Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10963


This item is only available as the following downloads:


Full Text





AJWTO EII. HUMERO 107
Mea pas s ir lt tas do tueco e iiiCro de fiarte! .
Parle ae eerreio per tres mezes
1U
QARTA
Per anuo paje deitre de le dias de 1. mez.
Porte ao correie jw nm anno......
i9^oe
PERNAMBUCO
fe*
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio AIex?ndrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonia Marques da Silva; Aracaly, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Fiihos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SL.
Alagoas, o Sr. Claodino Falcao Das; Babia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Serinhem, Rio Formoso,Tamandar, Dna, Bar-
relros, Agua Preta PImenteiras. as quintas
feiras."
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Olfnda, Cabo, Escada e estacos da ta frrea at
Agoa Preta, todos es dias.
Igoarass e Goyanna mas segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, "Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas Tribunal do commerclo: segundas e quintas.
w,,,i,, .... __ Relagao: tercas e sbados is 10 horas.
Pi d Albo, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqaeira
Ingazeira, Flores, Villa BeUa, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salguen o e Ex, as quartas
feiras.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as 11 boras.
Dito de orphos: tercas e lextas s 10 horas.
Tari do civel: tercas sextas ao'meioi
Primeira
a.
Segunda vara do civel:
hora da ttr.de.
quartas sabbades a 1
EPHEMER1DES DO MEZ DE MAIO.
7 Quarto ming. as 7 b, J2.nu 34 s. da f.
14 La nafraos 38 m. eoS s. da t.
21 Qoarlowhgc. as 7 h., 38 m. e 46 s. da m.
29 La ebMaiO h., 52 m. t'35 s. da m.
DIAS DA SEMANA. *
7. Segnrid S..E(anislol. m.uS. Plavia m.
S^erca. S* Moladlo b.
9. Qoarta. Ss. Gregario Naziaoeflno dout da eg.
W. Quinta & Ascensio do Senqor. S. Blanda m.
M. Sexta. Ss. FaOl, Anastacio e Sereno mm.
z. Sabbado S. Joanna prineeza v.iS. Nereo m
13. Domingo.. S. Pedro Regalado f>; S. Gliceria m.
MAMAR DE MOJE.
Primeira as Obras e 30 m. da tarde.
Segunda asOIroras e 54 minutos da manba.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROa.
Para o sol at Alagoas a lie 30; para o non*
at a Granja a 7 e 32 de cada mez; par* Faroan-
do nos dias 14 4os metes de janeiro, marco, sania
julbo, setembro e novembro.
ASSI.VA.SE
no Recite, na livrajia da pfca da Independencia,
ns. 8, dos propriUrios Manlsl Figueiroa de-Paria
& Filno.
____PERNAMBUCO,
ASSEMii,EA LBGI&LAT.VA PROVINCIAL.
SEStiO ORDINARIA EM 5 DE MAIO -
DE 1866.
PRESIDENCIA DO SR. YIGARIO FRANCISCO PEDRO DA
SILVA.
Bilhetes ns. 873, 87a, 1468, 2238, 723, 3087 e
Meios ns. 983, 1598, 2134 e 3000.
Quintos ns. 196, 796, 1096,1975 e 2595.
Os bilhetes da lotera 61' produziram 16*200
ris.
Toll 2:039*400.
Proclamas ndo di 6 de malo de 1866.
1* denunciadlo
Ao meio dia faz-se TchamadjTe veriflca-se a .Jos tol"'"' da Costnr^m Felismlna da Por- Joao Gomes de Mello em Vue"pede"ao gVvernoitn-
presenca dos Srs. deputados Francisco Pedro, Ra- cinncula de Andrade. perial a gratifloscao da 4. parte do ordenado na
mos, Ayros, Andr, Sergio, Mergolho, Cicero, I "f"0 Podido Lopes, com Lulza Maria da Con- | conformidade do artigo 44 do decreto n. 738 de 25
deputados Rosa, C. Alcoforado, Basto e Miranda
Leal, o Exm. Sr. presidente declarou abarla a ses-
sao.
luda, oi approvada a acta da sessio antece-
dente.
EXPEDIENTE.
Portara do ministerio da justiga, de 21 de abril
ultimo, mandando que o tribunal consulte com o
seu parecer sobre o requerimento do continuo
Hisbello. Gitirana, Tiburlino, /Epamlnondas, Souza
Leao, Joaquim do Reg Barros, Corroa da Silva, '
Burgos, Jaasen, Jeronymo, Arminio, Amorim, Cor-
rea de Brilo, Lopes Machado, Paes de Andrade,
Amyntas, Joo Teixeira, Soares Brando, Buarque,
Ribeiro, Gaspar e Sonto Lima.
Abre-se a sessao..
L-se o ipprova-se a acta da sessao anterior.
O Sr. i Secretario d conta do segu nte
EXPEDIENTE.
Um offlcio do secretario do goveroo, convidando
por ordem do Exm. Sr. vice-presidente da provin-
cia aos Srs. deputados para assisttrem em frente
do Campo das Princezas ao desembarque de S. A.
a Senbora 1). Leopoldina e seu augusto esposo, se
por ventura, na passagem de sua viagem para a
Europa desembarcaren! neste porto.lo tetrada.
Outro do mesmo, coromuhlcando ficar o Exm.
ceicio.
Francisco de Paula Liberato, com Antonia Ma-
ra.
Cosme Jos de Paula Lopes Nery, com Maria
Martins de Carvalho Azevedo.
Jos. Ignacio de Oliveira Guedes, com Brgida
Maria da Conceico.
Manoel Luiz da Silva Loureiro, com Maria Isa-
bel de Torres.
Antonio Alves de Carvalho Veras, quer se mos-
trar livre e desempedido.
2' denunciacao.
Manoel Rodrigues Texeira, com Rosala Joaqui-
na de Miranda Henriques.
Manoel Vicente Dias Fernandes, com Mara Au-
gusta Das Fernandes.
Julio Cardoso da Costa, com Honoria Clara do
Livramento.
de novembro de 18i'0. Que se laformasse.
Offlcio da conservatoria do commercio da pro-
vinel de Alagis, de 3 da oorrente, cabrindo o
requerimento em que Numa Pompilio Paseos,
agente de leiles da praca de Macelo pede ser no-
meado corretor de mercadorias em dita praca.-
Vista ao Sr. desembargador fiscal.
Offlcio da junta dos corretores, firmado de boje,
acomaanhado do boletim dos precos correales da
semana prxima passada.ao archivo.
Aos Srs. deputados foram distribuidos os se-
guintes livros :
Copiador de Antonio Alves Labre.
Diario de Manoel Jos Lopes & Irmao.
Livros ixa e contas de vendas de Pbipps Bro
thers.
Appellante, Virginio Barbosa da Silva : appella-
dos, Lardoso & Souza.
Appellante, o Dr. EstevSo Cavalcante de Albu-
querque; appellados, os administradores da massa
fallida de Roatron, Rooker tG: *
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Joao Bulista Gonealves Bastos; appellados,
Mello, Lobrjc.
Appellante, a directora da Calza Filial do Ban-
co do Brasil gesta cldade ; appellados, os adminis-
tradores da' maesa taluda de Joaquim Jos Sil-
veira.
.*' ... Aappellaco crime.
ajusS eDl Cwr* Jard,ra i aPPe'lada,
,D.? S" *e"*M**u,ar Vrtra- ao Sr. desembar-
gador santiago.
a- .. Aappellaelocrime.
Appellante, Francisco Alexaudre de AraojOtap-
pellado, a juslica. "
so saber de fallecimento dos estrangeiros tres e
quatro dias depois de enterrado*. Posto em dis-
cnssio resolveu-se mandar que administrador do
cemiterio informasse.
Outro do solicitador aposentando a conta das
despezas feitas ato 31- 4e marjo-THMmo com as
causas jndlciaes, e da qual se v ter eHe dlspendi-
. Appellante, Joao Jos Damasceno; appellada, a fvrWmta10**010, e haTer aB! 8ildo.a S9a
jUStica. 70. nan r mtn An nsl a A.*
A 1 hora encerrou-se
a sessao.
favor de 51*870, para pagamento do qual e das
desbezas a fazer, pede a cmara Ibe mande entre-
gar a qoantia de 150#000. Mandou-se ordem ao
procurador para dar a referida qaanUa, e que a
conta osse remettida a commisso de polica.
Odtro do engenbeiro cordeador, informando o
reqoeri ment no qual Joaquim Cmlcante d'Al-
Sr. vice-presidente'da provincia Inteirado de baver I Anlonio da Cann Oliveira,
a assemblj nomeado urna commisso para *"-' n**
exa-
minar os tistabeiecimentos de caridade. A ar-
chivar.
Outro finalmente, remettendo informacoes exigi-
das nosdols quisitos mencionados no offlcio desla
assembla ,ob n. 72.A quera fez a requisigo.
Um requerimento de Manoel Gon;alves Nunes
Machado, arrematante da estrada de Bujary, pe-
dindo o pagamento da quantia de 2:300* e tantos
mil ris quj Ibe devida e da qual trata o orca-
mento vigente.A commisso de orgamento pro-
vincial.
Outro de Francisco das Chagas Cavalcanli Pe-
soa e Delfino Lins Cavalcanli Pessoa, fiadores de
Joo Anastasio Camello Pessoa Jnior, pedindo
urna moratoria de tres annos para pagamento da
quantia de 3:543*000 que deve a thesouraria pro-
vincial do imposto sobre o gado morto no munici-
pio de Pao d'Albo. A commissSo de fazenda e
orcamento.
Fui lido, approvado e dispensado da impressao
nm parecer da commisso de negocios eclesis-
ticos que conclue por um projecto approvando o
compromisso da Irmandade de Nossa Senhora da
Cooceicao ds. mairiz de Itamarac.
Contina a discuss-o do requerimento do Sr.
Joaquim Befo Birros, que oceupa a tribuna at
s 3 horas da tarde.
Passando se a ordem do dia falla pela ordem o
Sr. Silva Ramos, que requer urgencia para se
discutir o projeeto relativo ao valor sobre que de-
devem ser cebrados os direitos provinciaes.
Veriflcand3-se nao baver numero legal, o Sr.
presidente levanta a sessao designando para or-
dem do da a continuagao da anterior, e mais a
segunda discusso do projecto n. 88 deste aune.
despachos.
Requerimento de Rodolpho Krukenberg, por seu
com Maria Magda- ; procurador Rodolpho'Joao Barata de Almeida, pe-
I dindo que se Ihe faca entrega da quitagio que se
com Antonia Maria da. acha junta aos autos de sua rebabfltacao cemmer-
cpia nelles.O procurador junte
Antonio da Silva Brano,
Conceico. cial, (cando
3* denunciaco. procurado.
Antonio Galdino de Souza, com Senboria Maria Dito de Matbeus Anstio, tambem assigaajlo por
da Conceico. sen procurador Jos Tbeodoro Gomes, pedindo o
Antonio Lopes Pereira de Carvalho, com Joanna i registro de urna carta de orden8 que junta.O
Eulalia Borges Leal. procurador junte procuraco.
Damio de Souza Coilinho, com Maria Francisca
REVISTA DIARIA
A empreza do theatro de Santa Isabel prepara
urna representado para o dia em que aporte s
plagas pernambucaaas, em sua viagem a Europa,
a serenissima prineeza D. Leopoldina, duqueza de
Saxe, acomtailando assim o regosijo, que deve
exprimentar a nossa populaco por to jubiloso
facto.
Com pouco deveremos ter a reailsa^o da
arborlsa^o tiesta cidade, melhoramento por que
ha tanto bavemos clamado.
A cmara municipal acaba de ajustar tal servi-
da Paz.
Virgilio Jos da Motta, com Idalina Deodicea
Freir de Araojo.
Modesto Leopoldo Busfort, com Maria Raymun-
da do Rosario Cbulks.
Freguezia de Santo Antonio do Recife, 6 de malo
de 1866.O vigario encommendadoJoao Jos',
da Costa Ribetro.
Casa de dbtenqao.
Movimento dacasade detenco do dia 7 demaio
de 1866.
Eiistiam 366, entraram 6, sahiram 12, exis-
tem 360.
A saber :
Nacionaes 254, mulberes 13, estrangeiros 27
mulheres 2, escravos 62, escravas 2, total 360.
Alimentados a custa dos cofres pblicos 202.
Rbpartiqo da polica :
Extracto das partes do dia 8 de malo de 1866.
Foram recolhidos a casa de detenco no dia
7 do Crrente i
A' ordem do Ur. delegado da capital, Jos, es-
cravo de Santos Colho, a requerimento deste.
A' ordem do subdelegado de S. Jos, Jos Joa-
quim Nogueira, e Agostiobo, escravo de Jos Pe-
raira Vanos, por distarbos ; e Antonia Mari* da
Conceico, por embriaguez. '.
A' ordem do da Boa-Vista, Joo, escravo de Ma-
ria Lucia, por fgido.
A' ordem do da Magdalena, Mana Tneresa da
Paz, para correccao.
O chefe da 2* seccSo,
/. 6. de Mesquita.
Passageiros da barca portugoeza Mara Ade-
latie sabidos para a Parabiba:
Guilbermina Travasso da Silva, 10 sentenciados,
Marina Maria da Conceico, Carolina Rosa de Je-
Dito do major Manoel Francisco de Moraes, de
49 annos de idade estabeleeido com casa de com-
mercio a grosso e a retalbo na cidade de Sobral
da provincia do Cear, pedindo ser matriculado,
juntando nm attestado firmado pelos Srs. Luiz An-
tonio Slqneira, Luiz Antonio Vielra e Jos Joa-
quim da Silva Gomes & C em que mostra gosar
de crdito publico.Vista ao Sr. desembargador
fiscal.
Dito de Antonio de Almeida Gomes, pedindo
certidao do tbeor verbo ad verbum dos contratos
que, em outubro de 1857, fizeram registrar neste
tribunal, as firmas, ora extinctas, deAlmeida
Gomes, Alves & C. e Nogueira de Souza & C
Lomo requer.
Dito de Southall Mellors & C, para ser regis-
trada urna procuraco bastante, que juntara.Co-
mo requerem.
Dito de William A. Campbell, para ser tambem
registrada urna procuraco bastante cuja tradc-
elo junta com o original.Sellado o documento
em I ragua ingleza, volte.
Dito de Jos Baptista Braga e Antonio Joaquim
Morelra de Sampayo, pedindo o registro do seu
contrato social, que juntam.Vista ao Sr. desem-
bargador fiscal.
Dito da Theotonio Fiix d SUUa, salUfazendo o
despacho deste tribunal de 17 de agosto do anno
prximo passado exarado na pellco de Francisco
Antonio de Almeida sobre- o registro do distrato
social da rma Almeida, Ribeiro & C, juntando
urna procuragao em que d poderes a Joaquim
rerrelra dos Santos Coimbra Guimares para soli-
citar dito registro.Vista ao Sr. desembargador
fiscal.
pito de Manoel Agostinbo Selxas da Konseca,
pedindo que se admitusse registro o papel de
compra que fizera da taberna da ra do Rosario
PASSAGEUi
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
gador Arthof axalboquerqae, a quf o Exm. Sr. DO RECIPE.
presidente fez goir a reviste, o feto entre par- 5 de maio de 1866.
tes : Prestdmna do Appellantes, Manoel Antonio Nojoeira e sua Wz dt diretto da segunda tara. cemiterto publico da freguezia de S.^Leorenco,
mnlher; appellado, Joo PereiraipMelIo Branco. Promotor publico o Sr. Dr. Joo Tbom da Silva. pedf Patento da ullimaprestacao do preco pelo
DistaiBUicoss. Eacrwio Joaquim Francisco de Paula Esteves qQal se eompromelteu faze-la, visto te-la j con-
Ao Sr. dezembargador Silva toimares. Clemente. ; cluido, diz que iodo aqnelle lugar para examinar
Appellantes, os admraisiraMre* da massa fall-1 Advogado o Sr. Dr. Jos Vicente da Costa Bas-1 dlU 8DraaCQOU Qe C0Q> efleito est ella acaba-
da de Joaqnlm Jos Silveira'; appellados, o presi- t0- tda- mts Jo'a do seu ,dever declarar, que a alga-
dente e directores da Caixa Filial do Banco do
Brasil nesta cidade.
Nao oi entregue por nao estarUresentev
Ao Sr. dezembargador Accioli.
Appellante, Joo Baptista Gomes Penna;
lado, Denker 4 Barroso.
Nada mais bavendo a tratar-se, o_ Exm. Sr. pre-
sidente eneerrou a sessao a urna hora da tarde.
appel-
sus, F. J. Pessoa, Francisca Paula da Resurreica i i da Boa-vista n. 53__llegistre-se.
el sobrinho e capito Francisco Carneiro Machado Dito de Adriano Augusto de Almeida ^lordo,
bastante procurador Alvaro Aogosto de
Ros Jnior.
Passageiros do vapor Paran, sabido para os
portos do sol :
Eduardo lympio Xavier de Brito, Joaquim Man
co com o Sr. Manoel Alves Guerra e o respectivo g*ba>. *Kfi2? d'Cn,!,h .Mac^ado' Jos ?*
*__.__.. .;...:_____..:.i._____!__- vn Dhanio de A meida Dorio, r.hnstnvao Siarr. Ma-
contracto j oi submettido a approvacai do Exm.
Sr, vice-presidente, que por certo se nao demo-
rar em d-la, urna vez que curapre aproveitar
para o planto a presente estac.o.
Pequea como a quota votada para tal fim,
seria para desojar que fosse ella ampliada no or-
namento municipal, para que se nao torne muito
demorada a realisa(3o de tao proficuo mereci-
mento.
O plano da arborisaco, confeccionado pelo Sr.
director das obras publicas, e approvado pela c-
mara, e o que se segne aqu junto:
Arborisaco da cidade do Reafe.
Caes de Santa Isabel. dem da Detenco, idem
de Apollo, Ra do Livramento, idem da Cruz,
dem do Obsevatorlo. Nogueiras 7 metros de
distancia.
Caes d'Aurora, idem do Caplbaribe, idem do
Collegio. Gameleira de foiha larga ou casta-
nheira 7 metros de distancia,
por seu
. Almeida, pedindo o registro do contrato social que
| celebrara Com Joo de Castro Guimares, Manoel
Alves Goncalves Ferreira e Francisco Domingos
da Silva AratyoVisto ao Sr. desembargador
fiscal.
Dito de Bernardo Pereira do Valle Porto, por
phanio de Almeida Duro, Cbristovo Starr, Ma
noel M. de Miranda, Manoel Pimentel e sua senho
ra e i filha, Jos Theodoro Bezerra de Mello, Jos I seu bastante procurador, pedtado cerdodo thleor,
Gomes Monteiro, Jos Marcellino da Cunha S, | do contrato de dissolnc da sociedadeValle Por-
Guilherrae Baptista dos Santos, escravo Anastacio, to & CComo reqaer.
de Joo Maria de A. Oliveira, escravo Valdevino de j Dito de Joao Ribeiro Lopes, pedindo igual certi-
George Tasso, Antonio Lourenco Teixeira Mar-1 do.Como requer. *
ques, Antonio de Moura Rolin," Jos Joaquim Pe- Dito de Antonio Botelho Pinto de Masqulta Ju-
reira Barroso, Anlonio Ribeiro Cavalcanli,. sua se- i nior, corretor garal desta praca, pedindo anda
nhora, e 1 escravo, David e Eduardo, escravos do: prorogaco. por mais 6 mezes, da licenca com,
conselbeiro Sa' e Albuquerque, Firmina Leocadio I que se ac fura da cidade tratando de sua sade.
de Luna, escravo Jacob.de Jos A. Seabra de Mel-| Como requer.
lo, Joo Vasco Cabral, Jos Joaquim de Oliveira, O tribunal resolveu consultar ao aoverno res--
Francisco Joaquim de Oliveira, Carlos Augusto Za-' peito.
not,Manoel H. da Puriflcico, Sebastian Fortunato; Dito de Jos Baptista Braga e Antonio Joaqpim
do Carmo, Luiz Francisco de Panto C. de Albu- Morelra de Sampayo, pedindo que se facam noves
querque, D. Maria de Panla C de Albuquerque e' termos nos livros que pertenceram firma de
1 escravo, Manoel Pereira Camello, Antonio Jos Sampayo & C, para que sirvam a. de Braga &
de Abren, Dr. Antonio Morelra Tavares, sua se-; Sampayo, "visto nao terem sido escript*rados
nao terem sido
nhora e 2 escravos, Dr. Jos- Rodrigues do Passo,' Gomcrequerem.
Roberto Leighborn, Antonio da Costa, Antonio Je-. I Cora inrormaco do Sr. desembarcador fiscal.
Ra do Ca al-Garoelleiri de folhanutria, duas; ronymo Marques, 6 recrutas de marraba, MarH-- O de Manoel Antonio da 31llSor eoro.
linhas pararellas desde a roa d'Aurora at a do ns0 jos Bezerra, 3 pra5as de polica, Jos Men-: -SatisfaCarn o parecer Sal
Hospicio 5 metros de distancia entro Has e 8 me- i de8 de Lima, Marcellino tt. da Patxo, Dr. Caries I O de Custodio Collaco Pereira Jnior e ontros.
tros entre as arvores de cada linha. L, siqoeira Pinto e 4 eacravo, Jos Antonio Perei.! -Registre-se. S
Larga das Cmco-ponts, dem da Santa Crui,! ra Filbo.Jos Alexaudre Seabra de Mello 2o sar
idem da ribeira, campo das Princezas, ao lado do
theatro, campo das Princezas, ao lado da ponte
provisoria.Gameleira da folba anuda.
Ra do Imperador.Pal meira imperial.
Campo das Princeus.Jardim punllea, careado
com urna grade da ferro em um maro -f o" 80
de altara com 4 portSes,
Consta que o mesmo Sr. Manoel Al ves Guerra
contratara igualmente c ra a associaco camnier-
cial a -arborisaco de todo o caes da Linguete,
Com isto Qcara aqnelle local multo aprasivel e
de ama bella vista.
Charas m os o attenco dos nossos ieitores
para o artigo publicado na seccao do Forum, onde
se agita urna questo que deve prender a aUtucao
das pessoas competentes.
O patacho nacional Palma, qoe veio hontem
de Buenos-Ayres, recebar ordena ao noaso porto,
perdeu um marinbeiro durante a viagem. Acban-
do-se o navio na iat. S. 20a 23' e long. O. 65 ', o
segando marlnheiro Bartlet Crowell cabio ao mar,
quando tralialbava no apparelbo do navio, sem
que podessj ser apaaha empragaoos.
Seguic anle-hontem, m commissSo brigue-
escuna de guerra Tonelero, aflra de verificar a la-
ttitude e loiigitude d'um novo banco, que seganao
informagoe- de um capito de nm navj mereanae
existe na aliara dos abrolhos. Na sua volta de-jd,
ri o Tonelero tocar na Babia.
Amanilla se dar principio a featividade do
Divino Espirito Santo do convento de S. Francis-
co, bavendo as 11 boras mista cantada, em segui-
da ser o acto da hora, e denois levantar-aa-ha a
bandeiracou a devida pompa e a noite sa dar'
principio a novenas, sendo a orchestra dirigida
pelo hbil professor o Sr. Jos Coelho Barbosa,
tocando em seguida a msica marcial do 2* Lato-
Jbo da guarda nacional. ,,'
Amaiihia a irmandade do Diri Eaplrito
Santo, erecta no convento de 8. Antonio, depois
da missa eiintada, celebrara" o acto da Hora, as-
tendole imd seguida a bandelia do Divino Espi-
rito Santo; a oaBe Ura' principio n no vanas, .ue
sera' com a maior pompa potsivel.
Ncneraeio do biihete* da lotera 62" efere-
cidos pelo llwsosreiro das MttTtaa para auxilio i
deipeaaidi guerra.
gento Bibiano- Jos da Araojo, 2 soldados, 4 recru-
tas Jos Mamas da Silva, Jos Manoel Baptista,
Flix Pereira d Soma, Cesar Augusta Sanol, ca-
pito d augenheiro Dr. Jos Rodrigues e sua se-
nhora. m
Passageiros do vapor Persitnnga, sabido pa-
ra oa porto do norta:
Miguel' Francisco uo Monte e i criado, Dr. Vi-
cente Ferreira Gomes, sna senhora. criada e 1 es-
cravo, Cosme da Racha Bezerra, Valdelino Patri-
cio 4a Costa, Joo Ignaoio Ferreira, Jos Gomes
de Amorim Jnior, JerongttO JRbeiro Rosaao, Jos
Gomes de AmorinrV^BPilWPt, S. Dacio de Car-
valho Gama,! presoe pracaa, Cypriano Ferreira
da Costa, Felicia, escravo H Ignacio A. Maranh*,
Manoel Jos da Stqueira Pitonga e Fortunato Fer-
reira de Sooaa Campos.
Lesutbio pmico, btaiuo do da 5 de
MAIO DE 186G.
Esmeralda, Pernambuco, 12 mezes, S. Jos, es-
masmo.
Acacio, Pernambaco, 7 dias, S. Jos, espasmo
Manoel, Pertambuco, 5 dia?, Santo Antonio, con-
tOiQoes.
Carolina Maria dos Prazeres, tt annos, solteira,
Boa-Vlato, tubrculos pulmonares.
FraneUco Joaquim dos Santos, S. Tbom, 60 an-
uos, tlnvo, Boa-Vista, gangrena.
Jaaqulm da Silva, frica, 0 annos, solleiro.
Boa-Vista, tubrculos pulmonares.
Joaquim Jos de Mello, Pernambaco, 30 annos,
casado, Boa-Vista, desenteria.
Camillo Leite da OJivelra, Pernambuco, 25 an-
nos, solleiro, Boa-Vista, Tubrculos pulmonares.
Idili^A avita^M i ai^^^ fi \A llnrfin
Crsula, Pernanhaeo, ifaJhsJWl jjltonlo,
dentincao.
Joio, Pernamajaao, 2
Benedicto, ascraat, 1
cife, dearrhejk. J
Mara, Pela "
TBlBtlrf
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA
MAIO DE 1S66.
tamtuau, no exm. aa. paananaoADoa
airsiuio mosco tnjrrri.
As 10 horas da manba, estoado reunidos os Srs.
Nada mais bavendo"a tratarse, foi por S. Exc. o
Sr. presidente encerrada a sessao s H boras e
meia do dia.
SESSAO Jl'DICIARlA EM 7 DE MAIO DE
186.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
A. F. PERETTI.
Servicio de secretario, JfcflO Rangel.
Ao meio dia estando reunidos os Sis. aesembar-
gadores Res e Silva, Accioli e Arthur, e os Srs.
deputados Rosa, Basto. Candido Alcoforado e Mi-.
randa Leal, o Exm. Sr. presidente declarou abec-
to a sessao.
. Lida, foi approvada a acia da precedente ses-
sio.
Foi lido e assignado o aecoraao proferido na
sessao passada, na causa entra partea :
Appellante, Manoel Joaquim Baptista ; appella-
do, Joo de Almeida Lima.
JULGAMKNTOS.
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos & C.; appellado,
Francisco Jos da Silva Guimares, cessionario de
Lula Jos da Suva Guimares,
Adiado na aataia+assada.
Despresaram se os embargos.
Appellantes, D. Jejnloa de Lemos Fonseca; ap
pellados, os administradores da massa fallida da
Amorim, Fragoso, Santos & C.
Adiado a pedido de nm Sr. deputado.
Appellante, Manoel Rodrigues Veras; appella
do, Pedro Barroso Valente Veras,
Adiado a pedido de nm Sr. deputado.
Por nio estar presante o Sr. desembargador Sil-
va Guimares contina adiado o julgameoto dos
segantes fetoa, entre partes :
Appellante, Joaquim de Azevedo Mala; appella-
do, Jos Antonio de Almeida Guimares.
Appellantes, o presidente e directores da
xa Filil do-Banco do Brasil nesta cidade ; p<
|lados, Joio Loix Faroira Ribeiro e outeos.
Appellaaui, Joaquim' Goacalva Cascan 4 C.;
-Bllada, directora da Companhia l'lllldade Pu-
~ppUaMaa, os administradoras da massa falli-
da de Bastea 6 Lemos; appelMos, na administra-
dores da massa fallida de Pachaco & Mondes.
Foi asignado o primeiro ala til para o julga-
mento dos segoiates ettos 2
Appellante, Ffallsjpo Aotoaio^ Brito: apnal.
'lados, Racha MifPa, Plhea |P '^
TRIBUS VI, Bl RMiACO.
SESSAO DE 8 DE MAIO DE 1866.
PRESIDENCIA DO- EXM. SR. CONSELBEIRO
SOZA.
As 10 horas da manhaa, presentes os senhores
desembargadores.Santiago, Gitirana, Lourenco San-
tiago, Almeida Albuquerque, Motta, Assis, Doria,
Ucha Cavalcanli, Domingues da Silva e Vieira, fal-
tando os Srs. desembargadores Guerra, procurador
da corda, abrise a.sessao.
Passados os feitos, deram-se os seguintes
JOIG AMEN TOS.
AGCBM'OS.DE PETigO.
Aggravanto, Luiz Moreira da Silva; aggravado,
o juixo.
Relator o Sr. desembargador Almeida Albuquer-
que.-Sorteados os Srs. desembargadores Santiago
e Gitirana.
Nao tomaram conbeclmento.
Aggravanta, Antonio de Siqueira Cavalcanti;
aggravado, o juizo.
Relator o gr. desembargador Dona.Sorteados
os Srs. desambargadores Gitiraona e Almeida Al-
buquerque.
Deram provimento.
Aggravanie, Dr. Francisco Joo Carneiro da Cu
nba; aggravado, o joizo.
Relator o Sr. desembargador Domingues da Sil-
va,Sortalos os Srs. desembargadores Almeida
Albuquerque e Assis.
Negara m pro vi ment.
Aggravadle, Jjfi Connives Villa-verde ; aggra--
rodo, o joiZO. -^^
Relator o Sr. desembargador Motta.Sorteados
os Srs. desembargadores Vieira e Ucboa aval-
caoti.
Deram provimento.
Aggravante, Glinssons & Filis e ontros -r aggra-
vado, o juizo.
Relator o Sr. desembargador Assis.-Sorteados
os Srs. desembargadores Domingues da Silva e
Vieira.
Negaram. provimento.
Appellac5es erlmes.
Appellante, ojuizo; appellado, Manoel Jos das
Neves.
A novo, inry.
Appellante Vicente Joaqaim de Maranda ; ap-
pllada, a justica. -
- Na I lo o processo.
Appellante, o promotor ; appellado, Luiz do Re-
g Leite Jnior.
Improcedente.
Appellante, o promotor ; appellado, Franciseo
Xavier da Araujo.
Confirmada a pena no grao modio do art. 19%
AppeUante, e juizo ; appellado, o escravo-So-
tero.
Confirmada a sentenga.
Appellante, Lzaro Franciseo Bezerra ; appella--
do, o juizo.
Nollo o processo.
Appellante, Joo Baptista dos Santos; appellada,
a justiga.
A novo jury. .
DILIGENCIA CRINE,
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
justica.
Appellante, o joisp.; appellado, Domingos Dias
da Silva.
A appel I a cao civel.
Ao Dr. curador, geral:
Appellante, Manoel Dias de Almeida Castalio.
Branco; appellados, os herdeiros de D. Antonia
Rosa de Barros.
Assignou-sa dia para jnlgament dos seguales
feitos :
Appellacoes eiveis.
Appellante, Francisco Xavier dos Santos j, appel-
lado, Manoel Ferreira Callado.
AppeUante, .Ignacio Jos da Silva;appellado, An-
tonio Pereira Lobo de Britto.
PASSAOENS.
Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar-
gador Lourenco Santiago
As ppellac&es crimes.
Appellante, o promotor ; appellado, Joaquim Xa-
vier Borba.
Appellante, o julzo; appellado, Feliciano, escravo.
AppeUante, Marcoiino Prancisco de Sdttza ; ap-
pellado, o julio.
Ao Sr. desembargador Ucboa Cavalcanli:
Appellaco civel.
Appellante, Joaquim GonCalves Ferreira; appel-
lado Manoel Joaquim Baptista.
DO Sr, desembargadorLoUrenco Santiago ao Sr.
desembargador Almeida Albuquerque :
A appellacib crime.
AppeUante, o juizo; appellado, Manoel Alves
Affonso. '
AppeUanto, o promotor; appellado, Joaquim Xa-
Do Sr. desembargador Almeida a Albuquerque
ao Sr. desembargador Motta :'
Ai appellacoes eiveis.
Appellantes o juizo; appellado, Jos Tenorio de
Albuquerqns.
Appellante, Ellas Emiliano Ramos; appellado,
Manoel Germano Buarqtte.
Reo Lucio Ferreira de Santa Auna, acensado por missa empregada nao tem a quantidade de cal que
ma H. h imI.II' : raotlt armonio oa non n.w -u.n^ i.^n
crime de homicidio.
Feita-a chamada as 10 horas da manba acbam-
se presentes 39-senbores Jurados.
Foram multados em mais 20*000 cada um dos
jurados j multados nos anteriores dias de sessao
e a cada ura dos senhores seguintes :
Dr. Joo Raimando Pereira da Silva.
Dr. Francisco Augusto da Costo.
Conselbeiro Francisco de Paula Baptista.
Aberta asesso proceden o sorteio dos 12 jura-
dos que tinham de formar o jury de sentenca, de-
feno-se a este o respectivo juramento : foi o roo
interrogado e lidoo processo da formacao da cul-
pa, desenvolvida a aecusaco e defeza e depois da
regularmente se usa-em obras toes.
Por est eccasiao pondera o angenheiro, que
acba conveniente, e at indispensavel fazer-se al
guns gigantes de encontr aparte'do muro do mes-
mo cimtteno, que Sea a esquerda do porlo, por
quanto estando encostadas a ella pela parte d
dentro as catacumbas ltimamente feitos, gr.aade-
o peze qoe o mpelle para fora, accrescendo nao
poder o mesmo muro oppor grande resistencia
ete ; conclue declarando que seis gigantes, que
podem ser construidos, nao Importaro em mais
de 97*500 res.
Posto em discusso, resolveu-se, quanto a pri-
meira parte, mandar pagar a ultima prestaeao, o
Trindade, acensado aor igual crime.
replica e treplica resumida a materia da aecusaco ^nto a segunda parte fleasse addlado.
e defeza foram propostas "as questSes de facto que Oulro do ftseal da freguezia de S. Jos, nter-
foram entregues coro o proeesso ao presidente inte- ando Jio baver inconvemente que Francisco
nno do jury de sentenca que se retiron com os dn ,Bes "as Chagas conserve como requer, urna
mais membros deile a sala secreta das conferen- trJa na o^c'taa de serralheiro que tem na ra. da
cias por 11/i da tarde, d'onde voltoa as 2 i/2 com i "j"14 D- V:~Concadeu-se. l
suas resposias qne foram lidas em alta voz pelo Q,ro do ^nl da freguezla da Varzea, commu-
presidente do jory de senteca, em vista de coja de- nicando achar-se arruinada em alguos lugares a
ciso foi condemnado o reo a 14 annos de priso, estr.ada nova. Que conduz aquella freguezia, isto
levantndose a sessao e addiando-se esta para o Idevido a eheia que ltimamente appareceu;. pede
dia 7 do crreme pelas 10 horas da manba, na' camara 9 d as providencias que jalgar con-
qual tem de ser julgado o reo Manoel Francisco da tenientes.Qne o fiscal declarasse quanto se pe-
der gastar nos reparos.
A commisso de polica apresentoo a .seguate
proposta, a qual entrando em discusso foi. appro-
vada e se expedlram as ordens precisas.
A commisso de polica que tem a obrigacao de
; fazer cumpnr o regulamento interno desta cmara
i do mesmo regulamento. e leva-lo ao conhecimento
da casa, para approva lo, se intender que c justa a
reforma do mencionado artigo 10.
A .commisso observa que todas as repantigues
da provincia sao abenas as. 9 horas da manba,
e fechadas as 3 da tarde, e que s a cmara mu-
nicipal, ero vriude do seu regulamento interno,
abre-ee as 10 boras da manba e fecna-.se as duas
da.tarde: o citado- artigo 10 da maneira se-
CAMAR4 MlMlPAL DO RECIFE
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS
DE 1866.
Presidencia do Sr: Pereira Stmoes.
Presentes os Srs. Aqaioo Fonseca, Costa Mon-
teiro, Santos,. Dr. Villas-Boas, Pinto e Dr. Seve,
faltando com causa o Sr. Gustavo do Reg, abriu-
se a sessao, e foi-lida e approvada a acto da ante-
cedente.
L-se o seguinte
EXPEDIENTE.
Um offlcio do Exmi presidente da provincia de gajete*
16 de marco ultimo, eommunicanao a cmara pa- Jois os empregadog da municipaliffadfra excep-
ra sen conbecimento baver por bem Sua Magosto- 50. 00 advladoTflscaaT e procurador! deverlo
de o Imperador decidir por sua imperial resoluco Comparecer pelas lO-hows da^nhaa na secre-
JSi*^ VVmA PiSSad0' T^,t I***** camara nicinal. todos es da* que nao
.TESLftSf!! ^JSESfSLShf10"* domingos, das santos e feriados,, e perma-
fh LdMe SS-'" ,ndasttia,yiP8ra-|neceroahiaias duas hojas da. tordo aquelles
?ufVVn,Hde8,,nada PaI1.Pa",c,5e.\mr"V somenteqae a aommisso de polica julgar neces-
e scientIUcas, para publicacSea polticas, Mri08 pa?a 0 serT,0 pab,|C0 .fj m^ porem
ras
urna industria, como ontra" qualquer, livre aos a-1 d7verTcroparec'rVmeia hora nte^
conaes e estrangeiros, eomo esta consagrado no'
artigo 179 24.e 23 da eonstiluicao do imperio,
sendo certo que nera o artigo 7.* 1., e nem. o
artigo 303 do cdigo criminal exigem qne o ira-
pressor seja brasileiro, qualidade alias exigida pa-
ra o editor, oo autor, e que por consequencia.nao
A eommisso julga que.a exempto-dos tribunaes
da provincia,, deve. a .cmara municipal commegar
os seus trabaibos as 9 horas da. manha at as 3
da Urde, cujas duas horas mais de- ir a bal ho tra-
zem duas vantagens considera vate, sendo a pri
meira, o poder dar expediente upando alguma vez
i,i Jii!I .a6 s" auend,da Pela I muBi-, acontecer ser elle maior do que- o regular, a se.
clpal de Macelo, a dedara5ao fe.u pelo eslrangeiro!gDnaa Q{meer aos cidados que vo all pagar
Fonseca ou como impressor ou em noroe.do m-; irop0stos mullas etc, maia duasJioras para o pode-
p n!217;.1 a ^ Irem '"er.-A vista do exposto. a commisso offc-
Outro do mesmo, do retendo mar, rerando a rece a esto respeitaveliamara-a raforma do citado,
camara a ^recommendacan eontida na segunda par- artig0 ^ d. maneira.seguinto :
m> ? p.residenc,a de 9 de novambrn nlti- Toaos os empregados da manicipalidade a.ex-
fXle,JIame-Df a r-m(?cao dK oc? ^^!ran "M^ d0 bogado, fiscaes-a-procurador, devero
;**. 2 t prximo ao hospital- Pedro I, comparecer pelas 9Horas damanhaa na secrauria
SS. f "P*3"16"19 aciD Pf*,r4 PfTl- i da camara municipal, todos os dias qne nao forem
VmlZ22Er*3? Prv.edor i*'8**! Casa domingos, dias santos e feriados, e permanecero
da.Jl2[Ti'*~P08to em d,sSUSS3Q'1 reso'veQ;s abiat as 3 horas da tarde, aquelles sement que
responder a S. Exc. com copia do oficio sob n. 76 commisso do policia julgar necessariospara o
de 15. de noyerabro do anno passado, accrescentan-1 ^^ da escsipturacCi on algum outrp objecto
do-se que* alero de nao naver no lugar de que tra-1 *#. servico puhlwo
to o provedor da Santa Casa, outro em alagado, j fambem sarao obrkpuus a comparecer, nos dias
ondepossam serenos os despejos publicosr nao e sessoes, nao sd. os quatro fiscaes das fregue-
tem a camara meios, para completamente satisfa- lias da cidade> cem^oo. ,rei das ireuiizias conti-
^222*2^552^ LS* !t PTT* fl aas- Po? Varzea.oAffogados; osT tres das fre-
"an.f'3 JVMd0 bonver C*es> ft tiX *erra,1(> gaezas !friD a vwao comparecer urna vez por row,\a primeira
Oatro do mesmo, duendo, qpe para poder resol- & de cada ^ ^^ ,^os obug^oos a per-
I^e* i- re1iierimeDlo de D. Anglica Rer- \ manecerem na casa at encerrar-scTsesso : o so.
Miranda, pedindo que seja observada a |ctador d cmara dever comparecer igualmen-
ApppellacSes crimes.
Appellante, o juizo Apellado, Maneel Moreno.
da Silva,
' Appellante, o folio; appellado, Jos VWta.de
Mallos. .
Ao Sr. deeembargaaor Assis :
As appellacoes clvUs.
Appellante, Jos Joaqui Osorta e seas fiihos;
appellado, Lpiz Paulino Cavalcanli de Albuquerque.
Appellante, Dr. Lote Felippe 4a Sorna Lao ) ap-
pellado, Manoel de Mita CavalcantL
Do Sr. desembaraador Motta anSr. desembar-
gador Assis
AMMUacio crime.
Appellante, LnlrGonzaga dos Santos; appellada,
a juanea.
decisao da presidencia datada "de 6 de fevereiro
ultimo, faz-se necessario que a camara Ibe envi
cop as, nao s da acta da sessao em que foi .vola-
do o parecer da respectiva commisso de edlfica-
c5es de 36 de abril do auno passado, dado sobre
um requerimento de. diversos propietarias e mo-
radores no largo do Forte, do Mattos, mas tambem
de ootras decisoas.da mesma cmara.Qua se sa-
tisfizesse.
Outro do inspector da thesouraria de fazenda
con despacho.da presidencia mandando informar
acerca do que diz o mesmo inspector relativamen-
te ao titulo.que pedem em sen requerimento. os
emprezarios dos trilbos urbanos desta capital i po-
voaco de Apipuaos, de concessao gratuita da lar-
reno d marinna, para nelle estabelecerem a esta-
S") da empreza, o qual ao norta da Praca do.
pimpo caes de Santo Izabel.Qpe se oavissa
ao engenbeiro cordeador.
Urna pellco com despacho da presidencia, man-
dando a cmara informar, em cuja petico Fran-
cisco Meodes Martins, arcematante da obra dos
raparos da ribeira da Boa-Visto, allegando prejoi-
zos que teve na execuco da mesma obra per ter
excedido do orcamento, pede a- S. Exc. autoriza a
cmara a indemnisa-lu dos mesroos prejuiaos, vis-
to que esta declarou, por seu despacho nao estar
autorizada a attenda-lo.Que se informasse com o
occorrldo, remetiendo-se por copia a informarlo
dada pelo engeaheiro cordeador.
Outro do inspector da attaadotjai-aclarando ter
dado ordem, aflm de qoe fosse recolhido aquella
repartico. pelo respectivo guarda mor um barril
de peixe salgado aprehendido por Jos Antonio
BaptisH a Epiphaneo Jos de Souza na nouta do
3 de marco ultimo, aonforma se servio a camara
oommunicar em sen offlcio de 17 do mesmo mei.
^Inteirada. *
Outrp d inspector da saude publica, pedilo a
camarl autorisasse aos fiscaes desta cidade para o
acompanharem na visita sanitaria qne costnma a
fazer annoalmeate as boticas. Que se expedis-
sem as ordens necessarias, e se. respondesse ao re-
ferido inspector.
Oatro do subdelegado da freguezla da Boa-Vista,
representando e pedindo providencias sobre o cos-
tme em pratica de aeren reeebidos no cemiterio
publico cadveres, sem qoe to awmpaohaos das
respectivas licencas, visto come esse costusae pode
trazer grava transtorno ao servcp policial.Como,
a camara sabe, logo qoe fafleee qonfqoer estrangai-
ro, a autoridade policial tem o dever de commual-
car lmmediatamente ao eonsul respectlTO, re-
metter os ttulos de nacionajidade, e como m t;m
pratlcado com os anerrumenios, nao ncssivel
<


te as sessoes.
O porteirov porem, dever comparecer meia hora
anise.
Sala das sessoes 3 de abrii.de 1866.Feliciano
Joaquim dos. Santos, Joaquim,uVAmeida Piojo,
A requesimento do Santos, mandou-se recom-
mendar aoangenbetro que nJwmasse a aetlcao
de Joaqun jos Pessoa, arrematante da obra dos
consenos da Pontesinba do Maduro.
Presten juramento o primeiro supplente do juiz
de paz do 2 distrlclo torrIIK**aos Affogados,
Joaqun Theodoro da Silva Caneca.
Despacbaram-se as. patJeSaa M. Antonio Jos
Piolo, Assoeaco Cpmaercial Bene¢e desta
previncia, Antonio. Ellas Antones Ferreira, Ale-
xaadre Rodrigues d!AJmelda Adriano Dias, Anto-
nio Fernandes de Amorim, Bernardino Jos Mon-
teiro, Bernardo lavares Couoho, lente coronel
Coriolano Velloso, da Silveira, padre Dmaso d'As-
sumpco Pites, Guilherme Daigel, Joo Evange-
lista. Gomes fe C, Dr. Joaqaim Jos de Miranda,
tenante coronel Jos Francisca Pires, los Domin-
nes Godicew*, Francisco Jss Alvas Guimares,
oaqoim Cavafeante de AlhaqosrqnaLins, Joaquim
Jos de Farias Neves Jnior, Luiz de Franja, "

noel Jos Vaz, Manoel Carvalho de Mo
ciso les- da Costa Pereira, Pedro Dias do*
Pedro Francisco d'CWiveir, a Tiburcio Valeriano
Bansjato e leva taon-se a sessao. Eu Francisco. Ca-
noso, da Boaviageaa secretorio a subscreyl. Pe-
rot* Stmoes, pro-presidente, Costa Monteiro, Reg,
Fonceca, Pinto, Dr. Seve, Santos.
JJ "
CommuiiiGados


*.'
IMlsso a daqnillo acabanvse todos, saas au sem
pre riodo-me, vou semexa por loto, o mondo es-
te, e ahi fica todo, porDpus pa por qaem t declra
quero fr mea bem.
Dominio, dia do Sephof, em qoe se otro M
do correte mea, pelas i horas da tarde, en arro-
deado dos meas maitos. liaos, e da aainha segunda
raul&er, ainda bem bella, a grvida, no jantor, no
mais costoso bocado com multo quiabo, engASgei-
me dolorosamente.
' Sem a menor affectago, ouvlndo naos Ubos e
mulhar, o mao dixer do eagaago, e da prompto a
madaacaa man semblante, estes fiihos, que em
arto aooiatcimentos do noaso vivar roe tem ou-
vido por Teles dlzer, sem coasa qu rtdo,1aca, a
par de tuto que comigo existo, qoe amar, parhito
s tenho a alias, a coriii|iylasMainHtlWnr"
tente a Daos, nao so .daowrarasn, #ovojra*':

Cnmprir-se |aie)ha) lver; Ti*tg a intordade I peqeoa,"i e .ra-
oS
l ILtCtVR
" i mm
lil iiiniii
m


. -
caudo-me ligeramente Mam *.-a.iOfift
morre.
Deprompw folabertoe oratorio qae se achava
na mesma sata de jaitar, o cada a destee fljbos
dos mais peaooofc peraontava: -mitSa mal a
que Nossa SMborYOevo pedir fcara meu pai nao
morrer. .
Persuad <* que nao morria, mas lambern sem
perder tempi, trate! a rau puchar de pr-me a ca-
minbo para a roa da Gloria, cas de mlnha sobri-
nba, aonde t bem veiado com elle (ui ter ao Exm. Sr. Dr. Ale-
jandre Perelra do Carmo, em sua casa na ra
Nova.
Este Sr. Dr., certo da sciencia, sem perder lem-
po, buscn o devido Instrumento, e a sea eicellen-1
te blbo pedio baca, botou cadeira defronte da va-
randa, e pegou a desengastar me.
Na primetia ve* o instromento pegou o engasgo,
mas, soltOD ; na segunda vez nao pegou, na tercei-'
ra vez, ob misa Deus, que s bom, e Infinitamen-
te bom para este valle de lagrimas imposturado
porquera a elle veai da fragilidade postemosa, e
ingolfado aai; vaagloria?, nao se
teita origem jue so por ni tero
na terceira vea, trouxe o instrumento regido pela
J^T.d^tT^.de Cms No Banco dePeraaSiKo. mm"?8,V88Ki$8S?"
tnico fefrigerante de veame e de
Jos"
._*
ra
ferro preparado pelo p
da Rocha Paranhos,
do Recite provincia de
Direita o. 16.
Este xarope, que d tom ao movimento
muscular per sua qualidade farrea, ao
mesmo tempe purgativo pela parte do ve- Reodimento do
lame que eacerra, e re/iigerante pela par-.Jldeo do dta 8
te acida, alm da precisa pira perfeita so-
lucSp e combioacSo do forro; este atacado
pelo acido llca em extrema divisSo, e as-
sim o mais sWuvel que possivei, de sorte
o quejD. tao dependente de ser digerice I
lembra desta per- pe'o cidos fracos, que se acham no sucdof toiaaies 91Ddos
o verdadero p ? gstrico durante a digesto. Os expositores' <
de medicina sao de opini ao qae o ferro e
o novo banco paga o 16* dividendo ns
razio de 60150 por acclo.
Noto banco de Pernaaa-
|)||CO>
O Novo Banco deaeoatt -letra* a 12 por cento
ao anuo, tena diabeiro a praso flxo ou em conta
corrale peto premio e eondlcoes que se conveB-
donar, e saca sobre praca da abiaB
aLT*N1Ga.
da 1 a 7 ......
208:1304883
250:445,5836
BeodBJento do da 1 a 7
Idea do dia 8......
7:419*513
711*952
8:131*465
CONSULADO PROVINOMI
'dem do du 8
3:J31*6W
m
M0VI1ENT0 DO POTO
MOVIMENTO DA ALFANDElJA
Volnraes entrados com fazendas..." "
t com gneros... 313
ccm fazendas... 16!
com gneros..*.
sciencia, geito e bom pulso do Exm. Sr. Dr. Perei- ,0j._ nrpnaratMW amata das tirtn-1 Descarreeam hoje 9 de maio.
ra do Carmo, um osso com mais de ama pollega- ^"^suas preprateos gozam aa> u Barw franceza-Rffaro-mercadorias.
da edemuit) prompto um Ifciuido para gargarejar, aes eminentemente tnicas, que aproveiia Barca ingleza-Janmercadorias.
e beber o resto; ao depois do que me disse o Exm. em todas as molestias que SSO Qaracterisa- Brigue portuguezConstante //-diversos gene-
Sr. Dr. Perera do Carmo, agora v acabar a cons- as por fraqueza; e com efeito achoexac- ros.
ternacSi de wa Mnwro tamlHa^ ^ ^^ : u wsa opQ5o n3o ms dado Q ferr0 em Sumaca bespaohola-
nao obsunte V.'sxc. presar a mao de cbristao, e' substancia pelo mo resultado que tenbo ob-
u ser pobre de tudo e portado, pelo menos co- servado, (e que j fiz publicar) em certas e
nheco que nao seria debati de preceilo divino, determinadas mole -tas; por exemplo : ane- Barca jjortuguezaBe/em-sal.
dinheiro aloAa mnitn dinhwrn. nn hasUria nara __:. *.i____. ____.___:____ _..: Barca nacionalAnuzadechu
Navio sahido no dta 7.
BabiaBrigue escuna nacional de guerra Tonolet-
ro, comrnandant o Io lente Jacintbo Faado
I de Mendonca Paes Lame.
313 navios entrados no dia 8.
i Ass9 das, palhabote nacional Gariba\di, de 109
toneladas, capitao Custodio Jos Vianna, equipa-
791! gem 8, carga sal e outros gneros ; a Tasso &
lrmo.
Baenos-AyresSQ-dias, patacho nacional Palma,
de 220 toneladas, capitao Roque, eyuipagem 7,
carga couros ; a Henry Forster & C. Veo re-
ceber crdens e segoio para New-York.
Navios saliidos no mesmo da.
vinbos. Rio Grande do SnlBrlgne escuna nacional Cj/J-
Brigue ingle/to flruc-ferro e podras. nt, capitao Jos Monteiro de Almeida, carga as-
portudo, pelo menos co- servado, (e que j fiz publicar) em certas e Patacho hespanholJoven Aife/e-farinba e vnoos, sucar eagurdenle.
CanalEscuna oldemburguea Lienne, capitao
muito diabeiro, que bastara para
dar-lhe m (. rova de miaba gratidao, por isso que
era tal solTrmenlo filando eu minhas esperancas
em Deus, elle servale 4a setnela de V. Exc. pa-
ra o bem de rainha vida ; logo verdadeiramente
eu Ihe saldj.ria esta divida, se em perigo de sua
vida, ou de nerobro de sna Exma. familia, eo por
isso ou por aqu lio lambern podesse valer (o que
sempre Deus o preserve desta occasiao) e porque
nao terei este prater, Uta sinceramente sempre em
prova a divida que V. Eac. me obrigou com os
meas Glbos, e sou conforme V. Exc entender, o
menor patrilo,
Francisco Jorge de Souza.
Sitio do Arraial. 23 de abril de 1866.
PttblicaQfies a pedido
CURA
Esfiantoza e Admiravel .
DE MA OHAGA
GUTCROSA E R0ED0B1
0D
nim m nariz,
ma, e febres intermitentes, terminan, mu- lTtXZlr-Mlsto'-Si'
tas vezes poranazarca, qae accumulacao Brjgue naciosai-AurKano-idem.
de serosidade no tescido cellular (agua quan- sumaca hespanholaGuadalupeiem.
do est entre a pelle) e depois ascite ou hy- Patacoo|portuguei s. JoM-idem.
dropesia do ventre, que accumulacap de Patcb0 portugae-fiflrf^-wem. ^
SerOCidade no peritoneo. tt.bo hanowiaEftSntrado do Rio Oran-
E' sabido que o ferro e um dos agentes de d0 Sol> ooosigmoo a M=ia di Espirito santo,
mate importaote para qoe o sangue se pre- mapifestou 12.070 arrobas o* charque, 71 eouros
pare e aperfeice devidamente, e por con- vacons, aos mesmos. .....inRn
ununtA n maiVManrii rara innfldu* o dflS- Palacb0 Mcional Todoi os Sanios entrado do Rio
segumte o mais propno para mpeotr o uei Grande do 8a|^ toat^ao a Amorim 1/awes ma-
envolvtmento destas 'molestias; mas sendo n,fest0B.
elle um efficaz excitante, sorbente e aecer- 9 300 arrobas de charque, 700 ditas de graxa
oente, claro que s associado como se em bexigas,
acna neste xarope, pode dar o resoltado
que se espera, e a experiencia rae tem de-
positares causou a desigualdade que aci-
mt'8* referi. i
Alm disso,. a commiaaao chama a aten-
cao dos Srs. expositores e mais industriaos
da provincia p'ar a" circunstancia de um
dos seas membros ter de acompanbar ex-
Rendicoento a^aTTa-V!'"!"T M:794*n^os'01'0 central os prodactos que d'aqui fo-
5:437*i7twem nviados, e fazer parte do jury julga*
dor na corte, achando-se por esta frina
habilitado para ministrar todos os escUreci-
mentos necessarios ao perfeito conhecimen-
to dos productos, e fazer. valer o ireito de
cada um dos expositores desta provincia.
Por esta forma a commissSo julga ter re-
movido mais um dos embarazos, com que
porventura venha a lutar na acqoisico de
prodactos destinados expsito do Io de
julho.
Ainda urna vez appella a commisso para
os digno.s Pernambucanos, pedindo-lhes com
instancia qae promovam com esforco a re-
messa de prodactos destinados a figurarem
n'aquella festa industrial, onde se empe-
nbam os bros da provincia
Sala da commisso, 23 de abril de 1866.
O secretario,
Dr. Mano el Buarque de Macedo.
Santa Casa de Misericordia do
Reeife.
O Sr. thesoureirs da Santa Casa de Misericordia
do Reeife, commendador Jos Pires Perreira, man-
da fazer publico que no dia quarta-feira 9 do cor-
rente, pelas 10 horas da manba, no sallo da oasa
dosexpostos, fara' pagamento das mensalldades
vencidas de Janeiro a margo prximo passado a
todas as amas que se apresentarem com as crian-
cas que Ibes foram confiadas.
Secretaria da Santa Gasa de Misericordia 3 de
maio de 1866.
O escrlvSo interino,
Francisco Gomes Castellao.
ARISTOCRACIA
Camp-
Cassio
Schumacher, carga assucar.
LiverpoolBarca inglesa Eleonor, capitao
bell, carga assucar e algodo.
Rio Grande do Norte Patacho ingles
Gray, capitao Thomaz, em lastro.
Observacio.
Suspendeu do lamaro para a Parahyoa a bar-
ca norlugucza Marta Adelalde, capitao Matbias
de Avellr, com o mesmo lastro que trooxe do
Rio de Janeiro.
Sra. Clelia.
Sra. Leopoldina..
Sra. Jesnina.
Sra. Adelliffe.
Sra. Heariqueta.
G.
Viscondessa de Valdomar, de
68 annos de idade, apresen-
' lando qaasi todos os indicias
da decrepitude, arrimndo-
se de ves em quando a urna
muleta
Eraesiina sua pupila.
1 Dulcioda de Aievedo, viuva
rica.
Maria Lufia, modista.
Joannlnhlsua irma, 10annos.
D. Francisco de Noronha, Blbo
da vlscoudessa,captto de ca-
vallarla.
Carlos de Sonsa escriptor pu-
blico.
Oconselbeiro Borges.
Antonio dos Res, soldado de
cavallaria.
Joaqmm, gaiato de recados.
Francisco, criado.
Margarida, criada.
Dar lira o espectculo a comedia
ornada de msica
Tribulacoes de um
*
tor
Principiara' as 8 horas.
AVISOS MARTIMOS
Sr. Paiva.
Sr. Sooza
Sr. Grac,a.
Sr. Pedro Joaqoim.
Sr. Teixeira.
Sr. Manhonso.
Sra. Joanna.
em um acto
tu-
EDITAES
monstrado sem risco de offender as entra-
nbas.
Os effeifos dos incitantes, sSo : promover
as secreces, e absorcoes, augmentar o ca-
lor natural, e remover aquellas dores qae
nascem da falta dos movimentos irritativos.
Os sorbenles sao tambera aquellos agentes,
os quaes augmentara os movimenlos irrita-
Constando qne S. A. a Sr.* princesa D. Leopol-
, dina e seu augusto esposo o Sr. Duque de Saxe
guas seccas, StO resteas de ceblas, e 5 barns de y-o a. | ^Q oxjmo *
tahiohas, aos mesmos. Ane .,, que se espera do Sul, faz-se publico para conhe-
Vapor nacional Por-ita entrad) dos porlos do menl0 dpos habitan,s desta cMade que, se S. A.
Sol maoifestoo, de Macelo: I ver n0 referido paquete a torre do arsenal de
48 saccas com 235 arrobase H libras algodao, ha ^ ,
3i fardos pecas de dito, a" ordem. 1 Sr
Vapor nacional Paran entrado dos portos do
Norte aanifestdU:
Do Maranho, 20 libras bagos de mamono,
cotos com 21 arrobas camaroes, a' ordem.
Do Para, 38 barris maoteiga, a Marques Bar
ros d C 10 ditis dito dito, a i. M. Palmeira. i
caixa com 112 chapeos de palba, a Rocha Lima
no caso de que os augustos viajantes pretendi
j desembarcar, sera' a bandeira imperial substituida
10 por u,n galhardete encarnado.
Secretaria do Governo de Pernambuco, em 8 de
maio de 1866.
tivos, que formam absorbo, e os s^cernen-1 tes aquelles que augmentam os monmentos ^hiie, a Maury Bomaguera & c
rritativfl-s nim mnstitiipfh aor mciodsA Momaitfuape entrado do Aracaly,
s- 'consignado a' companbiaPernambucana, manifes-
Unt ideada de serrir residente em Pernwn
buco e pjrtunevnu' Ex SeBr*. TiacoHDKea*.
DB tfoujNA, foi attacada duna terrivel cha
ga cantaos e roedoraou Polypo no Nariz.
A mesma involvia e tomava todo a parte in-
ferior do nariz, amea^undo j distruir tanto a
parte cartilaginosa como o mesmo oso ; Come-
dn primeiro por apparecer sob o bei^o supe-
rior e parte da face, extendendo-se por tal
forma e com tal rapidez, que em pouco amea-
?ava transformar todo o rosto n'uma enorme
cLarga rira e asquerosa. Durante todo este
terrivel estado, todoa os recurso* medicnaes
que em taes cazos se uzo forao abundante-
mente empregados, sem qne de lere fizesse
parar a marcha lenta e distraidora do to hor-
rivel enfermidade, e todos os meios e eeforcos
forito baldados, e no em tanto o mai cresca eis
que por milagrosa fortuna da infeliz estando
as couz:.s neste ponto, ae experimentou pela
vez prin e;ru a
SA.LSAPAB.BILHA
DE BRISTOL.
O effeito produzido, quasi qne instantneo
por este inestimavel remedio foi verdadeira-
mente inaravilhoso e sem igual; este grande
purifica dor do sangue e dos humores do svs
tema, r/nmediataraente pz um termo mar-
cha disjistrirza e fatal da molestia, derramndo-
se e infiltrndole a travs dos tecidos os maif
delicadez do corpo, ex pe 11 indo at ultima
proprieclade on vestigio virulento da molestia,
e dentro d'um curto espaco de tempo produzio
urna
CURA
Completa e Radical.
Este feliz quao admiravel resultado foi obtl
do apenas com o simples uso
Puma se nica Garrafa!
d'este iiicom para vel e inaprecia vel depuratorio,
reeomnendamos portanto todos os Doentes
que prccunim obter com o maior cuidado a
nica e verdadeira Salsaparrha de Briitol,
nicamente preparada por
IANKAN & KEMP.
De XOV.l YORK,
na c*rt4!za de qne, todas as mala preparacoea
Imitati'-as nao valem para couza algazo*
Vende-se as botcat de Caors & Barbosa
e C. Bravo & C.
Assim, pois, v-se que sem a precisa combi- lou .
nar;5o e modificado nao pode ser elle appli-! 16 saccas com 59 arrobas e M libras algodo, a
cado indistinctamente. Muitas vezes o pra- Lima Faria 4 C 1 barrica com 80 milheiros de
tico deixa de fazer applicagao do ferro por jfr ^^"5 de sol.a.
conbecer suspettar que o bgado, o bote on
pulmo, e oro essencial da respirado, ou
0. secretario, Dr. F. de Paula Salles.
DECLARACOES
traca
Abanos..........cento
. caada
arroba
outra enlranba est offeodida; entretanto
que, se se tivesse applicado em tempo se
poderla ter evitado o desenvolvimento da
molestia. Assim, pois, o xarope prepara-
do como fica exposto se pode usar sem ns- d|m resillada ou do rein .
co por nao offender as entranbas. As mo dem caxaca.......
lestias contra as quaes o xarope tnico re- idenvgenebra......
frigerante pode ser applicado com proveito, Wemalcool ou espirito de agua-
s5o: as amenorrheas,(ou suspencao do fia- Aigod5oem carolo' .' .' .'
xo menstrual das mulneres, anemia, 00 di- \em em rsUna ou em'ia '.
minuifo da matsa do sangue e sua consis- Arroz com casca.....
tencia alterada, dores de estomago, debili- M" descascado ou pilado .
dade dos orgaos digestivos, fastio, fluxos {SSS^. I i '. '.
mucosos, flores brancas, chlorose, molestias i6m refjnado......
do sexo femenino, caraclerisada por lan- Azette de amendoim ou mendo-
guor geral, acclorisac5o paluda da cor ou ,bim. : ......
esverdihada, empobrecimento do sangue, ^^ mamona '. '. '. '.
eofartes-ehronicos das visceras abdomioaes, Batatas-aiimenticias '. .
alporcas ou escrophulas, escorbutos, opila- Bolacha ordinaria, propria para
] gao, pallidez, e os estragos produzidos pe- embarque.......,
I las molestias sypbiliticas: asthenia on falta ?aefm^ '....... \
de forcas; fraqueza geral: e ha bydrope- Mem escolhaou'restoiho.' .' '.
sia anazarca e ascites; tendo-se o cuidado dem jorrado......libra
de observar nestas duas ultimas molestias Caibros........
principalmente, e em todas s outras, que
um dos effeitos salutares deite xaropa te-
ro-ventre correte, e as urinas desembara-
cadas.
O modo de usar-se e regular-sc vai des-
cripto no lelreiro pregado no frasco.
vende-se uoicameute na botica da ra
Direita n. 88 de
Jos da Rocha Paranhos.
Governo da prorincia.
4.* secco.-Secretarfa do governo de Pernam-
buco, em 1 de maio de 1866.
ED1TAL.
Pela secretaria do governo, se faz publico
1 quem interessar possa, que tendo o Exm. Sr. vice-
tiuivnri 1 no dmuiuritii .presidente da provincia, de dar exeroco a le n.
CFNEBoK^OS A D1RE1T0S 6*9' ""C0 K0W. aM'X0 PUblCada' S6
convida todas as pessoas que pretenderem con-
tratar a construccao das estradas de qoe trata a re-
ferida le apresentarem ao mesmo Exm. Sr., as
soas propostas, e mediante as bases nella estabele-
cidas, afro de serem examinadas e preferir-se
aquella que melhores vantageus offerecer.
O secretario,
Dr. Francisco de Paula Salles.
LE N. 649.
co saber a todos os sens hahilantes aue a assem-! P"nc|P qne S>. Aitea a serensima pnuceza u.
PAUTA DOS PBBQOS DOS
DB EXPOBTAQAO.SEMANA DI 7 A t EB MAIO Di
1866.
Mercadorias. Unidades. Valores.
2500
800
800
360
800
900
3730
Tribunal do commrcio
Pela secretaria do tribunal do commrcio d
Pernambuco se fas publico que em sesso do mes-
mo tribunal de 12 da corrente foi considerado va-
go o cilicio de corretor desta praca, que exercia
Fredenco Lopes GulmarSas, o qual o abandonou,
e quo a flanea prestada em favor do mesmo cor-
retor persiste por seis roezes, contados desta data;
e que fica marcado o praso de 60 das, para dentro
delles se habilitaren! os concurrentes ao referio
offlcio.
Secretaria do tribuoal do commrcio de Per-
nambuco 13 de margo de 1866.
O offlcial-maior
Julio Gulmaraes.
Administraco do cqrreio desta cida-
de precisa de seis homens para o serviqo
de caminheiro, quem estiver nestas condi-
ces e qoizer engajar-se dirija-se a mesma
administraco. ______
Na sexU-feira-11 do andante, fiada a audiencia
do Sr. Dr. juis de orphios, se ha de arrematar por
veDda o sobrado de dous andares, sito a ra Direita
n. 79 avaliado por quillo que em praca apparecer,
por isso que vai ser vendido a requerlmnto dos
coosenhores, a ullima praca.
O secretario da cmara municipal da cidade
de Onda, abaixo assignado de ordem da mesma
cmara faz sciente aos sens mnnicipes que tendo o
Exm. presidente da provincia por offlcio de 12 do
mez Dudo commnmcado baver a Divina Provideu-
r. co saber a todos os seos habitantes que a assem-
?A-nn IDla legislativa provincial deeretou e eu sanceionei
15500
25600
15600
35000
4JO0O
caaada

arroba
Cal.......... arroba
dem branca .... >
Carne seccv(xarque) ... >
Carneiros ....... um
Carvo vegetal ..... arroba
Cavernas de sicupira urna
Cera de carnauba em bruto. libra
jdem idem em velas ...
Cha .........
Charutos ....... cento
Cevados (porcos).....' um
Cocos (seceos)..... cento
Colla ... ..... libra
Couros de boi, salgadosa.
dem idem seceos espichados ,. >
um
>
libra

250OO
15600
15OOO
15300
75000
65500
65OOO
440
360
320
580
35800
45000
15000
35OOO
300
300
25000
35OOO
{05000
45000
600
130
240
93
360
320
520
dem de araruta
Agua de Florida 4c Murray 4l
Com quasi toda a certeza pde-se por em
ilu villa-seas mil e uma varia veis flores
que adore a va m e derramavam t5o delicise
perfume nob o verdemente jardim de Pa-
raizo-^-espalhavara tima fragraeia mais pu-
ra e delicada na atmosphera, do que aquella
que se dilfunde e enche o gabinete de vestir,
ou Boudoir, no qual se haja aberto um fras-
co desta-odorfera e deleitavel agua de ebei-
ro. Con parada com o passageiro e voltil
ebeiro desas Essencias ordinarias, o seu
mimoso e delicioso aroma pde-se chamar
inextinguivel, inapagavel, emqoanto que por
outro lado a verdadeiraquinta essencia
em seu genero, que de orna maoeira a
mais viva, nos faz agradavelmenie recordar,
trazendo-nos a mente o deleitavel e genuino
perfume das aromticas floreMenUs flores;
n'uma palavra nella existe e floreece a belle-
za e o encantamento.
O voluine do delicado aroaa espargido de
algumas cotas derramadas sob o lenco,
verdadekiHBente maravilhoso e deleitavel; e
come um agradave) meio de restabelecer:
desmaios-, vertigooe e dorede cabeca, assim
como servIndo de odorifeTO adorno .pessoa
e ao prlfiar, quando osada em diluido co-
mo um eaxagoamenlo de bocea ou cosmti-
co, ella por cuto nao tem seo igual entre
todas as maif aguas cheirosH importadas.
(Teeut-f*, l#, tono o cuidado de bi-
nar e ftrdMrts oomea d mrray e^an-
man, M&m ineenpto* e gravados aob
cada eim\i$thot lelreiro e garraf e na falta
dos mentios, feisi susporor Ha loa IMbI-
dade.)
Xarope alchoolico de veame, preparado J*" 4em veEdes
pelo pbarmaceutico Jos da Rocha Paranhos, J 3*2,^
estabelecido com botica na ra Direita n. Doces seccos .
i 88 em Pernambuco. dem em gela ou massa
Este xarope incontestavelmente superior. dem em caWa .
,a todos os.xaropes depurativos de cuja fffpa^eesnofand?S. \ \ \ "". ijS
icompostg3o e o seu raator eleaento a salsa Esteiras para forro de estivas
parrilha, pois qne se tem conhecido ser o de navio........cento 135000
veame mais enrgico para a prompta cura Estopa nacional ..... arroba 15800
das molestias, cuja base iessencial depende g^ de^mandioca atagtfre 25500
15800
55060
155000
85000
IO5OOO
85000
800
25OOO
255008
25000
115000
65O0O
260
15500
35000
55000
55OOO
800
600
I50OO
1M
da pnrificagao do sangue; assim" pois se Feijaode qualquer'qudlidade
tem verificado por muitas pessoas que se Frechaes ......
achavam desengaadas, as quaes acham-se Fumo era iolha, bom .
hoje reetabelecidas com o referido xarope jjem ardinaric. ou restolho
alchoolico de veame; entretanto que al- Wem ordinario ou restolho.!
guns, tendo usado do xarope de Curmier, Gaiiinhas ......
de Larrey, de salsa parrilha, de saponaria, Gomma........arroba
oleo de figado de bacalho, e outros agentes Jpecacuanha (raiz). .
arroba
t
um
arroba
1
t
1
tuna
a resoluco segainte :
Art. 1. Fica o presidente da provincia aotorisa-
do a mandar estudar e a contratar com uma ou
mais companbias on com pessoas reconbecidamen-
te idneas, orna rede de estradas, de rodagem ou
de carrls de ferro, contiendas, sob a denominado
I de tramways, que ligue os centros populosos do
interior da provincia com as diversas eslacoes da
estrada de ferro do Reeife S. Francisco, como as
actuaes estradas de communicagao para esta capi-
' iXm tal on rnm os pontos do llttoral de fcil accesso a
J navegacao.
Art. 2. Para execugao do artigo precedente po-
dera' o mesmo presidente adoptar as segointes me-
didas :
g t. Conceder as companhias on aos particula-
res,., que se encarregarem da constrnege dos
tramways on que os collocar d'ora em diante as
actuaes estradas, uma subvengo kilomtrica pro-
porcional ao capital empregado e por uma s vez,
ficando o contrato, que para isso se celebrar de-
pendente da'approvaco desta assembla.
O contratante podera' independente desta appro-
vagao dar comego aos estudos e preparagao dos
planos das obras, os quaes edicirao mediante in-
demnisaciio pertencente a provincia caso nao seja
approvarfo o contrato celebrado.
2. Contrabir um emprestimo dentro ou fra
do paiz, mediante eondigdes qne nao obriguem a
provincia a um dispendio superior a quairo cen-
toscontos deris annnaes.
Art. 2. Ficam revogadas as disposifSes em con-
trari.
Mando portanto, a todas as autoridades a quem
105000 o cpnbecimnnto e exeenoao da presente resolugo
5OOOI perteacer que a'cumpram e fagam cumprir to tn-
teiramente como nella se contm.
O secretarlo do governo desta provincia a faga
imprimir, publicar e correr.
Palacio do governo de Pernambuco, aos 20 de
margo de 1866, 45 da independencia e do imperio.
L. S.
Manoel Clementino Carnetro da Cunha.
Sellada e publicada a presente resolugo nesta
secretaria do governo de Pernambuco, aos 24 de
abril de 1866.
O secretario, Dr. Francisco de Paula Salles.
Registrada a fl. do livro 7 de leis proviociaes.
Secretaria do governo de Pernambuco, 20 de
margo de 1866.
O escripturarlo da 4" seceo Theodoro Jos Ta-
cares.

Lenha em achas
Toros
cento
>
Leopoldina den a ini no dia 19 de marco, assim
como possuida do maior elevado contentamente
pelo trlumpbo alcangado ltimamente no sul do
imperio pelo nosso exercito pede aos habitantes da
mesma cidade que se sirvam Iluminar as frentes
de suas casas nos das 10, 11 e 12 do corrente co-
mo demonstragao- de regosijo por lao fausto con-
tentamente.
Secretaria da cmara municipal de Glinda, 7 de
margo de 1866.
Marcolino Dios de Araujo. _
Uefdem do 111ra. Sr. Inspector da tbesou-
raria de fazenda de Pernamonco se faz publico que
em virlude da circular de tribunal do thesonro na-
cional, sob n. 10 do 2> de abril ultimo, fica proro-
gado at o ultimo de dezembro vindouro o praso
para a sobslituico, sem descont, das notas de 55
da 4* estampa, devendo comecar do 1 de janeirj
de 1867 o descont progressivo de 10 0/0 das mes-
mas notas na forma da lei.
Secretaria da tbesouraria de fazenda de Pernam-
buco em 4 de maio de 1866.
Servindo de offlcial-maior
Manoel Jos Pinto._______
CIBIIII GERAL
Pela adminisitagao do correio desta cidade, se
faz publico que em virlude da convenci postal
celebrada pelos governos branleiro e francez, se-
rio expedidas malas para Europa no dia 15 do
corrente pele vapor ingles Rhone.
As cartas sero recocidas at 2 horas antes da
que fr marcada para a sabida de vapor ; e os jor-
naes at 3 horas antes.
Administraco do crrelo de Pernambuco, 8 de
maio de 1866.
O administrador
Domingos dos Passos Miranda.
TrifeBoil do commrcio.
Pela secretaria do tribunal do commrcio de
Pernambuco se faz publico que nesta data foi ins-
cripto no livro da matricula dos commerciantes o
Sr. Pedro Marlyr Maury, cidado bespanhol de 28
annos de idade, esubelecido nesta cidade com ne-
gocio de gneros nacionaes e estrangeiros, a ex-
cepgao de fazendas, em grosso, de conta propria e
comraissdes.
Secretaria do tribunal do commrcio de Per-
nambuco, 8e malo de lff66..
Rego Raogel
Ne impedimento do offlcial-maior.
COMPaMM ItUASILEIIIA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos porto do sal espendo
at o dia 14 d" correte um dos
vapores da companbia,c qoat, de-
pois da demora do cosame, sr gi-
ra para os portos do norle. Des-
de j recebem-se passageiros. e eagaja-se a carga
que o vapor poder conduzir, a qual dever ser em-
barcada no dia da sua chegada; encommendase di-
nbeiro a frete ath o dia da sua sabida as 2 horas;
as passagens s sero recebidas na agencia roa
da Cruz n. I, escriptorio de Antonio Lniz de Oh-
veira Azevedo & C.
Companhia l'eruaiubucana
DE
gXavega^o costeira por vapor
Aracaj e escalas.
Segua no dia 14 do corrente o
vapor nacional Mamanguape, pa-
ra os portos do sul. Recebe car-
ga at o dia 12. Encommendas,
passageiros, e dinheiro a frete
at as 2 horas da larde do dia da sabida : escrip-
torio no Forte do Matos n. 1. ___
Liverpool por Lisboa
Pretende sabir no dia 12 do corrente o vapor in-
glez Casstne, para Liverpool por Lisboa, para en-
commendas, dinheiro a frete : a tratar com os con-
signatarios, Sannders Rrothers 4 C, praga do Cor-
po Sanie n. 11._______________________
"COMPANHIA BliSILEIBA
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do norte esperado
o vapor Crttieiro do Sf no da 21
do corrente, commaodante alcan-
forado, oqual depois da demora do
___ costume, seguir para os porlos
do sul. Recebem-te desde j passageiros e enga-
ja-se a carga que o vapor poder conduzir, a qnal
dever ser embarcada no dia de sna ebegada; en-
commendas e dinheiro a frete at o dia da sabida
as. 2 horas : as passagens s sero recebidas na
agencia ra da Cruz o. 1, escriptorio de Antonio
Lulz de Oliveira Azevedo & C.
Para Lisboa.
desta ordem nada conseguiram. E' elle de t
fcil digestSo, agradavel ao paladar e ao ol- ijobas eesteios '. '. '. ". '. um
phato. Algans mdicos desta cidade e da Mel ou melaco...... caada
de Macei o teem reixwunendado para a cu-; Mho......... arroba
, Papagaios ....... um
radas Pao Brasil....... quintal
Impigens, tinha, escrophnlas, dem de jangada...... nm
Tumores, ulceras, escorbuto, Pedras de amolar uma
Cancros, ama degenerada, fluxo alvo. dem de filtrar .-,... t
T^asetasa&c^esprovmdeumacaa- 2*;"^ \ l \ m^0
sa interna; nSo ha pois razio alguma em p0mas.ou.chi|res devaccaspn
crr que ellas se podem curar com remedios novilhes ....;.. cento 3#W
externos. Tambera se prescreve o xarope Praachoes de: amarello de dous nmMi
alchoolico de veame para o tratamento das d^st^.s- mn jxfxxx
affeccCes do systema nervoso e fibroso, taes ^S-f\:'". '. '.'.'.'. ubi 1^00
como: Sallo......... > 160
Sal.
Salsa parrilha.
Sebo, em rama
dem em velas^
Sola empaqueta.
Gotta, rheumatismo, paralysia,
Dores, impotencia, estril idade.
Marasmo, bypecoodria, emmagrecimento.
O xarope aleboolit de veame sobre
tudo, da maior utiltdade para curar radi-
calmente, e em pouco tempo p rheuma-
tismo.
Adverte-se que o verdadero xarope so se Tr*v ......... uma
vende nesta cidade na botica cima indica- Unas de boi...... eento
da, de abai assignado; e em ouflra qual-1^^* J,!6 P1*58*** *
qer parte qift ae tem anauseiado n5o da g ^^^ ; ; ; ;
mesma composic3o, e nem o abaixo assigna- vinagre.......... caada
do se responsabilisa. #
Jos de, Rocha Paranhot.
Taboas de amarello..... dozia
diversas ........
Tapiocas......... arrob
Tatajub .# quintal
libn
>
alqueire 400
arroba 25#000
3*000
1 7#000
urna
2jweo
magre...... ,
Al%d|d^I?OT^nmcxVn|t4e. malo de 1866.
BAPITAMMtlTO.
COMMRCIO
.. ,...
>RACA DO RKQFK.
CU*i*e elcUcu.
jbji t de maio.
As 3 12 Itora* d* Urde.
Aecoea eomtMkH lodesiBisMk)r<-2S|O0O por
cada ama.
Cambio sobre Londres M di*. 27 3|id,.por
14000. >^~.....'-
L>ab)urca Jnior,
Presidente.
SUveira,
Secretario.
Ceta de carnauba arroba
Cassueiras de Jacaranda, duzia
Enchameis. y um
Esteiras. de carnauba. uma
Ossos........ arroba
Palha de camiHiba ... molfap
Penna de ema .... libra
SapatosdeceufobraacOi ptr
Era ut supra.
Apnrovo -Alande da Pflrnambnco, 5 de maio
eim:'-----A. nTalfe.
O^'^Sterwite, aducs i4 H*h Gcmcake,
da Silva.
G conferente, Jiercultmo Cor OtonL
64400
950000
4*500
160
200
800
moa
Bxposi^o do productos agri-
eola, indnstrlacs e obras de
arte em Pernambuco.
Constando commisso directora da ex-
psito que, por falta dos necessarios escla-
recimentos, pela comparadlo havida entre
os nossos productos e outros similares de
diversas provincias, e prr outros motivos
de que nao teve completa sciencia, nao hou-
ve a desejavel igualdade na distribuiejo fei-
ta para esta provincia das> recompensas da-
das pela commisso central do Rio de Ja-
neiro na ultima exposicSo, e que por este
(acto alguna dos antigs expositores se re-
cusam a concorrer com no vos productos
exposiclo do i de julho prximo; resoi-
veu, em uma de Suas sessoes, mandar fazer
publico o seguinte :
1. Haver na provincia, para os traba-
lhos da exposic3o/um jury especial, no qual ^^^ctTagifoiivelra
nao tero voto os membros da commisso
directora, que julgar da exoeeocia, aper-
feicoamento e utilidade doff^rodqctos ex-
postos;
2.a Este jury se dividir em .duas sec-
c5es, sendo um pam o productos agrco-
las, e ootra para os industriaes propriamen-
te ditos, e obra$ de *rte ;:
3t Fario parte d jury s.pessoss.de re^
conhecidaapbdao e especialiM;
4. Segundo o joizo do jury, a commis-
so distriboir-aas productores e demais ex-
positores medalhas de duas classes, sendo
as da Ia classe de prata e as da 2a de co-
bre, ambas acompaadas de diplomas.
5. K commiisatl far acquisicSd, median-
t valor ajustado, dos prodoctos que para
Arrcmataqao.
No dia 1S do corrente, perante o Sr. Dr. jniz de
orphios, Boda a audiencia, deve ser arrematada a
renda do engenho Dous Irmos, no lugar de Api-
pucos, sendo as bailas de caplm pertencents ao
mesmo engenho pelo espaco de 5 annos e 9 mezes,
e as trras de plautacao de canoas, cercado, casa
de viveada, etc., etc., qoe fazem parle da renda do
mesmo engenho pelo de 6 annos, todo cumulati-
vamente : os pretendeates podem examinar o ec-
cripto que se acba em poder do porteiro Amaro
para ficarem scient-s das condicSes com que dito
engenho vai ser arremaiado.
Relacie das cartas seguras existentes- adeuiis-
tracSe Ir cerreie desta cidade pira es senkeres
akaiis eckrados:
Aodr Alves de Freitas.
Andr Avelmo Ribeiro Lima.
Me Jos Barroso da Silva (Afolados).
Jbo Loureofio do* Santo.
Jos Caroeiro Rodrigues Campello.
Jos Ramos de Sonta.
Capitao Manoel Antonio Ribeiro.
Plre Manoel Cordwro da Cruz.
Pedro Rapbael do Amor Divido.
Paulo Gomes de AUneida.
Roneo da Rocha Bastos.
Silverlo Jeaqn|m,A:ves dos Santos. .
Dr. Jos Beato da. Cunba Figaglredo Jnnior.
800 ito forem julg
s
THE A TUO
DE
peto jury, qu
ataftamtntepara
figarrem q^Hj central.
A commlssJo Uirwtora espera qoe estas
jnedidaav servirlo de fin |ao verdSdeir.o orglSf d0 aow^
apreco dos producto! laplllu, e quf AaSo recldo ao primeiro d
desapparecer o desanimo que a alguns ex- Leal.
(P recua da istifnatara.)
Qnarta-feira-9"de maio.
Segije com brevidade a velleira barca portague-
za Belan, capitao J. Joaquim de Freitas. Recebe
um resto de carga a frete, para o que trata-se no-
escriptorio de Amorim Irmaos, roa .da Cruzo. 3-^
"Para o Aracaty.
O vellelro e bem conhecido palhabote nacional
Dous Amigos, pretende seguir com murta brevida-
de, tem parte de seu carregamento engajado, para
o resto que Ihe falta tratase com osseus consigna-
tarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no
seu escriptorio, ra da Cruz n. 1.______________
Para o Rio de Janeiro.
O velelr e bem conhecido brigue Adelaide,
pretende sahir cora muila brevrdade por ler a
maior parte do carregamento engajado, e para o
pooco que Ihe falta e escravos a frete, trata se com
o consignatario Joaquim Jos Goncalves Bellro na.
ra do Vigario n. 17 primeiro andar.____________
Para o Porto por
Lisboa.
A veleira e bem conheclda barca portugueza
Tentador, pretende seguir com multa brevidade,
tem parle de seu carregamento engajado, para 9
resto que Ihe falta trata-se com es seas consignata-
rios Antonio Lulz de Oliveira Azevedo & C, no seo
escriptorio na ra da Crnz n. 1._____________
Para o Porto
Pretende seguir com mnita brevidade a velleira
barca portdgueza Iris, capitao Matbias de Sooza
Maciel, tem dous tercos de seu carregamento
prompto, para o resto que Ihe falta trata-se com os
sens consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Aie-
vedo & C, no seu escriptorio, ra da Crnz n. i.
Para a Babia.
Pretende segnir com muila brevidade a Teileira
sumaca nacional Hortencia, a qal tem parle de
seu carregamento prompto, para o resto qoe Ike
falta trata-se com os s-'us consignatarios Antonie-
Luiz de Oliveira Azevedo* C, emsen escriptor,
ra da Cruz n. i.
PAR LISB04
sabira' com toda a brevidade o brigue portngaes
Constante II por ter prompto quasi todo o sen car-
regamento : para o restante e passageiros, para os
quaes tem excellentes commodos, trata-se coa Ma-
noel Ignacio de Oliveira Filbo, escriptorio no lar-
ge do Corpo Santo n. 19, on conc o capitao na



.....
__
4
DAS
lessigerwlmperijrles:
At #a U do crreme etpe-
ra-se da Europa o vapor raneet
Gutenne o qual depois da de-
ora do costume seguir para a
hia e R* de Janeiro. Pj~>
condicSes fretes e passageiros trata-se na afnela
roa do trapiche n. 9.
Os passageiros de Pernambuco para os portos
da Enrona que queiram segurar as mesmas passa-
gens a bordo do paquetes desta companhia non
metes de maior afluencia tem a faculdade de as
tomar no dia em que os vapores seguirem P>ra.
sul, pagando porm como se fosie do Rio Se Ja*
seiro.
Pretende sabir em poneos das par Lisboa a
baa portugueza Mario, recebe carga e |
ros, pannr4iaa#s ten eia"
timo iMiamento : a (aliar coa os
Cartaho & Jtogoeira, ra de- Apollo n. 10, 001
caattie.
Primeira
Para Rio
o veleiroe bem conhecido brigue nadooat SUS
drama ea,. Jj*a, Cnu fssep*da-oanjBtiiyatMiaa>
t de LaaordJ, oSe- coca tesa a aritiiMl: nata o resto a Mf ra-
portugeez Meada 4*-ss com Jos Maria Palmeira, no lama do Cosa

S
A'



i_



Ql
4e f 8\

UIliES
-II I.. -,
LiEILlO
objectos.
DE
Movis, vi dr os e o litros
(UM LIIITI.)
Cardeiro Simos por conta e risco de qnem per-
timeer ar leilao de nrn sofi de Jacaranda, um
panno de dito, aa santuario de sedro, uma cao
> faja, ama dita francesa, um marqaeso, cadei-
rw, mesa elsticas, consolos,, qaartohelras ele.
fcjje 9 do corrate as (I ho/as no armazem
ru da Cadeia do Recite n. 89. _______
UE
6 caixas com queijos flameagos
K
49 barritas com gradara
HOJE.
O ajenie Pestaa fara' leilao por conta e risco
t qiism perteucer, dos gneros cima menciona-
des em nm ou raais lotes a Tonuda dos compra-
Ares: i* felra 9 do correte, pelas tO horas da
aabaa oo armazem do Aunes.
LEILAO
DE
Cerca de 300 barricas com el-
mcotro.
Ihan. 47.
isa-se iilugar ua
pouca farailil
Ama
escrava para iervijo de
paga-se besa : na ra Ve-

I- J
ipan hia fideTdade 3e segaros
martimos e terreitrea
estabe ecida oo Rio de Janeiro.
AUBIfTIS KM PBRItAMBCO *
AiUoie Liii de Oliveira A uvada C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhta de segaros Fldelida-
de, toman seguros de navios, mercado-
M "as e predios oo sea escritorio ra da
iUlllisillliai miai mLWMKS
Na roa Bella n. 23 paga se 15J por ama ama
escrava para o servigo de pequea familia.
Rico brincos de costal lapidados le dinVrentes formas e cite, o qaWajit mais ncd
Pofis, lamiera eruzes e ftotrjes para coletea ; Avallas modarnas de nwdWperola pira cinto estes
gos se venden por menos de sea valor no armare da roa da Caifcia do Reaife n. 0.
h
^m,
Precisa-se d j ama escrava, qae seja Qel e que co-
zinhe e engorme : ra do Quelmado n. 46.
Troca-se
ama capella com todos os perteoces para a cele-
bracao do Sanio Sacrificio da Missa ; tndo est no-
vo e troca-se por proco commodo : a tratar oa roa
estreita do Rosarlo n. 86.___________________
Quem tiver um resistro e uma orandela para
vender, dirija-.-e a ra do Rangel u. 41 que achara
com quem tratar.
FABRICA
MCIOiUL
if
DE -
VIDKOS
S, Antonio.
A apreciada e mu procurada tresena do glorio-
S. Arrtooo, aeha-se a vrtrda*a rna do Iperador
b. 15 drfrooie de S. Francisco.
Precisa-se de um amassador bastante pratlcc-'
[ padaria em S. Amaro.
' t l .i
Aluga-se ama escrava para servico de casa e
t, moito fiel; Da ra do imperador n. 50, 3a
andar. *
Estabel&mento na ra da Uniao n. 11
PROPIETARIO HANOEL LOMBOS.
Precisa-su de um caxeiro qne tenha pratica
de taberna, no pateo da Ribeira o. 33.
Qaarta-feira 9 do corrente, ao meio dia em
ponto.
O agenta Pestaa fara' leilao por conta e risco
Je qaera perteneer, de cerca de 300 barricas com ~ FnrlaVan do engenho Perori na comarca de
etineotro desembarcadas ltimamente, em lotes a 0,aQaa. ncile de 17 para o amanhecer do dia
vootade dos compradores, quarta-feira 9 do cor- ir <* cor'*I>te abril, tres cavallos- sellados e etv
ree.o meio ota empento, a, largo do caes do {gjft TAoT^V^Tto^ P" >8 ^on?, pes oara p.auos, br.ncos e de cores; tuoos p< machinas a vapor, de crysta. ;
boa carnes a te 7 aari 8 anl 3 d mZ i 'boscom gaarnicSo de metal amarello, mantegueiras de vh.ro, vidros avulsos para galheleiros lapi-
da cima otro roas? S sera aires d,,d(W',vidrols para laropadas de reJa' *,me,as par missa' d,las Para "'"eteiro, mangas para ca>-
inleiro, de 8 para 9 aunos, de meio, e com o ferro" &JT.'7r,.M e laP,dadas j I pcnin R niii.nn mri a! l^i =.!, "nados de 1 ate 16 onjas para pharroacia, garantmdo-se a exaudi da medida ; vidros para penes
dar |LnM ,Ku VZluV.iJ nm. L" >m pe e sern elle, aouceaas para castigaos, chamines para lampedes de azeite, ditas de cores para illa-
LEILAO
UE
ama t.nrra (cofre) franceza, uma secretarla de
aciarello, ama carleira, uma machina de copiar
cartas, um balco da amarello, seis cadeiras de pao
(folho.ama marqueza de amarello, um cabide para
roj;-i, uma banquinha, um lavatorio de ferro e
ha-it, ama mobilia Genoveza com doze cadeiras e
oa soa, um batato para conduzlr fazendas-
HOJE
'Lroilherrae da Silva Guimare tenlo-se relira-
do para Europa fara leilao dos movis cima exis-
tentes no sea escrip,torio a ra da Cadeia n. 64 as
1! floras.
No deposito, roa do Carao d. 63, existe nm grande sortimeoto de vidros e crystaes, que se
vender por precos mais baratos do qne em qaaiqaer parte : frascos de 1 at 8 libras, bocea larga e
i bocea estreita ; copos de 6 cortes, de mela oitava at meio quartilho ; ditos de 10 cortes, de ns. 1 e 3;
1 globo para lampeoes de kroseoe, lavrados, lapidados e foseados; ditos para candleiro de gax ; lam-
peoes de kerosene grande e pequeos, lamparinas de metal ; vasos para coufeitafia cora p e sem
elle, grandes pequeos; cha mines para lampeoes de kerosene de todas as dlmensoes eonpoteiras
moldadas de cortes largos, eacarradeiras de cores para salao, ditas de mao com aza, peqoenas ; vento-
sas e bicheiros, calixas moldados, copos lisos para agua e viudo, pratos moldados, redomas, garrafas
: para vmho e agua, grandes e pequeas, ditas para Leroy, ditas para licores, ditas para minas, ditas
para agua de Colonia, ps para planos, brancos e de cores; tubos para machinas a vapor, de crystal
LEILAO
D-A
Posse de Z s palmos de terreno
aa roa do Lima 011 travesea
la Fnndlco em auto Ama-
re.
1) agente Martins tara leilao por ordem do Illm.
Sr. Dr. Claudioo de' Araajo Guimares consol
portoguez do terreuo cima perleocente ao espolio
le Jo.to de Souza Lamepo.
ninr
oo armazem da ra da Cadeia do Cadeia do
Recife n. 53 ao meio-dia em ponto.
AVISOS DIVERSOS
LOTERA
para
nos, com o ferro segainte r)( : recommenda-se e
rogase a todas as autoridades policiaas desta pro-
vincia cmoda Parahiba najam de se por venta-
ra apparecerem ditos cavallos nos districtos de
suas jurlsdiccos apreheade-los e deposita-Ios, co-
mo capturar ero poder de quem se encontrem os
referidos cavallos qoando saspeitos e fazeodd em
een ti nenie* viso na cldade do Recife ao negociante
Manoel Crrela Lima ou em Goianna ao major Jo-
s Joaqaim Rocha Faria.
O deposito desta fabrica em Pernambuco na ra da Imperatrz n.
k 320 rs. edn.

Francisce das Chagas Salgueiro cordial
mente agradece aos parales, amigos e mais
pessoas qne se digoaram honrar com a sua
presenca ao enterro de minha carinhosa e
chorada esposa D. Joanna Evangelista Bor-
ges Salgueiro e roga aos mesmos para ouvi-
rem ama missa'no da ii do correte pelas
6 horas da manhaa na igreja de Santa Rita
de Cassia, pelo que antecipa ja os seos sin-
ceros agradecimentos.
CASA DA FORTO! i
Aos 6:000^000.
19, onde existe constante
mente cbamins para candleiro a gaz de os. 1 e 3 a 320 rs. edn, la 400 rs., lamparinas completas
a 25, Iampe6s completos a 1& e 8j, escarradeiras de cores a 2,8800 o par, pratos para copos d'anua a
900 rs., cosos de dez cortes a 600 rs., globos lapidados e lavrados. para caadieiros a gaz a 158(111. O
proprietario deste novo eatabelscimento convida ao respeilaveljpubiico para que visitem o inesmo, cer-
tos de que comprarap os arligos iodisp^saveis a urna casa de familia pela sua bartela e alilidade,
principalmente ais Srs. parmaceotlcos pela grande quantldade de frascos a vidros proprlos de phar-
macla. Tambem recebe encommendas. O eocarregado do proprietario Joio Laiz Bncrennaz.'
l

Bllhetes garantidos.
** a > A*KA D0 CRESB0 N- 23 E CASAS DO COSTUME
.-*.W flrUff$OOfr OabaixoassignadovendeuDOsseus muitofeli-
p. fl es bilhetes garantidos da lotera que se acabou
(jOri'G tGFCil-eira 15 d6 exlranir. a heneflcio das familias dos volaota-
. ,__... rios da patria, os seguimos premios:
Acliam-se a \enda na respectiva thesou- n. 2776 um inteiro com a aorta de 6:000000.
nm, ra do Crespo n. 15, OS bilhe- N 1760um inteiro coma sorte de 1:2005.
tes;, meios e quintos da 13a parte da lo- N- 321 lres aintos cora a sorte de 5005
SlS.a^t^sJTilia!10S-TOlUD- SSESKyS2'*^&t!few5
ariO da patria (62), send') a extracao no tivos premios sem os descontos das leisnacasa
lujfar e hora do costume. da Fortuna raa do Crespo n. 23.
Os premios de 6:000,5000 at 10)5000'.. Acham-se a venda os da 13" parte da lotera
LOJADOBliO
RIJA DI C1EI1 1IO HEIFK \. 49
Nesta nova loja veode-se fazendas muilo baratas, assim como tambem tem um completo .sortimeo-
to de roapa de casemira e de brim -y soriimeuto de casemiras de cores pretas, e boro brim branco
para se fazor obra por medida.
Madapolao avariado
Caigas de casemira escuras proprias para a estacao a 75000
Paleto de panno Qoo preto a 185000, ditos de alpaca branca a 45500.
Chapos de sol de seda com 12 asteas a 9 e 10$
Estes chapeos de sol todos veodem por 122000, mas o Balo qaerendo mostrar que ninguem
pode rivalisar com elle em prego;, resoivea vender os mais pequeos por 9 mil res e os maiores por
10 mil ris, baloes de arco para seohora a 35- Ha muitas outras fazendas e roupss feitas, que todo
se vende com grande abailment para se apurar dinheiro e adquirir maior onmero de fregaezes;
quem davidar da veracidade do que diz o Balio venha verificarse.
Venham verabarateza da loja do Baldo

serao pagos uma hora depois da extracto
at as 3 horas da tarde, e os outros depois
da distribuifo das listas. '
As encommendas serao guardadas so-
m;nteat a noite da vespera da extracto.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Precisa-se de ama ara3 que saiba cozinhar
e eajMrnmar : na praca da independencia n. 39.
Preeisa-se de urna crala que saiba engom-
ma-, a ra da Senzalla Xova n. 138, ou na ra
da Madre de Deus, n. 22, armazem.
Antonio Gomes Brandao,
reiira-.-e para Europa.
subdito portoguez
Eduardo
Europa.
Erasmo
Janeiro.
Guilherme Meoke, vai para a
Jos de Mello, vai ao Rio de
~ Daniel J. Ring
Inglaterra.
subdito brilaonico, vai para
D. Hermelinda de Siqueira vai para a Earo-
pa, levando em sua compantiia tres fimos e ama
criada ________________
RllUOlMFrMOR
numero 5.
0 padre Flix Barreto de Vascoocellos acbando-
se competentemente autorisado, abre um curso
particular de francez em sua casa.
O mesrao precisa de ama casa no centro da fre-
gacza de Santo Antonio, que tenha acommodacoes
para 16 camas.
O mesmo tambem precisa de ama ama forra ou
scrava que sirva para todo servigo interno e ex-
terno eom as devidas excepgoes.
AMA
Na ra do Corredor do Blspo, atrima casa do
qaarteir aovo dos Srs. Amorim & frmao, preci-
sa- sd^urnaamaj________________________
Prolessor.
IVeeisa-so de um professor habilitado para ensi-
nar a tres meninos em um engenho na Bscada,
gra mmafica portugaeza, latina e francez : t tratar
da rna estreita do Rosario o. 47.________J^
Uerece-se ama pessoa para cozinhar em
cata de hornera solteiro, e mesmo dirigir a casa,
qu tem bastante capacidade para isto : a tratar
oo Coelhos, raa dos Prazeres, casa a. 12.
(62'J beneficio das famllas dos voluntarios da
patria, que se extrahira' ter<;a-feira 15 do corrate.
PRECO.
Bilhetes.....65000
Heios......35000
Quintos.....15200
Para as pesseas que eomprarem de IOJOO
para cima.
Bilhetes.....55500
Meios......25750
Qaintos.....15100
Manoel Martins Fiuia.
mmm m
h
Precisa-se de um perfeito cozinheiro ; no arma-
zem da Liea, rila Nova o. 60.
CHOCOLATE MENIER.
CHOCOLATE DE SAUDE.
CHOCOLATE DE BAUNILHA
CHOCOLATE DE CITRATO DE FERRO.
CHOCOLATE LACTATO DE FERRO.
CHOCOLATE DE MUSGO.
Vende-se
Na botica e drogara
. DE
BtRTLIirLOMEO C.
34Rna de Resaric larga3
Ama
I recisa-se de ama ama para cozinhar
larija do Rosario a. 8.
na raa
rifiaiidad", 4* Divino Espirito Santo
do collef 0.
Amanha, 10 do carrete, depois da misa do
Be: o da, sera' arvorada (oa forma do costume)
m frente da nossa igreja a bandeira do Divino
Espirito Santo.
1 lima grande girndola de fogo do ar annuncia-
ra' este acto.
Terminado elle, .lera' lagar a ascdosaa de am
liado balio.
i.'s 6 horas da tarde principiara' a novaaa pela
maiaia forma do auno passado, a qual tora' lagar
nos das segaiotes as mesaus horas.
Bogase a todos as ooss irmaos o sea compa-
recimenio am de, encorporaos, abrilntotarem
tt O programau da esta e o trajacto da procissao
sanio f w r (ana raen te anounciados.
B.ccife, 9 de maio de 1866.
O escrivao interino, M. Lniz da Veiga.
Trocam-so notas do banco do Brasil e das
caixas filiaes c(>m descanto razoavel.: -oa praca,da
Independencia n. 22.
_.. -
Alaiate- francez.
Qnem precisar de um perito mestre de thesoura
para roupa confeccionada, oa por medida dirija-se
a roa do Rangel- n. 17 offlclna do cuteleiro, para
tratar das 9 horas da manhaa at meio dia.
Imandade do Divino Espirito-Santo
(do etlleaio).
De ordem da mesa regedora, convido a todos oa
nossos irmaos a comparecerem em nosso consisto-
rio domingo 6 do corrente as 9 horas da mantona, |
a fia de em mesa geral, proceder a eleico da-me-
sa regedora para o (ucturo anno de 1866 a 1867.
Consistorio da irmandade, X de maio de 1866.
Manoel Laiz da Veiga, escrivo interino.
Precisa-se de urna ama cozihira para ama
casa de penca i'aailia aa roa das Lrangeiras
n. 14, segando aa dar.'
Joo da Silva Ramos/ medico
pela universidade de Coimbra, d |
consultas em sua casa das 9 as
11 boras da manhaa, e das 4 as 6 \
da tarde. Visita os doentes em snasJ
casas regularmente as horas para I
isso designadas, salvo os casos ar-
gentes, que serlo soccorridos em 1
qualquer occasi5o. D consultas aos \
pobres que o procararem no hos- \
pital Pedro II, aonde encontrado )]
diariamente das 6 s 8 horas da j
manhaa,
Tem sua casa de sade regular- f
mente montada para receber qual- -2
quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e nella pratica qualquer
opperacSo cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe. .35000 diarios.
Segunda dita-----30500
Terceira dita .2,5000
Este estabelecimento j bem
acreditado pelos bons servicos que
tem prestado.
O fJropnetario espera que etle
continu a merecer a cooaoga de
que sempre tem gozado.
&
u
DH064RI4
BOTICA J
BARTHOLOMEO k C.
34 RA' DO ROZABIO LARGA 34
Vndese
Xarope de Guiy.
Granulos d'atropina.
Capsulas d'apiol.
*Vinlio de quinquina -de Belline.
Pastilbas degest vas de pepsina Wasmam
Granulos de Bismuth de Chevrier.
Licor e pilulas deLaville.
Injecgo; Pwugs.
Xarope vetdadeiro de Botigny.
Granulos d'Ergotina deliong^ean.
Capsulas e ojelo ao matico.
Xarope bypophosfito doical e soda. "
Elixir anli-asthmatico de Guilli.
eoRfeit'de cubebina de Lalelonije.
Eixir de citro-lactato: de ferro do Dr.
Thermes.
Injeccao Brou.
Essencias soportnas de Hermam, Piver e
Chardrin Hadancoot.
CASA DE B4NH0S3
26 Pateo do Carmo 26.
Neste estabelecimento to impor-
tante para a saude e asseio do cor- ^
po, acham-se montados 20 banhei- |
ros, que sao servidos com a ordem i
e asseio que para desejar-se. Qua- *(
tro destes banheiros sao especial- |
mente reservados para senboras e gg.
por isto acham-se collocados em lu- ^
gar reservado, aonde s tem entra- 3s
da as pessoas de uma mesma fami- 88
lia. XI
PRECOS DE BAMIOS AVULSOS. %
1 banho fri, momo ou de ^
chovisoo...... 500 m
i dito de choque .... 10000 *
1 dito defarello...... l^OoO 9
1 dito aroma tisado 15000 ^j
PREQOS POR ASSIGNATURA.
30 banhos por mez fri, Sft
morno ou dechovisco. 100000 |B
25 banhos cora cartes pa- 1M
ra os mesmos .... 100000 ^
12 ditos ditos ditos. 0000 3
12 ditos ditos de choque. 100000 S
12 ditos ditos de farello.. 100000 m
O estabelecimento estar aberto W
nos das uteis das 6 horas da ma-
nhaa as 10 da noite, nos dias san-
tificados das 5 as 5 horas da ttrde.
GARRAUX, DE LAILHACAR & C,
LBRAME FRnNQAISE
RA DO CRESPO N. 9.
Livros nacionaes e estrangeiros.
Religiao, direito, litleratura, etc.
Papelada, objectos para escriptorio.
Papis pintados para forrar casas.
Assignaluras para os jornaes da Europa.
m
,
Na botica e drogara
DE
Bartotkomeo C.
-
O atao assignado declara ao corpo co-
todtVfal que dslxon de ser calxafro do' Sr, Joio
Ferreir dos Santos Janior desde 9 do corrente.
Jos Harta do Hego Alboqgerqoe.

sea* fttna, coa malta boa Jeite,
ocnser m
**** oto ? a.
Desapparecea do engenho Linda-Flor, proprieda-
de do major Francisco, da Rocha Barros Wander-, Cantee.
ley, o escraro Igoaclo." que' tem os sgnaes'segua- PflrP"n a
tes : cor bem pela, pernas grossas, beixo o gros-i. *" *S221'.
so, cabeca grande e caira, ps-pequeoos, representa "DD Q* kaneoiear.
ter 45 aunos potico mais oa menos: quem o ap- Perolas d ether.
prebendar leve-o a casa do sr. Manoel Alves Fer-
reir, no Recite, oa ao eogenho Linda Flor, que
sera generosamente gratifica"
Granulos de Digitalina.
Vinho de qTJinfn-rjgiDoo de Moiti
Xtrop de fodureto de ferro de Blam
Agua das caldas da Rainha.
Xarope de thdack de Apbidie.
Confeiio de lactato de ferro de Gelis
Precisa-se de o
lata que tenha mu to e
bem e|H)ifcA
ar
ma-
eite, page-s
39
Precisa-se de nma ama secca
Rosario n. 44 na Boa-vista.
No dia 5 do corrente fugio
da-flor, sitoadajia vtlla da JJMhafc
Palmaran, porteneeata ao ljot Fra
cha liaffrM Wiodeiey o seo
ra
!SC0
scriro Ignacio,
erlala,atlMtirliaixa, earro, os pes peqaenos!
cabail aatt fnibib) aa mos pe^fueuas, os bracos
Kk a o corto taawem frosso o represant ter
tniaa, aooM dmIii a tat: por m* |JMs* Maenaid'o pote p
a aa aatafMadas polw a apfrles d campo da' 30, aoMa r
o capturar e leva-lo ao dito engenho, oa na raa da
MMfc-Jfeaagondo andar, qne recaberao 800 de
|Ja ^^a^"r^r^^W
Iy'rttflrtl" -T -i- ni
HOfciauaieti.qn aaMii ia leite : na ru-a
31Ra do Rozario Larga34
VENDE-SE
Preparados da America
Do Dr. Radways :
Pilulas reguladoras.
Prompto alivio.
Rezolutivo renovador.
DoDr. Ayeir:
Salsa parrilha.
- Pilulas catharticas.
Xarope peitoral de cereja. x
De Lammam & Kmp. *r
Verdadeira salsa parrilha de Br
Pilulas assucaradas.
' Pastilhas vermfugas.
Ole puro de figado de bacalho.
de msica e piano, acceita
discpulos tunto na cidade co-
mo os engenhos e acha-se
tambem habilitado para o
ensin> geral daslinguas e
sciencias modernas; no ho-
tel do Universo n 8.
Gustovo Wertheimer
Canto* e puantasias.
Um volume in t, impresso e en-
cadernado em Paiis: em casa dos
edictores
s

ll.

IiAWGBElWEali
tisai^rr^^Cr.^^
pitaes de Pariz, oiqaau ctrUdcarta Uoio x taperlo-
rldide sobre todo* os oalros pltoraM como lu Mtroui
cmcicia contra M SaflnsM, mHff, BMU^Bk aO>
4^a3RTt',DES ARABfS .
BHauaiiBtaaa9B<
Un* dtaesto apilM>|>WiliiaalHMMttoa da
lleca aa pessOas qua soUram dt
Pariz. Bita restaiolec
ao e dos laMaaH; fortalece aa crianea e
dbilUads, alem aiiso am Tlrtudo da ua ptafri*
'Uta fc o melir pretervatlTo das rabrai i
Cada frasco a cada calxlnha dess prepara^
o wUa < firma Mtnjrtohr, na Rich
arta. (Faaer aariilo atianeaf eom u talalll,
Xarope antigotloso deBoub.
Ole de figado de bacalho desinfectad
Chevrier.
Agua dentifica de quinina.
Perolas de assafetida.
Oleo dMMfofle bacalho ferruginos^fe
BaVaVjlhl 3ai>
Xarope de digitales de Labellony. a.
Ojfiiodado de persone. :
Xaf ope de cudeina de Berth '.
Emaia as priocipati drogas, p oductos,
especiadjde* pbarmaceutioas e chimicas
des prtBrfae ptines da EHiropt.
^A-pesu (jne fleeja tfrtmJJBlUb Laix
arna tua do aeimada a. saa>d*fMo talabaaea a. 10
!c 4oas aaaos -, adver- ~
tlodo ao annricfSrate do"1 I o ""rrente
qne bem connecd- ^^
''ffiaTW
ae a^oaanqoeiri eaorar osprept-
ras da ama faoricat. d* *U : oa roa HHfum*
amara' i. V '
Vende-se
A. Caors.
^^t^cf^^aiatfrtfm^egrintia oa roalati-
nha de 10 a 12 anoos : da Passgem da alagda.-
L1VRARIA FRANCEZA
N. 9 Ra do Crespo N. 9.
XAROPE
DE
'HITO E CAL
DE
GRIMALT 4 C.
Pharmaceutico de S. A. I. o principe Na-
pole2o em Paris.
Desde muitos seculos os mdicos e os
chimicos tinham procurado um medicamen-
to que podesse curar as molestias do peito,
todas as pesquizas feitas al boje no ti-
nham tido nenbum resaltado.
Porm os traba 1 hos que 'oram communi-
cados ltimamente academia de medicina
de Paris e as mais serias experiencias feitas
no hospital Bromptos de Londres, que es-
pecialmente reservado nara o trataaienlo da
tisica, provaram que essa terrivel molestia,
quando ella n5o estava ainda no seu ultimo
grao, tinha no xarope de nypophosphito de
cal um especifico poderoso.
As tosses, deluxos, catarrhos, bronehi-
tis, grippa, coquetoche, cedem tambem r-
pidamente ao uso deste xarope, e os asthma-
ticos acham nelle um elemento certo para
curarem-se. Recommndam-se aos doentes
de fazerem oso ao mesmo lempo das delicio-
sas pastilhas peitoraes do suso de alface de
louro cereja, dos seohores Grimault C.
Esta encllente preparaco se compa de
duas substancias as mais calmantes e ao mes-
mo tempo as mais inoffensivas da materia
medica e nao contem opio.
Deposito as pharmacias de P. Maurer e
C. e A. Caors, em Pernamboco.
PradM aa aaiuma ama : na ra do fincan
umnto o. IX, a andar. _______
Antoaft LUeda 01
para vender ap fdb esefi
vinho do PettJ elH'uiUi
ooU da Bania anterior.
PHOTOGRAPHIA
AITISTICl 1MESIC1II
RA DO IMPERADOR N. 38.
Artista americano
Artista anerieano.
Artista americano.
Artista americano.
RetratosRetratosRetrates.
Em porcelanaNiepcotypie...
Em lencosArchrotypie.
Em vidroAmbrotypie.
Em metal=aDagoerreotypie.
Em papelTalbotypie.
No grande salSo da raa do Imperador n. 38
No grande salao da ra do Imperador n. 38
Nest estabelecimento tiram-se retratos
em todos os systemas, com asseio e promp-
tidao, desde as nove horas da manhaa
at as cinco da tarda ; assim como tem
sempre a venda grande sortimento de cai*
xas finas de diversas formas. Quadros
ovaes Paasepartouts e todos os mais ob-
jectos e productos chimicos, relativos a ar-
te e recebidos ltimamente dos melhores
fornecedores de PARS e Nova York,tendo
de tudo, para todos os gostos e para todos
os precos.
Salao da ru do Imperador n. 38.
Sal3o da ra do imperador n. 38.
"xarope
PEITORAL E DULCIFICANTE
DE
Preparado por GRIMAULT & C a pharma-
ceuticos de S. A. I. oprincipe Napoleo.
Cura rpida das molestias seguintes :
tosse catarrhos, pleuresa, coqueluche, an-
ginas, fortes constipares, irritaces dos bro-
neheos e do peito, bronchite, pbtysica pulmo-
nar, astma,pneumona, anginas, amygdalites,
tosse chronica, rouquidJo.
Os mdicos recommendam so mesmo tem
po o uso das excellentes pastilhas peitoraes
con o suco da alface o laureiro-cerejo, que
se preparam no mesmo estebelecimento.
A venda as pharmacias de Maurer e A.
Caors.
Convite
O jait da irmandade de Nossa Senhnra da Sol-
aade convida a todos oa irosaos de dita irmandade
para mesa geral qomta-feira 16-do eorreote as 5
horas da tarda. a
Aluga^e
o segando liklar *Ma mmto rtbcWrcolhMUrKinreoMmodos,assim
aorao a loja do mesmo sobrado aon meo portas
propria para qualquer estabelecimento : qutu
preteoder dinja-se ao mesm sobrado t-jrceiro aa-
dr. __________________
Precisa-se de uma ama para aura pessoa s :
na roa da Cruz n. 16 sega nao andar. "*
Nos abaixo assgnadus declaramos tor com-
prado aos aVs. Brandao & Irmao a leja de lonca
cita a ra do Rosario Larga o. 33, a selguem se
julgar com direito a mesma loja, djver apresen-
tarse npraso de tres dia* a contar da data desta.
Recife, 9 de maio de 1866.
Antonio Jos Perrein Moatero.
Maunel Joaqnim Gonntlves Goimare
111
Um humera portugaet e meia i ae, sera
familia se offerece para criado de alguma casa es
trangeira ou mesmo para feilor de algum sitio,
qnem precisar annuncie para ser procurado.
Precisase de uma ama para cosiharTcom-
orar, engommar para asa de uma sa pessoa e
^xiite-s qne seja fiel : a tratar na raa das Crures
n. zl.
Precisa-sede uma ama qoe cosione para casa
de peqona familia : a tratar na Praca da Inde-
pendencia n. 5.
Francisco Jos Lopes participa ao respeilavel
publico e principalmente as pes.-oas interessadas,
que em cinsequencla de hav de idntico nome, se assigoara' de boje em diante
Francisco Jos da Maia.
Precisa-.-e de um caijeiro : oa lravesa do
Marisco a. 7, fabr ca de cbarnlos.

Ama
Precisa-se de uma ama : na ra eslreita do Ro-
sano n. 6, 1" andar,______
Criado
Precisase de um criado
n. 12. 1* andar.
oa ra do Queiniado
Precisa-se alugur uma ama para andar com
um taboleiro de faien.las ou uuudezas : a tratar
na roa do Hospicio n. 62.
Precisa-se de um caixeiro par taberna que
tenha pratica e seja de 13 a 15 anoos ae idade :
na ra da Ponte velha n. 39. .
Carvalho & Nogueira ni ra do Apollo
n. 20, saco para o Porto e Lisboa, a vista
ou a praso.
Precisa-se de um caixeiro, preferindo-se por-
tuguez : no lamo do Carmo n. 5.
Oabaixo asfgnadu cun lija de uunves na
ra da Iroperatriz hr. ver ao respeitavel publico
que pela grande concurrencia que leve de seus
amigos em visita-lo ppla desgraca que Ihe aronte-
ceu, e na tendo lembranca de Mus para hVs
agradteer ram pal meio drtato Diario pedir dis-
culpa das fallas que possa tr.
Recife, 7 de maio de 1866
Custodio Mamoel Goncalres.
AlUga-se una rasa com 4 qnartcs, carimba
e <|uintal awrado na na do Jasinim n. 16 : a fal-
lar ua ra Velba beco do Veras segundo audar
n. 20.
Ama de leite.
Precisa-se de uma ama de leite, para amarren-
lar urna menina r.iuilo mandaba, paga-se bem,
ra Nova de Santa Rita n. oo primeiro andar.
INJECClU E CAPSULAS
VEGETAES AO MATICO
GHIMALXT & C. PIIAKMACEU-TICOS DE PARS
Novo tratamenio preparado com as folhas
de malico, arvore do Per, para a cura rpi-
da e infallivel da gouorrhea sem receio al-
gum da contracc5o do canal ou da inamma-
?o dos intestinos. O clebre dontor Ricord.
de Paris, lem renunciado, desde sua appaii-
?5o, ao empergo de qualquer outro trata-
mento. Emprega-se a injecfjso no cometo di?
fluxo; as capsulas em todos os casos chroni-
cos e inveterado, que resistiram H prepara-
Ces da copahiba eas injecces cim base
metlica.
ATTENCA.
Henry Forster & C, ra do Trapiche n. 8
tem para vender:
Prensas para enfardar algod5o.
Machinas de descarocar algodao, de 30 a
60 serrotes, com motores, assim como moto-
rs queservir5o para qualquer servkjo, e uma
machina de 120 serrotes comjusua machina a
vapor, propria para a mesma.
ira Azevedo & C. tem
irlo, roa da Crui u. 1,
dozia, flo hamburgaw,
Pede-se toda attengo aoe saonores apaleiros
a vendedores d-* borrachas, tanto em p'ca como a
retalho, que vanha a ra do Rangel n. 49 para fa-
aereffl o sen sortmrerrto, que o preco convida
lena, taberna jtolur jmn. Q-CMlttitst
- AJufalJl I ljtm aibrado de um andar e jotimem> a boa qualla*
- la pr^la'lalSWaaoi. ,. ai, loj
numero ti.
aa roa
Kt6E'
i Saaia Ataoai qu* seja deoa
#rar MMnoeie por este Diario.
casa da pouca
tOtmoidTl
oarlves, compra-.-e ouro, prata, e podras precio
a taaabaaa s fas a-aalaaer obra de eaconrmeai
i........ i
todo e eida^eV^co^eert.^
Precisa-se da ama' ama para casa i pode
familia, que raca todo serTlco^nafare-* eatrava
na ra de S. Joa n. 1
ii&uUJA
tsar;.
ao ar para dentro e
r provincia
iecreta-
de fogo
i"
i


a.
t i' f i
SSIfe.




1
,1


It aaria e r era* a as
*aa<-ta felra ato
1866.
AGUA FLORIDA
MURRAY&LAKKUN
A agua florida de Murray A Lanman
olhada como um artigo de perfume, nao
tem podido ser igualada pelas preparaeoes
as mais custosa| conserva seu aroma, co-
mo se fbrmasse parte da prenda a que el|a
se applica.
Sua eficacia Ufo delicada, como elegan-
tes so seas multiplicados osos, qur seja
eropregad como artigo de toucador, qar
no uso do banho, ou como suavisador da
pelle, depois que se tenba feito a barba;
j para limpar as gengivas ou aromatisar o
balito.
D suavidade, brilho e elasticidade as
corapleices, depois de se baver lavado; "al-
livia a irritacifo de erupc5es ordinarias; faz
desapparecer o desagradavel aspecto dos
pannos, das sardas, do rosto, rugas e toda a
casta de ebulices, e d vigor e frescura a
parte onde quer que se applique. Sua effi-
ciencia e elegancia so igualmente infalli-
veis nos casos em que seja preciso applica-
la como estimulante e antisptico, nos con-
cursos e assemblas numerosas, as loca-
lidades infeccionadas, na alcova de um en-
fermo, assim como um antidoto encllen-
te para os desmaios causados por cansco
ou suffocaca'o. Preparada nicamente por
Lanman & Kemp, -tova-York, e a venda por
Caors & Barbosa.
Joo da C. Bravo & C.
Deposito geral em Pernamnuco ra da
Cruz n.22 em casa de Caros________ *
Samuel Power Johnston A Companhia
Ruada SenzalaNova n. 4.
AGENCIA DA
Fandi$ao deLow Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moentks para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho.
^E^l5L3x^
f03
A. NACIONAL
Oompanhia. geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL *ECREf9 DE 21 DEDEZEMBRO DE 1850
l'ma flanea em dinheiro, depositado nos cofres do es4a4o, garante i boa ad-
ministrado da companhia.
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Baneo de ilespanha
os
m
Arreios do carro para um e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
mmmmmmm mmmm mmm
g DEPOSITO DE CALCADO g
m FABRICADO .\A CASA DE DETCXf.AO ffV
ggf Ana Nova n. al.
Q hi se encontrarlo obras de di- g$
H versas qualidades, e por preco mui
aa diminutos, a retalho e em porces.
0 S se vende a dinheiro.
Na padaria da ra larga do Rosario o. 1G
preeisa-se de nm forneiro e trabalhadores com as
babiltacojs necessarias deste. servido.
A Salsaparilha
Para a cura radical ele
Escrfulas, ulceras, chags, fer-
idas velhas, molestias syphil-
iticas, e merenriaes, Enfermi-
dades das mnlheres, como rc-
tencao, menstre doloroso, olcer-
acao do tero, e flores brancas.
A Nevralgia, Convulsoes, Ery-
sipelas, Enfermedades Cutneas,
borbnlhas, nascidas, etc.
O rrtearto composto de SALSAPARILHA, confeccion-
ado pelo Dn. AYER, c unu eomblnaco dos jnelhores depura-
tivos e alterantes conhecidos medicina; composto segundo
s leis da setenis, appiovado o receitado pelos primelros
mdicos dos Estados Unidos, da America do Sul, do Mxico,
das ludios c dos prindpaes Estados da Europa.
A SALSAPARILHA de AYER especialmente efflcnz na
cura das molestias que tem sua origen na escrfula/ na
inf'eccao venrea, no uso excessiro do mercurio oum qualquer
impureza do Sangue.
Entre todas as molestias que affiffem o genoro .humano, nao
lia urna inais universal c terrjvel do que a escrfula por si
nao to destrnctiva, porcm a causa principal de multas cu-
lermidadcs que nilo llie sao geralmente nUribuidas.
urna causa directa da tsica pulmonar da mal do
figado, e estomago, affccffles do cerebro, Jiheumattsmo
* uff-ffics dos linn : entre seos symptomss ha os segulntes;
Falta de apetito, Fraques* e molcza en todo corpo; JLo
clieiro da boca, semblante plido c incbado, s vezes d'uma
alma transparente, outras rezes corado e amarello oo redor
la boca; Digesto Iraca c apetito irregular Ventre incbado
e evacnacio irregular; Quando ataca os pulmoes urna cOr
azulada mostra-se a roda dos olbos, quando no estomago
so averraellia dos, as pessoas de disposico escrofulosa
apparecera frecuentemente empates na petlc da cabera e outras
partes do corpo ; sao predisponas as affecetts dos pulmta, da
fioado, dos riut e dos orgos digestivos o uterinos. Portanto,
iio sao somente aquelles que padeeem das formas ulcerosas
e tidterculosas da escrfula que oecassltam de proteceo
contra os sens estragos; todos aquelles em cujo salgue existe
o virus latente deste terrlrel lUgello (e is rezes i hereditario),
esto expostos Uabem a soffrer das enflrmldadna que elle
causa.
Oflvreeemos a estas pessoas um abrigo seguro e nm anti-
doto efBcuz contra esta molestia e suas consequencias, na
Salsaparilha de Ayer
que opera directamente sobre o sangne, purlHcando-o e ex-
pulsando delle a corrupcio e o veneno da molestia: penetra
todas as partes e todos os orgoi do corpo humano, iivrando-
on da sua aeeo viciada e iusplrando-lhes novo vigor. W um
aUertmtc poderosisgimo pora a renovado do tangue, e d ao
corpo j enfraquecido pela doenca forfa e energa renovadas
como as da Juventud*.
IAMBEjr O MELBOIl AXTI-8TPJ2ILITICO
CONBKCDO l
cura permanaamentc as pelores formas de SYPHILIS e aa
suas consequencias. Pouea neeessldade ha de Informar o pub-
lico do in-'stlmavi'l valor de um remedio que, como este, urra
o sanguc dessa corrupeo e arrebata a victima das garras de
urna morte lenta e ignominiosa, porm inevitavel se Btai
no logo combatido com energa.
Nao pretendemos promulgar, aem queremos que se (aira
que este remedio infalivel para a cura de todos os padeei-
mentos humanos, o que dizemos que a
Salsaparilha de Ayer
i a melhor preparaco ot boje descoberta para estas e outraa
molettiaa anlogas, qae e urna combinaco dos alterante
mais eflioazrs coaheoldos, e que temos consciencia de olferecer
ao publico o melhor resultado que postlvel produzir, da
> e pericia medica dos nossos tem pos.
SEUEBN DE ATOE PASA 8EZE8
InfsOl*! naa febres lntormittentaa, ramittontos,
FabisM BIHosiaB tercia, mal do flg^do, in-
rnwsaissi do baso, oogueira. D6r nos
ourldoa palpitacdea, quando
ao causados pelaa
PEBIOS INTHOflITENTES, 0 REMUTENTS.
As laipasailai de D. Ater sao vendidas em todas as
Botiess Drocarlas sto Imperto.
Vende-se em Pemambuco:
na i
^ph;riviaci FRANnrir
13 %
1M1
FABRICA 4 VAPOR
9 RA DO MONDEGO 99
Deposito na rata Nova n. 50 lo Ja-de relojoelro.
Delouche dons deste esubelecimento partecipa ao respeitavel publico que -sua te-
brica est montada com -as melhores machinas que exiitem na Europa, e qae .pode
fabricarcom melhor perfeicJo possivel. Todo o chocolate desta fabrica est garantido, e
puro, o que nao se pode encontrar naquelle que vem de fra, e que se vende por-preco
baixo, visto os pix)dactos serem do paiz. Na etiqueta temsempre urna aguia. .___r
PRECO.
Meia libra. ........ 400
Urna libra. ........ 800
Urna arroba ........ 19^000
Na mesma fabrica acaba de se montar urna ofi5cina com serrara a vapor para
obras de marcineiria prpria para edificio, para o que encarreg i-se de fazer portas, ja-
dellas, assoalhos (parqu francez como se usa na Europa,) earmacoes, tudo com brevi-
nade e.perfei?3o. Toma-se qualquer encommenda para fra da cidade, entregando-se
prompta a collar-se do lugar.
DIRECCO GERAL
Madrid: Roa do Prado n. I
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as coabinagSes e supervivencia dos sega
sobre a vida.
Nella pode se larer a subscripeo de tnaneira qne em nenhnm cast) mesmo por morte do
segurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao to suprehendentes os resaltados qae prodazem as sociedades da ndole deA JJ
NAL,que ainda mesmo dimlnuindo urna terca parte do mteresw produiido em recentes liquida-
c6esecombinando-l)com amortalidade da tabella de Depareiemx que *doptada pela compannia
para leus calculse liquidares, ni segurados de idade de 3 ai9 aamw, urna impo8i?ao aanua.
de iOfi produz em eifectivo metlico:
So fim de 5 anuos...... 1:119*300
. de 10........3:9U#600
s de 15 s ...... 11:208*200
. de 20 s ...... 30:258*000
.. de 25 i ...... 80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos so mais consideraveis.
Prospectos e mais informasoes serao prestadas pelo subdirector nesta provincia.
Joaquim Fiuz de Oliveira, ruadaCadeia n. 52, on a Boa-VisU ra da Imperatriz n. 12, estabeici-
ment dos Srs. Raymundo, Carlos.Leite & Irmo^_____________________
TINTURARA
aa- 4??
Casa deMiBBisrio de escraTos na ra do Impe-
rader B. lo, l'ercein aidar.
Recebem se escravos lano da malo como da
praeapafi serem vendidos por enmmissao, afflan-
(a-se o bom tratamerito e seguranca para os mes-
mo. O abaixo assignado nao poupa esforcos afim
de os vender com prompdo, nesta mesma casa
ba sempre para vender escravos de ambos os sexos.
____ '______Antonio Jos V. de Sonzi.
Alaga-se a casa n. 6 da roa dos Praseres nos
Coelhos, em completo estado de concert, e aceio :
na rna do Rangel n. 36 segando.ardar.________
Aluga-se na apuoga porto do Lasserre ama
casa terrea com soiao, tendo 8 quartos, copiar,
cosinha, quartos para criados, estribara e coebei-
ra : a tratar na mesma Capunga casa da Sr* viu-
va B. Lasserre oa na roa Imperial n. 20:_______
Preciza-se fallar ao Sr. procurador do padre
Vicente Maria Ferrer de Alboqnerque, por se ig-
norar a sua raoradia; aa praca da Independencia
Feitor.
Preeisa-se de nm eitor para um engeoOO perto
desta capital e que seja portognez, paga se bem,
estando oas condicSes qne se deseja : a tratar no
engenho Santos Mendes, na fregoezia de Tracu-
uhaem, on nesta praca com Hanoel Ignacio de Oli-
veira & FilbO, largo do Corpo Santo, escritorio
n. 19.
COEIiHO dfc F1IEITAI
Ra da Cruz o. 13.
Continua a baver diariamente nm sortimento de pastis, podins, bolos ingleses,
empadas etc., etc. Os donos deste estabelecimento, acbam-ee as melhores condices
de poder satisfazer encommendas concernentes sua arte, m consequencia do socio
Freitas ter sido administrador ebefe de algumas das principaes fabricas na corte, sendo
urna a do Sr. Joo Goncalve6 Gnimares (confeitaria do Leo) antiga casa de Carceller.
Todos os trabalhos sao differentes dos que se fazem em casas particulares.
Os proprietarios deste estabelecimento n5o se tem poupado a despezas, nem se
pouparao, se houver concorrencia como esperam ; tendo continuadamente bom sorti-
mento de doces para cha; presuntos e ditos em fiambre, tambem se recebem para se-
rem preparados; assim como doce de caj novo superior, secco e crystalisado, dito em
calda em latas hermticamente fechadas, podendo durar annos em perfeito estado.
Para jantares e partidas recebem-se encommendas dos seguintes objectos; ban-
deijas ricamente enfeitadas sem armacb pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, pes de 16 enfeitados com disticos anlogos a qnalquer fim; ditos montados,
kechs simples e eBfeitados cora fructas ingleza; gatheaux de la reine, ditos de le d-
chese, tortas de fructa, massa folhada; das de peixe e carne; cremes e doces de ovos
de differentes especies..
Tambem tem um completo sortimento de vinhos engarrafados, como sejam: vinho
do Porto superior, Figueira, Madeira, Lisboa, Cherez, Bordeaux, Champagne fino, ser-
veja, licores, charopes e conservas. Para festas: bonitas caixtnhas com amendoas, con-
feitos e mais enfeites. Muitos destes objectos mencionados podem-se perfeitamente ac-
ondicionar tanto para a provincia, como para fra.
FIC.URAS
Acabam de receber bonitas figuras para bandejas de doces, sendo grupos para
baptisado, casamento, annos, ditta a phantasia, bonitos enfeites para bollos e circular pra-
tos de doces finos, tudo por precos razoaveis.
Vend-se licores em duzia muito em conta.
knnuncio
Na ra da Aurora n. 76, retratista brasllelra,
trale retratos em cartSes a 6* a duzia e em cai-
xinhas a 3*.
MSRITIIV10S
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, eslabeleci-
da nesta praca, loma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias:
na ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
mmm iini m^iv
O Dr. Carolino Francisco de Lima San- H
Rtos contina a morar na ra do Impera- ym
dor n. 17, segundo andar, tendo alias seu "
jB gabinete de consullas medicas, logo ao dX
g eutrai, no primeiro.
O mesmo doutor, qae se tem dado ao >
I estado tanto das operacoes como das mo- |
lestias internas, prestase a qualquer cha- >
mado, quer para dentro quer para (ora S
da cidade. s
m
Hotel V^neza do Norte.
Koa das Crozes n. 39.
Fornece-se comedorias para fra com todo as-
pleto sortimento de diversos peliscos a qualquer
bora ; dos domingos e dias santos havera' mo de
racca e chocolate com leite de madrugada. Tam-
bem se recebe qualquer encommenda para ra
seja ella qual (or.
Alaga-se ama casa e sitio na estrada do Ja-
cobina (Capunga), com terracoe e canteiros ao la-
do, banheiro, cocheira, estribarla, gallinbeiro e
quartos fra, bastante fresca : a tratar na ra do
Pilar, primeiro sobrado a direita logo depois do
arsenal de mar oba, 2 andar._____
Em casa de Theod Cbristiansen, ra do Tra-
piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil,
de Brandeoburg frres, Bordeanx, encontrase ef-
fectivamente deposito dos artigos seguintes:
St. Julieu.
8t. Fierre.
Larose.
Cnateau Lovilie.
Cbateaa Margaux.
Grand vin Cbateau Lafitte 1858.
Cbateaa Laliite. a
Haut Sauterues.
Chatean Sauternes. ^
Cbateau Lauur Blancbe.
Chatean Yquem.
Cognac em tres qualidades.
Azeite doce. Precos de Bordeaux.
i i i i i'
Penhores.
O abaixo assignado tendo annnnciado pelo Dia-
rio de Pernambaco de setembro de 1861 e margo
do corrate anco, que tendo deixado de emprestar
dinheiro sobre penhores desde qae esse genero de
transaceao foi prohibido, e tendo anda em sea po-
der alfanas obras de ooro e prata, atada roga m
pessoas a qqem ellas pertencem, qae u vanlub
resgatar at o flm do corrate mes, poto qae o alo
fazendo, as vender' para liquidar. Recite 2 de
maio de 1866.
Bernardo Altes Pinneiro.
Offerece se ama pessoa habilitada para ensi-
nar primeiras letras, grammatica e arithmetica
em algam engenho : a tratar na praca da Boa-
visla, easa de Droga n. 2i.________________
BOA CASA
Aluga-se na i i ha de Bem-fica, a margem do rio,
a razo de 13* mensaes, a primeira o. 2 A :
trata-se na roa Nova n. 38.
AO GRANDE S. MAURICIO

PROCESAOS APERFEICOADOS
PARA
Tingir, limpar e lustrar a Tapar.
F. i SALIRGRE & C.
29 Ra 7 de setembro 29

Defronte da roa nova da Oavidor (Rio de Janeiro)
Os proprietarios deste estabelecimento, o primeiro no seu genero no Brasil, por
Precisa-se de ama ama para easa de ponca fa-
milia, qae saiba.engommar e counbar : a tratar
na praca do Corpo Santo n. 17.
Ama
Precisa-se de nma ama para cozinhar
de Apollo n. 14, armazem.
na ra
COMPRAS
Compra-s os Diarios de H 1-3 14 de
Agosto de 1860 ou qualquer numero pa-
ga-se bem apeessoa que quizer vender le-
ve-os a Praga da Independencia n. 8 loja de
pros.
Compram-se latas vazias de gaz
Guia n. 9.
na ra da
Libras sterlinas
Independencia n. 22.
compram-se na praca da
Compra-se ouro, prata e pedras preciosa,
em obras velhas.: na rna da Cadeia do Recife'
trabalbar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que se faz uso na .cja ili??!*8 no arco aa U)nce,ao-
Europa, eajudados por alguns dos melhores officiaes de Paris e Lyo, podem assegu-
rar seus freguezes urna perfeito no trabalho, a qual senao pode chegar pelos proces-
sos ordinarios.
Tiogem, lavam, limpam e demofam com a mai qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem molhar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de homens.
DE
FAZENDA E ROPA FEITA
ttCA MOVA M. 4.
Reg & Moura, proprietario da loja de fazendas e roufia feita,. sita ra Nova
n. 24, verdaderamente penhorados e reconhecidos para com seus amigos e freguezes,
pela aceitaco e confianca que delles tem merecido no curto espaco de lempo em que
se acham estabelecidos e perfeitamente escudados na sincerdade dos seus tratos, decla-
rara para sciencia daquelles que o quizerem honrar com seus officios, que, em vista da
grande concurrencia que tem merecido o seu estabelecimento, especialmente no que
relativo a roupa feita; acabam de admittir para a sua officina dealfaiate maior numero
de artistas, ioclusive o seu contramestre, dirigido pelo hbil mestre Lauriaao Jos de
Barres, o qual nao se poupa a exforcos para satisfazer com a presteza possivel qualquer
obra de encommenda.
Os mesmos annunciam aos seus freguezes que acabam de comprar um novo e
mnito variado sortimento de fazendas finas e de bom gosto, proprias para o tempo da
quaresma, as quaes esto dispostos a vender por precos muito coinmodos e mais barato
que em outra qualquer parte. .
Como sempre escusamos es>a enfadonha prolixidade dos annuncios bombsti-
cos ; preferimos mostrar na singeleza deste nosso convite os bons desejos que nutrimos
para bem servirmos aquelles que vierem ao nosso reclamo.
8
S
EXTERNATO GADALT.
NO
Principio da ra do Hospicio
Recebe alomaos primarios e secun-
darios.
Professores
De primeiras ledras Tito Augusto de
Albuquerqae Porto Carreiro.
De francez, geograpbia e arimetbica
Hlppoiyto Gadault.
De desenho Eduardo Gadauit.

DO DR. CHABLE
MEDICO E PROFESSOR DE PHARMACIA, DE PARS,
DAS ENFERMIDADES
PLUS DE
COPAHU
Precisa-se de urna ama
verdes n. 70.
na ra de Aguas-
ARA 0 TRATAMENTO E PRMPTU CURATIVO
SEXUAES, DN TODAS AS AFFECCOES GITANEAS, VIRUS
Cirato de ierro Cliable.
Xarope mui. prefer vel ao
Copalaba e as Cube-
bat, cura immediatamen-
te qualquier purgarlo,
relaxaco e debilidade, e igualmente fluxos e
flores brancas das mulberes. lajeeeao de
Chfele. Esta injec^o benigna emprega-se mes-
mo tempo do xarope de citrato de ferro, urna vez
de manb, e urna vez de tarde durante tres dias;
ella segura a cura.
DEPURATIF
du SANG
E ALTERACOES DO SAXGCE.
Depurativo de ttansuc.
Xarope vegetal sem mer-
curio, o nico conbecido
e approvado para curar
con promptida e radi-
calmente impigens, pstulas, herpes, sarna, co-
mixs, acrimonia e alterares viciosas do san-
gue ; virus, e qualquer affeco venrea. Ba-
Bha minerae*. Tomo-se dous por semana, se-
guindo o ira lamento depurativo. ramada an-
(heraetiea. De um effeito maravillioso as af-
feces cutneas e comixdes.
esaarrohidaa.Pomada que as cuaa em 3 dias.
*,
Deposito na ra larga do Rosario botica de Bartbolomeu & C. n. 34.
Precisa-se alagar orna ama para casa
pouca familia; na ra da Imperatris n. 36.
de
Precisa-se de um caxeiro de 15 & 16 annos
de idade, sendo brasileiro, para o armazem de sal
da roa Imperial n. 231.___________________
Precisa-se de um pequeo de 12 a 14
annos se idade para criado, tambem serve
um moleque, na ra Direita n. 2 i padaria
se dir quem precisa.
s .
Arrenda-se o engenho Lobo, d'agna, distante
ama e meia legoa da estaco de Gameleira, e sare-
ja de 1,500 a 2,000 pies, eiige-se o adfaotamento
de um triennio: a tratar no engenho Antas.
MM.

Precisa-se de ama ama sem Albos para andar
com nm menino e cuidar de su roupa : na roa
larga do Ib atrio, botica n. 34.
Precisa.se de um calxeiro qae silba lar
eterever, e se entender algoma coasa ds padaria
melhor, e qae abone sua capacidade, e de um me-
nino de 10 a 12 aanos, pardo oa preto : a tratar
na nu do Rostrio dn Boa-Vista n. 55, oa jumo n.
1 largo da Saatt Crot.
ama cata sita., sa roa da Gaia o.
para Uaow por ser de esquina e ter
annaco e ai; a tratar ai ru do Apollo n. 19,
pruatn i sur. ->
Perdea-se da ra da Cadeia at o Porte do
Mattos ama baixa do corpo de Imperial marinbei-
ro; quem achou pode entregar na roa do Pilar,
taberna do Sr. Jos Goscaives Beltrio, oa ao pro-
prio dono Francisco Perelra 2 qne ser recompen-
sado.
nos
Lesponsavei&iios enmes
' De hbtrdade de exprimir ot pensa-
mattos.
Lioes de direita criaiiaal.
PELO DB.
Br*z Florcitino Hcoriqaes de
ate de direito civil Di.FaculdadeJ
de Direito do Recife.
Acaba de sabir a' luz est interessan-
le publ]ceao e acha-se a'venda na li-
rua do Crespo n.
AL5ZAP.:F3
Tinta Inalteravel
Para escrever
de P. MAL1E1 & Ga.
PERNAMBUCO
Esta tinta i*ecoxnmenda-ee pela sua com-
poeica e fluidez como a melhor e a mais
segura de todas as tintas at hoje conheci
das. Nao ataca as peonas de ac, d ate
tres excellentes copias, mesmo mditos dias
depois de escrever, e preferivel a qual-
quer outras tintas particularmente para
livros de commeroio, documentos eto de
que se careca longa consei*va9a.
Ouro e prata.
Em obras velhas : compra-se na praga da ln
dependencio n. 22, loja de bilbetes.
Compra-se nma burra de ferro, ingleza oa
mesmo das antigs ; na ra Nova n. 31.________
Compra-se na prensa de algodo de Saunders
Brothers & C. semeotes de algodo a CO rs. por
erroba.
Compra-se um bom seinm initiez em segun-
da mo, paga-se bem : na ra Bella p. 22.______
Comprase
nm jogo de pistolas boas, em segunda mo : n&
ra Bella n 22.
Compra-se
ama casa em Olinda, que seja grande e em bom
logal, a tratar oa ra Velha n. 11. _____
Compra-se urna secretaria de Jacaranda
moguo, ou de amarello, na roa Nova n. 7.
VENDAS
AOS SRS. ACADMICOS
Vendem-se as seguintes obras de direito
com pouco uso : Manuel du Droi Romain
por Mackeldey, i volume por 4$; Diccio-
naire du Contentieun Commercial, por Mas-
s, 1 volume,' por 5)5 ; Elements du droit
romain, por Maynz, 1 volume por 45; Es-
prit de la jurisprudence des successions,
porConilans, 1 volme, por 4$ ; Codepra-
tique des faillites, por Geoffroy, 1 volume,
por 3$; Elements de l'Economie Politiquc,
por Garnier, 1 volume, por 2$; e Organisa-
tion du travail, por Louis Blanc, 1 volume,
por i$i00: na ra do Crespo n. 4, fabrica
de chapeos de sol. ________
PARA 1800.
Acabam de sahir luz as folhinhas de
algibeira e de porta para o anno de 1866, o
mais correctas possivel tanto no calculo das
las e eclipses, como as diversas festas
que a igreja celebra; vendem-se nicamen-
te na livraria da praca da Independencia,
160 ris as de porta e 32 ri3 as de algi-
beira.____________
Vende-se ou arrendase o sitio Estiva de bai-
xo, logar da Ibnra, fregoezia dos Afogados, com
excellentes trras para plantacops, baixa para ca-
pim, e terrenos para criar, onde pode ter vaccas
de leite, bastantes arvoredos de (rucio e boa casa
de morada ; qnem pretender dirija-se a praca da
Independencia ns. 23 e 25, a tratar com o pro-
prietario.
Vende-se ama taberna na ra Imperial n.
25o, e jautamente ans atencllios de padaria por
barato prSco : quem pretender trate na mesma.
Vende-se por preco commodo ama escrava
cabra, de meia idade, excelente cozinbeira e qui-
tandeira : quem pretender dirija se a esta type-
grapbia qoe se dir' com quem se deve tratar
Vende-se a casa terrea n. 49, sita na ra de
Mathias Ferreira, oa cidade de Olinda, com 2 sa-
las, 4 quartos, cosinha e quintal, em chaos pro-
Srios; a tratar no armazem o. 53 Ba roa da Ca-
sia do Recife, onde se acharo as chaves.
B ugias
Vende-se ama porcio de bogias para fabrica de
velas ; oo boceo do Peixe Frito a. 3, taberna.
* i
Vende-M nalirraria francezt ra do Crespo e ra Nova n. 18 de
-i-------

- .-

vrartaEe
AMA
Aloga-se
IX, proprU par
Precisase de ama apa de meia idade para eu-
g mmar e coser em ama casa de pouca familia :
na rna Imperial n. ata, taberna.
a-i
itiaoe preo
precee moaveis : na roa
com asseio, promp
Angosta n.5. loja.
avwo aos r m?i
Na matrix da Bea-vlstt havera' alba ot
gos, depois do evangelbo
domin-
omveotoal oaa
DE
f.
DE
VIGNES.
M. 55. RA DO I1PE40OR M. 55.
Os piaawdesu antiga (abrica sao baje aesis coahecidos para qae seja neeeaaario resistir sobre a
toa spome idade, va^Uftnie ajuaauaj ueoflerecem a compradorta, eaidtdadei estas tacootesu-
veis qoe lies tem definitivamente conquistado sobre todos o qae ten appaweMa atea praoa ; pos-
liado mn Melad e machloitmo qoe obedecen) i todas as tonudos e capricho* das piaaiaaa, sea
auca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se eitc altimameate eiborauteetoe haportao-
tlsaimos para o clima deste paii; qoaato s votes, lio maiodiaiM eianudas, e por rsao muito afrada-
raiam-ie eoateme as encommendas, tanto o*sU fabrica como' na de Sr. BtoodeJ, ia Paria, socio
Att^n^fto.
Vende-se a taberna sita na roa da Senzala-nova
n. 9 : a tratar na mesma.
Rna das JLarangeiras n: "16.
Viceate Aquieto de Albaquerque ten a honra de
I a presentar ao respeitavel publico um variavel sor-
timento de raolhados em seu novo eslabelecimeoto
oa rna cima mencionada, casa qae oatr'ora fura
de tfanoel Francisco dos Santos e Silva, scieouG-
cando a todos os fregoeset qoe nesta estabeleci-
mento encontraro sempre um completo sortimen-
to de todos os gneros e por presos mais commodos
do quo m outra qualquer parta. Cha hyson libra
2*500, dito miodlnho soperior qaalidaoe a 2*600,
caf libra 240 a 280 rs. soperior, latas con boia-
chiohas de soda a 1* e IJltOO primeira qnalade,
dita franceza a 720 rs. a libra, ch preto auito
bom a 1*800 a libra, cerveja Bus a 680 rs a gar-
rafa, dita marca H a 600 rs., goeijos multo frescos
rttdos pelo oliimo vapor a 3*200, ceiveja preta a
ajrafa a 6i,0 rs. velas de espermacete a libra a
M) rs., viano do Porto superior a-1*800 e a 1* a
garrafa, vinhos Plgoelr, Lisboa e Madeira a 400.
500,560o a640 rs. agrrala, grata aa baldes
grandes a 260 rs., cognac, charutos, papel almaco
e ootros muitos gneros, que seria querer massar
oe tregeles em meuclooa-loa todo mos preces
mais razoaveis que em outra qoaiqaer parte, e
convencido desta verdad* espero qne o raspeiuvel
e ados aqoaiiesqa* j so tregoase* dsTben co-
heclda casa, dlgn*a-M enjhonrar-mecon as suas
s.orTasBotiiaUu de J. Vignes, em coja capital foram sempre premiados em todas as exposiedes.
o acamo esubsisoiaento a achara sempre um explendido e variado sortiauato de bmsku las
presepcas efregoetasVMfWi de que sero bem
servidos, ern proaptidio ban peso a Kaotwao
pratica sobre o mesmo evangelSm, e a Urde pUs, aaHwres antores da Baropa, aasim coaao aaraantoos a pianos baraonteos, eendo todo vendida for\
5 horas o catbecismo para os meninos. pneaseomaodos* moa veis.
- HaaraaaBde
ruadaCraa. is aa
es, o anisar que da presante ha ao



.
(

". .",


N O VA LO JA
ENCICLOPDICA
Jnntnm nnJarfofra*eza de
Paredes Porto.
Neste estabeleimento encontrar o respeioteh
publico om miado Mrtimeolo do hiendas france-
sas, liifiezas, suissas e allemaes, que se vendero
por prego eommodo.
Paredes Parto .
Venfle chales de renda de cores que se vende-
rn a 168 est vendando por badiles pretos, fa-
leuda nova, 5*, 6*. 8* a 20*, unTsortimeto com-
pleto de manteletes, capas e.somambarques 14* a
15*. Roa da Imperatm n. 42, junto a nadarla fran-
cesa armazem da porta larga.
Paredes Perte
Receben nm -completo sortimento de laasinbas a
MO, 180 re. vidos, para acabar, cambraias fle
cor a 240 rs. o covado, riscado escossez para ron-
ca de menino, usUe de linho 420, 400 e BOC rs.
no da Imperatriz n. 52 junto a padaria raoceza,
armazem da-porta larga.
Paredes PeW
Receben para cortinados ara can franeeza a
H* a peen cambala lisa na a 3* 4* 10* a
apoca, cortes de urlatanade bonitos gosios a 3*300
< i*, cambraia com Mr le seda, goStos inteira-
mente novos a 100 e 500 rs. o covado, uo armazem
da porta larga n. 52, roa da Imperatrte junto a pa>
daria francesa.
Paredes PnrU
Receben pelo nttimo paquete na -sortimento de
mies compedrasfMra o pescoco, ocultos eaYtneu
de lia para pesooco -de sen hora, na da Imperatris
o. 52, armazem da .porU larga.
Paredes Parta
Vende cortes degorguro preto para vestido coro
31 covados cada m 33*060, grsdenaple preto a
1*600, 1*80 **> o covado, lias lizas finas a 400
rs. o covado, laasde quadrmbo para vestido,enfes-
uda, a 320 rs. o ovado. Ra da Imperatrte n. 52,
armazem da .porta larga.
Renpi teta
Ra da emperatriz n. 12 armazem da porta lar-
ga junto asudarla francesa, -encontra-se neste es-
tabelecimito-m completo sortimento de paletos-
saceos e sobrecasacos, de todas as qaatidades, cal-
cas, coltetes/ceroulas, camisas, grvalas, meias,
chapeos de -sol, ditos franoeces para ateca, por
procos comatodos, rofa-para menino e ooiras
touitas (aiendas por procos commodos, armaxem
da porta larga.
o aneemo estabeleoicoetrto encontrar o respei-
tavel publico, sempre m completo settHnento de
roupas fettas de tedass^naridadee,'mo sejam
paletos de alpaca preude cor, ditos sobrecasa-
cos a 4* e 8*, ditos de brim parlo a*800, 3* e
3*500, ditos finos a 4*. ditos meias eazemira a
3*500,i*-e 3*, ditos easemira saecosa 6*, 7*, 8 j
e 10*, ditos sobrecasacos .a 10 e 12*, ditos de pan-
no sacos a-6*, 8* e 16*, ditos sebrecasaeos a 12*
e 25*, ditos de merino preto a 65, 7* e *, cal-
cas de torim de diversas qualidades a <$80e a 4*,
ditos brancas a 2*500 e -6*00, ditos 6* e 7*, ditos pretos 5*. *, 8* 10*, ditos
metas cazemiras a 3* e 4*, coletos de diversas
qualidades, seroulas francezas de algodo, ditas de
ilnbo, ditas de bramaste a 2* e 2*300, carnizas de
algodo de linho francezas de 2*500 e 3*. Gran-
de pecnincba neste genero, grvalas-de todas as
qualidades e brancas para casamento.
k SALSA PARHLHA
PARA A CURA R
AYER
; deitwrofulas e molestias escrufidosas, tumores, ulceras; eljaga? feridaa* ve-
masTiDrorichocele, PaP0 ou j>|feira, a syphilis, enfermidades venenas ou mer-
cui'iaes..
AS MOLESTIAS DAS MLHERIS
retencSo, menstro doloroso, ulc*rac5es do ute.ro, flores brancas, etc., ulcera-
o5o> debilidade, expoliacSo dos ossos, a nervTi^fe e coOYvjlses epilpticas
quando causadas pela escrofak.
... ERYSPELIS ERPES; ETC. .
Enfermidades cutneas, empefi, borbnla, posiwlas,
nascidas, etc.
t O extracto composto de anisa parrilha, con'eccionat'o pelo Dr. Ayer, euma
combinac2o dos tnelhores depurativos e alterantes conhecdos medicina; confeccio*
nado segundo 8 regras da sciencia, approvado e receitado pelos prxeiros mdicos dos
Estados-Unidos da America do Sul e Central, das Aatilhae, do Mxico e das Indias, e
mHitas'outres partes do mundo: o resultado de estados apurados e minuciosos, e de
experiencias eitas pessoataente pelo Dr. Ayer, por muitos annos. nos principaes bos-
pitaes e enfermaras da America; tcm sido approvado pelas academias de medicina e
juntos de bygienne das principaes capitaes da America do Norte; para prova disto vede
os estados autbenticos no Almanat e Manual de Sade do Dr. Ayer, os quaes te dis-
tribuem gratuitamente nos jugares onde se vende o remedio.
A SALSA PAR1LHA DE AYER
BepeeialflMWte efAeac na cura Jas molestias jae tena sua origen
a escrfula, na infeeeio rene rea, no nao
excesslvo do nterem fo oat qnalqner Impureza do sangne.
A molestia on infeoc5o peculiar, conhecida peto nome de escrfula, um dos ma-
les mais prewlecentes e aniversaes qvje ha em toda a extensa lista das enfermidades que
atacam a nossa raca; disse nm celebre escriptor da medicina que mais de urna terca
parte de todos aqaelies'qne morrea antes da veftice sao victimas, ou directa outadirec-
tamente de escrfula; por isso s o5o t5o destructiva, porm a principal causa de
wuitas ouaras enfermidades que nao ihe s5o geralmente attribuidas.
E'uma causa directa da ttsica pulmonar, drs motearas do figado. do estomago
e ffecc5es do cerebro; enlreseus nnmefroses symptomas acham-se os seguintes: falta
de appetite, o emblante plido e enchado; as vezes de waz alvura transparente e outras
veze corado e amarellento irregolar, fraqoeza emoeza nos msculos ao redor da boc-
ea; digestSo fracae appettite, falta de energa; ventreencbado e evacuaco irregular;]
quando o mal tan sen assento sobre os potaes urna cr azulada wostra-se em rd dos
otos.; quando ataca os orgSos digestivos, os olbos tornam-seavermelhados; obali-
to ftido, a lingoa carregada; dores decabeca, tonterras, etc. Naspessoas dedisposi-
eo escrofulosa apparecem trequentemeote eruprjrjes Ta pelle da cabeca e outras partes
do oorpo ; sSopredispostas as affeco5es dos pulmoes, do figade, dos rins, dos orgSos
digestivos e uterinos. Portante no sHo smente acuelles qne padecem das formas ul-
cerosas e tuberculosas da escrfula qoe necessitamde proteo^k) contra os seu estragos;
todos aquelles em cujo sange existe o virus latete deste terrivel flageBo (e s veaes
hereditario), estfo expostos tambem aiffrer das enfermidades que elle causa, que sao:
A tsica, ulceracoes de figado, do estomago e-dostos; erupcoes e enfermidades
eruptivas da eutis, rosa ou erysipela, borbulhas, justlas, Tiascidas, tumores, rbeoma,
carbnculos, ulceras e cbagas, rheuEtatismo, dores nos ossos, as costas e na cabeca,
debilidades femininas, flores brancas causadas pela uleeracSo interior, e enfermidades
uterinas, bydropesia, BdigestSo, eoiraquecimeoto e debilidade gerat.
Offereeemos a estas pessoas um abrigo seguro e um antidoto efficaz contra esta
molestia e soas conseqowicias na
SALSA PARRELHA DE AYER
que opera directamente sobre o sangue, purificando-o e expulsando delle a corrupao e o
veneno da molestia ; penetra todas as partes e todos os orgScs doeorpo humano, livran-.
do-os da suaacc5o viciada e inspirando-lhes-novo vigor. un aRerante.poderosissimo
GRANDE ESTABELEaEMO
no
Ra
X.-vJO
da imperatriz,
PB
GAMA & SILVA.
LOJA E ARMAZEM DB PUBNOAS.
Tendo os proprietarios deet grai.de,estabeltci
ment feito um grande abatimento em mollas de
suas faiendat, pala occasiao do oaiao?o que deraffi
no oliimodedazetntjro de 1863, resol vern vender
moito mais barato do que costmam afim de cada
vez mais agradarem aos 'sen3-*niraiero03 fregu-
zes; por lano Ibes cilerecem om avula^o serti-
nwolo de fftteodas francezas^ Ingieras, a quaes
venderSo mais barato do qun *n ouira quawjuer
Chils a l^Qrs, mi oPmao.
Vende ?e o'mais bonito sertimento de chitas in*
glezas, padrSes miudioho, claros e esruro?, e ten-
do tambim rxas para luto, afiangalu->e serem
cores fixas, e vendem-se pelo baraiispimo preco de
nove vinteos o covado, ou a pega c tu .18 covados
por d&iMO : uto na loja e armazem do i'avao, na
ra da Imperainz-a. 60, de Gama & Silva.
Cortes de cambraia com palmas na leja do I
Pavao.
Veadem-se cortes de carbbraia branca cera pal-
mas, sendo faze&da muito boa, pelo barassimo
preco de 2^500 para acabar: na loja e armazem
do Pavo na roa da Imperauiz o. 60, de Gama J
Silva.
Lencos brancos a t^OOO reis a
duzia. | Vestidos francos.
Vendem se len?os brancos farenda muito bca( Cnegram para a loja do Pavao el mais bonitos
_ pelo b.tratissimo preca de 2# a duzia, Ditcs com' cor,t=s de vestios de cambraia bran'ea com toni-
barra de cor a 2^000 ito para acabar na loja i-1 las batras (odas brencas, assim como com barras
Pavao oa ra da Imperalriz n. 60 de Gama i Sio [ de coi es, sendo fazenda transparente e muito fina,
ti.' i ; tendo cda um corte bastante fazenda e moita ro-
Poupiilnas modernissimas a 400 e 500 rs.; la, e vendem-.e pelo baralissiroo preco de 8 e
I o covado na loja do Pavao. iS*H:B" i *fe** oa 'ua Vendem-se ponpellnas rnuito finas seado fazenda ^'f j -".v ; .
muito moderna de quadnnhos e liza vendendo-se tOPte OC lailalaBa la Itja 00 Pavad.
. pelos baratos precos de 100 e 300 r;. o covado ua, Vendem seos piis moderuos cortes de trial&oa
parle, compromeKendose a ntfbdar levar qualiuer, 'ja do PiVa0 Da ra da Imperalriz n. 60 de Gama' com as mais lindas barras de cor, pelo baratissimo
fazenda em casa dos tregules qne nao penaren) & Silva. prego de ojeada um, sendo neste arlco o mel&or
vir a loja, ou a darem as amostras, deixando fiear Orendenaples pretor do Pavo,, 'I1"1 IffT! vip.dg ao mercao : Islo na toja e arma-
o penbor, assim como convidara as pessoas, que Vendem-se superiores grosdenaples pretos pelos' l*k do Pavio oa roa da Imperalriz n. 60, de Ga-
negociam em menor escala qne neste grande esta- baratissimos precos de 15500, i 600, 1800 e21: ma di Silva.
o covado, sendo fazenda muito boa.

timento de meias para senhoras, dius para omens Pf^3 a renovacao do saogue, e da4w corpo ja enfraqueckio pela tloenca, forjas e ener-
a 3, superiores a 3*300 e 4JL Igiss renovadas como as Um completo sortimentc de chapeas .de sol de
alpaca a 3, ditos de eeda a o, 74, 105 e 145,
ditos franoezes para cabeea, grande -sortimento
a 6$.
Vestidos
^ PocAIncha aem Igual.
Cbegoa a leja de Paredes Porto nm bonito sor-
timento de vestidos de tartalat de cores e brancas
que serve para partidas per-ser urna paotasia ln-
teiramente de osto pelo barato preco de 41 e
brancos a 4o0O, esto acabaodo-se : no armazem
da porta larga f ua da Imperaa-iz n. 32, ionio a pa-
dara franeeza.
Cortinados.
Cbegon a loja de Paredes Porto nm completo
sortimento de cortinados rtcaaienle bordados a
.preco de 23J, 3o e 45$ : na -roa da raperatrii
A. 52, porta larga junto padaria francuza.
Rieas romeiras.
Paredes Porto ceben pele ultimo paquete nm
sortimento de romeira de guipare pretas e de 31c
a prego eommodo : na ra da mperatriz n. 3i.
porta larga junto a padaria franeeza.
J tambem o melhor anty-syphilitico oonh^cido
cora,permanentementeae peiores frmas de sypiis -e as suas eonsequencias. Pouca
aecessidadeba de ihforar o pubtko do inesmavel valor de nm remedio que, como
este, livra o sangue desta corrupcio e arrebata a victima das garras de urna morte lenta
e'ignominiosa, porm inevitavel, se o mal no logo combatido com energa.
E om poderosissimo alterante para a treoovaco dosangue e para dar nova for-
Ca ao corpo ja enfraqaecido pela doenga.
Sendo composto de productos vegetaes, esle medicamento innocente e ao mes-
me lempo efficaz, um facto de immensa importancia para aquelles que o tomam ; por-
que muitos desremediosalterantesofferecidos ao publico tem por base o mercurio ou o
arsnico; e sendo assim, bem ques vezes podem effectuar curas, comtudo deixam suas Caiubraias'de forro a 15600 e 2 n
vietonas carregadas de urna longa serie de males, muitas vezes peior do que o mal or-; 0 pay0#
belecimenlo enconlraro um grande sortimento
tamo a retalho como por atacado, vendendo-se-lhe
apenas pelos precos que comprara as casas ingle-
sas, sendo com o droherro a' villa.
As toallus de lioko dt Pava*;
Vendemos superiores toalbas de Itabos para
rosio peto baratlssimo prego de 7500 a dzla oo
a 640 cada urna.
Guardanapos de linho adamascado para meza a
2*800 a duzia on a 240 rs. cada nm.
Superior atoalbado de linho .com oilo palmos de
largura sendo branco e pardo, e vende-se mais ba-
rato do que em ontro parte, na loja do Pavao na ra
da Imperatria n. 60 de Gama & Silva.
Os corpinbos ae seda pretos do Pav5o.
Vendem-se os mais ricos corpinbos de seda pre-
tos, ricamente entenados, pelo barato prego de H&
cada nm ; na loja do Pavo na ra da Impera ii
n. 60, de Gama & Silva.
Ricen reatides a 80000 rs.
pechiocba adaiiravrI.
80 o Pavo receben peto ultimo vapor francs
um grande sortimento dos mais ricos cortes de
vestidos iranspsreMes com lindas barras e enfeites
de seda, sendo estes vestidos muito propries para
baile e passeios, e vendem-se pelo baralissiroo
precn de 8#000rs. cada oro, na lojado Pav nm
ra da Imperatm n. 60 de Gama &Silva.
Os chales frotes de renda do Paran a 8000 rs.
Vendem-se s mais ricos chales pretos de renda
com qnatro ponas, senda muito grandes pelo ba-
ratsimo preco de 8JL
Ditos de-guepure a KS#, i8&202,233.
Retondas de dRoa 10*.
Manteletes de renda, fazenda mnito superior a
13*009.
Capas e santbambarqnes de grosdenaples bor-
dados, aienda tetramente nova, por precns mala
baratos que em oetra qualqner parte.
Isto na loja armazem do Pavo na roa da Im-
peralriz n. 60 de Gama 4 Silva.
Oscbales do pavo a 2ooe e "2ooo rs.
Vendem-se chales de merino estampados a H
e 2*600 cada-am.
Ditos de merino liso a 3*500.
Ditos estampados de crepon a 6*, 7*, e 8*000.
Ditos pretos bordados com franja de seda a 14*.
Na-loja-e armazem do Pavo na ra da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
Para luto vende o Pavao.
Setim da Cbioa com O palmos de largura, fazen-
da preta para luto, propna para vestidos e roupas
para bomens, sendo esta nova fazenda sem lustro e
de muito boa qualidade, garantindo-se nao n'car
rnssa com o tempo vende-se pelo barato preco de
2* e 23O0 o covado, assim como neste estabeleci-
mento tem nm grande sortimento de todas s fa-
zendas pretas como sejam cassas e chitas pretas,
laas tapadas e transparentes, princezas, alpacas,
sarjas, etc. : na toja e armazem do Pavao na ra
da Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Os baioes do Pavao.
Vendem-se superiores baioes de mucolina com
gS roda a Vi di,os crinolines com 33 arcos a
3*300, ditos com 20 e 25 a 3*, ditos para meni-
nas, sendo brancos e encarnados a 2* e 2*500 :
na Wa :.o Pavo na roa da Imperatriz n. 60. de
O Silva.
MAcmarAS
a
s para ac
bar : na toja e ara azem do Pavo, rna da Impe-
ralriz n. 60, de Gama & Silva. {
Bramante de linho do PavSo. i
Vemle-se superior bramante dt linho cera 10 i
Salmos de largura, proprios para l'nces, pelos i
aralissimos presos de 2* e 2*600 a vara, assim'
como panno de linho muito Qno pelos baratissimos,
precos de 640,700 e 800 rs. a vara : na loja e ar-'ttra deSCTOCOr OIqodO
mazem do Pavo, ra da Imperalriz n. 60, de Ga- r ..<<.
m*& Silva. 9,00< o serta
Cambralas. lisas do Pao. n0 Forte do Mallos prenca de algodao n. 17, de
Vendem se pecas ue cambraia lisa muito supe- Uedeiros & k vende-se machinas americanas do
rior, pelo barato preco de 3*200 e 35500 a pe?a, melhor systema que ba appare.ido por serem
dius muito finas a 3*, 6*, 7* e 8* : na loja e muito maneiras de 14,16,18 e 20 serras, a 9* a
armazem do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de erra
Gama & Silva. --------------^ "i^r-r----------------
PECH1NCHA 1 Cal e I*oa
* ositita .-. i__ > desembarcada do vapor inglez Cassine, vende se
a .UOO, para calcas, so Pavao. I por wwido preco, no escriptori de Manoel Ig-
Vfflaein-se superiores corles de meia casemira nacio de oiive,ra & Filho, largo do Corpo Sanio
commesfila de seda a 2*. ditas Ganbaldlnas a Dutnero ,7.
2*800, altas escuras a 2*800, ou a 1*600 o cova-
6*


vi
lurtes ne laa escocesa para vestido a 3* o cor-
te: na ra oa Imperatriz n. 52, loja da porta lar-
ga, junto a padaria franeeza, esto se acabando.
Para luto.
Laas preus eotn salpica brancos a 400 e 500
rs. o covado : na rna da Imperatriz n. 52 junio a
.padaria franeeza armazem da porta larga.
1#400
Chapeos de sol.
Vendom-se chapee? de sol de panno a 1*400 e
ara;, grande pecbincha s para acabar : na ra da
Imperatriz n. 52 armazem da porta larga de Pare-
des Porto.
A 1#,00.
Vendem-se pecas de tranca preta para enfeites
e vestidos, soutembarqaes, capas da senbora a
1*600 com 10 varas, urna grande pecbincha : na
rna da Imperatriz n. 32 junto a nadarla franeeza.
48000
Chales de renda pretos.
Vende se cnaies de renda preto a 4*000, unicc
loja que pode vender na rna da Imperatriz n. 52,
armazem da porta larga, de Paredes Porto.______
gioal. A uniea -cousa neessaria para obter urna cura radical seguir com juizo e cons-
atnca as direcoesqae acompanbam cada frasco.
NSo pretendemos jjromulg-ar, nem queremos que se infira que esta composicno a
nm remedio infallivel para a cura de. todos os padecimentos humanos; infelizmente
escrfula e a syphilis sao enfermidades t5o sulis as suas naturezas, e arreigam-se to
firmemente no systema, que muitas vezes evadem^exesisemaos remedios mais pode-
rosos, fue a ciencia humana pode invetUar para combate las: o que dizemos que o
Extracto composto de salsa parnlha de Ayer
e a melhor preparacao at hoje descobera para estas e outras motestias anlogas, que
urna combinac'o dos alterantes mais efficazes conhecidos, que esta combinafio tem sido
regulada jwr longas e laboriosas experiencias, e Gnalmetue que temos consciencia deof-
ferecer ao publico o melhor tesultado que possivel produzir, da intelligencia e pericia
medica dosoossos lempos.
Este remedio deve ser tomado com system e regula;idade, e nao com abandono,
pots e um remedio eno bebida,
Quando as molestias do .figado nao-tem sua origem na escrfula, o remedio
mats proprto aspllulas cathattkas de Aver, que sao efficazes na cura da molestia, qne
mpor causa um desarranjo dos orgSos digestivos. Pedi a salsa parrilha de Ayete
loo seeitai outra preparacao.
^ernaiabuco, rsa Nova n. i 8, pharmacia francezade P. Maurer A C.
VENDE-SE
\o arjaazem de n. I. Ramos e Sllra 6c fiemo, rna do vlgarlo
. 11, constantemente, ossegnintcs artlgos, qne
rece bem por eneommenda proprla de

u
ai
xi g g*5 o.
a- "> y o cr o. g- Z
cu

tu


i'!:ai|i
a
2 p o >
*H I
8 9. f
-f
Si
ir
i
S=|53
a o n
5 9
S
m
*
VEW-lOItli.
orificado qne se pode desejar da acredi-
Legtima salsa parrilha de Bristol, preparada por Lanman & Kemp.
Yerdadeiraagna Florida, preparada netos mesmos.
Gat em latas de cinco gal5es, o maiPpui
da marca F. W. D. 4 C,
Relogios perfer^os reguladores, com corda de quatro a oito das, dos afamados fa-
bricantes E. N. Welcb.
Graixa em Jatas grandes da bem conhecida marea las. S. Masn (de Pbiladel-
Vendem-se pecas de cambraia de forro com no-
Tv2asacada pe?3, P*'03 baratissimos precos de
l#600 c a* : n loja a armazem do Pavo na roa
da Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
Os cortinados do Pavao.
Vendem-se superiores cortinados adamascados
para camas pelo baratissimo preco de 1* cada par
ditos mnito Anos ricamente bordados para camas
ou janellas a 13*. 20 e 25$ o par : na loja e ar-
mazem do Pavo na ra da Imperatriz n. 60. de
Gama & Silva.
Panno preto a 2 na loja do Pav5o.
Vende-se panno preto. fazenda moito boa, pelo
q!<> Pjeco de 2 o covado, dito mnito fino a
J*o00, 4*, o* e 6*, assim como casimira preta de
cordao a 2* o covado : na loja do Pavo oa ra da
Imperatriz n. 60, de Gama <& Silva^
Os espartilhos do Pav5o.
Vendem-se urna grande e variado sortimento de
espartilhos dos mais bem feitos que tem 'vindo ao
mercado, sendo de todos os tamanho?, vendendo-se
por um prego muito razoavel : isto na loja do Pa-
vao na ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As salas bordadas d Vendem-se saias bordadas sendo fazenaa muito
boa, sendo ricamente bordadas e com moita roda
vendendo-se pelos baratos presos de 6* 8J e 10*
res cada urna na loja do Pavao na ra da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
Bretanha de'rolo a 3$0G0
Vendem-se pegas de bretanba de rolo com 10
varas cada peca, pelo baratissimo preco de 3* :
na ;oja e armazem do Pavao, ra da Imperatriz n.
60, de Gama i Silva.
de : na loja e armazem do Pavo, ra da Impera-
lriz n. 60, de Gama A Silva.
PENTEADORES
ou roupSes de cambraia-bordados proprios
iara as senhoras vestirem de manbSa.
hegou esta noyidade paia a loja do Pavao,
muito lindos e do elbor gesto al hoje, por pre-
sos mnito razoaveis : na loja do Pavao, ra da
imperalriz n. 0, de Gama & Silva.
Cassas francezas a 240 rs. o corado.
Vendem-se bonitas cassas francezas de. eores fi-
xas pelo baratissimo preco de 210 o covado.
Ditas a 280,320 e 360.
86 na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva. -
Grosdenaple preto a 1$600.
I' grande pecbincha !1
Vende-se grosdenaple preto, sendo muito encor-
pado e de boa largura, pelo barati.-simo preco de
1*600 o covado : na ra da Imperatriz n. 60.
Os cachinez do Pavo.
Vendem-se bonitos cachinez de la ou agazalhos
para eabeca pelo baratissimo preco de 34000, s
na loja do Pavao, na ra da Imperalriz n. 60.
MANTAS PARA O PESCOQO
a 1*, s o Pavo.
Vendem-se bonitas mantas para o pescoco, pelo
barato prego de 1* : na loja do Pavo na ra da
Imperatriz n. 6C, de Gama & Silva.
Madapoles a 3,500 rs. a pessa.
S na loja do Pav5o.
Vende-se pegas de madapolo fino com 12 jar-
das, pelo barato prego de 3*500 c 4000.
Chales de renda.
Na loja do Pavao.
Receberam-se os mais lindos cWles pretos de
renda, assim como as mais modernas e compridas
retrasa*, e manteletes da mesma lazenda,e vnde-
se mais barato que em outra qualquer parte: na
loja e ajmazem do Pavc na ra da Imperatriz n.
66 de Gama & Silva. ~
Castor a 300 rs, 9 covado.
Para caigas.
Vendem-se superiores castores muito encorpados
padroes escuros pelo barato prego de 320 rs. o co-
vado, servlndo esta fazenda tambem para escravos
por ser de muita duraglo; na loja e armazem do
Pavao ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Chapeos para ncoiaas a 6,000.
S na loja do Pavao.
Se vendem os mais bonitos e mais bem enfeita-
dos chaposlnnos de palha da Italia, proprios para
meninas, pelo baratissimo prego de 6*000; na loja
e armazem do Pavao na ra da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
Pechiacha admiravel
Lazinbas de qoadrinhe.- qne parece seda a 246
rs. o covado, nma grande oecbincna, est se aca-
bando : na loja n. 52, armazem da porta larga ue

Paredes Porto.
Lunas de pellica'f retas e > ::
tras cores.
Cbegaram para a loja de miadezas a roa do
______Uoeimado n. 16.
Algodo avariMio
iYJ27 fua do Queimado /V, 27.
Na amiga e bem conhecida reflnago ra as
Lararje.ras n. 12, encontrar o respeilavel publico
um completo sortimento de assucar de caroca Dr
barato prego conforme a qualidade, assucar refina-
do muito bom a 80, 100,120 e 140 rs. a libra .
perior assucar candi a 540 rs. a-libra; assim' -o-
mo cafe em grao boa qualidade a 200 rs. e superior
a 240 rs. a libra, caf raoido a 360- r< -, -nd-
moida a 200 rs. a libra, cha preta e verde' d- niai"
to boa qualidade, este a 2*800 e aquelle a 5400
a libra : o assucar e caf stndo em arroba s" fara'
o abaiimentn de o por nenio nos pregos cima
marcado.* velas de carna.ba e de composlg
400 rs. a libra. y -
o a
Vende-se nma casa na rna dos Pescadores
n. 30, com duas salas e dousquartos, e cocona
tora e um quintal. Como tambem urna meia-acna
no beceo dos Pintos, n. 12: qnem pretender tiin-
jasea ra l)ireitan.20 priraeiro andar que achara
com quem tratar.
Armacao.
Vende-seurnaarmagao e alugase a loja em aue
esta collocada dita armagao na travessa da ra
das -uzes n. 12 propria para calgado : a traar
na ra larga do Rosario p. 21 fabrica decigairu
Attenco.
phia).
Superior oleo para machinas de costura:
Agu has para as mesmas.
Breu em barrica* grandes e pequeas.
.Veade-se tambem:
BORDEIS
1.' qaalidade.
St. Estepbe.
St. Julien.
C. Margaux.
C. Lafitte.
Medoc.
PORTO
Ia qaalidade,
Vinho fino do Porto embarris de 3/, 10/ e 20/.
Superior vinho doRheno.
Cera de Lisboa em "p'as e em grume.
Principe Real.
I Pedro V.
I Mara Pia.
Princeza D. Isabel.
I Vctor Emmannel.
'Duque.
Malvazia.
j

%
Breo en narrias pequea*.
SE-*-
yepit-p na aaeravn nata enfenao, crteoln
de boa figura e mastre carrefro : a tratar ni rna
do Quemado a. 44.
VeoOaanmeeefa amo, trimf,LtO
aiaeiwa*a,pMoo mais oaoraM, fcaentlep
wnnwaaNldeniloi: na rea da ADpllon.7,
andar.
tu RIJA DO Ql El W IDO -]f. tV.
Madapolo.
Pinas pecas de madapelSo com 20 varas a 9#.
LENgOS,
Lencos de cambraia branca, duzia 24.
dem de cores fixas para meninos, duzia 2400. O
Caannralaa.
*> Cambraias de cores a preco de 260 a 300 rs. o covado.
eSnarUnapf.
Guardanapcs de linho, dozia 3<>5O0.
Algodo trancado do dota larguras, preprio para toainaa de -mesa, preco de
11300 a vara.
Superior bramante do iinho inglez e fraocez.
[ Cambraia de linho propria para lencos.
ATOALHADO.
Atoalbado branco para mesa a 1*600 a vara.
ntremelos de cambraia muito finos, preco Ifi.
Lencos de seda para algibeira a 14600,
Roupa feila.
Na loja do PavSo
Vende-se neste estabelecimento om grande sor-
timento de roupas, unto de panno como caxemiras,
e bros e pelos baraiissimos pregos como sejam
caigas de caxemira preta a 6* 7* e 8*000reis, pa-
letots de panno preto saceos a 6* 8* e 12*000 rs.
ditos sobrecasacos de panno Onissimo a 12* 18* e
25^000 reis, e ontros muitos artigos que serla en-
Udonbos aqu relata-tos; s na loja e armazem do
Pavao rna da Imperatrii n. 60 de Gama Silva.
Loja dt Pavo
Grandes pecjbichas.
Seiiias a 500 rs. eovada
Sedinhas a 500 rs.
Sedinlas a 06 re.
Vende-se na toja do Pavao, nm grande sertimen-
to de sedlnbas listradas com as mais bonitas cores,
sendo os pedrds mais novos que tem vindo ae mer-
cado, e vende-se pelo parasslmo prego de cinco
lostSes o covado, sendo fasenda que valem muito
mais dinheiro, e grande pecbincha por se ter
comprado nma grande ponida desta fasenda, na
loja e armasen de senda do Gavio, rna da Im-
peratriz n. 60 de
Lasmhas matisadasa320 r*.
Vendem-se as mais lindas iasiohas matisadas
com o* mais bonitos desenbos, pelo barato preco de
320 rs. o covado; na loja do Pavao a rna da Im-
peratriz n. 60 de Gama & Silva.
Os chales de guipure a 12$ e
16^000,
Vendem-se oa mais ricos chales de Guipan e de
renda de linho e teda, netos baratithnoi petos de
12* e 16*; grande pechmcha em reiacio a boa
qualidade e lamarto delles : s na toja de Pavie,
rna da Imperatriz n. 60,-de Gama & Silva.
Lazinhasa 2U0 rs,8o
Pavo.
Vendem-se modeinis liazinbas com lindsimos
1 estos, peto baratissimo preco de 206 rs.; gran-
b pecbincha : s na loja do Pavio, rna da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
M4u Largas
Na toja do PavSo,
egou para a loja do Pavio nm raodereissimo
sortunento dai mal lindas sedas para vestidos,
seado urnas de kMrinbas e ontras de florzlnaai
con as mais lindas cores, e algunas proprias para
as senhoras qoe etlverem de loto e vendem-se
Pto hjnaaareeodnvoof o covado, tendo ata
fazenda qnatro jlatos de largura, qoe faciliu h-
wado eora poneos co va des, isto na
i* a ar an do Pavo na ra da Imperatriz n
PENTES, ENFEITES, CINTOS.
Gama & Silva, acabam de receoer pelo ultimo
vapor Irancez, um grande sortimecto dos mais ri-
cos enfeites pretos e de cores proprios nara cabega,
sendo guarnecidos com as mais lindas flores, e com
voltas das mais bonitas perolas; assim como os mais
modernos e engragados penles da verdadeira tar-
taruga, marebetados sendo a ultima novidade
que tem vindo de Pars, e os mais ricos cintos com
Atas malhisadas e fivelas largas, conforme ltima-
mente se usa as primeiras capitaes da Europa, e
vende-se por preco em conta por ter chegado em
direitura para a loja do Pavio, ra da Imperatriz
n. 60 de Gama & Silva.
As rotondas do pavo a 8 e 1Q#,
Venem-se as mais ricas roanlas de renda pre-
ta, sendo muito grandes, qne sao as que mais se
usaro, pelo baratissimo prego de 85 e 10* : na
loja e armazem do Pavo, ra da Imqeratriz n. 60,
de Gama & Silva.
Chitas pretas a 160 rs:
Vendem-se chitas pretas inglezas, sendo fazenda
muito boa, pelo baratissimo prego de 160 rs. o co-
vado, ou 5*300 a pega com 38 covados: s na
loja d* Ravo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
ATLANTA
Mobilia.
Na ra do Brum n. 48 primeiro andar vnde-
se barato lo cadeiras de guarnigao, 4 de br; os
2 consolos, mesa de mel de sala e sof, ludo em
perfeita estado, e de Jacaranda, e mais afinas
cadeiras ordinarias e 2 camas Ir. p;as
relio e. varios ontros objectos de un a familia
vai a Europa.
.ri-
ue
da
-i Vende-se urna meia calexe na coch. Ira
ra da Seozalla doSr. Thoroaz Payoe.
, Vende-se um piano de mesare-om~nrro
usado cora moito boas molas e rodas: na E'trada
Nova sitio da vluva Villa-secca.
Salitre retinad
(/
Vende se a dinheiro a 7000 arroba no escrip-
tono de.'. A. Moicira Dias ra da Cruz n. 50.
Vende-se um motaqn pega, oaTua do Mon-
dejo, olana n. 13, das 10 horas al o meio-ia.
Vendc-se urna preta da costa, a ra do St"rJc
n. 36.
.rande novidade a tOO rs.
Atlanta a 200 rs.
Atlanta a 200 rs.
Allanta a 200 re.
Chegon para a loja do Pavio o mais lindo sor-
timento desta nova fazenda, com o titulo de allanta
propria para vestido e roupas para meninos, sen-
do esta modernisStma fazenda de lia com os mais
lindos gostos de quadrinbos e listras tendo entre
ellas de er roa e prets, com listras e qnadros
brancos proprias para luto, e vendem-se pelo ba-
ratissimo prego de 200 rs. o covado nicamente na
loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
As chitas dt Pavio a 200 o covad.
Vende-se e mala bonito sortimento de chitas es-
curas e rosa* sendo Inglezas, mas com os pannos
lio encorpados como os das francezas que se ven-
dem a 400 ris, e liquido-se peto barato prego de
200 ris o covado ou a 7*200 a pega, garantindo-
se terem 38 covados cada pega e serem de cores
fitas uto na loja e armazem do Pavo na rna da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Armazem do Pavao,
Vende-se cera de carnauba da melhor qualidade
emsaccos, mais barato' que em outra qualquer
parte no armazem do Pavo na roa da Imperatriz
n. 00, de Gama 4 Silva.
Vende-se um cabriolel em perfeito estado
com os competentes arreios, lanternas e chicare
na offlema do Sr. Poirier, ra do Imperador defr-tte
de S. Francisco.
Vendem-se 5 casas de p'edra e cal, seoi 3
na ra do Bu n. 118,120 e 122, outra na ra "de
6. Miguel prxima a Igreja, freguezia dos Afcgado:.
outra na travessa da Remella freguezia de S. J-c
a qual [ende 12*000 raensaes, quera as pretender
dinj-se a ra Bella n. 36, a entender-se com
Americo Ferreira da Silva.
Cal de Lisboa""
desembarcada do brigue portuguez Constante l
vende-se por barato prego no escriptorte de Ma-
noel Ignacio de Oliveira & Filho, largo do Corso
Sinto n. 19.
Vende-se urna escrava creoula, miga, que sabe
cozmbar e engommar : na ra Imperial n. 4o.
FariV; "
Vendem-se saccas com farinha da terr muito
boa a 6*, 7# e 8, tendo 30 a 40 cuias e tambem
se vende medida assim como tem um completo
sortimentos de mol hados as qpaes vende muito ba-
rato na ra das Cruzas n. 4i.= Guia dos Frogres-
sos.
VENDE-SE
Massa para fogo a 200 rs. a libra, na roa Impe-
rial n. 251. v
Pauao de algodo da Babia para saceos de
assucar e rnpa de escravo, vende Antonio Laiz
de Oliveira Azevedo 4 C, no sen escriptorio ra
daCrtftn. 1.______________
Panno de algodao
trancado
da fabrica de Ferno Velho : vende-se na ruada
Cadeia n. 4, armazem de Silva Barroca.
& Silva.
Calcado barat >.
Vende-se na prga da Independencia us. 37 e
39, pelos baratissimos precos os seguintes calca-
dos :
Borzsguins de bezerro para bomem a 5* e 6*.
Sapaioes de bezerro para bomem a 3*.
Borzeguins para senbora a 2* e 3*.
Sapaios de borracha a 1* e 1*500.
FAMA.
As cabaias do Pavfto a 2#000
_ <& Chegarana para a loja do Pivio as mais lindas Vende-se a 6*000 a sacca de 3 alqoeires, no ar-
cbala* de eda para vestido, sendo com o man maztm da ra da Cadeia do Recifo, confronte ao
lindos gostos de flores e listas, tendo entre ellas al- arco da Cooeeigo.
gumas mi as e prelft para quera e stiver de lato, -------------- ,-----------
tonda en nova fazenda 4 palmo* de iarfura que' Na raa do LJvramejrto n, 19 vendem-se cs-
(aoilia fazer se nm vellido cora poucos covados, e Inos de ferro, proprios para gaz e agua com 12
vende-se pelo baratissimo preco de SaOOOr-Tinlea-' pallctad?.
a^,fMa^fcwn^m'-Ataa* Vende-se urna liieira nova e propria para
rairUD.60,tfeGama&Wva. ]*?" *?r P*" o nato, atraurna'rua
JOTipade j9-
l*ara restMna.
Cbegaram as desejadas cambraias on tariataoa-
brancas eon llstrinhas (sendo transparentes e ven-
dem-se pelo baratissimo prego de 5*000 o corle,
na loja e armazem do Pavo na rna da Imperatriz
B. 60 de Gama & Silva.
Remedio Lafatlivel as agourrlieas.antigs
recen, tes, nico deposit na pltarmacia
e franeeza roa da Cruz n. 22 e ao preco de
3000.
ILEGfVEL
^wnnnwnnneaatfirfcr>-.-i n


~:
DlarHHeT
A' loja de fuzeadas de Augusta Porto & C.
11Ra do Qmimado11
Ctaejaram pelo ultimo paquete superiores enchovaes completos com veslidinhos bar*
dados para baptisados.
Moir branco, luva da pellica, mantas e eapellas brancas para noivas. '
Lindas colchas de teda de cor e de l e seda para camas de noivas.
Grande sortimeoto de cortinados bordados para camas e jauellas.
Chapeos, bonetes e gorros de palha de Italia para senhoras
Percalles, cassas e chitas unas dos gosios mais modernos.
Algariennes, retendes e chales de renda pretos.
Camisas finas com peitos, puohos e colarluhos de linho para bomens.
Lindas casemlras de cores, liasinbas, pannos e casemiras relas, merino e bom>
baZm Bramante muito largo a 2*300,1,1700 e 3*200 a vara.
Tapetes a alcatifas para forrar salas e tapetes grandes e peqnenes para sof'.
Camisas fe flaneUa, colarinbos de linho, seroulas de linho.
Camisas de meia floas, baldes de arcos, de musselina e de madapolao, espartilhos
o Eoos manjfcos bordados. ., ^ ,M
Esteiras da India para for ar salas
.-- melhorese por mas mdico prec.0.
11-Raa do' Qnelnaado11
CORTES DE SEDA
Chegaram pelo paquete inglez riquissimos cortes de moreantique de cores, a seda lavraaa pa-
intalramente novos 1)IAAA ,
Seda de quadros por 1#000 o covado
5RA DO CRESPO-5 _
Gregorio Pac do A mural Coapaatla.
BOJH SORTIHEWO DE
FAZEIVDAS PRETAS
NOTOS OEEEBTES
DOS
TRES CHANDES
m\mm de molahoos
DENOMINADOS
PROGRESSIVO pateo do Carmo n. 9
UNIO E COMMERCIO rna do Queimado n- 7.
VERDADEIRO PRINCIPAL roa do Imperador n. 40
BE
DUARTE CARVALHO PERIRA C.
COSO,
*e&
Ftem sciente ao^respeitavel publico, e com eapecisrlidade aos senhors de en-
fenhos, lavradores e mais pessoas do centro, que parir mate facilitar suas compras deli-
beraran! os proprietaros dos tres grandes armrzens, reunir todos os seus estabeleei-
mentos em um s annuncio, pelo qual o prego de uro ser de todos, promette-
mos que nao infringireaaos a tabella que abaixo vai publleado, aanuaciar os gneros
por um prego, e na oeeasfo da compra quererem por outro, como socede constante-1 '
mate em outras muits casas, porm nos nossos estabeleeimentos nao se dar isio '
aiuda mesmo com prejuizo nosso, qualqaer pessoa poder mandar seus fmulos que
erao tambem servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedido em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela quai se ver os* precos tal qual aauunciarmos, o que senao arrepender pessoa
alguma que fizer sua despenda em nossos estabeleeimentos; pois poupari mais de
5 por cenlo na sua despeza diaria.
ceNsuLTomo mmmiii
DO
DR. PEDRO DE ATTrffiYDE LOBO
MEDICO, PAllTEIRO I
3Ra da Gloria, casa do Fundao
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos og dia* das 7 as f i
lloras da manhSo, edas 6 e meia s S horas da aoite, i excepelo do$. ia wmtificadoV
Pharmacia especial homeopathea
No mesmo consultorio ha aempre o mais appropriado sortimeato de carteiras
tubos anillos, assim como tinturas de varias djrranamisaces e pelos precos serninjT-
Carteiras de 12 tubos granifa; 12,0000 ^"hw.
vr.Mm* t* de 24 tubos grande. 160000
de 36 tubos grandes. 24<5000
de 48 tudos grandes. 38,5000
, de 60 tubos grandes.- 35,5000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se flzer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco da tinturada meia onca 15000.
Sendo para cima de 12 custarao os precos estabelecidos para as carteiras.
Ha tobos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
Gros de aples preto a 1500,10600, U, U, 30500'e U o covado.
Gorguro preto de superior qualidade a 20500, 2#800, 3 e 40 o co-
Superiores moreantiques a 20500, 2,5600, 35, 3*500, 45 e 500fr
covado.
Rons cortes de moreantique.
dem de gorguro adamascados.
Rons pannos e casemiras. .
Sup riores alpacas, princetas, merinos e bombazinas.
Rons villudos pretos. ,
Grande variedade de cbales de fil preto e de guipure a 30, 6(5, Wr
1*0$ 12,5 de 163 a 205, e de 255 a 805 cada um,
' Superiores retondas de fil preto e de guipare-a 85, 105v 125 e 250r
e de 305 a 603 cada urna.
Superiores algerienes de fil preto e de guipure de 123 a 25*, e do
303 a 603 cada urna.
Rons chailes de seda preta.
Ditos de Merino preto bordados e outras muitas fazendas- pretas que-
seria enfadonhe enumerar, na
EiOJA DAS COIiUMMAS
CORREU DE VASCONGELLOS A C,
!j
DE ANTONIO
RIJA BO CRESPO W.J^S
PHOSPHATO DE FERRO DE LERAS
RR. M SCIEJCIAS
INSPECTOR DA ACADEMIA. DE PARIS.
Nao existe medicamento ferruginoso tonotavel como o phosobato de ferro de
assummidade? medicas do mundo inteiro adotaram-no comsoiicilude sem igual
nnaes da scien. As cores paludas, dores de estomago d.gestoes penosas, ane-
mvde^encas difficeis, idade critica das senhoras, irregulandade na menstruacao,
-,i dosanaue. lvmohat;sm sao cralos rpidamente ou mancados por este ex-
le conwosto. o conservador por excelencia da sau le e declarado superior nos
laes e pelas academias a todos" os ferruginosos conhecidos, ao idoreto e ao citralo
i. | ro, porque o unf:o que convem aos estmagos delicados, que nao provoca consli-
par" i nico tambem que nao enegrece a bocea e os dentes.
Em Paris na ra da Feuillade n. 7.
venda em casa de Mam-er, e A, Caors.
L
n

ir
-'
*m*&
mmmu sem igu\l


Ricos cortes de gorguro de seda pretos adamascados para vestido cora 13 metros
nU 18 a 20 covados cada corte, largura de chita frsnceza. pelo baratissimo preco de 505
cada corte : na loja das columnas da ra do Crespo o. 13 de Antonio Correa de Vascon-
celos & C. *
VERDADEIRA AC1UA HIItfEKAIi
FiSTILHAS DOS SAES NATURAES DE VOY.
VENDE-SE
Na botica e drogara de Bartholomeu & C. Ra larga do Rosario n. 34.
Acabam de receber G. Paes do Amaral & 0.
5 RA DO CRESPO 5
Aotlga casa de Cinllherme da sllra alnarSefl
Ricos cortes de vestidos de gros-de-naples preto, com lindas barras bordadas.
Moire-antique preto em cortes e em pecas, liso, ondeado e com palmas.
Gros-de-naples preto, de diversos precos e larguras.
Gorgor5j preto, fazenda superior a todas pela qualidade, e boDito tocado.
Este estabelecimento
* Vi-sc sonido com numerosa quandade de filos pretos, de algodSo, de linho e dfc*e-
da. manufactura'los em
ckles
retondas
algerienes fbournus)
anamites
africaines
.pompadour
DE FANTHASIA
Receberam tambem bonitos cortes de popeline de listrs de cores, e matisadas,
j i.o modernas, degostos inteiramentenovos; e outras muitas fazendas degosto,
dr pelo ultimo vapor
G. P. DO %UI VRAE, Je C.
5 RA DO CRESPO 5 -
MilTEIGA
Manteiga ingiera perfeitamente 6r che-
gada ltimamente a 1,12o rs. a libra, e
em barril ter abatimento.
Manteiga frauceza da safra nova a 800 rs.
a libra e em barril tera abatimero.
BANHA
Banha refinada superior a 64o rs. e em
barril ter abatimento.
CHA
Cha uxim de primeira e superior qualida-
de a 2,8oo rs.
dem byssen o melhor neste genero a
2,6oo rs., "e sendo em por?3o terr abatimea-
to, tambem ha proprio para Degocio de 2 a
2,4oo r. a libra.
dem preto superior de l,8oo a 2,5oo rsw
a libra.
BlsemrtM
Lata com superior biscouto inglez de di-
versas marcas a i,2oo rs. a lata.
Bolaeblnhas
Latas- com bolachinbas da acreditada fa-
brica do< beato Antonio, proprias para dar a
doente de 2,000 a 3,ooo rs. a lata.
dem com quatro libras de bolacinha de
soda a 2,000 rs. a lata.
Queijos
Queijos flaraengos ebegados pelo ultimo
vapor dfe 2,3oo a 2,500 rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanbol a l.ooo e l^oo rs.
a libra, francez e suisso a l.ooo rs. a libra
e portugaez a 800 rs* a libra, em porcSo
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velbo Secco, Lagrimas do
Uouro, Mara Pia, D. Loiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a l,ooo agarra-
fa e 9,ooo a 12 000 rs. a duzia.
Vinbo Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,ooo e 4,000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,Joo rs. a caada:
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anceretas de 8 o 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
cor eta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a640rs. a garrafa, tambem ha maisbai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oo rs. a garrafa.
CAF
Caf do Rio de 1.* e 2,* qualidade de
6,800 a 8,2do rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
* SABIO
SabSo maca de primeira qualidade de 24o
rs. a libra.
Serveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
|.Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a duzia e a 7oors.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria e Alcope a 5,000 rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
BOtES VASTOS.
BoiSes vasios,' louca ingleza muito pro-
pria para manteiga e deposito de doce de 4
a 12 libras a l,2oo e 2,5oo.
FABTNHA DO MARANHO.
Flrinha do Maranto a 240 rs. a libra.
SAG'.
Sag muito novo a 4qo rs. a libra.
ARARUTA.
Araruta verdadeira a 4oo rs. a libra.
Vinagre
Superior visafre de Lisboa a 2wo r. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ba
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oo rs.
a caada.
Aztte doce
Superior azeite doce de Lisboa a 700 rs. a
garrafa e a 5,5oo rs. a caada.
FUMO CAPORAL.
Lata com superior fumo caporal a l,8oo
rs. a lata.
Paas
Superiores passas a 2,5oo o rjoarto e
9,5oo rs.i a caixa de arroba hespaobola e a
56o rs. a libra.
CiEVEBKA
Genebra de laranja verdadeira a lo,5oo a
duzia e l,eoo rs. ao frasco.
Genebra de Hollanda verdadeira a 6*000
rs. a fiasqceira e a 56o rs. o frasco.
Idom de Nollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da ums.
GarrafSes- eom 24 garrafa* de genebra de
Bollanda a 8,000 rs. o garrafao. Tambem
ha garrafoejcom 5 e 14 garrafas de 3,2oo a
&,ooors. cacto: om.
VELAS
Velas de spermacete a 64o rs. a libra.
dem de carnauba de lo a 12,000 rs- a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
al 1
-VI
A melbor obra da homeopataia, o Manual de Mediana Homeopathico do Dr. Jare
dona grandeavolumes qpm diccionario........... 200b
Medicina domaetiea 4o Dr. Hermg...........' 10)5000
Repwlori do Dr. Mello Moraes ...,.'...... ^000
Diccionario de termos de medicina........... Z&QQO
O remedios deste estabelecimente *5o por demais conhecidos e" dspesam por
tanto de aerem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedioa
ferdadeirw, enrgico e doradores: ha todo do mehor que se pode desejar, globos de
wdadeiro assucar de leite, notaveis pela soa boa conservaejo,. tintura dos mais acredi-
tados estabeleeimentos europeos, a mais exacta e acurada preparacao, e portanto a maior
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para eseravos.
Recebe-se eseravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lbe gualiraer
operacao, para o que o annunciante julga-se suficientemente habilitado.
O iratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica
funcejonaado a casa ba mais de cjuatro anuos, ha muias pessoa de eujo conceito se nao
pode duvidar, qae podem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seua
doentes.
Paga-ae 25 por da dorante 60 das e d'ahi em diante 13500.
As operaces ser o previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que eostuma pedir o annnnciante.
AIUIAZEH E FAKEMDA^
v DE
CUSTODIO VR.TATilIO
27 RA DO QUEIMADO N. 27
Madapolao francez muito no, tendo pouco mofo, cada peca com 27 varas sor
10*000. ;
L3a de cores a 300 rs. o corado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a' preeo de 800 rs a vara.
Lencos braceos para algibeira a 20000 a duzi.
Fins perelaras a preco de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de la de barra de 105 a 303000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
- '
.


PEIXE
Peixe em latas- j preparado de l.oooa
l,2oo rs. lata
ALPISTA E PAINGO
Alpista e painco muito novo de 3,8o a
4,000 rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS.
Superiores-charutos do fabricantes Simas,
Imperiaes, Delicias, Parisienses e outros de
2.2,5oo e 3,000 rs. a meia caixa tambem
temos Suspiros> Havaneiros, Ligueiros e
outros muitos que vendemos por mdico
preco.
Iilcorea
Licores francezes e portuguezes a 4,ooo e
l,4oo rs. a garrafa ou frasco.
Doces
Doce da casca da goiaba emcaixes e la-
tas a l,2ooocaxao e ,8oors. a lata.
Frats
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
perche e outras frutas a 00 rs. a lata. 1
Tambem ba latas grandes para 1,2 o o rs. a
lata.
AZEITE DE REFINADO
Superior azeite francez refinado a 8,000
rs. a garra'a e a 9,ooo rs. a duzia.
MOLHO INGIEZ SAUCE
Molho inglez Sauce em frascos grandes
cora rolba de vidro a l,8oo rs. o frasco em
duzia ter abalimen.to.
BATATAS.
tf Ggos com 3o libras de batatas a l.ooo rs.
ogigo.
SARDtNHAS.
Latas com sardinhas de Nantes e Lisboa
de 4oo a 46o rs. a lata.
FUMO'AMERICAftOVv0
Superior fumo em chapa a 1,400 rs. a
libra.
ERVILHAS
Latas com ervilhas e feijSo verde j pre-
parado 64o rs. a lata.
MASSA DE TOMATE
Latas com 1 libra de massa de tomate a
64o a lata.
VERMUTH
Esta bebida muito fresca e estomacal e
muito propria para a presente estacjSb. a
qual vendemos af.ooo rs. a garrafa e 183
a duzia.
Novidades do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
se achar bem sortido como todos sabm,
hoje mais que nunca, n5o s pelo que rece-
be de sua propria conta, mas tambem pelo
que recebe de consignares; parece sem
duvida que deve offerecer grandes vanta-
gens para o respeitavel publico tanto em
precos como na escolha dos objectos, e co-
mo acaba de chegar grande remessa pelo
vapor tDouro e o navio Solferino de
diversos objectos de gosto e proprios do
tempo dos quaes se mencionarao algans.
MACHIKIS DE PATENTE
DE TRABALHAR A MO PARA DESCA-
RGAR ALGODO
FABRICADO POR
PLANT BRQTHEBS & C.
OLDAM.
Estas machi-
nas podem des-
carocar qual-
quer especie d
algodo sem
estragar o fio,
sendo bastante
dnas pessoas
para o traba-
Iho; pdedes-
earocar urna
arroba de al-
god5o em ca-
roco em 40
minutos, -oa
18 arrobas por dia ou cinco arrobas de al
godo limpo.
Assim como machinas para serem movi-
das por animaes, que descarecam 18 arro-
bas de algodSo limpo por dia j e motores
para mover urna, duas ou tres dessas ma-
chinas.
Os mesmos tem para vender um bellissi-
mo vapor que pode fazer mover seis destas
por n3o ser possivel mencionar todos. !macmDas mencionadas; para o que convi-
espera a pro-
Pimenta, cominho, cravo, canella. ervadoce, alfazeraa, tijollo para limpar facas pa-
litos para dentes, palitos do fogo, e outros muitos gneros que se tornara enfadonho
menoioBir, aascando cinceridade nos precos e o bora acondicionamento de qualquer
genero. J.*-**"****^'r*
~
vm-

Vndese.
tr.a casa na villa da Escada no pateo da feira,
eon.-truida com lijello, e proprw pan /joaiquer-
labUiMMraeo : a traur na alma tilia om An-
tonio Torquato.
o imif V \ : qem M
Dirwta r.asa terrea 0. lf-^
tratar.
^^EvauToa
dirjanse a raa
aWriw cma qaem
---- !
Clf airros antlasthai atle* de Jy
A.violencia e a repetlcao dos aceeaaw desta mo.
lestia s3 oso eMsiaato teste remedio: bettea o Froto, roa
do Rosarlo Larga o. 10.
Potassa
Vepd-se. potassa m^a, de boa qualidade : u
ra r)a Cruz n. 33,1 indar,escrlptorio de Antonio
de Almeida Gomes.
Cevadiaha de Franca
a 160 rs. a libra, e de 8 libras para ci
rs.: no armazem da Liga, rna Nova a.
a 120
l.antIJoUs.
A loja da Aurora, na ra larga-do RoaMo n. 38,
recebeu sortirnento de lantijolas mallo delicadas e
proprias pata qualquer enfeite, assim como tam-
bem receben lavas de Jouvin blancas e de corea
para hornera e sentara* asilo frescas, ebegadas
polo ultimo vapor, ludo telo na loja da Aurora,
ra larga do Rosario n. M.
Veade-se orna masseira de amarello em per-
feito efiado, e mais pertences para ama padarla,
na estrada nova, segunda taberna a direita, depols
do sobrado grande: a tratar na mesma, das 4
oras da urda em dianteop # ,
ende-se a taberna da rna da Gola a. 31 pro-
ira principiante, e o motivo se dir ao com-
-------------i '"' i**1
botil
*~L.
ijas vasias lava
s: na roa da Sdledaie ti: 38._________
- Vendem.,e oOMMWa ladrjlbo. ^n
da mu : i tratar nal
'm.
das
m.
No armazem d raa do Imperidor n. 3
Caes do-Pedro 11 a. i, toa parr.ailar-w
bor gu eiistente no meraida.
on no
o me-
< Bencallas d<
Na na U Qaeimado n. 40
Cortes de laatinha de cor, bonitos gostos, coa
13 covados a 3*600.
Cassas organdya de cores, eovade a 210, pecas
de algodaozlnho largo eom 17 vaM a i.
Ditas de dito com 17 Taras, muito encorpado,
com pequeo defelto, a 4J500.
Grosdenaple preto muito superior, covado Sfl.
Dito dito a i#600. .t^aua-** ^o^simas fiias lavradas e lizas.
Retondas de renda preto a 10*.
Cbales de renda preto a 8*.
.....i 1.1 mr-
Uf......1 1 _.....pij
Grande ifcaiecba de madapolao com
Tapia.
Paredes Porto vende orna
dapolo avartado, fazenda
6*500 e 7* com pequeo toque
ratriz n. 51, apmazem da porto
darla franceza.
e porcSo de ma-
e 12* a peca, a
: ntroadalaao-
larga Junto a pa-
dono deste estabelecimento
tecc^o de todos.
Riquissimas caixinhas ornadas e com
msica propria para um delicado mimo.
Caixinhas de msica tanto de veio como
de corda.
Ricos porta joias e necessarios.
Riquissimos estojos a feitio de um bausi-
nho ou cbapeuzinho.
'= Ditos em casca de noz e de outros gostos.
Loques de madeperola de sndalo e de
faia e madeira.
Ghaposinhos e touquinhas de muito
gosto para mancas.
Meias e sapatinhos de seda para ai mes-
mas.
Meiasde seda para senhoras.
Capellas e grinaldas de flores proprias
para casamento.
Enfeites e capellas de muito gosto para
seuhora.
Riquissimos porta boquets.
Boquet de flores com urna borraohinha
com ebeiro.
Luvas verdadeiras de Jovin.
Ditas de seda e de Escocia.
Riquissimas plumas e guarnieres para
enfeitar chapos.
Contas e tubos de ac branco, que4ta
muito se desejava mar enfeites.
Brincos, fivellas e cruzes de crystaL ,_
Fivellas e cruzes de tartaruga, madripe-
rola e dourados.
Alfinetes para gravatas. I m
Botoes com croas para punhos.
Gravatinhas e mantinhas de muito gosto,
tanto para, bomem como para senhora
'iaios adaracos pretos, assim como
jMMftettitretos.
^engallas de canna com cabo de marflm.
Ditas de baleia, borracha e de outras
omitas qualidades, assim como chicotinhos.
Riquissimos peales de tartaruga do ulti-
mo gosto; assim como de arregaco para
menina, pois neste artigo ha um completo
sortirnento de todas as qualidades*.
Diademas parafaTieca do ultimo gosto.
da-se aos seohores agricultores a virem ver
e examina-lo, no a-mazem de algodlo, no
largo da ponte nova n. 47.
alindera Brothers A C.
Recife praca do Corpo Santo n. H.
Os nicos agentes neste paiz.
O castello de Grasville.
Tradnzide da fraicea per 1. J. C. da Crox.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo prego de 3#00G
ua praga da Independencia, livraria ns.
6 e8.'
meisco Jos wennano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
tirnento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo emais apurado gosto da Europa e ocu-
los de alcaace para observaces e para 01
marit irnos. _____________________
Vendem-9e
machinas americanas de serrote para deacarocar
algodac: na roa da Sela werva n. 41
Roopas feitas de todas a* quahdades
calcas de cores a
Bono a 3*500
Vende-se roupa feta, sendo
pardo a 3*, ditas de brira branco de
e 4*, ealcas de casemira preto a 5*, I* e *, di-
tas de cores, meto casemira, a a* e 3*800, ditas
de casemira a 63, 7* e 8*, paletots de nitm de
cores a 2*, 3*500 e 3*. ditos de btjo tttooco a
a 4*500, ditos de alpaca preta r3* r^* *os de
casemira de cores a o*, 6, 7, 8 e 10*, daos de
panno preto a 6*, 7, 8 10*, galletes de corea a
1*600, de casemira a 3* e 4#, teroula franoea a
1*600 e 2*200, camisas francesas Unas brancas e
peitos de cores a 2* e 2*500, dkas inglezas de li-
nho de pregas largas a 2*500, 3* e 3*500 : na
roa da Imperatrit, leja da Araran. 56.
Vapre^
"Vende-se em casa de Saonded| Brothers & C,
no largo do Corpo Santo n. 11, vapores patentes
com todos os pertences proprios para fazer mover
lies un
FABRICA

Trancas preta* com-vidrilbo e de-edres.
Pobeiras tanto par senhwa coa ara
meninas.
Ligas de seda e de ajppdao.
Su^aaoJorios d\seda e de algodo e mui-,
tos tuna abjMtof que se n3o podem an-
nunciar por n3o se tornar enfadonho. -----------------------------
S no Galle Vigilante na do Crespo n. 7. aa na Nm a 35, a na>aaa
Vende se a grande fal
dfrao da mUPi M.
anaanBoaa^i'aii
^^^^^
:..
1 vma. i



E-3
I
iS
-.- '.'.....
-'-
.
wj
Diarlo c
*> r*a*ia clra O de Malo de 18*6.
Diademas dourdos,
enfeiladts con aljofares, pedros,
ele, ptra mmms Miitris. -
A agola-branca vendo benitos e moteos dia-
demas de arados, eifeitados com aljofaras e pedras
proprias para meninas e senhoras.
nonti** chapeozlnhos
de palha Ina atentaes pira aenias.
Sao obras eslas de qoe os bons pas de familia
se nao podem eseatar de comprar, por fazerem el-
las parte do asseio e bom goslo com que trajam
snas bellas filbinhas. A agoiabrnca tem o pra-
ter de ver que to bellas e precisas obras foram
devidamente apreciadas e compradas em sea nl-
nbo. Os cbapeoiinbos, alm de serem d ama pa-
lha mni Una, sao de mu beolla forma e ultimo
gosto, ecfeilados com toda a perfelcao : os aven-
taes, porm, sio de fina cambraia, guarnecidos de
qabadinbos bordados; o que Ibes da moila grao*.
Os preces desles, 5*000, e daquelles, 10*; e de
quanto sio elles baratos conhecera o pretndeme,
qoe se dirigir a" luja d'aguia-branca, na na do
Qaeimado n. 8.
i l imitan** ac, para enfeites de vestidos.
A agoiabrnca na roa do Queimado p. 8 rece-
beu um bello sortlmento dos objectos cima pro-
prios para enfeites de vestidos, etc., etc., e est
v endeudo com moda mente.
Novidades.
TMftrle* para botos.
Na rialdoQtMMMdo toja de mtodezas n. 16, ven-
de-se aspas de ac feriea, de differentes larguras
parabalas.
Boaitos quidros para retratos.
Vendem-se na roa do Qaeimado loja de miade-
ih i. 18, bonitos qoaflros eom mordara preta e
donrada, todos por prreos irasoaveis.
Garrafas brancas
e de cores com superior agua da eolonia.
Vendem-se na roa do Queimado, loja de miude-
tas n. 16.
Not jjosto
Pentes, Q'ellas, e brincos de fellurana.
A anliga e bem conhecida loja n. 16 na roa do
Queimado, recebeu un: sortimento de diversos ob-
jectos de novo e bem costo, sendo pentes braceos e
domados de moldes entecamente novos e mal a-
gradaveis, tundo entre elles algans de fllignua obra
de multo gosto e dficit exucucao, e bem assim u-
veltas e brincos nat mesmis circumstaacias.
Tambem receben algn cintos o que de mais
moderno e bonito, se pode encontrar em tal genero.
Alm disso encontrar: o oh pretndanles um com- i
pleio sortimento de flvellas de madreperola, chris-
tal, tartaruga, e domados, brincos de ehristal, e
jaspe, voltas e crozes tos de gosto, os quaes oontinoa-se a vender commo-
damente. -1
Ponentes de. madnperola, e enfeites fllete i
A loja de miodezas na ra do Queimado n. 16,!
receben bonitos pentef com cbapa de madreperola,
1
Na Agula tranca rua do Queimado n. 8 rece- no*M afeites filis ornados de lantejoilas doa
bea diversos objectos de -mulo goslo e intelramen
te novos, sendo
Bonitos e delicados pentes dourdos e prateados,
tendo entre elles algans de filigrana obra mni per-
feita e de elevado gosto.
Ditos com chapa de madreperola.
Brincos de filigrana e outras qualidades.
Flvellas de dita a oatras tambem de diversas
qualidades.
Cintos mui bonitos, eafeitados em toda a exten-
ao com caracteres doarados e prateado?.
Filete eafeitados coa raoedinhas dour aes, e lan
tejoilas, aljofares & &, sendo para coque,, e toda a
cabeca, e oatros com plomas &-
Bonitas voltas de jaspe com crazes, tendo tam
tem alguoMS de duas cores.
Lavas e meias
de laa vegetal, para quem soffre de frialdad?, pa-
ralesya ele. Veodem-se na rua do Qaeimado loja
d'Aguia branca n. 8.
Bandoline de roza
para segorar oo conservar perfeitamente atade os
cabellos das senboras. Vende-se na roa do Quei-
mado loja d'Agnia branca, 1*008 o frasco.
Enfeites pretos para vestidos
A Agaia branca recebeu novos enfeites .pretos
para vestidos, sendo bicos com vidrilhos e sem
elles, trancas com pendentes de vidrilbos e sem
elles, cordo groeso tambem coa vidrilhos e sem
elles; assim como galoes e franjas de diversas lar-
guras, fitas de velludo etc. como sempre os bons
freguezes encontraro commodldade de presos nos
objectos que se vendem na loja d'Aguia branca roa
do Qaeimado n. 8.
Botoes de vidro
com enfeites d'aco no centro.
Esses botoes que tanto serven] para melhor se
poder enfeltar ara bom vestido preto oa de cor,
acbo se a venda na rua do Qaeimado loja d'Aguia
branca n. &
Acaba de cbgar aloja da agu* fornea
a roa do Qaeimado n. 48.
Cbromaco-me para Ungir -cabellos.
Hoild walter para dito.
Tintura de L. Marques para dito.
A$uia branca
a rua do Quimado n. 8
acaba de receben
Lantijonlas d ago para enfeites.
Pennas brance! e de corea, para gor|os e chapeos.
Enfeites filis, mal bonitos e modernos.
Sapatinbos de setim parg baptisados.
Meias de seda para o mesmo.
Bonitos chapeosinbos de setim para dito.
Rosas camelias e outras qualidades.
radas, moedlnhas, aljofares, vidrilhos e'tc, tendo
grandes para toda cabeca e pequeos para coqoe,
regulando os preoos d 2* a 4*000 rs.
Bonits c; ixinbas
com arranjos doarados para costura, tendo com
msicas e sem ellas. Vendem-se na rua do Qaei-
mado loja de artudezas n. 16.
Trancas pretas
com vidrilhos, e bieos com ditos e sem elles para
en fe i tes ou vestidos.
Na roa d< Queimado n. 16 loja de mlodezas a-
haro os pretendentes um bello sortlmento dos
objectos acnna ditos, lascarrimas, franjas etc. etc
e tndo est sendo vendido por prec-os commodos.
Botes pretos
de vidro enleitados d'aco.
A loja de miodezas a. 16 a roe do- Queimado
vende roui tionitos bol jes pretos de vidro com en-
feiles de ac, os quaes moit se uzam para enfeltar
vestidos, quem os pretender pode dirtgfr-se a dita
loja n. 16 roa do Quemado.
Veadeni-se mi loja de mlutlrzas
ana aaQaeiaadoa. i6.
Bonitos leques de sndalo e outras qualidades.
Bonitos ciatos com flvellas de diversas qualida-
des e moldes.
Brincos e cruzes de crystal.
Abotoaduras de dito para coletos.
Bonitos port-relogies.
Delicadas caitas com msica e sem -ella, pan
costura.
Agulnas e linhasnara chrochel.
Retroz superior em carriteis.
Rendas pretas e ticos com vidrilhos.
Fitas de velludo com listras de cores pan ea*
feites de gorros a -vestidos.
Ditas de grosdeaapoles, Usas e tavradas, brancas
matisadas.
Para Ungir cabeUas.
iloiid WaMer.
Vende-se na -roa do Queimado, loja miudezas
tn. 16.
hroni;tci-me
-Para tingir cabellos.
Vende se na loja de mindezas,-a rua do Quei-
mado n. 16.
Tintara de L. Marques
Qara fazer os cabellos pretos.
Vende-se na rua do Queimado, a loja de miu-
dezas n. 16.
Missangas aradas, abofares imitando
acn vidillias tcores
para enfeites de vestidos ; vende se tndo isso por
pregos razoaveis aa rua do Queimado n.l oja 16,
Novos brincos, flvellas, pentes e pulsaras de fili-
grana.
Filas de seda de cores para debroatar vestido.
Dita de sarja com differenies cores e largaras.
Dita de gorgoco, desenhos novos e bonitos para
cintos.
Carteiras com agolbas.
de miodezas.
Tasso Irmtos
Vendem no sen armazem rua do
JriOfiam. 35,
Licor tino Caracho em botijas e meias botijas.
Licores finos ortidos em garraas com ralbas d*
Caf imperial
O superior caf do Rio de Janeiro, ven-
de-se a 12J a arroba ; na roa do Vigario
: -a. 24, escriptorio.
y
Os chales do l'aro a U l e 85.
Vendem-se ricos chales pretos de renda muito
grandes com quatro pontas, sendo os mais moder-
nos por terem chegado pelo ultimo vapor francez,
e vendem-e pelo baratissioio preco de J, 7Ji e
8 : na loja do Pavao., rua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
vidro e em lindos frascos
VinnosChores.
Santeroes.
Cbamberiin.
Hermiiage.
Borgonbe.
Champagne.
Muscaiel.
Reino.
Bordeau*.
Cognac.
Od Toa.
PAezeHagniol.

Laa de barriguda, o que de melbor ha para
encher Iravesseiros : vende-se na rua da Madre
' de Deas, no armazemjjunto a' igreja.
E' kratissijttio!
Neste imprtante eslabelecimento encontra ores-
Seiuvel publico um variado sortimento de fazen-
as fraocezas, inglezas e suissas, e as quaes se ven-
derlo por prego commedo a saber:
Chales de renda preta. a 5*800.
Vende-se nm sortlmento de chales ele renda pre-
ta a 8,5508 e 65, ditos de seda a. 11*, 14* e 16;
isto na roa da Imperatriz n. 72 d Guiraares & Tr-
mao.
Rotondas pretas a 8.
Vende-se retondas pretas pelo barato preco de
84, 8*500 e 9; na rua'da Imperatri;: n. 72, loja
de Gaimaraes & irirao.
Grande pexincba a 2.-i o corle.
Vende-se cortes de casemira da Cbioa a 2*000,
ittm, 2*800 e 3*, ditas de brim a 1,|280,1*400,
1*600, 1*800 e 2*.
E' muito barato, tarlatana de cores a 240
rs. o covado.
Vende-se um grande sortimento de tarlatana de
cores muito proprias para vestido, fnzenda mais
moderna que tem vindo ao mercado i, 240 o aova-
do e 280, ditas mais finas a 300 e 320, laasinhas
escocezas muito modernas a 360 e 400 rs. o cova-
do, ditas mnito finas 460 e 500.
Cobertores de algodSo a 800.
Vende-se cobestores de algodao a 800 rs. ditos
melhores a 1*600 e 1*800, coberU de chita a 29,
2*500 e 3.
Qaem duvidar venba ver.
Cambraia de eores a 240 rs. "o covado dra fina a
280 e 320 chitas figas a 280; 300, 320,-360 e 400
rs., ditas percalas a 400 e 500. I
Est se acabando chitas a i60 rs. o covado
Vende-se chitas a 160.180 e 200 rs. o covado,
riscadinhos francezes a 240 e 280 rs. o covado, rua
da Imperatriz n. 72, de Goimaraes & Irmao.
Lencos brancos a 25 e 2$>00 i, dmia.
Ditos finos a 3* e 3*500, ditos de linho a 5*000,
5*500, 69 e 7*.
Cambraia branca a 3->.
Vende-se nm grande sortimento de cambraia a
3*, 3*500, 4*, 4*500 e 5*.
Baloes a -2->.
Veode-se baloes de arcos a 2*, 2*300 e 3*, di-
tos americanos a 3*500 49 e 4*500, ditos de mar-
celma a 5*, 5*300 e 6*, ditos para meninas a 4*
e 4*500s isto na roa da Imperatriz a. 7, loja de
Guimares $ Iraiao.
a 3)5Oo corte.
a 30000 o corte.
a 3090 o corte.
Vende-se cortes de laa com 12 ovados a 3*. di-
tos finos a 3*500 e 4*, ditos a Sarta Pia a 7*500
8*. 8*500,0* e 12*, grvalas finas para tomem
a 640, 800 e 1*000, mantas motto finas a 1*200 e
19400; iste na roa da Imperatriz n. 7S, loja de
Guimarees A Irmao.
Roupa feita.
Roupa feita,
Neste importante estabelecimento enoentrarao os
freguezes um completo sortimento de roupa feita
assim como palitot, caigas, camisas finas a 1*600,
1*800,-3* e 2*500. ditas de linho a 3*, 3*500,4*
e 4*509, cortes de brim, ditos de casemira de co-
res 8 pretas, seroulas de algodao a 1*000 e 1*800,
ditos de linbo a 2*. 2*500 e 3*.
lito na rua da Imperatriz n. 7-2, loja de
Guimares e lrmaos.
Criares Ryer ou colares aiao-
dlaos
para facilitar a denticao das criareis e preserva-
tas das eouvalsoes.
O feliz resultado obtido immensas vezes pela
prodigiosa forra magntica dos colares Royer, nos
cases de con vteoes, e dentico das criancas, (em
altamente elevado o sea tem merecido prestigio,
ehoje j se pode dizer que esto geralmentaoon-
ceHuados, e estimados de innmera veis pais de
familias : deons porque do uso desses salutares
colares virara alvos do perigo seoe charos filbi-
i/mos, a de outros porque colheram daqaellea to
I proficuo exempk) para igualmente preservar os
' seas. Assim, pols, a apuia branca, tendo em vig-
tas* ulllidade proveiu desses prodigiosos cola-
resasbdinos ou Royer, mandn vir o aovo ser ti-
' saento. qae agora recebeu, e continuar a reeete-
: ios para qne em tempo aigum a falta dellfs possa
ser faoesta ao pas de familia, os quaes ficaro
; certos de os acbarconstantemeote na roa do Qaei-
mado, loja d'agcia branca n. 8.______
Vende se o engehho Moliaote -da freguetia
do Cabo, a margem do rio Pira pama, quem quiser
i dirija-se ao meento engenbo qoe achaca com quem
tratar._______________________________
Vendem-se -malas e foaiius usados moito eos
cenia : na roa eetreita do-Rosario n.-4, loja de
trastee.
Vende-se e faz-se todo Begocio com o depo-
; sito da rua do Vigario n. 29, muito proprio pera
um principiante que queira principiar aa vida
com poueo diabeirc ; ao comprador se dic o mo-
i ti ve da venda.
-
de artificio
Ha grande porcSo de fogos de artificio na couhe-
clda fabrica da viava Rufino, o qaal vendido por
commodo prego, e como seja penoso ir l pela dis-
tancia, as pessoas que qnizerem fazer suas encom-
mendas para S. Joao e S. Pedro, as podem deixar
no armazem da bola amarella, no oitSo da secre-
tarla da polica, onde havera' nm portador para
ir bascar e levar ao logar convenclooado.
ETIDO.
Grande loja
vrrjaazem da Araft rna da lm
pttiirU M. 56.
VE
Laoreoco P. Menees Guimares.
O proprietarlo deste estwlecimeato recebeu pe-
lo ultimo vapor de Eare^a diversas qualidades de
fazendas para vestidos de senhora.
Sedas de cores a ltfiJOO o covado.
Vende-se sedas de cores para vestidos de senho-
ra a 1*500 o covado. laasinhas de lindos gostos a
240, 320 e 400 rs. o covado. Rua da Imperatriz lo-
ja e armazem do Aran n. 56.
Melodiques de 12a,para vestidos a 4C0
I o covado,
Vende-se nina nova fazenda por nome melodi-
ques toda de laa para vestidos a 400 rs. oovado,
chitas linas a 320 e 400 rs. o covado. Rna da Im-
peratriz loja do Arara D. 56.
, Arara vende susim para vestido a 240.
Vende se nova fczenda susim para vestidos de
senhora e roapa de meninos a 240 rs. o covado,
ditas a 160, 200 e 240 rs. o. covado. Roa da Im-
peratriz loja do Arara n. 56.
Tarlatana de laa para vestido a 240.
Vende-se tarlatana de laa para vestidos de se-
nhora a 240 rs. o covado, fil de linho a 160 o co-
vado, corts de chita a 2*000. S no Arara, rua
da Imperatriz n. 56.
L3a a traviata a 320 rs. o covado.
Vende-se nova lia a traviata para vestidos de
senhora a 320 rs. o covado, s no Arara todas es-
tas fazendas novas vindas pelo ultimo vapor da
Earopa. S na loja e armazem da Arara, rua da
Imperalriz n. 56. Algodo avariado a peca de 20 jSrdas por 3*000
Arara vende cobertores a !#500. proprio para forres de obras daqaelles seobores
Vende-se cobertores de pellos a 1*500, ditos sem por ser fazenda larga e encorpada : na loja da
pelo 1*000, roberas de lista 2*000, cobertas de rua da Madre de Deas n. 16.
damasco 4*000, cobertas de fasllo a 5J000. Rua
da Imperatriz o. 56.
Chegaram a loja do Angosto Porto & C. os ricos
sebrMudos de dna:, vistas : na rna do Qaeimrdo
numero 11.
Gaz liquido
a 44018. a garnf e latas com 27 garrafas a 10*;
no armazem da estrella, largo do Panizo n. 14.
Farinha de mil lio
Na rua Oireita ns. 84 e 86 ha sempre excellente
farinha de milho de todas as grossuras,
vapor, e que se vende a preco razoavel.
molda a
los Srs. Tamanpeiros e
Alfaiates.
iffl
Laasinhas do Arara a 200 rs. o covado.
Vende-se laasinhas para vestido a 200,240,320,
400 e 500 rs. o covado, colarinhos para bomem a
5.(0 rs. a dozia. Roa da Imperatriz loja do Arara
o. 56.
Arara vende as cassas a 240 rs. o covado,
Vende-se cassas francesas finas a 240, 280, 320
e 400 rs. o covado. pessas de cambraia de forro a
2*000, ditas finas a 3*000, 4*0005*000 e 6*000.
Rua da Imperatriz loja do Arara n. 56.
Chitas a 460 e 200 rs. o covado.
Vende-se chitas escuras e claras a 160, 200 e
240 o covado, ditas francezas finas a 280,930,400
e 506 rs. o covado, percales malisads escoras a
500 rs. o covado, 9 se vende assim barato o Ara-
n. S na loja e armazem do Arara, rua da Im-
peratriz n. 56.
Novidade no Arara.
Algodao-a 30*
Vende se peca de algodo encorpedo a 39,4,
c 6* a dita e 8* e 7*. Roa da Imperatriz loja do
Arara n. 56.
Arara vende madapolao enfestado a 35500.
Vende-se pecas de madapolao enfestado a 3$800,
4* e 4*500 ditas de 24 jardas a 4*, 5*, 6*, 8* e
10*, rua da Imperatriz !oia do Aran n. 56.
No armazem de tazendas
baratas de Santos CoeHxo
Rua do Qaeimado n. I.
Vende-se o segurte :
Lencoes de tramante de um panno pelo ba-
rato preoo de 3*200.
Ditos de panno de linho a2*200 e 2*600.
- Cobertas de chita da India a 2*400 e 2*800.
Lencos de cambraia brancos proprlos para algi-j
beira a-29000 e 2*200 a duwa.
Ditos de cambraia de linho-fino a 4*560 e 5* a
duzia.
Atoabado de algodao brance a 2* a vara.
Bramante de lioho fino com 10 palmos de Jargu-
a 2*503 a vara.
Piano de linho 3oo com O 1)2 palmes de larga-
ra pelo barato preco de 2*400 a vara.
Bramante de licbo fino de urna largura, pelo ba-
ntissimo preco de 800 a vara.
Toalhas de lioho acoleboaas para maos, a 13*
a dozia.
Ditas felpadas a 13* e 19* a dezia.
Goardanapos de linho a 3*500 a duzia.
Plcela de todas as cores para coeiroa, a 880 rs.
o covado.
Tarlatana de ores a 800irs. a vara.
Balees de 35 arcos 3*500, de 40 a 4.
Cambraia He Hnliudno a 43300, 6*960 e *
vara.
.Cambraia para forro de vestido a 2*700 e 3* a'
Na rua da Imperatriz n. 28
Vendem-se cortes de cambraia brancos com 4.
5 e 6 tabados a 20* e 25* '
Fil de seda preto com flores a vara 1*.
Cambraias trancas de urna van de largara fi-
na a 1* e 800 rs.
Ricas lampadas e candielros a gaz por grosso
e a retalbo.
Fugio a 13 do mez passado o escravo Joa coa
25 annos mais oa menos, cabra claro, um poueo
balso, grosso do corpo, ps e mos um poueo gros-
Bos, nariz afinado, rosto comprido, com falta de
denles, cabellos carapiohos meios rossos, pooea
barba, as vezes costuraa andar calcado, regrittt
intitula-se de forro, foi visto no bairro de Santo
Antonio, rna da Concordia, e S. Jos ( de Gara-
nbans) qaem o pegar e levar a seu senhor Jos
Perelra de Miranda Cunaa rna da Imperatriz o. 18
segondo andar ser generosamente gratificado.
No dia 26 de abril prximo passafeo, fagio do
engenho Gravat em Agua-Preta, o escravo Modes-
to, com os signaes segaiotes: idade 30 anuos,
pardo claro, cabellos regalar, chelo do corpo, sem
barba contendo apenas algans cabellos, denles
limados, ps regalares e um unto largos; ;cv. u
ama troncha contendo roupa: roga-se poiunio as
autoridades policiaes e capiles de campo a captu-
ra do dito escravo, e leva-io no referido engenho a
sea senhor Igoacio Ferrtira de Mello Lessa, ou
nesta praca ao Sr. Manoel Antonio de Santiago
Lessa, morador na rua do Hondeeo, e cera escr.p-
torio na roa do Appollo, que ser gratificado.
Fugio do abano assignado, nodia 27 de anrit
prximo passado. e seu escravo fus, crioulo, idade
25 anuos, cor bem preta, altura regular, bom cor-
po, sem barba, bocea regular, com falta de denles
na frente, nariz chato, macas um tanto altas, beta
o joelho direito para dentro, ps e maos grande?,
lem algamas clcatrizes de chicote, e lan !,* de
bacal bao; o qual foi escravo do Sr. Mauoel Pedr
de Jess, proprietario do engenho Gaa Iba da fre-
guezia de Porto-Calvo: roga-se porianto as autori-
dades policiaes e aos capiles de campo a captura
do dito escravo, leva lo ao abaixo assignado oo
engenho Gravat em Agua-Preta, oa nesta praca
ao Sr. Manoel Antonio de Santiago Lessa, morador
na rua do Mondego, e com escriptorio na rua do
Apollo, qoe sera gratificado.
Manoel de Baaros Franco Millo.
Vende-se urna rica armacSo envidracada,
com- grande lastre de quatro ticos, e juntamente
nm completo sortimento de cafuogas, nonecos, ap-
parelbos de porcelana, mobilias e muitos objectos
de gosto que a vista avaliarao o bom goslo ; faz-se
negocio com tudo por motivos muito justos que se
dir aos pretendentes : a tratar oa rua do Rangel i
a. 49 das nove da manha as 4 da tarde.
-^ II I .1 I .1 ...... I I..... !!
Saboaetes
Hediciuacs de alcatro.
Remedio efficaz contra as doencas cutneas; as
impigenS; turbulhas, camichSes, postulase sarnas.
na pbarmacia do Pinto rua do Rosario larga n. 10.
Vendfe-se ama rotla nova
tar aa rna do Hospicio n. 28
de louro : a tra-
Vende-se urna mobilia de amarello em per.
feito estado : no pateo do Tercn n. 31, sobrado.
i, i i
S1*
Escr&TOS fgidos
No dia 7 demarco de 1864 fagio da cidade
da Fortaleza, capital do Ceara', Marcelh'no, escra-
vo do jale de direito da dita cidade o Dr. Joaqaim
Jorge dos Saatos, com os signaes seguintes : mu-
lato, escaro, cabellos carapiohos, oanz chato, com
marcas de bexigas pelo rosto, ditas de sarnas pelo
loutico e cosas, baixo, corpo regular, idade 15 pa-
ra 16 annos, natural da cidade da Victoria, em
-Sadto Antao, sem offlelo e muito ladino- Quem o
tronxer ao abaixo assignado, rua do Crespo n. 19, | referid
loja, sera' generosamente reeompeosado.
Jos dos Santos Neves.
Desappareceu no 1 de malo do crreme um
molequinbo por nome Germano, com os signaes
seguintes : cor fula, rosto redondo e carnudo, bo-
nitote, pode ter de idade 10 pan 11 annos, mnito
traqoioo, lem um calorobo atraa da orelha esquer-
daje por este sigoal qoalqaer pesso'a tnhece, le-
voo vestido caiga de algodo de listras escuna
camisa de riscado azul soja, chapeo- de palha ve-
! Iho, descoofla-se qae lenta seguro para O inda
i ou mesmo aqai na cidade : por tanto roga -se as
autoridades policiaes e capiues de campo qoe u
prendam e levem a roa estreila do Rosario a. 29,
botequfm d'aguia de ouro que recompensa genero-
samente. _____________
200"de gratificado,
Em 31 de catabro do anno passado, fugio a es-
crava Claodina, cabra alia e seca do corpo, vit
perlenceu ltimamente aos IIIm*. Srs. Jos Joaqaim
da Silva, Manoel Mauricio de Sena e D. Mariana
Ignacia de Castro e Silva que a venden a Jos Ma-
theos Ferrein qne pagar 200*000 a qaem loe
entregar dita escrava oa roa da Cadeia n. 62.
Ao amanhecer de boje fogiram deste engeoae
Parces da comarca de Nazareth, 3 escravos se'nde
um de nome Joao, alio, barbado, quebrado de urna
verilba, com idade de 3i annos poueo mais ou ma-
nos, tem as costas varias cicalrizes velhas de
chicote. Outro de non-e Joaqaim, oom idade de 2;t,
annos poueo mais ou menos, cabra, pooca barba
boa altura, bom corpo e bonita figura; e mais um
mulato de nome Benedicto com mais de 30 annos,
: boa attora e pooca barba. Peco a todae qoalqaer
autoridade e capites de campo a apprebengao dos
* 'os escravos, qne seram generosamente re-
Escravo fegido.
Fagio en das do mez passado o escravo Amaro,
crioulo, de idade 30 annos poseo mais ou menos,
estatura regalar, cor fula, otbos pequeo?, nariz
cbato, beca grande e com falta de denles, e os tei-
. $os bastante grossos; rogase, por tanto, a soa ap-
prehenso, e-quero o cegar ou delle der noticia,
dirija-se ao largo da assembla no Forte do Mattos,
armazem deassucar de Jos da Silva Loyo& CL,
' qae ser generosamente gratificado.
Ha muito tempo.
Desde 10 de fevereiro deste anno, das do entra
peca.
Pecas de bretanha de ralo com 10 varas, a Sra. viuva Gibms e com os signaes seguintes: ca-
3*500. fula, baixo, cabeca entre hombros, naris chator
Pecado madapolao fino e largo a ~i- comprldo, boeea feia, e sen todo : olhar por baixo
Laaziaha lisa de cores a 500 rs. o covado. de manhoso, natural dos ser toes da Parabybado
Pe^as de cambraia tranca de salpicos com 8 e; lorte, ja' leve oatra fgida e foi encontrado na
roela vajas a 4*500. Torre procurando senhor d*ende veio-me as mos
Coeiros de casemira bordados pelo taratissimo -e s esteve em casa 3 dias e logo fugio segunda
preco de 9*. vez e ainda se acha fgido, por isso peco as auto-
compensados.
Egeoho Parees, 1 de maio de 1866.
Antonio da Molla Stkeira Cavalcanle.
P, S. O escravo Joo crioulo e foi comprado
em margo de 1866, no Recife ae Sr. 6onca'o Jos
^ffoaso, tendo vmdo do serlao do Riac' de
Saogue.
O de nome Joaqaim, foi comprado em it.'co
prximo passado, no Recife, ao, Sr. Anu.-r. -.:
Moora Robim, teodo vindo do Cear; e o m it
Benedicto, foi comprado, ba'tempos, a J, s
Tal, morador em Qaeimadas da freguezla dr !
Jardim.
Fugio em principios do mez^de ever r
anuo prximo passado, um moleque de no
zebio, de idade de 13 para 14 annos, com
naes seguintes; cor bem preta, secco de
u
do, que fugio o escravo Paulo, cojo foi comprado a pernas e brames finos, ps e m'os seceas.
i xro mil ni l_i I ih> r a ni\nt na ctm*/\C pnnnmlftO' n m*nl k a nm> ^ ^. >. __. >
^0.5
Lu-
' g
c. rio,
eatuve
de
Estein da India^iropria para forro de sala
4, o e't palmos de largura.
'Cambraias finas de-cores miudas a 560 rs. a vara
ridades sociaes e militares por sua bondade de o
pegar, oa os-6rs. capiles de campo o peguera e o
. levem ou mandem a casa de seu senhor, qae fica
Neste armazem tambem se eocontra um grande' muito grato e paga hem o trabalho, a rua nova de
-.'ortimenic de roupa feita e por medida. ]-8ata Rita a. 17 e 55.
grande e nm poaco chau, olhos regulares
magados, costuma a olhar por baixo dos orno-
orelha, nariz e bocea regulares, lem dous denles
da Trente um poaco pobres, e a presa tirada de to-
do, restando s a raz; moito esperto, e costamt
dizer qae forro. Roga-se a's autoridades poli-
ciaes e capiles de campo qae o apprehendamete-
vemno na cidade do Recife, na rna da Mangaein
o. 6, a sua seobora D. Mana Luisa de Mello via-
va do Dr. Fernando Affooso de Mello, ou a' sea fi
Iho Dr. Pedro Affooso de Mello, oo seu escriotor
jEnM*-Cnues 41; e w-ae-ha
200*000 ris, a quem o ironxer.
coa.
DOS PREMIOS Di
,i


LISTA GERAL

-
01




PARTE DA LOTERA CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N 05, A BENEFICIO DAS FAMILIAS DOS VOLUNTARIOS DA PATRIA; EXTRAHIDA EM 8 DE MAIO DE 1866.
NS. PREMS.I.VS. PREMS.
PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.'NS.
PREMS.
6*
NS. PREMS.
3109 6*
PREMS.
I 6*
NS. PREMS.
3532 6*
10*
6*
NS. PREMS.
3774 40*
200*
T 71
__ 73
MV 77
- 81
. 87
10* 6* a
M 96
h:
^j
20* nv
6* | 13
h 24
_ 8
30
76
78
81
83
.93
95
3800
4
7
19
21
26
27
30
32
33
34
35
37
39
43
44
55
56
7
61
62
68
79
88
3900
11
18
24
30
32
36
41
6*
10*
6*
10*
6*
10*
6*
1*
6*
-
*
10*
6*
06
67
70
n-
7
85
90
99
6*
l


s



8
Diarlo t PeraaUfcii- *<* toarla letra Halo de
JURISPRUDENCIA
" oado ni
O Foi-Pttl.
ci entn "te?e P3r flm'M n0 facilitar- nan" ien,bro de 18ii, qre nesta parte guiz reformar so-
rt,ii. TPeC6r 0S meio';"de acensagio, qae antes mente o cdigo guando,
~r l S6r feita &*"**>*** taato isio
, ventase, qae 0 consefoeiro P. Bueno em seas A-
', Acaba de ser aoDllade, em grao de apnllagao, TnT^lltV F'T^*? ~ fndand'
pelo uizo criminal da primeira vara, o processo in- Tn.a i *. ^ M "* '6i d" Re- diz
leotUo, porque!** do desembrgate- Francisco *'. qQ8 fluido o oflendldo nio soober, om
I> -gues da Silva, contra BaslliK Magaln^ eumer ser a ^'''"'gnadapor urna
Castra, por crime de injurias impressas. m'm*ha **" de f, ou por procurador.
Sappoado boa a intenso com qa-". n^,ift *,0*a art> 262 do Re*de 31 "e Janeiro
enteoca superior, nao podemos < '! ^!! que CODSldera vieDle cilio 7* cod.
doi::riiine.laeonda;qa8^mente fo ni.
cuuapel.pr.naem var ^ aQ V
denles deste e dos *;, ,ailog ddStavcldade corao
se provou.
' ^jiic'ido a seotenga inferior, as allegares do
a;-;:liuite, a. parle em que oram desaitendidas
pelo juiz ai quem, e o julgado da s?gonda instancia,
,. 'r-nsa reproducgao du razoes do appella-
do. habilitamos as pessoas wnw seu voto, n'uma queslio qae nao destituida d
Interesse.
Se boa a iooovago feita na praxe do foro, em
urna materia que affecta o direito das psrtes, con-
vai que seja sanccloaada e tenha o apoio dos ju-
ristas ; so porm m e contraria as nossas leis
cumpre desterra-la. Se ella foi um* excepco do
que at hoje se tem praticado em casos identlcosi
ni: deve passar disto, e menos constituir regra de
julgar.
A lente do joz pode, algnma vez engana-lo, e
dr aos factos proporgoes maiores do qae elles
im. As circunostancias mesmo, em certos casost
aciaatn poderosamente para isto.
Abstemo-nos de commentarios s pecas publica-
da, limitando-nos algumas notas explicativas e
necessarias alias pela segainte razio:
Nao julgando o appellado sufflciente, para a
comrmacao d. sentenga do juizo municipal, o ni-
co fundamento della, vantajosamente resutado,
mulliplicou as argcnges de naliidade as razoes
ae appellacao.
Sendo estas argoiges fritas,pela primeira vez, ao
tempo em que o appellante nao poda fallar no fei-
to. ficaram em resposla; e pois nao o fora de pro-
posito aventurar algumas observagSes que julga
mos precisas sobre as nullidades, por ultimo, apon-
Udas, e pronunciadas pela senteBga do juizo de di-
reito.
Vistos estes autos etc.
Atienden io que, a queixa, denancia e aecusagao
s podem ser feitas por procurador, precedendo li-
cenca do juiz, lei das reformas arl 92; attendendo
qae essa autorisago foi pedida e concedida na pro-
pria queixa, sem que precedesse licenga; alten
deado que, a razio de serem dadas em um mesmo
da e o:casiao a licenga pelo juiz e a queixa pela
parte, nao exclue a precedencia daquella, prece-
dencia impossivel na qaeixa de fl onde a licenga
padida na propria queixa, attendendo que a con-
cessao da 1 censa (na bypothese ) nao podia ter lu-
gar, por que era ella contraria a lei, e as infrac-
goes de lei trazem nullidade substancial; attenden.
o que, assim foi a queixa dada por pessoa incom-
petente, e por tanto nulia a queixa e todo o pro
ccso que a tem por origem ; atiendendo que, o
despacho dado na queixa nao pode servir de defeza
a parte queixosa, por que, mero ioterlocutorio era
reforniavel em lodo o curso do processo ; por ludo
;S5C julgo nullo o processo e pague o autor as
castas. O presente proeesso nao foi concluido as
duas audiencias, pelos incidentes qae nelle se de.
ram, e ainda mais pela demasiada afflaenciade ser-
vidos de igual natureza.com quanto pense que essa
oisposico caducou a" vista do decreto de 6 de ju-
lo jdsi859. ttecifel3de marco de 1866fler.
msgtna Scrates T. de Vasconcelos.
RAZOES.
A sentenga de fi nao pode deixar de ser relor-
mada. O digno juiz aquo, em quem reconhecemos
sobeja illustraso e probidade, annullando o pro.
cesso, julgou contra direito expresso, contra as Jis
reguladoras do processo criminal. Nos presentes
amos nao existe a'nullidade, que servio de base a
seulenca de fl; quando mesmo existisse tal i
dade, achava-se snpprida; e quando nao o
Tesse, devia e deve ser sanada.
Sao estes os pontos, que pretendemos demt
trar a toda a luz.
O fundamento da senteoga de fl consiste, em ter
sido a queixa de fl 2 assignada por outro, que nao
o queixoso, sem qae para isto precedesse licenca,
pedida e obtida em petigao anterior.
Xo entender do appellado, e do juiz aquo, a licen-
ca concedida na petlgo de queixa, s aproveita aos
actos subsequentes, e nao legitima a assignatora
que n'ella se v.
Demonstremos primeiro, que independentemen.
te da licjnga concedida, a peligao de fl 2 foi bem e
regularmente feita ; e que nao pode ser taiada de
defeitaosa, alada mesmo que se
trado a licenga concedida.
Para tornar mais saliente a injustiga da senten-
ga de fl 26, supponhamos por. um Instante, que
queixa nao esta' asignada por procurador,
por um terceiro. Ainda assim nao seria
-valida.
Diz o art. 78 do cod. do proc. t As queixas,
c e denuncias devem ser assignadas e juradas pelo
qaeixoso e denunciante, e se este nao souber, ou
nao poder escrever por urna lestemunha digna de
Apesar da repugnancia qae temos em citar am
Formulario, embora autormdo por aviso, quando
temos lei; com ludo, como elle ja' foi invocado em
audiencia ex adverso, faremos outro Unto.
O foraultrlo mandado observar pela circular
de 23 de margo de 1853; diz oo n: 4, que a
autoridaae a1 quem for presente nma queixa, exa-
minara" -se esta' assignada pelo queixoso, ou por
pessoa digna de crdito, ou por procurador ligiitmif
art. 78 dfccod. e 9 da lei das Re.
V-se por tanto que conforme o formulario, nao
ha neoessldade de outr&s solemnidades, bastando
que a quera esteja assignada por ama das tres
pessoas mencionadaso queixoso, procarador, oo
pessoa de crdito.
Segando o Formulario nem mister licenga;
ella se subentende previamente concedida, pelo
despacho da queixa; tanlo que apenas exige que
esta seja assignada por procurador, obrigando a
autorldade, em tal caso, a duspacba-la.
S um formulerio que por ahi corre, lodo3 os
annos augmentado com futilidades^ traz o modelo
de piifo especial para requerer licenga, agitndo-
se pe le a grave e curiosa questao de saber, se es-
ta pitigo deve ser assignada pelo A. qae nao pode
assignar,
E o mais que sea autor opina pela afflrmativa,
como se o offendido nao podendo assignar ama,
podesse asscnar outra petigio.
No formulario mandado observar pelo governo,
qae vem annexo aos apantnenlos do processo cri-
minal nao se l tal petigao.
O formularlo trouxe nos nma digressao pela
qnal antecipamos nossas deducgSas.
uiziamos que por elle iamoe demonstrar que
asta a asignatura de urna nessoa de crdito, para
a validada da qaeixa, quando o offendido nao o
possa fazer.
Segundo o formulario do Dr. Cordeiro de qae
acabamos de fallar, a petigio de fl. 2 devia ser as-
signada pelo seguinte modo:
A' rogo de F. por nao poder escrever.
F. (nome do signatario). (2)
exiga o comparecmnto
Mas nao foi isto precisamente o que se fez ?
Qual a differenga ? E' que na qaeixa de fi. 2
a declaragajde nao poder escrever foi feita na con-
clusao da petigio, e nao mais abaixo dnas linhas.
Mas crivel que baja juiz que, querendo mesmo
snbmetter a pratica do foro, as exigencias de am
formulario nao autorisado, annalle am processo,
porque ama declaragao foi feita em tal liaba, e
nao em tal ootra ?
esti-
Nao ser isto rebaixar o nobre offlcio, e catar
nullidades a ponta de compasso ?
1" evidente pois que a queixa de fi. 2 est con-
forme, nao s com o artigo 78 do cdigo, e dou~
trfna do citado P. Bueno, mas com as minucias
do formnlario. Nenhum delles recommenda que
seja provada a imposslbilidade de escrever da par-
le do queixoso e tanto a lei nao teve isto em vista,
qae substituio esta prova pela capacidade do sig-
natario da queixa, prescrevendo, como garanta,
que fosse pessoa de crdito.
Isto posto, encaremos a questao pelo lado da li-
cenga.
Risquemos do cdigo, por bypothese, o artigo
78 em que nos baseiamos. Nao ser valida a pe-
ligao de. fl. em face do artigo 92 da lei das re. ?
Ceno que sim.
J dissemos que no formulario do governo nao
se acba -determinada a maneira de pedir licenga,
para assignar a queixa por procurador, pelo con-
trario ahi se diz apenas, que basta a assignatura
deste na queixa, donde se infere, que com o des-
pacho do juiz est subentendido que a' licenga
previamente concedida.
De facto ; desde que em] urna petigao assignada
por procurador, se pede licenga para isio, o des-
pacho que a concede, o faz nos termos da lei, isto
previamente. O contrario supper que o juiz
pode concdela por forma diversa.
Os documentos sob n. 1, 1 e 3 (3) mos-
trara que tem sido praxe, neste foro, pedir a
pessoal do offendido (segundo declara o avfsq.de Z
de janeiro de 1834), ampliando assim os melos do
aecusacao, e nao restringindo-os, como succederiaj
se fosse preciso licenca previa par* apresentar
urna qaeixa por procurador, visto qne pelo artigo
78 do cdigo tal licenga nao era exigida.
Ksta interoretagao qae damos ao citado artigo
92 a qae se casa com a opjnia do conselbeiro
P. Bueno, e formalorio do governo, qae nao feliam
da licenga alludlda.
E' sem duvida Armado nesta interpretagao, qae
alguns advogados na propria queixa, s pedem li-
cenga fra acensar, como se v do documento
sob n. 2, e outrs pedem mesmo tal licenga depois
de despachada a queixa, (assigna por procurador
sem hetnca previa) como se v 3 documento sob
n. 3. (8)
Anda nma considerado.
Dic a sentenga de fl. e o appellado, pe era ne-
cessario licenga anterlort queixa de fi. 2 para que
esta podesse ser assignada por procurador. Mas
quem assignaria a seu turno essa petigio, reque-
rendo licenga ? O queixoso ? Nao; porque elle
nao podia escrever e esta a bypothese. Seria
sea procurador ? Mas este na epinio, qae comba-
temos, no pode Agorar em juizo sem licenca, e
isto j figurar ; alera de que em tal caso nao
altiogimos com o flm, que a lei tena em mira.
Do que fica exposto' se conclue qne s por um
deploravel engao podia a sentenga de fl. dizer que.
a qaeixa foi dada por pessoa incompetente, j por
qae nao existe a irregularidade, de que ella falla-
ji por qae, mesmo a existir, nio deixava e appel-
lante de ser o queixoso, como se declara na qaeixa,
e por conseguinte pessoa competente na forma do
art. 72 do cod. (6).
Passemos a 2* parte de nossas razoes, e para isto
admittamos, ainda por bypothese, qae a licenga da-
da na petigao de fl. 2, nio servindo senao para o8
actos posteriores a ella, nulla foi a assignatora da
qaeixa. Supponhamos at, que uenhuma assigna-
tora, nem mesmo a do procarador, existe. Diz o xa
av. de 9 de abril de 1836 qae a assignatora do
i queixoso exigida as queixas e denuncias pelo
t art. 78 do cod. do pr. crim. fica satisfeia pela do
t juramento prestado perante o juiz antes de se co-
i megar na formago da colpa.
Sendo assim, quando mesmo a qaeixa de fl. nao
tivesse assignatora alguma, liaba sido esta falta sa-
nada pelo juramento de fl. 7 prestado e assignado
peto procarador do appellante, j habilitado pela li-
cenga obtida. (7).
Se aquella era a dootrina do av. cit. sob o domi-
nio do cod. do proc, nao ha razao alguma susten-
tar-so boje o contrario.
Nao se diga que o av. falla da assignatora do
juramento pelo queixoso e nao por seu procurador;
no tempe em qae se expedio o av., o queixoso s
podia figurar em juizo pessoalmente e a prova dis-
to 6 qae citando o mesmo av., o conselbeiro Pimen-
ta Bueno ja usa de outra phrase, dizendo a pag. 76.
< A falta de assignatora da petigao de qaeixa
upprida pela assignatura do juramento. >
Ora esta pode ser prestada ou pelo queixoso, oo
por sea procurador.
Passando finalmente ao 3a ponto, cuja demonstra-
do pela conidio de fl. 4, todava proc aran do-se, a
todo transe, fazer abortar este processo aflm de
borlar-se a puntgao 0tt, jolgamos conveniente
juntar o doc. sob n. 4"que servir da prevenir chi-
can.
A vista do exposto lie espera* qne seja refor
mada a sentenga de fl., aflm de qqe,jalgando-se
valida a aegao, seja o appellado conemnado as
penas do art. 237 3//grao mximo, do cod. pe-
nal, por se terem ifdo- a elrcomstaneits aggra-
vantes mencionadas na petigao de S. 2, e castas.
Vistos e examinados estes autos de appellagio
crime, em que appellante odesembargadtir Fran
cisco Domingues da Silva e appellado Basiliano de
M. Castro, neg provimento mesma appellacao
inlerposta da seatenea de fl. 26>que confirmo, por
qae, como dos pro pr ios autos se verifica :
1.* A petigio de flV2que a mesma (fueixa,
como refere o appeltdo; foi assignada por procu-
rador, sem estar para isto autorlsado, por nie ter
precedido licenga nos termos expressos do art. 92
da lei de 3 de dezembro de 1841, artigo d lei, qae
s permute, qae a denuncia, queixa e aecusacko
possam ser feitas por procurador, prmdendo li-
cenga do jox quando o autor tiver impedimento
que o prive te comparecer.
A intelligeneia qae o advogado do appellante em
suas razoes fl. 35 em diante pretende dar a letra
do sobredilo artigo da referida lei, nao s con-
traria as regras de hermenutica jurdica, que pres-
creve, que as palavras deventlr tomadas em seu
sentido mais natural, (10) attendendo-se occa-
sio, logar, e uso da poca, tomo tambem a pro-
pria-pratlca nesta mesma capital (11) nao se tendo
jamis entendido, nem se podendo jurdicamen-
te entender qae a licenga, de qne falla o mesmo
artigo de le smenle seja precisa, para os actos de
processo e aecusagao, e nio- tambem para a
queixa ou denuncia, quando o autor nao a poder
apresentar por si, e a autoridade assim "permit-
tlr-lhe.
Em vrtude da noesa legislagao criminal, e por
forga della, toda a aegio privada entre nos, s dei-
de ser personalissima, quando o offendido
pessoa miseravel ou o reo preso em flagrante, e
nao tem quem o acense, e, em toda e qualquer
bypothese qur o rrime seja publico, qur particu-
lar, a lei nao autonsa a ac$io criminal pura e sim-
plesmente, porm, sempre mediante formulas e
condlgoes, proscriptas as mesmas leis, mais ou
menos summarias, conforme a natureza dos cri-
mes, formulas e condiges, que constituem, em
todo o caso, a propria aegao criminal, oo o pro-
cesso.
Nem a pratica, nem a lei criminal, reeenbeeein,
a simples assignatura do autor no artigo panucado,
como sua obrigae&o legal, (19) obrigagro qae era
todos os processos de igual natureza, so deve an-
tes de tndo mostrar, aflm de que possa ella ser le-
gttmamenle apreeiada em qaalquer instancia, as-
sim como em qualquer tempo. (20)
.. O editor de quaquer jornal como so sabe, s fl-
ca isempto da responsabilidade de.quatgjaer artigo
no mesmo jornal publicado, mostranit a tbrigacao
pela qual o autor se obrigara, tendo,o mesmo au-
tor arproprias quaiidades exigidas para o- editor
excusar o lmpressor, e como jwera' o fflfx per si,
direito que se nao pode negar, apreciar e reconbe-
cer a existencia e legltimidade de todas estas coo-
diges legaes, era relacao- ao autor do artigo em
qoeslio, se dos autos'nio s falta o proprio auto--
grapbo (21) cerno tambem at o termo de reconbe-
cimento da responsabilidad do autor de dito arti-
go e excusa do proprio editor, como se dore pro-
var. (2)
Estas tahas slo-snbstanciaes eomo essescial a
deque primeiro faltamos, e a preter gao deltas que
nio pode ser suppiida pela simples certidao de 11.
'ir induz nullidade inaoifesta, cooo-lnduz a Ia, por-
que as formalidades eriminaes como refere o pro-
prio P. Bueno, sao expressdes meditadas da lei,
qne constituem o metbodo que ella crea para re-
galar o como as parles e juizes devem marchar,
para que se possa reconhecer a verdade, nao seo-
do licito contrariar a taes dlsposlgoes, sendo a il-
leqitimdade da parte assim como a inobservancia-
da orden* legitima do juizo criminal, formalidades
substanciaes, cujo silencio nos autos induz a pre-
sumpgao de preterigo:
Assim, foi sempre a primeira condicao da quei-
xa em qualquer aegao, Muda mesmo- as aegoes
privadas, como a de qae se trata, que seja ella da-
da pelo proprio offendidoqui passus estou por
aquella que legtimamente o representa, o que nao
aconteca como advogado do appellante quando apre-
senlou a queixa de Os. 2, porque para isso, e con-
forme a nossa lei, nio eslava previamente aotori-
sado pelo juiz, perante quem a mesma qaeixa foi
apresentada, sendo conseqoeocla de semelhanie
falta, que a dita qaeixa, foi dada por pess. incom-
petente, que, por falta de licenga, legtimamen-
te nio podia representar o appellante, e incompe-
tencia ainda, que affecta, em taes termos de nulli-
dade insanavel a mesma queixa, e com ella todo
processo, por se ter procedido sem direito, e com
3.? O processo nio foi feito nos precisos termos,
e nem coaeluido nos prazos proscriptos nos
arts. 209 e 210 do cod. do proc. (23) cuja litis or-
dinatana se deve observar, teodo-se tornado
demorado e tumultuario, porque audiencias se de-
ram como as designadas nos termos de fl. 15 e
fl. 21 v. smente para se juntarem petigSos esenp-
tas das parte (.24) o qae se podia, at ter feito em
cartorlo, por simples despacho, sendo anda corto,
que o eserivio abaixo do despaeho da netigao de
queixa, como deve ser, e praticoa abaixo dos des-
pachos de fl. 14, e fl. 18, nae-desigooa da para
a 1J aodiencia, o que s se v feito a fl. 2 v., em
lugar escondido na costura dos autos pelo que
difcilmente se discobre, e assim nao se pode veri
fijar, so a referida desigpagio foi ou nio em
lempo feita, o que em suas razoes nega o appella
do. (
Mas na procissao de Em poli. Agora um perso-
oagom qae aSo se habituado a ver em semllban,
te festa.
Este persjnageo limpiesmeilfr m Jo ment-
Nao am Jumento moral, um jumento roetaphorlco.
de casaca o lenco braaeo, como por all ie roern
lano as procisses oa nos passeios. O jumento
de Empoli, f> am verddeiro animal cora q'aatro
pernas e orelhas compridas.
O qae o distingue dos seas semejantes sao os
ornatos qae traz sobre si.
Tai enfeltado com immonsas azas de eartao, or-
nada* de peonas de ave-.
Fiad* a procissao, o jumento 6 gado ao alto da
torr dos sinos, que fica- na roalidade a orna gran-
de altor..
Quando- conga-a' plataforma, a tropa aprsenla-
as armas, rufam os tambores o o clero prepara as
suas bengao. O povo boqoeaberio presta toa", a
attengao. Eeste momento aolomoe,o pobre animal
-kocado no espago, o todo espera m a ociosos ve-
lo sacudir as asase voar.
Por em quanto aind. nao se den tal caso, posto
que a cerimonia se repita regularmente todos os
annos-, desde cinco scalos. Porm a esneranga
de ver operar-se o milagre no prximo auno, fax
com qoeesta cerimonia se verifique at a' consum-
mago dos seclos.
O que-significa esta cerimonia, e-qual o moti-
vo que acta nos habitantes de Empoli, para tei-
marem tanto em que os jomentos voem?
Ha perto de qoiobenlos annos, viva em Empoli
am abastado proprieta rlo;no leitod morte lego a
ao capitulada s, um rendimento consideravel, sob
condigao que todos- o annos, no dia do Corno de
Deas, se fizesse a estranba experiencia qne acaba-
mos de descrever, e qoe, at ao dia de boje, aioda
nio foi bem succedida.
-

gao nospropozemos.soppaobamosqoenao flcou sa- parte Ilegitima. (12)
nada, pela forma dito, a pretendida Irregularidade, Sobr9 e3te poot() s0 ate accordeg todos os nos-
resoltante da falta de assignatora do queixoso oa sos praxsUs ae proceS80 criminal, e nao o autor
de seo procurador, com llceoga previa na petigao a0 assessor ioren3e SOmente, como refere o advo-
JS?oma-trra da provincia procara va-am-mania-
co-noivo para-a til ta.
Andou para trac o para diante, a facer ndesfa-
zer, a dizer mal e dizer bem, e qoasi do mesmos
individuos, al-qoe esteve por todo, e ao dispor
completo de am dos pretendentes, qae nao tem
nada de tolo, e faz elle omito bem.
A Qnal vieram a concertos, e estipoJoo-se qae
darla tudo quanto era possivel dar-se, desberdando
assim dois outro Albos, um de seis
de desesseis.
anoos, outro
de fl. 2.
Ser esta falta losupprivel ?
gado do appellante,como se pode verificar, entre ou-
iros, noRoieiro dos delegados e subdelegados, e so-
Poder ella dar lugar a annullagao do processo T bretodos no proprio Pimenta Baeno, Apootamentos
Mil vetes nao. | do processo criminal. (13)
O art. 290 do reg. de 31 de Janeiro, tratando dos a pratica tambem, que, em sea apoio, e com os
processos, cuja pronuncia deve ser sustentada pelo documentos de fls. 41 fls. 50, invoca o advogado
juizo municipal diz que este deveri proceder ex I eic, appellante, deve ceder a evidencia e forga da
oficio ou a requerlmento das parles, todas as di- expresso da letra da lei (art. 92 da lei de 3 de de-
ligencias necessarias, aflm de sanar qualquer nal- zembro de 1841), quando mesmo se provasse, o
lidade, qoe por ventura nelles baja. < Para este | qoe Dio se prova, qoe. em todos os auditorios,, e
t flm, diz o art. 291, maodarao que as giwixas e perante todos os jaizes, se procedia pelo modo al
Por todas estas coosideracoes- pois e pelo mais
que dos autos consta, porm nao porque o crime de
que se trata seja da competencia do jury, como pre.
teode o advogado do appellado por se achar revo-
gada a lei de 20 de setembro de 1830 como ex-
pressamente assim o explico o av. da 15-de Janei-
ro de 1851, ser pratica no f8ro, e ter sido ainda
ntimamente decidido assim pela Relaglo da corte
por accorde de 15. de setembro do 18fco no pro-
cesso de responsabilidade instaurado contra o juiz
de direito da i- vara criminal da mesma edite, por
baver julgado conforme emende o- appellado i nao
tambem por nao poder o appellante interpr appel
lagao da senteoga appeilada, como ainda- emende o
appellado, em vista da letra do art. 78 Io da le
de 3 de dezembro e f Io do art. 430 do'reg. de 3:1
de Janeiro de 1842; nao ainda, porque seja o av. de
2 de Janeiro de 1834 especial aos crimes, cajos pro-
cesso, como este, se devem regalar pelos arts. 208
a 210"do cod-, nio podendo mais o referido aviso
ter applicagoo nos casos de que falla o art. 92 da
lei de 3 de dezembro de 1841 mas, eomo cima
dissemos, por todas as consideracies que foram
por mim expostas, neg provimento a presente
appellagio para mim interposta da sentenga de fl.20
que confirmo, pelo que pague o appellante as
custs.
Realisado o negocio foram por am pasqaim na
porta do tal maniaco qoe dista, assim.
Ha nesta trra um Camello que saerificou dois
fithos a um cafelio.
Esta allusao do capello porque o noivo era.
dootor de capello.
O poeta em prosa teve sua graga e den assim
orna severa ligio de moralidad ao tal maniaco-
que saerificou dois filbos lba e nao ao capello
como diz o poeta.
nao tivesse mpe-
a
mas
menos
N.
de crdito. (1)
Se a lei nao letra mora, nio sabemos como
em face de tao terminante desposigao, se possa di-
zer que a queixa de fl.^2 nio regular.
Repitimos : nao ha oecessldade de reccorrer
licenga obiida, para josliOaar a policio de fl. 2.
Nell se disse, e provar-se-hia se fosse misler e e-
xlgido, que o queixoso nao poda assigna la; em
consequencla do que o queixoso pedia pemissao
para fazelopor seu advogado.
E o que de mais legal? Nao poda o queixoso
assignar; fe-lo por um tercelro que, sendo dlaao
de crdito na pbrase do art. 78 do cod., quanto
basta. .
E se para este flm bastava qoalqaer pessoa de
crdito, com maioria de razio nm procarador, qoe
nao abasara do nome de sea constituale, o qae
alias se via pela procuracito especial de fl. 5.
O flm da, lei exigiodo ama pessoa de crdito,
para assignar a qaeixa, por aqaelle que o nio po-
de, obviar as queixas dolosas ; elle pois fot ple-
namente satisfeito, e religiosamente observado o art.
78 citado.
E' visto por unto qae a pettcao de fl, 2 nada
tem de irregular, a menos que nao so pretenda
qae o cit- art. acha-se revogado pelo art 92 da L.
das Re., o qae seria am abaardo, pato esta lei no
(1) Por este art. aquelles qae nao poden assig-
nar a queixa o fazem por molo de orna pessoa de
crdito.
E' quanto basta, sem dependencia de licenga pre-
via, que pelo art 92 da lei das reformas s ne-
cesaria para o camparecmento em juizo por mofo
de procarador, o nio para a assignatora da qaeixa.
Esta argomenucio dodoxida do art. 78 do cod. a
nosso ver sem replica, nem ao meaos foi apreciada
polo juiz adtquem.
licenga do artigo 92, oa propria queixa,' sem que
jamis fosse argida, e muito menos pronunciada,
lo estranlia nullidade.
proprio juiz a quo, como prova o documen-
to n. 1, tem pensado como nos, o s agora inicia
nova pratica. (
Tambem este juizo, o da segnoda vara criminal
o da 1* e 2* vara municipal, e os tres advogados
qae se referem os documentos jantos atlestam a
pratica de que fallamos.
Prescindido agora da licenga obtida na queixa
de fl. 2 diremos qae em face mesmo do artigo 92>
tal licenga nao era necessaria, note-se, para assig-
nar por procurador, e somente para acensar.
Analysemos o artigo 92 da le das ref.
< A denuncia, qaeixa, e aecusagao poderlo ser
a feitas por procarador, diz o citado artigo, prece-
dVndo licenca do juiz quando o autor tiver im-
t pedimento, que o prive de comparecer.
Pela primeira parte do artigo, v-se qae a de-
nuncia, qaeixa e aecusagao podem ser feitas por
procarador, sem outra mais formalidade, (4) po
rm quando o autor, diz a segunda parte, nao po-
der comparecer pessoalmente em juizo (o qoe s
oecessario na continoagio do processo) entao
qae se faz necessaria a licenga do juiz.
Medtese sobre o contexto do artigo o ver-se-ba
a verdadade do qae avangamos.
Com effeito se o citado artgo exigisse licenga
previa para qae a qaeixa fosse assignada por pro-
corador, diriaprecedendo licenga de juiz, quando
o autor nao saiba, ou nao possa assignar e compa'
recer.Mas nao ; a lei s- reclama licenga quando
o aotor nio possa comparecer, isto qnaado nio
possa assistlr aos termos do processo, e foi isto o
qoe precisameote teve em vista a lei de 3 de de-
denuncias sejam juradas e assignadas pelos quet-
i xosos e denunciantes, ele. >
Sabemos qoe aqu se trata de processos ordina-
rios da competencia do jury; mas nao citamos
estes arts. seno para mostrar que a falta de assig-
natura na queixa nao ama naliidade substancial,
pela qual deva ser anuollado am feito ; e a prova
de qae oo losupprivel, est em mandar o cit.
art. que, mesmo depois da pronuncia
nada.
Ora se a falta de qoe se trata, sanavel no proces-
so ordinario, tambem o no summario e definiti-
vo. (8).
Sendo assim, como, por urna semelhante falta,
foi anoullado o presente processo ?
NiBfnem ignora qoe s as nullidades substan-
ciaos e insanaveis podem dar lugar a isto ; as acta
dentaes, sejam ou nao sopprldas, nao InBrmam o
processado de naliidade, o isto o qne dispon a
ord. do lei 3o tit. 63 pr. in fine, que tambem deve
ser guardada em materia criminal, como se v do
av. de 20 de agosto de 1851, qae vem no appeadl-
ce i cotlecgio.
Finalmente ainda quando a sentenga de fl. fizesse
bem em pronunciar a phantaseada nullidade pro-
veniente da falta.de assignatura de pessoa compe-
tente na petigio de fl. 2, sendo esta falla sopprivel,
como vimos em face do art. 291 do reg. cit., ainda
est em tempo de ser sanada.
O art. 25 3 da lei de 3 de dezembro e art. 200
2* do reg. de 31 de Janeiro dizem, qae ao juiz de
direito quando lbe for presente por qualquer ma
neira algara processo, compete proceder oa man-
dar proceder ex-ofncio, oa a requerimento da par-
e, a todas'as diligencias necessarias para sanar
qoalqaer nullidade.
O appellante, pois, em vista de ama disposigao
lio positiva requer a este julio baja de mandar
ratificar a qaeixa de fl. 2 com sua assignatora,
caso jalgoe que ella labora em vicio.
legado, (14) porque, ao deve haver pratica, por
mais seguida que seja, qae deva subsistir, desde
que se reconbece ser ella contra os termos claros
da mesma lei, e sobre sua intelligeneia verdadeira,
por urna das partes, provocado o magistrado a se
pronunciar, como oeste caso acontece, pelo que
tambem entendo, que, nesta hypolhese, os trae-
dentes pouco influem, attento o principio, de que
sa- o erro maitas vezes repelido, nem por isto dei-
xa sempre de ser erro, ou jamis coostiloe ver-
dade.
%? Falta nos autos como de facto allega o appel-
lado, e deve constar em todos os processos de igual
natureza, o aotographo (lo) pelo qual se constituio
responsavel o autor do artigo em questao, bem co-
mo o proprio termo, ou copia aatbentica, em via-
do do qual o referido aotographo (ora na inferior
instancia considerado legal e conforme, (16) aflm
d com elle ser iniciado o presente processo, e por
ello ficra declarada salva a responsabilidade do
Recif 28 de abril de 1866.
Joo ie A. F. Hennqnes.
Urna peona sarcastica diz, qae em relago is
desintelllgencias entre a Prussia e a Austria, se
publicoo de outro lado do Rueo nma espirituosa
caricatura.
Representa ella am Circule romano, no sitio qae
oceupavam os imperadores se v Napoloao III;
entrara no circo, um soldado prussiano e outro
austraco, qoe personalisam a Allemanba, vestidos
de gladiadores, e saudando o imperador Napoleao
dizendo :
Ave, Cesar, imperator, morituri te salutant t
Esta caricatura foi prohibida na Prussuia a oa
A ostria.
Porque ?
Tal vez por dizer a verdadeira conseqaencia do
se travar orna luta entre as duas poteocias.
Oxal qae o lapes da caricaturista faga ver a
futuro aos polticos.
UM POICO DE TUDO.
A cidade de Empoli urna das cldade3 mais pit-
torescas e das meos coohecidas da Toscan. Po-
rm depois-de se passar dnas horas nesta encanta-
dora cidade, sente-se como os que nella habitara, o
d9sejo de partir.
Todavia ha ceno dia no anuo, qoe se passa mo
agradavelmeote em Empoli. E' o dia em qoe se
celebra a festa do Corpo de Dea. Nesse da as-
sistese all a um ceremonial, que nao tem analoga
com o dos outros paizes,
O clero reveste os seos hbitos da gala, desenro-
la todas as pompas do culto calholico. As autori-
edilor do jornal.em que teve laga'r a pablicagao do! dades oroam-se com todas as suas insignias, os
artigo referido, por cujo termo, ainda tr reconbe- bombairos pegara em armas, o ma banda de mu-
cida a responsabilidade do appellado(17) o quinao sica local reserva para este da as suas mais vibran-
podia nem pode ser sopprido todo, pela simples les melodias.
ceidlo de fls. 4 (18) posteriormente esaesujns. | 0asenma proogs-ao d.aqoeM coaft ^
taocia corroborada pela certldao de fls. 51 ?,,o que sabem ^ nQS pazeSi em qQe no foram olsida.
imperio recon/wcuwenio por parte do proprio. ap- dss gs pomposa9 tr>digoos do antigo culto.

pellante, como allega o appellado, a falta e erro
em que tambem desde o principio, faoora este pro-
ceno.
(10) Esta interpretagao qae, parece-nos, nao
d is pafavras, seo sentido natural ; precedendo
lioenga do juiz quando o autor licer impedimento
que o previne de comparecer, diz a lei. K' preciso
largar os termos, para deduzir-se daqai a necessi-
dade de licenga previa para a qaeixa.
(11) J observamos que a pratica, pelo menos a
que se collige das certidSes juntas aos autos, attes-
ta o contrario.
(2) A qaeixa de fl. conclue por esta forma e
nao podendo (o queixoso) por motivos justos assig-
na/ esta, e assistir pessoalmente a aecusacglo, te-
quer outro sim permissao para fate-lo por seas ad-
vogados.
Pede a V. S. diflrimento.
Alvaro Camlnba Tavares da Silva.
(3) Por brevidade deixamos de publicar estas
certidSes que provam tur juiz ad quem, e ontrn, JJ'
procedido de modo diverso do qoe se julgou no *M
processo aoaallado. A propria sentenga abaixo
transcripta reconbece e confessa istq,
dido em vista do av. n. 84 de 29 de jaoeig)
do qual se v qae, mesmo em appellagio d
tengas definitivas proferidas pelos juizes mi
paos, os juizes de direito devem proceder na
do cit art. 25 .3* da lei de 3 de dezembro. (9).
(12) So a qaeixa nio tivesse assignatura alguma,
a falta eslava sanada polo juramento prestado, e
era independente dello sanavel; mas como teve a
Este requertmento no pode deixar de sor atten.1 assignatura *f**J*^J^-n
,,: :_ _-.- ._____01Tmj....j^i. o-..' usanavel anollidadell Ser Isto rasoavelT
Conclurado diremos qne anotar de achar-se pro-
vada, quanto baste, a responsabilidade do appella-
(4) S por esta forran se podo conciliar o dis-
posto neste e no artigo 78 do cdigo do procoaso.
Se necessarlo licenga para qae am torceiro, oa
o procarador asstgne simplesmente a qaeixa quan-
do o queixoso no o paisa fazer, torca confessar
qae caducou o artigo 7) citado.
trarla a pratica deste foro, cono abaixo diz a sen
tonca dojoiz de direito desoonheeeado oseos
precedentes. ,
(6) Nos termos do art 72 do cod. do proc. a qaei-
xa seria dada por pessoa incompetente, se nio los-
apresentada em nome 'Mo offendido, como suc-
oo ; so figurasse outra pessoa. como queixoso.
(7) A entonga do juUo de direito nio so oceu-
pon disto.
A qaeixa foi dada em nome e com procuraeao
do desembargador Francisco Domingues da Silva,
nao sabemos pois, como se possa sustentar que
parte incompetente se o procurador que nao figura
em nome proprio.
(13) Ignoramos em qne pagina. Entreunto ocon-
selheiro Pimonta Baeno foi invocado, em sea favor
pelo appellante. que citoo diveieos periodos do soa
obra coro procedencia.-0 Roteiro dos delegados-
pagina 93, diz que a queixa deve ser assignada
pelo queixoso, e so oHe nio soober ou no poder
escrever, por urna teeiemunha digna de f etc. Ora,
am procarador e advogado nao estar nestas coa-
dfoes?
At aqal nada de extraordinario.
Em toda a parte se "fazem proclssues, o todas as
procisses asslraelham-se. %
Lemos n'um jornal francez:
A representagao de ama pega graciosa Kreti e
Plethi em Munich provocoa rectamagos diplom-
ticas.
Esta pega coatiaba am dialogo em qoe se faxia
esta perguota :
Quem o maior jogador de cartas T
Bismark.
Porque ?
Um jogador tem j muito casto a gauhar com
quatro ris, mas Btsmark joga com um roi o ga-
cha sempre. N
A Ewope cooiaado este facto, juuta qae o mi-
nistro prussiado junto a corte de Baera, o prin-
cipe de Reoss, qoe assistia recentesaeote a repre-
sentagao desta peca, julgou dever protestar contra
a maneira irreverente com que ella fallava do rei
Goilberme, assim como contra ama allusao ao
tribunal supremo da Prussia, o o as passaens sos-
paitas foram supprimidns da pega.
(5) Estes documentos provam exactamente o
que se afflrma, e delles se v que a intelligeneia
aqu dada ao artigo 92 da le das ref. nio coa-. (14) Provooso com tres documentos qae tal era
O appellante oa 2* lns.U.ocia, para obviar chica-
as, como disse, corronorou-a pela certldao da fl.
57 da qual consta que o autograpbo esta' conforme
com o artigo publicado no Jornal do Recife.
E' este o ponto de nullidade sttbstanotal, o reco*
nhecimento por.parle do appttMUtfdo erro e (alta
em que labora o processo^detit seu oomeco r t
(19) Niogtttm CootesU isto.
(20) Esta obrigago esta' provada pelo documen-
to de fl: 4.que o seguinte :O desembargador
Francisco Domingues da Silva; a bem de son di-
reito precisa, qoe o eserivio Saraiva revendo o
autoamenlo de nma petigao do sapplicante par. .
exbblgo do autograpbo do artigo publicado no
Jornal do Reffie 3. do crrante, com a aasigoa-
tara de Basiliano de M, C. lhe d por certldao o
nome do responsmet do referido artigo etc.D.
Recife, 19 de feveretre de 1866.-Tavares de Vas-
conceilos. Certifico qoe o nome do responsavel de
qoe trata a petigio sopra o-Basiliano. 4e Maga-
Ihies Castro etc., etc.
(21) Nao pelo aotographo que se conboco das
qnalidadoi requeridas no aator ; qaaato ao mais a
, .certido mostrar o responsavel.

O Sr. Mongine ganboa nos sois mezes, do ootu-
bro a margo ultimo, oo theatro de S. Carlos,,...
45:0005, pouco mais oo menos.
Gaahava 50 libras por noite.
(8) Esto tere a sorte de outros rauitos argnmen-
tos: palian aaappercobido.. O Jgi jalgou inw
aavol esta falla 11
(9) Leia-se este av., e por
cumpria ao juizo de direito fazer.
'e-ha o qae
' (22) Ja' dlssamos que nio existe nem se faz tal
termo.
a pratica do juizo qae proferio esta sentenga do
juizo criminal da segunda vara o dos juizos muoi
cipaes da primeira e segonda vara.
(15) Da ceidlo de fl. consta que o autograpbo /j3) ^fac. n. 2,438 de 1859 dispon que por im
acha-se janto am processo qae, por crime do ca- pedimento do juizo,
lumnias, corre perante o juizo jMucipal da 1" n) pode esta i
vara. diencia, e o a
(16) Ignoramos qoe termo este em qae so con- mora oio
sM<
fita sonteng (o qae se
s da segonda ao-
anno dix qoe a
s pode dar
*
Insista corto doator com ama son dooote para
tomar ora porgante.
Mas, Sr., eu ja'.tomei hentem am porgante,
qae fex muito effeito.
Pois ha da tomar boje outro, porque se o de
hontem satlsfez a Sr*., no satlsfez a mim.
lera legal o telarme o autograpbo. O noico tor logar a rojponsabi
(24) DO reo
lb(is1 Kertldopw si s bstente. Nella x () f"'^'0* lfSP?J|iffitf JhL
eserivan certlflcou em vista do antogr.pbo, qoe aovo le:atato valor do qoe a; declarMio-do ater-1-
MS? 1&S3SS:CM,ro *"0Mvl ISbg&vSSS*a fM*',a mts 00 n,nos >ERHAMB6.-fYP.T> w. a unto
Um jornal francez dix sobro o dinheiro da Sao.
Pedro o segainte:
A piedade eogeauosa.
Os immensos resaltados obtldos pola obra tao
simples da propagaglo da f inspiraran) aos Liooe-
es o nobre peosamento de dar ama forma seme-
lhante ao diuheiro de S. Pedro.
A Soecla dispese a mandar para a Franca am
rouxinol qae ha de offuscar a fama do Jenny Liad
e de todas as outras cantoras actualmente em
vega,
O nome desta maravllba Mara Faskatt .
So dennos crdito ac jomaos da Btockolmo, an-
da se nao oavio ama garganta da igual torca dav
da o tempo 4* Malibraadi.


i
m
rniHim
.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGZ93SJ47_1EY6EA INGEST_TIME 2013-09-05T01:39:10Z PACKAGE AA00011611_10963
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES