Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10953


This item is only available as the following downloads:


Full Text


?

'
J?

AMO XLII. HUMERO 97
fwr ^irtel itft ditw dos 16 das de i.' mez ? .
dem depos dos 1." lo dias do cmico e deotro do qnartcl
Porte o cerreio oor tres mezes........* .
5eee
6$*o
75o
DE
m
SEXTA FEIRA 2? BE ABRIL DE 1866
f or ame oago eitro de 4o dios do 1. mti. .
Porte ao correio por nm obdo ...,.,.,',','.
'&
RNAMBUCO.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO NORTE
Parabyba, o Sr. Amonio Alejandrino de Liraa;
Nata!, b Sr. Antonia Marques da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. deLemos Braga;. Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranbao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filbos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SL.
Alagoas, o Sr. CUndino Falco J)/as; Babia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Bibeiro Gasparinbo.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagSes da via frrea at
Agoa Preta, todos es dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextasfeiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito,Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacaral, as tergas
feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqaeira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricory, Salgueiro eEx, as quartss
feiras.
ISernhem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agna Preta Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Re agio: tergas e sbados s 10 horas.
Fazenda: quintas ls 10 horas.
Jnizo do commercio: segundas aa 11 horas..
Dito de orphos : tercas 6 sextas s 10 horas.
Primeira tara do etol: tercas sextas ao meiol DIAS DA SEMANA,
da. I
^daTJ0 C,Tel! qnimS Sabb3dM 5S^^ftotU1SS.U*,
hora da tarde. 125. Qoarta. S. Marcos evang.; S. Hermino m.
26. Quinta. S. Pedro de Ralis b.; S. Cleto p. m.
27. Sexta. S. Tertuliano b.; S. Toryblo are.
28. Sabbado. S. Vital m.; S. Agapito m.
hora da tarde.
EPHEMER1DES DO MEZ DE ABRIL.
8 Quarto ming.. as 6 h., 22 m. a 81 s. da m.
15 Lna nova as 4 h., 41" m. e 10 s. da m.
21 Qnarto cresc. s 8 h., 12 me* 4 s. da t.
29 Lna ebeia as 7 h., m. e 14 s. da t.
29. Domingo. S. Pedro m.; S. Tertulia v. m.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 2 horas e 54 m. da tarde.
Segunda as 3 horas e 18 minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIRO.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o norte
at a Granja a 7 e 22 de cada met; para Parlan-
do nos dias 14 ios mezes de Janeiro, margo, mate
julbo, seterabro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
Ins. 8, dos proprietaros Manoel Figneiroa de Para
I& Filho.
PARTE 0FF1CIAL
01ER\0 B A IROlI\(IA.
Expediente de da 21 de abril de 1866.
legado encarregado do expediente da repartigo da
policia.
Jos Teixeira da Molta Cavalcanti. Ioforme o
Sr. inspector da tbesouraria de fazenda.
Offlcio ao Exm. general commandante das ar-
masTR^sp0Dend2 ao oleio de V" E"' de non" 1865> de "ianeira que ficassem bem garantidos os
tera datado, sr n.665, tenho a dlzer-lhe que sub- uteresses da provincia, submelto consideragao
metti a deliberago do Exm. Sr. ministro da goer-: de V. Exc. as segointes observages sobre esta im-
ra o requerimento que veio annexo ao sea offlcio portante qnestao, que V. Exc. melhor resolver.
a do 9 batalhao de infamarla Leopoldo Borges Gal- differentes de vias de coromunicaco, as estradas
vao Ucba, pedia prorogagao por dois mezes da: ordinarias de rodagem e os caminhos de ferro de-
lieenga cora que veio para esta provincia, aflm da' nomiuados tramways, e deferintio tambera os meios
sendo o arrematante responsavel pela boa conser-
vago das obras d'arte e de trra durante todo este
prazo.
5." Tres mezes depols de recibida a obra provi-
soriamente, acbando-se era perfeito estado, podera'
o arrematante levantar o deposito prestando urna
Illm. e Exm. Sr.-Tendo-me V. Exc. ordenado fianga em bens de raiz no valor do duplo,
que indicasse os meios roais convenientes para a j 6." Sendo a obra executada conforme o proieclo
boa execugao da le n. 649 de 20 de marco de organisado pelos agentes do governo, e reconhe-
cendo-se ter havido qualauer erro de cubacSo ou
diversos erros reunidos, que impirtern em um pre-
juizo superior a centesima parte do valor do con-
tracto, sera' o arrematante indemaisado.
restabelecer-se do feriraento qae recebeu no com
bate de Riachuelo.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de informar
sobre o que oede Manoel Francisco do Reg Bar-
ros no requerimento que aqui ajunto com lofor-
que devem ser empregados para a execugao das
Z^SttigPSrSXSi' ZL"2JSi ."-!**.!--!? f *m
7. Sendo o prejoizo contra o governo far-se-ha
um abate na ultima prestago, que se pagar ao ar-
rematante, no caso d'esse prejulzo ser superior a
vigsima parte do valor do contracto.
Tralarei agora dos diversos meios de contrabir
obras, tralarei de cada um dos systemas separada- o emprestimo. Algnma difflcoldade se hade encon-
| trar na Europa para a realisago de um empresti
para outra estrada : os wages de mercadorias
viudos pelos tramways, sero rebocados pelas loco-
motivas da companbia da estrada de ferro.
As estradas, que devem ser construidas na zona
da estrada de ferro sao multas, porm nem todas
sao de importancia tal, que possa a provincia sub-
vencionar a coHocacSo de trilhos com vantsgem
que compensen) a despeza.
As estradas que parecem-me estar no caso de
seren subvencionadas, para a construego dos
transways sao a de Bonito Trombetas e a de Trom-
betas em direcgo a Colonia Militar de Pimenteiras
e Panelias.
mesmas condlges
Boarqaef;
D se mais um *
que os demais empregados.
, do ordenado para os casos da
prorogagao do expediente.Joao Teixeira;
Supprlmase a segunda parte da emenda do Se
Joao leixeira, que passou em segunda discusso e
que exige concurso para os actuaes amanuen-
ses.Lopes Machado;
O amanuense adido podar ser dispensado do
. e nao pretendendo mais continuar em dito
lugar por motivos mui ponderosos, emenden fazer
sciente a cmara, tanto mais tendo em vista a ma-
neira por que atienden ella sempre s suas recla-
mages; resta-lite offerecer os seus fracos servicos
como simples cidado,Inteirada.
Ootro do subdelegado supplenle da freguezla dos
AfTogados, Manoel do Amparo Caj, remetiendo
copia do termo de apprebenso de nove arrobas de
carne verde em estado de putrefaego, que foram
o referido termo.
Outros (2) do fiscal da freguezia de Santo Anto-
UDdarSprov,oSr (l?tli?anaCOnrVeoD,enDtr *$* \ *~> p" a -a subKgatu no aeoogue
outros ""' 8 Maranhi0 e I pertencenie ao marchante Joao Lucio Un, oqual,
O sni'ii-iaitnr a f Fra da zona da estrada de ferro podem ser lei- ordenado S oda ta^Sffffl,* S S^**'?.,M^ Pra dar as soas ordftD8-
tos os tramways na estrada do Recife Victoria e RibX" q geral.-Gaspar, Ramos, posto em discusso, e nao tendo acompanhado
do Recife Limoeiro e de cada um destes dous Se nao passar a emenda do Sr Baarnne relativa aq1Ue"8 offl*- termo,de. "" f6,1 Mncfy, te-
P2gS T- ao escrivao e^a-sem8onordeado fSBiorf^! **** mCW """* 8Ubdelead0- "i,n,lo
,JHLf^d0ta0OUIparaa,pr0V,nclaa con]tra?" el JSS!de 5n-ta-mea sasft w Im-0"' *rx*rmz3Si3%^ tSSmXSSESXJSSSSSi digsa.seD-S ffioSSf o erse'S visa! n,'pedmd0 boovesse a caraara de mandar paar
,rrp seniad0 presidencia da provincia em 18 de jane.-; nao sendo urna eot.dade poltica, iodependente,' rece-me, que nao se deve amlliar as eompanbias : V'caSeOTrl e^Sfi^'SSSiS^JSS? ; ao clrur6'a<> Jos Antonio Marques a quanlta de
naniclo da nolida de 21 dn rndrpn? P I r? do-cornrente ann9> ,ran*> as v,as d? comra-1 representago nos paites estrngeiroVnao se-' com mais de rfra tergo do capital por ellas empre- rarto -BaroVe pnmelros escr.ptn-, i9200, importancia de seis exames sanitarios a
artfices Joan Prinpin* no rpnnrimpnin nii anni ..l. ? a esad0 0Q producto de algum Imposto, como tem grlcultnra, os sacrificios da provnc a.
a ntocom o offi Stt HJSFSiS^lSjS ^tf^Sj^W SSgSTt *.*P1** apefar ,er cop,ela ', ArtS e,slradas e os ^^' J, na zona da es-
ra datado de 21 do mrente li,.\ S %/ a execugao ae pendencia para os negocios fioanceiros da ordem, irada de ferro, com qoanto sejam melhoramentos
Dito ao insoector da thesouraria de fazenda ..ria",,2-,I,,e.re8se Seral-au*'"aaa Pel "" 9" se trata. Pde-se soppor esta difflcoldade I Imprtenles, nao se pode contestar, que a compa-
Recmmend i^ V"s aue em vista da inclusa co. ^Jt t9S& ,ndi9uei real,saca0 de om era- removdla e o emprestimo fceito em Londres, ou nhia dessa estrada dalles tirara1 maiores vantagens
taenao^^ mais directamente, do que a.proviucia, e po/isto
c' P'ieira de Faria & FUho, a quantia de.... ,e resultado. Reconbeceodo assim a conveniencia
7750OO rs. proveniente de impressoes e publica- da taclura da rede de estrada de rodagem
coes fettas para a exposigo desta provincia no
corrente anno.
Dito ao mesmo.-Annuindo ao que solicitou o
chefe da repanigao das obras publicas em offlcio
de humera, sob n. 139, recommendo a V. S. que
mande pagar a Rufino Manoel da Cruz Coosseiro,
a quantia de 50* que tero direito por baver lei-1 com ai garantas exigidas pelo reguamenlo de 9
to, em virtude de autorisacao desta presidencia um e ja|no je 1864, qae est em vigor"
por
meio de um emprestimo, tinha em vista nao entre-
gar todo o seu valor a orna companhia encarrega-
da de fazer as obras por um contrato, semelhante
ao da empreza Mamede, mas sira fazer entrar todo
o producto do emprestimo para a tbesouraria pro-
vincial, onde serlam contratadas e pagas as obras,
ropa, ultimo emprestimo contrabido pelo gover-; julgo, que o governo provincial podera' ser auxilia-
no do Brasil em Londres e Hamburgo foi ao juro | do as despezas da subvenego, pelo governo cen-
de 6 3/4 por cento, fra as despezas de commisso,' tral, primelro interessado no desenvolvimento do
porto novo de amarello para o hospital militar.
Dito ao mesmo.Tendo expedido ordem em 21
do crreme, para que da guarda nacional da co-
marca de Flores destaquera um oficial subalterno
e vinte pragas de pret em cada urna das villas de
Tacaral e Floresta, sendo dispensado do servjgo o
destacamento que actualmente existe na primeira
deltas jogo que alh ebegue o qne tem de substilui-
lo, assim o commnico a V. S. para que provi
dencie com brevidade sobre o pagamento daqoei
lei destacamentos remetiendo ao juiz de direito de
Tacaral, por coma do ministerio da guerra o
quautitativo que fr necessario para occorrer a se-
melhante despeza at o ora do presente exer-
cicio.
Dito ao mesmo. Para satisfazer a deliberagao
da assembla legislativa provincial, informe V. S.
qual a ratao ou motivo por que a mais de tres an-
uos eslo sem colectoras das rendas geraes, Sal-
gueiro, Cabrob, Granito, Ooricury e Boa-Vista.
Dito ao director do arsenal de guerra.Alm dos
concert.-, autorisados era. meu oficia de 11 do cr-
reme, mande V. S. fazer os que sao precisos as
sete cadeiras pertencemes ao qnariel general e de
que trata .1 relago inclusa, conforme solicita o ge-
neral commandante das armas em offlcio de hon-
lem datado, sob n. 664.
Dito ao mesmo.Remella V. S. com brevidade
ao general commandante das armas conforme so-
licita em offlcio de hentem datado, sob n. 666, a
copia do contrato celebrado nesse arsenal para o
fornecimeoto dos medicamentos precisos a enfer-
mara militar.
Dito a cmara municipal desia cidade Declaro
a cmara municipal desta cidade para sen conhe-
cimento e devidos effeitos que no requerimento da
Associagai Commercial Benetceute sobre qae ver-
sa a sua informago de 18 do crreme d. 31, lancei
o despacho seguiute : De conformidade com a in-
formago Ca cmara municipal desta cidade, data-
da de 18 do corrente, sob o. 31, concedo a liceuga
pedida urna vez que a supplicante se obrigue por
nm termo lavrado e asslgoado na mesma caraara,
a nada exigir a titulo de indemnisago pelas bem-
feilorias que se props a fazer quando tiver o pre-
dio de ser desapropriado e a ceder a parle da pra-
ca da Linguete que provisoriamente vai oceupar,
logo que s tenba de abrir a ra que passa em
frente do caes.
Dito ao delegado encarregado do expediente da
repa/ lico da policia.Para se poder pagar a Fran-
cisco Lino da Silveira ou ao seu procurador a
quaniia de 71*600 rs. a que se refere o seu offlcio
de 10 do corrente, sob o. 461, despendida com o
sustento dos presos pobres da cadeia do termo do
Bonito, durante o mez de fevereiro ultimo, faz-se
preciso que Vmc. exiji do respectivo delegado e
me remeta a relago dos presos que foram reco-
lbidos a mencionada cadeia em todo aquelle mez.
Despachos do dia 23 de abril de 1866.
Requerimentos.
Cerumen dador Antonio Gomes Netto.A fazen-
da provincial nada cobra do supplicante.
Antonio Affjnso de Albuquerque Mello.Appre-
sene-se no quarlel general do commando das ar-
mas para ser inspeccionado.
lente Antonio Muniz lavares.Entregese a
.parte do termo de Inspecgo.
Alferes Antonio Henrique de Miranda.Remet-
ido ao Sr. inspector da thesouraria de fazenda para
decidir nos termos do decreto o. 2343 de 29 de Ja-
neiro de 1359 art. 23.
Abaixo assignado dos moradores da povoago de
Nossa Senbora da Gloria do Goit. Ficam dadas
as ordens convenientes para se organisar o orca^
meato e projeclo do agude aOm de ser executado
D. Anglica Bernarda de Miranda.Remettldo a
cmara municipal do Recife para ministrar as co-
plas exigidas em offlcio de 26 de margo ultimo.
Empreiteiros dos trilhos urbanos.Informe o Sr.
engenbeiro chefe da repartigo das obras publicas.
D. Genoveva Correa de Araujo e Albuquerque.
Informe o Sr. Dr. delegado encarregado do expe-
diente da repartigo da polica.
D. Idalina de Siqueira da Costa Menezes.Con-
cedo a licenga que requer a supplicante, urna vez
que o concessionario sujeite-se as condig&es com
que foi aforado o terreno.
Irmandade de Nossa Senbora da Conceigo da
Matriz da Gloria do Goit.Depois de feto o orga-
mento que se est organisando ae resolver con ve
vjentemente.
Manoel do Nasclraento Paiva. Passe portara
coocedendo dous mezes de licenga.
Pedro Lucas Gonzaga, Inlorme o Sr. inspector
da thesouraria provincial.
Polycarpo Jos de Mello.Informe o Sr. capiteo
do porto.
Rufino Manoel da Cruz Cousseiro.Informe o Sr.
engenheiro chefe da repartigo das obras publicas.
24
Associacao Commercial BeneOcente De confor-
midade com a informago da cmara municipal
desta cidade datada de 18 do corrente, sob n. 31,
concedo a licenga pedida, urna vez jjue a suppli-
cante se obrigue por um termo lavrado e assigna-
do na mesma cmara a nada exigir a Ululo de io-
demnisacao pelas bemfeitoras, qne se propoe a fa-
zer quando tlver o predio de ser desapropriado, e
a ceder 1 parte da praca da Litigela que proviso-
riamente vai oecupar, logo que se tenba de abrir a
ra qne pasea em frente do cas.
Teneote Firmino de Frailas Nogueira.Ioforme
o Sr. commandante superior da guarda nacional do
Rio Fonnoso e Serinhaem.
D. Geaoveva Correa de Araojo e Albuqoerqne.
Os escravos appreheodidos foram postes a disposi-
go do jais municipal da 1' vara e a este requeira
a supplicante o qne lhe convitr.
Josu VieiTa do Nascimento.Informe o Sr. de-
Este regulamento tem aigumas disposigoes que a
pratica mostrou serem pouco convenientes, e tra-
tndole de nm grande accreseicuo de trbateos
pblicos, coovinha modifica-las: ueste sentido
emflti minba opinio no relatorio cima citado.
Applicado por esta forma o producto do empres-
timo, nenhuma garantia especial seria necessario
estabelecer em favor da provincia. Actualmente
nao ba na provincia verdadeira concurrencia ar-
remataco das obras publicas, apezar de irem a
praga, de se facilitar nesta repartigo o exame dos
orgamentos e plantas a todos os preteodentes, e de
se Ibes dar as explicages, que pedem, sobre os
pontos, que parecem duvidosos; e finalmente ape-
zar de se adiar o dia da arrematago de qualquer
obra, qoando um pretndeme declara que nao pode
concluir a sua habilltagao.
Os concurrente.-, que se apresentam, sendo em
pequeo numero e as vezes um smente, facilmen-
corretagem e sello.
E* sabido que o flm, para qne destinado nm
emprestimo muito inlloe sobre o prego de sua
emisso. Quando o flm do emprestimo para me-
lhoramentos materiaes, consegne-se sempre obte-lo
cora menores onus, do que quando destinado pa-
ra urna guerra, foi esta urna das cansas do baixo
prego da emisso do emprestimo brazileiro, qne fez
elevar o juro de 5 a' 6 3/4 0/0; nao sera' portento
inadmissivel suppor, qne o emprestimo para a fac-
tura das estradas se realize a' 6 0/0. Consideran-
do que 1 0/0 despendido com as differengas de
cambio e commisso do agente encarregado dos
pagamentos, e que 1 0/0 applicado a amortisago
tera a provincia de despender ananalmente......
400:0005000 com o emprestimo, qne Bcara' amor-
tisado no flm de trinta e tres asnos e qnatro mezes-
por cada serie. Os titnlos do emprestimo sero e-
mittidos em cinco series, urna por anno, de sorte
que a despeza, qne a provincia tera' de fazer sera"
no primelro anno de oitenta contos, no segundo de
cento e sessenta, e somonte cinco annos depois da
emlssao da ultima serie, lera' de pagar a quanlia
de quatro centos contos annuaes, que sera' rednzi-
da nos nltimos cinco annos. O banqueiro que se
encarregar do emprestimo podera' escolher em ca-
da anno a occaslo mais favoravel do mercado mo-
diga-seo i quania'de
a
que proceder nos dias 0- de outubro, 25 de no-
vembro e 5 de dezembro do anno passado, 5 e 12
de Janeiro e 5 de fevereiro deste anno. Que se
passasse mandado.
utro do mesmo, informando contra o requeri-
mento no qual Miguel Ferreira Pinto pede a absol-
I vigo da multa em que incorreu por infracglo dos
^SS&tSF&^J?**^ l0> 26 e 27 do regulamento policial de 4 de
rSocana subvengao da companhia agoslo de 1855. A' vista da informago nao tem
Rnirr,rtr," ^[!: x a ., Oa^t0 do mesmo, informando tambera contra a
Jgpraft.. dtecoieao o .artigoOpprovaV), 1^^ de Aogusto Berlrand qDe pede para ser
JTS,i emfnd^^Joaqa,rB RT bsolvido da molta em que incorreo, por nfracgo
marcava 40:000*000 para aquella do art. 5 das posturas de 20 de novembro de
... .. 1855.-Igual resoluco.
equitativo e conveniente que se impregne o pro-1 sesWteJSoTLfflnte' oPrrdeenedDotedi?Vail,a U,r? 4d? fesmo, Informando o requerimento,
docto do emprestimo as estradas do centro, que a ^tSSS^sTzJSS?*I,,1,!-, h no (>aal Aotonl torrea de Prias pede licenga para
despeza com a subvenego as eompanbias dos tram projec tos 44 69 77* 78 d! e uoT*dls abrir,nma fflC"l? "V8?* D" 18 da ua daS iFreS
enSdb 3 *.'n v7o^IL .11anno' ft d,S P.araf f"ar eos, declara que tendo o peticiona-
rio feto construir urna pequea forja na citada ca-
Buarque.
Encerrada a discusso, sao approvadas as emen-
das da commisso, a primeira do Se Buarque e a
que augmenta os vencimentos do solicitador, sendo
rejeitadas e prejudicadas todas as mais.
trafego da estrada de ferro
A estrada de ferro construida ao sul da provin-1 Barros que"
cia tem de extenso quasi o duplo de qualquer das subvengao.
estradas de rodagem, parece-me por tanto, mais | Tendo
le chegam a um accordo e associara-se para arre- netarlo para fazer a emisso. O governo nao pre-
matar a obra com um por cento, mnimo do abate, cisa receber o valor de urna serie de ttulos da di-
que e permitt.do de offerecer em vista da le. Quan- vida em urna s vez, porqVoVpawmento a fa-
do succede conlratar-se urna obra com abate m-, w pela execugao das brTter^ logar em di ver-
portante, qoasi sempre o resultado de despeito gag pocas e por DMoeas It^SeT deeae valor
entre dous pretendeotes, que nao podero chegar Qou^^&rffS^^^l^-
um accordo e algunas vezes acontece que o abate | |os qae o valor de cada um seia pago en duas
LTSL ,TeJ Ser otrJrec,,1" enendo.se presiag5es, urna logo depois da emisso e a outra
ao lucro razoavel que o arrematante deve ter pelo no fjm de seis mezes. *
seu trabalho e^emprego do capital.
Diversas so'as causas, que concorrem para isto
e as principaes sao, a falia de eapitaes, a de espiri-
to de empreza e associago, e as difflcoldades que
a lei creou exlgindo nma fianga maior do que o va-
lor da obra, e finalmente a especialisago de hypo-
thecas, exigida pela nova le bypothecaria.
Todas estas causas, menos a de falla de espirito
de empreza, que ha de desapparecer lentamente,
por si mesma, podera ser em grande parte removi-
das, auiorisando-se a tbesouraria provincial a dis-
pensar a especialisago de hypotheca nos contratos
ways nao excede muito da decima parte do valor
do emprestimo, e que de preferencia saja subven-
cionada a companhia que estabelecer este systeraa
de vias de communieagao as estradas da Victoria
e de Limoeiro.
Os impostos sao cabrados igualmente qualqner
3ue sejam as dificuldades de transportes e despezas
e produccao dos gneros e, com toda a justiga os
contribuintes podem reclamar, que igualmente se
jara repartidos, as diversas dlrecgdes da provin-
cia, os beneficios dai estradas de rodagem e dos
tramways.
Jolguel conveniente tazer estas oh
bre a escolba das estradas para as quaes o gover
cusso dos de ns. 48 e 49 deste anno.
REVISTA DIARIA
sa para o fina exposto, sem ter oblido antes a li-
cenga, achava-se comprebendido as disposigoes
do art. 3 do titulo 5a-das postoras de 30 de junho
de 1849, pelo que mandou lavrar contra o mesmo,
FoBceronou bontem em conferencia geral o Con- l"T,de Mn^ a's. posturas. Quanlo a
rninri. jm.- d".-.."l._. .?.." estabeleeer o peticionario a forja que pretende, diz
o fiscal nao baver inconveniente.Concedeu-se a
licenga, pagando a multa em que incorrra.
Ootro do fiscal da freguezia do Poco, informando
contra a petlgo de Alipio Jos Flix dos Santos,
na qual pede ser absolvido da multa em que incor-
servatorio -Dramtico Pernambucano sob a presi-
dencia do Sr. Dr. Soares d'Azevedo e eom assis-!
toncia dos Srs. Drs. Torres Bandeira, Tavora, Wl-
truvio Pinto Bandeira, Raposo d'Almeida, Ignacio
Firmo Jnior, Cunda Figueiredo. Carneiro Vilela.
servaedes so- ''* Jes Bento, Rufino Augusta^d'Almeida, na q"i peae ser ausoivido da multa em que incor-
janennr- Era**to d'Aquino Foncew Pena e os Srs Paes de rra' 'wr ,er ,DfriD8>o disposto no art *do re-
^*bZ*J^^^"i^ Andrade e Barros cSp^f" d I T^llLVl >ml l9^SSlS5>
s velra, Francisco Manoel da Silva Tavares (2) Joao
Teixeira de Souza, Miguel Ferreira Pinto, Manoel
Tavaies da Silva, Sebastio Jos Basilio Pinho, e
levanton-se a sesso.
Eu Francisco Canuto da Boaviagem, secretario,
V. Exc fcilmente De4m'rc^ir""e"s^riVw I Dr. Ruflno-Tbesoureiro. "tKSS"2?" S"?3e3' pr-'pr-esideW-e' Cot'
regulamento, que expedir para a boa execogio da I Edq seBO'da o Sr. presidente marca o dia 3 de n, .'., =
le n. 649, -rae sera' ento fielmente Interpretado mai0 Pr> a reabertnra do Conservatorio, devendo ur> oewe-"
de conformidade com o pensamento do legislador ser es*e *** da festa anniversaria d'ora avante;
e o Interesse geral da provincia. e nomea os mesmos Drs. Eduardo de Barros, Ayres
Deus guarde V. exc. repartigo das obras pu- S8008 _e Cicero Peregrino para convidarem ao
que provavel que os particulares ou as 'compa- e'e'cao da
nhias, qne pretenderen emprehender estes obras,' {* %*'
de preferencia se offeregam para contratar as que "[ Spares d Azevedovice-presidente.
se acbarem dentro da zona da estrada de ferro.
Conclulndo esta Informago cumpre-me pedir
V. Exc desenlpa pelas imperfeiges e faltas, que
Dr. Torres Bandeirasecretario.
Dr. Tavora! secretario.
Dr. Rapozo d'Almeida-2* secretario.
ueus guarae a v. exc. repartigo das obras pu- "*""* *"sro reregnuo para conviaarem ao
blicas, 11 de abril de 1866. Illm. e Exm. Sr. Dr. Exm- Sr- Presidente da Provincia aflm de assistir
A realisago do emprestimo dentro do imperio Manoel Clementino Carneiro da Conba, vice prest- sesso de reabeitura.
dente da provincia. Gervasio Rodrigues Ctmh Resolvondo-se que fosse esta feita cora solemni-
zara, dade, accordoo-se que se flzessem convites para
_____ ; ella, nos quacs se abrangesse o emprezario e a
BA {companhia dramtica do Santa Isabel.
Os Srs. Drs. Rapozo d'Almeida, Rufino e Tavora
ta Monleiro.Fonceea.Pinto.-Dr. Villas-Boas.
Oommunicados
s poderia ser feita a praga do Rio de Janeiro,
mas supponho que em qualquer caso com peiores
condigdes para a provincia, entretanto parece-me
que convm tentar este meio antes de se recorrer
as pragas da Europa, onde a provincia nao co-
ntienda. Qualquer que soja o lugar do empresti-
mo, tendo a provin ia de pagar seis por cento de
juros, a emisso deve ser feita ao par, anda que I acfiHM Pl |prifl! 1TI11 DRYItrill
para isto seja preciso aguardar tttocaieHoop-1 MBMHiWiiM LfiulBli<f rRTlilLIAL.
portona. O mercado inglez depols da calamidade
causada pela falta de algodo e seu alto prego em
PERNAMBUCO.
sao provisoriamente designados para a commisso
: de censura dos dramas, que devara ser represen-
lados ; os quaes s tem de Coaccionar somonte at
o Om de raaio
SESSA"
de arrematago de obras publicas mandando-se ,od03 os districtos manufactureiros, roos'lra-se dis-1
da obra ao arre-: <# .--------..^.....\?.. ,-----... I
adiantar (juana parte do valor
matante, mediante Ganga especial e determinndo-
se que a fianga para o contrato seja do valor do
tergo da obra, podendo-se admitir qualquer pro-
priedade nao s urbana como rural.
O artigo 2 da lei n. 649 autorisa os contratantes
a fazerera os estudos e planos das obras que per-
tenceram a provincia mediante indemnisago, nao
sendo o contrato approvado pela assembla provin-
cial. Osestudos graphcos para a escolba e direc-
go mais conveniente de nma estrada, determina-
posto a' favorecer todas as emprezas, cojos esfor-
gos devem ter em resultado o augmento da mate-1
ria textil nos diversos paizes.
Esta consideragao, com que termino o que tinba
a dizer sobre o emprestimo, muito pode influir so-
iradas de rodagem nos terrenos da provincia, on-
de se cultiva o algodo.
A cultura deste genero muito ba de augmentar
futuro, segando o disposto nos
estatutos.
E levanta-se a conferencia.
Est_ designado o dia 15 de malo prximo
para reunio do conselho municipal de recurso do
gao dos pendores e forma das obras d arte, devem ; em COnsequencia da tecilidade de transportes, que
ser Cenas por agentes, do governo. E principio ge- em ronjlos s5q tt dispendiosas, que absor-
ralraente adraittido, que so convem fazer por con- vem uma graode do ,^ d pro'doc,0. Ter.
ORDINARIA EM 24 DE ABRIL DB
1866.
PRBSIDENCU DO SR. VIGARIO FRANCISCO PEDRO- DA
A- S'LVA-
Ao raeio da, feita a chamada, verifica-3e estarem \ tormo de Ipoiuca.
presentes os Srs. deputa dos Francisco Pedro, Ramos,
Ayres, Correa da Silva, Cicero, Mergulha'o, Hisbel-
bre o favor, com que ha de ser elle recebido n'o : 5l4S*RiA>!,r?-Baqne^-LopS* 1*cb*d0 f0*"'
a^stts^ nasas iBSSs?-!
Abre-se a sesso.
. L-se e approva-se a acta da sesso anterior.
O Sr. Secretario d conta do seguate ^uraerago dos bilhetes da lotera 60" offere-
EXPEDIENTE. cidos Pel ibesoureiro das loteras para auxilio das
Um cilicio do secretario do governo. remetiendo' despezas da guerra.
Bilhetes ns. 252,876, 1152, 1707. 2763, 3017 e
A eiposIcSo de 18G6.
II
Depois da publicago do nosso primeiro artigo
neste Diario, wJgamos desnecessario voltar a im-
prensa, porque escriptores mais distmetos e mais
habilliiados, demonstraro ao publico a conveni-
encia de cada fabricante ou productor apresentar
na exposigo os productos de sua industria agr-
cola ou manufacturera. A importante resolugo
que a commisso da exposigo lioje aonucion ter
tomado, nos iocitou a escrever este segundo artigo.
Quando as corporagdes de artes e ofRcios s
permittiam que trabalhassem por sua propria con-
ta aos artistas, que tmham a necessana instrnego,
o publico tinha confianga no titulo de mesire de
O annuncio que publicamos honlem em que lo*'** arte on offlcio e nao Ibe aconteca, como
falla de Barnab Gosepe de Palo. subdito portu- ^""'oiente acontece muitas vezes, ser ooropleta-
menle illuddo pelo artista, que se encarrega de
uma obra, sera ter para sua execugao os conbeci-
guez, deve ler-se subdito Italiano.
Fundeou hontea s 8 horas da noute, no
lamarao, o vapor inglez Rhnne, vindo da Europa ;
mas nao communicoi com a trra.
trato obras que possam ser fiscalisadas era sua en'os" ^ ncu os or nao serem de nVi. as infom
construego, ou que permittiam um exame minu- rlSm^^lm^tJ^ S?~i. S?Sm- professor Joao Jos R coso depois de relias. Nestes casos nao se acha o M^^%^^S^^S^^ cad0 Da lei D' 369 de U de maio *8*8' P"ter Jf"0? DS- 9%.*?S. .? lV
estudo dVuma estrada que s pede ser verificada, ^SfSi?^S^Sm^^ >lradozido do f,ance 8 ,"ladr<,8 ^"melisa- Quintos ns. 152,1041, 2335, 2830 e
fazendo-se um novo trabalho, qbasi igual ao pri- emprestimo e as estradas de rodagem. \ k commissio de fazen(Ja e orQameolo.
meiro, e a fiscalisago dia-ia impossivel. Pe)o !# do trtm, *"da, lei n. 649. cou "- 0olro do me5mo' "" P9JT MP,a-? offlcio
TRAMWAYS.
Dous Tactos recentes comprovara" o que venho de ,jZWtaASaftiV^maa'&tSto kiC era 1Qe a ca,3 municipal da "villa de Cimbres,
-J'!" "' '- I!;.".!,., rr,. w ,V!,,g^,r'clama acerca da msufflciencla da quola designa-
JXLZZTJ K^L'iSrtf SLt d eso, rmmnio por copia o offlcio,
em que a cmara municipal do Recife, representa
, o orgamento e contracto de uma entrada,
dizer. Tendo sido
dsay os estudos e orgamento para urna estrada a
partir de Trombetas, era direcgo a colonia de Pi-
menteiras, foi preciso mandarse proceder a oovjs
estucos nos quaes se dispendea a quaotia de
317)280, e gastou-se dous mezes A estrada de Fre-
ebeiras Gravat estodada pelo Ilustrado Sr. En-
Os bilhetes da lotera 59a produziram 10&2D0
ris.
Total 2:0082O0.
RKPAKrjQO. DA polica :
Extracto das partes do dia 26 de abril, de
1866.
Foram recolbidos a casa de detengo no- dia- 25
do corrente.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Joao Tei-
o*o5a0mSntt^t?^ ?2 acbar"9e es*olla ^ 5aSTno orgamento xeira de Lomos, vindo da provincia das Alagoas,
genheiro Millel, apezar do governo ter posto a sua Kff3OMMrTS!2 extractar uma estra vigenle' para" as desPezas castas em *oe decahe V>tm etltiimo de norte no Buique.
disoosigao um empregado da repartigo das obras BK^VBKSSSSKSpR JBffl ^^^ CMm^ de r54meD, Satos^S AnSto'n!ti5f6SSSi
publicas, e da conflanga, que particularmente me- segaintes condigoes, para ftxar o tragado, que fi- m?i' .Pn.
rece esse engenbeiro, nao pdem servir de base ---- a-----a^.:. A rr.
nao pdem servir ae naso eara'dependente da provago do governo.
para um contrato, e torna-se preciso mandar fazer, .. & pendores da estrada serio inferiores
novqs estudos por um agente do governo, que se-1 ^^ p0r cento.
ja nao auxiliar, mas sira nico responsavel pelo
trabalho.
O tampo que ser necessario empregar em estu-
dos graphcos, preparago de planos e orgamentos
e tambem para a execugao das obras, nao permu-
te o emprego do capital de cinco mil contos em
mais do que a quinta parte por anno, termo medio.
Para se despender a quantte oe mil contos por an
no em obras de estradas preciso ter cerca de duas
mil pessas empregdaas no servigo,
dever adiar este pessoal em varios pontos de di-
versas estradas, muito numeroso para a populagao
da provincia no seo estado actual. Nao podendo
ser empregado o producto do emprestimo em me-
nos de cinco annos, convem que as entradas se
fagam pela quinta parte?Esta medida muito fa-
voravel a provincia, porque as despezas qne o em-
prestimo hade accarrelar com joros e amortisago,
estarlo no primeiro anno dentro dos limites dos re-
cursos actuaes da provincia, e augmentarlo ao
mesmo lempo que estes se- bao de desenvolver.
Estas consideracSes servem para justificar a ma-
neira porque emendo que deve ser executada a lei
n. 649, na parte relativa as estradas de rodagem e
pagamento das prestagdes do emprestimo, que a
segointe :
1.* O presidente da provincia mandar proceder
pela repartigo das obras publicas, augmentando
liara isto o sen pessoal provisoriamente aos estu-
dos graphcos e fazer os orgamentos das estradas
construir.
2.0 As obras sero divididas em langos de valor
nunca superior a 100:0000000, para serem arre-
matadas, marcando se para Isto o prazo de om a
tres mezes. #
3. Os. pagamentos sero feitos em quatro pres-
tacSes igoaes, sendo a primeira quando o arrema-
tante quzer receber, prestando para isto Banca es-
pecial, e as onlras tres por cada terga parte da
obra executada, tomando-se por base o valor do
contracto e nio a exteosao da estrada feita.
4.* A decima parte do valor de cada prestago
ficara' em deposito, part ser entregue quando a
obra for recbida definitivamente, o que lera' logar
dezolto mezes depol do reeebtnjeijto provisorio.
2.* Todas as vezes qne o pendor exceder de
tres por cento a extenso do laogo da estrada nao
podera' ser maior de 100 metros, sem nma inter-
rupgao com um lango de vinte metros, de pendor
inferior a um por cento,
3." As curvas tero o rajo superior a 100 metros.
i. Entre duas curvas em forma de S se fara'
om alinhamento recia superior a 80 metros.
5." As pontos de raadeira ou de ferro sero cons*
B | fruidas de maueira que a parte inferior das liabas
. fique um metro e 50 centmetros cima do nivel da
maior cheia conheeida.
6.* As pontes de alvenaria tero a nasceaga dos
arcos 80 centmetros cima do nivel da maior eheia
conheeida.
7.* A largura do rio no logar 'da ponte nao pode-
ra' ser demmuida de mais de nm duodaoirao.
8.* As dimensoes da* pegas de ferro sero cal-
culadas na bypotbese de ser a resistencia a cora-
preso igual a de extenso e ambas de quatro kilo-
grammas pormillimetro qoadrado.
9.* A largura das estradas sera' de 7 metros, de
peiigio de G. O. Man, superintendente da
estrada de ferro, pediodo a votaglo de una indi-
, cago a assembla geral sobre diversos melbora-
mentos. de que precisa a mesma estrada e a respec-
tiva empreza.a eownisso de constitnigo e.
poderes.
Foram lidas e approvadas as redaegoa dos pro-
vectos ns. 32 e 69 deste anno, e apoiado, mandado
i a imprimir nm projeclo assignado por 22 senhores
deputadqs concedendo nma lotera de 120:000$em.
beneficio da oooolisaeto polaca.
Veio a mesa e foi approvado om requerimento
asslgoado pelos senhores G. de Drnmmond e Car-
valbo Moura, pedindo informaedes acerca da Uiu-
mmagao da cidade do Rio-Formoso.
Fallara pela ordem os Srs. Buarque e Gaspar
Drommond.
ORDEM DO MA.
Tereeira discusso do projeeto. n 74 deste anno,
autorisando a resclso do contrato Mamede na par-
1 fe relativa a estrada no norte e contrate addicio-
nal.Approvado sera debate.
Tereeira discusso do projeclo n. 24 deste anno,
approvando diversos crditos snpplementaresAp-
provado sem debate.
Segunda discusso do proieete n. 97 de 1864,
Santos, Jos Antonio do Monte e Jos Francisco
UmbeUao, a reqnisigo do capito do porto-j e An-
tonio Pitia Cavalcanti d'Albuquerque, para corree-
gao. ,
O chele da 2* secgao,
i. G. de Mesquia-
Casa de detkncao.
Mov ment dacasa de detengo dcdia25 de abril
de 1866.
Existiam 360, entraram 5, sabiram 1, exislem
364.
A saber:
Nacionaes 250, mnlheres tt, estrangeiros 34
mulheres 2, escravos 65, escravas 2, total 364.
Alimentados a custa dos cofres pblicos 187.
Movlmento da enfermarte da da 26 de abril de
1866.
Tiveram alte:
Joao Jos Bar boza.
Antonio Jos de Amori.
CAlAR 1MH1PAL DO RECIFE.
SEXTA SESSAO|RDlNARIA AOS 22 DK MARCO
DE 1866.
Prestancia io Sr. Pereira Simes.
Presentes os Srs. Aqoino Fonceea, Gustavo do
Reg, Santos e Dr. Seve, abrio-sa a sesso, e foi
llda e approvada a jeta d'anteoedente.
L-se o secuinte:
EXPEDIENTE.
Um offlcio do secretario da presidencia, convi-
dlscusso do projeclo .
5 metros a das pontes de extenso menor de 20 mandando pagar 10 % sos guardas da casa de
metros, d'ahi para cima de 6 metros. i detengo, na qnalldade de empregados publi-
10. orgamento do moviment de ierra sera' eos.Approvado, depois de orar o Sr. Ramos.
feito, tomando-se por base a segrate tabella : Primeira discusso do projeeto n. 80 deste anno,
Um metro cubico de (erra argilosa. mandando iluminar a cidade da Victoria.Appro-
Escavago...................... Rs. O i 140- do sem discusso.
Lancar a torra a 2 metros de al- Tereeira discnsso do projeeto tnbstitotivo de dando, de ordem de S. Ejpjto Sr. presidente, % ea-
" 90' n. 62 de 1865, que reforma a thesouraria provin-1 mar, para assistir ao cortejo que se lera de fazer
4 701 cial. i no palacio do governo aN efflie de S. M. o Impera-
100, Vem a mesa as seguintes emendas sendo as dor, palas 5 horas oa terd do da 15 do corrente,
qoatro primetras da commissio : anniversario do jaram'Jnto da oonstttuigo do Un
80. Em vez da palavracoiwdoriadlga-sethe- porto.-Inteirada..
1 sonrarla;
O amanuense carterario se denominar simples-
mente earlorario, e ter es vencimentos e cathego-
ria de 2 escripturario ;
Suppnma-se o $ 5 do art. 4*;
Os amanuenses se deuomluaro terceiros escrlp-
turarlos;
Snpprima-se o aogmente de ordenado e cathego- -. ._ ,-
estradas na zona da estrada de ferro, por qae as-' ria de oSeiaes-maior qae passou em 2* djoussao i Sna exoneragio desde o dia 8 d,Q correte, q nao
septaadorse qs {flfjigs cqnj a djsttqcia, qae ah foi para o esorlvo, accresceotandjBe ape%at qae te, j tendo-a aio^a obtldo, passoq, 9 efeico aq I sop-
trfra......................... 80
Car regar em carrinho de mi... 60
Carregar era oarro*----........ > 90
Transporte 30 metros de distan-
eia........................... 70
Transporte a 100 metros em car-
ros........................ 160
Por cada 100 metros mais........ 50
COLLOCftCAO DOS TRILH0K.
E' para auxiliar as despezas com o estabeleci-
raente dos trilhos eacquisigo de material rodante,
qne se deve dar a snbvenclg kilomtrica. Esta
subvengio ser reqqerida ae preferencia para as
lOO
70
Ootro do Inspector da sade publica, pedindo
cmara,. &ta, hem da mesma sade publica, atiento
a que se H'ndo dado n'esla cidade algons casos de
diarrea, qae se digne empenhar na limpeza da ci-
d(i e seus. subarblos.-Ioteirada.
Oatro do subdelegado da fregaezia de S. Jos,
Jos Francisco de Souza Lima, parlteipandoqoe,
'.Ondo pedido ao Exm. pres^itenle da proy*6^
mentos indispensaveis.
A& exposigdes nacionaes e universaes, pelas me-
dalhas e diplomas que destribuem aos producto-
res, que se distinguen] pela perfeigo de seu tra-
balho, tem corrigido este inconveniente da liber-
dade de industria, incoveniente, na verdade, mui-
to insignificante em comparago dos melhoramen-
tos e progresso por ella reaiisados.
A assembla provincial, em seu louvavel patrio-
tismo, abri um crdito presidencia da provincia
para auxiliar as despezas com a exposigo e con-
ceder premios aos expositores.
Foi em consequencia desta lei, j sancionada,
que a commisso da exposigo pode tomar a re-
sologao, que hoje foi publicada pelo Sr. Dr Buar-
que de Macedo.
Consideramos esta medida de muita importancia
para a industria agricolae manufacturera de Per-
nanbuco, mas parece-nos qne pouco resoltado po-
dera fazer em relago ao esplendor e grandeza da
festa industrial marcada, para o dia 1* de julbo, se
nao for adiado o dia da aberrara da exposigo
para o mez de agoslo, pelo menon.
As pessoas que moram na cidade do Recife, e en
suas proximidades, tem dous mezes tempo sufEci -
ente para fazer qualquer trabalho, mas para as aue
morara a grandes distancias, multo pequeo e o
praso que Ibe resta.
Felizmente vai- calando no espirito da populagao
a verdade sobre a conveniencia publica e partiou-
ar de todos concorrerem a exposigo e a confianga
geral vai substituido o receto Infundado de que a
provincia nao tinha recursos propros para tazer
nma exposigo.
A indifferenga e a vaidade desses viajantes, que
entendera, que s em Pars ou Londres se pode
organisar uma exposigo e que espalhando essa
falsa opinio ttebam feito nascer a desconflanga e
o desanimo, nao prevaleeero .contra os esforeos
da commisso e o patriotismo de seus. agentes au-
xiliares.
A festa do 1. de jnlho nada tem de poliitea on
particular, ama testa toda nacional; nenbnma
rivalidade pofs, deve apparecer, seaba de cada
um sobresabir pela qualidade a barateza dos sens
productos.
A Importancia commercial de qualquer objecto,
qne se apresentar na exposigo, nio est na sna
perfeigo, como ja dissemos, e- flm no seu costo
comparado com os servigos q/m. pode prestar, sna
ntilidade e estimago.
A confianga e o desera, que nutrimos, de qne o
Brasil nao faga na prxima exposigo universal
de Pars nm papel to mesqoinbo e ridiculo, como
tem acontecido as ou.tras exposiges^ao nos
permute conservar-nos em uma posigao indifferen-
te perante os esforeos de pessoas mieressadas di-
rectamente no bom resaltado da exposigo que
agora, smente, se pode chamar provincial, por-
que antes de ter a assembla provincial autorisa-
daeoncessio de medalhas e premios, nio era
mais do qne a rennio dos productos para se fa-
zer a escolha dos que devem ir para a exposigo
do Ra de Janeiro, onde nio se podet tomar em
oonsideraclo as difflcoldades locaes, qae embaia-<
gara o desenvolvimento de certas industrias, a ne-
cessidale de animar alga mas, qne em ontras pro-
vincias j podera ter nma vida, ^dependente, a
conveniencia de tornar conheeida do publico e ga-
rantir a qoalidade do producto do/'ajfluma indos-
tria j estabelecid pprm quIjjM ignorada, e


-
ir


Mmmm~*

m
Marte ie **- Sexto felra ti de Abril de 1866.
-i
3K
=4=
entras maltas circumstaadas qae < u Jar? tacal
pode apreciar. .. .,
0 publico, que naa pode encoraraendar os o]
toctosi de que pracisa ao rlis Kxsqaheello
jury central eemo o mals|l,
-U,t!r
nascamda *U -4** menlos irrialivos.
Os srbanles sao wmtera aquelles agentes,
tjs qoao-fmentani aovimemos irrita-
tivos, que formaos abuorcao, e os s ceren-
tes aquelles que augmentara os mvimentos
irritatives que coosiiiuem as secresoes.
Assim, poisv v-se que sera a precisa combi-
nado e niodilicaco niio i de ser elle appli-
cade indistinctamente. Muitas vezes o {Za-
tico deixa de fazer applicacao do ferro por
mora
provincia rmota^sfa mn^antresse
em saber qaal o melhorpesta provincia.
Esia elassiflcagao dos dlversw aitrMas e agrico!
lores s pode ser felfa, aorn diaaanos, por am
jury local coraposto do pessoas tiaaHitadas, esco-
midas nis diversas classes da soctodade para ga-
randa dos interesses de todos, sem pensameolo al-
gum poltico. Coaslderamos to importante e dita-, fnrhfll.r ..;,. '. n ftffjMo
cil a escolha dos membroi do jury, que nao poda-1 connecer sospeitar que o ngaao, o nore ou
mosdeiw de pedir a presMeoca da provincia fuimao, eou'aoessenctal da respiracao ou
ou a commisso d expsita, se a esta for in- oulra enlranha esta offeadida; entretanto
cumblda a tarefa de fazerl propor ai ornea- que M ae tivesse appricado em tempo se
Soe^00""8'10 6 rrad<,Iciadeve,,"er poderia ter evitado o desenvolvimenio da
Das habiiiucSes dos membtos do Jwy depende- molestia. Assim, pois, o xarope prepra-
r a coofiaoga do pablieo, o :ieerto da escoma das do como fica -exposto se pode usar sem ris-
pessoas, que devem ser premiadas e o grao de ^ por nj0 ofemier as entranhas. As mO-
ts&^xsx^^^^-1** rr,vs qnr?mtzz
unco. frigerante pode ser applicado com proveito,
Conelolndo este artigo nao podemcs deixar de s3o.' s amenorrheas, OU SUSpeoc3o do flu-
renovar o nosso pedida a comroissio para adiar a x0 menslrual das mulberes, anemia, OU di-
poca da abertura da expoeteao, porque cooside- -^ j, _. ^ Mafme e sua eonsis-
ramos muito curto o tempo que resta para chegar mmuicao aa macg.i 8!Fe ""'T
ao coohecimento de todos os nabiuntes a noticia tencia alterada, dores de estomago, aebili-
de que vamos ler nma exposfcio provincial dade dos igaos digestivos, fastio, fluxos
qaal oeohom^ Pernambucano_qne *H.!eI.*"f.'.!- mucosos, flores brancas, Chlorosa, molestias
do sexo femenino, cacaclerisada por 4ao-
! guor geral, acctorisacao paluda da .cor ou
cumstancias de concorrer com os seus productos
deixara de os remeiter.
Recife, 25 de abril de 1866.
GdUa, rlieumatismo, partlysia,
Oores, impotencia, esterilidade.
asto Al ves OWmares 305000
Coocelele taJOSO. O Mattiildes:
ae Correa e Si (8*160, Harcellino
Marasmo, hypocondria, emm^gmtmihfjjp. wwSm
O xarope alchoolico
tudo, da maior utilidade para XUi JIWH>
clmente, e em pouco tempo o rheuma-
tismo.
Adverte-se que o verdadeiro tarop s se
vende nesta cidade na botiea cima indica-
da, de abis assignado; e em outra qual
SMS Frasca ganaavararassimlbedefira. Esperareceber prac*lablica desie jw^draou da aodien-
TJX(IZ .. wcCerno pmurador, JosfTheodoro Cia respectiva, os bees segantes:
(*"es- .. ow casa terrea de ped* e cal,' sila
E aesta petic5o que me fot apresentada povaieae- de Monteiro, effl ch9os foreiros,
m;fna. roram peroradas por execu5ao de dei 0 despacho do theor segrate : Dis- tendo 1 janella e 2nortas na frente 2 salas
Barros & Silva contra Joaquim Mareolino da Silva ; ^^^g ^mo TeqQfjr ^^ 2g dfl feve. .
1:166*300.
e se aebio depositadas em mo do mesmo exeen- .
udo. Firo de looo.Coelno.
E lio havetido lanzador que cubra o pweo da' E sendo feita a distribuicio ao escrivSo
avtitacao a irremaucao ser feita pelo pre^o da' este juizo Guilherme Augusto de Atbayde,
., "Wi Sue^a'conbe*.^ i. odo.'^ observancia a este meu despacho,
quer parte qae ae *em aonuaciado nao da minei p, 0 pi4seDte que sera" pobiicado pela, te Passar o presente, peto qual e seo theor,
mesaa coinpOSicSo, e nea'O abaiXO assigna- imprensa ifixado nos lugares do costme.
de ae responsabilisa.
Jos i* Rock* Parmhos.
COMMERCIO
Publicis a pedido
Em om dos prximos vapores que deveto partir
para o sui tem do retirarte para a Babia o Tim.
e Rvm. Sr. D. atibarte (re Autooio da Patrocioia
AraujQ.
Boa religioso, tora amigo o Sr. D. abbade, pode principalmente, e em todas
utanar-se de ter conquistado muitas svmpathias du
rante e precioso tempo que tem estado entre nos.
Registrando aqu astas pattvras nao fazemos mais
do que pagar un tributo bem merecido as excel-' cadas.
esverdinhada, empobrecimento do sangue,
eofartes-chronicos das visceras abdominaes,
alporca- ou escropbulas, escorbutos, opila-
f5o, pallidez, e os estragos produzidos pe-
las molestias srphiriticas: asthenia ou falta
de for cas; fraqueza geral: e ha ivdro pe-
sia anazarca e ascites; tendo-se o cuidado
de observar oestas dnas ultimas molestias
s 'Utras, que
um dos effeitos salutares de.-te xaropo te-
ro-ventre corrente, e a urinas desembara-
leotes qualldades que oroam a pessoa de S. Exc.
que por mullo* Uiulos eredorada mais sobida es-
tima e consideraco de todos e em particular 4a-
Saelles que tiveram a foUcidade de o commnoicar
s parto.
f rospera viagem me almijamos, e anda urna
Tex temos oceaslao de dlrer que o Sr. D. abbade
deixa aqu numerosos e dedicados amigos, cujos co I
racSes repassados de saudade, tribntsm-lhe uro
culto da verdadera estima. "No deserapeoho de soa
misso soube S. Exc. portar se de modo que Bada
dixou a desejar, pautando as suas ac(3es pelos
principios da honestidade, e mostrando sempre
muito zelo e dedioacio a par da abnegano e des-
interesse. Homens, como este, nunca sao de balde
conocidos na poslcio que cecapa o Sr. 1). abbade.
Fazemos, pois, os nossos votos, aflm de que nova-
mente teBharaos a felicidade de v-lo entre nos.
O modo de usar-se e regular-sc vai des-
cripto no !etreiro pregado no frasco.
Vende-se nicamente na botica da ra
Direita n. 68 de
Jos da Rocha Paranhos.
\0 PUBLICO.
Tendo em um dos metes do auno de 186o, os
Srs, Abreu & Silva comprado ao< Srs. Ponceca &
Abreu o seu esUbeleumento de i.'iarm&cia, admit-
tiram aquelles Srs. para seu guaroa-livros ao Sr.
Jerooymo da Costa Lima, e acontece que haveado
os Srs. Abreu 4 Silva fleado cora as dividas acti-
vas e passivas dos Srs. Fonceea & Abreu, o Sr. Je-
rooymo da Costa I/na, no acto de estabelecer
n'uns auxiliares a escripia da supradita casa, cons-
titniose espontneamente credor dos Srs. Abren 4
Silva, ereditando-se pela quaotia de 3:)3'J33 rei>,
sem nunca, al a data de 14 de malo do anuo pr-
ximo fiado, ter relacoes algunas com a casa, era
tao penco prestado-1 he servlcos aiguos II...
No balasco resumido que conlem todas as partes
que consttoe a totalidad* por que fei realisada a
compra e venda da referido estibeleeimeBlo, as-
signado pelas partes contratantes, nao se encentra
debito ou crdito algam que autorise ao Sr. Lima,
a exigir semelhante quanlia II...
O que se encentra no mencionado balanco que
o Sr. Teodosio Maduro da Fooceca, guarda-livros
dos Srs. Fonceea & Abreu, est creditado pela
quantia qne o Sr. Lima, a pretexto de ter ajndado o
mesmo Sr. Tbeodosio, escrevendo alguma eousa nos.
auxiliares, entende que Ihe deve pertencer...
O Sr. Lima nao leve pejo Henhum em chamar a
juizo os livros de urna casa commercial, para ver j
se por elles pode justificar a sna pretendida divida, |
jolgando-se talvex com capaoidade de fazer escure-
cer vtrdade, raiSo documentos, e indo de urna au-
ttienticidade incootestavel.
Oito mezes esleve o Sr. Lima em casa dos Srs.
Abreu & Silva, nao se empregando no seo servico,
nem talvez 3 mezes, por que tudo quanto fez nada
se aproveiioo, tendo-se de mandar fazer nova es-
cripta, por que todos os lancamentos eram feitos
em livrinhos intitulados pelo Sr. Lima, nao tendo
as priocipaes partes da escripia ttulos abertos em I
coota corrente, ou razao, assim cora) sejam : raer-
cadotias geraes, despezas geraes, letras a receber,
letras a pagar, coota correte de cada um dos so-
cios, coota corrente de cada erapregado da casa, e
nosei que mais
E' o mesmo que nao ter escripia I.. Mas no
em tanto o Sr. Lima nao se descoidou em pedir di-
oheiro, por que durante oiio mezes, de 14 de maio
de 1865 a jaoeiro deste anno, mosU a 8004000 o
sea debito II___ E assim mesmo ainda se arroja
a ludibriar orna casa commercial; chamando os
seus donos a juizo, para haver d'elle. o seu ordena-
do II...
E esta ? ser isto bico ou caneca ?!..
Sim senbor, curvemos ao cabeca ao Sr. Lima, e
digamos de vice-versa^sta mxima : Servs nastris
parir debemut, visto as cousas agora andarem as
vejas.
Veremos o que deci i i rao os dignos, peritas que
esto encarregados de extrabtr a conta do Sr. Lima
e o que julgar o esclarecido e jusliceiro Sr. Dr.
julz do commerclo, para eotao dizermos mais al-
guma cousa a respeito desta impensada e improce-
dente questio.
E nao obstante tudo isto, o' Sr. Lima abreve an-
da na eompanhia de seguros, mas debaixo dai vis-
tas do Sr. Jos Paulo da Fonceea.
CURA
Espanta e Aiimravel
PE UMA CHAOA
CMCROSA ROEDORA
ou
PLIPO NO NARIZ.
Urna creada de servir resillen tu em Pi-rnun
buco e pertenoenlo Bs^ Sciti* Vscondmsa
DE oiannA, foi attacida d'uraa terrivel cha
ga cancros a e roedoraou Polypo no Nariz.
A meema inrolvta toujava *odo a parte in-
ferior do nariz, i:ica ,-amlo ji'i dietruir tanto a
parte cartilaginosa como o ueemo oso ; Come-
tou priuieiro por apparecer sol o beico eupe-
rio* e parte da face, extendendose por tal
forma e com tal rapidez, que em p"uco amea-
9>ra transforiiifir toco o rosto n'i.i enorme
eharaja viva e sqneroea. Durnntf todo este
terrire estado, todos os recursos iueiiicnaea
qae em tacs cazos se uni foro abundante-
mente empregados, sem que de leve fizosse
parar a marcha lenta e dlstruidora de tao hor-
rivel enfermidade, e todos ce meioi e eafbrcoa
forSo baldados, o no em tanto o mal creada eia
que por milagrosa fortuna da infeliz estando
as cou/as Beete jxmto, se experimentoa pela
vez primeira a
SALSAPABRILHA
DE BRISTOL.
O effito produzido, quasi que instantneo
por este inesthnavel remedio foi verdadeira-
mente maravP.l.oso e sem igual; este grande
purificador do sangue e dos humores do sys
tema, immediatamente pz um termo mar-
cha diaastroza e fatal da molestia, derramando
Be e infiltrndose atravea dos tecidos os mais
delicados do corpo, ex pe lindo ate a ultima
propriedade ou vestigio virulento da molestia,
e dentro d'um curto espado de tempo produzio
ama
OURA
Completa e Radical.
Bate feliz quio admiravel resultado foi obt
do apenas com o simples uso
Huma s uiiiea Garrafa!
d'eate incomparavel e inapreciavel depuratorio,
recommendamos portanto a todos ce Doentes
que procurem obtei com o maior cuidado a
nica e verdadeira BalBaparrilka de Brlatol,
nicamente preparada por
L ANM AN & KEMP,
9e NOVA YORK,
PRACA DO BECIFK.
Cota^oes offlelaes.
26 de abril.
As 3 i|3 boras da tarde.
Assuear mascavado CanalIJ600 e WiO por ar-
roba.
Assuear maseavado americano 1^780 por ar-
roba.
Algodo 1" sorte 7JB0O e 7600 por arroba
Algedao de Macelo 17*200 17*300 por arroba
posto a bordo.
Cambio sobra LondresSO d|V. 27 l|2 e 57 i|4 d.
(do banco).
Frete de assuear para o Canal 4|6 e 6 *\o de
prlmagem.
Frete de algedo para Liverpool 3{i d. e o 0O
(a vapor) ,
uuboureq Jnior,
Presidente.
Silveira,
Secretario.
Recle, 1 de abril de 1866.
Eu M a noel Maria Rodrigue! do Naetimento, ea>
crivSo o sobserevl.
r4#to d Aleuear Afartpe.
O Dr. Virgilio de Gasmao Coellio, jutz mu-
nicipal supplente da 2.a vara em ejerci-
cio nesta cidade do Recife de Pernambu-
co etc. etc.
Fago saber aos que a presente carta de
editos virem em como a unta administrativa
da Santa Casa de Miericordia do Recife, me
fez a petipSo do theor segninte: Diz a
junta administrativa da Santa Casa da Mise-
ricordia do Recife, que quer fazer citar a
viuva de Manofel Antonio Carneiro, para
primeira d'este juizo fallarem aos termos de
um libello em que llie quer pedir o sition.
20 particular m> lugar Carreira dos Mazom-
bos, as salinas, do qual se acba de posse a
supplicada por titulo de aforamealo teito ao
dito Manoel Antonio Carneiro, visto ter a
supplicada cahido em commisso, como me-
lhoru:ente expressar em sea libello, pena
de revelia, cando logo citada para lodos os
Novo Banco de Pernambuco. ? t%S2itt2?- S.
viuva, por isso reqaer aV.S. qnese digne de
mandar passar carta de editos com o prasb
de 60 das para ser citada a supplicada por
todo o conteodo n'esta Pereira e Souza.
Proc. cv. notta 203 por tanto pede ao Illm
o novo banco paga o 16 divideado n
razio de 60150 por acclo-
" .\ovo banc de Peream-
baco.
2&SSTi& 2!?S>. Dr juizxnunlcipal da 2. vara Ihe defi-
correla pelo premio e coodicSftS que t|;onven ra. E R. M. Como procurador Jos Tneo-
clonar, e saca sobre a praca da Baha (jore Gomes,
lfandega ^uJa P^'C80 seno-me apresentada n'ella
Rendimento do di i a 13.....' 746:120*136 deio dispacho do theor seguinie:
dem do du 26.............. 51:684*120: Destribuida, eomo reqner. Recae 22
T;;^ le fevererro de 866. V. Coelho.
Em vinude de dito mea dispacho foi a
acc3o distribuida ao- escrivao Cunha, e este
MOV MENT DA ALFANDBGA
Volantes entrados com (aseadas... 124
s c com .{eneros... 347
Volum** sabidos cem toiendas... 182
f f com gneros.... 767
471
949
Desearregam boje 27 de abril.
Mapor ingle -Qlindamercadorias.
Barca lubeckeoseHadgerlarinba de trigo e mais
gneros.
Brigue hespanholTorodem.
Brigue aostriaco Artoneida.
Galeota bamburguetaEclpticatoercadorias.
Barca iaglezaEdttk Manoncarvlo.
Brigue ioglet=ioA & EUsabethdem.
Brigue iogleCassic Graydiversos gneros.
Barca, nacional Amizaiecharque.
Brigue naciODalB/Monodem.
Brigue nacionalAuriiflno "dem.
Brigue portuguezS. Jotedem.
Sumaca hespaoholaGuadalupe dem.
Patacho portogoe*<7orrr<-4deai.
Barca portuguera BeUem diversos genero
Lugre ingleMaronie- diversos gneros.
Brigue ingle EUa Bruce mercadorias.
RECEBEDRIA DE RENDAS INTERNAS
RAES DE PERNAMBUCO
ftendlraento do dia 2 a 25....... SkSrrr
'demdodU26............... 1:722*614
23^344*884
GE-
passou a presente por bem da qual e sen
theor citada a viuva de Manoel Antonio
Carneiro, para fallar aos termos de om li-
bello civil qae Ihe Tai propor a junta admi-
nistrativa da Santa Casa da Misericordia do
Recife, pedind-llie a entrega do sitio n. 20
no tugar*1 arrefra dos Maeombos as salinas,
visto ter eabido em commisso; como tudo
declara a peticSo aqu transcripta, aflm de
que no praso de 60 das cootados da data
do presente, comparece em juizo por si ou
por seu procurador a allegar o seu direito,
e defesa, sob pena de revelia; para o que
mando a todas as pessoas, prenles, amigos
ou conhecidos dt viuva de Manoel Antonio
Carneiro, Ihe facam aviso de que por este;
citada para oque cima fica dito.
E para que ebegue ao conhecimento de
todos, maodei passar o presente que ser
publicado e affixado no lugar publico do
custume.
Dado e passado com o praso de 60 das
n'esta cidade de Recife aos 3 de marco de
1866. Eu Pedro Tertuliano da Cunba. es-
crivao o escrevi, Virgilio de Gusmo Co-
Kendiment de da 2 a 25..
Ilem do dia 26 ...
Iho. Vai pagara quantia de 230 rs, de di-
CONSULAoo PR0Vh>clA,J-01.69o3i6 reitosde chancellara.- O escrivao Cunba.
2:739*960 N. 1223- 256 rs. Pagop 230 rs. de direi-
' tos de chaixtllana. Recife 3 de marco de
1866. Chaves,Limoeiro.
Vai pagar o sello d'este edital que impor-
ta era a qnantia de 400 rs. O escrivSo
Cunha. Estava o seUo n. 56400 rs. Pa
101:439*276
MOVIMENTO DO PORTO
chamo, sito e hei por sitados aos menciona-
dos herdeiros do fallecido Manoel Pinto,
para que dentro do prazo de 60 dias compa-
recam ante este juizo, por si ou por seos
procuradores, allegando e provando o que
! for a bem de seus direitos e Justina, sb pe-
na de se proceder suas revelias.
Portanto toda e-qualquer pessoa,prente,
amigo ou conhecidos dos referidos herdei-
ros, poder-lhes-hso fazer sciente de todo o
expendido. E para que chege ao conheci
ment de todos mandei fazer o presente que
ser affixad nos lugares do costume, e pu-
blicados pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de
Pernambuco, aos 3 demarco de 1866.
Eu Guilherme Augusto de Atbayde, escri-
vao o subscrevi. Virgilio de GusmSo Coe-
lho.
N. 60.Rs. 400 rs. pagoo 400 rs. Reci-
fe 3 de marco de 1866.Chaves.Sena.
Vai pagar 250 rs. de direitos de chancel-
lara. Recife era supra.O escrivSo, Atbay-
de. N. 1221. Pagou 250 rs. de direitos
de chancellarla. Recife 3 de marco de 1866.
--^Chaves.Limoeiro.
Transitou pela chancellara. Recife, 3 de
marco de 1866.O escrivSo, Francisco dos
Res Nones Campello Jnior.
Lancado a fls. *10O do competente livio
n. 13. Recife 3 de marco de 1866.Cam-
pello Jnior. Firmino Antonio de Souza,
presidente. Estavam as armas imperiaes.
E nada mais se continha em dito edital
aqu copiado do" proprio original.
Dado e passado nesta cidade, aos 5 de
marc de 1866. Eu Guilherme Augusto de
Athayde, escrivSo o subsorevi.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, oficial da Im-
perial ordem da Rosa e juiz de direito especial
do cotnmercio desta cidade do Recife de Pernam-
buco por Sua Magestade Imperial e Constitucio-
nal o Sr. D. Pedro II, a quora Detrs goarde etc.
Paco saber pelo presente que no dia 14 do met
de maio do corrente anno se ha de arrematar por
venda a quem mais dr em praca publica deste
joiro, depois da audiencia respectiva, a casa terrea
de pedra e cal, n. 31, cita a povoacao do Monteiro,
em chao proprio, com 3 janellas na frente, portSo
de madeira, com 32 palmos de largura, e 65 e ij2
de fundo, 4 quactos, 2 salas, copiar com telbeiro
oecupado por padaria coztnha fra e um pequeo
sitio murado, que floda at a estrada do Arraial,
avahada por 1:700*000, a qual vai a praga por
execocao de Vicente Nunes da Serra, contra Rosa
Maria de Lima como benleira do finado Antonio
Francisco Pereira e Joaquim Juvenclo da Silva
como testa me oleiro do mesmo finado.
E na falta de laceador que cubra o prego da
avaliaco ser a arrematado feita pela adjudicars
com o abatlmento respectivo da le.
E para que ebegue ao conhecimento de todos
maodei fazer o presente edital que ser affixa-
do nos logares do costume e publicado pela im-
prensa.
Dado e-passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, 16 de abril de 1866.
Eu Manoel Sil vino de Barros Falcao, escrivao In-
terino o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe,
O Dr. Virgilio de Gusmo Coelho, jolz municipal
supplente em exercicio da segunda vara desta
cidade do Recife de Pernambuco e seu termo,
por soa magestade imperial e constitucional o
Sr. D. Pedro 11, a qoem Deus guarde etc.
Paco saber pelo presente que a junta administra-
tiva da Santa Casa de Misericordia do Recife, por
seu procurador me enderecou a peticio de theor
seguinte:
Diz a junta administrativa da Santa Casa de Mi-
sericordia do Recife, que qoer fazer citar aos her-
dfir :- de Miguel Ferreir de Mello, p%>a a primei
No dia 26 nao houveram eutradas era sahidas.
Observaco.
Fundeon no lamarao orna sumaca bespaobola
mais nao leve coramonicacao com a trra.
Apparece a leste a escuna brasileira Georgiana
e um brigue que nao icoo bandeira.
Suspenderamdo laroaro para Macelo a barca
sueca Print Cari, capilar C. A. Hartzell, como
mesmo lastro que trduxe de Boenos-Ayres.
Para Macei a barca ingleza iity Agnes, ca-
pito D. H. Watsan, com o mesmo lastro que
trouxe do Rio de Janeiro.
gggggg
EDITA ES
con 400 rs. Recife 3 de marco de 1866.= Id<;se i' fallarem aos termos de um libello
rh ea c_n I em que Ihes qner pedir o sillo de n. 18 particular,
suaves, neiii. loo lugar denomioado Salios, do qual se achara de
Eslava o sinete das armas imperiaes ao, pofse por 1UU|(, de aforameoto feito ao dito Miguel
Tribunal da RelacO.r Firmino Antonio de Ferrelra de Mello, visto terem os supplicados ea
Souza, presidente. Transitou pela chancel-1 fe^4^^,.^Jf?JJ^JlJ[,lJS
laria Recife 6 de marco de 1866. 0
4 quartos, corinha fra, quintal murado e
cacimba, tendo mais 3 qfiartos no quintal,
avahada por 1:200(5000.
Urna casa terrea de taipa, sita na travs-
sa do Quiabo di mesma povotc3o do Mon-
teirt, em chaos foreiros, com 3 janellas de
frente, 2 salas, 3 pequioM quartos, cozinba
fra, quintal cercado e cacimba propria,
tendo mais 1 quarto no quintal avahada em
250#000, as qoaes vSo a praca por execu-
CSo de AntoDre Moreira de Mendonca, con-
tra Jorge Vctor Ferreira Lopes e sua mu-
lher. ^
Em falta de licitantes ser arrematacSo
feita pelo preco da adjudicacSo com o abat-
meoto respectivo da le.
E para que ebegue ao conhecimento de
todos, mandei fazer o presente edital que
se affixado nos logares do costume, e pu-
blicado pela imprensa.
. Dado e passado n sta cidade do Recife de
Prnamboeo aos 20 de marco de 1866.
Eu Manoel Silvino de Barros Falcao, es-
crivao interino, e subscrevi.
Tristo de Alencar Araripe.
0 Dr. Virgilio de Gusmo Coelho, juiz mu-
nicipal supplente da segunda vara em ex-
ercicio nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, etc.
Faco saber aos que a presente carta de
editos virem, em como a junta administra-
tiva da Santa Casa de Misericordia do Reci-
fe, me fez a pettcSo do theor seguinte:
Diz a junta administrativa da Santa Casa
de Mise: icordia do Recife, que quer fazer
citar aos herdeiros de Miguel Ferreira de
Mello, para a primeira deste juizo fallarem
aos termos de um libello em que lhes quer
pedir o sitio n. 15 particular, sito no lugar
denominado Salinas, do qual se acha de pos-
se em virtude do aforamento feito a aquelle
fallecido, visto terem cabido em commisso,
como melbormente expressar era seu li-
bello pena de revelia, fleando logo citados
para todos os termos da cansa at final exe-
cucSo. E porque a supplcante ignore quaee
sejam os lierdeiros do mesmo fallecido, por
isso requer a V. S. se digee de mandar
passar carta de editos com o praso de 60
dias para serem citados os supplicados por
todo o conteudo nesta: Pereira e Souza
proc. civ. nota 2ft3: portanto pede ao il-
lustrissimo Sr. Dr. juiz municipal da se-
gunda vara Ihe delira. E receber tuerce.
Cerno procurador Jos Theodoro Gomes.
Cuja petc5o sendo-me apresentada, nel-
la dei o meo despacho do theor seguinte:
Distribuida, como requer. Recife 24 de
fevereiro de 1866 V. Coelho.
Em virtude do dito meu despacho foi a
accSo distribuida ao escrivSo Cunha, e es-
te passou a presente por bem da qual e seu
theor sao citados os herdeiros de Miguel
Ferreira de Mello para fallarem aos termos
de um libello civil, que lhes vai propor a
junta administrativa da Santa Casa de Mise-
ricordia do Recife, em que lhes pede a en-
trega do sitio n. 13 no lugar das Salinas,
visto terem cahido em c mmisso como tudo
declara a peticSo aqui transcripta, afim de
que no praso de 60 dias, contados da data
do presente comparecam em juizo por si
ou por seu procurador a allegaren) seu di-
reito e justica, sb pena de revelia, para e
que raand a todas as pessoas parentes,
amigos, e conhecidos dos ditos herdeiros
de Miguel Ferreira de Mello lhes facam avi-
so de que pela presente sao citados para o
que cima tica dito.
escrivSo Francisco dos Res Nunes Campello
Jnior. r Lancado a fl. 100 do livro
competente n. 13. Recife 6 de marco de
1866. Campello. E na mais se continha
em dita carta de editos aqu copiada que eu
escrivSo bem fielmente co, iei do proprio
original a que me reporto, e este fiz sem
cousa que davida faca, conferido e concerta-
do na forma doestylo. Cidade do Recife
aes 6 dias de marco de 1866. Escrevi e
assigno emf de verdade. O escrivSo Pe-
0 Dr. Tristo de Alencar Araripe, oficial da im-
perial ordem da Rosa, e juiz de direito espe-
cial do eonunercio desta cidade do Recife capi-i^ro Tertuliano da Cunha.
ul da provincia de Pernambuco por soa magas-10 Dr Tr|stSo de A|enCar Araripe, oficial da im
tade imperial e constitucional o Sr. D. Pedro ii, j p9ria| ordem da Rosa e juiz de direito especial
a quem Deas guarde, etc. docommercio desta cidade do Recife de Per-
Fajo Mber aos que o presente edital virem e Mmuuco por Sua Magestade Imperial e Consu-
delle noticia liverem que no dia 7 de mato do cor-1 toxional o Senhor D. Pedro II a quem Dos
guarde etc.
Faco saber aos que o presente edital virem e
de.lle noticia liverem quena diatnnta de abril
do correte anno se ba de arrematar por venda, a
quem mais der em praca publica deste juizo o se-
guate :
Daas pequeas casas terreas sitas oa Capuoga
na certeza da qae, todas aa mais. prepaiac&a
ImitatiTM nSo p*Jeta para canza algosa*
e C. Bravo >
Xarope tnico refrigerante de veame e de
ferro preparado pelo pharmaceotico Jos
da Rocha Paranhos,estabelecido nacidade
do Recife provincia de Pernambuco, ra
Direita n. 88.
Este xarope, que da tom ao movimento
muscular por soa qaalidade frrea, ao
mesmo tempe purgativo pela parte do ve-
lame que encerra, e refrigerante pela par-
te acida, alm da precisa para perfeita so-
lucjo e combinacSo do ferro; este atacado
pelo acido fica en extrema divisSo, e as-
sim o mais aoluvel que possivel, da aorte
que j nao tao dependente de ser digerico
pelos cidos freos, que se acbam no suedo
gstrico dorante a digestao. Os expositores
de medicina sao de opinio qne o ferro e Este xarope incontestavelmente superior
todas as suas preparaces gozam das virtu- a todos os xaropes depurativos, de cuj*
des eminentemente tnicas, que aproveita' composicS o seu maior ele ento a salsa
em todas aa molestias que sSo caracterisa-' parrilha, pois que se tem conhecido ser, o
te anoo se ha de arrematar por venda a quem mais
der em praca publiea deete juizo as dividas se-
guales.
Antonio Jos de Miranda Falcao 13*720, D.
Tbeodora Majia da Conceicao 30i00, Antonio Ju-
vioo da Fooceca 20*000, D. Francisca Penlo...
6*140, Francisco de Salles Gomes 13*060, Joa-
quim Bibiano de Barros 11*000. Dr. Belraonte |Dgar g^ verde, as quaes nao tem numero,
7*320, Vicente Jos de Andrade *O*00O, Jorge ,ende cada oma desenove palmos de largura euin-
Henrique Steple 3O00, Tbomai de Gnsmo Coe- u e sels e raai0 pajn,os de largura, digo de fundo,
Iho 7*640, Dr. Joaquim Doorado 2/4600, Qmn- corn ^j po,u e De)ii na frente, duas pequeas
lianoM. da Sito 2S*S00, Dh Antonio Jos Lopes e am qUarto, cosinha, na sala de detras quin-
Filbo 9*20, Bento da Costa, Ferreira 1J*W, to| em a]^rlo avaliada por quatro centros mil rea,
Ignacio Vielra de Mello 63*720, Hermenegildo cada urna; as ques foram penhoradas por execu-
i Fernandes de Soma Lobo 69*760, Goncalo terrei- -jo de Libanio Landido Ribeiro & C. contra Anto-
I ra dos Santos 5*500, Martinho Francisco da Silva i0 Luil Nunes.
Vende-se asboicas deCaors4Barbosa *W0.Manoel Jos daSilvaHeves6*040,.Maca-
rio da Luna Freir 101080, Joaquim relix Macha-
23*340,
ATTENCO.
Xarope alchoolico de veame, preparado
pelo pharmaceutico Jos da Rocha ParanhoB,
estabelecido com botica na rua Direita n'.
88 em Prnamboeo.
das por fraqueza; e com effeito acho exac-
ta essa opinio; nSo mas dado o ferro em
substancia! pelo mo resultado que tenue ob-
servado, (e que j fiz publicar) em certas e
determinadas mole-tias; por exemplo: ane-
mia, e fsbres intermitentes, terminam mui-
tas vezes por anazarca, qne accumulacSo
de serosidade no tescido cellular (agua quan-
do est entre a pelle) e depois ascite ou hy-
drepesia do ventre, qae accumulacSo de
serocidade no peritoneo.
E' sabido que o ferro um dos agentes
mais importante para qae o sangue se pre-
pare, e aperlpic6e devidameote, ii poY eos*
seguiBte o mais proprio para impedir o des
eovolviiBeirt* destas molestia*,' mas sendo
elle mu effici excitante, aorbente e secer-
nente, claro que s associado como se
acha neate xarope, pode dar o reinltaio
que se espera, e a experiencia me tem de-
monstrado sea risco de offeoder ae entra
nbas.
Os effeitos. dos incitantes, sao: promover
as secrecSes, e absorebes, augmentar o ca-
lor natural, e remover aquellas dores que
veame mais enrgico para a prompta cura
das molestias, cuja base essencial depende
da puriucacSo do sangue ; assim pois se
tem verificada por muitas pessoas que se
achavam desengaada, ae quaes acham-se
hoje restabeaecidaa com o referido xarope
alchoolico de veame; entretanto que al-
guns, tendo usado do xarope, de Curinier,
de Larrey, de salsa parrilha, de saponaria,
Oleo de figado de bacalbao, e outros agentes
desta ordem nada conseguiram. E' elle de *^acnJ*ri,^^^^^^
facdigestso, Jel ao paladar e ao ol- .ftaWZSJSSSbflR
phato Alguns, mdicos desta. cidade e da, D0Pereira de Medeiros 24*820, Marcellioo Fraa-
de Macei o teem recommendado para a cu- claco Aires da Silva 25*00% ojrfcfraerco....
do 3200, Angelo Francisco da Cqsu
Firmino Quaresma 14220, Joaquim Fernandes do
Carmo, 30*540, D. Mara Igoei Goccalves 10*000,
Joao Joaquim Ribeiro Pessoa 10*00, capiao Ma-
noel Joaquim Bello 70*000, Manoel Machado Das
40*000, Eustaquio Antonio Gomei; 65*000, Jos
Femlra Lopes Res 30*680, Aluno Rodrigues Pi-
menU 65*000, Antonio Al es de Garvalho 3*080,
Dr. Cacado Lima 17*280, Joaquim Jos de Santa
Anaa J0*140. 9. Mara de Aitaneida 4*440. D.
Helena dos Santos Pinheiro 2*000, Athalifia (mos-
tr pechero) 49300, Fraoeisco Ferreira da Silva
6*000, Manoel Jerooymo Correa 1*000, Antonio
Lobo (Poco da Paoellaj 7*230, Joaquim Jos de
Oliveira (iilho do Qnado brlgadeiro Aleixo; 5*500,
Fia vio Ferreira Clao 8*000, Joaquiaa Jos Virae*
6*110, PranetsaD da Paula 7*480, Agos-
tinho Moreira 6*740, Igeacio da La 3*110, D.
Mara (senhora do Manoel Joaqnitu) 2*540, Can-
dido Corroa de S 6*060, Francisco Xavier Fer-
reira 10*280, Antonio Gorreade S 3*000, Bar-
nardino 3*940, D. Antonia (viuva do Graca).....
19*640, Carlos Marin 1*600, Mauricio 1*280,
Dearto Peraira 1*400, Aodr AwIIdo 2*720, Pul-
quera 1*440, Joa.Ittcaalo pai 4*U20, Jaad Nicacto
fllho 29*t60, Piraaino Gome* 1*440, a mi* da
Francisco Padre 2*540, Joo Ferreira 8*800, Caa-
simiro 1*000, D. Cathita 7*040, Vicenle Ferreira
radas
Impigens, tinha, escrophulas,
Tumores, ulceras, escorbuto, ..
Cancros, sarna degenerada, fluxo alvo.
Todas estas affeccoee provm de urna cau-
sa interna; n5o ha pois razap alguma em
27*200, Gustavo da Rabia 2*420, Banviado Lobaa
12*480, AdeHnoTheadare Al* JOQrj, Dr. Anto-
nio Joaquim dos JPassos 15*000, Zeferino Batelbo
de Aodrada 10*20, Jos Ignacio de Andrade Pe
reir 50*000, D. PraaMsca de Rugo Barree 1*420
Jos Tbomaz Cavalcante (pistar) 10*420..Jlo Pit-
ia Viraos 13*680, a Lul de buceo 6*560, Dr.
Silva Costo 7*680, Aristroolo (*gme para sal)
E nao havendo langador que cubra o preco da
avaliacao, a arremalaco sera feita pelo preco da
adjudicacSo Ba forma da le. E para que ebegue
ao conhecimento de todos mandei passar o presen-
te qne ser publicado pea imprensa, e affixado nos
lugares do custume.
Recife 12 de marco de 1866.- Ea Manoel Mana
Rodrigues do Nascimeoto, escrivjo, o subscreve.
Taisl de Alencar Araripe.
crr que eUaa.se podem curar com remedios, 13*000, Antonio de Castro Alves 8*480, Gsieioo
xteraos. Taakbem se preicreve o xarope (fw^a) I0*88f, Marceluna (fewwj^Bar-
alchOQlico de veame para o traUmtnto du Sa^^^^S5lSfgt
affeccoes do systema nervoso e fibroso, taes ca1SnTa'* ftsuPereira 120*000, FrandsTpT-
corao: dro 50*040, Jos Aparicio da Silva 8*190, An-
0 Dr. Virgilio de Gusmao Coelho^ juiz mu-
uioipal supplente em exercicio da segunda
vara desta cidade do Recife de Pernam-
buco e seu termo, por S. Mi I. e C. o Se-
nhor D. Pedro II, a quem Deus guarde
etc., etc.
Face saber pelo presente que a junta ad-
ministrativa da Santa Casa da Misericordia
do Recife, por seu procurader, me indire-
Cou a peticSo do theor seguinte:
Diz* a junta administrativa da Santa Casa
da Misericordia do Recife, que qoer fazer
citar aos herdeiros do fallecido Manoel Pin-
to, para a primeira deste juizo fallarem aos
termos de um libello, em que Ibes quer pe-
dir o sitio n. il particular, as salinas, no
lugar dedeminado Carreira dos Mazombos,
do qaal sitio se acham de posse os suppli-
cados por titulo.de aforamento feito qoeffe
failecido/#isto terem os supplicados. cabido'
em commisso, como melhorraente se expres-
sar erasen libeHo,opteposdarevelia; ficae
do logo citados parasdue termos da can-"
saal final execucao.
E porque a supplicante ignora quaes se-
jam os herdeiros, pos isso roajuer a V. S.
se digne mandar passar carta d edital com
o prazo de 60 dias, para serem citados os
supplicados por todo o confiando nesta. Po-
sara' em seu libello, pena de revelia, cando logo
citados para todos os termos ua causa at Qnal exe-
cucao.
E porque a supplicante ignore quaes sejam es-
ses herdeiros, por isso requer a V. S. se digne
mandar passar cartas de editos, coro o prazg de 68
dias para serem os supplicados citados por todo o
conteudo nestaiPereira e Souza.Proc. civ. n.
203.
Portanto pede ao Illm. Sr. Dr. juiz municipal da
segunda vara assim Ihe defira.E. R. M. M.Co-
mo, procurador Jos Theodoro Gomes.
E oesta petico que me foi apreseotada dei o
despacho do theor seguinte:
Destriboida como requer. Recife, 28 de feve-
reiro de 186.-Coelbo. *-
E sendo feita a distriboico ao escrivao deste
juizoGuilhermeAugusto deAlhayde.este em obser-
vancia a este meu despacho, tez. passar o presente
edital pelo qual e sen theor, chamo, cito e hei por
citados a todos os herdeiros do mencionado suppli-
cado Miguel Ferreira de Mello, para que dentro do
prazo de 60 dias comparecam por si ou por seus
procuradores ante este jareo, allegando e probando
e que for a bem de sen direito e justica, seb pena
de se proceder as suas revelias.
Portanto toda e qualqoer pessoa, prente, amigo
ou conhecidos dos referidos herdeiros, poder-raes-
bao fazer sciente do todo o expendido.
E para que ebegoe ao conbecimeno de todos,
mandei fazer o presente que sera' afflxado nos lu-
gares do costume e publicado pela imprensa.
' Dado e passado nesta cidade do Recife de Pr-
namboeo, aos 3 de marco de 1866.,
Eu Guilherme Augusto de Athayde, escrivao o
snsberevi.Virgilio de Gusmo Coelho.
N. 39 rs. 400. Pagou 400 rs. Reelfe, 3 de marco
de 1866.Chaves.-Sena.
Val pagar 230 rs. de direitos de chancellara.
Recie, 3 de marco de 1866.-0 escrlvio Athayde.
N.1222. Pagon250rs. de direito* de clrancel-
laria. Recife, 3 de margo de 1866.-Chaves.-Li-
moeiro.
Transitou pela chancellarla. Recife, 3 de margo
de 1866. 0 escrivao Francisco dos Reis Nanes
Campello Jnnior. "
Lancado a fls. 100 do competente livro n. 13.
Recife, 3 de margo de 186 -Campello Jtralor.
Firmino Antonio de Souza, presidente.
Estavam as armas imperiaes.
E nada mais se continha em dito edital aqui co-
piado do proprio original.
Dado e passado nesta cidade do Recife, aos 5 de
margo de 1866.
Eu Gnltherme AugtBto d Athayde, escrivao o
subscrevi. ,
Virgilio de GusmSo Coelho.
ao conhecimento de
o presente qae ser
no lugar publico do
E para que chegue
todos mandei passar
publicado e affixado
costume.
Dada e passada com o prazo de 60 dias
nesta cidade do Recife, aos 3 de marco de
1866. Eu Pedro Tertuliano da Cunha, es-
crivao o escrevi. Virgilio de Gusmao Coe-
lho.
Vai pagar a quantia de 250 rs. de direi-
tos de chancellara n. 4224. 250 rs. Pagou
250 rs. de direitos de ch mcellaria.Chaves
Limoeiro.
Vai pagar o sello deste edital, que im-
porta em a quantia de 400 rs O escrivao
Cunha.
Estava o sello n. 55400 rs. Recife 3 de
marco de 1866.Chaves Sena.
Eslava o sitete das armas imperiaes do
tribunal da relaco. Firmino Antonio de
Souza, presidente.
Transitou pela chancellara. Recife, 6 de
marco de 1866.0 escrivao, Francisco dos
Ris Nunes Campello Jnior.
Lancada a fl. 100 do livro competente n.
13. Recife 6 de marco de 1866.Campello
Jnior.
E nada mais se continha em dita carta de
editos aqui copiada, que eu escrifSe bem e
fielmente copiei doproprio original, a qae
me reporto; e esta fica na verdade sem cou-
sa que duvida faca, conferida e consertada
aa forma do esiylo. Cidade do Recite, 6 de
marco de 1866. Escrevi e assigno era f
de verdade.0 escrivSo, Pedro tertuliano
da Cunha.
DECURACOES
Pela Inspectora da aifandega s#tat publico
qne esta' designado o dia 27 do corrente, a urna
hora da tarde, para sa proceder a lellio a porta da
mesma repartigio, de orna caixa marca J. P. M.,
contengo brinqaedos para criaoca, avallada em
10*, viada de Hamborgo aa esenn Helena, entra
da a ti de margo proiime passado, abaodooada
aos direitos em virtude da avaria pelo respective
consignatario Joa Maria Palmeira ; sendo arre-
roatagio livre dos meemos direitos. K para que
ctaeane *e conhecimento dos interessados sa fax
o presente aviso. V seceio 4a aifandega da Per-
nambnco, 25 de abril de 1866.
O J- asertporio,
Joae Carla AufWto de Figueiredo.
0 Dr. Tisto de Alencar Araride ofkial
d imperial ordem da Rosa, juiz de di-
reito, especial do commerclo d'esta cid*-
de do Recife de Pernambuco, e sea ter-
mo, por So Magestade Imperial e Cons-
titucional o Sr. D. Pedro II, a quem
Deus gdarde etc. a!__rt
Saeo saber pelo presente, qae no w *
reir eisbun, Proc. civ. n. 3: portanto do mexde abril do corrente anno, > baA
pede ao Im. Sr. Dr. juiz municipal da se- arrematar por venda quem mais aer em
Expsito dos productos agr-
cola*, itadasfrlaes e abras de
arte esa PcMaatbssec.
Constando commisso directora da ex-
p os i cao que, por falta dos necessarios escla-
recimentos, pela comparaco ha vida entre
os nossos productos e outros similares de
diversas provincias, e p(T outros motivos
de que nao leve completa sciencia, nSo hou-
ve a desejavel igualdade na dstribuicao fei-
ta para esta provincia das recompensas da-
das pela commissSo central do Rio de Ja-.
neiro na ultima exposic3o, e que por este
fado alguns dos amigos expositores se re-
cusara a concorrer com novos productos
exposicao do 1* de juluo prximo; resol*
veo, em urna de suas sessoes, mandar fazer
publico o seguinte:
' 4. Haver na preacia, para os traba-
Ihos da exposic3o, um jury especial, nequal
nao ter5o voto os membros da commisso
directora,..que julgar da exceencia, aper-
feicoamwto e ytilidade dosprodactea ex-
postos;
2. Este jury so dividir em duas sec-
ces, sendo um para os productos agrco*
las, e outra pata os industriaos propriamen-
te ditos, obras de arte ;
3; Farad narigudo .jury as pessoa de re-
conbecida aptido e especiaHatas;
4.* Segundo ojalzo do jury, a ooamis-
s5o distribuir aos productores e dOiaiil ex-
positores medalhas de deas classes, sendo
\
'. \
\

!
A
n




i
-
te remmlmf *eifa frtra f 4e Atril de 1866,
A VIDA DJOOEMIA.
Dar' fl ao eepe.-ucule o appIaudido-Trialo
goornado de canto
Tchang-tehing-bung 111
Principiara' so hora?.
Os Srs. asignantes tem preferencia ios seas en-
AVISOS MARTIMOS
as da 1* classe de prata e as da 2* de co-
bre, ambas acoro pantoadas de diplomas.
5. A ojiWHitilo fara acquisigo, median-
te valer ajustado, (tos productos que para
isto forim ju'gadoa dignos plo jury, que
nao possun ser cedidas gratuitamente para
figuraren na exposlp^CMitral.
A comraisaio *f)rj gp era que estas! marotes e catiras at o da'27.'
medida #*jrvWto fie garanta ao verdadeiro
apreco do* pracos expostea, e qu farao
desappareear desanimo qoe a-alguns ex-
ma ^efSr1 t"**"**** *" COIP4MHUMASILEIIU
Co dos Srs. xpositofes e mais industria P4QLE TES A VAPOR.
da provincia para a oircuutttaacia de um Dos portos do norte esperado
dos seui merrjbroa tar de aeMtpuhar ex- ^kfil^ aDl dl1 s d2 m.Ii0 "T
poslcso central os productos qu* d'aqui fo- M^ g^^^^
reta enviados, e fazer parte do jtiry jnlga- < WsW depois da demora do costume
dor na cort, acnando*se por esta forma seguir para os porte* de sai.
habilitado para ministrar todos OS esclarec-1 D"*i reeetwm-se passageiros e encaja-te a
_ _,___fl___ ZTTL ; carga que o vapor poder conduzr, anual devera
meritOS necessariOS aO perfeltO COnhecimen- ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a (rete at o dia da sabida as 2 ho-
ras : agencia ra da Cruz o. 1, escriptorio de An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo A C
LLIlAO
Dia tabna
to dos productos, e faz,er valer o direito de
cada um d3s expositores de&ta provincia.
Por esta forma a commissao julga ter re-
movido mais um dos embaracos, com qoe
porventura enha a lutar na acquisigao de
productos destinados exposico do Io de
jullio.
Anda urna vez appella a commisso para
os dignos Pernambucanos, pedindo-lhes com
instancia que promovam com esforco a re-
messa de productos destinados a figurarem
n'aquella festaindustrial, i'nde se empe-
nham os brios da provincia
Sala da commiss>, 23 de abril de 1866.
O secretario,
Dr. Manoel Duarque de Macedo.
Tribunal do commercio
Pela secretara d tribunal do commercio de
Pernambaco se fat publico que em sessSo do mes-
mo tribunal de (2 da eorrente oi considerado va-
fo o offlcio de corretor desta praca, que exercia
redondo Lopes GuimarJas, o qual o abandouou,
e quo a flanea prestida em favor do mesmo cor-
retor persiste por seis roeies, contados desta data ;
e que lic.a imreado o praso de 60 das, para dentro
dalles se bahilitarem os concurrentes ao referido
ottlcio.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
narabuco 13 de marco de H66.
O offlcial-maior
Julio Gulmaraos.
De ordera do Illoa. Sr. inspector da thasoura-
ria de oteada desta provincia se (ai publico que
do da 28 do correte mez, as 2 horas da tarde,
par>;ii-i a junta da mesla tnesourarii, ira' a pra-
ca par ser arrematada por quem por menos Bzer
a obra precisa no lazareto da liba do Pina. O or-
namento sera' mostrado na raesraa tbesoararia aos
preteadeales : as pessoas a quem convier a sobre-
dita arremataco deverao comparecer na referida
thesourarla a hora e dia Indicados.
Secretaria da thesouraria de fateoda de Pemam
buco i't de abril de 1866. Servindo de offlcial-
maiur,
Maneel Jos Pinto.
N'o dia f* de maio depois da audiencia do
Sr. Dr. juiz municipal da primeira vara, escrivo
Cunh i, se ha de arrematar um terreno ne lugar
do d minti Novo, com 60 palmos de frente e 280
de fundo, corteado o mesmo terreno nma pequen*
casa de taboas, tudo avahado por 700,5, cujo ter-
renos casa foi pentiorado a Caando de Albuquer-
que MLiraofto por execueae de Joaquim Jorge de
Araujo.________________________________________
Arsenal de gnerra.
O r-onsefho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar para forneclmento do almo'xari-
do o aeguinte :
Para provimento do almoxarifado.
oiO arrobas decarvao de pedra, ou 7,931 kilo-
gramm.-.s.
Para o rancho dos menores do mesmo arsenal nos
m-zes de maio e junho.
Pao de 4 oncas.
Bolachas.
Assiiear reflaado.
Poni, carne verde, dita secca. farinha da trra,
arroz pilado, caf em aro, touciuho de Lisboa, cha
da lo lia, vinagre, azeiie doce, bacalbo.
As pessoas que querera vender ditos artigos
aprese.aiem soas propostas na sala do conslbo, s
10 horas da maoh do dia 30 do Crrente.
Sala do conselriede, compras do arsenal de guer-
ra 2o de abril de 1866.
O encarregado da escripturaco
Manoel Jos da Azevedo Santos.
do di
venda a
COMPAIHU B1ASILEIBA
DI
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sal esperado
o vapor Tocnnlins, commaodante
o primeiro lente Araajo. a qual
lepla da demora do costume se-
_uir para os portos de- norte.
Recebem-;e passageiros e engaja-se a carga que
o vapor poder eondozir a qual dever ser
cada ao dia de sua ebegada ; encommendas e di-
nheiro a frete ata o da da sabida as 2 horas
agencia rna da Cruz 1, escriptorio de Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo & C.
HOJHE
O agente Pestaa fara- lettio por eoota de quera
perlencer, d'armacio, gneros e utenoilios existen-
tes' na taberna da rna da Guia n. 42, em lotes a
Tonuda dos compradores: sexu-feira 27 do cor-
rete, pelas 10 horas da manh.ia Ha mesuia ta-
berna._____________________.
EeljlO
De um bjie umacarroga.
O agente Marlins fara' leilao por ordera do Illm.
Sr. Dr. Ciaudino de Araajo Guioarei consttl por-
toguez de nma carroca e um t.oi pertencentd ao
espolio de Joao de Souza Lamega
HOJE.
No armazem da ra da Cadeia do Recife n. 53,
as II horas.

5a roa do Liyraejpnto- n. l> ha pira, alojar
a-escrava para servio ibwao."*
LEILAO
DeBncabriole! com aneios, lantei'-
as, chicotes e un cavado proprio
CASA DAiOUflA.
Aos 6.-OOflP00.
Ilhrr* garaartittosr
A DO CRESPN. 23 E CASAS DO COSTUMB i -
abaixoassignadovenden noass maitofeli- '
bilheies garantidos da latera qoe se acabo
, S!'/^'1"' a beneficio da l|reja de S. Gonzalo
L, 0i egulatae premios :
H. |879 tres quiotoj ewn > sor te d 500*000.
N 952 am meio eom torta 206JL
E oatras militas wWlie 1001, 40*, 20*.
spossuidorea potfeat ttreueber seos respec-
tivos premios sema* dMeoatos das leis na casa
da Portuna roa da Cresa* b. 23.
Achara-sav venda o da I! parte da lotera
(60J a benefleto dea Tamila dos aalaattrlos da 11
patria, que se extr^hira' quarla-ftlra 1 da oaaio. I (ij <-lerar->e t i^reia matriz do Corpo Santo,
=
b
V
.Leoyeldri* l.ins A>-l->li Silva e seus Mho?,
paoghWda iais-profunda dor pela mor te
de u pr&SHlo esposo JoSo Carlos Augasto
da SrfavANirda a Mdos os prenles e ami-
gos do faHeeato para assistirem a missa' do
timo dia1 i>oe por almo do mesmo tem de
CALCADO-
45 Kua Direita~&5.
tara mesno,
Sabbado 28 do correte.
Per iotervenco do ageote Plato, a 1 hora da
tame em frente ae armazem da roa da Cruz a.
57, onde havera' leilaa de aovis, obras de ouro
e prata._________^_____________-______________
17laIi
Be movis, taras de ouro e prata.
A saber;
Urna mobilia te Jacaranda' era um sof', 2
emb'ar-' consol e mesa redonda com (ampos de pedra, 4
No da 27 d> correte, as 11 horas
na sala das audiencias, val a' praga por
e.-enva Lucia, crioula, de idade 17 anoos, com ha-
bilidades, avallada por 1.000.-5 ; cuja escrava
pertencente a urna orphaa, e vai a' praga a reque-
rirnentu da totora.
Para o Aracaty.
O vellelro e bem conbecido palbabote nacional
Dous Amigos, pretende seguir'com multa brevida-
de, tet) parte de seu carregamento engajado, para
o resto que Ibe falta tratase com os sena consigna-
tarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no
seu escriptorio, ra da Cruz n. 1.___________
Para a Bahia.
Pretende seguir com mnila brevldade a velleira
sumaca nacional Hortencia, ti qual tem parte de
sed carregamento prompto, para o resto que Ihe
falta tratase com os s-us consignatarios Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo & C, em sea escriptorio,
ra da Crnz n. |.
Compaofaia I'ermunbucana
M
\";iveg^So costelra por vapor
Macei e escalas.
O vapor Parahyba, comman-
dante Martins, sabira' para o
portos cima do dia 30 do cor-
rete s 5 horas da tarde. Rece-
be carga soraeole at o dia 28,
passttgeiros, eacommendas e dinheiro a fete at
s 2 horas da tarde do dia da sabida. Escriptorio
no Porte do Matto o. 1.......
Para o Rio de Janeiro pretende sahir em
poneos das a veleira galera MINDELLO, por ter
quasi todo o carregamento tratado e para o resto
que Ihe falta e escravos a frete para e que tem
boas commodos : trata-se com o consignatario Joa-
qnim Jos Goocalves Beltro, na ra do Vigario n.
17, primeiro andar.
Tambem se recebem generes estangeiroe.
cadeiras de bracos e 18 de guaroicao, 1 plano for-
te, t candelabro e serpentinas, ricos jarros e vasos
para cima de mesa, caadreiros a gaz, 1 secretaria,
1 mesa de jantar, 2 apparadores, cadeiras de ba-
laoco, ditas de faiae muitos objectos de casa da
familia.
- Um rico adereco de ouro com fiaos brilhanles,
1 dito com pedras menores, differentes anneis e
trancelins, colberes, Salvas e ouiros objectos de
prata.
Sabbado 28 de atril.
O agente Pinto Tara' lilopor con'a de ama fa-
milia que modoo de residencia, dos objectos ci-
ma mencionados, as 10 horas do dia cima dito ao
armazem da rna da Cruz n. 57, para onde serao
transportados ditos objectos.

LEIIAO
De am sof', um consolo coffi espelho, 12 cadei-
ras, 1 mesa, 1 lavatorio, t bancas, 1 com moda,
1 relogio, i santuario, 1 guarda louca, 1 mar-
queza, 2 mesas de jantar, i dita com abas.
Sabbado 28 de abril. *
O agente Pinto fara' lerio por mandado do Illm.
Sr. Dr. juiz municipal da primeira vara, dos mo-
vis cima mencionados peahorados a D. Senhori-
nha Joaquina de Almeida Leal, por execugo de
Jos Rodrigues de Araulo Porto, as "10 horas do.
dia cima dito no armazem da rna da Cruz n. 57
Para lisboa.
S'gue com brevidade a velleira barca portugue-
za Belem, capitao J. Joaquim de Preitas. Recebe
um resto de earga a frete, para o que trata-se oo
escriptorio de Amonto Irmos, roa da Cruz n. 3.
Para o Rio de Janeiro.
O velelro e bem conhecido brigue nacional San-
ia Cruz:, acha se com parte da carga prompta e se-
gu com toda a brevidade ; para e resto da carga
trata-se com Jos Maria Palmeira & C, largo do
Corpo Santo n. 4.____________^^^^^^
Acna'se depositado por or-lera da subdelega-
da da freguazia de Santo Antonio um garrote que
foi ene mirado na manhaa de -2 do correte, va-
gand i pelas ras da mesma freguezia.
O subdelegado,
________Manoel Antonio de Jess Jnior.
- Adaain8trac5) do orreio desta cida-
de pro:iat de seis ti^mins para o servigo
de a.ni.ifieiro, quena estiver nestas condi-
coes e quizer engajar-se dirija-se a mesma
administrarlo.
COHliElOGERAL
Pela idminisiragao do correio desta cidade, se
faz publico que em virtude da convengo postal
celebraba pelos governos brasileiro e francez, se-
rio expedidas malas para Europa no dia 30 do
correule pelo vapor francez.
As cartas serio recibidas at 2 horas antes da
que for marcada para a sahida do vapor; e os jor-
oaes at 3 horas antes.
Administrado do correio de Perr.ambuco, 21 de
atirn da T886V
O administrador
Domingos dos Passos Miranda.
sDiitiQ) mmi
P : i rlraioistraco do correio desta cidade, se
faz pu'.'ico para Qos convenientes, que em virtude
do disposto noart. 138 do regitamento geral dos
corre h Je 21 de dezembro de 1844, e art. 9 do
decreto n. 78Vde 18 de mato de 1851, se procede-
r' o ronsom das cartas existentes na administra-
cao, periencenles ao mez de abril do auno passado,
no dia 3 de maio prximo, as 11 horas da maoha,
na porta do mesmo correio, e a respectiva lista se
acha dfsde ja expost aos interessados.
Administraga do correio da Peraambuco 17 de
abril de 1866.
Domingos dos Passos Miranda.
Administrador.
Para a Bahia.
Segu sem falta por estes oito dia, o veleiro e
bem conbecido patacho nacional D. Luiz ; para o
resto da carga que Ihe falta, tratase com Jos Ma-
ria Palmeira,Jargo do Corpo Santo n. 4.
Para Lisboa
Vai sahir breve a barca portngueza JANOTA,
de primeira ciasse, capitao Joaquim Pedro Vianna,
recebe alguma carga miada e passageiros, trata-se
com o consignatario E. R. Rabello raa do Trapiche
n. 44, segundo andar, ou com o capillo,
Compaahla das .ueusageries Im-
periales.
No dia 30 do
eorrente mez es-
pera-se dos por-
to* do sal o va-
por francez iVo-
varre, commao-
dante Massenet,
o qual depois da
demora do cos-
tume seguir' para Bordeanx tacando em S. Vi-
cente" Lisboa.
Era S. Vicente ha um vapor em co rresponden-
dencia com Gore.
Para condicoes,(retes e passageos tratase na
agencia ra do Trapiche n. 9.
Para o Porto
Pretende seguir com omita brevidade a velleira
barca portugueza Iris, capitao Mathias de Souza
Maciel, tem dous tercos de sea carregamento
prompto, para o resto que Ihe falta trata-se com os
seas consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo & C, oo sen escriptorio, ra da Cruz o. 1.
,

i
New Yorik
Naseta-feiraf? do correte, na sala das ao
diencias. Boda a do Illm. Sr. Dr. juiz de orphaos,
se tem de arrematar o pardo Anastacio, com 18 an-
uos, avahado por 1:000$, a requeriraeoto do lo
ventariante dos bens que IflcarSd* por fallecimeoto
de D. M na Joaquina da Silva Manta.
Ctrreit geral.
Retaca das cartas segaras existentes ai adninig-
traco de cirreie desta cidade para es seabere
\baixi> declarados:
Joao Lo i renco dos Santos.
Jos Cameiro Rodrigues Caropello.
Pedro Raphael do Amor Divino.
Tobas Brrelo de Menezes.
s
aHIEdkTKO

Manoel IgneeioPerrelra capitao da barca nacional
Real Pedro, precisa deum navio de lote de triota e
cinco mil arrobas para conduzlr a sua carga, aer-
ea de qoioze mil couros, parto de 200 fardos, sao-
eos e corroes com cabello e lia e outras miudesas,
com que eotrou oeste porto, com agua aberta, na
sua resceate vfagem do Rio Grande do Sul, para o
porto de New-York, nos Estados-Unidos; e para
Sualqaer ioformagio mais, os preteadeotes pedem
irigir-se ao escriptorio dos consignatarios Mar-
es, Barros 4 C. As propostas, em carta fecha -
, tanto podem ser eatregoes ao escriptorio dos
referidos consignatarios, como no consajado tos
Bstados-Uoide?, cade terio abenas pelo respeeti-
vo consol na presenga dos concorrente, sexta fe-
aa 27 do carrate mez de abril a ama Dora 4a
tarde. ai r m
LI1LA0
De u roa va ce a com cria.
662 pe^as de papel para forro de sala.
1 microscopio so ar. i
1 machina eletriea de Slgendre.
40 garrafas de cognac.
Sabbado 28 do corrate.
Tor interveigao do ageate Pinto, no armazem
da roa da Crnz a. 57.
IjKlfta.lO
Dequeijos suissos e biseoitos
sortidos em latas.
Terga-feira 1* de maro.
Por intervengio do agente Pa as 10 horas
em ponto, no armazem do Sr. Aa&es em lente a
alfandega.
AVISOS DIVERSOS
PIRCO.
Bilhetes.....64000
Meios......000
Quintos.....tjaoe
Para aa pessoas que compraren de 4064000
para cima.
Bilhetea. i .. 1*500
- M*ios......2*750
Quintos. .... 1100
_________ ____ MairotL Maurnts Pioza.
Na padarfa da roa do Ranget preelsa-se de
om trabalhador de maseeira.
-* Detappareeeu no dia 25 do correare mez, as
7 horas da ooite iodo da raa Nova para as Cinco-
Pomas, um preto levando coinsigo am eoxoval te
cambrala branca proprla para baptisado e om el a-
peo de pello para homem, rogase a pessoa que
souber de apprehender, e levar a loja de Antonio
Jos dos Bels no passeio Publico n. S, que ser re-
compensado.
Os devotosenoarregados do Mez Marianj da
igreja da Santa Cruz previnem aos devotos e mo-
radores da freguezia da Boa-Vista, qoe no dia 30
do correpte, as 6 horas da tarde, comegar com
ladainba e seimiva pratica doj santos exerclcios,
qoe, a igreja conforme asrdeos de S. Exe. Revo,
abrir-se ha as 4 i|2 horas da manhia diariamente;
que as 5 horas comegar o santo sacriOeio da
missa, e que o Revm. Sr. padre Beato Shembugs
o encarregado das praticas diarias : nos aomin-
gos e das santos ditnbuir-se-hao vernicas e ro-
sarica.
mmmm wmm mmmmmm
PablleaeSo jurdica m
S' DOS
(Responsaveis nos criines|
xgs. De hberdade de txprimtr os pensa-
mentos.
Lices de direito criminal.
i PELO DR.
i Brat Florentino lleiiriqucs de 5
Soma,
ELente de direito civil na FaculIadeS
d Direito do Recife. 3R
Acaba d sahir a" Itra esta interessan- 1S
I te publicacao e acha-se a' venda na li- ttf
g vraria Econmica a' raa do Crespo n. 58
~, pelo prego de 44 cada exefflplar.
Aluga-M na Capunga porto do Lasserre ama
casa terrea com sola-*, ten lo 8 quartos, copiar,
cosinha, quartos para criados, estribarla e bochei-
ra : a tratar na mesma Cap'ioja casa da Sr* vio-
va B. Lasserre ou na rna Imperial n. 20.
Precisa se d-e urna preta escrava para o ser-
vico de casa de pouca familia : na ra do Hospicio
0.38._____________ _______________ _
Precisa se de um caix.riro para padana, que
d conheciioento de sua conducta : oa ra Direila
dos Alogadns n. 66 A. '
no dia 27 ij roirpnli* pefts 7 horas d'ama-
nhila. Desde z agradece a todas as pessoas
fas si (tianarem comparecer.
II .It-IIIH
Pr>cisa-se aJogar um inoleque de idade de
j 16 annos, pouc mais ou menos, oa rna do Qoei-
mado n. 12, i.'apilar.
A iM-iii ipii p-irdVu 2 faca* com cabo de
prau, dando oa signas* renos, pode prucura-las na
ivrana da praga da lodependeuuu n. 8, que Ihe
serao restituidas.
Percisa s> de ;nn caixejro para taberoa, aa
povoaftio dos Aplpaco.*, de 14 a 15 anoos; oa ven
da graad.____________________^__
Carvalho d> N^guclra, na roa do Apollo
n. 20. haccam sobre Lisboa e Porto, a pra-
zo ou a vista
Una lagrima .obre a campa
Ha.
Ja oao existe a Exma. Sra. D. Pamphila
esposa/do Sr. capitao Antonio Marques de
Hollanda Cavalcanil: Mais ama flor acaba
de ser roobada do jardim da vida I.. A ne-
gra morte com seus fnebres cortejos d'uraa
molestia doloresa acaba de fazer balsar ao
tmulo o cadver da esposa religiosa e dedi-
cada ; da mil carinhosa ; da lha amorosa
e obediente, e da generosa protectora dos
desvalidos 1 Qnam sensivel nao sua falta I
para os seas, como at mesmo para aquelles,
que a conheciam I Sim, D. Pamphila era
um complexo de virtudes I Su'alma despren-
dendo se desta vida deve pousar na mansio
dos justos. A trra Ihe seja leve. A seu es-
poso e sua inconsolavel familia darnos os nos-
nos sinceros pezames. 17 de abril de 1866.
F. C. A.
Joaquim Ignacio Ribeiro Jnior manda para
a Europa a tratar de sua sade sea flho menor
Joaquim ElesbSo Ribeiro. ^^___^^_
aos nrooosoo
Corre qiiarta-feira' 2 de maio.
Acham-se venda na respectiva thesou-
raria, roa do Crespo n. 15, os bilhe-
tes, meios e quintos da iia parte da lo-
tera (60), a beneficio das familias dos vo-
luntarios da patria, sendo a extracto no
lugar e hora do costme.
Os premios de 6:0000000 at 104000
serao pagos urna hora depois da extracto
at as 3 horas da tarde, e os oetros depois
da distribuigo das listas.
As encommendas sero guardadas so-
mente at a noite da vespera da extracto.
O tbesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Sooza.
Precisarse de urna ama para casa de pouca
f a mi 1 la : na ra das Crozes n. 35.
O collegio dos orphaos tem precisa M sr-
venles : a entender-se com o director na roa da
Aurora. ___________ _______ _
O Sr. Jos CorumbhiQ de Araujo Lima, se-
nhor do engeoho Castor, queira ter a bondade di-
rigirle a roa do Padre Florlano n. 2o.
Precisa-se de ama ama para comprar e cozi-
nhar, para casa de pouca familia : na ra do Quei-
niado n. 47.
AaJr Uliuco retira--e para Europa e deixa
por jftus procuradores durante sua ausencia os
Srs.Gabriel Antonio de Castro Quintis, em pri-
meiro logar, em segundo o seu socio o Sr. Jo.-
Celia Femantes, e em tereeiro lugar ao Sr. Jos
Joaquim Das Peraaodas, com os qoaes podera'
entender-se quem tiver negocios com o annun-
ciante. __
Tendo lembranga que muito soffre os pais
de familia por va dos ohoro e alarme que fa-
zem os hlhos, e querendo nio s descancar >-s
pais como tambero os ihos lerabrei-me abrir co-
mo de facto se acna abena urna loja na roa do
Rangel n. 49, leudo um completo sortimento de
calungas, boneculos e aparelhos de pon-Una o
melhor que tem apparecldo -oeste genero, com
poueo se satisfaz odesejo do vendedor como tam-
be daquella que rece-e o objecto._______m <
Pede-se toda attengSo aos Srs. sapateiros e
vendedores de borracha tauto em pega como a re-
lalho que yeuham a ra do Rangel n. 19, para fa-
zerem o seu sortimento que o prego convida e
jumamente a boa quaiidade.
Irmandade do Divino Espirito
Santo do Collegio.
, O prorurador geral abaixo assigoaoo convoca
os membres do conselho fiscal a reonirem-se em
nosso consistorio domingo 29 do eorrente as 9 ho-
ras da machia para o Sin designado nos arts. 97 a
101 do. compromiso,
ttecife 26 de abril de 1866.
_______________Jos PwoaBiks Lima._________
Maximiooda Silva Gusmao declara que oao
tem casado commissSes e nao compra uem vende
escravos.
Mudanza
Joio Ribeiro Lopes vai a Earopa.
Ignacio Perelra do Valle vai a Europa.
Por ordem do Illm. Sr. presidente scientifleo aos
Srs. socios que se acha transferida para palace-
te de S. Pedro a sociedade Recreativa Juventud".
Sala das sessdes 23 de abril d 1866.
B. L. Cerqaeira.
_______ 1" secretarlo. ____
Vende-se a casa terrea sita na Boa-Vista ra
do Jasmin n. 4 : quem pretender dirija-se a raa
Direila casa terrea n. 52, que achara com quem
tratar.
ai"
- O padre Luil Ferreira Nebro Pelinca, cida-
dio brasileiro, vai para Roma. ________
Narciso Jos Netto Manoel do Gouto Gne-
des, vao a Earopa. _____ __________;,
O brigue Imperial Mnrmhetro prestes a seguir
para o Rio de Janeiro, alada recebe algoaaa carga ;
os preteadeotes poiem dirigir-se aos consignata-
rios Marques, Barros & C, no largo do Corpo
Santo o. 6.
MU 911.
-T -
Leilao
urtEZt-coiml.
Beelca extraordinaria llrre
da
Sabbado 28 de abril de 1866.
Repreieotar-ee-ta iotereseaate'drama en f
actos, ornado de masica
De ama casa terrea sita na travessa do
Monteiro ao lado da casa de d4encio>
lana fallida de lriao Manarla de Oliveira.
Oageote Martins fara' lellia # reqoetlmeeto
dos administradores da mase fallida de lrino
Januario de Oliveira e per deapacho de Ilk. ir.
Dr. juiz especial do commercio de ama casa -ter-
reaaHa aa traveeoe-de neeaerre^ae tado da casa
de detengo perteaeeote a mesma rdassa.
HOJE.
No armazem da raa da Oadata de Becif* i. 5,
as 11 boras.
Fngomma-se
com asselo, promptiao e pregas r-zoaveis: na roa
Ao g asta o.g, loja._______________________.
Precisa-se de am ntenino dedoze e quatorze
annos para criado : no Corredor do Bispe, vindo
da roa do Pires; lado esquerdo, aa sexta casa.
VERDADEIRO LE ROT
de SIGNORET, Docteur-Mdedn
Ru do Seine, 51, PARS.

F.m cada garrafa, tai, rntr* a rolh e papd azul
i\nt leva s mru utlr, Om rotulo ituprisso tm ama-
rrllo cmn Sr 1.1.0 Imperial .overko FRANCM
-V. H. -inriIrmlo-s Ulna leltra de SO Irancosl
>bre Pars, Mrllarrl a 10 dias ota-** do abmliimrto < do aiatnr detcoiito.
Iicpwaito prlndaal
lo legitimo I.e Roji
|rm Caza do nosso
unioo afete pelo
llrazil a Snr Anto-
jo Fiiiic: de La-
cera na Sabia e
mus principie pliar-
maeeuteot.
FERRO QUEVENNE
Apfrevado pela Academia de Medicina,
Avctoruado por circular etpicial do Ministro.
0 FERRO qi'evexne se usa em todos ss ca-
sos para os ques os ferreos sao prescriptos; nio
tai os denles ficarem pretos; h a preparado a
mais activa, a mais agradarel e a mais econ-
mica; multas vezes um frasco li sufliciente para
curar urna chlonsis.
& experiencia me provou que nenhuma pre-
parac&o frrea be supportada mais fcilmente
que o ferro ocevenne, era observando as
limites de dosea muito reguladas.
BeccsABOAT, Annuario da therapeutica, 1863.
0 Fimo Qcbveni vende-se em frascos da
33! E *-t. Miri^lis.
Deposito geral em casa de Emlle Genevolx,
14, rae dea Beaux-Arts, em Parir, e em teda* u
boticas. Exigir-o Sinelt Quevenns a urea^
de Fatrict cima.
Le se nu Monitcur de la i'itarinacit.
Aelectricidade boje empregada por todos os
mdicos afamados, para o tratamento de rouitas
molestias, mesmo para as que resistem as outras
medicacocs.
A electrdade produiida pela frieran tem urna
siip. rioriilade inconleslavel, ea vantagem de nao
dar aba los, e de poder ser graduada pelo doeute.
A causa a mais frequeiite das molestias a
estagnaca do sangueou dos oulros lquidos vl-
taes. Reslablecendo se a circula cao do orga-
nisino, curarao-se as molestias.
Quando se sent alguma dr em fnelqaer
parte docorpo logo, einstinctivamente, seerfrega
> o I u-ar endoloriilo com a ma, e isto al li vi a. Isto
explica o resultado incontestavet que deve pre-
duilr um apparelbo elctrico. Per isso temos
prazeremannunciarao Publico queoSur Buisson
ile Bivilliers residente, boulcvart da Prince-
Eugne, 18, em Parix, dotou a medicina de na
apparelbo Klectro Magntico, sob a Corma de
suma escora, com o qual os doentes se podera
aturar sem nebuma outra medicacad. Os medico*
que a tem experimentado, attestara qoe a
Zscova lectbo Maokitica efficaz para
Coran es Rheumatismos, Faralysia, Gotta,
Fraqueza dos membros, e da Columna ver-
tebral, debilidade geral, Nevralgiaj, ete,
1 Eslamo* certos que breve cada familia possuira
> esta ceora que prestara grandes frricos.
s A pedido de muitas pessoas, o autor decidio-aa
a establecer um deposito de seos apparelhaj ds
Biode Janeiro, am com do Sn Duita Roirr,
ma nota do Outidor, U. >
DAIHA DE
PRmODEIS.MOF.
A agua florida deMurray,ri Lanman
olhada como om artigo de perfume, nao
tem podido ser igualada pelas preparaces
as mais custosas > conserva seu aToma, co-
mo se formasse parte da ptenda a que ella
se applica.
Sua efficacia tao delicada, como elegan-
tes sao seus multiplicados usos, qnr seja
empregada como artigo de toucador, qur
10 uso do banho, oo como suavisador da
pelle, depois que se tenhra feito a barba;
j para limpar as gengivas ou aromatisar o
hlito, r "
D suavidade, bruta e elaslidUde as
compleid&es, depois i abauir larvado; al-
livia a irtitaco de erupcoes ordinarias; faz
desappaiecer o djpVat* #eft oi
panaos, as sardas,"uo rosto, rugas e toda a
Tendo sido arrombada ae amaoheeer do da 15 casta de4ebulic9es, e d vigOf^|rWIM *
W tarrate a tofa da Passeio Paaiir a. 12, lo parte rale quer que se applique. Sua effi-
S^^&m^ww&I*^'* eleancia saolguttaenUifili..
e tara, 1 r Je bomn paaia, ajaattoeeatoi
trita e tantos mil ris ea aedalas, prata, onro
cobre, e mais cinco letras sacadas pelo abaixo as
^to^^mll^^T^o^ gjf tato?ctoMdaj,.Aiaal^
unsmio Ucba, Vioeote Ferreira Loa(raa. Manoel 'ern10, usim, COHVO um antidoto excellen-
Joaquim de Oliveira e Antonio Joaquim ras Neves; te para OS desmates causados por cansaco
prevlne-ee, porueto, aos sennocee aceltaates qoe ou SOtTooicSo. Preparada nicamente por
^"TXXZgg^iS'X:- ^n1Kemp,Nov,.tork, e avilada por
rao ao abaixo assiRoado, vWo -ae adtar a*odo uaor arDesa.-
pita strWeTejrara aesra"Tegtietia. Recife J6 de Joo da C. Bravo & C.
abril de 1866. .
Henriqne
'para tratar de s
raa fitreita n. laD, i
aaat qoem eretwdir tNrira
mesma raa n. 106.
auiNA
LAROCHE
EUHR Febtifaott e Firtiicaite
nruiM m tum i iiam m tni.
Exaeriaaeatad. esa pleno nceatt* km
Doapitaas, a qumi Laroeke (am na11 n i
omplato da acaa) urna pre-aracao
excepcional, por ser prirada de aatargo
daqniaa. Agrada por eoBseauinteaSBeuaai
as mais intolerantes t ao* paiadare* os bum
ddicadoi, pota tmia>aataJafiaN*,muilo
ai^rtjtr
aaawofaalM.
febrb.T
Q8IM UMCME FEWWSH8
tata npnarMiaai U km fatal.
BH'PAIIB,
1$, rmJhiui.
P.l M'llKJrt &
na N'ov ii. 18.
_^_ -/, -
INJECCAO BROW.
Remedio infallivel as agnorrheas antigs
recen, tes, Ttmrihspm^i^armst^ Jo.o ^ ^
TVaVJr9-fe> G > Tetet*ir*f*iiH.-.n* . aeatoayijrtue ii^a wt,^"*' d sua
a/ni-j'^^rii-'i%i*isfim rfn:nis)anhrin o
'plerr.i 'iu e^inilwr'i) 1- mu i.ii e v>jr D.
Th reza le Je-os F'rhetra e h novo as
anvfalh t>ara a nirs^a dn ? di ijue lera'
lagrlTa e*s>>ltA o !-e-mr |n-ls 7 horas
da manta* le Nuau 48- olrenle pelo
que i confH.-'ar*! *rti.
A prtajajrra coir?3o indispensavel con-
se'">lf.l tede trazer os ps bem de-
fendidos cetjjra os ataque da bumidade;
calcado oo e seguro, o nico preserva-
tivo dessas mil enfermidades a que est su-
jeito o nossoeu, Um chnelo velho pal-
eado por um> dandy patuscante, ou urna
botina acarcaohada em paqaeinop de en-
, cantadora deidada alm de acensar que-
fbtad%Sa^rriprrarte', proa centra as acui-
dades intellectuaea dos calcantes, e nao ha
quem, tendo boro senso, queira passar por
maluco, oo -pobre de surrSo : ergo, cor-
ram a:
4*-RA DIREITA4.
e attendara a' baratosa.
Hoaena.
Borzeguins barcelloaezes de las-
tre e de porco .,....
Ditos de Bordeaux ....
Ditos parisienses de bezerro e
cordavao .......
Sapatoes de Nantes de duas ba-
teras rasas ......
Sapatoi de lona, sola de borra-"'
cha.....; .
Ditos aveludados.....
Ditos de tranca bons ,
Senhoraa
Borzeguins enfeitados.
| Ditos de laco .
Ditos lisos ....
Sapatos de borracha .
Selleiros, corrieiros e segeiros I
Sola de lustre, meios grandes 205000
E um completo sortimento de calcado fa-
bricado no paiz.
Na praca da Independencia n. 33, loja de
oorives, coropra-.-e ouro, prata, e pedras preciosas,
e tambera se faz qualqoer obra de encommenda, e
todo e oualgner concert. ____________
= Na ra do Imperador, casa n. it, segundo
andar, ba para alugar urna escrava moca, eogom
raa e cose ; quem a pretender dirija-se a ra do
Queimado, loja n. 1 para tratar.
O abaixo assignado, morador no engeoho
Diamante, freguezia de Ipojnca, teodo comprado
os escravos Manoel, naco da Costa, e Joio, eriou-
lo, e.-te a Jeronymo de Albuquerque Cavalcanti e
aquelle a Candido Jo.- de Siqueira por procurscSo
de Joaquim de Siqoeira Barbosa, ambos em 18&5 ;
acontece agora que estes escravos dizem chamar
se Bwilm h -Patricio, e pert'-w", rem ao senhor do
en^euho Coutador da p'oviacia de Sergipe forana
vendidos a aqnelles senhores por pessoa que os
havu furtado, em vista do que o abaixo assignado
ii a (Te-ente declaraco para qae, sendo verda-
de o referido, pos;a o seu legiiiino secbor vir per
ell.'s nun documentos esclarecidos, para com estes
o abaixo assignado poder cobrar das pessoa que
Ihe vonderam os referidos escravos, visto seren
pestoas bem conliecIJas e incapazes de tal proce-
dimento ; decUroquf nao m1 responsabiliso por
morte ou fuga. IzdoFO Camello Siqueira Caval-
canti Jnior.
6*000
75O00
8(9000
5*000
2*000
1*600
1*600
5*000
4*800
4*500
1*600
Precisa se de nma ama para comprar e co.-i-
nh T : na ra de S. Fraurisco n. 54
Precisa-se de urna ama : na" roa da Concei-
Qo n. 47.
Precia se de urna ama para casa de poma
familia, que faca todo servie, prefere-se escrava :
na ra de S. Jas i.
LIVROS
DE
PREPARATORIOS
LINGUA INGLEZA.
HILLARD'SFirst ClassReader. in 12.
MOTTA Grammatica pratica da lingua
ingleza, in 8.
SADLER Cours complet de langue ao-
glaise.
SADLERDictionaire francais-anglais
anglais-francais, in 8.
. SP1ERS Dictionaire francais-anglais
anglais-francais, 2 n 4.
OLLENDRF.Methode d'anglais, in8.
RUSSEL Curso de lingua ingleza, se-
gundo o methodo Roberison 3 in 8.
V1ERA Dictionary of the english and
portuguese ianguages, 2 in 4.
WALKER Pronuncing di' tionnary. in 8o
NA LIVRARIA FRANCEZA
N. 9 Ra lo Crespo N. 9.
mmmm mmmm mmmmmm
jg|0 tr. Hi-aHcisce l'ires Machado^
M Portclla 33
MEDICO E OPERArOR
PELA
Facnldade de Pars.
continua no exercicin da sua proflsso,
especialmente as molestias de olhos, de
vas urinarias e de pelle, para cujo tra-
tamento julga-se babilitado alienta a pra-
tica adquirida nos hospitaes daque la ca-
pital, e os instrumentos mais modernos
qae pessue.
Accode pTomptamente a qualquer cha-
mado para /ora da eidade.
E eBcarrega se de cullocar olhos arti-
ticlaee.
No pateo do Carino n. 2, esquina da
ra de Hurtas, das 6 as 10 horas da ma-
nhia, e das 3 as 5 da Urde.
MARTIMOS
jodo de se retirar
rijan ae mesmo o aa Irawl*a. Cru ao^reco d LtoM Wi,o j^timaw lo^e da Costa Salgado
#000. 1 pra Roma no vapor de 30 do corrate.
CONTRA FOGO.
A compauhia indemnisadora, estableci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias :
na roa do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Precisa-se > ama ama para eoxinhar : na
raa do Imperador a. *, -armazem.
Ama secca
OITerece-se urna ama para casa de borne soliei-
ro on de pouca familia i quem precisar denja-se
a roa a Senzalla Vetla a. 46.
Precisase de uina ama pira a casa de pura
familia: na roa da StttedaM n. 4i8.
A ttbalxeessignda Bt enturfo de evitar que
j aiguem a precure Iludir, aprovettaado-se da ana
vaneada idade, declara pelo preseale- qoe d'era
eaa diante nenhnm papel por ella assignado lera
validado aem qae seja igMlaaent* aMiaaa* pr
sen jreoro o commea'dador Jos Pires Ferreira, en-
cumiiide da gerencia de l.dfcs os seus negeios,
devendo ter-se, no cato ^ coitrario, a assigna'iora
d mesma abaixo assli?nada por falsa, oo obda
por mel fraadoletHo*;
_;_____ Joeaw ararla Beoe.
Desappareceu n? dia 22 do. axrente da ra
S Pilar casa a. 13, tiacB aanaloeaiar aMaetes
peito e um trancelim chatp, aa^iep gimo urna li-
roube -aa aeetofc-re dtijane iyafc atrraa que
sera bem reconv>eBado. ____________^__^_
Praaoiaa BiattnD Vlelfaa^is* aores-
peltavel pablieo ema speciaMaie a carpo do
commercio que comproa ao credor liquidaiario da
massa do tallecido Antonio Jos .Ribeiro da Silva
Gnimares (Irma social de Gtnanraes 4 Sobrinho)
o esubeleciateota de fazeaelwaHo a' roa Pas-
sate PobHoo n. 10, livre e dataaiiaraoaia. ecife
26 de abrU da 1966.
ILEG.E1


f ..
Diarto e fe
-. sexta Mn
Irritado dos pulm5er. angi-
nas, tosse, escarros de
sangue, crupo qu garro-
tilho, catarro, rouquid
todas as innumeravei molestias que affee-
i5o aes org5os da respiraca"o
DESAPPARECKH
eJiante a acc3o da balsmica e irrev
ANACAHITA
g^^S^S
PEITORAL de KEMP,
PRE$50.
Meia libra, ........ 400
Urna libra......... 800
Urna arroba........195000
Na mesma fabrica acaba de se montar ama officina com serrara a vapor para
0 peitoral de Kemp obras de marciDeiria propria para edificio, para o que encarreg -se de fazer portas, ja-
-! dolas, assoalhos {parqu francez come se osa na Europa,) e armares, tudo com brevi
nade e perfeic5o. Toma-se qualquer encommenda para fra da cidade, entregando-se
prompta a collar-se no lagar.
a aoacahuita mexicana que d o nome es-
pecial este incomparavel remedio, urna
arvore, cuja madeira por muito tempo se
ha usado no Tavnpico para a cura das n-
fermidades cima mencionadas. Foi tam-
bem ensaiada e approvada pela academia
medica deRerlim.
um xarope delicioso inteiramente livrde
opio, acido hydrocyanico e outros ingre-
dientes nocivos.
A' venda as drogaras de Gaors & Bar-
boza, Bravo & C e em todos os estabeleci-
mentos pharmaceuticos do imperio.
Deposito geral em Pernamnuco ra da
Cruz njjj em casa de Caros____________
Samuel Power Johnstoa &_ Companhii
Ruada Sen zal Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fnndieio de Low Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho.
FABRICA A VAPOR
99 RA DO MONDEGO 99
Deposito na ra Nova n. 50 loja de relojoeliro.
Delouche donos deste estabelecimento partecipa ao respeitavel publico que sua fa-
brica est montada com as melhores machinas que existem na Europa, e que pode
abricarcom melhor perfeicao possivel. Todo o chocolate desta fabrica est garantido, e
puro, o que nao se pode encontrar naquelle que vem de fra, e que se vende por preco
baixo, visto os producios serem do paiz. Na etiqueta tem sempre urna a guia.
4 Oi:riIO Ra da Cruz n. 16.
Arre ios do carro para um e dous cavallos.
Relogios de o uro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
m DEPOSITO DE CALCADO g
IR FABRICADO NA GASA DE DETENCAO M
SI Ra Mova n. 61. f
Mg Ahi se encontrarlo obras de di- S
S versas qualidades, e por preco mui ~j
I diminutos, a retalho e em porcoes. P
fS S se vende a dinheiro. H$
mmmmmmm m&mm mmm
Na ra estreita do Rosario n. 43, segando
andar, precisa-se de ama ama forra ou escrava
pera casa de familia, e pagase bera.
\ovissimo Meas"de Mara.
Sahio afinal luz o Novissimo Mez de
Maria, 2.a edigo correcta e augmentada
com um segundo exemplo, tirado da edicto
de Lisboa, Ilustrada com estampas proprias
e anlogas a cada um dia do mesmo mez
maano, cometido instituico e iniulgen-
cia. e o modo de meditar o Santissimo Rosa-
rio, os mysterios gososos, dolorosos e glo-
riosos, versos proprios para se cantarem no
mez de rnaio, em que se i omprehende a de-
finido do dogma da Conceieo por Pi IX,
e um ap.cdice com o ordinario da missa
Ilustrado com -vinhetas proprias, e as tra-
ces nec; ssarias ao christo em cada dia;
acha-se venda na ofcina de encadernacao
n. 15 da ma do Impe ador.
Ama
Preeisa-se de urna ama para cozinhar : na roa
da Cadeira d. 52, terceiro andar.
Na noite da partida, dada pela sociedade Ter-
picicore no dia 21 do correte, trocaraai um cha-
les de renda por oma capa tambera de renda, e por
isso pede-se a essa pessoa que fez semelhante tro-
ca, haja de mandar levar a capa ao Sr. Ferreira,
no escrbtorio deste Diario, e assim o nao fazendo
sera' seo nome.publicado logoqne for de-colara a
pessoa que tal acto praiicoo
Paulo Gomes de Almeida tendo" da se retirar
para Portngal, deixa sea procurador a sea so-
pro Manoel Pereira Marques, em 2o Carlos Perrei-
ra B*rges,em 3o Jerooymo Salgado de Castro Gui-
maraes.
A NACIONAL'
Odmpanhia. geral hespanhola de seguros mutuos.
sobre a vMa
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 1 DE DEZEM8R0 DE 1859
Una tanca em dinheiro, depositad* aos cafres do estado, garaate a boa id-
niiistraco 4a ctaiaaihia.
ANQUEIR08 DA-COMPANHIA* I WRECCAO GERAL
Banco de Hcspanha Madrid : Ra do Prado n. I
Esta companbia liga pelo systema mutuo todas as ombinasoes de supervivencia dos segn
o s sobre a vida.
Nella pode se tazer a subsc-npgao de maneira que em nenhum cas* mesmo por morte do
egurado se perca o capital nem os jaros correspondentes a estes.
Sao to suprehendentesos resultados que prodazem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL,que anda mesmo dimlnuiado ama terca parte do interesse produzido en recentes iiquida-
ces e combioando-o com a mortalidade da tabella de Depareieuz. qne adoptada pela companbia
para seus clenlos e liquidantes, em segurados de idade de 3 al9 annos, ama imposicoannoa-
de 100X prodflz em effectivo metlico:
No fim de S annos.......1:119*300
> de 40 t,.......3:942*600
de 15 t.......11:208*200
de 20........30:256*000
. de 25 >.......86:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, productos sao raais eonsideraveis.
Prospect is e mais informaedes sero prestadas pelo sub-director nesta provincia.
Joaquim Fiuza de liveira, roa daCadeia n. 52, ou a Boa-Vista ra da Imperatriz n. 12, estabelel-
ment dos Srs. Raymundo, Carlos,Leite & Irmo.
ENTURARA
AO GRANDE S> MAURICIO
PROCESSOS APERFEICOAJiOS
PARA w
linglr. I Impar e lustrar a vapor.-
F. A. SALINGR
CASA DE RAMIOS I
26 Pateo do Carmo 26.
Neste estabelecimento t3o impor- I
tante para a saude e asseio do cor- 2
po, acham-se montados 20 banhei- H
ros, que sao servidos com a ordem Wk
e asseio que para desejar-se. Qaa- ||
tro destes banheiros s9o especial- m
mete reservados para 6enhoras e l
por isto acham-se collocados em la- 1
gar reservado, aonde s tem entra- |g
da a pessoas de ama mesma fami- 1
lia. jg
PRESOS DE BANHOS AVLSOS. i
i banho fri, momo oo de
choTisoo...... 500 m
1 dito de choque .... 1*000
1 dito de farello..... 14000
i dito aromalisado ... 1 #000
PRECOS POR ASSIGNATRA.
| 30 banhos por mez fri,
0g raorno ou dechovisco. O^OOO
|f 25 banhos com cartees pa-
m ra os mesraos .... 10*000
g< 12 ditos ditos ditos. 3,0000
5 12 ditos ditos de cboqae. 10*000
g 12 ditos ditos de farello.. 10*000
2|| 0 estabelecimento estar aberto
^ nos dias atis das 6 horas da ma-
sas nhaa as 10 da noite, nos dias san*
H tincados das 5 as 5 horas da tarde.
MM ^Mff MfRtR flUKKjRl
AMA
Precisase de ama ama para comprar e coiinhar
para ama moca : na roa de Hortas n. 16, segando
andSr.
Continua a baver diariamente um sortimento de pastis, podins, bolos inglezes,
empadas etc., etc. Os donos deste estabelecimento, acbam-se as melhores condifoes
de poder satisfazer encommendas concernentes sua arte,, em consequencia do socioj
Freitas ter sido administrador che fe de algumas das princi) aes fabricas n corle, sendo
urna a do Sr. Joo Goncalves GuimarSes (confeitaria do Le5o) antiga casa de Carceller.
, Todos os trabalhos sao differentes dos que se fazem em casas particulares.
Os proprietarios deste estabelecimento nao se tem poupado a desperas, nem se
poapar5o, se houver concorrencia como esperan; tendo continuadamente bom sorti-
mento de doces para cha; presuntos e ditos em Hambre, tambem se recebem para se-
rem preparados; assim como doce de caj novo superior, secce e crystalisado, dito em
calda em latas hermticamente fechadas, podedo durar annos em perfeito estado.
Para jantares e partidas recebem-se encommendas dos seguintes objectos; ban-
deijas ricamente enfeitadas sem armaco pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, p5es de l enfeitados com disticos anlogos a qualquer flm; ditos montados,
kechs simples e enfeitados com fructas ingleza; gatheaux de la reine, ditos de le d-
chese, tortas de fructa, massa folhada; ditas de peixe e carne; cremes e doces de ovos
de differentes especies.
Tambem tem um completo sortimento de vinhos engarrafados, como sejam: vinho
do Porto superior, Figueira, Madeira, Lisboa, *Cberez, Bordcaux, Champagne fino, ser-
veja, licores, charopes e conservas. Para festas: bonitas caixinhas com amendoas, con-
feitos e mais enfeites. Muilos destes objectos mencionados podem-se perfeitamente ac-
ondicionar tanto para a provincia, como para fra.
fc u FlftlRAS
Acabam de receber bonitas figuras para bandejas de doces, sendo grupos para
baptisado, casamento, annos, ditta a phantasia, bonitos enfeites para bollos e circular pra-
tos de doces finos, tudo por precos razoaveis.
Vende-se licores em duzia muito em conta.
Acabam de receber G. Paes do Amaral & C.
5 RA DO CRESPO 5
Antiga casa de ailherme da Silva almarSes
Ricos cortes de vestidos de gros-de-naples preto, com lindas barras bordadas.
Moire-antiqoe preto em cortes e em pecas, liso, ondeado e com palmas.
Gros-de-naples preto, de diversos precos e larguras.
Gorguro preto, fazenda superior a todas pela qualidade, e bonito tecido.
Este estabelecimento
acha-se sonido com numerosa quantidade de filos pretos, de algodSo, de linho e de se-
da, manufacturados em
ckales
retondas
algerienes fbournus)
anamites
atricaines
pompadour
DE FANTHASIA
Receberam tambem bonitos cortes de popeline de listras de cores, e matisadas,
muio modernas, de gostos inteiramente no vos; e outras muitas fazendas de gosto,
das pelo ultimo vapor.
G. P. DO 4MVRAL A C.
29 Kua 7 de setembro 29
Defronte da rna nova do Onvidor (Rio de Janeiro)
Os proprietarios deste estabe'ecimento, o primeiro no sen genero no Brasil, por
trabalbar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que se faz aso na
Europa, e ajudados por alguns dos melhores officiaes de Pars e Lyio, podem assegn-
rar seus freguezes urna perfei,5o no trabalho, a qual sen5o pode chegar pelos proces-
sos ordinarios.
Tingem, lavara, limpam e demofam com a maior perfeicSo e brevidade qualquer
qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem molliar as sedas e as vestimen-1
tas de senhoras e de bomens.
PH0T0GK4PII1A
artstica americana
RA 00 IMPERADOR N. 38.
Artista americano
Artista amerieano.
Artista americano.
Artista americano.
RetratosRetratosRetratos.
Em porcelanaNiepcotjpie.
Em lencosArchrotypie.
Em vidroAmbroiypie.
Em metal=Daguerreotyp.'.
Em papelTa bolypie.
No grande sal5o da roa do Imperador n. 38
No grande salo da ra do Imperador n. 38
Neste estabelecimento, tiram-se retratos
em todos os systemas, com asseio e promp-
tid5o, desde as nove horas da manha
at as cinco da tarde ; assim como tem
sempre a venda grande sortimento de cai-
xas finas de diversas formas. Quadros
ovaes Passepartouts e todos os-mais ob-
jectos e productos chimicos, relativos a ar-
te e recibidos ltimamente dos melhores
fornecedores de PARSe Nova York, tendo.
de tudo, para todos os gostos e para todos
os precos.
Sal3o da ra do Imperador n. 38.
Salao da roa do imperador n. 38.
C0MPRAS
GRANDE ARMAZEM
DE
FAZENDA E ROPA FE1TA*
HITA MOTA N. 2*.
Reg & Moura, proprietario daloja de fazendas e roupa feita, sita ruTNva
n. 24, verdadeiramente penhorados e reconliecidos para com seus amigos e freguezes,
pela aceilacSo e confianca que delles tem merecido no curto espaco de tempo em qu
se acbam estabelecidos e perfeitamente escudados na sinceridade dos seus tratos, decla-
rara para sciencia daquelles que o quizerem honrar com seus officios, que, em vista da
grande concurrencia que tem merecido o seu estabelecimento, especialmente no que
relativo a roupa feita; acabam de admittir para a sus, officina de alfaiate maior numero
de artistas, inclusive o seu contramestre, dirigido pelo hbil mestre Lauriano Jos de
Barros, o qual nao se poupa a exforgos para satisfazer com a presteza possivel qualquer
obra-de encommenda.
Os mesmos annunciam aos seus freguezes que acabam de comprar um novo e
muito variado sortimento de fazendas finas e de bom gosto, proprias para o tempo da
quaresma, as quaes esto dispostos a vender por precos muito commodos e mais barato
que em outra qualquer parte.
Como sempre escusamos essa enfadonha prolixidade dos annuncios bombsti-
cos; preferimos mostrar na singeleza deste nosso convite os bonsdesejos que nutrimos
para bem servimos quelles que rieron ao nosso redamo.
Compra-se onro, prat e pedras preciosas
em obras velhas: na ra da Cadeia do Recife-
cja de ourives no arco da Concedi.
Onro c prata.
Era obras velhas : compra-se na praca da lo
dependencio n. i2, loja de bilbetes.
Compra-se ama burra dD ferro, ingiera ou
mesmo das aoligas na roa Nova n. 31.
Compram-se duas rodas para carroga ou
urna carroca que esteja em bom estado : no arma-
zem da bolla amarella do oilo da secretaria da
polica. _____
Couipra-se na prensa de alpodao de Saunders-
Brothers & C. semeoles de algodo a SOO rs. por
erroba.
Compram-se
Guia n 9.
latas vazias de gaz : ca ra da
Cobre latao e chumbo
No armaiem da bola amarella no cilio da
secretaria de polica, comprase cobre, lato e
chambo.
Compra-se ama carroca que esteja em bom
estado : na rna da Croz n. 33, 3 andar. Na mes-
ma casa se dir qaem vende dous escravos cabras,
de idade 40 annos, bons carreiros.
Compram-se duas casas terreas : a tratar na
rna do Queiroadoji. 13, primeiro andar.
Libras sterlinas compram-se na prara da
Independencia n. 21
!
VENDAS
vin-
5 RA DO CRESPO 5
DE
DE
r. VIGNES.
JV. S. UA DO IMPERADOR f. 55.
O* piaaosdesta antiga fabrica sao hoje asss conhecidos para que seja necessario insistir sobre a
na uperioridade, vantugease garantas queofferecera aos compradores, qnalidades estas inconteeta-
veis qne elles tem delnltivaiaente conquistado sobre todos os qne tem apparecido nestt praca : pos-
inindoum teclado e maciinfemo queobedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
nunca ralbar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoraroentos importan-
---'-' qnto s Tozes, sao melodiosas eflautadas, e por isso multo agrada-
Companhia fidelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PERXAMBVCO
Antonio Luii de Oliveira iievedo k G,
competentemente antorisados peia direc-
tora da companhia de segaros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no sea escriptorio ra da
Cruz n. 1.
:
m
fi
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos contina a morar na rna do Impera-
dor o. 17, segundo andar, tende alias seo
gabinete de consultas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
O mesmo dontor, qne se tem dado ao.
estude tanto das operacSes como das mo-
lestias internas, presla-se a qualquer cha-
mado, quer para dentro qaer para fra
da cidade.
ssimos para o clima deste paiz
ts ao* ouvidos os apreciadores.
Fwem-se conforme as encommendas, ta
eorresoondente de J. Vigaes, em cuja capital
No mesmo estabeleeiaento se achara sei
albores amores da Europa, assim como b
precos commodose razoaveis.
o nesu abnca como na de Sr. Bkradel, de Paris^ socio
lorara sempre premiados em todas as exposicSes.
>pre nm ezpleodido e variado sortimento de msicas dos
fmonlcos pianos harmnicos, sendo lado vendido por
GAKBAUX, DE LAILHACAB A C.
BMRIE FRANQAISE
RA DO CRESPO N. 9.
Lvros naciooaes e eslrangeiros.
Rdigio, tUreito, litlerattira, etc.
Papelaria, objectos para escriptorio.
Papis pintados para forrar caas.
Asignaturas para os jornaes da Europa.
1
/ "." Z A T 1T"
Tinta Inalteravel
Para escrever
de t. JTAIRER & C.
PERNAMBUCO
Esta tinta reCommenda-se pela sua com.
poeicad e fluidez oomo a melhor e a main
segura de todas as tintas at hoje condeci-
das. Nao ataca as pennas de ac, d at
tres excellentes copias, mesmo mu tos dias
depois de escrever, e preferivel a qual-
quer outras tintas particularmente para
livros de commercio, documentos eto de
que se careca longa conservaca.
Vende-se nalivraria franceza ra do Crespo e ra Nova n. 16 de
Em casa de Theod Chrstiaosen, ra do Tra-
piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil,
de Brandenburg frres, Bordeaox, encontra-se ef-
fectivamente deposito dos artigos seguintes :
St. Jnlien.
St. Pierre.
Larose.
Cbateaa Loville.
Cbateaa Marga.
Grand vin Chateau Lafitte 1858.
Cnateao Lafitte. i
Haut Sauternes.
Chateau Sauternes.
Cbateaa Lataur Blancbe.
Chateau Yquero.
Cognac em tres qualidades.
Azeite doce. Precos de Bordeaox.
Casa de eomaisso de estraves na rna do Impe-
rador n. 4o, terceiro aidar.
Recebem-se escravos tanto do mato como da
praca para serem vendidos por commisso, afflan-
Qa-se o bom tratamento e seguranca para os mes-
mes. O abaixo ssignado nao poupa esforcos aQm
de os vender com promptdo, nesta mesma casa
ba sempre para vender escravos de ambos os sexos.
Antonio Jos V. de Soazi.
SreHI
Joao da Silva Ramos, medico
pela universidade de Coimbra, d 'j
consultas em sua casa das 9 as j
i i horas da manh5a, e das 4 as 6 I
da tarde. Visita os doentes em suasfl
casas regularmente as horas para I
isso designadas, salvo os casos ur- I
gentes, que serJo soccorridos em
qualquer occasiSo. D consultas aos |
pobres que o procuraren! no hos- "
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 hora da
manha,
Tem sa casa de sade regular- I
mente montada para receber qual- !
quer doente, anda mesmo os alie- I
nados, para o que tem commodos I
apropriados e nella pratica qualquer I
opperacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira dasse..3(J000diarios. |
Segunda dita____3,9500
Terceira dita ..2(J000
Este estabelecimento j bem 1
acreditado pelos bons servicos que i
tem prestado.
O proprietario espera que He 1
continu a merecer a confianca do 1
que sempre tem gozado. M
AOS SRS. ACADMICOS
Vendem-se as seguintes obras de diieilo-
com pouco uso : Manuel du Droit liornain
l or Mackeldey, 1 volume por 4; Diceio-
naire du Contentieux Commercial, por Mas-
s, volume, por P? ; Elemento du droit
romain, pur Maynz, I volume por 4; Es-
prit de la jurisprudence des successions,
por Conflans, i volume, por 44 ; Traite de
droit penal, por P. Rossi, i volumes, por
H; Code pratique des faillites, por Geof-
froy, i volume, por 35', Elemento de l'Eco-
nomie Politique, por Garnier, 1 volume, por
1& ; e Organisation du tratail, per Louis
Blanc, 1 volume, por 1(5(200: na roa do
Crespo n. 4-, fabrica de chapeos de sol.
PARA 1860.
Acabam de sahir luz as folhinbas do
algibeira e de porta para o anno de 1866, o
mais correctas possivel tanto no calculo das
las e eclipses, como as diversas festas
que a igreja celebra; vendem-se unicamen-
I te na livraria da praca da Independencia,
j 160 ris as de porta e 320 ris as de algi-
; beira.
Na ru do Livramento n. 19 vendem-se ca-
nos de ferro, proprios para gaz e agna com i|2
pollegada.
Antonio Jos Rodrigues de Souza na roa do
espo n. 15, loma dinheiro para mandar entregar
Baha, Para e Maranbao.
| Dr. Iguaci Alcibixles Vellue. ff
VAELL i i
Cauto* e phantaia.
Um volume in 12," impresso e en-
cadernado em Pars: em casa-dos
edictores
UVRARIA FRANCEZA
f 9 Ra do Crespo N. 9.
Veode-se a taberna sita u roa de S. Miguel
dos Afugados n. 68 : qaem a pretenser comprar
di"ija-se a mesma taberna, que se dir quem vende.
Vende-se
Urna casa na /illa da Escada no pateo da feira,
construida com tljollo, e propria para qualquer es-
tabelecimento : a tratar na mesma vu com An-
tonio Torqaalo.
Taberna.
r. IgBacit
MEDICO
RA DA IMPERATRIZ N. 46.
Trata especialmente das molestias
pbiliiicas e de criaucas.
sy-
CaslBhelro.
Precisa-se de omcosinheiro forro ou cap-
tivo que d fiador a sua conducta: na roa
da Cru n. 48, primeiro andar.
.Antonio Luis de Oliveira Aievedo & C tea
para vender no sea escriptorio, roa da Crui n. 1,
vinho do Porto em caiu de duiia, flo hamburguei,
sola da BabU superior.
ANA
F^o dejar
Yaldivino da plvora se acha com fabrica de
fogos artificiaos na ilba do Maroim, com grande
porco de fogos de 1* sorte, j preparados a espera
de festejar o grande dia qne tiver noticia de qual-
quer uiumpho de ao&sas armas dentro de Para-
guay : todos aqoelles qne Uverem a mesma satis-
faci diriia-se ao armasen) do sal na ra Imperial
O. MI.________________ -
Atagwe
por ee retirar para fra, o actual morador, a casa
da rna Pormosa n. 13,' em bom.estado de asseio,
e teda esteirada : trata-se na mesma casa, das S
horts datarde em diaote, a respeito do aln-gnel e
das bemfeitorias do predio.______________
Na roa da Florentina n. 36 prepara-se comi-
da com asseio e promptldio, e por preco razoave!:
qaem qolaer dlrija-se. ____________^____
Venoe-se a uberoa sin na roa da Senzalla No-
va n. 9 : a tratar na mesma. '______
4enco.
Na roa do Apollo n. 36, vende-se
tas? e farinha de Santa Catbarina a
modos.
superior po-
precos cam-
Prchincha
Vende e palha para empaliar cadeiras muifo
em coma por ter grande porco : na ro das Cru-
zes n. zS.
Precisase de orna ama para casa de
milla, qce saiba:eDtpmraar cozinhar :
na praca do Corpo Sanio n. 17.
pooca fa-
a tratar
Bernardino Alves Perreira, declara ao respei-
tavel publico e com specialdade ao corpo de com-
mercio, que desde o dia W do correte dettoa de
ser eaixeiro despachante da casa commercial do
Sr, Jos Maria Palmeira.
Veddese ama pequea uberaa sita aa ra
da Conquisa n. 10(Caminbo Nova)
Vende-se um escrave erioulo, moco, de be-
nita figura e com ohlcio de marclaeiro ; na roa
estreita do Rosario a. 34, loja.
MACHIMAS
para descaroqar algodo a
9.000 a tterra
No Forte do Mallos prenca de algodio n. 17, da
Medeiros di U, vende-se machiaae americanas do
meihor systema rae ha ,apparecido por serem
muito auoeiras de 14,1,18 e 10 serrar, a 9*
sorra.
I
1'

i



Otario/* eraamlmco. (, |e*ra 1J de A*rJl de I8G6.
LOJA
A
>/"

-


* <.*

ENCICLOPDICA
41 RaadaJ^MBcnitrU armuea
da p^U Urgs *
jnntn a nadarla fradeeza de
Paratea Porto.
Hasta estabeleci ment encontrar o respeitavel
pblico nm variado sortimento de fazenda* france-
zas, inglezas, sulssas e alleraaes, que se veuderao
por prego commodo.
Paredes Porto
Vende chales de renda de corea que se vende-
na a 189 est vendendo por 65, dites prelos, ra-
teada aova, 55, 65, 85 a 205, na sortimentQ com-
pleto de manteletes, capas e soutambarques 145 a
255. Ra da Imperatru n. 42, junto a nadarla fran-
ceza, armuem da porta larga.
Paredes Porte
rtecebeu api complete sortimento de liasinba* a
*M>. e m r*. covados, para acabar, cambraias de
cor a 2W) rs. o covado, riscado escosse para rou-
Ki de menino, foslio de liobo a 420, 400 e 500 rs.
na da Iroperatri* n. 52 junto a nadara franceza,
artaazem da porta torga.
Paredes Porta
Receben para cortinados para cama franceza a
4# a peca cambraia lisa Bna a 35 44 at IOS a
peca, cortes de tarlatona;de bonitos gostos a 3*500
e ftf, cambraia cem flar de seda, gostos nteira-
iBoate novos a 100 e 500 rs. o covado, no armazem
da porto larga o. 52, roa da Imperatriz jnnto a pa-
4aria franceza.
Paredes Parte
Receben pelo ultimo paquete nm sortimento de
rases com podras para e pescoco, bonitos caxioels
Se ua para pescoco de senhora. Roa da Imperatriz
n. 62, armazem da poru larga.
Paredes Parta
Vende cortes de gorguro preto para vestido com
21 covados cada um 3;OGO, grosdenaple preto a
4#K), 1*800 e 25 o covado, lias lizas finas a 400
rs. o covado, lias de quadrinbo para vestido, en fes-
tada, a 320 rs. o oevado. fina da imperatriz n. 52,
armazem da porta larga.
Roopa feita
Ra da imperatriz n. 52 armazem da porta lar-
ga junto a padarla franceza, encontra-se neste es-
'tabelecimento nm completo sortimento de paletos-
saceos e sobrecasacos, de todas as q salida des, cal-
cas, colletes, ceroulas, camisas, grvalas, meias,
chapeos de sol, ditos francezes para cabeca, por
prego* commodos, roopa para menino e otras
mnitas fazendas por precos commodos, armazem
da poru larga. ,
No mesmo estabeiecimento encontrara o res-pei-
Uvel publico, sempre nm completo sortimento de
roopas fertas de todas as qnahdades, como sejam
paletos de alpaca .preta e de cor, ditos sobrecasa-
cos a 45 e 5*, ditos de brim pardo a 2*800,35 e
3*500, ditos finos a 4*, ditos meias eaaemira a
3*560, 4* e 5*, ditos cazem i rasceos a *, 7*, 8*
e 10*, ditos sobreeaeacos a 10 e 12*, ditos de pao-
no saceos a 6*. 8* e 10*, dites sobrecasacos a 12*
e 25*. ditos de merino preto a 6*, 7* e rO, cal-
cas de brim de diversas qualidades a 1*800 a 4*,
ditos brancos a 2*900 e 6*80, ditos cazemira 5*,
6* e 7*. dites pretos a 5*. 6*, 8* e 10*, ditos
meias cazemiras a 3* e 4*, coietes de diversas
qualidades, seroulas francesas de algodo, dita.* de
Inho, ditas de bramante a 2* e 2*800, cainitas de
algodo de linbo francezas de 2*500 e 3*. -tiran-
de peenincba neste genero, gravaus.de todas as
cualidades e brancas para casamento, grande sor-
iimento de meias para senhoras, ditas para bomens
a 3*, superiores a 3*500 e 4*.
m completo sortimento de chapeos de sol de
alpaca a 3*, ditos de seda a 5*, 7*, 16* e 14*,
ditos francezes para cabeca, grande sortimento
a 6*.
Vestidos
Peehiacha sena Igual.
Cbegoo a loja de Paredes Porto om bonito sor-
tmenlo de vestidos de Urtalau de cores e brancas
que serve para partidas por ser urna pbaotasia lo-
tetramente de gosto pelo barato preco de 4* e
brincos a 4*500, esto aeabando-se : no armazem
da aorta larga ruada Imperatriz n. 52, junto a na-
dara franceza.
Cortinados.
Cbagoa a Joja de Paredes Porto um completo
sortimento de cortinados Ticamente bordados a
preco de-25*. 33* e 45* : na ra da Imperatrii
n. 52, parta larga junto a nadarla franceza.
Ricas romeiras.
Paredes Porto receben pele ultimo paquete
aortiattiito le rua^ir* o> ituitiurr pretas r ds
a preco commodi : na ra da imperatriz n.
POTU larga juolo a i-aiaria fianeeza.
A SALSA PARRILHA DE AYER
PARA A CURA RADICAL
de escrfulas e molestias escrofulosas, tumores, ulceras, chagas, feridas ve-
loas, bronchocele, papo ou papeira, a syphis, enfermidadts venerias ou mer-
cunaes.
AS MOLESTIAS DAS MULHERES
reteocSo, menstro doloroso, ulcerares do tero, flores brancas, etc., ulcera-
rlo, debilidades expoliado dos ooos, a nevralgia e coovuteCes epitepticas
quando causadas pela escrfula.
. ERYSIPELAS ERPES; ETC.
Enfermidades cutneas, crupcio, borbulhas, pstulas,
nascldas, etc.
O extracto composto de salsa parrllha, con'ecciorjado pelo Dr. Ayer, urna
combinacao dos melhores depnralivos e alterantes conhecidos a medicina; confeccio-
i ado segundo as regras da sciencia, approvado e receitado pelos priaeiros mdicos dos
Estados-Unidos da America do Sul e Central, das Antilhas, do Mxico e das indias, e
umitas outras partes do mundo: o resultado de estudos apurados e minuciosos, e de
experiencias feitas pessoalmente pelo Dr. Ayer, por muitos annos, nos principaes nos-
pitaes e enfermaras da America; tcm sido approvado pelas academias de medicina e
juntas de bygienne das principaes capitaes da America do Norte; para prova disto rede
os attestados autbenticos no Almanak e Manual de Saude do Dr. Ayer, os quaes te dis-
tribuem gratuitamente nos lugares onde se vende o remedio.
. ,, A SALSA PARILHA DE AYER
Especialmente effleaz ata cura das molestias que tem sua origen
na escrfula, ata Infereo venrea, no us
exeesslro do mercado ou qnalquer Impureza do sangue.
A molestia ou infeccao peculiar, conbecida pelo nome de escrfula, um dos ma-
les mais prevalecentes e universaes que ha em toda a extensa lista das enfermidades que
atacatni a nessa raca; disse um celebre escriptor da medicina que c mais de urna terca
parte de todos aquelles que morrem antes da velhice s9o victimas, ou directa ou indirec-
tamente de escrfula; por isso so nao t5o destructiva, porm a principal causa de
multas outras enfermidades que nao lhe s5o geralmente attribuidas.
:Dma a d'rec,a da tsica pulmonar, das molestias do figado. do estomago
e affeccoes do cerebro; enire seus numerosos symptomas acham-se os seguintes: falta
de appetite, o semblante plido e encbado; as vezes de urna alvura transparente e outras
vezes corado e amarellento irregular, fraqueza e moeza nos msculos ao redor da boc-
ea; digest3o fraca e appettite, falta de energa; ventre encbado e evacuado irregular;
aoo o mal tem seu assento sobre o pulmoes urna cor azulada mostra-se em roda dos
quando ataca os orgaos d'gestivos, os olhos tornam-se avermelbados; o bali-
GRANDE ESTABELECIIERTO
DO
aua
Cortes de cambraia com palmas na loja do
Pavao.
Veedem-se corles de cambraia branca com pal-
mas, sendo fazenda muito- boa, pelo baratistimo
preco de 2*500 pata acabar : na loja e armazem
do Pavo na ra da Imperalria ti. 60, de Gima S
Silva.
Lencos broncos a $000 res a
duzla*
Vendem se lencos braceos ferenda muito boa
da Imperatriz, N. 60
GAMA l SILVA.
LOJA S ARMAZEM DE HAZEBBM.
Tendo os propietarios deste granee esiabelec-
mento felto um grande abatiraento ea rcuitas de
suas fazenda?, pela occasiao dn.batanea que derara
no ultimo de detambro de 1863, resolwam vender
muito mais barato do que costumam anm de cada
vez mais agradarem aos seus nume/oans frepue
zes ; por tanto lites otTererein um avalado ttn t-
menlo de fazendas franceza, ingleata, a? quaes
vendero mais barato do que eru outra qualquer
parte,i comprometiendo se a mandar levar qualquer
razenda em casa dos freguezes qne nao poderero
vir a loja, ou a darem as amostras, deixaodo iiear
o penfeor, assim como convidan) as peuoa?, ijue
negociara em menor escala que neste grande e.-u-
iamn?erni,0MhenCODtrario T #rMdeJ oitimento o covado, endulceda muito bea.
tanto a retalbo como por atacado, vendendo-sellie!bar : na loja e
apenas pelos precos que compran) Das casas ingle-
tas, sendo com o dinbeiro
Chitas a i80 rs, o Pavo.
Vende se o mais bo*8to sortimento de rhiia? in-
glezas, padrSes miadmrior, daros e escnrt-, r ien-
do tambera lozas para iuio, aSangandose s^rem
cores flxa.% e fodL-m-.-e pelo baraiisfirr.o preco de
nove_ votens o covailc. mi a pega c m 38 c;-vados
pf r *800 : i?tu na leja e armazem do Pavao, na
roa da imperaniz o. 6Q, de Gama & Silva.
Vestido, braacos.
Cbegraro para a
pelo baraliuimo ,.*, d, 2* a duz,a. Diki Cura cortle vesdos de L &,a^*r*"?
barra de cor a 2CU0 is.o para acaLar na ic-n d- las La.ras todas bianca, assjnr como oa?br
Pavao na ra da liuj.ratiiz n. 60 de Gama i Sio decores, sendo lazada traMpmn e Zho a
a" ,nn ..- tenso cadj aro ccitibaiiiuia fazenda emoita'ro-
PouoelJnas moderiiissimas a i00 e oO rs. da, e vend^m-fe pelo baratisslmo. preco de 85 e
O CrtaUo-ua loja iloPa\30. $* : rm lija >u. lUjo Da iua da Imperatriz u.
' Vendemse poopelinas ii.uito linas seado fazeDda bU> Cl ama Mlva-
Olbos
um
tii
5S
s$m
ft^rtes de laa escocefia para vestido a 3* a cor
te. na roa aa Imperatriz n. 52. loja da porta lar-
ga, junto a padaria franceza, esio se acabando.
Para luto.
LU pretas com salplce? brancos a 400 e 500
s. o eavado : na rna da Imperatriz n. 52 junto a
,padaria .franceza armazem da porta larga.
IHOO
sol.
Cbapeoe de
tfendero-.se ehapos de sol de panno a 1*400 e
arsa grande ^echincba s para acabar : na roa da
imperatriz .52 armazem da porta larga de Pare-
des PtffU).
l,j500.
-
Vendam-se pecas de tranca preta para enfeites
de vestido?, sootemtarque?, capas de senhora a
1*600 com iO varas, nma grande pecbincha : na
roa Ja Imperatriz n. 52 junto a padaria franceza-
48000
Olales de renda pretos.
Valide se eriales de renda preto a 4*000, unic.c
loja vxe pode vender na roa da Imperatriz n. 52,
arMuzao da porta larga, de Paredes Porto.
to ftido, a ltngua carregana; dores de cabeca, tonteiras, etc. Na pessoas de disposi-
cao escrofulosa apparecem frequenlemente erupces na pelle da cabeca e outras partes
do corpo ; sao predisposUs s affeces dos pulmoes, do 6gado, dos rins, dos orgSos
digestivos e uterinos. Portante nao s3o sm'ente aquelles que padecem das formas ul-
cerosas e tuberculosas da escrfula que necessitam de proteccao contra os seus estragos;
toaos aquelles em cujo sangue existe o virus latente deste terrivel flagello (e s vezes
Bereoiteno), estao expostos tambem a soffrer das enfermidades que elle causa, que sao:
A tsica, ulcerarles de figado, do estomago e dos rins; erupces e enfermidades
eruptivas da cutis, rosa ou erysipela, borbulhas, pstulas, nascidas, tumores, rheuma,
i'ScS ulceras e chagas, rheumatismo, dores nos ossos, as costas e na cabeca,
deniiidades femininas, flores brancas causadas pela ulcerado interior, e enfermidades
uterinas, bydropesia, indigesto, enfraquecimento e debilidade geral.
Offerecemos a estas pessoas um abrigo seguro e um antidoto efficaz contra esta
molestia e suas consequencias na
m SALSA PARRILHA DE AYER
que opera directamente sobre o sangue, purificando-o e expulsando delle a corrupcSo e o
veneno da molestia; penetra todas as partes e todos os orgSes do corpo humano, livran-
do-os da sua accao viciada e inspirando-lhes novo vigor. nm alterante poderosissimo
para a renovac5o do sangue, e d ao corpo j enfraquecido pela doenca, forcas e ener-
gas renovadas como as da joventude.
B tambem o mellior anty-syphilitico conhecido
cura permanentemente as peiores formas de sypbilis e as suas consequencias. Pouca
necessidade ha de informar o publico do inestimavel valor de um remedio que, como
este, hvra o sangue desta corrupeo e arrebata a victima das garras de juma morte lenta
e ignominiosa, porm inevitavel, se o mal n3o logo combatido com energa.
E um poderosissimo alterante para a renovaco do sangue e para dar nova for-
ca ao corpo j enfraquecido pela doenca.
Sendo composto de productos vegetaes, esie medicamento innocente e ao mes-
mo tempo efficaz, um facto de immensa importancia para aquelles que o tomam ; por-
que muitos dos remedios alterantes offerecidos ao publico tem por base o mercurio ou o
arsnico; e sendo assim, bem que s vezes podem eflectuar curas, comtudo deixam suas
victimas carregadas de urna longa serie de males, muitas vezes peior do que o mal or-
gmai. A nica cousa necessaria para obter urna cura radical seguir com juizo e cons-
ocia asdirecces que acompanham cada frasco.
Nao pretendemos promulgar, nem queremos que se inflra que esta composivo a
om remedio nfallivel pata a cura de todos os padecimentos humanos; infelizmente
mrotula e a sypbilis sao enfermidades to sulis as suas naturezas, e arreigam-se to
rmemente no systema, que muitas vezes evadem e resistem aos remedios mais pode-
rosos que a sciencu humana pode inventar para combat-las: o que dizemos que o
Extracto composto de salsa parnlha de Ayer
e a iBtlhor preparado at lioje descoberta para estas e outras molestias anlogas, que
urna combinado dos alterantes mais eflScazes conhecidos, e que esta combinacio tem sido
refiada por Jungas e laboriosas experiencias, e finalmente que temos consefencia deof-
icrecer ao publico o mclhor resultado que possivel produzir, da intelligencia e pericia
medica dos nossos tempos.
Este remedio deve ser tomado com systema e regularidade, e n5o com abandono,
pois e um remedio e n5o bebida.
Quando as molestias do figado nao tem sua origem na escrfula, o remedio
mais propno e as pilulas catharticas de Ayer, que sao efficazes na cura da molesa. que
_m por cansa um desarranjo dos orgaos digestivos. Pedi a salsa parrilha de Ayer e
aao aceitai outra preparacSo.
______Pernambuco, ra Nova n. 18, pharmacia francezade P. Maurer & C.
VENDE-SiE
a' vuta.
As toadlas de lioho do Pavo.
Vendem-sa superiores toatbas de linhos para
rosto pelo baratsimo preco de 7*500 a duzia oti
a 640 cada urna.
Goardanapos de lioho adamascado para meza a
2*800 a dnzia ou a 240 rs. cada nm.
Superior atoalbado de liobo com olio palmos de
largura sendo branco e pardo, e vende-te mais ba-
rato do que em ootro parte, na loja do Pavao na ra
da Imperatriz a. 60 de Gama & Silva.
Os corpinhos ae seda pretes do Pavao.
Vendem-se os mais ricos corpinhos de seda pe-
los, ricamente ofertados, pelo barato preco de 12*
cada om : na loja do Pavao na roa da imperatriz
d. 60, de Gama & Silva.
Mee* vestidos a 8*000 rs.
pichincha admirare!.
S o Pavo receben pelo ultimo vapor franeez
um grande sortimento dos mais ricos cortes de
vestidos transparentes com lindas barras e enfeites
de seda, sendo estes vestidos muito propries para
baile e passeios, e vendem-se pelo baratissimo
preco de 8*000 rs. cada nm, na loja do Pavb na
rna da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Os chales pretos de renda de Pavao a 8000 rs.
Vendem-se os mais ricos chales pretes de renda
com quatro ponas, senda mnito grandes pelo ba-
ratissimo preco de 8*.
Ditos de guepnre a 15*. 18*, 20*. 25*.
Retondas de dito a 10*.
Manteletes de renda, iazenda muito superior a
15*000.
Capas e sauthambarques de grosdenaples bor-
dados, fazenda inteiramente nova, por precos mais
baratos que em outra qualqoer parle.
Isto na loja armazem do Pavo na rna da Im-
peratriz n. 60 de Gama & Silva.
Oschales do pavo a 2ooe e 2ooo rs.
Vendem-se chales de merino estampados a 2*
e z*500 cada um.
Ditos de merm liso a 3*500.
Ditos estampados de ere pon a 6*, 7*. e 8*000.
Ditos pretos bordados com franja de seda a 14*.
Na loja e armazem do Pavio na rna da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
Para luto vende o Pav3o.
Selim da China com 6 palmos de largura, fazen-
da preta para luto, propna para vestidos e roupas
para homens, sendo esta nova fazenda sem lustro e
de muito boa qualidade, garantindose nao Mear
E, TO'08 Jr ,en5es.' Pe!s "s> de vivenda por prego eommodo : quem o ore-
iPJ7Ode T i2*60? a latil, a-5'm eDder qneira **'&'** ra da Praia n. 76, para
lejinho muito fino pelos baratissimc tratar at o flm do eorrente mez de abril.
muito moderna de quadrrohos e liza vendendo-se
pelos barato* precos de 400 e 500 rs. o covado na
loja do Pavo na ra da Imperatriz o. 60 de Gama
di Silva.
Cirotidcnaoles pretes do Pavo.
Vtndem-se superiores iirosdenaples pretos pelos
fcwatissimos precos de 1*500, 1*600, 1*800 e 2*
s para ac
araazera do Pavao, rna da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Bramante de Hubo do Pavio.
Vndese superior bramante de linho com 10
palmos de largura,
baratsimos
como panno de
precos de 640,700 e 800 rs. a vara : na loja e ar-1
mazem do Pav3o, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-'
ma & Silva.
Cambraias lisas do Pavo.
Vendem se pecas ae cambraia lisa muito supe- \
rior, pelo barato prego de 3*200 e 3*500 peca, I
ditas muito finas a 5*, 6*. 7* e 8* : na loja e
armazem do Pavo, iua d Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva. |
FECHJNCHA
a 2(5000, para calcas, s o Pavo.
Vendem se superiores crtts de meia casimira
com msela de seda a 2*, ditas Ganbaldlnas a
2*800, ditas escuras a 2*8c0, cu a 1*600 o cova-
do : na loja e armazem do Pa^ao, ra da In-f-era-
triz n. 60, de Gama & Silva.
PENTEADORES
ou roupoes de cambraia bordados prepries
iara as senho.as vo&tirem de manhaa.
hegou esta novidade paia a loja do Pavo,
muito lindos e do mtlhor gosto at h(j os muito razoaveis : na loja do Pavo, ra d
mperairiz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas francezas a 2-O rs. 0 covado.
Vendem-se bonitas cassas francezas de core* fi-
las pelo baratissimo preco de 240 o covado.
Ditas a 280, 320 e 360.
S na loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Corles de (ilotas* ta Ija Vendem ?<*os mais iud*inoa curtes de larlan-na
com as mais lindas bairas de cor, pelo baratissimo
preco de 3* cada nm. seorfn Leste artigo o melhor
que tem vindo ao mercado : ite na loja e ai ma-
zem do Pavo na roa da Imperatriz n. 60, do Ga-
ma & Silva.
Vende-se
um engenho
I d'gua denominado Triumptio na comarca de S;.n-
lo Anto junto ao tngtnbo Coqueiro, com Ierras
para safrejar de 300 a 800 pies, com boas obras e
Vende -se e laz-.-e lodo negocio om o deo-
silo da. ra do Vigarlo n. 29, muito proprio pa
um uncipiante que queira principiar sua vUa
com j ooco dinheiro ; ao comprador se dir o mo-
tive da venda.
G*Z.
>o armazem da ra do Imperador n. 3
Caei de Pedro II n. 2, u-m para venderse
bcr naz rxstente nc mercado.
oo no
o me-
12Sia9Comul.tempo,e vende-se Pe'0 baf>to preco de
>
O^
X)
c
a
P w o.
ffcl
g_O.S5

Xo armazem de M. JJI.niios e Silva Genio, rna do viga ri
n. 11, constantemente, os seguintes artigo, t^ue
reeebem por encommenda propria de
Legitima salsa parrilha de Bristol, preparada por Lanman & Kemp.
Verdadeiraagua Florida, preparada pelos mesmos.
Gaz em latas de cinco gales, o"mais purificado que se pode deseiar da acredi-
tada marca F. W. D. & C.
Kelogios perfeitos reguladores, com corda de quatro aoito dias, dos afamados fa-
bricantes E. N. Welch.
pbia).
ff" fV>
I
1
O
I
3g^2SS.5-Soo
a S e? s"
Sil
1
S.o
'r'
Graixa em latas grandes da bem conhecida marca las. S. Masn (de PhiJadel-
Superior oleo para machinas de costura.
A guias para a mesmas. .
Breu em barrica grandes e pequeas.
Vende-se tambem:
BORDEUX
4. ftalidade.
St. Estephe.
St. Julien.
C. Margaux.
C. LaStte.
1 Medoc.
PORTO
l'aaalitade,
Yinho fino do Porto embarris de 5/, 10/ e
Superior vinho doRheno.
Cera de Lisboa em velas e em grume.
20/.
Principe Real.
Pedro V.
Mara Pia.
Princeza D. Isabel.
Victor Erflmanuel.
Duque.
Malvazia. #
t-
e 25500 o covado, assim como neste estabeleci-
mento tem um grande sortimento de todas as a-
zendas pretas como sejam cassas e chitas preas,
laas tapadas e transparentes, princezas, alpacas,
sarjas, etc. : na loja e armazem do Pavo na roa
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os bai5es do PavSo.
Vendem-se superiores baldes de moculina com
m.'}*rodaa5*-. ditos crinollnes com 3o arcos a
.WOO, ditos com 20 e 25 a 3#, ditos para meni-
nas, sendo brancos e encarnados a 2,5 e 2500
na lo- ,) Pavo na ra da Imperatriz n. 60. de
Gal' a Silva.
:ia.oraias de forro a 1,51600 e 2^ na loja
do Pavao.
Vendem-se pecas de cambraia de forro com no-
c/5asa?da peca' pelos baratlssimos pregos de
1*600 e S|: na loja e armazem do Pavo na ra
da. Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os cortinados do Pav5o.
Vendemse superiores cortinados adamascados
para camas pelo baratissimo preco de lf cada par
ditos muito finos ricamente bordados para camas
ou janellas a lo*, 20 e 2o o par : na loja e ar-
mazem do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de
uama & Silva.
Panno preto a 20 na loja do Pavae.
Vende-se panno preto. fazenda muito boa, pelo
*ra P;eco de 2* o covado, dito muito Uno a
d*o00, ifl, 5,5 e 65, assim como casimira preta de
cordo a 2* o covado : na loja do Pavo na roa da
Imperatriz n. 60, de Gima & Silva.
Os espartilhos do PavSo.
Vendem-se urna grande e variado sortimento de
espartilhos dos mais bem feitos qne tem 'vindo ao
mercado, sendo de todos os tamanbos, vendendo-se
por um preco muito razoavel : isto na loja do Pa-
vao na roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As salas bordadas do pavo.
Vendemse saias bordadas sendo fazenda muito
boa, sendo ricamente bordadas e com muita roda
vendendo-se pelos baratos precos de 65 8 e 10*
reis cada urna na toja do Pavao na rna da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
Bretanhae de rolo a 3^0003
Vendemse pecas de bretanha de rolo com 10
varas cada peca, pelo baratissimo preco de 32
na .oja e armazem do Pavao, rua da Imperatriz n
60, de Gama Silva.
Ronpa felta.
Na- loja do PavJo
Vende-se neste eslabeleciroento um grande sor-
timento de roopas, tanto de panno como caxemiras,
e brins pelos baraiisslmos precos como sejam
caigas de caxemira preta a 61 75 e 85000reis, pa-
lelots de panno preto saceos a 65 85 e 125000 rs.
t2L22brecasacos de paDno Bnlssiroo a 125 185 e
255000 reis, e outros muitos artigos que serla en-
fadonhosaqu reltalos; s na loja e armazem do
Pavo rna da Iroperatm n. 60 de Gama 4 Silva.
Loja do pavas
Grandes peehinehas.
Se dianas a 300 ra. cavad*
Sedinhas a 500 rs.
Sedinfcaa a oOO rs.
Vende-se na loja do Pavo, nm grande sortimen-
to de sedlnbas listrada com as mais bonitas cores,
sendo os padrSs mais novos qne tem vindo ao mer-
cado, e vende-se pelo paraiisslroo preco de cinco
testoes o covado, sendo fasenda que valem mnito
mais dinbeiro, e grande pecbincha por te ter
comprado ama grande ponida desta fasenda, na
loja e armazem de fasenda do Pavio, rua da Im-
peratriz n. 60 de
Lasmhas matizadas a 820 rs.
Vendemse as mais linda* liaiinhas matisadas
Grosdenaple preto a 10600.
V grande pecbineba!!
Vende-se grosdenaple preto, sendo muito enecr-
adoe de boa largura, pelo baratissimo preco de
. 00 o covado : na rua da Imperatriz n. 60.
Os cacbinez do Pavo.
Vendem-se bonitos cachinez de la ou agazalhos
para eabeca pelo baratissimo prego de 35000, s
na loja do Pavo, na rua da Imperatriz n. 60.
MANTAS PARA O PESCLO
a 15, s o Pavo.
Vendem-se bonitas mantas para o pescoco, peio
barato prego de 15 -- '-:- "
Badapoles a 3,800 rs. a pessa.
S na loja do Pavo.
Vende-se pegas de madapolo lino cora 12 jar-
das, pelo baralo prego de 35500 r 45000.
Chales de retida.
Na loja do Pavo.
Receberam-se os mais lindos cbales pretos de
renda, assim como as mais modernas e compridas
retondts, e manteletes da mesma fazenda,e vnde-
se mais barato qoe em outra qualquer parle: na
loja e ajmazem do Pavo na rua da Imperatriz n.
66 de Gama & Silva.
CaHor a 310 rs. 9 covado.
Para caJcas.
Vendem-se superiores castores mnito encorpados
padroes escuros pelo barato prego de 320 rs. o co-
vado, servlndo esta fazenda tambem para escravos
por ser de moila durago; na loja e armazem do
Pavao rua da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Chapeos para meninas a 6,000.
S na loja do Pavo.
Se vendem os mais bonitos e mais bem enfeita-
dos chaposiDhos de palba da Italia, preprios para
meninas, pelo baratissimo prego-de 65000; na loja
e armazem do Pavo na rua da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
Attenco.
ULTIMA NOVIDADE
PENTZS, ENFEITES, CINTOS.
Gama & Silva, acabam de receoer pelo ultimo
vapor franeez, om grande snr'.imeto dos mais ri-
cos enfeites pretos e de cores proprios para cabega,
seodo guarnecidos com as mais lindas flores, e com
voltas das mais booitas perolas; assim comoosmais
modernos e engragados penles da verdadeira tar-
taruga, marchetados 4endj a uliima novidade
que tem vindo de Paris, e os mais ricos cintos com
utas mathisadas e fivelas largas, conforme ultima-
mente se osa as primeiras capitaes da Europa, e
vende-se por prego em conta por ter chegado em
direitura para a loja do Pavo, rua da Imperatriz
n. 60 de Gama & Silva.
s rotandas do Pavo a 8 e iQ#,
Vendem-se as mais ricas rotandas de renda pre-
ta, sendo muito grandes, que sao as que mais se
usam, pelo baratissimo prego de 85 e 105 : na
loja e armazem do Pavo, rua da Imqeratriz n. 60.
de Gama & silva. '
Chitas pretas o 160 rs:
Vendem-se chitos pretas inglezas, sendo fazenda
muito boa, pelo baratissimo preco de 160 rs. o co-
vado, ou 55500 a pega com 38 covados: s na
loja de Ravao, rua da Imperairiz n. 60, de Gama &
reij .,.
Vendemse saccas con: fejo amarello, trunco
rajadoe prtlvj mai? barale i;ue imqualqutr (ar-
te : na rua da Madie de Dos o. 5.
r
a i f. $
medicinaos de aleatro
Remedio'tfficaz contra as deengas cuiar.<.\ as
caspas, Irrpigens, borbulhas, comiches, puiula- e
sarnas; na pharmacia do Pin lo rua larga do Ro-
sario n. 10.
n
;v
Algodio avarido
A preco de cada pee.
'11 liua do Queimado y T.
Armazem das machinas
06-Roa da Cadeia de Recife 56
HORita da Sen zal VelhaHO
Silva A A Ivs
na loja do'VavaTnTr'ua'da **" M Thores '"^nitores seus i*.
Imperairiz-n. 60, de GanK Silva da f,e* I! "era \f York um completo e vanado sortimento d ver-
dadeiras machinasNorte Americanaspar i des-
nr^ !l|8odo M luae* vende pelo pre.M de
I05COO o serrote.' Os' sehores'pmeodeiHes
dan
po-
sa dirigir ao seu tslabclecimeoto a rua da Ca-
seta do Recife n. 56 ou ao armazem da rea
Seozala Velha n. 140.
rffl
AOT
Saccas corafannbade mandioca de superior qua-
lidade e nova pelo diminuto prego de 45500 rs *
sacca : na rna do Amorim, armazem n. 45
ha de mandioca a 4ooo
o saeeo.
a vender-se no armazem da rua da
Cmtfna
Cruz n. 33.
HOTEL
ea
e
1.!.
tcm-
Silva.
ATLANTA

Itreu a barricas pequea*.
Cera em velas da todos os tamanbos.
Bagian.
Mercarlo.
Ita roa do titano b. ut primoiro andar.
Venda-a* om escrava para engenho, crloolo
da boa Agora a mastre carreiro ; a tratar na roa
da Quiiinado n. 44.
Qwijfs os terlis
aperioro^eijo do sartao
Vende-ee mi
Uadra da Dos, amasan jonto a igreja.
aa roa da
l*30e a vara.
ti RUA DO QITEOIADO M. ft.
Madapolo.
Finas pecas de madapelo com 20 varas a 90.
LENCOS,
Lencos de cambraia branca, duzia 20.
dem de cores fixas para meninos, duzia 20400.
Cambraia*.
Cambraias de cores a preco de 260 a 300 rs. o covado.
Cinardauapoa.
Guardanapcs de linho, dnzia 30500.
Algodo.
Algodo trancado de duas largaras, proprio para toalhas de mesa, a preco de
Me.
Soperior bramante de linho inglez e franeez.
Cambraia de linbo propria para lencos.
ATOALHADO.
Atoalbado branco para mesa a 10600 a vara,
Entremeios de cambraia maito finos, preco 10.
Lencos de seda para algibeira a 10600,
corn os mais bonito deseabas, pelo barato preco de
tO rs. a covado ; na loja do P*vo a rua da Im-
peratriz n. 60 de Gama & Silva.
Os chales de gwpure a 12$ e
16^000,
Vendem-se os mais ricos cbales de Guipore e de
renda de linbo e seda, pelos baratissimos precos de
iz5 e 165; grande echiocha em refaci a boa
quahdade e tamanbo delles : s na luja de Pave,
rna da Imperatrl n. 00, de Gama & Silva.
Ldazinhas a 200 rs ,s o
Pavao.
Vendem-se modernas liaiinhas com I radisimos
gostos, pelo barAlisaiao preeo de JO rs.; gran-
de pecbincha : s na loja do Pavio, rna da Impe-
ratru o. 60, de Gama & Silva.
Sedas Largas
Na leja do Pavo,
Chegon para a loja do Pavo nm modernsimo
sortimento das mais linda* sedas para vestidos,
sendo urnas de listrinhas e ostras de florzlnhas
com as mal* Unas cores, a algomas propna* para
as senhoras que estiverem de luto e veadem-at
pelo barato prego d J5000 o covado, tendo esta
razenda quatro palmo* de largor, qoe radlitt fa-
wr-se om vestido com poneos covadis, Isto na
loja e armazem do Pavio na roa da Imperatrl n
60 de Gama & Silva.
.rancie movida de a OO rs.
Atlanta a 200 rs.
Atlanta a 200 rs.
Atlanta a 200 rs.
Chegon para a loja do Pavao o mais lindo sor-
lmenlo desta nova fazenda, com o litlo de allanta
propria para vestida e roopas para meninos, seo-
do esta modernissima fazenda de lia com os mais
lindos gostos de qoadrinbos e listras tendo entre
ella* de edr roa e preta, com listras e quadros
nraneo* proprias para loto, e vendem-se pelo ba-
ratissimo prego de 200 rs. o covado nicamente na
loja do Pavao rua da Imperatriz n. 60 de Gama i
Silva.
Vende-se o hotel de Italia, sito na roa do Trapi-
che com grandes accomroodag5 acceiadas e me-
minadas com todo necessario e -m trem i
trafego, por qoererem seus propn. q relii
para fora do imperio. A lecalidade e i. i stado
esta rielen ment garaotem bom resultaon
prador e lhe assrguram prosperidade.
Fazendas "avadadas.
AlBodaojlnho suprior largo com um.pequeno
,. C"m ?***! Pf!a "ir 35510 e 4?, dii
mu.to largo da marca T co.i 24 j.rdas a perj por
75o00, este pela qualidade soterior parece-..-ib
madapolo muito fino e largo talvez o melhc- do
mercado per ser de n. 6 verdadeiro por 95 md
isto com nm pequeo defeito, por este prego esli
se acabando : na loja da rua da Madre de Uea< o.
lo, gefronte da guarda da alfandfga.
- Vende-se uro armazem de molhados, era un a
das melnores localidades desta cidade, com bas-
tante proporgoes para fazer muito negocio, por ser
Bastante espsgoso, como por ter bastaoie freTiezia
tanto para o centro da cidade como para a praca. i!
motivo da vmda se dir ao comprador : os preten-
dentes deiiem carta fechada nesta typographia com
as iniciaes A. A. A. para ser procurado, ou ao-
nnncie sua moradia.
~flnne.Dd'seunma 'cravTdelo annos de Idade.
por 61)05, um bonito escravo de 24 annos, um lin-
do moleque de 12 annos, urna excellente moleca
de i4 annos : na travessa do Carmo n. 1.
Vende-se um escravo preto, crionlo, de SC
annos de idade, pouco mais ou menos, do servieo
ae campo e sem defeitos : na roa de Apollo n 7
andar.
Cal de Lisboa
desembarcada do vapor inglt-z Cassine, vende-se
por comroado prego, no escriptorio de Manol 1-
naclo de Oliveira & Filho, largo do Corpo Sanio
numero 17.
PecbiBfhTTdiiravel
Liazinbas de quadrlnhos qne r;arece seda a 24fr
rs. o covado, nma grande pecbincha, est se aca-
bando : na loja n. 32, armazem da pona larga de
Paredes Porto.
As cbiias do Pavas a 200 o covado.
Vendase o mafs bonito sortimento de chitas es-
coras e reas sendo inglezas, mas com os-pannos
lio encorpados como o* da* francezas que se ven-
dem a 400 ris, e liquidao se pelo barato preco de
200 ris o covaderou a 75200 a pega, garantindo-
se terem 30 covados cada pega e serem de. cores
Osas isto na loja e armazem do Pavio na rna da
Imperatriz n. 60 de Gama A Silva.
Armazem do Pavo,
Vende-se cera de rarnauba da melbor qualidade
embiceos, mais barato qoe ero outra qoalquer
parta aa armazem do Pavo na roa da Imperatriz
n. 60, de Gama A Silva.
As eabaias do Pavo a 2$000
o covado.
Chegaram para a loja djkPavio as mais lindas
eabaias de seda para veninos, seado com os mais
lindos gostos de flores e listas, tendo entre ellas al-
gomas roas e pretas para quera estiver de lulo,
tendo esta nova fazenda 4 palmos de lar guia qoe
facilito fazer se oro vestido com poneos covados, e
vndese pelo baratissimo prego de 2)000, nica-
mente na loja e armazem do favao A roa da Impe-
ratrl a. 60, de Gana & Silva.
Novidade
Para vestidos*
Gbegirara as desojada* cambraia* oo tarlauna-
brancas com ll.-trlnbn (sendo transparente* e ven-
dem-se pelo baratissimo prego de 55000 o corte,
na loja e armazem do Pavio na*rna da Imperatriz
i. 60 da Gama & Silva.
Luvas de pellica pretas e ou
. tras cores.
Chtgaram para a loja de miad-zas a rua drr
(jueimado n. 16
Vendem-se garrafas e botilas vasiaTTlava
das : na rna da Soiedade n. 38. '
Vende-se ama taberna bem afregue;ada : a
tratar no pateo do Terco n. 12, loja de louga.
. Vendem-se 400 pedras para ldrilhe, viadas
da liba : a tratar .na ruado Yigario n. 14.
Kelogios americanos
Rna Nova&
E. Aueosto Delonche acaba de receber um gran-
de sortimento de relogios americanos para parede
e cima de mesa, eom despertador e sem desj-eria-.
dor, corda de oito oas, affianga a quandade, ven-
de-se por prego em conta.
- Vende-se a casa terrea da rua das Nimphas
n. 8, com 2 guarios, quintal, cacimba, 2 salas, w
districto da Boa-vista : a tratar oaroa da Concor-
dia n. 12.
Sahpnetes
Medicinaos le aleatro.
Remedio efflca contra as doengas cotoneas; as
impigens, borbulhas, cpmichoes, pstulase sarnas
na pbarmacla do W o lo roa do Rosarlo larga b. 10.
. Veadem-*e malas e bahus osado* muito em
conta : na roa estreita do Rosario n. 24,' loja de
trastes.
Vende-se a casa terrea sito aa Boa-Vista, ra
do Jasmim n. 4 : qoem pretender dirija-se a' rua
Direita, casa terrea n. 52, que achara' abi com
qoem tratar. __________
Vnde-se om methodo para flaot, encader-
nado, do autor Diviouoe : na rua di Cadeia n. 7.
Vendem-se tres varandas~de ferro em multo
nom estado, orna tem 28 palmos Ce comprido e
doas tem 0 cada orna : a tratar na.rna do Quei-
mado iota t.
_
fim


-'-'.
Diarlo Vermimihnce ... meU* Ielr Wf't Afcrtl de 1866.


A' loja de fazendas de Augusto Porto & C.
11 Ra do Queimado11
Chegaram peto ultimo paquete superiores encbovaes completos com vestldiohos bor-
dados para baptisado.
Moir branco, luvas de pellica, manta e capotas brancas para noivas.
Lindas colchas de seda de cOr e de l e seda para camas de noivas.
Grande sortimento de cortinados bordados para camas e janellas.
Chapeos, bonetes e gorros de palba de Italia para senhoras,
Percaiies, eassas e chitas Unas dos gostos mais modernos.
AlRertawes, retondes e chales de renda pretos.
Camisas Anas com peitos, puohos e colariuhos de Mnno para horaens.
Lindas casemiras de cores, lasinhas, pannos e casemiras prelas, merino e oom-
b"n Bramante malte' Urgo a 2*300,2*700 e 3*200 a vara.
Tpeles e alcatifes paca, torrar salas e peles grandes a pequeos para sola.
Camisas de fhnetia, CQlarlnbos de linho, seronlas de linho.
Camisas de meia Boas, bates de arcos, de musseltoa e de madapolio, esparU
e fi^os manguitos bordados. .
Esteiras da India para for ar salas
as melhorese por mais mdico preco.
IIRaa do; Qneioiado11
TODOS!
CORTES BE SEDA :
Chegaram pelo paqnete inglez riquissimos cortes de moreantique de cores, e seda lima
^'""'"""Se'dT'de quadros por 1#000 o covado
5RA DO CRESPO-5
Gregorio Pac do Amaral Companhla.
pa-
NOVOS GERENTES
DOS
THES ItAS!!
AHAZENS DE ROLAMOS
DENOMINADOS
PROGRCSSVO pateo do Carmo a. 9
UNIO E C OMMERCIO ra do Queimado n- 7.
VERDADEIRO PRINCIPAL ra do Imperado? a. 40
DE '
DUARTE CARVALHO PERIRA #C.
Fazem sciente ao rsspeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
fenhos, lavradores e mais pessoas do centro, qae para mais facilitar suas compras deli-
beraram os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir lodos os eeas estabeleci-
mentos em am s annuncio, pelo .qual o prego de uro ser de todos, promette-
mos qae nao infringiremos a tabella qae abaixo vai publicado, annuMiar os gneros
por um preco, e na occastao da compra quererem {fot (Wtro, amo sucede constante-
mente m ontras mditas casas, pot-m nos nossos estaWfecffBrttM til* -se dar Isto
linda mesmo com prjuizo nosso, qualquer pnssOa ptder enriar nena fmulos fa
serlo, tambem servidos como vessem pessoalmente fazeod-aos o favor de mandar seas
pedidos em cartas feiiad; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos ama conta
pela qual se ver o* preces tal qual annuBciarmos, o qoe seaSo drrepehder pessoa
alguma que fizer soa dSpehca em1 nossos estabelecimentos-; pois poupara mais de
por'ctoto-n a dpeza drarra-.
CONSULTORIO MEDICO-CIRlBGIfift
DK PEDRO DEATTAHYBE LOBO HOSCOSO,
MEDICO, PARIHIIM OPERADOR.
3 Ba da (Jtoriv** -* Ftra*te -~$- -
L O Dr. Lobo Hoscoso d consultas gratuitas ao pobre ledos os das das 7 s II
, toras da nenhao, e das 6 e meia as 8 brjrs da norte, excepcao dos das aatiacado
PMrmn especial homeopathiea
No mesmo consultorio ba sempre o mais appropriado sortimento da carteirai
tabos avulsos, assim como tinturas devanas dymnamkaces e peles precos seruimeav
Carteiras de 12 tubos grandes. 12,5000 -?
- de 24 tuboa grandes. 18*000
de 36 tubOs grandes. 24JO0O
de 48 tudos grandes. 30GOO
de 60 tubos granees. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme e pedido qae se fizer, e com os rmndU*
que se pedir.
Um tubo avulso ou fraseo de tintara de meia onca 15000. #
Sendo para cima de 12 custarao os precos establecidos para as earteiras
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
MAHTEIG4
Gros de aples preto a 1(5500,10600, 20, U, 350O e 40 o corado.
Gorgurao preto de superior qualidade a 20500, 2 $800, 3)5 e 40 o co-
Vaa' Superiores moreantiques a 2,5500, 20600, 35, 30500, 40 e 50000 o
covado.
Bons cortes de moreantique.
dem de gorgorito adamascados.
Bons pannos e casemiras. .
Sup riores alpacas, princetas, merinos e bombazmas. .
Bons vi liados pretos. ., .,
Grande variedade de chales de fil preto e de guipare a 50, 60, 80,
100, 120, le J60 a 205, e de 250 a 800 cada um.
Superiores retondas de fil preto e de guipure a 80, 100, 120 e 250,
e de 300 a 600 cada urna.
Superiores algerienes de fil preto e de guipure de 120 a 250, e de
300 a 600 cada urna.
Bons chailes de seda preta. yfi
Ditos de Merino preto bordados e outras muitis faldas pretas que ^j
seria enfadonhe enumer3r, na
iiojra has ooiiimiiffAS
DE ANTONIO CORRElA DE VASCONCELLOS & C.
RA. RO CRESPO N. 13

Manteiga ingleza perfeitaraente flor che-
gada ltimamente a 1,12o rs. a libra, e
em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da. safra nova a-8oo rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BAIS'HA.
Banha refinada soaerlor-a 64e rs. e em
barrfl ter abatimento.
CHA
Cha uxim de primeira e superior qualida-
de a 2,8oo*rs.
dem hysson o melhor ueste genero a
2,6oo rs., e sendo, em perc5oter' abatimen-
to, tambem b* proprifr para negocio de 2 a
2,4oo as. a libra.
dem preto superior "de l,8oo a 2,5oo rs.
a libra.
Riscoutos
Latas*com suneriorbiscoub) ingler de di-
tversas marcas a l,2oo rs. a lata.
Bolaehinhas
Latas com bolaehinhas da acreditada fa-
brica do beato.Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooors. a lata.
dem com quatro libras de bolachinha de
soda a 2,ooo rs. a lata.
Queijos
Queijos flamengos chegados pelo ultimo
vapor de 2,3oo a 2,5qo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a l,ooo el,2oo rs.
a libra,.francs-e suisso a l.ooo rs. a libra
e portuguez a 800 rs. a libra, em porcSo
ter abatimento.
RIJA DO BMM M. 38.
0 proprietario deste estabelecimento deseja chamar a attenc3o dos senhores pro-
,r 'irios aos acre litados mechanismos qae continua a fornecer ; os quaes garante ser,
com sempre, da melhor qualidade possivel:
Machinas de vapor
W de 2 '/a cavallos para cima. As menores sao mu proprias para motore sde
ir camntos de a'gfldao; as maiores para moer canna; bn tambem que podem junta
. iradamente moer caima e descarocar segundo suas oroporces. Estee vapores
;, .upiissimo* na construece, e seregem por qualquer pessoa intelligente, a facilida-
i i condaccio sen lo especialmente considerada, tanto que nao ha lugar em que nao
imcoB-Juzir, qar por trra, qur embarcado. Ha com moendas juntas ou sem
podem-se appticar a'qualquer moenda j existente sem outra mudan?a do que
, i, MtUuico das rodas da almanjarra. Ellas tem depsitos d'a^ua e boeiros de ferro,
! no precisam para o.seuassentamento de obra algama, qur de carapina, quer de al-
veniria O lempo para assenta-las nao excede de doze dias ao mais, e em casos de
monas Je aoimaes ou arrorabamentos de acudes, etc., garante-se o assentamento em
oit lias Lembra-se aos senhores de engenho que a venda dos animaos e o servico da
Kej e ooenpada no sen tratamento osho de recuperar da maior parte da despeza do
ruor deixando-llies a vantagem de urna moagem certa e acelerada; e acabando com a
I m >eza da compra continuada de novos anlmaes. com os iesgostos do trabaloo que
se tmeom elles. % ,^ .
Rodas d'32'ja. -
arhna eom ernzetas de ferro para as mesmas, quando se desege razar
c resto da roda de madeira, tornando-se assim a roda ligeira no trabalho.
Moeadas de eanaa de todos os tamanhos. desde as mais pequeas chami-
zas do serto. Obra perfeita em feitio e acunhamento.
Rodas de espora e angalares de todos os tamanhos e proporcoes.
Paraes oa coches para receber o caldo.
crlTos de foraalha para assentameotos, frescos para o foguista, razendo
grande calor com pouco combustivel, e duradouro.
Portas de foraalha de todos os tamanhos e de diversos systemas.
Foraos c nmoiahos para a fabrica de farinha e tambem chapas redondas
fornos pequeos.
Rosabas simples e de repucho.
Talxas de ferro batido e fundido e de cobre.
Formas de ferro batido galvanisdo para purgar assucar, leves para carregar
ft isemptos de quebrarse. ,k, _.'
.vlaiabltias de ferro de todos os tmanhos, custando s a terca parte do
prego dos-de cobre, mais regulares na distillaco e igualmente duraveis. i.
Elxos e rodas de earro com mangas de patente, obra mu segura pan
carregac3o de peso. .
Arados, grades, emeaados a earallo e outros instrumentos de agri-
cultura. E finalmente.todo o objeeto de que poss'a precisar um engenho.
Machinas de descarocar algod&o.
Na fabrica se fazemobrasnovas encommenda e concertos, com a maior preate-
r. eisolidez. 0 grande deposito de pecas e objectos habilitara-na maito para este flm.
O proprietario ser sempre mu feliz de poder ter occasi5o de dar mformacoes oa
la 'ecimentos aos senhores qae se servirem de seu prestimo.
D. W. Bowman, engeaheiro.
para
vinagre
Superior vinagre deXboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ba
maisbaixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oo rs.
a caada.
Azeite doce
Superioraseite doce de Lisboa a 7oo rs. a
garrafa e a 5,9ee rs. a caada.
FVfO CAPORAL.
Latas com snperior fumo caporal a l,8oo
rs. a lata.
Pansas
Superiores passas a 2,5oo o qnarto e
9.000 rs. acaixade arroba bespanbala e a
560 rs. a libra.
6EMGBRA
Genebra de laranja verdadeira a lo,5oo a
duzia e l,ooo rs. ao frasco.
Genebra de Hollanda verdadeira a 6,ooo
rs. afiasqueira e a 56o rs. o frasco.
Idom de Hofiauda em botijas a 4eo rs. ca-
da ums.
Garrafoes com 24 garrafas de genebra de
Hollanda a 8,ooo rs. o garrafao. Tambem
ha garrafoes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a
6,ooo rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a 64o rs. a libra.
dem de carnauba de lo a 12,ooo rs a
arroba e de 36o a 44o re. a libra.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Hoaeopathico de Dr larh
dous grandes volumes com diccionario.......... 204000
Medicina domestica do Dr. Hering........'. \ lOdOOfl
Repertorio do Dr. Mello Moraes.......... oOO
Diccionario de termos de medicina..........[ 31000
Os remedios deste estabelecimento s3o por demais conhecidos e dispensam or
tanto de serem aovamente recommendados as pessoas qae qujzerem usar de remedios
verdadeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor qoe se pode desejar, globos de
rerdadeiro assucar de leite, notaveis pela san boa conservado, tintara dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparacao, e portante a maior
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, para o que o annunciante julga-se sufficientemente habilitado.
O tratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica
l^inccionando a casa ha mais de quatro annos, hamuias pessoas de cujo onceito se nao
pode duvidar, qae podem ser consultados per aquellos que desejarem mandar sena
doentes.
Paga-se 20 por da durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
As operaedes sero previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, comosejam: Madeira Secca, .
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimando tepenaes Dehcias, ^'5^e
DouTo,Mara Pia. D. Luiz, PedroT, Lagri- *^**Wr*?m*!?L^
PEIXE
Peixe em latas j preparado de l.ooo a
l,2oo rs. a lata
.ALPISTA E PAINgO
Alpista e painco muito novo de 3,8oo a
4,ooo re. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS.
Superiores charutos do fabricantes Simas,
mas Doces e outras marcas a 1,000 a garra-
fa e 9,ooo a 12 ooors. a duzia.
Vinbo Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e 4,ooo rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anchetas de 8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho braoco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs, a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Caixas cota urna duzia de garrafas de su-
perior vioho'Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oo rs. a garrafa. -
CAFE
Caf do Rio de 1.* e 2,* qualidade de
6,8oo a 8,2oo rs. a arroba, o de 24o a 28p
rs. a libra.
SIBIO
Sabao maca de primeira qualidade de 24o
rs. a libra.
Sarveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e 7,oeo rs. a duzia e a 7oo rs.
a garrafa. Tambem ba de outras marcas'
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
BOIES VASIOS.
Boi5es vasios, louga ingleza muito pro-
pria para manteifip e deposito de doce de 4
a 12 libras a l,2eoe2,8oo.
FAWNHA DO MARANHO.
Farinha do Maraohae a 240 rs. a libra.
SAW.
Sag muito novo a 4oo rs. a libra.
ARARUTA.
Araruta verdadeira a 4oo rs. a libra.
Pimenta, cominbo, cravo, canella. eyvadoce, alfazeoaa, tijollo para limpar facas pa-
litos para.dentes, palitos de fogo, e outros muitos gneros que se ternaria enfadonho
mencionar, afianzando cinceridade nos.precos e|p bom acondicionamento de qualquer
genrro
temos Suspiros, Havaneiros, Ligueiros e
ootros muitos que vendemos por mdico
preco.
Licores
Licores franeezes e portuguezes a l,ooo e
l,4oo re. a garrafa ou frasco.
Doces
Dose.da casca da goiaba emcaixes e la-
tas a l,2ooo caixSo e 2,8oo rs. a lata.
Frats
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rawha Claudia, al
perche e outras frutas a oo rs. a lata.
Tambera ha latas grandes para l,2oo rs. a
lata.
AZEITE DE REFINADO
Superior azeite fraocez refinado a 8,ooo
rs. a garrafa e a 9,ooo rs. a duzia.
MOLHO ING1EZ SAUCE
Molho inglez Sauce em frascos grandes
com rolha de vidro a l,8oo rs. o frasco era
duzia ter abatimento.
.BATATAS.
Gigos com 3o libras de batatas a l.ooo rs.
o gigo.
SARDINHAS.
Latas com sardinhas de Nantes e Lisboa
de 4oo a 46o rs. a lata.
FUMO AMERICANO.
Superior fumo era chapa a 1,400 rs. a
libra.
ERVILHAS *
i Latas com ervllhas e feij5o verde j pre-
parado 64o rs. a lata.
MASSA DE TOMATE
Latas com 1 libra de massa de tomate a
64o a lata.
VERMUTH
Esta bebida muito fresca e estomac il e
muito propria para a presente estaejio. a
qual vendemos a2,ooo rs. a garrafa e 18$
a duzia.
ARMAZE9I DE FAKKWDAS
M a
CUSTODIO CARY.UHO C.
27 RA Da QUEIMADO N. 27
Madapol5o francez muito fino, tendo pouco mofo, cada peca com 27 varas per
IOjJOOO.
Laa de c^res a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs a vara.
Lencos brancos para algibeira a 2^00 a duzia.
Finis perclaras- a preco de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de laa de barra de 105 a 30(JO00.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas. .
os m
RIJA HA AI>EI4 IV. 56 A.
Receben grande scrtiraeeu de eachinis terdadeiras araeflcacas de descafo'clr st
(6 tfl, 20, 25, 30 e 35 serrote de i;o refinado, as qaaes sio das mais snperloree do fti
as fiift pelo prego de 10* o semfeT qftl continuara a veodef, vlstoesperar grandes
em direltara d America. '
da**,
. e qw
sortlmentos
Cevadinha de Franca
* M0 m a-libra, e de 8 libras pera cine a 110
rs.: na armazera da Liga, ra Nota n. 60.
Z r hmmp**- 1
A foja da Aurora, na roa larga do Rosario n. 38,
receben sortimento 4a lantijolas mu lo delicadas *
Eroprias para qualquer enfeite, assim como tan
em receben luvas de Joovin brancas e de core
para bomem e senhora, muito fresca?, ebegadas
pelo ultimo vapor, tudo tito na loja da Aurora,
rW" larga do Rosario^n. 38.____
^ryende'e'nnja porcao de ferro bruto, em
para om lerreiro?, e \flr prego multo'eom*
modo : a tratar aa ral Imperial n. 1,1* andar.
Vndese nma masseira de amarello em per*
feito eftado, e mais pertences para orna padara,
na estrada nova, segunda taberna a direita, depols
do sobrado grande : a tratar na mesma, das 4
boraMa tarde em dlante.

VEKDE-SE
OOMiMl
se yesde com y prato es annos cu o que se eon-
veocionar urna vez que sja.com negnranga e pt*
jpitojia.^elfc demora M mdico Juro; as pea/
las aquera convier esta compra poderao eeten-l
r se coro jyfionio Alves Barbote na ra dos Gua-
Novidades do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
se achar bem sortido como todos sabem,
boje mais que nunca, nao s pelo que rece-
be de sua propria conta, mas tambem pelo
que recebe de consignares; parece sem
duvida que deve offerecer grandes vanta-
gens para o respeitavel publico tanto em
precos como na escolha dos objectos, e co-
mo acaba de chegar grande remessa pelo
vapor fDouro e o navio Solferino de
diversos objectos de gosto e proprios do
tempo dos quaes se mencionado alguns,
por nao ser possivel mencionar todos. O
dono deste estabelecimento espera a pro-
teccSo de todos.
Riquissimas caixinhas ornadas e com
msica propria para um delicado mimo.
Caixinhas de msica tanto de veio como
de corda.
Ricos porta joias e necessarios.
Riquissimos est jos a feitio de um bausi-
nho ou cbapeuzinho.
Ditos em casca de noz e de outros gostos.
Leqnes de madeperola de sndalo e de
faia e madeira.
Chaposinhos e touquinhas de muito
gosto para criancas.
Meias e sapatinhos de seda para as mes-
mas. '
Meias de seda para senhoras.
Capellas e grinaldas de Odres proprias
para casamento.
Enfeites e capellas de muito gosto para '
seuhora.
Riquissimos porta boquets.
Boquet de flores com urna borrachinha
com ebeiro.
Luvas verdadiras de Jovin.
Ditas de seda e de Escocia.
Riqnissimas plumas e guarnieres para
enfeitar chapeos.
MACHINAS DE PATENTE
DE TRABALHAR MAO RARA DESCA-
RUCAR ALGODAO
FABRICAD POR
PL1NT BROTHERS & C.
OLDAM.
Estas machi-
nas podem des-
carocar qual-
quer especie de
algodlo sem
estragar o fio,
feudo bastante
bas pessoas
para o traba-
lho; pode des-
carocar urna
arroba de al-
godlo em ca-
rolo em 40
minutos, ou
18 arrobas por dia ou cinco arrobas de al
godao limpo.
Assim como machinas para serem movi-
das por animaes, que descarecam 18 arro-
bas de algodo limpo por dia; e motores
para mover urna, duas ou tres dessas ma-
chinas.
Os mesmos tem para vender um beUissi-
mo vapor que p Je fazer mover seis destas
machinas mencionadas; para o que convi-
da-se aos senhores agricultores a virem ver
e examina-lo, no aimazem de algodao, no
largo da ponte nova n. 47.
Manadera Brothers dfc C.
Recife praca do Corpo Santo n. 11.
Os nicos agentes neste paiz.
O castello de Grasville.
Tradaiido do franeei par A. J. C. i Crai.
Vende-se este bello romance em quatr '
tomos pelo baratissim jrapo de 3(J00C
ua praca da Independencia, livraria na.
6e8.
Na roa do Queimado a. 40
Cortes de isaiinha de cor, bonitos gostos, con
15 covados a 3#600.
Cassas organdys de cores, eovade a 340, pecas
de algodoilnho largo com 17 varas &. ^1A_
Ditas de dito com 17 varas, muito encorpallo",
com peqneoo defeito, a 4J300.
Grosdeoaple preto muito superior, corad* tf.
Dito dito a 1*600.
Retondas de renda preta a 10*.
Cbales de renda preta a 8*.
I -
o.grande armazem da ra do Apollo n. 38 e 40,
proprio para na amatem 4* assucar on. prensa
de algodao em poste frjade, por ter 6 portas de
frente com mala de f^M/Rf lygorav e 300 e
tanto palmo de coippj nto.toocobofto jj.t Grande Bcchiicha de madapolo ean
bre arcadas e para cpfl |4ade dos compraBg' _____:.
ayana.
Paredes Porto vende urna grande porcio de ma-
ao avariado, tazenda de 10* e 12* kRM
e 7* com peqoeno toque : n ra aTTmp* w m- *Sn ,fth,VBr fidftiilio
n. 85, armaxem da porta larga jun a pa- *-^ _aT5Sl
darla franceza.
Coritas e tubos, de ac branco, que b|
muito se desejava para enfeites.
Brincos, vellas e cruzes de crystal. .
Fivellas e cruzes de tartaruga, madripe*
rola e dourados.
Alfinetes para gravatas.
Botdes com croas para punhos.
Graratinhas e mantinhas de muito gosto,
tanto para homem como para senhora.
Riquissimos aderegos pretos, assim como
cakinhas cum lfirfBres pretos.
Bengallas de canna com cabo de marfim.
Ditas de balis, borracha e de outras
muitas qualidades, assim como chicotinhos.
Riquissimos pentes de tartaruga do ulti-
me gosto; assim como de arregco para'
eoiaa, pois neste artigo ha um completo
sortimento de todas as qualidade.
Diademas para cabeca do ultimo gosto.
Riquissimas fitas lavradas e lizas.
Trancas pretas com vidrilho e de cores.
Pulsejras tanto para senhora como para
meninas.
Ligas de seda e de algodae.
Suspensorios de seda e de algado e mui-
otros objectos que se n5o podem an-
mlfsco Jos Gei
RA NOVA N. 22,
acaba de rceber um lindo e magnifico sor-
timento de oCulos, lonetas, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa e oeu-
los de alcance para observarles e para os
laaritimes.
Uta de barriguda, o ane de melber
HRenir- traresseiros : vende-se oa ra
de Dos, no rmareniftmto a' tgtejt
f>ara
S no Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7. i
Roopas feitas de todas as qualn
Vende-se eoopa fefta, seno cateas de cores e
pardo a 2*, ditas de brim arancade linbo a 3*500
4*. calcas de casemira preta a S*, 6* e 8*7 d-
te* de cores, meia casemira, a 3* e 3*500, ditas
de casemira a 6, 7* e 8*, paletots de brim do
cores a 2*, 3*500 e 3*, ditos de brtm branco a
1*500, ditos de alpaca preta a 3* e 4*, ditos de
Bmira de cores a 5*. 6, 7, 8 e 10*. Utos a
no preto a 6*. 7, 8 e 10*. colletes de cores a
"', de casemira a 3* e 4*, ceroela (raneen a
i e 2*00, camisas franeexas asas brancas t
SBRos de cores a 2* e 2*500, dKat*|lezas de li-
nhb de pregas largas a 2*500, 3* e> 3*500 : na
fOf da Imperatriz, lojaida Arara n. B*.
' Em casa de Raba Schettau & C,
ra da Cadeia n. 18, vende-se :|
Champanha.
Cognac de superior qualidade.
Yidros para espelhos de todos os tama-
nhos tudo a precos maito COiraodoe.
*.
4C,
Yap3res.
Vende-se em casa de Samadera Breihers
no largo do uSS^HMMe-t. 11,
com todos os pert Upqprtos para ftef mover
trw w> qnatn b x*T* dncarogar lfcrtH.
23* o alquei-
n.8.
\ i
^
Tenda



If&ri e FeMHualnu 4*

Diademas dourads,
eafeikaa* coa aljaares,
ele, para nettiM e seiborte.
A agula-branca vende boailoa e moderno* iw-
demas dourads, enfeitados com aljofares e podra
proprias para meninas e senioras.
Boalto ehapozlahos
le palia lia e aveacaes aira eniaas.
Sao obras estas de que os bons pas de familia
se nao podem oscnsar de comprar, por fazerem el-
las parte do asseio e bom gosto com qoe trtjam
snas bellas filhinhas. A agoa branca ten o pra-
xer de ver qne tao bellas e precisas obras- foram
devidamente apreciadas e compradas em sea ni-
nbo. s ebapeozinhes, alm de serem d urna pa-
lha moi na*, si da mu bonita forma e ultimo
gosto, eirfeitadoa com toda a |>erfeicao: os aven-
taos, porra, sao de fina cambraia, guarnecidos de
qabadinbos borddos; o qne Ibes da muita grapa.
Os precos deses, 8*000, e daquelles, 104; e de
quanto sao ells baratos conbecera o pretendente,
que se dirigir a' luja d'aguia-branca, na roa do
Queimado n. 8.
Vidrilhos de cores e aljofares,
imiUiide acg_, para enfeites de vestaos.
A aguia branca na' rna do Queimado n. 8 rece-
ben um bello sortimento dos objectos cima pro-
prios para enfeites de vestidos, etc., etc., e est
vendando com moda mente.
Novidades.
Na Agnla branca roa do Queimado a. 8 rece-
ben diversos objectos de mnito g jsto e ioteiramen-
te do vos, sendo:
Bonitos e delicados peoles donrados e prateados,
tendo entre elles alguns de filigrana obra moi per-
feita e de elevado gosto.
Ditos com chapa de madreperola.
Brincos de filigrana e ontras qualidades.
F i vallas de dita e outras tambero de diversa
qualidades.
Cintos moi bonitos, enfeitados em toda a exten-
so com caracteres dourads e prateados.
Filets enfeitados com moedinbas dourads,e lan
tejoilas, aljofares 4 &, sendo para coque, e toda a
cabeca, e oatros com plomas &-
Bonitas vallas de jaspt com creces, tendo tam.
beu algunas de doas cores.
Lavas e metas
de laa vegetal, para quem soffre de frialdade, pa-
ra les y a tic. Veodem-se na roa do Queimado loja
d'Aguia tranca n. 8.
Bandolioe de roza
para segurar ou conservar peffei lamen te alado os
cabellos das senboras. Vende-se na roa do Quei-
mado loja d'Aguia branca, 4 14000 o frasco.
Enfeites pretos para vestidos
A Aguia branca receben nevos enfeiies _pre*es
para vestidos, sendo bicos com vidrilhos e sem
elles, trancas com pendentes de vidrilhos e sen
elles, cortfo grosso tambera com vidrilhos e sern
elles; assiro como gaftes franjas de diversas lar-
guras, fitas de velludo etc. come sempre os bons
fregoezes encontrarlo ommodidade de precos nos
objectos qne se venden w leja d'Aguia branca ra
do Queimado n. 8.
Bolees de vidro
com enfeitee d'aeo no-centro.
Esses botoes que tanto serven) para mefeor se
poder enfeltar um 'bom vestido preto ou de cor,
achao se a venda na roa do Queimado loja o*1 Aguia
branca n. 8.
Acaba de cbagar aloja da aguia trasca
a ra do 'Queimado n. 48.
Chromaco-me para fingir cabellos.
Hoild walier para dito.
Tintura de L. Marques para dito.
A guia oranca
a roa do Quimadon. 8
acaba derecebcr:
Lantijonlas -d'aco para enfeiies.
Pennas braaca! e decores, para gor|os e-ofcapeos.
Enfeiies fllflts. mu 'bonitos e modernos.
Sapatinnosde setim parg baptlsados.
Meias de seda para o mesmo.
Bonitos ebaeeosinbos de setim para dito.
Bosas camelias e outras qualidades.
Novos brincos, Qvellas, pentes e pulsiraG 'de fili-
grana.
Fitas de seda de cores para debronhar vestido.
Dita de sarja com diferenies cores e lurgoras.
Dita de gonjjoro, deseabas novos e bonitos para
cintos.
Carteiras coa agolhas.
Na ra da Imperatriz n. 28
Vendem-se-eones de cambraia brancos com 4.
5 e 6 babados a 20* e $*.
Fil de seda preto com flores a vara 14.
Cambraias brancas de urna vara de largura fi-
na a Ie800rs.
Bicas lampadas e eaodieiros a paz por grosso
e a retalho.
FECHIMHA SEI IGUAL
Bicos cortes de gorguran de seda pretos adamascados para vestido com 13' metros
on 18 a SO covados cada corte, largura de chita franceza, pelo Larausslmo preco lie 504
cada corte : na loja das columnas da ra do Crespo a. 13 de Antonio Correia de Vascon-
cellos & C
fetnde loja
Armazeaa da Arara ra dalia-
peratrJz n. 56.
ecfji
cha
Vende-se s taberna da raa da Guia n. 36 pre-
prlo para principiante, e o olivo se dir ao com-
prador.
Aspas fortes para boles.
Na roa do Queimado loja de miudezas tr. 16, ven-
de-se aspas de ac fortes, e de differentes larguras
para balSes. T
Bonitos quadros para retratos.
Vendem-se na roa do Queimado loja 'de miude-
zas a. 16, bonitos quadros con mordura preta e
doorada, todos por presos rasoaveis.
Garrafas brancas
e de cores com superior agua da colonia.
Vendem-se na rna. do Queimado, loja de miude-
zas n. 16.
Novo gosto
Pentes, fivellas, e brincos de feligrana.
A amiga e bem condecida loja n. 16 na ra do
Queimado, receben um sortimento de diversos ob-
jectos de novo e bom gosto, sendo pentes brancos e
dourads de moldes enteir&mente novos e mol a-
gradaveis, tendo entre elles alguns de filigrana obra
de multo gosto e deficil execugao, e bem assim fi-
vellas e brincos as mesmas circunstancias.
Tambem receben alguns ciatos o que de mais
moderno e bonito, se pode encontrar em tal genero.
Alm disso encontrarao os pretendentes um com-
pleto sortimento de fivellas de madreperola, chris-
lal, tartaruga, e dourads, brincos de cbristal, e
jaspe, voitas e crozes de dito e muitos ouiros objec-
tos de gosto, os qnaes continua-se a vender commo-
damenle.
Penentes de madreperola, e enfeites filets
A loja de miudezas na roa do Queimado n. 16,
rece beu bonitos pentes-com chapa de madreperola,
e noves enfeiies filis ornados de lantejoilas dou-
radas, moedinbas, aljofares, vidrilbos ele, tendo
grandes para toda cabeca e pequeos para coque,
regalando os prego? de l a 4*000 rs.
Bonitas caixinbas
com arranjos dourads para costura, tendo com
msicas e sem ellas. Vendem-se na ra do Quei-
mado loja de miudezas n. 16.
Trancas pelas
com vidrilhos, e bicos com ditos e sem elles para
enfeites ou vestidos.
Na ra de Queimado n. 16 loja de miudezas a-
ctaaro os pretendentes nm bello sortimento dos
objeetos cima dito, cascarruhas, franjas etc. ele
e lodo est sendo vendido por precos commodos.
Botoes pretos
de vidro enfeitados d'ac,o.
A loja de miudezas n. 16 ro do Queimado
vende mui bonitos botoes pretos de vidro com en-
feites de ac, os quaes muilo se uzam para enfeltar
vestidos, quem os pretender pode dirigirse a dita
loja n. 16 roa do Queimado.
Vendrn-se na loja de miudezas
a rna do Queimado n. 16.
Bonitos leques de sndalo Bonitos untos com flveHas de diversas qualida-
des e moldes.
Brincos e cruzes de crystal.
Abotoaduras de dito para coietes.
Bonitos port-relogios.
Delicadas cairas com nrasica e sem ella, para
costura.
Aguinas e linhas para chrocheL
Betroz superior em carriteis.
Rendas pretas e bicos com vidrilhos.
Fitas de velludo com Ristras dt cores para -en-
feites de gorros e vestidos.
Ditas-de grosdenapoles, lisas e ravradas, tmmeas
e matisedas.
Para tingir cabellas.
Hoild Walter.
Vende-se na ra do Qneimado, loja miudszas
n. 16.
Chronaco-mc
Para tngir cabellos.
Vende e na loja de miudezas, a roa do -Quei-
mado e. 16.
Tintara de L. Harqaes
Qara fazer os-cabellos pretos.
Vende-se na roa do Queimado, a loja de miu-
dezas n. 46.
lissaagas miadas, a'jofares imitaads
ac e \idr iiios de cares
para enfeites de vestidos ; vende se todo Hsso por
presos raaoaveis na ru* do Queimado n.l oja 16, i
de miudezas. j
eftAluE PfCHlCA..
Os chales do Ia vo a W 7* e Si.;
Vendem-se ricos chales pretos de renda multo'
grandes com quatro ponas, sendo os mais moder-
nos por lerem ebegado pelo ultimq vapor francez,
preco de 6*, 7* e
DE
Lourenco f. Mcodcs fiaimarfs.
O proprieiarlo desle estateleciment receben pe-
lo ultimo vapor de.Euro diversas qualidades de
fazendas para vestidos de seubora.
Sedas de cores a 1*300 o covado.
Vende-se sedas da cores para vestidos de senho-
ra a 1*500 0 covado, laasinhas delndos goslos a
O, 3W e 400 rs: o covado; Ro* da Imperatrli lo-
ja e armazem do Arara a. 56.
Melodiques de laa para vestidos a 4CO
o covado,
Vende-se urna nova fazenda por noroe melodi-
qaes toda de laa para vestidos a 460 rs. o covado,
cbilas finas a 320 e 400 rs. o covado. Ra da Im-
peratriz loja do Arara n. 86.
Arara vende susim para vestido a 240.
Vende se nova hzenda susim para vestidos de
senhora e roupa de meninos a 540 rs. o covado,
dUas a 160, SOO e 140 rs. o eovado. Roa da Im-
peratriz loja do Arara n. 56.
Tarlatna de 13a para vestidos a 240.
Vende-se tarlatana de 13a para vestidos de se-
nbora a 840 r?. o eovado, fil de llnho a 160 o co-
vado, cortes de chita a 1*000. S no Arara, ra
da Imperatriz n. 56.
Laa a traviata a 320 rs. o eovado.
Venderse nova laa, a traviata para vestidos de
senhora a 320 rs. o covado, s no Arara todas es-
tas fazendas novas vindas pelo ultimo vapor da
iuropa. S na loja e armazem da Arara, roa da
mperalri a. 56.
Arara vende cobertores al,>00.
Vende-se cobertores de pellos a 1*500, ditos sem
peto 1*000, roberas de lisia 2*000, enhenas de
.ilots a 2* 2*200 o anto^^^^v'^:^mt^m'to}eT^kietttrao i5*m- Roa
a 800, i*, 2*400 e 2*500 o covado. ** ImpereMz, n. 56. w
r muilo barate cortes de casimira a lS00w L5asinba do Arara a 208 rs. o covado.
Vendem-se enres de casimira preta a 3*500 Vende se lasinbas para vestido 4 200, 240, 320,
4* e-4*500 : dita muito fina a 64. 9 e 50 rs- c<>vado. colarinhes para bomem a
Ba da Imperatriz loja do Arara
Escravos fgidos
Atten$k) 1
Atten$o!
Atten^ao!
Gr< sdeaaples preto a i$600 a covado.
Tende-se um grande ortimeoto de grosdena-
ple a 186O0, 1*800, 2* e 2*500 o covado ; dito
moli superior a 2*800 e 3 : na ra da Impera-
triz n. 72, loja de Gnimaraes & Irmo.
Moriantique preto a 2800.
Vende-se um grande sortimento de moriantique
a 2$800, 3* e 3*800 e covado.
Chales de renda prete a 8*000.
Vende-se tambem am variado sortimento de cha-
les de renda a 8*. 9*500 e 10* ; ditos muito finos
a 11* e 12*; ditos de seda fazenda muilo fina a
20*000.
Retonda pretas a 0$.
Vendem-se retondas pretas pelo barato preco de
10* e 11* : na ra da Imperatriz n. 72, loja de
Guimaraes & Irmo. -
Grande pecbincha panno preto a 2(000 o
covado.
Vende-se panno preto proprio para calcas e pa-
Admira cortes de brim de cores a
if280
Vendem-se cSrtes de brim de ores para calca a
1*280,1*600, 1*800 e 2*; na raa da Imperatriz
n. 72, loja de Guimaraes & Irmao.
' baratissinio a 120 ris o covado1.
'Vendem-se riscadiobos muito proprios para rou
pa de escravos, a 120 ris o covado; ditos escoce-
zes muito floos a 240, 280 e300 ris o eovado.
Laazinhis a 3oo rs.
Laatinhas de quadrinbos a 300, 320, 360 e 400
rs. o covado ; ditas muito finas a 500 e 560: na
ra da Imperatriz n. 72, loja de Guimaraes & r-
maoi.
Cortes de lia a 5,5000.
Acaba de ebegar a este importante esta be le ci-
mento um sortimento de cortes dola que se ven-
de por 5* e 5*500; ditos a Miria Pja, fazenda
muito moderna a 12, li*, 18* e 20* ; ditos com
camisinha, cinta e gravata a 25* e 28*.
Chitas francesas largas a 260 ris.
Vende-se nm grande sonimento de chitas a 260,
280,300, 320 e 360 rs. o covado ; ditas preciares
a 400, 440 e 500 rs. .
Caabraias de cores a 280 rs. o
covado
Vendem se camiraias francezas a 280,300, 320,
360 e 400 rs. o covado.
Cambraias las a 3.000 rs, a peca.
Vende-se nm grande sortimento de cambraias
lisas pelo barato preco de 3*,'3*500, 4*, 4*500 e
5* ; ditas muito finas a 5*500 eO*; ditas victoria
a 6*500e 7*; ditas de orna vara de largara a 8*
e 9* ; ditas para forro a 1*090, 2* e 2*200 : na
ra da Imperatriz n. 62.
BOUPAIFEITA.
Vende-se em -completo sortimento de roupa fei-
ta felta. assim -como sejam paHtets, cairas, coietes,
camisas francesas a 1*600 e i800 ; ditas finas a
2* e de linboa 2t500, 3* e 3*500 ^ seronlas de
1*200,1*400 1*600, de llnho a 2* e 2*500 : na
ra da Imperffriz n. 72;' loja de Guimarof &
mao.
ir-
Caf1 imperial
O superior caf do Bio de Janeiro, ven-
de-se a 125 a arroba ; na ra de Vigario
n. 24, -esoriplorio.
m
Parinha
Raa da Madre de Seos
A 4S500.
B. &
5(0 rs. a duzia.
n.56.
Arara vende as cassas a 240 n. o eovado.
Vende-se cassas francetas linas a 240, 280,320
e 400 rs. o eovado. pes-as de cambraia de forro a
2*000, ditas finas a 3*000, 4*000 5*000 e 6*000.
Ba da Imperatriz loja do Arara n. 56.
Chitas a 460 e 200 rs. o eovado.
Vende-se chitas escuras e claras i a 160, 200 e
240 o covado, ditas francezas finas a 280,320,400
e 500 rs. o covado, percales malisadas escoras a
500 rs. o covado, s se vende assim baratn Ara*
ra. S na loja e armazem do Arara, ra da In>
perairiz n. 56.
Novidade no Arara.
AlgodS a 30*
Vende se pega de a'lgodao encorpado a 38,49,
e 6* a dita e 8* e 7*. Roa'da Imperatriz loja do
Arara n. 56.
Arara vende madapolo entestado a 3*500.
Vende-se pecas de madapolo entestado a 3&500,
4* e 4*500 ditas de 24 jardas a 4*. 5*, 6*. 8* e
10*, rna da Imperatriz loja do Arara n. 56.
No armazem de azendas
baratas de Santos Coelfco
Ruado tutimado u. IO.
Vende-se o segnlnte :
Cobertas de chita da India a 2*400.
Lencoes de panno de llnho a 2*200.
Ditos de bramante de linho-de nm s panno a
3*200.
Lencos de cassa brancas proprios para algiblra
a 2d000 a duzia.
AlgoMo entestado com 7 1|2 palmos de largura
a 1*200 a vara.
Atboalbado de linho a 2*800 a vara,
uito de algodao a 2* a' vara.
Goerdanapos de linho a 3*800 a duzia.
Pecas de cambraia de salpicos a 4*500.
Lazicha aliena de cores a 320 o covado.
Cambraia branca de forro a 3* a peca.
Fil de linho liso fino a 800 rs. a vara.
Hito de dito com salpicos a 1* a vara.
Panno de linho fino com 9 1|2 palmes de largu-
ra pelo barato preco de 2*400 a vara.
Madapoloes finos a 8*, 9*,' 10*, 11* e 13*.
Cambraia lisa de 4*500, 3*, 6*. 7* e 8* a peca:
PecM de bretanba de algodao eom 10 varas,
propria para sala, pelo baratissimo preco de
3*500.
LSazinha lisa de cores a 500 rs o covado.
Cambraias finas de cores miudinhas a 360 rs. o
covado.
Bsteira da India propria para forro de sala de
4,5 e 6 palmos de largura, per menos preco do
qaeem outra qualqner parle.
Reste armazem tambem se eneontra nm grande
medida.
rande armazem de tin-J
tas medicamentos etc. |
Roa do Imperador n, 22.
Sloo Pedro das Nevea (ge!
rente) tena a Yenda o
segnlnte:
I. Productos chimicos e' pbarma- I
ceticos os mais entregados em |
medicina. a
Tintas para todo o genero de pin- l
tora e para tinturara.
Productos induslriaes e tintas m
para flores, como botoes de flores |$
e modelos em gesso para imitar Z>
fructas e passaro com o compe- |gt
lente desenbo.
Productos cbimicos e industriaes |
para photographia, tin uraria, pin- i
*ura, pyroteenia etc.
Montado em grande escala e sup- M
Srido directamente de Paris, Lon- m
res, Hamburgo, Anvers e Lisboa St
' ^)ode offerecer productos de plena >
[ cenflanca e satisfazer qualquer en- IB
" commenda a grosso trato e a reta- gg
Ibo e por prego commodo. W
Tasso Irmos
Venden no seo armazem nra do
Amorim Q. 35,
Licor fino Curasao em botijas e meias botijas.
Licores anos sonidos em garrafas com rolbas d*
vidre em liados fraseos.
Vmb06Cheres.
Fugio no da 20 do corrente pela machia
om urna trouxa de rcupa m compaobia de um
preto moco de cabellos cacheados, a escrava Gui-
Ihermlna, com vestido escuro de recortes brancos,
dade de 20 annos pooco mais ou menos, fallante,
corpo regular e denles alvos limados, lendo sido
encontrada na Boa-Viagem.: quem pega-la leve a
a ra da Imperisiz n. 17, segundo andar, que
ser gratificado.
Cpniina fgido o e$cravo~pardo Sebastiao
de 18 annos, alto, cabellos carapinbos e ruivos,
olbos casianbose grandes, sem barba, nariz cnato,
com todos os denle, orelbas pequeas, lem a mar-
ca de om talbo sobre o labio superior, marcas de
bichos nos calcanhires, sabe ler ee?crever, ira;
caifa de brim e camisa de algodao branro : quem
o pegar leve-o as Cinco Ponas n. 152, que sei>
recompensado generosamente.
Fugio no da 24 de fevereiro prximo passa-
do, do engenbo Baticun, do termo' de'Barreiros, o
mulato de nome Francisco, idade -31 annos, estatu-
ra alta, seco do corpo cor om tanto' plida, com
pannos pelo rosto, nm pou<& belcudo, pouca barba,
alguns denles podres, cabellos earapioboS, lendo
em urna das pernas urna sicalriz de urna ferida, t
consta ter dito que ia Fentar praca de volunta-
rio. Roga-se por lano Sri. oommandantes d. cor-
pos, as autoridades policiaes, eapitaes de campo,
bem como a quatquer pessoa, de o pegarem, e de
remelle-lo a seu legitimo senhor Francisco Pacs
Barreto, lavrador do referido engenbo, on a ra do
Imperador n. 42 terceiro andar, que se gratifi-
car.
Santernes.
Cbambertin.
Hermitage.
Borgonbe. -
Champagne.
Muscalel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
dd Ton.
PAezei lagniol. '
FaIIUCa. i
fte ealde reir t. lundi(;ao de ferro, si-
Mi e bronze; cornos escravos,
Vende se a grande fabrica de calderelro e fun-
dirlo de-metaes da ra Imperial ns. 154 a 158;
e tratar com a viuva de Sebastiao Jos da Silva,
na rna Mova n#35, ou na ra da cadeia n. 57.
mmmmnmmmmmmmM
Boa acquisico. jp
- Vendem-se 4 casas terreas novas, lim- W
pas, bem logadas e por mdico prego: g:
41 os pretendentes entendam-se com o es- 1
Mt crivao Atbayde que se actia autorisado
^tt pelo respectivo proprietano a realisar as
aR referidas vendas.
sftttM&K wamm wam
COIares Rojrer on colares ano-
dinos
para facilitar a denticio das criancas e preserva-
las das convulsoes.
O feliz resultado obtido immensas vezes pela. moradora na ra do Hospicio consta que an
prodigiosa forca magntica dos colares Royer, nos j
casos de convulsSes, e denticio das criancas, tem
Est ausente da casa de sen senbor desde 31
de marco prximo passado, o escravo por nome
Joo, naco Zongo, d meia idade, levou ralea
branca, camisa de algodao fneblcada, cbapo velho
de eonro, tem cara grande, ventas regaeadas, nariz
cbato ; fui escravo de Sr. capilo Joaqolm Francis -
co Lavra, e tem sido encentrado as ras do Ran-
gel, paleo do Carmo e Campo Grande : rogare a
quem o pegar leva lo a casa a roa da Imperatriz
n. 80, que ser recompensado.
Fugio no dia 22 do corrente abril, o escravo
Joaquim, levando chapeo de palha grossa e alguma
roupa, conlendo os sigoaes segninies : altura re-
gular, cor preta, idade que representa 45 annos,
olbos brancos, descorado, pouca barba s no qoei-
xo inferior, orna pinba de cabellos brancos na
frente da cabeca, persas bem finas e ps grossos,
I barriga esgnia, mas o estomago epeito< levantados,
1 um tanto ea'rcundo e mnrto vagoroso no servico
I do campo, em que sempre sb oconpou Roga-se
I as autoridades de olicia e capilaes de campo a^
captura de tal escravo, sendo copduzidj ao lugar'
da Venda-Grande, freguzia de' tfunbeca a entre-
gar a seu Sr. Miguel Arcbaaje Lopes da Fcnseca,
que se recompensar.______________________
i Acha-se fgido desde sabhado o^scravo Ce-
I lao, fula, halxo e grossa do^eorpo, descona-se
ter seguido a estrada aa Serra^oTeixeira, por ser
1 natural da villa de Palos ; fo comprado ao lente
coronel Ildefonso Ayres de Albuquerque Cavat-
canli : portante roga-se as autoridades daqnelie
lugar ou a qualquer nessoa que o encontr o fa-
cam conduzir a ra do Queimado loja n. 1, abnde
se satisfar a despea que se houver feito com la'
apprehensao._____________________
200$ de gratificado.
Em 31 de ouiubro do anno passado, fogi. a es-
crava Claudina, cabra alia e seca do corpo, qu<:
pertenceu ltimamente aosIllms.Srs. Jos Joaqumi
da Silva, Manoel Mauricio de Sena e D. Mariana
Ignacia de Castro e Silva qne a venden a Jos Ma-
ibeos Ferreira que pagar 2005000 a quem Ibe
entregar dita escrava na rna da Cadeia n. 62.
Desappareceu desde o dia 2 do corrente mez &
preta Victorlna crioula de 26 annos de idade poueo
mais ou menos, tendo os seguales signaos: altnra
{e corpo regulares, rosto redondo, tem andar raoito
' apressado levou um vestido de chita escora ja usa-
! do e chales encarnado: esta preta foi escrava da
Exma. Sra. D. Maria Candida Salazar daV. PeHO,
le--
ras da Boa Vista, onde foi sua anliga r
quem a pegar leve a ra do Crespo n. 18/ 2* >'' r
recompensado.
Attf.UCH*
Vende-se farinba de mandioca desembarcada
boje do palhabote Bebertbe, pelo barato prec i aci- mimmicAi roupa eiu< ^
ma, a melhor qoe existe oo mercao, saccas; l,miCD'"uo 'uf i-.- pi_________________
grandes' Vpnde-w
Vende-se urna armago para dwisao de es-! ^#w^ o&
crip-.orio, de aaaarello, comporta e balaustres, Um carro americano novo de 4 rodas e 4 arrestes
obra muito boa.: a tratar na raa doMoodego, ola- com competentes arreios : na ra da Ponte Velba
ria n. 13. n. .
: altamente elevado o seu bem merecido prestigio, i qoe sera
e hoje j se pode dizer que esto geralmente con- |
i ceituados, e eslimados de innumeraveis pas de i
' familias : de uns porque do uso desses saiutares
colares viram salvos do perigo seus charos Sibi-
linos, e de outros porque colheram daquelles tio
proficuo eiemplo para igualmente preservar os i Tendo vjndo da vi|la de igBJrass no da 6 re
ens. Assim, poli, a aguia branca, tendo em vis-1 eorrenlej com. Hcenca do sen seLhor, a escrava
Usa ntilidade eproveito desses prodigiosos cola-1 Mara conhecida por Maria (quente) nesta coarte,
res anodinos ou Royer, mandn vir o novo sorli- oe repr(,senta ir trinta e tantos annos o* -dade,
ment que agora receben, e continuar a receben QS si(.naes seg0iDtes : cor bem preta, ssiatu-
los para que em lempo algum a falta delles possa i ra alla cfeia d0 corp0) bem fallante, tem un a e.
ser funesu aos pais de familia, os quaes ficarao | ,ora n qUejX0 do lado esquerdo, tem falta de. deu-
certos de os achar constantemente na ra do Qnei
mado, loja d'aguia branca n. 8.
Vendem-se
i les na frnie, costnma andar a bahaiaoa, tambem
i ja' lavou roupa em Beberlbe, e ja' venden agua
machinas americanas de serrote para descaroear
algodao : na rna da Senzala i*ova n. 42.
e vendem-6e pelo baratissmo K.^y- -^, -, ________________________________,
84 : na loja 4o Pavao, ruc da Imperalrft n. -6Q, de Vende-se sa< grosso : a tratar na raa da Ma-!
Gama & Sitara, dre de Deus n. 2.
Vende-se urna rotula nova
tar aa roa do Hospicio n. 26
nesia cidade ; foi escrava de D. Claudiana Guardi-
nez, e tambem foi escrava do Dr. Oiticica, em Ma-
cei. Como at o presente nao sendo sppareckla,
I roga-se as autoridades policiaes e cpitaes de cam-
po qoe a apprehendam, e a levem na ra Augusta
______________ Vende.se urna preta crionla, moca e robusta I n. 26 ou na villa de Iguarass ao seu senbor Joao
de muro : a a- com principio de cozioha : na ra do Queimado j Baptista Teixeira Cavalcanli, que sera' generosa-
loja n. 44. mente recompensado.



59"
DOS PREMIOS DA 1. PARTE DA 1. LOTERA concedida pob le provincial n 357, A BENEFICIO DA IGREJA DE S. I 50NCALO DA FREGUZIA DA BOA VISTA, EXTRAHIDA EM 26 DE ARRIL DE 1866".
KS PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS NS. PREMS. NS. PREMS-
14 64 .191 64 40o 64 597 64 772 64 949 64 1167 62 1353 64 1561 64 1744 ' 64 1916 64 2091 201 2297 62 2476 64 2653 6^2869 104 3092 6J 3321 S] 3526 6J i 3781 64
15 92 10 98 74 52 2004 38 54 62 48 17 92 64 2304 mm, 78 57 79 5004 93 23 27 84 204
25 _, 97 ^. 14 600 75 54 104 75 61 66 50 21 96 7 _ 82 -- 58 84 64 94 33 28 - 88 64
32 _ 200 22 1 77 56 64 78 66 67 52 23 2101 13 _ 86 62 86 95 40 - 32 - 94
34 2 27 3 79 57 79 69 72 53 104 25 7 15 87 64 87 3106 44 52 3800 _
38 . __ 8 17 34 _ 5 82 60 87 71 75 56 64 26 9 17 ... 88 104 66 92 7 57 80 - 9
41 _ 41 _ 12 83 - 64 94 72 81 104 57 29 17 18 _^ 89 64 67 9a 9 104 58 82 - 13
43 19 42 40f 17 l 85 104 66 1209 76 86 64 64 31 - 20 1 28 19. ___ 96 204 69 96 . 27 64 60 83 17
44 20 45 64 19 86 64 72 16 _ 83 90 72 32 20 l04 '97 204 75 97 28 63 88 28 204
52 27 ^^ 46 23 89 73 18 _ 87 91 75 33 104 40 22 64 98 204 76 2904 _. 30 70 92 - .27 64
53 - 30 _ 48 24 90 83 2! mm 92 204 92 204 76 104 35 64 41 24 104 2503 64 , 77 6 ... 31 84 93 104 35
55 tM 32 _ 49 29 91 85 ~ 24 mm 1407 64 97 64 79 64 37 - 44 26 64 6 86 13 33 a 90 97 64 39 ^^
56 104 37 51 ' 34 95 88 26 ^^ 13 ^ 1600 81 38 45 29 a 9 a 89 16 _ 37 104 93 3601 - 40 imm,
61 7S 64 38 58 42 97 98 89 91 ~- 30 18 27 2 84 89 41 44 204 64 52 57 204 64 30 14 92 21 42 64 94 96 404 64 8 -, 44
40 4 50 *04 50 >-> m ^ 32 _ 10 mw ^~* 31 18 94 " 22 - 45 14 50 -
77 56 _ 61 64 51 802 93 34 ^_ 40 11 92 50 60 32 _^ 20 _- 97 23 53 3402 23 56 _
81 1004 57 _ 76 54 3 --- 1000 35 ... 42 12 -i 93 51 - 64 34 wjd 21 > 1705 _. 30 104 61 5 - 24 204 30 64 34 1:2004 36 64 39 57 a
89 64 58 _ 79 58 12 4 36 _. 43 104 1S 98 *ta 55 -" 66 40 __ 22 __ -37 64 62 7 58 _.
to 61 82 61 | 30 7 38 45 60 17 96 104 57 71 41 mm 24 21 40 69 11 59
91 63 85 . 67 44 13 39 _ 49 2t 97 64 59 - - 73 44 _ 20 -a? 24 _. 45 _ 72 12 62
96 64 88 75 52 16 47 --- 51 25 -> 99 "I 76 - 45 " 104 30 27' 104 51 _. 75 104 16 *i 1 73
98 i* 77 93 76 54 26 48 | 52 26 1807 1 f 90 48 1 31 - 2 64 58 77 64 17 43 80 104
104 04 81 - 97 77 58 - 38 51 _ 54 -* 32 14 mmr w w 49 33 i 35 6:0004 64 78 . 18 _ 50 404 53 64 61 86 64
6 _ 90 99 84 59 104 39 58 . 59 35 18 - 82 t- 95 50 _ 34 - 41 1 64 74 89 20 104* 87
7 204 1 - 00 ^^ 85 60 64 45 61 8 40 204 22 105 83 -- 96 ' 55 mi. i 39 * 104 1 41. bHid -U 76 91 24 64 88
4 07 1 3 ^^ 91 67 - 48 ' 62 _ 85 41 104 27 64 87 . -. 97 63 i p M| 54 6# 44 12 94 _ 85 63 3901 mm
12 a 301 _ 9 94 104 69 49 82 88 43 64 29 90 2201 65 ta* 59 40 # 78 97 . 20** 104 65 - ' 8 _
SO S ^_ 17 _ 95 64 73 55 84 89 55 - 31 91 T 3 _ *1 6#i 63 fljl v 51 4 1 81 3204 _, 32 404 70 - 24
21 8 104 23 ^^ 96 76 60 ' 85 91 r 58 Vt 92 94 98 *- 5 . 77 7 m0 - 53 8o IM 7 _. 41 4 74 - 32 .
25 _ 12 64 31 ^ 98 78 65 88 92 61 J 33 W 8 U 84 - i 73 54 91 9 __ 46 77 38 .
27 _ 1 14 32 al 700 _ 87 70 92 95 64 *04 34 - ~- 9 , ll 85 . 78 1 % - 19 _ 47 78 39 'mm
34 _. 19 i 41 2 _ 89 7i 93 98 66 104 38 2003 11 w 87 80 62 97 23 51 404 ' 90 - . 40 m
35 1004 23 mm 41 6 ^_ 93 75 1300 1502 71 64 42 7 __ 12 *" 97 'mi. 82 74 i *. 3006 _ 28 60 64 94 - 42 f-
38 204 29 H 1 56 104 7. _, 97 83 1 . 0 .7* " 48 . V 15 ^^ 2402 _ 90 l * 75 10 104 31 61 - 97 49
39 64 32 57 64 13 901 98 . 4 _ 10 Jt f- 76 m 51 12 . 17 3 _ 000 * 7 11 64 32 65 66 ;i-77 80 ai 86 96 09 hi 98 50
41 35 .-. > 60 104 | 16 mm 9 99 a ; 6 | '19 _ 79 a* 70 24 19 t: 5 _ 3 -m ai 12 36 - 99 - 52
42 39 nm 61 64 17 12 1105 12_ 30 _ 84 ! 71 25 21 6 m 7 94 *- 15 41 m 3700 204 8l\ 3 '
48 1 43 __ fifi 04 19 > 18 7 1 13 mm ' 31 89 - 73 104 26 31 . 14 "mm 1 9 m 2880 1 *r 83 * 6 64
49 50 _ fifi .6* 22 _ 20 11 204 14 32 > 94 79 64 27 104 36 20 ' _ | lt i mm 3 19 54 13 104
51 sr 70 30 _ 22 13 64 19 __ 36 404 1705 _,_, 80 28 6Jf 37 23 m ' 10 0 J 46 58 * 15 64 67
54 A i m 78 32 _ 31 17 w . -a 64 8 n 83 35 104 39 __ 24 '_ to _' 1 9' 49 60 '26 ' 1
07 71 -' W 35 _. I 32 . 18 .*^ 24 mm , 10 86 45 64 44 tm 31 _ ' 11 H' 404 59 68 ~ 29 -
60 ' 7fc _* 70 _, 1 30 35 25 te m. . 39 ' 11 __ 90 51 46 w 33 < 12 04 ' 04 "81 *m 38 74.
71 _. 77 _ ' 80 4004 38 _ 37 _ 29 i 43 18 mm 93 52 51 35 31 ' 1T __ ! 66 Q_ 93 42 70
72 km 81 ,, 81 04 40 _. 38 30 35 44 22 97 204 50 61 -_. 45 ' 30 21 1 74' 96 3501 44 - 81
73 . 82 1 84 46 . 39 1 41 40 2 45 25 . 1901 6 57 . 67 1004 ' N 1 37 " 35 IJU ' 82 3301 16 ' 58V - 90
81 83 404 87 204 55 mm 40 54 _. , 4*. 46 30 mm 4 78 . ^8 64 '5i 41 30 83 ! 16 58 104 91
82 _ 91 64 9 64 57 mm 43 60 m , * mm 81 36 "" 7 80 . 87 59 _/i 44 1 38 84 ' --- : 66 W04 91
87 92 90 63 M 44 . 61 64 49 ' 52 . 38 8 87 89 .' flt 204 48 41 85 ' 14 _ 47 4 93
88 2<* 9S * 93 J t-t9 40 63 41 52 57 39 11 204 '89 '92 1 74 61 51 10J T * 86 - 19 ' 24 ' 68 - f 99 f

I
)
BBBVaaaMfeia
Mk
ILEGVEl




i-
/
-



9
Diarto de ieraaal>ac ... geUa felra tf de Abril do 1866.


LTITERATRA.
BEIIQIAO.
EXERCICIOS MARIANOS
NO
SEMINARIO EPISCOPAL
DE
OLINDA.
Siiholog raarlanos eu o nez de
malo sandOcado em honra
de Mara eom expsita o das
nrinclpaes figuras do anllgo
te i!tmcnto; en que fol siru-
boll8^d"aS Virgen.
30 DE ABRIL. -MOTfYOS DE DEVOQO
A JARA.
O-ador.Manoel Vieira da Cost tf Silva,
i. DE MAIO-CULTO QUE SE DEVS A MARA.
Orado?.Jos Alves da Costa Gadelba.
DA 2.DEVER DE IMITAR A MARA.
Orador.Jos Jaquim da Rocoa.
DEM 3.-D0 NOME SANTISSIMO DE MARA.
Orador.Vicenle Ferreira JustosaSima.
DEM 4.MARIA MAl DE DES.
Orador.Migael Americo Pereira Lisboa de Souza.
DEM 5.MARA MAl NOSSA.
Orador.Joio Pedras Lins Plalho.
DEM 6MARA NOSSA RAINHA-
Orador.Jotqaim Alves Machado.
IEM 7.MARA RAINHA DE MISERICORDIA.
orador.Manoel Fernando Luslosa Lima.
DEM 8.MARA RAINHA DOS ANJOS.
Orador.Antonio Agres de Mello Jnior.
DEM 9.-M ARIA RAINHA DE TODOS 03
SANTOS.
Ojudo?.-Jos Joaqulm de Franga.
DEM 10.MARIA NOSSA COREDEMPTORA.
Orador.Jos Herminio Silveira Borges.
DEM 1LAMOR QUE SE DEVE A MARA.
O ador.Jos de Cont de Amaral.
DEM 12.-VIRGINDADE DE MARIA.
Orador.Joviao da Costa Machado.
DEM 13.-MARIA MAl DE GRAgA.
Orador.Cbrisiovio do Reg Barros,
DEM 14.MARA MI DE CAHIDADE.
Orador. -Sebasii) Constantino de Medeiros.
DEM 18.SANTIDADE DE MARA.
Orador.Eraygdio Fernandos de Oliveira.
DEM 16.BENEFICENCIA DE MARA
Orador.Ladislao Adolpbo de Salles e Silva.
IDEM 17.MARIA MAl DOS PECCADORES.
Orador.Pedro Pacifico Barros Bezerra.
DEM 18.AS DORES DE MARIA.
Orador.JoSo Evangelista dos Santos.
DEM 19.MARA MAl DE HUM1LDADE.
Orador.Florentino Barbosa de Soura Ferraz.
DEM 20.-PODER DE MARA.
Orador.Manoel Jos Alves Martins de Carvalho.
DEM 21.MARA MI DE SOCCORRO E DE
PIEDADE.
Orador.Daro Nones Silva.
DEM 22.-PATROCINIO DE MARA.
i>. aior.MiQoel Mara de Soaza Monteiro.
IDEM23PROTECCiO DE MARA.
Orador.Joc Olympio de Soaza Lyra.
DEM 24:MARA NOSSA ESPERANCA.
Orador.Lniz Cavalcanle Daarte.
DEM 25.-MARIA NOSSA GUIA PARA O CEU.
Orador.Jos Vicente de Pereira Accloli.
DEM 26.MARA SAUDE DOS ENFERMOS.
Orador.Hercalano Marques da Silva.
DEM 27.MARA PROTECTORA DOS
CHRISTOS.
Orador.Manoel Tertuliano de Figueirdo.
DEM 28.-MARIA CONSOLADORA DOS
AFFLICTOS.
Orador.Joo Ignacio de Albuqaerqae.
A raissa ser celebrada e a communbio adminis-
Irada pelo Exm. e Rvm. Sr; bispo; princiando
aquella as 7 horas da' manbi.
De larde ter lagar a concluso do mez marlano
com a consagrado docoragio a Mara.
AMA.
(.4 de LamartineTrad. de T. A. A. Junier.)
v ( Contmoacao)
' XXVII.
Dtiraot? a fuga de sen irmo, Antar combada
anda a p contra a nuvem de. inlmigos, que o er-
cavam. O cansago e nao a espada, o lancea por
fim desfallecido de rosto contra terr. Agarrado e
I amarrado com corda* pelos cavalleiros, oi arras-
tado pela poeira air aos pos de Ornan, Albo do
re. O rosto varonil e- ameaeador do here, o seo
aspecto aterrador, a grandeza de so estatura, e o
volunte de sna cabeea eaosavam adrairaeSo ao
principe, que dlsse aos guardas :
Arrochai as cor das; aenarrai-o s- costas- de
nni cavado, e conduzamo-Jo ao reir alta de qoe
este decida de saa sorte .'
t Quera s ? ibe diz o rei qoe entrava da cafe,
rodeiado de corleaos.
< Sou um rabe da tribu oYAbs, responden'
Antar; e o rei proaegulo :
E's da raga do nobres ? ou dos escravo?
E Antar replicn:
Principe, para os- horneas generosos a nobresa
consiste no embate das laucas, ao stoilar das fle-
chas, nos golpes de sabr, as conragas, e na pa-
ciencia nos campos de batalba. Son o medico da
tribu, quando esta esta" doente, seo protector,
quando ameagada, defensor das mulheres, quan-
do atacada, seo here, quando se orgalha da saa
gloria, e sen sabr quando vda ao combate.
O rei, admirado de tanta poesa e eloqnencla na
bocea de um escravo negro, perguotou-lhe quem o
impellira vir devastar suas trras e roubar suas
camellas. Antar Ibe confessou ser o amor consa-
grado a sna prima Abla, e a astuciosa exigencia de
seu to Malek, qoe pedir este prego por saa Bina.
Admirou-se o rei, que com tanta coragera, elo-
quencia, poesa e elevago de sentimentos n'alma,
se tivesse elle exposto a' perdigo por ama don-
zella rabe.
a Ob f mea senbor (replicou Antar), o amor
quera impelle o bomem, nao obstante o perigo, a
montar em um cavallo ; e por causa delle que
rolam as cabegas dos bravos pela poeira. To so-
mante recompensa os amantes, que provaram o
amargor da ausencia depois das delicias do re-
gresso, e qoe vigilaram durante noiles e noites.
Em toda a parte provem desgragas de olbares
laucados por entre o veo da malber. >
Ioterromperam esta conversagao grande rumor
e estrepitoso tumulto. Vieram annoociar ao rei
Mundir, que um leo malor que ura tooro provo-
cado por seas cagadores investir contra a sna co-
mitiva, e semeava carnefleina e raorle, por onde
passava.
Ob 1 rei (di Antar), ordenai aos vossos com-
nbeiros, que me deixem ir s contra este leo ; se
elle me matar, Acaris vingado ; pois com mraha
propna mo matei grande numero de vossos guer-
reiros e escravos ; se en porm o matar, recom-
pensai-me, restituindome a vida e liberdade So-
mente quero que desatis minhas raaos, deixando-
me os p amarrados, porque, o a bei de matar o
animal, ou nao hei de ter o deserto para fugir
diaote delle. O leo suecumbio. Antar ao deita-
lo por ierra apenas soltou ura grito de triumpho :
< Sou sempre o amante de Abla, 1
Depois entoando um cntico de victoria, inter-
meado de qaeixumes de sua sorte, relata* em verso
heroico o seu infortunio, sua derrota e sea capti-
IDEM 29.DEVOCAQ AO SAGRADO NOME DE veiro ; duendo as allimas estrophes deste cau-
mel; as que estavam dianta de Mundir eram t-
maras verdadeiras, cala polpa envolva p carogo.
O rei Hundir, vendo Cosr"rjes e oif seos cortezaos
comer as tmaras Ungidas seno deitar fra o caro-
jjulgoo em sigoal de respeilo dever imitar ao
seo soberano, e engolia o carogo iam as tmaras
Cosres e os seos cortezaos soltaran gargaltaadas.
Mondir pergnnlou a causa, e todos Ibe confewaram
o artificio. O hospede Insultado slmnlou rir-se do
proprloerro, poraj-reliroa-se profundamente irri-
tado contra o aboso, que o soberao) flzera da sna
ingenua credalidade, e meditando vinganga. De
a que se liga o nome do Sr. conselheiro PanlaBou-
za, acomettida do Intuito de estabelecer desdea'
a commuoicago da capital do imperio com as fron,
telras dio snl, apezar d patritica e InteUigente-
de pequeo alcance em relago a' grande emprea-
do que demos noticia era nossa folba de domingo
O nosso paiz, cumpre reeonbece-lo, esta' neste
ponto mnlto atrazado. A Russia, a Austria, i Hba
de Cuba, o Cbile ja' gotam de ha multo da pre-
ponderancia e das vantgens qae se ligara ao es-
tabeleclmento do telegrapbo elctrico.
do tbesooro da f, ia por ao servigo da Santa Igre-
ja os fructos das suas grandes eonqoMsn no mondo
material e no das nossas to celebres Instifoicdes.
O reitor do coilegie inglez dirigi- estas palavras
a Pi IX portal ortaslo. _
Sanlissimo padre; todo o mando sabe qoe quan-
do a Inglaterra feebaodo os olbos luz,- leve a
.desdita de levantar o estandarte da rebetfio e sepa-
rarse da cadeira de S\ Pedro, o papa- Gregorio
XIII, digno emulo da candado de S. Gregorio o
grande, concebeu e levon cabo o nobre projecio
de estabelecer na ciJade saota um collegio desti-
nado aos joveus ioglezes, que- educados n'ett* se-
gundo os principios di enreja eatholica, uoica ver-
MARIA.
Orador.Joao Avelino de Albnquerque.
DEM 30.-PER5EVERANCA NO AMOR DE
MARA. ,"* -
O ador.JoSo Antonio Rodrigue?.
DEM 31.DE MANH: O TRIBUTO DE AMOR.
Orador. -Ascensio Franco de Paulo Cavalcante de
Albnquerque.
)E NOUTE.-CONSAGRACAO DO CORAAO A
MARA.
Orador.-Joo Antonio de Rodrigues.
Todos os oradores sao estudant?s de tbeologia.
DIRECTOR DO CANTO E MSICA.
Syraphronio Olvmpio Tbeodulo de Albuquerque.
PRIMEIRO CANTOR.
Jos Joaquim da Rocba.
CORO.
Antonio Teixeira de Albuquerque.
Lniz Cavalcante Barity.
Jos Ribeiro da Cunha Lima.
Florentino Barbosa de Souza Torres.
Joc Antonio Rodrigues, e outros.
ORDEM DATNCAO.
A fuogo principiar impreterivelmente s cinco
horas da tarde. a
Comegar por um cntico a Maria, alternado pelo
pove.
Depois ter lugar o discurso ou pratica.
Fioda a leitura do obsequio, haver a exposicio
do Santisslmo, ladainba em msica, tambem tan-
tum crjo.bengo do Santissimo Sacramento, e urna
[sympbcnia por fim.
Principiara estes exercicios na segunda feira
30 de abril.
No dia 31 de manh haver communho geral,
e depois do Evangelbo urna pratica.

Das ooiras emprezas estabeleeidas para o flm de
volta para seu paiz montuoso, escreveu urna ear- estreitar os lagos moraes e eoromerclaes entre o
l de qneixa e desafio ao rei da Persa, exprobraa continente sul americano e o continente europeu,
doHhe o insulto. O re envioo um exerclto a&m nenbuma reone, por sua exteoso, pracabilMade' dadeira e santa, pela influencia da sua palana,
de submetie-lo. Ao aproximar se o etercto persa, e economa, as condlg&is que aOJrmara a sope- da sua peni e do seu exemplo, podessem vcltar a
Mundir cabio em si, e enri disse : rloridade da empreza americana do Sr. Collia8,|desus as almas separadas d'elie pelo demonio do
< Yejov qoe minha carta, ofrenden a Cosroes i enja ser,eda minhas palavras nao erara convenientes. As le- das pel" *raDdes potencias da Europa, e sao es- Tendo sido destruido o coilegoe a sua egreja
viandades da lingua occasronam as calamidades n|elalaiente recommendadas ao favor dos gabl
pelo tufoda revolugo^o iramortal Po VII depois
do hornero.
Um strapa de nome Cosrnan, inimigo do rei
netes sul-ameheanos pelo governo dos- Estad js-, da tempestado e apenas- a su sede, se'apressoo era
Mundir, e qoe aepirava posse do seus estados,
coramandava o-eaercito do rei da Persa. Vence-
dor dos rabes- de Mondir no primeiro combate,
siliou a cidade de Hira capital e ultimo refugio-do
vencido. Mundir, rednzido extremidade, cba-
moo seus Ribos e gjierreiros a ura grande conse-
Iho de guerra. Resol veram fazer orna sor lisia
desesperada cora o sabr em ponboroercar as mu-
Iberes, as changas-eos tbesouros com um baluar-
te de ago e refugiar-se no deserto para ir pedir
aylo, soccorro e vlogaoga aos wabos agrieoltores.-
Sabendo desla resoloeio de erpatriar o povo, os
escravos da corte &> re que goardavan Antar.
lango-se aos ps de seo senbor, e dizeao-lhe :
i O' pai I ouvindo o guerreiro ciptivo da tribu
d'Abs, que est sob nossa guarda, esta manhlA o
(Braulio, qoe bavia oa-odade, e interrogando-nos
sobre a causa deste rumor, Ibe dissemos-o que se
passava em torno dea.moros. Eotio disse-nos
elle:
Conduzi-me ao re ten bo a revelar-lbe meio
de destruir os iaimigos, embora fossem to nume-
rosos como os grlos de areia do deserto.
Antar compareceu ante o rei, e disse .
* Peto co t meas bofes quasi recentara de co-
lera e vergonha, quando soube, que os rabes iam
fugir diaote destes caes Persas I Os rabes sao
pacientes no combate o morrem debaixo dos-cas-
cos dos cavallos ; mas nao supportam a vergonbd
de salvar a vida na toga. Promettei-me o dote da
Bina de mea tio, restilai-nie o meo sabr, o meu
cavallo Abjer, e a minha coi raga, ca i-cae rail ca-
valleiros de vosso exercito para execatara mano-
bra que eu determinar e veris o qoe ser dos
vossos iaimigos.
O rei, confiando no braco do seu captivo, con-
sentio era todo, e cbamoo seos guerrearos s ar-
mas. Antar caotou sea hymno de guerra, qoe
dita :
Mergulhar-me-bei, era urna ouvem de poeirr
al encontrar-me cora este strapa Cosruan, e fa-
lo-hei beber a tara da morte I Eile na de sabo-
rear, no gome do meo sabr, ama bebida depois
da qoal nanea mais provara a dogura da agua I
Depois de ter cantado estes verso exdamou :
c Por teas olbos, Abla I
E cahio de xofre sobre os Persas e diz o poet :
c Sua langa era como o destino : diminua as
vidas.
Seu exemplo fez os mil cavalleiros de Modir co-
brar intrepidez. Repellirara os Persas para looge
das rooralhas da ciJade. Cosruan, acampado na
recta guarda, soube pelos fugitivos da derrot dos
seos diante de nm cavallciro negro mais impetuo-
so (diziao-elles), do que o imoMH.Este Jorou coa-
bater em pessoa do dia seguinte, e lavar em seo
sangue a vergonha da derrota dos seus.
Unidos.
O contingente que
as projectdas liabas enro-
restabelecer de novor porem eslava- reservado
o zelo ardeate de oulro Pi, adrairago dos secu-
ras oSerecem ao Brasil, infinitamente menor do lo yindonrosr o levantar a egreja das sues ruinas.
qoe o eflorecido pela empreza Gollins. B anda
que orna ou duas or> mis llnbas telegraphlcas-sub-
marina fbssem estabeleeidas peto-Atlntico, *nes-
se opinio que a liona Collins continuarla apezar
disso a ser indispensavel.
O moviraento verdaderamente nacional e espon-
taneo que se desenvolv no palz ha sete ano?,
leude sobretodo a estrellar e a solidificar a ajanea
americana que tem por base e garanta a unio
moral das duas grandes naedesOs Estados-Uoidos-
e-o Brasil.
Fei esse raaviment o que operou ama sensivel"
modiScacio*as ideas do nassos horneas polticos,
dandoorigera a essa seriada disposigdes legislati-
vas de que ha-resultado j, nao s a approiimago
moral dos doas goveroos como a approximagao
ommercial dos dous povoe.-
Como, pois^se poderia raioavelmenla admittir a
ida de deixaa desligados os doas conthMntes ame-
ricanos ?
Sim, santissimo padre, reservada vos eslava a
gjoria de condwir a feliz termo o remata desta
graade obra.
Ha- ura momento, ao honrar pela ceremeqia que
acaba de veriflear-se ao Ilustre martyr da liber-
dade da-egreja, teades feito recordar ao muodo e
a Europa sobre todo, a vossa firmeza a vossa cons-
tancia e zelo apostlico em sustentar os direHos e
immuntdades desta- mesma egreja.
Rnr este acto teodtes aggregado a tantas oaffas
ama nova prova do vosso affeeto- aos Ingieres, do
nosso desejo de os ver tornar verdadeira douiri-
na, a sombra salutar da arvore da>redempgo.
Nos tambera, santissimo padre, pro-irados a vas-
sos ps, qoe humildemente beijamos e agradecea-
do-vos pela honra qoe acabaos do dispensar-nas
unimos noasos- desejoa aos vossos e rogamos a
Deus, que condoza a Inglaterra toda inteira a
borar o sea^peccado, a-arrepender-se d'elle, cuui-
njjjndo o deseje do catho+icismo, de verum s re-
nina* serpete, do qoe remlioa morrer instantnea-
mente.
As amabas consternadas con tamanba desgra-
ta, e irritados centra o antor d'elia, extoraMnaram
todas s abelbas de Arlsteu.
Este, nao lateado eomo baver se n'esta conjuc-
tora fol i gruta onde tiona origen) o ro Peneu, na
Tbessalia para consultar saa mal qae o maodou
Ter com Prethea. _,
Este deu-lhe de parecer qae paca tranquilizar
os manes de Euridice Imraolasse qoarro loaros no-
vos, e qoatro novilbas, cujas entranbas brotarfatn
enxames d'abelha*.
Venflcou-se a predegao de Protbeo, qoe sera
duvida encobra ama verdade, e a iadosti-ra qoe
Aristeo liaba para conservar, e renovar as abe-
lbas.
A*s abelbas deven a antrgoidada relevantes ser-
vigos.
Paosanlas eoota assim, como, pelo seo rasto, fol
descoberta a grat de Tropbonias, onde bavia ora
orculo lamoso : Este oraeoro era outr-or in-
cgnito aos Beodos-.
Foi' descoberto da seguinte naoeira:
Havia dous anuos que nao ebovia na Beocia : as'
cidades desta regio enviarao theores a Delphos
para pedir ao orculo um remedio que posesse co-
bro a tamanba calamidade. A pythia Ibes respoo-
deu, qoe consultassem a Trophoaius em Labadea
pois eile faria cessar a secca.
Cbegados a esu cidade debalde se esforgavam
em acbar o orculo, quando Saon de Arepha, o
decano dos theores, avistando um enzaine de abe-
lbas, que voavam a aegolo, e d'estaarte foi- ter
gruta que procurava.
A maneira porque a empreza se aprsenla, o ba^bo sob o paternal e legitimo bculo de um s
crdito de que- gosa o sea director, os abundantes
recursos com que ella conla-perraittem-lhe realisar
em breve praso aliaba gigantesca que aos deve
per em contacto com toda a. America do-Sol, com
toda a America do .\orte, eom a.Europa)., a Asia, a
frica e a Australia.
Ligar o systama telegrapbleoque se hade esta-
belecer forgosamenle era nosso paiz, eom o sys-
tema. europea osem duvida projecto digao de sym-
pathia..
Mas campee ter em atleooo qoe o- estabeleci-
raento.de ura.cabo submarinoatravez do.Atlntico,
- aioda-ura problema, qoe-a- sciencia e- a-industria
bao de resolver sem duvida, mas- qoe anda resol-
vido nao preenebe o grande fim de uma unio
mais estreita entre o imperio e a poderosa repbli-
ca americana.
' tempo de se cuidar seriamente deste as
sumpto.
Ficar sem telegraphos, neste secuio,. ficar fra
do circulo da civilisago.
Para aze-los saa ousta obedecendo a uma pre-
occupaao nacional, arriscar-se o imperio a es-
perar muito tempo por esse nielboramenlo indis-
pensavel.
Attrabir capites estrangeiros e erapenba-ios era.
emprezss dessa ordera, sobre as qnaes entretanto,.
continuar o govetno a exercer a sua Influencia e
o seu direito poltico, ao mesmo tempo desen-
volver a riquea publica e gavanti-la no prsenle
e no futuro, contra emergencias funestas e pertur-
badoras da DOasa paz e do nosso progrsso.
O Santo Padre acaba de presidir ao solemne
OrlVolldVorse77ado,"foi.rancitro dJaeto de collocar a priaaelra podra da Incrajp. na-
cional, erecta sob a mvocagao de S. Thomaz de
tico
< Fui levado ante um rei generoso. Combat um
leo feroz no olbar e rude no combate
t Seu rosto tinba a largura de um escudo, e
suas pupilas langavam eentelhas como nocturna
fagueira.
Fendlo-o com um s golpe de meu sabr, indo
lhe ao encontr de ps atados;
a Esperei que em recompensa o rei me conce-
desse o dote de Abra, exigido por meu tio, as ca
mellas acclr...
t Pelo firmamento I (diz o rei comsigo ou-
vindo e admirando o escravo), este negro a ma-
ravilha dos lempos, e nico no mundo f Rene o
herosmo eloquencia, e a audacia a' constancia
as cousas difficeis, que espantara os homens vul
gares; se poder cbama-io a' miro, farei ver por
meio delle a superioridade dos rabes da minha
raga sobre os persas do rei Cosroes, de quem sou
tributaria.
Depois voltando-s 3 para os guardas, disse :
< Conservai este negro eomo prisioneiro em mi-
nha corte, pois a trra nao tem outro igual, e elle
podera' um dia glorificar a mo, que o poupa.
Antar foi objecto de todas as indulgencias com-*
pativeis com o eaptiveiro.
XXVIII
Poneo lempo depois, o rei Mundir, indo levar o
tributo Cosroes, o grande rei da Persia. foi con-
vidado para um estiui por este monarcha. Os
cortezaos de Cosres, querendo mofar da simplici-
dade deste rei dos pastores, apresentram na mesa
do monarcha duas cestas chelas de tmaras per-
feitmenie semelbantes; as tmaras porm servi-
das ao re e seus cortezaos eram descarogadas, e
tinliam substituido os carogos por alfostigos com
Antar, o introdnzio em sua tenda, e banqueteou-se
com elle. E o rei dlsse ao joven vencedor dos
Persas :
t Se eu soubesse que seria uma fellcidade para
ti ficar em nosso paiz, mandara buscar Abla por
bem ou por iforga ; mas temo, que o ton coragao
suspire por teu paiz e toas tendas. >
E logo Antar respvuueu :
t o' meu senbor I nao tenho corajrem de ficar
aqui.cada dia passa sobre mim cora o peso de mi'
anuos; entretanto, embora devesse morrer de amor
e myrrar-me com o ardor das minhas recordagbes
e saudades, nao partira sem que estivessel3 vino-
do de Cosruan.'
Assim passaram a noite na tenda conversando
sobre a batalba do dia seguinte, emquanlo os filbos
do rei vellavam pela segnranga do acampamento-
dos rabes.
fConlwiuar-se-naJ
pastor.

A.esposa de ura aldeio da Normaadia adoece
gravemente.
Boi chamado um facollativo ; depois de interro-
gar e examinar a enferma, deixoo entrever a
dono da casa.o receio de nao ser suficientemente
remunerado pelos seos cuidados,
Senbor, lhe dlsse o marido consternado, te-|
nbo> all n'um pe de mea cinco bellos-lnizes de
ouro,.e que matis ou surtu minha pobre mulber,
esta vos perience.
A.mulber suecumbio a doenga.
Concedido algun tempo para se acalmar a dr
do esposo, o facultativo apresentoo-se para-recia--
mar. os cera francos (182000).
Doutor, disse o afilelo esposo, estou prompto
a cumprir a minba promessa.. Dae-me lcenca que
vos faga apenas duas perguntas, na preseaoa
d'ostas dignas testmaahas: t .Va/i^stes minha mu-
foar.t
Nao por ceno.
ranto~nrelhor t. muito sentira ter de acnsar-
vos da morte de minba chorada, esposa. Curas-
te -la ?
Infelizmente, nao.
Tambem esta a verdad. Ora, se, como
acabis de contesar, nao matastes era eurastrs
minha mulher, o'este caso, faltastes ao que tinha-
mos convenciooado, e nada podis reclamar.
Resulta dos mappas publicados pela adminlstra-
go do Bureau Ventas de Pars, qoe o numero dos
navios partidos totalmente, durante o mez de fe-
vereiro ultimo, subi a 268; d'str algarismo,
contam-se 143 navios ioglezes, 40 /rancezes, 16
americanos, 7" bollandezes, 6 barabarguezes, 6 ba-
noverianos, i-bramliej, 4-italiano-, 41 de difieren-
tes cagues.
36 navio jolgam-se perdidos oentpletamente, na
falt absoluta de noticias.
U numero-dos navios perdida- em Janeiro ele-
vava-se a A*0- *
Addlcionando-lhes os que naufragaram em feve-
reiro, isto 268,- ter-se-ba a-lotlidade de 678 na-
vios, perdidos totalmente, desde o i. de Janeiro at
28 de evereiro.
T-
A abelba era o symbolo do icabalbo, da obedien-
cia e da braadora entre os amigos, para os qoaes
tambera era a imagem das colonias.
A descoberta deste Industrioso insecto remonta
mais alt antigoidade, e- est envolvida de faba-
jas, como todos os faetos, qoe, sendo do dominio
d'nm passado muito remoto, bao sido decantados
pelos poetas, e por elles adorados de fantasiosos
! coneeitos.
Ovidio cont que Baccbo ( Ribo de Jpiter e
cada vea mais positivo e commovedor, de qoe a! de SeBW|e } e M salvros (airraaades campestres)
grande nago inglesa vai regressando ao seio da lograram encontrar o primeiro enxame de abe-,
igreja. i ibas.
Depois de ter restabelecido a jerarchia catboli '
ca em Inglaterra, Po IX erige com as suas au
Cantorbery, perto do coilegio inglex sito na roa de
Monserrate.
O papa quiz tomar parte pessoalraeole n'este
acto aura de dar solemne testemonbo do facto,
O Monittw publicaa nomeapaod principe im-
nerial para presideote bonorailo da commisso,
sendo as foneges preenebida. peto ministro de-
estado.
Correo o boato de que a abortara da exposigo
retardar-se-ia de alguna raeaes, ulvez de um au-
no: effectivamente os trabaihos foram tnterrompi-
dos dorante nos das, mas tornaran a continuar
com grande actlvidade.
J faltara.os fundos necessarios mas pedir-se-ha
um crdito supplementar acamara, ana aera duvi-
da o votar.
A exposigo universal, instaorar-se-ha, pois, no
dia indinado.
Anda nm boato relativo exposigo.
. Diz-se que os Americanos, qoe nao sao.narda?.
ros das meias medidas e cortam sempre largow
querem dar-nos ama amostra de saa audaciosa!
fantasa.
O espago destinado aos Estados-Ualdos no pala-
cio em constrocgo parecen-Ibes absolutamenta-ta-
sxfiiaente, sobretodo na secgo das machioas. En-
tendendo qae- toes S9ria impo3sireK em lio Uait-
do espago, apresentar ama idea de sua industria,
aategura-se qae tomaram uma lesolufo tio, stre-
vid, qaanta original.
A expensas saas compraram, um. vasto terreno
e edificaran), sempre a sua cost, um auneio pa-
ra elles smente.
Eis o que se pode chamar cortar o ad gordio.
UM POUCO DE TUDO.
E' extracto do Diarto do Rio de Janeiro o se-
guinte :
' Veio uma idea grandiosa alimentar o espirito
publico e proporcionar-lhe a occasio de refleclir
seriamente sobre um dos maiores interesses do
paiz. Essa idea e a de uma linha telegrapbica
que ponba o Brasil em*ommunicago com o resto
do mundo eivilisado.
Basta a enanciago do prejecto para despertar o
interesse e a curiosidade geral. Nao possivel
que o Brasil permaneca isolado e alheio ao raovl-
raeoto e a' actividade do progrsso que se desen-
vove nos quatro cantos da trra.
A tentativa do governo imperial, nobre esforco
FOLHETIM
TRISTEZAS a BEIRA-MAR
POR
M. PINHEIRO CHAGAS
(Conunuago.)
IV
Era ja pelos Bns de outubro de 1846. Andava
o reino todo agitado pelas primeiras bafafens dos
vendavaea> polticos, que iam dentro em pooco es-
palnar a devastagao e a morte as trras portu-
goezas. A guerra civil pairava nos ares, sacadin-
do o facho assolador. A essa pobre villa da Eri-
oeira mal ebegava um echo das tempestades, e es-
se mesmo echo esmoreca de todo na casa isolada
de Barlbolomeu Soares. O bramido austero do
mar abafava o clamor mesqalnho dos hornean o
ragir das tormentas* do Ocano transforma va em
murmurio leve o ribombo da trovoada revolucio-
naria. Vistas do cimo das fragas da beira-mar
parecem tao despresiveis as latas da bamanidade i
A nome estiva agreste e ameagava chova. A8
ondas arrebentvam nos roebedos^inda nao com
furia, mas com essa gravidade solemne, qoe pre-
cede os desatinos da sua clera. O vento sibiliava
as oseadas e nm ou oulro relmpago vinba da es-
pago a espago Iluminar os 7deas das janellas com
o sea clarao asolado. Em casa de Bartholomeu
Soares estavam reunidos os visitantes babituaes, i
excepgo do pai de Jorge, que nessa noute nlo
podra sabir de casa por se acbar iigei ramete in-
guslas mos ama igreja nacional, para os descen-
dentes de Henrique VIH e de Izabel, sombra da
copola.de S. Pedro.
Este de certo um dos mais bellos triumphos
qae tem obtido a Santa S.
Mons. Sidney, bispo d'AQstralia, subdito ingles,
moas. Cliflord, mons. Talbos de Malabide e grande
numero de Catdicos ioglezes representaram a sua
patria n'esta ceremonia destinada a formar uma
poca na historia religiosa da Inglaterra, como a
formn a viagem de Santo Agostlnho e de suas
raissoes, que S. Gregorio envin n'ootro tempo a
con verter os bretoes.
O relim tim dos cymbalos, qae atroava os ares
attrabio estas que p*r modo foram como quc'sor-
preeodidas pelo r. de natureza (abstrabindo da
eogenbosa Qcgo que reveste o successo.)
O fundo de veraaoe, quo ha nesta fbula, tan-
to mais digno de notar-se, quanto ceito ter Vir-
gilio, o grande cantor da agricultura, recommen-
dado que, para dar coga s abelbas, convinha at-
j-trabi-las com aromas debanlas odorferas, e com
o estrepito dos cymbalos.
t....buc tu jussos asperge sapores
tTrila melis Dhylla ct cerinthee igaobile gramen;
tTinnitusque ci, et Matris quate cymbala circum.
Semelnante processo anda boje feito em va-
Pio IX v hoje agrnpar-se ao redor de si, as r|os mtm para chamar as abelbas, e approvado
pessoas dos alumnos do coilegio inglez, essas cabe-, poPaifjerenle8 agrnomos, entre outros o celebre
^aslourase animadas que tanto commoveram o htj!ipanhol He.rera qae viveu o principio do se-
seo predecessor, que flzeram entrar em desejos de, cn|0 esesejSi
qoe o seu paiz natal participasse dos beneficios j Virgj|jo ^nla degte modo n(J ,vr0 4 aa-Georg
^Sat Santidade pronuncioa um discurso mui en-con, M a descoberta do primeiro enxame d'abe-
ternecedor no coilegio inglex dizendo, que a lo-. 'ba?- "
glaterra ama das principaes nagi5es domando,) Arislea, rei .da Arcadia, creado pelas nymphas
maf que desde maito tempo nao pensando seno nos bosquef, sabia o cultivo-dos arvoreae das col-
no dseovolvimento da saa grandeza e da sua meaj e sobretodo appl.cava-se i conservagio das
prosperidade material, e esquecendo se da f dos abelbas, cuja perda sabia Umbem reparar,
seos maiores, linha perdido o seo antlgo emagni- Amon extremamente Euridice, depois mnlber
fleo timbre da liba dos Santos. Mas que, nio obs-: '0r^0''**ni> fuindo as1a, .P*rfseuigoa. no
tante previa o momento, em que, senhora de novo' da das bodas de sen matrimonio, foi picada por
Um jornal de Pars cont o seguinte:
O mach nismo Caselli, qoe reprodoz autogra-
pliicamente os telegrammasv vai ser installado en-
tre Marselba e Lyoo.
avnj c
disposto. Todos estavam mais oo menos arrepen.] Dorotha, Jorge e Leonor : Dorotba eslava neUe
didos de ter vindo, e olhavam com inqaielagao pa-' da com boas disposiges e fallava pelos colo-
ra as janellas, aira vez das quaes se poda ir se- vellos.
guiodo a approximacao incassante do temporal. % O braroir das ondas, o sibillar do vento, o mor
prudencia aconselhava-lbes que partlssem, mas o | muri da falla drvelhinba, a couversago dos
ebeiro appetitoso da ceta combata victoriosamente gadores, interrompida pelo tioir das lavla:
os eonselbos da prudencia. Expor-se a nm venda- cbiar da agua, que fervia para o cha qoe se ha
val com o estomago vazio era contrario a todos os' de seguir cea, e o estalar da lenba na fogueira,
preceitos da bygiene, pregada pelo boticario com' formavam nm concert, coja suavidade mal pode
a aotoridade de hvmem da sciencia, e acolhlda comprebender quem se nio enlevi eom o perfume
pelo administrador e pelo capito Raivoso com ce-' de singeleza que rescendem estas scena intimas,
go acatamento. Bartbolomen Soares reforcava a A disensaao ia-se acalorando na mesa do jogo;
argumentado hyglenica, prometiendo aboleta-los,' o administrador e o boticario, sempre adversos
se o temporal Ibes interceptasse as communica- ora ao outro, prioeipiaram a exaltar-se na dscus-
goes. Acrescia o gamio com as suas tentaedes ir- \ sao poltica,
resist veis. Vai errado o plorai do verbo na ultima oragab >
O vento annonciava l por fra ama temprala- o administrador nanea se exaltava; bomem paca*
ra siberiana. A sala eslava quente, aconchegada, to e amigo do seu socego, dotado de uma deplora-
confortavel, se preferem o anglicismo. Decidida- vel falt de memoria, como me parece que j dis-
mente, os ps dos visitantes iam-se gradando ao' se, alto, engravatado e esguio, consideran eomo
sobrado, e, por iniciativa heroica do capillo Ral- nm dever da sua posigo Acial a defea dos ac-
voso, regeitou-se em conseibo de guerra a idea da tos ministeriaes; o boticario, gordo, corad, ra-
retirada. bugenio, devia saa dignidade de dono de nma
A sala era vasta e pouco Iluminada, mas o bem pbarmacia, qae era o verdadeiro club da trra, o
cntaram a voz do povo, Sr. administrador... e so rio, de Caligula, con quem me vai parecendo jos-
altenderam aos gritos da bernarda... porque eu to compara lo.
sou pelo povo, Sr. administrador... e a voz do: O' Sr. Silva, nio me chame Caligula I tor-
povo deve ser respeltada... porque, emflm... a i non o funeciooario indignado ; eu sou o reprsen-
os do povo a expresso...
tante...
logo qoe arda n.i cosinba, qne lhe ficava conti-
gua, espalbava o sen doce calor na ambiente das
doas quadras. Qaando se abra a porta, entrava
nm Jorro de vivissima los, e jautamente um per
tome cclinano qae aciriciava suavemente os'nari-
zes dos convidados e os conflrmava cada ves mais
na sua destemida resslugao. No meto da ala es-
tavam as dfas mesas de Jogo; o administrador la-
lava com o boticarlc, Bartholomeu tlnha por ad-
versario o commandar te do forte. N'nm dos can-
tos d sala e perto de urna janella estavam s lia
exprimir, com vehemencia opposicionista, a indig
nago que Ibe caosavam as doutrinas ordeiras do
administrador, a quem elle denominava tyranno.
Tyranno I Pobre administrador V
E' isto qoe Ibe eu digo I berrava o boticario
todo affogueado ; ea joo liberal, xrdade, mas
enlendo qae o governo nSo deve tn om as
revoltas., A sahlda do Costa Ca ira* n gran-
de erro polUtoo, porque J qo foi asa nsiio op-
porrtma, porque a voz do povo fex-se ouvir...
sim, fez-se ouvir.,. e n3o i eiccitarm... nao es-
Eo boticario, embwlbado iaaibrases,-lodo en-
carnicado, sem saber como* bavia de dar coma do
periodo, eogasgoo-se, floreoo oo ar ama tavola
vermelba e terminou, bateado com ella em cima
da mesa.
Em conclusao, ninguem me tira da eabeca
qae o Sr. administrador cm tyranno 1
O' Sr. Silva, acudi o administrador, nio me
chame tyranno l Eu sou um represntame dos po-
deres consumidos legalmentejB prso-me de ser
amigo da ordem.
A ordem, tornava o boticario, limpando o
snor, qoe Ibe escorria em bica, eis a palavra poco-,
posa eom que se dasculpam todas as tyrannias. A
ordem... atteoda-me, Sr. administrador, que eu
yon dar orna deflnleio : a ordem a desordem I
Apoiado I berrou o capito Raivoso. A or-
dem a dosordem, como por exemplo, as ordens do
exercito.
Nao ponha a sna espada na balance da dls-
casso, eiclamou o boticario, qoe bem sabia qae
a durindana era censa qae o pobre commandante
nao tinba, porque Ib'a fra empenbar casa havia
nns boas tras meis; a torca armada sempre foi
a inimiga da liberdade, como por exemplo, os Jf-
nisaros de Carlos Magno.
De Carlos ajagno I acudi pasmado o admi-
nistrador.
~ S|rn seqhor, e de Caligula, conclulo o bQtica-
. ,
O senbor o que um tyraaao I atalboo.
boticario.
O administrador perdeo a cabega. Levantoo-se,
puxoo os colleirinbos e disse :
Sr. Bartholomeu Soares, se eu em saa casa
me vejo exposto a invectivas, qae me stcam di-
rectamente na minha honra de funecionano publi-
co, preflro expor-me a lodos os horrores da tor-
ment...
Aqui o administrador enterneceu-se e concinio
com lagrimas na voi:
E esquivar-me s delicias de lio amavei com-
panbia.
, Entao, meo velho amgo.-acudio Bartholo-
meu Soares, nio se exalte assim. O Sr. Silva nio
teve Intencio de o offender.
Ab I de certo, acudi b boticario, tremendo
qoe Ibe fuglsse o parceiro, de certo qae nio Uve
e desde ja' reUro qoalqoer expresso menos par-
lamentar de qae asasse por acaso no calor da con-
vefsaeflo.
Pois bem, acare!, tornou e administrador,
sentando-se, com a condigio qne o Sr. Silva nio
tornara a chamar-me tyranno.
Nio torno, acudi o boticario, levantando a
mi .em sigoal de juramento solemne, mas o roen
amigo ba de concordar eomigo qoe S. M. a rainha
nio fes bem eo ceder revoita.
Nio posso concordar, Sr. Silva, contestn o
administrador; s. M. a rainha andou em todo isto
Um jornal acaba de publicar alguns dados esta-
slicos acerca do corpo lepislativo, entre os quaes
se achara estes.
A assembla conjpo-so actualmente de St
membros, trazem as casas das suas casacas otas
ou rozetas da Legiao de HoBra 240, destes 281.
Encerra esta assembla um principe, tres, du-
ques, trese marquezes, vinte e seis visconde8,.vln-
te e sete bardes, desenove appellidos precedidos
da particola nobiliaria, de, dnco generaas. e dous.
coronis. .
O Momteur publica : -
A grande execuglo de invern leve logar em
Pekin a 14 desee mez, 29 condemnados foram de-
capitados ou estrangulados, e 2 morberes expia-
ran! por morte lenta, ama, o assassizue do pai, a
oatra, o do marido.
Mr. Chaillu dirigi ao Times ama carta ora qae
falla de uma tribu de andes descuberta ao Oeste
d'Africa, perto do Equador, .^
As mulheres adultas desta tribu, chamada dos
Obingi, passam raramente de 4 ps e 6 petogadas;
uma deltas qoe liaba 5 ps e algamas linnas, con-
siderava-se como gigante.
A estatura dos homens de 5 ps, termo medio.
i
com muito louvavel moderaco, cumprio o sen de-
ver de soberana constitucional, obedecen i opi-
niio publica. O que desejava o mea amigo qoe ella
fitesse ? '
Eu sei la' I o diabo a quatro I que dsse por
pise por pedras, mas qne nao cedesse, qoe ds-
se um golpe de estado.
Ura golpe de osudo exclamoo o adi rinlstra-
dor, batendo na testa ab bem me pareca qae
tinba soccedido alguma cousa nestes ltimos tea-
pos. O golpe de estado deu-se, o Saldanha est A
frente do ministerio, o Porto subievou-se e o Ter-
ceira foi preso pelos revoltosos. B en sem me
lembrar I Eolio que me diz agora ?
O boticario ficou assombrado. u capito Raivoso
ergoen-se com ufana e dlsse :
- Sr. administrador, nesta crise de guerra ci-
vil, pego a V. S. qoe pondere ao governo a naces-
sidade absoluta qoe tendo de guarnener e arlllbar
o forte do meo commando. Isto eomnunico a V,
S. para os devidos effeitos.
E sentou-se ; o boticario encolhea os hombros,
com com mostras de mi humor ; o jornal qoe
eUe, na sua qnalidade de vigsimo qointo membro
de nma assignatnra, recebia eom viste e quatro
das de atraso, anda pi registrara a noticia do
golpe de estado de 6 de outubro e da formacio da
junt revolucionaria na cidade invicta.
Bartholomeu Soares nio dra grande aUencibao
incidente.
(ConftJHMtr-M-na.)
PERNAsfBIJCO.-Typ: pj F'9S 4 TM.
0
\ .

';
t i
/
i
}
tana stavyi


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EUY2K7UUZ_KBDSTE INGEST_TIME 2013-09-04T23:14:25Z PACKAGE AA00011611_10953
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES