Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10947


This item is only available as the following downloads:


Full Text

I

^B
- --
i

*%$ Itf41
AMO HJ. HOMERO M
Pr {uriel *g deatre ds-10- as d 1/ mez......, #**+
Ueniepti8ii.< Ftrte tt rrei* Hr tres nw.............. 75^
DIARIO DE
SEXTA FEIRA 20 DE ABRIL DE 1866
toan* page atrtie iMiasda i.Beiv .?.*....' m%9
Parta ao earreia aar im mm *..,...'. 3M#
MBUCO.
BNCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alax?ndrno de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maraaho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Fiihos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
BNCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SL.
Alagoas, o 8r. Clandino Falco Dias; Babia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAPETAS.
Otinda, Cabo, Escada e estafes da Tia frrea at
Agoa Preta, todos es das.
Ignarass e Goyanna as segundas a sextasfuras.
Samo Antio, Grvala, Bezerros, Bonito, Caara J AUDIENCIAS D6rtRrBUNARl BAGAPCTA1
Aitinho, Garaohuns, Buique, S. Bento, Bom1
Conselbo. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Serinhem, Rio Formse, Tamandar, una, Bar-
reros, Ana Preta t Pimenteiras, as qiistu
feiras.
i
Pac d'Alho, Nazaretb, Limoeiro, Brejo, Pesqneira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Gabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salguen o e Ex, as quartas
feiras.
TribuB! do comnercio : segundase-quintas.
Relaeao-: tareas sbados is 10 horas. J>.
Fazeaa: quirtas s 10 boras.
Jlio do eoawaercio: segundas aa-li horas.
Dito de orpbaos: tercas e sextas iO horas.
Primeira Tara do civei: tercas sextas ao meio
Ha.
Segunda rara, do-ctvel: quactas sabbades
lora datares.
EPHEMBRIDBS DO ME2 t>E ABRIL.
al
DAS DA SEMANA.
8 Qaarto mng.-*$b.,.S9iTi. 52 s. da m.
IS La nova as ih., 44*_e- t s. da m.
21 Quarto areso. as 8 39-Loa eheia as 7h., Vra. e 14 s. da t.
Hfc Saguada. S. Engracia v.; S> Calixto m.
ir: Terca. S. Aniceto p.; S. Hermogenes m.
.Quarta. S. Galdlno b. crd.;S. Anthia ra.
19. Quina. Ss. Evpedito e Artetenieo mm.
20.- Seat. Se. Severiano e Acyndtno mm.
21. Sabbade. S. Anselmo arc.;:S: Silvio m.
24. Doaiago- Ss. Lenides e Blpides mm.
PRAMAR DE HOJE.
Primeira as 9 boras e 18 m. da tarde.
Segunda as 9 horas e 42 minutos da manhaa.
PARTE OFFICIAL
COVERVO DA PROVINCIA.
LE N. 654.
O ur. Manoel Clementino Carneiro da Canha, vi-
ce-presidente da provincia de Pernambaco : Fago
saber a todos os seus habitantes que a assembla
legislativa provincial decretoo e eu saneelonei a re-
solugo segolnle:
Art. i. Fica o presidente da provincia autonsa-
do a despender desde ja at a quantia de 3:0005
com o auxilio a exposieao artstica e industrial que
PARTIDA DOS VAPORES COSTELHG5.
Para o sal aU Alagoas a 14 e 30; para o aorta
at-a Granja a 7 22 de cada mez; para sVraaa-
do nos dias i ios meaos de Janeiro, marjv, aa:a
jnlbo, setembro e novembro.
ASSIGA-SE
no Recife, a Hvraria da praga da Indopeadeom
ns. 8, dos proprietarios Maaoel Figuelroa de Faria
A Filbo.
EXTERIOR.
CORRESPONDENCIAS DO DA
RIO DE PKRNAMRI7CD .
LISBOA.
26 de marco de 1866.
A sade do ministro da guerra o Sr. Salvador
Pinto da Franca, aggrava-se de dia para da. Pare-
ce que o lllostre enfermo, por consetho dos mdi-
cos val para o Lamiar, aprasivet sitio a legoa e
meia de Lisboa.
Acha-se em perigo de vida o conde de Tapa, e
se tem de abrir nesta cidade no mez de julho pro- recebeu hontem a Extrema-Uucgo.
simo.
Art. 2. Em taes despezas podero comprehen-
der-se promios ou indemnisagdes que a juizo de
um jury especial se hoaverem decretar para os
expositores de productos e artefactos.
Art. 3. Ficam revogadas as disposigoes em con-
trario.
Mando, por unto, a todas as autoridades a quera
Com d.ta de 24, recebeu-se hontem om tele-
grama de Londres concebido nos seguintes termos:
Morreu esta maoha a rainha Mara Amelia em
Clermonl. >
S. M. el-rei o Sr. U. Luiz I, em demonstrado
de sentiroento pela morte da augusta vinva do rei
Luiz Filippe, toma luto por lempo de dez dias a eo-
megar de hontem (26), sendo os primeiros cinco
jtiiV
T
Hespanha e a Inglaterra, molto mais interessados
oa ompreza e qoe aatf assignaram-a convenci,
nao subsidiaran! os, concessionarios. Contara os
defensores da convenci que o parecer respectivo
seja approvado por'lo rotos.
Veremos. ,, .o
Eis o extracto do projeeto :
Em 16 de maio de 1864, assiguou-se ora Paris
orna convengd para o estabetecimenio da linha
referida. Esta convenci celebrada entre Portu-
gal, Italia, Franca, Brasil e o Hait, constava de 17
artigos.
Pelo artigo l.8, os paizes contratantes declararan
de utilidade publica a empreza, cajo coocessionario
PERNAMBUCO,
iSSEitti LEGISLATIVA PROVINCIAL.
SSSAP ORDINARIA EM 16 DE ABRIL DE
1865.
PRESHJSNCIA DO. SR. YKARfO FRANCISCO PEDRO A
SILVA.
Abre-sea sessio.
L-se o approva se a acta da sessio anterior.
tf Sr. |. secretario l o segonte
EXPEDIiSPTE.
tm offlcio do secretario do governo, remetiendo
%}D a mcao m,Dist"da pelo provedor da Santa
; wsa de Misericordia acerca do requerimonlo. de
Lourenco Jusliniano da Bocha Ferreira.
A quem fez a requesigo.
itro do mesmo. transmittindo por copla a in-
bispo. diocesano o depoimento das testemonhas.
cojas declarases foram oovidas para verifteaco
da idenidade da mesma estataa.
a publicacao do presente ao-
Ao meio dia faz-se a chamada, e "i verifica-
se apresenfa dos Sr.Francisco Pedro.Ayres, Ramos,, forroagio ministrada pelo regedr dogymnasio
Drummond, Joo Teixeira, Sonto Lima, Cicero, provincial acerca do raordomo d'aqueile estabele-
Andri Soares Brando, Epaminondas, Amorim, eimenio Francisco Barbosa de Carvalho.A\* ouem
. Arminio,. Baarqoe, Correa de Britto, Jeronymo, f a reqoesicao.
osr. Pier Alberto Balestrm, e pelo 2., obriga- Burgos,. Jansen, GiUrana, Pae* de Audrade, Can- Ootro do mesmo, remetiendo copias dos offlcios
varase a nao cortar nem destror, em caso de guer- Ht Manas Tiburlino, Emygdio, Jos do Reg do inspector da ihesouraria provincial pedindo
ra, os cabos mmersos, sonde aliaba reconhecida Barros, Joaquim Rogo Barros, Sergio, Amynias dus crditos soppementares, ora na importancia
neutral.
No artigo 3. estipolava-se o segointe :
Cora reserva do con-entimeoto das diversas po-
tencias que nao adhenram presente convenci e
salvo as modificares eventoaes qoe possam ser
ajustadas entre os governos interessados e a com-
o conheclmento e execucao da presente resolucao rigoroso, e ordena que os seus criados e a corte
pertencer, qne a cumpram e facam cumprir tao tornera o referido loto,
integramente como nella se contm. No dia 24 do correte foi a solemoe destri-
O secretario do governo desta provincia a faga j boigo dos premios na escola Polytechnica. El-rel
imprimir, publicar e correr. o Sr. Luiz que por suas mos laoreou os es-
de 1:213*600 rs. e outro na de 2r774$866: rs.
A commisso de fazenda e orcamento.
Outro do mesmo, accosando o recebiroento do
offlcio sob n. 3A, e pedindo o devolvimento docom-
proraisso a que elle se refere.-Inleirada.
Outro do mesmo, remetiendo a informacio qoe
panhia concesionaria, a linha partir de Lisboa o i informado da tbesoarara provincial sobre as presin o director interino da escola normal cer-
de Ladiz, para se desligar flo continente europeo i daosas qoe deram lugar a oao coostruir-se ocemi- ca de Antonio do Reg Pacheco.A'aoem fez a
-' tprio da villa do Cabo. A' qaem fez a reqaistoao. reqoeslgo. H
Outro, remetiendo o parecer do Exm. Sr. bispo Ootro finalmente, remetiendo por copla a infor-
* Cusa Rlbetro,
I Abre-se a sesso.
L-se e approta-se a acta da sessio anteriot.
O Sr. 1* Secretario da' coota do seguiolo
EXPEDIENTlfi.
Um ofliijio do secretario do governo, remetteodo
no cabo de S. Vicente, passari pelo llttoral de Mar
reos, ilha da Madeira e Canarias, tocara no porto
de S. Lnlz, na Gore, e em Cabo Verde, bera como
as ilbas de Cabo Verde, e depos no de S. Roque.
D'ali ha de bifarcar-se. de om lado ir reonir-se
Palacio do governo de Pernambuco, aos 18 de tudiosos. Depois de encerrada a sessio real, o sobe- na Baha a rede brasileira de outro lado ehenra
ril de 1866 45 da independencu e do imperio.. ra0o, acompanhado pelo Sr. Joaquim Antonio de depois da tocar 6m muitos pontos da costa septen'
I. S Aomar /nrflirAntA \ c.nnsp.lho (lp. ministros e mi i^.a.1 a* bh.i a r*~____ *___.___ .____. ZTL
bril
L. S.
Manoel Clementino Carneiro da Cunka.
Sellada e publicada a presente resolucao nesta
secretaria do governo de Pernambuco, 18 de abril
de 1866.
O secretario Dr. Francisco de Paula Salles.
Registrada a fl do livro 7" de leis provincaes.
Secretara do governo de Pernambuco, 18 de
abril de 1866.
O eseripturario Theodoro Jos lavares.
Continuar ao do expediente do dia 11 de abril
de 1866.
Officio a cmara municipal do Pao d'Alho.Ten-
dr.-irih sido dirigidas tres reptesentaedes contra as
eleicoes ltimamente feitas para vereadores e jul-
zes de paz as freguezias do Pao d'Alho, Luz e Glo-
ria do Goit, recommeodo a cmara municipal do
Pao d'Alho qoe me remeta com urgencia copia das
actas daquellas eleigoes aQm de seren iransmitti-
das com as preditas representacSes ao governo im-
perial para resolver como entender sobre a valida-
de das mesmas eleicfes, continuando entretanto em
exercicio os vereadores e julzes de paz que esli
servindo actualmente.
Crtiilinufio do expediente do dia 16 de abril
de 1866.
Portara. O vico-presidente da provincia, cor-
rigindo o equivoco qoe se dea na portara de 3 de
margo prximo Ando, pelo qoal foram nomeados
supplentes do jaiz municipal e de orphios do ter-
mo reunido de S. Bento comarca de Garantan?,
declara ser o nome do cidadao nomeado era 3 la-
gar Francisco Alves de Oliveira, e nao Francisco
Alves da Silva Valeoga, como se acha escupi na
dita portara.Fizeram se as necessaras commo-
oicagOes.
17
Officio ao Exm. e Rvm. bispo diocesano.Para
satisfazer a deliberagao da assembla legislativa
.provincial, rogo a V. Exc. se dgoe de dar o seo
parecer acerca do projeeto n. 71 meloso por copia.
Dito ao Exm. presideote da provincia do Rio
Grande do Norte. Com o officio de V. Exc. de 10
do crrante, recebi i exemplares impressos do re-
calamento n. 21 de 9 de dezembro do anno passa-
do qoe V. Exc. organisoo para a instroegao prima-
ria dassa provincia.
Dito ao Exm. general commandante das armas.
Srva-se V. Exr. de mandar inspeccionar pela
junta de sade o lenle do corpo policial Antonio
Muniz Tavares que assfm o pedio.
Dito ao mesmo.Slrva-se V. Exc. de informar
sobre o que pede no incluso requerlmento Francis-
co de Souza Monteiro.
Dito ao mesmo Em solugfn ao oflico de V.
Exc. n. 5i4 de 19 de margo ultimo, 'eolio a decla-
rar-lhe que havendo sido dispensados os offlciaes
do corpo de engeoheiros empregados oa repartigao
das obras militares pelo governo imperial, como
consta de aviso do ministerio da guerra de 22 de
fevereiro deste anno, nao se faz preciso oenbura
outro acto da presidencia, alera da commuaicagao
ollicial que dirig a V. Exc. em 16 daqoetle mez de
margo, mandando cumprir o citado aviso para con-
siderarse extincta aquella repartigao e dispensa-
dos os respectivos empregados que teriio destino
de conformidade cora o precitado aviso.
Di lo. o Eira, conselheiro presidente da relacao.
U#gne-se V. Exc. de informar acerca do que pe-
de o preso Manoel Flix Barbosa, no-requenmento
que aqoi ajonto.
Dito ao Exm. deserabargador presidente do tri-
bunal do commercio.Teodo o amanuense interi-
no desse meritlssimo tribunal bacharel Loiz Rodri
goes Villares, requer Jo ama lieenea de 2 mezes
remello a V. Exc. o reqoerimento, para devolve-lo
a esta presidencia cora a soa ioformagao acerca da-
qoetle pedido.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Em vista do pret junto em duplcala que rae re
metteu o marechal commandante das armas, com
offlcio de hontem, sob n. 644, e nao havendo incon-
veniente, mande V. S. pagar os veoelmentos rela-
tivos a primelra qoinzeoa deste mez, das pragas do
i." corpo provisorio.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.Di-
V. S. as suas ordens para que em vista da eonta
e relagao juntas e nao havendo inconveniente seja
paga a Joo Baptista dos Guimares Peixoto, con-
forme solicitou o delegado eoearregado do expe-
dieote da repartigao da polica, em dTfleto de hon-
tem, sob n. 487, qaantia de 47#608 reis, despen-
dida com o sustento dos presos pobres da cadeia do
termo de Flores duraote o mez de fevereiro oltlmo.
Dito ao Dr. jolz municipal da primeira vara des-
ta cidade.Para o flm indicado no artigo 162 do
regulamento de 31 de Janeiro de 1842, transmiti
inclusos a Vmc o auto de vestorta e ideotidade de
pessoa e a certtdao de bito do sentenciado de jas-
tica fallecido no presidio de Fernando Jos, escra-
vo de Jos Gomes da Costa.
Dito ao Juiz municipal de Cimbres.Responden-
do ao offlcio que me dirigi Vmc, ero 7 do cor-
rente, tenbo a dizer-lhe qua deveqdo a junta de
qoaliQcagio da fregaezia da Alagoa de Balxo, reu-
nir se no dia 27 de maio vindouro, para combar
os seas trabalhos de revisad, como iho toi determi-
nado por esta presidencia, em vala do qoe repre-
seotou o segundo juiz de paz d'aquella fregaezia,
s depois de ultimados esses trabalhos que se ter
de marcar dia para a reamad extraordinaria do
conselbo monlcipal de reeorso.
PortaraO vice-presideote da provincia, leudo
em vista o offlcio do inspector da thesourina de
fazenda, datado de 5 do corrate, e sob n. 200, re-
sol ve de conformidade coa o-disposto ao artigo 25
do regalameato, qoe baixoa com o decreto n. 2*31
de 17 d margo, de 1860, Bornear o fiel do thesou-
reiro da recebedoria da rendas desta provincia Ca-
mino Litis Chaves, para exercer Interinamente este
logar, que se acha vago em ooaseqotncia d apo-
sentadora concedida a Joaqaim Maria de Carvalho.
^CommaolcotMe a tbesouraria de (Meaja,
Agotar (presidente do conselho de ministros e mi- trional do Brasi)t a Guyana franceza, tocar
nistro do reino) pelo director da escola, corpo ca- Qoyanas hollandeza e ingleza e commanicar com
thedratieo o varias pessoas de distioccao, dingiuse as Aotilhas. Passar entao pelas llhas de Trinda-
ao museu mineralgico e depois ao zoolgico, ga- dade) Granada, S. Vicente, Santa Lozia, Martinica,
bnete de geometra descriptiva, de pbysica, e fi- Dominica, Guadelnpe, Antlgoa, g. Thomaz,$Porto
oalmente ao observatorio meteorolgico. Estes dlf
erentes estabeiecimenlos estavam perfeitamenle
dispostos, e agradaran! muito a S. M.
Comecou na cmara electiva a discnsso do or-
namento.
Hontem coube a palavra ao depntado da opposi-
go Santos Silva que desejava saber quaes os casos
de forga raaior em que o governo pedir crditos
supplementares. Disse que julga a nossa sitaagio
finaaceira grave; qoe o governo oo tem forga pa-
ra fazer as reformas necessaras e que no ornamen-
to vem descnpias verbas muito inferiores as neces-
sdades publicas, ficoocom a palavra reservada pa-
ra a sessio segrate.
O ministro da fazenda (Fonies Pereira de Mello),
fez a importante declarago de que o imposto do
real d'agua, est as intengdes do governo o sup-
Rico, S. Domingos ou Haiti, e' terminar em Nova
Orleans na Luiziana.
A duragao da explorago por 99 annos.
Pelo artigo 11* os governos contratantes exeeo-
tario, depois de um previo accordo, as sondagens,
que julgarem necessaras para elfectuar a colloca-
gao dos cabos submarinos, no trajelo indicado pela
companbia.
Gomp-omettem-se igualmente a prster o auxilio
da sua marioha de vapor compaaWa eoocessio-
nara para ajudar a collocago dos cabos, sem que
com ludo a companhia possa exigir qoe baja ali
raais de dous navios ao mesmo lempo erapregalos
n'esia operacao.
Pelo art. 13. E' conceiida om principio orna
sobveogo ao Sr. Pier Alberto Baeslrioi oo com-
panbia qoe representa. A oatureta, o modo e o
primi-lo ou sobstitui-lo, por velatorio, e que oa quaotitativod'esta sobvengo serio dfioitivam?nie
nrnumi ps.-ii osu invi anre;enlana as nronns- i;.,rt.,.,._______.___..* ...
lixados por om protocoll, no qaalcada om dos
representantes das diversas estradas contratantes
tomar os compromissos especiaos para que haja
recebido os necessarios poderes.
Pelo ari. 13, declara-se aulla tjuo jvre o contra-
to, urna vez que as commuolcagdes telegraphieas
entre a Europa e a America baja orna interrupgo
de correspondencia de mais d'um anno. A pn-
sena a do coatiaeate
prxima sessao legislativa apreseotaria as propos
tas de le convenientes.
O Sr. Fradesso da Silveira, qoe oo desaffecto
ao ministerio, dirigi, nesta discossao pergootas
muito serias ao governo sobre o seu pensamento
de reformas, e nio menos, sobre quaes sejam as
preconisadas economas qoe intenta fazer, mais
qoe no relatorio do orcamento oo apparece plano
de governago nem om systema adoptado para a meira ^.^ esabeecer
atenoago do dficit. Que Ibe pareca conlrapro- j eoropeu as Canarias
ducente o raethodo de cercear a verba qoe se vo-1 Junt0 a esU con?eD5ao havia 03 satntes proto-
tava para estradas, por quanto o orgameoto actual eolios:
proponba para ellas menos do que se propuoha no \ Dd poriagal, declarando qoe conceda ama
orgaraento de1863, e menos 200 cantos qoe no or- sobvengo de 2.000:000 de francos (360 conios)
papeftt de 1864, e parecla-lhe que palo menos de- D Brasi| aeC|aranQ0 que davva ,res mi,O93' *
va volar a raesma verba que se votou em 1864 pa-' de francos /54o contos)
ra estradas, elemento este essencialissimo para a | a Fratl?a declarando qua dava qoatro mi-
prosperidade da industria agrcola. Nao desejava |no-es }jq cootos)
qoe se fizessem pedagos de estradas, mas sim n'ora 0 Haj, e a taa dec|arand0 que reserva-
curto prazo se fizessem as estradas tanto munici- vatn para majs larde a deC|araQao da SUbveogo.
paes como districtaes. Que para realisar em certo ; Sobre es|a coovecao e protoCoios houve parecer
ie?, fe' id- da commisso diplomtica declaraodo que tal con-
vengio nao podia ser aprovadi Assigoaram este
parecer em 23 de Janeiro de 1866, os Srs. Carlos
Bento; M. de Monfalim, Sam'Anna, Latnpreia, Tei-
dw*...w, ivuniiouuil V |fICbCI UU CiAUl. Sr. OSpO
iocesano sobre o projeeto n. do anno passado, magao qoe roioistru o oapito commandante da
que fixa alguns limites da freguezia de Garaobons. companliia de polica provisoria sobre o soldado
i-A' quem fez a roquisigio. Jos P>u'o da Conceicao, A* quem fez a reque-
I Outro, remetiendo a informagao da repartigao icao.
dasobras publicas sobre a petigo do secretario da Um reqoerimento da contraria do Senhor Bom
qiesma repartigao.A' qaem fez a roquisigio. ies"s da Via Sacra da igreja de Santa Croz, pe-
Outro, remetiendo a opiniio do Exm. Sr. bispo dindo preferencia extraego de snas loterias.
diocesano sobre o projeeto n. 06. A' quem fez a A commisso de fazenda e orgameoto.
requisigo. Ootro, da associagio eommercial benefleeote, re-
Ootro, comraanicaodo qoe S. Exc. o Sr., presi- clamando contra os tropegos e inconvenientes que
ikote recebe a commisso que tem de apresenlar o commercio encontra as repartieses flseaes.-
dlv correte ao meio da.Inteirada. | Leem-se e vao a commisso de polica suas pro-
Urna petigo da Bellarmiao dos Santos Bolco, postas para as pablicagdes dos trabalhos da as-
soliicitaudo da assembla a desaaoexago do offlcio sembla.
de eacrivo do crime do seo cartorio oa cidade da Um projeeto equiparando o ordenado das pro-
Victoria. A' commisso de justiga civil e cri- fessoras publicas desla cidade aos professores da
mioal.
Sao approvadas as redacgdes dos projectos ns. 5
de 1860 e 27 deele auno.
E' iido e entra era discossao om parecer da-
commisso da obras publicas, mandando marcar
quola para a coostruccao do agude
cadeia de Flores.Approvado.
e orgameoto,
ao orgameoto
mesma.A' imprimir.
Outro, da commisso de fazenda
abrindo om crdito sopplementar
vigente. -Dispensado da impresso.
O Sr. Joo Teixeira apresentoa reqoerimento
e reparos da Para qoe pelos canaes competentes se exija copla
: da portarla da presidencia da provincia, datada de
dispensavel urna operago de crdito, pois dalla re-
sultara fazerem-se as obra.*, augmentar a receita
publica, diminoir a despeza, por isso qoe o pessoa
oo Oearia pesando constantemente sobre os cofres | xeira'de Vasconcellos, Alfonso de 'Caslro, Prenga
do estado.
O Sr. Fontes deu largas explicacSes sobre o as-
sompto e a discossao vai proseguiodo.
O relatorio do ministerio da fazenda tinha-se dis-
tribuido as cmaras no dia 20.
Na cmara dos pares foi approvado oa gene-
ralidade o projeeto de lei qoe regula a liberdade
de imprensa. Sa especialidade foi approvado j at,
ao ari. 2a.
No dia 23 houve ama reooo de depotados as
Vieira, Jos Gama, Fausto Gaedes, e Ayres de
Goova.
Teodo, porm, o concessionario declarado qoe a
approvago da conveogo nao importava a appro-
vago des protocolos, a commisso deu un novo
parecer em 7 de margo corrate, approvando o
contrato.
Advirta-se qoe a Hespanha, to favorecida, visto
1 qua o cabo a ligara' desde Cdiz at Coba, oo en
Um abaixoafauoado Jo regedor e professores',7 de agosto de 1860 acerca de om arligo addido
do GvAMd^rprovidjW, fedJodo urna iodieago o regulamento interno do gymnasio.
da assembla aos poderes genes, afim de serem | O Sr. J. Reg Barros reclama contra um apar-
validos em qoalquer faculdade do imperio os exa- le que Iho foi falsamente atlrionldo.
mes feitos n'aqoelle eslabelecimento. A' corarais- [ RDEM DO DIA.
sao insirucgio publica. Ultima discossao da emenda ao projeeto n, 17.
L4-3e e apola-se ora projeeto regulando a apo- Approvada igualmeote com o projeeto.
seotadoria dos estrangeiros empregados no serv- \ Ultima discossao da emenda ao projeeto n. 30,
(O Ha provincia e qoe'se oaturalisarem brasile- Qoe antorisa a conslrncgio de um edificio para a
ros.A imprimir. \ assembla.Approvada com o projeeto.
Ora pela ordem o Sr. Gaspar Drummond, pe- S.* discossao do projeeto o. 62, qoe reforma a
dindo inlorraago.'s sbreos acontecimientos all- thesouraria provincial. Eotra igualmente em dis-
maaente" havidos na estrada de ferro e conclue cassio o projeeto substitutivo offerecido pela com-
mjaaaado oro reqaerimeoto oeste sentido. ., /nisso de orgaraento.
Falla o >r. Boarqoe, que declara votar pelo re- Encerrada a discossao approvado o art. !. do
querimento afim de que venbam casa informa- substitutivo.
gdes, que tragim toda a luz ao occorrldo. Continuando a discossao sobre os ootros artigos,
1 fallara os Srs. Joio Teixeira, Boarqoe, Soares
Brando, Ramos e Correa de Brilo, seodo appro-
vado o projeeto at o art. 9, e tendo-se sopprido o
art. 8., qoe manda contemplar o amanuense adido
Encerrada a discusso o requerimento appro-
ORDEM DO DIA.
Primeira discusso do projeeto o, 71 deste aooo,
transferindo a sede da fregaezia de Una para re-
mandar.
Falla o Sr. Gaspar, qoe conclue mandando
mesa um rejuerimeuto para que se ouga no or-
dinario sobre a materia do projeeto, sem prejuizo
da primeira discusso.
Eucerrada a discossao o projeeto approvado
com o requerimento.
Terceira discusso do projeeto n. 30 deste anno,
mandando construir ora edificio para o pago da
assembla.
Vem mesa urna emenda do Sr. Silva Ramos
para que seja ouvlda a commisso de polica da
casa sobre a disinbuigo do edificio.
E' approvado o projeeto cora a emenda.
Ultima discossao da emenda o projeeto n. 23
desi anno aotorisando os reparos dos agudes de
S. Benlo e Bonito.Approvado. e bera como o pro-
em ara dos lugares novaraente creados, por se ter
julgado a medida administrativa.
Entrando em discassae o arligo qoe fixa os veo-
ciraeotos dos empregados, o Sr. Lopes Machado
manda a' mesa orna emenda para qoe o escrivao
teoha a cathegoria e vencimentos de offlclal-maior,
e faga parle da commisso das loterias.
Falla contra a emenda o Sr. Boarqoe e a favor o
Sr. Lopes Machado.
Veriflcando-se nao haver casa fica a discossao!
adiada e o Sr. presidente levanta a sesso, dando
a seguinte ordem do da :
1.' discusso do projectos ns. 44, 63, 70 e 741
I deste anno, 2o de 1863. e 40 de 1865; do de
n. 37 desle aooo ; 3.* do de n. 31 deste anno, 51
e 107 de 1864 ; continoagio da anterior.
n.ao oe uepuau, u trou no conveaio am a Hollanda, nem a loglater-! .,.
da sociedade agrcola de Lisboa. Foi ornea- ra> camo acima dJsse Dipois> s'eQdo Portuga, 0 ject...^ ^^ ^ ^^
sala
."* SSSSTSftL^aSES; dH-S! A" cora maiores encargos, por que lera' de
Olivaos, Quaresma, Soto Maior, Gulherme de
Abreu, Crespo, Gavicho e Arago Mascareohas,
com o flm de se pedir ao goveroo que colloque a
industria agrcola em ideticas circunstancias de
protecgo oo de liberdade, s de todas as demals
industrias deste palz.
Esta reumo causa embaragos ao ministerio.
Hoje reunio-se o conselho de estado para tratar
dos perd5es qoe el-rei, usando da prerogatia que
Ibe d a carta, como chefe do poder moderador,
costoma conceder em dia de quinta-feira maior.
Parece que tambem se tratoo de alguns crditos
supplementares que vo abertos, e da sanegao de
algumas leis.
Oovi qoe tambem se tratoo da prorogago das
cortes para o dia 20 de abril, para dar logar a ter-
minar a discusso do orgameoto etc.
Foi approvado na cmara dos depotados um pro-
jeeto de lei deoegaodo e coosideraodo de neohom
effeito as autorisag5es concedidas ao goveroo pelas
leis vigentes para mandar proceder a creago de
sondar maior extengo do Atlntico, seria bom qoe
nsdissesseraos com qoe vaotagens Acarnos em re-
lagao a's nossas possessdes de frica oriental e oc-
cidental a India T
Por ultimo, o contrato nio
pertencer a linha em terminando os 99 annos.
O projeeto voltou a's commlss5es, e por ora a
discusso esta' addiada.
0 ministro da justiga, concordou, segundo se af-
firma, na aboligio oa pena de morte, na commisso 1
de legislago. Parece com ludo que ha vera' urna 1
excepgo para os militares em certos crimes. En- i
treaato anda se nao volou o projeeto.
Do relatorio do ministerio da fazenda, destri-
buido ha dias no parlamento, consta que se deve
anda dar a' empreza Salamanca (pela construego
das liabas frreas de norie e de leste) ama soraraa
de 527 cootos, oao contando com os augmentes de
despeza que trouxe a oovissima acelarago.
*0 reodimeolo dos nens das casas religiosas desa-
; moriisados (em virlude da lei de4 de abril de 1861)
acerca da suppresso de um dos
rio de Serinhem.Approvado.
Primeira do de n. 97 de 1864,
mandar pagar 20 0,0 dos seus
n. 17 deste anno
ollkijs do carlo-
autorisando a
ordenados aos
REVISTA DIARIA
Fonccionou hontem o Instituto Arcbeologico e
Geographico Pernambucano sob a presidencia do
Exm. monsenhor Muniz Tavares e com assisteocia
dos Srs. Drs. Joaqom Portella, Aprigio Guimares,
i Gervasio Campello, Witravio Pinto Bndefra e
Amaro Joaquira, padre-mestre Lloo e major Salva-
dor Henrique.
Depou da leitara da acta da sexagsima sesso,
que approvada, o Si. 2o secretario, no imped-:
ment do secretario perpetuo, d conta do segua-
le expediente :
Differentes Dameros do Diarto de Pernambuco,
olfertados pelo consocio commendador M. Figuei-
roa de Faria.Recebido com agrado, manda se ar
chivar.
Vem a mesa urna proposta assignada pelos Srs.
padre raestre Lino e major Salvador Henrlques, I
versos crditos abertos pelo overno. Approvado- j para socios correspondentes.A commisso de ad-'
misso de
anno, au-
uma typo-
uj guardas da casa de deteugo. Approvado.
declara a quem hade 1 Priineira di3CUSia0 do pr0jecto 62 deste aono,
Qxando a forga policial.Approvado.
Primeira discusso do de o. 58 deste
torisando a compra de um prlo para
graphia provincial.
Fallara sobre o projeeto os Srs. Joio Teixeira
contra, e o Sr. Cicero a favor.
Encerrada a discossao o projeeto approvado.
Segunda discossao do projeeto o. 32 interpre-
tando o imposto sobre o capim e outros. Appro-
vado.
Segunda do de 0. 21 deste anno, approvando di-
novos ltalos de divida fundada interna ou externa,; 30 d -, h |M- d
qualquer que seja o flm a que se destinara. 4WWjWB(> SodtttodTsf^?
Terceira discossao do de o. 43 deste aooo, re
rao vendo a sede da fregaezia de Itamarac para o
Pilar.Approvado.
Segunda discusso do projeeto o. 18 de 1835,
elevando a comarca o termo de Carnar.
Quaodo as cireomsiaocias exigirem a emissio de
oovos ttulos de divida publica, as propostas de lei
em que se propozer a soa creago, indicaram a re-
ceita oova equivalente ao encargo e dotaco dos
mesmos titulos.
falla o Sr. Amorim, qoe reqoer o adameoto da
cootos d loscripcdos, por qoe esses bens foram tro- digcussao do pr0Jecl0>V0 que casl Coosente.
Differenga a favor dos, SegUoda a^^^ do projecia n_ 49 de 1860,
cados, subi a 113 cont?,
estabeiecimenlos 47 cornos.
O valor nominal das inscripedes vendidas pelo
rera havido dozas de propostas e emendas sobre i I^^XS^a^SJ^^
ei de dmiflini isa^Jn tiscussi nler- JSSS^reall eSStos *=** sonto, que produ-
a lei de desamortisago, coja discossao foi ioter
rompida pela do orgameoto do estado. Cr-se ge-
ral meo le qoe o governo oo tem grande empenho
era que passe este projeeto.
Parece que a reconstrueco ministerial se verifi-
car depois de encerradas as cortes, e por essa oc-
casio diz-se qoe o Sr. Fontes se desfara dos seas
actuaes collegas, para reconstruir o gabinete sobre
aovas bases.
Tem-se ltimamente, indlgitado para a pasta da
marinha o Sr. Mallos Correa, para a justiga o Sr.
Martins Ferro, para o reino o Sr. A. R. Sampaio.
Por outra, desreiia qoasi de todo a [asad entre his-
toreos e regeneradores, tratar-se lia, segundo se
julga, de reconstruir a siluagio com o elemento re-
generador puro, excluindo os historeos. O Srs.
Wrijona de Freias (ministro da justiga ) e vscon-
de da Prala Grande de Macio ( ministro da mari-
nha ) serio damnificados indubilavelmente.
Ha poucos das, na discusso de um projeeto de
le, a proposito da questio de fazenda, o Sr. Pootes
deixoa bera perceber a ludeciso da situago ac-
tual, e a possibilidade da prxima recoostruego
do gabinete. -.
Sabio i*r om folheto intitulado Le credit
foncier portugais ou point de veu de la gislation
compare ceUe do crdit foncier de Prance por
G. Vonaroat, inspector do crdito hypotbecarlo de
Franca em missao em Lisboa. -
0 negocio Baltes-rini, para a empreza de om
cabo telegrapbico sobmaroo, qoe baja de edBjjpo-
niear 1 Europa com o Brasil, segando Ihes drwna
mioha ultima, foi ja sobmettido a commisso de
fazenda da cmara lectiva, o esta dea ara pare-
cer favoravel convenci. Este assuraplo, tem-se
tratado em sessdes secretas. Afflrmam eralmente
que muito lesivo para Portugal pois oos ioutili-
ar aos poacos de navios do estado em sondagem,
alad} de 360 cootos qa* taremos que dispender
logo, logo, em ijuanto b paiiM, como a Holiaqda.
Desde 1858 at setembro de 1865, o valor nomi-
nal dos ttulos vendidos era de 8:622 contos, que
produzram 4:195 contos.
As soraraas pagas a's companhias do caminho de
ferro de norte e leste e de sueste, desde 24 de abril
de 1831 at dezembro de 1865, teem sido'10:025
cont?, seodo 8:067 contos a' empreza Salamanca e
1,967:270|>496 a' companhia do caminho de ferro
de sueste.
Desde o i.0 de agosto de 1854 at 30 de setem-
bro de 1868 amoedaram-se na casa da moeda as
seguintes moedas de prata :
1,110:444 de 50 reta......... 55:512*200
1,962:702 de.100 res........ l6:27O#20O
3,415195 de 200 reis........ 683:039*000
11,677:110 de 500 reis....... 5,838:6O5|O0O
6,773:436Ai00
Desde 12 de dezembro de 1855 at 30 de setem-
bro de 1868 cuobaraffl-se as seguales moedas de
ooro:
352:203 de 5O00 reis....... 1,861:018*000
346:700 de 2*000 reis....... 693:400*000
68:057 de 1*000 reis....... 2,622:472*010
4,976:887*000
No dia 30 de junho de 1863 existan) por cobrar
documentos de receita do thesouro no valor de...
4:779 conloa
Caiccla-se iocobravel a somma
de.........................,_... 2:253 *
mandando construir ora agude oa povoago de
Grava t.Approvado.
Segunda discossao do projeeto n. 18 de 1860,
supprimindo as emprezas dramticas. Regeilado
Primeira discossao do projeeto o. 16 de 1860,
aotorisaodo om abate pedido as arremagoes da
cmara mooicipal de Pao d'Alho. Regeilado.
Segunda discossao do projeeto o. 104 de 1864,
considerando empregado publico a Maaoel do
Ganto.Regeilado
Segunda discusso do de n. 65 de 1863, aotori-
sando o presideote a rever o contrato Cambroone.
Regeilado.
Primeira discossao do projeeto n. 54 de 1866,
elevando o ordenado do bedel do Gymnasio. Re-
geilado.
Primeira discusso do projeeto n. 65 deste an-
eo, creando ama cadeira de la tira e franco! na ei-
dade da Victoria.Resaludo.
Sexuada do de o. 62 de 1865 o bem assim do
substitutivo da commisso de orgamento, que re-
forma a thesouraria provincial.
Verificando-so nao haver nomero legal, o Sr.
presidente levanta a sessio dando a seguate or-
dem do dia : i' discusso do projeeto n. 6i deste
anno; 2" dos de ns. 69 de 18-55, 46, 48, 49 e 59
deste anno ; 3* dos de ns. 34 de 1859 e 40 deste
aono ; continuigao da anterior.
DI
Differeaga.,............ 2:516 coala
rConmVar--ad.J
SESSO ORDINARIA EM 17 DE ABRIL
DE 1866.
PRESIDENCIA DO SR. VIGARIO FRANCISCO PBDRO
SILVA.
Ao meio dia, feita a chamada, veiilca-se a
presenga dos Srs. depotados Francisco Pedro, Ra
moa, Ayres, Joaquim Rogo Barros, Jos Reg Bar-
ros, Sano Urna, Ribeiro, Andr, Aruuaw, Joio
TeUoira, Buarque. Jeronymo, Soares Bxaodo,
Garfea de Brto, Amjmtai. Sergio, Gispat Dram-
mood, Eml|dio, Candido Minias, Lopes Machado,
Cicero, Epaaiaondas, Trloiiao, Maaoel ae Car.
ralbe.
socios.
Faz-se a leitara do projeeto de orgamento da re-
ceita e despeza do Instituto para o anno de 1866 a
1867.Adiada a discossao para a prxima sesso.
Faz-se a leitara do parecer da commisso de
fundos e ornamentos sobre as coatas do thesoureiro
00 aooo social fiado de 1865 a 1866. Adiada a
discusso para a prxima sessao.
O Sr. Dr. Witruvio Pinto Baodeira relatando a
commisso de admisso de socios, offerece nm pa-
recer sobre varios senhores propostos ; o qual sen-
do approvado, e procedendo-se a respectiva vota-
gao, sao declarados socios honorarios os Exms. Srs.
bispo diocesano D. Maaoel de Medelros e visconde
de Camaragtbe ; socio effectivo o Sr. Dr. Augusto
Carneiro Monteiro da Silva Santos, e socios corres-
pondentes os Srs. Drs. Antoniojda Cunha e Figuei-
redo e Francisco Apollgorio Leal.
O thesoureiro pedindo exonerago deste logar,
em consecuencia de seos actuaes afazeres, emen-
de a casa oo dever aceita-la senao temporaria-
mente ; e assim nomeado o Sr. Dr. Amaro Joa-
quim para substitul-io interinamente pelo Exm.
monsenhor Muniz Tavares.
Sao nomeados pelo mesmo Exm. monsenhor pre-
sidente os Srs. Drs. Aprigio Guimares e Gervasio
Campello e major Salvador para redigirem a ins-
cripgo da lapida commemorativa da existencia do
arco do Sr. Bom Jess.
Levanta-se a sesso.
Gelebroa-se hontem, as 7 boras da raanha,
n matriz da Boa-Vista, ama missa pelo repoaso
eterno da virtuosa esposa do Sr. capito Antonio'
Marques de Hollanda Gavalcanti, a quem damos os
nossos petamos por to sensivel perda.
Hontem, na matriz da Boa-Vista, celebrou-se
ama missa fnebre por alma do acadmico Pedro 1
Eugenio de Cerqoolra tima, que sendo marchado,
para o sai como leneote do 3* corpo de voluotarios
da patria, fallecen oo Rio de Janeiro.
rol um preito derido i memoria de moco to
distiocto por suas qaalidades.
Depois de terminado o oto religiosa o Sr. ac-,
demico Arlstides A. Milln reclloo ama allococo,,
qoe dataos na 8* pagina.
Na noticia qoe bentem demos sobra a esta-
taa retirada do Capibaribe, panamos peta declara-!
ci eteocial, qoe ora resiabeteeeraoj, da haver si-
do proddjttfi) on tsiftfsftfi do titm. 1 Rrm. Sr.'
Pedem-oos
noneio :
A abaixo assignada no intuito da evitar qoe al-
guem a procure Iludir, aproveilando-se de sua
avaneada idade, declara pelo presente, que de ora
ffiS19 nenbam PPel Por ella assignado ter
ralidade, sera qne seja igualmente assignado por
seu genro o commendador Jos Pires Ferreira, in-
CQQjbido da gerencia de todos os seus negocios, de-
vendo ter-se, no caso contrario, a assignalara da
mesma abaixo assignada por alsa, ou oblida por
i roeos fraudulentos. Reelfe, 19 de abril de 1866.
Joanna Maria de Deus.
Xumerago dos bilhetes da lotera 59* oftVe-
. cidos pelo thesoureiro das loterias para auxilio das
, despezas da guerra.
Bilhetes ns. 443, 1,156, 2,210,3,063 e 3695.
: 2 7 "S1,i46' 2>056> a'157' '637> 2>638 M*
'Qaot'osos. 1,342, 1,631,1,969,2,366 e 2,517.
Total 1-998* d* 'tera ^ Proaazirn' 12*000.
Casa de dbtkncao.
I M,0Qv,imenl0 dacasade detengas do dia 18 de abril
I Existlam 364, entraram 6, saturara 4, existem
1 36b.
A saber :
Nacionaos 247, molheres II, estrangeiros 35
raulneres 2, escravos 69, escravas 2, total 366.
Alimentados a costa dos cofres pblicos 189.
Movimenio da enfermara do da 19 de abril de
i 800.
Tiveram baixa:
Antonio Joaquim dos Sanios, febre.
Domingos Alves Hespanhol, defluxo.
1 Tiveram alta :
Manoel Domiogues Bernardo.
Joo Nery de Soulo Lima.
, Manoel Jos de Lyra.
I'assageiros sahidos para o Sol 00 vapor Cru-
zeiro do Sul:
i Joaquim da Fooseca e Silva, Antonio Francisco
de Sooza Braga, Isidio Jos Capare, G. D. Somes
e um escravo, Jos Nooes Gotaes, 7 pracas do
exercilo, Jos Joaquim de S, 2 recrutas do man-
l nha, Jos Mariano de Axevedo, Jos de S Ferreira,
Adolpho Schahesttns, Jos Goncalves de Villa Ver-
| de, o 2 lente Honorio Domiogues Menezes Do-
ria, capilo Roflne Jos Pereira Teixeira, Maria
Joaquina, Ur. P. B. Pereira B., Maria dos Aojos,
l Anna Augusta do Crespo, Ignacio de Barros Barre-
I lo, bacharel Bento Mioervino da Silva, baebarel
Bento Azevedo Monteiro, Pedro Desfetl, Miguel An-
gelo Flacn, Francisco Atanasio Soberano e Pedro
Goida.
Passageiros do vapor Paran, sahidos para o
; norte :
Um preso e ama praca de polieia, Jos Pootes
, \ ieira, bario de Atalaia e 1 criado, Aotooio Gomes
I de Miranda, nm crudo e nm mano, Manoel Gomes
Miranda Leal, Flix Manoer Ferreira, Jesnino Al-
ves Ferreira, Benedicto da Silva, bacharel Manoel
Caldas B., Antonio Angelo Ferreira e Joaqoim An-
tonio Pereira Vinagre, Jos Calasano de Souza, Vir-
ginio Barbosa Bozerra F. e i escravo, bacharel
Egidlo Francisco das Chagas, Adolpho Chermar e
Charles Joseph Goiof.
Reparticao a polica.
Extracto das partes dos dias 19 de abril de
1866.
Foram recolhidos casa de deteneao no dia 18 do
crreme :
A' ordem do subdelegado do Reelfe, Balthasar
Cavalcaoti, Caodido Francisco da Silva e Cesario
de Albaquerque, a requisigo do capito do porto ;
e George James, inglez, por brlga.
A' ordem do da Boa-Vista, Salvador, escravo de
Joaquim Gongalves Casco & C, por fogido.
A' ordem do da Capooga, Jos Carpintelro da
Silva, por iosoltos.
O ebefe da 2" SBcgo,"
J. G. de Mesquita.
Gemiterio publico, obituario do da 18 DE
ABRIL DE I86G.
Mana Theodora da Assampgo, Peroamboco, 74
annos, viuva, Boa-Vista ; bemorrhagia.
Joaquina Dara dos Prazeres, Pernambuco, 52 an-
uos, viuva, S. Jos ; bronchite.
Thereza Maria da Conceigo, Pernambuco, 40 an-
nos, solleira, Recife; pblbysica.
Adolpho Libralo Pereira de Oliveira, Pernambu-
co, 25 anno, Afogados; phthysica.
Constantino Gonlan da Silva, Pernambnco, 46*an-
nos, solteiro, Recife; epilepcia.
Joaquim de Deus Pimentei, Pernambuco, 40 annos,
casado, S. Jos ; incephalite.
Jos Exeqoiel. Pernambnco, 30 'annos, solteiro, S.
Jos; congeslo cerebral.
Carlos da Silva, Maranbo,50 annos, solteiro, Boa-
Vista ; hepatite.
Candida, Pernambuco, 2 annos, Recife ; pneu-
mona.
Albina, Pernambuco, Santo Antonio ; intento.
Manoel, Pernambuco, 21 dias, S. Jos ; safTocago.
Maaoel, Pernambaco, 7 das, S. Jos: espasmo.
Trajano, Pernambnco, 70 annos, escravo, Boa-Vis-
ta ; atfecgao pulmonar.
Manoel, Goianna, 21 dias, escravo, Santo Antonio ;
phthysica.
GAI4R1 MUNICIPAL DO RECIPE.
SESSAO EXTBAORDINARIA AOS 7 DE MARCO
DE 1866.
Presidencia do Sr. Pereira Stmoes.
Presentes os Srs. Aqaioo Fooceca, Gustavo do
Reg, Santos, Costa Monteiro, Pinto, Dr. Villas Boas
e Dr. Seve, abrio-;e a sesso, e foi lida e apppro-
vada a acta da antecedente.
L-se o segointe
EXPEDIENTE
Um aviso expedido pelo ministerio do imperio
em 7 de fevereiro ultimo, no qual S. M. o Impera-
dor manda coramunicar a cmara municipal desla
cidade, que por cartas Imperiaes da mesma data,
houve por bem noraear o Dr. Manoel Clementino
Carneiro da Caoba, para o cargo do 1* vice-presi-
dente desla provincia, o Dr. Abillo Jos Tavares
da Silva para 3* e o coronel Bernardo Jos da C-
mara para 6*, e remover o deserabargador Ansel-
mo Francisco Peretti, do 1* lagar para o 4*, o Dr.
Domingos de Sooza Leo do 4* para a V e o baro
do Rio-Formoso do 6* para o 5" lugar.Inlei-
rada.
Um offlcio do Exm. presidente da provincia,
de 28 de fevereiro ultimo, declarando que, deven-
do ter logar no dia 1* de mareo a 1 hora da tarde,
a abertura da sessio ordinaria da assembla legis-
lativa provincial, recommenda acamara, que man-
de preparar a igreja matriz da fregaezia do Reci-
fe : oa qual tem de celebrarle a missa votiva do
Divino-Esplrito.Inteirada por se ter ji cum-
prido.
Outro do mesmo, do 1* do correte, concedendo
a autorisaso qoe solicita a cmara municipal em
tea offlcio de 21 de fevereiro dado sob u. 15, para
despender a quantia de 1:780*009 com algumas.
obras, que necessiua serem feitas do matadooro
pubtieo da CabaM^Hk a cooservago das exis-
tentes, e com a factura de um poco qua d agua
para a bebida do gado, qae all estaciona.-Intei-
rada, o q W &JM*?3RjBB|k|CU, j*
i



*


Ti


i
I
i

~
correte, comrauoicaodo ter prestado ni .ntmW
data juramento e tomado po*e da admioistraca')
da mesma provincia, oa qoaUlade de sea 1* vioe
presiden.-Ioteirada e que se aceusasse a r-
cepcSo.
Outro do mesmo, dizendo que para satUfazer a
deliberado da assembla legislativa provincial,
informe a cmara se contrabw oemprestimo, ante-
rido pela mesma assembota, pera doos mcttofli
ne.su cidade, e em caso agrario, quaee es mamo
que para Isto empregou, resaludo, eje* o tole-
ve.
Posto em diseussio, o seefetario declarou que a
commisse, a quem bavia camsra e*erregBO
de procurar os lagares otis apropriados pa
fiaaa,MMseo Solas Perdra Ra- Joaquim Fernn des dos Santos,
roos, francisco Marlhis Rodolpho, Petlt Sauvage Mesarlo.
& C-GanualioJaj Auo*.i}. Iitnacia Mara da Bemardioo Jos da Costa.
&&s. lffltlMw&^&**2-* i0""1" i0" *f ^"V .
^epfca l?iiiltaijiifcmi Meianmlitirilts. ******* Capiaj Anteojo los da Cosa Sirva
rosHaposo, Joaqaim Ca raleante de Alboc-oerqoe francisco Jote de Soma. ,
Lms, Jos Andr Inmor., Luir Manoei Rodrigues Consistorio da irmandade de-Sossa Senhora da
VaJlfpcoJLata de Fraca, Lsofentiao Mowmco de tieiodade, 28 de metee-de llio.
nene* se construir morondos pnblieos, hav*a
dado ja o seu paroeer, e o efreeeotaooo, a***"
roo se informar %7Eic, declarando qaetende
smente agora dado a meema comoMsao o sea
parecer, que junta por copla, esta foj a razio por
que havia detasd ne rotiltsar-se da eutonsacao
concedida pela assembla provincial no art. 46 da
le o. 64o' de 3 de juubo do aono passado.
Oolro do engeoheiro cordeador coromooicaooo
que sendo Ihe apresentado o requerimeoto que
junto devolve, de Francisco Martins Raposo, para
dar a cordeacio nelle pedida, diz que tal cordeajao
uo pode ter logar visto tarar parle de urna roa
j aberta o terreno de qoe o peticionario' se dtz
proprlelario.Nao tem lagar a vista da informa-
fio.
Outro do mesmo, informando sobre o requeri-
meoto qae devolve, da Irmandade de Nossa Senho-
ra do Lt tramonto da reguezia da Vanea, diz que
nada ha qoe oppor a prelencao da mesma, visto
que a respectiva igrejaee acha no anonamente das
casas da ra.Conoedeu-se a hcenea,
Ootro do mesmo, iniermando o requerimeote no
qoal Luiz Manuel Rodrigues Vallenca pjde para
que Me seja permettido edificar no espaco que
eiiste entre as casas de ns. 23 e 25, sitas a tra-
versa qoe segu da roa Angosta ao rio Capibarlbs
on roa do Gasmetro; declara que a pretenco do
peticionario nao pode ser deferida, visto que este
espaco, assim como todo o terreno, que Ibe per
feto, D. Mara COfiHo. dos Santos, Moooei da
Ceete Perevode Son*, oeuearel Paobnoltairigues
Feemndee Chaves, Victorino Joa Mosim (2), e
leoaaloo-ee a setal* Ka Francia Cmhv> da
iBearviagem, secretario a 0z esenvern MbMPtvi.
claro em tssnoo t)e oi mareada a 1<* tesse
ordinaria para o da 14 de correte.Boattagem
o ieemrei. Pereira SioBe.P. presidente, Cosa
Mootetre, llego, Fonseeca, Santos, Dr. 'era, Pinta
CHMNK4 jNMMIl._
TRIHl\AL DO COMMKRCie
ACTA DA SESeO ADMINISTRATIVA DE 16 DE
ABRIL DE 1866.
PSSetSSNCU DO SXU. SR. DESEMBARGADO!*
ANSELMO IBANGiSCO PERETTI.
As 10 horas da mannaa, estatuto reunidos os Srs.
deputados Rosa, C Alcoforado, Basto e Miranda
Leal, o Exm. Sr. presidente decl?rou aberta a see-
sao. ,
Lida, (oi approvada a acta da eessao antece-
dente.
KXI'EDIEKTE.
Officio do secretario do tribunal do commercio
da capital do imperio, remetiendo ama relami
dos coramerdantes matriculados ali no trimestre
de Janeiro narco do correle anoo. Accuse-se
a recepcao
Dito da junta dos corretores, datado de boje,
jaotaado o bolelim commercial da semana prxi-
ma Boda.Ao archivo.
DESPACHOS.
Requerimento de Autooio Joaqaim de Campos,
satisfazendo o despacho deste tribunal de 5 do cor-
U vignrJQ, Ifdmwf /eamjm Xavier Surtir*.
HUMA VIDA SALVA!
Nao temos oonhedmeoto algutn de nertmm
o qne to pe feitaineute mostr d'uma ma-
nera a mais clan e pereuaai v o poder da
Beienda Medica obre a molestia; qaal eeja o
de Aktoxio Joaquim I'eksika, U Babia.
Eete homom infeliz havia mais d'iwa |i)naqno
eoffria as dores as maia atrotes pungentes
proveniente de > -.
immkah*h empobrecimento do sangue,
' w>fnr t^mxrn o escrophulas, escorbatos, opila-
attpma., e os estragos produzidos pe*
las olestias syphiliticas: asthenia oa falta
de Jo.[C^|; fraqueza gflB|| L V by&
sia aaila e asoites; tadMe o pl
deobsgr#r nestas doas ulluBM onti
pj^ipaiente, e em todas utrak qne
una da fritos saiatares dat-te irop ttv
ro-f8fltiiorrente, e as uriMt 'denabara-
cadas.
O moa de usar-se e Mcoltr-dc ai es-
cripto Roietreiro pregado ao frasco.
Vaodc se nicamente na bous da ra
Direita n. 86 de
Jos da Bocha I'aranhos.
teocente, acaba de ser escolhido por ama com-' rente exarado na pelicao de Mello Irmao & C.,
misso nomeada pela presidencia da provincia, ajuntando a procurado ba.'tante de seu constaia-
para neite se construir om mercado publico. A j te Manoei Pedro de Mello para que se*a deferida
vista da mformaco nao lew lagar. aquella peiigo, seaio-llie entregue diU proonra-
Outro do fiscal da rregoezia de S. Fre Pedro gao visto se achar registrada no mesmo tribunal.
Goocalves, tfizendo ter procedido a corridas saaita- Vi-ta ao Sr. desembargador fiscal.
Dito de Paimeira & Bellro, para eerdawttida
registro a procorago, qae juuutn.Reglstrt-se.;
Dito de Joaquim Daarte Campos, para tambem
ser admellida a registro a freeuracao qae junta. ,
Registre-se.
Dito de Pedro Martyr Maury em qu pede ser'
matriculado coramerciante.Vista ao Sr. deseca-
ras eos diasO, 21, 23et4do mez de fevereiro
ultimo, acompatihado do facultativo Jos An.onio
Marones, roga a cmara qae se digne mandar
pagar ao mesmo facultativo a qaaotla de 245 a
Soe Ms elle direrte.Que -se passasse manda-
os '
utro do mesmo, informando ser exacto quanto
allegara en sen requer Jiento Felii Saavage A C,' bargador fiscal,
de terem acabado com o sen arunzem de recolner Com ioTormagao do Sr. desembargador fiscal,
algodo, sito a roa do Trapiche n. 4, devendo te-, De Jos Victorino de Paisa a Thonws Ferreira
davia pagar o imposto a qne ata obrtgade aqttelle de Carvalho, pediodo o regWtre do seo contrato
armaaem. Deorio-se no sentido da informa- social.-Registre-se,
g3o. [ Pe Albino Jos da Silva, Antonio Valentina da
Outro do mesmo, informando nio ser exacto Silva Barroca e Jos Marques dos Saotos Agotar,
quanto allega Francisco Sollano Pereira Ramos, pedindo o registro do dislrato social que juctam
em seu requerimeoto, visto qoe do estabekci- Registre-se.
ment o peticcionario qae parte a ecumnlacao' De Luiz de Seixas Corroa, em que pede ser toa-
da lana e lixo alii exlsteoies na occasigo em qoe triculado commerciaute.Como requer
fura multada -Indeerio-se a peticao. De Manoei Joaquim Rodrigues de Soma Anto-
Outro do fiscal 4a freguezia de santo Antonio, oio Rodrigues de Souza, para ser registrado e seu
commuaicaodo ter eito lavrar termo de aehada contrate de sociedadis.Uegietre-se.
contra Aotonio Domingues Pinto, por baver infrin- De Francisco Jos Gongalves da Silva, Duarte
gido as disposicoes dos arts. 2* ds postaras addi-. Antonio de Miranda e Manoei Joaqaim Goncalves,
doees de 13 dojonho de I8aa, e da-de 18 de para ser registrado o seu dislrato social.-Regis-
te verer o de 1861, em consequencia de ter manda- ire-se.
do construir no sen predio da ra Nova 06, Nada mais ha vendo a tratarse, foi por S. Exc. o
urna solea, e redazido as tres portas do teroeiro Sr. presidente encerrada a sessio as 11 horas e
andar jaoellas, e isto sem a necusaria llceoca, meia do dia.
cojos termos de aehada fiz remetter ao procurador
am de promover soa cobranca.
Nesia ocoasiio aprsenla e seeretario orea peti-1
cao, na qoal o mesmo Pinto, pede a cmara para ,
ser relevado da multa pela segunda infracta o.
Sendo indo.posto era discussao, e depowde
:erem fallado alguos dos senhores vereadores sobre
a materia, fui o petiroiooano dispenso da citada
SES5A0 JUDIOARIA EM 16 DE ABRIL DE
1866.
PRESIDENCIA DO .BUL SR. DESEMBARGADOR
A. f. PKRETTI.
Secretario, Mo Gumaraef.
As ooze horas e meia da manhaa o Exm. Sr. pre-
sideute declarou abenta a sessao, estando reunidos
segunda iofraccio, e coofirouda a primeira, votan- os Srs. desembaijgadores Silva Guimaraes, Res e
t.-. ----* ~ j i__.___ > __ ai.___f" ..I1..HA f:i..i i : i:______0___ j__...i.i.., 11 i f1infiirfi"i
do contra a dispensa daqoella os Srs. presidente
Santos e floto, e a (favor desta, para ser di.-pensa-
da, sement o Sr. Bago.
O Sr. Costa Monieira dectorou-se sospeito nesta
queslio, nao lomando parte na discoco, e nem oa
votaco.
Outro do fiscal da fregaezia do Pogo da Panella
informando contra a peticao de -Maoeel da Costa
Pereira de Sooza, em qoe pede ser dispenso da
mulla que Ihe fra imposta por aquelle fiscal por
nfracciio do'art. i de titulo 41 das posturas de 30
de juuho de 18i9__Indeferlo-se.
Entra em discussao o parecer dado pela com-
misso especial, nomeada para destinar as roas qoe
devem ser arborisadas, e a qualidade das arvores
o qaal achava-se addiado, e apareceudo tambem o
qae foi apreseolado a presidencia pelo director
das obras publicas, apreckta a commissao ambos,
Silva e Accioh, e os Su. dapolados llosa, candido
Alcoforado, Basto e Miranda Leal.
Lida, foi approvada a acta da precedente ses-
sao.
Assignaram se os acordaos proferidos na ultima j
sessio nos feitos entre partes.
Appellaotes, os administradores da inassa fall-
da de Amorim, Fragoso, Santos & C.; appellado,
Henrlque Jos Alves Ferreira.
Appellantes, os ditos administradores; appella-
do, Jlo Valente da Cruz.
Appellantes, os memos administradores; ap-
pellado. Custodio Jos Viaona.
Appellaotes, os administradores da massa Wli-
da de Joo Bapligta Goncalves Bastos ; appellado,
Francisco Gomes de Qlivera tesumenteiro dej
Henry Gtbsoo. |
AppelUnles, os administradores da massa fa|li-
Tcrrivcis Chavas Aliertas
eepulliadM por sobre Ufferantetfianade mm
corpo,oeiKtois inj pmm bo1n pottodopi
una fonda e maligna ehaga, a qus 1 o privara
de andar, caaaando-he ae dores ms mais agoni-
eantes quer de dia quer de noute; oootinuada-
swsrketimentadp por taes affllcoe o>it,^J
e quasi que aborrecido da continaacao de aim-
ilnante vida, tendo posto de parte toda a f o
nammmii i mmtmlmm e nmMmlmjmmdi
qHc para elle nao lbe resta va mats esperanca
alguroa; aesrm pois resignado sperava coa-
paciencia o termo final de ei-ua mutipUoados >
oftmerntaa, ei* o* mUa^frosameote par tos- -'
tuna sua Ihe receitaTao o grande purficariar
do mgue
A Saisaparrha
. DE BRISTOL
mediante aua grande efBoacia eexoejawcta
elle bu achon dentro de pouoo tampo, Wre
en irrernediaTel estado de di-gespero, e a doce
e r i touha eaperan^a torno u do aovo revi ver
era seu eoiacao ; eob fodosora eJenevola in-
rhtencia deste adnrira vl mdicamente, as as
;hagas em breve principiarao assnmir um ca-
racter lavoravei diminuindo o aspecto de *ua
malipnidade A maasa do sangue e maii
humores -o ystema tonoi adquirir urna
apparenda clara e saudavel, as dores ator-
mentadoras 'outro ora o deixarao, e uuia dooe
: suave tranquiUidade iprineifoa preeornr
:odo o sea systema, restanrando-rhe a desejada
paz e socogo d'eeplrito as cUagae urna urna
e Cotao techando at qae .finalmente se cic*.
trisarao d'um todo, o boje clia-ee perfstta-
' mente sao, gosando d'mn perfelto estado de
aude, depois de se ter visto privado d'este
grande gozo durante mate d'um armo. Elle
durante esta sua cura, apenas -fes uso de
Desaneit garrafas da Germina Salsaparrilh
da Brisiol, preparada exclusivamente por
LAMMAN4KEMP,
De \OV.V YORK.
Recommenda-ee mu particularmente aos
Duentee d'ambos os sexos, que empreguem
toda a cautella na escolha d'este adnravel
remedio, afim que nio obtenbfio outra com-
posico qualquer, que nao seja a Saleaparril-
ha Genuina do Bristol, pois que toda* aa
mala preparacoes e intaOea d'esta natuaoM
ao falsas nao possuindo virtude alguma.
Vende-se as Loicas de Gaors & Barbosa
e G. Bravo G.
EDITAES
IM ITTEHQAO.
Xarope aleboolico de veame, preparado
i pelo pharmaceutico Jos da Rocha Paranhos,
estahelecido com botica n ra Direita n.
88 em Pernamboco.
Este xarope e incotestavelmente superior
a todos 09 xtropes depurativos, de caja
composicjro o seo mawr erCTtrrto a sartsa
parrilba, pois qae se tem conhecido ser o
veame mais eaergioo para t prompta cura
das molestias, caja bate essencial depende
da porificac3o do sangne; assim pois se
tem verificado por muitas pessoas qoe se
acbavam desengaadas, as (jote* acham-se
boje restabelocilas con referido xarope
alchooiico d Ttame; entretanto qne al-
guns, tendo usad* do xarope de Cariaier,
de Larrey, de salsa parrilba, de saponaria,
les de gade de bacal hio, e oatros agentes
desta ordemnada cooseguiram. E' elle de
fcil digestSo, agradavel ao paladar e ao ol-
pbato Alguas mucos des* idae e da
de Macei o teem recommendado para a cu-
ra das
Impigens, nba, escrophulae.
Tumores, uJeeras, escorbuto.
Cancros, tana degenerada, floxo alvo.
Todas estas -aflecclfes provm de urna cau-
sa interna; im ha pois raza alguma em
crr qe ollas se podem curar eom remieato6
externos. Tambe se prescreve o xarope
alchooiico de veame para o trataroento das
aSeccQes a systema narvaso e fibroso, taes
oamo:
Gotta, TheumaaDo, p*ntlysia,
Dores, rarpotencia, esterilidades
Marasmo, hypocandria, euatnagreciment.
O jarope alcboeieo le veame sekre
tudo, da naier tiidade para curar radi-
calmente, e ayn jpouco lempo o rheuma-
imo.
Adverte-se q*e o verdadeiro xarope s se
vende nei criade a botica cima indica-
da, do abanto a*signado; e em outra qual-
quer parte- que se tea.anunciado nao da
mesma coafniaieae, e nem o abaixo assigna-
do se respoDsabilisa.
Jos da Rocha Paranhoi.
V !'' i
w Pela JosBeciorii da tfadefa ieracpoW<
a quem. interessar possa.^ae em vlrtnde de porta-
rla da thesenraria de lateada, n. 4S, de 16 do'cor-
rente, se declarou ter sido indeferlda a pretenco
de Jos Velloso Soares Filho, do direito qne nra-
somlam ter a paga por beneficio de todo o aasnear
.Stias de procedencia dat Alagoa, depositado no arma-
aem alaodegade Companhla, da qoe sao locatarios
como abalxo se v.
Nem o aviso do aiinisierlo da fazenda de SO de
novembro de 1847, nem a erdem do IbMoare de
10 de juoho de 18118, vigorada pela da 3 de feve-
reiro de 1864, e nem ootra ditpoaicJo alguma do
goveroo imperial, obrltam qoe o beneficio e paaet-
gem para oatros volnmes de assacar de produc?5o
das Alagoaa qae depositado no armaiem altande-
gado Compsala, de qae sao locatarios os suppli-
cantes, tinna de ser despachado para exportago.
sejam feios ezclosivameole nesse armaiem, e por
consequencia direito tenham os sappiicaotes a re-
clamar qualquer vantagem por beneficio, que nao
hajam eito, porque assacar teora sabido de seo
armazem do mesmo modo que para elle entras-e.
das Ala-
procnradoraa ante este iauo, alistando e provando
4ror ^4* uiMio.^asUm, Si pena
Portante toa e qualquer pesaoa, prenle, amigo
oamaiMaTlsWioalmMetom. Hdd-ihes-
bio faier sciente do todo o.expendido.
E para qae ebejae ao eog^Lmeno de todos,
mandei faier o presente tan sjafflxado nos la-
gares do costuma e pubMead* p*| impreosa.
Dado e passado nesta.oldada de Recife de Per-
nambaco, aos 3 de maro de iMi
la Ooherma Angasfe- de Atnayde, cscrivo o
sahaarevl.VirgiUn de Wfmo Coelho.
N. f9 ra. 400. Pjoq IB rs. Baclfe, 3 de marco
da !IM.~(bava..SeM.
?ai pagarSSdra, de diroitos de chancellara!
Recife, 3 de marco de 1866.-0 escrivo Athayde.
N. 1221 Pagos 2901*. de direitos de cnaucel-
Jarla. Recre, 3 de marco de 186.-Cbaves.L-
raoeiro.
Transltou pela chancellara. Recife, 3 de margo
de 1866. O escrivo Francisco dos Reis Nanea
Campeiio Jnior.
Laucado a Os. 100 do competente livro o. 13.
Recife, 3 de marco de 1866 Campeiio Jooior.
Firmino Antonio de Sonta, presidente. t
Estavam as armas imperiaes.
E Dada mais se continba em dito ediul aqu co-
Ao douo oa consignatario de assacar
goas, que para o exportar quizer antes beneucia-lo
fra 11o armazem Companbia nio podera' ser isso ni..
vedado, urna vez qae, &, pago o imposto provin- 11^ PJ^ijg do s dft
cial das Aiagoas, e oSo se admitta depois, na occa-! _J%! ig^ ci-
25LS? Pomo pago. i snhvrevi
Da combinac5o da ordem do thesoaro de 10 de U!K''e Vi.iiin A (;nsm2a Coelo
jaoho de 1858 com o aviso de 80 de novembro de' ~ "" TJT? *
uas ooras puoiicas, apreciou a commissao aiiiuuv Appeiiaoies, os aumiuisirauor* #wi^ Yapnnp tnniro rpfrioprsnlp rlp vplame p
e escolbea este.ficaado aquelle pejudicado, o qual da de Aives & Cruz; appellado, Manoei Joaquim Aarope lonitt reirigeraiite ue veame e
oseguiote: da Silva Leao & C.
A commissao de arborisaco apreseata a cama-1 jlxgamentos.
ra o sea parecer que vai junto, e ao qual exclue Appellantes, os administradores da massa falh-
o jardim publico qae se pretende fazer em frente da de Joap Bapti-ta Goncalves Bastos; appellados,
do palacio do goverao, porque sendo o campo das Kellcr & C.
priocezas, a praca maior e regular que temos nao Adiado oa ultima sesso.
convem obstru la, e se ba oecessldade de um j*r- Foi confirmada a sentencia appellada.
dim publico, o quintal do palacio offerece todas as Appellante, Vicente Moreira da Silva appella- megmo teD0 purgativo pela parte
vantagns e economa, nao Isto Idea nova, pois da, D. Rita Pereira com assislencia de seu 2. ma-
os jarws dos palacios em Pars servem de dis- rido, por seu bastante procurador nesta cidade. u
de
ferro preparado pelo pharmaceutico Jos
da Rocha Paranhos, estabelecido na cidade
do Recife provincia de Fernambuco, ra
Direita o. 88.
Este xarope, que d tom ao movimento
muscular por sua qualidade frrea, ao
do ve-
ame que encerra, e refrigerante pela par-
iraccao aos habitantes daquella cidade, entreunto f ""oflrmda a sen'lenea appellada. te acida, alnj da precisa para perfeita so-
que, distruiudc-se as pracas, nao teremos local Appellante, Bento Jos da Costa; appellada, D. ugao e combinafo do ferro; este atacado
para um arrumamento de tropa, ao jardim projec- Marianna Dorolhea Joaquina. w[0 ac,j0 g^ em extrema divido, e as-
Udo lera a vista e beleza de palacio. Adiado a pedido de um dos Srs. deputados. ; K nn(?oivp| rlp Apto
Salla das seccoes 24 de Janeiro de 1866.-Joa-! Appellantes, os administradores da massa fall- m 0 mais SOluve quee possive, ae sorte
quim d'AIraeida Pinto, Dr. Silvio Tarquinio Villas- da de Amorim, Fragoso, Santos & C; appellado, que j n3o e t5o dependente deser-dlgenco
Boas. > Manoei Francisco Marques. pelos cidos fraCOS, que se acliain UO suedo
Foi approvado o parecer qae apresentou a com- f0\ confirmada a sentenca appellada. I astrjco durante a digesto. Os expositores
missao encatregada de examinar os terrenos mais Appellantes, os pceditos ammistradores; ap- o ... 3 J .
invenientes para os mercados pblicos, e do qoal peludo, Jos Joaquim Ribeiro Campos, cessiona- '
cima se tratou, sendo este parecer, o qae abalxo rio de Francisco Fernandes Daarte. ,
vai transcripto. | Despresaram se os embargos.
A commissao desta cmara eocarregada de exa- passagem.
minar os sitios mais proprios para nelles se Do Sr. desembargador Accloli ao Sr. desembar- fraanpvT roii acho exar^
construirem mercados pblicos nesta cidade, ten- gador Silva Gaimares. aas Por lr.aaeza e com .ee,' ac? exa(>
do-te dirigido aos diferentes bairros em qae ella Appellantes, l). Raphaella Rita Gaimaraes, por ta essa opiniao ; nao mas 6 aaao 0 ferro em
est dividida, e procodendo abi os exames coove- s e como tutora da sea Ulho e Bernardo Antonio substancia pelo mo resultado que teuho oh-
de Miranda, hoje_ seas herdeiros; appellados os 8ervad05 (e q^e j fil publicar) em certas e
ra determinadas mole-tias; por exemplo: ane-
mia, e febres intermitentes, terminam mui-
tas vezes por anazarca, que accumulaco
Aggravante, Antonio Ba^Us^ N.08Rir.v_,*<; de serosidade ao-tescido cellular (agua quan-
1847 resulttm os spguintes coronarios, qoe nao se-
rio observados, evn qutnto 9 tribunal da thesouro
nao resolver o contraria,
1.* 0 nico armazem alfandegado para assacar
de precedencia das Alageas em quanto darar o
respeetim costrato dos mmotlaaotes, o de que
sao elles locatario, denominado Companbia.
2 Nao podera' sahir o assacar desse armazem
para qualquer 6m, sem que o imposto provincial
respeeiivo fique pago.
3.* Sabido o assacar para qualquer tim, excepto
o cato de exporlacao regularmente processada, se-
ra' considerada como de producto desta provincia
quando delle se aprsente posteriormente despacho
a alfandega.
Pica assim decidido o recurso dos suppllcantes.
Tbesouraria de fazeoda de Peroambuco, 16 de
abril de 1866.
Qaarta seccao da altandega de Pemambucn, 49
de abril de 1866.O 3 escripturario, Joo Carlos
Aagust de Figueiredo.
O Dr. Virgilio de Gusmao Coelho, juiz mu-
nicipal supplenleem exercicio da segunda
vara desta cidade do Recife de Pernam-
buco e seu lermo, por S. M. I. e C. o S-
nior Pedro II, a quem Deus guarde,
etc., etc.
Face saber pelo presente que a junta ad-
ministrativa da Santa Casa da Misericordia
do Recife, por seu procurador, me indire-
cou a peticao do theor seguinte:
Diz a junta administrativa da Santa Casa
da Misericordia do Recife, que quer fazex
citar aos berdeiros do fallecido Manoei Pin-
? ,0 Dr. Tns tan de Aleocar Arar pe, offlcial da im-
perial Ordem da Rosa e juiz de direito especial
do commereto desta cidade do Recite de Per-
nambuco por Saa Hagesude Imperial e Consti-
tuciooal o Senner D. Pedro U a qae Deu
guarde etc.
Fago saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverem que no da tnota de abril
do corrate auno se ba de arrematar por yenda, a
quem mais der em praca publica deste jnizo o se-
guiste :
Doas pequeas casas terreas sitas na Capone
no lugar Baixa Verde, as quaes nio tem numero,
tendo cada urna desenove palmos de largura e tri-
la e seis e meio palmos Ae largara, digo de fundo,
com ama porta e jaoella na frente, dnas pequeas
salas e uro qoarte, cosinha, na sala de detras qoin-
tal em aberto, avallada por quatro centros mil reis,
cada ama; as qaes foram peohoradas por execu-
cao de Lrbanio candido Ribeiro C*. contra Anto-
nio Luiz Nunes.
E nio bavendo laceador qae cabra o preco da
avallaeio, a arrematarlo sera feita feto preco da
adjudicacao na forma da lei. E para que chegue
ao conbecimento de lodos mandei pessar o presen-
te que ser publicado pela imprensa, -e afflxado nos
lagares do cusame.
Recife 12 de mareo de 1866. En Manoei Mana
Rodrigues do Nascimento, escrivo, o snbscreve.
Taisto de Aleacar Araripet
O Dr. Tristao de Alenear Araripe, oficial da im-
perial ordem da Rosa o juiz de direito especial
do commercio desta cidade do Recife de Fernam-
buco por Sua Magestade Imperial e Constitucio-
nal o Sr. D. Pedro II, a qaem Dos guarde etc.
Paco saber pelo presente qne fio dia 14 do mez
de maio do corrate anno se ha de arrematar por
venda a quem mais dr em praca publica deste
COMMERCIO
m
?RACA DO RECIPE.
cotafoes offlefaes.
,.. 19 de abril.
As 3 1|2 horas da Urde.
Algodo Iviorie 1^600 por arroba.
Algodo da Parahyba1" orle 202000 por arroba
posto a bordo.
Cambio sobre Paris90 div. 347 rs. por franco.
iuhourcq Jnior,
Presidente.
Silveira,
Secretario.

%r* banco de Peroam-
buco.
0 Nevo Banco descerna letras a 12 por centc
ao anno, toma dinbeiro a praso fixo oa em conU
crrente pelo premio e condiefies qae se c oavec
clonar, e saca sobre a praca da Baha
Novo Banco de Fernambuco.
0 novo banco paga 16 dividendo ne
raza o de 6i50 por accSo.
de pedrae cal, n. 31, da a povoacao do Montelro,
em chao proprio, com 3 jaoellas na 'frente, portao
de madeira, com 32 palmos de largara, e 65 e 1(2
de fundo, 4 quartos, 2 salas, copiar com telbeiro
occopado por padaria cczioha fra e um pequeo
sitio murado, que. rinda al a estrada do Arraial,
avallada por 1:7000000, a qoal vai a praca por
execucao de Vicente Nemes da Serra, contra Rosa
Matia de Lima como henleira do finado Antonio
Francisco Pereira e Joaquim Jovenete da Silva
como testamenteiro do mesmo tinado.
E na falta de bogador qoe cobra o preco da
avaliacao ser a arrematado feita pela adjudicacao
com o abatmeoto respectivo da lei.
E para que chegue ao coohecimeolo de todos
maodei fazer o presente edital que ser afflxa-
do oos lugares do costme e publicado pela im-
prensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
oambuco, 16 de abril de 1866.
Eo Manoei Sil vino de Barros Falco, escrivo in-
terino o sobscrevi.
Tttsto de Alenear Araripe,
DECLARACOES
todas as suas preparares gozam das virtu-
des eminentemente tnicas, que aproveita
em todas as molestias que sao caracterisa-
de
nienies, de parecer
1.* qoe sejam conservados os dous mercados atoc-
almeoie lstenles das freguezias da Boa-Vista e
S. Jos, fazendo-se nelles o meIhorament e refor-
mas de qoe sao suscepti veis.
2. qne se construa om novo mercado ne bairro
do Recife ta Praga denominada do cbafarlt no
caes de Apollo.
3* que alem disto se trate tambem da consiruc-
cao de om mercado central, o qoal peosa a eom- hora da tarde,
missao dever ser collocdo ao terreno devoloto
qoe existe ao sul da nasa de Deleocao juolo ao
que pertenceu outr'ora ao hospital portuguez, e
qoe boje perteocea Manoei Rcdrigoes ValleDca ;
sitiados nos limites da fregaezia de S. Jos, e San-
to Aotooio, e a mareem do rjo Capibaribe perto
de lagar donde 'pira b futuro dever partir urna
ponte para e bairro de Boa-VJsu; sera o dito mer-
cado de fcil accesso para a maior parte dos lia-
. seus berdeiros
Francbco Antonio
herdeiros
Santos.
AGORAV UiTERPOSTO DO JUIZO ESPECIAL DO
COMMKhCIO.
, Antonio Baptista
^A^SS^^^"^', JB a P*m depois cite ou hy-
Nada mais boove, e eocerroo-se a sesso a orna dropesia do ventre, que e accamulaf3o de
serocidade no peritoneo.
E' sabido que o ferro um dos agentes
mais importante para que o sangue se pre-
pare e aperfeice devidamente, e por con-
- seguinte o mais proprio para impedir o des-
. 'nvolvimeato destas molestias; mas sendo
Pmbica^ pedido
Iiaimah cilci a
o'csbitob'T eUe am *&*** a***!, sorbeote e seoer-
Qu awtondadet devtm despachar no alto, e nente, claro que s associacfo como se
hitantes desta cidade," aos aaaes prestar graode quaes no/uavo das peticHesI lacha neste xarope, pode dar 0 reaultado
servico ao mesmo lempo qoe porpociooara a est a respeito das autorldade sloguiares a regra qoe $$ eSpera, e a experiencia me tem de-
inanicipaimate non lonte ouideravel de rend- geral esta, serondo o estylo. costme, e le an- ^n-i aT J^ J1]a. aft.niXfir *e omna
memo. Recite 21 e Janeiro de 866.-Aotonio a, despachamll alto das peficSes todos os coose- m0^" w CO Jos Silva do BraaU, Joaqaim d'Ameida Pinto, Dr. fteirq,s, os presidentes dos Ulbuoaes, e chele de r,e- Rbas.
Feippe Neejr Cola$o. partgoes do esiaap, e em eral todos os altos fuoc-, Os effeitos dos incitantes, s3o: promover
O Sr. presidente propoz ao guarda d'ordeas na. clonarlos prelados diocesanos. \u gecrecOes, e absorcgs, aucmentar o ca-
secretaria, Jos Miguel de Souta Magalhes, paral Todas,, oa qpa todas as aoctondades collecr natoral c remover miiilla 4Ari m
continuo da mesm-repartteo, em Tubstituco a vas despachara no tito, como senador,, cmaras! J'J,"*le-^^.^ n S??
Pedro Jos de f arias, qae fallecer, bem como a municipaes, desembar^adores em relacao, mesas nascem 4a falta dos mo\ mentos imtativos.
Manoei Ignaoio Gomes de Parias, guarda da Ir-! de corporales etc. Os sorbentes sao tambem aquelles agentes,
guezia de Santo Antonio pora, flear em logar! Os copse|neiros do sopramo tribuoal de jastipa! os quaes augmetam os movimentos irrita-
d'aqoelle.-Foram approvados. guando-sao relatores coslomam despachar, eo tw> formam abaercio ens^^pnan
Em seguida *j ~- -mMm An "**' '' """ mantn ana nraeldentea das relacSe*. ane, > Mw W e 6D-
ALFANDEGA.
Reodimeoto do dia 1 a 18.....
dem do du 19......,........
536:6374804
23:6654098
560:3224902
MOVIME.MO DA At^ANDEGA
Volomes entrados com faxendas...
com gneros...
Volnmes sabidos cera lateadas...
m c com I eneros....
173
435
62
915
------977
608
Descarregam hoje 20 de abril.
Vapor inglez Cassine mercadorias.
Barca portugaeaaBellem diversos gneros de
estiva.
Patacho dinamarqusPallucefarlona de trigo
e banba.
Barca portoguezaFerreira Bargabarricas va-
stas.
Barca ingleza- Brigue inglez Har Belldem.
Brlgue iDglez=JoAw Elisabeth-dem.
Galera nacionaljMmdW'o Idera.
Brigae portuguez Jasidero.
Barca oaciooaLAfisaade'dem.
Sumaca hespaoholaGuaiiaittffc-idem.
aos mesmos.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
flAES DE PERNAMBCO
BffiS .l.'*:V::.: 1"-^37llpre^dente._Es^
to, para a primeira deste juizo fallarem aos juizo, depois da audiencia respectiva, a casa terrea
termos de um libello, em que lhes quer pe-
dir o sitio n. 21 particular as salinas, no
lugar dederainado Carreira dos Mazombos,
do qual siiio se acham de posse os suppli-
cados por titulo de aforamento feito aquelle
fallecido, visto terem os supplicados cabido
em commisso, como melbormente se expres-
sar em sen libello, pena de revelia; flean-
do logo citados para todos os termos-da can-
sa at final execucao. .
E porque a supplicante ignora quaes se-
jam os herdeiros, por isso requer a V. S.
se digne mandar passar carta de edital com
o prazo de 60 dias, para serem citados os
snpplicados por todo o conteudo nesta, Pe-
reira e Souza, Proc. civ. n. 203 : portante
pede ao Illm. Sr. Dr. juiz municipal da se-
gunda vara assim lbe detira. Espera receber
merc. Como procurador. Jos Theodoro
Gomes.
E nesta peticao que me foi apresentada
dei o despacho do theor seguinte: Dis-
tribuidas como requer. Recife, 28 de feve-
reiro de 186(5.Coelho.
E sendo feita a distribuicao ao escrivo
d'este juizo Guilherme Augusto de Athayde,
este em observancia a este meu despacho,
fez passar o presente, pelo qual e seu theor,
chamo, sito e hei por sitados aos menciona-
dos herdeiros do fallecido Manoei Pinto,
para que dentro do prazo de 60 dias compa-
recam ante este juizo, por si ou por seus
procuradores, allegando e provando o que
for a bem de seus direitos e justi?a, sb pe-
na de se proceder suas revelias.
Por tanto toda e qualquer pessoa, prente,
amigo ou conhecidos dos referidos herdei-
ros, po ler-lhes-hao fazer sciente de todo o
expendido. E para que chegue ao conbeci
ment de todos mandei fazer o presente que
ser affixada nos lugares do costume, e pu-
blicados pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de
Pernamboco, aos 3 de marco de 1866.
En Guilherme Augusto de Athayde, escri-
vo o subscrevi. Virgilio de Gusmo Coe-
lho.
N. 60.Rs. 400 rs. pagou 400 rs. Reci-
fe 3 de marco de 1866.;Chaves.Sena.
Vi pagar 250 rs. de direitos de cbancel
laria. Recife era supra.Oescriv5o, Atnay-
de.N. 1221. Pagou 230 rs. de direitos
de chancellara. Recife 3 de marco de 1866.
Chaves. Limoeiro.
Transitou pela chancellara. Recife, 3 de
marco de 1866.OescrivSo, Francisco dos
Reis Nunes Campeiio Jnior.
Laucado a Ha. 100 do competente liv.o
n. 13. Recife 3 de marco de 1866.Cam-
peiio Jnior. Firmino Antonio de Souta,
16:534#130
CONSULAOO PRVrNClAL
Reodimento do dia 1 a Id......
dem do dia 19.....
8:8964232
5:8354782
74:W2#0H
mesma fr'egoMia de Santo Aoton.o, propoodo a'' tambem sao conselbel-os. tes aquetles que augmentam OS movimentOS
Belmiro Francisco do Souza, para preencher a Os governadores civis entre nos .presidentes rritalives que COOStituem as seaesoes.
vaga dentad, pete referido Parlas, Foi appro- ^b^d*Whara em mma,j ve^mo. 0 Sr. Saotos pede.a palavra, e sendo-lhe conce-
dida, requer paj-a qae se maodasse gilar e pintar
a ribelra da rregoezia da Boa-Vista, como se, pra-
ticou na de S- Jos, visW qoe aqaella a MOCO fura
concertada de nova-Asslin se resol ven.
A reqoerimein do mesmo Sr. mandn se re-
corameodar ao eofeoneiro qoe remouesaa a iafor-
maso aeerea, do {job reaaeria Praocisco Hendes
Martios, arrerotipte dis obra* dos concert
rrbeira da frefiezia da Boa-Vlsu.
O Sr, Castro Mootairo rtqoerea para
do Esm. Sr. presidenta da
zesso chegar a presenca
provincia o oficia reroettando a
ga a qoe fon approvada pela le
de 2u de abril de |863f relatii
cambronne,
de abril do
nio obstaste ter
commissao qp9
dar o seo parecer;
Desi
Koes P

l0?po?X$&^^^^
segundo estas regras todas as aiutondades y- cade indistmctamente. Mmtas vezes o pra-
baitemas mdiviiuaes que nao tm caria de conse- tico deixa de fazer applicaeJo do forro por
ho devem despachar em bauco. oonheMT oOBpoilar que o ligado, o bofe ou
..- 4434 de 7 de oovmbro de 1849). r^ ^^ ^ ^^.^. ^^
ni inmifiomiiii-i' ^e, ge se tivesse applicado em lempo *e
Eleict o jii e ais membros qne poderia ter evitada o desenvolvimento a
le'm de cHar a Besa regedera 4a mole8tia-- Assim ^wn, o arepa prepara-
qne rovo
oviociai o. a
o: desde 13
Irnra
molestia.
, do como fica xpoatQ m pode usar tan ris-
* mmm m (co p0r B50 Qfjendar aa ntranhas. As mo-
la \ reseate aaae 't U**m costra ae qvw oaarape ternaa ra-
frigeranle pode ser applicado com proveito
kaMmala
Saledaie,
Jo*.
OSr. Dr. Haneei Perwilr da Silva.
Geminiano Joaqoim d Mtwada.
, .TlMiammUp.
Xdi. Pereira Baftiio.
Manoei Ferreira liamos.
alo: u awtaotvriieaa, ou susfenc|o do Hu-
so mmulrotl daa maiaeree, anemia, oa di-
aainuiefa aa mataa de fMgee a soa eonaia-
tenciaalte^da, dores de eitomago, debi-
4a4e dos orga^digaaiavos, astio, "
do saxo femenino, caracterisada sor lan-
gner geral, acclorisacSo paluda da cor en
MO.IMfIMTQ DO fWTO
iVowot entrados no ii 19.
Aracaty-13-dus, hiale naclonol Senas Cruz, de
101 toneladas, capitao Jos V. das Neves, eqaipa-
gem 7, em lastro ; a C. C da C Moreira.
Barcelona for Halaga 73 dias do primeiroe 24
do sefuado, sumaca heepsnhem Pauta, de S34
toneladas, capitao D. Francisco Bertrn, equipa-
gen 13, carga vinbo, azaite dooe outros gene-
me; a Amorim Irmao.
MkmtevJde J2 das, aomaca taeapmmoU Mensa-
tetra, de 93 toneladas, capitto Joan Eoger y
Mtllet, (Mjutpegem 10, carga 3,600 qoiotaes oespa-
oboes de carne; a Maori R.4C.
LiverpeoW38Jias. barca ingleza Fleur d* Mauri-
ce.de 333 toneladas, capitao Abrabam Ogier,
eqoipegMn 14, eerga carvlw; a ordem.
Santa Cruz de Tenerife M dme, barca Mgfeoa
SoraA, de 382 toneladas, capitio Jobn Siabell,
eqaipagem 11, em lastro; a ordem.
Triaste, S8 das, bricoe asevlMo Airn, de 273* 303.
Meladas, apito MiUetick, eejuipegem 13, car-'; Portaoto pede ao
|3,135 barricas eomariuQa d Higo; a N.O. seguoda^ara
New-York, M dias. Barca lobekeoee Haydn de
** 'fu'J2* 'SSfi J^je* io,
eerga SfJOe btrrien eom feriaka de tr%o oa-
tros feaeros; a Heory Poster dt C
Nanos f> nada mais se con to ha em di lo edital
aqui copiado do proprio original.
Dado e passado nesta cidade, aos 5 de
mar?) de 1866. En Guilherme Augusto de
Athayde, .escrivo o wbsorevi.
O Dr. Virgilio de Gusmo Coelho, rata municipal
supplenle em exerdeio da segunda vara desta
cidade do Heeif de 'Peroambuco e sea termo,
por saa magestade imperial e constitucional o
Sr. D. Pedro II, quera Peas guarde etc.
Faco saber pelo preseotetiae a junta administra-
tiva da Santa Casa de Misericordia do Recife, por
seo procurador me endereeon a peticao .de theor
seguinte:
Diz a junia administrativa da Santa Casa de Mi-
sericordia do RechV, que qoer fazer citar aos ber-
deiros de Mlgael Ferreira de Mello, para a prinwl-
ra deste juizo fallarem aos termos de om libello
em qae lhes qaer pedh- o sitio de o. 18 particular,
no logar denominado Saliois, do qoal se acham de
posse por titulo de .aforamento feito ao dito Migqal
Ferreira de Mello, visto terem os supplicados ca
bido em commisso como melhormente se expres-
sara' em sea libello, pena de reverla, fleando fego
diados para todos os termos aa cansa at final exe-
cucao.
E porque a sopplictBte ignore quaes sejam es-
see herdeiros, por isso requer a V. a. se digne
mandar passar cartas de edito, com o prazo de a
dias para serem os sopplieados criados por todo o
cooteodo Basta.Pereira o Soma.Pro, dr. o.
Tribunal do commercio
Pela secretaria do tribunal d commercio de
Peroamboco se faz publico que em sessao do mes-
mo trjbuaal de 12 da cemente foi considerado va-
go o officio de corretor desta praca, qoe exercia
Fredenco Lopes Goimarias, o qaal o abandoooo,
e quo a flanea prestada em favor do mesmo cor-
retor persiste por seis mezes, contados desta data },
e que tica marcado o praso de 60 dias, para dentro
delles se habilitaren) os concorrentes ao referido
officio.
Secreiaria do tribunal do commercio de Per-
oambuco 13 de margo de 1866.
O offlcial-maior
Jallo Gaimaraes.
< De ordem do Illm. Sr. inspector da tbesoura-
ria de fazedda desta provincia se anoancia a's
pessoas interessadas dos espolio* constantes da re-
lacao abaixo transcripta qoe, tendo de sr redoli-
dos a dinbeiro, de conformldade com as iostrnc-
c5es de 14 de Janeiro de 1854, os sbjectos de ouro e
prata importantes em 235^165, comprehensivos da
mesma relacao, que se acham depositados, ba mais
de cinco anuos, oos cofres nesta repartico, devera
a ella comparecer, reclamando seus direitos por s
oo por seos procuradores, tutores ou caradores,
dentro do prazo improrogavel de trila das cou-
dos do data desta publiccao, fiado o qaal, ne-
nbuma reclamacao a tal respeito ser aitendivel.
Secretaria da thesooraria de fazenda de Pernam-
boco, 13 de abril de 1866.
Serviodo de offlcial-maior,
Manoei Jote Pinto.
Ilelaee das ebjeetee de ove e prata ne coss-
tan da reeei 4 livre de diverses valeres, e
des que iadedaaente foram reeelhides i cai-
xa de deposite e moteo, e stae ne case de ser
redaune a diabeiro, n ceofermidade h art.
11, 16 da M 28 de H ie tetembro de
18S1, e mUroece de 14 de Janeiro deTlSSi.
Agosto, 6 de 1853.Deposi-
jado pelo jo izo de orpoSoe
e ausentes da capital, do
espolie de Justino Meroz:
3 pares de brincos de ooro 2i#000
botos de dito..... 12J000 36J0CO
7UO0
3*225'
monlclpalda
M.M.-Ce-
del o
iv-
relromMKC081
Babia, Snelo NaemuU, catado, oamto MaDoel juizoGoimerme
liloetpl!, vaner ioffee Gtmhmttr, capitio Goard,
Baredtoia, sam'aca bespanoola Noca Carlota, ca-
pitao D. Jayae Matwooy, carga algodo.
Boescriva deste
lo de Athayde, es te em obser-
tet passar o presente
Fe sea theor, chamo, dto ehetfor
dtados a e es herd*ro do mewionado snnpH-
eado Miguel flerreini de Mol, para qoe mtra do
praio de 60 las comparecam por si oa por seas
Outubro, 19-de 1833.-Idem,
do espolio do preto Joa-
qaim : 1 corao, 1 cruci-
Bxo, 1 cruz, 4 aonelSes,
sendo um de podras, l au-
nel de dous fios iranca-
dos, 1 par de argolinhas,
4 traMoliio com passador,
4 pares de butoes gran-
des para pnaos, 3 ditos
menores, 3 ditos de aber-
tura, 1 dito de esmalte e
3 alfloetes, sendo om com
diamantes, lodo de ooro
com Si oitavaa.....
1 alfioate Oe armaco com
1 oltava e3j*.....
t velas, 10 coiberos, 1
par de ovlas com cor-
rete, pesando 100 oita-
vs.......... 10*800
Julho, 36 de 1886 dem,
dem, de Joaquina Mario
da Conoeieio: 1 aonel do
onro........
*io,*e 1858- dem, dem
dem de Kellen CarlCnris-
ib Holet. 1 Oeellade
prnu oomi4 ettava 340
m ..........
Dezembro, 17. Mem do
Cabo, iomndd padre Pas-
choal Corbl : 1 coco 4o
prata eom M etaMoo o
seor. ......
lOoolieree de arta non
sopa com Ma eitamna
aoor.........
dem, dem, dem: aatm
de Ha pora en om 40
dita o Sao r.....
ditas 1Mr -

87*123
latee
%o
meo
aneo
1*200 40*400
. t-
monmi
Ma
PAGINACMINCORREIA


9eifa fefra to de Afcrfl e 1860.
>-
.'
/

Dezembro, 19 de 1860.
Ifcn ie Ignaras su, dem
da crioula Florencia Os
Carlos Brando : i craci-
8xo He oara con 8 oiu-
vas a 2......,
dem, idem, dem : 1 ccrdio
-le dito era oedac<}3.cona
6 oKims* l#.....
Idea, Ment, idem : I trao-
- celia de dito en dous pe-
d** eonr^eq_e_o S.
8rtt oto 1 oltavas a
3#aoo ...;....
Idea), dem, dem : 3 croies
de dilo cora 5 oitara a
*>..........
dem, dem, idea : 1 collar
e dito com S oilavas a
1*80.........
IdemJ dem, dem : 1 cam-
bio de dito com nm Espi-
rito Sanio a 8 cragoes
com 4 oiuvas a 1#000 .
dem, dem, dem : 3 anneis
da dito com 1 l|t eiMta
a 1*600 ........
tem, idera, dem : 1 par
de rosetas de cooebioas .
dem, Mam, dem; t dHo
oe dita de erysWHas .
dem; dem, dem : 1 peda-
50 de cordao de eafooem
t oitava ,..>....
dem, idem, idea : 5 come-
ares de prata, sendo 4 pa-
ra sapa e i para cha com
.52 oltavas a rWrs,. .
de
16*000
Wfc>
m -
IJ
6*300
(0*000
6*400
Para o Rio de Janeiro-pretende safar efi
poneos dias a v;l*fra alea "WNDELLO, por ifr
quasr todo carragaMijutoIratado-e para o -Yesto
que Jbe lm\ e cairavs afrete para o -que lem
bous conimodos : lrata-.-e com o consignatario'Joa-
olm Jos Goncalves Bellrao, na roa de Vigario a.
7,prfmelfc andar.
Tarabem se recebera gneros estraageiros.
-------------------------------------------------------------------- -*
IEIL0EI.
6*400
4*000
600
900
1*600

5*300 3*100
"5*165
Penrambaco, 34 de
LEILAO
De 4 suecos com assucar,
O asete Mtios Tara' ieUo a' requenmamo de
Antonio Bapiista fTogueira e por mandado do Illra.
Dr- Juii asPei:'a' do commercio de 40 saceos
com assucar. os qaaesf orara embargados a Pedro
Chrlsologo Cavalcant Waaderley.
HOJE.
As tu horas da motia em ponto no armazem
de BernardiEO Gomes da Car val ho, a ra do Apol-
LEILAO
De mu esc avt part* oerfeito alfaiate,
fcoleelr copeiro
O agente Martins far leilao do escravo cima.
no je
No armazem da ra da Cadeia.
Contadorfa de
marco da 1866.
O contador interino,
Yuente de Meta Womffrfe Vbtl PmXeiro.
* Mt&inistracSo do correio desta cida-
de precita de Mis homeos para o servido
de earninheiro, quera estiver tiestas condi-
oes e q_i*er-_gajr-se dirija-se a mesma
admiDstrac3o.
LEILAO
De naa esorava cs tres crias eida-
de e 5, 8a 9unas ealguns Movis
O agente Mrllns fara leilao a requerlmenlo dos
berdeiros de Custodio Jos da Silva a per manda- la da urna casa, e de uir. criado: na ra do Impe
do do I'lm. Sr. r. laz le orph*), os eseravos e
movis cima para pagamento dos redores do
referido casal.
CtUl FJINaWUCNO
A pfUda dpdo correi<|-aez ter legar
da noto de da 26.
ASlDAfOlTf
Aos 6:000,51000.
. iHlheten garaulldo ,
'tVA DO CRESPO N. 13 8 CA&&lDOC?rUMB
0 abaitoassignado venden nos seas amito (li-
tes bilhetes garantidos da loteria que se acabou
de xtrahlr, a beneficio da matriz de Villa Bella,
os seguiniei premios:
1 m meio n. 3806 com a son de 6:000*. ,
Bilhw* rnteiro n, 3309 com a serte de ,1:200*.
Um meio n. 1373 com a sorra de {WOsOOO.
Um meten. 91 com a sorte de 300*.
E ontras martas sortes de too*, 40*, e 30*.
Ospoesaidores podem virreceber seas respec-
tivos premios sem os descontos das teis na casa
da Fortuna a roa do Crespo n. 33.
Aeham-se a moda Os da 3a parte da Ia lo-
tera (59) i beneficio da igreja c 8. Goncalo da
Boa-Vista, que se ettrahira' quiota-feira 36 do
crrante.
PRECO.
Bilhetes.....6*000
Meto*......3*000
Quintos. -. : J1300
Para n aessaas qae amararen de 100*000
par cima.
Bilhetes.....5*500
Meios......3*750
ajtrmtds. 1*100
Mafcoel PerJffa da OhVWbdito brasileiro
Poigal. ^ _________
cisa-se de um criada para tomar Con-
435^
CALCADO-
eita4t)
Na M iHreita d. 114, lo
ja d outtvc
serrado da saud irazer o. pea bem de- wgy^>8^I T^tiA'k^------
ataque da bDmidade,GAR5y\^ ^F'P^11 .* C-
.
P1I0TOGR4PW4
ARTSTICA 1ME1KAIA
RA DO IMPERADOR N. 38.
Artista amnano
Artista anrerfcairo.
Artista americano.
Artista iblkTi ra ri.
RWiraWs^RtrttosRetratos. *
Em (wrcelana'^'Nifepcotypie.
; Bm rB(rjs^-rch!rotypiie.
Em vidro-i-Am'brotypie.
EA ta^ltemguertteOttpie.
Em papel Talbofypie. ,
No grande salo da roa do Imperador fe. 3
Nu grande salSo^a-rua domperador n. 38
Neste estabelecimento tiram-se retratos
feodidos contra os
cilrthjjom e seguro o nico preserva-
tivo Wftsas mil enfermidades a que est so-
jWb bossoeu. Um chnelo velho cal-
cado por um dandy patuscante, ou urna
bolina Mafcanbada em pequenino p de en-
Btmii' deidade alm de aecusar que-
tTradeirTlrliTlMlilite, prora contra as acui-
dades intellectaas dos calcantes, e nao ba
qoem, tendo bom senso, queira passar por
maluco, ou pobre de surrao : ergo, cor-
ram a:
*fcRA DIREITA41.
% ttondatn a' barateza.
Homens.
Borzeguips barcellonezes de lus-
tre e de porco 60000
Sitos de Bordame .... 7*000
tos parisienses de bezerro e
cordata? .. .... 8*000
Sapates de Nantes de duas ba-
teras rasas ...... 5*000
Sapatoa de lona, sola de borra-
cha..... ; 2^000
Ditos aveludados..... 10600
Ditos de tranca bons 10600
Senhoras
BoneguDs enfeitados.
m
9.
Jtaiqulo, Utreit, flitfh,*,, Ve.
'Livrs'Ticionae? e e*ifrangei
Pablaria, ^objeotos ^Ittrecriptrio.
Papis pintados-para forrar casas.
Assignafraspaia osjornaes da Europa.
Atten^o. ~
Antonio dos Santo* e Silva tendo justo e contra-
tado com Tbumaz de Aquino Rosas a compra de
nm pequea casa edro parte deiijollo e cal na es-
trada nova do Caxarfga' em terrenos da Sra. D.
Mana do Carino Carnero Carnpplto e fcm? que ir
evirar qnalqoer divida qae pbssa apparecer da
parte do Vendedor ou trazado que baja na dita ca-
sa ou direito por qualquer maneira; faz este an-
nuncio para constar at|lla,*|lb-^virero, terem
tresllfas pari-inis refamtc&w le findo u) quaes
' em conta reclamacao algama.
T
nao se recebera'
A
50000
traca
fto dia 30 da corrente, perante o Illra. Sr. Dr.
juiz municipal da 1* vara, na sala das audiencias,
se bao de arrematar os bens segoiutes : urira casa
terrea n."48 na ra do Motocolomb, na frefuezia
das Af vjadus. chaos propros, avtliada por 6i0j,
urna ootra a. 54 na asesma roa e freguezia, em
chao forlro, por 160*, ama outra n. 73 na mes-
ma ra, Chao foreiro, por 560* ; as quaes vio
praca porexeeoraj de Joaqoim Jos liomes de
Souzacowra Franctsco Jos de Oliveira ; a ul-
tima praca. _________^_^__
Pela inspeccao da allaadefa desta cidade se Taz
publico que no dia 30 do corrente a nma hora da
urde a' porta do trapiche do bario de livramento;
no ees de Apollo se hio3e r. ematar livre de di-
reitos ama porcio de caitas vasias, Que foram de
cha, avalladas em 100*0000 abandnalas ais res-
pectivos direitos por Henry Fostpr C.
4' seeeao 4a alfaodega -d Pemambuco, 18 de
abril de 1866.
O 4o escriptrio
Alejandrino Thorhaz de Aquino Colho.
Setta-fcira 30 do odrrnte as 11 oras fia
manbSa.
No armazem da roa a Cadeia a gj.
LEILAO
De ferragem etvariada]
Saltado 21 t abrH
Jos A. Moreira Dias fara' leilao por interveoco
do agente Pinto e por eenta e risco 'de quera per-
tencer de diligentes volumes com ferragem cons-
tanda de ehaleiras, panchas, pas e lindas varia-
das a bordo da barca iogleza URIJN ; o leilao se-
ra' efectuado as 10 horas em ponto do da cima
dito em frente da alfaodega.
Tem de ir a praca (tara ser arremtalo hoje,
20 do ebrrente; as 3 horas da tarde, depois da au
diencla do Sr. juiz de paz da freguezla de Santo An-
tonio, alguns movis, par execa(io de Antonio
Francisco dos Santos contra Joao da Costa Afri-
cano.
Correio geni.
Administrado do crrelo desta cidade precizaj
de seis homens para o servig de camioheiros,'
qnem es ti ver nestas eircumstan'nias e qaiter s'
eugajar dirija-se a mesma
CQaftEIQ MU
Relacao das cartas segaras existentes na admios-
tracao do correio desta cidade, para os senhores
abaixo declarados :
Antonio Joaqoim de Nova es.
D. Emilia Cavalcaote de Oliveira.
1 tenenta Jacintho Fartado de Mondonga Paes
Lima.
Dr. Joaqoim Jos da Fonceca.
Joo Loorengo dos Santos.
Jos Carneiro Rodrigues Campcilo.
Dr. Lourenco Jo* de Figueiredo (Bonito).
M^rcomlro Pancracio Pereira dos Santos.
Pedro Rozal do Amor Divino.
Phomeu da Kocha Bastos.
Vicente Cardoso Ayres.
IdfilliAO
De 2 burras de ferro (cofres.)
Sabbado2t do corrente.
O agente Pinto far* letlo por conta e risco *de
quera pertencer de 3 burras do ferro (prova de
fgo) ae 11 horas do dia 30 do carrete em frente
da alfandega.
LEIAO
De (res botes%
Sabbado 21 do corrente ao meio dia, no
trapiche da alfandega.
Wiliiam Grantcapitio da galera americana Yon-
rtjf Ikchamc, incendiada no alto mar, fara' leilao
coto licenga do tospedor da alfandega, era t>resen-
<5 fe nm empregado da mesma repartigo, com
assisrncia do cnsul dos st'aoos-Qnidos, por in-
ievengo do agente Pinto e por conta e risco de
qoem pertencer, dos 3 botes cima mencionados
salvados na occasiao do incendio da dita galera ; o
leiio sera' ffeetnado ao meio dia do dia 31 do
corrente no trapiche da alfandega.
tidlo, desde'*s noYe horas da anKia^ioarisos"
at as cinco h tarde; assim como tem
empre a venda p-atde sortimmto de ci-
diversas formas. Qufcdros
radbr i. 17.
RtorfMlmo Mez de liarla.
Sabio aflnal luz o Novissimo Mez de xas fina de
Marii, 2> edrrjlo rrfcRt, e augmentada
com um tegundo exemplo, tirado da editao
de fcfsboa, fttrafla com estampas proprias, te e recibidos ltimamente dos melhores
e anoalogas a cada um dia do mesi 9 mex,j fo)rn*cedores de 'PAHS e Nova York, tendo
s^^^'^^^^^r^lp^^rrmr. : : : ss
..... 40500
Sapatos de borracha .... 10oOO
Selleiros, correrbs e segeiros I
- ",77"""!--- vuuv= Sof d lostre, meios grandes 200000
. raes Passepartouts e todos os mais ob- E nm completo sortmento de calcado fa-
jectos e productos churucos, relativos a ar- bricado
riIEATUO
S. ISABEL
EUPREZA-COiMBRA.
3.a recita da asslgnatiira.
Sabbadotl de abril de 1866.
Seronda representagSo do excellente drama di-
sidido em 5 actos
A VIDA DI BOhTO.
Terminar o espectculo com o novoTrialo-
goquasi cmico
Tchgng-tching-bung 11!
ornado de canto.
PERSONAGEKS.
Tchang-tching-buog, chim por nas-
ciniTito, menor de 30 annos. Sr. Paiva.
Prudencio Soares, cigano por vo-
cacao, maior de 30 annos. > Ramyndo.
Florentina, viuva por torca maior,
flinade Soares ( iodiscnpgo
dizrr a idade da urna seahora. Sr* Clelia de C.
Esta comedia estava destinada para ser repre-
sentada no espectculo passado de 18 do corrente
e pelo motivo de falta do terapo para promplift-
car-se a msica que foi demorada.
Comegara' as 8 horas.
AVISOS MARTIMOS
LCIIAO
Be urna taberna na rna das \ln
naa n. s.
O agente Hartlus levara' novameote a leilao por
ordem do lllm Sr. Dr. Claudioo de Araujo Gui-
marfles, a taberna da ra das Nynphas n. 8, per-
tencente ao espolio de Jos Pedro Marques da
Silva.
s.iuuado 21 do corrente
as 11 horas na mesma taberna.
AVISOS DIVERSOS
Recebi do Sr. Joao Pereira Rebello Braga a
qoantia de vinte e dois mil e duzenlos ris, im-
portancia, segundo o dizer do mesmo senhor, das
cusas contadas no processo intentado pelo cnsul
porlugufz contra o referido senhor, e do qaal de-
cabio aquello por sentenca do juizo municipal da
primeira vara e de direito da segunda, cusas a
que o mencionado cnsul foi condemnado a pagar
e que o Sr. Braga offereceu como esmola a este
hospital.
Tbesooraria do hospital Portnguec de Beneficen-
cia era Pemambuco, aos 19 de abril de 1866.
O esmoler,
Christovdo Ferreira Campos.
COMPAMHIA PEKN'AMBl'CA.N'A
BE
fvi*e$cacosteira par Tapar.
Parahyba, Natal, Maco, Arafcatjr e Gear.
O vapor -Mamanguapt, com-
mandante fielmiro, seguir' para
os porros cima no illa 31 do cor-
renta as 5 horas da tarde. Rece-
____ be carga somente at o dia 10
encomraendas, passageiros e diobeiro a frete at
as 2 turas do da da sabida : escriptorio no Forte
do Matos n. 1.____________ .
~~ Para o~Para'pretende sabir em poneos dias
o pataehj PARAENSE, por tero sea earregamen-
to quasi prompto, e para o pjuco que llie falta tra-
ta-se cora o consignatario Joaqiira Jos Goncalves
Bellrao. na roa do Vigario n. 17, 1* andar.
Tambera se recebara gneros estraogairos.
---------------------- .1 4 i
Companhia de paquetes a rapar entre
o Estadot-l'ni las e Brasil.
At o da 25
do corrente es-
nera-se de New-
York e esealas
por S. Thoraaz e
Para um dos va-
pores america-
nos, o qoal de-
sos da demora
do costume seguir' para os portos do snl; pata
passag>"iros fretes ele., trata-se com os agentes
Beory Frstr & C. ra do Traplcfte n. 8.
-MaeiB~e~Masstrt
_ A ban-.assa S. Benedicto, pretenda aaBif at 32
do corrate, recebe carga a frete para os mesraos
portos : a tratar na escadioba da alfandega com o
estre oa na rna da Cacimba n. 3.
tos OIOOOSOOO
Corre quinta feiro 26.
Acham-se veada na respectiva thesou-
raria, ra do Crespo n. 15, os bilhe-
tes, meios e quintos da 2a parte da Ia lo-
teria (59), a beneficio da igreja de S. Gon-
zalo da Boa-Vista; sendo a exlraco no lu-
gar e hora do costume.
Os premios de 0:0000000 at 10,5000
sero pagos urna hora depois da extracto
at as 3 horas da tarde, e os outros depois
da distribuido das listas.
As encpmmendas serlo guardadas so-
mente at a noite da vespera da extracto.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
* *.
Manoel Soares "Pinheiro, subdito portuguez
tai a Portugal.
Madama Labourin segu para a Europa com
tres crianeas.
Para a ssa'
segu nestes dias a barcaca Dous Amigos, anda
recebe algoraa carga : a tratar no eaes do Ramos
o. 34, a na eseadtnba com o mestre Joao Antn
de Bri. -
Tbeolind'o Augusto do Reg e sua mulber
D. Adelalde Endocia Los do Reg, tendo de
indar celebrar urna mlssa por alma de sea
iaio Alolpro Liberato Pereira da Oliveira
no dia 33 do corrente mez, no convento do
Carmo, pelas 7 oras da manba, por isio
convida aos parales e amigos do mesmo fl-
nado para asi.istirem este acto de religiao.
mariano, conlendo a inslituigo e indulgen-
cia, orno do de meditar o SantisMD Rosa-
rio, Os mysterios gonosos, dolorosos, e glo-
riosos. Versos propri's para se cantarero, no
mz de maio, ate que se comprehende a de-
fini(;5o ao dogma da Coceico por Pi IX,
e um a p pend ce com o ordinario da missa
ilustrado com vinbetas proprias, e as ora-
ches necessarias ao clirist5o em cada dia;
acha-se venda na officina de encademaejo
n. 15 da roa do Imperador.
Mudanza do estab'teeimn-
to-Fabrica de Cirros e
jelozias.
F. Poirr, mudou-se da ra di Impe-
ratriz para tua o Ifcperador, junto ao
Gabitete Portaguz. Contina cora os seus
coastantes trabaihps de fabricar e con-
certar carros, e tudo o mais concernente
sua arte. Os seus freguezes e amigos po-
dem ali procura-lo sendo que o seu esta-
belecimento offereee acommodacbes para
guardarcafros emvallos tratar^ as pes-
soas que ,ali os quizerem deixar teem a.
vanthffPtri rrt> fa7Pr-sp enm nrnntai tagem ob iazer-se com proraptiaao qual- entenda de .e sejl ft proflso.
concert que os '
0ICIi\4
d tado, para todos%s gostos e para todos
os precos.
SalSo da roa do Imperador o. 36.
Sal5o da rna do imperador n. 38.
Versos
para o mez marianno : vendem-se na ra do Im-
perador n. 15, officina de encadernago.
= Ambrozio Jorge dos* Santos faz sciente ao
respeiiavel public e com espectalidade ao corpo
do commercio, que tendose crismado mudara o
seu nome para Antonio Jorge dos Sanios, e que
desta data era diante s sessignara' por Antonio
Jorge dos Santos. Recite 16 de abril de 1866.
Precisase de um rapaz que tenba pratica de
taberna : na rna do Vigario ti. 11
Precisa-se alugar um preto forro J velho :
na roa do Qnelmado, lojan. 5.
Precisa-se aluur orna ama para casa de
ponca familia j a tratar na roa do Livramento n. LATERTPreservado pessoal. 42.
no paiz.
LIVROS
De
35, loja.___
isL
m%
Precisa-se d'uma ama para comprar e cozinhar
na rna de S. Francisca n. 64.
Precisase de urna ama forra ou captiva pa-
ra comprar e cosinhar: na ra do Aragao n. 37.
sitio
quer concert que
de molo darem-lhe
carros precisarem perto desta praca ;,a tratar na rna Qireitan. 22.
O servicp constante e j precis'a-se de u;o caixeiro que tenha pratica
sem nterrupgo O que nao pode fazer qual- de taberna e qae d fiador a sua conducta ; na
CHERNOViZ-*Formulario ou guia medi-
ca, 7.a edicao ib 12.
GHBRKOViZDiccionario de medicina
popular, 3.a edico, 3 in 8.
1ANGGARDArte cbstretica, in 8.
Diccionario de medicina
domestica e popular, 3 ib 8. 18t>5.
BONJEANNovo manual do fazendeiro,
2 in 8.6
BEIRO Compendio de materia medica
e de therapeuti a, 3 in 8.
GOMES-Elementos de pharmacologia
geral, in 8.
edicto
in !2.
ACEDO-PINTO-Guia do arveitar 2.a
edicSo in 12.
MELLO MORAES-Physiologia das pai-
x5es 2.a edicao 3 in8.
MESMERMagnetismo animal, 1 in 8.
MUREMedico do povo, i in 12.
NA LIVBARIA FRANCEZA
N. 9 Ra do Crespo N. 9.
Precisase do urna ama para cozinhar
roa da Moeda n. 17.
m
na
quer coxetra.
Mtor.
Precia-se de um feitor a tratar a ra do Tra-
piche Novo n. 42.
taberna da ra Imperial n. 43.
Precisa-se de urna
saiba cctintiar e Comprar
n. 56, armazem.
No consulado portuguez precisa-se saber de
, r. re n^iJl.if r,,^. Golher-me Augusto de Barros, vindo em 1861 con-
6 tratado como operario da fabrica de tecidos do
a tratar na ma da Cruz
Ama
Passepartouts.
Para um retrato noissimo e de lindes gostos,
tambern para 2, 4, S, 6 e 8 retratos de familia :
vndese na casa de banhos ra da Cruz n. 17.
Exm. barao de Jaragu,
Precisa-se na roa das Crozes n. 36 de urna ama,
que, tenha bom comprtamelo e que seja fiel nao
importando ser forra ou cautiva. i Oflerece-sTum" moco portuguez para en lar
Queti precisar de urna ama de leitc. procore'**?"]?"*: vieieriu^^^^juiio, im. (asti jui un
na ra da Gloria n. 92. i i>fe?es bstanles; a tratar na ra Direita i n. 33.
Pergnata que d5o ofleude.
Deseja-se sirbr o motivo p rque ro transferida
a matriz de Nossa Senhora da liria de Itamarac
para a capel la de Nossa Senhora do Pilar da mes-
ma freguezia; por informacao de quem deu o
Exm. Sr. bispo o parecer a assembla, e esta ap-
provoo por nao saber que a capel la de Nossa Se-
nhora do Pilar tem menos de cem bragas distante
da rebeotacao do mar, e pelo invern no pateo da
capella agua d quasi pelo meio da canella de
qualquer pessoa, e na matriz amiga nao succede
isto, porquanto ali reside a annos que nao posso
dar a qoantidade, e a capella do Pilar taivez nao
dure a terga parle do tempo, qoe a matriz tem
durado, a certeza que temos, que o mar dar ex-
traerlo a ella por espaco de lgura tempo. Sup-
ponho que devia olhar a representaco que o povo
fez, por meio de um abaixo assignado.
Precisase de orna pessoa capaz qae tenha
todas as habilitaedes necessarias para tomar
conta de ama padaria nesta praca, dando-se inte-
rese : a tratar na ra d>s Cruzes n. 42 com o
Sr. Joaqoim Ferreira da Costa, ou na ra Direita
u. 106,_____... ,.., _____________
Na ra da Florentina n. 31 prepara-se comi-
da com asseio e promptido, e por preco razoavel:
quem quizer dirija-se.____________________
D-sesociedade em orna taberna bem afre-
guezada para a trra : quem quizer annuncie para
ser procurado.^
Precisa-se de um amassador e nm caixeiro :
na padaria atraz da fundigSo do Sr. Starr em San-
to Amaro.
Consulado de Portugal
Pretende-se informagSes acerca da existencia e
logar de residencia dos subditos portuguezes Joa-
qoim Felippe de Souza e de sna mulher Procopia
Rosa, viodos para este imperio em 1856 ou 1837,
para transmittir-se-lhes poderes para receberem
el.sTrada"o7oTre"doVorVo!oaa^i8SfiesW^o
de Janeiro._____________________________
Alluga-se a padaria cita rna da Matriz da
: Boa-vista n. 26; a tratar ra da Imperatriz o. 73.
Pede-se ao SV. fiscal da freguezia de S. Jos'
qae tenha a bondade de langar suas vistas de cari-
dade para a ra da Pilma e principalmente para
aquelle entulho, foco de immundicie, j que a le
isentou o dono daquelle terreno de fazer o muro
competente.
Francisco Joaquim Comes da Silva e Domin-
gos Gomes da Silva fazem sciente ao respeiiavel
publico, com especalidade ao corpo de commercio,
que nesta data dlssolverain amigavelmente a So- Castodio Cfiafo Pereira Jnior, subdito por-
ciedade que tinham no estabelecrmento de taberna tugues val a Europa durante sna abzencia deiza
a' rna da Santa Cruz n. 3, que gyrava sob a firma j como sen primeiro procurador ao Sr. Felicio Jos
social de Francisco Joaquim Gomes da Silva & Ir- Vaz de Oliveira, em segundo ao Sr. Manoel Jos
mao; ficando o ez-sooio Domingos Gomes na Silva de Sonza e em terceiro o Sr. Antonio Lniz Dias.
estabelecimento, e obrigado a' Iiqai-
O secretario da confraria de S. Jos d'Agobia
faz sciente ao respeitavet publico, qae por motivos
justos, foi transferida a Testa do nosso patriarrha,
qne de ser no dia 22 do corrente para i dia 13 de
maio prximo.
Joaquim Goncalves Salgado,
secretario Interino.
f% ttenc
na posse do
daco do activo e passivo da extincta firma so
cial, como nico responsavel.
? Recife, 17_le_abril_de_1866.____________
Na roa estreila do Rosario n. 43, segundo
andar, precisa-se de urna ama forra ou escrava
para casa de familia, e paga-se bem.
O escrivo da irmandade de Nossa Senhora rvrdeu-se um qnito de bilhete n. 2633 da J
. da Cooceigo da igreja da Congregagae, convida ', loteria que corre boje ; pede-se ao Sj. thesoureiro
[aos irmaos da mesma irmandade, para domingo22 | que s pague, sainado premiado, ao abaixo assig-
do correte mez, reunirem-se no consistorio da nado.
I mesma igreja, as-9 horas da manhaa para a eleigo ___________Jos Francisco Pereira da Costa.
da nova mesa. -_______________________________ p0g0 no j jg 0 correQie ao meio dia a
escrava de nome Antonia, idade 40 e tantos annos,
eorpo regalar e o rosto com marca de bexigas
bem visiveis, mal encarada, levou vestido de chita
Perdea-ste orna pulseira de ouro, desde a rna de velho e desbtado, e nm chales de laa roxo tam-
Pede-se s pessoas qoe tlver penhores na loja de
louca na-rna da'cadeia do Recife n. 64, de vir li-
ra-Ios no prazo de tres dias, do contrario serio
vendidos para pagamento de sea debito.
A pessoa qoe na noite em qoe se representou no
Iheatro de Santa Isabel aVida da Bohemia-pdr
engao levou um chapeo de sol qae se dea a guar-
dar a urna preta quitandeira, quefra tera bondade
de manda-lo entregar na ra larga do Rosario n.
48, oa 37, se por ventura Ihe dor a eonseiencla
de possuir um objecto qoe nao Ihe pertence, alias
publicar-se-ba o seu nome por este Diario, visto a
respectiva quitandeira conhecer todas as pessoas
que Ihe deram chapeos a guarJar. O chapeo e
quasi novo, de seda verde, de 16 basteas, e teoy
nns entalhos brancos sobre a volta da bengala,
com nm enfeite dB correa.
, ----- i
Chegou loja da ra do
Crespo n. 7 A
as mals ricas toalhas de labyrintho, assim como r-
cas fronhas e lengos de dito, muilo finos._______
PERD
P ecisa-sa de nma ama a tratar a tai do Jas-
m.at^r/o.da.B^^nJt,.,,,,.,, r,
Precsa-se da urna ama d bons costanes,
para andar com um mearon em casa, e mesmo en-
g'mmar : quem estiver nVsfjs circuinstancias di-
rija-s a' rtta do'Q_w8riVo, Hija n. W, de Gbfes di
Bastos. -
Preci-a-se de nma ama ; na rna &> Livramento
n \*mmmmmm#m'm*M
Aviso aos Srs. comme*- *
ciantes^ 8
O administradur da lythographia de Al- ^
| tert Kidoux, sita a ra da Cruz do Reci- i
WS fe n. 46, avisa ao respeiiavel corpo do
* commercio que este estabelecimento a-
jgt dase competentemente prvido de todos H|
Sos rnateriars sufficientes e de boos offl- *s
claes, tana gravadores como fmpressores S
para a ezecugao Bel de lodo e qaalqtter Wm
M( rabalbo, garanlindo ao mesmo tempo as
** siduidade, promptidao e asseio n'aquelle ss
trabalho de qoe se encarregar. Outro jH
f sim declara que alm doqueexpostofica, Mg
i trabalba se em qualquer, obra por mais *
4R ai-iieo preco do qoe era outra qualquer jJjR
jg parte ; porlanto roga se a benevolencia MZ
^E pro teegio dos Srs. commerclantes para ^g
I prosperidade do estabelecimento.
rn^mm mmmm mmmmm
Precisa-se de urna ama para cozinhar e com-
prar : na iravessa de S. Pedro n 4, andar.
Precisa-se alagar orna mulher forra ou cap-
tiva, que saiba bem cozinhar, para o servico de
doas pessoas, paga-se bm : na roa do Hospieio
B.41. _____________
Atteclo.
Da-s"e 2004 a joros sobre penhores
zer annuncie por este jornal.
LIVROS
DE
PREPARATORIOS
LINGUA 1NGLEZA.
HILLARD'SFirst Class Reaier. n !2.
MOTTA ~ Grammatica pratica da lingua
ingleza, in 8.
SADLER Cours complt de Iangue an-
glaise.
SADLERDictiotiaire francais-ariglais -
anglais-francais, in 8.
SPIERS Dictionaire francais-anglais
anglais francais, 2 in 4."
LLENDORF.Methode d'anglais, in 8.
RUSSEL Curso de lingua ingleza, se-
VfEIRA Dictiorrary oflhe english aml
portuguese languages, 2 in 4.
WALKER -Pronuncing di tionnary. in 8o
NA LIVRARIA FRANCEZA
N. 9 Ra do Crespo N. 9.
Precisa-s de urna ama : na ra das Cruzes
n. 21.
queme^ji-
Precisase de nma ama para casa de pouca fa-
milia, que saibajengommar e cozinhar : a ttatar
na praga dQ Corpo Santo n. 17.________
No dia 6 de corrente mez desappareceu da
igreja do Rosario da Boa-vista nm caiix de prata,
o previne-se a todos os oorives on a qualquer oes-
soa a quem elle for offerecido qoe o apprehenda, e
dirijs-se a' casa do thesoureiro na ra da matriz
n. 38, do que flcarei summamente grato.
O sscretano da commissao
....._, Manoel do Nasciroento Rosas.
"~T7~ Mulhtr.
PreciS9-se de urna mnlber forra on escrava para
comprar e cozinhar em
na ra do Queimado n
casa de hornera solteiro
17.
Roubaram da roa do Apollo n. 34 4* andar um
relogio de ouro delei patente inglez do fabricante
Hornby com tranRelio grosso de ouro e passador
(fe oaro pede-se W Srs. ourives relojoeiros e a
qnem for apresentado para comprar qoe aprehen-
di e le vera a roa cima na rereferida casa que se
gratificara com .'jOqOOO._____________________
Pede-se ao Sr. Gotmbra qne lev a scena o
moito bello drama -Adama das Camellas.
O amigo do sublime
Porqae motivo n_o: val scena omagestoso
drama Atril Hebrea?... istopergonta o
_______________________Hebreo._________
freetta-se de ama ama a*rfc cosinhar, na roa
Larfa 00 RMik-ib 46 se dir quem precisa.
Pergunta que nao otende.
O Sr. Manoel Alves Ferreira no dia 22 de jolho
do auno prximo passado foi a loja do abai.xo as-
signado com oro sea eomraittente do mato e pedio
fue mandase a ama casa da rna ms tttrairas
algumas fazendas para se comprar; o abaixo as-
sigoado promptamente mandou fazendas a' dita
asa, e o sea committente comprou 534820 e 060
Sgdu ; perguota-se : quem responsavel pala
antia cima T O Sr. Manoel Alves nao me qfer
pagar, bei de perder o mea diahefro T Bm ajae
trra estamos f! I
Recife, 18 de abril de 1806.
Jos Gamas Villar.
bem velho e dos otado, j foi apanhada no Poco
lavando roupa e de suppor que continu no mes-
mo offlcio : quem a pegar leve a roa da Cadeia
do Recife n. 10, que sera' gratificado.
I Nos abaixo assignados sclemificamos ao cor-
! po commercii-I, que de mutuo accordo dissolve-
' mos em 17 do ebrrebte a sociedade que tinturaos
no estabelecimento de taberna sito na travessa
das Grates n. 16, qae por spajo d 3 annos in-
completos gyron sob a firma de Martins & Lebre,
leva era sua companhi sua esposa e nm fllho me: ^^A^fS^Jl ? __ p,_?rff_r. T
_i neia ^D 10 *
ere* do sonera* ^ activo e passivo da extincta firma.
Santa Rita Nova a travesfea de S. Pedro, pelas oit6
horas da noite do dia 18 do corrente : quem a ti-
ver achado e quizer restituir, dirija-se a' ra de
Santa Rita Nova o. 33, segundo andar, ou a' tra-
vessa do Queimado n. 3, primeiro andar, que se
gratificara' e se Ibe flcarah-agradecido._________
Precisa-se de um trabaItador de massera,
que salba bem desempenhar o seu Ingar : a tratar
na padaria da praca da Santa Cruz o. 6.
- GuilhlFjYda SilvaGuiroareT'valTBaToTa, g^_S _Lff_____
ira em sua companhi sua esposa e um fllho me- ^Bi?A?l\Chr_ T o
or e sna irma Emilia da 8ilv .aiMries. Deixa ^l^A'l^i!^^"^^^!3^
A viava Pfmos tfo finado JoSo^Jaquim de
Souza AbreLim, conliouam cora seu estabefecl-
meoto de cirauelfo ra do Cabug, onde seas
antlgos fregnezss achario um comefeto sortimento
para quafquer encommeuda qoe me seta necessa-
ria, tendente a ana arte. Outro sim, pede encare-
cidamente a todas as pessoas que loe sao devedoras
por conta de livro oa por letras, tenbam a bondade
de vir satlsfazer seos dbitos no praao de 9) das,
vif lo que tem grandes compromisos a cumprlr, e
nio o pode fazer sem receber .0 qaa fhe, devem.
Precisa-se de nm caixerro de 13 a 14 annos,
para Tratnnhiem : qnem qttter dlrlja-se a ora?
da Santa Cruz n. 6, que achara' com qoem
tratar.
por seo procurador o sen socio Gregorio
Amaral.__________ _
Ama 16#000.
Precisa-se de orna cozinheira boa, preferndo-se
captiva, pelo prego cima : na ra do Hospicio
n.36._______________________fc__________
HOSPITAL PORTGUEi
DE
BENEFICENCIA EHPEKVAM-
BCCO.
Era virinde da disposlgab determinada no art. 14
dos esUlutos, sao convidados os senhores socios
para a reqniao que deve constituir a assembla
gerai, aim de assistir a posse da nova jonta admi-
nistrativa e apreciar o relatorio dos trabalhos do
anno Ando, o qae todo ter logar domingo 22 do
corrente, pelas 10 horas da manba, no proprio
edificio do hospital.
' Hospital Portoguez de "eoeflcncla m Pemam-
buco 19 de abril de 1866.
Joao Pereira Rebello Braga
Secretario.________
. Preciza-se de um feitor para administrar e
Sudar do trabalho de urna olaria perla dula ci-
ide, e que esteja isento de familia : a tratar na
Iti Ltrga do Rosario n. 16 (padaria).
-----------rt--------c-----rr----------------"-
Ama.- '
Preciza-se alngar nma ama rivra oa escrava,
oara andar com ama crianza, porm qui saja sa-
ma e de boa conducta : oa ra da Concordia
B. 89.
Recife 19 de abril de 1866.
Jos Joaqoim Pinto Martins.
__________A-ttio Alves Latee-__________
O dono de nma cabra (bicho) que nma car-
roca a pisou, venba procura-la na ra Direita n.
33, isto naje.__________________________
' = Na roa do Imperador, cesa n. 22, segundo
andar, ha para alugar nma escrava moga, engom-
ma e cose; quem a pretender dirija-se a ra do
Queimado, loja 0.1 W**1*^______ ; .
Precisa-se de um caixeiro com pratica de rao-
Ihados para casa de roelhor negocio na povoagao
de Jaboatad: a tratar na ra de S. Francisco n.
70.
Ama
Precisa-se de nma ama para cozinhar : na rna
da Cadeira n. 52, terceiro andar. .
Preclsa-se de nm caixeiro para taberna
pateo do Paraizo 0.16.
Precisa se de orna
para ama mo?a : a*
andar.

no
na para comprar e coilohir
ia de Hortas n. 16, segundo
-i-
m

Aluga-se ama egrinba de 14 annos para o
servido interno Idifl^mlpro de engommar oa
rna direita n. 20.
Preciza-se de ama ama para cosinhar. com-
prar engommar preferinde-se escrava : na Toa da
Groz n. 9 aagd andar.
-? Offerece-aa orna rapariga solteira para co-
ter e habitar em casa de qnalqoer madama: qnem
precisar dirija-se a ra daa Oneo Pollas n. f7
1 andar.

Aviso.
Os assignantes d Semana Illuslrada, que rece-
biam aquella folba directamente do Rio, devem
mandar receber d'ora em dame em casa de J.
Falque na roa do Crespo o. 4. Ja chegon o n. 7 e
esta' se distribolndo. na mesma casa recebem-se
assigoaturas para a Semana lUmsIrada e o Bazar
Volante, oode tem anda da Semana ns. de 1 de
Janeiro avante e do fiazar do 1 de julho de 1865
avante, quadros da baulha naval do Riacbuello e
Mercedes._____________________._________
"^"PreciM-se de^meaixeiroque tenha basUnte
pratica de venda, para tomar conta de orna per
balan;'*, querenio rrifar com aWobs fondos,
tamben a eonvencioaa, isto oa methr casa da
roa do Amorim n. 38. wa.
O abaixo assignado faz sciente ao respeiiavel
publico e aos seus freguezes, que de novo surti a
soa fabrica de charutos finos, fabricados na pro-
vincia da Bibi pelos memore- fabricante, e um
completo sortimento de cigarros do Rio das segra-
les qualidades : Garipalde, Bota-fogo, Flor do Bra-
sil, dem de Portugal, S. Jos do Piro, palha do
roilho, papel pardo, etc. Tambera ha fabricados
era sua fabrica de outras moitas qualidades. Fu-
mo perola de Minas, americano, avervicq, caporal
arra.mbecq, verginity e outros muius artigos ten-
dentes a fumantes, tudo por pregos que admirara ;
250 meis caixas rje charutos suspiros esto a vira-
da pelo prego de 15, o que n'ontra qualquer parte
cosa 34 : s na bem contienda fabrica de charu-
tos e cigarros finos, largo do Terco 2, de Ma-
noeUoaquim Pereira da Silva. ._______
MARTIMOS
,
CONTRA FOGO.
A companhi Indetnnisadora, estableci-
da nesta prafa. toma seguros maritimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fog'o em edificios, mercadoras e mobilias :
aa.rqa do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Na praca da Independencia n. 33, loja de
ourives, comprare oaro, prata, e podras preciosas,
e tambem s faz qualquer obra de encommenda, e
todo e qualquer concert.__________________
Sexta feira, 20 do crreme mez, por ser a
oltima praga depois da audiencia do Dr. juiz mu-
nicipal da vara, tem de ser arrematada por
uem, mais dr a casa terrea n 8. na iravessa do
arreiro, em chin propio, corn x porta* "de fren-
te, 19 palmos de vo oa targora, U.de.fndo, 1
sala, 1 quarto e sotao, avallada por 800,9000 por
execuco de aowt *e8*a Me vedo Pires, ces-
slonario de Thereza Catbarina da Concricao Cn-
nbar, tontraiMttbtCargtiez di "Sil va,'seo* marido De-
aware Jos V Santa Anna e o menor Jos.


A ,
Diario fe Kcnuub).* *eata felra > AMI 4 4866.
Irrita^ dospulmSer. angi-
nas, tosse, escrros de
sangue, crupo ou garro-
tilho, catarro, rwi^uido
e todas as innumeravei molestias que affec-
0 aos org5os da respirado
DESAPPARECEM
ediaote a accjfo da balsmica e irrev
ANACAHUITA
(*q.ATdb
dt\Jt.
PEITORAL k KEMP.
a anacabuita mexicana que d o nome es-
pecial este incomparavel remedio, urna
arvore, coja madeira por muito tempo se-
ba usado no Taaipico para a cara das n-
fermidades cima mencionadas. Foi tam-
bem eosaiada e approvada pela academia
medica de Berlim. O peitoral de Kemp
um xarope delicioso inteiramenle livre de
opio, acido hydrocyanico e outros ingre-
dientes nocivos.
A' venda as drogaras de Caors & Bar-
boza, Bravo 4 C. e em todos os estabeleci-
mentos pharmaceuticos do imperio.
Deposito geral em Pernamouco ra di
Cruz n.22 em casa de Caros__________
Samuel Power Johnston & Companhia
Ruada Sen zal Nova n, 4.
AGENCIA DA
Fundidlo deLow Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 ca val los.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
~nho,
Arreios de carro para nm e dons cavallos.
Relogios de poro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
mmwmmmmw
m DEPOSITO DE GALCADO
91 FABRICADO NA CASA DE DE1 E.NCAO
JK Ra Aova n. o. gg
y Ah se encontrarlo obras Je- di- g
; versas qualidades, e por preco mui J
S diminutos, a retalho e em porcSes. 8
5 S se vende a dinheiro. y0t
mmmmmmmwmmwmm
O abaixo assignado, estabelecido cora bote-
quim na raa larga do Rosario, tendo de retirar-se
muito breve para Europa, a tratar de soa saude,
jolga nada dever nesla pra?a, nem fora della, mas
se atgoem se julgar sea credor, tetina a brndade
de apreseatar-lbe sua conta no praso de oito da?,
assim como roga a todos os seus devedores que
FABRICA A VAPOR
99 RA DO MONDEGO 99
Deposito na rna Nota a. sm laja de relolaciro.
Delouche donos deste esUbeJecimnto partecipa ao respeitavel publico que sua fa-
brica est montada com as melhores machinas gue existem na Europa, e que pode
fabricarcom melbor perfeic3o possivel. Todo o chocolate desta fabrica est garantido, e
puro, o que -nao se pode encontrar naquelle que vem de fra, e que se vende por preco
baixo, Visto os productos serem do paiz. Na etiqueta ten sempre urna guia.
PIECO.
Meia libra......... ^ 400
Urna libra......... 800
Urna arroba........19,J000
Na mesma fobtica acaba de se montar urna oficina com serrara a vapor; para
obras de marcineiria propria para edificio, para o que enearreg t-se de fazer portas, ja-
dellas, assoalhos (parqu francez como se usa na Europa,) earmacoes, ludo com brevi-
naae eperfeiclo. Toma-se qualqner encommenda para Cora da cidade, entregando-se
rompta a colar-se no lugar.
mam


SE
OEJLHO Ra da Cruz a. 16.
Continua a haver diariamente um sortimento de pastis, podins, bolos inglezes,
empadas etc., etc. Os donos deste estabelecimento, acbam-se as melhores condices
de poder satisfazer encommendas concernenies sua arte, em consequencia do socio
Freitas ter sido administrador chefe de algumas das princ| aes fabricas na corte, sendo
urna a do Sr. Joao Goncalves Guimares (confeitaria de LeSo) antiga casa de Carceller.
Todos os trabamos sao diflerentes dos que se fazem em casas particulares.
Os proprietarios deste estabelecimento nao se tem poupado a despezas, nem se
pouparo, se houver concorrencia como esperam ; tendo continuadamente bom sorti-
mento de doces para cha; presuntos e ditos em fiambre, tambem se recebem para se
rem preparados ; assim como doce de caj novo superior, secco e crystajisado, dito em
calda em latas hermticamente fechadas, podendo durar annos em perfeito estado.
Para jantares e partidas recebem-se encommendas dos seguintes objectos; ban-
deijas ricamente enfeitadas sem armaco pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, paes de l enfeitados com disticos anlogos a qualquer fim; ditos montados,
kechs simples e eBfeitados com fructas ingleza; gatheaux de la reine, ditos de le d-
chese, tortas de fructa, massa folhada; ditas de peixe e carne; cremes e doces de ovos
de differentes especies.
Tambem temum completo sortimento de vinhos engarrafados, como sejam: vinho
do Porto superior, Figueira, Madeira, Lisboa, Cberez, Bordcaux, Champagne fino, ser-
yeja, licores, charopes e conservas. Para festas: bonitas caixmhas com amendoas, con-
feitos e mais enfeites. Muitos destes objectos mencionados podem-se perfeitamente ac-
ondicionar tanto para a provincia, como para fra.
. k FIGURAS
Acaoam de receber bonitas figuras para bandejas de doces, sendo grupos para
hajam de pagar .eus dbitos no praso de 16 das. I baptisado, casamento, annos, dilta a pbantasia, bonitos enfeites para bollos e circular pra-
Recie 17 de abril de 1866. tos de doces finos, tudb por precos razoaveis.
-----------------------AndresBlanco.______Vende-se licores em duzia muito em conta.
-- O Sr. Antonio Jos de Soma Carvalho ou seu
filho, tenha a bondade de apparecer na ra da Crnz
n. 46, a negocio que nao ignora.
A NACIONAL
Companhia, geral hespanMa de seguros mutuos
ctoFe a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
a Sanca tu disko, depositada nos cofres da estado, garaate a boa ad-
nini9traeo da companhia.
BANQUEtROS DA OOMPANHIA* DIRECTA O GERAL
O Banco de atrapan ha | Madrid: Roa do Prado n. I
Esta companhia liga peto -sistema.mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos sega
o -s wfcre a vida.
Nella pode se fazer a eebecrieeao le maneira que em nenhum caso mesmo por morte do
sea orado e perca o capital aeo. os juros.correspondentes a estes.
Sao tao supre4enentes NAL,que ainda mesmo ditaisuindo urnaerca parte do interesse produzido em recentes liquida-
c4es ecombinando-oeom a mortalidad daabella de Depareieux que adoptada pela companhia
pasa seus calculse liquidares, em segurados de idade de 3 ai 9 annos, ama impotieao ainua.
de No fim de 5 anuos. -:::r-s.- I:ii9#300--------
de 10.......it3:taW0#
de 15 >.......11:108*200
de SO ....... 30:2^6*000
de 13 ...... 80:331*000
as idades menores de 3 aoaos e redores de 30, os productos sao mais considerareis.
Prospect e mais informacoes -seiopresudas pelo sob-director nesta provincia.
JoaqHi Fioz de Oliveira, raa daCadeia n. Si, oa a Boa-Vista ra da Jmperatriz n. 12, estabeleci-
mento dos Ers. Hay mando, Carlos,Leite & Irmo.
ri^^^ "^a^^^ai^a iMi^aimim
r. Fraaeisca Pires Macial)
Por
MEDICO
i
S
TINTURARA
AO GRANDE S MAURICIO
PROCESAOS APElIFEimilOi
PARA v
'Ungir. limpar e lustrar a vapor.
F. A. SALINGR
29 Kua 7 de setembro 29
Defronte da raa nova do Olvidar (Rio de Janeiro)
Os proprietarios deste estabelecimento, o primeiro no seo genero no Brasil, por
trabalhar com as machinas mais aperfeicoadas para Ungir e lustrar, de que se faz uso na'
Europa, eajudados por algurjs dos melhores officiaes de Paris e Lyo, podem assegu-i
rar seus freguezes urna perfei.So no trabalho, a qual senao pode chegar pelos proces-'
sos ordinarios.
Tingem, lavam, limpam e demofam com a mai r perfeito e brevidade qualquer
qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem molliar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de bomens.
E OPERArOR
PELA
faculdade de Par.
continua no exercieio da sua proflssao,
especia mente as molestias defaHn, d
vas orinaras e de pelle, para cuio tra-
tmento julga-se nabiliudo tenia a pra-
tica adquirida nos bospitaes. daqaella ca-
pital, e os nstriimea-tos mais modernos
que possue.
Accode promptamente a qualquer cha- S
mado para fora da cidade.
E encarrega-se de coHocar olhos arli-
ficiaes. W
No pateo do Cara o. 2, esquina da 1
6ra de Horias, das 6 as 10 horas da ma-
haa, e das 3 as 5 da tarde.
nmmmmmm^m-mmm
Precisa-se
alogar nm preto para servigo de nadara. Daea-se
bem : o, ra Direita n. 24, padaria W
^Z.Ketsise aa ^ ama forra ou eaptiva para-
.Antonio Luir de Oliveira Amedo A C. tem
para vender-no sea escrlptorlo, ra da ernjn. 1.
2K.a d ^t em c^ixa de doifl. fl0 hambnrgnei,
oola da Bajita superior. '
Kngomiaia-se
com asseio proraptidao e preces moavels : na raa
Augusta d.o, loja.
PAPIS PINTADOS
Sortimento de papis pintados e
lindas guarnices para forrar casas. Wk
NA LIVBARIA FRANCEZA.
N. 9 Ra do Crespo N. 9.
O Peitoral de Ce reja,
DO DB. AYEB,
Para a cura radical e ceb-
ta da lodos as molestias do peito
e da garganta, tosses, constipacOes,
Bronchite, asma, defluxos, roqul-
do, Coqueluche, angiua, Diptlicria.
Kste xarope peltorsl o resul-
tado de longos annos de estado
por mu dos priinciros mdicos da
America do Xorte, e de experi-
encias minuciosas nos principacs
hospitaes do mundo; c receitado pelos mdicos mais distlnctos
deste sceulo na sua clnica particular, portanto digno de toda
confianza, 1, per r effiais, ulorncando com urna certeza infal-
Jvel o aS8ento da molestia e arrancando lUe as raizes, assim
dando aos orgos afl'cctados urna accao natural e si:2, por
ser innocente t applicaval a quaiquer pessa de qualquer idmle
cu sexo, ao bomcm robusto ou crianca da mais iran Idade,
cada fiasco sendo accompanliado de dlrrecces minuciosas:
:<, e ultimo, por nao ser um remedio secreto, poi qoalquer med-
ico ou pliarm.iceutico pode obter a formula da sua composico,
dirigindo-?e jicssoalmente ou por carta ao agente geral, H. M.
Laxe, a ra bireita Xo. 18. Ulo de Janeiro.
Muitos casos que tinlio zombado de todos os recursos
C.:\ scicncia tem sido curados radicalmente com o uso do
Peitoral de Cereja.
As pessoas atacados de tosse, dcflimos, Dr da garganta,
Bronchite, as.na, etc., c outros symptomas da tsica prima-
ria geralmcntc fazcm pouco caso do scu padecimento at
que seja tarde para cura-lo. NSo descuidis d' urna tosse
A QUARESMA
Acabam de receber G. Paes do Amaral & C.
5 RA DO CRESPO 5
Antiga casa de Guilherme da Silva Cnlmares
Ricos cortes de vestidos de gros-de-naples preto, com lindas barras bordadas.
Moire-antique preto em cortes e em pecas, liso, ondeado e com palmas.
Gros-de-naples preto, de diversos precos e larguras.
Gorgurao preto, fazenda superior a todas pela qualidade, e bonito tecido.
Este estabelecimento
acha-se sonido com numerosa quantidade de filos pretos, de algodao, de linho e de se-
da, manufactura 'os em
ckales
retondas
algerienes fbonrnus)
anamites
africaines
pompadour
DE FANTHASIA
i
DE
FAZENDA E ROUPA FEITA
UUA \OV\ Y. 94.
Reg & Moora, proprietario da loja de fazendas e roupa feita, sita rusTNova
n. 24, verdadeiramente penborados e reconbecidos para com eus amigos e freguezes,
pela aceitacao e confianca que delles tem merecido no curto espaco de tempo em qu
se acham estabelecidos e perfeitamente escudados na sinceridade dos seus tratos, decla-
ram para sciencia daquelles que o quizerem honrar eom seos oficios, que, em vista da
grande concurrencia que tem merecido o seu estabelecimento, especialmente no que
relativo a roupa feita; acabam de admittir para a sua olficina dealfaiate maior numero
de artistas, inclusive o seu contrameslre, dirigido pelo hbil meslre Lauriano Jos de
Barre s, o qual nao se poupa a exforgos para satisfazer com a presteza possivel qualquer
obra de encommenda.
Os mesmos nnunciam aos seus freguezes que acabam de comprar um novo o
mniln ariaHn limonlo do fauondno finoo < U3 om gOStO, pTOpraS para O tempO da
quaresma, as quaes esto dispostos a vender por precos muito commodos e mais barato
que em outra qualquer parte.
Como sempre escusamos essa enfadonba prolixidade dos annuncios bombsti-
cos; preferimos mostrar na singeleza deste nosso convite os bons desejos que nutrimos
para bem servirmos aquellos que vierem ao nosso reclamo.
___________________________________^_____
mmmmm^mmmmm ......'
m^ Companhia ndeiidade de seguros
maritimos e terrestres .
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PEKNAMBUCO
Anionio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de.tomam segaros de navios, mercado-
rias e predios no sen escriptorio ra da
Cruz n. 1.
CASA DE B.4MI0S 1
26 Pateo do (armo 26.
Neste estabelecimento tSo impor- 1
tante para a saude e asseio do cor- ^
po, acham-se montados 20 banhei- ^
ros, que sao servidos com a ordem 9
e asseio que para desejar-se. Qua- M
tro destes banheiros sao especial-
mente reservados para senhoras e 5|
por isto acham-se collocados em lu- B
gar reservado, aonde s tem entra- Wi
da as pessoas de urna mesma fami- '&
lia. m
PREgOS DE BAXHOS AVULSOS. %
i banho fri, morno ou de M.
chovisoo...... 500 S
i dito de choque .... 1,5000 S
1 dito de farello...... i000 sk
i dito aromalisado looo 1
PREgOS POR ASSIGNATURA.
30 banhos por mez fri,
morno ou dechovisco. 10^000
25 banhes com cartSes pa-
ra os mesmos .... iO^OOO
12 ditos ditos ditos ii^OOO
12 ditos ditos de choque. IOiJOGO
12 ditos ditos de farello.. 100000
0 estabelecimento estar aberto
nos dias uteis das 6 horas da ma-
nh5a as 10 da noite, nos dias san- \
tincados das 5 as 5 horas da tarde. 5
pre-
mi
m
m
iiSi
I
.
I
mmmmmmmmmmmmmm
i

Pilulas Cathartioas do Dr. Ayer
CURAO
Prlzo fe ventre, Indigestao, Conttlpestpo, Itheu-
tnatisnu>, Bcmmorrhoida, Dr de eabefa, A. Xm-ml-
yia, mal do estomago, Enxaqueea, mal do J'igado,
GaMrtte, /VI'.re gattro-kepatica, ombrlgas. Erysip-
ella, Hijdropsla, Incremento do bao.
Toda aa molestias que provm do uso ezcesslTO dt
Quiniio.
0 mlhor purgante at hoje conhecWo.
Estas pilulas assucaradas suo puramente vegitaet.
Ftrsoo x PKinco sem mescueio.
A venda em todas as BoUcas e Drogadas do Imperio.
*cistxe CESAI.,
H. M. LAE, Boa Direito No. 15,
Bio de Janeira.
Vende-se em Fernambuco:
na
pharmaciefranoaiseI
|oeP.MADRER&C
RU^N0VANU1
5 RA DO CRESPO 5
Receberam tambem bonitos cortes de popeline de listras de cores, e matisadas,
porque agom parece % pouca importancia; nma tosse j mu|to modernas, de gostos inteiramentenovos; e outras multas fazendas de gosto, vin-
dcscuidada chega a ser chronica c induz a formaco de d3S pelo Ultimo V3pur.
Tubrculos nos ])u\n\ocs. jp ap "fesffc A TBB* A ~MM A W > mT%
Nenhuraa cai le familia deve estar sem nm frasco 3"Tsj Ja JU^JI imjyjai'm JK-A.Mf tK \jm
leste xarope i ino ; pois nos atttqaes repentinos de
Angina, de C'roup, c nos paroxismos do Coqueluche; ou
tosse comprin a que esto sujeitas as crianzas, nao ha
tempo de chamar nm medico, nem de fazer remedios, e
este xarope alivia immediatamente e poe o filho querido
Efio e salvo, fra de perigo.
A molestias que esto ao alcance das virtudes curativas
Defluxos, Tosses, Asma, Esquinencia, Bronchite,
Coqueluche, Tosse ferina ou convulsiva.
Roquid.'io, Todas aa molestias do peito
e garganta. Comump^o dos Pul-
moes ou Tisioa pulmonar.
Ach-se em toda aa Boticas e Drogarlai do Imprrio.
DE
DE
f. VIGNES.

M. J5. JtUA. DO nPERtDOR W. 85.
wfs o.m X!rtfl'H?fln??'efaraBUas qoc offeLrecem as compradores, qualidades estas incontest*
SKm?ndefloluvamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca dos-
nr?^ f,fh teCl*d0 e n,b'ni.n? *f" obedecem todas as vontades e caprichos das pianlsils
t Limol KftPHif,re Sr oPuvfd^raPtcXeqUanl & mel0diOSaS eflUUdaS' e ** ,SS0 mB' '2-
^rl^l^T^^ as encommendas'UDt0 nesu fsica como na do Sr. Blondel, de Paris socio
KeDte de.J: V*?*5' em cuJa caP,,al foram "P" Premiados em todas as expsicSes
^lhn^SrafH,^leC,ment0 se acbara srapre am e^endido e variado sortimento de msicas dos
nelfiores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido cor
precos commodos e raxoavels. in
O Dr. Carolina Francisco de Lima San-
tos continua a morar na ra do Impera-
dor n. 17, segundo andar, tendo alias sen
gabinete de consultas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
O mesmo doutor, que se tem dado ao
estado tanto das operares como das mo-
lestias internas, presta-se a qualquer cha-
mado, quer para dentro quer para fra
da cidade.
Em casa de Tbeod Christiansen, ra do Tra-
piche-novo n. 16, nico agente no aorte do Brasil,
de Brandenburg frres, Bordeaux, encontrase ef-
fectivamente deposito dos artigo? segurle? :
St. Jolien.
St. Pierre.
Larose.
Cbateau Loville.
Cha teau Margaux.
Grand vin Cbateau Lafitte 1858.
Chateau Lafitte.
Haut Sauternes.
Chatean Sauternes.
Chateau Lataur Blancbe.
Chateau Yquem.
Cognac m tres qualidades.
Aieile doce. Precos de Bordeaux.
Joo da Silva Ramos, medico
pela universidade de Coimbra, d
consultas em sua casa das 9 as
II horas da manh5a, e das 4 as 6
da tarde. Visita os doentes em suas
casas regularmente as horas para
isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que ser3o soccorridos em
qualqner occasiao. D consultas aos
pobres que o procuraren, no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
manha,
Tem sua casa de sade regular-
mente montada para receber qual-
quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e nella pratica qualquer
opperacSo cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe. .3^000 diarios.
Segunda dita___3500
Terceira dita. ..2(J000
Este estabelecimento j bem
acreditado pelos bons servicos que
tem prestado.
O proprietario espera que elle
continu a merecer a conflaoca de
que sempre tem gozado.
Na ra do Imperador n. 46, rmazem,
cisa-se de urna ama para cozlohar.
-.--.-. --, -
COMPRAS
"**-^"-k *"?..**- V*i
1
1
i
1
Compra-se ouro, prata e pedras preciosas-
em obras velhas: na ra da Cadeia do Recife
cja de ourives no arco da Concento.
Ouro e prata.
Em obras velhas : compra-se ca praca da lo
dependencio d. 21, loja de bilhetes.
Compra-se urna burra dPferro, ingleza ou
roesruo jJas_antigas; na ra Nova n. 31.
Comprase
urna escrava preta ou parda, sadia e sem vicios,
moga, e que saiba co.-er, engommar e cozinhar :
na ra da Imperatriz n. 7, 2o andar.
Coropraro-se dnas rodas para carroca ou
orna carroca que esieja cm bom estado : no arma-
zem da bolla amarella no oitao da secretaria da
polica. _____________
Compra-se na prensa de algodo de Saoders
Brothers & C. semeotes de algodo a 500 rs. por
trroba.
Compram-se latas vazias de gaz : ca ra da
Guia n. 9.__________
Cobre lalao e chumbo
No arraazem da bola amarella no oito da
secreuria de tollcia, cerapra se cobre, lati e
chumbo.
Compra-se urna carroca que esteja em bom
estado : na ra da Cruz n. oo, 3 andar. Na mes-
ma casa se dir quem vende dous escravos cabra?,
de idade 40 anno?, bons carreiroi.
i
VENDAS
#
PECHI1MGHA SEIM IGUAL
Ricos cortes de gorgorito de teda pretos adamascados para vestido com 13 metros
ou i a 20 covados cada corte, largura de chita frsnceza, pelo baratisslmo preco de 50J
caaa corte : na loja das columnas da rna do Crespo n. 13 de Antonio Correia de Vascon-
cellos s \j.
Gasa decoinmissio de eseraves na ra do Impe-
rador n. i', terceiro aiidar.
Recebem-se escravos tanto do mato como da
praca para serem vendidos por commissao, afilan-
ea-se o bom tratamento e segdranca para os mes-
rao?. O abaixo assignado nao poupa estorbos afirn
de os vender com promptidio, nesta mesma casa
ba sempre para vender escravos de ambos os sexos.
._______________Antonio Jos V. de Souz.
*.ntooio Jos Rodrigues de Souza na ra do
Crespo n. 15, toma dinheiro para mandar entregar
na Baha, Para e Maraobao.
:
PreciM-se de orna ama escrava para o ser-
vico de comprar, lavar o engommar para orna casa
de ponca familia ; Oa ra das Lrazes n. 9, segun-
do andar.
C4lahefr
Precisa-se de nm cosinbeiro para casa de a*
mili : tratar na roa da Crot n. 6, escriptorio.
Precisa-se de ama ama para cos7noar~e~en-
gomar para casa estraogeira da ponea familia a
tratar na roa do Trapiche o. g, sego/noo andar. '
Precisa-e de um caixeiro para om. esiabelecl-1 Dao-ae bolos de vendagem at oo-ze horaa da
ment de seceos, em grosso e a retalho : a tratar manh, e aviaste bandejase enccmmendaj ebo-
na roa da Croz do Recifu n. &. lo?, ete.; a Jjia /mperial o. 3t
Caixeiro.

Dr. Ignacio Alcibiades Vellezt.
MEulGu
RA DA IMPERATRIZ N. 48-.
Trata especialmente das molestias ?y-
pbilitieas e de crianzas.
mmmmmmmmmmmmm
Carvalha & Nogueira sacam sobre o
Porto, Lisboa e Rio de Janeiro, a' vista ou a
prazo: na ra d j Apollo n. 20.
IVAiELLii
Cantos e phantaslas.
Um volunae in 8." impresso e en-
cadernado
ed clores
em Paris: em casa dos
N.
LIVRARIA FRANCEZA
9 Ra do Crespo N.
AOS SRS. ACADMICOS
Vendem-se as seguintes obras de direito
j com pouco oso : Manuel da Droil fomain
i por Mackeldey, volume por 4)5; Dkcio-
naire da Contentieta Commercial, por Mas-
1 s, 4 volume, por 5$ ; Elemento du droit
romain, por Maynz, 1 volume por 40; Es-
\prildela jurisprudence des successioits,
! por Conflans, i volume, por 4?$ ; Traite de
droit penal, por P. Rossi, 2 volumes, por
6#; Code pralique des faillites, por Geof-
froy, 1 volume, por 3>; Elemtmto de l'Eco-
nomie Plitique, por Garnier, 1 volme, por
2iJ ; e Organisation du travail, por Loois
Blanc, l volume, por t#iQO: na ra do
Crespo n. 4, fabrica de chapeos de sol.
Coslnhe.ro.
Precisa-se de umeosinheiro forro ou cap-
tivo que d fiador a sua con iucta: na ra
da Crui n. 48, primeiro andar.
Precisa-se de nm escravo para servico
orna casa : na roa da Cruz o. 24, botica. -
d
Aloga-se oo vende-se um bom sitio na Ca-
punga oova, ra das Pernambocaaas, junto ao si-
tio dos herdeiros do Fr. Capristano ; tera bella
casa com commodos para familia numerosa, jar-
dim na frente ; par tratar, e para melhores es-
clarecimentos na raa da Croz o. 33.

Fogpodo-ar
Valdlvino da plvora se acha com fabrica de
fogos artificiaes na liba do Maruim, com grande
poroto de fogos de Ia sorte, j preparados a espera
de festejar o grande dia que tiver noticia de qual-
quer triompho de nossas armas dentro de Para-
guay : todos aqoelles que Uverera a mesma satis-
facao dirija-so ao armazem do sal na ra Imperial
n. 221.
Aluga-se a casa da ra Imperial denomioada
vlveiro do Muuiz, com om s.brado de om andar
3"it*-C^?^t rMde.faJBil doas r"d8 I'" ao jas. i n. : quen
lS.i-PfM,,ID48^,r^ Plaoiacoes Direil> cas, lerr^ D."52 qaa IchJa. th/J^
e duas ola ras ; quem pretender dinja-se a rna do aDem ur
PARA 1866.
Acabam de sahir luz as folhinhas de
algibeira e de porta para o anno de (866, o
mais correctas possivel tanto no calculo das
las e eclipses, como as diversas festas
que a igreja celebra; vendem-se nicamen-
te na livraria da praca da Independencia,
160 ris as de porta e 320 res as de algi-
beira.____________________________
Vende-se a casa terrea sito na Boa-Vista, ra
do Jasmim n. 4 : quem pretender dirija-se -
Rangel n. 54.
Na padaria da Torre precisa-se de um fornei-
ro, om amasador e de om caixeiro.
No collegio da Conceicao, na ra dos Coe-
Ihos o. 12, ensinam se meoina?, aiem das mate-
rias e disciplinas comidas nos estatutos, a lingoa
Italiana e a lingua ingleza a ler, traduzir e fallar.
Preeisa-se de o moco da 16 a 20 aonos pa-
r caixeiro : na padaria da ruado Rangel n. 9.
quem tratar.
Selim inglez.
Na ra do Destino o. 14, vende-se
novo. ^^^_
om quaat
Vende-se
Um carro americano novo de 4 rodas e 4 arreste
com competentes arreios : na ra da Ponte Velha
0. 8.
\

i


-
rita
-
Birn


9
Diarlo de eraambuco --- sexta felra 90 de Abril de lace
NOVA LO JA
^3
ti
ENGICLOPEBIOA
ato a padaria fradeeza de
Paredes Porto.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel
publico nm variado sortimento do fazendas, lce-
las, infieras, salssas.* allemes, que se wderao
por proco commodo.
Paredes Porto
Vendo chales do renda de cores que se tende-
rn a 189 est vendende por 65, ditos pretos, fa-
ada nova, 35, 65, 8* a 205, um sortimento com-
pleto de manteletes, capas e sontambarqoes i45 a
25. Ra da ftnperatru n. 42, junio a podarla fran-
cesa, armazem da porta larga..
Paredes Porto
Receben um completo sortlmento de laasinhas a
240, e O rs. covados, para acabar, cambraias de
cor a nO rs. o covado, riscado escossez para rou-
Bk do menino, fusto de linbo a 420, 400 e 600 rs.
ua di Imperatriz n. 52 junto a padaha franceza.
armaj.em da pona larga.
Paredes Prlo
Receben para cortinados para cama franceza a
tifa peca cambraia lisaflna a 35 45 al 10* a
peca, cortes do tarlatana.de bonitos gostos a 85600
45, cambraia com flr de seda, gostos inteira-
mente dovos a WO e W rs. o covado, no armazem
da porta larga b. 52, roa da Imperatriz innio a pa-
daria franceza.
Pandea Porto
Recebe pelo ultimo paquete nm sortimento de
ernzes com pedrrs para o pescoco, bonitos caxioels
de la para pescoco de senhora. Roa da imperatriz
o. 62, armazem da porta larga.
Paredes Porto
Vende cortes ^e gorguro preto para vestido com
21 covados cada um 365000, grosdenaple preto a
IJOOO, 49800-e25 o covado, las lizas finas a SOO
rs. o covado, lias de quadrinno para vestido, entes-
tada, a 320 rs. o covado. Roa da fa>per*tr n. 62,
amnazem da porta larga.
Roupa feita
Roa da Imperatriz n. 52 armazem da porta lar-
*ca jacto a nadarla franceza, encontrase neste es-
abelecimento um completo sortimento de paletos-
saceos e sobrecasacos, de todas as qnalidades, cal-
idas, colletes, eeroolas, camisas, grvalas, meias,
chapos de sol, ditos fraaeezes para caneca, por
fprecos cora modos, roupa paFa menino e ootras
-nanitas fazendas por preces commodos, armazem
-da porta larga.
lo mesmo estabelecimento encontrar o respei-
tavel publico, sempre nm completo sortimento de
roupas !fitas de todas as qnalidades, como sejam
paletos do alpaca preta e-de cor, ditos sobrecasa-
cos a 45 o 85, ditos de brim pardo a 25800, 35 e
35500, ditos finos a 45,-ditos meias cazemira a
35500, 45 e 55, ditos cazemira saceos a 65, 75,85
e 105, ditos sobrecasacos a*10 e 125, ditos de pan-
no saceos a 65, 85 e IOS, ditos sobrecasacos a 125
e-255, ditos de merinpreto a 65, '75 e 105, cal-
Sas de brim de diversas qualidades a 15800 a 45
nos brancos a 25500-e 6500, ditos cazemira 55,'
65 e75, ditos pretos a 55, 65, -5 e 105, ditos
meias cazemiras a 35 e 45, coletes de diversas
qoalidtdes, seroulas francezas de algodao, ditas de
llnho, diUs de bramante a 25 e 25910, carnizas de
algodao de linho francezas de 25500 e 35. Gran-
de pecaincha neste genero, gravatas de todas as
qualidades e brancaspara casamento, grande sor-
nmenk) de meias para senhoras, ditas para bomens
a 35, f uperiores a 35100 e 45.
Um completo sortimento de chapeos de sol de
alpaca a 35, ditos de seda a 65, 7J4, 105 e 145,
ditos traucezes para cabega,. graode sortimento
a 65-
Vestidos
Pechlnefaa sem Igual.
Chegou a loja de Baredes Porto um bonito sor-
timento de vestidos de tartalata de cores e brancas
que serve para partidas por ser urna phantasia in-
tciraraente de gosto ,pelo barato .prego de 45 e
brancot; a 45500, esto acabando-se : no armazem
da porta larga ruada-imperatr:.n.52, junto a na-
dara franceza.
Cortinados.
Chegoa a loja de Paredes Porto om complete
sortimeoto de cortinados ricamente bordados a
preco de 255, 355 e 455 : na ra da Imperatrii
u. o2, poeta larga junto a padaria franceza.
Ricas romeiras.
Paredes iPorto receben pele ultimo paquete om
sortimento.de romeira de guipure pretas e de file
a preco.commodo : na ra da Imperatriz n. 52
.porta larga junto a padaria franceza
SALSA PARRILHA
PARA A
DE A1EI
de escrfulas e molestias escrofulosas,..tumores, ulceras, chagas, feridas ve-
mas, bronchocele, papo ou papeira, a syphilis, enfermidades venerias ou mer-
cunaes.
J>
i
GIMffDE ESTABELfl IMBMO
Boa
Imperatriz, N. 00
M
GAMA <& SILVA.
Cortes de cambraia com palmas na loja do
Pavio.
Veedem-se cortes de cambraia branca cem pal-
oa?, sendo fazenda muito boa, pelo haratissimo
preco de 25500 para acabar : na loja-e ;armazem
do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de Gama $
Silva.
LOJA E ARMAZEM DE FAZEHBA0.
ment feito nm grande ahatintento mjr.uitas d
suas fazenda?, pela occasiao do baldcolue derac
no uliimodedozerobr dt I8C5, resoRitam vender
mullo mais barato doqae cosiuroam ato de cada
vez mals agradarem aos seus numeroso fregu*
'> por tanto ihes ollerecem um avalado sortM
penhor, assim
AS MOLESTIAS DAS MTJLHERES
reteoco, menstro doloroso, ulcert$oas do tero, flores brancas, etc., ulcera*
c3o, debiKdade, expoliado dos ossos, a nevralgia e coovulsSes epilpticas
quardo'-cansadas pela escrfula. Fjjf
mmlmat ERSIPELAS fflPES; ETC.
rernidades cutneas, empelo, borbalhas, piistulas,
nascldas, etc.
extracto composto de salsa parrllha, coleccionado pelo Dr. Ayer, uma
combinacao dos melhores depurativos e alterantes conhecidos medicina; confeccio-
nado segundo as regras da sciencia, approvido ereceitado pelos prineiios mdicos dos
Estados-Unidos da America do Sul e Central, das Antilhas, do Mxico e das Indias, e
muitas ootras partes do mundo : o resullado de estudos apurados e minuciosos, e de
experiencias feitas pessoamente pelo Dr. Ayer, por muitos annoi, nos priocipaes hos-
pitaes e enfermaras da America; tcm sido approvado pelas academias de medicina'e
juntas de bygiehne das principaes capiUes da America do Norte; paraprova disto vede
os attestados aulhenticos bo Almanak e Manual de Saude do Dr. Ayer, os quaes aedis-
em gratuitamente nos lugares onde se vende o remedio.
. .. .*i'LS* MR'LHa DE AYER
especia Intente efflcaz na cura das molestias que tena ana orlgena
frtala, tateecao venrea, no nao
excesalvo do nterentlo ou qnalaner Impureza do sangne.
A mote lia ou infeccao peculiar, conbecida pelo nome de escrfula, um dos ma-
les mais prevalecectes e universaes que ha em toda a extensa lista das enfermidades que
atacani a nossa ra?a; disse om celebre escriptor da medicina que mais de urna terca
parte de todos aqoeHes que morrem antes da velhice s5o victimas, oo directa oo indirec-
tamente de escrfula; por isso s n3o to destructiva, porm a principaUausa de
moita&outras nffrm*i(es qoe n5o Ibe s3o geralmente attrituids.
E obm cansa directa da tsica pulmonar, das molestias do flgado. do estomago
eanecgoes do cerebro; enlreseus numerosos symptomas acham-se os seguintes: falta
ue appetite, o semblaste plido e enchado; as vezes de urna alvura transparente e outras
vezes oc.ato e amareliento irregulr, fraqueza e molleza nos msculos ao redor da boc-
ea; (hgesto fraca e appettite, falta de energa; ventre enchado e evacuacao irregular;
qoaDfJo o mal tem seu assento sobre os pulmoes urna cor azulada mostra-se em roda dos
odos ; quando ataca os org2os digestid, os olhos tornam-seavermelbados; obali-
to ftido a lintw carregada; dOres decabeca, tonteiras, etc. Naspessoas dedisposi-
cao escrofulosa apparecem frequentemeete erupces na pelle da cabega e outras partes
ao corpo ; lo predispostas as affecces dos pulmoes, do figade, dos rins, dos orgos
digestivos e oterinos. Portanto, n3o sao sement aquelles que padecem das formas ul-
cerosas e tuberculosas da escrfula que necessitam de protejo contra os seus estragos;
toos aqqeJtoe em cujo sangue existe o ^irus latente deste terrivel flagello (e s vezes -
fiereoftario), estao expostos tambem a sofrer das enfermidades que elle causa, que sao: l?>fazeBda meiramente nova, por preces mais
A-tsica, ulceracoes de figado.do estomago e dos rins; erupces e enfermidades *VJffi+**&Jg3*.
eruptivas da cutis, rosa ou erysipela, borbulhas, pstulas, nascidas, tumores, rheuma,
carrninculos, ulceras e cbagas, rheumattsmo, dores

Cbilas a 180 rs, soPavao.
Vende se o mais bonito scrilmeolo de chitas in-
glezas, padroes mindinho?, claros e escore?, e leu-
do lamtjem iCxas para foto, afiancando-se serem
cores Usas, e vehdem-se pelo baralissimo preco de
nnVIliDiDS covado, oa a Pe5a "> 38 covados
teneos brancoa a t*|>0 rcl* ,;fu. ^/.{rW^.lB/dSSS'ik^ na
v n_ nala.. Vestidos brancoo
Ven.deta se leqgos brancos farenda rauo boa Gbegaram para a loja do Pavo "
Tendo o. proDrtelario7de;tVgra5abeltci. E^Sftffi'^ ^ '^^l^^^^^^^Z^^^
oto feim ,, ..*. .*..,.. .......... a i isto para acabar na leja d- [tas barras todas brancas, assim como coro barras
de cores sendo faznda transparente e multo lina,
mas a iOO eSOO ts/"*T%i^2J%* '"**' r"
10# : na lija do Ha vio na ra da
60, de Gama & 5Hya.
20OO ..
tfavSo na roa da Imperan ti o. 60 de Gama a
va.
o covado na loja do Pavo.
Vendem-se poopejinas muilo Ooas sendo fazeoda
preco de 85 e
Imperairiz n.
o covado, sendo fazenda muo bea, s para a
bar : na loja e armazem do Pavao, ra da Impe
ralnz n. 60, de Gama & Silva.
Bramante de llnho do Pavita.
Vndese superior bramante de linho com 10
para, f almos
Cirosdenaples pretos do Pavo.
uni a retalho como por atacado, vendendo-se-Ihs!
apenas pelos precos que compram as casas ingle-l
zas, sendo com o dioheiro a" vkta.
As toallias de Moho da Pavo.
Vendem-sa superiores loalbas de linhos .
MJ Pelo baratissimo preco de 75600 a dozia ou barati
a 640 cada urna.
a.n^rdanaPosde,innoao'amasc 2500 a dozia oo a 240 rs. cada um.
Superior atoalbado de linho com oito palmos de
largura sendo branco e pardo, e vende-so mais ba-
rato do que em ootro parte, na loja do Pavio na roa
da Imperairiz n. 60 de Gama & Silva.
Os corpinhos ae seda pretos .do Pav3o.
Vendem-se os mais ricos corpinhos de seda pre-
los,*jicamente enfeliados, pelo barato preco de 125
a*iata na loja do Pavo na ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Rices vestidos a 80000 rs.
prcliiucha adaiimel.
So o Pavao receben pelo ultimo vapor francez
om grande sortimento dos mais ricos cortes de
vestidos transparentes com lindas barras e enfeites
Baita e passeios, e rendem-se pelo baratissimo
pr{o de 85000 rs. cada nm, na loja do PavSfc na
roa da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Os chales pretos de renda do Pavio a 8000 rs.
Vendem-se os mais ricos chales pretc s de renda
com qoatro ponas, senda muilo grandes pelo ba-
ratissimo prejo de 85.
Ditos de goepore a 135, 185,205,255.
Retondas de dito a 105.
Manteletes de renda, tazenda muito superior a
ioUUUi
Capas e sautbambarqnes de grosdenaples bor-
que tem vjndo ao mercado : isto.na loja e arma-
zem do Pavo oa roa da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Vende-se um engealio
d'aguajlenominado Triorapho na comarca de San-
o Antao junto ao engenbo Coqueiro, com trras
e
31000
Cortes ae ta escocesa para vestido a.55 o cor-
teraa roa.aa imperatriz n. 52, loja da porta lar-
a, junto a nadara franceza, esto se acatando.
Para hito.
Lats pretas com salplccs brancos a 400 e 500
rs. o osvado : na roa da Imperatriz n. 52 jeoto a
nadara franceza armazem da porta larga.
10400
Chapeos de sol.
Vendea-se ehapos de sol de panno a 1JM0 e
ua grande pechincfca s para acabar : na joa da
Impera tdviz o. 52 armazem da porta larga de Pare-
Pullo.
A 10500.
Veodem-se pepas de tranca preta para enfeites
de v.eujdos, soutembarque?, capas de senhora a
15qOOcoo 10 varas, urna grande peebloeha : na
ra da imperatriz n. 52 junto a padaria franceza.
4(000
Chales de renda pretos.
Vende se crales de renda preto a 45000, nice
loja que pode vender na roa da Imperatriz- d. 52,
armazem da porta larga, de Paredes Porto.
-o-. --.......------,------- nos ossos, as costas e na cabera,
oeDiiiaaues emminas, llores brancas causadas pela ukeracao interior, e enfermidades
uterinas, Jydropesia, indigesto, enraquecimento e debilidade gent.
Offerecemos a estas pessoas trm abrigo seguro e um antidoto efficaz contra esta
molestia e las consequencias na
SALSA PARRILHA DE AYER
qe opera directamenle -sobre o sangue, purifleando-o e expulsando delle a corrupcao e o
veneno da .molestia; penetra todas as partes e todos es org5es dooorpo bumano, livran-
'Oo-os da sua acciio viciada e inspirando-lhes novo vigor. om Iterante poderosissimo
para a renovac5o do sangue, e d ao corpo j enraqoecido pela doenca, forcas e ener-
gas renovadas como as da joventude.
E tambera o melhor anty-sjphilitico conhetido
cura permaMntemente as peiores formas de sypuilis e as suas consequencias. Pouca
necessidade ha de infocmar o publico do inestima^'el valor de om remedio que, como
este, livra o sangue desta corrupcao e arrebata a victima das garras de urna morte lenta
e ignominiosa, porm incvitavel, se o mal nao logo oombatido com energa.
E nm poderosisskno alterante para a renovaco do sangue o para dar nova tor-
ca ao corpo j enfraquecido pela doenca.
Sendo .composto de productos vgetaes, esle medicamento innocente -e ao mes-
mo lempo efficaz, um facto de immensa importancia para aquelles ^ue o tomam ; por-
que^iuitos dosremedios^lterantes offerecidos ao publico tem .por base o mercurio ou o
arsnico; e sendo assim, bem que s veaas podem effectuar curas, comtudo deixam suas
\1ct1sas carregaiJas de urna longa serie de males, muius vezes peior do que o mal ori-
ginal. A nica cousa necessaria para obter urna cura -radical seguir com iuiao -e cons-
atncn asdirecces que aeompanbam cada frasco.
NO priHnilp.raos 4 ouiulgar, ncm^ueromoe qoo eo infira qu octo compoci^a 9
um roaaedio nfallivel pata a cura de todos os padecimentos humanos ; infelizmente
escrfula e a sypbilis sao enfermidades to sulis as suas naiurezas, e arreigam-se to
Fmetttfnte no sjatema, que muitas vezes eeadem e resistem aos remedios mais pode-
rosos que a sciencia humana pode inventar para combat-Jac: o que dizemos que o
Extracto composto de salsa parn-lha de Ayer
je a melhor preparado at boje descoberta para estas e ootras atolestias aoalogas, que
juma combtnacio dos. a Iterantes mais efficazes conhecidos. eq.ue.esta combinaco tem sido
regulada ;por tongas e laboriosas experiencias, e finalmente que temos consciencia deof-
terecer ao publico o melhor resultado que possivel produzir, da intelligencia e pericia
medica dosnossos tempo6.
Esle remedio deve ser ornado com systema e regulartdade, e nao coai abandono,
pcis e um remedio e nao bebida.
Quando as molestiasdo ligado nao temsoa origem na escrfula, o remedio,
mai* propno as pilulas catharicas de Ayer, que sao efficazes na cura da moiestia, que!
_m per causa axn desarranjo dos orgos digestivos. Pedi a salsa parrilha de Ayer e
nao aeetai outra preparafo.
____Pernawbuco, ra Nova n. 18, pharmacia francezade P. Maurer G.
Islo na loja armazem do Pavo na ra da In>
.0"
P si c o o i r-"- O O ?
zs
B ^. V* ^ *
S.I-

I
'fifflPl
P" 5' g z o.
os
C-T
a ,
(O
n ; b o
g".*S Soo o.p.3 g I o g J
n -- 2-o affSS
g S S-. & =r- o. B

o o
I
II
SI
2 S*o S 1
8
m
12-ss 2.
tWf B
o,
a>
?P8
"2
.:
030
f|S -
3
> o
o
09
M
o 2

o.
o
e?g-
err

O
o

a>
i
a.
s
2.
f
>
i
VENDE-SE
No armazem de n. 1. Ramos e Silva c roa de Vfgario
I'
por encommenda propria de
\EW-VOKMl.
u. U, edmataotemeate, essegnlatca artigo, que
receben por encommenda ^"- --


Legitima salsa parrilba de Bristol, preparada por Lanman & Kemp.
Verdadeira agua Florida, preparada pelos mesmos.
Gaz em latas de cinco gales, o raaic purificado que se pode desejar da acredi-
tada marca F. W. D. <* C.
ftelogios perfetfos reguladores, com corda de quatro a oito dias, dos afamados fa-
bricantes E. N. Welch.
pbia).
Graixa em latas grandes da bem conhecida marca las. S. Masn (de Philadel-
Superior oleo para machinas de costura.
A guias para as mesmas.
Breu em barricas grandes e pequeas.
Veude-se tambem:
ItOItlMMI \
1/ qualidade.
St. Estephe.
St. Julien.
C. Marjjaux.
G. Lafitte.
Medoc.
PORTO
Ia ^naiidade,
Vinho fino do Porto embarris de 5/, 10/ e
Superior vinho do Rueo.
Cera de Lisboa em velas e em grame.
Principe Real.
Pedro V.
Maria Pia.
Princeza D. Isabel.
Vctor Emmahuel.
(Duque.
Malvazia.
20/.
--------
Brea era barricas pequeas.
Cera em velas de todos os tamanhos.
Boflas.
Mercurio.
Na ruado viganon. i9, primoiroandar.
Vende-se nm escraro para engenho, crloolo
de boa figura e mestre carreiro : a tratar na rna
do Queimado n. 4i.
Qoeijts da sertio
Vende-se superior que i jo do ser lio : oa ra da
Madre de Dos, armazem junto a greja.
);
91 RIJA BO 01 I MI t DO
Madapolo.
Finas pecas de madapelo com 20 varas a 9^.
LENCOS,
Lencos de cambraia branca, duzia 2.
dem de cores fixas para meninos, duzia 2;>400.
a Cambraias.
Cambraias de cores a preco de 260 a 300 rs. o covado.
Ciuardauapoa.
Guardanap'.s de linho, duzia 3,->500.
Algodao.
Algodao trancado de duas larguras, proprio para toalhas de mesa, a nreco de
14300 a vara. -
Bramante.
Superior bramante de linho inglez e francez.
Cambraia de linho propria para lencos.
ATQALHADO.
Atoalhado branco para mesa a i600 a vara,
ntremelos de cambraia muito finos, preco !.
Lencos de seda para algibeira a I 1600,
peratrlr n. 60 de Gama & Silva.
Oschales do pavo a 2ooe e 25oo rs.
Vendem-se cbales de merino estampados a 25
e S500 cada um.
Ditos de merm liso a 3o00.
Ditos estampados de crepon a 6J, 7J, e 85000.
Ditos pretos bordados com franja de seda a 145.
Na loja e armaiem do Pavao na roa da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
Para luto vende o PavSo.
Selim da China com 6 palmos de largara, fazeo-
da preta para luto, propria para vestidos e ronpas
para homens, sendo esta nova fazenda sem lustro e
de rouio boa qualidade, garantindo-se nao licar
russa com o lempo e vende-se pelo barato preco de
25 e 25500 o covado, assim como nesle esiabeleci-
menlo tem um graode sortimento de todas as fa-
zendas pretas como sejam cassas e chitas pretas,
laas lapadas e transparentes, princezas, alpacas,
sarjas, etc. : na loja e armazem do Pavao na ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os baloes do Pavao.
Vendem-se superiores baldes de mucnlina com
n>oita roda a 55., ditos rioolines com 33 arcos a
35500, ditos com 20 e 25 a 35, ditos para meni-
nas, sendo brancos e encarnados a 25 e 25500 :
na |n *o Pavo na roa da Imperatriz n. 60. de
G>4i Silva.
Cauoraias de forro a 10600 e 2 na loja
do Pavo.
ndem-so pecas de caratraia de forro com Bo-
as tada peca, pelos baratlssimos precos de
62$: oa loja e armazem do Pavo oa roa
;rairrr n. oO, oe uama--ft bTrva.
Os cortinados do Pavo.
Veodem-se superiores cortinados adamascados
para camas pelo baratissimo prego de 1 cada par,
ditos mullo Anos ricamente bordados para camas
ou jaoellas a 135, 20 e 235 o par : na loja e ar-
mazem do Pavao na roa da Imperatriz n. 60, de
Gama & 6\va.
Panno preto a 2($ na loja do PavSo.
Vende-se panno preto. fazeoda moito boa, pelo
barato prego de 25 o covado, dito moito Uno a
35300, 45, 35 ei65, assim como casimira preta de
cordao a 25 o covado : na loja do Pavo na ra da
Imperatriz n. 60, de Gama &6a.
Os espartilhos do Pavao.
Vendem-se urna grande e variado sortimento de
espartilhos dos mais "bem feitos que tem !vindo ao
mercado, sendo de todos os tamanhos, vendendo-se
.por um prego muilo razoavel : isto na loja do Pa-
*ao na ra da Imperainiz n. 60, de Gs-uia & Silva.
Aa sala bordadas do pavo.
Vendem-se saias bordadas sendo fazenda muito
boa, sendo ricamente bordadas e com muia roda
vendendo-se pelos baratos pjegos de 65 e 105
res-cada urna na loja do Pavao na ra da impera-
triz a 0 de Gama & Silva.
Bretaobas de rola a 3.s000J
Vendem-se pecas de bretaoba de rolo com 10
varas cada pega, pelo baratsimo prego de 35 :
na loja e a.-mazem do Pavo, roa da Imperatriz o
0, de Gama di Silva.
KoHpa fe ka.
Na loja do PavSo
Vende-se oeste estabelecimento um grande sor-
timento de roupas, lano de panno como caxemiras,
e brins e pelos baraiissimes precos como sejam
caigas de caxemira prela a 65 75 e 85000 re;s, pa-
letots de panno preto saceos a 65 85 e 125000 rs.
ditos sobrecasacos de panno finissirao a 125 185 e
255000 res, e ouiros muitos artigos qoe serla en-
fadonhos aqu relato-Ios; s na loja e armazem do
Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama 4 Silva.
Loja do pavo
Ciraodea peehlachaa.
Sedinhas a SOO rs. cavad*
Sedinhas a 500 rs.
Sedinhas a 500 n.
Vende-se na loja do Pavo, um grande sortlmen-
to de sedinhas listradas com as mais bonitas cores,
sendo os padrSs mais novos que tem vindo ae mer-'
cado, a vende-se pelo paratisslmo preco da cinco
tostes o covado, sendo fasenda qne valem moito
mais dinhelro, e grande pechiocha por se ter
comprado orna grande ponida desta fisenda, na
loja e armazem de fasenda do Pavo, ra da Im-
peratriz n. 60 de
Laasinhas matisadas a 320 rs.
Vendem-se as mais lindas laasinhas matisadas
oan 0S ro*'8 D0D'l0S desenhos, pelo barato prego de
320 rs. o covado ; na loja do Pavo a roa da Im-
peratriz n. 60 de Gama & Silva.
Os chales de guipure a 12$ e
16$000,
Vendsni se os mais ricos chales de Guipare e de
renda de linho e seda, pelos baratlssimos precos de
125 o 65; grande pechincha em reiago a boa
qoaHdade e lamanho delles : s na loja de Pavie,
rna da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lazinhas a 200 rs"> s o
Pavo.
Vendem-se modernas lazinhas com lindlssimos
gostos, pelo baratissimo prego de 206 rs.; gran-
de pechmcha : s na loja do Pavio, ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Sedas Largas
Na leja do PavSo,
Cnegon para a loja do Pavo om modernsimo
sortimento das mais lindas sedas para vestidos,
sendo urnas de listrinhas e onlris de Oorzmhas
com as mala Unas cores, e algoma.? propnas para
as senhoras qoe estiverera de loto e veodem-se
pelo barato prego de 25000 o covado, lando esta
fazeoda quatro palmos de largora, que faeilila fa-
zer-se nm vestido com poacos covad( s, isto oa
Sr/ "mteP> *o P*5ona roa dalmperatri o
60 de Gama & Silva.
como panno de linho moito fino pelo
pregos de 640,700 e 800 rs. a vara : na Ijjj e ar-
mazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-!
ma & Silva.
Cambraias lisas do Pavo.
Vendem se pegas oe cambraia lisa muito sope-
or, pelo barato preco de 352CO e 35500 a peca,
ditas muito finas a 35, 65. 75 e 85 : na loja e
armazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
PECHINCHA !
a 20Q0, para caigas, si Pavo.
Vendem se superiores crtts de meia castmira
S.m?e!cla de seda a 2*> d,las Garlbaldinas a
25*00, ditas escuras a 2580O, ou a 15600 o cova-
do : na loja e armazem do Pavo, rna da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
PEMEADORES
on roup5es de cambraia bordados propries
para as senho as vetlirem de nianhaa.
Chegou esta novidade paia a loja de Pavo,
muilo lindos e do melhor gesto al boje, pur pre-
cos muito razoaveis : na loja do Pavo, roa da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas francezas a 240 rs. o covado.
Vendem-se bonitas cassas francezas de cores fi-
xas pelo baratissimo prego de 240 o covado.
Ditas a 280, 320 e 360.
S na loja do Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
tratar al o m do correte mez de abril.
para
\ende-te e faz-se todo negocio cem o depo-
. silo da ra do Vigario n. 29, moito proprio pera
um principiante qoe queira principiar sua vija
: com pouco dioheiro ; ao comprador se dir o mo-
tivo da venda.
GtZ.
^e arma?em da ra do Imperador n. 3
Caes de Pedro II n. 2, tem para .vender-so
bor eaz existente no mercado.
ou no
o me-
Feijao.
Vendem-se saccas cem fe>jo amarello, branco
rajado e preto, mais barato .ue em qualquer ;ar-
te : na ra da Madre de Dees n. 5.
SABOIVETES
aaedlciaaea de aleatro
Remedio'efflcaz contra as doencas cutnea.-, as
caspas, icopfgens, borbulhas, comiches, pstulas o
sarnas; na pharmacia do Pinlo, rna larga do Ro-
sario n. 10.
Vende-se 1 e.-cravo mugo excellentecoziohi-
ro e de bea condula, e urna bonita uegriha de- 14
annos de idsde : na travessa do Caimo n. 1.
Sacad a s e .portas-
Vend -;e na ra do Queimado n. 7, dua? srca-
das de ferro eom 22 (.almos cada urna, tambem se
vende 8 pares de caixiibos e algumas portas, todo
por preco commodn. ^^
Vende-se orna' armago para divsao-tc~es-
crip'-orio, de amarello, comporta e balan?ros,
obra muito boa: a Iratar r.a ra do Mondego, ia-
ria n. 13. ____________
uiwas de pellica pretas e ou
tras cores.
Chegaram para a luja Je miudzas a ro". do
Uueimado n. 16.
.1- Vendem-se carrafas e botijas vasias e lava
das : na ra da Soledade n. 38.
Farinha de mandioca
a 40OOO
retonoes, e manteletes da mesma lazenda.e vende- oito Mi e cheg?da ha pouco lempo, vende-se
------'------- na ma da Lruz n. 3J.
Grosdenaple preto a 1$600.
E' grande pecbiucha I!
Vende-se grosdenaple preto, sendo muito enecr-
ado e de boa largura, pelo baratissimo preco de
5600 o covado : na ra da Imperatriz n. 60.'
Os cachinez do Pav5.
Vendem-se bonitos cachinez de la ou agazalhos
para eabega pelo .baratissimo prego de 35000, s
na loja do Pavao, na ra da Imperatriz n. 60.
MANTAS PARA O PESCOCEO
a 15, s o Pavo.
Vendem-se bonitas mantas para o pescogo, pelo
barato prego de i : na loja do Pavo na ra da
Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
Hadapoles a 3,560 rs. a pessa.
S na loja do Pavao.
Vende-se pegas de madapolo fino com 12 jar-
das, pelo barto prego de 35500 e 45000.
Chales de renda.
Na loja do Pavao.
Receberam-se os mais lindos chales pretos de
renda, assim como as mais modernas e compridas
se mais barato que em outra qualquer parle: Da
loja e ajmazem do Pavo na ra da Imperatriz n.
66 de Gama & Silva.
Caslor a 3(10 rs. o covado.
Para calcas.
Vendem-se superiores castores muito eneorpados
padroes escaros pelo barato prego de 320 rs. o co-
vado, servindo esta fazenda tambelp para escravos
por ser de muda duragio; naloja e armazem do
Pavao rna felmperairU-o.- 60- dGaina & Silva.
Chapeos para mcniaas^a 6,(j S na loja do Pavo.
Se vendem os mals bonitos e mais bem enfeita-
dos cnaposlotios de palha da Italia, prnprios para
meninas, pelo baratissimo prego de 65000; na loja
o armazem do Pavao na roa da Imperatriz o. 60
de Gama & Silva.
Attencao.
ULTIMA NOVIDADE
PENTJSS, ENFEITES, CINTOS.
Gama & Silva, acabam de receDer pelo ultimo
vapor francez, um grande sortimento dos mais ri-
cos enfeites pretos e de cores proprios oara cabega.
sendo guarnecidos com as mais lindas flores, e com
voltas das mais bonitas perolas; assim como os mais
modernos e engranados pentes da verdadeira tar-
taruga, marchelados sendo a ultima novidade
que tem vindo de Pars, e os mais ricos cintos com
fitas mathisadas e flvelas largas, conforme ltima-
mente se nsa as prlmeiras capitaes da Europa e
vende-se por preco em conla por ter chegado ero
d,W"S,r* a l0J'a 1 Pavo, ra da Imperatriz
n. 60 de Gama A Silva.
as ro tandas do pavo a 8 e NK
Veniem-se as mais ricas rotandas de renda pre-
ta, sendo muito grandes, que sao as que mais se
usan?, pelo baratissimo prtqe de 85 e 105 : na
loja e armazem do Pavo, ra da'lmqeratriz n. 60
de Gama & Silva. '
Chitas pretas a 160 rs:
Vendem-se chitas prelas inglezas, sendo fazenda
muito boa, pelo baratissimo prego de 160 r. o co-
vado, ou 35300 a pega oom 38 covados : s na
Injad* Ravo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
mmg mmuu,
Os chales do Pavo a (J.-j 7--3 e 83.
Vtndem.se ricos chales pretos de renra muito
grin'Jes eom quatro pontas, sendo os mais moder.
nos por terem chegado pelo ultimo vapor franrez,
e vendem-se pelo baratiss.mo prego de 65, "5 e
85 : na loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva. _
Vende-se na roa da Cruz n~ 33, irina-. vo-
lac.es e galop, espiguiiha e n i cera i i"a
em velas, escovas para calgado, u ..- ; pas v
com iorneiras para deposito de attii*-, cera -'
carnauba, Indo i.or pregns mmmodos.
tarinha
Ra da Madre de Dos u. &
A 4$o00.
Vt-ndese farinha Je manduca desembalada
boje do palliaiiote Biberibe, pelo barato preg ici-
ma, a melbor que existe qo mererdo, saccas
grandes.
i. 91
ene ii
i.
Vende-se a taberna da rea de S. Jos n. 2, mui-
to afreguezada lano para a trra como para o
mato, o motivo da venda se dir' ao comprader ou
tambem se da' sociedade a quem e nlrar rom'al-
gun5 fundos : a tratar na mesma.
Vende-se um sitio a
- margem do rio Jaboato,
disiante da capital duas legoas e meia, com duas
casas um excellente cercado e terreno para cul-
tura da roga e canoa, e muito prximo a dous en-
gentaos ; quemquizer dirjase a rna do Hospicio
Silva.
ATLANTA
Cirandc novidade a SOO rs.
Allanta a 200 rs.
Atlanta a 200 rs.
Atlanta a 200 rs.
Chegou para a loja.do Pavo o mais lindo sor-
timento desta nova fazenda, com o titulo do allanta
propria para vestido e roopas para meninos, sen-
do esta moderniim fazeoda de'laa com os mais
liodos gostos de quadrlnhos e lislras tendo entre
ellas de cor rosa e prela, cora listras e quadros
brancos proprias para luto, e vendem-se pelo ba-
ratissimo prego de 200 rs. o covado nnlcameule na
loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
As chi las do Pavo a 200 o covado.
Vende-se o mals bonito sortimento de cbilas es-
coras e roxas sendo Ingieras, mas com os pannos
to eneorpados como os das francezas que se ven-
dem a 400 ris, e liquldo se pelo barato prego de
200 ris o covada ou a 75200 a pega, garantindo-
se terem 38 covados cada pega e serem de cures
fixas isto na loja e armazem do Pavo ca ra da
Imperalrix n.60de Gama & Silva.
AriiiJjzem do Pavlo,
Vende-se cera de ramauba da melhor qualidade
emsaeeos, mais barato que em oolra qoalqoer
parte no armazem do Pavao na ma da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
As cabaias do Pavao a 2^000
o covado.
Chegaram para a loja do Pavo as mais lindas
cabalas de seda para vestidos, sendo com os mais
lindos gosios de flores e lisias, tendo entre ellas al-
gumas roxas e prelas para quem estlver de luto,
tendo esta nova fazenda 4 palmos de largura qoe
facilita fazer-se nm vestido cora poneos covados, e
vende-se pelo baratissimo prego de 2*000, nica-
mente na leja e armazem do Pavo k rna da Impe-
ratriz d. (SO, de Gama & Silva.
Novidade *
Para vestidos.
Chegararo as desejadas cambraias aa tanatana-
brancas com li- triaras {sendo transparentes e ven-
dem-se pelo baratissimo prego de 55000 o corte,
na loja e armazem do Pavo na ra da Imperatriz
n. 60 de Gama & silva.
Vendem-se malas e bahus osados muilo em
coma : na ra estrita de Rosario n. 24, loja de
trastes.
Cal de Lisboa
desembarcada do vapor inglez Cassitu, vende-se
por cemmado prego, no escriptorio de Manoel Ig-
nacio de Oliveira S FHho, largo do Corpo Santo
numero 17.
- \ ende-se um escravo preto, crionlo, de 50
annos de idade, pouco mais oo menos, do servic-o
de campo e sem defdtos : na roa de Apollo n. 7,
andar. ________
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descaroca
algodao : na ra da Senzala flova n. 42.
Sabouetes
Mediciuaes de aleatfro.
Remedio tfllca cceIi a as doengas cutneas; a*
impigens, borbulhas, comiches, pstulase sarna.-;
na pharmacia do Pinto roa do Rosarlo larga n. 10
Algodao avari.do
.4 preco de 9g cada peca.
N ti Ra do Queimado N. 11
Vende-se
na ofljcina de encadernador da ra do Im-
perador n. 15, Reduccoes mui facis para
traballiar com o compendio do systema m-
trico dec!mal do Sr. Jos Antonio Gomes
Jnior, por Francisco deFreitas Gamboa.
Pavas da Itha.
Vende-se na ra da Cacimba o. 2, taberna em
frente a rna do Vigario. pelo commodo prego de
120 rs. cada libra.
Illia Terceira,
Bom negocio
Vende-se um excellente terreno de grande prc-
duego na liba Terceira reino de Portugal, sito no
lugar denominado Pico (das Favas freguetia da
Fonte : os intendentes podera dirtgir-se a ra do
Vigario 21 escriptorio, que farao bom negocio a
vista dos titulo qoe amorisam a venda.
Vende-se Orna taberna bem
tratar no pateo do Tergo n. 12, IpJi
Vendem-se 400 pedras para ladrhe,
da !iha : a tratar na ruado Vigario n. 14.
[regustada ; a
s tcofa.
viudas

M*


aaai
I HHil
"Wl


Diario de
le Abril de 1866.
A' toja de uzeadas de Augusto Porto & C.
11Ra do Queimodo11
Chegarim pelo ultimo paquete superiores eochovaes completos com vestidiuhos bor-
'^CrtajSS^tas de pellica, mantas e capailas brancas para nolvas.
, i!. Ji^'s rt seda de cor e de la e seda para camas de noivas.
%$**&T ^Toneles e gorros,de_pa.h,_dJ#.^parajenboras.
LEIAM TODOS!
S5SE c=VCBb^rflDs dos gostos mais moderaos.
E Pnes tondes e chales ae renda pretos.
rmisflnscim paitos, punhos e colrtenos de linbo para bomens.
ynda^cSraTde cores, liasiuhas, paooos e casemiras pretas, mermo
t
e bom-
e~TtT da ludia para for ar salas

NOVOS GERENTES
DOS
TJR1ES GR1MDE8
AUAZENS DE MOUHDOS
DENOMINADOS
PROGRESSIVO pateo do Carmo n. 0
UNIO E COMMERCIO ra do Queimado q- 7.
VERDADEIRO PRINCIPAL ra do Imperador n. 40

DE


as melborese por mais mdico preco
11 Ra
do QueimadoU
seda lanada, pa-
CORTES HE SEDA
Cbegaram pelo paquete Ingles riquissimos cortes de moreantique de cores
tt3wmteiramede ^^ ^ y^ Q ^^
5RA DO CRESPO-5
Gregorio ES do Amaral a* Compwhla
"

DUARTE CARVALHO PERIRA # C.
Fazem scieate ao respeilavel publico, e com especialidad^ aos senhores de en-
; |enhos, lavradores e mais pessoas do centro, qua para mais facilitar suas compras deli-
beraram os propietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seos estabeleci-
! meatos em am s ennuncio, pele qnal o preco de un sel* de todos, promette-
mos que Dio infringiremos a tabella qae abaixo vai publicado, annuoeilr os gneros
por am preco, e na occastSo da compra querereto por Otrtro, tono socede eotsCnte-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecirnetitos tilo se dar lslo*,
inda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
serlo tambem servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seos
podidos em certas feiadss; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna cunta
pela qual se ver os preces tal qtrat atunciarmos, o que senSo arrepender pessoa
alguma que fizer sua despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
BOM SORTWEWO DE
FAZENDAS PRETAS
vado.
4j| e' 5,5000 o-

Gros de aples preto a 1500,1 UM, WBM &*
Gorguro preto de superior quahdade a 2*o0, 2*800, a* e 40 o co
Superiores moreantiques a 2S500, 20600/ U, 3*500.
covado.
Bous cortes de moreantique.
dem de gorguro adamascados.
Bons pannos e casemiras. KHinoe
Sup riores alpacas, princetas, merinos e bombazinas.
Bons villudos pretos. .. a rk a*
Grande variedade de chales de fil preto e deoipure a 50, 60. 85,
100, 120, de 160 a 203, e de 250 a 800 cada um
Superiores retondas Je fil preto e de gu.pure a 80, 100, 120 e 250,
6de *!mSXL de fil preto e de guipure de 120 a 250, ede
300 a 600 cada urna.
5l?l!WilfiSrtta ,********** prtas que
seria enfadonho enumerar, na
LNA HAS COIaVKSSA
DE ANTONIO CORRElA HE VASCpNCELLOS & C.
RA. DO CRESPO W. 1
HEAMTEIQJL
Manteiga inglesa perfeitamente flor che-
gada ltimamente a 1,12o rs. a libra, e
em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 8oo rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANHA
Banha refinada superior a 64o rs. e em
barril ter abatimento.
CHA
Cha uxim de primeira e superior qualida-
de a 2,8oo rs.
dem bysson o melhor neste genero a
'2,6oo rs., e sendo em porco ter abatimen-
to, tambem ha proprio para negocio de 2 a
"2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de 1,80-3 a 2,5oo rs.
a libra.
Blscotrtos
Latas com superior biscouto inglez de di-
versas marcas a l,2oo rs. a lata.
Bolaehlahaa
Latas com bolachinbas da acreditada fa-
brica do beato Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata.
dem com quatro libras de bolachraha de
soda a 2,eoo rs. a lata.
Queijos
Qaeijos flamengos chegados pelo ultimo
vapor de 2,3oo a 2,5oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a l.ooo el,2oo rs.
a libra, francez e suisso a 1,ooo rs. a libra
e portuguez a 800 rs. a libra, em porc30
ter abatimento.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo fs. a
caada e 280 rs. a garrafa, tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oors.
a aada.
Azeite docer
Superior azeite doce de Lisboa a "oo rs. a
garrafa e a 5,8oo rs. a caada.
F.\fi> CAPORAL.
Latas com superior fumo caporal a l,8oo
rs. a lata.
Paesaa
Superiores passas a 2,50o o auarto e
CONSULTORIO MEDICO-CIRIRGICO
o
OR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO HOSCOSO,
MEDICO, PARTE! E PERA.
3 fina da Gloria, casa do writo ~ g
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas sos pebres todos os dias das 7 as 11
iteras da manbao, e as 6 e meia as 8 horas da noite, eicepco dos dias santificados.
Pharmacia especial homeopathiea
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimeito de' carteirai
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dyrnsamisacoes e pelos precos seguimos;
Gar tetras de-12 tubos grandes, < 120000
de 24 tubos grandes. 180000
de 36 tubos grandes. 240000
de 48 tudos grandes. 301000
de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 10000.
Sendo para cima de 12 custario os precos establecidos para as eartefras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
liITROS.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jara
dous grandes voiumes com diccionario ... % 4 200000
Medicina domestica do Dr. Hering........... 100000
Repertorio do Dr. Mello Moraes............ 60000
Diccionario de termos de medicina........... 30900
Os remedios deste estabeleotmento sSo por demais conhecidos e dispensara por
tanto de serem novameate recommendados as pessoas que quiaerem usar de remedios
verdadeiros, enrgicos e doradores: ha todo do melhor qoe se pode desejar, globos de
rerdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservacio, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada prepararlo, e portento a maior
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lfae qualquer
operado, para o que o annunciante julga-se suficientemente habilitado.
O rataraento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica,
funccionando a casa ha mais de quatro annos, ha muias pessoas de cajo conceito se nao
pode duvidar, qae podem ser consultados por aquellos que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 20 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
As o pera cues serao previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
o qu:
spanho
9,5oo rs.J a caixa de arroba hespanhota e a
56o rs. a libra.
tSEMEBRA
Genebra de laranja verdadeira a lo,5oo a
duzia e 1 ,ooo rs. ao frasco.
Genebra de Hollanda verdadeira a 6,ooo
rs. a fiasqaeira e a 56o rs. o frasco.
Idom de Hoilanda em botijas a 4oo rs. ca-
da ums.
Garrafoes com 24 garrafas de genebra de
Hollanda a 8,ooo rs. o garrafo. Tambem
ha garrames com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a
6,ooo rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a 64o rs. a libra.
dem de carnauba de lo a 12,ooo rs. a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
AIIM1SEM BE FAZGVDJLB
DE
CUSTODIO CARVAIiHO C*
27 RA DO QUEIMADO N. 27
MadapolSo francez muito fino, tendo pouco mofo, cada peca com 27 varas per
100000.
La de cores a 300 rs. o covado.
Cambraia frahceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs a vara.
Lencos braneos para algibeira a 20000 a duzia.
Finus perclafas a preco de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de la de barra de 100 a 300000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
PEIXE
Peixe em latas j preparado de l.ooo a
l,2oo rs. a lata
ALPISTA B PAINCO
Alpista e painco muito novo de 3,8oo a
4,ooo rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
VINHOS bra- CfURUT0S
Superior vinho do Porto das; mais acredi- uperiores charat03 do fabricantes Simas
tadas marcas, como sejam: Made.ra,Secca, I miJ,1!|fiS Del?cias parisiease3 e outros d,
tambom
^ Imperiaes, Delicias, Parisienses e outros de
Duque do Porto Velho Seeeo, Lagrimas do
RIJA DO BiUJM IX. 38.
O propietario deste estabelecimento deseja chamar a attencao dos senhores pro-
, -arios aos acre litados mechanismos que continua a forneeer ; os quaes garante ser,
',.;,' sempre, da melbor qualidade possivel:
Machinas de vapor
As menores sao mui
motore sde
i de 2 Vi cavallos para cima. As menores sao mut proprias para
irocamentosdea'godio; as matores para moer canna; hn tambem que podemi junta
,, .aradamente moer canna e descarocar segundo suas proporcoes. Estee vapores
,. loiDiissinMM na c -nstrucco, e se regem por qualquer pessoa inteligente, a facilioa-
,.. .'uconduccausenlo especialmente considerada, tanto que nao ha lugar em que nio
s. i .an con Unir, qur por trra, qur embarcado. Ha com moer-das juntas ou sem
podem-se applicar a qualquer moenda j existente sem outra mudanca do que
i -, thuicio das rodas da almanjarra. Ellas tem depsitos^agua e boeiros de ferro,
i Q3 > precisara para o seu assentamento de obra atguma, qaer de carapina, quer de al-
' tria O lempo nara assenta-las nao exceie de doze das ao mais, e em casos de
n .res le aninnes ou arrombamentos de acudes, etc., garante-se o asfontnam^ne.ma
e:to dias. Lembra-se aos senhores de engenho que a venda dos ammaes e o ser vico da
, gente occupada no seu trataraento oshao de recuperar da ^*J*J
n ,r,r deiio-Ihes a vantagera de urna moagem certa e accelerada; e acabando com a
d3peza da compra continuada de novos an:maes. com os desgostos do trabalho que
tem c^om M5>. ^^^ de fcrp0) ma maneiras e moendo com qoalquer altura
1 agU3\arllhos eom crnzetaa de ferro para as mesmas, quando se desege fazer
3 resto da roda de madeira, tornando-se assim a roda ligeira no trabalho.
Hoeiidas de eanaa de todos os tamanhos, desde as mais pequeas chama-
ja* do sertlo. Obra perfeita em feitio e acunhamento.
Rodas de espora e angulares de todos os tamanhos e proporcoes.
paroes ou coches para receber o caldo. stL
CrlTos de fornalha para assentamentos, frecos para o foguista, fazendo
jrrande calor com pouco combostivel, e duradouro. OT,otam.a
portas de fornalha de todos os tamanhos e de diversos systemas.
i ornos e moinhos para a fabrica de farinha e tambem chapas redondas
pr.ra fornos pequeos.
Bombas simples e de repucho.
Talxas de ferro batido e fundido e de cobre. .
Formas de ferro batido galvanisado para purgar assucar, leves para carregar
* '5em AUmWqbesSde ferro de todos os tamanhos, costando so a terca parte do
nr co dos de cobre, mais regulares na distillaco e igualmente duraveis.
' 12Uoh e rodas de carro cora maug'S de patento, obra mu segura para
f-irregacSo de peso. ,_.
Arados, sradrs. cuchados a cavallo e outros instramentos de agsi-
\ tura. E finalmente todo o objecto de que posea precisar um engenho.
Machinas de descarocar algodao.
Na fabrica se fazem obras novas enco-mmenda e concertos, com a maior preste-
i a solidez O grande deposito de pecas e objectos habilitam-na muito para este nm.
O proprietario ser sempre mui feliz de poder ter occasio de dar informacoes ou
p irecimentos aos senhores que se servirem de seu prestimo.
D. W. Bowman, engenheiro
Douro, Mana fia, u. luiz, rearo v, "Lagri-
mas Doces e outras marcas a l.ooo a garra-
fa e 9,ooo a 12ooo rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhor es
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooe,
3,5oo e 4,000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira ea
anceretas de 8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs, a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oo rs. a garrafa. *
CAFE
Caf do Rio de 1.a e 2,1 qualidade de
6,8oo a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
SiBlO
Sabao maca de primeira qualidade de 24o
rs. a libra.
Serveja
Superior serveja Bass -dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a duzia e a 7oors.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs. a du- libra,
zia e a 5oo rs. a garrafa. J
BOIES VASIOS. Latas com
BASTOS
RA A CABEI4 Pl. 6 A.
Receben eraiide soriimento de machinas verdaderas amerhanas de descarocar slgodo, de 14
u 19. fii 2 S30 e 35 seSde a5o refinado, as qnae. slo das mais super.orca do.mercado e que
a-, vnde peio pr(?o de 10* o serrote, e que continuara a vender, v
em direiiora da America.
16
1 tiltil- iJU)**"''!1* "' ****. i -
vlsueelperar grandes sortimentos
a, 2,Boo o 8,ooo rs. i* msia caixa
temos Suspiros, flavaneiros, Ligueiros e
outros muitos que vendemos por mdico
preco.
Licores
Licores francezes eportuguezes a l,ooo e
l,4oo rs. a garrafa ou frasco.
Doces
Do;e da casca da goiaba em caixes e la-
tas a l,2ooo caixo e 2,8oo rs. a lata.
Frutas
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al-
perche e outras frutas a oo rs. a lata.
Tambem ha latas grandes para l,2oo rs. a
lata.
AZEITE DE REFINADO
Superior azeite frabcez refinado a 8,ooo
rs. a garra'a e a 9,ooo rs. a duzia.
MOLHO ING1EZ SAUCE
Molbb inglez Sauce em frascos grandes
com rolha de vidro a l,8oo rs. o frasco em
duzia ter abatimento.
BATATAS.
Gigos com 3o libras de batatas a l,ooo rs.
o gigo.
SARDINHAS.
Latas com sardinhas de Nantes e Lisboa
de 4oo a 46o rs. a lata.
FUMO AMERICANO.
Superior fumo em chapa a 1,400 rs. a
BoiSes vasios, ;louca ingleza muito pro-
pria para manteiga e deposito de doce de 4
a 12 libras a I,2oo e 2,5oo.
FATttNHA DO MARANHO.
Farinha do Maranhao a 240 rs. a libra.
SAG.
Sag muito novo a 4oo rs. a libra.
ARARUTA.
Araruta verdadeira a 4oo rs. a libra.
ERVILHAS
ervilhas e feijao verde j pre-
parado 64o rs. a lata.
MASSA DE TOMATE
Latas com 1 libra de massa de tomate a
64o a lata.
VERMUTH
Esta bebida muito fresca e estomacal e
muito propria para a presente estagao. a
qual vendemos a 2,ooo ss. a garrafa e 18#
a duzia.
Pimenta, cominho, cravo, canella. ervadoce, alfazema, tijllo para limpar facas pa-
litos para entes, palitos de fogo, e outros muitos gneros que se tornada enfadonho
mencionar, afiancaado cinceridade noy precos e o bom acondicionamento de qualquer
genrro.
Oevadinha de Franca
a 160 rs.' a libra, e de 8 libras para cima a 120
rs.: na armaiem.da Liga, roa Nova n. 60.
LaatIJlas.
A loja da Aurora, na ra larga do Rosario n. 38,
recebeu soriimento de lantijolas multo delicadas e
proprias para qualquer enfeite, assim orno-tam-
bem recebeu luvas de Jouvia brancas e de cores
para horneo) e senhora, multo fresca?, obegadas
pelo ultimo vapor, tudo isto na loja da Aurora,
ra larga do Rosario n. 38^ _____
-^ Vndese urna porgao de ferro brota, serve
para obras de ferreiros, e por prego muito com-
modo : a tratar na roa Imperial n. 1,1" andar.
VENDE-SE
o grande armatem da ra do Apollo n. 38 e 40,
proprio para um aemazem de 'assucar ou prensa
de aigodo em ponto grande, por ter 6 portas de
frente rom mais de 67 palmos de largura a 300 e
tantos palmos de comprmeme, ludo cocerlo e so-
bre arcadas e para comodidade dos compradores
se vende coa o praio de 3 annos ou o que se con-
veoctooar orna vez que seja coa seguraoca a pa-
frandasa rea demora nm mdico juro : as pes
soasaquem convier asa compra podero enten-
der se com Amonio Alves Barbosa na ra dos Goa-
rarape '*
Veude-se urna masseira de amarello em per-
feito etado, e mais pertences para orna padaria,
na estrada uov, segunda taberna a direita, depois
do sobrado grande : a tratar na mesma, das 4
boras da tarde em diante.
echincha
Na roa do Queimado o. 40 .
Corles de laaiinha de cor, bonitos gostos, com
15 covados a 3*600.
Cassas organdys de cores, eovade a O, pegas
de algodaozlnho largo com 17 varas a 4*.
Ditas de dito com 17 varas, muito encorpado,
com pequeo defelto, a 4*500.
Grosdenaple preto muito superior, covado s.
Dito dito a 1*600.
Retondas de renda preta a 10*.
Cbales da renda preta a 8*.
cen
Grande pechiocha de madapole
a varia.
Paredes Porto vende urna grande porgo de ma-
dapoWo avariado, fazeoda de 10* e 12* a peca, a
6*500 e 7* com pequeo toque : na ra da Irape-
ratriz o. 52, armazem da porta larga Junto a pa-
darla franceza.
Novidades do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
se acbar bem sortidp como todos sabern,
hoje mais que nunca? nao s pelo que rece;
be de sua propria conta, mas tambem pel
que recebe de consignares; parece sem
duvida que deve offerecer grandes vanta-
gens para o respeitavel publico tanto em
precos como na escolba dos objectos, e co-
mo acaba de chegar grande remessa pelo
vapor Douroi e o navio Solferino de
diversos objectos de gosto e proprios do
tempo dos quaes se mencionarlo alguns,
por nao ser possivel mencionar todos. O
dono deste estabelecimento espera a pro-
leccSo de todos.
Riquissimas caixinhas ornadas e com
msica propria para um delicado mimo.
Caixinhas de msica tanto de veio como
de oop*la.
Ricos porta joias e necessarios.
Riquissimos est jos a feitio de um bausi-
nho ou cbapeuzinho.
Ditos em casca de noz e de outros gostos.
Leques de madeperola de sndalo e de
faia e madeira.
Chaposinhos e touquinhas de muito
gosto para criancas.
Meias e sapatinhos de seda para as mes-
mas.
Meias de seda para senhoras.
Capellas e grinaldas de flores proprias
para casamento.
Enfeites e capellas de muito gosto para
senhora.
Riquissimos porta boquets.
Boquet de flores com urna borrachinha
com cheiro.
Luvas verdadeiras de Jovin.
Ditas de seda e de Escocia.
Riquissimas plumas e guarnicoes para
enfeitar chapeos.
Contas e tubos de ac branco, qoe ha
muito se desejava para enfeites.
Brincos, fiveas e cruzes de crystal.
Rvellas e cruzes de tartaruga, madripe-
rola e dourados.
Alfinetes para gravatas.
Bot5es com croas para punhos.
Gravatinhas e mantinhas de muite gosto,
tanto para homem como para senhora.
MACHINAS DE PATENTE
DE TRABALHAR MO P.ARA DESCA-
RUCAR ALGODAO
FABRICADO POR
PLANT BROTHERS & G.
OLDAM.
Estas machi-
nas podem des-
^earocar -qual-
quer especie de
aigodo sem
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas
para o traba-
lho; pode des-
carocar urna
arroba de al-
godao em ca-
roso em 40
minutos, ou
18 arrobas por dia ou cinco arrobas de al
godao limpo.
Assim como machinas para serem movi-
das por animaos, que desearecam 18 arro-
bas de aigodo limpo por dia; e motores
para mover urna, duas ou tres dessas ma-
chinas.
Os mesmos tem para vender um bellissi-
mo vapor que pode fazer mover seis destas
machinas mencionadas; para o que convi-
da-se aos senhores agricultores a virem ver
eexamina-lo, no a ma/.em de aigodo, no
largo da ponte nova n. 47.
San adera Brothers fc c.
Recife praca do Corpo Santo b. 11.
Os nicos agentes neste paiz.
O castello de Grasville.
Tradozido da francez por i. J. C da Crnx.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo prese de 3f>00G
ua praca da Independencia, livraria ns.
.
Frameisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo emais apurado gosto da Europa e ocu-
los de alcance para observacoes e para os
maritimos.________________________
La de barriguda, orpie de melhor ha para
encher travesseiros : venda-se na roa da Madre
Se Dos, no armazerofionlo a' igreja.
Roopas feitas de todas as qualidades
Vende-se roopa feita, sendo calcas de coree e
pardo a 2*, ditas de brim branco de linho a 3*500
e 4*. calcas de casemira preta a S*, 6* e 8*, di-
tas de cores, meia casemira, a 3* e 3*500, ditas
de casemira a 6*, 7* e 8*, paletots de brim d
cores a 2*, 3*500 e 3*, ditos de brim branco a
la 4*500, ditos de alpaca preta a 3* e *,ditos de
Riquissimos aderecoe pretos, assim como casemira de cores a 5*. 6 7, 8 f 10*, ditos de
. \\ __ifiiV7 panno preto a 6*, 7,8 e 10*, colletes de cores a
Caixinhas com alfinetes pretOS. IJ^OO, de casemira a 3* e*. ceroota francezaa
Bengallas de canna com cabo de marnm. ipeoo e 2*200, camisas francezas Boas brancas e
Ditas de baleia, borracha e de OUtras peitos de cores a 2* e 2*500, ditas Inglezas de li-
muitas qualidades, assim como chicotinhos. o de pregas largas a 2*500 3* e 3*jfl0 : na
Riquissimos petes de tartaruga do ulti- ruaJaJmperatr^lojaJajVrara n. W.
mo gosto; assim como de arregaco para
menina, pois neste artigo ha um completo
ortimento de todas as qualidades.
Diademas para cabeca do ultimo gosto.
Riquissimas fitas lavradas e fitas.
aia
Em casa de Rabe Scbmettau & C.
ra da Cadeia n. 18, vende-se:
Champanha.
Cognac de superior qualidade.
Vidres para espemes de-todos os tama-
nhos tudo a precos muito commodoe.
pEsPtfnTo%Vse^ Farinha de mandioca.
meninas.
Ligas de seda e de aigodo.
Vende-ser de b qdalldade de Santa Camarina a
bordo da escuna oldemburgueza LUnen, a traur -
a bordo do mesmo navio oo no escriptwio de Amo-
Suspensorios de seda e de aigodo e mu- rim Irmao?, ra da Croa n. 3.
tos outros- objectos que se nao podem an-
nonciar por nao se tornar enfadonho.
S no Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7.
FelJI.
Vend se feliSo mulalmho nevo a 23* o alquel-
re e a cnia a 720 rs.; na roa Direita n. 8.
I


i


I
p
II-
fc
Dlai-la 4c nrMOftPM < sexta felca M4e Abril de I86.
Diademas dmrados,
eifeitals ca aljafors, pedras,
etc, para meiiias e
! senhans.
A ai;ula-branca vende bonitos e modernos dia-
demas donrados; uiMUtR proprias par* meninas a senhoras.
alt ekailmhon
Je palta Im e aveaeaei para meninas.
Sio obras estas de que os bous pais de familia
se nao podent esensar de comprar, por fazereos el-
las parte do asseio e bom gosto com qne trajam
snas bellas fllhinhas. A aguia branca tem o pra-
ser aa vor nao to bellu e precisas obras for*m
debidamente apreciadas e compradas em sen nl-
nbo. Gs cbapeoiinbos, alera de serem d'oma pa-
Ib* mu fina, sio de mol bonita forma e ollirao
gosto, enfeilados com toda a perfelco : os aven-
ate, porm, sao de fina cambr aia, guarnecidos de
nabadiiihea bordados; o que Ibes da mato grao*.
Os precos destes, 55000, e daquelles, 105; de
quanlo sio ellas baratos conhecera o preteodente,
qne se- dirigir a' luja d'aguiabranea, na ra do
Qoeimado n. 8.
vidriilMM de catres aljofares,
imllands aee, pan eafeites de vesdee.
A agtiia-branca na roa do Queimado n. 8 rece-
ben un bello sorumento dos objectos cima pro-
prios para enfeites de vestidos, etc., etc., e est
vendante commodamente.
Novidades.
Na Agola branca ra do Qoeimado n. 8 rece-
ben diversos objectos de moito gasto e inteirameo-
te novos, sendo:
Bonitos e delicados pooui donrados e prateados,
tendo entre ellos algnns de filigrana obra mni per-
feria e de elevado gosto.
Ditos com chapa de madreperola.
Brincos de filigrana e entras qualidades.
Fivellas de dita e outras tambem de diversa
qualidades.
Cintos mu bonisos, enfeiiados ero toda a ezlen-
cao com caracteres donrados e p rateados,
Filets enfeitados com moedlohas donr*da,e lan
tejoilas, aljofares & &, sendo para coqne, e toda a
caneca, e gitos'com plomas &-
Bonitas voltas de, jaspt- com emees, tendo tam
bem algumas de duas cores.
Lavas, e meias
de laa vegetal, para quem soffre de Trialdade, pa-
ralesya ele Vendem-se na roa de Qoeimado leja
d'Agota branca o. 8.
Bandolino de reta
para segatar on conservar perfejtamente atada os
cabellos das seoboras. Vende-se na roa do Quei-
mado leja d'Agnia branca, a 1#000 o fraseo.
Brifeeg pretos para vestidos
A Agoia branca receben ovos enfeites pretos
para vestidos, sendo bicos com vidrilhos e sem
elles, trancas com pendentes de vidrilhos e sen
elles, cordo grosso tambem com vidrilhos e sem
elles; asem como galbos efMOjas de diversas lar-
garas,'filas de velludo etc eomo sempre os bous
fregnezesenemtrarao commodidade de precos os
objectos oe se vendem n* loja d'Agnia branca roa
do Qoeimado n. 8.
Botes de-vidro
com-enfeites d'aco no centro.
Es-ses botes que tanto-servem para meUaor-se
poder' eafeitar um bom vestido preto on de eoc,
acnao-se a venda na roa do-Queimado loja d'Aguki
tranca'ii. 8.
Acaba de cigar altja da ansia branca
a ra do Qjeimado n. 8.
Chroo aco-me para tkigrr cabellos.
HoM falier para dito.
Tinto de L. Marcees para dito.
A guia Grama
a roa do Quiroado n. 8
acaba dereceber:
Lantijeclas d'aco para eafeites.
Pennacibranca e de cores, para gor|os e cnanees.
Enfeites filets. mol bonitos modernos.
Sapatktbos de setira parj tteptisados.
Meias de seda para o nesoo.
Bonitos chapeosinhos de-sem para dito.
Rosas camelias e ontros qualidades.
Noves*brincos, fivellas, .peales e pulsfjiras 4o ifl-
rana.
Fitas de seda de cores para debronbar vestido.
Dita de-sarja com diSreatfes cores e largores.
Dita de;j;orgoro, desanos ovos e bonetos tcaia
cintos.
Carteia com agnlbas.______________________
Na>vua da Imperatriz tu 28
Vendem-se cortes de casnferaia braneos cea '4.
5 e>6 babados a 201 e 255.
Fil-de seda preto com flores a vara 13.
Cambalas brancas de orna vara de largu*a'6-
na a i. e 800 rs.
Ricas > lampadas e caadietros a gaz por rosee
e'areutto.
Pechiucha
Vende-se.a taberna da rea da Guia n. 36 p*>-
prlo paca,principiante, e o taotfro se dir ao com-
prador*
Attentfto!
Attenc&ol
Attentflo!
Gr^eiaplfs preto a 1600 a cavada.
Vende-te om grande sortimento de groideaa-
ple a 11600. 15800, tfi e 55500 o covado J dito
mnlto eoperior a 1*800 e 39 : na roa da Impera-
triz n. 72, loja de Gtiimsraes & Irroao.
Moriaotique preto a 25800.
Vende-se om grande sortimento de moriantiqoe
2|800, 3J e 35500 o covado.
Cales de reata ftetes a 80OO.
Vende-se tambem om variado sortimento de cha-
les de renda a 85, 9*600 e 185 ditos moito finos
a 115 e 125 ; dito* de seda fazenda multo fina a
205OOO.
Retondas pretal a lOJf.
Vendem-se retondas pretas pelo barato preco de
105 e 115 : na roa da Imperatrii n. 71, loja de
Goimaraes & Irmao.
Grande pechincha panno preto a 2^000 o
covado.
Vende-se panno preto proprio para calcas e pa-
litots a 25 e 25200 o covado ; casimiras pretas
a 15800, 25, 25400 e 25500 o covado.
E' muid barato corles de casimira a 3-5oOO.
Vendem-se cortes da casimira preta a 35500
45 e 4*500 ; dita moito fina a 65-
Admira cortes de brim de cores a
1,280
"Vendem-se crtes de brim de cores para calca a
15280,15600, 15800 e 25 na rna da Imperatriz
n. 72, loja de Goimaraes & Irmio.
E' baratissirao a l20~ ris o cavado.
Vendem-se riscadinhos moito proprios para roo
pa de escravos, e 120 ris o covado; ditos escoce-
ses moito Anos a 240, 280 e 300 ris o covado.
LSaztnhas a 3oo rs.
Liuiobasde qoadrlnbos a 300, 320, 360 e 408
rs. o covado i ditas muito finas a 800 e 560 : na
roa da imperatriz n. 72, loja de Goimaraes & Ir-
mio.
Cortes de laa a 5C00.
Acaba de chegar a este importante estabeleoi-
meoto wn ortimento de cortes de laa qoe se ven-
de por 5 e 55500; ditos a alaria Pia, fazenda
muilo moderna a 12., 145, 185 e 205 i ditos com
camrsmha, cinta e gravata a 255 e 285.
Chitas francesas largas a 260 ris.
Vende-se om grande sortimento de chitas a 260,
208, 300, 320 e 360 rs. covado ; ditas preciares
a 400, 440 e 500 rs.
Caaibraias de cares a 2S0 rs. t
covado .
Vendem-se camlraas francezas a'280,300, 320,
360 e 400 rs. o covado.
Cambraias lisas a 3.000 rs. a peca.
Vende-se om grande sorlimemo de cambraias
lisas pelo barato preco de 35, 35500, 45, 45500 e
35 ; ditas muito finas a 55500 e<65; ditas victoria
a 65508 e 75 i ditas de orna vara de largura a 85
e 95 I ditas para torro a 15600, 25e 25300 : a
roa da Imperatrre n. 62.
ROPA FBITA.
Vende-se om completo sortimento de roopa tai-
ta felta. assira como sejam paitots, calcas, arietes,
camisas franeetas a 15600 e 1*800 ; ditas finas a
25 e de linho-a 2500, 35c 35500 ; serratas de
na
Ir-
15200,15400-e 15600, de Hato a 25 e 25S80 :
roa da Imperatriz n. 72, joje de Gotmares>&
mSo.________________
No anmazem de tazmdas
baratas de dantos Coe?.o
Rna do Qaetmado a. .
Vende-se o segointe :
Cobertasde chita da'India a 25400.
Lencoes>de panno de Ditos e'-txamante de iinbo de um -s J panno a
352OO.
Lencos e cassa braaeos proprios pa?a algibeira
a 25OOO a datia.
Algodae*nfetado cem 7 1|2 palmos de largara
a 15200 a vara.
AUtoanado de lizmo^i 25800 a vara,
Dito de alpoao a 25 vara.
Goardaaapos de Haba a 35800 a dircta.
Pecas de-eambraiade salpicos a 45800.
Lazinha abena de cores a 320 o covado.
Cambra la branca cierro a 35 a peca.
Fil de-tinao liso finca 800 rs. a vara.
Dito edito com slateos a 15 a vaca.
Panno de iinbo 00 com 9 1|2 palmes de larga-
ra pelo barato, preco de 25400 a vara.
Madapottes nos a 85,05,105, *3 e 135.
Cambra fcsa de 45*W, 55, 65, 75 e>85a peca.
Pecas 4e brelanba de algodao ees 10 varas,
propria ara sala, .pelo baratisstmo .preco de
3550a
Laazioha lis* de coree a 500 rs o covado.
Cambraias dus de reres miodinbas a 360 rs. o
. covado.
Esleir dadadia. propria para forro de sala de
4,5 e 6 palmos de largara, per menee prego do
que em outra-qaaiqaer>parte.
Neste araaaaean tambam se encentra om grande
rortimento de roa pa 1 hu-e por medida.
ABaawt*|awboloa.
Sa roa du UasLBid* k^anjoJadeusa. Ifi. vea-
de-se aspas de apo fortes, e de difireme larguras
parabaBes.
oaitia qaadiw para rotrttoi.
Venem-sa na rna an Qnesau* Wa le asiada-
zasn. 16, boajlnf (ptmdnm ' donrads, todos DQr4Wf^rasoaieTs.
Garrafas brancas
e de cores com superior agoa da colonia.
Vendem-se na roa do Qoeimado, loja de mmdc-
zas o. 16.
Novo gosto
Penis, fivellas, e brincos da feiinrana.
A aniiga e bem conneoida loja a. Iff na roa do
(fraude b<
M* l|a e araaazeaa da Arara raa
da laaaeratrlz B "
S^^ ** m -a n:-------s.~
Azif*ivmd*9Um,*Un m. o covado.
Vends-se chitas escoras e olores aara vestidos a
160 a MO n. o covado, ditas francezas finas a
280,310. 360 e 400 rs. o eovade : roa ..da Impera-
triz loja da Arara n. 56.
Cassas da Arara a *0 o covado.
Vende-se cassas francezas finas para vestidos a
240, 280 e 320 o covado, nscado frajeer para ves-
tidos a 240 o covado : roa da Imperatriz loja da
Qoeimado, receben om sortimento de diversos ob- Arara 56
jectos de novo e bom gosto, sendo penles braneos e 4rara..pnfi*ft wxAn nara cairas 9 9rl r n
donrados de moldes enteramente novos e mal a- AraraTenae riscaao para caicas a 2W rs. 0
gradaveis, lendo entre elles algons de filigrana obra j COVdo.
de mnlto goslo e dvficji execocao, e bem assim fi- Vende-se rlscado proprio para calcas e camisas
vellas e brincos as mesmas circumsuncias. 1 de escravos e saias de escrava* por sor mallo for-
te se vende esta fazenda a 2o0 rs. o corado, risaa-
do de lioho para calcas e psietots a 240 o covado :
; na loja da Arara ra da Imperatriz n. 56,
Arara qaer vender as saias a 3/J500.
Vaoda.se saias bordadas para senhora a 35500,
45, 65 e 85, camisas para senhora a meninas a
15500: so no barateiro Arara ra da Imperatriz
n. 56.
Os vestidos da Arara a 55.
Tambem receben algons cintos o qoe de mais
moderno e bonito, se pode encontrar em tal genero.
Aim dlsso enconiraro os prelendentes um com-
pleto sorlimenlo de fivellas i madreperola, ebris-
taL tarlaruga, e donrados, brincos de cbrislal, e
jfipe, voltas e ernzes de dito e moitos ontros objec-
tos de gosto, os qoaes contlnna-se a vender commo-
dameste.
Ponentes de madreperola, e enfeites filets
A loja de mininas na rn de Queimado n. 16,
receben bonitos penles enm chapa de madreperola,
e novos enfeites filis ornados de iantejoilas doo-
radas, moedlnbss, aljofares, vidrilhos ele, tendo
grandes para toda caben* e pencnos para coque,
regalando os precos de 25 a 45000 rs.
BjuUs caixinbas
com arranjos donrados para costara, tendo com
msicas e sem ellas. Vendem-se na roa do Quei-
mado loja de mlndezas n. (6.
Trancas pretas
con vidrilhos, e bicos com ditos e sem elles para
enfeiles ou vestidos.
Na roa dt Qoeimado n. 16 loja de miodezas a-
charo os prelendentes om bello sortimento dos
objectos cima ditos, cascarrilhas, franjas etc. etc
e todo est sendo vendido por precos commodos
Botes pretos
de vidro enleiudos d'ago.
A loja de miodezas n. 16 ro* do Qoeimado
vende moi bonitos botes pretos de vidro com en-
feites de ac, os qoaes mito se osam para enfeitar
vestidos, q'uem es pretender podo dirigirse a dita
loja n. 16 a rna do Queimado.
Vendem se a loja de mlndezas
a ra <* Que finado n. 16.
Bonitos leones de sndalo e outras qualidades.
Bonitos cmtos com fivellas de diversas qualida-
des c nseMes.
Brincos e ornees da crystal.
Abotoadoras de dito para coletea.
Bonitos poTKelogios.
Delicaoas cotias com mostea e sem ella, para
costura.
Agulnasliubas para ebroebet.
Retroz superior em carriteis.
Rendas pretas e bicos com vidrimos.
fitas de velludo com listras da efires para en-
feites de gorros e vestidos.
Ditas de grosdenapoles, Usas e lavradas, brancas
e matisadas.
Para tiogir cabellos.
Hoild Warter.
Vende-se na rna do Qoeimado, loja miodezas
n. 16.
CarMttt-ae
Para tioglT cabellos.
Vende se na loja de mmdesas, a roa do Quei-
mado n. 16.
Tintara de i. larqaes
Qara fazer os cabeHos pretos.
Veude-se na rna do Queimado, a loja de roiu-
deses n. 16.
iksangas miuitos, a'jofares imitando
acoe vidiiluos decores
pora enfeites de vestidos-; vende sa tpdo sso por
presos razoaveis na *na do Qoeimado n.l ja 16,
de mindezas.
colares Rayer < colares aoo-
dWaioa
para facilitar a dentioio das criaocas e preserva-
las dascoovulsSes.
O feliz resallado obtido immensaa veees pela
prodigiosa forca magntica dos colares Rovor, nos
cosos de convulsdes, o deotieio das. criaocas, tem
altamente elevado psw bom merecido prestigio,
-e hoje j se pode diier qoe esto geralmeote con-
eeiluados, e estimados de tonomeraveis pais de
ternillas : de nns porque do aso desees- sototaros
celares viram salvos do perigo seos charos tib-
anos, e de ontros porque colberam daquelles lao
roficao ezemplo para igoalmeme preservar os
eos. Assim, pote, a anvia branca, tendo em vis-
tas a otliidado eproveiir desses prodigiosos cola-
ros anodinos ou Royer, maodoa vir o novo sorti-
mento qae agora rooobea, e continuar a rebbe-
los para qne em tempo-algnm a falta dallos possa
sor fonesla aos pais do lamtlia, os quaee ficaro
eortos de os achar constantemente na roa da Qoei-
mado, loja d'agnia branca n. 8.
Vende-se vestidos de cassa a Mana Pia a 55 e
89, ditos de laa muito finos a 105 145 e 18, dtlos
com camlsinba e slnto a 255 e 285 : roa da Im- {
pera triz o. 56.
Arara vende as crinolinas de cores a 35O0.
VeBde-fe crinolinas ? bai5es de cores e bran-
eos a 35,38500 e 45, bafes de arcos a 2 e 15500:
ra da Imperairiz loja da Arara n. 56.
Chales da Arara a 25.
Vende-se chales de merino. estampados a 25,
25500, 45 e 55 ; roa da ImperMrii loja, da Ara-
ra n.56.
Arara vende lazinhas a 200 rs.
Vende-se lazinhas para vestidos a 200, 240,
320 e 400 o covado, ditas matisadas a aOO o 566 :
roa da Imperatriz loja da Arara n. 06.
Chales de fil de linho a6.
Vndese chales de fil de Itabo a 69, 75 e 85,
rande armtzem de tin-
las medicamentos etc.
Im do Irnierai'or b. 22.
fdio Pedro das Kerea (ge-j
rente) lean a venda
segnlntet
Productos chimicos e phanna- f
ceticos os mais empregados em
medicina.
Tintas para todo o genero de pin-
tora e para tinturaria.
Productos induslriaes e tintas
para Acres, como botes de flores
e modelos em gesso para imitar
fructas e passaros com o compe-
tente desenho.
Productos chimicos e industriaos
para photograpbia, tinturara, pin-
tura, pyrotecnia etc.
Montado em grande escala e sup-
prido directamente de Pars, Lod-
d;es. Fiara burgo, Anvers e Lisboa
pode offerecer productos de plena
confianca e satisfazer qualquer en-
$t commeuda a groso trato e a reta-
Mi lho e por preco commodo
ttnKdK
Vapores.
Vende-se em casa de Sannders Brothers & C,
no largo do Corpo Sanio n. II, vapores patentes
com todos os pertences proprios para fazer mover
tres on qaatro machinas para descarocar algodao.

200$ de gratificado.
Km 31 de outobro do aono passado, fugio a es-
crava Claudma, cabra alta e soca do corpo, qae
pertenceo ulliasmenie wt Illms. 8rs. Jos Joaquim
da Silva, Manoel Moricio de Sena e D. Mariana
Igoacla de Castro e silva que a venden a Jos lia-
tbeos Fareira qoe pagara 2005000 a quem mo
entregar dita escrava na ra da Cadeia n. 62.
Poglo do engeono Bello Piado da fregaena
de Aguas Pretas no da 1 de abril do crreme
anno o escravo cabra do nome Romualdo, de ida-
da de 23 annos, estatura regular, fornido do cor-
po, cara larga, nariz chato, bocea grande, com fal-
ta de denles na frente, sem barba, ps largos, tem
as costas com varias slcatrtzes, npoe-se andar-
como forro, por ter levado nina preta Turra cem
sigo de nome Alejandrina : rosase as autorida-
des poiielaes e capiles de campo qoe dee liver
noticia o mande capturar e levar a seu seobor
Antonio Pedro Cavaleaoli de Albnqaerque no dito
engenbo oo nesta praca a Luiz Antonio Annes Ja-
come, qoe generosimenle recompensa.
M'Tfl
Desappareceu desde o da 2 do corrente mez a
prela Victorlna crioula de 26 annos de idade pouco
mais oo menos, tendo os segnintes slgnae-: altura
e corpo regulares, rosto redondo, tem andar moito
apressado levoa om vestido de chita escura ja usa-
do e chales encarnado; esta preta foi escrava da
Exma. Sra. D. Hara Candida Solazar da V. Pessoa,
moradora na roa do Hospicio consta que anda pelas
ras da Boa Vista, < nde foi sua afliiga residencia;
quem a pegar leve a ra do Crespo o. 18 2 andar,
quesera' recompensado._______________.
^^\^^^^^^^m^ de algodao trancado
da fabrica de Ferro Velba : veude-se na roa da
j Cadeia u 4, armazem de Silva Barroca.
Peckiarha admiravel
Lazinhas de quadrlnhos qoe parece seda a 240
rs. o covado* ama grande pechincha, est se aca-
bando : na loja n. 52, armazem da porta larga de
Paredes Porto._________________________
-^"Vende-se sal grosso : a tratar na roa da Ma-
dre de Dens n. 2.
oi
armazem da Arara a. 56.
Roupa feita por medida.
Vende-se paleiots de panno preto a 65 e 85, cal-
cas de casemira a 65 e 85, camisas francezas a
25 e 25500, camisas de pregas largas de Iinbo a
U500, 3, 35500 e 45, paletots de brim de cores
a 25 e 3, calcas de brim e panga a 20 : rna da
Imperatriz loja da Arara a. 56.
Arara vende casemira eafestada a l#.
Vende-se oasemira entestada para calca, e pale-
to! a 15 o covado : rna da Imperatriz loja da Ara-
ra D. 56.
Cortes de casemira a 25.
Vende-se cortes de casemira de cores a 25> cor-1
es de brim e ganga a 15, 15*00 e 15600, cortes
de casemira preta a 35500, 45 e 55 : rna da Im-I
peratriz n. 56.
Bales para meninas a 30.
Veade-se bales para meninas de mnsselina al t,airii aaeicanw.
35 e 35500, ditos para senhora a 45800, 55 e Vende-se nm.cabnolet americano com 4 rodas
55500 : roa da Imperalris loja da Arar"* n. 56. para um cavallo (e coberto) : a tratar na roa es
Arara vende as manta*para pescoco a !#. reaado RosaTio_n._3.______________^^^
i Vendt-se mantas Oara peecoco a 15, grvalas BSSBk9 mi
de seda de cotes a 500 e 800 rs., colariaho dai*"^"-^"'Jq0sc0. ^
Vendem-se 4 casas terreas novas, lim- ^
pas, bem singadas e por mdico prego:
te impeiial
O superior caf do Rio de Janeiro, ven-
de-se a 125 a arroba ; na ra do Vigario
n 24, escriplorlo.
Os pretos Joo e Francisco acbam-se ausen-
tes ha muito da casa do testaraenieiro da fioada D.
Anglica Joaquina de Jesos. coslqmam andar (tara
os Afogados, onde teem sido presos por vezes; ro-
ga-se as autoridades poileiaes os recolham a' de-
tencio, visto qoe sao incorregiveis._____________
Foglo no dia 10 de abril correte, o escra-
vo Antonio, de nacao, cor preta porm um pouco
fulo, estalara am pouco menos que regular, de
rosto miodo, nariz bem afilado, quando anda abre
os ps para os lados, am poa*o cambado cu como
derriado das cadeiras, emendo alguma ecusa de
sapaleiro porm ja' a muito lempo nao nsa do ol-
flcio, moito regrista e moito bebado, foi escravo
do Sr. Jos Rodrigues Ferreira a ra do Queimado
e por isso bem cnbecido pelas diversas fogdas
que rez em poder daqoe le senhor, os fogaree por
onde costoma andar Olloda, Catanga e Varzea .
quem o pegar e levar a roa da Concordia o. 8, re-
fioacao, sera' generosamente gratificado.
"Fugio no dia 24 de feverelro prximo passa-
do, do eogenho Batirn, do termo de Barreiros, o
mulato de nome Pranciseo. idade 31 annos, estatu-
ra aita> seco do corpo edr om tanto plida, com
pannos pelo rosto, om pouco becado, pooca barba,
algons denles podres, cabellos carapinhos, tendo
em ama das pernal ama sicatriz de urna ferida, e
consta ter dito que ia sentar praca de volunta-
rio. Roga-se por tanto Srs. commandautes de cor-
nos, as autoridades policiaes, capiles de campo,
bem como a qoalqoer pessoa, do o pegarem, e de
remelle-lo a sea legitimo senhor Francisco Paes
Barreto, lavrador do referido engenbo, oo a ra u.
Imperador n. 42 terceiro andar, qoe se gratifi-
car.
pe a 500 rs. a dazia : roa da Imperatriz, laja da,,
Arara n. 56.
Lazinha para luto a 500 rs.
Vende-se laazioha para loto a 500 rs. o covado,
alpaca preta a 509; 600 o 808, cassa prela a 320 o
covado : roa da Emperatriz loja da Arara o. 56.
Tasso Imios
Vendem no sea armazem raa da
Amarim n. 35,
Licor fino Curacao em botijas e meias botijas,
licores finos somos em garrafas com ralbas do
vidro o em lindos Irascos.
V'iobosCberes.
Santomes.
Cbambertin.
Hermitafo.
Borgonte.
Champagne.
Moscatel.
R*mo.
Bordean*.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.

F\BMCA
Be alde:reir e luadicao 4e ferro, si-
asebranae; enm as escravos,
Vende-se a grande fabrica de caMereiro e fon-
dieaode metaos da raa Imperial s. 154 a 158-,
e tratar com a viava de Sebastio fos da Silva,
na ra ovrn^35,^_naj^aa_dacade|a n.57.
Vende-se urna rotula nova de louro : a tra-
i tar na ca do Hospicio 28
os prelendentes entendam-se eom o es-
envao Aihayde qoo se acha autorisado
pelo respectivo proprietrio a realisar as ?
referidas vendas.
Aos sehores acadmicos.
Vende-se por 25 cada ezemplar encadernado
Macarel, direito politice : na loja de livros da pra-
ca de Pedro II n. 6, onde tambem se vende por di-
minuto preco para acabar algnmas ontras obras de
direito.
HOTEL
Vende-se o hotel de Italia, sito na rna do Trapi-
che, com grandes accomroodagSes acceiadas e mo-
bilhadas com todo necessario e algum trem do seo
trafego, por qoererem seos proprietarios retirar
para fra do imperio. A localidade e o estado do
estabelecimento garanten bom resoltado ao com-
prador e Iba asseguram prosperidade.
Escravos fgidos
Contina fgido o escravo pardo Sebastio
de 18 annos, alto, cabellos carapinhos e roivos,
oihos castanhos e grandes, sem barba, nariz cbato,
com todos os dente, orelbas peqaeoas, lem a mar-
ca do om talbo sobre o labio superior, marcas de
bichos nos calcanhares, sabe ler e escrever, traja
cal^a d brim e camisa de algodao braoco : quem
o pegar levoo as Cinco Ponas n. 152, qne ser
recompensado generosamente.
Fugio hontem 13 de abril o escravo Joan
cabra de 25 annos de idade, bajo, grosso do cor-
no, com falta be denles, ps e maos nm pouco
grossos, barba pooca, cabellos carapinhos, nm
pouco roivo, levoo caiga de brim parda, chapeu
de baeta parda e camisa de madapolo, regrista
e intua se ser forro.
Este escravo foi comprado ao Sr. Manoel Ri-1
belro de Carvalho com loja na rna do Queimado,
o qaal escravo foi remedido de Garngons pelo vr.
Antonio Correa da Roeba Mociz para ser vendido
no Recite, presome-se qoo o dito escaavo techa
segotdo para Garanbaas, onde tem prente?; pede-
se aos Srs. capitaes de campos e mais aa'T'.dadPs
que o pegnem e levem a sea Sr. Jos ewwa de
Miranda Cunba na roa da Imperatriz o. !' ii. a
Sr. Manoel Ribeiro de Carvalho com elja : nit
do Queimado, qoe serio generosamente reriniM -
gado.
Est ausente da casa de seu senhor desde 31
ri "largo prozimo passado, o escravo por tu me
tnago Zongo, de meia idade, levon ralea
f. camisa de algodao fuchlcada, chapeo vetho
d* )o, tem cara grande, ventas regacadas, naris
chalo ; fui escravo de Sr. capitao Joaquim Francis-
co Lavra, e tem sido encontrado as roas do Hnn-
gel, paleo do Carmo e Campo Grande : ropa -e a
quem o pegar leva-loa casa a-roa da lrapnatriz
n. 80, qne ser recompensado.
Aosentoa-se da casa de sua senhora, desde o
dia 2 do corrente, oescavo Trajano, multo, *
20 annos da idade pouco mais oo menos, com os
signaes sr guio tes: estatura regular, rosto redondo,
sem barba, cabellos grandes e bem estirados, le-
voa caiga e aqueta de panno asul fino; tem sido
encontrado as roas desta cidade: quem o pegar
e leva-lo a' casa de soa senhora, a viuva do te-
nenie-coronel Florencio, na rna da Imperatriz n.
63, ser recompensado.
LISTA GERAL

58!

DOS PREMIOS DA \. PARTE DA I. LOIERIA CONCEBIDA POR LE! POVINCIAL N Mft, A BENEEKIO DA MATRIZ DA VILLA BELLA, EXTRAH1DA EM 19 DE ARRIL DE 1866.
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
6
^
8
10
12
19
20
25
29
33
38
i
CT
61
04
. m
68
70
78
78
m
85
86
87
*8
a
se
r
109
19
29
34
36
37
42
47
48
&i
- -M
1055
65
105
65
208
9
11
17
20
23
24
28
34
38
41
45
48
4
51
53
37
58
60
67
68
69
70
71
74
77
90
93
94
_ 308
65
105
65
105
65
405
65
53
40
71
73
4
M
7
se
52
l'3 .
11
21
28
29
31
37
38
43
44
45
47
49
53
56
59
60
as
59
74
105
65
1*5
65
105
NS. PBEMS.
377
83
84
89
91
93
99
410
12
15
23
34
3
45
51
ai
73
74
76
80
91
94
97
503
4
9
13
14
20
as
27
42
4a
57
62
63
66
67
69
70
75
77
78
79
81
84
87
3
601
65
105
65
65
65 i?
10i
4*
618
22
28
33
38
41
42
48
49
53
54
56
68
70
73
74
76
79
83
91
94
763
17
18
22
25
26
28
29
ai
37
SI
41 -
48
81
87
89
63
*
m
78
96
809
16
18
20
21
27
59
NS. PBEMS.
831
32
34
35
39
41
43
45
46
57
58
59
60
62
63
66
67
72
73
74
75
78
81
82
84
93
94
97
907
14
15
19
20
22
26
41
48
47
48
53
84
86
65
66
68
70
74
78
77
80
65 986
105
405
165
205
65
NS. PREMS.
65
87
88
NS. PREM6.
1196
65J387
90
65 91
95
1003
7
25
27
28
30
32
33
36
38
39
42
43
44
47
48
80
56
71
'74
77
k 78-
n
83
87
1101
a
18
19
20
22
29
32
2005
65
-90
1005
205
651
105
65
205
#1
1206
9
10
12
16
17
20
29
31
38
42
46
t- 50
82
55
59
61
64
66
73
80
81
83
85
86
87
H
96
96
99
K
105
65
205
65
5005
65
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS N8. PREMS.
i 4
65
65
93
94
95
99
1407
13
15
17
19
20
29
30
32
34
43
44
48
49
51
54
56
60
61
63
66
70
73
74
80
84
- 86
87
90
*t
m
*
1804
?
14
23
aa
38
41
46
47
SO
405
65
205
65
105
65
105
65
a
am|
405
5
1553
57
59
60
67
73
77
79
81
83
84
85
92
96
99
1604
11
17
26
29
32
33

0
41
43
54
68
72
K
: 25'
W
7a
aa
aa
ai
93
65
105
65
m 04
65
205
I
98
9a
ao
5
1
10
17
1725
27
29
32
39
41
43
45
46
48
51
53
55
58
61
62
66
67
75
82
84
91
-94
96
98
99
1800
S
4
10
14
19
11
26
38
48
58
5
8
72
7*
71
84
86
-J 89
90
91
4004
18
81
65
888#
65
05
85
m
m
85
1922
23
28
32
37
40
46
48
53
54
55
58
66
70
71
83
92
98
2005
21
22
23
26
27
36
47
52
54
58
59
61
64
65
66
67
69
72
73
7
.79
84
88
86
88
97
8102
3
5
u
13
105
105
65
105
65
2118
19
23
24
26
27
29
30
36
46
47
54
57
58
59
63
72
79
80
81
105
65
405
65
205
65
105
65
105
65
f
fe
99
2201
8
13
15
82.
28
30
32
33
44
47
48
50
56
58
62
64
66
70
86
88
97
1005
65
NS.
405 2319
22
27
32
34
36
37
39
42
44
49
SO
52
59
66
69
78
80
93
94
99
2401
7
12
13
18
28
- 31
33
36
43
48
*
58
74 ;
76
78
81
91
93
95
>08
2
5
PREMS.
65
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.|NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
8525 1
1005
65
28
31
33
35
40
43
49
51
56
57
73
77
83
84
87
88
91
93
97
98
2614
15
20
23
40
41
52
54
88
88
I
62
T*
74
79"
82
84
90
93
94
205
651
05
105
65
105
65
205
65
105
65
205
65
8301
5
!!
18.
U
10
41.
t
4
9
10
13
15
10
-1 10
- 8 -
2910
14
25
26
38
40
45
49
53
56
63
69
71
76
77
86
89
96
3060
t
4
12
1
17
18
21
25
29
30
JW
h^4
36
38
48
i 47
82
88
63
73
75
78
7
81
91
95
90
3100
11
IV
65
205
105
65
405
65
205
65
i
Z
105
3122
30
36
45
47
49
50
53
56
59
60
63
69
70
75
77
78
81
I 82
88
95
3205
9
17
25
34
36
41
42
46
51
53
61
67
69
70
71
77
78
82
84
88
86
91
3301
2
4
10
16
19
105
65
1:2005
65
65 3321
22
30
33
35
36
38
42
43
48
68
73
75
85
97
3402
6
10
13
14
15
16
20
23
25
27
I 33
4
50

59
65
105
65
205
205
65
105
65
3
70
7a
7
2053505
105
65
9
rt
17
'
32
38
48
18
91
63
87
3561
64
65
80
82
83
87
3601
8
20
24
29
30
31
41-
42
46
i 51
54
405 26
65 59
60
68
70
71
72
78
79
83
90
3703
11
13
18
22
19
32
38
37
39
41
44
81
65
65
85
65
805
65
205
65
101
65
205
65
_
3788
89
91
93 -
97 -
3803
4 -
6 6:0005
13 65
18
28
31
35
37 _
51 -
56
60 -
54
65
71 -
73 _
93 _
94 _
ni -
3909 205
***
13
14
15
20
21
89
23
28
30
31
52
53
v
63
66
H
78
83
205
65
105
65
\
93
97
4000

#







\





/

imam


J_

*

;




i
Diario dt .mirtae fteita felfa tfl efe Abril de IM6.
LTITERATDRA. 5
seros Polacos, cbamaado-os pira a Brasil, para mim fraco entra 01 fraees dirigir-vo* estas toscas

u=aiM=
mpn
clBisaeS polaca
xposic) da setsao da reunido que, para yramo- ra da colonia
|
tri
ragan donN
nharam aflea'
cooojjs agricaias a induar, palavras; mas ienty pactoofii, porque t
> vosso counecimeota a nar^ acra esmol
>mpv Dr. Sa%i^(
4 WflafeiAm! "
Sabis igi
t)r. Si
lUOtyi
H''li'J|i"i' I
-.uil BrnefictiUe,
Sji a presidencia
ia re
dilaos
gja.:>ses ila soeledade pernarabucana, cora o m di
tratar dos metes mais convenientes de proteger a
emigrago polaca para estabeiecimenio da colool-
sa:o nesta provincia.
(Cada acgo ^de lOflOOo
Os Exms. Srs.
Visconde de Camarigibe.
Bario do Livrmeoto.
Dr. Sabino O. L. Pnho
ver a coionuac&o polaca, tm lujar no (Ta 4 do marte, que st ssMie^sTejecijda em rVred*' M**5f ^*!!P* ^'* ^^*
< rente mn nos talOes da uootffio Cmmer- ba or cirmsiaoelM j2E
pendeni-s di nossa ronlade, foi a idea xproveit-
do Eiat ir. eonselheiro Au- da do Rio do Janeiro, eeie se acba ja fundad
eurdram-se a 4 do crreme importantes ci--Sob os mellio/es ausp.ctos urna associagao com
Irasileiros e estranrelros, das priocipaes mismo Qo:::e acoaj os nesgas lias. (*)
Resta-nos ogera contribuir' oom- o nosso contia* Sanders Brothers, presidente da assoclagi
gente para que e=sa associagoraossa levar a effeX roercial beneficente.
to o grandioso sbjecto que tero em vistas realisar. Antonio Jos Rodrigues de Souza, tbesoureiro das
iante de nos acba-se um Polaco solicitando loteras.
n. fIJr n TT' TV P''" ', T D0Si beQeficanc'a favor de seus infelizes con* Jas Pires Ferreira, tbesoorelro da Santa Casa da
no Olegano Ludgero Probo, qae em um bello d.s- patriotis, a quem yer lran QS Misericordia.
corso que abano publicamos, expoz o nm huma- nosso ibeaQOi6 ^ pafa com ^ ^^ ^ Thom fle Aga|D0 ?oQs(Xi
D'ioisdoremsroo illustrade dontor oroooz a no Va,agens eco>i e sociae,, que Ihes alo ne? J"no Pereira de Paria, por si e sea fHtao
rj.^! dontor propoi a no- gadai 8ra 5tla malfa(Jada ,rja s Conselbeiro Pedro Aotran da MatU Afbuquerqoe,
meacSe de algnmas coramissoes giradas Centre as; elle vencendo 0 nalora, aP,antiamflnfn ^.J* ^SL Jos La. da Conna F^eirdo
o oaturaI acanbament estenda su*
mao para receber e obulo da caridade ?
Nunca se reeor-'
Brasil. Sn pro-
diilerenles fregnezias desta cidade, que se encarre-
gaasen de agenciar orna snbscriPCie por meio de! No> seoh eQ conh
accoes para auiniar a colonisacSo. Pedio entao_a' go bem a geQt 'com (|Qe(n5j|d0ora,!
pajavra o distueio Sr. Francisco Gomes d'Oliveira, reu de 0alde a beM^
que, abundando as mesmas consideraces com nra< ..i.-i.,^ _.
_ fri" caiamiaaaes, e as ona tpm snhrviniin
que jwecoa o Sr. Dr. Sabino a sua ,da, concluio oulros p00Si ^ aos 'sS^^StZ a
peJido qae para logo se promovesse urna sub- dos estranaPirn5 rci r s" as;lra como *
.cripco entre as pessoas presentes. T Z*T* ^ "" S,te
O distinctoSr.Marinbo, aceitando a ,da do Sr- ZZ^JSli" maSCbelW
Di. Sabino, apresenlou o seguiote requerimento : pm ,.,,, .. .
. Proponboue^jalmpresso o discurso escrip- exeree n ave IL,00' clf8 com,nera'
, do Sr. Dr; jW^m um lo.beto, e que, com a '^Z^'^SS^^SSl^
acta da presenta xeaniao, seja mandado as auton- 0 sen -
dad es territoriaes em todas as comarcas da profin-
ram, o sumlram-se no barathro da mais' desconcerla-se, affirma-a silica, nega-a, espedaca-
tremenda reaiidade. se, suspndese, ceroeea em arbltolta, aeaba em
Chrenme, stBOoret, a queda d'tsst estrella qae archltrave ; peaede sobre penedo.
anda om dia poda derramar atas Inzes sobre a O pedreiro Encelado,
patria, e iHoaaroar-lhe o pofvfr; Moremos, sent- Extraordinaria dynamca patatela allr os seas
res. abracados era: da notsa'or, o desappareci-' problemas, resolvidos.
ment d'nma v|da que scismava em tanta gloria,
d'uma gloria que esvaeceu-se com a ultimo aspi-
ro de am moribundo...
povoavam aquella Imagloacio rdeme e enebres- A aua con0gurac3o architectural iraiafor(M-se,
A vida asslro, senhores: flor sera perfume
cojas ptalas emmorchecem os gelos da tumba;
Horrorosas abobadas pendentes ameacam, mas
nao cabera.
Nao se sabe como se su-lentam essas vertigino-
sas aceumulacdes de pedras.
Por toda a parte pendores, quebradas, lacatns,
sol vividd e fbgai coja luz obambram e ronbam as suspensSes Insensatas ; nao se aleanca a fei desie
nuvens pardacenias da morte ; anhlito escapo f babelismo.
d'um peito de chanca a qae soffuc orna mao de
O Deseonhecido, immenso arcbileeto, nao clen-
la nada 8 imio leva ao cabo ; os rochados, amon-
ferro...
Mas qae molla re o peregrino, exhausto de .
forcas e tomado de cansacn, es.ende-se nos arefaes oados ,em do deserto; abi, onde espera encontrar com o
Monsenhor Joaqnm Prnto de Campos
Depotado-geral Antonio Hereolano de Soofa Ban-
I

cia, aompanbado de aolicitacSes de urna commis-
sao para a obtencio de donativos que possam de
'prompto acudir as urgencias da emigracao, nao
bcrvindo de obstculo a que os uiembros presentes
prooedam logo a's respectivas assignaturas.
concurso tSo importante que mnilas vezes
so por si vale tanto oo mais do que o de todas as
outras ciasses reunida. Na presente occaslo nio
se pode prescindir 'tle invocar sua proteccao e fa-
vor. Trata-se de soccorrer a infellzes-, que deO-
nbam a falta de pi; e de ajodar a najSo a levar
Sr. conselbeiro Marinbo Antraa, depois'!'n'.n*eT!"<*o *abalho. Tenm de sa-
da leitnra deste reqonmento, poz em discussaoas jl0taresse da al8" P"a satisfazer os in-
propostas dos Srs. Drs. Sabino e Oi.vera, e o re- ?**** Uln.p", E' quando da "saclo-des-
quermento do Sr. Marinbo, e, nao usando ninguem meJ0SSe$ de "saltar desenvolvimento das
da palana, poz ludo a votos, verificando-se unani- 'e "qaea' Bao s>oe "ommercie ser ImJf,
me approvacao. Ilerente a lao *""** meios de prosperidad.
O commercio do Brasil nao fem em lempo a+-
iiumediatamente usou da palavra o distincto Sr.
Vasconcellos, pedindo mais ampios esclarecimentos;
gura desmerecido do
era relacao ao modo pratico de realisar a coloaisa-
co, seguindo-se-lhe o Sr
satisfactorias explicacoes.
j mas tal tem sido
conceito, em qae lidc,-
liberalldade e dedcacao coi
^ao, seguindo-se-lhe o Sr. Dr. Sabino, que deu-lbe! 1Ufl-M leiD d95lm*aido J
de Pernarabuco, qae raerecea do govereo impe-
rial a graca de accresceniar a aenominago da
O Exm. Sr. cjSelheiro Autrao, com a sua pala-1 sua associago o titulo de Beneficente; grap qa*<
vra eloquente e autorlsada, produzio ama brilhaa-' a tem feito refulgir eoire as outras assoeiacoes da
te aocoQao tendente 3 mostrar o flm humanitaria mesma natureza.
ta reOQiao, as eminentes vantagens da colonisago, E boje que se trata de fazer um benefkr a al-
o a excitar a generosidad publica a concorrer pa-1 gans membros da humanidade, e ao paz, em qae
ra to justa causa, que ao mesmo lempo de um vivemos, seri licito a alguera acreditar qne DA)
povo infeliz e do Brasil encontraremos essa classe benemrita da noss $*-
Usou em seguida da palavra o Sr. Needham, dis- ciedade oo mesmo camiobo qae tem ievaa a-
tracto presidente da Associacao Commercial Bene-' gloriosas tradicoes f
licente, qae pedio para proceder-se a'subscripcao | Se em pocas menos felize?, qoando o monstro
por meio de acedes, e encerrou-se a sessao por ser da banca rota ameagava engolir o ommercio nor-
j terde, o qne foi accordado. nambucano, e redazir a penara, as familias dea
E, como nao tivesse havido lempo para a oo- seas mais prestrnosos e honrados- membros, nio
meacao das commissdes nessa occasiao, o Exm. Sr.' nos era permettido davidar da su& magnanimida-
v.ouselbeirj presidente da reuoiao designou algans de, do seu amor do prximo, e da-dedcacao.com
dos Srs. subscriptores para formaren) ama cora- qne acodla aos reclamos pubHeos, boje que elfo
mi-sao central, e as commissoes auxiliares ou de aufere leeros vantajosos, gracas- a esBMlos.pro
parochia, com o flm de facilitar a acquisicc do duccio da nossa agricultura, qae- a nossa prta-
maior numero possivel de subscriptores. Esses cipal fonte de riquezas, poder-se-h esperar um
nf
deira.
Dr. Joo Jos Pinto Jnior
Or. Jernimo Villella de Ceetro lavares
Dr. Brz Florentino Heariqaes de Sonz
Conselbeiro Loa-rengo Trigo te toureiro
Dr. RuSo Augusto de Almeidh
Dr. Jos Ticwckj Pereira de Maflanes
. R. Rabellc
Francisco Gomes *e 01 i ve Ira
Candido C Gv Jbh-.oforado
Jos* de VasconeeHos-, proprieurlo *i crtal do Re-
cife
Dr. Aagosto Cesar' da-Cunba
Dr. Ueodoro lpiaeo- Qo\tto Catanho
Laurentino J. de Miranda
Joaquim Olinto Bastee
Demetrio Acrele de Basto
Dr. Ignaeio Joaquim te-Sbota Lelo, prmMfeMe i
caixa Wtel
Miguel Jos-* Alves, direetor1 da eaixa filial1
Dr. Maooel do NasctmeatO'lfactudo PorteUa
Dr. Jos Honorio Bezerr de Metetes
Jos Nogueifeyde Soma
Dr. Ezequiel Praneo de 9''
Antonio Duar'.e Carneiro VMM
Joaquim de Almeida Pinte
Augusto Foederieo dos Samos-Porto
Dr. Maaoel dV Kgueiro* Kirie, proprteteri
do

digaos senhores tiveram a boodade de acceitar o
convite, que se Ihes fez, dando com isso mais urna
prova dos seus sentimentos de humanidade e de
patriotismo.
Eis o discurso do Sr, Dr. Sabioo Olegario Lud-
gero Piobo :
< Nao vos admiris, senhores, de apresentaP
diante de vos, para dirgir-vos a palavra. s
mentos mni naturaes me indozirara a ron\i -s
escrpulos, que me accommetteram o espirito,
limado me lembrei de tomar parte nesta Rastre
reuoiao. Esses sentimentos sao : o amor do pr-
ximo e o amor da patria.
< Desde a mioha mais tenra infancia tu; ensina-
ram compadecerme dos infelizes, ea olhar para
a ainba patria como um objecto sagrado, digno
desvio impossivel de ser acreditado t
Nao, senhores; os crditos de horneas de bem
nio se mancham as torpezas do egosmo.
A benemerencia da nossa- corporagao commer-
cial b de sobresahir nesta oecasiao, assim- como
'era sobresahido em todas as entras.
Oe que procede o bem estar que se nota no.
tommercio de Pernambueo- e de todo Brasil t Sera
duvida lguma provea da exteasao da producais
agrcola, que nestes ltimos lempos, apezai' de- to-
dos os embarazos, tero resolvido o proMema des-
vantagens do trabalbci livre sobre as do trabalhc
escravo.
E o que queremos nos com o acto de beneficen-
cia, que temos desejo de realisar ?
Augmentar o numero de productores llvres. am-
os meas respe.tos, das miabas complacencias e Q Q0 lraba|bQ ^ e ia(,os|r(a| esses
dos meas sacrificios. Educado uestes; principios, b QQteis em 0u:ras partes, que myrram de
de moral universal, que todas as familias e todas tojo m < recursog> e e5canda||safio.la|.
as aacoes adoptara como fundamentos das soc.e-, m a (lmanidade COffl og ^^ % que ^ ^
dades, eu tenho o grato prazer de acreditar que to- do. pe(a occiosidade DVOlomaria.
Diario de Pemmbaco.
Br. Sarment Filao
Pr. Loiz de Amaqeerque Uartta Pereira, talega-
do de polieia.
fi. Manoel CleraentiOo Carnetn- 4a Cunha... Bxm.
viee-presidenie a proviacia-
is- Beroardo Gc*rio Alcoferado
Aatooio Leal Rets-, direetor da-oasa filial
Or. Abilio Jos nares 4a sW<
r. francisco de-Paula S Bes?, secretario t> gc-
vera
Manee de Shiuewv -Cavalcaate Jnnior
Dr. Mtgoel Jas -Atmaida IWaombuco FKbo
Pr-YrgilloCoU.
ir; Candido Affmee-Merer
Rteao-(i\Irmfin
Jb&e- Mara Cordeir bisa
Jta Pon I u al
Pf aneisco Xavier e-Oliveira
Jbs-Jernimo daSMva "
Padre Jeo Jos da Costa Kixmk -vigaric-da fre-
gnesia de S. Aateoio
Ibaijnini Lopes Staehado
Padre Augusto ASeares da-3nsnller, v;gario da
Ireguesia de S- Jos.-
Beraardino Jos-Manteiro-
Gaimares & uUveira
Jorge Tasso
Dr Hermogase-Secratas lavares de Vaseencellos
J. J. Tassos
Manoel Jos es-Sautes
Joaquim Marh CaraloanJe- de lbusgwrque
Dr. Joaquim Jos da Foaseca
Dr. Maximiaso Lopes Meehado
Total das accoes subscriptas at asta data
de abril) 5k3;
repouso a vida, depara com o soffrimeafo a.
morte; mas que a gloria semelhante ao JuAs
bblico ; oscla a fronte do homem de forga ?*rt
depois entrega-lo ao demonio da falalidade.
Choremos... Elle era um desees que creem Des-
palmas da ventura, nos riso do fnturo : e, infelte
como oulros, pensara qae ama re* lmpido e sere-
nero co da vida, nio poda conter ees si o germen
das tempestades I...
E deve aafcir de ponto- nossa der, senhores, por-
que o amigo cuja morte- boje pranfeamo?, e qae
durante,* sua vida fez de en peito nm saoctuario
dos mais oobres sentimentos, e um erbono das
mais ternas affeigoes, nao leve no momento em
que sua alma desprendeo-se da-trra, nem mao de
amigo para Ib fechar os olbee, nem um eorago
de pai para Ibe acolber os suspiros, nem nm seio
de mai para Ibe aquecer a fronte lvida o maci-
lenta !
E elle ja dorma... limpoa as sandalias do negro
p da trra ; sacudi dos cabellos o orvalbo da-vi-
da; e,-transpondo os- prticos da eternidade,.le--
goa-nos um nome querido, estampando em nosaos
coragoes urna saudade eterna...
Ajoelhem-nos, e oremos pelo amigo... Qae Dee-
sas supplicas, sobrado de envolta eom o Incens
que se aanovela no ar,. facam com qae-Deus Ihe
concedano co, o qne-nao Ihe fondado gozar na-
trra... '
Seoberes Nao o despenis de seu-semno : sei
o qaizerdes-ver, fazeicomo Haydea, a grega : fe
chai os olhos, qae ve-lo-heis no corajo.
Silencio, sensores as dores passageiras blas-
pbemara e accasam o oo: as graodes- dores nao-
blaspheaam nem accasam, escutam. >
19 d abril.
A. MtLTON.
tro ; nio ha lgica, ba om vasto equilibrio
E' mais deque solidez, a eternidade.
Ao mesmo lempo a desordem.
O tumulto da onda parece ter passado para o
granito.
O parcel tempesFade petrificada.
Nao ha nada de aais funda impresso para o
animo do que essa-feroz archiiectura, sempre a fa-
kir era ruinas e setapre-de p.
Vado se ajuda e se contraria mutnameote.
E* um combate de liabas de que resalta um edi-
ficio.
Reeonhece-se all a eollaboragio destas duas ri
xas, o-oesano e o furaco.
fe gatos e qooxe taeobos, qat miara, ladra'
vam e saltavam fraiefaalmepte ao aposento e no
pateb de tal senhora,'niC simYa podido reconhecr o
gato ronbado.
dos os homens residentes no Brasil, qualquer que
seja a nagio a' qne pertengao, qualquer que seja a
crenga religiosa que adoptero, nao poderSo deixar
de uoir-se no empenho de prestar-se ao servigo da
Pois bem, senhores; temos diante de aos um
campo imnienso para cultivar com poueo traba-
Iho ; urna obra grande para executar sm muta
difliculdade. Resta-nos pois empregar a nossa
humanidade, e de concorrer com o seu importante ]m voatade para colherraos bons frac|os do cam.
auxilio para qua os negocios de interesses mais vi-
taes deste paiz corram de modo satisfactorio, por-
que da sua propriedade lucram nacionaes e es-
trangeiros. Os principios, que rae animara neste
momento, sao os mesmos que nutrera aos meus no-
bres onvintes, porque a edacugo que receb nio
tem differenga essencial da que ellas receberara.
E se esses principios regem at os homens, que
vlvem em completa barbaria, porque a natareza
tem suas leis, que nao podem estar sageitas aera
aos caprichos e nem as transformagees sociaes, co-
mo poderemos davidar de encontramos nos nos-
sos compatriotas e nos honrados estrangeiros, que
comnosco convivem em sociedade civilsada todo o
apoio e proteccio a qualquer acto tendente a bene-
ficiar os infelizes, e a augmentar a forca producto-
ra do paiz T
Bem sabis, senhores, que o fim desta reuniao
tem por objecto estender mao beneficente aos mi-
Ul -PODIO DE TDDO.
pabliee-em Pars
es-i Travail-
(17-
Uau lagrima.
po, e enebermos os vastos armazens do edificio
com o producto do trabalho commum. E se dos
meios empregados pela nossa boa vontade nao re-
sultaren] as vantagens, que se nos antolham, pela
preguiga dos beneficiados on por motivos so delles
decadentes, tanto mais infelizes serio porque
nao qaizeram aproveitar os recursos, que Ihes of-
ferecemos, para sobtrabi-los da miseria ; mas a
nos ficar a grata satisfagab de bavermos pratiea-
do ama boa aegio, recommeadada pelo espirito da
caridade e pelo amor, que consagramos ao nosso
paiz.
Tenho abusado muito da vossa benignldade *, o
assompto mereca algum desenvolvimento. O qae
sioto qae em lagar de ser elle tratado por algu-
mas das illuslragSes, que possnimos, coobesse a
() Veja-se a 8." pagina do Diario de Pernam-
bueo de 15 de margo prximo passado.
RECITAD* Mt M*TR. DA BOA-VISTA, POR OCCASIAO .
de ss. ceiBBRA& wa MissA WJNEBRK por alma i formagao oceauca
DO /CAOEMICO E fENENTE DE. VOLL'STAMO. PEDRO
EUSENin. DE GSI6-EIRA LIMA. k
Meus senhoraal
Devemne um adeus ao eellega ; aveams ua>
lagrima ao aaUfo. /
Um corac,aa de mogo inssnsibilisou-se ha pouco
ao. coataoto da morte; e nm crneo,, qpe so abra-
sa va em ideas de fogo, foi quebrar-se de encontr
loosa de am sepolchro 1 Maift am lidador das
tettras Cahio extenuado na arena, do combate;
mais um soldado da patria depoz o gladio sobre a
lage. de um inmolo, e sabia as- azas. da virtode
ao seio infinito de Uses...
Qaaodo, meas senhores, esperramos ver a fron-
te do amigo coreado, de ama dupla aureola de gio-
Ja' sabiram a
leurs de la mer.
Dedira-es o autor Hba de Gaerneseay, sea ac-
tual asyle, e que diz sera" provaTateaeote osea
sepulchro.
No breve prefacio da-obra diz o poeta--que a re-
legiao, a soeiedade e anaiuveza conettaaem as tres
luctas de homem.
Estas- Ires luetas s3e ao mesmo lempo as saas-
tres necessidades.
Cnmpre qae creia, d'abi surge o templo ; qoe-
creia efunde, ed'hi **laade ; qioHriva, e d'MA
o orad e a barca.
Mas-estas tres soteedes conteem. tres guerra:-,
porque o homem lacea com a snpersneio, com a-i
preocenpagao e comcs-eleraentoaw.| #.,.,
Pesa sobre nos am triplica anatiwma ou fatal--{
dade..
Em Notre Dame t. Pars, denuneion o autor? o
primeiro ; em Leu Merabks o segundo, e ageura
analysa o terceiro em Les travaiUrun de la *w.
filas como nao tm falalidade absoluta, este ro-
mance consagra de novo a victoria do horaem-so-
bce a materia e a-.das torgas mcraes sobre as- (or-
eas naluraes.
O grande poeta .expoe-nos acs-olhos ama nAkare-
. nova, o mundo do* abysmo e dos ventos.
Ah vai, tradniido a pressa, nm trecho dessas
descripg5es novas em qne a, verdade tem as pro-
porgoes da faan-la :
t Os promontorios, os. sanos, os finiste*res, as
pontas, os pareis, os recifes-sao verdadeiras cons-
trucgSes.
Pouco a.formagio geolgica comparada.com a
L-se-saf/mon Medicales-de Priff^
Os jornees de medicina fallaran por varias vezes
de urna dfescoberta importante para a iherapeatica,
qae coosiste aa desinfeegao do oleo de flgado de
bacalho sem Ibe tirar nenhuma- das s-aas proprie-
dades.
Temos o-prazer de annuoorar boje aos nossos
leitores, que esse resoltado foi obtido do modo mais
completo por om hbil pharmaeeutco' de- Pars, o
Sr. Cbevrier^qae consegua desinfectar o oleo de
Qgado de boealbo com o aloatrao a- o balsamo de
Tolo.
As experiencias (eitas por militas de nosses pra-
ticos celebreroes hospitaes e sebre seus-doentes
particulares, as-analyses e ensaios de cttmicos
competentes, aso deixam nenhuma duvsa a este
res peito.
Relatamos aqal as proprias- palavras de-om jmz
;muito eminente e-co rape ten i,,. o-Sr: Dr. Sr-Hom
ben, laureado da academia imperial de medclBa e
prolessor de ehMca
' Submelti aaaalyse, diz e^ie distincto proessor,
o-oleo de figa4 de bacalho natural, destoeclado
pelo processo do Sr. Cnevrfer,. e posso certificar
que esse producto nio perdeu nenhum dos seus
-principios medteameutosjs nem- cbimlcos,. que
se'acbem u> oteo de ttgao de bacalho ordi-
nario.
A traca propor-;lo das substancias eslraabao que
entrara no oleo natural para, dissimular o sea ebei-
;ro e sabor desagrada veis, na poda de neabum mo-
do alterar snae*propriedades- medicas s. o torna
de um uso faui uiesnio a&zadavel
Era resumo^, o oleo de .jjmiIo de batzliio- desin-
fectado pe\opt>eeesst Chei-ner gusa de proprienades
idnticas ao cb: de Dgado- de bacallao ordmarlo,
que elle reprsenla exaetaaeote.
Elle maobera toleradpelos doenias>.os> jaaes
elle nio ancj* a iomadc>plas pessoas- cujo gosio
e olphato sdos mais sue
FOLHETIM
ASEPLTUMDEFERRO
POR
Henrnrne Coosciencc
(ontinnagao.)
XXXI
Durante alguf das, recuperou Rosa pouco a
pouco maU^rca e alegra, ao passo que, forga
de repetidos assaltos, consegua eommunicar-me
o sen estranho amor morte.
E, com efleito, posto qae ea conservasse aii
a esporanga de a ver cotn saude, ja* nio me assos-
tavaaida de qae ella'podesse morrer. Ilavia
mesmo momentos em qae, como Rosa, en nio con-
siderava a morte senao como am acontecimento
qae, sem interromper a vida, franquela.a alma dos
seos lagos materUe* e a p5e de nosse do infiuto
poder qae deve i. ana eesencia divina.
Asslm, se Ro/'Uvesse de deixar a ierra, ouvLr
me-h.a, conb>ri os meas pensanaenlos mais >
timoi, es/^a^omUje e to me deisaria at ao
mom#* que ea podeise tambem adormecer
no eiemo somno do corpo.
nao a ultima lucta da minha natareza terrestre com
o temor innato da soa anniquillago.
Emfim, sob a inlluencia das palavras exaltadas
de Rosa, tanto me afii a este modo de encarar a
ra, a mona depositeu sobre ella os goivos e as
saudades; a sua desolada familia qae cha pode-lo
abragar beroe e deato apeaas sabe-o ca,-
daver.
E todas, as illusoes qae nutria aquelle coragao
de viole annos ; e iodos os sonhos de futuro qae
Os escotaos, essas casas-da onda, essas pyrami
des e essas syj*ges|Ndwatnn,'i>erte*iKm a
arte mysierioawque o albor dejtea)ivp ja' em
gares chamonrarte da, Anreaf^teeal'uma e
ci de eslyJITenoraie. X 4v
O fortuito parece premeditado.
Essas conslractQBS sao multiformes.
Teem as encaorestadnras do polypo, a sobmi-
dadeda cathedial, a estranhera do pagode, a ara-
plliude do montera delicadeza *. joia, o hoccor do
sapulcbro.
Teem alvolos como am vnspeiro, casis como
am pateo da bichos, tunneis como moradas de tou-
peira, calaboucos como urna baslilha, emboscadas
como um acampamento
Hoje que- o oleo do finado de aaaalba se tem
tornado unidas agentes- mais importantes- e- preci-
sos da tlieaapenlica, avfeike que dascobri* a meio
de o torosa dn-um uso..Uei< para.-tedoa,presin
m verdadairo servigo- a irle de eocar e- aos pra-
ticos.
Por isso nao podemo (netoir melhar do que
felicitando o Sr.Chevaier por soa rieae- atil deseo-
berta, qae merece ser- propagada e- zer com
mea calinga, o Sr. Da. Richelac .os teabalbos qae
coadazem a descofeaalas desta. espacia- evem ser
protegidas pelos memeos.
Os .importantes tsabalhos. oSc. Chovrier sobre-
o olood ligado ds-bataihao Ihn-fizeram obter om
resultado nio menos importaste, o qaa4 consiste em
ter assoeiado o Cerro ao oleo do finado de baca-
Ib.
d oleo de figea to hncalkaa.fesniwpnoso dt (Mte-
vaer constuue lalvez o melhor meio de dar-te o
ferro. Pois o iodereto de ferro anido deste modo
eom o oleo do Qgado de bacalho dissolve so-mais
fcilmente eos lquidos das vas digestvas-e-por
eonseqaeacia assimila-se muito melhor do qne sob
a forma de pillas oa tarops. Emfim elle-perde
assim suas. propriedades. irritantes, e nao provoca a
constipagio. '
E asslm que os. noentes, caja estomagnao pode
suportar nenhuma preparagao marcial, tomam fa
cilmeBte o oleo de-flgado de-bacalho fermunnoso de-
Chemer.
Falla-sa ha muito lempo da sabrtiaigao do car-
vio de podra pelo petrleo am certas apnca-
goes.
Um enfeahelro amencano fez era Molbonrne, na
Australia ama viagem de ensaio em ama locomo-
tiva, nio lendo outro combustivel mais do-qae pe*
troleo.
Esta suBsthuigao offerecera' grandes vanteneo
aos paizes onde o petrleo abunda ; economa* per
om lado e commodidade por lonnro; os fogo**- de
petrleo alimentam-se por st p>oprio?, esli toe'
los de falseas e de fumo.
am 11 i i
Era Stratford, patria- de Shakespeare, algos tra-
ba I hadores, ao eavarem n'ama qntote, descobn-
ram, ltimamente, mai de 3,000 esqueletos boma-
nos em perfeito estado oV conservaban.
R' opinlio dos sabios que ama grande batalba
foi oulr'ora travada n'est* local; sao lodos os es-
queletos de horaeos, colloteWos em Imbn, eom a
cabega n'ama-direcgo commum.
i ii m i nm
*
E" do Ilustre literato, A. F. de Castilbo
A MULHER.
Reuni Deas para compor a motberremate,
corda e epylogo dacreagioa guala esseacia de
tudo quaaio derramara de melbor no paraiso,.onde
a eoHocou, e do goal, anda depois- d perdidosas
decendentes de Eva ficariam avivando reeorda-
gdesr
Qniz elle, o summo factor, fundirme o espirito
bntbante e suave de om raid'doafojdbsol^ e de
um ralo prateado d la.
Dso-lbe a pureza da-ceeerb; ;a*rara do lyrie;o
pudor e a.graea da rosa, a modesta di vilete:
Aceendea-lhe no eftar brilho de estrellas:
Deseerrou-lhe auroras de carmt-n- e pereWno
sorrlr.
Para falla cooceatron todas as-aoaiodias^bal-
buciadas no frmito das viragoes, anmurmanabo
das footee, e no canike das aves.
Modioa-me a enteanva pela doa-arbnstes coaij.
esbeltos -e mimosos.
Arredoodou-lhe as formas, qae tembra&senv o
fruclos mais gens e apetecidos.
Di Rundi-1 he os cabellos como as ramas penden-
tes e movedicas do salgueiro aqaatieo ; .imoreg-
aou-lb-ce de eiectrisidade ; erabfrbao~oa-de- um-
aroma que falla, revestio-os de brHnaatismo:: te
esmerado e prodigo o otoo, qae oonra -e-as pe-
rola?, ae-pedrarias, os-perfumes, as sedas e a- flo-
res, ambioionaado reolca-los, reeebeesem dMles
novo preen. -.
E*te-ente;meio posiaivfl, meio aeren, mee- ter-
reslre oeio cn, que-votteia por entre nj oom
aojo desterrado, saudoeo, mas centeatef tendo por
falla uro canto, a sogeicao ea huratldade per>im-
perio ; em qae a fraqneta,. a gramv-e-a omoipr>
tenexa-; cu jo encarno mais que elerntsar a espe-
cie, enterlece-la-,. domestica-la,.. rafinar-lbe> O
gosto-,. os indinaos do bello, os arrojos- para.o*a:a
e para- o sublime ; a-mnlber em snmnaa fadada^de
algumaeorte a ser man e mestra,-guia, arrimo,.
lampada, conseiheir, prephetlse, as/eriadura,.mo-
delo o- premio, nio so* de seus Albos, mas do-seas
irmSos-tambem, deseo censorio, de seu propric
pae, do lodos que de- perto ou de looge pudaesem-
receber directas oc rexas as icOfligoes ;. a-.mur
Iber^dn qual, depois de tantos rait -oiumes da- pa.-
negyrKo, depois dn orna idolatra anivorsalida
sei mil annos, atada se nio exbanrinam os. len-
vores-, Dem jama:*- se nao hio do exauhr, Dao
seria. vico providencia, que devta ser,. a- qne ,
no meio da sociedadn, se nio possoisse ate- com-
plexo de ndoles, de>espirites e agostos
i iA-lago infallivel para cada sentido.
Um milagre pameada inorednlidade.
Para cada lnfoMonio, sea baleaao.
Para rada idr.de sen ramalheta.
Sna estrella para cada nouto.
- .
Teem portas, mas trancadas, columnas, mas
troncadas torres, mas inaiinadas, pontos, mas que-
bradas.
Oe seps compartimentos sao.iexoraveis; aqukilo
s para as aves ; acmllp so para os peixes^
Nao se passa all.
STm gentlemao.da localklade de Brgblon.o anal
bayia perdido o seu gato, suspeito qpe urna aisl-
aba lh'o havia ronbado, por saber qae ella adora-
va estes bchanos,
Aicaaeoo contra ella um mandado de pesquisa
e o Inspector de polica, mnnidocsse documento,
dirigi se a casa desta senhora.
No sen relatorionotoa que entre os centoe qnin-
Mao fnesperadaj nmaeia para,cada dasamoaro.
Para cada trono que se despedacari*. ao. aahir,
avaimofada sabita de um braca todo estremo, de
am seio todo suspiros, de nm coragao. todo, iivin-
dade.
Par,ece ejan est aqu o aateao a.nadar,sombra
de ama sagrada Paphos n'uai pego verde e azul,
ureo e acgeoMao, embalada. pelos mala rtdeotes
genios das aoees -, e nao esta senao- meando,
ebrio de gratidao. o Gnesis. laefaveb da> amatara
em o.iiem mais evidentes se revesan) as- aerfeigoes
da Creador.
O que parecera um hymno, ,. para quem o
sonber meditar, urna suscciotae--dcseafeHada pagi-
nane historia natnraL
Ao hornero grosseir., pervertido,, gasto, embr&r
tecido, represntese muito embora qne a mulhor,
brotada para seus prazeres epbemeros, como as
flores,. aSo pode penatrar dentro em nos senio pe-
los olhos ; feche-os-; e.escuto,. la est anda olla
com a soa magia.
, Fcurle-ibe tambem os ouvtos, eorao Ulysses. as
sereias ; nio a dostrulo ; o- oaJor, os abragos e os
bejos, Ibe revela/ara completos os seas encantos,
."io ouseou rao pjssa teoa-la; no halibCyuma
(cagancia subtii, que nio -de flores, mas do, vida,
qne mais quode vida, pea do amor, Ibe, dir :
- Aqu est o tracto pare, a toa avidez o- para a
oa sede.
E" porqua a. mulher, eommnnho aarfeita do
affecto, toda para lodos, e toda para eada am.
Triampba na- lomeme n'ama aaraola; eoleva,
nos soos como n'.nm oanMeo ; insina-se por cada
sentido, iafiltra-s por eada poro, nio ha porta na
alma que se Ibe sao franqueie.
E' a cbamma elctrica, para a quai aao ba re-
sistencia nem maralhas..
Fogl-lbe; eaqnivae-vos; sami-vos naa.entranhas.
da Ierra ;. la mesmo seris della vela-heis sorrir-
vos, equecer a vosso jazigo, bafejar cnbigas ao
vosso coragao, Fazer do vosso nada, nm universo,."
reerguer-voj para o cu, de qpe blapbemaveis.
do sem poder veace-ia ; pelo menos assim o pen-
samos. Mas nesse combato gastamos bem todas as
nossas forga?, at a ultima ? Se fosse veidade que,
Deus.
esseh annos ficavam illuminados pela \u das re-
eordages ? se ea ara amparado neste breve exi-
lio pela certeza da toa presenga T E quanlo maior
sen* a nona alegra do cu quando nos jontasse-
mos para sempre I Estes pensamanto andarn
me ie continao no espirito.
E verdade qae algosas vszes me fazia estreme-
cer o medo da morte e qoa qoaado e esteva s
me saltavam Jagrimas dos olhoe, mas nio era se-
*
Seas pas comegavam a receiar qae nio conjli-
nuassem as melhoras qae se tioham declarado.no
sea estado.
A boa menina fazia altos esforcos sobre si pira' sem deixaroos de laclar, hoavessemos alimentado
morte e o futuro, que sabia fallar durante oras 1 dar ares de alegra e coofianca, aflm de consolar e acariciada esse sealimento de amor, estaramos
Inteiras com pwleila serenidade, e mesmo eom Sua teal. Li em seos olhos que a persegua um etn culpa; o lago que une as nossas almas nio se-
uma especie de feliz qaieiaaab, sobre cousas qre pensamento importuno e procure! saber oque as- ra seaa ama indigna Traqaeza, um desvario!
faxem tremer os homens, e qne em outro lempo sim a inquietava. Mas elle eviou, nio sem emba- Leao, ea voa brevemente comparecer perante
me teriam .feito desfallecer de pavor e dor. raen, ama resposta s minbas pergontas, e resisti
Havia talyez ent.io algum exagero nessa sopers- dont das s minbas Instancias, esforgando-se per
tigao ; arece talvez InexniicaveLqae em tao peaco faxer-me crer qae a saa melancola eram as coa-
tempo ea ppdesse ergaer o mea espirito a.uma_no- j seqaenciaa de urna agltagionervosa.
gao sobrenatural da eternidade ; mas qoando mes- Na manhia do terceiro da ache-a assentada na
pao Rosa se boa ves se engaado, era lio absoluto o sna cadelra de brajos, x sombra da tilia. Eslava
seo poder sobre mim, qae poderia inspirar me ce- s. Perguntei Iha como se seotia e se tinha passa-
ga f em cousas qae nio podem existir. E qae ar- do a no|e socegada, Estivemos nm pouco a fallar
te, qae irresistivel eloqaencia a que ella emprega- d sua ddenca, mas logo vi qae as suas Ideas es-
va para desvanecer-me todas as duvidas 1 Eo nao tevam em outra parte qae me escoten' com dis-
precisava de fallar; ella lia-menos olhos. os pen- traccio. ; _-
samentos ; pressentia as minbas commog5es e ou-, -* Rosa, dase eo, suspirando e em tom de triste
va a- palpitares do mea coragao; porque respou- censara, tem segredos para mim ? Temlgnma
dia a todas as minbas hesiteeies, eombatia a mi- \ coa qta aflige e ega-me ama parte da soa
aba incerteza e dissipava me as duvidas antes que dr I
ea podesse saspelter qoe pensamentos iam surgir' Nio, Leao, nao lenho segredos qoe lha es-
no mea espirito. conda e qniz estar s para dar-lhe eonhecimento
Desde que as nossas almas haviam ebegado a lio das loqutetagdes qoe me levaranj.;o socego do co-
pereito accordo. aan. a mais ligeira tristeza nos racao. E' multo terrivel otemor qae hdousdtes
vinhs assombrar ?s nimos. Havia as nansas con- desabrocboo em mim a qne passoo a ser invenci-
vel terror: Tenho om pedido a fazer-lhe, om gran-
de saerBclo a pedlrlne; ba de faze-lo, nao as-
AssegnVei Ibe qoe nada me cnstaria para satis-
fuer sleos desejos e esperel com certa aocteda-
de a annaneada confidencia.
Lao, tese ella, ha tres dase tres nontes qne
a meas olhos se aprsente nomo om pbantssma
am pensamento aterrador. A nossa aclinagio om
pelo outro nasceo em nossos corag5es sem qae Bol-
la, attentassemoi. Temla combatido,Jemos IncU-
Qce eram para mim algans annos de espera, as, nWHaa vezes nos levara lio longe, qae fsUavaraos
Leao, antes de morrer, en qoizera ser soa
malher...
Estas palavras fizeram-me estremecer e desco-
rar. Era surpreza, temor oa alegra? Nao sei,
mas esteva em extremo-agitado clamei erguondo
as maos para o co : i'
Mea Deus! 'Que diz, Rota t... Minha.au
Iher I na ierra I... a
Otos, Leao, tornou ella com solemne sereni-
I dade, se a lei nos tivesse anido e a benco de nm
Fi por tranqollisa-la, moslraodo-lhe acastldade sacerdote aoavew santificado o nosso amor, a nos
e a porexa do nosso amor. Provei-lha com com- j ^ g^g no esiaru s legitiaada para o mondo
pleta conviecio qne tl sealimento, desprendido de I mu [ambem pari geos> em cojo nome estaramos
todos os desejos terrestres, nio poda ser armnoso | unidos mdigsoiQfelmeDte. Entie pedera appare-
e qoe, se realmente nio trabamos lutado at ao fim cer sem lemor 4Q|8 0 seu tremendo tribunal e po-
contra o querer o noss,6' edragio, Dens, enTsuaiaMtt Mna-lo, Leao, na patria das almas ; en se-
eoberanajostlca, nio termeomo crme a traqaeza nnor pedera conservar, a minea memoria neste
de pobres crealoras. | mondo eom piadosa fideldade; porque ea velara
Sem reiponder-me, atoa o fio dos seas pnsamen
/os, dizendo:
Ha anda outra cousa qoe me inquieta. Pro-
melle a-me, Leao, que nunca deixar I a de pensar em
sobre o meo esposo e elle pensarla no bymineo qoe
o co tarta abencoado.
O mea coragao bata de enibaslasmo e admira-
gao, losa seria mioha mulherl as nossas almas
versagoes nao sel p que divino, sobrenatural, que
como se as nossti almas ja' estivessem uadisseiu
velmente anidas na piitria eterna,
Mas Rosa am dia mostroa-se sclsmadora e lci-
torna, ..M
Qoando ea cbogava a fazeribe despostar om
sorriso nos labios, deiappafncia logo do sen asne-
te esse signa) de alegra ; ella pareca distrabiia e
era fcil conbeetr qce ajo eslava to bem dispos-
ta como na vesp;ra.
im depois da atiaba morte; mas se is necessida- receberiara o ioeCTavel sello da unio das almas 1
des maiertees da vida o forcarem a trabaibar, se Hm disso, cooiiouou Rosa, esse casanjen
tiver de procurar-longe daqul os meios de snbsis- to permlUr-me-hia preservar a mioha memoria de
tercia qae nio pode dar-lhe a nossa nnmilde Bo-; qualquer fraqoeza ao sea coracio ; porque, Leio,
dagbem, como ha ie somprlr flelmente a soa* pro- qowo viver nos seus* pensamentos, sem ter de In-
meesa T como velar sobre a minha sepoltora? E tafno sea loterior com cuidados materjaes. Se eo
mioha alma, la do. co, nio o vef vagar pela ierra vitwe a ser sua muioer, nao conseatiria em rece^
da mmha mi o dele qoe Ibe dsse meios de
como om corago fro em qae os cuidados da vida
terao apagado ledas as reeordagoesT _. j
Nio era fcil acbar pbttvCM persansiva 'pro
combster victoriosamente aqaaUas duvidas.
Reitere! a minha promesss, a jureilbe que cada
palpitagio do mea carnead avivarla em fllm a me-
moria delia e a eeperanoa de brevemente me fazer
cempanhia no seio da Ddn%. ,
Rosa parecet despertef dt m sonho e nxcla-
moo;
ser sempre fiel a minbamemoria at ao dia em qoe
batease a hora do sao Uvramente T
Baibuctei algomas paleras a gratidao e felici-
dadr, mas objet tei-lba qoe seos pas nio acolheriam
eom satisfagao eam estranho e triste desejo.
Respondeu-me que ja tinha fallado n'isso a sha
mil,tttn esteva; convencida da qoe seo pal darla
com alegra o sao cooseotimeato.. Todava, nao
qoerla forcar-me e tratoa 4 demoBstrar-me qae
era nm grande sacrificio que exiga de mim; qoe
se o men espirito tivesse, a mais leve besiugao oa
entrevisse qualquer objocgao, en nio deaiaacceitar
a sua proposta, ligar-ma. para sempre a orna ma-
lher que tal vez nem breve repousaria na, tria trra
do cemiterio; mas qoe, se a minha. ternura era
bastante profunda, e bem dedicada pana, consagrar
a minha vida a urna marta, pedia-ae- o mea con-
sentimento como a maior prova de amor que ea po-
da dar-lhe.
Couimovido, at ao ponto de chorar, assegarei-ma
qae nunca, tinha ousado esparar tanta ventura o
qae a beqgio do sacerdote, sanlficaBdo o nosso
amor, me. dara urna felicidad inexprimivel.
01 bou para mira filamente com o explendor da
exaltagao a irradiar-lbe do aspecto e tornou ;
Agora, Leao, nao tornar a ver-me no rosto
nenhum signa! de dor. Esperare! com alegra o
solemne momento do nosso consorcio i e se Dos
me deixar viver' at entao, venha depois a morte
impotente 1 Nao peder aterrar-me nem entrisle-
cer-me, porque nada quebrar, nada eoraqaecer|
nada separar. Agora vamos para casa. Depois
do jantu, qoando j nos livef dexado, fallare a
mea pai da nossa prxima anuo, pae feteidade
e que alegra, mea Deas I Camiohar assim pelo
braco do meu esposo, sentirme amparada por
aquelle aue em ponen tempo ser meoesposo t...
O Sr. Pavdyn e sua molher viram Sm admira-
gao a mudenca que se enerara em Rosa. Ella nao
cessava de sorrlr e perdia-se em intimo regosijo,
como" se a-uode hoovesse voltado sobltemente.
. Ao meio dia, quando sabi do castalio para casa
de meas pas, anda Rosa me dirigi om signa! eom
os olhos como promettendo-me qoe o seo dsete te
reluria inmUvelme-
PRNAlt(16.-T?l
iFILHO
;..
I ILEElVEl
!
I
'
*
y
:


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E6NSPSRCN_PGSYKL INGEST_TIME 2013-09-04T23:41:36Z PACKAGE AA00011611_10947
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES