discussao.
Passando-se 4 eontinaaglo da discosso do or-
gamento municipal, verificase nao haver numero
legal, e o Sr. presidente levanton a sesso desig-
nando paraordem do dia a continuagSo da ante-
rior, e mais a Ia discosso dos projecto- ns. 100 e
101, e 3a dos de 86 e 99 todos deste anno.
em ouro, Babia salgados seceos
cent, em ouro por libra.
c Couros de veado.A procura tem augmentado
de novo, e os do Para vendem-se a 70 cent, por
libra.
t Comar.Nominal.
< Juta y secca.De boa qualidade 3032 cent,
por libra.
c Oleo de copahiba.6162 cent, por libra em
onro.
c Uruc.Em boa procara a 4550 cent, a li-
bra para primeira qualidade. 2540 esnt. a libra
para a segunda.
c Farioba.De trigo de boa qualidade falta mui-
to e vende-se a precos altos. Colamos:
c Marcas de Baltimore famly cent. 15 Vi16
Vi- 26*000-27*200.
< Ditas de Baltimore extra cent. 12 V13 '/2.
213600-235000.
t Dita de Nova York La Plata cent. 13. 225000.
t Dita de Ueste Plaois cent. 16 '/,. 275200.
c Dita de Si. Lois ceoi. 12-16. 205300-
265300.
c Dita do Ohio arcos redondos, cent. 99 '/>
155700-165500.
c Dila de Richmond cent. 11 V,-il '/,. 205000
-245300.
t Por barril posto no Brasil com frele a cen.
ie5% o seguro martimo ao cambio de 27 d.
t Cambios.Era ooro. Londres 60 d/v 107 3/
108 '/a % Paris 60 d/v frs. 5 -5 Hamburgo
60 d/v 35 V436 cent. Lisboa e Porto 3 /d nomi-
nal 960 rs.
t Ouro.128-129 /
P. S. Todas as cotagSes devem-se comprehender
em raoeda papel, se o contrario
mente mencionado.
30/32 a libra101 gums pragas da guarda nacional para aoxilia-los
e caixeiros da casa dos Srs. P. Bealty & C, consig-
! natarlos do navio.
t Abi ebegando. souberam de om fado at hoje
nio visto nesia provincia. O Sr. Felipde Neves de
Almeida, 4* supplente do juiz municipal do termo,
venden a diversos Individuos do lugar o navio e o
seo earregamento pur 6005000.
i Na coramunlcaco qoe teve a aHaidega se diz
este juizo qoe a venda foi em basta publica, e em
virtude do art. 733 do cdigo do commercio. De-
cididamente o Sr. juiz municipal nao leu o cap 3
do til. 4* do regnl. das alf. de 19 de outubro de
1860, do qual expediram-se copias a todas as ao-
I toridades, coja jartodiego esleode-se a costa da
provincia; se lesee verja qoe a arrematado dos
i gneros salvados s poderla ter logar a reqoeri-
mento do capito oo dono do navio, o qn* nao se
' den.
c Consta-nos qne algons dos arrematantes, logo
qoe la chegaram os empregados da alfandega de-
sistiram do negocio; outros, porm, qaerem fazer
I valida a venda, qoe realmente nao e das peiores,
pois o oavio e o earregamento, comprado por to
pouco dioheiro, podem valer mais de viole con-
gos.
< O Sr. inspector interino da alfandega levoo
immediatamente ao conbecimento do Sr. inspector
I da tbesouraria de lazeoda este singular negocio.
< O Sr. vice-consul d'Anstria levoo tarabea) ao
Sr. presidente da provincia orna representar j re-
latando o aconteeimento.
O navio est inteiraraenie perdido, mas pode
salvar-se o earregamento, do qual ja vleram no
Shermann 1,200 voluraes, que esto recolhidos nos
nao fr expressa- j armazens da alfandegi.
> Tanto por parte da alfandega como dos consig-
natarios do navio houve prasieza era lomar provi-
i dencias, e mais prompias ellas seriam se as cartas
m
PERNAMBUCO.
de aprendizes marinheiros, o menor de nome Mi-
guel, se para isso for julgado apto.
Dito ao mesmo.Mande V. S. alistar na compa-
nhia de aprendizes artfices desse arsenal o menor
Antonio Martina Calisto, visto estar as condigdes
do regolaraento respectivo, segando V. S. declaroa
em sua informagao de 15 do corrente, com refe-
rencia ao incluso requerimeoto.
Dito ao juiz de direito interino do Rio Formoso.
Respondo ao offlcio de 13 de abril ultimo, em
que Vmc. me parlicipoo os providencias dadas re-
lativas a reoniaodo jury do termo d Serinhem,
remettendo-lhe por copia o parecer de conselheiro
presidente da relago de 17 do corrente, com o
qual me conformo.
Dito ao pr-presidente da cmara muninicpal da
eidade da Victoria.Em sologlo as dovdas pro-
postas em seo offlcio de 27 de margo ultimo, tenbo
a dizer-lhe quanto a primeira que deve a cmara
pagar as costas dos processos era que (or coodem-
nada por qualquer actondade criminal por ser ge-
nrica a disposigo do art. 307 do cdigo do pro-
cesso como explica o aviso o. 240 de 17 de julho
de 1849, e quanto a segonda que a prescripgo de
dividas de cusa?, tem lugar de conformidade com'
o disposto as ords. livro 1* tit. 79 18, tu. 84
30, til. 92 18, comn declara o aviso n. 548 de 21
de dezembro de 1863.
Portara.O vice presidente da provincia, atteo-
dendo ao que requereu Sebastiio Mondes Bandeira
Guimares, e tendo em vista a informagao do ca-
pito do porto datado de 12 do correle, sob n. 49,
resolve conceder-lhe licenga para tirar pedras cal-
carias somenle ao sol da barreta que Oca em fren-
te do Ro Formoso.devendo ser esta apresentada ao
mesmo capito do porto e as autoridades lo-
caes.
Dita.O vice-presidente d;t provincia, attenden-
do ao que reqoereo o escrivo do civel da comar-
ca de Nazareth Franklio Alves de Sonsa Paiva, e
tendo em vista a informagao do respectivo juiz de
direito datado de 3 do corrente, resolve conceder
ao mencionado escrivo 6 mezes de licenga para
tratar de sua saude onde lbe eonvier.
Dita.O viea-presidente da provincia atienden-
do ao qoe reqoereo Chrstovo de Hollanda Bizar-
ra Cavaleante capito do batalbao n. 20 de infao-
tana da guarda nacional do municipio de Naza-
reth resolve conceder-lhe 6 mezes de licenga qoe
sollicitou para ir ao serto.
Dita.O vice-preiidente da provincia era vista
do offlcio do marechal commandante das armts
Ficara' abolido o Imposto sobre os bancos de de-
posito e caixas econmicas.
Ha tambem isengo de impostos sobre as prin-
cipaes especies de ferro manufacturado e importan-
tes reduegoes em ontras.
Sao abolidos igualmente os impostos sobre os l-
vros, mappas, gravuras e photographias.
llavera' tambera reduego de 1 a 2 por cento so-
bre as dilTerentes especies de assocar.
Em perto de cera ootros artigos a nova lei de-
creta grandes reduccoes, e em ramtos isengo total
de impostos.
Da guerra civil do Mxico nao encontramos
noticia importante. Jurez continnava a residir na
eidade de Poso del Norte. O ministro francez era
Washington tinba informado oficialmente ao go-
verno americano qoe as tropas irancezas seriam
retiradas do Mxico em tres destacamentos, o pri-
raeiro dos quaes sabira' em novembro deste anno,
e outros em mato e novembro de 1867.
Dizia-se qoe o ministro americano em Venna ti-
nha recebldo instmcgdes para protestar enrgica-
mente, em nome do seu.'governo, se a Aostria ma-
nifestar a intenco de intervir nos negocios do M-
xico, qoaodo a protecgo franceza for retirada a
Maximiliano.
Urna esquadrilha americana tinba sido envia-
da ao norte, junto das fronteiras do Canad', para
vigiar os movimentos dos tenaos, qne, como se
sabe, ba moilo ameagavam fazer ama invaso oa-
quella parte das possessoes britannlcas. Parece,
porm, que esses patriota* irlandezes, convencido
de qoe os Estados-Unidos guardaro orna rigorosa
oeutralidade, vo abandonando os sens cbimericos
planos.
Urna empreza americana tinha contratado a
construeco de om lelegrapbo elctrico oa China,
desde Pekn at Can to.
Damos em seguida o prego corrente da casa
importante dos Srs. L. E. Amsincbet A C, de New-
York:
< Nova-Yoik, 28 de abril de 1866.
Algodo.O mercado est completamente no-
minal, em conseqnencia das ultimas noticias de Li-
verpool, de 14 do correte, avisando ama baixa de
precos all al 13 }.{14 penco para middling. Os
precos aqni eslo muito irregulares e colamos 32
33 cent por libra para middling Upland e 33-34
cent, para middling New Orleans.
Mov ment neste mercado.
Importacio,
i Desto P V e setembro 719,366 fardos.
Chegou tambem bontem o vapor Cruzeiro do Sul, f* SSSLiSS anouknciand?, *i,?*sJ"lU"
' nos o naufragio seno ttvessem sido extraviadas.
< A passa que nos d estas informa ;oes diz
que Ihes consta terem ja ido para a Parnahyba al-
gutnas candas com gneros enviados pelos arrema-
tantes.
t A que esto sojeitos os interesses comraerciaes
com taes autoridades.
L-se no Publicado)':
t Sabe o publico que alguos maranhenses que-
rendo honrar o nosso distincto comprovinciano o
teoeute Ewerton, um dos bravos de Paysand e
No mM'nassado're'ndeu a alfandeea .....; Biaebuelo, resolveram promover urna subscripgo
JL5SJa a........ para offereeer-se-lhe urna rica insignia do habito
de Christo condecorago conquistada pelos seus
actos de bravura.
Incumbise de levar a effeito esse nobre pea-
smenlo urna commuso composta dos Srs. Jos
Maria da Silva Psrlo, por Jos Antonio Moreira,
os portos do norte do imperio, com datas do Ama-
zonas at 5, do Para at 13, do Maranho at 16,
do Piaohy at 2, do Cear at 19, do Rio Grande
at 20 e da Parahyba al 21 do correle.
Eis o que col hemos dos jornaes.
Amazonas.Falleceu o inspector da tbesouraria
de fazenda Andr Cnrsino Benjamim.
Para.Tendo-se retirado para a Europa dous
membros da drecgio da Associaco Comraercial,
foram eleitos para sobslitui-lo os Srs. Jos do O' de
Almeida e Alfonso Gelot.
205:7875102 rs.
J tinha coraegado a recepgo dos objectos
destinados a figurar na exposigo provincial, qoe
deve ser abena no dia 10 de junho.
Seguir, oo da Ia do corrente, a canhoneira
bicuhy, com o caplto-tenente Jos da Costa Aze-
vedo e os outros membros da commisso de limi-
tes, entre o Brasil e o Per, a continoar em seus
trabamos
A' S. Exc. Rvma. foram offerecidas, por di-
versos devotos, ana cora de caoulilho de prata
guarnecida de estrellas de ooro e seis palmas de
Odres braceas anificiaes para a imagem de Nossa
Senbora da Conceigo.
Depois de orna grave inferraidade, que o pren-
den qolnze dias cama, fleava raethor o Sr. Dr.
Joaqnim Baptista Moreira, cnsul de Portugal.
Assomira as redeas da admioistrago provin-
cial ioterioamenie, o Exm. Sr. Dr. Joo Mara de
Moraes, vice-presidenle.
Fallecer o Dr. Manoel Gomes Correa de Mi-
randa.
O fallecido occopra amigamente oa capital do
Para varios cargos, pblicos, e na provincia do
Amazonas'as posigoes de vice-presldente e joiz
de direito. Ultimameote viodo a aquella capital
tratar de sna saude, perdeo sna consorte, facto
qoe aggravoo profundamente os seos s o tf rimen tos,
levando o sepultara.
L-se oo Jornal do Amazonas :
As seis horas da manba de boje (8) desferrou
do nosso porto com deslino a gigantesca empreza
do Tocaolins o vapor Para, levando a seo bordo o
Joo Rodrigues araiva e Amaocio Jos da Paixo
Cearense.
i Essa commisso desempenhou dignmeme
sua trela.
c Pelo ultimo vapor chegoo do Bio de Janeiro a
insignia e acha-se actualmente exposta na loja do
Sr. Patxo Cearense, a roa Grande o. 11.
< E' bella e digna de oroar o pello d'aquelle a
qnera vai ser offerecida.
t Tem 4 quilates de brllbantes e rublos. Seo
valor de 8005000.
f L-se oo reverso a segointe inscrlpcio :Ao
tenente S. R. Ewerton, qne pelejou em Paysand
e Riachuelo, offerecera os Maranhenses agradeci-
dos. >
Piadht. Eslava de volta a' capital, diz o Paiz
do Maranbo, o presidente da provincia, nio tendo
conseguido realizar a navegacao a vapor at Oei-
ras por terem baixado conslderavelraente as aguas
do Canlnd. Se lio grandiosa idea for algnm dia
coroada de feliz exilo, o Piauhy tirara' dessa nave-
gago immensas vaotagens.
Esta' paga toda divida fondada da provincia.
E' dos maiores servlcos que o Sr. Df\ F. Doria tem
feito em soa admioistrago.
c Esta divida foi contrablda em 1861 e 1862 e
Exm. presidente da provincia Dr. Jos Vieira Coa- orcava em 46:3005000 representada por 463 apo-
to de Magalbes. i lices de 1005000.
Os esforcos e fadlgas a que S. Exc. para rea- i Tomando posse da adminisirago em 1864, o
llsago desta empreza se tem imposto vo ser ang- Sr. Dr. Doria acbou apeoas pagos 4:6005 mas em
mentados com o sacrificio a qoe se expde de pes- fias d'esse mesmo anuo oo principio do segointe
soalmente tentar a primeira viagem s perigosas e amorlizava S. Exc. mais 21:7005, depois 2:0005 e
longiqoas regiSes do Tocanilns por nltmo, no dia 19 do mez passado, o que resta-
< As seis horas da manha de 8 de corrente te- va 18:0005, Meando assim toda ella extracta.
ve logar o embarque do Exm. Sr. presidente da c E' bello este floreseente estado de flnangas qoe
provincia DP. Jos Vieira Cooto de Magathes, que aprsenla a provincia, mais sto nao tida. Paga
como j aononclamos, segoio no vapor Para com
destino ao Tocanlins.
Lozido e numeroso concurso acompanbou S.
Exc do palacio ao castello onde teve lugar o em-
barque, e se achava a banda de msica do corpo de
artilharia da guarda nacional destacada tocando
(odas e escomidas pegas.
c S. Ex ao embarcar oo escaler qoe o devia
cooduzir a bordo do vapor, despedio-se dos Exms.
Srs. vice-presldente, chefe de polica, cmara mu-
nicipal, offlciaes dos corpos da guara nacional des-
tacados, membros da commisso da praga do com-
mercio, chefes e mals empregados das repartieres
publicas e dos mallos e dlstioctos cavalheiros da
sociedade paraense qoe como aquellas, coocorre-
a divida fondada e os seus joros, anda restam em
cofre 40:0005000.
Apezar dess economas, todas as necesslda-
des publicas teem sido attendidas, tem-se empre-
hendido obras importantes, melhorando a inslroc-
go, estendldo a vapor do rio Parnabyb, e todos
os pagamentos esto em dia. >
Ciar As epidemias que grassavaoi na capi-
tal, cemeeavam a declinar.
Copiosas chovas cahiram sobre a capital, na
noote de 4 do corrente, Alagoa do Garrota sangrn
e reuoio soas aguas a's do Paje, e prov.velmente
grandes teriam sido os estragos se as QvQ**s fos-
sem mals doradonras. Algamas '.mi da roa do
Mercado foram inunndadas.
4SSEIBLEA LEGISLATIVA PROVINCIAL.
SESSO ORDINARIA EM 16 DE MAIO
DE 1866.
PRKSIDENCIA 00 SR. VIGARIO FRANCISCO PRDRO DA
SILVA.
As 10 3/t boras da manba, feita a chamada, ve-
rifica-se a presenga dos Srs. deputades Francisco
Pedro, Ramos, Ayres, Mergulho, Buarqoe, Gas-
par, Ribeiro, Arminio, Epaminondas, Soares Bran-
do, Paes de Andrade, Lopes Machado, Angosto
I.eao, Amyotas, Janseo, Brilo, Burgos, Emygdlo,
Hisbello, Giliraoa, Jeronyrao, Amonta, Joaqaira
Reg Barros, Joaqnim Tarares, Sergio e Tiburtino.
Abre-se a sesso.
L-se e approva-se a acta da sessio anterior.
0 Sr. 1' Secretario l o segointe:
EXPEDIEiNTE.
Um offlcio do secretario do governo, remettendo
o acto pelo qual S. Exc. o Sr. vice-presidenle pro-
rogoo por mais seis dias os trabalhos da assembla
provincial.Inteirada.
Urna petigo de Vicente Ferrelra da Costa Mi-
randa, pedlodo isengo de urna multa qoe lbe foi
imposta.A commisso de obras publicas.
Falla pela ordem o Sr. Joaqnim Reg Barros.
OBDEM DO DIA.
Contina a discnsso das emendas ao orgamento
provincial.
Fallam os Srs. Buarque, Correa de Brilo e Costa
Ribeiro.
Encerrada a discnsso sao approvadas as emen
das ja publicadas cora excepgo da que manda res-
tabelecer a disposigo facultativa para a gratifica-
gao dos coadjutores, sendo adoptado o projecto
emendado.
3* discusso do projecto n. 49, autonsando a
construego de pontes, com eslabelecimento de pe-
dagios, no rio Capibaribe.Approvado.
2* discosso do projecto o. 88, que concede urna
lotera para a sociedade promotora da colonisac.no
polaca.Approvado com orna emenda do Sr. Emig-
dio Marques, que manda que a extraego tenha lu-
gar dentro de un anno.
E' dispensado do intersticio. *
3' discosso do projecto o.. que concede diver-
sas loteras.Approvada sem discnsso.
Con ti n i a discusso adiada do requerimento do
Sr. Gaspar Drommood e mais membros da minora
pediodo informagoes ao governo sobre a innovago
celebrada no contrato de limpeza desta eidade.
Fallara os Srs. Joaqoim do Reg Barros e Drom-
mond.
Encerrada a discusso o requerimento appro-
vado.
1* discosso do projecto n. 99 deste anno, aoto-
risaodo diversos crditos supplemenlares.Appro-
vado sem debate.
Contina a discosso do orgamento municipal.
Art. S. A cmara de Goiaooa.
J foi publicado.
E' approvado com a emenda que eleva qoota
para as obras mooicipaes, seodo regeiladas todas
as mals.
Art. 6. A cmara moicipal da eidade do Rio-
Formoso autorisada a despeoder com os objectos
abaixo designados a qoantia de 2:5185-
i. Ordenado da secretarlo..... 5005000
2. dem do portelro.......... 1205000
3. dem do fiscal da eidade.... 4005000
1 4. dem do fiscal da fregoezia de
de Una........................... 1205000
5. dem do guarda............ 1505000
6. dem doadvogado.......... 2005000
7. dem do procurador........ 2405000
9. Expediente................. 605000
10 Agua e loz para acadea... 10O5990
H Cusas................... 2005000
8 13 Aluguel de casa........... *tr5!
I 16 Obras municipaes..........
14 Eventuaes................. 805000
-
2:5185000
Falla contra diversos paragraphos oSr. Souto
Lima.
Verificando-se nao haver numero legal o Sr.
presidente levanta a seso, designando para ordem
do dia a continoago da anterior e mais a 3* dis-
cosso do projecto n. 98 deste auno.
SESSO ORDINARIA EM 17 DE MAIO
DE 1866.
presidencia do sa. Io SECRETARIO silva ramos.
Ao meto dia, feita a chamada, verifica-se esliram
Sresentes os Srs. depotados Silva Ramos, i ,
lergolho, Amyolbas, Burgos, Jansen, Coi Ri-
beiro, Gaspar, Soulo Lima, Joatraim
Emigdio, Amyntas, Soares BraoWtopeaJIwua-
do, Correa de Brito, Jerooyroo, Hisbello, Paes de
de Andrade, Arminio, Amorim, Sergio, Joaqnim
Reg Barros, Andr CavaJcaati, Br^iaond**, Gt-
llrana e Buarque.
Abre-se a sesso.
L-se e approva-se a acta da sesso antecdante
O Sr. f Sxcnvrawo diaeuta do segointe t
EXPEDIENTE.
REVISTA DIARIA
Em eonsequencla dos incommodos pbyslcos de
S. Exc. o Sr. marechal comraandante das armas,
os quaes lbe impoe a temporaria cessago do exer-
cicio de soas funegoes, assumio honiem o comman-
do das armas desta provincia o Sr. tenente-coronel
Francisco Camello Pessa de Lacerda.
Lemos em ama carta escripia da campanha,
e com referencia a passagem do nosso exercito pa-
ra territorio Paraguayo, o segointe trecho:
f Nao posso deixar de mencionar os batalhoes
ns. 11 e 30 de voluntarios peroambocanos. Estes
nao desmentirlo o nome qoe to heroicamente ga-
nbaram os seos aotepassados. >
Pedem nos qoe lembremos, a' qoem compe-
te, a collocagao de orna bota pela pepa do casco
da barca Ingleza Felisbella, qoe se acha oo fuodo
' do mar defronte do forte do mar, para evitarse a
I prda de barcagas qoe demaodarem a barra ou
sahirem, as baixas-mar de noite, qoando aquel le
avie fica em parte descoberto.
Do porto de New-York sabiram para o nos-
so os navios Weland, Briltant, Anna e Imperador.
Durante a noite de 21 foi sobtrahida da of-
ficina de ourves a roa da Imperatriz, perlencente
ao Sr. Vicente Antonio do Espirito Santo, amaga-
veta da nanea de trabalho do mesmo seohor, na
qual exisliam mallos objectos de ooro e prata,
brilhaotes e diferentes ootras pedras preciosas,
varias moedas, papis ie importancia e ferrameo-
(a do offlcio, segundo a relago qoe o mesmo se-
nhor publica em lugar competente desle Diario.
Como autor deste furto foi preso logo depois um
escravo do Sr. major Marcelino Jos Lopes, ten-
do-se j encontrado algoos objectos dos soblrabi-
dos, gragas a aclividade da polica.
A' bordo do vapor North America passou
hontem, para o Rio de Janeiro, o celebre prestidi-
gitador Ilermann, que tanto agradou ao nosso pu-
blico em o anno de 1859.
Segundo ouvimos a' esse cavalleiro, dentro de 4
mezes estara' de volta a' nossa provincia, onde se
demorara' para exhibir nao s o seo novo e ma-
gestoso gabinete, como mostrar ao publico urna
serie nova e nunca vista aqu de mgicas e pres-
tidigitares.
Para as oqltes de S. Joo, S. Pedro e Saolo
Antonio, acaba'de receber a confeitana do Sr.
i'into, a' roa da Cruz n. 13, om rico e variado sor-
(imento de sorles com estilos, ornadas com os re-
tratos nao s, de personagens europeas, como das
que figuram no tbeatro da guerra actual.
Recommeodamos, pois, esse eslabelecimento aos
amantes desses divertimentos.
Passageiros vindos no paquete nacional Cru-
zeiro do Sul:
Manoel de Barros Barreto, Wllliam Martioeau,
Mariano de Sooza Falco, Manoel Gomes Moreira,
Alipio Ferreira Bailar, Manoel Marques Camacho,
Nicolao Pogitare, Hermenegildo de Sooza Lobo,
Francisco Mitbolo, D. Joao Fagrega, Salvatori Ca-
sacaraba, Jos Eboiy, Francisco Angosto Pacheco,
Clemente d'Araujo Lima Jnior, Manoel d'Araojo
Lima, Dr. Antonio Manoel de Medelros Furtado,
Gongaio Pialo da Silva, Conrado Joaquim de Lira
Flores, Guilherme Meyer, Cerf Norat, Fraocisco
Gomes Marques da Fonceca, Carlos Ribeiro Pessa
de Lacerda, Bento Jos de Castro Aniones, Jos de
Oliveira Nelto, Severlaoo Francisco Ramos Ferrei-
ra, Francisco Antonio Ferreira, Antonio Joaqnim
da Costa Cadete, major Antonio Dornellas Cmara,
Joao Vieira Dornellas Cmara, coronel Francisco
Fidelis Barroso, Querobioo Bandeira, Manoel Ribei-
ro de Carvalbo e soa familia, Hermano Lasskens,
Lniz Sand, Jos d'Aqoino Fonceca, Francisco Ro-
drigos, Joaqoim Rodrigues do Nasclmento, Fran-
cisco de Paula Rodrigues, Joaqoim Florano d'll-
veira Gal vo, Joo Jovenal Barboza Tinoco, Manoel
Joaquim de Seixas Machado, Augusto Ribeiro Gon-
galves, Julio Klein, Francisco Jos do Couto Ro-
cha, Bodolpho Sergio Ferreira, Manoel Alvares, 4
pragas e escrave*.
Segoem para o sol:
Dr. Geotil-Homem d'Almeida Braga, Igoaco Jo-
s Alves de Sooza, Jorge Carsomago, Manoel Pe-
reira Guimares, Raymundo d'Aras Lelo, Seve-
riano Antonio da Silveira Ramos, Cleraeotino da
Silvera Ramos, tenente Raymonde Ewerton, Da-
niel Luiz Rosa, Carlos Loiz Gomes, Genlil Angosto
Mendes Roas, 2 pragas e 6 escravos.
- Passageiros viodos de New-York e portos In-
termedios, no vapor americano Norte America:
Presin Hooper e William Welch Juoior.
Passageiros sabidos para o Rio de Janeiro no
vapor americano Norlt America:
Henry Daveton e LouU Sant.
i
Conununicados
() No mel do silencio qoe nos tamos Imposto
sobre os negocios, da Veneravel Ordem Terceirade
S. Francisco, nm bradnje nos arranca do petlo em
ndoinvidam por conservar
illesoa os direitos djnBesma Veneravel Ordem, ad-
vogando Interesses qoe lbe pertencem, cercando-a
de elementos qne a garantam contra males qoe Ibes
preparara a insidia de ons, aa paHo* Q'7fo &*
() Por sa terem dado aiganM iacorracgda de
novo publicamos esta correspondencia.
Os Redactores,

I-


.
Otarle e PerMiba
otros, i' af quedaos-do aaej'Briroanreseutninmi lam^irariHiwi^sao do nwsrn
devem a Veneravel Ordem, ao juramente-solemne i oreamento urna emenda o-artigo 5: elevando a'
qa prestaram, nao duvidam solapar-lhe s fouda-
menu*aQttic destroir-lhe os reoarsos de dia vifiaa recisar II H assim. come aborras-
ca nao estaln e desaba nos astros, sera certos sig-
naes precorsores, que a enounciam : assim tam-
bera temos nos procurado tyhecer orjfam, o
desvio e cansa, que aciuafWB aa reta # aeon-
tecimeotos para" produtitne9se estado* exalto
>rictaj(/zigkaa9 meabas, ai
lascar ralo para roelh
s aesviar 1 -se diz I d
ment, de odios e capr
s de boje, se procura l
o nosso estado, para nos
marcha tortuosa era que toaos casa 10 hado, e esa
qne ja' nos tem precedido alguas desses mesmos,
que anda a' pouca atopoado do poder, sanca, s-
mente agora, qae sofaes tatetha > queda, qoe toes
acarretou seus proprfcs erros e mesquinTias nai
npprovada, s M tmf 1 deizar de faze-lo, vendo que os servidos desse
yogado reelamavam orna retribuido raaior, que
alias estar bera losge aa aatemar a coaaerva?
<3o ordena* do atofado'd cmara da Astada.
Alguese, que provavenaeote-om tora' as*' "venta
aa da, quiztoaTigar-mecotnoSr.Dr. Aleoforaao ad
vagado da cmara do Recire, latineando asa pro
ceder de miaba parto, qae nao -tradastodo a inte-
gridade 4o carcter de am de
a' orna aareeiacaa, que-aaria
bono.
fattoaatte, poram, otee intrigante, que nao ae
(]uem nao coaseguo o'fim qne se propoz attfn-
msa'cipaes se pr<-paravam
medida caso a.assembla ni
deste dever. Js-ergtuneuias
ram os Impugnadores da insp
valor como oes o demonstrou
pondente deste Dueo D F
unto que a la As iropraue da. alg1
asperjan aa*
ntonhonl
caotettooom a
interesase**, vial q
repreaMUMe es intemaias
xpoona-raalaa prensarla! advogaado a ansa de teas
ea mea deser toga aao ato r ntanaem prajud
qoem aao s' aa> oBsaism oom a
xoes, desviando delles e aopoio daqaelles, qae da Ir ; nem attiagiria anda mesmo que ea trvesse boaeetos parque estes desojar: de corafq .fti>pa-
i__ -_____*i_____... ______-....... tu. 1...___i.u.______-.._____.. .......u n rselmanlA rfs incnui>oan
boa f,os acreditaram, ibes approove recorrer. tldo ama conducta meoo3 attepciosa"; por quanto o
E" assim qae vamos aasigaalar a origem do ac- Sr. Dr. Alcoforade, a' qem sincera e cordealraea-
tuat estado era qae eiistem os nimos naquella la- te preso, e qae me honra cora ua amisade, naaca
ta, que se deu na eMelo do anuo de 1864 a 1865, interpoz os seotimentos de gradio, que lhe evo
sendo ministro o Sr. Joaqulm Mauricio Gonealve? a* flm de que eu me apaftasse do meu dever como
Rosa : este irraao esqueeendo, ou antes despresan- representante desta provincia,
do a disposlcio do artigo 20 de nossos estatutos, do Ado o Sr. Or. Alcofarado iocapaa de eompro-
respeto ao caito, elle o primelro depois do Rvmd, metter a Independencia de quem quer qae 1or ero
coramissario, qae devia acatar e respeitar as cons- Leaeflcio de sea interesse mas umbem flqae car-
ciencias, usoa de am mel poaco honroso, para ob-; to esse mea desaffeeto mentiroso, qae eu no vota-
tor o veocimento da eleicao para s a amigo o ex-; ria contra a emenda miotstro Silva Brasil, offerecendo e foraecendo do ella respeito ama pessoa de miaha arntiade,
cnapas carimbada, e empregado melos de toda; smente pelo estulto prater de passar por Clao,
a ordem, por si a seas canhados, a flm de qae ven- quando altas ea receaheeia a Jutlca da medida
cessa o t u amigo Silva Brasil, contra a eleicao do propooa; aseim eeasaqne no caso de qae eg ea-
caodidato Adriano. Vs tinheis, diris, melhor di- tendesse que ella er-a contraria aos Interease de
reito que oalros, em assigoalar o oseo aubslilnto ; maltas, torta a eorageai de negar-lhe o meu voto,
aao vos pegarei sse direito, saeate esugmatiao, sem procurar cora *
aonaa todot oa tatareaaes -yodem aar
dos e concHlados T Nao sao por certo
t3 dcio ic 18e6.
-

EDIT4ES
Anoazera n. II, era marca, 1 voluae com 1
a minha ausencia do reciato da
reciraento da inspeceo.
ora s elasse conheco ec qne se deva affllgir
com a in&peccio a qaal essa poeira que -te tea
levantado como prnsanos -s com as visto* de
lesar ao matulo, digo tesar jorque todos sabem
qae algaos individuos sea- eir nem beira 4e tem
transformado em prnsanos, a pagando por maior
preco do qae pagam os prendarios maiseat lau-
dados. Ora, quera d ao inmuto maior proco do
qne aqoefle porque vende ao negociante aatt cla-
ro, r.iz ao vendedor i ato iaque.-tionaveJ.
Avista disto era de necessldade urna aedida
que garantfsse os agricattores, e esta Medida
sem dorida a inspec?4o publica do algodo: Es-
peramos por tanto, qne o>xm. Sr. Dr. Manoel
Clementtoo Carneiro da Caoba, que se acka na
administracSo desta provincia compeoetraado-.se
da medida apresen-
censuro a crimiao, os matos extremos de que lan- assembla juicar-me para com agoelles qae ^e {dpjever e Melborara orte JoscalUvadotsde
Castas mo, violentando, o que de tacto fizestes, as
coBseteacias, qae ves mioistro, neesa posico grave
a digna, deveneis ser a primeiro a maoter lao li-
vre, como livre devia estar taaihem a vossa mesma
consclencia, para, invocado, o Espirito Saalo, po-
derdes, podrem -lodos, acertar e preeocher santa-,
mente sus> deveres......meios torpese indignos
de caracteres qae se prezam, e ..-.-. am erro traz j
aps ai outro erro, e tudo toa sido a soccesso da-
inleressassem oa approracio
tada.
, Assim tenho felto at boje, e peco a Deas
me auxilie seropre qae ea tiver oceasfSo de
ceder.
Recite 32 de mato de 1866.
Jos /eaftKn de Souto. Lima.
r 1 < 1 11
que
pro-
quelle vosso proeedimeniq.
Ahi se vas aprsenla a nossa igreja, cu]a obra
tendo priooipiaoo, gastndose mais.de 2:8000iH),
(dizem) sera naaa te fizor ; porqne, sendo obra
pan mais 4:0004000, e aeveodo por isso. ser coa-
saluda a mesa coojuota, pur tal se devia esperar,
quaodo alera disse nada orgia de a ter principiado
em presenca de valiosas consideragaes, qae por :
ellas tem permanecido ea tal estado, aecusaodo-1
vos e ao vosso suecessor q Sr. Silva Brazil.
Dizei-me, se 4 principal raza por que se tem
demorado essa obra por sao haver dtnbeiro,
como pre-tastes a vaste apoto e aonaencia a' pro-
posta do Sr. enmatarlo. Pastos Guimaraes. para
que se mandasee buscar a Portugal orna mantos
no valor tal vez da oito a dea cantos de reis, qae se.
teriam de pagar, cora as rendas futuras, as deste
auno, impossitiilitando assim as obras quese ti--
nbm de fazer, porque o cofre (em estado sempre '
am alcaaco ? I Naa seria nesse easo aelhor qna
smente se tivesse (eito eacorameoda da cera, que
se precisaste esta aooo, para a nacomprarmos
aquello Sr. Passos, por boro preciaba, ja* se sabe,
evitando-se mais que por essa causa se disse, com
real iojustica, am grande aasgosto a arto irmo
nosso, do que resultou ficar elle (ara da mesa,
dando assim lagar a grave acontecimeato, como
mal bem sabis I... Fot assim que o vosso amigo,
o mesmo Sr. Passos, pode taab seus dezeseis votiohos para ministro na ultima
eleicao, e de certo qw esses qae Ih'o derara nao
volara 111 era Adriano Brito I.., fzei porm o pa-
rllelo entre am e outro II Se ao meos nao fosse
fornecedor de cera I... Um ministro de aossa
mni Veaeravel Ordem, fornecedor de cera 11
Dizei-me anda : nao seria mais urgente a ree-
diOcacao desse predio que jaz quasi em ruinas, na
ra do Livramento?
Pomos dos qae depositaram em vos toda a con-
flanea, e anda vos reconhecemos probidade e al-1
guas servicos em nossa Orden *, reconhecemos a
solieitude vossa, nesse contrato de illuminaeo por
gaz para a veneravel Ordem, em que obtivestes a
ditferenca do 1:000000 para a mesma Ordem, por
vossa perseveraoea e zelo reconhecemos muitas
vezes economa e b )m seoso em vossas opinioes,
pugnando pela diminoicao de despezas, oppondo-
vos; como vos oppuzestes, dispendiosa festa do j
anoo passado, em que s em um jamar, dado a
algumas frmas recolhid&s, se gastoa mais de:
3005000 I
Nao foi assim de certo, que os nossos malves j
prepararam esse estado prospero, esse bello ren-
dlmento, resultado do patrimonio que nos lega-1
ram 11
Perdo-vos, meu irmo, certos erros, (e qoem
nao errara'?) I Has nao assim aqoelles que forera
parlo do capricho, do odio, da vingaoca, e do Inte-
resse de continuar a sustentar o mando da Ordem
Terceira. Seria de certo mni loavavel, que pela
segunda vez, nao vos tivesseis apresentado era
campo, na eleicao do 1865 a 1866, contra a eleicao
do actual ministro Adriano, carcter conhecido
e apreciado ja' por todos, e tendo ja' occopado o
logar de vice-ministro, para o qual vos e os vossos
o acharara digno.
Nao seria, meu irmo, a occasiio asada para re-
conciliardes os nimos, e nao contrarlardes quel-
les, que ja' no anoo de 1864 a 1865 tinham pug-
nado pelo Sr. Adriano I Em que vos havia elle
offendido?l O odio e vinganca vos levarara a
assim praticar ; e essas paiades nao sao fllhas da!
virtude e da humildade de am terceiro e porunto;
nunca poderiam produztr a vosso coraco prazer
verdadeiro e real.
Contiouastes anda ne.-sa luta, qae aconselbas-1
tes, teoste*, ou saneciooastes. '
Uizei-rae : em face do art. 15 dos estatutos, o
qae justifica a sem razo com que se procedeu
querendo annalar a eleicao, porque era ministro
Adriano de Brito?!
Que raza> havia para, nao negando aqaelle mi-
nistro ama certido que se requeren, mas sim de-
terminando que se requeresse a' mesa, na confor-
midade dos estatutos, art. 81, porque recorreram
deste despacho logo ao juiz de capellas, faltando
assim o respeito a' lei, e arrastrando a < rdem a
um pleito, para o depois serdes convencidos de in-
justos na deciso dada pelo tribunal da relaco ? I
Retrocedei, por tanto, meu irmo, desse cami-
nho, e atlendei esta' escripto n uta ruina
non eas, et non ofrendas, in lapides : neo credos te
te vke laboriosas, ne ponas ainos tuw sec undalum.
E' da Escriptura,
Proj0Mrmo.
Dedicada a A. S. II. por t
orna
. Linda, formosa, de aitravos ebeia,
Brilbaufa estrella que surri no cea,
Chela de gracas, radiante, santa,
Eis dina o esboc do retrato tea I
Pllha das nuveos, 4e ai ordados cantos,
Que os anjos dlzera 00 trovar eterno,
Garca qae adeja esvoacando errante,
Nolva qne mata a'um sorriso eterno 1
Linda, formosa de attravos chela
fc-te donzella roe sorrindo amores.
Amel-te, fada,consagrei meu peito
Aos teus encantos n'uiu viver de dores I
Uoje te vejo transpiraoao aromas
Ceg me prosto. a esmlar-le odor
D-mequerida a meu viver 4'outr'ora
Da-me a ventara a'um ceitii de amor 1
algodo, aeompanhar a as-embla provincial e
com ella a maioria da provincia, pondo eraexecu
co a lei qae creou a iospeoco do algo(rao._
0 ieraiij'o.
COMERCIO
mi
NovoBaiieo dePernamlBieo.
o novo banco paga e 16 dividen'de oe
razie de 6*5U 50 por ac^ao.
\eTo baaco de Pcrnam- -
Pnea.
O Novo Banco descotrra tetfas a lOporcento
ao anuo, toma diotreiro a pra-ro flxo oa em conta
correte pe'* premio e condleSes qae se coaven
donar, e saca sobre a praea da Babia
aLFaNDEa.
leadimento do dia 1 a 21______ 442:03827x4
dem dodta................ 21:073*847
.....W-V

.
^^ W IV arte
Kspanto/a e Admiravcl
DE UMA CHAQA *
(MOROSA E ROEDORA
00
POLYPO \0 \ARIZ.
-

Pblicagoes a pedido
Qui patest capere eaplat.
Quando ltimamente oa assembla delta provin-
cia se apreciava em segooda discaso o orcameo-.
to das cmaras monictpaes, foi o artigo 2.*, qae diz
respeito a' cmara desta cidade approvado, sem
que tivitse sido emendado, non impugnado, A ra-
pidez, com qae foi approvado aqaelle artigo impl-
cita 03 ente com os seas muitos paragraphos disidi-
dos em-----capitulot, titulo ele....., deu logara'
reelamacoes per parte dos 8r. depuiados Corraa
de Brito o major Bago Barroc, dectoraodo o pti
metro daquelies seahores qae em terceira diteut-
so apreseotaria emenda?, que tinha em vistas of-
ferecer.
Passando-se a* discasso do artigo 3.a, qae se re-
fere a' cmara de Olioda, offereci en ama eraeada
reduzindo o ordenado do advogaao a* 2001000 de
4002000 qae .
Justilicaodo essa emenda disse eu que no calculo
do presidente da cmara do Recife, oreament da*
rendas desta se elevara a' 130:0002000 i entre tan-
to, o ad vagado, qae aecessariaaente devia ter gran-
de trbateos pelas muitas e importantes causas a
cmara, apena* liaba o ordenado de 8002000, ao
passo que a cmara de Olioda, cuja recaitt ra
muito oeoor. e catas caosat teriam ea Motero
multo liaiudo, paga va ao sea aavogaa* o araeaa-
do de 400*000, qae era eseaaaivameato, Oaior 4o
qae o 4a amara dasta ctdaae, cajo aaaagaae atada
aao tinha felto rectoaaesae a* aajimWca.
A iste responden o Sr. deputado Correa de Bri-
to qae < a concluso a' tirar-se ara que o advoga-
daato-aaaaara b>MkIIi era aaatpag; poitaae
era costme pagar-ae, ao proco/ador aaetade do qae
percebe o aii>eg4b; aat o iatwBar da cmara
do ReeUa tiaba 400|000, a o adaogado somanto
5002000.
Retorqni-lhe' ea qae alada qae o advog,
cmara do Reclfe tivesse o daplo do
solicludor, nao navu razo i
denado do advocado de Olioda
Cas deste nao t comparacr -
Eii tudo quanf-------
do projscio d,
aos artigo t
so oe Jooi
como todos os
publico, qoe
Cma creada a- nervir residente em PeiMn
buco e pertencente Ex*' Serir; T-scokt>E8SA
db OoiAiorA, foi attacada d'uma tenivel cb*
ga cancro8a e roedoraou Polypo io Nariz.
A mesma involvia e tomara todo a parte in-
ferior do nariz, ameacando j distruir tanto a
parte cartilaginosa como o mesmo oso ; Com
con primeiro por apparecer sob o bei^o supe-
rior e parte da face, extendendo-se por tal
forma e oum tal rapidez, qne em ponco amea-
cara transformar todo o rosto n'uma enorme
cuarga viva e asquerosa. Durante todo este
terrivel estado, to que em taee caaos se uzo forjo abundante-
mente empregadoa, sem que do lere uzease
parar a marcha lenta e distrnidora de tao hor-
rivel enfermidade, e todos os meios e esforcos
forSo baldados, e no em tanto o mal cresca eis
qne por miJaprosa fortuna da infeliz estando
as couzas neste ponto, se experimenton pela
vea primeira a
SALSAPARBILHA
DE BRISTOL.
O effelto prodnzido, quasi que instantneo
por este inestimavel remedio foi verdadeira-
mente maravilhoso e sem igual este grande
purificador do sangue e dos humores do sys
tema, immediatamente pz um termo mar-
cha dhastroza e fatal da molestia, derraniando-
se e infUtrando-se airares dos tecidos os maie
delicados do corpo, expellindo at ultima
propriedade ou vestigio virulento da molestia,
e dentro d'um curto espaco de tempo produzio
ama
CURA
Completa e Radical.
Bato feliz quio admiravei resultado foi obti
do apenas com o simples oso
Puma se tnica Garrafa!
d'este incompa ravel e inapreciarel depuratorio,
reeommendamos portante todos oa Doentee
que procurem obter com o maior cuidado a
tnica e verdadeira Salaaparrilha de Briitol,
naicamente preparada por
LANMAN&KEMP.
De NOVA YORK,
aa earteaa de qn, todas aa. mais prepataooaa
ttltstivaa aao-valen pare onaa alguma
Veode-se as bocas de Caors di Barbosa
e C. Bravo de C.
463^512571
MOflMENT DA ALFANDEGA
*"
4
407
1 OS'-'

Inspee^o d algoda,
8a eousas oeste mundo, qae impacieatam o
bornea etodaomais impacivel, tal a oppoaico
qae fazem-a inspecQao do algodo, opposico sem
o menor foedameoto, sem om motivo plausivel,-,
visto que a iuspeccao a ninguem prejndlca.
A asembla provincial de 1864 apreseutou um
ppajecto ereande a toapeeco o altalo para at-
teaasr ao clamor geral da provincia, e este pr oje-
te sendo discutido convenientemente passeu em
terceira discnasaaaa sesaao de 1805. O preslea
te da provincia o Sr. Gastello Branco sanecionou-o
m primelro lagar toroando-o por taoto ama lei
vigente, mas iefeliimeate a pedido de algattn nao
Ibe dea execucao, moatraado oeste procedimento
ama coatradicao ladaseulpavel, pau as ratoas de
mm*aleoeu para ao daMbe en atoo de-
Jeear para nio saaeeionar
Volnmes entrados com fatenias...
c com genero?...
Volomes sabidos cem fajeadas...
com gneros....
a- 903
Descarregam boje 3 de maio.
Vapor ioglezAmazan=mercadorias.
Lugar inglezBrilhanth farinba de trigo e mais
gneros.
Patacho poTtuguezGforjiendiversos" ganeroa-
Escuna austracaAmaren?dem.
Barca ingleza Janeferro e pedra.
Patacho inglerVfary Bell bacalho.
Barca ingleza- habellacarvo.
Patacho ioglez Homeucarvao.
Barca nacionalAmizadecharque.
Brigue nacionalBeluariodem.
Brigue nacionalAureliano -idem.
Patacho nacionalSol -idem.
Patacho portuguezGarrrt-idem.
Patacho portogueiS. Josidem.
Hiale portuguei Sara lidem.
Sumaca hespanhola Guadalupe dem.
Importa Lagar ingles Caroline, entrado do Rio Grande
do Sal, consignado a Maia & Espirito Santo, roani-
feslou o seguate:
13,339 arrobas de charque, 70 ditas de graza em
bezigas, 4 pipas, 120 arrobas de grasa, 17 barri-
cas com i 10 arrobas e 16 libras de sebo, 78 coa-
ros vaceuns seceos e 50saceos feijo ;aos mesmos.
Patacho portuguez Geoigence, entrado da liba de
S. Miguel, manifestou o segainle:
1 barrilinno objectos de porlo ; a Manoel Muniz
Tavares.
5 barris toncinno de moura. 1 calite objectos
de porro ; a Andr Manoel da Armada.
4 barrilinbos objecto; de porco ; a Joo Simoes
de Almeida.
1 caizote agna azeda; a Loiz Caetaoo Borges.
26 barricas iobames, 1 caix-i objectos de porco ;
a Antooio da Costa Car.ral.
391 saceos mflho, 160 pedras de calcamento ; a
Joo do Reg Lima.
1 barnlioho objectos de pe reo ; a Jacintho de
Medeiros.
60 saceos milbo; a Jos Mara de Siqaeira.
2 volomes objectos fle porco, 480 saceos mllho,
1 gigo iohames; a Joo Maria Cordelro Lima.
1 caizote objectos de porco; a Francisco deOli-
veira Franco.
i caizote am menino Jesas e 6 pares de serou-
las ; a Joo Antonio Botelho.
1 caizote objectos de porco ; a Manoel de Paiva
Macedo.
1 dito ditos dito ; a Antonio de Souza R*go.
4 ditos dito ; a Antonio Joo Fartado.
4 ditos dito; a Manoel Jos da Silva Oliveira.
200 saceos milho ; a Antonio Perelra de Mi-
randa.
60 saceos milho; a Antonio da Costa Borges.
24 saceos fa relio ; a Jos Maria de Slqueira.
f pacote panno de Itabo ; a Antonio Pereira de
Faria.
1 volme objectos de porco ; a ordem.
1 qoeijo ; a Francisco da Silva Cardozo.
12 saceos patardes ; a diversos.
Barca Ingleza Brilliant, entrada de New-Yoik,
consignada a fl. Forster & C, manife.-tou o se-
guate : m
10 barris breo, 20 ditos banba, 200 barricas 00-
lazinba, 200 ditas farlnha de trigo; a Ramos o
Silva Si Genros.
10 meias barricas graza, 50 caizas agua de Flo-
rida ; a S. T. Bastos & Irmo.
18 caizas machinas para descarocar; a vnva
Manoel Gongalves da Silva.
74 calzas machinas para descarocar, 31 ditas
cadeiras, 50 barricas farinha de trigo, 25 caizas
petroleum,24 ditas tintas, 10 caizas farinha de mi-
lho, 56 remos, 30 barris bren, 30 caizas agua de
Florida, 30 barris banba, 6 carros de mo, 6 metas
barricas graxa, 10 arados, 5 volumes pertences pa-
ra os mesmos; a Isidoro Netto & C.
150 caizas petroleum, 100 barris banba, 28 cal-
zas fogo da China, 100 barris -beaba, 200 caizas
olee de alcatro ; a M. F. Corga.
61 caizas drogas medicinaes ; a J. da Silva Fa*
ria & Irmo.
20 barra breo, 40 eaixas drogas, 10 meias bar-
ricas graza, 24 caizas machinas para descarocar,
100 ditas petroleum ; a Vaz e Leal.
160 saceos pimeota, 10 caizas canella, 500 ditas
fogo da China, 20 barricas graxa, 6 caizas bis
eoatoe, *,200 barrica farinha de trigo, 120 feizes
arcos de ferro, 40 barricas, 15 calzas machinas pa-
ra descaroear, 1 calza, rOO barris breo, 250 bar-
ra banba, 33 calzas agoarat, 21 volames candlei-
ros e pertencen, 2 caizas cbii, i dito objectos de
escriptorio, 75 barricas farnha de trigo; a H.
Forster d
10 mactunas para descarriar; a J. ?. Vianna.
32 caizas medicamentos e drogas ;iA. Caors.
50 barris baoha ; a t. J. G. BeHro.
RECEBEDOtVIA DB RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBCO
Readlmento do da i a 21.......
Idea de da ti..................
17:4782891
3912280
17:8702l7f
Paraaagoa, que o succadea _
lambea asa quiz dar-lbe ezecucao,
aseaUaa ptoviaclal deeto aoao 1 teadando
alad) eselamores da agrieoltora apresatoa de
Vejar actual presiieate o Sr. Dr.
ItaaalBaaVlBO Caroeiro da Caahe qae
aa ee-i "
ame medida reclamada por toda a provincia, digo
No Hit legoiDie o meiino Sr. depatado Correa de I Isto pcrqae tosbe sdencia de qae mal ws cmaras
MdTIMENTO DO POiTO
Navios entrados a dta 21.
N-York e portas intermedios 22 das do
Mato porto 6, vapor aasarisaao North Amrica,
de 1084 toneladas, eetMiaNaofe L. P. Tem-
merman, equipagem M, carga varice gneros;
a Heory Forster C.
Para' e portos Intermedies 7 dias, rapar na-
eioaat tirtuutro do Sai, de i 107 toneladas, eom-
miadaato Alceforado, equipagem 65, earga dif-
fereatee feaeras a Antonio Lnt d'OliveiraAi-
TededtC.
Noc smhido m> mumo dio.
Rio de Janeiro e Baha Vapor americano North
America, commaDdanJe Temmarman.
de Alencar Ararlpe, offlcial da mpe
m da Rosa e juiz de iireito especial
mereio destaidade di> Recife 4e PeT-
por S. M.'Imperial 3 Caastltaeional
to Pedro II, (^aaarOeai
aos qae o presntajisjht
tiverem ase por parto do
va do Brasil, me Cal arria
jgatag
Dr. jen dc-commercia*
' Silva do-Brasil, qae
Silva Villar \ 4
areventonte^BBL
a neai-de sea direto qae.
digne manda'to cltg" para t fBSiuU. HdMBCts
oeste jnizovaflat de wr assigfcar se-Ibe os dez-dias
a lev,-para. deWW"deftes allegar o, embargos que
U*vr, nao o faaeado ser eooeVtraaaV' se paga-
mento da qaaotia pedida jaros o cusas, eendo
dita citacao felto eb pena de revella. E como o
supplicado se ret cese para a Europa e esteja em
logar incerto, e nao sabido b supplicante reqner a
V. s. digoe-se admitii-lo a jastiQcar a saa aoseacia
afrm de qae tan"'rngar a cltaco requerida por
editaes aa forma da lei.
N'estes termos reqoer e pede a V. S. detorimen-
to. E. i. M.O advogado Joaa Teizeira. Na qaal
del o segulnte despacho :. ,
Jnstlflqae a an*aefa no da 23 do correte mez,
s H horas dr aamra;- ftectfe 23
1866.Alencar Araripe.
Em vrtodedo aal Rra a mesma petlgJo des-
tribuida ao esenvao este julzo Manoel Mara Ro-
drigues do Nascimento.
E teodo o sappflcante prodozldo saas testemn-
ahas, seiiados e areparados os autos sublram a
minha eonclas&o n'elle del a segaiore
tenca
. ilavaturio quebrado e osado, valor Mf.
Sem marea, I v
e nsada.slHjaa.at2.
ama commoda quebrada
de

A A S T, t caigas enmend moiss e cadernaes
peso liqqid lao 2X arroba?, valor da
a iieaando 23 libras,
Hei por jastlBCada a' aosneia dos suppllcados,:
aos qoaes mando citar por edrtos de 30 das
para o ffm feqoerWo. Recre 28 de abril de 18W
Tristo de Alencar Afarioe.^
Por forca da truif e referido cscrivSo fez passar
o presente edital pelo qual cbamo cito bei por,
arroba 62, 1292,
MP F, barrica com ge peso quido 592
libra mnSj a^^^^Br 4a arroba 22. 372.
H P, i barriese -ntes de aigodao peso
bruto 612 libras, valor da barrica 12,42.
I S P, 1 caixa em a W macbioa de torro, valor
"t-X. 1 lata
valor da libra
fe iSSiS^etnalilisad0)'
a* a* aaj m avui 1 tt" jl IVIUI laar
Armazerp n. 6, E S, 1 caiza O,garrafas agua da
vlchy peso bruto 260 libras, tara 30 /, liquido
le*!!; valor da ora 180 rs., 2IJ.
F, 3 caizas presomlos pesando liquido 340
libras, valor da libra 233 rs., 792220.
C A M, AO barris com cerveja, sendo 6 de 30
medidas e 5 de 48, total 390 medidas (de capaci-
dad., 62). valor da medida 560 rs., 2182400.
C S diamaote, 1 feze de caos de ferro pesan-
do 143 libras, valor da libra 200, 822.
Sallar M R, 1 caixa com ferros velbos peso
liquido verificado 158 libras, valoi de tudo 109.
WB,I caiva cociendo o seguiote:
1.154 collarinbos bordados para senboras,
de abril de, en 96%, dalias, valor da duiia 122, 1:1512-
249 guarnicoes de punbo golas 0 manguitos de
de cassa bordada para senhora, valor de urna 12,
2692.
RH&C.l caixa contende papis a valso pe
sando 16 libras, valor,da libra 12, 162-
I C, 1 sacco cora alcacus pesando 9 fibras, valor
sen- da libra LOO rs., 12800.
A. & C, 1 caiza vaiia conteve bizas.
Recife 30 de abril de 866,rlsto de Alencar
Aran pe.
Por torea da goal e retarles aserive fez passar
.... presente edital pelo qual chadio, cito e hei por
brafo usada, vaior ,r*taaaes es dru%pfett pato qae compare-
eam ueste julzo dentro do indicado prazo, a lira de
alleaarem o que (or de jnftica, -
para que eaegoe se eaaaatmenio de todo
maadei passar a preseas qae safa' pubheado pela
mprensa e afAxado oca roe ara do coslume.
Recife Io de aaio da 66.
Tristoa de Aleaear Araripe.
V

Sera marca, 1 qarrafao quebrado.
T C, 1 sacco vazio-
Letr*iro, 2 caizas vazias.
A P, 1 caixa com papis e medicamentos
estragado.*. .
Quarta seccao d alfandga de Peroambuco, 21
O
intimados os ditos supplicadns para que compare- de naio de 1866.
(am neste juiro afim de allegarem o que for de jas-
tica.
E para que chegue ao conbecimento de todos,
mandei passar o presente, que ser publicado pela
imprensa, e aflatado nos lagares do costme.
Recito, I. de malo de 1166.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento,
escrivJo o sobscrevl.
JV-tt/o d AlencarAraripe.
Pela iBspecfo da arfandega, se faz poblico
que em comprimento do disposto no cap. 6* tlt. 3*
do regulamento de 19 de setembro de 1866, se
ho de arrematar, 3 porta da mesma alfandega
a 1 hora da tarde do dia 24 do corrento, os objec-
tos abalvo transcriptos, sendo arrematacio llvre de
direitos ao arrematante.
Na ponte, B, 2 pipis agurdente com 187 cana-
das de alcool paro, varar da caada 32200,
^Grda mora, CSP,i calta eom 80 de vidro ciantes morarjores nesta cidade, que tendo
ordinario liso, valor da 60 rs., 42800. ; vendido Manoel Francisco do Santos e
CS P, l barril com maoteiga de vocea, pesando Silva para sua taberna cita ra das Laran-
TSStmr^iS^ 5 Vermc*d0 m geiras n- l6, tambem nesta cidade as mer"
'Armazem o. i. sem maca/i embromo eenten-'cadorias constante da conta junta na mpor-
do 1 tpsoora para jardim de 12 polegadas (amostra), tancia de 649^440 rs. por conta da qua
0'4" escripfarrio,
AZcajanrfri'ao Thomaz de Aquino Coelho.
r. TristSo de Alencar Araride oficial
da imperial ordem da Rosa, juiz de di-
reito, especial do commercio d'esta cida-
de do Recife de Pernambaco, e seu ter-
mo, por Sna Magestade Imperial e Cons-
titucional o Sr. D. Pedro II, quem
Deus guarde etc.
Faco saber aos que o presente edital vi-
rem e d'elle noticia tiverem que por parte
deAmaral Moreira 4 C, me foi dirigida a
petic5o do theor seguale :
Illm. Sr. Dr. juiz especial do commer-
cio.Dizem Amaral Moreira & C. commer-
valor 22; 10 facas para cbarquiar pesando 4 w,
valor da t 500 rs., 22-
Sem marca, 1 sacco com 1 cobertor de 15a
ordinario pesando 4 (amostra), valor 12-
Inversas amostras sem valor e sem marca.
m sacco com 4 camisas de pomo de meia, de
aigodao ordinario (amostra), valor de ama 365 rs.,
12500.
pagou apenas o supplicado a quaoiiade
193^500 rs ficando conseguiniemenie a
devera quantia de 455)5940 rs., queremos
supplicintes chama-lo a este juizo afim de
vir propr a competente accao ordinaria
commercial, e porque se tenha o sopplica-
Seis"pares de metas de aigodao, compridas, gran-' do ausentado para lugar incerto e nao sabi-
dos, ordinarias, valor do par 200 r?., 12600. do, dando lagar a que os suppltcanles n-
Uma quarta de liaba de aigodao para costura, zessem por este mesmo juizo assento nos
valor 250 rs. ^ j gneros achados na meocionada taberna, e o
Letrelro, Laau Kim?l embmlho eom 55 de cbamassem a juizo conciliatorio por editos,
obras impressas brozadas, valor da libra 12000, querem os suplicantes justificar a ausencia
555000. ; do supplicado e ulgada esta por sentenca,
a os volumes pQem que V. S. se digne de mandar
seguitrtes com amostra sem valor:
B trevesso 1 embralbo, Cr C X X 2 embrn-
Ihos, I S 1 embmlho, L W 1 embralbo, LWXC
1 embralbo, B 1 embralbo, E E diamante 1 etn-
brulbo.
Armazem n. 5, I K L B 1 caiza com 2 coberto-
res de la pesando 6 libras, valor da libra 1200,
62000.
pas-
sar e filar editaes com o prazo legal afim
de que na ausencia posterior a expirarlo do
mesmo prazo, veja o supplicado propr a
dita ac?ao em que os supplicantes lhe pre-
tender pedir a dita quantia, juros da mora
e costas, (cando logo citado para todos os
termos da ace3o at final sentenca, e res-
Doze lencos de algodo ordinario de 25 e 29
dSda*333 rs5 v1ai?Lqu,dr,das' TaU'r da vara qaa". pciiva ezec^ soVpera de revlia.
Dnas BgnpSqaenas de cifre encastotda em! N'estes termos pedem a V. S. que man-
oaro valor de uraa 12,22- dando distribuir o presente ao escrivao Nas-
332delivros impressos com capas de papeio, cimento por dependencia, visto que o
escrivao do arrest,
se digne
de marcar
valor da libra 12300, 492300.
Letreiro. Mara de Jess Correa, 1 caixa com i
vestido de seda usada, valor 102- d,a.e nora Part> a justtficacao requerida se-
Dons vestidos de tarlatana asado, valor de am guindo-se os demais termos. E. R. M. O
102, 202- advogado Paula Penna.
65000* Veft'd0S deeMa* ,a,or e nni3*000'| Na qual dei o despacho do theor seguinte:
Um corte de seda mofada pesando 13 oncas,' Justifique a ausencia no dia 27 do corren-
valor 152. te mez as 11 horas da manha. Recife 25
C L P, 1 embruiho com impressos, valor dous e abril de 1806.Alencar Araripe.
Em virtude do qual fra mesma peti?o
Letreiro, A. J. Peixoto, I embralbo comeado 1
corte de vestido de cambraia bordado, valor cinco
mil res.
Urna mantmha de cambraia bordada, valor cinco
niil ris.
Um enfeite de cabello, valor 42-
Letreiro do mesmo, 1 latioha com um sabonete,
valor 400 rs.
J. J. Raymnndo,
de laa, valor 12-
Ezistem no mesmo armazem, os volames segura-
tes :
Ec C V & C 1 caiza amostras sem valor, Cr H
D I caiza dita de dita, D triaogulo 1 caiza dita de
dita.
Letreiro a diversos, 2 volumes amostras sem
valor.
distribuida ao escrivSo deste juizo Manoel
Maria Rodrigues do Nascimento.
E tendo os supplicantes produzido suas
testemunhas sellados e preparados os autos
subiram minha concluso e n'elles dei a
i sentenca do theor seguinte:
1 boceto com 1 oonet de tecido j yiel por justificada a ausencia do suppli-
cado, que mando seja citado por editos de
30 dias para o fim rt querido, pagas as
castas ex-causa. Recife 28 di abril de 1866.
Tristo de Alencar Araripe.
Por forca da qual o referido escriv5o fez
i passar o presente edital, pelo qaal chamo
Letreiro, Albino Alves de Olivera, l caiza com cito e hei por intimado o dito supplicado
medicamentos estraggados, valor 102- para que compareca o'este juizo dentro do
(coLnreraV^s)nsemJOv.eiorTaVMeS '"'" """."S* prazo afim de allegar o que for de
Armazem n. 8, P diamante 1 caixa com doces justica.
pesando em botes de barro 70 libras, em calda, f E para que chegue ao conhecimenlo de
valor da libra 400,28. I todos mandei passar o presente que se
B O 1 amarrado de junco pesando 3 @ e 8
libras, valor da Q 52, 262250.
M L & C, 1 sacco com 12 libras de caminbo,
valor da libra 400, 42S00.
Armazem n. 9, C, 15 eaixas contando 63 3) de
nozes com casca, liquido aproveitavel 15 (), valor
das 15 caizas 30, e as 13 de nozes, valor
132200,482.
I F S M, 1 calza 1 lato com cherisso pesando
broto na lata 17 libra, valor da libra 300 rs.,
52100.
A M M 1 caixa vazia, valor 12-
Letreiro, 1 caixa dita de dita, 12.
Armazem a. 10, H P F. diamante, i eaiza eom
tazas de ferro pesando liquido 95 libras, at pole-
gadas, valor de libra 133 rs., 122635.
I E A, 1 embruiho com verruma pesaado liqui-
do 28 lioras, valor da libra 400 rs., 112200.
Lotreiro, Miguel Calmo Bupim, 1 caiza 8 bone-
cras de 12 polegadas, ualor de ama 440 rs.,
32250.
W S 1,1 caiza com ama machina para [imprimir
pesando 30 libras, volar 202.
S I S, caiza com dobradices de ferro pesando
lquido i 4. ou 128 libras, valor da libra 130 rs.,
172024,
Sem marca, 9 volames eom ama prenca para
descaroear aigodao, valor 1002-
Letreiro, P. A. Moscoso, 1 caixa com medica-
mentos bornee patbicos em vidros pequeos, valor
202.
H H S C, 2 barricas com cementas de aigodao
pesando broto ambas 10 arrobas, valor da barrica
12,2*.
C. & B, 14 eaixas com taboas preparadas para
obra pesaidd 4200 libras, valor ca libra 666 rs^
2:7972200.
C, & B., 28 eaixas' com 200 vidros com salsa
parrilha pesando broto 87 libras, tora' SO /. liqui-
do nao verificado 43 U libras, valor da libra 12333,
572985.
H dasaat, i caiza eom vidros branco ordina-
rios peso liquido IOS libras, aproveitavel 35 Nbraa,
valor da libra 66, 32310.
Letreiro, 1 caixa cem 1 malilete t 1 cbqle estra-
gado, valor 102-
Letreiro, 1 caixa cem eafeeti para caneca
estragado, valer da lodo 102.
Letreiro, 1 baba com roapa vataa estragada,
valor do bah 52-
G triangulo, 2 eaixas amostras de piecJsbeqae
(gaaralcees} para janeJlas e ponas pesaodoe
arrobas e 8 libras,, valor da arroba 322,168(1
C A B, 1 volme amostras sem valor.
C. & B., 1 caixa vazia (conteve froctos).
passar
publicado pela imprensa" e affixados, nos
logares do costme. Recife 2 de mait de
1866.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nasci-
mento escrrvSo o subscrevi.
Tristo de pencar Araripe.
O Dr. Tristo de Aieocar Araripe, offlcial da im-
perial ordem da Rosa e juiz especial do com-
mercio n'esta cidade do Recife, por sna magesta-
de imperial etc.
Paco saber aos qae o presente edital virem e
d'elle noticia tiverem qae por parte do eapito An-
tonioJos Silva do Brasil, me foi dirigida a pelicao
do theor seguinte :
Illm. Sr. Dr. ioiz do commercio.Diz o eapito
Antonio Jos Silva do Brasil, qne devendo Joo Jos
da Silva Villar C. a quantia de 2:0394690 reis,
proveniente das eontas juntas, isto e-1:2412050 reis.
qae directamente devia ao snpplicaote como se v
dos documentos de n. 1 a 4, e mais 6142140 reis,
qne a Ramos & Sirva e Joao Martim de Barros, cu-
jos dbitos foram traspassados ao soppiicaole como
se v dos documentos de a. 5 a 7, e bem assim
1842500 reto, qne devia a Vicente Ferreira da Cos-
ta & Filbo, debito este que tambem foi traspassado
ao supplicante como se v dos documentos de a. 8
a 9 ; veas o supplicante requerer a V. S. digoe-se
mandar citar os supplicados para a primeira au-
diencia d'este julzo, afim de fallarem aos termos de
orna accao ordinaria em qae tem de pedir-Ibes o
pagamento de dita quantia, senda dito citacao feila
sob pena de revella.
E como o supplicado se relirasse para a Earopa
e estafa esn logar incerto e alo sabido, o soppii-
cante, reqner a V. s. digne-se admltti-lo a Justificar
a sua ausencia, aun de ne tenha logar a cltaco
requerida por editaes oa forma da lei : oestes ter-
mos requer e pede a V. S. deferimento e recebara'
merc.O advogado, Joao Telzeira.
Na qaal del o despacho do theor seguinte
| Justifique a ausencia no da 25 do correte mez,
as 11 boras da mantas.
ReeMe 13 de abril de 1865.Alencar Araripe.
Bes virtude do qual foca a mesma peticio des-
tribaida ao aacrivao deste ialzo ManaafcMaria Re-
dvigaas 4o Nasdmeaie. ^
E teado e supacaate prodoaida saas testema-
nbas salladas e preparadas os assa subiram a mi-
nha concluso a nanas dei o profer a sentenca do
tbeor seguinte :
Hei por Justificada a aasaarii dos sapplicados,
qae se ertario por editos de 30 dta para o Sm re-
guerldo a /olbas 2,
' '' i ------Tf*"^ -^*- -
^anta Casa da Hiscticor4ia i*
Recife.
Cbefaado ao conheeimento da Illm* junta admi-
nistrativa desta santa casa, que o ex-procurador
Syraphrooio Olymplo de Qaeiroga tem recebido
algumas quaoUas, passando recibos manuscritos,
manda a mesma junta fazer publico a ledos os
seos devedores, que elle pao mato procurador
desde e dia 5 de abril prozimo passado, a por isso
nao lhe sera levado em conta o que pagarem por
esse modo, visto como os recibos desta santa casa
sao impressos, assigoados pelo thesoureiro e rubri-
cados pelo provedor.
Santa Casa de Misericordia do Recite 18 de
mato de 1866.
O escrivao interino,
.Francisco Gomes Castellao.
Ca filial do banco do Brasil em Per-
nambnco 22 de maio de 4 86(5.
De ordem fia directora se faz publico
aquellas pessas que tem objectos de ouro.
prata e diamantes depositados sob cau(3o
nesta caixa cujas letras se acharo vencidas,
qae n5o sendo ditas letras pagas al o dia
8 dejanho vindourose proceder' em hasta
publica a venda dos referidos objectos con-
forme o prescrito nos estatutos.
O guarda livros,
Ignacio Nunes Correa,
PECLUACOES
COMPASHIA
do r
Sao convidados o Srs. accionistas desta
companhia areunirem-se em assembla ge-
ral no dia 23 do correata mea ao meio dia
no escriptorio da mesma companhia para
em conformidade dos seas estatutos deli-
berar sabr as -contase semestre findo,
approvar o orcamento vindouro, decretar o
36 dividendo e eleger a nova administra-
cao, bem como disentir e appTovar as emen-
das que o aoven imptiMsigraiara a
approvaeSo dos novos estatutos qaejhe fo-
ram submeUidos. :_____
Eseriptorii dacompaahii do Beberibe l>
de maio de 4 806:
0 secretarof
___. Dr. Joao Jos Pinto Jnior.
Ctoverno da provlucia.
4.'seceo.Secretaria do governo de Peroam-
buco, em 1* de maio de 1866.
EDITAL.
Pela secretaria do governo, se fai publico
quem interessar possa, qae tendo o Exm. Sr. vice-
presidente da provincia, de dar ezecucao a lei n.
649, de 20 de marco ultimo, abaizo publicada, se
convida todas as petsoas qae pretendan) con-
tratar a constrneco das estradas de que trata a re-
ferida le, a apresentarem ao mesmo Ezm. Sr.* as
snas propostas, e mediante as bases nella estabele-
cidas, afim de serem examinadas e preferir se
aquella que melbores vantageus olferecer. -
O secretario,
Dr. Francisco de Paula Salles.
LE N. 649.
O Dr. Manoel Clemealino Carneiro da Cunta,
vice-presidente da provincia de Pernambaco : Fa-
co saber a todos os seas babitaotes qne a assem-
bla legislativa provincial decretou e eu sanecionei
a resolucao .seguinte :
Art. 1." Fica o presidente da provincia antorisa-
do a mandar esludar e a contratar com urna oa
mais companhias ou com pessoas reconhecidamen-
te idneas, urna rle de estradas, de rodagem ou
de carrls de ferro, contiendas, sob a denomlnacao
de tramways, que ligue os centros populosos do
interior da provincia com as diversas estacoes da
estrada de ferro do Recife S. Francisco, como as
actuaes estradas de comrounicacao para esta capi-
tal ou cora os pontos do liltoral de fcil accesso a
navegacao.
Art. 2. Para ezecucao do artigo precedente to-
dera' o mesmo presidente adoptar asseguioles me-
didas :
l. Conceder as companhias oa aos particula-
res, que se encarregarem da construccae dos
tramways oa que os colloear d'ora em diente as
actuaes estradas, urna subvencao kilomtrica pro-
porcional ao capital empregado e por ama s vez.
Orando o contrato, que para isso se celebrar de-
pendente da approvacao desta assembla.
O contratante podera' independente desta appro-
vacao dar comeco aos estudos e, preparaco dos
planos das obras, os quaes editicaro mediante m-
demnisacao pertencente a provincia caso nao seja
approvado o contrato celebrado.
2. Contratiir ara emprestimo dentro oa fra
do paiz, mediante condicoes que nao obriguem a
provincia a um dispeudio superior a quatro c ri-
tos con tos de ris annnaes.
Art. 2. Ficam revogadas as disposiQoes em con-
trario.
Mando portaoto, a todas as autoridades a qoem
o conheeimento e ezecucao da presente resolucao
pertencer que a cumpram e facam cumprir tio m-
teiramente como nella se contera.
O secretario do governo desta provincia a faca
imprimir, publicar e correr.
Palacio do governo de Pernambaco, aos 20 de
marco de 1866, 4o* da independencia e do imperio.
L. S.
Manoel Glementmo Carnetro da Cunka.
Sellada e publicada a frsente resolucao nesta
secretaria do governo de Peroambuco, aos 24 do
abril de 1866.
O secretario, Ur. francisco de Paula Salles.
Registrada a fl. do livro 7 de leis provinciaes.
Secretaria do governo de Pernambaco, 20 de
marco de 1866.
Oescripturario da 4" seccaoTheodoro Jos Ta-
vares.
Santa Casa da Misericordia
do Recife,
A Illm.* junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recite manda facer publico qae
no dia 24 de maio prximo futuro pelas 4 boras
da tarde na saia de saas sessoes tem de Ir a pra-
ea a renda das casas abaizo mencionadas por lempo
de am a tres ancos.
Os preteadeoles deveao comparecer acompanba-
dos de seas dadores oa manidos de cartas destes.
Eslabelecimeiitos de earidade.
Roa do Imperador.'
N. 1 particular e 24 publico, sobra-
do de t andar.......679*000
Ra Direita.
N. 3 Idem e 8 idem, sobrado de 2
aodares..........1:087*000
Roa do Padre Florlano.
N. 5 idem e 49 idem, casi terrea. .
iN. 6 idem e 47 idem. casa terrea. .
Raa do Fagnndes.
N. 11 Idem e 32 idem, casa terrea .
Travessa de S. Jos.
N. 13 Idem e 11 idem, casa terrea.
N. 14 Idem e S Mem, casa tettea. .
* Ana dos Pescadores.
N. 16 idem e 11 Idam, casa terrea .
Raa das Calcadas.
N. 20 Ideo-e36 idem, casa terrea.
N. 21 idem e 38 idem, casa terrea.
Hoa da Viracao.
N. 21 idem e 7 ideas, casa tarrea. .
N. 27 idem e id dem, eaaa terrea.
Ra de Santo Thersca.
N. 32 idem e 5 dem, casa terrea. .
Roa larga do Roauto.
N. 33 dem e 24 dem sagitado e
terceiro andares.......lOajUQ
N. 34 idem e 26 A idem toja .
Roa do Oa bag
N. 34 idem e 1 C idem, lato. 4044000
dem dem e i D ideo, toja, 478J00O
181*000
186*000
155*000
163*000
169*000
216*000
176*010
187*000
2O4J00O
184*000
l
I


\
\
*
W
I
SBt 4


J
V-

1
1
>
-..<-/
____
-------
_.
rm Ma 9M de jfale i 1866.
Ra 4o Calabooee.
K. 46 dem 48 dem, casa terrea. 185,1000
fteoco do Quiab.
K. 49 idea? e 8 dem, easa terrea. IllfOOO
Roa da Giona.
S. 51 klea. e ideo, cau wra. 144*000
Ba do fiociMMMato.
X. 52 dem 3 idem, obrado. 400*080
Koao Padre Ftoriano.
N. 67 den a i idem, easa terrea. 50*000
Rna do Apollo.
N. 91 idem e 24 idem,-obrado de 2
andares......... 1:400*000
Ba de S. Bom Jess das Grioula*.
l. 61 dem e 8 dem, casa (erre*. 131*000
Patuofliv t arihtjs.
Rjaa do BangeL
Cattj|TM n. particular e 56 pu-
fclfco. .... V.....265*000
toca da Boa-Vista.
Sobrado de 2 andar* n. 7 par atontar
13 pablico.........
S. Gonzalo.
Cas* terrea a. afi particular e 22 pu-
tOiei. *.....
Mem n. 11 dem e 24 idem. .
. Rosario da Boa-Vista.
dem b. 14 particular e 58 publico.
Becco das Bolas.
Sobrado da aadares n. 39 Idem
18 idem........501*800
Azeito do Palie.
Sobrado de 1 andar n. 63 particular'
e 14 pablico........503*000
Roa da Cacimba.
Casa terrea n. 65 particular e 5 pu-
blico...........
Id a. 17 idem a 10 Idem. .
Boa dos Burfos.
Casa terrea o. 68 particular e 18
pu I ico...........
Ra do Encantamento.
Sobrado de 2 andares n. 76 particu-
lar e 11 publico........900*000
Seuiaia Velba.
Casa terrea a. 81 particular e 18 pu-
blico...... .... 193JOO0
Ra da Gofa.
Casa terrea o. 83 particular e 27
publico..........1325000
dem d. 84 idem a 29 idem. 1 5*000
Ba da Cruz.
Sobrado de 2 andares n. 89 particu-
lar e 14 publico...... 706*000
Roa do Pilar.
Casa terrea n. 91 particular o 105
publico..........168*000
dem o, ti Mem a 103 idem. .. 2009800
dem o. 93 idem e 101 idem. 200*000
dem o. 94 idem e 99 idem. 200*000
dem o. 97 idem e 110 idem 2558000
dem o. 105 Neme 94 idem. 174S0OO
Sido n i no Paraameirim. 240500o
dem n. 5 no Forao da Cal. 150*000
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife 18 de mato de 1866.
O escrlvio interino,
Francisco Gomes Castellao.
Joo O'Coni
Jos Felis de]
Leopoldo Ce
Dr. Manoel
I). Mara Car
Monteiro Sr Ir
De Meado de Si Bai
D. Ramn Lopea*

XEILAL
i De imhi v0k Mt i\f\^t Ben-
?! |

s
TH THO
DB
EHPBEZ4-C01BRA.
Recita extraordfaaria
m***> Qaarta-fcira 23 de auaio de 4866.
Rearesentar-$e-ha mallo applaudido drama em
188*000 5 Mtos -e Da*>M D,h0
:^4DMnASC\MELUS.
^^ Segue-se pela Sr. Clea e o Sr. Ferreira a ex-
travagancia em 1 acta, o-nada de canto
Uma noite de carnaval.
Terminara o espectculo com o trialogo qoasi
cmico em 1 aeto, oraado de canto
Tchang-tchang-bung.
97*000 Principiara' as 8 horas-
835000
1W*000
tas atrlios coa U\\* MMP
a*rw.fteLiverpool na bafea i gle-
ES JBCS,
*rdelro *ia*es-
por eenta e risco de quem pertenc.er far loilo de
om oaiio marca JAC, n. 13S, com 432 duaias de
penies para caspas, alliar, putiado,, jbv *l|i-
bira, para atar cabello, travessos com guare*o,
Js-ornto, fra.1 de grnenos para caballo, viudos
. de Liverpool na barca ingleza JA,!*BS e com pe-
queo loque de avaria, os quaes se acbam deposi-
tados no anMsap a ruada Cadeia do ltecile o
29, aoode lera* lagar o leilo lato
HO JE
aa 11 boma en ponto.
LEIIiAl
Antonio V. da Silva Barroca fai leilo por nter-
ven^ao do geme Ollveira, de madapoioes avada-
dos peloGLAWATOR, no da quirta-feira 22 da
correte ao meio da em ponto, en sea armazem
ra da Cadeia b. 4.
LEIL
CBP\ffl A BR4SILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR*
Dos portes do sal esperado
at o da 30 do corrente um dos
vapoTes da companbia, o qual, de-
pols da demora do costume, segui-
r para os portos do norte. Des-
de j recebem-se passagatros, e engaja-se a carga
que o vapor poder coodozir, a qual deveri ser em-
barcada no dia da ana ebegada; eneommendase di-
nbeiro a frete alh o dia da sna sabida as i horas;
as passagns so sarao reeebldas na agencia roa
da Cruz n. 1, escrlptorio de Antonio Luiz de Oll-
veira Asevedo k C
De urna mobiNa de jacaraud usada, guarda
vestido, 1 mesa elstica osada, 1 lavatorio de pe.
dra e pertences, t sof de Jacaranda", l plano de
dito, 3 espelhos grandes com moldara de Jacaran-
da', 1 cama franceza, 1 aparelho completo para
jantar, marquetas, cabidas, quartinheiras, santoa-
mspdoirayvoleas, j_a*covWan yr menino,
relo&abde *nbeira,^parAimft, porta l-
eor, y terndl copoa^dKrraralSe 20 Bras de cha*
HyssA, 390&cas jjp Olas Bara Stateiro com
585t>Jrdas, faudietros e outfis mu_Bs artigos de
gosto.
HO JE
No armazem a ra da Cideia do Reclfo n. 29
Por tnlorvoacao do agente
_______Cerdear SigaMca.
Leilo di predios.
iioji:
Para Lisboa.
Quarta-feira 23 do corrente as 11 turas.
OLYMPO
A8 GlOOmWM*
forre srtbailo 2$& torrente
Acbam-s raria> fu do Crespo n. I os- Dire-
tes, meios e quiotos da t >arte d lo-
tera a- beneficio dos aoaMisi dos voon-
tarios da patria* (64), sea* a oaH-agb do
lugar e hora do-costuoie.
Os premios de 6:0005000 at 40*000
serlo pagos un hora depois da ratraceld
at as 3 horas da-tarde, a os oqlro depois
da distriboicSodastitlas.
As encommendas serio guardada* t-
mente at a noiteda vespera 0 thesoureiro,
Antonio J#4 POBom
o.
ESTR
DO
m cosru
^ens muitofeli-
A' RA DO CRESftftfrtMUi
0 abaaiAassignado vendeni.
"s biflWpa^araaiido!. da lotera q ae acaben
de enrabie; a beneficio das hmiliaa- dos vo.unta-
fiosda^pMia, 03 segaiotes premios:
NI nSt-lrea:Oitiaos cora a son de 6:000>.
N. 401 M&NOjpfaN-o cum a sorte de-l:003.
N. 1399doa^}oia*om a sorte de 200A.
Botara muita* aome de 1005, 40*, e 20*.
iwpossadoTes podnoa'mrreceber seus respec-
' premio aaaaos descont das leisnacasa
da Fortuna a ra de Crasa**. 23.
.*cham-se a venda os da 15 parto da lotera
[*) beneficio das-fam I las dos voluntarios da-
Pftria, que se extrohira" sabbado 26 de-corrente-.
PRBCO.
UftetW: .... 6*000
Meias. v 3*000
Q*otos. 1*200
Pira ai pessaas gue ooDiprarem de 10050011
Bilhetes.....5*500
Mos......1*750
Qtlffltos.....f*W0
mmmmmr^^, Mahow. Maiitims Ficza.
nJECClO l CAPSULAS
VEGET*,ES AG' MAT1CO
GRIMADLT de C. PHABIiCBDiaCOS K PAlttS
Novotrataaiento preparado com as folhas
iaKfca-ie da im na que teoha boa abun-
datd IWda para amatotvr ua nWtitW r na ra
Imperial n. 1.
Precisa-se de ara issadore* : na padaria do
Chora-mwioo.____________
' Pttoet*a-se de odn escrava uara ander fruc-
tes, pagndose 20* meosaes : q.*em a tWer dln-
ja-se i>tta do Sebo 58, que se. dir qnem pre-
oisa.
Precua-se de urna ama pira csthjhar e cem-
prar 1* roa Diretu n. 106 ____________
Preelsa-ae de doi< acoassadore que tnlea-
dam perfeitamente do trauco de padaria, para tra-
balbarem na villa da Eioada,

E8fravo\igio.
abe gertg, frejrueia o> Qoiaona,
> enweabe Serigf, frefuea o> dolama, rugi
o atulatinbo 4--. oijw B*yaiuod, vm es igaaes
segrales : cor clara, cabellos era crespos nem
pegados do cseo, altura regular, pemas um tanjo
arqueada, tem todos os owrtes, est com o rosto
oberto de pannos pretos, e eoiawa fumar muito :
qaem o pegar leve-o a aeu seolior naquuile enge-
nbo, oo a Manoel Ignacio de Oliveira & Filho oes-
ta praca, largo do Corpo Santo n. 19V que aera
bem recompensado.
Recife a &o Fraa^sco
Fiea restablecido o trafegode passagei'- ^e matico, arvore do Per, para a cura rapi-
ros entre todas as estacos e de. carga en- "a e oaltivel da gonorrhea sem receio al-
tre Cinco Portas e 6ainelleira. ^m da contraccio do canal oa da inflamma-
Espera-se que no dia SKMiear restabeleci- ^J*0* nlestioos. O etebre doutor Ricord,
dos o trafego de mercadorias at Bna. *2 *>ar's tem renunciado, desde soa appari-
Rocie idemaiode-i868. cao.ao empergo d qualqoer ootro trata-
G. (X Mano, ment. Emprega-se a injeccao no eomeco de
Saperiotendente. "uxo' ^ capsulas em lodos os casos chroni-
Lista dos objectos fuado na 335 de~2l1e~mIlo SLe,DVeteradr ('0* ******* & prepara-
de 1866, juntamente com a gaveta que continba Ves 9a COpahlDa e as JDjeccoes com base
est-s objectos, da banca em que trabalho, tendo a metlica.
dita gaveta duas menores dos lados cora urna ar- MMigu-m MMM
gola de prata na gavea gaawle a duas as peque-1IIKQI1 Mmmmmm WM
as, tendo a gaveta gfanda repartmentoaoa (..ns ll^ SPllllOf'P^
i:\poslcSo dos productor agri-
c arte ala provincia.
Etn conseqoencia de resolucSo da com-
mis ao directora da exposico desta provin-
cia comownico aos Srs. delegados da mes-
ma e jinmissao, industriaes e mais pe^soas
que tem de concorrer aquella fesla com os
seus productos, que foi transferida a aber-
tura da xposico para o dia 15 de agosto
prximo futuro ; outro sito, que a remessa
d( s productos deve ter lugar de 15 deja-
llio em diante.
Sala da commisso 9 de maio de 1866.
:. Baarque deMacedo,
Secretario._______
lvvpaslco dos productos agr-
colas, indstriaes e obras de
arte em Peraainbueo.
Constan lo cornrnisso directora da ex-
posic5o que, por falta dos necessarios escla-
recimentos, pela comparaco havida entre
os nossos productos e outros similares de
diversas provincias, e per outros motivos
de que nao teve completa sciencia, nao hou-
ve a desejavel igualdade na distribuirlo fei-
ta para esta provincia das recompensas da-
das pela commisso central do Rio de Ja-
neiro na ultima expqsiclo, e que por este
facto alguns dos amigos expositores se re-
cusam a concorrer com novos productos
exposico do Io de julho prximo; resol-
veu, em umj de saas sessoes, mandar fazer
publico o seguirte:
1. llavera na provincia, para os traba-
lh: s ila exposico, um jury especial, no qual
nao ter5o voto os membros da commiss5o
directora, que julgar da excellencia, aper-
feic ^amento e utilidade dos productos ex-
postos;
2. Este jury se dividir em duas sec-
e5es. sendo uma para os productos agrco-
las, e outra para os industriaes propiamen-
te ditos, e obras de arte ;
3." Farao parte do jury as pessoas de re-
conhecida aplido e especialistas;
4. Segundo o juizo do jury, a cornrnis-
so distribuir aos productores e demais ex-
positores medalhas de duas classes, sendo
as da Ia classe de prata e as da 2a de co-
bre, ambas acompanhadas de diplomas.
5." A commissio far acquisicSo, median-
te valor ajustado, dos productos que para
isto forem jnlgados dignos pelo jury, e que
nao possam ser cedido gratuitamente para
figurarem na exposico central.
A commissSo directora espera que estas
medidas servirlo de garanta ao verdadeiro
kapreco dos productos expostos, e qu faro
"esapparecer o desanimo que a alguns ex-
osiiores causou a desigualdade que aci-
a se referi.
Alin disso, a cornrnisso chama a atten-
;.3o dos Srs. expositores e mais industriaes
a provincia para a circumslancia de um
seus membros ter deteompanhar a. ex-
)Sc>) central os productos que d'aqni fo-
e iviados, e fazer parte do jury ]nlga-
dor na corte, achando-se por esta forma
it3do para ministrar todos os esclareci-
os necessarios ao perfeito conhecimen-
to doV productos, e fazer valer o direito d#
cala m d expositores desta provincia.
Por\esti forma a commissSo jalga ter re
movido1, mais um dos embaraces, com que
porveaitira renha a lutar na acquisico di
produc.is destinados exposico do 1 de
julho.
Anda uma vez appella a commissao para
os dignos l'ernambucanos, pedindo-lhes coa
instancia que promovam com esforco a re*
mess de prooctoe destinados a figurarem
n'aquella festa industrial, oda se empe-
nbam os brios aa provincia
Sala da comrarasSD, 23 de abril de 4866.
, 0 secretario,
Dr. Manoel Buarque de Maeedo.
~- AdministraclB do correio desta cida-
de precisa de seis bomens para o serv co
de-eamnhetro, qaem estrrer nestas condi-
56es e quizer engajar-se dirija-se a mesma
admiijirai,'ao.
Segu com brevidada a vellaira barca portugue-
ta Belem, capillo J. Joaquim de Preitas. Recebe
um resto de carga a frete, para o que trata-se no
escrlptorio de Amonm|lrmaos, ra da Cruz n. 3.
COIPAMHIA IIH VNII.IIIIA
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do norte esperado
at o dia 4 de junho o vapor San-,
ta Cruz, commandante Araujo, o
___ qnal depois da demora do costa-
ffiMB bW me seguir para os portos do sal.
Desde ja recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devora*
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e diobeiro a frete at o dia da sabida as 2 ho-
ras, as passagens s sero recebidas na agencia
ra da Cruz n. 1, escriptorio de Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo & C._____________ _____
* Para o Rio de Janeiro.
O veleiro e bem conbecido brigue Adeaide,
pretende' sabir com muitt brevidad^ por ter a
maior parte do carregaaaesto engajado, e para
Punco que rhe falta e eseravos a frete, trata-se com
o caasigaatarioJoaquim Jos Goaealves Beltro na
ra do Vitar n. 17 prwetro andar.__________
Para a Babia.
Pretende seguir com muita brevidade a velleira
sumaca nacional Iiorlencia, a qol tem parta de
seu carregaroento promplo, para o resto que Ihe
falta tratase com os sf-us consignatarios Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo & C, em sen escriptorio,
roa da Cruz n. 1.
fara* leilSo de 3 casas terreas sitas na freguezia
de Afogados raaBu nc 118, 120,122, (odas de
pedra e cat, renden do mensaimente cada uma 83,
em chaos proprios no dia cima di no arma
zem da
Praca do Commercio n. 48.
Para o Porto.
Pretende seguir em poucos das o patacho por-
tuguez Ni'VO LIMA, por ter ja prompt) tolo o seu
carregameoto : para passageiros os quaes offereee
ezcelleotes commodos, trata-se com o caplto a
bordo ou com os consignatarios a' roa da Madre
de Dos n. 3, escriptorio.
Para o Porto por
Lisboa
m
A veleira e bem conbeclda barca portogpeza
Tentador, pretende seguir com muita brevidade,
tem parte de sea carregameoto engajado, para o
resto qae me falta trata- se com es seos consignata-
rios Antonio Lniz de Oliveira Azevedo & C., no sen
escriptorio na ra da Cruz n. 1.
rishoa
Pretende sabir em poaeos dias para Lisboa a
barca portugueza Jfana, recebe carga e passagei-
ros, para os quaes tem e.celienles commodos e p-
timo tratamento : a fallar cora os consignatarios
Carv.iho & Mogueira, ra de Apollo n. SO, ou com
o capito. _______ ^^^
Para o Aracaty.
O velleiroa bem conbecido pathabote aactoml
Dota Amigos, pretende seguir com moita brevMa-
de, tem parte de sen carregaroento engajado, paca
o reato que Ihe falta trata-se com os seas consigna-
tarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no'
seu escriptorio, ra da Cruz n. 1.
Para o Porto
prometo, pan o resto que Ihe falla tratase com os
seus consignatarios Antonio Laiz de Oliveira Aze-
vedo & C, no seu escriptorio,"raa da Cruz 0. 1.
P4R4 LISB04
satura' com toda a brevidade o brtgue portu.uuz
Constante II por ter prompto quasi todo e sea esr-
regamento : para o restante e passageiros, para os
quaes tem eacellenles commodos, trata-se cem Mar
noel Ignacio de Oliveira Filho, escriptorio ao lar-
go do Corpo Santo o. 19, oa com o capitSo na
praca. ____ ____ _________
im:iimo
De
Trastes avolsos, mobilias completas,
crystaes, jotas de onro, oriilianles,
relogios e outros muilos bjeetas de
gasta,
MOJE.
OLYMPIO
fara* leilo por coota e risco de diversos dos ob
jectos cima mencionados, os quaes sero vendi-
dos pelo malor preco, ao correr do martello em
seu grande armazem
48-Praca do Commercio- 48
IEILiAO
Um cavis, latea, vid ros e atb ob-
jectos da hotel itsiiaao roa da Tra-
piche o. 5
Hdame Ferro
tendo de retirar-se para llalla aira de tratrr de
Antonio Pereira da Cmara Lima e
Faliciaoo RoJrigues da Silva (Mr.
engenherj tenham a bondade de
dirigirem-se loja da ra do Cres-
po n. 17, a negocio de seus inte-
resses.
Finio
lados linba tampa cora argola de prata, ea da meio
nma dlviao.
Oa objecto tartado* foracn oa seguinles :
Um relogio de ouro aotigo descoberto bordado a
ouro com cadeia e chave de ouro, sendo o florado
da caixa do relogio de ouro verde e vermelbo; 1
caixa pequeoa de pao com tarracha contendo 1
quilates de brilhantes, sendo um de forma regalar
com meio quilate, outro quadrilongo tambera com
meio quilate e os mais pequeos; 1 caixinba de o
breia conlendo 5 quilates de diamantes rosas esco-
Ibldos ; 1 caixioha de papelo coberta de couro en-
carnado formando a imitaco de uma cari eir, con-
tendo 4 quilates entre rubios esmeralda e parolas
encasloadas em onro alm de 3 grandes; 1 cana
de obreia cheia de gtisoltas amatistas e brilhanll-! Ra noite de 29 de abril prximo passado furta-
as; I caixa de pao com tarracha com amatistas, ram do engenho Dous Bra?os de cima, proprieda-
rocbas grandes, comes grandes aaoes e encarna- de do abaixo assignado, nm cavallo com os signaes
do, sendo 5 azues e 3 encarnados; 1 cajado de pra-. segointes : alasao, castrado, com a ctina e cauda
la de-s. Jos; 3 hastias de cajado de onro, sendo curta e da mesma cor, urna lisira branca da tesia
duas malores e um menor pasando todos 4 oitavas; at em cima do beico superior, o p esqoerdo e a
3 resplandores de pratasendo dous pequeos e om mo direita brancos at os travadores, novo e gor-
graode, penenceuies aoSr. Antonio da Cuaba Soa- do, bem feito do corpo e pescoco, bom andador de
res Guimaiaes.e juntamente quitro cra-vos de pra- baixo at meio, n sn'lar baixo uir tanto spero
ta com cabecas de pedras rochas quadradas e for-1 tenj sienal em baixo, e um pouco espantado'
mando nma pyramida. cada um perteneente tam-; Di-se 50 de graliflcagao a quem o trouaer nete
bem ao Sr. supradito Guimares.; cadeias de re- eogenbo ou delle der noticia certa,
logio garvamsadas ; 1 caixa de relogio de pirata, Manoel Rodrigues da Silva Cmara.
descoberta, sem machina ; 1 leque de marnra uno.-------- .- --^ ------=----------------------
com uma haste quebrada;! uta de ouro de pul- 1,111 D ifinifllll hllOilllO
ceira moderna; 1 caixa de pao qoadrada com 90 V, :
foibas de sombra de prata fina; chaves de gave-) A parttaa do corrente mez tera logar na
ta em uma corrente de pr.ia ;-2 palacoes de prata; noite do da 24.
1 cinete de marfim coto duas roaos dadas; 1 era-1 -------
vaj) de annel de dez pedras pequeas sendo ellas j Alia fle
esmeraldas e diamantes ; 4 oculos, sendo Precisa-se de uma ama
Contina a estar fogida a escrava Izidoria,
bem cooheeMa, tem os signa-s secumie : crioola,
alta, bem parecida, muito regriala, tem a eabeea
cbatae caballos corladas na ponen, deotes botados,
uma cicatriz no brag > direilo proronieots de ama
estocada, protesta-se c.im todo o rigor da le contra
quem a liver occulia : roga-s- a todas as autori-
dades policiaes que ai>prebendam e leveta-aa a seu
seuhor na ra da Aurora n. 2.
"saques sobre o Rio de
Janeiro
Parete Vianna & t;..sacam sobre o Rio de Ja-
nelro e dao premia
Tbereza de Franca, Poriuxoeza, retira se
para Per toga), levando em saa companhia nma
neta menor de 10 annos.
8. Sacramento da freguezia
de Santo Antonio.
De erdem da mesa regedora da irmaodade do
S. Sacramento, convido a todos os nosses i raos a
comparecerem domingo 27 do correle as 10 horas
da manba em o consistorio da irmaodade, anm de
elegerem a nova mesa que tem de funecionar ou
anno de 1869 a 1867.
Consistorio da irmandade, 22 de maio de 1866.
Ang-lo rfvnriqoes da Silva,
Escnvo interino.
Roga-se a pessoa qne-p>r boodade guardea
ama precaloha para Nazareth etres carias se dig-
ne declarar o lugar em que est e pelas despezas
da resposta se pagara' a importancia.
do agente 3 J iXgnndV"
leite.
rubios esmeraldas e diamantes ; 4 denlos, sendo Precisa-se de uma ama de lei'e
um de ouro, um de metal, nm azul de tartaruga e,' [ar na rua ,j0 Crespo n. 45.
a tra-
um de bfano ; 1 caixa com 23 cornolinas entre
Cordeiro Simdes, de todos os movei-, louca e mais
objectos de seu hotel sito a' rua do Trapiche n. 5,
como seja : 7 marqoezas, 10 cara i.f 66 cadeiras,
8 lavatorios e seas perlences, 4 mesas da pinho,
1 commoda, 2 cadeiras de balanco, 2 mesas re
dondas, i mesa elstica de 8 tabos, 2 Olas de
amarello, 2 aparadores, 1 mesa de mogoo, 1 ar*
mario de amarello, 2 sotas, 1 porta licr, 1 galhe-
telro, 1 banheiro, 1 relogio de parede, aparelbos
de janlar e almoco, escarradeiras, castiga!, copos,
garrafas, 9 espelbos, treos de co^inha, toalhas,
lencos, cobertas e muitos outros objectos que se
torna enfadonho mencionar.
Quiola-feira 24 da correte
as 11 horas em ponto no mesmo hotel. ______
LEILO-
De 55 caias coiu lionas de novelo.
Quinta-feira 24 do corrate.
O agente Pestaa rara' leilo por conta e risco
da quera perteoaer AP 35 aaixas com lionas da
novelo avariadas a bordo do navio inglez JANE.
em soa recente viagem para este porto : quiola-
feira 2, do corrente peta? II hita da manha no
armazem da rua da Senzala Nova u. 42*.
Leila ~
De predi >z- e terrenos
de marinha.
Um sobrado de dous aadares e sota o na rna da
Imperatria17,com (taas< portas de roa sendo
uma para o prwneiro andar e- outra para o segun-
do, cem 30 pemos de rao t 127 de fundo, tendo
4 aortas d frente, vara*!* de ferro no primeiro
andar, no segundo duas janetras e nma sacada
com varandada trro, cao grandes salas e quar-
los, cosinha, grande gabinete interno para serven-
ta do primeiro e segundo andar na parte posie-
' rtoT, aparelo e canos para toda a propriedade,
systerna, cambroae, gaz e agua potavel.
Um sitio na estrada do poc j da Panella todo mu-
rado sob n. 10, com fracteiras, 2 portdes de ferro
fretende seguir com muita brevidade a velleira
barca portugueza Iris, capitao Mithias de Souza
Uaciel, tem dona, teccoa d* saa carregaatenlQ sendo nm.da. cada lafo,gf-__-ateg-rtite casa de
vi venda com 3 salas, 9 quartos, cosinha, cocheira,
estribara, casa para pretos, 2 cacimba,2 tanques,
bomba de ferro, jardn, chafaiiz collocido em um
tanque.
Um.terreno -wairo a marinha no caes do Capi-
bariba sob n. 38 A, aenaficiado com caes e aterro
com 45 palmos de vo e 29o de fuado.
Um dito contiguo ao supra mencionado, foreiro
a marinha sofi n. 4 C, beneficiado cem caes e
aterro tendo 20 p.I mas de frente e 263 de fundo
Um dto alaMdo foNira a marinha na estrada
da aotoaolombi sob a, 19, ao la lo de leste, com
51 bracas de frente e 60 de fundo.
(Jm dito dito tambera foreiro a marinha e na
PARA A BAHA. meema estrada ao lado de leste, sdb n. 20 A, com
No dia 10 do corrente devia sabir da Babia pa-! 40 braca* da frente e 60 de (nodo.
re esta provincia o patacho Sanio Antonio, que
cfaegando nao deve ter demora e seguir' com bre-
vidade por ter parte da carga prompta, para o
resto da carga trata-se om o conelpffatario Jos
Mana Palmelra, praca do Commercio n. 4
Para Lisbo
vai sabir no dia 27 do corrente, por ter a malor
parte da carga prompta o veleiro patacho Marta da
Gloria, capilao Antonio de Barros Tlente ; para
carga e passageiros trata-se caca __.__ BatM-by aaa-
do Trapiche n. 44, 2a andar, ou com o caplto.
Ilha de S Miqwl.
Segu com malta brevidade o patacho portaguoz
GEORGENCE, para passageiros, trata-* com Joo
de Reg Lima raa do Apollo n. 4.
mWt-
Belac*) das cartas seguras vendas do norte pelo
vapor Cruzeiro do Solparaos senhores abaixo
declarados :
Antonio. Jos d Silva, do BraaiL
Damazo ileichiades Barata.
Firmut Caadida de Figaeiredo, >
FaM .Nunes Leal.
Haariqee dSHvaFerreiraRabetlo-(lo d'AIbo).
Joaquim Antera oXWlvelra Lazo.
<*qu*i l'^rdoao, yraa. i
Dr. oio lUynaado Paraira a.Stiaa. \
LEILO
De nma casa terrea sita a rua Ar ma-
triz da Ba a -Vista.
OLYMPIO-
fara' iet lio da ai
prprios (lado da
Boa-Vista com 32 palmos de largara, tendo de
commod 4 qnartoa, i salas, cosinha fora, quintal
Um terreno proprlo ao largo da rrutniz do Pogo
da Panella, com 24 palmos de frente pouco mais
oa mellos e 42 de fuado.
O agente Martms fara leilo a' requarimento de
D. MaraTbeodora Alves Ferreira meelra e inven-
tariante dos bens que licarara por fallacimealo de
sen marido Dr. Jos Mamede Alves Feireira e por
mandado do Illm. Sr. Dr. jalz de orphos dos pre-
dios e terrenos cima.
Sexta-feira 25 da ca> rente.
Nn irmaaam tia mi 1- Vrdt'- t Recife n. 53,
as. II horas.
Oa pretendentes se poderao entender com o
mesmo agente para qualquer informa;o.
AVISOS DIVERSOS
Mi sendo possivel obter distribuidores, t
hora extraordinaria, de vapores, para mandar en*'
tregar o supplememo, por estar cada nm na sua
ocaupaco soaplemeotar, rogamos aos senhores
aMgnantes goto quando chegar noticias importan
toa a mandem buscar nesta typograpbla a folha
qae heuver de se dar, maadaoao para reconheci-
meoto o recibe de sua assignaiara, visto que sem
elle nao ser entregue. Tambera lembramos a
qaem esta devendo a sutucripcao qaeira uandar
pagar na turara o. 8 da praca da independencia,
visto que a muito se passou o lempo, e esli obrl-
bral'sJtaTrfd'a r_ifltt
Na ra cTCrezes
de coral encastoada, pe- i
sando o eocastor 2 oiiavas ; 1 flga unicorne eneas-
loada em ouro ; 2 diamantes sollos encravados ; 2
moedas de dousjtuslSes cada um >; 1 microscopio ;;
2 moedas de mil res cada uma ; 1 par de argoli-1
nhas de ouro Ik<^ Wro do orielal qnarlrarirt
para-retratos e nm m\; 2 vidros para oculos de
miope; 1 luneta de tartaruga com aros de ouro vi-
dros de christal rocho; 1 frasco azul com pululas
frreas ; 2 volus de cordao novo, uma com oilo oi-
iavas e meia e outra com seis ; 1 brinco de ouro
azul furta cores, pertencenles ao Sr. Amaro de
Barros Correia ; 1 par deargolas de coral azul en-
castoada em ouro; 1 annel de ouro com duas pe-
rolas faltando o diamenle do meio; t volla de co-
ral eufiadas em contiuhas de ouro, e um bracinbo
de ouro pendurado as mesmas cootinhas; 1 caixa
com um par rozeias e um alQoeite obra de fora;
1 fivela para eos; i trancelim de prata com gan-
cho para relogio ; 1 piogenle lapidado de cora*, ri-
cando um igual em uma outra gaveta ; 1 par de
botoes de punhos de coral eacastoado em ouro; i
par de rozetas de coral, encasloadas em ouro -, 28
oiiavas de prata fina forrado de ouro, conlendo de
descravagoes ; 1 luneta de caixa de prata dourada
com trancelim de ouro ja' usado, perteneente ao
Sr. Hemeuegildo Borges Deniz, dada para concer-
tar ; 2 moedas de cinco to-ioes embralhadas em
tres mil res em cdalas; 560 em cobre ; 1 par de
rozeias de agarra de ouro, faltando aa pedras;
2 pares de botoes de punhos de pedra prea, en-
castoada em ouro; 4 oitavas de prata fina de galao;
2 pinpentes para brincos feito de azas de beseum
encasloadas em ouro, e 8 ou 10 besouros para
fazer obras; I cordao floo e servido de onro com 4
oitavas; 1 caivete com tres folhas uma grande i
e duas pequeas; g pares de corchetes de ouro
para trace'ilm.
Ferramenia constando.
Uma palmatoria de tarracha pequea ; 1 carri
nbos para brocas ; t dasmarrtiilho ; 2 boi oidores ;
1 riecador ; 2 agarras pequeos ; t marteMabo ; 1

1 nrm muim
Sortiraento de papis pintados e ^
f lindas guarnicoes para forrar casas.
SS N v LIVn\IIA FRANCEZA.
BSQ N. 9. Rua do Crespo N. 9.
Precisa-se de um caixeiro par taberna que
teuha pratica e seja de 13 a 13 annos ae idade :
oa rua da Poute-velha n, 39.
Na praca da Independencia n. 33, loja de
onrives, compra-e ouro, prata, e pedras preciosas,
e lambem se faz qualquer obra de encommenda, e
todo e auaiquer concert.
Autonio Luiz de Oliveira Azevedo & C. tem
para vender no seu escriptorio, rua da Cruz n. 1,
vinho do Porto em caixa de duzia, fio bamburguez,
oola da Baha superior.
VERDADEIRO LE ROT
de SIGNORET, Docteur-Mdecin
Ru de Seine^Sl, PARS.
f
Ama de leite.
Precisa-se de uma ama de leitp, para &mameo-
tar ama meoina muito mancinha, paga-se bem,
rua Nova de Santa Rita n. 55 primeiro andar.
Aloga-se a casa tarrea n. 7 da rua do caes
de Deiencao junto :.o sobrado ao norte do gazome-
tro, por 12J>mensaes, tsm 2 quartos, 2 salas, co-
slnha, quintal com cacimba > fsta' pintada.
Trocam-se notas dn banco do Brasil e das
caixas filiaes com descont razoavel : na praca da
ndependencia n. 22.
Qaem annuncion para vender uma taberna
na freguezia de Sanio Autopio, qaeira dirigir-se a
Passagem da Magdalena n. 3.
i:m rjja jarrara, val, entre a rollm ropn
ne lf.;i ,i n"ii sinrlL-, um rolulo in.pr<- Brillo I O Sy.l.l.f) MVRIAL OO tOVtl-.SO nuez,
' .V /? emellciiilo-si'una leltrj de SO irancu
l-i-li r l':ir:s, aceitare! a >U dial ile vbta, ao mximo,
FKuZ.vsr i] _bailmefJW> in maior <|.-seonto.
| l)r|Hidh> prturlpal
>_.
PASTA a XAROPE de WAF da ARABIA
DE BEIiAWCBENUKB
, 8(o os aicos peltorasa approrados pelos profeisom da
J Facultad de Medicina de Franca, e por M mdicos des los-
pitaes de Parir, os quaes certificarlo taala a sua suaerlo-
ridade sobre lodos os outros peltoraes como sus poderosa
efflcacia contra os Dataos, SrftP*. irrllaooes e as
ABelcaei do palto e da (iriuU.
RACAHOUT DES RABES
Paulino Ferreira da Costa retira-se para Por-
tugal a tratar de sua saude, e deixa como sens
bstanles procuradores Amonio Marlins de Carva-
ibo Azevedo, Joaquim Domiugu-s Feroandes e Ma,
pedra da tocar; 1 porgo de limas finas e buris e noel Moreira RibHro.
brocas da todo tamanho; i agalba de trabalhar em
la; 1 botao de ouro esmaltado para berlura ; va-
rios papel, cartas de Sancas, papis de compras de
eseravos e recibos, e tres letras nma pagarei de...
86#U0!), aeeiu por Antonio Francisco das Naves,
oatra de 505, aceita pelo capitao Amonio A'ves de
Paira.
Foi preso o escravo do capillo Marcelino Jos
Lopes, ama hora depois que o por nome Lobino,
acbando-se pequea pa i te do ronbo.
Vicente Antonio do Espirito Santo.
Precisa-se de nm copeiro para o sorvico de
uma casa estrangeira : a tratar na rua do Trapi-
che n. ;i, primeiro andar.__________________
Joao Bapiista Gomes Penna roga a seus deve
dores que venham satisfater seas dbitos no praso
de 15 das, qoando nao forcam a entregar ao sen
procurador para cobrar amigavel ou judicialmente,
sem excepgao de pessoa aiguma, pois tem serios
compromissos e nao poda ter mais conlemplagdes.
Precisa-se de um caixeiro qne teoha pratica
de balco : na padaria da roa do Ruano da Boa-
Vista n. SS.
Sitio.
Esta' para arrendarse oa alugar-se nm sitio no
lugar do Barro, com alcana atvoredo-. boa casa de
vi
Pi-
do
razoavel: quem pretender dirija-se ao pateo
{vramento n. 20, segunda andar.
Ama Pfccisa-se de ama ama da leite : na roa da
Coaceic^o gobaado p 8. ^
Atoo.
Brender a Braadis & C -audaram seu
escriptorio e armazen. para a rua da Cruz
numero 9._________.....- .....
Alnga-se una boa casa oooi tarrannj
redos de fructo, com commodo* para fa "
preeo commtxro. na ma Non 6> cidado i
no oti da-S nt t : a traM* no Reeife, rea
Aguas-verdes n. 5.
nico alimento approvado pela Academia de V1
Pariz. Eile restabelece aa pessoas queaoflreta 1_
ndt edos UImUim; foruleos ai crisneas t as paaaSas
dehillladas, alera aisso em Ylrtude de saa proprledad* a_a-
toptioa he o malhor preaarraUTO das a*hraa aaaas-aU. e
tTP-Ol.
Cada Irasco a cada calxlnb* deatas preparaorJes letdt
iprt o ullt a frma DOimrtnim, rua Richelieu, 3
em Paria. (Fazer sarillo atwnclo com ai falsicacoes.)
temfre elh a |lnw ilila-fruilw, rua Richelieu, 10,
a Paria. (Faier serillo allnelo com ai falsificacoes.)
Depositarlos no Psnumta : Owis Barawt*; atas
aholomeo r" da atwaa r OU.
Vende-se naS pharmaeias de Maurer e de
A. Gaors._____________________ '.
O Dr. Aristides de Paula Oas Marlins tem o
sen escriptorio deadvocaea na rua de S. Pedro,
Rio de Janeiro n. 12, qnda pode ser consultado so-
bre questSea jurdicas, da* 9 horas- da nMibaa as
a com 2 salas, 4 quartos e coslnba fora, por 3 da tarde. Eocarrega-f de qaalquer causa ctvel,
-* commercial, ecclpsiastica e-criminal, inventarios,
appellaco"es, revistas e necocfds pehrs fepafciW.
Os negocio fra? da corte, ale das procurantes
devem vir acompaobados das competentes ordens.
"^Carvaho & Pogueira na ruado Apol-|v
lo n. 20, sacara para o Porto e Lisboa, a
rista oua prazo. ... ;
Engenho para ar-
,j_;^. rendar
Arrendase o engento Qniaoiubo, '
I maro de Jaboatao, o qual tem moitas r -
trras, e 'ttaMIas maltas : atrftyna'
(,Hs______l i swbradb confrome so
Le k no .Voni'f.r de la Pharmaeie.
sAelectricidade hoje empregada por todo! oa
mdicos afamados, para o tratamento de militas
molestia!, mesmo para as que resisten! as outra*
mnlicaces.
sA electridade produiida pela friccaotem uma
ssuperioridade incontesta vel, e a vantugem de nao
dar abalo, e d poder ser graduada pelo doente.
A causa a mais (requeme das molestias
estagnaca do sangae ou dos outros lquidos vl-
taes. Kestableeendo re a eirculacao no orga-
nismo, curaao-sc as molestias.
Qnando se sent aiguma d6r eai e^ieloner
parte de corpo logo, e instinctivamentc, seerfreg
o lugar endolorido com a ma, e isio allivia. Isto
> explica o resultado iocontestavel que deve pro-
duzir um apparelho elctrico. Per isso temo*
prazer em annunciar ao Publico que o Sur Buisson
de Bivilliers residente, boalevart du Prince-
Eugene, 18, t~t Paria, dotou a medicina de aa
app.irelho Electro Magntico, sob a forma de
lima escova, coa o qual os doenles se poder a o
curar sem neliuma outra medicaca. Os mediCM
que a tea experimentado, altestara que a
. acor* ZucTio M*_iTica efficat para
curar: os Rhe-matismos, a Paral y si a, Cotia,
Traquexa dos membros, e da Columna ae-
tebral, debilidade geral, Ncvralgias, ota
Esl-araos certos qne breve cada familia possuira
> esta escov a que prestara grandes sen icos.
A pedido de multas pessoas, o auter decidio-sc
a establecer nm deposito de seos apparelhas do
Aso de Janeiro, em cata 4o Sn Dinissa Rotni,
rm\not>adoOuvidtr,n'i:>
KUIX M OCHO. P"""I0 DE 16.600 F.
auiNA
ELXIR Febrifsgo e Faricme
surilin IOJ 1IINS I IlMrt! II Ht.
Experimenta da cem pleno incceaM nos
hospltaes, a quisi Laroehe (oa extracto
completo de quine) ama preparacao
excepcional, por 1er privada do amargo
tquina. Atrada por coDSfftsiet* as pessoas 1
raa imolantea- e tos paladar ce mais
cad s, pan oem mullo doce nem muilo '
viscosa, seado de un Knrpidei constante.
Emprega-se om multo proveito nos casos
eagMa-elaiaA ypipiila.ita^T-la^a-C--
aaia, aaeraruBO, eaakenaa, asnee
tesejo laeareanse apperenle, eons-aleseeav
faV ^aateraxles, enJorose e escropbales
ds'_M>lt!as febril.
OOIW LMIOCrll rlrmUWIHJSI
ase Mu ss prsiriesie*) do (em s aa csiu.
Bal PARIZ,
18, rae Droaoi.
P. KAffiETR A C
ron Nova n-. t*.
Na rua do Bruna n. 8. engomnaa-se roupa
com presteza e acaio, e por comniodb preco, assim
como se encarreg.m de mandar lavar qualquer
porcao de roupa coa aa Mesmas coodrc(lps

o. 4* vende se doce'de,
foiaba flno a t17D0 a lata de 4 libras-, gnt db me- a Portugal tratar de sna saude, leva em sna
Precisa. de orna ama para eottpiW# eo
nhar pira peonena familia : na rna de Hortas bu- 1
aero 90^_______ __ -j
~-^* Manoel Martina Moa, brasileiro adbpflvb, vai
ma ama para
soltelro, qtl saBa e engoman cosa
d iador a soa cooduec: a trtta*
ruadosPraMM
morado e cacimba, n. 36, no dia a bora cima dito |h<,r ]0| a lata e a 440 a garrafa! e todos os, cbmpanbia saas doas fltbas miiores o am Blho \
DO armaiem da
Praca da Comercia a, 49.
i mais gneros da methor qaalldade. e por j/twx menor, e nada tica a datar l esta praca nem fra tha, qoerando I
1 "<"""inS i dalla, r l'manda fitr eni'$u plairai
i commodos.
MUTILADO
r USiVH


immmmmmm

Mari* de reraamitaeo arta felra tSc Mal* de 1866.
AGUA FLORIDA
^ATiaX*
MURRAY&LANMAN
A agua florida de Murray & Lanman'
olhada como nm artigo d perfume, n5o
tem podido ser igualada pelas preparacbes
as mais custosas: conserva *eu aroma, co-
mo se formasse parte da prenda a que ella
se applica.
Sua elflcacia Ufo delicada, como elegan-
tes sao seas multiplicados usos, qur seja
empregada como artigo detonador, qur
no uso do banho, ou como avisador da
petle, depois que se tenha feito a barba;
j para limpar as gengivas ou aromatisar o
balito.
D suavidade, brilbo e etasticidade as
compleicSes, depois dse haver lavado; al-
livia a irrrtac3o de erupcoes ordinarias; faz
desapparecer o desagradavel aspecto dos
pannos, das sardas, do rosto, rugas e toda a
casta de ebuces, e d vigor e frescura a
parle onde quer que se appliqoe. Sua effi-
ciencia e elegancia sao igualmente infalli-
veis nos casos em que seja preciso applica-
la como estimulaote e antisptico, nos con-
cursos e assemblas numerosas, as loca-
lidades infeccionadas, na alcova de um en-
fermo, assim como um antidoto excellen-
te para os desmaios causados por cansaco
ou suffocacao. Preparada nicamente por
Lanman & Kemp, Nova York, e a venda por
Caors A Barbosa.
Joo da C. Bravo Deposito geral em Pernamnnco ra da
Cmi n.22 em casa de Caros____________
Samuel Power Johnston & Companhia
Ruada SeozalaNova n. 4.
. AGENCIA DA
Fundido deLow Moor.
Machinas a vapor de 4. e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho.
Arreios d>' carro para um e dous cavallos.
Relogios de o uro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descampar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
mmmmmmmmmmm mmm
m DEPOSITO DE CALCADO
m FABRICADO NA GASA DE DETENQ0
H Roa Xovi n. ei. (
Ah se encontrarlo obras de di- mt
g versas qualidades, e por preco mui **
wi diminutos, a retalho e em porces. *
Pl S se vende a dinheiro. $g
mmmmmk mmsm mmm
S. Antonio.
A apreciada e mui procurada tresena do glorio
*r> S. Antonio, scha-s a vpnda oa roa do Iperador
a. lo J r-ui" de i1. Francisco.
O Peitoral de Cereja,
do dr. ayer,
Pava a cuba radical e cer-
ta de todas as molestias do pcto
e da garganta, toases, constipacoes,
Itroncliito, asma, defluxos, roqu-
do, Corfucluclie, angina, Diptheria.
Ettfl xarope peitoral o resul-
tado de longos minos de estudo
por nm dos primeiros medico;' da
America do Xortc, e de experi-
encias minuciosas nos prlncipacs
hoFpitaes do mnndo; reccltado pelos mdicos mais distinctos
leste seculo na sua ellnfca particular, portanto dlgfto de toda
confianza, Io, por ser ejfcttz, alcaacAndo cora urna certeza infal-
ivel o assento da molestia e arrancando Ihc as raizes, assim
dando aos orgaos afectados urna acco natural e s:2, por
ser innocente t applicarfil a qualquer pessoa de qualquer idade
cu fcjto, ao hornera robusto ou 4 crianca da mais tenra Idade,
cada fiasco sendo accompanliado de dirrecces minuciosas:
:;<>, c ultimo, por nao ser nm remedio secreto, pois qualquer med-
ico ou pliarmaceutico pode obter a formula da sua coraposicao,
ciirigindo-se >essoalmente ou por carta ao agente geral, H. M.
Laxe, i ra Uireita Xo. 15. Itio de Janeiro.
Muitos casos qne tinho zombado de todos os recursos
ila scicncia tem sido curados radicalmente com o uso do
Peitoral de Cereja.
As pessoas atacadas de lossc, deflexos, Dr da garganta,
Bronchite, asma, etc., c outros symptomas da tirita prima-
ria {feralmente fazcm pouco caso do seu padecimento at
que seja tarde para cura-lo. Nao descuidis d' urna tosse
pasque agora parece de ponca importancia ; urna tosse
descuidada chega a ser chronica e induz a formaco de
T.iherculos nos pulmoes.
Nentanaa casa de familia deve estar sem um frasco
deste xarope mSo ; pois nos ataque* repentinos de
Angina, de Croup, c nos paroxismos do Coqueluche; ou
tosse comprida a que csto sujeitas as enanca*, nao ha
tempo de chamar um medico, ncm de faaer remedios, e
este xarope alivia immediatamente e pc o filho querido
sfio"e salvo, (ora do perigo.
As molestias qe esto no alcance das vlrtuaci curativa*
do PEITOBAX. DE CEREJA ae
Defluxos, Toase*, Anua, Esquinencia, Bronchite,
Cocueluche, Tete ferina ou convulsiva.
Roquidko, Toda* u molestia* do peito
e garganta. Conaumpcto dos Pul-
moes ou Tilica 'pulmonar.
Acha-sc em toda* a* Boticas e Drogaria* do Imperto.
FABRICA VAJPOR
99 RA DO MONDEGO 99
Deposito na ra Nova a. 4> toja de relojoefro.
Belouche donos deste estabelecimento partecipa ao respeitavel publico que eua fa-
brica est montada com as melhores machinas que existem na Europa, e que pode
fabricarcom melbor perfeicSo possivel. Todo o chocolate desta fabrica est garantido, e
puro, e que nao se pode encontrar naquelle que vem de fra, e que se vende por preco
baixo, visto os productos serem do paiz. Na etiqueta tem sempre urna aguia.
PRECO.
Meia libra......... 400
ma libra. ........ 800
Urna arroba .... lt000
Na mesma fabrica acaba de se montar urna oficina com serrara a vapor para
obras demarcineiria propria para edificio, para o qae encarreg-i-se de fazer portas, ja-
dellas, assoalhos (parqu francez como se usa na Europa,) e armacoes, tudo com brevi-
nade e'_perfeicao. Toma-se qualquer encommenda para fra da cidade, entregaedo-se
prompta a eollar-se no lugar.
DE
COEIiHO s FREITAS
Ra da Cruz n. 16.
Continua a haver diariamente um sortimento de pastis, podins, bolos inglezes.
empadas etc., ele. Os donos deste estabelecimento, acbam-se as melhores condices
de poder satisfazer encommendas concernentes sua arte, em consecuencia do socio
Freitas ter sido administrador chefe de algumas das principaes fabricas na corte, sendo
urna a do Sr. Joo Goncalves Guimares (confeitaria do Leo) antiga casa de Carceer.
Todos os trabalhos sao differentes dos que se fazem em casas particulares.
Os proprietarios deste estabelecimento nao se tem poupado a despezas, nem se
pouparSo, se houver concorrencia como esperam; tendo continuadamente bom sorti-
mento de doces para cha; presuntos e ditos em fiambre, tambem se recebem para se-
rem preparados; assim como doce de caj novo superior, secco e crystalisado, dito em
calda em latas hermticamente fechadas, podendo durar annos em perfeito estado.
Para janlares e partidas recebem-se encommendas dos seguintes objeclos; ban-
deijas ricamente enfeitadas sem armacao pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, pes de l enfeitados com disticos anlogos a qualquer fim; ditos montados,
kechs simples e enfeitados com fructas ingleza; gatheaux de la reine, ditos de le d-
chese, tortas de fructa, massa folhada; ditas de peixe e carne; cremes e doces de ovos
de differentes especies.
Tambem tem um completo sortimento de vinhos engarrafados, como sejam: vinho
do Porto superior, Figueira, Madeira, Lisboa, Cherez, Bordeaux, Champagne fino, ser-
veja, licores, charopes e conservas. Para festas: bonitas caixinhas com amendoas, con-
feitos e mais enfeites. Muitos destes objectos mencionados podem-se perfeitamente ac-
ondicionar tanto para a provincia, como para fra.
FIGURAS
Acabam de receber bonitas figuras para bandejas de doces, sendo grupos para
baptisado, casamento, annos, ditla a phantasia, bonitos enfeites para bollos e circular pra-
tos de doces fios, tudo por precos razoaveis.
Vende-se licores em duzia muito em conta.
BOA C*SA
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias:
na ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Aluga-se ama casa e sitio na estrada do Ja-
i coljina (Capuoga), coro terracos e canieiros ao la-
! do, baoheiro, coclieira, estribarla, gallinheiro e
quartos (ora, bastante fresca : a tratar na ra do
Pilar, primeiro sobrado a direita logo depois do
arsenal de marinha, 1 andar.
Em casa de Tneod (Jhristiansen, ra do Tra-
piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil,
de Brandenburg frres, Bordeanx, encontrase ef-
fectivamente deposito (os artigos seguinte:
St. Julien.
St. Pierre.
Larose.
Cbateau Loville.
Cbateau Margaux.
Grand vin Chateau Lafitte 1858.
Cbateau Lafitte.
Haut Sauternes.
Chateau Sauternes.
Cbateau Lataur Blancbe.
Chateau Yquem.
Cognac em tres qoalldades.
Aieite doce. Precos ^e Bordeaux.
Engomma-se
com asseio, promptidao e preces razoaveis : na roa
Augusta n.o, loja.
Pilulas Catharticas do Dr. Ayer
CURAO
Prizao 4 venir, Indlgettmo, ContUpmqa; Rheu-
malUmO/ Hctnmorrlioida*, Dr de cabeea, A. Vevral-
gia, mal o ettomago, Enxaqueea, mal d Finado,
Oattrite, Febre gattro-hepaUoa, Lomhrigm. Eryrp-
ella, Bydroptta, Incremento do once.
Todas as molestias que provm do uso exceMiro d*
Quinino.
0 mlhor purgante at hoje conhecido.
Estas pilulas assucaradas sao puramente vegitaes.
pntelo x FusmcAo sem keecttbio.
A venda em todas a* Boticas e Drogara* do Imperio.
Aoram JEBAi.,
H. M. LA1TE, Boa Direlto No. 15,
Bio de Janeiro.
Vende-se em Pernambuco;
na
LPHARMACirFRANCAISE
RMDRERC,.E
I RA NOVA H':m
k
Aluga-se na ilha de~Bem-fica, a margen) do rio,
a razo de 15*1 mensaes, a primeira n. 2 A :
trata-se na ra Nova n. 38._________________
Precisa-se alagar urna ama para casa de
ponca familia; na ra da Imperatrii n. 36.
Publicado jurdica
DOS
SResponsaveis nos crimes
De liberdade de exprimir os pensa-
rme metilos.
^ LirOes de direito criminal.
) PELO DR.
: lira i Floreulino Ilenriqaes de
StUt,
?Lente de direito civil na Faculdad
m de Direito do Recife.
3R Acaba de sabir a' luz esta interessan- '
te pnblicacao e acba-se a' venda na li- i
M vraria Econmica a' rna do Crespo n. '<
2, pelo prego de 4 cada exemplar.
*
A NACIONAL
Companhia, geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a wda *
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBR0 DE 1859
Orna lauca em diaheiro, depositada nos cofres do estado, garante a boa ad-
mioistracio da cornaartia.
BANQUEIROS DA COMPANHIA* WRECQO GERAL
O Banca de Hespaaka Madrid : Ra o Prado n. 19
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinares de supervivencia dos seg
os sobre a vida.
Nella pode se lazer a subscripto de maneira qne em nenhum caso mesmo por.morte do
leguradq se erca o citpitti nem os juros correspondentes a etes.
Sao to supreoeofetos os resultados que produzem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL,qae anda mtsioo iralnuindo ama terca parte do mteresse prodaiidoem recentes liquida-
coes ecombinaado-o coa a mortalidade da tabella de Depareieax que adoptada pela companhia
para seus clculos e liquidacoes, em segurados de idade de 3 a!9 anaus, urna imposigioannua.
ae 100,1 produz em effectivo metlico:
No fim de 5 annos.......1:119*300
de 10 s.......3:942*600
de 15........11:108*200
de 20 *.......30:256*000
de 25 *.......80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospect e mais ioformacSes sero prestadas pelo sub-director nesta provincia.
Joaquim Piuz de Oliveira, roa da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista ra da Imperatriz n. 11, estabelecl-
^________ ment dos Srs. Raymuado, Carros,Leite & Irmo.
TINTURARA
AO GRANDE S. MAURICIO
iiio< kssos iriiuiirovaos
PARA w
Ungir, limpar e lustrar a vapor.
F. A. SALNR
29 Kua 7 de setembro 29
* Defroite da roa nova do Ouvidor (Rio de Janeiro)
Os proprietarios deste estabelecimento, o primeiro no seu genero no Rrasil, por
trabalhar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que se faz uso na
Europa, e ajudados por alguns dos melhores ofciaes de Pars e Lyao, podem assegu-
rar seus freguezes urna perfei;5o no trabalho, a qual sen5o pode chegar pelos proces-
sos ordinarios.
Tingem, lavam, limpam e demofam com a mai r perfeicSo e brevidade qualquer
qualidade d fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem mollar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de homens.
Cata de commiso de rscravos na ra do Impe-
rador o. 48, ttreeiro andar.
Recebem se escravos tanto do mato como da
praga para serem vendidos por commisso, affian-
ca-se o boro trataraento e seguraoca para os mes-
mos. O abano assigoado nao ponpa esforgos sfim
de os vender com promptidao, nesta mesma casa
ha sempre para vender escravos de ambos os sexos.
_________________Antonio Jos V. de Sonil.
Aluga-se na Capunga porto do Lasserre ama
casa terrea coa sotao, tendo 8 quartos, copiar^
cosinha, qaartos para criados, estribara e coebei-
ra : a tratar na mesma Capuoga casa da Sr* via-
va B. Lasserre oo na ra Imperial n. 20.
Preciza-se fallar ao Sr. procurador do padre
Vicente Mara Ferrer de Alboquerque, por se ig-
norar a sua moradia ; na prac da Independencia
n. 8.
GARRAUX, DE LAILHACAR & G.
jLIBRARIE FANQAtSEj
RA DO CRESPO N. 9.
Livros nacionaes e estrangeiros.
Religio, dtreito, literatura, etc.
Papelaria, objectos para escriptorio.,
Papis pintados para forrar casas. ;
Assignaluras para os jornaes da Eu-
Iropa.
ma moja braslleira offerece-se para casa de
familia nara seroccapada em arvico de coser e
r^T.3/: qaSani qUIer Pde PrOCOTiT 03 lojt
n. OBaaroad j Crespo.
Precisa-ke de nm fetor : em Bemfica. sitio
de Antonio V. da Silva Barroca. '
Precisa-se de ora bornea que enteada de
plaociSes para um sitio distante da praca prefe-
re-se porlugaez: na refioacao do pate do Pa-
rs i o.
i 4 pfosoailae an,"aneIon precisar de uro mo-
teme de -8 a 2$ annos, dirija-se a roa do Impe-
rador n 16,3-andar do sobrado prximo, travessa
do Ouvidor, que acbar' com qnem tratar.

Criado.
Precisa-se de um criado para todo o ser-
vico, prefere-se escravo'. na livraria da ra
do.Crespo n. 9.
mmmmm mmKmmm
5
O Dr. Carollno Francisco de Lima San-
tos contina a morar na ra do Impera-
dor a. 17, segando andar, tendo alias sea
gabinete de consultas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
O mesmo doutor, qae se tem dado ao
estado tanto das operacSes como das mo-
lestias internas, prestase a qualquer cha-
mado, quer para dentro quer para (ora
da cidade.
Cigarros de S. Paulo
De fumo de Belem do Descalvado fabri-
cados pelo celebre JUCA.
Ra do Crespo n. 9.
Arrenda se um sitio no lugar daPiran-
ga, com trras de plantar e pasto, e varias
arrores de fructo; na ra do Imperador es-
criptorio : n. 12.
COLLEGIOS E AULAS
PEDRAS DE AKIIOSI t
Fabrica de Fafoer.
Pautadas, envernisadas ou simples.
A Livram Franceza recebeu um peque-
no sortimento d'estas taboas de ardosia in-
contestavelmenle de qualidade superior, e
boje geralmente adoptadas as aulas da
classica Allemanha.
________ Ra do Crespo n. 9.________
Offerece-se em meco para caixeiro com as
habilitacoes neeenaria* tanto para taberna como
pa4tria : a tratar na rna larga do Rosario n. 3.
Preelsa-se e wrama~ para comprar e co-
rinhar para ama peqte*a familia de tre pessoas
sem meatsbs: na ra do Bram n. S.
LOJA DA FRAGATA AMAZONAS
V. 5 Kua do Queimailo n, 5,
Monteiro & GuimarSes, proprietarios deste joven estabelecimento, participam a
todos os seus amigos e freguezes, que recebem de conta propria por todos os vapores
da F.nrnpa. ricos adornos para casamentos, e outros muitos artigos de grande moda, e
se consideram felizespelo bom desempenho que tem lido todas as suas encommendas,
pois seus correspondentes de Hamburgo, Paris, e Londres, tem sabido acertar com o
bom gosto das encantadoras Pernambucanas.
A Fragata recebeu ricas saias de l a Mara Pa, com barras colloridas e de grande
novidade na Europa, assim como tamboretes atapetados para as senhoras deitarem os
pes, cortes de granadina bordados a agulha, ditos de p peline, ditos de esmeraldine, ditos
dei cbaiy com listas de seda, ricos cortinados bordsdos, bons bramantes de linho, boas
selicias, boas bretanhas, retondas de algodo, ditas de linho, ditas de seda algerienes.
(burnus) africaines, pompadour, transparentes para janellas com lindas paisagens etc.
outros muitos objectos, qaeseria enfadonho menciona-los.
8
XAROPE
PEITORAL E DULCIFICANTE
DE
SAIXT-GEORGES
Preparado por GRIMAULT & C.a pharma-
ceuticos de S. A. I. oprincipe NapoleSo.
Gura rpida das molestias seguintes:
tosse. catarrhos, pleuresa, coqueluche, an-
ginas, fortes constipacoes, irritacoes dos bro-
neheos e do peito, bronchite, phtysica pulmo-
nar, astma.pneumonia, anginas, amygdalites,
tosse chronica, rouquidSo.
Os mdicos recommendam ao mesmo tem
po o uso das excellentes pastilhas peitoraes
con o suco da alface o laureiro-cerejo, que
se preparam no, mesmo estebelecimento.
A venda as pharmacias de Maurer e A.
Caors.
Precisa-se de ama ama para casa de poaca
familia, qae faca todo servico, prefere-se escrava :
na roa de S. Jos n. 2.
- i
.uoso hw
DO DR. CHARLE
MEDICO E PR0FESS0R DE PHARMACIA, DE PARS,
HAS ENFERKIDADES
PLUS DE
COPAHU
ARA O TRATAMENTO E PKIIPT0 CURATIVO
SEXUAES, DN TODAS AS AFFECCOES CtlTAHEAS, VIRUS
Ci(rato de ferro Chfele.
Xarope mui preferivel ao
Copahiba, e as Cube-
bu, cura immediatamen-
te qualquier purgacao,
relaxado e debilidade, e igualmente fluxos e
flores brancas das mulberes. iMjeeeao de
Chfele. Esta iBJecclo benigna emprega-se mes-
mo tempo do xarope de ci trato de ferro, urna vez
de manb, e urna ves de tarde durante tres das;
ella segura a cara.
DEPURATIF
da SANG
E ALTERACOES DO SANGDE.
Depurativo de sansuc.
Xarope vegetal sem mer-
curio, o nico conhecido
e a pprovado para curar
con promptidao e radi-
calmente impgens, pstulas, herpes, sarna, co-
mixes, acrimonia e alterares viciosas do pan-
gue ; viras, e qualquer aeco venrea. Ba-
>ha nBeraea. Tomac-se dous por semana, se-
guindo o tratamento depurativo.Pomada n-
tiherpetica. De um effeito maravilhoso as af-
feces cutneas e comixoes.
HemorrobidasPomada ue as cuaa em 3 dias.
'->lc'<&.
Deposito na ra larga do Rosario botica de Bartbolomeu & C. n. 34.
MM
Precisa-se de tima ama escrava qae cosinne e
engomme para casa de muit) pequea familia :
na rna da Concordia n. 31, sobrado do armaiem
do sol, paga-se bem.
Deseja-se mnitofallar cora os Srs. An-
tonio Pereira da Cmara Lima (senhor
de engenho), Joao Baptista do Reg, Fe-
liciano Rodrigues da Silva (Mr. engenber)
a negocio de interesse dos mesmos : na
loja da roa do Crespo n. 17.
!
Na ra do Rangel n. 9 precisase de urna
ama que cozlnhe e engomme.
Chocolate de Menier.
CHOCOLATE DE SAUDE.
CHOCOLATE DE BAUNILHA
CHOCOLATE DE CITRATO DE FERRO.
CHOCOLATE LACTATO DE FERRO.
Vende-se
Na botica e drogaria
DE
B4RTH0LOMEO & G.
J4Rna *rk'8^W_
^Frederlco Cuav6~peej fallar com fSTsJ
Francisco da Silva Machado Lobo e Manoel Josa
Martins, ignorando sna morada roga fbes se dirl-
glrem a raa da Imperatriz, sobrado u. 19, oa an-
nanciar snae moradas.
ALZAEJ1TB
Tinta Inalteravel
Para escrever
de P. MAURER & C.
PERNAHBUCO
Esta tinta recommenda-se pela sua com-
posicad e fluidez como a mellior e a mais
segura de todas as tintas at hoje condeci-
das. ISTa ataca as pennas de ac, d at
tres excellentes copias, mesmo muitos dias
depois de escrever, e preferivel a qual-
quer outras tintas particularmente para
livros de commercio, documentos etc de
que se careca longa conservaca.
CASA DE BANHOSI
26 Pateo do Carato 26.
Neste estabelecimento t3o impor-1
tante para a saude e asseio do cor- B
po, acham-se montados 20 banhei- W
ros, que s5o servidos com a ordem Wt
e asseio que para desejar-se. Qua- W
tro. deates banheiros sao especial- m
mente reservados para senhoras e S
por isto acham-se ollocados em lu- S
gar reservado, aonde s tem entra- 8
da as pessoas de urna mesma fami- W<
o. m
PREQOS DE RANHOS AVLSOS. ^
I banho fri, momo ou de
chovisoo...... 5oo ;*;
1 dito de choque .... I (000 l
i dito de farello...... i!000 ffl
i dito aromalisado 1000 W
PREgOS POR ASSIGNATURA. W
30 banhos por mez fri,
momo ou decuovisco. 10$000 W<
|^ 25 banhos com carloes pa- M
ra os mesmos .... 10^000 x
12 ditos ditos ditos. StfOOO S
12 ditos ditos de choque. 100000 m
12 ditos ditos de farello.. 106000 m
0 estabelecimento estar aberto W<
nos dias uteis das 6 horas da rna-
nha as 10 da noite, nos dias san- m
tincados das 5 as 5 horas da tarde. k
m \ 1)0 IMPER\D0R
numero S5
O padre Flix Barreto de Vasconcellos achando-
se competentemente autorisado, abre um curso
particular de fraocuz em sua casa.
O mesmo precisa de urna casa no centro da fre-
guezia de Santo Antonio, que tenba acommodacoes
para !6 camas.
O mesmo tambem precisa de urna ama forra ou
escrava que sirva para todo servico interno e ex-
terno com as devidas excepcoes.
!
VAELL i
Cantos e phantaslas.
Um volume in 12." impresso e en-
cadernado em Paris: em casa dos
edictores
8 LIVRARIA FRANCEZA
N. 9 Ra do Crespo N. 9. K
bbii Mwwnnw
Vende-se na livraria franceza ra do Crespo e ra Nova n. 18 de
J. VIGNES.
M. 55. RIJA DO IMPERADOR N. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje asss conbecidos para qae seja necessano insistir sobra a
ma saperioridade, vantogens e garantas qae oferecem ao compradores, qualidades estas inceolesta-
reis qae elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nafta traca ; pos-
inindo nm teclado e machlntsmo qaa obedecem i toda* as vontades e caprichos das pMistas, sen
ounca falbar, per serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhorameiiWtmportan-
tissimos para o clima deste paiz; quanto s vozes, sao melodiosas eflauudas, e por isao amito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Faaem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
eorrespondeite de J. Vigne?, em caja eapita) forana sempre premiados em todas as exposic5es.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um esplendido e variado sortimento de msicas dos
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
precos commodof e razoaveis.
Joo da Silva Ramos, medico
pela universidade de Coimbra, d
consultas em sua casa das 9 as
11 horas da manhaa, e das 4 as 6
da tarde. Visita os doentes em suas'l
casas regularmente as horas para
isso designadas, salvo os"casos ur-
gentes, que sero soccorridos em
qualquer occasio. D consultas aos
pobres que o procuraren! no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
manriaa, .
Tem sua casa de sade regular-
mente montada para receber qual-
quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e nella pratica qualquer
opperacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe. .3000 diarios. /I
Segunda dita.... 30500 > f\
Terceira dita ..2^000 /
'Este estabelecimento j bfim I
acreditado pelos bons servicos f jue
tem prestado. <
0 proprietario espera que/ elle
continu a merecer a confianza de
que sempre tem gozado.
1
Augusto Ribelro Lima Chaiaea/e Manoel Fer-
reira Rabello, tendo comprado a pairte qae existia
na loja de miadezas e ferragens da roa da Cadeia
do Recife n. 7, pertencente aos herdeiros de Joao
Baptista Goncalves, faz conhecer ao publico que
aqnelle estabelecimento qae dantes gvrava sob a
firma social Joao Baptista G inealves & C, passou
a ser possuido e gerido pela arma Cbalaga & Ra-
bello desde o 1 de abril prosita) passado, estando
a cargo desta o pagamento do passivo e a arreci-
da cao do activo.
Recife 18 de maio de 1866.
Augusto Ribeiro Lima Cbalaca.
_________Manoel Perfetriftaontw:
AMA
Precisa-se de orna, escrava qae soja fiel: na roa
do Quelmado o 46;
" Precisase alagar um coxlnoetro para um
rapas solteire : a traur na raa do Queimado a.
13,1* aodar, da 9 horas as 5 da urde.







.. M

-J-\
i
'4i\
Na roa
escrava para
Ha n. 22 paga se25 por ama ama
servigo de peqana femilia.
_r
}
.t
T


Diario de erniiMboco Quarta Celra 93 de Malo de i$GG.
&
Ricos brincos de crystal lapidados de diflerentes formas e cores, o que ha de ma moderno em
Pars, tambem cruzes e botos para cleles ; flvellai modernas de madreperla para cinto : estes arti-
gos se vendara por menos de sen valor no armazer da ro da Qdei* do Reaifeu. 60.
-----------------------------------------------------------------------l------------------------4---------^jt-i-------------------:--------------------------
Novo e grande deposito 8e superior carvao de Cardiffna
Babia.
Antonio Gomes dos Sanios & C, roa de Santa Barbara n. I, esto habilitados a supprir de
oarvao, em condicoes mais favoraveis que em ootro qualquer deposito, a todos os navios a vapor que
ccarem naqaelle porto. A conlralar nesta com Domingos Alves Matheus.,
JARABE DO FORGET.
Bate xarope est tpprovado pelos mais eminentes mdicos de Paris,
_ >mo sendo o melhor para corar constipacoes, tosse convulsa e ouiras,
aSeccAe* dos broachlos, ataqoet de peito, irriucoei nervosas e insomnolencias: urna colherada
pela manba, e outra i noiie sao suficiente. O effeito deste excelente xarope satisfaz ao mesmo
tempo o doente e o medico.
^u*-....----- ... WJICf :-**rm*4*. *
Deposito na roa larga do Rosario, botica de Bartholomeo & C. n. 34.
FABRICA
NACIONAL
DE
rumos
DE S. ROQUE, RIO DE JA1IR0,
Estabelecimento na ra da Uniao n. 11
, PROPR1ETARI0 MANOEL LOMBOS.
No deposito, roa do Carmo n. 63, existe ura grande sortimento de vidros e crysiaes, que se
vendem por presos mais baratos do que em qualquer parte : frascos de 1 at 8 libras, Docca larga e
bocea estreita ; copos de 6 corts, de mela oiuva at meio qnartilho ; ditos de 10 cortes, de ns. i e 2 ;
globo para lampeoes de kerosene, lavrados, lapidados e rascados; ditos para candleiro de gas ; lam-
peras de kerosene grandes e pequeos, lamparinas d metal; vasos para confeiiaria com p e sem
elle, grandes e pequeos; cha mines para lampeoes de kerosene de todas as dimensoes; compoteiras
moldadas de cortes largos, escarradeiras de odres para sallo, ditas de mo com ata, pequeas; vento-
sas e bcheiros, calixes moldados, copos lisos para agua e vinho, pratos moldados, redomas, garrafas
para vinho e agua, grasdes e pequeas, ditas para Leroy, ditas para licores, ditas para minas, ditas
para agua de Colonia, ps para pianos, brancos e de cores; tubos para machinas a vapor, de crystal;
globos com guambio de metal amarello, raantegueiras de vidro, vtros avnlsos para galheteiros lapi-
dados, vidros para lampadas de igreja, galhetas para missa, ditas para galheteiros, mangas para cas-
ticaes lisas, lvradacn lapidadas ; (ampeoees de parede para kerosene, ditos de pendnrar; copos gra-
duados de 1 ale i eneas para pharmacia, garaniindo-se a exactido da medida ; vidros para penes
com p e sem elle, acncenas para casticaes, chamins para lampeoes de azeite,ditas de cores para Mu-
-ninacoas, vipros para agua forte com rolha. Compram-se vidros e crystaes quebrados.
O deposite desta fabrica em Peroambuco na ra da Imperatriz o. 19, onde existe constante-
mente cbamios para candleiro a gaz de ns. 2 e 3 a 320 rs. e de n. i a 400 rs., lamparinas completas
a 25, lampeoes-completos a 7* eS, escarradeiras de cores a 2,5800 o par, pratos para copos d'agua a
500 rs., copos de dez cortes a wO rs., globos lapidados e lavrados para candietros a gaz a 1 800. O
proprieiarki deste novo estabelscimenlo convida ao respeitaveljpublico para que visitera o mesmo, cer-
tos de que comprarp os arligos indispensaveis a orna casa de familia pela soa barateza e utildade,
principalmente aos Srs. pharmaceaticos pela grande quantfdade de frascos e vidros proprios de phar-
macia. Taaban] recebe encommendas. O encarregade do propietario Joan Lniz Encrennaz.
ltt BOTICA E NMMIA
DE
BARTHOLOMEO & C.
34 RA DO R0ZABI0 LARGA 34
Veo Xarope de Guiy.
Granulos d'atropina.
Capsulas d'apiol.
Vinho de quinquina de Belline.
Pastiihas degestivas de pepsina Wasmam.
Grauulos de Bismulh de Chevrier.
Licor e pilulas deLaville.
IojeccSo fieaugs.
Xarope verdadeiro de Botigny.
Granulos d'Ergotina de Bongean.
Capsulas e injeccSo ao raatico.
Xarope hypopbosfito de cal e seda.
Elixir anti-asthmatico de Guilli.
Gvnfeitos de cubebina de Lsileloqije.
Eixir de citro-laclato de ferro do Dr.
Thermes.
InjeccSo Broa.
Compra-se na prensa de algodio de Saunders
Brothers & C. semeotes de algodo a 600 rs. por
erroba.
Compra-se norbom seliim ioglez em segun-
da m3o, psga-se bem : na rna Bella o. 112.____
Compram-se daas carrocas nova; ou com
pouo as, que sejam proprias para leus bols;
quem tiver annuneie. ^^^^
Em'Pora de PorUs, travessa dos uararapes'
casa n. 13, compra-se urna escrava.
CALCADO.
45 hua Direita 45
Grande loja
inu'tzcm da Arara rna da Im
peratrlz u. 56.

*
VENDAS

Quadros
das passagens de Coevas, Mercedes e combate de
Riachuelo, vendem se na roa do Crespo u. 4 onde
se assigna a Semana mostrada e o Bazar Volante e
ha om sortimento de albuns pera retrata.
S SIS. ACADMICOS
Vendem-se as seguintes' obras de direilo
com pouco uso: Manuel du Dfoil fomain
por Mackeldey, I volunte por 4(5; Diceio-
A primeira condicSo indispensavel con-
servacao da sede trazer os ps bem de-
fendidos contra os ataques da humidade;
calcado bom e seguro o nico preserva-
tivo dessas mil enfermidades a que, est su-
jeito o noss$eu. Um chibolo trelho cal-
cado por nm dandy patuscante, ou urna
botina acalcanbada em pequenino p de en- 2032 e 40rs-o covado. Rua'daTmpratnz lo
cantadora deidade alm de aecusar que-ja pJrlra5"mi ,Ar"a D-36-
bradeira horripilaste, prova contra as col- Melod"ues de Ka para vestidos a 4C0
dades intelleCtuaes dos calcantes, e nao ha Veni,a ca c,, ?'
_-_, .__. i Vndese urna nova fazeoda por n/me meiodi-
qoem, lendo bom senso, queira passar por qUs toda de la ^a vestidos a m rs. o covado,
maluco, ou pobre de sumo : ergo, cor- chitas Ooas a 320 e 400 i-. o covado. Ruada lm-
DE
Lourenco P. Bfcndes Guiniares.
O proprieiarlo desietstabel*cimento reoeltu pe-
lo ultinro vapor d Europa diversas quahdadts de
fazendas para veslMos de senhora.
Sedas de edres a 1^500 o covado.
Vc?^ edas *cSres ',ara 'esWos de -oubo-
W o covado, laaslnbas de lindos genos a
Essencias superfinas de Hermam, Piver e mire du Conientiea Commercial, por Mas-
Chardrin Hadancout.
Granulos de Digitalina.
Vinho de quina ferruginofo de Moitier.
Xarope de Iodureto de ferro de Blncard.
Agua das caldas da Rainha.
Xarope de tridacio de Abbadie.
Confeitos de lactato de ferro de Gelis
Contee.
Ferro de Quevene.
Rob de Laffecteur.
Perolas deether.
Xarope antigotioso deBoub.
Ole de figado de bacalho desinfectado de
Chevrier.
Agua dentifica de quinina.
Perolas de assafelida.
Oleo de figado de bacalho ferruginoso de
Chevrier.
Xarope de digitales de tabellony.
Ole iodado de persone.
Xarope de cudeina de BertbA
Emais as principaes drogas, productos,
especialidades pbarmaceuticas e cbimicas
dos principaes paizes da Europa.
mmmmmmm *
I Companhia fidelidade de seguros Jm
martimos terrestres
estabelecida no Rio de Janeiro.
AGBNTIiS EM PKRNAHBUCO
AniBBio Lniz de Oliveira Azevedo & G,
competentemente autorisados pela direc-
tora da comeanhia de seguros Fldelida-
de.tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no sea escritorio ra da
Cruz n. 1.
se, 1 volume, por 5 ; Elements du droit
rotnain, por Maynz, 1 volume por 45; Et-
prit de la jurisprudence des successions,
por Confiaos, i volume, por 45 ; Code pra-
tique des faillites, por Geofroy, i volume,
por 35; : na roa do Crespo n. 4., fabrica
de chapeos de sol^________
^Hgdao avariado"
A pre^o de 9$ eada peca.
N 27 Ra do Queimado N. 27.
Vende-se nma parda de meia Idade, de ptima
conduela, sem vicios nem achaques, sabe lavar,
engommar e cpzinhar com perfeicao, na rna da
Iraperalriz n. 28,1 andar. ^_
ram a:
44-RUADIREITA-4*.
e attendam a' barateza.
Horneas.
Borzeguins barcellonezes de lus-
tre e de porco .
Ditos de Bordeaux ....
Ditos parisienses de bezerro e
cordavSo .......
Sapatos de lona, sola de borra-
cha.....; .
Ditos aveludados.....
Ditos de tranca bons ,
Senhoran
Borzeguins enfeitados. .
Ditos de lago......
Ditos lisos......,
Sapatos de borracha ....
fra
FAZENDA E.ROUPA FEITA
RA MVA Y. 941.
Reg & Woura, prepritario da leja de fazendas e roupa feita, sita Tua*Nova
n. 24, verdadeiramente peaborados erecoohecidos para om seus amigos ereguezes,
pela acettacao e conanga que delles tara merecido no curto espaco de tempo em qu
seacham e^tabetecidos e perfeitamente escudados na sinceridade dos seus tratos, decla-
rara para sciencia daquelles que o quizerem honrar com seus'oflicws, que, em vista da
grande concurrencia que teca merecido o seu estabelecimento, especia Imen le noque
relativo a roupa feita; acabam de admittir para a sua oficina de alfaiate maior numero
de artistas, inclusive o seucontramestre,-dirigido pelo-hbil meeire Lauriano Jos" de
Barros, o qual nao se poupa a exforcos para satisfazer .com a presteza possivei qualquer
obra de encommenda.
Os meemos annunoiam aos seus reguezes que acabam de comprar um novo-e
muito variado sortimento de fazendas finas e de bom gesto, proprias para -o tempo da
quaresma, as quaes esto dispostos a vender por preces -muito commodos e-mais barato
que em outra qualquer parte.
Como -sempre escusamos essa enadonha prolieidade dos annuncios bombasti-
cos^ preferimos mostrar na singeleza deste nosso convite os bons'desejos que nutrimos
para bem servirmos iquelles que vierem ao nosso -reclamo.
MACHINAS AMERICANAS
verdadclras'do fabricante \. Y. Canttongin & t.
Hoinbos americairos para moer millio.
Na ra Nova n. 20 e 22, grande deposite
da* verdadeiras machinas americanas de todos
os imbricantes; se encontra neste deposito
grande porcao de machinas, e seveadem.por
menos preco do que em outra qualquer parte,
por se receber em direitora da America; se
fornece todas as expIicacoe6 necessarias ao
comprador para conservacao das mesmas;
neste grande estabelecimento se encontra mui-
tos artgos americanos, que muito deve agra-
dar aos agricultores que usam de taes artigos,
encontrarse lambem todas as coUeccoes de de-
senlias cobre os quaes se aceita qualquer urna
encommenda, que com prompiidSo ser ejecu-
tada ; ii*te grande estabelecimento, encon-
tra-se ea grosso e a retamo, grande porcSo
se vendem por prego commodo, pedindo-se a attenco
que muito-1 ucranio em fazer suas compras: na
ESCRAVA.
*. Vende-se nma escrava de 22 anno;, de boni-
ta Igura, nerfeita mneamba e com todas as habi-
lidades : a tratar na rna da Praia n. 47, primeiro
andar._________________________________
Vende-st
Papis com estalos e amendoas confesadas para
sortes : na rna da Craz n. 13._______________
CINTAS MARQUZ 4
A loja Bsperanca na ra do Queimado n. 33 A,
receben estas cintas, qne nma coosa indispensa-
vel a qualquer senbora ; consiste sna citilidade em
suspender a vontade a saia por mel de cordoes,
em cujas extremidades esto presos eolebetes qne
se predem agoardaplsa do vestido : vende-se por
24500 cada cinta ; da-se amostra com penhor.
Arrendamento
O desembargador )oria arrenda e lam-
bem vesde a sua chcara no Manguinho.bem
como vende das parelbas de muas, tres
carrossendo urna victoria, ura coup e um
cabrio let coberto, tres vaccas de leite sen-
do duas paridas, dous bois de carroca e
todos os trastes e utencilios das casas e cha-
cara : quem pretender pode ir examinar e
entender-se como desembargador ou com
o Sr. Jos dos Santos Neves, na ra do
Crespo n. 19. ______
Precisase de om feilor para um sitio perto
da pra^a : na roa da Cruz n. j.
Francisco Roberto Machado de
Matos, relojoeiro e donrador, na
ra da Imperatriz n. iii, faz qual-
quer concert pertencente a n*
arte por preco mais barato do q>-s.;
ontro qualquer e responsabilisa-se ;
'pelo sea trabaiho, assim como
tambem compra relogios em segnoda mo de al-
gibeira e americano, espera protecgo de todos.
Precisa-se de ama ama forra oa captiva engomme e cusa para casa de p jca familia : a
fallar na ra do abug loja de nudezas n. 1 B
ou na ra da Cruz arnoazera n. ,4.
Theotonio de Olweira Neves, subdito port-
gaez, retira-se para Portugal a tratar de saa-sande,
e deixa.por seus bastantes procuradores os Srs.
Antonio Martins de Carvalbo Azevedo, Joaquim
Domingves Pernandes e Antonio Joaquim da Silva
Brito.
Precisase de urna ama de leite qm nao te-
Vendem-se ps de frncta-po, abacale, sapo-
tas, pinheiras, vaia, condeca, gueira, larangeirai,
assim como roseiras de diversas qnalldades, lan-
gretos, etc. etc.: na rna da Soledade n. 72.
peratriz loja do Arara u. 56.
! Arara vende susim para vestido a 240.
' Vende se nova fzenda susim para vestidos de
senhora e roupa de meninos a 240 ts. o cavado,
, ditas a 160, 200 e 240 rs. o covado. Roa da Im-
peratriz loja do Arara n. 56.
6#OO0, Tarlalana de la para vestidos a 240.
7$000 Vende-se tarlalana de lia para vestidos de se-
nhora a 240 rs. o covado, fil de llnbo a 160 o co-
t aaa vado> cor,es de ch,la a 2*000- S no Arara, rna
80UUU da Imperatriz n. 56.
| La a traviata a 320 rs. o covado.
2000, Vende-se nova lia a traviata para vestidos de
ij$600 senhora a 320 rs. o covado, s no Arara todas es-
i Ajnn Us Tazendas novas vindas pelo ultimo vapor da
M i Earopa. S na loja e armazem da Arara, raa da
jlmperalriz n. 56.
oOOOj Arara vende coberlores a 16500.
4^800 Vende-se cobertores de pellos a 1,8500, ditos sem
46500, Pe, 1*000, tobertas de lista 2*000. cobertas de
4AKfin'damasco 4,8000, cobertas de fosto a StOOO. Ra
I0uuida|lmperalrizn. 56.
Laasinhas do Arara a 200 rs. o covado.
Selleiros, corrieiros e segeiros I
Sola de lustre, meiOS grandes 2060001 Vndese laasinhas para vestido a 200,240, 320,
E um Completo sortimento de calcado fa- 400 e SOO rs. o covado, colarlnhos para hoic>-m a
bricado no paiz.
Aspas fortes para boloes.
Na ra do Queimado loja de miadezas n. 16, ven-
de-se aspas de ac iones, e de differentes larguras
para baldes.
Bonitos quadros para retratos.
Vendem-se na ra do Queimado loja de roiude-
zas n. 16, bonitos quadros com mordura preta e
doarada, todos por precos rasoaveis.
Garrafas brancas
e de cores com superior agna da colonia.
Vendem-se na raa do Queimado, loja de miude-
zas n. 16.
Novo gosto
Pentes, Gvellas, e brineos de feligrana.
A antiga e bem connecida loja n. 16 na rna do
Queimado, recbeu nm sortimento de diversos cu-
jelos de novo e bom gosto, sendo pentes brancos e
dourados de moldes enteiramente novos e mui a-
Sradaveis, tendo entre elle.- alguns de filigrana obra
B mnlto gosto e deiicil execucao, e bem assim i-
velias e brincos as mesmas circumslaocias.
Tambem recebeu algoos cintos o qne de mais
moderno e bonito, se pode encontrar em tal genero.
Alm disso encontrarlo os pretenderes um com-
pleto sortimento de Qvellas de madreperola, ebris-
tal, tartaruga, e doarados, brincos de cbristal, e
jaspe, voltas e ernzes de dito e moitos outros objec-
. tos de gosto, os quaes continaa-se a vender commo-
v }i VSm Cnenles de madreperola, e enfeites filets
Vende se a dinbeirof 7*000 a arrobJ. no escrip-, a loja de miadezas na raa do Queimado n. 16,
recebeu bonitos pentes com chapa de madreperola,
e novos enfeites Olis ornados de lantejoilas deu
radas, moedlnbas, aljofares, vidrilhos etc., tendo
grandes para toda cabeca e pequeos para coque
regulando os precos de 2* a 4*000 rs.
Bonitas caixinhas
oom arranjos dourados para coslnra, tendo com
Fdrinhd. i msicas e sem ellas. Vendem-se na ra do Quei-
No armazem de Vicente Ferrelra da Costa &' m*, loa de ""jg" **
Filho janto ao arco da Concei^ao, vende-se supe- trancas prt
rior farinna de mandioca ultimamen.e chegada,
lorio de A. J. Moreira Dias roa da Crcz n. 50.
Luvas de pellica pretas e ou
tras cores.
Cbegaram para a loja de miadezas a roa do
Queimado n. 16.
Ra da Imperatriz loja do Arr.ra
5O rs. a duzla.
n. 56.
Arara vende as cassas a 240 rs. o covado.
Vende-se cassas rancizas finas a 240, 280, 320
e 400 rs. o covado. penas de raubraia de forro ;.
2*000, ditas Coas a 3*000,4*000 3*000 e 6#0C
Ra da Imperatriz loja do Arara n. 56.
Chitas a i 60 e 200 rs. o covado.
Vende se ahitas escuras e claras a 160, 200
240 o covado, ditas ranrzas finas a 280, 320, 400
e 500 r?. o covado, percales matisadas escutas
500 rs. o covado, s se vende assim barato o Ara-
ra S na loja e armazem do Arara, ra da m-
perairiz n. 56.
Novidade no Arara.
Algodo a-36*
Vende se peca de algodo encorpado a 3r. i?,
e 6* a dita e 8* e 7*. Ra da Imperatriz loja du
Arara n. 56.
Arara vende madapoio entestado a 3*500
Vende-se pegas de madapolaoentestado a33C0,
4* e i$500 ditas de 24 jardas a 4*, 5*, 6*, K$ b
10*, ra da Imperatriz toja d.o Arara n. 56.
em saceos de tres alqoeires ou cinco arrobas de
peso, r o baratissimo preco de 6* o sueco.
'..cb,
oa Cruz n. 18 tea para vender mate em jaca- j
o melhor que de presente ha no mercado.
Vende-se ama -taberna bem afreguezada pa-
ra a trra, na fragoezia de Santo Antonio, tambem
da-se sociedade a quem queira : quem quizer fa-
zer este negocio nnancie para ser procurado.
F4RIM1A.
Precia
afiSes :
nha Blhss : ua ra do Aragao-a. 24.
Eoeebio Raphael Rabelle pelo prsenle
convida a todas as pessoas de sua amisade
para assistirem a urna missa que manda re-
zar na matriz de S.nto Antonio no dia 25 do
correte pelas 6 boros da manha era com-
memeracao anniversaria do failecimento de
saa-sobrinha D. Julia Amelia Ribeiro filba
de sea cuchado Joaquim Ignacio Ribeiro J-
nior e sna irmia O. Thereza Hara Rrbeiro.
Preeisa-se de am menino para eatxeiro ain
da que bao leona pra tica para tabaru* : na roa
4o Aleerim n. 2.
oom vidrilhos, e bicos com ditos e sem elles para
enfeites oa vestidos.
Na rna do Queimado n. 16 loja de miadezas a-
. charo os preteodentes nm bello sortimento dos
'"o. > 10bjectos cima ditos, cascarrinas, franjas etc. etc
e ludo est sendo vendido por precos commodos.
Botoes pretos
de vidro enfeitados d'ago. _
Aloja de miadezas n. 16 4 rn do Queimado
vende mui bonitos botoes pretos de vidro com en-
i feiles de ac, os quaes muito se nzam para enfeitar
i vestidos, quem os pretender pode dirigir-se a dita
lojfc n. 16 a Tua do Queimado.
Vndeme na loja de mludczas
ama do Queimado n. 16.
Bonitos leques de sndalo e ontras qualidades.
Bonitos cintos com Qvellas de diversas qualida-
des e moldes.
Brincos e ernzes de crystal. ,
Abotoadoras de dito para coletos.
Bonitos-fwrt-relogios.
elicaaes caixas com msica e sem ella, para
costura.
Agulnas e linhas para chrochel.
Reiroz superior em carrileis.
FnnOffaa j Rendas pretas e bicos com vidrilhos.
uiLij- uu. Kitas^de velludo com listras de cores para en-
Chegaraoias.mnilo superiores do Rio Grande do feites de gorros e vestidos,
falque seveuderapera20 rs. : na-run da Caftela! Ditas de grosdenapoles, lisas e lavradas, brancas
* 53- I e{maUsadas.
Para
AUenc.o
Vende-* sobrado da raa Angosta t. 74
jta-se no larga do Carme n. 18, 2o andar.
mm.
de ferragens, e miadezas que
de tolos para este estabelecimento
ra Nova n. 20 Carnero Vianna.
XAROPE
DE
HYPOPfiOSPHITO OE CAL
DE
6RDIAULT & C
Pharmacentico de S. A., I. o principe Na-
poleao em Paris.
Desde muitos seculos os mdicos e os
chimicos tinham procurado um medicamen-
to que podesse curar as molestias do peito,
todas as pesquizas feitas at boje nao ti-
nham tido nenhum resultado.
Porm os trabalhos que foram comraum-
cados ltimamente academia de medicina
de Paris e as mais serias experien ias feitas
no hospital Bromptos de Londres, que es-
pecialmente reservado para o trtamenlo da
tsica, provaram que essa terrivel molestia,
quando ella nao estava anda no seu ultimo
grao, tinha no xarope de hypopbosphito de
cal nm especifico poderoso.
As tosses, defluxos, catarrhos, bronchi-
tis, grippa, coqoetaclie, cedem tambem r-
pidamente ao uso deste xarope, e os asthma-
ticos acbam nelle um elemento cerlo para
curarem-se. Recommendam-se aos doentes
defazerem uso ao mesmo tempo das delicio-
sas pastiihas peitoraes do suco de alface de
louro cereja, dos senhores Grimault & G.
Esta excellente preparado se compe de
daas substancias as mais calmantes e ao mes-
mo tempo as mais inoffensivas da materia
medica, e nao contem opio.
Deposito as pharmacias de P. Maurer &
C. e A. Caoft, em Pernambnco.
Precisa-se de nma ama para cozinhar e com-
prar : na livrarla da roa do Crespo a 9.
Na botica e drogara
DE
Bartothomeo C.
34Rna de Uozario Larga34
VENDE-SE
Preparados da America
Do Dr. Radways:
Pilplas reguladoras.
Prompto alivio.
Rezolutivo renovador.
Do Dr. Ayeir:
Salsa parrilha.
Pilulas catharticas.
Xarope peitoral de cereja.
De Lammam & Kemp.
Verdadeira salsa parrilha de Bristol.
Pilulas assucaradas.
Pastiihas vermfugas.
Ole puro de figado de bacalho.
Xarope pectoral de anacahuita.
Agu florida,

Fugio *e poder do-abaixo asstgnado, um scravo
de nome"bomaz, de estatura regular, roaiaU, de
40 anuos de idade pooco mais oa menos, barba es-
paMiada, pitacipiando a pintor,.uca tanto ou qaaOlo
potroso, levou vestido calca de bnm pardo, camisa
de ciscado oa branca, fci arrematado nesta cidade
era leilao por Pedro da Silva Rogo, hoje pertencen-
te ao abati assignadQ,onsta ter estado morando
no arredor do Bispo, e a dous ou 'tres dias ler se-
guido para a Capanga : rqga-se portanto as auto-
ridades policiaes e capiaee de campo a apprehen-
so do dito esorave, e levado a cana do Sr. Feman-
des & Irina, na iravessa da Madre de eos.-qae
sera' recompensado.
Jos Candido Accioll.
Theatro
Porque razio nao sobe a scena o moito applaa-
dido dramaCrrelo de Leo: isto deseja aber
O sertanejo.
Vende-se a 6J000 a sacca-de 3 alqoeires, no ar-
matem da ra da Cadeia do Recife, coalronte ao
arco da Conceicao.
Vende-se ama parte do engenhe Innaman ,
de trmo de Igoarassu : a tratar na ra do Qnei-
asado, loja n. 44._________________________
Cevadinha de Fraila
-* 160 rs. a-libra,-e de 8 libras para cima a 19$
rs.: n> armazem da Liga, ra Novan. 60.
tra-
na
Ungir cabellos.
Hoiid Walter.
ra do Qoeimado, loja miadezas
Fariulia de mandioca a Mfooo
o acco.
vender-se no armazem da roa da
Continua
Cruz n. 33.
Vende-se algnidares, de Genova de todos os
lmannos, por menos prego do qne em outra qual-
quer parte, aesiro eomo jar ras finas e entre finas, e
de toda amis louca, assadelras compridas do
Porto para iroforno : ea ra do'Rangel n. 4.
= Vende-se nma armacao eovidra^ada, propria
ntra loja.de rrkudexasoucalcados, na ra Direita;
Vende-se
n. 16.
ChiMioiaco-iiie
Para fingir cabellos.
Vende-se na loja de miudezas, a ra do Quei-
mado a. 16.
Tintara de L.
Qara fazer os cabellos pretos.
Vende-se na roa do 'Qoeimado, a loja de n.iu-
| dezas iul6.
sssbrs miutas, aljofares imitando
acevidrilhos decores
d. 56 : quem a pretender dinja-se a mesma qne
cbar com quem tratar._________
Na ra das Aguas Verdes n. 6, vtnde-se urna
^serava moca com urna ra.
Vende-se, arrenda se en permuta-se o enge-
nbo Pindobinha.'Ca fregueaia de Ipjjaea, moente
e corrento, e- de anlmaes, om snfficieates trras
para todas as plaatacSes, e at para a do algodo ;
faz-se todo negocio, om tanto que se pague orna;
di vid* que o mesmo ogenbo deve : a tallar com
ManoeJ da Cosa Aluqaerque no mesmo engeobo,
oa na praca com Jos P. da Caoba MU\
COMPRAS
Compram-se
Guia n. 9.
latas vazia* de gaz : na ra da

f 8i m%m
na noite de 29 de abril prximo passado, do enge-
obo Dous Bracos de Cima propriedade do abaixo
assignado, nm cavallo azalo castrado, com dinas
e canda da mesma cor, tendo ama lisia branca da
-testa alaobeico superior, p esqnerdo emao di-
reita branca at os travadores, bemfeito de corno
e pescoco, nove, gordo e bom andador de baixo a
meio, sendo o baixo am pouco spero : di se 50a
a quem levar ao dito engeobo oa delle der noticia
certa.
-. ManoelRodrigues da Silva Camera.
Precisa-se de am caixefro qne tenba pratlca
de taberna : do paleo da ribeira n. 23.
Compra-se onro, prata e pedras preciosa
em obras verbas : na roa da Cadeia do Reeife
cja de onrives no arco da Coneeicao.__________
Compra-se
ama escrava que seja boa figura e que siba bem
ngommar, nao excedendo de 33 annos de idade,
e pagase bam : no eseriplorio de Vicente Ferrei-
ra da Costa & Filho, roa da Senzala n. 138, on em
sea armazem janto ao arco da Conceieo.______
Compra-se urna secretaria de Jacaranda
mogno, ou de amarello, na rna Nova n. 7.______
Ouroe praiaT
Em obras veibas : compra-se na praca da ln
dependencio n. 18. loja de bilnates.
Libras sterlinas "cropram-so na praca da
Independencia n. 11._____________________
Ck)mpra-se um sobrado em bom es-
tado, de um a tres andares, as ras se-
guintes : Cadeia, Cruz, Trapiche, Impera-
dor, Crespo, Cabug, Nova, Queimado, Cru-
zes, Lirramento, larga do Rosario e flor-
tas ; quem tiver deite carta fechada com as
iniciaes A. C. E na livraria n, 8 da praca da
Independencia.
Compra-se orna barra de" ferr, mgleza oo
mesmo das antigs; na roa Nova o. 31.
Vende-se. arrendase ou permuta-se o enge-
nbo Todos os Santos, na 'fregnezia de Ipojuca,
moente e.eorrente, de .agua, om formidavels par-
ados de boas torras para todas as plantacoes e at
para a do algodo por serem de mailo boa prodne-
cao ; faz-se ama divida a qne dito engenbo est obngado : a
fallar com Antonio da Rocha Vieira no mesmo
engeuno, on com Jos P. da Cunta A Filhos nesta'
praga.
para enfeites de vestidos; vndese ludo lisso por
presos razoaveis na rua do Queimado n.l oja 16,
de miudezas.
MMSM.
Os chales do Pa vSo a 6$ 7* e 85.
Vendem-se heos chales preos de renda maito
grandes com quatro ponas, sendo os mais moder-
nos por toren ebegado pelo altimo vapor francez,
vendem-se pelo baratissimo preco de 6f, 7* e
; na loja do Pavio, xua da imperatriz n. 60, de
E' baratissimo!
E' baratissimo!
E' baratissimo!
Nesje importante estabelecimento encontra o res-
peitavel publico um variado soitimento de fazen-
das francezas,inglezas esuissas, eas quaes se ven-
derlo por prego commedo a saber :
Chales de renda preta a 5,-^OC.
Wnde-se um sortimento de chales de rend3 pre-
ta a 5*5C0 e 6*, ditos de seda a 12*, 14* e 16$
isto na roa da Imperatriz n. 72 de Guimares c i
mao.
Retonds pretas a 8$.
Vende-se retondas pretas pelo barato preco- de
8*, 8*500 e 9*; na rua da Imperatriz n. 7;', loja
de Guimares & Irmo.
Grande pexincua a 2(5 o corle.
Vende-se cortes de casemira da China a 3*000,
2*500,2*800 e 3*. ditas de brim a 1*280,100:
1*600, 1*800 e 2*.
E' muito barato, tarlalana decores ;; 'tv
rs. o covado.
Vende-se um grande ortimeDto de tarlaia- de
cores muito proprias para vestido, fazendn
moderna que tem vlndo ao mercado a 24 o
do e 280, ditas mais finas a 300 e 320, laasi;
escocezas muito modernas a 360 e 400 rs. o tova
do, ditas muito Unas 460 e 500
Cobertores de algodFu :. SAO.
Vende-se cobertores de algodo a 8C0 r?.
meltiores a 1*600 e t*8oO, cobertas oe thl: jf,
?500 e 3*.
Quem dovidar venha ver.
Cambraia de cores a 10 rs. o covado dita fiua a
280 e 320 chitas Onas a 280, 300, 320, 300 lOt!
rs., ditas percalas a 400 e 500.
Est se acabando chitas a IGOrs. o covado
Vende-se rollas a 160, 180 e 200 rs. o covado,
riscadinhos francezes a 240 e 280 rs. ccovad., as
da Imperatriz n. 72, ce Guimares c Irmao.
Lencos brancos a 2> e 25U'J a dezia.
Ditos finos a 3* e 3*500, ditos de linho a 00
5*500, 6> e 7*.
Cambraia branca a 3-5.
Vende-se um srande sortimento de cambraia
3*,3*500,4*,4*0Oe5*.
Bales a 2.
Vende-se balees de arcos a **, 2*500 e 3-". *i:
tos americanos a 3500 4> e 4*500, ditos dt n.or-
celina a 5*, 3*500 e 6*, ditos para meninas S 8
e 4*500; isto na rua da Imperatriz n. 72, loja -
Guimares & Irmo.
a 3)51000 o corle.
a 3000 o corte.
a 35000 o corle.
Vende-se corles de la com 12 covados a 3fi, di-
tos finos a 3*500 e 4*, ditos a Mara Pia a 7*500
8*. 8*500,9* e 12*, gravatas finas para hornern
a 640, 800 e 1*000, mantas maito finas a 1*200 e
1400; isto na rna da Imperatriz n. 72, loja de
Guimares & Irmo.
Panno de algodo da Rabia, preprio para I
saceos de assucar e roupa de eseravos ; tem para ,'
vender Amonio Luiz de Oliveira Azevedo dt C, no
seu escriptorio rua da Cruz n. I.
Ganos de ferro.
Na pidaria da roa Direita n. 84 ha pira vender
por preco commodo canos de ferro com polegada
de djamelro. moli bons para agua oa gas._____
Cassas de cores
pechincha, porque sio finas e bons padrdes, e
melbor anda o diminuto preco de 380 rs. o cova-
do : na Boa-vista, raa da Imperatriz n. 20.
Vende-se farinna de mandioca e potassa su-
perior : na rua de Apollo, armazem n. 36.
Vende-se
gaz brande
na rna Direita n. 73.
4T
rs. a garrafa:
FAMNHA HABATA.
itfOOO om saccoi
Saceos grandes de boa arinha ao reduzido preco
de 4* : na rua da Cadeia n. 57. __
Sobretudos e capas de bor-
racha, j
Angosto Porto & C. lem para vender am com-'
petei sortimento do sobretodos e capas de borra-
cha de diversos modelos o que vendem por bara-'
tissimo proco : raa do Queimado n. II. i
Grande armazem de tin-1
tas medicamentos etc.
Rua do Imperador 22.
Joo Pedro das \>ve* (ge
reate) ten a renda o
segnlnle:
Productos chimicos e pbarma-
centicos os maii empregados em
medicina.
Tintas para todo o genero de pin*
tura e para tinturara.
Productos industriaos e tintas
para flores, como botoes de Aeres
e.: modelos era gesso para imitar
[ frnctas e pSssaros com o compe-
tente desenbo.
Productos chimicos e industriaes
para photographia, tinlnraria, pin-
tura, pyrotecnia el;.
Montado em grande escala e sup-
prido directamente de Paris, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa
pode offerecer productos de plena
conflanca e satisfazer quaiquer en-
commenda a grosso trato e a reta-
Iho e por preco commodo.
\titff1m% VMWm% MJMWtMHtBW1
11*11 JlwWJWTBJllJBnBlBrm1
Na roa das Aguas-verdes n. 6 vende-se nma
eicrava moca com ona cria.
Roupa feita.
Eoupa feita.
Neste importante estabelecimento encontrarlo os
freguezes am completo soriimenlo de roupa fe.t;
assim como palitot, calcas, camisas Coas a 36O0
1*800, 2* e 2*500. das de linho a 3*, 3*000, 40
e 4*0*00, cortes de brim, ditos de casemira de i >.
res 9 pretas, seroulas de algodo a 1*600 e 1*800
ditos de linho a 2*, 2*300 e 3*.
Isto na rua da Imperatriz n. 72, loja i
_____Guimares e Irmaos.
para desea rogar algodo u
9.000 a serra
No Porto do Mallos precca de algodo n. 17 Medeiros & L., vende-se machinas, americanas d
J melhor systema que ha apparefiido por seren
muito maneiras d 14,16,18 e 20 serra?, a ?* .
serra.
Ha grande porcao de foges de artificio na c r.:<
cida fabrica da viava Rufino, o qoal vend.;>r
commodo preco, e como seja penoso ir i pela d,s
tancia, as pessoas gue quizerem fazer suas enetm-
mendas para S. Jco e S. Pedro, as iodem detsar-
no armazem da bola amarella, no ottSo da serr
tarla da polica, onde havera' um portador para
ir buscar e levar ao lugar convencionado.
Na rua da ImpertHz 7DH
Vendem-se corles de cambraia brancos com i
5 e 6 bateados a 20* e 23*.
Fil de seda preto com flores a vara I*
Ca*?,ral2Lbr'dnc*s de Bm* Vlra oe largura -
nt a I* e 800 rs.
Ricas lampadas e candleiro-
eja retalbo.
a gaz por gre-s
Vende-se um carro amerioano d
assentos, poxado por nm cavallo, em bom uso e
na rua larga d} Rosario, loja n. 32.
malto leve
ILEGVEL
A
*



"
fc-
Diario de nVrnamamio Qaarta felra 13 de Mal* de 1866.
L
0 que oecupa boje irais a attenqao do mundo
econmico? o novo systhema do proprietario do ar-
mazem de molhados
UN10 MERCANTIL
53 RA DA CADEIA 53
PASSAXDO O ARCO Di GOACEIClO.
Que surge de novo basteando a bandeira da modicidade de prejos em todos os
seus superiores gneros.
Que o publico reconheca as vantagens que de tal systhema lbe resalta, o que o
propietario do sitado armazem deseja, e a que desde j o convida : passando tambem a
notar-lhe os precos de alguns dos gneros do seu explendido sortimento, e para os quaes
pede
ATTENC40
tomata de ilbo forneo americana.
Esta encllente gomma, multo se recomcommenda como o alioaeuio mais subs-,
tancial e saudavel; servindo n3o s para papa (no que superior de todas as outras
gommas e farinhas) mas tambem della se pode fazer pau-de-l, cangica, creine, bolo
fraacez, podim, etc.: o prego de cada pacote de urna libra 800 rs., em caixa tem aba-
timento.
HANTEIGA INGLEZA de superior qualida-
de a i,28o e 4,loo rs. a libra, em barril
se faz abatimento.
DEM FRANCEZA a mais nova que ha no
mercado a 6 lo rs. a libra, em barris ou
meios a 600 rs.
CHA HISSON de primis qualidade a
2,8oo rs. a libra, alm desta ba muitas ou
MOL.HO INGLEZ de diversas qualidades,.*
72o rs. o frasco.
MOSTARDA INGLEZA muito nova, a 800,
rs. o frasco
DEM FRAIS'CEZA a 64o rs. o frasco.
SALMAO E LAGOSTIN chegado uitiou-
mente, em latas de 2 libras, a i,600. rs.
cada urna.
ARENQUES em latas a 64o rs.
tras proprias para vender a retalbo, qoe SAROINHAS DE NANTES em latas e meias
se veadem de l,6oo a l,8oo rs. a libra. a 600 e 36o reis.
IDEMPRETOo mais esp-cial que tem vin- VINHO DE COLLARES o legitimo vinho
desta localidade, muito superior e sem
confe;co alguma, a 800 rs. a garrafa.
do a este mercado a 2,2oo rs a libra.
DEM regular de 1.6oo a l,8oo rs. a libra.
QUEUOS DO REINO ltimamente chegados
pelo vapor 2,4oo: ditos do vapor passado
a 25ooo rs.
LATAS DE CHOURICAS com 6 libras er-
meticameote fechadas, a 4,5oo, de barril
a 64o, a libra.
ESTRELINHA para sopa em caixas sortidas
de 8 libras, por 4,ooo rs.
VINHO VERDE do verdadeiro samo da ova,
e o mais proprio para se beber n'este
imperio, pela sua extraordinaria fresqui-
dao e agradavel gosto a 64o rs. a gar-
rafa.
AMEIXAS FRANCEZAS em frascos de 4 e
2 libras, a 2,8oo, e I,4oo rs. em caxi-
i; jas muito enfeitadas com diversas estam
pasa 2,qoo, !,8oo, l.Soo el,3oo, reis.
biSGOITOS LNGLEZES emlatss contendo
diversas qualidades a i,oooe l,2oo rs. a
ala.
PIUSC PE ALBERTO bolachinhas asmelho-
res presentemente conhecidas a ,6oo
rs. a lata.
SA LAME HAMBURGUEZ chegados no ulti-
mo navio a l,6oo a libra.
{"i::.-;ZUNlOS verdadeiro de Lamgo, a 64o,
1 s. a libra, e 56o ioteiro.
RAQUESn. 1. em caixas de 4o cartas, por
y,->jo. e 24o rs. cada urna.
MELADA em latas de 1, 1 */ 2 li-
bras a 600 reis a libra.
ALEA DEMARWELLO em latas, a 800 rs.
I .TAS EMC\LbA pera, pecego, alper-
, rainha C-juiia, e ginja a 64o reis
. u.
. cabam ue ch
IDFM MADURO o verdadeiro do alto Dou-
ro em barris de lo em pipa por 35,ooo
cada um.
VINHO DO PORTO de diversas qualidades
engarrafado, inclusive o mais fino que ha
n'este genero, por 800, l.ooo, l,2oo,
1,400 e l,5oo rs. a garrafa.
FEIJO verde e carrapato em latas emti-
camente fechadas a 600 rs.
CHOCOLATE francez em pacotes de 1 libra
por 5oo reis.
AZE1T0NAS daachegadas ltimamente de
Lisboa a l,2oo rs. a ancoreta, e 5oo, a
guarrafa.
CAF avado a 24o rs. a libra, o 7,ooo rs.
a arroba, e regular a 22o a libra, e6 5oo,
a arroba.
VINHO CHERRY domis superior do ma-
cado a l,5t>o rs. a garafa, e 15,000 rs
a duzia.
MOSCATEL o verdadeiro.de Setubal, a
l,8oo rs. a garrafa, o 2o,ooo a duzia.
VINHO BORDEAUX das mais acreditadas
marcas, S. Emilion. Sant Julien Haut
Brion a 7oo e 800 rs. a garrafa, e em
caixa de dozia, a 7,5oo e 8,000 rs.
VINHO BRANC ) de Lisboa de excelente
qualidade, e proprio paramissa, a 800,
rs. a garrafa, ou 8,000 rs. a caixa de duiia.
MADEIRA SECO al,2oo a garrafa, e 12;ooo
rs. adazia.
VINHO DO RHENO superior, a 2.ooo a
garrafa, e 22,ooo rs. a duzia.
VERMOTH de superior qualidade em eai-
xas de 42 meias garrafas por 12,ooo,e
garrafas por 1,2oo rs.
egar as muito superiores liDguas seccas do Rio Grande do Sul, que se
.ecidem por i20 rs,

A' loja de forondas de Augusto Porto & C.
11 Ra do Queimado -11
ChegtiMM peteoUino paquete superiores enchovaes completos con veslidinhos bor-
dados para tiaptisado. .
Moir branoo, lavas de pellica, mantas e capellas brancas para nofvas.
Lindas colchas de Mda de cor e de l e seda para camas de noivas.
Grande sorliraenlo de cortinados bordados para camas e jaaellas.
Cbapos, bonetes e garro de pllia de Italia para senhoras,
Percalles,cassas e chitas finas dos gostos mais modernos.
Algeriennes, retondes e cbales de renda pretos.
Camisas finas eom paito, puoho e colarinbos de linbo para homeos.
- Linda caaemiras de coros, lasinbas, pannose casemiras pelas, merino e boa-
'bramante muito largo a 1*300, 2*700 e 3J00 a rara.
Tapetes a acalifas pan torrar salas e tapetes grandes e pequeos pira sof. .
Camisas de fiaoelia, colarinbos de iMho, seronlas de linbo.
Camisas de maia flaas, balos de arcos, da muselina e de madapolao, esparutbo
e Dno manguitos bordados,
Esteiras da India para for ar salas.
as melhores e por mais mdico k-
11 Una do Quelnaado11
01
CORTES DE SEDA
Chegaram pelo paquete ing et riqtrjssimos cortes de moreantiqoe de cores, seda ratrada pa-
(t*s Jatebanle ovo* BAAA ,
Seda de qiadros.por 1$000 o covado
5HUI* D CRESPO-5
Gregorio ***** do Amaral A Companttla.
CONSULTORIO MEBICO-CIRIIRGICO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSC0SO,
HED t O, PARTEIRO E OPERADOR.
'3 Ba da Gloria, ca*a do Fundao-- g
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os das das 7 s 4|
floras da manbSo, e das 6 e meia as 8 horas da noite, a exceptad dos dias autificadoa.
Pharmacia especial liorneopatMea
fct- mi .inga .Uimi ^^m.^^feaaaaaBk. ^ *BBBaB^aBaBaaaaBaaa^iiaa^atfM*ttttfilfll^Wi*m
ra s8nBO*4BnBHsn9 fu tgwprg 0 wnxt apprnpnaaw 1
tpbos avulsos, a|Srn como tiUir^j e ivifis -t * rten*39 de todos ffatHMa. 1
1. d 24 tubos grfidos. 1
> de 3C tobos gr4e*. 2
a 48 ladM %rand**. 9*4060
de 60 tubos grandes. 353000
Pfepara-se qualquer carteka conjorm.? o-gfdida q$i wf&t
qne se pedir.
Um tubo avulso on frasco de Untara de mola onca 1^600.
Sendo para cima de 42 custarao os procos estabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
lilVROS.
A melbor obra da homeonathia, o Manaa^de Medicina Homaoprthi do Dr. Jars
donsgrandeavolumescoindiccai'Dario ^ ....... 2Qtf00b
I Medicina domestica do Dr. Hering .......... lOOOO
Repertorio do Dr. Mello Morae ...........[ rjSoOO
Diccionario de termos de medicina........ 31000
Os remedios deste estabelecimento s3o por demais conhecidos e* di'spensam oor
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem nsar de remodioi
verdadeiro, enrgicos e duradoreo: ba todo fe ntfhor que se pode deseiar, globos de
rerdadeiro assucar de letfce, netaveia pela sa boa consenaf5o, tintura dos niais acredi-
tados estabelecimeDtos europeos, a mais exacta e acurada preparacao, e portaito a maidr
energia e certeza em sena effeitos.
Casa de Mude pava eteram*.
Recebe-se escravos para tratar de qualqner enfermidade 00 azr-t-lhe qnajrmer
operaco, pnra o que o annunciante julga-se safficientemente b^itado,
O tratamento o raetbor possiiol, Unto na parte alimentar, como na medica
fnnccionando a casa ba mais de qnatro aonos, ha muias pessoas de cnjo conceito se nao
pode duvidar, que podem ser consultados por aquelles que deseiarem mandar seos
doentes.
Paga-se 25 por dia dorante 60 dias e d'abi em djante 15500.
As operaces sera o previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos procos
razoaveis qoe costoma pedir o annunciante.
I
RITA OO BRCW lf 38
O pro rtetirio deste estabelecimento -ieseja chamar a attencao dos senbores pro-
1 i wrios para os acreditados mechanisruos que continua a fornecer; os quaes garante
sir 'iimo sempre, da melhor qualidade possivel:
Machinas de vapor
u i de um cavallo pa-a cima. As menores sSo mui proprias para motores de des-
camentos de lgodo ; ellas viajam armadas e podem trabalhar dentro de 24 boras,
ie-i >s de cheg-reni no lugar. Ellas levara tudo quanto preciso para o trabalbo, e
inversos sobreoellefites. As ma liii*as raaio es san proprias para a moagem de canna,
ha d as que podem junta e separadamente moer canna c descarocar. Ellas podem-
,-. qppcar a qualquef moeoda j ex steute sem outra mudan? > do quo a substituido das
is ti 1 aliiu.njim, na tambem corr uioenda junta. Elias lera depsitos d'agua e boei-
; is de erro, e nao precisam para eu vsenlamento de obra alvtuma, qur decarapina,
n r ddalrenaria. O lempo para asseuta-las n j excede decore dias ao mais, eem
C3 to em oit dias. Todos eates vapores s5o simplissimos na coostruccSo, e se regem por
; aer pessoa intilligente, a facilidade da conduccao sendo especialmente considerada,
! no que nao ha lugar em que nao se possam conduzir, qr por trra, qur embarcado.
Lembra-se aos senliores de engenho que a venda dos animaos e o servico da
; iieoccnpada no seu trotamento os bao de recuperar da maior parte da despeza do
ir, deixando-lhes a vantagem de urna moagem certa e accelerada; e acabando com a
za da compra continuada de novos aDimaes, e com os desgostos do trabalbo que se
tem com elles.
Ser talvez desnecessario lembrar acs compradores de vapores a vantagem que
Ibes esulta de comprarem suas machinas garantidas em nma fabpica, tendo artistas com-
prantes para assentar as mesmasj v ensiur a maneira de trabalhar com ellas, e j pre-
paraias para arremet r qualquer desarranjo; facilidades estas que jamis podem en-
cobrar comprando-a^ aus simples negocianles, os quaes por fdta de conhecimento na ma-
te ia r.em se quer podem garantidos de que as machinas que vendem sejam proprias ou
sueiontes para o trabalbo em que se queira emprega-las, e no caso de desastre nao
pedem prestar-lnes soccorro algokn.
Igualmente nao se e-quecer5o osmesmos compradores de quanto podem perder
:. tersuas machina, paradas por deSarr-njos no tempo das sa ras: sendo queainda
u ando venhams fabricas, para concertar as machinas alheias torna-se-ha preciso fazer
repentinamente moldes novos, etc. para as pecas estragad >s.
Tambem ha sempre prompto Rodas d'agua de trro Sarilhos com cruzlas para as
n. -smas Moendas xle canna de todo o tamanho, Rodas de espora e angulares, Paroes ou
o bes para receber o caldo, Crivos e portas de fornalha, Taixas de ferro batido, fundido e
O ohre, Formas de ferro gaWanisadas para purgar assucar, Bombas simples'e de repu-
dio, Alambiques de ferro. Eixos e rodas de carro,'Arados, grades, enchadas a cavallo
< cutros instrumentos de agricultura, Moinhos efornispara fazer farinha e finalmente
to,'o oobjecto de mechanismo de que se costuma precisar.
Na fabrica se fazem obras novas encommenda e concertos, com a maior p este-
1. solidez. O grande deposito de pegas o objectos babilitam-na muito para este fim.
O proprietario ser sempre mui feliz de poder dar informa fes ou esclarec ment
. .;enhores qne se servirem de seu presumo.
D. W. Bowman, engenheiro.
Gros de aples preto a 4^0,4^00, U, U, 35500 e4o covado.
'Gorgurao preto de superior qaalidade a 2/J50O, 2J800, 3)J e t| o co-
vado.
Superiores moroantiques a 2^500, 20600, 35, 30500, 40 e 50000 o
covado.
Bons cortes de moreantiqne.
dem de g'orgurao adamascados.
Bons pannos e casenras.
Sup rioros alpacas, princetas, merinos o bombazinas.
Bons vittudos pretos.
Grande variedade de chales de fil preto oda guipure a 50, 50, 80,
400, m, de m a 20, e do 250 a 800 cada um.
Superiores retondas de fil preto e de guipure a 80, 100, 420 e 250,
e de 300 a 600 cada urna. _
Superiores algeriones.de filo preto e de gwpure de 420.a 250, e o
300 a 605 cada urna.
Bons chaires de seda preta.
f Ditos de Merino preto bordados- e outras- mokas fazeadas pretas quo
a enfaden be enumerar, na
IOJa DAS CfNLUAIWAS
DE ANTONIO CORREIa DE VASCONCELLOS & (L
mrv do crespo n. is
PHOSPHATO DE FERRO DE LERAS
IN^MCTOR DA ACADEMIA DE PAR15.
Nao existe medicamento ferruginoso to notavel como o phosphato de ferro de
Leras; assummidades medicas do mundo inleiro adotaram-no com solicitude sem igual
nosannaes da sciencia. As cores paludas, dores de estomago, digestes penosas, ane-
mia, convale scengas difficeis, idade critica das senhoras, irregularidade na manstruacao,
pobresa do sangue, lymphat smo s5o curados rpidamente ou nnoMcados por este en-
cllente composto. o conservador por excelencia da saude e declarado superior nos
$ospitaes e pelas academias a todos os ferruginosos condecidos, ao idoreto e ao citrato
de ferro, porque o nico que convena aos estmagos delicados, que nao provoca consli-
pa?5o nico tambem que n3o enegrece a bocea e os denles.
Em Pars na ra da Feuillado n. 7.
venda em casa de Maurer, e A, Caors.
AIOI1ZEJI DE FAZEIVDJlS
CUSTODIO CARV1LHO A C.
27 RA DO QUEIMADO N. 27
MadapolSo francez muito fino, tendo pouco mofo, cada peca com 27 varas or
100000. ^
L5a de cores a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs a vara.
Lencos brancos para algibeira a 20000 a duzia.
Finas perclaras a preco de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de laa de barra de 100 a 300000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.


PECI1IMIIA SEM IGUAL
LOJA DO BALAO
BITA D1CADEI1 DO RECIFE W. 4
assim como tambem tem um complato sortimen-
casemiras de cores pretas, e bom brim branco
N- ra aova loja veoe-se fazendas maiio barata-
t j >i roupa de casemira e de brim ; sortimento do
I*.;., -e fazsr obra por medida.
Madapolao avariado
Calgars de caseraira escuras proprias para a estaco a 70000.
i'atetoii de panno floo preto a 80000, ditos de alpaca branca a 40500.
thapos de sol de seda com 12 asteas a 9 e
Estes cbapos de sol todos veadem por 12J000, mas o Balio quereodo mostrar qne ninguem
'i:V- *k m e"e em I*'6?5' resolreu Tender os mais pequeos por 9-mil rw os maiorea por
.1 re?. baloe= de arco para seahora a 3#. Hi muitas outras fazendas e roupas feilas, que tudo
?e r-odo com grande abaiimento para m aparar dinheiro e adquirir maior numero de fregnexes;
quen; Juvidar da veracidade do qne diz o Balao venlia veriflear-se.
Venham ver a barate ta da loja do Baldo
10 n
jHg Ricos cortes de g'Tguro de seda pretos adamascados para vestido com 13 metros
ou 18 a 20 covados cada corte, largura de chita franceza, pelo baratissimo prego de SO0
tcada corte : na loja das columnas da roa do Crespo n. 13 de Antonio Gorreia de Vascon-
celos l 6.
1RD1DEIRA AGll ^IIVEltlIi
PASTILHAS DOS SAES NATURAES DE VICHY.
VENDE-SE
Na botica e drogara de Bartholomeu & C. Ra larga do Rosario n. 34.
-
Acabam de receber G. Paes do Amaral & 0.
5 RA DO CRESPO 5
Antlga casa de Gailherme da Silva Gulmaraefl
Ricos cortes de vestidos de gros-de-naples preto, com lindas barras bordadas.
Moire-aotique preto em corles e em pecas, liso, ondeado e com palmas.
Gros-de-naples preto, de diversos precos e larguras.
Gorgurao preto, fazenda superior a todas pela qualidade, e bonito tecido.
Este estabelecimento
acha-se sortido com numerosa quantidade do filos pretos, de algoda-j, de linho e de se-
da, manufacturados em
ckales
retondas
algerienes rlwurnus)
anamites
africaines
pompadour
DE FANTHASIA
Receberam tambem bonitos cortes de popeline de listras de cores, e mausadas,
muito modernas, de gostos inteiramente novos; e outras muitas fazendas de gosto,
das pelo ultimo vapor.
G. P. O 4MII11L b .
Novidades do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
se achar bem sortido como todos sabem,
hoje mais que nunca, nao s pelo que rece-
be de sua propria conta, mas tambem pelo
que recebe de consignaces; parece sem
! duvida que deve offerecer grandes vanta-
| gens para o respeitavel publico tanto em
I precos como na escolha dos objectos, e co-
j mo acaba de chegar grande remessa pelo
vapor Douro e o navio Solferino de
diversos objectos de gosto e proprios do
tempo dos quaes se mencionarao alguns,
por n3o ser possivel mencionar todos. O
dono deste estabelecimento espera a pro-
tecc5o de todos..
Riqnissimas caixiohas ornadas e com
msica propria para um delicado mimo.
Caixinhas de msica tanto de veio como
de corda.
Ricos porta joias e necessarios.
Riquissimos estojos a feitio de um bansi-
nho ou chapeuzinho.
Ditos em casca de noz e de outros gostos.
Leques de madeperola de sndalo e de
faia e madeira.
Chaposinhos e touqninhas de muito
gosto para criancas.
Meias e sapatinhos de seda para as mes-
mas.
Meias de seda para senhoras.
Capellas e grinaldas de Afires proprias
para casamento.
Enfeites e capellas de muito gosto para
senhora.
Riquissimos porta boquets.
Boquet de flores com urna borrachinha
com cheiro.
Luvas verdadeiras de Jovin.
Ditas de seda o de Escocia.
. Riqoissimas plumas e guarniefies para
enfeitar chapeos.
Contas e tubos de ac branco, que ba
muito se desejava para enfeites.
Brincos, fivellas e cruzes de crystal.
Fivellas e cruzes de tartaruga, madripe-
rola e dourados.
Alfinetes para gravatas.
Botoes com croas para punhos.
v. Gravatinhas o mantinhas de mnito gosto,
mto para bomem como para senhora.
O castello de Qrasville.
Tradndo 4o francez par 1. J. G. da Cris.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 300G
aa praga da Independencia, livraria ni.
6 e 8.
FrameiscoJos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor*
timento de oculos, Iunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa e ocu-
los de alcance para observaces e para o
martimos.__________^__^_^___
Tasso Irmos
Veudem no sen armazem roa do
Amorim b. 3o,
Licor fino Curac.o em botijas e meias botijas.
Licores finos sonidos em garrafas com rolbas a
nato o em lindos frascos.
VanosUheres. Santeroes. Cbambertin.
Hermitage. Borgonhe. Champagne. Muscatel. Reino. Bordeau. \
Cognac. Od Ton. PAezel lagaiol.
mmm
Pechiucha
*
Com loque de eopini.
Rua do Queimado n. *.
Superior algodao largo com 20 varas pelo bara-
to preco de ojt a peca, em raiSo de ter om toqne
Cnrvlho & C.
Na ra da Madre de Dos n. i4 vendenvse
dous lachos de cobre proprios para refinac&o.
V10-

5 RA DO CRESPO 5
G1Z.
No armazem da roa do Imperador n. 3 ou no
Caes de Pedro II n. 2, tem para ,-ender-se o me-
nw gaz existente no mercado.
Panno de algodo da Babia para sceos de
assncar e roopa de escravo, vende Antonio Luiz
de Olitelr* Azevedo & d, no sea escriptorio roa
daCroz n. 1.
Vap:>res.
Vende-se em casa de Saonders Brotbers & C
no largo do Corpo Santo n. 11, vapores patentes
com todos os pertences proprios para faier mover
tres oq qnatro machinas para descarocar algodo.
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descaroca
algodlo : na ra da Senzala Nova o. 41
No armazem de tazendas
baratas de Santos Coelho
Rna do qnrimado n. 19.
Vende-se o seguinte :
Lencoes de bramaote de om eo panno pelo ba-
rato preso de 320.
Ditos de panno da Lobo aSfSOOe 25600.
Loberas de chita da India a 24400 e 28O0.
Lencos de cambraia brancos proprios para algi-
beira a 29000 e 2,8200 a duzia.
Ditos de caaUrau de linho flao a 4*500 e 5* a
duzia
Aoalbado de algodo branco a 1 a vara.
Bramante de linho fino com 10 palmos de largu-
a 2JB00 a vara
Pana de linho fino com 9 iit pateaa da larga-
ra pelo barato preco da 2*400 a vara.
Bramante de linbo fino de nma largara, peto ba-
ratissimo preco de 800 a rara
de linho acolenoadas para maos,
a 13*
Riquissimos aderecos pretos, assim como
caixinhas com a'finetes pretos.
Rengallas de canna com cabo de marflm.
Ditas de baleia, borracha e de outras
muitas qualidades, assim como cricotinhos.
Riquissimos pentes de tartaruga do ulti-
mo gosto; assim como de arregaco para ^^^ de linna8 j ^ e^
memna, pois neste artigo ha um completo vara.
sortimento de todas as qualidades.
Diademas para cabeca do ultimo gosto.
Riquissimas fitas lavradas e lizas.
Trancas pretas com vidrilho e de cores.
Pulseiras tanto para senhora como para
meninas,
ligas de seda e de algodo.
Suspensorios de seda e do algodo o mul-
tes outro3 objectos quo se nlo podem an*
nqnciar por n5o se tornar enadonho.
S no-Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7.
Tealbasi
a duzia.
Ditas felpudas a 13* e 15* a dozia
Guardaoapos de linho a 3*500 a duxia.
Franela de todas as cores para coelros, a 880 rs.
o covado.
Tarlatana de cares a 800 rs. a an.
Baldes da 35 arcas 3*500, de 40 a 4.
Cantr'ala para forre de vestido t 2*780 e 3* a
pega.
de bretaana de rolo com 40 vana, a
3*800
Peca ta madapolao fino e largo a 7X>
Laaaaba lisa de cores a 500 rs. o aovado.
P*** "FJE!' ***** ^'P*0 con a
mela. vaoa* a 4*500. .
Coairos de casemira bordados palo baratissimo
preco de 9*.
Esleir da India propria pan forro sala da
4,8 e 6 palmos de largura.
Cambraias finas da cores aindas a 580- es. a vara
Neste armazem tambem se encontra om grasda
sortimento de roup?. aftfa vor adida.






/


l i
iinrn
a


>
s
**
Marti MMMtot* <|ata te Ira tS 4c Hato de 1886.

NOVA LOJA
ENCICLOPDICA
* S Boa t laaperatrlz armazent
da parta larga ftt.
Junto a padartafradceza de
Paredes Porto.
Neste estafa uludhi < encontrara o respettrrel
publico um variado atento de hiendas fraoce-
zas, (aginias, snlssas o allemies, que se venderao
por preco commodo. y
Paredes Porto *s
Vende chales de renda de cores que se vende-
r I8f est rendando por 6^, ditos pretos, ra-
leada aova, 5*,6*, 8* a 20*, am sortimento com-
pleto de manteletes, capas e.soutambarqoes 144 a
554. Ba da Imperatriz n. 48," junto a padarla trn-
cela, armazem da porta larga.
Paredes Parte
Receben am completo sortimento da liasinhas a
1*0, o 580 rs. covado, para acabar, cambralas de
cor a 240 rs. o covado, riscado escosses para rou-
Ki de menino, fustao de lineo a 420, 400 e 500 rs.
na da ImperattU a. 32 junto a pactara franceza,
armazem da porta larga.
Partes Parto
Receben para cortlnAos para cama franceza a
tifa peca cambraia lisa fina a 3* 4* at 10* a
peca, cortes de tarlatana.de bonitos gostos a 34500
44, cambraia com flor de seda, pos tos inteira-
mente rovos a iOO c o'OO rs. o covado, no araazem
da porta larga n. -52, ra da Imperatriz judw a pa-
aria francea.
Paredes Porto
Receben peterJtimo paquete om sortimento de
cruies com peers para o pescoco, bonitos caxloeis
de lia para pescoco de senhora. Ra da Imperatrii
n. 83, armazn da porta larga.
Paredes Porto
Vende oartes de gorgario preto ipora vestido coso
21 covados cada uro 36*000,-grsdeoap le preto
14600,14SO0 e 24 o covado, las lizas finas a 4O0
rs. o cavado,lias de quadrinho para vestido, enfes-
lada, a 820 rs. o covado. Ra da Imperatriz n. $2,
armazn da parta larga.
fUapa fila
Ra a Imperatriz n. 52 armazem da porte lar-
tja ]uflto a padarla franceza, -encontra-se oeste es-
abetoci ment nm completo sortimento de pr.lets-
:--acccs e sobrecasacos, de todas as qualidades, cal-
cas, colletes, cerooias, camisas, grvalas, meias,
chapos de ot, tltas "francezes para conVco, por
precos commodos, roupa para menino s ontras
mnitas fazendas por precos commodos, -armazem
ia porta larga.
o mesmo estatelecimsnto encontrara o respei-
oavel publico, sempre oto completo sortimento de
ronpas /eitas de todas s qualidades, cerno sejam
jpalets de alpaca preto-e de cor, ditos setwecasa-
?os a 44 e 54, ditos de brim pardo a "4800, 34 o
34500, ditos irnos -a 44, ditos meias cazemira a
-B4500, 44 e 4, ditos cazemirasaccos-a 4, 74, 84
a 104, ditos sobrecasacos a 10 e 124, ortos de pan-
ino saceos a 4, S* e'fO*, ditos sobrecasacos a 124
e 254, ditos de merino preto 16, "4 e 104, cal-
cas de brim do diversas qualidades a 14800 a 44,
ditos brancos a 2*506 e 6400, ditos cazemira 54,
64 e 74, Mes pretos a 54, 64, 8el0*, ditos
meias caeemiras a 3* e 44, catetes de diversas
qualidades, sroslas francezas de aigodo, ditas de
llnbo, ditasde bramante a 24 e 2*609, carnizas de
algodo de linho francezas de 24509 e 34. Gran-
de pecinctia neste genero, gravatas de todas as
qualidades e brancas para casamento, grande sor-
timento de meiastpcra senhoras, ditas para borneas
a 34, superiores e *500 e 44.
Um campisto-sortimento le chapeos de sol de
alpaca a 3?, dttes de seda a 54, '.*, 104 e 144,
ditos franceies pera cabeea, grande sortimesto
Vestidos
fechan cha sena igual.
Cbegeu a toja de Paredes Porto am bonito sor-
timento de vertidos de tartalata de cores e brancas
que serve para partidas por ser ama pbaotasia
teirameate de.foeto pelo barato preco de 44-e
brancos a '44600, -esto acabaodo-e : no armasen)
da porta tarja rea da Imperatriz r_ 52, junto a pa-
daria francea.
Oortinate.
Chegou a loja de Paredes Porto nm completo
sortimento de cortinados ricamente bordados a
preco de 254, 334 e 454 na ra da Imperatriz
n. 52, porta larga junto a padaria- .-anceza.
Rieas romeims.
ttUHiC ETAWEUCIiESTO
no
ni. o
GAMA & SILVA.
LOJA B ARMAZBt DE FAZENDAS.
Tendo os propietarios deste grande estabeleci-
mento feiio uta grande abatinaento em'mnitas de
suas fazendas, pela occasiao do balance que deram
no ultimo de dezembro de 1865, resolvern vender
muito mais barato do quecostomam aflm de cada
vez mais tgrdarem os seas numerosos fragne"
zes ; por tanto Ibes offererem nm a volado*
ment de fazendas francezas, inglez.is, as
vir a loja, ou a darem as amostras, deixaodo ficor
o penhor, assim como convidara as' pessoas, que
negociara em menor escala que neste grande esia-
beleeimento encootraro om grande sortimento
lanto a retalbo como por atacado, vendendo-se-lbe
apenas pelos precos que compram as casas ingle-
zas, sendo com o dinheiro a' viila.
4 SALSA PARRHH4 M kW
' PARA A CURA RADICAL
de escrfulas e molestias escrofulosa, tumores, ulcera*, oargaa, ferida ve-
lbas, bronchocele, papo ou papeira, a syphilis, eufermidades veoerias ou mer-
curiaes.
AS MOLESTIAS DAS MULHERES,
retencao, meustro doloroso, ulcerarles do tero, flores brantas, oto., ulcera-
cao, debidae, expoliado dos ossos, a nevralgia e convulsoes epitepticas
quando causadas pela escrfula.
ERYSIPEUS ERPES; ETC.
Eofermldades entaneas, ernpeSo, borbulhaa, pustulas,
aseldas, etc.
0 extracto composto de salsa parrllha, con'eccionado pelo Dr. Ayer, euma
combinado dos melhores depurativos e alterantes cochecillos medicina; confeccio-
nado segundo as regras da sciencia, approvado e refeitado pelos primeiros mdicos dos
EstadosjUnidos da America do Sul'e Central, das Antilbas, do Mxico e das Indias, e
maitas oulras partes do mundo : o resultado de estudos aperados e minuciosos, e de
experiencias feilas pessoalmente pelo Dr. Ayer, por muitos annos, nos principaes hos-
pitaes e enfermaras da America ; tcm sido approvado pelas academias de medicina e
juntas de hynjieDne das principaes capitaes da America dd Norte; para prova disto vede
os attestados authenticos no Almanak e Manual de Saude do I)r. Ayer, tjs quaes sedis-
tribum gratuitamente nos lugares onde se vende o remedio.
A SLSA PARILHA DE AYER
Especialmente efllcaz na cura das molestias que teni sua orlgem
na escrfula, na tnfecco ?crea, no nao
excessfto do merenslo n qaalqaer Impureza do sangne.
A molestia ou infecf3o pecutiar, conhecida peto nome de escrfula, ^ um dos ma-
tes mars prevalecentes e universaes que ha emboda a exiensa lisia das eofennidades que
acara a nossa ra^a; disse um celebre escriptor da medicina que tais de orna terca
parte de todos aquelles que morrem antes da velhice s3o victimas, ou directo ou indirec-
tamente de escrfula; por isso s nao 13o destructiva, porm a principal Gausade
muitas outras nfermidades qoe n3o lbe slo goralmente attriluidas.
urna causa dijjecta da tisiea pulmonar, das molestias do figato, do estomago
e affeccoes -do cerebro; entre seus numerosos symptom acbam-se os seguintes: falta
de appetite, o semblante paido e enchado; as vezes de urna arvura transparente e outras
vezes corado e amarellento irregular, fraque e molleza nos msculos ao redor da boc-
ea ; digestlo frtca e ppettite, falta de energa; ventre encbado e evacuarlo irregnrar;
quando -o"mal tem seu as?ento sobre os pute<5es urna cor atulada wostra-se em roda dos
olbos; quando ataca osorgSds digestivos, osplhos tornam-se avermelhados; o bali-
to ftido, a linpua-carregada; dores decabeca, tonteiras, etc. as pessoas de'disposi-
So esorofulosa apparecem frequentemente erupgoes na pelle-da cabera e outras partes
do corpo ; $3o predispostas is affeccoes dos pulmes, do figadr, dos rins, dos ergios
digestivos e uterinos. Portanto, n3os5o smente aqetles que padecem das formas ul-, Mantettes de renda, taienda muito superior a
cerosas e tuberculosas da escrofulaiaueriecessitamvitr'prrteccao contra os seus estragos; 18*080.
todosaquelles em cuio sangue existe o virus latente-deste terrivel agello (e as vezes i^\t^^^^^0^0!u^il
hereditario), esto espostos tambera* soffrer das erffermidades que elle causa, -que s5o: buSmSSSSrSSlffSX
A tisiea, ulesrages de figado, do estomagoe dosrins; erupcoese erfermidades. ist0 Da i0ja iTmZem do Pavie na ra da Im-
eruptivas da culis. Tosa ou erysipeia, borbulhas, pstulas, oascidas, tumores, rbeuma, peraMs n. 60 de-6ama 4 Silva.
Cortes de cambraia com palmas na loja do
Pavao.
Veadem-se corles de cambraia branca com pal-
mas, sendo fazenda muito boa, pelo baratissimo
preco de 2*500 para acabar : na loja e armazem
do Pavo na roa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
henees brancos a *000 res a
dnzla.
Gbitts a 180 rs., s o Pavo.
. Vndese o ssais bonito sc/tlmento de chitas in-
glezas, padroes miudinho?, claros e escuro?, e ten-
do tambem roa para lulo, afiancando.se &ertm
core* llxs, e vendem-e pilo baratissimo preco de
nove vintens o covado, bu a peca c m 38 covados
por 6*800 : isto na loja e armazem do Pavao, na
ra'da Imperatriz n. 0, de Gama Vestidas brancos.
Cbegaram para'a toja do Pavao os mais bonitos
cortes de vestidos de cambraia branca cqm boni-
Vendense lencos brancos farenda mnito boa
po baratissimo prego de 2* i dula, Ditos com
barra-de edr a 2*000 isto para acabar na loja d-' las barras todas brancas, assim como cem barras
Pavo na roa da Imperatriz n. 60 de Gama a Sio| de cores, sendo-farenfla transparente e mnito flna,
va. tendo oa4a um cTte bataoie farenda etruitaro-
Poupelinas modernissimas a 400 e 500 rs. da, e vendem-se pelo bmi?smo preco de 8* e
o covado na loja do Pav3o. ff daVamf S?0 /M "* lK*6M,nz n'
Vendem-se poopelinas muito Anas sendo fazenda > a, a ," .
muito moderna de quadrmhos e liza vendendo-se LOTteS de taiiatana Da li'J 00 pava?.
vendero maisbarato" do" qu em outra quaf^uer- pelos baratos precos de 400 e 500 rs. o covado na | Vendem se os mais modernos cortes de lrlataea
parte, compromettendo se a mandar levar qoalquer loja do Pavo na ra da Imperatriz n. 60 de Gama com as mais lindas barras de cor, pelo barati.-imo
fazenda em casa dos fregueses que nao poderes & Silva. preco de 5* cada um, sendo neste ertigo o meihjr
drosdenaples pretos do Pavo. qne tem viudo ao mrcalo : isto na lojae arma-
Vendem-se superiores grosdenaples pretos pelos "03 do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
baralissimos pregos de 1*500, 1*600, 1*800 e 2* ma & Silva._______________________
o covado, sendo fazenda muo boa, s para ac-1 Rodelas de borraxa
a 640 cada ama.
. Goardanapos de linho adamascado para meza a
2*800 a dnzia 00 a 240 rs. cada um.
Superior atoalbado de linho com "oito patatos de
largara sendo branco e pardo, e vende-se mais ba-
rato do que em oatro parte, na loja do Pavao na roa
da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Os crpinhos ae seda pretos do PavSo.
Vendem-se os mais ricos corptahos de seda pre-
tos, ricamente enfeliados, pelo barato prego de 11*
cada nni : na loia 4o Pavo na ra da Imperatriz
n. 00, de Gama & Silva.
Rico vestidos a 8000 rs.
pecbincba admiravel.
S o Pavao receben pelo ultimo vapor francez
um grande sortimento dos mais ricos cortes de
vestidos transparentes com lindas barras e enfeites
de seda, sendo ette* vestidos mnito proprios para
As toadlas de li lio d Pava.
Vendem-ss superiores toalhas de linhos paraVpalmos de largura, proprios para leoges, pelos!
rosto pelo baratissimo prego de 7*500 a duzia ou baratissimos precos de 2* e 2G00 a vara, assim
nliiTmVJZ^l eujraV5'fUa daIlDPe' proprias para rmassos de papis, e paraw
ralriz n. 60, de Gama 4 Silva. 1 virem de ligas para punhos. mangoitosetc etc.
Bramante de linho do Pavao. Vendem-se na roa do Qneiroado loja d'aguia t rsn-
Vende-se superior bramante de linho com 10 ca n. 8.
como panno de linho mnito flno pelos baratissimos
precos de 640,700 e 800 rs. a vara : na loja e ar-
mazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
fe & Silva.
Canbraias lisas do Pavo.
Vendem se pegas oe cambraia lisa muito supe-
rior, pelo barato prego de 3*200 e 3*500 a pega,
ditas muito Gnas a 5*. 6*. 7* e 8* : na loja e
armazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
PECII1NCHA I
a 2000, para caicas, s Pava.
Vendem se superiores cortes de meia casemira
com meseta de seda a 2*, ditas Garibaldinas a
2*800, ditas escoras a 2*800, ou a 1*600 o cova-
do : na loja e armazem do Pavao, ra da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
PENTEADORES
baile* e passelos, e vendem-se pelo baratUsimo: 00 roupoes de cambraia bordados proprios
prego de 8*00Ors. cada nm, na loja do Pav na
roa da Imperatriz n. 60 de Gao & Silva.
Os chales pretos de renda de Pavao a 8j000 rs.
Vendem-se os mais ricos chales pretts de renda
com qoatro pentas, senda mnito grandes pelo ba-
ratissimo preoo -de H*.
Ditos de guepere a lo*, 18*, 20*, 25*.
Retondas de Hito a 10*.
carbnculos, ulcews e cbagas, rheumatismo, dres nos ossos, as costas-e na cabeea,
Paredes Poptc-pecebeu pelo ultimo paquete em.
sortimento de rameira de guipure pretas e de fil
a prego eoe>modc : na ra da Imperatriz n. 33,
porta larga junte a padaria francesa.
W400
Chttpeos de sol.
Vendem-se chapeos de sol de panno a 1*400 e
urna grande pecbincba s para acabar : na ra da
Imperatriz n. Si -armazem da porta icrga de Pare
des Porto.
Ose bales do pavo a 2ot) e 2ooo rs.
e 2*500 cada um.
Ditos de merm-liso a 3*500.
Ditos estampados de crepon a 6*, 7*. e 8*000.
Dilos pretos bordados com tanjane seda a 14*.
Pa loja e armazem do PavSe na roa da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
Para luto vende o Pavo.
Setim da China com 6 palmos de largura, fazen-
da prela para luto, propna para vestidos e roopas
para homens, sendo esta nova fazenda sem lustro e
de muito boa qaalidade, arantindo-se nao ncar
russa com o lempo e vender pelo barato prego de
3* e 2*500 o covado, assim como neste-estabeleci-
mento temom grande sortimento de todas as fa-
zendas pretos como sejam cassas e chitas pretas,
laas tapados e transparentes, prinrezas, alpacas,
sarjas, etc.: na loja e armazem do'Pavao na ra
da Imperatriz n. 60, de-Gama & "Silva.
Os ba:oes do Pavao.
Vendenwe superiores talSes de megollna com
moita roda a 5*., ditos-rrmolines cem 35 arcos a
3*500, ditos com 20 e 33 a 3*. ditos para meni-
nas, sendo brancos e encarnados a -2* e 2*500
31000
Cortes ae laa escocosa para vestido 'a ."3* o cor-
te : na ra aa Imperatriz n. 52, loja d porta lar-
ga, junto a padaria franceza, esto se acabando.
Para luto.
Las pretas com salpico? brancos a 403 e 500
;s. o covado : na ra da Imperatriz n. 52 unto a
padaria franceza armazem da porta larga.
A 1#500.
Vendem-se pecas de tranca preta para eafeites
de vestidos, soutembar i000 com 10 varas, urna grande pecbincba-: na
ra da Imperatriz rt. 52 jUnto a padaria franeeza.
48000
Chaes de renda pretos.
Vende se cnales de renda preto a 4*000, unicc
loja que pode vender na rna da Imperatriz n. 52,
armazem da porta larga, de Paredes Porto.
op'o n -^Fft 3 W 3>H 2
CEssooa rr1^ m 2 2 22 o
ia.lSg.sf S'lg.fglKi
llffiil-gi!is^."
Ia|$fll|rL
_ o o* 5 I
.e5'i
1 to
5
li tifia,
j moa
3.
s
a, _.
3-f
Breo, em barricas Dwineniov
Cera em velas de todos os tamanbos.
Barias.
MalMBll
Na roa do vigano *,> pciaaairo andar.
Panno de afgoMo
trancado
da^brfadaFBriioVaiho
Utoa t i, armszea de Silva
rn
debilidades femionws, flores brancas causadas pela ulcerado interior, o eafermidades Vendem-se cbaie de merino -estampados a 2*
uterinas, bydropesia, indigesto/enfraquecimeoto-* debilidade geral.
OfferecDos a estas pessoas um abrigo seguro e-om antidolo efficaz contra esta
eiojestia e suas onsequencias a
SALSA PARRILLA MI AYER
teneno da moteaba; penetra todas as partes todos-os-orgSes do corpo'humano, livran-;
do-os da sua aceita viciada e mspirando-lhes noy vigor, um alterantejpoderosissiiDo
para arenovacao do sangue, d ao corpo jenfraquecido pela doenca, Torcas e ener-
vas renovadas-'soaio as da jorentude.
E tambem o melhor afity-syphilitico confiecido
cora permaDeatsmente as petares formas e syphilis e as suas conseqaencias. Pousa
necessidade ba*de informar o publico co raestimavel -valor de am remedio que, oomo
este, livra o saague desta (rrupcJo e arrebata a vidiaia das garras deirma morte lenta
o ignominiosa, porm inevfcavel, se onwl'nao logo*combatido oom energa.
umrpoderosissimo'ilterante paraba renovtpfo do sangue -¶ dar novafcr-
Ca ao corpo jk eofraquecido pela doenca.
Sendo- eomposto cteproductos vpe*aes, estemedicameoto4B20cente eavaes-
motempo efficaz, um facto de immensa aportaneta para aqeeHes^ae otomam; por- -t Da )0ja ^ Pavona roa da imperatriz n. 60. de
que muitos dosremedios alterantes offereoidos ao porblico tem por 'base o mercurio-eu o Gamatf-8iiva
arsnico; e eado assim, beaa quesveees podeme&ctuar curas, cemtudo deisatt suas
victimas carvegadas de umfflonga serte de males, muitas vezes peier ginal. A nica >usa neoeeeeria para obter urna cara radical segnir-com juire ecens-
atncia as dir-eG5oes que acompanham cada frasco.
Nao pretendemos promulgar, oom queremos- que se io&ra qe -esta composico a
um remedio irfallivel para-a cura de tod.-s os pa^ecimentos bomaRes ; Bfeli^ments
escrfula ea sypbilis sao -eaermidades alo sulis aae suas naturoaas, e arreigaon-se tso
firmemente 00 systema, ^ue muitas vezes evadem eresistem aos remedios Mis pode-
rosos que a eoieacia humana pode inventar para oesibat-las: o que dizemos que- o
Extrrcto eomposto de salsa parnlha de Ayer
a melhor prep?.racao at boje descoberta para estae e outras molestias anlogas, que-
urna combinacJo dos alterantes mais efficaaes coBhectdos, e que esta -eombinaco tem-sifo
regulada por tangas e laboriosas experteRcias, e fiuaimente que temos consciencia de Gf-
forecer ao pubco o melhorfesultado qae possivei produzir, da intelligencia e pewoia
medica dosoossos lempos.
Este remedio deve ser tomado com -systema er-egulandade, -eoSo com abaodoaa,
pota um remedio e n3o bebida.
Quando ac molestias mais proprio as-gilulas catnerticas de Ayer, que sio efficazes na ura da molestia, qne
4n por causa um desarranjo dos orgos digestivos. Pedi a satea,p*rrilha de Ayer-e
oc. aceita i outra prepara go.
Pernamfcaco, ruaffeva n. 18, pbermacia fraceezade P. Jiauper & C.
VENDE-SE
IVe armazem de H. dr. Ramos e Salva d- tonro. mu do vigar
a. II, eoastaaatemente, osscgulntes trigos, ue
reelem por enconrueuda proprla de
IEW-TOBK
Legitima salsa parrilha de Bristol, preparada por Lanuan & Kemp.
Verdadeira agua Florida, preparada pelos mesmos.
Gai em latas de dnco gales, o mais parificado que se pode- desejor da acredi-
tada marca F. W.D.4C- ;A..... ., "1
Relrjgtas perfeitas reguladores, com corda de quatro a oito dias, dosaamados 6-
bricantes E. N. Welcb.
Gfaixa em latas grandes da bem conhecida marca las. S. Masn (de Pbiladel-
pbia).
Superior oleo para machinas de costura.
Agulhas para as mesmas.
Breu em bar i cas grandes e pequeas.
Vende-se tambem:
BORDEAUX
1.a qaalidade.
St. Estepbe.
St. Julien.
C. Hargaux.
C. Lafltte.
Medoc.
PORTO
Ia plida de,
Principe Real.
Pedro V.
Maria Pia.
Princeza D. Isabel.
Vctor Emmanuel.
Duque.
Malvaziau
Cambrai?s de forre a l680-e 2 na loja
do^avo.
Vendem-se pegas cambraia e'forro com no-
ve varas cada peca, pelos baratisstaos precos de
1*600 -2*: na loja e armazem do Pavao na roa
da Imperatriz n. 60, *e -G?ma rSilv,-;.
Os cortioafios do.PavSo.
Veodem-se snperiofcs cortinados-adamascados
para eamae pelo baratissimo prego de I* cada par,
ditos mnito Anos ricamente bordados para camas
ou JaneHao a 13*, "Bfra 23* o par : na loja e ar-
mazem do-Pavo na ru* da Imperatriz n. 60, de
Gama -Siva.
Panno preto -a % na loja de Pavao.
Vender panno preto. fazenda o>ito boa, pelo
barato .pre;o d 2* o covado, dito mnito lino a
3*300, 4*, 5* 6*,aeeM3 como casimira preta de
rordau a o covado : ca loja do Pavao na roa da
Imperatriz o. 60, de Gnna & Silva.
Os espartilb-ys do Pavo.
Vendem-*? ama grande e variado sortimento de
espartiaos dos mais heos-feitos mercado, sendo de todos os tamanbos,-vendendo-se
por um prea muito raxosvel isto na loja do Pa-
vo na ra (te mperairizc. 60, de Gama & Silva.
As sala bordabas do pavo.
Venden-se-saias bordadas sendo fazenda muito
boa, sendo ricamente- bordada e com moita roda
vendendo-se pales baratqs oreos de 6*--8g e 10*
reis cada ma>ca loja do Pavao na roa da mpera-
:ri7. n. 60 4eGama & Silva.
Bretocitas de ro* a 3'0G@
Vendem-se pecas de bretaoha de rolo com 10
varas cada nee, pelo barattssimo preeo o"e 3* :
na oja e anaoaeni do Pavao, oaa da Impr-triz o.
60, de Gama A -Silva.
Roupa ieJa.
.Na-loja do Pato
Veode-se neste estabelecimento nm grande sor-
timento de roopas, tanto de panno.como caxemiras,
e brias e pelos naraiissjmos precos como aejam
calcas de cazemira preta a 6*7* e 3*000 res, pa-
letots.de panno preto-saceos a 6* fi* e 12*00 rs.
ditossobrecasacos de panno flnissirao a 12* 18* e
25*000,reis, e outros muitos arligos qne serta an-
fadonoi aqu reala-loa; s na loja e armazem do
Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Loja dofave
' brandes peefaiacbas.
Sedishas a 506 rs. t,ovado
Sedinhas a aOO r*.
Sedinhas a 300 .
?A^!^l!'!S!f"f??.?.^f!^?!!I5,lellaa de edr roxe ,preta, com iisiras e qoadros
Vinho fino do Porto em barris de 5/, 10/ e 20/.
Superior vinho do lheno.
Cera de Lisboa em velas e em grome.

V Rt A do qiteoiado m. tt.
Madapala.
nas pecas de madapelSo com 20 varas a 9#.
LENgOS,
Lencos de cambraia branca, duzia 2^.
dem de cores fitas para meninos duzia 2^400. *
Cambralas.
de 260 a 300 rs. o covado.
Cinardanapoa.
a 3^500.
Affgodo.
larguras, pjcofria para toalhas de mesa,, a preco de
Cambrajas de cores
Guardanap
Algodlo
W30davara,

Soperior bramanle de linho inglez- e francez.
. Cambxak de,linho propria.para leacos.
ATOALHAp.0.
Atoajhado branco paca mesa a 11600 a vara,
Entrame) mito finos, prego 14.
Lencos de seda p; oir a 1^600,
para as senho-as vestirem de manba.
Chegou esta novidade paia a loja do Pavo,
multo lindos e do melhor gosto at boje, pur pre-
ces mnito razoaveis : na loja do Pavao, rna da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas francezas a 240 rs. o covado.
Vendem-se bonitas cassas francezas de cores li-
sas pelo baratissimo preco de 240 o covado.
Ditas a 280, 320 e 360.
S na loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama Silva.
frosdenaple preto a 1#600;
E" grande pecbincba !!
Vende se grosdenaple preto, sendo mnito encor-
pado e de boa largura, pelo baratissimo preco de
1*600 o covado : na ra da Imperatriz n. 60.
Os cachinez do PavSo.
Vendem-se bonitos cachinez da 15a ou acazalhos
para cabrea pelo baratissimo prego de 3*000, s
na loja do Pavfto, na roa da Imperatriz n. 68.
MANTAS PARA O PESCOGO
a 1*, s o Pavo.
Vendem-se bonitas mantas para o pescoco, pelo
barato preco de 1* : na luja do Pavao na ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Hadapoles a 3,o00 rs. a pessa.
S na loja do Pav5o.
Vende-se pecas de roadapolio flno com 12 jar-
das, pelo barato preco de 3*o00 e 4*000.
Chales de renda.
Na loja do Pavao.
iteceberam-se os mais lindos chales pretos de
renda, assim como as mais modernas e compridas
retondes, e manteletes da roesma lazenda,e vende-
se mais barato que ero outra qnalquer parte: na
loja e ajmazem do Pavl na tua da Imperatriz o.
6 de Gama & Silva.
Caslor a 31 0 rs. a cuvade.
Para caJcas.
Vendem-se superiores castores moito encorpados
padrees escaros peto barato preco de 320 rs. o co-
~vado, servlndo esta fazeoda tambem para escravos
por ser de mnita duracao ; na loja e armazem do
Pavao rna da'Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Chapeos para iiieninns a 6,000.
S .na loja do Pasan.
Se vendem os mais bonitos e mais bem enfeita-
'dos cbaposfnhos de palha da Italia, proprios para
meninas, pelo baratissimo preco de 6*000; na loja
e armazem do-Pmo na roa da Inuieratriz n. 60
de Gama A Silva.
dUtenco.
ULTIMA NOVIDADE
PELTS,32TFEITES, CIN10S.
Gama & Silva, aeabam de receoer pelo ultimo
vapor francez, ora grande sortimento dos mais r-
eos enfeites pretos e de cores proprios nara cabeea,
sendo guarnecidos com as mais lindas flores, e com
vottas das mais bonitas perolas; assim como os mais
modernos e eegracados penes da verdadeira tar-
arepa, marcoeadoe sendo a ultima novidade
sos tem viudo de Pas?, e os mais rices cintos com
ates mathisadas e (velas largas, conforme ltima-
mente se usa oas primeiras capitaes da Europa, e
vende-se por preco em conta por ter chegado em
dirertora para a" loja-do Pavo, roa ds Imperatriz
.-O de Gama & Suva.
As rolan das do Pavao a 8 IQs,
Vndem-se as mais-ricas rolandas dependa |.>re-
ta, sondo muito grandes,.que sao as que mais se
usara, pelo baratissimo prego de 8* e 10* : na
loja e armazem do Pavc, ra da Imqeratriz n. 60,
de Gama & Silva.
Chitas pretas a 160 rs:
. Vendem-se chitas pretag inalezas, sendo azenda
mnito boa, pelo baratsimo preeo de 160 re. o co-
vado, og.5*500 a peca com "J8 covados : A na
loja do P.a-o, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
ATLANTA
Grande novidade a 800 rs.
Allanta a 200 rs.
Allanta a 200 rs.
Allanta a 200 r.
Chegou paran loja do Pavo o mais lindo sor-
timento desta nova fazenda, com o titulo de allanta
proprla para vestido e re upas para meninos, sen-
do esta modernissima fazenda de la com oe mais
Mui finas carias
francezas, com cantos domados, e sem doorado.
Vendem-se na rna do Queimado loja d'aguia brin-
ca n. 8.
Envfclopes zues
500 rs. o cenlo.
Vendem-se na ra do Queimado loja d gnia
branca n. 8.
Apparelbos de porcelana
donrados e pintados.
Na rna do Queimado loja d'agtra branca u.8,
vendem-se bonitos apparelhos de porcelana .ara
\ almoco jantar de nonecas.
Bonitos quadros
para retratos.
Vendem-se na ra do Queimado leja d'agcia
branca n. 8.
Perfumara ingleza
A agua branca ruado Queimado n. 8, receben
nm novo sortimento de floas perfumaras inglezas
de I. Gosnell & C.; sendo extractos dos agrtda-
veis cheiros Bonq da Rainha Victoria, do P. Alber-
to, do imperador NpoleSo, da imperatriz Eugenia,
Garlbaldi, Miss Lind, Joch Club, frangipahe, n-
dalo, etc. etc.
Oleo lino para cabellos.
Opial para pentes.
Agua da Colonia.
Sabonetes Anos reme de amendea para barba.
Pencas d'aco inglezas
douradas e sema ser.
Chegou para.a loja d'agna branca ra do Quei-
mado o. 8, um ezcellente sortimento de peonas
d'aco inglezas. douradas e sem a ser, porm todas
de qualidade extrana, e continuare a vende-ls a
2*500, 200 e 1*500 a raixa.
Tinta azul e preta
r tinta rocha e preta.
Estas tintas cujasf expelientes qualidades ja'sao
bem conhecidas vapYeciadas pelos entendedorc-,
acham-se a venda-na roa do Queimado loja d'agua
branca o. 8.
Lacre fino de cores
com cheiro e sem elle.
Na loja d'aguia branca ra do Queimado n. 8,
vende se lacre flno encarnado aromtico e sem
ser ; dito verde, e urnas caixinhas com ditos no
cores pelo barato preco de 500 rs. cada urna.
Papel inglez
em caixinhas.
Na loja d'aguia branca a' roa do Queimado c. 8.
vende-se desse soperior papel inglez em caixiuhas.
Luvas de camursa
brancas e amarellas.
Vendem-se na ra do Queimado loja d'aguia
branca n. 8.
Meias pretas para padres
Vendem-se na ra do Queimado l'ja d'sjjoi;-.
branra n. 8.
Aspas largas e fortes
para balo.
Vendem-se na ra do Queimado loja d'apoia
branca n. 8. _______
colares Royer on colares aue-
dlnos
para facilitar a dentico das crianzas e presera
las das convulsoes.
O feliz resoltado obtido immenas veze> ; fia
prodigiosa forca. magntica dos colares Rour, no:-
casos de convolses e dentico das enancas, h ni
altamente elevado o sen bem merecido pre.-l::.
e boje j se pode dizer que estao geralmentevii-
ceituados, e estimado de moumecaveis pa;< do
familias : de uos porque do oso desses sautsres
colares viram salvos do perigo srj's charos fiibi-
nhos, e de ontros porque colheram daquells ao
proflcuo exemplo para igoalroeie preservar
teas. Assim, pols, a aguia branca, tendo em vis-
tas a utilidade e proveiK dessee prodigiosos cola-
res anodinos ou Royer, mandn vir o novo sorti-
menlo qne agora receben, e continuar a recer.e-
los para que em teropoalgum a falla detes possa
ser funesta aos pais de familia, os qnaes ficaro
certos de os acharconstantemente na roa do Quei-
mado, loja d'aguia branca n. 8.__________t
Vendem-se
objectas de padaria : 2 masselras de cestadinho de
amare lio vinhatico chapiadas de ferro, tanedelrs,
taboas, nm caixo grande para deposito e mais
ntencilios, etc. : qnem quizer dirija-se arua das
Larangeiras a fallar com o Sr. Ludgero Francisco
de Assi?. _________________
Vende-se ama covilha mnilo grande e gorda,
propria para cougue : quera pretender dirija-se
a Santo Amaro, sobrado junto do cemiterio inglez
Ai
Escravos fgidos
sendo os padres oais novos qne tem viudo ae mar-
cado, e vende-se pelo paratisslmo preco de neo
tesles o covadq, sendo fasenda que valem mnilo
mais diobeiro, e grande pechioofca por aa ier
comprado urna graade porlida desta senda, na
loja e armazem de (aseada do Pavas, ra da Im-
peratriz n. 80-de
Lasmha matisadas a 320 rs.
Vendem-se as mais lindas lasinhas matisadas
com os mais bonitos desenlio?, pelo barato preeo de
310 rs. o covado ; on loja do Ptvo a roa da Im-
peratr n. 60 de Gama i Silva.
Os diales de guipure a 12^'e
16#000,
Vendem-se o mate Ticos chales de Gntpnre ade
renda de Itabo o toda, pelos baratiseimt precos da
12* e 16*; granan pecbincba en relaeao a boa
qualidade e lamanbo delles : s na loja do Pavie,
roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lazinhas a 2U0 rs, s o
Pavo.
Veadem-sa modernas liaeinbas com ImoMssnioe'
gostoav pala boMtiHimo paeco de 106 rs. ; gran-
de pecbinchai.a n.loja do Pavfcv roa da Imo*-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Sedts Largas
Na loja dn.Pa.vao
CBegoa para a loja do Pavao Mjuiodernjtoo
sortuaento das mala 'Unidas se* ?''J^
sendo urnas do litrinnas e oalNWie- neriiaM
com as mais liadas caras, e aJf nno propria!
ahora qaa*6atiafeu..o^l^.9-^tfc
fazeada qnatro palmos de lirgora, qoo facilita fr-
ora pooeni eanates ^ na
loja earmazan) do Pavo na,rpj fe tanaritrii B'
60 de Gana & Silva,
brancos, proprias para luto, e vendem-se pelo ba
ratissimo prego de 200 rs. o covado nicamente na
loja ds Pavao ra da imperatriz n. 60 de Gama 4
Silva.
As chHas do Pavo a 200 o eovado.
Vende-se o mais bonito sortimento de chitas es-
coros e roan sendo ingleza. mas com os panano
to encorpados como os das francezas qne se ven-
dem a 400 ris,e liquidiose pelo barato preeo de
200 ris o covado ou a 7*200 a pega, garantan-
se terem 38 covados cada pega eserem decores
fizas isto na loja e armazem do Pavao na rna da
Imperatriz n. GO de Gama & Silva.
Armazem do Pato,
Vende-se cera de carnauba da melhor qualidade
empaceos, mais barato que em outra qnalquer
parte no armazem- do Pavao na rna da Imperatriz
n. 60, ds Gama 4 Silva.
As cabaias do Pavao a 2$000
o cora*).
Chegaram para a loja do Pavao as mais lindas
cabalas de oeon para- vestidos, sendo- eom os man
lianas gostes n floreae listaa, tendo entre ellas al-
Y1SO
Fugio a 13 de abril do correte aono o escravs
tendo eiu nova fazenda i palmea da lar ota qne
facilita fazer-se nm vestido com poneos covados, e
veod**se-peto'baratissimo pTeco de 2*006-, unlet-
jnanta-n*lojae armazem.dofavna rao. do-Impa-
rottt tt. 60, oaGena ^.Sn..
Novidade1
aMWocuno, pise
.infattado.
Pan vestldoa.
Cbegaram as desejadas cambralas on tariauna-;
branca con hXribts Kairdo traosiarentes-e tan*
oon-o pal aarnUsMino prnfo dn.5*000o caria)
B, WdeOantASilvi. '***
ponoo batan,
c,gresos,
barba, cabellos caripluBos
bros largos, com jala de al
se jBOM)oaanva^Bnh-si
para s
na pon-
poaca
. boto-
falla man-
presome-
I
.
So dia 26 de abril prximo passado, fugio do
engento Gravati 'em Agua-Prela, o escravo Modes-
to, cem os signaes segoinles: idade 30 annos,
pardo claro, cabellos regular, cheio do corpo, sem
barba contendo apenas alguns cabellos, dentes
limados, ps regulares e nm lanto largos; levoa
urna troocba contendo roupa: roga-se portanto as
autoridades poltelaes e capitaes de campo a captu-
ra do dito escraw, e leva-lo no referido engeobo a
sea aeBhor Ignacio Ferreira de Mello I-osea, ou
jnesta praca ao Sr. Manoet Antonio de Sant.u*0
Lei.sa, morador na roa do Uondeeo, e com esenp-
iorjo na ra do AppoHo, que ser gratifleado.
-Fugio do abai-xo assignado, no dia 27de aoril
prximo passado. o seu escroto J s, crioolo, idade
23 anuos, cor bem preta, altura regular, bom cor-
po, son barba, bocea regular, cora falla de denles
na frente, nariz chalo, maesas om tanto alus, bota
o Joelbo direito para dentro, ps e mos grandes,
tem algamas clcatrizes de chicote, e tambem de
bacalbo; o qual foi escravo do Sr. Manoet Pedro
de Jess, proprietano do engenbo Gua-iba da fre-
gueziade Porto-Calvo: roga-se portanto as autori-
dades policiaes e aos capitaes de campo a captura
do dito escravo, e leva lo ao abaixo assignado no
enojona Gts*aU- oaa Agua-Preu, oo nesu praca
ao Sr. Manoet Xntonio de Santiago Lessa, morador
na roa do Motmego, e com escrlBfcrio na ra do
Apollo, que sera gratificado,
SRnrntde Batiros Franco Mello
2Q# de gratifiea^ao,
U 91 de ootobro do anno passade, fugio a es-
crava Claudina, cabra alta e seca do corpo, que
perteneesnUHiiaraente ac* Illm*. Srs. Jos Joaquino
da Silva, anoel Mauricio de 3eoa e D: Mariana
Ignacla doCa.Mro e Siu que a vendeu a Jos Ma-
iheos Ferreira que pagar 200*000 a qnem be
entregar dita escrava na rna da Cadela n. 62.




I
1
**m^t&
e^fim.


_._Jl







i

8
wkJf*
Fernn*** arta feira 9S ato mi* eJ*tNg?.
i
LITTERAfORA.
Pagina dosqulnze auno*.
iContinuago)
IU
Urna tarde, eo-achava-measseotedo em am gros-
son tonco de coqueiro, debaixo de urna galhuda
mangue ira, procurando dectfra^r sem explcages,
n^bptisica philosophtca do compendio de
: a tarde eslava vulupluosa e melga, a bri-
sa a :uslo frfaiUm Das folhas, as dores palelas
e perluraosis vergavam, ao brando sopro da suotil
aragem. O co era todo escarale e ouro, rastros
de luz se espalhavara no come das Iongleuas collo-
nas, e o sol tremando no occaso, mostrava a Ierra
o seu olbar ji mono. Apressada a rolla proca-
rava o niobo, que guarda va occulta, .a impl-
me prole, e o bemtivi laceiro, cantava altivo pelo
iaraajal. Esqueci o compendio, deitel-o sobre a
psroa e com a fronte apoiada na mo, scismava; o
que ::>m eu mesmo sei : eslava em um completo
mundo de abstracoes.
De repente por detraz de mira soou. orna voz,
m>, nao era urna voz, era urna barmonla ; ce
les'- como as queos aojos cantam no co, aos ps
do irono da onro da Vtrgem fura ; doce como as
notas grave? da flauta, espalhadas pelo silencio da
mu noute ; sonoras coma os echose am orgo
perdidos pelas abobadas de um templo.
Qaanta tristea, mea Deas, o senbor as3lm
ootraria nos : disse ella.
Pareceu-me que despertava de am sonbo : abr
jeai os olhos, passei a mo pelo rosto, e procarel
ver s era realidade oa illaslo o qae ea oavu.
Ento, porque est triste ?
Nao o estou tal, mioha senhora.
O senbor mo.
Eu, minha senhora, porque ? perguntei-lbo
lodo trmulo.
Nao v que me encommoda I
Como e de que maneira, minha senhora ?
Nao, me chame, miaba senhora; charae-me
Nacila. Nao sabe que...eu...lhe...estimo...
Ditas estas palavras, fugo ligeira, como a gazel-
u branca da Arabia, para o jardim.
Nao pude ouvir mais.
Urna sensacao desconbecida correa todo o
mea organismo; um saor (rio geloa-me a fronte .
um ogo Intenso queimou-me o peito.
Qaiz segai-la ; cranla I tive medo.
Quiz fallar-lbe; imbecill faltaram-me as expres-
iones.
J era bem tardinba : apenas o crepsculo ves-
ua-se com os ltimos raios do sol; as aves j nao
voavam, oa estavam occulias entre as folhagens ou
deitadas nos oinhos, vesper ostentava-se orgulhosa
o meio do co, como urna flor de diamante em
um manto de seda, a brisa estava muda;a la
sabia ponco a pouco com meigo vagar, dourando
as fallas das raaogueiras e das larangeiras, as ro-
sas embalsamavam o jardim e as anglicas e boga-
nos abriam a medo.
Levantei-me embriagado de amor e medo : as
palavras de Nacila quelraaram-rae os ouvidos. Ao
passar pelo jardim ella estava assentada em urna
cadeira, junto de um algrete; quando vio-me,
susrio-se.
Qulz dirigir-me a ella ; mas retroced, entrei no
meu quarlo, iaacei mo da peana, e de urna (olba
de papel amisade, escrevi-ibe a seguate poesa de
l. Das :
Ella eslava compleamente vestidla, e entre as
negras trancas tlnha um outro ou galho de Jleerim
qae eu lhe havia atirado ao eolio. Nacila, colhla
um ramalbele de flores aigolfleativas.
Quando me vi*, sarrio-se, e flcoa com o rosto
todo carminado.
Bom da, me disse ella. Eolio anda lem de
pue-estar inste-?
Quiz Te^poBder-lhe, gagoejei, jalgo que respon-1
di-lbeuma baoalldade.
Pois bem : contfnuoa ella, eu estava mesma,
colnendo aqu estas flores, que julgo-lhe ho da
acabar cqm a tristeza. Tem diccionario das fkp
res ? rae perguntou ella. *%
Nao, miaba senhora.
Senhora, sempre matulo. 1NS0 mo chame
senhora, obame-me Naclli. Pois v comprar umj
diccionario.
Direndo isto, atirou-rae com o ramalhete e fugio.
Elle coojpunha-se de urna sempre-viva, de urna
perpetua rouia, de um bolo de rosa amelia, de
um bolo de cravo hranco e de urna anglica.
Ainia bm eu nao sabia o signcado dessas
flores, ja instinctivamente conhecia, que ellas eram
quasi que urna resposu a minha declarado de
amor. Cubra-as de beijos, e cada vez que eu as
ievava aos labios, parecia-me que o hlito callido
de Nacila estava impresso aellas.
Creaoga louca, quaotos castellos que eu flz, qua
tos sonhos de felicidade que deappareclam e appa-
reciam como as luzes de urna cmara phaotasma-
gorica.
da mais auteHosamente a
corredor da casa, tlrei
carta; tive recelo
havia dado naj
ama caria n
tinha ama ling
dadeira poesa virgem,!
virgem de qulnze aonos.
as
ver
para d
era urna
^^Beulhe
Kara; era
^K El
ama ver
Hrnraa
i crneo urna
ographia m,
Bnava, qae
{leu conte*
a accordado:
realmente en nao dorma; mas serl Eslvel, meu
Deasflanta feli cldade, tanta venlofS, para mim,
pobre mogo descotfhecido, chegado-apojico do nor-
te, verdadeiro orpbao de familia.
Errara o acompanaamealo, lia ria-se a raejrer, ne
ra tambera, e asilm acabavamos a caskoria. Eram
ancas; doos amores espirltuallsa
anda o materialismo ni? tnha en-
tilo havia nada de material,
nocente como ama flor: >:a era sim.
ploro como urna crianca.
saobo, eu viva rabiscando
;ostava da msica, eu viva oa to-
do : Nacila goslava1
Idas.
SeeliK'pra o jardim, a tarde, en a segua;
se eila colhia urna rosa, ea colhla urna perpetua ;
se ella fazia um encberto no bogarim, eu fazia ou.
ro no jasmineiro.
das flores, ea
A noite,'se ea nio tinba o que estudar, Ievava.oa
O deslino tem os eos caprichos, ste, era am a lhe 1er alguma poesa bonita, oa entao, abrindo
delles. um llvro de charadas e logogripbos, dava-lhe a de-
Eu tinba am ramalhete dado por Nacila, tnha cifrar, e quando havia algum equivoco, lia ria-se
urna carta dalla, ea era amado. Tioba perdido eu ria-me ; ella quena o livro, eu reaosava entre-
provlsoriamenle os etinhos de minha mil; porm
Eramos duas crianzas, nao estranhas-
mas irm3as.
gar, eu fuela para o meu quarto e ella flogla-se
unba acbado o amor de Nacila. Amor de ogo,' zangada,
ardente como as lavas de am voleio ; impetuoso
como o arrojo do mar, ousado como o vdo da aguia;
santo comj o prlmejro amor dos qatnze aaaos de
ama menina.
Conservo anda essas flores. Queres vela? ei-
las. Ellas sao para mira a lembranga desse pas-
sado feliz, que ea nao soube aprovetar ; desse an-
jo candido cuja alvara eu desbotei; dessa mulher
de fogo, cujo calor, raiseravel, eu gele; dessa me-
nina crente, qae eu lornei to sceptica; desses
otbos to lasentes, que ea convert em duas casca-
tas de lagrimas.
Mas ea ? eu tambem padeco. Eu tambero soifro
soffro muito. Se tenho o sorriso nos labios, tenho
um inferno no coracao ; se tenbo brilho nos olhos
tenho o crneo gelado; se tenho mocidade no roslo
teabo a morte n'alma.
Ella tomou-se sceptica, eu tornei-me cynico;
ella tornou-se voluvel, eu tornei-me material; ella
chorou, ea ri-me; ella sentio, ea alegrei-me; ella
perdeu para sempre as esperaneas, ea morri....
Perdea as esperangas I Nao ama blaspbemia.
Qeitemos um veo de ferro sobre esse passado, qae
tanto me martynsa.
V
Corr a ama Iivraria, comprei o livro por ella
indicado, era se quer o ajastei, estiva pelo prego
Como se ama o calor e a luz querida,
A harmona, o frescor, os sons, os cos
Silencio, e cores, e perfume e viia.l
Oa pais e a patria e a virtude e a Deus;
Assim eu te amo, assim, mais do que podem
Dizerte-o os labios meusoais do que valem
Cantar a voz do trovador caneada.
Depois dobrei o papel, deitei-o no bolso do pa-
loto e dirigi-me para o jardim aonde eslava Ni
cila, no irrae proposito de entregar-lhe a poesa.
Fizbem mal, reconbe;o ; nao sube respailar as
telias que me hospedavam ; mas deva ser descul-
i :'J\o vuicao do amor se tnha gerado em meu
peito, e qae diqae poderia resistir ao impeto da sua
lava, qae quena rebentar.
Chegando ao algrete, enonirai Nacila s : nao
sei mesmo se lhe falle!, se l!;a disse alguma cou-
sa : o qae sei .que quiz entregar-lbo o .papel,
recae!, tive mudo. Fui a um p de alecrim, que-
brei-lbe am galho, embrulhei o papel na fiaste, dei-
tei-o no eolio de Nacila, e fugi.
Corri para o quarto: eu estava rubro de vergo-
ntia. Deitei-me como para achar no somno um
protector contra o meu raa! : foi debalde. Na oc-
casiao da ceia Tui para sala, e contra a minha ex-
pectativa, Nacila nao veio a mesa.
Fquei desapontado.
Retirei-me para o quarto vert urna grande co-
pia de lagrimas, e aecusava-me a mim mesmo de
ter cansado desgosto, ou de ter procurado o iodo
du Nacila. Chorei em silencio lagrimas bem
amargas, e adormec.
No da seguate, apenas accordei, ouvi a voz de
Eacila que caniava no jardim a bailada da More-
ninha de Macedo.
Levantei-me; abri a janella do mea qaarlo
manba estava magnifica.
O sol j um pouco cima do borisonte docrava
as arvores com as suas torrentes de luz. as rosas
e os Dogarins espalhavam no ar um doce perfume
-am jasmineiro plantado Junio a um pequeo poco | leve aos labios estava
do jardim eslava estrellado de flores, as quaes um
beija flor tumbindo, beijava voluptuosamente.
Nacila caotava sempre, e os passarinhos nos ga-
lbos das mangueiras e larangeiras respondan) aos
seus cantos.
Fique! admindo de qae Nacila nessa hora ja
estivesse no jardim, o goe en nunca tinba visto.
a
que me pedio o livreiro, e mais ainda ea lhe dara
se mais elle me tiesse pedido. Voltei Immediala-
uiente para a casa, fui ver o qae significavam as
flores, os meas instnctos rae nao enganaram, ellas
eram urna formal declarago de amor.
Oh! que prazer que ea tive. Pela primeira vez,
depois da mioha chegada do norte, eu pegaei era
am violo que havia no meo quarto, aflnei-o e can-
tei, cantei muito, como am passaro qae canta des-
pedindo-se da primavera. O som de ralnha voz
despertou a atiendo da raai de Nacila, que veio
at a porta do mea quarto, e sorrinda ds-
se-me :
Gragas^a Deus que j o vejo alegre. Qae mi-
lagro foi esse, Sr. Scipiao t
Fquei aparvalhado, |como um matuto no thea-
tro.
Nao lhe pude responder.
Nacila, porm qae tinha valo Jp antl p at e
porta do meu quarto, e disse :
E' verdade, mami,pergunte-lhe que milagre
foi este.
Cada vez eu estava mais aparvalhado ; suava
por todos os poros, e a m5i de Nacila vendo como
eu estava contrariado, deltoa-meura olhar maligno,
olhou da mesma maneira para a ilha, rio-se e re-
tirou-se com a fllha.
Estoa descoberto ; disse eu, !danio os demo-
aios ao violo.
Levei o resto da tarde sem sabir do quarto. A
hora do jantar nao levantei os olhos, responda ao
que se me perguntava por monsyliabos e retire!
me logo.
O pi de Nacila porm, acostumado toda tarde
a conversar comigo no jardim, mandn chamar-
me-: nao havia remedio, flz das fraquezas forcas e
tinha medo de todo; tlnha
t ,.. medo de mim, delta, de ludo
Da luz, da sombra, do silencio oa vozes,
Das folhas seccas, do chorar das fontes
Das horas vagas a correr velozes.i
Talvez qae Casemiro de Abreu, nao tivesse mes-
mo tanto medo, como eu tinba aessa occasio.
C mecei a conversar com o pai de Nacila, e ella
estava em o canto do algrete a estudar asna licao
de francez, repentinamente, ella tirn do bolso do
roupo nm papel escripto a lapis, e pedio-me para
verter-lhe o portuguez para o francez.
Levantei-me e fui para a minha mesa de estudo
e comecel a apurar cora todas as forjas de minha
alma, as regras de syntaxe, que o mu professor
me havia ensinado. J era quasi noite. Escrev
algumas palavras o quarto flcou completamente es-
curo, deitei o tbema sobre a mesa e fui a janella
respirar um ponco emquanto me traziam. Quando
ouvi foi o som argentino de sna voz, que me per-
guntava pela varso. Dirijo-me a ella para des.
culparme da minha demora ; mas ella quando en
me approximei, atiroume com ara papel preso era
um galho de alecrim, e dando-rae as costas reti-
rou-se. Agarrei no papel, estava todo r.erfamado-
alnda callido do calor do
seu seio. Quiz l-lo ; mas o quarto estava com
pletamente escuro, nao poda dillerencar os carac
teres; guardei-o no bolso do palelul, e comecei a
passear qor todo o comprimento do quarto, poto
eslava mnito agitado.
Pouco depois, trouxeram-me Inz. Fechei com
todo o coldado a janella do meu quarto, fechei aln-
FOLHETIM
TRISTEZAS A BEIRA-MAR
POR
M. PINHEIRO CHAGAS -
XI
(CoBtinuio.)
Jorge estremecen e fitou um longo olhar no sa-
cerdote. Protana melancola ensoabrava o roslo
sereno e meigo do ministro de Deas. Os seas
olhos tilo expriman! nem severidade nem orgu-
lbo, mas tambem se nao abaixaraa diante dos
olhos de Jorge. Este nao pode sgpportar aquella
vista penetrante e encaminhoa-se com pasaos va-
garosos para o lado de Leonor.
O sacerdote voltea entao os olhos para Magdale-
na, qae Acara fulminada, como se a sua propria
consciencia se ergaesse diante dalla. Fazia-lbe
mal ji ralo laminoso e sereno qae emanan das
papillas do sacerdote. Desojarla eiquivar-se a es
se olbar ajado, entranbar-se no seio da tarra,
mergalbar as vaga do Ocano, e tenia Ninguem era mais feliz do qae ea. Nem o mo-
narcha idolatrado por seas snbditos no meio da fe-
lieldade e da paz ; nem o pomblnno que em temos
arrulhos beija a amorosa coqepanheira; nem a
mi qae beija a fronte. robra do seu primeiro re-
cem-nascido; nem o naufrago qae nos horrores da
procella nada como am desesperado em am mar
tempestuoso, e encontra de repente a trra debaixo
dos ps; nem o esposo qae v salva a casta esposa
das vascas da morte depois de longa enfermidade
eram mais felizes. Sim : ea era muito feliz; mais
do que sonhra, mais do que desejra.
Era amado por ama menlna'ingenna, linda, deli-
cada e virtuosa. O mea amor nascla dourado com0
o sol em ama manba da primavera.
Ea era todo ogo: senti-me outro. Sent renas-
cer em mim aquella vida qae eu goza va nos climas
do norte, e qae o calido ar de Pernambuco me ti-
nha quasi extincto. Ea nao estava mais dbil, es-
lava forte, e senta tanta robustez com o amor de
Nacila, qae por elle, se preciso fosse, ea sustenta-
rla com urna mao a queda.do universo, e com a
outra afr i taria os seas destroces para segurar esse
amor se elle me fugisse.
. Dissiparam-se as tristezas, vierara as alegras. A
nuvem de melancola qae me velava o rosto, con'
verteuse em reflexos de prazer.
A minha vida qae hontem rae pareca a do exi-
lado, hoje era para mim a vida do feliz. Ja nao ti-
nha tedio, lioba desejos. O mundo em qae ed vi'
va deixou de ser am vacuo, para traosformar-se
em ama testa perenne.
Minha agilacao cada vez crescia mais. Um fogo
estranbo escaldava-me o cerebro, eu suffocava, ti-
nba necessidade de ar. Abr a janella : o hlito
perfumado das flores entroa do mea quarto, e a
la ja era bem alta. Olbei para o .co, e como o
acbei sublime. A la brilbando no co innnndando
a torra com os raios de prata, pareca dlzer :
amor ; as estrellas sciotillaado vivamente, pareciam
em cada um dos seus scintillar, dizer : amor i
as nuvenzinhas brancas orladas de onro, enterla-
cando-se mutuamente pareciam dlzer : amor '
as flores espalhando aromas a embalsamando o ar,
pareciam dlzer : amor ; Analmente a aura sus-
surrando teamente as folhas das larangeiras,
pareca dizer amor.
Quanto seria bella a vida, se nella tudo fosse
sempre felicdade 1
O tempo que flquei assim nessa exuctica con-
templado, era eu mesmo sel dizer. S sei que
a natureza me pareca um co, a vida ama felici.
dade e o mando um panizo.
Pouco depois os dobres loogiquos do sino da ma-
triz de Santo Antonio, soavam nove oras : procu-
rei parecer estar quieto e fui ceiar. Nacila estava
oa mesa deJciwte de sua ini, a Inz da vella illumi-
nava-lhe o rosto era ebeio, e o reflexo da luz pare-
ca ornar a sua alva fronte de urna aureola di-
vina.
Dorm bem nessa noite, Uve sonhos poticos
como aquelles que eu tinba quando crianca, ador'
mecendo ao canto divino de miaba boa m2i.
VII
Os dous primeiros mezes dos nossos amores, foi
ama verdadeira testa de noivado. Nacila todas as
manbas quando sabia da sua cmara, ja vinha
vestida com todo o esmero v eu fazia tambem a
mesma cousa. Naclla^procurava agradar-me em
tudo e eu procurava traduzir-lhe o menor dos seus
desejos.
Principie! a viver. Tristezas, saudades e lan-
guidez todo desappareceu: esqueci todo, e esqueci,
at. queres que o diga? Esqueci at minha mi I
De manba al a norte ea doudejava como um coli.
bri, ra, cantava, brincava e nem sei mesmo o que
fazia.
S estava fra de casa o tempo que me era ne.
cessario estar as aulas, e quando aellas sahia-
voava al em casa, quer bonvesse os nao muito
sol e raudo calor. Nacila, entao sabeodo ja da mi-
nha volta, trazia o bordado para a sala, e era o
primeiro roslo que ea via quando chegava, e que
me acolbia com nm sorriso amoroso.
Tornei-me sobarbo com o thesoaro qae eu pos*
suia, e conceb am mundo de aspirares. O tempo
em que eu devia descascar, gastava-o lendo o Bar-
be, o Charm e o Bernard, abortos diante de mim ;
estadava, esludava muito : ralnha cabeca era urna
miaoeiania de philosophia e rhetorica, s desejava
formarme logo e possuir Nacila.
Nos domingos, levavamos todo o da em Inno.
cantes divertimentos. Nacila cantava, ea a acom-
panhava no violo : ella desaflnava ama nota, ea
mesmo a persegaisse, como o olho de Deas a
Caim.
involuntariamente curvou a fronte a senta am
tremor convulso agitar-lne os membros ; acrediloa
quasi n'um fascinagio, n'um milagre; pareceu-
lbe qae o velho padre lhe estava lendo claramente
no coraco os mysteriosos gerogliphieos que ella
mesma ainda nao percebia bem, e, paluda, tre-
mente, murmurou, como qae respondendo ao sen
proprio pensamento:
r. padre Christiano, ea nao son criminosa I
Pois qnem a acensa, filba T Se o fosse, dir
lhe a que a misericordia de Deas infinita e qae
aos qae peccam por fraqdeza transforma-lhes am
rao de luz divina em parolas a lama dos treaae-
daes. Felizmente, a Sra. D. Magdalena nao leve
ainda desalemos, nao tem cruz a qae vergne, nao
tem quedas a temer ; conserve sempre a mesma
fortaleza, toja das ver ligos; e sabe cocao os aes-
sos pescadores fogem das ejne as vesos os sltetela
nos roebedos cortados a pituso T Desviam os olbos
do precipicio, onde os est Minorando a sereia fa-
tal, e cravam-nos no co. Siga exemplo, que
oio para despresar.; siga o couelboc umbem
de am pobre navegante, qae, ee bem taastlll
doa ao* baldSss das vagas, sane qaaes o <-
Se havia luar, levavamos horas e horas escoci-
das a olbar para o co ; a ver a nuvemzinha cor-
rer, a estrella brilbar, a Ina oceultar-se e depois
reapparecer mais bella e-mais magestosa. Nacila
tinba a sna estrella predilecta, 'eu tinba a minha.
Nossa vida, nao era a vida de seres humanos, era a
vida de aojos. As descripcoes pomposas qae Ber-
nardim de Saint Pierre fes do seu Paule e Virgi-
nia ; os episodios paseados debaixo das palrneiras .
os jgos feitos a sombra das bananeiras; as con-
flssb~es feitas baixinho junto ao murmurio das fon-
tes, nada eram, diante dos nossos amores.
Nsso amor tinha mais fogo; nossa vida mais
poesa, nossa casa mais belleza, nossos jogoa mais
pureza, nosso jardim mais encantos, nossasHore3
mais perfumes, nossas larangeiras mais verdura
nossas mangueiras mais tnagestade, nossa brisa
ais frescura, e nossa innocencia mais can-
E o que mo resta agora de tanta poesa ; tanto
amor, tanta vida, tanta innocencia, tanta virtude e
anta pureza ?
O qae viste; aquellas flores seccas.
J. C. Cesar.
(Continuar-u-ha.)
i te '9si i a
UI POUCO DE TODO.
Este recitativo, offerecido. ao Dr. Frankl'ra Ta-
vora, do Sr. Firmino Candido de Figueiredo :
Se am dia lonco de um amor palhelico,
Onse contar-te de meu peito as maguas,.
Perda, if virgem, qnem ontr'ora sceptico
Morria a' sede desprezando as agtias. *
Li nos teus olbos o sublime oraenfo
Do meu futuro que a apontar surgiste me ~,
Da gloria ao throno uo geqtil pinculo,
Olbaste melga e de prazer sorriste-me.
Purpurea rosa de perfume anglico
Formara teus labios, guamecendo perolas;
a-me os encantos desse riso mlico,
Virgem formosa de roupagenr cernas.
Quero abrasar-m nesse logo vivido,
Que teem teus olhos de expresso sympatbiea,
Da-me alegra p'ra meu rosto lvido,
Da-me existencia p'ra minbaima exttica.
Se um dia lonco de um amor pathetico,
Ousei contar-te de mea peito as maguas,
Perda, virgem, quem oulr'ora sceptico
Morria a' seda, desprezando as aguas.
-
Estes extractos sao de V. Hugo.
O foro intim, como a natureza externa, tem a
sua tenso elstica.
Urna idea um meteoro; no momento do trinm-
pbo, entreabrem-se as meditages acumuladas que
o prepararan), e jorra urna falsea. Ter em $1 ama
garra do mal, e sentir nella ama presa, ventura
esta que tem a sua irradiacao.
Mo pensamento que Iriurapba Ilumina o rosto
d'aquelle que o coocebeu. -
Certas combinagoes triampbantes, certos dese-
jos realisados, ce/tas felicidades ferozes, fazem
apparecer e desapparecer nos olbos dos bomens,
iogubres e luminosas dilataces.
E' a tempestado jubilosa, a aurora ameaca-
dora.
Tudo isso sabe da conscieneja, que se faz som-
bra e ennevoada.
er mentido, ter soflrido.
O bypocrita am paciente na dupla accepcao
de palavra ; clcala am iriumpho e soflre am
supplicio.
A premeditado indefinida de ama aeco ruim
acompanhada por dses de ausiesidade, a infamia
interior temperada de excellente reputagao, enga-
ar continuadamente, nao ser jamis quem fa-
zer illusao, ama fadiga.
Compr a candura com todos os elementos ne-
gros que trabalham no cerebro, querer devorar os
que le venerara, acariciar, reter-se, reprimlr-se,
estar sempre alerta, espiar constantemente, com-
pr o rosto do crine latente, faser da disformida-
de ama bellesa, fabricar urna perfeigao com a
perversidade, fazer cocegas com o pnnbal, por
assacar no veneno, velar na franqoesa do gesto e
na msica da voz, nao ler o proprio olbar, nada
mais difflcil, nada mais doloroso.
comeca obscuramente
O odiosa da bypocrisia
no bypocrita.
Causa nauseas beber perpetuamente a impos-
tura. .
A melgoice com qae a astneia disfarca a malva-
deza repugna ao "malvado, continuamente obriga-
do a trazertsssa mistura na bocea, e ba momentos
eos terrlveis do plago. A minha mocidade tam-
bem leve sereias; nao as vi nem as ouvi, porque
os uuvidos tinha-os enlevados as mosteas divi-
naos, os olhos tioha-os cravados no Empyreo.
Nao ba balsamo mais suave do que esse qae estil-
lara as nossas lridas as flores do paraso.
E, deixaudo Magdalena corvada ao peso da
branda advertencia e ao mesmo ieeapo consolada
pela uncao evanglica das suas palavras, velln
para junto dos doos nufragos.
Estes recuperavam a vida, grabas aos desvelos
com qae todos os roeiavam; Leonor nao quiz
abaedou-K em guamo nio flcou certa de qae es-
lavara fra daperigo, e, depois de ler mandado
avisar Bartaotosnea, velou ama boa pwco da
aoote cabeoeira de leito dos pobres pescadores
acompanhada- por. da irmaa, Jorge e o padre
CbrUUano.
Alta noute vol tarara para casa, deixando dlnhei-
ro Matante paga qae nio faltasse o necessarlo aos
enfermos e levando em paga as beneios dos indi-
gentes, purissimas rosas em que se transforma o
ooro da cardade, quando mos de santas o esmo-
m
MagdaieM nao pode dormir; apenas pela ma-
loqossto e eboio de pesadello?1
lhe veio cerrar as palpebras instantes apenas; vio
sua mal em sonhos, como a vira na primeira nou-
te, que paseara nessa casa, mas ainda mais seve-
ra e fuiminanda-a com a peso da sua matdlco.
Acordod m sobresalto e sentou-se na cama ; dor-
ma anda com Leonor, porque esta, extrema as
suas afleicoes, nio quizara por forma alguma
apartar-se dalia. Relanceoa os olhos em torno de
si e viu as trvas sulcadas vagamente por uns pal-
udos ralos da luz aa manba, qae se coavam pe-
las Asgas das gelosias. Esse tibio fulgor, aclaran-
do muito ao de leve as sombras e dando formas
indistintas aos movis, lornava ainda mais lgu-
bre a escandio. Ouvla-se aqnelle zumbido inde-
finivel, que (permit(am-me o-absurdo) como qae
avozsinistra do silencio. Magdalena estremecen
e ia para saltar logo para fra da cama, quando
se sentia prea. A muito casto reprimi am grito
de terror, mas nm saor trio aijofrou-lhe a fronte
^paluda, e conservou-se immovel at qae a razo,
recejperando o imperto n'aquelle espirit abalado,
venceu os terrores da phantasia.
Foi entio que viu qaal fra o obstculo qae se
oppozera i ana sabida do leito. Leonor drala
serena a sua respirado de crena&t agita va
brandamente aquelles flosinbos djy rpupt, qae ao
de enjo em qae o bypocrita vomi quasi
pensamento.
Engalir essa saliva consa hoerlvei.
Ajunta a isto o profundo orgulho. Existem[ ^magistrado,-toe onvio de
horas estranbas em que o bypocrita se esfl de mbrlaez babitnal.
Ha nm eu desmedido no impostor. f*er em ^ 7
Q verme resvala como o dragio e como'elle re- s!: habitual,
lesa-se e levanta-se.
O traidor 'nao mais que am despota lolhldo,
que nao ple fazer a sua vontade seno resignan-
do-se ao segando papel.
E' a mequinhez capaz da enormidade. #
O novo U9e Mr. Renn, a Huloria do$ Apos-
tlo! J esti |Fnas livrarias de Pars.
Este voiume conlm a historia dos Apostlos
desde a morte de Jesns Christo at as grandes
misses, de 9. Paulo.
A resurreigo doTklestre, a formagao da igreja
6 Jerosalera, o* prmelrs progressos do christia-
0 bypocrita nm tito-ano.
- lssimular una violencia imposta.
Odeia-se dame de quem se mente.
Ha cavernas no hypocrita ou antes, o bypocrita nismo entre o Judeus primeiro, depois entre os
urna caverna. pagaos, o nascimenufda idea das mlasSee longin-
0 conftrangiroenlo de um longo respeito boma- quas, destinadas a levar a toda a parte a f nova
no acaba por inspirar um gosta violento a impru- imii-.!..
dencia: chega-se a ama certa lasciva na perversi-
dade.
Existe nessas tremendas profandezas moraes,
tao pouco sondadas, urna nao sai que osientago
atroz e agradavel que a obseenidade do crime.
Um maritimo americano. Jobo Denovan, anona-
A insipidez da falsa repata$aoda appetlte de ca nos jornaes de Nova-York que se est orena
ronnha rtn^A *> *!.____ *- *
vergonha.
Desdenha-se os homens a ponto tal que se dse'
ja o despreso delles.
Ser estimado, aborrece.
Admira-se a franqueza da degradago.
---------- ^----------------- -"- *"-- i"=i-*u; ae compnmen-
Olha-se cobigosamenle a torpeza que se moslra lo, 4 pes e 6 pollegadas de largura, e 2 pos e 10
~i-\ 1 .mu un -t,. ni niiMninl* f\C\\ l_Jtl. i.
to a seu gosio na ignominia.
s olhos obrigados a baixar-se, tem multas ve-
zes desies olhares obliqaos.
Nada se aproxima tanto da Messelna como Ma-
na Alacope.
Vede Capiere e a religiosa de Louviers
..- ^.K>u.u u -o I.UU..CH.. t -.------,- ~- .u, (jciuiu touas as esperanzas
. Eruago de um bypocriu, nao ba rompimento de tornar ver o brigue micrescopico, o Vttao re-
ln Artllnf I fin i 1 n nnsA ITrOCCAII nivn 7tT.^a>a V ^ _l..
de crtera igual a esse.
Obrigar a mullido a examinar-te, fazer acto
de potencia,
Um gal, sobre um estrado, com urna colelra de
ferro ao pescoco, o despola de todos os olhares
que elle obriga' a voltarem-se para si.
Aqaele cadafalso ao m^smo lempo pedestal.
Que mais bello trinmpho do que esse de Bear
no centro de convergencia para a attengo geral.
Obrigar o olbar publico orna das formas da
supremaca.
Os qae lera o mal por ideal acbam no opprobno
urna aureola.
Domina-se dahi.
Oiha-se de cima de alguma cousa.
Mostra-se com soberana.
Um poste, a' vista de todo o universo, lem al-
guma analoga com um Ibrono.
Estar exposto, ser comtemplado.
A immensidade do despreso parece grandeza ao
despresado.
Ser desmacarado ama derrota, mas desnuca-
rar-se urna victoria,
E' a ebriedade, a imprudencia insr lente e sa-
tisfeita, urna nudez transportada que insnlta
ludo diante de si.
Suprema felieidade.
Estas ideas em um hypoerila parecen contra-
diegao, e nao sao.
Toda infamia consecuente.
O mel *fel.
Escobar confina do marques de Sade. Prova :
Leolade.
O hypoerila, endo o perverso completo, tem em
si os dous polos da perverstdode.
De um lado padre, do outro cortezo.
O sen sexo de demonio duplo.
O bypocrita e o horrivel hermapfarodita do mal.
Fecunaa-se i si proprio; gera-se, transforma-se.
Qaeres v-H> formoso ? olba-o.
Queres v-lo horrivel ? vira-o
*
A Patti, esta celebre cantora completou 25 au-
nos em 9 de abril oVeste anno.
Mr. Gye, direcror do theatro italiano de Londres,
reraeltea a Mr. Strackoh urna letra de 40D libras-
esterlinas, jara qae n'este da offerecesse cele-
bre cantora urna flor em seu nome-
Leipsik, qae no tn mais de 8:000 homens,
tem 39 imprensas, em qae fuaccionarrt 146 ma-
chinas, 65 prensas.
As ditas imprensas oecnpam 677 compositores,
79 macbinistas, 9 prensistas; total 848- operarios,
aos quaes devem agregar-se 248 prendizes, entre
elles 208 compositores e 40 prensistas.
Leipsik lem dous jornaes especiaos de lypogra-
pbia. Q)n:espon prenta.
Ha penco das formou-se em Londres urna com'
panbia de bastante importancia, com a denomina-
gao de i Mineral Rights Association, limitada,
sendo o seu capital 150:000 libras, dividido em
30:000 aegoes d 5 libras cada ama.
O campo que a companhia se prope a explorar
a Amerlea.
O sen n mandar procede* por agentes, cara-
-pateles invesligago das minas que prometiera
boro reodimento, e effetuada a compra dessas mi-
nas, revende-las ou explora-las por- eouta pro-
pria.
O qne den lagar formagao desti companhia
foi o vantajoso resoltada que tirou ama pequea
sociedade constituida em uovembro de 1864, com
o titulo de Foreiga Lands and mineral Rights
Purchase Gompany.-(limitada) para explorar o
dislricto de Chonials, no Nicaragua.
Esta pequea companhia adquiri por menos de
15:000 libras propredades que depois cedeu i
Cbonials Gold and Sil ver Mining Compaoy>
por libras 95:000 com nm jaro igual ao par.
Foi este lisongeir resaltado qne den origem
creagao da nova compaapia de qae damos noticia.
taes sao os assumptos iraudosnesla obra, qae tem
difireme importancia da Vida de Jesns, mas nao
attrahlr menos as attenres
rando para partir para a Europa, com a embar-
cagao mais pequea que jamis lenlia navegado
no Atlntico.
E" o brigue Visao, trazendo doos mastros e nSo
tendo mais de 16 ps (americanos) de comprimen-
poilegadas de profandidade.
O Vttao ja' tentou fazer a travessla de Nova-
York a Liverpool, sendo tripolada por nm capito
- um grumete, acompanhados por nm cao.
Porem, depois de algans das de navegacao, e
qaanao Ja' se tinbam perdido todas as esperangas
gressou para Nova-York com graves avarias.
O capito Danovan augura melhor da nova via-
gen qne vai emprehender, e cojo resultado pode-
ra fornecer mais am eleuento na discussio ba
tanto tempo debatida a proposit da soperioridade
dos grandes navios sobre os pequeos.
do marfim augmenta considera-
0 consumo
velmente.
No principio deste scalo a Inglaterra gastava
DZa!^te ,92:00 libns bJe eo
1,000:080 que reprezenla moitos mil elepbantes.
Calcula-se qae 4:000 bomens morrem cada anno
na arriscada erapreza do reunir este artigo.
0*consomo annual do tabaco em Inglaterra de
22 cabega.
A' proporgio ainda maior nos Eslados-Unj-
dos pois corresponde a cada habitante 3 libras por
anno.
O consumo geral de toda a raga humana de
90 ongas por pessoa.l
Em urna das ultimas audiencias o papa parando,
conforme o seu costme, diante.dos ajnntamentos
de pessoas qne se ajoelMvam. vio duas mogas lan-
gar-se-lhe aos ps com molla lagrimas, qnerendo
elle levntalas ellas insistirn com ama lal ex-
press de desespero qne PiolX Ibes disse:
Minhas fflhas, queris confiarme o motivo da
vossa dr T
Sanio Padre, nos somos protestantes e que-
remos ser catholicas.
Mas o que que vos embaraga ?
Nossa mi.
A mal era ama senhora com semblante respai-
la vel e. austero que estava a alguma distancia.
papa dir/ge-se a ella e Iba diz : -
Seabera, em nome de Josas Ortelo, de qnem
sou vigark)f eu vo pego esta doa* Albas, que an-
tes de vos pertencerero, pertenclam a' Elle.
Ellas vifao a luz, e ponde-vo entre a luz e ellas
nao temis de ficar tambe privada da loa ?
O resoltado d'este encontr foi que dentro em
pouco a mi e as duas flIMs- estavam tazando so-
lemne abjurago do protestantismo.
Depois de porfiada polmica entre os crticos
acerca da pocha precisa, em que se eoasammoa
o grande sacrificio da expiago universal, foi ad-
mittida como incontroversa a opiniao de Albano
Butler, que em sua la estimada obra tVida dos
Padres e dos Martyres estabelece eom foada-
ments irrecasaveis a data d'esse grande aconteci-
mento.
Diz elle qae nascido no anoo 74 de Roma, sob
o duodcimo consulado de Augusto Cesar e de Lu-
cio Cornelio Sulla, Christo contava trinta anaos
quando foi baptisado, e tendo celebrado qnatro
paschoas, foi crucificado a 2i de margo com trinta.
e tres annos de idadet e aos 2 da era vulgar du-
rante o consulado dos dois Geminus.
Os estados secundarios da'Allemanha reunidos,
podem appreseotar em eampanna am exercila de
260,000 homew, dos quaes a Baviera forneee
100,247, a Saxeuia as\396, Wurtembarg K88L
Hannover 26,90& e Badn 16,762.
Dado o caso em que os estados da Allemanba do
Norte fossem impedidos, pela visinhanca. da Prus-
sia, de auxiliarem, os seus alhados estaa podero
ainda assim,. dispor de 190,000 bomens. algartemo
qae se elevara* a 290,000 se forem chamadas as
reservas da Baviera
mais leve sopro se corvara. Nos seas labios en-
tre-abertos flnetuava ara melgo sorriso ; na fronte
lmpida, esclarecida pela frouxa luz do quarto,
pareca que se via passar a sombra projectada pe-
las asas dos sonhos. Como qne, mesmo oVmindo,
presentir a iutencao de Magdalena, % esteodendo
o braco, passara-lb'o i. roda da niara, quando
sua irmaa se sentara Fra este brago, coja doce
pressio Magdalena, preocc upada, nao per cebera,
o liame qne a retivera.
Magdalena esteve um instante coalenjulando o
socegado dormir de sna irmaa. Escareceu-lhe a
fronte ama nuvem mais carregada de tristeza, e
urna lagrima, resvaiando-lbe dos olhos pensativos,
deslisou-lbe vagarosamente pelas faces descola-
das.
Dorme, santa, murmurou ella, pousando nm
beijo na fronte de sua Irma, dorme na paz da tua
consciencia immacalada, e pede aos aojos, que te
povoam os sonhos, qae aealmem as agitages em
qne so estere a peccadora 1-
E, levaalando-so, oi abrir a janella O dia rom-
pera triste e sombro. O co pareca nm manto
de chombo, as bramas envolvism o borisonte o o
lr relava pesadamente as ?ga ondas fatigadas.
Annunea se para o prximo aaso orna grasan
reunio de mdicos bpmeopathas ea Pars.
Esta reunio coincidir' com a exposigo ant-
versa!.
Nesta Qguram muilas obras de medicina horneo-
patbiea.
O numero dos fabricares rrancezes de teetdos
de alfodo que sao admiiildos a' exposico univer-
sal de Paris eleva-se a 234.
MagdaieM ficou se nm instante a contemplar a
Ocano, depois acabou de se vestir e deseen a sala,
Pegeu n'nro livro e enfastion-se, pegos n'nm tra-
beluo de costura e largou-o logo, porque Iba dei-
xava lvre o pensamento, qae ella quera subjngar
a ledo o ousto. Leranuva-se para se drif ir
janella, quando sentio abrir a porta
Voltou-se, e vio Jorge, m
a paiiidez do sea rosto, as fondas oibeiras, cojos
circuios cor de violeta lhe engiam as palpebras,
mostravam qne passara ama noute nao menos agi-
tada do qae a de Magdalena. Os amores, queenr-
vam a conscencia. teem ama aurora de lagrimas
como tambem Ma M mais formoso do que o*l-
voreceije nm amor, que te exhala oa alma, to
puro e lio sem mancM oomojo perfome qae so ex-
hala das ptelas da reta.- _
Os dous entre^Ibaram-se tongamente ; pareca
qnedesejavam saborear-si m contemplacao dos
estygmas, que am mesmo desgosto ibes osiampirs
as face*. Nao tavia duvida; o nsosmo pbantts-
ma encaetador e lerjrtvel Ibes peaova as vigilias
tinuar-u-ka.)
i
!


-
V

Ir **7*--

.1 .


t
HE
rmFrmpsfm



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E4YPNJTCF_TGT8TK INGEST_TIME 2013-09-05T01:22:15Z PACKAGE AA00011611_10974
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES