Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10948


This item is only available as the following downloads:


Full Text

mmm


AMO XLII. HOMERO 92
Ptr (urlel HS9 CBtr# dt810 ias 1." *
dem depois ees 1.' it dias do cmeco e deotro d qosrtol
#rtette#rrtWHrtW8ezs ........;
75j
SABBADO 21 DE ABRE DE 1816
for auno paga dentro de lo dias do 1. mez........ 19ooo
Porte ao earreio por om aon* ,.,,........ 3^^

E.NCARREUAWS DA SBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alendrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonia Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranho, o Sr. Joaquirn Marques Ro-
drigues,; .Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filaos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARRUJADOS DA SUBSCRIPQAO DO SL.
Alagoas, O Sr. Claodino Faicao Oas; Babia, o
Sr. Jos Martios Alves;
Ribeiro Gasparinho.
Rio de Janeiro, 0 Sr. Jos
PARTIDA DOS ESTAFETAS. ISerinhem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
Olinda, Cabo, Eseada e estagSes da ra frrea atl "" M Pre* as quintas
-i
Agoa Preta, todos os dias. I tena.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas reirs.
Sanio,Atto, Grvala, Bez9rros, Bonito, Caruar,| AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Altinho, Garanhons, Buque, S. Bento, Boro
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tergasTrlbonal do commercio : segundas e quintas.
feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as qnartas
feiras.
Relago : tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primara itn do civel i tercas sextas ao meio
dia.
Segunda vara do clvel: quartas sabbades a 1
hora da tarde.
EPHEMERIDES DO .HEZ- DE ABRIL.
8 Quarto ming. as 6 h., 25 m. e 82 s. da m.
15 Loa nova as 4 h., 14 m. e JO s. da m.
21 Quarto cresc. as 8 h., 12 m e 4 s..da t.
29 La ehea as 7 h., 4 m. e 14 s. da t.
DIAS DA SEMANA.
16. Segundo. S. Engracia v. S. Calixto ro.
17. Terga. S. Atoiceto p.; S. Hermogenesm.
18. Quarta. S. Galdino b. card.; S. Anthia m.
19. Quinta.. Ss. Evpedito e Arlstonico rom.
20. Sexta. Ss. Severiano e Acyndino rara.
21. Sabbado. S. Anselmo are; S. Silvio m.
22. Domingo. Ss. Lenides e Elptdes rom.
PREAMAR DE HOJE.
Primera as lo horas e t m. da tarde.
Segunda as 10 horas e 30 minutos da manha.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEROS.
Para o sul at Alagoas a 14.3 30; para o nort
al a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Pernia-
do nos dias 14 ios mezes de jauotro, margo, raii?
julho, seterobro e noverabro.
ASSIGNA-Sfi
no Recie, na livraria da praga. da Independencia
ns. 8, dos propietarios Manoel Figueiroa de Faria
& Filbo.

PARTE OFFICIAL
GOVERXODA PRO VI MI V.
. LE N. 635.
O Dr. Manoel lemenline Carneiro da Canha,
vice-presideote da provincia de Pernambuco : Fago
saber a todos os seus habitantes que a assembla
legislativa provincial deoreton e en sanceionei a
resologo seguate :
Art. 1 Ficam creadas a* seguioies cadeiras de
ensino primario:
4 Qoaiorze do sexo masculina nos lugares
da Passagera da Magdaleoa, Cmog, Tijipi, Pon- po"ne"de Molocolorab
te dos Carvalhos, povoagao da Alliaoct na frWtrt- de 200000 com a c
zia de Naiareth, povoacoes de Bengalas, Pedra
Tapada e Queimadas na comarca do Limeiro, Ro-
zarinho da Iregoeiia d'Pao d'Alho, Jo-'- de la-
gazeira na comarca de Flores, povoagao do Sacco
na fregbezia de Cabrob, povoagao de Fatenda
-Grande, Cacboeira do Roberto na (reguezia do
Senhor Bom Jess da igreja Nova e Serra Branca
na [reguezia de Ouricury.
j i' Dezoito do sexo feminino nos logares se-
gmntes : freguezia de S. Fr. Pedro Gongalves,
Apipucos, Passagem da Magdalena, Varzea, povoa-
gao do Barro Vermelho da freguezia de Afogados,
S. Lourenco da Malta, Muribeca, Ipojuca, povoa-
jdes de Nossa Seohora do O' e de Timbauba da
comarca de Goianna, villa de Agua Preta. Trora-
betas, Capoeiras, villa de Ingazeira, povoagao de
Afogados de Ingazeira, Altinho, villa de Flores e
villa da Boa-Vista.
Art- 2* Ejcam revogadas as disposigoes em eon-
trarlo
Mando, por tanto, a todas as autoridades a
quero o conhecimento e execugo da presente re-
sol ucio pertencer, que a cumpram e fagam cum-
prir tao inteirmente corno Bella se conten.
O secretario do governo desta provincia a U<*
imprimir, publicar e correr.
Palacio do governo da Pwnambaco, aos 18 de
abril de 1866,45* da indepeodeocia e do Imperio.
L.S.
Manoel Clementino Cmaro da Cunta.
Sallada e publicada a preienie resolugo nesta
secretaria do governo de Pernambuco, aos 18 de
abril 1866.
O secretario Dr. Francisco de Paula Salles.
Registrada a II do livro 7 de le- provioclaes.
Secretaria do governo de Pernambuco, 18 de
abril de 1866.
O escriptorario da 4 secgo Theodoro Jos Ta-
vares.
para isso as providencias e fazendo as requisigoes
que torero indispensaveis.
Dito ao chele da reparligo das obras publicas.
Em vista do qae me reqqisitou .0 director da
Faculdade de Direito desta cidade em ofilcio de 16
do correte recommendo a V. S. que mande um; cas da f catholica.
da como imagem de um santo urna figura profana,
como principalmente, para que nao Bcasse irapr"
rjm sacrilegio, no caso de que tivesse sido, e
rouitos temerariamente asseguravaro, urna Imil
de santo profanada por bomens resfriados as croa
dos eogenheiros dessa reparligo orear os concer-
tos indispensaveis de que necessit o edificio em
que fuQcciooa a mesma faculdade remetiendo me
esse trabalho para se resolver o que for conve-
niente.
Dito ao raejoio.- Autorise V. S. nos termos de
sua informago de 14.do correte sob n. 127 dada
Renov a V. s. meus sinceros protestos de res-
peito e acatamento.
Portarla.-Por estarmos informado da que era
muitas das grojas desta diocese, em as quaes se
tem feito nos annos anteriores o piedoso exercico
do mez de Maria, e adoptado o uso de nao so co-
mega-Io muito cedo, como de se abrirem as igrejas
acerca do requeridento de Joao Baptista Rodrigues, para esse Um ainda alta madrugada com repiques
da.Sooza arrematante do pedagio dr barrera da de sinos.
a despender at a quantia
collocago do porto de que
necessit aquella barreira, e bem assim os reparos
de que precisa a respectiva casa.
Nos bem inteirado dos males tanto pbysicos co-
mo rooraes que d'ahi resultan), e persuadido que
desse uso provm os maiores abusos, que se nao
compadecen) com a discrigo sempre inseparavel
Dito ao Dr. joiz de direito de Nazaretb.Remet-' da piedade, ao mesmo tempo que' convidamos os
tendo-lbe incluso o requerimento documentado de | nossoa diocesanos a proseguir^ nesse salutar e edi-
Manoel Faustino da Costa, Vicente de Souza Car-
neiro e Joaquirn Jos da Santa Auna, que tendo
sido condemnado as penas do grao mximo do art.
14 das inslrocgoes de 6 de abril de 1841 pedem a
sua absolvlgo, recommendo-lhe que odevolvaa
esta presidencia com a sua informago, podendo
Vmc. exigir do delegado respectivo os precisos do-
cumentos, curnpnndo que a dita informago seja
acompanbada dos autos de perguntas feitas aos
guardas que condatiram os recrutas, e a outras
pessoas, que saibo do modo porque passou-se o
(acto cujas circumstancias devem ser indicadas
coro toda preciso.
Dito ao caplto do porto. Para que eu possa
resolver acerca da proposta a que alinde o seu of-
Ucio o. 34 de 2 do correte, apresentada por An-
dr de Abreu Porto para remogo do casco da bar-
ca ingleza Felisbella faz-se necessano que Vmc.
informe qual a despeza que se podera azer com
este servlgo, e o valor provavel dos salvados bem
como qua'ndo terminou o ultimo praso concedido
para se me l han te remogo
Dito ao delegado encarregado do expediente da
reparligo da polica. Accusando a recepgo do
officio de 16 do correte sob n. 490 em que Vmc.
comrounica-me que na tarde do dia 15 deste mez
licante costume de honrar a Santlssima e Inmacu-
lada Virgem Mi de Deus por meio desses santos
exercicios denominados do mez Marianno, Ihes re-
comroeodamose exortamos que o fagam com san-
to fervor, e piedoso recolhimento de espirito, de
modo a darem provas de seu desejo sincero e cor-
deal de amar a Mal do ceo,e venera-la com um culto
todo condigno de suas qualidades de Mi do Filho
de Deus, rainba dos aojos e sanios; Ihes pedimos
igualmente por amor da Santlssima Virgem, que
nao saiam de suas casas para esses exercicios an-
tes das quatro horas e meia da manha; qae se
presentero em trages modestos, asslstam aos ac-
tos com toda a compostura e recolhimento, absten
r accionista, (diz o mesmo informador
[olha portoense) que tenba influencia no
;em um pcele de procuracoes que fcil
mete dtSlribue por pessoas de sua amisade ou de-
pendencia, e assim rene um milhar de votos e
consegue derrotar os que teem em seu favor a ra-
zo e a intelligencia. Contra o parecer da commis-
so fallarra largamente os Srs. Antonio Manoel
da Fonseca.e Manoel Sarment Ottoline.
Chejp fio da 23 a Cadix o vapor Minadlo,
onde desflfbwcou S. A. o Sr. infante D. Sebastio
e saa familia.
u vapor, por cansa domo tempo arribara a Gi-
braliar. .
Foi concedido a associagao dos architectos ci-
vis o escolber para o sen muzeu archeologico al-
guns fragmentos aproveitaveis doclaostr que aba-
ten do ex tinelo convento das freirs de Cbristo em
Thomar, assim como levar do mesmo convento
duas campas de sarcophagos de bastante merec-
ment.
A' mesma assoeiago fui concedido o tirar copia
dos desenhos que existem na intendencia das obras
publicas do districto de Lisboa, relativos ao edi-
ficio da oquisigao que havia na aotiga praga do
Roci, afim de que a mesma associagao possa fa-
zer om trabalho com relago aquello amigo edi-
ficio.
No dia 2i celebron-se em Lisboa urna reu-
nio da companhia de crdito predial. O governa-
dor leu o respectivo relatorip. Foi eleito vice-pre
sidente da assembla o Sr. Mamede. Ficon adiada
para outra renniio adiseussao de outros as.-umptos.
A bordo da barca portogueza Gratidao que
ebegon de Pernambuco 00 dia 26 do correte e
lat S. 59' e long. 34 22' a O. de
e passageiro Frederico Luiz Gongil-
do-se sobre todo de conversar durante o temp) em [ ficou de-qnarentena, raHeceo no dia 8 de fevereiro
que estiverem as grojase Ibes rogamos em no-
! me de Jess Cbristo, que se deem nos santos dias
desse mez consagrado a Maria Immaculada com
mais f e fervor a oraeso, sejam rnais amorosos
1 dos Sacramentos da Penitencia e da Eucbaristia, e
constantes na observancia dos mandamentos de
I Deus o preceito da sua igreja.
Recommendamos e mandamos aos Rvds. paro-
cbos que nao consintam abrir-se Igreja alguma de
sua paroebia aotes das quatro horas e meia da ma-
1 nhaa, e nem permittam que se repiquen) os sinos
foi esmagada pela locomotiva junto a estago das 1 antes dessa hora, fazendo saber a todos que probi
Kxpedieite da dia 18 de abril de 1866.
Ofilcio ao Exm. general commandante das ar-
mas. Respondendo o ofilcio que V. Exc. roe diri-
gi em 9 do correte sob n. 623, a cerca do desti-
no que deva dar aos guardas naciooaes em depo-
sito Antonio Alves de Urna, Manoel Alexaodre Ru-
fino, Anloaio Francisco Matbeos de Sani'Anna, e
Joao Florentino Tavares, todos inspeccionados de
saude e juigados aptos para o servigo tenbo a d>
ser-le que poae ufana-io* uciuir uecerpowet
visono afim de prestaren) servigo, como V. Exc.
solicitou em seu citado ofilcio. *
Dito ao mesmo. Pode V. Exc. transferir nara>
a companhia de cavallaria as pragas do 4* bata-
Ibo de arlilharia a p e do extincto corpo de
gnamigo que por determinago do governo impe-
rial deixaram de embarcar para a corle e tiverem
aptido para o servigo d'aquella companhia como
V. Exc. solicitou em seu offlcio de 9 do correte
sob n. 621 que fica assim respondido.
Dito ao inspector da thesourria de fazenda.
Recommendo a V. S. que, em vista dos inclusos
papis, cobertos com a informago ministrada pelo
chefe da reparligo das obras publicas em 26 de
margo ultimo sob n. 98, a que se refere o de V. S.
n. 216 de 13 do correte bem como de ouiras que
devem existir nessa thesourria, tambem relativas
a concertos e obras de que precisan os estabeleci-
menlos militares desta provincia e do que prova-
velmente ainda se tera' de despender durante o
corrento exercicio com servigo semelbante, faga o
pedido de crdito necessario para esse fim devol-
\endo-rae depois os mencionados papis.
Dito ao mesmo. Respondendo ao olUcio de V.
S. n. 210 de 11 do correte, tenho diserlhe que
o fornecimento de artigos de fardamento a's pra-
vas da guarda nacional destacadas no presidio de
Fernando tendo sido effectuado segundo declara o
director do arsenal de guerra no ofilcio por copia
incluso de 17 deste mez em observancia da ordem
da presidencia de 26 de fevereiro ollimo tambem
por copia junta, nao pode deixar de ser paga a
importancia dos gneros comprados para a lactora
dos artigos fornecidos os quaes nao podiam as pra-
gas obte-lo no mesmo presidio, no caso de ser-lhes
abonado o fardamento em reis como esta' determi-
nado no aviso de 14 de agosto de 1860 por V. S.
citado.
Dito ao mesmo. Se nao bouver inconveniente
mande V. S. pagar a quantia de 5*300 provenien-
te dos objectos constantes da inclusa conla os
qoaes foram comprados para fnmigag5es em na-
vios procedentes de porlos onde reinava o cholera-
raorbus segundo deciarou o inspector da saude do
porto em officio de 17 do correte.
Dito ao mesmo. Tomaodo em consideragao o
que expoe no incluso requerimento o capito Do-
mingos Jos Rodrigues recommendo a V. S. que
manae pagar-lhe os seus vencimentos como direc-
tor da extincta reparligo das obras militares, at
9 do corrente mez, por ter estado at aqoelle dia
incumbido de diversas obras militares.
Dilo ao mesmo. Pode V. S. conforme indica
em "sen ofilcio de hontem sob n. 225 prorogar por
2 mezes o praso concedido para a conclosao do
concert de que precisa o Hiate Penlampo ao ser-
vigo da alfandega desta capital, atientas as razoes
apresentadas pelo respectivo erupreiteiro, Joaquirn
Antonio Rodrigues, no requerimento que incluso
devolvo e a que se refere o seu citado officio que
tica assim respondido.
Dito ao inspeclor da thesourria provincial.
Annuindo ao que solicitou o delegado encarregado
do expediente da reparligo da polica, em officio
de hontem sob n. 493, recommendo a V. S. que
em vista do incluso doenmento e nao havendo in-
conveniente mande pagar a Jos Pedro Velloso da
Silveira Jnior a importancia do aluguel na razo
de 85OOO raensaes da casa que serve de quarlel ao
destamento existente no termo de Serinbem a
coniar do 1* de novembro do anno prximo passa-
do.
Dito ao mesmo. Accuzo recebido o officio de
23 de margo ultimo, sob D. 94 em que V. S. em
virtode de deliberado da junta dessa thesourria
consulta se deve 00 nao ser cumprida a carta pre-
catoria que inclusa devolvo expedida pelo juizo dos
feltos da fazenda, contra Antonio Malaquias de Ma-
cedo Lima, em vista das razdes, pro e contra, pro-
ducidas por V. S. e pelo procurador fiscal d'essa
thesourria nos officios que por copia vieran an-
nexos ao de qoe se trata.
Em resposta tenho a dizer qoe sendo proceden-
tes a razoea apresentadas pelo procurador fiscal
deve-se dar execogo a mencionada precatoria
proced ndo-se nos seos termos.
Dito ao director do arsenal de guerra, Intei-
rado de qoaoto V. S. declara em sua informago
n. 607 de 17 do corrente com referencia ao officio
e a commissao encarregada da exposlgo naciooal
datado de 11 deste mez tenho a recommenJar-lbe
que empregae lodo o empenho possivel para que
por. parte desse arsenal sejam apresentados a
mesma exposieo, alguns productos de arte dando
Cinco-Pontas Feliciana de tal, recommeodo-lhe que
tendo em vista os factos de que trata o officio do
engenbeiro fiscal interino da estrada de ferro, que
por despacho de hoje Ihe remettido para infor-
mar prosiga as diligencias e averiguagdes que
julgar necessarias, afim de se poder proceder ul-
teriormente a semelhante respeito como for de
lei.
Expediente do secretario de geverno do dia 18 de
atril de 1866.
Officio ao Dr. Carlos de Cerqueira Piolo. Ac-
cuso a recepgo do officio do 1* do corrente em
bimos comegar em igreja alguma sugeita a nossa
jnrisdico diocasana, 01 exercicios do mez Mariano
antes das cinco horas da manha, e dpois de Ave
Maria sendo feito a tarde.
A' presente seja enviada por copia aos Rvds. pa-
rochos e publicada nos jornaes para conhecimento
de todos.
EXTERIOR.
qne V. S. communica-me acceitar a nomeago que: COBRESPOUBEWCAS IQ VIA
por decreto de 17 de fevereiro prximo findo o go
vereo Imperial fez de V. S. para o cargo do chele
de polica da provincia do Espirito Santo.
Despaches de dia 17 de abril de 1866.
ftetjUcrintOTitfllt
Tsenle Antonio Mun Tavares.Apresenle-se
no qoartel general do commando das armas para
ser inspeccionado.
Amelia de Santa Rosa.Nao tem lugar.
Arseoio Alfonso Peroira Borges.Informe o Sr.
inspector da thesourria provincial.
Anoa de Souza Guedes, e Maria Agostinha Gue-
deSiConcedo a licenga pedida pagos es direitos
nacionaes.
Daniel Prxedes Dias Fernandes.Indeferido.
Francisco Antonio de Figueirede.Informe o Sr.
engenbeiro chefe das obras publicas.
Hermogeoes Rodrigues Pereira-Em vista do pa-
recer da junta de saude e da infornago jninistra-
BIO DE PERHAaiBUCO
LISBOA.
26 de mareo de 1866.
uonclusao.)
Desde o dia 20 do corrente (margo) o joro do
descont no banco de Portugal foi laxado a seis
por eento.
Passou as duas casas do parlamento o ere-
dito de trinta e nm cornos de ris a cmara muni-
cipal de Lisboa para a limpeza dos canos de esgo-
to. Foi arrematado o lance por oito contos e lano.
O orgamenlo do municipio de Lisboa foi ap-
provado en sesso enmarara para o aclual anno
econmico.
A receita importa em 37:4024869 re. e a despe-
za em 373:2274782 rs., (cando de saldo a favor
do cofre municipal 1754087.
Ja' se comegou a gravar a medalha que ha
ultimo na
Greennich,
ves.
Fallecen no Porto o conde de Ferreira, cuja
fortuna, moli avnliada foi repartida larganente
por legados pi?.
O mais avultado o Importe dos legados de
rs. 144:0004000 (fortes) para a fundagao de
120 casas para escolas primarias as cabegas
dos coocelhos, devendo cada urna importar em
1:2004000.
Segue-se outra disposigao notavel, que appca
o remaneseeote da heranga a' instituigo e dotago
de um hospital de alienados.
A forluaa d'aqoelle benemrito Qdalgo era or-
eada em mil e quatro ceios contos fortes. Alm
d'estes legados, eontemplou muitas pessoas em seu
testamento, e delxon quantias importantes a va-
rios estabelecimentos de beneficencia, alero de mui-
tas esmolas.
Urna das disposigoes foi a do eslabelecimento de
urna enfermara para 20 doentes que devero ser
tratados homeopatbicamente.
O nobre finado era pardo reino desde 1842.
t' 00 sabbado d'Alleluia a ultima recita no thea-
tro lyrico. O enthu-iasmo dos amadores pela pri-
madona Elisa Volpini excedeu todos os limites no
dia do seu beneficio com a opera Fausto de Gon-
nod.
applau-
Ferrao, jusliga ;
Fonles, fazenda ; e
tistias com o gosto da msica classica
dida pelos verdadeiros amadores.
Na sesso de 24 do corrente da cmara dos
depotado*, u Sr. Jos Julio de Oliveira Pinto man-
dou para a mesa urna represenlago da cmara
municipal de Villa Real, pedndo varias providen-
cias em beneficio do paiz vinhaleiro do Douro.
A proposito d'esta representago mostrea a neces-
sidade de se fazerem tractados de commercio com
o Brasil e com a Inglaterra, observando que em
quanto na Inglaterra existisse a escola alcoolica, a
nossa industria vinicola nao poda ter futuro no
mercado d'aquelle paiz; e fez sentir a convenien-
cia de orna reforma das pantas alludindo especial-
mente a' redueco dos direitos do bacalho.
O ministro das obras publicas (conde de Castro)
declaren que e-tava multo as ideas do governo
azer tratados com as nagdes com qnem se podes-
sem.trocar favores, e muito especialmente cotfi a
Inglaterra.
Consta que sahira' a lume por estes oito das
a segunda serie dos trabalbos do Sr. A. Herculano
sobre o casamento civil, em resposta ao Sr. viscon-
de Seabra.
Houve em Lisboa om alboroto no domingo
(25) a sahida da procisso do tnumpho que sabe
da er.nida dos terceiros do Carroo.
Esta procisslo muito antiga, mas esteve por
largos annos que sem se f>zer ; porro nm devoto
fallecido ba poneos annos deixou urna boa somma
Irmandade dos tercel-os para renovar a procisso
qoe se faz agora com apparato.
Os muofcipaes de cavallaria que estavam posta-
dos ao p da igreja e com as barretinas penduras
tara com'o penacho da barretina; outros cavallos ASSEMBLA LEGISLATIVA PROVINCIAL.
E' urna base completamente regeneradora. A
reorgamsago ministerial, continua a dizer-se que
sera depois do encerramento das corles.
Continua a penhora nos- bens do Sr. conde de
Farrobo a requerimento do Sr. M. J. Pimenta. An-
tes de hontem ez-se arresto nos camarotes que o
mesmo conde tem no theatro de S. Carlos 1
O estado tinba obrigago de indemnlsar o conde
de Farrobo, visto que a lei qne extingui o papel
moeda assim o ordena. 0> estado nao curnpnndo
com este dever, victima o conde, pois tem de pa-
gar com todos os seus Lene aquella enorme divida.
Um peridico de Lisboa disse hontem com razo
< que talvea nao baja outro exemplo de semelban-
c te facto e de tanta ingralido.alem da mais lla-
t grante injustiga que a mais aggravanle cir-
1 cumstancia de lodo este deptoravel negocio. >
Descobrio-se hontem om enrioso facto de
contrabando na alfandega con ama caixa de sedas.
O numero da caixa fora falsificado ; as os papis
estavan en forna.
O comprometido um despachante.
Us empregados honveram-se com grande zelo e
diligencia. Os direitos andavam por 2004000 pou-
co mais ou menos.
A 7 de abril sahira d-'aqoi o vapor Olinda, para
Pernambuco.
E' da carreira dc PERNAMBUCO.
se desinquietaran), e o povo que era muito ia sen-
do pisado. O commandante da forga mandou por
as barretinas. Uns farroupilhas gritaran) logo que
era indecencia irreverente cobrirem-se os soldados
diante das imagens; vozes de mata a guarda e fra '
os ronnicipaes, incitaran) estes a prender os amoti-
nados.
Houve moita gente atropellada, mulberes des-
maiadas, capotes e cordoes' de ouro fuados ele,
etc. O commandante da municipal mandou reco-
Iber a guarda ao qoartel e fez bem para evitar
maisr conflicto Ora na propria Roma os soldados
at entram nos templos de barretina na cabega, se-
gundo affirmam os viajantes que l tem assislido s
sumpluosas festividades do vaticano, e alguns do
nosso povo indignaram-se por um acto que nao ti-,
nba outro fin se nao evitar os desastres que os ca-
valloa podiam occasionar entre tanta gente agglo-'
merda. Urna beata vociterava contra a guarda e '
ol presa; alguns outros amotioadores foram con -
duzidos ao calabougo do qoartel do Carmo. As
procissoes fra dos templos do lugar mullas veses
a irreverencias, quando nao sao origen de desor-
dens mais serias do que esta.
- 28-
P. S.Como ainda ha tempo, junlarei mais al
ira
da pelo commandante da companhia nio pode o -6 m ^^^5^1, Stt^O Promotora da
Foi recebido sblennenenle no pago o novo
ministro do Mxico. Assistiram a este acto a cor-
snppllcante ser atlendido.
Jos Augusto de Araujo.Remettido ao Sr.
inspector da thesourria provincial para atleo-
der.
Juvencio Taciano Marins.Informe oSr. inspec-
tor da thesourria de fazenda.
D. Maria Mathilde Cavalcante e o tenente-coro-
nel Manoel Joaquirn do Reg e Albuquerque.In-
forme o Sr. engenheiro chefe da repartigao3 das
obras poblicas.
Manoel Figueira Curado de Menezes.Informe
o Sr. commandante da companhia provisoria de
polica.
Pedro Lucas Gonzaga.Informe o
ro chefe da repartigao das obras publicas
Rosalina Francisco Negro-Monle.Informe o Sr.
delegado encarregado do expediente da repartigao
da polica.
Sociedade beneficente dos artistas alfaia-
tes.Passe portara nomeando a Flix Venancio
de Canialioe.
Senhoria Maria da Conceigo.Informe o Sr.
jniz de direito da comarca de Olinda.
Tbereza Mana de Jesus.-Iotorme o Sr. com-
mandante superior da guarda nacional dos munici-
pios do Cabo e Ipojuca.
Bellas Artes em Portugal aos artistas que mais se
distinguiram na ultima exposigo.
Este trabalho (oi commettido ao Sr, Carlos Wien-
ner, gravador da casa da moeda. O desenho do
Sr. Alfredo de Andrade, e a esculpinra do Sr. Vc-
tor Bastos. No verso da medalha devem ver-se as
cabegas de Aotonio Domingues, Joaquirn Machado
de Castro e Siqueira, que representan) a esculplu-
ra, a architetura e a pintura em Portugal. No re-
verso deve lr-se :
Medalha de premio concedida a... pela me-
. loor obra na classe de... > tendo gravado o no
c. -noenhPi !me do positor laureado, e mencionada classe a
; que perience o trabalho exposto.
U Sr. A. J. de Oliveira, distncto empreado
na iraprensa nacional, e antigo redactor da Fede-
racao, publicara' dentro em pouco urna folha des-
tinada s classes operaras, com o titulo de Jornal
das Asioaagoes Portuguezas. Sera' semanal a pu-
blicagao. A competencia do Sr. Oliveira reconhe-
cida.
Foi no dia 20 do corrente accommeltido de
um ataque de paralysia o Sr. Julio Gomes da Sil-
va Sanche?, antigo ministro de estado.
O Sr. Julio Gomes gosa de geral estima pelos bo-
mens de todos os partidos por sua inteireza de ca-
Coras, poesas, flores, em fim todas as Jeraon. gamas Haba a minba de hontem.
ds admir.;^ o icspeiiu me foram predi-
gansadas mi noute de 24 do corrente, e ainda se
prolongara no dMningo 25 no concert do pianis- rara.
ia Lame em que a sympatica artista appareceu no-
varaente.
Hontem 1 da tarde houve ontro concert, de
manha, na salo nobre do theatro de D. Mara II
a beneficio dos pobres e das escolas de instrnegao
primaria de Funchal, promovido pelo conde de
Fambo, e sob a prolecgo de ^S". MM., que assisti-
ram todo o concert. Constaran) os artistas do
theatro de S. Carlos, que foram muito applaudidos,
especialmente a eminente cantora Volpini. Arttaur
Mapoleo executou no piano duas pegas a solo. A
commissao do concert tlnha um suinpluoso hmch
para offerecer aos artistas depois do concert. A
concorrencia foi escolhlda e numerosa.
Os saraos Iliterarios do Gremio tem continuado
com grande concurso de ouvintes s sabias prelec-
goes qne all se tero feito. As prelecgdes do colle-
glo artstico, hoje pertencente ao Sr. Jos Mana de
Andrade Ferreira, j concluirn) este anno. Foi o
Sr. A. F. de Caslilho que em 1853 comegou no col-
legio do Prtico, de que era director e fundador,
os saraos Iliterarios e artsticos, que depois se re-
produzlram no Porto, e em Coimbra.
Pdese mesmo dizer que esta idea to favorecida
pelo eximio poeta, e cuja iniciativa Ibe pertence,
fdra anteriormente posta, em pratica na Iba de
S. Miguel, nos bnlhantes saraos literarios e ar-
tsticos da sociedade dos < amigos das lettras e
artes.
Este invern pois em Lisboa, foram simultanea-
mente as causeries em dous saldes, o do Gremio e
o do collegio artstico. E' de orer qoe este pensa-
mento, to bem acolhido pelo publico intelligenle
v tomando voga, e cada vez mais de anno para
anoo.
O Faiuo foi a opera de maior acceitagio pois
lem (ido quarenta e tantas representagdfs seguidas
em S. Carlos, e ja perto de vinte no theatro de S.
Joao no Porto.
O publico que admira os machinismos, de cora-
SESSAO ORDINARIA EM 18 DE ABRIL DE
1866.
PRESIDENCIA DO SR. VICARIO FRANCISCO PEDRO DA
SILVA.
Ao meio dia faz-se a chamada, e verfica-se
a presenga dos Srs. deputados Francisco Pedro, Ay-
res, Ramos, Sergio, Eparainondas, Correa da Silva,
Cicero, Andr, Jansen, Brilo, Emygdio, Candido
Martios, Tiburtino, Armio, Amorim, Joaqun do
Reg Barros, Joao Teixeira, Jeronymo, Paes de
Andrade, Soares Brando, Amyntas, Burgos, Buar-
que, Correa de Brillo, Augusto Souza Leo) Lopes
Machado Gaspar Drummond,
Abre-se a sesso.
L-se e approva-se a acia da sesso anterior.
O Sr. I' Secretario da' conta do seguinte
EXPEDIENTE.
Um officio do secretario do governo remetiendo
a informago do fiscal da illuminagio a gaz acerca
do requerimento que a respeito deste servigo fez a
assembla.A qnem fez a requisico.
Outro, remetiendo a informago do julz munici-
pal suppienle de Goyanna acerca da diviso do
cartorio dos orphaos daquella cidade. A quem fez
a requisico.
Um requerimento dos irmoa da ordem terceira
..; de S. Francisco em onia pJem a revogago de al-
p.itau o cowsfl ua T*.P. p.4. do reino marquez de Vallada eda-se hoje a sepol- ae fos eclesisticos.
Coatova 72 annos de idade, tmha a oaedaib 1 x Ma ^ rrainaade de Nossa sennora ou To
dai campanhas da guerra peninsular, e era caval-1Q0 pede preterencia para a exiracgao das suas lo-
leiro da Legio de Honra. j ierias. A- commisso de orgamento.
Foi hdo hontem o decreto da proregagao das U(na peicao de Francisco Joao Honorato Serra-
corlesgeraes da nago at 20 de abnL Grande porteiro do jury desta cidade, sollicitando
para qae se consigne qaota para pagamento do
que lbe deve a cmara municipal.A' commissao
te, os altos dignatarios, e os uQ)ciae-mores do pa- \ -
do orgamenlo municipal.
Lem-se e approvan-se as redaeges dos pro-
jeclos ns. 17 e 30 deste anno.
L-se un parecer da connisso de negocios ec-
clesiaslicos, approvando o corapromisso da irman-
dade da Senhora Mi dos Homens, erecta, na igreja
da Madre de Dos. A imprimir.
Outro da commisso de polica, mandando coc-
lacio.
Concluio na cmara dos depmados o seu dis-
curso, sobre o orgamento o morobro da minora
Sanios Silva, continuando a notar ausencia de pen-
samento fiuanceiro e ioexactido n'algumas verbas.
O Sr. Antonio de Serpa, ( da maloria ) e redactor
poltico da Correspondencia d Portttgal, deciarou
que a commisso ao examinar aquelle documento' u^ a puC,lJcacao e apanhameno dos trabalbos
f5ra escrupulosa, e que, se havia dimiouigao as ^ assemD|a com os proponenies que se apresen-
verbas de receita, isso era favoravel ao governo. A ,aram na segun(ja coneorrencia. Adiado por se
diviso prosegue anda. ler asSignado vencido o Sr. Io secretario.
Vai grande azafaraa entre a gaiatada de Lis- L,se e apoia.se um pr0ject0 do Sr. Amorim, au-
boa. E' o caso que s acaba de crear um outro iorisan(j0 as cmaras municpaes a taxarem o pre-
jornal popular de 10 res com o ttulo de Noticias Q0 dos generos alimenticios.
por atravessadores qoe desejam fazer concurren-: 0 Sr. Buarque requer que se ouga a commissao
cia ao.acreditadoDiario de Noticias, o qual, ape- de constlla5ao e poderes sobre amatoria do pro-
nas com 366 nmeros publicados, conta ja urna ti-; :ect0 no ue a casa C0Dsente.
ragem diaria de 10,400 exemplares. Os empreza-1 ORDEM DO DIA.
ros do novo peridico, uuiformlsaram os rapazes e | D,scassao do parecer adiado, qae manda pagar
prometteram-lbes maior lucro. Estes, seduzdos Americo de (^iaas Braodo ordenados que Ihe
pelas promessas, abandonaran) em grande paite
aquello empreza que primeiro Ibes dera o pao. Ha
j seus ditos picantes entre as duas redaogoes, e o
povo que o joiz da conienda ha de por fim deci-
dir por quem o servir meihor e mais barato. En-
tretanto para lastimar que nao deixassem ir o
Diario a seu camioho, pois lem prestado bons ser-
vigos educagao do povo. Tem feito desenvolver
o gosto da leitora as classes menos cultas e abas-
tadas, e tem graode clientella, por sua urbanidade
racter e lealdade. O partido progressisla historia g5es e bruxedos scenlcos, tem ido applaudir ao de-
CiOVKIlXO OO RISPADO.
Expediente de dia 16 de abril de 4S66.
Officio ao Dr. Bento Jos da Costa.Temos a
consoiaeao de communicar a V. S., que das ioves-
ligagies minuciosas, que Gzemos proceder sobre a
identidade da estatua, que V. S. nos reroetteu acha-
ten) contado este cavabeiro entre os seus caudi-
lbos mais distlnctos. A noticia da sua enfermidade
consternou os seus amigos e penalisou geralmente
a todos que o conbeciam.
Diz se que o governo vai comprar a preciosa
collecco de tnaoascriplos qae foram da casa dos
condes de S. Lourenco, e qne vo ser vendidos
para partilbas. Parece que existem all importan
da em dias do mez de margo lindo, a margena do tes documentos para a historia dos portoguezes na
ro Capibaribe as proximidades de seu sitio na India, e muaos autographos de subido valor.
Ponte de Uchoa, viemos a reconbecer que essa es-1 Comecoa o Jornal do Commercio de Lisboa a
tua nao era urna imagem de santo pertencente al-. publicar um novo romance do nosso escriplor Ca-
luma das capellas do centro, arrojada pela corren- millo Castello Branco. Esta coraposicao w
te do rio em sua ultima enebente, como prudente-'
mente V. S. presumir ao recolhe-la ; roas sim a
de urna figura allegorica, qoe servir no cathaal-
eo armado a poneos aonos nesta cidade na igreja
do Divino Espirito Saoto pelas exequias do finado
rei de Portugal o Senhor D Pedro V.
A ideotidade dessa figura com a qoe servir na-
qoelle funeral incontestavel; das indagagSs que'
nos mesmo procedemos, viemos a convencer-nos
que ella foi fabricada nesia capital expressamente
para aquelle fim
o c Olho de Vidro, > em que figura o medico por-
tuguez Braz Luiz de Abreu, de que da' noticia o
Sr. Innocencio no seu Diccionario Bibliograpbi-
co, > dlzendo que as suas aventuras darlam thema
vas'to ao romancista que sonbesse lirar deltas par-
tido. Esta' pois em muito bdas raaos o protogo-
nista.
A aegao comega em 1692. No n. 3,728 daquelle
jornal vem o primeiro capitulo em folhetim.
Diz a Correspondencia de Bespanha que a 4
do correte ebegaram a liba da Madelra os navios
form descontados. Falla contra urna das partes
do parecer o Sr. Dr. Ramos, e a favor o Sr. Joao
Teixeira.
Eoderrada a diseussao, o parecer approvado.
Dscosso do parecer da commisso de consllui-
gao e poderes, opinando para que se sujeite a' deli-
berago da casa o projecto qoe aolorisa a aposen-
tadora do collector de Goyanna.
Falla contra o Sr. Buarque.
O orador dix quo sent divergir da commisso,
A vista do que asseguramos a V. S. qae os boa-. peruanos Huesear e Independencia. Naquellas aguas
Thanes e Bel
"urna i roa- tona/que lev. vara provis5es, munlgoes e talvez ar-
tos, que se espalbarm^de qae e n os navios mere
era composta de parles pertencentes a
nem prolanada foram todos infundados e natural- mmenlo ligeiro.
mente suscitados por orna piedade indiscreta e pre-! Passararo o carvao para bordo M^jmtom
clpitada. se nao por uro espirito de maledicencia as autoridades portuguezas iratasiend imped_
habitual Eolreanto agradecemos aV.S.a discrl-1 pessagera dos petrechos de gfW.1**
cao com que se boave neste negocio ; o xelo com dos quatro ao mar, sem duvida para o fazerem em
que cnidou de recolher em Hogar decente essa esta- aguas liyres. HnihAMrm se
.._--------1-._ ri_:. /v .nimi Pelos accionistas do banco Hypotnecario se
distribufo om folheio conlendo a historia das re-
0 couselho administrativo do mesmo banco, em
tua, revela certo o espirito religioso que o anima,
e faz bem ver qoe V. S. dos que er sincera
mente com a santa Igreja catholica, que para com ; clamagoes Bellegarde.
a3 imagens dos santos de Deus se deve ter todo o, O couselho admlnist
acatamento e veneraco ; assim como a reserva, sesso de 22 deste mex, resolvea que fosse creada
nM teve V I ero naTcoaseniir que ella fosse eol-' dentro em poneos dias a agencia hypotbecar.a no
tocadlupelTde.sea sitio bem significativa Porto, devendo ter um guarda l.vro a os amanuen-
Sittt^^ ^-ToXTlreunlo-se em Lisboa a assembla
Xesttua urna simpes figara prolana, ou a geral do banco Lusitano, .regliando10 parecer da
imagem representava de algum dos santo, do rei- comnussao sobre gerencia por 1.700 volos coa-
no de Deus, assim oamo nao era prudente nem II-: '"'"" ,., c *.
cito exp l nos aliares a venerago des fiis, Um- Defenderam o parecer os Srs. UIrich e Jos de
1 Torres. Pessoa, que parece bem informada, afflr-
bem nSo era curial trata la despreslvelmente.
Agradecemos anda a V. S. a diligencia que em-
oreaoo era fazer-nos conhecedor desse facto, que
oor nrestar-se a primelra vista as malvolas infor-
mgoes do vulgo, era de ecessidade averiguar
tanto para qae nao viesw a ser acatada e venera.
ma que o banco Lusitano nio pode existir em-
quanto nao se operar urna grande reforma nos seus
estatutos, que importe o aeerbar.se eom a grande
aaglomeracao de votos e a f|og|dade das procara-
goes.
mocralico theatro das Variedades (o velho Salitre)
a Pera de Satanaz, que ja' coniou 70 recitas I O
Fausto e a Pra de Satanaz, em generos diversos,
0 para gosios moito> difireme-, encontram-sa to-
dava n'um ponto commnm, que o maravi-
Iboso.
O camioho de ferro e a barateza das jornadas
explicam o resto.
Lisboa esta' a poncas horas de commoda distan-
cia das provincias, e o publico Sacluante, porque
j o vamos tendo em Lisboa, enebe as salas de es-
pectaonJo, sobre todo para as composicoes que mais
se lbe dio eom o paladar.
Esta ipproximago da sublime partitura de Gon-
nod com a mgica popular do Salitre, entendmo-
nos, apenas lem nm ponto de contacto e nada
mais.
A danca Gyn, cuja msica escripta pelo Sr. Jos
Veiga, nao produzio entbusiasmo, porm forgoso
confessar que a nica pecha que tem o autor ser
portoguez.
A composigo muito apropriada e alguns tre-
chos sao lindissiraos, revelendo no Sr. Veiga, um
alent muito superior. Alguns dos mais dedica-
dos amigos d este cavabeiro Ihe tem pedido qne se
abalance a' partitura de urna opera. Mas que I
Em Portugal. .. L esta o S de Norooha no Por-
to, qoe ainda desta vez encontrn obstculos para
por em scena a sua nacionalissima opera O arco
de Sant'Aiwa, cojo hbretto fundado no celebre
romanc de Almeida Garrett.
No theatro de D. Maria II contina a grande
actriz Emilia das Neves a representar a Joanna a
Douda. com ignal applauso das plateas.
Diz-se que a academia real das sciencias
projecia publicar nm peridico sobre sciencias
physico roathematicas, sciencias naturaes, etc., o
qual ser aaborado pelos Srs. Latino Coelbo, Dr.
Bocage, a outros acadmicos.
Sua eminencia o cardeal Patriarcha de Lis
boa, nao permittio qne este anno eantassem da-
ma* nos templos. Ha opinldes diversas sobre a
jusliga e a certa da prohibigo. O cerlo que
multas que ha mezes andavam a ensaiar-se, per-
dern a piedosa tengo de juntar as suas vozes s
harmonas santas com qae a igreja celebraos mys-
terlos da paixo e morte do Redempior.
Ha poneos dias, houve no Canino Lisbonense
um concert explendido em que lomavam parte ai
damas da primelra sociedade capital. Cantaram as
I Si potorro dj Hyda, e projectam para a pas-
por ser imparcial, andar e bem informado em tudo; porqae esla tabtQado a presilr-lhe o sen fraco
que inleressa as classes mais numerosas da socie- i ap(0j e cons|dera os seus membros. Pensa qne no
dade portugoeza. Emfim o principio da co?car- parecer era diseussao nao foram devidamente apr-
rencia bom, e o resultado destas oontendasitas cadas as attribai^des da assembla provincial.
o leitor Qcar mais bem servido, ou ler por onde es-
colber e variar. O paiz que pequeo para yl-
verem todos na mesma especialidade. Andam Dis-
to como as emprezas de mnibus, que esto fa-
zendo carreiras de nma barateza fabulosa, desde
que acabou o privilegio da companhia do largo do
Peloorinbo.
Foram hontem trasladados para o cemiteno
de Nossa Senhora dos Prazeres ( em Lisboa ) os
restos mortaes do marquez de Bellas. Teve offlcios
O orador diz que por muito tempo acredttou-se
que a's assemblas provinoiaes nao compela legis-
laren) sobre aposeotadorlas, porque estas eram
consideradas mercas, e qne, por tanto, a attribui-
go de decreta-las pertencia ao execnlivo; mas
que a dontrina boje acceita qoe as assemblas o
pdem fazer, porm estabelecendo regras geraes.se-
gundo as quaes o governo concede essas aposenta-
dorias, que nao sio mais do que recompensas por
servigos ordinarios. Sendo assim, pensa o orador
de sepultura. Un grande numero de pessoas da qUe a lssemDia' exorbita, autorisando nominal-
primlra gerarchia acompannou aquelle acto fn
nebre.
Destrlboio se o manifest do grao meslre da
confederagio magonica portuguez. E' um papel
mente nma aposentadora.
Diz qoe mais de urna lei tem deixado de ser
sanecioaada as mesmas condigoes em que est a
que se quer discutir: e, como nio tem preseutes
bem escripto, diz o Jornal do Commercio. 1 toaas mita-se a citar a resolugo que autorisou a
Sabio recentemente da iraprensa da Umver- j aposenla(ioria do escrlvo da collectoria de Olinda
sidade nm livro qoe multse recoranrenda por sua: Joo fjm/fa Rodrigues Franca,
utilidade. E' o Cdigo das contribuicues dtrectas, | Ag ni^ qQe molivaram a nJo sancc5o dessa
lei foram as segoiotes : t Os 7_e H do art. 10
directas,
neto Sr. Jos da Costa Gomes, bach'arel formado!
em direito. Este volme contera todas asleisqae ~. ~- g do ., 1S9mblrs provnciaes
fundaran entre nos o systema actual de contribu- ao acio aoo o io a
goesdirecus. Juntamente com eatM Wj. W^S de empnfM provnciaes, flxago da
concordancia cora ellas, encontram;se ah reunidos suppressaoj* e^ v ^rjjj j frma rj qQa
lodos os decretos, ins,r"^5es^Ka'Inm!D,0^^ os presidentes das provincias nomear, sus-
rias e resoluedes, on do governo, eu do conse'ho p j d m esses empregados.
de estado, que explicam on Interpretan1 as vanas peoder^e anoa ^ Mm de a
disposigSes legislativas sobre as differenles espe-, fc 9h**to fl de novembro de 1857 e 12
des de irapostos directos coraprehendidos no nosso, d"s0>a0bsro"d*e7g59i coni referencia a consultas do
systema fiscal. ,.,, .-,. conseino de estado, qae as assemblas provnciaes
- L-se nos jornaes de hoje V&J***0"** SPSS resolvw e decretar aposentadorias ou
vem de Roma aun peridico >**. J.0*^"8 reforma? nomeaco e saspenso ou demisso de
Bruxellas) foram recentemente subtrahidos. .njpor- ^w deSBSt individuos; porque essa at-
lantes documentos do gabinete de fna.san""^ ,rDmco mui distincU pertence ao poder execu-
Entre esses documentos existem cartas de soben- [iul^flt,0a'g7e accionar, etc.
nos, nomeadamente do imperador Napoleo, do im- tivo. Detxo, pois, ae sanccionar,
oerador d'Austria, dos reis da Prussia e da Bel- o aviso de II de outubro a que se refere o pre-
Tea. sidente, diz o seguinte : t S. M. Imperial
Mais de cem mil eslrangeiros, ditero d'aquella \ manda declarar a "^R'KwSffi
cidade Pretse de Paris, alugararo aposentos para,das alwAy^lSVcretoT366 de 19 de
a semana santa na capital do orbe caiholico. cues as ^g ffi de um professor
O Jornal do Commercio de hoje ( 8 ) pnbll-, WBAVM ,,"l^rl VB o" 4x9 de 13 de setem-
ca urna interesante carta sobre a associagao que, de J"^^ ^ -{ *S L-~ai*.
acaba de formar-se con o fin de levantar o crdito, bro. que WWm
de nossos vinbos, procurando lvalos genuinos e.Wnte ae. m
sen adulteracio ne s aos j conhecidos, as
noves mercados do imperio do Brasil
a sposentadoria concedida ao
do Atheneo, porque, segundo ppr
_ sido declarado, as assemblas provin-
cUes iio competentes somonte para estabelecer re-
iho nesoeios straogeiros ; A. I [mftilo, reino; ate, etc. >
Iho e negocios straogetros

?*'
*
Vil Mil


DlarU ie Pe
ahkado t f *e Abril de 1866.

\
Os ternus desta consulta s multo explcitos,
nao pjdera adrnittir dunda, diz o Sr. Buarque.
Cjm referencia to erapceg'lode-qjcin se tra,
o orador peo qoe se elle effeclivamente empre-
gado pablico, esta no caso He ser aposentado de
conforraidade cora a le que regala as aposentado-
ras, e isto pertence ao presidente; e se nao Ta-
ntas conceder-lhe urna roere, para o que nao esta
a asseoibia autorisada.
orador diz que tem davidas aceroa da qualida-
de de empregado pablico* que se .un dar aos col-
lectores ; que pela legislago geral parece-lhe que
aquellos fuuccionarios sao antes considerados sim-
Secado de mutua e arles.
Man jel de Carvalbo Paes d'Andrade.
fos fiaptista *i Castrve'Srlvo.
Era seguida a isto, fautor tonadas diversas pro-
videncias de economa, assentoase que na proxi
oa conferencia de qoiota-feira se procedesse a
eleico da mesa e de raais funccionarios, e eneer-
raram-se os trabalhos.
Repele aoje so Santa babel o drama Vida
4a Botmia, a qao sofuir-se-taa o bello trialogo
cmico Tckatw-tchMg-tmrg.
O drama, alm da aeeitagio que teve em Pars,
.es arrecadadue* de rendas: e que esta declara- ?* .*rle o m J*BeJro e *?**> ^ *:
lo por nnu ordem do thesouro do Sr. Al ves Bran-! ,re ?s i,8? P"raelr represeBtacao.oJojleseai-
co que nao teem ellas a catbegoria de empregados
pblicos. Entretanto se ta le provincial que oot-
toca-os uas mesmas condicSes que os deniais em-
pregados, a duvida cessa por este lado.
Observam-me que ha presidentes aposentando a
penbo artstico lol pnrfeitamente satlstactorio. pois
os adores coejpr ehenderoei o pensamenlo do autor
e tradazirara-n'o com anlroaeo.
A comedia, pr jducgo de am fluminense dislioc-
to ueste genero de litteraiura, e que se tem felto
coliflores, e que o proprio Franca de que ha pou- ^'h*'^? g!B, f?et0 C?ra lspjril0'Cor"S*
cofallei fo. posteriormente aposentado. Erares- g* SS^SS^S^S^ISJSJ^
posta a isto direi simplesmeote que no ultimo caso S?ld.,iffl **to orod* de c"t0- W*<*
ba yerdadeiro abuso ; parece que se illude o acto | BI,U eue"-
addicional, por que se a resolucao foi julgada in-I Foram encontrados os seguintes navios:
constitucional e tem de ser apreciada pela careara | A 27 do prximo passado Tnei, na lat. N 28 28"
dos Srs. deputados, nao devia esu casa vota-la no-; e long. O 37 50", a barca americana La Plata,
ament por um projeeto de le ordinario em occa-. que procedente de Philadelphia levava destino a
sio em que visse probabilidades de obter a sacgo Buenos A y res.
de algara presidente raais condescendente. Quan-1 A 6 do correle, na lat. N 13* e long. O 3i 10",
to ao faci de sa aposentaren) outros collectores, a barca sueca Melcades, que de Haalmain dirigia-
um mal para o qual tem coacorrido esses presiden- se para o Canal,
tes, e quando a assembla geral tomar conheci-
ment desses actos passeremos pela deeepco de os
ver aooulados. E
O Sr. CamIIo Lias Chaves aba-ee interina-
mente exercendo o lugar de thesoureiro de rendas
A ordem do subdelegado do Re efe,: to RolH- MWoos Ros, C Alcoforado. Basto faltando
gnes da Osta, para corrergo; M lOirto, es**, -4ftm-eojM Sr.'Miranda Leal, o Exm. Sr. presi-
de um fuo Hollanda Cavalcanti, paiarerojMEo* oo*oWer>roa rterta a sessao.
em prime de fnrto. Lid*, fW %fcprtvada a acta da sessao antece-
A' ordem do de Santo Antonio, TrajftM otos 4a*
da Croz, para correceo: e Lolz, escravo'oe Prati- expediente.
cisco Jos Aves Guimares, a requeriraeoto desie. Um ofHcio do secretarlo do tribunal do eommer-
A' ordem do de Sao Jes, 'os Lacas dos Santos, ci do MaraaMie, com dala de 9 do andante, -
e Joio, escravo de Hermenegildo-de tal, para ave- brindo o rMooio dos commerciantes matriculados
riguacdes em critoe loaflancave. em dBoanbanal no correr dos metes de ootoofo
A ordem do joto de paz. da fregoezia de Sao fre adezemoro -o-nao prximo passdo,*e laaoi-
Pedoo Goncalves do Reoife Antoftlo .Martins Lis- ro a maroo 4o eorrente.Accuse-aeo recepclo e
boa por nao ter oesprido os devores de iel depo-
Ocberedat'
l.G.4t Me;
Passageiros da barca nacional Tttereza, en
trada de Bueoos-Ayres:Manoei FoHppe eoSilva
Ferreira, Arlhar de Soaza Guerra.
' mmi O)
CAlARi MUNICIPAL 00 RECIPE
PRIMEIRA SESSAO ORDINARIA AOS 14 DE
MARCO DE 1866.
Presidencia do Sr. Pereira Stmoes.
Preseotes os Srs. Aquiao Fonceca, Gustavo do
Reg, Costa Moflteiro, Santos, Dr. Seve, e Pinto,
abrio-se a sesso, e foi iida e appprovada a acta
da antecedente.
Leu-se o seguate
EXPEDIENTE.
Um offlcio do Exm. presidente da provincia,
de 9 do andante, dizendo que para satisfazer a de-
do se-
paiavras do br. visuende de Uruguay. In- ^osmn ,* nnr aFnMan,,H,? H.a reinetta-the a cmara urna con a do re atorio da
felizmente ha presidentes que para conejarem
as influencias e potentados d*s provincias nao se
recusam a prestar a soa saucedo a actos daquella
natureza. >
A vista do que lera aposto, e de outras consi-
deracoes que adduz, o Sr. tiuarque cooclue votan-
do contra o parecer.
Ora era sastealaeo do parecer o Sr. Armiaio.
O Hlastre deputado observa que a coramisso de
vagado o raesmo lugar por aposentadora dada ao | "S:?" ,* can,aa "ma "^l*
resuecuvo funecionario. de uuem era Bol o no- C0DB.m.l?.sa.0 ?ncarregada de examlo
respectivo
meado.
De Pie d'Alho noticiara o seguinte :
i Nao sel o que a polica tem Jeito para descu-
brir os-ootores do brbaro asssssinato do infeliz
Francisco da Motta Gavalcante. Este fado lera
produzdo aqui a mais estremecida sensacao ; en-
treunto, j ha algama oousa qae sirva para attes
do relatorio da
loar oslivrosea
cootabilidade da mesma cmara municipal, e pres-
te inforraagdes sobre as providencias, que tomou
acerca da materia do raesmo relatoriaQae se
campnsse.
O Sr. Costa Mootro, pede a palavra, e requer
qae se ofBcie ao atfvogado para informar cirenms-
laaciadamente o estado em que se acJia a quetao
archive.
Aos Srs. dopotados foram distrib
guiles livros :
Diario de Ulden Weydmann 4C.
dem de Guilherme da Silva Gnimaraes.
DSPACHOS.
Requer ment de Pedro Jos Pinto, pedindo ser
provfdo no lugar de corretor geral desta praca de
qao feradistitiildo Frederlco Lopes Gtrlaaries.*-
Vista ao Sr desembargador fiscal.
Dito de Frtderieo Hennque Robilliard, pedindo
que se mande registrar a proenraco bastante, que
junta.Registre-se.
Dito de Joao Pereira Castello Branco, Brasileiro,
de 40 annos de dade, estabelecido na cldade de
Batnrlt, provincia do Cear, com casa de com-
mercio para gneros nacionaes e estraogeiros, de
conta propria, e commissdes, gozando de crdito
publico como faz certo por ttesiado firmado por
Slmao Ribelro da' Canha & Sobiinhos, Francisco
Colho da Fonseca, Francisco Joaqoim da Rocha e
Manoel Antonio da Rocha Jnior, pediDdo ser ad-
mettlflo matricula, aThn de gosar das regalas
qae o cdigo commercial liberlisa aos commer-
ciantes matriculados.Vista ao Sr. desembargador
fiscal.
Dito de Jos Rodrigues Perira, Portoguer, de
36 annos de idade, estabelecido n'aqulla sobrdl-
ta cidade, Com commercio de mercadorias naci-
uaes e estrangeiras, pedindo ser Umbem ametti-
do matricula, e jamando am aiteslado em abo-
no de soa pretengao asslgnflo por Manoel Aolo-
Pubca^oes apedkte
oatMDoa; *aSa'
constituigao nao poda de+xar de dar o seu parecer tar oqoauto a pellcla uchoa : fet-se o competen-' Jorge Vctor Ferreira Lones manelnn
intentada pela cmara contra o ex-prpearador nio da Rocha Junidr, Simio Ribelro da Canha 4
pela forma por qae o fez, aiteodeodo aos preceden-
tes bavidos. Que mais de urna resotueao aposen-
tando collectores havja sido sanecionada, e que
nesi, caso oao viaa. xomnisso motivo para que
nao fosse sojilo a deliberago da assembla o pro-
jectode que se traa.
O orador oHa diversos {actos dos que allega ; faz
outras multas coosideracoes e conclue pela adop-
clo do par eer.
Ora em seguida o Sr. Cicero.
O nobre dopntado Sr. Cicero, pondera que a lei
que considera, para o caso das aposeotadorias, os
collectores as raesmascondicoes que os emprega-
dos do consulado ; qae nao ha vendo mais duvida
sobre este ponto, resta o da tixacao da base ou or-
denado segundo o qual deve ter lugar a aposenta-
dona. E' isto qoe determina o projecte, diz o
orador.
O honrado deputado faz outras observares e
conclue pela approvaco do parecer.
Encerrada a discasso o parecer regeitado.
Contina a discossSo do projecto substitutivo ao
de n. 62 de 1866, que reforma as the.-ourarias pro-
vinciaes.
Orara os Srs. Teixeira, Buarqoe, Machado e Soa-
res tiraaduo, sendo approvado o projecto com as
seguintes emendas;
Urna do Sr. Lopes Machado, igualando o ordena-
do do eserivo da receita aodo ofcialmaior,
te corpo de delloto, antes qoe a victima descsse a
sepultura.
< Em 1862 esse mesmo Motta escapou milagro-
samente de ara tiro qae foi imputado a um indivi-
duo condecido pelo nome de Joo Coroado.
< Muitos das antes deste tiro dizia elle a todo o
mundo, qae os Blhos de am certo mandao desta
nessa. Sobrinhos e Francisco Joaqulm da Rocha.Vista
idformacio rodo quanto tem occorrlflo, e se henve ao Sr. desembargador fiscal,
oa nao por parte da cmara embargo ** importan- Dito de Bento de Barros Feij e Tranqniflno
ca qae prodozlo o sitio do mesmo Jorge, arrema- j Candido da Silva Brasil, pedindo que se admilta a
tado em praca a poneos dias.Assim se resol- registro o contrato 'de sua soeiedade commercial,
ve- qne junlam. -Vista ao Sr. desembargador 'fiscal.
OSr. Aqurao Fonseca, procurando saber se o Com infbrmacao'do Sr. desembargador fiscal.
solicitador se achava
procurando saber se o
na casa, e nio eslaudo este
comarca diziara sen rebuco, que 'hartara de ac- empregado presente, requer, e approVado que se
bar com elle; e doa das antes de levar o tfro, ti- providenciasse, alim de que o mesmo solicitador
nha elfe Ido a casa do delegado dar parte de amea-' estivesse presente em todos os das de sessao aflra
?as, que se Ihe faziam por parte deseas inimi-jdeqoe dsse qaaesquer esclarecimentos que a
80S- .. ... i cmara precisasse acerca das suas questoes em
t No sabbado segointe, de volta da felra para julzo.
a sua asa, encontra-se com o tal Joao Coroado qae Outro offlcio do Exm. presidente da provincia
trazia comsigo oraa davina, e a qoem conhecta de 13 do andante, dtzendo que para satisfazer a
perfertamente, e este disse etle, desfeehara-lhe oii- requlsicao da assembla legislativa provincial,
ro qne o ferio quasi mortalmente.
< Joao Coroado era trabalhador engajado de am
filho do tal inimigo de Motta.
i O delegado e jais municipal, qae era entSo o
Dr. Teixeira de Sa,a quera esta comarca deve -multo
da receita ao do nfficial-maior, e
desigoaodo-o parWaxer parte da coramisso de lo-1 quele indiciado mandante,
terlas;
utra do Sr. Ramos mareando os veacimeoios de
8005 para o continuo ;
Outra da coramisso, mandando que os emolu-
mentos sejam considerados receita provincial;
Uutra do Sr. Teixeira, elevando a -malta dos em-
pregados que concorrerem para seren accionados
conmbotntes qae nada deverem.
Foi regeitada a emenda que eievava igualmente
o ordenado dos empregados do Joixo.
Dada a hora o Sr. presidente levantou a sesso,
dando a seguiote ordem do da : continuacao da
anterior ; 1* discussao do projecto o. 30 deste an-
tro e 3* do de n. 10 de 1860.
pela energa com que elle serapre se honve na re- pectivo contador, dada sobre o reqoertaento de
pressao docrimefetsero exltoasmaiores diligencias Angelo Custodio dos Santos, por ocdsio de pedir
para prender o d lo Joao Coroado; mas corren o este o pagamento intregl do fornecimento decra,
processo viudo elle recolner-se tO/onfonamm- a \ e asslra tambera o original da conta e "recibo e
pnso depcHs de preso o seo senhor de engetmo, contrado na reparticao competente, e por copla, a
indiciado como mandante. O delegado inctou com | parte do mesmo contador dada por occasio da
grandes difflculdades M acqoisico de provas, e cobranca dos impostos sobre estabelecimentos, a
s qae indicios colhen em reiajo 'aae se recasaram os contribuintes, e o fundamento
comida em offlcio do respectivo secretario, datado
deI2domesrao, e son n. 15, Ihe envi a cmara
municipal, copia da correspondencia havida entre sldente'deelaroa aberta a sessao, estando reunidos
la e a coramisso encarregada do exame dos seas ne Sl* ********"<-* /_!_... .:-.
O de Pedro Martyr Maary, pedindo matricular-
se.Como reqaer.
Nada mais bavendo a tratarse, foi por S. Exco
Sr. presidente encerrada a sesso s 11 horas e
meia do da.
SESSAO JBTCIARlA m 19 DE ARRIL DE
18o6.
PRESIDENCIA DO EXM. SB. DESEMBASOADOR
A. F. PEHKTTI.
Secretario, MtotGutmafes.
As orne horas meia da manhla o Exm. Sr. pte-
* de Florida de Marray *
Laamaii.
Em consequenc'a da sua grande e vasta
popularidade e justa celebridade em todos
os mercados da America do Sal e das Anti-
toas, para o uso de cujos paizes, ella foi
elusivamente maoufaitwada, ha mais de
vinte annos; a raesma Un sido exetasiva-
metate imitada e coMrafeila neMe pal. Po-
p presentemente o artigo original foi in-' *eQDa
troduzido, e em virtude do mesmo apreseo-
tar adit4eetivearea eeerciai ffoopro
prietarios, pode facrhnente ser distinguida
pela sua apparencia exterior dessas outras.
similadas efraudulentas composicoes. Os
signaes internos de perfeita genaidade sao
muito menos fcil de engao, por quanto a
Agua de Florida de Murray e Lanman tem
e desenvolve o aroma proprio das frescas e
fioresceotes flores e plantas do trpico das
quaes ella deriva a sua bella e exquisita cora-
posirao, e a exposicjSo ao ar, em lugar de
diminuir, augmenta a delicadeza de seu fino
aroma, em legar de produr maema&a-
ojk> acre ou urna certa diluvia desagradavel
como acontece, com esses perfumes e aguas
de ebeiro as quaes sao preparadas e com-
postas com olees baratos e fortificaos de
esencias.
(Tenba-se, pois, todo o cuidado de exatni-
r ti*diu,,M o-volas de
Leitao.
Sp'dtts 41 tf'la'dlura o+lein.
gninte^ 8hl A,Tes> m1''*'
l U L*"??' eaixaoV^o tS libras de
Sd42Sub rnoWo. SttMNrinbos, 72
*** 82ftas' *mo*rm libiosd
orna, M0J8 paresoe <
oras deoosoaa de aaiioo;
ECMBOM DB ftE
IU1S 68 P
Bto-do^ia I a 19.
HettW dtW......
e peonas de
moa,4 caixao 57 |i-
rde
diversos.
AS GE-
..... -
16:53ili3d
659**17
CTXJSfifW7
CONSULADO PMVIXCIal""
Condimento do da 1 f...... 74:79SO.
dem do dia 20............. 4:17f#415
7Wk3*4t9
vWOVIWEIITO 00 PORTO
man, se aohem inscriptos e gravados ceb
ada envoltorio, letreiro e garrafa e na falta
dos meamos, fcil i-irspeitar da sua falsi-
dade)
Vende-ea8 poawnacias de Caors
Barbosa e-J. daC. Bravo A C.
livros e costas, bem
de sorte qae somente
REVISTA DIARIA
Fe na quinta teira o Coneroafono Dram-
tico Pernambucano a sna conferencia econmica
sob a presidencia do Sr. Dr. Jos Soares d'Azevedo,
e oom .i i.icDuia ra, Franklin Tavora, Wltruvio Pinto Bandeira,
Ruuoo Augusto d'AIraeida, aai,i, Hartins d'Al
metda, Eduardo de Barros, Cycero Peregrino e
Carnero Viil.la.
O Sr. Dr. Soares d'Alevedo abri a conferencia,
nomeaodo provisoriamente para a marcha regular
dos trabalhos os Srs. Drs. Antonio Rangel de
Torres Bandeira, 1 secretario, Francisco Maooel
Raposo d'Almeida, Io sab-secretario, Joo Franklin
da Silveira Tavora, 2* sub-secretario, e Rufino A.
d'AIraeida, thesoureiro, e depois desta desigaaco
e de terem essesISrs. tomado assenlo a mesa, pro-
ferio o mesmo Sr. Dr. Soares d'Aie'vedo, sob a
mais profunda attengo, as seguintes palavras, his-
torlsaodo a vida do conservatorio, determinando o
iim da conferencia, e assignalando o futuro que se
abre a to un instituigo:
Meus senhores.Depois de um somoo de mais
de 12 annos, durante o qual nao bouve nada que
acordasse o Conservatorio Dramtico de Pernara-
buco, alguns de nossos dignos representantes na
assembla legislativa provincial tiveram a boa e
generosa idea de despertar este corpo artstico e
luterano, creado sob as mais adspiciosas condi-
Qoes pelo governo da provincia era 2 de dezembro
de 1853, e inaugurado nesta mesma sala em 2o
de marco subsequente. E' um favor insigne que
devemos,que deve a provincia inteira aos no-
bres maucebos que miciaram sirallhante ressur-
reigao, e aos graves caracteres que a acollarara
pressurosos no seio do poder legislativo provin-
cial.
Dentro em pooco, os beoeflcios que desta Inst-
tuigo se ho de derramar por todas as classes
da nossa communidade, anda as mais humildes,
sero condecidas e avahadas por todos. Nume-
rosas vocagoes, at boje mirradas pelo suso da
indefferenca, viro pelo estudo e pelo talento desa-
brochar graciosas ao sol creador do conservatorio,
e abrigar-se i sombra da forraosa arvore que hoje
se levanla, e cujos ramos se Ins inclinara, cober-
tos de pomos.
Das nossas escolas sahiro os primeiros n-
cleos d'artistas de ura e outro sexo, que ho de
ennobrecer a provincia como seu nome, e qae,
honrando o nosso palco e o das outras provincias
do Brasil, sero at chamados a scena europea,
quando elevados a toda a altura da arte. Apro
venemos pois a ndole e o engeohp dramtico que
por ahi se revela descuidoso em tanto menino de
familias menos abastadas, a quera so falta incen-
tivo e affago para que a scenlelba vibre rdeme,
e nos mostr prodigios que pareceriam impossl-
veis. fmaginages ricas de seiva que por ahi de-
tiutiam a falta de alent, e que podlam ba muito
ter dotado o nosso theatro com composicoes nacio-
naes, que sobre tudo o que nos falta, speram
apenas um aceno do Conservatorio, para se mos-
traren) dignos do fomento que ho de recebar, e
dceis aos conselbos com que ho de ser dirigidos.
Como fatuo econmico, areabertorado Conser-
vatorio Dramtico de um immenso atcance para a
polidez dos co turnes e pira o progresso da arte
tal como a deve querer o actual secuto,estndad
em cada urna das pocas que pasearam, e vasada
no molde da vida social tTaquelle pavo com quem
o poeta nos qaizer pdr em contacto pelo drama.
Honra e agradeeimento por tanto a Ilustrada
assembla legislativa provincial de Pernambuco.
Correspondamos a sna conftauea pela nossa
assiduidade, e por urna constaoota ao rabalhar
qoe nunca se desminta. Nao veulwmais o somoo
da indolencia al certo ponto descalpavel por
falla de recursos,eerrarettasportas a juveniude,
aociosa e eulbusiasta, qne em vos Km os olhos
fixos, e de vos espera tanta
Recomeeemos de vontade robusta a tarefa une
haviamos poeto de parte, afim de qae, eomo dtila
o nosso F-rreir:
Os que depois deas vierem, vejam
Quanto se trabalhoa por sea respeito,
Para que elles para os outrqs assim sejam
Em cooseqoencia de acbarera-se ftcorapietas as
quatro soccoes, em que se divide o Conservatorio
o Sr. presidente desigaoa os socio seguintes para'
completa-las;
Secco de lingua porlugueza.
Dr. Maximiauo Lopes Machado.
Dr. Francisco de Carvalbo Soares Braodo.
Dr. Cycero Odn Peregrino da Silva.
Dr. A. Witrnvio Pinto Bandeira e Accclole de V.
n c Cf^? ae Htteratura draalica.
Dr. Panas MajjoerRaboso d'Almlda.
Dr. Joao.Franklin da Suva Tavora.
Seccao de historia e antiautfadet
Dr. Eduardo de Barros Palcao Se SS
Dr. Joo Dinu Ribeiro da Conha M,ra*'
Dr. Joaqoim Mara Carnelro Villel
Jos Xavier da Barros Campeilo.
_a recusa destes.-Qae se satisfUesse.
pOde ser pronunciadoi Joao Coroado. i Outro do secretario da presidencia, remetiendo,
Abrise logo o jury e tado se fez para a ab- de ordem de S. Exc, dous exempUres do termo
solvlco deste; mas s logrnistolla outra sessao, de innovaco do contrato celebrado em 25 de se-
sendo pesio na ra visto nao ter bavido appella-1 tembro de 1858, para o asselo e limpeza desta
fa0' p> ->-.-.________ cidade, com Carlos Lnlz Cambronae, de qne
Eis ahi a historia da primeira tentativa de cesslonarlo o eommendador Antonio Gomes Nel-
morte de que foi victima o Infeliz Motta. Eoto o to.-fnteirada.
que diiiam os seas iniralgos era, qae a historia do: Ouiro do jniz de paz da freguezia da Vane
tiro traha sido urna mentira, cora rtlactn a impu- Francisco Xavier Carneiro ns, de 2 do andante'
tacao que Monafaziaa Joio CoroadoJ eexplicavara cora despacho da presidencia, mandando informar'
o fado, como teodo sido o proprio Motta qoe de 'no qual declara o referido juiz de paz que tend
proposito dera em si o tiro e se ertra gravemente asso.mido na mesma dala a presidencia da mesa
para dar lugar ao que se fez : revisbra daquella freguezia, encontrn na acta da
* ai 'na-. formago da mesa quaiificadora algumas linhas
Passara se
do... Acaso terla sido elle mesmo quem se solci-' raspadas, sem que na*acu do Vncerramoio'teuha
r? PS8,vel-mas cPta c,rer- declaraco alguma, sendo que observa qoe em ou-
n.^7 n, 1 ,S a aUeD5ao,d,cs leitores Para actas anter.ores tambera existen, aiguus nomes
pedientedobispado que publicamos no lugar cora- raspados, suspendeu a mesa, e leva ao cooheci-
petente, que se refera t ultimas pesquita fetas mehto de S. Exc, pedindo-lhe que se digne decla-
sobre a estatua apanhada em Ponte de Ucha, e a rar-lhe qual o procedimeoto que deve ter a respei-
i de se cele arera os acto do raez Mariano, to, p3ra que em tempo algara nao appareoa nulli-
Nos passageiros sauHos para o sol no vapor
brasileiro de 18 do corrate deu-se o engao de
tor-se publicado o nome oo bah*r.i unm.i Ae
Azevedo Monteiro focado pelo do bacharoBento
de Azevedg Monteiro.
dade.
Posto *m discasso re3olveu-se informar a S.
Bc. qae se existe do n,rn iamaR linhas raspa-
das oa acta da formaejio da mesa qualificaom, e
em algunas anteriores como assev^ra o jmr de
paz, claro qne taes faltas sao commettioa* per
aquelles que escrevem as actas, sendo certo qao o
livro respectivo s se recolne a eamara depois de
passados os dias do recurso.
os Srs. desnlbargdores Silva Guimares, Reis e
Silva e Accidlr, e osSrs. deputados Rosa, Candido
Alcoforado e Basto.
O Sr. depnta'do Miranda Leal faltn com causa.
Liaa, foi approvafla a acta 'da precedente ses-
so.
Asslgnram-se os acordaos proferidos na "ultima
sesso nos feltos entre parte?.
Appellantds, os admimstradors da tnassa falli-
da de Amerrm, Fragoso, Santos & C. ; appellado
Jos Joaqoim Ribelro Campos.
Appeilantes, os ditos administradores ; appella-
do, Manoel Francisco'Marqnes.
Appeffante, Vicente Moreira da Silva; appella-
da, D. Rha Pereira.
JOLGAMENTOS.
Appeilante, Bento Jos'da Cosu; appellada, D.
Mananna Dorothea Joaquina.
Adiado na ultima sesso.
Adidu-se a pedido do ouiro Sr. Jaiz sorteado.
Anpellante, a directora da' Calxa Fftlal do Ban-
co do Brasil nesta cidade ; appellado, o Dr. Joa-
qoim Pires Machado Portella.
Adiado a pedido de am dos Srs. deputados.
YASSjMBffS*
Do Sr. dezerabargador Reis Silva ao Sr. de-
zernbargador AccioL
Appeilantes, D. Jeiulna de Lemas Fonseca ; ap-
pellados, -os admmietradores da maesa fallida de
Amoro, Fragoso, dantos & C
Do'Sr. desembaraador Accioli ao Sr. desembar-
gador Silva Guimares.
Appeilante, a directora da compaohia Vigilan-
te ; appellado, Wrlsoo & HeM.
De ama carta de Baixa-Verde, do da 10 do cor-
rente, extractamos o segointe :
Nos maiores apertos, acode a misericordia di-
vina. Quando tudo por aqoi se achava assombrado
com o estado terrivel desta comarca, em relaco a^Z^JSTS^JS*^., 'ana fl. f-
a seguraba de vida e de propriedade muito pr.n- ,, ITJ^Tm *mitTa do CorP *:*
/ do andante, convjdando a cmara a acompanhar
no dia la do andante pelas 6 horas da tarde, a
trallazo da imagem do mesmo Senhor daqneila
. matriz para o convento de Nosso Senh .ra do Car-
rao, e no dia segointe (16), em solemne procis-
sao.Ioteirada.
r,ci-i>TDnicnin.
desembargador Srlva Gumai ae>, pea
jurada pelo Sr. desembargador Reis e
ao Sr.
suspeicak)
Silva.
Appeilantes, os administradores da raassa falli-
da de Pacheco S Mendes; appellado, u Dr. Fran-
i cisco Amintas da Costa Barros.
cipalmente depois liz Dr. Estevo Frauda, eis se nao quando passa-
mos de um extremo a outro. A preseoca do chefe
de polica, e do juiz de dlreito Dr. Esmerino velo
reauimar os espiraos, e mostrar por seus actos que
a justi;a, ha quatro annos foragida desles lugares,
era aiada urna realidade pratica. Os esforcos inau-
ditos do Dr. ebefe de polica e do digno Sr. Esme-
rino, no tocante ao descobrimento dos assasslnos
do infeliz Estevo, sao indicios vehementes se nao reflnndntnSM?de ,861, ^JSSH?*0
provasclaras.de qae estes doas magistrados es- f!?',?W.^"ftco,!cer?r*4!0rtte!na
tavam talhados para desaffrontar a justica na co- g"11. ^^J*f^2XP** dl,a
marca de Flores, onde no dominio do irofrUM se l^^^TrJ^I*i^^M^^A
uro da mesa regedora da irmandade do Sr. | Ao Sr. dezerabargador Res e Silva.
Appeilante, Manoel Alves Ferreira; appellado,
Joaqulm Elviro Alves da Silva.
Appeilante, Manoel Rodrigues Veras; appella-
do, Pedro Barroso Valeote Veras.
AGGRAVO DE I.VSTRMfNTO WTBRP0ST0 DO JBIZO MU-
NICIPAL E DO COMJtfiBCIO BA VILLA DK SBR1NHAEM.
Aggravante, GoDgalo Francisco Xavier Caval-
cante Uchoa ; aggravados, Luiz Amavel Dubourcq
Jnior e sua multier, e como totor de seu Blbo
menor.
O Exm. Sr. presidente negea provimento.
Nada raais houve, e encerroa-se a sessao a meia
hora da tarde.
Outro do fiscal da fregaezia de Santo Antonio,
commuocando haver Antonio Fernandes Duarte
de Aimeida, infringido o arL 2o da postora addicio-
progresso
teem renovado todos os enmesde pocas muito an-
teriores '
como Ihe parecesse que esta obra nao poda de
forma alguma ser feta, faz chegar ao conhecimen-
to cmara este facto para qoe tome ella
Felizmente os bons cidados da comarca anima- > ,aci para *Qe ,ome e,,a P**"
juvando no desaggravo da
tenho toda a esperan?.a de que o assassinato do
juiz municipal nao tlcar impune. >
moratdade publicare; contadoria.
Posto era discussao
Tendo quatro negociantes de nossa praga offer-
e fallando sobre a materia
os Srs. Gustavo do Reg, Santos, Aquino Fonseea,
Pinto e Dr. Seve, resolveu-se por fim que se onvisse
tado ao Exm. *r. conselheiro Jos da SiWa Mendes a engenheiro cordeador.
Leal, urna peona d'ouro, como prova de sympa- Outro do fiscal da freguezia de S. Jos, infor-
thia e respeito a sua illastracao e tino admlois- maodo a peticao na qual Manoel Dias da Silva
trativo, receberam do distinelo conselheiro a se- Santos, pede para azer ura porto no quintal da
guite carta de agradeeimento: sua casa na ra Imperial, declara que todo o qoar-
Ilim. Sr.Entre as provas de benevolencia mais toifao de casas de que, propietario o dito Santos,
inspiradas por nobre patriotismo do qae por rae- murado, e tem porto, e que o peticionarle para
Correspondencias
ritos meus, com que tem querido distinguir-oie
os nossos presados compatriotas, no reino ou no
imp-rio, toma lugar -distincUssimo a primorosa
penua de ouro, enriquecida de brilhantes, que
por maos do illra. &r. 6ermano Serro Arnand, e
de ordem de V. S. e eos tres amigos, me foi pro- i Imperial, e .onde j tem o supplicante 28 proprie-
xmamenle eutregue, offerenda j de si magnifica dades de podra e cal, alm disto existem outros
sobre raedo reamada pela carta de VV. S3. da predios de diversas pessoas; pede agora liceuca
dacu de 14 de setembro do auno eorrente. Nessa' P**\ fazer um porto*para-fechar o quintal, que-
inexmavel mensagem o nesse admiravel mimo rendo assim illudir a cmara.
Srs. redactores. Pede a justiQa que en venha
declarar perante o publico qoe Francisco Crrela
de Athayde nao pertence a familia Campos, sim
prente de alguns membros delta, (qae alias ne-
nhnraa ligagao tem com eiles), oom os quaes vive
completamente desaviado e ate hostilisado; con-
forme rae disse o proprio Corre i a quando aqui es-
teve preso na Detenco, onde me consta qae o sr.
monsenhor Pinto de Campos o nao proenrou nun-
ca, e disso'se queixava Correia, que o considerava
seu perseguidor.
Quanto a sua priso, um facto qoe nao honra
o delegado de Ingazelra; por quanto, conhecendo
Correia e seus feltos, o nomeou Inspector do qoar-
teiro dos Afogados, oliHsou-se de seos servicos, e
aiada estarla cora elle, se por denuncia de certa
pessoa de Flores, o chefe de polica o nao houves-
se mandado prender. E como foi feta essa pri-
so? Foi eita do modo mais iraicoeiro, e desleal:
o delegado, reeebeodo a ordem, offlciou a Correia,
me- eompareeesse na villa com alguns homens
pa>a certa diligencia : Correia na nemor boa f
Posto em discussao. e tomando parte nella diver- sogaio para a vlUa, enfaixado cora a soa banda de
sos senhores vereadores resoiven-se por flm, a inspector, e eis seno quando, estando dentro da
requerimento do Sr. Pinto, que fosse ouvido o en- j casa de delegado, este Ihe deu voz de priso, appa-
genneiro cordeador. recendo nessa cccasi5o um grupo de individuos,
u sr. ousuvo do Rege, como membro da com- que o delegado navia posto de reserva para effec-
missao de edificacees, a quem foi remettido o offl- toar essa priso I
co do fiscal da freguezia dos Affogados, represen- Esu historia, eomo ontras muiUs qne omiti,
abertura de ora vallado qne nalra-. me referi por vetes o mesmo Correia, que muito
"' seqoelxoMa-daraicao dos progressistas seus al-
sublrabir-se ao pagamento de 240^ de multa'que
Ihe havla sido imposta por estar construindo oito
casas sem licen^a, achando-se as mesmas fra das
postaras por terera 15 palmos de largura, e 12#
de altara, em um terreno por traz da citada ra
Acbo melhor nao batir em certas censas, por-
rivaiisam igualmente na delicadeza e na oppnlen-
ca a phrase e o trabaiho, a alelo e a arte.
Guardo a primeira como um d'aqaelles preciosos
diplomas que brasa) possulr ; guardo o segando
como um padrio de generosidade qne empenha
toda a mmba gralilao.
< Por urna e por outro tomo-a liberdade, de di-
rigir-me V. SJ rogando-lbe se sirva faze-la pre-
sente aos Illms. Srs. G. V. M. a expresso do mea i vessa dos. Remedios para o logar do Lacea, fez o
s mcero e profundissirao recoobecimenta Muitos doutor Joaqulm Antonio Carneiro da Canha Mi-
horaens notaveis de lodos os paizes tem-se honra- randa, dando conta dess commisso apresentn o
do, a siea hnmaQidade,.msttoindo premios que | garate artigo de postnra, que foi approvado para.'qne pode acontecer, como acora acontece, chir o
sirvao de estimuloas boas acepes e aos bons exera- ser enviado a assembla provincial por intermedio fnico sobre o feticeiro: por Unto, se qnizerem
da presidencia. molesUr a familia Campes fasam-n'o sob outros
Art. 1 Ninguera podera azer vallados em snas; fundamentos, nao sendo Impossivel que baja entre
erras a beira da estrada, sem que ascerqnem.pelo eiles bons e mans como acontece: mas accusa-lo
lado das mesmas estradas. de complicidades com Francisco Correia de Atbay-
Art. 2. As vallas existentes serao cercadas den- '
tro em 15 dias, depois da intimafio felu ao nro-
prietario. F
Art. 3. Oeoontravenctores sero multados em
20, e as vallas intopldas salva a redaecao.O
vereador Gustavo Jos do Reg.
O Sr. presidente declaroa qae amanha nao
podia, por ter andado incommodado, comparecer
a sessao.
HUMA VIDA SALVA!
N3o temos conhecimento algum de nenhum
caso qoe 3o perfeitomente BMBtre d'uma nao-
neira a mais otara pOnmaeiva o poder da
Scierwia Medica sobre ainolceta; qual geja o
de AntOoto Joaquim PEitEmA, da Baha.
Siete tomen infeliz hara mais d'um anno que
eofMa e dores as mais atroces e pungente*
proveniente de
Treze
Terriveis 43mgas Abertas
espalhadas por sobre differentee portes de seu
corpo, sendo ama das quaes sobre o peito do p<
ama fonda e maligna- chaga, a qual o prirava
de andar, cauzando-lhe as dorea asmigonl-
santee qner de dia quer de nOnte; continuada-
mente atormentado por tace affliccee e dorea,
e qnasi qne aborrecido da continuacao de aun-
i 1 han te vida, tendo *}x>sto dfrte toda a f ooafianoA em medeclnas, e na realidade parete
qu para elle nao Ihe restara mais espelunca
algmnu; assim pois resigsado eaperava eon-
paeiencia o termo final de sena mutiplicadoa
soffrimentos, eis qne milagrosamente por for-
tuna sna Ihe receitarao o grande purificado*
dossaugue
A Salsaparrilha
DE BRISTOL
e mediante a sua grande efficacia e ercellencte
elle se aehon dentro de pouco tempo, Mvre de
aen irieniediaTel estado rl* J^owjjwro, e a dw
e ritonha esperanca tornou de novo k revlver
em seu coracSo; sob a poderosa e benvola in-
fluencia deste admiravel medicamento, as soaa
:hagas em breve principiarao aesumir um ca-
rcter favoravel diminnindo o aspecto de sua
malignidad A maesa do sangue e mais
humores do sjstema tornou adquirir urna
apparenda dar e'saudavel, as dores ator-
mentadoras d"outro ora o deisarao, e urna doce
suave tranquillidade principiou precorrer
todo o seu systema, reetaurando-lhe a dosejada
,->az e socego d*epirito; as chagas urna nma
se fbrSo fechando at que finalmente se cica-
trizarao d'um todo, e hoje acha-se perfeita-
mente So, gosando d'um perfeito estado de
ande, depois de se ter visto privado d'eete
grande gozo durante mais d'um anno. Elle
dorante esta sua cura, apenas fez uso de
Desame garrafas da Oanuina Salsaparrilha
da Bristol, preparada exclusivamente por
LANMAN & KEMP,
De NOVA YORK.
Recommenda-se mili particularmente aos
Doentes d'ambos os sexos, que empreguem
toda a cautella na escolha d'este admiravel
remedio, afim que nao obtenhSo outra com-
POS9S0 qualqner, que nao seja a Salsaparril-
ha Oenxdna de Bristol, pois que todas as
mais prparae3es e imitacOea d'esta natureza
po falsas nao possuindo virtue alguma.
Vende-se as boicas de Caors Barbosa
eC. Bravo tC.
DECLARACOES
Tribunal do commercio
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Pernaratinco se faz publico qoe em eessaodo mes-
mo tribunal de 12 da correte foi considerado ra-
fe" "fflcq de corretor deMa proea. iroe exercia
Fredeneo Lopes buimarws, o^aal o abandonoo,
e qoo a fianca presuda em favor "do mesno cor-
retor persiste por seis metes, contados desta data ;
>e qne Sea marcado o oraso de 60'dras,*wa deetre
delles se babilftarem os concorrentes ao rofevio
offlcio.
Secretaria do tribunal do commercio 'de Pr-
oambnco 13 de marco de 1866.
O offlcial-nwior
'______ Jorio GulmarSes.
id
COMMERCIO
pos. Como um destes premies tenho e acceito a
mensagem e o briode, nao pelo qoe valbo se nao
pelo que vale o santiaienlo qoe os Inspiron VV
SS. sao d'aqoelles benemritos da civilisago.
O seu honroso o artstico prsenle sigoflea
incentivo anda mais por.recompensa.
Urna f cousa pode" em mira justificar to
grande galardao, o eniranhado amor as glorias e
ao futuro do nosso Portugal que em todas as si-
-tuagoes me tem animado a palavra, e escripia e
os actos.
Estas provas de extrema indulgencia consti-
tuem-rae em obrigacao maior.
Busca re ser fiel a tal d&ver, sempre ousm
ludo, eora a mesma iucerIdade oom que me con-
fesso e assigao.
De V. S. mnto grato patricio e venerador
obrigadssimo Jos da Silva Mendes Leal.-Lisboa
em casa de V. S. em 12 de dezembro de 1865..
Repartiqao da polica.
_BracB das partes do dia 20 de abril de
1866.
Foram recolhidos casa de detenco no dia 19 d
eorrente :
de ojusiica.
Reife, 20 de abril de 1866.
Um advogado.
Despacharam se as pelicfcs de Antonio da Silva
Ferreira Janior, Amonio Rogero de Sonta. Rento
Eleulerio de Souza Castro, Guilherme Dargel, ir-
mandade de Nossa Senhora do Livramento da 'fre-
gueaia da Vanea, Joaqnim Jos de Saot'Anna, Jos
Gomes da Frota, Joaquim Colbo dos Santos, Joa-
quira Dias Martins, Jos Antonio Rastos, D. Mara
Venanca de Abren Limo Rastos; e levantou-se a
sesso.
Eu Francisco Canuto da Boaviagem secretarlo a
subscrevi.
A ordem do Dr. delegado da eapltal, Joio da' Peia Simoes pro-presidente, Fonosei. Sontos
Costa Hraga, paracorrec?So; Joaqnim Ramos Ma- Reg, e Costa Monteiro. '
chado, por haver com um pontral tentado matar a
urna raulner narua do cano, e bem assim dirigido
Iasnltos e felto amea?as as autoridades policiaes,
anda armado com dito pnnhai, com o qual accom-
meiteu por diversas fees s pravas qne o que-
riam prender; Manoel Joaquim Pavo, por ter
restituido o panhal a Ramos, sem o qae este BSo
tena procedido pelo modo exposto, isto depois da
tentativa do morie contra a referida mnlher;e Be-
nedicto, como sospelto de ser escravo fgido, e que
diz chamar se Benedicto Jote de Aimeida.
CHROMCA JIDICIARIA.

THIHL \ VL 1G COMMKUCEO
ACPA DA SESSO ADMWWTRAT1VA DE 19 BE
ABRIL DE 1866. *"
PRESIDENCIA DO EXM. SB. DESEMBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERKTTI.
As 10 horas da manhaa, estando reunidos os Srs.
Srs. redactores. O tenenie-coronel Jos Lneas
Rapszo da Cmara nao precita de defeza, quanto
ao seu procedimeoto em Flores, onde s os mal
intencionados podem descobrlr-ine motivos para a
censura.
Ao Sr. conselheiro Paranagoa' mlnistrou 'elle
provas authenticas da cqposico qne fez o delega-
do de polica de logazelra ao alista ment de vo-
luntarios, mande pois o defensor daquelle delega-
do consultar a tai respeito o Sr. Paranagna' e oe
convencer'de qne snas defeza sao mais serpi-
cos ekttoraes, do qao expresso da verdade do
jastiea.
E quanto ao Sr. teoente-jcoronel Pedro Pessoa
de Siqueira Campos, creio qoe a soa mais ampia
defoza esta' na honrosa ordem do da, m qoe o
ministro da guerra,seo adversario poltico,mondos
eiofar co seas bons servicos e de seas companhel-
rc, graca especial, que anda nao se fez a nenhum
commandaBte de corpo.
\oto banco de Pernam-
buco.
O Novo Raneo desconta letras a 12 por cento
ao anno, tomo diobeiro a praso fixo ou em conta
correte pelo premio e condicSes que se conven
olooar. e saea sobre a praca da Rahia
Novo Banco de Pernambuco.
O novo banco paga o 16 dividendo ne
razio de 6J180 por acer.
aLFaNDEGa.
Rendimentodo dia 1 a 19..... 560:3224902
dem do da 20.............. 36:7U952
j97.03i83i
MOVIMENTO DA ALFANDEtA
Volumes entrados com fazendas...
o com gneros...
Volamos sabidos cem fazendas...
< < com gneros....
197
414
-----611
67
495
562
Descarregam hoje 21 de abril.
Vapor InglezCai'n Brigue QglezElla Bruceidem.
Barca porluguezaBctiem diversos gneros.
Patacho dinamarquezPalinee farinha de trigo
e baoba.
Lagar inglezBodotnapedras.
Brigue inglezAtronfarinha de trigo.
Barca ngleza--.diA Manoncarvao.
Brigue inglea Har Belldem.
Brigue ioglez=Mn 5S EUsabethdem.
Galera nacionalMindellodem.
Barca nacionalAmiZod-charque.
Brigue portngoezS. Josidem".
Alm disto, consta que o mesmo Sr. conselhei- _
ro Paranagua' tem sido incancaval em fazer valer Sumaca hespanhola Guadalupe idem.
perante o governo imperial os esforcos patriticos Impertaco.
dosditosfirs. teoentes-eoronels Pedro Campos eios Rule nacional Sania Cruz, entrado do Aracaly,
Lneas o seas compaobeiros: que responder ais- consignado a Caetano C. da C. Moreira, manifes-
so ? Nada. tea o segointe:
Reoife, 20 de abr de 1866. 20 calzas 112 arrobas de carnauba; a Villaroa-
Um-amfgo do tenenle-corcnel Jos Lucas, co.
Santa Casa de Misericordia
Recife.
A Illra." junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico qae
precisa contratar para o servido interno do eolle-
gio dos orphos, quatro mulberes com obrigacao
de entrarera as 6 laboras da raanha e sabirem
as 5 1|2 da tarde. As pessoas desse sexo qoe qui-
zerera contralar-se para dito fim devem dirigir-so
na quinla-feira prxima pelas 4 boras da tarde a'
sala das sessdes da mesma junta.
Secretaria da Santa Casa d Misericordia i 20 de
abril de 1866.
O escrivSo interino,
Fraocisco Gomes Castellao.
Smta Casa da Misericordia do
Recife.
A Illm.* junta administran va da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico qoe
no da 26 do correle pelas 4 horas da tarde, aa
sala de suas sessdes, ira' a praca o fotoeoieaento-
de carne verde que beuver de ooosumir os esia-
belecimentos de caridade e os doas oeilegios 4o
orphos, nos mezes de maio e junho prximo fu-
turo. Os preteodentes podem dirigir-se ao indi-
cado lugar aSm de se Ibes dar as informaedes de
que precisaren), e na occasio da praca deve o
apresentar suas propostas em cartas fechadas e
trazerem seus fiadores.
Santa Casa de Misericordia do Recite 20 da
abril de 1866.
O escrivao interino,
Francisco Gomes- Castellao.
Tribaoa! do commercio.
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Pernambuco se faz publico que nesta data ficain
registrados na mesma secretaria :
contrato de soeiedade de Antonio Joaqoim Fer-
reira Porto e Felippe Manoel Jorge da Silva, etia-
belecidos nesta cidade sob a firma de Ferreira
Porto & Silva, qoe deve gyrar por espago do 3 an-
nos contados de 26 de marco ultimo, com o capital
de 6:896*345, (orneados pelo socio Porto 6:596*345
fundos existentes e dividas do estabeieelmonto, e
pelo socio Felippe 300*, saldo de seos ordenados
eomo caixeiro do mesmo estabelecimento ; e o pa-
pel de alteraco da soeiedade celebrada nesta ci-
dade por Francisco Jos Goncalves da Silva, Duar-
te Antonio de Miranda e Manoel Joaquim Goncal-
ves, sob a firma de Francisco Jos Goncalves da
Silva & Sobrio nos, da goal se retirou o socio Duar-
te, pago do seu.capital e lucros, continuando a
mesma soeiedade at lindar o tempo estipulado,
apenas com a alteraco da firma, qoe Sea sendo
Francisco Jos Gongalves da Silva & Sobrlnbo.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 18 de abril de 1866.
O offieiai-mafer
Julio Gomarles.
Pela mesma secretaria se faz igualmente publi-
co qoe nesta data Acara registrados :
O contrato de soeiedade de Manoel JoMWtn Ro-
drigues de Souza e Antonio Rodrigues de Sooza,
eslabelecidos nesta.cidade sob a firma de Antonio
Rodrigues de Souia & C, a qual deve gyrar por
espago de tres annos cornados do de Janeiro do
correte, com o capital de 10:000*, fonecidoa-po-
lo socio Manoel Joaqoim 6:000*, em eonraaadfu,
e consistentes era ferragens e dividas do etubeie-
cimento, e pelo socio Antonio 4:090* provetfeK
de seas ordenados e lateresses.
O contrato de Jos Victorino de Paiva o Tbemz
Ferreira de Camino, sob a 'firma indlvWaxl do 1*
socio,, para o Qm de montar na comarca de Palma-
res, povoagao dos Montes, am estabelecimen anri-
cola e industrial, por espago de tres annot, eomta-
dos do Iodo corretemez, com o capital "de.....
8:000* fornecldo em commarUita pelo sooio Cor-
val ho.
Secretaria do tribunal do commercio 1
buco 19 de abril d 1866.
O offidal-maiOT,
Jallo Gnimaraes.

i
Namos entrados no dia 19.
Rio de Janeiro-30 das, barca portotneza Anofa,
de 40jtoeladas, capiio Joaquim p0n, Viainn'
eqaipagem 13, carga 3,000saceos com farioba
de mandioca o oitros. eneros} a Eazeoie R.
Rabel lo.
Nuvios entrados no da fj.
AlJca,,7i2,d"' hte brasileiro Novo Invensttet,
de 37 toneladas,capHio JMqoloi AolWHetie Fi-
gueiredo, equipagem 6, *tgaUodao e cntros
gneros; a Silva & Alves.
nar e ver qoe os nomes de Murray e han- Pavsandd23 dia, brigue bra&tieko eeUztno de
232 toneladas, apito Fraodsooiao, auui'oa-
gem 9, carga 3,600 quote**espaaboesd car-
*

-
ne ; a Pereira Carne'iro"4 C.
MoMovido 30 dita, brigue raoiieW. 4- rehano,
oe 2J0 toneladas, capilo Joio Mew Vane,
eqaipagem 11 carga ^e9*Jnmes<*e*pahoei
de carne a Mala 4c Espirito testo.
Barcelua-52 dias,4oJaca heapasboU foro, de
140 toneladas capilo Jos Maymus, eooipafem
12, earga 1,200 barigastirinlia de rigee gneros ; a N. O. Bteber C
Hamburgo-5 dias,.-foira banboraaexa Etlitita,
de 114 toneJadas, eapitoStrooo. aouipsgem 6,
carga fazendas; aTaoodoro CbrisirtosoT^
Londws-44| dias, lugar inglez MarMe,t 158
toneladas, capiuo Alfredo Thorntoo, eqolpagem
lcl^eUnrc!,U8 "'i''"
Santa Gatharioa-^Sdias.-bomto^m.CoiiofMee
Amelia de 561 tooetadat, eapo WWliam
Brosek, eqoipagem 13, em lastro; Wiiheia &
iiclu
Rio-Grande do Hu,22 das, pauebo toaoileir
Dous de Dtzembro, de 283 teselado, ceouo
12.700 arrobas de carne secca; a Amorroi Ir.
maos.
Rio-Grande do Snl-22 dias, barca brasileira 7J1*.
reta de 287 tonelada, capilo Garlos Estreo
Alves, oonieagem 13, oaraa 12^0 arrobas de
carne; a*aJtar& Oliveira.
Vamos sabidos no mesmo in.
Barcelonabrigoe Despanhol Murta JIoMyOMitSo
Caetano Bertrn ; carga algodo.
Lrverpool-brigoe4atloz,.48, capito Wrovford .
ca rga assacar e atgodio.
Rio da frataescuna bollandeza Ama, capito !L
P. Hairesman ; -raon oTjnDOM.
Bahapatacho hmbargim Maa Lmme, ipi-
i?o L. Strnze, carga parteda motroosMOc New-
Yotk.
Ooifpocao.
Suspender3m do lamaro para Parthwbo a bar-
ca ingiera Sarah, capilo stabel, eeme mesmo las-
tro qoe trouxe de Santa Cruz de Tenerife.
Portes do snl barca inglesa Fkur de Mmurite,
capito A. Ogler, carga a mesma qne Irouxe de Li-
verpool.


-
:
% f
>


a.
ti


aM^MV
,/
L
fe
! u*r-

^y cg^l^iy "rtWfcM *.*Wl *B *866.
^f
59 fj
eo, qne nwt data fot inscT^0 ,ao, '',r > ra,r
cala das comra?rcantes S*1"8 9,r
ida, diada; brasileiro, estakS ,n'ft'al0dr
Caraoa casa da comaerciCTV"t"*' ert
grosso o a retalho. -
Secretaria do trifctmal do commercio pn
MmbOBo 9 de aarti de 1865.
Ooffleial-maior,
feHa Gnimaraes.
taftccitv 4* arsenal 4* marinha.
Paa-ae pblico rie a sonunisslo de peritos exa
wioaade na (orma determinada oo regulamento
anaex* ao dentelo n. Utt de 5 de fevereiro de
1851, o* cascos, machinas, calderas, apparelbos,
ma*reacao, veame, amarras e ancoras dos vapo
i SI 18
LEIL10
fyrragem avariada
das a bordo da barca ogl
ra' effectaado as 10 horas em
dito em frente da alfandega.
ila* so
cima
rrciivn
res XumanrjKape da companhia Pernambucao e
Camtragibe da companhia Vigilante, achol todos
esses objectos em estado de poer o Mmnguape Qg 2 burras de feTTt (cffiS.)
navegar e o Cmaro* ibe continuar no servioo de v..w^-vj^ ^ l V y
reboque em que te taprefa.
InspeccSo do arsenal de marinha de
co, 19 de abril de
servioo
Pernambu-
1886.
O inspector,
H. A. Barbosa de Almeida.
Administracao do correio desta cida-
de precisa de seis honra para o servido
de carninheiro, qaem estiver OMiis condi-
coes e quizer engajar-se dirija-se a mesma'
administrado. ________^^ |
Terca-felra, ti do eorrente mez, por ser a al-I
tima iraca depois da audiencia do Dr. jnlz moni-
dpal da l- vara, um de ser rematada porw* +T^ZZaZ&^MkE*
mus der, a casa terrea n. 8 na travesea do.Cares- ^n, ,jceo?a do iospector da a|farjdega, em presen-
retro, em chao proprio, com i portas de frente, 19
palmos de vao na largara, 13 de fundo, 1 sala, 1
arta eotio, avallada por 800#, por etecugao de
MOJE U
O agente Pinto fara leiio por conta e risco de
quem pertencer de i barras do ferro (prova de
fugo) as 11 horas do da SO do correte em frente
da alfaadega.
LEILAO
De tres bo(esm
H(ME.
Sabbado 21 do eorrente ao meio da, no
trapiche da alfandega.
Wiliiam Graotcapitao da galera americana Yon-
CLUB JIWAIlflCiM.. CALCADO- y
A partida do do correhtfc mez ter lugar '* J tUCt UVt*eiL*d.
na ooitci d# dia 26. A primeiri cotdici iiHbp%aval cort-
il A\ A laA PAalTil 3 i rvaf5 da sade inxlr os pes bera de-
UHA. HA IvHIUI fendidos contra ojiauea da iiumidade;
Aos 6:000,,000. Mbom i"fe? J UQiC0*ef/va*
1111 b.^. ..-^tal. \ des8as orfeaferatdades a qncrot su-
r. tf fSSw cbsTM f* osso-eu- Um chnelo nlbo cal-
IIO JE*
Iota" A. MoreKJ*|ttfara' ieitSo por interreacio
do agente PintoT|K b risco de qaem per. __
tencer de diffdrentut 4l fc|jn brragem cons-U'.j^^-Do CaESPrJW. >
uode de eualetra?, pao?! ^.MjhaA-nfta. Oabaiioassltoadoreiideu nos seas -moitofali- Wj? Por u" dandy patuscanti, 00 OIM
ua bilhetes garantidos da lotera qne se acaboo ootiDa acalcanhada em pequenino p da en*
deeitrabir, a beneficio da matriz de Villa Bella, cantadora deidad* alm di acensar que-
"iffS^Wtti a d. 6:000i. ^".^ "-, 1
Bilhete fnteiro n, 3109 com a sorte de 1:200A
tfa ra Direita d. 114, lo-
ia de ourives
- jsTai^sgybU^'08 veihos de io
oasstol; de laelhacak & c.
UBRARIE FRANCAISE
RA DO CRESPO PTf.
Livroa naciooaes e estrangeiros.
Religiao, dtreito, lilteratura, etc.
Maaoei da Soasa Azevado Pkes, oaaataoario de
Tnerezi Cathariaa da Cooceioio Cajrtia, contra
Momea Ignez da Sitta, seo maride Oeaciario Jos
d* Sani'Anna o meaer^wa. __________
As audiencias do juiz de paz da fregaezia de
8. Jos, continuam a ser aas segundas feiras e guar-
as di toda semana, as 10 horas da maoha, em
casa de soa residencia, a ra da Concordia n. 75.
Fraguezla de S. Jos do Recite, 20 de abril da
1866.JoSo Jos de Albuquerqae, juiz de paz do
3* aano.
{a de um empregado da mesma reparlico, com
assistencia do consol dos Estados-Unido, por in-
ieraanco do ageaie Pioto e por coata o risco de
qaem perteocer, dos 3 boles cima meatioaados
salvados na occaaio do incendio da Uta (alera ; o
lello sera' etfdoaaado ao meio dia 46 (fli SI da
correte no trapiche da alfandega. _
PRAGA.
\i dia 20 do andante perante o Illm. Sr. Dr. juiz
tnumiyuai da i* vara, na sala das audiencias, se
bao de arrematar os baos seguales: 1 casa terrea
b. 48 na roa do Moloolomb na fregaezia dos
Bogados chaos proprios avallada por 640, urna
otra n. 54 na mesma ra e freguezla no chao
foreiro por 1G05, ama ootra n- 73 na mesma raa
chao foreiro por 5690; as qaaes vao a praga por
execucao de Joaquim Jos Gomes de Seo?, contra
Francisco Jos de Oliveira: a ultima prac>
TIIG.1TRO
DE
S. ISABEL.
EHPREZA-COIjIBRA.
3.a recita da asslgaatara.
Sabbado 21 de abril de 1866.
Sexuada representagio do excellente drama al-
vidido em 5 actos
A VIDA lU BOHEMIA.
O papel da Sra. de Rouvres ser representado
pela Sra. Leopoldina.
Terminar o espectculo eom o novoTrlato-
goquasi cmico
Tchang-teliiiig-bung! I!
ornado de canto.
PBRSJNAGKS.
Tchaog-lching bnng, chim pornas-
ci.'ii-iito, meuor de 30 unos. Sr. Paira.
Prudeocio Soares, cigano por vo-
cacao, maior de 30 annos. Ramyndo.
Floreutina, viuva por forga maior,
:i:n.i de Soares ( iadiscripco
dizt-r a idad4 de urna senhora. Sr'Clelia de C.
Esu comedia estava destinada para ser repre-
sentada no e-pectaculo pas-ado de 18 do eorrente
e pelo motivo de falta do terapo para prompliQ-
car-se a msica qne foi demorada.
Comegara' as 8 horas.
AVISOS MARTIMOS
OtfIMYHIl lll\SII.III\
DE
PlGiETES A VAPOR.
Dos portos do norte esperado
at o dia 5 de maio o vapor
Paiana, commandante o capito
da fragata Santa Barbara, o qual
depois da demora do costume
seguir para os portos do sal.
Or-sde ja recer,em-se passageiros e engija-se a
eargaoos o vap>r poder couduzir, a qual davera'
ser ambareada oodia de sua chegada, encommen-
das e diuheiro a rele al o dia da sahida as 3 ho-
ras : agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de An
Couio Lnii de Oliveira Azevedo & C.
~COMPANHIA BHSILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sul esperado
o vapor Tocanttns, commandante
a\v o primeiro tenenle Araujo. o qual
^^Mlfi11^0'5 aa demora do costume se-
'?iBH^a'*:u'ra Para 5 portos do aorle.
Rec-bm- e passageiros e engaja-se a carga que
o vapT poder conduzr a qual devera ser embar-
cada no dia de sua chegada ; encommendas e di-
nheiro a frete at o dia da sabida as 2 horas :
agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de Antonio
Luiz dn Oliveira Azevedo & C.
COMPAftHIA-PERNaMBCANA
DE
r-:regacao costeira por vapor.
Parahyba, Nital, Maco. racaty e Cear.
O vapor Mumangnape, com-
mandante Belmiro, seguir' para
os portos cima no dia 21 do cor-
rente as 5 horas da tarde. Rece-
be carga somente at o dia 10
eneommendas, passageiros e dinheiro a frete at
as 2 turas dq di da sahida : escriptorio no Forte
6o Matos n. 1.
Para o Para' pretende sahir em poocos das
o patach) PARAENSE, por ter o sea carregamen-
to rjua-i prompto, e para o p juco que Ihe falta Ira-
ta-se eem o consignatario Joaqatm Jos Gongalves
BeKrio, na ra do Vigario n. 17, Io andar.
Tambem se recebem gneros estrangeiros.
Ceapanliia depaqnetes a Tapar entre
o* Kstados-L'ui ios e a Brasil.
Al o da 25
do eorrente es-
Dera-se de New-
York e escalas
por S. Thoraaz e
I Para ora dos va-
, pores america-
nos, o goal de-
pois da demora
do costume seguir' para os portos dn sol ; para
Sassag-iros frete etc., tratase com os agentes
enry Fjrste'r & G. roa do Trapiche n. 8.
LICIJLAO
De ama taberaa na ra das Xln-
I>haa. 8.
O agente Martin levara' novaraente a leitao por
ordemdo lllm Sr. Dr. Claadino le Araujo Gui-
marSes, a taberna da ra das Itynphas o. 8, per-
tencente aa espolio de Jos Pedro Marque da
Silva.
MOJE.
as 11 horas na mesma taberna. ^^^^^^
IKILAO
De banlia de porco.
Segunda-feira 21 do eorrente.
O agente Pestaa fara' letfio por conta e risco
de quem perteneer de 54 latas com baoha do por-
co em oDi ou mais lotes a voatade dos compra-
dores i segunda-feira 33 do eorrente pelas 11 ho-
ras da manhla no armazem do Annes defronle di
arfaadeg.
n. 3209 com a sorte de
Um meio n. 1J73 com a sorte de 500^000.
Um meio n. 991 com a sor le de 200.
8 ontras muitas sortee de 100*. 4, e 20*.
Ospossuidores podem virreceber seu* respec-
utos premios sem os descont das leisnacasa
da Fortuna A roa do Crespo n. 13.
Acham-se a venda os da 1" parte da 1* lo-
tera (59*J i beneficio da igreja de 8. Ganlo da
Boa-Vista, que se extrafcifa' qaints-feira z6 do
corrate.
PRECO.
Bilhetes.....6*000
Meio......3*000
Quintos.....1*200
Para aa pesseas qie einprirem de i004*00
para cima.
Bilhetes.....5*500
Meios......2*750
Quintos.....1*100
^ Manowt. MaimNs Finza.
*- Precia se de urna orlada para tomar coh-
ta de ama oaaa, e de nra criado: na ra do Impe-
rador n. 17.
dades inteJJeeluaw dea ealeaBte, e Dio ha
quem, tendo bom sen so, quaira passir por
maluco, ou pobre de surrSo : arco, cor-
ram a:
e attendaoa a' baratexa.
Homens.
Borzeguins barcellonezes de lus-
tre e da poro, ./. eOOO
Ditos de Bordeaux. .... 7*000
Ditos parisienses da bexarro a
cordayJo....... 80000
SapatSes
Papelaria, objectos para escriptorio.
Ppala pintados para forrar casas.
Assignaturaa para os jornaes da Europa.
Canos de feri%.
SU padaria compra 300 (* da caooda frrro a>da> polegadas
de diairelrn.
Q.iem pfxisar d um eanttMra para escripta-
racSo simpl-s, aonuniie-p ve ser procurado.
Aiuga-e ama escrava para nrico interno
da-cata da familia, a <|ua| eoza, eaitiha e engera-
; qnem precisar rtirija-M em Santu Amaro, so-
anulo junto ao cesonario iogl-z.
Quem annuncma dar iwci^da le a urna pe
>oa qo teoda da H-goriu Oa uiierna que venda
para a larra, annuncto u lugar para 9er proeu-
rad>>.
O Sr. Kmk-* J..> queira vir ou mamr oa roa du^nhor Bom Jess
ua. Crenlas 33^ cnclir Vfla6*0 qne bem
saja, do eenifario. str
o negocio
teriaa raL^^68 ^ *"" b3' HAOAO ata da correte mez decrecen Ja
o i ? a#uuu|irjadoRorioda Boa-vitaom.eaiii de prai,
baplO de lona, SOla de borra- |oprevi*e-8e a todo o oarlves oo a qualqner oes-
Cha.....; 2f>000 soa aquem ellefor offeracido qoa o apprehenda, a
Ditos aveludados ....". 1*600 ?inil"s! a'ca? ** na ruada matriz
n. 38, do que Acare! summamente grato.
Amafio.
Antonio dos Santos e Silva tendo justo e contra-1 ^LVS^JL^^L.
tado com Thvmaz de Aqaino Roas a compra de I
um* peqnena casa cora parje de tijollo e cal na es-
trata aova do axanga' era terrenos da Sra. D i\
Maria do Carme Carneiro Campello e como que ir # *
evitar quaiqoer divida que possa apparecer da n ._:'- A:i rm, i c*.
parte do vendedor oa trazago qne haja na dita ea- u senvao 0a irma-iOaae ae AOSSa 5>e-
saoadireito por quaiquer maneira; faz estean- nhora aa Conceicao da igrja da Congrega-
nuncio para constar a lodo qne o virem, terem cao convida aos irnios da mesma irman-
ae ^^kI^I'I redaroacSeve flodo os qqms dade para domingo ti d) Coifente mez,
nao se recebera em nonta rec.amacao algnma. | ^^ge no COnsiSl-riO d3 OJeSina igreja
as 9 lloras da tnan'ia para a eloigSo de no-
va mesa.
Ama
Preelsa-se na roa das Cruzes n. 36 de urna ama,
que tenha bom comportamento e que seja fiel nao
importando ser forra ou captiva.______
Prerteaee da dtad-iataoa capaz qoe tnha
todas as habilitares necessarlas para tomar
conta de orna padaria nesta praca, dando-se inte-
rsase : a tratar na raa d is Cruzes n. 42 com o
Sr. Joaquim Femira da Costa, o
o. 106,
Dito^ de tranca bons .
Senhoras
Borzeguins eoeitados.' .
Ditos de laco .-..'.
Ditos lisos ....,,,
Sapatos de borracha....
Selleiros, corrieiros e segeiros I
Sola de lustre, meios grandes 20*000
E um completo sortknento de calcado fa-
bricado nopaiz.
#600,
i.
56000
W800,
45500'
16500
O sscrelano da commisso
Manoel do Nascimeoto Rosas.
LIVROS
DE
Na roa da Florenflnt n. 36 prapara-ie comi-
da com asseio a prompdio, e por proco razoavel :
qnem qnlzer djrija-s. -
O escrivo da irmandade de Nossa Senhora
raa Direita < da Conceicao da igreja da Congregacae, convida
j aos irmos da mesma irmandade, para domingo 22
do correte me?, reuoirem-se na consistorio da
mesma igreja, as 9 oras da maobaa para a elelcao
da nova mesa.
Alteiie.
LEIL40
Pede-se as pessoas qoe ti ver penhores na loja de
louca na roa da (>adeia do Recife n. 64, de vir ti-
ra-Ios no prazo de tres dtas, db contrario serao
vendidos para pagamento de sea Abito.
! Pergunta que 1180 offeide.'
lalC
CHERNOVIZFormulario ou guia medi-
ca, 7.a edicao in 12.
GHERNOViZDiccionario de medicina
popular, 3.1 edico, 3 in 8.J
LAIvGGARDArte obatretica, in 8.
Diccionario de medicina
domestica e popular, 3 in 8. 1865.
BONJEANNovo manual do fazendeiro,
___ 2 in 8._
Perdeu-se urna parir de onr'o, desdal de .BflEIfff -^mpendio de materia medica
Santa Rita Nova travessa de S. Pedro, pelas oito e de therapeutta, 3 in 8.
horas da noite do dia 18 do earreote : qaem a t-! GOMES Elementos de pharmacologia
ver achado e qoizer restituir, dirija-se a' rna a geral, in 8."
Santa Rita Nova 33, segando andar, ou a' ira- La'MFRTPrpvrvnrSn nftasnal A9 prlirn
vessa de Qaaiaaoo n. 3, wimeiro andar, qoe se V*.7^nl easoai. M. <
gratificara' e se Uie Acara' agradecido.
Precisa-se de um trabaJhadur de masseira.
Doaraiazem de molliados a raa ia
Rangel n. 73. iatilalado Pharal.
(Em pequanos totes;
UORDEIRO SIMOES
por despaedo do BJui. Sr. Dr. juiz da direito espe-
cial do cominera o levara' oovaraaaie a leilo o
estabelecimeato da meihados cima dito, o qual
fra arrestado a Joao Jos da Silva Villar A C, a
requer ment de Antonio Jos Silva do Brasil, sen-
do o leilo (eilo em pequeos lotes a ventada dos
concorreo i-s, priacipiaodo-se pela arma cao de
amarelh envidraeadi e seus pertenees a qual ser-
ve para qaalqner esiabelecimento, isto
Terca-feira 24 do corrate as 10 horas
em ponto no mesmo estabelecimeolo.
O Sr. Manoel Alvai" Ferreira no dia 2 de jumo J06 "lba *"" Jesempenhar o seu logar: a tratar
, do anno prximo pateado foi a loja do abaixn as-: w P*an>* < KBLSJr" 2-"" ____
signado com um seu committente do maio e pedio i Guiherroe da Silva Gulmaraes vai a Europa,
que mandasse a urna casa da roa das Barreiras | leva em soa companhia sua esposa e nm filtio me-
t algumas fazendas para se comprar ; o aballo as- or e snaomaa Emilia da Silva Guimaraes. Deixa
[signado iromptamente mandn fazendas a' dita por seu procurador o u socio Gregorio l'ae? do
> casav e seu comrmnenle comprou 55*8 e nao' Amaral.
pagou ; perfunta-se : qjiem respaosavel pela
unaotia cima ? O Sr. Manoel Al ve ato rae quer
pagar, hei de perder o meu dinheiro T Em qoe
trra estamos! I I
Recife, 18 de abril de 1866.
Jos Gomes Villar.
A viuva A Filhes do liaao*-A*u Joaquim de
uS tZlS ??a7r SnS" SelS ^Vanra^assrsUr^^ssTdTo'va-jutaTd^
*Z>^^*<&S^ nistrativa e apreciare rela.orio dos trabalbos do
para'ua.quer encommeuda anaTa seja ES "" ^.?.?'1,"*L"1 'SLSfS,.5. *!
HOSPITAL PORTUGUEZ
DJC
BE\i:iICKVtIA KMPEHVAJI-
BUCO.
Era vinude da dispusico determinada no art. 14
dosest.tutai, sao onvidados os senhores socios
para a reuniiio qae aove con-liluir a assembla
IEILAI
Das dividas da ruass: fallida dema-
rDl, FragOS, SaiilOS k C i ia m- nSo o'pd- fazr sem recebr o que
portaacia de 104:6906283 rs.
Cordelr* 9la5es
por des ho do lllm Sr. Dr. juizNJa direilo espe-
cial do co.nmercio. levara' pela quarta e ultima
vez a leHao os riflos de dividas perteneentes a re-
ferida massa, todos na importancia de 104:590*283
rs., serviedo de base a ollera obiida no leilao pas-
sado, isto
Quarta-feira 23 do eorrente
as 11 horas em ponto no armazem a ra da Ca
deia do Recife n. 2-..
IIHMI.IIIlll.......... I III II
qne toe seja
na, tendente a sua arte. Oulro sira, pede encare-
cidamente a todas as pessoas qoe Ihe sao devedoras
por conta de livro ou per letras, tenhatn a boadude
de vir satlsfazer seos dbitos ao prazo de 30 dias,
visto que tero grandes compromisos a cumprir, e
he devem.
Precisa-se -i um cajxetro de 13 a 14 annos,
para Tracunhem : qaem quizer dirija-se a praca
da Santa Cruz n. 6, que achara' com quem
tratar.
da inanha, no proprio
eoefj&encia .n Peroam-
AVISOS DIVERSOS
AOS 0:O00^OOO
Roubaram da rna do Apollo n. 34 1 andar um
relogio da ouro de le paionte ingle do fabricante
Horoby com tranceln grosso de ouro e passador
de ouro pede-se aos Srs. onrives rMojoeiros e a
quem fur apresenlado para comprar que aprehen-
do e levera a na cima na refeterida casa que se
gratifteara com 50{000._______________
Pede-se ao Sr. Coimbra que leve a scena o
minio bello drama-Adama das Camelias.
, O amigo do sublime
o magestoso
crranle, pelas 10 horas
edificio do hospital.
Hospital Portoguez de
buco 19 de abril de 1896.
Joo Pereira RebeHo Braga
___________________Secretaria.-________
Preciza-ae de u tenor para administrar e
ajudar nolrabajho de urna atavia perto deeta ci-
| dade, e que esteja isenlo de familia : a tratar na
rna Lirga do Ro-ario n. 16 )padaria).
Preciza-;e alagar um ama livre ou escrava,
para andar com urna criaoga, porm qui saja sa-
dia a de boa conducta : aa roa da Concordia
n. 59.
Preciza-se de ama ama
prar engommar preferindo-ss
Cruz n. 9 segundo andar.
para cosinhar. com-
escrava : na raa da
Porque motivo nao
drama AUtz HebfaY.
vai a scena
. isto pergunta o
Hebreu.
Preciza-se de urna ama para cosinhar, na ra
Larga do Rosario n. 46 se dir quem precisa.
in 12.
MACEDO-PINTO-Guia do alveitar 2.a i
edicJd In 12.9
MELLO MORAES-Physiologia daspai-:
xes2.ledk3o3in8.
MESMEIT-Magoetismo animal, 1 in 8.
MURE-Medico do povo, 1 in 12.
NA LIVRARIA FRANCEZA
N. 9 Ra do Crespo N. 9.
Precisase de urna ama para coziuhar ; oa
roa da Moeda n. 17.
No consulado portuguez precisa-se saber de
Guilher-me Aueusto de Barros, vindoem 1861 con-
tratado como operario da fabrica de tecidos do!
Exm. baro de Jaraga. _____________
Consulado de Portugal
Pretende-se ioformagSes acerca da existencia e
lugar de residencia dos subditos portuguezes Joa-
quim Felippe dV Sonza e de sna mnlher Ptcopia
Rosa, viodos para este imperio em 1856 ou 1857,
para transmittir-se-lhes poderes para receberera
urna quaotia proveniente d- heranca que se acha
depositada no cofre dos orphaos da cidade do Rio
de Janeiro.
Alluga-se a padaria cita ra da Matriz da
Boa-vista n. 26; a tratar i ra da Imperatriz n. 75.
Pede-se ao Sr. 6scal da fregue/ia de S. Jos
que tenha a bondade de lancar suas vistas de cari-
dade para a ra da Palma e principalroenie i aquella eolulho, foco de immondicie, j que a lei i
isentou o dono daquelle terreno de fazer o muro j
competente.
Custodio Collaco Pereira Jnior, subdito por-
toguez vai a Europa durante sua auzencia deixa
como seu primeiro procurador ao Sr. Felino Jos
Vaz de Oliveira. em segando ao Sr. Maooel Jus
de Soasada em ferceiro o Sr. Antonio Luiz Dias.
Nos abaixo assignados sclentificamos ao coj-
po commercial, que de mutuo accordo di-sol
\oviH^iiuo Hez de Maria.
c0u; n__1.1 u isosaDMXO assignados scienuhcamos ao cor-
SahlO afinal luz O Novissimo Mez de po commerchl, que de mutuo accordo dissovP
Mana, 2.a edicSo correcta e augmentada raosem 17 do crreme a socied.de que tullamos
com um segundo esemplo, tirado da edicao no estabelecim-^nto de taberna sito na travessa
de Lisboa, Ilustrada com estampas proprias:i?"*8 ":l6 T por e5Pac d,e 3 32*5*
oi., .j j- j K l v completos gyrou 1,0b a Arma de Martins 4 Lebre,
e aoalogas a cada um da do mesma mez fiCaado a qoidaco da mesma a cargo do socio
maano, conten Jo instituig^o e in iulgen- Antonio Aires Lebre, e o socio Pioto Martins de-
ca, e o modo de meditar o Santissimo Rosa- enerado do activo e passivo da exncta "
% tiene
Pira a Asso'
segu a-stes dias a barcaca Umt Amigos, anda
recebe algnma carga : a tratar no caes do Ramos
a. 34, ou aa escadinba com o mestre Joao Antonio
de Brtto. i
Corre qaiata-feiro 26.
Acham-se venda na respectiva tbesou-
raria, ra do Crespo n. 15, os bilhe-
tes, meios e quintos da 2* parte da Ia lo-
tera (59). a beneficio da igreja de S. Gon-
zalo da Bpa-Vista, send) a extraclo no lu-
gar e hora do costume.
Os premios de 6:0000000 at 400000 acontece o mesmo senhor, segundo
ser5o pagos urna hora depois da extracto i re0ra J^JS?^ em vista
ate as 3 horas da tarde, e os outros depois
da distribuic5o das lisias.
As encommendas sero guardadas so-
mente at a noite da vespera da extraccSo.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Sbuza.
>

Antonio Fernandes Velloso tendo entregado em
12 do eorrente mes ao sea procurador Francisco
Ferreira de Paula Jnior, diversas letras, reci-
bos e cartas de ordens, comas 'de livros para co-
brar de sens devedores, moradores no centro,
me participa
ter perdido os referidas documentos hontem na
no, os mysterios gososoj, dolorosos e glo-
riosos, versos proprios para se cantarem no
mez de maio, em que se romprehende a de-
finido do dogma da Conceicao por Pi IX,
e um apndice com o ordinario da missa
illastrado com vinhetas pr.iprias, e as ora-
coes necessarias ao christao em cada dia;
firma.
Recife 19 de abril de 1866.
Jos Joaquim Pinto Martins.
Antonio Alves Lebre.
O dono de urna cabra (bicho) que urna car-
roca a pisou, venha procura-la oa ra Direita n.
53, isto hoje.________________
= Na ra do Imperador, casa n. 22, segando
andar, ba para alugar urna escrava moga, eogom
acha-se venda na officina de encademacao! ia e cose ;_quem a pretender dir.ja-se a ra do
Manoel Pereira da Cunha,
vai a Portugal.
subdito brasileiro

Mignel Francisco de Souza Reg, pnngido
da mais profunda dor pela morte de seu
presado primo e amigo Adolpho Liberato Pe-
reira de Oliveira, convida a,toJos os seas
prenles e amigos para assistirem a orna
missa do stimo da qoe por alma do mes-
rao finado tem-se de celebrar na igreja de
Noasa Senhora do Livramento no dia 23 do
correnta as 7 hor.is da maobaa- Desda j
agradece a todas aquellas pessoas qoe se
prestaren! a comparecer no mencionado da.
Jos Goncalves Ferreira Costa, seos ir-
mos e canhados agradecem cordialmente a
toda as pessoas qaa se prestaram a assisti-
rem a enterro de sua fallecida mai e sogra
U. Maria Theodora da Assompcao e de novo
Iba pedem o caricioso obsequio de compare-
cerera a missa do stimo da que ter lagar
na segunda-feira prxima 23 da corrate
pelas 7 horas da manba aa capella do ce-
mitario Bnblico. Por xnls este obsequio
desdeja se confessara wtmmamente gratos.
O abaixo assignado convida aos seas ami-
gos para assistirem a rnissl que se tem de
celebrar na dia 23 do crrante pelas 7 horas
da manbana matriz da Boa-Vista peto eter-
na repon d'almi de tea eanbado o segun-
do lente Hygino Jos de Oliveira Coaibo,
que fallecen em itda fevereiro aas frontel-
ras de MiasOes na provincia do Kio Grande
do Sol, desde j agradece aquel I es qne com-
parecerem a tio iiiedoso acto. -
Ascjncio Minervino Meira.
q
que vem o annun
ciante avisar aos mesmos devedores abaixo men-
cionados, que nao paguem os seas dbitos, e nao
d e execucio as snas cartas de ordens para aquel-
es qne eram dirigidas, seno ao abaixo asignado
on pessoa pelo memo aurorisado, posteriormente
a esta dala, protestandos desde ja' contra quem In-
devidamente em legal procurar receber as mesmas
dbitos. Rogando a pessoa que os tiver achado,
os entregar a' ra da Madre Deus 16, visto nada
servirem, oo mesmo por se ter expedido um porta-
dor avisar aos mesmos devedores do occorrido :
1 letra de Jos Oliveira Pontes Melgaco, 1 dita de
Joao Baptista Pereira, 1 dita de Jo.-- Pedro Fontes
Jnior, i dita da Antonio Manoel Figueiredo, 1
dita de Jos Antonio Brlto Guimaraes, 1 dita de
Manoel Pereira Brrelo, 1 dita de Fraucisco Joa-
quim da Silva, 1 dita de Francisco Jos dos Santos
Carpina, 1 dita de Benedicto B. Fragoso, 1 dita de
Silvestae Ferreira da Silva,-1 dita de Manoel Ray
mundo do Nascimencnto, 1 recibo de Lourenco
Gomes Procoplo de 1 letra, 1 dito de Jos Manoel I
Lima, e 1 caria de ordens para Domingos Alves de I
Oliveira e Jlo Flix Ramos para entregaren) 2
letras: graliflca-sa a qaem entregar estes doco-
atentos.
Recife, 20 de abril de 1866.
_______________Antonio Fernandes Velloso.
Aluga-se
a casa da rna Fermosa n. 25, em bom estado de
asseio, e toda estetrada : lrata-se na mesma casa,
das S hoTss da Urde em diante, a respeito do ala-
gue! e das bemfeiiofias do predio.
n. 15 da ra do Imperador.
Thealiudo Aagasto de Bogo sua mnlher
D. Adelalde Eudocia Lins do Reg, tendo de
mandar celebrar urna missa por alma de sea
primo Adolpho Liberato Pereira de Oliveira
no dia 23 do eorrente mez, no convento do
Carmo, pelas 7 horas da manhaa, por isso
convida aos prenles e amigos do mesmo fi-
nado para assistirem este acto de religiao.
Queimado, loja o. 1 para tratar.
Ama
Precisa-se de ama ama para cozinhar
da Cadeira n. 52, lerceiro andar.
na ra
Precisase de um caixelro para taberna
pateo do Paraizo n. 16.
no
AH
Precisase de urna ama para comprar e cozinhar
para urna moca : na rna de Heras n. 16, segundo
andar.
Aviso.
Os assignantes da Semana Illuslrada, que rece-
hiam aquella folha directamente do Rio, devem
mandar receber d'ora em diante em casa de J.
Falque na ra do Crespo n. 4. J chegou o n. e
esta' se distnbuindo. .\a mesma casa recebem-se
assignatoras para a Semana Illuslrada e o Bazar
Volanle, onde tem anda da Semana ns. de 1" de
Janeiro avante e do Bazar do 1 de julho de 1865
i avante, qaadros da batalha naval do Riachuello e
toJbabriea de Cirros ^Morcodes. r -.-
| Precisa-se de um eaixeiro que tenha bastante
pratica de venda, para tomar conta de nma par
balanco ; e, querendo entrar com alguns fondos,
tambero se convenciona, isto na mel-hor casa da
rna do Amorim n. 36.
Mudanca do estabelecimen-
jelozias.
. F. Poirir, mudou-se da ra da Impe-
ratriz para ra do Imperador, junto ao
Gabiaete Portuguez. Contina com os seus
constantes trabalbos de fabricar e con-
certar carros, e todo o mais'concernente
Versos
Im-
Precisa-se de um eaixeiro que tenha pratica
de taberna ; na roa da Matriz n. 27, (Boa-vista).
para o mez marianao : vendem-se na rna do
sua arte. Os seus freguezes e amigos po- parador n. 1, ofneina de encadernacio.________
dera aii procura-lo sendo que o seu esta- Ambrozio Jorge dos Santos faz sciente ao
belecimnto otTerece acommodac5es para respeitave publico e com especiadade ao corpo
guardar carros e cavallos tratar : as oes- do commerelo, qne tendb-se crismado mudara o
.. tr i eon nnmo nm intniun li\roa dnc xnntnc A mo
a Sr. D. Joaquina Maria da Cmeeicao Gue- soas que ali os qutzerem detxar teem a
sea nome para Antonio Jorge dos Santos, e qoe
, desta data em diante s se assignara' por Antonio
des, mi do Sr. major Gabriel de Souza Guedes, | vantagem de fazer-se com promptid3o qual-' Jorge dos Santos. Recite de abril de 1866.
que se acha no sal, digne-se mandar, receber no!_n<,r fMI quer concert que os carros precisarem Precisa-se alagar um preto forro Ja velbo :
de modo darem-lhe o servico constante e na rna do Qoetmado, loja n. 5.
sem interr upeo o que nao pode fazer quai-
quer coxeira.
escriptorio do baro do Livramenio, o qne o Sr.
sen filbo Ibe mandou.
Faz se este anoanclo, porque ha perto de dons
mezes, qne se indaga de sua morada, e se nao tem
achado. .
Precisa-se de ama ama que compre e cosi-
nhe, para ama essa de ponea fmula, na raa Nova
de Santa Bita n. 33,
IIlMia
^m.
Precisare d'oaa ama para comprar e cozinhar
ni rna de'S. Prandlsca n. 54.
Precisa-se de urna ana forra oo captiva pa-
ra coEaprar e cosinhar: oa rna do Aragao n. 27..
T
-
Paco saber ao respeitave nabtleo que see i
Para o Rio de Janeiro pretende sabir em no da 18 do crreme mes, nm bote de bordo,
poneos dias a veleira galera MINDELLO, por ter. dentro dos mangues da raa Imperial, oqnal deitei
quasi tolo o carregamento tratado e pan o resto na porta da casa ende oro aa travessa da mesma
eme Ihe falta e escravos a frete para o qne ten rna qne ni para a nitrada de ierro : qaem for
boas commodos: trala-w com o coasignatario Joa- sea dono aprsemele coa aa satas prea como
quim Jos Goncalves Beltrao, na rna do Vigario a. Ihe perieace, pagans o saesmo dono o sehsdo do
17, primeiro andar. dito be*.
Tanftem ereeeaeiB generes esranfairos. i Antonio Severiano.
. _______ i A pessoa que na aoile em que se represeniou no
A abaixo.aignda ao intuito de evitar qbe al- theatro de Santa Isabel aVida da Bohemiapor
guem a procure Iludir, aproreitaodo-sa devana engao levou um chapeo de sol que sa deu aguar-' Precisa-se de urna ama forra ou escrava que
avaluada 0, declara4>alo psenle, que de ora! dar a nma preta quitandeira, queira ter a bondade saiba cozinhar e comprar : a iraiar na rus da Cruz
em diante euhnssnaael por ella assignado tari de manda-lo entregar na roa larga do Rosario n. n. 56, armazem.
validada, sem qoe ceja igoalraeave aseinnado por 48, on 37, se por ventura Ihe ddr a coaeciencia : -----------^=r------------------------
sen genro o eommandador Jos Pires Ferreira, ia- de possuir nm objecto qne nao Ihe perience, alias wflSSGDartOlllS
cnmbltfo da gerencia de todos os seus negocios, de- publlcar-se-ha o sea nome por este Diario, visto a >. Ti J.F vv^ato.
vendo ler*se, o easo wmirarto, a ssignatura da respectiva qaHsalstn eonhecer todas as pessoas ?"'I5 pao e de liados gostos,
mesma abarro assigotda por falsa, on obttda por que ihe derara aaaaos a MCdar. O chapeo e t*3em P* 1**'M MWos de {familia :
meios fraudulentos. Relfe,J9de abril de 186.;casi novo, de sida verde, d asteas, e tem vWfl^*aasa dwd rjaada Cruz n. 17.
________________Jonna Maria de Deas. aos enuibos brancas sobre a valia .di-bengala, Offerace-se nm oco portuguez para eosinar
- Na' irk'da Imneratrlz n IfoWsta/loiaV'l7 com mjnfalte de coni. ___________. meninos, pretanodoeofenlw, pan isso tem hab
de Carlos Playa 4 Paul Chanvin, se acha deposita-
do para se vender, ama maquina tngleza de cocer
aleados, sseco e rqana grusa ; quem preteafler
dirqa-nadju loja, que aetan' com quem tntar.
Ftor,
1 jila
; a tratar fi> ra Direita^ n. di
pete Wotaa,. pj,, etftt ^^ e vt^m b6tL .
VERDADEIRO LE ROY
de SJGNORKT, Docteur-Mdecin
Ru de Seine, 54, PARS.
Km fa |hc ic\;. awu *iHft-
:, entre a rollia r o p-tjf) al,i
lint roln! tii'|r |m< fin ai<*.
ii-U^ f i< ti
filtra* l'.ir a, afci'uffl MI 4im dr vi-Uit tu mj&i;n:>,
|Vs*jniIIm priuvf.uil 0
fill ir*i .i^flllr- |iv|"
|t r^7il a Skh fedjrru-
*s i i. m. : !< 1.4.
ji-KXf na r..tti* e
^ |)i iiici|-^(' |iii;ir-
bUI.'"r-||tiT*K.
_____V
FERRO QUEVENNE
Approvado pala Aeadtnia de Medicina,
Aucturisado por circular especial ia Ministro.
O ferro quevenme se usa em todos aa ca-
sos para os quaes os ferreos sao prescriptos; Dio
tu os denles ficarem pretos; b a preoaracio a
mais activa, a mais agradavel e a mais econ-
mica; militas vezes um frasco b sufliciente para
curar urna chlorosis.
A experiencia me provo que nenhuma pre-
pararan frrea h supportada mais fcilmente
que o FERRO QUEVENNE, em obsecrando as
limites de doses muito reguladas.
BoicHAhDAT, Annuario ia teraputica, 1863.
0 Ferro Qit.vense venJe-se em trascol da
1 ion m4Mu s s
^fi ^-.......- -
McdUaiMd.ii. lSpU.8
Deposito geral em casa de Baalle Geunis,
14, rae des Beaux-Arts, em Paris, e em tedas as
boticas. Eiigr-o Sinele Quevtnne marca
ie Fabrica cima.
Le se no Uonienr te la Phumarte.
A electricidade hoje empregada por lodo* es
mdicos afamado, para o tralamcnto de muitas
molestias, mesmo para as que resisten as outra*
tucil icaces.
A electridade produxida pela fricr,ao tem urna
superioridade inconteslaiel, e a vantagem de nao
dar abaloa, e de poder ser graduada pelo doente.
A causa a mais flequen te das molestias a
estagnaca do sanguc ou dos ouiros lquidos ft-
taes. Restablecendo se a ctrculaca ao orga-
nsmo, curaea .Quando se tente atguma dor em quelquer
parte do corpo logo, einstinctivamente, seerfrega
>o lugar endolorido com mao, e isto allivia. Isto
explica o resultado incontesiavel que deve pra-
duzir um apparelho elctrico. Per isso temos
prazerem annunclarao Publico qneoSnr Buisson
sde Bivitliers residente, boulevart du Prince-
> Eugne, 18, em Parir, dotou a medicina de um
apparelho Bleotro Magoctwo, sob a forma de
suma escova, com o qual os doentes se podera
asurar sem hume outramedicacno. O mdicos
que a tem experimentado, attestara qoe a
Xaoova lOacrmoHaohbtica efhca para
curan os lheanuli imw, Tmrmijnt, Gotta,
'Ti*%mwmtt\t*a*mbm,a:A*Q*\mmw,i -
ubxal. trfcainfs %"m, Kmmt^a*, *>
Estamos certos que krere cada familia possuir
esta escora que prestan grandes serrteos.
A pedid* d muitas pessoas, e autor decidio-se
a establecer um deposito de seos apparelbos no
> filo de Janeiro, em tata do Sn Didie Roirr,
mmim io OmLtr, 88.
PREinOBCll.SMF.
auiNA
LAROCHE
ELIXIi FaariJif
aw ia mmiTtiwa wami
FrpiTtmrisdr nm ptaaa ancee__
hospUaes, a quio Larocfc
nj*' *^0* konsWaqa
di quina. Agrada fwrcomMMateispesam
as mais intoleraaUt ao ptadare os mais
d^po neme muito i cenerarntrlto
?|*V *"'5B"A-jmJiiaM, aanaa,
taitooia amaa ap-ar.at,, oralaieen-
nos
rompe,
aJRLSBWS
f. matrek e.
raa|Novi n. !8.

ATTENCA13.
Henry Forster" dC., ra rJoTrapicbi n. 8
ten para imder:
Prensas gara, ftnj^j|aj- ^dio.
^ Machinas de dscarofar alodio, de 30 a
60 serrotes, ana motores, asiam como moto-
ra qaeservirSo para qual c^enoja
machina de 120 serrotM t njurtii machina a
vapor, propria para a;

r^sr
W.
.-*l-e
antigs
acia
50 da'



-4.it ^,

S


Diario t Mtarae. sabb*W* ie*A&A 'tft'fae.
----------- 'Mi;.-------------------------------------------------------

A
tst----------------'



i
AY & LANMAN
A agua florida de Murray 4 Lanman"
olhada como ora artigo de perfume, nao
tem podido ser igualada pelas preparares
as mais costosas: conserva seu aroma, co-
mo se formasse parte da prenda a que ella
se applica.
Sua efficacia tao delicada, como elegan-
tes s3o seos multiplicados osos, qur seja
erapregada como artigo de toucador, qur
bo uso do banho, ou como suavisador da
pelle, depois que se tenha feito a barba;
j para limpar as gengivas bu aromatisar o
balito.,
D suavidade, brilho e elasticidade as
compleices, depois de se baver lavado; al-
l via a irritacjio de erupcoes ordinarias; faz
desappirecer o desagradavel aspecto dos
pannos, das sardas, do rosto, rugas e toda a
casta de ebuligoes, e d vigor e frescura a
parte onde qner que se applique. Sua efi-
ciencia e elegancia sao igualmente infalli-
veis nos casos em que seja preciso applica-
la como estimulante e antisptico, nos con-
cursos e assemblas numerosas, as loca-
lidades infeccionadas, na alcova de um en-
fermo, assim como um antidoto excelen-
te para os desmaios causados por cansaco
ou suffocacSo. Preparada nicamente por
Lanman & Kemp, Nova-York, e a venda por
Caors & Barbosa.
Joo da C. Bravo & C.
Deposito geral em Pernamnuco ra da
Cruz n.22 em casa de Caros___________
Samuel Power Johnslon & Companhia
Ruada SenzataNova n. 4.
AGENCIA DA
Fundido de Low Hoor.
Machinas a vapor le i e 6 cavados.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios de carro para um e dous cavallos.
Relogios de onro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descansar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
wmmMmwm# mmm
DEPOSITO DE CALCADO g
FABRICADO NA CASA DE DETENCAO 0K
Rtia Xova n. I. Jg
Ahi se encontrarlo obras de di-
versas qualidades, e por preco mui l
diminutos, a retalho e em porces. W
S se vende a dinheiro.
FABRICA VAPOR
$9 RA DO MONDEGO 89
Deposito na ra Nova a. o loja de relojoelro.
Deouche donos deste estabelecimento partecipa ao respeitavel publico que sua fa-
brica est montada com as melhores machinas que existem na Europa, e qae pode
fabricarcom raelhor perfeicao possivel. Todo o chocolate desta fabrica est garantido, e
: puro, o que nao se pode encontrar naquelle que vem de fra, e que se vende por preco
baixo, visto os productos seren do paiz. Na etiqueta tea sempre urna aguia.
PRECO.
Meia libra. ....... 400
Urna libra. ........ 800
Urna arroba........190O0
Na mesma fabrica acaba de se montar urna oficina com serrara a vapor para
obras de marcineiria propria para edificio, para o que encarreg-se de fazer portas, ja-
dellas, assoalhos (parqu francez como se usa na Europa,) e armacoes, tudo com brevi-
nade e'perfeicao. Toma-se qalquer encommenda para fra da cidade, entregndose
prompta a collar-se no lugar.
t
COEIiHO
Roa da Cruz
FREITAS
16.
m
sss
AMA
Continua a baver diariamente um sortimento de pastis, podins, bolos inglezes,
empajas etc., etc. Os donos deste esiabelecimento, acbam-se as melhores condices
de poder satisfazer encommendas concernentes sua arle, em consequencia. do socio
Freitas ter sido administrador chefe de algumas das princij aes fabricas na corte, 6endo
urna a do Sr. Joao Goncalves Guimares (confeitaria de Leao) antiga casa de Carceller.
Todos os trabalhos so differentes dos que se fazem em casas particulares.
Os propietarios teste estabelecimento n3o se tem poupado a despezas, nem se
pouparo, se houver concorrencia como esperam ; lendo continuadamente boa sorti-
mento de doces para rem preparados; assim como doce de caj novo superior, secco e crystalisado, dito em
calda em latas hermticamente fechadas, podendo durar annos em perfeito estado.
Para jantares e partidas recebem-se encommendas dos seguintes objectos; ban-
deijas ricamente enfeitadas sem armacjio pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, pes de I enfeitados com disticos anlogos a qalquer fina; ditos montados,
kechs simples e eefeitados com fructas ingleza; gatheaux de la reine, ditos de le d-
chese, tortas de fructa, massa folhada; ditas de peixe e carne; cremes e doces de ovos
de differentes especies.
Tambem tem um completo sortimento de vinhos engarrafados, como sejam: vinho
do Porto superior, Figueira, Madeira, Lisboa, Cherez, Bordeaux, Champagne fino, ser-
veja,, licores, cbaropes e conservas. Para testas: bonitas caixinhas com amendoas, con-
feitos e mais enfeites. Muitos destes objectos mencionados podem-se perfeitamente ac-
ondicionar tanto para a provincia, como para fra.
K u u FIGURAS
Acabam de receber bonitas figuras para bandejas de doces, sendo grupos p?ra
baptisado, tasamento, annos, ditla a phantasia, bonitos enfeites para bollos e circular pra-
tos de doces finos, tudo por precos razoaveis.
Vende-se licores em duzia muito em conta.
estado, garante a boa ad-
3ompanhia, gerel hespanhola de seguros;
sobre a tid^H V
iTjTOMfeAttA TTJ.Q.&EAL DECRETO DE 21 J^aJEMBRO DE l
una lauca em dinaeiro, depositadlos cofrjj-t
ministraco da colman
BANQUEIROS BA COMPANHIA j J DIRECCAO GERAL
O Baaeo de esaaaha ladrld: Raa do Prado a. is
Esta companbia liga pelo systema mutuo todas aVcom binares de supervivencia dos sega
o s sobre a vida. >
Nella pode se fazer a subscripto de maneira que em nennum caso mesmo por morte do
segurado te perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao tao suprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL,que ainda mesmo dimfnuindo urna terca parte do interesse produzido em recentes liquida-
coes ecombinando-o com a mortalidade da tabella de Depareie.ux que adoptada pela companhia
para seu clculos e liquidacoes, em segurados de idade de 3 al9 annos, umaimposicaoannua.
de iOOJ produi em effeclivo metlico:
No fim de 5 annos.......1:1191300
de 10 .......3:943^600
de 15........11:2081200
de 20 .......30:2*6*000
de 25 .......80:3311000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais considerareis.
Prospectis e mais informales serao prestadas pelo sub-director nesta provincia,
oaquim Fiuz de Oliveira, ruadaCadeia n. 52, ou a Boa-Vista roa da Imperatriz n. 12, estabeleci-
mento dos Srs. Raymundo, Carlos.Leite & Irmo.

TINTURARA
AO GRANDE S- MAURICIO
~
i* i
*t
a !><
PROEOS AI'EHFEICOlUOfil
PARA v
Tlaglr, limpar e lustrar a vapor.
F. A. SAI
P ecisa-se de urna ama : a tratar a ra do Jas-
raim burro da Boa-Vista o. 1.
O Peitoral de Cereja,
DO DB. AYER,
Para a ccra p radica t. e cer-
ta de todas as molestias do pcilo
e da garganta, tosses, constp;ices,
Uronchitc, asma, defluxos,.roqui-
do, Coqueluche, anginn, Diptheria.
Este xaropc peitoral >' o resul-
tado de longos annos de estndo
por um dos piimeiros mdicos da
America do Xortc, e de experi-
encias minuciosas nos principos
liospilaes do mundo; reeeitado pelos mdicos mais disUnctos
deste seculo na sna clnica particular, portanto digno de toda
confianca, 1, por ser effiau:, alcancando cora uina certeza infal-
ivel o nssento da molestia e arrancando lhc as raizcs, osslm
dando aos orgos Acetados urna ac^io natural e s:2, por
ser innocente e appUcavnl a qalquer pesta de qalquer idade
ou sexo, ao homem robusto on crlanca da mais tenra idade,
cada frasco sendo accorapanhado de dlrrecces minuciosas:
3, e ultimo, por no serum remedio secreto, pols qalquer med-
ico ou pharmaoeutico pode obter a formula da sua composicao,
dirigindo-ie pessoalmente ou por carta ao agente geral, H. JI.
Lase, a ra Dlreita No. 15. Rio de Janeiro.
Muitos caaos que linlio zombado de todos os recursos
da sciencia tem sido curados radicalmente com o uso do
Peitoral de Cereja.
As pessoas atacadas de tost, defluxos, Dr da garganta,
Broncke, asma, etc., e outros symptomas da tsica prima-
ria geralmcntc fazem pouco caso do seu padeciinento ata
que seja tarde para cura-lo. Nao descuidis d' urna tosse
porque agora parece de pones importancia; urna tosse
descuidada chega a ser chronica e induz a formaco de
Tubrculos nos pulmoce.
Ncnhuma casa de familia deve estar sem nm frasco
dste xaropc i mfio ; pois nos ataques repentinos de
Angina, do Croup, e nos paroxismos do Coqueluche; ou
tosst compria a que estilo snjeitas as enancas, nao ha
tempo de chamar um medico, nem de fazer remedios, e
este xaropc alivia, immediatamente e pe o lilho querido
lo e salvo, ora de perigo.
As molestias que esto ao alcance das virtudes curativas
do PEITOMAZ. DE CEMEJA. so
Eefluxoa, Toases, Atmt, Esquinencia, Bronchite,
Coqueluehe, Toase ferina a convulsiva.
Hoquido, Todaa aa molestias do peito
e garganta. Oonsompeo dos Ful-
* mdM ou Tsica pulmonar. .
Acba-M en todas u Boticas e Drogaras do Imperio.
Punas Catharticas do Dr. Ayer
VV' curAo
QUARESMA
Acabam de receber G. Paes do Amaral & C.
5 RA DO CRESPO 5
Antiga casa de Cullherme da Silva CiaimarSes
Ricos cortes de vestidos de gros-de-naples preto, com lindas barras bordadas.
Moire-antiqoe preto em cortes e em pecas, liso, ondeado e com palmas.
Gros-de-naples preto, de diversos precos e larguras.
Gorgurao preto, fazenda superior a todas pela qualidade, e bonito tecido.
Este estabelecimento
acha-se sonido com numerosa quantidade de filos pretos, de algodSo, de linho e dese-
; da, manufacturados em
ckales
29 Eua 7 de setembro 29
Defroete da ra nova do Onvidor (Rio de Janeiro)
Os proprtetarios deste estabelecimento, o primeiro no sen genero no Brasil, por
trabalbar com as machinas mais aperfeicoadas para fingir e lastrar, de que se faz uso na
Europa, eajudados por alguos dos melhores officiaes de Paris e Ly3o, podem assega-
rar seus freguezes lima perfei.o no trabalho, a qual sen5o pode chegar pelos proces-
sos ordinarios.
Tiogem, lavam, limpam e demofam com a m?i- r perfeicSo e brevidade qalquer
qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem mollar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de homens. i

-------
DE
FAZENDA E ROUPA FEITA
UVA \OVl Y. 94.
Reg & Moora, proprietario da loja de fazendas e roupa feita, sita rua~va
n. 24, verdaderamente penhorados e reconhecitlos para com seus amigos e freguezes,
pela aceitacSo e confianca que delles tem merecido no curto espago de tempo em qae
se acham estabelecidos e perfeitamente escodados na sinceridade dos seus tratos, decla-
ran, para sciencia daqnelles que o quizerem honrar com seus ofDcios, que, em vista da
grande concurrencia que tem merecido o seu estabelecimento, especialmente no que
relativo a roupa feita; acabam de admittir para a sua officina de alfaiate maior numero
de artistas, inclusive o seu contramestre, dirigido pelo hbil mestre Lauria&o Jos de
Barros, o qual nao se poupa a exforcos para satisfazer com a presteza possivel qalquer
obra de encommenda.
Os mesmos aonunciam aos seus fregueses que acabam de compf ar um novo e
multo vwiado sortimento de fazendas finas e de bom gosto, proprias para o tempo da
quareSma, as quaes esto dispostos a vender por precos muito coinmodos e mais barato
que em outra qalquer parte.
Como sempre escusamos essa enfadonha prolixidade dos annuncios bombsti-
cos ; preferimos mostrar na singeleza deste nosso convite os bons desejos que nutrimos
para bem servirmos quelles que vierem ao nosso reclamo.

retondas

algerienes fbournus)
anamites
africaines
pompadour
DE FANTHASIA

Pritao de centre, Indigesta, Constipanto, Itheu-
mIUmo,aeimmorrkoldas, I>br. tU cabrea, A Xetral-
gia, mal' 4o estomago, Enjcaqueca, mmlf Elgado,
Oastrite, Jpehre gastro-ltepatlca, Lombrlfmsfc Erysip-
ella, Bi/dropsim, Incremento do bg. ,
Todas as meles'ias que provm do uso exsessivo d
Quinino.
0 mlhor purgante at hoje conhecido.
Estas pilulas atsucarada suo puramente vegitaet.
ptraeio i pubeticao vem. xebouxio.
A venda en todas as Boticas e Drogaras do Imperio.
ACEJTTK IIAL,
H. M. LAira, Bo* Direito No. US,
Bio de Janeiro.
Vende-se em Pernamboco:
na
Receberam tambem bonitos cortes de popeline de listras de cores, e matisadas,
muito modernas, de gostos inteiramente novos; e outras muitas fazendas de gosto, viu-
das pelo ultimo vapor.
G. P. 1IO .411A ItAIi Je C.
5 RA DO CRESPO 5
^^^%,

r.
\ DE
VIGNES.
X. 55. RA DO IMPERADOR X. 55.
Os piancs desta antiga fabrica sao boje asss conhecidos para toa snperioridide, vantugense garantas qaeoffereeem aos compradores, qualidades estas incontesta-
m* qne elles tem definitivamente conquistado sobre todos os qae tem apparecido nesfe praca ; pos-
uindo om teclado o macblnismo qae obedecem todas as vooudes e caprichos das pianistas, sem
asnea ralbar, por serem fabricados de Rroposito, e terse eilo olmaroente melhoraraentos ImporUn-
nssimos para o clima deste paiz ; qnanto s voies, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-
reis aos onvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, Unto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as e*posic5es.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um esplendido e variado sortimento de msicas dos
oelhores amores da Europa, assim como harmnicos e pianos narmonicos, sendo indo vendido por
precos com modos e razoaveis.
Companhia fidelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
B AGENTES EM PERNAJtBUCO '
$g Antonio Loiz de Oliveira Azevedo k G,
Of competentemente autorisados pela direc-
S toria da companbia de seguros Fidelida-
I de, toman) seguros de navios, mercado-
&S rias e predios no sea escriptorio ra da
Si Crax n. 1.
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos contina a morar na ra do Impera-
dor n. 17, segundo andar, tendo alias sen
gabinete de consultas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
O mesmo doutor, que se tem dado ao
estudo tanto das operacfos como das mo-
lestias internas, presla-se a qalquer cha-
mado, que- para dentro qner para fra
da cidade.
Em casa de Tbeod Cbristiansen, ra do Tra-
piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil,
de Brandenburg frres, Bordeaux, encontrase ef-
lectivamente deposito dos artiges seguintes :
St. Jnlien.
St. fierre.
Larose.
Chatean Loville.
Cbateau Margauz.
Grand vin Chateau Lafite 1858.
Cbateau Lafitte.
Haut Saulernes.
Chatean Santernes.
Cbateau Lataor Blanche. *
Chateau Yquem.
Cognac em tres qualidades.
Azeite doce." Precos de Bordeaux.______^^
Casa deeommtssio de fseravos na ra do Impe-
rador n. -i, terceiro andar.
Recebem-se escravos tanto do mato como da
praca para serem vendidos por commissao, afflan-
ca-se o bom tratameoto o teguranca para os mes-
mos. O abaixo assignado nao poupa esforcos aflm
de os vender com promptidao, nesta mesma casa
ba sempre para vender escravos de ambos os sexos
____ Antonio Jos V. de Souza.
Antonio Jos Rodrigues de Souza na roa do
Crespo n. 15, loma dinheiro para mandar entre}."'
na Baha, Pari e Maranhao.
Joo da Silva Ramos, medico I
pela universidade de Coimbra, d. |
consultas em sua casa das 9 as :
11 horas da manhaa, e das 4 as 6 n
da tarde. Visita os doentes em suasil
casas regularmente as horas para I
isso designadas, salvo os casos ur- |
gentes, que serao soccorridos em i
qalquer occasilo. D consultas aos |
pobres que o procurarem no hos- \
pital Pedro II, aonde encontrado 1
diariamente das 6 s 8 horas da |
manha,
Tem sua casa de saude regular- I
mente montada para receber qual- I
quer doente, ainda mesmo os alie- 1
nados, para o que tem commodos I
apropriados e nella pratica qalquer I
opperacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe. .3000 diarios, i
Segunda dita....30500
Terceira dita. ..20000
Este fstabelecimento j bem j
acreditad-1 pelos bons servicos que i
tem prestado.
0 proprietario espera que elle 1
continu a merecer a confianca de 1
que sempre tem gozado. |
i
PECHIMHA SEM IGUAL
*
Ricos cortes de gorgurao de Seda pretos adamascados para vestido com 13 metros
ou 18 120 covados cada corte, largara de chita fr&nceza, pelo baratissimo preco de 504
cada corte : na loja das columnas da ra do Crespo n. 13 de Antonio Crrela de Vascon-
celos & C.
Dr. Ignacio Alcibiadcs Vellozo,
MEOlCu
RA DA IMPERATRIZ N. 48.
Trata especialmente das molestias sy-
phililicas e de criancas.
*** as
,Carvalh9 4 Nogtjif sacam sobr o
Porto, Lisbot e Rio de Janeiro, a' vista on a
prazo: na ra dj Apollo n. 20.
"Vil
^MCIEFRANCAISL
DEP.MARER&C'f
R SJ
Preci-se da orna ama escrava para o ser-
vico de comprar, lavare engommar para urna cata
de pouca familia ; na roa das Crutes n. 9, segan-
do andar.
Aiaa 16^000.
Preclia-se de orna cozinhelra boa, preferindosji
captiva, pelo pn?co cima : va roa do Rospioia
n. 36.
Ceslaheiru
Precisa-te de om eosmheiro para
milla : a tratar na roa da Gru n.
casa de f*
________________ 6, escriptorio,
- Precisa-se de urna ama para cosinbar en
gomar para casa eetrangelra St paoea familia ; a
tratar na roa do TrafrcqB n. 8, segando andar.
Dao-se bolos' de veod^gem ot oaze hora* da'
.manha, e avlam se bandejas/) encoraroeodas ebo-
lo, tis,; na roa HaW/ial n. 32.
Wphi
C'cslnheiro.
Precisa-se de omcosinheiro forro ou cap-
tivo que d fiador a sua con .'neta: na ra
da Gru n. 48, primeiro andar.
Precisa-se de om escravo para ser vico da
urna casa : aa roa da Cruz o. 24, botica.
Alagase on veie-se om bom sitio na Ca-
inga nova, roa das Peroambucaua.*, junto ao si-
o dos herdeiros do Fr. Can/iftvn; tem bella
asa com commodos para familia numerosa, jar-
di na frente ; para traiar, e para melhores es-1
ciaiacioieDtos na ra da Croz n. 33.
SS 5T9BHXK $
8 VAKELL t
canto* e phaatala.
Um volme in i2." impresso e en-
cadernado em Paris: em casa dos
edictores
L1VRARIA FRANCEZA
N. 9 Ra do Crespo N. 9.
wl IHffislHI tt K1I1HI
Fog*o do ar
Vaidivino da plvora se acha com fabrica de
fogos arlifiriaes na ilha do Maruim, com grande
norcao de fogos de 1* sorte, ji preparados a espera
de festejar o grande dia qae tiver noticia de qal-
quer trinmpho de aossas a rujas dentro de Para-
guay : todos aqnelles qae tiverem a mesma satis-
faci dirlja-se ao armazem do sal na ra Imperial
n. 221.
Aloga.se a casa da roa imperial denominada
vtveiro do afuoiz, com um s brado da um andar
qu accommoda grande familia, dous grandes vi-
velros para peixe, grande leneuo para planiacoes
e daas olarias ; quexn prMidw dirija-s* a ra do
Rangel n. 8t_______________
Na padarfa da Torre precisa-se de um fornei-
ro, nm amaeador e de nm caiieiro.
No collegio da Concei Ihos o. 12, ensinam se menina?, alera das mate-
rias disciplinas comidas aos estatuios, a liogna
italiana a a lingua ingleza a ier, tradazir e fallar.
Prectsaja e ama ama: na roa das Cruies
n. 24.
PII0T0GR4PI1IA
artstica americana
RA DO IMPERADOR Nw 3fc
Artista americano
Artista americano.
Artista americano.
Artista americano.
RetratosRetratosRetrates.
Em porcelanaNiepcotypie.
Em leosArchrolypie;
Em vidroAmbrotypie.
Em metal=Daguerreotypie.
Em papelTalbotypie.
No grande sal3o da ra do Imperador n. 38
No grande sal3o da ra do Imperador n. 38
Neste estabelecimento tiraavse retratos
em todos os systemas, com ass&io e promp-
tidSo, desde as nove horas da manha
at as cinco da tarde; assim cerno tem
sempre a venda grande sortimento de cai-
tas finas de diversas formas. Quadros
ovaes Passepartouts e todos os mais ob-
jectos e productos chimicos, relativos a ar-
te e receidos ltimamente dos melhores
fornecedores de PARS e Nova York, tendo
de todo, para todos os gostos e para todos
os precos.
SISo da roa do Imperador n. 38.
Sal5o da ra do imperador n 38
Dr. Fraoci Pire Machadol
m
Portella
MEDICO
E OPERArOR
. PELA
Faculdade de Pars.
! continua no exerciclo da sua profisso,
especialmente as molestias de olhis, de
vas urinarias e de pelle, para cujo tra-
| ment julga-se habilitado altela a pra-
tica adquirida nos bospitaes aquella ca-
pital, e os instrumentos mais modernos
qne possue.
\. Aceode promptamente a qalquer cha-
mado para fora da cidade.
E encarregase de collocar olhos arti-
nciaes.
No pateo do armo n. 2, esquina da
ra de Horta?, das 6 as 10 horas da ma-
nhaa, e das 3 as 5 da tarde.
s
11
Precisa-se
alagar um preto para servico de pada
: na ra Dlreita n. -24, padaria.
ra, paga-se
Precisa se de urna ama forra ou captiva
cosinhar para casa de rapaz soltelre : na ra do-
Imperador o. 40.
.Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C. lem
para vender no sen escriptorio, ra da Cruz n. 1,
vinho do Porto em caixa de duzia, fio hamburt-uez
oola da Bahia superior.
Engomnia-se
com asseio, promptidao e precs razoaveis: na ra
Augusta o.o, loja.
m
pipis mnms
Sortimento de papis pintados e ^
lindas guarnices para forrar casas. M
NA LIVRARIA FRANCEZA. W>
N^9_Rua do Crespo N. 9.
mmmmmwmm
I CANA DE HAMOS
H 26 Pateo do Carato fi.
|t Neste estabelecimento tao impor-
E tante para a saode e asseio do cor-
| po, acham-se montados 20 banhei-
W ros, que sao servidos com a ordem
$ e asseio que para desejar-se. Qua-
^ tro destes banheiros sao especial-
ggx mente reservados para senhoras e
5 por isto acham-se collocados em lu-
ffi gar reservado, aonde s tem entra-
SK da as pessoas de urna mesma fami-
PREgOS DE RANHOS AVULSOS.
K 1 banho fri, momo ou de
m chovisoo...... 500
s I dito de choque .... I|000
[ i ditodefareo...... 1^000
i dito aromalisado I 000
g PRECOS POR ASSIGNATURA.
30 banbos por mez fri,
morno on decbovisco. 104(000
25 banhes com cartoes pa-
ra os meimos .... 10^000
12 ditos ditos dito. .'(JOOO
12 ditos ditos de choque. IOOCO
42 ditos ditos de farello.. lo0C0
O estabelecimento estar aberto
nos dias uteis das 6 horas da ma-
nhaa as 10 da noite, nos dias san-
tificados das 5 as 5 horas da tarde.
Na ra do Imperador d. 46, srmazem,
cisa-se de orna ama para cozinbar.
pre-
Precisa-se de urna ama de boas costames,
para andar com om menino em casa, e mesmo en-
gommar : quem estiver n'esfas circunstancias di-
rija-se a' roa do Queimapo, loja n. 46, de Gos &
B astos.
I Aviso aos Srs. commer-
ciantes.
SO administrador da lythographia de Al-
ten Ridooz, sita a ra da Cruz do Reci-
fe n. 46, avira ao respeitavel corpo do
commercio que este esiabelecimento a-
cha-se competentemente prvido de todos
os materiaes safficienles e de bons offi-
ciaes, tanto gravadores como Impressores
para a exeeoQii fiel d todo e quajqaer
irabalbo, garaotindo ao mesmo tempo as
sidnidade, promptidao e assefo n'aquelle
trabalho de qae se encarregar. Outre '
sim declara que alm doqueezpostoQra, i
trbalo se em qualquer; obra por mais
mdico proco do que em outra qalquer '
parte ; porUnto roga se a benevolencia i
pro teceo dos Sr?. commerclanies para
prosperidade do esUbelecimento.
cimento.
Precisa-se alogar orna mnlber forra ou cap-
tiva, qae saiba bem cozlnhar, para o servico de
doas pessoas, paga-se bem : na roa do Hospicio
n.Vh_________________^_____.
Muthtr.
Preeisa>se da tuna molher forra on escrava para
comprar cozinbar em casa de boa i olfeiro :
na roa do Queimado o. 17.
!t

*
i


I^HH


HiBiaBaaii
lrto 4o Frainhaco -.
INJECTION BROU
dointator 00, boulewd M*8enii, Mfc^^ lM0H4euiUnd.) Puu.tn us
'
INJECCAOe capsulas
A^GETAESaoMATICiT
GRIMAULT&C!.EPHflRMACEUTiCOSEwPARIS

Vende-se na ra Nova o. 18, pharmacia fr; nceza de
P. MAURER i C.

PERFUMERA oa casa oger
Boulevart Sebastopol, 56, Izarte.
Dez medalha, a condecorado da Legin
d'honneur e a grande reputacao que tem lhe
dado o publico, taes sao as recompensas que os
seracos prestados a industria mtrecerao a
e|ta importante casa desde tua fundacao em
lo4.
N'um sortimento de maii da 500 artigas
as pessoas elegantes escolherao os segrales:
ROSEE OU PARAOIS, extracto superfino
para lenco.
POMMADA CEPHALIQUE contra a cal-
vicia.
AGUA VERBENA para o toucador.
OXIMEL MULTIFLOR.
VINAGRE DE PLANTAS HYGIENICA*.
TINTURA VIRGINALE de beijoiro.
ROSEE OE LYS, verdadeira agua de
Jouvencio.
CREME LABIALE de sueco de Rosas.
pommada velours para asante a
pelle.
ELIXIR odontophile.
SABAO dedicada as damas americanas.
SABAO de bouquet de Franca.
de flores de alcea rosea.
de flores printanires.
de bouquet do outono.
de perfumes exticos.
aurora, dedicado aoi dedos cor da
rosa.
de flores das moatankas.
de, cheiro de Coins nouveaux.
de bluets cheirosos.
de althea balsmica.
diapr, caixa rica, fanteiia pari-
sience.
e>
d*
d*
d
d
d
i*
d
>
d
i
Preeisa.ee le urna ama para casa de poaca fa-
milia, que saiba(eogoromar e eozohar : a tratar
na praga do Coroo Santo n. 17.
SEGUIOS
martimos
CONTRA FOGO.
A coropanhia Indemnisadora, eslabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo era edificios, mercadorias e mobilias :
na ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Na praea da Independencia n. 33, ioja de
oorives, compra- e oaro, prau, e podras preciosas,
e lambem se faz qoaiquer obra de encommenda, a
todoe onalqner concert.
OITerece-se orna rapariga solieira para co-
zer e habitar era casa de qualtjuer madama: quera
preear dirija-te a ros das Cii# Pcpias n. J7
1* andar.
LIVROS
BE
PREPARATORIOS
LINGUA NGLEZA.
HILLARD'SFirst ClassReader. in 12.
MOTTA Gummaica pratica da lingua
maleza, in 8.
SADLER Gours complet de laague an-
glaise.
SADLERDictionaire francais-anglais -
anglais-francai-1, in 8." -.
SP1ERS Dictionaire francais-anglais
.aDglais francis, 2 n 4.
OLLENDORF.Methode d'anglais, in8.e
RSSEL Curso de, liogua iogleza, se-
j gundo o mtthodo Iiobertm 3 io 8.
viEIRA Dictionary of lhe english and
, portogoese anguages, 2 in 4.
I WALKEIL- Pronuncing di-tionnarv. in 8o
NA LIVRARIA FRANCEZA
N 9 Ra do Crespo N. 9.
O secretario ds contraria de 8." Jos d'Agona
faz sciente ao re-peitavel publico, que por motivos
. jaaja?, fui iram-ferlda a resta do oosso palriarcha
qae de ter no da 2* do corrent* para o dia 13 de'
maio prosudo.
Joaqnira Gon^alres Salgado..
secretarlo Interino.
Ana
de ama afll
4eA*grlI4f ^66.
Grande navdade
Preotsa-JM de ama ts jipara ecsiobar e n >
servlgo de ama casa de peuca familia; a tratar na1
na- da Gnia n. 33 segundo andar.
trecisa-se
Alagar um moleque, on nejro moco oa de meia
Idade, para todo se"**--
neqaeoa familia
... n- 38, toja.
_ Sr- <* rua do Vlgnrlo n. 24 que quer fallar
\k S HOUradOS, Na rM to$^v$J!^ n. 16, ven-,
eafeitadts ctm Sljofijfes, peiWS, '""'Jj; de l!fortes'e de difrereDtes '"Euras Wa Ioja e armazeni da Arara na
,g(iHjt03. qu^roj para retfatog.
meniin e shra?.
A gola-branca veffde bonitos e modernos dia-
demas doarados, enfeitados com aljofares e pudras
proprias para meninas e seohoras.s*
Bonitos cliapociiihos
de palba fina e aTencaes aira ninas.
que os banljals de faoiHa
leque, oii negro moco oa de meia; ^p j\a\& esta de
er?T.!T** <*sa*m0|olMa<*. o}0 pdeq escusar de"corop7a5?for faYeren t
itar ra rua "da Imperatriz ias ,,arle do-ag8e0 e bom gosto*MJ que-trajam
suas bUa* UitunUai A aguia branca tem pra-j
-----------------TO, _. __ ,|UV<1, ,..._. .tft de ver flBe'leorbellas e precia! iibraf fcrm"
*j tota D. Claudina defames flivateaoii, iaa do devidimemeiprirtadas e comprdas em sea ni-
COMPRAS
Compra-se oaro, prau e pedras preciosas
em obras velhas : na roa da Cadeia do Reclfe
cja de oarives no arco da Conceico.
Ouro e prata. .
Era ofcras velhas : comprs-se na praca da la
dependencio n. 22. Ioja de bilhetes.
Compra-se ama barra de ferro, ingiera oa
mesmo das antigs; na rua Nova n. 31._______
Compram-se duas rodas para carroca oa
ama carroca qae esteja em bom estado : no arma-
zem da bolla amarella no oilo da secretaria
1 noticia.
da
uvan>, uiaumua uc iwnnj l*ivaica()ll, IUT uu -"
i tallecido lote Rabello Tavares, dlrija-se a rua do uno. Os cbapeozinhos, alera da serem d'qma pa-
Arago n. SO que abi achara a raesma viora. lna mol fina, sao de mui bonita forma e ultimo
r __.______ posto, enfeilados com toda a pwWclo: os aveo-
laes, porm, >o de fina cambraia^aarnecidos de
qabadinhos bordidos; o qae lls da muita graca.
Os precos desle, 5000, e daqoelles, 10*; e de
quanto sao elUs baratos conheeera o pretendente,
que se dirigir a' U.ja d'aguia branca, na roa do
Queimado n. 8.
v Id rimo de cores e aljofares,
imilaodo aeo, para enfeites de vesiidos.
A aguia-branca na rua do Qaeimado n. 8 rece-
ben um bello sortimento dos objectos cima pro-
prios para enfeites de vestidos, ele, ele, e est
vendendo commodamente.
Novidades.
Na Agola branca i roa do Queimado d. 8 rece-
ben diversos objectos de moito gosto e inteiraaen-
te novos, sendo:
Bonitos e delicados pentes doarados e prateados,
tendo entre elles algnns de filigrana obra mnr per-
feita e de elevado gosto.
Ditos com cbapa de madreperola.
Brincos de filigrana e ouiras qualidades.
Flvellas de dita e outras tambera de diversas
qaalidades.
Cintos mu bonitos, enfeitados em toda a exten-
cao com caracteres doarados e prateados.
Filis enfeitados com moedinhas dourads.e lan
tejoilas, aljofares Si &, sendo para coque, e toda a
cabeca, e oatros com plomas &
Gompra-se ama carroca qae esteja em bom Bonitas voltas de jaspt com cruzes, tendo lam
esudo : na rna da Cruz n. 53, 3o andar. Na raes- be* Ignmas de dnas cores.
ma casa w dir qoem vende dous escravos cabras, Luvas e meias
i de laa vegetal, para quem soffre de frialdade, pa-
ralesya etc. Vendem-se na roa do Qaeimado Ioja
d'Aguia branca n. 8.
Bandoliue de roza
para segurar on conservar perfeitamente atado os
cabellos das senboras. Vende-se na rua do Quei-
Compra-se na prensa de algodo de Saanders
Brothers d C. sementes de algodo a 500 rs. por
wroba.
Compram-se latas vazias de gaz : ca rua da
Goia n. 9.___________________"___________
Cobre lata e cliurab
No armazem da ola amarella no oito da
secretaria de tollcia, cempra se cobre. latSo e
chambo. "
de idade 40 annos, bons carrelros.

VENDAS
AOS SUS. ACADMICOS
! mado Ioja d'Agoia branca, a 1*000 o jjte.
stW
Enfeites retos para ves
A Agota branca, receben novos enfettes pretos
vendem-se as seguales obras de direito para vestidos, sendo bicos com vidrilbos e sem
com pouco uso : Manuel du Droit Itoma/n I e"es> 'raneas com pendentes de vidrilbos e sem
;or Mackeldey, i volume por 45 Diccio- e!ies'cordao grosso timbtm C('m vidrilbos e sem
nnire du i^memHttn ^-T.-V7 ssim como galoes e franjas de diversas lar-
natre auLmte*Heu\ Commeraal, por Mas-1 guras, flus de vellodo etc. como sempre os bons
se, i volume, por 5)J ; Elements du droit fregoezes encontraro commodidade de pregos nos
romain, por Maynz., 1 volume por 4)5; Es- objectos que se vendem na Ioja d'Agoia branca roa
prit de la j*rpprtietice des successiom, ido aeiroa(l0 n-,_ ..
porConflans, l volume, por i: Traite del ,-. A,moes evidro
dmii r>*nl nr d d u i 'com eteiles d'aco no centro.
JVWI penal, por P. ROSSI, 2 volumes, por i Essesbotoes qae tanto servem para raelbor se
U; Code praiique des faillites, por Geof-
froy, 1 volume, por 3l; Elements de l'Eco-1
nomie Politi-que, por Garnier,vi volume, por
20; e Organisation du trattitt, pcrLouis
Rlanc, 1 volume, por ltOQ; na rua do
Crespo n, 4, fabrica de cbaposde sol.
poder enfeitar um bom vestido preto oo de cor,
achao se a venda na roa do Qaeimado Ioja d'Agoia
branca n. 8.
Acaba de cbgar aloja da agaia branea
a roa do Qaeimado o. 48.
Cbromaco me para Ungir cabelles.
Hoild walter para dito.
Tintara de L. Marques para dito.
guia branca
a roa do Qaimado n. 8
acaba dereceber:
Lantijonlas d'aco para enfeites.
!*&% ffiAii Peonas brancas e de cores, para gorjos e chapeos.
i InUJtfe Eojeites filets. mol bonitos e modernos.
Acabam de sahir luz as folhinhas de Sapatinbos de setim par baptisados.
algibeira e de porta para o anuo de J866, o; SSf ltAi f? mesm?-
mais rnrrprta nnseva iin K u i i \ Bonitos chapeosinhos de setim para dito,
mais correctas possivel tanto no calculo das Rosas camelias e ootras qaalidades.
tuas e eclipses, como as diversas feslas Novos brincos, flvellas, pentes e pulsjiras de fin-
que a igreja celebra; vendem-se unicamen-' m'-
te na livraria da praca da Indenenilpncia i ?-1'" 'eda de cores Para debronhar vestido.
160 ris as rlP nnrilK Qn r! -fS li' D ,c Jacom differenies cores e larguras.
iou res as de porta e 320 res as de alg- i-.u de gorgoro, desenboe novos e bonitos para
oeira. iUjos.
Carteiras com aguihas.
FOLHIiMAS
Vendem-se na rua do Queimado Ioja de miude-
zas n. 16, bonitos.qoadfo* "con mordura preta e
dourada, ledos por precos rascaseis.
Garrafas brancs
e de cores com operor agua da colonia.
Vt-ndem-se o roa do Queimado, Ioja de miude
zas o. 16.
- Novo gosto
Pentes, fivellas, c hrinn de felisrana.
A amiga e li-m r. un. ci.i.-i lija n. 16 na roa do
Queimado, recto, u um soiimu-oto de diversos ob-
jectos de novo e bom gusto, m ik'o pentes-brancos e
doorados de moldes eotrirtmente novos e mal a-
gradave s, lenrio efiro elles alguns de flligraoa obra
de multo gosto e ii.cil exeec^p, e bera a-sim fl-
vellas e bnoio as mesmas circumstaacias.
Tambem receben aiguDS cintos o qne de roai?
modcjrnoe bonito, se po Alm di.-so encooirariu os pretendentes om com
pleio sortimt oto de flvellas de madreperola, chris-
tal, tarUrnga, e doarados, brincos de christal, e
jaspe, voltas e cruzes de dito e muitos oatros objec-
tos de gosto, os quaes continoa-se a vender commo-
damente.
Penentes de madreperola, e enfeites filtts
A Ioja de miadezas na roa do Queimado n. 16,
receben bonitos pentes com chapa de madreperla,
e novos enfeites filets ornados de lantejoilas dou-
rada.*, moedinhas, aljofares, vidrilbos etc., tendo
grandes para toda cabeca e pequeos para ctque,
regulando os precos de i} a 4000 rs.
B mitas caisinbas
com arranjos dourados para costura, tendo com
msicas e sem ellas. Vendem-se na rua do Quei-
mado Ioja do miudezas n. 16.
Trancas pretas
com vidrilho*, e Lieos com ditos e sem elles para
enfeites ou vestidos.
Na rua de Queimado n. 16 Ioja de miudezas a-
charao os pretendentes um bello sortimento dos
objectos cima ditos, cascarrilha?, franjas etc. etc
e todo est sendo vendido por precos coa modos
Botes pretos
de vidro enfeitados d'aco.
A Ioja de miudezas n. 16 ro do Queimado
vende mui bonitos botSes pretos de vidro com en-
feites de ac, os quaes muito se uzam para eoftitar
vestidos, quem os pretender pode dirigir se a dita
Ioja n. 16 rua do Qaeimado.
Vendeza-se na Ioja de miudezas
a rua do Queimado n. 16.
Bonitos leques de sndalo e ootras qaalidades.
Bonitos-cintos com fivellas Je diversas qualida-
des e moldes.
Brioeos e cruzes de crystal.
Abotoaduras de dito para colotes.
Bonitos port-relogios.
Delicadas caizas com msica e sem ella, para
costara.
Agolbas e liabas para chfocbet.
Retroz superior em tarrifis.
Rendas pretas e bicos com vidrilho?.
Fitas de velludo com listras de cores para en-
feites de gorros e vestidos.
Ditas de grosdenepeles, lisas e lavradas, brancas
e matisadas.
Para Ungir cabellos.
Hoild Walter.
Vende-se na ruado Queimado, Ioja miudezas
n. 16.
Clii'oiiiacn-uio
Para Ungir cabellos.
Vende se na Ioja de miudezas, a rua do Quei-
mado n. 16.
Tintura de L Marques
Qara fazer os cabellos pretos.
Vende-se na rua do Queimado, a Ioja de mia-
dezas o. 16.
Missaagas miadas, ajorares imitando
aeoevidiilhos decores
para enfeites de vestidos; vende se ludo .isso por
presos razoaveis na 'oa do Queimado n.l oja 16,
de miudezas.
56,
da Imperafriz n.
DE
LeureBco P. Rendes Goitaares.
Arara vende chitas a ICO rs. ovado. -
nea^e cb"*8 escurs claras para r-iidos a
fift-fft7<>l?A0-iSI;vad0i dlUf fraDCf,"s or a
180,3K>, 3B0 400 r. o avad : rua da Impera- '
triz Ioja da Arara n. 86.'
Cassas da Arara a<240 o covado.
Vende-se cassas franceuitoft para vestido* a
240, i80e 320 o covado, rj^Bo fraore para va-
lidos a :iO o cjvdo : rqjlroperatm Ioja da
Arara u. .0. J
Arara vende riscado pjfl m$* a 20ftrs. o
Vende-se riscado proprlo para caljas e ramisas
de escravos e salas de eseravas por ser muito for-
te se verde isla fazenda a 20rs. o covado risca-
do de linho paw caifas epaletots a 210 vrovao'o :
na Ioja da Arara roa da Imperalriz n. 96,
Arara quer vtnder as saias a 30500.
Vende-se saias bordadas para senhora a 3fXK),
45, 6 e 8#, camisas ;-ara seuhora meninas a
i^oOO : s no barateiro Arara rua da Imperaiz.
D. 36.
Os vestidos da Arara a 50.
Vende-se vestidos de eassa a Mara Pa a S e
89, ditos de lia muito linos a 104 12$ >&, ditos
com camisirha e sinto a 2o e 28^ : rua da ira-
l era triz n. t6.
rara vende as crino'inas de cores a 30500.
Veode-;e crinolinas y baldes de cores e bran-
eos a 3*,3500 e baldes de arcos a f e l#5C0:
rua da Imperairiz Ioja da Arara o. 56.
Chales da Arara a 20.
Vende se chales de merino estampados a ?,
floOO, II e Si : rua da Imperalriz lija da Ara-
ra n. 3o.
Arara verde laazinhas a 200 rs.
Vende-se laazinhas para vestidos a 200, 240,
320 e 4G0 o covado, ditas matisadas a LOO e 060 :
rua da Imperalriz ioja da Arara n. 56.
Chale8de fii de linho a 60.
Vende fe chales de fil de linho a 5J}, 7$ e 8$,
retondas de fil de linho a 8 e 10/, chales de se-
da de fil a 145 e 18/ : rna da Imperalriz Ioja o
armazem da Arara 0. 6.
Roupa feita por medida.
Vende-se paletols de osuno preto a 6/ e 8/, cal-
cas de casemira a 6/ e 8/, camisas rance7as a
-2} e 200, camisas de pregas iargas de lit'io a
o 0, 3>, 3500 e 4/, paletols de bi im de cores
a fi e 3*, caigas de brim e ganga a 2tf : rua da
Imperalriz ioja da Arara o. 56.
Arara vende casemira enfesiada a 10.
Veode-seoasemira eDfestada para caiga e pal-
lot a 1 o covado : rua da Imperalriz Ioja da ra-
la n. 6.
Cortes de casemira a 20.
Vende-se cortes de casemira de cores a 2J, cor-
es de brlra e ganga a 1$, 1/S00 e 1SG0O, corss
de casemira preta a 3/500, 4/ e o : rua da Im-
pera riz n. 56.
Pales para meninas a 30.
V5ode-?e bales para raeuioas de muselina a
3/ e 3/oOP, ditos para senhora a 4/500, 3/ e
3/oO : rua da Imperatriz Ioja da Arara n. 56.
Arara ves.de as mantas para pesceco a 10.
Vende-se mantas Oara procreo a 1/, gravitas
de .eda de cores a 5C0 e 800 rs., colarinho de pa-
pel a 500 rs. a duzia : rua da Imperalriz laja da
Araia n. 56.
Laazinha para luto a 500 rs.
V.nde-se laazinha para luto a 500 rs. o covado,
alp?oa preta a 500, 610 e 8(0, cassa preta a 320 o
covado : rua da Imperatriz Ioja da Arara n. 5 J.
_ Vende-se a casa terrea silo na Boa-Vsta..rua. Carteiras com aeolhas._____________________
^S'^\r^XtS^Jc^o ^mmm de azendas
M nba-atas dd Santos oeb.o
fcldlim iDglez.
Na rua do Uesuno n. 14, vende-se
novo.
nm quaei
I.
Vende-se
Um carro americano novo de i rodas e 4 arreste!
com competentes arreios; oa rua da Ponte Veia
n, 8.
Chegou Ioja da rua do
Crespo n. 7 A
w. mais ricas toalhas de labyrintho, assim como ri-
ca-s fronhas e lengos de dito, moito finos.
Pechincha adiravP ^
Laazinhas de qoadrinlios que parece seda a 240
r?. o covado, ama grande pechincba, est se aca-
bantfe : na Ioja n. 52, armazem da porta larga de
Paredes Porlo.
Vendem-se malas e bahus asados moilo em
conta : oa roa .estrella do Rosario o. 24, Ioja de
trastes.
Luvas de pellica pretas e ou-
tras cores.
de miodezas a roa do
Roa do Qaeimado u.
Vende-se o segrate :
Cobertas de chita da India a 25400.
Lencoes de panno de linho a 2/200.
Ditos de bramante de linbo de nm s panno a
3/200.
Lencos de cassa brancos proprlos para algibeira
a 2J0O0 a doza.
Algodo enfestado com 7 ii2 palmos de largura
a 15200 a vara.
Alhoalbado de linho a 2/800 a vara,
Dito de algodo a 2/ a vara.
Goardanapos de linho a 3800 a duzia.
Pegas de cambraia de salpico? a 45500.
Lazraha abena de cores a 320 o covado.
Cambraia branca de farro a 3/ a pega.
Fil de linho liso fino a 800 rs. a vara.
Dito de dito com salpicos a i a vara.
Paono de linbo fino com 9 1|2 palmes de largu-
ra pelo barato prego de 2/400 a vara.
Madaprjes tinos a 8/, 9/, 10/, 11/ e 12/.
Cambraia lisa de 4/500, 5/, 6/, 7/ e 8/ a pega.
Pecas de bretanha de algodo com 10 varas,
propria para saia, pelo baratissimo prego de
utJOUvt
Laazinha lisa de cores a 500 rs. o covado.
Carabraias Inae
Chegaram para a Ioja
Qaeimado n. 16.
Atiendo!
Attencao!
Attencao!
Gr< sdenapKs preto a i$600 o covado.
Vende-se nm grande sortimento de grosdena-
ple a 11600, 1/800, 2/ e 2/500 o covado ; dilo
muito superior a 2/800 e 39 : na roa da Impera-
lriz n. 72. Ioja de Gnimares & Irmo.
Moriantique prelo a 20800.
Vende-se um grande sortimento de moriantique
a 2J800, 3/ e 3/500 o covado.
Chales de renda pelos a 80000.
Vende-se lambem um variado sorlim.nto de cha-
les de renda a 8/, 9/500 e 10/ ; ditos muito finos
a 11/ e 12/ : ditos de seda fazenda muito fina a
20/000.
Retondas pretas a iO.
Vendem-se retooaas pretas pelo barato preeo de
10/ e 11/ : na rua da Imperatriz n. 72, Ioja de
Guimares & Irmo.
Grande pe hincha panno preto a 20000 o
covado.
Vende-se panno prelo preprio para caigas e pa-
; lilots a 25 e 25200 o covado ; casimiras pretas
; a 15800, 25, 25400 e 25500 o covado.
K' moito barato cortes de casimira a 30OO.
| Vendem-se cortes de casimira preta a 3/500
: 4/ e 4/500 ; dita muito fina a 6/.
Admira cortes de brim de cores a
1,280
Vendem-se cuites de brim de cores para caiga a
1/280,1/600, 1/800 e 2/ ; na rua da Imperatriz
Grande armazem de tin-$
j| tas medicamentos etc.
m Rua do Imperador o. 22.
?o Pedro das Heves (ge
fi rente) tena a venda o
JR segnlnte:
Productos chimicos e pharma-
ceuticos os mais emr mirados em
medicina.
Tintas para todo o genero de pin-
tura e para tinturara.
Productos induslriaes e tintas
para flires, como botes de flores
e modelos em gesso para imitar
Crudas e passaros com o compe-
tente desenho.
PrcJuctos chimicos e indnstriaes
para pholographia, tin uraria, pin-
tura, pyrotecnia et<\
Montado em grande escala'e sup-
prido directamente de Paris, Lon-
dres, Ha m burgo, Anvers e Lisboa
pode offerecer productos de plena
conanca e satisfazer qualquer en-
commenda a grosso trato e a reta-
lbo e por preto commodo.
;?;

m
m
m
i
I
m
m
Vendem-se garrafas e botijas
das: na roa da Soledade n. 38.
Vende-se orna armagao para divisao
crip.orio, e amarello, com porta e
obra mnlto boa: a tratar na roa do Mondego, dfcn
ria a. 13.
. de cores miodinbas a 360 rs. o
covado. i *~v iuw, i*>ovu b 90 : ua 11
Esteira da India propria para forro de sala de i -,72> lnJ* de Gaimaraes d Irmao.
,4,5 e 6 palmos de largura, per menos prego do ,iol,:m" '" -x:
------ j que era ootra gaal()oer pane.
vasias e lava j Neste armazem tambem se encentra om grande
sortimento de roupa feita e por medida.
Sabonetes
Mediclnaes de aleatrfio.
Remedio efflcaz contra as doengas cataoeas; as
impigen?, bnrbulha?, comich5es, postulase sarnas;
na pharmacia do Pinto rua do Rosarlo larga n. 10.
Algodo avaricido
A preco de cada peea.
N 27 Rua do Queimado /V. n
Faias da llha.
Vende-se na roa da Cacimba n. 2, taberna em
rente a rua do Vigano, pelo commodo prego de
120 rs. cada libra.
itonslro Na rua da Imperatriz n. 28
Vendem-se corles de cambraia brancos com 4.
5 e 6 babados a 20/ e 25/.
Fil de seda prelo com flores a vara I/.
Cambraias brancas de orna vara de largara fi-
na a 1/ e 800 rs.
Ricas lampadas e candieiros a gaz por grosso
e'areuibo. fe
Pechincha
Vende-se a taberna da rna da Gnia n. 36 pro- TuoXof'm r"
prio para principiante, e o motivo se dir ao com-
prador.
F baratissimo a 120 ris o covado:
Vendem-se riscadinbos moito proprios para roo
: pa de escravos, a 120 ris o covado; ditos escoce-
, zes muilo finos a 240, 280 e 300 ris o covado.
Laazinti s a 'Ato rs.
Laazinhas de quadrinhos a 300, 320, 360 e 400
i rs. o covado ; ditas muito Gnas a 500 e 560: na
rua da Imperalriz n. 72, Ioja de GuimarSes & Ir-
ruios.
Cortes de lia a 5J0GO.
Acaba de chegar a este importante ettabeleci-
I ment um sortimento de cortes de laa qae se ven-
de por 5/ e 5/500; dilos a Mara Pia, fazenda
muito moderna a 12?, 14/, 18/ e 20/ ; ditos com
camisinba, cinta e grvala a 25/ e 285.
Chitas francezas largas a 260 ris.
Vende-se nm grande sortimento de chitas a 260.
I *^J^.?20..?_360 rs. o covado ; ditas preciares
0
360
mmm
i Oa chales do Pavo a 6/ 7/ e 80.
Vendem-se ricos chales pretos de renda muito
grandes com qoatro ponas, sendo os mais moder-1 venoe-se um grande sortimemo de camoraias
nos por lerem chegado pelo ultimo vapor fnncez,! Usas pelo barato prego de 3/, 3/500, 4/, 45500 e
nOtn, flPinoifl **"- Pe|o baratiss mo. prego de 6/, 7/ e 5/ ; ditas mallo finas a 5/500 e 6/: ditas victoria
uw"6 r*cyvvi Vende-se am excellente terreno de grande pro- G*"ai 4 Sll?a- A"-----
ftSftfJfi?.!!*" r?,M ie Portogtl, silo no! Vende-se na roFda Cruz" n. 33, trina?, vo-
llia Terceira,
Tasso Irmos
Vendem no seo armazem roa do
Amorim n. 35,
Licor fino Curago em botijas e meias botijas.
Licores finos sortidos em garrafas com rolha d
vidro e em lindos frascos.
Vinhosheres.
Santeroes.
Cbambertn.
Hermtage.
Rorgonhe.
Champagne.
Muscalel.
Releo.
Bordeaax.
Cognac.
Od Too.
PAezei lagniol.
FABitiCA
Umbraias de cores a 280 rs, o Oe ca'de reiro Mondicao.de ferro, si-
covado 'sebronze; eam os escravos.
Vendem se camlraias francezas a 280,300, 320. ;rtY"Ie" .* prrta,ndfl f'b,'0!! ,^Tald,'rJt'rt0 !"?
Oe 400 rs. o covado. d'ao de m;!,aes. da r"a imP?l D?- *5* a 158 ;
p.mi.-..; i!-- o aaa __^-- e tratar com a viuva de Sebastiao Jo da Silva.
na roa aova n 35, ou na rua^a cadtia n. 87.
! SJBKM.pSWllil
i
Cambras. a peca
Vende-se um grande sortimento de cambraias
m
e 95; ditas p;ra Torro a 1/600, 2/e 2/200 : na
roa da Imperatriz n. 62.
logar deoomraado Pico |das Favas fregezu da Jantes e gX,^S. ."t.^ft.Sl v ROUPA FEITA.
Vende-se nm completo sortimento de roupa fei-
ta feita. assim ct mo sejara palitots, caigas, coletes,
Fon le : os emndenles podem dirigirse a roa do
Vigarlo n. 24 escrlpl^rfo, que farao bom negocio a
vista dos ttulos qae aotorisam a vend.
Vende-se ama taberna bem afregeTada-;">
tratar no paleo do Tergo n. 12, Ioja de looga.
Vendem-ne 400 pedras para ladrilho," vldas
da llha : a tratar na roa de Vigarlo n. 14.
m velas, escovas para calgado, doas pipas vazias
cora toroeiras para deposito d azete, cera de
carnanbi, hido por pregos eommodos.
tarinha
Rua da Madre de De os
A 48300.
a. m
Boa acqusco
Vendem-se 4 casas-terreas novas, lirr.
pas, bera alagadas epor mdico prego
os pretendentes entendam-se com o es- ?
crivSo Aihayde que se acha autorisado s<
pelo respectivo proprieiario realisar as **;
a referidas vendas. |K
feM9U*Bsaaa*rs
COIares Royer on colares ano-
dinos
para faciliur a dentlgJo das criangas e preserva-
las das convulsoes.
O feliz resoltado obtido inmensas vezes pela
prodigiosa forga magntica dos colares Rover 'nos
casos de convolses, e dentigao das criangas um
altamente elevado o sen bem merecido prestigio
e hoje j se pode dfaer qae esto geralmente .-on-
ceituados, e estimados de mnuraeraveis pai de
familias : de nos porqoe do uso dsses salutares
colares viram salvos do perigo seus charos filhi-
Veode-se o hotel de Italia, sito na ro do Trapi- eho% e de ootros porqoe colherara daqoeik- tao
che, com graode< accommodagOes acedadas eme- proficuo exemplo para igualmente preserva- os
SVaSTiSrSE.'a <> oiotlvo da venda se'dir' ao.comprador ou l'lt.^j;^'d aeceswrio e *""> rem do ^a seus. Assioi, pols, ajguia branca, (ando >n vi>-
r^^AmorraHSflm Joao S'^Ses ementa, a-Uambem se da'soeiedade a caem entra-coni a '". Pr rerem seos prqprletaiios retirarse las a otilldade e proveito desses prodigiosos .,ia-
roadQAmorItnn.36______________ g-uns fMdog. rtTar na mesm. '" Cm P,r'a "o PWio. A loealidade e o estado do res anodinoa oo Royer, mandn vir o aovo su n-
" cm ment qne agort receben, eeontlnnar a rece-
ios para qae em tempoalgura a falta delles -possa
AOS amailtftS dn KaiIaq i Vende-se farinha de mandioca desembarcada
v^Y a ,rtmf u\p uus Wnlies. | boje do palhabole Bebaibe, pelo baralo prego sel-
h>1esel0"8 eptlca de todas as cores para ma, a melbor qoe existe no mercido, siccas
homem esenhoras,'pelo admiravel preco de 600, grandes. *
800 ej/ o paj; : a rna do Queimado o. 67.
Cava I lo.
Vende se om bonito cavallo, bem gordo randa-
di r, para ver e tratar na coxeira defronle da esta-
gao da estrada de ferro.
- Vede-se orna UbernTioTOaatro Cantos em ,A?^e'*e \labrD da ro* de S> Jo 2mui
Onda o. 4, propria Mr?hmii*. il,i, Si t *frna lano oara ,a ierra cerno para o
raesma. e no Reclfe u.*Z. &2! fi wto, o motlw da venda se dir' aacomprador, ou
Aileuco.
camisas francezas a 1/600 e lSOO ; altas finas a
2/ e de linho a 2?500, 35 e 3/500 ; seroulas de
i/200, i/400 e 15600, de linho a 25 e 2/500 : na
roa da Imperatriz n. 72, Ioja de Guimares & Ir-
mo.
\mmmmm mmmmmmmm
Of imperial
O soperfor caf do Rio de Janeiro, ven-
de-se a 12/ a arroba ; na rua do Vigario
n 21, escriptorio.
HOTEL
teelogios americanos
r
-Raa Mova-i
E. Aagusto Delooche acaba de recebar oro gran
de lortimento de reloglos amerieasm paVa parede
e cima de mesa, com despertador e sem despena-
dor, corda de oito oas, fflaoga a qualidide, ven-
de-se por preqo m copla.
estabeleclmento garanlem bom resaltado ao
pradftr e Ihcassegursm prosperidade.
^FSe?it^i^Fk,Si^^ ^^msk.^ de l0r:
inde-se or,eW.vo preto,
Cal de Lisboa
desembarcada do vapor inglez Cas$ie, vende se
aatio de Ollveira
numero 17.
_.sei funesta aos pas de fmlli. qoaes flr.iro
a tra- -ortos de os achar consta: na roa io (Juei-
.-, crloDlo, de
Venda.a ai MM. ...:. s:; ,.'., |-oos de idad?, poaco mais oa menos, do servieo
dre ir vS a ?. g rM to'Ma' j Jfe sero de,eit05: M r" < AP"0
*! ^

.


Jfti
na rna d Sensata A'c
*ti-it



lsr4*
**rH9m&
*WHflMft
?






A' loja de fazeadas de Augusto Porto & 0.
11 Ra do Queimado-'-ll
am pelo ulnio piquete superiores eocbovaes completos com vestldlnhos bor-
rfanco Iuvm de pellica, anotas e capellas brancas para noivas.
(colchas de seda decOr e defl e seda para camas de noivas.
ortimento de cortinados bordados para camas e janellas.
os bonete* e gorros de palba de Italia para senboras,
Ppreakles cassas o cbitas Anas dos gostos mais moderaos.
Ataerienes, retoodes e chales de renda pretos.
namisas Boas com peitos, punhos e colarlohos de linho para bomens. .
Liadas casimiras de cores, liasinbas, pannos e casemiras pretas, merino
e bom-
bazina.
Bramante moito largo a 24300,14700 e 3J100 a vara.
Tapetes e alcatifas para torrar salas e tapetes grandes e pequeos para sota.
Camisas de Amella, colarinbos de iinbo, seroolas de linho. ......niw
Camisas de niel* Boas, balSes de arcos, de mus salina e de madapolJo, esparlnos
e finos manguitos bordados. ,.
Esteifts da India para for ai? salas
as memrese por mais mdico preeo.
41Raa do tuelnaado11
#
*
CORTES DE SEIIA
Chegaram pelo pa%Ylngtei riqnissimos cortes de moreantique de cores, e seda lamn pa-
""""TKSTdB quadros por 000 o covado
5RA DO CRESPO 5
Gregorio P*e# lo Amaral Companhla.
Bol
F4ZEND4S PRETAS
VOVOS GERENTES
DOS
tken<;o%\ihn
AHAZENS- M M0LAHD0S
DENOMINADOS
PROGRESSVO pateo do Carmo n. 9
L'NIO E COMMERCIO ra do Queimado q- 7.
VERDADERO PRINCIPAL ra do Imperador n. 40
DE
DE ARTE CARVALHO PERIRA -pC.
CONSISTORIO MEOrCO-CIBlRGlCO
DO
BRrPMRO DIATtAHYDE L0B0 MOSeoSO,
MEDICO, PARTK1R E 4>PElt tlPOlt.
3 Rim. d& ffloria casa do Fw*ik) g
O Dr. Lobo Moscoeo d coasultas gratuitas ax* posrs* todos os das das 7 s i i
aoras da manh3o, e das 9 e meia s 8 horas danoite, excepc*>dos diaa saatincadog.
Parmack especial homeopathica
N* mesmo-cousslterio La seare o mais appraprjatie sottmeato de- carteim
tibos avulsos, asatm eafto tinturas O varias dauonamiaar/ies e pelos presos leguintea
Carteiras de 12 tobos granis. 120OOO
> de 4 tubos grandes. 180000
> de 3B tubos grandes. 24(5000
ele 48 tudos grandes. 30(5000
de 60 tubos grandes. 350000
e com o remedia
Prepara-se qalqrjer carteira confort!* e psdido que se fizer,
Um tubo a valso ou frasco de tintura de meia sea 10OOG.
endo para*cima (fe Ifrcuatarao cwpsacos saubelecidos para a carteiras.
Ha tubos nHis pequeo* cada um a SOOris.
I.1YRO*.
ero tambem servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remeneada nos urna conta
pela qual se ver os preces tal qual amroociarmos, 0. que seno arre pender pessoa
alguma que fizer saa despenda em oossos esHbelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
moreantiques a 2,5500, 20600, 30, 35500, 4* e 80080 0

4
Gros de aples preto a 500,1,5600, 20 30, 350O e 40 o corado.
GorgoVao preto de superior qualidade a 2*500, 2J80O, 30 e 40 0-co-
vado.
Superiores
covado.
Bons cortes de moreantique.
dem de gorguro adamascados.
Bons pannos e casemiras. .
Sup riores alpacas, princetas, merinos e bombaznas.
Bons villudos pretos. a al u
Grande variedade de chales de fil preto e de guipure a 50, 6*, 80,
103, 120, de m a 205, e de 255 a 805 cada um.
Superiores retondas de fil preto e de guipure a 85, 105, 125 e 255,
e de 305 a 605cada urna. a a
Superiores algerienes de fil preto e de guipure de 125 a 255, e de
303 a 603 cada urna.
Bons chailes de seda preta.
Ditos de Merino preto bordados e outras muitas fazendas pretas que
seria enfadonho enumerar, na
IiOJA HAS OOIaVXSAS
DE ANTONIO CORREU OE VASGONCELLOS & C.
RA O CRESPO W. t
Fazem scieute ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
genhos, lavradrese mais pessoas do centro, que para mais. facilitar anas compras deli-
beraran! os propietarios- des tres grandes armazeus, reunir todos os seus estabeleci-
asntoa em um so anouncio, peto qual o* pree* de am ser- de todos, promete- melpor tora^fcomeopathis, a Mansal de Meclcin* Honuopaihico da Dr Jarh
mosquelo mfringiremos a tahea que abanto vai publicado, annunciar os gneros dous grandes volumeasasn diccionario........ 2fWimn
por umpreo, e na occasiSo da compra quererem por outro, como socede constante-i Jdiciia dopeiaa do Dr. inaft ....... loSS!
mate em outras muitas casas, porin nos nossos estabelecimentos n5o se dar isto' lepertorio-do Df.Meli Maraes........ 6AO0n
anda mesmo com prerfuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que Diccionario de tannos de medicina .* *
Manteiga i'igleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente a 1,12o rs. a libra, e
em barril ter abatimento.
Manteiga franceza d safra nova a 8oo rs.
a libra e em barril ter' abatimento.
BANHA
Vtaagre
Superior vragrw d Lisboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oo rs.
a caada.
Azeite doce
Superior azeite doce de Lisboa a Too rs. a
nM refinada superior a 64o rs. e em garrafa e a S,5o#rs. a caada.
ril ter abatimenfo.
(Hi
Cha uxm de primetra e superior qualida*
de a 2,8oo rs.
dem bysson o mellior oeste genero a
2,6oo rt., o sendo m porc3o tert abatimen-
to, tambem ha pfoprio para negocio de 2 a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de l.Soo a 2,3oo r.
a libra.
nlflCOHtOS
Latas com superior biscouto inglez de di-
versas marcas a l,2oo rs. a lata.
Bolaehluhas
Latas com bolachinh da acreditada fa-
brica do beato Antonio, proprias par/t dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata.
dem com quatro libras de bolachinha de
soda a 2,ooo rs. a lata.
Queijos
Queijos flamengos chegados pelo ultimo
vapor de 2,3oo a 2,5oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespaahol a l,ooo el,2oo rs.
a libra francea e suisso a l,ooo rs. a libra
e portuguez a 800 rs. a libra, em por$3o
ter abatimento.
BVA DO BRVM S8.
0 proprielario deste estabelecimeuto deseja chamar a attenco dos senhores pro-
1 ros aos acre litados mechanismos que continua a fornecer; os quaes garante ser,
>2j sempre, da melbor qualidade possivel:
Machinas de vapor
fo ;a de 2 ''% cavallos para cima. As menores sao mui proprias para motore sde
>- iroraraentos de a'godSo; as maiores para moer canna; tw tambem que podem junta
,-, uiiplissimds na c-milructfo. e seregem por qualquer pessoa intelligente, a facilida-
,i -. ,U condoccSp sen lo especialmente considerada, tanto que nao ha lugar em que nao
s .-^.mconJuzir, qur por trra, qur embarcado. Ha com raoaadas juntas ou sem
oodem-se applicar-a qualquer moenda j existente sem outra mudanza do que
a substuica das rodas da almanjarra. Ellas tem depsitos d'agua e boeiros de ferro,
e na) precisam para o seuassentamento de obra alguma, qur de carapina, quer de al-
venari O tempo para a>senta-las n5o excele de doze dias ao mais, e em casos de
nortes de animaes ou arrorabamentos de acudes, etc., garante-se o assentamento em
oitn dias. Lembra-se aos senhores de engenho que a venda dos animaes e o servio da
rnte oceupada no seu tratamento osho de recuperar da maior parte da despeza (
vaoor deixando-lhes a vantagem de uma moagem certa e aceelerada; e acabando com a
despeza da compra continuada de novos animis, com os desgostos do trabalho que
s tem com elles. .. _,
Rodas d'agtia de ferro, mui mineiras e moendo com qualquer altura
marilhos eom cruzetas de ferro para as mesmas, quando se desege fazer
e resto da roda de madeira, tomando-se assim a roda ligeira no trabalho.
uocudas de canna de todos os tamanhos, desde as mais pequeas chama-
da- do sert5o. Obra perfeita em feitio e acunhamento.
Rodas de espora e angulares de todoS os tamanhos e proporcoes.
Paroes on coches para receber o caldo.
Crlvos de fornalha para assentaraentos, frescos para o foguista, fazendo
grande calor com pouco combustivel, e duradouro.
Portas de fornalha de todos os tamanhos e de diversos systemas.
Fornos e molnhos para a fabrica de farinha e tambem chapas redondas
pira fornos pequeos.
Roabas simples e de repucho.
Talias de ferro batido e fundido e de cobre.
Formas de ferro batido gajvanisado para purgar assucar, leves para carregar
e isemptos de quebrar-se. -_
Alambiques de ferro de todos os tamanhos, custando s a terca parte ao
preco dos de cobre, mais regulares na distillacao e igualmente duraveis. -
vAxos e rodas de carro com tnaag-s de patate, obra mu segura para
carregacSo de peso. ...' _^L Alt._.
-Arados, grades, enehados a cavallo e outros instrumentos de agn-
cultura. E analmente todo o objecto de que possa precisar um engenho.
Machinas de descarocar algodao.
Na fabrica se fazem obra? novas encommenda e concertos, com a maior preste-
ts e olidez. O grande deposito de pecas e objectos habilitam-na muito para este fim.
O proprielario ser sempre mui feliz de poder ter occasiao de dar mformacoes ou
e 'arecimeotos aos senhores que seservirem de seu prestimo.
D. W. Bowman, engenheiro.
BASTOS
RA HA CADEIi A.
JG
as
Recebeo grande ortimiate t mtehtoas verdadeiras americas de dasearogtT aigoi, de ti
1,H 20, 5, 30 e 35 serrojes de a{o reflnado, *s qoae sio das mtis smpertorw do vnrato e a
vunde peto pr?o de i0# o lerrote, e que contioaara' a vender, vistoeesperar grandes sortimentos
em direitora da America.
FtO CAPORAL.
Latas con I superior fumo caporal a l,8oo
rs,alata.
PkSMS
Superiores' paesas a 2,5oo o quarto e
9,5or*; acacia de arroba hespanhola e a
36o rs. a libra.
CEEBRA
Gaebrsr de'iarnjaverdadeir a lo,5oo a
duzia e 1,000 rs. ao frasco.
Genebr* de Hollanda verdadeira a 6,ooo
rs. a fiasqueira e a 56o rs. o frasco.
Idom de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da ums.
GarrfSes com 24 garrafas de genebra de
Hollanda a 8,ooo rs. o garraflo. Tambem
ha garrafes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a
6,ooo rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacet a 64o rs. a libra.
dem de carnauba de lo a 12,ooo rs. a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIXE
Pea em latas j preparado de l,ooo a
l,2oo rs. a lata
ALPISTA E PALNgO
Alpista e pnico muito novo de 3,8oo a
4>ooo rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
Superior vinho do Porto das mais acredi-1 J??,:: I' th.u.9ntaaimn
tadasWcas, como sejam: Madeira Sec,, | ,Slto te^S
Duque do Porte, Velbo Secco Lagrimas do topees Mjj ^^ S22
Douro.Mana Pa, D.Luiz, Pedro V, Lagrw
mas Doces e outras'marcas a l,ooo a garra-
fa e 9,ooo a 12 ooo rs. a duzia.
3iW)00
Os remedio* dt estabefcctMBte Oo per femis coahecjdos e dispensam por
tanto de ser em n^vameaie recomnnodados as patatas que qitizecem usar de remedio*
verdaelros, enerjjcos e duradores: hrtudo do melhor ^ue, se pode 4ese/ar, globos da
verdadeiro assucar de leite, notavais pela sua boa conseoacfs, tintura das mais acredi-
tado estabelecimentos europesa, a ais exacta e acurada preparado, a portaoto a maior
energa e certeza am seus effeitos.
Casa de saude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar tfe quaijjDer enfermidada oa faaor-se-lhe qualquer
operaclo, para o fue o annuacianta jnlga-se sufficiaateraeate habitado.
6-tratamenlb o methor pstuvei, tanto na parte alimentar, cerno na medica
mnecionando a casa ha mais de quatro annos, ha maasresaoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, qae poden ser consultadas por aquelres que desejarem mandar seos
doentes.
^ Paga-se 25 por dia durante 60 dias e d'ahi em diaate 14300.
As operacoes ser> previamente ajustada*, se nao se qm'zerem sujeitar aos precoi
razoaveis que costuma pedir o annunflante.
1R9IAMB9I DE IU1M<*
DE
* c.

X' ,
CrSTODIO CARVALHO
$7 WJfc DO QUEWADO H. 27
Madapolo francez muito*, tendo penco Bofo, cada peta com 27 varas por
10*000.
La de ores a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs a vara.
Lencos brancos para algibeira a 2(5000 l duih.
Finas perclaras a preco de 400, 440 a #60 rs. o aovado.
Ricos cortes de la de barra de KW a 30*000.
Chales de fil preto e outras mantas fazendas.

VINHOS
tambem
Ligueiros e
por mdico
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e 4,ooo rs. a caada.
Superior vinho cbamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,ooo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anceretas de 8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
cor eta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Caixas com uma duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oors. agarrafa.
CAFE
Caf do Rio de 1.* e 2/ qtalidde de
6,8oo a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
SABIO
Sab3o maca de primeira qualidade de 24o
rs. a libra.
Serveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,6oo e 7,ooo rs. a duzia e a 7otfrs.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs.-a du- [ libra.
2, 2,5qo "e 3,ooo rs. a ma caixa
temos Suspiros, Havaneiros,
outros muitos- que vendemos
preco.
Licores
Lieores francezes e portuguezes a l,ooo e
l,4oors. agarrafa ou frasco.
Doces
Doce da casca da goiaba em caixoes e la-
tas a l,2ooo caixlo e 2,8oo rs. a lata.
Frats
Novidades do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
se achar benr sortido como todos sabem,
hojo mais que nanea, n3o a palo que rece-
be de sua propria conta, mas tambem pelo
que recebe de consrgBac&s; parece sem
, duvida que deve offerecer grandes vanta-
Frutas em calda e em latas fechadas her- pm 0 respeUavei publico txatom
mlicamente, muito bem enfeitadas, conten-, precos como Me8colha dos objectos> e co-
do pera,pecego, ameixa rainha Claudia, ai > acaba dechegar grande remessa pelo
perche e outras frutas a oo rs. a lata.
Tambem ba latas grandes para l,2oo r. a
lata.
AZEITE DE REFINADO
Superior azeite francez refinado a 8,000
rs. a garra'a e a 9,ooo rs. a duzia.
MOLHO ING1EZ SAUCE
Molho inglez Sauce em frascos grandes
com rolha de vidro a l,8oo rs. o frasco em
duzia ter abatimento.
BATATAS.
Gigos com 3o libras de batatas a l.ooo rs.
o gigo.
SARDINHAS.
Latas com sardiohas de Nantes e Lisboa
de loo a 46o rs. a lata.
FUMO AMERICANO.
Superior fumo em chapa a 1,400 rs.
MACHINAS DE PATENTE
DE TRABALHAR M PARA DESCA-
RoCaR ALGODAO
FABRICAD POR
PLANT BROTHERS & C.
OLDAM.
Estas machi-
nas podem des-
carocar qual-
quer especie de
algodo sem
estragar o fio,
sendo bastante
d u a s pessoas
para o traba-
lho; pode des-
carocar uma
arroba de al-
godo em ca-
rogo em 40
miDutos, ou
18 arrobas por da ou cinco arrobas de al
godo hmpe.
Assim como machinas para serem movi-
das por animaes, que descar^am 18 arro-
bas de algodo limpo por dia; e motores
para mover uma, duas ou tres dessas ma-
vapor tDouro e o navio Solferino de I *" .
diversos objectos de gosto e proprios do 0s mesmos tePl Pfa Tender om hejhssi-
tempo dos quaes se mencionarao alguns, mo vaDOr 9oe pode fazer mover seis destas
por n3o ser possivel mencionar todos. O
zia e a 5oo rs. a garrafa.
BlOES VASIOS.
Boies vasios, louca ingleza muito pro-
pria para manteiga e deposito de doce de 4
a 12 libras a l,2oo e 2,5oo.
FARINHA DO MARANHAO.
Farinha do Maranhao a 240 rs. a libra.
SAG'.
Sag muito novo a 4oo rs. a libra.
ARARTA.
ERVILHaS
i Latas com ervilhas e feijo verde j pre-
parado 64o rs. a lata.
MASSA DE TOMATE
Latas com l libra de massa de tomate a
64o a lata.
VERMTH
Esta bebida muito fresca e estomac d e
muito propria para a presente estaclo. a
qaal vendemos a-2,000 rs. a garrafa e 18$
a duzia.
Araruta verdadeira a 4oo rs. a libra.
-
Pimenta, cominho, cravo, caneUo. ervadoce, alfazema, tijollo para limpar facas pa-
litos para dentes, palitos de fogo, e outros muitos gneros que se tornara enfadonho
mencionar, afiancando cinceridade nos-precos e o bom acondicionamento de qualquer
genro.
-
Oevadinlia de Franca
a 160 rs. a libra, e de 8 libras para cima a 120
rs.: na armazem da Liga, raa Nova n. 60.
I.antljlas.
A leja da Anrora, na raa larga do Roario o. 38,
recebeu sorlimento de lanlijolas multo delicadas e
proprias para qualquer entoite, assim orno tam-
bem recebeu lavas de Jouvln brancas e de cores
para bomem e seflhora, mullo frescas, ebegadas
peto ultimo vapor, todo tato* Batoja 4a Aurora,
ra larga do Rosario n. 38. __________
Vndese uma porcao de ferro bruto, serve
para obras de erreiros, e por prego multo com-
modo : & tratar na roa Imperial n. 1, 1* andar.
VENDE-SE
Veude-se uma masseira de amarello em per-
feito eflado, e mais periences para uma padaria,
na estrada nova, segunda taberna a direita, depofs
do sobrado grande : a tratar na mesma, das 4
horas da tarde em diante.
Pecbincha
Ka ra do Qaeimado n. 40
Cortes de laazinba de cor, bonitos gostos, eom
15covadoaa3J600.
Cassas orgaadys de cores, covade a 240, pecis
de algodaozlnho largo com 17 varas a 4*.
Ditas de dito com 17 varas, muito encorpado,
eom pequeo deleito, a 48500.
Grosdenaple preto muito superior, covado 2a.
Dito dito a 1*600.
Retondas de renda preta a (O*.
Chales de renda preta a 8*.
dono deste estabelecimento espera a pro-
teccao de todos.
Riqvissimas caixinhas ornadas e com
msica propria para um delicado mimo.
Caixinhas de msica tanto de veio como
de corda.
Ricos porta joias e necessarios.
Riquissimos est jos a feitio de um bausi-
nho ou chapeuzinho.
Ditos em casca de noz e de outros gostos.
Leques de madeperola de sndalo e de
faia e madeira.
Chapeiinkos e tMcftnhs de amito
gosto para crianzas.
Meias sapatinhos de seda para as mee-,
mas. 1
Meias de seda para senhoras.
Capellas e grinaldas de flores proprias
partrtSrSmento.
Enfeites e capellas de moito gosto para
seuhora.
RiquissiiW*-porta boqoets..
Boquet de flores com orna borrachinha
comcheiro.
Luvas verdadeiras de Jovin.
Ditas de seda e de Escocia.
machinas mencionadas; para o que convi-
da-se aos senhores agricultores a virem ver
e examina-lo, no a mazem de algodo, oo
largo da ponte nova n. 47.
Sanuders Brothers de C.
Recife praca do Corpo Santo n. 11.
Os nicos agentes neste paiz._________
O castello de Gfrasville.
Traduiido do fraoeei por A. i. C. da Crox.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratisimo preco de 300C
oa praca da Independencia, livraria na.
. el.
mam* ^los fcrerHano
acaba de receber um lindo e agaifico sor-
timwtto t oettl, luneros, hrhtcubs, do nl-
timo e mais apurado gosto da-Europa e ocu-
Riquissima "pumas e gu'arni^es para loa de alcaice para ohaervaoSes e para oa
martimo*.
o graade armazem da ra do Apollo n. 38 e 40,
proprio para om armazem de 'assucar on piensa
de algodao em ponto grande, por ter 6 portasi4a p
rentecom mis de 67 palmos de largara a 300 e, ~~ ~ ~ ,,
tamos palmos de eomprinrento, todo coberto a so-1 Grande pcChlOCh t madapolae CB
are arcada* para comodidade do* compradores 1 vari
se vende aoco prxO'Saiaaos c oque se con-, vwwr
vmcomt ama yo* que a*f* oa it*tH(i* sa- Pid*s Porto v*fitena graai*porgSo de ma-
fufrM peU4Mr B-SM4IM Joro : a* pos- djpoUo avarUdo, fazenda de 10* e IV a pejM
sota aqoea osvef a compra po*Tio-~mea' ASs 7* coa .pequeo toqae : 0* roa da Impe-
der se com Antonio Altes Barbosa-la raa dos Gua- ratrlz n. 51, armazem da porta larga joBto pa
rarapes n. 78.
'darla frtaweza.
eufeitar ckapos
Con tas e tubos de ac branco, que ba
muito se desejava para enfeites.
Brincos, fivellas e cruzes de crystal.
Fivellas e cruzes de tartaruga, madripe-
rola e dourados.
Alfiuetes para gravatas.
Botoes com croas para punhos. %
Gravatinhas e mantinhas de muito gosto,
tanto para homem como para seuhora.
Riquissimos aderegos pretos, assim como
caixinhas com a'finetes pretos.
Bengallas de canna com cabo de marfim.
Ditas de baleia, borracha e de outras
muitas qualidades, assim como chicotinhos.
Riquissimos penles de tartaruga do ulti-
mo gosto; assim como de arregaco para
menina, pois neste artigo ha um completo
sortimenUrd* todas as qualidades.
Diademas para cabeca do ultimo gosto.
Riquissimas fitas lavradas e lizas.
Trancas pretas com vidrilho e de cores.
Pulseiras tanto para senhoracomo para
meninas.
Ligas de seda e de algodao.
Suspensorios de seda de algodio e mui-
tos outros Objectos que se n5o podem an-
nunciar pornao se tornar enfadonho.
La de barriguda, o que de melbor ha para
encher travesseiros : vende-se Ba ra da Madre
de Dens, no armaiem|jnnto a' igrejC
Roopas feitas de todas as qualidades
Vende-se roupa feita, sendo calcas de cores e
pardo a 2j, ditas de brira branco de linho a 3f500
e 4, calcas de casemira preta a 54, 6 e 84, di-
tos de cores, meia casemira, a 34 e 34500, ditas
de casemira a 64, 74 e 84, palotots de bran do
cores a 24, 34500 e 34, ditos de brlm branco a
a 44500, ditos de alpaca preta a 34 e 44, ditos d
casemira de cores a 54, 8, 7, 8 e 104, ditos da
panno preto a 64, 7, 8 o fD4> cdtletes O* cores a
14600, de casemira a 34 e 44, ceroula francea a
14600 e 24*00, camisas franeetas finas brancas a
peitos de cores a 24* 4J& ditos iraatonnde u-
nho de pregas largas a 24500, 34 e 34o00 : na
roa da Imperatr, toj^dj Arar* n. 56._________
Em casa de Ral Schmettau & G.
ra da Cadeia n. 18, vende-se:
Chmpanos.
Cognac de superior qualidade.
Vdroa tara espolees de todos os tama-
nhos todos preces meito commodoe.
Vapes.
Yeade-se ero, casa de SasSders firolbers di C,
ao largo do CorpoSanlo o. II, vapore patentes
com todos os pertonen proprio* para fuar mover
tres on quatro machiaaapara doearacar eajodao.
VwidaBtoHfbmailtiato8o *W4-oalqool-
S ao Gallo Vigilante ra doGrespo q. 7. re e a Sa#a TO rs. na ra* Drreit* ..
**l
v;
r

.

?-.

i)



li&tl

-
I
<



SMm
Ml
Diarla # # im tfinm 4
ENCICLQEEDIfiA
da**
4 nato a nadarla
Paredes Parta.
Neste estabeleeimnuo encontrar o respeiuvel
puWico om variado sertimento de fazendas trnce-
las, liglett, sutssas e alemes, que se vendern
por prec,o commodo.
Paredes Pertt
Vende oJjalesjde renda de eres que se vende-
rain a 18* esta vendendo por 6*, ditas pretos, fa-
xenda nova, 3,J, 8M 20#, um sortimento com-
pleto de manteletes, capas e souiambarques li# a
56#. Roa da Imperatriz n. 42, junto a padarla fran-
ceza, armazem da porta larga.
Partdw Porte
Recebeu um completo sortimento de laasinbas a
240, e 280 rs. covados, para acabar, cambraias de
edr a 240 rs. o covado, riscado escossez para rou-
Kl de menino, (MO de linho a 420, 400 e *X) rs.
na da Imperatriz n. 52 jonto a padaria franceza.
armazem da porta larga.
Paredes Perla
Recebeu para cortinados para cama franceza a
11J a peca cambraia lisa fina a 3* W al 10* a
peca, cortos de tartatanade bonitos gostos a 3*600
4, cambraia com flor de seda, gosjps inteira-
mente rovos a 00 e 500 rs. o covado, no armazem
da porto larga b. 52, roa da Impratriz junto a pa-
dara franceza.
Paredes Per*
Receben pelo altimo paquete um sertimento de
ernzes com pedras para o pescoco, bonitos caxinets
de la para pesclo de senrrora. Ra da Imperatrix
a. 52, armazem da porto torga.
, Paredes Porte
Vende cortes de gorgwrao preto para vesvWoxa
21 covados cada um SfOOO, rsdeoaple reto a
i J60fi, 1*300 e 2* o corado, las lizas finas 400
rs. o covado, lias de quadrnho para vestido, entes-
tada, a 320 rs. o covado. Rna da Imperatri: n. 52,
trmazem da porta torga.
apa feita
Ra da Imperatriz n. 52 armatem da orto lar
ca junto a padarla Tranceza, encerntra-sc neste es-
abeleeimento om completo sortimento "de palets-
r-accos e sobrecasacos, de todas as quatidades, cal-
cas, colletes, cerclas, camisas, gra*aUs, meias,
chapeos de sol, ditos franceses par-a .cabeca, por
preeos commodcs, roupa para m#:ne e outras
mnitas (atendes por preeos commodos, armatem
da porta larga.
o mesmo-eitabelecimepto encontrara o respei
tavel publico,-*saipre om completo sortimento d
roupas fetas-tie todas as quaitttades, pomo sejsm
paletos de alpaca preto ede edr, ditos sobrecasa-
cos a 4* e '5?, ditos de brim -pardo a 2*800, S* e
3*500, ditos'Snos a 4*, ditos meias eazemira a
3*500, 4*-e 5*. ditos ca?emira saceos a 6*, 7*, 8*
e 10*, ditos sobrecasacos a -10 e 12*, ditos de pan-
no saceos ce*, 8* e 10*, ditos sobrecasacos-a 12*
e 25*, ditos de merino preto a 6*, 7* e Hfi, cal-
chas de brim de diverses acuidades a {$800 a 4*,
ditos branoos a 2*500 e< 6* e 7*, ditos pretos a *, 6*, 8* e Mfc ditos
meias cazemiras a 3* e 4*, coletas de diversas
tonalidades, seronlas fraacezas de algodao, -ditas de
itabo, ditos de bramante-a f* e 2*500, ctmizas de
algodao de Iinbo francezas de 2*500 e '. Gran-
de peceincba neste enero, grvalas de todas as
quahdades e brancas para casamewo, -grande sor-
amento de meias cara-oenhoras, ditas para homens
-. 3*,-superiores a 34800 e 4*.
Um completo soriKaento de chapeos de sol de
alpaca-a 2*, ditos de--seda a 5*, 7*, 10* e 14*,
ditos raacezes para-cabeca, grande sortimento
aO*.
Vestidos
Pecblweha sent igc ti.
Chegou a loto de Paredes Fono om bonito ser-
timento de vestido de tirulato de eres e braor
que serve para partidas por ser mm pbantasia In-
teiramente de gesto pelo barato .preco de 4* <-
braceos a 4*500, *to acabando-se : no armazeia
da porta larga roa ja Imperatriz v.-ti, junto a-na-
dara tranceza.
Cortinados.
Cbegou a foja de Paredes Porto -am completo
sortimento de cortinados ricaoaenO bordados a
prer.o de 25*, 3 e 45* : na roa da Imperatr.z
g. 52, por:a larga nulo a nadara tranceza.
fiieas romfeiim
Paredes Porto recebeu pele ultimo paquete na
sortimento de romeira de guipare gretas e de fil
a preco commodo : na ra da Imperatriz n. 9fi,J
porta larga jauto a padaria fraocese-
A SALSA PARRILH4 DE \m
PARA A CURA RADICA!
de escrfulas e molestias escrofulosas, tumouea, ulcera, chaga, wdw &*t>
Ibas, bronchocele, papo ou papeira, a sypbilis, eufenidades wneriisiouiier
curiaes.

rraws
DO
AS MOLESTIAS DAS MLHERE*-
reten?3o, menstro doloroso, uloeracSeS d ntero, florea brancas, etc., I<
c5o, debilidade, expoliacSo dos ossos; a nevralgia e coovulsoKpiteiiicai
quaudo causadas pela escrfula.
ERISIPELAS ENPES; ETC. t,
Enfermldades cutneas, empelo, borhwlhas, pnelulas,
aseldas, ee.
0 extracto composto de salsa parrliba, con'eccionado pelo Dr. Ayer, eurna-
combinac3o dos melhores depurativos e alterante conhecidos medicina; confeccio-
nado segundo as regras da sciencia, approvado ereceitadopejos primeiros mdicos dos
EsUdos-Unidos da America do Sul e Central, da* ApUlhas, do Jlexico e das indias, e
militas outras partes do mundo : o resultado de*estudos apurados e minuciosos, e ue
experiencias feilas pessoalmente pelo Dr. Ayer, por muitos annos, nos principaes tos-
pitaes e enfermaras da America; tcm sido approvado pelas academias de mediciDae
juntas de hvgieone das principaes capitaes da Aperica do Jojte; para prora disto vede
os attestados authenticos no Almanak e Manual de Saude do Dr. Ayer, s qpaes tedis-
ftribuem gratuitamente nos lugares onde se vende o remedio.
A SALSA PARILHA DE AYER -,
Especialmente efflca na cura das molesilas que ten sua orlgem
na escrfula, na Infecela venrea, no
,, Tejido
meaUHle
anas fa
bOHliU,
awito
0
Cortes oe las- escocesa para veetide a 3* o eer-
te : na rna aa Impera ir iz n. 52, loto da porta lar-
ga, junto a padana franceza, esio-se acabando-
Fara luto.
Laas pretas con salpicas bracees a 400 e 500
rs. o covado : na ra da Imperatriz o.-32 junto
padaria franceza armazem da porto torga.

^%%A
da imperatriz, j.
DI
GAMA 4 SPITA.
LO JA S ABHAZM DE FAZKNDAS.
propietarios deste grande esla
rndea*ati*ento enusi*
fr o lIMlBMWlWWW!
que costumam afim de
60
feWWte igiidarem aos seus numerosos fregoV
es ; por unto Ibes olTerecem nm avulado sorti-
V
di leja.*
a .campal-
tiH4S de cambraia Gfl
Parta.
Vadtm-e cortos de cam
as, sendo fazepda muito boa,, pelo baratissimo
pteco de 2*500 para acabar: na ioja e armazem
do Patio na roa da Imperatriz n. 60, de Gama i
Silva.
Lencos nrancos a S0 v dnila.
Veodem se teneos braocos fazenda muito boa
lo baratissime preco de 2* a dozla, Ditos com
-de cor 2*000 isto para acabar na Ioja d-
Tio na roa da Imperatriz n. 60 de Gama 4 Sio
HHH
Chitas M^Ors., sefa>
Vndese oAit bocto scrilmeCto de cintos in-
glezas, padrM iutnhw, clacos e escaros, e tea-
do .lambe rozas para luto, anancando-se seren
core Bfts, e vendem-se pelo baratissimo pregaila
rfovi Vtaieus o ewado, oo a pega c m 38 covado
por 0*800: isto na Ioja e armazem do Pavo, na
roa.-da Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
Vestidos braacos.
i'Cbegaram para a Ioja doavSo os mals bonitos
fortes de vestidos de cambraia branca cap boni-
tas barras toOas brancas, assim como coto barras
de cores, sendo azenda transparente e muito fina,
tendo cada um corte basunie fazenda^e muita ro-
da, e vendem-se pelo baratissimo
10$ : na Ioja do Pavio na ra da
> de 8* e
"ratriz n.
aval.
riau-na
PJssiSto
oapelinas modernissimas a 400 e 500 rs.
o covado na laja doPavo. n,V0"r,m,rXViiV."
Vendem se poupelinas muito finas sendo fazeVla, ** *a*- ,,'[?.'
ment' de fazendas francezas, inglezas, as quaes muito moderna de quadnnhos e liza vendendo-se LfrleS OC larialaDH Ha lfji
wnderao mals barato do que en ontra qualqoer pelos baratos preeos de 400 e 300 rs. o covado na Vendem-se os mais moderaos corte
parte, comprometindose a mandar levar qualquer Ioja tozenda em casa dos (rtguazes q.ue pao poderem & Si tve. \ preco de o* cada um, sendo nesteartigo o melnpr
vir a loto, ou a darem as amostras, deizando ficar 4irodeaapIe8 pretOS do Pavo. que lem vindo ao mercado : isto na Ioja e arma-
o penhot, assim como convidam as pessoas, que I Vendem-se superiores grosdenaples pretos petos' "m do Pavo na rna da Imperatriz n. W, d Ga-
neRoclam em menor escala. uie.ueste grande esto- baratissimos preeos de 1*300, i*600, 1*800 e i nia & Silva,
beleeimeqlo encontrarao nm grande sortimento Lo.covado, sendo lanuda mnio boa, s para aca-
lanto a retamo como por atacado, vendendo-se-lhe : bar.: na Ioja e ara azem do Pavio, ra da Imce-
ralriz n. 60, de Gama & Silva.
Bramante de linho do Pavo.
Vndese superior bramante de linho com 10
ualos de largura, prrprios para lences, pelos
apenas pelos preces que compram as casas ingle-'
zas, sendo om o dinneiro a'wi&ta.
attaallias de li> ka da Ea->.
Venderarss fu eriortus toalbas ^de liobos par
sjjsio pelo baratissimo pre^o de 7*500 a duzia ou
,a 640 cada urna.
Guardaoapos de linho adamascado para meza a
2*800 a mu ou 240-rs. cada am.
Superior aloalado de linho com oilo palmos de
largura sendo branca e pardo, e vndese mais La-
rato do que em ouiro parte, oa leja do Pavao na ra
(ja, Jmpfaifiz vi. 60 de1 Gama & SHva.
Oseorpinfaos ae-eda pretos vio PavSo.
Vendem-seos mais ricos corpjphos de seda pre-
Vende-se ubi eagenlio
d'agoa denominado Triumpbo na a marca de San-
to Anlo junto ao eng*nho Coqueiro, com trras
para safrejar de 300 a 800 pies, com boas obras e
casa de vivenda por preco commodo : quem o pre-
haraUssimos preeos de 2* e ?*600 a vara, assim tender qoelra dingir-se a ra da Praia n. 76, para
pomo panno de linho muito fino pelos baratsimos tratar at o fim do correte mez de abril.
preeos de 640,700 e 800 rs. a vara : na Ioja e ar-
macem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
jo* & Silva.
Cambraias lisas de Pavo.
Yendem se pecas oe cambraia lisa muito supe-
exeesslvo do merentto eu qnalqner Impureza 4o sangue.
A molestia ou infecc5o peculiar, conbecida pelo nome les mais prevalecentes e universaes que ha emtoda a expense lista das eBfermWades que tos, ricamente enfeiadCpeio CaTato pre^o de 12* Gama & Silva,
atacam a rosea raca; disse um celebre escriptor da medicina que *rc de-ana lanja. da u :m\\w toavio^a rua-da toperauto
parte de todos aquelles que mirrern antes da velhice sSo victimas, m directa eumdtrec- *^** ^Jd|U. n(]C) rs
tamente de escrofuia; por isso s n3o 15o destructiva, porm a principal oausai* -M mi*mw pechiwa XmL
multas outras enfermidades que nao I be s5o gerateente attritaidaa. ___V g o,vi_ rJqet)fa eto 5^ *vapor fraoeez
urna causa directa da tsica pulmonar, das molestias do figado. do-atsnjfo-
e affeccoes do cerebro; ntreseos numerosos sjTnptomas acbam-se as 'seguinles: auto
de appetite, o semblante paudo e eachado; as vezes de urna alvora transparente e ootra* "tf^^Nate Mjte^ppaiwi
Tior, pelo barato preco de 3*200 e 3*300 a peca
ditas muito. linas a Nb 6*, 7* a 8* : oa Ioja e
armazem do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de
Vnde-se e faz- e todo negocio com o depo-
sito da roa do Vigario n. 29, muito profiri fia
um principiante que queira principiar sua viJi
com pouco dobeiro ; ao comprador se dir o rr.o-
livo da venda.
fiiZ.
veees corado e amarellento irregular, fraqueza e moeza nos msculos aaxfidor da boc-
ea; digest5o fraca e appettite, falta de energa; ventre encbado e evacuacao Jt^BaBr;
quaudo o mal tem seu assento sobre os pulpes urna cor azulada mosira-se em roda nos
olbos; quando ataca os orgos digestivos^ os lhos tornam-se avermelhados; o bali-
to ftido, -a lica carregada; dores de cabeca, tonteiras, etc. as pessoas dedisposi^
^lo escrofulosa apparecem frequentemente erupgoes na jrelle -da cabeca e outras parte*
de corpo; s3o predr^iostas s affeoc5es dos pulmes, do fig^dc, dos nos, dos orgav
digestivos e uterinos. PortanteoSosSo sement aquelles que.padeppm dasfrmas ni
cerosas -e tuberculosas da escrofuia que necessitam de proleocSo contra osseus estragos;
todos aquelles em-cujo sangue existe o virus latente deste terrivel fla^lto (e s ^j^^ef^^Z^^^ m
'ratos que era outra qualquer Darte
passetos, e vendem-se pelo baratissimo
prego de 8*P00 rs. cada um, na loto do PavM na
r,ua da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
PECH1NCUA !
a- 2000, para calcas, se. Pavio.
Vendem se superiores cortes de meia casemira
a'de seda a 2*, ditas Gm ibaldlaas a
tas escuras,a i*8u0, ou a 1*600 o cova-
ioja e atmaztm do Pa\o, ra da Impera-
Miz q. 80, de Gama & Silva.
PENTEADORES
oareup^es de casrtraia bordados proprios
para-as senhoras vestirem de manhaa.
Uhegou esto novidade pata a Ioja do Pavo,
mullo lindos e de melhor gosto at hoje, por pre-
Ne armazem da ruado Imperador n. 3
Caes de Pedro 11 ,o, 2, tem para ,vender-se
bor caz existente no mercado.
o no
o me-
rfaaies pretos de renda do Pavio a 8^600 rs.
Vendem-se os. mais rieos chales prett s de renda ^ ito mmeis na -^a do p^ -^ oa
com ire ronlas,. snda muito grandes, peto ha-Irnaperairlx n. 60, de Ga
ratifiEi
Ditos
preco.de $*.
giiepurea.l54^18*,20*?5*.
> de dito a 10*.
teleles de renda, toteada nuito-seperior
*;
santbambarqties de grosdenaples bor-
heredkario), estcexpostos taa*em asoffrer das enfermidades que ero -causa, quesao: r^
A tsica, -ulceraces de figado, do estomago e dos rins; erupc^es e enferm'das, jsto na* leja aianwPtb Plrvaboa rna da im-
eruptivas da cutfs, rosa ou eryipela, fcorbulhas, pstulas, nascidal, tumores, rbeoma,
carbnnculos, ulceras e chagas, rheumatismo, 40res nos ossos, as oqstas e na c?06?8
debHidades femlninas, flores trancas causadas pela ulceracSo interior, e enfermidades
uterinas, bydropesia, indigesto, enfraquecimjito e delrilitde PJr
Offeree3mos a estas pessoas um abrigo seguro e nm aotidofc): efficaz on^ra stt
molestia e sues consequencias na
SALSA PARRILHA DE AYER
que opera directamente sobre o-sangue, popfficando^oe expulsando delle a corrupcao-e o
veneno da wslestia; penetra todas as partes e.todos-os orgts do>corpo buBfaoo, fivpan-
do-os da sua cc5o viciada e inspirando-Ibes novo vigor. om Iterante podeposrssimo
para a reoovac5o do sague, e d ao corpo jenfraquecido pete doenca, forcas e eaer-
E tambem o utelhor anty'^yphilitioo cotbecido
cura perajanentementeas pdores formas-de syptlis e ascuas consequenciaa
peratrlz n. 60 de Gama & Silva.
Oseantes do ftavao a 2oo e 2^oo rs.
Vtndem-se cba'es de merino estampados a 2* \
2*50^cadAm.
Uitos damer/D 4isp a 3*i>00.
Kilos estampados de crepon a 6*. 7*, e SZOOO.
.Sitos pretos tordados com frati}ade seda a 14*.
Na-toja* armam.do Pavio na rna da impera-
triz o.^Ode'Sawa Silva.
Para luto vende o Pavo.
Setin da Chica cum 6.pal.mos de largura, raze-
da. preta para'tato, propria para vestidos e roupas
Kara homens, sendo esta nova Taeenda eem lustro e
de muito boa qualidade, paranttodo>ee ni tirar
russa com oempo e vende-?e pelo barato pre^o de
2* eS*300o covado, as*n como ueste estabeleci-
mento tem necessidade ba de ioformr o publico do inestmavel valor de um remedio que, -como gjjgr ^^SlSSSfS^ '
este, livra o saDguedesta (Orrupcoe arrebata anictima das garras de rana morte lenta dj^epei^ 60,defGama & Silva.
lV)UCa i ndas pretas como sejam eassas e chitas pretos,
las topadas e traaepareotes, prmcezas, alpacas,
sarjes, etc. : na Ioja e armazem do Pavao na rna
""' "* ,vl~" da foperB o. 60, dertema & Silva.
e ignomiios, porm inevitavel, se o mal n5o logo combatido com energa. Os baees.do Pa^lo.
-am poderosissimoalterante pera a reaovacSo do sangue e para darnova for- Vend$n-se superjores bajees de. mqculina com
ca ao corpo ja enflaquecido pela doeoca. ?!bi'"?' i1*'22 im'o2esJ:om arcos?
Sendo compoetodeiproductos vegetaes, aaie medicamento innoeeote eao ^lSE5to^'r!^^
mo tempe efficaz, um fado -de mmensa importancia para aquelles^que o toman; por- M\^3 ^Q paV|0 M rua ,ja iroperauiz n. 60,de
que moites dos remedies alterantes eSerecidos ao publico tem por base o mercurio ou o Gama.& sitoa.
arsnico; o sendo assim, bem ques^vezes podem effectuar-curas, coaatudo deixam suas. Gambraias de terro a 40688 e 1& na Ioja
victimas carregadas de urna longa serie de mates, muiXas >vezes peior -do que o mal ori-j do Pavo.
ginal. A -nica coosa necessaria pira otter urna cura radical seguir com juizo e cons-, 'Ve*im-se iwcaede cambnatodetorro -eos o-
atocia as direc^que acompanham-cada frasco. > ^3^'%^ vlo pretendemos,- promulgar, -nem queremos que seonra que esta conjposicao a, da ^opcruntu.-^, e dnMt-aTpnW.
, -Os eorti nados doVavo.
Vendenvse soperioies cortinados adamascados
Panno preto a W na Ioja do Pavo.
Vende-se pasco preto. faeecda muito nea, peto
1^400
Chapeos de so*I.
Vendem-se ebapos de sol de panno a 1*400 e
urna grande pechiacha s para acabar : na rua da
Imperatriz n. 52 armazem da porto lacgft de Pare-
des Porto.
A 10500.
Vendem-se pecas de tranca preto para enfeites
de vestidos, sonlembarques, capas de -6eohora a
1*600 com 10 varas, urna grande pechmcba : na
rua da Imperatriz n. junto a padaftaisanceza.
4S000
Chales de renda pretos.
Vende se cnaies.de renda preto a 4*00, unicc
Ioja que pode vender e aa toada Imperatriz n.ii,
armazem da porta larga, de Paredes Porto.
cofsir5^ci5033>-^-og;co',qi.
p.. ja S 6? a> STR

S-o'Sa.^
2 5!"
*t__9.
O _
H5ii:iji,ii|8-g'i;
iilllfifffftFl
Z Em O-2 S m O. S O O. g
um renredio.infaflrvet para a cara e, todos os padeciawstos hdmaos; inflismente
escrfula e a sypbiHs -sao enfermidades to satis as soas >naiur%zas, e arreigam-se to
firmemente no svstema. nue muitasvezes evadem eresistem aos raaaedios mais pode-, p camas pelo baratissimo preco de i*cada par,
rosos qae a sciencia t pdeiaventar para combat-fes: o que-dizemos^ue o ^^^^^.ff^.
Extracto eomposto de salsa parralna de Ayer ^mdo^a uaruad* inmenatriz n.o,de
a metber preparacio at boje deseoberta para estas e eutras molestias anlogas, que
urna combinado dos alterantes mats-efficazes conhecidos, e* que esta csabina<;ao' regulada por longas e laboriosas experiencias, e finalmente-que temes consciencia de of- barato preceda 2* o covado, dito muito fino a
ferecer ao publico e melhor resultado que possivel produzir, da iotelligencia e pericia ;^K), 4*,1s*-*.assim como casimira preta de,
med ira <\c* nnssou miras I oordao a 2* o covado : oa Ioja do Pavao na roa da
meaicaaosnossos*eoiROS. imperatriz s.'^0, de Gama &: Este remedie deve-aer tomado -com syatema e regutertdade, e'tao com abandono, Os eepartilbos doPaMo.
pois um remedio enlo bebida. Vendem-se na grande e variado serlioeato de
.Quando as molestias do figada nao tem sua origera na escrfula, o emeaio ^gpjrtHbos deseis hem feites que um Jvdo ao
mais proprio as pifealas. catharticasde Ayer, que sao effieaees na cura da.moleJia. quejinercade seodo-detodos os tacaaonos, vendendo-se
m por causa om desarranjo dos ocgos digestivos. Ped a salga.parrilba de Ayer e(w um preco mito razoave: isto na ieja ate aceitai otra prenancia.
^PernambQOQ, rua Nova n. W, pharmacia franeexae P. Maurer A C.
VEND-S
Jo armasem de M. S. Ramos Uva Cienro. rna do Vigario
bu 11, eonotamtement, osseguintes artigas, ^ne
recenem por eneommenda pronrla de
Legitima salsa parrtlba de Bristol, preparada por Lanman & Kemp.
Verdadeira agua Florida, preparada pelos mesaos.
Gaz em atas de cinco .gales, o mais purificado que se pode desojar da acredi-
tada arca F. W. D. & C. ....
Relogios perfeilos reguladores, com *orda de quatro aoitedias, dos afamados a-
bricaates E. N. Welch.
Graixa em latas grandes da bem conbecida marea las
S. Masn (depbiladel-
phia).
Superior oleo para machinas de costura-
Agulhas para as mesmas.
Breu em barateas grandes e pequeas.
Vende-se tambem:
.
3 1.2 | Eli'
r
o
er-
ll|ll.
i a.
I.1 1 f*|
ce 0
S H ^>
i 5 8 s" C^2
9\
ai
- o o !

i^i ^
a
b> 3
" 98 <
s o
a-
^.
|
3
3
o
s
*9f
13 c
>
O
>
o
5
oa
O
breu em barricas pequea.
Cera em velas de todos os ttmaflW;"'''
Bogia8.
Mefcnrio.
Na roa do vigario,n. tBy primeiro andar.
Veade-se nm eera-t pai entinto, Monto
de boa tfrntae aaesire cacneiro : a tratar na rua
do Qaermado n. 4i.
Qneijts aa serta
VeBd^asaapanlrntMitodoiSriad: aa-raaia
Jidre de ftote, armazem jonto a igreja;
4.a qoalidade.
[St. Estephe.
St. Julien.
C. Margaux.
C. LaBtte.
I Medoc.
PORTO
l'fialidade,
Principe Real.
Pedro V.
Maria Pia.
Princeza D. Isabel.
Vctor Emmanuel.
Duque.
Malvazia.
Vinho fino do Porto em barris de 5/, 10/ e 20/.
Superior vinho doRheno.
Cera de Lisboa em velas e em grumo. .
2? UTA DO QAEIHIADO M. 99a
Madupoldo.
Finas pecas de madapelao com 20 varas a 9?.
UENCOS, ,
Lencos de cambraia branca, duzia 2.
dem de cores flxas para menooa, dezia 2^400.
Cambraias.
Cambraias da cores a preco de 260 a 300 rs. o covado.
Ouardaaapos.
Guardanapos de linho, duzia 3#500. \ \
AfgodSo.
Algodio trancado de duas larguras, proprio para toalhas de mesa, a pre$o de
1(J300 a vara.
Bramante.
Superior bramante de linho iglez e fiaocez.
Cambraia de linho prooria para lencos.
AitOALrMDO.
AtJdhado bran :o para urew r*|000 a vira.
Entremeios de cambraia muito fintjs, precci!#.
Lencos de seda para algibe'rra a l#0O,
Vendem-se uceas com feijo amarello, branco
rajado e preto, mais barato qu em qualquer par-
le : na rua da Madre de Dos b. 5.
ts salas bordadas do pavo
"Vendem-se-saiss bordadas sendo fazenda muito
tote, sendo-rieanKoie bordadas e com nota roda
venienoo-se petos baratos pregoe de o* && -e i*
rete cada ama na Ioja do Pavao-na roa da bapera-
trco. 60 de Gana & Silva.
Breta!a.sderal6-a-36'000
^-ondem-se pegas de bretanna de rolo cea 10
varas cada peea, pelo baratsimo preco dea* :
' na ieja e armaaem do Pavo, rua da Imperatrto n.
60, de Gama & Silva.
Roupa frita.
Na Ioja s Pav
Vende-se neste estabelecimento um grande sor-
timento de reupas, tonto de panno como caxemira*,
e brins e peloa baraiissimog p^cee-como sejam
calcas de caxemira .preto b*"7* e 8*t00re f, pa-
letots de panno preto saceos a 6*-8* e 12*000 rs.
ditos sobrecasacos de panno Bnissimo a ,12* 18* e
So#000.reis, e oatroe muitos rticos que serla en-.
adonhos aqu relata-te-; j na Ioja e armaiea do
iPavorna 4a Imneratriz c. 60 de Gama Silva.
toja do |'a\o
Grandes pechJnebaa*
Seiwnas a 300 rs. curado
.Sedinhas a .500 rs.
Sediuhas a S00 rs.
Vender na Ioja do Pavo, um grande sortimen-
to de eedinbas istradas com as mais bonitas coks,
sendoos padrfis mais novoe que tem vlDdo ao mer-
cado, ende-se pelo pamnesteapreeo de cineo
testase osado, sendo (aseada que vatem muito
mals dtafceiro, e grande pechincba por e ter
comprado nina grande ponida desta (senda, na
Ioja e armazem de Awmda do Pavao, rea da im-
peratriz n. 40 de
Ldasxnhas, matisadas a 820 rs.
Veodero-as DMis lindas laasinhas matisadae
om es mais bonitos dewohos, pelo iaraio preo de
330 rs. o covado; na Ioja do Pavao a rna da Im-
peratriz q. 60 de Gama Silva.
Os chales de guipure a 12^ e
Vendem-se os mals rieos chales de Guipare e de
renda de linho e seda, pelos baratissimos procos de
12* e 16*; grande pechincha era refaci a boa
quaKdade lamanho dtlles : s oa Inja de **U,
rna da Imperatriz n. 60, de Gama di Silva.
Ldaainhas a 200 rt tso
Pavo.
Vendem-se modernas liazfphas com Irsdtssimos
Sosto, pelo baratissimo prece de MO rs.; gran-
e ntcMnclw : 6 na Ioja do Pava* roa da Impd-
ratru a 60, da Gama &,6va.
Seda. Largas
. Na Iota do Pavao,
Ckefou para a Ioja. da raiao una nadentltao
sortimento d* maia Ondas sedas para vestidos,
sendo umaa.de lifirinhas e outras de llorzinbas
coa as majHiKtas cores, e algumas propnas para
as senhoraa qo estlverem de loto e vend-ea
bmwfmt daa*000 o covado, tundo esta
da quatro palmoa de largara, que facilita fa-
ier-s ut vntdo com poneos covades, isto na
Ioja e irtnuem de Pviona roa da-toprntrli a
W de Gima 4 Silva.
ama & Silva.
Cassas francezas a 240 rs. e covado.
Vendem-se bonitas essas francezas de cores fi-
jas pelo baratissimo preco de 340 o covado.
Ditas a 280, 320 e 300.
S na Ioja do Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de
Gama c\ Silva.
osdenaple preto a J600.
E' grande peeaiotka 1!
Veede-se.grosdenaple preto, sendo muito encor-
e de bpa largura, pelo baratissimo .prego de
o covado : na rua da Imperatriz n. 60.
0s cachinez do Pavao.
Vendem-se bonitos cachinez de la ou agazaihos
para cabera pelo baratissimo preto de.3*000; s
na Ioja do Pavao, na rua da Imperatriz n. 60.
MANTAS PARA O PESCOGO
a 1*, s o Pavao.
Vtndem-se bonitas mantas para o pesclo, pelo
barato preco de I* : na Ioja do Pavao na rna da
imperatriz n. W, de Gama & Silva.
dapoloes a 3,o4}.rs..a pessa.
S na Ioja do 'Pavio.
Vende-se pecas de madapolo fino com 12 jar-
das, pelo barato preco de 3*500 e 4*000.
Chales de renda.
Na Ioja do Pavio.
fveeeberam-se os mais lindos chales pretos de
reside, assim como as mais modernas e compridas
retoo es, e manteletes da mesma tazenda,e vnde-
se ais barato que em outra qualquer parte; na
Ioja e ajmasem do Pavao na rua da Imperatriz n.
Onde Gama jj Silva.
Caelar 8 31.0 rs. 9 covado.
Para ca.lcas.
Vendem-se superiores casiores muito encorpados
padrees escuros pelo barato prego de 320 rs. o eo-
vado, servindo e.-ta fazenda tambem para escravos,
por ser de mnita duragao ; na Ioja e armazem do
Pavao rua da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Chapeos para meninas a 6,000. >
S na Ioja do Pavo.
Se vendem os mais bonitos e mais bem enlejia-
dos cbaposinbos de palha da Italia, proprios para
meninas, pelo baratissimo preco de 6*000; na ioja
e armazem do Pavao na rua da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
Attencao*
ULTIMA NOVIDADE
PESTES, ENFEITES, CINTOS.
Gama & Silva, acabam de recener pelo ultimo
vapor francez, om grande sonimeoto dos mais ri-
cos enfeites pretos ede cores proprios nara cabeca,
sendo guarnecidos com as mais lindas flores, e com
volias das mais bonita* perolas; assim comoosmais
modernos e engrasados peotes da verdadeira tar-
taruga, marchitados sendo a ultima novidade
que lera vindo de Pari, e os mais ricos cintos com
fitas mathisadas e (velas largas, conforme ltima-
mente se osa as primeiras capitaes da Europa, e
vende-se por preco em conta por ter chegado em
direitura para a Ioja do Pavo, rna da Imperatriz
n. 66 de Gama 4 Silva.
3s rota ndas do pavo a 8 e 4Q#,
Vendem-se as mais ricas rotandas de renda pre-
ta, sendo multo grande?, que sio as qae mais se
usam, pelo baratissimo preco de e 10* : na
Ioja e rroazem do Pavo, rua da Imqeratriz n. 60,
de Gama & Silva.
Chitas pretas a 160 rs:
Vendem-se chitas pretas inglezas, sendo fazenda
muito boa, pelo baratissimo preco de 100 rs. o co-
vado, oa 5*300 a peca cora 38 covados: s na
Ioja de Bavo, rua da Imperatriz n. -60, de Gama &
Silv*
ATLANTA

ucdicinae e alcatro
Hemediu'tflicaz contra as doeoAas. cutneas, as
caspas, iroplgens, borbulhas, comlcfiBes, postulas e
sarnas ; na pharmacia dVPinto, rea farga do Ro-
sario a. O.
Sacadas e portas-
Vende-se.na roa.do,Queimado n. 7, duas saca-
das de ferro com 22.palmos cada urna, tambem se
vende 8 pares de carxilhos e alfcumas portas, todo
por preco cemroodo.
Vende-se
na officina.de encadernador da rua do Im-
perador n. 15, Reducces mui facis para
trabalhar com o compendio do systema m-
trico decimal do Sr Jos Antonio Gomes
Jnior, por Francisco de-Fmtas Gamboa.
i iiiim ---1 ----- .
Escravos fgidos
Coniioa fgido o escravo pardo Sebastiao
de 18 annos, alto, cabellos carapinhos e roivts,
olhos rastarJhos e grandes, sem barba, nariz cbato,
com todos os dente, orelbas pequeas, lem a mar-
ca de um talho sobre o labio superior, marcas de
bichos nos calcanhares, sabe ler eeverever, traja
calca de brim e camisa de algodao branco,: qcem
o pegar 'leve-o as Cinco Ponas n. 152, que -era-
recompensado generosamente^
200$ dfTgratificaeao
Em 31 de oulubro do anno passado, fog "-
crava Claudma, cabra alia e eca do emm. .i.e
perleoceu ltimamente aoslllms.th. Jos Jeaijjim
da Silva, Manoel Mauricio de Sena.; e.D. Mr;i:ia
Igoacia de Castro e Silva que a venden a Jj
iheos Ferreira q'pe. pagara 200*000 a ti: ":
entregar dita esetava na rna da Cadeia n. 0'2.__
M

i&.
Desappareceu desde o dia 2 do correte mez a
preta Vlctertoa crtonlade 26 annos de Idade pouco
mais v menos, tendo os seijipifcs signaes: aara
e corpo regulares, rosto redondo, lem andar ma:to
apressado levou um vestido de chita esrora ja usa-
do e chales encarnado esta prea fui escrava da
Exma. Sra. D. Mario Caadida SaJazar da V. Pessoa,
moradora na rua do Hospicio consta que anda pelas
ras da Boa Vista, onde foi sua antiga residencia;
quem a pegar leve a rua do Crespo n. 18 2" andar,
que sera' recompensado.
Ciranic no?idade a 5OO rs.
Atlanta a 200 rs.
Atlanta a 200 rs.
Atlanta a 200 rs.
'Cbegou para a Ioja de Pavo o mais lindo sor
tmenlo desta nova fazenda, com o ltalo de allanta
proprla para vestido e roupas para meninos, sen
do esla modernsima fazenda de lia com os mais
lindas gostos dequadrinhos e listras tendo entre
ellas de cor roza e preta, com listras e qoadros
brancos proprias para loto, e vendem-se pelo ba-
ratissimo preee de -200 rs. o covado tnicamente na
ioja do Pavo rna da Imperatriz o. 60 de Gama &
Silva.
A bitas do Pava o a 200 o covado.
Vende-se o mais bonito sertimento de chitas es-
curas e roxae sendo inglezas, mas com os pannos
lio encorpados como os das francezas qae se ven-
dem a 400 rie, e liquidarse pelo barato preco de
200 ris o covado ou a 7*200 a pena, garandado-
so terem 30 covados cada pee,a e seren de coree
fine isto aa Ioja e armazem do Pavao na roa da
Imperatriz n, 60 de Gama & Suva.
Armazem do PavSo,
Vende-se cera de carnanba da melhor qualidade
emsaecos, mais barato qae em ootra qoalqaer
parte no armazem do Pavo na roa da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
As cabaias do Pavo a 2#0G0
o covado.
Chegaram para a Ioja do Pavao as mais lindas
Fugio no dia 18 do crreme ao meio dia a
escrava de nome Antonia, idade 40 etanios annos,
corpo regalar e o rosto com marca de bexicas
bem visiveis, mal encarada, levou vestido de chita
ve.'ho e desbotado, e am cbales ae la roxo tam-
bera velbo e dos .otado, ja foi apanhada no Poco
lavando roupa e de suppor que continu no mes-
roo offlcio : quem a pegar leve a rua da Cadeia
do Recite n. 10, que sera' gratificado.________
Fnglono dia 10 de abril corrente, o escra-
vo Antonio, de naci, cor preta porm om pouco
fulo, estatura um pooeo menos que regular, de
rosto miudo, nariz bem afilado, quando anda abre
os ps para os lados, um pouo cambado ou como
derriado das cadeiras, entende alguma cousa de
sapaieiro porm ja' a muito tempo nao usa do ot-
ficio, muito regrista e muilo bebado. foi escravo
do Sr. Jos Rodrigues Ferreira a rua do Queimado
e por isso bem eenbecide pelas diversas fgidas
que fez em poder daque.le senhor, os logares por
onde cosiumaandap..onnd, Caxang e Varzea .
quem o pegar e levar a rua da Concordia n. 8, re-
fioaQio, sera' gOTeresanjentegratificado^_____
~^ Fagio no da 24 de fevereiro prximo passa-
do, dn engentan Batirn, do termo de Barrelros, o
mulato de nome Prancisto. idade 34annos, estatu-
ra alta, seco do corpo cor am tanto plida, com
pannos pelo rosto, nm ponco belQudo, pouca barba,
alguns denles podres, cabellos carapinhos, tendo
em urna das pernas ama sicatrn de urna ferida, e
consta ter dito que i sentar praca de volunta-
rio. Roga-se por tanto Srs. commandantes de cor-
pos, as autoridades pejiciaes, capitaes de campo,
bem como a qualquer pessoa, de o pegaren), e de
remllelo a sen legitimo senhor Francisco Paes
Barreto, lavrador do referido engenbo, ou a rua do
Imperador n. 42 terceiro andar, que se gratifi-
car.



Fugio bontem 13 de abril o escravo Joo
cabra de 25 annos de idade, baixo, grosso do cor-
po, com falla be dentes, ps e maos m pouco
grossoe, barba pouca, cabellos carapinhos, um
peuco roivo, levou caifa de brim parda, chapea
de baeta parda e camisa de madapolo, regrista
e intula-se ser forro.
Este escravo foi comprado ao Sr. Manoel R-
belro de Camino com toja na roa do Queimado,
o qnal escravo foi remetiido de Garngune pelo Sr.
Antonio Correa da Reeba Muniz para ser vendido
no Recite, presume-se que o dito escaavo tenba
seguido para Garaohuns, onde tem prenles; pede-
se aos Srs. capitaes de campos e mais autoridades
que o peguera e levera a seu Sr. Jos Pereira de
Miranda Guaba na rna da Imperatriz n. la, ou ao
Sr. Manoel Ribeiro de Carvslbo com olja na roa
do Queimado, que srS generosamente recompen-
Sdo. ________________
Est ausentada ea de sen srnuor~es#B 31
de marco prximo passado, o eseravo' por nema
Joo, laeo Zooge, de meia idade, levou calca
branca, camisa de algodao fucblcaoa, chapeo velbe
I
cabaias de seda paxa. vestidos, sendo com os mais. de coaro, tem cara grande, ventas regaladas, nariz
lindos gostos de flores e listas, tendo entre ellas al- chato; foi escravo de Sr. capilao Joaquim Francis-
gimee rotas e pretas para qnett estiver de hilo, co Lana, e tem side encontrado as ras do Ran-
fendo efta nova fazenda 4 palmes de largura qne g*>, paleo do Garnio e Garepa Grande : roga-se a
fccUila fazer-se am vestido com poneos covados, e onem o pegar lvalo a casa a roa da Imperairii
vende-se pelo baratissimo preco de JfOOO, onlca-, n. 80, que ser recompensado.
atente na Ioja e armazem do mo roa da Impe-
ralrt a, 60, b Gama & Suva.
Novidade
Pan rcatldo*.
Ao.SMVW4 0> casa de sua senhora, desde o
dia do corrente. o esc-avo Trajano, mulito, de,
20 annos de tdafre pdueo mais- oo menos, com o*
slgnes segaW: esta lora rgnlMii rosto redeudn,
sen; barba, eaaaUoa grandes e bem estirado, m-
Cbegarara aa desejadae cambraias ou tariauna-, vou caiga e jiqoelade panno asol fino; tem sido
brancas com lhtrinhas sendo transparentes e ven- encontrado as roas desta cidade: quem o pegar
dem-se pelo baratissimo preco de 5J000 o corte,, e lew-Ib a* cita de stta senhor, rvavadd te-
un leja eermazem dt Pav o ro da laptnWx! uwite-flowdt fiareocio, a roa o> rnaenaara^
P, W aana *SWva 3, erlneonneatado.
MHfll
Aimi




''aiMMt itmW r*~ t Foron o MdVa fodo o jelfcfi
barriga d aqu, ^M 7 Q aebroo a nl. ,eicil,...
voi da n*intWWrt parti a bnssoia ? deV< K trHe, 6 ,
lama cornada u* oficiale, quarto? Nada. di*.wm decret08
neci ologia ceica do\ 50 : DOlle harii apenas comido coasa da maia*
vara de babado que enclava o vestido de seda de-1" 0 mn .iin
i "a pissagrira, <,i se fiaaa'tMrrio trt rtms, "
dara Untos feitos memors- ^'Ommodida pelo enjt.!. ,
mbram uu *Vi *<>'! de inte- ? c<** de ponido Q jaote severttade p-
o paiz etf-qu, passou e tR*4 de tvo leve Mtt! Qwlotodo, o
a lembraoca popular, que uad *t V inj^n yy o Oesso pr>
oto, quaudj teem se ris-; O taN^itj 6 como a luz e como a verdade, que. ^fleloroso que tfie f of
14 urna uJifferenga ii-'sjl'fe-aaai sempre, a despelfo da irevas e do er-
ro. Ea&'ico le'rapt o iiode du algale fez-seco-,
niiecidifjCa eidade e deu
repreheusivel, uto
Y:
.


)
'
l
-----------largas ao (alent con
que o dolara a oalureza.
O molequesi esses espectadores de qdantoe acn-
tecimentos se passam as roas, trararam logo eo-
nheciraenlo com o bode, que esse terapo ja era
de tamaobe regular e de idade capaz de dar-se-lhe
o mulo depessoa tria.~~
Estes, mais amigos do bede do que 09 raqaeiros
do Piauhy que o chamaram-iadYoderam-lbe
o nome de Yoy.
E tornou-se o bode, por suas artes, o brroqvedo
dos moleques, o terror das quitandeiras, o CabVian
dos venle'ti5es e eocowsaado de a senhor.
va 11 da lista di
avel, uro
ingratidio al I
Emhora coaftg'oragao anunvudo pela tristeza
e com um Amazonas de lagrimas a se precipitar
de qoscw olbos, tomimofa penna, para soer^guer
tira nome, quem o silenci> da campa ameaga de
esqulmenlo, para cumprir um sagrado dever de
patrila, que nao pode ve: indiferente, o esvaeci-
ment das glorias de seu paiz I
Morreu o (Ilustre e jovial bode-j/j/, e excep-
to de algumas sentidas quexas arrancadas pelo
senaento as inspiradas lyras de bem poucos poe-
tas, o roaior indifiereotisrao se succedeu aquelle
trale passamenlo, que, pelo contrario, deverla ter
enlutado esta tirra, tbeatro das faganhas do illns-
tre morfb!... \y era deciddaroeam.oroa excepcio entre os-
Assint sao as cousas tiesta mundo I Tudo bodes! Era quasi um honifro de quatro ps e cb#-
passa!... fes? Muiu creatura de Deus. que avia por abir
Trabalhos, fadiga-, um nome il ustre, a (ama, a envergando casaca, e earaiobaad sobre- doos-psr
gloria, e depois a raorte e o esqaecimeoto I... |tem muito menos perspicacia e taeotaf do que h-
Terrirel roUna da sooiedade I Terrirellei de>le nha aquelle celebre bode l
mundo-I Terrirel noosequenca da eontlogencia Yoy era um bode genio I! !*tj^M_|
vital 1 .m I -^ amizade e as relaces dos ale joes fcram lo-
- |go exploradas por Hoy, qoe nunca dep?eeooa
En um canto rido 6 secco dos ertoes do Piau-' Perdeu ^rcumsiancia qoe podes^con^rtar^ife
l.y oascora, no .corral" do rioa^notro F-., um > vaniagem para a sua T.d. Mentorei e-ale-
boJioho, que nada promeilia <3e""tiraordinar.o, 8r-
pois era bodinbo como o outros, e como os outros Atirando constantemente marrad^ aos seas- jni-
passou os seus primeares Hmnos. j 80S' com cadado de UDDCa <>l-l, seguln-
Urna eircamstancia, porm. o toroot logo nota- d-os pjr toda a parte, accudindo todos os tus
ve' e conhecido de todos os vagiBlrs d'aquella fa- chamados, Yoy por l(*odo seu lado a porvda
izni. No fim de algao3 toeites de nascido, quan- eidade, e creoo nella um rireolo do admiradores e
do o leite d'aquella qne o hav dado a uz, mal \ de constantes epectadores de suas facanhas.
alimentara aquella uatureza robusta e aventorei-' Tal vez esta'cidade nao cont urna s4 quUandeir*,
ra o esperto bodinbo, transprado a estacada di ja quem Yoy nao bouvesse feito um furto,com ap-
r.urral com saltos admirareis, que annuociaram a plausos estrondosos dos saos iosepararls amigos,
.-.ua feliz predisposiQlo para a gymoastica, la a} A banana, a laranj*, o caj, a manga, acocadas
procurar pela fazeoda alimentajao mais forte e ra-: a rosca, o pao de l, tudo satisfazla o apetite de;,
riada. Nenhuma plaotiQo, neBhum ardlm, ne- i Yoy, e era por elle fortado I
nbuma horta, nada era poupado pelos denles des-1 Comtu, viven, bebm, $em ter dinktint.
Ltrga, Yoyd'ahi rem Yoytpega Yoy
sah d'aqui Yj/o"-era a phrase constante dts-
roultando Ihe o ohjecio daHm^H
iknor...
truidores do bodlnho em suas excors&ss gastron-
micas.
D'abl algumas pauladas e ferroadas adradas,
sem piadade, as costas do infeliz, e o appellldo de
adrao que logo lhe foi posto.
qitandeiras, que annonciara sempre um furto, ou
urna tentativa dalle, e que, como por encanto, reu
nia logo a molecagem.
Quantas vezes os pan-wlas dos armazeas de mo-
l! mCO DE TUBO.
u papa compoz a seguate orac> patra prftr o
aoiilio dirioo em faror da realeza tetuporal :
Prolegei esta cidadey Senhor Den, e gardbm
es rossos anjos os moros- que a cingea;
Prestai ao vosso poro euridos misericordiosos
Aparta! rosso poro a rbssa colera,- porque-
0 ossos iuinwpos esto congregados, faiem os-
tenrHSoda sotorca'.''*
Mas vos quebrai-lbe as oossdias e subvertei-os,
para que conhecan que r?, dsso Deus, comba-
tels por dos. r
O Diario do Hatrc, a que deremos estas Habas,
diz que est dada ordem em Roma para ser Mella-
da esta preee dorante- os exercieies da quarema,
9*>"
& carneiD em que rjpousam os- restos- mortaes
oVLincoln, em Spring&eld, foi alllmarneute aberro,
ea-commiss do aomtmtnto nacional procedea
o-.rptpAbMiateoto do carpo
A* feicoBs 4b finado presidente toram acnad*-
conapletamenie- decompostas, porque a embalsta-
cSo falbra absolutamente no seo efflto preser-
vativo.
A eommissao-depols de r veriQcad a identidad
de do-eadarer, tornoa a (echar o catase, qoe bl
soldado e sellado com o sello da assoora$ao.
Ocarneiro foi outra-veifccbado e donesme rao--]
do soado, para Msim permanecer at-a ceremoala
da trauiferencia para o roonumento nacional que
oommissio trate d levantar;
appllcar-se com mais
jaicido do ^Qt aos de alle^
tra qoe ondnero'las mortes
deanno para anno em assns-
inistro da juitiga man i formar
s oanuos urna estalistica minu-
liot atficidtos, e dests dados an-
qoe em 187 se registraram
tarias, e em 48-3-i, ao eibj de
seculo, 3,674.
Deade $17 at 18W contava'-se cada anuo um
soicldio por 17,693 habitantes, e em 832 um por
9.3W. .
Na Deifica da' resultados anlogos o periodo ffe-
eeual do 1840 a 1850. '
O na ero dos suicidios,-que era de ?M> em 1.840,
subi a ftf em 1830, o que equivale a um aug-
mento.de 38- por cento, ao passo que a populafio
apenas cresceu pouco mais de 8 e meio por cento
durante o mescoo periodo.
Que li podemos (orinar 6V estado da aocieda-
e> actual i rWa desta desconsoladora progressa
no- nomero do suicidios ?
Aproxima mo-nos, porreolUrrdepma daqnellas
cnses supremas em croe, moras- as cenlas e se-
dente a alma de immensas aspirantes, eoao achan-
do nearnor, na gloria, no prazer nem na riqueza
com pfe encher o-abysmo dos deaejos, se agitan
no Taeape bnscaa-n nwrte o eterno deseanso-r
No-asta' em nosso animo calumniar tao iajos-
tanente o nosso seculo ; temos repelidas proras
dorr-ntrerio para detinrmo* deerer qne o pro-
gti. *". do suicidio nio mais do qoe episodio
transrorio de um momento de raciteeao no inces-
sante earoinbar da- bonanidade para o pro-
greaso.
No meiotd'ra$a ha algons,
QueSe fa'zah Dfcoradas;
Entre .arecem ''
Ot queja fio quilotado.
O cascabmhos d'agora
S qoerem pagodear;
Ojmo o Yy nessas roas
Vivera sempre a passear.
Oh uieu Ueus! quau lo tal raga,
L'ui da se lia de acabar T !
Coro,
Com tal geute-Drus me livre I
Qae ebegue a sympiiliisar.
Ser tal o meu desgosto
Queeu me irei enf >rcar.
(Risadaf. caslanliolas, pondran e maracas.)
Se a polica da mulheres,
Persegulsse a esia raga,
Cascabulbo nanwrado,
Era ac Hado na praca;
Cascabultio vadlo
Atirado no no:
Cascibulho encouraeado
Virera apedrejado:
Cascabulhu barbado,
Pandego, passeador.
De luneta; e bengala5.
Nao entrarla as salas,
Sirviria dj criado
Aos fillns da academia,
Oode mora a educagao,
Chide vive a ?ympaihia.
o^hames acatara d re-
Gri Bretenha, depois de
od alto mar, altor lo da
liafahaS. '
X

Seo genio trefego, porm,-nao era "P""'i lnados e veaiiS saiuram apressadamenH obako
correeao,_e mMjcf ** acud.r os gneros, que est.vam eipostos 4
de emraenda e d
tendencia para a hberdade nao Ibe permittia ac
qniesceT sojelcio qae lbe impoobam
Foi condemnado, por isso, mais dolorosa, m (
paracao, qual aquella que se opera entre om umo ^ ^ ^^ m|| ^ ^ ^^ da ,yp<)graphiJ1
i renda, e que erara derorados por Yog
At, n'um bom da, o nosso hroe, por un ex
e sua mai, e foi ter mo, de renda em venda, de
troca em troca, eidade da Tfterezraa, onde ven
deram-no ao cozioheiro de om raporsoho da na-
7egacao flurial d'aquella provincia.
Por urna nolavel conlradicQo o bodinho, mal-
tratad j por aquellos qoe lhe deriam um tratamen-
to humano, foi eocontrar r.m lisrageiro acolhi-
raanto da parte d'aquelie coznhei$o, que baria
comprado para matar, empingindo a^s passageiros
Gommercial I
Esta-' hoja demaustrado fue em igcailatitude os
climas- europeu^ sao mais- temperado do que- os
americanos.
E" devida essa differenoa infliMaeia do 6-Mf-
Strea*> immens-ro de agaas quemas,.qae o golfo
mexicano despede para as-regioes pelares, e qne
aqueco as costas- da Frasca e d Inglaterra^em
quanto as do Casada e as-da Nora. I&glaieira^. ea
que Bao toca,, posto.que situadas na mesma laMtu-
de, nao teem mais-reg&taedes do ajae-aa-aas-terras-
polares.
Estas linhas... qBe coHiemos de a diario de-Ma-
drid, azem. reo qoe a Franca i. IogJalern.alao
com as costes- quemes.
O imperador dos Francezes Eoeebeu, ltimamente

Acabamde descobrir-se em Netson, naNova-
Zlaadia,.09 restos osseis de urna are gigantesca; um maldizente, do fim de tudo.
A SfSt.Sinltb. de Londres, seria a-maif- amawl
das creaiuras se no.livesse urna desgr-agada pa-
xo pelos animae.
Lord Byron ja' disse que as velhas goslaram
muito dos seos tot-s ra podren> detestar os ho-
mens a sua rontade mas Bsroit nao passava de
O Coarrfa- irs Etafs Vnis, dim'eta ?x de (e-
vereiro, um facti Cfscferistico dos c*osrtrmes par-
lameitarl no* Esfado3 Unidos, qtre se passou na
cmara dos r-'presentinfes m Na?nv[|le.
Suscitm urna viva alterado entre o presidente
e um membro dacoagresso, M. Mlleos, sobre.a
ordem -Jo da.
O presidente jnlgao derer acaba/ a desputa a-
postroptianlo o representante de meatlrose, de rlf
canaltia, e, para mais fonemeate leceatuar estes
epithetos, arremecoa a cabera do sea merlocutor
o martellinho de marfim de que se serr para re-
clamar silencio.
M. Mullens, chegado ao paroxismo da colera,
saccou da algbeira um revolver; e o incidente
ter-se-hia toruado trgico, se os ootr merabros
nao actWfs9em desarmando o seu collega.
. i

Continua a reinar a agitaeao na irlanda-, e taa-
bem continuam as prisoe das pessoas suanaites
de fenhnismo.
O gorerno inglez esta' raoi preoecupado com a
situaro da iimaica.
As noticias recebidas d'essa colonia sao grares
E' iodescriptirel o alroroeo que se note entre os
pretos; os braocos rivem n'om conttntto sobre-
salto."
A destituido do goreroador E'yre t>ma medida
das mais impopulares.
Sir 17. Stocks informou o gorerno britnico de
qoe era indispensavel eoriar iraportante& reforfo-
sem demora alguma se se queria por a salro a se-
guranca da colomnia.

que o deveri a medir menos de Simpes de aliara
A cabe? deste monstruoso oriparcvqae, infehe*
mente, este' privada da sua maxilla iaferior, tera 1:
metro d elevagao por 55* centmetros de teo-
gura.
A rbita do olbo me lipor 6 eran rae tros.
O corpoeste' completo, exceptas- do pescoejh.
Tea morax extraordtnariameot desenvohsde
e a Anda mnito extensa. As azas, bem consewa--
das, sao largas, recafvadas- e cobertas de pennas
colosaaes
Ha dados para crep que esta monstrnosa are
om piornis, gigantesca rolalil anti-diiuviaoo que
lutava com os crocodilos-e os com:.
E* dKfSr. J. J. J.
amigo Bode Yy :
esta poesia offereeida a* seo
Toda< estas facanhas motivaran) um sem numero a ^,,,,,,5^ ^riai da exaesieao universal de
de queixas dirigidas ao alfaiate, seu senhor, e este
resol veu, por isso mala-lo.
VI
Anda urna vez escapou o bode Yoy morte I
A noticia do projecto do alfalate correa logo por
entre os moleqaes, e, em brere, ama sobscrfpcao
! abrio-se, com o Bm de se lbe dar a hberdade.
de bordo carne de cabrito por carn^de carnero
O bodinho, tirano toda a raotagem do bom Em poucas horas, foi o bode comprado e lber-
3colhimento que lhe prodlgalisara o coznheiro, tado.
diseuvolveu logo todos os seus talentos e fez-se Hjnra aos sentimentos humanitarios da jwira
notrel bordo, toroaodo-st: o direrttmento de to- peraambucana I ^
*\WW-Xf*?T^ LWo boda^.^to, alarida enatoa^
taO'Jo algum pedazo de pao o
scapou morte.

: e atirou-se pelas ras desta eidade, garboso e all-
deram-lhe a hberdade
ro, cono o escraro a quem
NI por seus merecmentos.
O mais reqniotadj espirito mercantil diriga to- ~
das as aegoas do coznheiro, possoidor do bodinho,
e. por isso, cedendo a' pronos de um seu colle- Aquelle divertido bode, aquelle Bocag cabruna,
ga do vapor Paran, da companhia brasileira, na sua vida ligeira e descuidosa, nao pode exmir-
rendju-o na provincia do Maranno. I se aos eQeitos do amor, e, tendo-se ltimamente
Em poneos dias o bodinho ez-se conhecido apaixouado pela cabrinba yaya, havia contratado
n'aquelle vapor, onde toraou-se, como no primei- cora ella o seo casamento, o qual ter-se-hia effec-
ro, o dirertimento de todo.-. j luado, antes de s'oa morte, se urna questao de ciu-
Uma (alalidade cega, porm, persegua aquelle mes d'aquella, por causa de outras cabras, nao o
infeliz expatriado !... ) tivesse espagado para mais tarde.
Urna ora oceurrencia veio prvalo de todas as Semelbante contranedade, tendo, de algum mo-
aff*ie5es, que ja" hara adquerido a" bordo do Pa-! do, alterado o bom humor de yy, troxe-lhe orna
rana, de onde foi expulso por ordem do respecti- tristeza, que (ol logo extranhada por todos.
ro comraandante, sera qne nenboos rogos Uves-
sem podido obter a revogacao della.
Semelhante intmago oi fela, quando o rapor
demandara o porto de Percamboco, e o infeliz co-
znheiro, coodemnalo a separar-se do sen compa-
nheiro, rendeu-o a um aifaiate desta eidade, seo
conhecido, a' quera recommendou o, como a' om
lho, de qaem se separava cheio de saudades.
E qual foi o motiro de to barbara ordem do
E veio urna pequea circunstancia determinar
o fim daquella rida illostre, de urna maneira que
a todos sorprehendeu, caosaodo um immenso pe-
zar a aquelle qoe hara dado lugar a dte circums-
tancia, sem a menor lotencao.
O nm ronco de tudo (oi a caosa da morte do bo-
de yy, pois, publicando em suas columnas urna
poesa inltolada a bodarrada, causou-lhe lio serio
desgosto e abalo, qoe ama apopleja fulminante,
Pars.
O Sr. Arles- kifour, membro da comraisao, dea
a S. H. ioteressantes pormenores sobee-os traba-
lhos em via de execoeio, .qae, a conUooarem no
andamento que teem tido, prometeo. ter com-
pletos antee da poca fixade.
OSr.Uulour accrescentoo que^aomesmo lempa
qae prosegaem as enormes fundares que se fa-
zem no Campo de Marte, milbaaes de operarios
esto occopados em afikioas especiaos a propasan
pedra, a obrar maeira e fazer fundigoas, de tal
modo qoe, depois <*<4concluid nir-se-ho n'um wslaale ao/ielli materiae for-
mar-se-ha con por encanto o gigantesco palacio
da industria.
Quando chegara' o fim das epidemias,, epizootias,
e outros Qigellos T
Depois dos horneas, os bois, os poroos, o a caca;
e por ultimo at apparece urna molestia as
ostras.
Os symptomas teera sido eslodados em moitos
rireiros de Franca, e diz-sa qoe muito curioso
um relatoiio qoe vai ser apresentadp academia
das (ciencias de Pars.
A ostra, desde que o mal a accomette, comeca a
seccar e a encoscorar-se; a agda do mar que ella
contm toma urna cor esverdianada, e por fim,
phenomeoo singular, as duas partes da concha per-
dem a sua (orga de contracc3o e abrem^e, sem
qoe o mollosco tenha (orea para evitar aconteci
de om corpo eslranbo.
As ostras asslm a dedadas teem prduzido nos
consumidores algons symptomas anlogos aos do
envenenamento.
O Pvoario.de L>orefere o sefuiute accidente
que fea celebre a cepresentacao do Corcovado no
Tivoli iyaaez :
No quinto acto ha ora duela- entre o- bere da
peca e entro persooagatn-
Ora, em consecuencia de (alai-negligencia, o sa-
br de om doe-aotores nio estara conveniente-
mente preparado, o o outro aitor (ol brido no es--
toaajo.
t*lerro enteou dereras pela carne, e o artista
cabio-gara \ne, soltando om, grito- torrivel a que o
publiao responden com frenticos applausos. Has
pasaaaos algons segunde*, o sangae que da ferida
corra em abundancia aiostrou aos espeetadores
A Sr-a,. Smith ama a tal ponto- os seus bichos-,
qoe o seu quarto sem tirar, neo* per um ot'.ro
jardim zoolgico.
Ella fem gailinlv-,.galios, pato-, gansos, perso,
'finalmente todas aa especies coebecidas de aves
damesticaSj que tima na sua sala em perfeita In-
tiinidade, como msniliro> d' urna. s.familia.
E' verdade que esta colonia s se possa anda na.sala nos binos dos pes mas
a Sra. Smith polwj-lhe importa qwe esiranhos-nao
possam entrar oa> sua.habitat^ por-caosa domau
chelreqne d'ell se-despreoda v qpe quer -rer
(elizes-os-seus btrho*.
Mas quem o tajwa de crer?
A&ra. Smitc-tem orna inlmisa. iroplacavel, que
a senhorla da. csa onde habite.
Bstl mulhes sena eorago na.quer rer asna ca-
sa transformada.emsuccursai do jardim acoloizicj,
e qoeixa-se eu.esudo de podnao em que-se acha
csoilho por caus da massa-d'agua que exigem
os gansos para poderem pafathar..
A seDheea pon maudou intimar judicialmente
a Sra. Smith para expulsa* de casa a bicharla.
A locataria recerreu desJa violencia para o ma-
gistrado, respectivo. .
Ha. receios porm de que este hornera tenha. a
cau^Mad de separar e*Jc seres ojie-a natorsta. e
a aaiisade parecem tes unido to Lotiraamen..
LAGRIMA BE SAl'DADE.
Inda a loe d'amanba dourando as nnrens
Nao se- estnaltara no horisonte azul,
Quando impiedosa roubou das nossas roas
O bode yy I
O sussurro das pretas quitaodeiras,
E da morte a faul etrisie nova
D'entro-o negro silencio despertaran
Gratos- eantos de puro sentimento.
Tudo era triste t
que d grito e a queda nao- tioaam nada de fleeo. Fa||a 5e mu-,w neita trra to um fact> estraBho
lueafcah 0bjervado ha alguns dias D'ama rapariga, ao ser-
6efa-se que nio sera'de morte o ferimento, vico em casa daumt h iniaia ramiha ; rautas
"# stadt> ^ ferldjo grare. I aguina tem sahido dos dedos desta radariga sem
i i o i tir que se tenha podido descobrir como ellas se lhe
A gloria de ser querido
Sobre todos-alcangou I
Morreu... lei natural,
Goitado !..... morreo yoyo l

11 jornal franeez, que se oceupa esnecialmante-
de assnmptos Hnanreiros, denominado La Finsucc,
escrevendo sobre- as caosas da oarestia do dinhelro,
dia o segoiote:
A melhor resposta que se pode dar aquellos qoe
fiogem nao saber a razo por qae o dinheire este,
caro, mostrar-lhes a progressao sempre crescente
dos recursos ao crdito,
O anno de k865\occopax.dignamente o seo lugar
uesta interminavel nomeotleiura de empresas de-
toda a especie, e de emprestimos de toda a origenn
Nao fallamos, aqu seno do mercado inglez. Du-
rante o anno de l6osforaraestabelecidas-a&7"com-
paohias novas, com o capital aotorisade de. a...
106.995:000 libras, esterlinas e que rewram....
73:578:909libras de sutiscripgoes.
O KM'inctpileiir da-Cimbrai .".onU o seguiRt& :1 As coapanhiasj existentes fueraa chamadas
na importancia de 7-,379:640 libras.
Fioalmenie os emprestimos eslrangeipos. absor-
FOLHETIM
A SEPULTURA DE FERRO
tida para oulra patria; todava, aconteca qoe a
vista da sua pallidez cadavrica e a soa losse dolo-
rosa mefaziam estremer Involuntariamente, e des-
perlavara em mim um sentimeoto de afflictiva com-
palxao. Ella lia no fondo da mioha alma. Quando
Tomamos de La poca dados estatuyeos sobre
A senbora OV.. panados 4publicno do-se-
guintes versos,: r-
0S CASCABI'LHOS
Os cascabulbos d'agora,
J nao sabem esladar,
S procuram protecQdes,
Para os exames filar.
De paDdegas e de vadios
Ficam logo encooragados,
Eatre elles se disfioguem
O- cascabulhos barbados.
Os cascabalhos d'agora
J nao causara compaixo,
Todos e lies s merecem
Chovas de reprovago.
Outr'ora qaem (oi qae rio,
Cascabulbo passear ?
Hoje no mel das salas,
La vo elles palestrar.
Ji nao abrem diccionarios.
P'ra significados tirar;
Sum, es fui. elles nio sabem
Se verbo auxiliar.
e eu eslavamos convencidos de que ella nao ebega-
ria ao desejado momento t
Com effeito, baria qnasi orna semana que nao
podra sabir do leito; o estomago nio aceite Ya ali-
mentos ; ella gema aflicta, como se hooresse co-
me calara no espirito um vago pensaraento de an-' mecado a ultima Iota com a morte victoriosa, e o
POR
Henriqae Conscience
(CoDduso.)
XXX
; Rcsa havia, nesse mesmo dia, (aliado a seos pais
do desejo qoe traba de vr-se ligada comigo pelos
lagos matrimouiaes. Seu pai, que de bom grado a
ra 05 maiores sacrificios para eseusar-lhe o mais
leve pesar, concedera-lhe sem nenbuma objeeeio
tudo o que ella anciava e chegra a pedir-me que
nao negasse essa satisfaga: I sua pobre Giba. Es-
perava elle qne a alegra de ver assim realisado o
seu mais ardente desejo dara a Rosa vida nova e
novas forgas para luctar victoriosamente contra a
soa cruel doenga.
Mas coosa singular I No dia seguale pete ma-
nbaa notamos qae o estado de Rosa havia peiorado
seosivelmente. Os olbos tinbam perdido o bruno;
os labios estavam descerados e navia no seo olhar
embaciado nao sei qoe bomidade qoe manifestava
um enfraqoecimeato de forgas vitaes.
Era, pois, verdade o qae Rosa me dissera por
mais do que ama vez I As melboras qne trabamos
julgado ver eram mentirosa apparencia. Por Ipcrl-
vel esforgo sobr si mesma, juntara todas as (orgas
da sna alma para fazer-me aprazivel e familiar a
idea da sna morte, e o que lbe restava desea torga
moribunda empresra o em baver de mim e de
seus pais o consentimenio para o seu casamento.
Agora qne estar aleancado esse fim supremo,
desfalleca, e em urna s noite o aal cobrara toda
a sua violencia e se desenvolver com ora ra-
pidez.
Entretanto, Rosa sorria e fallara com alegra.
Nenbom peusamento triste lbe, velara em sombra*
o rosto, e poeto qoe o seo uorpo.foeee cada vez mal
consumido pelo padecimetito, o ten espirito paten-
teava-se tranqolllo e com pasmosa vlvacldade.
Na verdade, a certeza de qae Roe -te morrer
gastia ou de tristeza, cravava nos meas os seas
olbos com urna expressao de branda censura, e
movia-me ao desprezo da morte corporal e i mais
viva f na eterna vida da alma.
Seas pais reconheciam com a mais profunda dr
que se tiuham deixado engaar por via esperanga.
Cada vez qoe olhavam para soa Alba e viam, por
asslm dizer hora por hora, 03 progressos do mal,
seo dormir era de continuo salteado |or suores
terriv-.-l sgnal deque a alma se debato;para des-
prender-se das prisfcs do corpo t
Quanto foi angustiada para mim aone que pre-
ceden -tfdia solemne I
Rosa morrerla sem ver o oosso amof' legitimado
e santificado pela oencam de um sacerdote T
Emprehenderia a viageaieterna essiagada pelo
poderam introduzlr no corpo.
O Dr. Bremart, qua trata asta singular doenga
attriboe o sen efteiio a orna causa provavel de som-
: nambulismo, e encarregou o> donas da caso de vi-
giar a doeote dudante noiie, para ver, se duran-
te o somno, ella media alMetec na bocea.
E o Memorial d Anwns accrescenta muito espi'
rituosamente a Isto :
Se a creada de que filia o nos?o collega di Cara-
brai engolle rea'mente alSoeies que lhe sabem de-
pois pelos dedos em e tal) de agulhas, acanselha-
la-iamos a que pensasse l, ?m antes de se fazer cu-
rar.
Se esta molestia lhe nao causa rauitos soffrimen-
tos, teria grande lucro em conserva-la, pois, como
se sabe, o prego das agullias muito superior ao
dos alQuetes.
Noticiamos ba das, que o navio inglez T/i Tha-
mes, carregado de munigees de guerra para a cor-
veta couragada Independencia, pertencente a ma-
rraba de guerra peruviana, tinlia sahido do porto
de Bresl, ond lhe nao fora permttida a baldeagao
do sea carregaraeolo.
Esc re ve m de Londres a' Paine de Pars, em da-
vera m 20,13L:63 lincas e o total das. emissSes foi
de 46;3t::J6a libras.
Comparando estas cifras, achames- s para o an-
no de 1865, qu- o compromissos se etevam a li-
bras 168,021:963 ( 656:449 costos de res ) e as
preslaces raalisadas a i03,190.-mibrs (464:330
coatoe de res.) '
lulgamos intil accrescentar censa algama a es-.
tes algarismos.
Va
Era preciso nao me demorar, porqae j nao ha-
via obstculos, visto qoe era dia claro, e campria
qoe nao perdessemos om momelo.
Pouco depois eslava do camiobo para o castello,
A final, quando lhe pergaularam se coaseutia
em ser mioha uuiber, o fatal simaioda lbe
sabio dos labios claro e disuado. Mas entao fe
chou os (lhos e a soa caboga, desfallecida, resva.-
0 santo padre Po IX nascou em Simigaglia, n&
dia 13 de mato de 1692.
Foi eleilo papa bo dia t6 de junho de 1846;
Conta pois 74 anuos de idade e tem 20 de- cuali-
ficado.
-O sacro collegio consta boje de 57 cardeaes.
Entre elles 6 pertencem ordem dos bisos, 43
a de presbyteros e S a da dicono?. Sd. 29 car-
deaes residem habitualmTite em Roma, os outros
morara em omros pontos do orbe oataolico.
Arada lia 17 cardases creados pelo ulimo papa
Gregorio XVI.
Os restantes 42 foram todos promovidos i dignl-
dade cardinalicia por Pi IX.
Entre estes, dous esto aiada in pello.
O cardeal decano, raon.-uhor Matei veste a par-
pura desde 1834.
O cardeal mais velho, monsenlior Fosti, conta j
noventa annos. .
O mais novo, monsenlior alilesi, so tem 49 aa-
o os.
Ha actualmente 11 barretes vagos.
Em todo o mundo calholico ba lz cadeiras. pa-
triarebaes, 154 archiepiscopaes e 692 episcopaes.
A este nomero dave accrescniar-se ai cadeiras
tn partibus tn/elium, qae sao 30 archiepiscopaes.
e 196 episcopaes.
-9B-
acompaohado por meos pais, e sabia para o quar- Ion para um brago da cadelra.
to da doeote, onle devia ser celebrada a nossa
nnio.
J hara multas pessoas presentes : o adminis-
trador e o sea secretario, o sacerdote e om acoly*
to. as testeraunhas e os amigos.
Rosa eslava assentada sobre almofaas em urna
dor e
lagri-
Todo o quarto se enebeu de gritos da
compaixo, e de tolos os olhos rebeotaram
mas.
A eofermeira ergue-a aos bracos e deitou-a no
leilo. Ea esperava a tremer o anouncio da sua
morte. Meu Deus era verdade que estavamos
as soas lagrimas corriam copiosas. Mas soffreram peso de Irtslez e temores
insenivelmente a irresistivel influencia da illimi
tada confianca de Rosa e da inexplicavel lucidez
do sen espirito -, por fim pareca qne esperavara
com certa resigoagao o fatal apartamento e deixa-
ram de chorar to perdidamente.
toram feilos a toda a preesa os preparativos pa-
Ai, se o cu assim o qulzesse, qoe ierrivel ago-
na serla a sua! A impertorbavel quilagio e ad-
miravel esforgo qoe havia mostrado derivavam s
ia esperanga qae Deas perdourte espou legitima
a faaqueza da pobre donzella. Exhalar o sen der-
radeiio alent o coraco, por assi.*zer, ja lio
bata; a mi da morte esjeodla-se petada sobre o
ra o nosso casamento. O Sr. Pavelyn fa Indo 0|SeapeJto.
qae pode por abreviar as formalidades legaes e re- j Estes pensamentos, esta angustia, esta desespe-
ligiosas; porque, aioda que Rosa nos assegurasee! rvji0t passavam como espectros anto 01 mam lhos
qae viveria pelo menos anda at ao da solemue,' Mpantados, em quanto que,na minia cruel insom-
comegavamos a recetar qoe a morte vleae colb-' B|> eo estava assentado ao p fe tea leito, hme-
la de Improviso antes de reellsado e sen ultimo decpndo com minhas lagrimas o | lamento do mea
desejo. qaarto.
Rosa queria estar bella nesse dia, bella e alegre HfcQualquer rumor me fazia eaecer e me cao-
como convm urna esposada. Com qoe infantil gara inexplicavel terror. A cadl Mstante pareca-
alegra nos fallava dos vestidos que se estavam a me onvir os paseos de um mensageiro qae ia di-
fazer para ella em Antuerpia, das joias que baviam zer-me Rosa morreo
de adornar-lhe os bragos e o peilo, e da corda de. Emfin, quando o cu Lranquejou com os prl-
flres de larangeira qne lhe elogiria a caneca I meiros airar kttianha, chegeo om criado.
cadeira de bragis. Q jando me rio, sorrio-me legitimameote casados para ornando, mas Deus
com urna expressao de celeste bemareaturaoga, | negara a soa beogo ao nossa amor ? A pobre
agradeceodo a Daos o ter triomphado da merte' R>sa descea a sepultura ssm essa ultima e su-
at aquelle dia ; mas ea, posto qae ella qgizesse' prema satisfagao X j[
Pobre nrgem, esteva nomo um esqueleto vivo;
j nao poda levantar-se sem apegar-se aos br
da poltrona; resptraVa anclada para que os _
palmdes contrahidos bebessem um pouco de
(rosco; s vezas urna.toase sibilante, um verdadel-
ro estertor, aae;icava-a com oflotaco I Era visl-
vel que o sen corpo ofria torturas lrozes; e, to-
dava, ella faHara cota slKrel exaltagao do seu
bello vestido a nolrido e da sna coroa branca de
nova
deitra de pr-me em temor, e mi pdia conversar o mil aggra*-s to rpido nos nHiaoe dia parecer aceiado a visto como oa noivo fez, Roja, com o peit
tratjqoillo com ella, das e dia,acerca da tu par- que precedern) o nosso casamento, que seus pais asslm o quera. voz do adi
primeiru palarras que elle
que elle (esse smigar-
ia: mas, pelo
Rosa anda vi-
fcaelborl Peus, na soa mls*i-
qoe anda se ergues tambem
para ella o sol que baria de allaraia|;Oiossohy-
raeneu.
Preparei-me preesa para a soteasldade edm
forjas novas e f Oem (Irme, b taabtm devla ap-
lorcar-me a palarras de alegra, nao poda fallar e
tioha n'ella Otos os olhos em tupida dmiragao.
Nio sei o que em mim se passoo. Aquelle ves-
tida de nolvado, de immaculada braneora, emble-
ma da anseocia do corpo material; aqlla corda,
branca como a nere, a que a mioha imagioaco
ajumara a luminosa aureola de urna santa ; aquel-
las olbos, too vagos e to prolandos, qae pareciam
olhar para ma dos condns da eternidade ; a mys-
tica e sobrenatural belleza de Rosa n'aquelle mo-
mento ; tudo me enleva os sentidos. Nao era o
corpo de Rosa que esteva alli, i miaba vista, n'a-
quella Cadei); uao, ella te nao tiaha nada ter-
restre : era a sua alma, a' sua alma bemavennra-
da, que descera do seio de Deas para dar satisfa-
gao a orna promessa I
Qoe assombro Dio devia ser o dos assisteotes I
Rose percebeu a torvago dos meas sentidos, e
(olgoa por ver-me to chelo de esperanzas e de
(. Em quanto cada pessoa presente tiaha de fa-
zer esforcos para comer as lagrimas e algumas se
apariavaa para esconderem as que, rompiam io-
voluntariaraente dos olhos, nos sorrlaraos lm para
o outro, como se nssemos abrir-se o eo com to-
dos esplendores de felicidade.
A voz do administrador, que se havia aproxima-
do, com um escripto nio mi para ler-nos o 'texto
da lei, quebroa com violencia o meo delicioso x-
tasi!. Rosa, a qaem a miaba exaltado dera, (or-
eas supreo as, encostou-se as al mofadas e etcotoa,
liado eos olhos qussi extigesos, a
!4*Qr,
O meu susto uuua-me engaado ; a posigao bg-
risontel que acabavam de dar doente (ez que (he
aftluisse para o oorago o pouco saogue qae anda
lhe circulava as reas. Abri os olhos e disse
atf*sacerdote, por um signal, que eslava prompla
para fazer as soas roaos o juramento seterane.
Sem perda de tempo, o miajstro do Senhor eo-
megoa a recitar as orago;s da igreja. Jantou as
nossas, maos e (ez nos jurar eterna fidelidades ; de-
pois awse em tom commovido, qae me echoou no
corago com urna voz dos cos :
Cubra-os a ben;ao de Deus que os non in*
separarelmenle I
Um grito de triampho agitoa o seio de Rosa.
Ella fez-me chegar para si, estreltou-me em seus
bracas, edisse-me n'esse primeiroe ultimo abrago:
Meu nobre amigo, meu caro esposo, agora
tenho j vivido de sobajo na torra.... Ton partir :
chama-me a voz de Deus, Sau feliz.,. Adeus I
Peosa em mim e oumpre a toa promessa. fique
sendo a esperan?a a luz da toa vida. At qae o
esposo e a esposa possam beber juntos no manan
elal do eterno amor Leao, Leao, adeas t
Parecen entao em lula oda' urna convulsao ;
recaei, nao de medo, mas de respeito pelo so-
lemne mysterio do livrameoto da alma.
Rosa fez uqia-Ai} movlibqnto ; tomoa o craci-
xo quigUnba sgf^o peto, lev'oa-o aos labios,
ermea para o Ma.olhos jpfibuBdos e Boon
5Saiamovel.?
Em qoanto o sacerdote m.nrmarYa as prag5*s
da igreja ao p da moribunda, eutlnba os olbos
atas n'ella como era xtasis.
Meigo aojo que tomara pqr aureola ama corda
de nova, como ella estar bella i eoao a bem-
aveoiaranga radiara das suas feigoes risoobas I
Qoe esperanga ; que f, c,ue elevagao para Deas
naquelle olhar iramocei h.
Junte! as mos lanado de respeito e admiragao;
no meio do silencio, do'guarto cuvia-se o aareiu-
rer da voz do sacerdote.
Orai, disse elle trWtemente, ora, mensfllhos;
a sua alma, subi ao co \
Todos cahiram de j^lhos ea prosj -el-me dian-
te da leito, levantando as aos *m o soberano
arbitro dos destinos humanos para dar-lhe grabas
pela soa infinita bonlade.
CONCLOSO.
Passe dous dias e duas noutes
lbo escutpior. A sua larga e tristi
via-me mordo a lagrimea por
vez; e antes mesma de ter oavi
na da soa vida, desabrochara '
ment de to alta admirago.
contempla-la sem veneracin 1
Quando me dispuz para retiran
Ultima vez com ardor febril as a 16 anoo,
que era gara mim a personalisagao vita da espe-
ranga e do amor, e que flzera comprebender a (or-
ea assombrosa das recordagoes.
Atravessei o cemiterio. Pare ao p da sepultu-
ra da (erro, e contemplei por largo espago, esque-
cido de mim como em um sonbo, aquella flores
tio cheias de vida a frescura como era, passados
quareota auoos, a memoria d'aquella a cujas cin-
as davam sombra.
Pouco a pouco a mioba caneca descabio sobre o
peto e cboNi a silencio sobra a sepultura d'a-
qnella melga raenloa, victima de na atar casto
infinito.
Depois, jiontiousodo o mt camiobo, del gracas
a Deus por ter dado i sna traca craatura aespe-
ranoa que nunca morro, como an anfa 4a gnarda,
a recordigdes sempre vina, coao ineegotaval tq.
uaucial de cansolago a de forga !'
PgP.!rAjIC0>-TYP. p? M F-DF BB^


L

**H- -?~^annfeanr'%


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGUFTG6EF_SE4W8R INGEST_TIME 2013-09-05T01:28:43Z PACKAGE AA00011611_10948
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES