Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10945


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I
\

AMO XLII. HUERO 89
fer qnartel pagt dentrt dos 10 dias it i mez .
I4em desos tos l.M lt das t eoneco e dentro do quartel
forte o corfeio por tres mezes .
b llJ 9b +t

ftMt
6S000
75o
OAHTA FEIRA 18 DE ABRIL DE 1866
*
Por auno pago ettrode lo dias do I.'mi........
Por te ao correio por un auno........,.,,,. 3i09
ENGARREGADOS DA SUBSCR1PCA0 DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima;
Natal,o Sr. Antonia Marques da Silva; Aracaty,o
Sr. A. de Lemas Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaqun) Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves
FHaos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO SUL.
Alagoas, o. Sr. Clandino Falco Das; Babia, o
Sr. Jos Martina Alves;
Ribeiro Gasparinho.
Rio de Janeiro, e Sr. Jos
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
OMnda, Cabo, Escada e estagtes da va frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Gravar, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuus, Buique, S. Bento, Rom
Conselbo. Aguas Bellas e Tacarald, as torgas
feiras.
Pao d'Alho, Xazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrobc, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salguen o e Ex, as quartas
feiras.
Serinbem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta PImenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TR1BNAES DA CAPITAL.
Tribunal do comraercio : segundas e quintas.
Relago : tercas e sbados as 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de-orphaos: tercas e senas s 10 horas.
Primeira Tara*) civel: tercas i sextas ao mel
dia.
Segunda vara do civel: quartas sabbades a 1
hora da tarde.
EPHEMER1DCS DO MEZ DE ABRIL.
8 Quarto ming..as 0 h., 22 m. e 52 s. da.m.
15 La nova as 4. h,, i m. e 10 s. da m.
21 Qoarlo rese, as 8 h., 12 m. e 4 s. da t.
29 La eheia as T h., 4 m. e 14 s. da t.
DAS DA SEMANA.
!!' Segunda. S. Engracia v.: S. Calixto m.
17. Terga. S. Aniceto p. pft Hermogenes m.
i*. Qoarla. S. Galdino b. card.; S. Anthia m.
19. Quinta. Ss. Evpedito e Arlstonico mm.
20. Sexta. Ss. Severiano e Acyndino mm.
21. Sabbado. S. Anselmo are.; S. Silvio m.
22. Domingo. Ss. Lenides e Elpldes mm.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 7 horas e 42 m. da tarde.
Segunda as 8 horas e 6 minutos da manha.
PARTE OFFICIAL
COVEBIODA PROVlMIi.
Expediente do dia 41 de abril de 1806.
Cilicio ao Exm. e Rvm. bispo diocesano.Rogo
a V. Exc. se digne de informar acerca da licenca
que no incluso requerimento solicita do governo
imperial o arcediano vigario da (reguezia de S.
Fre Pedro Gongalves do Reelfe Placido Antonio da
Silva Santos.
Dito ao Exm. general commandante das armas.
Qoeira V. Exc. informar sobre o que pede no in
cteso requer meoio Mara das Dores Soarcs da
. Silva.
uito ao inspector da thesonraria de fazenda.
Aecuso receido o officio que V. S. me dirigi em
9 do corrente sob n. 205, acompanhado de copia
do contrato que celebrou o inspector da alfandega
eom o mestre Joaquim Antonio Rodrigues, relati-
vamente io concert de que precisa o hiate Pyri-
lampo, empregado no servfco daquella repartigo e
em resposta tenho a dizer que approvo menciona-
do contrato.
juulo por copia sendo 195820 rs. a Joaquim Jos
Ferreira Penha ; 313260 rs. a Rufino Manoel da
Cruz Cousseiro ; 4!960 rs. a Joo Pedro Baptista;
144000 rs. a Jos Per eir de Alcntara do O';
.15880 rs. a empreza do Jornal do Recife : e....
l'nii rs. a Jos Nogueira de Soma de objectos
qae forneceu para o expediente d'aquella repar-
tico.
Dito ao raesmo.Kesntuo a V. S. os papis fie
vieram annexos ao seu oficio de bontem sob n.
212 e sao relativos asdespezas na importancia de
30960 rs. feitas com as etapas abonada* a recru-
tas e guardas nacionaes vindos do termo de Br-
reiros atim de que mande pagar essa despeta
como for recular e justo.
Dito ao mesrao.Em vista da inclusa conta e
nao bavendo inconveniente mande V. S. pagar ao
pharmaceutico Caors conforme sollicitou o direc-
Portaria. O vice-presidente da provincia re-
solve exonerar ao cidadio Jos Francisco de Souza
Lima do cargo de subdelegado de polica da fre-
guesia de S. Jos d sta cidade por o baver pedido.
i Communicou-se ao Dr. ebefe de polica.
Dita. O vice-presidente da provincia recoro-
menda a todas as autoridad** quera for apresen-
uda que prestera a Pearson Morrisoo, eogenbeiro
em ebefe da oompanbia de mineraeio do Pianc o
9." A dama de S. A. serenissima com o serenis- com descont, porque linha de partir para Santa
simo principe.
10. SS. MM. Imperiaes e SS. AA. Imperial a
Reaes.
11. O mordomo-mr.
12. As damas de Sua Magestade a Imperatriz e
deS. A. Imperial.
Cbegando or prestito capella do
Passos, SS. MM. Imperiaes e S. A. o
Senhor des
principe re-
ta iharlna a comprar um earregameno de mko,
com destino ao Rio de Janeiro, e dizia tambera a
3us conhecidos que esperava seu companheiro,
qoe se achava em Bage, por estes dias.
Na occasio de retirar-se do
declarou ao prcprietario deste
que suas circumstancias
hotel de Pars,
estabelecimeoto,
eram criticas e que nao
tor do arsenal de guerra em ofBcio de 11 do cor-' re Joaquim Francisc > de Mello Cavalcante.Com-
qoal segu para all aeompannae d 5 roineiros e cem-nascido seguirn) at o primeiro leilo que se
mais pessoas de sua bagsgem, o auxlio e facllida-' achava do lado dlreito da entrada, indo debaixo do
des que asliverem ao sea alcance, e Ibe for ped- i pallio, que era sustentado pelos ministros de esta-
do pelo referido engenheiro. do e conselheiros de estado.
Dita. o vice-presidente da provincia resolve
exonerar a seu pedido e sob proposta do delegado
encarregado do expediente da repartico da poli-
ca de 13 do corrente sob o. 474 do cargo de de- leito.
lehado de polica do termo de Nazareth ao bacha- '. O sal, loalha e carlo com os noroes do principe
Barcas brasileiras Thertza i, Pomimha, Fra-
lemidade,br>guo Firma, dito portuguez Rto Vottga,
e barca norueguense Rio Grande.
-O Sr. capito da Fralermdude, com a sua
guarngo, bem como a dos mais navios,, mostra-
ram tai interesse em salvar a catraia,. que espon-
tneamente foram para dentro d'agua a bordo da
na. O Sr. capito da barca norueguense Rio-
Hereceu appare-
barra cordialmente agr-
Ibe permlttiam sa.isfazer as despezas da hospeda: S alera do que se n^ou* o
Alfonse ainda ante-hontem tinba era davida a: ^aSiSfc?*,!SL *
i As pessoas entarugadas de coodazir as Inste- sua viagcm para Santa Caibarina, no Brasil, por cooo do taikLL v?Jt fSSSS -,*ree.a
, nas se deponan* na mesa coberta de velludo nao baver commodos; nao obstante, erabarcouhon- SStfJSwffffBn .^ fFfo *. ** T
.: verde que estava coliocada do lado do primeiro tem e seguio at a barra. RaSa rnrnn^iJ u T nor e-
O Sr. Guhherme Waddington, commandante VSStSKT **" '* S"Va-'
do vapor, exigiodo-lbe o passaporte e o bilhete de
rente sob n. 596 a quantia de 42JI200 rs. prove-
niente de medicamentos que em virtade de aale-
rlsago da presidencia, forneceu ao raesmo arse-
nal com destino ao 7 corpo de voluntarios desta
provincia quando marchoo para a corte.
Dito ap inspector da thesonraria provincial.
Aecuso recebido o oficio de hontem sob n. 131,
municon-te ao delegado encarregado da repartico no levantado o centro da igreja.
da polica.
Dita. O vice-presidente da provincia resolve leito, tendo a seu lado a ama, o monsenhor vigario
exonerar ao bacbarel Joo Coimbra.do cargo de capitular fazia a aspersao a SS. MM II. e Altezas,
oaSMl?^^--^ *Ki.ta3B Z&ESSbtti
ter praticad
to crimino?
Caravias e cbama-se Augustn Salandez,
pagamento desta.
?iSaJP!LtL?r->V*dd,nlo. Irameo.atamente o Barnab Caravias e chama-se Aramstm Salandez,
fez desembarcar,
Dito ao mesmo.Constando de aviso do miraste- em que v> narticipou baver Manoel Thomaz de
re do imperio de 28 de marco prximo Ando, que Albuquerque Maranhao danio por fiador o pro-
nessa data foi autorlsado o Exm. bispo diocesano, prjetar0 Luiz de Albuquerque Maranhao arreraa-
2 SS2SS?" no "" aclual a,e a 9W? i i0 wn o abate de 12 por cento no preco do res-
o.OOOJWOO eom paramentos e ontros objectos de pectT0 oramenio a obra d0 3. |,DC0 da eslra(ia
que carece a caihedral de Olinda, devendo a des-1 do ymoeiro e em resposta tenho a dizer qua ap-
peza correr por conta da verba-bispos cathedraes provo esta arreniatac5o.
subdelegado de polica "do"terroo"da=Rio"Formoso qnelogodepoi"lbram"orar~nVcapela do tiiM- wSr. *m^'SabSSo^AiS Sm^ L^nl^^J^1^! nome?uPPito adoP!
idade o nroeram- legado de polica. ?8 ^e-
O Sr. commandante da barra, dando busca na
e jarochos; assim o communico a V. S. para
seu conhecimeoto.
-Dito ao mesmo.Transmiti a V. S. para o flm
conveniente o pret especial junto em duplcala das
prestacSes de doas pragas recelbidas ao deposito
como se v do predilo pret.
Dito ao inspector da thesonraria provincial.
Estando em termos a coma junta em duplcala, e
nao bavendo inconveniente mande V. S. pagar ao
negociante Jos Mara Ferreira da Cunha, a quan-
tia de 201520 rs. proveniente do (ornecimento de
luz e agua para o quartel do destacamento da vil-
la do Limoeiro, dorante o trimestre de Janeiro a
marco deste antro, visto assim o haver solicitado o
delegado encarregado do expediente da repart-
cao da polica em officio de 9 do corrente sobn.
456.
Dito ao mesmo.Para ser satisfeita a delibera-
cao da assembla legislativa provincial, constante
oo oficio do respectivo primeiro secretario de 7 do
corrente sob n. 45, faz-se necessario que V. S. in-
forme que difflculdade tem occorrido para nao se
ter cumplido o disposto no 4 art. 55 da lei n.
635 do orcamento vigente, na parte que manda
despender a quantia de 2:000000 cara as obras
do cemiterio publico da villa do Cabo, estando essa
tbesouraria autorisada pelo meu oficio de 28 de
marco ultimo, a entregar essa quantia ao vereador
da cmara d'aquella villa Antonio Vieira da Cu-
nha.
Dito ao mesmo.A Francisco Lino da Silveira ou
aoseu procurador mande V. S. pagar conforme soli-
citou o delegado encarregado do expediente da re-
partico da polica, em oficio de noniem sob n.
461, e seno bouver inconveniente a quantia de...
71,5600 rs., despendido com e sustento dos pre-
sos pobres da cadeia do termo do Bonito, durante
o mez de feverero ultimo, como se v da inclusa
conta.
Dito ao mesmo. Senao bouver inconveniente
mstade V. S. pagar os vencimentos relativos ao mez
de marco ultimo, do destacamento de guardas na-
cionaes existente na villa de Pao d'Alho, urna vez
que esteja em termos o pret junto em duplcala
que para esse lim me reroelteu o commandante su-
perior d'aquella comarca cora officio de 2 do cor-
rete.
Dito ao raesmo.De conformidade com oque
sollicitoo o chefe da repartico das obras publicas
em officio de bontem sob n. 425, recommendo a
V. S. que em vista do competente certificado man-
de pagar a Rufino Manoel da Cruz Cousseiro a
quantia de 268$8iO a que tem direito por ter exe-
cuiado a obra de rebaixamento da bomba do sitio
do Dr. Mena para dar-se escoamento as aguas que
passa pela nova bomba construida na estrada dos
Adictos como se v do mencionado officio junto
por copia.
Dito ao mesmo.Annuindo ao que sollicitoo o
chefe da repartico das obras publicas em officio
de 11 do corrente sob n. 120, recommendo a V. S.
que mande entregar ao agente fiel pagador d'a-
quella repartico a quantia de 400000
Expediente do secretario do governo do dia 11 de
atril de 1866.
N. 90. Officio ao primeiro secretario da assem-
bla legislativa provincial.Transmuto a V. S. de
ordem de S. Exc. o Sr. vice-presidente da provin-
cia o inelnso regnlamento confeccionado pela c-
mara municipal da villa do Cabo, para o cemiterio
daquella villa, allm de ser presente a assembla
legislativa provincial como soliciten a referida c-
mara em seu oficio de 9 do corrente.
Dito ao inspector da thesonraria de fazenda.-O
Exm. Sr.
transmit!
Observando-fe com inteira Qdelidade o program-
ma da solemnidade, segnio-se a apresentacao do
principe ao monsenhor vigario capitular no corpo
da igreja acompanhado pelos augustos padrnhos,
e depois todas as ceremonias, que foram comphv
tar-se com o acto final do baptismo no presbi-
terio.
O Sr, ministro do imperio proceden immediata-
mente lear do- anto do baptismo, descansando
sempre no inlervailo das ultimas ceremonias e no
flm do acto o serenissimo principe no segundo
leilo.
Logo depois fol cantado um solemne Te-Deum,
lo8^? Alfonse, encontrou a quantia de
1J:J00 em notas do banco do Brasil, as quaes
i remettidas jautamente com o preso ao Sr.
< No da 28 entrara arribado com estrago as
caldelras o vapor Petropobs. procedente de Monte-
video com destino ao nosso porto.
Por decretos de 23, 27 e 28:-de Mareo:
Foi designado o capito do 1. batalho da guar-
SicSveldceadPa,CS -g*lg** n^^'danacionil-da'prTrn^drR^G^ do Norte
m errogario em SSSt iusK P Sr P2rreir Nobre aQ0-T ""* M"lr lugar
7srMi tt Y' i jj de mW d0 mesmo batallo, nos termos do decre-
'. waddiBgton digno de louvores pero l0 de s de abril de 1836_
servico qoe prestoo a* causa publica.
A mesma folha em 22 acerescenta :
A delegaca de polica proseguio hontem em .
averiguares da* notas falsas do banco do Brasil,!
Foi removido o juiz de direito. Luis Francisco
da Cmara Leal, da commaxca de & Joo do Prn-
cipe, de 1* instancia, par a>de Vassonras, de 21
.Ttttj^ttx^tt&xgff ww=reawdwsiist*'-tt w
nistero da guerra de 27 de marco ultimo.
12
N. 91. Officio ao primeiro secretario da assem-
bla legislativa provincial. S. Exc o Sr. presi-
dente da provincia manda transmittir por copia a
V. S. os inclusos papis relativos a construcQo de
um acude no termo de Flores, afim de qoe sejam
presentes a assembla legislativa provincial para
resolver a esse respeito como Ibe parecer mais a-
os e^TgK; BfnMtC 3 qa0W ** 6SSa 0b^a f0' V
da estrada do
palacio, precedidos do prestito na mesma ordem
em que trabara vindo para a capella.
Suas Magestade? Imperiaes e Altezas Imperial e
Real condessa* conde d'Eu receberam em seguida
o corpo diplomtico e as commissoes do senado, da
cmara dos denotados, e de diversas corporaces e
o cortejo, que foi mnito numeroso.
A religiosas augusta solemnidrde lave por seu
maior explenor a eipresso mais viva de alegra
a quantia de 400000 para oc
correrse as despezas com os estados granleos; uira'ii'X H^^^tSSL^S^S^L Sgw 1 tefar MwantnMihlnidQi augustos avs, pas
necessarios a conlnua5o da estrada do Li-, gJJM lei do 'cmento prximo findo de 1864 a. e ||os do pfiocipe( que purjflc0Q *, tofdao do bap.
moero. n." niI.0,. A. ~.JL\.x.- .. ,___4. c Hsmo, alegra e amor que enchia os corajes de
Dito ao mesmo.- A Luiz Jos da Costa IWI 1 jjf".**_ ^^T*!^^Tf!^lpi'iil^llsMs>lWB ii inrailMi mil Levado
O bacharel Justiniano Lio Velloso juiz mnnic
oai de orphos do termo da villa do-Conde, na pro-
vincia da baha.
Anacleto de Jess Mara Branda, tenenle-coro-
rlcb, B. R. de Carvalho e J. M. Coelho de Castro,
As que se Ibe encontraran) sao 20 de 508 da
2." serie, assignadas por J. J. Mosquita, R. J; Had-
dock Lobo, Jos de Araujo Coelho, Millto C. de
Sa. com a rubriea Dias de Carvalho; 12 de 200*
rim, mande V. S. pagar,
niente a '
trimestre
findo do alnguel da casa que
punga serve de quartel ao respectivo destacamen-
to segundo consta de oficio do delegado encarrega
Exe. o Sr. vice-presidente da provincia manda
ide V. S. pagar, seno bouver oconva- rXam,Sr*, \SSTSS ? JSSS^T^ dos mesmos sentimentos o p.
quantia de 33*000 proveniente de un|S52? a!?2f!St!J,-,,rt**^ i^f^s* '
vencido no olllora de marco prximo ,* ^ *?. 1 7 de raarC4nll,a10- i de archeiros, tendo vencido a
alnguel da casa que no districto da Ca- M^eVe do secretario do governo de da 13 de; ejpai aos gritos de viva o Ira
as quaes foram depositadas por ordem da au-
tondade em poder do Sr. Francisco Antonio Lo;
pe.
Foram nomeados peritos para examina-las, os
I Srs. Anselmo Jos Pereira, Cypriano Goncalves da
dos mesmos sentimentos o novo penetrava do tem- j Silva e Salvador Moutinbo.
se estendia a guarda ] As notas falsificadas sao photograpbadas gros-
guarda da porta prin- seirameBte em papel comraora, e to mal imitadas
eipal aos gritos de viva o Impera tor | que est ao alcance de qualque'r pessoa reeoohecer I Sag^TLT^g^T^gg"
O principe D. Pedro, na occasiao de seu baptl-: a falstfieacao.. ,g ,!^u. T m Provincia.
. da assembla sado, trajava vestido de renda bnanca, ponto de In- \ Dera-se na barra um sinistro, de que o referido I umifSttSttmtt S9
do do expediente da repartico da polica datado legislativa provincial.S. Exe. o Sr. presidente da glaterra, sobre ontro de nobreza azul-claro, tonca Diana di conta nos termos seguintes :
Porto da Folba
das Alagoas.
O capito Joo de Albuquerquo Cavalcante, te-
nente-coronel conmmandante do batalho n. 11 da
guarda nacional da mesma provincia.
O capito Malbias Ferreira de Mello, tenente-
corooel commandante do bataJbo de infamara n.
26 da guarda nacional da provincia de Pernam-
buco.
Francisco Manoel de Siquoira, lenente-coronel
commandante do batalho- de infaotaria n. 41 da
N. 96.-Oficio
abril de 1866.
ao Io secretario
9 da
de bontem e sob n. 469. | provincia, manda commonicar a V. s. em solncao da mesma renda com fitas igualmente azues, e foi
Dito ao mesmo.Recommendo a V. S. qne em ao seu officio de 3 do andante sob a. 39 e para' levado sobre ama almofada de seda tambem azul
v.sta das inclusas contas documentadas, a que so fazer seiente a assembla legislativa provin- guarnecida da mesma renda.,
refere o oficio do delegado eacorregado do expe- cial: A msica do Te-Deum foi composta para ser exe-
diente da repartico da polica datado de 11 do, 1." Que nada censta oficialmente acerca da culada nesia pomposa solemnidade pelo_nosso com
crreme e sob n. 465, mande pagar_ a_Joo Carlos \ dissoluco do corpo do polica desta provnola;
c Ainda bem 1
guarda nacional da provincia do Ceara.
Augusto da Silva a quantia de 2:614*072 em que 2. Que os offlclaes daquelle corpo que voluram
importaram as despezas feitas durante o mez de do sol pelo ultimo vapor procedente da edrte, fize-
marco ultimo cora u sustento e dietas aos presos rara sobre os motivos da sua volta a provincia, as
pobres da casa de detencao. | declaracoes que constam da nota jnnta, e acerca
Dito ao director do arsenal de guerra.-No ten- dee!'.es S6 Proceder de conformidade cora a
do V. S. at esta data ministrado ao general com-1 t pna|mente> que das informac3es ministra-
profissao
.patriota, o esperanzoso profussor Joo Theodoro de: sa barra
sssissi^?
mandante das armas o mappa do roovimento do
material do exercito como se I he recommendou em
oficio de 19 de fevereiro deste anno, compre que
^lalV0?L??SSiVelmbreV!,dadie'. ST^^a sn>encondo o referido corpo de'polica
mesmo general em oficio de 11 do cerrente sob -... j j. ...
n. 631.
Dito ao Inspector do arsenal de marinba.Man
Agolar, e putrotl yifcr*cid* a S. M. o Imperador, i tas.vezes
Ha nesta compbsicao algomas feltzes inspiracoes
a execucao poderia ter sido mnito melhor se
s resntsse urna ou outra vez de falta de
saios.
As festas da familia imperial sao testas /de na
5o ; a naco inteira eleva seus votos a Moa' pela |
das pela tbesouraria provincial e constantes da vida, propnedade e gloria do principe D. Pedco, e
copia junta ver a mesma assembla, desde quan- abencoa com amor e dedicacao patritica o neto do
do e al que tempe os cofres provinciaes tem Imperador.
S. me dirigi hontem sob n. 124, tenho a dizer que
convenho na resoluco que toraou o arrematme
da fabrica de retinar assucar existente na povoa-
co do Monleiro, a pagar a vista os dous contos de
ris que ficou obngado a pagar no pr&zo de um
anno.
Dito ao director do arsenal de guerra.Mande
V. S. fazer os concertos de que necessitam segun-
do declarou-me o marechal commandante das ar-
mas em oficio de 9 do corrente, os utehcilios da
respectiva secretaria, mencionados na inclusa re-
laca o.
Dito as conselho de compras navaes.Approvo
os contratos que segundo o termo annexo ao seu
officio de 7 do corrente, celebrou o conseibo de
Dito ao raesmo.ReSpondendo ao officio que V. de V. S. alistar na compauhia de aprendizes mari-
naeros, se esliver as condijes do respectivo re-
gulamento, o menor Manoel Francisco de Paula,
que Ibe ser apresentado com este officio.
Dito ao mesmo.A V. S. fago arresentar o me-
nor Amaro Jos do Nascimento para qoe o mande
alistar na companhia de aprendizes marlnheiros, se
estiver as con di cues do respectivo regnlamento.
Dito ao ebefe da repartico das obras publicas.
Mande V. S. com urgencia examinar o registro
da lluminaco a gaz do quartel do 1 eorpo pro-
visorio de que tralam os dous inclusos oficios do
respectivo commandante das armas, os quaes me
sero devolvidos.
Dito ao mesmo.Mande V. S. orear a despeza a
fazer-se com os ladrilhosdasprisoes da fortaleza do j
Expediente do secretario do governo do dia
14 de abril de 1866.
Officio aos empreiteiros dos trunos urbanos do
Recife a Aplpucos. Pela secretaria do goveruo
se comraunica aos Illms Srs. empreiteiros dos tri-
litos urbanos desta capital at a povoagiio 'de Api-
pucos que segundo constou de aviso do ministerio
da fazenda de 22 de margo nltlmo nao podera ser
concedidas em vista de diversas decistes d'aqnelle
ministerio as iseracoes que pediram de direitos
para os objectos que importarem com destino a
constroeco costeiro e conservado dos mesmos
trlbos.
Despachos do dia 10.
Requerimientos.
Capito Alberto de Brito Cavalcantl Arco-Verde.
Assim e que
banco na manha de ante-hontem, fez baqnear o
frgil batel a bordo do qnal estava o valente 2.
lenle da armada Miguel Moreira da Silva, como
pratico, e seus companheiros.
Ao tombo do batel, dousmarinheiros iofelizes
nao tireram tempo de buscar orna taboa para sua
salvaco, e l foram repensar no seio do ocano I
< Pagaram assim com. a- vida o sacrificio que
_, ., ,mZ"T.I'*, .. *J**i*M tomado de fazer iranspdr o marco fatal
Entrn ante-hontem de Montevideo e portos do; por onde devja passar 0 M mperial Pedro |
sal do imperio o vapor Gerente. A's promptas providencias dadas pelo Sr. com-
Sahido de Montevideo a 51 nao trouxe folhas mandante da barra e perfoiamente interpretadas
posteriores as do Arno por caoseterera publicado, pe|0 pratIC0 Jos Aaloaio Goms qQe va|enteraen-
sendo das santificados. Rio havia all porm noli- le se arrojou a ir era soccorro de seus irmos, quo
cas recentes do thealro da guerra. M ento ja" lutavara cora a morte, e que se segura-
Posto que sabisse do Rio Grande a 3, o referido
vapor so trouxe folhas at 1 do correte.
Da capital da provincia de S. Pedro do Sul nao
ha noticia de maior interesse.
O chefe de polica linha partido para Santo An
ionio em servico publico.
Pela mesma antoridade fCra feita mais urna pri-
sao importante na pessoa do tenente-cornel refor-
mado da guarda nacional Manoel Ignacio da Silva
Nco, como autor do assassinato de dois entendos
vara pelas exhortares de seu chefe o intrpido
Miguel Moreira, deve se a conservaco da vida des-
te bravo e seus companheiros, qoe sobrevvenra
ante to magestoso perigo.
Para a participacao remettida da barra man-
damos ao leitor que car orientado do que occor-
rra.
i Della sa infere o proceder criminoso do mes-
tre do navio que ento entrn : nao era por certo
atirando abos em to momentosa occasiao, que os
compras navaes, com diversas pessoas para provi-' Brum, e do corpo da guarda contiguo ao portao
ment de objectos necessarios ao almoxarifade do | da mesma fortaleza, os quaes devem ser fetos cora
arsenal de marinba, convindo que o mesmo conse-
ibo remeta a thesouraria de fazenda copias dos
termos que assignar cada um dos vendedores de
taes objectos.
Portarla.O vice-presidente da provincia allen-
oeado ao que Ihe requereu o teoente do batalho
n. 24 de infamarla da guara nacional do munici-
pio da Escada, Joaquim Cavalcanti Ribeiro de La
podras de cantara, corad solicitou o general com-
mandante das armas em oficio de 12 do corrente
sob n. 632.
Dito ao conselho de compras navaes.Approvo
o contrato, que segundo o termo datado de 17 de
margo ultimo, celebrou o conselho de compras
navaes com diversas pessoas como me communi-
cou em oficio de 27 do mesmo mez para fornece-
Requeira a thesouraria de fazenda.
Anna de Souza Guedes e Mara Agostraha Gue- do dizem as folhas, pessoa de influencia e de rela-
des. Informe o Sr. inspector da tbesouraria de (des polticas,
fazenda.
seus em 1852 e de urna escrava. O tenente-coro- nufragos podam coin-Iosi para vir a reboque, pois
nel Nco estabelecido no Passo d Ara, e segn- qae esse navio nao parou, e outro nao era sera do
Antonio Joaquim de Vasconcelos & CInforme
o Sr. inspector da thesonraria de fazenda.
Francisco de Paula Andrade Suassuna.O sup-
plicante nao tem competencia para fazer reclama-
do alguma.
Jos Ignacio A villa.Concedo licenca para o sop-
]Na referida capital havia noticias da fronteira
que ainda cavara o general bario de Porlo-Alegre
em S. Borja no da 20 do passado, estando porm
do outro lado do Uruguay todo o exercito e tendo
o brigadeira Portlnbo destacado com a
em direceq a Itapa,
O Diavio do Rio Grande s da' noticias daqoel
vida o lim com que se atiravam cabos.
< Ka boraens para quem a consciencia do dever
senilmente desconhecido, e isso basta para re
commenda-los.
c Eis a parte :
Dia 23.Hoje, meia hora depois do meio da,
i forja | vindo a primeira catraia com o insigne 1." pralico
Mignel Moreira da Silva na proa do brigue Jmpe-
cerda, sobre que irifiyrmou o respeclivi coraman- |rem artigos de fardamento e vveres necessarios
dame superior ero officio de 26 de fevereiro ulti-. aos navios da armada e estabelecimentos de mari- ifembargador provedor da Santa Casa de Misericor
mo, resolve traoVien-lo para a lista de reserva, fl- uha, bem como para a lavagem de roupa, ludo no
cando aggre^ado ao respectivo 5o batalho, visto! trimestre andante.
ter sido cor-.3jderado incapaz do servi$o em raspee- Dito ao capito commandante da companhia
rial Pedro, sobrevieram qoatro mares, que se o
plicante transferir a Amonio Simo da Silva a par-, le exercito at 15 dizendo : brigue nao orcasse maiores seriam as desgra-
te do terreno de que trata. A diviso do general Portinho, que faz a van- gas. a catraia viron-se, e excepeo de doas ma-
JLaiza Feitosa Montenegro. Informe o Sr. de- guarda, achavase em liapa em 5 do corrente rinheiros qoe falleceram, os mais agarraram-se
mharirs/inr nrnu cip do 8>de.
- 12-
Offlcio ao inspector da thesouraria de fazenda. j
Recommendo a V. S. qne senap honver inconve-1
niente mande pagar ao pharmaceutico Joaquim de
Aimeida Pinto, conforme solicitou o director do
arsenal de guerra em officio de hontem sob n. 597,
provisoria de polica.Faga Vmc. abrir assenta
rnento de praca, fleando addidos a companhia pro-
visoria, sob seu commando os paisanos Francisco
Damio P. Viegas e Bellarmiuo Jos da Costa, oue
l'oram considerados aptos para o servido, era ins-
pecgo de sade.
Dito a cmara municipal de Agua-Preta.Res
4a
Manoel Carvalho Moura.Informe o Sr. inspec-
tor da thesouraria de fazenda.
Tenente-coronel Pedro Bezerra Pereira de Arau-
jo Beltrao.Passe portara concedendo a licenca
que reqoer o sopplicante.
a quantia de 36520 rs., proveniente de medica-, pondendo ao officio da cmara municipal da villa
mentos constantes d inclusa conta que em virtu-. de Agua-Preta de 23 de margo ultimo, tenho a di-
de de ordem da presidencia foram fornecidos ao zer, qne em vista da nformago inclusa por copia
mesmo arsenal com destino ao 3o batalho de vo-, ministrada pelo chefe da repartigo das obras pu-
luntarios da patria. i Micas era 11 do andante, nao pode ser Inutilizada
Dito ao mesmo.De conformidade com o dispos- a planta do povoado de qoe trata o seu citado
posto no aviso da repartigo do imperio de 19 de officio.
janeiro de 1053, transmillo a V, & para seu co-' 14 -
nhecimento copia do inventario que em 28 de mar-' Officio ao inspector da thesouraria de fazen-
da.-Mande V. S. ajustar contas at o flm de mez
co ultimo mandei proceder nos objectos do serv-
jo e decorago do palacio desta presidencia.
Dito ao mesmo.Mande V. S. pagar aoDr. Igna-
cia de Barros Barretto, a ajuda de custo que Ihe
compete como deputado a assembla geral legisla-
tiva por esta provincia, devendo esse pagamento
andante, e passar guia de soccorrimento ao 2' te-
nenie Honorio Domingues de Menezes Doria, que
tem de seguir para a cOrte, a rennir-se ao 5o bata-
lho de artlharia a qne pertence.
Dito ao mesmo.Recommendo a V. S. que nao
ser effectuado sob minh'a responsabiiidade, nos ter- bavendo inconveniente, mande pagar ao fretador j ah se achavam, e pela corte que numerosa e
____a. ,1, ,.., aooi i. i... <___i-_ ,i, isa itn kit iuiimkI fi/.i, r .iminnc Tac PoHriann Ma- luzda concorrera.
os do decreto n. 2884 do de favertro de 1862,
visto nao haver crdito para esse flm.
Dito ao juiz de paz presidente e membros da
junta de qualifleago da freguezia do Cabo.Nao
tendo acompanhado a lista dos cidados qualiflca-
do biate nacional Dous Amigos, Jos Feliciano Ma
chado, que assim o solicita no incluso requerimen-
to documentado, a quantia de 148*600 proveniente
do frete de diversos objectos que o arsenal de
guerra, embarcou no predicto blate com destino
RIO l>K JANEIRO
9 de abril de 1866.
' Celebrou-se bontem, como estava determinado,
e conforme o programma que publicamos, o acto
solemne do baptismo de sua alteza o principe filtro
de suas altezas o Sr. principe duque de Saxe e a
serenissima princeza a Sra D. Leopoldina, duque-
za de Saxe.
Suas magestades Imperiaes chegaram ao pago
da cidade s 11 horas da manha, onde foram re-
ceidas por suas altezas imperial e reaes a Sra.
cohdessa d'Eu e conde d'Eo, e duque de Saxe, que
o batalho 11 de linba, o 5o de voluntarios, os
zuavos e meia batera de artilbarla, que ja, deve
tado estar em Candelaria.
< O general Arruda assumio o logar de chefe
de estado-maior, e o brigadeiro Alexandre Manoel
Albino de Carvalho o commando de artilbaria.
t Umacommisso de engenheiros deste exerci-
to, indo examinar o Paran' no Itapa, com o cor-
po de tenente-coronel Machado, mandn dar alr
guns tiros com armas a Mini, afim de calcularen)
a largura do ro ; aos primeiros tiros os Para-
guayos assostaram se e respondern! com anima-
ra sera resaltado.
soccorro.
< A segunda catraia do mando do 3. pratico
Jos Antonio Gomes, que se achava no Lagamar,
foi salvar as vctimas : este 3. pratico navegoo
to acertadamente, que, prolongando-se com a pri
meira catraia, salvou de prompto os iofelizes. Nao
fol possivel rebocar a primeira catraia por estar
cheia d'agua e haver muia correnteza.
i O capito do Imperial Pedro nao atravessou
e nem arriou um escaler, e apenas limitou-se
era atirar cabos, as esperanga de rebocar os nu-
fragos.
Sera que hoiwesse neste lugar um s vapor
dos votantes nessa freguezia no crreme anno,qoe. ao presidio de Fernando.
Vmc. me remetten com o seo officio de 9 de leve- Dito ao mesmo. Declaro a V. S. em additamen-
reiro ultimo, as relagSes de que trata o decreto n. i to ao meu officio de 10 do andante, que o quanti-
2865 de 21 de dezembro de 1861, compre que m'a tativo qne tem de ser abonado ao alferes Amador
enve com a possivel brerdade. de Araujo Pessoa, para besta de bagagem deve ser
__13 desta capital at a comarca da Flores para onde
Officio ao Exm. e Rvm. Sr. bispo diocesano. vai elle seguir em comraisso do governo.
Pelos oficios aue V. Ene, se digno dirigir-me em Dito ao commandante superior da guarda naci-
lo do corrente fioei iBlefrado de ter V. Exc. nesta nal do Recife.-Expeca V. S. as ordens para que
data couferido a'collaco cannica na freguezia de no dia 15 do andante, as 6 horas da manha este-
Cruaugv ao Rvd. Andr Cursino de Araujo Pereira jam na casa de detengo impretervelmenle 1 rafe-
edado proviso de coadjutor da mesma paroebia rlor e 8 gua/das do 1 batalho aquartelado aflm
ao Rvd. Joaquim Francisco de Araojo Vasconcel- de escollaren) at a villa de Barreiros, pela estra-
los Pimentel da de ferro, a tres criminosos que vao responder
Dito ao inspector da ihesoorarla de fazenda. ao jury no mesmo termo, onde devem demora r-se
Recommendo a V. S. que em vista dos melosos aquellas pragas al o encorramenlo da sessao do
documentos que me remellen o ex-director da re- tribunal para conduzirem os sentenciados desllna-
particao das obras militares, capito Domingos dos a esta capital.-
Jos Rodrigues com officio da 9 do corrente e, Dito ao consebo de compras do arsenal de
ole bavendo inconveniente mande pagar a guerra. Autoriso o conseibo de compras do ar-
quantia de 583<5140 rs. proveniente da obras seal de guerra a comprar para uso da aula de
mandadas executar nos qaarteis e fortalezas primeiras letras dos menores do arsenal de guerra
ieou provincia como se v do mencionado officio os objectos mencionados 9,0 (ocioso pedido.
luzida concorrera.
Na sala do Ihrono e sobre urna mesa forrada de
velludo verde estavam em bandejas douradas a
veste candida, corda de Massapo, o cyrio, o sal, a
loalha rica, o carlo com os nomes do principe e
as toaibas, tudo primorosamente feito edisposto.
Recebida a ordem de S. M. o Imperador, a Sra.
De Lamare, dama de 8. A. a Sra. princeza D. Leo-
poldina foi cmara respectiva, onde receben o
principe e o conduzo nos bracos para, a sala do
docel, fleando entre os augustos padrnhos S. M. o
Imperador o S. M. a Imperatrlz, representante de
S. M. a ranba D. Amelia.
Podeo depois deslou o prestito para a capella
imperial, segurado pelo Interior do palacio na or
dem segulnt":
1.a O rei d'armas, arauto e passavante.
2. Os porteiros da cmara.
3." Os mogos da cmara e officiaes da casa im-
perial.
4.* Os guardas roupa e mogos fldalgon.
5. O porteiro da Imperial cmara.
6.* us camaristas, senadores, conselheiros de es-
tado e grandes do imperio.
7. As insignias conduzidas por mogos fldaigos.
8." A veste candida, cyrio e Massapo, em salvas
douradas coqdqzldas cada ama por dols mogos fl-
daigos. e acompanhadas por tr3 geotis-bomens.
t Todo o exercito esta' bem fardado, bem arma-, para soccorrer aos iofelizes qoe divisavaro de bem
do e convenientemente municiado, sendo tanto o perl0 geDS ltimos momentos de vida, perdeu-sa
armamento como o fardamento de superior quali-
dade; o fardamento, porm, em tamanba abun-
dancia que os soldados ja' nao sabem como car-
rega-lo.
< Os fornecedores esto satisfeitos, porque a
etapa de 1J200, e da-se urna rez Ira 65 pragas;
um alqueire de farinba para SO; 3 ongas de
erva, urna de sal e meia de fumo para cada
praga.
O estado sanitario era bora. As molheres,
qnr casadas, qu/ solleiras, tinbam sido banidas
do exercito. >
Estas noticias, como se v, nada adiaotam s
que demos ltimamente, recebidas pelo paquete
Arno.
Eis o que de mais importante encontramos as
folhas do Rio-Grande:
L-se no Diario de 22:
Foi hontem reeolhido a' cada civil Carlos Al-
fonse, italiano, maior de 50 annos, por introdozir
notas falsas do banco do Brasil na circolago.
c Em selembro do anno findo, este moeditro fal-
to velo do Rio de Janeiro trazendo por companhei-
ro um outro italiano, de norae Flix Fornes, que
represeniava ter 30 annos, e hospedaran>se no ho-
tel Carrn, e desse hotel passaram-se para o de
Pars, demorando-se nesta eldade oito dias pouco
mais oo menos, dhendo segulrem para S. Louren-
go a comprar trras.
t O verdadeiro destino, porm, destes cavalhei-
ros de industria era o Estado Oriental, para onde
efiectivamente se retiraran), regressando Alfonse
provincia, por trra.
No dia 5 do corrente chegou Alfonse de Pelo-
las no vapor Mau, e hospedou-sfl no hotel de Pa-
rs al ante-hontem.
Durante sua estada nesta cidade tentn trocar
notas do banco flo Brasil do, valor de 30&00O
nma catraia, que levada pela correnteza d'agua e
exposta aos furores da arrebentaco, talve seus
fragmentos sejam arrojados as praias da costa
do norte.
1 Esta catraia ho pouco sabio do eslaleiro con-
certada e ferrada de cobre novo, e sendo ama
das principaes, torna-se mais sensivel sna perda.
1 Logo qoe se notoo o perigo, e nao obstante es-
tar a segunda catraia no Lagamar, foi o plhabote
Rocha com 1. pratico Jos Domingos Moreira, e
n'um escaler o 1." pratico Jos Gongalves das No-
ves Setnbal, com designio de a soccorrerem, e bem
prximo chegaram no logar do sinistro.
1 Fez-se slgnaes pelo telegrapbo da catraia em
perigo. Da alalaia e pharol cbamaram-se vapores,
porm o Jaguarao e Pr tos, e o Progresso rebocava na Boia, que por nao
avistar os signaos e nem ter aviso algum, nao acu-
di ao chamado, vindo para este ancoradonro pelas
5 horas da urde, nao obstante o aviso qoe teve
para ir eoncertar-se.
c K' de muita necesssidade que os telegrapbos
communquem os sigoaes de soccorro ao Sr. capi-
to do porto afim de o mesmo dar promptas pro-
videncias em casos taes, como de hoje.
A parte da barra do dia 24 completa esta noti-
cia dizendo:
t A catraia naufragada, e que foi levada pela
correnteza d'agua na volta do norte, hoje amanhe-
cen encalhada na cora de E, vindo para o mesmo
lugar do sinistro.
t O Sr. inspector da barra intentou salvar a ca-
traia, porm nada pode conseguir por estar arrout-
bada e chela de ara.
Alea dos erapregados desta praticagero, presta-
ram-se os da alfandega, bem como os Srs. capuaos
doa navios abalxo mencionados com parte di sgas,
guarnieres. .
PARTIDA DOS VAPORES COSTURO*.
Para o snl at Alagoas a 14 e 30;. para, o non
at -v Granja a 7 e 22 de cada mez-, para. Saman-
do noadns 14 ios mezes de Janeiro,, margo, aau
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Roerte, na livraria da praga da Independencia
ns^,.dos proprietarios Manoel Figaeiroa de Faria
& Filtro.
mando do hatraao n.'s d fiesin goaraT
Foi pardeada a pena de baixa de posto e oue fj
condemoado pelo ixuselbo da disciplina o teaaoie-
coronel commandante do 1* batalho de artilbaria
da guarda nacional da capital da provincia do Pa-
ra, Dr. Joaquim Pedro Correa de Frenas, e rein-
tegrado no seo posto, ficando como aggr9g.ado o
tenente-coronel nameado para snbstitui-lo.
Os-oficios de ubetlio do publico, judicial e ne-
tas, escrivao.de orphos e mais annexos-do lermo
da.Barbalba* na provincia do Ceara, visto ter o
serventuario Lucio Aurelio Brigido dos Santos op-
tado pelos do novo termo de Mi-sc-.velha, des-
membrado daquelle.
Foi declarado de nenhum elfito o decreto de 5
de junho do anno passado, pelo qnal se permittio
que Emilia Jos Gomes da Silva Tavaro, tabellio
e escrivo de orphos do termo de de-bapemirim,
na provincia do Espirito-Santo, e Vicente Jos Si-
mo:s, ubelliao e escrivo de orphos do termo de
Guarapary, na mesma provincia, poderem permu-
tar os referidos offlcio3.
Por decreto de 27 de margo prximo passado
foi nomeado o mestre da offlcicina de apparelbo e
veame do arsenal de marinba da Babia, Joo de
Sooza Campos, para o lugar que se achava interi-
namente exercendo de patro-mr do mesmo ar-
senal.
Por decreto de 28 de mareo foi demillido o ca-
pito de fragata graduado reformado Achules La-
combe do lugar de capito. do porto da provincia
do Maranhao, e nomeado para substilni-lo por de-
creto de igual data o chefe de diviso gradoado
Francisco da Silva Lobe.
Por decreto de 3 do corrente coocedeu-se a Joo
Evangelista Cordeiro de Araujo Lima a demisso
que pedio do posto de t lente da armada.
O Sr. ministro da fazenda resolveu crear na al-
fandega da corte orna commisso de estatistica
commercial e de navegago do imperio para a
qual foram nomeados por aviso de 5 do corrente
os Srs.:
Augusto Cesar de Sampaio, ajudants do inspec-
tor da alfandega do Para, como presidente.
Antonio Mana l'lrick, ajudante do inspector da
do Rio-Grande do Sul, ^ _. ^_-
BacbaiirAlxnidre Jos Pinheiro drSfiva, *
escriplurario da mesm alfandega.
Demetrio Aoaelo Fernandes da Cruz, 2a escrp-
lurario da da Tte.
Jos Praaclseo de Brito, 2 dito da da Babia ; e
mais 4 praticantes.
-10-
No houve hontem sesso no senado.
A cmara dos deputados approvon hontem sncj
snooessivamente, sem debate, as redaegoes dos pro_
jecios que approvam as pensdes concedidas ao che
fe de diviso Francisco Jos Barroso, Gaspar de
Siqueira, Miguel Lniz da Purificago, Jos Vicente
Ferreira da Costa, Bernirdino Palavicino, D. An-
na Luiza de Mello Brrelo e Antonia Mara de S.
Jos.
Approvou depois em nma s discossao, um apos
ontro, es projectos reconhecendo o direito que as-
siste a D. Josepha Carolina Veiga e D, Mara Anto-
nia da Conceigao Pinto Leilao para gozarem do
monte-pio deixado a esta por sen pai e aquella por
sua irma.
OcLupou-se em seguida com a discusso da re-
solugo qoe manda vigorar o orgamento do exerci-
cio de 1865 a 1866 durante o anno Qnanceiro de
1866 a 1867. Orou o Sr. C Ottoni.
O Sr. Affonso Celso, obtendo a palavra pela or-
dem, requeren para disentir-se na sesso de hoje
oom preferencia a referida resolucio, e declarou
que o ministerio fazia questo de gabinete sobre a
votago desta preferencia. Depois de um debate en-
tre o mesmo Sr. Affonso Celso e o Sr. C Ottoni, o
Sr. Podro Monix reqnerea qoe a votaoo osse no-
rainal. ...
Vencida a preferencia e prooadendo-se a votagao
nominalmente, votaram a favor 59 Leonores, a sa-.
ber: Lelto da Cnnba, Viriato, Fialbo, Barlmfrj
qae, Ribeiro, Duarte Brt&do, Henriques <* '
meida, Correa das Neves, Araso o M*"' M*!| A
te, Pereira do Brito, Souza Cu" -4,!,,:??0'
ros. Sllvino Gwaieanti -" .,n0 Araujo Bar-
dad TavMMrSLa "* FeuPPe. Car08 Brao,
SSnumMP-T^' Aristides Lobo, Lopes Jelio,
***~ur' oampaio, Barros Pimentel, Barbosa de
W*e;%, sonto, Pedro Mooiz, C. Madoreira, J. Ma-
areira, Moora, Saraiva, Damas, Bs#tndola, Fre-





MIB|'
8
Ufarlo e re rus nubada. ... (Junares letra 18 de Abril de 1866.

\

derico de Almeida, Horta do Araojo, Vascoocailo*, publico, nu umtxra com accionistas, cajos lo-
Saldanha Marinho, Jos Caetaoo, Andrade Pinte, leresses devem ser salvaguardados, parece certa
Fernandos Morara, Jobna, Siiveira Lobo, Foaseca que oom deogeo prudeau que ateecure meluor
Vianua Carvamo de Mendonga, Lima Duarte,T}o- gerencia todos es Interesses, tanto do publico como
miciano. Chatas Lobato, Jos Jorge, Cesar, Rabel- dos accionistas, aerad effleacmente garantidos,
lo, Affonso Celso, Paula Soasa, Martim Francisco, | O quadro jauto apresenU o estado completo
Fleory, Tbeodoro, Silva Pereira, de Laraare, Abe-, do banco, expressando todos os valores qae o mes-
lardo de Brito, Silveira de Souza, Alvim, Flores e : mo possue para fuer faee aos seos empenho?,
Affonso Alves. ^_ j m8M ea> tiquidacio, quando delta se tralas-
VoUram contra 30 senbores, a saber: Moreira, se; d abi resalta que, ponderadas todas as cir-
Brnsque, Raiol, Franco de Almeida, Camino Res, eumsttncias^rocwendo-se sera precipiucao, sera-
Almeida Braga, Tarares Bsiforl, Liberato, odri- pre eondemoavel em materias de finangas podem
cues Jooior, Figueiredo, Risbona, Moreira Bran- ser corrigidos todos os inconvenientes, embora
do, Costa Machado, Urbano, Souia Bandeira, Go- cora alguma lentidio, collocandc-se o banco em
doy, Seraphico, Barbosa de Almeida, Pinto Lima, condeces de prestar ao publico, se nao todos os
Pedro Brando, Juoqueira, ValdeUro, Pedro Luit,; servicos previstos pe lei de sua creacio, ao me-
Macedo, C. Ottoni, Ferteira da Veiga, Ribeiro da nos a malor parte dolas; isto ja" e-satisfactorio.
Luz, Limpo de Abren, Jos Bonifacio e Neblas. Para sse flm, recebi ordem de$. M. o impe-
Os Srs. Pioto de Meaeae, Martinho Campos e rador para apresentar-vos a seguiuie
Mello.Franco nao se acharara presentes. fhoposta.
Foram lidas pelo Sr. ministro da fazenda as se-. Art. I*. O governo pagara' ao banco do Bra-
guinles propostas: vrJS noUs d? lhesoaro. quanlia de..........
Augustos e dignissiraosSrs. representantes da! 11,000:0005, importancia de igual quantia de no-
naci.as despeas avoludas, occasioBadas pela tas do thesonro recolhidas pelo mesmo banco a*
guerra contra o governo da repblica do Paraguay, | caiza de amortizago.
obrigam ao governo imperial a recorrer ao poder Art. 2. O governo pagara' ao banco a quan-
legislativo solicitando uta crdito extraordinario de tia devida ao mesmo pelo descont das letras do
20,200.0005, coja demoostrago consta das tabel- tbesouro, em apolices da divida publica, de joro
las justificativas que aprsenlo, organisadas no mi- i de 6 0/0 ao par. Estas apolices nao vencerlo joros
nisterio da guerra. I eraquanto as notas do banco tiveram curso forca-
Igualmente se faz preciso um crdito extraor-' do.
quera competa a gratiflcacao adieionai de 10 %
dos seus vfocimentos conforme o art. l do decreto
n. 2,350 de o de dezembro de 1850.
O augmento da verba do j 8* resolta da ne-
cessidade reconbecida de conceder iktu de casto
aos juizes municipaes, funccionariosTnal retribu-
dos e cajo ordenado do primeiro anuo em muitos
casos absorvido pelas despezas do viagem quando
nomeados para termos longinquos.
c A dimrauiglo na verba do $ 3 tem sua razo
de ser na suppresso da despera com a corapanbia
de pedestres, qne tem de ser extiacta p jr (orea da
disposicao do art. 27 do decreto n. 3,598 de 27 de
Janeiro ultimo.
t baseada nos calclo da secretaria de esta-
do a despea com os mdicos verificadores de'
bitos de qae trata o art. 11 do citado decreto
i
Exercito brasilelro.
Comprehendeado as torgas do barao de Porto-
Alogre :
i Infantera
Cavallaria
Artiluaria, boceas de fogo
Argentino.
Infamara
< cavallaria
Artilhana, boceas de fogo
Oriental.
> Infantaria
Cavallaria
Artilhana, boceas de fogo
411,000
5,000
100
14,000
5,000
33
< Horneas 70,642
pe urna olba do Rio-Grande transcrevemos
qae trata
n. 3,598. I seguinte noticia .
.: m JL emenda substitutiva ao 12 e o augmento Refere o Pueblo que foglo
da despeza com a torca policial da corte teem por para Montevideo urna dama franceza, levando de
causa a recente organisac do corpo militar de seu marido 50,000 pesos,
policia, e a guarda urbana, operada pelo citado. Sen marido a segnio immediatamenle logo qae
decreto n. 3,698. | soobe a sua fuga e perante as autoridades orien-
< Estende-se o servico da gnarda urbana a mais taes reclamou o dinbeiro, porm s pode coosegulr
cinco freguezias da corte para guardara harmona o divorcio ficando a dama com 25.000 pesos,
no systema estabelecido pelo citado decreto, o que Com esta boa colheita ia partir para a Franga
rios conservadores bontem, por todo o dia da sua
cuegada.......
< Espera-se como tambora ja Ibe diee, sueceda o
mesmo pelo que diz rospeito a* tenente-coronel'Dr.
Joaquim Pedro Correa de Freius. igaaleieate de-
posto do commaudo do i.* batalho do artilberia
da guarda nacional d'este municipio.
< Em geral tem causado especuco este acto do
governo imperial, qnanlo nestas deposieoes esla-
vam empenbadas a preponderancia e influencias
do partido progressisla aqu dominante e senbor
da situacao.
i Falleceu no dia 26 o inspector da tbesoararla
de fazenda Manoel Rodrigues de Almeida Pinto.
Contava 41 anuos de servigos na mesma reparti-
cao, deixando essa familia era extrema pobreza
por circumscrever-se apenas ao seu ordenado de
| empregado publico, alera de urna regtdez de ca-
de Bnenos-Ayres | racter a toda a prova. A presidencia em cooside-
finado a primeira aotoridade de fa-
1,800
700
0
dmario de 700,000, motivado pelo contrato de
Art. 3o. O banco retirara' da circulaco em
das ao fundo da reserva, sero empregadas em
resgatar notas do mesmo banco.
< Art. 3*. O banco substituir' as suas actuaes
notas em circularn por ouiras do mesmo banco,
fornecidae pelo thesouro nacional, as quaes sarao
de cor e estampa especial, com carimbo e assigna,
das por um ou mais erapregados do mesmo tne-
' souro. :Este (ornecimento tera' lugar sempre que
1859 feito com a directora da comoanhia de e-tra-. suas notas |a importancia das quantias menciona
da de ferro de Santos a Jundiahy. Por esse contra- das nos art-. 1* e 2 nos prasos que pelo governo
to foi a compaohia autorisada a tirar do capital de Ibe forem marcados.
2,000,000 a quantia preciso para distribuir dlvi- l Art. 4. Eraqanto vigorar o decreto n. 3,307
dendos aos seus accionistas, levantando para com- de 14 de setembro de 1864 o banco nao distribui-
pensar essa quanlia um empresiimo por sua conta.' ra' a seus accionistas dividendos superiores a 7
Mas, havendo dUcussio a respailo da execucio des- 0/0 ; as quantias excedentes, inclusive as appllca-
se contrato, receben a eoaipaabia por adiantamento
100,000. O miuistro respetivo resolveu pagar
esu o joro de 7 /.. "o s das 100,000, como j
das quantias que se adiantarem Dar aquelle tim,
aceitando a companhia modificacdes no contrato,
as quaes sao julgadas vantijosas. Na previsao dessa
aceitacao ha oecessfdade do mencionado crdito.
< Por isso, de ordem de S. M. o Imperador, apre-.
sento-vos a seguinte proposta : obanco tiver precisa de augmentar a sua erais-
< Art. i. E' aborto ao governo um crdito ex-' sao, reeonhecendo o governo a necessidade do
traordinario da quantia de 26,432:3009 no correo- augmento.
te ejercicio, o qnal ser distribuido pelos mioiste-' < Na snbstituico serao apptieadas as disposi-
rios seguinies : < gees vigentes que regnlam a substituirlo das no-
c O ministro e secretario de estado dos negocios ] tas do thesouro. O banco satisfar' as despezas
da guerra autorfsado a despender a quantia de: que o thesouro ftzer com estas notas.
20,210:0005 com os servicos indicados nos para-; Art. 6*. Resgatadas as quantias Indicadas no
graph s seguiotes : i ar'- 3*, o banco recolhera' e entregara' inntilisadas
t 2* Juntas militares de justica e ao thesouro nacional semestralmente 3 0/0 a 6 0/0
auditores.................... 50:0005000;de suas notas actualmente em circulaco, confor-
< 6 Arsenaes de gnerra e arma- IIne for determinado pelo governo, convida a direc-
zens de arligos bellicos........ Sj000:0005000 loria do banco; e estando as notas em circulaco
t 7- Corpo de sade e hospitaes. 500:0005000 redozidas ao duplo do fundo dispunivel, cessara' o
8 Qnadro do exercito........ ,000:0005000 resgate e delxara' de ter vigor o decreto n. 3,307
< 11. GratincacSes diversas e aju- de 14 de setembro de 1864.
da de custo.................. 6>}92:0^995 Art- 7- Enujoaiito vigorar o mencionado cre-
. Obras militares............... .SS^SKSSS dito n. 3,307 de 14 de setembro de 1864 o governo
Diversas despezas eeventuaes.. 2>0W:W^fxJ*' lera um fiscal por elle noraeado, que flsealisar as
Repartiedes de fazenda........ 160:0005000 operages da cammisso de descont, e poder m-
t Art. f O ministro e secretario de estado dos pedir a realsaco de qualquer descont. Este fis-
negocios da agricultura, commercio e obras publ- Cal perceber urna gratifleagao arbitrada pelo
cas autorisado a despender a quanlia d M; governo, ouvida a directora do banco e paga por
mil para dar companhia da estrada de ferro de' este.
Santos a Joodaby a 7 /. representando o capital | Art. 8.- As disposicoes dos arls. 3#, 4o, 5o, 6o
addicional que ella deveria levantar na forma do e 7 sao applicaveis as caixas filias,
contrato de 1859. ArL 9. O governo emular i 1,000:0005 em
< Art J. Para oceorrer as despezas cima de- noias do thesouro e as apolices precisas para exe-
cretadas, o ministro e secretarto de estado dos ne- CUQao do disposto nos arts. 1 e 2.
gocios da fazenda autorisado a fazer asoperaces t Art. 10. Cessando a execucao do decreto
de crdito que julgar convenientes, dentro ou fra n. 3,307 de 14 de setembro de 1864, continuar
dojmperio. I em vigor a disposicao do T do art 1- da lei
Rio de Janeiro, 9 de abril de 1866.Joao da (n. 683 de 5 de julho de 1853, mas em caso algum
; o total da emisso da caixa matriz e tiliaes poder
nao se fez na institnicao da dita guarda para nao
exceder-se o numero de pracas flxado pelo decreto
n. 2,081 de 16 de Janeiro de 1858.
t O augmento da verba do 10 provm de pas-
sar-se para o orcamento da receita a Indemnisac^o
da despeza com os escravos recolhidos ao calaboa-
So e casa de detengo da corte. E' um augmento
e despeza qae se nallifiea por haver igual
ment na receita. Deste modo, porm, ba
verdade no orcamento
a dama no primeiro paquete.
Achavam-se a' carga para Pernambuco : o
bngue Adelaide e a barca por ugueza Marta.
Baha.Fallecer o Dr. Aprigio Ferreira Gomes,
juiz de direito de Camellas.
L se no Jornal:
< Foi nomeada urna commissao composta do
aug-! naturalista Broaet, do engenheiro agrnomo Joo
mais Gongalves Manias, do professor jubilado da facnl-
dade de medicina cooselheiro Dr. Justioiaoo da
< A diminuieao da verba do 13 fanda-se na Silva Gomes, e do proprietario agrcola Pedro da
suppresso da despeza com o instituto dos menores Silva Deir para esludar com urgencia as cac-
artezoos por virtude do aviso de 30 de agosto de sas do mal que est dando as canas no municipio
1864, e nad o malor a diminuieao porque pasta de Nazareth, a indicar os remedios que entende-
para o orcamento da receita a renda proveniente rem adequados sua extineco. 1
das oficinas- dealfaiate, canleiro e carpintero, na Commumcamnies que na sexta-feira da sema-
lmporuncia calculada de 17:6005000, a qnal con- na passada (6 do crente) urna hora da tarde
sideradaDespeza a annullarna tabella relativa cahio um raio no engenho S. Paulo, propriedade
a esta verba. 1 do Sr. barao de Pass, onde causou muitos estra-
< U augmento da verba do % 14, procede da pas- gos sera comtodo ter offendido a pessoa alguma.
sagem para o orcamento da receita do producto de < Entrando pela parte superior da casa, onde
duas loteras concedidas para as obras da casa da aciiava-se urna senliora, percorreu todo o pavimen-
correccao da corte, na importancia de 22:2005000, to, quebrando vidroe, espetos, lou?, etc^ depols
a qual consideradaDespeza a annullarna ta- passou para o outro pavimento, onde fez igoaes
Silva Carrao.
Augustos e dignissimos senbores representan-
tes da oaco.-o estado em que se acha o banco
do Brasil pelo* effeitos das providencias extraordi-
narias promulgadas pelo governo, sob a presso da
cnse de 1864, reclama de poder legislativo medi-
das prudentes,qne leudara a corrigir os inconve-
nientes d'ahi resollantes e o colloquem de novo as
condicoes anteriores a cnse.
c u decrete n. 3,306 de 13 de setembro de 1864
facultou ao banco elevar a emisso de suas notas
at o triplo do fundo disponivel. O de n. 3,307 de
11 do mesmo mez e anno delermiooa que at nlte
exceder a 50,000:0005.
c Art. 11. Os estatutos dos banco e das caixas
liaes sero reformados de modo que assegurem a
sua melhor gerencia.
< Art. 12. Fica suspensa a execugo da disposi-
Cao do art. 2 e seas paragrapbos da lei n. 683 de
5 de julho de 1853.
< Rio de Janeiro, em 9 de abril de 1866. Joo
da silva Carrao. 1
Foi apreseniado o seguinte parecer:
1 A 3* commissao de orcamento, depois de haver
examinado a proposla de orcamento do governo
rior deliberado do governo os bilhetes do dito ban- fixando a despeza a cargo do miosterio dos nego-
co sejam recbidos, como moeda legal, pelas re-
partigoes publicas e pelos particulares, na rea da
circulaco do banco e caixas filiaos, determinada
pelo art. 7 6 da le n. 683 de 5 de julho de 1853,
ticando o banco por emquaoto dispensado ds obri-
gacaojle troca-las nos termos do mesmo paragra-
pho.
* dfcdMjprovidencian. renniaiUg-pntan jusuyei
ias, teem perdurado al o presente. A emisso su-
perior a 80,000:0005, o restricta a rea determina-
da ao banco e caixas tiliaes, accrescentada com
30,000:0009 approximadaraeote de notas do the-
souro, apresenta urna massa de papel circulante de
110,000:0005, e preenchendo todos os canaes da
circulaco, impossibilitando por isso o reappareci-
rnento da moeda melallica.
< A circulago restricta das notas do banco dif-
Oculta a circulo entre as differentes pracas do
imperio, dando lugar a urna desigualdade extraor-
dinaria nos cambios entre as raesmas e os merca-
dos europus, embarazando as transaccScs e tor-
nando-as ruinosas.
A revogaco prompta dos referidos decretos, o
que est as (acuidades constilucionaes do gover-
no, traria calamidades maiores do que os locoove
meles que se procurara evitar. A determinago
do regresso lento s condlgdes anteriores crise,
desacompaohada de medidas que evilassem incon-
venientes que em parte concorreram para o aclual
estado do banco, nao remediara o mal, continuan-
do o perigo de aggrava-lo.
t As medidas que su precisas, segundo as a-
preciacoes do governo, dependen) do poder legisla-
tivo. Consistem em providenciar a existencia do
numerario que possa facilitar a remessa de fondos
de urnas para ouiras pracas do Imperio, sobstituin-
do notas do thesouro aos biihetes do banco, na im-
portancia das notas recolhidas pelo banco a' caiza
da amortisacao, retirando este da circulaco igual
dos da Justica para o exercicio de 1856 a 1867,
tem a honra de submetter a esta augusta cmara
a mesma proposta convertida em projecto de lei,
com as emendas que prope, pela maneira se-
guala :
Art. 3.* O ministro e secretario de estado dos
negocios da justica autorisado a despender com
^f-c^m>e uvMguados nos negulnts paragrapfios a
quantia de...................... 3,139:3365500
S 1." Secretaria de estado...... 158:1405000
Tribunal supremo de jus-
........................... 107:7005000
Relaco............... 289:3605000
47:6005000
967:3405000
bella relativa a este paragrapho.
t Sala das commissdes, 8 de abril de 1866.E.
de Andrade finto.Leitao da Cunha.-T. Franco
de Almeida, com restriegues. *
Foram a imprimir as seguiotes redacebes :
A assembla geral resolve :
t ArL i.* Os menores de 18 annos, filhos dos
offlciaes das diversas classes contribuimos do mon- cadeirinha, onde o di?cipu lo esti vera sentado 1
estragos, arrebentando tambem o toilette ao qual
eslava a Exraa. tira, baronesa de Paes.
< O filluniio do Sr. bario de Pase bavia noaoos
momentos antes acabado a sua lico, e apenas se
levantara junto com o mestre, quando o raio en-
trn no aposento, e varreu todo quaato eslava so-
bre a mesa do estodo, fazendo at desapparecer a
te-pio de marinha, tem direito ao mesmo monte
pi na falla de filbas solteiras ou viuvas, sement
t aquella idade, sem sobrevivencia de uns para
os outros.
c ArL i.' Ficam revogadas as disposicoes em
conyario.
Sala das commissoes, 5 de abril de 1866.Sil-
va Pereira.Seuza Brandao.
A assembla geral resolve :
c Art. 1.* Fica o governo autorisado para man-
dar pa-sar carta de naluralisaco de cldado brasi-
leiro aos subditos portugoezes Antonio Marques da
silva, Manoel dos Santos Martins Romano, residen-
tes na provincia do Rio Grande do Nortu; Antonio
Pedro de Silva, Joaquim Marinbo Bastos, Seraphim
Antonio da Paiva Pereira, Victorino Moreira Coelho
na de Mioas Genes ; Francisco Jos Cardoso, Joo
Henriques Ferreira, Jos Ribeiro da Silva Piraj,
Tendo assim peroorrido toda a casa, o raio sa-
nio e passou para urna casa prxima, d'onde des-
appareceu, tendo apenas crestado a roopa de um
bomem, que eslava na porta.
Alaooas e Sercipe.Nada occorreu digno de
mengo.
Parahtba.A carne verde era vendida, na ca-
pital, por prego elevado, com que a populago po-
bre muito sonra.
De 1 a l i do crreme entraran), para a ins-
peccao do algodo, 768 saccas.
A alfandega renden, nesse tempo, 21:6319449
e o consulado 13:6895705.
Rio-GnANOE.=Nenhurna noticia dio as cartas
que recebemos.
Ceab.Acbava-se concluida a elelco de nm
depulado a' assembla geral, pelo 1" districio, sen-
do volados o Dr. Domingos Jaguaribe 237 votos eo
Joao Carlos Antonio, Manoel Jo Rodrgaos, Ma- Dr. Joaquim Bento com 162.
noel Henriques Ferreira, Manoel Ferreira Dias dos No dia 5 do correle bouve um lauto copo
Santos, na da Baha ; Manoel da Peona Braga, Ma- d'agua offerecido ao commandante do vapor Inglez
noel Fernandos Lima, na do Espirito Santo ; Jos Agutttne, pelo corpo do commercio e diversos el-
Joaquim da Costa Ferreira, Jos Jacintho da Rocha dadlos, em prova de jubilo pela prime ira viagem
Lima, Joaquim Pedro da Paiva, maobinlsta da ar- desse navio.
mada imperial, Jos Correa dos Santos, piloto da
armada imperial, Manoel de Sonza Neves, operario
do arsenal, e Jos Antonio Figoeira, residente na
provincia de S. Paulo; aos subditos italianos Fer-
nando Scotti, Gaiseph Gazzioelli, na do Minas-Ge-
raes, e Miguel Pignala, na da Bahia ; ao subdito
bavaro Francisco Xavier Rosemburg, na de Minas;
e ao subdito prossianne Reynaldo Van Kruger, na
do Espirito Santo.
< Art. 2.* Ficam revogadas as disposicoes em
contrario.
t Sala das commiss5es, 5 de abril de 1866.
Silva Pereira.Souza Bandeira.
A assembla geral resolve
No da 6 seguir esse vapor para Liver-
pool.
O Invern era geral em toda a provincia, o
que multo aoimava os sertanejoa.
L-se no Cearense :
1 Como noticiamos, algn* negociantes desta
praga trataran) de eslabelecer urna Associago
Cemmercial, realisando-se esta, bontem 13 do ct r-
rente, em numero do trinta negociantes e algoni
de nossos capitalistas.
Reunidos no sobrado de com me re i ante Fran-
cisco Coelho da Fonceca que o ceden para esta
reuoio, e installon-se esta sociedade, ficando pro-
visoriamente a mesa composta dos autores da Idea
A oommisso de obras putica.
Umaptlgo de Augusto Pater Cezar, em me se
propeso a conservar a estrada da Victoria,
A commissao de obras publicas.
Ldem-se e approvam-se as redacgSes dos projec-
W8 ns. 18 deste anno, 33 de 1865, 42 e 57 deste
anno.
Urna petigao de Domingos Soriano da Silva, pe-
diodo augmento de ordenado.
A oommissae de ordenado.
L-se o jalga-se ofjeeto de delibera na o nm pro-
jecto assignado pelo* Srs. Cicero, Paes de Andrade,
Gandido Martins, Soares Brandao, mandando cons-
truir o cemiterio do Cabo.
A imprimir.
Outro transferindo a sede da fregnezia de Una
para Taroandar, assignado por grande numero da
Srs. denotados.
O Sr. Ramos pede dispensa de impressao ao que
a easa consente.
ORDEM DO DIA.
Ultima discosso das emendas aposentadas em
rago a ser o finado a primeira anloridade de
zenda mandou fechar no dia do enterro, que foi
bastante concorrido, todas as repartgdes fiscaes,
assim como attendendo a extrema necessidade da fa-1 3. ao projecto"r*5 dalfl^
milla, mandn tambem abonar-lhe a quantia de
3005 mensaes a contar do Ia de Janeiro de 1865
al ao falleelmento, por servicos prestados pelo
mesmo inspector durante este tempo pela superin-
tendencia e inspecgo de varias obras e trabaibos
que esliveram a sen cargo, e coja gralificago mar-
cada pela presidencia nao quizera acceitar decla-
rando quando disto soube que gratuitamente de-
sejava ser mil a sua provincia.
< Alguns tem censurado este acto da presiden-
cia por nao estar autorisado para Isto; oatros o
tem louvado por isso, que o estado da familia ur-
ga urna providencia ate a deciso ulterior do go-
verno imperial, em beneficio da inulher e filhos do
empregado probo que lo bons servigos prestava ao
estado durante a sua vida. E' de crer que o gover-
no imperial nao s apprevara este acto da presi-
dencia como fara' com que as cmaras remune-
ren) com urna penso a familia do inspector Ma-
noel Rodrigues de Almeida Pinto, que como digo
ticou em extrema necessidade.
A vista deste fallecimento muitos sao os
tendentes a esta gorda fatia do estado; por
quantia de suas notas; em pagar o governo ao
banco as letras do tbesouro pelo mesmo desconta-
das em apolices, que s vencero joros depois de
cessar o curso forgado, retirando o banco da circo-
iagao quantia correspondente de suas notas.
< Para activar o resgate, emquanto durar o cur-
so toreado os dividendos distribuidos aos accionis-
tas nao excedern) a 7 0/0, sendo as quantias ex-
cedentes empregadas no resgate. Alm disso sera
o banco obrigado a resgatar semestralmente de 3
a 6 0/0 da sua aclual eircnlago, at ficar reduzida
ao duplo do fundo disponivel, cessando entao o
corso forgado, continuando a faculdade que tem o
governo de permillir que o "Banco eleve sua emis-
so a mais do duplo do funda disponivel, porm
as caso algum a emisso poder' exceder a ..,..
5O,OOO:O(T900O.---------'
< A somraa de papel qae navera' em circulaee
no mximo, tanto em notas do tnesooro como do
banco, sera' de 90,000:0065000 mais ou menos,
sendo esta quantia excepcional. Porm, sendo en-
tao as notas do banco convertivels, nao podero
prejudicar a circulaco, e nem exercero influen-
cia perniciosa sobre os procos.
Outra provideacia uue dave produzir bons ef-
feitos, pela cQoflaoga qae naturalmente fara' appa-
reeer a respeito da emUeu do banco, 6 determi-
nar que esu se effectue nicamente em noias dis-
uetas fornecidas pelo thesenro, sob fiscalisago do '
governo. Tendo as notas do banco o privilegio de
serem recebidas as repartieses publicas, nao con- i
vm que o governo deiie de ter iuspeccao na e-,
misso.
t Tambem como da existencia do decreto que
deterrainou o corso forgado resultara eonsequen-
cias ponderosas qne escusado rememorar, nao
pode o governo ser estranbo as operaedes do des-
cont dorante o mesmo corso focado, e por isso
convm que tenba inspecgo por raeio de agnle
seu sobre essas operaedes.
< Finalmente, como os effeitos da retirada das
notas do thesonro, sendo substituidas por notas
do banco em virtude do artigo.2* da citada lei a.
683 de 5 de julho de 1853, sao inconvenientes ao
mesmo banco, aggravaodo em qualquer crise a
sua situacao, parece conveniente suspender essa
obrfgaco, at qne, regularizadas as circunstan-
cias, possa o poder legislativo resolver o que for
mais vamajoso.
< Estas providencias poem ao entender do go-
verno restabeiecer o banco no estado normal, con-
forme a le de sua creacao. Convm todava notar
qur, fuoccionaodo sob a presso. da maror crise de
1ue ha memoria no impeli, foi canamente forgado
aaceuar u tulpa nm s em longos araios podem ter
reensayo defloiiiva, coa ammlmat* sao o da
I2rV porim HE.esU ^wetleaae, nao se
de considera*, '*
goe eont pnblieo,
dos aoeealstu, enjoa
raatem as obrigagoe deljeaco, lu
00 complexamenle oa lau relagdee, aio ,<
orno
2.'
tica
I 4. Tnbnaes do commercio.
5. Justtcas de i' insiaucia...
< 6. Ajudas de custo a juizes
de direito e munielpses........ 24:0005000
7. Uespeza secreta.......... 140:0005000
1 g 8. Pessoal e material da po-
lica........................... 428:57650i0
< 9. Guarda nacional........1 167:6215500
< 10. Conducgo, sustento e
curativo de presos............. 100:0005000
c 11. Eventuaes............... 2:0005000
< 12. Corpo policial da corle... 515:7325500
< 13. Casa de correegao da
corte.......................... 162:5265500
14. Obras.................... 28:7405000
Emendas
Ao !. Accrescente-se : supprimida a gra-
llficacao addicional de 5005 ao director da quarta
secgo.
Em vez de 158:1405 diga-so: 157:6405.
Ao I 6. Accrescente-se: regulando-se as des-
tes pela tabella das dos juizes de direito na razo
de meude.
c Era vez de 24:0005, diga se : 30:0005
1 Ao88.* Accrescente-se: Inclusive9:600$para
os mdicos verificadores de bitos, e supprimida a
despeza com a companhia de pedrestes.
Em vez de 428:5765, diga-se: 394:2765.
Ao 10. Accrescente-se : passando o orga-
mente da receita a Uespeza a annullarreferida
na tabella relativa a este paragrapho.
< Em vez de 100:0005, diga-se: 114:0745.
Ao 12. Subslitua-se pelos seguintes:
12. Corpo militar de policia,
sendo: paraopessoal.........
279:1315952 (na forma da ta-
bella n. 2 do decreto n. 3,596);
fardamento de 200 pragas a 605
cada um, i2:000; forragem,
curativo e ferragem de S21 ca-
vados, e dito dito de 4 bois, a
750 rs. por da, 61:5935750;
medicamentos e mais despeas
do hospital, 4:5005; Ilumina-
cao dos quarteis e postos de
guarda, 6.0005; aluguel das
casas para postos de guarda,
7:2005; compra de armamento,
correa mes e arreios, 1:0005;
eenceno dos meamos e dos
carros de transporte, 4005;
compra de uleacilioss aecesaa-
ros as companhia e postos da
guardas; gratideagdes a tres
ordonaoeas, 3605............. 373:5855702
< 13. Gnarda urbana, sendo
para o pessoal 282:4075 (na
forma da tabella a. 4 do decre-
to n. 3:598); fardamento de
560 guardas a 605 cada am,
33:6005; compra de arma-
mento e concert do mesmo
4:6005; aluguel das asas para
estacao, 6:0005; 200 guardas
e cinco commaodanies de dig-
irilo ae* frgaezias da S.
Caristovo,Eogentio-Velho, Es-
pinto-Saolo Gloria eLagoa.....
101:6015500; fardamento dea
meemos guardas a 605 cada
um, 12:0005................... 44O.2S9#50O
Ao 13 passa a ser o g 14. Accrescen-
te-se : suprimida a despeza com o instituto dos
menores arteios e passando para o orcamento da
receita aDespeza a aniullar--*eeriua. na tabella
reiatjva a este paragrapho.
< Em vez de 162:5265500 diga-se 117:6005.
Ao 14passa a.ser 115. Accrescente-se : pas-
sando para o orgamento da receita aDespeza a
auuullar-referida aa tabella relativa a este para-
grapho.
. Em vez de 28:7409 diga-se 50:9409.
- AoatL 3* Km vez de 3,139:3365500diga-se
3,400:0065702.
.-A commissao justificar succiutamenle as
'lateadas oHeraeldas reservando mais ampia de-
sea velviselo para a discuiaio caso sejam com-
Art. 1. Fica approvada a pensio annual de os Srs. fleurique Kalkmann, Ricardo Hughes, Ma-
50V000 concedida por decreto de 10 de jaoeiro do noel Antonio da Hocba Jnior, Loiz Ribeiro da Cu-
corrente, a Rita de Campos Maciel, mi do te- nba e Francisco Coelho da Fonceca, procedendo-se
nente Antonio Joao Ribeiro, morto em combate f a votacao por escrotinio aera a commissao que
de 36Q5000 concedida por decreto de ifnal dala Aoollnaria Flix Dias Serra, vinva do guardlo votos os Srs. : Hearique Kalkmann, Manoel Anto-
Ma.noel Maria Segundo, morto em combate ; e a de nio da Rocha Jnior, Joaquim da Cunha Freir,
M051AOO mensaes, concedida por decreto de 13 de Luiz Ribeiro da Cunha e Jos Luiz de Souza.
Janeiro .lo mesmo anno a D. Anna Jos de Laraare
Lessa deVCarvalho, viuva do teaente Antonio Pa-
checo de forvalbo, morto em combate.
c Art. 2.\Estas pensoes serao pagas desde a
data dos respectivos decretos.
Art. 3." Ficam revogadas as disposigoes em
contrario. y
Sala das comnlissSes, o de abril de 1866.Sil-
va Pereira.SouzaBannelra.
A assembla gerakresolve :
Art. 1.a Fica approvada a penso a
< As cmaras de sangue e a varila que to
grande colheita de victimas tem feito nesta capital,
I como se v do obituario que da' de 8 a 6 diarla-
mente, consta-nos que se vo estendendo para o
! interior.
< Em Mecejana, Damas e outros lugares adya-
centes a esta capital, essas epidemias tem-se des-
envolvido consideravelmente e nao pequeo tem
' sido o numero de victimas.
< A pobreza se acha toda entregue aos seus pro-
prios recursos sem ter para onde appellar.
5OOO0, concedida por deeveto de 18 de agosto j t Do Trahiry velo comraunicaco de ter all ap-
de 1865 ao major reforroadoNto exercito Joaquim parecido urna molestia cojos symptomas erara em
Correado Faria, em atiengo ao%relevantes serv-j judo semelhantes aos do cholera^morbus e que ja
gos por elle prestados.
c Art. 1* Esu penso sera
da concesso.
c Art 3.* Ficam revogadas as
contrario.
c Sala das commissoes, 5 de abril
va Pereira.Souza Bandeira. <
c A assembla geral resolve :
t ArL Fica approvada a penso annual de
5045000 concedida por decreto de 7 de riutubro de
1865 a D. Mara Benla de Alhayde, viu*a do te-
nente da guarda nacional do Rio Graode do Sul
Israel da Silva Moraes, morto em combate ; a de
400 res diarios, concedida por decreto de 11 de
novembro do mesmo anno ao soldado doj3. bata-
Ibo de infantaria Amaro Jos, ferido em,combate ;
e a de 425000 mensaes, concedida por decreto de
17 de fevereiio do corrente anno, a D. Anna Jos
de Lamare Lessa de Carvalhoj viuva do nente do
corpo policial da provincia do Rio de Janeiro Anto-
nio Pacheco de Camino, morto em combate, fican-
do assim elevada a de 355000 que Ibe fora dada
por decreto de 13 de Janeiro do mesmo auno.
1 Art. 2. Estas pensSes serio pagas desde a
data das respectivas concessoes.
Art. 3.* Ficam revogadas as disposigoes em
contrario.
I ia cansando serios estragos. S. Exc. mandou uin
a desde a data medico conhecer da natnreza do mal e acudir aos
I accommeuidos. Convinba, pols, que S. Exc. to-
posigoes em masse igoaes providencias quaato aos oatros luga-
^. res accommeuidos, onde se faz sentir a falta de me-
II deH866.Sil-. dico e medicamentos.
PiauhtO Exm. presidente da provincia refor-
mou o contrato com a companhia de navegago do
pre-
aqu
nao ba lalvez menos de meia duzla, alm dos que
devem apparecer la' pela corte.
Falleceu igualmente no dia 31 de margo de
urna febre perniciosa o negociante portuguez A-
il tonio Joaquim Pereira, socio gerente da anliga ca-
sa- eommercial de Manoel Jos de Carvalho & C.
Este aconlecimento sorprenden e causn seosago
no commercio por ser o finado mni estimado, seu
funeral foi o mais concurrido que nesta cidade ha
tido lugar ; porque ludo quanto foi do commercio
compareceu e acompanboo o enterro, assim curao
muita gente do paiz varias antondades.
< Fizemos aqu a semana santa muito ehuvosa
e por isso sem grande aoimago e concurrencia
aos acto que a igreja catholica celbranosles dias,
nao obstante na Sexta-feira aa palxo, cojo dia ap-
pareceu sem ebuva, o novo affluio em atandancia,
a acompanbar as proeissdes do enterro tanto de
manha como de ooite.
< O Diarto de Grao Para' de 27 de margo no-
ticia que as Salinas encalhara e se perder com-
pletamente urna barca ingleza consignada a com-
panhia do Amazonas carregada de carvo sem a
menor desgraga na sua iripuiago, que ja' se acha
nesta cidade.
< Do Amazonas nada (em occorrido de octave!.
Consta que o vice-presideote nomeado Dr. Codece-
ra nao quizera acceitar o encargo de governar
aquella provincia e que por isso ainda nao poder
vir o presidente Dr. Epaminondas, sendo esperado
no Be tem que aqu de ve chegar a 12 do corrente.
Consta tambem que os individuos que sabiram cri-
minosos no jury pelo conflicto de Serpa qae teve
lugar em janno do anno Ando a maioria delles fu-
gio da respectiva cadeia, podendo-se capturar
dois.
O ex-delegado de policia Ferraz passeia sollo e
livre, por isso que a relaoao da Maranho julgou
nullo o proceseo e pronuncia contra o mesmo ha-
vidos. Eis era que deu a quesiSo de Serpa, da qnal
foram victimas um porloguet e uns guardas naci-
naes,, aquelle na occasio do conflicto e este na
repressao del le II...
< Da guerra do Chile e Per contra a Hespanha,
cujas noticias sao mais recentes por via do Ama-
zonas, ba a seguinte circular em referencia a si-
luago dos hespanbes residentes no Per.
Circular.Lima e Sr. perfeito de... O estado
de guerra em que se encontra a repblica com o
governo de Hespanha, indispensavel tomar alga-
mas medida de precaQio a respeito dos subditos
de S. M. C. qne residen) em nosso territorio, afim
de precaver os males que poderiam sobrevip-nos
urna exagerada conflaoga em individuos que, em
seu maior numere, se tem manifestado sempre
sysomticamente bostis col ira o Per.
c Em virlude do que S. Exc. me encarrega de
ordenar a V. que nao permuta, desde ja', que saia
do territorio de sea mando para o esirangeiro ne-
nbum bespanbol.que forme um padro de lodos os
que residem nesse departamento, e o remella, com
a maior brevdade, a esta secretaria, devendo de-
clarar em o dito padro a proflssao, idade aproxi-
mada, e em geral as circunstancias especiaes de
cada um, e que exerca constantemente a vigilan-
cia mais activa sobre todos elles.
c Deus guarde a V.J. M. Quimper.
O estado das rendas publicas da provincia do
Para' durante o mez de margo sommara :
A alfandega 186:4035883.
c A recebedoria provincial 78:9905-
c Diversas repartiges 4:5005.
c .Movimenio do porto no mesmo mez (oi o se
guite :
Entrados.
12
Approvadas com o projecto. ,
Ultima discusso das emendas apresentadas ao
projecto n. 27 deste anno, sobre a creagao de esco-
las nocturnas.
Approvadas com o projecto.
2/ discusso do projecto n. 107 de 1864 e do
substitutivo da commissao de legislago, mandando
contar servigos geraes e militares para as aposen-
tadoras provinciaes.
Fallam sobre a materia os Srs. Joao Teixeira
Costa Ribeiro e Correa de Brito, apresentando este
urna emenda para que os servigos militares coma
dos sejam de qualquer ordem.
Encerrada a discusso o substitutivo approva-
do com a emenda do Sr. Correa de Brito.
O Sr. Buarque pede para que se declare na acta
que votou contra iodos os arts. do projecto.
3.* Discusso do projeelo n. 36 deste aoao, auto-
risando a resciso do contrato Mamede.
Approvado.
t.' Discusso do projecto n. 35 deste anno, alte-
rando as divis5es dos districtos de paz da Villa da
Escada e de Moribeca.
Fauam os Srs. Costa Ribeiro e Soares Brando
sobre a segunda parte do projecto.
O Sr. Costa Ribeiro manda a' mesa um reqneri-
menlo para que se ouca sobre a materia o juiz de
direito e a cmara municipal do Recife.
Encerrada a discusso o reqoerimento regelta-
do, e approvado o projecto.
3.a Discusso do projecto n. 23 deste anno, en-
torilando os concerios do agude do Bonito.
Vem a mesa urna emenda do Sr. Lopes Macha-
do mandando fazer os concertos de que carece o a-
gude de S. Beato.
Encerrada a discusso a emenda approvada,
ficando o projecto preso atea discusso d'aqoelles.
. 2/ Discusso do projecto n. 37 deste anno, re-
gulando os ordenados dos repetidores do gymnasio
e creando um lugar de preparador.
O Sr. Ramos manda a mesa urna emenda antori-
sando o governo para contratar um estraogeiro
para este ultimo lugar se for isto uecessario.
Encerrada a discusso o projecto approvado
com a emenda.
2.* Discusso do projecto n. 51 deste aaao. aoio-
risaodo a arrecadago do imposto de 25300 sobre
o gado pelas collectorias.
Veriflcando-se nao baver casa, o Sr. presidente
levanta a sessao, dando a seguinte ordem oo dia:
!. discusso dos projectos ns. 58, 62 e 71 desie au-
no, e n. 97 de 1864; 3." do de n. 35 deste anno, e
conUauacao do anterior.
Parnabyba, estendendo a navegago do rio deste
nome, alm da Tberezlna, at S. Pbilomena, oa
mais cima ainda, se for conveniente. Esla deli-
berago do digno presidente do Plauhy foi tomada
depois do exame minucioso que pessoalmente fez
em ama Viagem que ha pouco effecluou nesse
rio.
O Sr. Doria eslava de volla de ama visita que
fez a villa da Unio, onde examinoo diversas obras
publicas all em andamento, e n'ootros logares por
onde passou.
Maranho.Falleceu, no da 2 do corrente, o
lenenle-coronel Ricardo da Silva Ferro.
A' chegada da noticia do naseimento do prin-
cipe filbo de SS. AA. o Sr. duque de Saxe, houve-
ram salvas, repiques e illuminagao em toda a ca-
pital.
L-se no Paiz :
! Esta' nesta cidade e pretende seguir para o
Sala das commissoes, 6 de abril de 1866.Sil- *V <,e Janeiro o joven Manoel Pacheco de Lima e
va Pereira.Souza Brando. Silva, ceg de ambes os olhos. Este menino, qae
t A assembla geral resolve : 6 de moa babilldade, deseja ser alumno do Insli-
Art. nico. Fica o governo autorisado para ,ut0 ds cegos do R.o. mas faltam-lbe os meios, e
mandar admittir i matricula do 1." anno da facul-
dade de direito do Recite o estudante Vicente Pe-
reira do Reg, dlspensando-se Ibe o tempo que fal-
ta para completar a idade exigida pelos estatutos;
revogadas as dlsposigdes em contrario.
< Sala das commissoes, 7 de abril de 1866.Sil-
va Pereira.Souza Bandeira. >
Acharase incriptos com a palavra para a dis-
cusso da resoluge que manda vigorar o orga-
mento de 1865 a 1866 durante o anno flnancelro
de 1866 a 1867 os Srs. : Dantas-, Barbosa de Olt-
veira, Souto, Harta de Araujo, Aristildes Lobo, Lei-
tao da Cunha, Tavares Bastos, a favor; e contra os
Srs. : Ralisbona, Belfort, Pedro Brando, Moreira,
60 com muita difflcuidade poder conseguir o sen
louvavel Intento.
c Se alguma vez a caridade dos ricos tem sido
bem exercida em casos taes. Este infeliz meni-
no, condemnado a mais desgragada vida, procura
attenuar os amargores de sua existencia, cultivan-
do o talento de que a oatareta o doton como para
compeosar a desgraga de sua cegueira. Seu pai,
o Sr. Jos Justino de Lima Pacheco um honrado
empregado publico, que apenas dispoe dos recur-
sos que Ibes proporciona o seu ordenado. O infe-
liz cegoj acompaobado por nm sea ircaao menor,
que Ihe serve de companheiro e guia.
Para. Falleceram o conego Joo Carlos d'Oli-
0.
Navios.
Brasileicea
ing laxes 10
Franeezes 3
Americanos 2
Portoguezes 2
Hamburguezes 1
passageiros estrangeirps foram
Entrados
Portugnezes...... 29
Hespanbes....... -
Peruanos........ 14
luglezes.......... 12
Franeezes........ 5
Americanos...... 5
Bolivianos........ 1
Italianos.......... 0
Polaco........... 0
Marroqoioos...... 0
Austraco........ 0
Chios........... 0
! 1 Si '
Sahidos.
12
5
0
3
2
0
Sahidos.
45
1
4
2
2
4
1
3
1
1
1
2
Franco de Almeida, Pedro Luiz, Ralol, Nebias, Pin! veira Pantoja, e o negociante portuguez, de Game-
to Lima, Moreira Brando, Almeida Braga Mace- t', Fructuoao Candido Vianna.
do, Figueiredo, Ferreira da Veiga, Godoy, Ribeiro; A se8uin,e mi" do nosso correspondente
da Luz, Limpo de Abreo e Urbano.
Fol-nos bontem obsequiosamente commnnicada
urna foiha de Buenos-Ayres com data de 29 do pas.
sado, a Tribuna, irazida pelo Gerente.
Nao eontm noticia alguma do theatfo da guer-
ra. Entre outras eoasas de interesse local refere
que pelo governo oriental fot levantado o desterro
imposto aos padnaaos do duelo entre Martnez e
Bustanaate, subsistindo, porm, o exilio para este
ultimo
DIARIO DE PERNAMBUCO.
1C
# A redcelo de 5005 J verba do
de estar boje aposentado o director da
Chegaram hontem os vapores Paraa e Gruta,
re de Sul, dos partos de sal e aorta do imperie,
com jornaes do Rio de Janeiro at 10, da Babia at
14, de Alagoas e da Parahyba al 16, do Rio-Gran
de at lo, doCeara at 14, do Piotay at 2, do
Maranho al 11 e do. Para' al 9 do corrente.
Ro dr Janeiro.As noticias au importantes
do sal do imperio vio sob a rubrica uieror.
8. A. o Sr. duque de Saxe mandou distribuir,
do seu bolso 1:0005, aos pobres da corte, ao dia do
beotismo de tea-filbo.
L-se naCerrt Mercantil
narra o qne mais occorreu, tanto nesta provincia,
como na do Amazonas:
< Ha muito qne estamos por aqu n'uma pas-
maceira e espectacio sem limite.
1 Ha muito que presumo ter occasio asada para
Ibe transmlltir noticias mais importantes e no en-
lamo as cousas marchara aqu sem maior conside-
rago.
a Todos volvem os olhos para o sal, d'onde por
i todos os paquetes se aguardan) notareis acontecl-
mentos nao s quanto a' sltnaco poltica, mas es-
pecialmente em relaco a um golpe decisivo na
nossa goerra contra o Paraguay. .
. c Todo sao esperangas e os das- se v9o escota-
do na mesma espectativa, por isso qne ehegam
uns e outros paquetes e apenas se bouve dizer :
nao ka novidadee, tudo ett na mema quanto a
poltica e quanto a guerra I
c Nao sei o que quer dizer o chavad d'estas pa-
lavras; todavia inclmo-me a crer que semelbante
estado espectante nao pode continuar qoer em re-
laco a poltica do paiz quer em referencia a'
guerra.
i Acaba de chegar da corte o lenenle-coronel
Antonio Pimenta de Magalhaes, que como Ibe noti-
cie! liaba sido deposto do commando do 2. bata-
Iho de infantaria da guarda nacional d'esta capi-
tal ; restituido pois, a sua poslgo de tenente-coro-
Del e ao respectivo commando foi ao desembarcar
o vapor recebtdo por grande numero de amigos,
Fomos obsequiados com dous nmeros do New
York Herald de 26 e 27 do passado, ebegados bon-
tem pelo vapor americano Veruna.
A nica noticia de importancia que encontramos
a segainte, que damos oomtudo com a maior
reserva:
Segundo diz o New York Herald, o governo dos
Estados-Unidos foi informado por pessgas dignas
de f, de que o imperador dos Franeezes vendo a
ioutilidade de seus exforgos, para fundar um im-
perio no Mxico, resolveu restabeiecer ahi a rep-
blica coliocando provisoriamente o marechal C-
zame frente da mesma. at qne o povo mexicano
possa eecolher am presidente efleelivo.
O jornal a qoe nos referimos faz tongas consi-
deragdes sobre esse facto congratulndose pela bo-
menagem qoe Napoleao III assim presta ao povo
americano pois attitude tomada por este allribne
to importante mudauca da poltica imperial.
Nada encontramos a respeito do procosso de
Jeffersoo Dawis.
REVISTA DIARIA
Este designado o dia i de mato vindonro para
a reuniao da 2.* sesso judiciaria do jury desta ca-
Na segunda felra amanheceu assasslnado. por
urna punhalada sobre o corago, o preto Paulo es-
cravo do Sr. Manoel Custodio Soares. O cadver
foi encontrado no caes d'Apollo.e ignorase a quem
attnbuir a autora do erirae.
Succumbio um ataque de paralysia hornera
pela manhaa a Exma. Sra. D. Maria Taeodora
d Assumpco, que ja' contava 76 anuos ti idade.
Este senliora, respeitavel por suas qualidades
pessoaes e por suas virtudes, era vinva do nego-
ciante Manoel Goagaives Ferreira, e mi da Exma.
proprlelaria do engenho Cordeiro, na fregnezia da
Varzea; e inclinando-se para a Ierra em satisfagao
do tributo imposto bumanidade, deixa desolada
urna familia numerosa, composiade oito filaos, que
Ihe resiam de vinte e dous que tivera, e selecta e
untos netos, alguos dos quaes aella tinbam o nico
arrimo.
Em proximidades do povoado de S. Pedro
termo de Pao d'Alho, foi morto de emboscada por
um tiro o Sr. capito Francisco da Molla Caval-
canti.
Corra elle nma sna lavoura, quando receben o
tiro mertifero ; e ainda Ignora-se quem seja o au-
tor de mais este crime, pois tlona elle varios ini-
migos, e antes de expirar declarou nao ter conhe-
cido o brbaro agente de sua morte.
! provm. Urna folba de Porio-Alegre da' o seguinte qua- .
1 secgo, a dro do exercito em operagoes contra o Paraguay : jalera aos festejos qae teve dos seus corriligiona
flKMCiillWttns (
PERNAMBUCO,
ASSEMBLA LEGISLATIVA PROVINCIAL.
SESSAO ORDINARIA EM 14 DE ABRIL DE
1866.
presidencia do sb. vigario francisco pedro da
silva-
As 11 3/4 da manha faz-se a chamada.e verifica-
se apresengados Srs.Frapcisco Pedro,Ayres, Ramos,
Reg Barros, Costa Ribeiro, Paes de Andrade, Joao
Teixeira, Souto Lima, Buarque, Machado, Correa
da Silva, Candido Martins, Tiburlino, Janeen, Bur-
gos, Maranho. Epaminondas, Jos do Reg Barros,
Amyotas, Correa de Brillo, Soares Brando, An-
usto, Sonta Lelo, Armlnto, Amorim, Emygdio,
oaqutm Tavares, e Aodr.
Abre-se a sessao. *
L-se e approva-se a acta da sesso anterior.
O Sr. 1* Secretario da' conta do seguate
EXPEDIENTE.
Um officio do secretario do governo, remetiendo
as infbrmagdes pedidas sobre o corpo de policia.
A quem fez a requesigo.
Outro remettendo o compromiso da Irmandade
da Mil dos Homens pedindo a sua approvago.
A com mis s iodo negocios eeclesiastlcos.
Um abalxo assignado dos moradores da Villa do
Cabo, pedindo a coustruego de ama ponte no rio
Pirapama.
Da estrada de Joao de Barros fazem-nos a se-
guinte comrannicago:
t Aqui assentarara-se desde dezembro prximo
passado as columnas para a illuminagao a caz
mas nao obstante acbamo-nos anda s escoras. '
Os lampeoes nao foram ainda colloeados, como
deviam logo ser; e porque?
t Se nao sabemos a razio, queira publicar lto
para ver se ao menos no-la do.
As ebuvas continuam a cahlr abundantes, e
para o centro parece que lem ellas sido copiosas
pelo volume d'agua que aprsente o Capibaribe.
Informam-nos que os arrabaldes esto todo in-
mundados, e que efectivamente desee tanta agua
de alluvio, que temos nma outra cheia a presen-
ciar, estando ja' o espago coraprehenddo da ponte
di Passagem ao sitio do Sr. Pereira da Cunha co-
berto de Unta agua que dificulta o transito; o qaal
ora feito no lelto da estrada por canoas.
Deus queira que nao tenbamos a consignar al-
gum sinislro.
Com d-fferentes destinos foram encontrados
os seguiotes navios :
A 21 de margo ultimo, na tal. M. 22* S. 9' e leng.
O. 24 4", a galera Donati procedente de Liverpool
para Belliog, Sbauson, Island.
A 4 do corrente, na lat. N. 6 40" e long. O. 28*
a galera Earl of Clare, que navegava no romo do
norte.
A 6 do corrente, na lat. N. 23a e long. a 23* o
brigue inglez Por Una, procedente de Liverpool para
Buenos Ayres, bem como a barca ingleza Btlle of
Ihe South da mesma procedencia com deslino ao
porto de Galles.
Todos estes aavlos navegaram regularmente,
sem novidade alguma a seu bordo.
Acabamos de receber, pelo vapor Cruzeiro
do Sul, os jornaes e cartas de Lisboa, qoe al poz
o nosso correspondente no correio com rotulo:
Srs. Manoel Figueira de Faria & Filho, proprteta-
rios do Diario de Pernambuco.
apezar dlsso l-
malas do vapor
Pelo vapor Cassini; e que,
rara parar ao Rio de Janeiro, as
inglez (Muida.
' ama bella prora do zelo e cuidado do corr o
daquella cidade 11
Chegou ante-bontem a' noute de N'ew-York,
o vapor aaericano Varuna, com 20 das de via-
gem, que, depois de algomas horas de demora, se-
gnio para Hong-Kong, na China, sea destina.
Na pa baplUmai foi dado, a' S. A. o principe
Albo de SS AA. os Sr. duque e duqueza de Saxe, o
nome do Pedro Augusto Luiz Maria Miguel Gabriel
Rapbael Gonxaga.
No engenho Cedro, termo do Cabo, saeeom-
bo por occasio de castigo, ama eserava do Sr.
Joao Evangelista; a qaal esUva alagada ali. A
policia diligencia por eolber informagoes exacta
sobre o laclo, para tratar da devida panigo.
Hontem nao circnlaram os trena da estrada
de ferro entre o Recite e a Villa do Cano, em coa-
seo, uenca de se ter rompido a llnha as proximi-
dades do engenho Santo Ignacio, pela enorme mas-
sa d agua do Rio Pirapama. loformam-se toe aa
aguas tomaram descommunal proporco, a pealo
de penetraren) na casa do superintendente oTaqnei-
la estrada ai a ahora de 2 /i pos.
Os treos circnlaram em todas as mais seceSes,
onde nenhum accidente se den. Alai* hoja aa
llavera' trem para a Villa do Cabo.
Amanha se extrabira' a' 1.* parte di i.* t-
tem (08*) a' beneficio da nutria da Villa Ma,
sendo o maior premio 6:0005000.
RlPtRTigAO da polica.
Extracto das parles dos das 15 e 16 da aMUin
1866.
Foram recolhidos casadedeteaco a* Hito
corrate :
A' ordem do subdelegado do Recife, Tsa
Vad, John Doaoagbier, Chari Bizers, americana,
Andr Heredia Garca, portuguez* e Manoai da Sil-




lartodc
Qnarta
49 de Abril de 1866.
9
t--------------------------------------------
Tt Gotesares, H.% f, 3.' a 4/ a reqalajcio dos
comales, e o ultimo 'a' requisleao do oapitao do
porto.
A' ordem do de Santo Aatoaio, Maooel Pereira
Magalbaes, porcrimede offeisas physlcaa leves.
A' ordem da da S. Jos, Joaquim Jos da Sania
Anaa, para cerreegao; e Leopoldo Jos Rodrigues
Braga, por briga.
-if -
A* ordem do Dr. delatado da capital, Antonio
Soares d'Almeida e Cosario Luiz dos Santos, para
cornelo.
A* ordem do subdelegado do Recite, Francisco
Ignacio Torras, para correccin.
A* ordem do de S. Jos, Feliciana Mara la Jesns,
por iafracgSo de regalamento da estrada de /erro.
A' erdera do da Boa Vista. Jos, escravo de Hen-
riqae Gmlnerme Stepple, a' reqoerlmento deslu.
A' ordem do da Capuaga, Manoel Francisco do
Reg Barros, para recruta.
O chele da 2 seccao,
J. G. de Maquila.
"- _____________-i-- -------g-gMggB-
Communicados
MOVIMEUTO DO PQRTtt
Atiiiios entrado no Ha 17.
Parios do ful6 das, vapor brasilero Paran, de
840 toneladas, commandante o aapitio de fraga-
la Sauta Barbara, equlpagem 53, carga varios
ganaros ; a Antonio Loiz 4o Ollfelra Azevedo
&C
Portos do norte 7 das, vapor nacional Cruzeiro
do Sul, de 1,107 toneladas, commandante Aleo-
forado, eqaipagem 68, carga differentes ganaros;
a Antonio Luit de Olivena Azevedo & C.
o ?rk -2 <,las' v*pjr anericano toruna, de
8,240 toneladas, commandante Whettog, eqaipa-
gem 33, carca varios gneros; a Henry Fbster.
S.jgoe para Hong Koog.
Rio de Janeiro20 das, barca (raneen Amelia,
da 424 toneladas, capitalF. Droneau, eqaipagem
13, em lastro ; a ordem
Obstrvacao.
Nao houveram sabidas.
Rna largado Rosario.
N. 34 dem e 26 dem, prlaeiro an-
dar.......... 332*000
dem dem safando e terceiro anda-
(lares...... ,
603*000
810*000
Roa. do Obliga.
N. 34 dem e 1 B ideo, toja. .
dem dem e 1 C idea, fofa. .
dem dem e 1 D idem, toja. .
N. 41 idem e 3 idem, sobrado de 3
aadares..........1:602*000
Raa Nova.
dem, dem, dem: 8ditas-
de dita para cha cora 40
ditas a 200 rs.....
dem, idem. idem : I coqui-
obo para assoear eom 6-
ditas aJtOrs.. ....
8*000
1*200 4i|48ft
EDITAES
O depatada premcial arniaie lavares e recru-
Udar da carnerea de Goyanna, haeharel Henri-
fM Pereira de Lueena.
Dispensava o juizo que de mim fazla o Sr. La-
cena antes da justa accosaco, que Ihe flz na as-
semhla provincial, e dasprezo o que, diz, iicou fr-
iendo depois.
A justica, eom que proced na aecusacao ao Sr.
Lacena, deslllodio-o a mea respeito. E' qae a jos-
tiea desvair o jaixo daqaelles qae s a apreciara
qo ando ella os nao ofende.
Diz o Sr. Locena qae se Ihe afflrmara qae ea, pa-
ra obter boa votago, me engajara eom urna in-
flaaneia eleltoral a fazer-lhe acensares. E' isto
ama falsidade to cynlca que somanta pode ser
avaneada pelo Sr. Lacena na necassldade da des
virtuar o motivo qae me indazio a denunciar as
saas tropelas na comarca de Goyanna: nm enga-
jam.mto, tao torne e immoral, somente poderia ser
feita por am certo bacbarel qae, se dizendo li-
beral, acceilou um dos principis juizados muni-
cipios desta provincia eom a clausura de pr-se a
servico da certa influencia de poltica opposta de
sea termo. Qui potest capere eapiat, qui non po-
tuent interroget
O Sr. Lacena parece (azer allasdes a mim, quon-
do falla em violencias eleitoraes.
Provoco ao Sr. Lacena a qae declare as violen-
cias que aconsalhei ou pratiqaei, sob pena de ser
considerado am infama calumniador.
Nao queira fazer sapor o Sr. Lacena qae a mi-
aba aeeosacao fot inspirada por odio concentrado
qae nao Ihe voto; nao tenho motivos para odia-lo;
a saa estulta vaidade causa-me nojo e nao odio;
o meo desprezo o preserva de minba Indignacao.
Accusei-o porque entenli que assim davia pro-
ceder contra nm raerntador que to mal deserope-
nhou as saas funccSes e nao consentir que perse
guicoes atrozes podeesem ser consideradas como
servteos ao paiz.
K' cuno tenho anda de oceupar-me, em occa-
sio opportuna, da compauhia de recrutes, qae foi
a presentada polo Sr. Lacena como de voluntarios
da patria, srvam por ora estas palavras de res
posta ao mesmo senhor.
Arminio Coriolano lavarss dos Sanios.
Correspondencias
Srs. redactores.Os mens encommodos de sa-
de me nao tem permittido chamar a contas o viga-
rio de Flores Pedro Manoel da Silva Bargos, pelas
falsidades e insultos, qae contra mim e o distincto
Sr. teaente-coronel Pedro de Campos subscreveu,
na sua pbilaociosa correspondencia, publicada no
Diario de 21 do passado. Hoje pois, qae me aeno
resiauelecido, venbo perante o publico declarar,
que esse vjgario nao pensou eom prudencia no
momento, em qae aonuia ao ronselho, que Ihe de-
ram, de vir, em tom de grande potetade poltica,
alardeiar influencia, qae nao tem em Flores, e
fazer ao mesmo tempo a defeza sem defeza das
imputacoes, que geralmente se Ihe faziam n'aquei-
le .termo de, eom a roao do gato, procurar dissua-
dir os povos de se alistarem no 4. corpo de volun-
tarios da patria, que alli foi incumbido de orgaoi-
sar o hornera de mais legitima influencia do logar I
Sun, esse vjgario nao sabe em que se mellen, por
qae por esse modo velo por em relevo a sna aso-
fia, e dar logar a que eu o provoque a defender-se
primeiro do que l se diz da sua conducta moral,
para que enio eu roe defenda das torpes alevo-
sias de um pequeo grupo de ferropilhas, que em
Flores representa o partido progressista : portan-
fu, de(enda-se o Sr. vigario dessas impatac5es,
que mais o devem comprometter no juizo publico
e deite por miaba conta o que de mim diz S.
Revma. e seas asseclas. Felizmente j no Diario
de hoje o mesmo Sr. tenante-coronel Pedro de
Campos pulverisou completamente as fanfarrona-
das do bom pastor de Flores, qae nao sel eom que
fundamento metten-se-lbe em cabega ser potencia
poltica I Fico na estacada a espara do Sr. vigario
Burgos.
Olinda,.. .de abril de 1866.
O cap to Francisca Luiz VirSes.

COMMERCIO
FRACA DO RECIPE.
Colacocs oflciaes.
17 de abril.
As 3 1|2 horas da tarde.
Alsodo 1" sorte 185300 e 185600 por arroba
lambo sobre Londres90 dtv. 27 1|2 e 27 5|8 d.
Frete de assucar para o Canal45) e 5 % de pri.
magem.
uuboureq Jnior,
Presidente.
Silveira
Secretario.
novo banco de Pernam-
buco.
O Novo Banco descoma letras a 12 por cento
ao anuo, toma dinheiro a praso lixo ou em conta
correute pelo premio e condicSes que se c onvee
cionar. e saca sobre a praga da Baha -
Novo Banco de Pernambuco.
o novo banco paga o 16 dividendo ne
razao de 64150 por acc5o.
ALFANDEGA.
Hendimento do dia 1 a 16..... 480:398*585
dem do du 17.............. 30:2945239
310:8925824
M0V1MENT0 DA ALFANDEGA
Volarac:; entrados eom fazendas... 193
< c eom gneros... 467
Volumes sabidos cem fazendas... 134
i c eom gneros----- 394
662
728
Desearregam boje 18 de abril.
Barca inglezaAnn* Kaymercaduras.
Vapor iiigltzCassineidem.
Brigue inglez Ella Bruce idem.
Bngue ioglezTitaniabacalha.
Patacho dinamarquezPallucefarinba de trigo
e bauha. .
Barca oglezTrarewfarinba de trigo.
Barca poriagaezaFerreira Borgesbarricas va-
stas.
Barca in^lezaAlexandre carvo.
Barca iiglezaMaranhao idem.
Barca inglezaEdtth Manonidem.
Brigue iaglasCaniadem.
Brigue inglez Har Belldem.
Brigue ioglez=JoAn & Elisabethieax.
Galera nacionalMmdelloId era.
Brigue nacionalMarinho //charque.
Brigue portugus& /atidem.
Barca nacionalAmiiadeidem.
Samaea hespanholaGuada/upe-idem.
BECBBEDORJA DB RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO
Rendlmento do da 1 a 16....... 12:681|424
Idem do dia 17............... 2:2415853
0 Dr. Virgilio de Gosrolo Coelho, juiz mu-
nicipal supplente da 2.* vara e prepara-
dor dos preces sos do jury desta commar-
ca doRecife por S. M. o Imperador a quem
Deus Guarde.
Faco saber que, pelo Dr. Manoel Jos da
Silva Neiva, ju z de direito da segunda vara
criminal da commarca, me foi communicado
tex designado odia l.demaio prximo
viodouro, ptlas 10 horas da maahaa, para
abrir a segnjid i sessao ordinaria do jury,
que trabalbisr em mas consecutivos*, e ha-
vendo hoja procedido ao sorteidvos8 ju-
rados que tem de servir na mesma sesso,
em conformidade do artigo 328 do regula-
mrito n. 120 de 31 de Janeiro de 1842,
foram sortiados e designados os cidadlos
seguintes.
Freguezia de S. Erei Pedro Gonsalves.
Jos Cardozo Ayres.
Dr. Joo Raymundo Pereira da Silva.
Antonio Jos Silva do Brasil.
Antonio Joaquim de Vasconcelos.
Francisco Ferreira Borges.
Freguesa de S. Antonio.'
Joaquim d'Almeida Pinto.
Dr. Alexandre de Souza Pereira do Carao.
CapitSo Henrique Eduardo da Costa Gama.
Dr. Antonio Borges da Fonseca.
Jos da Fonseca e Silva.
Dr. Rufino Augusto de Almeida.
Francisco Belarmino dos Santos Freitas.
Dr. Carlos Francisco Soares de Brito.
Capillo Domingos Jos Rodrigues.
Dr. Bartholometi Torqtrato de Souza e Silva.
Dr. Jaciotho Pereira do Reg.
Freguezia de S. Jos.
Jos Lopes Dias.
Joaquim C irdozo Ayres.
Joaquim Bernado das R -is.
Freguezia da Boa-vista.
Henrique Sttaple.
Herculano Ahes da Silva.
Dr. Henrique do Reg Barros.
Francisco Lucio de Castro.
Jos Caetano de Medeiros Jnior.
Jos Perete Seve.
Jo5o da Silva Faria.
Dr. Francisco Ferreira Martins Ribeiro.
Dr. Jos Bento da Cunha e Figueiredo.
Dr. Luiz de Albuquerque Martins Pereira*
Dr. Venceslao Garca Chaves.
Joaquim Francisco de Souza.
Conselheiro Jos Bento da Cunha e Figuei-
redo.
Freguezie dos Ahogados,
Jos Joo de Amorim.
Jos Bernadino Pereira de Brito.
Jos Francisco do Reg Barros.
Joaquim Francisco do Espito-Santo:
Freguezia do Poco.
Dr. Joaquim Francisco de Miranda.
Freguezia da Varzea.
Francisco de Paula Correa d Araujo.
Dr. Francisco do Reg Barros de Lcenla.
Freguezia de Muribeca.
Antonio de S Albuquerque.
Freguezia de Jaboato.
Jovino Colho da Silva.
Francisco Cavalcante de Sonza Leo.
Jos Carlos Vieira Teixaira.
Jos Maximino Pereira Vianoa.
Freguezia de S. Lourenco.
Joapuim Correa de Araujo.
Jos Francisco de Barros Reg.
Joo Francisco do Reg Maneota.
LoureDeo Pereira de Azevedo.
A' todos ao qnaes e a cada um de per
si, bem como todos os interessados em ge-
ral, se convida para compa/erem do pri-
meiro andar da casa qae foi cadeia, na sa-
la do jury, tanto no referido dia e hora, co-
mo nos demais dias seguintes em quanto du-
rar a sessao, sb as penas da lei se faltarem.
E para que chegue a noticia todos, man-
dei passar o presente edital, que ser lido
e afluado nos lugares mais pblicos e pu-
blicado pela imprensa, e tambem remetter
iguaes aos respectivos subdelegados para
publica-los emandarem fazer as notiicacoes
necessarias aos jurados, aos culpados e s
testemunhas que seacharem em seus dis-
tados. Cidade do Recite 13 de abril de
1866.
Eu Joaquim Francisco de Paula Esteves
Clemente, escrivo o snbscrevi.
Virgilio de Gusmo Ce; bo,
1445000
1445000
4005000
N. 49 idem e 27 idem, casa terrea.
N. 46 idem e 48 idem, sobrado de 1
andar..........1:0005000
Raa do Calabonce.
N. 40 idem a 18 idem, casa terrea.
Becco do Quiabo.
N. 49 idem e 8 idem, casa tarrea. .
Rna da Gloria.
N. SI idem e 85 idam, casa tarrea.
Roa do Encantamento.
N. 52 idem e 3 idem, sobrado.
Roa da Cadeia do Recite.
N. 63 idem e 23 Idem, sobrado de 1
andar..........6815000
. __ Roa do Padre Floriano.
N. 67 idem 65 idem, casa terrea. 505000
Roa do Apollo.
N. 91 idem e 24 idem, sobrado de 2
andares..........1:4095000
Raa de S. Bom Jess das Crioulas.
N. 61 idem e 8 idem, casa terrea. 1315000
PatrimoDio de trpko.
Roa do Rangel.
Casa terrea n. particular e 56 pu-
blico........... 2655000
Praga da Boa-Vista.
Sobrado de 2 aadares 7 particular
13poMico. ........
S. Otocalo.
Casa terrea. 10 particular e 22 pa-
nuco. ..*...,..
dem a. 11 idem e 24 idem. .
Rosario da Boa-Vista,
dem o. 14 particular e 58 publico.
Becco das Bolas.
Sobrada de 2 andares o. 37 particu-
lar a 14 poMfeo.......
dem n. 39 idem e 18 idem. .
Aaeite do Pelxe.
Sobrado del andar n. 63 particular
e 14 pnblico........ 5035000
Ra da Cacimba.
Casa terrea n. 65 part estar e 5 pn-
40850^0 Dezembro,' 19 de 1860.
47850001 dem de Ignarass, idem
da crionla Florencia de
Carlos Brando: 1 ernci-
Uxo de ouro eom 8 oita-
5665000 vas a 25 l...... ,65000
dem, dem, idem : 1 cerdao
de dito em pedacos eom
6 oitavas a 15..... e5000
1855000 dem, idem, Idam: 1 tran-
celim de dito em dona pe-
dagos eom am pequeo S.
5Ecom 'as a
35*00........ fljjoo
dem, idem, idem : 2 crazes
de dito eom 5 oltava a
25.......... 405000
dem, Idem, idem : 1 collar
de dito eom 5 oitavas a
, laW......... 65400
dem] idem, idea : 4 eaa-
bao de dito eom am Espi-
rito 8aoto e 5 corac5es
eom 4 outm a 15600 05409
Mam, idam, idem : 2 aunis
de dito eom 2 Ii2 oitavas
8 15600......... 45OOO
dem, idem, idem : 1 par
de rosetas de conchinas 500
dem, idem, idem : 1 dito
i de ditas de crysolitas 500
dem; idem, dem : 1 peda-
co de cordao de ouro eom
1 oltava,........ 15600
dem, idem, dem : 5 colbe-
res de prata, sendo 4 pa-
ra sopa e 1 para cha eom
52 oitavas a 100 rs,. .
Para o Para' pretende sabir em poneos- dias-
0 patacho PARAENSC, por ter o sea carregameo-
tu qaasr-pfompto, a para o poaco que Ihe falta tra-
ase cdBt o ensigroiario Joaquim Jos Goncalve
Befcrio, aa raa do Vigario a. 17, 1 andar.
Tambem se recebem gneros estraogeiros.
Macan e Mossr
A bareassa S. Benedicto, pretenda sabir at 29
4o crrante, receba carga a (rete para os meemos
portos : a tratar na escadioba da aifandega eom o
mestroa na rna da Cacimba n. 1
^^..^,--------------.-------------------_
IIILOES.

8005006
1895000
1935U0O
1465000
3612000
5015000
55300
de
635'00
2355165
Pernambuco, 24 de
LEILO
De urna taberna.
HOJ.
O geme Pestaa rara' leilo por tonta e risco
da quem pertencer da armacio, gaz, gneros e
otencllios existentes na taberna sita na roa ao
Codorniz n. em um oa mais lotes a vontade dos
compradores : qoana-feira 18 do correle pelas
10 horas da manba na mesma taberna.
LEIIjAO
De raobilias, mullos trastes avulsos, relogios de
algibeira de diversos gostos, objectos de brillan-
tes, ouro, piano de armario, esperhos eom molda-
ras douradas, grande qoanildade de cachimbo e
fumo de diversas qualidadea e ootros muitos ar-
tigos que se torna enfadonno mencionar.
HOJE.
Qaaita-feira 18 da correle as 11 horas
NOARMAZEM DO AGENTE
Contadoria de tazenda
marco de 1866.
O contador interino,
Ytcente de Mello "Vianderle Mactel Pmheiro.
Adminislracao do correio desta cida-
de precisa de seis homens para o servico
biico. "'.' '.''.". ." ". r~ 975000 de camioheiro, quem estiver nestas condi-
Idem n. 7 idem e 10 dem. 83J000 ces e quizer engajar-se dirija-se a mesma
Ra dos Bargos.
Casa tarrea n. 68 particular e 19
ablico............ 1015000
Roa do Vigario.
Sobrado de 2 andares n. 72 particu-
lar e 27 publico (1 andar). .
dem idem (2 andar). ... O
Raa do Encantamento.
Sobrado de 2 andares n. 76 particu-
lar e 11 publico........
Senzala Velba.
Sobrado de 2 andares n. 78 particu-
lar e 136 publico.......
dem n 79 dem e 134 idem. .
Casa terrea n. 81 particular e 18 pu
administrarlo.
1805000
1805000
8075000
A recebedoria de rendas internas geraes por
autoriacao do Illm. Sr. inspector da thesooraria
de azeoda, vende a grade de ferro que exista no
interior da mesma recebedoria : os pretendenjes
podem ding:r-se ao respectivo administrador.
Recebedoria de Pernambuco 13 de abril de
1866.
Manoel Carnelro de Sonza I.acerda.
Correio geral.
Pela administrago do correio desla cidade se
5OI5OOO toz publico que as malas qne tem de conduzir os
' vapores tParan e Cruzeiro do Sul aquella para
blico........... 1935000'" Prle8 da norte, e este para os do sol, techar
Ra da Guia.
Casa terrea n. 83 particular e 27
publico..........1325000
dem n. 84 idem e 29 dem. 1235000
Ra da Cruz.
Sobrado de 2 andares n.89 particu-
lar e 14 publico.......7OI5OOO
dem n. 90 dem e 12 idem.
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 91 particular a
7515O0O
105
se'had hoje (18) as 3 horas da urde.
As cartas admettidas a seguro serSo recebidas
at 2 horas da tarde, e os jornaes at o mel dia.
Administrago do correio de Pernambueo 17 de
abril de 1866.
1 Domingos dos Pasaos Miranda.
Administrador.
OLYMPIO-,
48 PRAgA DO COMMERCIU40


publico
dem n, 92 idem e 103 idem.
dem n. 93 idem e 101 idem.
dem n. W idem e 99 idem.
dem n. 97 idem e 110 idem
. Idemn. 105 Idem e 94 idem.
Sitio n 1 no Parnameirim. .
dem n. 5 no Forno da Cal.
Secretaria da Santa Casa de
Reclfe 14 deabril de 1866.
O amanuense,
Francisco Gomes Castellao.
lra$a
No dia 20 do correte, perante o Illm. Sr. Dr.
1685000 juiz municipal da vara, na sala das audiencias,
I6V9OOO se ho de arrematar os bens segoiutes : urna casa
17450OO terrea o. 48 aa roa do Motocolomb, na freguezia
das Af -gados, chaos proprios, avallada por 640J,
nma ootra n. 54 na mesma roa e freguezia, em
chao foreiro. por 1605, ama outra n. 73 na mes-
ma ra, chao foreiro, por 5605 ; as quaes vo
praga por execugj de Joaquim Jos Gomes de
Souza contra Francisco Jos de Oliveira; a ul-
tima praga.
. 2555000
. 163H000
. 174SOOO
. 2105000
. 1505000
Misericordia do
mmm @g$M
I Relagao das cartas seguras viudas do sul e norte
para os senhores abaixo declarados
Tribunal do commercio
HmJSS^UBSm em Stme ** ^io Ignacio de Azevedo.
go o officio de corretor desta praga, ~
que exercia
Fredenco Lopes Guimaras, o qua'l o abandonou,
e quo a anga prestada em favor do mesmo cor-
retor persiste por seis mezes, cootados desta data ;
e que Oca marcado o praso de 60 das, para dentro
delles se babilitarem os concorrentes ao referio
offleio.
Secretaria do tribuual do commercio de Per-
nambuco 13 de margo de 1866.
O offlcial-maior
Julio Gulmaraes.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
Tendo os legtimos propietarios das acgdes des-
ta companhia abaixo mencionados, declarado que
haviam se desencaminhado de seu poder as de ns.
886 a 895 e 2786 a 271*8, pela gerencia da Compa-1 *?
nbia Pernambucaaa e por ordem da directora se
declara que da data deste a 30 dias, a vista da i
requisigo dos mesmos loes vio ser entregues no- i
vas acgdes de igual nuraeragio em snbstituigo 1
aquellas que ricam asslmsem valor algum,
Pernambuco 14 de margo de 1866.
O gerenteF. F. Borges.
D. Emilia .(".ivalcanii dos Res.
Francisco Barroso de Carvalbo.
Jaciotho Furtado de Mendonga.
Dr. Joaquim Jos da Fonseca.
Jos Afftinso dos Santos Bastos.
Jos Jeronymo da Silva.
Jos Mara Palmeira.
Jos Mara da Silva Paranhos Jnior.
Jos Radrigues de Souza (3)
Leopoldo Cesar de Berredo.
Dr. Loureng Jos de Figueiredo (Bonito).
Mariano de Mello Nev*.
Marcomiro Pancracio Pereira dos Santos.
Vicente Cardoso Ayres.
IiEILAO
De 350 coaros averiados, 3 fardos eom
cabella e dita eom la de carneira
O agente Martins competentemente aulorisado
pelo Illm. Sr. Dr. juiz especial do commercio tara'
leilo a requerimeoto do capilao da barca brasi-
leira Real Pedro, arribada a este porto eom forga
maior, eom assistencia de um agente fiscal por
parte da aifandega e do Sr. consol americano de
350 couros vaceuns avariados e de 4 fardos, sendo
um eom la de carneiro e tres eom cabello bo-
vino tambem avariados, tudo por conta e risco de
quem pertencer, cojo leilo lera' lugar quarta-fei-
ra 18 do correte no trapiche 10 baro 'do Llvra-
mentono caes do Apolla as 11 horas da manba.
JLEIIild"
De movis e outros artigos.
HOJE.
NO ARMAZEH A RA DA CADEIA N. 29.
CORDEIRO SIMOE3
por conia e risco de qnem pertencer fara' lellao
de mobilias, 1 mesa elstica da o taboas usada,
mesas de jamar, cadeirasde pao, ditas de faia, so-
fas, marquezas, caadieiros, aparelhos de louga pa-
ra jamar, candieiros, garrafas capachos, selins,
relogios, ouro etc.
LEiLAO
De nm escravo de ineia idade, sadio e
proprio para toda servico.
HOJE
as 11 hooas em ponto, noarmazem a ra da Ca-
deia do Recife d. 29.
Por intervengao do agente Cord^iro Simoes.
Grande lilao
Dellvros nova de dlffrenles
autores proprios para qneaa
tem loja
Quinta-feira 19 d) correte as 10 horas.
Xo aruaazem do asente
OLYMPIO
48PK.^gA uu uuMmKRLio=-s
Em lotes a vontade dos compradores.
AOS orOOOOOO
Corre amanoil
Quinta-eira 19 docorrMe mez, se ex-
trahir a Ia parte da 1 lotera (58), a be-
neficio da matriz da Villa Bella serkb a
extraegao no lugar e hora do costme.
Os bilhetes, meios e quintos acham-se
venda na respectiva thesouraria, ra do
Crespo 0. 19.
Oapreaaiof do 6.-Od|00 at 104000
serio pagos tima hora depois da extracelo
at as 3 horas datarde, e os outros depois
da distribuidlo das listas.
As encoramendas sero guardadas so-
mente at a noite da vespera da extraccSo.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Madama Labooriao segu para a Eurou* eom
3 crian gas.
Victorino nm-
Acha-se nos prelos da typographia commercial
sendo nitidaroente impresso o volme da poesias
de Victoriano Palhares, sob o titulo de Mocidade e
Tristeza. E um llvro de 300 paginas. Assignase
na mesma typographia a razo de i o volume.
OECLARACOES
14:923*277
CONSULADO PROVINCIAL
Renduneiuo do da 1 a
do dia 17......
16.
61:5635159
5:o62J93i
67:126*093
Santa Casa da Misericordia
do Recife,
A Illm.' jnnta.administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico que
no dia 19 do crreme pelas 4 boras da tarde na
sala de suas sessoes tem de ir a praga a renda das
casas abaixo declaradas por tempo da um a tres
annos.
Os pretendentes devem comparecer acompanba-
dos de seas fiadores ou manidos de cartas Uestes.
Estabelecimeotos de caridad.
Ra do Imperador.
N. 1 particular e 24 publico,' sobra-
do de 1 andar.......679*000
Ra Direita.
N. 3 Idem e 8 idem, sobrado de 2
andares..........1:067*000
Raa do Padre Floriano.
N. 5 idem e 49 idem, casa terrea. 181*000
.N. 6 idem e 47 idem. casa terrea. 186*000
Roa do Fazundes.
N. 11 Idem e 22 idem, casa tarrea 155*000
Travessa de S. Jos.
N. 13 dem e 11 Idem, cisa terrea. 183*000
N. 14 dem e 5 idem, casa terrea. 169*000
N. 18 idem e 7 idem, casa terrea 156*000
Roa dos Pescadores.
N. 16 idem e 11 idem, casa terrea 216*000
Ra das Calcadas.
N. 18dem e 32 idem, casa terrea. 128*000
N. 19 Idem e 34 idem, casa terrea. 149*000
N. 20 idem e36 idem, casa tarrea. 176*000
N. 21 idem a 38 idem, casa terrea. 157*000
Roa das Cinco Pontas.
N. 23 dem e 90 idem, casa terrea. 240*000
N. 23 idem e 110 dem, eaaa terrea. 204*000
ata da Viracio.
N. 26 idem e 7 idem, casa terrea. 204*090
N. 27 idem e 19 idem, casa terrea. 186*090
Roa de Sania Thereza.
N. 31 idem e 7 idam, easa terrea. 198*000
N. 39 idem e 8 dem, casa terrea. 168*000
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesoura-
ria de fazedda desia provincia se annoncia a's
pessuas interessadas dos espolios constantes da re-
lagao abaixo transcripta que, tendo de sar reduci-
dos a dinheiro, de conformidade eom as instruc-
goes de 14 de Janeiro de 1854, os sbjectos de ouro e
prata importantes em 235*165, comprehensivos da
mesma relagao, .'que se acham depositados, ha mais
de cinco annos, nos cofres desta repartigo, devem
a ella comparecer, redamando seas direitos por si
oa por seas procuradores, tatores ou curadores,
deotro do prazo improrogavel de trila dias conta-
dos da data desta publicgo, Qnd o qual, ne-
nbuma reclamago a tal respeito ser attendivel.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
buco, 13 de abril de 1866.
Servindo de offlcial-maior,
Manoel Jos Pinto.
llelaeo das objectos de oara e prata que eons-
tam da receila do lirro de diversos valores, e
dos qae indevidameute foram recolhidos cai-
xa de deposito e caures, e esle na caso de ser
reduxides a dinheiro, oa conformidad? do art.
11, 16 da lei n. 628 de 11 de setembro de !
18iiI, e iostroccoes de 14 de Janeiro de 1854.
Agosto, 6 de 1853Deposi-
tado pelo ja izo de orphaos
e ausentes da capital, do
espolio de Justino Meroz:
3 pares de brincos de oure 24*000
6 botdes de dito..... 12*000
s
TilEATKO
DE
EH1PREZA--C0IMBIU.
ESTR.V DA SRA. D.
CLELIA DE CABVALHO
E reentrada do actor
RAYMNUO JOS' DE ARAUJO.
9.a recita da assignatura.
Quarta feira 18 de abril.
Primeira representagao do excellente drama di-
vidido em 5 actos, tradnzido dos afamados escrip-
tores fraocezes Mm. Tbeodoro Barriere e Henri-
que Murger, ornado de canto :
4 VIDA \\\ BOHEMIA.
DENOMI.NAC.aO DOS ACTO;.
1." O almogo sobre a relva.
2." Os bohemios.
3." Transferencia por cansa de divorcio I
4." Amor, orgulho e dinheiro I
5." A comedia da morte 1
poca actual.
O 1* acto passa-se nos arredores de Pars.
Os outros na sobredita cidade.
PBnSONAUKS.
36*000
Oalubro, 19de l85o.-Idem,
do espolio do preto Joa-
quim : 1 eordo, 1 cruci-
flxo, 1 cruz, 4 anneloes,
saado am de pedras, i an-
nel de dous fios tranca-
dos, 1 par de argolinhas,
1 trancelim eom paseador,
4 pares de botdes gran-
des para punbos, 2 ditos
menores, 3 ditos de aber- -
tura, 1 dito de esmalte e
2 alneles, sendo nm eom
diamantes, todo de ouro
eom 81 oitavas..... 715100
1 alflnete de armagao eom
i. oltava e 3id..... 5*225
2 flvelas, 10 cotberes, 1
par de flvelas eom cor-
rente; pesando 100 oita
vis..........
10*800 875425
Rodolpbo, poeta (Bohemio).
Marcetlo, pialar (idem) .
Schaunard, msico (dem). .
Colini, phlosopho (idem).. .
Baptista, c iado (idem). .
Durandin, capitalista. .. .
Benoit, proprietario. .
Um caixeiro.......
Um convidado......
Um medico.......
Cesarina de Ronvres, vi uva...
Mi mi, florista.......
Violeta (Bohemia) .
Euphrasia (idem). .
Urna senhora......
Um mogo de recados, convidados e criados.
O resto dos bilhetes aeham-se a' renda no
eriptorle do tbeatro.
Sr. Paiva.
Lisboa.
> P. Joaquim.
Graca.
> Ray mondo.
> Pinto,
i Pontas.
Manbonca.
Silva.
Santiago.
Olympia.
Adelaide.
Cela.
Leopoldina.
Joaquina.
Sr.
Leilao
De orna casa lerrea 7, sita na
roa da Espe aoca.
0 agente Martins fara' leilo, por ordem do Illm.
Sr. Dr. Caudino de Araujo Guimaraes cnsul por-
tuguez.de ama casa terrea n. 7 sita na ra da Es-
peranza, em terreno proprio, pertencente ao espo-
lio de Jos Pedro Marques da Silva.
Quinta-feira 19 do correte.
No armazem da ra da Cadeia do Recife n. 53,
as 11 horas do dia.
De movis, eh rulos, camlieiros e re-
logios.
Amanha as 11 horas.
O agente Martins fara' leilo por conta de di-
versos de todos os movis, charulc?, candieiros e
mais objectos existentes no armazem a ra da
Cadeia do Recife n. 53.
jLEILzM
De fazendas avariadas
Quinta-feira 19 de abil.
O agente Pinto fara' leilo por conta e risco de
qaem pertencer de differeotes fazendas inglezas
avariadas a bordo da barca ingleza ORION e va-
por inglez GLADIATOR, e existente no armazem
da ra do Trapiche n. 40, onde se effectuara' o
leilo as 10 boras em ponto.
Precisa-se alugar urna ama para casa de
pouca familia ; a tratar na ra do Livramento o.
33, loja.
No colleglo da Conceigao, na ra dos Coe-
Ihos n. 12, eneinaraso meninas, aiem das mate-
rias e disciplinas coudas nos estatutos, a lingua
Italiana a a liogua ingleza a ler, traduzr a fallar.
Aiuga-se ou veude-sa um bom sitio na Ca-
punga nova, ra das Pernambucauas, junio ao si-
tio dos herdeiros do Fr. Capristan > ; tem bella
casa eom commodos para familia numerosa, jar-
dim na frente ; para tratar, e para melhores es-
clarectmentos na ra da Cruz n. 33.
Os pretos Joo e Francisco acham-se ausen-
tes ba muito da casa do lestamenteiro da finada D.
Anglica Joaquina de Jess, coslumam andar para
os Afogados, onde teem sido presos por veas ; ro-
ga-se as autoridades policiaas os recolham a' de-
lengo, visto que sao incorregivis.
Fugio do eogeoho Bello Piado da freguezia
de Agnas Pretas no dia 1 de abril do correte
anno o escravo cabra de nome Romualdo, de ida-
de de 23 anuo, estalara regular, fornido do cor-
po, cara larga, nariz chato, bocea grande, eom fai-
fa de denles na frente, sem barba, ps largos, tem
as costas eom varias sicatrizes, supoe-se audar
como forro, por ter levado orna preta forra eom
sigo de nome Alexaodrina : roaase as autorida-
des policlaes e capitaes de campo que delle liver
noticia o mande capturar e levar a seu senhor
Antonio Pedro Cavalcanti de Albuquerque no dito
engenho oa oesu praga a Luiz Antonio Aunes Ja-
cotne, que genaros:mente recompensa.
O abaixo assiguarfo faz sceoie ao respeitavel
publico e aos seus Tregeles, que de novo surti a
sua fabrica de charutos Unos, fabricados na pro-
vincia da Babia pelos melhores fabricante, e um
completo sortimento de cgarrosdo Rio das seguin-
tes qualidades : Garibal>, Bota-toga, Flor do Bra-
sil, idem de Portogal, S. Jos do Pico, palha de
railho, papel pardo, etc. Tambem ba fabricados
em sua fabrica de outras umitas qualidades. Fu-
mo perola de Minas, americano, avervicq, caporal
arrambecq, verginity e outros mailis artigos ten-
dentes a fumantes, tudo por, precos que admiran);
250 meias calas da charutos suspiros estao a ven-
da pelo prego de 1*, o que n'outra qoalqoer parte
custa 3* : so na bem conhecida fabrica de charu-
tos e cigarros finos, largo do Tergj o, 2, de Ma-
noel Joaquim Pereira da Silva.
O Sr. Ildefonso Lucio Moateiro, irroo do Sr.
Thomaz Timra, tenha a bondade de entregar na
loja da ra do Crespo d. 17, tres duztas de copos
como para amostra, por mandA do proprietario da-
quella loja; em 22 de setembro do anno prximo
passado I cajos ja' eslo pagos.
D-se sociedade era umaltaberna bem afre-
guezada para a trra : quem quizer annuncie para
ser procurado.
Precisa-se de urna ama forra ou captiva pa-
ra comprar e cosinhar : na ra do Arago n. 27.
A
tt
O
LEILAO
De i machina para costurar e bordar.
Aiuaahaa as It horas.
Martins vender em leilo 1 machina de costu-
ra e bordar, de nova inveogo vlnda neste ultimo
vapor por coma e risco da quem pe nancer.
_______Ra da Cadeia do Recife n. 53.
IjEJLA
De 2 burra de ferro (cofres.)
Sexta-feira 20 de abril.
O agente Pinto tara leilao por conta e risco de
quem pertencer de 2 burras de ferro (prova de
fogo) as 11 horas do dia 20 do correte em frente
da aifandega.
nca
A
Antonio dos Santos e Silva tendo justo e contra-
tado eom Thomaz de Aquino Ro-as a compra de
urna pequea casa eom parte de tijollo e cal na es-
trada nova do Caxanga' em terrenos da Sr.* D.
Mara do Carino Carneiro Campello e como queira
evitar qualquer divida que possa apparecer da
parte do vendedor ou transago que naja na dita
casa ou direito por qualquer maneira; faz esta
anouncio para constar a todos que o virera, terem
tres dias para suas reclamagoes a Sndo os quaes
nao se recebera' em conta reclamago alguma.
Ama
Precisa-se da urna ama
n. 14.
na ra do Livramento
LEILAO
es-
Julbo, 26 de 18S6 -dem,
Idem, de Joaquina Mara
da Conceiglo: 1 annel de
ooro........
Maio, de 1858dem, idem
Idam de Kellen Cari Cbris-
tiani Holet. 1 flveila de
prata eom 4 oitavas a 240
rs............
Dazembro, 17. dem do
Cabe, Idem do padre Pas-
choal Corbi : 1 coco da
prata eom 26 oitavas a
200 rs. ...... 5*200
10 colberes da dita para
sopa eom 160 oitavas a
200 rs. '...... 32*000
1*280
960
AVISOS MARTIMOS
COMPAfSHIA PERNAMBUCANA
na
NaveRaco costeira por Tapar.
Parahyba, Natal, Maco, Aracaty e Cear.
O vapor Mamanguape, com-
mandante Belmiro, seguir' para
os portos cima no dia 21 do cor-
renta as 5 boras da tarde. Rece-
be carga somente at o dia 20 :
encommendas, passageiros a dinheiro a frete at
as 2 boras do dia da sabida : escriptorio no Forte
do Matos o. 1.
Para o Rio de Janeiro pretende sabir em
poneos dias a veieira galera MINDELLO, por ter
quasi todo o cairegameoto tratado e para o resto
que lbe falta e eseravos a frea para e pe tem
boas commodos: trata-se eom o cousignaiario Joa
De 40 saecos eom assucart
O agente M'rtlns fara' lellao a* requeriment de
Antonio Baptista Nogueir e por mandado do Illm.
Sr. Dr. juiz especial do commercio de 40 saceos
eom assucar, os quaes foram embargados a f edro
Cbrisologo Cavalcanti Wanderley.
Sexta-feira 20 do cerrente.
As 10 boras da manba em ponto no armazem
de Bernardino Gomes de Carvalbo, a ra do Apel-
lo n. 20.
AVISOS DIVERSOS
listltite rchealogico e Geographico
Pernamoocano.
llavera sessao ordinaria quinta-feira 19
do crreme abril, s 11 boras da manbSa.
ORDM DO DIA.
Discosso do orcameolo para o anno so-
cial de 1866-1867 ;
Relatorios e pareceres de commisses.
Secretaria do Instituto. 16 de abril de
?866.
J. Soares de Azevedo,
Secretario perpetuo^______
xa Precisa-se de nm feitor para nm sitio que
entenda de plantas e seja perito na saa proQsso.
perto desta praga ; a tratar na roa Direita n. 22.
Precisa-se de urna ama para coztnhar e en-
gomroar : na rna larga do Rosario n. 37, segundo
andar.
Prectsa-se de uro caixeiro que tenha pratica
de taberna a que d fiador a sua conducta ; na
taberna da roa Imperial n. 43.
Os (litios e genros da L). Mana Tneodora
da Assumpgo fallecida bontem 17 do cor-
rente pelas 10 1|2 horas da manba, feridos
dolorosamente por tal aeontecimento, levam
ao conheciment de todos os seus prenles a
amigos, pedindo Ihes ao mesmo tempo o ob-
sequio de assistirem ao seu enterro que lera
lugar hoje pelas 7 horas da naaoba sahindo
da casa da residencia da fallecida a' ra da
Aurora n. 64-
AMA
Precisa-se de urna ama forra ou escrava que
saiba cozinbar e comprar : a tratar na ra da Crax
mwvo iiawm i>uui u (-ULl^tKua* ai iv #v~ i *
qalm Jos Goocalves Bellrao, na roa do Vigario n. dj3 >rmuem- < n
17, prfmeiro andar. I Manoel Soares Pinheiro, subdito portuguai,
Tambem aa recebem gneros eatrangeiros. val a Portugal.
P ecsa-se de urna ama : a tratar a ra do Jas-
mim oairro da Boa-Vista n. 1.__________
Precisa-se de um amassador e nm caixeiro :
na padaria atraz da foadicao do Sr. Starr em San-
to Amaro._____________________________
Sexta feira, 20 d crrante raer, por "ser a
ultima praga depois da audiencia do Dr. juiz mu-
nicipal da 1* vara, tem de ser arrematada por
quem mais dr a casa terrea n. 8, na travessa do
Carcareiro, em chao foreiro, cora 2 portas do fren-
te, 19 palmos de vo na largura, 23 da fundo, 1
sala, 1 quarto e sotao, avallada por 800*000 por
execucao de Manoel de Souza Azevedo Pires, ce-
sionario de Thereza Camarina da Concegao Cu-
nha, Monica Iguana da Silva, sea marido Dellote-
rio Jos de Santa Anna e o menoi Ua.
Francisco Joaquim Gomes da Silva e Domin-
gos Gomes da Silva fazem sciente ao respeilavel
publico, eom especialidade ao corpo do commercia,
que nesta data dlsaolvaram aroigavelmeote a so-
ciedade que tinbam no estabeleciraento de taberna
a' roa da Santa Cruz n. 5, qu gvrava a firma
social de Francisco Joaquim Gomes da Silva & Ir-
inao; Otando o ex-soaio Domingos Gomes na Silva
na posse do eslabelecimento, e obrigado a' Iiqui-
dagio do aclivo e passivo da extincta firma so-
cial, como nico reaponsavel-
Reci/e, 17 da abril de 1866. x .
Precisa-se de nma ama de boas culames,
para andar cora um menino em casa, a mesmo en-
gommr: quem estiver o'eshs.circujastancias di-
rija-se a' raadu'Qotmapo, laja n;, de Goes 4
Bastos.

y
e coziobar
j iar~L


*
Diario de feni.ae9 arta era 18 de AlwK-de 866.
AGUA FLORIDA
gStATai! jqgrg^
XXE3
MRRAY & LANMAN
A agua florida de Murray d tanman
olhada como om artigo de perfume, nao
tem podido ser iguaiada pelas preparac5es
as mais custosas: consena sea aroma, co-
mo se tormasse parte da prenda a que ella
se appliea.
Sua efQcacia t3o delicada, como elegan-
tes sao seos multiplicados osos, qur seja
A empregada como artigo de toacador, qur
\ no uso do banho, ou como suavisador da
pelle, depois que se tenha feito a -barba;
j para limpar as gengivas ou aromatisar o
balito.
D suavidade, brilho e elasticidade as
compleices, depois de se haver lavado; al-
livia a irritado de erupces ordinarias; faz
desapparecer o desagradavel aspecto dos
pannos, das sardas, do rosto, rugas e toda i
casta d ebulicoes, e d vigor e frescura a
parte onde quer que se applique. Sua effi-
ciencia e elegancia sao igualmente infalli-
veis nos casos em que seja preciso appbca-
la como estimulante e antisptico, nos -con-
cursos e assemblas numerosas, as -loca-
lidades infeccionadas, na alcova de um n-
fermo, assira como um antidoto exceden-
te para os desmaios causados por cansaco
ou suffocacSo. Preparada nicamente por
Lanman & Kemp, Nova-York, e a venda por
Caors A Barbosa.
Joo da C. Bravo & C.
Deposito geral em Pernamouco ra da
Cruz n.22 em casa de Caros____________
Samuel Power Johnston &. Compankia
Ruada SenzalaNova n. 4.
AGENCIA DA
Fundido de Low Noor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios di- carro para nm e dous cavallos.
P.elogios de onro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
mwmmmmmmmm mm
g DEPOSITO DE CALCADO g
SX FABRICADO NA CASA DE DETENCAO jR
V% Ra \ova o. I. jjg
mw Ahi se encontrado obras de di- xg
I versas qualidades, e por preco mui C
m\ diminutos, a retalho e em porces. I
ir S se vende a dinheiro.
.-!-


FABRICA VAPOR
99 RA DO MONDEGO 99
iiepoeito na ra Nova n. & loja de reloJoeJro.
Delouche donos deste estabelecimento partecipa ao respeitavel publico que sua fa-
brica est montada com as melhores machinas que existem na Europa, e que pode
fabricarcom melhor perfeicJo possivel. Todo o chocolate desta fabrica est garantido, e
puro, o que nao se pode encontrar naquelle que vem de fra, e que se vende por Pre5
baixo, visto os producios serem do paiz. Na etiqueta tem sempre urna agia. ____
PRECO.
Meia libra......... 400 .
Umabra......... 800
Urna arroba........19*000
Na mesma fabrica acaba de se montar urna officina. com serrara a vapor para
obras de marcineiria propria para edificio, para o que encarreg i-se de fazer portas, ja-
dellas, assoalhos (parqu franoez como se usa na Europa,) e armaces, tudo com brevi-
nade ejerfeico. Toma-6e qualquer ncommenda para fra da cidade, entregando-se
rompa a collar-se no lugar.
ANACIONAL
Companhia. .gwal hespanhola (te seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
tima inistraco da companhia.
ANQUEIROS DA GOMPANHIA* DIRECgO GERAL
O Banco de Hesp:inha Madrid: Raa de Prado n. 19
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as eombina$des de supervivencia dos segu
o s sobre a vida. .
NelJa pode se tazer a subscripcio de maneira que em nenhnm easo mesmo por morte do
iegnrado-e perca o capital nem os juros correspondentes a estes. Mrm_
Soto saprehendentes os resaltados que producem as sociedades da ndole 4eA A ALIO-
NAL,que ainda mesmo dimlnuindo urna terca parte do interesse produtido em recentes liquida-
ces ecorafeinando-o com a mortaiidade da tabella de Depar-eieux que adoptada pela companhia
Sara seus clculos e Iiquidaces, em segurados de idade de 3 ai annos, ama imposicao anona.
e 100J produz em effectivometlico:
No fm de 5 annos.......1:119*300
de 10 ....... 3:942*600
de 15 .......11:2084200
de 20 i.......39:256*000
de 25 >.......80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
iPioapactis e mais informales sero prestadas pelo sob-director nesta provincia.
Joaquim Fiuea de Oliveira, ruadaCadeia n. 52, ou a Boa-Vista ra da Imperatrii n. 12, estabeleci-
mento dos Srs. Raymundo, Carlos.Leite & irmo. ______-
YlNTURARIA
AO GRANDE S. MAURICIO
PROEKI APERFEI^OAIIOS
PARA
Tluglr. limpar e lustrar a vapor.
WDr.
Francisco Pires
Portella
>
>

>
DE

Caixeiro.
Precisa-se de um caixeiro de 16 a 18 annos,
brasileiro oa por'ugue?, que tenha pratica de ta-
berna : no beco do Caropello (no Recife) n. 1, ar-
.,.<-i .... j- ^- *-"" ___________
O Peiiqpal de Cereja,
AYER,
P.UtA A CUBA RADICAL E CUR-
TA de todas .18 moleRtiag do peito
c da gnrgantn, toase, constipafOes,
Itroncliit*1, asma, ilefluxos, roqui-
do, Coqueluche, r.rigins, Diptlicria.
Ette xnrope peitoral i o resul-
tado de longos anuos de e?tndo
por um dos primeiro* mdicos da
America do Norte, e de experi-
encias minuciosas nos principaes
hospitaes do mundo; recetado pelos mdicos mais distinctos
diste secuto na sua clinica particular, portanto digno de toda
conliar.ca, Ia, por ser fffcaz, alcancando com urna certeza infal-
ivel o assento da molestia e arraneando lhe as raizes, assim
dando aos orgos affectados urna acf o natural e s: 2, por
ser innocente e applicaval a qualquer pet$6a de qualquer idade
ou sexo, ao homcm robusto ou crlanca da mais tenra idade,
cada frasco sendo aocompanhado de dirreccoes minuciosas:
8*, e Mimo, por nio ser um remedio secreto, pols qualquer med-
ico on pliarmacentico pode obter a formula da sua corapOBicao,
crigindo-sc pessoalmente ou por carta ao agente geral, II. M.
I.axe, a ra Direita Xo. 15, Kio de Janeiro.
Mnitos casos que tinhfio zombado de todos os recursos
la sciencia tem sido curados radicalmente com o nso do
Peitoral de Cereja.
As possoas atacadas de tosse, deflu-xos, Dr da garganta,
Broucliite, asma, etc., c outros syniptomas da tsica prima-
ria gcralmentc fazem pouco caso do seu podecimento at
nc seja tarde para cura-lo. Nao descuidis d' uma tosse
porriue agora parece de pouca importancia ; uma tosse
descuidada chega a ser chronica e induz a fbrmacfo de
Tutierculos nos pulmes.
Kcnbuma casa de familia deve estar sem um frasco
dste xaropc mo ; pois nos ataques repentinos de
Andina, de Croup, c nos paroxismos do Coqueluche; ou
tossi comprida a que esto snjeitas as enanca?, nao ha
tempo de chamar um medico, nem de fazer remedios, e
?te xarojic alivia immediatamente e pe o fllho querido
silo c salvo, fora de perigo.
As molestias que esto ao alcance das virtudes curativas
do ri.liOUAL J>E CEREJA. rio
Befiuzoa, Toases, Asma, Esquinencia, Bronohite,
Coqueluche, Toase fefina ou convulsiva.
Hoquido, Todas ss molestias do peito
e garganta. Ccmsuiaqtic&o dos Pul-
moes ou Tsica pulmonar.
Acha-se em todas as Boticas c Drogaras do Imperio.
Rlulas Catharticas do Dr. Ayer
CUBAO
Triza* de venere, Indigesta*, Conetiprn^t, Rheu-
matUino, Bemmorrhoida, Dr de eabeem, A Xevral-
l/ia, mal do estomago, Enxaqueea, nuil do i'lgado,
Gastrite, Eebre gattro-hepatlea, J.ombri/jas, Eryip-
i lio, HgdropUa, Incremento do baep.
Tedas as rooles'Jas que provm do uso exeessiyo s
Qdntao.
0 mlhor purgante at hoje conhecido.
Estas pilulas assucaradas suo puramente vegitaes.
FTTEG0 E PUEIFICO SEM MERCUKIO.
A yenda em todas as Boticas e Drogaras do Imperio.
AOEXTE GIAL,
H. 1. L ASE, Boa Direito No. 1S,
Bio de Janeiro.
Yende-se em Pernambuco:
na
COKIilIO s FREITAS
Raa da Cruz n. 1(3.
Continua a haver diariamente um sortimento de pastis, podins, bolo6 inglezes,
empadas etc., etc. Os donos deste estabelecimento, acbam-se as melhores condices
de poder satisfazer encommendas concernenles soa arte, em coDsequencia do socio
Freitas ter sido administrador ebefe de algumas das principaes fabricas na corte, sendo
uma a do Sr. Joo Goncalves Guimares (confeitaria de Leo) antiga casa de Carceller.
Todos os trabalbos sao differentes dos que se fazem em casas particulares.
Os propietarios deste estabelecimento nao se tem poupado a despezas, nem se
poopar5o, se bouver concorrencia como esperam; tendo continuadamente bom sorti-
mento de doces para cha; presuntos e ditos em ambre, tambem se recebem para se-
rem preparados ; assim como doce de caj novo superior, secco e crystalisado, dito em
calda em latas hermticamente fechadas, podendo durar annos em perfeito estado.
Para jamares e partidas recebem-se encommendas dos seguintes pbjectos; ban-
deijas ricamente enfeitadas sem armaco pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, paes de l enfeitados com disticos anlogos a qualquer Gm; ditos montados,
kechs simples e enfeitados com fructas ingleza; gatheaux de la reine, ditos de le d-
chese, tortas de fructa, massa folhada; ditas de peixe e carne; cremes e doces de ovos
de differentes especies.
Tambem tem um completo sortimento de vinhos engarrafados, como sejam: vinho
do Porto saperior, Figueira, Madeira, Lisboa, Cherez, Bordeara, Champagne fino, ser-
veja, licores, cbaropes e conservas. Para festas: bonitas caixinhas com amendoas, con-
feitos e mais enfeites. Muitos destes objectoe mencionados podem-se perfeitamente ac-
ondicionar tanto para a provincia, como para fra.
FIGURAS
Acabam de receber bonitas figuras para bandejas de doces, sendo grupos para
baptisado, casamento, annos, ditta a phantasia, bonitos enfeites para bollos e circular pra-
tos de doces finos, tudo por precos razoaveis.
Vende-se licores em duzia muito em conta. ___
- MEDICO E OPERA OR
PELA-
Faculdade de Pars.
cootinna no ixercicio da saa proflsso,
especialmente as molestias de olhos, de
vas urinarias e de pelle, para cujo ira-
tmenlo jalga-se dabilltado ltenla a pra-
tica" adquirida nos hospitaes daquella ca-
pital, e os instrumentos mais modernos
que possae.
Accode promptmenie a qnalquer cha-
mado para fora da cidade.
E encarrega-se de collocar olhos arti-
ficiaos.
No pateo do Carmo n. 2,. esquina da
ra de Hortag, das 6 as 19 horas da ma-
s
s
F. A. SjUINGR
29 Kua 7 de setembro 29
OARESMA
Acabam de receber G. Paes do Amaral & C.
5 RA DO CRESPO 5
Antiga casa de Gnilherme da Silva (uiniares
Ricos cortes de vestidos de gros-de-naples preto, com lindas barras bordadas.
Moire-antiqce preto em cortes e em pecas, liso, ondeado e com palmas.
Gros-de-naples preto, de diversos precos e larguras.
Gorgurao preto, fazenda superior a todas pela qualidade, e bonito tecido.
Este estabelecimento
acha-se sortido com numerosa quantidade de filos pretos, de algod5o, de linho e de se-
da, manufacturados em
ckales
retondas
algerienes fbournus)
anamites
africaines
pompadour
DE FANTHASIA

Receberam Umbem bonitos cortes de popeline de listras de cores, e matisadas,
muito modernas, de gostos inteiramente novos; e outras muitas fazendas d gosto, viu-
das pelo ultimo vapor.
G. P. 1IO lUIAIlAIi & c.


5 RA DO CRESPO 5

DE
:*
N.
DE
f. VIGNES,
55. RA DO IMPERADOR %.
55.
I

PHARMACIE FRANCAISE
deRMAUREB&C1!
ra novan: El
Ot pianos de>u antiga fabrica sao hoje asss conhecidos para que seja necessario insistir sobre a
ma uperioridade., yantugens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas incontesta-
reis que etles tem definitivamente conquistado sobre iodos os que tem apparecido nesta praca ; pos-
nindo om teclado e machinismo que obedeeem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
aunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos Importn-
tissimog para o clima deste paiz ; qnanto s vozes, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-
reis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto neeta fabrica como na do Sr. Blondel, de Pars, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as ezposicSes.
No mesmo estabelecimeato se 'achara sempre um ezplendido e variado sortimento de msicas dos
melhores autores da Europa, assim como narmonicos e piaaos harmnicos, sendo tudo vendido por
precos eonimodos e razoaveis.
PECHttCIIA SEM IGUAL
Ricos cortes de gorgurao de seda pretos adamascados para vestido com 13 metros
oa 18 a 20 covados cada corte, largara de chita franceza. pelo baratisslmo prego de 505
cada corle : na loja das columnas da raa do Crespo n. 13 de Antonio Correia de Vascon-
celos & C.
Conservatorio drantatieo de
Perawbnco.
Sao convidados todos os ocios do conservatorio
para urna conferencia econmica, quinta-feira 19
do corrate, pelas 4 horas da larde, no sali do
tbeatro de Sania Isabel.
Recto 16 de abril de 1669.
O 1" secretario'
Torre* Bandeira.
Coalaheiro
Precisa-se de um cosinheiro para casa de fa-
milia'. a tratar na ra da Cruz n. 6, escriptorio.
Preeisa-se de uma ama para cosibar'e "en-
gomar para casa estraageira de pouca familia : a
tratar na ra do Trapicha n. 8, segundo andar.
Dao-se -bolos de vendafera at offre horas da
manh. e aviara.se i^ndejase emeommendas de bo-
Jps, *tc, i a Imperial p. 32.
Defronte da ra nova do Onvidor (Rio de Janeiro)
Os proprietarios deste estabelecimento, o primeiro no seu genero no Brasil, por
trabalbar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que se faz uso na
Europa, e ajudados por alguns dos melhores officiaes de Paris e Ly5o, podem assegu-
rar seus freguezes uma perfei;o no trabalho, a qaal seno pode chegar pelos proces-
sos ordinarios.
Tingem, lavam, lmpam e demofam com a mai r perfeico e brevidade qualquer
qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem molhar as sedas e as vestimen-;
tas de senhoras e de homens.
Mr IUi
nha, e das 3 as o da Urde.
uzaxcm
Cobrasicaa,
A pessoa que tlver pratica o foro e inteligencia
preciza para cobrar o.uer amigavel, quer Judicial-
mente que qoeira se encarregar de cobrancas
para fora da cidade, e por provincias linitrophes
dando para isso idneo fiador : queira dirigir-se a
ma do Amorim n. 35 segundo andar.
Precisa-se
alugar um pret para servieo de padaria, paga-se
bem : n ra Direita n. 24, padria.
-- Precisase de orna ama forra ou captiva cara
SSSJK3U derap" soltelfo: naraado
.Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C. tem
para vender no seu escriptorio, ra da Cruz n. 1,
2SWS0 em caixa de daza- fi0 hamburguez,.
oola da Baha superior.
-- Nos abaixo asslgnados declaramos haver re-
cebidoem 12 de Janeiro do anno prximo findo de
1863, do Sr. Bemo Severiauo da Fooseca Pitia a
quantia de 1:415*310 rs., importe de uma letra
aceita pelo mesmo senhor a ossa ordem, sacada
em 18 de malo de 1864, e vencida em 18 de no-
vembro do mesmo anno; e como se tenha desen-
caminhado dita letra com o respectivo recebido na
mesma fazemos a presente publicacSo pela qual
desobrgamos a responsabllidade do d ito Sr. Ben-
to, hcando nos obrigados a responder por qual-
E2J*K qU? ""> lhe seja fella por
11,,'0,- .0atro sim ^'aramos, que ficamos de
m A,JQ*U8 CT m"m senhor e QQites at es-
ta data, quer pelo titulo cima declarado quer por
outro qualquer. Recife 9 de abril de 1866.
__________Antonio Crrela de Vasconcellos & C.
DE
FAZENDA E ROPA FEITA
lili MOTA \. 94.
Reg Si Moura, proprietario da loja de fazendas e roupa feita, sita ra Nova
n. 24, verdaderamente penhorados e reconhecidos para com seus amigos e freguezes,
pela aceitaclo e confianza que delles tem merecido nourto espaco de tempo em que
se acham establecidos e perfeitamente escudados na sinceridade dos seus tratos, decla-
ram para sciencia daquelles que o quizerem honrar com seus oficios, que, em vista da
grande concurrencia que tem merecido o seu estabelecimento, especialmente no que
relativo a roupa feita; acabam de admittir para a sua officina de alfaiate maior numero
de artistas, inclusive o seu contramestre, dirigido pelo hbil mesire Lauriaao Jos de
Barros, o qual nao se poupa a exforcos para satisfazer com a presteza possivel qualquer
ubi a de eiicuinmenda.
Os mesmos annunciam aos seus freguezes que acabam de comprar um novo e
muito variado sortimento de fazendas finas e de bom gosto, proprias para o tempo da
quaresma, as quaes esto dispostos a vender por precos muito coinmodos e mais barato
que em outra qualquer parte.
Gomo sempre escusamos essa enfadonha prolixidade dos annuncios bombsti-
cos ; preferimos mostrar na singeleza deste nosso convite os bons desejos que nutrimos
para bem servirmos quelles que vierem ao nosso reclamo.
mmm mmmwm mmmm
l Companhia fidelidade de seguros j
martimos e terrestres mt
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PERNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo k C, W
competentemente autorisados pela dlrec- >J
toria da companhia de seguros Pidelida- s
de,tomam seguros de navios, mercado- fl
rias e predios no sea escriptorio raa da S
Cruz n. 1.
l
m
M da
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos contina a morar na raa do Impera-
dor n. 17, segundo andar, tendo alias sea
gabinete de consultas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
O mesmo dootor, que se tem dado ao
estudo tanto das operares como das mo-
lestias internas, presta-se a qualquer cha-
mado, quer para dentro quer para fra
cidade.
Em casa de Tbeod Cbrisliansen, ra do Tra-
piche-novo n. 16, nico agente no orle do Brasil,
de Brandenburg frres, Bordeanx, encontra-se ef-
fectivamente deposito dos artigos seguintes :
St. Julien.
St. Pierre.
Larose.
Chateaa Loville.
Cbaleaa Marga ux.
Grand vin Chateau Lafitte 1858.
Chateaa Lafitte.
Haut Santernes.
Chatean Saoternes.
Chateaa Latau'r Blancbe.
Chateaa Yqaem.
Cognac em tres qualidades.
Azeite doce. Precos de Bordeanx.____________
Casa deeommisso de estraves na ma do Impe-
rador n. 45, terceiro andar.
Recebem-se escravos tanto do mato como da
praca para serem vendidos por coramissao, a fila n-
ca-se o bom tratamento e seguranca para os mes-
mos. 0 abaixo assignado nao poupa esforcos aOm
de os vender com promptido, nesta mesma casa
ha sempre para vender escravos de ambos os sexos.
Antonio Jos V. de Souza.
Antonio Jos Rodrigues de Souza na ra do
Crespo n. 15, toma dinheiro para mandar entregar
na Baha, Para o Haranbao.
1
Joo da Silva Ramos, medico
pela universidade de Coimbra, d U
consultas em sua casa das 9 as I
11 horas da manhaa, e das 4 as 6 I
da tarde. Visita os doentes em suasll
casas regularmente as horas para I
isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serao soccorridos em
qualquer occasiSo. D consultas aos
pobres que o procurarem no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
manba,
Tem sua casa de sade regular-
mente montada para receber qual-
quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e nella pratica qualquer
opperaco cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira casse. .35000 diarios.
Segunda dita....3500
Terceira dita ..20000
Este estabelecimento j bem
acreditado pelos bons servicos que
tem prestado.
O proprietario espera que elle .
continu a merecer a confianca de |
que sempre tem gozado.
Eogomma-se
com asseio, promptido e preces razoaveis: na ra
Augusta n.5, loja.
PAPIS PINTADOS
Sortimento de papis pintados e
lindas guarnieses para forrar casas. jK
NA LJVRARIA FRANCEZA. M
NJj Ra do Crespo N. 9.
A luga-se
L'm magnifico sitio na Capunga (Baixa Verde)
com frente para o rio Capibaribe, fleando defronle-
da Passagem da Magdalena, todo murado, com ex-
cellente casa de vivenda, tendo a mesma 2 salas
forradas, i I quartos todos com janellas para fra,
1 solo cora 8 janellas, tendo vista para todos os
quatro lados, e uma grande cozioha. O silio tem
boa baixa de capim, excellentes fructeiras como :
sapolizeiros, Iarangeiras de nmbigo, limeiras, etc.;
ornam-lhe dous jardins de pedra e cal, sendo um
na entrada e outro na frente da casa, ambos enfei-
tados com estatuas de porcelona, cocheira, estriba-
ra para 4 cavallos, 2 quartos para creados, 1 casa
de banbo com tanque de pedra e cal, 1 gallinheiro
de pedra e cal gradeado de ferro, 2 cacimbas com
excellente agua de beber com repuchos, tendo uma
dellas um tanque para lavagem de roupa, 2 latri-
nns de pedra e cal, um grande parreral sustentado
por 44 columnas de pedra e cal, etc., tic.; o sitio
distanta da cidade um quarto de legua, coliocado
entre os sitios do Dr. Ferreira e Paulo Jos Gomes:
a tratar com o agente Olympio, no armazem da
Praga do Commercio n. 48.
AOS SRS. ACADMICOS
Vendem-se as seguintes obras de direito
com pouco uso : Manuel du roit fomain
por Mackeldey, 1 volume por 5J; Diccio-
naire du Contentieu Commercial, por Mas-
s, 1 volume, por 6?$; ElemenU du droit
romain por Mayor, 1 volume por 5; Es-
pr de la jurisprudence des successions,
por Confiaos, 1 volume, por fi?>; Traite de
droit penal, por P. Rossi, 1 volumes, por
H; Code pratique des faillites, por Geof-
froy, 1 volume, por 50 ; Elemenis de l'Eco-
nomie Politique, por Garnier, 1 volume, por
2($500 ; e Organisation du travail, por
Louis Rlanc, 1 volume, por 1)5500: na ra
do Crespo n. 4.
0 Sr. Francisco Jos Lopes tilho de Josepha
Clara, do lugar e fregneza de S. Purello de aboli-
do, comarca de Pennafiel em Poriugai, queira ler
a bondade dirigirse a ra da Madre de Deas, loja
do Sr. Pontes, para pessoalmente receber uma car-
la da familia, ou annunciar sua moradia para s.-r
procurado, a negocio de seu interesse.
Ama de leite.
Precisa-se de uma ama de leite : na ra da Ca-
deia n. 1.
s
m
VAKELLl
Dr. Ignacio Alcibiades Vellozo,
MEDICO
RA DA IMPBRATR1Z N. 48. S
Trata especialmente das molestias sy- I
philitieas e de criancas. &
<**** ********
m
Precisa-se de uma ama para engommar;
na ra do Brum n. 72, primeiro andar, pa-
ga-se bem. '__________________
Carvalha 4 Nogueira sacam sobre o
Porto, Lisboa e Rio de Janeiro, a' vista ou a
prazo: na roa do Apollo n. 2Q. ______
Cosinheiro.
Precisa-se de nm cosinheiro forro ou cap-
tivo que d fiadora sua con.luda: na ra
da Crui n. 48, primeiro andar.
Preclsa-se de ara eseravo para fjrvipo
ama eaaa ; na roa da Cruz o. 24, botica.
de
Camtom e phantasias.
Um volume in 12." impresso e en- I
cadernado em Paris i em casa dos ]
edictores
L1VRARIA FRANCEZA
N. 9 Ra do Crespo N. 9. *
lllISililil
Testo me uto
Achou-se o de D. Joaquina Rosa de Carvalho,
que pode ser procurado na travesa da Madre de
Dos n. 11.
o doar
Valdivino da plvora se acha com fabrica de
fogos artificiaos na lba do Maruim, com grande
porco de fogos de 1* 9orte, j preparados a espera
de festejar o grande dia que tiver noticia de qual-
quer triumpho de nossas armas dentro de Para-
guay : todos quelles que tiverem a mesma satis-
faci dirrja-se ao armazem do sai na ra Imperial
n. 221.__________________
Aloga-se a casa da ra Imperial denominada
vlveiro do Hunlz, com um sobrado de um andar
que accommoda grande familia, dous grandes yi-
velros para peixe, grande terreno para plantacSes
e duas otarias; qaem pretender dirija-se a ra do
Raagel n. 54. ___^_______
Preoiza-sF'alugar uma escrava na ra das
Larangeiras n. 10.
Na padaria da Torre precisa-s (Je uro fornei.
ro, um amacdor e de om caixeiro.
Precisa-se
alugar uma escrava de bons cestumes para fazer
o servieo de uma casa de pouca familia : na ra
do Vigrio n. 26.
m CASA I)E BWHOS
m
m
I
i*
26 Pateo do Carmo 26.
Ne6te estabelecimento tao impor-
tante para a saude e asseio do cor-
po, acham-se montados 20 banhei-
ros, que sao servidos com a ordem
e asseio que para desejar-se. Qua-
tro destes banheiros sao especial-
mente reservados para senhoras e
por isto acham-se collocados em lu-
gar reservado, aonde s tem entra-
da as pessoas de uma mesma fami-
lia.
PRECOS DE BANHOS AVLSOS.
1 banho fri, momo ou de
chovisoo...... 500
1 dito de choque .... 1#000
1 dito de farello...... ijooo
1 dito aromalisado U00O
PRECOS POR ASSIGNATRA.
30 banhos por mez fri,
morno ou dechovisco. 10^000
25 banhos com cartes pa-
ra os mesmos .... IOoOOO
12 ditos ditos ditos. 0,5000
12 ditos ditos de choque. 100000
12 ditos ditos de farello.. 1000
O estabelecimento estar aberto }f
nos dias uteis das 6 horas da ma-
nhaa as 10 da noite, nos dias san-
tificados das 5 as 5 horas da tarde.
Maoricio Francisco de Lima, tendo de reti-
rar-so desta cidade para a villa do Pao d'Aiho, on-
de pretende fazer soa residencia, declara nada de-
ver a pessoa alguma, Unto nesta praca como fra
della ; porem, se algaem por .qaalquer titulo se
julgar seu credor, aprsente sua coma na ra do
Brum casa n. 96, que sendo verdadelra a divida
ser|' immedialamente paga, e isto no praw de tres
dl,

* J
1

IBfift |



DUMo d tramtmcQ ituria Uha i d Abirif de 1860.
Na
-
ra Direita n, 114, lo-,
ja de ourives
Passepartouts.
' Para am retrato uaissimo e de liados, gostos,
tambem para 2, 4, 5, 6 e 8 retratos de {familia :
eompra-se ouro e prata e relogios velhos de todas vende-se na casa de banbos ra da Croa n 17
as qnahdade,, paga-sebea,._________________, No Passeio Publico loja n. 12 existe parala
Casa para alagar na Cata na *ar um es,cravo moco de todo o servio- e uma es-
Alugase um sobradinfio na ra da? Penarabu- **" f*1* C(mheira, ambos sem vicios.
canas na Capanga, tem 4 ga|as, 5 quartos, cozinba\ 4 aerirn il nn ttsnnnrte
raecopla*,mais 2 qoartos Tora, IbnMroa "ycnvtu u* passaporie
galiobtiro, e todo o sitio morado, acabado de novo; ram*8e Pasaportes e portaras com presteza e
a tratar con Antonio da Silva Ramos na ruada |W commodos precos; na roa Direita n. 43,
Praia n. 78; o prego commodo
GARRAUX, DE L1XHACAR & C.
LIBRARIE FRANQAISE
RA DO CRESPO N70.
Livros nacionaes e estrangeiros.
eligio, dirafo, litteratura, etc.
Papelaria, objectos para escriptorio.
Papis pintados para forrar casas.
^ Assignataras para os jjornaes da Earopa.
LIVROS
PREPARATORIOS
UNGUA 1NGLEZA.
HllLARD'Sirst Class Rea*. in .
MOTTA Grammatica pralfca da lingua
inglesa, in 8.
SADLER Coars complt de-langue 1
glaise.
SADLERDitionaire francais-anglais *
anglais-francais, 4n 8.
SPIERS Dictionaire ftncais-anglts
cglais-francais, 2 in 4.
OLLENDORF.Methode d'anglais, in8.
RUSSEL Curso de lingua ingiera, se-
gundo o metbodo Robeit-m 3 in 8."
VIEIRA Dictionary of the enjjsh and
portuguese languages, 2 in 4.
WALKERPronncing dictionaary. in 8
NA LIVRARIA FRANCEZA
____N. 9 Rna do Crespo g. 9.
Precisa-se de ama ama : na roa das Cruzes
n. 24._______
O afeata> assigoada, tbesoureire Interino 4a
irmaadade de N. S. da -Seledade da reguezia da-
Boa-Vista declara que a (esta anouooiada na Re
vista Diaria de hornero, deve enteeier-se na ca-
pella preprtamente dita, com o norae de Nossa Se-
nbora da Seledade, e oso na matriz 4a Boa-Vista,'
a resta no domingo ( do correte, com (adataba
na vespera, fosta e Te*eum, como-se acha- anoao-
ciada de Revista Diaria de hontem.
_ Manoel Ferretra Ramos.
gundo andar.
se-
Offerece-se ora moco portuguez para ensmar
meninos, preferindo engenho, para isso tem habi-
litagoes bastantes; a tratar najrua Direita n. 31
~ Precisa-se de ama perita cosiobeira; na roa
a Cadela do Reci/e n. 2, segundo andar.
Algaos estudantes do 2 anno coliegas e
amigos de Pedro Eugenio de Gerqueira Li-
ma, o qual tendo marchado para o thealro da
guerra como lente do 3 corpo de volun-
tarios da patria falleceu na cidefle do Rio
de Janeiro, tendo de mandar celebrar ama
raissa na matriz da Boa-Vista, pelo repoaso
eterno de sua alma, quinta-Ierra 19 do cr-
reme 30 dia de sea passamento, convidan
a todos os Srs. acadmicos e aos amigos do
finado comparecerem as 9 horas do dia na
dita matriz, attm de assistirem a lio piedoso
teto.
Attentfo.
Da-se 200$ a juros sobre penbores
zer annuncie por este joraal.
quem qui-
Precisa-se de urna ama escrava para o ser-
vico de comprar, lavar e engommar para orna casa
de pouca familia -, na ra das Cruzes n. 9, segan-
do andar.
para

lavRes
DE
MEDICINA
CHERNOVIZFermular' ou guia i&eii-
ca,7:- edicao in i2.
CHERNVIZDiccionario de medroina
popular, 3.a ed5o, 3 in 8 *
LASGGARDArteobstretica,.in 8.fl
^Diccionario de medicina
domestica e popular, 3 in 8.c 1865.
BOIfcEANNovo manual -do fazendeiro,
:2in-8._
BEHRO -Cocapendio demateria medica
e de Uierapeoti'.a, 3 in 8."
GOMESElementos de pharmaooffia
geral, in 8. &
LA'MERTPreservacSo pesscal.,42.a eico
in 12.
MACEDO-PINTO-Guia de alveitar 2.a
.-.dicao te 12.
MELLO MORAE6-Physioiogia das pai-
Des 2.a edigao3in8.
-MESMERMagnetismo auimal, i u 8.
aCURBMedico do povo, 1 .iul2.0
NA LIVRAMA FRANCEZA
N. 9 Ra do Crespo N..9.
-Precisa-se de uma criada para o ser-
vico de pouca familia- na ra Augusta, n.
5, pcimeiro andar.
Tasso Irmlos
Yendem na seo armazem roa do
Imorim n. 3b.
Licor fino Caraclo em botijas e meias botijas.
Licores finos sortidos ero garrafas com rolhas di
vidro e em lindos frascos.
VnhosCberes.
Santernes.
Cbambertin.
Hermitage.
Boygonbe.
Champagne.
Moscatel-
Reine.
Bordean!.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagnlol. ____________
FAB8IC4
De caldeireiro e lundicao de ferro, pi-
las ebronze; coraosescravos,
Vende-se a grande fabrica de calderelro e fun-
di?ao de malaes da ra Imperial d-. 154 a 158 ;
Que David Btoch & lrmo nao sao joalheiros, I ~" "endem-se malas e bahus asados moito em
que nqnea nesia qaalldade estiveram aqui eslabe- Ponla : na rDa es1"'** do Rosario n. 24, toja de
jlecidoson percorreram ambulantemente interior;" ,es*
I desta provincia, que na venda
Edmundo Mauricio subdito fraucez vai
a Earopa.
= Ambrozio Jorge dos Santos faz sciente ao
respeitavel publico e com especiaHdade ao corpo
do commercio, que tendo se crismado mudara o
seu nome para Antonio Jos dos Santos, e que
desta data em diante s se assigoara' por Antonio
Jorge dos Saotos. Reclfa 16 de abril de 1866.
Precisa-se de um rapaz que tenha pratica de
taberna : na rna do Vlgario n. 12.
= Na roa do Imperador, casa n. 22, segundo
andar, ba para alngar ama escrava moca, engom-
ma e cose ; quem a pretender dfrija-se a roa do
Queimado, loja n. 1 para tratar.
David Bloch actualmente esta cidadTaonde
pretende estabelecer-se com casa de cambio filial
da que existe no Rio de Janeiro, sob a firma Da-
vid Blocb & IrmSo jalga-se obrigado a respouder
ao annnnco que vio publicado oo Diarto de Per
Diademas dourados,
Aspas fortes para boloes.
Na ra do Queimado lojade miudezas n. 16, ven-
enfeiladoS COm aljofares, pedraS, de-se asP ffaf fortes, e de differeutes larguras
ele, para meninas e Miera-. ,parabatos qmdros p,,, retrat0?<
Vendem-se
Senhortiiha Cesara d Crtre Hedeiros, por
si-c pelos seas tinos menores cordialmente
agradece a 'todas aquellas pessoas que se
Hgnaram aeowiDanhar o ca'dver de sea ma-
ndo e pai Macoei Medeiros tie Sooza ao ce-
Mteno publico, a *e gratidao a confraria e Santa Rita 4e
^.assia e aos irmos da irmandade do Sar>
cfamentr) da matriz de S. Jos pe-
to mestDoain. Nao pedendo deixar de
mencionar os nomes dos"Srs. Pedro Jos da
Costa Caatello Branco e de saus compadres
VictonootJos de'Soon, Manoel Barbosa
Kibeiroe-Paulo Jos Gomes, pelos servaos
qoe prestaran), cajo recanhdmeoto ibe se-
ra etreamente lembra*. De novo envi-
dara as estilas pessoas para assistirem as
missas -qas tem de ser lebradas pelo des-
eaos -timo de sua Ima na igreja 4eaota
Rila, pelas 6 horas da manba de oaarta-
feiraif do correte.
joias de qoe se
trata apenas tinbam um pequeo ioteresse, qoe a
pessoa qoe percorreu a provincia naquella quali-
dade foi o chamado Levy, qne Itquidou o sen ne-
gocio e se retirou. Portamo nao pode essa firma
alias'respeitavel e muito eonbecida no Rio de Ja-
neiro-ser responsavel pelo acto de que se faz meo-
Co bo referido annanco qaando fosse verdade o,
qtre-ahi se diz, e conrra ^ne todavia protest o Caretalbo.
anaunciante, visto qne nem figurara m na dita
ltrnsacao nem para ella-concorrerem,
Recife i4 de abril de 1866.
David Bloch & lrmo.
Na ra da Imperatriz n.
Ve.ndem-se cortes de cambrala brancos com
8 e 6 babados a 20,5 e 255. v
Fil de seda preto com flores a vara 1,5.
Cambraias brancas de ama vara de lareora -
na a e 800 rs.
Ricas lampadas e candieiros a gaz por grosso
Versos
T Precisa-se de um caixeiro com pratica de mo-
lhados para 'casa de melhor negocio na povoacao
de Jaboato; a iratar na ra e S. Prancisce n.
11 ^-P^eram-se uns papis e uma certieo de
Joao amaceno e Silva, safunda feira na va fer-
I rea0: 1?em, os acnar dirfja-se ao pateo do'Carmo
n., soraao,-9ogundo andar,
sada
que sera recompen-
parao>mt mar anno: -vendem-se na roe -do
peratfor-a. 15, offlciaa de encademago.
IQI-
AtenQ^o.
Precisa-se de ama ama para cozlnhar
dacadelra*. p2,;terceiro andar.
na ra
COMPRAS
eompra-se our, prata e pedras preciosas
otras velhas : a roa da Cadeia do Recife
cja de urves no arco da Conoeieso.
Ooro e pratft.
Bm obras veibas : compra-se-na praca dala
Amonio dos San.es eSilv'a teadojoste-e conin^^-^^^^-6 biib^ ____
tado comThumat de Aquino Rosas a compra de!.T <"ompra*9?'n,aa borra ,fcrro> ''
um pequea casacom parte de ti}oHo-e-eal na es-'"Des5ia_s_antigas ; na ra Nova n. 31.
trata nova 'do Caxangtf em terrenos da Sra. D.5 Csirn*-*------------------
Mari* do Carmo Caroetro Campelio e como que ir L 0>Vr(t~sG
evitar qualquer divida que possa apparecer da:WBa*scrava *reta <"> Parda, sadia e sem vicios,
patelo vendedor oo-trazafao que baja. Ba dita ca-?,DCa'e1ue8*b*0?er, eogommar e coanbar :
sa oo-direita por qualquer maneira^ ^az este ao-: aa|,aa da. Imper-atriz n.-7, 2o andar.
|Dr^r,!LPar C0DS1ar aJodos QW v,Tem< '"e' Compra-se-ama eserawVoc :ooT'sS;^5^
ES^S! -atS r9ctmac5t!S Ando os quaes Ihida, ou rnesao.ara uSlTSuUSTot
naosercebera' ea coata reclamacao algoma. *<** o. 4o. roa Dl*
l*echiwcha
Vende-sctaberna da ra da Guia n. 36 pro-
pno para rrincipiante, e o motivo se dir ae com-
prador.
Relogio,
Venoe-se um relogio muito proprio tiho oa qualquer estabelecimento, por ter dous
mostradores, corda para 15 das e cawpa cnio som
se onve muito looge : no pateo do Carmo casa de
pannos.
Vende-se sal-gfosso : acatar ua"ruTdaMa-
dTe de Deas n. 2.
imniiniiii
m Cafe imperta!
WL O superior caf do Itie de Janeiro, ven-
de-se a 125 a arroba; aa rna do Vicario 3
n. 24, escriptorio.
atar-iolet mierlcano.
Vende-se um cabriolet americano com 4 rodas
para um oawrilo (e coberto) : a tratar na rrj-es
relta do Rosario n. a.
veljio.
Vende-se feljo nroifttmho novo a 235 o alfoei-
re'eacotaa 720 rs.; na roa Direita n. 8.
Precisa-se
Ama.
de uma ama forra
Compram-se duas rodas para carreta oa
- i-nma carroca - ------ ou captiva que, zem da bolla aicarellano oiae da sbaees.nbar para ma casa da pequea familia polloia. 'Mfi"eHa <- secretaria da
a tratar -a roa Nova n. 47 loja de azeuda e roupa.l
GASA DA FORTOS
Aos 6:0G0$00G.
aiihetcH garantid.
A' RA BO CRESPO N. 23 E-CASAS DG COSTME
O abaifioassignado venden nos seas muito feii-
2es bilhetes garantidos da iaeria que se acaboo
de extrahir, a beneficio do (feeatro [de Santa Isa
i bel, os segaintes premios :
N. 1129 biibete iateiro com sorte de 6:0005-
N. 1784 bibete inleiro cora a sor le de SOO4OOQ.
. N. 3407 doas quintos com a -corte de atO.
E outras moits so-rtes de 1005, 405, e 205.
Os possuidores podem vir reeeber sens respec-
u 'es premios sem os descontos das leis oa casa
41 fc'artana roa do C&aspo n.i3.
Acham-se a veaa os da 1' parte da 1* Io-
arla ,(5'8*J beneSeio da matriz de Villa Reta,,
jae.st extr<-,hira' qaiata-fefa 19 doorrente.
PRE0.
Bilhetes.....65900
Meios......35000
Quintos.....^5200
Para para ciou.
Bi-Hietes.....55300
ateics......257S0
Quietos.....5100
Manoel Martuc Fiiza.
SEGUIOS
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A fiompanhia Indemnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma segn martimos so-
ore navios e seas carregameolos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias :
na roa do Vigario n. 4, pavimento terreo.
feita jauto a Conceitao dos M'ilitares.
:ferdeu-se howem pela manba aodeserabar-
ctr de-wagn da via frrea vindo da Escada um
emtanlbo fechado coolendo dentro ema certidao e
uas aukis : a pessoa que acbou dito embrulho.
quereoda restituir pode levar ao largo doCarmo n!
o, que reeebera uma recompensa.
8 Aloga-se onveade-se-
Compram-se libras esterlinas : na preca da
iadependeociac. 22, junto ao relojoeiro.
lD ~^C,m^'ea na Prensa dealgododTsaanders
'Brothers & C-eemeates de algodo a 500 rs. por
vrroa.
Compram-e
;*6ua o. 9.
latas vacias de gaz : na-rua da
Sabonetes
Hedliaaes de aleatrSo.
Remedio efflca contra as doeocas cutneas; as 1
imaif eos, *orbulhas,-oomichoes, pstulas e samas; j
na pbarmacia do Pinte ra do Rosarlo larga MI.:
V-eoem-se dous terrenos de propriedade aa
roa dtf'Destino frecoecia da Roa-vista : a tratar I
na roa do Mondego n. 87.
Algodo avaiiado
Aprceode 9$ cada peca.
A guia-branca vende bonitos e modernos-dia-
demas dourados, enfeitados com aljofares e pedias
propiias para meninas e senhors.
itooltos ehapoziabos
de palha lina t avencaes aara meninas.
Sao obras estas de que os bons pas de familia
se nao- podem escusar de comprar, por fazerem el-
las parle do asseio e bop gosto eoffl que trajam
j suas bellas Clhmhas. A >guia branca tem o pra
zcr de ver qoe lio bellas e precisas obras forano
devidamente apreciadas e compradas em seu nl-
nbo. Os chapeozinhos, alru de serem d'uma pa-
lha mu fina, sao de mu bonita forma e ultimo
gost, enfeitados com toda a perfelcSo: os aven-
tes, porm, sao de Boa cambraia, guarnecidos de
qabadinhos bordados; o que Ibes da mnita graca.
Os precos destes, 55000, e daquelles, 105! e de
quanto sao ell-s baratus conhe^era o pretndeme,
que se dirigir a' luja d'aguia-branca, na ra do
Queimado n. 8.
Vidi Hitos de cores e aljofares,
imUaado ac, para enfeites de vestidos.
A agaia-branca na roa do Queimado n. 8 rece-
beu om bello sortimento dos objectos cima pro-
prlos para enfeites de vestidos, ele, etc., e est
vendendo commodamente.
Novtdades.
Na Agola branca roa do Queimado d. 8 rece-
Leu diversos objectos de muito gjslo e inteiramen
te novos, sendo:
Bonitos e delicados pentes dourados e prateados,
tendo entre elies alguns de filigrana obra mu per-
eita e de elvalo gosto.
Ditos com chapa de madreperola.
Brincos de Milgrana e outras qualidades.
Fiveilas de dita e outras tambem de diversas
qualidades.
Cintos mu i bonitos, enfeitados ero toda a exten-
cao cora caracteres dourados e prateado?.
Filets enfeitados com moedinhas dourads,e lan
tejoilas, aljofares & &, sendo para coque, e toda a
cabe?, e outros coro plurxas &.
Bonitas voltas de jaspt com cruzes, tendo tam
bem algumas de duas cores.
Luyas e meias
de lea vegetal, para quem soffre de frialdade, pa-
ralesya etc. Veodera-se na ra do Queimado leja
d'Aguia branca n. 8.
Bandolioe de roza
pera segurar oa conservar perfeitamente atado os
cabellos das senboras. Vende-se na ra do Quei-
mado loja d'Aguia branca, 15000 o frasco.
Enfeites pretos para vestidos
A Agota bracea recebea novos enfeites pretos
tpara vestidos, sendo bicos com vidrilhos e sem
elles, trancas com pendentes de vidrilhos e sem
lies, cordo grosso tambem com vidrilhos e sem
lies; assim como galoes e franjas de diversas lar-
garas, fitas de velludo etc. como semore os bons
Ireguezes encontrarn commodidade de precos nos
objectos qoe se vendem na loja d'Aguia branca ra
do Queimado n. 8.
Botes de vidro
com enfeites d'aco no centro.
Esses botoes que tanto servem p?ra melbor se
poder enfeltar um bom vestido preto oa de cor,
acblo se a venda na ra do Queimado loja d'Aguia
branca n. 8.
Acaba de chgar aloja da aginia branca
a ra do Queimado n. 48.
Chromaco-me para Ungir cabellos.
Hoild waller para dito.
Tintura de L. Marques para dito.
A guia branca
a roa do Quimado n. 8
acaba de receber:
Lantijonlas d'aco para enfeites.
Peonas branca? e de cores, para gorjas e chapeos.
I Eofeites filets. mal bonitos e moderos.
Sapatiabos de setim pr baptisados.
Meias de seda para o mesmo.
Bonitos cbapeosinhos
N 27 Ra 4o Queimado V. ti.lSmZSBgtt&IR"*
Novos brineos, fivellas, pentes e pnlsjiras de fili-
grana.
um
bom sitio na Ca-
S?f4-a rua,das PerDambucanas. junto ao sitio
com coraiBodos para familia numerosa, jardira na
frente. Para tratar e para melhores esclareciraen-
tos a roa da Cruz n. 33.
Cotae latao e chambo
' Veade-se na-rua da Craz n. 33, trinas/vo-
laot*'-- aldea, esplguilha e renda, cera branca
" s, escovas. para calcado, duas pipas vaaias
<"w lorneiras para -deposito de e-zeite, cera de
..Mianba, tudo porigrecos comoiodos.
Da rna rf,. Queimado lija de miude-
zas u. id, bonitos (joadros con mordura prtta e
di'UfadV, todos por pn^os rasca veis.
Carrafas brancas
e de cores com superior agua da colonia. -
Wfldj-m-se na ra do Queimado, loja de miude
zas o. ib. ;
Novo gosto
Per.tf s, fivellas, e brincos de felisrana. '
A aoilga e Lem-conhecida loja n. 16 na rna do
Quemado, r.cb. u um sorlin.ento de diversos ob-
jectos de novo e boro gosto, sendo pentes brancos e
dourados de moldes enteirmente nuvos e mu a-
gradaveis, tendo entre elles algnns de Oiigrana obra
de muito gosto e dehcil execueio, e bem assim (i-
j vellas e brincos as mesmas circunstancias.
tambem recebeu alguns cintos o qce d^ mais
i moderne e bonito, se pode encontrar em tal gener'j.
Alm disso ene. utraro os pretendentes um cem-
pleu sortimeoto de fivellas de madreperola, chris-
tal, tartroga, e dourados, brincos de christal, e
jaspe, voltas e cruzes de dito e muitos outros objec-
tos de gosto, os quaes continua-se a vender commo-
damente.
Penentes de madreperola, e enfeites filete
A loja de miudezas na ra do Queimado n. 16,
receben bonitos pentes com chapa de madreperola,
e nevos enfeites filets ornados de lantejoilas dou-
radas, moedinhas, aljofares, vidrilhos etc., tendo
grandes para toda cabeca e pequeos para coque,
regulando ts precos de 25 a 45000 rs.
B mitas caixint as
com arranjos dourados para costura, tendo coa-
msicas e sem ellas. Vendem-se na roa do Quei-
mado loja de miudezas n. 16.
Trancas pretas
com vidrilhos, e bicos com ditos e sera elles pare.
enfeites on vestidos.
Na roa di Queimado n. 16 loja de miudezas a-
charo os pretendentes um bello sortirr.ento dos
objectos cima ditos, casoarnihas, franjas etc. ?e
e tudo est seDdo vendido por presos coremodos
Botes pretos
de vidro enfeitados d'aco.
A loja de miudezas n. 1 ra<. do Qneimado
vende mui bonitos botues pretos de vidro com tii-
feites de ac, os quas muito se uzam para eufritai
vestidos, quem os pretender pode dirigir-se a d:ia
loja o. 16 a roa do Queimado.
Vendem-se na loja de mintiera
a rna do Une Ima do n. 46.
Bonitos leqnes de sndalo e outras qualidades.
Bonitos cintos com fivellas de diversas qualida-
des e moldes.
Brincos e cruzes de crystal.
Abotoaduras de dito para coletes.
Bonitos port-relogios.
Delicadas caixas com msica e sem ella, para
costura.
Agultias e lionas para ebrochet.
Retroz superior, em carriteis.
Rendas pretas e lieos com vidrilhos.
Fitas de velludo cum listras de cores para en-
feiles de gorros e vestidos.
Divas de grosdenapoles, lisas e lavradas, brancas
e matisadas.
Para Ungir cabellos,
Hoild Walter.
Vende-se na roa do Qneimado, loja rmud-:r
n. 16.
Chrumaco-mc
- Para fingir cabellos.
Vende se na loja de miudezas, a ra do Quei-
mado n. 16.
Tiutara de L. Karqcs
Qara fazer os cabellos pretos.
Vende-se na roa do Queimado, a loja de miu-
dezas D. 16.
Hssangas mindas, aljofares init&ndn
ac 6 vidrilhos decces
para enfeiles de vestidos: vende se ludo .isso por
precos razoaveis na ma do Queimado n.i oja lu-
de miudezas.
Dcseja-se comprar ou aforar 50 pal- ?ere 140.
mos de terreno na largura com Ando pro-
porcional sa Soledade on Camintio.$3vo : a
tratar com o solicitador Barroso na x-ua da
Concordia tobrado n. 13.______
Precisa-se alugar duas escravas para ender
na raa : a tratar na roa do Sebo n. 1L
bonbo.
Compra-ss uma mobi4ia -em segunda mi :
Na praca da Independencia d. 33, loja de
onrives, compra-;e ouro, prata, e podras preciosas,
e tambem se faz qualquer obra de eoeommenda, e
lodo e aualquer concert.
Os Srs. Drs. aymundo Joaqaim Eyerton
Maia, Beato Minervino da Silva, e os Srs. Antonio
Correia Cahral, Antonio Jos da Silva Brasil e
Francisco Cleto Toscaoo de Brilto, queiram vlr a'
adraioi.-lraco do crrelo am de receberem cartas
recommeedadas viudas do Norte.
--HffcMMMlig
| Avise aos'Srs. comme^-1
cianteg.
O administrador da lytbographia de Al-
JK bert Bideu;, sita a roa a Cruz do Beci-
yJ fe n. 40, avisa ao respeilavel corpo do
B commercio que este estabelecimeuto a-
I cha-se eompetentemente prvido de todos TS,
C os matersaes.suflicientes e de bons offi- rv
5 ciaes, taato gravadores como -impressores
Wk para a eiecueio fiel de todo e qualquer M
J4? trabaibo, garaotindo ao me6mo lempo as
B siduidade, promptldao e asseio n'aquelle S
R trabalho de que .se encarregar. Outre |fe
)*' sim declara que al do que exposto Oca, |
5 trabalhase em qaalqaerj obra por mais S
R.aoico preco do aoem ootra qaalquer j
J|f parte ; portanto roga-se a benevolencia >f
E.pro teccio dos Srs. coiamerciantos para
,pro*peridade do estabelecimento. mm
-'mmmmmmmmm
iPrecisa-se de ama ama para coznbar e com-
prar : na travessa de S. Pedro n- 4, 2 andar.
Preoiaa-se de um moeo de M a 30 anuos pa-
ra caiteiro : na padaria da mado fiangel n. 9.
Compra-ee estado : na ruada Cruz n. 5S, 3*andar, araes-
ai a casa se dir quem vende dous escravos abras,
daidade 40. aneo?, bons earreiros.
VENDAS
Fitas de seda de cores para debronhar vestido.
Dita de sarja com differeotes cores e lorguras.
Dita de gorgorea, desenkos novos e bonitos para
cintos.
Carteiras com agulhas.
cuales doPavo T7J e %f.
Vendem-se ricos chales pretos de renda muito
raades com quatro nautas, sendo os mais moder-
nos por-terom chegado pelo ultimo vapor rancec,
eveadem-se pelo batatissimo preco de 65, 75^e
&>." JtSr ********da t**?3** n. 6o, do Gnisdenaplfs y reto a i 600 o eovado.
Vende-se um grande sortimento de grosdena-
pie 1*800, 15800, 25 e 25500 o covado ; dito
Atten^ao!
Atten^ao!
Caixeiro.
Precisa-se Ae um caixeiro para um estabeleci-
mento de seceos, .em grosso e a re taino : a tratar
na roa da Cruz do Recife n. 3o.
Precisa-se alujar ama mulher forra ou cap-
tiva, que saiba bem .coziohar, para o sercico de
duas pessoas, paga-se bem : na rna do Hospicio
Aviso.
Os assignantes da Semana Ilustrada, (ae rece-
biam aquella folba directamente do Rio, devem
mandar receber d'ora em diante em casa de J.
Psique oa raa do Crespo a. 4. J chegoa oa, "e
esta' se distribuiodo. .\a mesma casa recebem-se
assigoaturas para a Semana Mustiada e o Batar
Volante, onde tem ainda da Semana ns. de 1 de
Janeiro avante e do Bazar do 1" de julbo de 186o
avante, quadros da batalba naval do Riacbuelto e
Mercedes.
ACTBIHG
Desappareceo desde o dia 3 do correte mez a
pr4ta Victorina crioula de 26 anuos de idade peuco
mais oa menos, tendo os seguales slgoaes: altara
t corpo regulares, rosto redondo, tem andar moito
apieisado levou um vestido de chita escara j usa-
do e chales encarnado: esta preta foi escrava da
Esraa. Sra. D. Alaria Candida gaiazar da V. Pessoa,
moradora oa raa do Hospicio consta que anda pelas
roas da Boa Vista, oode j sua amiga residencia;
quem a pegar leve a raa do Crespo n. 16 2o andar,
qoe sera' recompensarlo.
Muhtr.
Precisa-se de ama mnlber forra ou escrava para
comprar e coziohar em easa de hornera solteiro :
na ra do Qneimado o. 17._________
Arreoda-se o engenho Caaama, no termo do
Bonito, dista orna legoa da estrada de ferro, esta-
co de Una, de muita produeao, muitas matas
encostadas ao engenho, me de animaes, e da' para
moer de agua, e vende-se parte do mesmo enge-
oho, da-se no arreadamente 20 animaes de fabri-
ca : quera a \,releader dirija-se ao povoado dos
Montes, casa do tenente-coronel Franca.
O abaizo asignado, estabelecido eora bote-
quim na raa larga do Rosario, tendo de retirar se
muito breve para Earopa, a tratar de sua saade,
jalga nada dever nesta praca, nem tora della, mas
se aignem se julgar seu credor, tenha a bondade
de apreseniar-lbe sua conta no praso de oito dias,
assimeomo roga a todos os seas devedores qae
bajara de pagar seas dbitos ao praso de 15 das.
Recife 17 de abril de 1866.
Andrs Blanco.________
Perdeu-se orna certieo de JoSo Damasceno
e Silva, qae consta de varios documento?, no dia
sagunda-felra, que vinba da va-ferrea; quera
achar dirija-se ao paleo do Carmo n. 5, segundo
andar, que sera' recompensaao.
segundo
escrava
PARA 1S66.
Acabaa de sabir luz as folhinhas de
algibeira e de:porta para o anno de 1866, o
mais correctas possivel tanto no-calculo das
iuas e ecpses, como as diversas restas
gue a igrejaxelebra; vendem-se lunicamen-
tt na livraria -da praea da Independencia,
MO ris as de porta e 320 ris as .de algi-
beira.______________
Vendem-se 4O0 pedras para iadrilbo, vindas
da liba : a tratar na rna do Vigario n. 14.
- Vende-se uaporc5o de.eihaa ser-
vida.: na(rv do Crespo n..7, loja do.gallo S-n;to*fT-orla ^e-3*i ?a 7a **lmpera'
vigilante -im n. 72, loja de Guimaraes & lrmo.
---'-------------------------______________I Moriantique preto a 2,5800.
.Vende-se a armacao da fabrica, de cbarutes i Veaide-se um grande sortimento de moriantiaue
da ra da:imperatnz o. ti, e junctaroeote todos os ka 2S0Q, 3g. e 35S00 covado.
mais oBjecios-esistentes oa mesoia; qaem preten-1 Chales de renda pretos a 8000.
beTnaL "" "* "" ^e ^^ D' 7' t"'' Ve"^se famben vaciado sortimento de cha-
_f------r--------------------------------._______j'toa de .renda a 85, 95300 e 11*5 ; ditos muito finos
VCjlde^Se nwt onM^iA lUtf W;*aeedaltaia muito fina a
Grande novidade
Xa loja e armazem da Arara ra
da Imperatriz u. 56,
DE
um engenho
d'agaadeoomiaado Trinmpbo na comarca de Sao-
to Anto junto ao engenho Coqueiro, com trras
para safrejar de 50i a-800 paes, com boas obras e
casa de vi venda por precn commodo : quem o pre- i.Gdimaraes: A Irmao.
tender qoeira dirigirle a ra da Praia 7 tratar at o fim do corrente mee-de abril.
aUe
205000.
I lefondas pretas a 1 Og.
Vende, n-se retondas pretas pelo barato prego de
105. e Ui\ : na rna da Imperatriz n. 72, loja de
Farinha
Rna da Madre de Dos n. &
A 4$o00.
Vende-se farinha de mandioca desembarcada
boje do palbabote Bebenbe, pelo barato pre$"> aei-
ma, a melhor que existe no mercado, saccas
grandes.
Aitenco.
Vende-se a tabsroa da roa de S. Jos a. 2, mui-
to afi eguezada tanto pira a trra como para o
mato, o motivo da venda se dir" ao comprador, ou
tambem se da' sociedade a quem e nlra* com al-
guns fundos : a tratar na mesma.
fiOTEL
Vende-se o hotel de Italia, sito aa ra do Trapi-
che, com grandes.accommodacoe* aeceiadas e me-
bilbadas cora todo .necessario e algum trem do sea
traego, por qaerecem seus proprietacios retirarse
para fora do impecio. A loealidade e.o estado do
estafceJecimeoto garaotem bom resollido ao com-'
prador e Ibe asseguram prosperidade.
Sacadas .jjortasT
Vend-se na ra do Oueimado n. 7, duas saca-
das de ferro com 22 palmos cada ama, tambem se
vende-8 pares de caixilbos e algutnas portas, tudo
por preco csramodo.
Vende-se orna armaeo para dwisio de es-
riptorio, de amarello, com poru e balaustroe,
obra muito -boa: a tratar na ra do Mondego, ola-
ria a. 13.
m
annazem de lazendag
baratas de Santos Coelfco
Rna do encimado a. 19.
Vende-se am sitio a margem do rio Jaboatao,
distante da capital duas legoas e meia, com doas
casas, am excelleote cercado e terreoo para cal-
tara da roga e canna, e muito prximo a dous eo-
genhos; quem quizer dirija-se a ra do Hospicio
D. 48.
panno a
Na ra estrella do Rosario n. 43,
aodar, precisa-se de ama ama forra oo
para casa de familia, e paga-se bem.
ATTJENGAO
Desappareeeu desde o dia 2 do corrate a preta
Victorina, crioula, de idade 26 annos, pouco mais
ou menos, teodo os sigoaes seguintes: corpo re-
gular, rosto redondo, tem o aodar muito apresta-
do, levou am vestido de chita escara ji usado, e
chales de 15a encarnado; esta preta foi escrava
da Exm' Sr* D. Maria Candida Salazar da Veiga
Pessoa, moradora na ra do Hospicio : consta qae
anda pelas roas da Boa-Vista, onde foi sua aotiga
residencia; quem a pegar leve a' ra do Crespo
p, 18, segundo andar, qae sera 'recompensado.
Cal de Lisboa
desembarcada do vapor ifiglez Cassine, vende-se
por commado preco, no escriptorio de Manoel Ig-
nacio de Oliveira & Filho, largo do Corpo gaoto
numero 17.
SUI0\ETES
mediclnaes de alcatro
Remedio eflicaz contra as doencas cutneas, as
caspas, Implgens, borbulhas, comichoes, pstulas e
sarnas; na pharmacia do Pinto, raa larga do Ro-
sario n. 10.
Vende-se um escravo
anuos de idade, pouco mais
de campo e sera defeitos
andar.
Vende-ce o seguate :
Cobertas de ciiila da India a 25400.
i.encoes de panno de Uobo a 25200.
Ditos de bramante de nbo de um s
35200.
Lengos de cassa brancas proprios para algibeira
a 2#000 a duza.
Algodo enfestado com 7 1)2 palmos de largura
a 15200 a vara.
Atboaibado de linho a 25800 a vara,
Dito de aigodad a 25 a vara.
Guardaramos de linho a 35800 a duzia.
Pecas de cambraia de salpicos a 45300.
Laazinba acera de cores a 320 o covado.
Cambrala branca de ferro a 35 a peca.
Fil de linbo liso fino a 800 rs. a vara.
Dito de dito com salpicos a 15 a vara.
Panno de linho tino eom 9 lj2 palmes de largu-
ra pelo barato prego de 25400 a vara.
Madapoldes finos a 85, 9fi, 105, H5 e 125-
Cambraia lisa de 45300, 35. 5. "5 e 85 a peca.
Pegas de bretaoha de algodio com 10 varas,
propria para saia pelo baratissimo prego de
Laazioba lisa de cores a 300 rs o covado.
Cambraias finas de cores miudinbas a 360 rs. o
covado.
Esteira da India propria para forro de sala de
------------------- i 4,5 e 6 palmos de largura, per menos prego do
preto, crionlo, de 201 que em outra qualquer parte.
ou menos, do .servigo Neste armazem tambem se encontra am grande
na ra de Apollo n. 7,
Vendem-se

i
machinas americanas de serrote para descarocar
algodo : na ra da Senzala ova n. 42._______
Domingo 13 do corrente esta* a' venda no
agougue da travesea do Marisco n. 20, carne verde
gorda a 280 rs. a libra, e continuara' a ter sempre
de boa qualidade. ______
Vende-se 1 escravo mogo excelleote cozinhei-
ro e de boa con Juta, e uma bonita negrinba de 14
qqos de idde na travessa do Carmo d. 1,
1 mina
sortimento de roupa feita e por medida.
Luvasde pellica pretas e ou
tras cores.
Cbegaram para a loja de miud ;zas a raa do
______yueimado n. 16.___________________
Vendem-se garrafas e botijas vasias s lava
das: na ra da Soledade n. 38. _______
.Farinha de mandioca
a 45 Muito boa e chegada ba pouco tempa. vende-se
di ra da Cruz 0.33.
jiecbincha panno preto a 2f$000 o
covado.
Vende-se ,oanno preto proprio para caigas e pa-
litots a 25 e 25>200 o covado ; casimiras iireus
a 15800, 25, ^fk/00 e 25500 o covado.
t mitUo barato corles de casimira a 3rjo00.
Veadem-se cortes de casimira preta a 35500
45 e 45S03 ; dra maito fina a 65.
Admira cortes de brim de cores a
1,280
Vendem-se cSrtes de brim de cores para calca a
15480,1560ft 15800 e 25 : na ra da Imperatriz
D. 1-2, loja de Guimaraes & Irmao.
' teraii8uno a 120 ris o covado.
Veadem-se riscadinhos muito proprios para rou
pa de soravos, a 1150 ris o covado; ditos escoce-
zes amito Unos a 240, 280 e 300 ris o covado.
Laaunbas a 3oo rs.
Lazinhas de quadriahos a 300, 320, 360 e 400
rs. o covado ; ditas maito finas a 500 e 360 : na
rna da Imperatrjz a, 72, loja de Guimaraes & Ir-1
HH,
Cortes te la a 5^000.
Aeaba de ebegar a este importante estabeleci-
mento um sortimento de cortes de la que se veo-
j de por 5 e 5fi500; Ai'.os a Mara Pia, fazenda
, muito moderna a 129, 14 <85 e 205 ; ditos com
', eamisinba. cinta e grvala a 255 e 285.
Cbias francezas largas a 260 ris.
Veode-se nm grande sortimeoto de chitas a 260,
280. 300, 320 e 360 rs. o covado ; ditos preciares
a 400, 440 e 500 rs.
Cambraias eovado
Vendem-se camLraias francezas a 280,300. 320,
360 e 400 r?. o covado.
Cambraias lisas a 3.000 rs. a |ieca.
Vende-se om grande sortimento de cambraias
lisas pelo barato prego de 35, 35300, 45, 45500 e
55 ; ditas multo finas a 55500 e 65 i ditas victoria
a 05500 e 75; ditas de ama vara da largura a 85
e 95; ditas ptra rorro a (5600, 25 e 25200 : na
ra da Imperatriz n. 62.
ROUPA FEITA.
Vende-se um completo sortimento de roupa fei-
ta feita. i.s;im como sejam palftots, calcas, coletos,
camisas francezas a 15600 e 15800 ; ditas tinas a
25 e de linbo a 2500, 35 e 35500 ; seroolas de
15*00. 15400 e 15600, de linho a 25 e 25500 : na
roa da Imperatriz n. 72, loja de Guimaraes & lr-
mo.
Boa aeqoisicao.
Vendem-se 4 casa? terreas novas, lim-
pas, bem alugadas epor mdico prego:
os preieodentes enteodam-se com o es-
Jj| crivo Athayde que s acha aotorsado
i pelo respectivo proprietrio a realisar as
MU referidas vendas.
ArlrtPWBfj cflndJmnfiS Qlniurcs,
Vende-se chitas escuras e clamiv para vestidos
160 e 200 rs. o covado, ditas 'ezas flin "
280, 320, 360 e 400 rs. o covade '. .' da Im, ma-
triz loja da Arara n. 56.
Csssas da Arara a 240 o cOVaiiri.
Vt.ade-se cassas francezas tinas para vc^tJos a
240. tifie 320 o covado. riscado franrezpaia vei-
tidos a 24,0 o covado : ra da Imperatriz loja .
Arara n.W'- _fln
Arara vende riscat'0 l>ara calcas a s rs. o
covjrJo.
Vende-se riscado "roPr0 P-ra calcas e c.3rai/as
de escravos e talas de e*cv*<- ,',0T Mr .wr-
W se vende esta fazenda a2c0rs- ^^"IT
do de linho para calcas eVlel0,s a sfi
so na loja da Arara ra da ImlneF*,riz' -?%> .
Arara quervfnder as sau,sa %!>'''
Vende-se saias bordadas para seu t,ora a WOO.
jav e 8^' camisas Para seohora t" men's a
i*oou : so no barateiro Arara ra da ImPeratriz
n. 06.
Os vestidos da Arara a M
*V2Kf? f-6slid0S de casa a Ma"a Pia a 55 <>
85, ditos de laa muito linos a 105 125 e 18* ,u>-l
com camlsinha e sinto a 255 e 285 ra da it
peratriz o. 56. rua "
.Arara vende as crinolinas de cores a 35300
Vende-se crinolinas ? naioes de cores b bran
eos a 35,3*800 e 45, baloes de arcos a IJ e lloco
rua da Iroperainz loja da Arara n. 56
v,, b,aleS da Arara a 2-
fifu/S? de merin estampados
raTk : ra a ImPera< S
Arara vende laazinhaa a 200 rs.
l5ne.Dfr3S,Mli2hH para vestidos a 2C0, 240
Sl Cyad0; dilas matisad^ > 600 e 560 '
roa da Imperatriz loja da Arara n 56
v Cha'es de fil de linho a 65$.
Vende-se chales de fil de linhn a fi* ix e-
Sfdet'a6 fllSf *! W^Sde f-
mazeflmdaa,A4farea,n846:adaIa)',era,r,Z ^
Roupa feita por medida.
Vende-se paletots de panno preto a 65 e 8 cal-
ttfJSPstsi?/* cami5SS **"!
,!'i?'il800,e ** pa,et0,s de b'n de core<
a 25 e 3#, caigas de brim e gaoga a 2a rua da
Imperatriz loja da Arara n. 56.
Arara vende casemira enfeslada
a 25.
da Ara-
Vendt-seoasemira enfestada para cale
tot a 15 o covado : rua da Imperatriz I01
a 15.
a e pale-
ra n. 56
peratriz loja da Ar..-
Cortes de casemira a 2S.
vende-se corles de casemira de cores a 25 cor-
es de brim e ganga a 15, 15400 e 15600, cor te v
SrS7srto a um-4*e '--"-
Baloes para meninas a 3.
qAeQfe^b2lPeSpara'D,eB,oas de musselioaa-
35 e 3550T, ditos para senhora a 45300, 55 e
o500 : rua da Imperatriz loja da Arara n. 56
Arara vende as mantas para pescoco a id
Vende-se mantas Oara peecoco a 15, gravata<
de seda de cores a 500 e 800 rs., colarinho de pa-
pal a 500 rs. a duzia : rua da Imperatriz toja da
Arara n. 56. '
Liiazinba para luto a 500 rs.
Vende-se fazinha para tuto a 500 rs. o covado,
alpaca prela a 500, 600 e 800. cassa preta a 320 o
covado : rua da Imperatriz loja da Arara n. Si.

Vapores.
Vende-se em casa de Saunders Brothers & C,
no largo do Corpo Santo n. 11, vapores patentes
com todos os pertences proprios para fazer m.ver
tres on qoatro machinas para descarogar algodo.
Aos senhores acadmicos.
Vende-se por 25 cada exemplar encaderoado
Macarel. direito poltico : na loja de livros da pra-
ga de Pedro II n. 6, onde tambem se vende por di-
minuto prego para acabar algumas ontras obras de
direito.
Panno de aJg-odao transido
da fabrica de Ferrao Velho : vende-se na rua da
Cadela n 4, armazem de Silva Barroca.
Pectiacha adnlravel
Laziohas de qoadriobos qne parece seda a 240
rs. o covado, uma grande pecmcha, esta se aca-
bando : na loja n. Si, armazem da porta larga de
Paredes Porto,
Vende-se ama rotula nova de Icro : a tra-
tar na rua do Hospicio d. 28


n
r


Diario de
* Qaarta MvfrM de Abril de 1866.
ojias ranir*

*
i
PARA A CUARESMA
Chegaram a loja de Augusto Porto & C.
11 Ra do Queimadol\.
Superiores corles de seda preta.
Motreaotqoe preto de flores e de lista.', bellos padroes.
Grosdeniwe preto de diversas largaran e qualldades.
Retondas, bournus e chales de gaip o de rendas.
PanBos prelos, casemiraspretas, bombaslnas.
L5a canto, merino e selestrinas pretas.
Lindas mantas de seda para pescoco.
Ricos cortes de seda de cores para bailes oti casamento.-.
Ricos cortinados bordados dos mais bellos desenhos.
Moir branco, seda branca, capailas e mantas para noivas.
Bellas colchas de seda e de la e seda para cama de noivas.
Sai as de flnissima cambraia ricamente bordadas.
Fazendas de pregas para saia que se fazera com ama s costar tambem tem com
o cordo tecido. _.,
MadapolSo fraoe a 400 e 480 rs. a vara.
Alcatifa de linho para salas e gabinetes a 480 rs. o corado.
Pazenda especial de qaadros para (azer redes a 35300 a vara.
Superiores esteiras da ludia para salas.
11Roa do Quelmado11
so*
I,
LEAN
NOVOS GERENTES
DOS
GRANDES
AUUZENS DE MOLAMOS
DENOMINADOS
PROGRESSIVO pateo do Carino n. 9
UNlAO E COMMERCIO na doQueimado n- 7.
VERDADEIRO PRINCIPAL roa do Imperador n. 40
DARTE CARVALHO PERIRA C.
8
.*
CORTES DE SEDA
Chegaram pelo paquete inglez riqaissimos cortes de moreantiqae de cores, e seda lavrada pa-
<-Qfi, q^drog por yooo o covado
5RA DO CRESPO-5
Gregorio Iae do imaral compaanla.
BflM SORTIaOTO DE
FAZENDAS PRETAS
Gros de aples preto a 10500.10600, U, U, 30500 e 40 o corado.
Gorguro preto de superior qualidade a 20500, 2*800, 30 e 40 o co-
Vad0' Superiores moreantiques a 20500, 20600, 30, 30500, 40 e 50000 o
covado.
Bons cortes de moreautiqoe.
dem de gorguro adamascados.
Bons pannos e casemiras. .
Sup riores alpacas, princetas, merinos e bombazraas.
Bons vi lidos pretos. B( Q.
Grande variedade de chales de fil preto e de guipure a 50, 60, 80,
100, 120, de 160 a 203, e de 250 a 800 cada um.
Superiores retondas de fil preto e de guipure a 80, 100, 120 e 255,
ede 300 a 600 cada urna. .
Superiores algerienes de fil preto e de guipure de 120 a 250, e ae
30$ a 600 cada urna.
Bons chailes de seda preta.
Ditos de Merino preto bordados e outras muitas fazendas pretas que
seria enfadonhe enumerr, na
IOjjl das cmxjmmm
DE 4NT0NI0 CORREU DE VASCONCELLOS & C.
BA DO CRESPO W.1S ^^ ~~
wm m boton
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senbores de en-
fenaos, lavradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraran! os propietarios dos tres grandes armazens, reunir todas os seas estabeleci-
mentos em nm s annuncio, pelo qual o proco de um ser de todos, pr orne tie-
rnos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os generes
por um proco, e na occasiao da compra querer em por outro, como socede constante-
mente em outras omitas casas, porm nos nossos estabelecimentos n5o se dar islo
anda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
lerao tambem servidos como viessem pessoalmente fazendo-uos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remettendo nos orna canta
pela qual se ver os preces tal qual aonuDCiarmos, o que senao arrepeoder pessoa
alguma que fizer sua despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
S por oento na sua despeca diaria.
CONSULTORIO MED1C0-CIR11GIC0
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOCOSO,
MEDICO, PARTE IRO E OPERADOR.
3 Eua da Gloria, casa do Fiincto g
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s H
horas da manMo, e as 6 e meia s 8 oras da noite-, i eacepcjfo dos dias santificado!.
Pharmacia espeemi kemeepakica
No mesmo consultorio ba sempre o mais appropriad sortimsnto da carteins
tobos avulsos, assim como tinturas de varias dyanumisacoes e celos pregos seguate*;
Carteiras de 12 tubos grandes. 120000
> de 24 tubos grandes. 180000
de 36 tobos grandes. 240000
> de 48 Indos grandes. 300000
de 60 tobos grandes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforma a pedido que se izar, e com os remedan
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 10000.
Sendo para cima de 12 cusUrio os procos esUbelacidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
UJLOTEICA
Manteiga ingleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente a 1,12o rs. a libra, e
em barril ter aba ti ment.
Manteiga franceza da safra nova a 8oo rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANHA
Banha refinada superior a 64o rs. e em
barril ter abatimento.
IU1
Cha uxira de primeira e superior qualida-
de a 2,8oo rs.
dem, bysson o melhor neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porcSo ter abatimen-
to, tambem ba proprio para negocio de 2 a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de l,8oo a 2,5oo rs.
a libra.
lliscouts
Latas com superior biscouto inglez de di-
versas marcas a l,2oo rs. a lata.
Bolaehlahas
Latas com Bolachinhas da acreditada fa-
brica do beato Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata.
dem com quatro libras de bolachinba de
soda a 2,ooo rs. a lata.
Queijos
Qaeijos Oamengos chegados pelo ultimo
vapor de 2,3oo a 2,5oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a l,oooal,2oo rs.
a libra, fraecez e suisso a l,ooo rs. a libra
e portuguez a 800 rs. a libra, em porcSo
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas mareas, comoseiam: MadeiraSecca.
RIJA DO BRUJ N. 38.
O pronrietario deste estabelecimento deseja chamar a attenco dos senhores pro-
tarios aos acre litados mechanismos que continua a fornecer ; os quaes garante ser,
oi-j sempre, da melhor qualidade possivel:
Machinas de vapor
torca de 2 Vj cavallos para cima. As menores sao mui proprias para motore sde
camcamentos de aigodSo; as maiores para moer canna; hi tambem que podem junta
separadamente moer canna e descansar segundo snas proporces. Estee vapores
301 sifnpRssiaios na cmstruccSe, e se regem por qualquer pessoa intelligente, a facilida-
.;- la condueco sent especialmente considerada, tanto que nao ha lugar em que nao
se ) >ss-irn coniuzir, qur por trra, qur embarcado. Ha cora moendas juntas ou sem
:- e podem-se applicar a qualquer moenda j existente sem outra mudanca do que
a substituicao das rodas da almanjarra. Ellas tem depsitos d'agua e boeiros de ferro,
e nao precisara para o seu assentamento de obra alguma, qur de carapina, qur de al-
vdoar. O terapo para assenta-las nao excele de doze dias ao mais, e em casos de
inortes de animaes ou arrombamentos de acudes, etc., garante-se o assentamento em
cito dias. Lembra-se aos senhores de engenho que a venda dos animaes e o servico da
gente oceupada no seu tratamento os hao de recuperar da maior parte da despeza do
vapor deixando-lhes a vantagem de urna moagem certa e accelerada; e acabando com a
despeza da compra continuada de novos animaes. com os desgostos do trabalho que
se tem com el I es.
Rodas d'agua de ferro, mui maneiras e moendo com qualquer altura
d'agua. .
Sarilhos com eruzeas de ferro para as mesmas, quando se desege fazer
e resto da roda de madeira, toinando-se assim a roda ligeira no trabalho.
Hoendaa de canna de todos os tamanhos, desde as mais pequeas chama-
das do serto. Obra perfeita em feitio e acunhamento. _
Rodas de espora e angulares de todos os tamanhos e proporces.
Paroes ou coche para receber o caldo.
Crivos de fornalha para assentamentos, frescos para o foguista, fazendo
grande calor com pouco combusvel, e duradouro.
Portas de fornalha de todos os tamanhos e de diversos systemas.
Fornos e molnhos para a fabrica de farinha e tambem chapas redondas
para fornos pequeos.
Hombas simples e de repucho.
TaUas de ferro batido e fundido e de cobre.
Formas de ferro batido galvanisado para purgar assucar, leves para carregar
e isemptos de quebrar-se.
Alambiques de ferro? de todos 03 tamanhos, custando s a terca parte do
preco dos de cobre, mais regulares na disiillac5o e igualmente duraveis.
Elxos e rodas de carro cora mangas de patente, obra mui segura para
carregacSo de peso.
Arados, grades, cachados a carallo e outros instrumentos de agri-
cultura. E finalmente todo o objecto de que possa precisar um engenho.
Machinas de descarocar algodo.
Na fabrica se fazem obras novas encommenda e coacertos, com a maior preste-
za e solidez. O grande deposito de pecas e objectos habitam-na muito para este flm.
O proprietario ser sempre mui feliz de poder ter occasiao de dar informaces ou
& larecimentos aos senhores que se servirem de seu presumo.
D. W. Bowman, engenheiro.
BASTOS
RA DI CABEIJL ]. SO A.
SERROTE 108000.
Douro, Mara Pia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a l.ooo a garra-
fa e 9,ooo a 12 ooo rs. a duzia.
Yinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e Soo rs. a garrafa, e a 3,oo,
3,5oo e 4,ooo rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anceretas de 8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vmbo brauco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oo rs. a garrafa.
CAFE
Caf do Rio de 1/ e 2," qualidade de
6,8oo a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
SARAO
Sabio maca de primeira qualidade de 24o
rs. a libra.
Serveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a duzia e a 7oors.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs. a du- j libra,
zia e a 5oo rs. a garrafa.
BOIES VASIOS.
Boies vasios, louca ingleza muito pro-
pria para manteiga e deposito de doce de 4
a 12 libras a l,2ooe2,5oo.
FARINHA DO MARANHO.
Farinha do Maranho a 240 rs. a libra.
SAG'.
Sag muito novo a 4oo rs. a libra.
ARARUTA.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oors.
a caada.
Amito doce
Superior axeite doce de Lisboa a 7oo rs. a
garrafa e a 5,5oo rs. a caada.
FUMO CAPORAL.
Latas com superior fumo caporal a l,8oo
rs. a lata.
Passas
Superiores passas a 2,5oo o quarto e
9,5oo rs. a caixa de arroba hespanhola e a
56o rs. a libra.
CHEMEBRA
Genebra delaranjaverdadeira a lo,5ooa
duzia e l,ooo rs. ao frasco.
Genebra de Hollanda verdadeira a 6,ooo
rs. aftasqaeira e a 56o rs. o frasco.
Idom de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da ums.
Garrafes com 24 garra/as de genebra de
Hollanda a 8,ooo rs. o garrafo. Tambem
ha garrafes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a
6,ooo rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a 64o rs, a libra.
dem de carnauba de lo a 12,ooo rs. a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em latas j preparado de l,ooo a
l,2oo rs. a lata
ALPISTA E PAINCO
Alpista e painco muito novo de 3,8oo a
4,ooo rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS.
Superiores charutos do fabricantes Simas,
jjmp^hroa, ooiioho, ransieuses e OUirusu
2,2,5oo e 3,ooo rs. a meia caixa: tambem
temos Suspiros, Havaneiros, Ligueiros e
outros muitos que vendemos por mdico
preco.
Licores
Licores francezes eportuguezes a l,ooo e
1,4oo rs. a garrafa ou frasco.
Doces
Doce da casca da guiaba em caixes e la-
tas a l,2ooocaix5o e2,8oo rs. a lata.
Frotas
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
perche e outras frutas a o o rs. a lata.
Tambem ba latas grandes para l,2oo rs. a
lata.
AZEITE DE REFINADO
Superior azeite fraocez refinado a 8,ooo
rs. a garrafa e a9,ooo rs. a duzia.
MOLHO ING1EZ SAUCE
Molho inglez Sauce em frascos grandes
com rolba de vidro a l,8oo rs. o frasco em
duzia ter abatimento.
BATATAS.
Gigos com 3o libras de batatas a l.ooo rs.
o gigo.
SARDtNHAS.
Latas com sardinhas de Nantes e Lisboa
de 4oo a 46o rs. a lata.
FUMO AMERICANO.
Superior fumo em chapa a 1,400 rs. a
ItTVROS.

A melhor obrada homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jarb
doos grandes volamos com diccionario ........... 20)5000
Medieiiu domestica do Dr. Hering .......... 10)9000
Repertorio ao Dr. Mello Moraes............ 60000
Diccionario de termos de medicina........... 3)5900
Os remedios deste estabelecimento sao por demais coohecidos e dispensam por
tanto de serem novamente recommeadados as pessoas que quizeren usar de remedios
verdadeiros, enrgicos e duradores: .ha tudo do melhor que se pode desojar, globos de
rerdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservado, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparacao, e portaoto a maior
energia e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para escravos*
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operacSo, para O que o annunciante julga-se sufBcientemente habilitado.
O tratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica,
funecionando a casa ha mais de quatro annos, ha muias pessoas de cujo conceito se nao
pode du vi dar, que podem ser consultados por aquellos que desejarem mandrseos
doentes.
Paga-se H por da durante 60 dias e d'ahi em diante i 5300.
Asoperaces sero previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
AIWIAZE11 DE FA2KE9TDA
DE
A c.

CUSXOllIO C1RV4IHO
27 RA DO QUEtMADO N. 27
MadapolSo francez muito fino, teudo pouco mofo, cada peca com 27 varas par
10)5000.
L3a de cores a 300 rs. o coyado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs a vara.
Lencos brancos para algibeira a 2)5000 a duzii.
Finas perclaras a preco de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de la de barra de 10/1 a 30,5000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
ERVILHAS
1 Latas com ervilhas e feijao verde j pre-
parado 64o rs. a lata.
MASSA DE TOMATE
Latas com 1 libra de massa de tomate a
64o a lata.
VERMUTH
Esta bebida muito fresca e estomacnl e
muito propria para a presente estaejio. a
qual vendemos a2,ooo rs. a garrafa e 18$
a duzia.
Araruta verdadeira a 4oo rs. a libra.
Pimenta, cominho, cravo, canella. ervadoce, alfazema, tijollo para limpar facas pa-
litos para denles, palitos de ogo, e outros muitos gneros que se tornara enfadonho
mencionar, afianzando cinceridade nos precos e o bom acondicinamelo de qualquer
genero.
Oevadinha de Franca
a 160 rs. a libra, e de 8 libras para cima a ISO
rs.: ao armaiem da Liga, na Nova n. 60.
"" Laatljlas.
A loja da Aurora, na ra larga do Rorario n. 38,
recebeu sortiraento de lanlijolas mallo delicadas e
proprias para qualquer enfeile, assim eomo tam-
bem receben luvas de Joovin brancas e de cores
para bomem e senhora, muito frescas, ebegadas
pelo ultimo vapor, tudo isto na loja da Aurora,
ra larga do Rosario n. 38. _______
Vndese urna porcao de ferro bruto, serve
para obras de ferreiros, e por preco muito com-
modo : a tratar na ra Imperial o. 1,1* andar.
Vende-se orna masseira de amarello em per-
feito eftado, e mais pertences para urna padaria,
na estrada nova, segunda taberna a direita, depols
do sobrado grande : a tratar na mesma, das 4
oras da tarde em diante.
VENDE-SE
o grande armazem da ra do Apollo n. 38 e 40,
proprio para um armazem de 'assucar ou prensa
de algodo em ponto grande, por ter 6 portas de
frente com mais de 67 palmos de largura e 300 e
tantos palmos de comprmeme, tndo coberto e so-
bre arcadas e para comodidade dos compradores
se vende com o prato de 2 annos ou o que se con-
vencionar urna vez que seja com seguranza e pa-
gande-se pela demora nm mdico jaro : as pes-
soas a quem convier esta compra podero enten-
der se com Antonio Alves Barbosa na ra dos Gua-
rarapes n. 78.
Pe chin cha
Na roa do Qnetmado 40
Cortes de laazinba de cor, bonitos gostos, com
15 corados a 3fG00.
Castas orgindys de cores, eovade a liO, pecas
de algodaozlobo largo com 17 varas a 4,S.
Ditas de dito com 17 varas, muito eacorpado,
com pequeo defello, a 4300.
Grosdenaple preto muito superior, covado 2#.
Dito dito a 600.
Retondas de renda preta a lOf.
Chales de renda preta a 8-
^^^
Grande pechiacha de madapol So com
ayaria.
Paredes Porto vende una grande porgiio de ma-
dapolao a variado, fazenda de lOft e 12|> a peqa, a
8J300 e 75 com pequeo toque : na ra da lmpe-
ratriz n. 52, armazem da porta larga Junto a pa-
daria franceza
Novidades do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
se achar bem sortido como todos sabem,
boje mais que nunca, nao s pelo que rece-
be de sua propria conta, mas tambem pelo
que recebe de consignaces; parece sem
* duvida que deve offerecer grandes vanta-
gens para o respeitavel publico tanto em
precos como na escolha dos objectos e co-
mo acaba de chegar grande remessa pelo
vapor Douro e o navio Solferino de
diversos objectos de gosto e proprios do
terapo dos quaes se mencionarlo alguns,
por nao ser possivel mencionar todos. O
dono deste estabelecimento espera a pro-
tecc5o de todos.
Riquissimas caixinhas ornadas e com
msica propria para um delicado mimo.
Caixinhas de msica tanto de veio como
de corda.
Ricos porta joias e necessarios.
Riquissimos est jos a feitio de um bausi-
nho ou chapeuzinho.
Ditos em csea de noz e de outros gostos.
Loques de madeperola de sndalo e de
faia e madeira.
Chaposinhos e touquinhas de muito
gosto para criancas.
Meias e sapatinnos de seda para as mes-
mas.
Meias de seda para senhoras.
Capellas e grinaldas de flores proprias
para casamento.
Enfeites e capellas de muito gosto para
seuhora.
Riquissimos porta boquets.
Boquet de flores com urna borrachinha
com ebeiro.
Luvas ver da deiras de Jovin.
Ditas de seda e de Escocia.
Riquissimas plumas e guarnieres para
enfeitar chapeos.
Contas e tubos de ac branco, que ba
muito se desejava para enfeites.
Brincos, flvellas e crozes de crystal.
Fivellas e cruzes de tartaruga; madripe-
rula e dourados.
Alfinetes para gravatas.
Botes com croas para punbos.
. Gravatiuhas e mantinhas de muito gosto,
tanto para homem como para senhora.
Riquissimos adereces pretos, assim como
caixinhas com alfinetes pretos.'
Bengallas de canna com cabo de marfim.
Ditas de baleia, borracha e de outras
muitas qualidades, assim como chicotinhos.
Riquissimos penles de tartaruga do ulti-
mo gosto; assim como de arregaco para
menina, pois ueste artigo ha um complete
sortimento de todas as qualidades.
Diademas para cabeca do ultimo gosto.
Riquissimas fitas lavradas e lizas.
MACHINAS DE PATENTE
DE TRABALHAR MA6 P.ARA DESCA-
RQaR ALGODAO
FABRICADO POR
PLANT BROTHERS & C.
OLDAM.
Estas machi-
nas podem des-
carocar qual-
Iquer especie de
algodao sem
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas
para o traba-
lho; pdedes-
carocar urna
arroba de al-
godlo em ca-
rogo em 40
minutos, ou
18 arrobas por dia ou cinco arrobas de al
godao limpo.
Assim como machinas para serem movi-
das por animaes, que descarocam 18 arro-
bas de algodo limpo por dia; e motores
para mover urna, duas ou tres dessas ma-
chinas.
Os mesmos tem para vender um bellissi-
mo vapor que pode fazer mover seis destas
machinas mencionadas; para o que cnvi-
da-se aos senhores agricultores a virem ver
eexamina-lo, no armazem de algodio, no
largo da ponte nova n. 47.
Nauuders Bi-okei-s tfc C.
Recife praca do Corpo Santo n. 11.
Os nicos agentes neste paiz._________
O castello de Grasville.
Tradniido do francex por A. J. C. da Crnx.
Yende-se este bello romance em qnatr
tomos pelo baratissimo preco de 30OOC
ua pra^a. da Independencia, livraria na.
6 e8.
Trancas pretas com vidrilho e de cores.
Pulseiras tanto para senhora como para
meninas.
Ligas de seda e de algodio.
Suspensorios de seda e de algodo e mui-
tos outros objectos que se nSo podem an-
nunciar por nio se tornar enfadonho.
S no Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7.
Frameisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa e ocu-
los de alcance para observares e para os
martimos.__________________________
La de barriguda, o qne de melhor ba para
encher travesselros : vende-se na ra da Madre
de Dos, no armazerojjuoto a' igreja.__________
Roupas feitas de todas as qualidades
Vende-se ronpa feita, sendo calcas de coras a
pardo a 2#, ditas de brim branco de linho a 3*500
e &, calcas de casemira preta a 5, 6J e 8, di-
tas de cores, meia casemira, a 3$ e 3*800, ditas
de casemira a 6S, 71 e 85, paletots de brim da
cores a 2J>, 3*500 e 3*, ditos de brim branco a
a 4500, ditos de alpaca preta a 3* e 4*, ditos de
casemira de cores a 6*, 6, 7, 8 e 10*, ditos de
panno preta a 6*, 7, 8 e 10*, colletes de coras a
1*600, de casemira a 3* e 4*, ceronla francesa a
1*600 e 2*200, caminas franceas finas brancas
peilos de cores a 2* e 2*500, ditas ingieras de li-
nho de pregas largas a 2*500, 3* e 3*500 : na
roa da Imperatrii, loja da Arara n. 56._______
Em casa de Rabe Schmettau & C.
ra da Cadeia n. 18, vende-se:
Champanha.
Cognac de superior qualidade.
Vidros para espelhos de' todos os tama-
nhos tudo a precos muito commodoe.
Farinha de manfioca.
Vndese de oda Qualidade de Santa Camarina a
borde da escuna oldemburgaeza Lnen, a tratar
a bordo do mesmo navio ou no escriplorio da Amo-
rim Irmos, ra da Craz n. 3.


achina para rapia.
Vende-se urna machina grarifle para serrar ca-
pim : no pateo do Carmo casa de toanhos.

n;
I UBtffl I
_L



l
r


Diarlo de pernamnaco -I QuarU felra 18 4c Abril 4c 1866.
LOJA
ENCICLOPDICA
isnneratrts nunca
da porta larga .
Jnnto a padaria fradceza de
Paredes Porto.
Neste estabelecinento encontrar o respeitavel
publico ana variado sortimento de fazendas fraoce-
xas, ligleas, sutssas e allemis, qie se senderan
por prego commodo.
Paredes P#rt
Vende chales do renda de cores que se Yendo-1
ram a i8s est vendendo por 64, ditos pretos, fa-1
lenda nova, 5*, 6*, 8* a 20*, um sortimento com-
pleto de manteletes, capas e.soutambarques 14* a
25*. Ra da fmperatrun. 42, junto a padaria irn-
ceta, trmazem da porta larga.
Paredes Parto
Receben um completo sortimento de laastahas a
3+0, e 380 rs. covados, para acabar, cambraias de
cor a 240 rs. o covado, riscado escossez para roa-
na de menino, fusto de linbo a 430, 400 e 500 rs.
Roa da Imperatriz n. 52 jnnto a padaria francesa.
armazem. da porta larga.
Paredes Perla
Receben para cortinados para cama francesa a
11* a peca cambraia lisa fina a 34 44 at 104 a
pesa, cortes de tarlatana'de bonitos gostos a 34600
44, cambraia cora flor de seda, gostos inteira-
mente novos a 400 e 800 rs. o covado, no armasen
da porta larga n. 52, ra da Impertira junio a pa-
daria francesa.
Paredes Pert
Receben pelo wltimo paquete um sortimento de
cruzes com podras para o pescoco, bonitos cazineis
de lia para pescoco de senhora. Roa da Imperatris
n. 52, armazem da porta larga.
Paredes Porta
Vende cortes de gorgnrao preto para vestido com
31 covados cada nm 354000, grosdenaple preto a
1400,14800 24 o covado, lias lizas Inas a 400
rs. o covado, laas de qaadrinbo para vestido, entes-
tada, a 330 rs. o covado. Roa da Imperatriz n. 52,
armazem da porta larga.
Ronpa frita
Roa da iKperatriz n. 52 armazem da porta lar-
ga junto a fadaria francesa, enccctra-se neste es-
ubelecimenio nm completo sortinento de paleto
saceos e sobrecasacos, de todas as qukoades, cal-
cas, rolletes, ceroulas, camisas, grvalas metas,
chapeos de sol, ditos franceses para cabera, por
precos -coramodos, ronpa para menino e cintras
muitas fazendas por precos commodos, araaazem
da pora larga.
No mesmo e s tafee I eci ment encontrar! -o respei-
tavel pnblico, seopre nm -completo sortimento de
roupas eitas de toda* as qaalidades, como sejam
paletos de alpaca preta e de cor, ditos sobrecasa-
cos a 44 e 5*, ditos de'brim pardo a 34800, 34 e
34500, ditos feos a 44, ditos meias acemlra a"
4500, 44 e 54, ditos csreemira saceos a 64, 74, 84
e 104, ditos sobrecasacos a 10 e 134, ditos de pan-
no saceos a 4, 4 e 10?, ditos sobrecdsacos a 134
e 354, ditos de merino preto a. 64, 74 e 164, cal-
cas de brira de diversas qnalidades a 1*800 a 44,
ditos brancas a 3*300-e 6400, dftos oazemira 83,
64 e 74, ditos pretos a 54, 64, 84 e 104, ditos
metas cazemiras a 34 e 44, colotes de diversas
qualidades, seroulas francezas de algodo, ditas de
linbo, ditas de b-amsate a 24 e 34500, carnizas de
algodo de linho francesas de 24500 e 34. 'Gran-
de pechincba neste genero, grvalas de tedas as
qualidades e brancas para casamento, grande -sor-
timento de metas para senhoras, ditas para boroens
a 34, superiores a 34500 e 14.
Um completo sortimento de ebapos de sol de
alpaca o 34, ditos de seda a 54, 74, 10* e 144,
ditos franceses pera cabeca, grande sortimento
a 64-
Vestidos
PeeMacha sene igual.
Cbegon a loja d Paredes Porto nm benito sor-
timento de vestidos de tarta lata de cores e brancas
que serve para partidas por ser -urna pbantasia Ib-
tetramente de gesto pelo barato prego e 4*
brancos a 44500, esto acabando-se : no araaazem
d porta larga ra da Imperatriz n. 52, junto a pa-
daria francesa.
Cortinados.
Cbegoua loja de Paredes Porto um comtete
sortimento de cortinados ricamente bordados a
preeo de 254, 355 e 454 na roa da Impecatri:
n. 52, porta larga junto a padaria francesa.
Ricas romeiras.
Paredes Porto receben pelo ultimo paquete am
sortimento de romeira de guipnre pretas e de ifil
a preco commodo : na ra da emperatriz -n 3,
port larga justo a padaria francesa.
a SALSA PARR1LHA DE AYER
PARA A CURA RADICAL
de escrfulas e molest escrofulosas, tumores, ulceras, chagas, feridas ve*
lhas, aroncbocele, papo ou papeira, a syphilis, euformidades venerias ou mer-
coims,
AS MOLESTIAS DAS MULHERES
retenoao, menstro doloroso, ulcerares do otero, flores brancas, etc., ulcera-
(3o, debilidade, expoliaba dos osos, a nevralgia e convulses epitepticas
quando cansadas pela escrfula.
ERYSIPELAS ERPES; ETC.
Enfcrnilriadcs cutneas, erupeo, borbnlkas, pstulas,
aseldas, etc.
0 extracto composto de salsa parrllha, coleccionado pelo Dr. Ayer, urna
combinado dos melhores depurativos e alterantes conhecidos medicina; confeccio-
nado segundo as regras da sciencia, approvado e receitado pelos primeiros mdicos dos
Estados-Unidos da America do Sul e Central, das Antilbas, do Mxico e das Indias, e
muitas outras partes do mundo: o resultado de estudos apurados e minuciosos, e de
experiencias feitas pessoalmente pelo Dr. Ayer, por muitos annos, nos principaes nos-
pitaes e enfermaras da America ; tcm sido approvado pelas academias de medicina e
juntas de hygienne das principaes capitaes da America do Norte; para prova disto vede
os attestados authenticos bo Almanak e Manual de Saude do Dr. Ayer, os quaes se dis-
trbuem gratuitamente nos logares onde se vende o remedio.
A SALSA PARILHA DE
Especialmente efAeaz na enra das molestias que tem sua orlgem
na escrfula, na lnfeeeao venrea, no uso
excesslvo do meremlo ou qnalqner Impureza do sangue.
A molestia pu infecc5o peculiar, conhecida pelo nome de escrfula, um dos ma-
les mais prevalecentes e universaes que ha em toda a extensa lista das enermidades qa
atacam a nossa raca; disse um celebre escriptor da medicina que mais de'oma terca
parte de todos aquelles que morrem antes da velhice s5o victimas, ou directa ou indirec-
tamente de escrfula; por isso so nao t5o destructiva, porm a principal causa de
muitas outras enfermidades que nao lhe sao geralmente attribuidas.
E urna causa directa-rJa traca pulmonar, das molestias do figado. do estomago
e affecces do cerebro; entre seus numerosos symptomas acbam-se os seguintes: nlto
de appetite, o semblaste plido e enchado; as veres de orna alvura transparente e outras
tezes corado e amarellento irregular, fraqueza e moeza nos mtreculos aa redor da boc-
a; digesto fracae appettite, falta de energa; ventre encbado e evacoac5o irregular;
oando o mal tem sen assento sobre os pulmoes urna cor azulada mostra-se em roda dos
lbos ; quando ataca oS orgaos digestivos, os olhos tornam-se avermelhados; o bali-
to ftido, a lingo* carregada; dores de cabeca, tonteiras, etc. as pessoas de disposi-
to escrofulosa apparecem frequentemetrte erupcoes na pelle da cabeca e outras partes
do-corpo ; sao predispostas s affecces dos pulmoes, do figado, dos rins, dos orgSos
digestivos e uterinos. Portanto, nao sao smente aquelles que padecem das formas tir-
eorosas e tuberculosas da -escrfula que necessitam de pfoteocSo contra oseos estragos;
todos aquelles em cujo sangue existe o virus latente deste terrivel flagelk) GRANDE ESTABEUCIi 0
no
Ra da imperatriz, a. 60
' DE
GAMA & SILVA.
LOJA E ARMAZEM DE FAZENDAS.
Tendo os propietarios deste grande eslabeleci-
meDtofeftonm grande abatimento em mniUs de
soafe (Meadas, pela occaetao do balnco que deram
no ultimo de dezembro de 1865, resolvern! vender
multo mais barato do qne costomam am de cada
vez mais agradarem aos sens numerosos fregu-
es ; por tanto Ihes offerecem nm avulado sorti-
me't _* fazendas francezas, ingiezas, as quaes
Cortes de cambraia com palmas na leja do
Pav3o.
Veadem-se cortes de cambraia branca com pal-
mas, sendo fazenda muito boa, pelo baratisslmo
preeo de 3^500 para acabar: na loja e armazem
do Pavo na roa da Imperatriz o. 60, de Gama &
Silva.
Lencos brancos a t000 res a
duzia.
Vendem se lencos brancos fazenda mnito boa
pelo baratissimo preco de 2 a duzia, Ditos com
barra de cor a 3*000 isto para acabar na Iota d-
Pavio na roa da Imperatriz n. 60 de Gama & Sio
va.
Poupelinas modernissimas a 400 e 500 rs.
o covado na loja do PavSo.
Vendem se poupelinas muito finas sendo fazenda
mnito moderna de quadrmhos e liza vendendo-se
vendero mais barato do que era outra qnalqoer pelos baratos precos de 400 e 800 rs. o covado na
parte, comprometindose a mandar levar qualqoer loja do Pava o na roa da Imperatriz n. 60 de Gama
fazenda em casa dos fregnezes qne nao poderem di Silva.
vir a loja, ou a darem as amostras, deixando ficar
o penhor, assim como convidam as pessoas, que
negocian) em menor escala que neste grande esla-
beleeimento encontrarlo nm grande sortimento
tanto a retalho como por atacado, vendendo-se-lhe
apenas pelos precos qne compram as casas ingie-
zas, sendo com o dinbeiro a' vista.
As toalhas de liebo do Pavio.
Vendenvsa superiores toalhas de linhos para
ro pelo baratissimo prejo de 7*300 a duzia ou
a 640 cada urna.
Guardanapos de linho adamascado para meza a
3*800 a duzia on a 340 rs. cada um.
Superior aloalbado de linbo com oito palmos de
largura sendo branco e pardo, e vende-se mais ba-
rato do que em outro parte, na loja do PavSo na ra
da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Os corpinhos oe seda pretos do Pavao.
Vendem-se os mais reos corpinbos de seda pre-
tos, ricamente enfeitados, peto barato preco de 12*
cada um : na loja do Pavao na ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Ricos vestidos a 8$000 rs.
pechincba adniravel.
S o Pavio receben pelo nltimo vapor franez
um grande sortimento dos mais ricos cortes de
vestidos transparentes com lindas barras e enfeites
de seda, sendo estes vestidos multo proprios para
baile e passeios, e vendem-se pelo baratissimo
preco de 8*000 rs. cada nm, na loja do Pava* na
roa da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Os chales pretos de reada da Pavio a 8000 n.
Vendem-se os mais ricos cbales pretcs de renda
com qoatro ponas, senda mnito grandes pelo ba-
ratissimo preeo de 8*.
Ditos de guepure a 13*, 18*, 30*, 23*.
Retondas de dito a 10*.
Manteletes de renda, tazenda muito superior a
1K*000.
Capas e sambambarqnes de gresdenaples bor-
Cfrosdenaples pretos do Pavo.
Vendem-se superiores grosdenaples pretos reos
baratsimos precos de 1*300, 1*600, 1*800 e 2*
o covado, sendo fazenda muo boa, s para aca-
bar : na loja e armazem do Pavo, ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Bramante de linbo do Pavio.
Vndese superior bramante de linho com 10
palmos de largura, preprios para lences, pelos
Ae kr
38000
- *Q
Cortes de la* escocesa para vestido | a 3* o -cor-
te: na ra oa Imperatriz n. 32, loja da porta .lar-
ga, junto a padaria franceza, esto se acabando.
Para luto.
Laas pretas.com salplces branoos a 460 e JO0
rs. o covado : na roa da Imperatris n. 32 junto i
padaria franceza armazem da porta larga.
1$400
so!.
Chapeos de
Vendem-se chapeos de sol de panno a l*400-e
urna grande pecbincha s para acabar : na roa da
Imperatriz n. 52 armazem da porta larga de Pare-
des Porto.
a um.
Vendem-se pecas de tranca preta para enfeites
de vestidos, soutembarqoes, capas de senhora a
1*600 coro 10 varas, urna grande peobiocba : na
roa da Imperatriz n.j2 junto a padaria franceza.
48000
Chales de renda pretos.
Vndese cuales da randa preto a 4*000, nice
loja qne pode vender aa rna da Imperatriz 32,
armazem da porta larga, do Paredes Porto.
hereditario), est5o expostos"tamfaem asoffrer das enfermidades que eleeausa, que sSo: gMSaggJgllJ* pres nM"8
A tsica, ulceraooes de figado, do estomago e dosTins; erupcoes e enfermidades
ernptivaedfnxitis, rosa ou erys^la, borbulhas, pstulas, nascidas, tumores, rbeuma,
carbnculos, ulceras -e chagas, rheumatismo, dores nos ossos, as costas e na cabeca,
debilidades femininas, llores brancas causadas pela ulcerac3o interior, e enfermidades
merinas, fcydropesia, tndigestSo, entraquecimetrto e debilidade geral.
(Mwecemos a estas pessoas um abrigo seguro e um antidote -eficaz contra esta
molestia e suas coneequencias na
SALSA PARRILHA DE A\ER
que opera directamente sobre o mangue, purScando'O'e expulsando debe a corrupcSo e o
veneno da molestia; penetra todas as parles e todos-es nagjaj decorpo humaoo, livran-.
do-os-dasua accao viciada e inspirando-Ibes novo via^>r. um -alterante .poderoaissimo
para a^renovacao do sangue, ed ao corpo j enfraquecido pete-doenca, foscas e ener-
gas renovadas como as da jovenude.
E tambem o laelhor anty-^philitice conhecido
cura permanentemente as perores formaste syphiHs e as suas consequencias. Pooea
necessjdade ha de informar o publico do inestimavel valor deam remedie que, coaao
este, livra o sangue desta cerropc5o e arrebata a ^vctima das rarras de urna morte ieota
e igaeainiosa, porm inevftavel, se onwK nSo logo combatido com energa.
E um poderosissimoafHerante pan a reaovacSo do sangue e para dar nova tor-
ca ao corpo j enfraquecido peta doeneau ,
Sendo composto de productos vsgetaes, este medicamento innocente e ao mes-
mo lempo efficaz, um facto de immensa importancia para aquellos que o tomam ; ^por-
que muitos dos remedios alterantes offerecidos ao publico tem>por base oaBereorioouo
arsnico; e sendo assim, bena que s vozes podem effectuar eeras, comtudo deixam-suas
victimas carregades de uma'tonga serie de males, muitas vezes peior do que o mal .ori-
ginal. A nica cossa necessawa para eoter urna cara radical-t seguir oem juizo eeons-
atocia aa dirae^ea N5o pretendemos promulgar, oom queremos que se infira qne esta composicao a
um remedio infaUivel para a-cura de'todos os padeeimentos humanos:; infeliamente
escrfula e a syphilis sao enermidades to sutis cas suas nalurezas, earreigam-ie t3o
firmemente no sysema, que rosos que a scieocia humana pode inventar para oembat-las: o qne disemos que o
Extracto composto de salsa pamltia de Ayer
a melbor preparado at boje descebara para estas e outras molestias anlogas, que
urna eembinac'o dos alterantes mais-efficazes conbecidos, e que esta corabinacio tem sido
regulada por tongas e laboriosas experiencias, e finalmente que temos consciencia deof-
ferecer ao publico-o melhorresaltado qae possivel produzir, da intelKgencia erpericia
medica dos nossos lempos.
Este remedio.deve ser taado com systenw e regula/idade, e n3e com abandono,
pois um remedio.en5o bebida.
Quando as molestias do figado* nao tem-sua origenvna escrfula, o remedio
mais ppoprio as pilulas catharticas de Ayer, que-eo emcaies na corada molestia, que
m por causa om desarranjo des orgSoe digestivos. Pedi a salsa pawilha de Ayer e
n5o aGeiai outra preparaco.
baratissimos precos de 2* e 2*600 a vara, assim
eomo panno de linho motto fino pelos baratissimos
precos de 640,700 e 800 rs. a vara : Da loja e ar-
mazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma i Silva.
Cambraias lisas do Pavio.
Vendem-se pecas ae cambraia lisa mnito supe-
rior, pelo barato preco de 3*200 e 3*500 a peca,
ditas muito finas a 5*, 6*. 7* e 8* : na loja e
armazem do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
PECH1NCHA I
a 2-5000, para calcas, s a Pavo.
Vendem se superiores cortes de meia casemira
com msela de seda a 3*, ditas Garibaldinas a
3*800, ditas escoras a 2*800, ou a 1*600 o cova-
do : na loja e armazem do Pavo, ra da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
PENTEADORES
on roupSes de cambraia bordados proprios
para as senhoras vestirem de manbSa.
Chegou esta novidade paia a loja do Pavo,
muito lindos o do melhor gosto at boje, pur pre-
cos mnito razoaveis : na loja do Pavo, rna da
fmperairiz n. 60, de Gama di Silva.
Cassas francezas a 240 rs. o covado.
Vendem-se bonitas cassas francezas de cores fi-
xas pelo baratissimo preco de 240 o covado.
Ditas a 280, 320 e 360.
S na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Grosdenaple preto a 1#600.
E' grande pechiBchal!
Vende-se grosdenaple preto, sendo muito encor-
pado e de boa largura, pelo baratissimo preco de
1*600 o covado : na ra da Imperatriz n. 60.
Os cachinez do Pavo.
Vendem-se bonitos cachinez de la ou aeazalhos
para cabeca pelo baratissimo preco de 3*000, s
Isto na loja armazem "do Pavo na rna da Im-
peratriz n.-60 de Gama & Silva.
Osctates do jwro a 2e e 2S Vendem-se chales de merino estampados a 2*
e 2*300 cada nm.
Ditos de merino liso a 3*500.
Ditos estampados de crepon a 6*. 7*, e 8*000.
Ditos pretos bordados coro franja de seda a 14*. .
Na loja e armazem do Pavao na rna da Impera- Ba ^J* Pavao, na ra da Imperatriz n
Wzn. 60 de 6roa & Silva. MANTAS PARA O PESCLO
Para luto vende o Pavao a "* so Pav*-
am j.rti., m c ..i__. i'.,,., i... Vendem-se bonitas mantas para o pescoco, pelo
Senm da China com 6 pateos de largara, fazen- ralo ,,r(1(.ft a* ift. ^n pJSZ ; ;n a
da preta para loto, propr.a para vestidos e roupas gJraEf! de" Gama Suva
para homens, sendo esta nova Tazenda em lustro e *
o^ ffS-g ag-8.lf 3 g S.S-S
ilf'gg-sIsP'SS.Ii
Esv-J--"2<013I|3
II
3

dq"3 2 r
o, 5'
gl8
6*
s
-1
i?
1.1
r
o
Pernambuco, roa Nova n. *6, nharmacia francezade P. Maurer C.
'VENDEHSE
*o arntazent de M. V. Rancos Uva Clenro. a roa 4e vlgerlo
n. 11, eou^ianteniente, *s seguintes arillos, qne
reeebesa pnr encosnmenda propria de
\EW-YflUM.
Legitima salsa parrtlha de Brlstol, preparada por Lanman k Kemp.
Verdadeira agua Florida, preparada pelos mesmos.
Gaz em latas de cinco gales, o mais purificado que se pode desojar da aorei-
tada marca F.V.D.&C.
Relogios perfeilos regaladores, com corda de quatro a oito das, dos afamados fa-
bricantes E. N. Welca.
Graka em latas grandes da bem conhecida marca las. S. Masn (deftiladel-
phia).
Superior oleo para machinas de costura.
Agulhas para as mesmas.
Breu em bariieaa grandes e pequeas. .
Vende-se tambem:
BORDEAIX
1/ qnalidade. v
[St. Estephe.
St. Junen.
C. Marganx.
C. Lafitte.
i Medoc.
'*:.
PORTO
Ia qnalidade,
Principe Real.
Pedro V.
Maria Pia.
Princeza D. Isabel.
Yictof Emmanoel.
Duque.
Malvazia.
. Bren em barricas peqnenaa,
Cera em velas de todos os tamanho*.
Dogias.
Jferenrlo.
a roa do vigano n. 19, primeiro andar.
?eode-sa nm eseravo pare eognlio, crioolo
nestre carreiro : a tratar aa rna
de
do
taaSgurae me
Queimado a, 44.
Qneijss da lertit
Vende-se snptrtor aaeijo do aaHao : a*
de Beos, annartm jaoto a greja.
Vinho fino do Porto em barris de 5/, iO/ e 20/.
Superior vinho doRteno.
Cera de Lisboa em velas e em grome.
.,
%% RIJA DO 011 I l IDO X. 91.
Madapoldo.
Finas pecas de madapelSo com 20 varas a 9.
LENCOS,
Lencos de cambraia branca, duzia 2d.
Idem de cores fixas pare meninos, duzia 2A400.
Cana I ral as.
Cambraias de cores a preco de 260 a 300 rs. o covado.
Ciuardanapns.
Guardanapos de linho, duzia 3^500.
UnjailTi
Algodo trancado de duas larguras, proprio para toalhas de mesa, a preco de
1,9306 avara.
Bramante.
Superior bramante de linbo inglez e francez. jp 4
, Cambraia de linbo propria para lencos. .... ,i
ATOALHADO.
Atoalhado branco para mesa a 44600 a vara,
Entremeios de cambraia muito finos, preco l.
Lencos de seda para algibeira a i600.
de mnito boa qualtdade, garanttndo-se nao ficar
russa com o lempo e vende-se pelo barato prego de
2* e 2*300 o covado, assim como neste estabeleci-
mento tem nm grande sortimenio de todas as fa-
zendas pretas como sejam asaas-e-chitas pretas,
laas lapadas e transparentes, princesas, alpaias,
sarjas, etc. : na loja e armazem do Pavao na rna
da ImperMriz n. 60, de-Gama & Silva.
Os ha-oes do Pavao.
Vendem-se Superiores -batoes de moculina com
moila reda a 5*., ditos'crinollnes com 33 arcos*
3*500, ditos com 20 e-23 a 3*, ditos para meni-
nas,-sendo brancos e enramados a 1* e 2*300 :
na loja.do Pavo na ra.da Imperatriz n. 60, de
Gaav4- Silva.
Cambraias de forro a 16600 e 26 na loja
do Pavo.
Vendem-se pecas de. cambraia de ferro com no-
ve varos cada peca, peles baratissimos precos de
f*800-2* : na foja e armazem do Pavao oa ro
da Imperatriz n. 60, de Gaua & Silva.
Os oortiDados do Pavao.
Vndem-se superiores corUnados adamascados
para camas pelo baratissimo preco de 1* cada pac,
ditos cuito finos ricamente bordados para camas
ou jsaellas a 13*, 20 e 2S* o par : na loja e ar-
maeea do Pavo na rna da Imperatriz n. 60, de
Gama .di Silva.
Panno preto a 2-5 na loja do -Paviio.
Vende-se panno preto. (tzenda mato boa, pelo
barato prego de 23 o covado, dito 'tnnito fino a.
2*300, 4*, 3* Of, assim como casimira preta de
eordoa 2* o covado : na- loja do Pavao na ra da
Imperatriz n. 60, de Gama,& Silva.
Os espartilhos to Pavo.
Veadem-se nma^rande e-variado sortimento de
eseartilkos dos mais bem feitcs que ten Ivindo ao
mercado, sendo de iodos os tamanbos, vandendo-se
por um preco mu i lo razoavel: isto na leja do-Pa-
vio na- ra da Imperatriz n.-60, de 'Gana & Sjiva.
A salas bardadas do naco.
Veadem-se saias bordadas -sendo (azenda mnito
boa, sendo ricamente sondadas e com muia roda
veodendo-se pelos baratos preces de 6* &*> e 10*
res cada urna na loja do Pavao-2a ra da impera-
triz 0-6O de Gama &lva.
Iketaoliaf* de-rolo a 3^000^
Vendem-se pecas deH)retanha de rolo oem 10
varas cada peca, pelo 'baratissimo preco de 3* :
na loja e armazem do Pavo, ra a Imperatriz n.
60, de Gama di Silva.
Ronpa feHa.
Xa loja do PavSo
Vende.se neete estabelecimento nm grande -ser-
timento de roupas, tanto de panno como eazemtras,
e brins e pelos baralissimos precos como sejam
calcas de caxemira preta ati* 7*.e 8*JO0reis, pa-
letots de panno preto saceos a 6* -8* e 12*000 rs.
ditos sobrecasacos de panno Qnissimo a 12* 18* e
25*000 res, e ou tros rooitos artigos que serla en-
fadonbos aqu relata-los; s na loja e asmazem do
Pavo rna da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Loja do Pavo
raides pechladuM.
Miabas a.OO rs. a corado
fediiksa SOOrs.
Sediaba* a S00 rs.
Vende-se na loja do Pa*Io, nm grande sortisaen-
to de sedinbas Iletradas com as mais bonitas cores,
sendo os padros mais novos qne tem viodo ao mer-
cado, e vende-se pelo paratisslmo preeo de orneo
tostoes o covado, sendo fasenda que valem muito
mais dioheiro, e grande pechincba por -se ter
comprado nma grande ponida desta fseeada, na
loja e araaazem de fasenda do Pavo, roa da im-
peratriz n. 60 de
Lasmhas matizadas a 320 rs.
Veodetn-ae as mais lindas liasiafaas matisadas
com os mais bonitos desenhos, pelo barato preco de
320 rs. o covado ; na loja do Pavo a roa da Im-
peratriz n. O de Gana & Silva
Madapoloes a 3,500 rs. a pessa.
S na loja do Pavao.
Vende-se pecas de madapolo fino com 12 jar-
das, pelo barato preco de 3*500 e 4*000.
Chales de renda.
Na loja do Pav5o.
Receberam-se os mais lindos cbales pretos de
renda, assim como as mais modernas e compridas
retondes, e maoteletes da mesma tazenda, e vende-
se mais barato que em outra qualqner parte: na
loja e ajmaiem do Pavo na roa da Imperatriz n.
66 de Gama & Silva.
{astar a 31 0 rs. 9 covado.
Para caira?.
Vendem-se superiores castores mnito encorpados
padrees escuros pelo barato prego de 320 rs. o co-
vado, serviodo esta fazenda tambem para escravos
por ser de maita duraco; na loja e armazem do
Pavao rna da Impersim n. 60 de Gama & Silva.
Chapeos para meninas a 6,000.
S na loja do Pavo.
Se vendem os mais bonitos e mais bem enfeita-
dos cbaposiotio de palha da Italia, proprios para
meninas, pelo baratissimo preco de 6*000; na loja
e armazem do Pavo na ra da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
* Attencio.
ULTIMA NOVIDADE
PENTES, ENFEITES, CINTOS.
Gama & Silva, acabam de recener pelo nltimo
'vapor francez, om grande sortimento dos mais ri-
cos enfeites pretos e de cores proprios para cabeca,
-sendo guarnecidos com as mais lindas flores, e com
voltas das mais bonitas perolas; assim como os mais
modernos e eagracados pentes da verdadeira tar-
taruga, marebetados tiendo a ultima novidade
que tem viodo de Pars, e os mais neos cintos com
fitas mathisadas e fivelas largas, conforme ul[im-
nente se usa as primeiras capitaes da Europa, e
vende-se por pFeeo em cania por ter chegade em
direitora para a loja do Pavo, rna da Imperatriz
n-.-OO de Gama A Silva.
As rolandas do pavo a 8 e 4 Q.v.
'Venem-se as mais ricas rotandas de renda pre-
ta, sendo muito grandes, que sao as que mais se
usam, pelo baratissimo preco de 8* e 10* : na
loja e armazem do Pavo, ra da Imqeratriz n. 60,
de Gama & Silva.
Chitas pretas a 160 rs:
Vendem-se chitas pretas ingiezas, sendo fazenda
mnito boa, pelo baratissimo preco de 160 rs. o co-
vado, ou .3*500 a peca coro 38 covados : sd na
loja de Ravo, roa da Imperatriz o. 60, de Gama &
Silva.
ATLANTA
Os chales de guipnre a 12$ e
16^000,
Vendem-se os mais ricos chales de Guipan; e de
renda de llano a teda, pelos baratissimos precos de
~ 12* e 16*; grande peebincha em relacao a boa
qnalidade e tamanho delles : s na loja de Pavle,
rna da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Ldazinhas a 200 rs, s o
Pavo.
. Vendem-se modernas Hazinhas com lindlssinos
rtos, pelo baratissimo preco de 200 rs.; gran-
peehincha : s na loja do Pavo, roa da Impe-
ratriz a. 60, de Gama & Silva.
Sedas Largas
Na loja do Pavao,
Cbegoa para a loja do Pavo nm modernissimo
sortimento das mais lindas sedas para vestidos,
sendo anas de lislrinbas e entras de flornafeai
eom smate lindas corta, e algunas propnas para
as senhoras que esliverem de loto e vendem-M
pelo barato prece de 1*000 o covado, tendo esta
frauda quatro palmos de largara, qne facilita fa-
ser-s na vestido eom pencos covades, isto na
laja e amanen do Pavo na toa da Imperatriz a
60 de Gana & Silva.
Cirane novidade a SOO rs.
Allanta a 200 rs.
Allanta a 200 rs.
Atlante a 200 rs.
Cbegon para a loja do Pavo o mais lindo sor-
timento desta nova fazenda, eom o titnlo d allanta
propria para vestido e roupas para meninos, sen-
do esta modernsima fazenda de la com os mais
lindos gostos de qaadrinbos e listras tendo entre
ellas de cor roa e preta, coro listras e qoadros
brancos proprias para loto, e vendem-se pete ba-
ratissimo preco de 900 rs. o covado onleamswe as
loja do Pavao ra da Imperatriz o. 60 de Gama &
Silva.
As chitas da Pavo a 200 o covado.
Vende-se o mais bonito sortimento de chitas es-
coras e rozas sendo Ingiezas, mas com os pannos
to encorpados como os das francezas qne se ven-
den a 400 ris, e iiontdao-se pelo barato preeo de
200 ris o covado tu a 7*200 a peca, garaoiindo-
se terem 38 covados cada peca e seren decores
fizas isto na loja e armazem do Pavao na rna da
Imperatriz n. 60 de Gama A Silva.
Armazem do Pavo,
Vende-se cera de carnauba da melbor qualidade
empaceos, mais- barato que em outra qoalqner
parte no armazem do Pavo na roa da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
As cabalas do Pavo a 2#000
o covado,
Chegaram para a loja do Pavo as mate lindas
cabalas de seda para vestidos, sendo cora os mats
Hados gostos de flores e listas, tendo entre ellas al-
gumas rozas e pretas para anem estiver de has,
tendo esta nova fazenda 4 palmos de largura que
facilita fazer-se nm vestido com poneos covados, e
vende-se pelo baratissimo preeo de-SV0OO, m>t-
mente na loja e armasen do ravo i roa da Impt-
rairii o. 60, de Goma & Silva. .
Novidade
Chitas a i80 rs., s o Pavo.
Vende-se o mais bonito scriimenlo de chitas in-
giezas, padrees mrainobos, claros e esenros, e ten-
do tambem rozas para luto, aaucando-se serem
cores fizas, e vendem-se pelo baratissimo preco de
nove Jjp'ens o covado, ou a peca cjm 38 covsdos
por 6*800 : isto na loja e armazem do Pavo, na
rna da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Vestidos broncos.
Cbegaram para a teja do PavSo os mais bonitos
cortes de vestidos de cambraia branca com boni-
tas barras todas brancas, assim como com barras
decores, sendo fazenda transparente e muito fina,
tendo cada om corte bastante fazenda e mnita ro-
da, e vendem-se pelo baratissimo preco de 8* e
10$.: na loja do Pavo na rna da Imperatriz 0.
60, de Goma & Silva.
Cortes de tarlalana ea loja do pavao.
Vendem-se os mais modernos cortes de trlatana
com as mais lindas barras de cor, pelo baratissimo
prego de 5* cada um, sendo neste artigo o melhor
que tem vindo ao mercado : isto na loja e arma-
zem do Pavo na roa da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
$*** mmmmmmi
ilGrande armazem-de tin-j*
i tas medicamentos etc. !
Roa do Imperador b. 22.
|!foo Pedro das Mevci (ge-2
f rente) tem a venda o
segnlnte:
Productos chimicos e: pharma- ^g
ceuticos os mais empregados em W
medicina.
Tintas para todo o genero de pin- ?
tara e para tinturara.
Productos industriaes e tintas H
para flores, como botes de flores j
e modelos em gesso para imitar f
fructas e passaros com o compe- at
tente desenlio.
Productos chimicos e industriaes
para pbotograpbia, tiniuraria, pin-
tura, pyrotecnia etc. |f
Montado em grande escala e sup- >M
prido directamente de Paris, Loo- m
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa l
pode offerecer productos de plena |
confianca e satisfazer qualquer en- m
commenda a grosso trato e a reta- $
lho e por prego commodo. |K
Vende-se e faz-e todo negocio com o depo-
sito da rna do Vigario n. 29, muito proprio pera
nm principiante que queira principiar soa vida
com pooco dinbeiro ; ao comprador se dir o mo-
tive da venda.
tiiZ.
ou no
o me-
No armazem da ra do Imperador n. 3
Caes de Pedro II n. i, tem para ,vender-se
bor gaz existente no mercado.
Feijao.
Vendem-se saccas com feijo amarello, branco
rajado e preto, mais barato que em qualquer par-
te : na ra da Madre de Dos n. 5.
Escravos fgidos
Fuglo no da 10 de abril correte, o eca-
vo-Antonio, de naco, cor preta porm um pouca
fulo, estatura om poueo menos que regular, de
rosto miudo, nariz bem afilado, quando anda abre
os ps para os lados, um pou:o cambado ou como
derriado das cadeiras, emende alguma cousa aapateiro por ja'-a mu i lo lempo nao usa do >i-
flcio, mnito regnsta e muito bebad<>. fi acravo
do Sr. Jo? Rodrigues Ferreira a ra do Qoelmade
e por isso bem conhecido pelas diversas (utii;..
que fez em poder daque le seohor, os lugarts por
onde cosluma andar Olinda, Casanga e Varzea :
quemo pegar e levar a ra da Concordia n. 8, re-
finacao, sera' generosamente gratificado. ____
Fugio no dia 24 de fevereiro prximo passa-
do, do engeoho Baticnn, do termo de Barreiros, o
mulato de nome Francisco, idade 34 annos, estatu-
ra alta, seco do corpo cr nm tanto plida, com
pannos pelo rosto, nm pooco beicudo, pouca barba,
alguns denles podres, cabellos caraplnbos, tendo
em nma das pernas nma sicatnz de urna ftida, e
consta ter dito qne ia sentar praca de volunta-
rio. Roga-se por tanto Srs. commaodanles de cor-
pos, as autoridades policiaes, capitaes de campo,
bem como a qnalqoer pessoa, de o pegarem, e de
remette-lo a sen legitimo senhor Francisco Paes
Brrelo, lavrador do referido engeoho, ou a roa do
Imperador n. 42 terceiro andar, que se gratifi-
car.
200$ de gratificado.
Em 31 de outubro do anno paseado, fugio a es-
crava Claudiba, cabra alta e seca do corpo, qne
pertenceu ltimamente aosIllms.Srs. Jos Joaqnim
da Silva, Manoel Mauricio de Sena e D. Mariana
Ignacia de Castro e Silva que a vendeu a Jos Ma-
ibeos Ferreira que pagar 200*000 a quem lho
entregar dita escrava na ra da Cadeia n. 62.
Cooiioa fgido o eseravo pardo Sebastiao
de 18 annos, alio, cabellos carapinbos e ruivos,
olhos castanbos e grandes, sem barba, nariz chato,
com todos os denles, orelbas pequeas, tem a mar-
ca de nm talbo sobre o labio superior, marcas de
bichos nos calcanhares, sabe ler e escrever, traja
caiga de brim e camisa de algodo branco : quem
o pegar leve-o as Cinco Pcntaa n. 152, qne ser
recompensado generosamente.
Fogio hornero 13 de abril o eseravo Joo
cabra de 25 annos de idade, baiio, grosso do cor-
po, com falta be dentes, ps e mos um pouco
grossos, barba pouca, cabellos carapiobos, um
pouco rolvo, levoa calca de brim parda, chapea
de baeta parda e camisa de madapolo, regrista
e ntola-se ser forro.
Este eseravo fol comprado ao Sr. Manoel Ri-
belro de Carvalho com loja na rna do Queimado,
o qnal eseravo fol remetldo de Garnguns pelo 8r.
Antonio Correa da Rocha Monis para ser vendido
no Recife, presume-se qne o dito escaavo tenha
seguido para Garntate, onde tem prenles; pne-
se aos Srs. capitaes de campos e mais autoridades
qne o peguero, e levem a sen Sr. Jos Pereira de
Miranda Cunha na rna da Imperatriz n. 15, ou ao
Sr. Manoel Ribeiro de Carvalho com olja na rna
do Queimado, que serlo generosamente recompen-
sada.
Est ausente da casa de sen senhor desde 31
de margo prximo pastado, o eseravo por nome
Joao, naci Zoeto, de roela idade, (evon calca
branca, camisa de algodo focolcada, chapeo velho
de conro, tem cara grande, ventas regacadas, nariz
chato ; foi eseravo de St. eapito Joaquim Francis-
co Lavra, e tem sido encontrado as ras do Ran-
gel, pateo do Caroso e Campo Grande : roga-se a
oem o pegar lvalo a casa a roa da Imperatriz
tt. 80, que ser recompensado.
-. Ansenton-se da casa de sua senhora, desde a
dia 2 do correle, o escavo Trajano, mohto, de
Manato de idade penco mais en menos, com os
sgnaes segurles : estatura regular, rosto reden*,
son barba, cabellos grandes e bem estirado, le-
von caiga e jqneta de panno asnl fino; tero sido
encontrado as rnas desta cldade : quem o pegar
e leva-te o' easa de soa senhora, a viuva do le-
peBM-corooal Florencio, na roa da Imperalrii s.
63,.seri.rec9o)penudo. .

Para vestidos.
Cbegaram as desejadas cambraias oo tanaiana-
brancas com Ibtrlnhai |seodo traBapareates e ten-
dasn-se peto baratisfiao proco de 6*000 o corta,
Fogio da roa do (aperador n. 23, primsiro ai
dar, um scravo de nadlo por nome Joaqnim com
oo seguintes shrnaes: alto, chelo do corno, cara
larga, bseos graneo, basante ahmbazado ao Ad-
iar denota moila estupidez : quem o agarrar I*-



.



na loja e armazem do Pavo na roa da Imperatriz. ve-o a rna Nova n. 33, loja de ferragens o sera'
B, 0 de Gama & Silva. gratificado com 10*.
arta


larit t x-etmnmbmf Qnarta felra 18 t Abril de 186.
1


VARIEDADES.
A BUSSIA POLTICA.
da saa religio, que entre snccessfvos tropiezos de
variados amante? xomba por escnpto com Voltalre
. Didrot e Dalembert de todo qaanto ba de mais
respeilavel as crengas humauas, e mesmo desse
abysmo de impiedade e devassido conquistar roe-
Se 03 povos eu sua ignorancia, nao coohecem a (ade da poloD|ij a TarUraj a Ljlhaanja| a ^^
RossU, wm a importancia da qnestao polaca, em la)Ddia> 0'cnCasoe a Crimea, dizendo com a flogl
relaoao a todo o universo', qualqaer ht mem de me- da canJura de ama DDoeenle qne (azja aquellas
dioire illustrago sabi- perfei^mente que a ques- conquistas para bem dos povos que subjugava,'por
to russa questo de fuloro par,? a Europa, a que asim |hes darja pa e socego
a- ae a America, para o orbe ioteiro. Se o estroodo de to rpido augmento acorda a
Libertada apenas ha dons seculos do jago dos Jiu.'pa de seu incrivel lelhargo; assim que ella
.'.-- quem era tributaria, ao feudalismo bir- da' signaes que reconhece o perigo daquelle lm
atroz de principes imraersos era continuas menso poder despotisco augmentado pea concen-
guerraaoivis, e em todos os criraes das mais hor- trago absolu.'a, e peia simplicidade das suas molas
rvds arablgoes, substituio a monarchia desptica,, o- Roinanoffs igualmente astutos na paz e na guer-
i .-.-de que os boiardos proclamaran imperador a! ra fiDgem-se logo exclusivamente oceupados com
Migud Romanoff, nem um s dia mais paralysbu
na Russia a actividade do espirito de conquista.
L'ra plano immenso do progresivo engrandec-
melo se patenteou as formas administrativas que
adaptara, todas ellas absolutamente militares, e
n'uoi systema de educado principalmente adopta-
do aos conhecimentos e neeessldades da arte bel-
l.ca.
Claramente se revela esse plano na accao cons-
melb'orarnentos interiores, mas esses melhoramen-
103 reduzem-se a preparativos para novas con-
quistas.
A tendencia, a mareba Invasora constante.
Quando nao combatem, dissolvem pela corrupeo
oa iosinaam a intiroidaco.
Para darem testemunbo vivo da accao incensante
da Russia na paz, como na guerra, ah esto as
bistorias da conquista da Polonia, da Filandia, da
tanie da Russia sobre a poltica das outras nagoes Crimea, da Persia da Moldavia, da Valaebia e da
no espirito dos seus tratados, nos quaes, depois Grecia.
ae urna conquista, introdoz sempre estlpulacoes eu-. Ais{g que a Ra3sja y a Eur(jpa occapada em
a futura interpretago dar' origem a novas con- guerras verdadeiramente fratricidas, laoga-se sea
quistas. i perda de tempo sobre a nago, ou a provincia qne
Tero, por esse modo alarjado as sua? 'nteiras;corr0Iiipea ou intiraldou, afflrmando que as suas
uo norte ao sul, do oriente ao occidente, absorven- yjstas so todas de ordea0) jUSljCa e moderago, e
do successivamenie os estados ou provincias vizi- ^ ^ ^ ^.^ occideulafiS djf ididas, egosticas
auas em toda a sua circumslerencia. L dependentes fingem dar crdito aquelles vaos di-
A polonla, a Suecia, a Turqua e a Persia roram ^^ & ^^ aprovei,aado.se de to nepla ver.
aquistadas ou desmembradas, gonhosa fraqueza oriunda das mais vis paixoes
Em menos de um secuto triplicou a sua popula-, ^^ regularmente om sua obra de engraDde.
cao, que hojede setenta e tantos roilboes, ja su- j c-mm suspensa apnas quando a prudencia as-
perlor as da Franca e Inglaterra reunidas.e que | sim *
Pedro Grande com a perspicacia de um grande
poltico deizou dito no testamento a seus descen-
mui poucas geragoes exceder' a populapo da Eu-
ropa toda.
Emquanto a Inglaterra nao pode mais sustentar
accrescimo algum de populacao, por que do solo se
nao podem tirar alimento que bastera para a que
ja' existe ; emquanto Iguaes condicoes vo ebegan-
do pouco a pouco a' Franga, e a maior parte das
cagues occidenlaes, s a Russia n'um territorio
irinta vezes maior do que a Franga, em trra de
raude uberdade para os cereaes, tem alimento
certo para mais de trerentos milhes de habitantes.
Se com forga multo inferior aquella de que ac-
tualmente pode dispor, e incomparavelmente menor
ao que aquella que em prximo futuro ba de ter,
a Russia ievou as suas fronteiras desde a famose
rauralha da China na Asia at aos limites septen-
irionaee dos Estados-Unidos na America, desde o
mar Caspio e a Armenia na Persia at o polo do
norte e desde o mar pacifico al o Vstula no cen-
tro da Europa, se, como diz Uombold, ja' tem ex-
tenso igual a da parte da la visivel do nosso glo-
bo, que deve esperar o mundo, que nao devem re-
criar os estadistas, se reflectirem que a populago
rosan s por si adquire annualraente o accrescimo
de perto de um milbo de babitames, e que ja', ba
mais de trila anoos, o celebre general Lamarque
admiltia o facto aa existencia de um miltrSo de sol-
dados fanticos naquella nago, e descrevia aterrar
do, como mestre experiente na arte bellica, as mais
provaveis eventualidades militares da Europa 1
Como se nao bastasse tamanha extenso, a essa
forga incomparavel constantemente alimentada pe-
las colonias militares, que Ihe fornecem a cavalla-
r;a mais numerosa e mais brilhante do mundo, da-
se em favor do seu predominio um pbenomeno que
oarece providencial, e como que indicio da monar-
cbia universal na familia dos Romanoffs.
Desde que esta familia fol elevada ao ihrono pe
toa Boiardos, apenas dous'soberanos de mediocre
inielligeucia assujmjram o eiercieio da soberana,
e esses deste ou daquelle modo pouco duraram.
Todos os mais, homens ou mulberes, foram pes-
soas de genio ou de superior talento, e por que do
genio ao delirio mu suave parece a transigi, exls-
n qnasl sempre naquella familia um principe mais
ou menos adoudado.
Presentemente o grao duque Miguel quem tres-
! naquella familia naturalmente privilegiada, mas
UlS ditcs engragados, se bem que um tanto licen-
ciosos, mostra sempre superior intelligencia.
Os physiologistas explicam a transmissao heredi
latia da intelligencia na familia dos RomanofTs pelo
extremo cuidado com que se procede nos casamen-
tos dos principes.
Nao s se prohibe o casamento entre parenles>
mas incumbe-se os mais habis diplomatas de ave-
riguar clandestinamente, porm com toda a exac-
tido, os dotes moraes, physicos e intellectuaes de
urna princeza muito antes de a pedir em casamen-
to para um principe russo.
Reconhecida que seja qualquer falha na intelli-
gencia, na perfeigao moral ou corprea, nao se
realisa o pedido, e busca-se n'outra corte at en-
contrar a possivel perfeigao.
A ser esta a principal cansa da superior intelli-
gencia dos Romanoffs, nao admira que os Bourbons,
a forga de casarem constantemente nns com os ou-
tros, ebegassem a essa especie de idiotismo mani-
fest em Carlos X e ltimamente no re de a-
ples. ..- ..
Como quer qne seja, as propnas mulheres da fa-
milia Romanoff tem maravilhado o mundo com
prodigios de habilidade.
Sopbia, Isabel e Camarina foram czarinas, e
. qnem nem antes, nem depois monareba algum des-
ptico exceden em feitos uteis a seus estados, quer
em reagio as instituigoes scientificas e artsticas,
quer pelo que toca ao engrandecimiento da nagao.
Catharina principalmente, essa Semyramis do
norte, ess fllba corada de Epicuro, que escanda-
iisou a bumanldade com a estupenda enormidade
de seus desregramenlos, essa snmma sacerdotisa
deutes :
i Quem reinar em Constanlinopla e oas Indias
ser o verdadeiro senhor do mondo. >
Em verdade, assim que o monopolio do commer-
cio da India ministrar a Russia recursos peceu-
niarios com que possa satisfazer as despezas dos
innumeraveis exerciios, assim que o colosso que
ja' tem um p em Petersburgo dominando o Blti-
co, liver o outro em Constanlinopla dominando o
Mediterrneo e entre estes dous .formidaveis flan
eos congregar as torgas que dominam na Asia e na
Europa, os povos occidentaes, e n3 com elles in-
felizmente, bao de pagar os erros, os clumes, as
paixoes vis dos seus governos.
isso que anda boje a muitos parece om sonho
de Pedro Grande, calculo certo de profundo po
Utico.
Quem dispuzer dos capitaes, industrias, artes e
povos da Europa, Qcara' Infallivelmeote senbor do
mundo inteiro, e a execugo, a realisago desse
sonho a mira constante dos Romanoffs.
Se nao foram o dinheiro e as entrigas de Ingla-
terra, que impediram Nicolao de completar a con-
quista da Persia, ja* boje as fronteiras da Russia
estariara coniguas as colonias inglezas da India.
Se nao foram as armas da Franga, ja' boje Cons-
tanlinopla seria rssa.
A Russia parou, mas nao ficou paralytica, nem
mudou de iotengSo : espera condigo favoravel
para realisar o testamento de Pedro Grande, feito o
que a instituigo da monarchia universal na casa
de Romanoff mera questo de tempo.
Nicolao suecumbio por que julgou fmpossivel a
ailianca entre a Franga e a Inglaterra, e nao per-
ceben que o astuto Tayllerand formando a quadru-
pla allanga, tinba em vista a futura unio destas
duas n g5es para salvar a,Europa ao menos por
algum lempo.
Organisada despticamente e com snmma habi-
lidade para a conquista, que a condicfo da saa
actividade e o prioeipio da sua existencia, s della
desistir' quando por falta de alimento reagir con-
tra s mesma Isto quando a Europa e a Asia fo-
rem russas de facto.
(Extr.)
Do solo nimiamente fraeo para dar urna novlda-
de qualquer, se poder colher algodo em abun-
dancia.
Um terreno hmido e pantanoso absolutamen-
te contrario ao algodoeiro, ao qual to nociva a
humidade que, anda em trra a mais propria pa-
ra est cultura, um auno excesslvamente ebuvoso
destroe inleiramente a colbeita. -
De todas as enfermidades desta planta, a qne
lbe mais fatal, particularmente aproximndole
o tempo da colbeita, procede da bumidade qne ata-
ca as raizas, deiinba a flor ou faz cabir as cabaci-
nhas.
E' as bordas do mar al urna certa distancia
do interior que a cultura do algodo verdadeira-
mente productiva. J no XII secuto oscrevia o
autor rabe Alu Zacaria, que o lidoral da Hespa-
nha tem o terreno de predilecgao para a cultura
do algodoeiro.
M. U. Bol'rogbroke diz (V. a sua viagem a De-
morar?) que as bordas do mar comegaram os
plantadores iuglezes a introduzir a euliura do al-
godoeiro, e que tinlia j podido eonvencer-se que
esta situacao lbe coavinba incomparavelmente ae-
ibor que os terrenos Ao interior sitiados as mar-
geos dos ros.
A principal rasio allegada pelo dito viajante pa-
ra explicar este facto, que, contrariamente ao
que exige o cafe, e a canoa de assnear, o algo
doeiro precisa, para fructificar bem, um solo im
pregnado de exhalages salinas.
No terceiro relatorio do directores da- institui-
go americana, assevera-se igualmente que o ar
das praias do mar, funesto ao cafeseiro, verda
deiro elemento do algodoeiro.
Estes mesmos (actos so igualmente bem- conde-
cidos dos cultores do algodo 4a India, na China,
om Demerary e em toda a costa da frica occi-
dental.
Fica portanto snperabuodantemente provado qne
a proxlmldade do mar iodispeosavel prosperi-
dad de urna plantaeo de algodo.
Bem o sabem os cultivadores da Carolina meri-
dional e da Georgia, que possuem a mais bella
qualidade de algodo, o chamado das iltias do mar
(a island cotton), que se colbe as praias silencio-
sas e no littoral das trras baixas das numerosas
Uetas disseminadas por toda esta porgo da costa
dos Estados-Unidos.
Esta preciosa qualidade de algodo degenera,
se cultivada no interior longe do mar; a fibra
perde era longura e em elasticidad
M. Whitemarrh. B. Sea Crook, secretarlo da
sociedade de agricultura de Saint-Iobs Calletoo
(Carolina meridional) exprimia-se nos seguintes
termos em um seu relatorio publicado ba anuos.
As plantag5es dos Iavradores cujas cartas e tes-
temunbo produslmos, estao todos situados da mes-
ma maneira. Quatro destas plantagSes so corta-
das por colhelas, e corren-lhe ao longa nos consi-
deraveis; todas gozam de urna exposigo perma-
nente aos effluvios do ocano.
A medida que as plantagSes se afastam desta
condigo eminentemente favoravel, e perdem no
interior das trras o beneficio da livre viragao do
mar, e das brizas que sopram do sol, a escala
graduada do comprimento, da elasticidade, e do
macio do algodo percorrida em sentido inverso
destas qualidades. Chega-se finalmente em nma
situago na qual a cultura do algodoeiro de fio
longo cessa de offerecer a menor vantagem.
Parece pois constante que as bellas qualidades
desta sorte de algodo devem ser attnbuidas be-
nfica influencia dos effluvios salinos.
Partindo destes dadas, tentou-se, e com pleno
suceesso, empregar o lodo salgado das bordas do
mar como estrume as plantagSes de algodo, a
efflcacia deste metbado hoje reconhecida nos Es-
tados-Unidos.
Os algodes obtidos por certos lavraderes dos
Estados-Unidos devem toda celebridade de que
justamente goso, pela conbinagao das qualidades
de finura, rijeza, igualdade de fibra, presenga
deste sal.
Aquelles Iavradores empregavam nao s grande
quantidade do lodo salgado, mas faziam delles uso
exclusivo para estrumar os campos de algodo.
(Conttnuar-se-ha).
E' sempre conveniente escolher samantes de
tractos da prlmeira colbeita, olhidos do plantas
sas e vigorosas, em ama plantago favorecida pe-
las .circunstancias as mais propicias. Ser pruden-
te, antes de plantar, verificar o peso das sementes
lancando-as em um vaso com agua, enjeitando Io-
tas as que nao cahirem logo no (ando.
O celebre-algodosea island entre todas as
variedades conbecldas, aquello cujas fibras so mais
loogas e rijas; liso, macio e lstrese como seda,
e um penco amarellado; a sement e preta.
Nos Estados-Unidos onde so de ordinario os in-
vernos muito rigorosos, este algodoeiro berbaceu
ou annnal.
Esta preciosa planta foi trazida, no vero de 1786
das ilbas Bakama, onde tinba sido propagadas de
gementes viudas da ilba de Anguilla as Anil-
inas.
Foram os iearittas americanos, que de volta a
sua patria, depois de urna emigrago em Bham,
a dotaram desta preciosa planta.
O solo e a situago das ilbas arenosas e baixas
que orlara a costa desde Cbarleston al Savannab
tem provado o mais propri terreno para esta cui-
tara, e daqu vem a deaominagao deseu stand
(ilha do mar) dada esta sorte de algodo, que
tambem no commercio se- distingue por algodo de
fibra longa.
Outra sorte de algodo, te fibra carta e de qua-
lidade e valor mu somenos,. era j objecto de-con-
sideravel commercio nos Estados-Unidos aules da
guerra da independencia.
Foi principalmente na Georgia e na Carolina me-
ridional que comeeou esta cultura propagando-se
depois no Alabama, em Mobile, no val do Missiesi-
pi, etc.
A colheiu do algodo requer- certas altengoes
enjo descuido nocivo qualidade-
Ella pode ser feita-por mulberes e criangas mes-
mo, porm, que entrera nos algodoaes varias vetes
uo da para colher o algodo antes- delle se separar
das capsulas, probiblndo-de que caiam no chao on-
de se soja, a o qne: peior, onde se combina
comsobs-tancias que o (azem fermentar e ap-
drecer-
Seado-possivel deve- fazer-se a eolbeita em tem-
po secca, expendo o producto ao sol e ao ar sobra
grandes esleirs ou pannos grosaeiros,. antes de o
recolber no armazem, porque a natureza oleosa da
sement e dispoa a aquecer, se ella se conservar
bcmida.
Tambera se deve evitar a visinhanga de ratos e
ontros animaes.
As sementes que vo as saccas deteriorara no-
tavelmente a qualidade do algodo de tal ponto
que os fabricantes inglezes de fiaco, j chegaram
a offerecar quarenta |>or cento de premio ad valo-
ren), por algodo limpo a mao i mas o tempo ne-
cessario a esta operarlo e o alto prego da mao
d'obra, nao permiti empregar semelbante rae-
tbodo.
Da sement do algodo extrabe-se urna boa qua-
lidade de azeite, este azeite suave e lino ioteira-
mente semelbante ao oleo de amendoas doces sen-
do combinado com a soda d um sabo alvssimo e
mui macio.
O bagago excellente sustento para o gado.
Quio fcil ser a cultura do algodo de fibra
longasea islandem toda costa do Brasjl ? bas-
tarla o produelo do azeite para pagar parte dos
gastos.
No nosso paiz s o algodo de Pernamboco con-
serva saa qualidade, porm, nota-se ser mal ensac-
cado, nm pouco snjo, tudo a falta de cuidados e
conhecimentos pralicos.
Tratera, pois, os Albos do nosso paiz de cultivar
com methodo e cuidado o algodo as extensas
costas do nosso vasto continente, que muito isto
concorrer para (azermos om commercio activa
nao passivo e Deas nos proteger.
(Do Liral Progressista, da Babia.)
De om ciar, qut com tropa,
No selo da mesma Europa
Suffocou db om povo a tina t. ..
Tirou-lne a lingua e tentoa
A propria crenga apagar
E julga boje bastar
Para acabar os Polacos
Mais um milho de Kossakoe
Infames, venaes sem (,
Que vem com Murlaf
Concluir um desatino,
Diante o qual Constantino ,
Corou de pejo e voltou.
Commnnga das nossas creugas
Esse povo perseguido
Valente, nobra, aguerrido,
Como esta provando s-lo.
Que nos falta ? Receb-lo
Como amigo e temo irmao,
Dar-lhe do nosso torro
Urna parte, onde repouse,
Onde o carrasco nao onse
Levantar-lbe um cadafalso...
Brasileiros, que opulentos
Tantas sobras consumi,
Dedicai alguns seitis
Ao pebre povo sem lar.
E vos qne nao podis dar,
Que sois pobre, ao menos dai
Ao povo orpbo de pai
Um corago dedicado
Algum suspiro roagoado
Que v dizer-lhe alm-mares
Que tambem tem seas pesares
Quera ae comida por ei t

tof Mximo de Aieglio, de cujo fallecimeoto demos
noticia ha pouco tenxpo.
O presidente dn conseibo de Mplfos depoz as
insigafas sobre o tmulo do segundo Cavopr.
A ceremonia'yerificqu-se no'miio do nuis pro-
fanflojilMito^iBOtsapli^e -po as|etO-de todo
,os assistentes a -jeperae^o e syftpatbia qne Ibes
'merecerlo illstre^ad*,'.] a ^rn c tt>J,^
-/
Cato Polaco, prosegue
jansieskl admiravel
Continaanda incasavel,
Qual tens sido al aqui;
Ters sempre um Dens por (i
Inda quando estorvos mil...
Mas que diga f I No Brasil
Emquanto houver corago
A'cima da corrnpgao
Ha de a Polonia encontrar
Tudo o que pede esparar
Gente amiga e povo irmao I
Pouco importa que essa Europa,
Que alardea tamas obras,
Vendo to torpes manobras,
Perfnanega indifferente
O novo mundo tem gente,
Tem hroes jorrando aos mil,
Tero o torro do Brasil,
Tem nm solo ingente e novo
Para'acolher esse povo
Qae nao cabe em sea paiz I..
Sowxa Mabtws.


Gl POEGQ DE IL'DO.

navio- belga
Acaba de se incendian no- mar o
Ama. L'tiscaui da os seguiote promenoren a*er-
ca d'esse sinistro : jm *
m italiano, chamado Piogini tinba casado, ba
uns #oW arihOs, cb% tfma rapariga dos arredores
de aples, dronde elle era natural.
Ella levara do dote uns dez mil francos, e Pio-
gini tinba quasi igual quantia.
Os dous esposos foram'para Paris cora esse di-
nheir, e abrirara nm armazem de viphos.
Piogini gostava da pinga e era mandriao; o sea
mo com parlamento fez-lbe pender os freguezes
que a mqlber alsaogara com a sua afiabilidade.
Ha tres mezes oi-lhes forgado declarar-se em es"
tado'deqebra, e apenas salvaram um bilbete de
mil francos.
Piogini chegou a subirabir aos credores dous
barns de-jmho.
Foram para a roa dos Blancs-Manteaux.
Mas Piogini nao se nha emendado : beba sm.
pre. As observagoes de sua mulber incommoda-
vam no, e resolven liTrar-se d'ella.
Ha das disse-lhe qae flzesse macarrdes e qae po-
zesse muito vinho na mesa.
As seis horas eslava o jamar Ba mesa com qua"
tro garrafas.
Piogini acbou que era pouco, e mandn bascar
mais duas. Em quanto sua mnlber foi adega,
elle servio os macarres e deltou ludano no prato'
d'ella.
Depois qae ella voltou, Piogini, cedendo ao re-
raorso oa ao medo, nao se atreven a estar presen-
te, e sabio como quem ia bascar algama coasa.
Quando tornou a entrar, acbou j saa mulher a
acabar um prato de macarrdes. Po* a comer e
a observar a sua victima pelo cante do olbo.
De repente o desgracado descoron e gritn :
Ka morro 1 estou envenenado f
Com effefW, apezar dos esforgos de sua mnlher
Piogini morrea pqueo depois com atrozes dores d
entranbas. <>
Que tinba saccedido ?
Urna coasa bem simples.
I A mulber de Piogini achara an cabello no seu
prato jtiroa-o, mas repugnando-lhe ao estomago os
ftaoarrdes, trocon O prato qae contaba o veBeno
pele que tea marido reservara para si.
_____________________._____

i i
;!

DO ALGODO E SUA CULTURA.
O algodoeiro originario da frica e da Asia, e
parece ter sido ntroduzldo na America.
A principal condigo para'que a planta medre e
prodaza boa e hndante quantidade de algodo a
proximlflade do mar cujos effluvios salinos so le-
vados pelos ventos a 5, 6 e at 10 leguas distanies
da costa.
Se o algodoeiro nao gosa desta asperso imper-
ceptivel e salutfera, nao produz se nao tractos cho-
chos, que cahem antes qae as cabacnbas estejam
snfflcientemente tmidas, para-qae o algodo se
possa com tacilidade della destacar.
N3o so os terenos os mais feriis que convm
planta, a qual prospera melhor nos terrenos ri-
dos, e at entre rochedos, dando algodo mais bel-
lo, limpo e em todo o sentido de melhor qualidade.
M. Pelouze da' a preferencia ao algodoeiro de
Surinam, variedade caracterisada pela grandeza do
fructo, densidade do algodo, larguras das suas fi-
bras e mu poaca quantidade de sementes que se-
param-se com tacilidade, vingando quasi todas.
Por isso este algodo mu limpo, porquanto so
as sementes abortadas que snjaro o algodo e ex-
citam mesmo umitas vezes a fermeotaco e a po-
dridao as saccas de algodo.
M. Pelouze cita de um autor ioglez considerado,
o que vamos transcrever aqui:
O algodoeiro e todas as variedades desta plan-
ta requer e medra em trras seccas e arenosa?,
como todos os viajantes e naturalistas o atteslam,
O algodoeiro prospera nos montes pedregosos do
Indosto e da frica, e as encostas das Antilbas
LTITERATURA.
Este extrume d vigor planta, faz amadurecer
os tractos e d ao fio maior bagara junta com
maior tenacidade, e o lustroso da seda. M. Sea-
brook snior, por urna pratica constante deste me-
ibodo, converteu lateralmente nma charneca est-
ril em terreno o mais pingue.
Benj. Bayley provoa clarameute por experiencias
leitas, que a mistura de 1 alqueire de sal para 60
alqueires de outras materias vegetaes, produz van-
tagens inacreditaveisno producto das piantages de
algodo.
Em todos os terrenos em qae predomina a silicia
afnanga elle, que se orter dobrada colbeita de al-
godo de qualidade mui melhorada, fazendo uso do
estrume salgado.
O effelto deste estrume nao de augmentar mui-
to a forga vegetativa; tem antes o effeito contrario;
mas possae iocoatestavelmente a propriedade de
endurecer a planta, de consolidar e segurar o (roc-
lo, to disposto a cabir quando est prximo a ama-
durecer, de o fazer tomar todo o seo desenvolv-
ment, e de dilatar a cabaeinha ou capsula.
Este estrame empregado com especialidade nos
aooos chuvosos e fros.
Para obler o mais bello algodo, reqaer-se, alm
do aso do estrame salino, tomar algamas precau-
goes, anda sendo o terreno o mais conveniente, e
a posigo vlsinba da costa do mar.
Em primeiro lugar precioso, grandp cuidado
na escolha da sement, qne dever ser sa, pesada,
bem cheia, e livre de todo o bolor oa avaha.
A POLOXIA.
(Poesia dedicada ao lllm. e Exra. 8r. conde
Jansiest).
Quando nma patria infeliz
Tem um here, como tu.
Quando os ossos de Kossuth
Parecem quebrar a lousa,
O vil tyranno, qne ousa,
Desrespeitaudo esses ossos,
Quebrar a orga dos vossos,
Comprimir os corages
De to Ilustres varees,
Deve tremer por um triz 1
7
A patria de Wladislo
A maltadada Polonia
Reduizda boje colonia
Da velba Russia brutal,
Quanto mais cresce o seu mal,
Tanto mais tem calofros
Dos idos gigantes bros,
Que par de.um Sobieseki
Ha de por seu Jansieski
Rebento de BolisloI
Pouco importa qa'essa Europa,
Que alardea tantas obras,
Vendo to torpes manobras,
Permanga indifferente...!
O novo mondo tem gente,
-Tem hroes jorrando aos rail,
Tem o torro do Brasil,
Tem um solo ingente e novo
Para abrigar esse povo
Que nao cabe em seu paiz I
Que faz a Franga aguerrida,
Ou Albion piedosa,
Que anda a pouco raiyosa
Cruzava os mares albeios ?
Acaso serio mais feios
Os ferros da escravido
Do que i negra usurpago

A galeota Atma tinba partid de Amsterdam ha
seis semanas, dirigindo-se- a Nantes, cora orna tri-
palago hotlaodeza. Ventos contrarios tinbara obri-
gado o capito, depois- de-15- das de viagem, a ar-
ribar No-va Diepe.
Passados oito diasy a Amo tornou-se a fazer ao
mar com um vento favoravel, quando na terca-el-
ra 6 de marco, s & horas da tarde, na altura de
Egraont, se manifestou fogo na cmara da trlpula-
ga, u'ura sitio en que os marioheiros nao queriam
dormir por ser muito hmido.
Ao. primeiro signal da perigo, a tripalagao, cra-
nosla do Diloto, de dous marinheiros a- do cosinhai-
ro> foi receber as orden do -eapito, e procedaa
inmediatamente aos t-abalhos de salvago.
Depois de enrgicos esforgos, reconheceu-se que
n (ogo ganhava terreno e que se devia renunsiar a
continuar u'uma luta sem resultado.
O capllo reuni a sua gente, a ordenoa que (os-
se posto a nado o bote de salvago.
Apenas tinba dado esta ordero, as cbamtnas que
j UraMaia e oxareias ormaram-sa em linha
coniiua, cingindo a ellipso do navio. No mesmo
instante, os mastros devorados, na extremidade in-
ferior pelo brazeiro, cabirara com grande (ragor na
coberta, nao bavando lampo se nao para saltar no ]
bote. Os marinheiros precpitaram-se n'elle, com
os vestidos em parte qaeimados.
Um minuto depoi:, urna (ormidavel lingua de
(ogo subia ao longo dos mastros derrubados, do cor-
dame e dos beliobes e pulverisava ao seu cytacto,
tudo qne encontrava na sua passgem.
A tripolago foi testemunha d'este espeolaeulo
desolador e nao deixuu o lugar do sioistro se nao
quando a goleta, queimada at linha de flutuacao,
se abvsmou as aguas.
A um aceno do eapito, os marinheiros fizeram
navegar o bote, e tiveram a fellcidade de encontrar
a chalupa de pesca hollandeza Vestiefde Hoop, que
Ibes offreceu expontaneamenle e nma hospilallda-
de generosa. Louvores aos pescadores q ue duran-
te dous das trataram os nufragos com urna dedi-
cago a toda a prova, e chegaram a privar-se de
alimento para o dar aos hospedes.
Ao terceiro da descobrio-se a chalupa de pesca
belga ilathilde, que se encarregou de receber os
nufragos, e os desembarcou saos e salvos no nosso
porto hontem a tarde.
Os marinheiros da goleta Ama tem a vida salva;
muilo sem davlda, mas esto reduzldos a mise,
ra. Tres d'eutre elles so casados e pais de fa-
milia. .
Na primeira semana d'este mez chegaram a Fio-
renga os diplomas da condecorado da Guadalupe
com que o Imperador dd*Hexico agraciava muitos
italianos de distnego, taes como Verdi, Cesar Can-
to, o senador Sismouda, Vela e Moltani.
A destrlbuigo d'estes diplomas foi assignalada
por nm incidente ao mesmo tempo patbetico e do-
loroso.
O imperador Maximiliano tinba nomeado grara-
cruz da ordem o grande estadista e distincto escrip-
S. M. a rain ha de Hespanha conferio a ordem do
toeo d'Ouro ao filtao do re dos Belgas, S. A. R. o
duque de Brabante, conde de Haioaut.
o marques de Albama, enviado extraordinario a
ministro plenipotenciario de S. L d junto do rei
dos Belgas, foi o enearregado do entrega* as in-
signias de to nobilisslma ordem ao joven prin-
cipe.
Eis como o Monitor belga desereve esta cere-
monia, bem como da investidura :
.No dia 8 de margo, ao meto dia, o general Bar-
mann, ajadaote d campo de S. M. el-rei Leopoldo
11, dirigio-se ao palacio da legago nespanhola e
conduzio depois ao- pago, era carrnagens da corte,
& Exc. D. ThoOMZ do Liguas o Bardaji, marquez
de Albama, enviado extraordinario o ministro ple-
nipotenciario de S. M. C, rei do armas da ordem
do Toso de Ourov aconapanbado do secretario da
legago, do Sr. Estefani, designado para exetcer
as funegoes de ihesoureiro da ordem, e do majos
Paz, gentii-homem da cmara de S. M. C.
A primeira carroagem era lirada por sis caval-
los levados a mo por palefraneiros; dois criados,
da corte iam s portinhoias.
Um batalho do regiment de granadeiros. fazi
a guarda de bonra no paco.
A' sua chegada, o Sr. marquez d'Albama e a
seu squito foram recebidos ao p da escadara
principal pelos offlciaes s ordens de S. M. Foram
depois iniroduzdos no primeiro salo pelos aja-
dantes de campo do rei, pelo mordooo da rainba
a pelo mordomo-mr da corte.
FOLHETIM
A SEPULTURA DE FERRO
POR
Ileuriqac Cooscience
(Continnago.)
XXIX
Depois de rpido correr, posto qae terrivelraen-
te vagaroso para a mlnha febril impaciencia, ciie-
gaei de tardo a Antuerpia. Atiroi-me fra do
carro antes qae elle hoavesse parado de todo e cor-
r de um folego at casa do Sr. Pavelyn, mas l
soube por um criado que bavia uns dez das que
toda a familia partir para o castello de Bodegbem
esperando qae o ar do campo fortalecesse om pen-
co a doente.
Sem perder um istante, corri a casa de om ala-
gad sr de carros e mandei por dous bons ca valles a
um carrinho ligeiro; proraetti-lbe alugoar dobra-
do e om qaarto de hora depois faiscavam as po-
dras da estrada de Bodegbem, em qae corra o
carro com a rapidez do vento.
Mandei parar o carro defronte da porta de ferro
do castello, atirei ama pega de onro ao coche i ro e
saitei ao jardim. A' porta do castello ata criado
saudon-me com nm grito de alegra ; eoadozio-DM
ao vestbulo a toda a pressa, e, sem dlzer nmii pa-
lavra, abri a porta de nma sala e gritn :
Aqui est o Sr. Leo I
Tres on quatro vozes responderam a este an-
nunclo com nm brado de alegra Vi Rosa levan-
tar-se sobresaltada da sua cadeira de bracos em
qae eslava asseutada entre airo: fadas; vi mfnba
mi qae liaba entre as suas urna das maos da po-
bre doente ; vi o Sr. Pavelyn e sua esposa a quero
a mlnha apparigao illamlnon de jubilo o gesto-
Mas Rosa I ai, como a doenga a tinba transforma-
do 1 Aquellas faces cavadas, aquelles olbos vi-
drados, aquelles labios roxos I Era, pois. verdade
que a morte linha marcado a saa victima; eu fra
s para a ver morrer I'
A este horrivel pensamento lavron em mim urna
desesperado immensa ; sent qae as pernas se
dobravam debalxo de mira ; tratei de fallar, mas
foi como se a nudez aotiga me tolhesse a lingua.
Debalde mova os labios ; nenhum som sabia da
miaba bocea. Urna torrente de lagrimas se me
desprenden dos olbos e cahi sobre nma cadeira,
desfallecido de todo, com a cabega oceulta entre as
mos encostadas beira de nata masa.
Ouvia a meiga e enfraquecida voz de Rosa qoe
me diza palavras do consolago; senta os bracos
de mlnha mal que forcejavam por erguer-me a ca-
bega para nm beijo. O Sr. Pavelyn apertava-me as
mos e es(orgav-se por tirar-me da dr em qne
eu eslava submerso pelos testemannos da mais vi-
va aflelgo, mas permanec insensivel a lado e s
respond com solapos, al ao momento em qae
Rosa mermaron aos meas ouvidos no tom da mata
fervorosa tnppUea:
Leo, agradeco essas lagrimas, mas tenba
ao menos compaixo da minba pobre mai. Olhe
passear.Bftjardfm foraalgo e com a minba boa
que lbe esta a rasgar cruelmente o corago I Pe- *l\; (aliaremos da nc*sa inhnca ; eocaemos as
go-lhe qne se mostr animoso e confiado na miaha
sorte.
Estas palavras Qierara-me cahr era mim; Qi
nm esforgo para ser superior minba dr e levan-
te! a cabega. Em quanto silenciosas lagrimas me Je. Sim, Leao, tenho a certeza d'isso. Deas, qae
corriam ainda dos olbos, tratei de explicar a mi- o todo bondade, destinon-o para dar-me dnas veies
nba viva commogo pelo sentimento de ineffavel
ventura eom que tinba abalada a minba alma a
vista dos meas bemfeileres e de minba mi. Mas
Rosa atalhon esta embaragada explicago e disse-
me, Inclinando-a e nma cadeira ao seu lado
Venha c, Leo, assente-se aqui ao p de
mim. Nao posso conversar comsigo de to longe,
porque me cansa.
Depois qae Ihe obedec, olboa para mim com ra-
dioso sorriso e cravou em meas olhos am olbar de
singular protundidade. O amor o o jubilo davam
lbe luz ao rosto paludo, mas essa qnietago, essa
alegra, sobre as snas felpos definhadas, saltea
ram-me de nova angustia e deixel descahir a cabe-
ga sobre o pello.
uusta-lbe muito ver-me doente I disse-me
ella em voz serena e alegre. Ab,' se nao livesse
vmdo, tal vez en nio tivesse forga nem animo para
esperar ama vida mais loaga, raars acara, qne o
tenbo presente, sinto-me ia mnilo malhor. O m
corago bate mais livremerate; na nao sel o
nm sentimento secreto do mcabHeeiaenio
minhas forgas, que me d a certeza.i qne esca-
pare! consumpgo. Vera. J aottrhSa quero
nonas mais delicioene^roge/dagoes ;#i^fcm do
be lempo e admlrateJKs a belleza da benfica
natnrea. Assim, esqaecerel a miha molestia
recobrarei forgas e a saude voltar insensivelmen-
S. M. el-rei e o principe real espervam no se-
gundo salo. S. M. a raiQha eslava ao lado direito
do rei; junto delle o principe de L.igne cavalleiro
Toso de Oaro.
A esqaerda do re e do principe real, conserva-
vam-se o Sr. ministro dos negocios estrangeiros, o
sea secretario geral e os empregados das casas ci-
vi) e militar do rei.
O Sr. marquez d'Albama e o sea squito foram
introdazidos neste salo pelo mordomo-mr.
Depois S. Exc. dirigindo-se a S. M. expoz o ob-
jecto da saa misso, e perguntou se S. A. R. mon-
senhor duque de Brabante, eslava disposto a rece-
ber a investidura de cavalleiro da ordem.
Tendo respondido S. M. que eu augusto Ulbo
eslava disposlo a recebe-la, enloo marquez leu a
caria pela qual S. M. C. o encarregou de fazer es-
ta investidura ; e anda esta le tora, proclamoo, em
nome da rainha de Hespanha, ebefe e grao-mestre
da insigne ordem do Toso de Oaro, o principe
real cavalleiro-confrade da mesma ordem.
Depois perguntou a S. M. se S. A. R. prestava o
juramento exigido pelos estatutos da ordem.
Tendo o rei respondido afllrmativamente, rece-
ben as insignias das mos do marqnez d'Alhama q
investio n'ellas o principe real.
Enlo S. A. R. receben a prancbada de S. M. a
do principe de Ligue e tomou lugar ao lado d'este
Terminada a investidura, o ministro de Hespal
nba foi recondazido ao palacio da legago com o
mesmo ceremonial cora qae tinba vindo.
vida. Basta a sua vista para ;corar-mt, Por
tanto, ojo desanimen) todos os que Une querem
om tamo extremo)jprfQi lozio para mira a laz
d livramento. *
Eslas paIavral,Was dn tom do irme convic-
go, fizeram alta impresso em mim e nos pais de
Rosa. Comecji a vacillar na minba terrivel cren-
ga ; o alegre sorriso qoe me clareou o rosto reve-
lon a doce esperanga que descera mea corago.
Roa fallou por algum tempo com a mesma con-
Oanga exaltada at que nao vio mais lagrimas nos
olbos de saa mai e julgou ter. desvanecido a im-
presso da minba desesperapo. Enlo poz-se a
fazer-me perguntas_sobre a minba jornada, e qoiz
saber muito por miudo como en tinba vivido do-
rante a raiffha longa ausencia e o qae me taha
acontecido.
i*- Para mover-me a centar-lbe
tudo circumstan-
melhor meio de
esqnecer asna
tnterrompeu-me
es e ditos ago-
e eu acabei por
assusiado e qae nao
bavia nenhum motivo [para dejlfesperar da proapta
enr. ^_ .
Os meus proetetores TtontavMa com os olbos
nadando em sattafago ntima, e era visivel qae se
entregavam anda mais do que eu a essa doee es-
peranga.
O Sr. Pavelyn tomou parte na eonversago ; foi
em extremo affecluoso e mostifo-rae por difieren-
tes vezes qae, apesar da saa magos, nao taha del-
xado de ser meu amigo. -
Gomo eu tinba chegado muito tarda a Bodegbem
o crepsculo comecava ja a escarecer o dia, em
qnanto esqueolamos as nossas amarguras e inqaie-
lages nm ama eonversago cheia de encantos e
de consolago. Rosa e>paniava-nos pala saa viva-
cldade, animo e cootentamento. Os seus labios
tinham cobrado as seas frescas cores pela circo-
lago de nm sangue mais queate; os sens olhos
Urilhavam de alegra ; havia as suas palavras e
nos seus gestos tanta liberdade de espirito e tanta
forga, que o nico symptoma que apreseotava de
doenga era a magreza extrema das suas faces e dos
saos membros.
Chegou entao o faculutlvo que ia fazer a saa
ylaita habitual. Tambem elle appa'recea pasmado
da favoravel mudanpa que notou na physionomia
de Rosa, e meoeou a cabega, sorriodo
Depois de rae ter cordialmente felicitado pelo
mea regresso, como a conheciraento antigo, acer-
con-se da doente e tomoa-lhe o pqlso por algnns
minutos.
Depois disse cora urna voz qae aecusava certa
inquietapo :
Que agitapo no sangue I k' espantosa esta
forga nova. Esperemos. Vai taivez declarar-so
ama reaego favoravel, mas se nao pozermos ter-
mo, em quanto tempo, a esta commogo muito
viva pode vir a ser funesta. A menina est mui-
to cansada, apesar de o nao parecer. E' preciso
qne repouse. Portanto, Srs Leo, o senbor, que
tem mais forga sobre si, deixe-a agora. E a me-
nina deixe para amanha (o prazer de conversar
com elle. Ento provavel qae tenba bastante
forga para continuar, sem excessiva fadiga, a eon-
versago a que eu devo por agora por tira
Todos eslavamos convencidos de que o deulornos
dava am acertadsimo oonselbo, porque logo qne
ello des per tou a nossa alten gao nao podemos dei-
xar de conbecer qae Rosa estava era ara estado da
exlrema agitapo._____________
Miaba mi tomn para pretexto que mea pai,
qoe fra a nma aldela visinha comprar lenha, ja
teria provatelmenie vallado a casa e que eu nao
poda por mais tempo demorar-me sem o Ir ver.
Rosa pedio-e com as naos erguidas qae a
fosse ver no da segninte muito cedo. O* seas
olhos azaee fatlam irradiar sobre mira nm sorriso
de celests~uelicias. O Sr. Pavelyn anda me
aperlou a mi outra vez, e ea sah consolado o
quasi feliz, na compaobla de minba mi.
(CpVtiwiar-M-*o.)~
PBRNAkbCO.-TYP. DE M- F-PB F, 4 FMQ

>


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESB1TPGKC_OCPVBU INGEST_TIME 2013-09-05T03:58:33Z PACKAGE AA00011611_10945
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES