Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10964


This item is only available as the following downloads:


Full Text
iflfiHB
*, m
J&h
m -BMan





AMIO XLII. HUMERO 108
PoriwrtelwftdeatMoslOiisii.'mei
Hem depois s i dias do cometo e deitro do qosirtel
Porte to correio por tres mezes ...........
nil *h fc
Um
6ooo
75o
*-"*
i
SEXTA FEIRA 11 DE MAIO DE 1866
Por anno pago deliro do 4o dios do 1. mez.
Porte ao correio por ib mo .... .
19*ooo
3#oo
PERNAMBUCO.
BNGARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alaapodrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Araeaty, o
Sr. A. deLeroos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos; Amaxonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SBSCRIPQAO DO SL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falco Dias; Baha, o
Sr. Jos Martina Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAPETAS. ISerinbem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar-
(Mipda, Cabo.-Keada e estafes da va frrea at 'ros. AgnaPreta Plmentafras.nas quintas
Agoa Preta, lodos es dias. eiras.
Iguarass e Gyanna na> segundas e sextas eiras.
Santo AntOj-Gravai. ifeierros, Bonito, Carnar, AUDIENCIAS DOS TRIBONAES DA CAPITAL.
Altinno, Uaran^uns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Agass Bellas e Tacaratii, as tergas|Trbunaldo commereio : segundas e quintas.
Relago: tergas e sbados s 10 horas.
Pao d Albo, Nazaretb, Limoeiro, Brejo, Pesqnelra
Ingaieira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouncury, Salguen o e Ex, as qnartas
eiras. I
Fazenda : quintas s 10 horas.
Jnlzo do commereio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas is 10 horas.
" -
Primeira Tara do civel: tercas sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: quartas sabbades a 1
hora da tarde.
EPHEMER1DES DO MEZ DE MAIO.
7 Qnarto ming. as 7 h., 22 m. e 34 s da i.
14 Lna nova aos 38 m. e 58 s. da t.
21 Qnarto rese, as 7 b., 38 m. e 46 s. da m.
29 La ebeia as 10 h., 52 m. e 25 s. da m.
DIAS DA SEMANA.
7. Segunda. S. Estanislao b. m.; S. Piavia ra.
8. Terga. S. Heladio b.
9. Qnarta. Ss. Gregorio Jazianzeno dout: da eg.
10. Quinta $> Ascensao do Seohor: S. Blanda m,
11. Sexta. St. Fabio, Anastaeio e Sereno oom.
12. Sabbado. S. Joanaa princeza v.j S. Xereo m.
13. Domingo. S. Pedro Regalado .; S. Glieeria m,
PREAMAR DE HOJE.
I Primeira as 2 horas e 6 m. da tarde.
ISegnnda as 2 horas e 30 minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o non
at a Granja a 7 e Si de cada mez; para Peraaa-
do nos dias i i ios mezes da Janeiro, margo, aai
jultao, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recite, na livraria da praga da Independencia
ns. 8> dos proprietarios Manoel Figueiroa de Paria
& Pllbo.
_PiRTEJFr!CIAL
OYEH.YO DA PROVIVtll.
LE N. 671
O Dr. Manoel Clementino Carneiro da Cunha,
vice-presidente da provincia de Pernamuco :
Fago saber a todos os seus habitantes que a as-
semblea legislativa provincial decretou e eu sanc-
cionei a resolucae seguinte :
Art. 1. O presidente da provincia mandar, com
a possivel brevidade e dentro do correle ejerci-
cio, comecar os trabadlos precisos para o enca-
namento d'agua poiavel para a cidaJe da Vic-
toria.
Art. 2.* Pica o mesmo presidente autorisado a
despender com esses trabalhos, at sua completa
execugo, a quantia precisa, se nao forera suifl-
cientes os 10:OOOJ>000 consignados no 4. do
art. oo da lei do orgamento vigente.
Art. 3.* Ficam revogadas as disposicSes em con-
trario.
Mando, portanto, a todas as autoridades a quem o
conhecimento e execuco da presente resollido
pertencer, que a cumprarn e fagam cumunr to
inteiramente como nelia se contm.
O secretario do governo desta provincia a faga
imprimir, publicar e correr.
Palacio do goverdo de Pernambaco, 1. de maio
de 1866, 45 da independencia e do imperio.
L. S.
Manoel Clementino Carneiro da Cunha.
Sellada e publicada a presente resolugo nesta
secretaria do governo de Pernambuco, 1. de maio
de 1866.
O secretario, Dr. Francisco de Paula Salles.
Registrada a II. do L. 7 de leis provinciaes.
Secretaria do governo de Pernambuco, 1. de
maio de 1866.
O escriturario da 4.* secgo, Theodoro Jos Ta-
rares.
LEI N. 673.
O Dr. Manoel clementino Carneiro da Cunha,
vice-presidente da provincia de Pernambuco : Fago
saber a todos os seas habitantes que a assembla
legislativa provincial decretou c eu sanecionei a
resologo seguinte :
Art. 1* Flca o presidente da provincia autoriza-
do a rescindir o contrato celebrado rom Jos Ma-
mede Alves Ferreira na parte relativa a estrada do
norte, e bem assim o contrato addiciooal.
Art- 2 Ficam revogadas as disposigoes em con-
trario.
Mando, por tanto, a todas as autoridades a
quem o conhecimento e execugo da presente re-
sologo pertencer, que a cumpram e fagara cum-
prir tao inteiramente como oella se contera.
O secretario do governo desta jirovincia a faca
imprimir, publicar e correr.
Palacio do governo de Pernambuco, aos 1 de
maio de 1866, 43 da independencia e do imperio.
L. S.
Manoel Clementino Carneiro da Cunha.
Sellada e publicada a presente resolugo nesta
secretaria do governo de Pernambuco, aos Ia de
maio 1866.
O secretario Dr. Francisco de Pona Salles.
Registrada a fl do livro 7 de leis provinciaes.
Secretaria do governo de Pernambuco, 1' de
maio de 1866.
O escripturario da 4a secgo Theodoro Jos Ta-
rares.
Expediente do dia 2 de abril de 1860.
Offlcio ao Exin. Sr. Dr. Galdino Augusto da Nati-
.iJade Silva 1 vice-presidente da provincia das Ala-
goas. Acensando recebido o ofBcio de 19 de abril
ultimo em que V. Exc. me commuoica baver na
qualidade de sea 1 vice-presidente lomado conta
da admioistrago dessa provincia, lenbo a aseve-
rar a V. Exc* que sempre me achara'.disposto a
a cumprir suas ordens quer tendam ao servigo pu-
blico, quer ao seu particular.
Dito ao Exm. Sr. Dr. Antonio Augusto Pereira
da Cunha, 2 vice-presidente da provincia do Rio
Grande do Sul. Ficando inleirado pelo seu offi-
cio de 16 de abril ultimo de baver V. Exc. na qua-
lidade de seu 2 vice-presideote assumido a admi-
nislrago dessa provincia, cbeme assegurar a V.
Exc. que rae encontrara' semjpre prompto a cum-
prir suas ordens quer sejam relativas ao servigo
publico quer ao particular de V. Ex.
Dito ao Exm. general commandaote das armas.
Fago apresentar a V. Exc. para ter o convenien-
te destino, depois de inspeccionado o guarda na-
cional Ignacio Verissimo da Costa, designado para
o servigo da guerra.
Dito ao mesmo. A V. Exc. apresento o incluso,
requerimenlo de Senborinha Martins Cardoso Leal
auna de que se sirva de mandar dar-lbe a cerlido
que ella pede
Dito ao mesmo. Queira V. Exc. informar so-
bre o que pede Jos Joaquim Gomes de Abreu no
incluso requerimenlo.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de informar-
me acerca do que psde no incluso requerimenlo
o ex 2 sargento do 9 batalho de iuf otaria Jo3o
Jos Cesar de Lima.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Providencie V. S. para que estando em termus a
coma junta em duplcala, e nao bavendo inconve-
niente, seja paga a Joo Baplisla dos Guimares
Peixoto, conforme solicitou o delegado do termo de
Flores em offleio de 9 de abril ultimo, a quantia
de 10400, proveniente das despezas tenas com os
desertores do 4" corpo de voluntarlos da patria,
Lourengo Gomes da Silva e Joao Francisco do
Nascimento, que se acnam recolbidos a cadeia Ja-
quel la villa, a contar de 11 de margo, al 6 de
abril deste anno.
Dito ao mesmo. Recommendo a V. S. que pa-
ra curapriraeuto do disposto nos avisos do ministe-
rio da fazenda de 19 e 20 de abril ultimo, marque
ao offlcial oomeado para a secretaria da thesoura-
ria de fazenda da provincia do Rio Grande do Nor-
te Antonio Jos Texeira de Mendonga Belm o
praso de um mez atina de seguir o seu destino,
visto ser aii necessaria a sua presenga a bem do
servigo publico dando-se transporte a si e a sua
familia por couta daquelle ministerio, mas sem di-
reito alguna a ajada de cusi para preparos de vla-
aem ou de 1" estabeleclmento como pedio.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Mande V. S. por em praga as obras para abasteci-
atento d'agua potavel ao collegio de Santa Tberesa
m OUnda, servindo de base a essa arrema-tago
a inclasa planta enreriginal e o orgamento junto
mt copia e que para esse ara me remellen o chele
repartigo das obras publicas com offlcio de 27 de
abril ultimo sob n. 151. .
uito ao masmo. Espega V. S. as suas ordens
nara que em vista do pret junto em duplcala, que
me remetteu o eommandante superior da comarca
do cabo*m offlcio do do correte, e nao baven-
do inconveniente sejam pagos ao cabo Flix Dacia
de Barros o vencimeulos relativos a 2" quinten
do mez de abril ultimo do destacamento de guardas
nacionaes existente na villa de Ipojuca.
Dito ao mesmo- Se nao bonver inconveniente
estando em lermos o pret junio em duplcala
mande V- S. P*t** Simplicio Jos de Mello, con-
forme soliettoQ o eommandante superior da gur-
da nacional da eomoarea do Brejo am oficio de
42 de maree ultimo, es veneimeoios a contar de
?? da de/embro do asno prximo passado at 22
de ianeiro ultimo do desucamento de guarda na-
Pito ao mesmo.Recommendo a V. S. que em
vista das clausulas e orgamento jnntos por copia,
mande por em arrematago a obra do 5 lngo da
estrada do Limoeiro, pois que assim o indica o
chefe da repartigo das obras publicas, em offlcio
de 2 do correte, sob n. 170.
Dito ao presidente do Novo Banco da Pernam-
buco.Transmuto por copia a V. S. para conheci-
mento desse estabelecimento e m conveniente o
aviso de 26 de abril ultimo, em que o Kxra. Sr
ministro da fazenda determina-que nos relatnos
e baiaogos desse banco sejam at'.endidos d'ora em
dame os qoisitos constantes do mesmo aviso.
Dito ao presidente e membros da commisso de
exposigao agrcola e industrial. Remedo a Vv.
S-. as inclusas notas explicativas que me transmit-
i com offlcio junto por copia a commisso direc-
tora da exposigao nacienal de alguns objectos que
poJem ser enviados desta provincia para a corte, j
Dito ao direcor do arsenal de guerra.Informe
V. S. porque nao tem sido substituidos por outros
como ordene! por despacho de 20 de abril ultimo
os utencilios da guarda da thesouraria.
Dito ao ebefe da repartigo das obras publicas.
Mande V. S. fazer com a possivel brevidade os
concertos de que necessitamo muro, telhado e al-
guns tobos da illurainago a gaz ludo do edificio
em que se acha estabelecida a enfermarla militar
como sollicitou o eommandante das armas no offl-
cio por copia incluso.
Dito ao eommandante interino do corpo provi-
soria de polica.Maode Vmc. alistar no corno sob
seu commando os paisanos Antonio Annes e Joa-'
quim Apridio Rosa da Costa que para isso foram
considerados aptos em inspeegio de saode.
Dito aos agentes da Companhia Brasileira de
Paquetes a Vapor. Podem Vmcs. fazer seguir
para os portos da norte o vapor Cruzeiro do Sul
amanha a hora indicada em seu oficio de hoje.
Portara.O presidente da provincia, tendo era
vista o que requeren o tenente quartel raestre do'
batalbao n. 19 de infaotaria da guarda nacional do
municipio de Nazareth Francisco Seabra de An-'
drade, e bem assim o qae a esse respeito informon
o respectivo eommandante superior em oficio de
30 de margo ultimo resolve conceder-lhe um anno
de licenga, para tratar de sua sa..de onde lbe'
convier.
Expediente do secretario do gerente do dia i de
maio de 1866.
N. 132Offlcio ao Dr. Joo da Silva Ramos i*
secretario da assembla legislativa provincial.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia a quem foi
presente o offlcio que V. S. me dirigi nesta data
sob n. 77 Oca inteirado de havr a assembla' le-
gislativa provincial nomeado ama commisso com-
porta dos Srs. Drs. Ayres de Albuquerque Gama,
Francisco de Carvalho Soares Brando e Mlximia-
no Lopes Machado para examinar os estaoelecimen-
tos de candade sob a direcgo da Sania Casa de
Misericordia. m _
Offlcio ao inspector da thesouraria de fazenda.
Expega V. S. as suas ordens, para qae em vista
da con|a junta em duplcala a nao havendo incoo-
veniente seja paga a Manoel Figueiroa de Faria &
Filho, conforme soilicitou o presidente do conselho
de compras do arsenal da gaerra em offlcio de 3 do
correte, sob n. 2 a quantia de 23^730 provemen-1
t de anuuneos mandados publicar peto mesmo.
conselho no Diario de Pernambuco durante os '
mezes de Janeiro a margo deste anno.
Dilo ao inspector da thesouraria provincial.
Constando do offlcio do chefe da repartigo das
obras publicas, datado de hornera, e sob n. 173,1
ha ver o arrematante da estrada da Boaviagera An-
tonio Lopes Pereira de Carvalbo feto servigo cor-
respondente a terceira parte das obras do seu con-
trato assim o declaro a V. S. para seu conheci-
mento e atira de que em vista do competente cer-
tificado mande pagar ae mencionado arrematante
a quantia de 1:9205600 correspondente a primei-1
ra prestago a que tem direilo.
Dilo ao mesmo.Declaro a V. S. para sea co-
nhecimento e devdos effeitos, que, attendendo ao i
que expoz o Dr. Felippe .Sery Collago no reque-
rmenlo sobre que versa a saa informadlo de 19
de abril ultimo n. 141 resolv relevar o menciona-
do Dr. da multa emque incorreu como contratan-
te da impresso do relatorio dessa thesouraria, do!
orgamento da receta e despeza provincial e dos
balangos dessa thesouraria no corrente anno por
nao. baver apresentado esses irabalbos nos prasos
marcados no respectivo contrato.
Dito ao mesmo. Recommendo a V. S. que em
vista da relago e conta jautas e nao havendo In-
conveniente mande pagar a Joo Baptista dos Gui-
maraes Peixoto, conforme soilicitou o delegado
encarregado do expediente da repartigo da polica
em cilicio de bontera sob n. 584, a quantia de {
575400 despendida desde 3 de margo at 6 de
abril desie anno, com o sustento dos presos pobres
da cadeia do termo de Plores.
Dito ao mesmo.Mande V. S. fornecer ao admi-1
nistrador da casa de detengo como requisiloa o
delegado encarregado do expediente da repartigo
da polica 2 ndices dos livros que ltimamente
foram comprados para as entradas e sabidas dos
presos.
Dito ao mesmo. Declaro a V. S. para seu co-
nhecimento e devidos effeitos que de conformidade
com a informago do chafe da repartigo das obras
publicas datada de 24 de abril ultimo e sob n. 141
annui a-que o emprelteiro do empedramento e re-
paros da estrada de Bujary Ismael Gaudencio
Fuado de Mendonga d execugo as obras do seu
contrato a contar do 1 de agosto prximo vindou-
ro em diante atienta a actual estacao invernosa.
Communicou-se ao ebefe da repartigo das obras
publicas.
Dito ao presidente e membros da commisso de
exposigao agrcola e industrial.Remeti a V. S.,
para seu conhecimento e fias convenientes' os In-
clusos exemplares que em 18 de abril ultimo me I
enviou a commisso directora da exposigao naci-
nal das instrucgdes para a'esposigao de plantas e,
animaes vivos, do respectivo edital, marcando os
dias em que deve ter logar essa exposigao; das
instrucgdes para a exposigao especial de machinas'
apparelhos e instrumentos pratlcados (ora do paiz
para a cultura, preparo e melhoramento dos pro-1
ductos agrenlas, analmente das indieagoes ou no-
tas explicativas dos productos que devera ser en-
viados para a exposigao nacional pelas provincias
do Para, Amazonas, Rio Grande do Norte, Cear,
Pernambuco. Alagoas, Sergipe, Rio Grande do Sul,
Paran, Goyaz, Santa Camarina e Piauby.
Dito ae inspector do arsenal de marlnha.Fago
apresentar a V. S. o menor Francisco Antonio da
Rosa, para que mande alistar na coamanhia de
aprendizes se estiver as condigSes do respectivo
regolamento.
Dilo ao chefe da repartigo das obras publicas.
Providencie V. S. para que as chaves da casa da
barreira de Morenos, sejam entregues ao offlcial
inferior do corpo provisorio de polica, qae for in-
cumbido, do dia 8 do corrate em diante, da eo
branga do pedagio da mefma barreira, visto assim
o haver solicitado o Inspector da thesouraria pro-
vincial em offlcio de bootem sob n. 175, em con-
sequeneia de nao ter sido o mencionado pedagio
Tnatado por falta de lieitMMes. *
lo ao mesmo. Em vMa 4o qae poaderou o
marechal eommanftnte dia armas, em offlcio o.
696 do i* do cor^MUMAo reetwdo que a illu-
mmagados qaarteta^b u.eiistem tropas con-
tinu a ser feta por fieioUM, como at agora,
o que declaro a V. S. em rUpata ao seu offlcio n.
145 de 26 de abril ultimo.
Ditf \o bacharel Paalino rerrelra da SUr.
Consiannb de commisso da repartigo da Jusllga,
de'30 de Janeiro ultimo, qw por fef^o fle 25
desse mez, Houve S. M. p Imperador por bem re-1 latm desta cidade, padre Joo Jos Ribeiro. Ap- Pedem-nos o seguinte -
c""hJ.r.a yrac> w l0S e I* nmnreipal e de Proyado. Por pessoa competente somos informados-que
orpnaos ao termo de Caraaru, comarca do Bonito; _uiscossao do projecto n. 68 desle anno, qae domingo 6 do corrente teve luear a Driraeira rea
do referido mez ; qae semelhante proposigo urna
estoprda represalia, ama torpe calumnia, ama ac-
go sement digna de ser praticada por nm certo
bacharel, que, ha bem pouco lempo, andava men-
digando empregos; qoe, possmdo de inveja, nao
prazo de 3 mezes, que para' Isso fleam mareados, conced urna moratoria a FelippeI Beaicio Cava-' lo dest^TaTnsTitico" rcridVdTb t3!mM Pr0,'1nc,(>^pr,ehende^ corao qoe eu' sem 5"?
-Fizeram-se as necessarias commnnicagSes. cante.- Approvado I deixar SS3T i ift T J?ief i ^^ l.mm.oral' co s "P "loma S. S.
Dito ao eommandante do corpo provisorio depo- uiscusso da lei nao saneconada sobre o eom-
licia.Mande Vmc. postar na casa de detengo no promisso da irmandade das Almas em S- Louren-
dia 8 do corrente s 7 horas da manilla, urna for- j go da Mata.
ga sufficiente para eonduzir al a bordo do vapor, Fallara sobre a materia os Srs. Gaspar e Correa
destinado ao presidio de Eeroando 12 sentencia- deBrito.
dos, devendo dez pragas dessa forga^scoltar os re-! Vedi a nv>sa um artigo additivo emendando a
a- SSWffLXiSaS nafiCtVmdadS Cm Qne P^l-Wi C oceupo, e"rfdt
l ?ace ser?omen^ V'; *? 2** n08/a' claraur '"* matantes da provincia, e
que finalmente, impellido pela desmarcada ambi-
go, que lbe corroe as entranhas, nao escrupulsou
de promover por lodos os meos ao seu alcance a
demisse ou remogo de nm sen collega promotor.
as demais a quem preceden,
nem era de esperar o conirario, pois j um de
seus mordomos, inscreveu no qu.dro dos aeeionis-l
tas 10 de seus compatriotas.
Prza a Deas qoe. nao fique arrefecido o zeta
possa resolver conveoieatemeote sobre o offlcio da
cmara municipal do Recite de IB de abril ulti-
mo, com referencia a arborisago desta cidade,
curapre que a mesma cmara me enve copia das
condicoes indicadas no edital qne pubticoo convi-
dando Concurrentes para contratar aquella traba-
Ibo e do termo da arrematago falta por Manoel
Alves Guerra, que sujellou a minha approvago.
Portarla.O vice-pre.'idente da provincia, tendo
em vista o que expoz o"director geral interino da
instruego publica em offlcio de 23 de abril ulti-
mo sob n. 86, acerca do concurso a qoe se proce-
den para preenebimeuto das cadeiras vagas do se-
xo feminino, resolve de conformidade com o art.
10 2 das instrnegoes de 11 de jonho de 1859,
nomear a Mara Alexandrina Dias de Toledo, pro-
fesara da cadeira de instruego primaria da villa
de Garanhuns.Communicou-se ao director geral,
e a thesouraria provincial.
Expediente de secretarle d opverne da dia 5 de
ai de 1866.
N. 134.Offlcio ao Dr. Joo da Silva Ramos 1
secretario da assembla legislativa provincial.De
ordem de S. xc. o Sr. vice-presidente da provin-
cia, transmuto a V. S. para lazer presenta a as-
sembla legislativa provincial, aflm de resolver,
como Ihe parecer acertado, a representarlo em
forma de oficio qae lbe dirigi o Dr. Joaquim de
Aquino Fonceca, acerca naalteragao feita no ni ve-
lamento das calcadas da ra do Imperador.
Despachos do dia i de maie de 1866.
Requer intentos.
Antonio Joaquim de Saot'Anna.Informe o Sr.
eommandante superior da guarda nacional de 0-
linda e Iguarassu.
Antonio Manoel da Silva.-D-se-lhe passagem
havendo vaga.
Vigario Bazilio Goncaives da Lux.RemeUido a
cmara municipal de Nazareth para Informar, ti-
cando-lbe para isso marcado o prazo de 8 dias.
Benedicta Mara Innocencia.Pode seguir.
Brisida Mara da Conceigie. D-se-lbe passa-
gem baveudo vaga.
Francolina Cesarina.Informa oSr. director ge-
ral da instruego publica.
h honroso, levando o seu desplante ao ponto de pro-
terra de por-lhe permuta, miando vio malogradas todas as
intento I I.
que ninguem ainda
. impunemente, e qne es-
desculdosamente perdidas as tarei sempre prompto a aceitar com S. S. a discus-
raigalbas dos seus opparos banquetes, que tao sao sobre a minba vida
bem aproveitadas seriam
bre. >
na tosca mesa do po-
REPARTigO da polica-:
Extracto das partes do dia 9 de maio de 1866;
Foram recolhidos a casa de detenco no dia
REVISTA DIARIA
Sua Alteza a Senbora D. Leopoldina e sen au-
gusto esposo o Sr. duque deSaxe, indo viajara
Europa, devem passar por esta cidade no pr ira airo
vapor inglez que esperado do sul no dia. 14 do "u uJ,rreuie :
corrente. A ordem do subdelegado do Recife, George L.,
A realisar-se a vinda da serenissim princeza, i inK,M a requlsigo do respectivo cnsul,
igari a torre do arsenal de marlnha a bandeira I A ordem do de'S. Jos, Sergio e Jos, escravos
imperial ;a qual ser substituida por um gal barde-; es!8 de Miguel Bezerra Carneiro e aquella de um
te encarnado, caso queira a Senhora dnqueza de j roo Camargo, por disturbios.
Saxe desembarcar nesta cidade, A ordem do da Boa-Vista, Francisco Joaquim
Estes slgnaes de convngo servirao de trans- Gomes da Silva, por se acbar pronunciado no
mlssores nossa populacho de to faustoso aeon-' art- 207 do cdigo criminal.
teciraenio ; e a leal cidade do Recife muito-se re-
gosijar,que a graciosa princeza a honre coma
sua presenga pisando em trra pernambncana.
O Exm. Sr. presidente, pretendendo dar eae-
cugo alei.o. 649, que decretou na.provincia a
construegao de urna rede de estradas de rodagem
ou de carris de ferro, coonecidas sob a. denomi-
nago de tramways, com o m de ligar os centros
populosos do interior s diversas estacoes da es-
trada, de ferro, s actuaes vas de communicace
para esta capital, e aos pontos do littoral de fcil
accesso navegago, ba resolvido contratar a mes-
ma- construegao mediante a condigoes-estabelecl-
das- na referida lei.
Rara este flm" sao convidadas as pessoas, qoe
pretendan), a apresentar as suas propostas, para
solugo ulterior do mesmo Exm. Sr. vice-presiden-
te,qua na adopgo de urna dellas preferir aquel-
la que melbores vantagens offerecer a provincia.
Na conformidade da le. garantida, ao contra-
tante por urna s vez urna subvencao kilomtrica
proporcional ao capital empregado ; e para satlsfa-
gao desses compromlssos a presidencia autonsa-
da, caso seja preciso, a contrahir um empreslmo
| at 400:0005000.
publica e particular, urna
vez qne se aprsente, revestido das armas de um
cavalbeiro.
Bom-Jardtm, 3 de maio de 1866.
tenrique Pereira de Lucena.
Guilherme Bessoni de Almeida. Informe o Sr. O contrato que o governo naja de fazer, tem de
inspector da thesouraria provincial oavindo ao ad- J ser submeltido approvago da aisembla prevm-
minisirador do consulado. i cial; mn= esta dependencia nao- inhibe ao-eoetra-
Jos Cordeiro de Soaza. Informe o Sr. enge- tante de dar Comego aos estndos e preparacao dos
nheiro chefe da repartigo das- obras publicas.
. Joo Florencio Soares. Nao tem logar o que
requer o sopplicante.
Vicente Ferreira de Paula. -Nao tem.lugar o
que requer o supplicante.
5
Arsenio Alfonso Pereira Borges.Informe o Sr.
inspector da thesouraria provincial.
Estanislao Alves de Buihoas. Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Dr. Felippe Nery Collago. Fica relevado da
multa.
Francisco Alvos de Miranda Varsjao.Informe
o Sr. director das obras publicas.
Francisca Joaquina Pessoa.D-^e-lhe transpor-
te havendo vaga. .
Joo Antonio Car'pinteiro da Silva. Remeitido
ao Sr. eogenbeiro chefe da repartigo das obras
publicas, para proceder na forma do seu pareaor
datado de 30 de abril ultimo.
Thereza Mara de Jess.Indeferido.
Venerando Antonio de Olivaira. D-se-lhe trans-
porte havendo vaga.
Vindenval Ribeiro Soares.Informe o Sr. eoge-
nbeiro chefe da repartigo das obras publicas.
Vicente Ferreira Ferro.Informe oSr. eomman-
dante superior da guarda nacional da comarca de
Garanhuns.
PERNAMBUCO.
ASSEHBLEA LEGISLATIVA PROVINCIAL*
SESSQ ORDINARIA EM 7 DE MAIO
DE 1866.
PRESIDENCIA DO SR. VICARIO rflANCiSCO PEDRO DA
SILVA.
Ao maio dia faz-se a chamada e estao presen-
tes os Srs. Francisco Pedro, Ramos. Ayres, Mer-
gulho, Gitirana, Candido Martins, Buarque, Jan-
sen, Burgos,Gaspar, Arminio, Hisbello.Souza Leao,
Joaquim do Reg Barros, Paes de Aodrade, Amo-
rim, Brito, Jeronymo, Souto Lima, Joaquim lava-
res, Soares Brando, Lopes Machado, Emydio Mar-
ques, e Amyntas.
Abre-se a sessao.
L-se e approva-se a acta da sesso anterior.
O Sr. 1* Secretario d conta do seguinte
EXPEDIENTl.
Um offlcio do secretario do governo. transmittin-
do urna representaba o do Dr. Joaquim de Aquino
Fonsca, a cern do nivelamento das calcadas da
roa do Imperador A commisso de obras publi-
cas.
Outrodo mesmo, remetiendo por copia a infor-
mago que ministren a thesouraria provincial, a
cerca do requerimenlo do bacharel Eseqoiel Fran-
co de Sa. A quem fez a requesigo.
Urna peilgo dos berderos do bngadeiro Gasaar
de Meneses Yasconcellos de Drummnnd, pedlndo
a offectlvldade da aotorisagio da assembla dada
pela lei provincial n. 488 de 16 de maio de 1860.
A commisso de legislaco.
URDEM DO DIA.
3*. discassao do projecto n. 77 desta anno sobre
as loteras da provincia. Approvado
3*. discassao do projecto n. 75 deste anno, que
iguala o ordenados das professa/as desta cidade
aos dos professores. Approvado.
3*. dlacusso do projecto n. 79, sobre o praso
marcado para os reclhimento. dos beneficios das
loteras. Approvado.
3-. dlscnsso do projeeton. Wde 1864 aalorigan-
do o pagamento de 20 */ dos seus ordenados ao
guardas da casa de detengo. Approvado.
i*, dlscosso do orgamento municipal. Appro-
vado, e dispensado do iBtersUeio a pedido do Sx,
Buarque.
nica discassao das postaras da cmara munici-
pal de logazeira. Approvadas.
3*. discassao do projecto qae augmenta de 20
% o* ordenados dos erapregados da secretarla da
presidaocia.
Vem a' mesa urna emenda para qoe se d igual
Boreentagem aos erapregados da secretaria da as-
sembla.
Palla contra a emenda o Sr. Silva Ramos,
Encerrada a discassao, o projecto approaado e
rejeitada a emenda.
planos da obra ; pois acontecendo qoe dlxe de
ser approvado o contrato por aquella corpo, ser
inderanisado de suas despezas- quem quer
nonver celebrado o contrato cera o governo.
Por portara de sabbado (9), foram de novo
prerogados at 16 do crreme,.os trabajaos da as-
sembla provincial.
Insttmram os alumnos-da. Faenldade de Di-
reito urna associago eom o-Ululo de OrtmioJurdi-
co j a qual fuacciona no salo do theatro de Santa
babel.
Destinada pratica do. prpeesso criminal e
dscusso de theses jurdicas e Iliterarias, multo
deve aproveitar aos seas membros, que se dedicara
as lides do foro, a existencia de urna tal associa-
go, cujos flus cumpre que elles indo envidem para
serem altingidos em propnia vantagem.
Na eleigao procedida para os cargos administra-
tivos, foram eleilos os senbores seguinles :
Segismundo A. Gongalves, presdeme.
Coroelio Ferreira isVauga, vice-presidente.
Antonio Alves daCarvalbal e A. Passos Miranda,
secretarios; e adjuntos destes Pedro Carneiro da
Silva e Francisco Clres de C A.
Antonio D. Pinto Jnior, thesooreiro.
A. de Castro Alves, Manoel P. Miranda Ozorio,
Arlstides A. Milln, Joo Lastosa de Soaza, Tor-
| quaio Teixeira Mendes e Alvim Baplsta Monteiro,
membros da commisso de redaego.
A eleigao para os cargos juaieiarios deu esta
resultado :
Manoel do Xascimento Teixeira, juiz de direito.
Alcino Baptista Monteiro, juiz municipal.
Anstdes Augusto Milln e t-edro Carneiro de
Silva, promotores.
Antonio Passos Miranda e Coroelio Ferreira
franca, delegados.
O chefe da 2* secgo,
J. G. de Mesquita.
Casa de detenco.
Mov ment da casa de detenco do dia 3-deraaio
de 1866.
Existiam 360, entraram 4, sahiram 13, exis-
lem351.
A saber;
Nacionaes 241, mulneres 13, estrangeiros 29
mulheres 2, escravos t, escravas 2, total 351.
Alimentados a custa dos cofres pblicos 201.
Movimento da enfermara do da 9 de maio de
1866.
Teve baixa:
Manoel Flor Dornellas> febre.
Tiveram alta :
Manoel Antonio Carneiro, .
Manoel do Nascimento Bezerra.
LEMITER10 PUBUCO, OBITUARIO DO DIA 7 DE
MAIO DE 186G.
Lydia Mara da Fonseca, Pernamboco, 36 anuos,
S. Jos ; ttano.
Jos Se veri no Lopes-, Pernambuco, 85 annos, viu-J,
vo, Boa-Vista ; congesto cerebral.
Antonio Rapbael do Mmho, Pernambuco, 58 annos,
solteiro, S. Jos ; bydropesia.
Antonio Gomes, frica, 60 anno?, viuvo, Boa-Vis-
ta ; infiaramago.
Sebastlo, frica, 70 annos, Samo Antonio ; apo-
plexia.
Jos, Pernambuco, 4 mezes, Boa-Vista ; dentingo.
qae Idalina, Pernambuco, 6 annos, Boa:Vista ; cama-
ras de sangjie.
! Maria, Pernambuco, Recife ; racem-nascida.
, Rosa, frica, 40 annos, escrava, Recife ; moles-
I lia interior.
Severina, Pernamboco, 55 asnos, Boa-Vista ; tu-
brculos pulmonares.
Ellas, frica, 3o annos, escravo, Boa-Vista ; endo-
cardite.
Constancia, Pernambuco, i&mezes, escrava, Boa-
Vista ; ioflammgao.
Maria, Pernambaco, 50 annos, escrava..S. Jos, de-
sinteria.
Maria, Pernambaco, 10 mezes, escrava, Boa-Vista;
hepatite.
Joo, Pernambuco, 40 dias, escravo, Santo Amo-
nio. ;..de cmaras sangue.
--------
ai RV M RKCIFE.
7 DE MAIO DE 1866..
Presidencia do Sr. Dr. Manoel Jos da Siha.Neyva,.
juiz de direito da segunda vara.
Promotor publico o Sr. Dr. Joo Thora da Silva.
Escnvo Joaquim Francisco de Paula. Estoves
Clemente.
Advogado o Sr. r. Jeronymo Salgado-de Castr.
Accioly.
Reo Manoel Francisco da Txindade, acensado por
crime de homicidio.
Feita a chamada as. 1U horas da maaha achara-
se presentes 41 senhores jurados..
Foram dispensados de servirem na. presente ses-
sao os senhores :
Antonio Eulalio Monteiro.
Cesar Qairieo da Silva e Joaquim SimSes. BaUro ] Dr. Jalio Augusto da Cunha Gaimares.
e Silva, esenves do delegado; e Antonio. Ribeiro
Rosado, escnvo do jury.
No dia 7 do corrente pelas 7 e meia horas da
nouie, recebeu Bernardino Ferreira da Silva, ho-
rnera-pacifico a trabalhador, um tiro que ollen-
deu-lbe o bomoplato direito, tendo a carga sabido
pela parte posterior.
O ofendido foi vistoriado e declarou que nlo
sabia a quem attribair o mal qoe-soBren ; pois
dlrigindo-se elle para sua babttago, vira apenas
em p, no lugar Passagem de Sant'Anna, urna
pessoa, que Iba perguntando quem elle era, res-
pondera-lhe, qaeera ama pessoa qoe nio fazia
mal a quem quer qae fosse>-resposta esta qne,
apeiar de tao innocente, foi recebtda com o tiro
referido. "
Consta-nos qae o Dr. delegado, tendo procedido
as necessarias pesqulzs j sabe qual o autor do
crime, e ha providenciado acerca da captura do
mesmo.
O nosso amigo o Sr. Dr. Jos Bento da Cu-
nha Figueirdo Juoior escreve-nos o seguinte :
c Srs. redactores: -Acabo de ler no Foruat do
sea Diario de hoje um artigo que nao tem assig-
natura, e qae nem i mea, nem foi por mim re-
visto previamente,
c Todos sanern qne o Forum corre sob mldha
responsabllidade, ou os artigos se publiqnem com'
a miaba assignaiura ou sem ella. Nem eu lago
monopolio de taes pnblicag5es, ama yt qae se
guarde a seguinte reserva. Costuran snpportar re-
signado as coosequencias de meas actos, ainda
qae alies sa rearara pessoas mui altamente col-
locadas i e tenho dad) provas disso. Mas quando
se trata de fados alheios, seje, qual tor a couslde-
raco para com o sea autor, reservme sempre o
direito de exame, antes de tomar por les a res-
ponsabllidade moral. ,
A' vista do que VV. SS, teem. tido a bondade
de roe dizer mals de Offla vez. acredite! logoqae
como o aisumpto do artigo ailudido se prende d
aigam modo i materia de oommonicados Insertos
no Forum de accarda oommigo,* suppoxerara VV.
SS. poder admittlr o de qae se trata, sob a mesr
eplgraphe.
Foram maltados em mais 204000 cada nm dos
jurados j maltados nos anteriores dias de sessao
e a cada um dos senhores seguales:
Dr. Bartbolomeo Torqoato de Soaza e Silva.
Dr. Francisco do Reg Barros de Lacerda.
Dr. Antonio Rangel de Torres. Bandeira.
Dr. Joo RaimundcPerera da Silva.
Aeria a sesso procedea-se o sortsto do jary de
sentenge, ao qual ro deferido o respectivo jara-
mente. : interrogado o reo. desenvolvida a aecnsa-
go a defeza e depois da replica e replica, resumi-
da a materia da accQsago e da defeza, foram pao-
postas, as qoesioes. de fasto ao jury de sentenga qpe
se retirando eom estes o processo a sala das con-
ferencias as. 3. i/i hoia&da tarde, voltando depois
as 5. eom suas resposias que foram Ildas m alta
voz pelo presidente do jury de sentenga, em vista de
cuja decisao o Sr. Dr. juis de direito (inmediata-
mente declarou qne appellava para o superior tri-
bunal da relago, absolvendo o reo e levaotoo a
sesso e addtawm-a para o dia segajnte petas 10
da manhaa.
O delegado de pollela do prl
tueiro disArleto do termo des-
ta capital.
Por ter procurado cumprir os deveres do cargo
de delegado do primeiro districto do termo desta
capital, ou antes, por baver condemnado a um in-
dividuo que dava diuheiros a jaros sob penbores,
facto que foi verificado por mim, indo eu ao esta-
belecimento do mesmo indagar de um negocio de
me- la falsa, Uve de figurar em um processo na
qualidade de reo; perante o Sr. Dr. juiz de direito
aa 1 vara.
Essa posigo, qoe s incommoda aos que nao
tem consclencia de sens actos, offereceu-me ama
occasiao mais para eonvencer-me de qae teem ra-
zo aquellos qne entendem que nao me devo inte-
ressar, como me habituei a faz-lo, pelo cnmprt-
meoto dos deveres do cargo, que occ'upo.
Nunca me passou pela mete que nfna pronun-
cia seria fulminada contra mim n'esse processo;
pois nao s licou exuberantemente demonstrado
nos autos qne eu tinba procedido dentro da espbe-
ra legal, mas ainda porque o digno promotor pu-
blico, Sr. Dr. Jacintho Pereira do Reg, opinara
com boas razos pela improcedencia da queixa.
Tendo recorrido para o tribunal da relago, ob-
ti ve proviraento do acto do joizo recorrido, em
conseqnencia do que fui restituido s-loncges do
cargo que ainda ocenpo.
O julgamento nesse tribunal foi um pleno triurn-
pbo para mim, pois no correr da dscusso, nm
dos honrados juizes, o distincto desembargador,
Sr. Lourenco Santiago, dispensou-me palavrasto
lisongelras e animadoras qae me dei por bem
pago da occasiao qae me offereceram a merece-
las.
as razdes de recurso, qoe foram prodazidas
pelo meu distincto amigo o amigo- e Ilustrado ad-
vogado, Sr. Dr. Jos Bernardo Gajvo Alcoforade,
licou patente que nos autos existia qnanto no des-
pacho da pronuncia se exiga para ser julgada im-
procedente a queixa.
Nao convindo que en contnoasse a ser joia no
segnndo processoque ia instaurar, visto ter sido
annnliado o primeiro, o dador de dinheiros a jaros
sob penbores, offerecea artigos de suspeiciio, que
foram por mim julgados insubsistentes. Traba eu,
pois, d deferir o conhecimento dessa minha deci-
sao a um dos juizes de direito, cabendo-me esco-
lber qual.
Perante o da 1* vara, corra o processo de quei-
xa contra mim, isto bavia urna queslo que ti-
lda tal ou qual connexo com a de suspeigo, o
que to somente me levoaa deferir o julgamento
dos referidos arijos ao-Sr. Dr. Freitas Heori-
ques.
Nao defer esse julgamento ao Sr. i;t. Manoel
Jos da Silva Neiva, por l-lo em conta de meu
amigo, e ser costme meu nao explorar as rela-
ges qne me honro de entreter com quem quer
que seja.
Merecera eu censara se tal o flzesse,. mas, prc-
cedendo, como o fiz^no pode o meo acto servir
de apoio juizo favoravel de orna daciso, cajos
fundamentos foram o devassamentp da minha
conseiencia, na qual nao podia penetrar o julga-
der.
Deixo o campo.livre, onde a injuria e a calum-
nia sao as nicas- armas de que se servem aqaelles
qae, por taes meos procurara obler o silencio de
adversarios, eoja palavra e escriptostem posto pa-
tente a injuria e perversidade des que se inculcam
de defensores, das garantas dc. cidados, com o
que pouco se Importan) elles, quando no gosb do
poder, qne loes escapoa.
Nao por eerto, na opinio dos horaenj hones-
tos, tal meio o mais proficuo a urna rehabilitado.
A pessoa, qoe comigo foi amarrada ao poste da
diffamago ( cora cuja amisade e .parentesco muito
desvaaeco) procara na lei.dasaggravo as injurias a-
calumnis que Ihe foram.assacadas : assim ao seu
diffamador, nao falte ante os tribunaes a ousadia do
que deu sobejas provas. pela imprensa.
Sel qae qaanto fica escripto dar pretexto aos
meas detractores para.anda urna vez abocanharem
a minha repntago ; mas ba occasSp em que o si-
lencio nao pode ser guardado sem offenso da dig-
nidade do homem da bem.
Recife 9 de malo de 1866.
Luiz de Albuquerque Martins Vertir.
mu
m
Comniuiiicados
O tala municipal e de orphos
do termo de Colaoaa, e o Sr.
depiitado proviseial Armtalo
Cor tolano Tarares dos Mantos.
Nao se dignou o Sr. deputado provincial Arminio
Coriolano Tavares dos Santos levantar a lava, qae
do alto da imprensa lbe alirei, para vir, em terreno
igual e de viseira aleada, declarar, quaes foram as
arbitrariedades por mim praiieaas no exerciclo
do cargo de recraudor da comarca de Goianna I
Isto j eu esperava do Sr, Arminio, cojo cava-
Ihetnma bem conhecido I..
Em vista, pois, de um tal procediraento, nada
mais me resta a dizer, se nao qne entrega ao mais
solame despreao a calumniosa e estulta accasago,
qne ras fez o Sr. Arminio, i quem o Julio dos no-
teos sensatos far a devida justiga.
Agora, qaanto ao qae dsse o Sr. Arminio no sen
Para evitar eqoivocos fatoros, jalgaei oaa.'Hnommar'icado, publicado no Diono de 18 do mez
niente fazer esta declarago, cuja pabUglda proiAmo passado -t que eu, uo s sollicitra o
peco, i l'^m de jais municipal e de orpbos do termo de
-------- Tini ik., ...sa kiuim n*ra a obler contrahir a
eco. .
E* exacto o qoe afflrma o Sr. Dr. Cnpha Figus.
redo Jooior; para evitar dnYidas.fatnr*^ s
sero adraltUdos sob a epigraphe-0 Foranas
1. dscusso do projecto q, 86 deste anno, qae artigos qae foren acamnanhados da assigoatara
eleva os veaclmwtps dq sqbstltuto das fadalras de | de seu redacioj.
Goianna, seno como para o bbter contrahlri
obrgago de rae por ao servteode ama das lnfiaen-
Publicac5es a pedido
w
Xarope tnico refrigerante d. veame e de
ferro preparado pelo pharaaceutico Jos
daftocha ParaDaps.estabitocido aactdade
do Recife provincia de Peraamboco, ra
Direita a. 88.
Este xarope, que d tom ao movimento
muscular por sua qualidade terrea, ao
mesmo tempo purgativo pela parte do ve-
ame que encerra, e refrigerante pela par*
te acida, alm da precisa para perfeita so-
luco e combinaco do ferro; este atacado
pelo acido fica &bx extrema divisSo, e as-
sim o mais soluvel qoe possivel, de sorta
que j nao to dependente de ser digerico
pelos cidos racos, que se acnam no suedo
gstrico durante a digestao. Os expositores
de medicina- sSo de opiniao qae o ferro e
todas ascuas preparacoes goxam da? tirta-
des eminentemente tnicas, que apr^veita
em todas as molestias que sao cara.cterisa-
das por fraqueza; e com effeito acho exac-
ta essa opiniao; nao mas dado o ferro em
substancia pelo mo resultado que tenno ob-
servado, (e que j fiz puMcar) em cerUs e
determinadas mole Uag; por exemplo: ane-
mia, e febrQS, inerraitentes, terminam mui-
eias daquelle termo, de politca opposta, re*pon- t anaiWCa, que 6 acComulacSo

*
r.

.A


-*-~
-*-' I" j J -
Otarte 4e PeraaMbaw Se&ta Cetra i i de-nata de 1866.

355
do est entre a pelie) e depois ascite twfcy-
dropesia. do.yentre, que accumulago de
serocidade rio peritoneo.
E' sabido que o ferro. ura dos agentes.
mais importante para que o sangue se pre-
pare e aperfeice devifamenje, e por con-
seguinte o mais propriovi limpedir o des-
envolv ment destas mo&eTias; mas sendo
elle un eBcaz excitante, sorbeate e secer-
nente, claro que s asociado como se
acha neste xarope, pdja dar o resultado
que se espera, e a experiencia me ten de-
monstrado sem Fisto da offender as entra-
nbas.
Os effeitos dos incitantes, sao : promover
as secreces, e absorcSes, augmentar o ca-
lor natural, e remover aquellas dores que
nascem da falta dos movimentos irrilativos.
Os sorbentes sao tambera aquelles agentes,
osquaes augmentamos movimentos irrila-
tivos, que formam absorcSo, e os s cernen-
tes aquelles que augmentam os movimentos
irritatives que constituem as secresoes.
Assim, pois* v-se que sem a precisa combi-
nado e modificacSo nao i de ser elle appli-
cado indistinctamente. Muitas vezes o pra-
tico deixa de fazer applicacSo do ferro por
conbecer snspeitar que o flgado. o bofe ou
pulmjfo, e omito essencial da respiracao, ou
outra entranba est offeadida; entretanto
que, se se tivesse applicado em tempo se
poderia ter evitado o desenvolvimento da
molestia. Assim, pois, o xarope prepara-
do como fica exp'isio se pode usar sem ris-
co por nao offender as entranhas. As mo-
lestias contra as quaes o Jxarope tnico re-
frigerante pode ser applicado com proveitb,
sao: as amenorrheas.lou suspencao do flu-
xo menstrual das mulheres, anemia, ou di-
minuico da maesa do sangue e sua consis-
tencia alterada, dores de estomago, debili-
dade dos org5os digestivos, fastio, fluxos
mucosos, flores brancas, colorse, molestias
do sexo femenino, caracterisada por lan-
guor geral, acelorisacSo paluda da cor ou
esverdinhada, empobrecinaento do sangue,
eDfartes-cbronicos das visceras abdominaes,
alporca- ou escrophulas, escorbutos, opila-
gao, pallidez, e as estragos produzidos pe-
las molestias syphiliticas : asthenia ou falta
de torcas; fraqueza geral: e ba hydrope-
sia anazarca e ascites; tendo-se o cuidado
de observar nestas duas ultimas molestias
principalmente, e em todas s outras, qoe
um dos effeitos salutares des te xaropa te-
ro-ventre corrente, e as urinas desembara-
zadas.
O modo de usar-se e regular-se vai des-
cripto no letreiro pregado no frasco.
Vende-se nicamente na botica da ra
Direita n. 88 de
Jos da Rocha Paranhos.
CURA
Espanto o Admiiavel
DE UMA CHAGA
GANCROSA E ROEDORA
OU
POLYPO M NARIZ.
oteo de flgado de bacarfito, e outros agentes cocos (secos).....
feft1 ^'* ^METSa fi tt loaros dVboi, salados; '.
fcil digesto, agradaveflrO paladar e ao ol- Idem idem ^ccm espichados
pbato. Alguns mdicos desta cidade e da dem dem verdes .' .
de Maeei o teem recommendado para a co- 'dem dem cabra cortidos
radas
Impigens, tinha, escropbulas,
Tumores, ulceras, escorbuto.
Cancros, sarna degenerada, flaxo alvo.
Todas estas a'ffeccOog provm de rana cau-
sa interna; nao ha pois raxlo algoma em
crr que ellas se podem curar com remedios
externo*. Tambem se prescreve o xarope arinha de de mandioca
como:
Gotta, rlreumatismo, paralysia,
Dores, impotencia, esterilidade.
Marasmo, bypocondria, emmagrecimento.
O xarope alchoolico de veame sobre Gomma........arroba
tuda, da maior otilidade para curar radi- Ipecacuanha (raiz).....
clmente, e em ponco tempo o rbeoma- Lenha em achas.....cenio
lismo- LinWe'estei's'. '.'.'.!! um
Aaverte-se que o veradwro xarope so se Mei ou melaco......caada
vende nesta cidade na botica cima indica- Mimo.....-. arroba
da, do abaixo assignado; e em outra qual- {*aPa|aio? ......."m
querpartequesetemajmuQciadonSodaf^f^y- ; ; ; ; ; mBU1
mesma composic3o, e nem o abaixo assigna- Pedras-de amolar
do se responsabilisa.
Jos da Rocha Paranhot.
censo yjOOO
libra m
loO
. 240
% 95
um 960
dem idem de onca .... 105OOO
Doce seceos......libra l000'
Idaat em gela ou masca 320
dem em calda ..... 530
gapsaadores grandes ... un 4000
dem pequeos...... 2JWO0
Esteira par forro de estivas
de navio........cento 135000
Estopa nacional .....arroba 15800
alqaeire *500
45000
15800
55060
135000
85000
10,3000
85000
800
25600
155000
25000
115000
65000
260,
15300
35000
5500O.
55000
800'
600,
15000
120,
Fumo em iolba, bom
dem ordinario ou restolho
dem em rolo bom .
dem ordinario ou restelho. ,
Gallinhas
arroba
um
arroba
:
r.rna
QuapeUo Jnior.
Lanzado a Si. 100 do competente hvro n _
Becie, 3 de arco de 1866 -Campello Jnior.
Firmino Aniooio de Soma, presidente. ^
Esfcvam as armas imperiaes.
E nada mais se contfnha em dito edital aqu co-
piado do proprio original.
Dado e pateado nesla cidade de Reeife, aos 5 de
margo de 1806.
Eu Guiiberme Augusto- de Atuayde, eserlvao o
subscrevi.
Virgilio de GusmSo Goelho.
O Dr. Tristao de Alocar Araripe, oficial da impe-
rial ordem da Rosa, juit de djreho speeiai do
commerla desta cidade do Beflife de Petnam-
buco e sea-termo, por S. M. Imperial e Coestl-
tuclonal o Sr. D. Pedro II a qnem Dans goatde
etc.
Fago saber pelo presente, que no dfa 14 do mez
de maio do corrale annovse ba de arrematar por
renda a quem mais der em praca publica depois
da audiencia respectiva, a escrava Mara, c/ioula,
de 14 annos de idade, avaliad em 0005, a qual vai
a praga por execugao de Albino Jos Ferreira da
Cunba, contra Hanoel Ignacio das Candelas.
E na falta de laogador que cubra o prego da
avaliago, sera a arremaiago falta peto prego da
adjudicago com o abatimento respectivo da lei.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandei fater o presente, que sera' afflxado nos lu-
gares do costme e publicados pela imprensa.
Ae 1S6#. Oescrivao Francisco, dos Reis Xunes 1
1.13.1 aildo*d'stftxiip o'ipresente ao fecTivao as- ^Jp .asente ^"taj UcertTeTso sabido,
N'estes termos pedem a V. S, flue man- p,ga^ dita quinUa, e carne aleja esamli-
fldo.distfibuir o presente ao^scrivao as- cadp ausente em lagar iacert i e riao sabido
cimento por .dependencia, vsfe qae o requer o sunplicnte a VY se dign
e?criv5o do arresto, se digoe.de marcar admitti-loa justiflear a ausenc do mesmo
dia e hora para a justificado requerida se- supplicado, aflm de que elle seja citado por
guindo-se os demaii termos; E. R.Mi O editaes na forma da lei. sendo dita citacSo
advogado Paula Penna. | feita sob pena de revelia.
Na qual dei o despacho doeor sefuinte: Nestes termos requer, e pede a V. S.
Justifique a ausencia no'd|B7 do corren- deferimentoE R. M. O procurador Ma-
te mez as 11 horas da manMa. Recite 25! nosl Raymundo Pena-Forte.
;de abril de 1866.-Alentar raripe. Na qual peticSo dei o despacho seguinte:
Em virtude do qnal fra mesma peticJo Justifique-se. Freguata di Santo Anto-
distribuida ao eserrto deste juizo Manoel j no 28 de abril de IS66. Augusto da
Maria Rodrigues do Nascimento. Fonceca.
E tendo os supplicantes produzido snas Em virtude do*qual despacho se proce-
testemunhas sellados e preparados os autos
deu a inquiricjfo de testemunhas que efepo-
subiram minha conclus3o en'elles dei alseram sb 0 jummento dos Santos Evange-
sentenga do tbeor seguinte:
Ihos a respeito d ausencia, incerteza do lu-
gar da residencia de Jo5o Jos da Silva
Villar Jc C. ; e sendo tudo aotoado e
preparado me foram os autos conclus s, e
.... urna
dem de filtrar .....
1 Idem de rebolo ......
Piaesava *..... rnolho
Pomas, ou chifres de vacoas ou-
, .1. noviihes ....... cento
A lillSlCa CirCUtlClUSa. i Pranchfies de amarelto de dous
Nao s se curar radicalmente mediante costados....... um
o uso do Peitoral de Anacahwta de Kemp, idemdeiouro......
todos 05. casos ordinarios de tosse Ghronica, g*^ ,
bionchites, catarrhos, asthma, etc., mas sal. .' .' .' .' .' .' .' .' .' alqueire
Heipor justificad a ausencia do suppli-
cado^ que mando sejaxrtado por editos de
30 dias para o fim rcqtlerid, pagas as
costas ex-causa. Recite 28 da abril ele 1866. | p0r* mim lidos. nelles proferi a sentenja do
Tristao de Aleocar Araripe. theor seguinte:
Por forca da qual o referido escrivSo fez j visto prorar-se pelo depoimento das tes-
passar o presente edital, pelo qual chamo; temunhas de fls. que o supplicado Joo
i&r.^SEBK"^ cit0 e hei por intimado o dito supplicado; Jos da Silva Villar acha-se ausente era
nambuc, aWS5"d^bid* 1866. : para qua comprela n'este juizo dentro do|parte incerla, hei por justtcada a sua
Eo, Manoel sawade Rarros Faico, escrivao! indicada prazo afim de allegar o que for de (ausencia passe carta de edictos comoter-
in.er.no a "**> justca> | mo de 30 dias pagas as custas pelo justifi-
0 Dr. Virgilio de GusmSo Coelho, iuiz mu- ? Para 1ue cbe8ue a0 conhecimento de cante. Frnguezia de S. Antonio da cidade
todos mandei passar o presente que sera
35600
205000
105000
15000
160
400
25500
55000
75000
25000
1405000
875000
35000
25000
65000
300
105000
85000
65000
600
sim tambera mesmo quando a molestia Salsa parrilha.......arroba
haja affectado seriamente os orgSos da res- ^D0 em raraa.......
piracao, seus progressos podem se atalhar ttSi!SLL '. \ '. '. '. ma
pelo espado de annos inteiros, e a applica- Taboas de amarello. .... duzia
c3o do remedio proporcionar um all vio diversas......
instantneo e indefinito. N5o ha necessi- 'S*P'2f?f......... arroba
dade de abrigar ou ter o menor receio re- JS. '.'.'.'.'.'.'.'. urna
lativamente aos seus effeitos, mesmo du- unhas de boi' '. '. '. '. '. '. cento
rante os periodos mais avanzados de debi- Vassouras de de piassava
lidade 'Ditas de t"nb *
Na sua elaborada coraposc5o n5o entra $1; | J can\da
opiatos, nem acido prassico, nem antimo-, Aifandega de Pernamuco, 5 de maio de 1866.
nio, nem nenbuma outra droga nauseabun-, eaoitammknto.
da, e sim to sanate compesta e pre-, Cera de arnauba arroba 65400
parada da extraeco dos suecos de urna Cassueiras de Jacaranda. duzia 9^00i>
arvore balsmica do Mxico, a qual possue Enchameis......nm lj$300
as propriedades as mais admiraveis ecu- Esteiras de carnauba. urna 160
rativas, e as suas curas sao realmente ma- Ossos. ........ arroba 200
ravilhosas. Palha de carnauba molho 800
Vende-se as pharmacias.de Caors & Bar- Penna de ema libra 20 .'00
bosa e J. C. Bravo & G. Sapatos de couro branco. par 800
_________________^ra ut 8uPra
^Zw-n**.* Approvo-Alfandega de Pernambnco, 5demodi
COMfyiERClO de 1866. -A. Eulalia.
i-------,-----------------1----------1----------i (Assignados):
vr t i t i O i.* eonferente, Francisco de Paula Goncalves
Novo Banco de Pernambueo. *hm.
o novo banco paga o 16 dividendo ne *' *"^ ***# Cesar otOM-
nicipal sapplente da 2.1 vara em exerci-
cip nesta cidade do Reeife de Pernmbu-
co-etc. etc.
Faco saber aos que a presente caria de
editos virem em como a unta administrativa
da Santa Casa de Mi ericordia do Reeife, me
fez a petic3o do theor seguinte: Diz a n
s .. c l r, ,, O Dr. Tristao de Aiencar Araripe, omci
junta administrativa da Santa Casa da Mise- perai ordem da Ro?a e miz especial
ricordia do Reeife, qae quer fazer citar a
viuva de Mmoel Antonio Carneiro, para
razo de 6*>IO por aegao.
Urna creada du serrir residente em Pernam
buco e pertencente i Ex.' SeSr". Viscondes8A
DE Goluwa, foi attacada d'uma terrivel cha
ga cancrosa e roe A mesma involvia e tomava todo a parte in-
ferior do nariz, aineacando j;'t distmir tanto a
parte cartilaginosa como o mesmo oso; Come-
coa primeiro por apparecer sob o beico supe-
rior e parte da lace, eztendendo-se por tai
forma e com tal rapidez, que em pouco amea-
cara transformar todo o rosto n'uma enorme
charga viva e asquerosa. Durante todo este
tarrivel estado, todos os recursos medicnaes
que em taes cazos se uzo forJo abundante-
mente empregados, sem que de leve fizesse
parar a marcha lenta e distraidora de tilo hor-
rivel enfermidade, e todos os meios e esforos
forSo baldados, e no em tanto o mal cresca eis
qae por milagrosa fortuna da infeliz estando
as couzas neste ponto, pe experimentou pela
Tez primeira a
SALSAPARRILHA
DE BRISTOL.
O effeito produzido, quasi que instantneo
por este inestimavel remedio foi verdadelra-
mente maravilboso e sem igual; este grande
pnrificador do sangue e dos humores do srs
tema, immediataraente pz um termo i mar-
cha disastroza e fatal da molestia, derramndo-
se e inflltrando-se atrares dos tecidos os maie
delicados do corpo, expellindo at ultima
propriedade ou vestigio virulento da molestia,
e dentro d'urn curto espaco de tenapo produzio
ama
CURA
Completa e Radical.
Eete feUz quo admlravel resultado foi obti
do apenas com o simples uso
D'uma se nica Garrafa!
i' este iacompatavel e j^faj11 dtipvaatorio,
re coramandaiaos portante todo os Dqeutee
que procorem obter com o maior cuidado a
mca e verdadeira Salsaparrilha de BrUtol,
nicamente preparada por
IANMAN & KEMP.
De A O VA YORK,
na eerteaa de qae, todas aa mais preparacoea
tauitatiTi* nio valer para onza algoma
* Vende-se as boleas de Caors A Barbosa
e C. Bravo & C.
.Hoto banco de Pernam- "
bneo.
O Novo Banco descoma letras a \i por cento
ao auno, toma dioheiro a pra.o Qxo ou em cauta
corrente pelo premio e condigSes que se conven-
cioLar. e saca sobre a praca da abUC
RECEBEDRIA DE RENDAS INTERNAS GE
RAES DE PERNAMBUCO
Rendlmento do da 1 a 8 ....... 8:1314465!
dem dodia9................ 435529
8:586*994
dendimeoto do
dem do da 9
aLFANDEGa.
dia 1 a 8 ......

250:44o836
30:347*904
280:793$74O
MOVIMENTO DO PORTO
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Voluntes entrados com fazendas...
t < com gneros...
volumes sabidos cem fazendas...
< com gneros....
24
863
~153
356
-----509
887
Descarregam boje 11 de -maio.
Barca iogleza-Jflntmercadorias.
Brigue portuguexConstante //-diversos gene-
ros.
Patacho portuguezMar ia da Gloria- idem.
Barca nacional Amizadecharque.
Brigue nacionalBeluariodem.
Brigue nacionalAureliano-idem.
Sumaca hespanholaGuadalupe idem.
Patacho.'portuguezS. Jojidem.
Patacho portuguezGarretidem.
Hiate portuguez Serra /idem.
Iinportaco.
Patacho portuguex Mana da Gloria, entrado de
Lisboa, manifestou o seguinte :
48 pipas e 30 barris de vinho, 40 barris toncinho,
40 de azeile, 200 saceos de farellos e 300 varas de
lagedo a E. R. Rabello ; 9 pipas e 8 barris de vi-
nho a Antonio de Aimeida Gomes ; 2 fardos de pe-
neiras, 91 pipas e 63 barris de vinho a Joaquim
Jof Gongalves Bellrao ; 1 barril de vinagre e 1
Navios entrados no da 9.
Lisboa30 dias, patacho poriuguez Marta da Gla-
ra, de 184 looeladas, capile Antonio de Bar-
ros Vatente, equipagem 16, carga vinho e ou-
tros gneros ; Euzebio Raphael Rabello.
Rio de Janeiro-18 dias, brigue portuguez Adelai-
da, de 180 toneladas, capito M. M. de Oliveira,
equipagem 12, em lastro ; orden. .
Trieste71 dias, escuna lOleza Elelrke Wtas, de
166 toneladas, capilao Charles P. Hocquard,
equipagem 8, carga 1:811 barricas com farinba
de trigo ; a Jobnston Pater & C
New Zealaad74 dias, barca iogleza Briiish
Merchant, equipagem 16, carga azeite e outros
gneros; ao mesmo capito. Velo refrescar e
segu para Londres.
Navios sahidos no mesmo dia.
LiverpoolBarca hamburguea FideliUu, capilao
E. Godt, carga assacar e algodo.
AracaiyPalnabote nachoal Sania Cruz, capito
Jos Victorino das Neves, carga differentes g-
neros e 1 escravo a entregar.
Observacao al 3 horas da tarde do dia 10.
Nao houveram entradas nem sabidas.
EDITAES
Constando qoe S. A. a Sr.' princeza D. Leopol-
dina e seo augusto esposo o Sr. Duque de Saxe
vo viajar a' Europa no prximo paquete ingiez
eaixo de cera a Jos Perira da Conha & Filbos; que se espera do Sul, faz-se publico para eonhe-
20 barris de azeite a Mendes & Tolho ; 20 calxas| cimento dos habitantes desta cidade que, se S. A.
de cera em velas a Domingos Rodrigues de Ao- vier no referido paquete, a torre do arsenal de
drade ; 43 pipas e 20 barris de vinho, 5 pipas, 15 marinha icai' cerno signal a bando ra Imperial, e,
barris e 20 ancoras de vinagre, 30 barri de azeite, no caso, de que os augustos viajantes prelendo
44 caius de ceblas, 5 de massa de tomates, 200 desembarcar, sera' a bandeira imperial substituida
saceos de semeas a Thomaz de Aqoino Fonseca & por um galhardete encarnado.
Secretaria do Governo de Pernambueo, em 8 de
maio de 1866.
O secretario, Dr. F. de PaulaSalles.
C.; 30 barris de vinagre, 30 de azeite e 100 saceos
farelos a Luiz Jos da Costa Amorim & C.; 1 cal-
xa e 2 ancoras de vinho a Joao Antonio Carpinte-
ro da Silva ; 25 barris de vinho a Jos Maria Pe-
droso de Lima: 24 ancoras de gesso a Jos da Sil-
va Loyo & C ; 1 sacco de alfazema e 2 surroes de
cominos ao [capito ; 1 calxa de azeite, 3 canas-
tras de carne e 1 barril de feijao. e pelxe a Antonio
Joaqun) Pana seo ; ti vulumes de drogas e hervas
medicinaes a Denker & Barrtso; 6 caixas de t-
dros para botica, 5 volumes de drogas, 1 fardo de Uva da Santa Casa de Misericordia do Reeife, por
dos a Joaqun Martinno da Cruz Correa & C. seu procurador me eoderecou a peticao de tbeor
Patacho portuguez Menteiro I, entrado oa Babia, seguinte:
consignado a Amorim IrroSos, manifestou o se-i Du a junta admlnistraUva d* Santa Casa de-Mi-
0 Dr. Virgilio de Gusmao Coelho, juiz municipal
supplente em exercicio da segunda vara desta
cidade do Reeife de Pernambueo e seu termo,
por sua roagestade imperial e constitucional o
Sr. D. Pedro II, a qnem Deus guarde ele.
Faco saber pelo presente que a junta administra
anime
sericordia do Recite, que quer faier citar aos her-
12.512 arrobas de ebarque, 141 ditas de frW,; MmjSSSfa T^S
ATTENCKO.
Xarope alchoorico de Tlame, preparado
pelo pharmacentico Jos da Bocha Paranhos,
establecido com botica na ra Direita a.
88 em Pernambueo-
Este xarope lncontestavelmente superior
a todos os xaropes depnrativoe, de enja
composicSo o seo maior elea eoto a salsa
parrilha, pois que se teni eonbecido ser o
veame mais enrgico para a prorapta cura
das molestias, cuja base ;essencial depende
da purificare do sangue; aesim peis se
tem verificrjo par gnitas pessoas qu se
acba'iTun desenardwi as quaes aehaaMe
boje restablecidas com o referido xarope
alchoorico d Tlame; entretanto qae al-,
guns, tendo asado do xarope de Corinier,
de Larrey, de salsa parrilha, de saponaria,
em bexigas, 60 couros vaceuns seceos de refogoe
50 saceos cevada, 4 barris uinbas: aos raesmos.
Hlatenacional Gariba'.de, entrado de Mco, con-
signado a Tasso IrinSos, manifestou o seguinte :'
400 alqueires de sal e 200 molhos de palha de
carnauba; aos msenos.
ALFANDEUA DE PERNAMBUCO.
pacta nos pbkcos nos gbmkbos sumios x dlrkitos
ra deste juizo Ullarem aos termos de um libeilo
en que Ihas quer pedir o sillo de n. 18 particular,
ne lugar denominado Saln ?, do qoal se achara de
posse por titulo d aoramento feito ao dito Miguel
Ferreira de Melle, visto terem es supplicados ea-
hido em commisso como jnelbormente se expres-
sara' ena sea libeilo, pena de revelia, ficando logo
citados para todos os termos ua causa al final exe-
cugao.
E porque a supplicaute ignore quaes sejara es-
.. avoraajla^au na 7 a a* ," E^TTi^^TVW
Unidades. Valores.
. cento 2*500
: -r" U
1866.
Mercadorias.
Abanos. .....
Agurdente de cana .
dem restilada ou do reino
dem eaxaca '.^""i1
dem geaebra ...... a
dem alcool ou espirito de agua-
srdente. % r-r
AkodioaBicarofO ao-aba
dem em rama onem 15 .; ,
Arroz com cas*..... >
Idea descalcado a pilado i hMii
Atifpac Hcamd >fr #f I-vBttti' i
dem hraneo........
dem refinado.......
Axeite de amepdolm ou mendo-
bn ..."....... caaada
dem 4e coco.....';
dem.de mamona t.
Batatas alimenticias ..... arroba
Bolacha oidfnaria, propria para
embaj'que ,......
dem fina........
Caf boto ......-,
dem escolha ou restolho.
dem torrado......libra
Caibros -.....um
Cal.......... arroba
dem branca ....
Carne secea (xafqoe) .'.""..
Carneiros ....... tun
Carrao vegetal .....arroba
ernas de sicupira nma
de carnauba em ibnito. libra
!em idem em velae ...
Charutos....... cento
Cevados (porcoi) ..... nm
800
900
mandar passar cama de editas, com o prazo de 60
dias para serem os supplicados citados por todo o
conteudo nesta.Pereira e SomaProc civ. n.
203.
Portanto ped*ao IHm. Sr. Dr. jatz aaoaieipal da
segunda vara assim Ihe deflra.E. R.
t^O"!
3X
M.M.~Co-
molproenrador Jos TbeodoroGoeae.
Siesta petteaoana aa fot apreeentada tai a
despacho do tbeor seguinte:
iestnbulda como requer. -r Jiecie. 28 de fcve-
ceiro de 1866,Coelho, i '
E sendo feita a dIstrboleco ao escrivlo deste
juzoGuillMrmaAogusto deAthayde.este em obser-
vancia a esw mea despacho, tez passar o prseme
edital pelo qual e seu theor, chamo, cito e bel por
citados a. todos es herdeiros do mencionado suppli-
cado Miguel Ferreira d Mello, para qoe dentro do
prazo de 60 dias comparecam por el ou por sens
procuradores ante este juiza, allegando e provando
. o que for a bem de seu direito e jastlca, sob pena
de se proceder as suas revenas,
Portanto toda e qualqner nessoa, prente, amigo
ou coaueeidos dos. referidos herdeiros, poder-Ibes.
jiao aier sciente de todo o expandido.
6*500 e para que chegue ao conbeclmeno de todos,
6*000 anodei fazer o presente que sera' afflxado nos ra-
440 gares do costme e publicado pela lmpreosi.
Dado e passado nesta eldade do Reeife de Per-
muco, aos 3 de marco de 1866.
;u Guiiberme Aagusto de Atbayde, escrivao o
STjsbcrevt^-^-Vtrgirloae Gnsmo Coelno.
N. 9 rs. 400. Pagpti 400 ra. Roclfe, 3 de marco
de W06. -Owves. -r SCTja.
Vai pagar 550 rs. de dkdltos de Uocellaria.
3W ReeHl, d ae njanjd de fB6f.- 00 M.MM Pagou 250 rs. de drreltdt de cnaoeel-
J#000 laria. Reejfe, 3 de margo de .-.fauTes.-LI-
3*000 moeiro.
15*000. Translloa pet cbaneellaria. Reeife^ 3 de marea
primeira (Teste juizo fallarern aos termos de
um libeilo em que lhe qoer pedir o sitio n.
20 particular no lugar Carreira dos Mazora-
bos, as salinas, do qual se acha de posse a
supplicada por titulo de aforamenlo raito ao
dito Manoel Antonio Carneiro, visto ter a
supplicada cabido em commisso, como me-
lhorn ente expressar em seu libeilo, pena
de revelia, ficando logo citada para todos os
termos da causa at'final execuc5o. -E por
que a suppficaote ignore quem seja essa
viuva, porisso requer aV.S. qnese digne de
mandar passar: carta de edito com o praso
de 60 dias para-ser citada a supplicada por
todo o contendo n'eeta Pereira e Souza.
Proc. civ. notta 203 por tanto pede ao IUm
Sr. Dr.-JMjnunictpai da 2.a vara lhe dnfi-
ra. E R. M. Gomo procurador Jos Theo-
dore Gomes,
Cuja peticao sendo-me apresentada n'ella
dei o dispacho do theor seguinte:
Destribuida, como requer. Reeife 22
de evereiro de 1866. V. Coelho.
Em virtude de dito meu dispacho foi a
accSo distribuida ao escrivo Cunha, e este
passou a presente por bem da qual e sen
theor citada a viuva de Manoel Antonio
Carneiro, para fallar aos termos de um li-
beilo civil que lhe vai propor a junta admi-
nistrativa da Santa Cisa da Misericordia do
Reeife, pedindo-lhe a entrega do sitio n. 20
no lugar' arreirados Mazombos as salinas,
visto ter eahido em commisso f como tudo
declara a peticao aqu transcripta, afim de
que no praso de 60 dias contados da data
do presente, compareca em juizo por si ou
por seu procurador a allegar o seu direito,
e defesa, sob pena de revelia; para o que
mando a todas as pessoas, parentes, amigos
ou conheldos da viuva de Manoel Antonio
Carneiro, lhe facam aviso de que por este;
citada para o que cima fica dito.
E para que chegue ao conhecimento de
todos, mandei passar o presente que ser
publicado e affixado no lugar publieo do
custume.
Dado e passado com o praso de 60 dias
n'esta cidade do Reeife aos 3 de marco de
1866. Eu Pedro Tertuliano da Cunha. es-
crivao o escrevi, Virgilio de GusmSo Coe-
lho. Vai pagar a quantia de 250 rs, de di-
reitosde chancellara. O escrivao Cunha.
N. 1223 250 rs. Pagoo 250 rs. de direi-
tos de chancellara. Reeife 3 de margo de
1866. Chaves,Limoeiro,
Vai pagar o seljo d'este edital que impor-
ta em a quantia de 400 rs. O escrivao
Cunha. Eslava o sello n. 56400 rs. Pa
gou 400 rs. Reeife 3 de marco de 1866.=
Chaves.Sena.
Estava o sitete das armas Imperiaes do
Tribunal da Relaco. Firmino Antonio de
Seuza, presidente. Transitou pela chancel-
lara. Reeife 6 de marco de 1866. O
escrivao Francisco dos Reis Nunes Campello
Jnior. lineado a L 100 do lvro
competente n. 13. Reeife 6 de mareo de
1866. Campello. E na mais se continua
publicado pela imprensa e affixadns nos
lugares do costume. Reeife 2 de maio de
1866.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nasci-
mento escrivao o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
tal da ira-
do com-
merefo n'esta cidade do Reeife, por toa magesta-
de imperial etc.
Pago saber aos que o presente edital virem e
d'elle noticia tiverem que por pane do capito An-
tonio Jos Silva do Brasil, me foi dirigida a peticao
do theor seguinte
do Reeife 4 de maio de 1866. Antonio
Augusto da Fonceca.
E nada mais se continua em dita sentcn-
ca dada nos autos, por bem da qual se pas-
sou ao justificante o presente edital com o
prazo de 30 dias, pelo qual se chama e cita
o referido Joao Jos da Silva Villar & C.
para que dentro dos 30 dias compare-
ca por si, ou por seu bastante procurador,
para se proceder.aos termos de conciliac5o
na forma da petig5o, e a qualquer outra
pessoa para que lhe faca saber desta mesma
citacao, afim de que elle nao fique indefeso.
Him. Sr. Dr. juido commercio. Dix.o capito O porteiro deste juizo Manoel Francisco de
Antonio Jos Silva do Brasil, que devendo Joao Jos | Aimeida, publicar este nos lugares mais
da Silva Villar & C.. a quantia de 2.0395690 res, pubucos desU freguezia, e o aflkar as-
sando certidao em forma.
proveniente das contas juntas, isto 1:241*050 reis
que directamente devia ao supplicaate como se v
dos documentos de n. 1 a 4, e mais 614*140 reis,
que a Ramos & Silva e Joo Martim de Barros, cu-
jos dbitos foram traspassados ao supplicante como
se v dos documentos de n 5 a 7, e bem assim
184*500 reis. qoe devia a Vicente Ferreira da Cos-
ta & Pilho, debito este que tambem foi traspassado
ao supplicante como se v dos documentos de n. 8
a 9 ; vem o supplicante requerer a V. S. digne-se
mandar citar os supplicados para a primeira au-
diencia d'este juizo, afim de fallarern aos termos de
urna acgo ordinaria em que tem de pedir-lhes o
pagamento de dita quantia, sendo dita alacio feita
sob pena de revelia.
E como o supplicado se retiraste para a Europa
e esteja em logar incerto e nao sabido, o suppli-
cante requer a V. s. dign-se admitti-lo a justificar
a sua ausencia, afim de qne tenha lugar a citac.no
requerida por editaes na forma da lei : nestes ter-
mos requer e pedo a V. S. vfenmeto e recebera'
merco.O advogado, Juo Telxeira.
. Na qual dei o despacho do theor seguinte :
Justifique a ausencia no dia 25 do correle mez,
as II horas da manhaa.
Reeife 23 de abril de 1865.Alencar Araripe.
Em virtude do nual fora a mesma peticao des-
tribuida ao escrivao deste juizo Hanoel Maria Ro-
drigues do Nascimento.
E tendo o supplicante prodazido suas testemu-
nhas selladas e preparados os autos subiram a mi-
nha conclnso e nelles dei e proferi a sentenea do
theor seguate :
Hei per justificada a ausencia dos supplicados,
que se citaro por editos de 30 das para o Br re-
querido a folhas 2.
Reeife 30 de abril de 1866. l'rlsto de Alencar
Araripe.
Por forca da qual o referido escrivao fez passar
o presente edital pelo qual chamo, cito e bei por
intimados os dilos supplicados para que compare-
cam neste juizo dentro do indleado praso, afim de
allegaren) o que for de justica.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandei passar o presente que ser' publicado pela
morensa e afflxado nos linares do costume.
Reeife 1" de maio de 1866.
Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, olBcial da impe-
rial ordem da Rosa e juiz de direito especial
do commercio desia cidade do Reeife de Per-
nambnco por S. M. Imperial e Constitucional
o Sr. Dom Pedro II, a quem Deus guarde
etc. etc.
Faco saber aos qne o presente edital virem e
d'elle noticia tiverem que por parle do capillo An-
tonio Jof Silva do Brasil, me foi dirigida a peticao
do theor seguinte:
IHm. Sr. Dr. juiz do commercio. Diz o capito
Antonio Jos Silva do Brasil, que sendo-lhe devedor
Joo Jos da Silva Villar & C. da quanlia de ura
cont de ris, proveniente da letra junta, necessita
o supplicante a bem de seu direito que V. S. se
digne manda-lo cila* para a primeira audiencia
desle juizo, afim de ver assignar se-lhe os dez das
(Ja le, para dentro delles allegar os embargos que
tiver, e nao o fazendo ser condemnada ao paga-
mento da quantia pedida joros e custas, sendo
dita clta?ao feita sob pena de revelia. E como o
supplicado se retirasse para a Europa e esleja em
lugar incerto, e nao sabido o supplicante requer a
V. S. digne-se admitti-lo a justificar asna ausencia
afim de que tenha lugar a citacao requerida por
editaes na forma da lei.
N'estes termos requer e pede ^. S. deferimen-
to.-E. R. M.O advogado Joo Teixeira. Na qual
dei o seguinte despacho :
Justifique a ausencia no da 28 do corrente mez,
Reeife 23 de abril de
em dita carta'de editos aqu copiada que eu ** *l h0"s da nwnba.
o, ^-.j 1866.A encar Araripe.
escrivao bem fielmente cojuet do propno
original a que me reporto, e este fiz sem
cousa que duvida faga, conferido e concerta-
do na forma do estylo. Cidade dileci(e
aes 6 dias de marco de 1866. Escrevi e
assigno emf de ver dade- O escrivSo Pe-
dro Ter tul ano da Cunha
0 Dr. Tristao de Alencar Araride official
da imperial ordem da Rosa\ juiz de di-
reito, especial do commercio d'esta cida-
de do Reeife de .Pernambueo, e -eu ter-
Em virtude do qual lora a mesma peticao des-
tribuida ao escrivao desle juizo Manoel Mara Ro-
drigues do Nascimento.
E tendo o supplicante produzido suas testemu-
nhas, seilados e preparados os autos subiram a
minha conclnso e n'elles dei a seguinte sen-
tenca :
Hei por justificada a' ausencia dos supplicados,
aos quaes mando citar por editos de 30 dias
para o fim requerido. Reeife 28 de abril de 1866
Tristao de Alencar Araripe.
Por torga da qnal o referido escrivao fez passar
o presente edital pelo qual chamo eito e hei por
intimados os ditos snpplicados para que compare-
mn nnr Z&? W?W l S s-*"" *"de Met'"?* B"u *
Deus guarde etc. E para que chegue ao conhecimento de todos,
FajO saber aOS que O preseMe edil v- mandei passar o presente, qoe ser publicado pela
re e d'elte noticia aerem qde por parta "<."* ggf" d0 ^^
deApiaral Moreira & C, me foi dirigida a E-jianoel Marra Rodrigues do Nasciroenio,
petic5o do theor seguinte: | escrivao o subscrevi.
Uta. Sr. Dr. juiz. especial do COmnW Tmto de MenearAranpe.
io.Dizem Araaral Moreira & C. commer- Joaquim da Silva Reg, cavaileiro da ordem
ciantes moradores nesta cidade, qoe tendo
vendido Manoel Francisco dos Santos e
Silva piara sua. taberna cita ra das Laran-
geiras n. 16, tambem nesta cidade as mer-
cadorias constante da cinta junta na impor-
tancia de 649440 rs. por conta da qual
pagou apenas o supplicado a quanjia de
Dado e passado nesta freguezia de S.
Antonio da cidade do Reeife aos 4 dias do
mez de maio de 1866. Eu Joaquim da
Silva Reg, escrivi que o escrevi. Anto-
nio Augusto da Fonceca.
Ao sello 300 rs.. vale sem sello ex-causa.
Augusto da Fonceca.
Nada mais se continha em dito original a
que me reporto e dou f
Reeife 4 de maio de 1866, suuscrevo e
assigno.
Em f de verdade
O escrivSo,
Joaquim da Silva Reg.
DECLARACQES
C-overno da provincia.
4.* seceo.Secittaria do governo de Pernam-
bueo, em Io de mato de 1866.
EDITAL.
Hela secretaria do governo, se faz publico
quem ioteressar possa, que tendo oExm. Sr. vice-
presidente da provincia, de dar execuco a lei n.
619, de 20 de marco ultimo, abaixo publicada, se
convida todas as pessoas que pretendan) con-
tratar a construccfio das estradas de que traa a re-
ferida le, a.apresentarem ao mesmo Exin. Sr.' as
suas propostas,e mediante as bases nella esiabele-
cidas, afim de serem examinadas e prelerir-se
aquella que melhores vaotageus ofierecer.
O secretario,
Dr. Francisco de Paula Salles.
LEI N. 649.
O Ur. Manoel Cleroentino Carneiro da Cunha,
vice-presidente da provincia de*Pernambueo : Fa-
co saber a todos os seus habitantes que a assem-
bica legUUliva provincial decrelon e eu sanecionei
a resoluQo segointe :
Ait. 1. Fica o presidente da provincia antorisa-
do a mandar estudar e a contratar com urna ou
mais companhias ou com pessoas reconhecidamen-
te idneas, urna rle de estradas, de rodagem ou
de carrls de ferro, conhecidas, sob a denomlnaco
de tramways, que ligue os centros populosos do
interior da provincia com as diversas eslacSes da
estrada de ferro do ReCife a S. Francisco, como as
actuaes estradas de communicaQo para esta capi-
tal ou com os pontos do liltoral de fcil aceesso a
navegaco.
Arl. 2." Para execoeaodo arllgq precedente pe-
der' o mesmo presidente adoptar as seguintes me-
didas :
l. Conceder as companhias ou aos particula-
res, qoe se encarregarem da construct;aa dos
tramways ou que os collocar d'ora em diante as
actuaes estradas, urna subvenco kilomtrica pro-
porcional ao capital empregado*e por urna s vez,
ficando o contrato, que para isso se celebrar de-
pendente da approvacao desta assembla.
O contratante podera' iodependente desta appro-
vacao dar comeco aos esludos e preparado dos
planos das obras, os quaes edific.itao mediante in-
demnisaco pertencente a provincia caso nao seja
approvaxo o contrato celebrado.
% i.' Ontranir um emprestimo dentro ou fra
do paiz, mediante condicoes que nao obriguem a
provincia a um dispendio superior a qoairo ce-
ios contos de ris aonaos.
Art. 2. Ficam revogadas as disposicSes em con-
trari.
Mando portanto, a todas as autoridades a quem
o conhecimento e execuco da presente resoluco
pertencer que a curapram e fagara cumprir to n-
teiram.-niecomo nella se conten.
O secretario do governo desta provincia a faga
imprimir,publicare correr.
Palacio do goveroo de Pernambueo, aos 20 de
marco de 1866, 43* da independencia e do imperio.
L. S.
Manoel Clemenlmo Carneiro da Cunha.
Sellada e publicada a presente resoluto nesta
secretaria do governo de Pernambueo, aos 24 da
abril de 1866.
O secretario, Dr. Francisco de Pava Salles.
Registrada a 0. do livro 7de ieis proviociaes.
Secretaria do governo de Pernambueo, 20 de
mareo de 1866.
O escripturarlo da 4" seecoTheuloro lose la-
vares.
de Ghristd e escrivao do juizo de paz da
fregueaia do SS. Sacramento do bairro de
Santo Antonio da cidade do Recie, pro-
vincia de Pernambueo, e interinamente na
subdetotpcia de dita freguezia, em virtude
da lei, ato.
Certifico Ser a carta de editos, entre par-
Exposieo los producios agr-
colas, indiisrlae e obras de
arito em pernambueo.
Constando commisso directora da cx-
posjcao qne, por falta doe neeeaaaFios escla-
recimentos, pela compralo bavida entre
os nossos productos e outros similares de
diversas provincias, e per outros motivos
de qne nSo leve completa seiencia, n&o hou-
ve a tlesejavel igualdade na distribuigao fei-
ta para esta provincia das recompensas da-
das pela commisso central do Rio de Ja-
Smboo ra icaade coi^nintemente a tes, autor Luiz Ferreira de Aimeida, e rbs nlro na ultima exposiclo, e que por esto
do theor
devera quantia, de 458094 rs., querem os Jo5o los da Silva Villar snpplicsntes ciunu-lo a este juizo aBm de soguinte:
Air propr a competente a$o ordinaria O cidad5o Antonio Augusto da Fonceca, ea-
commereiat e parque se tanba o suppliea- vaeiro da imperial ordem da Rosa e juiz
do ausentado para tugar incerto e n3o *abi
do, dando lugar, a que os supplicantes. fl-
zessem por este.mesmo juizo assento nos
gneros achados na mencionada taberna, e o
chamassem a jnize eoneiliatofio por editos,'
querem os supplicantes justificar a ausencia
do supplicada e jugada esta por senteba.
de paz do segundo anno em exercicio da
freguezia do SS. Sacramento do bairro de
Snto Antonio da cidade do Reeife, pro
vieta de Pernambueo, em -virtude da lei,
te.
Mep aafcer aos qoe i presente carta de
editos virem, que Rorparte de Luiz Ferrei
pedem "que V. S. s digne de maaaattfas- da AJ.meidi me fot feita a petfci do
sar eaffixar editaos com o prazo legal aBm tbaor se#wt:
de que na ausencia posterior a expiracio do Uta. Sr. jaia da^paz da freguezia de Saor J*Mf**^^ indcatriaes proj
mesmo orno, veja o sunoHcado propOra to AntoniosDfc Jwz Ferreira de Ahaema te ana, aorta m, wa,
da accSo em que o* suppcaBtes Se pre- que devnflftMhe fe Jos da Sirva Villar
teadem pedir a dita quantia, joros demora 4 C. a quantia de l;POO0OQO s., prove-
eustas, ficando logo citado para todos os'aatgaja. letw joat quefi e ^piante,
termos da acco at final sentenea, eres- fatfMu Pra pnawa-a aooiencia dee-
pediva ezecuc3o sob pena de revelia, te juteo, afim de ver se amigavelmente Ib
facto.alguns dos antigos expositores se re-
cusara a concorrer com novos. productos
exposico do Io de julao prximo ; resol-
ve?; em um de suas seeaoes, mandar fazer
publico o seguinte:
1. Havera na proviacia, para os traba-
lhee da exposico, um jury especial, no qual
nao terso voto oe membros da commisso
directora, que jalear* dt exeeMeaeia, aper-
feicoamaoto e utuidade dos prodwjtos ex-
postos;
9." Esto jury se dividir em duas sec-
coes, sendo nma para o prodeeto agrico-
3." FarSo parte do jary as pessoa de re-
conbecida aptidae e especialistai;
"4.* Segundo o juizo do.jury, a eoeamis-
sio dislribaira tos productores e dttnats ex-
positores medalhas de doas cwses, sendo



h
y i
I

-----1
T


i m vi
i
exta ataaif i ** Vale* ale 06.


3SS

de j recebe
quem vapor ,
AJMS1LE1IS
y J)os parios do ral es,
at o dia.14 do correte un dos
vapora da compaohu.G qual, de-
pols da demora do cosame, segui-
r para os por tos do norte. Des-
pissageiros, e eogaja-se a carga
as 3a i* classe de.prata ) as da 2a de co-
bre, ambas coaspanhadai?de diplomas.
5." A. commhtsio fir acquisicjio, median-
te Valor ajustado, dos productos qde'para
isto foroin julgadus dignos pelo jury, e que
nao possam ser cedidos gratuitamente para
figuraren! na expoticJo central.
A coaamssao directora espera que estas
medidas ervirao de garanta ao venladeiro
apreco dos productos expestos, e qnMarao
desapparecer o desanimo que a atgtms ex-
positores oausou a desigualdade que aci- ^ c7az8
ma se referi. veira
Alm disso, a comnHssa"o chama a atten- *?~i
(2o do* 9rs. expositores e mais industriaos
da provincia para a drcum?tencia de um Xmg^Q COstelM por vapor
dos seus merabros ter de acompanhar ex- Aracai e escalas.
posicSo central os productos que d aqu fr> >egunodia 14 do'crreme o
rem enviados, e fazer parte do jury julga- <^J^y vapjr nacional Mamanguape, pa-
dor na' corte, acnando-se por esta forma 2 {3^- ri os porl03 do,sul RecebB C/T'
habilitado para ministrar todos os esclarec- 8fl5ss?r i\*SZTu&
memos necessartos ao perfeito conneeimen- at aj 2 horas da tanto do da da sabida: escrip-
to dos productos, e fazer valer o direito de orio no Forte do Mam n. 1_________.
cada umd3s expositores desU provincia. TiVArnAnlnfV ti oh/ka
Por esta forma a commissao julga ter re- luVrpuui por JjisuuI
movido mais M^mV g^S^^S^^S^KS-
porventata fenlia a lutar na acquisiga de *ommenda8 a.Dhero a frete: a tratar eom os coa-
productos destinados exposieao do 1? de signatarios, Saunders Brolber 4 0., pfaea do Cor-
3, cora chapeos do Chyli, vradc*
do uorte, as 11 horas do da a*"
da CoaV d. 67.
no ultimo
dito uo
vapor f
arirn-!
LEH
Doobiectos.de ouro a puta, traste avulsos,
mobilias completas, crystaes, relglos de ouro e
praia, ditos de parede e de cima de mesa, santua-
rios de Jacaranda, urru mobilia de Jacaranda, es-
CASA DA
Aos 6S
ooduair, a qual dever ser em- tahte para litros, espalos, ubi laaaaAo com pe-
barcida/no da da na cbeaada; encommendasadi- &*> bercpa^le jaoaraad, anpu-. adore, cadniras- de
nro X frete rti o'da da siu sahida as 1 horas; | relrete, marqueas, sofas, banquinhas para rago,
s serao receidas rra agencia roa
n. 1, escnptor de Antonio Luiz de Ol
Azevedo & C. ;
dompanhoi Pernaoibucana
DE
mesa* redbdda, consolos e mais artigos.
9LYMP!C*
fafa let&o por conla de urna familia que se relira
para tora dos objectos cima ditos araanhSa
12 do cosrente as 11 horas.
48 Praca do Commercio 48
LEILO
julho.
Ainda urna vez appella a commissao para
os dignos Pernambucanos, pedindo-lhss com
instancia que promova oom eiforco a re-
messa de productos destinados a figuraren
tfaquella festa indattrial. onde se empe-
obam os brios da provincia
Sala da commissao, 23 de abril de 4866.
O secretario,
Dr. Manoel Buarque Sexta-feira 11 do corrate, depois da audien-
cia do Sr. Dr. jir de orphSo?, vaia praga por ven-
da nina casa terrea na fregancia da Boa-vista, roa
da Eseranea a. 3,avallada por 600*, val praca
a reque*imenio do mveuianapte da lioada Mara
Emilia Vielra de Helio.__________;____________
SaTtaCasa de Misericordia do
Reeife.
O Sr. ttiesoorelrs da santa Casa, de Misericordia
do Rer-ie, commendador Jos Pire? Ferreira, man-
da fazer publico que no dia quarta-feira 9 do cor-
rent*, pelas 10 horas da manha, no salo da casa
dosexpostos, fara' pagamento das mensalidades
vencidas de Janeiro a marco ^prximo passado a
todas as amas que se apresentrem com as criao-
cas qu Ihes foram confiadas.
3- retara da Santa Casa de Misericordia 3 de
maio de 1866.
O escrivao interino,
Francisco Gomes Castellao.
" Tribunal ~doommercio
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Pernarabuco se faz publico que em sesso do mes-
tno tribunal de t da corrente foi considerado va-
li o offiwo de corretor desta praga, qae exercia
Fredenco Lopes Guimaras, o qual o abandonou,
e quo a flanea prestada em favor do mesmo cor-
retor persiste por seis mezes, contados desta data ;
que lina marcado o praso de 60 das, para dentro
delles se habililarem os concorrentes ao referio
offlcio. .
Secretaria do tribunal do commercio de ver-
namluico 13 de margo de 1866.
O ofBcial-maior
Julio Gulmaraes.
-- AdmiistrsQ) do correio desta cida-
de precisa de seis nomos para o servico
de caminbeiro, quem estiver nestas condi-
Ces e quizer engaj ar-se dirija-se a mes
administraclo.
po Santo n. 11.
COHPAXIIIA
PAQUETES
De om lindo carro de 4 rodas comarreip (ooap)
em perfeUo asudo proprio para passeio.
Sabbadt 12 de cor rente as H horas.
IfOABMAZBM DO AGENTE
OLYMP!0,
f%IL^s
nifhmt flrajuiM.
A" RA DO CRESPO N. E CASAS DO COSTUMB
O a haixoassi*nado venden nosses HMtofeli-
zes bilbeies garantidos d>teterkt flu sejisabon
de extrahir, a beneficio tu ls mi Has dos vo'%nta-
rios da nairia, os seguales premios :
N. 2776 uui mteiro eom a sorte (Je 6:000000.
N 1760 um ioteiroceoia sorte de 1:1094.
N- 521 tres quiotos cun a sorte de 5004-
E outras muita sortea de 100*. 40Jh *0*
Ospossuidores peden vir reeeber sens raspee
tivos premios sea os descont* das leis na casa
da Fortuna raa de Crespo a. J3.
Acbam-se a venda os da 13- parle da toterta
(63a) lie.oeflcio das familas dos voluntarios da
patria, que se extrhira'ierga-feip 15*>e:reot.'
PREgO.
Bilhetes. .... o*eOO
Meios......iOO
Quintos. .... f#KW
Para as pessoas que compraren de lOOdOOO
pasa efena* #
Bilhetef."" 7 54S00
Meios......Z750.
Oaiotos.....1*109
. Mwiobi, Matias FrciA.

s com ci-
en* pe os i:*tiilos I-tl.l
Brasil.
Al o dia 1% d corrente espe-
ra-9e dos poWWdo sal, o vapor a-'
mericano Mouing Sta*, coamaa-
daate Hoives, o qual depois da
de.nora do costume, seguir para.
New York, tocando n Para' e S. Thomaz. Para
fretes e passagens, lracta-se com os agentes fjenry
Forsters e C. roa do Trapiche n. 8. _________
C0MP1NHIA BUSILEIB1
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do norte esperado
o vapOr Cruzeiro do Sul no da 21
do correle, commandanie alcan-
forado, oqual depois da demora do
____costme, seguir para os portos
do sul. Recebem-se desde j passageiros e enga-
ja-se a. carga qoe o vapor poder condozir, a qual
dever ser embarcada no dia de saa ebegada; en-
commendas e dinheiro a frele at o da da sahida
as 2 horas : as p&ssagens s sero recebidas na
agencia ra da Crt n. 1, escriptorio de Antonio
Luiz de Olieira Azevdo & C.
48-Praca do CattmercIo- 48^
a de
neai
Sijjundavfeira lfcdo efrrentc.
O agenW Pestaa fafa' leVao frlTconta e risco
de quem pectencer de cerca de 300 barricas oom
cimento desembarcado ltimamente, o qual ser
vendido em um ou mais Totes a vjntade dos om- '
praduiHS : segunda feka li do, correte pelas Hr
horas da maBhaa era piale no largo da caes do
Apollo.
Ivrsos DIVERSA
ATTENgio.
Desappareoeu na manhaa do dia 9 do corrente,
da casa o. 1W da roa das fueo Pont, um cachor-
riaao d'agua, o qual acode pelo epitheto de-E-ii-
garribiae oom o* signaes seguinies : orelhas e
cauda pretas, bera como no meio do lombo tem a
mesma marea, e com a cauda cortada : quem o
achar far o favor de entregar m^sma casa cima,
oo nesta typographia, que se Ihe gratificar.
Occasiao uhxa de adquirir as obras Se
Alexandre humas.
A' 500 RES
Cada votme eneadernado
KDinAO LEW
Uvrarla afraaceza '
________Rna do Crespo n. 9.________
Protessor.
Precisa-so de um professor habilitado para ensi-
nar a tres meninos em um engeoho na Escada,
; grammatica portugoeza, latina e trancez : a tratar
na ra estrena do Rosario o. 47.______________
Ufferpce-se urna pessoa para cozinhar em
cata de hwii'm solaro, e oaesrao dirigir a casa,
que tem bastante capicidade para isto : a tratar
nos Coelhds, roa dos Przeres, casa a. 1|.
fcma
Precisa-se de urna ama para cozinhar
larga do Rosario o. 8.
nspecco lo arsenal de
A inspeeclo recebe pedreiros e serventes para
as obras do arsenal.
Inspdceto do arsenal de marinha de Pernambuco
2 du malo de 1866.
O secretario,
Alexandre Per eir dos Anjos.
traca
Na --^xta-teira II do andante, fioda a audiencia
do Sr. Dr. juiz de orphos, se ha de arrematar por
*end,t o sobrado de dous andares, sito a ra Direita
D. 79 avahado por aquillo que em praga apparecer,
por i--o que vai rer vendido a reqoerlmnto dos
conseuliores, a ultima prara.
<]<)KSiEltrGE(UL
Pela a:1minisitac5o do crrelo desta cidade, se
faz pulico que em virtode da convenci postal
celebrada pelos goveroos brasileiro e francez, se-
ro excedidas malas para Earopa no da 15 do
corrente pelo vapor inglez Rhone.
As carias sero recebidas al 2 horas antes da
que fr marcada para a sahida do vapor; e os jor-
liaes at 3 horas antes.
Administrarlo do correio de Pernambuco, 8 de
maio de 1866.
O administrador
Domingos dos Passos Miranda.
Para Lisboa.
Sgue cora brevidade a velleira barca portugoe-
za Betem, capito J. Joaquim de Freitas. Recebe
um resto de carga a frete, para o que trata-se no
escriptorio de AmorimIrm5os,ma da Cruz n. 3.
Para o Aracaty.
O veiielro e aem conheciJo palhabote naclooal
Dous Amigos, pretende seguir com muita brevida-
de, tem parte da sen carregamen engajado, para
o resto que Ihe falta tratase com os sens consigna-
tarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no
seu escriptorio, roa da Cruz n. 1.______________
"""para o Rio de Janeiro.
O veleiro e bem conhecido brigoe Adelaide,
pretende sahir com muila brevidade por ter a
maior parte do carregamento engajado, e para o
pouco que Ihe falta e escravos a frete, trata se com
o cansignaUrio Joaquim Jos Gongalves Beltro na
roa do Vigario n. 17 primeiro andar.
Para o Porto por
Lisboa.
A veleira e bem conhecida barca portugueza
Tentador, pretende seguir com multa brevidade,
tem parte de seu carregamento engajado, para o
resto que Ihe falta tratase com s seus consignata-
rios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & U no seu
escriptorio na ra da Crui n^l^__________ i
"Para o Porto
Pretende seguir com muita brevidado a velleira
barca portugueza bit, capitao Mathias de Souza
Maciel, tem dous tergos de seu carregamento
promplo, para o resto que Ihe falla trata-se com os
seus consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Aze:
vedo & d, ao jeu^escriptorio, ra da Cruz n. 1.
PR\ LISBOA
sahira' com toda a brevidade o brigoe portoguei
Constante II por ter prompto quasi tollo o sea car-
regamento : para o restante e passageiros, para os
quaes tem excelentes comrnodoe, trata-se com Ma-
noel Ignacio de Oliveira Filho, escriptorio no lar-
go do Corpo Santo n. 19, ou com o capita na
praga. ^______________________
ferio, aceda
dosapulos tantt> m eidade co-
mo aos engenlios e acha-se
tambem habilitado para o
easia geral dasliuguas e
sefeacias modernas; no ho-
tel do TTmTPSn' 8.
Gustovo Wertheimer
i
5-
m
na roa
'Alvifa se

urna ara de leite sem iiiho, com muilo bom leile,
escrav de boa contucu ; qaem pretender dirl-
ja-se a camhoa d) Carmor sobrado novo' a. 32,
Io andar.
Am> de leite.
frande armazem de tin-i
tas medicamentos etc. j
Roo do Imperador o. Vi.
jroo Pedro das Neres (ge-2
s rente) tem a renda o
segtilnte:
|0 Productos chimicos e pbarma- j|
m ceuticos os mais empregados em if)f
as medicina. m
Tintas para todo o genero de pin- J
tura e para tinturara.
Productos industriaes e tintas
$$ para flores, come botoes de fteres
e modelos em gesso para imitar
fructas e passwos com o compe-
tente desenho.
Productos chimicos e industriaes
1 para pbotographia, tin'.uraria, pin-
jjK tura, pyrotecnia etc.
Montado em grande escala e sup-
[ prido directamente de Paris, Ln-
S dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa
J pode offerecer productos de plena
i confianca e satisazer qualquer en-
;H commenda a grosso trato e a reta-
jjjje. lho e por prego commodo.
mmm mmm-mmmwmm
Fnrlaram do engenbo Perori na comarca de
Goianna, na noita de 17 para o amanbecer do dia
18 do correle abril, tres cavados sellados e en-
freiados, um foveiro, tem a cabega quasi toda
81
#
io :oooiooo
Corre terca-feira 15
Acbam-so veod na respectiva tbesou-:
raria, ra do Crespo n. lo, os bilhe-1
tes, meios e quintos da 13a parte da lo-i
teria a beneficio das familias dos volun-
tarios da patria (82), sendo a exiraclo no;
lugar e hora do costume.
Os premios la 6:000^000 at *0#0001
Precisa-se de urna ama de bom leite e sem'. branca, bom estradeiro, capado, pescogo fino, em
filho: na ra Imperial n. 87. I "o"carnes *>7 Para 8
A ma de leite.
Precisa-se de urna ama de leite a tratar na ra
da Praia ns. 13 e 15, armazem. _______i
COLLElOS E AULAS
PEIH! SIMUnHOSIl
Fabrica de Faber.
Pantad'-ts, envernisa A Livrari i Praneeza recebeu um peque-
no sorti ment d'estas tabos de ardosia irf-
Arrematagao.
No dia 13 do corrente, perante o Sr. Dr. juiz de
orphos Tinda a audiencia, deve ser.arrematada a
renda poeos, sendo as baixas de capim perlencentes ao
mesmo engeoho pelo espago de 5 annos e 9 mezes,
e as ierras de plaotagao de canoas, cercado, casa
de vivenda, etc., etc., que tazem parte da renda do
mesmo engeoho pelo de 6 anaos, tudo comulati-
vamente : os pretendentes podem examinar o ec-
cripto que se acha em poder do porteiro Amaro
para flearem scientts das coodig5es com qoe dito
engenlio vai ser arremaiado.
ser5opago* urna hora depois da utraccao i contestav|m9me de qualidade superior, e s Joaquim Rocha Faria
at as 3 horas da tarde, e os outros depou h-e gera,mente adopla dadistribntcaodaslistas_. 'classica Allemanba.
As encommondas serao guardadas so-
mente at a noite da vespera da extracto.
O ihesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues_de_Souza._
Braodo, subdito
para cima. Ouiro russo pedre, sem andares,
; inleiro, de 8 para 9 asnos, de meio, e com o ferro
1 segainte R. ultimo castanho, de roda, sem an-
dares, pequeo tirando a mais, mteiro, urna estrel-
la na testa e o pe direlto branco. de 7 para San-
nos, com o ferro seguime o : recommenda-3e e
rogase a todas as autoridades policiaes desta pro-
vincia como da Parahiba hajam de se por ventu-
ra apparecerem ditos cvallos nos districtos de
soas jurisdicg5es aprehende-los e deposita-los, co-
mo capturar em poder de quem se encontrem os
referidos cvallos quaado suspeitos e- fazendo em
continente aviso na cida le do Recite ao negociante
Manoel Crrela Lima ou era Goianna ao major Jo-
lina do Crespo n. -9.
Antonio Goraes
retira-.-e para Europa.
Eduardo
Europa.
Criado,
Precisa-se de um criado pira todo o ser-
_^___rr_ tq>, prefere-se e cravo f na livraria da ra
Gallherme Menke, vai para a do Crespo n. 9.___________.
Erasnjo
Janeiro.
Jos de Mello, vai ao Rio de
' __Precisa-se de um raxeiro qoe teuha pratica
de taberna, no paleo da Ribeira n. 23. ____
Daniel J. Riag
Inglaterra.
subdito brianoico, vai para
THE4TRO
S ISABEL.
ElPREla-CaiMBIU.
Recita extraordinaria.
Sal ha do 12 de molo.
Representar-se-ha o nleressanu drama em 3
actos
COWANWi.
DAS
Bessogeries Imperiales:
At o da li do corrate espe-
rase da Europa o vapor francez
Guunne oqual depois da de-
mora do coslume seguir para a
Babia e Rio de Jeaeiro. Para
fondig5es fretes e passgelrw trata-se na agencia
toa do trapiche n. 9.
Os passageiros de Pernambuco para os portos
da Earopa que qtieiraai sagarar as maso passa-
gens a bordo dos paquetes desta companhia nos
mezes de maior afluencia tem a facaldade de as
tomar no dia em que os vapores seguirem para o
sol, pagando porm como se fosse do Rio de Ja-
neiro. ^^^__
A
4RIST0GR4GU
E O
O resto do espectculo sera' anaunelado.
Principiara' as O horas.
THEATRO
tflAPUNGi.)
SotieiU4e dromotii Xaoiit ftt-
oamhucaoa.
Da ordem 0> '. Sr. vlce-preaideo* dest so-
dild%p*riia1poaasr. aociosque aor daNbe-
co 0> c Ldo afxilaJlMl V&ofe om espetucula ex-
^rfa***mim)r.vlm do Sr. thaaaa-
Miro suas partes de bilhetes.
* Seeretarla da aaeiedade drarattica Thalla Ter-
l^iiaoucaaa 9 da maio d* II
Pretende sahir em poneos dias para Lisboa a
barca portugueza Mara, recebe oerga e pasagai-
ros, para os quaes tem excelleates comraods e p-
timo tratamento : a fallar com os cottlgaaurio*
Carvalho & Mogueira, ra d*ApolV) n. OO, outoai
o capito. il II J 1 "
Para o Hio de Janeiro ^ _\
o veleiro e bem conhecido brigue nacional' Stmfcr
Cruz acka-se eoin parle da carga prorapU e segu
com toda a brevdale : para o resto da carga tra-
ta-se con Jos Mara Palmeira, oo largo do Corpo
Santo n. 4.
D. Hermelinda de Siqaeira vai para a Euro
pa, levando em sua companhia tres linios e uoia |
criada |
Pi'ograiunia da festa do glorioso patriarca S. Jos
d'Agouia na igreja de N. Seobora desta cidade.
A% dote horas do dia 12 do crrante urna gi-
rndola de centenares, da logik-W aanunfiata aos
habitantes desta cidade o momento solemne era
que tem de ser ergeudo o eslanJarte do glorioso
patriareba na baste que se acha em frente da igreja
o qual sera' saudado pelos harmoniesos son* da
msica do terceiro batalhao da guarda nacional
sob a direcfto do habiliesimo pruf gas, Onalisando o acto, orna salva real de 21 dros.!
As tres beras da tarde subir' aos ares orna
igual girndola, e as seis horas urna salva real in-
dicara' a entrada das vesperas, que lindara' como
de costme.
As cinco horas da maab.1 do da 13, urna salva
mostrara' que se tem dado priucipio a missa do
costume.
As onze horas do dia principiara a solemne fes-
la do patriareba de cuja rausiea se acha engarre-
I gado o muilo conhecido mestre Mr. Smollz que
tem envidado todos os meios, de salisfazer ajudan-
do em enipenb', muitis des melhores cantores
desta cidade, sendo pregador o raoit respeiuvel
padxe-meslre Joaquim Graciano de Araujo ja t
conhecido pelos seus eloquentes discursos, que
qualqaer elogio se torna desnecessario, nalisando
a fest ama safra awrmpttnriadti de mfTfiares de fu-
gelas. .
As seis horas orna salva demonstrara aos heis
que se da' principo ao serrlo pregado pelo Rvm
pailn Anlonio MnnB| rtfl ^nmpean. seguindo-se
depois, o Peni Creatur Espritus, oe pela primei-
ra ves rasoara'aa'iuelle esplendido templo, na-
lisando lodo anclo com muliiplicfdade de giran-
dolas.' _____________
_ Deaafpaiegs tientem t> do correte pelas 6
h*ras da ataaaa*, d pateo do Carmo, um cabrl-
oha escuro de oome Vicente, a 7 a 8 aooos de
OVft#e ; levou vestido camrta de chita rxa
e brozeguins brancos nos ps : pade-se s autori-
dadas qu%dem *uas ordens para a apprehenso^
defla. e afialfBa| pessoa que par especial faver^
laanm-DVo na JenVdatfe detronte db quarlel, ao pe
da venda, junto ao. palacio episcopal, a entregar
Marcollna Josepha de Sini'Anna.
YERDADE1R0 LE ROY
de SIGNORET, Docteur-Mdecin
Ru de Seine, A, a PARS.
AniRtiQdiVQ
Desappareceu do engenho Linda-Flor, proprieda-
de do major Francisco da Rocha Barros Wander-
ley, o escravo Ignacio, que lera os signaes seguin-
1 tes : cor benf preta, pernas grossas, beixo e gros-
so, cabega grande e calva, ps pequeos, represeota
i ter 43 annos pouco mais ou menos : quem o ap-
prehender leve-o a casa do sr. Manoel Al ves Fer-
reira, no Recife, ou ao eogenho Linda Flor, que
i sera generosamente gratificado.
No dia'o rio corrente fugio do engenho Lln-
I da-flor, situado na villa de Barreiros, comarca de
Palmares, pertenccnie ao ma|or Francisco da Ro-
cha Barros Wanderley o s&u escravo Ignacio,
crioulo, de estatura baixa, calvo, os ps pequeos,
i cabega meia grande, as mos pequeas os bragos
I grossos e o corpo tambem grosso e representa ter
46 annos, pouco mais ou m^nus; por isso pede-
I se as autoridades policiaes e capies de campo de
1 o capturar e leva-lo ao dito eogijuho, ou na r.ua da
Moeda o 5, segundo andar, que receberao 50?5 de
gralltlcago.
PHOTOGRAPIIU
ARTISTIfii A1EBKANA
RA DO IMP8BAD0R N. 3S.
Artista americano
Artista americano.
Artisfi amerieajio.
Artista americano.
RetratosRetratosRe ratos.
Em porcelanaNi epcotypie.
E'ii lencosArchroiypie.
EtnyidroAjtretjpie. ,
Em rftetaUaDagoeYreotype.
Em papelTalkotypie.
No grande sal ao da ra o Imperador a. 38
No grande sale da roa do Imperador n. 38
Neste cstabelecitnento tiram-se retratos
em todos os systemas, oom asseio e promp
lidio, desde as nove hora da manha
ate as cinco da tarde ; assim como tem
sempre a verxla grande sortimento de cai-
i xas fina da diversas frmas. Qaadrcs
ovaes Passepartouts e lodos os mais ob-
jecti.s e productos chimicos, relativos a ar-
te e recelados ltimamente dos meihores
foroecedores de PARS e Nva York, tendo
de tudo, para todos es gostos e para todos
os precos.
Salao da ra do Imperador n. 38.
Salo da roa do imperador n. 38.
WJECCQ CPSULAS
VEGETA ES AO MATfCO
GBIMAUI-T c C. PHARMACEUTICOS HE PABIS .
Novo tratamento preparado com as folhas
de mal ico, arvore do Per, para a cura rpi-
da e infallivel da gonorrhea sem receio al-
gum da contraccSo do canal ou da inflamma-
g3o dos intestioos. O clebre doulor Ricord.
de Paris, tem renunciado, desde sua appari-
cao, ao empergo de qualquer outro trata-
mento. Emprega-se a injecgSo no comeco de
fluxo; as capsulas em todos os casosenrm-
eos e irvelerado, que resistiram ss prepara-
Ces da copahiba eas injeccoes c(m base
metlica.
Aluga-se
O segundo aiidar da rna das Aguas -Ver des n.
48 muito resco e com excedente commoiios, as>im
como a loja do mesmo sobrado cora cinco partas
propria para qunlquer e^taiielecimeulo : qu u
pretender dinja-se ao me.-mo s-jhrado tereciru au
dar. ______________^____^^^^^___
Precisa-se de una aiua para urna pessoa mi :
na rna da Cruz o. 16 segundo andar.
Nos abano asuados declaramos ler com-
prado aos Srs. Brandan & Irmo a l"ja de louga
cita a ra do Rosario Ldrga o. 32, e se alguem se
julgar com direito a mesma loj, dver apresen-
tar-so no praso de tres dias a contar da data desla.
Recife, 8 de n aio de 1866.
Antonio Jof Ferreira Monteiro.
Mflpoel Jo.iqmm Gorigilves Guimaraes.

M
F.iu ca.l nmb, s, "-Ir a rftUa e p|-el Ml
ti.- Irva o mi-ii unelr, um rntnlo impffwo em jo-
i-lln r-mo kir" ht,uMW. i>0 fcOTir.NO hunWI.
,V. II. ehir'ii'o-s.- um lettra de oU'i Ir iKW
u'.i'v l-.ir, M i'ivrl :i iO,ilu ilf vIsU, ao naun,
|ii-].i>ll..! i:n.i|^l /?
|o iir'l'Hii. i.r'Ri /~l^7'-----------r
*.,n ..-i M iiiimii ~k^*/ Tu y- 'i-Jfi l"'l" "* i i.'"^3"^
jj'.i.. r'i- \f fc.- ^"~^
i i .ii. ua K.i|u< e
\ -1 ipl-:TT(-Lfi.-. l^l^r*
?!i.t'fnr.;r.'.
Ama
Preclsa-se alogar ama escrava para servigo de
casa de pouca familia, paga-se bera ; na ra Ve-
rta n. 17.
m Companhia Sdelidade de seguros jg
maritimos e terrestres 3
9 estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PEBNAMBUCO
^ Antooio Luiz de Oliveira Azevedo i C,
competentemente antorlsados peladlrec- ^
si toria da companhia de seguros Fidelida-
m de, tomam seguros de oavios, mercado- WL
rias e predios no seu escriptorio ra da jg
Crnx n. 1.
Na roa Bella b. V. paga se 25* por urna ama
escrava para o servigo de peqoena familia.
L'm iiumein-poriuguet de uit-ia i ade, sem
familia se off-rece para criado de alguma casa rs-
traofteira cu raesmo -para feiior de algum sitio,
quem precisar annuncle para ftr procurado.
Precisa-se de moa ama para cosinhar, C'ro-
prar, engnmmar para casa de urna .- pessoa e
exiee-se que seja fiel : a tratar na iui das Crues
ajh.________________-^__________
O abaixo assignado com lija de ourives na
ra da Imperatriz faz ver ao respcitavel poblicu
que pela grande concurrencia que leve de teus
amigos em visita-lo pela desgraga que Ihe aconte-
cen, e as tendo lembranga de todos para he
agradecer vera por meio de>le Diario pedir ur?-
cnlpa das faltas que possa ter.
Recife, 7 de maio de 1866-
Custodio Mamoel Goocalves.
Aluga-se urna casa com 4 quartis, carimba
e quiotal murado na ra do Jasinim o. 16 : a tal-
lar na ra Velha beco do Veras segundo andar
D. 20.
Ana de leite.
Precisa-se de urna escrava, que seja del e que eo-
ziohe e engomme : ra do Queimado D.
46.
Qaem tlver om resistro e urna orandela para
vender, dirlja-se a ra do Raogel n. 41 qae achara
com qaem tratar.____________________________
Trocam-se olas do banco do Brasil e das
caita idaes c*m descont razoavel : na praga da
Independencia n. 22.
KDALHA BE OM PRWtDEw.uoF.'
==
LEILOES.
ssam
I I .i '
LEILAO

cadeiras de balanco de Jacaranda, 18 cadeiras na
ra recrelo ou jardrro, 1 guarda looga, cadeiras
americanas de balango, relogio de ooro e prata
I aaaa algtbelra, cindieiros a gaz, orna grande por-
gd de cachimbo e fomo, 2 espedios de Jacaranda
para cima de consolos, ama caita de m
porgao de doxias de bonacas que
InstrumeDtos de msica, rantj|u _
avulsas, 24 pedras marmore bjaocas^e decoran
objectoa de
do oso dom
manla
papis pistaos
Sortimenlo de papois pintados e
lindas guarnieres para forrar casas.
Ni LIVRARIA FRANCEZ A.
fi. ft.Ra do.CrQspaN. 9.
Precisa-se de urna amaprela ou mi
De urna mobilla de Jacaranda com tompo de ^ ^^^ ^ ^^ { t p3ge.se |
dra marmore,?guarda tesados da araarerio. r "l TZTZ\ m, ,inimr*rarlr,r n 3ft
bem e trata-se ra do Imperador n. 39
2. andar,
^USSMA
'LA7aOCHE
ELIXIB Fekri|i e Firtifictite
MuamiiHiRim.
Kiperlmeata eeai pleao iuccejo nos |
eonp4eto da quisa) urna preparacao
excepeioBal, ar av adrada do aBaUto !
oalaaaaa, paj mbb eMfn aoce nem mmio
tIiioh, mMo san laaaatai maw
O 1* secretaria
Epimmondas P. B. e A, de'Vasconcell

I UrjUlOJ |MCa*ia>wv a.>-HVH ---------------.-^-^
41 horas.
!I0 ARMAZEM DO AGE?
OYMPIO-
i
- 4
- ...
Para a lia. flfllMQ
Pretende 5oir con nailll^Mada at*Wra Df tres MiiW Ctnt chajtt dd
aacarn nifllnnai Brtthct*JiiLm wrja.* tiHb i iltiBM tatfjf 4 w
^!i
Precisa-se fle nma ama
Rosario n. 44 na Boa-vista.
secea : na ra do
de urna criada qoe saiba engom-
Sentada Nova n. 138, oo na rna) *.-'
)eus, n.22, armazem.
do
1 ultima casa do
quarteiro novo dos Srs. Amorim & Irmo,
sa-se de ama ama.
preci-
se de nma
m

mmuMum
numen V5
O padre Ma Bar#ato de Vaseeacellos achaodo-
m aaaaNMataaVMt aaa*lsado, abr nm eawo
anrflaafawn tranaaa ca* w

/.
rna
<8.
BROW;

*>T>9
Francisco "das Chagas Salgoeiro cordial
mete agradece aos parales, amigos e mais
pessoas qoe se digoaram honrar con a sua
preseoga ao enterro de minba carraosa e
chorada esposa D. Joanoa Evangelista Bor-
ges Salgoeiro e roga aos mesma*. para ouvi-
rem urna missa oo da 12 do correal patas
6 horas da manhaa na igreja da Sania Bita
de Cassia, plo qae aoiecipa j t sana stn-
\5^Siuv>'\
^a^nwrheas,aaligai
recen, ttii uoico deposito na p>armaa;
ef ranceza rna da Gru a 22 e ao preo dt
3*0OU:'
Chocolate.-de StMr-
CHOCOLATE DE SAUDE.
CH0C0L1TS DE BAUNILHA
CHOCOLATE DE CITRMO D FERRO.
CHOCOLATE LACTAJO DE FERBO.
Vete-se
22* Na botica e drogara i
B\RTtttnO k C.
34-R i Rasarte hrga-W
^*I =
Precisa-se de urna ama de leite, para amarr.en-
lar una menina r.iuito maucinba, paga-se briu,
ra Nuva de Santa Rita n. 53 primeiro andar.
V4ROPE
mroruosniiTo e c\l
DE
GR1MAULT & C
Parmaceutico de S. A. I. o principe Na-
poleao em Paris.
Desde muitos seculos os mdicos e os
chimicos tinham procurado um medicamen-
to quo podesse curar as molestias do peito,
todas as pesquizas feitas at hoje n5o ti-
nbam tido nenhum resultado.
Porm os trabalbos que foram commun'i-
cados utmmente academia de medicina
de Paris e as mais serias exporten as feitas
no hospital Bromptos de Londres, que es-
pecialmente reservado para o tratamento da
tisica, provaram que essa terrtvel molestia,
qusndo ella n5o estava air.da no seu nllimo
grao, tiuua do sarape da hypopbospliito dt;
cal um especifico poderoso.
As tosses, defluxos, catarrhos, bronchi-
tis, grippa, coqueluche, cedem tambem r-
pidamente ao uso deste xarope, e os astuma-
ticos acham nelle um elemento certo para
coparem-se. Reeommendam-se aos doentes
de fazerem uso ao mesmo lempo das delicio-
sas paslilhas peitojaes do suco de alfoce de
louro cereja, dos senbores GrioaauH & C.
. Esta exeel'onte preparacio se compe de
ujj aabstaaciasasmis caimanlese ao mes-
mo tempo as mais inoffensivas da materia
medica, e nao cente.ta opio.
Deposito as pharmacias de P. Maurer ^
tS. 9 ft. Caors, em Pernambuco.
FtTgfodoar
-se de nm perfeito cozlnnaW;
m
' O mesmo preeh 4a aeM caai w centro da f re-
jaatw Antanle* $# . O aamoalrteni vmto da am na forra oa I no amaten da bola amaraila na mtao da 'CTeta-' para!..
JrSmZ inarrSa sorvtct, terto^-Uiapottcw/raaal^^ea^ a feto l terno eom aa eataaa acti)?oas. I do ar para dentro a tora da p*>tineia. tratar aas a oras mauuaa oro a.
Ai
-Baiaaaaaaaafc^-IJ-lillJ--A4-flBI D#fU) W^l^t M \

Preersa se de urna ama
lamento o. K, 2* andar.
na rna do Encan-
.Antonio Luit datMtveira Axevedo & C. tem
para andar oo sea e*crvlono, ra da Om o. 1,
viWaa-fcmn'em eara/Se dmft, Oo hamburguez,
aoi da Babia sm>erittr.
- Pada^ee asda attengt aossentiofes sapateiros
e vendadofea de bomehv, tanto em pega como a
retaiho, ana Tba a roa do- Rangel n. \9 para fa-
zerem o seo softrWeio, qtnr o prego con vi a e
lilil nm. y^ww^-: ___
S. Atofiio.
A. apreciada e mu procurada tresena do glorio-
so S. Antonio, acaa-e a- venda a raa do Iperador
a. 16 defronte de S. francisco.____________
i pralico:

:J*dfiTdl "i JQ
casa e
\.W, 3*
ama
eiras

laTaal



Irritado dos pulmfler. angi-
nas, tosse, escarros de
sangue, crupo ou garro-
tilhio, catarro, rouquidao
e todas as innmera? molestias que affec-
jao aos orgaos da respiracao
DE%PP1RECEH
odiante a aceito da balsmica e irrev
ANACAHUITA
PEITORAL k KEMP.
a anacahuita mexicana que d o nome es-
pecial este incomparavel remedio, urna
arvore, coja madeira por muito tempo se
ha usado no Tavnpico para a cura das en-
fermidades cima mencionadas. Foi tam-
bem ensatada e approvada pela academia
medica de Berlim. O peitoral de Kemp
um xarope delicioso inteiramente livre de
opio, acido hydrocyanico e outros ingre-
dientes nocivos.
A' -venda as drogaras de Caors & Bar-
boza, Bravo & C. e em todos os estabeleci-
mentos pharmaceuticos do imperio.
Deposito peral em Pernamnuco ra di
Cruz n.22 em casa de Caros______
Samuel Power Jolinston & Companhia
Ruada SenzalaNova n. 4.
AGENCIA DA
Fundido de Loh Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moecdas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nho.
FABRICA A VAPOR
99 RA DO MONDEGO 99
Deposito na ra Wva n. ., loja de relojoelro.
Delouche donos deste esubelecimento partecipa ao respeitavel pblico que sua fa-
brica est mouda eom as melhores machinas que existem na Europa, e que poda
labncarcom melhor perfeicao possweL Todo o chocolate desta fabrica est garantido, e
e puro, o que nao se pode encontrar naquelle que vem de fra, e que se vende por preco
baixo, visto os productos serem do paiz. Na etiqueta tem sempre urna aguia.
K 7 lt I
. .
PRECO
Meia libra........ 400
Urna libra. ..'...... 800
Urna arroba 190000
Na mesma fabrica acaba de se montar urna oficina com serrara a vapor para
obras ae marcineiria propria para edificio, para o que encarregi-se de fazer portas, ja-
aellas, assoalhos (parqu francez como se usa na Europa,) e armacoes, tudo com brvi*
nade e^perfeifao. Toma-se qualquer encommenda para fra da cidade, entregando-se
rompa a collar-se no lugar.
Arreios di- carro para um e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descansar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
MMmmmmmmw m^m
DEPOSITO DE CALCADO
m. FABRICADO NA CASA DE DETENgO IR
S Roa Nova n. I. gp(
mk Ah se encontrarao obras de di- g
JE versas qualidades, e por preco mui **
j diminutos, a retalho e em porces. Wt
0 S se vende a dinheiro. MR
mmmmmmm. mmmm mmm
Na padana da ra larga do Rosario d. 16
precisa-se de um forneiro e Irabalhadores com as
habilitac's necessarias deste servico.
Carvallio & Nogueira na ra do Apollo
n. 20, sacao para o Porto e Lisboa, a vista
ou a praso.
Precisa-sede urna ama que cosihe'paracasa
e pequea familia : a tratar na Praca da lode-
tnaencia n. 5.
A Salsaparilha
E AYER.
Fara a cura radioal d
Escrfulas, ulceras, chagas.er-
idas velhas, molestias syphil-
iticas, e mercnriaes, Enfermi-
dades das mnlheres, como re-
. tencao, menstro doloroso, ulcer-
ac&o do tero, e flores brancas.
A Nevralgia, Convnlsoes, Ery-
sipelas, Enfernu'dades Cutneas,
borbulhas, nascidas, etc.
O extracto composto de SALSAPARILHA, confeccin-
.ido polo Dit. AYER, < urna comblnacio dos melhores depura-
tiros c alterantes conliecldos medicina; 6 compesto secundo
* Ids da sciencia, approvado c receitado pelos prlmelros
mdicos dos Estados Unido, da America do Sul, do Mxico,
as Indias e dos principaes Estados da Europa.
A SALSAI'AKILHA de AYER c especialmente efficaz na
cura das molestias que tem sua origem na escrfula, na
InkccSo venrea, no uso cxcesslvo do mercurio ou em qualquer
impureza do Sungue.
Kntre todas as molestias que aflligem o genero humano, nao
lia urna mais ualversal c terrlvel do que a escrfula; por s
uo to destructiva, porem 6 a causa principal de multas en-
fermidades que nao llic sao geratmente attrlbaldus.
urna causa directa da tsica pulmonar do mal do
finado, c estomago, affeerdes do cerebro, liheumalismo
affrrctes dos Jllns: entre seos srmptomu ha os segulntes;
Falta de apetito, Freqoeza e moleza em todo eorpo; Mi
cuciro da boca, semblante plido e luchado, vezes d'um
Ivura transparente, outras vezes corado e amarcllo ao redor
da boca, Digesto fraca c apetito Irregular; Ventre tachado
c cracuaco irregular; Quando ataca os pulmoes urna eflr
.-zulada mostra-se a roda dos olhos, quando no estomago
sao avcrmelha dos, as pessoas de dispesicio escrofulosa
apparecem frequentcmentc empelles apelle da cabecae outraa
partes do corpo sao predlspstas as affeccSes dos pulmtes, do
.loado, dos rku e dos orgios digestivos e uterinos. Portanto,
nao sao somente aquclics que padecem das formas ulcerosas
f tuberculosas da escrfula que neoessltam de proteceso
contra os sens estragos; todos aquclics em enjo pangue existo
o virus latente deste terrlvel flagello (e is vexes hereditario),
estio expostos tambera a soflrer das enfirmidadas que elle
causa.
OEfiHO Ra. da Cruz n. 16.
Continua a haver diariamente um sortimento de pastis, podins, bolos inglezes,
empadas etc., etc. Os donos deste estabelecimento, acbam-se as melhores condices
de poder satisfazer encommendas concernentes sua arte, em consequencia do socio
rreitas ter sido administrador ebefe dealgumas das principaes fabricas na corte, sendo
urna a do Sr. Joao Goncalves Guimar5es (confeitaria do Leao) antiga casa de Carceller.
Todos os trabalhos sao differentes dos que se fazem em casas particulares.
Os proprietarios deste estabelecimento n5o se tem poupado a despezas, nem se
pouparp, se bouver concorrencia como esperam ; lendo continuadamente bom sorti-
mento de doces para cha; presuntos e ditos em fiambre, tambem se recebem para se-
rem preparados; assim como doce de caj novo superior, secco e crystalisado, dito em
calda em latas hermticamente fechadas, podendo durar annos em perfeito estado.
Para jantares e partidas recebem-se encommendas dos seguintes objectos; ban-
deijas ricamente enfeitadas sem armacao pecas de amendoas (ogaces), ditas de tmaras
de ovos, pes de l enfeitados com disticos anlogos a qualquer fim; ditos montados,
kechs simples e eBfeitados com fructas a ingleza; gatheaux de la reine, ditos de le d-
chese, tortas de fructa, massa folhada; ditas de peixe e carne; cremes e doces de ovos
de differentes especies.
Tambem temum completo sortimento de vinhos engarrafados, como sejam: vinho
do Porto superior, Figueira, Madeira, Lisboa, Cherez, Bordcaux, Champagne fino, ser-
veja, licores, charapes e conservas. Para festas: bonitas caixiohas com amendoas, con-
fetos e mais enfeites. Muitos destes objectos mencionados podem-se perfeitamente ac-
ondicionar tanto para a provincia, como para fra.
kph A v v FIGURAS
Acaoam de receber bonitas figuras para bandejas de doces, sendo grupos para
baptisado, casamento, annos, dilla a phantasia, bonitos enfeites para bollos e circular pra-
tos de doces finos, tudo por preces razoaveis.
Vende-se licores em duzia muito ementa.
Companhia. geral hespnhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 2t t>E DEZEMBR* DE 1859
Urna ftaica en dinheiro, depositado nos cafres de estado, garante a boa ad-
miaistiaco da companhia.
DIREC^AO GERAL
Madrid: Ra do Pradon. I
sobrfa v?daPaDba Iig* Pel 8,8'em, maia0 ,odas M combinafSes de supervivencia dos sea
t^wiJlei,ese'".f*snbscri,>iodenianera Qtie-em nenhum caso mesmo por morte do
wfurMq se perca o capitaf nem Os joros correspondentes a estes.
NAI m?aU? s.QPrenende'e6.rjs resaludos que produiem as sociedades da ndole-deA NAQO-
nrwCn^l ii raesiB0 dim,nuld,ama terC* PaC *> interesse produtido em recentesliquida-
m!t 7 ri0'?-'alWe da tabella de Dpareieox que adoptada pela companhia
e ooi r.V^ liquidaoes, em segurados de idade de 3 al9 annos, anulmposicio annua.
na iuu# produz em effectivo metlico:
No flm de 8 annos...... 1:110*300
BANQEIROS DA CQHPANHIA*
O Banco de H es pan ha
i I
. -

d 10 .......3:941*000
de 15 ....... 11:208*200
de 20 s.......30:286*000
de 28 .......80s331*000
as oades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sio mais consideraveis.
,,. "ospect e mais informacoes sero prestadas pelo sub-director nesta provincia.
Joaquim Fluza de Oliveira, ra daCadeia n. 52, oo a Boa-VisU ra da Imperatriz n. 12, estabelcl
ment dos Srs. Raymundo, Carlos.Leite & Irmao.
7^000
8jJ00O
AO GRANDE S. MAURICIO
PROCESSOS APERF1)I^OA1IOI
____ Fingir, limpar e lastrar a vapor.
F. A. SALMRE
29 Kua 7 de setembro 29
MfcCAOO.
*3 Hua Direita 45.
A primeira condigSo indispensavel con-
servago da sede trazer os be de-
fendidos contra os ataques da humidade;
caiado bom e seguro o nico-preserva-
tivo dessas mil enfermidadjes a que est sn-
jejfp o nossoeu. Unfchineto velho cal-
cado por um dandy patuscante, ou urna
botina acalcanhada em pequenino p de en-
cantadora deidade alm de aecusar que-
bradeira horripilante, prova contra as fiel-
dades intellectuaes dos calcantes, e nao ha
quem, tendo bom senso, queira maluco, ou pobre de surro : ergo, cor-
rama:
4*~RA DIREITA4*..
e attendam a' barateza.
Homens.
Borzeguins bareellonezes de lus-
tro e de porco .
Ditos de Bordeaux ....
Ditos parisienses de bezerro e
cordavao ... .
Sapatoes de Nantes de duas ba-
terias rasas....... 5,5000
Sapatos de lona, sola de borra-
cha.....; 2f5000
Ditos aveludados ....". 10600
Ditos de tranca bons 14600
Senhoras
Borzeguins enfeitados. ... s000
Ditos de laco ...... 4)j8O0
Ditos lisos ........ 4,5500
.Sapatos de ^borracha. 10600
Selleiroa/ corrieiros e segeiros 1
I Sola de lustre, meios grandes 200000
j E um completo sortimento de calcado fa-
1 bricado no paiz.
, Casa de eommisso de escrarog oa raa da Impe-
rador n. 4o, terceire andar.
Recebemse escravos tanto do mato como da
praca para serem vendidos por commisso, affian-
5a-se o bom tratamenio e seguranca para os mes-
mos. O abaijo assigoado nao poupa esforcos afim
de os vender com prompdo, nesu mesma casa
a sempre para vender escravos de ambos os sexos.
'_______________Antonio Jos V. de Souz.
Aloga-se na Upunga porto do Lasserre nma
casa terrea com^oto, tendo 8 quartos, copiar
cosinha, quartos para criados, estribara e coebei-
ra : a tratar na mesma Capunga casa da Sr* viu-
GUEOS
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
Annuncio
Na ra da Aurora n. 76, retratista braiileira,
tira-se retratos em candes a 6* a duzia e em cai-
xiohas a 3*.
mm
Boa-
Offerecese urna possoa habilitada para ensl-
A companhia IndemnisadoraTestbeleci- f",?^'"8 liltiS> 8ranimalic e aritbmetica
da nesta praca, toma seguros martimos so- ZI^ITd^I "r Pra?a da
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias :
na ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Defroiite da rna aova do Oavidor (Rio de Janeiro)
Os proprietarios deste estabelecimento, o primeiro no sen genero no Brasil, por
trabalnar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que se faz uso na
Europa, eajudados por alguns dos melhores officiaes de Paris e Lyo, podem assegn-i ;i B"LrornTr^S^ nV^"
Z ordinrZeS Uma *** D lraba,h0' 3 qaI 86D5 *de ^V V I ^S^^rSIr-dTFa-dre
Tinnam i i;mMnH. a r !Vicente Mar'a Ferrer de Albuquerque, por se ig-
iingem, lavam, limpam e demofam com a mai >r perfeifao e brevidade qualquer norar a sua moradia; na praca da independencia
as. tiran Inas c limnam 4 cor com mnll.or oc c.J.. o ..o:U;n> 0^8.______________
"Fto
Precisa-se de um feitor para um engenbo perto
desta capital e que seja portoguez, paga se bero,
estando as condijoes que se deseja : a tratar no
enpenho Santos Mendes, na freguezia de Tracu-
uhaero, ou nesta praga cotn Manoel Ignacio de Oli-
veira&Filho, largo do Corpo Santo, escritorio
qualidade de fazendas, liram nodoas e limpam secco sem moldar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras de homens.
DE
FAZENDA E ROPA FEITA
RA. NOVA Jf. *4.
_ .
Reg & Moora, proprietario da loja de fazendas e roupa feita, sita ra Nova
n. 24, verdadeiramente penhorados e reconhecidos para com seus amigos efrecuezes
pela aceuaco e confianca que delles tem merecido no curto espaco de lempo em qu
se achara establecidos e perfeitamente escudados na sinceridade dos seus tratos, decla-
rara para sciencia daquelles que o quizerem honrar com seus officios, que, em vist da
grande concurrencia que tem merecido o seu estabelecimento, especialmente no que
relativo a roupa fetta; acabam de admittir para asuaoficina de alfaiate maior numero
de artistas, inclusive o seu contramestre, dirigido pelo hbil raesire Lauriano Jos de
Barros, o^ual nao se poupa a exforcos para satisfazer com a presteza possivel qualquer
obra de encommenda. i- k 4 .HuC.
Os mesmos annunciam aos seus freguezes que acabam de comprar um novo e
muito vanado sortimento de fazendas finas e de bom gosto, proprias para o tempo da
quaresma, as quaes estao dispostos a vender por pregos muito coinmodos e mais barato
que em outra qualquer parte.
Como sempre escusamos essa "enfadonha prolixidade dos annuncios bombsti-
cos; preferimos mostrar na singeleza deste nosso convite os bons deseios que nutrimos
para bem servirmos quelles que vieran ao nosso reclamo.
Precisase de uma ama para casa de pouca fa-
milia, que saibaengommar e cozmhar : a tratar
na praca do Como Santo n. 17.
GARRAUN, DE LAILHACAR & C.
LIBRARME FRANQAISE
BA DO CBESPO N. 9.
Livros nacionaes e estrangeiros.
Religio, direito, litteratura, ele.
Papelada, objectos para escriptorio.1
Papis pintados para forrar casas, j
I Assignaluras para os jornaes da Eu4
[ropa.
s
Oflerecemos a estas pcso um sbrigo segnro e ara sntl-
doto efficus contra esta molestia e suas consequenoias, na
Salsaparilha de Ayer
que opera directamente sobre o sangne, {wrifleaiido-o e ex-
I>ulanao delle a eorrapco e o enno da molestia: penetra
todas as partes e todo os orgios do corpo humano, lirrando-
o da sua aceao viciada e inplraado-lhes doto vlr. E' ura
ttlleraiae p.deroilmo para a reaoraeio do sanene, c d ao
i-orpo j eniVaqueddo pe: doenca foroa energaTrenoradas
como as da jUTentud*. ..-.>
: TAMBEM O MEZ.BOK AfTI-BTPHILITICO
COSBJSCIDO1
cura permnnenmente as pelares forma de SYHILIS e as
TiTif r"S<,'1'eoetar- ,P lico do inenlmavcl ralor de um remedio que, cono este, fivra
o sangne eorrapco e arrebata a victima das urna ate
m. morte lenta e luommoa, porem InevIUvel se bS
Uno e logo combatido com energa.
Nao pretendemos promulgar, nem queremos ose se I aira
que este remedio InfalIveT para a cura de todos os padec-
mentos h unanos, o que dixemos que a *
Salsaparilha de Ayer
Liii*'"" I"*?"8**0 "" he esooberU para estas e outras
M*" anJot?V i "i comblna?a dos alterantes
T^m.*"*" eo*fw. * o publico o melhor resaltado que e possivel praduxir, da
tntelUgencU e perida medica dos noasos,rr!
O Dr. Carollno Francisco de Lima'San-
; tos contina a morar na ra do Impera-
I dor n. 17, segundo andar, tendo alias sea
I gabinete de consultas medicas, logo ao
j entrar, no primeiro.
O mesmo doutor, que se tem dado ao
estudo tanto das opera^oes como das mo-
lestias internas, presta-se a qualquer cha-
S mado, quer para dentro quer para fra
Q| da cidade.
mmmm mmmm mmmm
Hotel Veneza do Norte.
Rea das Cruzes n. 39.
Fornece-se comedorias para fra com todo as-
seio, e no mesmo estabelecimento acharo um com-
pleto sortimento de diversos petiscos a qualquer
bora ; nos domingos e dias santos havera' mao de
vacca e chocolate com lelte de madrugada. Tam-
bem se recebe qualquer encommenda para fra
seja ella qual for.
BOA CASA
Aluga-se na Iba de Bem-fica, a margem do rio,
a razo de lo mensaes, a primeira n. 2 A :
trata-se na roa Nova n. 38.

EXTERNATO GADAULT
NO
Principio da ra do Hospicio
Recebe alumnos primarios e secun-
darios.
Professores
De primeiras iettras Tilo Augusto de
Albuquerque Porto Carreiro.
De francez, geograpbia e arimethica
Hlppolyto Gadault.
De desecho Eduardo Gadault.
s
M
Aluga-se uma casa e sitio na estrada do Ja-
cobina (Capunga), com trricos e canteiros ao la-
do, banbeiro, cocheira, estribarla, gailinbelro e
quartos fra, bastante fresca : a tratar na ra do
Pilar, primeiro sobrado a direita logo depois do
arsenal de marinha, i andar.
REMEDIO DE ATES PASA SEZOES
InfaUrol as febres iatenttantoa, romlttntea,
Febres Biliosas a taroia, mal do flfjasto, in-
cremento do baco, cegu ira. DOp noa
ouridoa a palpitacoaa, quando
ate caaaadoa pela*
FEBBES INTBMIllTBlfTBS, OU REMUTENTBS.
As preparacoes de De. Arxu sao rendidas em todas
Boticas e Drogaras do Imperio.
Veude-M em Pernambuco:
na.
iphapm
Em casa de Teod Cbristiansen, rna do Tra-
piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil,
de Brandenburg rres, Bfdeaox, encontraseef-
fectivamente deposito dos artigos seguintes:
St. Julien.
St. Pierre.
Larose.
Chateau Loville.
Chateau Margauz.
Gras vin Chateau Lafitte 18S. .
Chateau Lafitte.
Haut Sauternes.
Chatean Sauternes.
Cbateau Lataur Blancbe.
Chateau Yquem.
Cognac em tres qualidades.
Azeitedoce. Pregos de Bordean.
Precisa-se alagar urna ama para casa de
pouca familia; na rna da Imperatri: n. 36.
Precisa-se de um pequeo de l^aii
anoos se idade para criado, tambem serve
om moleque, na ra Direita n. 24 padaria
se dir quem precisa.
Arrenda-se o eogenho Lobo, d'agna, distante
urna e meta legoa da estaco de Gameleira, e safre-
ja de l,800"a 2,000 p2es, exlge-se o adlanlamento
de um triennio : a tratar no engenho Antas.
VBOBQ HiWi
DO DR. GHABLE
MEDICO E PROFESSOR DE PHARMACIA, DE PARS,
AA 0 TRATAENTO E PRMPTO CCRAT1V0
FERMIDADES SEZtAES, DI TODAS AS AFFECCOES CDTANEAS, VIRUS
Curato de ferro Cliable.
Xarope mui preferivel ao
Copahiba, e as Cube-
bas, cora immediatamen-
- te qualquier purgarlo ,
relaxacao e debilidade, e igualmente fluzos e
flores brancas das mulberes. lajeeea* de
Chable. Esta injeccio benigna emprega-se mes-
mo tempo do zarope de ci trato de ferro, uma vez
de maoba, e urna vea de urde durante tres dias;
ella segara a cura.
PLUS DE
COPAHU
DEPURATIF
da SAIVG
E ALTERACOES DO SASGCE.
Depurativo de sansuc.
Xarope vegetal sem mer-
curio, o nico couhecido
e approvado para curar
------------------_con promptida e radi-
calmente impigens, pstulas, herpes, sarna, co-
mixoes, acrimonia e alteraces viciosas do san-
gue; virus, e qualquer affeclo venrea. -n-
'* "'eB. Tomao-te vus por semana, se-
guin do o trata ment depurativo.Pasastda an-
tiherpetiea. De ura effeito maravilhoso as af-
I fecoes cuuneas e comizoes.
Hemorrohidaa.Pomada que as cuaa em 3 dias.
:-M\
<*.';-S.
Deposito na ra larga do Rosario holica de Bartholomeu & C. n. 34.
1
Penhores.
0 abaixo assignado lendo annonciado pelo sDia-
rio de Pernambuco de setembro de 1864 e maree
do corrate anno, que tendo deizado de emprestar
dinheiro sobre penhores desde que esse genero de
transaccao foi prohibido, e tendo ainda en ten po-
der algunas obra* de ouro e prata, alada roga as
Poe a floem 'mm pertencem, qne as renham
resgatar ate o fim do corrente mez, pota que o nao
fazendo, as vender' para liquidar. Recite 2 de
malo de 1866.
_________. Bernardo Altes Pinbelro.
nos
*espx>mvtija6 criines
D lberim4e de exprima- o finta-
.. \ menlos.
lacees ae direiU crisaiaal.
PKLO DR.
Brai FUrettiio Heiriqes le
SMia,
[Lente de direito civil nt Faculdide
du Dieleb do Recife.
Acaba de sabir a' luz asta interessaa-
I tepoblicaeaoeaeka.se a' venda ali-
caria EconoTDrea a' mi de Crespo n
2, pelopre-
MM
g .slP.MADRER
a
Ri-
Precia-se de orna ama tem fimos para andar
eom om menino e cuidar de ana roupa : na rna
larga do Rcaario, botica a. 34.
Aluga-se una casa sita na roa"dadora o
4J, propria para taberna por er de esquina e ter
nnaeio e g; a tratar na rea de Apollo n. 19,
primeiro andar.
pim^r^^ncANTE
Preparado por GRIMALT & Ca pharma-
ceuticos de S. A. I. opiyncipe Napolelo.
Cura rpida das molestias egointes:
tosse. catarrbos, pleuresa, cogudircae, an-
ginas, fortes constipacoes, irritaces dos bro-
nebeos edo peito, bronebite, phtysica pulmo-
nar, astma,pneumona, anginas, amygdalites,
tosse chronica, rouqnidSo.
ALSZ.A.P.I1TE
Tinta Inalteravel
Para escrever
de P. NAURER i C.
PERNAMBUCO H
Esta tinta recommenda-se pela sua com-
posica e fluidez como a melhor e a mais
segura de todas ae tintas at hoje conheci-
das. Na6 ataca as pennas de ac, d at
tres expelientes copias, meem nxuitos dias
depois de escrever, e prefferi-vel a qual-
quer outras tintas particularmente para
livros de commercio, documentos etc de
que se careca longa conservaoad.


Vende-se nalivraria franceza ra do Crespo e ra Nova n. 18 de


^^&
f.
0 pitaos desta
aMtftakiaa sae he{H
EiteiiMa
com asele.jrooaptidlo e preses nzoaveis: na roa
AOgneta n.g. loja. ____________
Alagase o peqoeno sobrado de um andar e
son da rna do Calabooco n. 20 : na rna Nova
nmnere U
Ama
Precisa-se de uma ama para cozinhar : na ra
de Apollo n. 14, arraaxem..
M BOTlfit EHiOfillF"
DE
BARTHOLOMEO & C.
34 RA DO ROZARIO LARGA 34
Vende se
Xarope de Guiy.
Granulos d'atropina.
Capsulas d'apiof.
Vinbo de quinquina de Belline.
Pastiihas degestivas de pepsina Wasmam.
Granulos de Bismuth de Cbevrier.
Licor e.pilulas deLaville.
Injecc5o Feaugs.
Xarope verdadeiro de Botigny.
Granulos d'Ergotina de Bongean.
Capsulas e injeccao ao matico.
Xarope hypoptaosfito de cal e soda.
Elixir anti-astbmatico de Guilli.
Cynfeitos de cubebina de Lalelonije.
Eixr de citro-lactato de ferro do Dr.
Thermes.
Injeccjio Brou.
Esseocias superfinas de Hermam, Piver e
Cbardrin Hadancoul.
Granulos de pigitalina.
Vinho de quina ferrugino o de Moitier.
Xarope de.Iodurelo de ferro de Blancard.
Agua das caldas da Rainha.
Xarope de Indacio deAbbfdie.
Confeiiosde lactato de ferro de Gelis
Conte.
Ferro de Queveoe.
Rob de Laffecteor.
Perolas deelher.
Xarope antigotioso deBoob.
Ote de ligado de bacalbao desinfectada de
Chevrier.
Agua dentifica de quinina.
Perolas de assafeda.
Oleo de ligado de bacalho ferruginoso de
Cbevrier.
Xarope de digittes de Labetlony.
Ole iodado de persone.
Xarope de cudeiaa de Berth .
Erna as principaes drops, prodc
especiahdades priarmacemicw e
dos principaes ftrizes Os mdicos recommendam lo mesmo tem ma nperioridade,
po o uso das excellentes pastilbas peitoraes com o suco da alface o laureiro-cereio. oue wtod0s00. teci*do '""W*!1 *>* oaa as ratida. aaafrkboa das piaJa^iem
se preparara o mesmo estebeleflliMo! *
4 Jg*13 $tyf1|"nf# ^i MaurerTA.
- Precisa-se ae nma asa tara cata depooca
familia, qaei faca todo servieo^pretaaivae eserava:
na rna de 8. Jos a. 1
------ralbar, por serem abricadM da proposito,e ter-se feito ultUDatswaJlHMameato lODortT
precoe cwniiiotloM azoaTel*. ^^ wm ^mmmo **
Cante* e
Om volme in f.n irapresso e en-
cadernado em Paris: em casa dos
edidores
LIVRAMA FRAltefegi
Precia-sedeam enixeira
tenba pratiea e a)a ae 13 a aanis
aa roa da Ponte-vela* a. 39.
(In Irtad
"M2^W!' aadm^MeK
12b!? fl"^^ obra de eDcamrwnaa, e
todo analcraer concert.
"


i


i

k
t trrfmttmm i


Otarlo
de ft e
sca fe
all
; S3------. '
_, -------- -
Rlcoi brincos de crystal lapidados de deferentes formase cores, o qoe ha de tois moderno em
'Pars, tambera crnjes e bot6es par coleles; Qvellat modernas de madroperola para cinto : estes arti-
>pis so Tendeo por menos de lea valer-ne armazem da raa da Cadeia do Recie o. 60.
de ifaiQ de 1866.
______
FABRICA
NACIONAL
3 \ v
Otror
Era fl-ras tetta r cop-1
dependen'clo B.'I2, toja de
la.
se Df praja
llhetes.
a la1
fortes para loles.
i
DE
vi irnos
Gompra-se urna, secretaria de Jacaranda
mogno, ou de amarello, na roa Nova o. 7.
Compram-se garrafas vasias : na roa da Ca-
,deia do Recife a. 53.


Estabelecimento na ra da Uni&o n, 11
PROPRIETARIO MAKOEL LOMBOS.
No deposito, raa do Carato o. 63, existe un grande sor tmenlo de vidros e crystaes, r,ue se
vendern por presos mais barato i do que em qualquer parte : frascos de 1 at 8 libras, bocea larga e
bocea estrella ; copos de 6 cortes, de mela ofUTa at mel quartimo i ditos de 10 cortes, de ns. 1 e 2 ;
-globo para lampedesde kerosene, lavrados, lapidados eluscados; ditos para candleiro de gax ; lem-
pe-s de kerosene grandes e pequeos, lamparinas de metal; vasos para coofeitaria com p e sem
etle, grandes e pequeos-; Chamins para lampeos de kerosene de tolas as dlrnensoes ; compdleiras
moldadas de cortes largos, escarradeiras fe cores para sali, ditas de raao com ara, pequeas-; vento
sas e bicheiros, ealxes moldados, copos lisos para agua e vinbo, pratos moldados, redomas, garrafas
para vinho e agua, grandes e pequeas, ditas para xeroy, ditas .para licores, ditas para minas, ditas
para agua de Colonia, ps para planos, brancos e do cores ; tubos para macbinas a va per, de crystal;
globos com goarnicSo de metal amarette, manregneiras de vidro, vidros avolses para galntefros lapi-
dados, vidros para lampadas de igreja, ajalrrtas pora missa, ditas para galhetdros, mangas paTa cas-
tices lisas, lvradas-e lapidadas ; rampeoaesde-earede para kerosene, ditos de pendura^ -copos gra-
duados de i ate 1 cocas para pharraacia, -garactindo-se a esacdo da medida ; vidros para peixes
com p e sea elle, adocenas para castijaes, chamins para larapeSes de atefte, ditas de cores para illa-
rainacoes, viprospara agua forte com rolba. Gompram-se vidros e crystaes quebraflos.
O deposito des la fabrica em Pernambueo na roa da emperatriz o. 19, onde existe constante
mente chamias para andleiro a gac de ns.3 e 3 a 320 rs. -e de n. i a'199 rs., lampartaas completas
a2#, lampeos completos a 7J. o 8*. esearradeiras de eres* 21800 o pV, pratos paraxopos d'agua a
500 rs., copos de dez orles 600 rs., globos lapidados e lavrados para -candieiros a gaz a 15800. O
proprietario deste novo estabelsclmento convida ao respeitsvel|publco para qae visitero o raesmo, cer-
tas de que comprara? os arligos indlspensaveis a ama case de familia pela sua.brateza e ulilldade,
principalmente ats-Srs. pnarmacentlcos pela grande qaaalidade de frascos e vidros proprios de paar-
macia. Taaabem recebe encommeedas. Oencarregado do propietario Joo Luiz-Eocrenoaz.
LOJADOBIO
RA IIA ClOEIl BO RECIFE *. 4*
Nesta noy* loja vende-se fazendas muito baratas, ssim eomoJambem tem um completo sortimen-
to de roopa de casemira e de brim 5-soriimento de casemiras de cores pretas, e bom brim brinco
para se tazar obra.por medida.
Hadapolo avariado
Caigas de casemira escuras proprias para a estaeao a 71000.
Paletots de panno ano preto a 18S000, ditos de alpaca branca a 41500.
Chapeos de sol de seda com 12 asteas a 9 e H)#
Estes chapeos de sol todos veodem por 125090, mas o Bal5o querendo mostrar
Compra-se urna burif de-larro, Ingleza oo-;. *tfi ,
rotsmo das antigs; na ra Nova n. 31. :,*T
-----------------* .'."S" r {*: ,'--------- I A agoa-branca vende bonitos e modernos
Compra-se na prens do afgoflaode Saunders (Jamas dourados, enfeitados com aljofrese pe
Brotbers & C. semeotes do algodao a 500 rs. poY proprias para meninas e seohoras.
,rroba-________^___^__________ | r Uoalios rhapoziohos
Compra-ie nm fcom sellftn iaflo* em segn-. de palia Sai e ivaces para meaiaas.
damJo, paga-se bem : na roa Bella o. M.______ SSo obras estas de qae'os bons pas de fa
rr,mirvn~Q* se na Pden escuar de comprar; por fazer
um jogo de pistolas boasj em segunda mao : naguas bellas filiiinhas. A agma branca tem o j
: le de ver que tSo bellas 4 precisas obras foi
o ioja de mlndezas b. 16, ven-
Diademas dourado*, l *>>&&%
efeHad98 Cea aljofifes, pedfi, jjgj*-
ele i para meninas e seohorag. "tw,;,
Grande loja
da Arara roa da !m-
perarlz o. 56.
Bdflho quadros fttt retratos. 9S
uarratuS Braircas fazendas para v iido de senhora
^ororopm f openoragna da color,,*. Se(Jas de c6re "fl^ m^
C3f Noto gost
VENDAS
devidamente apreciadas e compradas em seu
nbo. Os cbapeozinhos, alm de serem d'nma
iha mu fina, sao de mni bonita forma e ni
Rosto, enfeitados com toda a perfelcS: os a
taes, porm, s3o de fina cambraia, guarneeid
qabadlohos bordados; o que roes da multa gr
Os presos destes, 5*000, e daquelles, 10*; i, .
quanto s3o ellts baratos contiecera o pretendente,
que se dirigir a' luja d'afUla branca, na ruado
Queimado n. 8.
Vldrilhos de edre e aljofares,
imitaado ajo, para esfeiles de vestidos.
A agaia-braqea na roa do Queimado n. 8 rece-
ben um bello somtenlo dos objectos cima pro-
prios para eafeites de vestidos, ele, ele, e est
vendendo commedamente.
Novidades.
Na Agnla branca ra do Queimado n. 8 rece-
ben diversos objectos de muito gosto e teiramen-
te novos, sendo:
Bonitos delicados pentes dourados e prateados,
por S; Elemento d&t'Ecottomie Polilique.
per Gamier, i volum, por U; e Orgamsa-
tumdu travail, por Louis Blanc, 1 volume,
por 14260c na ruado Crespn. 4, fabril
de chapeos de sol.
-
pode rivalisar com elle em prefo?, resolveu vender os mals pequeos por 9 mil ris
10 mil ris, baBes de arco para seahora a 3*. Ha muitas outras fazendas e roupas Teitas, que tdo
1
que ninguem
os maiores por
m SRS. ACADMICOS
Vendem-se as seguihtes obras de direito
oom pouco uso : Manuel du Droil Roniatn
por Mackeldy, I votarri' por 40 Dkcio-
naire du Contenttetti Commercial, por Mas-
s, 1 volume, por $# EkmenU du droit
romain, por Mayoz, i volume por 45; Es-
nrf^Qflans, l \oloaie, por 4* ; Codepra-! tendo entre elies algmVde Ul.grana obra mal per-
ttqite des fatllttes, por Geoffroy, 1 volume, 'eiu e de elevado gosto.
Drtos com chapa de madreperols.
Brincos de filigrana e outras qualidates.
FiveHas .* dita e outras tambera de diversas
qaalidades.
Cintos mai bonitos, enfeitados em toda a exteo-
^ao com caracteres dourados e prateados.
Pilis'enfeitados com moedinhas dourad=,e ian
tejoilas, aljofares & sendo para coque, e toda a
cabeca, e outros com plomas &-
Bonitas voltas de jaspt com crozes, tendo tam
bem atgumas de toas cores.
Lavas e meias
de taa vegetal, para quero soffre de frialdade, pa-
ralesya etc. Veodem-se na ra do Queimado loja
d Agaia branca 8.
fiandoline de roza
para segurar ou conservar perfeitaraente atado os
cabellos das seoboras. Vende-se na raa do Quei-
mado ioja d'-Aguia branca, 4^000 o frasco.
Enfeiles pretos para vestides
AAgnia branca recebe novos enfeHes pretos
para vestidos, sendo bieos com vidriroos e eem
elles, traigas com pendentes de vidriroos e sem
elies.cordaogrosso tamben com vidntfaoseeem
lies ; assira oomo galSes e franjas de diversas lar-
guras, fitas desellado etc. como sempre os bons
reguezes encontraro eomaiodidade de precos nos
objectos qe se vendem na loja d'Aguia*rancafna
4o Queimado n. 8.
Botes -de vidro
PARA 1866.
Acaba de sahir luz as folhintas de
algibeara de port para o armo de 1866,-o
mars correctas possivel tanto no calclo das
las e eclipses, como as diversas feslas
que igreja celebra; vendem-se nicamen-
te u hvraria da praca da Independencia,
160 reis as de porta e 320 ris as de ala?-
beina.____________
Vende-se -ou arrenda-se o sitio Estiva de bai-
xo, lugar da loora, freguezia dos Alegados, com
excoUentes trras para pteniacoes, baja para ca-
pim e terrenos para criar, onde pode ter vacoas
de leite, bastaotes arvoredos de fructo e boa casa
demorada -
-isa i
. uem pretender dirija-se a praca da
Inoependena ns. 23 e 2S, a tratar om oTnro- *om enf,le8 d'aco no centro.
prieta*io. | Esses bofies qne unte servem
' poder eofekar nm
Vende-se
para melhorse
bom vestido preto ^chao-sea ^enda na roa do Queimado loja d'Aguia
ama Uberna na ra Imperial b.
23, o juntamente uns atenclllos de padaria por I branca
lbarat0 Prega : qaem pretender trate na mesma. i^k j-fc
T^TirSrasari-^l-**^!^^
_ \eode-se sedas de i6*f* para Vestidos de enho-
ra a l&'QO ovado, lasinhas de Mudos gotos a
210, 32ffe 400 rs. ocavado. Roa dafmperatnz lo-
ja e armszem CLArara n.- 56.
Melodkjues de la para vestidos a 400
o covado,
Vtnde-se tna nava fazwda por nf.me melodi-
ques luda de lia pa;a ve?udo; a 400 rs. o evado,
tliilas finas a 320 e 'M a. o cov.do. liua da 1ra-
i eretriz loj dd Arara n. 66.
Arara vendAusim para vestido a 240.
Vende se nova f/zenda susim para vestidos de
senhora e roopa de meninos a 240 rs. o covade,
ditas a 160, 200 240 rs. o covado. llua da lm-
peratriz loja do Arara o. 56.
Tarlaiana d^ I5a para vestidos a 240.
Vend--* tarlataoa de laa para vestidos d.- se-
nhora a 240 rs. o avado, fil de linho a 160 o co-
vado, cortes de chita a 2$000. S no Arara, ra
-'fondale na ra d Queimado, loja de minde
me i
'Pebtes/ijellas, e brceos de feiicrana.
A aolig e bem condecida leja n. 16 na ra do
Queimado, recbeu um soifiir.ento de diversos ob-
jectos de novo e bom gosio, .-rudo peale* brancos e.
arados de moldes enteirarente novos e mu a-
Sadaveis, teDdo entre eHes lpims de filigrana obra
imuita jiesto e defic^xecug>io, e bera a.-.lfii fi-
oMls e hincos as mesmas circuasiaocias.
.Tambera receben algn cintos o que de rnais
modernobonito, se pode encontraren] lal genero.
Alm disso encontrarlo os, pretendentes ura cora-
E" ) sortmento de fiojllas de;madreperola, chris-
tarlaruga, e dourados, brincos de cbristal, e
e, volus e cruzes de dito a-aouitcs outros objec-
tos de goslo, os quaes continua-se a vender coramo-.
dameole. *ri '
Penentes de madrperola, e enfei.tes lets
A loja de miudezas na ra do Qneimado n. 16, da impwatriz o- 6.
recebeu bonitos pentes com chapa de madrperola, Laa a tratiata a 320 rs- O covado.
&novoa enfeites.QleU ornados deaantejoilas dou-, Verdc-e nova laa a traviata para vestidos do
radas moedinhas, aljofares, vidrilhos etc., tendo senhora a 320 rs. o covado, flo Arara toda-; es-
grandes para toda cabera e pequeos para coque, tn hienda? novas vindas peto nllirao vapor da
r^ulando os prteoste 24 a AfOOO rs. Mr(,vtm s na loja e armazem da Arara, ra
Bjnitas caixmhas Imperalriz n. 56.
eom arraojos dourados para costura, tendo com. Arara vende cobertorts a l^SGO.
msicas e sem alias. Vendern-se na ra do Quei-, vende-se cobertores de pellos a 1{500, ditos sen.
mado loja de romdezas n. 16. pe|0 15000) coberta9 de lista 2*000, cobenas de
Trancas pretas damasco 4^000, cobertas de fosto a 5}000. liua
com vMfflho?, e bicos com djtos e sen elles para da Imperalriz n. 56.
enfeites ou vestidos. : 'Lasinhas do Arara a 200 rs. o covado.
fia ruadt Queimado n. 16 loja de miudezas a- Vende fe lasinhas para vtsdo a 200,240, 320,
preteudentes um bello sortimento dos 400 e SOO rs. o covado, colanohos para liomem a
KO rs. a duza. Ilua da luperalriz loja do Arara
n. 56.
Arara vende as cassas a 240 rs. o covado.
Vende-se cassas franceza finas a 240, 2&l>, 320
e 400 rs. o covado. ptsas de rambrala de forro a
2*000, ditas finas a 3000, 'iSOOO 5*000 e 6C0o'.
Ra da Imperalriz loja do Arara n. 56.
Chitas a 160 e 200 rs. o covado.
Vende-fre chitas escaras e claras a 160, :C v-
240 o covado, sitas francezas finas a 280, 320, 40C
e 500 rs. o covado, percales malisadas escuras a
500 rs. o covado, s se vende assim barato o Ara-
ra. S na loja e armazan da Arara, roa. da ru*
pecairiz-n. 56.
Novidade fio Arar.
A'godao a 3$-
Vende se peca de algodao encorpado a 3, 4J,
e 6* a dita e 8* e 7*. Ra da Imperalriz Ioja o
Arara n'. 56. ^.
Arara yeode madapollo entestado a 3*.-o0
Vende-Ce pecas de madapolioeofesiado a3- Ui.
4* e i*500 ditas de 24 Jardas a 4*. 5*, 6>, b* s
10*, ra da Imperalriz loja do-Arara n. 56.
se vende com grande abatimento para se "apurar dinheiro e adquirir maior numero de 'reguezes ,l^ra.pnia qtte se dira' com
quem duvidar da veracidade do qae diz o Balo venba verificarse.
Venham ver a bar ateza da loja do Baldo
_-------ama. escra-v
abra, de meia idade, excellente eozaheira e qui'
uem preteeder ai rija se a esta typo"
laadeira :
Sirop du
DrFORGETl
JARABE DO FORGET.
Este sarope est approvado pelos mais eminentes mdicos de Pars,
no-sendo o melhor para curar eonstipacoes, tosse convulsa e outras,
aiieccoes dos broncios, ataques de peito, irriucaes nervosas e insomnolencias: urna eolherada
pela maBhS, e ostra nolte sio^stficientes. O effeito deste excelente xarope satisfaz ao mesmo
lempo o doente e o medico.
__quem se deve tratar
iXV?6"t,a caa'*flrr TA9,"*iua"rna^e
Matbias Ferreira.na ctdade de Olinda, com 2 sa-
las, 4 qoartos, cozinha* quintal, em chaos pro-
prios ; a tratar no armazem n. 53 na ra da Ca-
Chromaco-me para tingir cabellos.
Hoild walter para dito.
Tintara Bugiaa
Deposito na ra larga do Rosario, botica de Bartliolomeo C. n. 34.
Joo da Silva Ramos, medico 9
pela universidade de Coimbra, d \
coosaltas eta ms casa das 9 as |
11- horas daotanba, e das 4 as G .1
da- Urde. Visita os doentes em uasi
casas regulareBte as horas para
isso designadas, sako os casos ur-
gentes, que sero soccorridos em
quakjcer occasio. D consultas aos
pobres que o p-rocurarem no hos-
mf pttaUPedro II, onde encontrado
1 diariamente das 6 as S horas da
tmanba,
Tem sea casa e sat'de regalar-
lisente montada para *eceber qual-
Qwer doeoie, ainda mesmo os alie-
nados, para o que tem ommodos
spropriados e nella pratica qualquer
opperac3o oirurgica.
Para a- casa de sae.
PrtflKira ciarse. .3^000iarios.
Segtiada dita.....34500
Tereea-a dita .2^000
iste estabeleeimento j bem !
.acreditado pelos ons servidos que i
.Lsm prestado.
O proprietario espera que ^lle
coistinue a merecer a conflanea .de i
[que compre tem gozado. ]
Vende-seflma porc3o de bagias para fabrica de
,-gelas ; no fcecco do Pelie Frito b. 3, taberna.
Atten(jao.
Vende-se a taberna sita na ra da-Senzala-nova
c 9 : a tratar na mesma.
Yende-se e faz-ze lodo negocio com o depo-
sito da ra do Vigarlo n. 29, muito proprjo pera
um principiante que queira principiar sna 'vi la
- com pouco dinheiro; ao comprador se dir o mo-

m
CASA DE BACHOS I

Na botica e drogara
DE .
Barlolhomeo C.
34Ba do Rezario Larifj34
VENDE-SE
Preparados da America
Do Dr. Radways:
Pilulas reguladoras.
Pr ompto alivio.
Rezolutivo renovador.
DoDr, Ayeir:
Salsa parrilha.
Pilula* catharticas.
Xarope peitoral de cereja.
De La mina m dV Kemp.
Verdadeira salsa parrilba de Bristol.
Pilulas assucaradas.
Paslilhas vermfugas.
Ole poro de figado de bacalho.
Xarope pectoral de auacahuita.
Agu florida.
26 Pateo do Carino 6.
Neste estabelecimento to irapor-
S lante.para a saude e assejo do cor-
po, acham-se montados 20 banbei-
Wk ros, que sao servidos com a ordem
% e afseio que para desejar-se. Qua-
^ tro destes banheiros 6ao especiai-
5 mente reservados para senhoras
^ por isto acham-se collocados em lu-
m gar reservado, aonde s tem entra-
da as pessoas de urna mesma fami-
ft PREQOS DE BA10S AVULSOS. l
|^ 1 banho fri, momo ou de
ES chovi&oo...... 500 i
< I dito de choque .... i,J000 {
E l dito de farelk).....: 5000
R i dito aromatisado '. I 000 j
PREQOS POR ASSIGNATBA. i
* 30 banbos por raez fri,
K momo ou de cbovisco. 10^000 \
K 23 han nos com cartees pa-
p ra os mesmos ....
p 12 ditos ditos ditos. .
g 2 ditos ditos de choque.
12 ditos ditos de farello..
O estabelecimento estar aberto
nos dias uteis das 6 horas da ma-
ntisa as 10 da noite, nos dias san-
tificados das 5 as 5 horas da tarde.
trvo da venda.
Vende-se urna rotula nova
ar na ra do Hospicio n. 28
de louro; a tr*
los Srs. Tainaiiqueiros e
Alfaiaes.
Algoduo vanado a peca de 20 jardas por300
pr^rio para forres de obras daquelles seohores
por ser fazenda larga e ncorpada : na loja da
ra da Madre de Dos n. 16.
Vende-se urna casa na'TuTo7Peica*d"ores
n. 30, com duas sal,s e dous qmrtos, e coslnba
fra e um qumul Como tambera urna meia-agua
no becco dos Hatos, n. 12: quem pretender diri-
B. ja ?e a -ua Uireila n.20 primeiro andar que adiar
& cora qwai tratar.
guia (tranca
a ra do Qnimado n. 8
acaba de receber:
Lantijonlas^aco para enfeites.
Pennas brancas e de cores, para gorjos e oapeos.
Enfeites filete, mu bonitos-e modernos.
Sapatinbosde setim parj baptisados.
Meias de seda para o mesmo.
Bonitos chapeesinbos de setim ^para dita
Rosas camelias e outras qualidades.
Novos brincos, fivellas, pentes e pulsCiras de Bu-
gran.
Fitf r r seda de cores para debronhar vestido.
&'* sarja com differentes cores e lorguras,
<* de orgoro, desenhos novios e bonitos para
-utos. r
Gafeiras com agumas.
Rna das"Larangeirasn: 16.
Vicente Aquino de Albuqoerque tem a honra de
apresentar ao respeitavel publico um variavel sor-
lmenlo de raetbados em seu novo estabelecimento
na roa cima mencionada, casa que outr'ora fra
de Manoel Francisco dos Santos e Silva, scienufi-
cando a todos os freguezes
bjectas cima ditos, cascarruhas, Tranjas etc. etc.
etudo est sendo vendido por presos com modos.
Bofes pretos
Oe vidro enfeitados d'aco.
A loja de miudezas n. 16 ra do Queimado
vende mu bonitos botdes pretos de vidro com en-'
feites de ago, os quaes muito se uzam para enfeitar
vestidos, qnem os pretender pode dirigirse a dita
loja d. 16 ra do Queimado.
Vcadem-se bu loja de miudezas
urna do laciniado 16.
Bonitos leques de sndalo e outras qtndades.
"Bonitos cintos com fivetlas de diversas qualida-
las e moldes.
Brincos e cruzes de crystal.
. Abotoathtras de dito para coletes.
Bonitos port-relogios.
Delicadas caiaas oom msica esem ella, para
costura. :p
Agulnas e lincas para chrochel.
Retroz superior em carriteis.
Rendas pretas e tikos com vidrilhos. .
fitas de velludo com listras de cores para en-
feites de gorros e vestidos.
Ditas de grosdenapoies, Usas e lavrad&s, brancas
e'.Daatisadas.
Para tingir cabellas
Hoild Walter.
"Vende-se na ruado Qneimado, Ioja miudezas
a. 16.
Chromaco-me
Para tingir cabello?.
Vende-se na Ioja de miudezas, a ra do Quei-
mado n. 16.
Ta tara de L. Marques
Qara fazer os cabellos pretos.
Vende-se na ra do Queimado, a loja de miu-
I dezas o. 16.
'Jissaagas'nimias, aijeares imitaado
ac e vidrilhos de cores
para enfeites de vesiic'os; vende se tudo is?o por
prefos razoaveis na rUa de Queimado n.l oja 16,
de miudezas.

gRfOl
af impe."!! W<
O superior caf do Rio de Janeiro. ven- M
de-se a 12* a arroba ; na nu ^ do Vigario ^
n 24, escripirio. H
Os chales do PaTo a U 7*5 85,
Vendem-se ricos chales pretos de renda muil
xler-
-ez,
grandes com quatro pontas, sendo os mais na
101000
o^OOO
i 0,5000
OOOO
Arma^ao.
Vende-se urna arraaxa alugase a loja emque
esta collocada dita arnuteio na travessa da roa
das Cruzes a, 12 propria para calcado : a tratar
na ra larga do Rosario n. 21 fabrica de cigarros
Mobllia. ~
Na roa do Rrom n. 48 primeiro andar vnde-
se barato 15 cadeiras de guarnido, 4 de bracos,
2 consolos, mesa de mel de sala e sof, tudo em
perfeito estado, e de Jacaranda, e mais algumas
cadeiras ordinarias e 2 camas francezas de ama-
rello 11 varios outros objectos de orna familia
val a Europa.
que neste estabeleci-
memo encontraro sempre um completo sortimen- D0S por terem che&<> Pelo uliimo vapor fran
lo de todos os gneros e por pregos mals coramodos gBveD(,eiB-se pelo baratiss.mo preco de 75
S2.2S? *m oalra a'qa'r parte. Cha hyson libra I gj ="! '/.* do Pav3 ra da Imperalriz n. 60, de
2*ofJ, dito miudinho superior qualidade a 25600 i ama A &llva-
caf libra 240 a 280 rs. superior, latas com bola- JJa
"''.i
d;;c-
aS,
qoe
Vende-se urna meia calexe na cochelra
ra da Senzalla do Sr. Thomaz Payne.
da
Vende se
torio de A
Salitre refinado
a dinheiro a 7^000 a arroba no escrip-
J. Moteira Dias ra da Cruz n. SQ.
Cigarros de 8. Paulo
De fcimo de Be'em do Descaluado lbri-
cado pelo celebre JUCA.
__________Ra do Crespo n. 9.
Cosinheiro.
hZ ^"le-se um moieque peca, na roa do M on
dego, olana m_i3. das 10 horas at o melo-dla.
raiM lmJ>e'M am* m8Sir de amarello em per-
feito eftado, e mais pertences para orna padaria
na estrada nova, segunda taberna a direila, depois
Lt I $Tiai*,: tratar na mesma, das 4
horas da tarde em diante.
chinhas de soda a 1 e 1100 primeira qualidade
dita franceza a 720 r?. a libra, cha preto auito
bom a 1J800 a libra, cerveja Bass a 680 rs a gar-
rafa dua marca H a 600 rs., queijos mullo frescos
vindos pelo ultimo vapor a 20200, cerveja prela a'
gajrafa a 640 rs.. velas de esperncete a libra a >
biu rs., vinho do Porto superior a 10500 e a 14 a '
Sira.v,nh2?/igae,ra' Li-'boa e Madeiraa 400,1
*rZ'J \*Onk0 rs- a ^rrafa, graxa em buioes!
grandes a 280 rs., cognac, charutos, papel almaco !
e outros moitos gneros, que seria querer masar
aos reguezes em menciona-los todo pelos precos ;
mais razoaveis que em outra qualquer parte, e :
convencido desta verdade espero que o respeitavel
e todos aquellos que j sao freguezes da bem co-!
nhecida casa, digoem-se em honrarme com as suas
presepcas e freguezlas, certos de que serai bem
servidos, com promptido bom peso e eiactldao.
pnr*No armaze,m de Jjs Joaquim Lima Bairo, a
ra da cruz n. 18 tem para vender mate em jaca-
zes, o melhor que de presente ha no mercado.
MACHIMAS
para
Precisa-ge de um criado para cosiohar e
comprar: na livraria da roa do Crespo nu-
mero 9.
SI 0I obIcm mi wt tpyrTBdM ptiet inlimw i*
M c*rticrIo Unlo i ia uMito-

ridtd Mbfe todof o ontrot pllorm como iai podrtu
tMU eBt o Mhw, Iriitt, btlt^M.
AMM do pU e (U tttmU.
RACAHODT BES ARIBES
UaUo alinnto tmnTidopltic*ilemUdoM*diclDtdo
Parit. KUo reubUc u ftuu quo oHrom do BU-
*ftt ll nmn; forUleoo u ctIiiicm e prntu
lat, ilem lato a vtrtad* Al na prowMad* >
. ha o melbar pratarritiTO daa FakrM aaawaUa e
Cada fraaoo a cada catiinha daatai prapincSaj
iraaaadaale do SaatMlaa a-
craaaeato da matriz da
Boa-vfsta.
Pelo presente sao convidados todos os nossos
cbarisaimos irmios para domingo 13 do corrate
mez s 10 horas da manba, se i Junirem em me-
sa geral am de iratar-se da appiovacio do novo
compromisto.
Consistorio 9 de maio de i&.
O eserivSo,
MaBoel Polycarpo Moreira de Aievedo.
- A pessoa na aunaciou trocar ama imagem
de &nto Antelo, pode dlrigir-so a roa da Gloria
*a, o^e aHI se acna una perfellissima jmagem-
Precisa-se de nm irabalnador de masseira,
oa de algama pessoa que quem aprender o ir-
batoo ; tratar na ru do Rosarlo da Boa-taa
nuaero65.
Cal de Lisboa
desembarcada do brigoe portuguez Constante 11
vende-se por barato preco no escriplorlo de Ma-
S^'.il0*?!? de 'ivera A Filho. largo do Corno
Snto n. 19.
VENDE-SE
nal n. 251.
desea rogar algodao
9,00(i a ierra
a
armazem de azendas
baratas de Santos Coelko
Ra do Queimado u. E~e.
Vende-se o seguinte : .
Lencoes de bramante de um s panno pelo ba-
rato preco de 3$200.
Ditos de panno de linho a 200 e 2G0O.
Cobertas de chita da India a 2$400 e 2&00.
Lencos de cambraia brancos proprios para algi-
beira a 2*000 e 2200 a duza.
Ditos de cambraia de linho fino a 430O e 5S a
duzia.
Aloalhado de algodSo branco a 2* a vara.
Bramante de linho fino com 10 palmos de larga-
a S^oOO a vara.
Panno de linho fino com 9 1|1 palmes de largo
ra pelo barato prego de 2400 a vara.
Bramante de linho fino de urna largura, pelo ba-
ratsimo preco de 800 "a vara.
Toalhas de linho acolchoadas para mapa, a 13i
a duzia. w
Ditas felpudas a 13$ e lii a dezia.
Guardanapos de linho a 3500 a duzia.
Flanela de todas as cores para coeiros. a 880 rs.
o covado.
Tarlatana de cores a 800 rs. a vara.
Baldes de 35 arcos 3oOO, de 40 a 4*.
Cambraia de linho fine a 4^500, 6^300 e 9 a
vara.
Cambraia para forro de vesiido a 2700 e 31 a
peca. ^ "*
Forte do Maltosprenca de algodao n. 17jdel3oT '**** Tl COm 10 Varas' J
Pecade madaplo Uno e largo a 7*.
Lazinha lisa de cores a 500 rs. o covado.
Pecas de cambraia branca de salpicos com 8 e
Menearos d C, vende-se macbinas americanas do
melbor systema qoe ha apparecldo por serem
tnnito manelras de 14,16,18 e 20 serras, a 91 a
sfirra. w
Cal de Lisboa
desembarcada do vapor ioglez Cassine, vende-se
por.0,?,niado Dre?' no escriplorio de Manoel Ig-
"otf i7l,Vr* F',h' tar d0 ^P0 Santo
Panno de algodao da Babia para saceos de
assncar e roupa de escravo, vende Antonio Loiz
de Ohveira Azevedo da Cruz n. li
Panno de algodao
trancado
da fabrica de Fernao Velbo : vende-se na roa da
Cadeia n. 4, armazem de Silva Barroca.
Peehueka adaiiravel
Liazinbas de qnadrinhos que parece seda a 240
rs. o aado, orna grande pecninena, est se aca-
: na loja n. 52, armazem da porta larga de
eia va jas a 41500.
Coeiros de casemira bordados pelo baratissimo
eco de 9JL
Esleir da India propria para forro de sala de
, e 6 palmos de largara.
imbraias finas de cores miudas a 560 rs. a rara
Neste armazem tambem se encontra nm grande
ortimeatede roopa feltae por medida.
E' baratissima!
E' baratissimo!
E' baratissimo.'
Neste importante estabelecimento encontra o res-
peitavel publico um variado soitimenlo de fazeii-
das francezas,inglezas esuissas, eas quaes se veo-
der3o por prego ccmmcdo a saber:
Chales de renda preta a Vende-se um sortimento de chales de renda 're-
ta a 31500 e B, ditos de seda a l, 14 e !o# :
isto na ra dajroperatriz n. 72 de Guimare-,
mo.
Retonds pretas a 84.
Vende-se retondas pretas pelo barato pre.M ,
81, 81500 e 91; na ra da Imperatrlz n. 72. ,y.
de Guimaraes & Irraa.
Grande pexincba a 2$ o corte.
Vende-se corles de casemira da China a 21000,
21500, 21800 e 31, dilas de brim a 11280, i;0O,
11600, 15800 e 21. '
' muito barato, tarlatana decores a -:0
rs. o covado.
Vende-se um grande sortimento de tarlatac.- de
cures muito proprias para vestido, fazenda a ais
moderna que lera vlndo ao mercado a 240 o c va-
do e 280, dilas mais finas ?. 300 e 320, laasioha.
escocezas muito modernas a 360 400 rs. o
do, dilas muito finas 460 e 500
Cobertores de algodao S0i\
Vende-se cobertores de algodao a eQ rs.
memores a 11600 e 11800, cobertas de !
?!i e 3*.
Quem duvidar venba ver.
Cambraia de cores a 240 r. o covado dlla (isa a
, We 320 chitas finas a 280. 300f 320, 360 -ICO
fJ dilas perca las a 400 e .'00.
st \ se acabando chitas a ICO rs. o covado
V-, 1(ifL"Se ,fhilas a i60' 180 p 200 r?. o covado,
riscadi nho! fraDCezes a 240 e 280 rs. o covado. ra
da Iinp'e. "'""!'' D' 7i> de Goimares & Irmao.
Lenco, b2nc?2 ^ e 2^30'J a du^ia.
Ditos finos a ?f 6 ilos dt linho a W00.
1500,6 e', *, .
CaL ^braia branca a 35.
Vende-se um i 'SSd? |0.rliinento de cambr; la a
31,31500.41,4;^^
Vende-se baloes de ,rf2s a.%**59 e 3- "'"
tos americanos a 31500 *? ,e *"':jW.'ditos de :i,ur-
celina a 51, 51500 e 61 1llos P4 memoas h 41
e 41500; lulo na ra d I;, ^"'z o. 72, loj de
Guimaraes & Irmao.
a 3,jK00ocorte.
a 34000 o coi "te-
a 3400L 1 orte-
Vende-se corles de laa com 12 c 0Ta*s a 31. di -
tos finos a 31500 o 41, dos a Mai ,a Pia a ''^
81. 81500,91 e 121, grvalas finas
a 640, 800 e 11000, mantas muito fin,.
119400; isto na ra da Imperalriz n.
Guimaraes & Irmao.
Roupa feita.
Roopa feita.
Neste importante estabelecimento encontraro os
freguezes.um completo sortimento de rcupa feita
assim como palitot, calcas, camisas finas a HOOO,
11800, 21 e 21500. ditas de linho a 31, 31500. 41
e 41500, cortes de brim, ditos de casemira de tu-
res a pretas, seroulas de algodao a 11600 e 11800.
ditos de linbo a 21. 21500 e 31.
para- homem
s a-11200 e
'2, Ioja d-
Isto na
ra da Imperatriz n. 72, loja
Guimaraes e Irm5os.
Paredes Porto.
Luwsde pellica pretas e
tras cor*.
Chepram para a loja de mindezas a
Uneimado n. 16.
OU
Fogos
de artificio
COMPRAS
Vende
A. Caom.
paarmacias de Maurer e de
PrmilO-w alafir Dma aegrinha oa mulati-
ana de 10 a It aanos : aa Pae^gem 4a Magda-
lena, tabana ao voltar para o Cujaeire.
preeiBVM de'am cafxelro : Da travessa do
Marisco n. 7, fabrica de cbaruios.
-*
----------. m--------
Compra-se oa Diarios de II 13 44 de
Agalo de 1860 u qtulquer noiro' pa-
ga-se bem ipeessoa que quizer vender le-
wk a Praca di Independencia n. 8 Ioja de
Itvfos._______
Copram-se la las vaiias de gaz : ca roa da
Guia n. 9.
*- Libras atarflnas compram-se a tate 7
todefendencia n. U. ________ -
7 Copra-sa ooro, pnita e pedras preciosa
em obras velhas: na roa da Cadeia do Recife
cja de ourives no arco da Cgnceicao.
Cajeado barato.
Vende-se na Ja^ da Independencia ns. 37 e
39, pelos baratisimos precos os seguintes calca-
Borzsguins de bezerro para homem a 11 e 61.
Sipatdes de bexerro para homemr'a 31.
Borzeguini para aeiUora a-Jl e31.
Sapatos de borracha a 11 e 11500.
VAKip.
arco daC^ncelc^o.
Sftialla Proprka p j-a gai e agua com 1|2
Vande-se ODtt armac con ajaseTpor
poitojBo Jico jiieio ; tutu aa raa- do Meadcco
hornero 24.
Algodfto avariado
.. i!" # tUm p?a.
^V 27 Ra do Queimado N. 27
Ha grande porgao de fogos de artificio na conbe-
rna do"'** fabrica da viuva Rufino, o qnal vendido por
commodo preco, e como seja penoso ir l pela dis-
tancia, as pesseas gue quizerem fazer suas encom-
mendas para S. Joao e 8. P^dro, as podem deirar
do armazem da bola amarella, no oltao da secre-
Uria da polica, onde llavera" um portador para
ir buscar e levar ao logar convencionado.
--Jooio a uocraa o. 4J vende-se dooe de
|olta M700 a lau de 4 fibras, gaz do me-
lhor a 101 a lata e a 440 agarrafa' e lodosos
mals gneros da melhor qualidade e por precos
commodo*. ^
Na aa*ja r bem jabeada jeflaacio i ra das
l*'D*nsv:tt,*nMoU*S respeitavel publico
um eompleto sortimepto de assncar de caroco por
jartto preeodror9e a qualidade, assncar reflaa-
do multo bom i 80. H. O e 140 rs. ^Tm-
Pwwr sanar candi a 540 rj.a libra; assim co-
1*S2 f.e".*T0N,*',"2^ ** e soperior
fJ.r.'-al,,bra' "< 3W rs., sevada
i'5&! J?.1^-irrCaprela verde de mui-
?iiSLqB,,IIW'a'fe,to a HM>t afloeH a 21400
StLZX"?*? *U MB0'" rf<* hra'
oaoaiimento de 5 por eento nos oreos aefma
Clegaram a loja do Augusto^
sobretodos de doa vistas
oamero 11.
na roa do Queimado
precos
o de composiclo
"JfJ* om cabriole! em porfolio estado
Sf^iW^S8. arrelos- '"'"-as e chcete,
Se S ftaocc' r* dImperador defroDt
Gaz liquido
a 440 rs. a garrafa e latas com 17 garrafas a 101;
no armazem da estrella, largo do Paralzo a. 14.
Fariiba de mirto
Na roa Direiu os. 84 e 86 ha sempre excellente
feriaba de multo de todas as grossuras, molda a
vapor, o qoe se vetada a prajo razoave)._______j
Sabnetes
Hcdleiaiaea de alcatrSo.
Remedio effleaz contra as doencas cutneas; as
impigens, burbulhas, comichoes, pstulas e sarnas:
aa pharmacia do Piolo roa do Rosarlo larga 1.10-
Tasso Irmaos
Tendem no sea armaze raa de
Amorim i. 35,
Licor fino Curaglo em botijas e meias botijas.
Licores finos sortldos em garrafas com rolbas da
vidro e em lindos frascos.
VinbosCheres.
Santernes.
Chamnertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordea. ,
Cognac.
OldToo.
PAezel lagniol.___________________
Laa de barriguda, o que de melbor apara
encher travesseiros : vende-se na roa da Sadr
de Dos, no armazemjjonto a' igreja.
Na ra da Imperatriz n. 28.
Vendem-se cortes de cambraia brancos com 4.
5e6 babados 201 e 251.
Fil de seda preto com flores a vara 11.
Cambraia* brancas de urna vara de larcca fi-
n a H e 80 rs. v
Picas lampadas e candielros a gaz por Rro-o
e a retamo. -
parelhos de porcelana, rflfeblliai o moitos i "
de gosto qae fHix avaiiario" o bom go
in? t*81*1"**'' a'lrottr os ngel
n. *9 das nove da manha as 4 da larde.
Vendem-se malas e bahus usados muito em
conta : na raa estrella do Rosario n. 34, loja de
trastes.

i


m
Diario de Vr..a>.e. ... leaU felra II de Malo de 1866.

ft
we-g g
3.9*1
S M
o g-g-
c "da
S5 <* S
&

*
co
fi

CB
00
i*.
fZ
I
H
(9

!,-.
'azendas de Augusto Porto & C.
11 Rua do Queimado~*'il
Caegaram pelo ultimo paquew superiores eoebovaes completos coa veslidiabos bor-
dada para baptisados. ,
Moir brauco, luvas de pellica, mantas e capellas brancas para noivas.
Liada colchas de seda de cdr e de la e seda pira camas de Kivas.
Grande sortimento de cortinados bordados para cama e jaoeHae.
Chapeos bonetes e gorros de palha de Italia para senhoras,
percalles, casaas e ohltas Una dos gostos mais modernos. ___
Alaerenoes, retondes e chales de renda pretos ____
Camisas finas com pellos, punhos e colanuhos de liobo par noratos.
Linda casemiras de core?, lasinhas, pannos e casaotfra ore* -
Camisas de flanelia, ee*ar*tos de linio, srootas de Moho. ^.....iu.
Camisas de mala, toas, baloes de arcos, 4e rauselioa e de madapoln, espartiroos
e Anos maoeitos bordados < wj ^
Esteiras da India para for ar salas
as melhorese por mais mdico pre$o.
11 Ra do Quelmado11
merino e bom-
COXSLTeRIO JEMCHMGICO
DO
DR. PEDRO D ATAHYDE LOBO HOSCOSO,
MEDICO, P1RTEIRO B OPERADOR.
3 Eua da Gloria, casa do Fundao g
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos osdias,das 7 as 11
aoras da manl5oy edas fie meia s 8 boras da noit, excepgle dos dias aantificados.
Pharrhacia especial homeojmthica
No mesmo consultorio ba sempre o mais appropriado sortimento de carteirai
tubos avulsos, assim comoitioturas de varias dymnamisaces e pelos precos seguirles:

Carteirl de 12 tabos grandes.
de 24 tubos fraades. .
de 36 tobos grandes. .
e 48 todpi grandes. .
i2*J000
18)9000
24,5000
304000
JWOOO
CORTES DE SE1IA _
Chefaram pelo paauetelngles riqaissimes oort de mweaotiotde corea, teda larraa a-
^4,, mAros por "ilBOO o covado
5-RUA DO CRESPO -5.
Gregorio Paca do A mar al A Campanilla.
vado.
ktsaa
::v:3
na
8
INJECCAOe CAPSULAS
VEGETAES aoMATICO
GRIMULT&CpharmaceuticsemPARIS
Noto tratamiento preparado com as folhas de Matico, rvort do Per, para a cara rpida e lnfallivel
!a Gononhea sem recri algum da contracco do canal ou da inflammaco dos intestinos. O celebre
loutor Kicord, de Pars, ter renonciado, desde sua apparicio, ao emprego de qualquer outro tra-
[.iiiento. Empropa-sc a njtcfio no conieco de Quxo; ai capsulas em lodos os casos clironicos inre-
: rados, que resistirlo s preparares do copabu,cubeba es injeccdes com base metalliei.
Deposito em Parit, 45, ru Richelien.
INJECTION BROU

Byglenlca lntalllvel e PrctervMIva, absolutamento a nica que cura tem ntnhum auditivo. Veude-se
as principaes boticas do mundo. (Exigir a insiruccao do ato).(M auno da eiiUncia.) Pars, em casa
do iBTentor BBli, bouletard Magenta, lis.
Vende-se na ra Nova d. 18, pliarmacia franceza de
P. MAURER & C.
sima

PERFUMERA oa casa oger
Boulevart Sebastopol, 56, Iar-iz.
Des medalhas, a condecoracao da Legin
d'honneur e a grande reputacao que tem lhe
dado o publico, taes sao as recompensas que os
scrvicos prestados a industria merecerao a
esta importante casa desde sua fondacao em
1804.
N'um sortimento de mais e 500 artigas,
as pessoas elegantes escolherao os seguate:
ROSEE DU paradis, extracto superfino
para lenco.
pommada cephalique contra acal-
vicia.
AGUA VERBENA para o toucador.
OXIMEL MULTIFLOR.
VINAGRE DE PLANTAS HYGIENICAS.
TINTURA VIRGIN ALE de beijoim.
ROSEE OE LYS, verdadeira agua de
Jouvencio.
_
------
CREME labial E de sueco de Rosas.
POMMADA velours para amaoiar
pelle.
ELIXIR ODONTOPHILE.
SABAO dedicada as damas americanas.
SABAO de bouquet de Franca.
4* de flores de alces rosea.
d* de flores priotanjres.
d* de bouquet do outono.
d* de perfumes exticos.
> aurora, dedicado aos dedos cor
. d* de flores das montanhas.
d da'chaira de foias nouTsan. i
d* de bluel) cheirosot.
d* de althea balsmica,
d* diapr, caixa rica, faftesia parl-
ai#ce.

t'Olarcs Royer ou lares
daos
ano-
p; i facilitar a dentijao das crianzas e preserva-
las das convul.3es.
" feliz resultado obtido Immensas retes pela
p iigiosa forca magntica dos colares Royer, nos
cas i de codvdIsSc, e dentigo ffas crianzas, tem
a nenie elevado o seu bem merecido prestigio, proprias para qualqner enfeii
e :>. s se pode dizer qne esta'o'geralmente coa- bem reeebeu lavas de Joovin
c ado?, e estimados de nnumeravels pai e
fa.r ;as : de uns porqoe do aso dsses saintares
co'aras viran saivos do perito suma ebaros fllbi-
c i? de ootros porque colherana daqaelles to
prvieut? ftemplo para igcalmenie preservar es
svu. Asslm, pots, aagnia branca, lendo em vis-
t uiidade eproveito desses prodigiosos cola-
re- nodioos ou Royer, mandou vir o novo sorii-
m; to que agora recebas, e conilwar a retebt-
i i-ara que em lempo algum a falla deitoe pos
*r fcnesfii aos pas de familia, es quaes ftcarc
c.: de os'a<:harcontaalement8 na ra do Qaei
un. 1 ja d'aguia branca n. 8.
Cevadiuha de Franca
a 160 rs. a libra, e da 8 libras para cima a ISO
rs.: no armazem da Liga," ra Nova n. 50.
Lautijlas.
A luja da Aurora, oa ra larga do Ro?ario a. 38,
reeebeu sortimento de lantijalas multo delicada*; e
para qualquer enfelle, assim eomo tam-
brancas a da cares t
para hornera e senhora, multo fresca?, cha
pelo ultimo vapor, todo isto na>ja, i& Ma
roa apta do fosarlo d. 38.
lliC
fti
Gros de aples preto a 1,5500,10600, 2, U, 3^00 e 45 o covado.
GorgurSo prieto de superior qualidadea 2J50O, 21800, 3#eWoco-
Suporiores moreantiqnes a 2#500, 2*600, U, 30500,, 40 e 50000
covado.
Bons cortes de moreantiqne.
dem de gorgnrJo adamascados.
Bons pannos e casemiras. .
Sup riores alpacas, princetas, merinos e bombaztnas.
Bons villudos pretos. "
Grande variedad de chales de filo preto e de guipare a 50, b0, 80,
m, 120, -le 160 a 203, e de 250 a 800 cada um.
Superiores retondas de fil preto e de guipare a 80, 100, 120 e 250,
e de 300 a 600 cada urna.
Superiores algerienes de fil preto e de guipure de 120 a 250, e qo
300 a 600 cada urna.
Bons chailes de seda preta. ,
I Ditos de Merino preto bordados e outras muitas fazeadas pretas que
*F seria enfadonb enumerar, na
I IOJI DJl COUJIIYiS
^ DE ANTONIO CORREIa DE VAS0ONCELLO9 & C.
W UVA. I0 CRESPO H. 13
PHOSPHATO DE FERRO DE LERAS
DB. EM SCIEICIAS
INSPECTOR DA ACADEMIA DE PARS.
Nao existe medicamento ferruginoso to notavel como o phosphato de ferro de
Leras; asgummidadej medicas do mundo inteiro adotaram-no com socitude sem igual
nos annaes da sciencia. As cores paludas, dores de estomago, digestDas.penosas, ane-
mia, convale cencas difficeis, idade criticadas senhoras, irregularidade ni menstruac5o,
pobresa do sangue, lyoiphatismo sao curados rpidamente ou midificados por este ex-
cellente composto. o conserva lor por excelencia dasaule e declarado superior nos
hospitaes e pelas academias a todos os ferruginosos conhecidos, ao idoreto e ao citi
e 48 tfidp graodas. 3AI0OOO
de 60 tba grandes. $30000
Prepara-se qualquer carteira coaforme o pedido que IB fizer, com OsraBiedioi
jDfe pedir. 3 )
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 10000.
Sendo para cima; de 12 custarao os precoe esUbelecidos para- as carteiras.
Ha lobos aui5 pequeo cada um a 500 ris. (UI(\
IIVROS.
A melhor obra da homeopathia, o Manuel de Medicina Homeopathico do Dr. Jai6
deas grandes volumes com diccionario............ 20000b
Medicina domestica do Dr. Hering.........w 100000
Repertorio do Dr. Mello Moraes .*........* \ 60000
Diccionario de termos de medicina........... 30000
Os remedios deste estabelecimento s5o por demais conhecidos. e dispensam por
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que quierem usar de remedio i
verdadeiros, enrgicos e duradores: ha todo do melhor que se pode deseiar, globos de
verdadeiro assncar de leite, notaveis pela sua boa oonservacao, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparac3, e DorUoto a maior
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qnalauer
operacSo, pnra o qne o annunciante julga-se sufficientemhte habilitado.
0 Iratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica
funecionando a casa ha mais de quatro anuos, ha muas pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, qae podem ser consultados por quelles que desejarem mandar sena
I doentes.
Paga-se 20 por dia durante 60 das e d'ahi em diante 10500.
As operaces serSo previamente ajustadas, sauSo se fjni2erem aujeitar aos pre&oi
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
AIUIAZEM DE FAKGUDA^


CUSTODIO tlllVALHO
27 RA DO QUEIMADO N. 27
Madapoln francez muito fino, tendo pouco mofo, cada peca com 27 varas per
100000.
Laa de cores a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos ^rgandis a preco de 800 rs a vara.
Lencos brncos para algibeira a 2rK00 a duzi.

Ens perclaras a preco de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de lia de barra de 100 a 300000.
Chales de fil preto e outras umitas fazendas.
t
-
Novidades do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
se acbar bem sortido oomo todos sabem,
i hoje mais que nunca, n3o s pelo que rece-
de ferro, porque o nico que convem aos estmagos delicados, que nao provoca consu- ^ de sua propra ^nto, mas tambem pelo
pacao nico tambem que nao enegrece a bocea e os denles. J que recebe de consignares; parece sem
MACHINAS DE PATENTE
DE T1ABALHAR MO PARA DK5CA-
RilaR algodo
I ABaiXAe> S4Mt
PUIT BROTHEBS & t
OLDAM. \
Estas machi-
nas podem de;s-
carogar quaf-
uer especie d
Igodo senri
finV
.:
Em Paris na ra da Feuillade n. 7.
A venda em casa de Maurer, e A, Caors.
PECHINCH.V m 1G14L
Ricos cortes de gorgurao de seda pretos adamascados para vestido com 13 metros
ou 18 a 20 covados cada corte, largura de chita fr&nceza, pelo baratisslmo preco de 505
cada corte : na loja das columnas da ra do Crespo n. 13 d Antonio Crrela de Vascon-
cellos & C. -
duvida que deve offerecr grandes vanta-
gens para o respeitavel publico tanto em
; precos como na escolha dos objectos, e co
estragar o fio;<
sendo bastante
duas pessoas
para o traba-
lho; pode des-
ea rogar urna
arroba de al-
godo em ca-
rolo em 40
minutos, ou
18 arrobas por dia ou cinco arrobas de al
godo limpo.
Assim como machina* para serem movi-
das por animaes, que descaracam 18 arro-
bas de algodo limpo por dia; e motores
tres dessas ma-
\
V
$
j mo acaba de chegar grande remess'a pelo I Pafa movef uma' duas 0Q
; vapor Douro e o navio Solferino de! cfi'nas'
VERDADEIRA AGVA 1IIAEKAV
PAST1LHAS DOS SAS NATURAES DE VICHY.
VENDE-SE
Na botica e drogara de Barthqlomeu & G. Ra larga do Rosario n, 34.
_
t
-------

Acabam dereceber G.PafisdDAniaral^G.
5 RA DO CRESPO 5
Aotiga casa de Cnllheriue la silva .ulmirrs
Ricos cortes de vestidos de gros-de-naples prelo^ com lindas barras bordadas.
Moire-anqne'pretoemcoates e em pecas, liso.pwleifjoe eoa palmas.
Gros-de-naples preto, da diversos precos e larjrwT|? j} J,
fnrgnrariprain, fazenda superior a todas pela qualidade, e bonito tecido.
E&te estabelecimento
acha-se sortido com oumiosa qoaotidade de fifs pretos, de algodSi, de lihho e de se-
da, manuaoturalos em '.a
-^ales-
' A)
W'
tvt-t
retondas
jy*B
#)lUJ
ib si
Verde-se a taberna da roa da Guia o. 36 pro-
prio para priocipaote, e o nativa se dir ao com-
prador.
oSho\>N>Vi mm\
fbouraiis),"V\
anamites
afrieames
a rs v pompadour,
F
t
O- 45 Ol^f^i
i* .i
muito
das
;\

cortes de popefine de listras de corea, e matizadas,
ote nevos; e outras muiUs fazendas de gosto, vin-
diversos objectos de gosto e proprios do
tempo dos quaes se mencionarao alguns,
por n5o ser possivel mencionar -todos. O
dono deste estabelecimento espera a pro-
tece3o de todos.
Riquissimas caixiuhas ornadas e com
msica propria para um delicado mimo.
Gaixinhas de msica tanto de veio como
de corda.
Ricos porta joias e necessarios.
Riquissimos estojos a feitio de um bausi-
nho ou chapeuzinho.
Ditos em casca de noz e de outros gostos.
Leques de madeperbla de sndalo e de
faia e madeira.
Chaposinhos e touquinhas de muito
gosto para crianzas.
Meias e sapatinhos de seda para as mes-
mas.
Meias de seda para senhoras.
Capellas e grinaJdas de Adres proprias
para casamento.
Enfeites e capellas de muito gosto para
seuhora.
Riquissimos porta boquets.
Roquet de flores com uma borrachinaa
com cheiro.
Luvs verdadeiras de oyin.
Ditas de seda e de Escocia.
Riquissimas pluma e guarnigOes para
-enfeitsr chapeos.
Coutas e tubos de ago branco, que ba
muito se desjav para' enfeites.
Brincos, fivellas e cruzes de crystaU
Fivellas e cruzes de tartaruga, madripe-
cola a Jurados.
Alfinetes para graratas.
Botoes com croas para punhos.
Gravatinhas e mantinhas da muito gosto,
tanto para homem como para senhora.
Riquissimos aderegos pretos, assim orno
caixinhas com alfinetes pretos.
Bngallas de canoa com cabo de marfim.
Ditas de baleia borracha, e 4 oo*ras
muitas qualidades, assim como
Os mesmos tem para vender um bellsi-
mo vapor que pode fazer mover 6eis destas
macbinas mencionadas; para o que eonvi-
da-se aos senhores agricultores a virem ver
e examina-Io, no a mazem de algodo, no
largo da ponte nova n. 47.
Satandera Brothers A C.
Recife praca do Corpo Santo n. 11.
Os nicos agentes neste paiz._________
0 casteilo de Grasvle.
Traiuiido de (ranees por A. J. C. da Crm.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 34000
na praca 4a Independencia, livraria n*.
6b8.
erman(
Frameisco Jos
RU NOVA N. 2,
acaba de receber nm"Hndo a magnifico sor-
timento de oculos, Iunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa e ocu-
los de alcance para observacoes apara ou
maripos. _____________________|
Vendem-st
machinas asaericanas de serrote para, dasearoca
algodo: na ra da Segaala oya, IX,
Ronpas feitas de todas as qaalidades
Vende-se
de case
caras*
t Vi.
no
5 BA DO
Gna peehiieba fe maaapslo etm
Paredte Port venda aasa rmf.wrfr mar
da,.>!.io avariado, ,'aianaa da W*a lia a paoav a
65-vv' 73 com pequeo loque : m roa a Inpe-
ratr i o. 52, armazem da per larga Junto a pa-
daru franceza.
das
VeQdem-se garrafas e bou
na roa da Soleade n> 38.
m
vasia e lava
Vendea-Fe IM pedrw']
a Uha : a tratar na ruado
...... i i ii ni in
Tadrilho^ viadas
wato erw,ft'
No armazem 'rci'a
CaeadPsaM a. 1\ tem arsiiwUMr4*
or gaz esiteate n mercad.
Vtne-se.
Uma _oa#*MHa 4a Sactasna jmmo da. fasta,
ctrp4* em HJte.Projf*i part. aoalauar ts-
a aatar u neesM vttla sota Au-
1 '^T^e^acasiUrreaslu oaWa-VWroa
oa ne M fumn ni; ej araUxtef rJj-u a rua
o me-, Direlta eaaa larrea a. S% e,ue achara com quera
1 i tratar.
_ .'enca f ii. ,
lesta sifr prerenHfes, idpedldos e
BH''MSl'*nffl dflBtfl ramadln hnliaa
atoReaaasotaifa a. 10.
'.^mmuii >a tu i ai i... i
'tendeas-,
rua da Crui
de Almeida
4t
escr'tplorlo #t Anto
*: *
arrega.
laiUsJ^sja um completo
mo gosto;
menina,.
s qualidades.
Diademas para caneca de ultimo gosto.
fgqUsimas fitas lavradas e lizas.
Traecas pretas com vjdrha e.- coree,
liras lauto para senhora como paca
di-
tas
da
dt tais arajico a
da
4a
1*600, de casemn
i|60a.aa^flOi casis rMeesanBWrans a
peitos de cosa vP*5&. *las int,e*i? U-
s^s>pj^lf|j] H! ?_ SW na
gaCbn^airH, tofa4a4xaW.l>,St.
SSSfr^fi.
'WWi'" na*
tm eaast ee Savalws Drsttssfj d C.,
do CtW 99SOO0,. IJ. va^raa,.. es
_ m> aeHasatea^MW JI miver
res oa quatro machi
**
Ligas de seda e de
i se tornar
i Vigilante roa
n. 7.
w
Be calde reir e landi
I

i
i
l
T*
VattVM a grwde Mriea acteMfrla-
dlco 4 naaem 4a raa Imperta** Wt a 118;
e triiar con a vlnva de
a roa Nova n 35, oa na raa
i
da Silva,
0.57.
mt^ n^^t


r
waauswHDk
fct Htdt HfMXrt
da parta larga
I unte a patlaria f raJeesa de
Paredes Parto.
Neste eiitabeleeimento encontrara o respeKtwl
publico um Tariado sor lmente de rateadas trnce-
las, lagleaas, salssas e allemes, qae se venderlo
por prego commodo.
Paredes Ptrtt "
Vende chales de renda de cores qne se vende-
ram a 18;j est vendendo por 6J, ditos pretos, fa-
xenda nova, 5$, 65, 8 a 20$, um sortimento com-
pleto de manteletes, capas e soutambarqoes 144 a
23jl. Ra da Imperatru n. 42, junto a padarla trn-
cela, armazem da porta larga.
Paredes Porto
Receben um completo sortimento de llaslnhas a
240, e 28(1 rs. covaos, para acabar, cambraias de
cor a 240 xs. o co vado, riscado escossez para ron-
Sa de menino, fustao de linbo a 420, 400 e 900 rs.
na da Impera-tris n. 52 junto a padarta franceza,
armazem da porta larga.
Paredes Porto
Receben para cortinados para cama tranceza a
11$ peca-cambraia lisa Qna a 3 kj> at 104 a
peca, corles de tarlatana'de bonitos gostos a 34500
44, cambraia com flor de seda, gosos inleira-
mente nevos a 400 e 500 rs. o covado, no armazem
da porta larga n. 62, ra da Imperatriz junto a pa-
sara franceza.
Paredes Porta
Receben pelo ultimo paquete um sortimento de
cruzes com pedras para o pescogo, bonitos raimis
de lia para pescogo de senbora. Ra da Imperatru
c. 52, armazem da porta larga.
* Paredes Pnrtt
Vende cortes de gorgoro preto para vestido com
31 co vados cada um 304000, grsdenaple preto a
600,14800 eS4 o covado, lias lizas finas a 400
rs. o covado, laas de quadrinbo para vestido, entes-
tada, a 320 rs.-o covado. Ra da Imperatru n. -82,
armazem da porta larga.
Rorpa feita
Ra da Imperatriz n. 52 armazem da porta lar-
ga junto a padaria franceza, encontrase nesto es-
tabelecimeato nm completo sortimento de palets-
'accos e sobrecasacos, de todas as qaalidades, cal-
cas, colloies, ceroulas, camisas, grvalas, meias,
chapeos de sol, ditos franceses para eabeca, por
precos commodos, roupa para menino e ontras
muitas fazendas por procos commodos, rmazem
da porta larga.
No mesara esttbelecimento encontrara o respei-
tavel pcblico, sempre um coptelo sortimento de
roupas fetas de todas as MMMNj como sejam
paletos de alpaca preta e de cor, ditos sobrecasa-
cos a 44 e ditos de triro pardo a 14800, 34 o
'14500, ditos tinos a 44, ditas meias atemora a
34500, 44 e 54, ditos cazemirasaccosa-84, 74,84
e 104, ditos sobrecasacos a 10 e 124, ditos de pan-
no saceos a 64, 84 e 104, ditos sobrecasacos a 124
e 254, ditos de merino preto a 64, 74 e 104, cal-
cas de bnm e diversas cualidades a "14800 a 44,
ditos brancos a 24508 400, ditos earemira 54,
64 e 74, ditos pretos a 54, 64, 84-e 104, ditos
meias cazemiras a 34 e 44, coletos de diversas
cualidades, emulas francezas de afcodo, ditas de
Jubo, ditas de bramante-a 24 e 2450C, carnizas de
agodo de linbo francezas de 24500-e 34. Gran-
de pectmicr.a ueste gotero, gravatas de todas as
jualidades e brancas para casamento, grande sor-
timento de meias para senhoras, ditas para borneas
a 34, superiores a 34*90 e 44.
Um completo sortimento de cbapos de sol de
alpaca a 24, ditos de-seda a 54, T, 104 e 144,
Sitos'franeezes para abega, grande sortimento
a 64.
I
Diarlo de pama 1*JU&M *-
WWm
X
zz
pstulas,

Vestidos
SALSA PARMLH4
PASA A: CURA RADICAL
de tercilas e abestias escrofulosas, tumores, ulceras, ch;
Ibas, bronchocele, papo ou papeira, a sypbilis, enfermidades venerrarj
curiaes. m i "
AS MOLESTIAS DAS MLUERS
retencao, raenstro doloroso, ulcencoes 4o ulero, flores briafts, ele., ulcera-
550, debilidade, expoliacSo dos oasos, a nevralgia e conr [siles epitepticas
quando causadas pela eserofula.
ERYSIPELAS ERPES;
Enfermliiad'.es cutneas, erupcSo, bor
nascldas, etc.
0 extracto composto de salsa parrlltaa, confeccionado pelo Dr. Ayer, e urna
combinadlo dos melhcres depurativos e alterantes conhecidos medicina; confeccio-
nado segundo as regias da sciencia, approvado e recetado pelos primeiros mdicos dos
Estados-Unidos da America do Sul e Central, das Antilhas, do Mxico e das indias, e
muitas ontras partes do mundo: o resultado de estado apurados e minuciosos, e de
experiencias felas pessoalmente pelo Dr. Ayer, por muitos anuos, no principaes nos-
pitaes e < nfermai ias da America ; tem sido approvado pels academias de medicina e
junta do bvgienne das principaes capitaes da America do Norte; para prova disto vede
\ os atestados authentcos ao Almanak e Manual de Saude do J>r. Ayer, osquaes ledis-
tributtn gratuitamente nos logares onde se vende o remedio.
A SALSA PARILHA DE AYER
Especialmente fBcaz na caca das molestias que teaa sua orlgeaa
na escrfula, na iufecca Teneres, na so
excesslv do ni ere mi 011 qnalqucr Impureza da sangue.
A molestia oo infecc5o peculiar, conbecida pelo nome de escrfula, um dos ma-
tes mais prevalecentes e universaes qoe ha em toda a extensa lista das enfermidades que
atacam a oossa raca; disse um celebre escriptor da medicina que % mais de urna terca
parte de todos aqoelles que morrena antes da velhice s5o victimas, ou directa tamente de escrfula; por isso s nao tao destructiva, porm a principal causa de
muitas outras enfermidades que nao Ihe sSo geralmente attributas.
urna causa directa da tsica pulmonar, das molestias -do figado, do estomago
e affeccoes do cerebro; entre seos numerosos symptcaaa acbam-se os seguintes: falt
de appetite, o semblante plidoe- enchado; as vezes de urna tvur'a transparente e outras
vezes corado e amarellento irregular, fraqueza e moileza nos msculos ao redor da boc-
ea ; digestSo iraca e appettite, falta de energa; ventre enejado e evaouagSo irreg^ar;
quando o mal tem seu assento sobre ospulmes orna cor azulada' mostra-se em rodados
olbos ; quando ataca os orgftos digestivos,-os ottios tornam-se avermefcados; o"bali-
to ftido, a lingua carregada; dores de eabeca, tonteiras, etc. Nasipessoas de disposi-
Clo escrofulosa appareoem frequentemente erupcoes na tpelle da cabea e outras partes
dooorpo ; sao predispostss s affeccoes dos pulnoes, do igade, di s ria, dos orgos
digestivos e uterinos. Perianto, nao sao smente aqueles qoe padcela da formas ul-
cerosas -tuberculosas -da escrofuUr que necessitam de proteecjto contra os se uses tragos;
todos-aqvalles em cajo sangue existe o virus latente deste terrivel flag^llo {e s vezes e
bereditario), estao expostos tambem a soffrer das enfermidades que elle causa, que s3o:
A tisica, ukeracoes de figado, do estomago-e-dos rins; erupcoes e etfermidades
eruptivas da culis, rosa ou erysipela, boibulhas, pstulas, uaseidas, tumores, rbeuma,
carbnculos, ulceras -e cbagas, -neumatismo, dores nos ossos, as costase na eabeca,
debilidades femktinas, flores brancas causadas pela jlceracSo interior, e enfermidades
uterinas, bydropesia, indigestSo, enfraqoecimento e debilidade-geral.
Offerecemos a estas pessoas um abrigo seguro e um antidoto emeaz contra esta
molestia e Suas oonsequencias na
SALSA PARRILHA DE AYER
qafr opera directamente sobreo sangue,tpurificasdo-o e expulsando delle a corrupto e o
veneno da moiestie; penetrallodas as partes e todos os orgaw do corpo immano, livran-
do-os da sua aocao viciada e inspirande-lhes now vigor. um aHeraaie podarosissimo
para a renovacSo do sangue, e d ao corpo jesfraquecidoipela doenea, forjas eener-
gias renovadasecao as da foventude.
E tambem o mellior anty-syphilitico coshecido
cara permaEenteraente as peiores formas de sypbilis e as-suas consequencias. ?*ouca
neoessidade fea de infonaar o publico do inestimavel valer de um remedio n" "nmn'
E$TABELE\TO
iPechlnclta sena igual.
Cbegou a loja de Paredes Porto om bonito sor-
timento de vestidos de qae serve para partidas por ser ama pbaDtasia ln-
turamete de gosto polo barato preco de 44 o
brancos a 44500, estao acabando-ee : no armazem
d porta larga ra da knpertriz n-'S2, iunto a pa-
daria franceza.
Cortinados.
prego de 254, 354 e *4 : na roa di Imperatrlsi
n. 52, porta larga junto a padaria franceza.
Ricas romeirae.
Paredes Porto receben pele ultimo paquete um
sortimento de romeira-de gnipure pretas e do file
a preco oommodo : na ra da Imparatriz n. 31
porta larga judio a padaria franceza.
3|000
Cortes se la a escocesa .para vestido a.34 o cor-
te : na ra oa Imperatriz n. 52, loja da porta lar-
ga, junto a padaria franeeza, esto se acabando.
Para luto.
Laas pretas com taMtW brancos a 409 e 500
rs. o covado : na roa da Imperatriz n. 52 junto a
padaria franceza armazem da porta larga.
1$4G0
Chapeos de sal.
Vendem-se chapeos de sol de panno a 14400 e
urna grande pechinena s para acabar : na ra da
Imperatriz n. oi armazem da porta larga de Pare-
des- Porto.
A
naa da Iataeratrlz, X. 60
DI
GAMA & SILVA.
- LOJA S ABMAttJt DE FAZEHDAS.
Tendft-os proprleurios deete grande esubeleci-
meoto eito um grande abatimento em maltas de
toas faxendas, pela occasiao do baloco que deram
no ultimo de dezembro de 1865, resolveram vender
muitd-rais barato do qae costumam aflm de cad-
ver mals agradarem aos seas numerosos fregan-
tes ; por tanto Ihes offerecem om avulado sorti-
mento de fazeadas francezas, Ioglezas, as quaes
vender mais barato do que era outra qualquer
parte, comprometindose a mandar levar qualquer
fazenda em casa dos fregutzes qne nao poderem
vir a loja, ou a darem as amostras, deixando ficar
o penhor, assim como convidam as pessoas, que
negociara em menor escala que ueste grande esta-
beleelmento encontraro nm grande sortimento
tanto a retalbo como por atacado, veodeodo-se-lhe
apenas pelos presos qae compram as casas ingle-
zas, sendo com o dinheiro a' vista.
As toalhas de li.- ho ira Pa>o.
Vendem-sa superiores toalbas de linhos para
rosto pelo baratsimo pre^o de 74500 a dazla ou
a 640 cada urna.
Guardanapos de linbo adamascado para meza
24800 a duna ou a 240 rs. cada um.
Superior atoalbado de linbo com oito palmos de
largura sendo tranco e pardo, e vndese mais ta-
cato do que em outro parte, na loja do Pavio na ra
da Imperatr|z n. 00 VGama & Silva.-
Os corpinhos ae seda pretos do Pavo.
Vendem-se os mais ricos corpinhos de seda pre-
tos, ricamente enteilados, pelo barato preco de 124
cada um : na k})a do Pavo na ra da Imperatriz
n. OS, de Gama & Silva.
Bina* vestidos a 8jg000 rs.
pechincba adwiravel.
. S o Pavso recebea pelo ultimo vapor francez
om grand sortimento dos' mais ricos cortes de
vestidos trtnsp'srentes com lindas barras e enfeites
de seda, sendo estes vestidos multo propries para
baila1 e passeios, e veodem-se pelo baratissimo
preco da 84000 rs. cada nm; na loja do Pavfc na
ra da Imperatriz n. 00 de Gama-& Silva..
Os (teles pretos de mida do Pavo a 8#000 rs.
Veadem-se os mais ricos chales pretcs de renda
com qatro pootis, senda moflo grandes pelo ba-
ratissimo piteo de 84.
' itos de guepore a 154,1^5, 204,254-
Retondas de-dito a 104.
Manteletes tfe renda, taeenda muito saperior a
<34000. t -
Capas e aoibambarqees de grosdeoaples bor-
dados, fazenda iuteiramecte nova, por presos mais
baratos qae em outra qoalqoer parte.
Isto na'loja armawm do Pavo na ra da Im-
peratriz -n.'SO de Gama-ik Silva.
0scbk8 do pavas a 2ao 25oo rs.
Vendem-se cbales e 24500- cada um.
Hitos-de merino *Ho a 34500.
, Ditos-estampados-de crepop. a'64, 74, e 4000.
Ditos pretos bordados com franja de seda a 144>
Na loja e arm&i.n do Pavao na roa da Impera-
triz n.'SO de Gao & Sil*a. '"
'Pafs'tat vendeoiPavao.
Setim da Cbia com 6 palmos de largura, fazen-
da preta para loto, propria para -vestidose roupas
para humeas, soado esta nova 'lazsnda sem lustro e
demaito boa ^aalidade, ptrantiodo-se nao iicar
inssa com o tonpo e veade-;e pelo tiaralo pre^o de
fl^ e 24560 o ovado, asswi eomo-neste estabeleci-
'"rceD'o tero om grande sedimento de todas -as fa-
zenas pretas , que, como f**? ^9 ^STSiJrSS&SSL
este, livra o saaguie desta corrupcSoc arrebata a victima das garras de urna morte leDta [SQSmJS o?deSa &-SHva
e igoominiosa, ;pcrm isevitavel, se o anal n5o logo combatido com eaergia. >qs b'a.oes do Pavo.
E uaa pederosissanoalteraBte.para a trecovac3o do-aangue e-para darnova for- 'Vendem-se superiarstoioes 43 mucuiinacom
ca ao corpo ja eufraquecido pela doea^a. ]!PJ?'^'ro Seodo composto de producios vegetaes, -este medicamento ioaocente
"n.60.de
Cortes de cambraia com palmas Da loja do
Pavo.
Vedem-se cortesi de cambraia branca com pal-
mas, sendo fazenda ll,uit0 boa, pelo baratisMmo
preco de 24500 para acabar : na pja e armazem
oo Pavo na ruada imperan iz n. 60, de Gama &
Silva.
Lencos arnacos a t# dnzla.
. Vendem se leDjos brancos fazenda muito boa
pelo baratissimo preco d 24 a dazla, Ditos com
narra de cor a 2000 isin para acabar na loja d-
Pavld na ra da Imperatriz n. 60 de Gama 4 Sio
va.
Poupeliuas modernissimas a 400 e 500 rs.,
o covado oa loja do PavSo.
Chitas al SO rs., srfai;
Vende se o mais bonito
glezas, padroes aiidUBapai
do tambem ioxas pai
cores fias, e veoatKfcpa barai
nave viniens o covado, 00 a pega c
por 64800.: i>to na loja e armazem i
rol da Imperatriz n. CO, de fian
Vestidas ara icos.
Chegararo para a foja do Pavo os mals bonitos
coites de vestidos de^aaibVai branca, tas bairas lonas branca, assim como tom, barras,
dp cores, sendo fazenda transparente e muito fina,
tendo cada um corte bastante fazenda e mnit ro-
da, e vendem-se pelo baratissimo preco d* 84 a
lOj :.na loja do PavSo oa roa da Imperatriz.
60, de Gama dt Silva..
Vendem-se poupelinas muito- finas sendo fizenda. -' -
eiita vendendo Cortes de tilatana la tfju oo lava#.
muito moderna de quadriuhos
pelos baratos precos de 400 e 500 r?. o covado na
loja do Pavo na ra da Imperatriz n. 60 de Gama
& Silva.
CHreadenapies pretas da Pavo.
Vtndem-se superiores grosdenaples pretos ^ektf
Laratissimos presos de 14500, 14600, 14800 e 4
o covado, sendo lain.ua muno ba, s para ac
bar : na loja e ara azem do Pavo, ra da Impe-
ratria n. 60, de Gama & Silva.
Bramante de llnho do Pavo.
Vende se superior bramante de hnho com 10
palmos de largura, pnprios para lences, pelos
baratissimos preces de 24 e 't'.OO a vara, assim
como pauno de linho muito tico pelos Laratissimos
precos de 640,700 e 800 rs. a vara : na luja e ar- i
mazem do Pavo, iua da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma &. Silva.
Cambraias lisas da Pavo. 1 ,., .
Vendem se pecas ae cambraia lisa muito supe-1 No I 7 de margo de 1864 fugio da esdad*
rior, pelo barato preco de 34200 e 34500 a pe{a,'"a Fortaleza,pap.tal do Ceara Marcellino escra-
dius muito finas a 5#, 64, 74 e 84: na loja e vo do )Uiz de dirello da dita cidado o Dr. Joaqu.m
armazem do Pavo, tua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
PECI1INCHA 1
a 2000, para calcas, s o Pavo.
, Vendem seos mais modernos cortes de iarlat.-r,a
com as mais lindas barras de cor, pelo baratiSMibo
- preco de 54 cada uro, sendo neste artigo o meibor
que tem vindo ao mereao : isto na loja e ai ma-
zem do Pavo na roa da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva._______________ '. '
Vendem-se 5 casas de ppdra e cal, sjno 3
na ra do Bu n. 118. 120 e 122, outra na roa de
S. Miguel prxima a Igreja, freanezia des Afogados,
outra na travessa da Remella freguezi de S. /os
a qual rende 124000 mensaes, qu-m as preender
diiija-se a ra Bella n. 36, a eoteuder-se cot
Americo Ferreira da Sjlva."
ai].!ii/-i'.*-ijjJ!-'ji--.--'- j.'vm*
Escravos fgidos
eao mes- i ^8800, ditos coro 20e%a 34, ditos para m?ni-
9 que muitos dosremedi es iterantes ofisrecidos ao pubHco tsm por base o mercurio ou 0jr6oma.& Suva.
arsnico; e seado assim, bem que s vozes podan effectuar curas, csmludo deixaui suas--: i&.iaoraiac de forro .a i5600 e 2i na loja
victimas carrejadas de umalonga serie de males, muitas^vezes peior do que o mal ori-} as 'Pw.
Cbegou a loja de Paredi comnieu> 'M'- A nica usa uecessaria para obter urna-cura radical seguircom juizo-e cods-| "Vendem-ce pecas e cabraia de forro cem co-
sortimlnlo de cortinados ricamente"bordados a: as difeccSes que awmpanbam cada frases. ? ^^^^7^
Nao pretendemos promulgar, oem queramos que se iafira que esta composigao a 3topS5te! f&Z SI "sirva,
sm remedio sfallivel pata a cura de todos os padecimeotos humaaos ; infelizmente =| is corticados do Pavao.
estofla ea sypbilis sao eufermidades to sutts as suas nalurezas, arreigam-se tSo-j Vendera-se superiores cortinados adamascados
firmemente 00 ystema, >qe muitas vezes evadem eresistem aos remedios mais pode-ljfra camas pelo baratissimo pre?o de 14-cada par,
rosos que ascienda fauaw pde-aifaatar pata combate-las: o que dizemos rpw o ifj gj ^SS^ afojaTar!
riXtracto composto de salsa parriina de Ayer
ielhor preparac5o at boje descoborta para-estas e outras molestias anlogas, que
urna combinado dos alterantes mais efficazes coobecidos, e que esta coaJbioao tem sido
regulada per loegas e laboriosas experiencias, e finalmente que temos oonsciencia de of-
ferecer ao publico o melbor^esultado que possivel produzir, da inteiligencia e pericia
medica dos nessos tempos.
Este remedio deve ser domado cota systeuu e regularidade, e niocom abandono
poie um remedio e n5o bebida.
Quando as molestias do figado .n3o tem sua origem na escrfula, o remedio
maisproprio aspilulas catarticas de Ayer, queao efficazes aa curadamoltffitia,qae
m por causa um desarranjo dos orgSos digestivos. Pedi a rsalsa parrilha do Ayer e
alo acaitai outra .preparacSo.
1^500.
Vendem-se pecas de tranca Pi"*** Para enfeites
de vestidos, sootembarques, capas de seohora a
14600 com 10 varas, urna grande pechincha : na
roa da Imperatriz n. 52 junto a padaria franceza.
48000
Chales de renda pretos.
Vndese cuales de renda preto a 44000, nnicc
loja qoe pode vender i na ra da Imperatriz n. 52,
armazem da porta larga, de Paredes Porto.

e e o
-Pg
g.
5>g
S.0.2 3 2
S-S-3.3o>2 i
i|o
a
C v ,
O, o
ll'ljrt"
i-gS .2.5*8
i*?
"2 s 1
3'rf i

Pernamfeuco, ra No-va n. 18, pbarmacia francezade E. Aaurer & .
VENDE-SE
\o aijucazem de M. J. Rasaos e SHv.x & Oeuro. rna 9 Tigarfia
11. 11, c*iitanf tarute. osaegaintes arlg;s. que
reeebem por encoiumeuda piopila de
lEW-YOltM.

Legitima salsa parrilha de Brislol, preparada por Lanman & Kerap.
Verdadeira agua Florida," preparada pelos mesmos.
Gaz em latas de cinco gal5es, o mais purificado que se "pode desejar da acredi-
tada marca F. W. D. & c.
Relogios perleros reguladores, com corda de quatro a ojio das, dos afamados fa-
bricantes E. N. Welch.
Graixa em latas grandes da bem conbecida marca las. S. Masn {de Philadel-
obta).
Superior oleo para machinas de costura.
Agulhas para as mesabas.
Breu em barrieaa grandes e pequeas.
Yende-se tambem:
.
4.a qaadade.
St. Estepbe.
St. Julin.
G. Margaux.
C. LaBtte.
Medoc.
*
PORTO
4a aaalidade,

Vinho fino do Porto embarris de 5/, 10/ e 20/.
Superior vinbo doRheno.
Cera de Lisboa W velas e om grume.
Principe Real.
Pedro V.
Mara Pia.
Prioceza D. Isabel.
Vctor Emmanuel.
Duque.
Malvazia.
Bofb.
licsrlo-
m rna a y^awtfn. W.^rlmeirennda/

Finas pecas de madapelSo com 5K) varas a 9. .
Lencos de cambraia oranea, duzia 2.
dem de cores fixu pira nenios, dutia UW.
Ciaali talas.
a 300 rs. o covado.

'
Cambraias e co
Guardaaapos
Alfode tro
11300 a vara.

u
ppla, caoBto.,ffiH
00 menos, d*servicd
Itari
Bspsrior br iaiU* de
uaftaailiiflb psq
1<3
En tremsDad* ifl
neos do oa.paraS
^ara toalhas de mesa, 1 preco
Cesaa &-Silva.
Panno preto a 2$ na loja do Pavao.
VtndeM, panno preto. faaenda motto boa, pelo
barata, prc^o de 24 o -cevso, dito uito (ioo a
343OO,.44, e 64,asim como casimira preta de
eorao a 3$ o covado: oa loja do Pavao na ra da
Imperatrizn. 60, de Gama &-lva.
Os espartillios doPavSo.
V espsfuUios dos mais,bem feitos que tea :viudo ao
mercado,-sendo de todos os tamanbos, vendendo-se
por tim preeo muito raaoavel : fio na loja do Pa-
vo na usa da Imperatrizn. 60, de Gama & Silva.
Am das bordadas da pavo.
Veadem-se saias bordadas sendo fazenda muito
boa, sodofica mente'bordadas e com muila roda
vendeodo-se pelos baratos presos de 04 89 e 104
res cada urna na loja do Pavao na roa da Impera-
triz o. 60 de/Gama & Silva.
Breaelias de rote a 3.s#*30g
Yendem-epegas de bretanba de rolo com 10
varas cada pega, pelo baratissimo prego de 34 :
na oja e armaeem do Pavao, ra da Imperatriz d:
<&>, de Gama dt -Silva.
otipa feia.
Ka loja do Pavo
>Vende-se neste estabelecimento nm jrande sor-
timento de roupas, tanto de panno como cazemiras,
e bsins e pelos baraiissimos precos como sejam
calcas de caxemira preta a4 74 e 84000res, pa-
leteas-de panno preto saceos a 64 64 e 124000 rs.
ditos sobrecasacos de panno bnissimo a 124 184 e
254000 *eis, e outros unos artigos que serla en-
fadontwsaqul relata-los s na loja e armazem do
Pavio raa da Imperatriz n. 60 de Gama 4 Silva.
Loja do |a\ao
Graades pechlaebas.
Seimbas a 500 rs. o covado
fedialusaSOOrs.
Sediutus a 500 rs.
Vende-se na loja do Payao, um grande ser ti men-
t de sedinbas Iletradas com as mais bonitas cores,
sendo os padrds maisnovos qoe tem vindo aa mer-
cado, e ven4e-se peto .paxatisslmo r^reco de cinco
tostSes o covado, sendo fasenda que valem multo
mais dinheiro, e grande pecbineba por se ter
comprado qna grande ponida desta fasepda, na
loja e armazem de fasenda do Pavao, rna da Im-
peratriz n. 60 de
Ldasxnhas matisadas a 920 rs.
Vendem-se as mais lindas laasinhas matisadas
com os mais bonitos deseaboe, pelo barato preco de
320 rs. o corado ; na loja do.Pavo a roa tai
perada. 60, de Gama &.SjHa.
Os ^ales de guipure a 12$ e
16,
Vendem-se os mala ricos chales de Guipare e de
renda de linbo e sedjuwtos baratissimos precos de
124 e 164; grandWcnincha em relaco a boa
qualtdade e timsnbo defles : 116 na loja do Pavie,
roa da imperatriz n. 60, da Gama & Silva.
Lazinhasa 200 rs,so
PapQ.
Vendem-se.maderpaa Jaazinhaj /om lindlssimos
"tovpetobaraiissiroo preco de 100 rs.: gran-
pecbracha : s na loja do Pavao, roa da Itnpe-
triz n. 60, de Gama & Silva.
Seas Largas
,Na loja do PavSo,
Vendem se superiores cortes de raeia casemira
com msela de seda a ?4, ditas Garibaldinas a
24800, ditas escuras a 248t)0, ou a 14600 o ova-
do : na loja e armazem do Pavo, j-ua da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
PENTEADORES
ou roupes de cambraia bordados proprios
para as senhoras ve&tiiem de manhaa.
Chegou esta novidade paia a lija do Pavo,
moto lindos e de melhor gosto at b:je, pur pre-
fos,muito razoaveis : na leja do Pavao, roa da
mperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas francezas a 2i' rs. o covado.
Vendem-se bonitas cassas francezas de eores fi-
xas pelo baratissimo preco de 240 o covado.
Ditas a 280, 320 e 360.
9 na 1oja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
(frosdenaple preto a 1$600.
E' graiide pecMachan
Vndese grosdcnaple preto, sendo muito enecr-
pado e de boa largura, pelo baratissimo prego de
14600 o covado : na ra da Imperatriz n. 60.
Os cachinz do Pavo.
Vendem-se bonitos cactiinezde la ou agazalhos
paracabeg pelo baratissimo prego de 34000, s
na loja do Pavao, na ra da Imperatriz n. 60.
MAMAS PARA 0 PESCLO
a 14, s o Pavo.
Vendem-se bonitas mantas para o p?scoco, pelo
barato prego de 14 : na loja do Pavo na tua da
Imperatriz n. 6t, de Gama & Silva.
Hadapoles a 3,5t)0 rs. a pessa.
S na loja do-PavSo.
Vende-se pegas de madapolo fino com 12 jar-
das, pelo barato prego de 34&00 e 4JO0O.
Chales de xtnda.
Na loja do Pavo.
Receberajn-se os nais lidos cbales pretos de
renda, assim como as mais modernas e compridas
reonde?, e manteletes oa mesma lazenda,e vende-
se mais.barato que em entra qualquer parte: na
loja e ajmaaem do I';.v. na tua da Imperatriz n.
66 de Gama Silva.
Olor a 31.0 is. covado.
tParaca'as.
Vendem-se superiores castores muito enrorpados
pa^IrSes escuros pelo barato prego de 320 rs. o co-
vadlo, senHndo esta fazenda tambem para escravos i
por ser de maita doragio ; na loja e armazem do]
Pavao roa da Imperatriz n. 0 de Gama Si Silva.
Chapeo* para meninas a (3,000.
S na loja do Pavao.
Se> vendem os mais bonitos e mais bem enfeita-
dos shapostonos de j-alna da Italia, proprios para
meminas, pelo baratsimo prego de 64000; na loja
e armazem do Pavo na ra da Imperatriz o- 60
de Gama & Silva.
Attencrto,
ULTIMA MVHMRE
PENTES, ENFEITES, CINTOS.
Gama & Silva, acabara de recener pelo ultimo
vapor francez, om grande floftimeoto dos mais ri-
cos enfeites pretos e de cores proprios para cabeg,
sendo guarnecidos com as mals lindas flores, e com
voitas das mais bonitas perolas^ assim como os mais
modernos e engragados pealas da verdadeira tar-
taroga, marebetados ;indo a ultima novidade
qae tem viudo de Pars, e os mais-neos cintos com
Blas mathisadas e4velas ,'argas, conforme ltima-
mente se usa as iimeiras capities da Europa, e
venoWse por prego em con ta por ter chegado em
direHcrra para a loja do Pava, raa da Imperatriz
n. 60 de Gama & Silva.
As ialaiuias do pavtr a 8 e !<)#.
Venetr.-se as malrica* rotaL^clas de renda pre-
ta, sendo moilo grandes, qoe sio usam, peto baratissimo pre^'o de *4*04: na
loja e armazem do Pavo, rna da In t}eralpriz a. 60,
e Gama & Silva.
Chitas* pretas a i 60 rs:
Vendem-se cbitas pretas nglezas, sendi.^^zen^a
muito boa, pelo baratissimo prego de 160 i co'
vado, ou S4C00 a pega com 38 colados : ^ ,n,a
loia.di> Bavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gan. v**s
Sirva.
Jorge dos Santos, com os signaes seguntes : mu-
i lato, escuro, cabellos carapiohos, nariz chato, com
! marcas de bengas pelo rosto, -ditas de sarnas pelo
i tootico e cosas, baixo, corpo-regular.dade 15 pa-
| ra 16 annos, natural da cidade da Victoria, em
Santo Antao, sera otli< o e muito la uno Quem o
trouxer ao abaixo asslgnado, ra do Crespo n. i9,
loja, sera' generosamente recom eo-ado.
J-j. dos Santos Neves.
cravo fgido.
Fugio em dias do mez passado escravo Amaro,
crioolo, de idado 30 annos penco mais oa menos,
estatura regular, cor fa'a. olhos pequeno, naris
chato, boca grande e com falla de denles, e os bei-
gos bastante grossos; regase, por tanto, a sua ap-
prehenso, e (joem o pegar ou delle jer noticia,
dirija se ao largo da-assibla no Forte do Mattos,
armazem de assucar de Jos da Silva Loyo& C,
que ser generosamente gratifica to.
Ha muito tempo.
Desde 10 de fevereiro deste anno, das do entra-
do, qoe logio o escravo Paulo, rujo foi comprado a
Sra. viuva Gibms e com os siguats stguiuies: ca-
fla, baixo, cabega entre hombros, naris chale Cr
comprido, bocea feia, e sen todo : olh'ar por bario
de manhoso, natural dos ser loes da Parahyha do
Norte, ja' leve outra fgida e foi encontrado na
Torre procurando senhor d'ood' vefe-me as mcs
e s esteve em rasa 3 dias e logo fugio segunda
vez e aioda se acha fgido, por isso pego as anl-
ridades sociaes e militares por sna bondade de o
pegar, ou os Srs. capilKs de campo peguera e o
levem ou mandem a casa de sen senhur, que fica
muito grato e paga tem o trabalbo, a ra nova de
Santa Rita b. 17 e 53.
-------------.----------------------------.
ATLANTA

Foglo a 13 do mez passado o escravo Joo cao .
25 annos mais ou menos, cabra claro, um pouco
baixo, erosso do cerpo, pos e mos om pouco gros-
sos, nariz atinado, rosto comprido, com falta de
deotes, cabellos carapinhos meios rossos, pouca
barba, as vezes cosium andar calgado, regrista
intitula-se de forro, ioi vislo no bairro de Santo
Antonio, ra da Coucordia, eS. To ( 3o Gra-
nhuns) quem o pegar e levar a seu senhor J -
Perelra de Miranda Cnnha ra da Iuiperatru i. !5
segundo andar ser generosamente gratifi3''.o.
No da 26 do abril prximo pa.-.-ado, fuy-u ;a
engeoho Grvala em Agua-Preta, 6 escravo Sl-dt-f-
lo, cm os signaes seguintes: iiiade 30 a mi -. >,
pardo claro, cabellos regular, cheio do cc.rp s< m
barba contendo apenas silgos caMlo>, l u-s
limados, ps regulares e nm unto fargis -> u
[urna uoucha contendo roupa: roga se porl*i>t" *s
I autoridades polifiaes e capities de campo a .; le-
ra do dito escravo, e leva-lo no rel-rido engeuh- *
seu senhur Ignacio Ferreira. de Mello Les-... h
nesia pr^ga ao. Sr. Manoel Antonio de Sauurfi
Lessa, morador na roa do Condeso, e cem e.^cr.p-
torio na roa doAppollo, quesera-gratificado.
Fogio do abano assignado, no dia 27 de abril
prximo passado. e seu escravo J s, crioolo, idade
23 annos, cor bra preta, altura regular, bom cor-
po, sem barba, bocea regular, com'falta de denles
na frente, nariz chalo, maguas um tanto altas, bota
o Joelho direito para dentro, ps e mos grandes,
tem alguroas ccatrizes de chicote, e tambem de
bacalho; oqaal foi eseravo do Sr. Manoel Pedro
de Jess, prowletario do engenho Gua iba da fre-
guezia de Porto-Calvo: rogase portaoto as autori-
dades policiaes e aos capitaes de campo a carura
do dito escravo, t leva lo ao abaixo assignado no
engenho Gravat em Agua-Preta, ou- uesta praga
ao Sr. Manoel Antonio d Santiago Lessa, morador
na ra do Mondegn, e om escriptorio na ra do
Apello, que ser gratificado.
Manoel de Baaros Franco Mello.
*
Grande novidade a *00 ra.
Atlanta a 200 rs.
r Atlanta a 200 rs.
Atlanta a 200 rs.
Cbegou para a loja do Pavao o mals lindo sor-
timento desta nova fazenda, com o titulo de allanta
proprla para vestido e roupas para meninos, son-
do esta modernissima fazenda de 13a com os mais
lindos gostos de quadrinhos e listras tendo entre
ellas de cor roxa e preta, com listras e qoadros
brancos proprias para loto, e vendem-se pelo ba-
ratisfimn prego de 200 rs. o covado nicamente na
loja do Pavao ra d Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
As chitas doPavo a 200 o covado.
Vende-se o mais bonito sortimento de cbitas es-
curas e roxas sendo Ioglezas, mas com os pannos
to encorpados como os das .francezas que se ven-
dem a 400 ris, e liquidao se pelo barato prego de
800 res o covsdo ou a 74200 a pega, garantlndo-
se terera 38 eovados cada pega e serena de cores
(xas isto aa loja e armazem do Pavio na roa da
lmoeralriz n. 60 de *ma ilva.
Armaaem So Pavo,
j Vende-se cera de carnauba-da meibor qnalidade
emsacas, mais barato qua em outra qualquer
parte po armazem do Pavo-na aada Imperatriz \
a. 60, de Gama Silva..
Desapparecen no 1 de mato do correte nm-
moteqoiuho por nome Germano, com os signaes
seguntes : cor fula, rosto redondo e carnudo, bc-
itote, pode ter de idade 10 para 11 annos, muito
traquino, tem um calralo atraz da orelba esquer-
da e por este signal qualquer pessoa conbece, le-
voo vestido caiga de algodo de listras escura e
camisa de riscado azul snja, chapeo de palba ve-
Ito. desconfla-se que lenba seguido para O.oda
ou mesmo aqui na cidade : portaoto roga-se as
autoridades policiaes e capitaes de campo qne o
prendara e levem a roa tstreita do Rosario n. 29,
iboteaum d'guia de ouro que rtfcompensa genero-
' ament.
Vm S 4e ootnbro do anno passado, fugio a es-
cra i i ,la^'La' cab% a* seca do corpo, qua
PriPtir. *WfflfM3aite aoslflms.Srs, Jos oaquim
da Silva V ^ *%r,ek S*13 & Mariana
Lnacildef Wo Silva On i vendetl a Jos Ma-
Iheos Fereta **J
entregar dita esc.
- Ao amanhece.1
'* na,ina da GadeU D.f.
As cabaias do Pai^o a 2^000
o covftdo.
Ghegaranpraa loja doPavao asmis linda*
cabala*..4e sed M/a vestidos, aendo cora os raa
lindos gostos de flores e listas, tendo .entre ellas al-
gamas rojas e.pretas para quera esti,ver de luto,
Runo esta nova fazenda 4 palmos de largura que
facMHaftzr-se um vestido eont^oocoa eovados,*
veads-sa,pelo *artssirao poeo te |*oW, uta-
tm de nome Joo,alto, A
verllha, cora Idade d9D
os, tem as costas vari' _!
chicote. Outro dt ntne Joao> 9 Moe-de 24
annos pouco mais ou menos, i P0ca barba
boa altura, bom corpo e.boniia b^ P e mais nm
mulato de nome Benedicto com nu L"e 30 annos,
boa Hura e pooca Bttlia/ Peco a to 9lfluer
iotoridade e espitaesat^ropo a appt. '**tf* ios
referidos escravos, qne seram generosa. ^We re-
fumpensadot.
. EogenboTares, 1* de malo de 1866.
Anioju'o tfcrtltrfn Stlveira Cavalcanle.
P. S. O escravo Joo crioulo e foi comprado
, m margo de 1866.no R*oife ao Sr. Gongale Jos
vuouso, tendo vindt do serlo do Riacho do
PVgue.
, b-de Boma- Joaqalm, foi comprado em marco
aroximo^aatato, ntRecife, ao Sr. Antonio da
Moura Rokti, tMdpjHndo do ear; e o da nao
nedicto, foj gotnpldo, ba tempos, a Josias da
morador em Quelmadas da fregnel do Boa
m.
t
Foglo
de
S^^HRipjos d mez de fevere
-oxirno Indo, um moleque de nome Va-
idadt m 13 para 14 annos, com os sig-
_ ralas: cor bem preta, stoeo do ana,
e bragos finos, ps. e mos seccas,
e pnijjoaco ctua, H
idos, cosama aolb; bI^bH^
M, nariz t bocea r fc
da {rwaam pooco fKattaj^^^H__
n
Onde
TOAiHADO.
1*600 a vara,
^preco i(J.






I
ILEGlUl





i
L1TTEMTUM.
i'n
serio escolstico).
( Cominoago)
era visinha ao
'smars
a ctucaf. dVcGWdl'eai Btalo*,
mar; um caas alto e cimentado livrava-a u* ,.
crealas; un eimo desse caes havia urna magu.
fica grade de ferro, cora pilares e Jarros chelos de
Adres; eae;tsa dearcbteetura gotbica dislava di
,p,oas dez passos. Era da um eBeito maraviltw-
so vista do lado do mar. *
A tarde do da de minha'cbegada a corte, quan-
do a baia de iclberoy, rienda em todos os se*
tilos por toldas, botes, barcos, e vaporesofterecia
cora suas libas pitorescas ura panorama verdade,-
ramente arrebatador, eu alegue, am pequeo ba-
telo,gaiao por um velbo percador,* (ai navegar
pela pequea enseada do Bolalogo.
Depois de ter bordejado am ponco, mande! dar
rundo a bracas da asa do coronel; daoieoa
a perfumante, e poda recoohecer qualquer pe -
soa que esciveese no terrago, principalmente mum-
do como estava de am bom ocalo de alcance.
Havia ja' um quarto de hora que me achaTa all,
qaando urna lorma anglica, toda de branco, asso-
mou no limiar da porta, que dava sabida para o
lerrago. -'AsSWtei o oculo: era ella!........era
ella' que mais formosa que nunca viera a passos
lentos eooMiarse a grade, e, cora a cabega apotda
sobre a ralo direita, errava os olbos ora na dirtc-
gio do belllssimo panorama do mar ora n umi be
lissimo amor perleito, que estava entre seus dedi-
nhos assetinados I........
Da sbito soa visa se flxoa altamente para a
oarquinha, em qu eo eslava, e depois de ter se de-
morado algara tempo em recopbecer-me, parti, vol-|
taado logo em seguida com am oculo, que deitou
na direecao do mea baielo.
Immedutameote sea rosto se espandio por um
sorr.so de alegra, seas olbos ergueram se para o
cea com a mais doce expresso de reconheeimen-
to e amor, e seu lencnbo se agilou ligeiramente.
Comprebendi o slgnal, e mandei remar para o
caes.
ttas I [atalidade! as ondas encappeladas nao con-
sentirn que atracassemos; oi-nos perciso guar-
dar respeitosa distancia.
Izaura comprehendeu esa impossibllidade, e fez
vatro sigual para prannos.
O raido das maretas nao deiiava ouvir qualqaer
palavra, que qoizesseraos dizer : era, pois, preciso
usar de signaes. Nossos olhos eram to fiis erais-
sarios dos sentimentos, qoe transborda vam em nos-
sos coracoesl ..........
Um olbar mea, langado a flor que ella tinba na
mo, fe-la coraprebender o desejo que en tinba de
possui-la.
- Ella beijou a flor, ergueu os ojhos ao cea, seus
labios se entreabiro de leve n'ama doce supplica,
e langou com f a flor na direcgo da barqunha.
Fatalidade I dlro raaitos; providencia direi eu :
a flor boiou do ar por alguns segundos, e velo pou-
sar em minha mo estendida para recebe-la I.....
Oh I com que transportes mnha alma acolheu
aquelle amor perleito I Com que beijos de fogo
eu a receb jubiloso I Com que enlhusiasrao meu
corago emb sbecido indaga va delle os segredos, que
lhe haviam transmiltido os labios d'aquella que o
enviara I Com que xtasis nos contemplamos a-
gradecidos, o amorosos I
Eu liria amanhecido ali, no meio da baha, se o
barqueiro nao objectasse a necessidade de retirar-
mo-nos, em consequencia da encbente da mar,
qae tornava perigosa a nossa estada all em um
barquinho Ao frgil.
Demonos mutuamente um adeas, e o batelo
parti ligeiro cortando as aguas espumantes e azues
da babia.
O dia seguinte era o domingo, em que deviamos
ir todos para o jardim botnico. Dorm embalado
por este pensamento, contemplando e beijando o
amor perfeito, que Izaura me tinba dado naquella
tarde.
As 6 horas da manbaa eu j esteva de p, pre-
parando-me para ir almogar com o coronel, e ta-
zando urna ideia do dia feliz, que a passar.
As 8 horas ea apeava-me no porto da chcara,
e era recebido com signaes da mais viva alegra e
amisade.
Dorante o almoco, discutimos sobre o program-
ma, que se deveria seguir ; e depois de alguma
discusso, em que Izaura nos levava sempre de
vencida, fol assentado difinitivamente, que basca-
riamos por todos os meios passar am dia ratera-
mente campestre, e que de passagem visitaramos
o Hospicio de Pedro II.
Assim concordes, lomamos a calecbe s 10 ho-
ras, e partimos na direcgo do hospital dos alie-
nados.
Urna irma de carldade velo nos receber, e offe-
recer-se para nos guiar. Aceitamos o offereci-
s mais pereiust bom acabadas esto expostas
m orna sal par adeiira(ao do, juntes i.....
idS*arV0i:a*qae,,a tf'MC P'oprfi de sua
raaae, e levada pela conpaixo, qae lhe insprava
sempre todos os iofellata, coavarsava durante a
Jisit com as Buenao*>oi notndoos; examinan.
o seus trabaHws e at
Orna
E duas lagrimas, desprendesic
orvalbram-1he as facas I
Oh como -isto sublime I
,o. Oh I amor de m
fin
com
omprando alguns.
dtssas Infelires, sjmpaihisoa tanto
el|a qae, disse ao coronel.
Senbo, daern possue urna parola como esta,
qurtt eV.' emarregado por Deus, de velar sobre,
ama aojo lo puro e tao innocente, tem sempre
aBte os oinos esta mxima.: a ignorancia da vlr
gendade dnplica o perlgo da i virgens !......
Feitaanossa visita, quanuo ja nos retiravamos,
ouvimos um ci, que nos fez parar.
Era ama outra alienada, anda moga, e bastante
tortuosa, qae aponiando para Izaura disse:
Miaba senhora, se alada solleira, nao se
case ; per que os maridos, guando se querem ver
livres das mulheres, mandam-nas para aqu como
doudas !......
Quem sabe se aquella iafeliz era com effeito
alguma victima ?! inlerrompea Godofredo
Apostojque sim 1 ajun ,ou Octavio : o'marido
quiz de se arlar-se della t....,
O qae verdade, prosegoio Alfredo, que vigsimo qu
aquellas palavras da pobre moga foram ditas com
um tom de voz completamente acido, e de inteira
conviego.
Quaoo chegamos ac jardfm botnico era ajelo
dia.
O coronel, e a familia foram desoancar no hotel,
e eu fui passear na a^rfleda, de palraeiras, qae Oca
mesmo a airada.
Pouco depois vierara-se reunir a mira, e come-
gamos a passeiar.
Percorremos qaasi todo o jardim, passeamos no
lago, e fomos afinal descangar sob ama moita ira-
mensa de bambs, onde havia uns bancos enlloca-
dos junto a urna mesa tosca.
flete das depois deste passefo, a chcara do
coronel em Botafogo, cfferecia, s horas da noi-
le, nm aspecto deslumbrante.
Myrldas de luzes fllamnavam o jardim, o l
rajo e a easa.
As mais forraosas e delicadas flores fo bo
fluminense ornava o sali principal, e as salas,
lhe fleavam visinbos.
ai bellas acjoes a virtode Obi: coma e-qaanto aai
de qaem a mentos em nos disperta, i
Bella irona. D. Izabel J a rapaz responden '
multo bem.. Km os bosso, al5es eat- acostp- !.** ndi09 "? Mm *u*~
ar a forquilba eomo ama coasa de P**!. <** i068 *^um>m}*
urianciaf entretanto lmportan-

po-
tincfo para a Ierra, e eo dfitincgao par -ot vio
dooros.
l l
i E o que me prendera' a vida ?
i O qae leal eu no nndo que assim rflfraffcrre
a dr ? J
Serao os engaosos prazeres do mondo r-a-glo-
ria 1 o amor?...
Huitos cavalheiro, trajando rioaiMimos vestu>: cangado, logo ,jue obtenho delles asaentirneuto para iNo ella. como '"'r^Qcgo a oulra n fe-
rios, passeiavam, e conversavam com as senhora?,' as diversas qaadrimas, qae preteobo dansar, e de!.
caracterisando perfeitamente o papel, qae saas ves- x0> Pr conseguale-, qae todos eseolaim a sna von-
timenias representavam : constituiara o baUlbio ude ae damas mais bellas e espirituosas: os meue
acltvo. amigos, inclusivo o mea vis-a-vis, pergantara-me
Grupos de velbos e casados, qae forman nos Qaes sao os meas pares, digo-Ibes comorgnlbo; o
bailes o batalhao de invlidos, jogavam o voltarete mea vls-a-vissalta de alegra por ter dever defronte
tlesima....
Nem Unto 1 ...... dlsse Izaura rindo-se.
Dhselh ama verdark, raioba sohwaje
que lh'a prora? Figaremos ama hypotne-'
ponharaos o caso em mlm: supponha V.'Exc.,
ae ea chego ao sa-lo de um baile; escolho com o'
maior cuidado, e escruplo os meas pares, Qco des-
e lasquinet em diversas bancas, collonadas no ter-
raco. ^
Oatros grupos de quarenies, e de icanhados,
formando o batalhao de reserva, descatiam encos-
tados aos hambraes das portas e jaoellas, esperan-
do occasio atada para dar a'gum Me n'algum
esquecido em nm canto da sala.
As velhas entretinhamso em fallar clasica-
mente a respeito dos dotes pbysicos, moraes e mo-
da si bellas damas, eos meas amigos do-me para-
boas ; fico satteleilissimo. Cbega o momento da
eooiradanga, procoro a miaba dama e........_ohl
sarprezal Tejo-apelo braco de um cavalbeiro; di-
rijo-me a ella com bons modo?, digo-lhe qae aquella
qoadrilba miaba, que me bavia sido oromettida
com estas a aquellas circuinstancias; porm ella
com sorriso traigoeiro, e affaotaado ignorancia
diz-me: que vrovavelmenle u eitou engauado; que
nao se lembra disso; ou consa semelhante.....; e
Izaura levantou se logo, e foi ler as mil inscrip.
goes gravadas nos bambs: fui ter com ella.
D. Izaura, .esse um dos das mais felizes de
minha vida 1 a poesa desto bellissimo jardim faz-
me recordar os nossos dias venturosos da Tijuca;
alm d'isto fazem boje 5 mezes, que ea Uve a feli-
cidad e de conhece-la e adquirir a sua estima sin-
cera, pois, justo qae me coaceda lieenga para
inscrever aqu ara pensamento, que tradoza a nossa
ventura de bontem, de boje, e d'amanba ?
Sim ; responden ella aballando os olhos, es-
creva, e derive o sea pensamento da poesa destes
dous regatos, que se deslisam sussarraotes por en-
tre os bambs I
Tomei am caivete de am peqaeao estojo de car-
teira, desenhei am amor perfeito, e escrevi por
baixo :
i Vs estes dous regatos, que solitarios raurmu-
c rara nesta recndita espessura ? Symbolisam
c dous coragdes, que se amam, e qae natrem em
< segredo a esperanga de urna vida feliz I 2 fe-
vereire1863. I. M. e A. F.
Quando acabei de escrever Izaura disse-me co-
rando :
Obrigada___e estendeu-me a mo.
Tomei-a com religioso respeito, e imprim nella
um beijo amoroso e puro, como o de nm pal.
Ella estremecen e fugio tmida para junto de D.
Isabel.
E' um aojo, mea Deus 1.... exclamel, se-
guindo-a com os olhos
E' celebre I disse Godofredo ; eston modifi-
cando minhas ideas a respeito das mulheres I....
Esperava Isso mesmo; responden Alfredo
continuando.
netarios das Binas, ou sobre os altos negocios da j para cumulo da humilhagio, o cavalheiro rPl
economa domestica..,, i triumpbante, e diz-me em tom de escarneo : tenha
As nova horas e meia os salges lavara lilteral. paden 1.......... Desapoyado e encolerisado
monte ebeios. procuro o meu vis-a-vis, e digo-Ihe: que fui enfor-
Q baile ; omegar - Qm|'i o teu'vestuario, Alfredo 1 pergan- jrm elle, julgando fazer-me um servigo, indica-me
toa Octavio. ama velha septuagenaria, oa algama menina de
- Um domin de velado preto, bordado a lio j annos; e diz-me com ar contristado: *jjr ai
d'oaro com um amor perfeito sobre o peito esquer- ha remedio I
do, mascara de velado, e lavas pretas.
As dez horas a msica tocou a Introdcelo de
ama qoadrilba.
respondo-lbe, zangado, qae
elle procure, se qulzer, oatro vis-a-vis; e fojo para
a sala de detraz, aflm de cccaltar a minha vergo-
nha. Acabada a contradanga, vem os meas amigos
e vis-a-vis cantar-me aos oavidos a ladainba de
Romp o circulo de adoradores, que se achava seu5 pezames
disposto symtlrtcamtnte ao redor de Izaura, oHe- izaura?
reci-lhe o meo brago e condazi-a para o qaadro
Ali 1 dlsse ella, tomando respiragao ; estava
quasi abarando no meio daquelles cavalbeiros,
qae nao se cangavam de dirigir-me tantos elogios
imprtanos t
E V. Excsupportando-os 'com tanta resigna-
go !.... Entretanto, mais de metade das mogas,
e, pois, 6 insignificante isso. D.
Voitei para junto do coronel e disse-lhe
Eno I o que taremos agora
O Sr. o director do Pick-Ntck.
Pois bem ; vou mandar vir refrescos, e.....
depois vamos nos jogar urna partida de bi-
Ihar, em quanto as senhoras conversara sobre ves-
tidos
Estou as suas ordens ; respond; vou mandar
apromptar o bilhar, e trazar as limonadas : se
que as senhoras nao tem nutro plano.....
Nenhum; dlsse D. Isabel, nos Aereamos con-
versando.
Servidos os refrescos, fomos ea e o coronel jo-
gar a nossa partida de bilhar.
Pessimo Jogador como soa, tai vencido com vaa-
tagem em cinco partidas seguidas; e creio que
completara vinte se o juntar nao nos obrigasse a
soltar os tacos.
. Depois do jantar o coronel flcoa conversando na
mesa, e ea D. Isabel e Iv.aura fomos, tomar caf no
bosque do bamb.
O criado demoroci-se um pouco, e D. Isabel im-
paciente pela demora, foi esquece-la lendo as ins-
cnpgoes dos bam'js.
O meu pensp'.mento, gravado de fresco attrahlo
O senbor, fem raxo I......felizmente nunca
pratiqnei ama accio Uo reprovavel................
Seriara 3 boras da madrugada quando, depois
do cb, se comecoa de novo a dansar.
E qaando o sino da Gloria sooa, chamando os
flels aorago,os convidados do coronel foram se
retirando; e, em um Instante aquella casa, que
saas condigoes de ha pouco : para essas o baile
nm excelleote lagar de caga I...
O Sr. injusto....
Perdo, D. Izaura ; qae coabego am pouco
co mais o mondo do qae V. Exc....
riada a quadrilha dispnnbamo-nos a passear
quando D. Isabel veio-me pedir, para dispensar-lbe
por momento D. Izaura, que ella quera apresen-
lar a ama sua amiga, ebegada pouco tempo curte.
Acbande-me s, ful sentar-me no terrago, fumar
o mea charuto e ver o coronel jogar, rauto exas-
perado pela adversidade da caprichosa fortuna.
Era cynismo mea, como se diz em gyra esco-
lstica ; mas nao achava prazer em dansar com
qnalquer outra moga I-----
Ia-se eomegar a quarta qoadrilba, qaando oogo
a mea lado a voz de D. Isabel
Ento nao dnga ?
agora, e o Sr. aqu vendo Jogar t na po-la em pratica ; seria urna loucura, um cri-
Simo omito ter-lbe dado este incommodo,' me I... J4as, os horneo, os bomens que m'a ins-
minba senhora ; mas eis-me prompto para repa-! piraran sao mos; sao pessimo,e as consideragoes
ra.to- j que a eHes me ligam sao frageis como o tenue fio
Veoha dansar, nao prive o salao de om dos da seda; ha, porro, ma mil, ara amigo, ama r-
seos ornamentos 1 ma ; e esses, as mais das vezes, que, com seus
E" demasiada boodade. D. Izabel a minha carinbos, se antepem, a designios negros e crimi-
auseocia tem passado coraplatamente desaperce-
qoe seacbam neste soire, desojarla esur as,rcu,auuu; .- .&.n *nnM?~
pouco antes era todo vida e aolmagao, aqueiies
saloes, repletos de mogas, rapazes, velbos, e per-
fumados de flores, cheios de harmona, onde se
-representara ama das comedias da vida, jazia agora
escaro, fechado, e morto l
Assim a vida do bomem I.......
W. C. F.
(Conttnuar-seha.)
l POUCO DE TDDO.
E' do Sr. A. J. Borges Costa, a com dedicago ao
Sr. Joo F. da Silva, o escripto que segae :
UBDITAgOES.
J orna vez, urna idea negra como a profandeza
Eitive-o preeurando at dos abysmoe, me rogoa pela mente; era ama iosa-
blda......
Ingrato I......... atalhoaella; ande, venha
dangar.
S se fr com V. Exc, se qaer dar-me esta
honra.
Mas nao gosto de-dansar nem qoero, alm
disto, roubar o lugar das mocas.
Perdi, minha senhora; V. Exc. nao toma
lugar a alguem, porque nao estou compromeltido
com pessoa alguma.
Mas eu nao gosto de dansir.....
E eu tambera, minha senhora; a dansa um
prazer para mira, quando o par urna pessoa,
como V. Exc.
Pois bem; dansarei.
Saberei apreciar devidamente essa honra,
qoe nao merego; disse eo offerecendo-lhe o
brago.
Quando a ultima nota da msica expirou, demos
alguns passeios, e deparamos com Izaura sentada
em om sof.
Desculpe-mo, Sr. Alfredo; minha filha me
substituir; urna dona de casa tem sempre tanto
inmediatamente os suas vistas. Ella o leu com|em qoe cuidar; nao assim?
multa atlerjcao,meditou um pouco e cootemploo-oos
depois e jm teroura.
Eu e Izaara estavamos com os olhos balxos, e
,tre* .nulos, como se tivessemos sido apanhados em
| flagrante delicio.
A mal de Izaura contomplon-nos ainda por mu"
pergun-
mento, e comegamos a percorrer o edificio.
Nao Ibes farei, raeus amigos, urna descrip m I lo tempo ; depois, tomando nos
deste famoso Hospicio, que a todos os respe,,tos al tou dos com voz doce a terna
obra mais pia e importante de todo o impf jrio. A
ordem, o aceio, o rgimen, que abi s<-_, QOta, faz
honra a lodos os seas empregados. E o qae mais
admira a obediencia e o respeito, '^e os aliena-
dos tem para com as irmes de c^ridade, eocarre-
gadas de sna dlrecgo. Todos 'JS doudos se entre-
gara a trabalhos proprios de Ua condiccao; obras
Sem davida, minha senhora; principalmente
quando ella aprsenla o typo da esposa, mi e
amiga.
D. Izabel
' FMTIM
TRISTEZAS A BE1RA-MAR
Meas filhos, VV se amam ?
Oh 1 muito I... disse eo commovido.
Minha mii!... balbaciou Izaura, esconden-
do o rosto incendiado no seio de D. Isabel
Pois bem ; meas filhos sejam (elizes 1 ea os
abengdo.....
agradeceu-me com um sorriso, e foi
accordar, e offerecer alguma coos a ama pobre
quarentona, qae dorma n'om canto da sala, depois
de ter protestado contra a preferencia escandalosa,
dada pelo rapazes as mogas bom tas........
Nao sabe quanto estou triste, disse-me Izaara
passeaodo comigo.
Porque?
Por causa de ama forquilba, que vi passar
anda ha pouco: orna senhora enforquilboo ora
rapaz; e elle foi delicado, porque somonte dlsse: o
perfume, minba senhora, denuncia as flores, qae a
M
POR
PINHEIRO OHACrAS
nosos.
Oh 1 mas Aquello que abrilhantou o cu com
este veo azul; AqueUe que vestio o sol com um
manto de ouro, todo v e todo juiga t
a
llavera' maior fra ; monsiro mais horrendo, do
qae seja o hornera que so conserva Insensivel a
desgraga de seo semelbante ?
llavera' nada mais abominavel, do qae seja o
mstincto, misturado de soberba e affront, com
que elle esparge os seas beneficios ? 1
A sua piedade faz morrer de vergoaha; a sua
caridadei via ostentagao da sua soberba l
Um flagello ; o nico e possivel inferno, o ho*
mem para o homem.
A proceda denuncia-se, pela navem ; o raio peto
relmpago : troa o subterrneo, e annuncla a
erupgodo volcao. A colera, o relmpago despe-
nbado pelo bomem, sobre o homem, nao troa, nao
relampagueia, se nao no momento de taier urna
victima 1... Esconde a arma raortipbera, at ao
momento em que a innocente victima, se lhe en-
trega, confiada na santa amisade, como o cordelro
se entrega ao lobo.
E, quem se nao sentir' morrer de tedio, ao ver
a miseria com que urna parte feliz do genero bu-
mano, trata a outra parle ? I
O terrivel dia em que todo ha do vollar a um
s estado, nao se (ara* desejar muito I
Qual sera' a vlrtude qoe. nao se siota sucumbir;
quai o humano esforco que possa subirabir-se a
iufluencia do sea destino l
Feliz daquelle que no meio do deserto da exis-
tencia, tem a venturosa lembraoga de procurar
ama habitago de morios, para no meio do.silen-
cio dos tmulos, allumiados pelo fraoo claro da
morte, procurar lenitivo para as chgas do co-
rago.
A sombra silenciosa dos syprestes, ochorelam-
baudo as abobadas sepotehraes, oftereee ao bo-
mem de meditaco, ama idea grandiosa da eterni-
dade 1
Se a considerar-nos com este Am, inestrauweJ,
e o mundo s sera' vo para estes frivolos.
Mas quantas vezes no meio dos maiores prazeres
nos sentimos impellidos a perguutar < s isto ?
nao ba mais aua ?
Ella rpida como o prepassar do pyrilampo :
o prazer acaba primeiro.
Ainda do vencemos metade docamnbo que te-
mas a percorrer; todos-os agrada veis sentimentos
cessam ; procuramos novas sensagoes, nao encon-
tramos objeclos que no las- communiquem, e ah
ficamos redusidos a vivar das mil coasas coja vis-
la nos fastidiosa...
A idade infantil, essa sim ; essa ebeia de en-
cantos e doguras, possa porm tapida eomo a pri-
mavera, como a Uor ao desabrochar, como a eaa-
nbaa fresca do vero, como o relmpago, come- <*.
raio l fulge... esmaga-se e apparece em negro e
hmido carvaol...
c A vida nao mais qoe nm corpo desfrnetado
e calvo que nada d. >
Morre o gosto, os sentidos, affroaxam se os er-
vos, e os alimentos em vez de refazer as torgas
degtneram-as : a morte a a velhice I
A vida deve ser tratada como gentil e capricho-
sa dama, que prefere para os seus mimos aidiloso
joven qae meis sabe fingir qae despresa...
Sabis o que a morte ? sabis o que o des-
gosto ? sabis o qne o tedio ?
E' um sem numero de caes, lobos e raposas, que
rompem dominados da ambigo as barreiras da
jusliga; lobos na rapia, raposas na astucia, caes
na convivencia, correndo alternadamente; ficando
prezas, nns dos outros, al que venha a morte, es-
sa fra superior a todas aquellas, por termo a lida
insana, que tinham, com prejuizo de todos, repre-
hendido 1
IV
Bem dita, ao menos, a vida campestre; ahi pas-
sam-se os mais agradavels momentos; a oniagiosa
infermidade nao chega l. A ambigo, essa dama
desgrenhada a lvida, nao nos vm seg/edar ao
ouvido as malditas palavras que se ouvem aqui,
causa de temerarios intentos 1
L, desliza-se-nosa vida ao sopro da viragao que
faz ondular os louros cabellos daquella que nos
chara; l, ama boa mi trata de nos com disvello
inimitavel; vela a cabeceira do nosso leiio.de en-
fermo, e veem-se saas lagrimas correr juntar-se
as nossas, como testemaoho de compartilhar das
mesmas dores 1
O destiao impele-Dos: ouve-se grasoar a ave
nocturna, quando entre solugos de k-mps e Irmaas,.
abandonamos para sempre o lar paterno t
Chegamos; a idade nos vai instruindo.. mas a
idade nos envelhece, e se por accaso encontramos
com facilidade, vem a marte e nos. roana a
vida I...
E d'ahi nao a morte a vida d'akaa qae jaz em
sepultura no corpo? uaescuridao das trevas, como
vil escravo no tronco, e poucas vezes deixa appa-
recer o sao claro de- verdad no meio da lata dos
sentidos?,.
Mas, se por om momento nos deixamos levar
por estes pensamentos, logo se desvanecer elles,
como o orvajbo encontrado no callee da flor em
Wdade ajoj.
yt, da forMMr disse onf timto peersador.
Quaoas Tete nao vemos om pofei diabo, tirado
das palbanda potwacs, trasportad ao matar grao
de opulencia, caosfeo a adotiragio daquelles
mesmos qn^outr'ara foraaateaswoiraiiheiros de
iofurtuaio? Quando, porm, engallado no delirio
nSp se lembra- do que foi, para s-se lembrar do
j.que rola 'peto espenbadhro- e vem cahfr no
abysmo medonho.
Assim como o fnracao arranca e^eattlho annoso
e gigante, qoe- servare' abrigo ao poatarj eom a
qoda dalle, faz estremecer centenas da pequeas
arvores que em sua roda vegetar; tambera a mor-
te, para eonsieraagp do valgo, derraba-por com-
prazer,- caberas- illoslres e poderosa*.
Cncloo, amigo- Joo, com este'versicto do Ec-
clesiasla:
*-Pelo que aborrec esta vida, porque a obra que
se fat debaijo do sol, me parece mar; porque ludo
vaidade e aff&c%io d espirito.
E' do Sr. F. da. Silva a seguate reeeita :
RECIPE.
Nao chores ohi vbrgem, suspenda o leu prauto,
As faces nto cubras de paluda cr t
Soa prfido... ingrato? pois- fm oatro tanto :
Bemedio mais prompto nao lia para amor.
Nao chores, nao chores, escut) perda...
Paixes amorosas nao matara niogaem ;
Bem sei que-aoia.esp'raoga perdida magua,
Mas qnania* eu. lenbo perdido tambera 1
Amei urna, virgem, e tanto, qoe-afeito
Julguei-rae-adorado,. de orgatbe esnltei;
E a ingrata era amante deqoatro... dezoito...
Emfim, quanlos erara, de certo nao sel.
Aos sen namorados a tred ascrevia
Misslvas -extensas em upo papel;
E a carta.que.-en.lia, beijava a relia.
Das outras s era transompto fiel 1
I

E quando nosd'ella, meas soffregos labios^
Cortavamem meio protestos de amor,
Dos beijos.d'um oatro sentiam resabios...
Assim ob I donzella, aprend a traidor.
Por tanto nao chores, tea lindo semblante
Nao cobras, oh 1 bella, de triste pallar ;
Esqoece-me, e leda, procara utro uante -
Bemedio mais.prompto nao ba para,.amr
:
No da do. sea anniversario na^Ucio, reeeaea o
re daPrussia de sna augusta espqs'a aja preseau .
que merece ser escripto.
E* nem mais nem menos qvto. um piiar da ea' r-
vallio da ponte laogada sobre o Rbeno para de
CoblenU, o tirado da agua no anuo passado.
Este- pilar sollreu orna corta,transtormagoj, por
isso qne o escriptor da curte, Mr. Alb^riy. ttr del-
ta ama columna com ura. rico capije I roma/io, e o
guarnecen de alguns ornatos e iosvripgda ad hoc.
Eis aqu ama asss curiosa astatistica da morta
lidade em toda a aropa :
Morre em cada, anno :
Nos estados do- papa a em
Venexa..................... I habitante Tr *
No resto da,Italia, na Grecia
e naTuiquia.......'... i
Na Hollaada, em Fiapga a na
Russia..................... i
Na Suissa, na Austria, em
Portugal e Hespanha...... 1 >
Na.Russia e Polonia......... t >
Ha Allemanba,. Dinamarca e
30
30
10
u
na Suecia
manha da primavera; as lagrimas do sentimental Na Noraega
puro sao. substituidas pelas do escarneo, e palo Na Ulaadia
delirio '..
1
1
1
VI
(Contioosgio.)
Jess, Leonor! exclamoa Magdalena ao vei
sabir o velbo, pois tu tratas assim o nosso av ?
Que remedio, Magdalena 1 Se o nao fizesse,
niaguem lhe atara va as catarrices. Os Telhos, mi-
nha boa irma, os velaos da^kade do nosfo av
sao cerfeitamente amas critfMp^M leem os seos
caprichos, as soasbirras, u TCaa leaseiras. Se ih'as
ao reprlmissemos, estavamos arratjadas. Agora
dea-Iba para embirrar comtigo. Se ea lhe nao toa-
se & mo, estas primeiros dias tinbas am Inferno
ota casa.
V se nao a fatalidade I disse Magdale
sentando-se jonlo da me&a do almogo e encosun-
do mo a fronte melanclica. No mato das tris-
teza? qae me saltearan), quando morreu minba po-
bre ta, e qae roe vi s n'urna casa em que todos
me olhavam c juasf odio, recejando
qoe afeam les aasso oni
venial berdeir 40la-
Ta-meaidade qo: miaba
boa irma, e para jamo do bosm av, dt eoeai as
loas cartas m razias ama to ayapathlea potara.
Chego e qaer a desgraga qoe em vez do affecto
qae eu esperava, inspire a mea av ama ioexpli-
cavel anpatbia I
Nao fagas caso, Magdalena; aquillo passa-lbe
Olha, minba irma, porque me viste anda agora
trata-lo com algum desabrimento, nao sapponhas
qae elle nao merece to'da a nossa estima e todo o
nosso respeito. Ainda o bas de adorar, Magdalena,
como elle te ba de estremecer a Ob I continuoo
Leonor com voz commovida, consagro-lbe a elle a
venerago qae a Deas consagro tarabeas, porque
tem sido para mim a inaagem na trra de am Deas
bom e prolector. Se o visses, elle o rod mariabei-
ro, como abrandava o genio e a voz e os modos
para consolar a pobre orpha da falla de sua mi;
se soabesses os sacrificios que elle me tem feto,
sacrificios que importara o sacrificio da propna
vida, porque a inacglo para este robusto velbo,
cosiumado s fadigan e aos perlgos das longas ua-
vegages, a morte, q ae ea bem o sel e bem o ve-
na rpida decadencia di soa saade. Ob I cootM
nuou ella, apenando ts mos de sna Irma, esti-
ma-o eomo ea O estimo, Magdalena. Veris como
elle, passado este primeiro impeto, te acaricia e af-
taga. E' eomo o ocano filoa. Tempestuoso primei-
ro, terrivel, ameacadt r, e agora, v-o, sereno, mel-
go, brincando eomo ralos do sei,afcgaodo as ro-
^o;id,d<1iM^iH^HH
das faxas dos seos rail. Saraso e joeatdo, o caprii
choso ocano nem a mais
A ambigo rouba-nos os amigos, ou delles nos
priva para castigo, e prova de que irapossivel a
prefectibJidade terrestre \ que nosso' nico, pensa-
mento deve ser a morte.
Abandonados, viilipendiados petos bomens, ain
da assim nao nos sentimentos eom torgas de que-
brar os encantos que nos ligara ao mundo I...
Carece-se de to pouco, e o numero dos nossos
dias tao limitado, que eu nao sai para que toda
essa barafustada,
V
V-se adejar no espago desteadendo as suas doa-
radas azas de estremidades verdes, a furtana, a
mostrar-nos os seus brilhnies thesouros que, o
aocaso os eocarrega de distribuir pelos seus pre-
destinados os pretndanles sao muitos; agglorae-
ram-se, levautam-se os bragos, abrera as mos, e
por cima dos cornos daquelles que ao mbate se
deixam cahir, sobem os mais fortes, oa mais vis,
a receber da mo d'ella, o thesouro comprado pelo
esquecimeulo, do pai para o Bino, do irmo para a
irma, do amigo para o amiga, do amanta para a.
amada...
Curioso espectculo I
A justiga, oestes casos, cousa va: o filo, o
esseaclal; o mel, coosa de nem um valor.
i Quanto mais se sobe, maior a queda. A
sentenga de urna exaegao mathemathica. Para
quem nao coraprebender : depois da ascengo, o
baque infalivel.
Que algara suslenha a furtana ; oousa muito
duvidosa, e essa, vera a morte para acabar todas
as desigualdades, junta-la sob a mesmaargila. AM
13
A
33;
5
n w
conservar das saas iras da antecente noute. As on-
das arqueavam o coito garboso e sacadiam a crina
espumante semeada de palhetas de ouro. Alguns
barcos de pescadores sahiam do porto da Erlceira
e procuravam aflootamente o alto mar,- soltando a
vela triangular ao sopro ameno da brisa. As vozas
speras dos barqueiros erguiam-se para o cu, en-
toaodo orna cango alegre. Rescendia a praia esse
cheiro acre, mas sgradavel, da marala, qoe. de-
pois das tempestades, sempre mais intenso. A
praia eslava coberta de cavacos e de limos, qoe o
mar Ibe arrojara na antecedente nonte. Mulheres,
com as percas ocas e rostMneimado, andavara
apanbando ts despojos da tormenta, Vas. anas vo-
tes roufenhas, donnando o roldo das vagas, gavam aos ouvidosoas duas irmas que mira varo,
satlsfeitas, este risunbo espectculo.
Qaem aquelle rapaz que se dirige, segundo
parece, ei para cala ? perguntou Magdalena, indi-
cando a sua irma am vallo, qae vioha do lado da
Erlceira.
E" elle, Jorge! responden Leonor, baleado
as palmas.
Mg4aienacalou-se. A lembnnga do qoe a fas-
sra na tempestadedessa wmte innnvioa-Ibe o
to, jne i alegra tllum i^P
chegando-lhe a sua vez do se alegrar. E' o meu
querido piano, o mea loucador, o meu guarda-ves-
tidos, os meas baas.
Que de coasas, Deus mea I exclamoa Leo-
nor, nado e pondo as mos na cabega'. Onde qae
res metter todo isso, Magnlena?
No meo qoarto, e no teOr*e qoizeres aceitar
algum dos meas trastes. O pianno servir para nos
ambas. Sabes tocar pianno?
En I exclamo* Leonor, panta da per-
genia. O
Nao sabes? Aprendes,oomlgo,fj *Bf
Deus me livre! Vf*nma vez um plano em
casa de Jorge e ouvi-lh'o locar a elle. Nao gostei*
Faz muia bnlha. Gosto mais da minba gaitarra.
Tu sabes tocs.r guitarra? pexgUDtou Magda-
lega, abnndo ons olhos muito pasmados.
Seit tornou Lioaor cam ufana. Ensinoa-me
o Loarongo.
Magdalena nio pode reprimir o riso ao ver a ln
Na Inglaterra.............. 1 .
Na Escocia e na Irlanda...... 1 .
Resulta deste quadro qne sao maiores os riscos
de mortalidade sob o co formoso da Italia, ao, pas*
so* que no meio dos roebedos e dos panlanoa da
Irlanda se pode viver at urna, Idade maja avan-
zada 1
Entre a prospera repblica de Hondo-as e o Ni-
caragua acha-se nm estado, que viva sombra da
proleogio britannica, e habitado pelos mosqui-
tos.
Dizera os joroaea inglezes quo all se descobrio,
nao ba muito lempo, ama criba, cojos bomens e
mulheres, de. mu pequea catalura, tem cabellos,
de orna groasura extraordinaria.
Estes cabellos, rarissimos, deixam a descoser to
tuda a parte frontal e crescem s no alto da cabe-
ga, onde formam urna especie de penacho.
Parece um raibo de juncos com as extremida-
des recorvadas.
Sao pretos e ha-os tambem amarellos.
Os ofAciies da fragata inglaza Tennis, qae esta-
ciona no porto de Graelawn, acabara de expedir
alguna pacoles destes cabellos Europa para se-
rem examinados pelos naturalistas.
Em 1835, havia na Austria 17 presos por moti-
vos polticos, e na fringa 1,300.
Um jornal rancex diz qoe apezar das aomero-
sas destroiQes de castalios operadas em Franca
dorante o periodo revolucionario, apexar das de-
molieres da quadrilha negra, exlstem anda 14,382
eastellos construidos antes de 1789,
mente, e fica certa que nao desconfiei, mas perce-
bi a differenga que ha entre a minha Ignorancia de
aldeia e as mas prendas de menina bem educada.
Ne sejaS looqalnha, mana, respondeu Mag-
dalena, apertando-a ao peito; ningaem ha qoe
possa competir comtigo, e a toa siogeleza nativa e
desaffeciada mais am eacanlo qoe te adorna.
Cr-me, filha: antes ser lyrlo dos campos do que
rosa dos jardins.
A chegada de Jorge interrompeu a conversago
das duas meninas. A navem, qne entenobrecera
havia pouco a fronte de Magdalena ao oovipo no-
mo do nolvo de soalrmiv ssfpa-ae com a ale-
gra que loe cansara a viada do se plano. Por
isso loi cora todo o denaaebaraco e bom humor que
ella acolheu. Leonor eslava tambem alegre,
chegaiada Joe trastes, o seu transporte para os
quartos e o seu arranjo serviram de galhoa, e ti-
raraa a esta primeva entrevista todo o carcter
de atan*. Jorfe, receben g>eifargo de aladar o
jzszrzztETn,*za Him** rMC. i- j. ** ,i. &z
mostrar as suas "galas. Vestidos de seda, chapeos
de vallado, rendas, chales, todo veio a' loa do dia,
corn, grande satlsfago de Leonor, oe aoltava gri-
tos de enlhusiasrao ao ver apparecerem aquellas
pompas, de que nao tinba a mais pequea idea.
Comludo, afflrmava sempre que, por case algnro,
vesfiria aquellos factos, porque nanea teria pachor-
ra para se enjeiiar. Codeado as instancia* do Jor-
ga e de soa lrra, consenUo em prftUn chapeo
delicioso, qoe Magdalena teoetonava oferecer-Uie.
Todos concordaram qoe lhe fican admiravelmente.
A ana pbysionomia travessa, o saos grandes olios
vagos e bolicoaos, faziam nao sel qae picante con-
traste com a elegancia do chapeo. Mas, qaando
Magdalena a quiz pretiotear com elle e ano ibe
A-iilee qae para qae Ibe fleasse bem do veras era
neeeesario fater um ponteado especial, reeusoa-se
bbstlnadamenlo a accear a dadiva o deixar^e
pentear, por mais qne soa irma instaste, por mais
qo Jorge pedisse. -;
Se, comala minha singelaza habitnal,
lomen, reoonoiHado
cui ve ser para raitut huimm
joma prenda que a ella se pareca monstroosa. Des
fechou ama gargalbada sonora e prolongada, qoe 1
s termlnou qaando Leonor, primeiro eep^MT
Hendida, raostrou pelas lagrimaa^H
olhos, quanto se resenta do fceft^
ma.
Perdoa-me, Leonor, sandio Magdalena |gecj
^^^Bmeote e cobrlado-a fia beijos, aerdoa^H
uvametnol W pura brincadeir, "ojo n
a mnima intengo do Por
lem sel, Magdalena, torooo Leonor triste-
saas netas, velo tambem
das daas meoias fasta
ima
eULAinor
Bartholo
---------------------------------r lm
altt do geito dadlo lr Jorge t^AtOr |
peraglo. Barlholomeo roela- qJH|
m 'porta-vo. poaadv U ordesM a dirigir a ai
-iietoomoSof eparataj H
coja servona ignorWB W^
a

-







Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EI6QVLE0P_QRCVRC INGEST_TIME 2013-09-04T23:36:46Z PACKAGE AA00011611_10964
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES