Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10966


This item is only available as the following downloads:


Full Text
"




-
-
I j
-
' i
Til
Ji-!^^

^^^^^^^M
-%
KMEfiO 110
ii
Por (jeartel pago dentro dos i O dias do 1 mez .
Idea desos dos 1,' lo dias-do comeco e deitro do qnartel
Porte to correio por tres mezes...........
6$oeo
75o
.* ;. alMfl
SEGUNDA FEIRA 14 D MAJO K 1866
1
Por uno pago dentro de lo dias do 1. mez.
Porte ao eorreio por un anuo......
10000
EXCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alaundrino de Lima;
Natal, c Sr. Antonia Margues da Silva ; Aracaty, o
8r. A. de Leraos Braga; Cear, o Sr. J. Josde
Oliveira ; Marauhao, o Sr. Joaquira Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos; Amaionas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPgAO DO SL.
Alagoas, o Sr. Claodino Palco Dias; Baha, o
Sr. Jos Martina Alves; Rio de Janeiro, a Sr. Jos
Ribero Gasparinbo.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagoesMla via frrea at
Agoa Preta, todos es dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, fiezerros, Bonito, Cmaro,
Altinho, Garanhans, Buique, S. Bento, Bom
Conselbo. Aguas Bellas e Tacaral, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazareih, Limoeiro, Brejo, Pesqneira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, galgueo eEx, as qnarlas
feiras.
|Serinhem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reros, Agua Preta Plmentolras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relagao: tercas e sbados is 10 horas.
Fazenda: quintas as 10 horas.
Jnizo (76 commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphaos: torcas e sextas s 10 horas.
Primeira' rara do eivel: tercas a sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: qnartas sabbades a 1
hora da tarde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE MAIO.
7 Quarto miBg. as 7 h., 22 m. a 34 s. da t.
14 La aova aos 38 m. e 58 s. da t.
21 Qoarto cresc. as 7 b., 38 m. e 46 s. da m.
29 La eteia as 10 h., 52 m. e 25 s. da m.
DIAS DA SEMANA.
14. Segunda. S. Athaoaso b.; S. Bonifacio m.
J,erq3' S-Isidro la"ador vS. Torquato m.
jo. Quarta. S. Joo Nepomnceno conego ra
17. Quinta. SPaschoalBaylon f.; S. Aquilino ro.
!<> Sexta. S. Flix de Cantalice f.; S. Prisco rei
19. Sabbado. S. Pedro Celest.no f.; S rvo f
20. Domingo. Pascboa do Espirito Santo.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 4 horas e 30 m. da tarde.
Segunda as 4 horas e 54 minutos da manoaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTBIROi.
Para o sal at Alagoas a 14 e 30; para o ncrtt
al a Granja a 7 e 22 de caira mez; para Peraas-
do nos dias 14 ios mezes de Janeiro, margo, mal*
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 8, dos propietarios Manoel Figueiroa de Fan
& Filho.
PARTE OFFICIAL
GOVERXO BA PROVI.VCIA.
Continua ras de expediente do dia 3 de raao de
1866.
Ofllcio ao Exm. general eommandante das ar-
mas. Podendo acontecer que S. A. a Sra. D. Leo
poldina o sen augusto esposo o Sr. Duque de Saxe
em sua viagem para a Europa no vapor inglez que
se espera, do sol, queiram desembarcar nesta capi-
tal, convido V. JSxc. e os Srs. offlciaes do exercito
em guarnirn nesta provincia para assistirem a es-
se acto no caes em frente do campo das Princezas,
no dia em que ebezar o referido vapor.
Igual convite se fez a todas as antoridades e
eneres das repartigoes desta cidade. *
Dito ao coronel eommandante superior da guar-
da nacional do Recife. Podendo acontecer que S.
A. a Sra. D. Leopoldina, e sea augusto esposo, o Sr.
Te-f.Sase' em sna viaem Para a Europa no k.
vapor inglez que se espera do sul, queiram desem- desse termo, coia convocaco dever Vine, fazer
arpar nesta capital, recommeado a V. S. que nao I de eonformidad com a \e\'.
s faca marchar para o campo das Princeza os
corpos da guarda nacional desta capital, aflm de
fazer as honras do estylo a Ss. Aa. no dia em que
chegar o referido vapor, mas tambera que convide
os Srs. oQlciaes para assistirem a esse acto.
7
Ofllcio ao Exm. presidente da provincia do Para.
Logo que recebi o ofllcio de V. Exc. de 24 de
abril ultimo, remelti ao joiz municipal da 1* vara
desla cidale, para ter a devida execucao, copia do
decreto de 28 de fevereiro deste anuo, pelo qual
Dito ao engenheiro chefe da reparligo das obra | Padre Jos Procopio Pereira. Informe o Sr. di-
publicas.Com o officio da cmara municipal do. rector da Instrucgo publica.
Limoeiro, remedo Inclusos o orgamento e clausu- Coronel Joaqnim Cavbanle de Albuquerque.--
las da obra oecessaria a eadeia daquella villa para j Aprsente o suppjicante o projecto da estrada como
V. S. reconsidera-los, visto nao terem apparecido li-, se propoe a execotar, feito por pessoa de sua con-
citantes a essa obra as diversas vezes que foi pos- i lianca para ser dividamente.examinado,
ta em arreraaiacao pela thesouraria provincial. CapitSo Joo Baptista de Albayde Siqueira. Io-
Dito ao eommandante do corpo provisorio e no- forme o Sr. inspector da thesouraria da faxenda.
licia.Visto ser de mos costuraes como Vmc. He-1 Capilo Joo Carneiro Leito de Mello. Iofor-
clarou, em ofllcio n. 8 do 4 do correle, o soldado, me o Sr. eommandante superior da guarda naclo-
do corpo sob seu commando Candido Alvarenga nal do municipio de Goianna.
da Rosa, mande Vmc. apresenta-lo ao marecbal Javiniano Fernandos da Silva Manta. Informe
eommandante das armas, aflm de servir no exer- o Sr. director da instrucgo publiea.
Bacharel Luiz Rodrigues Villares. Passep.r-
(aria concedendo dous meses de licenca na forma
requerid?.
Manoel Jordo de VascUhcellos. Fica concedi-
da a dispensa em qnanto o snpplicante mostrar a-
proveitaraento em seas estudos.
Manoel Thomax de Albuquerque Maranbo. -
Remettido ao Sr. engenheiro chefe da repartigo
das obras publicas para informar novamente.
Manoel unes Correa. Informe o Sr. inspec-
tor da thesouraria da fazenda.
Pedro de Alcntara Gabriel. Informe o Sr. di-
rector do arsenal de guerra, depois de assignado o
presente requerimento.
Senhorioho Mar tras Cardoso Leal.- Dse por
certidao o ofllcio do marecbal eommandante das
r mas datado de 5 do correte.
cito.
Dito ao mesmo.Recebi o seu ofllcio n. 1 do Io
do correte, e em resposta tenbo a dizer-lhe que
Oca approvada a destribuigao que Vmc. fez na-
qaella data da forjado corpo, sob seu commando
por companhias.
Dito ao juiz municipal snpplente em exereicio
do termo de Olinda.Ioteirado do que Vmc. me
communicon em seo officio de 30 de abril ultimo,
tenho a dizer-lhe que designo o dia 31 do correle,
para a reanio do conselho municipal de recurso
Portara.O vice-presidente da provincia, tendo
em vista o que requeren o collector do municipio
da Iguarass Jos Teixeira da Motta Cavalcanti, e
bem assim o que a esse respeito informou o ins-
pector da thesouraria de fazenda, resolve conceder
ao mencionado collector 15 dias de licenca sem
descont de seas vencimentos para ir a comarea
de Pod'Alho.
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambuca-
na, mande dar urna passagem de estado a proa ao
primeiro vapor que seguir para o presidio de Fer-
A rainha mj D. Christina e o duque de Ron-
zares sao esperados em Madrid mni prximamente
dizeodo uns que ser em sentido liberal, afflrman-
i que ser chamado para formar a aova ad'ministra-
- Sohenlohe-Ocbrn
Vieona diz que
cipe imperial fraucez com ama prioceza austraca
O pnocipe conta apenas dez annos.
O imperador da Rossia esteve para ser vic-
tima de um atten lado eootra sua pessoa. O autor
deve oroceder a,ltentad0 er* um Proprietarlo russo, de medio-
respito da proposiaTus- tlV?' qU? diz- B'8ar-se arro,Dad com de-
siana sobre a reforma federal; oa Austria decon. da emanc|Pa5a dos servos. O tiro fol dispa-
fia-se mallo do liberalismo de Mr de Bismark "do quasi a ires passos de distanciado impera-
Todos esto de accordo sobre a necessidad'e de u^e?0r.cert0 ,teria morto ?e O" agente de po-
uma reforma e reorganisago federal! de accordo n?!M?ai,.Alve8ie desv>do brago daqollle homem.
com o espirito da actualidade; mas receia-se que a
ntvnr,ct*j n*nBai...___^___:... "
0 dia do seu anniversario.
h ?a K!ASoi 'SS!era Madrid pe"'o" yEEaaUSSmS
1 rainha D- Iabel a primeira pedra para o gran- A Gazeta de Vienna diz ana ?"
dioso edlfllo que se ba.de levamar em Recoletas,' com a maior cauella
em honra das selencia e das artes para nelle se
estabelecerem bibliothecas e museos nacionaes.
Foi nomeado governador do banco de Hespanba
o senador D. Vlciorlo Fernandos Lazcoitl, e presi-
dente do tribunal de contas.
Morreo em Madrid oconselheiro de estadoD. Ma- proposta
noel de Serra y Mala, tendo sido accommettido de vado.
oTandoPnoP,"nselhorOSa "" ^^ '" qUe "^ tiS&ZJST" ** '
Forraoa se ama colligago entre os progres-
slstas e os demcratas, o seu programma formula-
se do segulnte modo: Unio entre todos os op-
primidos, para reduzir a ruina os oppressores.
prassiana encerr algam projecto reser-
A imprensada opposlgo contina a fallar da crisj
ministerial, as folbas defensoras da situacao des-
menlem porm os boatos.
O governo bespanbol comprou urna nova fra-
gata de guerra chamada Amsterdam, blindada e
da forca dejTOO cavallos; joga 40 pegas, das quae3
36 sao de ealibre 64 e as ouiras quatro de calibre
150, custod 1,125 conlos de res fortes.
apoiar qaalquer reforma que
progres- corresponda as exigencias da vida poltica da Alie-
manha e as necessidades de liberdade que sent a
nagao, mas como as indicares formuladas pelo
gabinete prussiano nao sao bastante positivas, os
esiados secundarios e a Ao*lra ternera as conse
queocias de om projecto reservado.
uiz-se que o imperador nao nao perder a sua se-
renidade, e mandara logo prender o criminoso,
perguntando-lhe uessa occasio :- Que vos fiz
diasP?r? deSt m0d aUentardbS C0Dlra os "eus
O imperador Alexandre tem sido mallo estima-
do pelo pavo; concedeu cartas imperiaes de no-
breza ao paisano Ossip Yvanoros, qoe Ihe salvou a
vida.
Apenas se soube da noticia do attentado o conde
de Bery, governador miliur da Polonia, parti logo
n;JrtS?- bonv,e Prlhbera commnl" em nando havendo vaga a Francisca de Paulada Re
^*J^.*!m.,**,l*,_ >* yl& [tmr&a e a seu sobrinho Bellarmino Jos da
cuinpnndo no presidio de Fernando o sentenciado' Fonceca
dessa provincia Florentino Antonio dos Saotos.
Dito ao Exm. general eommandante das armas.
Para imprmenlo do- disposto no aviso da ro
COHIUNDO DAS ARIAS.
Quartel general de eomuando das arma de Per-
nambuco na cidade de Recife, 12 de naie de
1866.
Ordem do da n. 227.
Constando ao marocha! de campo eommandante
Dita.-Os Srs. agentes da companhia Brasileira > AAS arF!?L.fflci da vice:presidencia datado
de paquetes, mandem dar transporte para a corte i ? ***rrent e' 1ue s" ltexa Senho
por conia do ministerio da marinha no vapor Pa P0 J ,,a euc >uga-sl ^poso Senbor '
| rana, como reqaisitou o Inspector do arsenal de! 25 ;d??.'e _de s,,x<> vaJr Europa no pa-
manoha, em ofllcio de 5 do corrente, ao 2." sargen-
particao da. guerra de 26 de abril ultimo, sirv-se
V. Exc. di ministrar esclarec melos completos a
32S" J?mil? i 5 tnn reformado EPr: o do co-po de imperiaes raarlnheiros Bibiano Jos
5. n ?**&-**. Meneies ? ria qa\ fand0| de Araujo, que servio de mestre na companhia de
coostoa de ofllcio do commaodaale em chele do 1 aprendizes marinheiros.
- 8 -
Officio ao Exm. desembargador provedor da Santa
Casa de Misericordia.Pelo sen officio de 4 do cor-
rente, sob n. 844 Oquei inteirado da resolucao que
tomou a junta administraliva dessa Sania Casa de
independente da aeco civil qae ja foi intentada
contra o ex-procarador Sympnronio Olympio de
corpo do exercito em operacoes contra o Paraguay
de 7 de margo prximo passado, falleceu estando
em commsso de tenente J 51 corpo de volun-
tarios da patria. *"""^
Dito ao mesmo.-1- A vista do que V. Exc. infor-
mou em sea officio n. 68o de 27 de abril uiumo,
conveoho em que seja transferido piraacompa-
- ^.1 ^t,Pr3!^? .LUlareS* c?m(>rfPe(lio.ocabode|Queirogaa para indemnlsagao da quantia em que
SE? 3."UnC? com')aDh,a de ar'lces11 Joo elle flcou alcangado, vai a mesma jonla contra elle
^'f,'? fha encorPrad0 a? dD0Sl,: i reqaerer o competente procedlmento criminal pelo
2?A. ieV- E"' para eiPed,cao das conve- extravio dos dinheiros a sea cargo, visto acbar-se
n.,!>b ^ .u a elle '"curso no artigo 265 do cdigo penal.
j-^2 h^JTTr da.lDf ourar,'a de t*uod.> Orto ao inspector da thesourarii de fazeoda.-
! JL h,?. ,nc?nvfDie,D,e> e estando em termos, RemeUo por ^opia a v. par, os flns convenleo-
n n,lrMd"P"r 13' mande v.s. pagar a ,es 0 officio qae etn 12 de outubro do anno passa-
gg*g*>g *"ftf ""if^1.Py"^!*>,dirigi presidencia o tenente-coronel Luiz
rente, sob n. 716, a quantia de 403000 rsdespen- de voluntarios a que elle aade no final do citado
dida com o enterro do capitao reformado do exer- 0qicjo
cito Nicacio Alvares de Souza, que segundo consta; Dlt ao meSmo.- Expega V. S. as snas ordens
do predito offleo nao de.xou expolio e viva un- para qDe em vista da in^lDvsa conla pm dup,icaU ,
n^lrf2LSr va a \na0 navendo incoaveuente.seja euiregue ao agen-
.?,-.mT.T f3?KCa V'S-, aS S?aS TT ite flel Paadr da repartigo das obras publicas,
para que em vista das folhas e prets juntos em da- C0nl0rme solicitou o respectivo chefe em officio de
plieMa, que me remellen o eommandante superior. nonlem sob n. 17o, a quantia de 61A840 reis, para
deste municipio com ifficio de 4 do corrente sob | pagan)enl0 flas despeas ftjlas coni os reparos dos
n. 119, e nao havendo inconveniente, sejam pagos le|hados de slguns estabelecimentos, militares como
os vencimeolos dos offlciaes e pragas da guarda se vg da pre(jla ^p^ '
nacional destacada as fortalezas do Brum e Bura- Djl0 ao mesrao. Recomend a V. S. que em
co sendo os daquellas relativos ao mez de abril visla da inc|asa Dola n3o navendo inconvHenienle
U n^' "c* des,as ar? aumiena do mesmo mez. man(,e pagar a Agostinno Mreira, a quantia de..
Commnmco a V. S. qoe se- 30$ooo rs, a que tem direito por haver coodosido
rante
quete inglez que deve tocar no porto desta cida'de
al o da 14 da corrente, determina qoe os Srs.
offlciaes do 1. corpo provisorio, do deposito e das
companhias de cavallaria e de operarios, ao signal
de querer sua alteza desembarcar (que ser um
galhardete encarnado igado no mastro da torre do
arsenal de marinha em sabstiluicao da bandeira
imperial, signal de sua chegada no paqaete) com-
paregam sem perda de lempo no Campo das Prin-
cezas aflm de assistirem a recepgao dos augustos
viajantes, e de felicila-los pela sua vinda a esta
provincia.
(Assignado.) ir ancuco Sergio de Otvetra.
Est conforme.Estevao Jos Ferraz, te o ente-
ajudaote de ordens interino encarregado do dea-
lhe.
um transporte chileno com 250 homens. As fra-
Em Vienna pretende'-se' coDhece"r mais positivas toSS&^fJSSS^fJS o!.que
e claramente as deas do gabinete orussiano mas Iif Pnnc'P10 '" correr qae o attentado havia
em Berllm persiste se em manter P me ma r'eser- ^ffiSiS/M ^
Assignou-se em Pekn a primeira cenvengao
-, a Franga e a Inglaterra.
Annunclase mais um triumpho obtido pelas
tropas do imperador do Mxico sobre os republi-
canos de Uopan. A lula duroa viole horas; os
I^aod'lSoSr^S
Chile, daT fr.nqdoUilSadedanDbaDOS aCha"Se
O general
restabeleci-
Davila, primeiro
medico do exercito declaren ium o brinnm no T""-"."" ""t*""1 uurou vinw oras; os
9?*!!*a e Btenca. bloqaearam a esqoadra o arcebispo rjb*riTna^LS, O^uSwSJS HS&!!**! 45 monos, dos quaes 47 eram
chiloperuviana no canal de Chils.
offlciaes, e grande numero de feridos, tendo per-
dido todo o seu material de guerra, u general im-
perialista Mendes pagou cara a victoria ; as snas
perdas foram consideraveis, e obrigaram-o a ret-
MARIO DE PEBNAMBCO.
Os chilenos e de habilos sacerdoiaes se enllocara' trem An
peruvianos metteram a pique vanos navios e es- movimeoto revolucionario! nKdeSae
epQnna^Caade'aS D CaDal para qae S besPanbes, O Povo nao tomn parte na desordem. Suido
Vm ffnThmesPPaZTab.ica urna esutist.ca! TtS^tfJtf XPt "^B More" a>a **S "^
g^P^
Os homens qae desde 1820 aobiram ao. poder feito espalhar que no primeira tiro aneT se disof- C h5UVe awt vk)leoto incendio era Por, Pr'ic'Pe.
oram5434-57 presidentes do cooselho, 70 rainis- rasse, 60 mil msosM-renam m afilio da?e ^dr-U dous dias, destruindo 800 casas. As
tros dos eslrangeiros, 82 da guerra, 81 da fazendar volta, esperando para l"so o ieoalVue devia d perdas sao COfls'deraveis.
72 da marinha, 67 da jniga, 73 do reino, 35 das se na fronteira g Q n rhni, am m .
obras publicas, e 5 do ultramar. Para organisar j Os .rabinos da conferencia de Paris foram adia-' mii7ai?o em ***** "* em con,p,et dl"
a prender as atteogoes geraes. Diz-se que o par-
lamento allemao se deve reunir no 1 de juoho, ou
no Ia de setembro; es povos dos ducados conti-
nuam a fazer-se lemhrar pelos seus aclos aos
governos allemles. A 11 de abril reunio-se em
Neumunster, no ducado de Holslein nma assem-
Romana, com o nome de Carlos I.
O pai do prncipe Carlos de Hohenzolern tem 55
anuos e era soberano de um pequeo estado d
Allemanha, que abdicou em 18i9 a favor da Prus-
sia, recebeodo da corte de Berln o titulo de alteza
) nomeado general do exercito prussiano.
As noticias da Kuropa trazidas hontem pelo va
por francez alcangam s seguales datas : Hambn'r-,
go 21, Paris e Londres 24, Porto 26 e Lisboa 28 fepresentagSes destes paizes, o meio que se deve
indicar para se evitarem as calamidades de que
esto ameagados;
As pro-
a favor do principe Carlos
o titulo de soberano da, lula.
N'uma reanio do conselho particular da rainha
da Inglaterra, lodos os membros baviam sido de
opiniao que devia ser executada a sentenga de
morte, pronunciada contra o soldado feniano ; de-
pois de longa hesitago a rainha consentir em as-
signar o warrant fatal, qne foi immediatamente
expedido aos juizes do conselho de guerra da Ir-
AJWWIa do principe de landa; porm a rainha Victoria, reectindo me-
lfSJrn esl aparentada com a casa de Leo-, lhor, traosmittio pelotelegrapho, a ordem de con-
FrTe f S'm COm COm a PrQSS,a e com a siderar warrant como "Olio, e que fosse mm?.
I-i,^nh,. g ase que estas doas potencias nao sao rado o sargento Darragh n'uma prislo em lucar
estranhas a apresenlago d'aqnella candidatura, de ser conduzldo ao cadaaUo
bm lelegramma de Constanlinopla desmente
: a noticia da descoberta de orna tentativa de revo- Dizem de Nova-York que um corpo de fenianos
ugao naquetia eapiiai, do exilio de Moostaf tentara apoderar-se da ilba de Campo-Bello.no gol-
.fazyl-Pachae de um enorme dficit no orcamento Pho de Fandy.
corda dos ducados.
seguintes resolugoes :
1*. A maoeira, por que al agora se tem tratado
os negocios do Scbleswig-Holstein, ameagam a Al-
lemanha com os immensos desastres de urna guer-
ra civil;
2*. A solugao da quesiao dos ducados, tendo por
base o direito publico da Allemanha, u direito par-
ticular dos proprios ducados e o assentimento das
gundo parlicipou o marecbal eommandante das ar-
mas em officio 712, fallecen em dous do correle o
capcllao. reformado da reparligo ecclesiastica do
exercito padre Joaquim Mauricio Wanderley.
Dito ao mesmo. Transmuto incluso por copia
a V. S. para, sea conbecimenlo e execugo o aviso
expedido ero 14 de abril uliimo, pela reparligo
do arsenal de guerra para o de marinha 50 calxdes,
contendo ariigos de fardamento e equipamento
com deslino a corte segundo consta de ofllcio do
director do Io de aquelles arseoaes, datado de hon-
tem sob n. 625.
Dito ao mesmo. Devolvendo o reqaerimenlo
qae acompanboa o officio de V. S. datado de 30 de
da guerra em solugao a duvida proposta pelo cora- abri| ulmo sob n_ 233 reCommendo-lhe que em
mndame do presidio de Fernando acerca da ins- vista das ordens do ;erno expedldas a
peccao de que trata o artigo 39 do regulamentq de esta presidencia, mande pagaT ao capilo Alberto
11 de fevereiro do anno passado, tomada de contas de Brit0 Cavalcante Arco-Verde, a que se refere a-
e remessa de livros a essa thesouraria.- Commu- qnelle offlcio os soldog vencjdos e\ae se forem
mcou-se ao eommandante do presidio de Fernn- vencendo al segunda ordem do mesmo governo,
_.... a quem nesta dala me dirijo a este respito.
napector da thesouraria provincial.- D[0 ao meSmo.- Em vista da foiha e prel jun-
idan-
Dito
Accuso recebido o ofllcio de 27 de abril ultimo sob tos em dPIicaia,'que me remelteu o commaud
n. loo, era qae Y. S. me parlicipou que, por falta le saperior desie municipio, com o officio de 4
di! icilanles deitaram rift pr arretnaladas as nhran ____'., ..i. &* -f 1 ._i. .______
14 do
ae nciianies oeixarara oe ser arrematadas as obras e0rrente sob n. 122, e nao havendo inconveniente
do passadige do Campo Grande.e da estrada do maede V. S, pagar os vencimentos relativos ao mez
de abril ultimo do offlcial de i' linba, cornetas,
norte em trras do eogenbo Itapirema.
Em resposta ao citado officio tenho a dizer que,
de eonformidad com a informara o ministrada a
esse respito pelo chefe da reparligo das obras pu-
blicas, em 3 docorrote, n. 171, mande por nova-
mente em praga aquellas obras, sendo a ultima
dellas com o augmento de 12 por cenlo no valor
do respectivo ornamento que lie a assim elevado a
9:707398 res, visto ser ella urgente.
Dito ao mesmo.Em vista do prel junto em du-
plicata, qae me remenea o eommandante superior
da comarca do Brejo, eom offlcio de 25 de abril
ultimo, e nao havendo inconveniente, mande V.S.
pagar a pessoa que para isso se mostrar autorisada
os vencimentos a contar de 8 de margo at 8 do ci-
tado mez de abril, do destacamento de guardas na-
cionaes existente na villa de Cimbres.
Dito ao mesmo.Anloriso V. S. nos termos e
sua informago de 5 do corrente, sob. n. 182, a
mandar adiantar ao delegado do termo de Cimbres
por intermedio do tbesoareiro da reparligo da po-
lica a quantia de 20O9OOO res, para, occorrer o
mesmo delegado as despezas eom o snsleoto dos
presos pobres da respectiva eadeia, da qaal pres-
haver
de abril.
O ministro da guerra portagaez, Salvador de
Oliveira Piolo da Franga, fallecer de urna af
fecgo pulmonar. Era ainda mogo e nm bravo offl-
cial.
O gabioele p.-ocarava obter um ministro da guer-
ra, e para e3te lugar se indigitava o sr. D. Luiz da
Cmara Lame, natural da ilha da Madeira.
3o. Se a resistencia que a Prussia opposesse a'
urna solugao, arrastasse a' guerra civil, a respon-
sabilidade deverla recahir ioconlestavelroente so-
bre o governo prussiano;
4. Por mais grave qoe fosse o golpe que podes-
se produzir a guerra civil em toda a nago allema,
ottomano ; noticias que tinbam sido recebidas por
va de Marselha e que haviam prodozido bastante
sensago.
No prximo mez de junho devem verificar-se
na Blgica as eleigSes para preeocher 58 lugares
de representantes na cmara popular, que se re-
Falla-se de um conflicto grave entre o governo
hollandez e o governo inglez, a proposito dos dire-
tos que as duas potencias pretendem ter a nnica
determinada porgao do territorio na c&rte de Gui.
O governo hollandez emprega todos os meios
, para que este negocio termine arigavelmente, e
Tornava-se a fallar em crise ministerial, dizen- evidente que, deixando proseguir a actual politi
do-se que a presidencia do conselho de ministros
fura oflerecda ao duque de Lool. Havla mesmo
em Lisboa quem acreditas-e que o gabioele pedira
a sua demisso, recahiodo o governo na parcialida-
de histrica. As declarag5es porm do ministro da
fazenda' no parlamento, deixavam perceber qae o
governo se completara dentro da mesma situago
cora o apoio das cmaras.
Sobre esta recomposigo corriam diversas ver-
sos. O Sr. Crvora indigitado para a pasta das
obras publicas e o Sr. Ayres de Gonveia para a da
jusliga.
Fallecern) os Sr. Julio Gomes da Silva San-
ches, e visconde de Riba-mar, (almirante Costa Car-
valho). Eslava em perigo de vida o conselhelro de
estado Lopes de Vasconcellos.
O Sr. Fontes foi nomeado por el-rei Tonslheiro
de estado efleclivo na vaga que deixoa o Sr. Julio
Gomes.
O banco de Portugal baixra a 6 por cento o
descont.
O novo contrato Debrouse, para o estabelecimen- msf,p,0"co.
to de dockas 00 Tejo, tinha sido ji assignado.
Passoo na cmara dos depntados o contrato Bal-
lestrini para o estabelecimenlo de um cabo elctri-
co submarino, entre a Europa e a America, sendo
, presentagao nacional, e que tem mais probabilida- ~ A. segunda cmara do ngsraad dinamarquez
w, ?0iPrns5u! ? /esondeu a, no,la d0 des de serem eleitos, 38 sao do panido librale 20 contina
gabinete de Vienna, datada de 7 de abril. Mr. de do partido catholico Pstas do
, Ho d,. 1. 1,7------J---------------r, uoiai coj. uoparuao cnama'io camoteo, us can-
trL'-SS?1 eXPna a Cahlf "!*!- '!': m s honras da re-
nova parcialmente de dois em dois annos, sendo o para esse Um lenciona mandar a Londres doas
seu numero completo de 116 depuiados ; actual- commissarios que ja' exercerara as funegoes de g-
menle existem na cmara 64 deputados d partido vernadores das possessoas neerlandezas naquellas
liberal e 52 do pariido chamado catholico. Os can- paragens.
mais profunda decadencia.
Bismark na sua nota de 15 oo se presta a retirar
as medidas militares que ordenou, em quanto a
Austria nao restabelecer o statu-quo militar na
Hungra. Este documento esta' escrpto com ener-
ga, mas nada tem de offensivo. Diz se que a la-
glaierra e a Russa trabalham activamente para
conseguir um accordo entre as doas grandes po-
tencias da Allemanha.
Dizem de Vienna em um telegramraa que o go-
verno austriano ia responder ao despacho do con-
de de Bismark, eom urna proposta teniente a flxar
o termo em que as duas polencias deveriam desar-
mar simultneamente.
Dlz-se que ja' ebegaram a Londrss as respostas
dos gabinetes de Berlim e de Vienna a's primeiras
j comraoncagSes da Inglaterra sobre o conflicto. A
I resposla do conde de Bismark concebida em ter-
decisivos mas altivos; a do
tambores eclarins empregados nos corpos da guar-
da nacional desta capital.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Nao havendo inconveniente, mande V. S. pagar a
Luiz Pereira de Mello, aquantia de 305000 rs, pro-,,
veniente do aluguel de S mezes vencidos a 20 de taca a? Parlament0 de Portugal,
abril ultimo, da casa que no districtode Santo A-' No dia t abr,a-se a exposigao anoexa de Bellas
maro de Jaboato, serve de quartel ao respectivo'
a discutir o orgamento militar. As pro-
do ministro da guerra, relativas conserva-
Foi demitlido o conego Ubaghs, um.dos mais ca0 da for5a actual do exercito foram regeitadas.
inteligentes e mais aotigos professores da uoiver- E' Provavel, porm, que o landstbing modifique
sidade de Louvao ; diz o Jornal de Bruxellas que esla resolucao. Um jornal dioamarquez, censuran-
este professor pedir a sua demisso em conse- do a attitude tomada pelo faikstbing diz qne a Di-
quencia da sua avangada idade ; mas o Echo du namarca nao poderia tomar urna posigo, seoo de
Parttment diz qae Mr. Ubaghs ra demitlido por accordo cora o faci da sua existencia assentar de
que a companhia de Jess, que tem conseguido ,alaro na 'odiflerenga e tolerancia do estrangeiro,
dominar o episcopado, considera Mr. Ubaghs, como!Da0 deveria ser a proprla que a abandonasse.
adTer a.rj desclar?,doc d,/Tlla c1ompDha- faikstbing votou, porm, depois um crdito de
-* 'o""8," de Roma *em que o Moa. cem mi, rixdallers pedido pelo-m,uislro da guerra
franrp^. ^2 ih.*M ensagem /"S^ "" *2 Para a coroPra de espingardas de infanlaria
rrancezes, que lbe foi apresentada pelo duque de
Roben manifestou o seu reconhecimento pelos ser- Nos Estados Unidos da America ba grande
vicos qoe a tranga Ihe tem constantemente pres- exclago da parte dos radicaes contra o presiden-
lado desde 1848, e que fallara raui lisongeiramente j te Johnson, especialmente depois de ter sidoadop-
a respito do discurso qoe o imperador pronuncia-, tado pelo senado o bil sobre os direitos civis. A
ra por occasio da abertura das cmaras trance-' cmara em Washington presenciou os maiores ex-
| zas, assim como a respito da questo de Roma, cessos nos discursos proferidos por alguns senado-
a 5 de abril discutia-se a
? JSJM a PTSla de Proseuir na ideia D-se que Sua Santidade declarara que era estra- res radicaes ; e no di
da annexagao dos ducados, em qaanto o governo nha ao seo corago toda a ambigo terrestre, e mensagem do presidente em que se negava o bul
austraco nio pensa em se apropriar de um nico
palmo de terreno naquelle paiz. O governo aus
postas de parle as propostas do engeoheiro'hespa-: 'rlaco acresceota que as tropas austro-prussianas
nbol Marcoar, que dirigi urna notavel represen- !** evacoar simultneamente o Schleswig-
Hoisiein, para deixar aos habitantes daquelles
ducados a livre expresso do seu vot-, por meio do
destacamento como se v da conta junta em dupl-
cala, que me remellen o delegado encarregado do
expediente da reparligo da polica, com o officio
de hootem sob n. 600.
Dilo ao director do arsenal de guerra. Remet-
iendo a V. S. incluso por copia para seu eonbeci-
meuto os termos de exame, a que mandn proce-
der o raarechal eommandante das armas nos ob-
jecios que pertenco a enfermara militar, tenbo
a recommendar-lhe que desses objeclos mande con-
cenar com brevdade os que esto as circunstan-
cias de ser aproveilados, os quaes consto da reta-
cao tambem por copla junta sob n. 3, fazendo V.
S.a despeza de conduego.
Dito ao eommandante do corpo provisorio de po
em Lisboa.
A discusso do orgamento prosegu na eamara
dos deputados. Ficava-se disculindo o capitulo res
tara elle comas oportunamente visto nao naver liela._ Mande Vmc. alistar no'corpo sob seu com-
f^Kl^s^lJ^lJjS^^^iS^ os Paisanos Constantino Antonio da Silva e
consta de offlcio do delegado encarregado do expe- Tranquilino Ferreira desonza, que para isso fo-
diente daqtwlla reparligo n. 516 de 21 de abril ni- ram considerados aptos em inspecgo demande.
Dito ao juiz municipal supplento do termo do
timo.
Dito ao mesmo.Recomraendo a V. S. que em
vista do pret junto em duplcala, e nio havendo
inconveniente, mande pagar a Jos Maria Ferreira
da Cucha, conforme solicitou o eommandante su-
perior da comarca de azaretb, em offlcio do 1* do
corrente, sob n. 259, os veocimentos relativos ao
mez de abril ultimo, do destacamento de guardas
nacionaes existente naquella cidade.
Dito ao mesmo.Annuindo ao que solicitou o
eommandante superior deste municipio em offlcios
de 4 do crtente, sob os. 120 e 121, recommeado
a V. S. qoe em vista dos lodosos prets e nao ha-
vendo inconveniente, mande pagar os vencimentos
relativos a segunda quiniena do mez de abril ul-
timo, dos guardas nacionaes deslaeados as fre-
guesas de S. Loorengo da Malta, da Vanea e Alo-
gados, bem como as povoaedes da Passagem e
Peres.
Dito ao eommandante superior da guarda nacio-
nal do Recife.Mande V. S. apreseniar na easa de
detegio, amanha, as 7 horas do dia a forga lira-
da do batalho de guardas nacionaes aquartelado,
Brejo. Inteirado pelo sea offlcio de 24 de abril
ultimo, dos motivo petos quaes deixoa de fanecio-
nar o conseibo municipal de recurso desse termo,
tenbo a dizer-lhe que designo o dia 8 de julho pr-
ximo vindouro para a reonio do referido conse-
lho, cuja convocaco devera' Vm. (azer de eonfor-
midad com a lei.
Portara. O vice presidente da provincia usan-
do da attribuico que Iba eonfere o artigo 7 da lei
de 12 de agosto de 1834, resolve prorogar a pre-
sente sesso da assembla legislativa provincial at
o dia 16 do correte. Fizeram-se as necessarias
commuuicagoes.
Despachos des dias 7 e 8 de naio de 1806.
Requerimentos.
Cordolioa Roza de Jess. Pode seguir viagem.
Capilo Cbristovo de Hollanda Bizerra Caval-
cante. Passe portara concedendo a llcenga qoe
reqoer.
Firmino Jos da Sant'Anna.-Km vista da in-
formago do marecbal eommandante das armas de
qne for precisa para o embarque dos sentenciados 5 do corrente, nao tem logar o qne reqoer o su
destinados ao presidio de Fernaodo, ordenando V. plieante.
S. ao mesmo tempo, qae 10 dessas pragas escollen
os referidos sentenciados dorante a viagem.
Dito ao Dr. joiz de direito da seganda vara des-
4a cidade.Para comprimen do disposto no aviso
da repartico da jusliga oe 23 de abril uliimo, in-
forme V. S. soore o lneluso requerimento docu-
mentado, era qoe Domingos Jos Marques solicita-
dor de capilla, residuos e ausente dos auditorios
da primeira e seganda instancia desta cidade, pede
ser prvido no offlcio de tabellio deiia,
Francisco Manoel de Aimeida. Mostr se habi-
litado nos termos do decreto n. 817 de 30 de agos-
to de 1851.
Bacharel Francolino Bernardo Quinteiro.- Pas-
se portara prorogando o praso por tres mezes.
Galdmo Marcellino Bizerra. IoformeoSr.com-
mandanto superior da guarda nacional de Olinda
e Iguarass.
Herculano Dias Correa. Pode o supplieante le
var cpmsifo o filho de qoe trata.
solfragio universal; o governo auslriaco declara
que se esse snlfragio fosse favoravei a' Prnssia. a
Austria aceitara leal e desinteressadamente esse
pectvo ao ministerio da guerra. Dez dias durara o TOt0- ~. ... ....
debate sobre a insiruego publica, mas oorgamen- "" asi todos os jornaes tem publicado o texto
to passou com as verbas propostas e nenhuma al- de ura ,ra,ado f.ecre, Que se diz concluido entre a
lerago se votou, apezar de muito luminosos Bal vi- lTussia ea ,,al,a> ?a espectativa de nm conflicto
tres de varios oradores, sendo os qoe mais se dls-, ^Dlre "ld0M graodes potencias allemles. Apesar
llnguiram os Srs. Corvo, C'Bento da Silva, Jos Lu-, defcs,? "J0 PresUr credit0 ^^ ao tex, Qae foi
ciano de Castro e Dias Ferreira. publicado, por Isso mesmo que a qualidade do tra-
Durava bavia qualro dias a audiencia de jalga ud0 ni0 Permittia que podesse ser publicado, ha
ment em primeira instancia dos redactores da to- m"lt0 9uem acredite as ligagoes secretas entre a
Iha burlesca o Lucifer, publicacao peridica infa-1 ltaL14 e Pruss'a naqoella eventualidade.
maate, cojos assocados extorquiam dinheiro com
a ameaga da publlcago de segredos da vida inti-
ma e atrozes calumnias. Eram testemanbas da ac-
cusago muitos fidalgos, capitalistas, pares do rei-
no e outras pessoas destnelas.
foi pasto das charamas o pago arekiepiscopal de
Braga. Oulros grandes incendios tinbam bavido
em outros pontos do reino.
As ultimas noticias de Hespanba fazem all
antever a possibilidade de nma grande revoluco.
O partido progresista alioa-se com o partido de-
mocrtico, e o governo toma todas as precaogdes
militares qae lbe lembram. Foram suspensas por
alguns dias as soasos do coogresso.
Alguns jornaes afflancam qoe o governo trata de
proceder prisdes, mas a Correspondencia ou-
tros jornaes mnisteriaes desmentem esla noticia;
um jornal porm de Barcelona assegura que o ge-
neral Pnm Uvera ltimamente em Pars algumas
conferencias polticas ; julga o mesmo jornal que o
governo possue o enredo destes trabalhos, e est
apercebido dejles, e qae o duque de Tetuao, gene
que os papas eram ioaccessiveis vaidade do
poder.
O Moniteur escrevta porm, este respito no
seu bolleiim o segulnte :
< Sua Santidade, n'uraa audiencia especial que
conceden a 3 de abril a alguns francezes que sol-
Hcitavam a honra de Ihe entregar urna mensagem,
expressou-se oestes termes :
Nunca esquecl o que os catholicos francezes
teem feito pela Santa S. Nunca esquecere que
em 1848 foi um embaixador francez quem favo-
recen a miaba partida para Gaeta, e qae foi um
general francez quem em 1849 me entregou as
chaves de Roma. Nunca deixarei de me recordar
das proras de sympalhia qae me tem dado o go-
verno do imperador.
Falla-se agora de nma nova visita de alguns bel-
gas ao snmmo pontfice, para Ihe entregaren] nma
Na
mensagem e o sea retrato pintado por Gallai.
Do qne se tem potreado a este respito, v-se deputago belga dizem alguns jornaes qoe figura-
que a Italia se obrigaria a declarar a guerra a ram algumas meninas que no termo, da allocago
Aus 1 no caso do conflicto com a Prnssia; obri-! dirigida ao papa, soltaran entusisticamente o
gando-se pela sua parte a Prussia, a proseguir na
guerra, em qnanto o territorio venesiaoo, com ex-
cepge da Veneza e das pragas fortes do qnadrlla-
tero, nao esliver em poder dos italianos, e a Aus-
tria se nao mostrar dispesta a ceder aquellas suls
possessSes na Italia ; a Prussia garantirla a' Italia
os seus actuaes estados. O rei da Italia compro-
metter-se-hla a atacar a Austria no Mincio com 80
mil homense eom 40 mil no P; estabelecendo
o cerco de Veneza com a soa esqoadra, e obrigan-
do-se 'a nao depor as armas, em quanto os prussia-
nos se nao acharem na posse legal dos ducados do
Elba. ^
Um telegramma de Venera, datado de 24, diz que
acabara de se publicar um decreto, obngando a
apreseotago dos passaportes as fronteiras de Ve-
neza,
Daixaram os ruados as pragas de Vienna, Franc-
fort e Berlim, por cansa dos boatos de que a Aos
ral O'Donnell, est disposto a resistir da maneira tria punha o exercito de Veneza em p de guerra,
mais enrgica, sem hesitago nem cootemplages, em coosequencia dos armamentos a qae esta' pro-
desenvol rendo toda a sna accao, com a maior se ve-. cedendo a llalla.
rldade e iaflexibilidade qne se possa imaginar. 1 De Francfort, em' data de 24, dizem qne a
La poca publica a este respito, qne antes do Prussia aceitar a propos la feita pela Austria para
prononciamento de Janeiro, havia recebido por ve- o desarmamento simultaneo.
zes canas de Londres, em que se annaneiava a j Um correspondente de Paris diz qae a ques-
prefmidade dos acontecimentos; qne oo dera en- tio prassiana tomou urna nova phase, e que a
to ereaito aquellas noticias qoe os fados coolir-'. situago, apesar de todo quanto se tem escrpto,
muito grave.
maraffl depois; que actualmente aconselham de
Londres que recommende ao governo a maior vi-
gilancia porque 03 planos sio muito radicaes, e das
Alm da convenco que se diz existir entre a
Halla e a Prnssia, falla-se multo na conferencia
mais transcendentes coosequencias. Aqaelle jornal mira o conde de rese e um diplomtico notavel e
afflrma qae nada diria, se o governo "nao fosse o
primeiro a dar o alarme.
O general Prim tem de sabir de Paris, porque
oo qoiz dar ao goveroo francez a sna palavra de
qw oo conspira va couira a Hespanba; dlz-se que
se dirigir com sna familia e o seu todo uaJCT
para 1 Halla, -
muito condecido, e qae nessa conferencia se rotara
pela guerra. 1
Assegura-se qne a Italia est concentrando a sna
esqoadra em Aocna, e qae esta potencia ser a
primeira a romper as suas hostilidades contra, a
Austria,
Entretanto fallan) de Berlim ea crise mlt,UrW
papa,
grito de viva o papa re 1 A resposla de Sua San-
tidade eeta deputago nao sabio dos termos ge-
nricos.
Dizem de Florenga qae as carias recebidas
de Allemanha do conta das relagdes intimas qae
se estabelecca entre os goveroos dos estados se-
cundarlos da Allemaoha e a Italia. O conde de
Barral foi recebido com as mais vivas demonstra-
g5es de sympatbia na corte de Dresde. O go-
verno do Wurtemburgo declaran logo que
esperava o enviado italiano eom todo o ioteresse.
Segando se diz, ba o mais completo accordo entre a
iegago da Italia em Munich e o governo da Ba.
viera. Acredita-se geralmente qoe a Italia ebe-
gari a exereer urna posigo importante no estado
actual da Alemauha.
O principe|Amadeu de Saboya den nma grande
qneda da carroagem ; mas, aperar de estar ferido,
nio perigoso o sea estado de saude.
U imperador Napoleo recebea em audiencia
particular a Mr. Guizoi, qoe queria conferenciar
com o Imperador sobre as discordias da igreja re-
formada da Franga e sobre os meios qae se de-
vi am por em pralica para restabelecer a ordem e
a paz. A conferencia foi longa, segando se diz, e
nao parece provavel que o imperador teoclone
adoptar as ideas do estadista protestante ; entre-
tanto l-se a este respito em Alguns jornaes qae,
aparar de ser critica a posigo actual do protestan-
tismo em Franca, possivet qne n'uma poca pr-
xima possa colber um resultado vantajoso da re-
parago da igreja do estado.
Dlz-se qae por occasio de se celebrar em
Naney f centessimo aniversario da aonexago
da Lorena i Franca, ooncorrerao aili 01 impera-
doras Napoleo e Francisco Jos, acompanbados
dos principes herdelros dos dois imperios. Ha
quero acredito no projecto de cisapjenfo dQ prln-
dos direitos civis; a opposigo qoerendo aproveitar
I a auseocia de alguns mancebos do partido conser-
vador, requeren mais de urna vez que se procedes-
j se a' votago,' para assim alcaocarem maioria, an-
nullarem o velo, e darem ao bil forga de lei.
Propoz-se o addiamento da votago para um pra-
so prximo, e como a assembla parecesse dispos-
ta a aceitar esla resolugo, oro senador radical.
Mr. Wad, desesperado por ver escapar aquella
occasio de dar nm cheque no governo, snbio
tribuna, e proferto um discurso, unieo talvez no
sea genero. Este fantico, depois de insoltar o
mais violentamente possivel o presidente da rep-
blica, asando de expressdes improprias d'aquella
assembla, invocou a Divina Providencia, agrade-
cendo-lhe ter protegido a cansa dos radicaes
1 conservando ausentes da eamara muitos senado-
res pertencentes ao partido conservador.> Mr.
Wad pedio ao Altissimo qae acabasse com a exis-
tencia dos seus collegas, por isso que considera-
va como nm enme gravissimo pensar-se de outro
modo qne elle, pois via na adopcao de soas ideias
a salvago da repblica, da constitugo e das leis.
O jornal ultra-radical a Tribuna, qae panilha as
ideias de Mr. Wad, |a* bavia anteriormente publi-
cado nm artigo muito violento centra o presidente,
aecusando de traidor e recommendaado ao coo-
gresso a necessidade de depor Mr. Johnson das
suas altas funegoes.
Os habitantes do sal, depois da termnago da
f:aerra, tem sempre obedecido is leis, prestando
uramento de fldelidade ao governo federal; ba
qoasl nm anno qae se tem dado bastantes passos
para a anifleago completa do palz, qoando appa-
recero estes e outros jornaes aleando orna nova
guerra, declarando qae os povos do sal continan
a ser inimigos dos Estados-Unidos, qoe o presiden-
te Ihe presta auxilio, e qae este facto, em presen-
ga das disposigoes da eonstitoigio era ama traigo
maoifesta, e qae Mr. Johnson devia tambem ser
considerado inimigo dos Estados-Unidos, e como
tal indigno de occopar o alto cargo de presidente
da repblica.
Os jornaes conservadores dizem qne os radicaes
qnerem promover nma revoluco social, cujas con-
sequencas "sero mais ternveis do qne as das
grandes revolugSes europeas.
Um telegramma noticia qne a votago foi favora-
vei a' poltica do presidente, sendo o btll approvado
por 23 votos contra 7. Se o presidente nio submet-.
tesse o aeto qae praticoa, impondo i approvago
do senado o bil, pondo o teta a' lei sobre os di-
reitos civis, a lata tornava-se .nomnenle, porque
a andada dos radicaos chegana ao extremo, pro-
curando reduzir a' nullidade o presidente, ou pro-
curar nm conflicto. A votago no senado conside-
ra-se como ama demooslragio pacifio contra os
excetso do partido radical.


w. .-ir



illfci
,.
mJ^
IKH

^j- ^
^~
^^^
Blarlo *e i-eramt>uo Segnrta lelra 14 de Malo de 1866.
nrntii MIDIiPfl | itllllAITIDUuU i c>fhado Da cora da Minerva. Ja' nessa 'jecaslo i
REVISTA DIARIA
Tendo-te ltimamente espalhado o boato de que
a presidencia, recelando disturbios gravea, pofc oc-
castio dos festejos ptlas victorias das arout tilla-
das dos campos do sul, prohibir as manifestacSes
de regosijo popular,estaos arutorisados declarar
ra portufueza Nova Amisade, que apreaentoa-se dos: so oeste a extrentldade da cidade para o lado
coa a su tripolago en um lancho, onde recebea do mar al locar no (orle Par; a lale a outra ei-
toda a carga do con vez, sendo parte da do poro, treraidade cbegaodo oda alin da roa da The-
qaLl S I?- nSS? t ll nift !xpnld': descarregada em ama alvareoga; de modo que aooraria geral; ao wrte a ra da Boa F em to-
wfr n?2S mn n^rl^niJanl Iassm fi8"a Qa is ''Me. ^ogo em segu- do o seu caaprimento ao sol toda ra do* Quar-
bibir que sattusem mus; i pelas ras, nera_que | a ao laocno N ^ acodiram escale- tete.
Urna parte dj* mercados, chelos a to ser banalidades e cootradic5es que se en- Caruesecca.....A do Rio-Grande do Sul vendeu- ,, ,.
sede 1*000a3*wo par arroba, e **&* sob pena de revelia; par* o que
ficando em deposito 117,316 ar- mando a todas as pessoas, prenles, amigos
robas; o Rio da Prata de ou conhecidos da viuva de Manoel Antonio
fi!? liiiF'.rStiff0 em de' ?aroeiro' 'he facam aviso de qne por este;
Cha............ide d? &"& a libra. e ctada Para 1 cima fica dito.
Gerveja........Vndense de 6*300 adi500a| & para que chegue ao conhecimento de
p >r em quanto.
de eneros de tola a especie, que se procuraran afra ao artigo referido, que mais parese.sar
,o activo cousiguatarij danavio.a $r Joa^uim Coe- salvar, nao poderam resistir ao calor do fogo.e del- producsa, de um capaiocio, do que mesmo de um
me Fragoso, segla para bor#, acompanhado de xram carbonisartodo qoantoeentieham. fttooaoauiartado.
dous pratiaos da barra, e It negando poc capias < As pessoas que conhecem Porto-Principa te- natiaaaes sim resposta a parte relativa ao ayo-
no navio para que este n$a sofresse maior damno {rao ama idea da immen.v desgraca q aea wio dicereor Dio ser da nossa competencia ; pornves-
pela vasante. e da extenso do tedfeno percorrido pelo fogo, ima- tamba cena, de que brevemente ter a devida pu-
Acudi tamliem de prompto o capitao da gale-: guiando um vasto parallelogrammo teodo por la- blicidade.
Sentimos que o autor do artigo nao qneira con-
tinoar tdiscusso, porm o que fazor quaudo a
can Um trmao te\
se procedesse a' recrutamento na noute de 12 do
correte, como sem duvida espalhou algum mal
intencionado, desses que se comprazera em der-
ramar o su.-lo e a iMpiietaeo no meio da popula-
gao pacifica desta cidade, cojo espirito de ordera
garante a traaquillidade publica, baoiodo todo e
qoalquer rfceh de que seja ella alterada,
Assiro declarando, e, certos da ndole generosa
do uoso po-vo, esperamos que cessem, d'uma vez
para sempre, esses sustos e terrores, vollando a
populado a' saa qaietacao habitual.
Em sua sol le i lude pela religiio que professa nos,
acaba S. Bxc. Rvma. de expedir a circular, que
damos no Qaal deslas linhas, ao clero Pernambu-
res da polica e da guarda-mora, orna baleeira
desta, e ama lancha da eapilania do porto.
O Sr. eommaodante do forte da barra foi taro-
O Bien Public cita depois os oomes dos esta- (0 depaUs provincial Arminio Tavares e reern-
lioianna llenriqae Pereira de Li-
belaciaienioa destruidos e oa dos piiocipaes neg-
clantaa, prapnetarioa e particulares que foram vic-'
bem a bordo e offerecen. os seas servtgos e da for- timas o*a calastrophe. 0 estabelecimeatos publi-
ca all destacada, ao Sr. eonsignatarit, qae ib'os eos eoosommidos sao: o senado com os archivos
agradeceo por nao se fazerem precisos. e a cmara dos representante, o ministerio do in-
i Foram lo rpidas e lio bem dirigidas todas terier, a prefeitara, a bolsa, urrra grinde parte da
estas providencias, que s 6' horas da tarde ja' es- imprensa nacional, a thesonraria geral con as saas
lava o navio aliviado, e s 8 da noite, quaudo a, dependencias (o tribunal de comas, a reparlicao
mar permittio, dava fundo no canal, sem avaria. do sello, e as do pagador central;, o convento dos
Aate-hontem (7) pelas 10 horas da maabaa, irmos da doutrina chrisiaa, os das irmias de S.
fez signal de vapor o forte de S. Marcos. A ancie- Jos de Cluoy, o tribunal de 1' instancia, o do jni-
dade em que todos estavam pela ebegada do pa- zo de paz (seceao norte) a administrado dos cor-
qaete do sul, levou maltas pessoas a* rampa e as reos e o forte Per.
cano, solicitando o concurso d'elle em prol do muralhas do largo do palacio. Era o vapor ame-1 Porto Principe on antes Porto-Republicano,
Rvm. Dr. Jeronymo Kaysiewiez, que, na qualidade ricano G. Shermann, procedente de New-York por urna das cidades que tem soffrido maiores vicissi-
de prefelto dos padres da congregado do Senhor S. Thomaz e Barbadas, trazendo a reboque ama
Ressuscitado, veio de Roma ao Brasil com o tim escuna que encontrn a 40 mllhas desle porto,
de adquirir donativos para maoutenco do semina- lista escuna tem o Borne de Buldog e ba mais
rio polaco all esi*belecido.
O appello de S- Exc. Rvma. para um acto lo
meritorio, nao lia de ser em vao.
N o ha de ser o clero s qne para elle concor-
ra ; todos os fiis desta diocese se apressaro a
offertar o que suas preces Ibes diclarern, acompa-
naaudo assim ao Exm. diocesano, que ja subscre-
veu o donativo de 200*000.
A appiicaca 1 destes donativos a mais justa pos-
sivel, pois tem a occorrer as grandes despezas
d'aquelle seminario, ltimamente aberto em Roma
por ardem de S. sanlidade, bem como a proporcio-
de anuo que sanio da Inglaterra com desuno a
China. Depois de urna trabalhada viagem, arrio.m
ao Cear, onde moneram-lhe o capitao e o piloto;
d'alli, procurando o nosso porto, foi forcada a arri-
bar a Parnahyba, d'ondesahio fazendo muita agua,
e assim foi encontrada pelo vapor qae a rebocou.
Informam-nos mais que tem todo o machinismo n<-
cessario para navegar a vapor.
A alfundega reudeo de i a' 16-10:697*301 rs.
Naufragara no banco do Manoel Luiz, a 13 do
passado, a escuna franceza Chara, que la de
Cayenna para Pernambuco; salvndose a tripola-
tudes. Fundada em 1743, destruida por um tre-
mor de Ierra em 1770, reedificada quasi logo, mas
em grande parte queimada em 1791, soTrea mai-
tos tremores de trra em 1830.
Passageiros do vapor inglez Casstnt, sabido
para Liverpool por Lisboa :
Joaqnim Jos de Ollveira, Sergio Antonio Alves
e saa senhora, Charles Saunders, Manoel da Silva I
Maia Jnior, Custodio Collaijo Pereira Jnior, Ma-
noel Soares Piaheiro, Joao Rodrigues de Oliveira,
Joaquira de Oliveira Pinto, Manoel da Rocha Hol- .
landa Cavalcanti, I. F. M. Braga e sua familia, relatono apresentado a assemblea provincial o an
Margaret L. Starr e 2 filhos menores e Joo Anto- D(
tador de
cena.
Nao respondera o communieado do Sr. Lacena,
publicado hoje, se o mesmo senhor nao avangasse
ainda ama falsidade qae nao devo delxar passar
sem cootesiago e que eu promoveba admisso
OU REMOCAO DB UM RBOMOTOn PARA SUBSTITUI'LO.
E' isto, repito, ama falsidade propria do desfaga-
mento com que o Sr. Lacena injuria aquelles, qae
Ibe fazem jusliga.
Nunca promov demisso oa remogo de collega
algnm para substitai-lo, o qae com fundamento
nao poder contestar o Sr. Lacena, e, se o poder,
que o faga a respeito de permuta, apenas ltima-
mente na ante-sala da assembla provincial, failei
em conversa a esse illastre collega a quem aliada
o Sr. Lacena, no qae somente descobrira desar
para mim este senhor,- era sen rigorismo de ho-
nestidade.
Diz o Sr. Lacena, em sea accesso de injurias,
que en mendigava empregos, entretanto nao ig-
nora que eu deixei de aceeitar a nomeago de juiz
municipal de Olinda, e que fui nomeado promotor
de Santo Antao, nao porque mendigasse, mas pe-
las raz5es exposias pelo Sr. Castello-Branco, no
nlo Carpite:ro da Silva.
Passageiros do vapor francez G&ienne, vindo
nar raeios de subsistencia 'e ensino aos mogos pola- gao, composta do capitao e 10 pessoas, na Isncha e deBordeaux^ portos intermedios:
indo aportar no Maranho.
correte s S horas da tarde.
O Sr. Joaquim Gilsno de
eos desvalidos, que all vo prerarar-se para o sa-
cerdocio catholico, e que ordenados iro apostolar
a f de Christo nos campos devastados da infeliz
Polonia, fazendo ahi conservar as crengas catholi-
cas, que tao rademeote sao atacadas pelos schisma-
ticos:
t Emmanuel d Medeiros, por merc de Deus e
da Santa S apostlica, bispo de Pernambuco,
do conselho de S. M. o Imperador, que Deus | Srs. redactores.-Rogo a Vs. Ss. que sirvam se
guarde etc. de dar publicdade em sua Revista Diaria, que na
Com prazer, e cheio de coniaoga aprsenla- manha do dia 7 do correte o Sr. Jos Candido
mos aos reverend.* parochs e mais sacerdotes. Marinho de S, acadmico do 4. anno de dlreito,
de nossa diocese o reverendo sacerdote polaco pa- perante os Srs. francisco Rodiigues Soares, ac-
dreJeronymo Kaysileniez, muitodigno prefeito dos, demico do 5. anno, e Joaqalm Ignacio de Barros
padres da congregago do Senhor Ressusciado, e Lima, em casa de mlnha j-esldencla r ra da
o recommf-ndamos a seu caridoso aeolhimento, e Saudade, passoa a carta de alforria a' cabra Um-
os exorlamos a lodos em nome de Jesas, nosso di- beliaa, sua escrava, de 27 4 28 anuos de idade,
vino redemptor, que o auxiliem por todos os mo- solteira, natural da provincia da Babia, pela quan-
dos qae Ibes saggerir a seus coragoes os seatimen- i lia de ditocenlos e cincoenta mil ris, de que fl-
tos da saota fraiernidade, aflra de que elle oble- coa logo empossado o dito Sr. Marinho; quanlia
nba entre os Seis desta nossa diocese a maior, essa que foi por mim agenciada entre os meus
somma de recursos possivel, para a raanotengo; bons amigos e muitos outros senhores, que, apezar
do seminario romano polaco, qae acaba de fundar j de urna simples cortezia, nao se excusaram de con-
em Roma o oosso S. S. padre papa Pi IX, no correr com o sea contiogeate para a realisagao de
iotatto de fornecer aos Seis cathollcos da oppressa.nra acto tao justo quanto humanitario.
Polonia os ministros necessarios para conservagao Sirvo-rae d'esta occasiSo, Srs. redactores, para
da f catholica n'aqueMas regioes d'onde o schisma dar a' todos aquelles de qae flz menso, e muito
russo, cada dia de mais em mais iutoleraoie tem principalmente a' um amigo Rio grandense do Sul,
Levi Joseph Lamben Jules, Beagiaolonio Floren-
zano, James Gerardol Pasqnale Florebzario, Nicola
- Por ordem superior, foi transferida a sabida piorenzano, Thomaz White Guston, Cohn Abraham
do vapor Mamanguape para Macei, Peoeda e Ara* a Ema Sra dft SinImbu e sua farai|ai Aure|j0 de
caj, que devia ter lugar boje, para o da 17 do Carios Herro> Beroardino da Costa Ferreira, Jos
, Ferreira Moulioho, padre Manoel Barroso Pereira,
Mesqaita dirige- j D. Joo Alsina e Jos de Magalhes Machado,
a segoiuie carta
Communicados
Ordena tercelra de Si. Frauclsco.
Nunc me passoa pela Imaginagao que os perju-
ros da ordem terceira de S. Francisco tlvessem por
mais acertado encarregar a respista a diversos
commanicados, que tem sido publicado oeste Dia-
rio, um patrono, que em vez de apreseotar argu-
mentos solidos, tratou tao somente de fut-i- banali-
dades e contradigoes, como passamos a demonstrar,
accrescendo qae nem ao menos teve a coragem, no
artigo qae publicou no Jornal do Recife de 7 do
correte de assigna-lo de modo que todos podessem
ler o verdadeiro nome ; o qae nio foi, o qae mais
estranbamos foi que sabamos qae todo cao ma-
nhoso morde de furto.
Quanto queichotadas do Sr. Lacenaluva, alto
DA IMPRENSA, TERRENO IGUAL, V1IEIRA ALGABA RE-
I VESTIDO DE ARMAS DE CAVALLEIROentrego aS 80
sea proprio ridiculo.
Por forga do dever de deputado a.'cusei o re-
crulador arbitrario da comarca de G ianna ; o lu-
gar proprio era o recinto da assembla pro vi n
cial.
! Algons feotes qu,*indiguei em nm discurso
proferido por mim na sesso de 22 de abril ultimo,
provam a justiga de minha accosag&o. O Sr. I.u-
cena, pois, defenda se se poder, injurie-me se qui
I zer, certo de que nao me deixarei arrastar para o
lodagal em qae S. S. se eoxurdi, anda qnando ti
vesse a certeza de qae sahna apenas salpicado.
lnjurtis vincere turpt ett.
Recife, 11 demai, de 1866.
Armtnto Tacares.
Correspondencias
Procedimento dO chefe da estage de Gamelleira
com na passageiro.
Senhoretredactorei.
Suppunha qae a cimpanhia da estrada de ferro,
simia machinas infernaos para matar-nos, e aos
' nossos anlmaes ; euganei-me : alm das esmaga-
! doras rodas dos vapores, ella tem em si algaas pe
Nao diremos que o patrono antor do artigo, que |0urinhos da repulago alheia as pessoas de uns
Drosripto oa" sacerdotes, exilado os bispos, encar- por ter sido asss generoso, o mea sincero agrade- f nos oceupa, seja um estpido ; porta pessoa ^0^ dos seQS empregados.
cerado os re ig.osos, e reduzido os povos a vive- cimento, e pagar-lhes com o coragao o aeolhimento J^ P0de, rotar qna nos estatutos da or-1 Pr0v0 com o segaiote :
rem diversos em altares, sem ministros, e re- dos meus desates. dem m0, exte artx9 <,a'l a m" r^ | Quinta-feira 3 do correte tendo de embarcar na
Recife, 11 de maio de 1866.-De V. S., amigo \ntciattva de reformar quatquer artigo ou cap- esgaode Praaeres para esU de Gameleira, com-
.___ _,..,... *___- r.:,___Air* tiln. nrr; m., kiikM. ....; ,.,,
deados dos maiores perigos para suas crengas or-
thodoxas.
t E, para mais animar a todos e a cada um dos
clrigos, assim seculares como regulares d'esta
nossa diocese no proposito de coadjuvar o Rvm.
padre Jeronymo nesta pia obra Ibes damos teste
munho da subida conflanga, venerago e estima
que este respeitabilissimo sacerdote gosa em Roma
onde suas virtudes e illustrago fazem de todos
condecido : e Ibe asseguramos que alem de faze-
rem por qualquer modo um acto do nosso espe
affectuoso e obrigado. Joaquim
quila.
Da carta de nosso correspondente de Lon-
; dres, que daremos no numero seguinte, extraa-
mos :
O descont do Banco da Ioglaterra mantem-se
a o %, se bem que as firmas de 1* ordem tenham
faciluiadeem dtscontar i'i'Vo-
Os consolidados 3 % estira 86,'j. Os fundos
.-i anligos do Brasil de 5 % fjcam de 9J 95 ex-divi-
cial agrado, farao urna obra meritoria na Presenga, ^ Qs Jfo n M d(j 4^0/ d(J
de Deus e merecedora das bengaos do dignsimo, ._ ', s 4 fia ns
vigariode Jess Christo na ierra o nosso santo{
Gilseno de Mes- u'-
Se o patrono tivesse lldo os estatutos, antes de
formular o artigo, nao canina em dizer tal asnei-
ra ; porque encontrarla no art. 192, quanto as at-
tribuigSes d mesa regedora, o seguate : a defesa
dos dtreitos da ordem, que estiverem em harmona
com as Lis ecclesiaslicas, civis e policiacs; assim
como encontrara no art. 194 a disposigo de que
a convocacao da mesa conjunta feta por delibera-
gao da regedora, a quat preparar e discutir o ne-
prei o competente bilhete, e paguei-o perante
conductor o Sr. Res, que Indicou-rae o wagn em
qae entrei: e em carainho inatilisoa o bilhete con-
forme costuma, chegon o irem a esla estago, des-
embarque! entregando o bilhete ao empregado na-
os recebe, sem qae este me Qzesse a men r obser-
vago; els qae oo oatro da sou avisado qae o che-
fe da estaeao o Sr. Meira Lima propalava qae ea
defraodavao reodimeoto da estrada viajando com
bilhete velho: tao inslito procedimento sorpren-
empre:...
. I 45}; ditos hespanhoes 41. Meucaaos 3 % a
.adre Po IX. a cujo coragao de mu.ta consolagao w^mimM % e/ de 9l M. Kussos 5 %
sera o ver que os liis d esta diocese nao sao in- .' prnaim! t 9/ 7 m>Ma oarantidns 4 /r
u.fferentes aos gemidos da perseguida Polonia, aos *- % s '<
gocioquetem de ser levado a mesa conjunta. Por deu-rae e indignoa-me a ponto de ter cora'oSr.
estes dous artigos compreheadar qaalqner. a nao Cll.fe Qraa explicago : e qual nao foi o mea pas-
i o/0 pon teses ser um capadocw, que a iniciativa de reforma dos mo qaando oavi este senhor sastentar na presenga
estatutos, oa de outros qaaesqaer negocios, da ,j0 sea ajadanfe o telegrapbisia e um serveute, o
competencia da mesa regedora, por ser o anico po-; mesmo qae ousadamente propolava em minha au-
de 98 a 100
qaaes elle ama com ardor o mais vivo e paternal. | Q a, de PerDarabuco lem sido cotado em
Residencia episcopal da Soledade 11 de maio Liverpoof de 20 20^ d. por 4 o do Maranho
d9.'(8At.gnado., + Emmanuel, Bispo mmm.^S^X&.U^VSSt *
__ O cscrivao dos protestos Alves de Brillo est dicavam coosisteucia. cacao do Brasil est de 49
de .semana, a ra do Imperador n. 46, i andar. 70 s. por 112 g ioglezas. Caf de 1* qualidade
.. .... ., .. .. : a 84 s. per cwt; dito de 2" 68 s. e ordinario 59
- Araanhaa se extrah.ra a 13 parle da lotera s> cw(# Pa0 Brasj, de 70 90 g por toneia.
a beneficio das familias dos voluniar.os da patria a AbSUCar branco de Pernambuco e da-Parahy-
(b'j, sendo o maior premio 6.000. ba 26 s. per ewi; dito da B^hia 25 s. por 112
der para este flm, e que depois de disentido e apro
vado levado ao coobecimento da mesa coojanta
na conformidide do art. 202 no qaal i< se-lite a
faculdade de alterar e interpretar os estatutos com
remessa ao Rvd. definitorio para approvar o capi-
tulo, ou o artigo alterado, nao estando emopposigo
as leis que actualmente nos regem.
Nao se pode crnteslar, salvo o direfto de algum
capadocio, o que a vista destas terminantes disposi-
goes, qualquer que seja a forma pela qual se nuci-
r conseguir a reforma, a uiio ser a que determi-
nara os estatutos, na verdade procedimento inad-
Remeltem-nos o seguiote pedido : R ioglezas. Couros seceos do Rio de 6 a 8,' d. ( missivel, e attentatorio, tOrnando-se por conseguate
Os moradores da ra de Joo Fernandes Vlel- por 8; e salgados do Rio-Grande 5 3/, d. aaarchico.
sencia 1... O facto de eu ter comprado bilhete no
dia em que embarqaei, jusiiqaei perante o rece-
bedor dos mesmos nesta estago com o insuspeito
testemonbo do proprio conductor. Agora s resta
o Sr. Meira Lima oa Justificar a injuria que irro-
gou-me, oa pas.-ar por um.....calumniador in-
digno do lagar qae oceupa.
Gamelleira, 8 de maio de 1866.
A. A. Macieli
COIYIMERCIO
ra pedera ao Sr. redactor da Revista Diaria que
lembrem a companhia da illuminagoa gaz, que se
digaem completar o trabalho que para este flm fez
naquella ra, pois que apenas esto collocadas as
columnas e desde dezembro do anno passado, j
estando urna dellas quebrada ao meio, no entre-
Eis as noticias coramercaes de algaraas pra-
gas da Europa, trazidas pelo vapor francez:
Hamburgo, 21 de abril.
Ficam: o assuear branco de i7 }i a 20 e o mas-
cavado de 14 i a 16 } por 100 libras : o caf de
4 3A a 7 Vs segundo a qualidade ; o cacao do Para
Querendo o autor do artigo provar, que os ir- |VaVa RflnfiO (ift PftPnanihllfiO
maos naopeijuraram, agarroo-se com unbas e, "uvu XJO.LL\jV UOI OlUfllUUW.
banco paga o 16 dividendo oe
tanto que completou a illuminago da ra do Prln-; de y 1 a g 0~ ,.ouros s'eccog de '5 X 6 K 6 os
cipe, muito menos solitaria que a de que se trata.. sa|gados de 3 3/4 a 4 i/,; 0 iabaco de 5 a 9, segun-
Igualmente da ra qae fica em seguiraento a do a qualidade.
da Concordia, pedem-nos que lembremos a eollo-
caco de combustores all, pois acha-se ella s es-
cafas, nao obstaote baver ordem da competente
autoridade para a respectiva companhia fazer tal
servigo, e eslabelecer a illuminago nessa roa.
Por cartas imperiaes de 27 deste mez foram
naturalisados cidados brasileiros o subdito prus
siaoo Adalberto John, e o subdito portaguez Do-
mingos Jos de Freitas Guimaraes.
Por decretos da mesraa data :
Foi feta a merc do foro de fldalgo cavatbeiro
da imperial casa aoc nselheiro Antonio Rodrigues
Fernandes Braga, ministro do supremo tribunal
de justiga.
Foi feita a merc da digndade de arcediago da
cathedral do bispado de Mananna ao conego Dr.
.1 a'.nim Mximo da Rocha Pinto.
Foram nomeados cavalieiros da ordera de S.
Bento de Aviz :
O major do corpo de engecheiros Antonio Theo
doro da Rosa Gama ;
O capilo do 11 batalho de infantaria Innocen-
ci Eustaquio Ferreira de Araujo;
O capitao do 12 baialnao de infantaria Jos Joa-
quim Cesar de Mell;
O capitao de estado maior de primera classe
Leonardo Jos da Fonceca Lessa.
Foram concedidas a.s seguintes pensdes:
A D. Clara Emilia de Drummond Cabrita, viuva
do tmenle coronel do corpo de estado-maior de ar-
tilbana Joo Carlos de Villagran Cabrita, morto em
combale oa guerra contra a repblica do Paraguay,
a pen.-ao raensal de lOOcOOO, sem prejuizo do meio
sold qne Ibe compele, com sobrevivencia da meta-
de daquella quanlia para seu ilho Ral Pedro de
Drummond Cabrita, em quanto for menor :
E aos imperiaes marinheiros :
Folippe de Moura Rohm, Jo&u Francisco de Paula
Mai?, Jasi.no Alves Bewrra, Pedro Antonio Pri-
meiro e Rufino GoiKjalves, os qnaes lando sido in-
validados em combates aa guerra actualmente con-
tra o Paraguay, e imposibilitados 0or isso de pro-
curar os meios de sObSIsterjcta, a de 12&000 mea-
saes a cada um delles;
Picando, porm, as mencionadas pensos depen-
den les da approvago da assembla geral legisla
ti va.
Foi aposentado o segando officiai da secretaria
de estado dos negocios do imperio Jos Feliciano
Franga, com o vencimento qae Ihe compele, M for-
ma dos 1 e T do art. 24 do decreto n 2,368 de
5 de margo de 1859. por cootar mais de 40 aonoa
de servigo;
Foi elevada a 20/., nos termos do art. 2fc | 7"
do decreto n. 2,368 cima mencloaado. a gratifica-
ci de 10 / cretaria enpra mencionados Jos Marta de Carva*
Ibo, por contar mais de 35 asnos de servigo.
Nos dias 14 e 15 do corrreate (hoje e ama-
nbi) deve ter logar a defea de (beses, de ba-
charel Graciliaoo de Paula Baps, na Faculdade
de Direito.
Chegou hontem de New-Yoik, por S. TInv
maz, Barbadas e Maranho, o vapor americano La
Oriental, qae se destina a' ama companhia de na-
vegago fluvial de Bnenos-Ayres. A saa cmara e
com modos para passageirus sao de urna extreoH
sumptnosidado, e metecedi>re do ama tisita.'velo
tomar earvoe etttea* sea desuno.
Do Maranbfo recebemos por etlejornaes at 8
do correte. '"
No dia 3 teve logar a abertara da assembla
prormcial, caja mesa fleotj asstm organisada : A>
Herriqaes presidente, Praee de Ba' e Cstrn* Ju-
nio secretarios.
I,-se no toa:
* No da 6 s tres horas da urde, pouco mais
ou menos, dea o /orle da barra nm Uro, pedindo
soccorro para o biate Progretso, da casa do Sr. An-
Fic.iiii a carga para Pernambuco os navios Ca-
tharina e Bertha.
Havre, 23 de abril.
de
com unbas e
i dentes ao argumento de que os deputados ou sena-
dores que tendo jurado a constituigao do imperto,
ousasse propor, sustentar e votar no parlamento a
I reforma de ulguns de seus arligos, desde logo seria
tambem perjuro ou analematisado.
Desejavamos que o autor do artigo nos explicas-
se, que paridade tem este trecho, eora o procedi-
mento dos trataos que perjuraram f Certamente
nenbuma, mas sim prova elle demai, oa antes em
oosso favor ; por isso qae o art. 174 da coostitui-
0 algodo fica colado de frs. 220 a 255; o cacao fi do1 imperio estabelece a maoeira pela qaal a
frs. 100 a 110 os 30 lo ; o caf de frs. 66 a assemb,a geral pode reformar os art.gos da coos-
tituigao, isto sob proposta por escripio, e o art.
176 determina que vencida a necessidade da refor- dem do dta 12
ma do artigo constitucional, se espedir lei que ser
sanccionada, e promulgada pelo Imperador, em for-
47 a
100 idem; e os couros salgados verdes de frs
63 e seceos de frs. 60 a 97.
Porto, 26 de abril,
O algodo vendeu-se de 360 a 380 rs. por libra ;
O novo banco paga
razio de 60150 por accao.
Voto banco de Pernam-
buco.
O Novo Banco desconta letras a 12 por cento
ao anno, toma dinheiro a praso flxo oa em conta
correte pelo premio e coodigoes qae se conven
cioaar. e saca sobre a praga da Baha
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 9 ......
280:793740
25:193943
o arro de 4* a 6* o gq ; o assuear branco d \ m or.dJTTf' m qml 2 ?ri}mT, aos e,eitoret
1 '- ------ -- dos deputados para seguinle legislatura, que as
304:987*683
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Volames entrados com fazendas...
c com gneros...
Volamos sabidos cera fazendas...
c f com gneros....
25100 a 25500, o someoos de 15900 a 25 e o mas-,
cfvado Am a TOO; o caft de 3*300 a 4*100 rPrZ%l"2T,&T^Z' ^^ ^
PFicm a' carga para Pernambuco: a barca Ctau-' Pela Imples leitura deste artigo nao pode ser
dina e brcue Esoeranca Iperjuro ? dePutado aue Punzar a reforma de al-
Sahio Tra PenSico a 22 abarca Ar- am ar,i constitucional, por Ihe ser permittido,
irunda fernamouco, a zz, a oarca ^r am capadocio ^^ dlier 0 contrario. E'
fhearam a Ift a harr\ Amelia e o brcae nulo. assira tambeni 1 **<> setitm considerados perju-
i -hna 9k ,is ahril como se praticou no anno em que foi procurador,
Cotamse : o aSao de 380 rs. por libra; o ar-: fi J^-f^L** Pe'*fira Sim5-es> Pritnelro, PaUcho PO"-Maria da Gloria -dem.
17
473
119
699
------818
490
boa.
Descarregam boje 14 de maio.
Barca ingleza- Janemeroadorias.
Brigoe portuguezConstante IIdiversos gene-
ros.
10 1 lint) nnr 1? assaSr branco siZt"i de 157TOa2350eoraasc^ ^ sa conjonU ; Brigue nacional-Muarto-idem.
nnr frroha- o raran "lfiO'aUS!i or arroba c.rcumstancia que ja mencionamos em nosso cora- Brigae nacional-Aurritano-idem.
^M^m^Jit^io^mSm muaira,Jo de *0 corren,e' Para 0 S r? tfi!. lihr a alieD5ao do P"bltc0 lmpirl. IP^^o porWfuez-S. Jos-idem.
F^am isirea^ niraT Pernambuco bricaes Bel] Temos aBora de diri8ir aa,a Interpellagao a S. Patacho portugnez-florrt-idera.
/,,S/r^^ Sr. Antonio Jos Silva do Brasil na quali- Hiale portagaez Serra I-idem.
SJSPS fS2.p.ar,.JfU?SR >s da cmara mnaicipaL para que j RBCEBEDOWA^ DBg R^g^fMg2o
dial ala-....... 8:796*357
Chegaram : a* 13 brigue Fortnefo de Pernam-1 ^ZTnJu^TlL ZFST' "................ i: 1*1*814
bnco;a' 19 barca Linda do Para'; a'*' B08 das Portaras, a nao ser ella
ZnFrii'Ventura Henraue eUaraeide Santa W respoada qaal dever ser o procedlmenti de Ss. | RAH
guesium ventura, tenrique e uarquez te aowa, g^ ^ ^^ c Jados do roanicipio requeressem a! Rendimento do
Chegaram : a' 13 brigue Florindato Pernam- i s.eb,\ provincial a rtvogacio.de algons artl- dem do dia H
CONSULADO PROVINCIAL
da capital:
idio comee,
a sua obra de destruigao
dem do dit> 12.
27 vapor gos das postaras, a nao ser eha iniciada pela ca
AgustineVlrt^rnpMtoJos de Per- ] a";X*aTcnM DaSe aegara0 a 8,tisfazer
nambuco I nossa mierpeiucao.
a' 19^ "g" Julio para PwmbuwP" a? *ita. nosso communieado de 2 db corrate, para que os Rendimento do da 1 a 11
aue Tamoa nara o Para' signatarios da represenUgao, apontassem orna so
rv ^ ,LI contraria,ou IrmaHdade em que aelelgo fosse di-
-Davia saWr de Lisboa: para o nosso porto.no rec[a assm naoo fleram mas Mle| 0 autor do
i* T,r2?SL2 \Tr?Z?LP *l ar,i sus,enta qw existe sem comtudo mencionar
ra, Maranbao e Para, a lo, o vapor Jertme, ambos g^j e||a 3eja *
*" "iwi7r?,0Dtn..i ,nomno J. ** "rdadeoma coragem desmarcada atan-
p^i? SISL^ .SK tJS^ ZhS n^ S" se ul propositao em ama cidade em qqe>dos
m!, nicf T E ? ntTLL,ln i ,in-,= -^2 s seos habitantes se levantara para na faceo au-
mez passado, no Hait, que rednzo a crazas melado tor do arijg0 d, v menfistes Yist0 5
9:938*1-71
35:353*386
7:841*900
43^95*286
lagar publico do
duzia de garrafas. todos, mandei passar o presente qne ser
Farinlia de trigo. A de New-York e Richmond' publicado e afJQxado nr
relalhen-se de 22*000 a 23*000 f,n-nmp
por barrica.a de Philadelphia de 0U^U"K:-
215000 a 23*000, a franceza a I Dado e passado com o praso de 60 das
22*000, a nespanhoia a 21*000 n'esta cidade do Recife os 3 de marco de
VJf TriT de-(l4f ^5?00; 1866-- Eu Pedro Taittlitoo da Cunha. es-
fleando era deposito 5,500 barr- ^.^ # escrevi_ vj^fe de Gusm5o ".
tmuoa
guinte:
.. m.hs. j.in..,. existe nesta cidade ordens terceiras, contrarias, ou
O Incendio comegon na manbSa de 19, te* uaiai,m 6m qae suas ele,Sl3eS saai directas;
tanto qne na irmandade da Misericordia, por exern-
mn '.nift a. m*a* i tA* AaamAn >i.-' P,0 a sua mesa ocl J0,u administrativa, nao 'fei-
O corago da cidsde foi ^fo****?*" ta por eleigao, mas sim por nomeago do Exm.
amraase salvo algamas casas provdeoc.aimen- presidente dVprovtncxa, coho ietermimm os esta-
chamraas
te poupadas entre a" praga Valiere e a rea do Go-
verno, pde-se dizer sem exagerar qae nao resta
da cidade senlo os bairros da Crolt-Bossato, do
Bel-Air, a roa dos Frans-Forts e o Morn--Tof.
< Milhares de familias esto sem asyio e ama
parte deltas est acampada as florestas vtsinbas,
ontra seb as galeras das casas qae acarara de p,
outra emiim oa praga da Intendencia. As asis
fetizes acharara asylo por algons dias em easas
bospitaleiras, abertae pela amisade a to grandes
infortunios.
Ante tamaita calamidade o espirito toraa-se
oenfeso. Ha em tedas o* oibee lagrimes, em
todos os peitos gemidos. Nenhnm dos haUUotes
deixoo de sofrer oo na saa fortuna,
ffeigic
tutos qm foram aprovados pela assembla provin-
cial, e que at o presente irmo algara oosoa apre-
seotar se reqaereado a assembla a revogagao de
algum artigo, apesar dalla se jalgar competente.
Qaando tratamos desta questio nio tivemos em
vista conttiirarmat a pwtco dominado de urna
eredtttdade mfanttt, ao ponto de acreditar em ara-
ras; mas religioso como competente a dar o de-
vido a prego a aquelles que pondo suas mos dlrei-
Santos Evangelhos Jnraram solem-
um religioso na qualidade de pre-
" goardarem a fazer guardar as
degtos, :ttt., e que nao tiveram
oanasaaastpn,^
A maro
aprasentarem
MlBOf
van
parte por commerciarites, qne foram
soflreram com esta catastrophe.
Desappareceram inteirameote qainze qnartei-
rdee. Trese roals fleiram mnito arruinados. Ao
iodo rate eoitoqnarttiries ana, segndoos nosaes
entalles equivale fot superficie a vinie qttartei-
rf5es completamente perdidos.
< Ignoram-se ainda as cansas do incendio.
As perdas ao cQmensas, mu incalculaveis
ar*
lea reqnerendo a reforma dos*
^W"P0,?ao da lei estatuaria,
por esta leio organlsarem, com os iadividrjo
assJgBaftiB a representago, am partido edt anri-
mew o Hbn1 rgimen, qae sempre tem manlido
a ordem, sttstontarKh) os seas interesses.
Fellcmente o autor do artigo nao pode neta de
leve destrn os argumentos, que temos prodneido
nos diversos cornoiuaicados publicados no Diario,
PRA9A DO RECIFE
19 DE Tf AIS BE 186.
A'S TRES HORA DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios........Saccoa-se sobre Londres a 27 3/i,
27 Vt, 27 X, Vs e *7 K d.
por 1*000; sobre Paris a 343 rs.
por fr.; montando os saques ef-
fectuados durante a semana em
aU30,000.
Algodo......... Vendeu-se o de Pernambuco de
16*800 e 171100, e a praso a
17*300 per arroba, o de Ma-
cti, posto a bordo, a 18*600, e
o da Parahyba, tambem posto a
bordo, a 17*600.
Assoear........ Vendeu-se o branco de 3*000 a
3*600, sosenos de 2*700 a
2*880, o masca vado purgado de
1*820 a *W por arroba, e
o bruto de 1*350 a 1*750.
Agurdente.... Vendeu-se de 62*000 a 65*000
a pipa.
Coaros.........Oa seceos salgadas venderam-
se de 145 a 155 rs. a bbra.
Arrea..........O puado te Indi* ventele a
3*05* ameba.
Aseitedee......VeadeWM de Lisboa a *6o0
9 gala*. v i
Baealbo.......Ras tacado vendeose 13* a > ,
barrica, e a relato* te W*808 a noIgafUFl
10*600 a dita; fleante em de-
*' psito 1,600 barritas.
Batata*.........Venderam-se a 600rs. o
Botacbtahas..... dem a 8*000 a
Caf...........Vendeu-se de 3*400 a
arroba.
cas da primera, 3,800 da se-
gunda, 500 da terceira, 800 da
qnarta, 1,000 da quinta e 9.0C0
da seata, ao todo 22,30 barri-1
cas.
Dita de mandioca Veodea-se de 3*500 a 3*000 o |
sacco.
Feijo.......... Vendeu-se a 12*000 o sacco.
1^>UC..........A ingleza ordinaria vendeu-se
com 310 por cento de premio so-
bre a factura.
I lio. Vai pagar a quantia de 250 rs, de di-
reitesde cbanceHaria.- O escribo Cunha.
N. 123 250 rs. Pagou aSOrs. de direi-
tos de chancellara. Hecife 3 de marco de
1866. Chaves,Lirnoeiro,
Vai pagar o sello d'este edital que impor-
ta em a quantia de 400 rs. O escrivo
Cunha, Estava o sello n. 56400 rs. Pa
Manteiga.......Vendeu-se a ingleza a 900 rs. a; gou 400 rs. Recife 3 de marpo de 1866.=
libra, e a franceza a 520 rs. a i Chaves.Sena.
Massas.........Venderam-se a 7*500 a caixa. TiS ? ??t-daS aas Imperiaes do
Oleo de linhaga.. Vendeu-se a 1*700 o galo. irtDunal Ua Relacao. Firmmo Antonio de
Passas.........dem a 6*500 a caixa. Souza, presidente. Transitou pels chaneel-
Presuntos.......Venderam-se a 16*000 por ar- laria. Recife 6 de marco d 1866. O
roba.
Queijos........
Sabo..........
de
Os flamenos venderam-se
197000 a 1*800 cada um.
O inglez vendeu-se a 150 rs. a
libra, e o do Mediterrneo a 240 1866. Campcllo.
rs. a dita.
Toucinho.......Vendeu-se o de Lisboa de 9*000
a 9*500 por arroba,
vinagre........O de Portugal vendeu-se de 90*
a 110* a pipa,
vinhos.........Venderam-se os de Lisboa de
180* a 190*000 a pipa, e os de
outros paizes de 180*000 a 184*
a dita.
Velas..........As de composigo venderam-se
a 600 rs. por pacote de seis
velas.
Descontos.......O rebate de letras regulou de
10 a 12 por ceuto ao anno.
Fretes..........Para Liverpool pelo algodo 3A
d. por libra 5 % em vapor, >A
d. por libra 5 % a vela, pelo as-
suear / a 22 /6 3 l. -para Bar-
celona pelo algodo 1 d. por li-
bra 5 /0 a vapor, para o Canal
pelo assuear 40/ 5 /
escrivo Francisco dos ReisNunes Campillo
Jnior-. Lancado a fl. 100 do livro
competente n. 13. Recife 6 de marco de
E na mais se continha
em dita carta de editos aqu copiada que eu
escrivo bem fielmente co iei do proprio
original a que me reporto, e este fiz sem
cousa que duvida faca, conferido e concerta-
do na forma do e>tyIo. Cidade do Recife
aos 6 dias de marco de 1866. Escre\i e
[assigno emf de verdade O escrivo Pe-
MOVIMENTO DO PORTO
Navios salados no da 12.
Rio da Prata Patacho nacional Beberibe, capitao
Jos Manoel Vieira; carga assuear e agurdenle.
Liverpool por Lisboa Vapor inglez Cassini, eom-
maodante Iludsoo; carga assuear e algodo.
Marseille Escuna ingleza Storn. Brid, capitao
James La Boest; carga assuear.
Observago.
Nao houverara entradas.
Navios entrados no da 13.
Bordean! e portos enterrnedios 17 das, vapor
francez Gueme, de 1167 tons, commandanle
Aubry de La No ; equipagem 117, carga dife-
rentes gneros; a Tisset Frre & C.
Rio Grande.do Sul21 dias, sumaca brasileira
, Pelotense, de 136 ton.-, capitao Jeronymo Jos
Telles equipagem 10, carga 6,000 arrobas de
carne; a Francisco Pimo Ribeiro Guimaraes.
New York por S. Thomaz,Barbadas e Maranho
36 di'.'s do 1, 3 do 2* porf, vapor americano La
Oriental, de 992 tons captio Larony : equipa-
gem 36, em lastro; a Sauuders Brotherr & C
Observago.
Fundiaram no lanuro duas barcas e dous bri-
gues, mas nao tiveram comraunicagao com ierra,
em consequencia do rao lempo; e apparece a leste
ama embarcago.
E D IT A ES
Francisco de Miranda Leal Se ve, officiai da impe-
rial ordem da Rosa, lente coronel comroan-
daoie do 3. batalho de infantaria da gurda
nacional do municipio do Recife, e presidente
do conselho de qualifieacao da fregoesia da Boa-
Vista, por S. M. I. C. o Sr. D. Pedro II, a quem
Deus guarde etc.
Fago saber a quem iuteresar possa, que de coo-
forraidade com o disposto no art. Io parte 2' do
art. 9 do decreto o. 1,130 de 12 demarco de 1853,
e art. 8o das instruegoes de 23 de outubro de 1850,
se tem de reunir, na terceira dominga de maio,
o conselho de qualificacao da guarda nacional da
referida freguesia, no consistorio da igrej Matriz
da Boa-Vista.
E para que chegae ao conhecimento de todos
raandei passar editaes que sero publicados pela
imprensa e atusadas nos lugares designados por
lei.
Dado e passado nesta cidade do Recife aos 12
de maio de 1866.
Francisco de Miranda Leal Seve.
Joaquim Jos Silveira, officiai da imperial ordem
da Rosa, tenente-coronel commandanle do 1" ba
talho daartilharia da guarda nacional do mu-
nicipio do Recife por S. M. o Imperador ele,
Fago saber, em virtude da lei, que acha se
convocado o conserho de qaaliflcago e reviso da
parochia de S. Fr. Pedro Gongalves para o dia 20
do corrente mez ; cujas sessSes tendo principio as
9 horas da manha duraro por 15 dias consecu-
tivos, e funecionara'no consistorio da igreja ma-
triz do Corpo Santo.
E para constar raandei fazer o presente, que
ser affkado nos lugares mais pblicos da fregue-
zta, e publicado pela imprensa.
Quartel do commaodo do 1* batalho de artilba-
ria da guarda nacional do Recife 12 de maio de
1866.
Joiqaim Jos Silveira.
O Dr. Virgilio de GusmSo Coelho, juiz mu-
nicipal supplente da 2.a vara em exerci-
cio nesta cidade do Recife de Pernambu-
co etc. etc.
Faco saber aos que a presente carta de
editos virem em como a unta administrativa
da Santa Casa de Misericordia do Recife, me
fez a peticSe do theor seguinte: Diz a
junta administrativa da Saota Casa da Mise-
ricordia do Recife, que quer fazer citar a
viuva de Manoel Antonio Carneiro, para
primeira d'este juizo fallarem aos termos de
um libello em que Ibe quer pedir o sitio n.
20 particular no lugar Carreira dos Mazom-
bos, as salinas, do qual se acha de posse a
supplicada por titulo de aforamenlo feito ao
dito Manoel Antonio Carneiro, visto ter a
supplicada cabido em commisso, como me-
Ihoni ente expressarn em seu libello, pena
de revelia, ficando logo citada para lodos os paga a dita quantia, e como esteja o suppli-
E
dro Tertuliano da Cunha.
O Dr. Virgilio de Gasmo Coelho, miz mooicipal
supplente em exercicio da segunda vara desta
cidade do Recife de Pernambuco e seu termo,
por sua raagestade imperial e constitucional o
Sr. D. Pedro H, a quem Deas gearde etc.
Fago saber pelo presente qae a junta administra-
tiva da Saota Casa de Misericordia do Recife, por
seu procurador me enderegon a petigo do iheor
seguiote:
Diz a junta administrativa da Sania Casa de Mi-
sericordia do Recife, qne quer fazer citar aos her-
deros de Migael Ferreira de MeMo, para a primei-
ra desle juizo fallarem aos termos de um libello
em que Ihes quer pedir o sillo de n. 18 particular,
no lugar denominado Salinos, do qual se acham de
posse por titulo de aforamenlo feito ao dito Miguel
Ferreira de Mello, visto terem os supplicados ca-
bido em commisso como melhrmente se expres-
sara' em sea libello, pena de revelia, ficando logo
citados para todos os termos oa causa at Goal exe-
cugo.
E porque a sopplicante ignore qnaes sejam es-
ses berdeiros, por isso requer- a V. S. se digne
mandar passar cartas de editos. com o prazo de 60
dias para serem os supplicados citados por todo o
conteudo oesta.Pereira e Souza.Proc. civ. n.
203.
Portaoto pede ao Illm. Sr. Dr. juiz municipal da
segunda vara assim Ihe defira.E. R. M. M.Co-
moiprocurador Jos Theodoro Gomes.
E nesia peigo que me foi apresentada dei o
despacho do tbeor seguiote :
Destribulda como requer. Recife, 28 de feve-
reiro de 1866.' Coelbo.
E sendo feita a distribaico ao escrivo deste
jaizoGuilbermeAaguio deAUlayde.este em obser-
vancia a este meu despacho, tez passar o presente
edital pelo qual e sea theor, chamo, cito e hei por
citados a todos os herdeiros do mencionado supli-
cado Miguel Ferreira de Mello, para que dentro do
prazo de 60 das comparegam por si on por seos
procuradores ante este juizo, allegando e provaudo
o que fr a bem de sen direito e justiga, sob pena
de se proceder as suas revelias.
Portaoto toda e qualquer pessoa, prenle, amigo
oa conhecidos dos referidos herdeiros, poder-ltes-
ho fazer sciente de todo o expendido.
E para que chegue ao cenbeelmeno de lodo?,
raandei fazer o presente que sera' affixado nos la-
gares do costume e publicado pela Imprensa.
Dado e passado oesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 3 de marco de 1866.
Eu Guilherme Augusto de Alhayde, escrivo y
susberevi.Virgilio de Gusmo Coelho.
N. 59 rs. 400. Pagou 400 rs. Recife, 3 de margo
de 1866.Cha ves.-Sena.
Vai pagar 230 rs. de direitos de chancellara.
Recife, 3 de margo de 1866.-0 escrivo Alhayde.
N.1222. Pagou 230 rs. de direitos de chancel-
larla. Recife, 3 de margo de 1866.Chaves.Li-
rnoeiro.
Transitou pela chancellara. Recife, 3 de margo-
de 1866. O escrivo Francisco dos Rala Nuns
Campeilo Jnior.
Langado a fls. 100 do competente livro n. 13.
Recife, 3 de margo de 1866 Campeilo Jnior.
Firmino Antonio de Souza, presidente.
Estavam as armas imperiaes.
E nada mais se continha em dito edital aqu co-
piado do proprio original.
Dado e passado nesta cidade do Recife, aos 5 de
margo de 1866. .
Ea Guilherme Augusto de Alhayde, escrivo o
subscrevi.
Virgilio de Gasmo Coelho.
Joaquim da Silva Reg, cavalleiro da ordem
de Christo e escrivo do juizo de paz da
freguezia do SS. Sacramento do bairro de
Satito Antonio- da cidade da Recife, pro-
vincia de Pernambuco, e interinamente na
subdelegada de dita freguezia, em virtude
da lei, etc.
Certifico ser a carta de editos, entre par-
tes, autor Luiz Ferreira de Almeida, e ros-
Joo Jos da Silva Villar & C, do theor
seguinte:
O cidado Antonio Augusto da Fonceca, ca-
vaileiro da imperial ordem da Rosa e juiz
de paz do segundo anno em exercicio da
freguezia do SS. Sacramento do bairro de
Santo Antonio da cidade do Recife, pro-
vincia de Pernambuco, em virtude da lei,
etc.
Faco saber aos qae a presente carta de
editos virem, que por parte de Luiz Ferrei-
ra de Almeida me foi feita a peticao do
theor seguinte:
Illm. Sr. juiz de paz. da freguezia de San-
to Antonio.Diz Luis Ferreira de Almeida
que devendo-lhe Joo Jos' da Silva Villar
d- G. a quantia de 1:0004>000 rs., prove-
niente da letra junta 411er o supplicai.te
faze-lo citar para a primeira audiencia des-
te juizo, alim de ver se amigavelmetite Iho
termos da causa at final execucSo. E por
que a suplicante ignore quem seja essa
viuva, por isso requer a V.S. qoese digne de
mandar passar carta de editos cora o praso
de 60 dias para ser citada a supplicada por
cado ausente em logar incerto e nao sabido,
requer o supplicante a V. S. se digne
admitti-lo a justificar a ausencia do mesmo
supplicado, aim de que elle seja citado por
editaes na forma da lei, sendo dita ciUc3o
todo o contendo n'esta. Pereura e Souza.
Proc. civ. notta 203 por tanto pede ao Illm
Sr. Dr. juiz municipal da 2.* vara mef defi-
ra. E R. M. Como procurador Jos Theo-
dore Gomas.
Cuja peticSo sendo-me apresentada n'ella
dei o dispache do theor segamte:
Destribuida, como requer. Recife 22
detevereiro de 1866. V. Coelho.
Em virludejde dito meu dispacho foi a
accao distribuida ao escrivo Cunha, e ate
paesoft a presente por bem da qual e sen
theor citada a viuva de Manoel Antonio
Carneiro, para fallar aos termos de um li-
bello civil que Ihe vai propor a junta adnii-
nistratWa Santa Gasa da Misericordia do
Recife, pedindo-lhftjnintrega do sitio n. 20
as salinas,
visto ter cabido em commisso; como ludo
declaras peticao aqu transcripta, ato de
que no praso de 60 dias contados d data
Jfdo presente, compareca em juizo por siou
por seu procurador a allegar o sen direito,,
feita sob pena de revelia.
Nestes termos requer, e pede a V. S.
deferimentoE R. 81. O procurador Ma-
noel Raymundo Pena-Forte.
Na qual peticao dei o despacho seguinte:
Justifique--e. Freguezia de Santo Anto-
nio 28 de abril de 1S66. Augusto da
Fonceca.
En virtude de qual descacho se proce-
deu a nquirc3o de testemunbas que depo-
seram sob o juramento dos Santos Evange-
lios a respeito da ausencia, incerteza do lu-
gar da residencia de Joao Jos da Silva
Villar d- C. ; e sendo tudo aiHoad e
preparado me foram os autos conclusas, e
por mim lidos. nelles profer a sentaaca do
tiieor seguate:
Visto provar-se pelo depoimento das tes-
temuahas de fls. que o supplicado Joao
los da Silva Villar acha-se ausente am
parte incerta, hei por jaaUfcads a sus
ausencia passe carta de soleros1 con ter-
mo de 30 dias pagas as costas pelo justifi-
.



. -
\
-
t
i .'

i






-
I
..
i
4
J
lili

y*mmm
AS*.,


'
i
I


tarto ~ Wgnm* i
1869.

i

ante. Freijqejia de S..Aqtonio da cidade' Expoal
do Recito 4 de maio de 1866. Antonio colas
Augusto da Foneeca..
E nadi mais se conlinha om dita senten-
ca dada nos autos, por bem da qual se pas-
sou ao justificante o presento edital com o
prazo di; 30 dias, pelo qual se chama e cita
o referido Joao Jos da Silva Villar C.
para que dentro dos 30; dias compare-
ca por si, ou por sea bastante procurador,
para se proceder aos termos de conciliacSo
na forma da peticao, e a qualquer Outra'
pessoa tara que The faca saber desta mesma neiro na ultima exposiglo, e que por este
cttagao, afim de que elle nflo fique Indefeso. fado algtms dos amigos expositores se re-
v0 porteiro deste juizo Manoel Francisco de cusam a-concorrer com novo productos
Almeida., publicar este nos lugares mais exposic3o do Io de julbo prximo; resol-
publicos destt freguezia, e o afxar pas- veu, em urna de suas sessSes, mandar fazer
sando certido em forma. publico o seguinte :
Dado e passado nesta freguezia de S.' 4. Ha ver na provincia," para os traba-
Antonio da cidade do Recife aos 4 dias do lbos da expsito, um jury especial, no qual
mez de maio de H66. Eu Joaquim da'nao terSo voto os membros da commisso
Silva Reg, escrivSo que o escrevi. Anto- directora, que julgar da excellencia, iper-
irotfnetos agri-
ara e Ura de
arte cal P#-aanMue9
Corjanle pmmissio directora da ex-
posicao qxie, por falta dos necessarios escja-
recimenlOH,. pela comparagao- havid entre
os nossos productos o outros similares de
d.versas provincias, e per outros motivos
de qee nao teve completa sciencia, nao bon-
ve a desejavel iguaJdade n* distribuigJo fei-J
ta para esta provincia das recompensas dia-
das pela commisso central do Rio de Ja-
s
TIEEATKO
DE
Para
Bul JA* -\jVIJIDII.l
rre da aaalgnati
VUarta feira 16 de'
nio Augusto di Foneeca.
Ao sello 300 rs.. vale sem sello ex-causa.
Augusto da Foneeca.
Nada mais se continha em dito original a
que me reporto e don f
Recife 4 de maio de 1866, snbscrevo e
assigno.
Em f de verdade
O escrivSo,
Joaquim da Silva Reg.
DECURACOES
Cioreraio da provincia.
4.a seccio.Secretarla do governo da Pernam
buco, em 1 d mato de 1866.
EDITAL.
Pela secretaria do governo, se faz publico
quem interessar possa, qae tendo oExm. Sr. vice-
presidente da provincia, de dar execucao a lei n.
6)9, de 20 de marco uliimo, abaixo publicada, se
convida todas a* pe-soas que pretendan) con-
tratar a construceso das estradas de que trata a re
erida le, a apreseotarem ao mesmo Exm. Sr. as
soas propostas, e mediante as bases nella estabele-
cida*. afim de serem examinadas e preferir-se
aquella qiK melhores vantageus offerecer.
O secretarlo,
Dr. Francisco de Paula Salles.
LE N. 649.
O Dr. Manoel Clemenno Carneiro da CuDba,
vice-presidente da provincia de Pernambuco : Pa-
co saber a todos os seos habitantes qotfa assem-
bia legisliillva provincial deerttoo e en sanecioaei
a resol uc>> seguinte :
Art. t. Fica o presidente da provincia antorisa-
do ? mandar esludar e a contratar com urna ou
mais companhias oa com pessoas reconhecidamen-
te idneas, ama rle de-estradas, de rodagem ou
de carrls de ferro, coobacidas, sob a denominaco
de tramw.iys, que ligue os centros populosos do
interior da provincia com as diversas estaces da
estrada de ferro do Recife a S. Francisco, como as
actnaes estradas de communicac;5o para esla capi-
tal ou com os pontos de li:toral de fcil accesso a
navegago.
Art. i." Para execucao do artigo precedente po-
dera' o mesmo presidente adoptar as seguintes me-
didas :
t. Conceder as companhias ou aos particula-
res, que se eocarregarem da construya} dos
tramways ou que o collocar d'ora em dianle as
actnaes estradas, ama subvenco kilomtrica pro-
porcional ao capital empregado e por urna s vez,
fl'-and o contrato, que para isso se eelebrar de-
peii'1-nte da approvacao desta assembla.
contratante podeca' independente desta appro-
vacao dar eomego aos estados e preparado dos
pla'nos das obras, os quaes ecHticarSo mediante in-
demnisaco perteucente a provincia caso nao seja
apnrova io o contrato celaforado.
2." Ontrahir um emprestimo dentro on lora
do paiz, mediante rondicoes que nao obrigoem a
provincia a um dispeudio superior a quatfo ce-
ios con tos deris aonuaes.
Art. 2. Ficam revogadasas disposicSes em con-
trari--.
Mando portanto, a todas as autoridades a quero
o ciinliecimeoto e execncao da presente resojuco
pertencer (juea r.utnpram e l.iy.itn cumprir to in-
teiram^ntecomo neila seconim.
O secretarlo do governo desta provincia a faga
imprimir, oublicar e correr.
Palacio lo governo de Pernambuco, aos 20 de
marco de 1866, 43 da independencia e do imperio.
L. S.
Manoel Ctemcntmo Carneiro da Cunha.
Sellada publicada a presente resolucao nesta
secretaria do governo de Pernambuco, aos 24 de
abril de 1(166.
O secretario, Dr. Francisco de Paula Salles.
Registrada a fl. do livro 7 de leis provlnciaes.
Secretaria do governo de Pernambuco, 20 de
marco de 1866.
O e-cripturarlo da 4 seecaoTheodoro Jos la-
vares.______________________________
E\pos!c5o do productos agri-
< I;i., indiistrlaes e obras de
nrteda provincia.
En consequencia de resolucao da' com-
mis a j .lirectora da exposicSo desta provin-.
cia conmuico aos Srs. delegados da mes-
ma c >mmissao, industriaes e mais pessoas
que lem de concorrer aquella fesla com os
seus proJuctos, que foi transferida a aber-
tura da '.xposi(o para o dia <5 de agosto
prximo futuro ; outro sir, que a remessa
des productos deve ter lugar de 15 de ju-
lbo em diante.
Sala da commisso 9 de maio de 1866.
M. Buarque deMacedo,
Secretario.
:ns;ieecao de arsenal de marinha
A in#pe as obras do arsenal.
In-p-'-'-.'.o do arsenal de marinha de Pernambuco
2 de malo de 1866.
O secretario,
Alexamdre Pereira dos Anjos
n ordem do Sr. Dr. delegado do 1* dlstricto
desta ci'ale, encarregado do expediente desta re-
partigo, sao convidados os donos dos eseravos
abaixo declarados, que te acham recolhidos a casa
de detenr;.io, a requererem a-entrega dos meamos
eseravos, mediante documentos comprobatorios do
dominio legal; matriculas e taxa.
Eseravos.
Flix, escravo de Antonio Praoico Pereira de
Lyra, reeolhido em 23 de jnnbo de 4865, vindo da
provincia das Alagoas, onde foi preso por fgido.
Antonio escravo de Jos Bezerra de Araajo, re-
eolhido em 17 de nevembro de 1863, por fgido.
Joo escravo de Jos de Sa' Lelo, rMoMiido em
9 de margo de 18M, por briga nm heato de ma-
sica*.
Constan'iso, eigrato de Antonio Ribelro, recomi-
do em 28 de abffl *e 1866, por fgido.
Antonio escravo de F. 8o*n, recolliito om M
^sMjttfcJC.'t-'^boco 12 de mata
O leeretario
Edrdode Barros Faltlod* Laceria.
'- Por-orAti itVdd^efaJTdol di
feicoamento e utilidade dos productos ex-
postos ;
_ 2. Este juey se dividir em duas sec-
ces, sendo urna para os productos agrco-
las, e outra para os industriaes propiamen-
te ditos e obras de arte ;,
3." Far5o parte do jury as pessoas de re-
conhecida aptido e especialistas;
4. Segundo juio do jury, a commi-
sao distribuir aos productores e demais ex-
positores medalhas de duas classes, sendo
as da 1* classe-de pirata e as da 2vde ca-
br, ambas acompanhadas de diplomas.
5. A commisso f ir acquisicto, medan-
le valor ajustado, dos productos que para
isto forem jnlgados dignos pelo jury/e que
nao possam ser cedidos gratuitamente para
flgurarem na exposicSo central.
A commssSo directora espera que estas
medida* servirao de garanta ao verdadeiro
apreco dos productos expostos, e qu farSo
desapparecer o desanimo que a alguns ex-
positores causou a desigualdade que ci-
ma se referie.
Alm disso, a commissSo chama a atten-
Clo dos.Srs. expositores e mais industriaes
da provincia para a cireumstancia de um
dos seus membros ter de acompanbar ex-
posicSo central os productos que d'aqui fo-
rem enviados, e fazer parte do jury julga-
dor na corte, achando-se por esta forma
EXPIHA-COHBRl- a
ura.
feira lfj de maio
Primaira reyrMeatafi
DA PHANTASIA DRAMATICE EM DCAS SCBHAS, ES>
CRIPTA (PILO WSTINCT* PR5AIIB JCANO 0 EXU.
SR. MANOEL DE CAR VAL 110 PAES DE ANDRADE
A C0BAA DE ARTISTA.
PERSOITAGEItS.
OartiMa........Sr. Pt4To Joaqofm.
A gloria........8r.* Enwlta Puntes.
Vot (ao longo).....-. 8r.'CleHa.
Coro de aojos.
Scenario c rogos arranjalos polo Sr. J js Aires
(machinista do theatro.)
Momea do Sr. Colas fllho.
Pintora do Sr. Dornellas.
Algunas pessoas manifestando de ba multo o
desejo de ver oa acea pernambucana esta com-
posico de um eavalaeiro to estimado como
autor, o empresario quix salisfazer es=e desejo.
Segu a 3' representacao do multo applaudido
drama em 3 actos, do actor Cesar do Lacerda
A ARISTOCRACIA
A reeira e bem
Tentador, pretende s
por
[da barca
___ Jbm mulla brevidade,
tem parte de seu carregameoto engajado, para o
resto qne Ihe falta rata-se comas sensconsignata-
rios Antonjo Lulz de Ohveira Atevedo & C no seu
escrlpiorw na ra da Cruz b. 1.

.,.,.-,
Jk
Pretende sahir em pseos das para Lisboa a
barca portugoeza Hara, rewfte carga e passagei-
ros, para os quaes lem excellentes conwsodw e p-
timo tratameato : a fallar com os consiliarios
Carvalbo & Nogueira, ra a Apollo n. SO, oa com
o capito.
LELOE
IEILA
Terminara o espectculo Com a engrasada co-
media em 1 acto
As tribulacdes de um
tutor j|
Pnctpfara* as 8 floras.
AVISOS MARTIMOS
ceunum hisilfiiiv
DE 9f
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sul esperado
al o dia 14 do corrente um dos
vapores da companbia, o qual, de-
pols da demora docostume, segui-
r para os por tos do norte. Des-
de j recebem-se passageiros. e engajada a carga
que o vapor poder conduzir, a qual dever ser em-
?eira Azevedo de C.
barcada no da da sua chegada; encommendase di-
habilitado para ministrar todos OS esclarec-! nheiro a frete ath o dia da sua sabida as S horas;
mpntns npcpss3pin a nprfpitn rnnhpcimpn- as Pafsaens s, sero recebidas na agencia ma
memos necessarios ao pene to connecimen ^ CrM esenptorio de Antonio Lniz de Oli-
to dos productos, e fazer valer o direito de
cada um d3s expositores desta provincia.
Por esta forma a commisso julga ter re-
movido mais um dos embaracos, com que
porventura venha
productos destinauua oApuaioi rs 4 G do (;or.
julho. i po Santon.il.
Anda urna vez appella a commisso para
Liverpool por Lisboa
Pretende sabir no dia 12 do corrente o vapor in-
l lutar na acauisico de i 8|ez Cass,ne< Par Liverpool por Lisboa, para en-
destinados exposifiao do Io de; comm^s- d"heiro *: '" =" -
os dignos Pernambucanos, pedindo-lhes com
instancia que promovam com esforco a re-
messa de productos destinados a figuraren)
n'aqoella festa industeial. onde se empe-
nhain os brios da provincia
Sala da commisso, 23 de abril de 1866.
O secretario,
Dr. Manoel Buarque de Macedo.
Tribunal do commercio
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Pernambuco se faz publico que em sessao do mes-
mo tribunal de 12 da correte foi considerado va-
go o oQlcio de corretor desta praca, que exercia
Frederico Lopes Guimaraas, o qual o abandonou,'
e qoo a flang prestada em favor do mesmo cor-1 s^gue cora brevidade a velleira barca portugue-
retor persisto por seis mezes, contados desta data ; | Ia Beiem, capitio J. Joaquim 'de Frenas. Recebe
C0MP1NHIA BUSILEIBi
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do norte esperado
o vapor Cruzeiro do Sul no da 21
do corrente, commandante can-
forado, oqual depois da demora do
costume, seguir para os portos
do sul. Recebem-se desda j passageiros e enga-
ja-se a carga que o vapor poder conduzir, a qual
dever ser embarcada no dia de sua chegada; en-
commendas e dinbeiro a frete at o dia da sabida
as 2 horas : as passagens s sern recebidas na
agencia ra da Croz n. 1, escriptorio de Antonio
Luiz de Oiiveira Azevedo & C
Para Lisboa.
e que (ka marcado o praso de 60 dias, para dentro
delles se habilitartm os concorrentes ao referio
offleio.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 13 de margo de 1866.
O oQcial-maior
Julio Gulmares.
um resto de carga a frete, para o que trati-se no
escriptorio de Araonm Irmios, ra da Cruz n. 3.
cauruiiu
DAS
Bessageries Imperiales:
I jl At o da 1 i do corrente espe-
fA!)DF! 1TB 41 '-r**SwTt^. rase da Europa o vapor francez
UhlilLlO UF-hAL kaSh(A^- Gmenne o qnal depois da de-
Pela adrainisitaco do correio desta cidade, se saH mora do costume seguir para a
faz publico que em virtud) da convenci postal "^^^^^^^Bahia e Rio de J..n"iro. Para
celebrada pelos govemos brasileiro e francez, se- i condicoea tratas a passageiros trata oa agencia
rao expedidas malas para Eoropa no da 15 do ra do trapiche n. 9.
corrente pelo vapor ioglez llhone.
As cartas sero recebidas at 2 boras antes da
que Tur marcada para a sabida do vapor ; e os jor-
naes at 3 horas antes. *
Administraco do crrelo de Pernambuco, 8 de
maio de 1866.
O administrador
Domingos dos Pssos Miranda.
Arremataco.
Os passageiros de Pernambuco para os portos
da Europa que queirara segurar as mesmas passa-
geds a bordo dos paquetes desta companhia nos
mezes de maior afluencia tem a faculdade de as
lomar no dia em que os vapores segofrenr para o
sul, pagando porm como se fosse do Rio de Ja-
neiro._______________________________.
?m o Aracaty.
O velleiro e bem conbecido palhaljote nacional
. Dous Amigos, pretende seguir com Bits brevlda-
No da 15 do corrento, perante oSr.Drju.xoo ( ,em ^ sea carr^aTneQC0 engajado, para
orphaos, finda a audiencia, deve ser arremauda r'esl0 |h fa|u com os se*sJC0D^Qa,
renda do engenho Dons Irmao no logar de Api- ,aHos ^ ]m1 de 01j A M & a
pucos, sendo as ba xas de caplm pertencents ao $eQ escrlptori0> rua da Crnz B: L
mesmo engeDho pelo espacc de o annos e 9 mezes, i ......, ..... .t, ,, ,, ,t i,, i
e as trras de plantacao de cannas, cereads, casa^ Dqi>q a Ui'a fia TlTlpirA
de vivenda, etc., etc., que fazem parte da renda do ir*lU> O XIO U6 dUeiT.
meatno engenbo pelo de 6 annos, tudo cumulatl-j O veleiro e bem conhecido trigo* Adelaidt,
vamente : os pretendentes podem examinar o ec- pretende sahir com muila brevidade por ter a
cripto que se acha. era poder do porteiro Amaro i maior parte do carregamento engajado, e para o
para Ocarem scientsdas condifiOes com que dito; poocoqae Ihe falta e escravosa frete, trata se com
enggnlio val ser arremata*. a I muliialurlo Joaqun #ub iUB^HiBrlrttra') m
rua do Vigario n. 17 primeiro andar.__________
Para a -Baha.
Priende seguir oaw mua browade a velleira
sumaca nacional Hortencia, a qnl Oem parte de
seu carregamento prompto, para o resto que Ibe
falta trata-se com os s-us consignaurios Antonio
Luiz de Oiiveira Azevedoc C, em sen escriptorio,
rua 8a Croz 4 .
Facaldade de direito
De ordem do Exm. Sr. director so faz publico
que nos diaa li e lo do cartela lera' lugar ueau
faculdade a defesa das theses do bacharel Graci-
iaoo de Paula Raptista, coiuocaodo o acto as 10
horas da manha.
Secretaria da faculdade de diret'do 'Recife II
de maio de 1866. <^,^j Jos Honorio" Biajjp je-Jfeaeies
Secretarlo.
inspeepo do arsenal lie
mm-lnha. (I !'
Faz-se publico que a coraaiisso de peritos
examinando, na forma detertnhnda 4 reftnfamen'-
to annexo ao decreto n. 1,324 des de fevexee ue
18oi, o cseo, machina, caldeiras, apparelho, maa-
treaco, veame, amarras e ancoras do vapor Ma-
tnanguape da companhia Pernambucana de navega
Cao costeira, acliou todos ossts objectos em estado
de poder o vapor navegar.
Inspeccao do arsenal de marinha de Pernambu-
co, 12 de maio de 1866.
O inspector,
H. A. Barbota to towte '
iiJ ..
Arrematado.
Fjoda a audiencia do julz de orphaos e ausentes,
no dia 15 do amato, oacrivi Nmm riniH
serararrematad o por venda, a qoem mais der, um
terreno de manaba, n. 236 A >a roa Imperial,
freguezia de S. Jos, com seos aterros e benefici-
os existentes, tendo Si bracas de frente e 187 de
fundo, de coja estenco se ha de descontar o espa-
to necessarto para as qoatro mas indicad
titulo de marinha do dito terreno,
que por aquella raso deixoa de
excluidos os logare em que osta-
gas ; servindo de base a arremataco a qoantia
*
ara o Porto
Profund seguir com mnita brevidade a velleira
de Sonza
egaroento
-se com os
veira Aze-
ruz a, 1.
barca portugueza bis, capillo Mathl
Maf M* tem, dous reos de seu
ramal), par* o raak que Ihe falta tri
teas loasigoaiarios Antonio Luiz de
C, no seu escrptorio,*rua da
vi2JL
PAR4
sahira' tem toda a brevidade o briine portogaez
Constante II por ter prompto quasi toldo o seu car-
regameoto : para o restante e passageiros, para os
aoaea lem excellentes oommodoa, traase com Ma-
noel Igaacio Oiiveira.Filho, escriptorio no lar-
go do Corpo Santo n. f, ou com capitao na
praca.
>"------------------------------------------------------------!-----------------------------------------------
OnpaiMafePNsbicana
TMuiMa^BW
A sabida ,da* ve para Kaeov, Periedo e Araca-
j, Oca transferida por ordem su-
perior, para o da 17 do corrento
as 5 horas 4a tarde-
m;&%
to dest ridadfv-anaipraBado do X(Mdieate d
nrtica > fago publico pan conhecimento de qu
iawawsr poWa, que em offleio de 2 do correan
imunicou o Dr. chere de polica da praalnil R nnm
lio de Janeiro, que fra all preso, eoaao (agMa i^oTmSve4
eloJoio, africano, (congo! que declarou ,.edo, contra o
ivo d. [**rar*iia muimttMW^SnSSMu:
e.seossignaes sao es seapiatea' a^"*L
de .raia]J!pktoono, testa.
oatotoreluas ,- ----------
e p'a granfe, om a orelha esquerdacorta- Kelafla aascartM aayaras fiwtaates aa n
da, e cox 1 da pana esdOerda. 1 traeie e otrrese aVsta aiiade pm ta seakaret
Secretaria da polteia W Pernambuco 11 de OtasT _____________
de 1866. '~~
O secretario.
HJi 1
o Porto
moita
co ftfifci a mm,
AdtnitMirt0) do enrreio 1
de preci. de tas Iwmens para o servio
de camioaatro, qam esiiver oeatas coadt
fes 0 f izer eofijriteriji-te 'a UMiflMv j
adfninistiracSo.
da Cruz.
|Drfluo.
ir. Jos Beato da Cntiba Flgueiredo.
brevidade o brigoe
;era parte de
veto que ihe
jyios Antonio
*)Q escriptorio
Bar a o Porto.
*as o patacho,
odia
paue
ana
Carga, prompS, 1
do Coiniici(i a. 4.
De cerca de 3 barricas cttu ei-
meitf.
hoe.
O agente Pestaa far' leilao por coota e risco
de quem pertencer de cerca de 300 barricas com
cimento desembarcado ltimamente, o qual ser
vendido em um ou mats lotes a vontade dos com-
pradores : segunda feira l do correte pelas 11
horas da maohaa em ponto no largo do caes do
Apollo.
LEILAO
De W etii*s cata eebolas.
Terca-feira li do corrente.
O agente Pestaa Ur' leHao por eoata e risco
de quem pertencer de 130 caixas com ceblas as
mais novas que ha no mercado em um ou mais
lotes a vontade dos compradores: terca-feira 15
do corrente pelas 10 horas da manhaa no arma-
zern da viuva do Paula Lopes no largo da escadi-
Dha da alfandega.
LK1L0
Da
Fazendas avariadas
Terca-feira 44 de aiaio.
O agente Piolo far leilao, por conta e risco de
quem pertencer, de diferentes fazendas avariadas,
as 10 horas do oa cima ; dito no armazem da roa
da Crozn. 57.__________________________
LEILAO
De 6 massos (fe chape s 9 chile
(resto de ama factura)
Ter$-feir* li de maio d 1866
Por intervenga i do ageuta Pinto no armazem da
ma da Cruz n. 57._______________________
Leilao
DE
Um eseravo
Terga-feira 11 de maio de 1866
O agente Pinto levara lei'o, por despacho do
Illm. sr. Dr. juiz 4o commercio, em virtude do re- [
qnerimento 'do depositario geral, do preto Thom.
crloulo de 23 annos, escravo de Manoel Pereira i
Magalhes e existente em deposito ; o leilao sera' i
effectuado as II -horas do di* cima dito, no arma
zem da roa da Crnz n 57.
fTmwim pfaiKJ, aceeita
disoipHlos tirito ira^iilade co-
mo nos engenhos e acha-se
tambem habilitado para o
ensifi) geral das linguas e
sciencias modernas; alivra-
ria franceza rua do Crespo
n. 9, presta-se a dar e rece-
lar infbrmac5es.
Ousiovo Wertheimer "
flftlSPUTADOS
Sortimento de papis pintados e
lindas gaarices para forrar casas.
NLIVR\RIA FRANCEZA.
N. 9. Rua do Crespo N. 9.
S. Antonio.
A apreciada e mui procurada tresena do glorio-
so S. Antonio, acha-se a venda na rua do Iperador
n. 15 defronte de s. Francisco.
Ama de leite~
Precisa-se de urna ana de bom leite e sem
filho: na rua Imperial n. 87.
Ama de leite.
Preeisa-se de orna ama de leite a tratar na ma
da Prala ns. 13 e 15, armaaem. ___________
COMM
Preeisa-se de urna coziobeira para casa esuvn-
geira' na praoa do Corpo Santo n. 13. ____ .
Preeisa-sa de urna ama para coziohar e com-
prar, que tenba bom comprtamelo, prefore-se
e:crava : na rua do Queimdo n. 47.
Precisa-se de uma ama que saiba bem cozi-
ahar : a tratar na uia estreita do Rosario nume-
ro A A.
O oapiiao Joao da t.uuu.i loares uuua-
raes, convida a todos os prenles, amigos e
collegas do finado alferes Joao Jos de Al-
meida Pernambuco, a eomparecerem no dia
15 do corrente as 8 horas da manhaa, na
igreja do Carmo, para assistirem a missa
que pela alma do mesmo finado manda cele-
brar os offlciaes e pravas da 7< companhia
da qual elle perlencla.
CASA M PORTONi.
Am 6rOOO0 a'iwja daSBmS StfiSbaocban-MS
Oabaixoassignadovondeunosseus multofeli-
res bilbetes garantidos da lotera na, se acaborj
de exirahir, a beneficio das familias ddtSwiunta-
rios*i patria, os egoiates premios:
N. 277S um inteiro com a sorte de 6:000000.
N 1760 omlnleirocwna sorte de 1:200.
N. Sil tres quintos om a sorte de 960$.
8 outras muitas portes de 100, 40*. e 20J.
Ospossnldoros podem vir recabar seno respec-
tivos premios sernos descontosas leis na casa
da Fortuna roa de Crespo n. ti.
Acham-se a venda os da 13' parte da lotera
(62') a beaelkto das faartlas dos voraotatlos da
patria, que se extrahira'larca-feira 15 do oerreate.
PRHt* -
Bilrrttes.....6W0
Meios......35000
Quintos.....10200
as pessoas ue eeapranai de 100^000
I
Para
para cima.
Bilhetas.
telo*3.
Quintos.....10100
MaNoat M*miNs Filza.
m
aLEIIiAO
DE
movis, looca, carro, e cavallos.
O agente Pint", autorisado pelo Sr. J. P. M. Bra-
ga, o qual Mira-se desta provincia com sua fami-
lia, far leil de todos os movis, louca, vidros e
crystaes peitencenles a casa de sua residencia na
Estancia, para onde soguir as 10 1|2 horas da
manba um mnibus partindo da praga do com-
mercio.
Quarta-feira 15 de nio.
Em contiauacSo vender* tambera
Uma victoria com arreios, dous cavallos pro-
prlos para a mesma,

Miguel Jos de Almeida Pernambuco, Mi-
guel Jos de Almeida Pernambuco Filho,
Ezequiel Franco de Si e Manoel Silvino de
Barros Falcio, convldam a todos os seus
parentes e amigos para assistir a uma missa
qae mandara celebrar n > dia 17 do corrente
as 8 horas d manha, na Igreja da Concei-
c3o dos Militares, pelo descanco eterno do
seu fllho, irmo e cunhado o tenents do Ia
batalhao de infamarla da guarda nacional
desta cidade Jao Jos de Almeida Pernam-
buco, que fura destacado para o servico da
guerra e morreu na hospital de Corrientes.
AVISOS DIVERSOS
Tendo eu em um momento se desvio de justo
pensar e proceder dirigido contra o Illm. Sr. Jos
Pedro das Nev?, palavras offeosivas com que se
dera o dito seohor por offendido ou injuriado, sofJri
um processo em que fui condemnado e tanta foi a
bondade do mesmo seohor qne me dispensara do
comprimento da respectiva pena, requerendo por
si desistencia do processo e termo de perdo, que
me dava da culpa ; cabe-me pois aqu dar-lbe um
publico testemunho de raeu recoohecimento pelo
acto benigno que se dignoo pratfcar para comigo.
Re.cile 14 de maio de 1866.
Antonio Pinto Cardoso Gama.
ATTENglOT"
Desappareceu na manhaa do dia 9 do corrente,
da casa n-. 110 da rua das Cinco Pontas, um cachor-
rinho d'agua, o qual acode pelo epitheto de-Esti-
garrlbia com os signaea seguintes: orelhas e
cauda pretas, bem como no meio do lombo tem a
mesma marca, e om a cauda cortada : quem o
achar fari o favor de entregar mesma casa cima,
oa nesta typographta, qae se Ibe gratificar.
LOTERA
aos o:ooo$ooo
Corre amanM
Acham-se venda Da respectiva thesou-
raria, rua do Crespo n. 45, os bilhe-
tes, meios e quintos da 13a .parte da lo-
tera a beneficio das, familias dos volun-
tarios da p*tiU6%endo a exti-aco no
logar e%#'tr&0^p$.
Os premios i HJWWWIDO at 10,5000
serao pagos uma hora depois da itracc2o
at as 3 horas da tarde, e os outros depois
*%^snTOrffmenIas serio gutdadas so-
mente at a noite da vespera da extracto.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigaes de Sonza.
A KEVOLI 140
iJflPERItLI^HO
Bese ser lido por todos os Brasileicos e
estrangeiros; pela meditado reconhecer5o
que falla com a voz da razo e proclama a
luz da salVafSo da nac3o (Jornal do Com-
mercio.
Prego 500 rs.
Exposico dos veila'leir>s priacijos
sobre que se basca
A LIBERMDE BELIGIOSA
demonstrando ser a separaco entre a igre-
ja e o estado uma medida de direito absolu-
to e de summa utilidade por-
lelas poros.
Prego 500 rs.
Da liberdadc religiosi no Brasil.
Estudo de direito constitucional por
A. di. de Haced o loares
Prego 500 rs.
Ideias sobre colonisa^o
precedidas de uma succiota exposigo dos
principies geraes que regem a popularao
por
L. P. de Lacerda Werueck
Prego 2#000.
Ama
Precisa-se de uma ama para cozinhar : na rua
larga do Rosario n. 8.
~~' \inoPK
HfOPlIOSMllTO E l
DE
6R1MALT4C.
Pharmaceutico de S. A. I. o priucipe Na-
ple3o em Paris.
Desde muiios seculos o$ mdicos e os
chimicos tinham procurado um medicamen-
to que podesse curar as molestias do pejto,
todas as pesquizas feitas at.boje nio ti-
nham tido nenhum resultado.
Porm os trabalbos que foram communi-
cados ltimamente academia de medicina
de Paris e as mais serias experien ias feitas
no hospital Bromplos de Londres, que es-
pecialmente reservado para o tratamenlo da
tsica, provaram que essa terrivel molestia,
qundo ella nao estava -ainda no seu ultimo
grao, tinha no xarope de bypopbosphito de
cal um especific poderoso.
As tosses, defluxos, cahrrhos, bronchi-
tis, grippa, coqueluche, cedem tambem r-
pidamente ao uso deste xarope, e os asthma-
ticos acham nelle um-elemento ceno para
curarem-se. Recommendam-se aos doentes
de fazerem uso ao mesmo lempo das delicio-
sas pastilbas peitoraes do suco de alface de
louro cereja, dos senhores Grimati't & C.
Esta excel'ente preparag5o se compda de
duas substancias as mais calmantes e ao mes-
mo tempo as .mais inofensivas da materia
medica, e nao contera opio.
Deposito as pharmacias de P. Maurer &
C. e A. Caors, em Pernambuco.
Os abaixo assigoados comprarim aos Srs.
Jos Dias de Castro C. o deposito sito na rua
do Codorniz n. H, por isso se alguem tlver a re-
clamar, queira faztr no praso de qoatro dias, a
datar de hoje, julganJo livre e desembarazado o
eslabelecimenlo se ningoem flzer reclamaca\
Hecife lt de maio de 1866.
Jos Goncaives de Oiiveira Castro.
*____________omiogos Antonio de Piuho.
Ama de leite
Na roa do Imperador n. 27, seguudo andar, pre-
ctsa-se alugar uma ama de leite, paga se bem.
Precisa-se de uma ama que saiba co-er e
engommar : na rua Ivova n. 3i, 2o andar.
= Preciso-se de um feitor : no Hospicio, pas.
sando o quartel general o primeiro sitio.
Precisase de uma ama que saiba "cozinhir
bem e sirva para ir as compras: a tratar oa rua
da Imperatriz n. 34, Io andar.
uuarte Carvalho Pereira hzem~selenle
a quem interessar, qne o Sr. Joaquim Hamos Son-
to deixou de ser nosso caixeiro desde o dia 11 do
corrente.
.
Junto.a estaqfficina n. k% vndese doce da
goiaba fino a 1J700 a lata de 4 libras, gaz do rae-
Ihor a 10# a lata e a 44# agarrafa, e lodosos
mais geaeroa da meiaar ojafUrtaatn a por preoaa;
commodos. j
_---------
OH JESUTAS
historia secreta da fandarao, propagado e
influencia sobre os destinos do mundo ejer-
cida por esta celebre ordem desde a sua
origem at a sua suppressao por Clemente
3yv, pelo
Reverendo Ildefonso Llanos Gnlnez
NOVA EDICAO
Prego'.. 2,5000.
Saldos contra o paiz
coata corcente
olitlcas de Mareo
Antonio
Prego. .
pn
Reflex5
KvTua*%oarai* V
VALBNtiaO B-1
IL
ndar, anfunliarj a* aaoduzr a rua da
PAfllNAS DA ACTA
OS PARTIDOS
Prtco 500 rs.
0 Imperialismo e a
v as obras acama vendenwa
Na lifraria francea na HtrtSli1
ISH
Cara perdida
Perdeu-se nesti cidade ama.car-
te viada da Pao 4-A4he para o Sr.
ftuerqo* Liatva qualdavia sar ea-
tregue ao Illm. Sr. Francisco lia-
Precisa-se de ura caixeiro para taberna, de
12 a li annos : na rua do Rangel n. 60 se dir"
quem precisa.
Precisa-se de nma ama para cozinhar e-com-
prar : na rua do Kangel n. 9.
Precisa-se de urna ama que nao tenha filho":
na rua do Arago n. 24.
^ Ansentau-se do 3'andar n. 19 da ruada
Cruz o mulatinho de nome Joo, filho de Joaqaim
de tal, morador em Oameleira, de idade de 10 a 12
annos : a pessoa que o levar ao sobrado supra
sera' recompensada cora o quantia de 10.
Na rua Nova n. 6o, 2o andar, anda se pre-
cna-ae urajeado de conducta allantada.
Precisase de duas criadas para o~servico in-
terne da orna casa esiraogeira de pouca familia :
a tratar na rua do TrapfrlH-novo n. 42:
A njosde procissd)
Na praca da Independencia ns. 37 e 39 e dir'
quem vasto ricamente anjos para procissao, por
commodo prero.
Alnga-se de novo a ca>a n. 6 da roa dos
Prazere?, nos Coelhos, era completo estado de con-
cert e aceio : na rua do Rangel o. 36, segundo
andar._________________________________
Chocolate de Meiiier
CHOCOLATE DE SAUDE.
CHOCOLAfE DE BAN1LHA
CHOCOLATE DE CITRATO DE FERRO.
CHOCOLATE LACTATO DE FERRO.
Veode-se
Na botica e drogara
DE
B4RTH0LOME0 & C.
31Rtia de Rosarle
Mq
oanarehe
Prala, armazem de gepero
Pedro AlexandrraJdt I rLisblpbbli'
ttr. presi-
relacionara aoaarar cama oes ai
Wts lidids; ai aaawai iptrt tiVi
e qualqner caanrjadicial o podas pro-j
em casa da > Direitadesta mesma eWaaarbem como ase se
meettefa awaar le
^Prtcfsa^e'Won1
de uberna, no pateo da"
nodaAime
^rdo n. 48^
L verLachado a refn
aofufe
lftdt^lL
a quem ti-
carta o favo
ir mdlcad,
Roberto Augusto da Silv* e irraos,
e da mais profunda dr pela sentida
de soa prezadiaaima mai D. Aatoaia
da Silva, oovldaa aos parentes, e
pera assistirem a missa do 7.* dia oa
Igreja MannaaMaaaistaMBBaajaaaa; 4o cor-
Tente pelas 6 horas da manha, eaRrovei-
tam esta occasiao para agradecer a todas as
possdas que se dignaran atsslsttr e acompa-
nbar o corpo ao cemiterio publico.
mSL
10J
- Alonse Bepaa, aaafse&hotsY 11 om fllho me-
nor, retiram-se para Franca j se alguem tlver con-
tas contra o mesmo, queira apresenta-las na rua
dofoailsne^aatei de Frang*.>,
-*i\eaia. mar, n-ra4i9wizatla WS
da Madre de^BW, o.
{ de a mandar
v manan mwm
O proeeeer daJaMavda r_
desta cidade, atanaasslaajadot aaa|if a ao pul
aoe contina* estar ahina a namcala da i
aula: qnem se qqtzer matrlenlsr, :^HH
i di ranea.
JRottarua
-4Wi BO IM*i0t4dft"
{liado-
;cs
iiEfiim
.




Bl

i
Mulo t rera*a*o.e gmaaeta fe** 4 m Matle i 1666.
A LEGITIMA
uiurunui
DE BRISTOL.
PREPARADA NICAMENTE" POR
LAMAN & KEMP,
NOVA YORK.
Composta de substancias, gozando d3j
propriedades eminentemente depurativas a
approvada pelas juntase academias de me-
dicina; usadajnos principis bospitaes, ci-
vis militares e da marinba as Antilbas e
no continente americano ; receitada pelos
facultativosos mais distinctos do imperio do
Brasil e da America hespaobol
CUSA RADICALMENTE
escrophulas, rheumatismo, escorbuto, en-
ormidades venreas emerour iaes, chagas
antigs, morphea e todas as molestias pro-
venientesd'um estado vicioso do sangue.
Emquanto existem varias imitacSes e
alsificacos, preciso a maior cautela para
vitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAORS & BARBOZA
JOO DA C. BRAVO A C.
Jlo da C. Bravo & C.
Deposito geral em Pernamnuco rna da
Croa M em casa de Caros___________
Samuel Power JohFisin k Companhia
Ruada SenzalaNova n. 4.
AGENCIA DA
Fimdi^&o de Low Hoor.
fachinas a vapor de 4 e 6 cavallos,
Moendas e metas moendas para engenbo.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nbo,
Arreios d Relogios de o uro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
MmMmmmmwmm mmm
Oompankia. geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
m
m
p
m DEPOSITO DE CALCADO
FABRICADO NA GASA DE DETENCO
Roa \ova n. I. {
Ahi se encontrarlo obras de di- m
versas qualidades, e por preco mui l
diminutos, a retalho e em porgues. W<
S se vende a dinbeiro. jfK
mmmmmm mmmm ***
Trocam-se olas do banco do Brasil e das
caixas filiaes cora descont razoavel : na praca da
ndepeudencia n. 22.
Fartarara do enpenho Perori na comarca de
Goianna, na noite de 17 para o amsohecer do dia
18 do corrente abril, ires cavallos sellados e en-
freiados, uno foveiro, lem a cabera quasi toda
branca, bom estradeiro, capado, pescoco fino, em
boas carues e de 7 para 8 anuos, sendo de mel
para cima. Oulro russo pedrez, sem andares,
inleiro, de 8 para 9 anBos, de meio, e com o ferro
sepuinte R. ultimo castanho, de roda, sem an-
dares, pequeo tirando a mais, inteiro, urna estrel-
la Da testa e o p direiio branco. de 7 pata 8 an-
cos, com o ferro segulnte o : recommenda-se e
ropa se a todas as autoridades policiaes desta pro-
viuda como da Parabiba hajam de se por ventu-
ra spparecerem ditos cavallos nos districtos de
suas jurisdicfoes aprebende-los e deposila-lus, co-
mo capturar ero podtr de quem se encontremos
referidos cavallos qoandosuspeitos e fazendo em
continente aviso na cidade do Recife ao negociante
Manoel Crrela Lima ou em Goianna ao major Jo-
Joaqaim Rocha Faria.
-- Precisa-se de urna boa ama de leite pa-
ra urna casa estrangeira : a tratar na iua
da Cadeia n. 18.
Precisa-se de nm caixeiro : na travessa do
Marisco n. 7, fabrica de charutos.
As Pilulas Catharticas
I>E A.YER.
O purgante mal efecaz al Aoje coithectdo.
Ectas pitilla* to paramente veg-
itrrr*, nao tendo na *oa eompo-
iljao nem mercurio nem ostro
ingrediente mineral; sao inno-
centes para as eriaaeaa e pesaoas
mais deNeada, ao meemo terapo
qe, tomposfas com* sao de vegt-
taea mui fortes, ao bastante acti-
va r ellauea paja as pessoaa mais
ro bostas.
Estas pilulas cathsrticas purgao e purifico todo systema
bumnno sem mercurio.
:>..u se (em poupado trabalKo nem despeza para levar estas
pulas a um grao de perftecao tal, que nada deixa a desejar;
j-'-'j o resultado de auno* de estudos laboriosos e constantes.
I'an ulcaucur todos as rantagens que resalta de nao de catluir-
licos, tcm-ee combinado sanente as cirtudet curattva das
plantas que sao empregada* na coafeceo das plalas. Sua
composieo tal que as enfermidades qae esli ao alanos
de i ua aeeao, raras Teiea podem reslsti-las oa rail la*.
Sua* propriedades penetrantes explorao peaetro, purifico e
do vigor i todas as partea de organismo humano; pola cerrigem
a ana aeco viciada e Caz recuperar a sna ritalldade. Umadaa
consecuencias dstaa propriedades i que o doente, abatido de
6r e debilidad* pbyiiea, amlia s; 4. Moatrar, to dcpr.au,
e imples e ogradavel.
As molestias ene estao a* seo alcance lio.
I'rizLo de PtHtre llheuuuUUmo, Dr da coteja, A fevralgia,
n.:agueca, Iiidiuutto e atol do estomaga, Htmorrhoidot,
PADECIKEHTOS DO TOADO,
Febre gattro-hepatoa, GartriU, afenla BUiosat Lombriomt,
j:ri:-iK/a, Hydreptia, surdt*, ctfuira parcial, Pr*tg$ia. \
No alnuaak e Munaal de Haude do Dr. Ayer, qae se Uta
todos os annoa para dlstrlbnleao gratuita, encontra-ee um tra*
tado sobre as diversas deea;as que estao ao alcance de
BUXDIOS FTOOAITH.
^xba-se em toda* as Bolleos Drogaras do Imparto.
O Peitoral de Cereja
DE AYER,
TAMA A PXOXrTA CUBA OA
Aaina, de OonatpaooM, Toases, Beuquldio Infla
nza, Bronohite, Tiao* primaria, Tubarouloa
pulmonar, e toda* aa molaarlaa o
Palto, atedia oomo para aUriar
oa aifaiooa dlarartoa.
Aa proparaeea* do Dr. Ai** ao vendida* mft a*HB*|>M
dnijjaiiB e botlaa* de Imperio.
Veode-se em Pernambuco:
na

FABRICA A VAPOR
99 RA DO MONDEGO 9
Dejiosiio na rna Nova n. & toja de reloj oeU*t.
Deiouche donos deste estabelecimento partecipa ao respeitavel publico que sua fa-
brica est montada com as melhores machinas que existem na Europa, e que pode
tabricarcom melhor perfeiglo possivel. Todo o chocolate desta fabrica est garantido, e
puro, o que n5o se pode encontrar naquelle que vem de fra, e que se vende por preco
baixo, visto 06 productos serem do paiz. Na etiqueta tea sempre urna aguia.
PREQO.
Meia libra......... 400
Urna libra......... 800
Urna arroba........19(5000
Na mesma fab iea acaba de se montar urna oficina com serrara por para
obras de marcineiria propria para edificio, para o que encarreg -se de fazer portas, ja-
dellas, assoalbos (parqu fraocez como se usa na Europa,) e armacoes, ludo com brevi-
nade e perfeico. Toma-se qoalquer encommenda para fra da cidade, entregando-se
rompta a collar-se no lugar.
-----------__----------------------__-------------------------------------------------------------------
COfiliHO s FREITAS
Rita da Cruz u. 16.
Continua a baver diariamente um sortimento de pastis, podios, bolos inglezes.
empadas etc., etc. Os donos deste estabelecimento, acham-se as melhores eondicoes
de poder satisfazer encommendas concernentes sua arte, em con6equencia do socio
Freitas ter sido administrador chefe de algumas das princi| aes fabricas na corte, sendo
urna a do Sr. Jofio Goncalves Guimares (confeitaria do Leo) antiga casa de Garceller.
Todos os trabalbos sao difterentes dos que se fazem em casas particulares.
Os propietarios deste estabelecimento nSo se tem poupado a despezas, nem se
poupar5o, se houver coheorrencia como esperam ; tendo continuadamente bom sorti-
mento de doces para &h; presuntos e ditos em fiambre, tambem se recebem para se-
rem preparados ; assim como doce de caj novo superior, secco e crystalisado, dito em
calda em latas hermticamente fechadas, podendo durar annos em perfeito estado.
Para jantares e partidas recebem-se encommendas dos seguintes objectos; ban-
deijas ricamente enfeitadas sem armago pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, pes de l enfeitados com disticos anlogos a qualquer fim; ditos montados,
kechs simples e enfeitados com fructas ingleza; gatheaux de la reine, ditos de le d-
chese, tortas de fructa, massa folhada; ditas de peixe e carne; cremes e doces de ovos
de diferentes especies.
Tambem tem um completo sortimento de vinhos engarrafados, como sejam: vinho
do Porto superior, Figueira, Madeira, Lisboa, Cberez, Bordcaux, Champagne fino, ser-
veja, licores, charopes e conservas. Para testas: bonitas caixinhas com amendoas, con-
feitos e mais enfeites. Muilos destes objectos mencionados podem-se perfeitamente ac-
ondicionar tanto para a provincia, como para fra.
FIGURAS
Acabam de receber bonitas figuras para bandejas de doces, sendo grupos para
baptisado, casamento, annos, ditla a phantasia, bonitos enfeites para bollos e circular pra-
tos de doces fios, tudo por precos razoaveis.
Vende-se licores em duzia muito em conta.
AUTORISrVDA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Urna flanea en diahiro, depositad* nos cofres do estado, garante a boa ad<
tuinistraco daeompaakia.
BANQUEIROS DA COMPANHI" 1 DIREC^O GERAL
Banco de Hespaaha Madrid : Rna do Prado
Esta compaohia liga pelo sysiema mutuo todas as combinas oes de supervivencia dos seg
es sobre a vida.
Kella pode se tazer nbscripco de maneira qae em nenbam caso mesmo por morte do
iegorado ae perca o capital nem os juros correspondentes a eties.
Sao to soprebendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL, que aioda mesmo dimlouindo urna terca parte do interesSe produdo em recentes liquida-
ces e combinando-o com a mortalidade da tabella de Depareieux que adoptada pela companhia
para seas clculos e liquidacoes, em segurados de idade de 3 a!9 annos, orna imposico annoa.
de iOOf produt em effectivo metlico:
No fim de 5 annos...... 1:(19300
> de 10 ........3:942*600
* de 15 .......11:208*200
de 20 *.......30:256*000
l-deJl...... 80:331*000
as idades menores de 3 anuos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospect is e mais ioormacdes sero prestadas pelo sub-director nesta provincia.
Joaqun) Fiuza de Oliveira, ra da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista roa da Imperatriz n. 12, estabeleci-
mento dos Srs. Raymundo, Carlos,Leite & Irmao.
AO GRANDE S- MAURICIO

PROCESSOS APERFEICOAIIOS
PARA *
Tlnglr, llmpar e lastrar a vapor.
F. A. SALIMR
29 Kua 7 de setembro 29 .
Defronte da rna nova do Onvidor (Rio de Janeiro)
Os proprietarios deste estabelecimento, o primeiro no sen genero no Brasil, por
trabalhar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que se faz uso na
Europa, e ajudados por alguDs dos melliores officiaes de Paris e Ly3o, podem assegp-
rar seos freguezes urna perfei.o no trabalho, a qual sen5o pode chegar pelos proces-
aos ordinarios.
Tingem, lavam, limpam e demofam com a mair perfeic3o e brevidade qualquer
qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem molhar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de homens.
CALCADO-
45 fua Direita --45
A primeira condicao indispensavel con-
servado da sade trazer os ps btm de-
fendidos contra os ataques da humidade;
calcado bom e seguro o nico preserva-
tivo dessas mil enfermidades a que est su-
jeito o nossoeu. Um chnelo velho cal-
cado por um dandy patuscante, ou urna
botina acalcanbada em pequenino p de en-
cantadora deidade alm de aecusar que-
bradeirahorripilante, provacontra asidui-
dades iotellectuaes dos calcantes, e nao ha
qnem, tendo bom senso, queira passar por
maluco, ou pobre de surrao : ergo, cor-
ram a:
JLoRA DIREITA4*.
e attendam a' barateza.
Homens.
Borzeguins barcelionezes de lus-
tre e de porco ... 6^000
Ditos de Bordeaux 7*51000
Ditos parisienses de bezerro e
cordavao....... 8*000
SapatBes de Nantes de duas ba-
teras rasas 5i5000
Sapato de lona, sola de borra-
cha'..... ; 20000
Ditos aveludados..... 1*5600
Ditos de tranca bons. 1^600
Senhors
Borzeguins enfeitados. 3,5000
Ditos de laco .'.... 4086D
Ditos lisos.....- 4,5500
Sapatos de borracha .... 100
Selleiros, corrieiros e segeiros 1
Sola de lustre, meios grandes 20t50OO"
E um completo sortimento de calcado fa-
bricado no paiz.
fasa de commisso de eseraTes na ra do Impe-
rador n. 45, terceiro andar.
Recebemse escravos tanto do mato como da
praca para serem vendidos por commissao. *fflan-
5a-se o bom tratamento e seguranca para os mes-
mos. O abaixo assignado nao poupa esforcos alim
de os vender com promptidao, nest mesma caa
] ba sempre para vender escravos de ambos os sexos.
1________________Antonio Jos V. de Sonza.
Aluga-se na Capunga porto do tasserre urna
, casa terrea com sotao, tendo 8 quartos, copiar,
i cosinha, quarlos para criados, estribara e cochei-
I ra : a tratar na mesma Capunga casa da Sr* via-
va B. Lassrre ou na rna Imperial n. 20.
I Preciza-se fallar ao Sr. procorador~do padre
! Vicente Maria Ferrer de Albuquerque, por se ig-
norar a sua moradia ; na praga da Independencia
n. 8.
Feitor,
Precisa-se de um feitor para um engenho perto
desta capital e que seja portuguez, paga se lietn,
estando as condicSes que se deseja : a tratar no
engenho Santos Mendes, na freguezia de Tracu-
uhem, ou nesta praca com Manoel Ignacio de Oli-
veira & Filho, largo do Corpo Santo, escriptorio
n. 19.
B04 CASA
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia Inderonisadoi'a, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias:
na ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Oflerece se. urna mulber de nade, de boa
conducta, para ser ama de casa de pouca familia,
de duas a tres pessoa's, ou de homem solteiro :
quem precisar dirija-se a ra da Senzala nova
numero 13.__________________________
= Urna pessoa com praiiea do foro se offerece
para promover qualquer arrecadacao amigavel e
judicial, garante sua conducta e prometa todo
cuidado e actividade : quem precisar annuncie.
Precisa-se de um anussador : na padaria da
rna Real do Manguinho n. 25.______________
Aluga-se urna casa e sitio na estrada do Ja-
cobina (Capunga), com lerracos e can'eiros ao la
do, baoheiro, edeheira, estribarla, gallinbeiro e
quartos fra, bastante fresca : a tratar na roa do
Pilar, primeiro sobrado a direita logo depols do
arsenal de marinba, 2o andar.
Em casa de Tbeod Cbrisliansen, roa do Tra-
piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil,
de Brandenburg (reres, Bordeaux, encontrase e-
fectivameote deposito dos artigos seguintes :
Si. Julien.
St. Pierre.
La rose.
Chateau Loville.
Chateaa Margaux.
Gracd vin Chateau Lafitte 1858.
Chateau Lafitte.
Haut Sauternes.
Chatean Sauternes.
Cbateau Lataur Blaucbe..
Chateaa Yquem.
Cognac em tres qualidades.
Azeite doce. Precos de Bordeaux.
Aluga-se na ilha de Bem-flca, a margem do rio,
a razao de 155 mensaes, a primeira n. 2 A :
trata-se na ra Nova n. 38.
ai
m
t0^tS*l3K Imtt&WkWsilmwifck
EXTERNATO GADAULT
NO
Principio da ra do Hospicio
Recebe alumnos primarios e secun-
darios.
Professores
De primeiras leltras Tito Augusto de
Albuquerque Porto Carreiro.
De fraocez, geograpbia e arimethica
Hippolytp Gadault.
De desenbo Eduardo Gadault.
:
DE
FAZENDA E ROUPA FEITA
HUA NOVA I. 4.
Reg & Moura, proprietario da loja de fazendas e roupa'feita, sita rua~va
n. 24, verdadeiramente penhorados e reconheciilos para com seus amigos e freguezes,
pela aceitaco e confianza que deiles lem merecido no curto espaco de lempo em que
se acbam establecidos e perfeftamente escudados na sinceridade dos seus tratos, decla-
ran* para sciencia daquelles que o quizerem honrar com seus officios, que, em vista da
grande concurrencia que tem mereciJo o seu estabelecimento, especialmente no que
relativo a roupa feita; acabam de admittir para a sua officina de alfaiate maior numero
de artistas, inclusive o seu contramestre, dirigido pelo hbil meslre Lauriano Jos de
Barros, o qual n5o se poupa a exforgos para satisfazer com a presteza possivel qualquer
obra de encommenda.
Os mesmos annunciam aos seus freguezes que acabam de comprar um novo e
muito variado sortimento de fazendas finas e de bom gosto, proprias para o tempo da
quaresma, as quaes estao dispostos a vender por precos muito commodos e mais barato
que em outra qualquer parte.
Como sempre escusamos essa efadonha prolixidade dos annuncios bombsti-
cos ; preferimos mostrar na singeleza deste nosso convite os bons desejos que nutrimos
parabemservirmos quelles que vierem ao nosso redimo.
Penhres.
O abalxo assigoaflo teado annnnciado pelo "Dia-
rio de Peraambucoi de setembro de 180* e narco
do crreme anoo, que tendo deixado de emprestar
dlnhelro sobre penhres desde qae .esse genero de
transaeco foi prohibido, e tendo anda em sen po-
der algumas obras de ouro e prata, anda roga s
pessoas a qnem ellas pertencem, que as venham
resgatar al o fim do corrente raez, pois que o oio
fazendo, as vender' para liquidar. Recife 2 de
aaio de 1800.
______ Bernardo Al yes Plnteiro.
Aluga-se orna casa sita na roa da Gnia 0.
42, propria para taberna por ser d esquina e ter
armacio egaz; a tratar na roa do Apoijo n. 19,
primeiro andar.
!; ta-ae
oon awaio, promptidao preces razoaveis: na ra*
**m i.fi. lol._______________________
- Aluga-se o pequeo sobrado de nm andaiQfc
satfo da roa do Calabouco n. JO : na roa Nova
nnaero U.
Alofa-stt ama casa con 4 qoarto, cacimba
e qaintal morado na rna o Jaamitn n. 10 : a fal-
lar na rna Velha beco 4o Veras sefundo andar
b.110.__________ .___________
Na ra Bella a. 22 paga se 25$ por urna ama
ejcrava para o tenifo de peqona familia.
Criado.
Precisarse de um criado para todo o ser;
vc/\ prefore-ae e?cnavo na livraria daxua
do Crespo n. 9.
Ama 4e ldte.
Predso-ie da nnu ama leUelte, para amamia-
tar una melisa muito manafaba, paga-se bom,
ra Nova de Saatt Bita 85 fodiBeiro andar.
mmmmmm '& mmmmmmm
Precisa-se alngar nma ama para casa de
pooca familia; na rna da Imperatriz n. 36.
Arrenda-se o engenbo Lobo, d'agoa, distante
urna e meia legoa da eslaco de Gameleira, e safre-
ja de 1,500 a 2,000 pes, exgese o adlaniamento
de um triennio : a tratar no engenbo Antas.
moxto novo
DO DR. CHABLE
MEDICO E PROFESSOR DE PHARMACIA, DE PARS,
PARA O TRATAMENTO E PRMPTO CURATIVO
DAS ENFERMIDADES SEXAES, DN TODAS AS AFFECCOES CCTANEAS, VIRUS E ALTERACOES DO SANGCE.
Respoi
l*ul>lleaco jurdica
DOS
nsaves nos crimesS
De hberdaae de expritnir ot pensa-
mtntot.
Lijes de direito criminal. B
PELO DR.
Braz Florcntioo Henriqes de j
Souia,
nte de direito civil na FaculdadeS
do Direito do Recife.
Acaba de sabir a' loz esta interesan-
| te publicaejo e acba-se a' venda na li- *l|
? vrariaEconmica a' rna do Crespo n. ffl
I 2, pelo preco de 4J. cada ezemplar.
mmmmm mwmiwm>mmm
YAROPE
PEITORAL E DULCIFICANTE
DE
SAI^T-GKOKCiaEN
Preparado por GRIMALT & C pharma-
cuticos de S. A. I.oprincijeNapoleSo.
Cura rpida das molestias seguintes:
tosse, catarrhos, pleuresa, coqueluche, an-
ginas, fortes constipacoes, rritacoes dos bro-
neheos edo peito, bronebite, phtysica pulmo-
nar, asima,pneumonia, anginas, amygdaliies,
tosse chronica, rou : Os medkos recommendam ao mesmo tem
po o uso as exeelentes pastilbas peitoraes
con o suco da altace o laoreiro-cerejo, que
se preparan no mesmo estebelecimento.
venda tas pharmacias de Maurer e A.
Cao(.... $ L s i
"Praeial-sdBaaa ana |wra casa da paca
faaiiil, que faca todo servlpo, prefere-se escrava :
na rna de S. Jos a. 2.
PSGH1KGH4!!!
OceasiJo n'ca do adquirir asofcrasde
Alejandre Dunas.
A' 500 BIS
Cada voIibc etca4eriado
BXXO LEW
L,lvrarla Wrmmn
Roa do Creopo n. 9.
PLUS DE
COPAHU
Gitrato de Ierro Cliablc.
Xarope mui preferivel ao
Copahiba, e as Cube-
bu, cura inmediatamen-
te qualquier purgado,
relaxacio e debilidade, e igualmente fluxog e
lluores brancas das. malberes. mjeeci le
ClusM*). Esta iajecco benigna emprega-se mes-
mo tempo do xarope de citrato de ferro, urna vez"
de manba, e urna vez de tarde durante tres das;
ella segara a cura.
DEPURATIF
d SA1VG
Depurativa de aangue.
Xarope vegetal sem tner-
euTiof o nico coubecido
e approvado para curar
con promptidao e radi-
calmente imptgens, pstulas, herpes, sarna, co-
mixdet, acrimonia e altera;des viciosas do san-
gne; viras, e qualquer aeco venrea. b-
ahoa aaiaeraca. Tunio-se dous por semana, se-
guindo o tratamento depurativo.Pomada an-
tiherpetiea. De um effeito nuravilhoso as af-
feces cuuneas e comixoes.
Hemarrahia*.Pomada que as cuaa em 3 dias.
' iJiC.

Precisase de urna ama para casa de pouca fa-
milia, que saiba engommar e cozmhar : a tratar
na praca do Corno Santo n. 17.
GARRAX, DE LAILHACAR & C.
(LBRAME FRANQAISE
RA DO CRESPO N. 9.
Livros nacionaes e estrangeiros.
Religiao, direito, litteratura, etc.
I
Papelaria, objectos para escriptorio.;
Papis iiintados -para f< rrar casas. '
Assignaluras para os jornaes da Eu-*
ropa.
i\A BOTICA E DltOGAKlA
DE
m
Ali
Precisa-so de asa asa para coa^rer* cotinbar
para casa de homem so'teiro : a tratar aa jsaca
da Independencia 0. i.on 3i.
Deposito na ra larga do Rosario botica de Bartbolomeu & C. n. 34.
?LIZARZ1T3
Tinta Inalteravel
Para escrever
de P. MAHEI Ca.
PERNAMBUCO
Esta tinta reoommenda-se pela sua com-
posieo e fluidez como a melhor e a mais
segura de todas as tintas" at hoje-'oonheei-
das. ad ataca as pennas de ac, d at
tres excelleutes copias, mesmo muitos dias
depois de escrrrer, e preferivel a qual-
quer ou tras tintas particularmente para
livros de comin,rcio, documentos eto de
que se careca longa conservaca.

Venase na livraria franceza ra do Crespo e roa Novan. 18 de
i'ii; 'I
DE
DE
N.
r. WGNES.
55. RA DO IMPERADOR M.
55.
Ot pianos daiu antiga fabrica sao boje asss coabeeldf aera qae seja necetsarfo iasisUr sobra a
aa superioridad*, vartfeu e garaattas qae offereoea ao ctHiaradorat, oalidadM estas laooatesu-
aU fe atlea taaa aedaltivameaM eoiquisttdo sebre todos osejMtem anaarecido aesta praca; poe-
*a*do ua teclado e aMeb*aiaa*o que obedecem i todas as vootades e eapriehos das planlsua, sem
taa (aliar, por aerea fabricados de proposito, e ter-se feito ultimanwaMaieitVirwisriM iaaortaa-
Uiaisarn pm o dkna deste paiz ; qnaato s votes, sao melodiosas e tontada, e por sso muito agrada-
rais toa oavidos dos apreciadores.
Pueao-se coatoroe u encoormeodas, tanto nesu fabrica como aa de Sr. Btimlsl, de Parts, sodo
atausjQliaati de J. Viges, esa coja capital Terna sempre proejados em todas a eaioaieOes.
NbesesUbel#clmto se achara sempra um eiplandido e variado sormeito de msicas dos
saaltwrwantoresdaBuroDa, assim como barawiicos e pianos aariunieos, seido todo veadido por
prepos iijamodos* razoavets.
BARTHOLOMEO & C.
34.UCA DO ROZARIO LARCA 31
Vende se
Xarope de Guiy.
Granulos d'atropina.
Capsulas d'apiol.
Vinho de quinquina de Belline.
Pastiibas degestivas de pepsina Wasmam^
Granulos de Bismuth de Chevrier.
Licor e pilulas deLaville.
Injecfo Feaugs.
Xarope verdadeiro de Botigny;
Granulos d'Ergotina de Bongean.
Capsulas e injeccao ao matico.
Xarope hypopbosfito de cal e soda.
Elixir anti-astbmatico de Guiili.
('.-nfeitos de cubebina de Lalelonije
Eixir de citro-laclato de ferro do Dr.
Thermes.
Injeccao Broa.
Essencias superfinas de Barman*, Piver e
Chardrin Hadancoul.
Granulos de Digitalina.
Vinho de quina ferrugino o de Moitier.
Xarope de lodureto de ferro de Blancard.
Agua das caldas da Rainna.
Xarope de indacto de Abbidie.
Confeitos de lclalo de ferro de Gelis &
Conte.
Ferro de Quevene.
Rob de Laffecteur.
Perolas deether.
Xarope aaligolioso de Boub.
Ole de figado de bacalho desinfectado de
Chevrier.
Agua denlifica de quinina.
Perolas de assaftida.
Oleo de figado de bacalho ferruginoso de
Chevrier.
Xarope de digitales te Labellony.
Ole iodado de persone.
Xarope de cudeina de BertbA
Emais as principaes drogas, p'Oductos,
especialidades pbarmaceuticas e chimicas
dos principaes paizes da Europa.
VAKELLi
*> e phiattialaa.
Um volme in 12." impreiM e en-
eadernado em Paris: em casa dos
edictores
LIVRARIA FRANCEZA
N. 9 Ra do i
ML __
Precisase de nm caixeiro par taberna que
teaha praiiea e seja de 13. a 15 anos de idade
na roa da Poate-Tellu a..
Na pi
onrives,coa
besase_________
ledos o*aa*jaw eoaosrto.
Altalo" Lu1Tde
para eider ao sea
vtaha do Forte emc_.
oola da Babia superior.
da Iodependesteia n. 33, loja de
<& C tem
, ra da Crn i. 1,
, fio hamburgus,
*
\

'
l
\

<
i i
11
i
i


A
DfctUft ie er^wbuco T- mu** feir* *4 H #*<> de
Ricos brincos de crystal lapidados de diflerentes formas e cores, o que ha de mais moderno em
Paris, tambera criues e botoes para coletes ; fivellas modernas de raadreperola para ciato : estes arti
gen se rendem por menoa de sea valor no armazem da ra da Cadeia do Recite n. 60.
FABRICA
-----------

NACIONAL
DE
y i irnos

Estabelecimento na ra da Uniao n. 11
PROPIETARIO MAML LOMBOS.
No deposito, ra do Carme n. 63, existe um grande sortimeoto de vidros e crystaes, que- se
"vandem por precos mais baratos do que em qaalquer parte : frascos de 1 at 8 libras, oocca larga e
bocea estrella ; copos de 6 cortes, de mela ottava at mtio qaartilho ; ditos*de 10 cortes, de os. 1 e 2 ;
lobo para lampeoes de kerosene, lavrados, (apidados e foseados; ditos para candleiro de gaz; lam-
'>eojs de kerosene grandes e pequeos, lamparines ds metal; vasos para confeiiaria cono p e sem
lie, grandes pequeos; cnamins para lampeSes de kerosene de todas as dtmensoes ; compoteiras
moldadas de cortes largos, escarradeiras de cores pava salao, ditas de mo com aza, pequeas; vento
sas e bicherres, calizes moldados, copos sos para agaa e vinho, pratos moldados, retomas, garrafas
para rinttee agua, grandes e peqnenas^litai para Leroy,. ditas para licores, ditas para minas, ditas
para agua de Colonia, ps para pianos, trancos e de cores ; tubos para achinas a vapor, de crystal ;
globos cora guarnicao de metal xmarello, maotegueiras de vidro, vtdres vnlsos para galbeteiros lapi-
dadas, vidros para lampadas de igreja, gametas para missa, ditas para alheteiros, mangas para cas-
tigaos teas, lvradas e lapidadas-; lampeoees do pan-de para kerosene, ditos de pendorar; copos gra-
curJos Se 1 ate 16 oncas para pharroacia, -gerantinda-se a exactidao da medida ; vidros para peixes
coa pee sem elle, aeooenas para casticaes, ttfeamins para lampeos^e azeiie,< naagoes, viprospara agna forte om rolba. Compram-su yWros e crystaes quebrados.
O deposito destt fabrica em Pernafflbaco na roa da Imperatriz a. I'.L oDde existe constante
Riente-chamins para candleiro a gaz de ns."2 e 3 a 350 rs. de n. 1 a 400 rs., lamparinas completas
ta -2*, lampeoes complexos a 7* e 8, escarradeiras de coros a S*De0 o par, pratos para copos d'agua a
7500 rs., copos de deeirles a"600 rs-.^lobos lapidados e labrados para, candiel ros a gaz a 1*800. O
preprietario deste ano estbelsciraento convida ao respeitaveljpatilico para -que visltem o mesmo, cer-
tos : que comprara osartigos indispensaveis a nma casa re'familia pela sua baraleza -e utilldade,
.principalmente arsSrs. pbarmaceutieos'peta grande qaantldade de frascos <> vidros proprios de'pbar-
i'i.' ia. Tambe recebe encommeodas. O eocarregado do>propnetario Joao Uiiz Encreneaz.
LO JA DO BAliO
1AM DA CADEI1 DO ECIFK M,
Nestaaova loja vende-se fazendas muito barates, ssim como tambera tem nm completo sorlimen-
to de renpa de oasemira e debra; soriiraeuio de casemiras de cores pretas, e bom brfm 'branco
para se tetr obra por medida.
Hadapo avariado
Caigas de casemira escuras proprias para a estteo a "5000.
Paletots de panno fino pretor 8*000, ditos de alpaca branca a 44500.
Chapeos de sol de seda com 12 asteas a 9 e 10$
Estes chapeos de sol todos veodem por* 124000, mas o Bailo querendo-mostrar que ninguem
pode rivalisar com elle em precos resolveu vender os mals pequeos por 9 mil ris e os maiores por
10 mil ris, baldes de arco para senhora a 34- lia mnitas outras fazendas e roupas feitas, que todo
se vende com grande abatimeato para se apurar dinheiro e adquirir maior numero de treguezes;
q-wm duvidar da veracidade do que diz o Balao venha verificar se. '
Venham ver a ba.ra.te2a da loja do Baldo
PH0T0GB4P11IA
artstica americana
RA 00 IMPERADOR N. 38.
Artista americano
Artista americano.
Artista americano.
Artista americano.
RetratosRetratosRetratos.
Em porcelanaNiepcotypie.
Ku lencosArchrolypie.
Em vidroArabrotypie.
Em metal=Daguerreotypie.
Em papelTalbotypie.
No grande salao da na do Imperador n. 38
No grande salao da roa do Imperador n. 38
Neste estabelecimento tiram-se retratos
em todos os systemas, com asseio e promp-
tidao, desde as nove horas da manbaj
at as cinco da tarde; assim como tem
sempre a venda grande sortimento de cai-
xas finas de diversas formas. Qaadros
ovaes Passepartouts e todos os mais ob-
jeotos e productos cbimicos, relativos a ar-
te e recibidos ltimamente dos melhores
fernecedores de PARS e Nova York,tendo
de tu do, para lodos os gostos e para todos
os precos.
Salo da roa do Imperador n. 38.
Salao da rna do Imperadora. 38.
INJECCAO E CAPSULAS
VEGTAES AO MATICO
GIUMAUi T & C. PHARMACEUTfOOS DE PARS
Novo tratamento preparado com as folbas
de matico, arvore do Per, para a cura rpi-
da e itiallivel da gonorrhea sem receio al-
gum dacontraeco do canal ou da inflamma-
c5o dos intestioos. O clebre doutor Ricord.
de Pars, tem renunciado, desde -sua appari-
cjo, ao empergo de qualquer outro trata-
mento. Emprega-se a mjeccad no comeoo de
fluxo; as capsulas em lodos os casos chroni-
cos-e ioveterado, que resistiram s prepara-
Sirop du
JARABE DO FORGET.
HiSaliinnU 'Este xarP s,i pprovado pelos mais eminentes mdicos de Paris,
LSX^UJjcono sendo o mellior para curar coDitipa^oes, tosse convulsa e outras,
affecces des bronctaios, auques de peito, irritacoes nervosas e insomnolencias: nml colherada
pela manhi, e outra noite sao sufficientes. O etteito deste excelente xarope satisfaz ao mesmo
tempo o doente e o medico.
.* -r v -af | y$--.i0K i
Deposito na ra larga do Rosario, botica de Bartholomeo & C. n. 3i.
MACHINAS AMERICANAS
* erdadelras do labrileaote x. Caottongln & v.
Mtiafaos americanos pora :mer milho.
Na ra-No*a n. '20 e*22, grande deposito
das verdadeinas machinas americanas , os Mangantes; se enoootra neste deposito
grande poroo de raacliioas, e se vendem por"1
menos prego do que em uiira qualqaer parte,
por se receber em direitura da Amesica; se
turnea- todas as explicares necessarias ao
comprador para conserv^co das mesmas;
neste grande estabelecimento se encentra mui-
tos artigas ameeanos, qne muito dev-e agra-
dar aos agricultores que usa detaes.artigos,
encontrare tambem todas aseolleccoesdede-
senlios sobre os.quaes se. aceita qualqaer urna
encommenda, que com prompdo ser esecu-
tada; -t-ui grande estabela-jment, -eacon-
Ira-se em ^rosso^e a retaibo, grande perco
de terragens, e miudezas que se veedem por prego cotnmedo, pediodo-se aalteocao
de todos para este estabelecimento que muito luorarao-en: fazer suas comprase na
ra ilion n.-J0 Carnei o .Vianna.
Diademas donrados,
eiifeitadas com aljofares, pedras,
ele. para menieas e seahoras,
A aguta-branca vende bonitos e modernos dia-
demas aourados, edfeilados com aljofares e pedras
proprias para meninas e senboras.
Uonitoft chapeziuboM
de pilha fina e aveocaes para meninas.
Sao obras estas de que os bons pais de familia
se nao podern esensar de comprar, por fazeretn el-
las parte do asseio e bom gosto com qne trajaro
suas bellas lhinhas. A aguia branca tem o pra-
zer de ver qne to bellas e precisas obras fordtn
devidamente apreciadas e compradas em seu nl-
obo. Os cbapeozinhos, alm de serem d'oma pa-
Iha mu fina, sao de moi bonita forma e ultimo
no.-to, enfeitados com toda a perfelco : os aven-
taes, porm, sao de fina cambraia, guarnecidos de
Stbadinhos bordados; o que Ibes da muia graca.
s presos destes, 55000, e daqnelles, 10; e de
quanto sao elbs baratos conbecera o pretendeote,
que se dirigir a' loja d'aguia branca, na ra do
Queimado n. 8.
vidrllbos de cores e aljofare,
imilaaa ac, aara enfeites de vestidos.
A aguia-branca na roa do Queimado n. 8 rece-
beu nm bello sortimento dos objectos cima pro-
prios para enfeites de vestidos, etc., etc., e est
vendendo com moda mente.
Novidade.
Na Agola branca i rna do Queimado n. 8 rece-
ben diversos objectos de muito gjsto e inteiramen-
te novos, sendo:
Bonitos e delicados pentes doorados e prateados,
tendo entre elles algnns de filigrana obra mui per-
feita e de elevado gosto.
Ditos com chapa de madreperola.
Brincos de filigrana e outras qualidades.
Flveilas de dita e outras lambem de diversas
qualidades.
Cintos mni bonitos, enfeitados em toda a exten-
di com caracteres donrados e prateado?.
Filets enfeitados com moedinhas dourads,e lao
tejoilas, aljofares & &, sendo para coque, e toda a
cabeca, e outros com plomas &.
Bonitas voltas de jaspt com crozes, tendo tam
bem algomas de dnas cores.
Luvas e meias
de laa vegetal, para quem soffre de frialdade, pa-
ralesya etc. Vendem-se na ra do Queimado loja
d'Aguia branca n. 8.
Bandolino de roza
para segurar on conservar perfeitamente atado os
cabellos das senboras. Vende-se na ra do Quei-
mado loja d'Agnia branca, 15000 o frasco.
Enfeites pretos para vestidos
A Agota branca receben novos enfeites pretos
para vestidos, sendo Lieos com vidrilhos e sem
elles, trancas com pendentes de vidrilhos e sem
elles, cordo grosso tambera com vidrilhos e sem
elles; assim como galoes e franjas de diversas lar-
garas, fitas de velludo etc. como sempre os bons
freguezes encontraro commodldade de precos nos
objectos qne se vendem na loja d'Agnia branca roa
do Queimado n. 8.
Botoes de vidro
com enfeites d'aco no centro.
Esses botoes que tanto servem para melbor se
poder enfeitar nm bom vestido preto on de cor,
acbao se a venda na rna do Queimado loja d'Agnia
branca n. 8.
Giande loja
Aspas fortes para Loles.
Na ra do Queimado loja de miudezas n. 16, ven-
da-se aspas de ajo fortes, e de diferentes largura irin?zem da Arara ra da m
"&*&. ** -. '. peratrlan. 56.
Bonitos quadros para retratos. r ltfE
Vend'i-se na ma du Queimado Irja de minde- biumiro P lh>nl^ fiuim.MaiS
zas n^lC, bonitos f|uadro? co-u merdura |,rtia e; ,",,-', IP-UOCs UUH-i it s.
donrad., todos pr ,,re5os raM)aveis- >L cimento r.rel-, ,e-
Vw^*' Garrafas brancas-
0 de cares com superior ofiua da colonia.
-Vendem-se na "ra dr. Qutmado, loja de miude-
zas n. 16. JS
jf Novo gosto
Pentts. flvella, e l.rirn u- de fesiaua.
A ajiliga e bem e< utncid:. kja n. 16 na ra do
Queimado, recbeu um fornrm-ulo Je diversos ob-
jectos dnovo toai gosto, sendo pentes branco^ e
donrados de moldes eoteiramente novos e mu a-
gradaveis, leudo enire elles aleuns de filigrana obra
lo ultimo vapor de Europa diversas qualidades de
fazendas para veslldos de enhoia.
Sedas de cores a 1,5500 o covaJo.
Vende-se sedas de cores para vestidos de enbo-
ra a t500 o covado, la.-inhas de lindo? gostos a
20, 320 e 400 rs. o covado. hua dalmperatr.z lu-
ja e aimazem do Arara u. 06.
Melodrques de laa pirra vestidos a 4C0
o covado.
Vndese orna nova fazer.da por nr-me meiodi-
ques toda de laa_ para vestidos a 400 rs. o ce vado,
de mullo 'goslO e delicil exemao, e bem a?Sim -t.thilas Tinas a 320 e 400 r.-. o covado. Una da im-
peratriz loja do Arara n. 56.
Arara vondeuim para vestido a 240.
Vende.se oova f-zenda susim para vestid;- e
senhora e roupa de meninos a 240 rs. o covaui,
ditas a ICO, 200 e 940 rs. o covado. Ra da im:
-.) aliiz-loja do Arara o. 56.
Tariatana de laa para vestidos a 2'i0.
Vend -se iarlalaoa.de 19a para vestidos -j m-
nhora a 240 rs. o covado, tilo de linho a 160 o co-
vado, cortes de chita a 2000. So no Arara, ra
da Imperitriz n. 56.
Laa a trviata a 320 rs. o.covado.
Vende-se nova laa a trviata para vestidos uV.
senhora a.320 rs. o covado, s no Arara todas es-
tas fajeadas, novas vindas pelo ultimo vapor ua
Ennpa. S ua loja e armazem da Arara, roa da
Imperalriz n. 56-
Arara vende cobertores a 1#500.
Vende-se colertores de pellos a 15300,ditos sem
pelo iiG0, roberas de lista 2*000, coberta-: e
damasco 4*000, coberlas de fostao a ojOOO. Boa
da Imperalriz n. 86.
Lasinlias do Arara a 200 rs. o covado.
Vende se Fiasinha para vestido a 200,240, ''H>.
400 e 500 rs. o covado, colarinhos para hon>m a
3<.0 rs. a duza. Hua" da Imperalriz loja do .' r ra
n. 56.
Arsra vende as cassas a 240 rs. o covado.'
Vende-se cassas franeczas Gnas a 240, 280. 320
e 400 is. o ovado. ppcs de rambrala de !.;;;.
2*000, ditas unas a 3000,5^000 5*000 e C'..1 u
iRua di fmieratriz loja do Arara n. 56.
Cliilas a 160 c 200 rs. o covado.
Vende se chitas escuras e claras a 160. 2v-u *
240 o covado, tulas francezas finas a 280, 320, 400
e 500 rs. o covado, percales matisadas escu:.' a
500 rs. o covado, s se vende assim barato o Ar -
ra. S na loja e armazem do Arara, ra &.. Im-
pera-riz n. 56.
Novidade no Arara.
Algodao a 3(5*
Vende se pe^a de algodao encorpado a 3- i;.
e 6> i dita e 8* e 7*. Hua da Imperatriz I. na
Arara n. 3G.
Arara vende madapoio enfestado a3iOO.
Vende-=e pegas de madapolao enfestado a3sf-' t),
cores para en- 4* e 'i*aO0 ditas de 24 jardas a 4*, 5*. G, 'o* e
10, ra da Imperalriz loja do Arara n. 56.
vellas e brincos as mesmas circumstaactos.
Ttmbjim recebeu alguus cintos b que de mais
BKideroc e bonito, se | ooe encontrar em ta! genero.
AIcqj disso tucontrarao os pietendeutts um com-
pleto sortimento de rlvellas de madreperola, chris-
lal, tartaruga, e dourados,4>nncos de ehnstal, e
jaspe, rollas e cruzes de dito e muitos outros objec-
tos de gosto, os quaes continua-se a vender commo-
damente. i
Pnenles de madreperola, e enfeites filets
A loja de miudezas na roa do Queimado n. 16,
receban bonitos penles com chapa de madreperola,
a novos enfeites filets ornados de lantejoilas deli-
radas, moedinhas, aljofares, vidrilhos etc., lendo
grandes para toda cabera e pequeos para coque,
regulando os presos de 2* a 4*000 rs.
Bmitas calimbas
com arranjos domados para costara, tendo com
msicas e sem ellas. Vendem-se na ra do Quei-
mado loja de miudezas n. 16.
Trancas pretas
com vidrilhos, e bicos com ditos e sem elles para
enfeites ou vestidos.
Na ra do Queimado n. 16 loja de miudezas a-
charo os pretendentes um bello sortimento dos
Objectos cima ditos, cascarrilhas, franjas etc. etc
etudo est sendo vendido por presos con-modos.
- Botoes preios
de vidro enfeitados d'aco.
A loja de miudezas o. 16 rc<. do Queimado
vende mui bonitos boides pretos de vidro cora en-
feites de ac, os quaes muito se uzam para enfeitar
vestidos, quem os pretender pode dirigirse a dita
loja n. 16 a ra do Qneimado.
Vendem-se na loja de miudezas
a roa o Queimado n. i ti.
Bonitos leques de sndalo e outras qualidades.
Bonitos cintos com fivellas de diversas qualida-
des e moldes.
Brincos e crozes de crystal.
Abotoaduras de dito para coletes.
Bonitos port-relogios.
Delicadas caixas com msica e sem ella, para
costura.
Agulnas e llnbas para chrochel.
Itetrot superior em carriteis.
Rendas pretas e bicos com vidrilhos.
Fitas de velludo com listras de
feites de gorros e vestidos.
Ditas de grosdenapeles, lisas e lvradas, brancas! i .n-,n4.:c,o^n ?
matisadas. Ju ;il dllr-MUJU ,
Para lingir cabellos.
metlica.
en i
coes da copahiba eas iojeccoes cem base caba de chgar aloja da agaia branea
a roa do Queimado n. 48.
Cbromaco-me para tingir cabellos.
Hoild walter para dito.
Tintura de L. Marques para dito.
guia branca
a ra do Quimado n. 8
acaba de receben
Lantijonlas d'aco para enfeites.
Peonas branca! e de cores, para gorgos e chapeos.
Enfeites filets. mu bonitos e modernos.
Sapatinbos de setim parS baptisados.
Meias de seda para o mesmo.
Bonitos cfaapeosinbos de setim para dito.
Rosas camelias e outras qualidades.
Novos brincos, fivellas, pentes e pulsaras de fili-
grana.
Fita-- r seda de cores para debrunhar vestido.
P:' .i sarja com differentes cores e lurgoras.
i -.* de gorgoro, deseahos novos bonitos para
< i utos.
Carteiras com agolhas.
Ms.el dos Sames Mello cordialmente
[agradece aos parentes, amigos e mais pes-
soasque se dignar-am honrar com a soa
presenqn ao enterro de sua cariuliosa e cbo
I ada esposa D. Delfina Mara de Andrade
I'Mello e roga aosmesmos para ouvirem urna
missa oo da 16 do corrente pelas 6 horas
da manba na matriz da Boa Vista, pelo
que antecipa ja os seus sinceros agradeci-
meotos.
Hoild Waller.
Veode-se na roa do Qoeimado, loja miudezas
n. 16.
Chromaco-nie
Para tingir cabellos.
Vende se na loja de miudezas, a ra do Quei-
mado n. 16.
Tintura de L Marques
Qara fazer os cabellos pretos.
Vende-se na ra do Queimado, a loja de miu-
dezas n. 16.
Missangas miudas, a'jofuics imiUido
acoevidiilhos oe cores
para enfeites de vestidos; vende se tudo isso por
pregos razoavejs na 'ua do Queimado p.l oja 16,
de miudezas.
E' baratissiino!
E' baratissim.o!
&um\

o
A
Jkladame Bessard Millosheau tendo de retirar-
le para Frenga, esta1 liquidando o seu -negocio; e
desde ja' avisa aos sea-s devedores de emitas anti-
pas para ir-.:m saldar uas -eoutas per todo o mez
de junho prxima futuro ^ e quem nao tizer sera'
cobrado judicialmente orno manda a lei.
Precisa-se de urna .ama
coa Real do'Maoguintea n. .o.
De*eja-se fallar aaSr. Julia i de Vasconcellos
oo alguem per elle, a negocio de seu iateresse :
tia-rua das Tfincheiras O 4i.
No armazem de los Joaquina Lima Bairao, a
roa da Croz o. 18 tem para vender mate em jaca-
zes, o melbor que de presente ha no mercado.
Cal de Lisboa
i desembarcada do brigue portuguez Constante II:
vende-se por barato preco no escriptorio de Ma-
noel Ignacio de Olrveira & Filho, largo do Corpo
Santo n. 19._____________________________
Farinha.
No armazem de Vicente Ferrelra da Costa &
para coziciar : na Filho junto ao arco da Conceicao, vndese supe-
| rior -farinha de mandioca ltimamente chegada,
em saceos de tres a'queires ou cinco arrobas de
pesa, pelo baratissimo prego de 65 o sacco._____
Ama
Preca-se para urna casa estraageira deiuaia
rnulher reoottiida, fluc saiba bem roaiiafcar eqgo-
mar e lavar : na ra do Rangel n. 3.__________
-^"Arreada .-se uta sitio no lugar da Pirao-
ga, com trras de plantar e pasto, e varia*
arvores de iudo; na ra do Imperador es-
criptorio : a. 14.____________________
AMA
Na (aa Ce -Corredor do Bispo, estima casado
quarteiro 00V0 dos~Sre. Amorim,drmao, preei-
sa-se de urna ama.
AITf
Campadre voa dsr-Jhe orna noticia muito inte-
rusaete : no dia S de maio M 1866, iodo en da
pra-ja,:iara o malo, por volt das 8 horas da noite,
chegado em altara da Jos do Maogiofca. ao
sitio des grades pretas, bode em om ru ar-
dil. Gcmpartre, vot abe, .que pelo tempe de
invern -estaslnossas estrada*., u*o *e pode traoO-
tar por eKas, procure! o lagares nxutos joato
das rada Jretas, lodo eom cabe? bafxa a (ar-
ma do mea cosame, esbarr'aie om doas cavai-
leiroc no fia das ditas grades, ao logar que tea
muitos arvoredos, fallava orna baloa om os ca-
vallelros, esbarraodo-me com ees dkv-e um-um
rdspaodea a dita baloa quem que ai ah, eu
ibe raaaMi, a talador tanto que aesta aecasio
' chainavaai neatas palavras ande razar, tal he o
mez mariaoo para -esta gente qne esaeram aa bo-
ns da rata para Mr /uga para fallar eos o.s aasi-
xoaados, eoaipadra ao fm eu s qoem vj atas
scew!, maltas pessoas qae iraositavam oas es
mas boras, viram as auamas sceoas, compadre
por boje nio posto ser mate estenso, qaalqaer da
volbire para Iba dar notician das motheres de
marmore.
Faz se qoalquar tranuccao com nma letra
de 3M#3lo aceita por Juiiio de Vascoacellos, es-
laoaliaeJda em Aracaj : aoem qnizar dirlja-se a
roa da* Trlocbetras o. 48.
Na. refioaeio da ruado Rangel a. 43 precisa
de uaftalhaaores forros oo escravot, paga-se bem,
Joo Feraaades Lopes, liqoiatar da massa
da eitiocta firma Guiraar-* Sobrlnho, pede aos
creoret da oaama n*u* para apreseoUrera suas
coalas ao praso da oitodias, afim de proceder-se
a TtTiaeacao das nusmas. ______
Ostireiras deilaiail*^
Na roa do Crasao n 14. i- andar.
~". ^^J*!'* MM tm* P*'* cozlnhar: aa
roa largado Rosario a. 38.______
Precisa-ae dt nma ama forra ou captiva para
eariaaar a lOfammir : ta raa o Moadego n. 9,
jy.^nri r
* Precisaba 4i 'JU aieaiao para calMiro : na
la flha a. 33.
Cigarros de S. Paulo
De fumo de Belem do Descakado fabri-
cados pelo celebre JUCA.
________Raa do Crey n. 9.
Gosiiihero.
Precisa-se de um criado para cosifJiar e
estuprar: na li-v.rajia.da roa do Crespo nu-
niero 9!___________________^'
Precisa-se de am irabalnador de masoira,
ou .de algnma pessoa qne qoeira aprender o tra-
baHic ; a tratar aa raa do iRosa+to da Boa-rlea
nomero 55.
mmmmmmakmmw
GampaDhia fidelidade de seboros ]
maritimosterrestres __
asiabeleoida no ftio de Janeiro.
AGENTES KM PERHAMBCCO
Aaipaia Laii de OTeira iunit k C,
eompetetuamente aotorlsadoa peladiree-
tria da coapanhia de seguros Fidelida-
d>, (oaaam aajroros de navios, auraado
ras* preato* no seo escriptorio roa da
Crtu o. 1. __
COMPBAS
Compra-se os Diarios-de 41 43 44 de
Agosto de 4860 ou quaiquer numero .pa-
ga-se bem apeessoa que quizer vender le-,
ve-os-.a Fraca da Indeiieodeneta n. 8 loja de
iivroe.
^Corapram-se .latas vazias de jaz : na roa da
Guia a.;f.___________________ '
Libras sterlioae compram-se aa praca da
lndepeadeocia n. ij.______________________
Cocqsfa-se ouro, prata e ped-raa preciosa
em obra* albas : na ana. da Cadeia 4o Recife
cja de oariygs no arco da Conceicao.__________
Onro-e prata.
Em obravlhas.: compra-sena praca da ln
dependenelo a. tt, loja de bilbetes.
Comprarse ama barca de ferro, iQgleea on
a?esmo das antigs.; na ra Nova n. 31.________
Compra-sema prensa o>. algodao de fiaunders
Brothers C sesuenles de alfada o a 500 rs. por
erraba.
.Compra-se dmaom seliim nglez em seganr
da mo, paga-se bem ; aa roa Baila o. 22.
Compra-se om* secretaria de' Jacaranda
mogoo, oo de amareiio, na roa Non n. 7.
emtrnlho a t
* igarros: na
MUMM
Vende-se um mulato cozinheiro, lava eengom-
ma : a tratar na rna da Cadeia n. 50.
Vende-se umanovilba muito grande e gorda,
propria .para a^ougoe : quem pretender dirlja-se
a Santo Amaro, sobrado junto do cemiterio inglez,
CHlCrL
Os chales do Pava a H 7 c 85.
Vendem-se ricos chales pretos de ren'a muito
grandea com quatro pontas, sendo os mais moder-
nos por terem chegado pelo ultimo vapor francez,
e vendem-se pelo baratissimo prego de 6#, "5 e
85 : na loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, e
Gama & Silva. _____. ______________
No armazem de tazeudas
baratas de Santos Coelb.o
Ra do Queliuado u. IB.
Vende-se o segointe :
Lengoes de bramante de, um s panno pelo ba-
rato prego de 3200.
Ditos de panno de linho a 2200 e 2o0.
Cobertas de chita da India a 24G0 e 2^800.
Rengos de cambraia brancas proprios para algi-
beira a 2000 e 25200 a duza.
Ditos de cambraia de linho fino 9
dozia.
Neste imperante estabelecimenio encontra oies-
peitavel publico um variado soitiaento de f- -
das francezas,ioglezas esuissas,eas quaes ?-. cu-
dero por prego comando a saber :
Cliales de renda preta a SrjaOr1.
\>nde-se um sortimento de chales de renda .re-
ta a 5)508 e 64, ditos de seda a 12,5, i43 i !G
isto na ra da Imperatriz n. 72 deGuimsrcs t i
mi.
Retonds pretas a 8$.
Vende-se retondas prelas pelo barato pre ji
8t, 850O e 9$; na ra da Imperatriz n. 72, .ja
de Guimaies & Irmao.
Grande pexincha a 2 o corle.
Vende-se cortes de casemira da China a :'-". 00
2J800, 2-5800 e 35, ditas de brim a 15280, i-:
15600, 15800 e 25-
E' muito barato, tarlalaoa decores a ;0
rs. o covado.
Vende-se um grande sortimento de tarlatat >
cores muito proprias para vestido, fazenda ;-
moderna que tem vindo ao mercado a 240 o >
do e 280, ditas mais finas ?. 300 e 320, laa,.-
escocezas muito modernas a 360 400 rs. o "a
do, ditas milito finas 460 e 500
Cobertores de algoda-j : R^.
Vende-se cobertores de algodao a Sl-0 rc. ':.
memores a 15G00 e 158CO, coberlas de 11 '4
?5o0 e 3?.
Quem duvidar venha ver.
Cambraia de cores a 240 rs. o covado dlla Til a
280 e 320 chitas linas a 280. 300, 320, 360 .u
rs., dilas percalas a 400 e 300.
Est se acabando cbitas a 460 rs. o covado
Vtnde-se chilas a 160.-180 e 200 r?. ocov-
riscadinhos francezes a 240 e 280 rs. o covad 1 ;u
a 4oG0 e 55 a da Imperatriz o. 72, de Guimaraes. & Irmo.
j Lencos brancos a 2> e 2-iU0 a dozia.
! Ditos finos a 35 e 35500, ditos de linho a 551 00
*&&$* iISmMffi
Aleaibado de algodao branco a 25 a vara.
Bramante de llnh Uno com 10 palmos de largu- 55500, 6J e 75.
a 55500 avara Cambraia branca a 3->.
ntt^Si]Srde ,arga- JSBrjrjBg: ap b
Bramante de linho flno de orna largora, pelo ba- 3*> 3*00'4*' 'gSaS aa
raiissimo prego de 800 a vara. __ ,_ omes a Z$.
Toalhas de, linho acolchoadas para maos, a 135 Vende-se balSes de arcos a 25, 25500 e
^m
<*
Prcisa-sede ornaascrava,que seja fielotque eo
ziaaa entomme : ra a Queimado don. e
Compram-se jornaes para
arroba : aa fabrica de turulos
ra de 'Hortas n. 1.
Compra-se
orna escrava qae seja boa Agora e que saiba bem
tngommar, nao excedendo de 25 anoos de idade,
e paga-se bem :: ao escriptorio da Vicente Perre?
ra da Costa & Filhc, roa da Senzala n. 138, on em
seo armazem junto ao arco da ConeeicSo._______"
CompraA-se garrafas vasias : na ra da Ca-
deia do Recita a. 53,
VENDAS
CAVALLO FRTADO NO REMEDIO.
Portaran) da otaria do fr. Fia.ueiredo, aa qoar-
ta-feira 9 do correte mez, um cavallo com as sig-
naes seguinUs : rnsso, castrado, alada aovo, con
algons andares, um pos qaeixos dada atfras qne
repsenla o algariaa>o 8 em aada tada: quem
delle tiver noticia dirJja-se a ra Augusta o. 26
on na masma otaria qne sera' recompensado.
Aviso
para Goinn
Pede-se a om saahor estabelecido nesta eidade
qae haja de mandar paaar 1105 na roa da Cadeia
a. 18 aesu praca de Pernambnco, em coja casa
astaa habilitados a pasar recibo pelo propietario
deau qaaatia, Ueaodo certo o mesmo davedorqoe
ae nao maadar pagar dita qaaatia no
quatro das aera' o sen nona publicado
Drt.
qoe
praao de
por alte
AOS SUS. ACADMICOS
Vendem-se as seguintes obras de direilo
com pouco uso : Manuel du Droit Homatn
por Mackeldey, f volume por 44; Diecio-
mire du Contentieux Commercial, por Mas-
s, 1 volunte, por H ; Etements du droit
romain, por Maynt, 4 volumepor 45; Es-
prit de la jurisprudenee des tuccetstons,
porConflaM, 1 volume, por 45 ; Codepra-
tique des faillites, por Geoffroy, 1 volme,
por 35; : na ra do Crespo n. 4, fagrk
de chapeos de sol
rand^ armazem de tn-|
tas medicamentos etc.
Roa do lacerador a. 22.
oo Pedrt *M Xeves (ge-J
reoe) tem a veoda 4
egalialCe:
Productos cbimicos e pbarma-
ce*ticos os ma apregados en
medicina.
Tioias para todo o genero de pin-
tura .e para tinturara.
Productos induslriaes e tintas
para floras, como botoes de floree
e modelos om gesso para imitar
Vuctas e pausaros com o compe-
tente desenho,
Productos cbimicos e induslriaes
para pbotograpbia, tinturara, pin-
tura, pyrotecoia ele.
Montado em grande escala e sup-
prido directamente de Paris, Lon-
dres, Hamburgo, Anyers e Lisboa
pode offerecer productos de plena
confianca e satisfazer quaiquer en-
commenda a grosso trato e a reta-
por preco commodo.
a duza.
Dilas felpudas a 13 e 15 a dezia.
Guardanapos de linho a M300 a dozia.
Flaaela de todas as cores para coeiros, a 880 r?. Goimaraes 4 frmao.
o covado.
Tariatana de cores a 800 rs. a vara.
Baldes de 3o arcos 3o00, de 40 a 4#.
Cambraia de linho fino a 4;o0, 6o00 e 9d a
vara.
Cambraia p'ara forro de vestido a 2*700 e 3 a
peca.
Pecas de bretanha de rolo com 10 varas, a
3*000.
Pega de madapolao flno e largo a 7a.
Laazinba lisa de cores a 500 rs o covado.
Pecas de cambraia branca'de salpicos com 8 e
mela va jas a 4*500.
Coeiros de casemira bordados pelo baratissimo
I preco de 9.
Esteira da India propria para forro de sala de
4,5 e 6 palmos de largura,
i Catnbraias finas de cores miadas a 560 rs. a vara
Neste armazem tambem se encontra um grande
I sortimento de roupa '1.j u oor medida.
tos americanos a 3J500 4? e 4300, ditos d?
celira a 5#, 5*500 e 6*, ditos para menina.-
e 4^500; i?to na ra da Imperatriz n. 72, I
i. di-
(W-
'- '
. ti*
M-
H| commec
I Iho e pe
ae artificio
Ba grande porcSo de fogos de artlBcio na conhe-
cida fabrica da viova Ronoo, o qoal vendido por
coanjodo praca, e como seja penoso ir l pela dis-
tancia, as pessoas que qnizerem fazer suas encom-
mendas para S. Joto e S. Pedro, as podem deixar
no armazem da bola amarella, no oito da secre-
taria da polica, onde havera' nm portador para
ir bnsear e levar ao logar coovencionado.
a 3^C00 o corle.
a 3,5000 o corle.
a 3f>003 o corle.
Vende-se cortes de lia com 12'covados a 3-5 r-
los Onos a 3,5500 e 4*, ditos a Mara Pia a 7&JG0
HlUPSSi 9*. LlJ*- ravats finas para homem
a 640, 800 e 1*000, manas moito Anas a l,520 *
1*400; isto na roa da imperatriz n. 72, loja de
Guimaraes & Irmo.
Roupa feita.
. Eoupa feita.
Neste importante estabelecimento encentrarlo os
freguezes um completo sortimento de roupa fma
assim como palitot, calcas, camisas linas a I0t'
1*800, U e 2JJ500. ditas de linho a 3* 3550.', 4-5
e 4,5500, cortes de brim, ditos de casemira ci* co-
res e pretas, seronlas de algodao a 1,5600 e 1800
ditos de linho a 2*. 2*500 e 3*.
lito na na da Imperatriz n. 72, loja e
Guimarts e IrmSos.
asso Irmaos
Veade n eu armazen roa ta
imorim n. 3o.
Jtor flno Coraco em botijas e meias Mujas.
Liu"M Unos sortldos em garrafas com rdlbas e.
vidro e em*,indos frasco!-
faaaauw,
roa o Qoei-
Vndese ama parte do
do tormo 4 Igoarats : a tratar
nado, loja n. 44,
Vende-aa ama escrava qae sabe eosiobar e
rjiri
machinas americanas de serrote para dseirocar
aigodio: aa roa da Senzala ova n. 43.
i
t-
YapDres.
Vende-se em casa de Saoaders Brothers
no largo do Corpo Santo o. II, vaporea patentes
com todos os penences proprios para fazer mover
tres^on quatro machinas para descarocar algodio.
Vende-se gaz de primeira qualidade em pe-
quenas e grandes porcoes a barra com farinha de I
milho muHe fresca e oova, tudo por precos ra-
zoaveis : ao armasen de Mafbans Aostin & C,
roa da Senzala Velha n. 106.
---------"-1-------------------!-------
Farinha de milbo
.Na roa Direit ns. 84 e 86 ha sempre excellente
farloha de milho da todas as grossoras, moida a
i C, f^apor, e qoe se vende a preco razoavel.


1
i
^fc
mm.
Na ulica e bem eonbecida refinacao a ra das
Laraojeiras a. 12, encontrara o respeitavel publico
nm eompleto sortimento de assucar de carogo por
barato prego conforme a qualidade, assocar retina-
do moito bom a 80,100,120 a 140 ra. a libra, su-
perior assocar candi a 540 rs. a libra: assim co-
mo eafem grao boa qoalidade a200 rs. e superior
a 240 rs. a libra, caf moido a 360 rs., -sevada
moida a 200 rs. a libra, cba preta e verde de moi-
to boa qualidade, este a 1*800 e aqnelle a 2*400
jl*j%H*,/m 7%nn> a libra : o assocar ecaf sendo em arroba se fara'
S/..K.Ij^Ti-T x i*^ /7t i# aoaliataBlo de 5 por canto nos precos cima
Acabam de .sabir i luz as folhinbas de marcados, velas de carnauba e de eomposicao a
algibeira e de porta para o anno de 1806, o MO rs. a libra.
mais correcta poesivel Unto no ealculo das' Veade-se om cabrioiet em parito esudo
las ecjipaes, como as di versas tolas com aa eamoeteaus arreias, lanteaaaa chicote,
que a igreja celebra; vendem-se unicamen-
te na livraria da praca da IodepeodeBcia, i
160 ris ae de porta e 320 rif ae de alti-
oeira.
aa offleina do Se. Poirier, roa dalmuraier defroate
de S. Francisco.
-se nma .urajalo coa balcao por
muito mdico preco; a tratar aa ma do Mondego
harnero S4.
Vlnbos-Ube;**-
Saaterne^
Chamberlin.
Hermitage.
Borgonbe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeaox.
Cognac.
OldToB.
PAezei lagniol. __________
Na ra da* Imperatriz n. 2b
Vendem-se cortes de cambraia brancos com 4.
5 e 6 babados a 20* e 25*.
Fil de seda preto com flores a vara 1*
Cambraia? brancas de urna vara de largura h-
nt a 1* e 800 rs.
Ricas lampadas e candieiros a gaz por rrosso
e a retalho.
la Vende-se orna rica armafo envidra cada,
com grande lustre de quatro bicos, e jootan'enie
om completo striimenu de calongas, boneci -, m -
parelbo* de porcelana, roobilias e muitos oljeiios
de gosto que a vista avallara o bom gosto ; a: se
negocio coa lado por motivos mnilo juslos qoe se
dir aos pretendentes : a tratar aa roa do Rangel
a. 49 das nova da manbia as 4 da tarde.
Luvas de pellica p
tras coi
s c ou
Cbegaram para a loja de
(Juelmado n. 16.
miudezas a ra do



Diarlo de
Segunda
de 4806.
rrM titBi ftiTi nf_
r
!':
INJECCAOe CAPSULAS
TBGETAES aoMATICO
GRIMALT&CpharmaceutjcosemPARI
i| Novo :: s*a.:.ec:o preparado com as folhas de Matico, rtort do Per, para a cura rpida e infallivel
:. ila Gonorrhea sem rcccio algum da contraccao do canal ou da inflammago dos jntestino. O celebra
; iloutor Ricor.D, de Pars, ter renunciado, desde sua apparico, ao emprgo de qualquer entro tra-
y tai.iento. En^rega-se a InjecQao no comco de fluxo; es capsulas em todos os casos chrenicos inta-
rf 'irados, que'resisro s preparares do copahu, cubeba e s injeccoes com base meUlliea.
\ Denos::-' em Pawit, 45, rae Richelieu.
INJEGTION BROU
II vRlrnica iDfalllTel e Preaervattva, bsolulamenlo a nica que cura sem nenhum adailivo. Veude-se
as principac-i boiicas do mundo. (Exigir a instraccao da ao). (Mannot de aiiatancia.) Part, ea casa
Vende-se na ra Nova n. 18, pliarmaciafranoeza de
P. MAURER A C.
PERFUMERIa da casa oger
Boulovart Slbastopol, 56* Pariz.
Des medalhas, a condecorac&o da Legin
d'honneur e a grande reputacao que tem lhe
dado o publico, taes sao as recompensa* que os
servicos prestados a industria merecerao a
esta importante casa desde sua fundacao em
1804. .
N'otn sortimento de mais de 500 artigas,
as pessoas elegantes escolherao os seguintes:
ROSEE DU PARADI8, extracto superfino
para lenco.
POMMADA CEPHALIQUE contra a cal-
vicia.
agua verbena par* o Umcador.
OXIMEL MULTIFLQB.
VINAGRE DE PLANTAS HYQIEN1CAS.
TINTURA VIRGINALE de beijoim.
ROSEE DE LYS, venladeira agua de
Jouvencio.
------------------------------------------------------
CREME labiale de sueco de Rosas.
pommada VELOURS para amaoiar a
pelle.
ELIXIR ODONTOPHILE.
SABAO dedicad* as damas americanas.
- SABAO de bouquet de Franca.
d* de flores de alcea rosea,
d* de flores printanieres.
d* de bouquet do tutano,
d de perfumes exticos.
4* aurora, dedicado aos dedos cor da
rosa,
d* de flores das montanhas.
d* de cheiro de foins nouveaux.
d* de bluets cheirosos.
d de althea balsmica,
d* diapr, caixa. rica, faatesia parl-
steoce.
A' loja de fazendas de .Augusto Eorto ft-'CL
ti Ra do Queimade~-t\
Chegaram pelo ultimo paquete superiores enchovaes completos eom vestidla* bor-
dados para baptisados.
Moir branto, luvjs de pellica, mantas e capellas brancas para noivas.
Lindas colchas de seda de cr e de l e seda para camas de olivas.
Grande sortimento de cortinados bordados para camas e jauellas. -g
Chapos, bonetes e gorros de plha da Italia para sentaras,
Percalles, cassas e chitas Boas dos gostos mais moderaos.
Algeriennes, rotondas e chales de renda pretos. ,_ si >_<
Camisas finas coro peitos, punhos e colarlubos de linho para homens.
yodas casemiras de core?, lasinhas, pannos e casemiras pretas, merm e Dom-
bMn*BraraaCte muilo largo a 9J300, aKOO e 3*200 a vara.
Tapetes e alcatifas para forrar s5flas e peles grandes e pequeos para sof.
Camisas de flanelia, colrtenos de linho, seroulas de linho.
Camisas de meia Boas, bal5es de arcos, da rausselina e de madapoiao, espartHnos
e Onos manenltos bordados.
Estoicas da ludia para for ar salas
as melhores e por mais mdico prego.
11 Una do Queimado11

r na res Royer on colares ano-
dinos
j>?-j facilitar a denti^ao das crianzas e presrva-
las das convulses.
( feliz resaltado obtido immensas veres pela
prc giosa torca magntica dos colares Royer, nos
C3< de convulses, e denticao das riancas, tem
a!: rente elevado o seu bem mereeido prestigio,
e ; -jaj se pode dfrer que estao geralmenle con-
ce 'los, e timados de innumeraveis pais de
fa:: as : de uns porque do aso dses salutares
co -es viram salvos do perigo seus charos fllbi-
cii -, e de oniros porque colherara daquelles tao
[..-:: exeniplo para igualmente preservar os
aeu<. Assim, poi>, a aguia branca, tende eni vis-
ta-a utilidad 3 e provea desses prodigiosos cola-
ra r.nodinos ou Royer, mandou vir o novo sorti-
ineL-w que agora rece-Leu, e continuar a recbe-
los ara que m tempoalgum a falla delles po^sa
ser funesta aos pas de familia, os quaes ficarae
c: '. Jo os schar constantemente na roa do Quei
tos;>, loja d'agula branca n. 8.
HoMlla. "^^ j
Xa ra do Brom n. 48 primeiro andar vende-
se i,urato 15 cadairas de goarni?c, 4 Ir bracos, I
2 rrnsolos, raesa de meloda sala u seri, tooem1
P'.rf-'Ho estado, edeftrsmU, e mats irgomas
cadt-irs ordhiaris e S camas fracets amt-
rel'..' > varios ontres objeclo de orna familia qw
Tai a Europa.
Cevadinha de Franca
a 160 rs. a libra, e de 8 libras sari cima a 120
rs.: nj armazem da Liga, ria Nova n. gO.
>iii iei\%!
a
i
para desea rogar algodo
1 9,00o a serva ,,
No Forte do Mallos prenea da algodio n. 17, da
Jledeiro* & U, rende-se macbioaa americana te
rceltior systema que ha appareeido por swen
rouito rcaneiras de 14, <6,18 e 20 sertas, a 9$
serra.
F4K1
:.t~
Vende-se 60C0 a saces de 3 alqoelres, tro ir-
maz,em da rjja da.3ieja do iaecie, cdnlArlte lo.
arco da CaBJMO.
tire refimo
Vende m a dinbeifo a-7Jra arroba no serrp-
ibrio de A. J. Woreira ra da Crtf .
CORTEA BE SEDA ,.
Chegaram pelo paquete ln|lei rijolselmos cortes de moreantique de coras, e seda lavrada pa-
iras inteiramente novos. ui\r\r, 3
Seda de quadros por 1#000 o covaoo
5RA DO CRESPO-5
Gregorio Paes* do A mural k Co-----
CONSULTORIO MEDIC0-C1RURGIC0
DR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PARTEIRO E OPERADOR.
3Ra da Gloria, casa do Fundao g :
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os das das 7 s a
oris dt manhSo, e da 6 e ra a as 8 horas da aoite, xcepc5o dos dias santifeadot
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ha semprs o mais appropriado sortimento de carteirai
tobos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisac5es e pelos precos seguintes-
Carteiras de 12 tubos grandes. 120000
de 24 tubos granee* 185000
- de 36 tnbos grandes. 24^000
de 48 tudos grandes. 30 i de 60 tubos graades. 951800
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que s Izar, e com os remadi
une se pedir. wm
Tjm tubo avulso ou frasco de tintura Vmefe 005a IdWOO.
Sendo para cima de 12 austarto os presos estabelecidos para as carteiras.
. Ha tubos mais pequeos cada unta 38 r.
..' IiUTRO. i1--'"1
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jaie
doas grandes votme com diccionario............ 20 Medicina domestica do Dr. Heriug......... \ 105000
Repertorio do Dr. Mello Moraes...........* g^OOQ
BOM S0!ST1HE\T0 DE
FAZETOAS PRETAS
Diccionario de termos de medicina
verdadeiro assucar de leite, notaveis pela sea boa eonservaco, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acorada preparacao, e portanto a ma-'or
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enennidade ou fazer-se-lhe analarier
opera?5o, para o que o annunciante julga-se sufBcientemente habilitado.
O Iratamento o methor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica
(unecionando a casa ha mais de quatro annos, ha mimas pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, qae podem ser consultados por aquelles que desejarem mandrseos
doentes.
Paga-se 20 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
As optrsfes serlo previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precof
ratoaveis que costuma pedir o annunciante.
Gros de aples preto a 10500,10600, 20, 30, 30500 e 40 o corado.
GorgurSo preto de superior qualidade a 20500, 2?800, 30 e 40 o co-
Superiores moreantiques a 20500, 20600, 30, 30500, 40 e 50000 o
covado.
Bons cortes de moreantique.
dem de gorgurSo adamascados.
Bons pannos e casemiras.
Sup riores alpacas, princetas, merinos e bombazinas.
Bons villudos pretos.
Grande variedad de chales de fil preto e da guipure a 50, 6#, 80,
100, 120, de 160 a 205, e de 250 a 800 cada1 um.
Superiores retondas de fil preto e de guipure a 80, 100, 120 e 250,
e de 300 a 600 cada uma.
Superiores algerienes de fil preto e de guipure de 120 a 250, e de
300 a 600 cada uma.
Bons chailes de seda preta.
Ditos de Merino preto bordados e outras murtas fazeidas pretas que
seria enfadonho enumera, na
.loja das cmxmmm
DE ANTONIO CORRElA DE VASCONCELLOS & C.
RA 1>0 CRESPO ]ff. 13
PHOSPHATO DE FEffiO DE LERAS
. EM SCIEffCIAS
INSPECTOR DA ACADEMIA DE PARS.
Nao existe medicamento ferruginoso t3o notavel como o pliosphaf) de ferro de
Leras; assummidades medicas do mundo inteiro adotaram-no comsoiic'uude sem igual
nos annaes da scienjia. As cores paludas, dores de estomago, digestes penosas, ane-
mia, convale>cencas difficBis, idade criticadas senhoras, irregulandade na menstruacao,
pobresa do sangue, lymphat;smo s5o curados rpidamente ou nidificados por este ex-
cellente composto. o conserva lor por excelencia dasaule e declarado superior no3
hospitaes e pelas academias a todos os ferruginosos conhecictos, ao idoreto e ao citrato
de ferro, porque o nico que convem aos estmagos delicados, que nao provoca consli-
pac5o nico tambero que nao enegrece a bocea e os dentes.
Em Paris na ra da Feuillade n. 7.
A venda emeasa deMaurer, e A, Caors.
PECHINCHA SEM IGUAL
Ricos eortes de gorgorao de seda pretos adamascados para vestido com 13 metros
ou 18 a 20 covados cada corte, largura de chita franceza. pelo baratisslmo prego de 80*
cada corte : na loja das columnas da ra do Crespo n. 13 de Antonio Correia de Vascon-
celos & C.
ARMAZEM DE FAZEltfDAS

CUSTODIO C IRVif.IIO
27 RA DO QUEIMADO N. 27
Madapoln francez muito fino, tendo pouco mofo, cada peca com 27 varas por
100000.
L5a de cores a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs a vara.
Lengos brancos para algibeira a 20rOO a duzia.
Fin is perclaras a preco de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de 13a de barra de 100 a 300000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
YERDADEIRA AClTA MINERAIi
PASTILHAS DOS SAES NATURAES DE VICHY.
VENDE-SE
Na botica e drogara de Bartholomeu &C. Ra largadoRosario n. 34.
.......
Acabam de receber G. Paes do Amaral k C.
5 RA DO CRESPO 5
kj Artiga asa de CJnlIheruie da Silva Ciulmares
Ricos cortes de vestidos de gros-de-naples preto, com lindas barras bordadas.
Moire-aotique preto em cortes e em pecas, liso, ondeado e com palmas.
Gros-de-naples preto, de diversos precos e larguras.
Gorgurao preto, fazends superior odas pela qualidade, e bonito tecido.
Este estsbelecimento
ha-se sortido com numerosa quantidad/de filos pretos, de algodSo, de linho e de se-
fli manufacturados em
I ckales
retondas
m
m mm'-m

_ jateertooes (bournus)" AQHJV
tfica anamites
afrkftiaW ^M MI IU
pompauour
DE FANTHA8U ?'
Receberam tambera bonito cortes de_ppeline de lislras de cores, e matisaaas,
muito modernas, de gostos inteiramente novos; e outras muitas fazendas de gosto, viu-
das pelo oltimo vapor.
G. P.PIiAtiaRJLli A c.
.**!&*
ro amaim da ru* do Imperador n. 3 ou no
Gaesss#edro U a 5, um para ivenier-s O dM-
bor as exisleaie no mareado.
aotie1 %tp .w(
da OUMr kimto A
daCrnzlj. i.
da baha para saceos de
avo, vende Antonio Luis
L, w sen eserrpiorio rna
tfiif > nlffl>ti>A de Sor
lisUeU*psea40B smassos tota mo.
Itstia si* prsviidos, impedidos curaios coa o
aso constante deste remedio: botica do Pinto, roa
doTtwaru fjrg n. to._________________
Massa para fogV
nal n. 151.
Novidades do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
se achar bem sortido como todos sabem,
hoje mais que nunca, nSo s pelo que rece-
be de sua propria conta, mas tambem pelo
que recebe de consignaces; parece sem
duvida que deve offerecer grandes vanta-
gens para o respeitavel publico tanto era
precos como na escolha dos objectos, e co-
mo acaba de chegar grande remessa pelo
vapor Douro e o navio Solferino de
diversos objectos de gosto e proprios do
tempo dos quaes se mencionaro alguns,
por nao ser possivel mencionar todos. O
dono deste estabelecimento espera a pro-
tecc3o de todos.
Riqoissimas caixinhas ornadas e com
msica propria para um delicado mimo.
Caixinhas de msica tanto de veio como
de corda.
Ricos porta jolas e necessarios.
Riqoissimos estojos a feitio de um baosi-
nho ou chapeuzinho.
Ditos em casca de noz e de outros gostos.
Leques de madeperola de sndalo e de
faia e madeira.
Chaposinhos e touquinhas de muito
gosto para criancas.
Meias e sapatinhos de seda para as mes-
mas.
Meias de seda para senhoras.
Capellas e grioaldas de flores proprias
para casamento.
Enfertes e capellas de muito gosto para
seuhora.
Riqoissimos porta boquets.
Boquet de flores com uma borrachinha
com cheiro. I _f
Lo vas verdadeiras de Jovin.
Ditas de seda e de Escocia.
Riquissimas plumas e guarnic5es para
afeitar chapos.
- Contas e tubos de ac branco, que ha
muito se desejava para enfeites.
Brincos, fiveas e crozes Fivellas e crozes de tartaroga, niadripe-
flla e dourados.
Alfioete8.paragnr?atas.
Bo'Ces com croas para punhos.
Gravatinhas e mentinhas de muito gosto,
tanto para honrgm cdlnO para senhora.
Riquissimos aderegos pretos, assim nomo
caixinhas com alfinetes pretos.
Bengallas de canna com cabo de marfim.
Ditas de baleia, borracha e de ostras
muitas qualidades, assim como chicotinhos.
Riquissimos peales de tartaruga do olti-
mrj ost: a_ como de arregaco pal-a
menina, pois oeste artigo ha um completo
sorkmonto de todas as qutlrdades.
Diademas para cajecado attmo gosto.
Trancas pretas com vidrilho e de odres.
Pulseiras tapio par feaiora como para
meninas.
Ligas de seda e algodJo.
Sospensorios de seda e de algodio e mui-
tos outros objectos que se nao podem an-
nunciar por nioen.loraar enfldoaoo.
86 io?CMI llgiraitte'ra do Crispo n. 7.
MACHINAS DE PATENTE
DE TB-ABALHA A M0 PABA DE8GA-
iior.AR A-60DA0
FABRICADO POR
PL1NT BBOTHEBS & C.
OLDAM.
Estas machi-
nas podem des-
carocar qoal-
}qpac especie de
algodo sem
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas
para o traba-
lho; pdedes-
carocar orna
arroba de al-
godo em ca-
roco em 40
minutos, ou
18 arrobas por dia ou cinco arrobas de al
godo limpo.
Assim come machinas para serem movi-
das por aniraaes, qne descaregam 18 arro-
bas de algodo limpo por dia; e motores
para mover orna, duas ou tres dessas ma-
chinas.
Os mesmos tem para vender um bellissi-
mo vapor que pode fazer mover seis destas
i machinas mencionadas; para o que convi-
! da-se aos seohores agricultores a virem ver
e examina-lo, no a mazem de algodo, no
largo da ponte nova n. 47.
* uiodcrs Brothers A. C.
Recife praga do Corpo Santo n. 11.
Os nicos agentes neste paiz.________
~0 castello de Grasville.
Trauiii da francs per A. J. C. da Cr.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 30OOC
oa praga da Independencia, livraria na.
6 e8.
os Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do Di-
timo e mais aparado gosto da Europa e* oca-
Ios de alcance para observares e para os
martimos.________________________
Ra das Larangeiras w. 16,
Vicente Aqnino de Albaqoerqne tem a honra da
apresentar ao respeitavel publico um variavel sor-
timento de mofhados em sen novo estabelecimento
na rta cima mencionada, casa que orjtr'ora f3ra
de Manoel Francisco dos Santos e Silva, scientifl-
cando a todos os freguezes qne neste estabeleci-
mento encontraro sempre um completo sortimen-
to de todos os gneros e por pregos mais commodos
do ano em ontra qoalquw parta. .(_* bysoa libra
24SO0, dito -iudinbo snporior alM-t a WfOO,
caf libra S40 a 280 rs. sup3mr, tas ooa boia-
cbiobas de soda ile tfWO proeira ejeaUKU,
dita francet* a 7S0-r, Mn, a|>-s_sja _pW
f ajrafa a 640 rs., velas de espetnuceta-a rlbra a
640 rs., vinbo do Porto superior a 1*50Q e a U a
garrara, vintios Figueira, Lisboa Madefra a O,
500, aeo a 40 rs. a garrafa, sjrK* n ktti3n
grandes a 880 rs., cognac, cbarBtos, papel almaco
eootros ranitos ferw, qm ser Mi querer mmii
ao freiuies es* enas'lw Mil pelas preeos
mais raioavels qne em ontra qtHiu parte, a
r_K_M^MawVCSS
abecida ras, dignen-se en honrar-rae com ts!
preseneas e frt|
servidos, com prewBldo bontpase ruUo.
Algodo ai
a arc^a de 9f cafla p*t*
N-. 57 Ra o Qstfmeo'N, tt.
mura I.
mmmmmmwmmmmmmmmmmmmmfBJL~-
\ '
V
_B>


4
i,


i

1
i

>
;
?
i
i*
GBl
perftatMfcoc* egnnd le Ira t4 e Mal de 1836.
ENCICLOPDICA
& Usa d Itoperatriz armazem
da porta Jorca t.
j unto padarla fradecza de
Paredes Porto.
NeUe estabelecimoto encontrar o respeitavel
publico um variado sortimento de fazendas france-
xas, Ingieras, sniesas e tomes, qae se venderao
por i rejo commodo. ,
Paredes Perl
Vende chales de renda de cores que se vende-
rn a 18 esli vendeiido por 65, ditos pretos, fa-
rend nova, 55, 65. 85 a 205, um sortimento com-
pleto de manteletes, capas e.soutambarques 145 a
J5. Ra da Imperatnt n. 41, junto a padarla fran-
ceza, armazem da porta larga.
Paredes PrU
Reseen um completo sormento de lasinhas a
240,8-280 rs. covados, para acabar, cambraias de
cor 240 rs. o covado, riscado escossez para ron-
pa de menino, fuslao de iiobo a 420, 400 e 800 rs.
Ra da Imperatriz n. 52 jonto a padaria franceza.
armazem da porta larga.
Paredes Porte
Receben para cortinado* para cama franceza a
a 35 4,5 al W5 a
A SALSA PARR1LHA DE AYER
PARA A CURA RADICAL
He escrfulas e molestias escrofulosas, tumores, ulceras, ctigas, fer'rdas te-
Ibas, bronchocele, papo ou papeira, a syphilis, enfermidades veh'erlas ou ffier-
curiaes.
AS MOLESTIAS DAS MLHERES,
reteocio, menstro doloroso-ulcerares do tero, flores brancas, etc., ulcera-
rlo, debilidade, expoliarlo dos ossos, a nevralgia e convulsoes epitepticas
quando causadas pela escrfula.
ERISIPELAS ERPES; ETC. ,
Enfermidades cutneas, empelo, borbnlbas, pstulas,
nascidas, etc.
0 extracto composto de salsa parrllha, coleccionado pelo Dr. Ayer, e urna
combinacSo dos melhores depurativos e alterantes couhecidos medicina; confeccio-
nado segundo as regras da sciencia, approvado e receitado pelos primeiros mdicos dos
Estados-Unidos da America do Sul e Central, das Antilbas, do Mxico e das Indias, e
militas outras partes do mundo: o resultado de estudos apurados e minuciosos, e ae
experiencias feilas pessoalmente pelo Dr. Ayer, por muitos 'annos, nos principaes nos-
pitaes e enfermaras da America ; tcm sido approvado pelas academias de medicina e
juntas de hygienne das principaes capitaes da America do Norte; para prova disto veae
os atlestados autbenticos bo Almanak e Manual de Saude do Dr. Ayer, os quaes sedis-
efa4 ^u^SS^JIZiJft^SSA \ t'ibuem gratuitamente nosjugares onde^ejend^o^emedjo.
45, cambraia com 06r de seda, gostos Inteira-
mente oovts a 400 e 500 rs. o covado, no armazem
da porta larga n. 52, ra da Imperatriz junto a pa-
darla franceza.
Paredes Porte
Receben pelo nltimo paquete nm sormento de
crasos com pedras para o pescoco, bonitos caxinels
de la para pescoco de sen hora. Roa da Imperatriz
n. 52, armazem da porta larga.
Paredes Porto
Vende cortes de gorguro preto para vestido com
21 covados cada nm 35*000, grsdenaple preto a
15600,1*800 e 25 o covado, las lizas finas a 400
rs. o covado, las de qnadrlnbo para vestido, entes-
tada, a 320 rs. o covado. Rna da Imperatriz n. 52,
armazem da porta larga.
Ronpa feita
Rna da Imperatriz n. 52 armazem da porta lar-
ga junto a padarla franceza, encontra-se neste es-
tablecmento um completo sortimento de paletos-
saceos e sobrecasacos, de todas as qnalidades, cal-
r;as, colletes,, ceroulas, camisas, gravatas, meias,
chapeos de sol, ditos francezes para cabeca, por
pregos commodos, ronpa para menino e outras
muii as fazendas por precos commodos, armazem
da porta larga.
No mesmo estabelecimento encontrar o respei-
tavel publico, sempre um completo sortimento de
ronpas fetas de todas as qnalidades, como sejam
paletos de alpaca preta ede cor, ditos sobrecasa-
cos a 45 e 55, ditos de brim pardo a 25800, 35 e
35500, ditos finos a 45, ditos meias eazemira a
35500, 45 e 65, ditos eazemira saceos a 65, 75,85
105, ditos sobrecasacos a 10 e 125, ditos de pan-
no saceos a 65, 85 e 105, ditos sobrecasacos a 125
e 255, ditos de merino preto a 65, 75 e 105, cal-
cas (le brim de diversas qnalidades a 15800 a 45,
ditos brancos a 25500 e 6500, ditos eazemira 55,
65 e 75, ditos pretos a 55,-65, 85 e 105, ditos
meias cazemiras a 35 e 45, coletes de diversas
qnalidades, seroalas franeezas de algodo, ditas de
linho, ditas de tramante a 25 e 25500, carnizas de
algodo de lio+10 franeezas de 25500 e 35- Gran-
de pecbineha neste genero, gravatas de todas as
qnalidades e brancas para casamento, grande sor
timento de meias para senhoras, ditas para bomens
a 35, superiores a 35500 e 45.
Um completo sortimento de chapeos de sol de
alpaca a 35. ditos de seda a 55, 75, 165 e 145,
ditos franceses para cabeca, grande sortimento
a 65.
Vestidos
Pcchincha sera igual.
Chegou a loja de Paredes Porto um bonito sor-
timento de vestidos de tartalata de cores e branca:
qne serve para partidas por ser urna pbantasia tn-
teiramente de gosto pelo barato prego de 45 t
brancos a 45500, esto acabando-se : no armazn
d porta larga ra da Imperatriz n. 52, jonto a na-
dara franceza.
Cortinados.
Cbegoa a loja de Paredes 'Porto nm complete
sortimento de cortinados ricamente bordados a
preco de 255, 335 e 455 : na ra da Imperatr
n. 52, porta larga junto a padaria franceza.
Ricas romeiras.
Paredes Porto receben pelo ultimo paquete um
sortimento de romeira de guipare pretas e de fil
a preco cemmodo : na ra da Imperatriz n. 52.
porta larga judio a padaria-franceza.
dtOOO
Cortes de laa escocesa para vestido a 35
te: na ra-a Imperatriz n. 52, loja da porta lar-
ga, junto a padaria franceza, esto se acabando.
Para luto.
Las pretas com salpicas brancos a 400 e 560
rs. o covado : na roa da Imperatriz n. 52 junto a
padaria franceza armazem da porta larga.
Chapeos de sol.
Vendem-se chapeos de sol de panno a 15400 e
urna grande Rechine ha so para acabar : na ra da
Imperatriz n. 52 armazem da porta larga de Pare-
des Porto.
RAKBE ESTABElEQiEKTO
DO
60
taua da imperatriz, n*.
s
GAMA & SILVA.
LOJA K AiaiAZM DB FAZKHDAS.
Tendo os proprietarios deste grande estabeleci-
mento faito om grande abatimento era militas de
snas fasenda, pela oceasiao do bataneo que deram
Cortes de cambraia com palmas na toja do
Pavo.
Vedem-se crie-i de cambraia branca com pal-
mas, aeqdo fazenda muitj boa, pelo baratissimo
preeo de 25560 para acabar : na loj e armazem
do Pavo na ra d& Imperatriz 60, de Gama &
Silva.
Lesees forneos a OOO res a
duzfa.
Vendem se lengq brancos fazenda moito boa
pelo baratissimo preco de -25 a duzla, Ditos com
Chitas a i80 rs., s o Pavo.
Vende se- o eais bonito scrtimehto de chita- o-
piezas, padrSes miudinlios, claros e escures, a ten-
do tambera lxas para luto, aiangaodo-se serena
cores fixas, evendem se pelo baraiissimo prego di
nove vintens o covado, ou a pega c m 38 covados
por 6fl800 : isto na loja e armazem do Pavo, ea
ra da Imperatriz o. 60, de Gama Silva,
Vestidos braiRos.
Chegaram para a loja do Pavo os mais boLitos
cortes de vestidos de cartbraia branca com boui-
barra de cor a 25000 isto para acabar na loja d- tas barras todas branca?, assirri como cora barras
Pavlo na rna da Imperatriz n. 60 de Gama & Sio de cores, sendo fazenda transparent e muito Coa,
a. tendo cada um corte bstame fazenda e rauta ro-
n'!??^"?"? de 186.5, reSOlvea%I^eI Poopelinas modernissimas a 400 e 500 rs.' da, e vendem-se pelo baratissimo prego de S e
multo mais barato do qne costomam aflm de cada rwuHCI "J^n nTlni dn PavSo i 10# : na lo a do Pavao na .ua da Imperatri: 1.
vez mais agradaren, aos seus numerosos fregu- O CO\aao Da loja ravau. 60 de Gama & silva
res; por tanto Ibes offerecem nm avulado sorll-' Vendem-se poupelnas muito unas seado fazenda r' #uilalama na !: ,!ftn,.;
ment de fatends franeezas, iQgleas, as qoaes muito moderna de quadrinhos e liza vendendo-se ii.ries ue idiinittua i><':.'.
venderfto mais barato do que em onlra qnalqaer Pelos baratos precos de 400 e 500 rs. o covado na Vendem seos mais modernos cortos de trlst r*
parte, comprometindose a mandar levar qualquer loja do Pavo na ra da Imperatriz n. 60 de Gama'com as mais lidas barras de cor, pelo baratiss mo
fazenda em casa dos fregnrzes que nao poderem & Silva.
vira loja, ou a darem as amostras, deixaado ricar.rosdenaples prttos do Pavo
o penkor, assira como convidam as pessoas, qne
assim
uegoclam em menor escala que neste grande esta-
beleeiment encontraro um grande sortimento
tanto a retalbo como por atacado, vendendo-selhe
apenas pelos precos qne coropram as casas ingie-
ras, sendo com o dinheiro a' vista.
As toallias de lif ho do Pavas.
Vendem-sa superiores toalhas de linhos para
rosto pelo baratissimo prego de 75500 a duzia ou
a 640 cada urna.
Gnardanapos de linho adamascado para meza a
25800 a duzia cu a 240 rs. cada um.
Superior atoalhado de linho com oito palmos fie
largura sendo branco e pardo, e vende-te mais ba-
rato do que em ontro parte, na leja do Pavo na ra
da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Os corpinhos ae seda pretos do Pav5o.
Vendem-se os mais ricos corpinhos de seda pre-
tos, ricamente tnfeitados, pelo barato prego de 125
cada nm : na roja do Pavao na ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Ricos vestidos a 80000 rs.
pecliicilia adaiiravel.
S o Pavo recebeu pelo ultimo vapor francs
um grande sortimento dos mais ricos Cortes de
vestidos transparentes com lindas barras e enfeites
de seda, sendo estes vestidos mnito" proprios para
baile e passeios, e vendem-e pelo baratissimo
preco de 85000 rs. cada nm, na loja do Pavfc na
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Os chales pretos de renda do Pavo a 8000 rs.
Vendem-se os mais ricos chales pretcs de renda
com quatro ponas, senda muito grandes pelo ba-
ratissimo preco de 85-
Ditos de guepure a 155,185.205,255-
Retondas de dito a 165.
Manteletes de renda, iazenda muito soperior a
>9
o cor-
A 1$50&
Vendem-se {tecas de tranca preta para enfeites
de vestidos, soutembarques, capas de senbora a
15600 com 10 varas, urna grande pecbineha : na
ra da Imperatn. n. 52 junto a nadara franceza
A SALSA PARIIHA DE AER
Especialmente efflcaz ua cura das molestias que tem sua origen
na escrfula, na Infecco venrea, no uso
excessivo do mereutie u qnalquer Impureza do sangue.
A molestia ou infecco peculiar, coDbecida pelo nome de escrfula, um dos ma-
les mais preyatecentes e universaes que ba em toda a extensa lista das enfermidades que
atacam a nossa raca; disse um celebre escriptor da medicina que mais de urna terca
parte de todos aquelles que morrem antes d velbice s3o victimas, ou direota ou indirec-
tamente de escrfula; por isso s nao 15o destructiva, porm a principal causa de,
muitas outras enfermidades que n3o Ihe s5o geralmente attribuidas.
urna causa directa da tsica pulmonar, das molestias doflgado, do estomago
e affecc5es do cerebro; enlre seus numerosos symptomas acham-se os segointes: falta
de appetite, o semblaste plido e enchado; as vezes de urna ahora transparente e ov^ras
vezes corado e amarellento irregular, fraqueza e moUeza nos msculos ao redor da boc-
ea; digestao fraca e appettite, falla de energa; ventre enchado e evacuac3o irregular;
quando o mal tem seu assento sobre os pulmes urna c6r azulada mostra-se em roda dos
olbos ; quando ataca os orgSos digestivos, os olhos tornam-se avermelbados; o bali-
to ftido, a lingua carregada; dores de cabeca, tonteiras, etc. as pessoas de#tsposi^
g3o escrofulosa apparecem frequentemente erupgoes na pelle da cabega e outras partes
do corpo ; s5o prdispostas s affecges dos pulmes, do figado, dos rins, dos orgaos
digestivos e uterinos. Portante nao sao smente aquelles que padecem das formas ul-
cerosas e tuberculosas da escrfula que necessitam de proteegao contra os seus estragos; lWj** sauthambaranes de grosdenaples bor-
todos aquelles em cujo sangue existe o virus latente deste terrivel flagello (e s irae?6-dad0> fazenda Jiramente novafpor precos mais
hereditario), estao expostos tambem a soffrer das enfermidades que elle causa, que sao. baratos q0e em outra r,uaiqaer parte.
A tisica, ulcerages de figado, do estomago e dos rins; erupgoes e enfermidades 1 isto na loja armazem do Pavo na rna da im-
eruptivas da cutis, rosa ou erysipela, borbulhas, pustolas, nascidas, tumores, rheuma, pera
carbnculos, ulceras e cbagas, rheumatismo, dores nos ossos, as costas e na cabega,
debilidades femininas, flores brancas causadas pela ulcerac3o Dterior, e enfermidades
uterinas, bydropesia, indigesto, enfraquecimento e debilidade geral.
Offerecemos a estas pessoas um abrigo seguro e um antidot efficaz contra esta
molestia e suas consequencias na
SALSA PARRILHA DE AYER
que opera directamente sobre o sangue, purificando-o e expulsando delle a corrupgao e o
veneno da molestia; penetra todas as partes e todos os orgts do corpo humano, livran-
do-os da sua aegao viciada e inspirando-lhes novo vigor. um alterante poderosissimo
para a renovagao do sangue, e d ao corpo j enfraquecido pela doenca, forcas e ener-
gas renovadas como as da joventude.
E tambem o melhor anty-syphitico condecido
cura permanentessente as pe ores formas de syphilis e as suas consequencias. Pouca
aecessidade ha de informar o publico do inestimavel valor de um remedio que, como a
oste, livra o sangue desta corrapeo e arrebata a victima das garras de urna morte lenta da impermiriz n. 60, de Gama & Silva.
e ignominiosa, porm inevitavel, se o mal nao logo combatido com energa. Os ba.es do Pavao.
um poderosissimo alterante para a renovagao do sangue e para dar nova for- Vendem-se superiores baiSes de mncuiina com
ga ao corpo j enfraquecido pela doenga. i J* "" Jj d"0SB &t&*2ZElZ
Sendo oomposto de productos Veg^taes, est medicamento nocente ^i^\S!^^^n^^lafft^o':
mo tempo efficaz, um fado de immensa importancia para aquelles que o tomam ; por-, Da i0ja q Pava0 na rua da tnpmm n. 60.de
que muitos dos remedios alterantes offerecidos o publico tem por base o mercurio ou o l Gama & Silva.
arsnico; e sendo assim, betn que s vezes podem effectuar curas, comtudo deixam suas Cambraias de forro a ii$600 e 2^ na loja
victimas carregadas de umalonga serie de males, muitas veis peior do que orna! ori-
ginal. A nica cousa necessaria para obter urna cura radical seguir com juizo e cons-
atucia as direcoes que acompanham cada frasco.
Nao pretendemos promulgar, nem queremos que se infira que esta composigao a
om remedio infallivel pata n cura de lodos os padecimentos humanos ; infelizmente
escrfula e a syphilis sao enfermidades tao sulis as suas naturezas, e arreigam-se t3o
firmemente no systema, que muitas vezes evadem e resistem aos remedios mais pode-
rosos que ascienda humana'pode inventar para combate-las: o que dizemos que o
Extracto composto de salsa parrillia de Ayer
a melhor preparago at boje descoberta para estas e outras molestias anlogas, que
urna combinado dos alterantes mais efficazes conheoidos, e que esta combinaco tem sido
regulada por longas e laboriosas experiencias, e finalmente que temos consoiencia de of-
ferecer ao publico o melhor resultado que possivel produzir, da inteligencia e pericia
medica dos nossos tempos.
Este medio deve -ser tomado com systema e regularidade, e nao com abandono,
pois um remedio e nao bebida.
Quando as molestias do figado nao tem sua origem na escrfula, o remedie
mais proprio as pilulas catharticas de Ayer, quesp efficazes na cura da molestia, que
m por causa um desarranjo dos orgaos digestivos. Pedi a salsa parrilha de Ayer e
Jji3o aceitai outra preparago.
Pernambuco, rua Nova n. iS, pharmaciafrancezade P. Maurer C_______
VDE-SE
Xo armazem de M. S. Ramos e Silva & tierno, rua de 'Igarlo
n. 11, constantemente, os segu otes artigo, qne
recebem por eneommenda proprla de
Ostiales do pavo a 2ooe e 2Soo rs.
Vendem-se chales de merino estampados a 25
e 25500 cada um.
Ditos de merm liso a 3o00.
Ditos-eslampados de c repon a 6, "&. e 80C0.
Ditos pretos bordados com franja de seda a li$.
Na lpja.e armazem do Pavo na rua da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
Para luto vtnde o PavBo.
Setim da Cbina com 6 palmos de largura, fazen-
da preta para loto, propria para vestidos e ronpas
para bomens, sendo esta nova fazenda sem lustro e
de muito boa qualidade, garantindo-se nao Bear
russa com o tempo e vende-se pelo barato preco de
2 e 25'0 o covado, assim como neste estabeleci-
mento tem um grande sortimento de todas as fa-
zendas pretas como sejam cassas e chitas pretas,
las tapadas e transparentes, princesas, alpacas,
sarjas, etc. : na loja e armazem do Pavo na rua
Chales de renda petos.
Vende se cnales de renda preto a W000, ntrle*
loja qae pode vender na rua da Imperatriz n. 32>
armazem da porta larga, de Paredes Porto.
C3 O < O 33 V
a o
3g"3:fgfif
1
g o o. B 5' o* L
6 a>cL? S S33B
& o^ ri 3 3-2
'IS'iog.lft
g.w. ffM

O

"" Breo em barricas p
Cera em velas de todos os unatabos.
Bea*s.
Mercurio.
Na rtn do vigano a. It,
Panno de algodao
trancado
H fabrica de Ferrio Temo : veaie-se a* roa 4a
Udeia n. 4, rmaxenj de Silva Baxroe.
]iew-Orh;
,___________________________________________________________-----------------------!--------------
Legitima salsa parraba de Bristol, preparada por Lanman & Kemp.
Verdadeira agua Florida, preparada pelos mesmos.
Gas em latas de cinco gales, o mais purificado que se pode desdar da acredi-
tada marca F. W. D. & C. .
Relogios perfeitos reguiadores, com corda de quatro aoito das, dos afamados la-
brtcitGS K N ^fVTslcll
Graixa em latas grandes da bem conhecida marca las. S. Masn (de Philadel-
phia).
Superior oleo para machinas de costura.
Agulhas para as mesmas.
Breu em barucas grandes e pequeas.
Vende-se tambem:
BORDALA
1.a qnilidade.
St. Estephe.
St. Jolien.
G. Margaux.
G. Lafitle.
Medoe.
PORTO
Ia fulidae,
Principe Real.
Pedro V.
Maria Pia.
Princeza D. Isabel.
Vctor Emmanuel.
Duque.
Malvaa.
Vinho fino do Porto em barris-'de 5/, 10/ e 20/.
Superior vinho doRheno.
Cera de Lisboa em velas e em grume.
91 BUA DO^ OTJEIMADO
Madapoiao.
Finas pecas de madapoln com SO varas a 94.
LENCOS,
Lencos de cambraia branca, duzia 2/.
dem de cores fixae para meninos, duzia 2^400.
Cambraia.
Cambraias de cores a preco de 260 a 300 rs, o covado.
Guaranapes.
Guardanaiics de linho, duzia 30500.
Algodo
Algodao trancado de duas larguras, proprio para toalhas de mesa, a preco de
1300 a vara.
Bramante.
Superior bramante de linho iugtez e francez.
[Cambraia d linho propria para lencos.
Atoalhadi branco. para mesa a |60O vara,
Entremeios de cambraia muit flos^preco 4jjf.
Lencos da seda para alglbera a '
pre^o de fincada nm, senrto neste anigo o me:titT
que tem vindo ao mercado : .isto na loj*e am-
rem do Pavo na rua da Imperatriz n. 60, ele Ga-
ma & Silva.
Escravos fgidos
?59>
do Pavao.
Vendem-se pecas de cambraia de forro com no-
ve varas cada pe (a, pelos baratissimos precos de
1600 e i : na loja e armazem do Pavo na rua
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os cortinados do Pav3o.
Vendem-se superiores cortinados adamascados
para camas pelo baratissimo preco de i cada par,
ditos muito Anos ricamente bordados para camas
ou janellas a 135, 208 e 2S o par : na loja e ar-
mazem do Pavo na rua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Panno preto a 2# na loja do Pavao.
Vende-se panno preto. fazenda mnito boa, pelo
barato prego de 2 o covado, dito muito Ano a
3500, 4, 55 e 65, assim como casimira preta de
cordo a 2 o covado : na loja do Pavo na rua da
Emperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os espartilhos do Pavo.
Vendem-se urna grande e variado sortimento de
espartilhos dos mais bem feitos que tem 'viudo ao
mercado, ende de todos os lmannos, vendendo-se
por um preco muito razoave : isto na loja do Pa:
vo na rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
s salas bordadas do pavo.
Vendem-se saias bordadas sendo fazenda muito
boa, sendo ricamente bordadas e com moita roda
vendendo-se pelos baratos precos de 65 Ps e 105
reis cada orna na loja do Pavao na rua da Impera-
triz n. 00 d Gama & Silva.
Bretairh de rolo a 3*0005
Vendem-ee pegas de bretanha de rolo com 10
varas cada seca, pelo baratissimo preoo de 35 :
na loja e armazem do Pavo, rua da Imperatriz n.
0, de Gama & Silva.
Ronpa feita.
Na loja do Pavo
Vende-se ne&e estabelecimento nm grande sor-
timento de roupas, tanto de panno como caxemiras,
e brins e pelos baraifesimos precos como sejam
caigas de caxemira preta a 65 75 e 85000 res, pa-
letots de panno preto saecos a 65 85 e 125000 rs.
ditos sobrecasacos de patino fraissimo a 125 185 e
255000 reis, e outras muitos artigos que serla en-
fadoofaos aqu relata-los; s na loja e armazem do
Pavo rua da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Loja do pavo
Grandes pechlnchas.
Sediihas a 500 rs. covado
Sedinhas a 500 rs.
Sedinhas a 500 rs.
Vende-se na loja do Pavo, nm grande sortimen-
to de sedinhas lisiradas com as mais bonitas cores,
sendo os padros mais nevos qae tem vindo ae mer-
cado, e vende-se pelo paraiisslmo preco de cinco
tosidos o covado, sendo fasenda que valem muito
mais dinheiro, e grande pecbncba por se ter
comprado ama grande portida desta fasenda, na
loja e armazem de fasenda do Pavo, rna da Im-
peratriz n. 60 de
Lasinhas matisadas a 320 rs.
Vendem-se as mais lindas lasinhas matisadas
com os mais bonitos desenbos, pelo barato proco de
320 rs. o covado ; na loja do Pavo t roa da Im-
peratriz n. 60 de Goma & Silva.
Os chales de guipure a 12$ e
160000,
Vendem-se os mais ricos chales de Goipure e de,
ratea do tobo e soda, potos baratissimos ppoeos de
125 e 165; grande pecbncba em reiacao a boa
qualidade o laroanbo delles : s na loja do Pavae,
rna da Imperatriz n. 00, de Gama & Silva.
Lazinhas a 200 rs ,$o
Pavo.
Vendem-se modernas lazinhas com lindlssimos
Sostos, pete baratissimo preco e tW n- i gran*
e pochincha : s na loja do Pavao, rui da Impe-
ratriz o. 60, do Gama & Silva.
Sedas Largas
Ka loja do Pavo,
Chegou para a loja do Pavao um modernsimo
sortimento das mais HBdas sed P ?MtWj.
sendo urnas do lletrtasn o entra i o florttoaM
com as mais lindas cores, o algumas propnas para
as senhoras que estlveirenr de reto o vonem-eo
polo barato oreen olfOOO o corado, toado su
nemt .Duro ponos d* largan 400 lm\mti-
zer-se om vestido com poneos covades, isto B#
loja o armazem do Pavo na rna da Imperatriz n
60 do Gima & Silva.

Grande novidade a OO rs.
Allanta a 200 rs.
Atlanta a 200 rs.
Atlanta a 200 rs.
Chegou para a loja do Pavo o mais lindo sor-
timento desta nova fazenda, com o titulo de allanta
proprla para vestido e roupas para meninos, seo-
do esta modernissima fazenda de la com os mais
lindos gostos de qaadrlnbos e liseras tendo entre
ellas de edr roa e preta, com listras e qaadros
brancos proprlas para loto, e vendem-s,e pelo ba-
radisimo preco de 200 rs. o covado nicamente na
loja do Pavo rua da Imperatriz n. 60 de Gama de
Silva.
ls chitas do Pavo a 200 o covado.
Vende-se o mais bonito sertimento de chitas es-
curas e rozas sendo lnglezas, mas com os pannos
to encorpados conjo os das franeezas qne se ven-
den a 4Orek/e tfqoWao-se pelo barato reeo de
200 ris o.covado ou a 75200 a pega, garantindo-
se terem 38 covados cada pega e serem de cores
fizas isto na loja e armazem do Pavo na roa da
Imperatriz o. 60 de Gama & Silva.
Armazem 'do Pav&o,
Vende-so cera le carnauba da melhor qualidade
esaTMOCOt, Vais barato que m ootra qoalquer
parte no rojozen do Pavo sa roa da Imperatriz
n. 60, de Gama A Silva.
AS cabaias do Pavao a 20000
ocoyado.
Chegaram para a loja do Pavo as mais lindas
Wai de sida para vestidos, sendo.com os ma
No dia 7 de margo de 1864 fn^io da c;Jade
da Fortaleza, cap.tal do Ceara', Marcellino, escra-
vo do juiz de dirello da dia cidade o Dr. Jca.juim
Jorge dos Santos, rom os signaes seguintes : mu-
lato, escuro, cabellos carapiohos, nariz etuto, tom
marcas de texigas pelo rosto, ditas de sarnas pelo
touligo e cosas, baizo, corpo "regular, idade 13 pa-
rale annos, natural da cidade da Victoria, tra
Santo Anido, sem offlcio e muito ladino Qaem n
trouzer ao abaixo asslgnado, rua 00 Crespo n. l'J.
loja, sera' generosamente recompensado.
J-jt dos Sanios Neves.
Es-cravo ugido.
Fugio em dias do mez passado oescravo Amato,
crioulo, de idade 30 annos piuco mais ou races,
estatura regular, rr ful, olhos pequeo?, cariz
chato, boca grande e com falla de denles, e os bri-
gos bastante grossos; rega-se, por lauto, a sua ap-
prehenso, e qoem o pegar ou delle et Boties,
dirjase ao largo da assert bla no Forte do Mai.,
armazem de assocar de Jos da Silva Loyo v ''
que ser generosamente gratifica Jo.
Vendemse superiores gro;denaples pretos pelos
baratissimos pregos de iuO, 15600, 15800 e 5
o covado, sendo fazenda muim bta, s para ac- m ]..nft en
bar : na loja e araazem do Pavo, rua da Impe- A liAUtl a"
ratrix n. 60, de Gama & Silva. urna ama de leite sem Bino, com muito boro I- ile,
oranMnie c llnllO uO ravao. escravade boaconduct'.; ouem pretender d>ri-
Vende-se superior bramaule de linho com 10! ja.se a camboa dj Carmo, sobrado novo n. S2,
palmos de largura, prc tirios para lepces, pelos 11. aD(jar.
baratissimos pregos de 25 e 25^00 a vara, assim
como panno de linho mono fino pelos baratissimos
pregos de 610,700 e. 800 rs. a vara : na loja e ar-
mazem do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma 1 Silva.
Cambraias lisas do Pavo.
Vendem-se pegas ae cambraia lisa muito supe-
rior, pelo baraio preco de 35200 e 35300 a pega,
ditas muito finas a 35, 65. 75 e 85 : na loja e
armazem do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
PECH1XCHA !
a 2000, para calcas, s o Pavo.
Vendem se superiores cortes de meia casemira
com msela de seda a 25, duas Garibaldinas a
25800, ditas escuras a 2>800, ou a 15600 o cova-
do : na loja e armazem to Pavo, rua da Impera-
triz n. 60, de*Gama & Silva.
PENTEADORES
oa roupSes de cambraia cordados proprios
para as senhoras vestirem de manb.
Chegou esta novldade pata a loja do Pavo,
muito lindos e de melhor gosto al boje, pur pre-
cos muito razoaveis: na loja do Pavo, rua da
Imperatriz n. 60, de Gama de Silva.
Cassas franeezas a 2-' rs. o covado.
Vendem-se bonitas cassas franeezas de eores fi-
zas pelo baraiissimo prego de 240 o covado.
Ditas a 280, 320 e 3C0.
S na loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Grsdenaple preto a 1$600.
E' grande pecbineha!!
Vende-se grsdenaple preto, sendo muito encor-
pado e de boa largora, pelo baratissimo prego de
15G00 o covado : na rua da Imperatriz n. 60.
Os cachinez do Pavo.
Vendem-se benitos cachiDez de la ou agazalhos
para cabega pelo baratissimo piego de 35000, s
na loja do Pavo, na rua da Imperatriz n. 60.
MANTAS PAO A O PESCOCO
a 15, s o Pavao.
Vendem-se bonitas manta; para o pescogo, pelo
barato prego de 15 : na loja do Pavo na rua da
Imperatriz n. 6C, de Gama & Silva.
Hadapolcs a 3,o(,0 rs. a pessa.
S na loja do Pavo.
Vende-se pegas de madapoiao fino com 12 jar-
das, pelo baro prego de 35C0 e 45000.
Chales de rtilda.
Na loja do Pavo.
Receberam-se os mais lindos chales pretos de
renda,.assim como as mais modernas e compridas
retonaes, e manteletes da mesma fazenda, e vende
se mais barato que em outra qualquer parte: na
loja e ajmaiem do Pavac na rua da Imperatriz n-
66 de Gama & Silva.
Ct<f a 3(0 rs. a covado.
Para caigas.
Vendem-se superiores castores muito encorpados
padrees escaros pelo barato prego de 320 rs. o co-
vado, servindoesta fazenda tambem para escravos
por ser de murta durago ; na loja e armazem do
Pavo rua da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
para meninas a 6,000.
S na loja do Pavo.
Se vendem os mais bonitos e mais bem enfeita-
dos cbaposlnnos de palha da Italia, pmprios para
meninas, pelo baratissimo prego de 65000; na loja
e armazem do Pavo na rua'da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
Attencao.
ULTIMA NOVIDADE
PENTES, ENFEITES, CINTOS.
Gama & Silva, acabara de receoer pelo ultimo
vapor francez, um grande sc-nimento dos mais ri-
cos enfeites pretos e de cores proprios para cabeca,
sendo guarnecidos com as maU lindas flores, e com
vollas das mais bonitas percias; as,sim como os mais
modernos e engracados pentes da verdadeira tar-
taruga, marchetados sendo a ultima novidade
que tem vindo de Pars, e os mais ricos cintos com
fitas matbisadas e (velas largas, conforme ltima-
mente se usa as primeiras capitaes da Europa, e
vende-se por prego em cnota por ter chegado em
direitura para a loja do Pavo, roa da Imperatriz
n. 60 de Gama & Silva.
As [tandas do pavo a 8 e IQs.
Ven Jem-se as mais ricas rotandas de renda pre-
ta, sendo moito grandes, que sao as que mais se
usam, pelo baratissimo prego de 85 e 105 na
loja e armazem do Pavo, rua da Imqeratriz n. 60,
de Gama & Silva.
Chitas pretas a 160 rs:
Vendem-se chitas pretas inglezas, sendo fazenda
mnito boa, pelo baratissimo prego de 160 rs. o co-
vado, ou 35300 a pega com 38 covados : s na
loja da Havo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
ATLANTA
Ha muito tempo.
Desde 10 de fevereiro deste anno, o.'as do entra-
do, que fugio o escravo Paulo, cujo foi comprado a
Sra. viuva Gibms e com os signars segnintts: sa-
fla, baixo, cabega entre hombros, uails rbarndr
comprido, bocea feia, e seu todo : olhar por ;..:;o
de manhoso, 6 natural dos ser loes da Parahyha ao
Norte, ja' teve outra fgida e fci encontrado na
Torre procurando senhor d'onde veio-me as macs
eso esteve em casa 3 dias e lego fugio segunda
vez e anda se acha fgido, por isso pego as auto-
ridades sociaes e militares por sua bondade de o
pegar, ou os Srs. capilaes de campo o pesuem e c
levem ou mandem a casa de sen senhor, que Oca
muito grato e paga tem o trabalho, a rua nova de
Sabta Rita b. 17 e ao._____________________
Fugio a 13 do mez passado o escravo Joo ccui
25 annos mais ou menos, cabra claro, um pour.n
baixo, grosso do corpo, ps e Daos um pouco gr; s-
so's, nariz afinado, rosto comprido, com falla de
denles, cabellos carapinho? meics russos, pouca
barba, as vezes cosloma andar calcado, d regrisia
intitula-se de forro, -o visto no bairro de santo
Antonio, rua da Concordia, eS. Jw ( de Gara-
nhuns) qtiem o pegar elevar a seu senhor .':
Perelra de Miranda Cunha rua da Imperatriz n. So
segundo andar ser generosamente gratificado.
>o dia 26 de abril prximo passado, fogio do
engenho Grvala em Agua-Preta, o escravo Modes-
to, com os signaes se(nintes: idade 30 anne-,
pardo claro, cabellos regular, (helo du corpo..-. :..
barba contendo apenas alguns cabellos, denti
limados, ps regulares e um tanto (argos; leveu
urna tioucha contendo ronpa: roga se portante as
autoridades pohciaes e cariiie* de campo a ca '.
ra do dilo escravo, e leva-lo oo ref>lirio engenh a
seu senhor Ignacio Ferreira de Mello Lessn, cu
nesta pr-ca ao Sr. Manoel Atidni.) de Santiago
Lessa, morador na rua do vtondeeo, e ct-m escr p-
torio na rua do Appolkyque ser gratificado.
Fugio do abaixo assipnado, no dia 27dt! abril
prximo passado. o seu escravo J- t,'ciioulo, JaJa
25 annos, cor bem preta, altura regular, bom cor-
po, sem barba, bocea regular, com falla de den-es
na frente, nariz chato, maguas um (auto altas, Loa
o Joelho dirtito para dentro, ps e mos grandes,
tim algoroas elcatrizes de chicote, e tambera tic
bacalho; o qual foi escravo do Sr. Manoel i' ir.
de Jess, proprielano do engenhu Gua iba da fre-
guezia de Porte-Calvo: roga-se portanto as autoii-
dades policiaes e aos capitaes de campo a captura
do dito escravo, e leva lo ao abaixo assignado no
engenho Grvala em Agua Preta, ou nesta praga
ao Sr. Manoel Antonio de Santiago Lessa, morador
na rua do Mondego, e com escriptorio na rua do
Apollo, que ser gratificado.
Manotl de Baaros Franco Mello.
Oesappareceu no Io de raaio do corrente m
raoleqainho por nome Germano, com os sigea-.s
segointes : cor fula, rosto redondo e carnudo, bc-
nltote, pode ter de idade 10 para 11 annos, multo
traquino, tem um calombo atraz da orelha esquer-
da e por este signal qualquer pessoa conhec, e-
voo vestido taiga de algodo de lislras escura e
camisa de riscado azul suja, chapeo de palba ve-
Iho, desconfia-se que tenba seguido para U ico .i
ou mesmo aqu na cidade : portanto roga-se as
autoridades policiaes e capitaes de campo que o
prendara e levem a rua estrella do Rosario n. 29,
botequim d'aguia de ouro qae recompensa genero-
samente.
200,? de gratificado,
Km 31 de outubro do anno passado, fugio es-
crava Claudina, cabra alia e seca do corpo, que
pertencen ltimamente aosIllms.Srs. Jos/oaquim
da Silva, Manoel Mauricio de Sena e D. Mariana
Ignacia de Castro e Silva que a vendeu a Jos Ma-
ibeos Prreira qae pagar 2005000 a quem he
entregar dita escrava na roa da Cadefa n. 62.
~ Ao amanhecer de boje fogiram deste engento
Pares da comarca deNazaretb, 3 escravos sendo
ura de nome Joo, alto, batbado, quebrado de urca
verilha, com idade de 30 annes pouco mais ou me-
nos, tem as costas varias cicatrizes velfeas de
chicote. Outro de norte Joaqnim, com idade de 24,
annos pouco mais ou menos, cabra, pouca barba
boa airara, bom corpo- e bonita gnra; e mais om
mulato de nome Benedicto com mais de 30 annos,
boa aliara e pouca barba. Pego a toda e qualquer
autoridade e capitaes de campo a apprebengao dos
referidos escravos, qne seram generosamente re-
compensado.?
Engenho Parees, Io de maio de 1866.
Antonio da Motla Silveira Cavalcanle.
P. S. O flservo Joo crioulo e foi comprado
em marco de 1866, no Recite ao Sr. Gongalo Jos
Affonso, tendo vindo do serto do Riacho do
O de nome Joaqnim, foi comprado em margo
prximo passado, li Reclfe, ao Sr. Antonio de
Moura-Robtm. tendo vindo do Cear; e o de nome
Benedicto, foi comprado, ba tempos, a Josias do
Tal, mofador era Qneimadas da fregneil do Bom
Jardim. _______ __
Fugio em principios do mez de fevereiro do

!s anno proxiao pasado, um rooleqoe de nome Eu-
v..... -v-----t. ....., .. Mblo, de idade de 13 para U atmos ooos slg-
llndos fbotos de mitts 0 listas, tendo entre elta al-, M6^ segainles; ce)r bem peu, secco .do ,corpo,
gomas roxas e pretas para quem estlver do loto, periias e bradbs fldbs, ps e. mos seccas, cabega
tendo esta aova fasead* 4 palmos de largura que graD(je e um pouco chati, olbos regulares e au-
facillu fazerse nm vestido com pooeps wvados, e ndos, ooswma aott^ar por baixo dos plho?,
v(fe-se pelb bartlsslftio prego de t#m, nnlca-^e|ba) nirjx e boeea regalares, tem dons.deptes
a ojt vmtt d nfvto rtti fflf Ifflpe-
ratrix n. 60, de Osa & Suva.
Hcmdade
par vertid*.
9k<* do ittMltffio mo < W* o cot?.
na loja o armazem do Pavo na roa da Imperatriz
n. 60 d Gama A tftfi.
da frente nm pouco pobres, e a presa tirada de to-
o, roilndTA moito esperto, e cosluma
dizer qno'Olorro. Roga-se as antoridodos boI-
ciaos.e capUiea de campo que o aprehndame le-
vem no na cidade do Recite, na rna chjlangeira
d: O, a' m-MMiera D. Harta Luisa d Mello, viu-
va do Dr, Fernando Affonso de Mello, on a' son fi-
ln Dr. Podw Aflaaso do Mello, do.jm driP10^
a' rua das Crnxes n. 41 i e gratiBcar-se-ha cota
2005000 ris, a qnom o tronxer.

I





I
8
i
..'- -
Difer* e reraanmmnem yeguada felra I4 4e Mala 4c 1866


LITTERATORA.
THEATRO DA iURERA.
A iO Brigada rota : i
i* batilho de Infamarla, coramandame o tenen-
te-coronel Salostiano ot dos Rejs. LV^|
2o baialho da voluntarlos da patria, comman-
dante o major Jos Deodora da Foaseca.
20 dito dito, command ante o major Francisco T.
Figoeira de Mello.
A forja total dessa primeira diviso de 1,676
horneas.
As primeiras trepas saltaran) em torra aera que de liaba, eoeensandadee aqnelle pelo mujer Guima Passo da Patria, parece que iam logo ser-Ibes en-
Fazomos os seguinle extractos de correspon-
ded .as do Rio da Prata para jornaes da corte.
A demora da grande operaga da passagem do
;o no rio Paran, demora que talvez na his-
possa ser justificada mais do que geralmente
dita, ao menos guamo aos generaes brasi-' A lerce'ra divisa. 1ae comraaodada pelo brl-
tinba dado lugar a essa campaoha semi. adeiro An,oni de Sampio, consta da quinta bri-
, seiui-terrestrs, de qae por espaco dej!3 g>da, commandada pelo coronel Aadr A. L. de
Uliyeira Bello, e da oitava, commandante o coronel
0. ios Baltbasar da Silveira.
Formara a qolnta brigada :
4* batalbao de infamara, commandante o tenen-
te-coronel Lnlz J. Perelra de Carvalho.
6 dito dito, o tenento-coronel Antonio da Silva
Paranhos.
12 dito dito, o tenente-coronel Domingos Jos
da Costa Perelra.
tf.
o ttieatro o rio Paran uo Passa da
tria.
t' certo qae o inimigo n3o oppaoha se nao
ur pequea e mal armada fortaleza, algumas
atas, e urna ou oatra improvisada balera, a
todo o poder que abi se accumulra, sendo s da
parta do imperio representado por 20 navios de
gaerra.
Mas nao erara os meios propriamente milita-
res do Paraguay os que se tornara necessario
debellar nessa paragem, era, sira o poder do des-
conhecido, que sempre lemivel e por vezes assus-
tador.
Tanto assim o reconheceu o marecbal Ozorio que
no dia 13, segando os melhores dados, expedio a
prociamaco que annunciva ao exercito, a fu
passagem ao territorio inimigo.
Soldados do exercito imperial IAquella mar-
ceic que neste momento estamos avistando o
termo de vossas fadigas e dos sacrificios da nago
b.ijileiraI Cbegou a hora da expiacao para esse
laimigo cruel, que talou nossos campos indefesos,
c commettea tantos actos de ferocidade contra po-
pulares inermes I
O ingrato a quera o Brasil enebra de benefi-
cios ha de ver agora que nao nos assoberbava
pela importancia de seas recursos; e tarde vai co-
uhacer que a poltica generosa do governo impe-
rial em relaco ao Paraguay era Inspirada pela
magnanimidade de seus principios e uobreza do
caracier braslleiro.
Soldados compatriotas I Tenho presenciado a
vossa constancia nos soffrimeotos, a vossa seren-
dide as provagoes.
c Teades dado os mals bellos exemplos de dedi-
caba pela patria, a cojo appello correspondestes
..mhusiaslcamente, vlndo dos pontos mais reme-
tos de todas as provincias do imperio juntar-vos
aqui em torno do pendo nacional.
t Aproveito este solemne momento para agrade-
cerlos em nome do Brasil e do governo de S. M.
c Imperador.
c Soidados t E' fcil a misso de commandar
a horneas livres; basta apontar-lhes o caminbo do
dever I
t O nosso caminbo est all defronte.
c Nao me preciso lembrar-vos qae o inimigo
vencido e o Paraguiy inerme e pacifico devem ser
sagrados para um exercito composto de homens
da honra e de coraeao. Anda ama vez mostre-
mos ao mundo qae as legoes brasileiras no Rio da
Prata s combatem o despotismo e fraternisam com
os povos I
c Avante, soldados!
f Viva nossa santa religio !
Viva a nago brasiieira I
Viva S. M. o Imperador I
f Vivam os ejrcitos alliados! Manoel Luiz
)'j:. marechal de campo
Observare! agora : ao annunciar o nosso ge-
neral em chefe a passagem do exercito no dia
13, estavam ja' llxadas as ideas de S. Exc. e de
seos collegas sobre o ponto por ond a operagao
eria lugar.
Difflcil fura dize-lo ; em corapensaco pode as
segurarle que o plano da passagem nao podia ser
mais perfeito.
A bise desse plano foi simular a passagem do
exercito no Passo da Patria, emquanto se fazia c
desembarque no rio Paraguay, mcia legua cima
da sua bocea.
Os generaes de diviso, commandaoles de bri-
gadas i corpos, e essa joven e formosa olflcialida-
de dos tres exercitos, davam e executavam com
verdadeiro enthusiasrao as ordens que o servico
exiga. Quanto a' tropa, pareca que a cbamavam
para urna grande festa, tanta era a sua alegra e
actividade.
O somno e a alimentac.ao eram necessidades
como qae olvidadas pelos tres exeicitos.
Taes eram as disposicoas com que se realisou o
embarque.
Na manha do dia lo expediram-se as ordens
qur a' esquadra qur aos exercitos de trra.
A's 3 boras da larde achavam-se situados ao lon-
go da costa (correntna), e prximos s pontes on-
de devia elfectaar-se o embarque das tropas impe-
riaes, os numerosos transportes, construidos pela
comraisso de engenbeiros, e os vapores brasileiros
que deviam reboca-los collocaram-se em frente
delles. Os cinco vapores argentinos faziem o mes-
mo em relaco aos seas transportes.
Em algumas das maiores balsas carregaram-se
as pecas de artilharia.
Nesse momento urna specie da agilago domi-
na va no porto do Passo da Patria; mas agilacao
metboilica e solemne, que irradiava do Apa, navio
chefe, e se transmlttia aos extremos da numerosa
frota pelos correios e a restos, qae cruzavam de
um extremo a outro da liaba.
Sobre a margem do rio va se o infatigavel te-
nente-coronel Carvalho, multiplicado nos dez ou
doze ofciaes da comraisso de engenbeiros, lado
prevenir para a facilidade do embarque, seguran-
za das tropas a bordo dos transportes, etc.
Penetrando nos acampamentos do exercito de
trra a mesma agitaco methodica se revelava, e
era na quadro grandioso esse que apresentavam
40,000 boraens arrumando para o desembarque
em territorio inimigo, o que imporuva dizerpara
urna batalha ao sallar em trra.
Ao declinar da tarde, se o movimento nao cessa-
va nos exercitos de trra, no porto nota va-se
urna especie de quietado: era qae tudo esta va
disposto.
A's 8 boras da tarde ama expedicao de tres
canhoneiras, sahida da torga qae bloqaeava o rio
Paraguay, entrn pela bocea desse rio, e foi explo-
ra-la e escolher posigo tres qoartos de legua ci-
ma da foz.
Como s 11 horas da noute come50u o embarque
das tropas, qur brasileiras, qur argentinas, nos
respectivos transportes.
A 1.* diviso, qae commandada pelo brigade-
ro Argollo Ferro, consta de duas brigadas, a 7.a
s ordons do coronel Jacintho Machado Bittenconrt,
e a 10.a s do coronel Carlos Resin.
Formam a 7.a brigada :
O l* batalbao de infamara,.commandante o
major Guimares Peixoto.
13. dito, commaddinte o major Augusto Cesar
da Silva.
o inimigo se delxasse ver.
Sendo o torren) inteiraraente desconhecdo, o
general Ooirio tomou a resoiue& de explora-lo
por si mesmo, e s acompanhado de seus ajudan-
tes d'ordens e 12 homens do sea piquete, todo.s a
cavallo, adiantou-se pelo territorio inimigo.
Apenas tinha avaocado ara cenlo de passos
qaaudo S. Exc. temeu haver soffrido urna deeep-
ce, porque o terreno apresentava um extenso
brejo, s em um ponto vadeavel, e mesmo abi a
agua chegava-aos encontros dos cavallos.
Com difficaldade foi elle, pols, avanzando escol-
tado pelos 12 borneas, indo a algama distancia
ama pequea torca de infamara, e muito mais
longe ama ala do 2 batalho de infamarla.
Urna forga paraguaya, composta de tres bata-
Ihoes de infantaria, algnma artilharia e cavallarla,
que suppoe-se vlnba obstar ao desembarque de
nossas torcas, tarde presentido por Lpez, saTiio a
LM POICO DE TUDO.
4 de voluntarios da patria, commandante o te- feDle do eneral Otorio> e obri*ou S8U M0818
neme-coronel Dr. Francisco Pinbeiro Guimares. Ia former era oerrilha, ou para poder-se retirar,
46 dito dito, o tenente-coronei Francisco Loa-
rengo de Araujo.
A oitava brigada assim composta :
8 batalbao deiofantara, commandante o tenen-
te-coronel Francisco de Soza Camiso.
16 dito dito, commandante o major Joio de
Sonza Fugnndes.
10 de voluntarios da patria, commandante o
tenente-coronel Joaquim Mauricio Ferreira.
A forca da terceira diviso de 1,106 homens.
Designando por tal forma as brigadas e corpos
de que se compoem as duas divisos, tenho em
mira que fique consignado na imprensa, ao menos
quaes os batajlioes que primeiro calcarais a ierra
paraguaya e primeiro venceram o inimigo em seu
proprio territorio.
Toda a forca que embarcon la sob o commando
immediato do marechal Ozorio, e preparada como
para um dia de batalha.
O ebefes e offlciaes trajavam seus melhores uni-
formes, e a tropa, tambem uniformisada com es-
mero deixara as mocbillas, levando apenas soas
armas, correames e municoes.
A's 7 i|2 da manba a esquadra brasiieira, com-
posta de i O' vasos, alm de duas chalas, formn
urna extensa liaba desde a bocea do Paraguay at
cima do Itapir. a ordem em que estavam os
navios collocados era a seguate :
! Crvela Mag.
2 Canboneira Ivahy.
3 Dita Iguatemy.
4 Dita Iptran/ja.
5 Dita Araguay.
6 Dita Greenhalg.
7 Dita Chuy.
8 Enconracado Brasil.
9 Dito Baha.
10 Canhoneira Parnahyba.
11 Dita Ueartm.
Duas chatas com pecas de 68.
Encouracado Tamaniar.
Dito Barroso.
Canhoneira Belmonte.
Dita Itajahy.
Dita Henrtque Martins.
Nessa numerosa esquadra, como se v, nao Oga
rava navio algum argentino, sem duvida por lerem
de dar reboque aos pontoes e baleas onde iam suas
tropas embarcadas, e porque nao tibham como
nos olto ou dez vapores-transportes para applicar
a esse servigo.
A formaco da nossa grande linha -de navios ao
correr da costa paraguaya tinha por objecto pro-
teger os transportes que levavam as tropas de
desembarque, e que sem essa providencia podaos
ser boslilisados pero inimigo em urna extenso de
tres milbas.
Logo que a linha naval se achou formada, os
oito transportes brasileiros a vapor, rebocando os
pontes, chatas, haigas e mais embarcacoes em que
ia embarcada a nossa tropa, puzeram-se em mar-
cha, servlndo-lhes de custodia urna canhoneira
brasiieira. Eram 8 1|2 da manha.
Sendo um segredo dos generaes em chefe o po

12
13
14
15
16
17
ou para dar lempo a qae ihe chegasse a auxilio da
infamara.
Foi nm grave momento aqnelle, e os 12 homens
qae gaerrilhavam contra toda ama columna ini-
miga, de 1,500 homens, tiveram occasio de mos-
trar o que sao os soldados de cavallaria rio-gran-
denses as c>iuac5es criticas. Denodo, serenidade,
viveza de movmentos e nma grande confianga em
si, eis as qualidades que os carcterisam.
Accresce que o marecbal Osorlo, ostentando
sua desconhecida Intrepidez, Ihes dava o mefhor
exemplo.
Por fortuna, aos primeiros tiros a pequea forca
de infantaria acudi como costnma dizer-se vo-
ando, e fortificou a guerrilna de cavallaria.
No enealco dessa primeira torga de infantaria
nao tardn em ebegar ama ala do 2 batalbao de
voluntarios da patria, cajo bravo commandante
leve nos otllcios do general Ozorio ama menso
honrosa.
A terca brasiieira, embora anda em grande
raes Peixeto, este pelo major Augusto Cesar da viados, aura de que aqnelle exercito podesie tomar
Silva, e ambos as ordens do coronel Jacintho Ma- as operacSes a pane importante que Ihe eabe
ehado Blttencoori, tomar de flanco a columna lni- nada menos que apoisar-se da capital ia'imiga.
miga, qoe leve de dar-ibes a sua renl, cobrtado (
a qae dava para nossa for?a principal, e que tor-1 "^a**" .m
nou-se entio sea flanco direito.com as quatro pe- J
gas de artilharia. '
O marecbal Ozorio mandou o 10 de voluntarios' Este extracto de V. Hugo :
da patria, commaadado pelo tenente-coronel Joa- A linha recta no mar nem sempre a linha lo-
aaim Mauricio Ferreira, atacar o inimigo sobre, sica.
sse flanco, o qoe trouxe a perburbago as leiras! Entretanto os vapores tem, al certo pomo, o
paraguayas. j poder de seguir a linha recta que nao podemse-
Os tres batalh5es brasileiros carregaraf a baio- ulr05 navios de ve,a-
neta calada, e os pozeram em debandsl, conse-
gu ndo apossar-se de duas pecas de ahilbaria, e de
ama bandeira que tratiam, grande porgo de ar-
mamento, e muitos cavallos arreados.
Esia ultima cireumslancia em um combale a
baloneta, exige urna explieago.
Os dous esquadroes de cavallaria inimiga vendo
os batalboes brasileiros avangarem com baioneta
calada, deitaram p a ierra e os accommelteram de
espada na mo I
O resallado foi grande numero desses desditados
cabirem atravessados pelas baioneas dos nossos
soldados e o resto fugir de envolta com a infanta-
ria, augmentando a desordem e a coauso em
que j ella estava.
O offlcio em que o marechal Ozorio commani-
coa ao general Mitre esse feito de armas, e qae j
deve ser conbecido na corte, d as perdas do ini-
migo e as nossas, por isso apenas direi, que do
inimigo foram acbados no campo da aeco mais de
400 corpos, e como 50 feridos e prisioneiros. De
nosso lado contaram-se 240 nomens fra de com-
bate, sendo como 200 feridos, mas destes poneos
mortalmente.
Da artilharia inimiga tomaram-se duas pegas
novas e que se reconheceu serena de fundigdo por-
tugueza. ^
A bandeira, qae tambera se Ibes tomou foi o flo-
recida pelo marechal Ozorio ao visconde de Ta-
desproporgo com a do inimigo, avancou com de- mandil, como prova de gralido do exercito ao
nodo sobre este, fazendo nma carga a bayoneta valioso concurso qae a esquadra Ibe tlnba pres-
contra a infantaria paragaaya. O inimigo enio tado.
retroceden, mas nao sem deixar quarenta e um
morios e cinco feridos, levando sem duvida os
mais. Da torga brasiieira hoave somente tres mor-
tos e 10 feridos, contando-se neste nnmero um
offlcial subalterno.
Nao era pequea vaotagem qae no primeiro re-
coatro, e tendo diante de si um inimigo to supe-
rior em nnmero, a torca brasiieira alcangasse a
victoria qae alcancoa ; porem o grande resultado
desse recontro foi realizar-se a explorago do ter-
reno, descobrindo-se ama estrada do porto de des-
embarque at um terreno alio e firme, continuando
a mesma estrada at o forte de Itapir.
Ddsassombra.damenle pode enio adiantar-se nao
s a infamara, mas tambem a artilharia, como
tres qoartos de legua, at um sitio commodo e se-
guro para as duas divis5es acamparem, e ahi es-
pera: malor numero de torgas, qae se centava fa-
zer passar nesse mesmo dia.
As duas horas da tarde, porem, ama tormento,
qae do lado do sal se tinha ido condengando, de-
sabou com grande furor. Vento, trovoes, raios e
copiosa ebuva cahiram simultneos, formando um
fondolerrlflco ao pain dos combates.
Tres horas durou a borrasca, Boda as quaes re-
novon-se o fogo de artilharia e de infantaria, sendo
ste na torga do general Ozorio.
E' que depois da persegulgo feita pela infama-
ra brasiieira um oorpo de cavallaria paraguaya
carregou contra ama guarda de infantaria nossa,
collocada a frente da artilharia. Fazendo-lhe nm
vivo fogo de espingarda, e depois carregando-o a
bayoneta, nossa infantaria levou o inimigo de ven-
cida al obriga-lo a metter-se no mato.
Comquanto estivessem j embarcadas em
seus transportes e navios de guerra as forras ar-
gentinas de 1 corpo de seu exercito, e ama bri-
gada de infamarla oriental, a tormenta impedio
to e o plano do desembarque, e sendo geral a sup-' que ellas atravessassem o rio antes das quatre e
posigode que este tena lugar no mesmo passo de meia da tarde.
Itapir,, ella pareceu confirmar-se ao ver a dir- A essa hora paieram.se em marcha o vapor
gao que a frota dos transportes tomara a principo, Uliem aaeiaogeneral Flores, na frente, os deguer-
isto a perpendicular de urna margem outraj j r, argenllnos Guardia Nacional, Libertad, Chaca-
buco, Buenos-Ayres e Pavn, e os dous transpor-
tes dos forneceaores brasileiros Alliado e Provedor
que seus donos tinbam generosamente offecido para
tal flm.
O mar e o vento formam nm composto de
torgas. '
O navio ora composto de machinas.
As torcas sao machinas infinitas, as machinas
sao torgas limitadas.
Entre os dous organismos, um inexgotavel, ou-
tro intelligenle, trava-se o combate que se chama
navegago.
Urna vontade no mecanismo faz contrapeso ao
infinito.
Tambem o infinito encarra um mecanismo.
Os elementos sabem o que fazem e para on-
de vo.
Nao ha forca cega.'
Cabe ao homem espreilar as torgas e descobrir-
bes o itinerario.
Em quanto se nao descobre a lei, prosegoe a
lata, e nessa lula a oavegaco a vapor ama espe-
cie de victoria perpetua qae o genio humano vai
ganbando a todas as horas do dia era todos os
pontos do mar.
A navegago a vapor admirvel porque disci-
plina o navio.
Dlminue a obdiencia ao vento e augmenta a ob-
diencia ao homem.
E' do Sr. Lycurgo J. U. de Paiva
ISCUTi !
Se eu fra presa, qoe vlvesaa em ferros
Entre os martynos de infernaos jadeas;
Furia maldicta, en afrontara o jago
Por om sorriso, por am s dos teas.
Se ea fra rico, potentado ou nobre,
Como sio tantos, por mere de Deas,
A's toas plantas depozera as galas
Por am sorriso, por um s dos teus.
Se ea fra Infante, a qnem te amar vedaste
Dever d'estado nos preceitos seas,
Eu suplantara esse principio infame
Por am sorriso, por nm s dos teas.
Se en fra sante, qae no cea vivesse
Ao lado eterno, divinal de Deas,
Ea desistir dessa gloria insano
Por um sorriso, por nm s aos teas.
Se eu fra Deas, ao apogea do tbrono,
Ea te elevara nos delyrios meas,
Dar-te-bia a er'oa, qae ao cn eingisse
Por am sorriso, por am s dos teas.
Mas nlo son nada n'amplido dos seres;
Son como a brisa, que clcfa leve,
Qde por mais vezes que bafeje a rosa,
Nunca Ibe sorve o doce mel da seve I. .
-*'
Nao tardou, porm, em veriflear-se o contrario.
Apenas chegada no.canal 'que corre mais prxi-
mo a costa paraguaya, a frota dirigio-se aguas-
abano, a entrar pela primeira bocea do rio Para-
guay, e subi cousa de meia legua por elle.
Nem quanto baviam penetrado nesse rio per-
deram-se de vista os transportes, pois, sendo mui-
to balxa a mata da margem esquerda, por cima da
trra viam-se os mastros dos vapores, inclusive os
das tres canhoneiras que estavam tundeadas j tres
quartos de legua rio cima. Os transportes li-
nham parado meia milha abaixo dessas canho- ropa.
neiras.
m quanto estas operaces se realisavam,, o for-
te de Itapir tinha principiado a fazer tiros contra
a batera da ilba, que respondeu-lbe com fogo to
vivo a suffocar o do forte.
A's 9 horas oavio-se fogo de i afamara na mar-
gem do Paraguay oode a torca brasiieira fazia o
desembarque.
Ao mesmo lempo as canhoneiras imperlaes qne
formavam a extrema da linha no rio Paran rom-
pern) sobre a eosta inimiga, coberta de mato, am
fogo vivissmo de bombas e metralha, ao qual res*
A torca ahi embarcada constava de 4,500 a
5,000 homens, com bastante artilharia e mals pe-
trechos.
A qaalidade dessa tropa, quasi toda-velerana,
e com peritos e bravos offlciaes, como o coronel
Rivas, os commandantes Cbarlone, Pagla, Buero
etc., daram-lhe todo o aspecto de ama legio eu-
Depols das cinco horas da tarde a (rota argn-
ttna aportou no mesmo lugar em que pela manba
tinha-se Ibito o desembarque da) torgas brasilei-
ras, sendo os generaes Flores e Paanero com seas
ajadaales os primeiros qae saltoram em torra. -
ueserabarcoo, porem, s ama pequea parte
oessas torcas, obrigando a hora avangada a flear
o resto deltas a bordo.
Com a torca desembarcada o general Flores
procurou approximar-se s do general Ozorio, mas
nao Ih'o permitiio o terreno, porque alem de ser
pondiam de trra algans tiros de artilharia e des- esslmo. chav baTl tornado intransilavel. To-
cargas de infantaria. id,Tl* 8ener' Flores J" nao foi em pessoa,
Era am bello qaadro o que a vista se apresen- como a PrinciPio M di8se',er com 908"1 br-
Uva enio I silelro nessa noute, poz-se em commanicago Com
Na margem esqoerda do Paraguay, onde se a- elle> acampmdo com a sna torca no ponto at onde
zia o desembarque, um combate que pareca eada lce foi possivel ebegar.
vez tornar-se mais serlo ;- depois, no espaco de Por tal forma cor rendo os successos, resulton:
quasi duas milbas, a liaba de navios brasileiros *, qae as torcas brasileiras desembarcaran sos
dominando a costa. | no territorio paraguayo, e oito boras antes qoe ou-
Em seguida a batera da llha continan do sea ],rM Q'e duelo de onza das com Itapir, e emflm na estre-
ma, do lado do Paran, as tres canhoneiras baten-
do a costa, onde grande torga do Inimigo pareca
estar postada.
Esto animadissiroo painel prolongava-se por nm
espago. maior de 4 mflhas -, tuda que ahi jogava,
os 20 vapores de guerra, os 8 transportes, o ma-
terial immenso de desembarque, a gnarnigio da
liba, os 150 cuMes da esquadra, enfim os 16 a
essa nome acampadas a poucas milbas do grande
exercito inimigo.
E' evidente que esta eiacumstancla, e conbeci-
do o carater astucioso do inimigo, exiga a mais
activa vigilancia, assim como todo o cuidado devia
empregar o general Ozorio em cobnr o mu
campo, para evitar qaalquer sorpresa,
E de tacto nao oram em vio as camelas que el-
le tomou, pols as 8 boras tentn o inimigo sorpren
Essa derrota do inimigo foi anda de grande el-
feito material e moral.
Material, porque abra a nosso exercito o cami-
nbo at o forte de Itapir, e moral, porque, desar-
mando o inimigo, iospirava aos soldados brasilei-
ros a maior conianga em si mesmos.
Em quanto as torcas de trra escarmenta-
vam assim o inimigo, e avangavam em direcgo a
Itapir, a esquadra prestava-lbes valiosa coadjuva-
Cao.
Diversas canhoneiras e os eneouragados appro-
ximaram-se ao forte e a Henriques' Marttns e
Greenhalg, entrando na enseada de Itapir, rompe-
ram sobre a costa, onde bavia nma grande forca
de infantaria, e algnma artilberia inimiga, vivo fo-
go de bala e metralha.
O forte tinha as 9 horas da manba arriado a
sua bandeira.
A torca qne formava a guarnigo da ilha foi en-
io reunir-se as divisos que o general Ozorio ti-
nha comsigo, passando tambem nesse dia o
! maior numero das qne (inbam ficado na margem
correntna.
Mas o desembarque de todos nao foi mais no rio
Paraguay, e sim na margem do Paran, algumas
qaadras abaixo do forte do Itapir, que era onde o
mareebal Ozorio tinba acampado.
No dia 18 a diviso da vanguarda da esqoadra
penetrando no canal entre a ilba de Sant'Anna e a
costa paraguaya, descobrio assim ama soberba po-
sico para nossos navios bombardearen) o acam-
pamento de Lpez.
Nesse mesmo da a bandeira imperial tremo-
loa no forte, ou antes, as ruinas do forte de Itapi-
r, levantada pelo tenente-coronel Carvalho.
Consta que se vai fazer voar o que resta dessa
posigo militar, fazendo assim desapparecer at a
lembranca desse tropeco posto a navegago do bel-
lo rio Paran.
De 18 at 22, ultima data, os exercitos alliados
baviam completado a sua passagem e tomado po-
sigo em frente ao inimigo, oecupando o exercito
brasileiro a vanguarda, em seguida o oriental e lo-
go o argentino.
S om riacbo, e a distancia de duas milbas in-
terpunba-se entre as forjas alliadas e o campo en-
trinebeirado do inimigo. A todo instante, pois, de-
ve ter-se ferido a batalha, e se o Amo demorasse
mais algumas horas levara talvet a noticia da
grande victoria.
Na noite de 20 boave am conflicto entre doas
batalhes brasileiros, ambos de linha, que estando
de avanzada se descenneceram na obscurido da
noite, e flzeram fogo am contra o outro.
Apezar dos esf orcos em pregados pelos che es e
offlciaes para patentear o erro, o fogo durou bs-
tame tempo, cabindo 39 homens sob as balas fra-
tricidas, dos quaes 9 morios.
Preparan do-se os alliados para atacar o a-
campamento de Lpez, reconheceram todos suas
posiges contando como sessenta pecas de artilha-
ria de diversos calibres qae defendan) suas trin-
ebeiras.
Na manba de 22, porm, esse grande acampa-
mento, onde prelendia-se qae Lpez fizesse urna
heroica resistencia, apparecea em chammas, (endo-
se dorante a noite retirado as torcas que al a ves-
pera abi appareciam.
A brigada de cavallaria do brigadeiro Netto pe
netroa logo nesse acampamento, onde nada achou
que valesse a pena de recolber. A propna casa de
Lpez estava em cintas, e a estaco do telegrapho
mostrava ter sido destruida pelas bombas da es-
quadra.
A retirada de Lopes pretendem aos qae para
outro campo fortificado, qae tem ama legua mais
ao interior, e outros qne ao proprio entrinebeira-
mento de Humait.
Aqui ou acola os exercitos alliados am seguir-
Um jornal de Millo, a Lombardia, faz menge
de desorden-, felizmente poucos graves que re
bentaram em Tradate e que foram provocadas pe
las exctalo es do clero.
Tivera lugar na quinta-feira santa urna procis
sao, na qual tiguravam judeus a p e a cavallo.
Um militar com liceoQa, manietado e algemado,
levava s costas urna pesada cruz.
A guarda nacional prestava servico fazendo as
vezes dos soldados de Pilatos : e o toque de re-
bate > foi ordenado pelo ebefe da irmandade que
capito da guarda nacional.
A anloridade civil algara dever prohibir a sa-
hida de urna segunda procisso annunciada para
o da seguinte.
D'ahi origiaaram-se scenas lamentaveis de de-
sordem que bouveram podido, como em Barlelta,
degenerar em criminosas violencias, se nao fosse
a attitude enrgica da parle sensata e esclarecida
da po^ulago.
Foi preso om fantico, armado de orna fooce,
da qual, por fortuna, anda nao tivera tempo de
fazer uso.
A Lombardia espera que estas desordens nao
se bao de repetir.
Quanto s occorrencias de Barlelta, de que ja'
informamos os nossos letores, sao segundo parece
mais graves do que a principio se dizia.
Um offlcio do vice-consnl russo ao seu cnsul ge-
ral em -aples fornece pormenores tristemente cu-
riosos que estabecem a premedilago, e deixara
entrever suspeitas de complicidade por parte do
proprio bispo daquella diocese.
Acaba de ter lugar no palacio de crystal, em
Londres, urna exposigo de passaros de todos os
climas.
Os expositores apresantaram cerca de novecen-
los passaros de todas as cores e tamanho.
A classe dos passaros estrangeiros mu nume-
rosa, porm os qne cbamam mais a attengo sao
os papagaios.
Ha-os de monas dimen.'des e plomagem de co-
res variegadas; nns do tamanho de ama gallioba
da Cocbncbina, ontros to pequeos como nm
pardal.
Ha-os cinzentos, vermelhos, verdes, brancos,
etc., fallam quasi iodos, ou para melbor dizer pa-
paguelam incessantemente, e de todas as gaiolas
ouve-se gritar:
Glass best ale... (um copo da melbor eerveja.)
Glass brand and water... (nm grog.)
Thee cheers tor the Queen... (tres vivas rai-
nba), ou ento as votes de commando militares :
Tention I tix baronets, snonlder arms... quick
marcb I (sentido I armar bayonetas f hombro ar-
mas I passo dobrado I) etc., etc.
Algons dancam, riem com tama graca que pro-
vocara as gargalbadas dos visitantes.
Entre estes papagaios nota-se um qae conla 23
annos de idade, e que por ser nm babil e incansa-
vel palrador, foi vendido por 60 libras I...
nniiionu i.
Um negociante de calgado, em Philadelphia,
acaba de inventar um novo systema de reclamo.
Todas as raanhas faz sahir do seu estabeleci-
mento o seguate cortejo : dous prelos magnficos,
tocando pfano e tambor, avancam pelos passeios
de lagedo que orlam as ras. Seguem atraz delles
ontros dous pretos, um dos quaes distribue aos
transentes, pequeos annunclos impressos, e o ou-
tro leva urna bandeira na qual se lem a moraj e
o nome dosapateiro, que fornece por prego bara-
tissimo as melhores botas que se podem ver.
Antes dos quatro prelosebegarem i primeira es-
quina da ra, sao seguidos por outros pretos, cujo
numero cresce a cada passo.
Como de suppor, esta moltido consideravel
altrahe as vistas de todos os transentes sobre a
famosa bandeira-annuncio do babil sapaleiro.
De feito, este contava com razao, tirar partido
da predilecgo dos pretos pelo pitano e tambor e
tinha a certeza de ver todos os das os seas quatro
annnncos ambulantes seguidos por centonares^
cariosos.
Segando diz am jornal inglez, a lea chamada
Alexandrina, da grande collecgo de bichos de
Manders, que o propietario exhibe actualmente
na feira de Knotmill, acaba de partir nove leosi-
nbos.
Nunca se vio tanta tecuuiiidade.
O parto costoma ser de dous a quatro leoes.
Accrescenta o referido jornal inglez, que cada
um desses interessantes anmaes, representa aco-
la' am valor de cerno e cincoenta libras.
6. de voluntarios da patria, commandante o
major Francisco Angelo de Sonta Valente.
9. dito, tenente-coronel Jos de Olivetra Baeno.
t|. dito, major Ignacio J. Cavateaaii de AJbu-
qoerqne.
Duas companhias de zuavos, commandante o
major Manoel C. de Araujo e Silva.
17,600 homens qae ou combatlam j ou estavam '*' IrdM avaocadas, sendo repellido eoofal-
prestes a Isso, com ontros tantos qne sobre a mar- *m* perda- Dar*nte ?*> oldados pa-
gem correntna esperaran) o momento de embar- rluys azia,n. ?8 so.bre "w84* trP. conser-
car, tudo era nosso, tudo era brasileiro.
Eis um tacto que a historia aere consignar :
t A passagem de nosso exercito, ou, o que o mes-
mo a primeira invaso do territorio paraguayo
4fez-so com meios exclusivamente brasileiros.
Nossos alliados, cedendo-nos lealmente esta pri-
mazla, estavam todos na margem correntna, pres-
tes a acompanhar-nos, mas limitados por emquan-
to a seren testemnnbai do qoe as torcas- brasilei-
ras de mar e trra faiiam.
O ponto escoIWdo era aqnelle onde os transpor-
tes fundearam, qnero dizer, na margem esquerda
do rio Paraguay, meia legua cima la sna bocea.
Essa margem do rio balxa e de ara.
vandose escondidos no massega, mas ahi mes-
mo foram morios dous dalles, e aebou-se um fe-
rido.
Na madragada do dia 17 leve logar o primeiro
combate formal entre as toreas inrasoras, qne ala-
da foram exclusivamente brasileiras, e as dos.pa-
raguayos ;'e com qnanto a noticia desse feito d'ar*
mas j nava tambem ser condecida na corte at
pelas communcace offlciaes, con'vm dar sobre
ella alguna novos esclareclmentos.
O inimigo apresentou-se em torca eomo de 3,000
das tras armas, sendo qnatro grandes batalboes de
Infantaria, qnatro pecas de artilharia volante, e
dous esquadroes de cavallaria.
O general Ozorio mandou os batalhes 1* e 13
Carlos II, rei de Hespanba, quando era anda
novo, vlsitava os templos de Madrid no dia qulnta-
feira santa, e encontrando-se com um mendigo
que ibe implorava a cardade, pegn n'uma cruz
de brllhantes que Ihe adornava o peito e ib'a deo
deesmolla.
Algnns cortezos qoe depois virara o monarcha,
o advertiram de que elle nao levava a sna croz,
aitrrbuindo esta falta como roubo do mendigo.
Este que escutava o que diziam de si, excla-
moa:
Aqui esta' a cruz, deu-m'a el-rel de esmola,
E' certo que assim foi, disse Carlos II, dei-
lbe a cruz, porque nos meus bolsos nao linha di-
nheiro.
O duque de Medlnaceli, seu ministro, emenden
que nao devia passar s mos de um mendigo
cruz do monarcha feita com os diamantes da co-
in no encalco, at para aproveilar a desmorasa-' roa, e fet selente disto ao rei; porm este nie
em qne, segundo os paseado?, se acba o seu exer-! consentlo qne se revogasse um acto da sua gene-
cito.
A esquadra toda estava reonindo-se na bocea do
ro Paraguay, pelo que contava-se com a subida
rosidade. >*.
Sobmetteu-se o negocio ao parecer do conselho,
o qual decidlo que a dadiva do rei era sagrada, e
Lembra-nos qoe foi muito fallado o processo do
desditoso Allemo Franz-Moller, acensado na In-
glaterra de ter assassinado n'om vagn de am
camiobo de ferro, nos arredores de Londres, o ve-
Iho negociante, inglez Mr. Briggs. O presumido
reo foglu para os E.tados-L'nidos, d'onde foi saca-
do em viriade de reclamacSes da justica inglesa.
At ao derradeiro momento*, Franz-Muller, con-
demnado pena ultima, persista em proclamar a
sua innocencia absnluta'; tinha ji a corda enlaja-
da ao pescoco, plsava com os ps o fatal algapao,
e anda exclamava qne nao era culpado.
Ao ser langado porm na eternidade, assegnra a
nnica testemunba e o confidente desla tremenda
revelaco, Franz-Muller disse com voz apagada,
empregando urna forma de lingnagem qae Ihe nao
era familiar:
Foi eo qoe fiz iMo.
Foi oque declarou o reverendo Lniz Capelen,
da igreja protestante, que assistio nos ltimos mo-
mentos ao desditoso Muller.
Esta prova insuficiente, incompleto," indirecto,
qoig inverosmil, porque nao se comprebende
que no supremo oslante de rendar a alma ao
Creador, Franz-Moller velasse com precaogdes re-
Ihoricas o grito da soa consciencla, fleon depois
d'aqueiia fnebre scena para satisfazer a conscien-
cla iogleza alvorocada diaote do temor de am san-
guinolento engao jurdico.
Hoje, porm, urna inesperada revelaco tem
causado a mais profunda sensaco em toda a Alle-
manha.
Um criminoso endurecido, um marinbelro ma-
laio, qoe acaba de ser processado em Hamburgo
por doos oo tres assassnatos commeitldos n'aqoel-
la cidade, declaroo-se culpado da morte de Mr.
BriRgs.
Esta terrivel declarago estalou como urna bom-
ba, porque a ser verdade aqulllo que o reo afflr-
raa, revela ora espantoso engao judicial irrepara-
vel, um novo sacrificio Lesarques.
Cusa-nos anda a dar crdito ao que diz a este
respeilo um joroal bespanhol; aguardamos por
isso as indagares da justica haraburgueza. Po-
rm, se fr verdadeira a declaracao do assassino
malaio, se se commetteu nm horrvel engao judi-
cial, se, apezar das reclamares da opimo publi-
ca, se levantou o cadafalso em Londres para um
innocente, qoe poderoso argumento nao se encer-
ra neste faci contra os funestos equvocos da pe-
na de morte 7
Depois do triste e irreparavel engao qae, em
plena repblica franceza, entregou ao verdugo a
innocente cabega do desgracado Lesarques, e da
impiacavel aatoridade da materia jolgada qae an-
da persegue os berdelros d'quella viclima inno-
cente de um equivoco de pessoa, a proclamarlo
da innocencia de Muller, se esta Innocencia ebe-
gar a resplandecer por meio de proras incontesta-
veis, ser nm arrmenlo formldavel contra a pe-
na de morte.
Formoo-se em Pars nma sociedade para urna
traduccao nova e rigorosamente exacta dos iivros
sanios.
Esta traduccao, qae promelte ser superior s
existentes tanto pelo lado pbilologica como pelo
Iliterario, ser feita por orna associacao de ho-
mens competentes escolhidos as tres grandes
communboes religiosas : Israelita, catholica e pro-
testante.
No da 21 de marco ultimo devia verficar-se a
sesso de abertura, na grande sala da Sorbona,
presidida pelo Sr. Ameden Thierry, senador e
membro do Instituto.
Havlam de fallar sobre o assompto muitos dos
membros fundadores pertencentes aos differentes
cultos.
O camartelo dos demolidores, qae precisara de
ar e de verduras, e do rumorejar das auras por
entre folhas e ramos como cousa muito mais delei-
tosa do qoe o assoblar das sobreditas pelas frestas
de vetustas eonstroccSes, vai ergoer-se tamben)
sobre a cintura da deliciosa Florenea.
O Times de Londres publica urna corresponden-
cia da nova capital da Italia, que annuncia a for-
magao de orna compannia, cojo Ara substituir
por passeios arborejados as amigas e pittorescas
muralhas da cidade.
Assim desapparecer a veiha fortaleza onde es-
tove eocarcerado Fiilppo Sirozzi, e que foi cons-
truida pelos Mediis.
immediata por aquello rio al HantaH, ao mesmo ato qne se avaJiasse a crut, a o seu valor fosse
tempo que o exercito avangasse por ierra. ettregae ao mendigo, que depott era rico, porque
; A retirada de Lpez ao seu campo entrlncheira- receben doze mil duros quedarlos II Ibe bavia
do considera-se, com ratao, ama victoria alcanga dado,
da sO com a prese oga dos exercitos; seria impos
sivel qne o mesmo aconteeesse em Hamaiti, quan-
do all vio combinar-se os poderosos meios da es-{ Na huma Portugueza de 16 l-se o seguinte :
quadra com esses mesmos exercitos? No dia 11 do corrento convertou se para a red-
V-se, em lodo caso, que a campanba do para- glo chrislaa urna bailadeira de Siroda' de Novas
goay vai ser rpida, al porque o inimigo eoocen- Conquistas.
I
ira em am s ponto todos seas recursos, e com to
dos eiles nao tem possibilidaje de resistir dorante
mullos das ao poder militar que o ameaca.
Nao se confirma a passagem do bario de
Porto Alegre, com sea exercito ao territorio para-
guayo. O vice-aimirante tinba aflictos daquee
general at 16, datados anda de S. Tboniai, e pa-
rece qne espera va Os transportes necessarios para
atravessar o Paran.
Estando agora desocupados os que. baviam no
Foi baptisada neste dia, na igreja da Concedi
e tomn nome de Maria Amalia da Costo Silvei-
ra e Lorena.
Aps o bapiisnjo receben a sagrada eoouau-
nhJo, e em seguida o sacramento do matrimonio,
casando-se com o Sr. Bptista da Costa de Cor'
torios.
Poram padriobos, tanto do baptsado como do
casamento, Nossa Senhora Balaba dos Aajos e o
Sr. conde de Sanadas.
No dia 31 de marco, devia ter logar em Mile-
val (Inglaterra) urna das mais interesantes expe-
riencias,
A fragata eonracada Northumbertand, construi-
da sobre o mesmo modelo que a Minotaur, nao
' le'ser posta a nado ao sabir do estaleiro em 17
raar;o. Depois de desusar alguna metros so-
e o seu berco, estacn mantido, sobre a sna
quilba pela enormidade e igualdade do sen peso.
Desde entio tinba permanecido neste estado,
sea -que torca algnma mecbanica podesse d'alli
ar reda-la.
Como em 31, fosse dia de grande osar, o como
o navio devia ter vinto e cinco ps de agua na r,
espera va-se que poderia fluctuar, se o caso contra-
rio se de-se, aifuea poderia prever com qne
meios se conseguira o desojado flm.
A Norlhumberlani, pertence ao maior typoco-
onecido.
Tea 400 ps ingleses de comprimen a *# do
largara.
O san armamento ser de 24 pecas,.das quaes
4 da 100 libras, 16 de 150 e 4 do 980.
Esto armamento eansac
o systema .da I
JOSW
1 imffft


'<





' .1 iiw


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJ47N36JS_7AWTDN INGEST_TIME 2013-09-04T21:56:14Z PACKAGE AA00011611_10966
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES