Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10942


This item is only available as the following downloads:


Full Text
BUL-

sim.
Li

AMO XUI. HOMERO 86
Por qiartel paga dentro dos 10 das do 1.* Hez ....
dem depos dos l.05 le dias do caneco e detiro da qaartel
Porte ao correio par tres nezes.........
t iK


SABBADO 14 DE ABBIL DE 186$
Por aneo paga eitra de la dias do l.mez........
Porte aa correia par un aoao r ,. 4......
W
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alex?odrino de Lima,
natal, o Sr. Antonio Marqaes da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Gear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maraohio, o Sr. Joaqoim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGAD08 DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claadino Falco ias; Babia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estafes da va frrea at
Agoa Preta, todos es dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas reirs.
Santo Antao, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanbuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Agnas Bellas e Tacarat, as tergas
feiras.
Pao d'Alho, Nazaretb, Liraoeiro, Brejo, Pesqaelra
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salguen o e Ex, as qnartas
feiras.
Serihem, Rio Formoso,Tamandar, Una," Bar-
reiros, Agua Preta Plmenteiras.nasquintas
feiras. (*
AUDIENCIAS DOS TRIBITNAES DA CAPITAL.
Tribunaldo.commercio: segundas e quintas.
Relaco: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Jnlzo do commercio: segundas as H horas.
Dito de orphos: tercas e sel tas s 10 horas.
Primeira Jara do civel: tercas sextas ao mel
di*. ,
Segundeara do civel: qnartas e sabbades s
hora d tarde.
EPEMER1DES DO MEZ DE ABRIL.
8 Qaarto ming. as 6 h., 22m. e 88 s. da m.
15 Loa nova as 4 b., 44 m. e 10 s. da m.
21 Qoarto cresc. as 8 h., 12 m. e 4 s. da t.
29 Loa eheia as 7 h., 4 m. e 14 s. da t.
~
DIAS DA SEMANA.
9; Segunda. S. Demetrio m.; S. Hugo b.
10: Terca. S. Ezequlel prof.; S. Terencio m.
i i-. Qoarta. S. Lean Magno p. dout. da egr.
12. Quinta. Ss. Vctor e Vessia jnm.
13. Sexta. S. Hermenegildo principe m.
14. Sabbado. S. Domnlna v.; S. Tibnrcio m.
1& Domingo. S. Pancraclo; S. Eottiiquio mm..
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 3 horas e 42 m. da tarde.
Segunda as 4 horas e 6 minutos'da manba.
PARTIDA DOS VAPORES GOSTBHOS.
Para o sol at Alaroa#* 14 e 30;.para o non*
at a Granja a 7 e 22 de cada me.'.;.para Parola-
do nos dias 14 ios mezes de Janeiro, marco, nun
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praca da Independencia
ns. 8, dos propietarios Manoel Figueiroa de Paria
& Filbo.
PARTE OFFICIAL
MINISTERIO BA FAZI.M V
Decreto n. 3631 de 27 de marco de 1866.
Permute as embarcarles estraogeiras fazer o ser-
vico de cabotagem at o ultimo de dezembro de
1867.
Usando da autorisaglo concedida no 4* do art.
23 da le n. 1177 de 9 de setembro de 1862, bei
por beta decretar o seguinte :
Art. 1. E' permittido at o ultimo de dezembro
de 1867 as embarcares estrangeiras fazer o ser-
vico de transporte costelro entre os portos do impe-
rio em que houve alfandegas, coaduziodo gneros
e mercadonas de qaalqaer origem; (cando sus-
pensa, durante o mencionado lempo, a disposigo
do art. 686 do regulamento das alfandegas que
acompanboa o decreto n 2017 de 19 de setembro
de 1860.
Art. 2. Ficam revogadas as disposicoes em con-
trario.
Joo da Silva Carrio, do men conseibo, minis-
tro e secretarlo de estado dos negocios da fazenda
e presidente do tribunal do tbesouro nacional, as-
sim o tenba entendido e faca executar.
Palacio do Rio de Janeiro, em 27 de marco de
J866, 45 da independencia e do imperio. Com
a rubrica da S. M. o Imperador. Joo da Silva
Carro.
EXTERIOR
Bl'EXO* A YRV.S.
lltieaos-.lt res, 18 de marre de 1866.
Se o Carmel nada raais levoo, em materia de no-
ticias, se nao a continaco da espera em que vive-
mos ba tres meses, provavel qae o raesmo suc-
ceda anda ao Amo, con quanto esteja adiantada
a segunda quitea de marco. Todava leodj en
anoonciado que nella teria lugar a passagem do
oosso exercito, nao retiro anda esse annancio.
E' qoe escrevo esta carta amitos dias antes da
sahida do Amo, e tudo faz crer que se elle nao le-
var noticia daquella operacao, sera pela distancia
que ba de Corrientes aqu, e nao poder por isso
caoer-se a 28 o qoe se lera' verificado nos dias 2o
00 26.
Mas entremos na exposigan regular das novjda-
des, se novidades ha; e por que os dados que aca-
bo de receber de Corrientes me permittem ser ex-
tenso sobre o que por la' occorre, farei disso o as-
sumplo principal da presenta missiva.
u conselheiro Octaviano que, como pelo Car-
mel foi noticiado, parti para Corrientes no dia 6,
a bordo de nm pequeo vapor transporte, cbegou a
Corrientes no 13 a larde.
S. Ex. nao desembarcou em ponto algum do lit-
toral do Paran', o mesmo fez todo empenbo por
abreviar sna viagem ; mas nao podendo o vapor
navegar se nao de da. pelas tortuosidades do ca-
nal, e lalvez pouca pericia, dos pratlcos, empregeo
aquelle espago de lempo em fazer as 791 milhas,
que se contam de Boenos-Ayres a Corrientes.
a proposito, e como materia que na actualidade
tem bastante interesse, darei aqoi as distancias en-
tre os diversos pontos notaveis da navegago do rio
Paran'.
milhas geo-
graphicas.
De Buenos-A\ res a Martin Garca----- 45
De Martn Garca a' Bocea do Guag.. 24
Da Boca do Guag a S. Nicols...... 147
De S. Nicols ao Rosario............. 72
l)o Rosario a cdade do Paran'...... 106
Do Paran' a cdade de La Paz....... 120
De La Paz a Bella Vista............. 190
De Bella Vista a Corrientes.......... 87
Continuarei agora a narracao dos factos occorri-
dos.
Cbegando o conselheiro Octaviano ab porto de
Corrientes, desembarcou quasi Immediatamente,
sendo recebido pelos Srs. visconde de Tamandar
e baro de Amazonas, acompanhados de seos aja-
mantes deordens.
SS. EEx. tlnbam desembarcado para conferen-
-ciar com o roarecbal, que nesse dia tlnba viudo do
acampamento.
Assitn a casualldade fez que, apenas chegando a
Corrientes, o conselheiro Octaviano pudesse enten-
der-so com os nossos generaos de mar' e ierra.e
saber as operagoes que deviam emprehender, o
momento dellas, etc.
Foi boje decidido que no dia 17 a esquadra sa-
hna de Corrientes, sublodo o rio cima at s
Tres-Bocas, para dabi dirigir-se ao Passo da Patria.
Todo o material para a passagem do exercito
esta' prompto, ou d-se-lbe a ultima de mo.
Esse material consideravel e correspondente s
numerosas forras que devorad passar o rio de mo-
mento, para nao serem rechazadas pelo inimigo,
que oceupa a margem opposta.
lia baleas construidas sobre grandes lanchos,
que recebem fcilmente at 500 bomeos de Intan-
tiver de veriticar-se, parece que nao sera' sobre o
rio e sim alm.
Pelas inforroagoes que os passadosraros alias
do exercito inimigo do aos generaos em chefe,
Lpez, querendo evitar o temlvel concurso da es-
quadra, nao resistir' a passagem de nossas tropas
no Passo da Patria ; pelo contrario, a deixara' ex-
pedita, entrinoheirando-se duas leguas para dentro
na paragem estrella que forma orna extenstssima
lagoa e os pas do Paran'.
E' estrella, digo, porm ainda assim aprsenla
ama frente de 30 quadras, que com as 90 pecas de
artilharia do exercito paraguayo presume-so nao
licara' bastantemente coberta.
viagem se torne a mal, tonga pwsivel. Eis co-
mo :
- Os commaMintee decaes na vos teem por offlcial
que traosportam 4 diarios e Ij tambem diarios
por pravas d pret. Se a viagem for corta o lucro
sempre-graade, mas se tem a fortuna de que o
navio encalhe, esse lucro fabuloso. Assevera-se
que em pceos mezes commandantes de navios
leen liquidado urna bonita fortuna.
Fago jastiga a honestidado patriotismo de ami-
tos dos commandantes mas os abuses apparecem
sempre qoa na facilidade e- grande vantagem em
praiiot-los; e no caso actual o aboso dnplo, por
que o governo paga despezas eieestives, e a tropa
ainda acba-se mais alguma
por
Nesse ponto levanta elle fortificagoes de trra,' sofiro terrivelmente as vlagens tUtifias.
faz val los, palissadas, etc., porm, qaaesquer melos A proposito de annos qoe se dio as consas
de defeza qae ccamatar sero de momentnea re- da guerra, davo dizer qoe, grabas ao lelo do chele
sistencia ao poder militar dos adiados. : da pagadoria do eiercito, o Sr. Deschamps, interi-
No quero dlzer com isto qae nao costara' bas-, menlo egearregado da repartigle fiscal, tm si-
tante sangue desalojar desse ponto e de outros ana- do glosada* ojos pagamentos aos forneeodoros de vi-
logos om exercito de 25,000 bomeos. Reconneco j veres mnis auantias por taita de gneros aas ra-
mesmo qae as tropas paraguayas sao valentes e es, e tamban rejeitada orna grande peroo de
at morrerem cravadas pelas bayonetas mos-
trara urna obediencia eega, qae bem sappre a dis-
siplina.
Mas tao grande a superior'idade dos alijados
taria; ha outras para 200 homens ou meaos, e ha I em forjas na qaalidade des armamentos, e oo en-
om crescido numero de bateles, cada am dos tbaslasmo pela soa causa, qne ca ra de toda
quaes receber 50 homens. | posslbllidade defender-se o inimigo com vanta-
A artilharia com todo seu trem passar commo- gem, ou seqaer resistir ao primeiro accommeitl-
damente as grandes baleas, e de igual forma as ment.
bagagens e cavalbadas, bavendo para ellas barcas Nao ama opniao qoe avanzo a esmo, o pen-
especlaes. sar unnime de nossos generaes; e a prova esta
Nao podendo ir as nalgas a reboque, porque a em que urna vez auxiliada a paaaagem do exercito
grande correte do rio Paran as faria prolongar- i no Passo da Patria, a esquadra subir' sem demora
se com ella, e atravessar qualquer vapor que as para Hamaita',
rebocasse, parece que o plano adoptado amarrar ment,
as baleas ao costado do navio opposto ao qae en- Comprehende-se a situagio
frentar o inimigo, e dessa maneira cbegando a' mar- [Lopes.
gem direita despejar sobre ella os batalhoes em Na sua frentre, quer resista sobre o Paran-quer
perfeita ordem, para sem a menor demora entrar: se concentre, om exercito de 50,000 homens; a sna
em fogo. [ direita, poocas leguas cima, om outro exercito de
Como diversos vapores devem com outras tantas 12,000 homens cuja moblidadepor ser em gran-
balas praticar simultneamente a mosma opera-1 de parte de eavallariaIbe permittira', transpos-
fardamento que foi vendido ao exercito por agost-
as mesroos -fernecedores. De lafima aaalidado e
moito avariad era um fardaaeato iaservivel, no
essa. despeza, nem occisiio de lastimar-nos
ella.....
Em Corrientes
eousa.
O grande hospital do ierciclo brasileiro,
eseraplo.
Eese estabelecimento so por si mereca am lon-
go artigo.
Repartido em varios edificios, a Gabts de ma-
deira fabricados com esmero, contm hoie mesmo
man de 2,000 doenies todava a ordem e mais es-
crupulosa reffoJaaftKnVqfior no servieo medico,
qor no adminrstrativo ah se observa.
Ha nm nome qw, a tal ensejo nao posso eu'dei-
xar de recommaodar a consideragio do governo e
a' graiido do paiz, o do conselheiro cirurgio-
mor do exerclo Manoel Feliciano Pereira de Car-
valho.
O patriotismo, a aedieaco -a seos deveres, a
abnegado de seus commodos, o sacrificio da soa
saade, e talvez de sua vida, jamis tiveram mais
-acabado exemplo.
Ainda sem sabir do Corrientes arba-se o que po-
dan ehamr-se um estabelecimento militar bra-
sileiro sao aa oficinas montadas seb a direccao
eatanto os veniedores j tinham a* letras em mo. i da commisso de engenbeiros, e que prepara toda
Infelizmente urna Injush? qoe parece acaba de sorle de palamenta, monfeoes de artrlnarire in
soffrer o Sr. Deschamps, pondo-o sob as ordeas de -faniaria, etc.
om escripmrario da taesourara do Rio-Graodo, a; Dessas offleinas acabara de sabir 150 manteletes
elle, qoe -befe de aeceo n'oma rectora da j encourapado, a' prova de fuzil, e que cobrem
guerra. d* corte, vai privar o exercito desse bom 1,000 pracas em 004 de combate. Sahiram lam
a principiar logo o bombardea-
os! que se vai achar
co, calcula-se qae de vez desembarcarlo tropas
em numero superior a 6,000, o qae da mais de 20
mil em um dia.
E' ja sabido, e mesmo da primeira intuico,
que a esquadra, tomando no Passo da Patria posi-
edes em que possa dominar completamente a mar-
gem direita do rio, dar a' passagem do exercito
toda a proiecgao contra o inimigo, sejam quaes fo-
rera seas meios de resistencia.
a Assampcio rpida'
no sea Hunco direto-
sua nica base e de-
to o Paran', encaminhar-se
mente, e emfim a esquadra.
accommetlendo no Hamaita'
feza.
E' este o plano com qne se coala va ka ja' aa
mez, e tanto qoe em grande parto rejrtto eir boje o
qae antes communiquei. Comtado, ba urna alto-
ragio notavel.
CoDlava-se naqaella dala qae a esqaadra espera-
Disse ha pouco que a esquadra subirla bo dia 17, ra pelo adiantamento do exercito alliado no tern-
mas devo explicar que toda ella 0S0 deve realisar torio paraguayo; agora, pelo contrario, sabe-se qoe
essa operacao. Em Corrientes Acara a 1' dlvisio a esqoadra a qne ira' primeiro a Hamaita', afim
que commandada pelo Sr. Barroso, e compoe-se de quebrar 00 todo, ou em parte, a resistencia qoe
dos navios Brasil (encouragado), Amazonas, Mag essa fortificaco aprsente.
e Bebenbe. Qnando, porm, tero lugar taes operac,5fls T
Nao lendo o Paran agua suficiente, estes vasos,! Breve, tao breve, qae nao seria isspatsrrei estar
que sao de maior calado, poderiam soffrer algum verificando-se a primeira parte dellas no momento
translorno que embaragasse e talvez compromet- em que escrevo. ,
tesse toda a esquadra nos caoaes estreitos, de qae j Nao querendo ser optimista direi que tilas veri-
0 rio abunda. i Ocar-se-ho oestes 4 ou 6 dias.
Accresce que o porto de Corrientes nao pode fi-1 Segundo os dados que possuo, o major Carvalho
car desamoaradn pote 4ima aa margem esquerda um canal chamado do Atajo, tice-airoirawo o m .m-^^lrtOxo^^aoia
que Tem d boto dar no mesmo rio abaixo do por- Jo corrale estarla prompto todo o material
le de Corrientes. Se, pois, este nao Bcase bem mandado construir para a passagem fb exer-
defendido, a frota paraguaya, pascando por aquelle cito,
canal, gragas a seu pequeo calado, poderla surgir
no porto da capital correotiua e dar am golpe de
m.io sobre ella.
Convera observar que immenso, e muito valio-
so o deposito de artigos bellicos que all ha perten-
cenle ao Imperio. Bem valeria, pois, a pena de ar-
riscarem os Paraguayos seos pequeos vapores pa-
ra apos>ar-se de coosas
lam. i
Tambem o conselnei
Sendo assim no dia 17 pode elle ter sido trans-
portado, a reboque das canboneiras, at ao Passo
da Patria, sendo alias esta viagem de poacas ho-
ras. E como todo o exercito eslava prompto, nada
obstara a que hoje mesmo se dsse principio a pas-
sagem.
Mas, como disse, en concedo mais quatro 00
que elles tante necessi- seis ,jaS) ,je m0(lo qUe ao m0jt0 no da 25, as pri-
i meiras tropas brasileiras calcaro o territorio para-
ro Octaviano deve ter ido gnav0.
791
O conselheiro Octaviano fot achar ainda em Cor-
rientes toda a esqaadra brasileira, se bem em ter-
mos de partir no da immediato para as Tres-
Bocas.
Transcreverel a discrpgo que da nossa esqaa-
dra me dirigida de Corrientes :
< Magnifico e imponente o aspecto que apr-
senla a esquadra brasileira, fuodeada no porto de
Corrientes.
t Consta ella de 22 vasos de guerra, com 102
pegas de artilharia e'mais de 3,000 homens de des-
embarque, quasi todos pertencenies ao exercito de
trra.
c Todos os navios estoprolixameote preparados
para as grandes operagoes que se vio tentar.
Nao todava exacto o que se publicou de
erriar-se a mastreago superior ou de qualquer
forma alterar-se os apparelbos. Todos os navios
conservara os qae Ibes corresponden), e ser se-
ment na occasio de entrar em combate que se
iara' o apresto bellico do costume.
< Com quanto as tripolagoes propiamente ditas
seacbem muito redusldas, por nao terem sido com-
pensadas pela remessa de novos marinheiros, as
muitas perdas que durante am aono Ibe causaram
os combates, e sobreiudo as enfermedades : com
quanto essa faltase d, numerosa a guarnigo
que todos os vasos teem a bordo, gragas ao desta-
camento de torga* de infantaria do exercito.
Ha mesmo quem entenda, ao ver as cobertas
dos navios chotas de soldados, qoe excessivo o
iumero delles a bordo; mas que nao reflectem
na circumstancia em que se pode ver a esquadra
de effeclaar desembarques para apossar-se das ba-
teras, logo qae seus canhoes as teobam em parle
debe liado.
c De mais, ama cousa ver a tropa ca liberta-
de no convez de nm navio, e eutra v-la guando
todo ella se aeha a postos. No primeiro caso ba
urna agglomerago, que no segando desapparece
instantneamente.
c A arlilbaria e os armamentos eslo, como-
bem de vea, dispostos para os mais duros comba-
tes, o as munigoes de que cada navio esta' prvido
exceden a's mais largas proporgoes qae possam
presumirse nesses combates.
c Observare!' aqu qoe nos doos encouracados
Tam**dar e Barroso constroio-se ama especie de
astioss de madeira, forrados de delgadas chapas
t ferro, sobre-postas ao castello ou casa-mata em
que se acba a artilharia.
< A destioaco dessa supperestructura parece
que abrigar a tropa quaado teoha de fazer fogo
de fuzilaria sobre p ,Mielgo. Nao sei eo, todava,
se esse aecrescimo robustecer' os meios de ataque
o delesa dos nossos merrimaes, ou se pelo contra-
rio sera' faeil pato a's balas Inimigas.
t Quanto ao spiriio da nossa forga naval,
inexcedivel o soa enlhusiasmo quasi febril o seo
desejo de- vir a's mos com o inimigo. Nada, alias,
mais fcil de comprebeader-se : ba largos mezes
.qnea esqaadra espera osee momento, e nelle des-
eebre o termo a' panosa vida qae leva neste clima
abrazador, e privada dos commodos qoe os grandes
portos de mar facilitan).
Na ottetaUada. qoe ao par do ardlmeoto ob-
serva-se certo desanimo sobra a coosideracao que
seos servteos ho de merecer.
c Tal foi oraslo coraaaaro o siisrara as b-
justieas, oa qae se consideran) taas, da ultimo aro-
embarcado at ao Passo de Saot'Anna, de onde par-
tira por Jerra para o acampamento das torgas bra-
sileiras.'que so disla de Saot'Anna 1 1|2 legua.
Consta que, depois de visitar o campo brasilei-
ro, o Sr, Octaviano viria ao do general Mitre, que
fica contiguo.
Algum dos jornaes de Buenos-Ayres, o Standart
por exemplo, emprestou a' viagem do Sr. Octa-
viano um objecto que de certo nada tem de vero-
smil, e comeinar sobre nao sei que propostas de
paz, recebidas de Lpez. Anteriormente disse eu
os fias da viagem do ministro brasileiro, e nada
teai vindo posteriormente altera-los. O Sr. Octa-
Quem sabe se os nossos generaes nao farlam co-
incidir este faci com a data gloriosa da nossa cons-
tituicio?
Calculando-se que a operario da passagem nao
exceder' de dous a tres dias, e posto qae em ho-
ras a esqaadra pode ir do Passo da Patria ao Hu-
mayta', cousa de assegurar-se que aotes do tim
de margo os caohoes brasileiros trovejaro contra o
famoso calhacouto de Lpez.
E' pois, chegado o momento de dizer ao paiz :
A espera nao mais de mezes, nem mesmo de se-
manas, apenas de dias, quasi de horas.
Esta assergao que avango hoje sem o menor re-
viano qulz ver salvo o pleonasmo com seos pro- ce0 p0r sem jovda om grande motivo de satls-
prios olhos, a esquadra e o exercito no momento fa?ao para 0 paiz> roas tenno a esperanca de faz-lo
de elles entrarem as operagoes decisivas da guer- acompanbar muito de perio por outros de mais po
ra actual. Este foi o principal motivo de sna va- gtvo a|C4nce.
E note-se, qae por ora n5o considerei alguma
circamstancia que fazia precipitar o triumpho de
nossas armas de urna forma talvez menos gloriosa,
porm mais satisfactorias. Eis como:
Um dos membros da familia Decoud, qne como
ahi ja' pode ser sabido, eslava no exercito de L-
pez e conseguio evadir-se, assegura que profondo
o desanimo das tropas paraguayas, intoleravel a
sna miseria, e geral o desejo de que as forgas ai-
liadas trausponham o Paran' para abandonaren)
em massa o homem que taes calamidades Ibes
trouxe.
Nao ouse eu dar como provavel este facto, mas
nada ha nelle de impossivel, e o que o exercito de
Rosas pratcou em Caseros pode o paraguayo con-
sideradlo como om exemplo a imitar, al pelo qoe
ba nelle de commodo para qaem v na sua frente
forgas que o vo esmagar.
Deixando aos successos mostrar o que esta
sopposigo tiver de bem fondada, consignemos ou-
tros factos, que sao positivos, sendo ao mesmo lem-
po mnito consequeotes.
Foram completamente desvanecidos os recelos de
que entre o vice-almirante brasileiro e o general
Mitre po desse na ver qnaiqoer desaccerdo, ou exi-
! genclas encontradas sobre o plano de operagoes.
Bem looge disso entenderam-se perfectamente, e
gem.
Ootro menos positivo diz qae conferenciar com
o Sr. Mitre sobre possibilldades de que Lpez acbe
um protector, que o ampare na sna fgida, e acaso
sobre outros pontos pofifteos da guerra. Nada af-
tirmo a respello.
Em quanto chega o momento de saber-se o que
a alta diplomacia tiver combinado, ou ao menos
discutido, vejamos qoal a situacao das forgas bel-
igerantes qoe se entrentam no Passo da Patria.
Os exercitos alijados conservara exactamente as
mesmas posigoes que tinham ba nm mez, e s tm
cuidad^ de adestrar cada da mais os soldados as
armas de infamara e artilharia.
Diariamente fazem-se em todos os acampamen-
tos maitas horas de exerclcio, sendo no argentino
quasi sempre exerclcio de fogo-
Asswn as tropas esto bastante instruidas para
tranquillisar toda, as apprebeosSes sobre a sua fir-
meza, e sobre a rapidez das evolugoes em qual-
quer campo de batalha.
Estando verificado que os Paraguayos a' malor
serenidade juntara destreza no manejo das armas,
o estado das forgas alijadas hoje neutralisa essas
eondigoes, restandc-lhe arJa a tmmensa snperio-
ndade de numero.
De facto s o exerft' brasfleiro contaans..
32,000 bomens, dos quaes descontando como 4000 qaa| se 0 genera| argentino qnizesse esavoutr as
que se aebam doentes nos hospitaes desempernan- iDsinaagSs da imprensa de Buenos-Ayres, oo con-
do o servigo de enfermejros, etc., e como 3,008 se|D0 ,je generaes fez que a opinio do Sr. viscon-
que esli destacados na esquadra, resta o numero <]e e Tamandar tivesse a maior preponderancia,
effectivo de 25,000 homens, qne justamente o adoptando-se quasi sem alteragao as ideas apresen-
que o marecha! Ozorto declara ter promptos em j ti(jas p^o almirante brasileiro sobre as operagoes
sen acampamento. a encelar.
O exercito argentino coota de certo 12,000 no-1
mens, nao Incluidas as milicias correntlnas ; e, fi- &m consequeocia a mais completa harmona re-
nalmeote, o general Flores tem a's suas ordens'na entre os generaes em ebefe dos tres exercitos e
4,000 homens, sendo dous tercos brasileiros. | o vice-almirante. Qoanto isto mporta P o bom
Sem a mnima exageragio pode portanto calco-1 resoltado das^operagdes mot minisira-lo ; todos
lar-se em 40 a 42,000 bomeos as forgas do exerci-
to alliado promptas a passar o Paran.
Esse exercito tem 150 pegas de artilharia, das
empregado. Consta que elle pedio a sna exonera-
gao, e aqoi esperado todos os das com ceaea
on parte de doente.
No mais, dsaois do fallecimento do honrado e
patriota brgaootro Antonio Manoel de Mello, nada
de extraordinario tinba occorrido no exercito.
Sobra assa parda ir repara vel que se sabem
agora novos Cetalhes. Profundamente desgostoso
pela pret#rlg3e qoe dizem soffrra, a outros factos
qae com la coincidlram, seotio-se doente, mas
declaroa nao querer lomar remedios. Qoaodo o
obrigarara a itao, era Urde : a nfermfdade so ba-
via tornado mortal.
Elle, sentAdc-se fflurrer, aisse palavras que le-
varlam am remorso a* alma de alguetn, se as soo-
besse.
Segando a exigencia exprpssa do dislincto br-
gadeiro, seu earpo foi sepltate sem a menor cere-
monia militar.
Foi orna doganja qfie elle tmava ao morrer ?
Nao; foi a expressao de nma ddr multo legitima;
nada mais.
Bueifta-Avref, Cernales. Acampamento do
exercito Taja-Cer, Passe i Patria, 22 de
arca de 18M.
Creio ser por domis declarar que a oblqoida ie
cost qae encabego esta eorrespoBdencia nao tem
oulro objecto que determinar lego primeira vista
os pontos ea qoe ella foi escripia, oa ao menos on-
de pe-soalraente o sea autor foi coltier os dados
para ella.
De facto, imitando os correspondentes dos gran-
des jornaes europeos, e porque aborrecia-me de
baacar "**~.wUMias,ai vezes contra-
detonas par religir miohas aib,i) u>u-.iu pui
ver que se approximavam os ajamientos decisivos
da actual conten da, resolv ir em pessoa estndar
no campo, qoasi da acgo, os meios com que os
adiados, e particularmente o imperio entra em ope-
ragoes.
Nem son o nico que lomou essa resolugao.
Varios cidados brasileiros, que se achavam em
Buenos-Ayres, e mesmo alguns estrangeiros trans-
poriaram-se ao exerclo, ou esquadra, oa sacces-
sivamente a ambos.
Dada esta explicago, ouso agora reclamar dos
eilores do Jornal toda confianga para as informa-
goes que esta correspondencia deve conter.
De Buenos-Ayres nada posso dlzer, qoe nao
seja talvez anterior as noticias que ahi se podem
ter recebido, e em lodo caso nos jornaes daquella
capital bem fcil a redaego acbar o que tiver
mediano interesse.
Assim meu ponto de partida ser Corrientes;
mas, tenba-se entendido que nao vou fallar da c-
dade, e somonte do que nella vi e observei com re-
ferencia guerra.
Devo principiar dizendo que o porto de Corrien-
tes, ainda agora que a esquadra parti para as
Tres Bocas, se raostra animadlssirao.
Alm de alguns navios de guerra, entre elles o
Amazonas, que all flearam, existem numerosos
transportes, uns pertencentes a nago e outros (re-
tados.
Darel urna idea da actlvidade que reina no porto
de Corrientes com os segrales dados positivos:
No dia 20 ebegaram :
1." O transporte Marcilio Das, trazendo 262 pra-
gas de diversos contingentes.
2.a O transporte ingtez Viper, fretado pelo im-
perio, com 88 marinheiros e carregamento de mu-
nigoes, sobresalentes e medicamentos.
3. O transporte oglez Brasil, com madeiras e
munigdes.
No dia 22 chegaram :
1. O vapor transpone Diligente, com petrecbos
de guerra e 62 pragas.
2." Urna escuna bollandeza com manlimentos e
carvo para a esquadra ;
3. Vapor General Osorio ;
4.* Lancha a vapor Coronel Fidelis.
Espera-se a todo momento o vapor Imperatrtz,
que vm carregado de tropa.
Ss qoando o exercito esta' completamente prvi-
do de toda son de elementos de goerra, teodo em
Corrientes ludo que poderia necessitar p.ra urna
campanba de seis mezes, se de igaal forma se aeha
soppnda a esquadra, a ponto de que, attestadas
todas as carvoefras dos navios de guerra e trans-
portes, ajoda tem em trra nm deposito de 800 a
900 toneladas de carvo : se, quando taes cirenms-
tancas se dao ainda tao activo o movimento de
navios e tao freqaente a ebegada de objeetos belli-
cos, sao dfficil determinar o qae acontecera nos
dous passados mezes.
Mas o qoe soccede no porto est longe de exce-
der ao qne apenas desembarcado se observa na
propria cdade.
Contei ea at" 14 casas convertidas em depsitos
de munigoes, fardameotos e eqoipamenlos ; no en-
lamo fia cousa mais significativa da actividade qae
posso chamar militar.
Em qoasi todo o correr da margem do rio, na
frente da cidade, v-se ara como arsenal de
bem 100 lmemelas para calibre 12, e nao sel en
quantoi milndes de cartaxos.
Cora o qae existe, e Bte hoje promptifiear-se em
Corrientes, nao s impossivel a falta de qoelqaer
meio de guerra a nosso exercito a^ajaaadra, mas
eu oao estara longe de dlzer qo~na excesso de
preparativas.
Podo, todava, nio sar iajoefhVav#l ese excesso,
se se considerar qoe as operacoes podem durar
mais do que se presume, e a 300 teguas de Monte-
video oa Boaoos-Ayres nao so pode ir com facili-
dade procorar o qoe fattasse.
Ha em Corrientes, aluda pertsneeote ao 1 raparse,
muita artilharia, inclusive obuzes de campeaba,
qoe Bao podem ser otllisados por faltar pessoal, e
ootros elementos para augmentar os corpos dessa
arma em nosso exercito.
Finalmente, representando ainda a abundancia
da meios para debellar a guerra, qoe o Brasil m-
prega, existem em Corrientes como 1,000 reerntas
dos ltimamente ebegados, numero que parece
crescera' moito anda.
Cabe aqu diter qae para as operagoes inmi-
nentes esses horneas sao inntis, mas se fossem
aqu bem disciplinados e instruidos, formando-se
nma divisao de reserva .>ob a direcgo de algum
general babii, bem poderiam prestar valioso con-
curso, se a guerra por qaalqaer incidente viesse a
prolongar-se.
Tendo dado, segundo presumo, ama idea appro-
ximada do qae Corrientes, olhada como entre-pos-
to militar, devo agora passar a outra ordem de no-
ticias.
A vinda do eonselbeiro Octaviano a estas para-
P*f- jantar offtrecido pelo Sr. Osorio ao Si\ Ootaviaoo.
e para o qoal tioham sido convidados-os Srs. Mitre
e Flores etodos os mais offlciaes generaes -dos exer-
citos brasileiro e argentino.
Todas as-bandas de mnslca do exercito toearara
alternadamente dorante o jantar es bromos das
ires nagoes adiadas, e outras pegas asoolbtdas..
Os toasts muliiplicaram-se referindo-se todos a
assumptos do momento, e as pessoa dos generaes
presentes.
Para o da seguinte foi ordenada pelo tnare-
chal Osorio orna fbrmatura geral da exercito.
W ebegado o momento de fallar deesa grande
forga militar qoe o imperio acaba de reuoir,.sup-
prindo com urgentes sacrificios de dinoeiro o. Im-
previsto da exigencia, e a brevidade do lempo em
que sua boora Ihe impooha satisfaze-la.
O- exercito Imperial, hoje acampado no poni
chamado Tala-Cor a 6 leguas da cidade de Cor-
rientes, e 2-. ,'j; do Passo da Patria noria Paran,
da' justo motivo ao orgulbo do paiz, de quera, vai
ser o brago vrngador.
Doos elementos preponderara nesse-granda cor-
no collectivo, e sao o exercito de liDha, e essa guar-
da cvica, que sob o honroso nome do voluntarios
da patria acudi por dezenas de milbares de todos
os ngulos do Brasil.
A tropa de liona eslava bo imperio radotWa a
orna mesquinba forga, quer se a considere am sea
numero, quer no servigo a qoe era apacada, cons-
titua alguns ceios de destacamentos poHciaes, es-
palhados-por nossas Tinte provincias. Havia quasi
de todo perdido o carcter de tropa, regular. Re-
laxra-se a disciplina a a insirucga mimar qoasi
de todo-ha va desapparecido.
Mas eis qae chega a sitaagio gravo1 para o paiz :
os bttalhoes sao completados, a instrnegao adqui-
re-a ao mesmo tempo qoe marcha para o tbeatro
*a goerra : o severo espirito militar revive grecas
aos briosos eommaodantes e offleiaes, e os corpos
de I nna sao boje no sen aspecto e destreza verda-
deros corpos veteranos, em queraeom razio o paiz
confia, como nos aras memores lempos miniares.
Os voluntarios da patria tinham qae pagar nm
forte tributo a mortalidade era -eticaas duros, op
postos qaeiles de onde Tinham. Depois tinbatn
de iostruir-se, diseiplinar-se, miliurisar-se material
e moralmente.
Tinham qae fater-s, primeiro,. bomens rigoro-
sos, depois soldados.
Para isto a organisagao que se Ibes dea nao foi
por certo a melbor, e nem se apptiearam para logo
os meios acertados.
Sem embargo o patriotismo desses 25,000 nios
do povo brasileiros, a dedicacoo dos cheles e offl-
ciaes qoe iraziam a soa frente, e dos qoe foram
substituidos aos menos aptos,.e emfim a eoergia,
qoe apossando-se de toda a na*o, devia particu-
larmente iacofir-se na parte da populagao qae cor-
ra as armas ; eis todo o qoe finio para qoe os
30 baialboes de voluntarios da patria que existem
no exercito de operagoes aeompaabem boje de par-
to, o alguns rivalizem com atropa de linha.
Ha ainda a bella eavallaria do Rio Grande, qae
ba anno e meio quasi faz parte do exercito de ope-
gens foi om incidente a ana cora razo se ligan raedes, a quera nada pode contestar-e em materia
Admiltido em S. Etc. o desejo de ver e julgar o Finalmente, e pela primis? vez acaso, o exerci-
estado de nosso exercito e da nossa esquadra, com- to imperial eonta em proporgoes dignas e cenve-
prehendeu-se igualmente que sua^rjresenga traria! Bieales com esa arma, a primeira para o genio
certa actividade s operagoes prejectadas. A au- militar, a mais poderosa em exercitos regalaresa
toridade do governo imperial qjoe pelo sea carac-1 artilharia.
Somente quera como en contemplava bontem essa
extensa linba de cachos de bronze, como que co-
brindo toda a linba do exercito, e que tendo coohe-
cido nossos exercitos anteriores, pode comprehen-
Se alguem, pois, suippozesse qoe o momento das der tudo o que se fez, tudo o que se creou, toda a
operagoes, ja' fixado, soffresse procrastinagao, e que grande e imponente torca que se den ao de agora
ler representa, e certa iafimsocia que a lealdade
de seus procederes lhe tem dado sobre os generaes
adiados de mar e goerra, pr'omeiiiam muito da sua
vinda. /'
alias nao era razoavel, com a vinda do conselheiro
Octaviano devia perder semeihante receio.
S. Exc. cbegando no dia 13 a' noute, e confe-
renciando nessa mesma noute com o Sr. vice-al- so campo de mais de urna legua em
mirante e marechal Ozorio, pretenden no dia se- j contados os terrenos que oceupam as
Antes de ir mais longe fallemos do acampa-
mento.
O exercito de operagoes oceupa hoje ara exien-
quadro, nao
cavalhadas.
guile de maohaa partir para o acampamento do I bois, ele.
exercito. Esse campo, geralmenie plano, povoado de pe-
Resolveu, porm, ficar, aceitando o convite que quenas ilhas de mato, e grupos de arvores os mais
lhe fez o Sr. Tamandar para no dia 14 presidir a j caprichosos. Varias lagas de diversa exteoso,
um jantar que dava aos chefes superiores da sna I mas todas tandas e lmpidas preslam-lhe em largas
esquadra em festejo ao anniversario de S. M. a Im-
peratnz.
Nos momentos, e tendo em memoria factos mo-
dernos actoaes, essa festa oo era s mooarchica,
tambem era patritica e nao poda ser dispensada.
Ella foi, na verdade, tao brilhante como significa-
tiva, terminando por numerosos toasts que erara
como outros tantos protestos de brasileirismo e con-
proporges a agua potavel, e do mesmo ao campo
urna belleza risonha e quasi digo potica.
Aproveitando as condigSes do terreno e guarda-
das as distancias que pareceram convenientes, mas
que talvez podessem ser maiores, acbam-se acam-
padas as divisoes de infamarla e artilharia mais
contigoas, as de eavallaria mais afastadas
Deixo a imaginario dos leitores calcular o effei-
frateraldade entre homens qae iara entrar em san-; to que devem lazer e fazem 30,000 barracas, ali-
grnosos combates, protestos kilos em presenca l nhando-se aqu e alm, na frente dos grupos de ar-
do representante do guverno da sua patria a 600: vores, sobre urna campia que se recama de ex-
leguas della.
No dia 17 o conselheiro Octaviauo se pdx em
viagem, constando que elle declarara nao annuir a
demora algoma, sublodo s no pequeo vapor em
que anda, se por qualquer circunstancia a esqua-
dra nao pudesse ir oa mesma occasio.
Nao conseotlndo nisso o Sr. vice-almrante anti-
cipou a subida da esquadra, de modo que o Sr.
Octaviano teve o prazer de assislir a' entrada della
em campaoba.
A's 10 horas da maohaa do indicado da 17 sa-
bio, pois, S. Exc., e com elle duas dmsoes da es-
tensas lagas, caja superficie to azulada como a
do grande rio Paran, de quem alias se presumen)
tem origem subterrnea.
A diversos lados do acampamento- veem se ali-
nhadas de Irente, ou em quadrados regulares os
1 transportes do exercito e dos fornesedores.
Ha ahi mais de 500 carretas, mas facli distin-
i guir o uso a qae sao destinadas pelas baoderolas
de cures differeoles qae se levaaum sobre cada
ama dellas.
Os campos de pastagem para as bestas da arti-
lharia, cavalhadas e bos acbam-se quasi todos a
quadra, sob as ordens do capitn de mar e guerra retaguarda e aos flancos do exercito, e confesso eu
Alvim
Eis a ordem em que a esquadra subi : encon-
ragado Barroso, canboneiras Icahy, Araguary,
guatemy, encouragado Brasil, canhoneiras Para-
nahyba e Ypirang, encouragado Tamandar, ca-
lle, ter tido tempo, e nem coragem para ir ve-Ios
reinando e al governmdo aqu am sol ardenle e
um calor de 93 graos.
Observar-se-ha qae aloagando-me, ttlvex de
sobejo, sobre o acampamento do nosso exercito de
nboeira JUearim, vapor Cyse (com o sr. Octavia-1 operagoes, nem menciooei sequer o qoartel gene-
no), vapor Lindoya, corveta Beberibe (com o pavi- ral do commandaote era. chefe.
iho do chefe Alviro). E' qoe, devo confess*lo pareceo-rae aquem do
Em duas horas fizeram-se sem inconveniente al- qae corresponda a importancia de nosso exercito.
gom as 15 oo 16 milhas, que ba de Corrientes ao O marechal Osorio, enJeadendo nao dever despir-so
Passo de Sant'anna, lugar determinado para des-! dos seas hbitos modostos, iimiloa saas aceomrac-
embarcar o Sr. Octaviano, por ser o mais prximo dagrjes de general a amajsarrelaa e urna barran-
do liitoral ao exercito.
quaes 90 bnsTlehaa eTiasm^rainVi~e'orl- disposigio das coasas a ^oexpres^va phrase
jaes do nobre marques de Olinda tera sourido urna va-
Como a esta hora, e, segando M nlliraas datas, o riante -debellada est a guerra.-
baro de Porto-Alegre dsve achar-se lambem na li-
nha do Paran, embora cima do Passo da Patria,
poda tambera contar-se cem essa torea para as
o compreBeuecm. .um M.nia a trocgo naval, em qae se promotlficaram as em-
Qaeresu agor? Soquenenhuu dentera- b^goes para a passagem do exercito no Paran,
5*^*iif^^f.i^/!i5?JL""K a qne contina a trabalbar para o mesmo fin, ou
uuiro anlogo.
prximas operagoes. Sao W a 11,000 bomens,
com pouca, mas excelleaa artllBara.
Nao querendo rollar a este objecto darei aqui a
relagao das embarcagoes ja' promptas para reali-
Segando as noticias boje recebldas, a esqaa- i xr-se aquella passagem, e qae Ja* priuciplaram a
dra veripcaado a soa sabida no dia 16 levara ao ser^reroellidas rio cima.
exercito mais alguma tropa da que exista em Cor-
rientes, fleando nessa cidade como 1,800 homens
de tropa brasileira, qae com oatros tantos ja' em
viagem pelo Paran' e talvez ja' Ibe ebegados, for-
maro 3,000 homens. E" forca sobeja para prote-
ger aquella cidade e os grandes depsitos qae ah
teotativa dos para-
Ei-las
Saja como for, a esqaadra brasileira, pelo ex-
cellente astado de sen material, e pelo numer e
disposigo de sea pessoal, promette todo o que Ida
soa forga relativa e do poder de homens depende.
t A sorte das armas e a vontade da Proyioeneia
fu*' oralo...
Por ultimo temos a esqoadra, cojo poder em ma-
terial e pessoal ba pouco fica consignado.
Contra mais de 80,000 homens por Ierra, a a
esquadra qae para muitos nao fepreseuta ama for-. temos contra algum aran a
ea menor. Lpez contina a oppdr somente 30.000 gnayos.
ou aa mata 35,00a hotaaai; na linba VParana a; Seguodo as mesmas ooticias nao tinham anda
Humail i cbea*.t GpttftBte os transportes Leopoldina e
Em frente nm do'outro, o exercito Inftnlgo o Imper to ,c"re,d2? de lr0P*'ieaia e
dos al liados, a passagem do ro fosse disputada, primean r^***0* **
o Paran' rafia-obra san dorso, oa as suas mar- Sem rafenaWlajaTna i esses doos navios, mas
sena orna baUlha e vienta a oUehta mil bomens, como raflexao qne reoohego devia en ter fello na
um onaro vezes maior io qae todas que a Ame- fnntlo tempo, dlrei aqoi que es comraandantes dos
rica do Sal tem visto. tranports'e vapore^contratados pelo goveruo tem
Seria ama jal fganiesca, trenenda, mi, le'eta
100 chalanas, cada urna para 38 al 40 pragas;
6 pootoes sobre tubos a' Ingteza, cada nm para 150
pragas; 4 lanchdes para 100 pracas cada nm ; 2
chatas ata 400 pragas cada orna.
Ha atiifcomo so v, transporte simultaneo para
5,600 praxis, porm compre observar que nao sao
esses os oceos que sero empregados- Por ordem
do Sr.j^fselheiro Octaviano mandaran se por as
ordawfan chefe da commisso de eogenheiros os
vapore* transporte e retocadores S. Ponfo, l/m-
guay, K>ar, Setemberg, Duqu de Saxe, Volunta-
o da Patria, Genere* Ozono e a lancha a vapor
CoronW Fidelit. .
tal o material dlsposto para a grande opera-
gao, dos exercitos alliados, e se verflad* qne '
Abi appareceu, na margem do rio, o marechal
Ozorio acompado do general Xetto, seus ajadantes
de ordens e o piquete da soa escolla.
Esiaodo o conselheiro Octaviano absolutamente
prohibido, por seus mdicos, de montar a cavado,
liaha-se preparado para S. Etc. ara pequeo tilbu-
ry, no qnal apenas desembarcado emprebendea a
viagem.
As pessoas da comitiva e amigos de S. Exc. iam
a cavado.
O eaminho.. digo mal, o campo que devia aira-
vessar-se era ama varzea, das que o Paran' alaga,
e que ao relirar-se, as aguas se converte em nm
pantano enxato, mas cobetlo de asperosldades e
montculos.
ca"igual a de qualquer oficial subalterno, na for-
ma, e nao moito- maior em tamauno. Tem mais.
nma ramada na. frente da barraca.
Devo a verdad dizer qoe nem o governo^ nem o
ministro brasiteiro tem cerceado os meios ao nosso
general em chale "para que sea qaartel seja com-
modo, e al. ioxaoso, porm os habites de S. Exc. e
certa roaaaita de encarar os devaras do. um ge-
neral eaa campanba tem prevalecido com o Sr.
raareoaal Osorio, e S. Exc ainda bote- lembra-se
de todo, menos de nao ter o exercito, um qoariel-
geneaai digno, e como costnma dlzer-sedecente.
' Segundo as ordens expedida na urde do dia
1S tare lugar a formatora de todo o exercito, para
que elle pdesse ser visto pelo Sr. ministro brasi-
leiro, e dar ao governo sobre seo. estado nlorma-
Viajar em tilbory nesse terreno era qnasi mpos- :eoes pessoaes.
si vel, e nao accedendo o Sr. Octaviano a' indicago. o conseiheiro Octaviano nao tinba impunemente
de mandar-se vir de Corrientes, oa do acampamea-1 feao a sua penosa jornada da vespera, S. Exc. pas-
to outro carro, porque isso faria perder ara ata, 1 soa a noite mal e a febre se pronunclou no dia se-
oeloyVtema <>0P,^tt. wdo Interesse em qne a eusjjiaommag enormes, nem bayia. mel de enter
poz-se a camlnho a p.
Andn assim quasi urna legua, com o sol da Cor-
rientes, as 2 hpras da tarde, e um camino* as-.
pero.
Das cincoentas oa mais pessoas qae all iam alo
havia. talvez urna s qoe se oo mostraste afflicta
com a penosa viagem do Sr. Octaviano, inulto mais
sabenso qoanto elle soffre em soa sao.de : s elle
se mostrava perfeitamente resignado, e at prasen-
telro. Somente a ultima e menor parle do eami-
nho pode S. Exc. fazer m san tilbory.
Sendo o acampamento da diviso ligeira organi-
zada e commandada pelo general, o primeiro que
se encentra por aquelle lado, ahi pararam o Sr.
Octaviano e sua comitiva nm momento. Depois se-.
goiram para o qoartel-geueral.
guite.
Entreunto nao quiz S. Exc delxar de ir ver o
exercito, era que a formatura fosse transferida.
As 5 horas da urde, e acompaobado pelo mare-
chal Osorio com o sea esudo-maior, foi, pois, o sr.
Octaviano no seu pequeo tilbory percorrer a fren-
te de todas as divisos.
A primeira foi a diviso llgelra commandada
pelo brigadeiro Netto, e que torea i m baUlha
apresenuva em linva, pelo 9,0* 9 ale calenlar,
pouco menos d'j 90Q honiens. PaltraUtlella como
300 homens, nd8 M achara empregados tus cava-
lhadas e";ulro3 servias. _.
E!ia roroa, qae teda formad de volonttrios
, rto-graadeBses, a comegar pelo sea Mp*.^06,.6
qaal serve a om auno sem querer pereober xanc-

Nessa mesma tarde teve lagar nn QB,niaowl"venW!. anw brilhante leglio de eavaUaruv, 10-

IIEEtm


^WMp**
<**_-J
BOU
-r^a^
..; y.

re
3rtS
DUrl *e rentable* WabKaeh 14 de Abril de 1866.
=:
das soas pracas sio mogos sabanal, e~raa4tea
vallciros; esl pereitamente armada, e dira tam-
bera unlforousada, se eu podssa aceitar cota* ui-
forme militar esse -chapeo caropeifo (de Braga),
qoe so balito no primeiro dia. Ao seguate ca-
da soldado da-I he ama forma difirante, e... la se
Tai a elegante e severa ooiformidade.
Os cavados Umbem deixavam rauito a desejar,
por qae bavi* pelo meos igual Damero de boas
e de magros a nao supporter ama archa regalar.
E' certo que a diviso tea auita cava I hada de sa-
serva.
A diviso de artilharia era a qae enseguida
ormava em Urna eiteosa liaba, emposta dos ba-
talhdes 1 e 3* de artilharia a p (o 2o acha-se oa
3
Da iO e BMrcr.A esquadra tomou posico
na formatu a seguiote:
As diVKdaftHetk-AaAkacuM do Paran*', em
lioha desde as Tres Boceas at 6 forte de Iiaplr,
colJocando-te aa Wetite-da I taha o Mvk> almirante
a distancia de daas miihas do forte.
A 2* diviso em lioha as Tres Boceas, sendo
testa da Um o enecuracado Barroso.
Dia 21 dti marco.Partiram o* vapora* Toaran-
dar, Aragntry e Hcnrifm Morttnt, tob e com-
raaado do clefe Alvim, para proteger* o reco-
nhecimento hydiogTtpbieo dos prumos, de qae foi
eocarregada urna commisso de officiaes por or-
den do aim rante. Ao passar a diviso em frente
ao forte de Itapir foi sandada por siguas tires
i-MU i-l.ll. _.,
esqaadra) e o 1 regiment de- artilharia a cavallo. qae nao Ihe tocaram.
O 1* batalho tra>a blusa encarnada, o qae, sea-1 Por toda a extensoda eosta eacoatraram-se e-
do talvez pouco militar por prestar-se ao alvo, da- nOas paraguayas cheias de soldados, as qaaes se
Ihe muito brttho na fermatara. refaglavam nos arroyos.
A extensa liaba, de cantujas correspondente a I O canal qae Oca em freate ao. Itapir foi ronda-
esses tres corpos, a dos carros-manebegos corres- do durante tres lloras por escaleres em todas as di-
pondentes, os Uros de bastas (de seis cada um> que reccSes.
os puxavam eo grande pessoal dos tres corpos for- At as 4 botad e 30 minutos seglo a diviso
raavam um todo bem respeiiavel e que Lpez mal rio cima, ehegaado alora do acampamento do
poderia contemplar sera- terror. exerclto paraguayo.
As 5 horas quando regressava tocea a Aragua
ry era ma pedra junte- ilha de Caraja, o que vilisagao flamroeje
obrigou a divisao a- Bear aaqaelle ponto dorante a
noite.
As i horas da madrugada ama batera volante
col locada as Tres Boceas atirou 14 tiros de ea-
nbo sobre o 'Barroso, dos quaes neuhum lo-
cou-Ibe.
Ha um vapor paraguayo edaaa- chatas no canal
entre a Ilha Grande e o forte de Itapir, os quaes
O fallecimeoto do honrado brigadeiro Mello fez i
que o commando geral da artilharia fosse conferi-
do ao Sr. brigadeiro Andrea, o qual se nao tem
toda a nratica do servico de campanba, zeloso,'
iatelligente e lufatigavel no desempenbo de seus
deveres. I
De resto comprovou-o o asseio cem que apresen-
toa saa diviso, a qaal laciniado o corpo de artrfi-
cera tgnma forca de voluntan js da patria que Ihe.
foi aonexada, aprsenla am pessoal maior de 2,600
horneo?.
Depols aa artilharia seguio-se as formosas divi-
sos de infamara.
Appello aiada para a iraaginaco dos leilores,
afim. de 4ispeaiar-me de descrever esse grandioso
painel militar.
Erm como 40 batalboes todos bem uniormis-
dos, soberbameole armados e apresentando urna
firmeza e garbo militar de verdadeiros veteranos. I
era era quasi possivel dlinguir entre os 40
baialhoes os 24 formados de voluntarios da patria,
que creio erara os qae all havia, estando oulres na
esquadra, em Corrientes, e no exercito doSr. barao.
de Porto-Alegre. \
Catre as quaranta bandeiras imperiaes que Que-
tuavam a brisa, bava militas s quem os raios do, Logo qae se tiverem sondado os caoaes e deter-
sol, prximo ao occaso, arrancara ureo brllho. minado as posiedes estratgicas, parece que se av-
Eram as bandeiras doadas pelas suas cidades na- razara' o forte da Itapir, feito que deve tea lugar,
ues aos bravos baialhoes que parta m para a segando se rumoreja, no- 4ta 23.
guerra. | Depois p ssara' o exereilo e ealcula-se que sem
Nao serjsem prazer que as patriticas seoboras falta algoma o mez oo flodara' sea qae osal-
de quem foram taes ole tas patriotas, saberlo qne liados calqum o- territorio ioimigo.
. essas nao cobren agora- as frontes de recrutas mal j E' possivel qae anda avia a- temo novos de-
amachados, porm de vigorosos guerreiros, feitos, talbe-s, oa a noticia de novos e mais, decisivos fei-
na fadigas e prestes a entrar em tremendos com-. toe agora so j obrigado neta partida do paqaete pa-
nales, ra ueoo-Ayres a parar aqui,
Meu-dever e meu nroposito era dar um juizo, I P. S.Olvidei dizer que o Sr. Octavian preteu-
por cerio incompetente, mas. sincero, sobre o esta- [de acoinpanliar lodos os eso vi meatos da equadra,
do disciplinar de nossas tropas, batalho por bata- pelo que estando elleera um pequeo vapor, o
I bao, se fosse possivel; mais, alm de que oa ves-1 vice-al mrame niandou uoi esUoamaato para sira
i deaoraero daquelles cujas peosoes esto
treveroo.M. P. de Souza DasUas.-*fc
lioota.J. Ferreira de Moora.
am poaco. Pazls, porm aquello moita aguaya le*
ve que ir para Corrientes com as bodttisw na miW *
O Alto Parau, um rio dilllcli de savegaf, ai
s pelo pequeo fundo, como po ser atle erlCdo i ------ t,
de pedras e bancos, e haver -rrrrnfliiii,trpn SsarjWB-nos da Parahyba do Sul : Nos das,
Quando todos estes navios desdarse fo*tt*#-** ** rnarco as autoridades policiaes ness
ni esperdlcou mais oito balas. Se proseguem os sr- T'"* procederam a differentes prisSes, e a varias
Wfcelros paraguayos nesia marcha gasum as saa- bascas em casas particulare para descobrlmeato
oicoes sem nos offenaer. | do atores do crlme de inunaecao de nottt-fal-
No da 21 pela maoha ebegoa a bordo do Apa o afreulacio, constando qoo foraa eacamt-
geaeral Mitre, e Bella permaiece* todo o dia a la- J"-'8 ** uma denoocia viada da Vassoarts, da-
da a noite. Poaco depois atrcarm tambera as ge- nraes Osorio, Flores, Hornos, Patela e Neto, e to- S9 aoar encontrado 3:600* poaco mais eu mo-
dos ataocaran cera o visconde, e depais se ocoaea- aos, em aatas de 30 vermeihas, aoja soawsa fdr
inglezas por mel do ministro brasileiro, em Lon-
dres, membronato de cda,ama da directora?.
< 6.* Qual foi o fhn da aUiraa agencia especial
mandada a Landres, qae poderes Ihe foram dados
em relacaq a cada Qma das companhias, convindo
qae se'jam presentes cmara copia das instroc-
c5es e de toda a correspondencia entre o governo
e o seo agente.
c Sala das sessdes, S de abril de 1866. C. B.
Otloni.
Foram oomeados para a depotacio qae tem de
felicitar a S. M. o Imperador pela acto do baptis
rara att tratar dos assamaioda guerra-
Parece qoo flcou deliberado qae no da 15 de
marco a esqaadra arrazarla as fortcacde* toimi-
gas, e que o exercito se aproveitarta do ensejo pa-
ra transpr o rio.
Todo o material necessarjo para a passagem esta
aqai coatprada por 5005 era nota legitimas.
A dtaceocia ne-ta villa fot rgida pelo Dr. Mi-
guel Caleaca (juiz municipal) o Dr. Garoeiro (sa9>
delegado), e cooseguindo-se um importante resul-
tado, capturando-se o principal intredoeior e as
provas-evidenles do erime. Em casa desse indivi
devem nos cabir oas mos no da prximo.
Dia 22 de marco,As 6 horas da manbaa de-
sencalbou o Araguary. As 8 horas encalhou o Ttt-
mandar, e deseocalbo s 10 horas e 20 minutos.
Shio a Mearim com o Voluntario da Patrta pa-
ra reforear a diviso Alvim. O forte de Itapir ati-
rou 19 balas de artilharia naquella canboaeira,
das quaes neniuma acerton.
As 11 horas eslava a Utarim incorporada qoei
la diviso. O forte e as chatas fizeram-lhe dose
tiros de caabo, aqertnd aaeuas orna bala na
rede de abordagem da Mearim.
Aeste momento (10 da maoaa) toda a esqndra
prepara-se para am recoaheeiraeato geral, qoo se-
ra' provavelmente feito debaixodefogo.
prompto, e j reonido no Passo da Patria, occu-, M> QQe osiensivamente vivia do profissao de pbo-
pando-se em reboca-lo varios transportes. of rapho, encootron-se debaixo do travesseiro da
Assegura-se qae de cada vez pode desembarcar asma 4:800,5 e tantos rail ris em notas da mesma
7,000 homens, e que em 24 horas todo o exercito, asnele, dlz-se qae moi bem feitas, com o pequeo
pisar o territorio inimigo. deleito em ora elfrao, mas gravadas era pessirao
Deas proteja aos oossos, e qae a baodeira de ci- papel, que humedecido se descolla em tres folbas
lisacao flammeje em breve naqueilas inhspitas rau' Anas,
praias, afugentaodo della o tigre covarde que boje O introductor pbotograpbo, residindo no cea-
deshonra a humaoldade. lro d* villa, chama-se Manoel Ignacio de Simas. E'
No di* 23 ja eslava na margem do rio ama divi- brasileiro, natural da provincia do Paran'. Com
sao argeatinay e no dia seguiote alli estara todo o este se actra presa a amasia e ora pardo., qscravo,
exerclto alliado, qae costa mais de 40,000 borneas' (lue tem dado a polica, diz-se, importanles escra-
vlidos.
wi^sea- oquaofa, segando me asseguram esta
guarnecida cora 3,510 pracas, e moma 125 peca
de 150,120, 70, 68 e 32, a maior parte raiadas.
No dia 23 ouvio-se de madrugada em nossos na-
vios qae estavaa no Passo da Patria oa fogo vi-
vissimo na aireecao de Humana,, coja causa nin-
gera poda exnhcar, e tem dado lagar a ara miihlo'
de ooBiootaras.
Os navios dagaerr aargentinos niosobiram, por
que o almirante brasileiro os dispensou, sera devi-
da porqu nao sao proarios para bater lortilicacoes
e poderiam arapaihar em vez de ajudw, era oe-
cas i o de combale, indo algum a pique', e obrigao-
do aprestar-lhe soccorro. .
m reeoBiecioBefllo feito no Passo da Patria ja se
adquir*certeza de que alli oo ba torpedos ; exis-
Uro tambera no passo de Humaita t E' duvidoso.
recimentos.
< As prisoss e bascas continuara. Apoliea tem
cumprido seu dever com lino e energa.
-5-
No boave hontem sessao no senado por falta de
numero legal.
Nao obstante foi sorteada ama depotaco de 14
membros para felicitar a S. M. o Imperador por
occasio do baptlsado de S. A. o Sr. principe D.
Pedro Augusto.
A cmara dos deputadbs approvou hontera em
primeiro lugar, sem debate, o parecer da commis-
so de poderes sobre as eleiedes .das parochias de
Itapeoltrim e Cari cica, na provincia do Espirito-
Santo.
or-
ea
4867, em quaalo aa for- promulgada a lei do
eamenio desse xerclcfo-.
- A. hH*m tdvogadas as disposieoes
contrario.
* Paco da cmara dos Sr. deparados. 5 do
abril de 1866t Affjnso Celso.
Foi apresentada a seguiste redaccao :
A assembla geral resolve :
Arb Fica o governo aatorisado para mao-
au-mvrica\iT no amo de oaalquer das facul-
dades de medicina do imperio os estudantes An-
nio da FoBcecaVaaconfteHos, ,|e Rodrigues
mo.de S. A. o principe receranascido os Srs. Dan- j ^rtaVSuota'TSZ" '^'S^Z'h^:
ao o estudaole Bernardo ItMaira de Carvalho:
tas, Souto, Frederieo de Aimeda. Pereka de Brito,
Souza Leo, Araujo Barros. Uma Dnarte, Cesar,
Rabello, Chagas Lobato, Horta de Araojo, Pedro
Luis, Jos Caetamy, Fernandes Moreira", Moraes
Costa, Flores, lavares Bastos, Belfort, Carva-
lho Res, Leitao da Cornha, Burlamaque, Duarte
Brando, Costa Machado-o Barro Pi mantel.
Por aviso de hontem foi nomeado o capillo de
mar e guerra Elisiario Antonio dos Santos com-
mandante da fragata encouracada Luna Barros.
um
Hontem a tarde dero as fortalezas signal de
navio incendiado. Era a polaca hespanbola Do-
rotha, cujo apresionamento pelo vapor Huscar
j noticiamos. Tendo o governo dado ordem ao
coramandaote da esqaadrilha peruana que fizesse
sahlr a presa at as 2 horas da tarde, ama lancha
a vapor da fragata tentn rebocar a polaca, mais
por insuficiencia de forra leve de desistir da ten-
tativa, fondeando novarnente a Dorotha perto da
fortaleza de Villegagnoo, onde a foi lomar o rebo-
cador Prolector, a orna hora, levando-a e a lan-
cha peruana barra-lora.
A lancha a vapor e o rebocador voltaram para
dentro do porto delxando a polaca incendiada oa
altura da ilha dos Paios.
Tratoo depois da i.* dfscasso
approva o decreto qae aposeotoa o co'oselheiro! da, atim de satisfazer a anciedde
O censelewoeiaviano tem sido iocansavel, tem *}* Perreira da Costa Piragibe, director geral
iaspeccioaada e visto eoaaaaaa proprios olbos, no ,da i.'.eontadona geral da secretaria de estado dos
exercito en esquadra, e as JoferataeSes do um n!8cjLdf. 5Qfra_con? orde?a,dAqae.lbe co/nr! f?.2-^i!"_ .rai?ePto te.m sldo fe,tas
observador tac- ratelligente devem ser rani impor-
pera das bataibas poderia ser isso inconveniente,
ialtar-me-hia o lempo. Demais, o juizo leria de
ser qoasi uniforme. i
Todas as nossas tropas acharase muito discipli-
nadas e adestradas, podeodo ao mais estabelecer-se
. a gradacao deesas qaaltdades pojo maior oa menor
tempo qae tiverara de iustrueco.
Todava injusto fora oo meaciooar seqoer oa
tropa de lioha o 6' batalho de iufantaria, comman-
dado pelo teaante-coroael Paraabos, qae deixando
defeza.
Os eeneraes Mitre, Osario ? Flores i estiveram
howem a bordo cojo o vice-almipaote ; o Sr. Oc-
la vi ano leve occasio de encontrar ah o pr imeire.
i asai i
taotes paran pas.
O ateirante est do melbor humor possivel, des-
de qae pude desorabaracar-se das pequeas contra-
riedades que o detiebam, e poda entrar a cheio no
periodo de-aeoae,' que o seo elemento favorito.
Temes agoraoselboe Otos no- horitoBte, espe-
rando por moraenios o vapor que deve-traier a no
ucia da pas-iagem do esercito, qoa1 talvez anda
aqu alcance este paquete. Quando isla nao soeee-
da, consta-nos qae o vapor Hecife-te aena prometo
no porto de Baeaos-Ayres, e qae largar para essa
corte logo que baja algaraa communicacao impor-
taste.
Desta repblica nada posso diaer de notavel. As
eWodes dostapoles alcaldes foraaa adiadas para o
dia 8 do prximo mez, o a imprenea s se tem oc-
cupado cora ellas ? ara combaier a aoaataeo de D.
Andr Lama para representar o saa pata no
Monteideo 28 de marco de 1W.
Bem qae o torwi teoba correspooenies espe- Brasil
ciast da esquadra-e do eiercMe, qae Ihe referem Morrea o Pueblo, jornal pertencente a D. Luiz
detall)adaoiale todos os incidentes das operacoos Magarinos, o ara sea logar a Tnbumla,. que pro-
era vario 8afvipos,doentes, etc.,cor 150 pracas,, mostraado-s-j bem formados dos soccessos, nao metaoo fallar de paliiioa, bos vai ealreter todas
ainda apresentou era Sleira mais de 600. posso comtodo deixar de occa*r-rae-delts, por- as tardes com noticias, aogmeataado para issoo
Nos batalboes de voluntarios da patria coma dei-. qe presenunsente um correspondente ao Rio da seu formato actual,
xar de citar o 4% com mandado pelo Dr. Piobeiro [ Prata, nao acba outra materia para coesprir
a saa
Guimares, que tem sido o o modela dos oatros j misslo de dar noticias.
Principiare!, pois, pelo acenleoisenle mais ira
portante da quinzena, que foi a sabida da esquadra
Lrasileira da porto de Corrientes para-a Tras Bo-
cas e alto Paran', formando na coDflwneia destes
dous rios uma haba de imponente aspecto, qae
tomou o ioimigo iaterameate incomauMcavel en-
tre si por agaa.
Creio qae sllrmei na minha anterior correspon-
dencia, qae foi pelo Kepler, porque perdi o paquete
francez, que a esquadra derla emprehender este
importante raovimento no dia (7.
Com effeito assfm realizou-se e pela forma se-
guale : as 8 1/2 oras da manhaa parti para as
Tres Boceas a 2' di viseo, ao mando do ebefe Jos
Maria Uedrgoes.
Esta diviso se compunha dos navios:
Barroso, com a Insignia do ebefe, Araguary,
hahy, Igualemy e Brasil.
A's 9 horas seguio a 3* diviso, commandada
pelo ebefe Alvim, e na seguinte ordem :
JVih-. .1%-. ~ i... i, ...- imt ,< U*m->m T-
nwjKiari!, 9psnBM e ParnaAjoa.
Uma muinsidade de poro aptnhoado oas bar-
Asua formatura a um dos flancos, obrlgada pe- raneas assistia? a esta grandiosa scena, e acompa-
lo escasso do terreno, fez que em ultimo lu^ar se obava com seusyvotos o triompho das armas allia-
visse a outra diviso de cavalliria, parte de liuha das. Ao lado dfeftes navios segla o transporte
e parte de guarda nacional, que commandada pe-, Cysne, levando S. Cxc. o Sr. conselheiro Octavia-
lo brigadeiro (graduado i) Sanches Brando. Dan- D0, e o aviso a vaporXyndout.
do 6- u circumstancia faoo dessa diviso o mais I a's 2 horas da tarda sabio a 1* diviso sob o
positivo elogio, posto qae, se nao temesse offeoder! mando directo do visconde de Tamandar, qne le-
outros geoeraes dislinctos, eu dina qoe o briga- Vava em saa companhia seo, segando, o barao do
deiro Sanches Brando nosso melbor general de ] Amazonas.
cavallaria. Esla diviso compunha-se dov,Apa, com a insig-
Darei talvez em outro momento o quadro geral Da do almirante, Onze de Junho, com o chete de
da organisaco do nosso exercito ; por boje tenho saude e mdicos, Baha, Princesa com tropas de
batalho-s de voluntarios' e inspira aobre emula-
cao mesmo aos de linha ?
Especiali.-ando-se pela blusa encarnada entra lo-
dos os batalhoes, o que ha de no momento do
combate chamar a atteoco do ioimigo, e consta,
qoe coaio uma nobre recompensa aos esforo s de
sen intelligente commandante e ariosos officiaes, o
general era ebefe desttoa-lbe am dos postos mais
arriscados desde as.primeiras operacSes.
Anda ama diviso qne o Sr. ministro brasileiro
teye occasio de ver, a sem davida de. applaadir
foi a de corpos provisorios de cavallaria, que
commandada pelo bravo brigadeiro Andrado Ne-
v, militar a quem para ser um dos geoeraes do
quadro do exercito s Ihe falta a vontade do go-
verno ; 30 aoaos de ser vicos muito valiosos, a pe-
ricia e a dedicaco ao pan, ba muito que Ihe fir-
maran! esse direito.
Saa diviso toda de Rio-Grandenses de guarda
nacional s no nome : sea aspecto, firmeza, eunz-
a ariam tomar por uma diviso de tropa de linha,
e tropa excedente.
apenas lempo para consignar os nomes dos gene-
raes commandantes de divisoes.
-Nao posso silenciar seos nomes porque eu creio
poder avaocar que se to brilhante o estado do
nosso exercito, deve-se especialmente a esses dis-
tinctos cheles, que cada um por si, e sobre si com-
prehendea a grande obra em que eslava envolvida
sua patria, e qniz dar-lbe o mais valioso concurso.
Eis es; es oomes :
Arma de artilharia.-Commandante genralo
brigadeiro Jos da Victoria Soares de Andrea.
1* diviso (infamara), commandante o brigadei
ro Alexandre Gomes de Argollo Ferro.
2* diviso (cavallaria), o brigadeiro Candido A.
Sanches da Silva Brando.
3' diviso (infamarla), o brigadeiro Antonio de
Sampayo.
4* diviso (infamara), o brigadeiro Guilberme
Xavier de Souza.
4* diviso (eavallaria), o brigadeiro Jos Joa-
quim de Andrade Neves.
O comraercio bespaohol tem estado alarmado
com o successivo aonuncio de corsarios, a para
tranquilisa-lo vo cruzar peridicamente alguns va-
pores da estaco surta cestas aguas.
Temos passado por ama verdadeira calamidade
por falta cfagua. Finalmente a Providencase ape-
\dou deste povo, e ba dous das choveu, se nao
abundantemente, ao nonos da modo a, diminuir a
ioteosldade da secca.
Parece, que o estabeleclmeoto de ama liaba te-
legrapHica entre esla capital e Buenos-Arres ser
dentro em breve orna realidade.
Na vzinha repblica estiveram tambera os es-
piritos agitados aa ultima semana cora as eleicoes
de alguns senadores e depotados para reaevaco
das respectivas cmaras.
O club Libertad fraccionou-se, e o resaltado foi
qoe os exaltados nad poder a m fazer, correado as
eielces plcidamente, e vencendo anda mais ama
ves p boa) soaso do povo, que velou nos candidatos
moderados, qae nao qaerem sacrificar a nace
provincia. J&-0 i
. t. .rr..Wu u< circuiacaO argun uitidxas
do banco da proviatia, de depsitos metallicos, in-
famemente viciados. Onde a qoantidade eslava ex-
pressa em algansmo augmentaran! am cifra, fa-
zendo de cem mil, e assim por diaole, e onde esla-
va escripto em manuscripto supprimiram com ara
sal, e esereveram a qoantidade falsificada, e s
agora qoe o banco dea por esta fraude, que tem
causado seosaco, porque alguns corretores afflr-
mam que receberam assim adulteradas do proprio
banco I A autoridade e o directorio empeobam-se
em descobrir os falsificadores.
Hoove oo dia 19 em Bueoos-Ayres um violento
tufo, que pouco se senlio aqui, e que causou Della
muitos prejuizos.
Do Pacifico o qae consta que de orna batera
petir pela tabella aoaexa ao regulamnto que bai-
xou com o decreto d. 2,677 de 27* de ootubro de
1860, contando-se para esse fio o tempo qae ti-
ver de servljo no exercito, fleando, porm, sem
veocimentos do sold qae, Ihe toque em virtade da
reforma. Depois de algomas observares dos Srs.
J. Madureira, C. Oitoni, Laiz Felippe e rnUHsrro
da guerra, flcou a dtscbsso adiada pela hora.
Occupou-se era ultimo lugar com a contlnnaco
da 2." discusso doorcamento do imperio. Ora-
ra m os Srs. C. Ottoni e Affonso Celso, fleaodo tm-
bera a discosso adiada pela hora.
Foram lidas as redacedes dqsprojectos que ap-
provam as pensoes concedidas D. Anna Lulza de
Mello Brrelo, vinva do eoaselbeiro de estado e
marechal do exercito Jop Paulo dos Santos Barre-
to; a Bernardino falavicino, em remuoeraco de
servicos prestado como pratlco do vapor Amazo-
nas ; ao ebefe de diviso Francisco Manoel Barro-
so ; ao nspecad Jos'Vicente Ferreira da Costa ;
ao soldado de artfice Miguel Luiz da Punficaco;
a Gaspar de Siqaeira, mestre de apparelbo e vela
me do arsenal de marioha db Para; e a Antonia
Marta de S. Jos, vinva de Joaquim Vieira de
Araojo, cam sobrevivencia aos sete filhos menores
que tem.
A hora em que escre t
vemos, 8 da noute, ainda lavra o fogo, que parece PQ"d0* Por falu de numero legal.
ter envolvido todo o navio.
A tardlnha sahlo um vapor de reboque do arse-
Bal de marioha, levando a bordo o Sr. ajadadte
do capito do porto.
- 7
Dtscutindo-se hontem na cmara dos deputados
o ornamento da despeza do ministerio do imperio,
do projecto qae I tomn a palavra o Sr. Carro, ministro da fazen-
da, afim de satisfazer a anciedde que se tem ma-
nifestado para saberse da nossa sitnacao fioan-
ceira, e disse que ha aooos como, notorio,
de um
00 1* anntf da fanldade treolclna da corte os
estodants Jos bnfrtins o% CaYVslho Moaro, Ho-
racio Leal de Carvalho Res, Emilio Machado Pe-
rer B Luiz Paulino Soares de Souza ; no auno
o pharmaceolico da mesma (acaldado o estudante
Joao Adofpho Gurgel do Amara!; no Io anno da
facoldade de direito de S. Paulo o estudante Alfre-
do Carneiro Brando, e no 2o o estudante Ingenuo
Leoncio do Nascimenio Moora.
< Art. 1* Os meamos estudantes, aales do acto,
devero moslrar-se habilitados em todas as mate-
rias exigidas pelos respectivos estatutos, cujos exa-
mes deixaram de fazer.
< O governo levar era coma ao estudante Jos
Martins de Carvalho Mouro os exames de antb-
metica, geometra, historia e geographia, ferlos na
faculdade de direito de S. Paulo.
< Art. 3" Ficam revogadas disposicOes era
contrario.
f Sala das commissoe?, 4 de abril de 1866.
Silva Fercira.Souza Baodeira.
8
Hontem oo bonv'e sesso no senado.
Hontem on boave seeso a cmara dos Srs. de-
modo inconveniente ; todas ellas tem apresentado
dficit; entretanto, acreditando a assembla geral
na possibilrdade de ser o equilibrio entre a receita
a despeza restablecido pelo progresso natural
das fontes da riqueza publica, nao tratoa de crear
rendas que determlnassem esse equilibrio; o re-
saltado nao poda, portadlo, deixar de ser o que
se est presenceanl.
Na propria lei do orcaraento do exercicio corre-
le montara as despezas decretadas em 58,871:000,
desprezadas as fraeges. Contemplando as des-
pezas extraordinarias determinadas, as qaaes se
applicou parle do crdito extraordinario de.....
40,743:000j), porque parte foi empregada oo paga-
mento de despezas do exercicio auterior, e outras
votadas em diversas lei?, que provavelmente tero
de realisar-se no exercicio corrate, e atteodendo
ao pagamento da divida fluctaante, constante de
letras do thesoaro, deve-se contar deste exercicio
com uma despeza de 129,774:0005.
Para fazer face a esta qaaotia conta-se com a
receita de 55,000:0005, votada na lei do orcaraen-
to ; mais 44,444:000, producto do emprestimo de
Londres ; o producto da emisso de apoiices, ef-
fectuada e por effectuar, e algomas parcellas de
outras origens, no valor total de 111,302:0005 -
fas'ar-se.
INTERIOR.
6' divisan (infamara), o brigadeiro Victorino Jo-1 m0nte, Maracan, ltajahy, aurey, e muitos trans-
s Carneiro Monteiro. | portes.
Diviso lgeira (cavallaria), o brigadeiro Antonio. Todos os navios cooservam unicameote seas
desembarque.
A's 2 horas da Urde faodearam as duas primei- de ierra fizeram osCheoos fogosobreas fragatas
ras em Saot'Aooa, e as 4 horas esta se aehava bespanholas, e qae estas viram-se obrigadas a af-
reunida no mesmo ponto.
Duas horas depois de fondear a esquadra> appa-
receu a 5 miihas de distancia, em frente a' forta-
leza de Itapir, e por detras de am poatal d'aria,
am pequeo vapor ioimigo, que pareca espia-la,
no que occupou-se at anoitecer.
Logo que amanheceo destacoo o almirante o
ebefe Alvim no Tamandar, a ver se o poda sor-
prender. Este, porm, ebegou at meia milba de
distancia do forte, e nao o vio mais.
O forte de Itapir estava cheio de gente, talvez
curiosa por ver o primeiro encooracado qoe sol-
cava aquellas aguas. Icaram nelle am galhardete
azul e outro encarnado, qoe seria am signal con-
vencionado, a nao fizeram a menor lio niidade.
No dia 19 incorporaram-se a esquadra a Ara-
guary, Iguass, e Henrtque Martins, e ainda Aca-
rara no porto de Corrientes Amazonas, Mag, Bel-
Nelto.
Brigada destacada aa esqaadra, o brigadeiro
Joo Gullherrae de Broce.
O velho veterano brigadeiro Jacintho Pinto de
Araojo Correa desempeora ao exercito com toda
a dedicaco e aetividade superior a seas anuos o
mastros reaes.
No dia 10 a esqaadra devia sabir, quando cahio
um temporal do sudoeste, com forte chuva e cer-
racao, que nada delxava ver.
No dia anterior o mesmo vapor paraguayo tor-
noa a apparecer, depois qae nao vio mais o Ta-
importnttssmo lagar de chefe do estado-maior> mandar, e fez tres tiros sobre os soldados argn-
Finalmente o talentoso coronel de engenbeiros
Innocencio Vellozo Pederoeiras oo primeiro cargo
de organisaco do exercito, como o de sjadaate
general, tem prestado e presta servicos de mcalcu-
lavel importancia.
Como alo poda deixar de socceder, o conselhei-
ro Octaviano, como todas as pessoas qae assisliram
formatura do exercito, vleram eothnsiasmados,
e eo pela minha parte confesso ingenuamente que
se algurn optimismo na exposicao qne faco, deve
attrlbulr-se a esse mesmo senlimento.
Dame de ura bello e grandioso quando nao ba
olbos que posM perseroiar pequeos deleitas eo
monos la qaiaio ara a fasc4nac3o, depois... ae-
ra' possivel talvet.
Jiodla 19 o cooselhelfo Octaviano, qne con-
tinoava, doente como se aehava, a ser o marlyr da
seas deveres offleiaes, aceitan um convite do gene-
ral Mitre para Ir almocar com elle.
lato deu occasio a qoe S. Exc, cruzando orna
parte do acampamento argentino, qae tica a meia
legua do brasileiro, apreciasse, segundo oavi dalle,
o bem aspecto das soas tropas. Com posto de orna
mocidde rebasta a enirrasiasta, oniformisado com
muito aasaio e perfeKatneate disciplinado, o exer-
cito do general Mitre tac honra a Repblica Ar-
gentina, e promette Iba tantos das de loria como
toataihas se derem aa pteataaa caoapaoha.
Tendo satisfeito os Bos da soa digressio, o con-
aataetro Occavlano reUroa-se fatendo a viagam ter-
restre am aa carro de quatro redas, mas to ipi-
praario para taes viagns, que aMa mais andar
a p.
Isso, junto aa excessivo calor, (es qae o Sr. Oe
taviaoa, qae continuara a soflrer ama lebre iolen-
sa, reembarcaste no sea vapor, eso ora estado aflli
gente, e com aaiaw de retirar-te aa dia segrate
para Buenos-Ayres.
Mas S. Exc. enteadea qae devia ir assistir fts
primei ras opetafses da esqaadra, e de lacio para
aqui parti aoja.
Agora esereverei do mesrao tanroaados sue-
cesso.
Paseo da Patria, em 23 oe mtrao.A sqoadra
brasileira iniciou ja' as saa operagoe .da gaerra.
Forraaoao can oatorza da teas navios duw di-
visSae daa qaaeenma enfrenu a bocea do rio pa-
raguay e a ostra a do Paran, penetrando por ente
at quasi defronte da fortaleza da Itapir, a esqaa-
dra tem em eehee os recorsos Oavites de Lpez.
tlaos qoe estavam apinbados na costa, observando
os movimencos da esqaadra. Apezar de seren de
metrama, a ninguem feriram.
Mo dia 21 conlinuou a esqaadra soa navegando,
e estendeu ama linha desde as Tres Bocas ar a
altura do forte d Itapir, oo Passo da Patria, fl-
eaodo o vapor Apa, em qoe se acba o almirante,
em face desta fortaleza, e o eocourado Barroso, em
qoe esta' o chefe Rodrigues, oa cauda da linha, em
freote s Tres Bocas.
No mesmo dt 21 seguiro es vaporas Tamtn-
daf, Aragudry ti Henrique Martins sob as ordens
do ebefe Alvim, para reeonhecerem os passos do
Alto Paran at ItaU.
N cobdoeira Ataguary ia a commisso ee-
carregada de levantar o plano bydrograpbico do
recoheelareoto.
Esta commisso se compunha do 1 lente Sll-
veira da Moda, secretarlo do almirante ; do Io l-
ente Hooboltf, commandante do Araguary; e do
1* teoeote Cuaba Coato, commandante do IguassA.
Estes navios seguiram at a pona de Toledo, 2
1/2 legoas a cima do Passo da t'atria, execatando
a commisso o servico de qoe Ara incumbida.
Encontrarais omitas candas cheias de soldadas
paraguayos, que se refugiavam nos arroios apenas
os avfstavaor. Virio alm disse, entre n ilha gran-
de do Passo da Patria e o forte do Itapir, ora va-
por a duas chatas cora percas d 88.
Quando est diviso voltava de Sea tnbalbo va-
rou a Araguary sobre ama podra qae fio entre a
liba Burara' e a margem esqaerda do rio.
Este desagradavel successo obrigou-a a flear alli
toda a noite, sem ter sido entretanto bottlllsaaa.
Neste logar em barcn se o secrjtaioSilveira da
Motta e desceu em um escaler para dar parte do
oecorrtdo ao almirante, qoe estava dabi a tres le-
goas.
A's 1 bxn-as da manha do ala Si ama batera vo-
lante collocada as Tres Boceas rompeu fogo sobre
o Barroso e Ihe fez 14 tiros, aae oo acertarara,
o Barroso nao responden.
A's 6 horas da oaaba do mesmo dia seguio .1
canhoneira Mearon e o Voluntari ia Palrta para
ajudar a stfar a Araguary. Naquelle ia o 1* te-
oeote Motta., e n'esta o 1* tenante Tamborn), offl-
oiaea da esndo-maior do almirante.
Esle navio foram saudade ao subir coas 19 ti-
ros, qoe bSo acerlaram, nea tiverara resaoata, '
ando alies ebegaram Ja t Araguar* eslava a
ICIO DB JANEIRO
4 de abril de 1866.
A cmara dos depotados approvou hontem, em
uma s discasso, sem debate, os projectos que ap-
pro va m as pensdes concedidas a D. Cariota Caroli-
na iat Bellegarde, barooeza de Cayr, a Jacin-
tho Jos Ferreira, Antonio Rodrigues, Joaquim
Das Collaco, D. Francisca Thomazia de Andrade
Maia. Joo Baptista Martina, padres Joao Baptista
de A guiar e Francisco Xavier Augusto da Franca.
Approvou tambem era ama s discosso, e era
debate, o projecto que approva a aposentadora coa-
cedida a Joo Antonio de Sepolveda Figueiredo oo
lugar de preparador do observatorio astronmico.
de
cando, portanto, 18,000 0005 de deficU.
Lotroa htmera do Rio aa Prata o pqaete Inglez E* possivel qae o augmento da receita faca di-
Arno com foinas le Buenoff-Ayres at 28, Motite- miouir este dficit. Tarabem pode concorrer para
video 29, e a noticia de terem principiado as ope- j isto a approvaco, pelas cmaras leeislativas, das
ra^oes de gaerra-. providencias contjdas em urna proposta do governo
A 17 de marco a dossa esquadra, deixaodo sof- acerca do baucpflo Brasil, qae Ihes ser apresen-
fletenteraente gawdado o'prto de Corrieote erm- tada segunda-f||ra.
tra qualquer sorpreza paraguaya, sabh> era'Iras I nr todo o calo, para occorrer a este dficit, est
divides para ar tres Boceas fyalff estendea- atoa o goveroo autorisdo a fazer operacoes de crdito
linha at ao Passo da Patria, lechando ao oimgo e pode servir-se deste raeo.
toda acoramaoicalo por agua etr aqaelle pou-: Alm delle, porm, releva contar com.......
to e o rio Paraguay. 4;000.005 de crdito sappleroentar.de qae precisa
A esqaadra recoobeceu toda a margem direir, o ministerio da marinba ; outro extraordinario, pe-
do Paran at algumas leguas cima do Passo'daldld pelo rafnislen da guerra, no valor de.....
Patria, destachdo algans navios para este servigo, 20,000:0005 ; e outro, Umbem extraordinario,
e balisou o canal, sendo em todo este servico ape- talvez de 4,000:000$, solicitado pelo ministerio da
as hostilisada por algans tiros do forte de Itapir agricultura. Resulta deludo isto um dficit no
correle exercicio, montando em 46,000:0005,
embora possa em parte ser reduzdo, segundo fl-
cou exposto.
Para occorrer a este accrescirao de despeza
ladcponcivoJ orear recursos, uts s aogmaDtaO/ln
os actuaes impostes, comq eslabelecendo outros
novos ; nao se pode prescindir da creaco de no-
nos meios para fazer lace ao pagamento dos jaros
das dividas cootrahidas e amonisaco da parte do
capital, alera das economas que cu'mpre procurar
e bateras de trra, Uros que nao acertiram e a
qoe os Bosos navios nem se quer se dignaram
responder.
Ficou a resposta adiada para e dia 25 de mareo,
em qoe. a esqaadra d"u '' u> i^9ie5 paraguayas levantadas margem, fran-
queando^ passagem ao exercito alliado, qae a 28,
segundo se dizia, transporia o rio. Para este ef-
feito havia prompto um immenso material capaz
de transportar de cada vez 7,000 horneas e em 24 -.-------------------. *- w^F.
horas todo o exercito, que passava de 40,000 bo-! 'aier para terem esse mesmo emprego.
mens. A' sombra da artilharia da esqaadra espe-!.. V-se qae a situaco fiaaqceira do paiz mel
rava-se que esla passagem se realizara sem gran-' grave. As despezas extraordinarias augmentara
des perdas da nossa parte. em grande escala e toroam-se muito considera-
A canhoneira Araguay encalhou era pedras no Y^,s- A assembla geral, pois, oo pode desconhe-
rio Paran, e abri agaa, sendo assim obrrgada a |cer a neeessidade de medidas adeqaadas. Nao se
vollar a Corrientes. A caohoneira Mag varoa na
bocea do Atajo. Foram estes os nicos revezes
qae tivemos.
O exercito tlnha principiado a mover-se para o
Passo da Patria, e j oo podia tardar o golpe de-
cisivo.
As operacoes da esquadra, dia por da al ma-
drugada de 23, es nomes dos navios que comp5em
as diversas divisoes, a sua forca em pecas e guar-
nido, bem como quahto pde iuteressar relativa-
mente ao exercito, sua organisacjto, posico e con-
diedes, tudo slo vera minuciosamente relatado das
cartas dos oossos correspondentes, para as quaes
remettemos os leilores.
trata de descutir agora se a guerra fot bem ou mal
intentada ; o que cumpre habilitar o governo a
leva-la ao tira, com honra para o paz, e estes meios
devem de ser votados cora promptido, porque a
guerra nao espera.
A respeito da creaco de novos iaipostos e da
elevaco de outros, o governo prepara trabalo
que em breve offerecer a considerago das ca-
maras.
Alm disto nao pode o governo dispensar auto-
risajo para as operacSes de crdito, porquanlo o
recurso aos impostes nao pode de prompto dar o
resultado de qae se precisa-
Tudo isto ser amplamente desenvolvido por oc-
casio do debate que se ba de abrir sobre a pro-
posta qqe o governo tem de apresentar segunda-
feira : nlo assumpto deque incidentemente se
aa discusso de
O vapor fecife estava em Montevideo prompto
para trazer-nos a noticia da passagem do exercito
apenas ella alli ebegasse.
Uma correspondencia do Pueblo diz que a van- possa tratar, com coaveniencia,
guarda do exerclto do baro de Porto-Alegre esta- qae a cmara ora se oceupa.
va j margem do Paran defrqnte de liapa, e o j Passando a dar uma idea do estado do banco do
grosss do mesmo exercito a-curta distancia, pe- do Brasil e seus caixas flliaes, conforme as ultimas
dendo passar o rio quaodo qaizer, pois tem meios iuformaces que o governo tem, declara qae o
de transporte, e os Paraguayos nao deixaram na Seguiote -
margem opposta seoo pequeas partidas de ob-
servacio. Parecem assim desmedidas as noticias
qae ltimamente nos vieram pelo Rio-Grande.
Havia no Rio da Prata noticias do Chile al 8 de
marco. Segundo uma parte oflicial do intendente
de Chib, as fragatas hespanholas Numancia e
"Approvou depois em 3- diseossao o projeeto que ^^""^1,:" *"*"" I^P^1".,
coacede s flihas dos officiaes do exercitoVarma-! ?lanca .nham _appareCido oo caoal de Cauch,
da o direito ao meio sold oa monte-pio deixado
por seas pas, embora se tenba casado antes da
morte destes.
Approvou mais a redaccao do projecto que man
da contar o tempe de servico militar para
cras da todas as classes que tiverem direito a re- [
Emisso (desprezadas as fraeces. 80,63i.OO0a
Activo : debito do governo...... 18,461:0005
Carteira....................... 69,948:0005
Fundo disponivel.............. 22,033:0005
Besulta, pois, um activo de 110,433:0005 para
azr face a um passivo de 80,331:0005, fleando
am saldo de 29,799:000.
Desde qae o banco tem um sold desta impor-
fuodeaodo a oa 30 braga* d Ierra, no mesmo,
lagar onde antes tinham estado o Villa de Madrid taocia, ainda qae a saa carteira cooteoha, em par-
e a mesma Blana. De noite duas companhias de;le- molos fracos, alguns perdidos, e na maior par-
atiradores chilenos poslaram-se o'ama eminencia d demorada liquidago, parece que o estado do
os"offl- I06 don)inava o aocradouro das fragatas, e ao estabeleciraento ne pode ser reputado mo, nem
i*o a re *l?orecr romperam sobr as goarnigoes deltas' susientar-se qae elle est ralfido.
form- a nrimpira im*i Ambn", offleiai' um foK de splogardaria to bem nutrido qqe os! Cumpre nao perder de vista qae o banco tf
Sadoeexderci.SrpTraraa a'rmada Sfttfti^ > &EsSUttiF^**^ ^^T^'I!!^0.65.a.9 "tvSjtt
Approvou ainda era ama s discosso, com va- r
rias emendas, o projecto qoe aotorisa egoverao a
Junio aqui am extracto das operacSes tentadas.'nado, bem como o tamanr, qoe tinha pegado
mandsr passar carta de nainralisaco ao subdito
portuguez Joo Francisco Nones.
Cootlnnoo era nltimo logar a 2* discosso do or-
camento do imaerw. Oraram os Srs. Mamede e
Barros Pimental, (caneando a discusso airada pe-
la har.
Foi eflorecida a seguinte emenda :
i Art. i. Reduza-se a 1510:0005, supprimi-
da a quaolia da 18:0005 destinada a alague I de
casa, visto ja ae ter effectaado a comprado palacio
para residencia de S. A. a princesa Sra. D. Leo-
poldina. *
1 7. Eteve-se a 12:0005, na Jfrm da le de
28 da agesto de 1*40, por lar de completar 21 an-
uos deidada a 18 dejulho do crrante anno o prin-
cipe Sr. D. Luiz, Albo de S. A. a princesa Sra. D.
Jaoaana.
a Vi. Blere-sc a 170:4905, comprehendida a
qoantla de 6:0605 do venc ment do coosoltor, co-
jo logar ainda nao foi supprimido.
| 17. Rednza-se a 1,088:54!>5980, snpprlmlda
a quantia de .3:6005 destinada ao pagamento da
congrua do fatMMo atao resignatarlodo Para.
a $ 19- Redoxa-se a 169:6005, supprimida a
quaniia de 6:4005, pedida para pagar o veocimen-
to dos lagares de mais deas leales na faculdade de
direito, creados pelos estatutos de 1865, que alada
nao tiverara axeeuaao.
> i 20. Reaaa-s a 200:215*000, supprimida a
qnantia da 20:0985 pedida para eSectuar a maior
despeza proveniente da retorna das facaidadei de
medicina, faite pelos estatutos da laeaVqae alada
ao Uveram eiaeoeo.
1.27. Ulataraa a 15:9*05 para aupraenur de
2:4005 a 3:6005 a consignacio acunada ao ala-
goal da caa para onde so tora de fazer"a mndao-
ea to archivo publico.
J ft^-liadm-MjkjItOOlWa- aaa tarpos da le
da 28 de junho de 186e,airapreuo des trabalbot
encelados da commisso tciectifica.
< Para eaknear onde eoafter; -Aliraanfos de S.
A. a priadfja reeaavaatcl, lw da g. A. a orla-
jittir *-***
g 25. Eiera-ae a-8^>5000 para mait ataco
aos 200 tiros sem faier, cessidade de soccorrer a praca do Rio de Jaoeiro,
mal a ninguem. E' j a segunda vez que a espo- e coosequentemente outras do imperio, na preseo-
gardaria chilena afugenta fragatas hespanholas. o ca da trise que esta' no conhecimento de lodos,
qoe nao deixa de parecer estraobo. Nao podemos, I"'0' Pr isso que o governo vio-se oa contingencia
porm, dar as noticias seno como as acharaos. de conceder ao banco, nao s o augmento da sua
j emisso e a dispensa do troco de suas notas, com
I j o corso forgado destas.
Hontem nao boave saso no senado. Se estas medidas fossem de cbofre revogadas,
A cmara dos deputados occupoa-se houtem em ^oa,*s ser,ara 4s cooseqoeaelas ?...
primeiro logar com a discusso do parececer da .kQ0?e"5,0' l..Preieode solicitar da assembla
commisso de poderes, propoodo qoe se conceda *." medidas legislativas que, maniendo o banco
ao Sr. depatado baro dV Porto-Alegre permisso 'evem lentamente a. redorir a saa emisso as
para continuar na commisso em que se acba como PWCes d le de 1853, Isto ao duplo do foa-
comraandante da 2." corpo do exercito em opera- d disPonive1, de sorte qae chegaodo a esse estado,
ces contra o Paraguay. Orou o Sr. Liberato. _* oa,ra iro> e ce8So curso toreado.
Contionoa depols a 2. discusso da proposta do Empregando pradeoleraeote estes meios, acredl-,
goveroo para a lei do oreamento bo exercicio de tt Pvt*a 1ae resguardara os loteresses da oos-
1866 a 1867 na parte relativa ao ministerio do m- f c'r0e'af- e "'/ w ?nic? I>eleciment
perlo. Oraram o Srs. ministros dos oego*os es- *!i,cf?d',de ran.de. m.f>rianc.a que existe no
trangeiros Urbano.
Ambas as discossoes Qcaram adiadas pela hora.
Foram annunciadas as sagolntes iBterpellac3es-
Reqaetro qae se marque dia, aa forma do re-
paiz, e que data ja' de alguns annos.
niiiir mo iw
Nao houve hontem sesso no sealo, por
falta
glmento, para serem dirigidas no ministerio as se.
guiles iBterpeHaeOes:
1.' Se oo eltesder do governo a faculdade ou-
torgadapelo rt. 5.* da le de 22 de agosto de 1860
Cra conceder aos possuidores das acg5es garan-
as das estradas de ierro a permuta dos seds
ltalos per oatros d divida pblica coosolrdla,_______
corapreoende o poder de dlssDtver as companhias a0 depatado baria
por via d contrato eom as respectivas directo- continuar na commisso
rias.
i 2.* Sa ojfoverao adoplou como principio ge-
ral o dissolaeae das companhias de estradas de
ferro e administragao dos liobas per conta do es-
tado.
i 3.* Se, adoptado o principio e no estado pre-
sente da legislage, pode qualquer encampagio
realisar-se a prego mais oneroso do qae o compato
das acea garantidas permutadas por aplleos ao
par de ambos os ttulos.
4.' Se a aeqaisigao pelo estado da estrada de
(erro de D. Pedro II se filia ao principio mencio-
nado, tendo por iteo carcter de permanencia.
8.a Se experiencia condemnou 0 systema de
intervir o goveroo na dlreccio das compaohias
de numero legal para deliberar.
--------bmbimii ---------
A cmara ao depotados approvou hontem, am
' orna s discasso, sem debate, com varias emen-
das, o projecto que aotorisa o goveroo a mandar
matricular ao Io anno da faculdade de medicina
da corta a Manoel da Astis Vieira Bueno.
Cooliaaoa depois a discusso da parecer da
puera, laropoado aa se conceda
e-Ature permisso para
em qoe se acha como
commaudaora do f corpo on exercito em opera-
oes couira o Paraguay- Oraram os Srs. Martim
Ifaltcisco e'Godoy.
Occupou-se em ultimo logar cmara eom a
contiBoien da 2* discusso da proposta do gover-
no para a lei do oreamento bo eitefilo da 18
a 1867, oa parte relativa ao ministerio do imperio.
Oraram os srs. ministros do Imperio e da faiaoda,
e Nenias. .
Ambas as diseusses ffcaram adiadas pata hora.
Foi apresentado o sfwote prejecto :
roamhlA un imiiIm
A assembla geral retolva :
Art. 1* A le o. 1,148 da 28 de junho da
decretada para oexareiclo de tm afM8, fca-
nuara' em vigor oo anno fioanceiro de i
Por decreto o. 36$) de 27 de margo prximo
lindo foram approvados dous artigos additivoe aos
estatutos da coogregago das irmas de Santa Tbe-
reza de Jess.
Por decretos do mesmo da 27:
Foi nomeado cavallelro da ordem de S. Bento do
Aviz o capito do estado maior de 1* classe Anto-
nio Florencio Pereira do Lago;
Foi apresentado era um canonicato de prehen
da ioteira da catbedral do arceblspado da Baha
o conejo de meia prebenda Carlos Luiz de A-
mour;
Foi exonerado a sea pedido o bacharel Jos Ju-
lio de Alboquerque Barros; do Cargo de secretario
do governo da provincia do Ceara.
Foram concedidas as segointes pensdes :
A D. Bernarda Risa de Jess Simoes, viova do
tenente do 6* corpo provisorio da guarda nacional
Joaquim Lopes Simoes, niorto oo acampamento do
( corpo do exercito em operagoes contra o Para-
guay, a de 425 meosaeS;
A D. Mara Amalla Marqaes de Soasa, viova do
tenente do 54 corpo de voluntarios da patria Jos
Tbomaz de Souza, morto era daofragio as costas
do Albardo, a de 425 meosaes;
Ao atieres de eommisaao 16* eorpo da volun-
tarios da patria Satvagnj Francisco, que lendo sido
ferido gravemente na batalla de Yltahy, flcou pri-
vado de procurar os raaod'de-oa sobtisteocia, a
305 meosaes.
uependendo porm as ditas pensoes da appro-
vacao da assembla geral legislativa.
Da ordem do dia n. 512, expedida pela reparli-
go do ajudante-general, em 6 do correte, extra-
himos o seguinte:
Poblico, de ordem de S. Exc o Sr. conselheiro
ministro e secretario da estado, dos negocios da
gaerra, aa disposicoes a oacorreacws que se se-
guem, afim de qae clieguem ao conhecimento do
exercito e leoham rdevida execuco.
Exonerage.uo Sr. teoeote reformado do exer-
to Joo Bibiano de Castre, do logar de escritura-
rio da repartioo do ajodante general oesla secre-
taria de estado, como reqoereos Portera de 3 do
correte.
Liceogas concedidas.Ao Exra. Sr. brigadeiro
reformado Laiz Antonio Favilla, para residir na
turopa emquanlo o sea mao estado de s-ade as-
sim e exigir.
Aos Srs : 2 cirurgiao do corpo de sade do ex-
erclto Dr. Eroesto Feliciano da Suva Tavares, pa-
ra esperar oa provincia de Pernambuco o resul-
tado do requenmeuto era que pedio a sua re-
forma.
Teoeote reformado do exercito Joo Bibiano de
Castro para residir na provincia da Babia.
Aiferes reformado do exercito Miguel Antcnio
Duarte, para residir na provincia de Minas-Ge-
rat-s.
Elogio.Sendo nesta corte dispensado de mar-
char para a campanba do Paraguay o Sr. tenente-
coronel Pedro Pessoa de Slqulta Campos, que da
provincia de Peroambuco veio ltimamente com-
mandando o 4 corpo de voluntarios da patria, alli
orgaoisado pelos esforgs do mesmo Sr. lenente-
coronel, auxiliado pelos mais cidados que na qua-
lidade de officiaes do referido corpo o acompaoha-
ram para esta corte, e qae com elle regressam,
tambera dispensados do servico de guerra a que se
destioavam em coosequeocia das ultimas disposi-
goes relativas aos corpos de voluntarios da patria
que tornara seus servicos dispensaveis, S. Exc. o
Sr. conselheiro mioistro e secretario de estado dos
negocios da gaerra manda louvar o dito Sr. te-
oeote-coronei por essa prova de sea patriotismo, e
agradecer-lhe ero nome do goveroo imperial im-
portante servico que acaba de prestar.
Condecorago. Foi nomeado gta cruz da or-
dem de S. Bento de Aviz o Exra. Sr. conselheiro
tenente-general visconde de Caraam.Decreto de
17 e diploma de 21 de fevereiro Ando.
Meoagem. Ao Sr. pbarraaceutlco alteres do
corpo de sade do exercito Manoel Ignacio Lisboa,
que tem de responder a conselho de guerra, se
concede a capital da provincia da Baha por me-
nagem. O marecbal d campo Polydoro da Fon-
ceca Quinlanilba Jordo, ajodante general inte-
rino.
Escrevem-nos da Parahyba do Sul em data de
anie-hontem :
< Em addilamento ao qne Ihe commooiquei em
2 do correte, compre-me diter-lbe qoe pessoa
bem informada. e qae vio as notes achadas na ca-
sa de Sima, me assegarou qae ellas ao erara bem
feitas, Bem bem lithographadas, sendo algomas
melhor arranjadas, e qoe fcilmente podiam ser
recebidas por pessoa pooco entendida, estas diffe-
rengas; as tarjas e eofeites sao mal desenliados;
a vista da cidade da Rio de Janeiro imperte i: a;
na palavra pagar falta o acento agudo; o de que
se le dabaiso da referida palavra este torio, Mean-
do o e inferior ao d.
< O jota municipal, aaxHado do1 Dr. Omerod,
subdelegado, tem sido ncansavei no prepara do
processo. Consta-rae qae abjuraos dtligeacias tem
ido para tora ern busca de otros on-ras, denun-
ciados segando dizem, pelo proprio Samas, a seas
compaoheiros na passagem das atea. Algans dos
presos j tem sidp sollos, reeenheeeado-se infun-
dadas as suspeifas, nao Ihe reteriadn os nomes dos
outras para nao Ins prejudicer a repotaeo, poden-
do estar innocentes.
c Consta mais por aqui qoe o primeiro logar
onde Simes exereera a soa todasorta fra Pelropo-
lis, donde ha tres annos se retirara para esla villa
onde assenton quartel, tendo, safando as revela*
ces que sa diz flzera, pasando a somma de.......
200:0005000 por este lugar a povaaedes crrcumvi-
zinhas, principalmente a pravtect de Minas, res-
tando-ihe a quote qae foi encentrada .
iV. B.Na noticia que hontem Cegaos era vez de
Dr. Carneiro, deve ier-se Dr. OnaaJrod.
"DIARIO DE PE
0.
Chegcr trontem o vapor iogle Oaeftfa de Rio de
Janeiro e Bania, coai Altas daqtrelht It* 8, e desta
at 11 o corrale
as parte offictal, exterttr a inteOf eaceotra-
ro os leilores o que d nrals IdtpOrlalteTia ; alm
do qae s encontramos O qae segu.
Rto db Janeiro. Foi publicado pelo mtatstero
da agricultura o decreto 3688 de 27 do pastado,
concediendo auterlsage caNtataate da faz do
Para', organizada era Londres, pHt fatMeitmar ao
Imperio, sob as segaiotes btsaaf-
1> A companhia tica eatSMl ti Ma a rogola-
mentos em vigor, e a quaaaffar oat/os qoe ao fu-
turo foram adoptados ao pao, qoaal .Manto que
nelle forrn prtticados.
t 2a Qualquer alterago dea MtM da com-
panhia oo sera' etecutad* ao I-aparto tara previa
approvaclo do governo Iraaarial
Foi exonerado, a sao pedido, da director fe-
ral da secrataHa don utaJ|gM| i, e da moactor
principal do Dmt Qfaai, cotaalhaiaa Blo
Franco de Almeida.
Em ieabraeoa do joven gatrda-raaitana Li-
' Iraa do comante.de RMahaaea, fai
Lima Barree ao anearaoao Bollo-
vindo da Europa.
_HBaa4ot:
mar a gaerra Etteri AMaaib dos
~BPancoracadoLima Barros.



\
1


;
s
v
<


I
O capellaoda frutal Amazonas padre Fraactaeo
do Garmo Ganes Diosz, eapelli da fragata CtMn-
tllulCO, ""'*
Gerenta intorino.ae eompaania de paquetes bra-
sileiro* a' vapor o eapttao de mar guerra Ber-
nardo Alves de Meura ; inspector dos vapores,
oficinas, trapicho e de todo o aOfvico maritiau>,
Jos Maria da Ceocetcao.
flealisou-se, no dia 3, a 1.a sesso preparato-
ria da assembla provincial do Rio de Janeiro; 0-
cando assira orgapisada provisoriamente a mesa:
Dr. Bernardino Alves Hachado presidente; Drs.
Eraesto Angosto Psretra Joaqutar Jos de Mo-
raes Costa secretarlos.
Nesse raesrao da suicidar-se em Petropotis
o subdito fraocez Joo Baplhta Nicolao.
Eis as noticias eorameroiees, be4att de 7 :
Gambio.Ihcfuindo peqaenas traneaccoes rea-
lizadas boje, sobre Londres a 35 l|l para o papal
bancario e a 23 5|8 e 25 3|4 d. para o particular;
e saques de ais alguma importancias sobre Fra-.
ga 372 e 373 rs., sommam as operacoe para o
paqueta Outida.
f Sobre Londres, cerca de 330.000 a 25 1/4,
15 3)8 e 25 lis para o papal bancario e a 25 3/8,
25 1/2, 25 5/8, 2a 3|4 peqoenas tran*acc5es a
25 7(8 para o papel particular.
f Sobre Franca, cerca (rs. 1,600,000 de 370 a
376 rs.
Sobre Hamburgo, aerea de 300,000 m. b. de
700 708 rs.
Sobre Lisboa Porto vlgorou a seguinte ta-
bella :
120,. 118*/,........... atla. .
t 119 a 115'/............ 30d/t.
i 118 a 114'/............. a60d/r.
117 113*/............ a90d/v.
Drscontos.-.Nao hou ve altera cao.
< Fundos fusucos,.- Ha a notar afleamente
vendas pequeas e apatices de 6 |. a 90 *,.
c MKTjfe. -BMormanwM de 25 de marco a 7
de abrllf
. 0*0. Prala
Destinos. P. Moeda Moeia
Southampten. 60:957|80f>
Lisboa...... 1*7** 300*
New-York... 20:000*--.
Moutivideo.. 10:200*
PrroaiBDtico. -26K)659760
Caf.Nso transpiran transaccJo algama.
Algodao. Nao bou ve vendas.
Sahio para Pernambuco o brtgae Liberal, no
dia 5.
Babia.Fallacdra o Revra. Manoel Joaquim de
Azevedo.
O cambia aegulava : sobre Londres 27 e 27
1|4 d.; sobre Paria 355 rs.; sobre Hamburgo 676
rs, esabre Pesto*al 100 103%.
Sahiram para Pernarabuco : a' 7 o patacho
D. Luiz ; e a' 9 a sumaos Horttncia.
Primeira diseauo do pro/ecto n. 42 de 1860, Anua, Parnambuco, 6 mezes, Reeife; convalides,
sofcre impoatos pr: 0 Sr. Ayres Gaiu ,qner qae n-prc-jeeto em dis- no, vlavs, S. Amonto^, tnesrit?.
ensato, bem comaos de as. t9 < 1864, 70 de Ana Joiqoina deOtlvelrn, Pertmbrjco, finidos,
1865 e 43 deatt auao sejam remanidos a corarais- | solteira; atonto; tMKropItaJ'
so de oreamsnte parasobr* elles emittlr osen Jos, Pernambaeo, 21 ancos', escravo,
EOITIES
parecer, nc qae a casa
Contina a discu *sao
cagefebto.
adiada sobre o projecto e
paraoer que autorissou a reforma do compromisso
da Ordem Tercira do Carrao.
Falla contra oSr. Tavares de Mello.
Verlflcando-se nlo baver casa o Sr. presidenle
levanta a sesso, dando a seguinte ordem d dia;:
seguada discusso dos projectos ns. 24, 31. 40 e
57 destl anuo ; terceira do da o. 42 deste anno ;
hypstlto.
Anna Francisca de Panla, Pernambuco,- tO anno?,
casado S. Jos; tubrculos nulmooajseV
Gertrndss Michelina do Espirito Santo,*Hrnaa"*u-
co, 17 annos, S. Jos; congestio cerebral-
Expisico dos productos aflitelM, ktintrise* e M
obras d'arles de Pertsmbnte.
primeira dos de n. 51, 56 e 59
tiouacao da anterior.
deste anno, e coh-
Papat.
Moeda.
PERIfAMBUCO.
ao
do mor-
REVISTA DIARIA
S. S. o sumo pontilee Pi IX nao eessa da dar
proras insquivoeas do amor paternal, qae vota ao
noiso diocesano, quem ainda ltimamente per vi a
do Navarre dirigi umi tocante e animadora car-
ta ; qne acaba de repetir
vindo da Europa.
A commisso directora da ex posicio resolvea
m sessa > de 4 do correte mez, qae por mato da
repetidos annuncioi se pabllcasse o ?egolnle :
1.* Que segando u ordens do governo imperial
se deve abrir a expsito desta provincia no dia
l.9 de julbo prximo;
2.* Que a recepcao dos productos destinados
exposicao principiar no di 1.* de jasmo;
3.* Qae demora qne bouver na remesa, de
rodados ser nociva a' sua mals confuiente col-
acacao, conforme a respectiva importancia;
4. Que viudo lodos alroeelaaameaie as ves-
P$c*ta*Je^*3 direito
dem d Illa.*Sr. director fee publica a
faltas dos exudantes dadas em margo, e
Toramabonidas om sesso da congrega-
do correte.
t* cadeira Jos Joaquim Alves de Albu-
-; Jos de Araujo Vianna e Almeida 1;
Antalo da Silveira Jnior 1 ; Samuel
Vardmon 1.
~J* cadeira, Ueravindo Gurgel do Amaral
eonuntta a faltar ; Jos Francisso Ucha Cavalcan-
ti 1; Adolpho Lamenha Lias 1 ; Manoel Pedro
Cardaso Vleira contina a faltar.
*A cnogregagao nao tomou conbecimento dos
(actos relativos a' 1* cadeira do 3 e 1 do 2* por
o baverem comparecida os respectivos lentes.
Secretaria da faculdade de direito do Recifo 13
de abril de 1866.
Jos Honorio Rezerra de Meaezes.
Secretario.
A reesbedoria de renda internas geraes por
autorisaeao do Illm. Sr. inspector da thesoararia
de ssenda> venda a grade de torro que existia no
interior da steaou reeabadoria: os preteodentes
podem dingr-se ao respantivo administrador.
Racebedoria de Peroarabaco 13 de abril de
ISfld,
Manoel Carnelro de Souz Lacrda.
DECLARACOES
E, nao satisfeilo de tal demonstrago, chelo de peras do dia da aberrnra da cpoelgao, nena se
boudade, dignou-se agora de enviar com endereeo p6de calcular o espaco que elles rtqqerem e se! JT" LJ"
a digas mi de S. Exc. Rvma. urna pbotographh, dever apromptar, jan aze.sb/fs*|ir;f-oro- KxDOSlCHft (M)- lirOflllO,tOS l-
sob a qual da sea proprio puuho escreveu estas doctos, esriacanil-oTWoandToYwP^nea.to- P^VJW 5 pTVtlUtlV!5 a
gncolas e mdustriaes da
4SGKMBLE4 LEGISLATIVA PROVINCIAL.
SES^ ORDINARIA EM 10 DB ABRIL DE
1866.
PBSSIOK.VCU PO 8B. VICARIO FRANCISCO PSDRO DA
SILVA.
As 11 'horas da manhaa, feita a chamada,
veritica-se a preseoca dos Srs. deputados Francisco
- Pedro, Ramos, Ayres, Buarque, Sergio, Emigdio
Manju -, Augusto di Souza Leo, Jansen, Burgos,
Arminto, Correada Silva, Tiburtino, Cicero, oj
Taixaira, PaesdoAndrade, Soares Brandio, Lopes
Machado, Amona, Eptmioondjs, J. Reg Barros,
Jos do Reg Barros, Mergulba, Joaquim Tavares,
Costa Ribeiro, Soulo Lima, Correa de Brltto, Jero-
nymo, Amyntas, Candido Martins e Gitirana.
Ahre-se a sesso.
Li;--i: e approva-se a acta da sesso anterior.
O S. 1 Secretario 16 o seguinte
EXPEDIENTE.
Um oficio do secretario do governo, remetiendo
outro qae presidencia dirigi a thesouraria pro-
vincial, pediudo um crdito supplementar para
cjuiiuuag;i do orcimeato.A' cummisso de ornamento.
Outro pediudo um crdito complementar pira
pagameuto do qon se est a dever da primeira
presiago das obras da casa de detencio.-V com-
missai/ de orcamento.
Outro, remetiendo a informaco da repartigo
-das obras publicas sobre a preteuco de Vicente
L'ns.'A' quea fez a requisigo.
Urna psticao do advogado e do escrivo do cri-
rn: de lguaras?. soiliciiando o pagamento do que
Un ala a dever a cmara muaiclpal d'aquella
villa.A' commisso de orgamento biuuiuipai.
Oatra, de Igoacia Maria do Carmo, pedindo que
sa mande pagar o que Iba deve a cmara munici-
pal de Oliuda. A' commisso de orgamento muni-
cipal.
Oulra, de Antonio do Reg Pacheco, portelro da
escola normal, pedindo augmento de ordenado.
A' commisso da ordenados.
L-se urna proposta de Jos de Vasconcellos, of-
fereceudo-se para fazer as publicagoes da assem-
bla por 3:500* annuaes. A' commisso de po-
lica.
L-se, entram em discusso e sao approvadas as
redaccOes dos projectos ns. li e 25 deste anno,
este ultimo com urna emenda do Sr. Baarque.
L-se um parecer da commisso de legulagao,
Indefenodoa peiico do ex-flseal dos Afogados.
Appruvado.
Uuiro, da de ordenados pediudo nformagoes
regedor do Gymnasio sobre a pretengo
domo. -Approvado. .
Outro, da mesma commisso, defenndo a peti-
go dos empregados da secretaria da presidencia,
e que conciue por um projecto (te le. A' impri-
mir.
L-se e apoia-se um projecto da le do Sr. Lopes
Mchalo, regulando a n-calisaeo dos gneros im-
portados de outras provincias. A' imprimir.
Outro, do Sr. Amorim e outros Srs. diputados,
reunindo a Caruar a freguezla de Quipap. A'
imprimir. .
L-se o projecto de flxaco de torga policial
apreseutado pela respectiva commisso.A' impri-
L-se e apoia-se um projecto do Sr. Joao Tei-
xeira, aulorisando a constraeco de urna estrada
que se ramitlque na do Pao d Alho.-A imprimir.
Um reqoenmento do Sr. Joo Teixeira, pedintfo
diversas nformagoes ao governo sobre o contrato
da eupreza de illuminaco a gaz. E' approvado
com um a idiiivo do Sr. Buarque.
Falla pela ordem o Sr. Paes de Andrade, que
conciue propondo que se nomele ama commisso
para examinar a assoclacao dos artistas.
Oraui subre o reqaerimento os Srs. Joaquim la-
vares, Buarqjm-fl.Joao Teixeira.
Vem a masa m substitutivo do Sr. Joaquim Ta-
cares propendo que se peca antes um relatorlo so-
bre o adiado da associagb, e urna emenda do Sr.
Joo Teixeira para qae o exame verse sobre os
resaludus que lera colindo a provincia da snbven-
cae qne da aquelle estabelecimento.
Encerrada a discusso o reqaerimento appro
vado com a emenda do Sr. Joo Teixeira.
O Sr. presdeme nomeia aos Srs. Paes de An-
drade, Soares Brando e Cicero Odn.
raliam pela ordem os Srs. Costa Ribeiro e Joao
Teixeira.
ORDEM DO DIA.
Inslruccdes por ella dirigidas a todos 0 cidad&o
que julgou poderem contribuir para a exposigioj;
Ihes roga que prescindindo de convites especiaos, [
contribuam para esta festa industrial; em cujo bom!
ou mo xito vo de algum modo es bros da pro-
viucia.
Sala das sessSes da commisso directora da ex-
Bosico em Pernambaeo, | de-abril de 1866.
M. Buarque de Maceo,
Sacrelario. .. i
mera ora veis palavras Gloria matris, films atente.
sapiens. 6." Qne ao agente designado pelo eoasmlssario
Estova brilhantemente Iluminado o- pago classijcador, o Sr. Dr. Gervasio Rodrigues Cata-
episcopal a Soleda le na qninia-er ultima, anoi-, pello, te devero entregar os producto no palacio
versano da eoiradi triumpbaate em Rom de S. o. d governo do referido dia i." de juoho em dun-
Pio IX. te, e desde as 9
Com fsto manifestou S. Exc R?ma. 0 regosijo da. tarde;
seu trigjpela voita do agma pdjstiaee a cidade
elera de sao desierra um Gaeta.
As auas pmisoes, qnando annnnciavatods
em fosto ultimo I publicagto daalaboas comps-
raztvas do Sr. Jos Aateaia Bornee iaaior, acaban
de reaJisar-se litteralmente. Poneos mezas apenas
sio passados, e j o Sr. Gomes Jnior se v obriga-
do fazer salr do prlo urna secunda tiragem das
suae Nerves de syslema mtrico, agora augmenta-
das, e divididas em duas partos, de accor do com
os padrtes siabeleeidos ulumagsento pelo govor-
no: a primeira contendo explicagdes clarissimas
do novo systema, applicado as velhas medidas de
extenslo, peze e capacidade, com numerosos exem-
plos e casos, para uzo do commercio e estagijas
offlches: segunda expondo o modo da saber-se
n'um momento o importe de qoalquer namero de
arrobas, libras e oncas de qualqaer mereadoria, a
um prego dado, azendo-se uzo das respectivas
taboas, Kjdependente da enfadonha regra-de tres
eomposto, a que no caso contrario serla indispon-
savel recorrer-se.
E os clculos engenhosos do Sr. Gomes Jnior
sao semsre eomoanhados da urna contra-prova
pela operaco inversa, para ibes dar o rigor ma-
thematico de que necessitam.
As taboas que ornam a broehura sao desta
vea 27, em lagar de 11 que tinba a primeira edi-
go, e o trabalho completo do Sr. Gomes Jnior
agora quasi tres vezes raaior que o primel-
ro. Por urna simples maltiplicagao ou divisao,
chega.se a coavertar rpidamente a nnidade mais
complexa do anligo syslema as unidades actuaes
de metro;, litros a grammos a suas respectivas
fracgSes.
Se da primeira vez aconteceu que as Nocoes do
njsUma mtrico fosseoj consumidas pelo publico
em to curto espago de lempo, as acreditamos que
agora, refeito e remaniado trabalho como se
acha. com urna paciencia exlregaa, sero poneos os
exampiares que o/Sr. Gomes Jani >r ter feito es-
tampar, para satisfazer a anciedade com qae a
nossa praca e as outras provincias do imperio es-
peravam por semelhante publicagao. E' este o
maior elogio que possa fazer-sa utilidade a im-
portancia da brocaura que de novo asaiMCiamo?,
a de que damos os parabens ao Sr. Jos Antonio
provincia.
A commissSo Incumbida de dirigir os De-
horas da manhaa at a 3 aa goefof da xposif;5o desta 'provincia, previ-
6.- Que a todos os expositores se passar recibo oe ^f1'81*81e desejareiii concorrer com
da seus productos, declarando, conforme elles de- 03 8WS productos a oesma exposicSo, 6
terminaren], se o destino do objecto xposto dei- qae alo o' posara fazer por falta de recur-
xado ao arbitrio da commisso, se deve segulrpara Sog, que devem diriair-se ao secretario di
togeoXK%da%^~r,eSUU,daa0,XPOSUr' C0D?SS^ P?m obtrm osauxiHos neces-
7. Que podend tar succedido que nao tenham saT'V acquisicao das ojaterias primas des-
chegado a seo destino algnitras das circulares e tin das aos ditos productos.
Sala da commisso 19 de marco de 1866.
O secretario,
______Mafioel Buarque de"Macado.
Tribunal do commercio
Pek secretaria do tribunal do commercio de
Pernimbneo se faz publico qoo em sesso da mis-
mo tfikaaal de II da correte foi i
Publcaos a pedido
considerado va
go o offlcio de corretor desta praca, que exercia
Fredence Lopes Guim.iras, o quat o abandonou,
e qna a flanga prestada em favor do mesmo cor-
retor persiste por seis mezes, contados desta data;
e qna flca.marcado o praso de 60 dias, para dentro
dalles Se habilitaren) os concorrentes ao referio
Agua de Florida de Marray & Lanman.! offld.
Na verdade cousa estraoWe liar riAJS&gftg tnbaDal do commerci de Per'
mirar que este delicado e precioso perfume.'
tendo sido manufacturado mais de vinte
annos exclusivamente para os mercados da
quer imposicoes e fraudes, toroa-se necessa-
Gomes Jnior, aomo um dos homens delbera, que r0 0 pedr.8e a agua genina de Mttrratj e
qne mais srveos ha prestado ao commercio entre ^Jg ^^ ^^Q fle eMmar
e ver que ditos nomes se achcm inscriptos
sob cada envoltorio, letreiro e garrafa, pois
a falta dos mesmos prova evidente de sua
falsidade.
Vende-se as pharmacias de Caors 4 Bar-
bosa e J. C. Bravo & C.
margo de 1866.
O offlciat-maior
' ^^____^ Jallo Gulmaraes.
A cmara mn'icipl dsta'cldade,*"tendo de
America do Sul, e das Antilha8,:e astimado contratar aarboriaeo da mwnra, iris diversas
por toda a populaos d'America hespanbola W" ecaea. e bem asaim.em aigumas ras, cen-
e P^ ; j ~ I vida a qoem se quizar encarregar deste servico a
em preferencia a toda asmis essencias e reHPtor sua proposta no paco municipal em o
aguas de chairo, S a pouco Tiess ser fi- da II de crreme as i i horas da manhaa.
nalmente introducido pela vez primeira neste
paiz depoig de to largos annos de existen-
cia O affirjco e louvaval promptido que
as nossa bellas patricias mostraran na adop-
Co de mesma, prova que as .eahoras hespa-
nliolas-, as quaes a preferem a propria Eau
de Cologne, Dio d5o mais qne um justo
apreco delicada pureza do artigo.
Gomo um nieio preventivo contra quaes
nos.
Hoja se extraWr a 21 parta aa 6' lotera
i :>!'), a braeQeio do iheatro de Santa Isabel, sendo
o maior premio de 6:00.
A sabida do vapor Paran, da cOrte para as
as provincias do norte, foi transferida para 10 do
correte.
Pelo ministerio da justiga, declarou-se ao
presidenle de Pernambuco qu Jos Gomes Coim-
bra, tabellio do registro geral das hypotheoas da
comarca do Rio-Formoso, nao obstante a soppressao
dos outros offlcio por elle exercidos, por sso que
o ti i n i ii iie Kerventnarin vitalicio dasle, deve
para o Asylo ie Invlidos
ua corte, at 7 do crreme, a
ser uelie manti
A subscripgao
da Patria, eleva-se
m-.omim.
O vapor Mamanguape, da companhia Pernam-
bucaua, trouxe jornaes ao Cear at 5 do crreme
mez.
Apenas encontramos no Cearense a seguinte
noticia:
t Durante todo o mez de margo ultimo reinou
nesia cidade a epidemia das cmaras de sangae,
molestia que lem feito numerosas victimas, e con-
tina a grassar,estendendo-se a algumas povoagoes
da costa.
t Agora mals urna outra epidemia se sapporta,
a febre amarella, que se desenvolveu na ultima
quinzena de ma-go, a vai acommettendo os estran-
geiros e as pessoas do interior da provincia, aqu
recentemeete chegadas.
t Tendo-3e desenvolvido no seminario episcopal,
onde grande o numero de rapazes nao aclimata-
dos, S. Exc. Rvma. mandn fechar as aulas, facul-
tando a sahid dos collegiados, alguns dos qnaes |
lem procurado abrigo as casas de seus corres-
pondentes, e vo sendo acoramettidoa oom fu-
ror. .
Temos qaeixas de que na Capunga sao norri-
velmente incommodados e damniflcados os donos
de sitios, em consequencia de alguns moradores
terem convenido aquelle ponto era lugar de crea-
gao de ovelhas, oabras e porcos, que ludo invadem
e destroem.
O Sr. fiscal qneir* verificar isto, e dar a devida
providencia.
Da mesma loclldade nos communicara a
existencia de um vendelbo, que, por morar em
ra amiga, entende dever demorar aos criados,
que vo comprar a sua casa, delles indagando
oesse interino sobre vida dos senhores a
amos. Ora, nao sendo muito caridosa tal curiosi-
dade, bom ser qae se elle abstenha de praticarla, Patacho hespanholAdWb-idean.
COMMERCIO
13 de abril.
Ai 3 l| horas da tarde.
Algodo 1' sorto 18*100 por arro*?-* -
Algedao de Maceloposto a bordo 17l00, 17o00
175600 e 17*700 por arroba.
Acgdes do novo banco de Pernambuco200}000
por cada urna.
Cambio sobre Londres90 div. 17 1|3 d. por
1*000.
Cambio sobre Paris90 div. 350 rs. por franco.
Duboureq Jnior,
Presidente.
Silveira,
Secretario.
Nevo banco de Pernam-
bmeo.
O Novo Banco desconta letras a 12 por cento
ao anno, toma dinheiro a praso fixo ou em conta
corrente pelo premio e condigoes que sa conven
cionar. e saca sobre a praga da Baha
Novo Banco de Pernambuco.
o novo banco paga o 16 dividendo dc
razo de 60150 por acc5o.

:
Ultima discusso da emenda ao projecto n. 93
deste anno, Approvada sem discusso.
Uultiraa discusso das emendas ao projecto n.
34 deste anno.Approvado sem discusso.
Terceira discusso do projecto a. 8 deste anno,
qae conceda ama licengade um auno ao professor
da Baixa Verde e outra ao director da escola nar-
mal.Approvaflo sen debate.
Terceira discusso do projecto n. i& deste anno,
aagtoseatondo o ordenado dos professores da escoto
normal,
Vem mesa ama emenda do Sr. los Reg
Bmto, elevando igoalmeole e ordenado do direc-
tor da i ns trcela nofeaca.
Falla contra-o projecto o Sr. Costa Ribeiro.
EaeerraaY diecasean a meada approvada,
ficando preso a projecto al segunda discusso
ara diaensso da projecto n. 57 dene aono,
antoiisando diversas crditos supplementares.
rado sea* sonsso dispaaiado o inters-
ticio a D3dtdo do Sr Buarque.
Primeira discusso do provecto n. 48 deste anno
autorisando a reforma do regulameuto da secre-
tara da preatdeaoto. Approvado sem debate.
Primeiradsseunaao do projscto a. 43 desta anno,
regalaado o valor sobra qoe daveca ser pagas' os
dlreitos prd*raeTes.
O Sr. Bu^rqna raajaar o adiamanto da dieensaao
por li horas, tol na talar presente o anlor da
projecto, a qoa asase, ewsajan.
Segunda discusso do projecto n. i| daale aaaa,
anmliaads a sapsiinio inanriiHa iraTsinia trirnt
a soasa da 3:000*
Fallara sobra a materia 03 Srs.
Cerrea da Brtll
LM^Majaaea
fazendo por despachar as
rapidez.
E' este um conselho que l mesmo da Upunga
Ihc do; e parece-nos que elle o deve tomar, para
evitar talvez maior desgosto.
Solicitamos a attengo do Sr. fiscal respecti-
vo para o neceo do Falco, eojo estado de imraun-
dicie tai que torna aquelle ponto um verdadeiro
foco de infecgo, alm de vedar o transito at.
REPARTIflAO DA POLICA.
Extracte da parte do dia 13 de abril de 1866.
Foram recolhidos casa de detencio no dia 12 do
corrente :
A ordem do Dr. delegado da capital, Manoel de
Barros dos SaBtos, e Manoel Francisco de Paula,
vindos da Escada, destinados ao reerntamento.
O chafe da 2* secqio,
* J. G. de Mesgutta.
Casa di dbtenijao.
Movimento dacasa de detengas dodia 12 de abril
da 1866.
Existlam 382, entraram 2, sahlram 9, extstem
363.
A saber:
Nacionaes 252, molheres 10, estrangeiros 30
mulheres 3, eseravos 66, escravas 3, total 363.
Alimentados a custa dos cofres pblicos 188.
Movimento da enfermara do da 12 de abra oe
1866.
Teveram alta:
Thiago Alves Ribeiro.
Candido, menor.
Antonio Joaquim Alves Pereira,
Leonardo, escravo do Dr. Bernardo.
Pereira do Carmo.
Lourengo, escravo de Jos Mala.
Passagelros do vapor inglez Otutda,jwnao
do Rio de Janeiro e Babia: Fehx Banoet wjwa,
FTMMS6Q iim.a>IWlailaal-aaVMpK*a(-
*1e?um pv*So**W/oaue norias intrmedios
no mesmo vSor: JCSl'WW IWei, Ma"^'
McBdb BrtKD, Josena**fla djCouceirto e 1 fl-
ua menor, Antonio Jos de KaialMes Basto a i
criado, Mal Hemburger Joao Bernardo dos Res,
Francisca Pereira de Maa*jqca RJcato B^ejw.
Antonio Correa de \ ascQUCttos, Migttet Ltgopre e
surfamtrta.
KMmtwa pcauoo, outa*iu na da 11 d
t-Hmmk. U.^IIHiasKoBaa-Viet t
7dtoa,^.Jos; aapisino.
ortufal, 1 aaixns. casado,
Descarregam hoje 14 de abril.
Brigue inglezCantos dem.
Brlgue inglez John & Elisabethideca.
Brigue inglez Har Belldem.
Galera nacionalMisde/todem-
Brigue nacionalMarinho //charque.
Brigue portuguezS. Jos idem.
istenna ae prawmrw, Patacho hespanholAMtdidean-
freguezes com mais j Sumaca hespanhote-^iJi*iup*-^a>m.
Barca inglezaTravetlertarjaba de trigo.
Patacho sueco 3/io/--farlnha de wife.
Barca Ingleza Unton farinha de trigo e mais ge
eros.
Barca .-agieraAnne Kay mercadortas.
Barca francezaGuitlaume Tell -mereadorias.
Vapor inglez Cassinedem.
Brigue ioglezTitaniabacalho
Barca inglezaAlexandre -carvlo.
Barca Inglezatiaranhao idem.
Barca ingleza-Wtffl'Manaa "IdasjK
ALFANiaMA.
Rendimento do dlaTa 12....'. 38b75*826
dem do dia 13.............. 32:629*i3l

As condigSes para o eentrato achara se na secre
taria da referida cmara, ende se (acallar aquel-
es que pretenderen) contratar o mesmo servico.
Paco da cmara municipal do Recite, 4 de abril
de 1866.
Lniz Jos Pereira Siendes,
Proprwideote.
.., Francisco Canuto da Boaviagem,
'__________________Secretario. _______
CQMPANfHA PERNAMBUCANA
Tendo os legtimos proprletarros das acg5es des-
ta compaBhia abaixo mencionados, declarado qae
bavlam se deseacamiRhado da sen poder as de na.
886 a 895 e 2786 a s7u0, pela gerenci a da Compa-
Bhia- Pernamhucana e por ordem da directora se
declara qae da data desle a 30 dias, a vista da
requisigo dos msalos Ihes vo ser entregues no
vas aceces de Igual numerago em. substituido
aquellas que Ucara asslmsem valor algum,
Pernaibuco 14de margo da 1866.
_____ O gerente~P. P. Borgea.
COiaiElO GEH4L
Pela adminisirago do carreio desta cidade, se
faz publico que em virludeda convengo postal
celebrada pelos governos brasileiro e francez, se-
o expedidas malas para Europa no dia 13 do
As carias sero rec<*jjdas al 2 horas antes da
qua.fOr marcada para a sahida do vapor; e os jor-
naejat 3 horas antes.
Aamimstragao do crrelo de Pernambuco, 9 de
abril de 1866.
,il O administrador
Domingos dos Passos Miranda.
^AdraioisiracSo do correio desta ci-
dade precisa de seis homehs para o servi-
co de caminheiros : quem estiver nestas
circumatancias e quizer-se engajar dirija-se
a mesma. ___________________^____
"^"De~ordem do Illm. Sr. inspector d thesoura-
ria de fazenda desta proviocia, se faz publico a
qaem interessar pos.sa, que amanha 13 do corren-
te, tomegaro na referida thesouraria os pagamen-
tos das pensSes do Monte-Plo dos Servidores do
Estado, vencidos at 31 de margo ultimo. Secre-
taria da thesouraria de fazenda da Pernarabuco,
12 de abril de 1866.
Servndo da offlcial-maior,
Manoel Jos Pinto.
Consellio de compras Ravaes
(i conselho promove no dia 17 do corrente mez
a compra dos seguintes obiectos do material da
armada : 20 arrobas de estauho era verga, 100
Relaeo das cartas tajaras vindas do
por iaglaz Ooeida para os senhores
clarados:
Carlos Kraaetoco Soares de Brito.
Francisco Antonio de Abran Pereira.
Joo de Frailas Barbosa.
Joo Rodolpho de Miranda.
Luiz Jos da Silva Guimares.
Marques Barras & C.
Miguel remira Dias da* Santos.
Manoel Angust Candido Pereira.
Maooel Joaquim Lobato.
Pedro BaphaeJ do Amor Divine.
Dr. Tiburclo Raysando da Silva Tavares.
lava-
aixode-
THEATRO
DE
S. ISABEL.
EHPREZA-COMBiU
SabMo 14 de abril de 1866.
Representar-se-ha c drama em 5 actos
0 SOLAR DE MONTARGIL
Dar flm o espectculo a comedia em 1 acto,
oreada de cabio
0 pai e o noivo.
Os Srs. asslgnantes tem preferencia aos seus
camarotes e cadeiras at o da 13 do crrante.
Os bilbetes esto a venda no lagar do costme.
1 Comecar as 8 horas.
AVISOS MARTIMOS
coi
IP.1XIIIA BR.4KILEIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do sal esperado
at o dia 14 do corrente o vapor
Paran, commandante o capito
da fragata Santa Barbara, o qual
depois da demora do costume,
seguir para os portos do norte.
Desde ja recetem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder cooduiir, a qual devera'
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frele al o dia da sahida as 2 ho-
ras : agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de An
onlo Luiz de Oliveira Azeveoo A C
C01PAMIA BKAS1LEIUA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portes do norte
at o da 17 de abril o vapor
Cruzeiro do Sk(. commandante Al-
coforado, o qual depois da demora
do eostome seguir' para os por-
os do sul.
Reeebem-se passagelros e engaja-se a carga que
o vapor poder conduzir a qual dever ser embar-
cada no dia de sua chegada ; encommendas e di-
nheiro a frete at o dia da sahida as 2 horas :
agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de Antonio
olz de Oliveira Azevedo & C._____________
COMPA.NHI^ERNAMBCANA
DE
Navegado costeira por vap*r.
Parahyba, Natal, Maco, Aracaty e Cear.
O vapor Mamanguape, com-
mandante Belmiro, seguir' para
os portos cima no dia 21 do cor-
renta as 5 horas da tarde. Rece-
be carga somente al o dia 20 :
encommendas, passageiros e dinheiro a frele at
as 21 horasdQ.di da sabida : escriptorio no.FjrteJ
"Para o Aracaty
O hiate Dous Irmaos, para carga trala-se com
Tassolrroos ou como Sr. Quintal no trapiche do
algodo.______ ________________
Compaohia Pernambucana
DE
Xavegafo costeira por vapor
Aracrj e escalas.
O vapor Parahyba, commandante Martins, sahi-
ra' para os portos cima no dia 14 do eorrenle as
5 horas da tarde.
Recebe carga somente al o dia 13, passageiros,
encommendas e dinheiro a frete at as 2 horas da
larde do dia da sahida : escriptorio no Forte do
Maios n. 1.__________^________________
Para o Para' preteodeahir em poneos dias
o patacho PARAENSE, por lar o seu carregamen-
to quasi prompto, e {un o piuco que lhe falla tra-
ta-se com o consignatario Jaaquim Jos Gongalves
Beltro, na roa do Vigario n. 17, Io andar^___
Para Lisbia a sahir al ao dia 11 do corren-
te, o brigue portuguez Udador de primeira classe,
recebe alguma carga miuda a frete : para tratar
no escriptorio Amorim & Irmaos, ru da Cruz n.
3, ou com o capito Jos Gomes Avellar._______
_Tpara o Rio de Janeiro pretende sahir em
baodejas torradas, 100 travetai de qualidaee com ig veleira galera MINDBLLO, por lar
32 palmos de compnmento e 6 a 7 polegadas de 5 carregameoto traudo e para resto
grossara, 60 chapas de ferro Low-moor cora^ 35 jw fe|u e es*r!l^s a fre,e
bous commodos
oblla de amarello, ora ternas, 2 eandieiros
a gai a ouirad _rai tos objectos da gasto.
Hajaasl aart
Rwa 4a Cadela aa-aero 8.
O agente Maxtros W_' lel'So por conta de urna
pessoa que se relira para tora da pwviacia des
obtoetos!cima mendanados. :
- ---------*,--------------------.
IEILAO
Do armazen de malhados a ruada
ftaagel a. 73, io ilulaa fiaral.
Cordelro Mlmea
por despacho do Illm. Sr. nr. jnlz de direito espe-
cial da commercio, levara' pela segnada vez a lei-
lo os generas, arnuco e mais pertenees do esta-
belecimento cima dito, servndo da bae a offerta
obtida no leilo paseado, Isto
Terga-fr-ira 17 do corrate
as 11 horas em ponto no mesmo estabelecimeato.
LEILO
De urna taberna.
Quirta-feira 19 do correte.
O agente Pestaa fara' leilo por ronta e risco
de qaesa pertencer da armago, gal, gneros e
iitencilios existentes na taberna MM na ruado
Codorntz n. em nm oe m compradores : quarta-feira 18 do crrante" patas
10 horas da manhaa na mena taberna?
AVISOS DIVERSOS
aos <:ooo ooo
Quinta-feira 19 de ewreate m;z, se ex-
traliir a i1 parte da l1 lotera (38). a be-
neficio da matriz da Villa Bella (se antes
desse dia ti ver seguido para o sul o vapor
brasileiro qne se espera do norte), send a
extraern no lugar e hora do cosame.
Os bitbetes, meios e quintos cbam-sa
venda na respectiva thesouraria, ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 6:000000 at 10&O00
serao pagos urna bora depois da extraerlo
at as 3 horas da tarde, e os outros depois
da distribuico das listas.
As encommendas sero guardadas so-
mente at a noite da vespera da extracto.
O ibesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Antonio Joaquim Ferrfra Porto, retirase
para Europa._____________________
(Lili m!\41!Bl!(;\0
Domingo 1S do crreme haver reuns
familiar.
Deseja-se comprar ou aforar 50 pal-
mos de terreno na largura com fundo pro-
porcional na Soledade ou Caminho Novo : a
tratar com o solicitador Barreo na ra da
Concordia sobrado n. 13. ^^_^__
Joo da Silva Ferreira vai para tora da pro-
vincia.
Felisberto Monteiro da Cunha subdito por-
tugnez vai a Portugal.


ESTRADA DE FERRO
DO
Recife a Sao Francisco.
417:704*977
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Voiumes entrados ceta fazendas...
com gneros...
Volumas sabidos cci
t com
i fazendas,..
gneros....
139
274
"lio
1,0o*
413
1,180
GE-
ps da cemp'ptmetJ, 4 polegadas da largo e 9| 16
de trossnrav martinete de ferro de 2 a 4 tonela-
das, 100 pares de chinelas, 10 lanternas da paten-
te, 10 dazias de rimas chatas, 10 ditas de limas
meia-cana de 12 a 20 polegaaas; 4 arrobas de pre-
gos ripares de cobre, 4 arreb*e da pregos da bate!
de cabr, 60 (ravas de qualidade de 32 a 34 palmos
aejjmprtmentoe 8 a 9 aole*a_* de grosera, 80
travs de qaaiidade de 40 a 45 palmos de empr-
mente a 8 a Delegads de grossura, 15 duzias de
taba de assoalho de louro. 12 ditas de taboas da
assoalho de amarelb, e 10 ditas de taboas de forro
de amarelio.
Promove o conselho a compra sob as condi-
{5eso estjrlo a. vista de propostas qae con-
Tids&rjs pretenda_tes a apresentarem no referido
dia 17 do correarte mez at as 11 horas da manhaa.
Sala do conselho de compras navaes de Fernam
buco i3, Aleaadre rtoaXgnes dos Aojos
Secretarlo._________
Tresnal do conmercid.
Tila secretaria do tribunal do commercio de
Pernambuco sa faz publico que nesta data fleam
reilstrados:
V contrato de sectodade de Antonio Ferreira da
SJva Mala. Manoel Alves Correia e Narciso Jos
Monteiro. estabelecido nasea cidade com negocio
para o que tem
. trata-se com o consignatario Joa-
qa\a\ Jos G'oncalves eltro.na rna do Yigarian.
7, primeiro andar.
LEILOES.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
RAES DE PERNAMBUCO
Rendimento do dia i aII..... 9:749*247
ldamdodial3............... 843*104
l592#321
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimento do da 1 a 12...... 44:437*2
dan do dia 13 .........'a.* i
3:96#144
48:*33#414
dheiwto oproj
i__________Ll-
WOYlWErlTO DO Mlfflt
Navios entrados no da 13.
Rio de Janeiro e Babia-* as, vapor Inglez On-
da, da 1372 toneladas, commandante P. M. wo-
olcot, equipagem 111, carga dlffarentes gne-
ros.
Uter>eor-*a dias, brlgw inglez Bita Bruc, de
IOS toneladas, oapilaa H. LigMbody, aqatoaaem
9*arga fazenda* e outros ganaros; a MritoU-
tbam & C.
. /Vario sahida no mimo Ha-
Santhampton a portas inerj^Ji-vapor laftac
Onrida, cotntnandanto P. l.woaicott.
De movis, looca e ooIps objectos.
HOJE
No armazem a ra da Cadeia do Recife nu-
mero 29.
CORDEIRO SIMES
fara' leilo de quantidade de movis novos e usa-
dos, louca, campotelras, garrafas, copos, calixes,
eandieiros, reloglose. outros. muitos obiectos de
gosto. '
i,i:iLi
De eerca de 300 libras de carne fi-
nada daSuissa.
CORDEIRO SIMES
por conta e risco de quem pertencer fara' toila
decercrdeaed-etantajHbras de carne ramada
da Suissa, isto
No acmzem a ra da Cadeto do Recito a. 19.
LEILO
de fazenda,adb a firma 4a Monteiro Crrela &
C, e com o capital de 18.000 para o qual entra o
socio Maia com 14:800*000, o socio Monteiro com
2000*000 e o socio Gorreia com 1:200*000 de-
vendo a mesma sociedade dorar o espaco de lem-
po que decorrer de 12 da tovereiro do correte au-
no al 31 de dqierobro de 1868 faturo.
O papel em qua Jos Joaqqim. da Cuaba a Gul-
roerme Jo da Soasa, declara toe aspirado o
prazo que bvia sido marcado para a sociedade
que tinham celebrado.anisa firma de Jos Joaqun
daContia dHC. a>#taa mesma liquidada.
Secretaria, 6 de abril de 1866. ,
ll 111 1 O offlcial-maior,
u jojio Guimaraes.
Pela mesi* secretoria se toz tambera publico,
a nesta data Oca registrado o contrato de soej-. __ _--
>, dne por tempe de 3 abos contados do da | datorro (cofra) tombem m a*arta
SrTdeicnrrenie, eelebraram Jlo Eangelista gada.
Si, joi Pernandes Gomes e JoSa Antonio M
lorim, eslabelecidos nesta cidade' toro negocio
fazenda, sob a Orina da Sa, Gomes & C, da
Upedttionsar asdaak primeiro* para todas
transacfoes da sociedade a o atmo somente
p>rasaccar letras dasdavedoree e reoeblmeatos
qne efTec, om o capital de 5I:1**300, para
o qual entra q socio S eom WvOOOOOO a fa-
seodas a dividas do estabelecimento, o anejo Gemas
cm 83J|O0, oo socio Amorim om t:M3|7iO,
sido dos seus ordenados como caixeira? .do or-
^sicrSirta, f do abril de 186g.
OoJwal-toWr,
JuUo Goimiraes.
De fazendas avaadas
HQJE.
PbippsBrotheraAC.faroleilSo por ioterven-
co do agento Pmto e por eoota e riseo de quem
nertencer de differentes faaendas inglesas avaria*
das a bordo da barca Idgleza ORION, as 10 horas
do dia cima dito em sed armazem pra?a o eor-
Bm ooottauacao vendara' tambem urna burra
d'agua sai'
LEILAO
De ferrsmtnlia compleU para funileiro & i
relogio de ouro 'com cadeia.
Ht)ts4i korw
No armazem araj da Cadeia n. %J.
LE1UO
loa, 1 eartalra, 1 espelbaf raode, i>*atorto
Mea. i taalnarto. noajoaa, 1 pumo odi
elstica, 2
Conso-
eom
bu moderna,
fe^ira(Brariagem, 4 qtudrnav i oama, 1
Domingo 13 dr abril de \8fifi.
Alm dos trens ordinarios de passageiros hve-
r neste dia os segointes espe:iaes :
Tres trens de idi de Cinco Pontas a' Prazeres, a
saber :
As 9, 10 e it horas da manhaa.
Quatro trens de volta ds Prazeres a" Cinco Pos-
tas, a saber:
As 4 e 5 horas da tarde e 7 e 8 da noite.
Esses trens pararo em Afogados e Boa-Viagem
tanto na ida como na volta.
Os bilhetes podero ser comprados desde a ves-
pera na estacao de Cinco Ponas.
Escriptorio da superintendencia, Villa do Cabo,
12 de abril de 1866.
G. O. Mano,
Superintendente.
Declaro pelo presente que cornprei aos Srs.
David Bloch & Irmio (joalheiros) ornas argolas de
brilhanies pela qoanlia de 1:200$, e teodo vindo a
pra$a tive occasio de mandar avaliar dias argo-
las qne no maxirao foran avahadas por. 300$, fa-
go publico a presente dectaracao aftra de prevenir
os incautos e fazer sciente aos Srs. JJloch & Ir-
mo que a venda que. me fizerara foi conforme a
lei a domina de leseo inerme. Declaro em lempo
que dando o objecto comprado- e mais 4009 nao
quizeram estes senhores destazar o negocio! 1 I
Recife 12 de abril de 1866.
Joo Paes de Almeida Lins.
Precisa se da urna ama de leite, qne seja de
bons costume-: na rna da Croa n. 8.
Precisa-se de alngar urna escrava para todo o
servido de urna casa, embora nao saiba cosinhar
nem engommar quem tiver para alugar dirija-se a
rna do Hospicio n. 38 para tratar.
Precisa-se de tira trabsihador demasseira, na
ra Direita padaria n. 69.
Precisa-se de um copeiro para o-serrico n'uma
na
roa do Trapiche
casa eslrangeira j a tratar
n. 3 primeiro andar.
Na praca da Independencia a. 33, loja de
"> preciosas,
Beoda, e
onrives, compra-se onr, f rai, iP_#as preciosas,
lqner pora waneomr
e tambem sa fas qua .
todo e aualquer concerto__
Precisa-je da om hosaeu) para trabalhar em
nm sitio e que anteoda de ccrlar ipiso, na roa
Dlrejta n. 69. ________,______________
O comnaendador Antonio Jos de Ma?lhes
Basto, pela aolecipada obegada do vapor Oneida,
na qual segu boje para Lisboa, nao leve lempo
para despedir-se de todos oe seos amigos, pede-
Ibes, pois, que desculpem essa tolla rovolontari*
e offerece-lhes os seus servieos em sboa ou em
outra qoalqaaraarte ear-qne sa sehsr na Bnropa.
__Henriqoe Jos dos' Santos 'estabelecido eora
padaria na ra Direiu n. 128, tendo retirarse
para tratar de sua saude beleeimeoto com lodo o pertenees, toada dous
fornos, qa^m quizer dirlla-s ao mesmo que se ta-
ra todo o negocio on eom Joo Ffreira da Silva
na mesma ra o. 106; asuro como roga a todos os
seus devedores de rirem 6o ^raio de 18 dias sa-
tisfaerem seus dbitos do contrario serao cobra-
dos judicialmente nsto 6 mesmo ter tambem cora-
promissos a satisfazos
Precisa-se de urna eriada para o ser-
vico de pouca familia.; na roa agosta n.
5, primeiro andar.
ferava.
wecisa-sa alagar ama aasrava oara o servico
de urna casa de muito pouca familia : na rna aa
Coucordia n. 34 sobcada>ia>art9azem do sol, paga
bem sendo boa a escrava.__________
Precisa-se da nm calxairo portuguez de 18 a
20 annos, cera bastante pratti* de taberna, dando
Panga a sua conducta^no pateo da Penba n. li.
~_.~oTbaTxo assignado tendo de retirar-se muito
breva gara Europa, e nle podendo per falta de
lempo despedirse pessoalmente de toaos es seus
amigos, em fase-to presente, e Ibes peda deeeolpa
danrhlta, e a cada am ofTerece o sea limitado
prestimo em qtilquer.pita >auda n daatino o pos-
m
*
\

4m
:_H>>'ii


am
wm
.ata
. .
*

Diarlo de
#baio 14 m 1M4I 1866.
GASA DA FORTOi.
Aos :000^000.
BUhete* garantidos.
A* RA DO CRESPOS. E CASAS DO COSTME'
O abaioassignado-vendeu dos seas muito feh
zee bilhetes garantidos da lotera que se acaboo
deextrahir, a beneflcio da Santa Casa de Mise-
ricordia para canaJisco d'agna e gaz no hospital
Pedro li, os segualas premios :
N. 1986 dous quintos com a sorl de 6:000*.
N. 3924 tres quintos com a sorte de 4:200*.
N. 1337 tres quintos cem aserte de 500000.
E ontras muitas sones de 10#, 40*, e 20*.
Oenossoidores padem vir receber seas respec-
tivos premios sem os descoatos das leis na casa
da Fortuna roa d Cpaspo n. 23.
Acham-se a venda os da 2* parte da 6a lo-
tera (37-) dotbeatro decanta Isabel, que se ex-
trahira" sabbado 14 do crrante.
PRECO.
Bilhetes.....6*000
Meios......3*000
Quintos.....1*200
Para as pesseas que canprarem de 100)9000
pasa cuna.
Bilhetes.....5*500
Meios......2*750
Quintos.....1*100
Manokl Martins Fiuza.
PH0T0GRAPHI\
Na raa Direita n. 114, lo-
ja de onrives
compra-se ooro e prata e relogios velbos de todas
as qualidades. paga-sebern.____________
Gasa tara alagar na Capunga
Alagase ao sobradiuho na roa das Pernarabu-
canas na Ca panga, tem 4 salas,.5 guarios, cozinba
ra e copia', e mais 2 qnartos galiobeiro, e todo o sitio morado, aeabado de novo;
a tratar com Antonio da Silva Rasaos na roa da
Prala n. 78 ; o preeo commodo.
O iiscal ea freguezia de S. Jos faz publico
para conhecimento de qoem interessar, que de
boje em diaote se vender' no mereado publico
desta freguezia, todos os dias das 6 .ioras da ma-
nhaa as 6 da tarde, farinha de Santa Catharina, a
200 rs. a caa.
Jerooymo Jos Ferrara
iffii mmmmmmmm
Dr. Iguacio Alciliades Vellozo.
MEUICu
RUS DA IMPBBATBIZ N. 48.
Trata especialmente das molestias sy-
pbiliticas e de chancas.
mmmmmm mm**mMM#
i
i
Precisa-se de ama ama para engommar:;
na ra do Brum rj. 72, primeiro andar, pa-
ga-se bem.
~ Precisa-se alagar escravos por mez ou sema-
nas a 1* por dia : quem pretender contratar di-
njase a ra Direita n. 66, segundo andar, das 7
as 9 da manha e das 3 as 6 da tarde.
Precisase de ama ama para comprar, cosi-
nhar e engommar para casa de punca familia, pa-
ga-se bem a vista do sea trabalho : na ra larga
do Rosario o. 21, primeiro andar.
mmummfMmmmmmmm
|K Precisa-se de urna ama para cosinhar j(
g em casa de homem solteiro : na ra do S
Vigario n. 24, Io andar.
ABTISTiCA AMERICANA
RA BO IMPERADOR N. 38.
Artista americano
Artista americano.
Artista americano.
Artista .americano.
. UetratosfRelratosRetratos.
iEm. porcelana Niepcotypie.
Em .lencosArchrotypie.
' Em vidroAmbrotypie.
Em metal=Daguerreotypie.
Em papelTalbotypte.
No grande sallo da na do Imperador n. 38
No grande salao da ra do Imperador n. 38
Neste estabelecimento tiram-se retratos
em todos os systemas, com asseio e promp-
tidao, desde as aove horas da manhaa
at as einco da tarde; assim como tem
sempre a venda grande sortimento de cai-
ras finas de diversas formas. Qaadros
ovaes Patsepartoats e todos os mais ob-
jectos e prodoetos chmeos, relativos a ar-
te e recibidos ltimamente dos melhores
foroecedores de PARS e Nova York, tendo
de tudo, para todos esgostos e para todos
os precos.
Salao da roa do Imperador n. 38.
Salo da roa do Imperador n. 38.
Arrenda-se urna padaria peno da praca, me-
nos de mela legoa, bem afreguezada, e montada
em todos os seus pertences : na ra de S. Gonca-
lo n. 26 se dir'.
GUIA DO VIAJANTE
Guia Lu
LUSO
DO
Ignacio Manoel de hemos
Obra Importante para < pessoas que'vo viajar
a Europa, assim co:no para aquellas que desejam
veS US^ JSFu SS Va *** W5
de se na lavraria "
Santo Adi nio.
VAKELLl
Cantos e phantaslaa.
Um volume in 12." impresso e en-
cadernado em Pars: em casa dos
edictores
LIVRARIA FRANCEZA
N. 9 Ra .do Crespo N. 9.
Test meato
Achoa-se o de D. Joaquina Rosa de Carvalho,
que pode ser procurado na travessa da Madre de
Dos n. 11.
Desappareceu do colleeio do Bom Conselho o
escravo Galdido. irelado, o qual fui vestido de calca azul de qaa-
dros miados, camisa branca e bonet : quem o pe-
gar e levar ao dito eollegio, roa da Aurora n. 50,
ser gratificado)
Na ra do Rangel n. 9 precisa se alugar nma
preta escrava que salba cosinhar e engommar.
_ LIVROS ~
BE
PREPARATORIOS
LINGUA INGLEZA.
HILLARD'S-First ClassReader. in 12.
MOTTA Grammatica pratica da lingua
ingleza, in 8.
SADLER Cours complet de langue an-
glaise.
JUS^5(WirB franrais-aaxdaia
SPIERS Dictionaire francais-anglais
anglais fraocaisj 2 in 4.
OLLENDORF.Methode d'anglais, in8.
RUSSEL Curso de lingua ingleza, se-
FABRICA A VAPOR
99 mtk 0 MONDEGO 99
Deposito na roa Hoto ai. so loja de relofoeiro.
Delouche donos deste estabelecimento partecipa ao respeitavel publico que sua fa-
brica est montada com as melhores .machinas qoe existem na Europa, e que pode
fabricarcom melhor perfeicSo possivel. Todo o chocolate desta fabrica est garantido, e
puro, o qoe nao se pode encontrar naqoelle que vem de fra, e que se vende por preco
baixo, vate os productos serem do patz. Na etiqueta tem sempre urna guia.
- PRECO.
Meia libra. ."....... 400
Urna libra......... 800
Urna arroba .,. ... 19,0000
Na mesoia fabrica acaba de, se montar urna oficina com serrara a vapor para
obras de marcineiria propria para edificio, para o que encarreg i-se de fazer portas, ja-
deUas, assoalbos (parqu francez como se usa na Europa,) earmacSes. tudo com brevi-
nade eperfeicao. Toma-se qualquer encoawBenda para fra da cidade, entregando-se
prompta a collar-ge no lugar.
DE
COELIfO fc FKEITA*
Econmica, defronte do arco de
Criada.
Precisa-se de urna criada q-ie saiba cozmhar e
azer as compras no mercado para casa de urna
moca solteira : a tratar na ra da Roda, em fren-
te a cocheira prxima a ra de Santo Amaro 2
andar.
VIEIRA Dictionary of the englisb and
portuguese anguages, 2 in 4.
WALKER -Pronuncing di> tionnary. in 8o
NA LIVRARIA FRANCEZA
N. 9 Ra do Crespo N. 9.
AMi
a
Albums para photograpbia, albums em
branco para desenho, colleccSo de photo-
graphias: formato grande para quadros, for-
mato para albums.
NA LIVRARIA FRANCEZA
N. 9J Ra do Crespo N. 9.
Ama de leite.
Precisa-se de ama ama de leite : na ra da Ca-
de la n. 1.
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros marilimos so-
: tire navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias :
Inania do Vigario n. 4, pavimento terreo.
de ama ama : na raa dTCraies
%o comuiercio.
Nestes dias vai ama pessoa bem conhecida a' Ga-
meleira, Rio Formoso, Serinbem, Baneiros, Agua
Preta e Trombeta, e encarrega se de algamas co-
bran^as nestes lugares com interesse razoavel;
quem precisar d parte na loja do Sr. Gaspar Ao-
tonio Vleira Guimaraes, na roa -do Qaeimado u. 1
para ser procurado.
Precisa-se
n. 24.
Precisa-se de um moleque que nao exceda a
16 annos : na ra da Saudade, segunda casa nova
do Ellas Baptista.
Antonio Joaquim de Mala, subdito portueuer.
retira-se para fra do imperio._________
Precisa-se de ama ama que compre e cozinhe
para urna casa de ponca familia : na roa nova de
A' livraria Econmica, defronte do arco da San-
to Antonio, acaba de receber as seguales obras, e
vende por precos commodos :
Bibliotbque da Mdectnpracien on resume s-
nral de toas les ouvrages de cllnique medcale e
chirorglcale, par une societ de medicin, pubhs
sour la direuoa do docteur Fabre, 15 volumes.
faoide de Mdecio-praticien ou resume general
de patbologle interne et de thrapentique appliqas
par Vallen, 5 volomes.
Traite de Patbalogie externe et de medclne ope-
ratoire avec des resumes d'aoatomie des tissus et
des regios, par A. Vidal (de Cassis) 5 volumes.
Hlstoire de la geaeration de l'bomme, par Gri-
naud de Caux, et Martin Sant'ange, 1 volme.
Diccionario de Medicina Domestica e Fpular.
por Lagaard, 3 volumes. '
ito de Medicioa Domestica e Popular, por Cher-
noviz, 3 volamos.
Guia Medica, pelo mesmo, 1 volume.
Pede-se encarecidamente as pessoas que de-
ram roupas para Ungir na casa a roa da Impera-
iriz n. 67, qoe as renbam buscar no praso de 15
das coudos desta data, do ecntrario serlo vendi-
das para pagamento do trabalho do abaixo assis-
Recife, 12 de abril de 1866
O abaixo assignado. tbesoureiro loterino da
Irmandade de N. S. da Soledade da fregaezia da
Boa-Vista declara que a festa annunciada na Re-
vista Diaria de bontem, deve entenderse na ca-
pella propnamente dita, com o nome de Nossa Se-
nbora da Soledade, e nio na matriz da Boa-Vista,
e a festa no domingo 18 do correte, com ladalnha
na vespera, festa e Te-Deum, como se acba annun-
ciada na Revista Diaria de bontem.
- _______Manoel Ferreira Ramos.
Ra da Cruz u. 16,
Continua a haver diariamente^un sortimento de pastis, podins, bolos inglezes,
empadas etc., etc. Os donos deste estabelecimento, aebam-se as melhores condices
de poder satisfazer encommendas concernentes sua arte, em consequencia do socio
Freitas ter sido administrador chefe de algumas das principaes fabricas na corte, sendo
urna a do Sr. Joo Goncalves Guimaraes (confeitaria de Lelo) antiga casa de Carceller.
Todos os trabalhos sao differentes dos que se fazem em casas particulares.
Os proprietarios deste estabelecimento n5o se tem poupado a despezas, nem se
pouparao, se houver concorrencia como esperam ; tendo continuadamente bom sorti-
mento de doces para cha i presuntos e ditos em fiambre, tambemse recebem para se-
rem preparados ; assim como doce de caj novo superior, secce e crystalisado, dito em
calda em latas hermticamente fechadas, podendo durar annos em perfeito estado.
Para jantares e partidas recebem-se encommendas dos seguintes objectos; ban-
deijas ricamente enfeitadas sem armaco pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, pes de l enfeitados com disticos anlogos a qualquer fim; dilos montados,
kechs simples e eBfeitados com fructas ingleza; gatheaux de la reine, ditos de le d-
chese, tortas de fructa, massa folhada; ditas de peixe e carne; cremes e doces de ovos
de differentes especies.
Tambem tem um completo sortimento de vinhos engarrafados, como sejam: vinho
do Porto superior, Figueira, Madeira, Lisboa, Cberez, Bordeara, Champagne fino, ser-
veja, licores, charopes e conservas. Para festas: bonitas caixinhas com amendoas, con-
fetos e mais enfeites. Muitos destes objectos mencionados podem-se perfeitamente ac-
ondicionar tanto para a provincia, como para fra.
. h K FIGURAS
Acanam e receber bonitas figuras para bandejas de doces, sendo grupos para
baptisado, casamento, annos, ditta a phantasia, bonitos enfeites para bollos e circular pra-
tos de doces finos, tudo por precos razoaveis.
Vende-se licores em duzia muito em conta.
PARA A OARESMA
Acabam de receber G. Paes do Amaral & C.
t 5 RA DO CRESPO 5
Antiga casa de ullherme da Silva Guimaraes
Ricos cortes de vestidos de gros-de-naples preto, com lindas barras bordadas.
Moire-antique preto em cortes e em pecas, liso, ondeado e com palmas.
Gros-de-naples preto, de diversos precos e larguras.
Gorgorao preto, fazenda superior a todas pela qualidade, e bonito tecido.
Este estabelecimento
acha-sesortido com numerosa quantidade de filos pretos, de algod5o, de linho e de se-
da, manufacturados em
ckales
retondas
algerienes fbournus)
anamites
atricaines
ompadour
DE FANTHASI
.;? Re$eberamJ tambem bonitos cortes de popeline de listrs de cores, e matisadas,
muito modernas, de gostos inteiramentenovos; e outras muitas fazendas de gosto, vin-
das pelo ultimo vapor. 6
G. P. DO AJHIRAL C.
5 AROD CRESPO 5
1:119*300
3:9124600
11:208*200
30:256*000
80:331*060
A NACIONAL
Companhia. geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORIS&DA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1850
Urna flanea em dinheiro, depositado nos cofres do estado, garante a boa ad-
ministraco da companhia.
BANQUEIROS DA COMPANHIA* DIRECQO GERAL
O Banco de flespanha Hadrid : Ra do Prado n. 19
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos seto
os sobre a vida. *
Nella pode se faier a stAscrlpgao de maneira qne em nenhum cass mestoo por morte do-
legorado se perca o capital nem os jaros correspondentes a estes.
Sao to suprebendentes os resaludos que prodazem as sociedades da ndole deA NACIO-
AL,qae anda mesmo dimlnuindo ama terca parte do interesse urodUzido em recentes liqoida-
coes ecombinando-o com a mortalidade da tabella de Depareieax qae adoptada pela comnanhia*
5ariaAn82U8CaJlculoseiiqaida?5es' em segurados de idade de 3 al9 annos, ama Imposiclo annua.
de 100*produiem effectivo metlico: v v """**
o fim de 5 annos......
> de 10 ......
> de 18 .......
de JO ......
M .. de 15 ......
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis
Prospectos e mais inormaeSes serao prestadas pelo sub-director nesta provincia,
oaqnim Fioz de Oliveira, roa da Cadeia n. St, ou a Boa-Vista roa da Imperatrii n. lS,.estabelef*
____________ment dos Srs. Raymando, Carlos,Leite & Irmo.
TINTR ARaT
AO GRANDE S. MAURICIO
^^ Tinglr, 1 Impar e lustrar a vapor.
F. A. SALN GRE & C.
29 Kua 7 de setembro 29
Defronte da rna nova do Oovidor (Rio de Janeiro)
Os proprietarios deste estabelecimento, o primeiro do sen genero do Brasil, por
trabalhar com as machinas mais aperfeicoadas para Ungir e lustrar, de que se faz uso na
Europa, eajudados por alguns dos melhores officiaes de Pars e Ly3o, ptdem assega-
rar seos freguezes urna perfeic5o do trabalho, a qual seoo pode chegar pelos proces-
sos ordinarios. r
... Jifem lavam> hmpam e demofam com a maior perfeico e brevidade qualquer
qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem molhar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de homens.
DE
FAZENDA E ROUPA FEITA
HIJA MOTA M. 4.
Reg & Moura, proprietario da loja de fazendas e roupa feita, sita rua*Nova
n. 24, yerdadeiramente penhorados e reconhecidos para com seus amigos e freguezes,.
pela aceitaclo e confianga que delles tem merecido no curto espaco de tempo em que
se acham estabelecidos e perfeitamente escudados na sinceridade dos seus tratos, decla-
ran para sciencia daquelles que o quizerem hoorar com seus oflScios, que, em vista da
grande concurrencia que tem merecido o seu estabelecimento, especialmente no que
relativo a roupa feita; acabam de admittir para a sua officina de alfaiate maior numero
de artistas, inclusive o seu contrameslre, dirigido pelo hbil meslre Lauriano Jos de
Barros, o qual n5o se poupa a exforcos para satisfazer com a presteza possivel qualquer
obra dp. enconair.ftnifl__ .~
Oraesmos annuociam aos seus IFeguezes que acabam de comprar um novo e
muito vanado sortimento de fazendas finas e de bom gosto, proprias para o tempo da
quaresma, as quaes esto dispostos a vender por precos muito commodos e mais barato
que em outra qualquer parte.
Como sempre escusamos essa enfadooha prolixidade dos annuncios bombsti-
cos ; preferimos mostrar na singeteza deste nosso convite os bons desejos que nutrimos
para bem servirmos quelles que vierem ao nosso reclamo.

mm
nado.
Antao Ferreira Saldanba.
Pedido:
Pede-se aos Illms. Srs. administradores da massa
de Uesquita & Dotra, por parte do Banco de Per-
namoaco qne liqaidera esta massa, pols ja tem tem-
po de sobra.
_________ Um credor pob/e.
7nf tfM6 a,D*r.?" nnlber forra oa cati-
va que saiba bem cosinhar, paro o servicode duas
pessoas, paga-se bem; ama do Hospicio o. 44.
Ama,
ama, ama.
Precisa-se de urna ama na ra de Saota Tbereta
b. 14, e na raa do Vigario o. 6, primeiro andar.
Arreoda-se oa vende-se o engenho Ramos na
[regaezia de Pao d'Alho, moente e corrate, com
boa trras, agoas, miaas e opUma casa de vi ven-
da, tambem troca-se por nma propriedade na co-
marca on rregnetiade uolanua : qaem o pretender
dinja-se ao mesmo engenho a entenderse com o
proprietario. "^
Calxelro.
Precisa-se de am menino de l oa 14 annos,
qoe saiba ler e escrever, para eaixeiro fra desta
cldade, que seja Portuguet ou Brasileiro : a tratar
na ra Nova n. 20, qae encontrar pessoa compe-
Lente.
m rapaz cora basunieprauca de armaiem
de erragens e miodezas se oferece para qaalquer
destes estabelecimentos on mesmo para eaixeiro
de roa de qualquer arraaiem dando o supplicante
boa informacao de sua conducta : qoem nrecisar
annnncie por este jornal.
desposta aoei-socio oergontador da
soeiedade R. J.
Se Ja' o vi nio me lembro, e se o conheco, pe-
queo para tomar conta de mens feitos. Jaleo ter
satisfeito a perguuu feita neste Diario.
______________ I F. C.
amado Vigario n. 18, primeiro andar
lava-se e engomma-se com asseio e promptido e
preco razoavel.
Precisa-se alagar ama mniber livre ou es-
crava para o servico de cosinba : na roa da Im-
peratriz n. 35._______
INJECCAO RROW.
Remedio infallivjl as agnorrheas antigs
recen, tes, uc-co deposito na pharmaeia
e franceza roa da Cruz n. 32 e ao preco de
34000.
t%a%1am
DE
BASTOS
HUA DA CADEIA IV. 50 A.
OTE 10(000.
iit is i5rtS? 8"nde sortimento de machinas verdadeiras americanas de descarocar sigodo de 14
!?' i8'^20, !*' 30 35 se"'es de ac reflnado, as quaes sao das mais superiores do mercado a mu
as vende pelo preco de 10* o serrote, e que continuara' a vender, visiosesperarTrande sortfmen'os
em direltura da America.
Companhia fidelidade de seguros J
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Janeiro.
AGENTES EM PKRNAMBUCO
Antonio Laii de Oliveira Azevedo 4 C,
competentemente autorlsados pela direc-
tora da companhia de segaros Fidelida-
de, tomam segaros de navios, mercado-
rias e predios no seu escriptorio ra da
Cnu n. 1.
H***ft* *******
mmm
idico m
a, d
9 as H
* f Dignes.
W. 55. RA DO IMPERADOR M. 55.
na Mi^SSUv?n^.fn!>I^Iloboje Msi >ecldos para qoe seja necessario Insistir sobre a
rts onau?S'd3ESaSSi.!?2S? ^otHeceta compradores, qualidades estas incontesU-
Sn n S.i.? defln,t,y*,Do'e conqaisUdo sobre todos os que tem apparecido nesu praca : pos-
^tb^mrJrTS^ ^flW ^ 'ntades c^richol da. piSSs
SSmn. n,,,'^!T f41''?3*108 de Proposito, e ter-se feito ltimamente melboramentos ImporUn-
T^ZiLCalT4^TqaUU> S '^ -* oudu. Por isso muito a^ada-
n^Z^t^VTt^J^^^^ ne8U ftWo nadoSf.Blondel,deParis,soclo
i5K225IJLj,Pm* fm *? *<*m sempre premiados em todas as esposicoei
___?"? estabelecimento se achara semprs am esplendido e variado sortimento dedicas dos
aelbores j^J^^ narnuacos e pianos harmnicos, sendoTudo SSS por
PECUINCHA SEN IGUAL
l*^22U23& fe ed* If6* ""a<>o* Pra vestido com 13 metros
18 a ao covados cada corte, largara de chita franceza. pelo baratisslmo oreco da MU
O Dr. Garollno Francisco de Lima San-
tos contina a morar na ra do Impera-
dor n. 17, segundo andar, tendo alias seu
gabinete de consultas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
O mesmo doutor, qne se tem dado ao
estado tanto das operacSes como das mo-
lestias internas, prestase a qualquer cha-
mado, quer para dentro qaer para fra
da cidade.
*** ****** mm&
Em casa de Tneod Christiansen, ra do Tra-
piche-novo n. 16, nnico agente no aorte do Brasil,
deBrandenburg frres, Bordeauz, encontraseef-
fectivamente deposito dos artiges seguintes:
St. Julien.
St. Pierre.
Larose.
Cbatean Loville.
Chateau Margauz.
Grand vin Chateau LaBtte 1858.
Chateau Lafitte.
Hant Saoteraes.
Chatean Saoteraes.
Chateau Lataur Blancbe.
Chateau Yquera.
Cognac em tres qualidades.
Aatte doce. Precos de Bordeauz.
Casa
1
Joo da Silva Ramos, medico
pela universidade de Coimbra, d
consultas em sua casa das 9 as -
M horas da manhSa, e das 4 as 6 I
da tarde. Visita os doentes em suasll
casas regularmente as horas para
isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serlo soccorridos em
qualquer occasiSo. D consultas aos
pobres que o procurarem no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
Minia,
Tem sua casa de sade regular-
mente montada para receber qual-
quer doeote, ainda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e nella pratica qualquer
opperacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe. .34000 diarios.
Segunda dita....30500
Terceura dita .20000
Este estabelecimento j bem
acreditado pelos bons servicos que
tem prestado.
O proprietario espera que elle
cootinue a merecer a confianca de
que sempre tem gozado.
cellos & C
dt lape-
Alaga-se a casa da rna Imperial denominada
viveiro do Munlz, com um sobrado de nm andar
que accommoda grande familia, doa3 grandes vi*
velros para peize, grande terreno para plantacSes
e dnas otarias; quem pretender drija-te a ruado
Rangel n. o.
Precisase de m criado
nma calza de joias tpdas os das
do Hospicio n. 38.
fra an lar com
Coslnhelro
Precisa-se de nm cosinheiro para casa de fa-
mllia : a tratar na rna da Cruz n. 6, escriptorio.
de eoaBissio de escravos ia rna
radar a. 45, tereeire andar.
Recebem-se escravos tanto do mato como da
praca para serem vendidos por commissio, afflan-
ca-se o bom tratamento e segurauca para os mes-
mos. O abaizo assignado nao poupa eslorgos afim
de os vender com promptido, nesu mesma casa
ba sempre para vender escravos de ambos os sexos.
Antonio Jos V. de Souza.
Aiuga-se o sobrado de dous andares oa PSs-
Tuf/?.'?".^^0.^61'0. Aje tenba pratica sagem da Magdalena 7, prximo ajiente, com
de pharmaeia
botica.
na roa Larga da Rosario n. 3i
ifU*rjfU escripts, e
Precisa-se de nm eaixeiro qae
que d fiador de sna conducta
> ur oa roa do Amorim, fabrica de licores.
entdnda de
a tra-
familii. Tratase na
commodos para
roa do Trapiche n. i
Antonio Jos Rodrigues de Souza na ra do
Crespo n. 18, toma dlnbeiro para mandar entregar
na.Bahia, Pari e Marannao.
OARSAX, DE LAUHACAB A C.
LIBRARIE FRANQAISE
RA DO CRESPO N. O.
Livros nacionaes e estrangeiros.
Migiao, dtreito, liiteratura, $tc,
Papelaria, objectos para escriptorio.
Papis pintados para forrar casas.
Assignatnra8 para os jornaes da Europa.
Precisa-se de nm redor para um sMaTmoito
perto desu oidade : a tratar mkhtulS^X-
na
Precisa-se de urna ama para o servleo intento de

ILEGVEL



Diarlo de ernambnco Sabbade 14 de Abril de 1866.
6
f
'
AGUA FLORIDA
MURRAY&LANMAN
A agua florida de Murray & Lanman
olhada como um artigo de perfume, nio
tem podido ser igualada pelas preparacQes
as mais custosas: conserva seo aroma, co-
mo se formasse parte da prenda a que ella
se applica.
Sua efficacia tSo delicada, como elegan-
tes sao seos multiplicados osos, quer seja
empregada como artigo de toacador, qur
bo uso do banlio, ou como suavisador da
pelle,. depois que se tenha feiteabarba;
{ para limpar as gengivas ou aromatisar o
lalito.
O suavidade, brilho e elasticidade as
compleices, depois dse haverlavado; al-
livia a irritacao de erupcoes ordinarias; faz
desapparecer o desagradare! aspecto dos
pannos, das sardas, do rosto, rugas e toda a
casta de ebulicoes, e da vigor e frescura a
parte onde quer que se applique. Sua efi-
ciencia e elegancia sao igualmente infalif-
veis dos casos em que sega preciso applica-
4a como estimulante e antisptico, nos con-
cursos e assemblas iramerosas, as loca-
lidades infeccionadas, a alcova de um-en-
fermo, assim como -um antidoto excelen-
te para os desmaios causados por caasaco
ou suffocacao. Preparada nicamente por
Lanman & Kemp, Nova-York, e a venda por
Jo5o da C. Bravo &C
Deposito geral em PernamDuco ra da
'Gnu n.22 em casa de Caros________'
PROFESSOR DE PIANO
Jos Coelho da Silva e Araujo -contiua a
leccionar piano: na ra do Livraraento n.
21, terceiro andar.
Samuel Power Johnston Companii
Ruada SenzalaNova n, 4.
. -AGENCIA DA
FundlcSe deLow Boor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos,
Moendas e meias moendas pata engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho.
'
i CALCADO.
; 45 Ra Direita 45.
A primeira condcSo indispensavel con-
servado da sade trazer os'ps bem de-
(fendidos contra os ataques da humidade;
calcado bom e seguro o nico preserva-
; liyo dessas mil enfermidades a que est su-
jeito o nossoeu. Um chnelo velho cal-
cado por um dandy patuscante, ou urna
botina acalcanhada em pequenino p de en-
cantadora deidade alem de aecusar que-
bradeira horripilante, prova contra as acui-
dades intellectuaes dos calcantes, e nao ha
quem, tendo bom senso, queira passar por
maluco, ou pobre de surrao : ergo, cor-
ram a:
4*RA DIREITA4*.
e attendam a' barateza.
Homens.
Borzegoins barcellonezes de lus-
tre e de porco 60000
Ditos de Bordeaux : 7fJ000
Ditos parisienses de bezerro e
cordavao....... 81JOOO
Sapatoes de-Naotes de duas ba*
terias rasas...... 50000
Sapatos de lona, sola de borra-
cha..... ; 2^000
Ditos aveludados..... 10600
Ditos de tranca bons 10600
Senhoras
Bortegoins nfeitdos. 50000
Ditos de laco ..... 40800
Ditos lisos ...,.,, 40500
Sapatos de borracha .... 10tSOO
Selleiros, corrieiros e segeiros I
Sola de lustre, mek>s grandes 200000
E um completo sortimento de calcado fa-
bricado no.paiz.
A o publico
Acaba de aturdo prelo NogSes de systena m-
trico decimal, por Jos Antonio Gomes Jnior, 2*
edigo angmeoiada e dividida em duas partes ; a
primara patte conlm 19 laboas de conversao das
medidas mtricas dos valores que Ibes csrrespon-
dem **o actual ystetna de pesos e medidas do Bra-
sil, substituido pelo syslema mtrico francez, nos
termos da lei de-36 de junbo de 1862; a 2* parte
conten -8 tabeas de nmeros fios pelos qoaes co-
nbeeide o prego de ama arroba de qualquer gene-
ro, per tima simples moltiplicacao se conhece o
produoto de qualquer totaiidade de arrobas, libras
e ncas, quese queira saber o seo Importe. Nada
Orremes respelto a 1" parte, pois queja bem co-
oheoiCa do put-iico ; qnanlo a 2* parte cameros Ooslo sea uso fari a sua recommenda-
eflo. Venderse na ra do Imperador tivraria Aca-
dmica e! Universal, arco de Santo Antonio, livraria
Econmica, a 20 o ezemplar.
Fog-o do ar
Valdivino da plvora se nena cora fabrica de
fogns arliflelaes na IIha do Maruim, com gratula,
porcao de fogos de i* sorte, j preparados a espen
de festejar o grande dia que tiver noticia de qual-
quer triumpho de nossas armas, dentro de Para-
guay : todos aquellos que Uverem a mesma sarts-
"0odirija.se ao armazem do sal na raa Imped
Eagoniiae
com asseio, promplidao e preces uzoaveis : nrr'na
Angosta n.S, toja.
PINTADOS
Sortimento de papis pintados e
lindas guarnieses para forrar casas.
NA LIVRARIA FRANCEZA.
'..9.. Rua d(> Crespo N. 9.
FRANCA E BRASIL.
O Sr. J. Mercier alfaiate francez precisa de boos
offlciaes e boas costoreiras : largo do Corpo Santo
n. 27, primeiro andar.
Precisa se augar
Urna ama que teoba bastante leite e que nlo
tenha albo; a tratar na roa larga do Rosario
n. 34 segando andar. -
Precisa-se de um feltor
da Concordia n. 35.
para sitio; na roa
A luqa-se
Cm magnifico sitio na Caponga (Baiza Verde)
com frente para o rio Capibaribe, fleando defronte-
da Passagem da Magdalena, todo morado, com ex-
cellente casa de vivenda, tendo a mesma 2 salas
forradas, 11 qoartos todos com ja aellas para fra,
1 soto com 8 janellas, tendo vista para todos os
quatro lados, e ama grande cozinba. O sitio tem
boa baiza de capim, excellentes fi ucteiras como :
sapotizeiros, laraogeiras de ombigo, limeiras, etad]
ornam-lbe dous jardios de pedra e cal, sendo um
na entrada e ontro na frente da casa, ambos enfei-
tados com estatuas de porcelona, cocheira, estriba-
ra para 4 cavallos, 2 qoartos para creados, 1 casa
de banho com tanque de pedra e cal, 1 galHoheiro
de pedra e cal gradeado de ierro, 2 cacimbas com
excellente agua de tener com repuchos, tendo urna
aellas um tanque para lavagem de roopa, 2 latri-
nas de pedra e cal, ara grande parreral sustentado
por 44 columnas de pedra e cal, etc., etc.; o sitio
distante da cidade um qoarto de legua,- coliocado
entre os sitios do Or. Ferreira e Paulo Jos Gomes:
a tratar oom -o -agente Olympio, so armazem da
Praga do Commercio p. 48.
*?reciza-se de um cozinhetro: na roa do Ran-
gelpadaria'n...
Diademas dourados,
eifeitads coa aljofares, pedras,
ele, para meninas e seahoras.
A agola-branca vende bonitos e modernos dia-
demas dourados, enfeiudos com aljofares e pedras
proprias para meninas e senhoras.
Bonitos chapozlnkos
de pallia fina e aTeneaes para meninas.
Sao obras estas de que os bons pais de familia
se nao podem escasar de comprar, por fazerm el-
las parte do asseio e bom gosto com que trajam
soas bellas lhiohas. A aguia-braoca tem o pra-
zer de ver que to bellas e precisas obras foram
devidamente apreciadas e compradas em seu ni-
cho. Os cbapeoiinhos, alm de serem d'oma pa-
ma mui fina, sao de mui bonita forma e ultimo
gosto, eofeilados cora toda a pereicSo: os aven-
taes, porm, sao de fina cambraia, guarnecidos de
babadinhos bordidos; o que Ihes da muita graca.
Os precos destes, 5,5000, e daquelles, 10$; e de
qaanto sao kII-s baratos conhecera o pretndeme,
que se dirigir a' loja d'aguia-branca, na ra do
Queimado n. 8.
Yldrlltiog de cores e aljofares,
imitando ac, para enfeites de vestidos.
A agaia-branca na roa do Quemado n. 8 rece .
beu um bello sortimento dos objectos cima pro- Gnimaries & Irmao.
Atten^o!
Attenco I
Attenco!
Grande sorlimeito de fazeedas pro-
prias para a qoaresma.
sum
PechJjBcha
S
na toja e armazem da Arara, ra
de chegar a este novo estabeleciraenio ua Imperatriz n. 56, de Lourenco Pereira
de e variado sortimento de fazendas prc Mendos Guimaraes.
Acaba
um grande
prias para a quaresroa, a saber :
(ir- sdcnaplis prelo a i$600 o covado.
vn'*ro'eTendC eassa9Jl 4 "
Vende-te um grande sortimento de ganden*-' v"" O^sTo covado. cbJtaTSSnr^.i^
pie a U600, I800, *J e 200 o covado ; dito a 160 e 200 rs. o covado S, na %"5," i r"
mallo superior a 280O e 3 : Da ra da Impera- roa da Impf ratriz a. 56. '
" %tiaa?'reio4 i'SSbo v^168 ** CaSeB,ra Preta a $800
Monaotique preto a ZiJhio. Vendem se corles de casemira nrc-ta lara ii*.
iSTpWT* mor,anIiqae;a35o"00,i*e % cortes de co.im P a ca"
a 2S800, M e 35500 e covado. ,280, ditos de brim de quadrinhos a l| erto
Chales de renda pretes a 800O. de ganga e brim de cores a i400 : na ra da
Vende-se tambero um variado soninvnlo de cha- Imperatriz n. 56.
les de renda a 8,5, 9,5500 e 10 ; ditos muito fino.',
a ll e m : ditos de seda fazenda muito fiua a
20*000.
Retondas pretas a iO^.
Vendem-se retondas pretas pelo barato pre^o de mero 56.
.! I0# e il4 : na ra da Imperatriz n. 72, loja de' |
Arara rende cortes de cassa franeza o 2,5500.
Vendem-se corles de cassa fina a 2*500, ditos
de chita a 3*, ditos de cassa de barra a 2* : na
, ra da Imperatriz, loja e armazem da Arara nu-
Dao-se bolos de vendagem at onze horas da
roaab,-e aviam-se bandejas encommendas de bo-
_______lcete : na roa Imperial n. 32.
Arreiosde carroara um e deus cavallos.
Relogios de euro patente ingltr.
Arados amerieairos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas do costura.
mtmwsw&wmm mmm
S DEPOSITO DE CALCADO *
m FABRICADO NA CASA DE DETEXCO '&
mk Una \ova n. Cfl.
jgc Ah se encontrarlo obras de di- m
[ versas qualidades, e por preco mui '
( diminutos, a retalho e em porces.
I S se vende a dinheiro. J8|
IVovissImo Mes de alaria.
Sahio afiaal a luz, o illustrado novissimo Mez de
pWaria, nao s como aaooooiamos no Diario de Per-
nambuco a. 75 de segunda-feira 3 de abril, mas
anda com algaus enfeites -que deizamos de annun-
ciar, e acba-se a venda oa typegrapbia do seu pro-
prietario.Tua do Imperader n.*5, defronle do con-
vento d&S. Francisco, das 8 horas-al as 5 da tar-
de, de todos os dias atis.
Precisa-se de urna roa para eosinbar e en-
gomar, para casa estraogeira de pooca familia : -a
tratar-na roa do Trapiche a.%- segoado andar.
*%Kmmmmm mmmmm
m{) Im*. Francisco Pires Hachado
ffi PKella
Dorm entes
Os concessionarios do previlegio do caminho de
ferro de Apipocos contratara dormentes de ma-
deiras de qualidades, quem pretender comparec
a ra do Imperador o. 55, segundo andar.
Offerece-se urna ama para cosinhar: na ra
;arga do Rosario n. 37, segundo aodar._______
Aluga-se a casa da ra Direita n. 80. em ar-
mazem, por isso propria para qnalquer estabele-
cimento : a tratar na roa Direita n. 24._______
Mauricio Praneisco de Lima, tendo de reti-
rarle desta cidade para a villa do Pao d'Alho, on-
de pretende fazer sua residencia, declara nada de-
ver a pessoa alguina, lauto nesia praca como fra
delta *, porem, se algaem por qualquer titulo se
jolgar sen credor, aprsente sua conta ni ra do
Br,om casa n. 56, que eendo verdadeira a divida
sera' immediataraente paga, e isto no prazo de tres
dias.
As Pilulas Catl-^icas
E AYER.
O.purgante maU efecto, t hoje eeahecido.
T.riit pilula Oo patamente vg-
Uma., hk) tendo na sua eompo-
Atjia ntm mtrrtirt nem ontro
ingreaieRte mineral; so inno-
cente* (ira as eriaofoi e peesoas
maia deKoadae, ao, nwno tempo
qe, omposta como to de vegi-
taes mu igetes, lio bastante acti-
vas e eflesaes para as peasoas mais
robustas.
EetM pilla* atliarlicaa purgio e puricio todo rrtems
twmfai tem mercuEo.
Ke ae tem pottftaao trabalho nem deepeca para levar actas1
pilulas a um grao fio o resaltado de mea de estados laborleaoi e constantes,
faca aira ajar todas as >rantagens que resultbale aso de aathar-
Ucoa, tem^e combinado aosaentc as rirtudei ruruvtu itas
aiantas que ao cmptwcadM na co*a~eecio das nUnlaa. Saa
compoaleo ? tal que as niermidades que eato ao alcance
de *oa aoeao, raras vejes poden resist-las ou evad las.
finas propiedades penetraaUa explor penetra, puriioao e
/lo f gor i todas u partes de organismo humana; pois corrigen!
a sna.acco viciada e faz recuperar a sua vltalidade. tima das
oomsequeneias dstas proprieda4e< que o doente, *fm*i4i} de
Jar e.dapilidade pliyaica, admira-ae do encontrar, to dapressa,
f na sanie e eaergU recuperadas por meio d' um rcsaedlo to
lmplos.egradavel.
As molestias que esto ao seo alcance sao.
JTizao epeittre Rheumattmo, Ddr ata oateea, A Nevralgia,
Kwaqucca, IndtfUUo < mol do estomaga, JTemorrkoida,
PADECIMEJTOS 00 FIOADO,
Pebre gastra-hepatica, Oattritt, aftee*ei Biiwtai Lombrigat,
AV^lata, Bp4rptia, eurdez, ceguira parcial, l'aralytia.
No tljnintr e llanaal de Baade do Dr. Ayer, ana se publica
todos oa annoa para dlstrlbuleo gratuita, encontra-ae um tra-
tado sobre as diversas deencas que esto ao alcaaW a*
BB1CEDIOS PURGANTE.
Aaba-ae em todas aa Boticos DrogarUa do Imperio'.
O Peitoral DE AYER,
PAKA A PROStPTA CUBA OA
SdM, da Conatipacoea, Toaaos, Bouquldio Inflo.
ansa, Bronohite, Tiaioa primaria, Tnbarculoa
pulmn sarga, toda* aa mni^t|M a
Peito, Mala como para, aliviar
oa ethico* daelarado*
Ai preparac*. do Dr. Ater sao rendidas nai prlnaiaaei
drofarlas e botica da Imperio,
Veodo-ge em Pernambaco:
. na
COMPRAS
Gompra-se ouro, prau e peras
em obras verbas : na ra da Gadon do Recie
cji de^ourives no arco da Conceiea*.
Ouro e prarta.
Em obras velhas : compra-sena praca da ID
pendencio n. 22, loja de bilhetes.
Compr-se urna burra' de ferro, ingleza o
prios para enfeites de vestidos, etc., etc., e "est
vendendo commodamente.
Novidades.
Na Agnla branca roa do Queimado n. 8 rece-
beu diversos objectos de muito gosto e inteiramen-
te novos, sendo:
Bonitos e delicados penles dourados e prateados,
tendo entre el les algnns de filigrana obra oi.per-
feita e de elevado gosto.
Ditos com chapa de madreperola.
Brincos de filigrana e outras qualidades.
Fiveilas de dita e outras tambero de diversas
qualidades.
Cintos mui bonitos, enfeiudos em toda a exten-
cao com caracteres domados, g praieadqg.
Filets enfeitados coTlr*reurihnas"aourad5,e lan
lejoilas, aljofares & &, sendo para coque, e toda a
cabeca, e outros cora plumas &.
Bonitas voUas de jaspe com ernzes, tendo tam
bem algnmas de duas cores.
Luvas e meias
de laa vegetal, para quem soffre de frialdade, pa-
ralesya etc. Vendem-se na roa do Queimado loja
d'Aguia branca o. 8.
Bandolioe de roza
para segurar on conservar per fe lamen te atado os
cabellos das senboras. Vende-se na ra do Quei-
mado loja d'Aguia branca, a 1*5000 o frasco.
Enfeites pretos para vestidos
A Agnia branca receben novos enfeites pretos
para vestidos, sendo bicos com vidrilhos e sem
eiles, trancas com pendentes de vidrilhos e sem
elles, cordao grosso tambera com vidrilhos e sem
eiles ; assim como galSes e franjas de diversas lar-
guras, fitas de velludo etc. como sempre os bons
freguer.es encontraro commodidade de precos nos
objectos que se vendem na loja d'Aguia branca rna
do Queimado n. 8.
Botes devidro
cora enfeites d'aco no centro.
Esses botoes que tanto servem para melhor se
poder enfeitar um bom vestido preto ou de cor,
acho se a venda na roa do Queimado loja d'Aguia
preciosas hrancan. 8.
Grande pecoincha panno preto. 2,9000 o tfJSSSBKS
covado. .
Vende-se panno preto proprio para calcas e pa-
litots a2Je 2*5200 o covado ; casimiras pretas
a 1*5800, a*5, 2*5400 e 2*5500 o covado.
E' muito barato cortes de casimira a :5-j:00.
Vendem-se cortes de casimira preta a 3*5500
4*1 e 4*5500 ; dita muito fina a 6*5.
Admira cortes de brim de cores a
.,280
Vendem-se cSrtes de brim de cores para calca a
1*1280,1,5600, 1*5800 e 2# : na roa da Imperatriz
b. 72, loja de Guimaraes & Irmao. .
W baratissimo a .20 res o covado.
Vendem-se riscadions muito proprios para rou
pa de escravos,a 120 ris o covado; ditos escoce
zes muito fluos a 240, 280 e 300 ris o covado.
Laazinhs a 3co rs.
Laazinbas de quadnohos a 300, 320, 360 e 400
rs. o covado ; ditas muito finas a 500 e 560 : na
roa da Imperatriz n. 72, loja de Guimaraes & Ir-
maof.
Corles de 15a a 50000.
Acaba de ebegar a este importante estabeleci-
roeoto um cortimento de cortes de la que se ven-
de por 5*5 e 5*5500; ditos a Mara Pia, fazenda
muito moderna a 129,14*5, 18*5 e 20*5 ; ditos com
camisinha, cinta e grvala a 25*5 e 28*5.
Chitas francezas largas a 260 ris
Vende-se um grande sortimento de chitas a 260,
280, 300, 320 e 360 rs. o covado : ditas preciares
a 400, 440 e 500 rs.
Cambraias de cores a 280 rs o
covado
Vendem-se camlraias francezas a 280,300, 320,
360e400rs. o covado.
Cambraias lisas a 3.000 is. a peca.
Vende-se nm grande sortimento de cambraias
lisas pelo barato prego de 3*5, 3*5500, 4*5, 4*5500 e
5*5 ; ditas muito finas a 5*5500 e 6*5; ditas victoria
a 6*5500 e 7*5; ditas de orna vara de largura a 8*5
mesmo das -antigs; na ra Novan. 31.
Selim e sBto,"
Compra-se nm selim e nm silbo usados: m
ra do Caldairo n. 74, das 6
das 3 as 5 da tarde.
Acaba de chgar aloja da agoia branca e 9*5; ditas para torro a 1*5000,2*5 e 2*5200
a rna do Queimado n. 48.
Cbromaco-me para tingir cabellos.
Hoild walter para dito.
Tintura de L. Marques para dito.
A gmia branca
S
i
s
s
MEDICO E OPERABOR
dPacnldaaie .de arls.
ccatinua no eiercioio da sua 4irofisso,
Sf?3j!?,en,e oas.-molestias de olhos. de
vas urinarias e de.peffe, para cujo fra-
tamento ju ga-se abilitado atienta a pra-
| tica-adquirida nos tospitaes daqaella ca-
li. pUal, e os instrumentos mais -modernos
S <)ue possne.
K Accode prorapumeate a qoakjuer cba- ]
K mado para fura da -cidade.
S eocarrega-w mi ficiaes.
& No pateo do Carmo o. 2, esqr.ina das
SS ra-de Hortas, das as 10 horas da ma- 5
Wm Dbac, e das 3 as o da (arde.
aaBiiHE sisa bus
Cobraaeas.
4 A pessoa que tlver pratica do foro eiotelllgencia
preciza para corar quer aaaigavel, quer judicial-
; mente, i^ne queira se eocarregar para fora da cidade, e por .provincias kmitrophes
dando pata isso idneo fiador : queira jrigir-se a
xna do Amorim n. 35 seg-undo andar.
Precisarse
alogar umrfireto para servico^e padaria, paga-se
Aera : na m Direita n. 24, padaria.
Precisase de urna ama Jorra ou captiva para
cosinhar para casa de rapaz olteiro : na ra do
Emperador n. 40._________
saijoo* tvFiu O PJZ~
Primeira coda correte
ReflexSes polticas
DE
Marco Antonio.
Adeuda na livraria franceza, ra do Crespod.
9, a 500 ris cada eiemplar.
Antonio,Luiz de Oliveira Azevedo &.G. tem
para vender no seo escriptorfo, ra da Cruz n. L
vinbo do Porto em caixa de dozia, fio namburguez,
aojada fiahia superior.
a ra do Quimado n. 8
acaba de recetar:
Lentiyonlss d'aco para enfeites.
as 40 da manhkac 5^*5SSfi e ftSS p'ra *5 e ctwpeos-
Enfeites filets. mu bonitos e modernos.
Sapatinbos de setim par baptisados.
Meias de seda para o mesmo.
Di
ra da Imperatriz n. 62.
ROUPA FEITA.
Vende-se um completo sortimento de roupa fei-
ta felta. assim como sejam palitots, caigas, eoletes,
camisas francezas a 1*5600 t 1(800 ; ditas finas a
2*5 e de linho a 2t560, 3*5 e 3*5500 ; teroulas de
1*5200,1*5400 e 1.3000, de linho a 2*5 e 2*5600 : na
ra da" Imperatriz n. 72, loja de Guimaraes & Ir-
mao.
Compram-se duas rodas-para carroca oa
orna carroca que esteja ero bemestado : no arma- Bonitos chapeosinhos de setim para dito,
zem da bolla marella no oitao da secretoria a: Rosas camelias e outras twalidades.
polica.
Compram-se libras esterillas : na praca da
Independencia n. 22, junto ao relojoeiro.
Compra-se na prensa de Sodio de Saundor^
Brothers ^ C ementes dealgodo a 500 rs. {->
erroba.
Guan. 9.
r- Comprase notas do baoco da Bahia : a?Sa
JaCadeia da Becife n. 15, toja 4o Bourgard. c
Cobee la to e -timbo
No armazem da bola amarella no eitio -4a
-secretaria de tyolici'a, cerapra-se cobre, latac e
bombo.
Novos brincos, trollas, penles e pulsQiras de fili-
grana.
Rts= 4tj seda de cores para debrnnnar vestido.
H'h de-sarja com differentes cores e lurgoras.
..a de-gorgoro, desenlies novos e bonitos para
cintos.
Carteiaas com agoihas.
Srande armazem de tin-
tas medicamentos etc.
8a
i
Compra-se uavbei para carrocc no armazemda
bota amarella no oao da secretaria de polica.
avallo
veode se a loja de livros da praca de Pedro II
n/6, maito propria para qualquer principiante por
I ter poneos fundos, fazende-se ao comprador os
i abatimentos que torera raxoaveis, e dndoseme o
prazo que se convencionar para o pagamento, com
tanto que d algam dinheiro a vista. Em falta de
comprador far-se na negocio com a arraacao so-
mente, a qual serve para qnalquer outro negocio
differeote : a tratar na mesma loja ou.na ra No-
va n. 17, 2 andar. _______
Fazeadas para quaresma.
No armazem da porta larga, ra da Imperatriz,
grosdeoaple preto a i*54O0, l5CO0, 1*5800, 2*5
Comprase umowallo que seja.inanso e grande i 2*500' w paramachlna de nadara : na ruacio Rantrel n-fi I ma,s.rieos chales de renda pretos, e retondaes
com moua roda, fazenda da ultima moda no mer-
Compra-sc
orna esetava preta oa parda, sadia sem vicios,
moca, e aue saiba coser, engommar e cozinhar :
na rna da Imperatriz .:7, 2o andar.
Ouro amoedadaT
Nacional e eslrangeiro : compra-se .na ra do
Trapiche Nova n. 22.
Compra-se urna mobilia era segoDda raao :
quem a tiver diija se a ra das Cinco Ponas nu-
mero 14.
cado : do armazem da porta larga n. 52, na roa
Pechiocha admirwel
Laazinnas de quadrinhos que parece seda a 240
rs. o covado, urna grande pecbincha, est se aca-
bando : na teja n. 52, armaeem da (porta larga de
Paredes Porte-
Ato ra da ImperMmz n. 28.
Vendem-se oortes de cambraia braneos com 4.
5 e 0 babadosa 20*5 e 25*5.
Ri de seda preto com flores a vara i.
Cambraias brancas de urna vara de largura fi-
Precisa-se de urna ama de leite, que seja bem
morigerada : a tratar na ra do Apollo n. 9.
Alugsxe um andar do sobrado do caes "do
Ramos n. 32 : a tratar na rna do Crespo a. 8 B.
Nos afaaixo asslgaados declaramos baver re;
cebido em II de Janeiro do anno prximo Dndo de
1865, do, Sr. Beato Sevenano da Fonseca Pitia, a
quantia de 1:41-5.5510 rs,, importe de urna letra
aceita pelo meemo senhor a nossa ordero, sacada
em 18 de maio d*t 186, e vencida em 18 de no-
vembro do me?mo auno; ecooio se tenha desen-
caminhado dita letra com o respectivo recebido na
mesma fazemos a presente pnblicacao pela qual
desobngamos a respoosabllidade do d ito Sr. Ben-
to, ficando nos obrigados a responder por qual-
juer exigencia que inicuamente iba seja feta por
terceiro. Outro sim declaramos, que Acarnos de
contaa justas com o mesmo senbor e quites at es-
ta data, qner pelo titnlo cima declarado quer por
outro qualquer. Recife 9 de abril de 1866.
Antonio Crrela de Vasconcellos & C
Lava-se e engomma-se por preco commodo :
na ra do Caldeireiro d. II,
Comprare suma carroca .que enteja m bom
estado : na ra da Cruz n. SS. 3 andar, la mes- na a i*5 e 800 rs
SaftS fJ"* qBem vende dous cravosabras; Ricas lampadas e candieiros a caz por crosso
de idade 40 aunos, bons carreteos. e a ratalho. *
VENDAS
FOLflIMM
Pecbiocha
, Vende-se atabemada ra da Guia a. 36 pro-
prio para principiante, 0 motivo .'te dir ao com-
prador.
Copos amargos
pessoas que. soffrem do
Pinto,
Jo
estomago,
na ra larga
serve
f AHA 18(f} j*eade-se na pharmaci
Acatkam de sabir-,i luz as rolhinbas da**08*^*!. 10. ._
algibeira e de porta para o anno de 1866, o ~ Vende-se urna porcSo de ierro broto,"
mais .correctas possivel tanto no calculo daa i parioi)ra8defcrreir0'e Pr Pr5 muito com-
illas e eclipses, como na diversas fontal ; a4rattr" rna lmpera< -'l' ndar-
que a gwja celebra; veodeawe tmicaiBeii-^^Vj^dem*sedaaspre,a^,noca8 e sadi
160 res as de poru e 320 ris as de alci- '--------
beira.
Ra do Imperador n, 22.
an Pado Atta Sano rente) tem a venda o
seguate:
Sf Productos chimicos e pharma- ^
jgj ceuticos os mis empregados em *N
as medicina.
Tintas para todo o genero de pin- S
* tura e para tinturara.
Productos induslriaes e tintas s
M para fin res, como botes de flores }(
^ e modelos em gesso para imitar M.
m fructas e passaros com o compe- a
^ tente desenho.
Productos chimicos e induslriaes H
para photographia, tinluraria, pin- Wi
m tura, pyroteCDia etc. 3^
^ Montado em grande escala e sup-
m prido directamente de Paris, Lon-
[ dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa
g* pode offerecer productos de plena SP
^ coBfiarjca e satisfazer qualquer en- 91
^ commenda a grosso trato e a reta- B(
J Ibo e por prego commodo. mt
mmam {.
Otares Royer on eolares ano-
dinos
para facilitar a denticao das enancas e preserra-
las das convulsSes.
O feliz resultado obtldo immensas vezes nela
prodigiosa forca magntica dos eolares Royer nos
cases de convalsSes, e denticao das criancas,'tem
altomente elevado c en bem merecido prestieio
M P6d.^ ilf e esI0 eralraente con-
K?S* est.imad de ionumeraveis pais de
SS? '- e Un^ P01"*1*6 d0 uso desses ilutares costura.
colaras rtram salvos do perico seos charos filbi-l Agalnas e liabas para chrocbeL
>
m
Lentos braneos a 2?50C0 a dnzia.
Vendem-se lencos braneos finos a 2*5, 2*5300 e
a 2*5800 a duzia : na
rna da Imperatriz,. loja da Arara n. 56.
Arara vende chitas a 160 rs. o covado
Vendem-se chitas escoras a 160 e 2t0 rs. o co-
vado, chitas francezas Anas a 280, 320, 360 e 400
rs. o covado : na rna da Imperatriz n. 36.
Itiscado francez a 240 o covado.
Vende se riscado francez para vestidos a 240 o
covado, cassas francezas linas a 240 e 280 o cova-
do : ra da Imperatriz d. 36.
Arara vende madapolo a 4#,
t J^ro-se Pecas de nadapolo de 12 jardas a
o*92.e 4*- dit0 de 2i iardas 4& 5#- 6<5 7&
8 e 10*5 a pega, pejas de algodo a 3^, 4*5. 6$ e
e*5, diu de bretanha de rolo a 3*5 : s na loia da
Arara, ra da Imperatriz o. 56.
Riscado a 120 rs. o covado.
Venderse riscado escuro para vestidos de escra-
vos a 120 rs., dito de linho para rcupa de meDinos
a 240 o covado, gaDgas de cores a 400 e 440 r?. o
covad colarinhos aOO rs. a dozia : ra da Im-
peratriz n. 56.
Arara vende laziobas a 200 rs.
VoEdem-so liazinhas para vestidos a 200, 3^0,
400 e 560 rs. o covado, ditas lisas e mati/.iL'i a
oUO e 560 o covado : ra da Imperatriz, loja e ar-
mazem da Arara n 56.
Bramante a 2^600 a vara.
Vende-se bramante de 10 palmos de larpora a
2J500 e ?*5600 a vara, panno de linho para leu-
goes e toaihas a 640 a 700 rs. a vara, hamburgo
para leccces e toaihas a 5C0 : ra da Imperatriz,
loja da Arara n. 56.
Roapa feila e camisas para seuhora a ] 300
Vendem-se camisas para senhora a 15500, cal-
cas de brim a 2*5, ditas de casemira a 8*5, 6 e 8*5,
paletols de panno preto a 6*5, 8*5 e 10*5, ditos de
brim de cores a 2*5 e 35, camisas francezas a 25
e 25500, ditas Dglezas de pregas larga?, oe linho,
a 25300, 35 e 35300, reroulas a 15600 e ?5, co-
larinhos econmicos a 500 rs. a duzia : ra da
Imperatriz n. 56.
Aspas fortes para boles.
-Vi roa do Queimado toja de mindezas n. 16, ven-
de-se aspas de ago fortes, e de differentes larguras
para baloes.
Bonitos quadros para retratos.
Vendem-se na roa do Queimado loja de n;:ude-
zas n. 16, bonitos quadros con mordur'a prela e
dourada, todos.por presos rasoaveis.
Garrafas brancas
e de cores com superior agua da colonia.
Vendem-se na ra do Queimado, loja de miade-
zas o. 16.
Novo gosto
Peotes, Ovellas, e brincos de feligrana.
A amiga e bem conhecida loja n. 16 na roa do
Queimado, recbeu um sortimento de diver>(: ob-
jectos de novo e bom gosto, sendo pentes braneos e
dourados de moldes enteiramente novos e mui a-
gradaveis, tendo entre elles alguns de filigrana obra
de muito gosto edeficii execugo, e bem assim ii-
vel'as e brincos as mesmas circumslaccias.
Tam bem recebeu alguns cintos o que d'> mais
moderna e bonito, se pode encontrar em tal genero.
LAJm disso encontraro os pretendentes um com-
pleio sorrmrajto ae nvenas ne nrsdrepersia, t-.iris-
tal, tartaruga, e dourados, brincos J* cn/at".!.
jaspe, voltas e cruzes de dito e mmfc? oo: i-
tos de gosto, os quaes comino? -- a vender -rumo-
damente.
Penentes de madreperola, e ibfeites filets
A loja de miudezas na ra do Queirr ilo n. 16,
receten bonitos pentes com chapa de ma ;.trola,
e novos enfeites lilet* ornados de lantejojias den-
rada*, itioedinhas, aljofares, vidrilhos etc., leno
grandes para toda cabeca e pequeos para c< qui
regulando os prefus de 25 a 45000 rs.
B>nitas caixinbas
cora arranjos dourados para costura, tendo com
msicas e sem ellas. Vendem-se na ra de Quei-
mado loja de miudezas n. 16.
Trangas pretas
com vidrilhos, e bicos com ditos e sem elles para
enfeites ou vestidos.
Xa ra di Queimado n. 16 loja de mludt?a> a-
charo os preteodentes um bello sortimento dos
objectos cima ditos, cascarnihas, franjas ce. uc
e ludo est sendo vendido por pregos commodos.
Botes pretos
de vidro enfeitados d'ago.
A loja de miudezas n. 16 ro do Queimado
vende mui bonitos botSes pretos de vidro coa en-
feites de ago, os quaes muito se uzam para enfeitar
vestidos, qoem os pretender pode dirigir-se a dvta
loja n. 16 a ra do Queimado.
Vendem-se na loja de mindezas
a ra do Queimado n. 16.
Ronitos leques de sndalo e ontras qualidades
Bonitos cintos com flvellas- de diversas aualida-
des e moldes.
Brincos e cruzes de erystal.
Abotoaduras de dito para eoletes
Bonitos port-relogios.
Delicaoas caixas com msica e sem
ella, pare
*aoa>e4e3iitros porque colheram daquelles to
pxofleno ewmplo para lalmenie preservar os
Uu i otilidadti e proveito desses prodigiosos cola-
res anodinos a Royer, aandou vir o novo sorti-
budo que agora recebeu, e continuar a recbe-
las para que em tempo algum a falta delies possa
ser/nnesu aos pas de familia, os quaes flearo
cersaa aa os achar constantemente na roa do Quei
mado, loja d'agota branca n. 8.
Retroz superior em carriteis.
Rendas preus e bicos com vidrilhos
tJH^ de ve,lud0 com lislras d( res para en-
feites de gorros e vestidos.
e matisadagrOSdeDaPOleS' "*** e ,avfadas' brancas
Para
Precisa-se de um escravo para servico de
orna casa : na rna da Cruz n. 24, botica.
Carvallra & Nogueira sacam sobre o
Porto, Lisboa e Rio de Janeiro, a' vista ou a
prazo: na rna do Apollo n. 20.
|PHARMACIErRANCAISEtv-
?DEP.MAURER&CIE)e
1 RA MOVA N
CoMlnbelro.
Precisa-se de omcosiobeiro forro ou cap-
tivo que d fiador a sua com neta: na ra
da Cruz n. 48, primeiro aodar.
%m,
Prectsa-se de urna ama para casa de ponea fa-
milia : na rna do Torres n. 14 segundo andar.
Precisa-se de uma ama para cosinhar : na
roa do imperador n. 40, armaiem.
A premio.
D-se dinheiro em pequeas quantlas: na ra
larga do Rosario u. 24, 2* andar.
Vendem-se garrafas e botijas vastas e lava
dasj najoa da Sotedade n^S.
Fariiiha de madociT"
Multo boa e ebegada ba pouco lempo, vende-se
na rna da Crnz n. 33. -
senbor para fora do imperio :
mazem a raa da Crnt n. 33.
para traur no ar-
Aos senhores acadmicos.
Venda-se um escravo preto, crionto, de 20
anuos de idade, pouco mais ou menos, do servico
de campo e sem de/sitos : na rna da Apollo n 7
andar. '
Vendem-se 400 pedras para ladrilbo, vindas
dajlba : a trator na rna do Vigario n. 14.
Vende-se nma rotula nova de louro : a tra-
tar na ra do Hospicio n. 28
^
Fejao.
Vendem-se caceas com feijio amarello, branco
rajado e preto, mais barato que em qualquer par-
la r\r\ itn fin U*i1sa A n i**. *
CAVALLO
Vende-se por 25 Cada ezemplar eocaderoado *
Macarel, direito poltico : na loja de livros da pra-
ca de Pedro II n. 6, onde tambera se vende por di- ._,, -------------,
minuto prego para acabar algnmas outras obras de V.t?. ****** fl*Bra e basOnie gordo, o qual
direito. freste-se para um excellente cavallo de carro:
- ___________ US rno Hrt fmr~.i.].^. i a .. n *v. '
Vende-se um bom cavallo de sella mnito novo,
Cabriole! amerlcaiao.
Vende-se um cabriolet americano com 4 rodas
para um cavallo fe coberto) : a tratar na rna es-
relta do Rosarlo n. 3.
J^ecisa-se
alugar nma escrara de bons costumes para fazer
o servico de nma casa de pquea familia: na roa
do Vigario n. 26.
Domingo 15 do correte esti a venda n
acongue travesaa do Marisco n. 20, carne rd<
gorda a 280 rs. a libra, e continuara' ter sempre
de boa qualidade.
na rna do Imperador n. 13, das
nha as 3 da tarde.
9 boras da raa-
te: na rna da Madre de Dos n. 8.
FABTICA
Be calderciro e lundcao de ferro, si-
d8 e bi'onze; com os escravos,
Vende-se a grande fabrica de calde,*eiro e fon-
digio de melaes da rna Imperial ns. 13 a 158 :
e tratar com a vuva -de Sebasllo Jos da SSn,
na_rna JSova n 35, on na rna da cadeia n. 57.'
. Vende se a armagao da faDrica de charutos
da ra da Imperatriz n. 15, e Jnnclaraente todos os
raajs objectos existentes na mesma ; quera preten-
der dirjase a ra da casa de DettencSo n 7 u.
berna. v '
fingir cabellos
Hoild Walter.
^Vende-se na ruado Queimado, foja mindezas
Chremaco-me
Para tingir cabellos.
raadonl6DalJade mindeIas> a roa do Quei-
Tintura de L. Marques
Qara fazer os cabellos pretos.
unnU "* "** d Qoeln,ado' a loJa de ""'n-
Missangas miadas, aljofares imitanj)
ac e vidrilhos decores
para enfeites de vestidos ; vende se tndo so or
pregos razoaveis na 'na do Queimado n.i oia 16
de mindezas. 10'
fielogio.
Farinha
Rna da Madre de Dres n. &
sv -~ Ji4|300.
y Vende-se farinha de mandioca desembarcada
hoje do palhabote Beberibe, pelo barato prego aci-
Ba'nd8 MS,e D mercado "c*8
Vende-se nm relogio mnito proprio para enge-
nho ou qualquer esUbelecimento, por ter dous
mostradores, corda para 15 dias e campa coio som
se ouve muito looge : no pateo do Carmo casa de
banhos. ^
Machina para raplm
Vende-se uma machina grande para, serrar ca-
pim : no pateo do Carmo casa de bantios.
Libras
esterlinas ; vende se na rna
*, loja de looca.
larga do Rosarlo n.
irTilZVl i rosw: *,riUr 5 r"iirM-
Vende-se um engenho
d'agna denominado Trinmpho na comarca de San-
to Antao junto ao engenho Coqneiro, com ierras
para safrejar de 500 a 800 pes, com boas obras e
casa de vivenda por prego commodo : quem o pre-
tender queira dirigirse a ra da Praia n. 76, para
tratar at o fim do corrente mez de abril.
hotet:
Vende-se o hotel de Italia, sito na rna do Trapi-
che, com grandes accoratnodagdes acceiadas e me-
biinadas cora todo necessario e algum trem do sen
trafago, por quererem sens proprietaiios retirarse
para fra do imperio. A localidade o estado do
esUbelecimento garantera bom resaltado ao com-1
prador e Ibe asseguram prospridade.
Vendem-se malas e bahns usados raoito em
oontt ; oa ra estreita do Rosario n. 24, iola de
trastes. ,
Tasso Innos
Vendem no sen armazem rna do
Amorim n. 35,
Licor too Curago em botijas e' meias botijas
Licores i?nos sortidos em garrafas com roinas ds
Idro e em lnTdos frascos.
VinhosCher&
Santernes.
Cbambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
p^-^iI-k'86, ? a,oga-M sobrado -vniarello da
Gaf imperial
0 superior cafi do Rio de Janeiro. .
de-se a 124 a arroba j na rna do Vigari
n 24. escriptorio.
i

i




Diarlo de PwmiIm sabbado 14 de Abril de 1866.

i
umm met
PARA A OUARBSMA
Chegaram a loja de Augusto Porto & C.
11 Ra do QueimadoA
Soperieres cortes de seda preta.
Moireantiqne preto de ores e de listas bollos paaroes.
Grosdenaple preto de diversas largaras e qualidades.
Retoadas, bournus-e cales de guipii e de rendas.
Pannos pretos, caseroir as pretas, bombasinas.
Laas.'cantao, merina e selestfinas pretas.
Lindas mantas de seda para pejcoco.
Ricos cortes de seda de cores para bailes ou casamentas.
Ricos cortinados bordados dos mais bello desenbos.
Mor branco, seda branca, capellas e mantas para noivas.
Bellas colchas de teda e de la e seda para cama de noivas.
Saias de fioissima cambraia ricamente bordadas.
Faiendas de pregas para sala qae se fatem coa urna s costara Umbem teta com
0 mtSSm *m ******** r.
Alcatifa de Mntao para salas e gabinetes a 480 rs. o covado. ,
Faienda especial de quadros para fuer rede* a 3*500- vara.
Superiores esteiras da India* para salas.
URa do tuelmado11
0 LEIAM TODOS! l
M
HOYOS GERENTES
DOS
TRES 0RANDEJS
ARMAZENS DE MOLAMOS
DENOMINADOS
PROGRESSIVO pateo doCarmo n. 9
UNIAQ E COMMERCK) ra do Qoeimado a* 7.
VERDADEIRO PRINCIPAL roa do Imperador o,. 4Q
i
DUAKTE CARVALHO PERIRA *t
CORTES DE SEDA
Chegaram pelo paquete, ingle riquissimos cortes de moreantiqae de cores, e sed lama p
waM^Sed7de quadros por UNO o covado
5RA DO CRESPO5
Gregorio Pae do Amaral compatmia.
.
Oros de aples preto a 10300,10600, 20, 30, 30500 e 40 ocovado.
Gorgurao preto de superior qaalidade a 20500, 2*800, 30 e 40 o o,
Vad' Superiores moreantiques a 20500, 20600, 30, 30500, 40 e 50000.q-^
covado.
Bons cortes de moreantiqae.
dem de gorgurao adamascados.
Bons pannos e casemiras. .
Sup riores alpacas, princetas, merinos e bombazmas.
Bons villados pretos. M
Grande variedade de chales de filo preto e de guipare a 50, 00, 9,
100, 120, de 160 a 203, 8 de 250 a 800 cada um.
Superiores retondas de fil preto e de guipure a 8& 100, 120 e 25fc
e de 300 a 600 cada urna. A .
Superiores algerienes de filo preto e de gurpure de 120 a to, eoe
300 a 600 cada urna.
Boos chailes de seda preta.
Ditos de Merino preto bordados e outras multas fazeodas pretas que
seria enfadonho enumerar, na
IiOJA DAS tmUEWBUM
DE ANTONIO CORREU DE TASCONGELLOS & C.
BIJA 0 CBUSP 9. 13
ILTORI0 IHEBICO-CIRIIGICD
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO JMBCuSO,
MEDICO, PARTEIR B OPERAD
3 *Rua da Gloria, casa 4o Fuidao -~g
0 Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas ao pobres lodos os das das 7 s H
Doras da manhao, e 4a 6 e meia s 8 horas da aoite, ecepeJo dos^ das salificados.
Pharmacia especial homeopatkica
No mesmo consultorio ba sempre o mais appropriado sortimento de carteirai
tobos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisac5es e pelos precos sagujntes:
Carteiras de 12 tubos g raides. 12#00# '
de 24 tubos gradas. i8|000
de 36 tobos grandes. 240000
de 48 todos grandes. 300000
> de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualqaer carteira conforme o pedido que se fizer, e con os resiedioi
que se pedir.
Um tubo a valso ou frasco de tintura de meia onca 10000.
Sendo para cima de 12 custaro os precos establecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
Fazem sciente ao respeitavel pnbuco. ooom especiaijada aos senhores de en-
Ienhos, lavradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar saas compras deli
beraram os propietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabeleci
montos em um s annunclo, pele qual o prega de um ser de todos, promette- A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopatbjco do Dr. Jarb
mos que nao infringiremos a tabella qae abaao vai publicado, annuneiar os gneros oos grandes veluaaecom diccionario .*...... 200000
por um proco, e na occasiSo da compra .quererem por outro, como socede constante*!- Medioinadomestica do Dr. Hering........? ...-? '100000
atente em outras mui tas casas, pirm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto!, Repertorio do Dr. Mello Mora es......... f 60000
aioda mesmo com prejuizo nosso, qualqoer pessoa poder mandar seus fmulos que Diccionario de termos de medicina.....,,..,., 3$HX)
sern tambera servidos como visssem pesaoalmente fazndo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas fixadas; para evitar qualquer engaos, remettendo nos urna conta
pela qual se ver os preces tal qual aimunciarmos, o que seno arrepender pessoa
alguma que fizer sna despenga em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
MJLMTJBIGJa
Manteiga ingleza perfectamente H6r che-
gada ltimamente a r,12o rs. a libra, e
em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 8oo rs.
a libra e em barril tere abatimento.
BANfEA
Banba refinada superior a Ci rs. e em
barril' ter abatimento-.
CHA
Cha trxim de primeira e superior qualidar
de a 2,8oo rs.
dem hysscn o melhor oeste genero a
4,-600':, e sendo em porco ter batimen-
to, tmbeos ha proprio para negocio de 2 a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de Utoo a 2,5oo rs.
a> libra.
BKeootos
Latas com soperior biscouto mffrw do di"
versas marcas a l,2oo ra. a lata- +
Bolacblahas
Latas com fcolachrahas da acreditada f>
brica do beato AntoniOk proprias. paca dar a
doentes de- 2,ooo- a 3,ooo rs. a late.
m 1 BW
o
RC1 DO RRUM W. 3o
O oroDrietario deste estabelecimento deseja chamar a attengao dos senhores pro-
lUriS KeSados mechanismos que continua a fornecer ; os quaes garante-ser,
':.;..!, empre, da melhor qualidade possivel:
Machinas de vapor
As menores sao mui proprias para
dem com quatro libra de bolachinha da
soda a 2,000 rs. a lata.
Queijos
Queijos flamengos chegados pelo ultim
vapor de 23oo a 25oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate, hespanhol a l.,oo.c e l.-2co. rs.
libra, francez e suisso a l,ooo rs. a fibra
eportuguez a 800-rs. a libra, em porcSo
ter abatimento.
Vinagre
Superior vinagro de Lisboa a 2,000 rs. a
caada e 280 es. a garrafa. Tarabem ha
misbaixo paca 2oo rs. a garrafa e l,4oors.
acaaada.
Azeite doce
Superior azeite doce de Lisboa a 7qo rs. a
garrafa e a 5,5o rs. a casada.
FUMO- CAPORAL.
Latas con* superior fumo caporal a 1,80o
rs. a lata.
Hassaa
Superiores passas a 2,5oo o qoarto e
9,5oo rs. acaixa de arroba hespanhola e a
56o r. a libra.
EIEBRA
Genebra de laraitf verdadeira a lo,5ooa
duzia e i ,00o rs. a o frasco.
Genebra.de Hollanda vardadeira a 6,000
rs. afiasqoeira e a 56o rs. o frasco.
Idom da-Hollanda em botijas a loo rs. ca-
da ums.
Garrafeaeom 24 garrafas de genebra de
Hollanda a 8,000 rs. o garrafao. Tambero
ha garrafes-com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a
Os remedios deste estabelecimento s3o por domis condecidos e dispensam por
tanto de serem notamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios
verdadeiros, enrgicos e duradores: batudo do melhorque se pode desojar, globos de
rerdadeiro assacar de leite, notareis pela sua boa conservado, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparacSo, e portanto a maior
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-so-lhe qualqoer
operac3o, para o que o annunciante julga-se sofficientemente habilitado.
O Iratamento o meihor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica,
Succionando a casa ha mais de quatro annos, ba muias pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, qae podem ser consultados por aqoelles que desejarem mandar seos
doentes.
Paga-se 20 por dia durante 60 dis e d'ahi em diante 10500.
As operares serlo, previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos procos
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
do trabalho que
As aotorosde
.rcUentosTeTeeSol as maiores.para moer canna; h, tambem que podem junta
' Tnlt'mJr ririna^e descarocar segundo saas proporcoes. Estee vapores
' SsS^ ?%& SSSS Por qualquer pessoa inteligente, a faeilida-
.fcSnS taDt0 qe nao ha lugar em qae nSo
. r cSzir ^mr Lr erra, qur embarcado. Ha com mqendas juntas ou sem
T\2tem^"pS *>*k*r moenda j existente sem outra mudanca do que
* Ss rPod s da almanjarra. Ellas tem depsitos Mi e boe.ros deferro,
,> foreci am nara o seu assentamento de obra alguma, quer de rapia, quer dj al-
^'fTtompo para assenta-las nao excede do-doze dias ao mais, e em casos de
'e le an imaes ou arrombamentos de acudes, etc., garante-so. o **<
3S, JtaT I mhra-se aos senhores de engenho que a venda dosamunes e o servico da
desoeza da compra continuada de novos. an.maes. com o, desgostos
se tem com eHes. d,agU!1 df, fcpp0) mui maneiras e moendo com qualquer altura
diJgUa'sarIIho9 eoa cruzetaa de ferro para as mesmas quando se desege fazer
das do O^ mjSk ? &"; s tachos e propon.
Paroes o chea para receber o caldo. ^^a.
cKosidfornalha para assentamentos, frescos para o foguista, fazendo
mande calor com pouco combustivel, e duradouro.
granae "f fopna|ha de todos os tamanhos e de diversos systemas.
Fn" 7m5Sm para a fabrica de farinha e tambem chapas redondas
pira tomos pequeos.
Bombas simples e de repucho.
valvAs de ferro batido e fundido e de cobre. ___
FoiSaa de ferro batido galvanisado para purgar assacar; leves para carregar
e ^mptos^quebm^ ^^ ^ ^^ og ^^^ ^^ s6 a ter?a parte do
e^co dos de cobre, mais regalares ua distillacSo e igualmente duraveis.
p. -^^JJ. ~D'Jp0M |e estrro cora oaBgPs de patente; obra mu segura para
carregacSo de peso. .*.
Arados, grades, cuchados a cavallo e outros
cultura. E finalmente todo o objeCto de que possa precisar um engenno
VINHOS
Soperior vinho de Porto das mais acredi-
tadas marcas, com seia-: Madejf^S*ewt
Duque do pojro, vemoseccrj, cagriaasao
Douro, Maria Pia, D. Luz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a l,ooo a garra-
fa e 9>,ooo a 12 000-rs. a duzia.
Vinho Figueira o Lisboa das melhores P
marcas a 4oo e 5oors a garrafa, e a 3sooe,
3,5one 4,000 rs. a caada. '
Superior vipho chamisso em barril a. 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anceretas de 8 e 9 caadas a 2i,ooo rs. a an-
cor eta.
Superior vmh branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ba mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3oo a
3,5o a caada.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,000 rs. aeaixa e
7o rs. a garrafa.
CAFE
Caf do Rio de !." e 2,* qualidade de
6,800 a 8,200 rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
SABAO
Sabo maca de primeira qualidade de 24o
rs. a libra.
6,000 rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a 64o- fs. a libra.
dem de carnauba de lo a 12,ooo rs. a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em latos j preparado- de 1,000 a
ft,2oo rs. a lata
ALWSTA E PAINCO
Alpista o pajoco milito novo-de 3,8oo a
4,oo.rs. a arreba e da 14o e *60 rs. a li-
bra.
CHARUTOS.
Superiores charutos do fabricantes Simas,
% 2;5oo e 3,ooors. a meia caixa: tambem
temos Suspirosy Havaneiros, Ligueiros e
outvos muitos que vendemos por mdico
Ucorea .
Licores franceses e portuguews a 1,000 e
l,foo rs. a garrafa ou frasco.
Doces
Doce da casca da goiaba em caixoes e la-
tas al,2ooocaixao.e2,8oors. lata.
Frotas
Frutas em calda e em latas fechadas her-
AR9IAZE1I DE FAZENDAS
DE
CUSTODIO HRVll>nO c.
27 RA DO QOEIMADO N. 27
MadapoHo francezmuito flno, tendo pouco mofo, cada peca com 27 varas- por
105000.
L3a e cores a 300 rs, o corado..
Cambraia franceza a 260 rs. o cavado.
Finos rgandis a preco do 800 rs a vara.
Lencos braeeos para algibeira a 2$f00 a duzia.
Finas perclaras a preco de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de 13a de barra de 105 a 300000.
Chales de fil preto e. outras muitas fazendas.

. Machinas de descarocar algodSo.
Na fabrica se fazem obras novas encommenda e concertos, com a1 maior presto-
a solidez. O grande deposito de pecas .e objectos habihtam-na muito para este fim.
wrieSto ser* sempre m5i feliz de poder lar occasio de dar informacoes ou
e,larecimentos aos senhores que ^^^f.7.^Z; en^Mro,
\ivasde pellica pretas e ou
tras core.
.Chegaram para a loja d* miudias a raa do
((Mimado n. 16._____ ^_^
YENDE-SE
Taxos para refiaa^ao
Vendom-sraa raa Nova a. 38, !oji da vinva de
Sei asliao Jog da Silva.______________
~ f- Veode-se e faz-je todo goclo com o depo-
Ci da roa do Vigarlo n. 29, maito proprio pera
u:v principiante que qaeira pnicipiar sna vida
com poseo rt'mheiro ; ao compraM se dir o mo-
ti7t da venda.
o grande armazem da raa do Apollo n. 38 e 40,
proprio para om armazem de Tassner qn' prensa
de algodao em poeto Rrande, por ter O portas Se
frente com mais de 67 palmos de largar e 300 e
tantos palmos de comprineuio, tudo cocerte e so-
bre arcada? e para comodidade dos compradores
] se vende com o praao de 2 annos oa o qae se exm-
vencionar ama vei qae aeja cooa segnranca pa-
gsndose pela demora um medico jaro : as pes-
soas a qaem convier esla compra podero enten-
der se com Antonio Aives Barbosa na roa Sos Gua-
rarapes n. 78.
No armaiem da roa do Imperador n. 3
Cae- de Pedro II d. 2, tem para .venderse
bor gaz existente no mercado.
on ao
o oa-
Famha de mandioca.
Venda-se de oda qoalldade.de Saata Galtoria* a
bordo da escuna oldnmburgoeza tnsn, a traw
a bordo do mesmo navio oa no escriptorfo de Amo-
ri Huios, raa da Cruz n. 3.
Serveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs^a duzia e a 7oors.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria e Alcopoa SS.ooo rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
BOIES VASIOS.
Boioes vasios, louca ingle muito pro-
pria para manteiga e deposito de doce de 4
a 12 libras a 4,2 FARINHA DO MARANHO.
Farinha do* MaranSo a 240 n, a libra.
SAG'.
Sag muito novo a 4oo rs. a libra. -
ARARTA.
metteamente, muito bem enfeitaas, conten-
do pera, pecegrv ameixa rainha Claudia, al
perche e outras frutas a oo rs. a lata.
Tambem ha latas grandes par i,2oo rs. a
lata.
AZETFE DE REFINADO
Superior azeite francez refinado a 8,ooo
rs a garrafa o a 9,ooo rs. a duzia.
MOLfO INGIEZ SAUCE
Molho inglea Sauce em frascos grandes
eom rolha de vidro a i,8oors. o frasco em
duzia ter abatimento.
BATATAS.
Gigos com 3o libras de batatas a 1,000 rs.
o gigo.
SARDiNHAS.
Latas com sardinhas de Nantes e Lisboa
de 4oo a 46o rs. a lata.
FUMO AMERICANO.
Superior fumo em chapa a 1,400 rs. a
libra.
ERVILHAS
Latas com ervilhas e feijo verde j pre-
parado 64o rs. a lata..
MASSA DE TOMATE
Latas com 1 libra de taassa de tomate a
64o a lata.
VERMUTH
Esta bebida muito fresca e estomac il e
muito propria para a presente estaejo. a
qual vendemos a2,ooo rs. a garrafa e 180
a duzia.
Novidades do Vigilante
RA DO CMSP.0 N. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
se-achar bem sortido como todos sabem,
hoje mais que nunca, no s pelo que rece-
be de sua propria cunta, mas tambem pelo
que recebe de consigoacSes; parece sem
\ dovida que deve offierecer grandes vanta-
gens para o respeitavel publico tanto em
Araruta verdadeira a 4oo rs. a libra.
Pimenta, cominho, cravo, canella. ervadoce, alfazema; tijollo para limpar facas pa-
ilitas para dentes, palitos de togo, e outros muitos gneros que se tornara enfadonho
instrumentos de agri- mencionar,, afiancando cincertdade nos precos e'o bom acondicionamento de qualquer
genero.
ROMANCES B4R4T0S
Vendem-se, na livraria da praca da Inde-
pendencia n. 8, a 400 rs. o volume, os ro-
mances portuguezesseguinles, em brochara:
A voz do saogue, 2 roiumes.
Connemar, 2 ditos.
A noite de S. Silvestre, l dito.
O filho de Titiano, 1 dito.
Adonis oq o boa negro, 1 dito.
O pacha do Buda, 4 dito.
Trilby, Idito.
Ignez de la Sierra, 1 dito. *
Jovan Siberiana,. 1 dito. j
CotasV cont suiss> i ditt
Cevadiha de Franca
a 160 rs. % libra, e de 8 libras- para ewia a 1J0
fs.: no armaiem da Liga, roa Nova n. 60
LantlIUs. f
A loja da Aurora, na roa larga do Rorario n. 38,
receben lartiSMOto 4s thnSJota motto delicadas e
proprias para-qwlqwr enfeite, assim como tam-
bem receben lavas de Joavin brancas e de cores
para bM e seotwra, nait frescas ebcsslas
pelo ultimo vapor, todo isto na loja. da Aurora,
raa larga do Rosarlo n. 38.
Veude-se ma masseira de amarello em per-
feito eltado, e mais pertences para ama aadaria,
na estrada nova, segunda taberna a direita, depols
do sobrado grande : a tratar na mesma, das 4
horas da tarde em diante.
Na roa do Rimado i. 40
Cortes de laaiinba de cor, bonitos gostos, eom
15covados3|600, ^n
Cassas organdys de cores, covado a 340, pecas
de algodaoznbo largo com 17 varas a 4*.
Ditas de dito com 17 varas, muito eocorpado,
com pequeo deleito, a 4*500.
Grosdenaple preto amito soperior, covado 2$.
Dito te a 1*000.
Retondas de renda preta a 10*.
Chales de renda preta a 8J.
r..........n" m -'
Grande peehiaela do madopolo eom
ffrif.
Paredes Porto vende ama grande porcSo de ma-
d*prso tarttdo, firenda de 10* e a peja, a
6*500 e 7* com peQoeno toque : n* roa da
ratriz n. a ametem da porta lato* fonto
daria francesa:
precos como na escolha dos objectos, e co-
mo acaba de chegar grande remessa pelo
vapor tDouro e o navio Solferino de
diversos objectos de gosto o proprios do
tmpo dos quaes se mencionarlo alguns,
por d5o ser possivel mencionar todos. O
dono deste estabelecimento espera a pro-
tecc3o de todos.
Riquissimas caixinhas ornadas e com
msica propria para um delicado mimo.
Caixinhas de msica tanto de veio como
de corda.
Ricos porta joias e necessarios.
Riquissimos est jos a feitio de um bausi-
nho ou chapeuzinho.
Ditos em cascado noz e de outros gostos;
Leques de madeperola de sndalo e de
faia e madeira.
Chaposinhos e touquinhas de muito
gosto para criancas.
Meias e sapatinhos de seda para as mes-!
mas.
Meias de seda para senhoras.
Capellas e grnaldas de flores proprias
para casamento.
Enfeites e capellas de muito gosto para
seuhora.
Riquissimos porta boquets.
Boquet de flores com urna borrachinha
com cheiro.
Luvas verdadeiras do Jovin.
Ditas de seda e de Escocia..
Riquissimas plumas e guarnieres para
enfeitar chapees.
Contas e tubos de ac branco, que ha
muito se desejava para enfeites.
Brincos, fivellas cruzes de crystal.
Fivellas e cruzes de tartaruga, madripe-
rola e dourados. *
Alflnetes para gravatas.
Botes com croas- para punhos.
Gravatinhase mantinhas de muito gosto,
tanto para homem como para seuhora.
Riquissimos aderecos pretos, assim como
caixinhas com alflnetes pretos.
Bongallas do ano eom oabo de marfim.
Ditas de balehf, borracha e de outras
mnitas qualidades, assim como chicotinhos.
Riquissimos penes de tartaruga do ulti-
mo gosto; assim comode arregaco para
menina, pois nesto artigo ha um completo
sortimento de todas as qualidades.
Diademas para cabeca do ultimo gosto.
Riquissimas fitas lavradas e lizas.
MACHINAS DE PATENTE
DE TRABALHAR MO PARA DESGA-
RUQAR ALGODAO
FABRICIS* POR
PLANT BROTHERS & C.
OLDAM.
Estas machi-
l_____m naspodem des-
carocar qual-
quer especie de
aJgodao sem
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas
para o traba-
lho; pode des-
carocar urna
arroba do al-
godSo em ca-
roco em 40
minutos, ou
IB arrobas por dia ou cinco arrobas de al
godSo limpo.
Assim como machinas para serem movi-
das por animaes, que descarocam 18 arro-
bas de algodo limpo por dia; e motores
para mover urna, duas ou tres dessas ma-
chinas.
Os mesmos tem para vender um bellissi-
mo vapor que pode fazer mover seis destas
machinas mencionadas; para o que convi-
da-so aos senhores agricultores a virem ver
o examiua-lo, no a mazera de algodSo, DO
fergo da ponte nova n. 4?.
Nnuoder Brotbers A. C.
Recife prafa do Corpo Santo n. 11.
Os nicos agentes neste paiz.________
O castello de Grasville.
Traduzido i francs por A. J. C da Cni.
Vende-se este bello romance era quatr
tomes pelo baratsimo prego de 3oO00
oa pra^a da Independencia^ livraria ns.
6 e8.
a pa-
Trancas pretas com vidrilho o do odres.
Pulseiras tanto para senhora como para
meninas.
Ufas de seda e do atgodSe.
Suspensorios de seda e de algodio e mui-
tos outros objectos que so nao podem an-
nuneiar por n5o se tornar enfadonho.
S no Gallo Vigilante roa do Crespo n. 7.
Frameisce Jos Germano
RA NOVA N. 2S,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de ocoles, lonetas, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa e ocu-
los de alcance para. observacSes. epara ut
maritimos. ____ "
' Ua de barriguda, oque de melbor Tu para
eoctier travesselros : vende-se na rna da Madre
de Deus, nwaiejjoirto a* igreja. -
. Roupas feitas de todas aa qnaiidades
Veude-se roopa feit, senda cateas de coree e
pardo a 1*, ditas de brim branco de liobo a 3*500
e 45, calcas de casewira preta a 5*. 6* e 8*, di-
tas de cores, meia oasemira, a 3* e 3*500, ditas
de casemira a 6*, 7* e 8*, paletots de brim da
cores a 2*, 3*500 e 3*, ditos de brim braneo*
a iJoOO, ditos de alpaca preta a 3* e 4*, ditos da
casemira de cores a 5*, 6, 7, 8 e 10*, ditos 4o
panno preto a 6*, 7, 8 e 10*, colletes d* com a
1J8H0. d. casemira a 3* e *, crpele Mace a
1*600 e i*209, camisas francesas Unas brancas
peitos de cores a 2* *MO0, tas Inglesas de li-
?ho de pregas largas a *800, 3* e 3*300 : na
ruada Imperatrfr teja* Arara W9$.
---* Em aso de Rs* Sdanettu*.'
ruQ%(a^n.f8,voOQVM2
Champaaba.
Cognac de -superior qeatd&de.
L Vidros para espeihos da todo os tauu-
nhos tudo a precos mainoeoaimooo.
tara
Tesoarasdetodas
Aievedo '&***.
mac
algo
"N
<.
*,--

iiiiirn
X


.


>

Diario de i>riUUi>< 4 armado t* 4c Afcrlldle 868.
NOVA LO JA
ENOIGLOPEMOA
tt lHdi Imperatriz irHuen
a porta larga tt.
anata a padaria fradeeza de
Paredea Porto.
Neste estabeiettmn encontrar 0 respeltavel
publico variado sertimento de fazendas frince-
xas, liglMM, wtesas allenies, qcra ntwM
por preso commodo.
Paredes Porta
Vende chales de renda de cores que se vende-
ram a i8j> est vendendo por 6J, ditos pretos, fa-
senda nova, 5, 6, 8 a 20 j, um sortimento com-
pleto de manteletes, capas e soutambarqnes 14 a
25*. Roa da Imperatriz n. jonto a padarta fran-
cesa, armazem da porta larga.
Paredes Porto
Receben am completo sortimento de liasinbas a
SAO, el rs. Cotudos, para acabar, cambratas de
cor a S40 rs. o covado, riscado escosse para rbu-
Ei dn merino, foKio de flnho a 450, 400 e 800 rs.
aa da Imperatriz n. 52 junto a padara (raneis,
armazem da porta larga.
Paredes Porto
Receben para cortinados para cama francesa a
lita peca cambraia lisa floa a 3J 4* at 10* a
peca, cortes de tarlatanade bonitos gostos a 3400
41, cambraia cor flor de seda, gostos Inteira-
mente novos a 400 e 500 rs. o covado, no armazem
da porta larga n. 52, rqa da Imperatriz junto a pa-
daria francesa,
, Paredes Perte
Receben peto BMslB paqnele um sortlmewo de
cmxes com podras para o pescoco, bonitos caxineis
de a para pesclo de senora. Roa da Imperatriz
n. 52, armazem da porta larga.
Paredes Parte
Vende cortes de gorgurao preto para vestido com
21 covados cada um 35*000, prsdenaple preto a
1*500,1*800 e 2* o covado, ISas lisas finas a 400
rs. o covado, lias de qa'drfnno para vestido, enfes-
tada, a 320 rs. o eevado. Ra da Imperatriz n.02,
anatMn da porta larga.
mmstifc
Ra da topera tr i z n. 52 armazem 6a porta lar-
ga junto a padaria francesa, encontra-se ueste es-
tabeieoimeoto am complexo sortimento de paletos-
saceos _e sobrecasacos, de todas as qaalidades, cal-
fas, eotetes, ceroulas, camisas, gravatas, metas,
chapeos de sol, ditos franceses para catoeca. por
precos com modos, ronpa para menino e entras
martas fazendas por grecos comeados, armazem
da porta larga.
o mesmo esiabelecimento encontrar o respei-
tavel publico, sempre um completo sortimento de
roopas eitas de ved as cjaaWdades, co sejakn
paletos de alpaca finta e de odr, ditos obrecasa-
cos a 4* e 5*, ditos de brim pardo a 90800, 3* e
3*500, ditos Bno a IX, ditos meias eazemira a
3*500, 4* 5*, ditos eazemira saceos a 6*, 71, 8*
e 10*, ditos Mbreaaeacfs a tO e 19*, ditos de paa-
qo saceos a'6*, 8* e 10*, ditos sobrecasacos a 12*
e 25*, ditos de merino preto a 6*, 71 e'10*, cai-
cas de brim'de diversas raridades a 1*800 a 4t,
ditos brancos a 2*500 e*00, ditos cazemira j,
6* e 7, drtcs pretos a 5*, 6*, SS e 10*, ditos
metas cazemiras a 3* e 4*, coletes de diversas
qualidades, seroulas frarncezas de algodo, ditas de
Itabo, ditas de bramante a 2* e 2*500, camisas de
algodo de linbo francesas de 2*800 e 3*. Gran-
de pecbincba neste genero, gravatas de todas as
qnalidades e brancas para casamento, grande sor-
timento de meias para sen horas, ditas para nemens
a 3*, superiores a 5*300 e 4*.
Um completo sortimento de chapeos de sol de
alpaca a 3*, ditos de seda a 53, 7*. 10*-e 14*,
ditos 'franceses para cabrea, grande sortimento
a 6*.
Vestidos
PecMacha seca Igual.
Ghegou a loja de Paredes Porto nm bonito sor-
timento de vestidos de lamtata de cores e branca.-
que serve para partidas por-ser urna pbtntasia 1b-
teiramente de -posto pelo 'barato preeo de 4* e
brancos a 4*560, estao acabando-se : no armazem
d porta larga roa da Imperatriz n. 52, jauto a pa-
daria franceza.
Cortinados.
Chegon a loja de aredes Porto nm complete
sortimento de cortinados Ticamente bordados a
preeo de 25*, 35* e 45* : na roa da ifmperatriz
n. 52, porta larga junto*; padaria franeeaa.
Ricas Kmeiras.
Paredes Porto receben pele ultimo paquete nm
sortimento de romeira de-guipure pretas e de fil
a preeo commodo : na ra da Imperatris n. 52,
porta larga junto a padaria franceza.
. 4 SALSA PAttilLHi M AYER
PARA A CURA KADICAL
mmmmr *f
do asronlas e awfestias eecroftudsas, tumorat, afear/, tugan, feridas ve-
lbat; txroftdMeete, pape ao papeira, t syphilis, eoimudades Teneras ou mer-
curiaes.
AS MOLESTIAS DAS MLHEfiES
retencSo, mensro doloroso, oleeraces do tero, flores brancas, etc., ukera-
c5o, debildade, expoliado dos ossos, a nevralgia e convulsoOs epilpticas
qnando cansadas pela escrfula.
, m ERSIPEUS ERPES; ETC. ,_
Enferinldades cutneas, erupcSo, borbnltaas, pstulas,
ascldas, etc.
0 extracto composto de aalsa parrilha, confeccionado pelo Dr. Ayer, uma
combinac3o dos melhores depnralivos e alterantes conhecidos medicina; confeccio-
nado segundo as regras da sciencia, approvado ereceitado pelos primeiros mdicos dos
Estados-Unidos da America do Sul e Central, das Antilhas, do Mxico vffM Indias, e
natritas ootras partes domando: o resn+tado de estudos apurados eltfitnciosos, e de
experiencias feitas pessoalmente feto Dr. Ayer, por muitos anuos, nos principies nos-
pitaes e enfermaras da America ; tcm sido approvado pelas academias de medicina e
juntas de hygienne das principaes capitaes da America do orle; para prova disto vede
os attestados autbenticos no Almanak e Manual de Saude do Dr. Ayer, os quaes se dis-
tribuem gratuitamente nos lugares onde se vende o remedio.
A SALSA PARILHA DE AYER
Especialmente fflcaz na cura das molestias que tena sua orlgem
a escrfula, na Infecco venrea, uo uso
. cxccssIto do mertut lo ou qnalqncr Impureza do sangue.
A molestia ou infecco peculiar, conbetida pelo nome de escrfula, um dos ma-
les mais prevalecntesetmiversaes que ha emtod a extensa lista das enfermidades que
Itacam a nossa raca; disse um celebre escriptor da medicina que < mais de nma terca
parte te todos acuelles que morrem anlea da velhice s2o victimas, ou directa ou indirec-
tamente de escrfula; por isso s nao 15o destructiva, porm -a principal causa de
muitas outras enfermidades que nSolbe sao geralmente attritroidas.
urna causa directa da tsica pulmonar, das molestias do figado,* do estomago
e affcccfies do cerebro; enlre seus numerosos symptomas acham-se os segnirrtes: falta
de appetite, o semblante plido e ene ha do; as vezes de urna ahora transparente e outras
?ezes corado e amarellnto irregular, fraqueza e moeza nos mOscOlos ao redor da-boc-
ea ; digest3o fraca e appettite, falta de energa; ventre encbado e evacnacSo irregnlar;
qnando o mal tem seu assento sobre os pulm9es urna cor azulada eetra-seem roda dos
olhos; qnando ataca os orgaos d'gestivos, os olhos toriiam-^eavennelbados; obali-
to ftido, a liugua carregada; dores de caneca, tonteiras, etc. Naapessoas dedisposi-
C5o escrofulosa apparecem frequentemente erupcoes na pelle da c*eca e nutras partes
flocorpo ; s5o predispostas s affeccoes dos pulmoes, do figaor^ds rins, des orgaos
digestivos e uterinos. Portante, nSo slo smente aquelles que padeeem das formas ul-
cerosas e tuberculosas da escrfula> que necessitam de proteccSo contra os seus estragos;
lodos aquellesem cojo angoeexiste o virt latente deste terrivelflagelio CRA5DE EfrABElICUBRTO
DO
60
dJulmprratrU^
DI
CAMA4SILVA.
LOJA I ARMAZIM M AXfKBAS.
Tendo os propriotarios deta grande estabaieci
ment feito nm grande abatimento em muius de
sops farendas, pela eccasiao do banco (|ne deram
no ultimo de dezembro de 1065, resolvrim vectder
muo mais barato do que eostumam anta de cada
vez mais agradarem aos sens numerosos regoe-
zes ; por tanto Ibes offerecem nm avalado sorti-
mento de fazendas francesas, ingietas, as ^aes
venderao mais barato 4o qoe em caira amper
parte^, comprometindose a mandar levar yntqwT
lazenda em casa dos fr^goezes que nao poderem
vir a toja, ou a darem as amostrasj deixanflo ncar
o penhor, assrm como coovidam as pessoas, qoe
negoclam em menor escala que neste grande esta-
beieeimenlo neoMraran na grande sortimento,
tanto a retalho como por atacado, vendendo-s-lbe
,pen'Le'os Precos que comprara as casas ingie-
ras, sendo con 0 BamWHf vhta.
As toalhas de lioko do Pavo.
VtiH9 saperteres faRm de linhos pata
ronlo polo baratissimo preeo de 74500 a duzla ou iaratlseimos precos de 2 e 2C0O a vara, assim
a 640 cada urna.
a,o^r<,aiiapos de lmho "damascado para meza a primos de 640,700 e 800 rs. a vara : na loja e ar-
2&800 a duza ou a 140 rs. cada m. matera do Pav3o. rna da Imoeratrlz n. 60. de Ga-
Cortea de cambraia com palmas na leja 4o
Pav5o.
Vendem-se cortes de cambraia branca com pal-
mu, sendo uzeada amito tea, pato baratissimo
preeo de 21500 para acabar : na loja e armazem
do (ivao na ra da hapentr n. *0, de Cama i
8lu.
Leneoa braneoa a IflMM a-eia a
duala.
Vendem se lencos brancos farenda mnito boa
Ko baratissimo preeo de a duzla, Ditos com
xa de cor a #000 isto para acabar na loja d-
Pavio na ra da Imperatriz n. 60 de Gama d Sio
va.
Poupelimw moderni8Simas a 400 e 500 rs.
o covado na loja do Pavo.
Vendem-se poupelinasmuio linas sendo fazeuda
mnito moderna de quad'nnhos e liza vendendo-se
pelos barates precos de 400 e 600 rs. o covado na
mi do Pavo na ra da Imperatriz n. 60 de Gama
& Silva.
rosdenaplcs pretos do Pavo.
Vendem-se superiores grosdeaaples pretos pelos
beratissimos precos de i50o, i 600, 14800 e 24
o covado, sendo fazenda multo bea, s para aca-
bar ^ na loja e armazem do Pavao, rna da Impe-
ratriz n. 60, de Gaua & Silva.
Bramante de Itabo do Pavo,
Vndese superior bramante de linbo com 10
palmos de largora, prrprios para lences, pelos
comopanflo de linbo moilo fino pelos baratissimos
macera do Pavo, roa da Imperatriz n. 60,
ma, estiva.
Canbraias lisas do Pam.
Vendem-se pecas ae cambraia lisa mnito supe-
rior, pelo barato preeo de 34200 e 34500 a peca,
ditas muito finas a 64, 64, 74 e 84 : na loja e
armazem do Pavao, rna da imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
PEOH1NCHA t
"a 24000, para caifas, s Pavao.
Vendem se
154000.
Capas e santhambarqnes de grosdenaples bor-
hereditario), estao espostratambem asoffrer das enfermidades qoe ete caoa, ue sao: SrTOSSiSi,Mt^pI'^lfr,S,, *
A tiska, olceraBes-de figado, do estomago e dos rins; erupcoes e enfermidades
eruptivas da cutis, rosa 00 eryspela, bofbtflbas, pstulas, ascI3s, Tumores, rheuma,
carbnculos, ulceras e cbagas, rbeumatismo, dores nos ossos, as costas e na cabeca
Superior atoalbado de linbo com etre palmos'de-
largura sendo branco pardo, e vende-se mais ba-
rato do que em ontre parte, na loja do Pavo na rna
da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Os corpinhos ae seda pretos'00 Pav5o.
Vendem-se os mais ricos cprphrhos'de seda pre-
tos, ricamente enfeitados, pelo barato prende t*
cada um : na loja 'do Pavao na ra a lmperar
n. 60, de Gama & Suva.
Rico voetldo a 80000 va.
pethincha admirare!.
S o Pavao recetan. palo ultimo vapor (raneet
um grande sortimento dos mais ricos cortes de
vestidos Transparentes cowttodas barras e enteites|triz n. 60, de Gama&Siiva.
de seda, sendo estes vestidos muito-propries para PENTEADORES
baile e .passeios, evendem-# pelo baratissimo! 0D ronnfl* dp rjimhraia hnrdarlns nrnnrins
preeo de 84000 rs. cada nm, na loTa do Pav "J"JK*! ^ camDraia DoradOS propriOS
rna da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva. J)ar* as senboras vestirem de manbaa.
Os chales pretos de renda do Pavo r^OOO-fi.' fLe.S2Lestaanovid,a,de,pa,a Jja. do Pavlo>
Vendem-se os mais ricos chales bretes de renda S^^tu^n^inU^1^-6' VS'
com-qnaro poaias, enda mnito grandes petoba-4 f^^t^rels0 ^.^ "'J .* "W"' m i
ratissimo preeo de 84. fBll* + T> de G,ma,& !s,lv-
Ditos de guepnre a t54,184,204,254. 4, CassairMeeas a 240 rs. ft cafad*.
Retondas de dito a 104. Vendem-te bonitas cassas iancezas de eores fi-
Manteletes de rttffa, l!atnd*intrto sopettor- a"' Pl8 baratissimo preeo de 240 o covado.
Ditas a 280, 320 e 360.
S6 na loja do'Pav, ra da Imperatriz o. 60, de
'BM&S***.
mmm wmw$m.
Bata U quarttma
O chales do Pato a 65 U e 86.
Vendem-se ricos cbales pretos de renda mnito
grandes eom qnatro-ponta?, sendo os mais moder-
nos por terem chegado pelo ultimo vapor francs,
eveodea-se pelo baratts.mo preeo de 64,Me
84 : na loja do Pavio, roa da imperatriz n. 60, cte
Gama & Silva.
No armazem di^lazendas
baratas de Santos Ooelho
Ruado Qnelmado a. 19.
Vende-se o segninte :
Grjbert de chita da fndra a 24400.
Lencoes de'panno detnfco a 14900.
Ditos de bramante de linbo de um s panno a
31200.
Lencos de cassa brancos prprlos para algibeira
a 2S000 a duza.
Algodo entestado com 7 t|2 palmos de largura
a 14200 a vara.
Aiboalbado de Unho.a.24800 a vara,
Dito de algodo a 2J a vara.
Guardanapos de nho a 3*800 a dozla.
Pecas'de cambraia de satpiros a 44500.
Laazinha aberta de cores a 320 o colado.
Cambraia branca de forro a 3# peca.
Fil de tnho liso fino a 800 rs. a vara.
1 Dito de dito com salpico a 14 a vara.
Panno de linbo fino com 9 i|2 palmus de largu-
ra pelo barato preeo de 24400 a Vara.'
Madapoldes Unos a 84, 94,104, 114 e 124
Cambraia lisa de 44500, 84, 6*, 74"84 a peca.
Pecas de brelanha de algodo com, 10 .varas,
pronria para saia, pelo baratissimo prego de
Laazinha lisa de cores a 500 rs o covado.
Cambraias finas de cores miudinbas a 360 rs. o
covado.
Esleir da Indiapwuia,para torro de ,sala de
4,5 e 6 palmos de largura, per menos prego do

.
nperiores corles de meia .casemira 1 qbe em ntra qoalquer~partk.
Saam6^4 io "^ *.^>ndlUs ^^d'Das I Nes,e rmazem tambero se encontra nm grande
W s eCnras a 28. 0Q *600 o cova"! sortimento de roupa feita e por medida.
do :-n loja e armazem do Pavo, ra da impera- _---------------- '.-
-^- Vende-se ama porcSo de telhaja ser-
vida : na ra do Crespo n, 7, loja do gallo
vigilante.
~ Vende-se o* permuta-se pr_algnm predio
nesta praca, a parte de engeoho Imnhamaa do ter-
mo de Ignrass, qoe por partilha tocn ao casal
de Francisco Lopes Hachado, na importancia de
8:0004 a qnal parte acha-se livre e desembarace
da, quera pretender dirija-se a roa da Mangueira
n. 1.
5SO00
>9
Cortes ae iaa escocesa para vestido'a 34 o cor-
te: na rna-oa Imperatriz n. 2, loja da-porta lar-
ga, junto a padaria franceza, esto se acabando.
Para luto.
Laas pretas com salplccstrancos a 460 e 500
rs. o covado : na roa da Imperatriz n. 51 ganto a
padaria franceza armazem da porta larga.
. dores nos ossos,
'debilidades lemininas, flores 'brancas cansadas pela uloeracSo interior, e enfermidades
uterinas, ^ropesia, iodigestao, enfraqneemento e debilidade geni.
Offorecemos a estas pessoas um abrigo seguro e um antidoto fficaz contra esta
molestia e suas consefoencias na
SALSA PARRILHA DE AVER
que opera directameflte sobre e sangue, parficando-c e expulsando delle a corrupto eo
veneno do-os-da sua aeco viciada e inspirando-ibes ervo vigor. m alterante poderesssimo
para awnovacSo do sangue, e d ao co?po j -enfraquecido pela doenea, rorprs e ener-
gas reffwvadas como as da joventude. ,.,-_
E tamban o melher nty-syphitoo oonliecido
cura^ermanentoaenteaspciores fftrnwsde sypbilis easenweOBsequencias. PoHca
necessidade ha de informar o pnblico do mestiaiavel valor de am remedio >qoe, como
este, livra o sangue desta rorrupcao- arrebata a victima das garras de urna raorte lenta
e igaominosa, .porm ineritavel, se-o mal ji3o* logo cowbalirje-eo Werpa.
E um poderosissinso alterante para a renovaco do sangue e para dar nova 'for-
ca ao corpo j enfraquecido pela doenca.
Sendo composto -de productos vegetaes, esle medicamento innocente e-ao mes-
mo tempo ffictre, tjm fado de rmvnetsa toportancta para aqnetles qoe otomana; por-
que mnitos dosremedios alterantes offerecidos ao pnblioo tem por base'0n>ercurio ou o
arsnico; e sendo assim, bem que s vezes podem effectuar cures, comtado deixam suas
victimas carragadas de ginal. A nica eoosa necessaria psra obter-mna cura Fadicalaegoircom juizo-eeeos-
atncia as direocoes qoe acompauham cada -fteeco. 1
Nao pretendemoa promulgar, nem jfaeremos qe se inflra que-esta composicao a
um remedio infallivel .para a cur-a de todos os padeoJmentos humanos ; infelizmente
escrfula e-a eyphilis -ano -enfermidades tao satis as as natureras, earreigam-se lio
firmemente no systema, que murtas vezes -evadem cresistem aos remedios mais pode-
rosos que a sciencia humana poda inventar para combate-las: -o que drzemos--que o
Extracto imposto de salsa pamHia de Ayer
a melhor preparacSo at boje descoberta para estase outrasnolestiasanlogas, que
urna combinac^o dos alterantes mais efficaaes conhecidos, e que esta combinacio tem^idd
regulada por tongas e iaboriosas experiencias, e finalmente que temos eonsciencia deof-
feracer ao publico o melhor resultado que ipossivel produzin, da inteliigencia e pericia
medica dos nossos lempos.
Este remedio deve ser tomado com systema e>regularidade, enio-com abandono,
poie um remedio e nao bebida.
Quando as molestias do figado nao tem sua-origem na escrfula, o remedi
mais proprio as pillas catharticas de A*/er, que sao efBcaaes na cora da molestia, que
.m.por causa um desanraojo des orgos digestivos. Pedi a salsa parrilha de Ayer e
nao acei tai ou ira preparaco.
Chapeos 4e aol.
Vendem-se chapeos de sol de panno a 45400 e
urna grande pecbincba s para acabar : na ra da
Imperatriz n. 52 armazem da .porta larga de Pare-
des Porto.
A 1^500. .
Vendem-se pegas de tranca preta para enfeites
de vestidos, sontemtarqae?, epas de senhora a
i 5600 com 10 varas, ,' ama grande pecbincba : na
rna da Imperatriz n. ui junto a padaria ranoeza.
48000
Chales de renda pretos.
Vende-se cnale-s de renda preto a 4*000, nnlec
loja one pode vender na rna da toperatrit n. 2,
Uflaaiam da posta Jacfa, de Paredes Pofte.
8s:s
I*
a
*
o,
S S = ?2 B^L o
S.i"
ilf
f &
atii
f
ffl I
Pernambuco, -ra Nova n. 18, pbarmacia feanceaade i. Maurer- G.
-----------------------------------------------------------------------______________________________---------.
i-
VENDE-SE
X fmazem de M. *9. Ramos e Silva & fieiaro. rna < Vigaeto
n. i i, oasiaoft
sreceb
emte, a segaiaates arflgoa, aaie
cncomnenda propria de

*EW-*ORH.

Legtima saka parrilha de Bristol, preparada por Lanman A Kemp-
V-erdadeira aga Tlorida, reparada pelos msalos.
Gaz'em latas de emeo gaRies, o mai6 purificado que se pede desojar da acred
tada marca F.W.D.&C.
Relogios perf*os reguladores, com corda de quatro oito dias, dos aamados a-
tricantes E. N. Welch.
Graixa em lata* grandes da bem coohecida marca las. S. Masn pbia).

Superior oleo para machinas de costura.
A guias para as mesmas.
Breu em barricas grandes e pequeas.
Venae-se tambem:




ttORn tt \
l.'aaalidade.


St. Estephe,
St. Julien.
G. Margswx.
C.Lafitte.
Medec,

Vinho fino do Porto em barris de 8/, 10/ e 20/.
Snperior vinho doRheno.
Cera de Lisboa em velas e en grome.
.
PORTO
l* analidade,
Principe Real.
.Pedro V.
[Mara Pia.
Princeza D. Isabel.
I Vctor Emmanuel.
'Duque.
Malvazia.

Isto na toja armazem do Pavao-na rna da Im-
peratriz n. 0 de Gama SMva.
Oscilles do pavo a 2ooo e 2ooo rs
Vendem-se chale* de merino estampados a 3*
e 25900 cada um.
UKos de merm liso a 3300.
Ditos estampados de prepon al6Jt, 7,8, e 8*900.
Ditos pretos bordOos -com franja de seda a lia.
Na loja e armaaenr do Pavao na ra da impera-
tris n. 60 de Gacoa ^ Silva.
Para tato vende Pavo.
Setim da Cbina com 6 palmos de largura, Tazen-
#a preu paratoto, propriae^ifa Vestidos'ronpas
para homeus,-seado esta ucrr*'fazeoda sem rustro e
de muilo boa isUdade, ^arastindo-se uao Mear
rnssa com o lempo e vende-se pelo barato precio de
2 e 2*09 o covado, assim como neste -estabeteci-
ment tem um grande soriimento de todas as fa-
zeDdas prelascomo sejam cassas echKas pretas,
lias upadas e^ranspaniotes,. princesas, alpacas,
sarjas, etc.: na loja e armazem do Pavao na rna
da Imperatrte n. 00, de'Gama & Silva.
Os 'baibes do'Pavtfo,
Vendtn-se nperiores baldes^ de 'nnicalina eom
molla reda a 5$., ditos crinolines com 35 arcos-a
3,5300, dUos com 20 25- a 3*, ditos para meni-
nas, sendo brancos e encarnados a ?e 2500
na loja do Pavao na ra da Imperatriz n. 60. ue
Oamad&lva
Cambraias de forro a 4(5600 -e 2 # na "loja
do Pateo. -
Vewdam-se pecas-de cambraia de forro com ne-
v varas cada peca, pelos baratissimos precos de
llCOOe25 : na leja e armazem do Pavao na rna
da laporatriz n. 50, de Gama & -Silva.
Os corttaados do Veodero-se superiores cortinados adamascados
para canas pelo baratissimo preeo de i& cada-par,
ditos cnaito Anos ricamente bordados para camas
ou janeas a 150,30$ e 255 o per : na loja e-ar-
mazem Garuad SHva.
Panno preto a 20 na loja do Pavae.
Vende-se panno preto. faada moito ljoa,.pelo
barato preeo deSfi o covado, dito nimio floa a
35566, 45, 55 e35-, assim como casimira preta de
eordc^ 25 o covado f na leja Jo-Pavio na m da
Imperatriz n. 60,4eSama *<**. -
Os espartilhos do'Pavo.
Vendem-se umakarande e variado sortimento de
espartbos dos wais bem feitos qae Um 'viodo ao
mercado, sendo de>todos os lamaohos, vendendo-ise
por um.prec.o muito razoavel : isto na loja do*?a-
vo oa na da Imperatriz n/fO^'-de' Gama & StKra.
Aaaaiaa mirfmml # pavo.
Veodam-se saias bordadas saado fazenda aito
boa, sek) ricameoie bordadas-e-com muita rada
veodeado-se pelos,batatos,prcos>de 65 8jj e 105
reis cada.urna na.loja do Pavao ot ra Ja -Impera-
triz n. 0 de Gama frSil va.
firctanha*.t!e rule.a :8s00g
Vendem-se pecas de bretanha de rolo eom 40
varas ttada peca, pelo baratissimo preeo de 'Si :
na loja aonazem do Pavo, ra di. Imperatriz ,n-
00, de Gama & Silva.
Roataai felta.
Na loja do "Pavio
Vende-e.ceiste esta beieeimenlo nm grande sr-
timentode reupas, tanto de panno.eomocasemas,
e brios e pbics .baratissimos.presos como sejaai
calcas de eaxwnira preta a$ 75 e 85000 reis, pa.
letot de panno preto saceos a"655 e 5000 rs.
ditos sobrecasacos de panno finisimo a i25 i5 e
35000 reis, e-outros maiu>6 rticos queerlan-
fadonbos aqu relata-los; s oa loja e armazem do
atora da Inpunli a.*0 de Gama.* Oila.
Cr&aoV* peeklncha.
Semkaa 5001*, cavada
Sediius a aOO rs.
Seatus a 00 k.
Vende-se na loja4o Pavo, nm grande sorliawB-
to de sedinhas listradac com asmis bonitas coree,
sendo os padros mais Bows que imb viado aa mer-
cado^ e vande-se pelo pauuUslmo preeo de oioeo
tostSes o covado, sendo iasenda que valem mnito
mais dtabeko, e grande pecbincba por se ter
comprado.orna grande portMa desta fasenda, na
loja e armazem de faunda do Pavio, ra da Im-
peratriz n. -60 de
Lcuinhai inatisadas a 320 rs.
Vaadon-se asmis Itndac Bastabas maa'sadas
"

Qrosdenaple preto a I$60Q/
' E' grande pecbincba !!
., iTende'setrosdenaple prete.'ndo mnito encor
papo e de boa largura, pelo baratissimo pre;o de
15600 ocovad* : na rua da Imperatriz n. 60.
Os cachinez do Pavo.
Vendem-se bonitos cachinez de 13a ou agazalhos
para cabeca pelo baratissimo preeo de 35000, s
na loja do Pavio, na ra da Imperatriz n. 60.
paMllTAS PARA OPESCOgO
a 15, so o Pavo.
Vendem-se bonitas mantas para o pescoco, pelo
barato preveo de 15 : na loja do Pavio na ra da
lapmtriz n. 6t, de Gama & Silva.
Modapoles a 3,360 rs. a pessa.
SO ni loja do Pavio.
i Vettde-se pecas de madapoIBo fino com 12 jar-
das, t** barato pre^o de 05500 e 45000.
Chales de renda.
Na loja do Pavao.
"Receberam-se os mais lindos cbales pretos de
renda, assim como as mais modernas e compridas
retondes, e manteletes da mesma lazenda, e vende-
rse mais barato que em ontra qualquer parte; na
leja e ajmazem do Pavo na roa da Imperatriz n.
de Gama & Silva.
Caslar a 3d0 rs. oeovdo.
Para caicas.
' Vendem-se superiores castores mnito encorpados
padrees esenrs pelo barato preeo de 320 rs. o co-
vado, serviodo esta fazenda tambem para escravos
por ser de malta dnracao ; na loja e armazem do
Pavo roa da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
1 Chapees para meninas a 6,000.
S na loja do Pavo.
Se vendem es'mals boratos e mais bem enfeita-
dos cbapasiobos de palba da Italia, proprios para
meninas, pelo baratissimo preso de 65000; na loja
e armazem do Pavo na ra da Imperatriz n. 60
de Gama .&* Silva.
Attencao.
ULTIMA NOVIDADE
PESTES, ENFEITES, CINTOS.
' Gama Silva, acabam de recener pelo ultimo
vapor (rancez, nm grande sortimento dos mais ri-
cos enfeites pretos e de cores proprios Dar cabeca,
sendo guarnecidos com as mais lindas flores, e com
bollas das mais bonitas perolas; assim como os mais
modernos e engrasados pentes da verdadeira tar-
taruga, marchetados sendo a ultima novidade
qne tem vlndo de Paris, e os mais ricos cintos com
Otas roatMsadas e nivelas largas, conforme ltima-
mente se tisa as prirueiras capitaes da Europa, e
vende-se por preso em conta por ter ebegado em
direitura para a loja do Pavo, rna da Imperatriz
n. 60#esrma4Silva.
s tutandas do pavo a 8 c IQs,
VenJm-se as mais ricas rotandas de renda pre-
ta, sendo muito grandes, que sao as que mais se
usam, peto baratissimo prego de 85 e 105 : na
loja e armazem do Pavo, roa da Imqeratriz n. 60,
de Gama A Silva.
Chitas pretas a 160 rs:
Veodem-se chitas pretas inglesas, sendo fazenda
muito boa, pelo baratissimo preeo de 160 rs. o co-
vado, ou o5300 a pega com 38 covados: s na
toja de Ravo, roa da Impertrfz n. 60, de Gama &
aja
ATLANTA
Boa ar^msicao.
Vendem-se 4 casas terreas Basas, lira-. j
pas, bem alngadas epor .mdico preso :,-
os pretendentes entendam-se com o es-
envao Atbavde qne se acha autorisado
pelo respectivo preprietario a realisar aa
referidas vendas.
E' raiissimo!
Lnvas de pelica de todas as cores para borneo-
e senhoras pelo raro, admiravel e nunca visto pre-
so' de 600 rs. o par, garante-se a excellente qoa-
lidade da fazenda, ao menos por curlosidade ve-
nbam a loja da ra do Qoelmado n. 67, qne, em
presenta1 da pecbincba wo deisario de comprar.
Sacadas e .portas-
Vende-se na rna do Qoelmado n. 7, duas saca-
das de ferro com 22 palmos cada urna, tambem se
vende 8 pares de calxllhos e algnmas portas, todo
por preeo cemmodo.____________; __
Vende-se nma armaeio para divlsao de es-
criptorio, de amarello, com porta e balaustre1:,
obra mnito boa: a tratar na ra do Mondego, >! ;-
ria n. 13.
Escravos fgidos

" Brea em barricas pequea*. "
Caa em talas de todos o umanhos.
Hreorio.
Ma rea do v*ano n. 10, pximaiio nadar.
Imtfcwa traannsmv para aapm> erinaia
de boa Bgnra e mestre oarraOo : a tratar n* rna
do QtMiBUdo n. 44.
(afellfa f Nrtf
VMdavM a^panaroanljo do aarOn : a
Hadra de Baos, armazem janto a ifreja.
-
f9 BA DO QUEMADO M, tt.
Madapolo.
Finaa pecas da madapelo com SO varas a 90.
Lencos de cambraia branca, duzia 2<$.
dem da orea fixas para meninos, duzia 2)5400.
cambraia. ,
Cambralai de cores a preeo de 20 a 300 rg. o covado.
fmiwamaupga *
Guardanapoa da linbo, doa WOO.
lraJia
Al^odSo trincado de anas larguras,- proprio para toalbas de imesa, a preeo At
f|309 a vara.
raude atovidade a 900 rs.
Allanta a 200 rs.
Allanta 200 rs.
Atlanta a 30 rs.
Ctefcou para a loja do Pavao o mais lindo sor-
tiroerto desta nova fazenda, com o tito lo de allanta,
preprla para vestido e roopas para meninos, sen-
do esta modernisSiraa fazenda de Iaa com os mais
lindos fslos de qnadriohos e ristras tendo entre
Has deeor Boza preta, cora listras e quadros
brancos proprias para luto, e vendem-se pelo ba-
catissimo preso de 200 rs. o covado nicamente na
loja do Pavo ra da Imperatriz n. 00 de Gama &
inW.
As fjlitt otavo a 2D0 o cottro.
Vbnde-'M o mais bonito sortrtnento de ebrias es^
enras 'Tenae sendo toglezas, mas com os pannos
seoiMtaado* coim-os dns
A' cinco mezes, podco mais ou mearos,, ans-n-
ton-se da casa do abaizo asslgo&do o seu esrravo
Romo, croulo, idade 44 annos, cor fula, baizo,
alguma cousa grosso, pouca barba, com aljyima
falta de denles na frente, com o umbigo crescido,
ps apalhelados : roga-s portanto as autoridades
policiaes ou a quem o pegar levar na casa do abai-
zo asslgnado, Mufunbs, districio da Gloria de Gol-
la, que sera gratificado com 505.
________"MarcWIno COfreia de Parias._____
Pugio no dia 14 do corente anno, do enge-
nho Pago, fregnezia de Sanio Aniao, o escravo
Vicente, com os signaes segnintes : cor bem pre-
ta, representa ter 25 annos de Idade, sem barba,
alto, grosso s muito eorpoleoto, rosio graude e re-
dondo, nariz chato, denles perfeitos, alvos e meio
abertos, canellas grossas, ps grandes e chatos,
andar banseiro, tem a onba do dedo mnimo do
p direito arrancada, e no mesmo p urna marca
de ferlda, olbos grandes, brancos e na flor do ros-
to, e lovou roopas de brim de algodo. Ua certe-
za de qne este escravo foi pela via frrea al
Trombetas, e dalli seguio para Macei, onde este-
ve trabalhando cerno forro em nm trapiche em
Jaragua, e provavel qoe tenba procorado as ban-
das de Muricy, onde tem parentes, e onde foi com-
prado ao Sr. Jos Joaqulm de Mello. Rogase,por-
tanto, aos senhores capitaes de campo a appreben-
sao do referido escravo, podendo ser entregue ao
Sr. Joao Baptista de Oliveira, no largo do Corpo
Santo n. 21, ou a seu dono no referido engento
Pagao, qoe s'ero ge'fleros'rnente'fefatlfieados. ,
Fugio no da"24 de feverelro prxrmrTpassa-
to. do e'tghbo'fiJticbn, do termo de Barrelros, o
mulato de nome Francisco, idade 34 annos, estatu-
ra alta, seco do corpo cor nm unto plida, com
pannos pelo rosto, nm pouco bolsudo, ponca barba.
afguns dentes podres, cabellos caraplnhos, tendo
em urna das pernas urna sicatru de nma ferlda, e
consta ter di io que ia sentar praga de volunta-
rio. Roga-se por tanto Srs. commandantes de cor-
pos, as autoridades policiaes, capitaes de campo,
bem como a qnalqner pessoa, de o pegarem, e de
remette-'lo a sea legiifmo slttbor Francisco Paes
Brrelo, lavrador do referido engenho, ou a rna do
Imperador n. 42 terceiro an'dlr, que se gratifi-
car.
fraselas qoe se ven-
om os mais bowtos desenos, la barato pwoo-de 4g* ^ ris'-e ''^'dao-se pelo barato preso de
20 rs. o covado s na loja do Pavio a rna da Im- 200 "
peratrlz n. 00 de ama & Sirva.
Osckales deguipurea 12^
160000,
Vendem-se os mais reos chales de Gnlpnre e de
reala de llnho e seda, petos baratissimos precos de
lt*yH*; grande peebrndtm em relacio a boa
aalidade e lamanbo dalle : o a loja do Pavie,
m da imperatriz n. 60, de Gama di Silva.
Lazinhas a 200 rs ,$o
Pavto.
ris o covado on a 7J20O a pesa, gatafilindo
se terem 88 covados eada peja eser*m de cores
Oasimo aa loja e armMew do Pavo na roa da
lperW* m. 60 de Urna & Silva.
Armazem do Pavao,
Vendase cera' eamanba a melhor foalidade
Superior bramante de iinto nglez e francez.
Cambraia de linbo pronria para lencos.
Atoalhado brffiro'Mrs mosa t^OO a vata,
Entremeios de cambraia moito finos, proco 19.
Lencos de seda pata algibeira a fdfeOO,
Vendem-se modernas laazinuas eom llnfllssimos
gostos, pelo baratissimo preeo de 100 rs. t grao-
de peettneba : a6 m leja Patio, roa da npe-
ratrtz a 80, da Gmm A Iva.
Seoas Uf|aa
Na loja do Pava
m toja.dO'Pavan n .ano sottunento das mais lindas sedas pata veri
sendd mtT&fMtmSF ^imwmvmr ftlnia
een as mais fadnasira*, a aitnaats nropnwpva
u Mbmi pi imif einte (Tenam-M
** tro*** 4o9*rk> U m tlaiaiHlrU n<
60 de fiama A 8iWa.
200t? de ^atificaeao.
ta 31 de outubro do seno passldo, fu1o a es-
crava Clandina, cabra alta e seca do corpo, qne
perlencen ltimamente aos Illms. Srs. Jos Joaqnim
da Silva, Manoel Mauricio de Sena, e D. Mariana
Ignacia de Castro e Silva que a Vendan a Jos Ma-
tbeos Ferreir qne pagar 2005000 a qnem lhe
entregar dita escrava na rna da Cadeia n. 62.
etnlsaoow, mais barato qne i
pnraormazaMO na
a. 60, de Gama 4 Silva.
randa Imperatriz
J9 tjalMas do Pavfto a 2^000
e ovado.
Chesiram para -i lofa do Mv3o as mais ttodas
alaa I seda para vestidos, sendo com os mais
Jiatdoa oma* rozas e pretas para quem estiver de lata,
. mao estanova taterifla 4 palmos e larftira qtle
ftcWlWtM^s'nm restiae-es vende-se pelo barattnimo prego-de. .11009, naiea-
mente na loja e armazem do ravo i roa da Impe-
frtrJ<*m,^<3amAHva,
Nrmchide
das < vtbbrtrtas 'ou tarrauia-
Itaaio MasiaMaiN aven
onira Contina fgido o escravo pardo Sebastiso
da 18 annos, alte, cabellos carapinuos e ruivos,
olhos easunbos e grandes, sem barba, nariz chato,
com todos os dente;, orelhas pequeas, tem a mar-
ca de nm taiho sobre o labio superior, mareas de
bichos nos calcanhares, sabe -1er e esorever, traja
alea de brim e camisa da algodo braoco : quem
o pegar leve o as Cinco Ponas n. 152, que ser
recompensado generos'riiente.
Est ausente da'basa de sen senhor desde 3l
de marco prximo passao, o escravo por nome
Joio, na?So Zongo, de Meta idade, levon catea
de eouro, tem cara grande, ventas regacadas, naris
chato ; foi escravo de Sr. capillo Joaquim Francis-
co Lavra, e tem sido encontrado vas ras do Ran-
gel, pateo do Carmo e Campo Grande : rega-ce a
qaem o pagar leva-io a casa a rna da Imperatris
o. 80, que ser recompensado.
...r,1 -. Ausentou-se da casa de sua senhora, dnsda e
da i Uo cofrtte, o esOtrVo Trajao, mitttb, de
20 Mmos de Idade peuo m*fs on menos, eom os
srfnaw segnrMee: esuinr refalar, rosto redondo,
seta barba, cabellos grandes e b*m estirados, le-
von caifa e jqneta de panno asnl Dno; tem
encontrado has ruis BSta cldade : qoam t>
Wavto a* 'data at aai aniasn* v*avdo te-
na rna da laparauia n.
ritA
a
bjMamraaaVwi
mvaa am taml ia> smiamm^aaramade Man
repreaenu
frt IW oa ? t*^Wl
Ssa'trtM
fe tw|a-ra Mita
m mana de fcin Ite-
-1
i




I
- 1
i






\
L
-
LTRA.
Esta pbm foram mandadas
ftitiatica de Londres.
A dp|
2:000*000
A ara fllho do
Deixoa mal*
* A Pelrooi
" Ao fllho d
otronce uto. t'nb ,
nc-, :^a O Sr. Jobito JUrtlnmfmmvrtmnt
O Siglo de Montevideo, coala a segatote oecnr- ro primeiro viscoode a primeiro conde de Fe*
Iel',a : relru baria bmcMo e* 4 de eWtobttfde l7W,'4V,Ml A Rom ioOflaOOO.
Ha um Joven argentino que ha ppeos dasete lando por tanto 8i annotacf#tos i data do seu
vinJj de visita a nossa cidade, succedeu ba pouco alleelmento.
um caso bastante original. Tinba sido agraciado coto o primeiro de aquel-
S-a tarde de quinta-felra leude sahido de passeio les ttulos ero 7 da ooitibro de 1842, com o atf un-
a cavaho, em companbia de* varios amigos, ao gas- do ero 22 da julho de 843, e com o titulo que ac-
sar pulo caminho do Reduelo, yendo o ItsprctolTos analmente usa va em 6 de agosto de 1890.
doudc3, quiz entrar para visita-lo. Era alm d'ieso membro da cmara dos pares,
Com effeito assim o ei juntamente coa os seus condecorado com a commenda da ordem de Chrls-
tret Dinas d'este senhor
&4
te:

ixaoi ModaMflncoJ e cnaaj DrwpUi* io*m qa*o,
e ao Sr. Kan GoattM SoaX1 angra!tornadla muN rdara'#*
irfj^ji orna muitidao da riandezes dest re
Kbo^SSfe^wSde ^St^JSX/r^m todo. oTfeni
dos
companheiros; e do passar pelo lado de um
loncos, foi sandado por este que Ibe disse:
Oaca Vm. dnas palavras.
Estoo as suas ordens, respondeu-lbe o joven,
cliegando-se um pouco, conservando-:* porm, em
urna respeitosa distancia:
Nao lenba medo, prosegulo o louco, porque,
se bem que esteja nesta casa e com este irage,
mais por inveja, do que por curar-me. Chegue-se
Vmc. e nada lema.
O joven, confiado naquellas palavras aproxi-
ou-se.
E* a primeira vez que o vejo, disse e lonco,
e comludo ja Ibe tenbo grande afeigao.
Obrigado, obligado.
Esees agradecimentos dar-mos-ba Vmc. de-
nois, pelo conselho que lhe vou dar. Ooga-me :
em >eu aspecto se conhece que Vmc. um homem
de soctadade e omcavalheiro. Nao me interrom-
pa. Sendo isto certo,, como |acha-se A'm. expos-
to a que o engeos todos os as sem poder dar-
!be remedio. Jara obviar esse inc inveniente s
om recurso.
Qaall
Que nao acredite em oeusa algoma ligera-
mente. ....
O moco retlrou-se dando os agradecimentos e
admirado do boa julzo d'aqoelle louco.
Segoio visitando o estabelecimento, eja'sedfs<-
punha a retirar-se qaando, ao rollar, tendo de iart
sar pelo logar em que se actiava o louco que aca-
bava de dafcUto o conseibo, este o cbamou qafra
ver.

Esqueceu-sa do meo consemet
= Nao, nao o esqoeci, e arelo que nio o esque-
cerei em toda a miaba vida.
Pols chegue-se mais qae eu quero dar-lhe
outro.
O joven chegou-se, e o louco den-lbe urna tre-
menda bofetada, dizendo:
Ignorante I... nao te disse eu qne nada -
creditasses fcilmente ? Como me acreditaste?,
pois ?...
O visitante retirou-se no mel das gargalhadas
de seus amigos, que nio poderam deitai de rir de
um tal logro.
Fiem-se l de loncos que parecem cordatos
Oii um jornal francez que nao foi caso, mas sm
celebre crime a morte do matador de les.
O bario Bro'ssam de Cosblgoy, capitu de fraga
ta recenlemente ebegado das paragens onde se deu
o desastroso snecesso, narra-o como resaltante de
um crime permeditado.
Quasi privado da sua bagagem por urna tribu
hostil que tinba de attravessar na sua expedigiio
iveoiureira, dirigio-seo trepido cagador, para
voltar Serra Lea, ao chefe de urna tribu visi-
aha, onde se reugiou, manido ainda de algumas
armas que Ibe moslrou, e a quem quiz obrigar
lempo depols a que Ibe dsse um barco e alguns
horaens.
As amesgas de Joles-Gerard prodozirara no ene-
re da tribu pessimo effeito.
Receiando que o cagador voltasse 4 sua Irib
ricompaohadado de tropas europeas para a destru- i
rem, deu ordens secretas aos selvagens que o
acompanbavam de acabarem com elle durante o
caminho.
Seduzidos pelas armas e resto das bagagens de
Gerard e obedecendo s ordens do sea chefe, ao
atravessarem o rio Jong os selvagens attaram de
ps e mos o cagador e taocaram-n'o a agua.
Alguns di'as depois d'esta ctiane, em vlrtnde da
deoancia de um dos indgena, lestemnnba do fac-
i, procurou-se no rio cr edaver da victima, que
foi efectivamente encontrado.
Enterraran em seguida o matador dos leoes, as-
sistindo a triste ceremonia tres enropeus.

descobertos
Acabam de ser descobertos .em Nadir-Sarape
perto de Trpoli, da Syria, objectes que interes-
sam as pessoas que se oceupam de antiguidades b-
blicas.
Fetas algumas excavagoes, encontron-se oma|
casa hebraica, tal como era costume construir nm
ou dous secnlos anles de Jess Christo.-
Algumas salas estao perfeilamenle conservadas
com todos os seus utencilios qne, na maior parte,
se parecem com os que tem sido a.hado no Egyp-
to. Mas o qne se torna mais noiavel sao os livros,
que indicara ter pertencido a algum homem de ret-
iras.
Entreellesencontraram-seos deMoyas, os psal-
mos de David euraa collecgio de poesas hebrai-
cas inteiramente desconbecidas dos bomens
ptenles.
'o. e a grara-cruz da ordem bespanhola de Isabel a
Catholica.
Estabelecido desde muitos anoos no Porto, de-
pois da soa volta da America, onde residi por bas-
tante lempo o Sr. conde de Ferreira, possnidor de
avullados ha veres, que cominuou augmentando,
applicon-se a beneficiar muitos dos estabelecnwn-
los pos d'esta cidade, de urna maneira que a im-
prensa por vezes resgistron como digna da touvor,
que efectivamente era..
Laborioso e robusto, dirigi por si al urna po.
ca pouco anterior ao tea fallecimeoto a adminis-
trado dos seus grandes cabedaes, dando sempre
proras de urna (acidez e penetrago de espirito,
pouco vulgares na dado que chegou a attingir.
A soa ndole benfica .caritativas propensoas
oo se desmentirn] i hor da sua morte.
Valioso auiiliador da taaldna dos estabelacimen-
tos de cardade do Porto, quiz que parte da soa
grande fortuna fosse repartida entre elles, e no tes-
tamento com que falleceu a lodos contemplon com
mais-ou meaos quanliosos legados.
Entre as suas numerosas dlspdsigdes testamenta-
ria.-, duas figuram que merecem particular mengo
e que revelara dotes da urna alma summamente
elevada.
Consista a primeira das dnas dlsposigdes a que
alludinros no legado de 144.-000^000 res, destina.
nados a construir e mobiiar 120 escolas primarias
para ambos os sexos em ierras que forem caberas
de conceibo, fetas toda por urna uaesma planta, e
com accommodagao para os professore, nio deven.
do o custo de cada ama exceder a qaantia de;
1:200*000 res.
A outra que o remanescente da heraaga seta
mpilcado inl alienados. r
Objecto de varias versos, a fortuna da Sr. con
de de Ferreira oreada por pessoa comooteatas em
1,200:0009000 a 1,400:000*000 reis. 4
Hontem ja foram depositados no baoao Commer-
cial letras, acg5es e dinheiro no valor de. i........
1,000.OOOjOOO res aproximadamente.
As disposig5es e legados do testa meo lo com qae
falleceu o Sr. coode de Ferreira, foram as *ae cons-
lam da relagio que em seguida publicamos :
A Santa Casa da Misericordia, d'esta cidade, com
o encargo annuai de vestir 2* pobres no dia anni-
versano do sea failecimento 20.000*000.
A mesma santa casa, obrigando ella a manter
ama enfermara que nao teaha menos de 10 enfer-
mos permanentes, tratados homeepathicanieate.
igual quanlia de 20.000*000.
Aos lazaros entrevados, e as velbas dos asylos
dependentes da santa casa 1*000 a cada um.
Ao hospital do Tergo 10:000*000.
Ao hospital da Trindade 10KM*00O.
Ao hospital de S. Francisco 10:000*000.
Ao hospital do Carmo 10:000*000.
Aos meninos desamparados 500*000.
As meninas desamparadas 500*000.
As raparigas abandonadas 500*000.
A crache de S. Vicente de Paulo 500*000.
A irmandade dos Clrigos 500*000.
A dita da Lapa 500*000, -
A casa de correegao as Carvalheiras 500*000.
A casa de delengo do Aljube 500*090.
Ao asylo de Mendicidade 1:000*000.
Ao do baro de Nova Cintra 1:000*000.
Ao da infancia desvalida 250*000.
Ao recolhimento das velhas do carnario, ( em
inscripg5es y 5009000.
A parochia de Campanba, para fabrica.......
500*000.
A do Bomflm dem, 500*000.
Ao collegio dos orpbos 500*000.
A Misericordia do Rio de Janeiro, com o encar-
go annal de vistr 12 pobres no dia anniversario
do sea fillecimento, (moeda iraca) 10.000*000.
Para construir e mobilhar 120 escolas primarias
para ambos os sexos no reino, as Ierras que fo-
rem cabegas de conselho, todas por urna mesma
planta, e com aceommodagao para viveoda do
professer, at 1:200*000 cada urna, 144.-O80fl0O0.
Ao consultorio bomeopatbico (em nscripgoe*)
15:000*000.
Para 80 dotes de 500*000 para casar 80 rapa-
rigas bonestas e virtuosas, que tenham dado prora
de boas albas, 40:000*000.
Trinta esmolas de 100*000 par 30 vlnvas bo-
nestas, 3:000c000.
Ctncoonla esmolas de 50*000 para 50 familias,
a quem tenha faltado o chefe on pessoas que as
sustentavam 2:500*000.
A sea sobrinho o Sr. Antonio Ferreira dos San
tos 100:000*000.'
Ao Sr. Dr. Antonio Correa Neves 14:000*000.
A fllha d'esta, sna'aflfhada 2:fjbo*0OO.
A Ermellnd 2:000*000.
Ao fllho d'esta sea afllhado 2:000*0(10.
A Ann 100*000.
- A Mara de B. Roqae 30:000*000.
A oito Albos d'esta 16:000*000, sendo 2.000*
a cada om. *
A Joaquim Coi robra 400*000.
A olla filbos de Joaquim Antonio Lanzares < <.
10:000*000, sendo 2:000*000 a cada am.
A quatro filbos do Lot de Campanea, excluido
o Raymudo 4:000*000, sondo 1:000*000 a eada
uro.
i As duas Albas do mesara- l:-5OO*000 a cada
ama.
Aos Albos e neta de Tnareza- de Prannos o
seguinte:
A neta, casando ella i vonde dos paremos,
1:000:000.
A Anna 1:000:000-
Ao fllho d'esta, sea afllhado, 1:000:000.
A Rita 2:000*000.
Ao Albo d'este, sea afllhado, 1:000*000.
A Antonio 1:000*000.
A Joo 1:000*000.
A Manoel 2:000*009.
Deixou mais:
Aos Albos do Sr. Domingos de Almeldi Ribeiro-
8:000*000 a saber: fllha 3:600*080, aoMho-
Manoel 1^00*000, a Domingos :000*0Ofl e JBa-
quim 2:000*000.
A Sr. conde de Thoroar 30:000*000.
A D. Loiza, Alba do mesmo Sr. conde,, sua afl-
Ibada, 60:000*000.
A um Albo do Sr. Francisco Mara Melquades
da Cruz Sobral, sea afllhado, 4:0009000.
A om fuho do Sr. viscoode do Castro Silva, sea
afllhado 2:000*000.
A umfllbo do Sr. Jos' Gomes Carneiro Jnior
sea afllhado, 2:000*000.
Ao Albo do Sr. Antonio Vicente da Greca do
Guimaraes, sea aflibado, 4:000*000.
Ao Alho do Sr. Seraftm Carneiro Giraldes,. sea
afllhado, 1:000*000-.
r' Ao fimo do Sr. Manoel GaIberio Soares sea afl-
lhado, 1:000*000.
Ao Alho do Sr. Antonio da Silva Santos, seu afl-
lhado 1:000*000.
a
E' do Sr. Carneiro Vuelta:
deixaI
(K urna menina que, n'umjariim, persegua
urna borbulti.)
er oolro lugar
appareeer-voa
deecrevendo corvas
pardei
reate, e
da sobro
Na falta de anal
o Sr. Antonio Jos_____________
ilqaer destes aorntados, a sM casa da mise- ** wwdo prioUbinjente ao sabbadd, l
rcordla^nomear qaem :o sabsmaa, para qo a- W P era' ***** *ilu,s Jrl1
testamentaria seja sempre exercida por tres.
I
' f *i
Deia a pobre borbuleta
Que v6a, coitada I inquieta
Sem am momento poasar
Na florjnba delicada, .
Por quem vive apaizonada
Em torno delta a passar t
Deia .^ojfwajtadiaha.
Nao a penigas, doudiaba,
Deixa-a, detxa-a, eavoacar I
S& tu foras borbuleta, +.
Se tu voaras inqnita
Para a flor do nenuphar,
Quizeras que em eamabo
Fosse algnm innocebtlnho
Pelas azas te apanbar f
Tu nao quizeras', morena;
Por fsso delxa a peqnena
Borbaletfnba voar f
Quem sabe quantos earinhos,
Que de agrados e beijinhos
Estao por ella esperar ?
Quem sabe com qae delirio
Por ella suspira o lyro
Que vos a frente elevar ?
Deixa a pobre borbuleta,
'Que voa coitada I inquie,
Sem um momento pousar t
PoacodeM'aolra^Ukktoijodssai e
costaroara embriagar-se,
A polica apressa-se em conduiij presos para
stagao'mais prxima estes improvisados revolu-
cionarios, e na segunda-feira de manbaa, quano
os fumos da embriaguez a esto dissipados, o coi-
pado diz ao magistrado, com um ar conHicio:
Saiba v. Exc. que foi o gin, esse desaforado
' Ao sabbado, as eslagoes policiaes de Londres es
tao ebeias destes revolucionarios. -
Quando om pokeeman fecha a porta sobre al-
gam delles, o primeiro cuidado que este tem o
de dlrigir-se ao primeiro dos seus camaradas de
infortunio que se Ibe aprsenla, e pergantar-lbe :
Es um fenian, ou nao s ca' dos nossos? Se
o outro responde negativamente, recebe ama sa-
raivada de socco e pon tap. ,
A batalha torna-se geral, os fenians de um lado,
os fiis do outro.
Depois de muitos denles quebrados e de algn-
.'V 'tUMpcabegas radiadas, os combatentes jaram-se
orna eterna amlsade, qne sera' baptisada em tar-
reles de cerveja e'de g\n. _


dlamanjee,
Jolas. *w
Deu-se Darte 'po3a*e w Sobos' da casa ralha-
ram mnito com a cosinbeira, q9 exclamava entre
lagrimas a solucos i qu -nio poda dasconflar de
um homem condecorado. >
.
i
m
:

Nao a persigas, moren r
Doudtana, tem d, tem pena.....
Ella s vive d amar f
Deixa da flor delicada,.
Por qnem vive apaixonad,
Um s beijinho roubar I
A pobre borburetinba
Nao persiga?, moremaba;
Deia-a t deixa-a esvoaear f
:_
!5?
E' do Sr. Santa Helena Mugo, o seguinte reci
SEGREDO.
-
Ai! se sonbesses, men anjlnho loaro,
Qe anclas padego, qne feroz tormento,
Qnando le vejo pelo ardor da sesla
Folvas madeitas fluctuando ao vento I
A postula negra costama apparecer quando se
com os animaos atacados.
Esta doenga. contagiosa o tem umoaracier pes-
tfero, e se se despreza sansa- ordtDafiamonia a
morte.
Os causticoe-promptameate applicados sao julga-
dos como ana. remedio geaalmenie Sitas qne obs-
ta a propagagao do mal.

com
FOLHETIM
A SEPULTURA DE FERRO
Ao Albo do Sr. Joio Baptista Pereira Leal, seo i COOsome a carne dos aolmaes atacados-pela epizoo-
afUbado, 500*000. ta e de algumas vezes uoeamenie polo contacto
Ao Albo do Sr. Joo do Nascimento de Otiveira
Guimaraes, sao afllhado, 500*000.
A cada am de oatros seas afllhados no reino,
200*000, o aos seos afiibados da Brasil 200*000,
(moeda Iraca)- a cada uro.
ao Sr Antonio da Silva Santos, 2:000*000.
Ao-Sr. Joao Antonio Margal, 2:000*000.
Ao Sr. Antonio los Coelhe Loosada, 2:000*.
Ao Sr Jos Joaquim Estoves Mosqueira,.......
2:600*000.
Ao Sr. baro da S. Loareneo, 2:000*.
Ao Sr. Dr. Jos- Mara da Silva Torres, 2:000*.
Ao Sr. infante d Lacerda, 2:( 00*.
Ao Sr. Jeronymo Carneiro Geraldes, 2:000*.
Ao Sr. padre Francisco de Azeredo Mosquitas
1:500*
Ao Sr. Feliciano Garcez Pinto de Madareiras
1:000*.
Ao Sr. Silvestre do Agotar Bizarro, 1:000*..
Ao Sr. Jos Albino Santa Rita t:000*.
Ao Sr. David da Silva Ramos,. 300*.
Ao Sr. Bernardo Jos daFonseca e Silva,200*.
A cada orna das duas Albas do mesmo senhor,
200*
Ao Sr. Francisco Antonio doOiiveira Guimaraes,
400*.
A' Sra. 1). Balblna Rosas, do Rio de Janeiro, em
moeda fraca, 4:000*.
A' sua dispeoseira Ann Emilia Adelaide, cinco
acedes do babeo Commerelal do Porto ama peasao
vitalicia da 144*, o asofraclo de soa casa a quintal
na roa da Prata, e a roopa, louga, vidros a todos os
afpteis.
Ao son criado Manoel, 200*
Ao su bol el.-o Varelta, 200*.
Ao seu hortelo, 100*.
A' sua cosinbeira, 50*.
Ao sea barbeiro, 200*.
As Sras. Soires, 90*.
A' Sra. Joaqoina, Alba da Sra. Quitara, 50*.
Ao Sr. Dr. Jos Lastra, -do Buenos-Ayres, todo
quanto tinha herdado de l.
Dispz qae com o seo offlcio de corpo presente,
triduo geral de missas de 480 ris, e jazlgo pro*
prio se gaslasse a qpantia de 4:000*.
As dlsposigdes que cima ficam mencionadas
montam acerca de 650 contos.
Dispz qae o ramanescento da sna fortuna seja
destinado para a fandacao e dotacao de nm hospi-
tal de alienados.
Nomeou seus tastamentaros os Srs. Antonio
Ferreira dos Sanios, Jos Gaspar da Graga e Ma-
noel Gaalberto Soares, com a obrigacao de appro
veltarem os servigos do Sr. Dr. Antonio Corroa
Nevos, tendo esto 400* por anno, polo sea traba*
lho, e aqaelles 2 por cento em lagar da viotena,
alm dlsso, em signai de amisade, ao Sr. Jos Gas-
Ai 1 sa sonbesses qne a razao vacllla
Quando dos bailes ao mendaz fulgor
Gyras, qnal sylpho, no fervor das walsas,
Lubrlgos olhos dardejaodo amor l
Qoando no leito, desgreahada a coma,
En volta a lace em vaporoso vea,
Bem como aragem no dorraente lago,
Roca am suspiro pelo labio ton !
:


Na revista hortcola de- om dos atuneros d Mo-
ntteur de oniabro do anno passad^ se l :. ,..'
Els um gaiudo de nova asnela q^ esperamos
nao. tentara, a ninguem. 0. canbaJiama tero, nao
obstante seus Bnllat-Ss*ariD, anos asssgorara qae
ios libas Fidji (Polyoesia aatraJ).a.arto de coz-
nhar a carne humana, que d mnito apreciada.
O Dr. Seeniano, enviado inglee. conta que a nio
comem sanio preparada com. osa aesto numero-
de lega mes que tornam a digestao mala fcil.
Tres destes legamos sio sobretodo empregados
pelos Fidjianos oestes tristes guisados* e sao o *~
lawari (TrophisanUirQpafka&rutn), o ldano (ere-
satauihus) e o Barodina especie de lmate (SoJa-
num anthrapophagrtm.)
Us dois primeiros crescem. em estado selvagom ;
mas o Solanua 6 cultivado em toda a ilha para
este nico aso.
A soa altara superior a, dois metros, a soa lo-.
Ihagera escora a luztyk, o saos (relos asseme-
iham-se aos tomates com om sabor um pouco mais
aromtico.
- A maneira de os preparar x mesma qae para
a nossa calda de tomates.
Em logar de comer a carne humana eom os de-
dos como o fazem comas, ontras carnes os Fidjianos
se servem de garlos d madeira de tugorwko (Ca-
soannr equiveiifolia.) .
A razao de obrar assim nota orsnsa arreigada
no paiz que Ibes prohibe, de tocay eom os dedos,
sob pena de doengas moraos, a carne de om ini-
migo. .
As sementes trazidas pelo Dr. Seemann foram
plantadas no jardlm de Keo aoade tem germinado,
Qorescido e frutificado de modo a podetlorvolga-
rlsar em breve no coniineute.
Outro inters?'.alm da soa triste celebridade se
liga a esta planta."
O sen sabor delicado a fara' cultivar como os
tomates e fornecera' am novo tempero as nossas
coziohas.
Decididamente, diz o interna/iona/, de Londres,
o femanismo esta em moda, assim como as teosd-
houses (casas de irabalho).'
De noite, pelas nove ou dea horas,se vos aventu-
raos por essa ru de public-houses (tabernas) que
Qcaudo, na horas ero que o sol declina
E as sombras deseen no encalmado cbior
Entre o perromeadas syrvestres-flores
Erra-te a mente na eterna! mansio 1
Ou;qnando- enrollo as carmneas vesto9r
Surge o crepnsc'lo de fugar tampejo,
E'a luz n'bccaso pallideja e morre,
Lnguida e bella a meditar te vejo!
M'V se sonbesses-qne marrvrto acerbo
Ptonge-me o pello'transbordando fel,
Qoando segredas amorosas fallas
Que o oavido*l>oba do rlva ruel I

..........-'r-";-f^-
511
Talvez- am siso-oompassiyo-e-tenipj^ o' i
A' flor dos-taoras-te assotnra en tao;
E no borisenta do mea co- larvado
Verter a esp'ranga divinal etario I
Calvez o pranto te orvalbara as facas
Escandecidas pela Inz do-amor ;
E:a flor da vida que a deacaoga qoeiau-
Eo vira a'alma recobrar verdor I
.

O chronisia do Monde Ilustre visitoo-ultimamen-
te om hospital de alienados am Pars, e depois da
ter passado revista aos pensionistas do estbele ci-
mento, passon diante de nm pobre louco, coja his-
toria o guarda Ibe narrou, nos segaloies termos :
Esta nomem, lhe disse elle, entroa aqni na cioco
anoos. Eropregado o'ama casa de commercio, con-
trabira intimas relagdes de amlsade com om dos
seos companheiros detrabalho.
.
Usa dia informou-o este qne tencionava ausentar-
se por alguns das, para fazer ama viagem ao sea
paiz natal.
Ao mesmo tempo entregon-lbe a chave da sua
habitagio, pedindo-lhe que fosse all examinar
antes do sen regresso, se todo eslava em orden.
M... actual pensionista da casa de alienados,
prometlea enmprir a risca os desejos do sea amigo
o qoal parti immediatamente.
Porm ao cabo de dous das, am
ment assalton a mente de M.
Apertado pela faltado melos, formn o projecto
de abnsar da eonAanga do ausente, para praticar
am ronbo que depois langaria aa costas de ladros
deseonbecidos.
Assim o pensou, assim fez. Na mesma noite,
introdozio-se em casa do sea amigo e comeoou a
remexer as gavetas.
Nada abl acbando qne Ibe tentasse a cobiga, con.
tlnnon s saas pesquizas, o dirigio-se para om
grande armarlo.
Este armario, coja porta se aebava entre abena
abno-se, e M... caba redoadanwaie no cbao, ca-
blndo-lhe das maos orna veta, qe levara accesa.
O ladrio acaba de rer enforcado o cadarer da*
qoelle que elle julgava mallo longo d'alll e qae ha-
vla simulado ama viagem, para nicamente levar
a effeito nm projecto de suicidio.
Qnando os visinbos accodiram M.... esuva
lonco.
Ainda o .
..
Se-lo-b at a hora da morte, que nio pode tar-
dar.
i
mi'
E' do Sr. Caraminbola esta nenia ao
BOOG TYO.
Eaeira obojai saudoaa
Essa vida preciosa,
Qoa dota parca eartou,
Chorai, meo poro, chora i.
Lagrimas duras deitai,
Por um paodego qne voou.
3



<
PUR
Henpiqae. Conscience
(Continuagio.)
xxv .
No fim do primeiro da de fuga assenlei-me can-
sadissimo ao p de urna aldela visinha de Bruxel-
las. Apesar de nao ter acceitado o que me havia
offerecido o meo:protector, en nio eslava sem di-
nheiro. Tinba tres napoleoes em ouro e quairo
oo cinco francos em miados. Depois de descan-
sar nm pouco, enirei na.aldei e procarel ama es-
talagem. Na dia segointe, ao romper da manha
poz-me a caminho paraTraoga, porque me pare
ca que nease grande paii, coja lingna conbeci
bem, acbarla mais depressa do que em outra qual-
qoer parte os melos de ocealtar-me e de sostentar
a amarga existencia sem qae ebegassem novas ml-
nhas a Antuerpia.
Depois' de quatro das de caroinhar conlinoo,
achei me emflm bem internado em Franca, em
orna pequea aldeia nos arredores de Compienhe.
Como j bavia entre mim a Rosa orna distancia de
cincenla a saesenta leguas, e me va tonga de to-
das as estradas de primeira ordem e nao taba a
recatar que alguem podesse deseobrr o rasto da
tninba loga, j nao senta nacessidade de continuar
a camtobar. A gente em coja casa ose aoaiM nio
me inquletava com pergnnlas lDdiscretas e nao se
admirara da minha singtar ttcilnrBidade..
Hara dn redor da aJdeta muitos ralles peque
os em qne eu podia setenar i vontade a breve
distancia estandla-se a Inrosta imperial da Com-
pienhe, onde os iafelizes nada vagoear na naU
completa solidao com"6's seas tristes peosamentos
O mais das vezes era nos sitios mais sombros
dessa fleresta que eu passava os dias, immovel
horas e hora?, com os bracos cruzados e sem des-
pregar os olbos de nm ponto, oo andando do om
para ootro lado, rindo e suspirando, orvalhando a
berva com lagrimas, at qae me cbamavam i al-
deia as badaladas do mel da ou a escuridade da
nouie.
Pensava em minha mil, no Sr. Pavelyn e no
meo futuro perdido; senta remorsos; va chorar
os meus bemfeitores pelo definfaamenta de soa fl-
lha ; ouva ama maldigo qne Ibes sabia da bocea
contra o ingrato cujo .insensato orgulbo era causa
as saas amarguras; mas, posto qoe fossem terri-
veis as recordagSes e' as visos qae me pasmvam
ante os olbos, sent na minha alma atribulada bas-
tante torga para expulsa-las o para evocar oatra
imagem, admirarel e esplendida apparlcio. la-
ti ergata-se Rosa a meas olbojb. dflfejipeiros da
floresta, oom o tonm^aiffm^mlhim'
com o fogo do enthnsiasmo nos olhos e apontndo-
me o co, como mo bdrla apparecMo M Bsomeoto
do fatal e eterno adeos. Oatras vezes escalara
ama roz gemebanda e tta,ravex daslotbas aa-
porosa sombra de nafa virgem angeflca. Ers>a
alma de Rosa qoa la #eetir-rBa a conflssao o too
amor e murmurara aos neos ouvidoa am vos sc-
lanoe : Antes morrer I ames morror 1 Bntao,
albelo de mim e completamente esqoaeWo
Em aa dos dias do. mez paseado,, um homem
bemtaaessoado, e coa ama eoadecorago. penden-
te do peito, batia a perla de urna casa da roa de
Ritoli, em Pars.
Abnram e apparoeeu a coslnboira.
Nao est ninguem em casa, diz ella. 9
O homem parece disposto a esperar, posto que
vivamente contrariado, e a cbsinheira introduzi-o
na ante-camarae voltou par o sea posto.
De repente a visita chama.
Boa muJher, faz aqni muito fri ; nao pode-
ria Vmc darme outro logar para esperar?-'
S o senhor qoer entrar para a sala d jan-
tar. v lajvez esteja melhor.
E o desconhecdo, eotrou. .
j-..
Dal a pooeo novo chatnaaiento. .u
Esta sala nao mais qnenie quo a anle-ca
mar diz o nosso. homem, tenbo os ps frios de
gelo. Pois nao, ha quarto com foga ?
Ha o gabinete do senhor.
E ella oondoai-o para ali o a visita assentou-se
em urna poltrona diante do fogie.
Havia j om quarto de hora qoe eslava a espora
quando o criado entroa aa gabinete e sorprendido
pergunton:
Mas que havi'A' lzer-lhe? NSo podia revelar-
Ibe a verdade, porque' quera eftttp*fr*com reli-
giosa Adeudado a promess que havia fito ao mea
bemfeitor. Maltas -vezes me enrvei sobre o papel
para comecar ama carta mentirosa; a mentira
nao quera sabir da mlnba peona.
Depois de ama lata qae daroa quatro dias, oedi
emflm imperiosa necessidade e eserevi minha
mil. Disse-lhe com mil, .protestos de amor o im-
plorando o sea perdi qae qaerla fazer orna via-
gem por Franga, Alleraanha e Italia para comple-
tar a minha educagio artstica; qoe partir sen
Iba dixer adeos, por temar quo meus pao oao
Sr. 'Pavelyn me disanatosea da exococio do nm
projecto qoe bavla mais de om anno que nao me
sabia da idea. Acrescenlei que nio fleasse com
cuidado a mea respailo, porque lhe -darla muitas
retes noticias nxnhas, pensarla serapra afia eom
amor e voltaria o mais breve possirel com a Arme
vontade de dar alegras aos dias da sua vdrbice.
Para qae meus pas nao podessem vir a sabor
onde en eslava, malti-me em am carro postal qne
passava na estrada rismha e fai a Reims, onde
deitai a minKa carta no correio. A' noote oslara
de rolla a aldela. "-
Esta carta a miaba mai linha-me costado muU
(os eaforcos iocriveis, mas como emflm podia es.
parar qae meas pais tenam ao manos a certeza da
miaba existencia, seatia e onfacio aUivtado de a
I
.

Ja morrea o Yoyo,
Bode qae nunca gastn,
Dinbeiro para rtrer.
Foi forro sem trababar,
Coma sem cozinbar,
Kfa ricb- sera querer.
i i
Jamara nos tabolairos
Tinha amigos verdadgiios
Com quem jogava narradas-,
Tinba cantores as roas,
Tinha amigas muito snas
Passeava as calcadas.
Chorem, bodes e bodinhas,
CHorem, cabras, cabritiobas,
Cbcre toda a>bodaria.
Morreo, coifado, morrea I
E sobre esse tmulo sea
' Deitm urna lagrima fra.
.
.
I
'
' Em Franga se annuncia a .'prxima pnblicagio
das memorias do marechal Soolt; na Italia, a das
memorias de Mximo Azeglio.

II ~i <
im
i t m"*) i
i i i
Nos saloes de Pars tem sido, moi festejado e ap-
plandido om joven mexicano, o qoal loca ao mes
mo tempo lauta e piano com nana psfretgio admi-
ra vel; com amad esquerdasaguraana comprida
e pesada naota de prata, a exacta eom a mi i-
reita o acompanhamento no piano. ,r
m
era o nico ponto para onde podesse ir com a es-
peranza de permanecer desconhecdo e oceulto en-
tre as turbas, e de achar irabalho como escalptor
para evitar a miseria, qae comegava a ameagar-
me.
Dous dias depois enirava en na capital da Fran-
ca, com am bordio de caminheiro. Durante ama
semana ttiidi em casa de aceio o commodidades,
mais depois, (oreado economa pela vista da mi.
nba ultima pega de cinco francos, procarel domi-
cilio menos caro. Tomei posse de am quarto junto
ao tecto de urna alia casa da ra da Montagne-
Geoevieve, por detraz do Pantneoo. Da l abran-
giam os meas olhos todo o panorama da immensa
cidade, e podiam vagar horas a horas no horisente
nebuloso como se fosse no Infinito. Aos meas ps
estrondeava o rodar, damilbatas de carros; eu
senta o movtmento ruidoso da -xmi milfii de ha-
bitantes; oovia m|smo, na ca a que me ac-
Ihia, (ftntar Qa |ata aregre^os clamores 'da crian-
gas, o vozes damwaVs ejasfsubtam adiscMn en-
cada : mas todos esses rumores eram-ma estra-
nhos, o no meio de Parts e dos seas numerosos ha-
bitantes sentia-me mais longo do mondo e mais
insolado do qoe na aldeiaslnba ao p de Compie-
nhe.
pedir irabalho a casa dos mestres astatoarios, co-
mo ja debalde o baria feito muitos dias antes.
Mas oesse dia tinha de ser mais feliz. Dirig-me
a am esoolptor muito estimado, qne morara na rna
do Sena, dixendo-lhe que era um artista com pri-
meiro premio da academia de Antuerpia, qae em*
prehendera ama jornada at Pars para aparar-me-
nos meas estudos, mas qoe, vendo-me sem dinhei-
ro, era obrigado a procurar irabalho para viver.
Sem duvida a boanldade da minha linguagem ios-
plroa-lbe eonAanga, porque nada mais qnlz saber, discrigio e circamspecgae, mas nio tardn qe os
Desde esse dia trabalbei na grande oficina no
meio de muitos companheiros. Havia a exeentar
para orna IgTeta acidada-de Bordeas, nm altar-
mr com todas as saas estatuas e oraatos. A ebra
eslava atrasada e exigia-se brevldade. Foi a essa
circumstancia qoe devt a minha admissaa Unme-
Desdo o primeiro dia da miaba entrada na ofli-
eina, os meas camaradas tiobam tratado do saber,
qnem eu ara. Ao principio desculparan a mlnba
e levon-me lego para orna grande offleina, onde
muitos rapases o borneas cortavam em madeira e
em pedra difierenles estatuas o ornamentos de mni
variada feitios. Chamoa o director da offleina, dis-
se-lhe algomas palavras em voz baixa o depois,
voltando-se para mim: ___
' famos experimentar o qoe capas Je fazer.
' noite verel o que sana. Se me contentar, dou-lh*
abalbo. Porlanto.mos obra e animo f
Deratn-me um nequ#ao. esbqgo de gesb repro-
sentando um archanjo e um pedaeo de madeira de
tilia ea qae eo devia talbar a cabega do aojo at
do, jolgava-me mais feliz do que os mais fetfts e pe30 enorrae e o espirito tateiraaenle llvre para
ria na solitaria floresta como pobre nodo qoe per- emregar-se, eos aoospeto aqnwiaento, s suas
dea a conscieocia da si maatto. condonas meditacSa.
Apesar destes desconcert* do man espirito, pe- Anda por tooita lampo ato pensarla em deixar
sava em minha a coa profunda inqoietacio. haldeta solitarU, porqde amara a floresta d* Com-
Na primeira semana nao se adndraria da minba Mfeft oe **#*_+>*- ** W*r*. "
demora de tanSfes em Antuerpia, a por tar**** **** wUtt ** notado,
peartaaoaazalama;e Aijllj^'l^
ato irla ^.^^Z^m^^^^^ "Jo**W* rbjtos pergun-
pareeera seto deitar rastrd-- fin atbna? agaoaannttj tidinnu, na e desagradavam. Portaalo,
em qailqaer ponte! DeYto e Jati ejtreWr-ite. era preciso wnMr na PrH^ e reUrir^*. Parlt
accommodadallnhaalnttairiboladadblilf^fa^llttaaeooviBecM do qoe a minha airea sa-
bora de residencia nelle. Qae patria bavia mais
breve recinto, perdido debaixo Hlo tacto de ama
Irriiasse o mea continuado silencio e vim a sar al-
vo dos seus molejos, talvez do seu odio. Affligio-aa
tolella.disposigao hostil dos mens cambradaa; ft
todos os mena esforgos para ser um pooeo mata
conversavel o para os contentar, mas foram afor-
eos baldados; nio consegu tancar de mim as Ima-
gvns qne, mamo quando com mais telo trabalna-
va, estavam sempre presentas ao mea espirito o le-
vavam-no pan o mundo das ideas tristes. Rosa,
sempre Rosa I qae me raostrava o co como patria
*Ss exilados da fortuna o murmurara aos meas
JJjidos: Antes morrer I antes morrer I >
Deram-me tarabem tndo o qae podia ser-me preci-
a: na banca, utensilios e mamo orna blusa escu-
ra pora nio estragar o nan tacto.
Ganbei affeico ao meo qoarto logo na primeira d de atara qoal terminada a eabaj
oa de aojo. Ea. eslava contento de mim mesmo, por
podiam vagaear em plena Abordado T
Se a necessidade nio houresse iaterrompldo o Entio o.oaa maganie atreve-a a lanr ea>
medelo! Nio importa, ea gosto dlsso
mea scismar, parece-me qoa torta passado toda a
minha vida com a cabega debragad na mioba ja-
nelinha. Mu nio era possirel eaqTiecer qoe a ce.
breza me acompanhava. Foi, pois, forjada a trnt
tas*lo|ir dedeliclu eMfscer i r^.pagdlr.
ao pescoco, do tamanbo de qoatro raa o modela ^jjOMiao 0 flm jM horM dearabalbo me dar II-
tggdade, en voava, como ave de qae escapa galo*
taf para a montanha de Santa Genorora, e assen-
lara-me em urna cadeira ao p da janellinna, a
olbara vagamente para a domados aflexos do flm
da tarda, e meditara neia, no soa sdrtiso e na ana
coofissio; oa anta, pensava na soa conflssao ; oa
nba pobre mi, o chorava, a pedia a Deas, com as
mios erguidas, que me protegesse e mi pwioajM
pala soa. infinita misericordia.
E nio sabia do meo lagar favorito senio quan-
do a fadtga an obrlgara a proenrar na oaaal re-
pargaodaminbas|qrci
hira perleitaaeata. Por isso, trabalhava com tanto
^^^^^^s^aaai
7
reccSes ao
qoando o arrojo ral de par com o talento. Estot
sata&feito; trabalbar para mim; e para mairar-lbe
qoa quero bem aos artistas ainda lar* dar-Ibo.
ro q salario Ifopenrio de prjmrJi claae.
WfTfm)
r
i*







-
\


j t.V
1 -,
\\


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9YFGK7V0_M4WDV7 INGEST_TIME 2013-09-05T01:50:31Z PACKAGE AA00011611_10942
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES